Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10650


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ls
IMO XU MUERO 93.
Pr fiartol pago entro de 10 das do 1. mez t :
dem tfeiois dos i.* 10 das do cometo e dentro do quartel. .
Parte aa earrcia par tres mezes............

SfOOO
6J000
750
DE
SEGUBDA FEIRA 24 DE ABRIL DE 1865.
Por anno pago dentro delOdias do 1. mez ,,,.,. 191000
Porte ao correie por un anuo ..,.,...,.,.,, 3f 000
UCO.
E.N'CARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o 3r. Antonio Alexandrinu de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Ge.raWo Antonio Alves &
Futios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Casta.
EN'CARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco l)ias; Baha, o
Sr. los Nardos Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garantios, Bnique, S. Bento, Bom
GooseUiO! Aguas-Bellas e Tacarat, nastergas
feiras.............
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quarlas
feiras.
Segunda vara do civel:
bora da tarde.
quartas e sabbades a 1
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
relros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Cuarto cresc. as 10 h., 59 m. e 22 s. da t.
H Loa chela as 2 h., 17 m. e 52 s. da m.
18 Quarto ming as 9h., e 16 m. da t.
27 La nova as 11 b., 53 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
I
Tribunal do comroercio : segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julio do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
ora da tarde.
DAS DA SEMANA.
24. Segunda. Ss. Honorio e Mileto bb.
25. Terca. S. Marcos evang.; S. Hermino m.
26. Quarla. S. Pedio de Ralis b.; S. Cielo p. m.
27. Quinta. S. Tertuliano p.; S. Turybio are
28. Sexta. S. Vital m.; Ss. Agapito e Acacio mm
29. Sabbado. S. Pedro m.; S. Tertulia v. m.
30. Domingo. S. Vicente Ferreira; S. Amador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2horas e 54 ra. da tarde. 4
Segunda as 3 horas 18 e minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos meies de Janeiro, marco, maje,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figneiroa de
Faria & Filho.
parte ernciAL
GotHiw da normai
2* secgo.Secretaria do governo, 22 de abril
de 18(35.
Pela secretarla do governo de Pernambuco se
coi: vida os Srs. abaixo declarados a virem ou man-
darem pagar os portes dos requerimenlos, em que
peJem ao governo imperial a serventa vitalicia
do uilii'i i de escrivo de orphaos e ausentes do
termo de Goyanna, aflm de seguirem para a corte
no vapor S. Francisco, surto no porto desta cidade :
Manoel Gongalves Nunes Machado.
Joaquim Fflix Machado.
Joacjiim Raphael de Mello Jnior.
Joaquim Gomes Pessoa,
Antonio Jorge Guerra.
Paulino Teixeira de Carvalho.
Francisco das Chagas Cavalcaoti Pessoa.
Joao de Araujo Cesar.
Itolilio Tolentlno de Figueiredo Lima.
Manoel Jordo de Vasconcellos.
Flix Cavalcanti de Albuqueriue Mello.
Francisco de Carvalho Paes de Andrade.
Dionisio Ferreira Cavalcanti.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
particao da guerra de 8 do corrente, ao individuo | de sua congrua para as despezas da guerra, assim cimento, pela integridade de orna nacao, pelo des-
que coiii o nome de Jesuino Alves Fontes Madeira, como a offerta para servir de capellao de Volunta- aggravo della, opprimida e vilipendiada na pessoa
assentou praga no 2. batalhao do infamara, e o rios, o p empenho com que est promovenda o alis- de mutos de seus membros, residentes as fron-
tamento delles. teiras do paz inimgo I Idea nao menos generosa,
Certo de j se terem apresentado algnns, espere' nao menos magnnima, nao menos elevada I
_pjue obteoha muito maior uumero, e que empregue Mocidade briosa I A liberdade de um povo,
toda a sua influencia e esforcos para conseguir que como sabis, vem de um direito naturaj, vem de
dos Indios de Panema venha o maior numero pos- um direito divino, e cousa tao sublime como a
i^---
Co n l i miar fio do expediente do dia 19 de abril
de 1865.
Offlrio ao coronel commandante das armas.
Tendo-nie diversos voluntarios, e enlre elles Joa-
quim Thoraaz Ribeiro Varejo, pedido transferen-
cia para o 2 batalhao de voluntarios e para dei-
xar coosignagSes as suas. familias, remetto a V. S.
os respectivos requerimenlos, para qne sobre elles
informe, remettendo-me lambem urna lista de to-
dos aquelles que preteDdem faier laes consigna-
res, declarando-se nella quaes as quantias que
querem consignar, as pessoas a quem devem ser
entregues em que lugares residentes, fazendo V.
S. saber aos mesmos voluntarios que devem dei-
xar procuracoes bastantes para taes recebimentos.
Tambem recommendo a V. S. que faca de novo
inspeccionar de satde o voluntario Jos Antonio
mcapazes, por molestias, doservico militar, com-
municando-me com urgencia o resultado da ins-
peccao.
Relago a qBe se refere o offlcio suppra.
Capitn Francisco Goncalves de Arruda.
1" cadete Joaquim Agripino Furlado de Men-
donga.
2u dito Joaquim Francisco de Paula Negromonte.
Dito dito Octaviano Alfredo Gomes Padilha.
luto dito Manoel Franca Carvalho.
Dito dito Antonio Deoclecio Gonzaga.
Dito dito Joaquim Amancio de Freitas Castro.
1 sargento Francisco Santino de Souza.
i- dito Pedro Hygino de Gusmo.
Cabo de esquadra Damin Peregrioo de Oveira.
Soldado Bernardo Joaquim da Costa.
Dito Francisco Ferreira de Araujo.
Dito Joaquim Ramos da Silva Moreira.
Dito Lourenco Jos de Sant'Aena.
Dito Francisco Paes Brrelo Luis.
Dito Clementino Joaquim Mamede de Albuquer-
que.
Dito Luiz Antonio de Souza.
Dito Guilherme Gomes Barreto de Farias.
Dito PurOrio M ndes Martlns.
Dito Manoel de Souza Guido.
Dito Manoel Lemos Ferreira.
Dito Luiz Apngio de Oveira Salermo.
Dito Manoel Joaquim do Nascimento.
Dito Joao Bernardino Mariano de Sena.
Dito Manoel de Souz aCardozo.
Ditoaor. chefe de polica.Remollo inclusa
o requerimenlo que me iuJeregou John Cowu para
que V. S. mande iudagar dos tactos de que ar-
gido o inspector de quateiro Euedino Frucluoso
de Couto Gouva e o faga destituir do lugar de ins-
pector a seren exactas as allegacdes feitas pelo
supplicante.
Dito ao Dr. juiz de direito do Lmoelro.Em so-
lugo as duvldas constantes do seu offlcio n. II de
19 Je fevereiro ultimo tenho a dizer-lhe : 1, que
em vista dos avisos n. 425 de 2o de novembro de
1857 e 181 de 20 de abril de 1861, o presidente da
cmara municipal transada pode por si ou com o
secretario da mesma deferir juramento aos jiovos
vejeadores e que o niais votado desles assim jura-
mentado, deve com o secretario juramentar os que.I
forem comparecento at completar numero legal
para funecionar a mesma cmara : 2, que em face
do aviso 246 de 21 de agoslo de 1858, o presidente j
da cmara passandoasuostituir o juiz municipal de-1
ve accumular um e oulro cargo, porque so ha in-
compalibilidade na accumulago delles quando o
substituto chamado para servir o lugar de juiz
municipal em viriude de nomeacao do governo e !
nao em virtode da lei, como o vereador : 3o fi-:
nalmente que sendo o curador de orphaos eotidade
di- tiiieta do juiz dos mesmos ede nomeacao deste nao
podem esse.* dous cargos estar acumulados no,
mesmo individuo pela diversidade de suas funecoes
do mesmo modo que nao podem estar reunidas as.
de juiz de paz e curador. Portara de 13 de outu-
bro de 1831.
. 20 l-
Officio ao Exm. Dr. vigario capitular desta dio-j
cese.Para satisfazer a deliberago da assembla
legislativa provincial sirva se V. Exc. de dar seu
parecer acerca do mcluso projecto a. 44 deste an-
no que eleva a matriz a capella de Nossa Seuhora
na yovoago de Belm na freguezia e comarca de
Canrqb com a invoccao da mesma Seuhora.
Dilo ao Exm dezembargador provcJor da Santa
Casa de W'zericordia.Srvase V. Exc. de decla-
rarme se podem ser admittdos no hospicio dos
alienados os dous de que trata o Dr. chefe de po-
lica no o!lle,io junto n. 557 de 19 do corrente que
me ser devolvido.
Dito ao mesmo.Quelra V. Exc. de -larar-me se
possivel a admisso no hospital de Pedro II, do
enf'-rmo de que trata o Dr. chefe de polica, no in-,
cluso offlcio n. 553 de 19 do corrente, que rae de-^
volver.
Dito ao coronel commandante das armar.Sir-
va se V. S. de informar sobre o que pede no inclu-
so requerimenlo Joaquina Tliereza de Jess.
Dito ao mesmo.D V. S. suas ordens para que
vao servir na compaohia, sob o commando do al
feres Felipoe Jos da Exalucio Manlva os Volun-
tarias da Patria Honorato Jos dos Santos, Luiz An-
tonio de Souza, Manoel Polycarpo da Luz e Manoel
Vicente Ferreira, este pertencente ao 2e aquelle
ao Io carpo.
Dilo ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pedera nos requerimenlos juntos
Joaquim de Pigueiredo e Manoel ias de Tollede
Jnior.
Dilo ao mesmo.Mande V. -'. dar baixa do cor-,
po de Voluntarios a Maooel Salusiiano do Sacra-
mento e apreseoia-lo ao comoundante superior da
guarda nacional do Recife, como este requisitou
em offlcio de hornera, aflm de cumprir o contrato
2ue fea aquelle individuo para servir na qualidade
e tambir do l9 batalhao de iofantana da mesma
guarda nacional.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa do ser-
vico militar, como se deierminoa em aviso da re-
faca entregar ao commendador Antonio de Souza
Leo, que provou ser o mesmo individuo o seo. es
cravo de nome Rufino.
Dilo ao mesmo.Sirva-se V. S. de remetter-me
com a possivel brevidade urna relaco nominal
dos Voluntarios vindos do termo de Garanhuns sob
o commando do capitao da guarda nacional Can
dido Jos de Barros que foram alistados no corpo
de Voluntarias da Patria, fazendo V. S. outro tan-
to acerca dos 114 Indios, vindo3 do termo de Cim-
bres, sob o commando do lente do corpo de poli-
ca Manoel Germano de Miranda.
Dito ao inspector da Ihesouraria d fazenda.
Ao tenente Pedro Paulo dos Santos, mande V. S.
pagar, em vista da relaco e pret juntos em dup-
plicata e nao havendo inconveniente, a qnantia de
23$400 res, proveniente da etape abonada pelo te-
nente Manoel de Souza Braga, aos reerntas Anto-
nio Joaqoim dos Santos, Martinho Jos Claudio,
Manoel Hermenegildo do Bomflm, Manoel Martins
deOliveira, Francisco Alves Pereira, Celestino Jos
Alexandre, Bernardino Jos de Sena, Francisco
Jos Ferreira, Joao Francisco do Nascimento, Jos
Antonio de Andrade, Joao Branco de Souza e Ma-
noel Dutra, e bem assim ao Voluntario da Patria
Joaquim Pereira da Silva que vieram do termo de
Caruar para esta capital, sendo que segundo cons-.
ta de offlcio do chefe de polica, datado de hontem,'
--------------- ----- -. ~---------r^~ ( -----*w v..t ,,,,,, v t, oVuo< iav .-ni.mu' _ii'_< a
sivel, anm de poder-se organisar um batalhao todo posse do tmulo desse que expiroumorte affronto-
de Indios, com o que prestariam elles, e os que pa- sa para remir o castigo do homem; porque foi elle
ra isso concorrerem, um servico do maior al anee quera, estabeleceado na trra a le da igualdade,
e importancia que muito os recommendaria ao go-, debellou o despotismo e a oppresso.
verno imperial. c Marchai, portanto, Voluntarios da Patria, sa-
lmo ao juiz de direito de Garanhuns, Com o crosanta cruzada Brasileira contra o Paraguay com
offlcio de Vmc. de 16 de tevereiro ultimo recebi, a a conscieucia do justo, com a resignaco do dever,
lista dos jurados ltimamente qualifleados nos ter-, e com a confiahea do verdadeiro crente !
mos do Bom-Conselho e S. Bento dessa comarca, e Esse conjuncto de elevados senlimentos ser o
opportunamente tomarei em consideracao a mate- prodigioso talismn contra as armas adversas e o
ria de seu citado offlcio. lisongeiro precursor de um infallivel e glorioso tr-
Bespiehoss do dit 19 de abril de 1865. umpho!
OSi. 1
riosa quanlo pelo verao forte seccam as cacimbas
e fica-se a estalar de sede; o que ora se d, poden-
do ter sido talvez prevenido se j se houvesse dado
secubtario d conta do seguinte
EXPEDIENTE
Um offlcio do secretario do governo, remettendo
47^E%^^
^sasss presidencia*'a ^StnsiamSkSgr.
O Sr. IIu.vuque requer que se proceda leltura l!,re'.n,es,re F-'?/* d Santa Anna Locio
da nrormacao suppra, no que foi satisfeito.
O Sr. Souto Lima pede a publicaco da mesma
inormacao do peridico offlcial.
O Sr. Presidente declara que ser attendido o
pedido do oobre depulado.
ao
pnmeiro corpo de Voluntarios da Patria, como que
pedindo a proteccao do co para elles ; pronun-
ciando o Rvm. Lino do Monte Carmello Luna urna
bella allocucao.
Ao acto as-stiram o Exm. Sr. presidente da pro-
Outro offlcio doUemesmosecre.ar.o, transmittlndo coSo au^'e a et IZZt*1' bm Cm
o offlcio do inspector da Ihesouraria provincial, em t|Ue era elle nerec"*-
Requerimenlos.
Adolpho Maria de Albuquerque Lias.Prove
isenga legal.
val n. 861 de 22 de julho do mesmo anno, nao po-
de ter lugar o que requer o supplicante, que nao
atlingio anda a maior idade, era foi desligado
para ser entregue a sen pai ou tutor.
Benedito Jos de Freitas.Prove o supplicante o
8 sob u. 5o8, o de nome Antonio Joaquim dos! que allega dentro do prazo de 10 dias, para o que
Santos foi posio em liberdade por incapaz do ser-; ser transferido para o 2." corpo de Voluntarios.
tico, o os outros remettidos com opredito volun-j Domingos Antones Vlllaca.-Tendo nesta data
tario ao commandante das armas, para terem o; revogado a dehberacSo lomada pela presidencia,
cof.venientedest.no. em 29 de novembro Ando, e mandado vigorar a or-
Dito ao mesmo.-Mande V. S. ajustar contas ao i dera expedida no 1.' de ontobro do anno prximo
1. corpo de Voluntarios ale 30 do corrente e pas-1 passado, nada ha que deferir acerca do que requer
sar-lne guia de soccorrimento, visto ter de seguir: 0 supplicante
para a corte brevementente Francisco Manoel Bezerra de Vasconcellosj-
;mo.-Tomando em consideracao o Informe o Sr. director da Instruceo publica.
F em Deus I
F as instituicees I
F no anjo tutelar do Brasil I Que fazendo-o
Be'nedito Rodrigues Campello.-Em vista das: desusar melhores lempos, abrir-lhe-ha um futuro ta cidade, pedindo preferencia na extraeco de
disposicoes do avise do ministerio da mannha de ta? he" ,o risonho, que lia de ser invejado por suas loteras. A' cemmisso de fazenda e orca-
5 de margo de 1864, e da consulta do conselho na- Wdas a nagoes 1
' E como disse o poeta :
que pede um crdito suppiementar w importan".: sent smS^H ."^J ^TidSo Pe"
Sv^S83 Um- ~ A' C01"mSS5 de r?amen, U^^i^iPli* Sr J0"
Urna peiigo de Vicente Ferreira Coe.ho da SU-' mJ&3SXS> ?ffStZS^
va, professor jubilado, pedindo a gratifleago que
Ihe compete em virtude da segunda parte do art.
28 da lei n. 369.A' commisso de ordenados.
Outra da irmandade de S. Jos de Riba Mar des-
que expoz no incluso requerimenlo o bacuarel Joa- (" Francisca'Joaquina dos PraiereT-Prove o que
quim Ferreira Chaves, juiz municipal e de orphaos allega.
do termo de Ingazeira, recommendo a V. S. que
mande pagar-lhe os seus vencimentos a contar de
12 de dezembro do anno prximo passado at 31
de Janeiro ultimo, tempo em que por doente de-
xou elle o exercicio do seu emprego, consideran-
do-se para esse flm abonadas essas faltas.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que em
vista de sua informago do 1 do corrente sob n.
218, dada com referencia a da contadura dessa
Ihesouraria, mande pracessar para ser paga quan-
do houver crdito, por pertencer ao exercicio ja
encerrado de 4864 a 1865 a qnantia de 9905000 inspector do arsenal"de"mrinh"
que se esta a dever a Antonio Ferreira Guedes por
haver concluido, de ronformb'ade com o seu con-
trato constante da inclusa copia, e que me remel-
len o director das obras militares com offlcio de
11 de margo ultimo sob n. 9, os concertos de que
precisa va a capella da fortaleza de Itamarac, cum-
prindo que o mencionado Guedes pague, se anda
o nao tiver feito, o sello nacional correspondente a
esse contrato.
Dilo ao mesmo.Em vista dos Ires prets juntos
Francisco de Carvalho Paes de Andrade.Selle
o auto de exame e volte.
Flix Cavalcantede Albuquerque Mello-Selle o
requerimento que dirige ao governo imperial.
Ismiro Joao de Barros.Informe o Sr. capitao do
porto.
Irmandade do Santissimo Sacramento da fregue-
zia de S. Frei Pedro Goncalees do Recife. Dirja-
se ao Sr. commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.
Joaquim Pereira da Silva Mallos.-Informe o Sr.
Esse gigante impotente,
Sera forca, sem robustez
Como o archanjo iuzente
Que o rebelde lem aos ps
Ao mundo, que aos ps Ihe treme,
Que em negra borrasca freme
Com desmedido fragor,
Dir, batelo no peiio :
Eis-me aqui, rndeme preilo ;
Eis-me aqui sou teu senhor I
Voluntarios da Patria I Modelai vossas aegoes
pelas do vosso bravo, circumspecto e brioso com-
mandante.
ment.
E' lido e fica adiado para ser tomado em consi-
derago em tempo opportuno, o seguinte pa-
recer :
A commisso de instrnego publica, tendo de
emittir o seu parecer sobre o projecto n. 24 deste
auno, e emendas que Ihe foram apresentaaas em
segunda discussao, considerando que do grande
necessidade a creagao de mais cadeirasde instruc-
go primaria nao s em alguns dos lugares indica-
dos, como em outros, cuja populago reconhece a Santo Asinho Z* SETTi ,CT
commisso ter crecido bastaje, en.ende que de- J J g?' PW WK*"5
vem ser creadas as ditas cadeiras, pelo que a
commisso de parecer que seja adoptada a seguinte
emenda ao projecto :
Depois das palavras comarca de Palmares
digase-uma para o sexo mascolino na freguezia
quando as vossas tribulagoes e angustias,' de S. Jos do Recife e outra em Santo Amaro das
as dilacerantes saudades da ierra natal, tiverdes; Salinas na freguezia da Boa-Vista desta cidade, e
necessidade da consolacao, do conselho de um ami- as do sexo femenino nos seguintes lugares : urna
go, de um irmao, de um pai; quando, emflm, pre-', em S. Jos do Recife, urna na freguezia da Boa-Vis-
cisardes do auxilio de um homem pronipto sacri-! ta desta cidade, urna em Santo Amaro das Salinas
icar-se por seu semelhante, recorrei, recorrel con desta cidade.uma em Goianna, urna em Gamelleira,
Hartamente, ao vosso prestigise companheiro d'ar- urna em Correles, e urna na Gloria do Goit.
mas, capitao Antonio Candido Canral, digno com-; Sala das commissdes 20 do abril de 1865. Ro-
mandante da lerceira companhia dessa phalange de, chael.Goncalves da Silva.
urna subscripgao para o Bm de fretar o vapor Pa-
ralaba para acompanhar o vapor S. Francisco, que
conduz os Voluntarlos da Patria desta provincia,
e efectivamente ir dito vapor com urna escolhida
reunio de pessoas do commercio e de differentes
ciasses.
Ira a bordo a msica Uniao Commercial, que
obsequiosa nenie accedeu ao pedido daquelles, e
consta-nos prepara escolhidas e variadas pegas. O
vapor ir embandeirado e tapizado de flores, e or-
nado como exige o acto.
Durante o acompanhamento grande numero de
foguetes devem subir ao ares, annnnciando a so-
lemne partida desses bravos para o theatro da
guerra
O S. francisco ser acompanliado at o cabo de
nto Agostinho, pelo vapor
pessoas que forem a seu bordo de apreciar as dis-
bravos, recorrei esse prototypo da honra, esse
symboloda religio da a raizad*, que o encontra-
reis sempre franco, sempre leal e sempre dedi-
cado.
Eu que assim vo-lo garanto porque j o ex-
perimente!, e o experimentei na adversidade I
Joaquina Thereza de Jess.Indeferido por nao
ter allegado nem provado motivo atteodivel
Lourenca Maria de Albuquerque.Prove o que, .
allega. ao Maranhao I Ide ao campo da honra colher lou-
Manoel Joaquim Alves da Silva.-Indeferido por rs e Perpetuar gloriosamente o nome de Mara-
nao pe>-miiir a legislago a entrega do peculio an- r
Vo a imprimir os seguintes pareceres :
A commisso de posturas c negocios de cma-
ras municipaes, tendo examinado attentamente o
projecto de posturas da cmara municipal da villa
do Buique, de parecer que, corrigido pela com-
mlssso de redaegao o mesmo projecto, seja elle
r Representantes de todas as opinioes polticas approvado com as spgnintes alteragSes :
Supprma-se o art. 4.
tes dos vinle e um aonos.
Mana da Cruz.Indeferido por nae ter provado
isengao legal.
Maooel Luiz Coelho de Almeida.Revogando
em duplcala que me furam remettidos com o offl- nesta data a deliberago tomada em 29 de nvem-
elo do commandante superior de Olinda e lguaras-1 bro do anno passado, determino que fique em seu
su de H do corrente, e nao havendo inconveniente in,eiro Vig0r a ordem expedida no !. de outubro
mande V. S. pagar os vencimentos relativos aos daquelle anno. mandando Intenlar acgo de com-
2^!.?KaJ^^1lro n?ar*J!l1 ;?2.,l^ca5Iela d01 Domffiftt Antunes Villaga, por ter
9 batalhao da guarda nacrtmai de Otinda, Ciernen- subemphytenticado sem consentimnto da presiden-
n Ia" ... | cia os terrenos de marinha. de que trata o sup-
Dito ao inspector da thesourana provincial. pijeante
Communico a V. S., para seu conhecimenlo, que j Manoel Faustino de Mendonga.-Informe o Sr.
segundo consten de offlcio do respectivo 1 secre- engenheiro chefe da repartgo das obras publicas.
io de 19 do corrente sob n. 7o a assembla le- Melchisidech Aaro de Albuquerque Lima.-Cer-
nhense I
< Constitucionaes alistados no corpo de Volun-
tarios I A vossa resolucao duplamente satisfacto-
ria e benfica 1 Acudistes ao appello que a patria
vos fez ; e seis, nessas briosas lilelras, o teslcmu-
No art. 8 supprimam-se as palavras e veda-
do-al o flm do art.
Supprimam-se os art. 9 e 1".
Sala das sessoes da assembla legislativa pro-
vincial 22 de abril de 1865. Souto Lima. Na-
bor.-Soares Brando.
Hho mais autentico, a prova mais eloquente de que A commisso de ordenados examinando a peti-
a opposigo, quando se irala do Brasil, quando se tigo de Jos iNicacio da Silva, professor de grara-
trata da dignidade nacional, olvida o passado, sup- malica latina, addido ao Gymnaslo Pernambucano,
porla o presente, e despeito das dores da oppres- (em que pede a esto assembla igual ordenado ao
sao, anima os seus para se distnguirem em to dos de mais professores da mesma lingua no refe-
nobre e santa causa I rido Gymnasio; e attedendo a que os professores
Vrenles renovos de um tronco raagestoso I da primeira e segunda cadeira percebem 1:2005
Agora me dirijo vos I Filhos do patriota e popu- de ordenado e que o supplicante sujeito a todas as
gislativa provincial nomeou para offlcial-maior de
sua secretoria ao.bacliareljAdelino A. de Luna Frei-
r, para o lugar de 1 offlcial archivista que foi
creado pela mesma assembla o Io offlcial Francis-
co Xavier Carneiro Lns, com a gralilicaeioan-
nual de 1003 alm dos vencimentos que j percer
bia e para o lugar de 1 offlcial o cidado Fraacis- -vista da informar-So doSr. coronel commandante
.\ l'ini ion fin An-.tril
(fique.
- 20
Capitao Antonio Marques de Hollanda Cavalcan-
ti. Dirija-se ao Sr. director geral da instruego
publica.
Delflna Francisca das Chagas. Indeferido em
co Pacifico do Amaral.
Dilo ao mesmo.-Para satisfazer a deliberago
da assembla legislativa provincial, informe V. S.
com urgencia sobre a materia da inclusa petigo
de D. Mana Theodora da Costa Alves Ferreira.
Dito ao coronel Jos de Carvalho Araujo Caval-
canti.Respondendo ao offlcio de V. S. de 9 do
corrente sob n. 20, lenho a dizer-lhe que com o
capitao da guarda nacional Candido Jos de Barros,
se apresentaram para servir no corpo de Volunta-
rios da Patria, no qual raandei os alistar os cida-
daos de nomes Antonio Jos da Silva, Pedro Anto-
nio dos Santos, Lino Antonio de Jess, Antonio
Thomaz de Oveira e Manoel Joaquim da Silva,
retirando-se os demais por nao quererem alistar-
se, e o de nome Joo Bispo dos Santos por ser
doente.
Quanto ao individua de nome Joo Raphael da
Costa, que se acha detertlo a minha ordem pelos
motivos expostos no offlcio que V. S. dirigi ao
juiz de direito dessa comarca eque por copia trou-
xe ao meu conhecimento, deve ser elle restitnide a
liberdade, visto que o Voluntario da Patria semen-
t considerado como tal e sujeito as leis e disci-
plina militares depois que juram bandeira, caso
em que se nao acha o individuo em questo, po-
dendo todava ser responsabisado p6lo foro cri-
minal se para isso houver materia.
Agradecendo muilo o louvavel auxilio que V. S
ha prestado a minha administrago na acqqisigo
de voluntarios, espero de seu patriotismo e dedica-
go a causa da patria qne nao arrefecer nesse
empenho digno dos maiores elogios.
Dito ao lenente-coronel Dr. Pedro Beserra Pereira
de Arauo Beltro. Com gua passada por V. S.
se me apresentou, e mandei-o alistar no corpo de
Voluntarios da Patria o cidado Pedro Jos dos
Sanios, de que trato V. S. em seu offlcio de 15 do
coerente, a que respondo agradecendo muito a va-
liosa coadjuvago, que lem prestado a esta presi-
dencia na acquisigo de Voluntarios-
Dito ao director geral da instruego publica.
Para satisfazer a deliberago da assembla legisla-
tiva provincial preste V. S. com urgencia urna noto
dos alumnos, que foram approvados as materia-
do gymnasio Pernambucano desde que este estabe-
lecimenlo principioiat f&occionar.
Dito ao commandante^ do" corpo de polica.Aus
lonso a V. S. a dar baixa ao soldado do corpo do
seu commando, Leulhier Antonio dos Santos, que
foi considerado incapaz do ser vico em inspecgo
de sade, como consta da sua inrormagao n. 245
datada de 19 do corrente.
Dito ao mesmo. D V. S. baixa ao guarda da
secgo urbana do corpo s>b seu commando, Joa-
quim Ursino Cavalcante, visto qne, segundo o seu
offlcio de hontem n. 242, foi considerado incapaz
do servico era inspecgo de sade.
Dilo ab mesmo. Auloriso a V. S. a exc nir do
corpo sob sen commando, se fr julgado apto para
servir no de Voluntarios da Patria, como se offere-
ceu, o soldado Jos Fernandas Rodoyallw, de que
trata o seu offlcio n. 247 desta data.. Jt-te senti-
do oflkiou-se ao coronel commandanto^ps armas.
Dito cmara municipal do Recife.Para satis-
fezer a deliberago da assembla legislativa pro-
vincial, informe a cmara municipal do Recifs com
urgencia se considera em vigor o art. 7 do litlo
1 de suas posturas, e se este artigo lem sido res-
trictamente cumprldo, como deve.
Dito ao vigaro da freguezia de Aguas-Bellas.
Recebi o seu offlcio de 5 do correle, e muito Ihe
agradego o donativo que fez Vmc. de 15 por cento
das armas de 19 do corrente.
Escolstica Rufina da Silva Barboza.Informe o
Sr. direcior geral da instruego publica.
Francisco Botelho de Andrade.Inerme o Sr.
engenheiro chefe da reparligao das obras publicas.
Flix Antonio de Alcntara.-Dirija-se ao Sr.
coronel commandante das armas.
Joanna Joaquina de Sant'Anna.Indeferido por
nao allegar nem provar isengao legal.
Jos Miguel Rodrigues Indeferido por nao ter
provado a menoridade do seu fllho.
Jos Ferreira Galvo.Indeferido era vista do
parecer da junta de sade.
Rosa Maria de Oveira Costa.Dinja-se ao Sr.
director geral da mstrucgo publica.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartel do commando das armas de Pcrnarabneo
na cidade do Recife, 22 de abril de 1865.
Ordem do dia n. 57.
O coronel commandante das armas interino, em
vista do offlcio recebido aa presidencia, na dato
de hontem, tem a satsfago de fazer publico para
conhecimento da guarnigo que o governo de S.
M. o Imperador houve por bem, por aviso expedi-
da pela reparligao da guerra de 10 de fevereiro ul-
timo, mandar louvar e agradecer
lar Jos Curcino I Ide imitar em bravura e heros-
mo vosso respetavel e sempre pranteado pai I
< Procedei com tonto denodo no campo inimigo
como oulr'era vosso progenitor se houve aqu, en-
tre nos, proclamando e fazendo a independencia do
Maranhao I
t Oh I vos o imitareis, sem duvida I
t Porque a vossa presenga ah, no corpo dos
predilectos da nago, sendo urna inspirago pro-
funda, revela summamente que o sagrado fogo do
amor da patria, que tanto inflammava o peito do
heroico pai, coube em heranga aos esperangosos
filhos.
t Voluntarios Amigos I Eia Avante I
O momento bem triste I E' cruel !
Mas, em breve, nos campos do sol
Da gloria colhereis o laurel I
Seja o grito de guerra entre vos
Maranhao 1 Maranhao I Maranhao
P'ra diante com rosto sereno
Recuar----Isso nunca I isso nao I
t Ide I E voltai, em breve, cobertos de gloria I
< Para depois de lerdes abracado jubilosamente
vossss amigos e prenles, em um bello dia como o
de hoje^enloardes, com o mais vivoenthusiasmo,
estos reverentes e profundas saudagSes :
Viva a regio catnolica apostlica romana I
Viva S. M. o Imperador I
Viva a conslituigo poltica do estado I
Viva a briosa marinha brasileira 1
t Viva o bravo e invencivel exercito I
Viva S.Exc. o Sr. presidente da provincia pe
los servigos prestados magna caua I
Vivam os denodados Voluntarios da Patria I *
t Joo da Malla Maraes Rego.t
disposicoes rpgulamentares
menlo, funecionando juntamente com aquelles1
professores, prestando os mesmos servigos, perce-
be apenas o ordenado de 720$ : por isto achando
ser de justica o que pede o supplicante, de pare-
cer que se adopte a resolugo seguinte :
A assembla legislativa "provincial de Pernam-
buco resolve :
Art. nico. Fica equiparado o ordenado do
professor de grammatica latina, addido ao Gym-
nasio Pernambucano, Jos Nicacio da Silva, ao
dos demais professores da mesma lingua do refe-
rido Gymoasie.
Revogadas as disposigoes em contrario.
Sala das commissdes 22 de abril de 1865.
Silva Barros, Joo Braulio.
Ora pela ordem o Sr. A quino Fonseca.
O Sr. Gaspar de DrummonS fundamenta e manda
mesa o seguinte requerimenlo, que approvado:
Requeiro qne a portara do presidente da pro-
vincia aposentando o ex-offlciai-maior da secrela-
linclas qualidades dsSr. Joaqaim Jos Martins, mu
digno commandante daquelle vapor.
Os empregados da companhia Pernambucana sao
dignos de louvor, concorrendo por semelhante for-
ma cora seus bons offlcios, para que essa partida
tenha a solemnidade que merece.
O vapor Mamanguape, se chegar a tempo dos por-
tos do norle, consta-nos ser lambem fretade e pa-
ra o mesmo fim, pelos negociantes.
No Hospital Portuguez de Beneficencia pro-
cedeu-se hontem disinbuicao do Sagrado Viati-
co aos doentes all recolhidos, em vista de dispo-
sigo dos estatutos.
Presidio ao acto lodo o recolhlmento e devoglo
condignas, assistmdo, alera da junto administrativa
e o menico da casa, diversas pessoas gradas.
O estabelecimento eslava lodo em galas, e foi
muito visitado durante o dia.
Passageiros do vapor nacional Persinunga,
sahido para Acarac e portos intermedios : -Alfre-
do Leopoldino de Moura Ribeiro, Luiz Mosquito de
Loureiro Moraes, Francisco Somos da Silva Re-
tumba e 1 criado, Jos de Villa-flor, Raymundo da
Costa Ribeiro, Francisco Tavares Pessoa de Araujo
Juaior, Miguel Pessoa de Oveira Tavares, Ilde-
fonso da Costo Ramos, Francisco de Paula de Sou-
za Leao e 3 criados, Alexandre Jos Vieira, Joo
de Medeiros, sua raulher e 2 lilhos, Joo Ramos,
Dr. Antonio Florentino Mindello, Thereza de Jess
Azevedo, urna neta e 3 escravos, Joo de Oveira
Rabel lo, Manoel Sb. de Oquirro, Manoel da Fonse-
ca, Raymundo Duarte de Lima, Miguel Antonio
Sobral Fiel, Giacomo Amonio Chiarello, Carlos Joa-
quim Pinheiro de Vasconcellos, Samuel Halliday.
Passageiros do vapor nacional Parahyba,
vtndo de Aracaj e portos intermedios : -Pedro.
daqueMeestabeleci- Candjd0 de >|Duquerque, Adolpbo de Dutoga,
Francisco Gongalves Torres, Joaquim Pedro da
Cunha Moreira, Jos P. Rodrigues de Barros, Jos
Dommgues Gongalves Torres, alferes Bernardino
C. de Araujo, padre Manoel A. das Dores, Antonio
Teixeira de Albuquerque, Antonio Jos de Carva-
lho, Joo Rezendo Duro, Francisco Jos dos Santos
Honorato, J. Jos Cuuha de Lemos, Manoel Pe-
reira Camello, Joaquim Antonio Gongalves, Urba-
no (Africano livre), 1 voluntario da patria, 5 pra-
cas do corpo de guarnigo de Tacarat, 2 mulhe-
res e 2 filhos dos raesmos, 1 preso e 4 pragas que
o escoltara.
Passageiro do brigue nacional Amelia, sabido
para o Porto por S. Miguel : Manoel Rodrigues
de Mendonga.
Passageiros do patacho hespanhol Themoteo
11, sahido para a Parahyba : D. Juan Busson e
Manoel Joaquim Seve.
Cemiterio publico.Obituario do dia 21 de
abril de 1865.
wS&T^&SST*aeomm,ss0 de! s*k -** n-. s^ denliao-
P Vk7 uru'",nona- Sebastio, Pernambuco, 18 annos, Boa-V sta, con-
E tambem approvado o segrate requerimenlo: vulsoes
Requeiro que se pegam novamente ao governo '
da provincia as informagoes relativas aos negocios
a prova de pa-
triotismn do Sr. 2o lente da companhia de artiti-
ees desta provincia, Honorio Domlngues de Mene- Hontem chegou de Alagoas o vapor Parahyba,
es Doria, que se offereceu para ir prestar oo Rio com datas 21 e de Sergipe at 13 do corrente.
da Prata os seus servigos, que sero utilisados em Sergypb.Achavase j organisado completa-
lempo conveniente. mente o Io corpo de Voluntarios da Patria, com o
(Assignado.) Jos Marta Ildefonso Jacome da pessoal de 322 pragas, divididas em 4 companhlas.
Veiga Pessoa e Mello. Para commanda-lo foi ooraeado o lenente-coronel
(Conforme)Antonio Francisco Duarte. i" teen- da guarda nacional Francisco Flix de Freitas Bar-
te ajudaote de ordens interino,encarregado do de- reto.
talhe.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Era esperado o vapor Valeria de Sinimb,
para conduzr o corpo para a Babia.
Alagoas.Haviara chegado de Jacuipe 35 indios
para Voluntarios. O numero destes elevava-se
a 150.
- J se achava na capital o contingente de
No sabbado a tarde chegou o $ Francisco, pro-
cedente do Maranhao, d'onde traz trezentas e tan-
Pelo vapor de guerra S. Francisco, chegado sab-: guardas nacionaesdo batalhao de Anadia, bem co- las pragas do corpo de Voluntarios d'aqnella pro-
bado alarde directamente do Maranhao, recebe- j rao *eui commandante, o Sr. imbuzeiro, que de- vincia, e deve seguir para o sul depois d'amanha,
mos jornaes al 15 do corrente. Te se-io desse contingente. levando a seu bordo o l. corpo de Voluntarios da
A semana santo foi ali celebrada com solemni-1 "~ A endiente do rio S>. Francisco foi urna das patria desta provincia, cujo movimento de embar-
dade. | maiores que ali tem bavido ; snem a cincoento qUe lem lagar pela raanha.
O embarque dos Voluntarios da Patria foi muito 15los de r,s os Pajunos do muuicipio do Pe- Lembramos, pois, que se fechem no dia da sa-
da estrada de ferro.Buarque.
PRIMEIRA PARTE DA CRDEM DO DIA.
Contina a discussao do art. 12 do orgamento
provincial com as emendas offerecidas.
Oram os Srs. Loureiro, Buarque e Nabor.
A discussao fica adiada pela" hora.
Hennqueta, Pernambuco, 9 annos, Pogo da Panella,
convulsoes.
Mara, Pernambuco, 7 dias, escrava, Boa-Vista, t-
tano.
Joaquim Mesquita, Portugal, 28 annos, casado,
Boa-Vista, colite-ehronica.
Maria Jesuma da Silva Tavora, Pernambuco, 41
annos, solleira, Afogados, intente chronica.
n c i i. auuua, suurna, muxnuo*, luiente cmuuica.
SS. JtSt Kf!fr. 2J? ** Clara de Souza Pimenlel, Pernambuco, 32
continu a discussao do artigo supra, e, consulta-
da a casa fica a votaco empatada.
SEGUNDA PARTE.
Contina a primeira discussao do projecto n.
47 do anno passado, elevando cathogoria de ci-
dade a povoago de Pedras de Fogo.
Oram os Srs. Souto Lima e Jos Maria.
A discussao fica adiada pela hora.
O Sr. Presidente convida de novo os Srs. de-
putados para se reunirem no dia seguinte s 10
horas da manhaa, c levanta a sesso s 4 horas,
daudo para ordem do dia, alera das materias j
designadas, primeira discussao do projecto o. 52,
seguoda do de a. 27, e lerceira do de o. 30, todos
desie auno.
RBViSTA DIARIA.
concorrido e animado. Poucas horas antes do
embarque foi deslribuido na cidade o seguinte
avul.-o :
Voluntarios da Patria IA hora da partida se
approxima, e campre dar-vs o adeus de despo-
dida I
< O peito estalando-se-me de dr, pela vossa se-
parago, tem comludo robustez bastante para ex-
pedir raios elctricos do vulco do enthusiasmo
que o domina I
t Pleade dos bravos I Ouvi-me 1 Serel breve.
t O estandarte basteado por Pedro o Ermita pa-
ra a conquisto de Jerasalem nao era mais gran-
dioso, nao era mais magntico do que este que ago-
ra flucta, enlre nos, proyectando mageetosa e ga-
lifardamente em lodos os ngulos do imperio I
a A cruzada santo nao era, pois, mais justa e
nem mais louvavel do que esta que, na actualidade,
se prega em t )do o Brasil I
t Aquella linba por fim a posse do sepulcro do
Salvador, idea elevada, magnnima e generosa
f
nedo.
PERNAMRUCO,
ASSEMBLA PROVINCIAL.
36- SESSAO EM 22 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PEREIRA DE UltITO.
Ao meio dia, feita a chamada acham-se prsen-
les os Srs. depulados fBrilo, Baarque, Brando,
Amynthas, Ribeiro, Diodoro, Teixeira de Mello, G.
Campello, J. do Reg Barros, Araujo Barros, Ma-
ranhao, Nabor, Rochael, Ramos, Ayres Gama, Lou-
reiro, Souto Lima, Silva Barros, G. Drummond.
O Sr. Presiuknte abre a sesso.
lida e approvada a acto da sesso anterior.
Compareeeram depois
os Srs. Jos Maria, Anto-
nlo Vctor, S Pereira, Jacobina, Nelto, Cnnba Tei-
Esta tradu-se pela dignidade,' pelo engrande- xeira, Francisco ,Jedro e Baptista.
hida os estabelecmentos, aflm de que possa ser o
acto mais soleranisado com a concurrencia de to-
dos, que n'aquelle corpo ou tem um parete, ou
um amigo.
Os festejos da ra da Praia e a partida da Cari/-
bantina, estando annonciados para a vespera da
sahida dos Voluntarios, terio logar amanha.
Hoje celebra se a festividade religiosa da Se-
nhora dos Prazeresem sua capella, pontificando o
Rvm. D. abbade de S. Bento.
Hontem na freguezia de S: Fr. Pedro Gongal-
ves teve lugar a procisso dos enfermos, a qual foi
cercada da pompa devida.
O Exm. vigario capitular, tendo transferido
sua residencia para o seminario de Olinda, ahi po-
de ser procurado sem e.-colha de horas era easos
urgentes, e nos ordinarios naqoellas do expediente
diario.
Da Capunga pedem-nos que lembremos a
annos, viuva, Boa-Vista, catarrho pulmonar,
uamiana Maria dos Prazeres, Pernambuco, 45, an-
nos, casada, Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
casa de dbtrnqao. Movimento do da 21 de
abril de 1865.
Existiam presos 370; entraram 3 ; sabiram 6;
fallecen i; existem 366, a saber: nacionaes 281;
muflieres 3; estrangeiros 26; muflieres 2 J escravos
47; escravas 7; total 365.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 139.
Movimento da enfermara do dia 22 de abril de
1865.
Tiveram baixa :
Antonio Costa Barbalbo, gooorrha.
Jos Antonio Botelho, siphyiu.
Tiveram alto :
Jos Pedro de Santa Cruz.
Antonio Francisco da Silva.
Jos Antonio Correa de Mello.
Jos Domingos da Costo.
Thiago Alves Ribeiro.
Francisco Alves Ribeiro.
Antonio Manoel Alves dos Santos.
Joaquim Marinho Falco.
Joaquim Manoel Torres.
Hepauticao da polica.
extracto da parle do dia 22 de abril de 1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 21
do corrente:
A' ordem do Ulm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Jos Teixeira Bastos, a requisigo do inspec-
tor da thesourana de fazenda; e Felppe, escravo
de Bernardino da Silva Maia, sem declararlo do
motivo e posto logo em liberdade.
A'ordem do subdelegado da Boa Vista, Manoel
Antonio B Jlellio ou Jos Antonio Boleiho, para cor-
reego.
O chefe da segunda secgo,
J. G. de Mesquita.
CAWsRl MlMi.l 'AL DO RECIFE
4 DE JANEI-
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS
RO DE 1864.
Presidencia do Sr. Reg Barros.
Presentes os Srs. Barato de Almeida, Gustavo do
realisago do chafanz, caja factura j foi aotorisa- Reg, Leal Seve, Maia, Mello e Gameiro, brese a
da as condieoes requeridas pela companhia.
Esta necessidade se '.orna all lano mais impe-
sesso.
Foi lida e approvada a acia da antecedente.

i


m----^
Alarlo de fernatnbaco segunda felra 4 de Abril de 1865.
Leu-'e'owgfflnte jo rftpols que, prescindindo da qncsTXo de direito der, sem assignatara e desecho meu, a nao pro- dedeaunea contra Francisro Clemenle de Soma
EXPEDIENTE: par? resirwgii dc-facto, nota que as opniSes segu na conclusao do processa perlero danw* iespector eaiao do quarleirao do Poco Fundo por
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, res- dos dous dstncios advocados publicadas em segu- ciante desistido por empenhos do mesmo Gitana-' o harar amarrado e sarrado coro urna non do
ponderal ao qna a cmara lhe dirigi em 17 de ment aquella artigo, ato fornactm o qae pensara te. O escrivao recebeu do denooetao ftrffr-- corda de couro de lacar gado, fui a casa do referi-
detembro proxirn > rindo, pedindo autorisacao para o articulista com relacao hypotbese que se agita tancia do sea trabalho como me disse, e. nada mais "
contratar oo Mano! .Vive Guerra, o-plaotio de no juno commercial.
arvores as pravas, mas e caes desta cidade, me-! Para respondermos, pois, ao amigo sincero da
dianlo condeses seguras sem todava declarar justiga, convem que lhe digamos:
juaes sejam ellas, e por preca de 20,5 cada arvore:. 1. Que nunca foi Inconveniente e reprovado o
sei, porqueappareceumeClement*-
nem Uve com elle a menor intrevisia. Es-a. verda-
de do que se passoa ; na grande lebre, que levan-
tou o Sr. Rogerio, e incotio no animo desse inno-
do aiz eotao em exercicio na judicatura munici-
1 pai, aflm de despachar a mesma peticao e seguimos
roes de apresentados em WO. Devo dzer V.
Exc. que o major Antonio Gomes. Leal executou
mu bem, as ordens que lhe dei, occopon o Brejo
mais depressa qae eu esperaba, e dirigi ptima-
mente a marcha e operarles dos 3U0 homens que
lhe entreguei, fazendo abrir a estrada do Brejo,
pan aquelle logar : elle flisse-me que nao podia! afugentando os rebeldes, que impediam o caminho
ir por se achar oceupado, coocedeu-me licenca
para ir ioqserir tesiemunlus sobfe o faci deoua-
abe-lhe dizer a mesma cariara, que por ora nao disenr astjnestdes que se debatem ne fdro, e, pelo cente Clemente o grande medo, que tomn de mi- ciado. Realmente ahi dirigi-me, inqueri testemo
est disposto a conceder a autorisacao pedida.In- contrario, e isso do matar inleresse e vaolagem pa-1 nha upplencia, e qHe o nweua assignar aac- nbas qo*flenamente provarara a'aoeixa dedenun-
leirada e qoe se participas ao contratante, a re- ra a causa da justica; que a discussao decente el coraodacao feita por elle e Joo Manuel em casa ciantee.de volta enlreguei o feito ao mesrao juiz
querimento do Sr. Barata, que avista da decisaode comedida sem quebra de respeito aos casos julga- I de meu irmo, onde casualmente apparecl II que nis proseguio na conclusao do processo par
S. Exc. licava de nenhum efTeito lado quanto ha- dos afinal, e quaato raais quelles qae o nao sao, | Coaleso, qua errei em dar ao eserivao a Hbm*- haver odeaunciado se valido do denunciante de-
svia a cmara com o mesrao coniraudo. nao pode ser desr9peitenem deseonsideracao para ca saaredia, paren* do sq o nico, que lhe* ta- clarndoosle que desistia da denuncia e nao con-
Outro do procurador, remeciendo os balancetes com os jes, qoe nao gozara do dora da ipallibi- abo eaaredida. Atad, ha powo, alguen, 'qaesao tenda raatfccontra o seu oflensor. Nao se lomao.
da receita e despeaa no triawslra decorrida do ldade em suas deeisoas.; que es disaussaa.* maj liospade na. materia, como eu, e.padria.da*er- por terraa a desistencia, paraca a-juiz, nao lista
de outubro a 3t de derembro oMtno. A' commis- direito, e ainda mals, urna condieas de ordem pa- feicao, deu ao mesmo escrivao faculdade para fazer despachado a peticao de denuncia e nem assicna-
uo de polica. blica, preslabelecida na lei para auxiliar a fraque- um cerpe-dederieto em Madre de Dos, distante do o inqerito das tesUmuobas. Certifico mais
Outro do m?smo, informando a peticao na qual za do juizo humano; e que o raeio da imprensa, duas legua?, onde s appareceu o escrivao, e de- que recebi do denunciado Clemente a importancia
pelo qual se eslabelece a discussao, nao a desvir
la, porque em toda a parte onde penetra a luz da
civilisacao, e impera o poder da razao, a publicida-
pois de feito, foi arsignado por eUe.
Nao se encommode tanto, Sr. To
minhas fataes supplencias, que
ogerio, com as
felizmente forara
Antonio Domingos Pinto, pede o pagamento da
quantia de 60i0, de tres contas que juntava a
dita petiQe, proveniente de alagueres de cadeiras
para as aMimas elei{6es de vereadores e juizes de de dos negocios 6 urna aecessidade poltica de pri-' fetas pelo governo* decahido." Ellas terminaram, e
paz, quatro urnas que fez para essas mtsmas elei-. meira ordem : | V. S. ser permanente na sua subdelegada pelos
Coes, roapa para os africanos livres do servijodoi 2." Que a serie de arligos^encetada no Diario bous servicos que vai prestando, e ser iojuslica se
cemilerio publico, e 12 cadeiras que forneceu ao de 5 do crreme foi suspensa por torca de conside- nao tiver accesso na polica,
mesme estabelecimenlo.Mandou-se pagar. raedes estranhas materia dos meemos artigos, a j Emfim, senhores redactores, como o Sr. Rogerio,
Outfo do mesmo, informando ser exacta a quan-' respetw da qual nao ha entre os advogados desta, a tora do qae asseveren por sua palavrj autorisa-
tia de 28i de que em sua peticao pede pagamento i cidade urna so epima discrepante, que se encost da, refere-se ao major Joo do llego Maciel e ao al-
Claudio Debeux, por aloffueres de canos que torne- ao absurdo de que, para se declarar a fallencia a; feres Manoel Rodrigues Franca : dignem-se Vv. Ss
cera para diversas comroissoes da cmara, e para um devedor insolvente, seja de rigoroso mister que em seu conceitoado jornal dar publicldade a esta,
o eiigeoheiro cordeador examinar obras.-Man- elto esleja em effectividade de commercio : | aos dous documentos j indicados, e ao terceiro,
dou-se pagar.
Jos Tomaz Henrique, tenonte coreuel com-
inaiidanie da segunda columna.Antonio Nunes
de Aguiar, ajudante e quartel-raeslre general.
de meu trabalho e viagem da desistencia de 6 le- Jos Thomaz Henrique, tenente-coronel comman-
guas. Cujo processo principiado do modo exposto dante da segunda columna.
Efectivamente, por esta lllustrada assembla,
naadeveeer aapfwrado n> coarreto essencial-
mente aullo : !. por quanto fot elle eTeclna-
do elaadesttnameDte, nao s por nao lerem sido
annunciada as respectivas bases, oa clausulas,
para provocar a devida concurrencia, como sem-
pre foi estatuido pelas lata osaaes, e por estyl
inyariavel, se nao tambera por haver elle sido
la-mesmo presidente,
pessoa a quem eUe presuva tad a confianza e es-
tima, e per isso mesma. para a proteger procura va
| pelos seareditos meios- arredar as demais concur*
'Dos guarde 1(V.Ju pa ^^ajj-: 'JT^Tp^'SSSl^l^S.
Acampamento no Borato, 1.' de mato de 1840.- trae*, qae at a preseato niaS^ram anda n-
ltlm.eExm.Sr. coronel Laiz Alves de Lima, re- bfe^aTa. re^ivT^Ss t nnPe d
sidente e_comraandaote das armas destt prometa. naver o presidente estipaladowsas conditoes,
como efa (le sua rigorosaobrigacao, exiga do sap-
em varias trincheiras. Este offlciai ja recommen
davel nrsta columna peto zelo, vigilancia e activi- effecluado'cora olemtf*
dade, adquira nova gloria pela vaniagera que
conseguio por urna acertada direcgo.....
est em poder do mesmo juiz. O referido ver-
dade, do que don f.
Villa do Brejo, tS de abril de 1863.
Em f de verdade.
O escrivao do crime,
Elias Francisco Bastos.
(Estavam selados e reeouhecidos.)
Srs. redactores,
mercio da corte, n. 96,
Acampamento da segunda columna em opera
(des na villa do Brejo, i0 do seterabro de 1840.
Ordem do da n. 100.
Tendo-se apreseniado da molestia o Sr. capillo
do 7." baialbo provisorio.........
Muita agradefo ao dito Sr. major Leal o zelo,
actividade que empregou no arranjo do batalbo
n. 14, reorganisando o, conforme as ordens que
Pela leitura do Jornal do Com- ^ teVe e levando-o a melhor disciplina e recularda-
de 6 do crreme, yique de, ao mesmo passo que commandava o 7. bata-
Outro do engenheire cordeador, dzendo que ten- sincero da justica, que prolesse semelhanle doulri-
do feito por ordem da cmara differenles plantas'; oa; que o que dizem lodos geralmeote cousa in-
e tendo pago a quaotia constante da conta junta j leiramente diversa; islo que, para se declarar a
(1603) para seren desenhadas, traz isto ao conhe- {fallencia, necessario que o devedor insolvente se-
cimeoto da cmara, para que conforme de justi-: ja, ou tenJia sido comraercianle quando cessoa pa-
cj, se digne de ordeoer o pagamento desta despe-1 gamentos, nao importando nada para o caso que te-
za, visto qae nao tendo a cmara, um desenhista ; nha posteriormente deixado de ser commerciante;
seu, de toda a necessidade que as plantas feitas
pelo eogenheiro cordeador sejam convenientemen-
te deseobadas por om particular, para poderem ser
levadas a presenta do Exm. presdeme da provin-
cia.Mandou-se pagar.
Gutro do fiscal da Boa-Vista, commonicando ler
4. Que nao ha esenptor, excepsao do amigo | que a acompanham e declarar em abono da ver- [tres correspondentes desta provincia oceuparam- ibao provisorio de seu comraando effectivo.'Jos"
que oeste sentid* deram o seu parecer quelles
dous advsgados de que se fallou cima, dizeado
entretanto o anugo da justica que aopinio coatra-
ria, que um perfeilo disparate, nao opinio
nova
dade, se eu ou meu irmao directa ou indirectamen-
te livemos parle nesse escripto, que unto moles
tou ao referido subdelegado; com o que muito
obrigare ao de Vv Ss. seu menor servo.
Brejo, lo de marco de 1865.
Francisco Bengiur Cesar de Andrade.
DOCUMENTO N. 1.
Brejo, 10_de abril de 186o.
lllra. Sr. alferes Manoel Rodrigues Franca.Ten-
do_V. S. assisiido urna accommodacao feita entre
Joao Manoel da Costa Pinheiro e Francisco Clemen-
te de Souza, e escripto urna letra por este assiena
HJ^Tn^"Z?5a,0|3araCd0T?n-dante,-leriDO T,10maz Henrique, teneule-coronel commandante
do 1 corpo de Volntenos da Patria, aqu orga-, da segunda columna
25SSS? c.a.be?:d0:rae,?-gi:ad_*clr>_ ?" mod0_sem CoP do offltlo dirigido pelo major commandante
da segunda brigada das tropas expedicionarias
o." Finalmente, qae, na hypothese de que se tra- da favor daquelle em casa do meu.irmao vigrio,
o desembargador Alexandre Bernardino dos Reis e : ta, verifica-se perfeitamenle a falltneia, como a.le (em abono da verdade preciso, que atieste
Silva, dado priampie a abertura das janellas no oi- a requer ; porque o individuo que cessou paga
to de seu sobrado sito a ra da Imperatriz junto | montos era commerciante, embora hoje nao o seja;
ao solo do sobrado incendiado que tora desapro-, por conseguinte falli, pois era commerciante e co-
priado pela caciara, e como fosse ordenado a elle mo tal cessou pagamentos; nao se tratando agera,
fiscal, que nao consentisse em semelhante obra,' senao de declarar o facto preexistente da fallencia;
succede que iedo procurar o mestre pedreiro en-' que isto mesmo confessou elle em juizo, deca-
carregado da obra para declarar-lhe que nao era rando que era commerciante e que cahira em esta-
conveniente a abertura de taes janellas, c nao o do de insolvencia, fechando o seu ostabelecimento
encontrando, entendera-se com o referido desem- de commercio.
bargador, e farzendo-lhe a intimajao, este lhe res- Temos respondido assim ao amigo dajustiga, a
pondera que nao o attendla, e que s delxana de quem pedimos que lea com mais alten rao os es-
mandar continuar a abertura das janellas quando criptores eminentes de que fallou, sem especificar
osse pela cmara judicialmente embargada a sua o uome de nenhum.
obra, pelo oue houvesse a cmara de providenciar, j C. M.
Posto em discussao, o Sr. Barata de Almeida pe-
de a palavra, e diz que se a cmara deu semelhan-
le ordem ao fiscal, nao obrou acertadamente, pois
esteva convencido de que nao podi ella embara-
zar a obra, que em nada prejudica, tanto mais
quanto a abertura de janellas nao ia de encontr fraieisco Beringuer Cesar de Andrade a Rogerio
aTsTus'tavo do Reg, pedindo tambera a pala- i Lncio da Sil" *"<&**.
vra, declara pensar como o Sr. Barata. Sis. redactores.O subdelegado desta fregueza
O Sr. Medo pede a palavra, e fazeiido ver que Rogerio Lucio da Silva Magulliao na deficiencia de
CORRESPONDENCIAS
_1. Como foi feita essa accommodacao, e meu ir-
mao de que modo interveio n'eila.
2. A pedido de quem escreveu V. S. a letra, e
o que disse meu irmo a Clemente quando este en
tregou-a Joao Manoel.
3. Emfim, que parte tive nesse arranjo. Per-
mita que me sirva de sua resposta do modo que
rae approuver.
Desejo-lhe saude, e sou de V. S. amigo e obri-
gado
Francisco Beringuer Cesar de Andrade.
Illm. Sr. tenente coronel Francisco Beringuer
Cesar de Andrade.Ao i Tenhn a informar que
tendo ido eu no da 22 de junho do aooo passado,
a casa do vigario por passeio, ahi encontrei Joao
Manoel da Coste Pinheiro; e Francisco Clemente
de Souza, tratando de urna accommodacao entre si,
em razo do primeiro exigir do segundo um cont
de res, pelo valor do seu escravo Antonio, morto,
como dizia elle, por um escravo do mesmo Ciernen
te de nome Gamillo; e desos de muito ldarem,
nao querendo Clemente chegar ao valor pedido por
Pinheiro, e smenle quatro centos mil res, o vi-
gario foi por elles consultado e respondeu Ins, que
tendo a cmara desapropriado o sobrado incendia-' provas para contrariar o que disse a seu respeito nada poda dizer sobre a mesma quantia e accom-
do para abrir a ra que em segnimento do becco o correspondente desta fregueza na Revista Diaria | modagao, por que um era seu compadre e o outro
dos Ferreiros vai ter ao caes do rio Capibanbe,
tem meiago ne oitao daquelle sobrado actualmen-
te do desembargador Alexandre Bernardino, e que
por isse nao pudia fazer o mesmo urna obra, como
a de qae se trata, sem previa autorisacao da mes-
ma cmara, que essa obra augmentava o valor do
predio que tiuha de ser em parte desapropriado
nbeiro para obter deste urna letra de oOOjiOOO a
favor de Francisco Clemente de Souza, derramou
no Diario de 27 de margo toda, sua bilis contra,
mim e meu irmo vigario o conego Pedro Marrano
Falcao, enxertando em o aranzel. que assiguou,
para alcgamento da ra, e quando isio'chgasse! frivolidades, que nao lera afflnidadc com o fado
A------~ -----a ar.------- ___ *,__ _________1 3_ I fin ni* A .1 ^1 Hll .11 ll A 11 W .1 I 1 -i .1 .1 r, 1 r* ll I : i f I .1.1 I i".
de 18 de fevereiro deste a rio acerca do que pra-1 seu aniado; e instando ainda os roesmos em con
ticou em sua casa cora Joao Manoel da Costa Pi- sulte-lo; disse-lhes, que parssem a questo ao
meio por que nem um delles tinha culpa nesta
a acontecer, a cmara pagara um valor maior do
que devia pagar-se no dito sobrado, se nao flzesse
este nwihoramenio.
Os Srs. Barata e Gustavo do Reg, continuaran!
a sustentar o seu pensamemo, e pondo-se a votos
a questo, passou que se offletasse ao fiscal para
np embarazar a execuco da obra.
de que aecuiado ; prelendendo dest'arte desmo-
ralisar-nos e defender-se nossa custa, no que enr
ganou-se completamente.
Nao pretendo responder-lhe o que de n d*sse
emquanto nao exhibir prova?, que convencam a
realidade do que nos impute por commi.-sao de
seu conslituinle o referido Clemenle. S.- ..:.re lhe
Outro do mesmo, commumeano que o guarda direi de fiassagem, a que vem a sua Domua^a de
de sua fregueza Bento Nunes da Silva Oliveira,
tem ^presentado urna conducta irregular, e nao
Gbstame as advertencias que ao mesmo tem feito,
contina no mesmo procedimento, pelo que propu-
nha a demisso delle, e para o substituir tambem
propunha a Jos Miguel de Souza Magalhes.
Demittio-se o guarda e approvou-se a proposta
feita.
Outro do fiscal da fregueza de S. Jos, informan-
do favoravelmente a peticjie, na qual Joaquim Gre-
gorio des Res pedo para cstabelecer um jogo da
bolla em a casa n. 36 da ra da Concordia.Con-
cedeu-se.
Outro do administrador do cemiterio publico da
fregueza do Peeo da Panel la, remetiendo o mappa
dos enterramentos que se lizeram no dito estabele-
cimenlo no mez de dezembro ultimo.Ao procu-
rador.
Outro do administrador do cemiterio publico da
fregueza de S. Loureoco da Malta, remetiendo o
mappa dos enterraoientos feitos no mesmo estabe-
lecimento desde II a 31 de dezembro ultimo.
Igual destino.
O Sr. Reg Maia requereu e foi approvado que
se mandasse orgar aconstruceao de igual numero
das-catacumbas'feitas no cemiterio da freguezia de
S. Loureoco, para que se facam tambem na fre-
guezia do Poco.Assim se resolveu, votando con-
tra e Sr. Barata de Almeida.
A commissao de peticoes a quem foi remettida
a peticao do Dr. Joaquim Antonio Caraeiro da Cu-
subdelegdo, que tanto aprecia ? Quem se impor-
tou e oceupou della ? S se allude ter meu Irmo
dito ao actual delegado, quando veio montar oeste
termo a polica no sentido progressista, que nao
pareca conveniente a demisso do subdelegado de
ento o capitn Gemeniano do Reg Maciel, por
ter este adherido a actualidade, e somente por
acompanhar a meu irmao, assim como lizeram nu-
tras inuitos oossos amigos ; e isto nenhuma refe-
rencia tinha a Dessa do Sr. Rogerio, ou d'outro
campeo que elle escolhesse para bem executar
suas ordens. S urna verdade escapou da penna,
que escreveu o bello romance do Sr. Rogerio, e
que bem poderia ser convertido em drama, foi di-
zer que nos aborrece, no que nao ganhou altea-
ras ; porque nao nos era occnlto o seu odio pba-
rizaico, gratuito e sera offencade nossa parte.
O mentor do Sr. Rogerio sophismou quanto po-
de para afeiar o procedimento de meu irmao, e se
vale de um infeliz argumento para chegar a seu
lira principal, que desconceituar-nos.Diz elle :
se o escravo de Clemente era culpado o vigario ti-
nha errado em o sublrahir accao -la justica, as-
sistindo e consentindo a acomraodaco feita em sua
casa entre Clemente e Joo Manoel; e se nao o
era, que faltava com a caridade e justica, porque
vera o escravo a soffrer para o futuro, e Ciernen
te pagar o que nao devia. E' o que se infere de
sua argumentado. Essc dilemma miseravel, por-
que o procedimento de meu irmo nao tolhia a ac-
cao da justica quando sonbesse do acontecido, e
nha Miranda e seu irmo, sobre a indemnisaco nem elle era obrigado a denunciar um fado ain-
que pedem de seu terreno na ra que corta da Au- da nao descrimmado ; mormente tendo as partes
rora ao Hospicio, divetgindo entre si, apresenlou
cada um de seus membros o seu parecer, o pri-
meiro, do Sr. Leal Seve, no sentido de qae, assis-
tindo direito aos peticionarios, deviam estes ser
indemnisados; o segunde, do Sr. Barata de Almei-
da, oppondo-ee que sejam os mesmos peticionarios
indemnisados, porquantoo beneficio que allegam
ter Jeito no dito terreno, foi nicamente em seu
procurado sua casa para amigavelmente se comp
rem a respeito da accao civil, que tinha urna con-
tra a outra : ainda mais miseravel porque nao
havia certeza e nem a menor presumpeo de que-
rer Clemente entregar o criminoso a justica ; an-
tes provado este', que elle sugeltou-se a essa
accommodacao, smenle com o fim principal de
desviar o escravo da punico, e nao perder o sea
proveilo.Post em discussao os pareceres, o Sr. valor, se Joo Manoel o denunciasse e criminal-
Seve pede a palavra, e com novas razes sustenta, mente procedesse contra o mesmo. Dado, porm,
o parecer que acabavade apresentar. nao concedido, que assim acontecesse, nenhuma
O Sr. Barata de Almeida contrariando a opinio injustica sofrcria Clemente por ter de boa mente
do Sr. Seve, declara que ao6 peticionarios nao exis-' assentido e concordado com Pinheiro tal res-
te justica para favoravelmecte serem differidos. 'peilo.
O 4>r. Gustavo do Reg, a.ouem fra concedida a' E' controverso, se.com a entrega do escravo a'
palavra, pronunoia-se a favor do parecer do Sr.! justiga pelo senhor, fica este no todo izento de pa-
liarata de Almeida. gar ao offendido o damno causado pelo escravo.
Sendo posto a votos os pareceres, foi approvado
o do Sr. Barata de Almeida, epor conseguinte pre-
judicado o do Sr. Seve.
Permillio-se a Joc Baptista Andr Mendaie ele-
Confesso, Srs. redactores, que de minha parte
houve erro em nao mandar prender o escravo e
instaurar o processo ; mas essa minha falta proce-
den de ter urna pa contemplacao com Clemente
var o muro da frente de sen porto junto a sua em attenco a ter elle procurado a casa de meu
propriedade d. 4 da ma do Cotovelo, sujeitando-se! rmo para aoeommodar-se com Pinheiro, e nao
por termo a nao exigir o mesme rademnisaejio al-1 es'ar anda o facto vulgansado. Ora, se assim en
guma por este accresoimo de obra, quando tivesse ganei-me e proced irregnlarmente, quanto nao
a cmara de desaproppiar.
Dispacbaram-se as-peti$s de Antonio Domin-
foi errado o procedimento do Sr.subdelegado quan-
do soube do occerrido, e chegou ao conheciroento
gos Pinto, Bailar& Oliveira,Claudio Dubeux, Fraa- do publico esse mesmo facto ? Sendo tio zelozo
cisco Ferreira Borges, gerente da companhia Per-' P^Ia cansa da Justina, para que nao insteurou esse
Eambucsna de navegaee costelra por vapor, Fraa- i summanojiara saber com certeza se Clemente ti-
cisco de Barros Correa, Jcaquira Gregorio dos Res, r,na ou &o razo em sua queixa ? Mas nao ; a
Jos Augusto de Araujo, Jos Mariano de Barros | causa da jostica esteva ganha no seu entender, 60-
Cavalcanti, Jos Paulino da Silva, Or.Joaqnim An-' mente com a entrega da letra a Gemente (de que
tor.io Carneiro da Cunha Miranda e Arsenio Anto- B!-IO se servio para obte-la me nao compete di-
nio Carneiro da Cunha Miranda, Joo.Baptista An- zer' e nem ^z parle de minha detoza), e Joo Ma-
dre Mendain e sua mulher Mana de Freitas Bran- noel que colbesse provw e voltasse aos tribunaes.
ca, Mara Francisca da Coneeieao, irozandade do ^ '-K,a embacadela 1 Esse crime publico ou par
S. S. Sacramento Ja matriz da Soa- Vista. Levantou-se a sesso. que me acompanhou no erro nao procedendo ex
Eu Francisco Canuto da B ia-Viagem, secretario cilicio e independentemenlo, que Joo Manoel lbe
a subsorevj.Barros Reg, presidente, Reg e Al- apreseatesso urna colheta de provas.
buquerque, Reg, Mello e Lea! Se*e.
commuivicihs.
JorwJ
Da leitura dos documentos n. 1 e 2 conheeera' o
1 publico do meu procedimento e de mea irmo a
respeito dssa. tu fallada accommodacao, e porque
fez Joio Manoel essa declaraca, qae servio da ba-
se a defeza do Sr. Rogerio, e qoe tanto lbe deu no
gto.
Emquanto ao qae diz em outro enxnrro de par-
voices, que fez ao mentiroso e analpbabeto Clemen-
te assignar e publicar no Diario de 28 do mesmo
mez, apenas direi em deferencia ao publico e s
pesaras que me oo conhecem.
Em 1854, quando e-xercia a supplencia de juiz
morle; ao que de boa vontede se sugeitarara.
Ao 2." Respondo, que pedindo o mesmo Clemen-
te ao vigario, que passasse a letra, elle nao juiz
dizendo-lhe, que me pedisse, e foi quando o mesmo
Clemente me pedio que a eserevesse ; passei-a, e
elle assignou-a : a entrega-la a Joa Manoel, o vi-
gario disse ao Clemenle ; si no da 25, quando ti-
nha de fazer o primeiro pagamento se estivesse de
outro accordo ou arrependido, que elle faria com
que Joo Manoel lhe enlregasse a letra, e que cada
um pjrocurasse seu direito. Note-se que nesta oc-
casio Clemente pedio a Joo Manoel, qae levasse
em conta da quantia que tinha de pagar-lhe cem
mil res, que o sogro do mesmo Pinheiro lhe era
devedor ; ao que annuio, passando-se a letra de to-
da quantia, para no diado primeiro pagamento
descontar-se os ditos cem mil reis.
Ao 3." Declaro, que V. S. estava na casa de seu
irmo quando eu cheguei; e logo sahlo antes de
fiadar-se accommodacao sem dizer cousa alguma.
E pode usar desta do modo que lhe convier.
Villa do Brejo, 12 de abril de 1865.
Sou de V. S. amigo e obrigado.
Manoel Rodrigues Fratua.
DOCUMENTO N. 2.
Villa do Brejo, 9 de abril de 1865.
Illm. Sr. major Joo do Reg Maciel.-+Preeiso
que V. S. com fidelidade em abono da verdade at-
ieste ao p desta :
1." O que lhe informou Francisco Clemente de
Souza, de urna accommodacao feita entre elle e Joo
Manoel da Costa Pinheiro emeasa do meu irmo o
vigario Pedro Marinho Falco sobre a mortedo ne-
gro Antonio pertencente ao mesmo Pinheiro.
2. O que lhe disse a respeito do meu irmo e de
mim nessa mesma accommodacao.
3." Emfim o que se deu sobre o pagamento dos
500,5000 por quanto se accommodaram.
Permitla-me usar de sua resposta em minha de-
feza.
Preso ser de V. S. amigo e obrigado criado,
Francisco Beringuer Cezar de Andrade.
Illm. Sr. tenente-coronel Francisco Beringuer
Cesar de Andrade.Respendendo aos quizitos de
sua carta datada de hontem, tenho a informar a V.
S. : quaato ao Io, que indo o Sr. Francisco Cle-
mente de Souza no da 22 de junho do anno passa-
do, a convite de Sr. Joo Manoel da Coste Pinheiro,
tratarem ahi na villa em casa do Rvn. vigario o
Sr. conego Pedro Marinho Kalco de urna accom-
modacao relativamente a morte do escravo Antonio
pertencente ao mesmo Pinheiro; quando de volta
aqu em minha casa chegou polas 9 horas da nsite
do mesmo da, dissera-me que multo lbe costara
fazer a accommodacao; porque o mencionado Pi-
nheiro s quera um cont de ris, e nada menos,
e que depois de muitos debates entre um e outro,
e nao se podeodo conchavarem, o Rvm. vigario
vendo, que da parle do Pinheiro devera haver al-
guma contemplacao, visto o Sr- Clemente nao ter
lido parte naquelle sinistro, que partisse ao meio,
ficando em 500^000 ao que annuio o Sr. Clemente
e ficarara ambos accommodados : nole-se que o
mesmo Clemente disse-me, que durante os debates,
o Rvm. Sr. vigario conservou-se sempre neutral.
Quanto ao 2, contou-me o Sr. clemente, que o
Rvm. vigario lbe franqueara para tomar o seu ac-
corflo e que se nao Ihaconviesse estar pela accom
modaco feita, no sabbade 25 do eorrente do sup-
pradito mez de junho viesse, que elle se obrigava
a mandar entregar a soa letra, e que cada um pro-
curasse o seu direito; e de V. S. apenas disse, que
na occasio da accommodacao ahi tambem se
achava.
Quanto ao 3, que tinha passado urna let-a de
4004000, por ter o dito Pinheiro levado em conta
1004000 que seu sogro Antonio da Silva lhe era
devedor, e que ficara de dar no predito da 25___
2004 e dabi a 2 on 3 mezes os outros 2004.
Perguntou-me o Sr. Clemente que tal achava en
a aecommodaeo feita,-respond lhe, qoe visto j
elle ter-se accommodado, o que esteva feito, feito
esteva, e que bom era pagar logo tudo, do que fl
car devendo, para acabar com isso, ao que annuio,
e veio pagar no dia 25 do citado mez de junho, da
em que eu me aohava na villa. Feito o pagamen-
to Teto ter-se comigo o dito Sr. Clemente, e pedi-
me que bom seria eu tirar urna deelaraco do Sr.
Pinheiro afim de qae para o futuro nao reappare-
cesse a mesma questio e indo eu ter-me com o Sr.
Pinheiro, pas.ou-sa a ul deelaraco, que depois de
lida, assiguou-se o Sr. Pinheiro e entregnei-lhe
para sua segnranca.
Este cael narraco do qae se passou entre
mim e o Sr. Francisco Clemente de Souza, o que
em abono da veroade sou obligada a dizer e pode-
r della usar como lhe convier.
Sou com particular estima de V. S., amigo obri-
gado e criado.
Joao do Reg Maciel.
Coellto, 10 de abril de 1865.
DOCUMENTO N. 3.
duvida muito lisongeiro para mim porque aprecia
a minha nomeaeo ; outro a sinceridade com qoe
noticia o modo por qae toi recebklo aqai por al-
guns amigos do Exm. Sr. presidente, e pela Im-
prensa o acto pelo qual S. Exc. se digooii nomear-
me para aquelle commando nao deixarei tambera
de agradecer ao terceiro, por ter-me proporciona-
do occasio de exhibir documentos, que me sao
muito honrosos, e que- o desmentem formalmente
na parle relativa a ordens do da qut me inutili-
sam para cargos que demandam bravura, as quaes
este Sr. correspondente affirraa que attrahi contra
mim na campanha doMaraoho.
Felizmenio nosso responder com vantagem a
eta parte da correspondencia a que agora alludo,
offerecendo coasiderao de-publico as ordens do
dia que se publicaran! duraate a guerra do Mar-
nhao, e tenho em meo poder, com referencia
mim, deixando por agota de mencicnar outras
que tambem me dizem respeito, porque nao as te-
nho em mo, mas que em tempo as farei publi-
car, e mais dous documentos que nada deixam a
desejar sobre o bom juizo que de meu comporta-
ment ali fazia o commandante da columna a que
ponencia o batelhao sob meu commando, o dis ti ne-
to coronel Jos Thomaz Henriques.
Ura desses documentos me foi tornecido por oc-
casio de retirar-me com destino corle para
cumpriraentar S. M. o Imperador, por escolha da
cmara municipal do Brejo, a qnal me deu assim
urna prova de aprec dos servicos, que prestei aos
seus municipes par occasio dessa guerra, que
tantos males caasoa estes, e dos quaes se con-
fessaram suavisades pele comporlamento que tive
entre elles.
__ O outro documento, um offkio dirigido ao en-
to presidente desta provincia, o Exm. Sr. viscon-
de da Boa-Vista, dando-lhe parle do moviroento ha-
vido com os dous batelbes que d'aqui mar-
charan).
Quanto ao mais que a meu respeito diz este ter-
ceiro. correspondente,, nao me occopo em respoa-
der-Jhe ; apenas opponho ao seu juizo, o dos dous
primeiros manifestado no mesmo jornal, e appello
para os Srs. major Porfirio Apolonio e capito
Cerqutia.Piulo (*),.aas quaes aUribue o mesmo
correspondente recusa de servirem comigo ; tiles
que digara se isto exacto. Devo todava dizer
que destes Ires apenas foi nomeado e nao acceitou
a nomeaeo o Sr. capito Porfirio, os oulros pens
mesmo que nem foram consultados ou fallados
para servirem no corpa.
Se os correspondentes teemera seu poder ordem
do dia da campanha do Maranho que me desabo-
nem me faro um especial e subido favor em man-
da-las transcrever era qualquer dos jornaes deste
oa de outra provincia, como Ihes convier.
Com a publieagao destes liabas, Srs. redactores,
muito obrigaro ao seu constante leltor e assig-
nante
O coronel Antonio Gomes Leal.
Acampamonto da segunda columna em opera-
gao na villa do Brejo, 12 de abril de 1840.
Ordem do d O commandante da columna elogia o comporta-
ment de toda a tropa que avancou sobre a villa
do Brejo, e destrocou com a maior celeridade os
grupos, dos infames rebeldes, enguerrillados e en-
trinebeirados em innmera veis priscos, consegran-
do assim levantar'o sitio, que os malvados haviara
posto dita villa e libertar os nossos irmos d'ar-
ma, que a oceuparam no dia 9 do eorrente.
O commandante espera que dentro em pouco
tempo o valor e a circumstencia dos bravos da se-
gunda columna purificarn esta interessante co-
marca do hlito pestfero da rebelda e do crime,
reduzindo-a pacificaco e obediencia ao governo
de S. M. o Imperador.
A destreza, promptido e denodo com que o Sr.
major commandante do primeiro batalbo Antonio
Gomes Leal, superou todos os obstculos e coodu-
zio a tropa ao Brejn, destrocando todas as quadrl-
Ihas que se lhe oppozeram, d novo brilham es
prstenles servicos que elle ha feito nesUftolum-
na. O commandante levar seus feitos ao conheci-
mento do Exm. Sr. presidente e commandante das
armas da provincia, assim como os do Sr. segundo
teen te.
da provincia do Maranho ao Exm. presidente
de Pernambuco Francisco do Reg Barros, hoje
visconde da Boa-Viste, em que da parte dos mo-
viraentos havidos com os dous batalhes que
desta provincia marcharam.
Illm. e Exm. senhor.Participo a' V. Exc. que a
de noverabro do anno prximo passado. .
Eu faltara a' justica se cesta occasio nao dis-
sesse V. Exc. que o major commandante do 2."
batalbo Antonio Gomes Leal era recommendavel
pela disciplina, e sentlmentos de lealdade qne tem
sabido imprimir no corpo que commanda, e nao
menos pela coragem, prudencia, e acertadas medi-
das com que mais de urna vez tem colindo bons
i resultados contra o inimigo, como fosse durante o
I sitio oeste acampamento, em que muito coadjuvou,
cabendo-lhe gloriosa parte nos louros deste feito
d'armas.
Dos guarde V. Esc. Acampamento da se-
gunda brigada na Fazenda Vargem Grande, 4 de
fevereiro de 1840Illm. Sr. Dr. Francisco do Re-
g Carros, presidente de Pernambuco.-Jos Tho-
maz Henriques. major commandante da segunda
brigada das tropas expedicionarias.
Illm. Sr.Respondo ao offlcio de V. S., dizendo-
llie que pode partir para a capitel da provincia,
urna vez que tem entregue o commando do bata-
Iho, que exercia, afim de seguir para a corte na
commissao para que foi nomeado, com licenca do
Exm. Sr. presidente e commandante das armas, de
beijar a mo S. M. o Imperador por parle da ca-
maradesta villa, pelo faustissimo motivo da procla-
macao da maioridade do mesrao Augusto Senhor.
Dtsejo V. S. feliz viagem, e que breve volte
para continuar a ajudar-me a por fim a este desas-
troza lula, e pacificar a comarca confiada a nos-
sos euidados ; pois lhe asseveroque fai V. S. toda
a falla nesta columna, onde desde o comeco da
guerra to disrinctamente tem servido, e palomea-
do no zelo, fidelidade, valor e capacidade, qualida-
des estas a que deve era grande parte a mesma co-
lumna as vantagens que tem obtido contra os re-
beldes.
A' presenca do Exra. Sr. presidente e comman-
dante das armas tenho levado os seus bons servi-
cos, e o feliz resultado das operacoes de que V. S.
ha sido encarregado, e que tem dirigido com tanta
habilidade, vantagem do servigo publico, e prejuizo
dos rebeldes; e de certo S. Exc. nao deixar de
implorar a beneficencia do governo Imperial seu
favor, e de recommenua-loquando dirigir ao ihro-
no a supplica, que V. S. faz ao seberano. Cont
por tanto, que V. S. merecer a paternal benevo-
lencia do governo de S. M., e que conseguir o
premio de seus valiosos servidos na presente
guerra.
Deus guarde V. S. Acompamento da 2" colum-
na de operacoes 'na villa do Brejo, 21 de outubro
de 1810.Illm. Sr. major Antonio Gomes Leal.=
Jos Thomaz Henriques, teneule-coronel comman-
dante d 2* columna.
Jos Thomaz Henrique, tenente-coronel commandan-
te da segunda columna.
Acampamento da segunda columna em operacoes
na villa do Brejo, 10 de junho de 1840.
Ordem do dia n. 59.
O commandante da columna publica, para co-
nhecimento da mesma a ordem do dia n. 32 de S.
Exc. o Sr. coronel presidente e commandante das
armas desta provincia abaixo transcripta :
Quartel da presidencia e do commando das ar-
mas na cidade do Maranho, 23 de abril de 1840.
Ordem do dia n. 32.-S. Exc. o Sr. coronel pre-
sidente e commandante das armas da provincia,
manda publicar para conhecimento da diviso pa
ciflcadora de seu commando a integra do seguinte
offlcio, que recebeu do Sr. tenente-coro Jos Tho-
maz Henriques, commandante da segunda colum-
na :
Illm. e Exm. senhor. Tenho a satlsfacao de
communicar V. Exc, que a villa do Brejo est
occopada pelas tropas da legalidade ; 300 homens
desta columna, que avangaram a bater os rebeldes
sitiantes, entraram na villa na manhia de 9 do
eorrente ; distante um quarto de legua a guarda
avancada de 120 pracas baten uns 200 rebeldes,
que estavam enguerrillados por toda a estrada, e
depois de urna hora de togo e resistencia abando-
naram as trincheiras. Tivemos um soldado de ar-
tilharia morto e dous do primeiro batalho feridos
levemente, todos de primeira linha : des rebeldes
foram presos quatro, e nao se pode saber do mais
prejuizo que soflreram dentro das manas : todava
declara um apresentedo, que tiveram 3 morios e
11 feridos. Depois (disto anda houve togo mais
prximo villa, em outra guerrilha, mas sem pre-
juizo algum, e os rebeldes foram em continente
desalojados das trincheiras. A tropa desta columna
toi recebida com o maior contentamente na villa,
porque nao se esperava ama to repentina coadju-
vaco, e estava villa, sitiada de rebeldes na dis-
tancia de um quarto de legua : a torca que oceu-
pava o Brejo era de 320 homens, inclusive grande
numero de apresentados; ella coate mais de 100
doentes, e conservava-se a mni pouca distancia,
tendo s franca urna estrada por onde vinba o ga-
do do Piaohy.
Fortuna foi a vanear a columna de meu comman-
do to depressa. as trincheiras rebeldes toma-
ram-se 1 caixa de guerra, duas lazarinas, macha-
dos, folces, martellos, 7 vergas daeo, e 2 cavallos
com outras miudezas. Conste que Pedro Alexan-
PUBLICARES A PEDIDO
Rernosla ao amiga sincero da justica ao
do Reo/e.
Censurando o discutir pela imprensa os casos
oceurreptes tffectos ao exame e declsu dos juizes,
o amigo sincero dajustiga a no Jornal do Rtcife, I
que esperava a conclusao da rie de artigoe que municipal deste termo, o eserivoElias Francisco
fra estreada sobra urna qusto de direito com- Bastos apresentou-me urna peticao de denuncia de
rnercial, no Diario de 5 do corrate, para Ihes dar Francisco Pedro Barboza contra Cirnante, eolio
a conveniente resposta e rectificar os Tactos inver-! Inspector de qaarteiro do Poco Fondo, em que O escrivao do crime Elias Francisco Bastos, cer- drno se quer apresentar com parte dos seus, e
tidos: e qne, visto o autor do primeiro artigo ha- se queiiava de ter este amarrado-o e surradoeom tifique ao p desta por ordem de qaem foi em entrar em negociacSes; mas Intimou-se qde se nao
ver-so recomido ao silencia,.narecendo contenter-se ama pona de corda de couro de lacar gado para 1854 ao logar do Poco Fundo inqoerir testemuohas apresenuedo em 24 horas, seria balido immediau-
com o que foi ahi expendido, limiteva se a dar-lhe 1 ser proceaaado : o escrivao convidou-me para ir- f sobre urna denuncia dada por Franelseo Pedro mente.
urna ligtra respeta, oceupande-se apenas do que' mosaaquelie lugar instaurar o processo; disse- Barbosa contra Francisco Clemente de Souza, e o Tem-se apresentedo 9 rebeldes, e reste agora'
,h?Parecia e&senciaj. lhe que nao poda ir por ser distente seis leguas, que se passou a respeito assim o compra. bater muftos grupos em redor da villa : avaliam-se
Diz o amigo da justica qne, a opinio de que, e estar nesfa occasio oceupadissimo ; pedio-me Villa do Brejo, 13 de abril do 1866. os rebeldes destes proximidades, segundo informa-
para ter lugar a abertura da fallencia, c mister que entilo licenca para elle ir s, e falcutei-a. Dirigi-
o devedor. insolvente! seja na actualidade commer- [ se o escrivao aa iadicado lugar, inquerio testemu-
ciante, nao opinio nova e muitos escriptores nhas sobre o faeto denunciado, que plenamente
eminentes a eosinam; que essa doulrina nao ira provaram o attentado desse inspector, e de volta
porta o crear urna prescrinco que nao es.U oa lei;. eniregou-me o eo, que ain.da existe em meu po-! entregando Fraoeisco Pedro Barbosa, ama peticao tou e esta servfdo comigo.
0 juiz municipar supplente em exercicio,
Ftomcisco Beringuer Csar de Andrade. (*) Nao sel quem este capillo Cerqueira Pinto.
Certfieo em virtudo da portara suppra do juiz Conheco sim o Sr. capito Cerqueira Lima, que
municipal supplente em exercicio, que em 1854, toi nomeado major do corpo, nomeagao que accei-
Illms. e Exms. Srs. Membros da Assembla Le-
gislativa Provincial de Pernambuco.O Dr. Anto-
nio de Vasconcellos Menean de Drummond, vem
perante Vv. Excs. requerer um acto de summa
justica, cabivel em suas altribuicoes, como passa
expor, e por isso espera ser attendido.
Havendo esta rospeitavel assembla, authorisa-
do o presidente da provincia, na lei do ornamento
provincial do anno passado, coulractar (sem de-
signaeo de pessoa), a confeceo, classilicaco, e
publicare do ndice alphabetico das leis provin-
ciaes, o supplicante faos 8 de junho), logo depois
da publicarlo d*essa lei, e antes muito de ter aquel-
le administrador effectuado qualquer contracto
respeito, apressou-se em requerer, que elle hou-
vesse de fixar as respectivas condijoes, visto ce
me o supplicante pretenda propor-se a esse traba
Ibo, mediante as bases estipuladas, e assim neces
sanamente deveria succeder acerca dos outros con-
currentes.
Depois de 33 das como se v da data do sello da-
quelle requenmento, teve o defenmento ( 11 de
julho), que o supplicante juntasse proposta, tudo
como se v de documento junto sob n. 1.
entretanto, ctregando ao conhecimento do sup-
plicante, que o Ilustre secretario da presidencia
o Dr. Francisco de Paula Salles era o pretndeme
destinado para a cocfeccao do ndice alphabetico
das leis provinciaes, entendeu elle, que a apre-
senlaco de sua proposta para esse contracto seria
puramente Ilusoria, e s tendente pautar a que
deveria apresentar o dito secretario da provin-
cia, e justificar a preferencia que se lhe quera
dar por aquellas bases, e assim deixou de apr-
sente-la. t
Nada tendo sido publicado respeito desse con-
tracto nos jornaes desta cidade, quer acerca das
condicoes d'esse contracto, quer acerca da sua ef-
fectivdade, at a distituico do Dr. Domingos de
Souza Leo, do cargo de presidente desta provin-
cia, e entrada do desembargador Anselmo Fran-
cisco Peretti, para o substituir, o sopplicante con-
sideroo, que o referido contracto nao havia sido
ainda celebrado, e por isso dirigi a 3 de dezembro
de 1864 a este vice-presidente, sob a confianca de
rectide que o earacteriss, o requerirmnto cons-
tante do documento junto sob n. 2, obrigando-se
promptOcar aquelle ndice alphabetico, dentro de
um anno contado da data da realisacao do con-
tracto, pela quantia de 3:0004000, paga ella s-
menlo depois de apparecido esse trabalho, por
urna commissao de pessoas idneas, nomeada pelo
presidente desta provincia,, e por elle definitiva-
mente aeceito, offerecendo ainda dessa mesma
quantia, a quinta parte em beneficio do coilegio
das orphas deste provincia.
ust requerimento teve .por despacho (a 6 de de-
zembro de 1864) 1711 em 30 de -novembro do mesmo
anno fra contrariado o servigo da elassifleagao, e
do ndice alphabetico das leis provinciaes.
Sobre este deferimento ainda replicn o suppli-
cante a 14 de dezembro de 1864, com a peticao
junta sob n.3, em que demonstou as nullidades ra-'
dicaes daquelle contracto, e offereceu-se para con-1
fecconar o dito trabalho pela qnantia de 2:6004
deduzindo-se ainda della a de 6004000, que j ha-
via destinado para o coilegio das orphaas desta
provincia.
Sobre este replica, foi proferido, por aquelle vi-
ce-presideote a| 16 de dezembro de 1864, o se-
grate despachode qne no dia 30 de novembro
prximo passado, fra contractado com o Dr. Joa-
quim Pires Maehado Portella, a confeccao da cas-
si/icagao das leis provinciaes, e comoDr. -ancisco
de Paula Salles a do ndice alphabetico das leis
provinciaes, dependendo da assembla provincial
a gratifieagao pela qual foi contractado este ser-
vigo, bem como, que nao lhe competa annullar os
contractos celebrodos pelo seu antecessor.
E pois, trataodo-se agora ante este respeftavel!
assembla de approvar este cootracto,
phcante urna proposte para por ella poder pautar
a daquelle seu secretario e por ultimo fizada de-
finitivamente a respectiva igualdade conceder-lhe
a calculada preferencia, como de primeira in-
tuigao ; 4." alm de toda esta clandestinidade,
mysterio e suspeita de parcialidade, que acompa-
nhou aquelle contracto, para preferir o dito secre-
tario, o presidente deste provincia nao hesitou de
celebra-lo cora o seu secretarlo, quando nesta
cidade j consteva officialraeate a sua demijsao,
ou para melhor dizer, na ultima hora da sua aJ-
ministracao, e por consegrante j nao podia nos
restrictos termos da lei, e por decoro proprio prati-
car mais acto algum d'aquelle emprego, de que fura
destituido, mxime, em materia to momentosa,
como a de um contracto importante, com excluso-
de oulros licitantes que conscio delle poderiam
apparecer sob mais vantajosas condiges.
Se pois aquelle contracto com todo esse atrpelo
de solemnidades intriseeas, com que adrede toi
celebrado essensialmente viciado; se aquelle
servigo do indice alphabetico das leis provinciaes
toi contractado por 4:0004000, (quasi o dobro do
que por elle exige o sopplicante), e mediante adi-
antamento de parte della, segundo consta, de
summa jnslica que sepreflra a offerte do sup-
plicante por quanto : 1. elle apresentou:se em
tempo, requerendo presidencia a fixaco das
respectivas condicoes, para poder ser um dos
concurrentes, como se sempre praticar-se nos
contractos fiscaes por torga da lei, e do estyllo, o
que alias denegon-se-lhe para tornar afinal effec-
tiva a celebraco d'aquelle outro ; 2." o supplican-
te obriga se promptificar a confeccao de dito
indice dentro de um anno (contado da data da
effectividade do mesneo contracto) sem dispendio
algum para a fazenda provincial, at a respec-
tiva recepgo da presidencia, e pela diminuta
quantia de 2:6004000 da qual desde j destina a
de 6004000 em beneficio do collegto das orphas.
Nem se diga, que esta Mostrada assembla,.
nao ccinpete deixar de reconhecer a validade da-
quelle contracto, em razo de haver sido autbori-
sado o presidente para a respectiva celebraco,.
cabendo-lhe apenas fixar a quantia necessaria para
sua execuco; porque de primeira intuico,
que o facto de ser submeltido esse cootracto ap-
provacao desta respeitavel assembla, como se evi-
dencia da propria letra da projecto ora em dis-
cussao, exclue a seu respeito todo o carcter de
validade, antes de urna difinitiva approvaco, e
por conseguinte admitte implcitamente a possibi-
ildade de sua desapprovacao.
Em face de todas estas valiosas considerarles, o
supplicante vom requerer a Vv. Excs., se dignen
de desapprovar aquelle contracto effectuado com
o Dr. Francisco de Paula Salles, por ser mais
gravoso para os cofres provinciaes, irrito e nullo,
e de ordenar qoe seja celebrado com o peticiona-
rio, que offereco maiores vantagens, e bastautes
garantas fazenda provincial, como sem preven-
co alguma, nao poder deixar de ser reconhe-
cido. ,
Nestes termosPede a Vv. Excs. assim sejam
servidos deferir-lhe E* R. M.Recito, de margo
de 1865- Dr. Antonio de Vasconcellos Mcnezes
de Drummond.
CURA
Espaittoza e Admirare!
DE UMA CHAOA
GANCHOSA ROEDORA
O
PLIPO NO NARIZ.
Urna creada de servir residente em Pernam-
buco e pertencente Ex1?.' Mr! Viscondessa
DE Goianxa, foi nttacada d'uma terrivol clia-
ga cancroBa o roedoraou Polvpo no Nari. '
A mesma involvia c imnav todo a parte in-
ferior do nariz, ameaenndo ji distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso; Come-
cou primeiro por apparecer gob o bei$o supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
cava transformar todo o rosto n'uma enorme
charga viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos medicnaes
que em taes cazos se uzao forao abundante-
mente empregado, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de tSo hor-
rivel enformidade, e todos os meios e esforcos
foro baldados, e no em tanto o mal creara eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, se experimentou pela
vez primeira a
SAISAFABBILHA
DE BRISTOL.
O cffito produzido, quasi que instantaneo-
por este incstimavel remedio foi Terdadeira-
mente maravilloso e sem igual; este grando
purificador do sangue e dos humores do sys-
tema, immediatamente pz um termo mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atravis dos tecidos os mais
delicados do corpo, expellindo ate" ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espaco de tempo prodnzio
urna
CURA
Completa e Radical
Este fuliz quo admiravel resultado foi obti.
do apenaa com o simples uso
Ihiina $0 nica Garrafa!
d'este incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portante todos os Doentes
que procuren obter com o maior cuidado a
naica e rerdadeira Salsaparrilha de Bristol,
nicamente preparada por
L ANM AN & KEMP,
De AOVA VORK,
na certeza de que, todas as mais preparacSea
imitativas nao valem para cousa aigaroa
Vende-se as boticas de Caors dt Barbosa
e C. Bravo C.
C0MME1CIQ.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambnco.
A directora desta caixa saca sebre o banco do
c-
s

-rr-------- --..,, Vem0SQp-| Alilin/tuiia umi bIM 34tA siluro
pilcante allegar o sea direito, qae consiste nos se- Brasil no Ro de Janeiro e sobre a caixa filial do
guinte fundamentos: 1 msm banco 0a Babia.


frftrrffrufti Wi atrftur^ aUBajaaatf frfnrft e Aftrfl *e f fj*3.
\ovo banco de Pernam-
kaeo.
0 banco desconta letras na presente semana a
10 por mito ao anno at o praio de quatro me-
zes, e a 13 0(0 ate o de seis meaes, e toma dinhtri-
ro a jaros a praso nunca menor do tres mezes.
Xttvobaoco de Pernanfeneo.
O banco paga o 14* dividendo na' razo de8J
dor acgo.
Cala filial do banco do Brasil
cm Pernambuco.
19 de abril de 186S.
Tendo-se desencaranhado do espolio de Bernar-
do Jes Pinto a cntela de 43 accoes das tooalisa-
das nesta caixa, sob ns. 1239 a 1281, a directora
faz publico a quem interessar possa, que por parte
d* Aotono Jos Hamos de Ohvetra, do Kio de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqu procoier a transferencia das referidas aceas
para o uome dos mesmos herdeiros.
O guarda-livros,
Innacio Nunes Corroa.
ALPANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 21...... 468:5763085
dem do dia 22............... 17:763o84
486:3J9;669
Barcelona-Polaca hespaohola flora, capito Joan
F. Sensat, carga argodo.
Rio Graode do Norte Lancha brasileira Flor do
u Grande, capito Francisco Jos da Costa, car-
ga differeitos gneros.
Wes IndiesBarca iogleza Antdeil, capito W.
Jones, em lastro.
LiverpoolBrigae inglez Grecian, capito Philip
Joste, carga assucar.
Acarac c portos intermedios Vapor brasileiro
Persinunga, commandante Ratis.
Nati entrado no da 23.
Bahia 8 dias, sumaca nespanhola Mercedita, de
165 toneladas, capito Jayme Norres, equipagem
II, carga 2,800 quiotaes hespanhes de carne ;
a Amorim Irmos.
Navtos tahidos no mesrno dia.
Rio da Prata Barca brasileira Adro Colonia, ca-
pito Manoel Nunes Barbosa, carga assucar.
ParahybaPatacho hespanhol Themoteo II, capito
Ezequiel Pages, em lastro.
IEIL0ES,
r
SDIT1ES.
Vicente Ferreira da Porciuncula.
Praticante
AgnelloIIeraclio de A. Pernambuco
Porteiro
Manoel Marinbo de Souza Piaaentel
Fica transferido para o da 25 do-eearenle-ao
mel dia a arrematarlo i dous escaleras, annun-
ciada por edital n. 5 de 19 do mesmo.
4a secco 22 de abril de 1865.O escriturario,
Joo de Assis Pereira Pocha.
Comi d'ul
Pela adrainistrago do correio dsta cidade se
faz publico para flns convenientes, que em vntud
do disposto no art. 138 j regulampoto gtmkiH do crtente, s U liaras da manbaa, em seu ar-
correios de 21 de dezembro de 1841, e art. 9 do "
decreto n. 18a de 15 de maio de 1854, se procede-
Leilo de fazeiriaa variadas.
o A 24 do corrate. J
Sauoders Brothers A C. faro leilo por nter-1
vencao do agente Oliveira, econta e risco de quem
pertencer, de porgues de m*dapol5es. algodosi-
uhos e de estopa, avariadas a bordo do Saladin
:e Lavinia, as suas recentes viageos de Liver-
pool para este porto :
AMA.
Precisase da urna ama que saiba cozinhar bern
| e comprar para ciwk de punca familia : a tratar
na ra do Queimado, luja n. 3.

0 agente de leiloes
OLYMPIO
CASA DA FORTOfi
Aos 6:000$OO.
MOJE
113
HOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Voluraes entrados com fazendas...
< compaeros___ 113
Volumes sahidos com fazendas___ 169
com gneros..... 408
-----569
Oesarregam no dia 24 de abril de 1865.
Sumaca hespannolaA?-rfi//a diversos gneros. .
Barca francezaS. Anrfrffarinha de triga.
Barca ingleza-O'B/anc/inridem.
Patacho portuguez Mario, da Gloria diversos
gneros.
Barca francuza plieremcrcadorias.
Barca francezaSolferino cemento.
Escuna inglesaCommodore-ferro e machinas.
"Patacho inglez h'lorencebaceho.
Brigae inglez Qijzantrum -dormentes.
Tacana .portugueza -limalageJo.
Brigue nacionalPallascharque.
Barca portusueza s. Joo dem.
Escuna iwnowriana Gazina idem.
Barca nglen Ttent =carvo.
Barca iBfftezaArran Islacarvao.
Briirue iugiezUse/ul idem.
P>ri Barca inglezaCommodore idem.
Barca belga Sophte Theodorine dem.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
ERAES DE PERNAMBUCO.
Reudimento do dia 1 a 21........ 15:0773109
dem do dia 22................... 758J923
iiiiMo de im:r\ A MIS I C O.
Pela secretaria deste pispado, se faz publico que I ilKl(!'1;ene"l Vrlue da co,ive,a&0 Poslal
o Exm Rvra. Sr. vigaVio" capitular B m.V j 2, 2"!! VTSTi^t
ra o consumo das cartas existentes a administra-
cao pertencentes ao mez de abril de 1864, no dia
3 de maio prximo, as 11 horas da manha, na
porta 4o meto oerreio; e a respectiva Hola se
acha desde j exposta aos interessados.
Admlnistraeao do correio de Pernambuco 22 de
abril de 1865.-0 administrador,
Dumingos dos Pass#s Miranda.
Correio geral.
Pela admnstrago do correio desta cldaic se
faz publico, que em virtude da
i rao expedidas malas
facilidade das pe. horas do despacho, para casos nr^m nrin.i,i. iHrreDl lel vaP.r tnncw. hxlremadure. As
mente neste lempo de inv
mente a sua residencia pa
de Olinda, onde pode ser procurado na occasio do
expediente das 9 horas da manha at as 2 da tar-
de ; e para os casos urgentes a qualquer hora do
dia ou da noite.
O secretario do bispado,
Conego Joaquun Ferreira dos Santos.
para Europa
Administragao do correio de Pernambuco 22 de
abril de 1865.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Foi preso nesta subdelegada o preso Fran-
oisco, que diz ser esenwo *o declarando o mme
do seu senhor e moradia, assim como foi recolhi- \
do a detenfo o moleijue Valentn que diz ser es-
cravo fi Antonio Franco morador no engenho'
Jardim termo de Pe d'Alho, achando-se e dito
preto na casa de detencao, todos a ordem deste
juizo. Subdelegacia da Varzea 22 de abril de
186i. O subdelegado primeiro supplenie em
Francisco Sotter
15:8725032
CONSELADO- P1QVIXCIAL.
Itendimento do da 1 a 21.
dem do dia 22
4 9973869
1:5623030
5a:559J899
mazem no largo do Corpo Saalo.
fuella o de 100 saceos com farel lo
lilil:
O aetMe Pestaa far leja por cunta de quem
pexxencer sen limites de.lO saceos .ana .n'l.o
sendo 50 de 90 libras e 50 de 130 libras as quaes
sero vondidas en m ou mais totes a vontade :
segunda-feira 24 do corrente na porta do armazem
do *r. Annes defronte da aifandega.
Lcitao lie urna la km-na na ra das Cru-
zes n. 2.
Tarca-feira 2> do corrente.
O proprietario deste estabelecimento far leilo
por Intcrvengo do agente Pestaa de todos os ge-
neras existonies ua mesilla sita na ra das Cruzes
n. 23, em lote* a vontade : terca-feira 25 do cor-
rente pelas 10 boras da manbaa na mesma ta-
berna.
Na mesma occaslo e lugar vender o agente
um moleque de boa figura, idade de 20 annos,
pouco aiais ou menos para servico.
scientifica a todo os seus eommitentes e amigos
t que tem aberto um grande armazem de leiloes
ra da Cadeia do Itccife n. 36, aonde espera nie-
. recer a mesma conflanca que ais boje tem me-
' recido.
Precsa-se de urna atoa que saiba bem
cosinhar e faca compras, pata casa de pau-
la familia : na na da Cadeia do Recife n.
38, primeiro andar.
liilketes garantidos.
A'ItLA DOBESPO N. 23 E CASAS 0 COSTIHt.
O abaixoassignado vendeu nos seus muilo feli-
zes bilbetos garantidos^Ua Islea que se acabeu
de extrabir a benoBck) da Sania Casa da Miseri-
cordia, os seguales premios :
l'mqarto n.884 com ason de 6:0003000.
Lm mi'io n. 2597 com a sorte de 1:4O0300O.
\:m quartj n. 124 com a wrtede 500*000.
E mtrasunuitas.sones iJe 1003, 403 203 e
lOoOtO. V 9
Osiossuidorespodem virrereber sens respec-
tivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 13.
Acnam-se a venda os da parte da 4* lotera
(13) benelicio da matriz de Nazaretb.qoe se
iextral-.ir no dia 27 rio corrente.
PREGO.
Bnelos. : 7,50O
Mfrios......$im
Qaartos.....13 Para as pessoas que comprarem -de
Leilo de obras de prala.
Terea-feira 25 do corrente.
O agente Pialo far leilo a requerimento
junta administrativa da Santa Casa de Misericor-
0 engenho denominado d'Agua do termo de Iga-
rass, pertencente ao Sr. Dr. Francisco Joo ('ir-
neiro da Cunha me est hypothecado, embargado,
e sentenga passada em jul'gado, para pagamento
ainda das beranras do pai e lio de minha e.-posa,
i como ludo se v nos cartorios dos Srs. tabellio
", e escrivics Caana Bjptisla desta cidade do R>-
! cife ; e por isso esse engenho nao pode ser vendi-
do sem qne estas dividas me sejam pagas, c bem
1 assim cumprides os legados e mais disposi$doa tes-
tamentarias a que est ohrigado o dito engenho, o
para cima.
Bilhdes.....63500
Meios......33250
Quartos.....13700
Maxoel autins Fiuza.
'mmmn
Bispado de Pemamfiuco
Pela secretaria do bispado se faz pubiieo que o
Exm. e Rvm. Sr. vigario capitular para maior fa-
cilidade das pessoas que o procuram fra das ho-
ras do despacho para casos urgentes, principal-
mente neste tmpo.deinvern, retolveu mudar de-
finitivamente a sua residencia para o seminario
episcopal de Olinda, onde pode ser procurado na
occasio do espediente das 9 horas da manbaa at
as 2 da tarde ; e para os casos urgentes a qual- indicado as likwra* do du.
mo do porteiro do juizo.
irMtti)
mmi
quer hora do dia ou da noite.
Cidade de Olinda 19 de abril de 1865.
O secretario do bispado,
Conego Joaquim Ferreira dos Santos.
Santa Casa U Misericordia do Recife 9**!**ma*** eusientesna tini
De ordem da lllm1 junta administrativa da San-
ta Casa de Misericordia do Recife fago publico que
exercic.io, Fraucisco Sotter de Figueiredo Castro.
Arrematacao. LeiHo de vinho chref, cerveja, concervas'
Terci-feira 25 do corrente abril, Onda a audien-! Chocolate, mustank e btsooutos.
cia do Sr. Dr. juiz de orphios, lera lugar a prai;a Qiarlafeira 20 de abril
por venda da casa sita a ra Bella pertencente aos ] genio Pinto far leilo por conta e risco de
herdeiros do iinado Jos Femandes Eyras e a par-. 1ue,n pertencer dos differentes geueros cima
te da casada ra de S. Francisco. Os pretenden-
tespodem dirigir-se a sala das audiencias no da
O escripia est em
deixada por saos pais; ha de sabir de quem a tem
comido e vendido, etc., etc.
Marcelino Jos? Lopes.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
o servico de casa de urna pessoa : na ra da Cruz
menciooad)s,existeotes-noarmazem.do.Sr. Annes, I n.8,primeiro andar.
aonde se cfTeetuir o leilo as 10 horas do dia
cima dito.
traco
nhores
correio desta cidade
abaixo declarados :
para os
se-
Loil > de 1 piano, 1 mobilia
r^BD, ltlila de amarello,
rio, 1 guarda rmjpa, "
no dia 27 do corrente. pelas 4 horas da tarde, na Baltasar Gonealves Machado.
hIji >1l *.-^_. -______~ _>______t___ ______________. I l I ( I I- I I.l'li<-il>l. 1)1 rm
Dr. Carlos Justiniano Rodrigues.
Candido Vieira da Cunha.
Domingos Jos da Cunha Lagos.
Francisco de Mello-Brrelo.
PRAQA DO RECIFE
*8 DE ABRIL BE I8B5.
AS TRES MORAS DA TARDE.
Revista .semanal.
Cambios........Saccouse sobre Londres 2o,
5 e 25 V, d. por 13000; so-
bre Paris a 375 rs. oor fr.; e so-
bre Lisboa de 98 a 102 por cen-
to de premio.
Ahjedo......... O de Pernambuco vendeu-se de
133000 a 133800 or arroba, o
de Maeei, posto a bordo, de
133200 a 133600, e o da Para-
hyba, tambem posto a bordo, de
143500 a" 143600.
Assacar........ O branco vendeu-se de 33400 a
33800 por arroba, o somenos a
23800, o mascavado purgado de
23200 a 23400, e o bruto de
13860 a 13950.
Agurdente.....Vendau-se de 723000 a 743000
a pipa.
Carnesecca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 33000 a 33800 a arroba,
ficando em deposito 190,000 ar-
robas ; e a do Rio da Prata ven-
deu-se de 33 a 33700, ficando
em deposito 28,000 arrobas.
Couros ........Os seceos e salgados venderam-
sede 140 a 145 rs. a libra.
Arroz..........Vendeu-se o pilado da India a
23600 a arroba, e o doMaranho
a 33000.
Azeitedce......O de Lisboa vendeu-se de 23300
a 23350 o galo.
Oacalho.......Retalhou-sede 155 a 163000 por
barrica ; licando em deposito
4,300 barricas, sendo a maior
paite de Lavrador que se reta-
Ihou a 63 a barrica. <
Batatas......... Venderamse a 13500 o gigo.
Bolaxinhas.....Idem a 83600 a barriqoinha.
-Caf..........Vendeo-se de 73JO0 a 73200 a
arroba.
Cha............idem de 23 a 23200 a libra.
duzia de garrafas.
Genebra........Vendeu-se de 360 a.380 rs. por
botija, e de 53400 a 33500 por
duzia de garrafas.
Louca..........A ingleza vendeu-se com 320
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Manteiga.......Vendeu-se a ingleza a 13100 a
libra, e a franceza de 700 a 800
rs. a dita.
Massas.........Venderam-se a 63200 caixa-
Paseas.........dem a 43000 a dita.
Pmenta da India Vendeu-se a 260 rs. a libra.
Queijos........Os flamengos venderam-se de
13500 a 25300 cadaum.
Sabo.........; O iaglez vendeu-se a 135 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 240
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se a 93303 a arroba do
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de
905000 a 1103 apipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
. 1805000 a 2003 a pipa e os de
outros paizes de 1805 a 1855
athta.
Velas..........As de composirao venderam-se
a 530 rs. por pacote de 6 velas.
Descontos.......O rebate de letras regaln de
8 a 12 por cento ao anno.
Fretes..........Para Liverpool '/ a / por li-
bra de algodao, e de 5/-a 12/6
pelo assucar; para o Canal in-
gles 37/6 a 30/ por tonelada.
sala de suas sessoes, contrata a mesma junta o
fornecimenlo de carne verde que houver de con-
sumir os estabelecimentos de caridade e collegios
de orphos nos mezes de maio e junho prosimo
vindouros. As pessoas que qnizerem fazer tal for- Joaquim Pedro Barreto do Reg,
necimento, devem comparecer com suas propostas J^ Baptista do Albuquerque.
em cartas fechadas, devendo serem ditas propostas iolo Manoel de Araujo.
espeeiaes j para estabelecimentos de caridade e los& Carlos Gomes da Silva Sampaio.
j para os collegios de orphos. Nesta secretaria os Joaquim do Lima.
Raymunda.
Vicente Francisco de OJiveira.
TIIGATK
8.'
EMPRBZA-flOIMBRA
recita da assisoatiira.
Quarta-feira 20 de abril de
1865.
MQTIMESTO DO PORTO
Natos entrados no dia 22.
*(annho 4 dias, vapor brasileiro S. Franciico,
commandante o capitao-lenenle Vital. Condnz
para o Rio de Janeiro o "corpo de Voluntarios de
MaranhSo compasto de 370 praeas.
ftio Grande do Sul 19 dias, patacho brasileiro
Adeltno, de 201 toneladas, capito Manool Fonles,
equipagem 11, cargt 9,200 arrobas de carne ; a
Miia & Espirito Santo.
Caliimore59 dias, brigue argentino Volante, de
280 toneladas, capito Jayme Revera, equipagem
O, carga 2I40 barricas com farinha de trigo ; a
Amorim 4 Irmao.
fi'iia10 das, brigue inglez Sarah, de 243 tone-
ladas, capito T. L. Knight, equipagem 10, em
lastro; a WUson & Hetl.
Phladelphia4S dias, barca ingleza Union, de 107
toneladas, capito Ifeard, equipagem 10, carga
2,150 barricas com farinha de trigo ; a Matheus
Anstin & C.
Liverpool -40 das, patacho inglez Sarah Ellen, de
201 toneladas, capito D. Rolland, equipagem 7,
carga fazendas; a Mills Latbam & C.
Araraj c portos intermedios-4 das, vapor brasi-J
liro Parahyba, de 104 toneladas, commandante
Marinas, equipagem 21.
Navios salados no mesmo da
Porto pela Ilha de S. Miguel Brigne nrasileiro
Amelia, capliSo Joaquim Antonio do Soccorro.
targa assucar e mel.
se daro aos pretenden tes as explicares que estes
julgarem necessarias.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 21 de abril de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Santa Casa da Misericordia di ttecife.
De ordem do lllm. Sr. ihesoureiro da Santa Casa
de Misericordia do Recife, commendador Jos Pi-
res Ferreira, faco publico que no da 28 do cor-
rente, polas 10 horas da manha, no salo da casa
dos expostos, o mesmo Sr. thesourero pagar as
mensatidades vencidas no trimestre de Janeiro a
marco ltimos s amas que se spresentarem acom-
panhadas das enancas que Ihe foram confiadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 21 de abrilde 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro-
Pela thesouraria proviucial se faz publico
que a arremataeo dos reparos de queiprecisa a Ropresentar-se-ha o interessante
ponte do Rio Formoso foi transferrda para o dia 27 I actos e 1 prologo do Sr. Maeedo
do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annnnciac.
lospecco do arsenal de mantilla.'
Faz-se publico que a commis-3o de peritos exa-
minando na forma disposta no regulameoto arme-
xo ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de 1854,
o casco, machina, caldeiras, apparelho, mastreaco,
veame, amarras e ancoras do vapor Paralaba da
companhia Pernambucana de navegacao costeira,
achou todos estes objectos em regular estado.
InspecQo do arsenal de marinha de Pernambu-
co 12 de abril de 1665.
S. C. dos Santos
Servindo de secretario.
Pela thesouraria provincial 6e fai publico,
que a arremataeo dos reparos de que precisa o
empedramento do lugar denominado Areias do Gi-
qui, na estrada da Victoria, foi transferida para
o dia 5 de maio prximo vindouro.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco 15 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Pola thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataeo da obra da constrneco da bom-
ba da varzea de Paulista, foi transferida para o da
27 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 15 de abrilde 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Arsenal de gnerra.
O Sr. tenenle-coronel director do- mesmo arse-
nal, para dar cnmpnmento as ordens superiores,
faz publico que nesta repartilo se contratan) offi-
ciaes de serralheiro e alfaiates qne qneiram seguir
para a corte, cara os vencimenlos da tabella em
vigor ; dando o governo o .transporte : es ro-
teressados comparecara nesta reparticao das 9 ho-
ras da manha as 3 da tarde para fazerem o res-
pectivo contrato.
Directora do arsenal do guerra de Pernambuco
19 de abril de 1865.
O escriptnrario,
Jos Alfredo de Camino.
Correio geral.
Pola adminislrago do correio desta cidade se faz
publico que de conformidade com o deereto n. 187
le 13 de maio de 1861 e respectivas instruccSes,
teve lugar hoje o processo da abertura das cartas
atrasadas pertencentes ao mez de marco de 1864,
condemnadas a consumo pelo art. 138 do regula-
memo dos cor reos de 21 de dezembro de 1844, as-
sistindo a este processo o commercianle Bernardi-
nolosdaSiiva Maia.
Desta abertura resultou acharem-se quatro car-
tas com documentos, que fioam descriptas em livro
para este fim destinado : sendo urna de Joo de
Jess Coelho para Fernandos Alfonso Coelho com
I urna cerdao de baplismo, oatra do Joo Lmz dos
Santos para D. Anna de Santa rsula com urna
letra de 4005, ouira de Candido de Souza Rangel
para Jos de Souza Maciel com urna letra do ban-
co do Brasil do valor de 5:7515180, e outra final-
mente de Guilbermioa da Silva para Manoel Fran-
cisco da Silva com urna procuraco bastante.
Por ultimo procedeu-se ao queima de todas as
mais cartas, de que se lavrou o respectivo termo
que se segu :
Correio de Pernambuco 4 di abril de 1865.
O administrador e thesourero
Domingos dos Sassos Miranda.
Termo de consumo das cartas em ser do mez do
marco de 1864.
drama em 4
Dar m o espectculo a graciosa comedia em
1 acto, ornada de couplets, traSucco da Sr.a D.
Eugenia Cmara
Pao para toda obra.
PEnSONAGENS. ACTORES
Angelo Doacinet......Lisboa.
Mant-flachard.......Porto.
Joo, criado.......Teixeira.
Bradamante.......D. Eugenia.
Beatha. ......D. Camilla.
Os bilhetes acham-se desde j no lugar do cos-
tme.
Principiar s 8 horas.
AVISOS martimos.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do nor-
te at o da 2 de maio o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaqnim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir para os portos do
ai.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder, conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
menias o dinheiro a frete at o dia da sabida as
2 horas: afoncia, roa da Crnz n. 1, escriptorio
de Antonio Luiz-4e liveiraAzevedo COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
pos portos do sal esperado
at o dia 30 do corrente um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
, guir para os portos do norte.
Desde ja recobem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendase dinheiro a frete atoo diada sabida s 2
oras, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio no
Antonio Luiz de Oliveira AzeTedo & C.
Para a Bahia pretende sabir em poucos das
a escuna Eliza, por ter algnma carga tratada, e
para o resto que Ihe falta trata-se cora o consigna-
tario Joaquim Jos Gonealves Beltrao, na roa do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6, ar-
mazem.
de jacn-
1 sanlua-
1 mesa elaslica,
1 cama franceza, I gurda lonca, 1
mar|iieza larga, i 2 cadeirosxlcaia,
i machina paita costura, 2 cadeiras
de bataneo, e ontrnis naftas (moris
4iversas, joia*de iro, relagias.'elc.
Quarta-feira 26 do crreme as 11 horas.
Cordeiro Sires far Im'Lo dos objectos cima
mancioaados por conta o risco de quem-pertencer
pelo maior proco ao:correr do martillo, afim de
fechar cootas-de venda, ser effectuidoo leilo a
ra da Cruz n. 57.
Leilao de farinlia ilc-lrig avariada.
A 26 do corrente.
A requermentoide Pnipps Brothers & C. e por
mandado ido 141 m. 8r. Dr. juiz especial do coramer-
cio, o agoote Oliveira fara leilao por conta e.risco
de-quera pertencer de 342 barricas de forinha de
trigo, sob difterentes marcas, avariadas e recebidjs
pela barca ingleza Ansd.ell,i capito Tatterson,
Ytfida reeentemente de New-York, a consi^naco
de Saundcrs Brothers & C.
Quarta-feira 26 do corrente
s-11 boras em ponto, no anmatera de ditos Phjpps
Bioibsrs ii C, ao caes d'AooJIo.
Precisa-sc alugar dous escravos, m para
trabalho grosso de um hotel e outro para criado :
no hotel Italiano, ra do Trapiche n. o.
I Precfsa-se de urna ama para o sen-ico inter-
; no e externo de urna casa : na ra larga do -Rosa-
rio n. 37.__________
Ama
Precisa-se de_uma ama forra ou captiva que co-
zinhe e ongomme algnma cousa, para casa de
ca familia : quem quizer dirija-se
Rosario n. 38, primeiro andar.
295 Companhia lideldaile do seguros \
}m maiitimusV terroslrcs
jM estabeleeida no llio do Janeiro. ^
AGRTES EM PKRNAHB'CO 'SR
K Anloato Loiz de Oliveira srevodoiC,,^
M| c'o>etentomente autorizados pela direc- Jge
. Ioria (i:l '-|npanl]ia de segnros Fidelida- *?j
IVj de, tomam seguros de navios, mercado- $W
*M i!'4 l-reiiios no seu escritorio ra da P 5
M Cruz n. |. ^
Paila lia*
Precisa-se de un amassador : na padaria da
ra Pirgua n. 69.
Precisare de urna ama larra ou captiva pa-
ra cozinhar e comprar para casa de rapaz solteiro:
"^/na do Queimado n. 7.
Ama.
Precisa-se de urna ama para todo 'servico : na
travessa das Cruzes n. 2, primeiro andar.
Ama
ou-
a ra larga do
Precisase de um eriado para servir em urna
casa de familia : na ra da Cruz, primeiro audar
do sobrado n. 31.
Prevenco
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevldade a barca
Rio de Janeiro, tendo parte do seu carregamento
engajado: para o resto que Ihe falta o escravos a
fretes, para os quaes tem excedentes commodos,
trata-se com o sen consignatario Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo, no seu escriptorio na ra da
Cruz n. 1.__________
Para o Rio de aaaeire.
O brigue escuna Joven Artftur, pretende seguir
Aos 4 dias do mez de abril de 186it na sala da com muita brevldade, lendo parte de sen carrega-
1 ment prompto : para o resto que Ihe falta e es-
cravos a fretes, paraos quaes tem bous commodos,
trata se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.
AYiSOS DIVERSOS.~"
LOTERA
AOS 6:000$000.
Quinta-feira 27 do corrente mez, se ex-
trabir a 2a parte da Ia lotera (13a) a be-
neficio da matriz de Nazareih, no consisto-
rio da igreja de Nossa Senhora do Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
Os billetes,meios e quartos esto a ven-
da'na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 0:0000000 at 10^000
sero pagos unta hora depois da extracelo
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribujcao das listas.
~JA eneominendas s rao guardadas s-
mente at a noite da vespera da extraeco
orno de costume.
O thesourero,
_______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Manoel de Oliveira, subdito portuguez, reti-
ra-sc parado Rio de Janeiro. ___________
Jos Francisco Maia retirase para Portugal
a tratar de sua saude, levando em sua companhia
como seo criado Joaquim Ferreira Coeiho.
Domingos Moraes da Costa, subdito italiano,
vai a Europa.
Antooioda Silva Parva, caixeiro dos Srs. Al-
tes & Lopes, subdito portuguei, vai a Europa tra- i
tar de sua saude.
Foglo da povoaco de Panellas de Miranda
desta provincia o escravo etioulo, de nome Ma-:
tiieus, cujos signaes sao os seguimos : estatura al-.
ta, 2i annos de idade, corpo regular, rosto cora-1
prido a principiando a barbar, cor preta, orelhas
pequeas, tem lodos os denles e sao limados, nariz
regular, olhos dem, cabellos bem carapinbados,
pernas um tanto tina?, pos compridos e seceos, .'
ladino o multo humilde. Consta-nos que se acha
homlsiado no lugar denominado Pedras-brancas,
onde j foi visto, do termo de Muriri, em Alagoas:
a pessoa que o apprehender e entregar ao Sr. Ma-
noel Joaquim Duarte Gniraares, em Macei ; ao
Sr. Antonio de Monra Rolino, nesta cidade, ra
O escravo Severinodo Sr. Joo Marinho Falco,
I acha-se hypoihucadoflela quantia de 3005, desde
| o dia 13 de Janeiro do corrente anno, como c n>ta
da escriptura publica no cartorlo do Sr. Porto-
carreiro, ra do Imperador.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite: a tratar na
pracado Corpo Santo n. 17.
Na padaria da Torfe precisa de um
homcm de meia idade para caixeiro sendo
solteiro e d conhecimento a sua conducta:
tendo algaiaa pratica mellior.___________
Precisa-se arrondar ou comprar um sitio
grande que tenha boa casa, o cujo terreno seja de
barro : a tratar na ra da Imperatriz n. 20, loja.
Na ruada Cadeia do Recife loja de ferra-
gens-B. 4i, desej*-se.fallar<:oni o Sr. Jos Dias
Fernandes, a negocio de interesse.
n. 3 faz-se comida para
commodo que em outra
Ha para alugar-se urna esrravarrioula para o
servico interno e externo de rasa, com as habili-
dades que se dsrao : ao cartorio do tabellio S,
se dar informaco.
P
O avogado Maximuiin Lope.-. Macha-
do transferid o seu escriptoiio da ra do
Imperador n. 71 tara a do Crespo u. 10,
primeiro andar.
Precisase de urna ama forra para casa da
pouca familia, .que engomme, cosinhe e compre
na ra : na ra das Trinche iras n. 40.
Na ra do Arago
fra e por preco mais
parte.
i A pessoa que perdeu 2$ em scdula, dando os
i signaes cerlos Ihe sero entregues : no pateo do
Carmo n. 18: loja.
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna casa de pouca familia : a tratar na ra Ve-
llia n. 52.
Na roa da Cruz i\. 33, compram-se cdulas
das caixas liliaes das provincias, e do banco do
Brasil, com descont razoavel.
Quem ti ver equeira alugar nm moleque de
14 o 16 annos, fiel-e activo, appareca na ruada
Trapiche n. 44. segundo andar, ou aununce para
ser procurado.
Na Camboa do Carmo casa n. 5, lava-so
chapeos de palha para senhors e faz-se chapeos
de seda, venidos e capas, e prepara-se plomas,
tudo por preco commodo.
Panicipa-se aos pais de meninas entregues
drec^o do collego de N. S. da Conceico, que
este collego se acha transferido para os 'Coelhos,
onde foi a casa de Alienados. Todas as pessoas que
tiverem relacoes com dito collego, all podero
dirigir-se : assim como all somente nos domingos
de tarde se recebem visitas.
Precisa-se de urna criada portugueza para
servir a urna familia estrangeira, paga-se bem sen-
do boa : na ra da imperatriz n. 63, primeiro
andar.
Precisa-so de urna ama para cozinhar em
casa de pouca familia : no Recife, ra da Cruz
numero 29.
D. Mara Joanna da Graca e sens genros
Flix Francisco de Souza Magalhes e Apn-
go Jos da Silva, agradecem cordialmente
a todas as pessoas que se dignaran) assistir
as exequias celebradas no convento do Car-
mo, e acompanbaram ao cmilerio publico o
corpo do seu fallecido marido e segro Joo
da Silva Loureiro, com particular idade aos
Rvmds. padres prefeito do hospicio da Pe-
nha, guardio do convento de S. Francisco,
provincial do do Carmo e mais religiosos dos
respectivos conventos. A todos ainda pe-
den) o especial favor de assistirem a missa
do selimo dia, que se celebrar no mesmo
convento do Carmo, terca-feira 25 do cor-
rente, as 5 horas da manha, pelo que se tor-
naro eternamente gratos.
jO r. Francisco Pires Ha-*
chatio l'ortclla
Medico operador
l PELA
FACULDADE DE PARS,
SR regressando a esta provincia acha-se gfe
2j prompto para o exercicio de sua prolis- S
^ sao, quer nesta cidade, quer fura delta, S
J?fct especialmente em molestias de olhos (ca- fa
~" taradas etc.) das vas urinarias (estreila- 2
^ ment de nrethra ele ) e de pelle, para H5
2K cujo curativo se julga habilitado, atienta $%
JgK a pratica que teve nos hospitaes de P- J;
~~j ris, e os modernos instrumentos que pos- ^5
m sue.
^g Pode ser procurado a quarquer hora W
S5 na casa de sua residencia no palee do 35
^ Carmo 2, esquina da ra e Horlas. ]R
mmmmmm m mmmrnm
AMA
Precisa-se de urna ama perfeta eozmheira o que
compre, prefere-se escrava : na ra da Cruz nu-
mero 68.
Aluga-se a casa n. 4 da ra do Nascente : a
tratar a ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
Precisa-se de urna criada- para engommar :
no armazem de Vicente Ferreira da Costa & Fi-
Ibo, ra da Madre de Dos.
Precisa-se de urna ama de meia idde para casa
de poucafamia, que saiba cosinhar e engommar:
no Campo Verde n. 51___________
LIVRARIA ACADMICA
DE
J. W. DE yfiDEHMK
A' ra do Imperador n. 99.
Este estabelecimcnto acaba de receber as se-
grales obras:
Diaclonario do bom gos ou genuiaa linguagem
[ das fibres em verso rimado, contendo jogos, poe-
correio
Custodio Jos Alves Gurmares tendo arre-
matado as dividas da massa fallida de Guimares
do Queimado n. 31; ou m Sr. Jos dos Santos Sil* I ft f" foienlf a.08 fevedores da mesma que siis e 0 secretario de cupido ou novissim
va Jnior, na referida povoaco de Panellas, ser !ellft. nnlc?/Q'orisado receber ditas dividas o dos amantes, mais correcto e augmeulau eomir-
generosamente gratificada. P?r ^S" convida aos.m.eS,m0S ^^ desdores a tlgos noVose o emblema das cores pelo .qual cora
-------------------------------------------------- yJT^ SeQS .S am,8avelmeQte este dnas ores, fructas. ote., etc., poder qualquer
A vico ** dias' flnd0 os q!?aes lem 6 entre*ar a cobran- pessoa enviar om recado-completo a qaem amar
ca aoseu procurador, podendo os mesraos senho-: { TO|. eleganleraenle eacaJernado com as folbas-
/resdovedoresdingir-searuadoCrespon.7, lo- douradas e denlro de urna caixiaha, edieco
Fugio hoje, depois de ter vindo de nma captara
o escravo crioulo SatnrnitK, que fra somprad jado Vigilante,
nesta cidade, ende trabalhava de carniceiro e car-
roceiro : roga-se s autoridades policiaes a sua
captara, ou a qualquer pessoa de o levar a ra es-
(reilado Rosario n. 23, segundo andar, onde sero
gratificados. Previne-se de ninguem o acoutar,
sob as pesas da le.
Preparase comida para fra com aceio e ni-
tinez por prego mais commodo do que em outra
qualquer parte, tambem lava-se e engomma-se :
na ra do Arago n. 3.
administraco do correio de Pernambuco, achan
do-se presentes os Srs. administrador e thesonrei-
ro Domingos dos Passos Miranda, e mafs empre-
gados, procedeu se em virtude do art. 138 do re-
gulameoto dos correios de 21 de dezembro de
1844 o consumo de 212 cartas e 111 jornaes, sen-
do 97 sellados e 115 nao sellados, na importancia
de 24&390, que Osa nesta data descarregada ao
mesmo Sr. administrador e thesourero.
E para constar se lavrou o presente termo em
que assignaram o referida Sr. administrador e
thesourero e empregados abano declarados.
En Eduardo Firm.ino da Silva, ajudante e con-
tador o escrevi.
O administoador e thesourero
Domingos dos Passos Miranda.
Offlciaes papelistas
Luiz de Franca de Oliveira Lima.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Para o Rio de Janeiro.
Segu nestos olio dias o brigue escuna Nao m,
tendo dous tercos do seu carregamento a bordo :
para o resto que ihe falta e escravos a frete, para
os quaes lem bons commodos, traia-se com os seos
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu eseriptorio na roa da Cruz n. 1.
Para o Porto
segu impreterivelmeole ate o dia 27 do corrente
a bem conhecida e veleira barca Claudin por ter
seu carregamento prompto : para passageiros, pa-
ra os quaes se offereco excellontes commodos, tra-
ta-se com Cucha Irmos & c., na ra da Madre
de Dos n. 3, ou com o capiae a bordo.
Fugio no Pono de Galinba no dia 17 do cor-
rente, o escravo Jos, de idade de 12 a 14 annos,
com os signaes seguintes: olhos avermelhaaos,
nariz chato, raeio abertalbado, levando camisa de
madapolo, caiga de brim pardo, e
Iha de carnauba : qaem o pegar leve
Qneimaon. 44 otr no sitio da Juruparana em
Nossa Senhora do O' a seu Sr. Manoel leronymo
Canejo, que se recompensar. _________
O ostudante Ildefonso da Costa llamos tendo
de alistar-so no honroso corpo de voluntarios da
patria, oscolhen para isto o de sua provincia, na
cidade da Parahiba, para onde se destina ; e como
Precisa se de nma eriada
redor do Bispo n. 24.
na rna do Cor
Caixeiro.
Na ra da Cadeia do Recife n. 28,
primeiro- a-
cte 1865............'. ajOfc
Novas cartas recreativas e doutrmaes de om
pai a seas filh >s para Ihes inspirar o amor a vir-
tude, por F. Hadniaa, traduzdo do allemao com
8 lindissimas gnwuras colorida*, edieco de
1865............2eOO
Thomaz Alves, aaaotacoes ao eodico criminal.
ene..............9000
Manual ecclesiastico ou cotlec{fio de formlas.
| pelo padre M. T. da Silva, 1 vol. ene. 60Gi>
Compendio elsuientar de geographia gexal e es-
e-o a rindo i miuoeaa,, lerragens ou lazenms, tl(la e cuidadosamente corr igida pe o auhw t vo-
c u o i u* uo i a nao teem urlica mas t.imhem nan so miou ._ ____ *.uin0i ysiu nuivi, x v
ellos nao teera pratica, mas tambem nao se eiige
ordenado em quantc* nao merecerem.
Precisa-se de urna ama para urna casa de
pouca familia, para cozinhar e comprar na roa os
necessarios da casa : na ra Dreta a 3i.
O abaixo- assignao, tabellio de- notas nesta
cidade, vem declarar ao rcspeitavel publico tanto
pela brewiadedo vapor So possa ir pessoalmente | desta cidade como de ontras provincias, onde tem
despedir-se de seus lentes, amigos, prenles, col- relacoes, como que nunca residi fra desia capi-
legas e familias quo Ihe sao charas, a todos pede j tal ; e como apparecesse outro de igual nome no
esculpa, e offerece-se em quaiquer parle onde o engenno Amaragy.d'agua, do termo de Seriohaera,
destino o colloque.______________________ | commettendo o crime de ferlmentos graves, na
poder Pesso* do caDOColo Joaquim
Roga-so a qualquer pessoa, em cujo
se ache nm bahu de (landres azul, contendo urna
porgo do roupa de menino. d 5 mezes, urnas
saias de menina de 9 annos. e urnas camisas de ho-
rnera, que foi levado por engan) ou fuado, do
porto do capiro, por deleixo do canoeiro, o favor
Fidelis da Silva, que
lograra evadir-se, e se v da declaraco da polica
que vem no Diario de Pernambuco e Jornal do
lieaft de hontem, o mesmo abaixo assigoado em
satisfago a quem nao o conhecer, e para obviar
duvidas futuras, vem declarar que nao se entende
de levar roa do Sol a. 19, que se
signaes e ser recompensado.
dar outros icom eUeo facl Praliei<}0 iw esse hornera de igual
nomo do abaixo assignado.
Francisco Baptista de Alraeida.
No becco de Santo Amiro, loja n. 16, faz-se i _________
todas as qoalidaes de comidas com rauito aceio e' Aviso
perfeigao, por prego mais coinrao^o do rjue em o^t O escrivo dos protestos, Jo3 Mariano, est de
tra parto. i semana.cartorio ra do Imperador n. 12.
ume encaderaado.
Grammalica franceza por Burgan, 4* ediccSo
de 1865, 2 vo!. ene.......6&XH
O Novo Mez de Maria, ciiendo alm de muitas
oracoes importantes e abe- das almas, 1 val. ene.
edic. de 18Go..........23000
Caixeiro.
Um moco que iu-:--. j livre o de hons costumes
desrjando arruinar-s* no coramereio, deparou ao
acaso cora um annuacioo que dii precisar de dous
caxeiros, medanle certas e determinadas cond-
coes i eu, que prseiso ganhar a vida por mel li-
cito, comprometlo-me a ellas, loado a gaveta do-
patro rainha disposicao, afim de que minha Mi-
cnaella mo venha soffrer algnm embarago gstri-
co, molestia to em moda na presente estagu !
Escapandck, porin, ao annuncianto o nomo o nu-
mero da casa, pede-se candosamente este obsequio
afim de ser fcilmente procurado._____________
Na ra Nova n. 65, segnndo andar, precisa-
so contratar um moco que tenha hailuaedes para
adjunto noensino de tatlm e frncez, (portuguez a
arilhmetica a am o outro menino) e que poss re-
sidir das 6 horas- da manha as 8 da noilo.
I


Marte te rerunliaeo .- leguia letra 4 4c Afcrftl de !&.
BANCO UffIAO
SEC^AO UE iECUROS MUTUOS DE VIDA
Deinonstraco do niovinicuio desla scelo desde o Io de outubi o a 31 de dezembro de 1864.
Designares
Transporte do ulti-
mo trimestre
Subscripto no pre
sent trimestre
Presucoes recebi-
dasidem.....
Porcentagens por
atraso dem.....
Jaro de insenpefas
idem..........
Inscripcoes compra-
das a 46 V.....
Inscripcoe; compra-
das a 46 Vz.....
InscripQ5escompra-
das a 47 */-----
Somma......
Mil ERO DE
SOCIOS.
9 O a
3 O 'O
^2 >" ?2
0.-53 o--a | ~
5727
227
5954
838
780
1618
6563
1007
7572
o
CAPITAL SUBSCRIPTO.
9
ia o
i 2
2,115:9905000
92:170,5000
2,208:16050Q0
*!

282:615*000
214:255*000
,398:605*00
306:425*000
CAPITAL BEALISAD0.
.O
'O o>
2
i o
a oo
^
CAPATAL EMPREGAD0.
Valor nominal etn inscripcoes.
3 O
o. co
a co
i .2
IQ O
O 00
Metal.
o o
' o IJ3
l* e -- t-
a SC a oo
a a 5

5.-S S.-S o
3 -J ts
Ensino em engenho i VFMFM SF
\ nrimoirns lolraa o tamhpm do latim. fraiifM. 1 EiliMFli lll LIJ
489:127*200
72:830*000
2:882*950
7:594*500
496:870*000 2,705:030*000i872:434*650
67:228*000
65:375*000
1*500
2:004*000
556:355*200
138:205*000
2:884*450
9:598*500
134:608*500!707:043*I50
991:300*000
1:600*0001
50:000*000
26:000*000
1,068:9005000
133:600*000
40:750*000
20:900*000
195:250*000
1,124:900*000
42:350*000
50:000*000
46:900*000
489:158*885
746*000
23:250*000
12:220*000
l,264:150*000|525:374*88o
66:101*125
555:260*010
18:993*690
9:823*000
94:923*815
19:745*690
23:250*000
22:043*000
620:298*700
Perto, 31 de dezembro de 1864. ... ..
Os directores do Banco Uniao.Jos de Almeida Campos Jnior, F. II. van der Niepoorl, Jos da Silva Machado.
AoDrovado pel junta de vicilania em sesso de 11 de Janeiro de 1865. ., ~ n i
Justino Ferrar* Pinto Basto, vice-presidente, Vitctnde de Figueiredo, Agostinho Francisco Velho, Francisco Antonio de Urna, Antonio Adriao da Rocha, secretarlo.
N. B.Desde o Io a 11 de Janeiro tem bavido o seguinle roovlmento na subscripeo :
SOCIOS. CAPITAL.
Em 31 de dezembro..... 7572..... 2,705:030*000
Do l'a 11 de Janeiro.... 205..... 42:425*000
Total....... 7777..... 2,747:455*000
De primeiras letras e tambem do latim, francez,
inglez e rhetorica, por preco commodo : no escri-
torio do Sr. Dr. Diodoro, rna do Imperador n. 81, <
primeiro andar, acbar-se-ba com quem tratar.
Est para alugar-se ama casa torrea na ra
da Gloria n. 14, um e 2* andar de nm sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista,qnasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros.com arvoredos, agua dcbeber.e portao
para o becco do Pombal: quero pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 9. das 9 horas da
manhaa at ao meio dia._________________
Aluga-se a casa terre a n. 105 da ra de San-
la Ritajnaruada_AurorajK36.____________
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pouca fami-
lia : a tratar na praca do Corpo Santo n. 17, ter-
ceiro andar._____________^______
30$000 Attencjio 30$000
Dao-se 30* de gratificado a quem descobrlr ou
indicar onde param dous cavados que desappare-
ceram na noite de 18 para 19 do correte da cam-
pia da Villa-seca (da Estrada Nova;, nm dos di-
tos cavallos cor castanho, pequeo, calcado dos
ps, tem duas costuras no peito, ainda nao tem
pello, o outro do mesmo pello, ossndo, feio e
grand, tem no casco da mao esquerda urna pe-
quena falla, e marcado na orelha esquerda :
quem delle der noticia dirjase ao mesmo local.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava dan-
do-se preferencia a ultima, para comprar e cosi-
nhar : na ra das Crutes n. 35._______________
Alutja-se o 1* e 3" andares do sobrado da
rna da Cadeia do Recife n. 36 : a tratar no ar-
mazem com o agente Olympio.
Do I.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
de luaio de 186o at oolro aviso, a partida d.s treas de pa>sageros ser regulada pela tabella seguale;
TACES I'AIIA O INTERIOR ESTACES DO INTERIOR
ES Dias l tra-Itallio Domingos e tas santos Olas MANIIAA TARDE MANIIAA TARDE MANIIAA TARDE MANIIAA TARDB
11 8 8 8 8 9 M. 30 38 50 58 22 40 57 14 29 45 15 33 52 15 30 48 6 30 11. 5 5 5 5 5 6 M. 0 8 20 28 52 10 II. 7 7 7 7 8 8 8 9 9 9 10 10 10 11 11 11 11 12 M. 30 38 50 58 22 40 57 14 29 45 15 33 52 12 15 33 51 15 II. 6 6 6 6 6 7 M. 0 8 20 28 52 10 H. 6 7 7 7 7 8 M. 50 8 32 40 52 0 H. 11 11 11 12 12 12 1 1 2 > 2 2 2 3 3 3 3 4 4 M. 15 39 57 15 30 53 12 30 0 16 30 48 5 23 47 55 7 15 11. 6 6 6 6 7 7 M. 0 18 42 50 2 10 ii. 1 1 1 1 2 2 2 3 3 3 4 4 4 4 5 5 5 5 ___
Una............ Agua Preta.......... Cuyambuca.......... 0 25
42 57
llha . ...... 0
Ribeirao............ Aripib............. Frexciras........... Escada............. Timb Ass......... Olinda............ Ipojuca............. Cabo.............. llha............... Prazeres............ Boa Viagem......... Afogados........... Cinco Pontas........ 23
Ipojuca. . ..... 9 10 10 10 11 11 11 12 12 12 1 1 42 0
30 45
0
Aripib. Ribeirao Gamelleira Cuyambuca Agua, Preta Una. . 18 35 53 17 25 37 45
G. 0. Mann, engenbeiro e superintendente interino.
!!
Aluga-se o quarto andar da casa da ra
do Imperador n. 54, com cemmodos para g
familia : a tratar na ra do Rangel n. 54, SR
assim como vende-se urna bonita mulata -g
com habilidades de cozer e bem arraojar |
urna seohora, e especialmente de eogom- jdj^
mar, sendo que vende-se, porque a pes- rg
soa de quem ella relira-se para fura. Sr
Os abaixo assignados tendo arrematado as di-
vidas da mas-a fallida de Joaqnim Vieira Coelho
j C, fazem sciente aos devedores da mesma mas-
sa, que elles sao os nicos autonsados a receber
taes dividas, e por isso pedem aos mesmos senho-
res devedores a vlrem ou mandarem pagar seus
dbitos amigavelmente : na ra da Cadeia do lle-
cife n. 3.
Jos Joaquim de Castro Moura.
Joaquim Beptista de Araujo.
Quem precisar de 1 0005 a 2:000* a premio,
dando por seguraaca hypotheca em casas terreas
livres e desembaracacas nesta cidade, annuncie ou
dinja-se a ra do Hospicio n. 31, a qualquer hora
do dia, que achara com quem tratar^__________
Na praca da independencia loja de ourivesn.
33, compram'se obras de onro e prata c pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda e todo e qualquer concert.
& O bacharel
-S Fraiiciseo Augusto da Costa
ADV6GAD0
& Ra do imperador numero 69.
Samuel Power Johnston k Cempanha
Ruada SenzalaNuva n. 4.
AGENCIA DA
Fnndle-to deLow iiour.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava i los.
Moendas e metas moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d > carro para um'e dous cavallos.
SRelogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para desearopr algodo.
Motores para ditos.
Mac-iinas de costura.
Iiarharel Jos Baptisla Gitirana-
airoga nos termos do Bonito e Caruar. j
iPode ser procurado na villa do Bonito,
rna Direita n. 16, defrontd da cadeia.
Alugana-se dous grande* sobrados com coro-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardini, nocheira, estribara e outras commo-
didades, stravessa de Joao Fernandes Vieira:
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
A luga-se
nmacasaacabada agara, com commodos para fa-
milia,estribara, cooheira, quartos para feitore
scravos.cora bando na porta.no lugar do Poco
daPanella.ruado Rio : a tratar com Tassoir-
maos.na ra do Amorim c, 35.
O London & Braziliao Bank, saca por To-
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Gntmaries.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante. ^^____
Prcisa-se alugar ama preta que seja escra-
va para o servlco de urna casa de pouca familia :
aa ra Direita n. 74. ^__
Precisa-se de urna ama para ama s pessoa,
qae saiba engommar, coser e qoe tenha bom com-
portanunto : a tratar na rna do Imperador a. 41-
t- Uesjase fallar com o Sr. Joaquim da Fon-
wcaj!ya, na ra do Crespo n. 16.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TE1XEIRA BASTOS
N. 60Ra da Cadeia do RecifeN. 60
Todos os artigos abaixo mencionados, forara comprados recentemente pelo dono do estabele-
cimento as principaes fabricas de Pars, Londres, Birmingham, Manchesler, e em diversas cidades
da Allemarfha, e leudo comprado tudo as melhores condicoes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do sen valor, e mui principalmente por querer inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com brilhanles, como boloes, anneis, rosetas etc., e
bem assim, diversas obras de ouro, como traucelins, correntoes, oculos, face-mains, anneis, e muitos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas tinas e modernas ; miudezas, perfumes, perfamarias tinas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Plnaud & Meyer, Delettrez Parfumene du
mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Gueland, e inglezas de Eug.
Rtmmel e outros; ricas galantarias.em inarfini, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japao;
ricas pecas de cristal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem a-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casligaes, enfeiles e adornos para cima de con-
solos e para grande toillette, o que se lem'feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingham
etc.; modernos apparelhos de metal Ano inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo metal, rieos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
ohora?, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana lina para cha e caf,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cura sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolll ii C, realejos modernos de Gavioli 4 C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para sales e ditos eom figuras era movlmento ; modernos e bonitos instrumentos de pbysi-
ca (mgica) para theatros ou s loes, ditos de phantasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invencao e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos tinos para crianzas, e bonecas rallando papai,
mami ; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feto de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda proprios para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de outras de todos os santos,ditas com figuras editas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafarz de christal, proprio
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; entelarla Hua, come talheres com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, n'avalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, selim, cera, papelo e ra-
me, doces, confeitos e chocolite em caixiDhas e em vidros; camas de ferro de|lodos os tamaitos, lava-
torios, etc.; ricos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos
de sol, bengala?, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz po-de-l, bolnhos.etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
pannos para cobrir mesas, bol?as grandes e pequeas para viagens, e ontros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violSes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pegas
de charo para toillette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanlernas coloridas para
illuminacoes a moda de Pars, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma hanhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
que para enumralos seria nm nanea acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendera-se moedas de ouroe notas do Banco, e bem assim ama colleccao desde um centesimo
at mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, no armazem da Exposico de Londres.
es
<
<<
O
O"
50 ce
W
o
Para completa liquidadlo vende se, por muito menos de seu valor, perfumaras moito finas e
novas chegadas recentemente de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguales : Eug.
Rimaiel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regorer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em ganafinhas e
vidros de differentes modelos, pos para limpar dentes, hanlia em potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfamarias para fazer presentes, e muitos outros arligos que se veode por
menos desea valor,J>em como todos os arligos em geral existentes no grande armazem da Exposigo
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para "senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele-
gante ateo presente: vende-se por menos de seu valor para se.liquidar, no grande armazem da Ex-
posico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Lavas novas de Jouvin.
Ven Jem-se excellentes lavas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para bomem co-
mo para senhora por menos de seo valor, para se liquidar: no grande armazem da ExposicSo de Lon-
dres, na rna da Cadeia do Recife n, 60.
AOS PAS DE FAMILIA
Feijao mulatinho a 560 rs. a cuta.
Pela g: ande quantidade e a prohibido que ha de (se poder expr as ribeiras se
yende por este preco, o feijSo bom e o preco agrada 3 todos : na ra dos Quarteis n,
22, junto a loja de fanileiro.
Ama e mobllia
Precisa-se de urna ama forra ou escrava para
casa de pequea familia, assim como compra-se
urna mobilia de amarello : na ra Nova n. 63, se-
gando andan____________________________
Perdeu-se da ra do Imperador roa da Ca-
deia do Racfe, da cadeia de um relogio, no dia 15
do correte, um cameirinho de ouro macisse fir-
mado em urna chapa do mesmo metal, e nesta era-
vado ama pedra encarnada que serve de sinete,
porm sem firma : quem achou, levando-o a loja
dos Srs. Andrade & Reg, na esquina da mesma
rna do Imperador, ser recompensado.________
25$U0o.
Alnga-se por 255 mensaes o secundo andar do
sobrado n 62 da ra da Gula : a tratar no pri-
meiro andar
Quem precisar de ama ama de leite dirja-
se ra do Pilar, no fundo do assougne n. 93.
Aluga-se o terceiro andar da ra da Impe-
ratriz n. 34, com muitos commodos, tratase em.
baixo no estahelecimento.___________________
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de electivamente escraves de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar._______
Preisa-se de nma ama forra ou captiva : na
roa larga do Rosario a. 35._________________
Na praca da Independencia n. 33, precisa-se
de nma ama para compraD, cosinhar e fazer todo
o mais servlco de casa de pouca familia^______
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da ra da Guia, pintado de novo e com commodos
para grande familia : a tratar no primeiro andar
cem seu propietario o bacharel Francisco Luz
Correa de Andrade.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes: na praca da Independencia n. 22.
Domingos A Ivs Matheus mudou seu
escriptorio para a ra do Vigario n. 14
CASA M BWIIOS
Largo do Carino numero 26.
Este estabelecimento lio bem montado na sna
origem, achava-se de a muito em quasi completo
abandono pelo pouco nteresse de >ua adminis-
tracao.
Hoje que o novo preprietario emprega todos os
mees para restabelecer a grande ulilidade deste
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concorrentes acha-
rao desde j prmpl-dao e aceio nos bonhos frios,
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberta lodos os dias das 6 da manha as 11 da
noite.
Pregos.
1 banho fri ou morno......500
1 dito de farello........15000
i dito medicinal ser segundo a qualidade.
2o cartoes.........105000
12 ditos..........55000
Precisa-se de um criado forro ou escravo :
a tratar na ra da Madre de Dos n. 36, primeiro
audar, das 9 as 2 oras da tarde.
O bacharel Alvaro Caminha T. da Silva
S3 tem seu escriptorio de advocacia a' ra
Sd do Imperador n. 41, primeiro andar, on- ^
mt de pode ser procurado das 10 as 3 horas. >|?
^ Em qualquer outra occasiao sera' encon- S
n trado na casa de sua residencia a mesma k
ira ra n. 3, junto ao Gabinete Portngnez. g|K
mmmmmm mmmmmmm
Consultorio medico-eirurgico na roa larga de
Rosario n. 20.
O Dr. Jeo Ferreira da Silva rogressando asna
casa, contina em o exercicio de sua proBssao nao
s na parte medica como tambem na cirurgica.
Aluga-se urna casa terrea nos arrorabados
em Olinda, com 2 salas, 4 quartos e urna grande
cosinha com portao para o rio : a tratar no arma-
zem do Annes defronte da alfandega.
O bacharel Lourenco Avelino de Albu-
5 querque Mello continua a ter sen escrip-
jgj! torio de advogado nos anditorios e tribu
naes desta cidade : na ra do Imperador
o. 40.
MKSftfiWittl
Acha-se fgido o preto de nome Gabriel,
erioulo, de idade pouco mais ou menos 35 annos,
baixo e corpolcnto, rosto curto e barbado, pesco-
So curto, olhos vivos e sobraxcelhas arqieadas,
occa regular, dentes alvos, ps curios e largos :
roga-se as autoridades vigilancia por se desconfiar
delle querer assentar praca no corpo dos volunta-
rios, ou a quem a elle pegar conduzir ao engenho
Tapugy de cima da comarca do Cabo a entregar a
seu senhor Antonio Joaquim Cavalcanti de Alba-
qaerque ou a Jorge Clemente de Borba Cavalcan-
ti, na roa de Apollo n. 34, segundo andar, que
ser gratificado : desconfla-se tambem delle estar
ou andar na cidade de Olinda, visto que dam foi
cemprado a nm preto forro de nome Guilherroioo
Sebastiodo Resano, a 17 annos, pouco mais ou
menos : pede se, portant \ aos senhores capitaes
de campo, unto dalli como de outras partes, sna
captura as condicoes cima ditas. Dilo escravo
j foi visto nesta cidade e no aterro dos Afogad is.
Precisa-se fallar aos Srs. Loiz Mosquita de
Loureiro Moraes e Manoel Joaquim Vieira Peixoto:
no armazem de Fernandes & lrmo travessa da
Madre do Dos n. 13^______________________
Prccila-se de um copeiro : na ra das La-
rangeirns n. 10. casa de pasto.______________
Precisa-se fallar com urgencia ao Sr. Lino
Ferreira da Silva a negocio de reciproco inters-
se : na ra do Livrameoto n. 22, terceiro andar.
Eseola particular.
Clara Olympia de Luna Preire, professora parti-
cular de inslruccio primaria, competentemente aa,
torjsada pela directora da inslruccio publica,
abri sus jula na rna Direita d. 60, segando andar
caixes vastos proprios pora bahulei-
ros e funileiros a 1,760 rs.; a tratar
nesta officina,
lez Mariano.
AiBda est venda na ra do Imperador n. 15,
defronte de S. Francisco, a rica edicao do mez Ma-
riano, ornada com estampas e vinhes, eeneader-
nada, por 15 e 15500 cada livro.____________
No escriptorio de Claudio Dubeux' vendem-
se fogoetes com nova composicao de mistos para
matar formigas ; nova deseoberta, e mais evi-
dente que as an'igas velas mistas : preco 500 rs.
cada um.
\atea de
Vende-se urna muito boa
n.,34.
lelle.
na ra do Hospicio
Precisa-se de urna ama seca para casa de
pouca familia e estrangeira : a roa da Cadeia do
Recife n. az._______^______
Aluga-se um nioleque para servico interno e
esterno, com tanto que seja fiel : as Cinco Pon-
tas n. 79.
COMPRAS.
Vinhos do, Porto finos
engarrafados embarris ean-
coretas:
Lagrimas do Donro.
Duque do Porto.
D. Luiz.
Menezes.
Particular.
Vinho real e muscatel
19, primeiro andar.
na roa do Vigario n.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fernira & Matheus, Da ra da
Cadeia do Recife n. 66._______________
Compra-se ouro e prata em obras velbas, pa
ga-sebem: na loja de bilhetcs da Praca da Inde
dendencian. 22.__________________________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
^osario n. 24, loja de oorives._______________
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da roa da Aurora.
Vende-se tres carrosas para boi, duas ditas
para cavallo, dous carros para condurcao de pe-
nen s de estiva su outro qualqner mister, Indo em
bom estado, e por preco| commodo, por seu don-
querer acabar com esse^negocio ; a tratar na roa
do Sebo n. 54, taberna
Era casa de Tisset Freresrna do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bordeaoxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne mnilo superior.
Cerveja franceza marca Bobee. ^^_____
a ra de- Imperador n. 28 vendero-se supe-
riores biebas hamburguezas ero porcao e a reta-
Iho, e tambem se alugam.
VIHO VEBDE
puro, de Basto, ero barrsde oitavoe dcimo : ven-
de-se na ra da Cadeia n. 17.
___________PRAQA DO RECIFE.__________
Vende-se o sobrado de doas andares e solio
n. 36, na ra da Imperatriz : a tratar na ra do
Imperador n. 54, primeiro andar.
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve
Iho: na fundlcao da Aurora, em Santo Amaro.
Compram-se libras sterlinas : na ra do
Crespo n. 16, primeiro andar.______________
Compra-se urna escrava que saiba cosinba,
e engommar : no segundo andar do sobrado n. 2
esquina da rna de Hortas.
Compram-se soberanos : na ra daSenza
Nova n 42._____________________________
Compra-se urna escrava de meia idade, ro-
busta e sera vicios : quera a tiver dirjase a ra
de Santa Cecilia, casa n. 17, qae se dir quem
compra.________________________________
Cobre, latao e chambo.
Comprase cobre, latao e chumbo : no armazem
da bola amare Ha ne oito da secretaria de polica
Libras sterlinas.
Compram-se a 95O0 : no escriptorio do largo
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar._________
Compra-se um cavallo que seja novo e ande
de baixo a meio : a tratar na loja da ra do Quei-
raado b. 18._____________________________
Jornaes para embrulho
Compram-se jornaes para embrulho a 140 rs. a
libra ; na anliga fabrica de cigarros, ra do finar-
te! de polica n. 21.
Comprarse
urna escrava que seja de boa idade e sadia, sem
vicios ou molestias, e perfeila cozinheira : a tra-
tar na ruada Cruz n. 68.__________________
Compram-se libras sterlinas a 95200 : na
ra da Cadeia do Recife n. 30.________________
Compra-se um sobrado as seguintes ras :
Imperador, Crespo e Nova : a tratar com o agente
Euzebio na ra da Cadeia armazem n. 53.
Compram-se moedas de ouro de qualquer
qualidade, e paiaces mexicanos : na ra do Tra-
piche Novo n. 42.
YENDAS.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
Instruccoes para o servido
das guardas do exercito, exlrahidas do re-
gulamento de infatuara e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a I Attenco.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna iuzia :em casa de Johnston Pater & C- ra
do Vigario n. 3.__________________________
"Togo, fogo, fogo.
Valdivino da plvora, vende bom fogo do ar,
por preco commodo : no seu armazem de sal, ra
Imperial n. Jil. _______________
CARRO.
Na officina do Sr. Serino na ra do Hospicio,
vende-se um carro fnglez de qnatro rodas com
pertences para um e dous cavallos e arreios.
de primeira qualidade, em la-
tas eem garrafas : no pateo do
Terco n. 1.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
ti5 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.i6 e ra do Trapiche Nevn. 8.
Vende-se nm halcao de amarello, assim co-
mo um par de fltelros qoe serve para loja de f-
zendas ou nutro estabelecimento, ludo novo e bem
feito : para ver e tratar defronte do convento do
Carmo, officina de Manoel Malaquias Camargo.
Cog\
nac.
Veude-se o verdadeiro e muito acreditado cog-
nac da marca C R, em pequeos barris : em casa
de F. Souvage & C, ra da Cruz n. 20.
Vende-se a excellente propriedade da ra Im-
perial n. 164, rreguezia de S. Jos, tendo 350 pal-
mos de frente e mais de 1,200 de fundo, no centro
do qual ha urna grande casa terrea de pedra e ral
com muitos bons commodos e alguns arvoredos de
fructo, precisando metade do fundo dealgum ater-
ro : o Sr. capitalista que (Uer esta acquisicao tem
alm de predio, terreno para edificar um grande
numero de casas, j com frente para a referida
ra, j ero outras qoe passem por dentro da mes-
ma propriedade, que por ter embarque' offerece a
immensa vanlagem de facilitar a endur-rao dos
materiaes, que sero despejados em rima das
obras : quem a pretender dirija-sc ao mencionado
predio, ou a rna do Iirum n. 57.
Vende-se urna escrava crioula, moca e ro-
busta sem vicios, por pre^o muito mdico : na ra
Imperial sobrado n. 87.
~Pa feiots a j-#20(T
Sao de brim : n loja da ra aa Madre de Dos
n.j6, defronte da guarda da alfandega.
Vende-se orna taberna com poneos- fundos,
ou mesmo com aquelles que cenvier ao compra-
dor, muito propria para qualquer principiante por
ser de pequeo costeio e estabelecida em urna das
melhores localidades da ra Direita, e bem afre-
guezada para a trra : a tratar na mesma ra nu-
mero 22.
Arroz rom c sea
Vende-se sacco de arroz com casca com 20 cuias
a 30 o sacco na ra Direita n. 69, padaria.
AGUA
Farello
Vendem-se duas casas lerreas de pedra e
cal por proco commodo, sitas na ra da Paz, fre-
guezia dos Afogados : a tratar com Frederico
Chaves, na ra da Imperatriz o. 19.___________
AlUncao.
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para t e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.______________________^^
Lagedo para caiga das.
Vende-se lagedo para calcadas e armacoes o
melhor que possivel: a tratar com Joao do re go
Lima ra do Apollo n. 4.___________________
Veode-se urna bonita burra sem achaque al-
gum : a tratar e ver na rna da Praia n. 23.
Vendem-se diversas escravas qae cosinbam,
engommam, lavam e fazem todo o servico de ama
casa : a tratar na ra das Cruzes n. 18.
Estopa avariada
a 200 rs. a jarda : na loja j}a ra da Madre de
Peo? n. 16.
em saceos grandes com dous tamanhos de outros
quaesquer a 45800 ; na roa larga do Rosario n
50, taberna da esquina.
Vende-se um cavallo gordo, anda d baixo a
meio, e dous sellins com pouco aso : na ra do
Coto vello n. 25._______________^
Vende-se a taberna da ra dos Agouguinhos
o. 20 : a traiar na mesma.
Vende-se oa permota-se por casas nesta pra
ca um excellente sitio em terreno'prepflo, na es-
Irada de Santo Amaro, passando a ponte do Ma-
duro o segundo do lado direito, o qoal pode ser
examinado pelos pretendemos em qnalquer hora
do da : para negociar-se na praga da Indepen-
dencia n. 10.
Machinas para algodo
Vende-se urna machina de 18 serras e 2 moto-
res para 2 e 4 cavallos, um americano e outro in-
glez, para mover daas ou mais machinas d algo-
do, cylindros de padaria e de moer mandioca, e
outra3 quaespuer machinas para agricultura; ven-
de-se por nm preco mdico e moito mais barato
que em outra qualquer paite para liquidar : a ver
e tratar na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.________________________
Folha de Flandres,
Vende-se em ca zas, em porcao e a retalho da
melhor marca um X, mais barato do qae em ou-
tra qualquer parte : na fabrica da travessa do Ca-
rioca n. 2, caes do Ramo?.
0 GASTELLO DE GBASVILLE
Traduiidodo francex per A. J. C. da Crur.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 25GC
aa praca da Independencia. livraria ns.
6e8.

DE
Flor i d\a.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sential a contestar, a mesma agua daodo a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoflensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agna de
Florida entretem a limpeza da cabera, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
.


Diario de eruanibuco Seguuda clra *4 Je JJbrU de 1 ttd.
'
PILUCA
VECETAES
DO
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de ura purgante que seja ao
mesmo lempo innocente; eflicaz
e digno de toda a confianza.
As plalas que ora offerece-
mos ao publico preencliem estas
condices; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais frats
sem perigo algum, nao tendo em
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
ConUnua-se a vender em porcao e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca D. 8.
Chromacomo
A agnia branca, na roa do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo.sortimento do caixinhas com
chromacomo para ungir cabello?, e bem assim
frascos com hydrocalletriehina, agua para desen-
grasar os ditos, coloricomo para lustrar os ditos,
e onychromanlina para hmpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e efllcaz, est bcm co-
ndecida e apreciada para lodos quaotos della tem
usado, eos que de novo a quizcrem apreciar, po-
den), assim como aquelles, dirigir-so munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolbas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
roa do Queimado n. 8, nm bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambep verde e mui Dno para cobrir o ra-
me, assMB como folhas de panno e avelludadas
4
O
o
a
gentes vegelaes mui fortes, sao bastante
eficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificam toda
a extensao do canal alimenticio, e dSo vigor i para ditas,
a todas as partes do organismo, corrigindo;^Spas e Daleia para vertidos.
sua accao viciada e fazendo recuperar sua vendemse na ra do Queimado, loja d'aguia
vitalidade. branca n. 8.
m remedio inestimavel contra dr de Superiores penas d'CO inqle-
cabeea nervosa, enxaqueca, priso do ven-
tre, hemorrhoidas, molestias do figadot fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestas,
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na nflammacae d'este orgao que pro-'. verdadeiras bico de lanca n. 134 e ouiras de pon-
duz derramamento da bilis no estomago ou '
em um desarranjo geral dos orgos diges-
tivos.
O
DE
zas e francezas
A agnia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, icaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, assim como as
A Ictericia
produzida pela absorpcao da bilis no
sangue, dando 5 pelle e aos olbos urna er
amarellenta ; nao smente dolorosa por
si, pormconduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhJSas, isto bastante para mover-
o ventre smente at que e recupere a ac-
c3o sa do systema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigestlo, a nevralgia
ou tic douleureux, sao todas molestias que
tem' seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A observando dos duelos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula de pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie inn-
mera ve 1 de males.
Todos estes incommodos sao carados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanham cada
frasco.
Yende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Una Direita I
RIO DE JANEIRO.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
precos commodos, com tanto que ocomprador com-
partea munido de dinheiro : na rna do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem acharse-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n. 8, recebeu :
Bonitos e graudos aljofares de cores para vollas.
Pulseiras de ditos de iguaese agradaveis cores.
Vollas pretas maiores e menores todas de conus
grossas.
l'uleeiras pretas tambem de contas.
Outras de diferentes qualidades e costos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras grandes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredicos.
Capeilas brancas para meninas.
9\\.ULA$
D'IQDUBETO DUPLO
de FERROiQUININA
Euzebio Baphael Babello tem para
em seu escriptono, rna do Trapiche n. 44
Velas de cera.
Vinhn Collares em ancorlas.
Vinho de Lisboa puro em ancorelas.
Ha para vender
Pinho, pinho, mais pinito, milito pinito,
pinho, roa da Praia. boje, ra Nova
de Santa Kita n. 17.
7_8910e Hpollegedas de largura
De 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e com todas as gros-
suras : chegueai ra Nova de Santa Rita
n. 17, serrara de Jos 1- Coelho.
vender1 Os elementos que compoem esta preparado,
ferro, o iode e a quina, a collocao no primeiro
grao das prepara?oes ferruginosas. Basta attestar
seas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatorios dos prcticos mais eminentes,
que confirmarlo sua poderosa effieacidade as
seguintes aecces:
Attenc&o.
Loureiro Santos & C, acabara de receLer da Eu-
ropa pelo vapor, um lindo sortimento de enfeites
pretos, proprios para a qnaresma, enfeites anda
nao vistos em Pernambuco, pelo preco de 55, 68,
10)$, 12$ e 209, bem como grosdenaples preto, mo-
reaniq, capas de grosdenaples, e soutbambarqoes
du mesmo ; lado por precos mdicos : ra do.
Crespo n. 14, junto a loja de louca.____________
Tesouras de Guimaraes para logistas e ca-
belleireiros o costureiras : vende-se na ra da Ga-
deia do Recife n. 44, loja de ferragens.
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservado dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaur n. 112 ra de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmanre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e un-
cir praleado da casa, reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Miaga* na augur.
Fraque.
Anemia.
Chloroae ao Ictericia.
Menstrua.
AffeceocK do utera.
Saaarcaaaea daa re-
gra* e deaordea na
mrnatruaria.
Affeecaa pulmonar e
phthlale.
Maleatlaa deslomaca.
Gastralgia*.
Perda d'apprtlle, etc.
Veja se et bulletins
Caavaleaeenea ale laa-
IEiib laoleailaa.
Maleatlaa eaeratala*
aaa.
Paaelra.
Obulriieca* daa gln-
dula.
Uuntorca frloa
Humnrea braaeai.
Rachlllania.
Affeccca cuuceroaa
Kjphllltlcaa.
Fehrca typholdra.
Varile, etc., etc.
de therapeutica medie
AZEVEDO FLORES
Rna da (>deia do Hecife, esquina' da Madre de Deus,
Prestem attentflo ao discurso do Bal&o.
Neste estabelecimento todos os freguezes encontrarao igualdade de direitos, o
agrado que fazemos ao rico fazemos ao pobre, ao menos empenhamos todos os exforcos
ao nosso alcance para agradamos em geral.
Os nossos precos sao os mais mdicos como sejam:
Chitas largas escuras muito soffriveis a 280, 300 e 320 rs.
Ditas largas e finas padroes no vos de 400 a 500 rs
Ditas largas preclaras a 500 rs. s na loja do Balo.
Carabraias de cores com quadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
dem lisas tapadas e transparente de todos os precos.
Madapolo de 8$ a peca que em outras lojas se vende por 90.
Temos tambem muitos outros madapoles de diversos precos, assim como te-
mos madapoles francezes de 14 e 160 a peca, inclusive urna qualidade especial para saias
de senhora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forra de vestidos.
Lia preta para luto, e de todas as mais cores.
Las com o assento escuro e flores matizadas fazenda muito moderna e fina qua-
ld de.
Meias pretas para senhora e homem.
dem cruas inglezas para homem o melhor que ha de 70 e 80 a duzia.
Camisas de 20500 que valem 30, temos muitas outras qualidades de diversos
precos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito finas a 50 ou 550 a duzia.
Camisas de meia muito finas de 200 e 250 a duzia.
Collarinhos de papel de cores e brancos assim como collariohos de linho ingle-
zes a 500 rs.
Temos um completo sortimento de grvalas pretas e de cores.
Cern las francezas muito boas a 10600.
Ceroulas de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita de casero i ras e de brins.
Camisas de flanella de cores a 30500, 40500 e 60.
Raines de arcos a 30 e 350 a duzia as de panno e de arcos para meninos de 20
a 30500.
Chapeos de sol superiores com 16 asteas a 120.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer calca e collete.
Vestidos a Mara Pia a 180 e sito matisados.
Ha muitas outras fazendas assim como grosdenaples e moreantique.
Lencos brancos j abanhados.
dem finos para rape.
Cortes de la a 50500 com 15 covados.
Chales para as sen horas trazerem por casa a 30 e 40 cada um.
Brim branco a 10300, 1,500, 20 e2500
Bramante de urna largura para lences e toalhas.
Brim de Hamburgo fino e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim" pardo.
Casemira e panno preto fino, tudo isto por prego baratissimo na loja do
0 NOVO (RENTE
DO
DA
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVCX PUBLICO.
A apreciaco dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arna-
zcatt da Liga cstabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxm i parte mandados vir directamente do estrang- iro poden ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto coa primento das seguintes promessas:
1. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3. Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos linissimos manteiga e cha senipre de
prime ira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa do
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de frada cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento i spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muilo dore agradar aos senhore-
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO VISTA:
Vende-se ama machina de copiar cartas, 1 moi-
nho de moer caf, t balanca ingiera, latas de gaz,
vasias, herva malte a 160 rs. a libra, velas de es-
permecete a 600 e 640, carnauba 440 e 480, pas-
gas a 400 rs., vinho de Lisboa a 320, 400 e 480.
Figueira 300 e 560, branco 500 e 60, Porto 640
e 720, toneioho de Lisboa a 320 e 400 rs., batatas
a 25700 o giRo, e 100 s. a libra, arroi superior a
100 rs., caf 1- sorte a.260 e 280, azeite doce a 360
e 640, cha 2J1360, dito" preto i{500, sabao massa
superior a 200 e 2*0, ceblas a l# o rento, fari
nha do Maranhao, alpista, manteiga, banha de por-
co, e outros muitos gneros quer em pureSes come
a retalho mai's barato do que em outra nulquer
?arle, com o dinheiro a vista : na ra Direita n.
2, armazem attencfoso.
t eirurgiea de 30 de novembre 1860; a Gazeta
dot kospilaes de 2s dejulko 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de ferro e dt
quinina de Uebillon, os Mdicos aconselhio
igualmente o Xaropo d iodure duplo de
farro e de quinina do mesmo author para a*
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pi'lular e os meninos. Este xarope nio tea
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de allerar-se e de se nio poder conservar.
Peca-M o folhelo que se d de greca em casa >
os pharmacenlicoi depositarios.
Para-se evitarem falsifkacoes, exija o com- '
prador em cada frasco de Pilulas os Xarope a at-
signatura do inventor.
DepOsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4iS, rae din Bac, e em todas as bou pharmaciat
de Franca a dos paites eslrangeiros, etc.
GRANULOS
DE BISMTHJ
DE CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismulh empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
Ma dlgeataea.
Gaatrltea.
Galtralglaa, ele.
Francisco Jos Germano
RA M8VA X. II,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de ocnlos, lelos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa. ^^^____

Urna familia que se retira vende orna mobia
de amarello j usada, trem de cosinha, louca de
almoco e jantar azul, orna mesa de jamar de ama-
rello ps lorniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal e mollea outro? objectos o que todo
se vender em conta : na ra dos Pires n. 62.
Calnoga Abo e brlnquedos
para meninos.
Chegaram para a loja de mindexas da roa do
Queimado n. 69, os mais Anos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezss.
Vende-se urna porclo de terreno encravado
no sitio da Torre, no lugar de Belem : quem qui-
zer dirija se a roa do Cabug n. 2. ^^^^^
Vinho do Porto snperlor em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Loiz de Oliveira Azeve-
do 4 C, no sea escriptorio ra da Croe o. 1.
niarrhraa chrealcaa.
Dyaaenterlaa.
Drea d'ralaiuaga.
D)'M|irpalaa.
Os prmeiros symptomas d'cssas forrmdaveis
affeccoes se manifesto ordinariamente por iiges-
tSes laboriosas, azidumes, falta tfappetite, pesos
'estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidao, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Oaprcaadea. -
Derra de eaheea.
Irrllaeoea de bealga e
da matriz, etc.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medcaos para prevenir essas diver-
sas molestias e coral as quando sio tomados a
lempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas aa pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeires.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de melhor gosto em
Pernambuco.
(dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem do gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30500, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorguro de seda preto, a melhor fazenda que ha para veslido.
Sarja preta de seda,
dem preta lies; anhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple prelo a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, 4, 40500. e 50.
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil prelo.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualukde na lija dasColumuas
na ra do Crespo n. 43 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Mor o a Lopes.
A LEGITIMA
ffiAPAREILHl
Holeatlaa de ligada.
A leteriela.
Pal p I (arae de earaee
Deree naa rina.
A
&

FIGADO de BACALH
PREPARADA NICAMENTE POE
LAN1AN & KEMP,
NOVA YORK.
eo
[uocesso de Cherrirr, phamaceulico
Paris, ra do Faltara, Hoatmartf 21.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
! dicina; usada nos principaes hospitaes, ci-
; vis militares e da marinha as Antilhas e
tm! no continente americano; receitada pelos
! facultativos os mais distinctos do imperio do
Este oleo de um cheiro agradavel, e Brasil e da America hespanhola
um sabor assucarado o nico que nao tem | CURA RADICALMENTE
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob- escrophulas, rheumatismo, escorbuto, eo-
jecto de numerosos relatorios scientificos e fermidades venreas e mercuriaes, chagas
mdicos, este mdicamente que goza em antigs, morphea e todas as molestias pro-
Franca de um successo to raro como bem venientes d'um estado vicioso do sangue.
merecido, receitado diariamente pelos, Emquanto existem varias imitacoes e
principaes menteos dos hospitaes de Paris. falsificacos, preciso a maior cautela para
trabalh&r nao i;.r:
descaro^ar algodSo
PABBICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLBAN
Estas machina!-
podemdescaroca
qualijuer Bspe'ci*
_"de algodao sen
IVHri estragar o fie
"* sendo bastanlt
duas pessoas para
o trabalho; pd-
descarofar um
arroba de algo
dio em earoc*
em 40 minutos*
ou 18 arroba.'
por da ou 5 ar
robas de algod
limpo.
Assim como machinas para serem movidas poi
auimaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
linyio, uor dia; e motores para mover urna, duas,
eutris (iessas machinas.
Os inesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dcstas machinas
mencionadas ; para o qne convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brothers &C.
X. II, pra^a do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paix.
ALPISTE E PAINCO a 120 rs, a Iib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs. a libra, em por-
oso faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURIQAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o ggo.
CHARUTOS de lodas as qualidades, suissos,
american s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
V
DOCES de lodas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuqueza e
francezas.
m
FAB.INHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINiJA do Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,(00 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE RICO a 120 rs. a libra.
GENEBRA delaranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Hollanda em botijas, frascos,
garrafas, etc.. ele.
II
MANTEIGA inglesa e franceza de COO e
800 rs.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frafeo.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
4
QUEIJO do reino de 2,000 a
IDEM londrino. >
IDEM suisso a 400 rs. a libra. .
IDEM prato a 800 rs. a libra.
m
SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a. ..garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,5(0
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 40 rs. a caada.
VINHO Rordeux em caixa a 6.(00, 7;000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Clierry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha cnnsiantomen-
te 20 a 30 pipas ao torno de dive sas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancorcas a 15.000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quaudo sao acompanhadas de dcbili-
dade t atonta.
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAOBS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO t C.
Joo da C. Bravo & C.
P ROGARA.
31Ra] larga do Rosario31
Bartlielomciu Francisco dcSoaza
Vcudera:
Asido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
GuarnicSes.ivelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVcneza, flno.em paes.
c.
Bixas Bimburguetas.
1 Vende-se na rna Nova n. 61.
No armazein de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Raa da Queimado u. 19.
Vende-se o seguiHe:
Lences de panno de linbo
pelo baratissim prego de 2400.
LenQes de bramante de linbo
de um s panno a 3500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 2#o00.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a ~1& .i duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 3)5800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 1,86(0.
Guardanapos
de linho finos duzia 35500.
Algodao enfe.'tdo
com 7 t|2 palmos de larpura tara 1200.
Curtes de la
com 15 covados a P.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado pfa 11J!.
Fil |dc linho
liso fino vara 8(0 rs.
Atoalhado.adamascado de algodao
com 8 palmos de largura vara 5200.
Atoaltv.do adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Liazfoha carmezim miudinhas
prepria para vestido d menina, covado 600 rs.
Laazinhas
de cores Anas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esleir da India
propria paraforrarsalas.de 4, 5 e 6 palmos de-
largura, por menos preco do que em outra qtrel.
quer parte.
Neste armazem de fazendas se encontrar .um
grande sortimento de'ronpa feita e por medida
Trelo
de Lisboa.
Vendem-se saceos com 90 libras de farelo, pelo
barato preco de 4J500 : na rna da Madre de Dos
numero 9.
da Havana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charoles de I
vana de diversas qualidades.
crn
3,5 B
M >
C3 es *
SSS'g
Sii
aj ce 4
s *?
se ~
erg 2
oj P =.
3 SLS
o rg-

as c
i 5"
a o.
C o:
a _
11.
c F
?p-
o
(C
1
00
o
O O -1
as as S.
00 73 O
!!
m
cr c- =;
c c
o -
r.
O
y. OQ
* 1
c 3
- ES
c <. *
a M ~
^ -I 03
Kl
3 DI
*" oo
CS
es o>
a
o ~ n cti
J 6-
^r? o_ S -5
cz 3 -;
v. 3
c g

'/-
D.o"
o
1%
Zl o o>
>rr o;
r.


. o-
aS&
s
a5
8Q
OS o:
c S?
es
"i
c
i
3
o
I
00
2L
W9
oo
B
S.9UI
o."-i ~
o ,
os

OS
"1
S (t
-I
O
8
03
a.
o
03 -I
1P
B5 3"
w
os
"2
g
o
50
lo-
mara pa
Hara Pa
Mara Pia
Acaba de chegar pelo ultimo vapor inpie: cm
esplendido sortimenlo de enfi-cs de ca? cea a Ma-
I ria Pia, os quaea pete sua elegancia o bi>m cosi
! de rada qatl o mais bonito nada deixam a df srjar
sendo -pr*to*k f**os, cor de honina e szulzii.ho
; sens prec a 25500,35, 45,65,85 1C5 : ua
. loja do novo rival rna de Queimado n. 16.
{
y





Dlar
enHd felra 4 de %hrll te i 805

'...*
AURORA BRILHANTE
GRANDES 4IIM4ZE\S
DE
MOLHADOS
Si
W Largo da Santa?
ftCriz n. 84, es-|
'^[inn da ra do}
VIMOS
ESPECLUES
mwmi
(j Largo da Santa
||Cruz n. 84, es-j
quina da ra do5
tfSebo,
mmmmmL.
v-noro proprletano do j muito acreditado arraazem i molhados denominado u-
rra uninaiite, contlaiia a ter o masrao sortimento de gneros de primeira qualidade.
A seguinle labslla sirvira' a todos de base para ajuste de comas aos portadores.
jNantwm arinazeo vender' mais barato e raelbores (to que a Aurora Brilhaate, ja"
iiiinuto lu-
deixe se a-
seus coas-
>---y --- -
libras de chouric,as muito novas,
em postas inteiras,
a IfOOO, 1^280 e
>LaU< <:om 8
a 74500.
'Ditas grandes rom peixe
mais de 12 jualidades,
liOO.
D tas :om ostras, excellente petisco para fri-
gi letra, a 720 rs.
Miitas oom ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
U i3 com favas, a 640 rs.
.n.'nscomameixasa U200, 15800 e 3o00.
ijtas o.ii Miarmelada do afamado fabricante
Abreu, a 720 rs.
iDitas om massa de tomate, a 500 rs.
Oiasoora figos de comadre, novos, a 15500,
2.J e 24O0.
k.OtU9Cora bolachinha de soda muito novas, a
1 85000.
3ius'-ombscoitnhos inglezes de muitas qua-
11 Ja Jes, a 15400.
Chocolate.
Cxinhas com ameixas enfeitadas proprias
para mimo a 15200,29803 e 3J2O0.
->' volate superior muito novo, a libra de
( *W a 15000.
, M tearrlo, taltiariara e aletria amirella, a libra
i i 10 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 403 rs.
>1 tizas com estrenaba, pevide, e outras raas-
sas, a caixa 3t-)00.
1 OitM dita em libras a 640 r.
i? i, \ libra a 360 rs.
1 >:-.-.ijinha para sopa a libra, a 240 rs.
Emilias seeeas, a libra a 160 rs.
')' 1- lescascadas, a libra a 200 rs.
fcpio a muito nova, a libra a 280 rs.
.'nt de araruta verdadeira, a libra a
t 11) rs.
iVtk I) MiraahSi, era sacco, a arroba a
iIV)!) ea libra a 80 rs.
,') 1 1 i 1 ludia e Java, a arroba a 35200 e a II-
1 11 -i 100 rs.
r".i ni no de Lisboa a 99300 a arroba e a 320
r. .1 libra.
! ) 1 Ji Slutos, a arroba 75000 e a libra a
i-i r<.
M iI*m cora 123 ceblas grandes, 1J280.
;
Na frauceza, caixa com 2 duziasa
7 '000.
Kri5>a com most^rda pr^paradaem vinagre,
1 i)') rs.
J i h vj n conservas inglezas e fraacezas, a
o) e800 rs.
Ditas com sal refinado fine, a 40 e a 300 rs.
Ditos cora a verdadeira genebra delaranja, a
i#0O0.
Ditas de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
6i0 rs.
BitH cora dita proprla para negocio, a
403 rs.
Garrafes com 2 galoes com dita, a
Serv,;j.i |)M, marca, a 500
di'.ia a 6-jOOO.
ah mscate! daS-tubal, agarrafa a 15.
Marra*f|uinho verdideiro, frascos a 80C rs. e
a 15200.
tibimpagno, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
tzaite refundo portugaez e fraacez, a garrafa
a 15000.
Caixa de vin'io BorJiux muito superior, a
75,85,93 e 10$ a caixa.
litis com dito branco, a 75 a caix.
fHtn cora dito laarimas d> Douro verdadeiro,
a 2)3. _
Ditas cora duque do Porto verdadeiro,"a
135000.
Ditas com chamisso superior, ai45-
Ditas cora Porto velho e outras muitas mar-
Vinho'do Porto da pipa, a garrafaa 640, 720
e 800 rs.
Dito de Lisboa mnito bom, acanada a 3*100,
33500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Din da Fieueira, das seguintes marcas (.),
(J.A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45500, e a garrafa a560e640rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armaiem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, acana-
da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
820 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj multo superior, a garraiaa
800 rs.
Viubo verde superiar.
A caada a 35U00 e a garrafa a 400 rs. flU
(urania. C
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira do se Jji
entornillar, a arroba a 35000 e a libra ^5?
120 rs. $
Sabo massa, a libra a 200,240 e 280 rs. <
Farinha.
Saccasgrandescorafarinhade Goianna roui-J||
to aova, a 35000. *33
Caf. 2
Cafe lo Rio muito superior, a arroba a 85, 85500 e 95000. m
Cha.
Cb.teraos nestes gneros o melhor possvel.^
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 3-3 K)0.
Dito-uxim a 25700.
Dito hvson muito lino a 2JS00.
Dito redondo a 25300.
Dito pretode primeira qualidade a 25o00.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espcrraacote a 600,1
640 -i 720 rs.
Passas.
Gaixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 15500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
AI pista e pinco.
Alpistae paingo, a arroba 45009 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas tlaas para 1 >gar, a duzia a 255lH).
Castaana.
Castanhas novas /indas neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barriscara azeitoaasnovas a 15500
Manleiqa.
Manteigasuperior, a libra a 15200.
Dica mais abiixo a 15120.
DiU menos superior a 1.
Dita franceza nova, a libra a 43120
Dita dita em barris e meios ditos, a libra
15 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qoeijos.
Qneos novos vindos neste vapor a 25800 e|
35000.
Ditos londriaos muito novos, a libra
15000.
Papel,
rs. a garrafa, e a 1 ppfjI almaQ0 paulad0) rcsma a y|gy.
Dito dito lizo de llnho, a resma a 45500.
Dito de peso liza e paulado, a resma
25500. ^
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro. pimenta do reino, corainhxT
e cravo, a libra a 400 rs.
Velu de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a |
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Dnce.
CaixSes de doce de goiaba, grandes a 15400,
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
.lijlos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Daziasde boi3es de^raxa n. 97 a tWOO, m
de latas a 15000, e os boiocs a 240 rs. ca-(
da ara, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixaa e meiae
caixas.
graude quantidade de gneros tendentes |
estes estabeledmentos, que deixam de an-
nunciar-se.
N. 11Eua do QaeimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta com .lindas barras.
Superior seda faconno que ha do melhor e mais gosto.
Moreantiqne preto rooito bonito a 25800, 35,35500 e 45 o covado.
Completo sortimento de grosdenaple preto de muitas quadades.
Pannos pretos e casemiras de muitas qualiddes.
Bournus, chales e los de renda pretos superiores.
Superiores pelisses e soutembarques de seda para 3. nheras.
Bournus de la para senhoras a 125.
Chapeos e chapelinas de palha do Italia para senhoras.
Corfs de la de barras de 143 a 225 de muito gosto
E muitas outras tazendas de superior qualidade na loja de Augusto FreJenco dos
Santos Porto aonde tambem se vendem as mInores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
N. 44loa do Qaeimado---N. 44
Camas de ferro
Vende-se grande sortimenlo deslas camas na
ni i Nova n. 33 na mesroa loja vonde-?e grandes
ourinoes de ferro forrados de porcelana tendo
duis azi* e tampo de ferro, raconmendam-se a
quem precisar.
CEB0L1S
No armazsm da viavr Paula Lopes, defronte do
embirrie na escadinha, vendem-se ceblas as me-
Ihores do m-vcado, em caixa e cento, o mais fco-
rato possivel.
avariado.
Prancez barrica 55090
l'onUnd idem 85ID0
Em perfeito estado:
Franeez barfka 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmios ces do Apollo.
CONSULTORIO fiWCO-CHUMCO
-DO
DR. PEDRO DE ATTiHYfiE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEWO E PERAUOIl.
,?3 Ra da Gloria, casa do Fitndo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
Mras da manliaa, e das 6 e meta s 8 horas da noite, ezcepcSo dos dias sauticado?
Pharmacia especial homwpathica.
No mesmo consultorio ba sempre e mais appropriado sortimento de carteiras.
tubos arulsos, assim como tinturas de yarias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteirasde 12 tubos grandes. f2#)00
de 24 tubosgrandes. 18^000
de 36 tubosgrandes. 240000
de 48 tubosTrandes. 30#000
de 60 tubos grandes. 33000
Prepara-se qualquercarteira conforme o pedido que se flzer, e com os remedi
q ue se pedir. -*
Uta tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 1^000.
Sendo para cima de 12, custaro is precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
NEM COROAS NEM MITRAS
d'
VERDADEIRO
GRANDE ARMAZEM
m%MA
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Hantelga franeeza
pa safra nova a60o rs. alibra, e em barril
a 5tO/s.
Amendoas
wifeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
dons grandes volumescwm diecionario'.......' \ [T 20^000 i em frascos de^vidrocem 3 libras liquidoa
LIVROS,
A mellior obra da homeopathia, o.Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
NA
RA DO IMPERiDOU \, 401
' Janlo a* sebradocm que ora eSr. Osborue,
Daarte Almelda de C. receberam de sna proprla ecrtaa-
da o mais lindo e Tarta do sortimento de molliados, Ftc|tUs
da presente estacSo.
Ma^as brancas
Medicina domesticado Br. Hering,........... 10^000
Repertorio lo Dr. Mello Moraes............. 6)5000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 3(5000
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamenterecommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, ilotaveisielasua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a maisexacta e aecuradapreparado, e portanto amaior ener-
giai certeza em seus effeitos.
Caa de sade para escravos.
Reoebe-see3crys para tratar de jualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciantejnlga-sesuficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionano a casa a mais de quatreannos, hamnitas pessoas de cujo conceite se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se25000 por dia durante 60 dias ed'ah i em diante 10500.
As operarles serao previamente ajustadas, se n5o se quiaerem sujeitar aos precof
azoaveis aecostimi pedir o annunciante.
Laboratorio &alnpw e chiinico de F. P. Lebeuf e C
' ra Montmartre, 31, em Paria
Fabrica em Argenten!I. prs Pars (Franca).
BONIFICADO E FABRICA 10
Ds viithos, agurdenles e licores.
o melbor que se pede desejar, que outrol
qualquer nSopdde vender por menos de
3 a 2^600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 20600.
ffassas amarellas
para sepa, macarro, talharim e aetria a
iSQrs. alibra.
COfiVAC
en5anaioa'nossos'emaitoafaaalocognacPalBrandy a i,800
rs. a garrafa e de outras muitas quada-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
As encommend*s devera ser acaonwilitdas por ama letra sobre Pars ou qualquer outra cida- rjOPI)^
Franca, ou jaraotidas par urna cas *>(eci la.Dirifir-se aes Srs. Lebeuf 4 C. chiraicos, ra anirlarln'? nara inri a A Saa a k
tnirtra, n. 31, em lUii*. 09a 8iu dbciea ara Arsrenleail, pros Pars. Wp! ?0S P** 5*00 a
11 l.otina franceza, ra do Imperador n. 38. Uuza, 6 a 4i0 e 500 rs. cada nm.*
PAPJEL
almaco greve, peso e de outras muitas qua-
dades de2,2oo,a4,5ooa resma dome-
PApel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
VIXH05.Imitado dos vanos de todas as
ualidades.Estracto de Medoc, dose para 230
litros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de Poraard, 3
f.,de Lisboa, i f.,-de Cataln, 2 f.,de Porto,
iXerez, Muscalel, Malaga, dose pura '25 ou 30 li-
tros, 4 (.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACOPos Inglezes, pos dos vinhos
da Hespaoha, da fVau^a, ele. A libra .para 500
litros, 5 f.
COLORACO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
AGL'ARDE.VTES.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH EABINTHO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer cora alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sera fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se doseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
coramuns a dose para 20 ou 25 litro?, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos,agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTEJCILIOS de laboratorio e de chimica.
20400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezesa 500 rs. cadaum.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
liddes a 10300.
Chocolates
detodasasqualidadesal0OOO alibra.
Presuntos inglezes
dosmelhoresfabricantes a 800 rs., tambem
teans velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrinoo mais fresco que se pode esperar
e de excdante marcea 800 rs. a libra
sendeiateiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o Erasco.
Figos
em libras e caixinnas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
para 500 litros, 16 f.
Algons de nossos agentes tendo falsificado e raitado nossas preparares,
freguezes.deve-sa exigir sobre as rolhas e rtulos asinlciaes F. V. L. Paris,
0 molo de usar-so das preparares acaa-se indicado do rotulo.
FABRICA M CI.I'OS DE SOL
V 9 3 Ra .\i)v;i esquina da Gamboa do Carme e ra do
Cang n. 8.
A lireitoria desse estabeleciraento o mais importante que existe neste genero
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goze das
vantagens que proporciona i fabricaco em grande escala e directa reiacao com as mais
importantes fabric
do que doj3tum3 como demonstra a seguinte tabella
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender anda mais barato! rs. a reama 3 eDllbrumode '*00 a 2aeo
Descont em duzia.
O /
*0 %
Chapeos de sol de panno a 20000.......
armaco de baleta a 20500 .
de seda armacio deaco inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28 60 ..... 15 %
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 80, de 26 90, o de 28 100. 15 /o
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130...... 15 o/0
Alm de muitas outras cualidades de chapeos de sol que exietem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos efeitios, os quaes s5o t5o vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-se; rualmente em porc5o e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento relalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serio considerados como
a retalbo.
ADMIRAVEL PECHINCHA
CIIAIiES DE KE\OA PRETON
a 10(000 cada um,
Cassas organdys de cores a SO rs. o corado.
A' ru de Crespo numero 17,
LJA DE
Jos Gomes Villar.
Fio de algodo da Babia.
Vendefse no escriptorio do Aotonio Lnlide Ol-
veira Aieredo 4 C, ra da Cruz n. l-WM
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito al va a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
CHEGUMH OS MODERNOS CHILES DE
FIL PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo ulmovaper franeez, a
loja das columnas ra do Crespn. 13-, de Anlonio Correia de Vasconcel-
los & C.
reama.
Coriafchias
passa* cermthias muito novas prqnrias para
pedia a 8oo rs. a libra. ^Mtw v*
fumo
Vinagre
crvSaCQretaSde 9 Canadas a 5'000 "'
Cel>u]las
a^XromThoad0a7'000r8-ac^^
Alpista o huno
CEBLAS
muttonovasa 10000 ocento na ruado One'-
CRO DE BICO
multa novo a 3^400a arroba e UO-rs a li-
bra na ra doQueirardo n. 7 "a do
imperador n40elargodocrmoD.t
QMJd srjisso
mSSna *9(> n. a libra na rea do
para sopa a melhor qtre se pede desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 4(.t rs. <
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas Barcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porte
generosos*engarrafado des me'fcores fal ri-
cantes da cidade do Porto a 1 e 1S(<>
agarrafa ede 10$ aJ2$a caixa, a. n a
cas sao as seguintes: Chamisso Fillr,
F. i M., Nctar ou vinlo dos I'fizes.
lagrimas do Douro e outros muitor.
Latas
com 10 libras de banha a 4Cf 0.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a i2Cr* .a bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as Ka
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinnas a 10500.
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, da Indi*
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, elAM 30C rs. a libr
ar ra f 5es
icom 4 Vj garrafas com vinagre a 10OOO#w
o garrafo.
GENEBA BE LARAKJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 11108*
a caixa.
IDEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 cta
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 8m
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oe agrez*
e 2o rs. cada caixiDha,
LICORES
finos de todas as quadades, a lo.oco a cixa
com urna duzia e a l,ooo a ganafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, coa o se-
jam Abreu e outros muitos a 6oe rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o r.
a libra.
u ARROZ
MaranhSo, Java e India, a loo rs. a lilra *
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
. VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5f c rs.
a libra e em caixa ter abatittti.tc.
, VELAS
de carnauba em caixas de arn-la a 9,3 caixa e 34o rs. a libra.
Btalas notas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 6C ra.
a libra.
Passas nuilo nom
em quartos einteiros a 20 o qnarto e IIU>
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
PseaVUf RonmaS 6ReCal ^ue 8e Pdc de-
sejar a 800rs. a libra e 140rs. o pie
k j ''atas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego .iei e
.tros muitos a 640 rs. a lata. '
*6OOel0 ocaixSe.
. GOMMA MUITO NOVA ,
BOLACHINHAS
mtm dedefferentes qualidade. a 1#20
, QUE/JOS lLAENGOK
chegadoaneste mtno .n!!r: vX,
o n. 7,
o Garm
ruadolmperadrrn.
laram IfS ao pub,C6 em ^al, quepanZr f1**1 dec'
.pularamos mesmesprecos nos seguintes lugares .C,htara -.*<.i..~-.,m...,.:._.
W. 56.
J- VIGNES.
m A I>0 IMPERADOR -V. 45.
annea falhar, Por Mrcni fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente KrSnts ffiSE
asimos para o clima deste paz ; qUaBto s vozes sao melodiosas e flautadas enoHanSSl?E52L
veis aos ouvidos dos apreciadores. -""uas, e por sio mono agrad*-
Fazem-se conforme as encommendas, tanto neste fondea como nado Sr. Blondel de Paris sopf
correspondente de J Vignes,em eoja capitel foram sempre premiados em todas as eiSsiesS'
No mesmo estabelecimeoto se aeha sempre um eiplendido e variado sortimento de mnsieas n
melhores autores da Europa, ass.m eomo harmnicos e pianos harmnicos, sendo tadTSkSf
preos commodos e raroawts. r u uuu 4UU0 YBa9 fZ
^
l
ILEGVLl



Diario de Fernantbnco Segnnda fclra t4 de Abril de !.
i
Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pechDchas que esjao venda na leja e ama
zera do Pavo, na roa'da ImperatrU o. 60 de Ga-
ma & Silva, on> se vendem todas as fazendas,
unto de luxo como de primara necessidado por
precos multo rasoaaeis, e coa especialidad.; as se-
guales, dando-se amostras deixando flcar peahor,
ou mando-se levar era casa das familias pelos
caizeiros da mesma luja.
lleodaeiiabo do Pavo.
Vendem-se pecas de algodozinho marca T, moi-
to largo, proprio para lences e toalhas, teado 24
jardas pelo baratissimo preco de 65 a peca ; dito
large com vinte jardas a $$, pechincha por ser
fazenda que se vende era outr qualquer parte
por 105 e 135, isto na loja do Pavao, roa da Im-
ratriz n. 60 da Gima & Silva.
Madapolao eufeslado a 40, 4^00 e Ji^OOO.
Yendem-se pegas de raadapolo enfestado com
12jardas pelo baratissimo preco de 45, 45500 e
55, ditas sem serem entestados de marcas muilo
acreditadas a 73, 85, 95, e 105, ditas, francez
muito encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavo ra da Imperalriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande pecbinclia.
Chitas a 220 ris o covado.
Ou 7#600 a pega so o Pavo.
Vendem-se chitas ioglezas de superior qualida-
de, aQancando-so as cores serem flxas, com muUa
dlversidade de padrdes. pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, ou 7,5600 a poca tendo 38 co-
vados, sendo (azoada esta, que sempre se vendeu a
280 rs. o covado ea I0J a peca, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Irape-
ratriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Cortes de chita franctza na leja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores flxas
com 10 novados a 35, ditos com- 11 covados a
35300, ditos com 12 covados a 35600. ditos de chi-
ta iagleza a 25200,25400 e 2600, isto na loja do
Pavo ra da linperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cassas Francezas a 300, 320 e 360 na loja do
Parae.
Vendem-se cassas francezas mnito Anas, de co-
res finas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pecas de cambraia com salpicos de cor
teado 8 112 varas a 45, ditas salpicos brancos a
25500 e 35, ditas adamascadas para cortinadas
a 45, na loja do Pavo ra da Imperalriz n. 60 de
Gama & Silva.
Corles a Mara Pa.
Gratulo peinadla a55000 e G<>000.
Vendem-se os mala booitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e eneites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo preco
de 55, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baratsimo preco da 65 cada um, valendo
esta fazenda dobrado diuheiro por ser a mais mo-
derna que tein viado ao mercado, isto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Grande pechincha a 80000.
Vestidos de 13a a Mara Pia.
Vende-se um bonito sortimento de vestidos de
la com barras bordadas Mara Pia com as com-
petentes enfeites para o corpo, pelo baratissimo
AttenQ&o.
Fazeadas tretas para a quaresma por
por baratissimo prejj, na laja e ar-
nazen da Arara, ra da Imperalriz
i 81:
Lottrengo Pereira Mendes Guimares.
O proprielario deste estabeleclmeato retira-se
para a Earopa a tratar de sua saude, porm antes
de retirar-se pretende fazer urna liquidaco de ba-
baratisslmo preco para fechar conias agora fre-
guezes vende-so grosdenaples preto muito bom
para vestidos, a 15600, 25 e 25600, dito de 5 pal-
mos de largo, a 35 : na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Meurantiquc preto a3#.
Vende-se raeurantique preto para vestido a 35 o
covado, grosdenaple muito largo e encorpado a 35,
25300, 25 e 15600 o covado, alpaca preta para
vesdos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, caigas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., bombazioa preta para vestidos a 15280 o
covado : ra da Imperalriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Mara Pia a 120.
Vendem-se neos vestidos a Mara Pia a 105
125 145,165: ruada Imperatriz loja lia Arar
B. ou.
Arara
AO PUBLICO
Sem o menor constran
Smenlo se entregar
importe do genero que
5o agradar.
vende pecas de panninho a 5
madapolao a 4#.
ede
ATTENCAO
Os precos da segulntc
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajaste de eontas
eom os portadores;
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vlndos pelo
ultimo vapor francez : na loj das coroninas a ra
I do Crespo o. 13, de Antonio orreia de Vascon-
celos & C.
RA DA CADEIA BO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Coneeieo)
PABA BEM DE TODOS.
Senhores e senhoras, o aceio qoe presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais qne tudo a promptidao e inlei-
reza com que serlo tratados, convida a urna v^t^A0.m.esmo'_ct,^de qu?sem dovida me daro a protecejo e preferencia na com-
*--
ESCBATOS rGIDCS.
AVISO.
Acha-se fgida a oserava Delfina, de D. Anca
Rosa deMoura, residente no termo de Caroera,
cabra escura, de idade de 3o a 40 i.ii -, hven
vestido de chita escura fina de ramagciis e < lale
branco de la, bstanle ladina, aluna n guiar
seeca do corpo, usa cabello perneado, Um i ;.nz
atiladft, dentes limados, ps e niaos reanime, o
de presumir que se acha homisiada no laiiro da
Boa-Vista ou no lugar da Torre dcsta cidade, onde
tem prenles l : ropa-sea polica a sua apirehn-
sao e aos capiles oe campo para agarrarcm-na
condnzlndo-a a travessa do Carioca n. 2 a Jof
Augusto de Araujo, que est autorisado a gratifi-
car eenfrosammip.
105 e
h 65,
prego de 85 cada um, 6 pechincha por ser fazenda
que sempre se vendeu a 125, P<>r ^ chegado
urna nova e grande porga, reselveram-se a fazer
este grande abat ment na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos. Brancas.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 125. 16* o 20) na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama c Silva.
La garibaldina a 40G ris,
Vendem-se as mais modernas lazinhas transpa-
rentes, com listrinbas uiudiuhas, peto baratissimo
prego de 400 rs. o covado, ditas eofestadas, cor de
havaoa, cora listras diferentes, sendo das mais mo-
dernas e mnito eucorpadas a 500 rs. o covado: na
lja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
Grande pecliineha, vestidos a
9$*.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, multo proprios para
passelos e bailes, por serem de primorosos des-
anos, sendo todos os padrdes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 35500,
sendo fazenda qae val muito mais dlnheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama &
Silva.
Lazinhas a -8 4-0 ris.
Vendeavsa as mais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de quadri-
nhos como de listras, com as cores muito bonitas,
pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado ; ditas
com palminhas de seda, padrdes muito bandos, a
320 rs. : s na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se gronsdenaples preto a 1$280, 15600,
15800 e 25 al 45, superior raeuranliqueprelo a
35, setim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para luto, cora 6 palmos de largura, a 500,
tiO, 600 e 800 rs. o covado, e outras multas fa-
zendas proprias para luto : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenaples de cor a lGOO.
Vndese superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 15600
o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Suva.
Casemiras al $609.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadn-
nhos e lizas, proprias para calcas, palitos e coleles,
pelo barato prego de 15600 o covado, assirrr como
caigas, palitos e coletes j feitos das mesmas: na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Grafito sartimento de rouoa feita.
Vndese na loja do Pavo um grande sortimen-
to de roupas fetas, constando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos de casineta, caigas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as cores, coletes
de brim, casemiras, setim. gorguro, etc., etc., to
das-estas obras vendem-se por prego mais barato
do que em ontra qualqaer parte : na loja do Pa-
vo, roa da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Chales c manteletes de renda
Vendem-se os mais rtcis e mais modernos cha-
les e manteletes de randa, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, por prego muito razoavel : na loja
do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Soutembarques de car.
Vendem-se os mais moderaos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de tatna &
Silva.
Capas pretas e soulcuibarques,
Vendem-se as mais modernas cipas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por precos mnito ero conta :
na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites para cabega.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabega,
a 35, 45, 55 e 65, ds melnores baldes cronolinas :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Urna excedente cozinheira.
Sem causa alguma expde-se a venda a escrava
prela, de nome Francisca, com todas as habilida-
des de urna coznha, prepara um jantar importan-
te acompanhado d diversas qualidades de doces,
faz bolos e pudlns com toda a promptidao e aceie,
d-se a contento no caio de- convencionar no pre-
go, e assevera-se n5o ter ella eonhecido ontro se-
nhoro : qnem a pretender dinja-se a ra da Ma-
triz da Boa-Vista n Si.
d2i jardas bom a 65, 75, 75500, 85, 95,
I25, vendera-se pegas de algodosraho a 5
75, e 85 : ra da Imperalriz n. 56.
Arara vende os baloes a 20500.
Vendem-se baloes de arcos de todos os tamanhos
a 25500, 35, 35500 e 45: ra da Imperatriz
n. 56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 56 rs. o covado. cassas
Unas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores flxas a 240 e 280 rs.
2/S?vad0' ditas frances finas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidafo de soutambaques e I5azinhas a
_ U, U e 10;?.
vendem-se soutambaqnes de lazinhas para se-
nhoras a 75, 85, dita do alpaca branca a 105, ditas
muito flaas de grosdenaple preto a 205, 235 e 305.
capas pretas de grosdenaple fino a 205, 255 e 305,
manteletes pretos de grosdenaple a 205 e 225, go-
linhas para senhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gola a 15, camizinhas para senhora, 25,
e 35,.ditas muito linas bordadas a 45500 : na loja
do barateiro. da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de ditas finas a 2,-)400.
Vendem-se cortes de ditas com 10 covados por
25400, ditos de dita franceza a 35200, cortes de
cassa franceza fina cornil covados, por 35, ven-
dera-se pegas de cambraia branca lisa a 35500,
5300, 55500, 65 e 85 : ra. da Iniperatriz n. 56.
Liquidaco de roupas fetas palitos a 2#.
Vendem-se palitos de brim de cor a 25, 25300 e
35, jaquetdes de brim pardo a 35 e 35500, palitos
de casimira bem feito a 55, 65, 75,85 e 105, di-
tos de panno preto bom a 85 e 105, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 125,
145,165 e 205, caiga de brim de cor a 25 e 25500,
ditas brancas de linbo a 35500 e 45, ditas de ca
simlra de edr 45,65 e 85, pretas a 55, 65 e 85.
rolletes de casimira de cor e preto, de brim de car
a 15500, brancos a 25 e 20310, ceroulas feitas a
1-5280, ditas finas a 15600 e 25, camisas france-
zas a 25 e 25500, ditas inglezas de pregas largas a
35_.de linho a 35 e 35500, colerinhos econmicos
a 640 rs.a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperalriz loja da Ama n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Veudem-so cobertas de chita finas a 25 e 25500,
ditas de damasco a 45 : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que se vende cortes de casimira
preta a 3$.
Vendera-secFtes-de casimira prela para caiga a
35, 35500, 45500, 65 e 85, ditos de c5r a 35,
5300 e 6$ : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 2$.
Vndese panno preto para caiga e palito a 25,
35, 290OO, 45,45500 e 65 o covado, casimira pre-
ta lina a 25, 25500 e 35o covado e outras muitas
fazendas para liquidar : na loja e armazem do
A rara, ra da Imperatriz n. 56.
PROPR 10 PAR 4 SENHORA. '
Vende-se u m excellente cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares : na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
(lake do gaz.
piteu do gaz.
Alcatro do
tonelladas rs. .
gaz.
100000
80,5000
400
Cortes de casemira com pintas de mofo a
cada corte, para caigas, ditos lirapos a 25300 o
corte : na roa do Queimado ns. 43 e 45, na eaqni-
jiaque rolla para a ConjrregaeaO, casa amarella.
Coke
Pitch .
Alcatro caada. .
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatro, alm das applicagoes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcagoes, alcatroar madeiras, etc., teem este a
propriedade de preservar docupim, forrnigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por em
qualquer ponto, da cidade, segundo a vontade do
comprador.________________
Milita attencao.
o
Xa nova loja de fazeadas c roupas fei-
tas nacioaaes na roa da Imperatriz
n. 72, de Guimaracs k Irmo.
Acaba de chegar a este novo estabelecimento
um grande sortimento de soutembarques de cores
pelo barato prego de 55, 65, "9 e 85, ditos pretos
de grosdenaple de 105, 205 e 25$: isto na ra
da Imperatriz n. 72, loja de Guimares & Irmo
Vendem-se chitas muite finas sendo de cores fl-
xas a 240 rs., ditas largas fraccezas a 260, 280,
320, 367 e 400 rs., ditas percales finas a 480 e
500 rs. : isto na raa da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmo.
Grande sortimento de cortes de chitas a 25300
e 25400, ditas finas a 35 e 25200 : na ra da Im-
peratriz n. 7i, loja de Guimares & Irmo.
Vendem-se madapolOes finos a 45800, 35, 65,
75 e 85, dito muito fino a 95 e 105, dito francez
enfestado a 45,45300 e 55: na ra da Imperalriz.
n. 72, loja de Guimares & Irmo.
ROUPAS FETAS.
Vendem-se paletots de alpaca a 35, 35300 45
e 35, dios de casemira a 55, 65, 7#, 85 a 1.0$,
caigas de brim de todas as qualidades a 15, ij8,
25 e 25500, brim pardo a 25. 25500 e 35, ditas
de casemira a 35300, 43, 45500, 55, 65 e 75 :
isto na loja de Guimares i Irmo, na ra da Im-
peratfiz o. 72.________________________________
Na raa da Cruz n. 38, em casa de Mills Hat-
leau & C, vende-se :
Cha.
Oleo de linhaga.
Folhas de Flandre.
SUins e silhoes inglezes.
Cerveja Aspinall.
Dita Bacs.
Dita John Jeffres & C.
Um piano cora ponco oso. ^^
rjtra r?r,c-
Manteiga ingleza especialmente escclliida a
i,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de la
libras muiloproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem bysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2;2do rs. aiibVa.
Lnguidas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costeiletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar paneHa ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 6 lo.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e o,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9"oo,
l.oooel,2oors.a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo,l,ooo el,2oo rs
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado 17,ooo e
8,ooo a caixa e Oio e 7oo ris a gar-
rafa.
Gffnbra de Holland a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Holland a 6,800
e 4o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e ll,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. alir
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a. libra e2^8oo a
arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massade tomatesdesoperior-qualdadea 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs; a reta-
mo.
Vendem-se pe?a7d" 7ann"nbTmuito f.oo de 12 P dos generes que prec:sarem, e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
jardas a 55, vendem-se pegas de madapolao infes- pois sero t5o bem servidos como se viessem pessoaimente, navendo para com estes toda recommendacSo, afim de que nao vao em
) a 45 e 45300, vendem-se pegas de madapolao rjtra f?.rlc.
Sal refinado era frascos deridro com tami>a
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que Yema, mercado, a 5oo, 66o e 64o
garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,too a du-
zia.
Gevadinha de Franca muilo nova, a 2oors.
Charutos doaffamado fabricnte JosFurta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Lxposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
0,000 e 7,ooo a caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de. Ha vana, nter vallo, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,00 a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4i libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excelente cha para os navegantes, a
2oors
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oosoltas.
Mitos do gaa a 2,2oo a grosa.
Touciabo de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5o a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Boiachioha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e ebeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinfeas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos excellente peixe portuguez, era
barris. pequeos ou a retalho, avista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oers. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada umaancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
24,ooo e 26,eoo ogigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
* libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, per diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a ooo rs.
garrafa.
Aletria, macarro e talharim a4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha brancaoa amarella a 64o rs. a libra e
3,50o a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio, para
engarrafar-, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5od, 3,000 e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missiem caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado ebmo sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e I,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de seda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo fraBcezmuilo proprio&pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. alibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha (Pagua e sal, da fabrica deJoo
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas. em fi asco de vidro com
tampa do mesmo, a lf$5oo.
Ameixas franc zas em caixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na. cai-
xa exterior, a I,4oo, l,6oo, l,8ooe2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a Ooo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a. 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozas muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a i 6o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza. em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
13 a garrafa e 11 ,ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco-
tugio uo oa 10 uo cuerela u>. z ti abril,
um negro crioulo de nome Felisbino, ri-piestnia
ter 22 annos, seco, baixo, rabera pequftia, ti n. um
dente do queixo de cima para fora, eauoto, os
ps alguma cous* pequeos, quano anda rtbia
os dedos, esperto e vistoso, esta (m rendo buyar,
levou calca nova de riscadmho rxu cu aml.rami-
sa de madapolao sendo o peito e os punhos roxp
imitando o peitoda cainita collete, rbpo tae-
ta nove e pardo, julga-se elle ter ido para o litci-
feed'ahi seguir jara acornara du Cabo, onde
tem mal, irma e prenles em procura da mi
que passava lempos Ba ponte dos CarvtHfes e na
villa do Cabo, agora de suppor quetsleja de mo-
rada no engenlio Dourado da freguena du Ipojuea
por ter ella urna tilda escrava do far. Francisco
Alves de Miranda Varejao rendelro do momo en-
genho : roga-se as anteridades poliebes, rapiiies
de campo e a qualqaer particular a cai mesmo escravoe trazeien^-ro a < u senbor no en-
genho Concordia freguezia da Luz que ser gene-
rosamente recompensado.
________Ignacio de Holfanda Cavali ante.
Escia\o fgido.
Fngio ha 15 das una prela Africana de nome
Therera, que representa ter 70 Bnoos, bata: ma-
gra, fula, dedos dos ps e mos peqoeuos, levando
vestido de chila usadoe panno da costa com Tan-
jas encarnadas, e muitu reprima : quii a pt^ar
leve-a a ra do Gaia n. 26, que ser iccimpen-
aado.
Est fgido desde o dia 10 de n arto proii-
mo passado um mulato de nome AdiodIo. rttav
de Custodio de Oliveira C, morador lo irgtnho
Salgado, freguezia de Goianna, o qual timos se-
guintes signaes : eslatuia Laixa, idade S ;ir.(?,
pouco maisou menos, ponca baib, bonita tifira,
bem fallante, e pode passar per forro, disrrnR-
soter ido para o jerio : a peexea que o apprt-
hender pode dirigir-se ao met-mo ergenho, ou ic<
Recife, ra da Madre de Dos n. 7, o qual sea
generosamente grafificado.
Na noite do dia 9 do correrte mez dsappa-
receu da rasa n. 48, na travessa da roa da Corror-
dia, urna molatinha captiva de nome Francisca,
com os signans seguiDtes : an relia, pee tamba-
dos, cabello corlado meio estoquindo, levou vest-
an de chita j usado e camisa de madapolao, todo
j muito sujo, de idate 10 jnnes; julga-se ter sido
seduzida de casa em razas de ter. vindo do mato
ha dous roezes, pouco mais ou menos, e nao nltt
roa alguma : loga-se as autoridades polieiats a
apprehensao da dila mulatiuba, e lvala casa
cima mencionada.
A os copes etc cuwyo
Desappareceu no dia 21 do correnle, da rasa de
seu senhor, o escravo de nome Benedicto, ciLra
escuro, cem idade de 25 anDOS, leveu vestido cai-
ca de algodo delistra, camisa di' alpodso ta .tu-
ra, e chapeo de couro de abas larcas.km altura
regular, cheio do corpo, raLelio a e&rotpna
olhos pretos muito vivos, nariz c borra ngulaies,
muilo pouca barba no queixo e um r-rqueno lu-
co, todos os dentes, ps regulares, ele.; de pre-
sumir que seguisse a estrada de Goiaona icrter
vindo da cidade de Souza, provincia da 1'aiabiLa,
ba 13 das, e foi comprado ao Sr. Jos Antonio
Borges daqoella cidade : ropa-se portante ao? se-
nhores capitaes de campo a apprehensao rio refe-
rido escravo, c leverenvno a rna do Imperador d.
83, segundo andar, que se gratiGcar com 'C.
Attencso
Carta chorograptica
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta venda, as ljas abaixo men-
cionad is, a carta chorographica do theatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavel
nao s pela lacuna que veio preencher, como pelo
esmero do trabalho lytbographico.
Vende-se pela mdica quantia de 2*000 as livra-
rias dos Srs. Nogueira, ra do Crespo e do Sr.
Cardoso Ayres, na da Cadeia^o Recife, assim como
as lojas da Exposlco de Londres e na lythogra-
phia do Sr. Carlos, a mesma ra n. 52, e na loja
do Sr. Cardoxo de Almelda, raa da Cruz.
RIVAL
Sem segundo,
llua do Queimado, u. -i!> e lio. K'para admirar.
Carretis de linna com 160 jardas...... 60
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a 60..........................:... 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
-Xovelios de linha grandes com 400 jar-
das................................. 80
Idioi idem brancos e de cores de 11)0
jardas ...............................
Livres para assenlo de roupa lavada... 100
Cordo branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de bolOes de pnnb todos decores 120
Tinteiros de barro com tinta........... 100
Tesouras para costaras finase unbas 400
Ditas para costaras com toque d'avaria 200
Caixas rom 100 envelopes das melhores
qualidades........................... 640
Ditas com 20 cadernosj rapel pautado, e.
liso.....................T............ 600
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho).. .7............................ 20
Meiadas de linha 1 rouxa para bordar... 20
Pares de sapatos de tranca......... 1500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Fraseos do macaca perola multo suerlor 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400re. o........................ 500
Ditos e garraflnbas de agua de Colonia
mnito fina....................... 400
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qnalidad.................. 240
Pares do ligas para senhora as melno-
res.......S....................... 320
raseos da agua dentifrice muito supe-
rior.............................. 800
Caixas com 4 papis de agulbas a balo
e Victoria........................ 200
Libras-de lia sendo de todas as cores... 6JOO0
Bonecos vestidos e tambem de choro.... 160
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 novel los.. 800
Enfia dei ras de Gta para osparti i nos..... 60
Carretis delinha de cores cem 100 jar-
das .....................-----....... 20
Pecas de cordo imperial......... 40
Resmas de superior papel almaco ai. 23500
Duzias -de superiores meias croas para
homem a 3200 o................. 3*600
Duzias de superiores meias para senho-
ras a............................. 5^000
' Sabonetes de familia muito fiaos a 120 e
Meias garrafas de tinta a............. 200
Cartilbas da douirina a melhor qualida-
de a.............................. 320
Caivetes de cabo de marfim de superior ^^
qualidade........................ i#000
Varas de-^erdao bracee de borracha.. 40
No pateo do Carmo n. 1 vende-se urna es-
crava bonita e moca.
BOTICA E DROGARA
Barlholomeu l'raucssco d Souza C.
34Ra larga do Rosario34
Vendem:
PNulu*Holloway.
Pirulas do Dr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobre- hornero.
Pilulas americanns.
Pilulas vegetales.
Pillasvenetaes assnearadas de Kemp.
Salsa de Liristol. .
Remedios do Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimaolt.
Vinho de Salsaparrilba deCh Atbert.*
InjeccioFeaugas.
Agua dentiieade Desirabode.
Papelchiraico, para talhos.
Xarope depurativo de Cbable.
Licor aromtico de Raspan.
Pos antl-epileticos de Brest.
RobL'Aflecteur.
Xarope do Bosqpe.
Ungento Holloway.________
RIVAL
SEM SEGUNDO
Pechiacaa mw \a.i*j* de
roupa feita nacional, roa da Impe-
ratriz n. 72.
Pechincha a 240 rs. o covado de chila.
Vendem-se chitas de eflres flxas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezasiargas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs.o covado; pecas de madapolao fino a U,
75, 85, 95 e 105! pecas do algodao a 55, 65, "5
e 85 ra da Imperatriz n. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 55; 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 12, 1*3
ei65. Palitos de brim de cor a 25500, 35 3500
rs^calf de cazemira preta a 6#, U e U, ditas
de cazemira de cor a 5*. 65 7, e 85 ; coletes de
cazemira decrese pretos e ditos de bnraa 15500,
e 25500 rs.,; calcas de brim de c6r a 25,25000 :
roa da Imperatriz n. 78.
Sontambarqoede eOrts a H, H lW.
Vendem-se souumbarqae de lia e seda para se-
nhoras a 7, 85 e 105 i ditos de grosdenaple pre-
to a 200 e 255 ; capas pretas a 20 e 255 \ vesti-
dos de la a Maria Pia a 125, 14 e 165 : roa da
Imperatriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a 3#.
Vendem-seeites de cazemira preta para calca
a 35, 35500, 5565 e 65, ditos de cazemira de
cSr a 35,45,5, e 75, ditos de brim d eflres a
15600, e 25, ditos de chitas finas a 25400 e 35200,
ditos de cassas franceza a 35 roa da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Na roa do Qaeimado n. 49 e 55 lojas de- miade-
zas de Jos di Azevedo Maia e Silva continua a
vender tudo por precos mais barato do que em
outra qualquer parte, qaem qaizer ver o qae ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de phespbros de sepuranca a 120
Fraseos coa essencia de Sndalo mnito
superior.......................,.. 15000
Escovas de roupa muito superiores a... 200
Latas eom superiores banha. .......... 200
Frascos de-vidro cora superior baobab. 240
Enfeites do melhor gosto .que tem vindo. 25500
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 1280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 500
Volta para pescoco do melhor gosto.... 64O
Bara4tws para voltarete, finas a 200 e.. 2 0
Varas de franja branca, de linha qoe
tem muita serventa................. 060
Duzia de peanas d'aco maite superiores 060
Frascos de oleo Baboza muito finos..... 206*
Talheres para meninos a melhor rjuali-
fazendas 1 dade.............------........ 240
Duzia de catheres de metal muito finas
para sopa........................... 25400
Duzia de colheres de metal muito finas
para cha........................ 15JS00
Grosas de botoes de osso para calca... 200
Grasas de boloe&aaadreperula para ca-J
miza..-.....-..................... 500'
Grosas de botoes de louca prateados
muito fiaos...................... 200
Cartas de alinetes franeezes mnito su-
periores.......--------...............-. 100
Caixas de clcheles franeezes a 40 ris
Duzia............................ 360
Golinhaspara senhora a melhor quali-
dade............................. 200
azias de lapes differentes qualidade a
240..........______............ 400
Qaadernos de papel de peso mnito fino. 030
Resma do mesmo papel............. 25000
Dazia de facca e garfo muito boas------ 25400
Capachos compridos e redondos mnito
bons.............................. 500
Ditos para sof...................... 25000
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar........................... |KKH
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................ 300
Pegas de fita de la para vestido com 10
varas a........................... 600
Varas de babados do Porto multo supe-
riores a 100, 120 e................ 160
Livros com benitas o Boas estampas.._-?_______320
A
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceicao, comarca dePc-d'Alho, o escra-
vo Galdino, perlenrente ao abaixo asignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos mtics ca-
rapinhados, olhos pardos, sobranceras e palpebras
salientes, tem em cada braco uro sino de Saiomao,
sendo um delles mal feito, e junto a esle urna cruz,
tem na cabera urna cicatriz de urna polrgada, e k
cima de um quarlo urna oulr cicatriz de lies po-
legadas, proveniente de pona de pao e queda, ttm
sobre as costas algumas marcas cu cicairizes de re-
lhadas ou chicote; um pouco desrabantado
quando falla, tem principio de carpina e rarreiro,
toca viola. Foi soldado do corpo de polica no Re-
cife, e levou comsigo a baixa do iheor seguinte :
Secfo urbana, 2* companhia n. 50, Amonio Ceta-
no de^ Oliveira, filho de Agoslinho Keneira deBri-
to, natoral de Ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinbos, olhos pardos, calcio nenlium, estado soltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 pelegadas de altura,
ao engajar-se. Engajeu-se na forma do regula-
mento, em 17 de evereiro de 1862, por (flicio do
Eim. Sr. presidente da provincia, dalao de 28 de
abril do corrente, e publicado so corpo (m ordrm
do da de maio, tudo em 1862; leve baita do
servico por ter dado em seu lugar o paisano Joao
Pedro FerreJra da Rocha. Foi escravo do capilao
Joode Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
den em das do mez de oovembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costme de andar fngido c ;. ti-
tulo de forro com o nome mudado ; pelo qae re ra-
se a attencao das autoridades civis e militares, nao
s destaprovincia como das demais do imperio, a
apprehensao do dito eecravo, que a titulo de forre,
nao lenba sido retratado ou assenlado piuca im
alguna dos corpos de Voluntarios da Palria,.tam-
bem pede-se aos capiles de campo e pessoas par-
ticulares a mesma apprehensao, e leva-lo ao seu
senhor no referido engenho Conceicao, ou nesta ci-
dade ao eapito Mauricio Franrlsco de Lima ra
do Brum n. 56, que ser gratificado rom 2C05-
Jos Maria dos Santos Cavalcanti.
Ainda est para ser vendido o sitio da tra
vessa do Remedio, na freguezia dos Afogados n.
21 : quera pretender dirija-se a sen proprietano
na raa de S. Francisco, sobrado n. 10, qae se faz
todo o negocio.
Vende-se ata escravo idadfr 25 annos insigne
offlcial de carpan.e bonita figura : na- travesado
Carmo n. ti.
Milho novo em saceos grandes: no trapich6
de Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.
Negro fitgtdo
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro deste
anno o preto Joaquim, de naco Angola, que foi
escravo do Sr. eapito Francisco Joaquim Caval-
eanti Galvao, morador em Maria Farinha (Traa),
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques com
armazem de assucar ra de Apollo; levou ca-
misa e calca de algodo braneo, ropreeema ter de
45 a 50 annos de Idade, alto e de grossura rega-
lar, cor fula, cabeca comprlda, queixos largos,
albos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeituoso, bastante barba, perra
raspada, finalmente tem urna grande costera entre
ospeitos proveniente de queimadura, e suppoe-se
ter-se dirigido para o norte, d'ende veio : grattfi-
ca-sea. quem o apprehender ou denunciar o coito
em queesliver : na ra da Cadeia do Recife na-
mero 52.___________________^___________
Fugio em principios do mez de fevereiro i
corrente anno e consta estar aroutado nesta odade
o moleqne Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affonso de Mello, de 12 anno de idad* ob-
oo mais ou menos, cor preta, secco do corpo, olhes
' regulares e afumacados, cabega um ponco grande
raeia.chata, beicos finos, dentes bem alvo*, ps -
seceos e mullo ladino : roga-se por tanto a todas as
autoridades pellciaes e capitaes d? campe que eap-
preneadam elevem-o a ra da Mangneira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protelando-se usar des
melos jndlclaes contri qttalqnerpessoa qae oteaba
em sen poder.
ILEGfVEL


-
Mario 4c rernambnco Segaafe felra 4 de Abril de *
LITIER ATORA.
memoria histrica acadmica,
apreaenta&aeoogregaeodoa "> o respectivo figurino.
tes e doutores, como se promtteu no art-
160 dos estatutos, e no art. 254 do regula-
memo complementar : ao passo que para as
faculdades de medicina j, ha muito, foi d-
tenles da faculdade de direito
do Recite na sesso de 13 de
marco d ih4, pelo Dr. Au-
toalo de Vasconeellos Menezes
de llnimmond, lale substitu-
to da Buesma fa tildarte.
Contra uacao)
LXVI
Vivieo, na-sua obra Estados Administra-
D'alii tem resultado, que os lentes da Fa-
culdade de Direito deS.- Paulo usara de bor-
la e cabello, segundo o modelo de.Coimbra,
como nos referi oSr. Dr. Vilella favares
na memoria Histrica do inno passado; e os
collegas da nossa Faculdade apenas usam da
borla, escrupulisando acerca do nso de ca-
pel lo.
Km lodo o caso seria conveniente provr
ttoostratando das jubilarles ou aposenta- nisso>' nao Para satisfazer por certo orna
.loria, ampia e eloquentemente assim se ex- Plira vaidade, mas para abrilhantar einfun-
prime, pag. 296 dir to(io. respeito e prestigio s solemnidades
L'Etal ne pourrait s'exposer a l'humilia- acadmicas.
(ton de voir ceux que lui ont donn leurs LXIK.
jo'.hs de jeunesse et maturi passer leur Emprego dos lentes as altas posiedes
rcillesse dans le denement et l'indtgence. sociaes.
f:m seguida accrescenta : Congratulo-me de todo o coraco por es-
Les depenses quentraine une suffisanle ^ Faculdade contar actualmente no parla-
rmunration des fonctiompuliquesnesont mento brasileiro tres dos seus distinetos
pns perdues pour l'Elal. membros e dous na assembla legislativa
En effet les fonction's mal payes sont desta provincia.
mal rempltes. 0utro s,m' deve caDer subida gloria es-
// n'apoim dejour de ruine pour lefonc- Ja.Faculdade o haver nella estreado sua car-
tioaaire, grand avantage sans doute, vais reir proQssional, com todo o brilhantismo
ii riy a jamis non plus pour lui de ees pro- dos seus talentos, o distincto presidente do
.luits extraoidinaires, qane bonne chance consellio de ministros, e o digno ministro
apporle au najociant, l'avocat, aamed'- oes negocios do imperio.
em et qui permettent de composer une re-' Ha Dem Pouco temPo contavamos a mes-
s'ereecontrc les Mnemens domestiques, les ma g|oria> vendo Pr diversas legislaturas
moladles et les deuils.. na Presidencia da cmara temporaria o digno
No Grande Ducado de Saxe-Weimar, (Con- director d'esta Faculdade, e outros recom-
fede.aco Germnica) desde 1827 se conce- mendaveis collegas nossos, como membros
dem 'familia do professor, para o seu en- della e da d,la assembla provincial,
trro, 10 thalers; e desde logo ella comeca' J-mbora a permanencia no magisterio con-
a gozar de urna penso semestral de 12 tha- tr'Dua poderosamente para se contrahirem
lera, para sua subsistencia. Assim se pra- os respectivos hbitos, e habilitar para o seu
tica em quasi toda a Allemanha. cabA desempenho, todava fra de ques-
Pelo regulamento nniversario da Blgica la0 1ue mnguem meihor do que os que en-
de 25 desetembro de 1816, bem como pe- sinam as sciencias das leis, eos maisvitaes
lo da Hollandaa viuva do professor das fa- "'leresses pblicos, putera oceupar as emi-
culdades, emquanto nao passa segundas nenles Posicoes do estado, merecer a alta
nupcias, e seus filhos, (anda depois da mor- cojanca do governo imperial, e os espon-
te d'ella e at tocarem maioridade e ad- ,aneos sufragios dos seus concidados.
quirirem algum estado lucrativo), percebem E' do sei d'estas corporacoes scientiflcas,
urna pensao de 500 florins, que correspon- Iue na Europa sao sempre escolhides os
de 610 francos ou 2440000 ris, alm de Pr|meiros estadistas e representantes da na-
metade do mximo dos vencmentos, que W> l!talos .ue em *erdade lhe> sao mu li-
recebia o finado professor. i songeiros, e os ennobrecem.
Se porm elle fr ecclesiastico, auferem: .L.x^-
essas vantagens, sua me, ou irmaas, como: .. Co"0, c,t" brasileiro.
smente urna utilidade, mas tambem urna connecesse a nossa independencia como base,
necessidade imperiosa e suprema, que cum-
pria satisfazer.
Este mximo desidertum de todo paiz,
esta solemne promessado nossopacto funda-
mental (artigo 179 18) acaba de realisar-
cado, ameacado e collocado no caso de le-
gilima deeza.
Recusaram ao principio dar-lhe crdito, e
foi mistr a intervencao de altas personagens
da colonia, italiana em Londres para alean-
car urna prorogacSo a favor de Pelizzioni,
teria sido acolhida com promptido. Nao
me conhece quem pode suppr que, em
quaesquer circumstancias, eu consenlisse ja-
mis em restabelecer a unio. Conbecemos
agora o preco que o inimigo d paz. O
se felizmente; devendo por consiguite ees- que se quer de nos, que nos rendamos emquanto se instaurava o processo contra o
sar para sempre uossa actual legislado ci-1 sem condices O nosso inirnigo nao per- seu compatriota Mogni.
vil, cheia de antinomias, em contradigo com: mitte que nos liguemos a elle no mesmo es-, Este processo foi julgado peranteo tribu-
o nosso systema poltico, com as nossas tado era que o deixamos; mas exige que' nal criminal de Londres em 2 de marco,
ideas, e quasi de execuco impraticavel. nos contentemos com aquelle que pode con- Pelizzioni ahi compareceu comotes'emunba.
LXXH vir a um vencedor conceder. uemonslrou-se e-provou-se que elle nao to-
Cumpre porm observar que Portugal, < O homem proproe e Deus dispe. Pela mar parle alguma na lula de 26 de dezem-
nossa antiga metropole, onde ha mais de .miaba parte confio na coragem e na dedica-,bro, que apenas interviera como pacificador,
dous seculos nasceu e vigora aquella absolu- cao dos m'eus compatriotas, e faco um ap- e que a sua missSo-se limitara a receber na
ta legislaco, n3opossue"o seucodigo civil, pello respeitoso aocu, para que venha em
e nessa parte nao tem sido mais feliz do que auxilio da nosfta causa,
no Brasil, que apenas conta 43 annos de Tenho a firma confianca em que Deus
existencia real ou emancipaco poltica. ha de vencer a arrogancia dos nossos inimi-
Por decreto de 8 de agosto de 185^ foi gos,e que ha de recompensaros nossos esfor-
n'aquelle paiz o Sr. desembargador da rea-' eos com o triumpho.
c5o do Porto, Antonio Luiz de Seabra, n- "O presidente Lincoln tem dito que se
cumbido da redacc5o do projecto do cft- mostrara liberal no confisco dos nossos
digo civil, o qual em cinco annos o apresen bens, e no enforcar dos nossos officiaes, mas
ton. quando o poder do nosso inimigo fosse dez
Em seguida foi encarregada reviso des- vezes menor, elle nao teria o direito de nos
se projecto do cdigo cTvil portuguez urna despojar, o direito de defender nossa hon-
commissao composta dos lentes da Faculda- ra> e de encher honrosamente os nossos
de de Direito de Coimbra os Srs. Drs. Vi- campos. (Longos applausos). Se nos con-
cerne Ferrer Netto Paiva, Manoel Antonio servarmos fiis aos sentimentosque nos ani-
Coelho da Rocha, Joaquim Jos Paes da Sil- mam, poderemos continuar a conserv r a
va e Domingos Jos de Souza Magalhes, to- cabeca levantada, entre os mais altivos d'este
dos de profundo saber, comprovada expe- mundo. Nunca um povo se mostrou to
riencia e grande reputac5o; do mesmo mo- unido, durante urna to aturada guerra,
do que em Franca forara consultadas em Alm d'isso a historia, nao offerece
1841 as Faculdades de Direito, sobre o pro- exemplo de urna lula egual qae temos sus-
jecto da reforma da lei hypothecaria. tentado, da longanimidade com que soffre-
0 mesmo Sr. desembargador Seabra, au- mos os sacrificios, e da congein com que os
tor d'aquelle projecto, para mais aperfeicoar nossos exercitos tem marchado para a mor-
t5o importante trabalho, dirigi por toda a te. E' a magnanimidade de que toda a na-
imprensa um appello illustracao, e patrio- cao tem dado provas, que me d a confian-
tismo de todos os Icios do paiz para indica- ca, de que um dia sahiremos da luta tri-
rem-lhe (ainda que em simples these) qual-: umphante. (Numerosos signaes de enthu-
quer observacao ou advertencia proveitosa. siasmo,)
E' bem sabido que na Franca o projecto I ______----!*-^_______
do cdigo civil, depois de redimido pela su-
pradita commisso das primeiras summida-1 ,Tm AnB _._iJ i.-m n.,"
des do paiz, foi submelt do aos tribuuaes de Pn^9dSienfdos/que S U m fig<
Cassaca e AppellaCao, e ao depois ao con-!", Jde ElegmterconsUlnc uma verdf
selho de estado, e or ultimo ao corpo le- c-e,ra bater,a' P018 forma ura conJuncto
gislativo, onde appareceram verdadeiros
modellos de eloquencia no genero delibera-
tivo.
ello designar.
Que dilerenca immensa entre o que as
Sua Magestade o Imperador acaba de hon-
rar o nosso collega, o Sr. Dr. Braz Floren-
sim se pratica nesses paizes civilisados e no lino Henriques de Souza, havendo por bem
l{rasI nomea-lo um dos membros da mui illustra-
Alli por certo o magisterio merece toda da commisso, que sob os seus immediatos
e valiosos auspicios tem de rever o projecto
do cdigo civil brasileiro.
Este acto devidamente apreciado importa
consideraco, ao passo que aqui tratado
com indifferenca, senao desdem!
Agora mesmo acaba com toda injostica de
pecies de calhedraes de flores; taes- s5o
carri, os carros.
Neste ultimo entrndo apresentaram-se do-
ze, quasi todos creados com uma imagina-
c5o rara.
Citaremos, diz e jornal d'onde extratamos
esta curiosa noticia, os mais riotaveis.
Um regresso da cafa no tempo de Luiz
XV: o carro do principe Humberto, e dos
jovens olciaes seus companheiros. Tropheos
de toda a casta de armas adornam este car-
ro, dentro do qual circulam doze cacadores,
trazondo a tiracollo a rede cacadeira. Cada
um destes cacadores, um dos quaes o prin-
cipe Humberto, derrama confeitos por meio
forma um
e estratgicamente collo-
LXXIII
ceira batera,
de cunhes hbil
: cados.
' Como se o bello sexo conlasse com pou-
cas armas para render a altivez do sexo feio,
vera
considerar-se-rfest'o das despezas oreadas'a.mai,s Sllblda dislioecoao reconhecidome-
pnra o seiriro da faculdade -a quat'ia de nl do n,0SS9 collea' e ao mesmo tempo l
S:92l^00ftiue Ibes accresceu ; a qual em!Jusllfifad?m0llV0 do nobre orgolho e pleno!
quasi sua ttalida le fra applicada ao pes- reconecimento desta Faculdade, por ver
soal da mesma Faculdade (lentes e director |um dos seus mais importantes membros to
que rleixaram de ser deputados assembla a,lamenle laureado.
___i___u____._ _,..-.... ____:.:.\ > () nosso aiinistn n
J se v-nnis nao n rnnfprr.n a nm en-'1*0*6 eSsa WCbOM deidade a moda
mentso. qae nao pode jamis ser obra exe- f%* *TSf5ff?UffiiTSr
ao esilo, meditacao e acerlo. principal- fug,r ou dar-se l08c ** ,encldo-
mente em negocios to melindrosos, de or-!----------mmia>*-6**t m
dinario motiva e arrastra o total desaccordo' .,. ,
das boas ideas, e a completa destruico das N uma venda em leilao de authograpbob
mais necessarias e uteis emprezas. ?"e teve luSar era Londres, pagaram-se 172
Os nomesdos Icios Brasileiros nomeados francos e 50 c. por duas paginas inteiramen-
para a reviso do projecto do nosso cdigo teeneditas de Napoleao I.
civilos Exms. Srs. visconds de Uruguay, m carta de tres paginas asignada por
conselheiros Jos Mariaoi, Jos Thomaz Na Boileau, vendeu-se por 52o francos.
gerai cvoltaramao respectivo exercicio) e' O osso augusto monarcha nao tem cessa-, buco deAraujo. Caetano Alberto Soares,' Uma caria de uma pagina escripia por
s despezas fixas, como aluguel dos edificios, I? de dar inequvocas provas do seu eleva- Francisco Jos Furlado, desembargador Lou- Robespierre a Saint-Just e Sebas, custou 110
etc_ i do apreco a esta corporaco scientifica, por
Tal o espirito de desconfianca reinante ;e'le, es,no denominada/Mirada Eacul-
sobre qualquer dispendio feito com a Facul- j dadenov occasiao da sua sempre memo-
flade, que sem acurado exame se previne! ravel resposta, quando, em sua mu feliz t-
^ citl -i aula nPAitinna nlli lUo ..', Ixah.
logo o desfavoravel juizo,de ser para o Slta a esta provincia, ella Ihe foi beijar a
superfluoe nao para o absolutamente indis- T e.Patentear-lhe os seus protestos de
eensavel. (I) I ledicacao e respeito.
Basta dizer, que para as despezas secreta-
ria, d'agua potavel, limpeza, pequeos re-
paros dos edificios, concert de movis etc.,
apenas se tem consignado a diminuta quan-
tia de duzentos mil ris (200,->), que evi-
dentemente insuficiente I
LXVH
Meios para dispertar o zelo dos lentes.
Dous meios sao adoptados na Franca pa-
ra di pertar o zelo dos lentes, que seria pa-
ra desojar tambem se adoptassem as Facul-
dades de Direito do imperio, tanto mais
quanto nao dependem do mnimo sacrificio
dos cofres pblicos.
O primeiro consiste em os professores dic-
taren, postillas (cahiers) paia seus alumnos
escreverern (como sao les Rptitions cri-
tcs sur le code civil par Mourlon el sur le
code da rommerce par Rivire etc.) sendo
seguidas de explicaces oraes, desenvolvi-
mento e inierrogacoes etc.
Assim, e sem a menor duvida, os alum-
nos oblero diariamente grande auxiliar pa-
ra fcil e prompta comprehensao das pre-
leccoes que ouvirem ou, para melaor dizer
ao sabirem d'aulaa devero levar j es-
tudada ou sabida em grande parte, restan-
do-lhes apenas consultar algum expositor e
fazer o estudo de meditaco a respeito.
O segundo meio consiste, em o lente, ao
descer diariamente da cadeirair registrar
ou escrever em um livro ou cadernla ru-
bricada pelo director, e sob a guarda do se-
.. cretario da Faculdadea summa, resumo,
ou excepto da prelecgo, que houver feito,
mencionando o desenvolvimento ou excerci-
cios, o systema e methodo, que adoptara, e
as demais explicaces necessarias para d'el-
la se formar rpidamente uma approximada
idea: emfim a narraco succinta dos fados
occorridos durante a aula; trabalho este,
que, quando muito, consummir meia hora,
e ser por conseguinte pouco penoso,
E' de primeira intuicao, que assim ter-se-
ba o registro diario, ou uma especie de jor-
nal das prelecces da Faculdade, para devi-
damente aquilatar-se, como o lente preen-
che os seus de veres, a lat lude que d ao en-
sino, e o progresso obtido pelos alumnos:
o que no fim de alguns annos dever cons-
tituir um precioso thesouro acadmico.
O lente, conscio de suas obrigaces, por
certo nao ter pejo algum da analyse e de-
monstrado do modo, porque as procura
cumprir.
LXVI1I
Insignias dos lentes e doutores,
Ha dez annos que baixaram os estatutos
das Faculdades de Direito do imperio, e at
o presente ainda nao foi dado o formulario
para as insignias, que devero osar os len-
(l)*Sou informado com mais exacc^o que
a sobredita arguico fra explicada ltima-
mente pelo governo imperialdo seguinte
modo-que o attribuido excesso consista
em 33IJ840, com o salario d-'S serventes;
105/5200 com o sustento d'elles; 635480
com impresses e encadernaces; ..'...
1:134-5480, com o expediente; 500,5300,
com acquisicao e concertos de movis;. .
110,5000 com a compra de livros para' a bi-
bliotheca: sendo alias taes despezas iodis-
pensaveis, e algomas de antiga data.
renco Jos Ribeiro, Drs. Braz Florentino
Henriques de Souza e Antonio Joaquim Ri-
bas, inspiram tal contianca, e sao credres
de to subido aprec e consideraco em todo
o paiz, por suas immensas luzes, profundos
estados jurdicos e longa experiencia, alm
francos
Uma carta de Rubens, em italiano, 2(8
francos e 75 c.
Uma carta do cardeal Beaufort, 136 fran-
cos e 25 c.
Uma carta de Anna Bolena, mulhr de
A meu ver, fados d'esta ordem sao di-
gnos de eterna recordac > desta Faculdade ;
porqui servem-lhe de grande brazo e glo-
ria.
LXXI
Havendo o nosso paiz mudado de rgimen,
ideas e costumes era rasoavel e justo que
tambem se alterasse a legislaco, que ante-
riormente vigorava, e foi mandada executar
pela lei de 20 de outubro de 1823, como
praticaram em idnticas circumstancias ou-
tras naces da velha Europa,Russia, Dina-
marca, Prussia e Italia.
Nao mesmo possivel, que no Brasil, por
mais tempo continen, a reger as ordena-
coes do reino, legislaco publicada quaHdo
Portugal esteve debaixo da dominaco da i
Hespanha, no reinado de D. Felippe 11 em
1503.
Si coube a D. Felippe I rei de Portu-
gal mandar, no p incipio do seu reinado, |
confeccionar esse corpo de legislaco, sob os
auspicios dos desembargadoresdopaco.Pau-
lo Affonso e Pedro Barroza, coadjuvando-os
os Idos Damiode Aguiar e Jorge Cabdo;
si o imperador Napoleao I, absirahindo dos
dous primeiros projedos antenomente apre-
sentados para os cdigos civil da Franca pe-
lo grande Cambacreso mais didntico dos \
legisladoresnalphrase d* um notavelescrip-
tor, encarregou em 1807 a sua confeceo
Portalis, Tronchet, BigotPrearaeneu e Mal-
leville, semelhanca da compilaco da legis-
lan romana mandada fazer pelo imperador
Justiniano em 528, e encarregada Joo ex
questor sacri-palalii e ao depois em 530
Triboniano, Dorotheu, Thep; hilo e mais
quat rze outros sabios; assim tambem S.
M. o Sr. D. Pedro II, sempre disvellado pe-
lo bem estar, engrandecimento e esplendor
do nosso paiz, coube a gloria immortal de
effeduar, durante e seu reinado, a grande
obra do cdigo civil brasileiro, tendo sido
nicamente incumbido da redaeco do pro- i
jecto o Sr. bacharel Augusto Teixeira de
Freitas, antigo alumno do curso jurdico de -
Oiinda, e boje um dos principaes ornamen-
tos do foro da corte.
A experiencia dos primeiros estadistas e
Icl'8 de todos os paizes justifica, que, para
methodica, precisa, fcil, e clara confeccao'
de um cdigo, deve ser feita por orna so pes,-
soa, e ao depois revista por commisses
compostas de pessoas idneas. (2)
Duvidar hoje da utilidade de um cdigo,
como succedeu no comoco do actual secuio,
para reduzir systema facilitar e robustecer
a accao da justica por meio de principios,
doutrinas, harmona dos costumes, rgimen
e ideas vigentes, seria um perfe to anachro-
nismo.
Coube lo eximio publicista Benjamn
Constant mostrar que a codificaco nao era
(2) A escola histrica da Allemanha dis-
cutiu amplamente este ponto. A' frente
della collocou-se Savigni. profesar em
Berln respondendo a um Opsculo de
Thibaul, pr.fessor em Heidelbergnesse sen-!
tido.Todos os publicistas na Allemanha'
tomaran, parte na discnssSo. Sobre esta
materia pode-se ver em Montesquieu, Espi-
rito das Leis 30, Cap. 18 Rossi, Direito Pen.,
liv. 4 cap. 3.. Betham etc.
dos mui valiaosos auspicios "de S.M.oim- Hennque VIII de Inglaterra signada
perador, sob cujas benficas vistas as letras Anm Rawha (Ame the- ")' *0J fran
e sciencias ascendem sua m ior altura, que J- Inna> Pa?ina em alema0> de GaBlhe'
do a mais plena seguranca de que ser
apresenta!a ao corpo legislativo, e naco
inteira, uma obra primorosa e sublime, ten-
do em seu favor antecipadamente o cuhho Acaba de ter lugar um fado na Inglater-
no obteve mais de 50 francos.
rao ig>--<
da saneco moral
da opinio publica.
( Continuar-se-ha).
cabeca uma pancada, que Ihe ia sendo fatal. e um tuboafunilado de Flandres, nos aven-
Gregorio Mogni, em favor do qual o tri-
bunal admittiu as circumstancias atlenuantes
da provoc cao e da revelarlo espontanea,
foi condemnado a cinco annos de trabalhos
forcados.
Mas se, como muilos teriam feito. elle
houvesse guardado segredo ?
O desgracado Pelizzioni teria perecido da
morte infame dos assassinos, e mais uma
victima ia addicionar-se ao martyrologio das
victimas dos engaos judxiarios! No entre-
tanto, o infeliz ainda jaz na prjsao de New-
gate, vergando sob o peso da iniqua senten-
Ca que Ihe inflingiram Verdade que j
expirou o prazo lixado para a sua execuco,
o que faz esperar que a juslica ingleza an-
nulle a sentenca e restitua a lberdade a Se-
rafino Pelizzioni,
>0^O4
Diz um jornal hespanhol que a experien-
c[a tem mostrado em Pars que as emarta-
Ces do gaz prejudicam consideravelmente
as arvores que Ihe esto prximas.
A Naco publica o seguinte :
ltimamente se fez em Paris em presen-
ca de alguns homens de sciencia e de varios
typographos um ensaio de um novo systema
deimpresso, que nao pie deixar de cha-
mar a attengo das pessoas entendidas, se
justificar as promessas que o inventor decla-
ra poder obter, isto imprimir sem tinta.
Por preciso a chimica e a eledricidade
devem ter pane neste invento.
Aimpresso obtera-se sobre um papel
preparado chimicamente, e ao receber o
contacto dos caracteres a sua presso faz que
as lettras marcadas appareeam negras sobre
o papel.
Por este novo processo fica tao rpida a
impresso que no ensaio tirou 120 bilhetes
n'um minuto.
ltimamente apresenlou se ante a autori-
dades do Londres um homem demandando
uma companbia de vias frreas, a quem pe-
dia uma iodemnisacao pela,morte de sua
mulher.
Provou se que a mnlher estando embria-
gada, cahira da varanla da estaco sbreos
ral, icando desperada pelas rodas de um
trem.
Provou-se que se estvesse presente um
guarda da companliia, a desgraca se teria
evitado.
O jury accordoo que se dsse a indemni-
sacao de umscheling(20 rs.) ao viuvo.
Um jornal de Bermingham recebeu pelo
correio americano uma verdadeira curiosi-
dade debaixo da forma de uma carta escrip-
ia n'uma follia de ferro.
Este novo papel a chipa mais delgada de
ferro que se tem feito e nao mais pesada
cada folha do que duas de papel r-dinario
de escrever; tem alera disto urna notavel
solidez e a sua grossura a millesima parte
de uma pollegada.
ra, que mais um argumento temed e
solemne que reforca o processo que todas as
almas generosas instauram contra a applica-
! cao da pena de morte.
Eis aqui o fado sem prologomenos era
UM pouco Ot TUD8. commentarios, porque os dispensa oeloqoen-
Os jornaes do sul publicam os pormeno- te horror da sua realidad.
res do grande meeting que houve em Rich- Em 26 de dezembro do anno passado, um
mond, quando se recebeu a noticia de se certo numero de operarios achavam-se reu-
haverem malogrado as ultimas negociares, nidos n'um quarto particular da taberna da
O presidente David pronunciou n'esse mee- Ancora, em Londres. Eram quasi todos
ting um discurso, que foi vivamente applau- italianos e alguns ing'ezes. Suscitou-se uma
dido, cujas principaes passagens sao as se- questo entre dous destes individuos, que
guintes: nao tardou em tomar o carcter, como qua-
Aqui temos todos os dias ouvido o ca- si sempre acontece, de uma lucta geral.
nho do inimigo. As innumeraveis campas; A maior parte dos combatentes eram des-
nos cemiterios visinhos nos recordara os conheddos : porm no quarto principal
bravos de todos os estados da confedera- achava-se sentado a uma mesa um freguez
?o, que tem derramado o seu sangue pela daquelle estabelecimento, por norae Serafi-
patria. N'uma das colinas d'esta cidade se no Pelizzioni, italiano, e a taberneira, espe-
eleva o santo edificio, no quat Patrick Hen- rando que a intervencao de um compatriota
ry e os seus compatriotas sacrificaram a sua podesse acalmar a irritaco dos outros ita-
vida pela liberdade. E' aqui tambem a ca- lanos, instoii com elle para que fosse apazi-
pital de confederarlo e d'esse nobre e anti- gua-los.
go estado, que se deve chamar com razo; A rixa i ra a consequencia provavel de um
a creadora dos homens de estado. Se equivoco, e Pelizzioni, que havia onze an-
o sentimento que se pronunciou n'estes lu- j nos resida em Londres, e fallava inglez
gares, encontra o eco por toda a parte, e'com muita fadlidade, podia conseguir uma
se se conhecer ser o sentimento de todo o! reconciliaco.
paiz, o que eu nao ponho em duvida. ento,! Pelizzioni cedeu aos rogos da taberneira,
conheco que estamos prximos do xito. (Vi-1 e ao entrar no quarto em que lutavam os
vos applausos). Nao necessario que nos in- seus compatriotas com os operarios ingle-
sultera de novo com condices de paz, como zes, recebeu urna violenta pancada na cabe-
aquellas que a arrogancia do inimigo acaba fa. A algazarra e os gritos cresceram de
de nospropor. Dentro em poucos meses ponto, e a taberneira julgou dever recorrer
as vantagens que alcancarmos sero de tal, a polica.
natureza, que Ibes far sentir, que, qaando Quando a polica chegou, todos tinham
nos fallaram, fallavam aos seus senhores. fgido menos Pelizzioni, o qual se achava
(Exploso de applausos.) j gravemente ferido na cabeca. A alguns pas-
Haver alguem, pergurrto eu, que ten-! sos deste via-se o corpo inanimado de um
do visto os soldados confederados, possa inglez, chamado Miguel Harrington, o qual
acreditar que elles sao capazes de enfraque- fora morto de uma facada.
cer ? Visiiem-se os nossos campos, os nos- \ As mos e o rosto de Pelizzioni estavam
sos postos avancados, as nossas linbas e pi- tintos de sangue, e foi-lhe achada uma na-
quetes, e nao se ouvir em parte alguma a valhana algebeira da calca. Foi preso por
menor queixa ou murmurio. J crime de assassinate, e apezar dos seos
O grito' dos nossos soldados, como protestos de innocencia e dos excellentes
o de_ Palnck Henry. Victoria ou mor- antecedentes que militavam em seu favor, o
te I tribunal criminal de Londres condemnou-o
Sao os que teem as algibeiras cheias, a pena ultima,
os que se ouvem murmurar e queixar. j Serafino Pelizzioni era innocente.
(Apoiados) Esses mesmos, levados pelos' O golpe que-matara Miguel Harrington ha-
acontecimentos bao de forcosamente cum-via sido vibrado por oulro italiano, por no-
prir o seu dever. Os seus thesouros cor- me Gregorio Mgni, o qual so evadir logo
rem perigo, e nao teem outro meio dos em seguida, sem que ninguem mais se im-
porem em seguranca senSo trabalhando portasse com elle-ou trtasse de o perseguir,
para a salvaco da patria. Nao ha tempo j As cousas tinham chegado a este ponto,
para pensar; o que resta fazer correr s quando ha diasas gazetas inglezas annun-
armas. j ciaram que b perdo pedido por Serafino
Eu acabo de fazer uma tentativa para Pelizzioni Ihe havia sido negado, e que se
conseguir a paz, como j muitas vezes o ia proceder quanto antes a execuco da sen-
tenho feilo no interesse da humanidade e tenca,
do paiz. Gregorio Mogni decidiu-se ento a fallar.
c Eu nao seria homem, senao tivesse o | Sahiu da casa que Ihe servir de refugiu
mais vivo desejo de libertar o meu paiz dos em Bermingham, e foi a Londres dar-se a ra de Toledo, nao usa de desfarces como
soflrimeotos da guerra, e e mandar os nos- priso, declarando ser o autor do assassina-' em Roma; mas, ao longe da c'tada ra, so-
sos soldados para suas casas. Qualquer to de que fra vic ma Miguel Harrigton, branceiras a estas duzentas a trezentas mil
proposta honrosa, qualquer proposta que re- porm que o commettera tendo sido preyo- caberas, avancam machinas gigantescas, es*
taes das muflieres do povo, e em todas di-
reccoes. Das janellas de sacada, donzellas
formosas saudam o principe com uma sarai-'
vada de ramos de flores, e o povo applaude
com palmas phreneticas. At mesmo ba
quem se atreva a arremecar contra o her-
deiro da corda confeitos de farinha endure-
cida ; este ento, vinga-se pagando com usu-
ra na mesma moeda. Redobram os applau-
sos, e o principe recomeca a fazer cabir so-
bre a multido vida um chuveiro de con-
feitos finos.
Por Iraz do carro dos cacadores vae ro-
dando um monte de verdura, no cimo do
qual est estendido um enorme javali en-
grinaldado de lebres e outros bixos sabo-
rosos.
Segue-se uma carruagem conlendo saccas
de confeilos, (confett) finos e i-rdinarios.
De resto, todos os outros carros tambem
trazem em seu seguimento uma carruagem,
que Ibes serve de deposito para municoes do
mesmo genero.
O carro da mannha: que uma baleia,
um monstro marinho qualquer com as bar-
batanas e a cauda prateadas e luzentes, con-
tendo no desmarcado ventre uns vinte gonas,
officiaes de marinha transformados em tri-
tes.
Roma e Vcneza: foi a classe commercal
que ergiu esta cathedral, cujo cimo chega
ao segundo andar das casas. Est colloca-
do no alto o genio da Italia; aos ps d'esse
genio, o feroz leo de S. Marcos a rugir, ao
lado d'este a loba do monte Palatino, a ama
de leiie de Romuloe Remo.
As cabecas gigantescas : cabecas enormes
sobre pequeos corpos. Todas estas cabecas
promovem o riso piscando os olhos, toman-
do Rosigues sentimentaes, e fazendo muitas
outras excentricidades. Este carro mereceu
os sottragios da classe popular.
O regresso de Montecergine: os mem-
bros principaes da associaco operara con-
tribuiram para as despezas d'este carro, que
representa em escala mui grandiosa, uma
d'essas carruagens de variegadas c6res, em-
pavesadas e carregadas de msicos impro-
visados, que pela Pentecosts, reconduzem
da romaria do Montevirgem, para Noli, ou
para Avellino, os homens e as muflieres do
povo, ataviados com os seus melbores trajes,
e loucos de contentamento.
Rompe por todos os lados do carro a en-
diabrada msica da tarantela.
Esta mascarada, naturalmente appiaudi-
da cora furor pelos burguezes e por toda a
gente abastada.
O povo, em recompensa, a tira amendoas
torrodas s du.piezas com uma graca inex-
cedivel.
Fecha a marcha uma Torre da idade me-
dia, com setteiras, das quaes a mocidade
aristocrtica diverte-se em alirar com flores
e confeilos para as janeflas e sobre os tran-
sentes.
Publica o Jornal do Commercio, de Lis-
boa, o seguinl :
Segundo una estatislica que acaba de ser
publicada em Madrid, esta cidada contava no
m de dezembro do anno passa lo, 281,976
habitantes, alojados em 8,468 casas.
Houve 11,857 nascimentos: 6,173 do
sexo masculino e 5,686 do sexo femiuino.
O algarismo dos bitos infelizmente attin-
giu, se nao superou, o dos nascimeutos.
Ha em Madrid 28 egrejas e capellas.
un i igi i I
Apezar da degradaco social em que sao
tidos os pretos da America do norte pela po-
pulaco branca, alguns delles conseguiram
ajuntar fortunas consideraveis.
Os homens de edr de Cincinnali, por
exemplo, possuem propriedades rusticas do
valor de cerca de 600 contos de ris ; um
preto entre outros, possue elle s proprieda-
des que valem mais de 60 contos de ris.
Em Nova-York e nos arredores, os pre-
tos libertos contribuem para o movimento
commercial com o valor de 100 contos de
ris, e empregam uma quantia superior a
esta em propriedades rusticas livres de hy-
pothecas.
Em Philadelphia, trezentas familias de cor
habitara casas que Uies pertencem.
Um preto por norae Estevo Sraith tem
uma fortuna de 450 contos de ris.
O carnaval de aples nao o mais bri-
Ihante da Italia.
Na falta da voloptuosidade burlesca que
outr'ora se observava, durante o entrad,
em Veneza, hoje coberta de luto pelos mo-
tivos que todos sabem, aples fica quem
de Milo e de Turin, sob o ponto de vista
das numerosas e brilhantes carruagens, que
vo passear ao Corso nessas duas cidades;
de Florenca pelo gracioso conjundo que
o carnaval ali apresenta ;de Roma sobre-
tudo, pelas suas legiSes de gente desfarcada,
caricaturada e mascarada, que, no entrudo
de 1859 eram avaliadas em mais de 40 mil
circulan o no Corso, isto na extensa ra
direita que da praca do Povo chega al
praca de Veneza.
Porm aples oceupa o primeiro lugar
O cnsul geni de Hespanha em Smyrna
participa ao ministerio dos negocios e-tran-
geiros,.em 14 de Janeiro ultimo, que a co-
Iheita de algodo na Auatolia se elevara a
mais de 8u,U00 lalas de todas as qualidades;
que do-algodo que se apresentara naquelle
mercado nos dous ltimos mezes do anno
passado, calculado n'umas 15,000 pacas, s
metade de boa qunlidade c a ontra metade
de media e m classe ; que isto influir na
cotisaeo dos precos, que foram pela boa
qualidade at 1,000 piastras o quinta] tur-
co, tendo-se vendido as outras qualidades
a 900, a 800, e at 700 piastras o mais in-
ferior : e que das 15.000 balas se exportara
j uma terca parte, principalmente para In-
glaterra e algumas para a Franca, e s 300
pacas para He-panha, quando no anno ante-
rior se expediram talvez 3,000.
Alm disso, participou o mesmo cnsul,
que o preco do ak'odo na actualidade, das
melhores qualidades respectivamente, o
seguinte : qualdade chamada sabuck 915
piastras o quintal turco, o eassab 800-, e o.
kiskagaeke 780.
O conde Lambert, antigo vice-rei da Pa~
lonia, respeitavel por todos os titules, fiaou
a sua residencia na ilha da Madeira.
No dia 19 de fevereiro S. Exc. re.-ebeu
por esposa, na capelia do seu palacio,. M.
Margante Breves, fillia do conde Lancosaia
Breves.
Acab i de formar-se em Madrid uma asso-
ciaco de facultativos para tratar dos enfer-
mos das classes menos favorecidas da fortu-
na, por meio de uma mdica subscripeo
mensal.
Cada subscriptor paga :
Por si......
Por marido e mulher .
- Por familia com filhos
menores de 10 annos .
Por cada filho de edade
superior a 10 annos .
Por viuvo com filhos me-
nores ......
Os remedios sao gratuitos. Os subscrip-
tores quando enfermos de cama sao visitados
nos seus domicilios.
280 ris
470 >
565
95
375
Le-se na Aurora, jornal da India portu-
gueza, o seguinte :
Por uma operafo que se fez ao Honora-
ble Ru>tanjee mandando extrahir do seu
corpo, por um hbil operador, a gordura
pelos seus magestosos' carros symbocos, demasiada que o impossibilitava at de po-
historicos, que dominam a muldo, obraider andar* obrigando-o a e-tar de cama.
collectiva de algum club ou de alguma asso-P3?0!1 esle l,l,,slre cavalleiro, digno berdei-
ciaco. Ir0 das sublimes qualidades e rasgos de
A immensa multido que invade e enche' grandeza d'almado boje finado ancio r
Jamsetjee Jejeebhoy Bar a avultada sorama
de 30,000 rupias I.,. (9:6000),
/


PERNAMBUCO.-YYP. DE i.' F.DE F. & FILttO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYOONSLZH_RBA6CS INGEST_TIME 2013-08-27T20:58:01Z PACKAGE AA00011611_10650
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES