Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10653


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XU HUMERO 96
Por qiartel pag* deitrt de ludias do 1. mei ...-:
dem lepis dts 1.' i0 dias do ceuefoe dentro do quartel. .
PtrUaoeorrei* por trsneles............
33000
-LL1U1
ENCARREGADOS DA SUBSCR&IJO DO NORTE
Parahyba, o'Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Araratv, o
Sr. A. de Lemas Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhlo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves dr
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Babia, ol
Sr. los Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. JS|
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Ojiada, 6abo, Bacada e estaques da via frrea at
Agoa Preta, lodos os dias.
Iguarass e Govaona as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pud'Alho, Naiarelh, Limoeiro, Rrejo, Pesqoeira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Saigueiro e Exti, as qnartas
feiras.
Segunda vara do civel: qnartas e sabbades a i
hora da tarde.
Serinbem, Rio Formoso, Taroandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL:
2 Qnarlo cresc. as 10 h., 89 m. e 22 s. da t.
11 Loa chela as 2 h., 17 m. e 52 s. da m.
18 Qaarto ming as 9h., e 16 m. da t.
25 Lna nova as 11 b., 83 m. e 46 s. da m.
QUINTA FE1RA 27 DE ABRIL DE 1865.
forano paga dentro de lOdias do l. mi 191000
Porte ao correio por am anuo............, 3JOOO
I AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagao : tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 boras.
Jalao do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e Sextas ao meio
da.
Segpnda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde. .
DAS DA SEMANA.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
24. Segunda. Ss. Honorio e Mileto bb.
20. Terca. S. Marcos evang.; S. Hermino m.
26. Quarta. S. Pedio de Ralis b.: S. Cielo p. m.
27. Quinta. S. Tertuliano p.; S. Turybio are. i----------;-
28 Sexla. S. Vital m.; Ss. Agapito e Acacio mm. julho, setembro e novembro.
29. Sabbado. S. Pedro ro.; S. Tertulia v. m.
30. Domingo. S. Vicenie Ferreira; S. Amador. ASSIGNA-SE
Para o snl at'Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 m. da manbaa.
Segunda as 6 horas 30 e minutos da tarde.
Ino Recife, na livraria da praga da Independencia
[ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figneiroa de
iFaria & Filho.
PARTE QFFICIAL
i y m i i
fiOVBRSO DA PROVECA.
CoatinuaeSo do expediente do dia 22 de abril
de 186a.
Offlcio ao juir municipal e de orphaos do termo
remetteu o ebefe de polica com offlcio de 21 do
crreme, sob n. 871, e nao havendo inconveniente
Dito ao director do arsenal de guerra,O Exm.
Sr. presidente da provincia, manda declarar a V.
mande pagar ao negociante Joio Jos de Carvalho S. para seu confien ment, que em vista das alie-
Moraes, procurador de Joao Pereira de Magalhes gagdes feitas por Francisco Pinto da Costa Lima,
a quana de 1194200 despendida durante os me-
zes de Janeiro e fevereiro deste anoo, com o susten-
to dos presos pobres da cadeia do termo de Ouri-
cury.Communicou se ao Dr. chefe de polica.
Diio ao mesmo.Becommendo a V. S. que alm
dos dous caldeiroes encommendados segundo o seu
ga al 9 de abril do anno viudouro, afim de poder
alistar-se como Voluntario da Patria e seguir para
o heatro da guerra em defeza do imperio.
Em resposta lenho a dizer-lhe
porcelana, das maieres que hoaverem no mercado.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Declaro a V. S. para sea co-
nheciniento e fin conveniente, que de conformida-
arrematante de obras para costurar, proferio hoje
em um requerimento deste despacho do teor se-
guinte :Concedo que se effectue o contrato para
ser entregue toda a obra contratada no prazo de
Tinta das, na forma pedida sob a multa estable-
cida as condicSes 5" e 6' do aviso de 17 de mar-
go de 1860.
Despachos do dia 23 de abril de 1868.
Requerimentos.
Alferes Antonio Bandeirade Mello.-Dse.
Augusto Cesar da Cunha.J se expedio ordem
para a baixa do voluntario, tutelado do supplican-
le, em vista da informago ministrada pelo com-
a dizer-lhe que muito loavo
a sua patriuliea resolugo, e que nesta dala envi; de com o que solicitou o cnefe de pohcia em offl- mandante das armas sobre o seo orimeir reaueri-
o seu requerimento ao governo imperial, que sem ci de 22 do corren'e, sob n. 582, a quantia de 185 ment. -i
duvida turnar na maior considerago.
Dito ao gerente da companhia pernambucana.
Remeti por copia Vmc. para sua sciencia o
de que trata o meu offlcio de 16 de margo ultimo,
deve ser entregue ao lente Manoel de Souza Bra-
ga e nao ao tenente Manoel de Souza, como por
offlcio de h de margo ultimo, em que o Exm. presi- j equivoco daquella repartigo se declaran no roen-
dente do Piauhy solicita novamente o pagamento conado offlcio.Communicou-se ao Dr. chefe de
do debiio de praticagem do vapor Mamangnape e polica.
cuja conta j foi remeitida a Vmc. com offlcio de Circular a todos os commandantes superiores da sejs dias para o flm que pretende
4 n julho do anno passado. guarda nacional. Becommondo a V. S. que logo j calisto Teixelra de Carvalho
Antonio Jos Alves de Bnto.Informe oSr. des-
embargador presidente do tribunal do commer-
cio.
Antonio dos Santos Falco. Passe portara na
forma requerida.
Cypriana Mara Francisca.Concedo o prazo de
Portara.O presidente da provincia, tomando que os conselhos de revista convocados para toma- cante a maioridade do seu tutelai
em crasiderage a proposta do director geral da rem conheciment dos recursos inturpostes pelos Francisco Pinto da Costa Lima.Concedo que se
para ser entregue toda a obra
7' Quantos sacerdotes existem dentro da fregu-
zia, qual a sua occupagoifsua conducta, e seu ze-
lo no exercicio do Sanio ministerio.
E fcita e remettila esta relagao crcumstancada,
que V. Rvma. augmentar com as noticias e obser-
yacta que puder ministrar-me, cumpre que V.
Rvina. continu a dar-me parte, quando quaiquer
sacerdote se retirar da sua freguezia, e quando al-
gura fr nelia residir de novo ; e bem assira me
communicar todas as oceurrencias que ahi se de-
rem, e qne lenham relagao com o regiment paro
chial.o exercicio do culto.
E esta circular executar V. Rvma. quer he
chegne s mos directamente, quer a veja impres-
sa em quaiquer jornal desta diocese.
- 23 -
Circular aos Rvmds. capitulares da cathedralde
Olinda. Teodo eu determinado que no prximo
sanbado 2P do correte, se celebre um offlcio so-
lemne por occasio do aniversario da morte do
Extn. Sr. D. J^o da Purificago Marques Perdigo,
ultimo bispo desta diocese, a-sim o communico
V. S, aflm db que pelas 10 horas do mencionado
dia compareca na igreja do seminario episcopal,
onde tem de celebrarse esta solemnidade, visto
achar-se a cathedral impedida por causa das obras
Prove o suppli- ^Ui *' se estao fazendo.
discusso o orojecto
ao offlcio de escrivao
de Olinda o de escrivao
na mesmo termo, com todas as suas emen-
So .flBSat VtTJSSSiX i gag-a^*" Sa-
lis prov.miaes, ciadas que tem con; ideradoSguaes se||fde ST mdev,dameme PaKaram como
tanc|rasS 0U""3 professores era idea,icas circums- ( E- sem ,feba,e approvada.
i^SJ2 Pes,and0 i!,,en,araen,e ^:n.%&\uPnm\S *
das as mSw produzdas pelo supplicante e alteo- privativo do jury do termo
dendo a que ellas assentara nao s as dispe sigo s crime da
das leis cima indicadas, como tambem nos pre-! das.
cedenles que j se deraui em relagao aos profes-; Enira finalmonio am <. ____-- .__ .
sores da Boa-Viagera e de Nauretb, e demais al- 37 deie anno cocedendo S ESPES-E '
LZ d9 m'T qUe Se ,h" mar(,ae a leBd -r' 4'5o quedes ST. USSKfiS &
gamento quantia para pagamento da grat.flcago : r,ma.ago do imposto deSSSSj
Tsarmm,ses-de abril de ^-^zs^&r^**"*
objecos de del.beragao e'gS^E!'^ ^-mesa o se-
Fiea cuncedido a Francisco
Concurso s ffi
Tendo o m iverno de
\nezias vagas.
M. Imperial declarado
rao lugar que se acha vago de destacamentos em defesa do imperw por forga do conTratada no prazo de 30 di .s, na forma pedida, nul1* 17 propostas restantes do concurso a que
da freguezia do Limoeiro ae ba-, decrelo 3,383 de 21 de janeiro e offlcio desta presi-; sob a multa estabelccida as condigSes 5' e 6' do em de novembro de 163 procedeu o Exm. bis-
instrucgo publica, de 20 do corrente, sob n. 119, guardas nacionaes designados para o servigo de effectue o contrato
resol ve.nomear para o lugar que
delegado Iliterario da freguezia do Limoeiro ae oa-, ucvioiu o,ooo ue ai uo jaueiru e uuiciu uesia presi-1 $ob a mulla eslabelecidi
charel Emygdio Marques Santiago.-Communicou- dencia de 21 de fevereiro ltimos, liverera encer-! avso de 17 de margo de 1860 P 'acecido, participo a quenTconvier que o^xm
se au d.recior geral. rados seus trabalhos faca immediatamente seguir Felippe BeniBcio Cavalcanti de Alboquorqae.- Rvoi Sr- g"o capitular brevemenie vai man-
24- Para e?la capital o contingente de que trata aquelle Remetlido ao Sr. inspector da thesouraria provin- dar *IBUr os d"aes para proceder ao concurso
Ollicio ao coronel commandante das armas. : meu citado offlcio. -Mulatts mutanais ao conimao-; cial nara tlrndrir n nnnifnia
Sirva-se V. S. de mandar alistar no corpo de Yo- d luatarios da Patria a Jos Francisco dos Santos. Offlcio ao commandante superior da guarda na-
L'ito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar ins- cronal do Recife.Deferlndo o requerimento do c
peccionar pela junta militar de sade o cabo de po Eduardo Krederico Bancks, sobre que versa
esquadra do corpo de polica Francisco de Paula'3 sua informago n. 115 de 21 do correle, aulori
so V. S. a mandar aggrega-lo ao 3 balalho de re-
serva da guarda nacional sob seu commando su-
Franco.
Duo ao mesmo.Ao offlcio que V. S. me dirigi
em 2i do corrente sob n. 731, respondo declarando- perior.
Ihe que a companhia de voluntarios de homens Dito ao director geral da instrucgo publica.
pretos, nao pode seguir na prxima viagem no va-! f-m vista das pnderagoes feilas em seu offlcio de
por S. Francisco. 121 do correte, sob n. 122, com referencia ao do
lino ao mesmo.Remeti V. S. e requerimen- regedor do Gymnasio Provincial e ao parecer do
lo documentado do voluutario Joaquim Jos da Ro- conselho director, autoriso V. S. a reformarnos
cha Paria, para que se sirva de tomar em conside-! termos do seu citado offlcio, o uniforme dos alum-
ciai para atteoder ao sapplicante.
Francisco de Paula Franco. Apresenle-se no
j quartel do commando das armas para ser inspec-
| cindo.
Gaudencio Jos da Silva. Indeferido, por nao
, provar motivas attendiveis.
Capillo Joao Mariano Paes Barrete Requeira
ao governo imperial, a qum compele defer" ao
supplicante.
parochias que se acham vagas nesta
de todas as
diocese.
Cidde de Olinda, 24 de abril de 1865.-Conego
Joaquim Ferreira dos Sanios, secretario do bis-
pado.
COMUimODAS ARMAS.
ragu o que elle pede.
Dito ao mesm i.-Recommendo V. S. que me
rmeita com urgencia a informago que exig so-
bre a transferencia pedida per aigumas praga- do
primeiro corpo para o de segundo de Voluntarios
da Patria.
Dito ao mesmo.Por falta de accommodagSes
bordo do vapor S. Francisco, tenho resolvido que
nusse vapor siga smente para o Rio de Janeiro
o corpo de Vocalarios da.Palria, fleando para irem
no vapor da companhia brasileira que vier do
norte, os mdicos do corpo de sa le, as pragas do
auarto de animara a p e os recrutas.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de expedirs
suas orde s, aiiiu de que seja transferido para o
segundo corpo de voluntarios por ter sido esta a
clausula do seu alistamenio, o segundo sargento
Lwpoldiuo Exeqaiel Cona de Norooha.
Dito ao Dr. chefe de polica.Para poder salisfa-
z-r a deliberago da asse nltla legislativa provin-
cial, presle V. S. com urgencia as informag5es
coustaates do offlcio incluso por copia do respecti-
vo primeiro secrelario, de 10 do corrente, sob
n. 68.
Dito ao inspector da lliesouraria de fazenda.
Remello V. S. para os con venientes exames as
inclusas copias das actas do conselho de compras
do arsenal d
nos internos daquelle eslabelecimento.
Dito ao mesmo Devolvo a V. S. o requerimen
lo de 'Apolonia Mara de Mello, aflm de que se
digne de informar acerca do que ella pede, visto
que a informago do 1 de margo nltimo, sob o. 67,
a que acompanhou aquella petigo nada diz a res-
peito do seu objeclo.
Dito ao commandante do ipo de polica.Em
defermeolo ao que requereu o 2o sargento do cor-
po sob seu commando, Ismael Francisco de Barros
de que trata o seu citado offlcio n. 252 de 21 do
corrente, autoriso V- S. a conceder Ihe a baixa que
pede.
Dito ao iqspector do arsenal de marinha. De-
volvo a V. S. o pedido do* commandante do vapor
S. Francisco a que aliado o seu offlcio n. 881 desla
data, para que mande fornecer com urgencia a lou-
ga e mals objeclos mencionados em dito pedido,
os quaes sao necessarios ao referido vapor.
Dito a Jos Gabriel Pereira de Lira.Louvando
muito os elevados sf mmenlos de patriotismo que
acaba de dar V. S, offorecendona quadra actual os
servigos de 4 de seus filhos, cabe me tambem agra-
decer essa prova de seu patriotismo e adbeso a
causa da patria.
(iOVEHXO DO BISPADO
PERXiHBUCO
SEDE VACATTE
PE
Quartel do eommao lo das armas 4e Pernambuco
' eidtie do Kecife, 2> de abril de 1865.
Ordem do dia n. 59.
Era cumprlroenio s or^ens da presidencia, em-
i barca amanhat para a corte no vapor S. Francis-
' co o i. corpo de Voluntarios da Patria forte de
1875 pragas, organismo nesta provincia de confor-
. "'Xpedtente do da 21 de abr. midade com o decreto n. 3371 de 7 de Janeiro do
umcio ao Dr. juiz de direilo desta comarca de corrate anno.
Olida.Tendo sido sorteado para a presente ses- Pernambuco enviando este contingente em de-
sao do jury desta cidade o 3 offlcial da cmara feza de seus irmaos de Matio-Grosso opprimidos e
ecclesiastica, Candido Eustaquio Cezar de Mello, tyraonisados pelo tresloucado governo do Paraguay
rogo a V. S. o favor de dispnsalo. satisfaz um dever de honra, e d urna prova cabal
A cmara eccjesiastifia tem tres empregado?, o de que em lempo aigum foi indifferente aos males
seu expediente e grande e complicado ; o 2o offl- da palria, que muito tem a esperar de cidadao*
cial acha-se actualmente doente.e se faltar o 3, que por amor dellae de soa dignidade offendida,
tem de paralisar o expediente, com gravissimo de- deixara expontaneamente os seus lares seus com-
tnmeuio da adrainistagao diocesana. Eis a razo modos, e o que tem de mais charo suas familias
porque solhcito a dispensa do referido offlcial, a para se exporem com certeza as privacoes e oeri-
qual tere que agradecer V. S. gos de urna guerra com o estrangeiro.
Dito ao arcediago vigario da freguezia de S. Pe-1 Sinto as mais vivas emog5*s de contentamento,
orouartyr.Determinando as consumieses dioce- em ler-me a surte proporcionado a oobre tarefa de,
sanas, a bem da prompla adminisfragio dos Sa- na qualiade de commandante das armas interino
cramentos e cura das almas, que os Rvds. parochos. desta prowncia, fazer seguir para o campo da hon-
lennam coadjuctores que os auxiliem na regeocia' ra essa pleade de briosos Permanbucanos que,
desuas freguezias; e que os proponham ao ordi-1 conscios de seus deveres, se haverao de modo que
!a ?rB d,a,do,nie de July? cada an;! ao regressarem sua provincia natal, se orgulhem pega a cmara muniepa desta cidade aTn
rln, L ra M^tenteoieDte prov.sionados, sob de dizer fiz campanba do Paraguav honra e gao pedida pela comm.ssao de orgaraento n
pena de o serem mdependenteraente de proposta gloria aos que se esforcarem em colher para o seu
sua : nao tendo V Rvma. cumprido com esse de- paiz novos louros. e para os seus anuaes mai urna
ver, resultando d ahi estar a sua freguezia sera pagina brilhanle.
arsenal de guerra datadas de 23, 29, 30 de
maio ultimo, 6, 12 e 17 do mez crrenle. | sos remeltidos para esta capital com guia do dele- V. Rvmd.
Dito ao mesmo Transmuto 1 V. S. para os fins gado do termo da Escada, e as pragas que os vie- est enllocado
coavenientes os doas inclusos attestados em dupli- [ rem escollando sejam transportados pela referida onde comparece pela manha e larde para o ser-
cata, que me oram remeltidos com offlcios do co-' estrada de ferro.Communicou-se ao Dr. chefe de v?d do coro : sendo do mea rigoroso dever ve-
ronel commandaule das armas datado* de hoje e polica.
sob ns. 730 e 731, do> quaes consta haverem sido' Portara.O presidente da provincia, attendendo
apprehendidos os desertores da companhia de ar- i ao que requereu Pedro Semo da Silva Braga, 3o
titlces Allredo Arihur da Silva, do segundo bata-! escripturario do consulado provincial, resolve con-
lli.ui de infantana Jos Mara e do nono da niesma ceder-lhe tres mezes de licenga com vencimentos
arma Jos Matheu-, sendo o primeiro pelo alferes; na for na da lei, para tratar de sua saude.
do corpo de polica Francisco Xivier Rodrigues1 Dita.O Sr. commandante do vapor S. tronas-
te Miranda, e os outros dous pelo cano de esqua- co, receba a seu bordo o 1 cadete Carlos Mariano
dra Justino Jos de Almeida. Communa-ou-se ao de Aibuquerque Cavalcanti, que se allstou nesta
commandante das armas. provincia com deslio) ao corpo de Voluntarios da
Dito ao mesmo. Mande V. S. ahon r a' familia Corle.
do Voluntario da Patrii Francisco Joaquim Torres Dita.-O presidente da provincia, atlendeodo ao
Galindo, em os devidos tempos, e a contar do pn- que requereu o professor publico de iostruegao
meiro de maio prximo vindouroem diante aguan- primaria da povoago de Correles Antonio dos
ta de 12$ mensaes que elle qur consignar-llie dos Sanios Falco, e ten lo em vista a informgo Jo
re -p.-i i. \-- veucirnenid> para sua alimcnlagao. director geral da instrucgo publica, de 21 do cor-
Dito ao mesmo.A Manoel Figueira de Faria rente, sob n. 121, resolve de conformidade como
Filho mande V. S. pagar, nao havendo inconve- art. 23 da lei n. 598 de 13 de maio do anno passa-
Diente, a quanlia de 74250 re. proveniente de au- do, remover daquella cadeira para a da povoago
nuncios publicados pelo arsenal de guerra no Dia- de Puntas de Pedras o mesmo professor.Coinmu-
no de Pernambuco, durante os mezes de Janeiro e nicou se ao director geral.
margo des'e anno, como se v da conla juuta em Dita.O presidente da provincia, resolve nomear
duplcala, que me remetteu o director do mesmo para servirem proviseriamente no corpo a. 1 de
arsenal (om offlcio de hoje, sob n. 13. Voluntarios da Patria os offlciaes abaxo declarados:
Dito ao mesmo -Remcttu V. S. o inclusa re- 3" Companhia.
Sucrimento do tenente do corpo n. 1 de Voluntarios Capitao o tenente da 8" Jos Rodrigues de Oliveira
a Palria Francisco Antonio de Oliveira Sobrioho, Lima,
para que mande abonar em os devidos lempo- o 8' Companhia.
Tenente o alferes da o* Tiburtioo Pinto de Almeida.
Para alferes do mesmo corpo o cadete Manoel Jos
da cmara.
Fizeram-se as necessarias communicagoes.
Dito ao superintendente da estrada de ferro. coadjuctor ba quasi um anno : nao podendo por i. Recebara, pois, os Srs. coronel Antonio Gomes
Recomraendo ao Sr. superintendente da estrada de MM deixarde soffrer algura detrim rali a prompta Leal, digno commandante interino do referido cor-
ferro que expega, suas ordens aflm de que os pre- djslrbuigo de pasto espiritual, mormente sendo po, offlciaes, u em geral todas as pragas os volos
cooego da cathedral desta cidade, que sinceros que fago pela sui prosperidade! e com el-
ido fora dos limites da sua freguezia, e les as raiohas saudosas despedidas.
(Assignado.) Jos [Mana Ildefonso Jacome da
Veiga Pessoa e Mello.
lar coin a maior solicilude sobre o bem espiritual (Conforme) An/unioFrunciso-oDuorf^"leen-
dos Ueis; e na.) sendo po-sivel esperar por mais le ajudante : ordens nterin j.encarregado do de-
tempoqueV. Rvma. expontaneamente repare a tal he.
omisso em que lem cahido, ordeno \n que uo
prazo de 15 dias da data desle me aprsente sacer- '!m
dote idoueo para coadjuctor dessa freguezia.
- 22 -
Circular aos vigaros da diocese. Considerando'__
que para o bom regjmen de quaiquer diocese, e |
sold que elle pretende consignar nesta provincia
ao seu procurador Joaquim Jos de Abreu, a cou-
tar do primeiro de maio a 31 de julho do muo
corrente.
Dilo ao mesmo.A Antonio Francisce da Silva
e Jos Mara Pinto, operarios serralheiros contra-
tados, segundo o termo por copia incluso para o
servigj do arsenal de guerra da corte, e que tem
de seguir no vapor S. Francisco, mande V. S.
adiautar, nao havendo inconveniente, a quantia de
5".sJ, que cada um delles pede nos requerimentos
juntos por conta dos seus salarios.
Dilo ao mesmo.Expega V. S. suas ordens, para
qne sobminha.responsabilidade seja paga a> con-
sellieiro Anlonio Colho de S e Albuquerque a
ajuda de cusi que Ihe compele, como deputado
assembla geral legislativa por esta provincia, visto
nao haver crdito para esse fim.
Cnuti.iuaro do expediente do secretario do gover-
no do dia 22 de abril de 186o.
N. 135.Offlcio ao 1 secretario da assembla
legislativa provincial.Respondendo ao offlcio que
me dirigi V. S. em 30 de margo proximj lindo,
sob u. 54, cabe-me dizer-lhe de ordem de S, Etc.
o Sr. presidente da provincia, que nao consta des-
ta secretaria, que se tivesse dado na estrada de
ferro desta provincia, o desfalque de quinhentos
contos de ris de que traa o offlcio de V. S. era
que tenha existido irregularidade no servigo da
administrago da mesma estrada sem terem sido
-denunciadas ao governo com antecedencia, sobre
nos
Dito ao iospeclr da thesouraria provincial. tudo (>elo actual engenheiro fiscal da mesma es-
Estando am termos as duas Inclusas contas, e nao trada.
bavendo inconveienle, mande V. S. pagar a Auto- Dito ao emprezano dos trilitos urbanos desta ca
nio Muniz Pereira, conforme solicitou o chefe de pitl at Apipucos.Pela secretarla do governo
polica em offlcio de 22 do corrente, sob o. 576, a se communica aoslllms. Srs. baro do Livramen-
quantia de 63800 despendida com o sustento dos to, Antonio Lulz dos Santos e Dr. Jos Bernardo
Galvo Alcoforado, emprezarios dos trilhos urba-
nos desla capital at Apipucos, qne nesta dala se
deu .-ciencia ao chefe de polica, thesouraria pro-
vincial e a cmara municipal do Recife do reque-
rimento em qne SS. SS. participaran) a S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, terem de dar comego
aos trabalhos de seu contrato.Fez-se o necessa-
rio expediente a esle respeito. ,
-24- s
N. 136.Offlcio ao 1 secretario da assembla
legislativa provincial.Para sei n prsenles a as-
sembla legislativa provincial, passo por copia as
mos de V. S. de ordem de S. Etc. o Sr. presiden-
te da provincia, as informagSes exigidas em offl-
presos pobres da cadeia da villa da Escada
mezes de fevereiro e margo deste anno
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em hasta pu-
blica a pintura de que necessila a ponte pensil do
Caxanga', servindo de base a' essa arreraaiago as
clausulas e orgamento Junto por copia, na impor-
tancia do 392J&00 rs., e que para esse flm me re-
ueu o chefe interino da repartigo das obras
publicas ero offlcio de 19 do corrente, sob n. 116,
Communicou-se ao chefe interino da repartigo das
obras publica?.
Dilo ai mesmo.Em vista da inclusa conta que
me foi reraetiida com offlcio do chefe de polica n.
574 de 22 do corrente, mande V. S. pagar a Joa-
quim Carneiro de Andrade ou ao procurador deste ci de V. S. datado de 8do corrente, sobo. 57, re-
Luiz de Ptauga de Orivefra "Lima, a quanlia de lativamente a Malinas Jos da Paz.
N. 138Dito ao mesmo. -Passo por copia as
ms de V. S. de ordem de S. Esc. o Sr. presiden
515600 despendida com o sustento dos presos po
bres da cadeia de Villa Bella, dorante o mez de
margo ultimo.Communicou-se ao Dr. chefe de po
iicia.
Dito mesmo. Recommendo a V. S. que es-
tando em termos as dua? Inclusas contas que me
te da provincia, para ser presente a assembla le-
gislativa provincial, a inclusa copia do contrato da
companhia Pernambucana de navegacao cosleira.,
a que se refere o offlcio de Y. S. n. 83.
PERNAMRUCO,
ASSEMBLA PROVINCIAL.
38a SESSAO EM 25 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PERRIRA DE BRITO.
As onze e 3/4 da manha, feita a chamada
achara-se presentes os Srs. deputados Maranhao,
Francisco Pedro, Buarque, Diodoro, Teixeira de
mormente de urna tao extensa como a de Pernam-
buco, deve o respectivo ordinario ter perfeito co-
nhecimento, nao s do pessoal do clero, como do
material das parochias, sua extenso, seus limites,
seus rendimeotos, etc.; afim de que em quaiquer
occasio esteja por si mesmo habilitado, na is para
prestar in-formagoes exactas, sempre que Ihe fo-
rera pedidas pelos poderes do estado, seno tambem Mello, Brito, Araujo Barros, G. Campello, J. do
e principalmente para tomar medidas e dar provi- Reg Barros, Reg Birros, Braulio, Cunha Teixei-
dencias promptas e adequadas as frequentes e ur- ra, Arminio, Gongalves da Silva, Ribeiro, Rochael,
gentes necessidades da adrainistragao espiritual, Aquino Ponseca, Netto, Antonio Vctor, Aravnthas
independentemonte de informagSes extranhas.que e Nabor.
O Sr. Presidente abre a sessao.
Deixa de ser lida a acia por nao -lar sobre a
mesa.
OSr. Io secretario d conta doseguinte
EXPEDIENTE:
Um offiejo do secretario do governo remetiendo
as informagSes acerca das aposentadoras de Jos
Mara da Cruz e Francisco Duarte CoelhoA'
quera fez a requesigo.
Oulro do mesmo remetiendo as informagoes exi-
gidas acerca de Mathias Jos da Paz.A' quem
dadas na occasio, e pelas proprias parles inters
sadas, sao quasi sempre suspeitas de parcialdade,
e inexactdao, e nao podem por consegrante ser-
vir de base segura a urna deliberago conscencio-
sa e justa ;
Considerando, que d'ahi lem resultado gravsi-
mos males ao governo da Igreja, mormente na di
viso irregular das parochias no lastimoso estado
das raatrizes, e indecencias no exercio do culto ca-
tholico ;
Considerando, que o nico meio efflcaz de re-
mover esses male:
diocesana, e reunir
regularisar a admiuistrago i fez a requesigo.
dados exactos para se harmo- j Outro do mesmo remetiendo a copia do contrato
Sao lidos, julgados objectos de
mandados a imprimir os seguintes projectos .
buc^soTvf* le8S,a,Va >T"nei!l L P8rnam- *^T&"o*lS?&S$&.
Gaarnh:;FCa,Per,tnreDd SStt ^ de -
Garanhuns o terreno que se acha entre os limites Drummond.i
desla freguezia e a estrada que passa nos sitios n Sn Prfsiokntr dueiaM n5. 0,.nn;t. ___
Orara pela ordem os Srs. Cunha Teixeira, Jos
Mana, Loareiro e Nabor. r
O Sr. Amynthas re juer que seja consultada a-
casa sobre aacceitagao do additivo.
O Su. Presidente diz que o nobre deputado deve
apreseniaro seu requerimento opportunamente.
O Sr. Amynthas manda a mesa o seeuiote reaue-
rimento :
Requeiro o adiamento do pfojecto at que seja
deci ida a quesio de ordem relativamente a accei-
lago da emenda.Carvalho Moura.
E' approvado o requerimento, entra conjuncta-
mente em discusso com o provecto e eucerrada
esta, approvado, ficando porlanto addiada a dis-
cusso.
_0 Sr. Jos Mara pede que seja posto em discos
?n0, !f0'ecl "^ forca policial e o que consigna
100:000^ para a consfuegao de cadas.
O Sr. Presidente responde que o nobre deputa-
do ser attendido opportunamente.
Continua finalmente a discusso do projecto n.
47 do anno passado, elevando a cathegoria de ci-
dade a povoago de Pedras de Fogo.
Ora o Sr Arminio.
A discusso fiea addiada pela hora.
O Sr. Presidente levanta a sessao as 4 horas da
I tarde, dando para ordem do dia seguate, alm das
materias j designadas, discusso das postaras das
cmaras munipaes do Bom Conselho e Cabo.
Por ter escapado um erro lypographco, repro-
duzlmos hoje o seguiote offlcio publicado no ex-
tracto da sessao de 24 do corrente :
4" seccao. Secretaria do governo de Pernam-
buco, 22 de abril de 1865. Illm. Sr.Responde^
do ao offlcio que me dirigi V. S em 30 de margo
ultimo, sob n. 54, cabe-me dizer-lhe de ordem de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, que nao
coosla desta secretaria que se tivesse dado na es-
trada de ferro desta provi.cia o desfalque de.....
500:000$ de que trata o offlcio de V. S nem qae
tenhara existido irregularidades no servigo da ad-
ministragao da mesma estrada sem terem sido de-
nunciados, ao governo com antecedencia, sobre
tudo pelo actual engenehiro fiscal da mesma es-
trada.
Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. Antouio
Jos daCosta Ribeiro, Io secretario da assembla
legislativa provincial.O secrelario, Dr. Francisco
de Paula Salles.
comprehendendo a nova di viso todo este uliimo
sitio, e em seguida at a fazenda Campo Sujo.
Art. 2o Ficam revogadas as disposigoes era con-
trario.
Pago da assembla legislativa provincial de Per-
nambuco, 22 de abril de l8o.-S. R. Vctor
Correa.Reg Barros.Teixeira de Mello.
A assembla legislativa provincial de Pernam
buco resolve:
Art. Io A quanlia de 200A000 res, que como
gratificagao percebia o offlcial maior da secretaria
desla assembla Francisco Duarte Coelho, ser at-
tendida na aposentadoria conodida ao mesmo of
ficial-maor para a perceber, assim como o respec-
tivo ordenado por inleiro.,,
Art. 2o Ficam revogadas as disposigoes era con-
trario. -S. R. Cunha Teixeira.
O Sr. Araujo Barros requer e a casa approva a
dispensa da irapresso desle ultimo projecto.
Sao approvados os segrales requerimentos :
Requeiro que por intermedio do Exm. Sr. presi
dente da provincia se pegara com urgencia as se-
guintes informagoes:
Io Se o cidado Francisco Antonio de Oliveira,
quando teve de passar a sea successor a thesoura-
ria das loteras presin contas e teve quitago.
2o Se nao obstante ter qoitagao, existe era juizo
alguma argao para que o mesmo cidadao entre
com quantias correspondentes premios de bilhe-
tes nao reclamados ou apresentados pagameoto.
3o A dala em que quaiquer aegao existente foi
apresentada e o estado em qoe se acha com a de-
claragao da quanlia ou quantias que devem ser en-
tregues.Diodoro Ulpiano.
Requeiro que pelos cauaes competentes se pe-
gara com urgencia as seguales inforraagdes :
1 Se o caes que se est edificando no canal da
ra da Aurora leva o almhameoto na direcgo tra-
gada na planta desta cidade devidamente appro-
vada.
2* Se nae leva, ao que se deve attribuir o desvio
e quem deterranou-o.S. R.Aquiuo Fonseca.
Requeiro de novo, que com toda urgencia se
forma-
orgaraento munici-
pal acerca d petigo de Bazil o Alvares de Miran-
da Varejao, bem como o parecer dado pelo advo-
gado da mesma cmara.S. R. -Diodoro.
Requeremos que se peca cora urgencia por in-
termedio do Exm. presidente da provincia direc-
tora geral da instrucgo publica copia da prova
escripia de gramraalica porlugueza, que fizeram
os pretendemos que ltimamente prestaram exame
de habelitagao para o magisterio do sexo masculi-
no, quando se mlricularam no Curso Comraer-
cial, bem assim copia do parecer da commisso do
conselln director acerca da aptdo dos raesmos
pretendentes e copia authentica das provas que fi-
zeram no exame de habelitagao. Gongalves da
Silva.Buarque.
O Su. J. do Reg Barros pede que sejam dadas
para ordem do dia as re.-olugoes que nao foram
sanecionadas pelo ex-presidenle da provincia o an-
no passado, e requer dispensa d irapresso dos
arligos additivos das posturas da cmara munici
pal do Bom Couselho, o que a casa concede.
Entra em discusso o parecer adiado das com-
raissSes de orgamento e legislacao sobre o requeri-
mento do Dr. Autonio de Merie'zes Vasconeellos de
Drummond.
Orara os Srs. Cosa Ribeiro, Reg Barros e G.
Campello.
A dscu*ao fiea adiada pelrt hora.
PRIMEIRA PARTE DA ORDEM DO DIA.
Contina a discusso do art. 12 do orgamento
provincial com as emendas aposentadas.
Oram os Srs. Campello, Araujo Barros e Anun
thas.
O Sr. G. Campello pede a retirada de urna
emenda que offereceu, no que a casa consente.
Encerrada a discusso approvado o artigo in-
dependentemente das emendas, e fiea empatado
por 1 voto e a segu nte emenda :
Em lugar de 40:0005000 diga-se-60:0005000.
Foram rejeitados qs dous requerimentos de adia-
mento, a emenda que elevas i a subvengo de
40:000,5009 a 50 0004000.
O Sr. Cunha Teixeira pede que se consigne na
' acta que votou contra as duas emendas.
za para a qual j dei os primeiros passo
em que pede que na lei do orgamento muni-
Considerando, que esta estalistica, demandando cipal se marque qnota para pagam-nto da quantia
lempo, trabalho e estudo, nao de fcil e prompta de 48:9384586 reis, qu Ihe deve a cmara muni-
execuco. ao passo que torna-se de dia para da cipal desla cidade.A* commisso de conslituigao
execugo. ao passo que torna-se de dia para da cipal
mais senslvel pelo progressivo augmento da popu-' e poderes
lago ;
Teuho resolvido, por emquanto, confeccionar
um quadro estatislico e abreviado, vista do qual
se possa conhecer de prorapto, em um lance de
vista, o estado das parochias, e obrar por conse-
grante com conheciraeoto de causa e acert as
frequentes urgencia? da adrainistragao dioce-
sana.
E nao podendo eu realisar esse miento, sem o
auxilio dos Rvds. parochos da diocese, haja V.
Rvmd. de, com a brevidade que ihe for pnssivel,
ministrar-me as seguintes informagoes :
1' Qual a invoearo da sua paruchta, dai. da lei
da sua creago, sua extenso e limites; seu readi-
mento anaual, com declaragao do numero dos ca-
samentas, baplisados e bitos nos dous annos ai-
timos.
2' Por que alteraco.-.- ou raudangas lera passado
os limites da freguezia ou sede da matriz.
3' Qual o estado da matriz, quanto ao material
do edificio, e quanto s alfaias e paramentos; quaes
as confrarias, que abi existem, e se tem corapro-
mssos approvados.
4* Quautas capellas publicas tem, e quaulas par-
ticulares, qual o estado dellas, nao s quauto ao
material, como quanio s alfaias e paramentos ; se
tem patrimonio cannico, e emque distancia esto
entre si, e cada urna dellas da igreja matriz.
5' Se a matriz est no centro da freguezia, e no
caso contrario qual a sua distancia a-s confins mais
longinquos.
6" Qual a freguezia que Ihe (ka mais visinha.
constituig
E' lid- e fiea adiado o sepilite parecer com o
voto era separado:
A comraisso de fazenda e orgamento tendo exa-
minado a petigo de Claudino dos Sanios Lopes
Castetlo Branco, professor de instrucgo primaria
na villa do Cabo, e recontiecende que nao Ihe com-
pete informar se o supplicante deve ou nao perce-
ber a gratificagao que Ihe foi concedida pela porta-
ra do Exm. Sr. presidente da provincia a contar
de 5 de dezembro de 1860 : E' de parecer que se-
ja ouvida a rommi-sao d legislago.
Sala das commissdes, 24 de abril de 1865.
Buarque.Campello.Reg Barros, com parecer
em separado.
A' commisso de fazenda e orgamento foi pre-
sente o requerimento de Claudino dos Santos Lo-
pes Caslello Branco, professor de instrucgo pri-
maria da villa do Cabo, no qual pede que se ihe
mande pagar a gratificagao correspondente ao lem-
po de exercicio decorrido desde o dia 7 de dezera -
bro de 1853, em que se compleUram os 15 anuos
de servigo, exigidos pela le provincial n. 598 de
13 de maio de 1864, al 5 de dezembro de 1860.
Cora os documentos anuexos soa peligo pro
vou o supplicanlo, que o sea direito ji fora reco-
nnecldo p.-lo presdeme da provincia de conformi-
dade cora a informago do director geral da ios
truccao publica, ouvido o conselho director, e em
observago 1* parte do art. 28 da lei provincial
n. 369 de, 14 de maio de 1855. Sendo qae por
forga do despacho constante do documento n. 2,
vera o peticionario reclamar a esta augusta assem
2594998
2964555
1:iSi4437
SEGUNDA PARTE.
Entra em 3* discusso o projecto n. 18 deste an-
no, abrndo um crdito supplementar.
Vem mesa o seauinle projecto substilutivo :
Art. 1. Fiea aberto um crdito supplementar na
importancia de 33:2074387, para occorrer as des
pezas autorisadas pelas seguintes verbas do orga-
mento vigente :
1. Ajada de cusi aos deputados
provinciaes........T............. 2994996
2 Empregados da directora da
instrucgo publica................ 1:7944887
3 Ditos da secretaria da assem-
bla, inclusive o archivista........
4. Ditos da secretaria do gover-
no................................
5." Ditos e professores do Gym-
nasio ............................
| 6. Museu-...................
I 7." Seis per cento da cobranga
judicial......................... 1:1494524
" 8." Empregados do consulado... 15:0244003
9. Promotores fisca-s......... 1:4294677
10. Collectores. ............ 1:6654997
11. Esrrivesdoscollectores ... 1:1194*32
12. Ajenie dos lquidos espiri-
tuosos............................ 6204856
8 13. Aposentados............. 4:3284334
14. RestituigSes............. 3:7084051
Art. 2. Ficam revogadaslas disposigdes em con-
trario.
24 de abril de 1865.Buarque.Campello.
Reg Barros.
Encerrada a discusso. approvado o projecto
substilutivo.
Segue-se a ultima discusso da emenda ao pro-
jecto n. 34, a qual sera debate approvada.
Entra depois em ultima discusso a emenda of-
ferecida ao projecto n. 30 deste anno. mandando
39' SESSAO EM 26 DE ABRIL DE 1865.
presidencia do sr. dr. pereira de RB1T0.
A's II horas e tres qliarlos da manha, fela a
chamada, achara se presentes os Srs. deputados J.
do Reg Barros, Teixeira de Mello, Benedicto Fran-
ga, Bruto, Soulo Lima, Aquino Fonseca, Maranhao,
G. Campello, Gongalve; da Iva, Silva Barros, Ar-
minio, Araujo Barros, Ribeiro, Francisco Pedro,
Nabor, Ramos, Rocael, Buarque, Aravnthas, Reg
Barros, Brando, Jos Maria, Ayres Gama, Lourei-
ro, Braulio e Drummond.
O Sr. presidente abre a sessao.
Sao lidas e approvadas asadas das ses.-oes an-
teriores.
O Sr. Secretario d conta do seguinte
EXPEDIENTE
Um offlcio do secretario do governo remetiendo
a informago da directora das obras publicas acer-
cada prelengao dos moradores de Campo Grande
A' quem fez a requisgo.
Urna pelico de Francisco Antonio da Silva Ca-
valcanti, pedindo que se pegam de novo as infor-
magoes que foram solicitadas do inspector da the-
souraria provincial, acerca da sua prelengao.A'
commisso de legislago.
Sao approvados es seguintes pareceres :
A commisso de legislago tendo examinado o
acto da presidencia da provincia, pelo qual foi apo-
sentado o offlcial-maior da secretaria desta assem-
bla, Francisco Duarte Coelho, acha que a aposen-
tadoria deste empregado esta de conformidade com
a lei, e porlanto de parecer que a commis^o de
orgamento e fazenda marque quota na respectiva
lei para pagamento do ordenado do empregado
aposentado
Sala das commissdes, 26 de abril de 1865.J. do
Reg Barros Cota Ribeiro.
A comraisso de msirueco publica apreciando
a peligo que o professor Dervino Jos da Cmara
dirigi a esta assembla, pedindo se eleve a quan-
tia marcada para aluuel ae casas, considerando
que tal distribuicao aonualmente feita pela di-
rectora geral da instrucgo publica, e nao tendo
mesmo o peticionario precisado a quantia qae para
esse flm recebe actualmente, de parecer a com-
misso que seja a mesma pelico remeltida ao Sr.
director geral da instrucgo publica para informar
a respeito.
Sala das comraissoas, 26 de abril de 1865. Ro-
chael.Gongalves da Silva. Arminio Tavares.
E' lido e dispensauo da irapresso, a requeri-
mento do Sr. Joaquim do,Reg Barros, o seguate
parecer :
A commisso de posturas e negocios de cmaras
municipaes, tendo examinado os arligos additivos,
das posturas da cmara municipal da villa de Sao
Bento, de parecer que se adopte o artigo 2. son-
do regeilado o dos mesmos additivos.
Sala das commissdes da assembla legislativa
provincial de Pernambuco, 26 de abril de 18\>5.
NaborSoulo Lima.Soares Braodio
Cootina a discusso do parecer das commissdes
de orgamento provincial e legislago sobre o reque-
rimento do Dr. Anlonio Menezes Vasconeellos de
Drummond.
Oram Jos Srs. Buarque e Costa Ribeiro, ficando
de novo adiada a discusso.
O Sr Costa Ribeiro requer e a casa approva,
que sejam impressas as informagdes remeitidas
assembla na ultima sessao relativamente a urna
priso effectuada pelo subdelegado do Peres.
1.* PARTE DA ORDEM DO DIA.
Discusso da emenda ao artigo 12 do orgamento
provincial, a qual flroa empatada ja ultima ses-
so.
Ora o Sr. Nabor.
<
itfS


Diarlo de Pernambuco
I
*-
===
0 Sr. Diodoro manda mesa o -seguate requer- focara os impulsos de meu coraco, commelleria Manoel, Pernambuco, 5 dias, Reife a caavniees.
meato, que entra conjunctaraeirte em discasso
Requeiro que se adi a discusso das emendas
offerecidas ao artigo. 12 para depois de wrto o
projecto deorcamenio em segunda aiscussad.Dio-
doro.
Orara os Srs. Silva Ramos e Diodoro.
Encerrada a discusso 6 regtitado o requerimen-
to de adiaraente.
Urna grave c impen'oave! Taita para comvosco, se Leonida, Pernambuco, 5 annos, Racife.; anemia,
pernotara vos nao dirigisse o adeui saudoso da Sophia, Pernambuco, i anno, S. b~i\ arrati
viuva -, brouchile chroica.
COMESPONDEBCIAS
Mador e qne deseja o bem de seas filhos, con
itaiir -que seo (Uno Francisco seja lesado.
Mafia consente qne o sea fllho Francisco pos
aatapara deixar as suas irmas.
pa*dl Digoai-Tos aocu lo; H expntaa mate-; Emilia Mara do Rosario, Pernamnu, 90raaos, aa nam da asstciacSo patritica oauilio neees-
qne nm cumprimento comniuui, oa de mera poli-
dez, parte dos dicumes de mea corarlo, qne boje,
inais que nanea, se vos confessa agradecido com
tao repetida provas deadbesao e bondadeque ten-
i de prodigalisado a' mioha humilde e obscura pes-
iado proceder-se a votacao da emenda empatada, so,
requer o Sr. Aquino Fu osee* que seja a votaoao t Atada nao deixfi estas queridas plagas, onde,
nominal, e a casa decide pela afirmativa. [pela primeira vez, live a fortuna de ver a luz do
Volarara a favor da emenda os Srs. Loureiro, sol, e onde se lea desusado todos os meas dias, e
Soares Brtndo, Aranjo Barros, arminio, Gonoal- ja pareco sentir a enormidade do peso da cruel; _
ves da Sva, Jos.Maria, Anfathas, Ayres Gama, saudade, filha de nossa separacao, que, prza a.' mJZZTE?l, ,7 KJ "?$ ^ u^r' LPe'
Rochaei, Silva Ramas. GasM* Drummood, Vctor Deas, nao seja eterna... Entretanto, esta consi- ^ri^l.' "T81 de ?nhodo
Correie, Francisco Pedro,, (toa Barros Estavao deraco rae nao desanima, ao contra rio mitro r<* fnn, <%2b'? !,??'*_em. '* MjO'inei-aatos
Barca belgaSophte Thcodorine idem.
Importaco*
Polaca hespanhola Antelle, airada do Rio Gran-
de do Sul, consignad Francisco Jos do Arsojo,
manifestou o seguinte :
7,878 arrobas de carne secca de charque, o 60
couros seceos; aos mesaos.
CONSULADO PROVINCIAL-
* Rendiraento do 1 a 13........ 5:179*394
40 PIBLICO
busta conviccao de que,
com mea
nossas arma
Franca e Teixeira de Mello ^ e contra os srs. Jaco-
bina, Diodoro Ulpiano, SeutoLima, Nabor, Mara-
nhae, G. Campello, Manoel Netto, Reg Barros,
Braulio, Buarque, Aquino Fonseca, Costa Ribeiro e
Joaquim do Reg Barras.
O Sr. Presdeme declara que est approvada a
emenda por 16 votos --contra 13, e que a outra exis-
tente sobre a mesa tica prejudicada.
Entra em discusso o aatigo 13, que diz j sacrificios e incommodes que' por ventura tenb ex.
< Auxilio a fazeada modelo que for fundada pelo perimenUdo na laboriosa vida do soldado,
instituto Agrcola 23:0000. < PernambucanosI Aqu termino; as seasaedea
Vem a mesa e apoiada a seguinte emenda : que ora experimento me perturbam de modo que
Supprima se c artigo i:).Ayres Gama. nao posso continua* Benignos, pois, acceitai cada
Oram os Srs. Araujo Barros e G. Campello. um de vos um saudoso abraco do
A discusso fica adiada pela hora. Vosso comprovinciano, Jos Paulino da Ca-
O Sr. Jos Maria requer urgencia para que can- mar.
tine a discussao_do artigo 13, o consultada a casa i De urna, carta escripta-da comarca do Brejo,
deoide pela rffirmatrva. consta o seguinte :
Contina, uoiianto, a discusso.do mesmo artigo,; < Com o Sr. lente Miranda descero perto de
orande os Srs. Jos Mara, Ayres Gama e Jaco-1 cem Iodios aeompanhados por um sobrinho do Sr.
depois de ter concorrido ?Qde3 e raame" VS noi. d,as !8'
acerca de un facto que s d
constantaaMnie as estacoes, caja pratjca aos pare-
rendo rao ter apoio no reglame*) por-ser um
absurdo, bem pode ser ara arbitro tomado, sea
sciencia a consent ment de S. S. a o seguinte :
Nao paiar o passageiro, qae. comprar o bilbete
de ida e^eha, por exemplona-estaelo da Otoeo-
Zffi' otriSoae *^*75^^ fttnlpir. d, fftrart, flr,nrtoni^.Ca^peo.
exercitp Brasileiro, a quera me desvaneco de per-,? .'S*1 POMuidor das trras denominadas ou- e
tencer hoje.e depois que urna paz nonroaa lraa'roeir Secca-e de presente conbeeidas
nossa cara patria Ozer embainhar a mioha espada, I P^y** "de-com legua e meia de ex-
voltarei nossa bella e heroica provincia, e, ao, We meia. ,eSoa de ar&Q> ? r'be"- d"
avisur-vos de novo, me. julgarei compensado dos S9fV"'tseul."d-se pelai ribelra do rtacho-Ftran-
sacniAioa a naimiuculM dun norvntura tenb ei-K1 ^aDd.eI ac'm i. havidas por rompras fetasa
. Adelaide Francisca Pessoa
Estrada de ferro.
Ao Sr. aogenhelro e suferiauadente G.
Mano, mot respeitosamente dlrigimo-nos, para se wflm do"d5 26 ...".. .'."...*.".*.* "3:522JolO
dignar eaawrecer acerca de um neto qoe se '
,_ dentro do termo de 24 horas para realisar, sem
qne compre um outro bilhete de passagem ali, aon-
de por qnalquer causa imperiosa tenha saltado.
Ser isto exequivel anie a boa razao ?
B. P. de L.
bina.
Sendo encerrada a discusso, requer o Sr. Ma-
noel Nettc que seja a votacao nominal, e a casa de-
cide pele afllrmativa.
Po^U a votos a emenda, fj regeitada, votando
contra os Srs. Cuela Ribeiro, Jacobina, LoHriro,
Diodoro Ulpiano, Araujo Barros, Souto Lima, Ar-
minio, G. CaouwUo. Maupel Netto, Reg Barres,
Vctor Crrela', Braulio, Buarque, Estevio Franca
e Teixoira de M -l:> ; e a favor os Srs. fijares
Brando, Jos Mana, Ayres Gama, Rochaei, Silva
Ramos, Gaspar de Druramond, J. do Rega Barros,
e Francisco Pedro.
Procede-se dopois a votago do artigo, o qual
approvado.
9 l'AIira DA ORQEH DO DU.
Dr. Calanho ijue com elles seguem para o sul.
O Sr. l)r. Catanho tem prestado bons servicos ao
governo, devendo-se a elle, e smente a elle esse
sentimento de patriotismo que dominou aquelles
Indios, algans sobrecarregados de numerosa fami-
lia.
< O sr. Dr. Catanho havia convocado urna reu-
nio magna, compesta de Gregos e Troyanes, afim
de se tratar nao s do melhor meio de se adquirir
voluntarios, como tambera para se proceder a urna
suftscripeao para auxilio destes e de suas fami-
lias; a qual reunio leve de feito lugar no da 12
de marco prximo passado, e com bom resaltado,
por que s nessa occasiao subiram os donativos a
mais de dous cootos de ris.
O Sr. teoenlo Miranda com o digno juiz mu-
Enfra em lerceira discusso a approvado sem l nieipal de Pesqueira aeompanhados de um grande
debata o projecto substitutiva do de n. 43 deste ati-1 numero de pessoas todas jtossuidas do maior en
no, abnndo um crdito supplemenlar. | tbusiasmo e separados de todas as cores polticas,
O Sr. Presidente declara estar em discusso a percorreram as ras do povoado e respondendo
questao de ordem sobre a nao recepc* da emenda com o maior Tegosijo os vivas que por militas vezes
mandada na wssao anterior mesa e por esta nao foram dados pelo juiz municipal a S. M. o Impe-
aceita, concedendo urna remissa da divida a Fran-
cisco Pi da Silva Vaieuga.
Oram os Srs. Buarque, Amynthas e Loureiro.
Aassembla, sendo cousultada, decide que entre
em discusso a emenda do Sr. Gaspar de Drum-
mond.
O Sr. Presidente declara contiauar a discusso
do projecio n. 37 deste anno, que concede a Fran-
cisco Cavalcanti de Albuquerque, hoje representa-
do pelos seus herdeiros, a remisso do-resto da-exe-
cuco que Ihes move a fazeuda provincial, com a
emenda do Sr. Gaspar Druramond.
Encerrada a discusso, requer o Sr. Buarque
que se fae,a uominalmente, decidindo a assembla
pela afllrniaiiva.
Esto presentes para votar 20 senhores depu-
tados.
Principiase a votaco nominal, e chegando-se
no aome do Sr. deputado Jos Joaouim do Rege
Barros, declara este senhor no poder- votar por
serem parles na queslo prenles seus.
O Sr. presidente diz que, em vista da.declaraeio
feita pelo nobre deputado. lira adiada a votacao.
visto nao haver numero sulfidenie para se poder
deliberar.
Levantam-se reclamacoes, e ora pela ordem o
Sr. Casta Ribeiro.
O Sr. Presidente sustenta a deciso tomada, e
levauta a sesso s -3 3|i horas1 da tarde, dando
para a ordem do dia seguinte a conlinuaco da j
designada.
RSYfm Dt&Sii.
Na terca-foira tiveram lugar os festejos patriti-
cos da ra da Praia, nos quaes se ligaram Brasl-
leirosePortnguezes,- jara da'rem urna mnifesta-
;ao solemne do qaanto consideram aquelles, que
vio balalhar pela boa causa.
_fogo de artificio, de que se compunham esses
festejos, ronstou de muitas e variadas pecas. Diffe-
rentes figuras allosivas ao theatro da guerra bra-
silio-oriental e anlogas ao assumpto, all avulta-
vaui; e d'enlre ellas sobresahia a fortaleza de Hu-
inayal era combate com urna corveta brasileira en-
couragada, do qual resultou afinal cahir aquella Se-
bastopul paraguaya por trra, surgindo de suas
ruinas o pavilho brasileiro triuraphante, ao mes
rao lempo que o lyranno I-opez apparecia enforcade
no las da verga da corveta vencedora.
A commisso encarregada desses festejofoffe-
rceeu um copo d'agua a ofDcialidade do corpo de
voluntarios, que all compareceu em compannia do
seu digo commandante o Sr. coronel Antonio Go-
mes Leal; todos os quaes se dignaram antes estar
per alguns momentos no salao da Corybantina, cu-
ja direccao se esmerou era obsequia-los como Ihes
era devido.
O concurso de povo que all aBuio, era immen-
so, calculndose em urnasoilo mil pessoas aproxi-
madamente as que enrhiam referida roa, e csse \
todo apresentava um espectculo magoilico e en-'
cantador nessa ondulacao propria detaes occasioes, i
sem que d'alli apparecesse o menor disturbio, a i
mnima abstraccao do fim que all reuna tanta
gente para ter ao menos um pensamealo que nao
fosse o de amor patrio.
Todos os sobrados estavam Iluminados, e delles
se derramavam no espaco, tiradas ao piano, tor-
rentes de harmonas, qne se combinavam com as I
de duas bandas de msica marcial, que tocavam ]
as extremidades da ra.
A casa de residencia do Sr. Ignacio Bento de i
Loyolla, fui abena recepeo de muitas familias, e |
de muitos personagens, entre os quaes notava se o
venerando Sr. commandanie das armas; e a socie-
dade recreativa Corybantina, acompanhando tao
' plausivel motivo de publicoregosijo, aproveitou cs-
sa occasiao para realisar a sua partida mensal; o
que fez com a animaco que peculiar s funceoes
desta sociedade, devida a constauta concurrencia
de grande numero de senhoras. Alli se achavam
muitos cavalleiros distinclos da nossa sociedade, a
ofiealidado do corpo de voluntarios do Maranho.
Foi nma bella partida em sua mesma simpiicida-
dc, reinando em tudo a maior ordem possivel com
satisfacayj dos convidados e reconhecimenlo dos
convidantes, pelos obsequios destes na sua aceita-
rlo e consequente comparecimento.
Em inlervallos do fogo houveram diversas poe-
sas, que foram applaudidas cora enthusiasmo.
O capitao do palhabole Piedad?, ebegado hon-
tera do Rio de Janeiro com 10 das, refere ter lido
nos jornaes a ornada de Villa Maria e Cuyab pe-
los Paraguayos, sera comtado garantir. Nao veio
jornal algn.
Realisou-se ante-hontem a tarde o jaotar of-
ferecido por niguas tfannnenses a officialidade do
corpo de voluntarios dassa provincia, que se acha
bordo do vapor Francisco.
Houve profso, .aceto e regularidade no ser-
vico.
Fizeram-se diversos brindes, Mbresahindo o do
Sr. lente Francisco Sabino Freitas dos Res ao
heroico corpo de volaolarioade Pernambuco. Ter-
minou a festa com o brinde 'S. M. o Imperador,
o qaai foi phrenelicameote correspondido.
Sobre requerimeatos de empregados da al-
fandega no sentido de ser-Ibes relevado iioje o pon-
to, expedio S. Exc o Sr. presidente ordens aos
ebefes das reparticoes para Jerem atteocao ao re-
querido.
Rene se hoje o esquadro de cavailaria pa-
trioco era sua parada do campo do Pombal, s 8
boras, aura de acomptnbar o corpo de voluntarios
ao sen embarque.
Eq coosequencia de nao poder ter logar ho-
je a extraeco da lotera 13?, por causa do embar-
que do balalho do Voluntarios da Patria, para cu-
jo acto lem de correr a popnlaco, deterrainou S.
Exc oSr. presidente da provincia que esse mu-
dada para amanhaa 28.
No dia 24 do corrale alguns escravos do Sr.
Francisco Joaqun) Cavalcanti Galvo, morador na
propriedade Otaria, do termo de.Iguarass, aseas-
-inaram brbaramente um feitor do mqsmo, homi-
siando-se oas majas prximas.
Iluoiern ditnbuio-se a seguinte despedida
do Sr. Dr. Jos Paulino da Caaara :
Pernambucanoi.Partindo para o sol do im-
rador, a familia imperial, ao presidente da provin-
cia e aos bravos vencedores de Montevideo, etc.
etc.
< No da 5 do correte houve em Pesqueira urna
revista dos Indios, alm da que tivera lugar no
domingo 2, em Cimbres, ao lim de saber-se d'entre
elles quera queria marchar romo Voluntario da
Patria, e ah pronunciou o Sr. Dr. Catanho, muito
digno juiz de direito, urna pronlamacao e o respec
tivo juiz municipal um pequeo discurso : o coa-
curso de povo era numeroso, nao s por ser dia
de feira, como tatnbem por ter corrido a noticia
de que tinba de haver urna reunio para aquelle
um. Os Indios estavam formados em duas alas, es-
tendidas pela calcada das casas que tera frente pa
ra o sul ; os Indios que se alistaram como Volun-
tarios da Patria, cujo numero exceden |a cem, e foi
devido a influencia do muito presiimoso Sr. Dr.
Catanho, nao dorrairam na noute do da li para 6
correndo incessantemente as ras com urna mu-
sica, oropria da aldeia, isto de caixas e gaitas.
As qualro boras do mesmo dia 6 partiram pa-
ra o Recife os valentes filhos das aldeas para des-
afrontaren) a patria dos ultrajes fetos pelos nossos
ingratos visinhos filhos das cidades de algumas re-
publicas do sul.
t Foi urna partida brilhante : hoaveram alguns
fogueles do ar e muitos vivas, especialmente dos
magistrados da comarca, os quaes, reunid >s a um
crescido numero de pessoas, urnas a p h nutras a
cavado, acompanbaram at certa distancia .os ge
nerosos Iodios que com a melhor vontade offere-
cem ao governo os seus servicos.
Hbparticao da polica.
Extracto das partes do dia 2 6 de abril de
1865.
Foram recolhidos casa de doteacao no dia 2o
do corrente:
A' ordem do Illra. Sr. Dr. chefe de polica, Agos-
tinho de Mello Carneiro, por .disturbios; e Apoll-
nano Francisco dos Santos, como criminoso de
raorte.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Tcenle,
escravode Francisco Jos de Campos Pamplona,
disposicd do subdelegado da Boa-Vista, para ser
prjeessado por crimu de ferlmenlo.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Hyp-
polito CassianodaSilvelra, por desobediencia ; e
Manoel, escravo de Manoel Ignacio Cardoso, por
desordem.
O chefe da 2* seceo,
, J. G. de desquita.
P1 2? re n
X o a X
r. i Sf 1 'J> 53
3 s i 5 3 i 3 >
: ^ O
: i MB
; o
* > 3
l =
: : : o

Masculino. z > 93 e 4S
^i C". n
J MI 30 -o 00
i
I Feminino. > sr
Cl ZX H
i^ zc CC to o 1 ^
1 k H
tm ? I Masculino. i f M 2 3
i *2- >* * 1 ' M
1 -
1 Feminino. i a
fm 1 1 1 . ' . p^,.
i *j
1 Masculino, i M Bf a o
Cw - k A *- 1 * m

1 Feminino. o va
t * 1 --.
\ g =-
- 1 .* Masculino. a
~j m A - -i er-
i t
1 Feminino. >
9 - - be ! Oi i =-o
l - w Masculino. 00 ?*
- 1 o o
* 1 OS 1 K R

1 >
09 i Feminino. '
c-. n a M S 1
1 1 TOTAL.
--i -
-J * 1
._ de Mello a Joaqnim
Barbosa de Sonza e soa raulher D. Joanna Baptis-
ta de Mello ; de cujas trras tomei posse judicial
em 9 de fevereiro do corrente anno. Ora, j em
fevereiro de 1860 foi tentada a conciliago.-da lei
contra o Sr. Jos Alfonso Ferreira para abrir mi
de urna propriedade de que havia lanzado mao, e
edificado ura engenho sem oatorga dos meas an-
tecessores (como me affirmaram elles) que boje me
perleoce, cojo engenho assim levantado, deaomi-
nou o mesmo Sr. Jos Alfonso Ferreira Riaobao :
nao compareceu o mesmo Sr. Jos Alfonso Ferrei-
ra, e por isso se tornou revl, conveneendo-me
por essa suarevelia ainda mais, de qae elle ne-
nham direito tera a mioha propriedade; pois se o
tivesse, que,melhor occasiao para me convencer?!!
lera o mesmo Sr. Jos Alfonso Ferreira, nao s
disfructado a minha propriedade, como ainda mais
fez, hypolhecou-a ao negociante desta praca de
Pernambuco, o Sr. Antonio Goocaives Ferreira
Casco I Contra essa hypotheca, pois, no dia 7 do
corrente mez de marco de 186o, eu e minha mn-
Iher D. Idalina de Paula Wanderley, e no eartorio
do Sr. escrivao Jos Norberto Casado Lima, da vil-
la de Agua-Preta, comarca dos Palmares, desta
provincia, onde esto encravadas as miabas refe-
ridas trras, protesUmos nos, estimando as nos-1
sas trras no valor de 30:0000O; e de havermos
as rendas do terreno que nos foi e exbuihado
pelo mesmo Sr. Jos Alfonso Ferreira a raao de !
o'00,5 annuaes cujo protesto foi convenientemen-
te intimado no dia 7 de marco do corrente anno
ao mesmo Sr. Jos Affonso Ferreira e sua mnlher
pelo offlcial de juslica Vicente Ferreira Marlins.
Em coosequencia, pois, venbo pelo presente an-
te o publico dar a conhecer o estado era qne se
acham as minhas trras, sendo ocenpadas por pes-
soas que nenhum direito a ellas tem, e que adian-
do peuca essa posse entrnss, ainda mais tem avan-'
cado a hypotheca-las ao j annunciado Sr. Cas-
co Iil... o o Sr. Jos Affonso Ferreira qoerj
comprar as minhas ierras para poder continuar1
com o dito seu engenho 1! I vonha atoa, isto a
mim e a minha. mulher, que fatemos negocio, em-
bora nao possa ser todo o pagamento a vista, e
para esse lim j convidei o mesmo Sr. Jos Affon-
so ; e se dado o caso se"queira negar a esse meu !
convite por que foi elle particular, pelo presente e
com toda a publcidade o convido para dito fim.
Convencendo-se o Sr. Jos Affonso Ferreira, que
tenho consciencia, que os Iribonaes do paiz, orna-
dos de magistrados, cuja probidade e scleocia fa-
zem urna boa parte da digoidade e honra da naco
brasileira nos saberao administrar jnstica.
Occorre-me lembrar ao Sr. Jos Affonso Ferrei-
ra que nao deve tomar por ageravo eu procurar
adquerir o que meu, quando S. S. se tem utili-
sado de minha propriedade e seus rendimentos
sem meu consentimento, e o dos meus .antecesso-
res, de quera son por direito seccionario'; e .ni)
sendo o Sr. Jos Affonso Ferreira to igoranie,
sabe muito bem que as ieis do paiz e as das mais
nacoes cultas, garaotera o mea direito ora toda a
sua plenitude.
Cidade do Rio Formoso em 10 de marco de 1865.
Antonio Gomes de Hacedo.
HXJlVt
C
D'l'MA
Molestia Ulcerosa
Curada.
.."-!"() J
m*
Leandra Maria da Ceoceico, Pernambuco, 70 an-
nos, vinva, Boa-vista ; diarrbea.
Joanna Mana de Dos, Pernambuco, 30 anuos, sol
peno, onde me chama um dever sagrado, ea su/-' feira, Boa-vista ; gsstro iiepatite.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doeotes existen) 177, sendo 1II
homens e 66 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias -
As 6 1|2, 6 11-2, 6 1|2, 6 1|2, 7,6 1|2, 6 l|2 pelo
Dr. Ramos.
As 8 3|4, 8, 8, 9 10, 9 1|4, 1|4, 93|4pelo Dr.
Sarment.
Fallecern) :
Antonio Bernardo 4 enterite.
Damiana Maria dos Prazeres; tubrculos pulmo-
nares.
Manoel de Farlas ; anasarca.
Uaibelina Maria do Coraco de Jess; phtysica
palmonar.
Tbomazia Monteiro de Lima ; ttano.
Passageiro do palhabote nacional Piedade, en-
trado do Rio de Janeiro :Antonio. AI ves Guima-
raes, Acacio Coelho Rabello.
EaiTBRio PBuco.Obituario do dia 25 de
abril de 1665.
Joan, Pernambuco, 11 mezes, Recife ; oonvulcSes.
Belino de Paula Baptista, Pernambuco, 21 anuos,
soltelro, Boa-vista; pneumona. *
Mara, Pernambuco, 3 mezes, escrava, Boa-vista ;
coavulcoes.
Innocencia Maria da Conceic), Pernambuco, 40
annos, casada, S. Jos; eonstipaco no ventre.
Bernardina Mara
POLICICOES 1 PEDIDO
Para o lllm. Sr. Dr. chefe de polica ver e dar
providencias.
Os moradores da villa do Cabo, tendo ]a por qu-
tra vez feito sentir ao- Sr. delegado suppfente os
exemplos de desmoralisaco que o Sr. Jos Marta,
Inspector do Io qnarteiro desta villa, pratica pe
raqte este dcil e pacifico povo, nao tem, at hoje,
dado providencias nenhumas.
O Sr. Jos Maria, nao s por estrangeiro, como
por seu vil e torpe procedimento, nao pode exer-
cer o lugar que oceupa : alias nao se evitar urna
futura sublcs-aco popular contra elle. Amanceba-
do, como o Sr. Jos Maria costuma embriagar-se
quasi todos os dias, c quando j os espritus al-
coolicos o dominam, retira-ss para junto da infeliz
concubina com quem reside, e pela effervescencia
em que tem a cabeca, corneja por dirigir imprope-
rios pebre amasia, a ponto de chegar a espaoca-
la, como aconteceu em fevereiro prximo pretrito,
e que toda a vUinhanca presenciou; e, querendo
algumas pessoas acodir-lhe, elle com urna onnsma
de imprecacoes e injurias repellia e ameacava com
priso aquelles, que gulzessern intervir no que se
passava na sua casa, de sorte que, em quanto nao
caneava o brago cora que descarregava o seu azor-
rague sobre a soa infeliz victima, nao punha ter-'
mo sna malvadez.
Outro acto ainda mais inqualiieavel e sanguina-
rio praticou o Sr. inspoelor Jos Mana, quando,
ainda ha pouco lempo, foi fazer um recrnlamento
Todos aquelles que se- Achio suWitoe sof-
frer malestias scrofiiloeas,.uleeroaa8, ou syphi-
liticas, anda mesmo os reputadas de peior
natureaa, apenan nece.-sito de 1er o seguinte
caao maravilhoeo, para que se sinto inteira-
mente convencidos que a sua propria cura,
nao b meramente poseivel mas sim absolu-
tamente certa.
Jlo Joafc Fihiieiha BJtBOZA, residente
na Cidade de Maranho, tinha todo o seu
corpo coberto de cbagaa uloeroaas, e durante
algunos annos se achara debaixo do tratamento
de mdicos ot mais. afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie ,
de medecinaa que em taes casos empregada
pela faculdade medica, porem debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolveu-
ie, depois de repetidos e baldados esforjos
fazer nso da
Salsaparrilha
DE BRISTOL
No todo elle apmmt chegou a tomar Cinco
Garrafas de SalapartiOui e qvatro frascos das
Pitillas Vegtfaa Assucaradas, e o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. Fhp.kkik\ & fia.. Droguistas de
Maranhio, forao quem supprirae os medica-
mentos, e ncliao-so perfeitamente ao facto
d'cste caso, e os meamos Senhores, nao s se
chao promptos & confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Barboza, toda qualquer pessoa que por
ventura se deseje, informar da verdade.
Recommenda-se mu particularmente aos
Doentesque tenho o maior cuidado na escolha
deste escolente remedio, nao usando outro
no ser a Genuina Salsaparrlha de Brlstol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
pois que todas as mais sao inefficazes e de neo
hum ppistimo
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
GOHMEHGIO.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A directoria desta caixa saca sobro o banco do
as trras do engenho S. Caetano, ordenando a, Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
tropa que comsigo levava, que at.rasse sohi e An- raesmo banco na ahi.
tonio de tal, por este se escapolir quando o Sr. ins-
pector Ihe deu voz de preso; o que foi logo obede-
cido a sua homicida ordem; mas felizmente os ti-
ros disparados nao poderam ferir o fugitivo : e se-
ria isto para lamentar; porque o individuo sobre
quem se derara os referidos tiros, um hornera
honesto, de bom comportamento ; viuvo, e tem
tres ou quatro filhnhos, que bera depressa perece-
ran) mingua, se seu pobre pai fosse victima da
ordem e arbiti*ariedade do Sr. Jos Maria, actual
inspector do Io quarteiro desta villa do Cabo II..
Por ultimo, finalmente, tem o Sr. Jos Maria tor-
nado-se um usurpador dos pobres escrayes dos
engenhos mais prximos desta villa, sahinan-lhes a
estrada a tomar-lhes alguma porgo de assucar
que elles com permlsso de seu senhor arranjam
pelos engenhos, dos relames que ficam, e os obriga
a irem levar-lb'o em sua casa, dizendo-lhes que
elles roubaram aquelle assucar, e que or isso se
retirem, se nao querera que, depois d'algura tem-
po de priso, sejam rigorosamente castigados e de-
nunciados a seu senhor.
Os miseros escravos, conhecendo-o como inspec-
tor, e vendo nelle taes araeacas e arrogancia de
um perfeito iruo, deixam-lhe o assucar, e vo-se
lastimando a sua desgraca, sem que ousem dizer
consa alguma a ninguem I ... E continuar, por
ventura, a exercer o cargo de inspector o Sr. Jos
liara ? Hornera este, qae com os seus exemplos
corruptos semeia a discordia pelo povo desta villa,
qae sempr deu provas da sua boa ndole e docili-
dade s Ieis eaopaiz?!... Oh I Nao. Confiamos
muito na integridade e illibada circuraspecco do
lllm. Sr. Dr. chefe de policia,.que ha de atlender e
providenciar todas as Irregularidades do referido
inspector, que, em lugar de ser elle que deve sanar
qualquer disturbio e sedicao, e elle o primero a
pratlcar taes actos.
Villa do Cabo, 2o diabril de 1865.
O tnimigo dos escndalos.
i aaw
A quera competir.
Maria Felippa Monteiro d Franca, viava de Jos
Bento Monteiro da Franca, casada pela segunda
vez com Manoel Galdino do ascimento, vem de-
clarar as autoridades desta provincia, que sendo
totora legal de seas filhos menores, provenientes
do primeiro matrimonio, e como tal competndo
vellar pelos seas ioteresses, nao consentio e nem
consente que sen filho ainda menor de nome Ma-
noel Jos Monteiro da Franca, com praga no pri-
de Volntanos da Patria,
\ovo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
10 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 12 0(0 at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro ajaros a praso nunca menor da tres mezes.
Vovolianco de Pernambuco.
O banco paga o 14 dividendo na razode8
dor aeco.
Caixa filial do banco do Brasil
en Pernambuco.
19 de abril de 1865.
Tendo-se desencaminhado do espolio de Bernar-
do Jes Pinto a cntela de 43 accoes das localisa-
das nesta caixa, sob ns. 1239 a 1281, a directoria
faz publico a quera inieressar possa, qne por parte
de Antonio Jos Ramos de Ohveira, do Rio de Ja-
neiro, totor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqni preceder a transferencia das referidas acoes
para o nome dos mesmo3 herdeiros.
O guarda-livros,
Innacio Nnnes Crrela.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 25'....... 553:686j609
dem d dia 26............... 38:510jj75'
592:197^365
MOVIMENTO PA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendat-.. 343
i com gneros____ 564
------907
meiro corpo ae volntanos da Patrta, passasse
da Conceicao, Pernambuco, 30 procuraeao bastante a nfngnem para receber do
annos, casada, Recife ; diarrana. ; banco o producto dos sens trabalhos dorante o tem
Aoania, Pernambuco, 3 mezes, Boa-vista; diarrhea.- po qne o mesmo menor estove no arsenal de ma-
rraba.
Adiverte as autoridades a quem eompetr, por
que querendo alguetn locopletar-se com o soor de
sea filho ainda menor, ella nao pode como mi
Volumes sabidos com fazendas 159
t c com gneros..... 508
------ 667
Desarregam no dia 27 de abril de 1865.
Barca inglezaUntoA diversos gneros.
Barea francezaSpheremercadorias.
Brigne argentinoVolantefarinha de triga.
Brigue inglez-ityzanrum-ferro em barra para
fra,
Escuna inglezaCommodoremercadorias.
Patacho ingiezSorna BWfn^mercadorias.
Barca inglezaO'fi/aneftanffgrinha de trigo. '
Snmaca bespannolaArdilla vinho e mais g-
neros.
Patacho nacionalJaboato diversos gneros.
Patache portognez Maria da Gloria Iagedo.
Brigue nacionalPallascharque.
Barca portngneza-S. Joaodem.
Escuna hanoveriana Gazmadem.
Barca ngleza Trentcarvo.
Barca inglezaCommodoreidem.
Brigue ingiezPif/ul-idem.
Brigue ingiez- Izabeltaidem.
68:702*004
IL mi-.
MOYIMMD 9P ?T0
Navio entrado no ita 26.
Rio-Gjande do Sul 15 das, polaca hespanhola
Antillia, de 150 toneladas, capitao Joo Mares-
laoy, euuipagem 10, carga 7876 arrobas de car-
ne secca; a' ordem.
Malaga41 das, patacho hespanhol Virgo e Mon-
serrat, de .102 toneladas, capitao Juan Manuel
de Dos, equipagem 8, carga vinho, passas e ou-
tros gneros; a Theodore Christiansen & C.
New-York31 dias, patacho ingiez Pye, de 168 to-
neladas, capitao John Biers, equipagem 8, carga
1369 barricas com farinha de trigo, madeira e
ootros gneros ; a Johnston Pater & C.
Rio de Janeiro 10 dias, bao-a ingleza Linda, de
344 toneladas, capilo A, T. Bray, equipagem 15,
em lastro; a Eduard Feuton.
Rio de Janeiro10 dias, palhabote brasileiro Pie-
dade, de 241 toneladas, capitao Jos Marques
Vanna, equipagem 12, carga caf e ootros g-
neros ; a Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Montevideo32 dias, escuna holtaQdeza Deuni, de
178 toneladas, capilo Knoper, equipagem.8, car-
ga 4437 quiutaes hespaolioes de carne; a Amo-
rira Irmo.
Rio de Janeiro17 dias, brigue fcrasileiro Impera-
dor i de 148 toneladas, capitn Joaqnim Pinto de
Souza Passos, equipagem 11, carga 5700 arrobas
de carne; a Amorim Irmo.
Ilamburgo40 dias, escuna dinamarqmza Levante,
de 160 toneladas, capitao Behmann, equipa-
gem 7, carga mercadorias; a Prenle Vianna
5 C.
Trieste por Gibraltar 32 dias do ultimo porto,
escuna hollandeza Hendriclca, de 162 toneladas,
capilo Visser, equipgrm 7, carga 1433 barricas
com farinha de trigo; a N. O. Bieber & C.
Trieste40 dias, banca dinamarqueza Tora, de 210
toneladas, capilo Olsen, equipagem lO, carga
2225 barricas com farinha de trigo; a Saunders
Brothers & C.
Navio sal ido no mesmo dia
BarbadoesGalera ingleza i). Maria, capitao W.
Coult, em lastro.
EDIfaES.
BftSPADO DE i BlV \TIIH ICO.
Pela secretarla deste pispado, se faz publico qoe
o Exra. e Rvm. Sr. vigaro capitular para maior
facilidade das pessoas que o procuran) fra das
horas do despacho, para casos urgentes, principal-
mente neste tempo de invern, resolven definitiva-
mente a sua residencia para o seminario episcopal
de Olinda, onde pode ser procurado na occasiao do
expediente das 9 horas da manha at as 2 da tar-
de ; e para os casos urgentes a qualquer hora do
dia ou da noite.
O secretario do bispado,
Conego Joaquun Ferreira dos Santos.
O Dr. Virginio Carneiro da Cunha e Albuquerque,
juiz municipal e de orphos nesta cidade da Vic-
toria e seu termo da comarca de Santo Anto da
provincia de Pernambuco por Sua Magestade
Imperial e Constitucional o Sr D. Pedro II, que
Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edltal virem e
delle noticia tiverem, que tendo sido denunciado
perante este juizo o capitao Joaquim Manoel da Sil-
va, senhor que foi do engenho Cachoeirinha deste
termo, por se adiar em completo estado de aliena-
cao mental, produzido pelo uso de bebidas espiri-
tuosas, se ioquiririm lestemunhas neste sentido
pelo depoimenio das quaes se arh provada a ma-
teria da denuncia, e portanto determino na forma
prescripla pela lei, qne desta data por diante nin-
guem faca negocio ou contrato algum de qualquer
natoreza que seja com dito capilo, acerca de seos
bens e transacoes, sem audiencia deste juizo, al
qne se Ihe nomeie curador a sua pessoa e bens, sob
pena de serem tidos e considerados nullos e de ne-
nhum effelto como de lei.
E para qne chegue a noticia de todas liz passar
o frsente que se affixar no lugar publico do cos-
tume, e se publicar pela imprensa..
Dado e passado sob o signal e sello deste juizo
que ante mim serve ou vaina sem sello^ex causa.
Cidade da Victoria, 7 de abril de 1865.
E ea Antonio Ludgero da Silva Costa, escrivao
fi orphos o escrevi. t
Virginio C. da Cunha e Albuquerque.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zer publico qne no da 14 de juoho prximo vin-
douro, perante a juma da fazenaa da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da cadeia da cidade de Nazareth, ava-
hada em 18:093*900 rs.
A arremalagao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de mnio de 1854, sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, comparec_am na sala das sessoes da referida
juntn, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarin da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 14 de margo de 1865.O secretario, A-
F. d'AnBunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematado.
1.* O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidade com a planta e ornamento
junto, na importancia de 18:093,5&0O rs.
2.' O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de nm anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3.* Os pagamentos sero feitos em 3 prestacoes
iguaes correspondentes a cada tergo da obra finda.
4.* Nao ser em tempo algum altendida qualquer
reclamagao por parle do arrematante tenden-
te indemnisaco, quaesquer que sejam as allega-
res em que se hajam para csse Cm, anda mes-
mo por prejnizos provados.
5.* Para ludo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dip6e ore-
gularaento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annunciaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 19 do corrente, manda fa-
zer publico que a arrema'aco da obra dos reparos
de que precisa o empedramento do lugar denomi-
nado Areias do Giqui, na estrada da Victoria, an-
nunciada para o dia 4 de maio prximo vindouro,
ser feita de conformidade com o novo orcamento
no valor de 477,8.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de abril de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annunciaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 25 do corrente, manda fazer
publico, que no dia 18 de maio prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesuuraria,
vai novamente a praca para ser arrematado a
quem por menos fizer a obra dos reparos, de que
precisa a estrada do Porto de Galmbas, avaliada
em 7485000.
A arrematacao ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854 e sob as clau-!
sulas especiaes j publicadas. .
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de abril de 1865.
0 secretario,
A. F. da Annunelaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 24 do corrente, mando fa-
zer publico que no dia 11 de "maio prximo vindou-
ro, perante a junta da fazenda da mesma thesoura-
ria se ha de arrematar a quem por menos Ozer a
pintura de que precisa a ponte pensil do Casanga,
avallada em 302*500 res.
A arrematacao ser feita na forma da lei-provin-
clal n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as claa-
As pessoas qae se propozerem a essa arre mata-
cao eonipareen) na. Mfedu sanies da referida
junta, no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente -habilitado?.
E para constar se mandou nabnoaro presente
pelo jornal.
Secretaria daUmouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de abril de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annunciaco.
Clausulas especiaes pan aOireraaUcao.
i' ^,P?Ptura-d> ponte-do Casanga sera feita de
oI2T*de com or$enlBa importancia de
.Aarremalaate dever patoeipiar a obra no
eapaco da 8 dia flnalinli> ads 30, ambos con-
tados da data da arrematacao.
**"0" pagamento ser effeetnado em urna s
prestaco, quaujoiiver sido concluida toda a piu-
lara e eotregus definitivamente.
4." Para tudo mais que nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o quo deter-
mina o regularaento da reparlico das obras pu-
blicas.
Conforme.A. F. da Annonciacio.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito especial
do commercio nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde,
ele.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que por este juizo nendem
uns autos de execuco da sentenca de Jos Faus-
tino de Lemos contra Joaquim Silverio de Souza.
E tendo-se feito penhora em dinheiroertencen-
te ao executado, fora pelo solicitador Frederico"Cha-
ves, procurador do autor feito o reqnerimento do
seguinte termo.
Aos 10 de abril de 1865, em.publca audiencia que
aos felus e partes dava o Dr. juiz especial do com-
mercio Tristo de Alencar Araripe, pelo solicitador
Frederico Chaves procurador do exequente, fora
accuada a penliora feita em dinheiro pertencenle
ao executade ; e requereu que Ihe ficaasem assig-
nados os seis dias da lei, e dez aos credores lacer-
tos,, passando-se para isso os respectivos editaes, p
que ouvido pelo juiz houve a penhora por 5 da, e o mais por deferido : e liz o presente eitra-
hido do proiocollo das audiedeias que juntei a
caria precatoria que segu.
Ea Adolpbo Libralo Pereira de Oliveira, escre-
vente juramentado o escrevi.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimente, es-
crivao o subscrevi.
Kada mais.se continha era dito termo aqu co-
piado.
Itor larca do meu despacho o referido escrivao
fez passar o presente, pelo qaai chamo cito e hei
por intimados os credores incerlos do dito execu-
tado, para que compirecam neste juizo dentro do
dito prazo, mnoido9 de" seus documentos, afim de
allegaren) o que for de juslica.
E para que ebegne ao onhecimento de todos,
mandei passar o presente qne ser publicado pela
imprensa e afiliado no logar do coatnrae.
Recire, 11 de abril de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do ascimento, es-
crivao o subscrevi.
Tristo de Alentar Araripe.

BECUBACfS.
0 couselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o rancho dos menores nos mezes de
maie e junho.
Pao de 4 onr.as, bolachas, assucar refinado se-
gunda sorte, caf em grao, cha, manteiga, touci-
nho, farinha da trra, feijo.earne verde, dita sec-
ca, azeile doce, vinagre e bicalho.
Para o quartel dos mesmos.
Gaz, galoes 20.
Para provimento do arsenal.
25 Chapas de lalo de 14 a 16 libras.
20 arrobas cobre velho.
5 arrobas verde crome.
10 arrobas oleo de linhaca.
5 arrobas colla da Baha.
As pessoas que quizerem vender ditos gneros
apresenlem suas propostas as II horas da manha
do dia 27 do corrente, na sala do conselho.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra, 24 de abril de 1865.
O encarregado da escripluracao,
MaBoel Jos de Azevedo Santos.
Consulado de Portugal.
Sao chamados os credores do finado subdito de
>. M. F., Antonio Ferreira da Silva a apresenta-
rem neste consulado as contas de sens crditos,
documentadas era forma legal. Recife 26 de abril
de 1865.
Consulado de Portugal.
Por ordem deste consulado tem de se proceder
o leilo no da Io de maio prximo futuro, de to-
dos os utencilios e gneros existentes na padaria
da praca da Boa-Vista n. 14, pertencente ao espo-
lio do tinado subdito de S. M. F., Firmino Pacheco
Gomes, sendo os seus credores prevenidos pelo pre-
sente para apresentarem as suas contas, devida-
menie documentadas. Recife 26 de abril de 1865.
Arrematacao
Sexta-feira 28 de abril, finda a audiencia do Sr.
Dr. juiz de orphos devem ser arrematadas as ca-
sas sias a ra Bella, pertencentes aos herdeires
de Jos Fernandes Eiras, be ra como a parte do
sobrado de ditos herdeiros, sito ra de S.Fran-
cisco : os prctendentes dirijam-se a sala das au-
diencias no dia indicado, as II horas da manha.
THE1 .TRO
EMPREZA-COIMBRA
?>. recita da assignatura.
Mbado 29 de abril de 1865.
Representarse ha pela priraeira vez a mageslo-
sa scena patritica, intitulada
BRASIL E TPARAGUAY.
l'ERSONAGEM NICA.
0 Sr. Brasil.......Lisboa.
Olferecida o dedicada pelo sea autor o artista
Francisco Correia Vasque, aosDEFENSORES
DA PATRIA.
Esta linda scena alera de ser entremeada de
poesa para canto e cuja msica se acha a cargo
do Sr. Colas Filho, termina com a apparico de
um quadro allegorico, que representa o PARA-
GUAY ESMAGADO PELO BRASIL.
Eis a dedicatoria do autor :
AOS DEFENS0UE6 DA PATRIA.
O grupo que seergue como nm s hornera para-
vii g;>r a bonra nacional, essa muralha brasileira
que desaba sobre os assassinos, como as paredes
da Rabel sobre os filhos de No, mereca outro
preito. Esta scena.nascida nicamente, do entu-
siasmo, poaco, para offerecer a lio bravos cam-
peoes, cujos feitos me asseveram qae a marcha
continuar com o racimo vigor em quanto existir
o Herodes do Paraguay, o moderno degolador dos
innocentes.
Segnir-se-ha a representaco do applaudido dra-
ma em 4 actos e 1 prologo
. sulas especiaes abaixo declaradas.
Terminando o espectculo com a nova e gracio-
sa comedia em 1 aeto, ornada de msica, tradne-
cao da Sr.* D. Eugenia Cmara
Pao para toda obra.
PEHSOSAGENS. ACTORES.
Aogelo Doucleut......Lisboa.
Mont-fiochard.......Porto.
Joo, criado.......Teixeira.
Bradamante.......D. Eugenia.
Bertha........n. Camilla.
Os blhetes acham-se desde j no lagar do.cos-
!u:ne.
Principiar s 8 horas..
.


\*rt+******tta*n<+<~*mto*im"et \* *hr *r t sas.
AVISOS MITIMOS.
ron?anua brasilsira
DI
PAQUETES A VAPOR.
E'esperado des porros do nor-
te jal o da 2 de maio o vapor
Paran, commanaatfe o capilo
de (ragau Antonio Jeaquim de
I Sania Barbara, o qual depois da
dennra dj cosiuoie seguir para os porlos do
sol.
Desdeja recebem-se passageirose ongaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a quai dever
ser embircada no dia de sua negada, encom-
nna las e dina tiro a frete at o dia da sabida as
2lu:as: igancia, ra da Cruz n. t, eseriptorio
deAnoqio Luii de Oliveira Azevedo & C.
Mar iras far leJISo procedida a competente au-
torisacao daseasss aelmaem seti eseriptorio roa
da cadeia do Recife n. 9,as 11 boras do da cima.
^^ Feira de charutos
*da favana
' Xo dia 28 do corrate as I i boras
No grande armazem de ieilaes do agente
OLYMPIO-
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
. Oos porlos do sul esperado
at o dia 30 do corrento um dos
vapores da companhia.o qual de-
pois da demora do costume se-
l guir para os porlos do norte.
Desde j recebem-se passagelros eengaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a quaidever
ser embarcada no dia de sua enerada : encom-
mendase dinheiro a frete ateo diada sahidas 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1; eseriptorio no
Antonio Luiz de OHveira Azevedo & C.
Compauhia das tteosa^eries Im-
pertales.
No dia 30 do
corrate raer es-
pera -se dos par-
tos do sul o va-
por francez Es-
'tramadurt, com-
mandante II. de
Sotuer, o qual
depois da domo-
r.i d? coWtn* seguir para Brdos, tocando era
S. Vicente e Lisboa.
E'n S. Vicente ha um vapir em corresponden-
cia com Gore.
Para conliego^s, fretes epassagens irata-se na
agencia ra do Trapiche n..
L'OMPANIIH PEBNAMBUCANA
di-:
.'Viregi^a oos(>i"a por vapor
Maeei e escalas.
No dia 29 do correati', as 6
horas da tarde, segu o vapor
Parahyba, commandante Marlins
para os porlos indicados. Recebe
carga at o dia 28. Encornmen-
da*, P*sag Wi e dinheiro a frele al 2 horas da
tarda do dia da sabida : eseriptorio no Forte do
Millos n. 1.
Rio Crande e assi
Segu a barcaca aDous Amigos por estes das,
recebe carga a frete commodo : a tratar com o
mestre nt oscadinha ou no caes do Ramos n. 24
Para o fiio de Janeiro
Pretende seguir com muila brevidade a barca
Rio de Janeiro, lendo parte do seu carregamenlo
engajado: para o resto que Ihe falla e escravos a
frates, para os quaes tem exeellentes commodos,
trata-so com o sea consignatario Antonio Luiz de
Oliveira Atevedo, no seu eseriptorio na rua'da
Cruz n. 1.
Para o Rio de Janeiro.
O brigue escuna Joven Arlhur, pretende seguir
com muila brevidade, lendo parte de seu carrega-
mmlo promplo : para o resto que Ihe falta e es-
cravos a frotes, para os quaes tem bons commodos,
tratase com os seus consignatarios Aniooio Luiz
de Oliveira Azevedo & G.
Para o Rio de *9aueiro.
Segu nestes oilo dias o brigue escuna Nao sei,
tendo dous tercos do seu carregamenlo bordo :
para o resto que Ihe falta e escravos. a frete, para
os quaes tem bons eommodos, irata-se com os seos
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
A C, no seu eseriptorio na ra da Cruz n. I.
36-Rua da Cadeia do Rceife-36
Leilo de diversos movis, reiipa osa-
da e pertences de urna padaria.
Marlins far leilo por erdem do [U. Sr. Dr..
cnsul portoguez, de diversos movis, rouia asa-
da e pertences de ama padaria, constando de um
forno, teadedeira, macelra, nm telbeiro grande
cera sotao para guardar barricas, cyndros, tari-
nha de trigo, barricas varias e minios outros ob-
jectos de uso da padaria. tudo pertenceute ao es-
polio do QnadoFirmino Pacheco Gomes.
Segunda-feira Io de maio.
O leilo lera lugar na praca da Boa-Vista n.J4,
onde se acha collocada dita padaria as li hork,
os enneorrentes podem examinar a relace dos
objectos emmo do mesmo Marlins, a ra da Ca-
dea n. 9, primeiro andar.
LSlSo"
ue duas casas juntas formando urna gFande,
edificadas em chaos proprios na Capunga Velha,
penltima a direita de qnem vai para o porto do
Lasserre com 4 salas, 7 quartos no interior, eran-
de cupiar, cosioba fra, quarlos para pretos, co-
cheira e estribara, a qul liea entre dous portoes.
Terca-feira 2 de mai.
O agente Pinto far leilo as 10 1|2 horas do
dia cima dito da casa supra mencionada, com
autorisago de seu respectivo senhur, o qual leo
dever se effeetuar no dia e hora cima ditos em
seu eseriptorio ra da Cruz b. 38.
Leilo
De urna grande casa com i salas, muitos e gran-
des quartos com janellas calcada toda a roda, ter-
rago na frenle e copia atraz, com sotao, quartos
fra, nao s para hospedes como para preos, co-
cheira e estribara, cacimba e tanque,-jardim e
pomar ao lado, silio com mullos arvoredos e fruc-
tclras de boas qualidades.
Terca-feira 2 de maio.
O agente Pinto far leilo, precedida a compe-
tente autorisacao,.da casa de campo com os com-
modos cima desonplos sita no GalJeireiro, ou-
tr'ora do linado Domingos Antonio Gomes Guima-
rs, em frnica casa do r. Jos Bernardo Alce-
forado, as 10 horas do dia cima dito em seu es-
eriptorio a ra da Cruz o. 33. Os pretendentes
podero oblar do mesmo agente qualquer infor-
macp' a respeiioda naesma casa.
Leilo de4 casas em .Apipucos.
Terca-feira 2 de maio.
O agente Pinto, levar novaraente a leilo nao
?f> as duas casas.edificadas no alto de pipucos
aolado direito e perto da p*voaco, como as, duas
de baixo ao subir da ladeira, com os commodos
descriptos nos annuncios para o leilo do dia II
do corrente.
Leilo brea-feira 2 de maio. s 11 lio-
ras, a ra da^adeiaarraazem n.33.
De um sobrado de 2 andares e solo n. 3o, sito
ra da Iraperairiz, nem edificado, seu rendi-
meato paga umjuro razoavel.
Pelo agenta Eazebio se vender naquelle dia e
hora o predio como cima descripto, sao convida-
dos os prelendentei ao previo ejarae.
PILULAS = BLANCARO
AO IODURKTO DE FEBRO 11ULTERAVEL
Approvadas pela Acadamia de Medicina de Parz
ADTOaUADUMM COKSt'.BO MEDICAL DE Sl-PETESBUaco
EXPERIMENTADAS NOS HOSPIIaS DA FRAKCA, DA BLGICA, DA IRLANDA, DAJTROOIA, ETC.
Mutau-honram. n hxp^oc,, UM! ,!5.,!?,-IT0,TdaA "'Ta C"p,ada resin?balic e urna tenuidade eicesslra, lem avanlagetn de
sorcm malicnm, semsabor, de um pequeo rolme, ede H cnsaremonja.5, dic.tivos. GozandodaS
rX^l,rL^n,lend0/ ***?' t'"aiJ**I?ra Principalmente as ^m.Chloro.ica,, Escrfula,"
rubercutoitu tantrotai, na ltucorrh,a, amtnorrTea, anemia, etc.: cnRm, eflas ofrereceni a5 pralicos una me-
clicacao das mais enrgicas para modicar as constlluicow lyn^haticas, fracatwjtbUitmlas.
y. It. O odureio di- ferro impuro ou alterado um rocdi*ento infle' irrllanle s* y
Como prova de pureza e de aulhcncidadei.is verdadeiras Plalas 4t liaaeard d> If
-se ensir nosto ello de praU reactiva e no^o (Irma, aquj r^r.Kludda, que s* #Su20?t
acha na parre inferior A liain -e cui lodas as Pliarinalai.
l'harmauMfico^rna Bonojpfle. U>, Parif.
.
MUDANCA
ELIXIR DO DOUTOR THERffi
AO CITRO-LAGTATO DE FERRO
Fundidor e tomeiro era mstaes.
que morara na ra da Imperalrz em casa do marcineiro poiritr 'i, pre-
vine ao rcsoeilavel pablico e a todos os seus freguzes em partic'nlar, que
mndoa sna oficina para a rus da matrii da loa-Visla" n. 36, onde se acha
prompto para fazer o qie compele a sua arle de fundidor e macuinista.
AOS PAS
Feijao muatinlio
i
a
5i

Bfctaai
1IW.M-I "^lynu tfifmtfH&irf.

%,
XAROPE
CASCAS DE LAMUiJl-S AMARGAS
rs.
e poder
($> cum
eipr as ribeiras se
Pela.gande quantidade e a proliibico que lu (Je .
vende por este preco. o fejao bom e o preco agrada a todus : na rita dos Oaartets n
22, junto a toja de funileiro.
SE PARS.

Para o Porto
segu impretwivelmente a' o dia 27 do corrente
a beni eonheeida e veleira harta Claudin seu carregamettn prompto : para passageiros, pa-
ra osijiwei se offerece exrellootes commodos, Ira-
ta-se com Cunta Irmaos & (]., na ra da Madre
de Dos n. 3, ou com o capitn a bordo.
-l____L i1 I"1 ________Ll]
lEILOEg.
Leiio de escravos morigerados de ambos
os sexos.
Seila-frira 28 di corrente as 11 horas
no grande armazem do agenle
OlllIPIO
36-Una da Cadeia do RecIfe--36
Leilo de obras de prala.-
Sexla-feira 28 de abril.
O agenle Pinto far leilo a requerimento da
;;inla alininisiraliva da Sania Casa de Misericor-
dia e por mandado do lllm. Sr. Dr. juiz deorphos
dos objeclos de praU perlencenles a alienada An-
na Rosa dos Prazeres, as 11 horas do dia cima
dito em sea eseriptorio.a ra da Cruz n. 38.
Leilo de obras de parata, uuro
e um escravo.
Como seja:
2 pares de brincos, 2 pulseiras, 1 alfinele, 2
cruzes, 1 liga, 1 boio, 5 anneis, 2 crrenles para
rullo e 1 correoiao grosso, ludo de ouro.
Um paliteiro, 3 salvas, 3 casticaes, 9 [velas, 1
caneco e 1 (aqueiro, tado de pra'la.
Um escravo por nome Joaquim. a
Sexta-feira 28 de abril.
O agente Pinto far leilo a requmenlo do jn-
ventiriante dos bens do finado Luiz Pedro das
Nave* e por mandad* do lllm. Sr. Dr. jniz de or.
pilaos,d> escravo Joaquim de Nacao, de 153 oita-
vas de ouro .2,06 oiiavas de prata, constautes
dos objeclos cima indicados, as 10 horas do dia
aci na dllo em seu eseriptorio ra da Cruz nume-
ro38._________________________
<^T Feira semanal
de mobias completas, pianos,
relogios, crystaes, camas de
ferro, objectos de ouro e pra-
ta, charutos da Havana,
guarda roupa, mesas de
juntar e outros muitos ar-
tigos,
Sexta-feira 28 do corrente
No erando armaiom <)* leiloas do arente
iroog mam.
LOTERI
AOS 6:000^060.
Sexta-feira 28 do corrente mez. se ex-
trahir a^" parte da Ia lotera (13a) abe-
neficio da matriz de Na/.areth, no consisto-
rio da igreja de Nossa Senhora do Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
Os bi!hetes,mei)s e ijuartos estio a ven-
da na respectiva tbesouraria ra do Cres-
po n. lo.
Os premios de 0.000^000 at 40?K)00
serao pagos urna hora depois da extracto
at as i lioras da tarde, e os outros depois
da distribuiciodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera.da extr-aego
como de costume.
0 thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Instituto
PBAftMACECTICO DA ESCOLA SUPERIOR
Este xarone, Pagnlarijando as fnnecoes do estomaro intosnos, deslrpe rs-ai
adiaposicoes proleiforme, e faz abonar as molestias de qac sao mlteros precrso-
rcs. Mdicos c (lenles icm reeonbeei.lo que resubolecc as indigestos, fzou i ,
desappareecrospciosde eaWiMg*, qiw.c\lmas enxaq-KV, esartmes, < ciimbr.is | 3
que sao resuluailodn digotS^s. penosas. Sen gosio agm-ln-ol c a fikci i c......i>i i
se suporta, o lem f.'ii adoptar como especifico nfallivcl d.is deencas n?m> gastritis, gastralgias, clicas de ntomag e di entraaos, fihtifties; .lores--ir
coracao, vmitos nerrosos; soaaccao sobre as funeces assimilartorai } tai, .-s
mdicos mais Ilustres o tem adoptado por reMiuieote real dos dous primeiros
agentes Ihcrapuuucos: o lodureto d.- Pota'ssa o. o Prolo-lo.lure* de in-o icade<
observado que dcbaixo de sua intluenoia, o primeiro parda sua aoco irriuie, e o
segundo seu eflcito adstringpnie.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas U laranjas amargas com lo-
dureto de potassa.
O lodureto de fotassa, adniimstrado em
solutao ou dtbaixo da forma solida, causa ao
doente ama grtnde repugnancia, ou determina
accidentes que forao a renuaciar a esta
medicaeao ef&caz.
Unido par ira ao Xarope de cascas de laran-
jas, elle as causa ncm gistralgias, sem per-
turbarlo do estomago jntesliaos, e jraca a
este salvaguarda, os tratamentos depurativos
tas continuados sem interrupcio, as affec-
toes escrofulosas, tuberculosas, cancerosas
nos lecmaria e ttrciariat, mesmo riuvia-
thismets, as quaes elle i o mais seguro espe-
cifico. A dse est definida de tal manen
que o medica pede varial-a a sua veniade:
O frasee: 4 fr. 50 c.
XAROPE- FERa^mOSQ
De cascas de laranjas amargas com
proto-iodui eto de ferro.
A asscia{o de sal (erro ao Xarope de cas-
cas de,laranjas tanto mais racional auan|o
que esta xarope, empreado s, para_tsii:iiu-
lar o agelite, acliwi a sec,re.;ao ci sueco g-
strico, e por Sfii regularisa as func^Ses ahilo-
HJOtW, JWr-alua es mos ifteilos Idos ferrn-
6aosose dos odurctos (peio do raln>c.a, nri-
sao d* yentre, dotes epigstricas) em n'uauta
que facilita sua ^btgrecio. Dissohido u,
Xarope,1U se loma se sffpporta facilniente,
por achar-se no estsdopur* mais assimilavel;
e assim pode tntinuar-se, a cura da pallidez,
eorrimentos brancos, aneaijj. afecQesescro-
fulosas e rachitismo:
0 frasca: 4 fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE eslo serapre em frascos especiaes
(nunca em meias garralas nem em frascos redondos). ExpedicSes: em casa
J.-P. LAROZE, ru des Lions-Saint-Paul, 2, Paria.
Ra do Imperador n. 38, botica franceza.
. 19 RA NOVA 19
Fredenco Gautier, cirurgiao dentista.
a* k Df V0,ta,de sua v,a5e.m a EuroPavaonde tomn conhecimenio das mais rcenles
de oobertas e.ahitaos aperfe.coamentos ,|ue se tem feito na arte deniaria, altm do X
prar o segredo de diversas preparares empregadascom maltas vantsgeas tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seos numerosos clientes em ral-
cular que se acha de novo prompto aoseu dispor para todos os atores da sua ,ro-
hn?i2Z& q,ie,ro',x,e "m lu,men^0 wrtimento de dentaduras rtifiriaes; caoot-
chou galvanisado, ouro, plat.na, massas diversas multo aperfeiCoadas para chumbaem
SaTre0Sn^V08'/^rameDrta a50derna' cadtii,:"le ^Peracoes etc., el., d SS
?2 J>V 'leP,?r,S' LOndre' 6 New-York- e Pr im estando mais .pie minea
rConfianfa V,r m8lS sat,sfalorin Possivel espera continuar a merecer toda
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh atao mel dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde qHahdo naotiver de ir em casas particulares.
do
de
Archiologico e Geo
grnphico Pernambiicano.
Haver sessao omina, ia quinta-feira 27
corrente abril, pelis II horas da manhiia.
OKDIOM DO DA.
Discussae do orcaraento nara o auno social
1865 a 1866;
Volacops sobre posposlas adiadas ;
Trabalhos de commissoes.
Secretaria do Instilmo,21de abril de 18G5.
J Soares de Azevedo,
______^_______Secretario perpetuo.
CLUB PERNAMBUCANO.
Os sales do club esto a disposico dos
socios que quizerem assislir a passagem do
Io batalho do voluntarios da patria que
embarca no vapor S.. Francisco.
CLUB PERNAMBUCANO.
Domingo 30 do corrate haver reuniao
familiar,
Joo Pereira Pedrosa Lima retira-se para
Porjupal temporariamente para tratar de sua sau-
de, e deixa por seus procuradores durante sua au-
sencia em Io lugar o Sr. Domingos Jos da Costa
Amorim, em 2 o Sr. Jos de Souza Braz, em 3o o
Sr. Anlonio Ignacio Pereira Coelho.
Manoel Jos da Silva Filgueiras retira-se pa-
ra Portugal temporariamente para tratar de sua
saude, e deixa por seus procuradores durante sua
ausencia em i lugar o Sr. Antonio Ignacio Perei-
ra Coelho, em 2o o Sr. Jos Aatonjo da Costa Si-
queira, em 3o o Sr, Jos Francisco Coelho da, Paz.
Jos Antonio Fernandes Fradique vai a Ma-
cei, e durante sua ausencia fica encarregado de
sea negocio o Sr. Joo da Silva Leite.
Approvada por varias Academias e atlas
summidaiies meditas.
O (jueocceswiia_em pral as molestias aboiio
designadas a csla^navo do Mugue ib cenas
parles do corpo, a qual produzi(lajui)os resfria-
?lentos c muilas unirs causas, enlao declarao-se
os llieumnlismos, Gola, Paralysia, Fnaucza
dos membros, Conslipacocs. Elephnnluisis ou
Pe mis lnchu4 O uso da escora ElECTHO-7tt.YC77-
TICA tem suceesMi cerlo pora n cura de lodas
cs'ns molestas, sem recorrer se a uenliuma uulra
medicar.;. Klki em urna forma mui manejarel
c ppiiln/. veniade dequem d'ulla usa, mo- mais
uteis e feliies resu.lladus. Seo emprego pre.-erra
das molestias cima. Pora maisiiifurmarocscon-
sul-te-se a Bolicia que accompaiilia cada Escora.
Deposito Geral
oiar du Prinee Eu$ne. 8, Parii.
Vende-se na ra do
franceza n. 38.
Imperador botica
Procisa-se de urna am.i forra ou captiva, sen-
do boa cnzirjtora : na ra do llrum n. 84.
Ao publico.
Para evitar-se duvid.is finuras, previne-so a
quem possao aresente inleressar, que o Sr. Pedro
Ferreira de S Luna, rendeiro do engenho Morico-
ca do termo de Serinbem, desde o dia 27 de fe-
vereiro do crreme anno, nao pJe vender e nem
fazer transaccao alguma com os 9 escravos seguin-
tes : Benedicio, crioulo, Jos, crioulo, Sebastiana,
crioula, Benedicta, Angola, Cypriano, cabra, Joau-
Fartp.de cyMos.
Fufiaram do engenho SoleUade da fregueiia de
! tpojtfta na noile de l) do corrente mez, dius ca-
vallos, uro alazao grande, castrado, andidor haiv.
I maos e ps grossos, sendo o esquerdo branco at
! sobre o peatlor, tem visivel cicairiz de denuda de
. outro no Descoco, e ^egaena estrella na tesla ; ou-
; Iro ruf.'^-siijo, ptfwth, castradlo, 1em baixa na
, samelha deizada pjr cicatriz, eabaca aearneirada
le conserva^ijnaes d..peiioral e correias de roda.
i ha noiici.t de >|u forara enconirados no engenho
bagoinha em viagein a ciminho do Sermhaem :
graiica-se a qnin os descobrir com probabilida-
I de de seren apprehenditlos a enlenler-se no re-
' fenilo engenho Soledade cora Joviniano Anlonio
i Ruarle Canha e pe le-se a polieia a sua aoprehen-
eao.
Nos abaixo asMgnados, inferiores do corpo
de voluntarios da patria da provincia do Maranho,
temos a salisfago de levar ao conhecimento do
respcilavel publico da provincia de Pernatnbuco,
que mui grandioso lem sido o tratamenlo que ha-
vemos recebiJo n> vapor S. Francisco pelo seu
respeelivo couunaudanle o lllm. Sr. capitao len-
te Manoel Anlonio Vilal de Oliveira, a cujas deli-
cada,inaneiras somos assaz gratos e reconhecidos.
Recife, 26 de abril de 18Co.
2. sargenlo Eliziaiio Al ves Seriao.
2 dilo Pedro Jos Ferreira.
Furriel Clemente Jos Pereira.
L) lo M ilion de Souza Martins X.
Dito Jos Canudo de Aliueida Lemos.
i." sargeoto Casimiro de Barros o V. Jnior.
Sargento brigada Manuel J >s Correa Loubao. _
Aluga-se o 1 e 3o andar da casa da ra da
Moeda n. 11 : a tratar na ra da Cadeia n. 2 com
o Fon les
Ausentou-se no dia 23 do correle o escravo
pardo de nome Anlonio, estatura alta, levou ca-
misa e caiga de algolfuzinho : quem o pegar le-
lc-o a Santo Amaro oui casa de Manoel Custodio
Peixoto Soares ou na praca do Corpo Santo, que
ser gratificado.
Hijmuo dos voluntarios
Achando-se impresso- hymno composto
pelo Sr. comnienjalor Antonio Joaquim de
Mello, est venda na olciiia de eacader-l
nador n 15 defronte, de S. Francisco, na
ra do Imperador, a 25 o cento, E' urna
A luga-se
i recisa-se de una ama ijue enlenda bem de ros-
iara tasa de pou-
tura c alguns servieos de casa,
ca familia : na ra do li.ingel n. '3.
umacasaacauaJa agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta, no lugar do Poco
daPauella.ruado Itio : alistar cora Tassoir-
maos.na rua.do Amorim n..35.
Clara tJ2!\ tfjJFf^L -, ?
Clara Olympia de Luna Freir, professora parli- da ra Velha se
cular de inslrurcao primaria, competentemente au, Iratar.
lorisada pela oireclona a instrucco publica. ------r>?-----------------------:----------------
abri suaaula na ra Wrcitan. 60, segundo andar ,.ri ,Ta.c "? n,2Ue de 2:i (t rua Sfasta
n-----------n--------------------- ale olim da ra de lionas, um leaue de ^ndalo -
ruTda Cdela tflUrS. W^S5^ -^ *Z? 9-^S '> "** -* a
Lavase e i-ng omma-se rom |ierrW<'ao sendo
10 rs. ecalg< a lili) rs. : em numero, que achara cora quem
mazem com o agente Olympio.
a iratar no ar-
loja da ra do Qucimad i n. 8
pensado.
que sera recom-
ESj'JIADA IJE FEMU)
no
Recife a Silo Fraioisco.
Festa Domiu"io 30 de abril de (565.
Alm do irem ordinario do dia acuna haver os
seguintesspeciaes que pararo as eslacoes in-
termedias para tomar edcixar passageiros as ho-
ras abaixo designadas.
DO CABO A" PRAZERES 9 horas da maaha.
Da llha a Prazeres i) huras e l-' m. da manhiia.
Aluga-se a casa terrea assobradada da ra
| da Assumpgao n. (i), com coiiirnoilos para grando
familia : a iratar na tpavessa tle.S Jos 11.22.
Os credores de Joaquim DiaT^Pheiro- \a-
ranfeira queirain apresenlar suas eonlas no prazo
de 3 das a Joaquim Francisco da Silva Jnior na
ra do Amorim 11.50, para -seren ventadas e se
proceder o raleio do produelo de sua taberna
Reeife-24 de abril de 1865.
SSSB'SBtfil
Wmm
\ffi%-
DE i.l.VCO PUNTAS A PHAZERES 10 h. 30 m. ua
manha.
De Afogados a Prazeres 10 h. 40 m. dajmanhiia.
De Jloa-Viagem a Prawres 10 h. 'O m. da manh-ia.
DE CINCU POXTAi A PRAZERES 12 horas da
manhaa.
De Afogailos a Prazeres 12 horas 10 m. da tarde.
De Boa-Viagem a Prazeres 12 horas e 20
tarde.
Caixcii'o.
Xa ra do Rosario da Boa-Vista n. 43, M
precisa se de um nieniuo de H;i lo' an-
nos com bastante pratica de taberna, pa- mi
Rase bom ordenado.
O capito Jes Luiz Pereira ao retlrar-se
desla provmcia, e nao podendo pes.-oalmenle des-
pedir-so de seus amigos por ean.-a rio servico mi-
litar do 1 batalho de voluntarios da prTa," para
o qual fui iioiiu:ado pelo Exm. presidente, o faz
pelo prsenle, pedindo Ihes descupa e promf lleu-
do nunca esquecer as manifestages de amizade e
j apreco que dos mesmos lem reeel-ido. asseguran-
do Ibes que far'lodo o possivel para tornarse
Ihe de-
DE PRAZERES A CUCO PUMAS I h. 30 m. da
tarde.
Da Boa-Vingem a Cinco Ponas 4 li. 40 ra.
tarde.
De Afogados a Cinco Pontas 4 h. 0 m. da tarde.
m. da I dieno da amizade que imnierecidamene
i dicam.
Precisa-se de ama
DE PRAZRHES A CINCO PUNTAS 7 h. 30 m. da
noite.
De Boa-Viagem a Cinco Ponas 7 h. 40 m. da noite.
De Afogados a Cinco PonUs 7 h. 50 m. da noile.
ama secea para o servira
I interno de urna casa do pouca familia e e.-lran-
da i geira : a Ponte de Ucha, sitio junio do da Sra.
1 vi uva Gibson.
Precisa-se de um caixeiro portuffirx de 12 a
14 anuos de idade para taberna, prefirindo se dos
ltimos chegados : a tratar na ra da lloda nume-
ro 48.
DE PRAZERES A CINCO PONTAS 9 h. da noite.
Ue Boa-Viagem a Cinco Ponas 9 hr 10 m. da noile.
De Afogados a Cinco Ponas 9 h. 20 m. da noile.
K PRAZERES aO CaBO lo hora-; da noile.
Da llha a Cabo 'O h. 23 m da noite.
na, mulata, Helena, lha de Benedicta, Domingos, j boa acquisicSo para SCI' distr3uida das va-
Angola, e Catharina, Angola visto sobre elles! randas, na occasiao da passagem dos vo-
pender era juizo serias questoes judiciaes, e islo; limtarlos
em quanto nao forem estas liquidadas, se bem que
OLYMPIO
i--Ilua da Cadeia do Recifc-3fi
Principiar as ti boras.
Leilo de um rico aderezo de ouro de le-
'Cum 4 brilhanles grandes, differentes
colheres da prata e um relogio de algi-
beira patente inglez.
Sexta-feira 28 de. abril
Por Biarve-neao de agente Pinto em sea eserip-
torio a ra da Cru;5 3p,______________
Leilo cte 4 casas terreas e 4 meia-aguas,
sendo:
1 casa terrea de porta ejanella ua ra da Se-
lelade n. 24, com 2 salas, 2 quartos, costnha e
quinal.
3 ditas na estrada de Joao de Barros ns. 9,11 e
13 lendo cada urna 2 salas, 2 quarlos, cosinlia fora
e quintal.
4 meia-aguas defronte do oilao da igreja da So-
idaJe.
Sesta-ffira 28 do carrale,
Angelo Morsicano, Vingenso Morsicano, Leo-
nardo Selaro, Gaetano de Milita, Francesco de
Melita, Demenico Etilo, Francesco Setaro e Nicola
Conla, subditos italianos, retirarn-se para fra da
provincia.
AMA
Precisa-se de urna ama que saiba bem
csinhar e faca compras, para casa de pou-
ca familia : na ra da Cadeia do Recife n.
38, primeiro andar.
parece que o mesmo Sr. Pedro Ferreira a despe'ilo"
da sentenga executiva que do juizo especial do
commercio desta cidade Ihe foi intimada no dia 27
de fevereiro do corrente anno, a despeito mesmo
do protesto que pelo mesmo juizo le foi intimado
igualmente no dia 28 daquelle mesmo mez para
nao vender e nem fazer transaego alguma com
taes bens, parece toJavia que teve elle a facilidad-;
de depois de tudo isto vender o escravo Jos, ou a
parle que nelle linha, e que se soppoe ser o mes-
9. O. Man*,
_________Engenheiro e superintendente interino.
AtIA.
Precisa-se de tima ama que saiba cozinhar bem
e comprar para casa de pouca familia : a tralar
na roa do Queimado, loja n. 5.
0 agente de leites
OLYMPIO
scientilica a iodos os seus commitenies e amigos
que lera aberto um grande armazem de leiles
ra da Cadeia do Recife o. 3o, aonde espera me-
recer a mesma conlianga que at hoje" lem me-
recido.
Ollerei^-se urna criada para o sorvigo inter-
no de urna casa de homem soeiro ou de pequea
familia : a ra Direita n. 17. ;
Precisa-se, da quanlia de 800# sobre hypo- i
tlieca em.um escravo mogo esadio, ea pessoa que |
quizer fazer este negocio dirjase a ra Nova n.
11, que ahi achara com quem tratar.
Precisa so de uina ama forra ou captiva pa-
ra o servir 1 iaterno e externo de urna casa : na
mo Jos de que cima se' faz megIo,~ao"seu~ pro- ra larga do Rosario.n. 31, segundo andar.
prio ftllio Jos Elias de Sa tunal como se eviden-' Quem precisar de urna criada porlugueza
cia da respectiva escriptura de venda do escravo dirija-se a ra do Apollo n. 4._______________
i^L'lLlS?!? Ferreir.a 8 0Ut^0S assiKQaa '- Precisa-sede una ama que saiba lavar, eu-
f^d.e!S ?.A^i^'?J J8 n?Us. gommar e csinhar para casa de pouca fimilia :
CASA DA FORTtft
Aos 6:000^000.
-i
tabellio publico interino da villa da Escada Joe
Damasceno e Silva.
Aproveita-se igualmente esta occasiao para pre-
venir questSes futuras ao Sr. Francisco Lms on
na ra do Camarao n. 13.
. Precisase alugar urna escrava para comprar,
csinhar e engommar para duas pessoas : na ra
galves Chaves, lavrador do engenho Triumpho, da Manguelra n. 18.
tambem do termo de Sermhein, que S. S. para -----------:-------------------------:----------------r
seu proprio bam deve iembrar-se e ter n devda Precisa-se de um menino para caixei-
consideragao, que s. S. o depositario judicia.1 dos ro de pequeas cobrancas nesta praga e aa
9 escravos de -iuq cima se irala, e que mui ore- mesmo lerap empregar-se as horas vagas
peeraanLeVq2 ^o^SS So./S. ^ um armazem de ame seca, prefere-sc
todos.
Precisa-so alugar dous escravos. um para
Irabalho grnsso de um hotel e oulro para criado :
no hotel Italiano, ra do Trapiche n. 3.
-t-
Na ra" de S.^ Fraucls^co.n. 58 ehgooiro^-se
bem com promptido e raodicidade era prego, pre-
O capillo T. L. Knight, do brigue inglez So-,
rah, precisa contnalar com quem por menos fieri, |
os concertos de mastreagao etc. constantes da ves-
toria a que se proeedeu e se acha no consolado
brilannico, e paraesle fim recebe-se nesse censu-l
lado sexta-feira 28 do correle, proposlas em car-1
tas fechadas dirigidas ao referido eapitao, as
quaes deelararao os pregos da empreltad, e obri-1
gando-se o empreiteiro a supprir os paos, e,v
bos, majjeir.ii e (oda o nuts material, que forj
quelle que for de provincia estranha
' tratar a ra da Praia n. 34.
ja-se em dita casa.
Flix Jos de Gusrao Lira, sua multier e
umafilha menor, retiram-se para fra do imperio.
Saca-se sobre Lisboa, Porto, liba de
S.Migele Rio de Janeiro, no eseriptorioj Precisa-se de urna ama de le-it pa-
de Carvalho d-Nogueira. ruado Apollo nu-ga-se bem: na ra do Imperador (anti^a
mero 20. ra do Gollegmi n. 83, terceiro andar..
ferindose'roupa de homem Yquem "preciar'di'ri-iDeces6ario- w*'"? como s,Pul' o prazo para o
acabam.enio da obra ; sendo as proposlas abertal
na presenga do cnsul de S. M. britannica, a' I
hora da tarde do referido dia.
O trabalho e raalereaes sujeilos a' approv{5o
do eapitao.
9H
9^ a-3
a
|1
3
re
O
I
-ja
3"
-1
?3
pd
o 2.
O. V
M A

B
s *
2" "
i. 8- B
o ?
Itilhetcs garantidos.
A'ba do Crespo n. 23 v. casas do costume.
O abaixo assignado vendeu nos seus rauilo feli-
ies bilbetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da Sania Casa da Miseri-
cordia, os seguintes premios :
Um quarto ti. 884 oom a sorte de 6:0005000.
Um rneio n. 2397 com a son de l:io0400.
Um quarto n. 124 com a sorte de 5005000.
E outras muilas sones de iOO, 40J, 20* e
lOjtOOO.
Ospossuidorespodern vir receber seus respec-
tivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Achara-se a venda os da 2* parte da i' lotera
(3J beneficio da matriz de Nazaretb, que se
extrahir no dia 27 do corrente.
PREQO.
Bilhetes.....7,5000
Meios......3S5O0
Quarlos.....1*900
Para as pessoas que conprarem de 100,5000
"para cima.
Bilhetes.....6,8500
Meios...... 3*250
Quartos. *. 1*700
Manoel Mabtiss Fiuza.
Ceosultorio medico-rinirijko na na larga de
Rasariu n. 30.
O Dr. Jeo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, eonii|ia em q exercicip de sua prorisso nao
s n pacte medica como tambem na cirurgica.
Prepara-se comida para fra com aeeio e ni-
tinez por prego mais commodo do que om ontra
qualquer parte, tambem lava-se e engoaima-se :
na ra do Aragao n. 3.
Precisa-se de Bma ama perfeita rozmheira e que
Na ra Direita n. 116 continua-se a Ungir para I compre, prefere-se escrava : no ra <>?. Crw nu-
qualquercor, e o mais barato possivel. I mero 68. .
Tinturara.
Na ra do Imperador n. 40. primeiro andar,
precisa-se de urna ama para cozinhar.
Quem precisar de una ama para cozinhar
dirija-se a ra de S. Francisco n. 21.
Aluga-se urna meia-asna na ra do Alecrim:
a iratar na ra Direita n. .24, padaria.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes: na praga da Independencia n. 22
Panicipa-se aos pas de meninas entregues a
dirergao do collegio de N. S. da. Conreino, que
este collegio se acha transferido para os 'CoeHius.
onde foi a casa de Alienados. Todas as pessoas que
liverem relacoes com dito collegio, all poderao
dirigir-se : assim como all soruenle nos domingos
de larde so receben) visitas.
Precisa-sede urna ama para iodo servifo de
urna casa de pouca familia : a tratar na ra Te-
Iha n. 52.____________________________________
Na ra da Cruz n. 33, cumpram-se cdulas
das caixas filiaes das provincias, e do bauco co
Brasil, com descont razoavel.
aria :
Precisa-se de dous amasadores de p
na ra do Itancel n. 9.
Precisa-se de urna ama para lodo servico de
casa : na ra da Concordia n. 65.
mamm mmwm wmm
g Companhia lidelidade de seguros '
S martimos e terrestres
S estabelecida no Rio de Janeiro. |p
H AGENTES EM PEIIKAMBUCO
(Jfe Antonio Luiz de Oliveira AzeTcdo \ C, j|i
|H competentemente aulorisados pela dtrec- ^
M loria da companhia de seguros Fidelida- ^5
3R de, tomam seguros de navios, merrado- S^
5J r'as e predios no seu eseriptorio ra da RS
m Crux n. I. -m
wmmmm&wm mmmm
Precisa-se de urna ama forra, ou captiva pa-
ra cozinhar e 3omprar para casa de rapaz solleiro:
na rna do Qaeimado n. 7.
Ama.
Precisa-se de urna ana para lodo servigo : na
travessa das Cruzes n. S, primeiro andar.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : a tratar na
praga do Corpo Santo n. 17.
Na ra dFCadea do Kt-nfe loja de forra-
gens a. 44, desaja-se fallar com << Sr. Jos Dias
Fernandes. a negocio de interesse.
Ensino em erigen lio
Do primeiras letras e tambem do lalim, francez,
inglez e rhctorlca, por prego commodo : no eserip-
torio do Sr. Dr. Diodor, ra do Imperador n. 81,
primeiro andar, acbar-se-ha cura quem iraiar.
bacharel Lonrcngo Avelino de Albu-
quen|ue Mel'o continua a t'-r seu eserip-
torio de advogado dos auditorios e tribu
naes desta cidade : na ra do Imperador
n. 40.
Aluga-se a casa lerrea n. 105 da ra de San-
la Bita : na ra da Aurora a- 36.
v \'
_ ._.*- I



letra t c AJfcrll 4c tt&.
lUXO l\IAO
EC^AO DE SEtirRO IITIOS DK VIDA
Denoalraeo t)o njovimeui desia seeca desde i de anUbre a 31 de detento de 1864.
Weslgna^oes
Transporte do ulti-
mo trimestre
Subscripto no pre
sent trimestre
Prestacdes recebi-
dasidem.....
Porcentagens por
atraso dem
Jaro de mscnpgo
idera........
Inscripcoes compra-
das a 46 Vi-
Iascripcoe; compra-
das a 46 >/i-
Inscripc5es compra-
das a 47 V.
Somma
NUMERO DE
SOCIOS.
p
3
W
3
~-
5727
227
595i
838
780
1618
636o
1007
7372
CAPITAL StBSCniPTO.
3

1,113:990^000
#92:170OOO
282:615*000
214:253*000
2,208:160*000
496:8705000
2,398:6054000
306:425*000
2,705:030*000
CAPITAL hEALISADO.
o
'=
a
a
as
I-a
o

3
489:127*200
72:830*000
2:
0
7:394*500
572:434*650
67:228*000
65:375*000
1*500
2:004*000
S
*.
->r~
CAPATAL lUPKEGADO.
Valor nominal m tnscripcdes.
-3. ;o
a co
-
3
Lsr"
556:355*200
138:205*000
2:884*430
9:598*500
134 608*500 707:043*130
~9
991:300*000

3
3
a
'i
Metal.
I o
3
1:600*000
50:000*000
26:000*000
(,068:900*000
133:600*000
40:750*000
20:900*000
195:250*000
1,124:900*000
12:350*000
50:000*000
46:900*000
489:158*885
746*000
23:230*000
12:220*000
1,264:130*0001525:374*885
66:101*123
555:260*010
18:993*690
9:823*000
eoHPiis
i
VENDH SE
Compram-se libras sterlinas: no ar- caiides vasios propri* s para tahulci-
mazem de Ferr ira 4 Matheus, na roa da ros e aaileiros a 1,760 rs.; a tratar
Cadeia do Recife n. 66.
- Compra-se uuru e prata em obras tenas, pa
a-sebera: na loja de bilhetes da Praca da Inde
endencian. 2-2.
esta ffir o.
lez lariaoo.
Aiada est i venda na rna do Imperador n. 15,
Compra-se effectivamente onro e prata em defronle de S. Francisco, a rica edicSo 4o mei Ma-
0Dras velbas, pagando-se bem : na roa larga do riaoo, ornada coro estampa e vinheta g, eenr&der-
Rosario n. 24, loja de oorlves._______________ 1 nada, por 1* e 1*500 cada livro._____________
Compra-se um escravo cozinheiro que seja i No escriptorio de Claudio Dubeux vendem-
moce, robusto e sem vicios: a tratar no sobrado se foguetes com nova composicao de mistos para
u. 32 da ruada Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro ruado ve
|ho: na fundlco da Aurora, em Santo Amaro.
Compram-se libras sterlinas : na ra do
Crespo n. 16, primeiro andar.
Compra-se urna escrava de meia Idade, ro-
busta e sem vicios : quem a tiver dirija-se a ra
de Santa Cecilia, casa n. 17, que se dir quem C0r6tflS',
matar formigas; nova dPsroherta, e roais evi-
dente qne as anMgas velas mistas : preco 500 rs.
cada nm.
VinhosdCj Porto finos
engarrafados erabarris en-
compra.
19.745*690!
Parto, 31 de dezembro de 1864.
Os directores do Banco Uoiao.Jos de Almeiia Campos Jnior, F. M. van der Niepoorl, Jos da Silva Hachado.
Approvado pe jnnta de vigilancia era sessao de 11 de Janeiro de 1865.
Justino Ferreira Pinto Basto, vice-presidente, Visconde de Figuetredo, AgostinhoFrancisco Velho, Francisco Antonio de Lima, Aionio Adrlo da Rocha, secretario.
N. B.Desde o Io a 11 de Janeiro tem bavido o seguinte movlmcnto na subscripco :
SOCIOS. CAPITAL.
Em 31 de dezembro..... 7572..... 2,705:030*000
Do 1 a 11 de Janeiro.... 205..... 42:425*000
Garrafas razias.
Compram-se por todo prego roeias garrafas de
champagne : na ra do Rosario n. 34._________
Compra-se um escravo de meia idade que se-
1 ja rohu-to e sem achaque aigum : a tratar com o
Q.agQBQQQl agente Cordeiro SimSes na ra da Cruz n. 57.
Comprase um piano que tenha pouco uso
22:043*0001 (moderno) : juem tiver alguno dtnja-se a roa de
--------- Santa There?a n. 18, ea 94:923*8I5|620:298*700 nha Catanho para o raesmo senhur o ir ver.
Cobre, laiaa e chambo.
Compra se cobre, lalo e chumbo : no armazem
da bola aman lia no oito da secretaria de polica-
Total.
7777..... 2,747:455*000
&
Do l.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
de maio de 1865 at onlro aviso, a partida d< s lieos de pa>sageiros ser regulada pela tabella seguate;
TACOES l'AUA O INTERIOR ESTACOES DO INTERIOR
ES Dias de tru-hallio Domingos e MANHAA TARDE MANHAA TUIDB MANHAA TARDE MANHAA TARDB
H 8 8 8 8 9 M. ~30 38 50 58 22 40 57 14 29 45 15 33 52 15 30 48 6 30 H. 5 5 5 5 5 6 M. 0 8 20 28 52 10 H. 7 7 7 7 8 8 8 9 9 9 10 10 10 11 11 11 11 12 M. 30 38 50 58 22 40 57 14 29 45 15 33 52 12 15 33 51 15 H. 6 6 6 6 6 7 M. 0 8 20 28 52 10 H. 6 7 7 7 7 8 M. 50 8 32 40 52 0 H, 11 11 11 12 12 12 1 1 2 2 2 2 3 3 3 3 4 4 M. 15 39 57 15 30 53 12 30 0 16 30 48 5 23 47 55 7 15 H. 6 6 6 6 7 7 N. 0 18 42 50 2 10 H 1 1 1 1 2 2 2 3 3 3 4 4 4 4 5 5 S S M.
Una. Agua Preta. Cuyambuca. Gamcleira.. Ribeirao. .. Aripib.. .. Frexeiras .. Escada.... Timb Ass Olinda .... Ipojuca.. .. Cabo..... Ilha...... Prazeres. .. Boa Viagem Afogados .. Cinco Pontas (Chegada........ (Partida......... 0
25 42 57
0
f\
Ipojuca. ... 9 10 10 10 11 11 11 12 12 12 1 1 42 0
Timb Ass . j . 30 45
Frexeiras . ...... 0 18
35
Gamelleira Cuyambuca Agua Preta 53 17 25 37 45
G. 0. Mann, i ngeuheiro e superintendente interino.
25f00.
Alnga-se por 25* mensaes o secunde andar do
sobrado n 62 da ra da Gula : a tratar no pri-
meiro andar
Qoem precisar de urna ama de leite dirija-
se ra do Pilar, no fundo do assougue n. 93.
Aluga-se o teroeiro andar da ra da Impe-
ratriz n. 34, com muitos commodos, tratase em.
baizo no eslabeleciment.
jornaes para embrulho
Compram-ie jornaes para embrulho a 140 rs- a
libra ; na anliga fabrica de cigarros, ra do Quar-
tel de polica n. 21.
Lagrimas do Douro.
Duque do Porto.
D. Luir.
Menezes.
Particular.
Vinho real e mucatel : na raa do Yigario n.
19, primeiro andar._________________
Vndese tres carrocas para boi, duas ditas
para cavallo, dous carros para condcelo de ge-
neras de estiva ou onlro qnalqner mi.-ter, ludo em
boro estado, e por preco commodo, por seu don-
querer acabar com esse negocio : a tratar na roa
do Sebo n. 54, taberna
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bordeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne flno.
Dito d- Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Compra-se
urna escrava que seja de boa idade e sadia, sem
vicios ou molestias, e perfeila cozinheira : a tra-
tar na ra da.Cruz n. 68.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effactivamente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Compram-se diarlos para embrulho : na ra
larga do Rosario n 13. ______ !
VINHO VERDE
puro, de Basto, em barrisde oitavoe dcimo : ven-
de-se na ra da Cadeia n. 17.
PRACA DO RECIFE.
Na praca da Independencia n. 33, precisa-se
de urna ama para compraD, cosinhar e fazer todo
o mais servlco de casa de pouca familia._______
A luga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da ra da Guia, pintado de novo e com commodos
para grande familia : a tratar no primero andar
cera seu proprietarlo o bacharel Francisco Luiz
Correia de Andrade.
Libras sterlinas,
Compram-se na praca da Independencia n. 22.
YENDAS.
de primeira qualidade, em la-
tas eem garrafas: no pateo do
Terco n. 1.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qrjalidde a
Na prac.a da Independencia loja de ourivesn.
33, compram-se obras de ouro e prata c pedras
preciosas, assim como se faz qoalquer obra de en-
comraenda e lodo e qualquer concert.
mmwm imun mrn-
ijg. O bacharel
Francisco Augusto da Costa l
ADVOCADO &
Ra do Imperador numero 09. ^
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQ&0 DE LONDRES
(ASA M RAMIOS
Largo do Carmo numero 26.
Este estabelecimento to bem montado na sua DrOVinCai C0IT6CT0 ftt Ol
origem, achava-se de a muito em quasi completo j V ,
abandono pelo pouco Interesse de sua adrainis-1QQ dCZGUlUrOi 6 VGnQ.6 SG a
na livraria ns. j6 e 8
ALMANAK.
Acaba de Subir dOS r- *SJ>la: nos armazensda la do lm-
los denossa typographia 015-!!l-"--*w~.
Almanak Administratiyo e
Cognac.
Veude-se o verdadeiro e muito
Mercantil e Industrial desta srFda~maroaC-R^em pe,,u-D0S ,,arris:
acredilado c- g-
.. : eni es
Souvage A C, ra da Cruz n. 20.
Paktots a 1|TmT
n loja da ra da Madre de Dos
DE
Samuel Power Jolinston &, Gompanha
Ruada .-'enzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuadlcao de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixasde ferro coado e atido^ara enge-
nho, /V
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de O'iro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
THOMAZ TEiXEIRA BASTOS
N. 60-Eua da Cadeia do Eecife-N. 60
|0 hacharel Jos Baplista Giliranag
advoga nos termos do Bonito e Caruar. g
Pode ser procurado na villa do Bonito,?
roa Direita n. 16, defronte da cadeia.
Aiugara se dous grandes sobrados com coro-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
cora jardim, cocheira, estribara e oniras coromo-
ilidades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
arralar na ra da Senzala Nova n. 42.______
Est para aJugar-sp urna casa terrea na ru
da Gloria n. 14, um 1" e 2 andar de um sobradle
na roa do Rosario da Boa-Vista,quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna raei agua na estrada de Joao
de Barros.com arvoredos, agua de beber,e portao
para e beeco do Rombal: quem pretender falle
na ra las |-.ruzes, sobrado n. 9. das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
O London & Bratillan Bank, sara pordoos
os paquetes,sobre
Lisboi.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimare.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante.__________________
Na Cambia do Carmo casa n. 3, lavase
> chapeos de palha para senhoras e faz-se chapeos
"de seda, vestidos e cipa-, e prepara-se plumas,
ludo por prp$o commodo.
fia attencao a um amigo meu deicei de respon-
der de prompto o annnncio do Sr. Antonio Borges
daSilceira Lobo; entretanto nao po&so delxar sem
reparo a materia daquelle annuncio, e venbo sim-
{ilesraeete responder queile seahor. Nao certu
qae 8. S. esigisse de mim nem urna so res hono-
rarios ou paga alguma, como Umbem nao certo
que eu incumbisse a S. S. de coasa alguma, nem
fscebesse deS. S. dinheiro ou bens havjdos de
Hieus devedore*, nem eu conhecia ao menos de
vista a S. S. quando consent na incInsSo de seu
Borne em a minha procuracao. *e alguma conga
de.veise proinptanjente pagara, porque para
mim sagrado o cumprimento de meus deveres.
Julgo assim terminar todas as minhas relacSes
cora dito tenhor.
Antonio Caldas da Silva.
Todos os artigos abaixo mencionados, foram comprados recenlemente pelo dono do estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birroingham, ajam-besler, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condenes pur ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inleiraraente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com bnlhantes, como baldes, anneis, rosetas etc., e
bem assim, diversas obras de ouro, como traucelins, correntSes, ocolos. face-mains, anneis, e mnitos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas tinas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes ingleses e
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Le^rand, Ed. Plnaud & Meyer, Delettrei Parfmerie du
mond lgant), Violel, Societ Hygiemque, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Gueland, e inglezas de Eug.
Rimmel e outros ; ricas galantarias era n.arlin mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japo;
ricas pecas de cristal fino como ainda nao appareceram nesla cidade, e bem a sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeiles e adornos para cima de con-
solos e para grande toillelte, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birminghara
etc. ; modernos apparelhos de metal flno inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos peotes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excedentes In vas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para janlar, e immensos artgesde porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno u-.m sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wollf & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
com ligaras para saldes e ditos com figuras em movimento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para iheatros ou s>.I5es, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, diae noile ^stereocopiosde nova invenco e com bello surtimentode vistas das principaes _t
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos tinos para mancas, e bonecas fallando papai,)
mamai : grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-'
cido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda propnos para presentes ; grande sortimento de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de outras de lodos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio
para raeio de mesa de jaotar ou para jardim ; cutelarla tina, como talheres com cabo de metal fino, co-
heres, thesouras linas, ditas modernas para alfniates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame ; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ara- i
me, doces, confeitos e chocoh te em caixinhas e em vidros; canias de ferro dejtodos os tamaohos, lava-
torios, etc. ; ricos quadros para candes de visitas e ditos grandes e prquenos para retrates; chapeos
de sol, bengalas,_chicoles e ditos para carros; machinas para fazer cal, ditas para bater ovos, proprias
para quera faz po-de-l, bolinbos, etc.: bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e trancos;
pannos pata cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e onlros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violdes lisos; ligaras finas e jarros de Alabastro ; galantarias e outras pecas
de charao para toillelte ; machinas para varrer o chao, encllenles machinas para photographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baldes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illaminacdes moda de Pars, salva-vida de borracha, para humeas e senhoras, proprios para quem
toma hanhos em lugares fundos ; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja era barricas das principaes marcas de Londres, queljos etc., e muitos outros artigos
tracao.
Hoje quo o novo preprietario emprega todos os
meifts para restabelecer a grande utilidade deste,
^^V^^Sl^JSSJS, da prapa da Independencia.
rao desde j prompt-do e aceio nos bonhos fros, TnQt|i/>/ni naro A coviriflA1'
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha- J-iion uoyuco y al a u c-CJ VJyU guezada para a trra : a tratar na mesma ra nu-
r aborta todos os dias das 6 da manhaa as 11 da' das guardas do exercito, exlrahidas do re- meroM-____________
ite- gulamento de infantaria e accoiumodadasaoL ~ VeD^eFLduas tabernas junto ao beccodos
Sao de brim
n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Vende-se urna taberna eonT'poocos- fundos,
ou mesmo com aquelles que convier ao compra-
dor, muito propria para qualquer principiante por
ser de penueno costeio e estabelecida em una das
melhores localidades da rna Direita, e bem afre-
i banho fro ou momo? '..... 300 exercito brasileiro; obra que muito convm
1 dito de rareiio........15000 aquellas pessoas que se alistam nos corpos
i dito medicinal ser segando a qualidade. de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
sduos565'. : : : : : ;: : B8 da praca rnd pendencia, a t.
mmmwmm mmm mmmmm'
te O bacharel Alvaro Caminha T. da Silva yM
^S tem seu escriptorio de advocada a' ra g
m do Imperador n. 41, primeiro andar, on- 9
Miie pode ser procurado das 10 as 3 horas. "-M
Em qualquer outra occasiao sera' encon- n
n ra n. 3, junto ao Gabinete Portugaez. |f
Portos n. 2 e 59, a prazo ou dinheiro: quem pre-
tender drija-se ra da Cadeia do Recife n. 16 ;
lambem se faz qualquer negocio coro pessoa qne
tenha habilitares para este negocio, daudo fiador
sua conducta.
Ai ten cao
Aluga-se ama casa terrea nos arrombados
em Olinda, com 2 salas, 4 quartos e nma grande
cosinha cora portao para o rio : a tratar na arma-
zem do Annes defronte da alfandega.
Vende-se superior vnho do Porto em caixas de
urna duzia :em casa de Johnslon Pater & C. ra
do Vigario n. 3._______
Attencao.
m
Vendem-se pegas de esleirs para forro de sala,
Una branca preparada a oleo, em latas de 23 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e p ira pendurar, arreios' i ara t e -2 cavallos,
velas de spermacete, todo de superior qualidade.
viodu dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
Veude-se urna bonita burra sem achaque al-
gara : a tratar e ver na ra da Praia n. 23.
Vendem-se duas casas terreas, contendo ca-
da urna 2 salas, 2 quartos, cozinha fra, quintal e
cacimba, acabados ha pouco, muito bem construi-
das, e por preco- comnvdo: na travessa da ra
Augusia peno do gazometro: a tratar com Mancel
Firinino Ferreira, na ra da Concordia n. 73.
^a"legtTma
o
Dr. Francisco Pires Ha 1 0 GASTELLO DE GMSYILLE
chatio Portella
Medico operador
m
MR
PELA
FACULDADE DE PARS,
regressando a esia provincia acha-se
prompto para o exercicio de sua prons-
sao, quer nesta cidade, quer fora della, S
especialmente em molestias de olhos (ca- 9
)0. laractas ftc.) das vas urinarias (estreita- S
< ment de orethra etc ) e de pelle, para
tjx cujo curativo se julga habilitado, alienta f*
" a pratica que teve nos hospilaes de Pa- S
^ ris, e os modernos instrumentos que pos-
SSsae.
ffi Pode ser procurado a quarquer hora j
^S oa casa de sua residencia no patee do >
Mi Carmo n. 2, esquina da ra de Ho'rtas. i
mmmmmmm mmmmm
Custodio Jos Alves Gulmarles tendo arre-
matado as dividas da mass fallida de Guimaraes
Irmao, faz sciente aos devedores da mesma que
elle o nico aatorlsado a receber ditas dividas e
por isso convida aos mesmos senhores devedores a
virem pagar seus dbitos araigavelraente nestes
15 dia, lindo os quaes tem de entregar, a cobran
T'aduzido|do francei per A. J. C. da Cruz.
Vende-se esle bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 230C
na pra?a da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Jumentos
DE BRISTOL
PREPARADA USICAMENTE POR
LAN1M k KEMP,
NOVA YOEK.
Composta de substancias, gozando de
que para enumralos sera um nunca acabar, e todos se vendera barato e malta barato no grande ar-ica aeseu procurador, podendo os mesmos senho-
mazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Raneo, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
at mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 10, no armazem da Exposicao de Londres.
Su
O
2S
O

X.

B9
- a
muito finas
Para completa iquidacao vende se, por muito menos de seo va'or, perfomanas
novas chegadas recenlemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes segnintes : Eng.
Rimmel, R. Mathens & C, Lubin, Soeiedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud d
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere ele, etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em ganafinhas e
vidros de difieren tes modelos, pos para limpar denles, han ha em potes e em vidros, pomadas, ricas
caiiinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artisos era geral existentes no grande armazem da Exposicao
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Vende-se um linda casal de jumentos de bella
raca, grandes e rovos, proprios para a conserva-
cao da mesma raca e cruzamento, do que se eolhe-
ra magnficos machos, mullas carro e carga ; caja
jumenta esta' prenhe, assim como urna linda ju-
meotlnha com pouco menos de um anno : ver e
tratar cora Jos Prreir Cesar no sitio Pirahuyra, i
arrabalde da villa do Limoero.
Attencao.
Collarinhos de papel a 240 rs.
Ditos de papel e Hubo a 400 rs.
Na loja do Baratero, roa do Crespo n. i. propnedades eminentemente depurativas ;
cavaiio meo muito bom de approvada pelas juntas e academias de me^
dicina; usada nos principaes hospitaes, ci-
AHmirflVpl nP'hinpb'l vis rai,itares edamarinha nasAntilbase
Ailllllldveipeuumu.l. no continente americano ; recetada pelos
H ambique a 001 s. o covada, na toja ficultativos os mais distinctos do imperio do
do pava. 'Brasil e da America hespanhla
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de pu- j CURA RADICALMENTE
ra la proprio para vestidos e soutembarques, a.Pf.riK,,io- -i > sendo de quadrinhos de listras e lisos, fazenda m- ^crophulas, rl.eumatismo, escorbuto, en-
tecamente nova, em padres e muito projirias pa- tenuidades venreas e mercuriaes, cbagas
Vende-se um
carro : na ra larga do Rosario n. 20.
res dovedores dirigir-se a ra do Crespo n. 7,
ja do Vigilante._______________________
Alnga-se a casa n. 4 da ra do Nascente : a
tratar a ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
.Muga se o segundo andar da casa n. 33 da ra as senhoras
rna da Matriz, o qoal tem comrrodos para grande' porque es
familia : a tratar com o Sr. Ferreira Porro, na Pon- co
te Velha, on com Miguel Joaquim da Cosa, na ra acto, _.
da Cadeia n. 12. | devido a grande compra que se li desia nova" fa- \ falsificarnos, preciso a maior cautela para
\ zenda, que se veode a frezo lusioes o covado : na evitar OS engafiOS,
loja do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Para senhoras.
Reos e modernos pentes de tartaruga para tranca de seubora.o qne se tem feito de mais le-
gante ateo presente : vende-s por menos de sen valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posicao de Londres, na raa da Cadeia do Recife n. 60.
Luvas novas de Jouvin.
Ven Jem-se excedentes luvas de pellica recenlemente chegadas de Paris, Unto para homem co-
mo para senhera por menos de sea valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposicao de Lon-
dres, sa ra da Cadeia do Recife n. 60.
Aviso moeidade
Est abarla no dia 1 de maio vlndouro ama
aula de raaie, dirigida por ora hbil joven bra-
sileiro. professor que ensioa meldicamente pia-
no, ranaca, danta, clarinrto, riolao e cantona. Da-
r li$ao a qualquer hora duas vezes por semana
nos dias utei?, e quorendo ser til mocidade bra-
sileira, levar somente 64 por met, pagos adian-
udos por cada nm meramente. As exj minadas todos os dias pelo compositor Jos Pa-
cbinette : quem quizer se matricular appar*$a na
Boa-Vista, rna da Soledade n. 68.
AZBITE DOCE
Azeite doee reinado em pequeas latas a 560 r?. garrafa ; no graude armazem
da Liga.
Saceos Je 80, 100 e 120 libras a 40,44500 e 50
A dlreccio da soeiedade Nova Euterpina
convida aos socios da mesma bem como as
.pessoas que se dignaram assistir as exequias
do fallecido socio Pirmino Pacheco Gomes,
para que no di sexta feira 28 do correte
mez se dignem de assistir a missa do 7o dia
pela alma do mesmo socio na igreja de San-
Cruz, s 7 horas da manhaa.
O Io secretario,
A. I. Brando.
Criada.
Cadeias de ac polido para
relogios.
Chegaram loja da esperanza estas cadeias, as
mais bem acabadas neste genero, que se vendem
por ij : aa raa do Qneimado n. 33 A.
A Mendoso
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Jo5o da C. Bravo A C.
Vende-se ;a exceliente propriedade da raa
Imperial n. 164, freguezia de S. Jos, tendo 350
palmos de frente e mais de 1,200 de fundo, no
centro do qual ha urna grande casa terrea de pe-
Vemlern se qaeijos do ultimo vapor a ^oOO e draecal.com muitos b>ns commodos e algnns
2#600, manteiga ingle/.a flor a 960 a libra, dita arvoredos de fructo, precisando metsde do fundo
franceza da safra nova a 920, arroz do MaraihSo dealgnm aterro: o Sr. capitalista que flzer esta
a 100 rs., aletria e n.acarrao a.iOO rs., vinho de acqulsicao tem, alem dopreJio, terreno para edi-
Lisbca a 320, WOe 480, da Figueira a 500 e 560, ficar um grande numero de casas, j com frenle
Precisa-se de urna criada para o servico de casa
e compras : na ra Augusta n. o, primeiro an-
dar.
branco a 5o0 rs., do Porto a 640 a garrafa, esper-
mcete a 600 rs a libra, louciuho de Lisboa i
320, batatas a 100 rs., sabao mas-a a 200 rs. a
libra, erva mate a 160 rs., urna machina de copiar
carta, urna balanca ingleza, nm moiuho de moer
caf, latas de gai vazias a 20, blscoutos, viuhos
engarrafados liaos, temperos, charutos finos, al-
pisia, gos e outros muitos gneros que se delxara
de mencionar, ludo por menos dj que era outra
qualquer parte, nesta casa o freguez com pouco
gasto val sonido para casa c quem quizer o bom
para a referida ra, j em Outras que passnm por
dentro da mesma propriedade, que por ter embar-
que offerece a immensa vaniagem de facilitar a
eonclusao dos materiae?, que serao despejados em
cima das obras: quem a pretender dirija-se ao
mencionado predic, ou rna do Brum n. 57.
Louca,
Urna pessoa com alguma pratica de esertp-
taracio mercantil, offereee-se para tomar conta fc|g5o7tlrtmmofecharlo: S*7a Direita
qualquer escripia ; quem pretender, dirija-se a a yj frente ama re lia.
raa Relia n. 37, primeiro andar, podendo ser pro
curado das 8 horas da mauliaa as 10, e de tarde
das 4 em diante.
MU lio.
Cerveja Bass.
Em b tijas, garrafas e barril : ra do Trapiche
no granne armazem da Liga, 'n-- J4, escriptorio de Wilson & H*ti.
Vende-se railho muito bom a 5J
cniasl: no caes do Ramos n. 4.
o alqneir? (32
S'ende-se urna preta velha, por preco com-
modo: a tratar na ra do Livramenio n. 25.
Vende-se barato para acabar
pratos brancos e cjm beira azul
mado n. 14.
urna poreao da
na rna doQui-
Madapoles avariodos
Finos com 24 jardas a peca por 55330, algodo
muito largo com 24 jardas a peca por6?, rheguem,
a elles antes que se acarem, visto avaria ser mui-
to diminuta : na loja da rna da Madre de Dos n.
of, defronte da guarda da alfandega, tamhem ha
6hila francezas escuras e finas a 240 rs. o covado.


/*


s\
lUirlo de eraau.b-.c4> ulula eir II Je Abril de 1 &.

S4LSA PaRRILHA DE AYEK.
Transchevemos aqu alguns
dos muilos aitestados que temos
recibido das virtudes da salsa
parrilla do Dr. Ayer.
nheiioaatUmo.
DE JOAO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
t Soffrirheumatismopormui-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
GoQlinua-se a vender em porco e a retalho :
na rnajo Queimado, toja d'aguia tranca u. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na roa do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimeuto de caixiohas com
chromacomo para ungir cabellos1, e bera assim
frascos com hydrocallilrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onycbromaotlna para limpar as unhas, Essa
tintura, cojo effelto rpido e rfflraz, e>ta hem co-
nhecida e apreciada para todos quantos della teni
osado, eos que de l-ovo a qui7.orem apreciar, po-
Salsa pairilha de Dr. Ayer, re- *-.as solvi-m*. a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
d6r nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava aflfectada d'esse terrivel encommode
que roubou-m tantas noiles de somno.
Erupces. borbnlha* pstulas,
ulceras, e todas as molestias
da oelle.
DO SR. JOAO PAULA DE ABRE E SOIZA.
dmheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de chegar para a U ja d'aguia branca, na
roa do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambera verde e mui fino para robrir o ra-
me, assim como folbas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos.
Vendem-se na roa do Queimado, loja d'agoia
branca n. 8. i
O
a

DE
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro. ,,
soffria mais de dous annos de ama Superiores penas dogo ingle-]
erupcao sypliilitica em todo o corpo, mos zas e francezas
trando-se sempre com mais violencia na ca- A aguia branca alm do grande sortimento de i
ra, prove muitOS medicamentos econsultei P^s d'aco qa constanlcm.nie tem, : eaba de:
AZEVED FLORES
Ra da Odeia do Recife, esquina da ladre de Deas.
Prestem attencilo ao discurso do Balo.
Neste estabelecimento todos os freguezes encontrarlo igualdade de direitos, o
s
BOS primeiros dias a erupco aggravoo-se, preces commodos, com taotoque ocompradorcom-
norm antps dp arahar n sptrnndn frasco ti- )areca muuido de dinheiro : na roa do Queimado
purera ames ae acanar o segunao irasco u loja da aguja branca n 8 one taniD(m achar se.
nna o mal desapparectdo completamente de ha a venda pa:-taspara papis.
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profes-
sor de medicina y cirurjia, subdelegado
em ambas as facultades del sesto dis-
tricto.Habana.
Certifico que he usado la zarzaparril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya to e de madreperola.
A aguia branca na ra do
Queimado n. 8, recebeu :
Bonitos e prnudos aljofares de cores para volras.
Chitas largas escuras muito soffriveis a 280, 300 e 320 rs.
Ditas largas e finas nadroes novos de 400 i 500 rs.
Ditas largas preclaras a 500 rs. s na loja do Balo.
Cambraias de cores com quadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
dem lisas tapadas e transparente de todos os procos.
Madapolao de 8;> a peca que em outras lujas se vende por 9$.
Temos tambem muitos outros madapoloes de diversos precos, assim como te-
Puiwas de ditos de iguaes e avadareis cores. mos madapoioes francezes de 44 e i6)5 a peca, inclusive urna qualidade espocial para saias
Voltas pretasmaiorese nunores odas de coutiS .___l 5 -<*n ., r *
de senbora a 06O rs. a vara.
Gambraia para forro de vestidos.
I.a preta para luto, e de todas as mais cores.
Litas com o assento escuro e llores matizadas fazenda muito moderna e fina qua-
preta
grossas.
l'ulreiras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas cora ciuto pre-
accion ademas de ser -egura, ha sido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y no
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1866.
Dr.ios V. Hkrrkra.
Gserophula.
ATTESTADO DO 1LLM. SR,' FRANCISCO FERBAZ
dos santos. Ouro Preto.
Me acho ha quasi do s annos afleetado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto q'-e al-
gumas vezes quasi que chego a desrnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mediros d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, estava .em espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolvi fazer uso da 'aha par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se hoje
trinta e sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas melaras tenhe
sentido que tenho convieco de em breve
recobrar a, minha saude, perdida ha tanto
tempo.
Vyphills e molestias mert-urlaes.
Do Illm. Sr. Dr. Jackso:'.
Medico muito conhectdo as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o melhor alleran-
te que conheco.
Leucorrbca e Odres bratucas.
Outras grandes de differentes qualidades e re-
dondas rom pedras.
Bonitos leques de Jmadreperola redondos e de
ontra forma.
Ditos de .'ndalo iutericos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
DEPEPSINAI

.DE WASMAN
As paslilhat digestivas com a pepsina dt Was-
man, emprego se com successo h j algun
arvno* pelas celebridades medicaes de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quaes a digesto i difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel : eis o melbor
remedio para cnrl as
Bl.rrhe.. e c.U-
piicaa prudnrldaa
prlns rlaborarof
d, r.'cluopn. do* II-
iii. nlo.
Gantral|(laa.
Mapepalaa.
Embainron gatrleoa.
A gaatrlte.
Aa affrccoea orjrtnl-
tmm do ralmafa.
Em todas as molestias empregio-se a miude aa
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
< igualmente aspastilhas de Vichy. Esse meio i *6
efficaz quando se trate de dispepsias de curta d-
nelo, mas o prolongado uso Jas aguas e postilaos
de Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobreerm o sangue a isso de tal
mancira que lhes arreblhio a parte vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrare,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mcxnio lempo que se effeclua a
transformado dos alimentos assimilbando-se
como elles e ajudo tabcm como ellcs a nutricio
Seral. Sua accab vivifica o sangue e os ergios
e tal sortc que, atlie" as pessoas que sem soffrer as
ancccftcs gstricas cima mencionadas sio nica-
mente fracas ou d'um temperamento um pouco
lid de.
Meias pretas para senhora e homem.
dem cruas inglezas pa a homem o melhor que ha de 7$ e 8$ a duzia.
Camisas de 2500 que valom :$>, temos muilas outras qualidades de diversos
precos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito finas a 51 ou 55(5 a duzia.
I Camisas de meia muito Gnas de 20 e 25 a duzia.
Collarinhos de papel de cores e bratcos assim como collariDhos de linho ingle-
zes a 500 rs.
Temos um completo sortimento de gravatas pretas e de cores.
Ceroulas francezas muito boas a 1)5600.
Ceroulas de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita de casemiras e de brins.
Camisas de flanella de cores a 3i500, 4)5500 e 6$.
Baldes de arcos a 3$ e 35# a duzia as de panno e de arcos para meninos de 24
a 31500.
Chapos de sol superiores com 16 asteas a 1241.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer calca e collete.
Vestidos a Mara Fia a 180 e sao matisados.
lia muilas outras fazendas assim cerno grosdenaplesemoreantique.
Lencos brancos j abanhados.
dem finos para rap.
Cortes de la a 50500 com 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 30 e 40 cada um.
Brim branco a 10300, 1,500,20 e 2/500
Bramante de urna largura para lences e toalhas.
Brim de Hamburgo fino e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim pardo. v
Casemira e panno pi oto fino, tudo isto por prego baratissimo na loja do
dbil, e neccsMto subsiancial alimento para for-
Tmn. iemos cartas em que nos contam casos jinfl de Pasman, um poderoso meio para amo
inveterados que foratn radicalmente curados chegar.
Aviso importante. 0 successo das paslilhat oV,-3
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal- (p
sificacoes e imitacoes d'esse producto que os
Superiores cortes de nioirs i reto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Periiambuco.
dem de gorgurao prelo adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permitte trs>.iscrever
todos os attestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composto ae Salsa
parriiha do Dr. Ayer. Basta declarar ao SffiLbTSBL1% tci;hao J Superior gorgur o de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido,
publico que tem sido empregado ha mais Depsito fkmmHa,^mSck)mnlmi i ^ SarJa Prela de se,!a-
14, Faubourg-Montmartre, e em todas u boas :-'% I
pharmacias de Franca dos paitas estrangeiroa.
mulos se quercm desfazer. Pois por falu d'uma 'A^ lucia uc k.iBiii*u uc scua iiuiuuu> wiu ...
boa preparacio o pepsina que n'ella entra, jaz j) Superiores moires pretOS e largos 20400, 20600, 30, 30500, 4/>, 50, 00,
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconvenienu, L 70 e 80 o covado.
de vinte annos pela profissao raedi -a tanto
das Americas como da Europa, sea nunca
desmentir a sua alta repuiacao.
m
Para a cura radical de escrfulas e iffeccoes
e&erofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer incomrr.odo que
provm d'um estado
impuro de sangue,'
tomem a
sals.% P4RRIL.ua de a va; ii.
A' venda na ra Direita, ns. 12 26 e 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuicao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pemambuco:
na phariuaela franceza de
P.MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
g- o a. -a bo s s m
-. S. F i- 3.
n SSSq, a o
Itll.?8>SS. a.
mnm
? 5 ? o
2.P.STS n
sr 55"3
m s2

AGUA
DE
F lo r i da .
para restabelerer e conservar acor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contentar, a mesma apua dando a cor
primitiva de cabello, (/impostas de plantas exti-
cas e de snbstancjas inolTonsiveis, ella d.-m a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que ellos tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a a.?ua de
Florida entretem a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
aram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor frncez : na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de AntoBio Correia de Vascon-
cellos* C. ________'
Cheg
? a-
e
a 5
= ;
n
I
11
-* o.
11
s
I
l !
e
5.
S
5-lfj
v ^ B. a!
m fc- 2 3
n
m I
Sesgo

SO
SSP]
2
M
n l; s.
433 ^ Wf J
o m S o OM
o c/>
dem preta lies anhola.
fi'ji dem idem lavrada a 20 o covado.
cfp dem dem lavrada muito superior.
cjf^B Completo sortimento de grosdeDaple preto a

10500, 10800, 20,20500, 30,
120 o covado.
74Y
30500, i, 40500e50.
Pannos pretos de superi r qualidade de "0 a
Casemira preta de 10600 a 50 o covado. .
Lindos chales, bournus, algcriennes e retoodes de fil preto.
Mantas pretBS de fil e los pretos.
, E muitas outras faendas de superior quadide na 1* ja das Columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antot io Correa de Yasconcellos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
^
^30'

t
*|ti
!*
too*
fifi
irt

Vende-se urna machina de copiar cartas, i moi-
nlm de moer caf, I batanea ingleza, latas de gaz,
; vasias, herva raatle a 160 rs. a libra, velas de es-
liermecpte a 600 e 610, carnauba 440 e 480, pas-
! sns a 100 rs., vinho de Lisboa a 320, 400 e 480. l
Fipueira 300 e 560, branco 300 e 360, Porto 640
; e 720, touclnlio de Lisboa a 320 e iOO rs., batatas
' a 2700 o pipo, e 100 s. a libra, arroz superior a
100 rs., caf 1" soite a 2G0 e 280, azeite doce a 560
e 640, cha 2360, dito preto Ic'iOO, sabo massa
superior a 200 e 240, ceblas a 15 o rento, fari-
nha do Maranhao, alpista, manteiga, banha de por-
cu, e muros muitos gneros quer em purcCes como
a retalho mais barato do que em ontra .oulqner
parle, com o dinheiro a vista : na ra Direita n.
, li. arm7f>m atunrioso.
GRANULOS e XAROPE
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
ItnulU pela expereneiu feitai su India* em
Praafa peloi niii ifamidos mdicos qne u GRANV-
LAi e 8 XAROPB i* BYDROCOTTLA ASITICA i*
I. LriNE tio o ptimo remedio contra todu as
Vende-6e um halco de amarello, assim co-J impweiw o bbmpes e ontras molestiasXi
mo um par de fltelros que serve para loja de fa-1 ^0^AB^,8;pTHe^r|a,d": ^SSSt
zendas oo ontro eatabelecimento, tudo novo e bera ,A- a
fcito : para ver iratar defronte do convento do
Francisco Jos Germano
RI7.VOTA X. II,
' acaba de receber um lindo e mapnifico sorlimento
de oculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.__________________
-
>BSM&
armo, offlema de Manoel Malaqnias amargo.
,*v
Ha para vender
Pinito, piho, mais pinbo, maitopinho,
pinho, roa da Praia. heje, roa Nova
de Santa Rita n. 17.
78910 e 11 pollegedas de largura
De 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e com todas as gros-
suras : cheguem a ra Nora de Santa Rita
n. 17, serrara de Jos F Coelho.
Vende-se o sobrado de dons andares e sotao
n. 36, aa roa da lmpe>atrlz : a tratar na rea dn
Imperador o. 54, primeiro andar.
Urna familia que se retira vende orna mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louca de
al mogo e jantar azul, urna me? a de jantar de ama-
Deposito geral em PernambUCO roa da \ relio ps torniados, mesas peqaenas, commodas,
i.ruzn.22em casa de Caros A Rarboia cama de casal e mnites outros objectos o que tudo
FULOSAS, 01 RHEl'NATlSMOa chronicos, etc.
Deposite feral em Part, em cata de FOimifnV 9
LABBtONYB, ra Borio-Fi/lneuti#, tt.
Vendfm-e duas casas terreas de podra e _
cal por trego commodo, sitas na rna da Paz, fre- *-
guezia dos Alagados : a tratar com Frederico
Chaves, na rna da Impera'riz n. 19.
se vender em conta : na rna dos Fires n. 62.
que se esl acataudo, resudes para
senhoras.
Oirtes de 13a indiana para vertido fazenda de
goto a 44800 o corle : s na ra do Qceiu'.ado O.
43 e Vf,"cojnina que valia para a Congrcgago.
fnos e brlnqnedos
para meninos.
Chparam para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos cal unirs
tanto para brinqnedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de mindez.s. __________^_____
FogoTfogo, fogo.
Valdivino da plvora, vende bom fugo do ar,
por prego commodo ; no sen arraazern de sal, ro
.Imperial n. J!. 1
MACHINAS DEPATIM
de rabaltar a nao |M
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
Estas machina-
podemdescarogat
qualqner espech
de algodao sea
estragar o fia
sendo bastantf
duas pessoas par
o trabalho; pdt
descarogar um
arroba de algo
dio em earoot
em 40 minuto;,
ou 18 arroba
por dia ou 5 ar-
robas de algod
limpo.
Assim como macbiuas para serena movidas poi
animaes, iiue descarogam 18 arrobas dealgoda
limpo. uor dia; e motores para mover urna, duas,
eo.tr38 dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va
porque pode fazer mover seis deslas machiuai
mencionadas; para o que convida-se aos Sr*.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sannders Brothers & C.
!V. II, praca do Corpo Santo .
RECIFE.
Os aicos ajenies neste paiz.
I DKOGARfA.
34Ra! larga 4o Rosario 34
Bartholomen Franciseo deSouza k C.
% en dem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para oarives.
Papel para forrar casas.
(luarnigSesavelluilada?.
Tinta brancasnperior em lata.
V.lvaiadeV>neza, fino,em paes.
Bixas hambur^ue'as.
Vende-sena ra Nova n. 61.
0 NOVO
DO
.m*
DA
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
rliil UbiA 3)3 8'3 'J)J12ttTJi
AO
RESPElTAVJEIi PUBJLTCO.
A aprecagao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande a mr.-
zem da Liga ostal.elecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhcd- 5,
que sendo em sua max'raa parte mandados vir directamente de estrang iro porfem ser
vendidos por prec<>s assas razoaveis, [
Sem a fatuidade de querer que esle ao\o e nleressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pode-se porm Ifianear, com toda a seguranca de quo
nenhum outro o exceder no restricto cu- primen lo das seguintrs promessas:
1. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de cerlo tratamento, acharao nestt
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos (inissimos manteiga e cit sempie de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que sera semprr n,fi-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle farSo mensalmente un.a ecoaOB ia de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, c caf, a iii'fi-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas parios tito po*
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que cf-mpram para ne-
gociar, devem vir, elo sen proprio interesse, a esle estabelecimento para se convence-
ren do quanto se pode vender barato.
Para os senbor< s que compram para tornar a vender existe um sortimento spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muilo dee agradar aos senlime?
compradores.
Nao se tem ponpado sacrificios, nemse deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGL1NTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
% I H
MANTEIGA ingleza e franceza t 6U0 e
1 800 rs.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para urna
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMA! EatiO rs. a lata.
'MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
ALPISTE E PAINCO a 1-0 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libia.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, ele,, ele.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porcoa660 rs. a libra, em por-
c5o faz^e abate.
BOLACHTOHAS do beato Amonio a
BOLACHINHAS de soda lala grande a 2,000
ris.
BISC01TOS ing'czesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
PEIXE em latas a 4,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
C
libra.
CHOURICAS m ito novas a 00 rs. a
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a fcOO rs. a libra.
CHAMI'AGNE das marcas mais acreditadas
a 25.000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, baliinnnos, lluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o rento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos lad dados de U'd'-'S os lma-
nnos a
I
DOCES de todas as qualidades.
K
ERVILIIA'S seccas e em latas portoqoezai e
francezas.

FARINHA de araruta rerdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a i e -v 00 rs. a sacca.
FAVAS portnguezas em lata a 600 rs.
ii
GOMMA muito nova e aba a 120 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a lO rs. a libra.
GENEhlU delaranja a 9 e lO.oOOrs.
CENEBRA de Hollanda < ro botijas, frascos,
garrafas, ele. ele.
PASSAS muito novas a 30 rs. a
; PRESUNTO para fiambre.
41
, QUEMO do re no de 2,000 a
DEM lindiino.
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM pratoa 800 rs. a libra.
!!."..
(10 e
SARAO MASSA a !(J0 rs. a libra 1 grande
abale em caixa.
SEVADI.MIA a 200 rs. a libra t 8 tai ias se
far grande abatinienlo.
V
VINHO tinto de 360 a. garrafa.
VINHO tinto em canuda de 2,.j; (
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a h$ rs. a caada.
ViNHO Bordeox em caixa a 6.' 00. 7,
VINHO t'e Grave a 6,000 rs. a caiw.
VINHO l berry a 1,000 rs. a gairafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e lodos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de dhc srs
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancorlas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 t 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e fS.BTOfS. a
arroba.
No armazeni de fazendas ba-
ratas de Santos & Cotlho
Ra do Queimado n. i9.
Vende-se o seguiste:
' Lences de panno de linho
pelobaratunra prego de 200.
Lences de bramante de linbo
Je um s panno a 3500.
Goberta de chita da ndia
pelo baratissimo prego de 2o00.
Lencos decambraia bran-:os
propriospara algibeira, aija duzia.
Pecas de brelanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 38C0.
Pagas de can bria
para forro com 8 M varas a W6(0.
Guardanaro-
de linho tinos duzia 3$S5C0.
Algcdao cnff!(-(
com 7 1[2 palninj de largura vai 1^200.
Curtes de a
com 15 covados a C$.
Cambra ia adan.a^(t
com 20 varas prnpria para cortinat l Q3 '!*
Fil de linhc
liso Bnovara 8'0 rs.
AtoalhaJoaJamacadc c atROdO
com 8 palmos de largura vara 200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara HOO.
LSazInhas carmezim riiindinhas
ppria para vestido de menina, covado 600 rs.
Liattahas
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a qnan httti.
ilrosdenaple.moreantique e rica- cipas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da Indi?
propria parafi'rrarsalas.de 4, e ( palmos de
largura,por menos prego de (uf em i.utra qnel.
qner parte.
Neste arraazern da fazendas se encontrar .um
grande sortimento de'roupa feita e por medid
FARELO
de Lisboa.
Vendem-se saceos cora 90 libra." de farelo, pelo
barato prego de i#5O0 : na ruc da Madre de Dos
numero 9."
da Hilvana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se cbarotot ^t !!<
vana de diversas ijualidadcs.
a a a; as
T as =
~ -^
2 os B
os"g S
cg =.
III!
o*S.
se c a'
o cr r
a-B I =
&c
3*1
3 M

i 5'
c.
a

3 S?
2 w.
-a
r c
e."Ss y-
:"/S
e> a.
cd as
"2 ">
O i r< ti
O. as ?s r.
as o- 3 e a-
f 9 S. 1 5'
_^= c
S' o S '*
.:* S S! 2
^ as "s
_ as
-3
as
3
3 al
o srg-
7
C
as
ts
"i
O.
3
3
o_
i
i
Z T O-
^ 3 2. 5
3 ** as O
|.|
ce *) ^>
;?
S i .
S ?
o
ce -r;
c c
-'
-* c.
c.
src.;?
o
Si
OS a;
O-
C as
a=
Si
a
-i -
-i
- S
II
i ?
C-
c

521

c
>
&
9
o
MARA PA
Mara Pa
Hara Pia
Acal. de chegar pelo ullimo vapor n gte i m
efplend;do sortimento de enf""'*- ?( raliv* ;> V*-
ria Pia, js ijuaes pela sna elegaiui:. hi m p'.s'o
de cada "ual o mais bonito nada iWiam a i?mjt
sendo retes, rxos, cor de bocina t arntritto
seus preces a ."00. H#, M, 6*, fi r lf
. lop do novo rival ra do Qneimado d. t.
ca
/
A
- -V*


- '-.

BtarfXe
Qnhrta lelra 91 de A*rH de i 8*5
K
AURORA BRILHANTE
ti
ANDES 4RMAZENS
DE -i> "^
MOLHADOS
anta!
# Largo da
JP>ai o. 81, es--
'^ juina da ra do'i
bo.
VINHOS
Larg da SantaS
Cruz n. 84, es-%
uina da ra da a
Sebo. B
O aov) proprreano do j rauito acreditado armazem de molbados denominado Au-
ru#a Brii.iante. conttana a ter o raesmo sortimento de genero? de prlmeira qualidade.
a sepinte tabella sirvira a todos de base para ajuste de coatas aos portadores.
. .i, .!, U'n ai:m"em TanJera' raais barato e melhores do que a Aurora Brilhaote, ja'
p-.o gran Je sirtimeoto que tem, ja" mesmo poraue seu dono t deseia tirar diminuto '
i n quanto chegue para acnumular as despc
pr-'.-eiiar, o prspnetario '
tontos (roguezes.
a-
._ estabeteci ment "por isso deixe se a-
ia de fazer toda a diligencia, afim de servir bem os seas cons-
Has oom 8 libras dechourics maito novas,
i 74300.
Ditas grandes cora peixe era postas inteiras,
raais de 12 jualidales, a 1|000, l280e
A .? k i J. >
Olas com ostras, escolente petisco para fri-
Kidetra, a 720 rs.
HKm -.ora ervilhasnovas, ensopadas,a720rs.
Oius.com uvas, a 640 rs.
Ditas com amelxas a 15200, 15800 e 35500.
IDitu com Hiarraelada do afamado fabrioante
Abreu, a 720 rs.
' tas com massade tomate, a 500 rs.
? OiUscora Hgos de comadre, novos, a 15"00,
25 e 25300.
Ollas cambolachinha de soda rauito novas, a
- J JJ'J. 0
'Oilas-.omljiscoilinhos inglezes de muitasqua-
ii iades, a 15400.
(flioeolae.
Utiiiahas comameixas enfeitadas proprias
i'-a mimo a 15200,2^800 e 3J200.
, un icolate superior maito novo, a libra de
HJ0a 15000.
, *i icarro, tilhariam e alotria amarelU, a libra
i MOn.
')'! j dita dita branca, a libra a 100 rs.
'utas co i estrelinha, p?vide, e outra
>iU< ditaem libras a 6i0 rs.
u, >. libra a '150 rs.
1 i'i^ para sopa a libra, a 240 rs.
''' .i; ceas, a libra a 1(50 rs.
' : les iscada, a libra a 200 rs.
ii i miii) nova, a libra a 280 rs.
ni de araruta verdadeira, a
outras raas-
libra a
a arroba a
.i-
> i. Miranda), oro sacoo,
' * i i la Jia e Java, a arriba.a 35200 e a
i 100 rs.
')' i i.i di Lisboa a 9*500. a arroba e a 3JO
i Ubr.
>' I* milis, arroba 7.50OO o a libra a
:
o 12 ceblas grandes, .1 13280.
I 1 "la francesa, caisa com 2 duziasa
19.
5 1 ;i mostarJa ;>i.^> irada ;:n vinagre,
wll :-.
1 n >nervas ingio-as e francezs, a
i. i i 80J rs.
', )iW? im sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
)l is eo n a verdadeira genebra delaranja, a
15000.
; litis le 2 carrafas de Hollanda verdadeira,a
dil rs.
Itii-. com dita proprla para negocio,a
\ 403 rs.
Garrafa
.1
i.m 2 galoas com dila.a
Vinho verde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma. fj
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de seXI
engommar, a arroba a 35000 e a libra ^
120 rs. 4
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs. |
Farinha.
Saccasgrandes cora farinha de Goianna mui-^
to nova, a 55000. <3
Caf.
Gfelo Rio maito superior, a arroba a 85, j
85500 e 95000.
Cha.
Chacemos neste* seeros o mellior possiveI,
hyson, a libra 25600.
Dito" porola a 35000.
Oito uxira a 25700.
Dito hyson rauito tino a 25^00.
Dito redondo a 25500.
Dito preto le priraeira qualidade a 25500.
Dtto mais baixo a 25000 e 15600.
Erra mate.
Excedente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso eom 6 vellaa Je espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Gaitas de 16 e libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 o 25500.
Nozes.
Xozes, a libra 150 rs. e arroba a 45000.
Aliiisia e painca.
Alpista oiiac\ a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas ilnas para '">gar, a duzia a 25500.
Castanltas.
Gastaohis novas-inlas neste vapor, a arro-
ba igOOO e libra a 200 rs.
Izeitonas.
Barris -*> '.\ anitvas no?aa a 15500
Manlfija.
VanteiRa superior, a libra a 15200. m
Dita mai- abatw a 15120.
Dita.menossup'rior a 15.
Dita fraoenza ma, a libra a 4312C
Dita lita ta barris e meios ditos, a libra
15 rs.
Dita pan tempero a 400 rs.
Queijos.
Qneiios D0VO9 Modos neste vapor a 25830 e
3500O. ,.u 1
D'itos londriaos malta novos,
CJbSsrvj 1 lin, marca,
v-O 11lia a 6*090.
TyrViah t n iseatel de 5tabal, a garrafa a 15.
^_ 'I irr i'Tiinlio verdadeiro, frascos a 80C rs. e
;^ i i)0.
)';himpaga?, a duzia 205-00, e a garrafa a
vi ite refina lo pprtugaez e francez, a garrafa
.1 IJ303.
i'.iixa de Tinho Bordeanx rauito superior.a
75, J5.95 105 a caixa.
) 1 ;s jora di nranco. a 75 a oaHD.
>:. h v;i lito lacrimas 1 > Djuro verdadeiro,
'Ditis com duque do Porto verdadeiro.'a
fa* issooo.
.;i'uu com chantissosuperior, alia-
^JDitHS com l'irto velho e outras muitas mar-
10 do Porto da pipa, a garrafaa 640, 720
e?DH !' Lisboa mnito bom.acanada a 35200,.
v 3 5500 e 45. e a garrafa a500 e 560 rs.
-:^l):! da Figueira, das seguintes marcas (X.)
! A. \.) (J. L. G.) (O. II.) a caada a
e^b 45500,, e a garrafa a560e640rs., deste
15000.
Papel
500 rs. a garrafa, e a 1 pape| ^^ ^ a Mm thvm
Dito ditolizo de Hnho, a resma a 45500.
Uito de peso I izo e pautado, a resma
2S500.
Dito df embralho, b'om a 15 o 15200.
'."
e lacrado com o
pie ( est engarrafado
.,. 'otilo do armazem.
ri!)itis dn marcas mais desconhecidas, a cana-
. p i a a 33500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj, maito superior, a garrafaa
390 rs.
a
Yinh.) Madeira.
Garrafas rom o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^
deira a 15">00 o 25000.
Temperos.
Folhas de louro, p;monta do reino, comin'oo
e cravo. a libra a 400 rs. .
Velas de carnauba. I
Massos rom 6 velas de carnauba refinada a
480 r.-.
Imeniloas.
Araendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Calxoes de doce de goiaba, grandes a 15400$
^e pequeos a 640 rs.
Tijulos de limpar.
Ti jlos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 25000, ev,
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-4
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos mHhores fabricantes da.
Babia por diversos presos, caixai e mejas
caixas.
tendentes
i
E grande quantidade de gneros
estes estabeleoimentos, que deixam de an-
nunciar-se.

N. 11Rua do QueimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta com lindas barras.
Superior seda fa^onn o que ha de melhor e mais gosto.
Moreantique preto mui'.o bonito a 25800, 35. 35500 e 45 o covado.
Completo sortimento de grosdeoaple preto de muitas quaiidades.
Pannos pretos e casemiras de maitas qualiddes.
Bournus, chales e los de renda,pretos superiores.
Superiores pelissesesoutembariqnes de seda paras nhoras.
Bournus de la para senhoras a 125.
Chapeos e chapelinas de palha do Italia para senhoras.
Corts de lia de barras de 145 a 225 de muito gosto
E muitas outras tazendas de superior qualidade na loja de Augusto Frelerico dos
Santos Porto aonde tambeni se vendem as melhores e mais baratas
' Esteiras da india para forrar salas.
N. II Ra do Queimado!. H

Camas de ferro
id :-se grande sortimento deslas camas na
rna N va n. 33 ; na mesma loja vende-se grandes
orinos de ferro forrados de porcelana tendo
dnas azis e tarapc de ferro, recommendam-se a
q iem precisar.
CEBLAS
X) armazem da viuvr Paula Lopes, defronte d >
emh-ir iu; r,\ escadinha, Tendem-se cebla* as me-
lhor;- do ulereado, em esf e cento, o maVb^
ralo possivel.
T<
avariado.
-Fraactz barrica 55000
PoWlan iem 856'00 f
Cu permito e.-nJo:
Franecz barrica
Portland idem
105000
125000
CONSULTORIO IOIC0-CIRIRG1C0
O
DR. PEDRO DE ATTAHYBE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTE IRO E OPERADOR.
^ 3 Ra da Gloria, casa do Fundao #"
O Dr. Lobo Moscoso d consulte gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 4
oras da manliaa, e das 6 e meias 8 horas da noite, 1 excepcao dos dias santificado'
Phafmaia especial homeopathica.
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento e carteiras
tubos avutsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguinie;
Carteiras de i2 tubos grandes. 42)5000
de 24 tubosgrandes. 18(55000
de 36 tubosgrandes. 24,5000
de 48 tubosgrandes. 30^000
de 60 tubos grandes. 35(000
Prepara-so qualquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
gas se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura Je meia onca 4)5000.
Sendo papa*ima de 42, custarSo ig precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos-mais peqoenos cada um a 500 ris.
LITROS.
A mellior obra da homeopathia, o.Manual de Medicina Haraeopathicodo Dr. Jabr
4ons g>aades volumes com dicinario

NEM GOBOAS NEM MITRAS

GR1I EJE ARMAZEM
*
BA DOilMPJERADOR JV. 4#
Jonto ao sebradoem qe nra oSr. Osbrn,
u arle Ai suelda A C, receberam de saa proprla eccema n-
da o mais lindo e variado sortimento de molbado, ptc|rle
da p resente estaeo.
Ma^as brancas
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a 4,ooo
rs. alibra eem barril a 8oo rs.
Manteiga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
asios. *B
Amendoas
oufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
. Ameixas
Medicina domesticado-Dr. Heriog,........* 40(5000
Repertorio 1 i>r. Mello Moraes............. 6)5000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 3(5000
Os remedios dente estabeleciraento sao por demais conhecidos e dispensam portac-
to de serena novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,energicos eduradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro asaucar deleite, notaveis >ela sua boa conservado, tinturados mais acreditados
estabeleeimentos europeos,* mais exacta e aecurada preparac5o, e portanto amaior ener-
gas certeza em seus effeitos.
Caw de mie para escravos.
Raeebe-seasoraves para tratar de tuaiquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualqner
operaclo, para o qoe o annunciante julga-sesuficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel,taoo na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa amis de qnatre-annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode davidar, que podem ser consultados por aquelles que deseiarera mandar sen?
Jeentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1,5500.
As operapSes serio previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeltar aos pre^o
ajoaveis (ae costa mi pedir o anpunciante.
Laboratorio eaolo^ico e chimico de F. P. Lebeuf e C
ra Montniartre, 31, em Paris.
Fabrica em Argentenil, prs Pars (Franca).
BOMFIC4C40 I FAIMGiC^O
Dos vinho*, agurdenles e licores.
20,5000 iem bascos de vidrocem 3 libras liquide a
VIXHOS.lmitafao dos vinhos de todas as
qualiddes,Eitraeto de Medie, a dose para 230
JUros, 1 f.25,deBordeax, 2 f., de Pomard, S
T.,de Lisboa, t f.,de Cataln, 2 .,de Porto>,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 25 ou 30 1-'
*ros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACOPs inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Fraila, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
AGUARDENTES.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH EABSINT1I0.-Essencia de kirsch e
da absintbo, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicar-sti os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
;PERFUMESpara fabricar-se os licores finos ou
communsa dose para 20 ou 25 litros, I f. 25.
TODOS os outros productos pasa o trabaiho dos
vinhos,agurdente*, licores, vinagres, etc., sao
fabricados 1 eocommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
COLORACAO. Purpiriglnc para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As doas libras
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e otilado nossas preparares,
freguezes,deve-sj exigir sobre as rolhas e rtulos asinleiaes F. V. L. Paris,
0 raoio de usar-so das apeparafemena-se iwtteailo no rotulo.
As encommondas devem ser acompanhada-i por urna letra sobre Pars ou qualquer outra c
Frarin. ou caramidas por urna casa :)a'v!-i liDirigir-se aosSrs. Lebeuf & C. chimicos. i
mirtrs, n. 31, vea P.vri-, o-ja sua fabrici^n Vrjren ' i.o s ii botica franceia, ruad) Imperador n. 38.
cida-
rua
F\BRIfi\ M CH POS DE SOL
X. 3 1 Rna \va cs;|niua da Cimboa d Cirmo e rna do
Cabng n. 8.
A 'ireitorii lesse estabeleeimento o mais importante que existe neste genero
as provincias '
mtagens rae p
importantes'"hricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender anda mais barato
do que do ;ostume como demonstra a seguinte tabella :
2i5400, muitopropios para mimos,
Oartoes
com bolos francezesa 500rs. cadaum.
Latas
com bplachinhas de soda de todas as qua-
liddes a 4^300.
Chocolates
detodasasqualidadesa 1)5000 alibra.
Presuntos inglezes
dosmelhoresfabricantes a 800 rs., tambem
teoi)s velaos para 500 rs.
Qneijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
<|ueljo
chegados no ultimo vapor a 2(5600 cada um.
fyBCfJO
londrinoo mais fresan que se pede esperar
e de excelente marfra 800 rs. a libra
endo inteiro e a 900 h, aretalho.
Conservas iuglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o fraseo.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 4(5200.
Ck uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
35 a 25660.
dem peroia
especial qualidade a 2#700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
morcado a 25600.
Massas aiuarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
HOrs. alibra.
COGV4C
o muito afamado cognacPal prandy a i,800
rs. a garrafa e de ootras muitas qualid-
des a 1,000 e 800 rs. a garrafa
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,000 rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
alinaco, greve, peso e de outras muitas qua-
idades de 2,oo, a 4,5oo a resma do me-
ia or.
. Papel de botica
jdeexcelleate qualidade a 2*200
para sopa a melhor grf se pe aise:ar
macarro, talharim ealeiria a 4l iV '
libra e 4^00 a caixa.
Vinho
Figueira-J A A e outras muitas irarcas acre
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
s de outras marcas, a 400 rs. a garrafa,
2^800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melheres fin-
cantes da cidade do Porto a 1 e 4stt
a garrafa e de 1 ^ a I2<5 a caja a, ah t 31
cas s3o as seguintes: Chaffisso f jJl t ,
F. 4 M., Nctar ou vjaho dos kurntu-
lagrimas do Douro e outros buIoj.
Latas
com 40 libras de aBba a ifiCO.
Bolachinha ingleza
(a4)5800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 204CC.
Nozes
as mais novas do mercado a !2Cr* .4 br*.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as 5 ai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Ihom Pinto,. Reis e outros eir
meias caixinhas a 40500.
'Arroz
do MaranhSo a .400 rs. a libra, e da JrrMs
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 4.a e 2. sortedoRio de Janeiro a 9Kt
e 80800 a arroba, e 280 a 3Q0 rs. a i&j
( Oarrafes
com 4 % garrafas com vinagre a 40OOOe
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 40000 o frasco, e de iH(0f
a caixa.
dem
em1 frasqueras de Hollanda a mCQ cea
42 frascos.
a u i. J GENEBRA
ae Hollanda verdadeira em frasqaeira a Cv
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a cr*>
e2ors. cada caixirha.
LICORES
finos detodasasqualidades, a 4o,oco auixi
com urna duzia e a 4,ooo a garraft.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lishca, ce ( se-
jan Abreu e ootros muitos a 6co rs.
libra.
Pregunto
a resma,
lo norte do imperio, querendo que b publico desta provincia gze das'azaUpardooJ^SH!St^
iroporciona 1 fabricicao em grande escala e directa relaco com as mais i M. a resma emt)rulode 1* *%**
Descont em duzia.
20
40
4-5
0'.,
/n
%
43 /o
13 o
Chapeos de sol de panno a 2,-JOOO.......
armaQo de baleia a 20300 .
de seda armigo de ac njjlez de 20 pollegadas
40, du 2i )>, de 26 30300 e de 28 65......
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de l\ pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100.
dem idem a balo de 46 varetas patenfparagon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 420, e de 28 430......
Alm de muitas outras jualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
:como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao tao vantajososeomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se' rualmente em porcao e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serSo considerados como
a retalbo.
ADMIRAVEl pichincha
CHAIES DE jUEMIIA PRETOR
a 10^000 cada um,
Cseas organdys de cores a 80 rs. o covado.
A' roa do Crespo numero 17,
Jos Gomes Villar.
\*o armazem do Tasso Irmaos caes do Apollo.
Fio ;le afgodo da Baha.
Vendef=e no 'scriptorio do Antonio Luis de OH-
yeira Arevedo 4 C, rna da Crnz n. 4.
. GOMMA NOVA.
Em paneiros muito aiva a .4,000 rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Corinthias
pascas corinthias muito novas proprias para
podun a 800 rs. a libra. V P
Vinagre
P MdaV0r,ta8da 9 C3DadaS 3 ,3'000 rs-
Cebollas
asioais novasdo mercadea 7,000 rs a rai
e 1,000 rs. o molbo. /'ooors-a ca,xa
Alpista o hdnoo
CEBLAS
^madoTV ^00\Cent0 na ruado Qne:-
maao a. 7, ra domnAP^A,- t z?'
tfc rs.
a 9,Seot
alibra0'1"0 prezunl de lme20 3 52 ra
., uy ARROZ
Maranhao, Java e India, a 4oo rs. a libia 1
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
. VELAS
de espermacete de diversas irarcas a
a lihra e em caixa ter abatinerto.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em ca.xas de 2 arrobas a 5-5 a caixa e 60 rs.
a llora.
Passis miio novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e U ECO
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pe
Prutas em calda
enejadas ltimamente, pera, pecego, RiDia
outros muios a 640 rs. a lata 8 '
ar-
Si?
nmmm se igu4
w
/55
MadapolSo muito fino cora pequeo toque de avaria, por preco quo admira : na loja
das columnas na ra do Crespo n. 13, di Antonio Corma do-Vas'concellos & fj.

go!daCarmon.t0lBlperadorn-40e
GRAO 02 BICO
mutfo noye a UAOOn arroba e 140 re a,li
imperador J t o ly-go ckrm.*9.
, ^OueimS ? rs-t a S nadado
a 600
Dsee da easca da goiaba
e 10 o caixae.
am .o G0MMA wro NOVA
"S^'atftSKSt
m 1 BLACHINHAS
em latas de defferentes qualiddes a 1.P2C0
do Queimado
apor a 2,5800 na roa
W PiA% Jo grande armazem oV^7o ^ ^""^ *'
lZSl^eyo^^^t\J^^^^ declaram aos sen.
ttpulaxan>os mesmospre^^,ia^^ e todos es!
*^a^,wl, m d0 Imperador
FARSJUiO DE LISBOA
Marco | ver^airo em sacoac no^ e.^des a 455oo : na
d. 40
rna do Imperador n. 40.
J- VIGNES.
Os BW08 d7stt ?i5r. ^AP IMPERADOR M. 54.
, ennprioridad l, 8 br,Ca sa hoje ^^ COHlecdos para que seja necesario inskrir r*r .
m\^\StL^T9^mK^,iaaencm aos compradores,Calidades estas DCo
,eiS nm teclS i**u?eat conquistado sobre todos os que tem parecido nesS pffi Se-
,m AfXr So? p^T Tueobedecem todas as vontades caprichos das piffS^s-
-1iS^o^nm, T f?bT'os de Proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentosSrto
^^fZS&l&iF"*as es'"me,odiosas e flatttdas>e por So^SSSK
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Paris wio
..orrespondente de J Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todasTeSsici '
Na mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas do
^SS!^SS^SSSitVm Cm ^--osepiaaosharmnicos, ^nrtoSJSfo
1 ,- v-'.
ILEGVELl


f
Diario de Fcrnnbace <)!<* felN Mcaie Atar H de t&.
y
9
Cortes de easernira com pintas de mofa a 24
cada corte, para calcas, ditos limpos a 20500 o
corte : na raa do Queimade ds. 43 45, na esqui-
na qne volta para a Congregaco, casa aroarella.
Oleo de Florida
Ciraposto de substancias vegetaes exticas, elle
cooffioae poderosamente, cora a agua ds Flo-
rida afore*, abeliexae a oonservaco do* cabel-
lo?.
Em Paris casa de Guilaur n. 112 raa de Rechi-
nen e 21 boolevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e lio-
clre plateado da easa, repotado falso.
Deposit roa do Imperador pharmacia n. 38.
Admiren
Admiran
Admirem flem! 1
As pechiachas qae esli venda na lake.anu-
zera do Patio, na rea da imperatriz n. 60 de Ga-
ma 4 Stl-rj aad* Brandara todas as fazendas,
tanto de laxo como de prtaeira neoesstade por
precos mnlto rasoaveis, e com especiatidade a& se-
guales, dando-se amostras deixando flcar penhor,
oa mandio-se levar em casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Alfsdieiinho de Pava.
Vendem-se pecas de aigodozlnbo marca T, mni-
to largo, proprio para leones e toalhas, tendo 24
jardas pelo baratissirao prego de 65 a peca; dito
iarge com vinte jardas a 55, pechincha por ser
fazenda que se ende em ontra quatquer parte
por l e> 125, isto oa toja do Pavo, roa da Ira-
ratriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Madapolao enfcstado a 45, -itfouO e o#000.
Vendem-se pecas de madapolo eofestado com
i2 jardas pelo baratissimo preco de 4,5, 45300 e
55 ditas sea' serem entestados de marcas, muito
acreditadas a 75, 84, 94, e 10*, diUs, francs
multo, encorpado proprios para sai as a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
GO de Gama & Silva.
Grande peehiacha.
Chitas a $20 ris o cavado.
Ou7V>00 a'pega s o Pavo.
Vendem-se chitas inglezas de superior qualida-
de, afiaocaado-se as cOres serem flxas, com muiu
diversidade de padrdes, pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, oa 7*600 a peca tendo 38-co-
vados, sendoiazonda.esla que sempre se veodeu a
280 rs. o corado ea 10 a peca, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra dajrape-
ratriz n. 60 de Graa-& Silva.
Cartes de chita francesa na loja do Pari.
Vendem-se cortes dfe chita fraaceza, cores Oras
eom 10 covados a 34, ditos com 11 covados a
35300, ditos com 12 covados a 3*600, ditos de chi-
ta ingleza a 2*200, 2*400 e 2&600, isto na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cassas Fraaeeias a 300, 329 e 360 na leja do
Parlo.
Vendem-se cassas francezas muito finas, de c-
res-finas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covadOf.pecas de cambraia com salpicos de cor
tendo 8 \\i varas a 4*, ditas salpicos brancos a
a 2*500 e 35, ditas adamascadas para cortinadas
a 4*, na loja do Pavo raa da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Corles a liara Pa.
Glande pechincha a a000 e 65000.
Vendenvse os,mais bonitos cortes para vestidos,
cndo de cambraia branca com as barras e enfeites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo preco
de 35, ditos do mesmo gosto mais sendo de crts,
pelo biiratissirao preco de 65 cada ara, valoado
esta uzeada dobrado dinbeiro por ser a mais mo-
derna que tem vindo ao mercado. Pavo na ra da Imperatriz a. 60 de Gama &
Silva.
Grande paeMacha a 8$000.
Vestidos de 15a a Maria Pia.
Vende-se um bonito sortimento de vestidos de
la com bartas bardadas A Maria Pia com as com-
petentes enfeites para o corpo, pelo baratissimo
preco de 8* cada um, pechincha por ser fazenda
que sempre se veodeu a 12J, e por ter chegado
urna nova e grande parcas, resolveram-se a fazer
este grande abatimento na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos Brancas.
Vendem-se os mais ricos cortes de. vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato preco de 12*. 169 e 20J na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
La garibaldiaa a 400 ris.
Vendam-se as mais modernas laziohas transpa-
rentes, com listrianas miadinhas, pelo baratissimo
preco de 400 rs. o covado, ditas enfestadas, cor de
havana, cora listras differentes, sendo das mais mo-
dernas muito encorpadas a 500 rs. o covado : na
lja do Pavo, ra da Imperatriz u. 60, de Gama
.\ Silva. .
Grande peehiacha, vestidos a
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
iiasseios e bailes, por serem d primorosos dese-
hos, sendo todos os padrdes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 3*j00,
sendo fazenda qae val muito mais dinbeiro: isto na
loja do Pave, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Lazinhas a 34 ris.
Vendem-se as mais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de quadri-
nhos como de listras, com as cores muito bonitas,
pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado ; ditas
com palminhas de seda, padroes muito banitos, a
320 rs. : s na loja di Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se sronsdenaples preto a 1*280, 15600,
1*800 e 2* at 4*," superior meurantique preto a
3*. selim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para lato, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muilas fa-
zendas proprias para luid : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenaples de cor a I0BOO.
Vende-se superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 1*600
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
00, de Gama & Silva.
CasemirasalgGOO.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadn-
nhos e lizas, proprias para calcas, palitos e coletes,
pelo barato preco de .1*600 o covado, assim como
calcas, palitos e coletes j feitos das mesmas : na
loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Grande sortimento de roupi feita.
Vende-se na loja do Pavo um grande sortimen-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos de casineta, calcas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as edres, coletes
de brim, casemiras, setim, gorgurao, etc., etc., to
das estas obras vendem-se por preco mais barato
do que em outra qnalquer parte : na loja do Pa-
vo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ckales e manteletes de renda
Vendem-se os mais ricis e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, por preco muito razoavel : na loja
do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama A
Silva.
Soutembarques de cor.
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato preco : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Capas pretas e sonlembarqnes,
Vendem-se as mais modernas opas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ba de mais
gosto ao mercado, por pregos muito em coala :
na loja do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites para cabega.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabega,
a 3*, 4*. 5* e 6*. os melhores bales cronolmas :
na loja do Pavio, raadla Imperatriz n. 60.
^Atten^o.
Fazendas pretas para a qnaresma or
nor.baralaiao prcej, i toja e,*r-
MM da Arara, ra da lperarii
hourtago Vertir Suhet Guimares.
O preprieurio deste estabeleclmento relira-se
lepara a Europa a tratar de sua saude, porm antea
de retirar-so pretende fazer urna liquidaco de ba-
baratissimo prego para fechar contas ; agora fre-
guezes vende-se grosdenaples preto muito bom
para vestidos, a 1*600, 2* e 2*500, dito de 8 pal-
moa de largo, a 3* : na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Meurantique preto a 3.
Vende-se meurantique preto para vestida a 3* o
covado, grosdenaple maito largo e encorpado a 3*,
2*500, 2* e 1*600 o covado, alpaca pret para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 80fl rs. o cora-
do, sarja de la para vestidos, caigas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., bombazina preta para vestidos a 1*280 o
covado: raa d Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Maria Pia a 12)9.
Vendem-se ricos vestidos a Mara Pia a 10*,
12*, 14* 16*: ruada Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende pegas de pan moho a i> e de
madapolao a 4#.
Vea Jem-se pegas de panninho muito fino de 12
jardas a 5*, vendem-se pegas de madapolao infes-
tado a 4* e 4*500, vendem-se pegas de madapolao
de 24 jardas bom a 6*, 7*, 7*500, 8*, 0*, 10* e
12*, vendem-se pegas de algodosinbe a 5*, 6*,
7*, e 8* : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balSes a 2^500.
Vendem-se baloes de arcos de todos os lmannos
a 2*300, 3*, 3*590 e 4*: ra da Imperatriz
AO PUBLICO
Sena o menor constraa-
glmeato se entregar o
import do genero qne
io agradar.
ATTENCO
precos
tabella 4 pira
do seguinte
todos, pe-
deudo assim servir de ba-
se para o ajaste de cenias
com os portadores;
Lagedo para calcadas
Vende-se lagrdo para calcadas e armagoes o
melbor que posrlvel: a tratar com Joo do liego
Lima ra do Apollo n. 4.
Vi alio do Porto superior em caia de dizfa,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Ci uz n. I.
escritos mm.
.-![
n.56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Veadem-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
tinas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores flxas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas finas a 320, 360, 400 e
800, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liqaidacao de soutambaques e lazinhas a
70, 8 e 100.
Veodem-se soutambaques de lazinhas para se-
nhoras a 7*, 8*. dita de alpaca branca a 10*, ditas
muito flaas de grosdenaple preto a 20*, 25* e 30*,
capas, pretas de grosdeoaple fioo a 20*, 25* e 30*,
manteletes pretos de grosdenaple a 20* e 22*, go-
lioftas para senhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gola a 1*, camizinbas para senhora, 2*,
e -l, ditas maito finas bordadas a 4*500 : na loja
do barateiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de ditas finas a 20400.
yeidem-se cortes de ditas com 10 covados por
StOO, ditos de dita francez a 3*200, cortes de
L'assa francezi fina com 11 covados, por 3*, ven
?rae pe?as de cambf aia branca lisa a 3**00,
**d00, 5*500, 6* e 8* : ra da Imperatriz n. 56.
Liquidaco de roupas feitas palitos a 20.
Vendem-se palitos de brim de cor a 2*, 2*5C0 e
3*, jaquetoes de brim pardo a 3* e 3*500, palitos
de casimira bem feito a 5*. 6*, 7*, 8* e 10*, di-
tos de panno preto bom a 8* e 10*, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 12*,
14*, 16* e 20*, caiga de bri'm de cr a 2* e 2*500,
ditas brancas de linho a 3*500 e 4*, ditas de ca-
simira de cor 4*, 6* e 8*. pretas a 5*, 6* e 8*,
coltetes de casimira de cor e prelo, de brim de cor
a 1*300, brancos a 2* e 205i0, ceroulas feitas a
15280, ditas linas a 1*600 e 2*. camisas france-
as a 2* e 25500, ditas inglezas de pregas largas a
3*, de linho a 5 e 3*500, colerinhns econmicos
1 640 rs.a dazia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Vendem-se cobertas de chita finas a 2* e 2*500,
ditas de damasco a 4* : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que-e venie cortes de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
3*, 35-300, 4*500, 6* e 8*, ditos de cor a 3*,
i*300 e 6J : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vende-se panno preto.para caiga e palito a 2*,
3*, 2.J300, 45.4*500 e 6* o covado, casimira pre-
a lina a 2*, 2*300 e 3* o covado e outras mnitas
fazendas para liquidar: na loja e armazem do
Arara, ra da Imperatriz n. 56.
RA DA GADEIA DO ftlGIFE N. 33
(i-ogo passando o arco da Ooaoelco)
PARA BEU DE ,TODOS,
Senhores e-senfeoras, o aceio qne1 presidio'aoaarranjos.tteet^owestafjerediBeiito, e mais que tudo a promntidac e inlei-
reza com que ser3o tratados, convida a urna visita ao'mesmo, certos de qnesern duvid* me darao a proteccao e preferencia na com-
pra dos generes que prec:sarem, e quando -nao poasam vir podero mandar sen portadores, ainda que estes seiam pouco orticos
poisserotSobem servidos como se viessem pessoatmente, havendo para' com estes toda recommendagao, afim de quenlovaoem
utra p?rle.
Aletria, macarro e talharim
Fnglo da povoaco de Panellas de Miranda
desta provincia o escravo eiioulo, de nome Ma-
tlieus, cujos slgnaesso os seguimos : o-iainra al-
ia, 22 annos de idade, curpo regular, rosto rom-
prido e priucipiando a barbar, Cir ptcla, urclhas
pequeas, tem iodos os dtntes e sao lto>d. >, ntu
regular, olhos dem, cabellos brir. tan-pintado.',
pernas uro tamo finas, ps eompiidos e seceos, e
ladino e muilo humilde. Hum or qi< .-, iiia
homisiado no lugar denominado Pedia biaiit**,
onde j foi visto, do termo de Munri, id Alago:
a pewoa que oj.j-| uhender eeuinfar so Sr. Ma-
noel Jc-aquin; Duarte Guinaies. mi Mani ; ao
Sr. Antonio de Mr-nra Holim, ncsi? cidde, ,i rna
do Qneimado 11. 31; 00 ae Sr. Jo dos SaatCi Si(.
va Junicr, na referida povoacao de I'aneilas, sera
pprprosnmente pralifir.ida.
PUOPRIO PARv SENHORA.
Vende-se um exeellente cavallomuito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
chera do Paulino, raa de Santo Amaro.
Coke dogaz.
pitch do gaz.
Alr.atri) do
tonelladas rs. .
gaz-
Coke tonelladas rs. 100000
Pitch 1 800000
Alcatro caada. 400
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co
mo pelo asseio que se nota as coziohas aonde
elle usado. Pitch e alcatro, alm das applicaroes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcagoes, alcatroar madeiras, etc., teem este a
prapriedade de preservar do cnplm, formigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por em
qnalquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
Muita atencn.
o
Na nova toja de fazendas e roupas fei
tas nacionaes na raa da Imperatriz
d. 72, de Gaimarcs k Irma.
Acaba de chegar" a este novo cstabelecimento
um grande sortimento de soutembarques de cores
pelo barato prego de 5*. 6*, 7s e 8*, ditos pretos
de grosdenaple de 19*, 20$ e 25> : isto na ra
da Imperatriz n 72, loja de Guimares & Irmo
Vendem-se chitas muite Anas sendo de cores fl-
xas a 240 rs., ditas largas fraccezas a 260, 280,
320, 367 e 400 rs., ditas percales finas a 480 e
500 rs. : isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmao.
Grande sortimento de cortes de chitas a 2*300
e 2*400, ditas finas a 3* e 2*200 : na ra da Im-
peratriz n. 72, loja de Guimaraes & Irmao.
Vendem-se madapoloes finos a 4*800, 5*, 6*,
7*e 8*, dito muito fino a 95 e 10*, dito francez
enfestado a 4*, 4*500 e 5*: na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & Irmo.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se paletots de alpaca a 3*, 3*500 4*
e 5*, ditas de casemira a 5*, 6*, 7j, 8* a 10,
caigas de brim de todas asqualidades a 1*, 1$800,
2* e 2*500, brim pardo a 2*. 2*500 e 3*, ditas
de casemira a 3A5O0, 45, 4*500, 5*. 6* e 7* :
isto na loja de Guimaraes i Irmo, na ra da Im-
peratriz n. 72._________________
Na ra da Cruz n. 38, em casa de Mills Rat-
teaa &., vende-se:
Cha.
Oleo de linhaga.
Folbas de Flandre.
Sitias e silhSes inglezes.
Cerreja Aspinall.
Dita Bass.
Dita John Jeffres & C.
Um piano com ponco aso.
Carta chorographiea
DO
THEATRO DA GUERRA.
Minteiga ingleza especialmente escdliida a
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova, do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado, a
2,8oo rs. /libra.
dem hysson muito superior em latas de lo
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I,6oors. *
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo r. a lifcra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e^em
barril se faz abatimento. T
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Coslelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para.fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-?
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem pratoa 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas porluguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas at>4o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.oooe l,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, i,ooo e l;2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e 64o e Too ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqneirasde genebra de'llollanda a 6,800
e (i4o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo el i,000 rs.a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
e taianm a4oocs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massapara sopa : estrelinha, pevide erodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libfaie
3,5oo a caixa.com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 canadasa
35,000 rs.
Vinho em pipa: Parto. Figueira e Lisboa*
32o, 4oo e. 5oq rs. agarrafa, e em casada
a 2,5oo, 3,ooo.e 3,8oo.
Vinho branco de. Lisboa de .excelleote,quau>
dade a 4oo e 5oors. a garrafa e empana-
da a 3,000 e 3,5oo
Vinho branco para missa em caixaa der I dn-
zia a 8,000 e 680 rs. acerata.
Vinho do Porto das melhores mareas, que
vem ao mercado comosejam : Lagrimas
do Douro,.DuquedQ Porto, Raiuba de,Por-
tugal, Duque, genuino, .D. Luizl.Madei-
raSecca,Malvazia. fina a 16,000,15,000,
12,ooo e lojooo a caixa com 1 duziarefloo,
l.ooo e 1,500 rs..agarrafe.
Vinho CherexdJe supeFios.quaJidadeal 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o. rs. as metas latas.
Bolachinhas ingleza* muito novas a 5,ooo,a
barrica e 320. rs. a libra.
Bolachinhas de soda ern latas de diversas
qualidades a l,3oo rs.
Cartoes com.bolo fraacezmuUo proprios.pa-
ra mimo,a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
deBrito no.Beato Antonio, emlata de6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a l5co.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamaitos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a i,4oo,l,6oo, l,8ooe2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado.hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa el 0:000 a caixa.
Batatas.muito novasa 80 rs. a librae2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 18o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco,
a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- j Mostarda francez em potes jpreparada a
4oo rs. o frasco.
Painco e alpista
arroba.
a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhs francezas, exeellente iegume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
aiiuu. cuy, .. -.. 1^. ..~.-.
Massadetomatesde superior qualidade a 6lo: Marrasquino de Zara propnamenie uno a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a rea-, 1$ a garrafa e i l.ooo a duzia.
Ibo. 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal reinado em frascos de vidro com lampa
do^ mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a- du-
zia.
Cevadinha de Franga mullo aova, a 2oo rs.
Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Bxposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,000, 5,ooo,
6,000 e 7,oooa caixa ou cm neias.
Charutos'finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nabas de Havana, intervalos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3;oeo a caixa.
\0' gnae- inglez das melhores marcas, a 8coe
1 l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,oco a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. .
Matt,excellente cha para os navegantes, a
2oo,rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a 1,80o o cento e 1,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arrola.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementelem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e 1,5(0 o frasco.
Caixinhas com fruclasem doce secco de di-
versos lmannos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada ma.
Ruibos, exeellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a visla se
far o prfeo.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonasporluguezas a5oors. agarrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
24,oop e 26,000 o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
Kftio no tiia 15 co crrente irt de fin! (e
18tS, do eB(jenlioPo-Amatello. fi^JMtM di h< li-
t, nm preto cnoulu de cene Antonio IVdjo, de
idade 30 a 3t annos, pouro mais < u nii;< -. *cr
fula, alto, seeco do corno, ps praiids t- n-, 1 t^(-
tos, pernas cempridis e finas, olhos recolares,
cabellos carapinhos. j. lem sido acontado |-rfj
costas e tamLen. cas nadepas, nmtii l*Ht .-ui-
poe-se ter idossseniar prjra.ej lim sid prca-
do por deas veres na prara do Rerife: oit o
pe^ar euirepue ao Dr. Joo Lins Cvale; 1 ; de
AlbnqUerque, no sitio do corlune, na Tamcna,
aiip imar o irahslho.
Aeha-se exposta venda, as lojas abaixo met-
cieaad is, a carta chorographiea do theatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavel
nao s pela I acuna rjoe veio preeneer, Como-pelo
esmero do trabalho lythopraphico.
Vende-se pela mdica qaantia de 2JO0O as livra-
ras dos Srs. Nogneiri, ra do Crespo; e do Sr.
Cardoso Ayres, na da Cadela da Reclfo, asshn cono
as tojas da Etpostco de Londres e na lythofra-
pjhia do Sr. Carlos, a mesma roa o. 5i, e na loja
do Sr. Cardozo de Almelda, roa da Cruz.
RIVAL
Sem segundo,
Raa do Qneimado, n. 49 e 55. E' para admirar.
Carretis de linha com 150 jardas......
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60..............................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de linbagraudes com 400 jar-
das .................................
dem idem brancos e de cores de 100
jardiS ...............................
Livrospara assento de roupa lavada...
Cordo bran,co para espartilho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botoes de punhotodos decores
Tinteiros de barro com tinta."......
Tesouras para costuras finase unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, raptl pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho).. .............................
Meiadas de linha frouxa para bordar. .
Pares de sapatos de tranca... .....
Massos com superiores grampas para
senbora.............o............
Frascos de macaca perola muito snerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e.........................
Ditos e garraflnhas de agua de Colonia
maito lina.......................
Penas de fitas elsticas para vestidos a
melbor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res..........;................"
Frascos de atrua dentifrice maito sope*
lor..............................
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
e Victoria.........................
Libras de la sendo de todasas cores...
Bonecos vestidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de ai com 50 novellos..
En lia deiras de fita para espartilhos.
Carretis de linha de cores com 100 jar-
das .............................
Pecas de cordao i mperial............
Resmas de superior papel alroaco a....
Duzias de superiores meias cruas para
hornera a 32O0 e..........,...... 3*600
Duzias de superiores meias para senho-
ras a.............................
Sabonetes de familia muito finos a 120 e
Meias garrafas da tinta a.............
Cartiihas da doutrina a melbor qualida-
de a.....................i........
Caivetes de cabo de marfim de superior
qualidade........................
Varas de cordo branco de borracha:..
60
120
too
80
30
100
20
160
120
100
400
200
640
600
20
20
!$500
30
200
500
400
240
320
800
bo
6*000
160
40
800
60
20
40
2J500
54OOO
200
200
$20
_____________^8
Vende-se a taberna da ra dos Acouguinhos
n. 20 : a tratar na mesma.
BOTICA E DROGARA
Bartholomeu Fraacssco de Souza &.
34Ra larga do Rosara34
Vendem:
PilulusIIolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulas vegeta es.
Pilulasregetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr.Cbable. J
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert."
Injecco Feaugas.
Agua denlificade Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epilticos do Brest.
RobL'AfTecieur.
Tarop do Bosque.
UoguentoHollp-yay.
pechincha na \auja de fazendas
roapa feita nacional, ruadalmpe-
ralriz n. 72.
Pechincha-a 240 rs. o cavada de chita.
Veodem-se cbits decores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezas largas a 300,320,360,400
e 440 rs. o covado : pecas de madapolao fino a 05,
7,'84,9$ e 10 pecas de algodo a 5#, *, 7
e 8* : roa da Imperatriz o. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a-b5,6>, 8*e t04y ditos sobrecazacos a 12;,14
el6*. Palitos de brim de cor a24500, 34 e34500
rs., calcas de cazemira preta a 6, 7j) e 8, ditas
decazemiradecra5, 04'7, e 4 ; olotes de
cazemira decores e pretos ditos de brima 14500,
e 24500 rs.,; caigas de brim de cor a 24, 24500 :
ra da Imperatriz 0. 72.
Sou tambar que de cores a 76, H e 404.
Vendem-se outambarqae de lia e seda para se-
nhoras a 7, 85 el04; ditos de grosdenaple pre-
to a 20 e-4 capas pretas a 20 e 254 ; vesti-
dos de laa a Maria Pa a 12#, lif 164 : roa da
Imperatriz n, 72.
Cortes de cazemira preta a 3J.
Vendem-secrtesde cazemira preta para calca
a 35, M500, 55 65 e 05, ditos de cazemira de
cdr a 35,45,o, e 75. dtloe do brhn de eorosa
15600, e 25, ditos de chgas finas a 84400 e 34300'
ditos de cassas francesa a 34 : roa da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Earello
em saceos grandes com dous
Tjnaesquer a 45800 ; na roa
50, taberna da esquina.
tannos de outros
larga do Rosario n-
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Qneimado n. 49 e 5o lojas de inir.de-
zasde Jos 4 Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por precos mais barato do que em
nutra qualquer parte, quem qaizer ver o que ha
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de pbospbros de segoranca a ... 120
Francos com essencia de Sndalo muilo
saperier.......................... 1^000
Escovas de dentesmu ito superiores a... 200
Latas com superiores banha........... 200
Frascos de vidro com superior banha.. 240
Enfeites do melhor gusto que tem vindo. 20U
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 18280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 50
: Volta para pescoco do melbor gosto.... 540
i Baralhos para voltarete, finas a 200 e.. 2 0
1 Varas de franja branca de linha que
tem muita serventa................. 060
Duzia de peonas d'aco maito superiores 060
Frascos de oleo Bboza muito finos..... 200
Talheres para meninos a melbor quali-
dade............................ 240
Duzia de colberes de metal muito finas
para sopa........................... 25400
Duzia de colberes de metal maito finas
para en........................ 15600
Qrosas de botSes de osso para calca... 200
Gcosas de botoes madreperuia para ca-3
miza.............................. 500
Gtosas de botoes de looca prateados
muito finos...................... 200
Cartas de alfineles francezes muito su-
periores.......................... 100
Caixas de colchetes francezes a 40 ris
Duzia............................ 360
Geliahas.para seBbora a melhor quali-
dade............................. 200
Dazias de lapes differentes qualidade a
240.............................. 400
Quadernos de papel de peso muito fino. 030
Resma do mesmo papel.............. 25000
Duzia de facca e (arfo muito boas.... 34400
Capachos compridos e redondos muilo
bous............................. 506
Ditos para sof...................... 25000
Pareado suspensorio muito bons e para
aeabar____.......................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa'............................
Pecas de fita de la para vestido com 10
varas a..........................
Varas de buhados do Porto moflo supe-
riores a 100, 120 e................
Livros com bonitas e finas estampas....
Vende-se um escravo idade 53 annos" insigne
Acna-M lujjido o prtto de nune Gabriel,
crenlo, de idade pomo mais ou ir.fws 35 .cncr,
baixo e corpolrnto, rosto mrto e baclrd(. |+fcfi-
co curio, olhos vivos estbra:iceU,..s arqufadat,
becca regular, denles alvos, ps curio, o !;rfi: .
roga-se as autoridades vfnHaDClt por fe dettt rr
delle querer assentar praca no re pe dos vi i.m.v
rlos, on a quem a elle pegar rbndi zir aofrcrnho
Tapugy de cima da con arca do Cabo a mH(U a
scu tenhor Anttno Jeaquim. Cavalin dt Altaj-
querque cu a Jorge Cimiente de Borba Cvalcan-
ti, na roa de Apollo n. 34, segundo rMar, r,r.e
ser gratificado : decocfia-c lan Lim c!ellr esur
ou andar na cidade de Olind, visto que d;h fri
remprado a um -preto forro de non e Gnilhl miro
Sebastiodo Ri-sano-a 17 ar.nts. f-enro 1:.ai.- 111
menos: pede-se, pnrtanti. aissenlKes rffia^s
de campo, lano dalli cerno de miras jartea, oa
captura *as condicSes cima ditas. Dito escravo
j foi visto neeta cidade e no aleiro tos AlopdoS.
1100
500
Fugio no da 15 do '(nenie ikz( ;tiil
do engenho faena Braba, lntuerta Ve hint,
nm preto de nome Luiz, de idade. 24 anres. icuco
mais ou menos, cor fula, corpo Hfulfr, Fsixc.
sem barba, ral olios om penco Ccsird.ii'i .,in
chala, queixo un ponco Oto, i.na m dntf 1 aftas
de feridas ros len bos. ps rtiMos, sem bicho.
pernas alguma ci.u>a ajanbeao, e nuio ltiso ;
julga-se icr i|p pta o Itcrife ajeniar pi| ;.
quem o pegar oye oondunr ao son Mnh(r no rere-
rido encerr rc(\-t 1 l 1005 d piaiiCcato.
^a r.oiie iiohia i do edrronte n^oz desSfpa-
receu da casa u. 48, na travessa da ra da Oofifor-
dia, urna mulalinha captiva do neme F;ki.-i.
com os signaos seguintes : an arolla, Ts 1 m i ;.-
dos, cabello corlado rr.eio estoquiado, If^ w Mi-
do de chita j usado e can isa do nadapoliS lud
j muto so jo, de idade 10 cones; jolga-se li -iri
sfduzida de casa *m razo de ter vindo dor.;;io
ba dous mtzes, penco mais 00 n mes, e vio ^; l.t 1
roa alguma : rega-s.e s aotortdadcs policial s a
apprehensao da dita .mulatitba, e leva-la casa
cima mencionada.
Aos capites de canuca
Desapparcceu co dia 21 do concite, s rars ci
sen smhor. o escravo denone lci.edicir, .\ya
escuro, com idade de 25 ancos, lercu xtititt sal-
ea de algodo de listra, camisa de alpt 1; c. da tr-
ra, e chapeo (.de como de abas largas,K ti {ti ira
regular, ehcio do corpo, cabello a escvirra
olhos prolos n.uito vivos, nariz o l.ceea regulaxes,
muito pouca barba no queixo o im pequtr:o4o-
go.todos os denles, pos regulares, etc.: de re-
sumir queseguisse a estrada de Goiatra (>rter
vindo da cidade de Souza, provincia da Parabiba,
ha 13 dis, e foi comprado ao Sr. Jos menle
Borgesdaquea cidade : ropa-se pcrtsnii .-i.-se-
nhores capites decampo a apprftienfan i!o rote-
ridoescravo. e levarem-no a roa do ln 1 erado n.
83, segundo andar,que segralificai con Otf: .

i te 1
i i
O' I
>J
No dia 4 de Janeiro do acno de IPCi. fngii de en-
genho Ccnreieo, remarca de Pac-d'Alho, o esera
vo Galdino, prleneente ao abaixo asslgoado, cora
os signae.- ^egoinles : idade 26 ancos, patdi,.chwp,
corro, figura e altura regulares, cabellos n.c ios ca-
rainnhados, olhos pardos, sobnncelhas e palpebras
salientes, lem em cada braco um mdo de SW-imbo,
sendo um dilles mal feito, junto a este urna ern?,
tem na cabeca urna cicatriz de una polegada, e 101
cima de um quarto urna entra cicatriz de lies po-
legadas, proveniente de pona de pao e qoeda, tem
sobre as cestas algumas marcas ou ticatrius de re-
lhadas ou chicote; um pouco desembai. cado ,uan-
do falla, tem principio de carpina e earreiro, loca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de;polcia no
Recife, e levou rom.-igo a baixa do theor s> quinte :
Secgo uriana, 2* ccmpauhia n. 50, AqIcciu Cada-
no de Oliveira, filbo de Agostinho Ferre'na e Bii-
to, naioral de Ingazeira, cor parda, cabellos caia-
pinhos, olhos pardos, cilicio neribum, estado soiiei-
ro, com 30 annos de idade, 60 pcUgadas do altara,
ao engajar-se. Eugajou-se na forma do i cala-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por cflieio do .
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de i8 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em ordem
do dia l9 de maio, tudo em 8C2 ; leve baixa do
servico por ter dado em sen lugar o paisano Jeito
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capfcao
Joo de Dos Barros, n.orador que foi na c marca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador'na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que c veo-
deu em dfas do mez de novembro de 1863 ao lai-
xo assignado, pelo coslcme de andar fgido e a ti-
tulo de forro com o nome mudado ; pelo qne roga-
se a attengao das autoridades civis e militares?, nax
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehensao do dito escravo, que a titulo de Ierro,
nao tenha sido recrutado ou assentado pra-a em
algnns dos corpos de Voluntarios da Patria, tf.m-
bem pede se aos capites de campo c pessoa% par-
ticulares a mesma apprebenso, e leva-lo ao.seu
seBhor no referido engenho Conceiea, ou nesta ci-
dade ao capito Mauricio Francisco de Lima irua
do.Brum n. 56, que ser gratificado cem 2C05..
Jos Maria dos Santos Cavalcanfi.
Negro fgido
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro df st
anuo o preto Joaquim, de naco Angola, que fni
escravo do Sr. capito Francisco Joaqnim Caval-
eanti Galvao, morador em Maria Faiinha (Pra,
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do an-
nopassado ao Sr. Manoel Francisco Marques com
armazem de assucar ra de Apollo; levon ca-
misa e calca de aigodao branco, ropresenta ter do
45 aO aanos de Idade, alto e de grossura rega-
lar cor fula, cabega comprida, qoeixos largos,
olhos amortecidos, beicos grossos, semdo o sape-
rier um tanto defeituoso, bastante barba, porm
raspada, finalmente tem urna grande costura entre
ospeitosprovfcnle-deqoeimadora, e suppcjf-ss
ter-sedirigido para o norte, d'onde veio : grait-
ca-sea quera o apprehender ou denunciar acoito
em queestiver : na ra da Cadeia do Recifenn-
mero52. s___________
do mez de fevereiro do
Fogio em principios
corrente anno e consta estar acoutado nesta c;dade
o mnleque Euzehio, escravo da vinva do Dr. Fer-
60O' nando ArTooso de Mello, de 12 annos. do ieade pea-
l co mais 00 roanos, cor prela, seeco do qorpo, olhos
160 regulares e afumacados, cabeca um ponco grande
320 e meiat-hata, belfos fino?, denles m alyosvres
seceos e muilo ladino : roga-se por tanto a tedas as
autoridades policiaes e capites de campo que oap-
emeial de carpina e bonita Dgaca : na jnavessai do prehendam e levetn-o a roa-da'.llanBneira sobrado
Carato o. t. ......i n. 6 e serao gratificados. prote*iando-.se osar des
- Miho novo em saceos grandes.' no trapiche meios judiciaes contra qoaqoer pessoa que o tefcba
d9 Canha, a iratar com Tatto Irmaes. 'emseoooaer. >
ILEGrVELl


s
BUrlo de rernaathoeA alafa leln ti de Abril de !*.
I
LITTERATORA
le noria histories acadmica,
apreseatadaaeoDgrecacio dos
c-ates di facnldade dedireito
Recife na sessSo de 13 de
i circo d 1*04, el Dr. 4tt-
i.alodc %'ascoaecllosMcBczes
ti is.-w uinon.1, lente nbstltn-
v iB* wesma facnldade.
(Concluso)
XG
Ob< >:. publicadospelos estudanlcs desta Fa-
cnldade.
0 Ptm. Sr. conselheiro Luiz Pedreira do
Ce el o Ferra/, urna das primeiras illuslra-
'g/''-M brrlhante talento do nosso paiz a
qu m se devem as ultimas e excellenlcs re-
fo u ts da inste ucgo secundaria e superior
di imperio, j observava em 1857 no seu
1 I Mato apresentado assembla geral, que
a p-o':unciada tendencia dos espiritos para
o -'ido se tiammtUiu dos Lentes aos Es-
ta 'n nies, por quanlo mu tos distes empre-
fanant hoe as horas que podiam fnrlar aos
Estufas Acadmicos, as saciedades lit-
terariai e eai associacoes philantropicas,
com o fim de coadjuvar seus conpanheirs
' decididos de fortuna, bem como na publi-
cado o de jornaes luteranos.
pois bem. esta assergo daquelle conspi-
cua x-ministro do imperio vae encontrando
t i orpo docente e acadmico desta Facul-
fl t, as mais exuberantes proras. J men-
c. Mtei as numerosas e importantes obras pu-
?r. id as pel-js nossos mui dignos collegas,
ce -.t-me commemorar as d 'S nossos estima-
reis discpulos.
1 t o anno passado foram por estes publi
Ctdas as seguidles obras de bastante aere-
u'nen'o":
f 'A vida de Maria Santissima;
* '-Foliiinha catliolica, contendo a cb ro-
ica desta provincia, e muitos factos hist-
ricos 3 memoraveis do imperio por sua ordem
chrouologica ;
3 'Diccionario topographico, estilstico
e histrico desta provincia ;
t 'Sinopsis de eloquencia e potica na-
cional ;
Estas quatro obras foram da lavra do re-
cera hachare! o Sr. Manoel da Costa Honora-
to, natural de Pernambuco.
tj.1A mulher, a familia e acivilisago
|.'l.i Si .loa juim Guenes da Silva Mello, na-
tu::-' !e Pernambuco, esludanle do 4o ar.no.
C Un myslerio de familia, drama em
4 8C108 pelo Sr. Juio Frankliu da Silveira
fas ira, natural do Cear, estudante do 5'
anno, hoje bacharel.
7 'Sensitivas, poesas do Sr. Joo Anto-
nio'de Baos Jnior, nalural do Rio de Ja-
n iro, estudante do 5o auno, boje bacharel.
6 'Auioras e crepsculos, poesas do
&t Francisco Antonio Filgueiras Sobrinho,
eatufaj da Babia, bacharelado no anno pas-
tado
Por tal guisa esses mancebos bem soube-
r m aproveitar as horas do repouso de suas
4 ligas escolares, empregando-as em traba-
gh s proveitosos ; o que por si s bastara
liara torna-Ios recoramendaveis, quando pe-'
113 se sostudos e morigerago, j nao fos-
scii credores de estima e apreco.
Assim enlram elles para a sociedade,mu-
idos dos valiosos e perpetuos ttulos de sua
jtpldao.
XGI
Associacoes Acadmicas.
Algumas associac 's instiiuram-se duran-
te o auno passado entre os alumnos desta
Fau'dade.As principaes foram as deno-
minadas Onze de Agosto e Ensaio Jurdico.
Esta ultima prmou, porgue traballiou quasi
durante todo o anno lectivo com bastante re-.
gularidade, funecionano como os tribunaes
crminaes para o aprendizado da formago e
fa'gameato dos respectivos processo?, c pu- j
tincando urna revista mensal com arligos
b-m elaborado .
m o anno passado se deu tambem es-
tampa ontro jornal acadmico sobo titulo'
Facildade do Recife.
I' muito para lamentar profundamente,
qm baja desapparecido, de 1859, a sub ime
Cjpia instituidlo denominada Mon'e Po Aca-
dmico pelos grandes beneficios, que pode-
ia prestar aos alumnos da Faculdade menos
favorecidos de fortuna ; principalmente por-
go?, no nosso paiz o estado nao d como na
ti'lnda, certa somma ou subsidio para se
destribuir pelos mogos dotados de felizes
flisposifes para os estudos, mas baldo de
recursos necessarios para o proseguimento
flolles, Dem permittido s congregares re-
commenda-los ao governo.
fie a caridjde a. mais preciosa das vir-
tudes, as instituigoes pas, que a exprimem,
to incontestayelmente as mais apreciaveis,
prin plmenle entre os culpes da sciencia,
tjue tambem o devem ser da propria vir-
tude
Confiando, pois, no espirito religioso da
.^nocidade acadmica em geral, nutro bem
fundadas esperaos de ver em breve res-
Jburada aquel a caridosa instituido; sendo
1no ella conquistar por to louvavel acto a
$o ia e benemerencia, que tem perpetuado
a memoria dos fundadores, e obscurecido o
f enome dos que por indesculpavel indifferen-
fa cau?aram esse mui sensivel iotarsiicio.
XCII
Confiara acadmica de Nossa Senhora do
Boh Conselho.
A Confraria Ac lemica de N. S do Bom
Conselho-erecta nfegreja de S. Francisco
desta cidade. desde 185(5por pura-religio-
sidade e com o mais expontaneo accordo
eutre os lentes e os alumnos desta Facul-
dade felizmente ainda hoje permanece cada
! vez com mais fervor.
Os lentes sao os primeiros a edificar e
dar todo o vigor, com o seu vivo exemplu,
aquella preciosa flor acadmica ; sSo os
principaes mantenedores de lao sublime de-
vog5o,--em honra da Santssima Virgem,
Mae do Nosso Redemptor e nossa melhor
Protectora.
i
A mocidade, que annualmente vae succe-
dendo na nosja Faculdade recebe dos que
a dcxam esse glorioso e pi legado, como
urna das maiores e mais rigorosas obriga-
goes, que adorna procursm cumprir arisca.
O indifferentismo de poneos estudantes
se taros do systema da razao hvre ou do
puro racionalismo (synonimo de protestan-
tismo), felizmente n5o pode ainda influir
noi louvaveis acte-s da quasi totaldade, que
i por aquelles qnalificada de asctica.
Gragas Providencia tem predominado
nelles o espirito religioso e moral, que o se-
cuto com prazer abraga e s exclue o fana-
tismo.
i
Sea a fecunda allianga da sciencia com a
religiSo, e da liberdade, dissolvidos esto
sem duvida os vnculos sociaes.
Gloria, sim, Faculdade de Direito do
Recife -essencialmenie calholica -na phra-
se de um dos mais sabios e eximios prela-
; dos do imperio; e illustrada, no memora-
| vel dizer do nosso magnnimo monarcha;
porque no augusto recintos d'ella os seus
maiores luzeiros tejn sabido crear as melhj-
res esperangas da patria, assegurando-lhe
os solidos elementos para o seu mais ventu-
roso porvir.
XCIII
Remocao voluntaria da magistratura para
o magistei io e vtce-versa.
Ao concluir esta memoria devo ainda lem-
brar a conveniencia de estatuir-se, como ou-
Ir'ora em Combra e hoje na Hollanda, que
os magistrados, depois de certo periodo no
exercicio das respectitas fu egoes, possam
concorrer s cadeiras da Faculdades de Di-
reito, como lentes substitutos, passmdo s
pelas provas escripia e oral.
Do mesmo modo entendo, que do magis-
terio se devepasarmagistratura superior
(s relages o imperio), depois de alguns
anuos de bons servgos.
XCIV
Conclus&o.
Finalmente todos reconhecem a urgente
necessidade de urna nova organisago do en-
sillo secundario e superior das Faculdades
de Direito do imperio; todos desejam a sua
prompta realisagao, pois todos esto tam-
bem convencidos de que s pelo seu ampio
desenvolvimento o nosso paiz poder pros-
perar na sciencia.
V-se porm. com profunda magoa, que
os estatutos das Faculdades, feitos por au-
torsago do poder legislativo (decreto d.
714 de 19 de setembro de 1853), ainda es-
tao dependentes da sua approvagao como foi
dito no relatorio do ministerio do imperio
em 186 ; o que sujeita-os at certo ponto
ao arbitrio do governo.
Em 1858, di/.ia o Exm. Sr. marquez de
Olinda no relatorio do ministerio do imperio
que tinha sido contestada a conveniencia
de algumas disposicSes dos estatutos didos
as Facilidades, por occasio da sua ultima
reforma; mas que, sendo elles de too recen-
te data, ainda faltara a experiencia neces-
saria para cumpridainenie conhecerem-se
todos os pontos em que a melhor organisa-
cao das materias do esino, e outras razies
exigiamasua reviso e alteraco.
E sao porm j decorridos dfez annos,
tempo mais que suficiente para a mais re-'
flectida experiencia, eprova d'aquellas pre-'
visoes da razio -a que alludia o venerando!
marquez I
Em materia de instruego publica devem
influir poderosamente as ideas capitaes, que'
tem sido bem acolhidas e comprovadas nos
paizes, que deltas com maior esmero se tem
oceupado, e onde j gozara de urna aulori-
dade secular ou especie de prescripcSo;
pelo contrario defeiios lo graves da res-
pectiva organisagj, n5o podem admiti:1
esperas, adiamentus ou protelagoes na ap- \
pellago do necessario remedio.
Ao poder legislativo, como o mais sabio,
cabe por tanto a immarcessivel gloria de ul-
timar quanto ante>, essa grande obra, s de-:
pendente dos seus altos auspicios,
buindo assim para o supremo fim, e geral
ent5o contrahi, para com voscode apresen- .31 annos de promulgagao, j sobre elle ha
lar-vos algum trabalho aoroveitavel. ?1s conmentarios, nm do Sr. Dr. Ricar-
Estes mesmos desejos porm era supe-' SI^aE^.0!^ E^lS^ ft
i -.- i. j w ,u"^iDiog Pereira Forjaz de Sampaio Pimenlel,
ores s mrahas dtbeis forgas, e por como- alm das suas fontes Prximas pelo Sr. Dr.
fficil realisagao. A' ootros pois, 'Gaspar Pereira da Silva, bojeainistro da'jos-jibes vae desenvolvendo.'principios
que. me succederem, cabera essa glo ia.
Faciant meliora potentes, (a)
Recife, 15 de margo de 1864.
O lente substituto da Faculdade de Direi-
to desta cidade.Dr. Amonio de Vascon- \*
cellos Menezes de Drummond.
Como educadora, tem a mulher de pre-, v> nna ,.,. ,. _,,,.
parar o e piriio das criangs para o bem vao-JS^SiT LS^lbff Portuguezas
tem de prepuar bons familiares, bous ho^' eg^S? ^ \^ 1^?%*
mees, bons cidadSos, incatindo no animo STSem S^anC JS^r?tao
. das criancas, ao passo que a intelligencia se ^ScfcSo traaodMe seriamente da sua
- lhes vaedesenvolvendo, principios de reli- Miiitja'famiii^ HoT,eh, ia *
Comtudo por Pess>as a,s ,lluras. ^g^S^^
mas extranlns s possas faculdades, tem si- i de familia, amo!*'paS, 1,^ 2ffi," f^ P ^ P>lo ei-
do publicadas algumas obras deste genero or, e devalo pe i nticaTe p,>la verd de w"eP.lemepe- riu
que terrea de grande auatfo, priuc.pilaen-1 E como ha de a m, II er pren;, ar o con- ,S2' l,veramos,fi,ha8 e meos- *>*-
aos principiantes : taes s3o o abeedario gu d->3 filbos, se ella *- tar,anl?s um momento em *emr e8,e bom
liga naqoelle reino.
Addltamento.
XCVI
prep
u nao teve q em
jurdico, coramercia brasi eiro, i-elo Sr. Dr. parasse o seu, se ella desconbece os
Joaquim Jos Pereira Rjmos e:n 18tfl.<; O jtriviaos deveres de esp-Mi, e d,
Pr? exemitlo, porque em Inglaterra e na Alle-
mais man|,a ,\ qe se comprebende verdadeira-
oodTgo uirdil brasileiro,, annotado^e- [ ella_chg7a n3o coniprehende'r "a dignidade aTde a'rnlnl? t?"^''" ^^
lo Sr. Dr. S. O
a mais conveniente edu-
d'Araujo Costa, no correo- do seu sxo ?
noticia WBUOGaAPHiCA das obbas de l'gis- te anno, com toda a legislago patria relati-! Quera La ahi que se le nbre de dizer c?cSo e a e?ses **.!?* ^ne deve- ^m P1"8"
lacAo, nmaio patrio e jurisprudencia, va, e comparago com a legislago commer-joven que se deWolvi. ouc e la um cisar con>o ^s, mulberes educadoras ir bos-
?f lLTWAMENTE ^'bucadaspe- cial de outrS paizes e cora as decisoes e' dos primeiros eleaWde fortuna n hu "8*,
los lentes das faculdades juridicas do arestos dos tribunaes; e o direito cambial mJ.^. anJ*l,VJtJL\ No lug.r do
IMPERIO,
TRADAS.
E POR
cambial manida le, qiw ella destinada a esposa e
gove no de Portugal, nos
qutras pessoas iLLus- brasileiro, peloDr. Jos Maria Frederico de me : que el\a destinada a firmar o cora- P-oc.uranam;'s mesmo 'nttnduzir no paiz.
Souza Pinto. i cao da enanca para nre-iarar o bomem e a ? "' 'S fraDcezas carregadas de ben-
nnhiet JSnnl0cS,0mpe,?di?S cmPostos e O Consta-me ainda, que em 1857, foram mulher; o hornera, tm elle deve er bu- S' san08' ve'or,kas e cru^' ^P^
publicados pelos dignos lentes de ambas as traduzidas do latim para lingua verncula,' mano e compadecido antis todo exci-' 0CCUPa,da3 f ma.nd? idea' ou de ninharias,
i^0n' T feos des'a e PDblicadas as Prelec0esdeJ. G. Heinecio, lente familiar, bom c?So affeigado ao S" ^1^ In8,ezas-Ik0u '***. ma-
sao : 1 doos de direito natural, um de di- aos elementos do direito civil seaundo a or- trabalho, modesto na fortuna resignado na ^TJ^T^J mu,her^ d>le mnn-
---------- ........... ., ,^ civil segundo a or-
reno das gentes, outro de direito publico dem das instituas primeira parte; bem
universal, i.utro de direito constitucional como foram vertidas para porlucuez, e du-
natrio. tresne p.rnnnmi nnli.. mim ir, hii,...ir,., .-__....-:_ j. i- ? ... '
de tudo, excel-
go
gOad
, e sempre justiceiro, e sei
dadeiro; a mulher como cravm que ella
desgraga, e sempre justiceiro, e sempre ver^ conhe;ed."raS *>* "ecessidades sociaes;
mulheres conhecedoras do elevado da sua
missao, e pundonorosas no bom desempe-
patrio tres de economa poltica, e um tra- blicadas as instituicoes de direito civil por seja, sempre dcil, sempre l.vel iore
d veS rXSes S s'r ?' SSS ^T" ?artG' ^nd a ^ "**R zanjada Sa^a traba.Sa Dh- q"e e"a eX,ge'
tf?- ?**J*ft ?-*! d a^Ha obra pelo Sr. Hermi. o Dope> | modela mas pUoornsa ; cora, arreiga- poderiamo8 inlroduzir a educadom ^
. pnn ipte human.tanos; religiosa, mas m3as e iog]em poderiamos lmbm s^
Dr. Autran : 2. um compendio de pratica ron, e a desta pelo Sr. J.icntlio Pereira" do
do processo civil, e outro de Harmeneutica' Pego, ambos ento alumnos da faculdade de
Jurdica, pelo Sr. c nselheiro Dr. Paula direito desta cidade, hije hachareis forma-
Baptista : 3. um compendio de economa dos e advogados neste foro.
Nos nossos asylos, e nossas misericordias
poltica, outro de pratica do processo civil,
e outro das instituigoes de direito civil bra-
sileiro pelo Sr. conselheiro Dr. Loureiro :
4. o compendio de direito ecclesiaslico, pe-
lo Sr. Dr. Villela Tavares: 5." os elemen-
tos de direito administrativo, pelo Sr. Dr.
Pereira do Reg. Os da Faculdade de S
Paulo sao: i. os elementos do processo
criminal, e os do civil e commercial, pelo
Sr. Dr. Joaquim Ignacio Ramalho : 2 di-
reito administrativo brasileiro, pelo Sr. con-
selheiro Dr. Veiga Cabral: 3. os elemen-
tos de direito administrativo, pelo Sr. Dr.
Ribas: 4. os elementos de direito natural,
e questes sobre
conselheiro Dr
Sou tambem informado, que era S Pac-
to, deu-se principio publicago da tradu-
culta ?
_ Quera se lem'jra ahi de prepa ar o cora
sidia-las- para alguns collegios particulares.
E nao seria convonientissimo crear esco-
gi da obra de Warukaenig Insiituiiones ju- \ homem a que se I gara, que ser muit3 ve
ns romam privati, in usum prwkclionum
Acadtmicarum vulgata etc.
Do mesmo modo ha a analyae da primeira
parte do Cdigo Criminal Bra'ileh-o, pelo
Sr. Dr. Azambuja e Dr. Souza Pinto, as li-
gues acadmicas sobre algu .s artigos do C-
digo Criminal, pelo Sr. Manoel Januario Be-
zerra Monte-Negro em 1860: o Indicador
Penal, contendo as disposigoes do mesmo! m3e de familias?
cdigo, e a or em alphabetica pelo Sr. Dr. Quem se lembra ahi
Joaquim Jos Pereira
da Silva Ramos; a
re presas martimas, pelo Sr. \ analyse da Constiluigo do Imperio, por um
. J. Maria de Ave'ar Brotero.' Icto em 4863; bem como diversas mitras
O finado desembargador Mendes da Cu- obras asss importantes sobre o Processo
nha, eximio lente d'esta Faculdade, publi-;Civil, C iminal e Commercial do Brasil,
couduasobrasimportante^ a saber : Ann ti- Emfim o Sr. Dr. Jos Suriano ae Souza,
ges do alguns arts. do cdigo criminal, e do, distincto discpulo da Faculdade de Mede-
codigo do processo criminal brasil :iro : o Sr. cia do Rio de Janeiro, e geralmente roni
Dr. Braz Florentino Henriques de Souza,! considerado p r sua illusti ag3o e merec-
urna das gloras d'esta faculdade, publicou ment, acaba de publicar urna interessante
as execellentes ligoes sobre o direito crimi-
lucubragao, sob o..modesto titulo de Ensaio
Borja Pereira, pnblicado
Francisco de
em 1831, (').
Torna-se porm bem sensivel a falt i de
alguns commentarios ou analyses da consti-
tuigo do imperio, e do cdigo criminal.
Embora reconbega a ardnidade desses tra
balhos, tenho tao plena conGauea as luzes
e zele dos dislinctos lentes calhedraticos
de taes ma'erias, que j cont, que nao tar-
daro de emprehende-los com grande van-
tagem para o ensino publico.
Alm disto, sr a remunera?5o pecu-
niaria garantida pelos estatutos tos- len-
tes, que compoem compendios n3o com-
pensa os duros trabalhos e constante vigi-
lias, ao menos as suas paginas repassadas
de doutrinas scientiGcas Grma-se a reputa-
ran, o conceilo pub ico, o servicoao paiz, a
gloria individual c a honra de toda facul-
dade.
Novel como sou, nao posso ao menos phan-
tasiaro proposito de tirar essa gloriosa pal-
ma a quem quer que seja. -~
Portugal que, apenas ha 12 annos, gosa
do seu cdigo penal, j possue dous impor-
tantes e completos commentarios d'elle;
sendo um pelo Sr. Dr. Levy Maria-. Jordao, e
outro pelo Sr conselheiro F. A. da Silva
Ferrao. Contando o seu cdigo commercial
-(8) Para n5o aecuraular citagoes das obras
que consultei na coofecgo d'este trabalho,
deixei de faz-Ias opportunamente ; restri-
gindo-me apenas a indicar neste lugar os ti-
tu'os dellas, para se poder verificar o que
da sua leitura eollii, e tenho expendido.
10 Euvres de Mr. Vctor Cousin sur
l'instructwn publique. 3 vol.
2Memoire sur l'instruction secondaire
dans le Royaume de Prusse, por Mr.
Vctor Cousin. 1 vol.
3 Rapporlsur l'tat de Pinstruction pu-
blique dans quelques pays de l'Allema-
gne, etparticulirement'en Prusse, par
Mr. Vctor Cousin. 3 vol;
4Considerations sur Pense gnement du
Drajt Administran!, par Jules MaUein.
1 vol.
5De l'instruction publique par Gaizot.
1 vol.
6De l'enseignement,ce qu'il est. et ce
qu'il devrait etre par le Dr. Hubert Val-
leroux. 1 vol,
7Lettres sur l'enseignement des Colleges
en France par Mr. C. Clavel. 1 vol.
8-De l'enseign'mentobligatoirediscus-
sion entre Mr. G. de Molinari et Mr.
Frederic Passy. 1 vol.
9Cod niverstaire ou Lois, Siatuts et
Reglmenls de l'Universite Royale de
France par Mr. Rendu. 1 vol.
10Notice sur le Doctoral etc., par A. Fon-
taine de Resbecq. 1 vol.
UDiscussion sur le project de 1'iBStruc-
tion publique en Belgique. 1 vol.
Annuaire Catholique de l'Universite de
Louvain. I vol.
12-Memoire sur l'organi.-ation de l'ensei-
gnement du Droit eo Hollande, par Mr.
Blondeau. 1 vol.
contri-' *3De l'esprit de Porganisalion des facul-
1 ts allemandes, par Mr. L. Warnkoenig.
1 vol.
! 14Estatutos da Universidade de Coimbra.
4 vol.
' 15Esbogo Histrico da Universidade dd
Si por ventura explanei-me mais do que Coim'ra. 1 vol.
devia, foi apenas pelo pronunciado empenho 16-Memorias do Arcebispo da Babia. 1
nal, intituladas do delicio, do delinquente e Med/co Legal sobre os fnrimenlos e outras
da re icidencia ; bem como o Sr. Dr. Jos offensas physicas, e o infanticidio, com ap-
Liberato, nosso digno collega, deu estampa, 'plicac&o legislaco patria.
em 1862, um ndice alphabelico do cdigo' Para se conhecer devidamenteo apregode
brasileiro, ad instar do repertorio do mes- que essa obra se torna digna, o valioso au-
mo cdigo pelo Gnado desembargador Jos xilio que vm prestar scieicia e hum.iai-
aspirago do engrandecimento do paiz.
-xcv
de bem cumprir
>So.
a vossa honrosa commis-! wl.
17Memorias Histricas das Faculdades de
Direilo do Recife.
Senhores, desculpae-me ao menos as im- 18Di'as ditas da de$. Paulo.
perfeiges deste trabalho, na certeza de que 19Ditas ditas da de Medicini da Bahia.
bem quizera poder superar o proprio dme 20Ditas ditas (alguma< da do Rio.
rito oara rnrrfts.,nnder fatalmente i enn, 2|-Doensino V**** P^O Sr. Dr. Apri-
nio para corresponder cabalmente i con* gjo Juslinano da selva GuiraarSes.
Ganga que em mira depositastes, como sa- j MDiversos Relatorios do 'Ministerio do
tisfago de urna divida de honra, que desde Imperio.
dade, basta rememorar que tem receido os
maiores elogios de juizes competentes,
alm d-; que no nosso paiz ella original,
porque nenhuma outra sobre esta materia
fra antes publicada.
De feto, ella encerra ampio e luminoso
desenvolvimento de questes- to graves e
to vitacs, que j merecerara a attengo e
disvello d\> governo imperial, nomeandouma
illus rarJa- comraisso dos mais eximios pro-
fessores d'aquella Faculdade pora apresen-
tarem respeito alguns estudo*, que alias
at hoje anda nao appareceram.
No aeu humilde e iteoder, a clareza do
methodo, a conciso do estylo e a exactidiio
das doutrinas, par da hist >ria, tbeoria e
pratica d'ellas, constituem um trabalho mu
completo proporcionado e precioso, assim
como justificara os elogios que Ihe tem pre:-
lado os jornaes da corte e de algumas pro-
vincias do imperio.
Era> ut supra.
Dr. A. !i. V. M. me dximmo.no.
UM POUCO DETUDO.
Le-se na Revista Luso-Brasileira ;
EDVC\fTA0 DA MfLHEll,
Coma devida vena extractamos do Pt>r-
tguez o seguinte interessante artigo :
. As mulheres allemus. A arle" colima-
ra forma urna parte ssencal da educago
do bello sexo na Aemanh. O proprietario,
assim como o artista, cifra o seu orgulho
eatene suas Gibas sejamboas donas de- casa.
Para alcanga em o seu intento, as fami-
lias empregam um meo que de cedo as
francezas nao approvarSo.
Logo que urna menina sahe do collegio
aos 12 ou 14 annos, os paes levam-na pa-
ra casa de um administrador, da propre-
dade de alguma familia rica.
Ali permanece durante o espago de um
ou dous annos, exerce .do quasi as fureges
de criada, considerando-se isto como apren-
dizagem de economa domestica. Nao rece-
be ordenado, e s vezes seus paes pagaro
certa quantia mensa1, do vestuario e man
dara-lhe lavara roupa.
Quando termina o primeiro noviciado da
vida caseira, mandam a joven para a cosinba
de um rico proprietario em algum hotel
de nomeada Ali encarrega-se da direegao
da dispensa, dos criados e dos ajudant s.
Ainda que Ir .balhem na cosinha sempre
Ihe chamam senhoras, e os araos tralam-nas
com toda a deferencia.
Muitas jovens ricas recebem a mesan edu-
cigSo, cora a diffeieng de que a sua apren
dizagem tem.lugar em um castetl. opulento
ou urna residencia real. Existe na APema-
nha urna rainba que foi educada dste modo,
Resulta disto que a mulher allema um
yerdadeiro modelo de ordem e de economa.
Tanto a mais rica como a mais pobre sabe
o prego doscomesliveis.
E' para encantar ver urna joven dona de
casa, correndo ligeira a todos os cantos de
su* casa, limpando aqu, esfregando acola,
esquadrinhando por toda a parte, vigiando
os Glhos que brincam no quarto, vendo as
criadas que trabalbam na cosinba, animando
todos com a su i propria vigilancia e activi-
dade.
A mulher a'lema verdaderamente a
alm : de sua casa, a qual faltando ella lor-
na-se silenciosa e medonba.
At aqui o artigo exlrahido do Portugtiez,
agora algumas considerages sobre a educa-
gao actual das mulheres portuguesas.
Anda muito desviada dos bons principios
a educago das nossas mulheres.
A mulher destinada a esposa e me, a
educadora de Glhos, e a directora dos ne-
>ti i\l>ll n il.l ft< ainipffipno na i,*- De certo, e nem sso sena urna cousa
SrtaStti^
sorte adversa, que se SaHSL fS ^importancia alguma a educago da mu-
aborrecido pelos rigores de um imnrobo V-
trabalho, aqui contrariado e alera perSv J7f CaS0 n3 e Para 9* des-
emseus resultados benfico:? j^5 .
Quem se lembra ahi preparar o corz^'^TIl* f8*"1 ^J' 9WV?
da crianga do sexo femiaino para um, ^f"1 mulheres virtuosas, verdade.ramenje
'Religiosas: com amor familia ededicagao
!pelo trabalho, carinhosas, humanitarias, e
desee sexo para urna boa administradora ?: H^ ^ "5 ^ l? b. J0Bien8'
Nao bao de lodo estar proscriptos d'entve!bonsn fl?e fa,milia' e bon1Jc,daSM- .
nos os bons principios de educago da mu-L Vi f k T-8'^0 ^
Ihe., mas to dosgragada como incoles- &*??.a 5abedo.r,a- \
tavelverdade, que a educago da mulher .Jj J0^- dlzemos- n.fs- tudo o qaee de-
portugoeza, no geral, anda abito (unge do ^^^'J^la ml"tra do COra<*-
seu verdadeir.i caminho.
Desenvotve-s'e a crianga (fallamos na crian-
ga do sexo feminincr), e nigu<:m Ihe falla, I
nem era principios de humanidade, nem em
earidide, nem em amor familia1.
Amor ao trabalho cousa q.ue nio trata
de inculir-so-lhe?
Em regra, nem em tal se Ihe falla.
Adminstrago interna de urna casa, sso
ama completa puerilidade-, a me nada
sabe dsso, e-nioguem ensi a o que o3o sabe.
'as cidades> mandam-se as-criangs (re-
mininas) para os collegios internas ou exter-
nas. As directoras dos collegios, com hon-
rosas excepges (supponhamos que as ha)
sao as primeiras que deviam ser educadas,
porque sao mulheres completamente anal-
pliabelas, sea-cultura de espirito, sem sa-
bcrem cousa alguma de administragao in-
terna de urna-casa :em urna palavra, quasi.
sem saberem cousa alguma.
Nos collegios ensina-se s criangs urna
resa material, completamente material, al-
ma cousa de msica, um francez e ingle?
incomprehensive s, e que distam mais da
lingua de Milln e Lamartine, do que opor-
tuguez apurado dista do hespanhol dos cam-
ponezes das proximidades de Vigo, Ferrol
ou Tuy, crochets, (modo de matar o tempo,
movendo os dedos sem o copar o < spirito),
desenho, que-bem se pode classiGar de
pinta monos-; differentes borda-Jos, obra
de um gusto,, mas sem valor algum real, e
porluguez soffrivel, porque boje o ensino
do portugus est qu isi exclusivamente in-
cumbido a mestres fas senboras directora,
em a guns casos, nao sabem-es rever),
Nos collegios aprende-se a ler e e>crever,.
alguma Ciiusade msica, e disse.
Os ehrochets sao inute.s-
0 desenho, excellente comj prenda, nao
se aprende a fundo.
As tinguas nao passam/ de urna fargada.
Os bordados seriam bons (como distrac-
go), depois do indispensavel, necesSirio e
til.
Ninguem nos collegios. de educagSo femi-
nina era Portugal (fallamos em regra geral)
trata dte aperfeigoar o espirito das eriangas
ou de- imbuir-lhes principios de humanida-
de e caiidade, ou de crear-lhes amor ao
trabalho ; ou de incitar-lhes e arreigar-lhes
amor familia. Ninguem trata nos collegios
de educago feminina- de-ensinar s criangs,
na crdem mesmo dos. trabalhos do seo sexo,
o-que deve um di vir a ser mais util; mu-
Uier; ninguem lhes falla em administragao
domestica ; ninguom lhes falla na costura
essencial, indispensavel. caseira de familia;
ninguem Ibes MU em eos nha (cosinha ^
Isso seria um crime de lesa- legaacia I)
A educanda que *ahiu de nm collegio, se
se vir no dia immediato na necessidade de
dirigir urna casa, achar-se-ha aos maiores
embaragos, achar-se-ha na impossiblidade
de dar um passo. Arriscar-se-ha a oesgoslar
o marido no dia immediato ao do noivado.
Para em ludo ser desgranada a situagao
da muKH' educada nos collegios, era sab o
que custain as usas !
De pregos, s Ihe eosinai am o que cusla-
vam os seus bules, e os seus chapeos.
Os vestidos eram j compras ao cargo das
mamita...
Fra das trras grandes, quer-se j arre-
medar o progresso das capitaes; porm,
faltam l esses mesmos meios de fantstica
educago dos grandes centros de popula-
go.
Ainda por l se encentra amor de familia,
e amor ao trabalho; mas, falta a cultura de
espirito, e os defeitos das grandes cidades
tem chegado quas a toda a parte.
O que ahi deixamos dito entende-se cm
reforenc;a educago da mulher das classes
superiores, da muliier de meios. A mulher
do povo essa nao tem elementos alguns de
educago no n sso paiz qur reaes, qur
ficticios.
As nossas mulheres do povo nao sabem
lr nem escrever, nao sabem costurar, nao
sabem administrar, nao sabem nada.
N'essas pobres mulheres a cultura do es-
pirito completamente desconhecida. Co-
rago, s o tem para soffrer e... fazer
soffrer.
5 urna pena que as nossas mulheres,
ve-o mulher,
V ntara-nos ai
peccado.
Eduquem-n'a,
vida.
a mulher como a me do
que ella ser* a a dogura da
Le se na Gazela de Portugal sobre- a
companliia de Josw o seguinte :
Estaiordem religiosa contava em todo o-
mundo, no tim do anno de 1864. 7,728
aembro, o que constitue quasi o dupla do-
que tinba em 1481.
Em I8631iavia 7529.
Ns estados da egreja residem 473 jesu-
tas, e 153 acham-str em mis>oes no es-
trangeiroi estando 228 na Europa, 296 na
Asia, 213- na frica, 276 na America do
Norte, 490 na do SuK-55 na Occeania, e 15
em viagera para diversos destinos.
No dia 3. do passado mez pelas i horas
da manliaa, os habitantes da aldeia de Netis-
tull (cmtao de Glaris) fram despertados do
seu >omno por um temeroso phenomeno.
N'uma largura de mais de um quar-io de
legua e de urna altura de 2,000 ps se
despegsran< do Viggis,. montanha a pique,
8,000 pi'-s cbicos dfe nev cabida havia
pouco.
E' irapossivel, diz a. Glainer-Zeitwig, fa-
zer urna idea da forga do presso do ar, pro-
duzida pela rpida queda de semelhante
massa de nev, a nao ser quera tenha presera
ceado os estragos que ella causou.
A acaianche cobriu a aldeia em toda a
sua extenso ; o eslrondo era tal, que mui-
tas pessoas julgaram ser chegado o 6m d
mundo e que "a trra ia ser toda abismada.
Algumas arvores, du dimetro de 2. a 3
ps, foram arrancdas ou quebradas como
tenras bastes.
MLis de 1,000 arvores floreslaes e 300
fiuctiferas foram derrabada pelo furacao.
A ma principal da aldeia Gcou. de urna
extremidade a outra coberta de destrocos
de toda a especie troncos de arvores, tra-
vs arrancadas, podras., etc.
Alguns telliados foram an-emessados a
urna distancia da 40 passos.
gocios internos de una ca, misso impor-
tantisima, mas ao que parece dar-se pouco urnas tenham urna educago tS> mal dirig-
ou nenhum aprego, da, outras nenhuma,
Actualmente prodigioso o commercio
de violetas em. Paris.
Na linda aldeia de Romainville, prxima
d'aqnella cajirtal, tem grande extenso a cul-
tura das vilelas, havendo carapos cultivados,
s com esta flor.
Alm d'isto, milhares de mulheres e de
creangas vao todos os das explorar os glan-
des bosques que ha em torno de Paris para
ahi colherem violetas.
As mulheres e os fabricantes de perfuma-
ras consomem diariamente era Paris milha-
res de francos de vilelas.
Muitos jornaes, entra outros a Lnion e de-
pois delle o Pkarol de la Loire annunciam
que urna Vida de Cesar, escripia por Luiz
XIV, acaba de ser descoberta entre os ma-
nuscriptos da bibliotheca imperial.
Enganam-se esses jornaes.
A Presse participa-nos que nao um ma-
nuscripio, mas am voluine in folio, que Luiz
XIV escreveu sobre Julio Cesar.
Foi impresso e acha-se oO pelo menos
achava-se na bibliotheca do Louvre.
Nao faz parte das obras do grande rei,
mas todos os amadores de livros o co-
nbecem.
Existe alm disso urna traduego de um
capitulo de Suetonio (Vida de J. Cesar), que
se attribue a Lni? X'V.
E' um manuscripto que se acha em segui-
da as carias de madama de Maintenon, na
bibliotheca do Louvre.
>*-&*
Os individuos presos por dividas as ca-
deias de S. Petersburgo dirigiram um des-
pacho telegrapiioo aos encarcerados de Cli-
chy, dando-lhes os parabens pela prxima
aboligo da lei que em Fraoga permute a
priso por divida.
PERNAMBl'UU.-TYP. DE V. F. DE F. & FILHQ
'

v
.
- /
ILEGVLI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIE8REIUY_Y620NJ INGEST_TIME 2013-08-28T00:35:43Z PACKAGE AA00011611_10653
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES