Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10649


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AJO XXI. MERO 92
*4M \9

>i
*-).
F#r qiWpagodentreiOit8dol.'Di^i ...::,
dem depos dos i/' 10 das do coneco c deotr do [artel. ,
Porte ao corroiooor tro aezes t......., j
5$Q00
6ffl00
756

.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrinu de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lernos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranbo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandno Falco nas; Baha, o
Sr. Jos M.irtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
. PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, lodos os das,
(guarass e Goyanna as segundas e sextas fei ras.
Santo Antao, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altiaho, Garanhuns, Buique, S." Bento, Bom
Conselho Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
fei ras.
Pd'Alho.Nwareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, nas.quartas
feiras.
Segunda vars do civel: qnartas e sabbades a
hora da* tarde.
Seriohera, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar
reros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
SABBADO 22 DE ABRIL
T|------1---------
1
_i-|tjo4o)tro de 10 das do 1. mez ,
ao ferreio ior un uno r. ,',',.
m
>

*
.
31999
EPHEUERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
X Quarto cresc. as 10 h., 59 m. e 22 s. da t.
11 La chela as 2 b., 17 m. e 52 s. da ra.
18 Quarto ming as 9h., 616 m. da t.
27 La nova as Ir h., 53 m. e 46 s. da m.
ACDIBffClAS DOS TRIBCNAES DA* CAPITAL.
Tribunal-do tommerrio : segundas e quinta?.
Relago: tergas e sbados s (O horas,
bateada: quintas s 10 horas.
Jateo o coroaercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas Ss 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao mero
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
17. Segunda, s: Antelo p.i s. FortoMto .
t8. Tefga. S. Baidiio b. id,: S. Ambla m.
rara.
19.
20. Julnta. S. Ignez do monte' Policial
tf'Sexta S. Anselmo are.; S. AM&alas, m.
22. Saiibadrtite !Snir a !>n nrt mm
?r.la- 3s:E5|edrto.b Ari'stcrajiq.m
olicrano.
!. Sabbado*Os.'Sot Caio prj. mm.
3. Domingo: S. Jorge ra,; S. Aoberto b.
PREAAR DE HOJE.
Primeira as 1. horas 18 m. da tarde.
Segunda as inoras 42 e minutos da manbia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para.o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mex; para Fernan-
do nos dias 14 dos meies de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Paria & Filho.
PARTE GFFICIAL
G9YIM0 DA PROiHClA.
Continnato do expediente do dia i 7 de abril
de 1865.
Offlcio ao director da instruegao publica.Enve-
me Vrac. por copia as denuncias ou representagoes
que contra o professor de instruegao primaria de
Caruar, Jos Isidoro dos Santos Ihe tem sido diri-
gidas pelo delegado litterario bacharel Miguel Ber-
nardo Vielra de Amorim, assim como js documen-
tos, decisSes e tudo o mais que diga respeito a taes
representagSe, dando-me seu juizo imparcal so-
bre os fundamentos e procedencia deltas.
Dito ao juiz de direito do Bonito.Remetta-me
Vmc. rom a brevidade posslvel copias fiis e au-
thenticas.
1.* Do soramario a que se proceden pelos criraes
commettidos por alguns mascarados em casa do
bacharel Lourengo Machado Dias em 1851.
aviso da repartigo da guerra de 8 desle mez, sao
as mesmas ja expedidas era vista dos meus oCQcios
de 20 de margo ultimo.
Dito as mesmo Haja V. S de informar sobre o
que pede o voluntario Feiix Ferreira de Moraes
Jnior no incluso requerimento.
| Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar no corpo de voluntarios da patria a Numeriano
Jos de Barros Jnior, Jos Joaquim da Silva, Ce-
ciliano Jernimo Gongalves da Silva e Pedro Jos
dos Santos.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar apre-
LiOVERW DO BISPADO
PEHSAMBVCO
SEDE VACANTE
Expediente do dia 17 de abril.
Olicio. cmara municipal de Flores.Quando
me chegou s mos oofflcio em que a III ma..cma-
ra municipal de Flores, emdala de 21 de fevereiro
ultimo sollicitou a minha annuencia trasladago
da sede dessa matriz para a povoago da Baixa-
Verde, j eu havia
l>U jmente o bom rgimen da igreja, e estando certo
de que nao se ha de dar urna nova scena, dexo de
remaiierao Rvd. vigario, do Pilar o officio do sub-
delegando negando todo o occorndo.
Dito ao vigario do Pilar.Participo V. S., que
pelo Exm. Sr. presidente da provincia me foi res-
pondido que esio dadas todas as providencias em
ordeni a evitar a reproduego do abuso de aotori-
dade que no dia 26 de fevereiro commetteu o sub-
delegado de Itabaiana, como V. S. me participou
em offlcio de 2 do prximo passado.
-20-
Offlci.) ao Exm. presidente desta provincia.
Accuso receido o offlcio de V. Exe. daUdo de 12
do corrento, transmittiudome copia da lei n. 609
de 3 do mesmo, que restitoe ao termo de Cimbre
mandado ouvir officialmeote o
sentar hoj aojuiz municipal supplente em exer- respectivo vigario, cuja resposta anda aguardo,
cirio da segunda vara desta cidade urna praga del Esfou inteirado das conveniencias que resulta-
cavallaria, Bcando esta disposigo daquelle mes- [ ram dessa transferencia, e vista do que pondera
mo juiz, em quanto durar a sesso do jury convo- essa Iilma. cmara, nenhuma duvida terei em prev
cada para o dia 27 do correnle. Communicou-se tar-Ihe o meu apoio, urna vez que a ioformago ofr' a* comarca do Brujo o riacho Cupiti, pertencenle
aojuiz municipal da segunda vara. j pial do Rvd. vigario Ibe seja favoravel, como a. fraga da Alagoa de Baixo, o qual havia sido
ilo ao inspector da thosounria de fazenda. ioformag.'o delle que veio inclusa com o offlcio'OMbiido daqnelle termo e annexado ao de
; Tendo esta presidencia no dia 1. de outubro pro- dessa Illm. cmara, e pela qual nao posso da- por, Flore* pela le n 437.
| ximo Ando, ordenado que fosse proposta c&nlra ser urna informaeae graciosa. I Dito ao mesmo. -
'Domingos Antunes Villana acgo de commisso por Dito ao vigario da Boa-Vista.Tendo chegado' Exc. firmado em
haver subenphytenticado os terrenos de raarinha n.' ao meu conhecimento que sendo chamado um ad- : copia da lei n. 606 d
1216 A na ra Imperial de que foreiro fazenda, ministrador dessa paroebia no dia sexta-feira saataisde da matriz d4
2 Da iorti'ftMSrw^lS'DorJu'Hsiaoro dos Pralicand0 assim um act0 de transferencia exprs- para confesar um moribondo que resida no bfle- do x,.aacomarca|deCab:
Santo?, contra o juiz municipal e delegado de po- i !??0J?_T?da?_pe!a_4-' ?01d.i5ao do li.lul.d?.sa i ?. do Porobal, esse sacerdote nao allendendo ao dia soba mesraa invocago existe na villa do Granito
liria de Caruar Miguel Bernardo Vieira de Amo-
rim. por abuses de autoridade
3." Do processo por Vmc. feito ao mesmo bacha-
rel pela prisSo de Jos dos da Silva Jnior, que de-
via funcrionar como juiz n'aquolla justiQcagao.
4. Do deposito judicial de um dos escravo em
poder de Jos Isidoro dos Santos, da jusliBcacao
da assembla provin-
i o projecle approvad>
A commissao de insttucgao publica, a quera foi vt cer do nfflrial arohishi
presente o offlcio do secretario da presidencia," re- JS
metiendo ao desta assembla a petigao de Joaquina Encerrada a d<*n2*
das Mercs Ferreira, professora publica de insiruc- com a emTnda d,sCQSsao>
gao primaria na cidade de Caruar, a informagao Continua nalmPni a ~- A
do director da |nstrucgao publica e todos os mais < offere da Nm terceira ditfS^^ d*- ^"
doenraentos comprobatorios do direito da peticio- to^X^SS^/jaSS .''
Considerando que o art. 69 do orgamento do an-
uo prximo passado d ao Exm. Sr. presidente da
provincia autorisago para remover a peticionaria
da referida cadeira para a da freguezia da Boa-
Vista desta cidade ; .
Considerando que pela lei n. 598 tambem do an-
uo passado, no art. 23, o presidente tem a mesma
autorisago, sendo esta extensiva a todos os pro-
ess9res e professoras que pedirem as suas remo-
goes:
E' do parecer que deve ser daferida favoravel-
mente o pedido da mencionada Joaquina das Mer-
luntanos da patria. "" '
Pede a palavra o Sr. Cunha Teixeira.
Vem mesa um requerimento do Sr. Jos Marja
para que seja adiada por 34 horas a discusso do
projecto, visto estar quasi terminada a hora.
Apolado o requerimento, entra em discusso
conjonctamente com as emendas.
Ora o Sr. Cunha Teieira.
A discusso Oca adiada pela hora.
O Sr. PnEsiDKNTE convida os senhores deputados
para comparecerem no dia seguinte s 10 horas da
manhaa, conforme determina o regiment, por-
quanto est quasi a terminar
. sob a mesma Invocago existe na villa do Granito mencionada cadeira.
aforamento, por ter sido feita sem autorisago da que era, a pobreza do enfermo, e sobretodo pop-, da dita comarca. Sala das commissoes 18 de abril de 1865 Gon-
presidencia, resolve que Oque em seu inteiro vigor ca distancia que vai dessa matriz aobeceoo! Dito ao gario do Ex. Reraetto V. Rvma galves da Silva \rrainioTavares
e se d cumprimento aquella ordem, sendo consi- Porabal, exigir um carro para sua conducglo, copU da le n. 608 de 3 do correnle, a qual trans-1 A commissao de polica a qaem foioresentea
derada sem effeito a dellberagao tomada posterior- cumpre que V. Rvra. me informe oiroumstanolam- fero a sede d matriz dessa freguezia para a capel- indicago de varios membros desta assembla nara
Ke, e de que trafa o offlcio desta presidencia mente o que se deu a tal respeito, e o que motil" i 'a Sue exl,e MWiHa do Granito : Cumpre que que essern convidados todos os Srs deputados ou
datado, de 29 de setembro do anno prximo pas-
sado.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Merino da re-
partidlo das obras publicas no officio junto por c
cias ordenadas pelo bacharel Amorim.
essa exigencia. | V. Rvma. proceda quanto antes a esta trasladago, fosse nomeada urna com (saao para assistirao
Uito ao juiz da irmandade de Nossa Senhora da i e regiatre no livro competente a lei inclusa, e o embarque dos Voluntarios da Ratria por Darte des-
Saude de TacaratPelo Qfficio de V. S. co car- termo da trasladago. ta assembla, estando convencida de oueVos seoti-
to de haver-se instituido nessa villa de Taearat Expediente do secretario do bispado.
no dia 27 de dozembro ultimo a irmandade de Nos- j Dia 19.
sa Senhora da Sade, padroeira da
_ mesma pro-1 Offlcio ao subdelegado do Peres.Participo
Ditoao baeharel Micuel Bernardo Vieira de Amo : \ 1ue mandd pr navamenIa e'D pracaa obra i vincia. I V. S. que foi entregue ao Exm. Sr. vigario capitu-
; do empedramento do lugar denominado Areias de | Nao posso deixar de louvar ozelo e piedae com lar o offlcio e o embrulho achado entre o espolio
Su-Tendo-me*sidoded^tS 9^u,a com a"Kmento"de 20 por centono" valor que V.S. eoutros prestimosos cdadsrdeis"lugar | do preso de que'ira fe'," "ao quai''embrulho &
Peretra urna renresentacao contra Vmc rpsnnn. resPec,,V0 orgamento, visto nao haver appareci- prpinovem o augmento do culto divino e devogo Exc Rvma. deu o destino conveniente,
da-me em termo breve os seguales pontos.
1. Se o processo organisado putos facfos crimi-
nosos, praticados por diverso mascarados-em ca-
sa do bacharel Leurengo Machado Dias, e termi-
nado com sentenga de nao pronuncia do snbdele-
do lecitantes a essa obra. Communicu-se ao che- Virgem Santfssima, que ba de saber galardar
fe interino da repartigo das obras publicas. [ to generosos seotimentos. Quejra V. S. agradecer
Ditoao commandante superior da goir.la naci- j da minha parte as pesaoas que o eoadjuvaram em
nal do Recife. -Deferindo o requerimento do te- tao louvavel empreza e as commissoes que tomaMm
nente quartel-mestre aggregadoao Io batalho de a seu cargo zelar as obras da igreja matriz, titea-
gado de Panellai, Joao Themoteo de Andrade, em I SSS^KSL!f cjoaal deste municipio Jo- lir o patrimonio de Nossa Senhora da Sade,
18 de novembro de 1851, Ihe foi .-.presentado ou 2* S'ESES* uffl .Sbre. T S NoS8a SeBh0r8 ^ erecW M m*'
concluso, logo que Vmc. entrou no exercicio de jnh \ y?1* "SSSJL 1 ??*** ^^ *T!S
municipal de Caruar, no caso*contrario, qual a\g\Z^rmT g
a guia de que
1130 de 12 de marco de 1853,
data em que teve lugar essa cncluso, se Vmc. i
tve anteriormente a ella conhecimento do crirae e !jj Smna "s.denc.a para o muni-
da existencia desse processo, e se immediatamente, riiln an masmn r,MM V .;J..n,
ordenou que elle Ihe fosse apresentade 7 nn nm a^ 7 i,P V" SS orden!Para
Em nue data nroferio Vmc o sen nrimeirn qae am dos corpos da 8:aarda nac>al s
despacho nntodSS^J&'SBS i ST nr^^TnS* Cm T**.
nhas para nelle deperem; qual o fundamento desse1 E, STK LSSS1? ? TES' na
despacho, e se teve por flma repergun.a ou a ac- ^ez'a SMStfB. ^?d e'"
reacao de tes.emnnhas, ou ainqoiri^o de algumas I ?D,f V^as da^hla
referidas ou necessariw para completar o numero n,J11Zl, 1!,, a a
Liitii ao commandanta snpenor da guarda na-
cional de Goiannna.Com o officio de V. S. de 4
daste mez, recebi a relacio dos offlciaes da guarda
nacional de que trata o meu offlcio de 90 de feve-
reiro ultimo, e recommendo-lhe que com toda a
legal, e que podessem vir sua preseoga e voltar
no. mesmo, da, como prescreve o art. 292 do regu-
lamento n. 120.
3. Qaaes as ratOes e MMtoi <|o n'aqwMe
processo encontrou Vmc, para antes das diligen-
cias, a que proce,deu, classiflcar o crime processa-
do de tentativa de morte^ c considerar indiciado
selle Jos dos Santos Silva Jnior, contra quem
quasi nada deposeram as testemnnhos, cojos jura-
mentos me foram apreseolados, as quaes tambem
nada dizem que induza a crer na existencia de
tentativa de morte, referindo at a primeira ter ou
vido dizer ao proprio bacharel Loureno Machado
Dias, que o flm dos mascarados foi desfeitear sua
amazia Cordolin Francolina Cavalcante.
4. Porque razo existindo
matriz ; e espero que me ser communioado
qualquer passo que se der a favor da matriz d >
culto religioso.
18
na de cidade; e restilue a esta freguezia o terri
torio deila desmembrado para a de Cruaogy, cum-
pre-me declarar a V. Exc. que de bom grauT>res-
lo a minha aaouenciaa trasferencia da matriz para
a povoago de Pedras de Fogo.
Nao posso, porm, convir em qne se totao io-
, corporar a freguezia de I tamb o territorio que del-
brevidade me enve urna relaco de todos os offl-1 la foi separado para se crear a freguezia de Cruan-
ciaes da guarda nacional sob seu commando supe- gy, porque alm de flear muito reduzida esta fre-
nor, nos termos do art. 6i do decreto n. 722
Offlcio aoExnr. presidente desta. provincia.-rTen- dispensa que elies impetraren) da Nunciplura
dome chegado as mos as inforraaces que ped Apostlica, e que inclusa Ibe remello.
acerca do projecto n. 47 da assembla provincial -______________________________________
do anno passado, que transiere a sede da freguezia ;
de Itamb para a povoago de Pedras de Fogo, que
a meu ver com razo se pretende elevar catliego-
melos dos signatarios da mesma indicago sio os
de toda a assembla, assim como os de todos os
Pernambucanos, que se mteressam pela honra, lus-
tre e gloria do palz, e estando ceria de que todos
os deputados assistirao a esse embarque, se cir-
cumstancias improvistas se nao oppozerem, consi-
dera a interpretagao como a fiel interprete de seus
a-"30" -1 sentimenlos, mas emende por isso mesmo que seja
Offlcio ao vigario da Bonito.-Incluso achara V. dispensado o convite, ou a nomeago da commis-
livma. a pelica.o de dispensa dos oradores Manoel! sao de que se trata, visto ser urna ou outra cousa
rancisco de Sonaa e Ao na Mana da Conceigo, desnecessaria.em vista do que lica exposto,
oujo despacho foi lastrado da Nunciatura Aposto- Conclue, por tanto, que se archive a proposta,
tica, e se aeba-nefta secretaria desde muito lempo.
$irva-se V. Rvma. mandar entrega-la aos oradores
a quem pertene*.
Dito ao vigario de Garanhuns.' Sirva-se V.
Rvra. de faier QhogV s mos dos cintran entes Pe-
dro Paulo da Cunha e Francisca Mana de Lima a
PERNAMRUCO,
ASSEBBLEA PROVINCIAL.
35* SESSAO EM21 DE ABRIL DE 1865.
lala das sessoes da assembla legislativa aos 21
ae abril de 1865'.Silva Ramos.Pereira de Brlo.
Costa Ribeiro.
Os segables pareceres, depoisde lldos, vo a
imprimir :
A commissao de exame de posturas e negocios
raunicipaes, ipndo com attengo examinado os ad-
diciouaes aos dous artigos 34 e 52 da lei n. 517
de 19 de junho de 1861, que fazem objecto das pos-
turas da cmara municipal de Olinda, pela qual
foram propostas, de parecer que sejara as mes-
mas approvadas com a alterago seguinte :
1. add. Eui lugar das palavras matar para
o consumo desla cidade sem licenca da cmara,
diga-se : -abrir tainos para a venda de carnes ver-
des neste municipio sem licenga da cmara.
Sala das commissoes, i i de abril de 1865.Na-
bor.Sonto Lima. Soares Braodao.
A commissao de petigo, tendo lldo a petigao
ra a ordem do dia alguns projeetos importantes que
existem na casa, taes como o relativo incompati-
bilidade de empregos pblicos, o que manda proce-
der a estudos para urna estrada do Limoeiro, etc.,
etc.
O Sn. Pbesidente declara que tomar na devida
considerago o pedido do nobre deputado, e levanta
a sesso s 4 horas da tarde, dando para a ordem
do dia, alm das materias ja designadas, primeira
discusso dos projeetos ns. 49 e 51 desle anno, e
discusso das posturas das cmaras municipaes do
Salgueiro e Ouricury.
ERRATA.
A emenda offeracida pelos Sj[s. Silva Ramos e
Gervasio Carapeho ao projecto n.'23,' e publicada
no extrato da sesso do da 19, foi apprffvada e nao
regeitada, como por engao sanio.
No extracto da sesso do dia 20, terceira coluin-
??\ i l,nha' em la*ar de 130*000, lanse
iJi):0005 ; e na 11* liuha, em lugar de HOiOOO,
lase 40:000*000. ^
REVISTA DIAIIA.
A sociedade recrpialiva Corybantina d urna
partida na vespera do dia, em que partir para o
sul o primeiro corpo de Voluntarios da patria desta
proviocia.
Alm do Camaragibe, est fretado o Parahiba
igualmente, para fazer parte do sequilo daquelle
corpo em seu embarque.
Os moradores da roa da Praia reallsam effec-
tivamenle os festejos, de que j fallamos, afim de
soleranisar a partida do mesmo corpo.
Tero lugar taes festejos na vespera dessa
partida.
Com
prksidikcu no.:*n. pbrbira wt BBiTO. bor.Souto Lima! Soares'Br'aDdo. T G001 fim idntico de solemaisar o mesmo
s 11 horas e 40' da manhaa, feita a chama- A commissao de petigao, tendo lldo a petigo obJ60'0- varios mocos distjnctns de nossa sociedade,
da acham-se presentes os Srs. deputados J. do de Elisiario Gomes de Mello, que pede admisso no Per|eQcentes ao commercip e ao funeeionalismo,
Reg Barros, Teixeira de Mello, Ribeiro, Buarque, Gymoasio Provincial como pensionista da provio-i orKanisam um esquadro de cavaliaria, que deve
Francisen Pedro, Brando, G. Campello, Arminie,: ca, de seu Olho legitimo Joao Aote-Portam Laii- f acompanhar o corpo de Voluntarios em seu trajelo
de guezia, succedera que os habitantes desse territo
ao de nutubro de 1850, addicionando-lhe as deca- j rio ficanaro muito mais distantes da sua matriz. E Eslevao Fraoga, Amvnlhas. Biptista, Brito, Mar- 'nam de Mello, considerando de justiga a
ragoes contidas nos 81 a 5 do art. 121 da lei o. pem se diga que a freguezia de Itamb nao tem o nbao, Ramos.Cunha Teixeira, Loureiro. Gongalves do supplicante, c esta commissao de p
n f-e se,emj)ro d0 mesmo anno. i espago conveniente ; por quanto tendose-lhe resti- da Silva, Aquino Fonceca, Diodoro, S Pereira, se approve o seguinte projecto de lei :
Dito ao director do arsenal de guerra.Inteira-1 luido urna grande porgo de territorio em Tiuma, "
do do cootedo do offlcio de 19 do correnle, sob lera esta freguezia o tamanho proporcional e con-
pretengao
parecer que
n. 236, em que V. S. me deu conta do resultado da
arrematago do fabrico do fardamento azul para o
iMHim .la batalna0 de Voluntarlos da Patria, tenhi a dizer
" I em resposta, que pode mandar lavrar os respecti-
estipulando-se
vendo ser preso Jos dos Santos Silva Jnior, e con-, ,
tinuar o processo com as diligencias ordenadas, L'er,mo^ Lla '
nao cumprio Vmc. ha raaistempo o seu dever, e s S de ""JS" IF^gft, das obras
ordenou a prso no dia 9 de novembro do anno 'S^t^JStfZ&k lb Pea? ^h"6 S
passado, quando dilo Silva Jnior se apresentou na 2?S22LTS^5^JJ5 P CeD, sbre Ta"
villa para, como vereador e substituto do juiz mu-: daaJ|.ePnSrasoqae na e3tiverem PromPlas dentro
nicipal, funecionar em urna justificagao que contra, H-. p
Vmc. pretenda produzir Jos Isidoro dos Santos, a
veniente para a sua boa adminislraco e rgimen
parochial.
K o que me cabe dizer em resposta ao offlcio
que dessa presidencia recebi com data de 15 do
nelies o prximo Ando, acompanhando o projecto o. 47 do
anno passado : e espero que V. Exc. se dignar
levar ao onhecimento da assembla provincial o
meu parecer a respeito da transforencia da matriz
an-
qual nao pode por isso ter andamento.
5.a Se no mesmo processo eneontrou Vmc. indi-
cios contra diversos eutros individuos, aos quacs
as testemnnhas allhbuem o crime, ao qne parece,
om melhores fundamentos do que a Silva Jnior,
e se igualmente ordenou a priso dellcs no caso
negativo, qual a razo do seu procedimento.
6 Se as dtligoncias ordenadas se achara satis-
fetas e o processe ultimado com a conlirmago
ou reforma do despacho de nao pronuncia ; e, no
/caso contrario qual o motivo do retardamento,
sendo que no seu juizo nao corriam enlo outros
trabalhos, segundo urna certido que me foi apre-
sentada de 22 de novembro passado :
7 Em que datas foram comraeltidos os seis en-
mes de mortes e roubos pelos quaes mandou Vmc.
em 5 e 7 de dezembro passado autoar Silva J-
nior : e porque razo, achando-se ah desde 26 de
margo de 1863 nao o fez a mais lempo e s agora,
devendo funecionar elle como juiz na predita jus-
tiQcagao contra Vrac, foi preso por sua ordem e
solt per habeas-corpus depois de passados.16 dias
sem culpa formada, e instaurado pelo juiz de di-
reito um processo contra Vmc. por aquella priso ;
e que lodo poder tornar suspeita a sua impar-
cialidade, fazendo altribuir os seus actos a inleres-
ses ou paixoes e nao ao zelo e cumprimento do
dever nico movel que deve ter sempre o juiz.
8 Em que data teve lugar a fuga de um escra-
vo depositado em poder de Jos Izidoro dos Santos,
parte na justificagao ja mencionada contra Vmc,
quaes as providencia; requeridas pelo interessa-
do, ou ordenadas pelo juizo, se odopositario foi
compellido a dar contado deposito eu se eximi-
se pelos meios legaes dessa obrigago, se Vmc.
ordenou como se allega, sua priso, em que data,
porque motivo, qual a execugo que teve sua or-
dem e como lenniiou esse negocio do deposito.
Portara.O presidente da provincia resol ve de-
miuir a Joao Jos Lopes do cargo de segundo sup-
plente de subdelegado do districto de Cursuipe, se-
gundo da fregoezia d'Agua Preta, por assim con-
vir ao servigo publico.Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dita.-O presidente da provincia resol ve demit-
tir a Guilherraino Paes Brrelo do cargo de segn-,
do soppteate do subdelegado do districto de Santo,
Antao, primeiro da freguezia do mesmo nome, por
assim eonvir ao servigo publico.Commuoicou-se
ao Dr. chefe de policia.
Dita-O presidente da provincia, a bem do ser-
vigo publico, resolvo demittir a Pedro de Assls
Campos Cosdem do cargo de quarto supplente do
subdelegado do primeiro districto da freguezia do
Pao d'Alho.Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dita.O presidente da proviocia resolve conce-
der a Jos Mendos Carneiro Leo a exonerago que
pedio do cargo de delegado de polica do lerma de
Santo Anto.Comnjqbicou-so ao Dr. ebefe de
polica.
Dita.O presidenta da provincia resolve demit-
tir a Igaaolo Ferreira d Lima do cargo de segun-
do supplente de subdelegado do districto de Ca-
tende, segundo da fregoeua do Bonito, por assim
convir ao servigo publico;Communicou-se ao Dr.
superintendente da estrada de ferro.
Recommendo ao Sr. superintendente da estrada de
ferro a expedigao de suas ordens para que tenham
transporte na mesraa estrada, os volumtaros que
se apresentarem as respectivas estag5es munidos
de guias passadas por Cesarlo Augusto Peixoto que
se acha incumbido de promover o alistamento dos
raesmos voluntarios.
Dito ao Dr. Amare Xavier de Moraes.Recebi o
offlcio de l'i do comente em que Vmc. manfesta
seus patriticos desejos de servir ao paiz na quadra
actual, alistando se em um dos corpos de volunta trege ao mesmo'Rvd. vigario, declarando por es- cidade, pedindo dispensa da multa que Ihe foi im
ros, e em resposta tenho a dizer-lhe pode apresen-
tar-se para ser alistado quaoo quizer louvando o
por to nobre c digna resolugao.
Dito ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.Para que eu possa resolver acerca da
materia do seu offlcio de 17 do correte, sob n. 113
faz-se preciso que Vmc. me remeta o orgamento
da despeza a fazer-se com os reparos e pintura de
que precisa a ponte pensil do Casanga e sao indi-
cados em seu citado officio.
Dito ao mesmo.Representndome o adminis-
trador da casa de detengo sobre a conveniencia de
se fazer alterago as divisos da 3* ordem do ralo
em c,onsiru<'n;io, afim de montar all as enferma-
ras, recommendo a Vmc. que entendendo-se a se-
meihanle respeito com o referido administrador e
com o medico daquelle estabeleciment me d seu
parecer sobre as alteragoes, a que tenho allu-
dido.
Portaria.O Sr. gerente da eompanhla Pernam-
bucana, mande dar transporte ate o Cear no va
por de 22 de correnle, em lugar de r destinado a
passageiro de estado ao lenle coronel Francisco
de Paula Souza Leo e de proa a nm seu criado]
DitaO presidente da provincia resolve no-
mear para o lugar de escriptuario da secretaria do
governo o bacharel Manoel de Siqueira Oavalcanti.
Communicou-se a thesouraria provincial.
Dita.O presidente da provincia resolve no-
mear para servirera provisoriamente no 1. carpo
de Voluntarios da Patria, os offlciaes abaixo decla-
rados.
Estado-maior.
Tenente secretario o escriturario da secretaria
da provincia Foi innato da Silva Neves.
1.a Compaohia.
Teodhle o alferes da mesma, Hyppolito da Silva.
4.a Compaohia.
Tenente o teneote secretario uomeado por porta-
ra de 4 do correnle, Francisco de Freitas Moreno.
6.a Compaohia.
Tenente o tenente da 4.a companhia do mesmo
corpo Antoninio de Albuquerque Maranho.
Para alferes das companhias em que existem vagas.
O ex-sargento do exordio e sargento ajudante
de Voluntarios Mariano dos Reis Espindola.
Cadete Mignel Affonso Ferrerra.
O estudaole do terceiro anoo jurdico Francisco
Antonio de Oliveira Sobrinho.
01.a cadete Jos Francisco Correa de Araujo.
O cadete Domingos de Souza Leo Reg Barros.
O ex-sargento de policia Joo Deocleclo da Silva
Paula.
O alferes da guarda nacional Miguel Joaquim do
Reg Barros.
O ex-sargento e cadete de exereito Manoel
e mudanga do territorio.
Dilo ao coadjutor pro-parocho do Pogo da Panel-
la.Accuso recebido o seu offlcio de 4 do correnle
em que me narra o e*tado de deleixo e de atraso
em que se acha a escripturago dessa freguezia,
Silva Barros, Antonio Viclor, Nabor e
Barros.
O Sr. Prksidknte abre a sesso.
Sao approvadas as actas das duas sessoes
teriores.
Compareceram depois os Srs. Jos Maria, Nelto,
Souto Lima, Druramond, Ayres Gama, Rochael c
Jacobina.
O Su. t" SECKKTAnio d conta do seguinte
EXPEDIENTE
Urna petigo datriuandado da Senhora Sant'An-
na, erecta na igreja da Madre da Dos desla cida-
de, pedindo a con".esso de duas loteras de......
60:0005 para as obras da referida igreja.A' com-
missao de peligres.
oude existem 800 assentos por asslgnar e mais de I Outra d Joo da Costa Ribeiro de Souza, mora-
mil por langar I dor do engenho Bibiloma, na comarca de Naza-
Nesla dala me dirijo ao Rvd. vigario dessa fre- reth, pedindo o pagamento da quantia que Ihe est
guezia, determinando Ihe que compre os livros ne- a dever a cmara municipal de azareth, prove-
cessanos e procure urna pessoa idnea, que proce-', nientedo terreno oceupado pulo agougue daquella
ila im mediatamente classificagi e langamento j comarca.A' commissao de orgameuto municipal,
dos assentos que existem por langar. Cumprequei Outra de Jos Maria Machado de Figueiredo,
V. Rvra. depois de contar esses langamenlos, os en-1 professor particular de instruegao primaria nesta
Araujo Artigo nico. Fica o presidente da provincia au
torisado a mandar admeltir oo Gymnasio, como
pensiouista da provincia, o menor Joo Ante-Por-
tara Latiuam de Mello; revogadas as disposigoes
em ceutrario. S. R. Ferreira Jacobina.G. de
Druramond.
A requerimento do Sr. Cunha Teixeira dispen-
sada a impresso do seguinte projecto da ceramis-
sao de f n;a policial :
t Art. 1. Fica extincta a secgo urbana do cor-
po de policia, e esie coraposto de 500 pragas, sugei-
tas ao regulamento de 2 de dezembro de 1853.
Art. 2. Estas pragas forma rao -eis companhias,
as quaes tero no mais a organisago das compa-
nhias da actual secgo volante sem que se possa
cripta quaotos de calamentos, quanlos de baptisa-
dose quaotos de bitos, afim de verificar depois se
foram com elfeito todos langados. Auioriso a V.
llvui. para assignar nao s os assentamentos que
estao aneados e sem assignalura, como aquellos
que agora ordeno que sejam quanto antes exarados
nos compelernos livros.
Quanto aos assentos modernos do seu lempo,'
cumpre que V. Rvra. os va fazendo a parte e em
posta pela directora geral da instruegao publica.
A' commissao de petigo.
Outra dos segundos escrlpluranos da thesoura-
ria provincial, pedindo que os seus vencimenlos
sejam igualados aos da thesouraria geral, ou ao
menos, ao do offlcial desta secretara,A' commis-
sao de ordenados.
Sao I idos e approvados os seguintes pareceres :
Foi presente commissao de legUlago o re
livros novos, comprados por V. Rvm. como Ibe de-; quenmento em que o comraendador Manoel Ca-
terminei quando o encarreguei da regencia dessa millo Pires Falco, ex-thesoureiro das loteras da
freguezia. provincia, pede que se ihe mande restituir a quan-
Lspero que V. Rvma. tomar a seu cargo fazer lia de 1:5604, provenientes de sobras dos 3 /,
que sejara cumpridas estas delerminagoes, dando- ; destinados para o pagamento do sello dos bilhetes de Cimbres, e o seguinte requerimento
augmentar o numero dos inferiores do corpo.
Art. 3. O sido e mais vencimenlos dos offlciaes
e pragas de pret sero os que presentemente per-
cebera os offlciaes e pragas daquella secgo, per-
cebundo o medico a gratieago raensal de 40j.
Art. 4." Os offlciaes e pragas da actual secgo
urbana ficarao fazendo parle do corpo, ae o quize-
rem, devendo ser dada a baixa s pragas de pret,
logo que o pedirem, erabora nao se tenha findado o
seu lempo deengajameolo.
Art. 5. Havea no corpo urna companhia sem-
pre de promplido disposigo do chefe de polica
para auxiliar as justigas da cidade e seus subur-
bios, e para manler a ordem e a seguranga publica
nos raesmos lugares.
Art. 6. Esta lei lera vigor smente estando na
provincia o corpo de que ella Irata.
Art. 7. Ficatn revogadas as disposigoes em con-
trario.
Pago da aesembla, 20 de abril de 1865.Arau-
jo Barros.Dr. Sabino.Silva Ramos.
E' tambem approvada a redaego das posturas
me parte do que occorrer, bem como mandando-1 da 4a e 5a parles da 4a lotera em favor das obras
me dizer qual o numero dos assentos que entrega! do Gymnasio, o ultima parto 1' e Ia da 2a em ta-
para seren langados, e remeilenoo-me copia da i vor do Iheairo de Sauta Isabel, e que esta assem-
relaco que entregar ao Rvd. vigario. | bla haja de autorisa-lo a recebsr dos outros con-
Dito ao vigario do Pogo da Panella.Nao posso cessiooarios as mencionadas sobras,
deixar de censurar o deleixo com que V. Rvma. As sobras a que se refere o peticionario prevm
lera procedido a respeito dos laogamentos de casa-1 de que determinando a lei que do capital das ote-
Requeiro que pelos canaes competentes se pe-
gara com urgencia as seguintes ioformagoes :
1. Se lilhos naturaes reconhecidos tem pago ou
pagaro sello de beranga.
2. se tendo pago, Ihe foram restituidas as quan-
(ias com que entraram.
3." Em que parecer ou lei fundou-se a thesoura
ao porto de embarque.
A junta da thesouraria de fazenda, em sua
stima sesso, verificou haver um desfalque de
14:7003000 no cofre cargo do pagador daquella
repartigo o Sr. Manoel Jos Teixeira Bastos, e
como nao entrasse elle com a quantia dentro do
praso de 24 horas, que Ibe foi marcado, agencia a
thesouraria o seu embolso pelos meos compe-
tentes, tendo hontt-m sido recomido a casa de
detengo o mesmo Sr. Bastos.
Segundo informarles que nos transmiltem,
ha na ra do Vigario n. 14, primeiro andar, um
remedio contra a pthysica, o qnal reputado espe-
cifico para to terrivel enfermidade. A pessoa que
o tem, d-lo gratuitamente a quem precisar de
usar delle, enslnando o modo pratico da applica-
go.
Solicita-nos a seguinte publicago o-r. Joa-
quim Jos Ramos, afim de evitar o equivocinpre
por igoaldade de nome se d comsigo:
t Srs. redactores da Revista Diaria. O ter-se
alistado como Voluntario da Patria um cldado,
cujo nome igUal ao meu, ha feito pensar algu-
mas pessoas que aquello muito louvavel acto de
patriotismo tenha sido praticado per mlm
t Esta alluso torna-se anda mais saliente com
a publicago 'iue Vnics. inserirn) na sua conceituada
Revista de hontem.
Nao desejando, e nem devendo arrogarme a
gloria que a outrem merecidamente pertence, fago
publicamente constar que nao fui eu o que prati-
co u aquel le acto de civismo a que se refere a pre-
dita publicago.
t Sobrecarregado d'oma onerosa familia, os
nicos recursos que tenho para prover a sua sub-
sistencia, sao aquelies que me resultara do effecti-
vo exercicio do emprego que occapo a longos annos
n'uma das principaes casas commerciaes desla
prag: j vem pois Vmcs. que nao seria prudente
que o amor da patria me fizesse esqoecer o da fa-
milia, e aqueile deve necessariament alliar-se a
este I E' o meu modo de pensar I
< Louvo moite a abnegago, e o espirito de
patriotismo qne se tem desenvolvido nos Brasilei-
ros para desaffrontarem a patria ultrajada; van-
glorie-me anda mais com o despertar des Pernam-
bucanos, cujo apparente lethargo pareca querer
desmentir os sens heroicos e denodados feilos; po-
melos, baptisados e bitos na sua matriz, endo | rias se deduzam 20 %, dos quaes 12 eram desli- ria provincial para cobrar esses sellos, vindo copia r^"| nao. rae Pss'vel compartilhar dos louros que
que existem para mais de mil assentos sem esta-, nados para beneficio dos concessionarios, 5 para a! do parecer, se existir.S. R. Aqoioo Fonseca. 'hes estao reservados; e esta minha hnpossibilida-
A requerimento dos Srs. Silva Ramos, Jos Ma- de !int0;a de coragao I Resla-me smente a salis-
ria, Buarque e Silva Barros, approva a assembla [?ao de applaudi-tos em sua volta gloriosa, e
vn-si Jl Co-
coeio e polica. ^^ .-ni ; rio|ano dos Santos.
Ofloio ao coronel commandanle das aruas.Ao P'*eram
.offlcio no V. S. mo dirigi em 47 de crranle, wb
a. 600, respondo declarando-I he que aa ordens
reiterar naqueUa dala* em virlude do
se as necessarias communicagoes.
rom langados, e sera que haja livros para se langa-
rem. E aera Ihe pode servir de escusa a sua falta
de vista ; porque tendo o Exm. prelado fallecido
aulorisado o coadjuclor dessa freguezia para as-
signar esses langamenlos, .cumpria V. Rvma. pro-
curar una pessoa que fizesse esse trabalho ; muito
principalmente participando V. Rvma. dos rditos
da freguezia, como at agora participou.
Para reparar' por tanto a grave falta em que in-
correu em objecto de (anta considerago e de tan-
to detrimento para os povos, ordeno-lhc que sem
perda de lempo compre os livros necessarios o con-
trate cora urna pessoa do coniianga para.coordenar
e langar os referidos assentos, os quaes sero de-
pois verificados e asignados pelo Rvd. coadjuclor
pro-parocho dessa freguezia.
Dilo ao vigario dos Afogadas.Dee V. Rvma.
tomar o impedimento por termo asaignado pelo
impedimento, e reraetter-m'o, absleodo-se entre-
lauto de assisiir celebraeao do matrimonio em
quanto o referido impedieoto nao for peranie mim
expurgado, como ordenam as consiituigdes dioce-
sanas. .. -
Fica assim respondido o sea offlcio com data de
boje.
. Offlcio ao Eira, presidente da Parahyba.Accu-
so recebido o offlcio de V. Evo. datado de 10 do
correnle, remettendo-me por copia a resposta que
deu o subdelegado de itabaiana sobre o faci de
haver elle autorisado o enterrndolo de um cada-
ver na capella daquelle lugar, sem que para isso
livesse precedido a competente licenga da autorida-
de ecclesiastiea.
Agradego sinceramente V. Exc. a presteza
com que se digaou atiender a minha representa-
cao, e as providencias qne deu, afim de evitar a
reproduegao de nm (al abuso. Desejando eu to
porcentagem do Ihesoureiro e 3 para o sello, quan
do o capital era maior, importando os 3 % em
maior quantia, davara para o pagamento do sello e
anda deixavam sobras; e quando era menor, os
3 "/<, deixavam de chegar para o- pagamento do
sello, que o ihesoureiro prefazia sua custa.
Considerando que achando-se precisada por lei
tanto a parte do beneficie, como a porcentagem do
thesooreiro se a algumas das duas partes deviara
accrescer as sobras em questo, nao poda ser se
nao a do segundo, que era responsavel pela orga-
nisago dos planos e que mesmo em virlude de
decise do governo da provioeia em data de.....
tinha de repr, como effeclivameote as ezes re-
poide sua algibeira, oque falta va para o paga-
mento do sello dos bilhetes, quando para facilitar
a exiracgao das loteras ou em virlude do abati-
menlo e discredito em que ellas haviam cabido mi
era possivel orgaoisar se nao planos de capital
mui diminuto.
Considerando fpropriamente em roUgao as duas
loteras de que se traa, o cujo beneficio pertence
boje fazenda provincial) qne da receita desta nao
pode fazer parte seno aqu lio qne a lei tem como
tal olassiQcado ;
Considerando que a esta assembla nao cabe to-
mar providencias no sentido de constranger parti-
culares a restituir ao peticionarlo aquillo a que se
julga com direito em virlude de leis ja existentes e
ordens do governo:
E" de parecer que deferida na Ia parte a petigo
de que so trata, sendo o peticionario contemplado
do na respectiva verba da lei do orgamento, quin-
to a 2a aoja o mesmo peticionaria remettido ao po-
der competente.
Pago da assembla legislativa provincial de Per-
nambaco, 11 de abril de 1865. Cosa Ribeiro.
Pereira.
heorar-me em ser Brasileiro.
Dfgnem-se Srs. redalores dar publicidade a estas
toscas I i nhas com o qne muito obrigarao a sh cons-
tante leitor.
Recife, 21 de abril de 1865. >
Amanha a sociedade Atheno PhUosophico
LMerana reune-se em sesso para proceder a
eieicao da nova directora.
Amanba 23 do correnle, lera lugar pelas 11
horas da manba no convenio do Carmo, a bengo
solemne da imagem de S. Iva doolor.
Escrevem-nos de Limoeiro, em 18 do
eorrente: )
Comegarei hoje a minha carta dando a Vmcs.
orna noticia, que tera derramado a tristeza c a
consternago por toda esta comarca; quero (al-
iar-Ibes da morte do advogado Jos Antonio da
Silva e Mello, pessoa estlmavel, casado, cora qualro
filhos, e merabro do partido progressisla. O advo-
gado Silva e Mello muilo que padeca de moles-
tas Inveteradas e renitentes, que se foram aggra-
vando a ponto de faz-lo succumbir no dia 11 do
crreme mez. Aposar de acbar-se j dias de
cama, todos esperavam era seu restabelecimeato, e
por islo a noticia de sua morte folminou como um
raio os habitantes mesmo desta villa.
c Era incapax de fazer mal a pessoa alguma,
perdoava fcilmente as offensas, que Ibe faziara
seus desaffectos, sendo proverbial sua preslabilida-
a segunda diseosse do projecto n. 48 de para todos seus amigos e para quem o procu-
abrindo um eredito supplementar na rava.
< Oceupava aqui os cargos importantes de pre-
sidente da cmara municipal, de segundo juiz de
paz desta freguezia, de eleltor, delegado litterario,
ajudante do procurador fiscal, e curador geral de
orphos.
a dispensa da Impresso do parecer sobre a petigao
da viuva de Jos Mamede Alves Ferreira, do pre-
jecto consignando 100:000^000 para a construego
de cadeias, e das posturas das cmaras mnnicipaes
de Ouricury e Salgueiro.
Segue-se a discusso do parecer adiado da com
misso de agricultura, coraraercio e obras pnblicas
sobre o requerimento de Joo Hyppolito Vieira
Lima.
Depois de orar o Sr. Paola Baptista, fica a dis-
cusso adiada.
PRIMEIRA PARTE DA ORDEM DO DIA.
Confna a discusso do artigo 12 do orgamento
provincial com as snas emendas.
Oram os Srs. Gervasio Campello, Araujo Barros
e Jacobina.
Vem mesa o segrate requerimento :
t Requeiro que o Exm presidente da provincia
seja ouvido sobre as emendas apreseotadas ao arti-
go 42.S. R. -Jacobina.!
A discusso fica adiada pela hora.
SEGUNDA PARTE.
Entra em primeira discusso o sem debate ap-
provado o projecto n. 33 deste anno, autorizando o
presidente da provincia a reformar a folha de jn-
bilago do padre Joo Jos de Aranjo.
O 8r Amynthas requer dispensa de intersticio,
o, consultada a casa, decide pela negativa
Segue-se
deste anno,
importancia de 2:0943883.
Vem mesa e entra coojuoctamente em discus-
so a seguinte emenda da commissao :
i Fica igualmente aborto om crdito supplemen-
tar de 1:2004000 para pagamento dos ordenados a
'


,;,
O de.Maramenfoo'e guarda nacional fiesta
leas honras fnebres ao Aado, que era altores' piupuMa,~fol, fle flflo receber quanlia alguma por
da guarda nacional do Recife, aonde fo etnpregado
mente ioi 41ra dos mais" concurridos que temos
lido. ,,.,..-. .
Assislio a seas nltlaws momentos e cerrou-lhe
as palpebras seu digno robado o Dr. Adelino An-
tonio de Luna Freir, qae aqu se achava oom sua
familia; dou-lhe sinceros psames por seus an-
gostos.
A seci
* i '* ,
Diarlo de Pernamabaoo Sabbado tt de Abril de i 8*5.
,. -
segunda condicSo ique me'sobmetti n'aquellaj sellar rom a nodoa do adulterio essa iafeliz familia,

_*_
adiantamento desse honorario, e ser apenas delle
da secretar* |lo gove/no rauitos annos. Sao ah- .eenbofcBdo, quaado o sreeiilea* desta provlnera c-
ceitasse defloiUvamenleaqueHe mentrabalho, depois
do oiio-de orna commrssao porero hnnmavj de
pessoas entendidas ; donde se deprahende, que en-
lo eu leria de expor-nie dura vicissltude de jer-j
elle recusado, apetar de haver consummido longos
' e penosos esforcos i hcto este bem poslvl e qaa
tintn sueeedendo n3o traria por certo prejuizo at-
Tambem morreu do dia 13 deste mez, o Dr. gara pecuniario faienda provincial.
Viceite Je.ronymo Waneerley, que morava annos III
nesta villa; seatindo-se peor da wus uceminodos,' Comparando-se agora, e desapaixonadamente es
relirouse das para o angeako de sea pai, em j tas duasaendieftes constantes d'aqtrella minha pro
Pao d' AI lio, c d'ab para essa api tal, aonde teve post, com as ve foram estipuladas no contracto
lugar seu passaaaenlo. Fax lata nao so a ana 01 labrado com o Sr. Dr. Salles, ser torcos raea-
familia, cobx) a esta comarca, que perde o nico' nhnr, e confessarem abono da verdadeque
medico que liona. I matores vaatageos foram por mim oflerecidas em
t o dia 16 do correle, Antonio Vicente dos | prol dos cofres provinciaes, por quanto, 1. o nono-
Santos, morador em Pedra Tapada, e leudo apenas j rario establecido no contracto do Sr. Dr. Salles, foi
18 annos de idade, assassinou com um tiro a Felip- segundo me consta, de qualro coates de reis
pe Jorf da Costa, oa occasiao em que este dor- ( 4:000$000 res), ao passe que eu submetti me ae
ma. Attribue se lo brbaro quanto covarde pro- j de dous contos e seis ceotos.mil res ( 2:6009000 )
cedimenlo ao baver Felippe tido nma allercacao j oTereceodo #essa quanlia, a de seis rentos mil reis
com aquelle menor no dia antecedente, por occa- (600&000) ero beneficio de oro estabeleciraentt pi
sie da feira. Foi o criminoso preso immedlata
ta, passarei a lr alguns quesitos e tpicos mais es-
de irapure- senciaes ao (acto denunciado (l.)
t Dit Ignacio Gaetano de Alencar
que ha reuito estrebucha nesse lodaca
tas, como publico na povo mos ; nao trepido em declarar ade-o fecto da pros-
tituico dess infeliz amigo o da matfoe sanos,
ninguem aqu ignorava ; como cois ame eaarga-
meno attribui-lo ao meu amigo T fw
' E' poroemais doioros nma otccussio deaome-
Ibante quilate, suwmamente imrooral diseatir-se antea, airante e depois das trabamos da omiti de
a Tida privada de ajiem qaer qae 4r; maaJJ que vereadwes e joiies de par ultlmaroeota batida nes-
faier, se o lajlliina criminoso, esse que le facto frejlpzia, etc., por isso quer oiupplieantfl
e da direlto fot prtmelro, ued'entre mnitosou- tincar a seguinte:
tros prostHnio essa mulher, apparece afora praii-
oando dous fraves (rimes, o de purificar aqullo
que i se eoarffiecia no logar, e o insulto ioaaalifi-
cavel de gatrer declinar na pessoa da meu amigo
aqol h) qae e p roano seo.
T9ao se amofine o Sr. padre Reg com o soffftr
agora; tcdo o mundo sabe, que a maledicencia s
reside no coracao do invejoso, nicamente porque
nao pode hombrear-se coro candura, e a seu ta-
lante morde o monarcha, o imperador, as pessoas
Ferreira Lima Pendi que ali ia chegando e ou-
vindo este votes de morra o cabra, tira no abra
Roaotal|o, que aquelle, sendo elle crfminoio por ter tomado
jom irmg qua Baa aia preao para o racrataaen-
gae qnerendo levar ao conhecimento do
pretideoiada provincia, os actos de arbtr|HMJif#to;'lrto de correr, mas nao podeodo evadise
aeipatiroos praticados soccessivamentetalo de- porqu foi ter oodestavan uos soldados embosca-
legado deste termo,-Roque Carlos de Alencar Pei-' dos, dando-Ibes estes a mesma voz de morra o ca-
xotoe ampente do mesa Jos da Costa Afra, bra, atira no cabra, dous tiros se ouvlram.Corre
Pendo para o ontro lado e ao sabir de um partido
de bananeiras, recebe ootro tiro do qual cahira,
gritando em altas vozas que astava rendido e nao o
acabdssem de matar, mas ebegandorse a elle os
soldados, deram-lbe mais do facadas e iramadia-
tameote expiroo. -
Ignora, porm esta samara se foi Pendi quero
primeiro disparon ana arma oa oceaefeo daa dous
tiros (porque umaoMado sabio com om briro fti-
do) ou se recebeu o tiro para pntan desrarregar-a
arma qae conduzia.
Depois da morte de Peado prenderam a Hathias
de Sooza Forte e tmbem a Antonio Pereira de
Andrade, a quera espancaram e feriram com fa-
1.* Que apenas se appreximc-uo diada eii _
o delegado Roque espalhou tropas de paisanos ar-
mados per todos os ngulos da freguezia, sob os
mais frhclos pretextos, e ordenara aosaens
Inspeataies de quarteirfo que ameacaseea com
prisoes e recrutamente a todos que nao promet-
tessera votar rom ella
2. Que em ama dess exerugoes eleitoraes
prenderam a Alexandr Pereira Lima e a Jos Ale-
xandre Brando e os conservaran! na pristo por
mente por urna pessoa do povo, e o delegado diri-
giodo-se oe me-mo dia ao lugar procedeu-se ao
corpo de delicio.
' Termmaram-se os trabalhos do conselho de
uahicacao enearregada de fazer a designaf-So dos
guardas nacionaes, que devem partir para a
guerra, que sustentamos com as repblicas do
snl.
i Ne dia 23 dooorrente, se ha de reunir o con-
selho de revista para conheeer dos recursos interpos-
tos das decisoes do primeiro conselho. Sou kifor
mado de qoe moitos dos guardas tirados para esse
servico tem fgido da comarca, e procurado o alto
sertao; se assWn Tdrrdlficil ser a6 commandante
superior reunir o pumero com que o municipio
deve concorrer. Serao precisas medidas muito
enrgicas qoe talvez nao correspondan) espec-
taliva.
t At boje deminuta tem sido a coadjuvacao,
que o Limoe?ro tem prestado para as urgencias da
guerra; afora os recrutas, que hoje ja sao em nu-
mero muito limitado em virtude das ordens supe-
riores, que prohiben) o recrutamenlo na guarda
naeional, muito poucos Voluntarios que d'aqui
tem partido, Limoeiro tem-se deixado.ucar muito
aquem das outras localidades em poca tao critica, e
emque o imperio tanto deve esperar do patriotismo
dos seas *lhes.
Devo, j que me preso de ser verdadeiro em
minhas informales, faier esta triste coofissao,
aecrescentando que nao posso altribuir a ncelo
em que vejo os Limoeirenses, falt de amor ao
paiz, e de abnegado para os sacrificios, por au-
sencia da eniciativa da parte daquelles que estao
em cirrumstancias de toma-la nos negocios da co-
marca, a que o povo est acostumado a ver em sua
frente em outras occasiS-s.
< Concluinde anda insislirei na irregularidade
do servigo flos correios; o estafeta da semana pas-
sada gastn sete das da capital esta villa, e o
dota seis.
t Far-se-ha o descont legal em seus venc-
mentes?
Repartiqao da polica.
Kxtracto da parte do dia 31 de abril de 1865.
Foram recolhidos a casa de detenfo no dia 20
do correte:
A* ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, An-
tonio Flix da Rocha, como desertor, e Jos Feli-
ciano Barbosa, como processido em crime de
roobo.
* ordem do subdelegado de S. Jos, Francisco
Jos Ribeiro, para correegao, e Maria Luiza do
Espirito-Santo, por1 disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel Theotooio da
Silva e Heilor Barbosa Vctor da Silva, por crime
de furto, e Eugenia, eferava de Joaquim Jos de
Farias Neves, por fgida.
O chefe da segunda relo,
/. 6. dt Mesquita.
casa de dbtenao. Movimento do da 20 de
abril de 186o.
Existinm presos 365; entraram 9 ; sahiram 4;
exi>tem370, aaher : nacionaes 283; mulheres4;
estrangeiros 26; mulheres 2; escravos 48 escra-
vas 7; total 370.
Alimentados costados cofres provinciaes 141.
If->Tinento da enfermara do da 22 de abril de
1865.
Fallecen:
Joaquim Ferreira dos Santos.
Cemitbrio publico.Obitnario dodia 20 de
abril de 1865.
Maria, Pernambuco, 5 mezes Recife; convuls5es.
Ckilia, Pernambuco, 20 annos, escrava, Santo
Antonio; pthysica.
Anglica, Pernambuco, 50 annos, escrava, Boa
Vista; varilas.
Rita Anglica, Portugal, 68 annos, solteira, Boa
Vista; bydrotoras.
Constantino Jos Galante, Pernambuco, 34 annos,
solteiro, Boa-Vista; syphilites.
Leocadia Francelina Gomes, Pernambuco, 40
annos, solteira, Santo Antonio; anasaca.
Josepha, frica, 60 annos, escrava, S. Jos; intente
pulmonares.
Umbelina Mana do Coracao de Jess, Peroambuco,
32 annos, solteira, Boa-Vista; tubrculos.
Julieta, frica, 35 annos, solteira, escrava, S.
Jos; asphixia.
desta provincia ; donde resoltarla, que eu apenas
teria direito dous contos de res (2:000*000),
melado da que auferir o Sr. Dr. Salles, isto ,
quatro contos de reis ( 4:000*000 reis ); 2." rom-
migo a fazenda provincial nada despenda por
adiantamento, em quanto que pelo contracto do
Sr. Dr. Salles ter de adiantar-lhe metade daquetla
quantia, logo que a assembla provincial approvar
o mesroo contracto. *
IV
Dados estes essenciaes, e urgentes esclarcimen-
tos sobre a questao veriente, passarei em subse-
cuentes artigos demonstrar a sensivel improce-
dencia dos fundamentos d'aqoelle luminoso pare-
cer, si Dos me ajudar.
Neste meu arduo trabalbo nao calclo, qae seja
mais gradas da sociedade, e al o proprio Dos; mais de um mez sem culpa formada, indeferlndo cas; depois dirigiram-se a urna roca de algodao,
mas na maloria dos casos o calumniado sempre Iseropre suas pelicoes, at qne afinal foram sollos! onde se achava ero servico Leonardo casado com
o victorioso, elle vira apresentar-se depois de 00- por ordem de habeas-corpus. \ ama escrava do mesmo Sr. Ignacio Caetno, e ali
nnecida a perfidia tao puro, e lauto mais estimado, t 3." Que o 2 suppleole do delegado Jos da o espaacaram brbaramente por ser pessoa est
quanto aborrecido, e excommungado ficar o im- Costo Afra ao dia 2 de selerabro ultime, cercou j desaffecto do Sr. Pedro Alve's. Tanta bravura foi
mundo autor de crime tao aborainavel. | com trint pravas de primeira linha sob o com- seguida de immensos vivas que deram oseothu-
Dado, como ftca mostrado quanto pfigoso o mando do alferes Pedro de Alcntara Tiberio Ca- siasts em satisfaco de um acto Lio meritorio,
demonio que morde no silencio, peco a todos que Distrae, o engnbo Coqeiro, propnedade do sup- j O cadver de Pendao esteve exposto ao soldes-
conhecem o meu amigo, o Sr. padre Reg, qae, no; plicanle, e all assassinaram brbaramente o in- de o da 2 at a tarde do dia 3 porqae o delegado
' momento em que por certo se verificar quem foi feliz Manoel Ferreira Lima Pendo, sem o menor Agr, achando-se perturbado pelo papel tremendo
esse enrag, que o insultou tao torpemente, escar-; aclo de resistencia da parte desle ; prenderam, es- -
Pereira
*'? banc* de Pernant-
IfrVee. rf
O banco descont letras na presente semana a
10 por cetfto ao anno at o prazookquatro me-
tes, e a 12 OfO ata o He seis ssms, lema dinhef-
ro a juros a praso nunca menor ds tres mezes.
^levobamco de Pernambuco.
O banco paga o 14* dlvidaado narazode8
dor aeco.
C|ii Qllal de baaeo do Brasil
eaa Pernammbnee.
^ de abril m 865.
Tenas-se daaancamtnbaas da espolio de Bernar-
do Jerso Pinto a cntela de 43 acc5es das localisa-
tlas nesta caixa, sob ns. 1OT a T28, a direcToria
faz publico a quem inleressar possa, que por parte
de Antonio Jos Ramos de Olrveira, do Rie de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqu proceler a Iraosfereocia das reerldas accoes
para o oome dos mesmo.; herdeiros.
O guarda-livros,
Innacio Nones Crrela.
ALPANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 20......
dem do dia 21...............
CORRESPONDENCIAS
1
Srs. reductores.llavendo eu requerido assem-
bla provincial para que ella se dignasse de desap-
provar o contracto effectuado peJo-Sr. commendador
Domingos de Souza Lean, na ultima hora de sua
adminislraco ( ios 30 de noferabro de 1864 ) rom
o seu nobre secretario o S^flr. Francisco de Pau-
la Salles para confeccao do ndice Alphabetico das
leis provinciaes, a vista dos vicios radicaes, era que
labora e.-se contracto, e das vanlagens superiores,
que oflereci para effectua-lo, nao fui surprehendido,
guando li no Diario de bontem o luminoso parecer
das commissoes reunidas de Ipgislacao, e orcamen-
to provincial contra aquella minha justa, e rasoavel
pretenco.
Sim, era fcil de entrever, qoe ontro nao poderia
ser o desferho desse negocio, por que poneos sao os
que ouso sacrificar-se por amor da justica.
Com tudo, ioistirei em provocar a eoluco desse '
negocio para na eschMa da implacavel neutra, a
propria expentna,eeao dizia Frankiin, poder
completar o meu jaizo acerca da verdade da situa-
qo, edo valor de cenes caracteres para mim dis-
tinelos.
Entretanto, como aquellas illastres commissoes
reunidas de legisleao, e ornamento na apreciarlo
dos fttodamenlos Oa minha petico, omittisse ( sem
duvida, por descuido
rem-lhe n'essa estanhada cara, porque, alm de ser
um podre insultador da honra alheia, um dos
mais abjtclos inimigos das mximas santas da nos-
sa religio; tranca seu infernal coracao para n'elle
nao entrarem as muito venerandas e sagradas pa-
lavras non facies calumniam prximo uo ntc vi
opprimts eum.
A bem do mrito rogo ao Sr. Redactor faga pu-
blicar estas linhas, eomo fraco protesto do respeito
attendida a minha frara voz, nem tambem,que se Ique consagro s virtudes do Sr. padre Reg, nao
me faca a justica, qae inquestionavelmente me as-
siste, por que informado estoa des valiosos esfor-
co?, que se (em envidado para passar aquelle paro
consentinde correr no silencio a maior das inuisti-
cas, guardando me para outra vez, se por ventara
o gratuito inimigo do Sr. padre Reg desvendar a
cer; da visita ultimado Sr. commendador Domin-; mscara, para de novo e aggredir, enlo mostrarei
(|uam importante sera apontar quem foi o tnan-
ciiador do leito conjugal, a que se refere o simula-
do inimigo do crime.
Timbaiiba, 2 de abril de 1865.
Um Timbaubense.
nanearam e feriram com facas a Antonio
de Andrade ; prenderam a Mathias de Souza For-
tes, e espancaram a Leonardo Pereira Lima, que
se achava paciUeamenle trabalhando em sua
roca.
t 4. Que conserven o referido Forte na priso
por mais de doze dias sem culpa formada, e com
despachos caprichosos indeferto sempre suas peti-
5es, como se v dos documentos ns. leu.
1 $. Que o referido Agr mandn no dia 5 de
setembro urna patrulha casa do2juiz de paz
Jesuino de Ara ojo e Albaqoerqae, cem o flm de o
prender, o que s nao roseglo por nao o terera
encontrado, etc., etc. Seguem-se os documentos e
depoimeoios das lestemonrras juramentadas e com
citacjio do dito delegado e seus cmplices.
Um Sr. Deputado : Isto a acta ?
a precisa Torga para prender a esse cidado, e foi
O Sr. Diodoro :ao, senhor, a justificacao. preciso qoe elle viesse para Pernambuco, para ser
O Sr. Francisco Pedro :Por quem dada ? 1 preso as vesperas de urna eleico, so enlao se en-
O Sr. Diodoro : -Por esse hornera qne o nobre ; chergou que elle era esse criminoso, e oi com o
depotado diz que acontador de assassinos. bacamarte que se entendeu dever puni-lo.
(Trocam-se mais apartes.) Q Sr. Francisco Pedro :Depois de ter dada
Nao estou disposto a responder a tudo quanto: dous Uros e fenr um soldado, que esleve a morte;
o nobre deputado me qoizer perguntar, ouga-me, ] nao acha o nobre deputado que bouve crime de
gos de Souza Leo assembla provincial; e at da
maoeira inquatificavel, com que procurou-se arre-
dar am meu amigo, que pretenda pronunciar-se a
favor desta minba causa.
pois nao obsianle tudo isto proseguirei na
analyse d'aquelle erudito parecerpara que os ho-
mens probos e as pessoas imparciaes da provin-
cia -liqueni bem esclarecidos, e convencidos do re-
provado modo com que se procura zelar os inte-
resses provinciaes, dispeodendo-se dupla quantia,
e com adiantamento de parle dalla para conse- mscrsB Aa sr deniiado P. Dieaara Illniann Toe- e !5"fia",*v''** deP'8-
cugaode um serviSo-que alguem cera iguaes ha-: BIbCU ao r- oepauoo u. DiMore ipiano Loe- 0 Sn pBANCI6C0 tmK :_NSo
biluacoes, e garantas (segundo me parece) se pro- ,no wlaaie, na sessaa de H do earrante. 1 furia.
poe a effeftua-lo por metade, sem adiantamento i O Sr. Diodoro :Entlo nao roe afaste
algum, e anda faiendo orna avultada etferta em' O Sr. Diodoro :Sr. presidente, a casa rio qne deputado da drscussSb calma,
favor de um estabelecimento pi da provincia'; era' qaando apresentei o men requerimento,.fol apenas! O Sr. Francisco Pedro : Parece-me que estou
urna paiavra para que todo lempo quando se citar pedindo esclarecimentos para saber se tinham sido no meu direito pergunlando.
esle facto, se possa logo dizer Sim, concnlcou-se nao punidas as autoridades do 5o districto, que O Sb. Buarquk :Smto nao ter precedido da
a mais evtdenle jutliqa, mas desmaicnrouse ao haviam concorrido para o brbaro assassinato de mesma forma, quando o nobre depotado me fez! apunhalado!
mesmo tfwipg o nepotismo, e o patronato, que a um individuo e ferimentos praticados en outros. varias perguntas. | Um Sr. Deputado
sujfocou. I Eu nao apresentei documentos, porque nao formu-1 OSr. Dioddbo :Alm des factos mencionados ] forca.
Pec.-lhes, Srs. Redactores a especial fineza de lava naquella occasio upa aecusacao, apenas que- existem outras pravas, qnq sao varios requerimen- o Sr. Diodoro:Eu
que Ihe fizeram representar, veio a "est villa to-
mar cmselhos e conduzo o tenente-coronel Manoel
Florencio para organisarem um corpo de delicio,
que em tudo Ihe fosse favoravel, bem como ao al-
feres Capistrano, seu companheiro, etc., etc.
Quando as autoridades, Sr. presidente, querem
calcar a ps os direitos dos cidados, querem pra-
ticar violencias e commetter vingancas, cosiumam
sempre acobertr-se com o crime de tomada dg
presos, de resistencia, e foi o que se pralicou para
com esse homem que foi morto. Etr nao duvido
que esse homem fosse criminoso, mas al hoje an-
da nao disseram quaes os seus crimes, se eslava
ou nao processado, o que apenas vi foi urna caria
de um delegado do Cear. dizendo que esse ho-
mem era um ladrao de cavallos, era um valeuto,
carta que apenas prova que esse delegado nao leve
precisa forga para prender
428:342*796
40:233*289
468:576*085
MOVIMENTO DA ALPANDEGA.
Volumes entrados com fazendas... 427
com gneros----- 908
precisa tanta
o nobre
resistencia ?
O Sr. Diodoro :O que ouvi dizer pelo nobre
deputado mesmo, foi que esse hemem depois de
dar um tiro correr, e enlo Ihe atirarara.
O Sr. Francisco Pedro : Esta' engaado, nao
disseisto.
O Sr. Diodoro :E at o Sr. Silva Barros acres-
centa mais. que depois de elle ter cabido, fura
Isto diz o commandante da
nao entrarei em mais lar
franquear-me as columnas do seu mui conceitua- ra escrarecimentos para saber se haviam sido pu-' tos dirigidos ao delegado, reclamando a soltura I gas consideracoes e apenas bavia pedido esclare-
do Diario para prompta publicaco desle e dos. nidos ou nao os autores daquelles crimes. Agora, desses homens, requenmentos que o delegado nao cimentos para saber se haviam sido punidos os au-
seguintes artigos, que irei remellendo-lhe em des-
aggravo do meu incontroverso direito to injusta-
mente preterido, pelo que Ibe ser agradecido.
Sou.
Seu leitor e amigo.
Dr. Antonio de Vasconcetloi M. de Drummond.
Recife, 20 de abril de 1865.
a pro-
Applicagao das teis da fazenda nacional
fineta/.
A lei provincial n. 299 de 6 de maio de 182
dispSe :
Art. Io As leis, regulameutos e ordena relativas
arrecadaqo da fazenda nacional ficam em rigor
para fazenda provincial n'aquillo em que Ihe fo-
remappticavets.
Pubticidade necessaria as arrematacoes dos
contractos da fazenda.
O regiment da fazenda capitulo 62 ordena,
que s arrematacoes precedam annuncios por es-
cripto nos pelourinhos, portas das igrejas, lugares
pblicos e costumados.
A ordem do thesouro de 18 de dezembro de
1839 mandou, que as arrematacoes sejam un-
nunaadas com anteciparao por editaes, e annun-
cios uas folhas publicas.
Necessidade de serem arrematados os contractos de
fazenda.
Oalvar de 12 de junho de 1808 1 ordena,
que todos os contractos reaes sejam sempre arrema-
tados em hasta publica, em concurso de licitantes,
precedendo editaes, na forma das leis da fazenda
ltimamente renovadas no altar de 22 de dezem-
bro de 1761.
_ As instrucQdes do marquz de Pombal ao capi-
tn general de Minas Geraes de 7 de Janeiro de
1775 diziam o segoiote para augmento das ren-
das devem ser arrematados os contractos s pessoas
mais abonadas.
Necessidade de serem arrematados todos os con-
tractos da fazenda.
A lei de 4 de outubro de 1831 artigo 56, e o
decreto de 20 de novembro de 1850 artigo 81 de-
terminan o seguinte :
fienhuma arremataco por contracto de receita
e despeza se concluir, sem approvacao do presiden-
te da provincia, o qual podet mandar, que se re-
os leiloes, quando juljue
----~~ -.- .-.....-.....-.- >aw -o-----------------i vimviiivd pmn onUl I OU lia YIOIII 31UU UUD1
I porem, sr. presidente, eu fui chamado para o ter- despachou, lancou ao despreso, que o meto de j tores desse brbaro assassinato; mas fui forcado
reno da aecusacao ; se exige de mim a exhieao de que se servera as autoridades corrompidas e vio- entrar na materia da aecusacao pelo nobre deputa-
que foram apreseutadas lentas, quando querem calcar aos ps os direitos | do que me precedea, que apresentou cartas gra
do cidado. ciosas e documentos que nenhuma importancia
Esta justifleacao, como disse, foi Ijulgada por tem por si, porque partiram das pessoas contra
sentenca, tendo deposto cinco testemunhas, e por : qnem pesam as aecusacoes.
tanto ja v a casa, qne nao documento gracioso, | Sr. presidente, nao obstante eu sempre guardar
oio um documento que possa ser destruido por; aquella calma que cosime, todava ha fados, que,
cartas, como essas que foram apreseutadas pelo por mais brando, por mais prudente e moderado
nobre deputado do 5o circulo.
provas em contrario s ,
em defeza desss individuos, e eu me vejo forcado
a faz-lo.
Sr. Buarque :Qoe prove que elles sao assas-
sinos.
OSn. Diodoro :Sr. presidente, no nieu reque-
rimento eu flz ver que qoeria saber sd foram pro-
cessados e punidos o delegado? seu primeiro snp-
plente e os outros que concorreram para o assas-
sinato de Pendo, e para os ferimentos feitos as
pessoas de outros individuos : deise, porm, um
engao no meureqneriraento, e wi quero desde j
corrigir, isto em lugar de Io supplente, o 2o
supplenle Jos da Cost Agr.
A casa vio como o nobre deputado, o Sr. Fran-
cisco Pedro, qnerendo justificar o delegado sobre o
facto de que argido, procurara atlenua-io, dizen-
do que Pendao era umassasslno, um reo de polica
que sua priso tinha sido requisitada pelas autori-
dades do Cear ; e o nobre deputado, o Sr. Buar-
que, querendo defender a esses individuos, apre-
sentou os documentos que esta casa vio, isto, um
offlcio do delegado datado d 15 de novembro, em
que elle exude os fados l segundo emenden, e ou-
tros documentos de igual valor. V. Exc. e a casa
j sabem que nao era esse delegado o mais competen-
te para dar os esclarecimentos necessarios, por sso
que elle um dos mencionados no meu requer-
ment. Em segundo lugar apreseotou o nobre de-
putado urna carta de um commandante superior e
delegado de urna provincia estranha, que, coma a
casa sabe, nao passa de um documento gracioso,
urna caria que nao serve para eximir da responsa-
bilidade as autoridades aecusadas. O lerceiro docu-
mento finalmente, urna carta adrede preparada
dlo commandante da forca que est actualmente
nesta cidade, e obtida agora.
O Sr. Buarque :Isto que o nobre deputado es-
t fazendo umbem adrede.
O Sr. Diodoro :Como disse, compromelli-roe
a, em occasio opportuna apresentar documentos, e
passo a faz lo.
Sr. presidente, Ignacio Caetno, como disse o
meu nobre collega deputado pelo 5 districto, o Sr.
Silva Barros, goza de urna inlluencia legitima,
O Sr. Buarqok :Deixe vir os documentos que
eu pedi, e vera' o nobre deputado, que tudo isso
nao sao senSo meios empregados para se obter a
approvaolo de urna eleigo.
O Sr. Diodoro :Eu direi que o flm de se ven-
cer a eleico...
m Sr. Detotado :Pendo era urna grande
influencia eleitoral.
O ^r. Diodoro : Todos esses factos praticados
no 5* circulo nao demonstran) seno o que en di-
go, nem possivel que existissem criminosos 16
ou 20 dias na casa de Ignacio Caetno, e s se en-
chergasse que ah existiara as vesperas da elei-
co, quando se tinha mandado buscar urna forca,
no'iiara prender criminosos, mas com o flm de
calcar aos ps a lei, de extorqoir o voto do cida-
do, e de desprestigiar um homem importante, co-
mo era Ignacio Caetano.
Eis aqni o ontro documento, que a copia au-
thenlica da acta da eleico remecida pela cmara
do Ex.
O Sr. Francisco Pedro :Isto s appareceu na
cmara, em outra parte nao havia noticia delle.
O Sr. Diodoro :Pois nao acha o nobre depu-
tado nada sufBeieote para provar esses factos t
O Sn. Francisco Pedro : Podem apparecer
muitas justifleaces que provem o contrario.
OSr. Braulio :Dobre deputado podera' me
dizer se esses homens que foram aponlados como
criminosos, anda eslo presos ?
OKr. Diodoro :Nao sei.
O Sr. Silva Barros :Estao soltos.
O Sr. Diodoro S foi criminoso o qae morreu.
O Sr. Buarque :Euto era innocente ?
O Sn. Diodoro : Nao disse isto, disse que era
um homem inerme, e fosse elle um grande crimi-
noso, nlo se pune e crime
que seja qualquer homem, nao podem deixar de
revoltar, de faze-lo sahir da sua calma e modera-
co. Sr. presidente, julgo-me moderado, julgo
me prudente, mas nao me import que me taxem
de exagerado, de inmoderado, quando eu ti ver de
estigmatisar o vicio, a corrupgo, a prevaricacio
e 0 crime das autoridades, e tendo provado que
essas administrages a que me referi desraoralisa-
ram e corromperam esta provincia, como provam
os factos qne se deram, ja' nesta capital, e ja' no
centro, eu nao podia deixar de estigmatisa las, e de
procurar informarme de fados altamente crimino-
sos, praticados durante o lempo em que governa-
rara a provincia. E tendo, Sr. presidente jostiDca
do que nao foi sem fundamento o meu requer-
memo, eu nada mais direi por emquanto, decla-
rando que contino a votar por elle.
novem os leiles, quando juljue a arremataco
feita enntra as leis, e instruccoes.
O decrete de 22 de novembro de 1851 artigo 33 ?'no' ou,ros criminosos factos que sse Ihe
4 dispe o seguinte atinouio as vesperas da eleigao que leve lugar
Ao procurador fiscal' da thesourar.a da fazenda ems^mi'i0.nnLpAssado-
um homem importante na localidade, um homem 'autoridade moralisada, a autordade que quer res-
moralisado e nunca aeoutou em suas prepriedades peltar a le, nao faz assassiear o criminoso.
Um Sr. Deputado :Na resistencia morreu.
OSr. Jos Mara :Podia dar 10 tiros, ero
compeleAisir a todas as arrematacoes He bens,
rendas, ou contractos, que se fizerem na thesourarta
de fazenda, e fisco/tsar.
Rescisao dos contractos da fazenda j arrema-
tados para serem effectuados com quem ulterior-
mente offerecerse faze-lo por menos a terca parte
O alvar de 27 de abril de 1799 dispSe o se-
guinte, que j sra estabelecido pela carta regia de
28 de dezembro de 1686 e foi ao depois restaura-
do pelo artigo 28 das instruccoes de 31 de Janeiro
de 1851 dadas aos procuradores dos feitcs da fa-
zenda. 1
Art. 2o do sobredito alvar de 27 de abril de |
1799.
presos na
seo eoge-
0 Sr, Francisco Pioro : Foram
mesma occasio qualro criminosos no
nho.
O Sr. Diodoro :Em que data ? No dia 2 de se-
tembro prximo a eleico, s ento que a poli-
ca descobrisse esses criminosos, s ento que
entendeu que devia manda-lo prender.
m Sn. Deputado : Isso que eu noto.
O Sr. Diodoro :E essa torca, Sr. presidente,
por isso havia direito de o matar.
O Sr. Diodobo :-(passareia 1er a certido da
acta na parte qne se refere ao facto em questao, l.)
Acta da instllacao da assembla parochial da
freguezia do Senhor Bom Jess do Ex, etc., da
reunio pelas 9 horas da manha, os eleitores e
supplentes, etc., para o flm de proceder-se a elei-
cao dos vereadores da villa do Granito e juizes de
; paz dos tres districtes desta freguezia, que tem de
de 7 de Janeiro
, servir no quatriennio que decorre .
foi mandada buscar de proposito, nao para se fazer, de 1865, 6 de Janeiro de 1869, deixaodo de reu
essa diligencia, mas para se praticarem as trape-; nir-se no corpo da igreja matriz, porque alm das
basque tiveram lugar na mencionada eleico de, ameacas e perseguiedes que um mez antes da elei-
setftfjbro. I ^ faija 0 delegado ao povo, espalhando tropas de
O Sr. Francisco Pedro :Nao apoiado; ha um! paisanos por todos os ngulos da freguezia, amea-
0 'superintendente deve ter a maior vigilancia .mcio.do chefe de Plic'.a mandando fazer essa di-! cando, prndenlo para recrota e por qoalquer pre-
mmtarcmluio emonopolmms referidas arre-,l,taa matacoes cf- e, se depois de alguma deltas effec-' B" D,0DORO.--Sr- presidente, os documentos 1 votos aos agentes do delegado, como fizeram com
tuada, qualquer pessoa com ds segurabas compe- ?ue p.assoa .lr 8t0 "otenticos,_e espere que os no- Jos Alexandr Brandao, Alexandr Pereira Lima,
tentes. offerecer a terca parte do excesso, Ihe ser
Associacio Proleetora das Familias dos Volnntarios
da Patria.
Rogase aos Srs. Voluntarios da Patria abaixo
assignados, que comparecam com urgencia na ra
do Queimado n. 8, primeiro andar, afim de con-
cluirem as informagoes precisas para as suas res-
pectivas matriculas ; e bem assim aquellos que fi-
cararo de apresentar attestdos de pobreza, os tra-
gara cora brevidade, ou incumban) a qualquer ce
nhecido de os trazer, anda depois de haver em
barcado o corpo de Voluntarios. Os Srs. capilaes
das companhias a que perleocem os abaixo assig-
nados, sao rogados para que faciliten) as pracas di-
tas, o poderem concluir essas diligencias.
Manoel Firmino de Souza.
Fraocelino Jos Monteiro.
. Joaqoim de Souza Lima,
bacamarte ;_e a QQjnl|jano Paes Brrelo.
Ueliodoro Avelino de Souza Monteiro.
Luiz Antonio de Souza.
Pedro Ucha Cavalcaoli Lios.
Manoel Ferreira Lima Jnior.
Manoel Francisco de Daula.
Manoel do Livrameoto Ferreira.
Lucas Evangelista Soares Ferreira
Jucundino de Queiroz Monteiro Regadas.
Manoel Agostinho Fernandes Vieira.
Antonio Flix de Moura.
Antonio Jos Alberto de Saol'Aona.
Martiniano Jos da Silva.
Jos Jeremas Gomes dos Santos.
Leopoldino Ezeqniel Correia de Noronha.
Sebastio Gualberto Raposo da Cmara.
Manoel Salusliano do Sacramento.
Francelino Monteiro.
Joaquim Jos de Car val no.
Joo Dias do Espirito-Santo.
Manoel d Pontes Marinbo.
conferida a renda por se achar nesse caso, segundo
as leis do reino, exmelo o direito do primeiro ar-
rematante, qve nao deve subsistir contra a causa
! publica
bres depulados, depois que delles tiverem conheci-
mento, iicaro convencidos da sua torca e da sua
importancia.
Os documentos que vou apresentar a casa, sao a
Antonio Pereira de Andrade, Manoel Soares, Joo
de tal Mathias de Sooza Fonte, Leonardo de tal,
Manoel da Silva Amorim, Daniel da Silva Amorim
e outros murios, que prenderam e soltaram por de
certido authentica da acta extractada do livro da; todo os nao poderem conservar na priso, matn
cmara mnniriiial rin h'Ti'i om nnn ca -ni*f*m t,. j* ,.,*- a-A_.M H,.M ifnHAa cnVi^A;P., 1 :*. n,
cmara municipal do Ex, em qne se narrara to-
dos os acontecimentos havides a eleico, e o se-
gundo documento urna justificagao dada perante
Sr. Redactor.L com o maior horror a corres- o juiz municipal, com eitago do proprio delegado,
doas principies clrcoms- pendencia laneada em seu Diario de 27 de marco seu supplente e outros que concorreram para o
tandas o'ella consagradas, cutnpre-me, quanto an-
tes, rememora-las. e p-las bem em relevo, para
que o respeitavel publico desde j reconheca devi-
damente a justica com que se pretende resolver
essa minha pretenco.
U
Desde qae apresentei a miaba proposta para ef-
fectuar aquelle ndice Alphabetico das leis provin-
ciaes, Isto apenas o Bzm. Sr. esembargador
Perelti assnmio a vice-presienoia desta provincia,
passado, na qual um cao damnado procuran mor-
der o meu amigo o Rvd. Manoel Jos de Oliveira
Reg; o autor de semelhante obra toda podre e
cheia de lama outra flm noprocnrou, seno enne-
grecer a borra, e a moralidade do mea amigo, fir-
mada em ttulos tao valentes, que a viperina lin-
gua de lio hedionda serpe jamis podera aniquiUar.
O mea amigo um desses clrigos, que sedeixa
cercar de um nomero mundo de admiradores de
suas excelsas virtudes, j pela classe mais alt, e
facto criminoso; e que foi julgaila por sentenca de-
pois de deprem com juramento cinco testemunhas
fidedignas, justiOcaco que nao foi contestada pe-
las autoridades accu.-adas desses factos criminosos.
O Sr. Buarque : E islo mostra qne elles sao os
assassinos ?
O Sr. Diodoro :O nobre deputado sabe que
nao s assassino aquelle que vai dar a punhalada,
mas Umbem aquelle que manda, que consente que
se d, e o delegado eslava presente quaado se deu
por suppor, ae delle (considerado magistrado j pela mais rasteira da sociedade, nicamente por- esse assassinato, como se demonstra com os doco-
recto, e esclarecido)partirla o seto de justica, que cute sua affabiiidade, os principios moraes, que en- montos.
Ibe requeri, pronosta esta, que minea me anirnei
fazer ao seu antecessor, o Sr. aoiaiandador Do-
mingos de Souza Leao, por ooosidera-lo parcial
nesse negocio, e administrador partidario, como
provaram os factos por el ulteriormente pratica-
dos, eslabeleci duae condiedes mui favoravels, e
importantes aos interesses provinciaes, asquaesre-
nobrecem a sua pessoa, gritm altamente era seo
abono, qur para o grande, ajor para o pequeo.
E, pois, s a inveja de Satoaz, s esse inimigo
da pureza sahna do seu negro antro para o mor-
der. Qaem ser esse energumen que ae arrojou
a manchar com sua pestilente baba ao virtuoso
ministro do Senhor T Quem seria esse maldizente,
O Sr. Louriiro :Acho qae necessario mos-
trar quem mandou fazer o assassinato.
O Sn. DioDofio :Nao digo qne mandn, digo
que eslava presente e eonsenlio, eomo disse o co-
bre deputado pelo5o districto, qoe se realisasseo
facto criminoso quando o homem estava inerme.
O Su. Francisco Pedro :Inerme com nm pu-
prodnzidas anda na minha petigio i assembla que ao respeitanao a candara, qoe nao trepidando nhaiesm bacamarte?
provincial, nao foram mencionadas n'aquelle pa- tisnar urna reputacao firmada por tantos ttulos, O Sr. Diodobo :-O nobre deputado pelo S dis-
recer. < rio-se com e&crever um monto de palavras im trido sustentou que elle estava inerme.
No primeiro requerimento, que enderece! ao mu.udas, sem nexo, um eomplKo lixo por qualquer O Sa. Buabqdb :Pois podia estar inerme dan-
Rxm. Sr. desembargador Peretli ( annexo minha modo que seja encaiade ?.-.. do um tiro n'um soldado?
petico dirigida assembla provincial) propuz-me Nem ao menos soubeste respeitar a bonra dessa < S*- Douoro :- Mas o nobre depotado no sea
effeetnar aquelle ndice das Jis provinciaes. den- infeliz, por quem simulada le oteressas.... tu, discurso fez sentir que esse hornera, depois de ter
tro de om annocontado da dat eelebraco dores- sim, t .... que m*ee/06te o primeiro que abusas- dado o tiro correu desarmado, e na ana carreira
pectivo ciintractn, e pela quantia de tres eontos de te do leito conjugal desses (nfelizes esposos, pera atiraram-lhe pelas costas ; aecrescentando alada o
res f 3:100j(000)^aa qual desde logo -offerecia a agora, declinares leu borriveJ peccado, impuiaodo-o aobrt deputado urna circnmstacia que eu ignora-
quinta parte (rJOOjlooO res ) em beneficio do coile- a quem te nao atreves encarar, raiaao de inveja va, a- qual qae depois de ter esse homem cabido
gio dos nrphaas desta provincia. por veres na pessoa do meu amiga um carcter re-
Na minha replica, une dirig aquelle Exm. Sr. Ugioso a toda a prova, um ministro digno daa ves-
Tice-presldente (tambem ahuesa a minba petico tes que o obrero,, a virtude, i honra, a aabilida-
onderecada assembla provincial) offereci-me de o a candura, quaiidades reunidas era sua pes-
para'confeccionar o sobredito Indine, dentro de soa, a que justamente Ibe coo/erem o alto grao de
igual prazo, e ainda por menor honorario, *sto estima de todos quantos tem afortunada o ooabot
peta miantia de dous contos, e seis ceios mil res cor. .
( 2:0002000), da qual desde logo destinava a. de E' tao pura verdade, Sr. Redactor, que esse re-
spis centos mil reis ( 6009000 ) em favor do .en- Jabado de Satoaz, oh por si, ou por alguem que
rionado collegio dos orptias. ihe diga respeito, toi 40001 tomn a seus hombros
eom o tiro ainda o apuohalaram.
O Sr. Bdabqi-b :O proprio soldado ferido, eo
ofiicial cummaiHante da tropa o preadeu logo, pro-
eedeodo-ee judicialmente contra esse soldado.
O Sr. Doooro :Isto o qae eu alo sai.
O Sa. Buabque c E' 0. que ba de ver om as do-
memos que iiedi.
a. Josa Mua:mosouvr a justifleacio.
OS. Omaaao >-No qaereadp lr toda ajasti-
ficagao para nio tornar mui extenso 0 mea discur-
do como fizeram com Manoel Ferreira Lima Pen-
do, que mataran) brbaramente no dia 2 do cor-
rete mez, no sitio da Taboca, a titulo de crimino-
so por tomada depreso do poder da justica na pro-
vincia do Cear', sem terem requisicao das anl 1-
ridades competentes e nem denuncia, espancando
como fizeram, com os referidos Antonio Pereira de
Andrade e Leonardo de tal, que no mesmo sitio
Taboca, foram espaocados com cceles, etc., etc.
isto, Sr. presidente, e a acta da eleico qoe eu
trooxe como documento, para provar a existencia
dos factos de que flz menco no roen requer
mente.
(Trocam-se diversos apartes.)
Essa torea que foi mandada ali, nao tere ontro
flm seno coagir a liberdade do voto, praticar as
tropelas, as violencias, e os escndalos de qne te-
abo feto menco.
(Trocam-se alguns apartes.)
O Sr. Pbesidentb :Estou resolvdo a nao con-
sentir que continu a discusso com apartes tao
repelidos, o se os nobres depulados nao qniterero
attender a minha reclamaco, terei de suspender
a sesso, como permittido pelo regiment.
O Sr. Cunha Teixeira :Pela minha parte de-
clare qoe nao me leobo aflastado da ordem.
O Sr. Prbsidenti! :Eo reBro-me a lodos os no-
bres depurados, nao roe retiro a nenhnm em par-
ticular.
O Sr. Diodoro :Continuando, passo a lr nm
tpico do offlcio da mesma cmara, dirigido ao ex-
presidente desta provincia Domingos de Souza
Leo (l).
Com effmto, ne dia 1* do crrante mez, parti
d'ah urna torca de trinta pracas, commandada pe-
lo alferes Pedro de Alcntara Tiberio Capistrano, a
reunir-se ao delegado soppleate em exereieio Jos
da Costa Agr, rasseataoHo elles que deviam en-
trar oeste termo pelo sitio Taboca, propriedade do
Sr. Ignacio Castao de Alencar Rodovalho, e onde
mora tambem um Sr. Pedro Alves, qae devia gua-
los por um modo seguro ao engenho Coqoeiro, ali
ebegaram ns dia 2, das 8 para aa 9 horas-da ma-
nha, e pasto o referido engenho em cerco, sera
qoe fotiem presentidos: eneootraram a Manoel
Agua de Florida de Marray e
Lanman.
A introdaccao deste saudavel e delieadissimo
perfume inevitavelmente deve fazer, eom que essas
mil e urna aguas e espiritos de cheiro, compostos
principalmente de leos essenciaes fortes e de nma
qualidade impura, se transformem n'uraa verda-
deira droga no.s mercados. A vate annos est
parte, ella tomou o lugar de todos os extractos e
esseacias Europeas nos mercados tanto d'America
do Sul como as Antilbas, snpprimindo todas as
difieren tes qualidades dessas chamadas Eau de
Cologne. Osen deleilavel aroma tem urna appro-
ximago mais estreita e anloga respiraco de-
licada das verdadeiras flores do que aquelle de
oeohum entro artigo ero uso para a mesa do tou-
r ador. Usada como nma lavagem ou enxagoa-
mento da boca, ella igualmente nmtrallza e faz
desapparecer o mo posto e hlito causado pelo
fumo do charoto, melhorando a condiego e esta-
do dos denles e gengivas. (Visto existirem por
toda a parte imitaces fraudulentas, as quaes de
forma alguma possaem estas qualidades, preciso
pois se faz que baja toda a cautella na sua com-
pra, tomando-se sentido que os noroes de Mvrray
e Lanman, se achem inscriptos sob cada envoltorio
letreiro ou garrafa, pois que na falta des mesmos
nenhuma verdadeira.)
Vende-se oas pharmacias de J. C. Bravo d C.
e Caors Barbosa & C
C0MME1GI0.
PRACA DO RECIFH.
Cotacdes oftlelaes.
21 de abril.
Assncar mascavado Canal14880 por arroba.
Dubureq Jnior presidente.
Guimaraes-fiecreUrio.
Caiu filial da bnact do Brasil tu
PeniHoibnco.
A directora desta caixa saca sobra o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha. ~~
Volumes sahidos com fazendas.... 1SS
com gneros..... 860
------1,335
1,012
Desarregara no dia 22 de abril de 1865.
Barra francezaSpheremercadorias.
Escuna inglezaCommodoreidrm.
Patacho portuguez Mura da Gloria diversos
gaeras.
Barca francezaSolferino-cemento.
Barca franceza -S. Andr farioba de triga..
Barca inglezaO'B/aacAard"dera.
Patacho inglezPlorencebacalho.
Brigue inglezBj/zanfrumdormentes.
Brigue nacionalPallascharque.
Barca portugueza-S. Joaodem.
Escuna hanoveriana- Gaztnadem.
Barca oglezaTreui=carvo.
Barca ingleza Airan Islucin&o.
Barca belgaSonAie Theodorine idem.
Barca ioglezaCommodore idem.
Brigue inglezUsefulidem.
Brigue inglez Izabellaidem.
Importado.
Brigue inglez Byzanliun, entrado de Londres,
consignado a Rotbe & Bidoulac, manifestou o se-
guinte :
10 barris cerveja ; a Rabe Scbametiau & C.
4 ditas alvaiade, 18 ditas oleo de linhaca a J. M.
da Cruz Correia.
150 ditas cimento, 50 ditas cerveja, 2,260 bar-
ras de ferro e 129 toneladas e 4 quintaes da car-
vo de pedra ; aos consignatarios.
2 fardos alcatifas; a Camino & Nogueira.
1 caixa um piano, 1 barrica louca, 10 caixas bis-
coutos, 50 ditas sabo ; a Tasso & Irmos.
3 caixas calcado ; a Theodoro Christiansen.
300 barricas cerveja, 100 barrinhos de 4o pl-
vora ; a Patn Nash A C.
2 caixas chapees de sol e coliarinhos ; a Carnei-
ro & Nogueira.
2 caixas instrumentos de agricultura ; a D. W.
Bowuian.
150 barricas cerveja ; a J. Pater & C.
3 caixas tint, espingarda e cariuchos ; a H.
Forster & C.
10 barricas pos preto, 2 caixas drogas, e 2 bar-
ricas soda; a Caors & Barbosa. .
39 caixas cha ; a Saunders Brothers & C.
1 barril vioho ; a L. A. Siqaeira.
400 barrinhos plvora ; a S. P. Johnston & C.
500 ditos dita ; a Adamson Howie & C
30 barris salitre; a Vaz & Lu.
400 (tormentos de madeira para a estradade fer-
ro de S. Francisco do Recito.
Barba nacional Nova Carolina, entrada do Ro
Grande do Sul, consignada a David Ferreira Bai-
lar, manifestou o seguinte :
12,000 arrobas de charque, 100 couros vaceuns
seceos e 25 barris.com 7,000 tambas ; aos mes-
mos.
Patacho nacional Espadarte, entrado do Rio
Grande do Sul, consignado a Amorim & Irmo,
manife.-toii o seguinte : -
5,500 arrobas de charque, 30 couros vaceuns
seceos; aos mesmos.
Sumaca hespanhola Ardilla, entrada de Barcelo-
na, consigand a Tasso Irmo, manifestou o se-
guinte :
120 pipas, 10 meias e 130 harris vinho, 20 sac-
eos aniz, 30 ditos salvadillo, 50 caixas fideos, e 26
volumes azulejos, 8 caixotes charutos ; ao capitao
do mesmo navio.
Barca ingleza Izabella, entrada de CardilT, con-
signada a Wilson:. & Hett. manifestou o seguinte :
553 toneladas de carvo de pedra ; aos consig-
natarios.
Patacho inglez Florense, entrado de Terra Neva,
consignado a J. Pater & C, manifestou o seguinte :
2,281 barricas cacalho ; aos mesmos.
Barc* iogleza O. Blanchard, entrada de New-
York, consignada a Phipps Brolher & C, manifes-
tou o seguinte :
2,800 barricas bacalho ; aos mesmos.
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia I a 20.'....... 1 -i:781,5859
idemdodia21................. 295*250
15:077*10
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 1 a 20........ 4:399*5300
Idemgdo dia 21................. 11:651*597
53382*321
MIVIMHfTO DO PORTO
Navios entrados no da 21.
Baha7 dias, patacho hespanhol Themoteo II, de
225 toneladas, capilo Esequiel Pages, equpa-
gem 10, carga lastro.
Baha8 das, brigue brasileiro Damao, de 243
toneladas, capilo Joaqun Jos de Oh veira, equi-
paje m 12, carga charutos e outros generas ; a
A. Luiz de O. Azevedo.
Observando.
Nao houveram sahidas.
EDITAES.
BIT
BISP AlfO DE l'IH WT1HI O
Pela secretaria deste pispado, se faz publico que
o Exm. e Rvm. Sr. vigario capitular para maior
facilidade das pessoas que o proeoram fra das
horas do despacho, para caaos urgentes, principal-
mente neste lempo de invern, resolveu definitiva-
mente a sua residencia para o seminario episcopal
de Olnda, onde pode ser procurado na occasio do
expediente das 9 huras da manha at as i da tar-
de; e para os casos urgentes a qualquer hora do
dia ou da noite.
O secretario do bispado,
Cooego Joaquim Ferreira do* Sanios.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria privin-
cial. em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que 00
dia 22 do crrante, perante a junta da fazenda da
mesma thesouraria se ha de arrematar a quem
por menos fizer, a pintura da ponte de ferro por
detraz do theatro de Santa Isabel, avallada em
450*000.
A arremataco ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 313 de 15 de maio de 1854, e sob as
condirjoes especiaos, que sero presentes ao arre-
matante nesta thesouraria, devendo ter lugar as
trabilitedes no dia 20 do correte.
E para constar se raaodoo publicar o prosete
pelo jornal.
Secretaria da tbesenrarla provincia] de I
buco 15 de abril do 1865.O secretarlo,
A. t. d'Anonncracao.
O Illm. Sr. Inspector da theeooraria prmrte-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do correte, manda fa-
zer poblice qne ao da 14 deJuBho prtm *?*-
dooro, perante a junta da (atena da mesma the-
souraria, se nade amantar, a qnem por wnm

,
1


arfo de +rmm*>nttr -*abb*# dV Abril t? #.
flzer, a obra i eadeia da Majo e Nazareth, ava-
llada em 18tt9<.rs, j
A arrematarlo Seri'feMntTrrn.a da lei pro-
vincial n. JU e 13 de, aak> de 185, sota* ctac-
sulas especiaes abaiio declaradas.
As pe^oarqe'se'prcrpozerm essa arremata-
<;ao, comparecam na sala das seswMs da referida
jimia, do dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitadas.
E para constar, se'mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria rtai thesouraria provtaeit de 1*er
nambuco, 14 de marco de 1863.O secretario, A-
F. d'Annuneiacfio.
Clausulas especiaes para a arreoatacao.
1.a O ediflcio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conrorraidade com a planta e orcameuto
junto, na importancia de 18:093^900 rs.
2.a O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabamos no prazo de 30 das, e concluidos
no de um anoo, arabos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3.' Os pagamentos sero feitos eni 3 prestacSes
iguaes correspondentes a cada lergo da obra Anda.
4.* Nao ser em lempo algum altendida qualquer
reclajnacao por parte do arrematante tenden-
te indemnisacao, quaesquer qne sejam as allega-
res em que se hajara para esse fin, anda raes-
mo por prejuizos provados.
5.* Para ludo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ba o que dipoe o re-
gulameolo de 9 de janer de 1864.
Gualoime.A F. d'Annanciaco.
Illm. Sr. Inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimeoto da ordom do Eara. Se. pae-
sidenta da provincia de 10 do crreme! manda
fazer publico que no dia 27 do mesrao, petante a
junta da fazenda se bade arrematar a quem mais
der o imposto do peaagio da ponte de Motocolom-
b, avaliado novamenleem 1:51*9 por anuo.
A arremalacao ser fela pelo lempo que decor-
rer do Io de junhe do crreme anno, ao flnj de
junho de 1867.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
19 de abril de63.
O eciipturario,
- im Alfredo de Carvalbe.
3"*"a
TII-VTRO
Para o Porte
segu imprele.'ivelmeole at o dia 27 do corrente
a bem conhecida e veleira barca Claudina por terK'
sen carregamenlo pforopto : para passageiros, pa-.
ra osquaes se offerece excellonles commadav ira* i
la-se coiu Cunha Irmaos & C, na rua'da Madre [
de Dos n. 3, ou com o capitn a bordo.
t Na roa d Jragao
fffra e' por preco mais
AHA. r. 3
Precisa-se de orna ama que saiba cozldhar bem
e comprar paainia.de, podra familia > tratas trrr~- __________
na ra do Queimado, luja n. 5.
n. 3 faz-se comida para
cummodo que em outra

DB
S. ISABEL
EMPREZA--COIMBRA
Recita da assiguatara.
Sabbado22deabrildel865.
Subir a scena pela primeira vez o bello drama
original brasileiro do Illm. Sr. ur. Macedo, autor
doPtiantasma Branco,em 4 actos e I prologo
PBSONAGENS. ACTORES
Pedro Nunes....... Germano.
Graciano........ Lisboa.
Leonel da Silva...... Borges.
Leoncio de Almeida..... Guimaraes.
Cezar......... Te-ixeira.
Amador........ Maahonca-
Li'o......... Porto.
Julio......... Faustino.
Um medico....... Pinta.
ptorldade policial..... Porto,
amiana........ D.Eugenia.
Christina........ D. Camilla.
Beatriz. ....... D. Jesnina.
audioa. ....... D. Leopoldina
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-' Flores-bella.......D. Joaquina.
Personagens, mudos, soldadas ele.
A accao do drama e passado no Hi > de Janeiro.
poca actualidade.
Termioara o espectculo com o gracioso duelo
brasileiro cantado pela Sr.* D. Eugenia e o Sr.
Lisboa
0 ESTUANTE E A LAVADURA
Os bilhetes acham-se desda j no lugar do cqs-
toara
Principiar s 8 horas.
SALES
DO
CAES DI RAMOS
HOJE
tv i i p x Sabbado 22 do crrente.
JDlSpaQO e X emaninUCO Giunde baile em beneficio deJoao das Nevbs.
Pela secretarla do bispado se faz pnblieo que o O proprietario dos bailes dos saldes ao caes de
Exm. e Rvm. Sr. vtgario capitular para maior fa- Apollo, tendo transferido os ditos bailes para a
cihdade das pessoas que o procuran) fra das ho- casa onde raoro o Illm. Sr. Jos* Hygino de Mi-
ras do despacho para casos argentes, principal- randa, no caes do Ramos, participa que hoje di
mente neste tempo de averno, resolveu mudar de- seu beneficio nestes salSes para occorrer a<)6
unitivamente a sua residencia para o seminario prejuizos que teve no desastre dos do caes do
episcopal de Olinda, onde pede ser procurado na Apollo, portanto pede ao respeitavel publico a saa
occasto do expedente das I horas da manha at generosa proteceo.
as 2 da tarde ; e para os casos urgentes a qual-' a easa estar com todo o esmero.
buco II de abril de 1865.
O secretario,
A. F. d'Aununciacad.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 19 do corrente, manda fa-
zer palrtirto que a arrematadlo da obra dos reparos |
de que precisa o empedramento do lugar denomi-
nado Areias do Giqui, na estrada da Victoria, an- j
nunciada para o dia 4 de raaio prozimo vindouro,;
ser fea de conformidade com o novo orgamento
ao valor de 477$.
Secretaria da thesonrsria provincial de Pernam-
buco. 21 de abril de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira da AnnunciacjSo.
BECLARCOES.
LEILQSS.
0" agente de lites
OLYMPIO
^totoiilo Francisco dos Sanios capifao do'
brigua nacional Siqutii-a, convida a seos eoj-
f^gas e amigos a assistirem a urna mTssTpor
alma de seu mui presado pai, na matriz uVr
Corpo Santo, no fia sabbado 32 do corrente
CASA DA FORT0R
Aos 6:000#000.
Bilhetes garantidos.
A' M)A PO CftBtIPO }, tr t rw^simrmnnr
O abaizo ^signado venden nos seus muito feli-
/es bilhetes garantidos da latera que se acabou
de eitrahir a beneficio da Sa.nta Casa da Miseri-
recido.
tem me-
AMA.
tfica a todos os seus comrnitenies e amigos
IfWia di lrat lam-i a -- -!,.;<"' aierto um grande arraazein de leilges
liClldO C irdSICs, loiICa e OHirOS 1*^ruada Cadeia o Recife q, 36, ponde espera me-.
jectes de Casa de familia C ama es- rT a raesnwconfanca que t boje
era va r ositiheira.
A viuva de Jos Antonio Gonealvej da Rocha,
tendo de retirarse para Europa far lailao por in-
tervenco do agente Cordeiro Simes dV todos os
movis existentes no sobrad ra do Amorim
n. 50, como tarabem de uau esecaw-dt nogo-A'
gola, Islo
IIOJE
s If horas em ponto no raesme fcobrado.
Lcilo de dividas. -
A viuva de Jos Antonio Goncalvea da Rocha
tendo de se retirar para Europa far lailao por in-
tervengo do agenie^Cordeiro Simoes, das dividas
de seu casal na importancia de 1:34789 rs.,
STS^fi!?! em, MHer, i Te[eT,,V a*eB' 0 engenhodenominado d'Ago do termo de Igua-
le, sendo em letras e coalas de l.vros, islo j ra!Si Jerl4incen^ M Sr r francisco Joo Car-
tUtf Wj nejro da Cunha me est hypothecado, embargado,
4S 11 horas, uo sobrado ra do Amoxlm n. 50r e sentaea,asada em jntgado, para pagamento
ainda das heraneas do pai e tio de minha esposa,
, como ledo se v nos cartorios dos Srs. Ubellio
aeterivis Gwttta e BpHst tsitt ct4ade-do ftr-
por nter- c(e B por ss0 esse engenho nao pode ser vendi-
vencao do agento Oliveira.econtae risco de quem do sem qne estas dividas me seiam pagas, e bem
pertencer, de porcoes de madapolues, algodaosi- assim cumpridos os legados e mais disposicSes tes-
unos e de estopa, avanadas a bordo do oaladio, lamentaras a que esta obrigado o dig engenho, e
e Lavmia, as suas receoies taatns de Liver. qne aln(l8 nio estSo todo^ pagos.tendo nao s ditos
eternamente grato.
ai 7 bares da manha, pelo qaaLJh.es Mear aflodf, os seguiubu premios
Um quarto-n.88-4 com a sorle de 6:0005000.
Um meio q. 2597 com a sorty de l:4''0ji000.
Um quartot n. 124 com a sorte de 500*000.
O Sr. Ernesto Botcrho de Andrade queira appa-
roeer em Smmo Amar, raa da Aorora, a negom
de seu iniecefse.
Participa-se ao* pas" de m'enlnarentregues i
Frecisa-se de uma ama que sama bem direceo docoiiegiolde.. s. da Conceico" que
COSinhar e faca COmpr S, para casa de potl- este collegio se achatransferido para os Coelhos,
ca familia : na: ra da Cadeia do Recife n.
38, primeiro andar. L .
4-
ondfoiaaa 4a Alienados. Todas as pessoas qu
liyerem relacoss com dito collegia, all poderaj
dirigir-se : acaim>copio all somente nos domingos
de tarde se receben) visitas.
I 3
Precisa-se de uma criada porlugueza para
ervir a uma (amiliawstrangeira, pagase bem sen-
na ra da, Imperatriz n. 63, primeiro
do boa
andar.
Leilo de fazeiHas amafiadas.
A. *4 do corxenie,
Saunders Brothers &'C. farao leilao
pool para este porto :
Segunda-feira 24
do corrente, s 11 horas da manha, em seu ar-
mazem no largo do Corpo Sanio.
Leilo de 100 saccas com farcllo
Segunda-feira 24 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por cunta de quem
pertencer sem limites de 100 saceos com farello,
sendo 50 de 90 libras e 50 de 130 libras as quaas
sero vendidas em um ou mais lotes y v unta do :
segunda-feira 24 do crreme na porta do armazem
do *r. Annes defronte da aJfandega.
leitao de uma laberaa na na das Cru-
zes 11.25.
Terca-feira S dt> corrente.
legados, como as heraneas de minha esposa prefe
rencia a todo e qualquer crdito, ainda mosino a
hypotheca, pois uma lilha nunca perde a heranfia
deixada por saos pais; ha de sahir de qnem a tem
comido e vendido, etc., etc.
____ Marcelino Jos Lopes:
E iqjras iquitas sorles de 1005, 405,205 e
10J6O0.
OsDossuiderespodera vir neceber seus respec-
tivospremiossem os deseonto> das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo a. 23.
AcJja-*e a veada os d s parte da 1* lotera
(13") beneficio da matriz de Nazaretb ,que se
extrahira no dia 27 do corrente.
PRECU.
Bilhetes.....75000
Meids......35500
Quaftos.....15900
Para as pessoas que comprarrm dcl0000O
para cima.
Bilhotes.....65500
Meias......35250
Quartos.....15700
Manoel Maptins Filia.
Pergunta innocente
Pergunta-se so Sr. r. Miguel Bernarda Vieira
de Araorim, julz municipal e delegado de Caruar,
vuiiieda : qual- a. razio por que nao publicou nos jornaes a
discussao de seu processo na relacao, visto ser essa
a saa iotaoeo. conforme se dignou revelara seu
muito especial amigo o Dr. llor das buruodan-
gasT Sari por falta de taoaigrapho? Aqui o seu
eserivao diz que foi porque o negocio Irte desagra-
doo. S08. S. se digoar responder milito obrigar
O proprletarlo deste estatielecimento far leilSo ; ao seu compadreC. J. de 9.
por Intervenco do agente Pestaa de todos os ge-1 Precisa-se da uma ama forra ou captiva para
eros existenies na mesrna sita na roa das Cruzes 0 servico de easa de um* pessoa : na ra da Cruz
n. 25, em lotes a vontade : terca-feira 25 do cor- n. 8, primeiro andar,
rente pelas 10 hor&i da mania na mesuia u- ............. i*-1----------n-------*
Ama de leite,
berna.
Ttr
Cidade de Olinda 10 de abril de 1865. '
. O secretario do biepado,
Conego Joaquim Ferreira dos Santos.
Santa Casa de Uiscricordia do Uecife
De ordem da Illm* junta administrativa da San-
ta Casa de Misericordia do Recite fago publico que
no dia 27 do corrente. pelas 4 horas da tarde, na
sala de su-as sesses, contraa a mesrna, jwtta o
fornedmentod* c*nie verde que houve? o> con-1 os Srs- s** iO>lMla*ores qaa doni.ngo 23 do cor
sumir os estabalecimeotos de caridade e collegios
Ser cumprido o regulaaento do [lira. Sr. Dr.
chefo de polica.
l'lieatro de Santo ntooio
(Capunga.)
Sociedade dramtica Thalia Pernambucana.
Ue ordem do Iilm. Sr. presidente do conselho
administrativo desta sociedade, scientitico a todos
de orphos nos utezes de maio e junho prximo
vindoaros. As pessoas quequizerem fazertal for-
Ducimento, devem comparecer com suas propostas
em cartas fechadas deven lo-eram dliia,s propostas
especiaes j para estafjeleclrentos de candade e
j para os collegios de or|)hos. Nesta secretaria
se dar.o aos preteadentes as explica^oes que estes
julgarem oecessarias.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 21 de abril de 1865.
O eserivao, '
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Santa Casa da M-sencordia do Kecife.
De ordem do Illm. Sr. thesoureiro da Santa Casa'
de Misericordia do Recife, commendador Jos Pi-
res Ferreira, fago publico que no da -28 do cor-
rente, pelas 10 horas da manha, no salo da casa
mensaiidades vencidas no trimestre de Janeiro a
marco ltimos s amas que se apresentarem acom-
panhaaas das criancas que Ihe foram confiadas.
rente as 10 horas da manha, a sede da sociedade
havera sesso extraordinaria, afim de tratar-se de
negocios tendentes a mesrna sociedade.
Meoretaria da socidade dramtica Thalia Per-
nambucana, 19 de abril de865.
O t secretario interino,
Epaminondas P. B. e Acctoli de Vasconcellos
AVISOS MARTIMOS.
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
tfavegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac.
O vapor Persiounga., com-
mandante Ratis, segu para o
norte no dia 22 do corrente as 5
horas da tarde. Recebe carga
at o da 21, encommendas, pas
Secretar da Saeta_Casa de Misericordia do Re- sageiros e dmneiro a frele al 2 horas da tarde
sabida : escriptorio no Forte do Mal-
cife 21 de abrilde 1865.
O eserivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro-
Pela inspectora de Pernambuco se faz pu-
blico, que porta, no dia 22 do correte, a 1 hora
da tarde, se ha de arrematar livre de direitos o
segu me: de conformidade com a portara da the-
souraria de fazendas n. 65 de 17 do corrente :
deas escaleres pertencentes a esta alfandega, os
quaes se acham arruinados, fleando sujeita a arre-
malacao a approvacao do Exm. Sr. presidente da
provincia.
4" seceo da alfandega de Pernambuco 19 de
abril de 1863.O 4o escripturario,
J. de Avila Bitancourt Xeiva.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que a arremalacao dos reparos de que precisa a
ponte do Rio Formoso foi transferida para o dia 27
do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de abril de 1865.0 secretario,
A. F. d'AnounciacjL
Inspecco do arsenal de marmita.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma disposta no regulamento anne-
to ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de 1854,
e casco, machina, caldeiras, apparelbo, mastreaco,
veame, amarras e ancoras do vapor Parahiba da
companhia Pernambucana de navegaco cosieira,
aehou todos estes objectos em regular estado.
Inspecco do arsenal de marinba de Pernambu-
co 12 de abril de 1*65.
S. C. dos Santos .
Servindo de secretario.
Fiscalisacao de Santo Antonio.
O abaixo assignado, liscal da fregnezia de Santo
Antonio desta cidade pelo presente pede a todas as
pessoas donos de madeiras, tqolos, palhas de co-
do diada
tos n. 1.
COMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos porros do nor-
te at odia 18 do corrente o va-
por Paran, commaedaBte o ca-
jiito de fragata Antonio Joaquim
de Santa Barbara, o qual depois
da demora do eos turne seguir para os portos
do sul.
Desde j recebem-se passageirose engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua c negada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas: agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio
de Antonio Luiz COMPANHIA BBASILEIBA
DE
PAQUETES.A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o da 30 do correle um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir paraos portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros eengaja-se
carga qne o vapor poder conduzir, a qua] dever
ser embarcada no dia de sua chegada : encom-
mendas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 1
horas, agencia ra da Cruz n. i, escriptorio no
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para a Bahia pretende sahir em poucos dias
. a escuna EUza, por ter algama carga tratada, e
queiros, etc., qne ixistem depositados na frente das: para o resto que Ihe falla trata-se com o consigna-
casa desde o caes do Ramos at a travassa da Ri- Uario Joaquim Jos Goncalves Bcltrao, na ra do
beira, lugar que divide a sua fiscalisacao, que os Vigano n. 10, ou no largo do Corpo Saoto o. 6, ar-
facam retirar para dentro de armazens, da data I mazem.
deste a 8 dias, afim de nao erem multados e ve-
rem ser removidos as raesmas madeiras e mais ob-
jectos encontrados a sua cusa para o lugar que fr
indicado por esta fiscalisacao, em camprimeuto do
determinado na postura municipal.
Piscalisaco de Santo Antonio do Recife, 17 de-i
abril de 1866.
O fiscal.
Coetano Pinto e Verat.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremalacao dos reparos de que precisa o
.inpedramento do logar denominado Areias do Gi-
qui, na estrada da Victoria, fot transferida para
o dia 5 de mao prximo vindouro.
Para o Rio de Janeiro.
O brigue escuna Joven Arthur, pretenda seguir
eoai multa brevldadc, tendo parte de seu carrega-
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam- ment prompto ; para o resto que Ihe falta e es
buco 15 de abril de 1863.O secretario,
A. P. d'Annuociaco.
Pela thesouraria provocial se faz
<|itea arremaiefl da obra da eonslrnecao da bem
da da vanea d Paul wtal foi traqsferida para o dja
7 de correte.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
-luco 19 do abrilde 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciago.
Arsenal de guerra.
O Sr. tenele-eeronel dtreetor do mesmo arse-
nal, para dan cnmprioieato as orcteas superiores,
faz pnblieo que nesta repartico se contratam offl-
para a corte, eom os vencimentos da tabella em
vigor ; dando o governo o transporte : e io-
-ressados corparecam nesta repartico das 9 ho-
ras da manha as 3 da tarde para fazerem o res-
p.iciivo contrato.
Leilao de obras de praia.
Terca-feira 23 do cerrente.
O agente Pialo far leilo a requer ment da
junta administrativa da Santa Casa de Misericor-
dia e por mandadodo Illm. Sr. Dr. juiz doorpbos
dos objectos de prata pertencentes a alienada An-
na Rosa dos Pnueres, as il liaras d* da cima
dito em sea escriptorio a rita fJro* n- 38.
Leilo de vinho chare/, eefvei: concervas^
chocolate, raustarda 9 bisceulftS-
Quarta-fefraWde atwil
O agente Piulo fr leijap upj- outa e ri&eo de
qnem pertencer dos dlfferentes Roneros cima
menciouados,existenles no armazem do Sr. Annes,
aonde se effectuar o leilo as {0 horas do dia
cima dito. > i- -
Precisa-se de urna ama qe loite
pracado Corpo Santo n. 17.
a tratar qa
Cnsta a crcr! .
Roga-se a pessoa que annuuciou ha ver uma ama
de leile para alugar na ra da Sama Cruz n. 4,
que teuha a bondadede tratar com attenco e civi-
lidade as pessoas que sao levadas ao mencionado
lugar em virtude de semelhaole annuncio, ou en-
tao que o faca retirar dos jornaes, uma vez que
nae quer ser procirada parairatar desse assurap-
to, evitandodest'arte ctmttnaar a receber mal quem
qqerque geste sepili a procure. ______
Precisa-se alugar dons osera vos, uui
trabalho grossd d um hotel e outro para criado
no hotel Italiaot. ra do Trapiche n. 3.
. Quem preciar de 10005 a 2:0005 "premio,
. dpodo pw sufiiraoga hyppiliec.a em casa lerreis
] livrese desembarazaras nesta cidade, anmincie ou
j dinja-se a ra do Hospicio n. 34, a qualquer hora
dy dia, que achara com quem tratar.
* oc i e I til e A t i h e o e 5*h i I o so-
pliiM Iliterario.
De ordem do Sr, presidente sao convidadas to-
dos os socios para comparecerem domingo (23) as
10 horas da manha, na sala das sessoos, para
Quinta-feira 27 O corrente Diez, se ex-; proceder se a eieicao da nova directora.
Safadas sessoes da sociedade Aitheuco Pliiloso-
phico e Litteraro 21 de abril de 1865. ."
Aijuilino (ornes Porto,
i secretario.
< I 'AK
www'
1 Ji ""
Precisa-se de urna ama para cozinhar era
casa de pouca famiRa : no Kecife, ra da Cruz
numero 29.
- HtWHTAt PORTUGffiZ
DE
KK\KI IIKVIIIv i;Tiis;\v^f-
BLI O.
Deordem da Illm- Sr. provedor convido aos se-
nhores membros da junta administrativa, bem co-
mo a todos os mais senhore.s socios a comparece-
rem neste Hospital pelas 7 hora ^ da mahaa do
domingo 23 do corrente, para assfsiirem aoaclo
religioso em que se ha de administrar por deso-
brjga o Sagrado Viatico aos enfermos existentes
no referido Hospital, como determina o 6o do ari.
:"5 do regulamento iuteruo. Para que esl acto,
pois, j por si to sublime e santo se torne mais
tocante e soloraqe, se espora a concarreqda de lo-
dos os senhpra*. socios.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambuco 20 de abril de 186 j.
Joaquim Ferreira Mendes Guimaraes
l" secretario.
Saude dada a todo o mundo.
Pelos preciosos medicamentos dos Srs. Grimaull
C, pharmaceutieos de S. A. I. o principe Na.
poleo, ra de ia Feuilladc 7 era Pars.
Porque es Srs. mdicos e o publico usara de pre-
ferencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
maull AC, pharmaceutieos em Pars, cornos quae;
elles te sempre ohtido as curas as mais extraor-
dinarias ?
i." Parque esta casa sendo sem contradita a
mais importante de Pars, honrada com aclientella
de urna parte da corto, palomeada por S. A. I. o
principe Napoleo s vende productos de uma effl-
cacia recanhecida.
2. Porque esses medicamentos represente m as
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
mea.
3 Porque tem todos um gusto agradavel, satis-
fazem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
i rigo, tanto s criancas como s passaai adultas,
para |. 4." Porque elles differem inteirainnte desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por in-
dustriaes estrannos, tanto a medicina como a phar-
macia, dos quaes nao tem nem a scincia nem 05
ttulos.
martimos e terrestres
fistabelecid qo Ift iisLhriieJro, w
ACKNTES EM PEH5AMIIIC0
m Anlopio I/.iz de (Mlvcira hunti k C, H
jg comiietentemente aotorisados pela dlrec- S
i toriada companhia de segnros Pidelida- ^
!P de, tomara seguros de navios, mercado- <$$
*3 rias e predios no seu escriptorio ra da "g
wj Cruz n. 1. jp|
Semana I/lustrad
Publicada no Rio de*faueiro e
assfgna-se na ra do Crespo
Anoo 18|000, semestre 41000, trimettr
ti;5000.
As pessoas que quizerem assignar principiando
no 2o trimeslre, podem logo receber o Io numero
de abril corrente.
Padaria-
Precisa-se de um amassador
na Direita n. 6*.
na padaria da
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra cozinhar e comprar para casa de rapaz solteiro:
na roa do Queimado n. 7. ^^^^
Ama.
Prerisa-se de ama ama para todo servico : na
travessa das Cruzes n. 2, primeiro andar.
Ama
Ha para alugar-se uma escraya crionla para o
servico interne e externo de casa.com as habili-
dades que se diro : ao cartorio do labellia S,
se dar informaco.
O advogado Maximiane Lopes Macha-
do transferio o *eu escriptoi lo da ra ao
Imperador n. 71 (ara a do Crespo n. 10,
primeiro andar.

AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Precisa-se de uma ama forra para casa d
U Porone estes medicamentos s se applicam a j Pouca f>l'a> I" engomrae, cosinhe e compro
trahir a 2a parte da i* lotera (13a) a be-
neficio da matriz de Nazaretli, ao consisto-
rio da igrep de Nossa Setiliora do Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
Os !)illiiti!s,meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 6.000*000 at 104000
serio pagos uma hora depois da extracg3o
at as i horas da tarde, e os outros depois
da ilistribuicao das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
DMnte al a noite da vespera da extraccao
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
'-r- Josi Jciniho Guedesvai a Portnaal.
Antonio da Silva Paiva, portugnez, vai a
Europa.
Manoel de OUveira, subdito portuguez, rcti-
rase para o Rio de Janeiro.
Jos Francisco Haia relira-se para Portugal
a tratar de sua saude, levando em sua companhia
como sen criado Joaquim Ferreira Coeiho.
Manoel Jos Lopes Uuiraarss, subdito por-
tuguez, retirase para Portugal, deixa por sea pri-
meiro procurador ao Sr. Joaquim Francisco da
Cruz, segundo ao Sr. Jos Ramos da Silva, tercei-
ro ao Sr. Antonio de Pafva Ferreira.
Domingos Moraes da Costa, subdito italiano,
vai a uropa.
Antonio da Silva Paiva, caixeiro dos Srs. Al-
ves-& Lopes, subdito portogoe?, vai a Europa tra-
tar de sua saude.
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir eom muia brevidade a barca
Rio de Janeiro, tendo parte do seu carregamenlo
engajado: para o resto que Ihe falta e escravos a
freles, para os qqaes tem excel lentes commodos,
trata-se eom o seu consignatario Antonio Luiz Ro-
drigues Miodello, 00 seu escriptorio na ra da
Cruz o. 1.
D. Maria Joanna da Graca e seus genros
Flix Francisco de Souza Magalhes e Apn-
gio Jos da Silva, agradecen! cordialmenle
a todas as pesseas qne se dignaram assistir
as exequias celebradas no convento do Car-
me, e acompanharam ao cemiterio publico o
corpo do sea fallecido marido e segro Joao
da Silva Loorelro, com particolaridade aos
Rvmds. padres prefeito do hospicio da Pe-
nha, gnardio do convento de S. Francisco,
provincial do do Carmo o mais religiosos dos
respectivos conventos. A todos anda pe-
dem o espeeial favor de aasistirem a missa
de stimo dia, que se celebrar no mesmo
convento do Carmo, terca-feira 25 do cor-
rete, as 5 horas da man'haa, pelo que se tor-
Mrao eternamente gratos.
Precisa-se de uma ama para o servico inter-
no e externo de uma casa : na ra larga do Rosa-1 matismos, o escorbuto,
rio n. 37.
um nu:.iero limitado de doencas, e nao as curam
todas, como os remedios do que acabamos do fal-
lar ; emlim cada producto tem sua applicacao par-
ticular.
Por isso pensamos prestar um servico a todo o
mundo, indicando aqu as importantes propieda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault A C.
Xarope de ralfort lodado.
Empregado com successo certo em lugar do oleo
de ligado de bacaibo, tao desagradavel, to diffl-
I cil a digerir. E'o especifico o mais ceno contra
i as escrophnlas, o Ivmphatismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rheu-
as affecjoes da pelle, as
Uesejase fallar com o Sr. Joaquim da Fon-
seca Silva, na ra do Crespo n. 16.
A ma
Precisa-se de uma amajtorra ou captiva que co-
zinhe eongomme alguijia cousa, para casa de pou-
ca familia : quera qniter dirija-se a Tua larga do
Rosario a 38, primeiro audar.
PsvefanM de om eriade para servir em uma
easa de familia : oa ra da Cruz, primeiro andar
do sobrado 11. 3i.
Prevenco
O eseravo Severioo do ^r. Joo Marinlio Falco,
acha-shj(r(||ecado pela quaatia d-i 300, desde
o da 13 dejMieiro do crreme anno, cimiccnsta
da eseriatura publica ao cariarlo do Sr. Porto-
earreiro, roa do Imperador.
Precisa-se fallar aos Srs. Luiz Misrjfta de
Lonreiro Moraes e Manoel Joaquim Vieira Peixoto:
no armazem de Fernandos & Irmo tr.iv ssa da
Madre de Dos n. 13.
Precisa-so de um copeiro
rangeiras n. 10,'casa de pasto.
na ra das La-
Na ra do Raogel n. 60
uma negrinha com 12 annos
andar com criancas.
ha para se alugar
muito propria para i
Precisa-se fallar com urgencia ao Sr. Lino
Ferreira da Silva a negocio de reciproco interes-
se : na ra do Livramento n 23, terceiro andar.
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
todos os casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lhe lodos os principios vltaes qne
perdeu, seja pelos excessos, pelas affecc5es lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
Xaeope de quina vermelha fer-
roginoso.
On associaco dos dous poderosos remedios da
materia mediea que sao : o ferro nm dos princl-
paes elementos de nosso sangue e a quina que c
tnico e o febrfugo por excellencia.
Este deliciosa medicamento ag-adavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admiravcl as flores
brancas, dores de estomago, falta de appelite, po-
breza de sangue. Elle sobretudo til as senho-
rase as mocas delicadas, para desenvolver e ro
gularisar a menstaaco e suspender os effeitot
perniciosos das flores brancas, que sao a cauea de
tantas doencas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das torcas e da saude para os doentes enfraqueci-
dos pelo trabalho, os excessos, as affeccoes escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharo neste xarope um mer
dicamento sem igual, para fortificar e desenvolves
a systema osseo das criancas e os preservar da-
o le i cues escrophulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o primeiro lagar en-
tre as novas conquistas da sciencia, a pepsina pos-
sue com effeito a propriedade importante de fazer
digerir os alimentos quasi sem socrorro do esto-
mago, o remedio soberano das gaslrkes, gastral-
gias, das inflammacoes do estomago, dos ftgados e
I na ra : na ra das Tnnrheiras n. 40.
A pessoa que perdeu If em sdala, dando os
; signaes certos Ihe sero entregues : no pateo do
; Carmo n. 18; loja. ________________
Escripluraeo imrcantil.
Uma pessoa precisamente habilitada prop5e-so
fazer alguns trabaihos de escripturaeao, poriendo
ser procurada a ra da Cadeia do Recife n. 39, por
corta fechada com as iniciaes A. C. G.
Precisa-se de nma ama para todo servido de
uma casa de pouca familia : a tratar na ra Ve-
Iha n. Si. ____________________________
Na ra da Cruz n. 33, compram-se cdulas
das caixas Qliaes das provincias, e do banco do
Brasil, com descont razoavel.
na
Descontam-se notas do banco do
ra da Cadeia do Recife n. 22.
Brasil
cravosa fretes, para o* quaes tem bons comfnodos,
trata-se cora os seus consignatarios
publico, de Oliveira Azevedo & C.
Para o r Lo de Janeiro.
Sejrue nestes olto dias o brigue escuna Nao sei, que cllajtem de fazer sabir
Airnandade do Santissim > Sacramento
de S. Fre pe4r Goucal ves do Recife.
A mesa regadora da frmodade do Santissimo
Aatouio Luiz Sacramento de S. Frei Pedro Gongalves do Reci-
fe, convida a lodosos seos irmaos para compare-
cer na Igreja matriz, afim de encorporados acom-
panharenj a procisso do Senhor aos Enfermos
d'aquella igreja as-t
tendo dous tercos da seu earregamento i bordo: horas da manha do da 23 do corrente'.'
para o resto qu loe falta a eocravos a (rel, pana i O eservao,
os quaes (em boas commodos, Irma-Ge cqqj os seus i Antonio Gomes Miranda Leal,
consignatarios Antonio Lniz de Oliveira Azevedo
& C, no seu escriptorio na roa da Cruz o. 1.
Para U^bat-
A barca nortagueza Henriqueta, segu para Lis-
boa at o fim da presente semana : tem dous ter-
gos do seu carregamoato a bordo : para o resto
que. Ihe falta e passageiros,
Custodio Jos Alves Guimaraes tendo arre-
roatado as dividas da mass: fallida de Guimaraes
Irmo, faz scienle aos devedores da mesrna qne
elle o nico autorisado a receber ditas dividas e
por isso convida aos mesraos senhores devedores a
virem pagar seus dbitos amigavalraente nestes
18 dias, lindo es quaes tem de entregar a cobran-
seoho
para os quaes lera ex-
pelientes commodos, trata-se eom os seos consigna- 5a aeseu procurador, podendo os mesmos
tprlos Antonio '
seu escriptorio.
1 Lnlz de Oliveira Azevedo & C, no' res dovedores dirigir-se a ra do C/ospo n. 7, lo-
, ra da Cruz n. I. ja do Vigilante.
Precsa-se de um* ama para urna s pessoa,
que saiba engommar, coser e que lenha bom com-
poruelo : a tratar na ra do Imperador a. 11. ; ds intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas,
------------'''amI-------------------------'as piluites, o desgosto dos alimentos, e prestaprin-
Precisa-se de uma ama para lodo servico : na plmente um immenso servico as senhoras n'una
travessa das Cruzes 1. 2 onmeiro andar 1, > As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, vero sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e conva-
lecentes o sustento de sua saude e o reparador de
suas torcas; porque com uma boa digesto sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamento para curar a tosse, defluxo,
catarrho, grippa, irrita?o do peitoj anginas, dores
de garganta, coquelxa,etc.
Este delicioso xarope popular em toda a Franca
foi descoserlo pelos monges da abaadia de S. Jor-
ge, no Aojou, e actualmente preparado pelos Srs.
Grimaull & C, nicos propietarios da verdadeira
reeeita. Recommenda-se aos doentes que usero ao
mesmo tempo das deliciosas pa*Hlha petoraes ao
Tapugy de cima da comarca do Cabo a entregar a sorxe de alfaee de loureiro-cereja dos Srs. Gr-
seo senhor Antonio Joaquim Cavalcanti de Alfcu- tnaHtt&C, este expeliente remedio eomposto
querque ou a Jorge Clemente de Borba Cavalcan- a^ kS duas,substaneias as ais calmantes e ao
ti, na ra de Apollo n. 34, segundo andar, qne memo tempo as mais inolfensivas da materia ese-
ser gratifleado : desconha-se tamben delle estar ,jica e ^q contera opio
Injeeeo e capsulas iuiIco.
Estes dous productos qne eonstituem a mais re-
Quem tiver e queira alugar um molcque de
14 o 16 annos, fiel e activo, appareca na ra do
Trapiche n. 44. segundo andar, ou a'nnuncie para-
ser procurado.________________________
- Precisa-se por aluguel de uma preta escrava
de bons costumes para o servico interno de uma
casa de familia; na ra de S. Francisco sobrado
n. 10.________________________________
Xa Gamboa do Carmo casa n. i>, lava-se
chapeos de palha para senhoras e faz-se chapeos
de seda, vertidos e capas, e prepararse plumas,
todo por preco commedo.
fO Dr. rr.inclsco Pires
t-hado Portella
Na
m
O bacharel Loonmco Avelino de Albu-
S querque Mello continua a ter sen escrip- *
K5 torio de advogado nos auditorios e tribu ffff
Hnaes desta cidade : na ra do Imperadcr M
n- 40. m
mmnmmmmmmmmmmm
Acha-se fgido o preto de nome Gabriel,
crtoolo, de idade pouco mais ou menos 33 annos,
baixe e corpolento, rosto corto e barbado, pesco-
oocurto, otbos vivos e sobra.ncelbas arqieadas,
bocea regalar, dentes alvos, ps curtos e largos :
roga-se as autoridades vigilancia por se desconfiar
delle querer assentar praca no corpo dos volunta-
rios, ou a quem a elle pegar conduzir ao engenho
Medico operador
PELA
FAGl'LDABE DE PARS,
jJS regressando a esta provincia acha-se
prompto para o exerecio de sua profis-
x sao, qner nesta cidade, quer fora della,
PSJ especialmente em molestias de olhos (ca-
a* taradas etc.) das vios urinarias (estreita-
B ment de nrethra etc ) e de pelle, para
55R cajo curativo se jolga habilitado, atienta
j5 a pratfca que teve nos bospitaes de Pa-
S ris, e os modernos instrumentos que pos-
*J Pode ser procurado a quarquer hora |
^ na casa de sua residencia no patee do
j5 Carmo o. 2, esquiaa da ra de Hurta*.
wmmmmmmwmm
Marcelino Jos Lopes declara que ha niuilo
reside com sua familia n-fregnezia do Poco da
Panella, aonde tem votado, e nao na freguezia da
Boa-Vista, como sahio publicado oeste Diario.
m
comprado a om preto forro de nome Gnilhermino
SebBstliodo Rnjario, a 17 anuos, pouco mais on !
menos : pede se, portant >, aos senhores capitaes
de campo, tanto dalli como de outras partes, sua
captar as condicoes cima ditas. Dito eseravo
ja foi visto nesta cidade e no aterro dos Afogad &.
AMA
Prersa-se de uma ama perfeita cozwsbeirarf qae
compre, pcefere-se escrava : na ra. da Cruz nu-
mero 6&
cente o a mais importante nwdiacio para curar os I .," .. i"H7Tiirft"Ma4rni.> "
..;, -.,* j.i*0 ulknorac *> hn^.a Alagase a c.va o. na ru.i co.jasceou. a
tratar a ra da -adeia n. 62, segundo andar.
cornenlos e as molestias veneraos de horoem e
da mulher, sao exclusivaraeote vegetaes nao con-
tm mercurio, e sao pi parados com as folhas do
raatico arvore do Pern. N5o ha molestia conta-
gias anliga on recente que resista ao use desses
dous meios. Sua rapidez de acoo superior a .
9-0 t lado quanio se tem fcilo at hje. As capsulas,
souetro e ae conneumtnto a spa conaucia Minca cansam 0 estomago era os intestinos como
tejido alguOta .ftraJ.ua atettior^_________._ | as capsulas de copahylm, cubeba e outras ; a in
1- a padaria hornera de meta idade para caixeiro sendo
Precisa-se arrendar ou comprar urn sitio. jcco nanea produz o esireitameBio como aconte-
grande que tonh boa easa, e cojo terreno seja de com as Injeccoes com base metlica aconselha-
harro : a tratar na ra da Imperatriz n. 20, loja das at hoje.
. 1 Todos estes productos vondem-se as principis
Jos m Pharmaias do Brasil, agente para vender por ata-
loja
Sr.
Na roa da Cadeia do ReciJe
gens n. 44, deseja--e Tallar com p
Fernandos, a negocio de ioteresse.
DSe 1:600^ a premio sobre- hypotheea^m
bens de raix : na ma estreita do Rosario n. 10,
loja, se dir quem d. _____
-r- Precisa-se alugar ama preta que seja escra-
va para o servigodouma casa do pouca familia :
na ra Direita o. 74.
Prepara-se comida para fra com aceio e nl-
tinex por preco mais commodo do que em ootra
quakqaer pa-ie. tambem lavase e engomma-se :
na ra do Arago n. 3.
Caixeiro.
Na roa da Cadeia do Rerifo n. 28, primeiro an-
dar, h'dous meninos de 12 annos, proprios para
alguma loja de miudezas, ferragens ou fazendas,
elles nao teeprpratica, mas tambem nio se exige
ordenado em quan nao merecerem.
rasa de
ra os
Preeisa-se de uma ama para uma
pouca familia, para ppsinbar o comprar na
necessarios da casa : na ra Dircila n. 74.
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pernam-
buco, Caors & Barbos, na ra da Cruz n. 28, Da
Bahia, Lima & frmos ? em todas as boas phar-
rnacias do Brasil.
Deve-se exigir sempre i assignalura Griraault ^
C por que ha falsificares perigosas.
Vonde-se na botica fraoceza ra do Imperador Precisa se de uma criada
n. 38. 1 redor do Rispo n. 24.
Precisa so de uma criada rara engemmar :
no armazem do Vicente Ferreira da Costa & Fi-
Iho, ra da Madre de Dos.__________
na roa do Cor-
J


-
4

i
Uri# -


II AMO I\IAO
_____SECiplODE EGUROS MI TIOS DI! %1DA
Demonstracao do moviraeoio desta seceo desde o 1 de erjlubro a 31 de dezembrt de 1864.
--*-
Designantes
NCMKRO DE
tocios.
Transporte do ulti-
mo trimestre
Subscripcao no pre
sent trimestre
Prestacfies receta-
das dem.......
Porcentagens por
atraso dem
Juro de insenpco _>
dem..........
Iuscripc5es compra
das a 46 Vs-
luscripcoeicompra
das a 46 /,....
InscripcSes compra
das a 47 /
Somma^.
> .
SOI
|s
o
-22
CAPITAL SUBSCRIPTO.
5727
227
5954
838
780
618
6565
1007
7572
I

I
3
i
2,118:9905000
92:170*0001
282:6155000
214:235#000
2,208:160*000
I 2
8
3

496:8704000
2,398:605*000
306:425*0001
2,705:030*000
CAPITAL BAUSADO.

489:127*200
72:830*000
2:882*950
7:594*500
72:434*650
1
3
g
00
I
67:228*000
65:375*900
1*500
2:004*000
134:608*500
556:355*200
138:805*000
2:884*450
9:598*500
707:043*150

*. .
CAPATAL MPMGADO.
Valor nominal em tnsoripcots.
Es
I a
3
i-;
3"
Metal.
3
o
O
00
o
00
a
3
e.
991:300*000
1:600*000
50:000*000
26:000*000
1,068:900*000
133:600*000
40:750*000
20:900*000
195:250*000
1,124:900*000 489:158*805
42:350*000
50:000*000
46:900*000
746*000
23:250*000
12:220*000
1,264:15O*O00|525:374*885
66:101*125
18:993*690
9:823*000
94:923*815
555:260*010

JsB*<3k>
Precisa-se de urna ama forra on escrava para o
servlcode pequeua familia : no principio do Cor-
redor d oBlspo^nonacasadladoes^aerdo.
Alagase urna prtta timpa coo abundancia
de leile para casa de familia: a tratar na roa lar-
ga do Rosario n. 26, loja.
Aluga-se urna mulata de meia idade, sabe
cozinhar bera e engomma soffrivelraenle : a tratar
na ra larga do Rosario n. 20, loja.

VEMEM-SB
Fenta dos Prazeres.
O encarregado dos festejos de N. S. dos Prazeres
faz scleote aos devotos da mesma Senhora
festa ser feita com toda a pompa no
preseate ; bavendo missa ponlilical feita pelo fe-
verendo abbade do convente de S. Becio ; son-
claindoo festejo coro nm fogo de vista.
Ensino em engenho
De primeiras letras e tambem do latim, francez,
ingle/ e rbetorica, por preco commodo : no escrip-
tono do Sr. Dr. Diodoro, ra do Imperador n. 81,
primeiro andar, achar-se-ha con quem tratar.
candes vasias aratrUs tara aahilei-
ros e unileiras a 1,760*8.; a tratar
esta elfieiaa,
Pharmacia.
Vende-se urna botica nesta cidade com algum
fundo e boafreguezia : quem a pretender dirija se
a roa do Imperador n. 36, que ser informado.
lez Mariano.
Anda est i venda na ra do Imperador d. 15,
T. m defronle de S. Francisco, a rica edicao do mez Ma-
riano, ornada com eslampas e vinhetas, eencader-
nada, por 1* e 1*500 cada livro.
No escriptorio de Claudio Dobeux vendem-
se foguetes eom nova eomposieao de mistos para
matar formigas; nova deseoberta, e mais evi-
dente que as antigs velas mistas : preco 500 rs.
cada nm.
Vacca de lelde.
Vende-se urna muito boa : na ra do
n.434.
Vende-se ama escrava que lava perfeitamei-
te, engomma sofTflvel e costana : a tratar na ra
Peno, 31 de dezembro de 1864.
Os directores do Banco l'nio.Jos de Almeida Campos Jnior, F. M. van der Niepoort, Jos da Silva Machado.
Approvado pe junta de vigilancia era sessao de 11 de Janeiro de 1865.
Justino Ferrara Pinto Basto, vice-presidente, Visctnde de Figueiredo, Agostinho Francisco Velho, Francisco Antonio de Lima, Antonio AdrtSo da Rocha secretarlo.
N. B.Desde o 1* a 11 de Janeiro tem navido o seguinte mov ment na subscripcao :
SOCIOS. v CAPITAL.
Em 31 de dezembro..... 7572..... 2,705:030*000
Do 1* a 11 de Janeiro.... 205..... 42:425*000
Est para alugar-se orna casa terrea na re*
da Gloria n. 14, om 1* e 2* andar de um sobrade
na ra do Rosario da Boa-Vista,quasi no pateo da
Santa Crnz, e urna mei agua na estrada de Jlo do Livrameoton. 23, primeiro andar.
19:745*690 de Barros,com arvoredos, agua de beber,e portao
para becco do Comba I: quem pretender falle
23:250*000 naruadasCruzes, sobrado n. 9. das9horasda
22043*000 mann5aal asmeiodla._____________
_____. Aluga-se a casa terre a n. 105 da ra de San-
620:298*700 ta Bita na ra da Aurora n. 36.____________
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pouca fami-
lia : a tratar na praca do Corpo Santo n. 17, ter-
ceiro andar.
Hospicio
Total.
7777..... 2,747:455*000
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSICftO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60-Bua da Cadeia do Becie-N. 60
Todos os artigos abaixo mencionados, foram comprados recentemente pelo deno do estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmiogham, Manchesler, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores condcoes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mni principalmente por querer lnteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com aniantes, como botdes, anneis, rosetas etc:, e
bem asm, diversas obras de ouro, como traocelins, correntdes, oculos, face-mains, anneis, e muitos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Delettrez Parfumerie da
mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Moopelas, Mailly, Regnier, P. Goeland, e inglesas de Eug.
Rimmel e outros ; ricas galanteras em marital, mar de perol, etc., fabricadas na China e no Japao;
ricas pecas de cristal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem a-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de cen-
slos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
etc ; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nboras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para jantar, e iromensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc. ; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cem sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C., para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movlmento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou ss loes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosraoramas com
vistas novas, diae noite ; stereocopios de nova invencao e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos finos para chancas, e nonecas fallando papai,
mami ; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere
cido toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galn
terias feita? de crina e seda proprios para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
MDANCA
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaos.
que moma na ra da Imperatriz em casa do marciieirs poirer i. oo, pre
viae ao respeilavel publico e a todos as seis fregnezes em particular, que
miidou sua nftfyina para a m da matriz da Boa-Vista' b. 36, onde se acha
prompto para fazer o que compete a sua arte de fundidor e machiaista.
AZEITE DOCE
Azeite doce refinado em pequeas latas a 580 rs. a garrafa : no grande armazem
da Liga.
uunufao
Saceos de 80,100 e 120 libras a 44,40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
Vinhos d0|| Porto finos
engarrafados embarris ean-
coretes:
Precisa-se de 400$ garantidos em predies :
annuncie._____________
300000 Attenco 300000
Dao-se 30$ de gratificado a quem descubrir ou
indicar onde param dous cavallos que desappare-
ceram na noite de 18 para 19 do crrente da cam-
pia da Villa-seca (da Estrada Nova;, um dos di-
tos cavallos cor castanho, pequeo, calcado dos
ps, tem duas costuras no peito, anda nao tem
pello, o outro do mesmo pello, ossudo, feio e
grand*, tem no casco da mao esquerda urna pe-
quena falha, e marcado na orelha esquerda :
quem delle der noticia dirija-se ao mesmo local.
Perdeu-se urna caixinba de papelo com 11
lencos de seda para pescocp, da ponte nova do Re-
cife a rua da Imperatriz : quem acbou e quizer
restituir leve a rua da Cadeia armazem n. 62, que
ser recompensado. ________________
Precisa-se de urna ama forra ou escrava dan-
do-se preferencia a ultima, para comprar e cosi-
nhar : na rua das Cruzes n. 35.
Andr Xavier Vianna, Innocencio Xavier
Vianna Sobrinbo, convidara a todos os ami-
gos, inferiores e guardas nacionaes, que se
dignaram acompanhar at ao cemiterio pu-
blico os restos mortaes do fallecido Sebas-
bio Rodrigues de Almeida, para assistirem
urna missa que mandam rezar no da 24 do
crrente, pelas 6 horas da manbaa, na ma-
triz do Corpo Santo.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas iiaes: na praca da Independencia n. ii.
Domingos a Ivs Matheus mudou seu
Aluga-se o segundo andar do sobrado n..62
da rua da Guia, pintado de novo e con commodos
para grande familia : a tratar no primeiro andar
com o fundo preto e de outras de todos os santo?, dis'com figuras e ditas com novas paysagens para | nZSkJTSSSS^ bacharel Francisco Luil
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de christal, proprio
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; entelara fina, come lalheres com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ra-
me, doces, confeitos e cbocolite em caixinhas e em vidros; camas de ferro de|todos os tamanhos, lava-
torios, etc.; ricos qoadros paracartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos escriptorio para a rua O VigariO n. 14
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baler ovos, proprias I
para quem faz po-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
pannos para cebrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores, |
malas, etc.; sortimento de vtoloes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galaotarias e outras pecas |
de charao para toillette ; machinas para varrer o chao, excedentes machinas para pbotographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baldes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminacoes moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senboras, proprios para quem
toma hanhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
que para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
"5#'M0
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de otiroe notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
al mil francos: vende-se barato no Recife rua da Cadeia n. 10, no armazem da Exposicao de Londres.
Hotel Traviata
Rua larga do Kosario n.
Paga-so
Por um perito cosinheire o6000
37.
<
<<
O
2
9"
Si
s
o
Para completa liquidacao vende se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lnblo, Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em ganafinhas e
vidros de differentes modelos, bs para limpar denles, banha em potes e era vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumarlas para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposicao
de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
- ^ '
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele-
gante al o presente : vndese por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Luvas
novas de Jouvin.
Veniem-se excelleotes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para hornera co-
mo para senbora por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposicao de Lon-
dres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
DE PARS
19 RUA NOVA 19
Frederico Gautier, eirurgio dentista.
De volta de saa viagem a Europa, uonde tomou conhechnento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparaces empreadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar o respeitavel publico em geral e.aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto aoseu dispor para todos os misteresda sua pro-
fisso, advertrtelo quetrouxe om immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem,
instrumentos novo, ferramenta moderna, cadeiradeoperacoes, etc., etc., dos mais acre-
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatoro possivel, espera continuar a merecer toda
a confianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manhS atao meio dia com cer
teza e as 4 horas da tarde quando nSotiver de ir em casas particulares.
Aos briosos pernambucanos
voluntarios da patria,
Eugenio & Mauricio
Photographos rua Nova n, 25.
Desojando facilitar aos Srs. voluntarios a occa-
siao de dear seus retratos a suas familias e ami-
gos offerecem-lhes de fazer-lhes retratos em car-
tees de visita por metade do preco dos particula-
res ou 65 a duzia.
CASA DE BANHT
Largo do C armo numero 26.
Este estabelecimento lio bera montado na sua
origem, achava-se de a muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de >ua adminis-
tracao.
Boje que o novo preprietario emprega todos os
meies para restabelecer a grande utilidade desle
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concorrenles acba-
rao desde j promptidao e aceto nos bonhos frios,
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra a berta todos os dias das 6 da manbaa as 11 da
noite.
Precos.
1 banho fri ou momo......500
1 dito de farello........1,5000
I dito medicinal ser segundo a qualidade.
25 candes.........105000
1 S ditos..........55000
Precisa-se de dous amassadores entendedo-
res : na padaria de Jos Nunos de Paula, em
Olinda._____________________________'
Precisa-se de um menino de 13 a 14 annos
para caixeiro, prefere-se portugaez, ou brasileiro
natural dos arrabaldes : na rua de lionas n. 1,
fabrica de charutos.
"SJOlD'AGOM*.
O secretario da contraria de S. Jos d'Agonia
convida a lodos os irruios a comparecerem do-
mingo 23 do cerrente no respectivo censistorio,
pelas 10 horas do da, afim de em mesa geral ele-
gerem os novos funecionarios que tem de reger a
contraria no anuo de 1865 a 1866. O secretario,
Manoel Francisco dos Santos e Silva
Precisa-se de urna mulher idosa para comprar e
cozinhar para pouca familia : na rua da Prala nu-
mero 3. _____________
Eseola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professora parti-
cular de inslruccao primaria, competentemente au,
torisada- pela directora da instrnecao publica.
abri sua aula na maPireitan. 60, segundo andar
Quera precisar de urna pessoa para um en-
genho a vapor para se encarregar do machinismo
e outros servicos, dirija-se a rua da Praia n. 31.
8*MBBMK
Aluga-se o quario andar da casa da rua jg&
do Imperador u. 54, cora cemmodos para a
Aluga-se o 1 e 3' andares do sobrado da
rua da Cadeia do Recife n. 36 : a tratar no ar-
mazem com o agente Olympio.
Lagrimas do Douro.
Duque do Porte.
D. Lui.
Menezes.
Particular.
Vinbo real e muscatel
19, primeiro andar.
na rua do Yigario n.
Vndese trescarrocas para boi, duas ditas
para cavado, dous carros para conduccao de ge-
neras de estiva en outro qualquer misler, todo em
born estado, e por preco| commodo, por seu don-
querer acabar cora esse;D>gocio ; a tratar na rua
do Sebo n. 54, taberna
Em casa de Tisset Freresrua do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho lie rdeaux em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Ditod- Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee. _________
_ Na rua do Imperador n. 28 vendero-se supe-
riores bichas hamburgoezas em porcao e a reta-
Iho, e tambem se alngam.
VINHO VERDE
puro, de Basto, em barris de oitavo e dcimo : ven-
de-se na rua da Cadeia n. 17.
___________PBApA DO RECIFE.___________
Vende-se o sobrado de dous andares e solio
n. 36, na rua da Imperatriz : a tratar na rua do-
Imperador n. 54, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama seca para casa de
pouca familia e estrangeira: a rua da Cadeia do
Recife n. 52.

COMPBAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fern ira & Matheus, na roa da
Cadeia do Recife n. 66.
familia : a tratar na rua do Rangel n". 54, __
JES assim como vende-se urna bonita mulata mu
s cora habilidades de cozer e bem arranjar 9
I urna senbora, e especialmente de engom- M
5 mar, sendo qae vende-se, porque a pes- S
91$ soa de quem ella relira-se para fra. WS
! *S**9*S!*
Os abaixo assignados tendo arrematado as di-
vidas da roassa fallida de Joaqolm Vieira Coelho
t C, fazem sciente aos devedores da mesma mas-
sa, que elles sao os nicos autonsados a receber
laes dividas, e por isso pedem aos mesmos senho-
res devedores a vlrem ou mandaren) pagar seus
dbitos amigavelmente : na rua da Cadeia do Re-
cife n. 3.
Jos Joaqnlm de Castro Moura.
Joaqniro Beptista de Aranjo.
Na praca da Independencia loja de ourivesn.
33, compram-se obras de ouro e prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda e todo e qualquer concert.
Compra-se ouru e prata em obras velbas, pa
ga-sebem: na loja de bilbetesda Praca dalnde
dendencia n. 22.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
ohras velhas, pagando-se bem: na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Corapra-se um escravo cezinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da rua da Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro ruado ve
Iho: na fundlcao da Aurora, em Sanio Amaro.
de primeira qualidade, em la-
tas eem garrafas: no pateo do
Terco n. 1.
Madapolo a 5^500
a pera sem avana e algodaozinbo a 45 : no arma-
zem da Estrella largo do Paraize n. 14.
Vende-se azeite de campal a 480 rs. a gar-
rafa e 35800 a caada : no armazem da Estrella-
largo do Paraizo n. 14.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da jnelhor qualidade a
lid a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Novon.8.
Vende-se um balcao de amarello, assim co-
mo um par de fitelros que serve para loja de fa-
zendas ou oulro estabelecimento, tudo novo e bem
feito : para ver e tratar defronle do convento do
Carmo, offlcina de Manoel Malaquias -Jamargo.
Compram-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na rua do
Compra-se urna escrava que saiba cosinba,
e engommar : no segundo andar do sobrado n. 2
esquina da rua de Borlas.
Compram-se soberanos
Neva n 42.
na rua da Sen zal
Compra-se urna escrava de meia idade, ro-
busta e aera vicios : quem a tiver dicija-se a rua
de Santa Cecilia, casa n. 17, que se dir quero
compra._________________
Cobre, laiao c clmmlm.
Comprase cobre, lati e chombo : no armazem
da Ijola amarella no oito da secretaria de polica.
Pede o abaixo assignado, morador na rua da
Praia, que muito deseja fallar com os Srs. Manoel
Jeronymo de Albuquerque, Alexandreda Silva Go-
mes, ambos moradores fra desta eidade, a nego-
cio qce Ibes diz respeito.
Claudino do Reg Lima.
AOS PAS DE F MIL IA
Feijo mulatinho a 560 rs, a cuia. ;
Pela grande quantidade e a prohibido qae ha de Tse poder expr as ribeiras se
vende por este preco, o feijSo bora e o preco agrada a todos na rqa dos Quarteis p.
22, junto a loja de funileiro.
-----Precisa-sede um criado forro ou escravo :
a tratar na rua da Madre de Dos n. 36, primeiro
audar, das 9 as 2 horas da tarde.
;^#*:******______
at O bacbarel Alvaro Caramba T. da Silva
^ lera seu escriptorio de advocacia a' rua
jjf do Imperador n. 41, primeiro andar, on-
mi de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
g; Em qualquer outra occasio sera' encon- S
j|| irado na casa de sua residencia a mesma 9m
)m rnan. 3, junto ao Gabinete Portugnex.
Consultorio inedieo-eirnrgico na rua larga de
Resario n. 20.
O Dr. Jeao Ferreir da Silva rogressando asna
casa, contina em o exercicio de sua proflsso nao
s na parte medica como tambem na cirnrglca.
Aluga-se nma casa terrea nos arrombadog
em Olinda, com 2 salas, 4 quartos e nma grande
cosinna om portao para o rio : a tratar no arma-
'spm do Annes defronle da ajfandega.
. O bacharel
Francisca Angosto da Costa K
W ADVOCADO ^
H Rua do Imperador numero 09. m
mmmm mmm mmmmmmm
Samuel Power Johnston k Companha
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
l'undlco de I.ow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreies d carro para um'e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descaro^ar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmmmmmmmmmm
bacharel Jos Baplista Giliranag
advoga nos termos do Bonito e Caruar. M
Pode ser procurado na villa do Bonito, 5
a Direita n. 16, defronte da cadeia. fl
mm mm mm WtWUmSmmm
A lupa m se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
cora jardim, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Libras sterlinas.
Compram-se a 952O0 : no escriptorio do largo
do Corpo Sanio n. 4, primeiro andar.
Compra-e um cavallo que seja novo e ande
de baixo a meio : a tratar na loja da rua do Quei-
raado n. 18.
Jornaes para embrulhe
Compram-je jornaes para embrulbo a 140 rs. a
libra ; na aaiiga fabrica do cigarros, rua do Quar-
tel de polica n. 21._____
Compra-se
nma escrava que seja de boa idade e sadia, sem
vicios ou molestias, e perfeita cozinheira : a tra-
tar na rua da Cruz n. 68. _
Compram-se libras sterlinas a 95200 : na
rua da Cadeia do Recife n. 30.
Cognac.
Vende-se o verdadeiro e muito acreditado cog-
nac da marca C II, em pequeos barris : em casa
de F. Soovage" & C, rua da Cruz n. 20.
Compra-se um sobrado as seguintes ras :
Imperador, Crespo e Nova : a tratar com o agente
Euzebio na rua da Cadeia armazem n. 56.
Compram se moedas de ouro de qualquer
qualidade, e patacSes mexicanos : na rua do Tra-
piche Novo n. 42.
VENDAS.
rua
A luga-se
umacasa acabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta, no Ingar do Poco
daPanella.ruado Rio: a tratar com Tassoir-
raaos.na rua do Araonra n. 38. ________
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porlo.
Braga.
Vianna.
Gulmaries. ~
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
ALMANAK.
Acaba d sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Instrucc5es para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a 10.
Atenqao
Vende-se superior vinho do Porto em eaixas de
orna duzia ;em casa de Johnston Pater & C. roa
do Vigario n. 3.
Chromacomo
A agnia branca, na roa do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimenlo de caixinhas cora
chromacomo para tingr cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,.
e onychromantina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeilo rpido e efficaz, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quantos della tem
usado, e os que de novo a quizerem apreciar, po-
den), assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro rua do Queimado, loja d'agua branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba de ohegar para a loja d'aguia branca, na
rua do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mu fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas. .
Aspas dt baleia para vestidos.
Vandemse :na rua do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'aco ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, scaba de-
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres A C, assim como as
verdadeira* blco de lanca n. 134 e outras de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com taotoque o comprador com-
pareca munido de dinheiro : na rua do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ha a veuda pastas para papis.
A aguia branca na rua do
Queimado n. 8, recebeu :
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de guaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conUs-
grossas.
Pulceiras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madrcperola. -
Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de |madreperela redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intercos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.____________
Vende-se um cavallo gordo, anda de baixo a
meio, e dous sellins com pouco uso : na rua do
Cotovello n. 28.__________________________
Vende-se a taberna da rua dos AcougihoV
n. 20 : a tratar na mesma.
Vende-se ou permuta-se por casas nesta pra-
ca nm expeliente sitio em terreno proprio, na es-
trada de Santo Amaro, passando a ponte do Ma-
duro o segundo do lado direito, o qual pode ser
examinado pelos pretendentes em qualquer hora,
do dia : para negociar-se na praca da Indepeo-
dencia n. 10.
0 GASTELLO BE GRASYILLE
Traduzido do fraueez per A. J. C. da Crii.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 250O
na praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8.


'

**i MWrtrWf gJW*%mto*to*** **
LIVRMIA ACADMICA
J. W. DE HEDEMOS.
A" rna Unnerarinr? m. 19.
E6 MttMecime*) aoaba da receber as se-
guiles obras:
Diecloaino do bom foslo ob cnoia lioguagem
da Hores era versa rimado, contend jogos, po#-
lias e o secretario de cupido ou novissimo correio
dos amantes, mais correcto e augmenlado cora ar-
tigos Dorse o emblema das cores pelo qual con
daas flores, fructas, etc., etc., podera qualquer
pessoa enviar ara recado completo a quem amar.
1 vol. elegantemente encadernado cora as oihas
douradas e dentro de urna caixinha, edlceao
de 1865...........**>0
Novas cartas recreativas e doutrinaes de um
pai a seos filh >s para Ibes inspirar o amor i vir-
tode, por F. Haffmann, traduiido de allemao com
8 lindissimas Bravuras coloridas, ediceio de
186o. '.......000
Tbomaz Alvas, anootacdes ao codico criminal,
ene............9*000
Manoal ecclesiastico ou colleccao de formlas,
pelo padre M. T. da Silva, 1 vol eoc. 6#000
Compendio elementar de geographia geral e es-
pecial do Brasil por T. Pompeo, 4 edic. augmen-
tada e cuidadosamente corngida pelo autor, 1 vo-
lme encadernado.
Grammatica franceza por Borgain. 4' edictto
de 1865, 3 vol. ene.......6*00
O Novo Mei de Mara, contendo alm de muilas
oracSes importantes e abe das almas, 1 vol. ene.
edic.de 1865. .......JOPO
PILULAS
Ha para vender
Pinho, pian, mais pinh. uiho pinho,
piabo, rea da Praia, baje, roa Nava
de Sania Rita i. 17.
789-^-10 e 11 pollegedas de largura
De 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e com todas as gres-
suras : cheguem ra Nova de Santa Rita
n. il, serrara de Jos F. Coelho.______
Atiendo.
Loureiro Santos & C, acatara de receber da Eu-
ropa pelo vapor, um lindo sortimenlo de enfeiles
pretos, proprios para a quaresma, eneites ainda
nao vistos tm Pernambuco, pelo preco de 5, 69,
lOfi, 12) e 20$, bem como gro&denaples preto, mo-
reantiq, capas de grosdcoaples, e soutbambarqoes
de roesrao ; tudo por preeos mdicos: roa do
Crespo n. 14, junto a loja de louca.__________
Colares Boyer
od colares anodines elctricas castra as cenvulsies
das criase.
O bom e proveitoso resultado que as criancas
ebtem na denticao. traiendo desses colares, Ja
bem conhecido, e por isso se tornara baje indis-
pensaveis porque assim teem os pais incoBtesta-
velraente prevenido o mal: esses colares vnden-
se tambem narua do Queimado, lojad'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porcao e a retalho :
na roa do Queimado,loja d'aguia branca n. 8..
i Bonitas trancas, franjas
e gales arelas para vessides,
A aguia branca recebeu novamente um bello
3
O
o
O
55
0 NOVO GERENTE
DE
VEGETAES
DO
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo tempo innocente, efficaz sortimento de eneites pretos para vestidos, sendo
e dicno de toda a confianca. bonitas trancas, franjas, galOes e bicos pretos, etc.,
a nilnlae mi nra nn>rece- assim como botoes enfeitados de vidrilhos, eou-
AS pilUias que Ora oneret* tm mnitos nffitM de diTereIes cores, conti-
mos ao publico preencliem estas nuaBd0 a agDia branca na ra do Queimado [n. 8
COndices ; pois pdem ser to- a vender tudo isso por preeos commodos.
madas pelas pessoas mais iracas. Bonitas CaixinhaS
sem perigoalgum, nao leude eme#Bmils.ca geffl ^ pjr> C08Ura> e oulm
igualmente lindas com perfumarlas finas.
A aguia branca na roa do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para
costura,e ootrascom perfumaras finas, e conti-
na a vende-las baratamente.
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo i sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
eficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas explorara e purificam toda
a extensao do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes do organismo, corrigiudo
sua accao viciada e fazendo recuperar sna
vitalidade-
Um remedio inestimavel contra dr de
XAROPE
deLABELONYE
(Jhegaramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a roa
1 do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
1 cellos & C._______________________________
cabeca nervosa, enxaqueca, prisao do-vm-\. -.Tesouras de Gu.mares na logtans e ca-
wwy,* nctvuBu, *v" f j belleireiros o costoreiras : vende-se na ra da Ca-
ire, hemorrhotdas, molestias do figado, fe- deia do Recite 0 44 |o|a de ferraens.
bre gaslro-hepatica, e todas as molestias
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na inflammacae d'este orgao que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgos diges-
tivos.
A Ictericia
produzida pela absorpeo da bilis no
sangue, dando pelle e aos olhos urna er,
amarellenta ; nao smente dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhas, isto bastante para mover-
0 ventre smente at que se recupere a ac-
co s5a do syslema.
Mal do figads, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigestao, a necralgia
ou tic doulcureux, sao todas molestias que
tem seu comeen n'um desarranjo da bilis.
A observar*) dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula depois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pbarmacia franceza de Man-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Ra Direlta I&
RIO DE JAMURO.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaeia franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 48.
Kaprtcado coa inrtriaiel sncctiit desde 30 um
>eU Mediesj de tooi 01 ptnii contr i moluu
rgaaieas u mfe* erfioica o eartfi, u irersu kj-
drpiiin 11 ntior ptrte du neltitiu de peite e dei
kreackiei (pMWMftiu, etttrrhoi futmonans, askmtt,
imfamm(Mi ntrtttcs dosbrtnckies, cttarrhtirai, ck...
O xAKerx de labelonye ale se vende tente
gimfts eem rotnlu de cor fechada* ce mi chapa
meado a firma de iaventor.
> PAn, roa BnrnVlllcrc, 19.
Deposito ?eral em Pernambuce ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contriboe poderosamente, cora a agua de Flo-
rida aforca, a belleza e a conservaciio dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaur n. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Monlroartre.
Todos os frascos nao tendo iniacto e clare, e tin-
clre prateado da rasa, reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmaeia n. 38.
AZEVEDO FLORES
Ra da Odeia do Recita, esquina da ladre de Deis.
Prestem attentfo a discurso do Balo.
. Nesle estabelecimento todos os freguezes encontraro igualdade de direilos, o
agrado que fazemos ao rico fazemos ao pobre, ao menos empenbamos todos os exforcos
ao nosso alcance para agradarmos em geral.
Os nossos preeos sao os ma'.s mdicos como sejam:
Chitas largas escuras muito soffriveis 80, 300 e 320 rs.
Ditas largas e finas padroes novos de 400 i 500 rs
Ditas largas preclaras a 500 rs. s na loja do Balao.
Cambraias de cores com quadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
dem lisas tapadas e transparente de todos os preeos. -
Madapolao de 8 a peca que em outras lojas se vende por 9.
Temos tambem muitos outros madapoloes de diversos preeos, assim como te-
mos madapoiDes francezesde 14 e lti> a peca, inclusive uma-qualidade espocial para saias
de senbora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forro de vestidos
Laa preta para luto, e de todas as mais cores.
Las com o assenlo escaro e llores matizadas fazenda muito moderna e fina qua-
lid de.
Meias pretas para senhdra e horaem.
dem cruas inglezas pa.-a bomem o melbor que lia de 70 e 8A' a duzia.
Camisas de 26500 que valem 36, temos muilas outras qualidades de diversos
preeos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito finas a 55 ou 55$ a duzia.
Camisas de meia muito finas de 206 e 256 a duzia.
Collarinhos de papel de cores e braceos assim como collariobos de linho ingle-
zes a 500 rs.
Temos um completo sortimento de gravatas pretas e de cores.
Ceroulas francezas muito boas a 16600.
Cerclas de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita de casrairas e de brins.
Camisas de flanella de cores a 36500, 46500 e 66.
Baloes de arcos a 36 e 356 a duzia as de panno e de arcos para meninos de 26
a 36500.
Chapos de sol superiores com i 6 asteas a 126.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer caiga e collete.
Vestidos a Maria Pia a 186 e sao matisados.
Ilamuitas outras fazendas assim como grosdenapies emoreanti que.
Leos brancos j abanhados.
dem finos para rap.
Cortes de la a 56500 com 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 36 e 46 cada um.
Brim branco a 16300, 1,500,26 e 2500
Bramante de urna largura para lences e toalhas.
Brim de Hamburgo fino e grosso.
Alpaka preta e branca.
Biim pardo.
Casemira e panno preto fino, tudo isto por prego baratissimo na loja do
Euzebio Raphael Ra bello tem para vender
em seu escriptono, ra do Trapiche n. 44 :
Velas de cera.
Vinho Collares em ancoretas.
Vinho de Lisboa puro em ancoretas.
Vende-se excellente propriedade da ra Im-
perial n. 164, freguezia de S. Jos, tende 330 pal-
mos de frente e mais de 1,200 de fundo, no centro
do qual ha urna grande casa terrea de pedra e cal
com muitos bons commodos e alguns arvoredos de
fructo, precisando raetade do fundo dealgum ater-
ro : o Sr. capitalista que lizi-r esta acquisicao tem
alm de predio, terreno para edificar um grande
numero de casas, j com frente para a referida
ra, j era outras que passem por dentro da mes-
ma propriedade, que ftpr ter embarque offerece a
iramensa vantagem de-facilitar a cmducco dos
materiaes, que sero despejados em cima das
obras: quem a pretender dirija-sc ao mencionado
predio, ou a ra do Hrum n. 57.
Vndese urna escrava crioula, moca e ro-
busta sem vicios, por prego muito mdico : na roa
Imperial sobrado n. 87.
Vende se
ama eserava boa cozinheira, faz doees, lava e en-
fomma alguma cousa, se dir o motivo da venda :
a tratar na ra do Imperador n. 41, armazem de
loaca.
Vende-se urna machina de copiar carias, 1 moi-*fJ!
nho de moer caf, 1 balanca ingleza, latas de gaz,
vasias. herva malte a 160 rs. a libra, velas de es-
perraecete a 600 e 640, carnauba 440 e 480, pas-
sas a 400 rs., vinho de Lisboa a 320, 4C0 e 480,
Figueira 500 e 560, branco 500 e 560, Porto 640
e 720, louclnho de Lisboa a 320 e 400 rs., batatas
a 2,5700 o gipo, e 100 s. a libra, arroz superior a
100 rs., caf 1' sor te a 260 e 280, azeite doce a 560
e 640, cha 2560, dito' preto 1%500, sabao massa
superior a 200 e 240, ceblas a 15 o cento, fari-
nha do Uaranhao, alpista, manteiga, banha de por-
ro, e outros muitos gneros quer em porcoes como
a retalho mais barato do que em outra aualquer
parte, com o dinheiro a vista : na roa Direlta n.
72, armazem ailencioso.
Hubilias e escravos.
Urna familia que se retira para a Europa vende
I negro peca e 1 negra de 24 annos que cozinha
e lava com perfeicao,2 mobilias de mogno, 1 guar-
da-vestidos, I cama franceza, 1 dita de ferro com
eolebao de molas, 1 aparador, mesa de jantar, 1
toncador, lavatorios, carteira, quadros e muitos
outros trastes, 1 grande vlveiro do passaros, vasos
com crawiros, etc.. todos os dias otis das 10 ho-
ras da manha as 4 da tarde, na ra do Sebo nu-
mero 35.
O
Urna familia que se retira vende urna mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louca de
alrooco e jantar azul, orna mesa de jantar de ama-
rello ps toroiados, mesas pequeas, commodas,
cama de tsale muitos outrx>s objectos o que tudo
se vender em conla : na roa dos Pires n. 62.
Cal migas finos e brlnquedos
para meninos.
Chegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais Anos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
omento de miudens.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melbor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 26400, 26600, 36, 36500, 46, 56, 66,
76 e 86 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda."
dem preta lies, anhola.
dem idem lavrada a 26 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple prelo a 16500,16800, 26,26500, 36,
36500, 45, 46500 e 56-
Pannos pretos de superi >r quadade de 36 a 126 o covado.
Casemira preta de 16600 a 56 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidde na lija dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
MACHINAS DEPA'EiVr
de frabalhar nao ais
Palelots o1J20l
S5o de brim : n loja da ra da Madre de Dos
n. 16, defronte da guarda da alfandega._______
' Vende-se urna taberna com poneos fundos,
ou mesmo com aquelles que convier ao compra-
dor, muito propria para qualquer principiante por
ser de pequeo cosleio e eslabelecida cm urna das
melhores localidades da ra Direita, e bem afre-
guezada para a trra : a tratar na mesma roa nu-
mero 22.
*~ Arrz con csca
Vende-se saceo de arroz cora casca com 20 cnias apurado gosto da Europa.
a n o sacco na ra Direita_n. 69, padaria.------ ----------------Muhiaas par. algadio
t Vende-se urna machina de 18 serras c 1 moto-
res para 2 e 4 cavados, um americano e outro in-
gles, para mover daas ou mais machinas de algo-
ido, cylindras de padaria e de moer mandioca, e
r t O r % Ujpt, outras quaespnpr machinas para agricultura; ven-
nara reslabelecer e conservar a eor natural dos ca- de-se por um preco mdico e muito mais barato
beos. Qoe em ontra qualquer paite para liquidar : a ver
A agua de Florida nao 6 ama tintura, [acto es- e tratar na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
Francisco Jos Germano
RA VOVl X. 91,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
AGUA
DE
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De ama aalabridade inconlestavel, a agua de
Florida entreten] a liropeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cabir.
Farello
em saceos grandes com deas lmannos de outros
qnaesquer a 4*800 ; na ra Jarga do Rosario ir
50, taberna da esquina.
caes do Ramos.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do A C, no sen esrriptorio ra da Cruz n. 1.
Follia de Flandros,
Vende-se em caixas, em porcao e a retalho da
melhor marca um X, mais barato do que em ou-
tra qualquer parle : na fabrica da travessa do Ca-
rioca n. 2, caes do Ramos.
Vende-se urna porcao de terreno encravado
no sitio da Torre, no lugar de Belem ; quem qui-
zer dirija-fe a roa $Q Cabuga d. 2.
Preeos que admira.
Sapalosde tranca superiores pelo barato preco
de 1S o par, c andiz 10* : no vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as larguras,a peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 600 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Colchetes em carian de nma e duas carreiraa
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs.cada
carto, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, adoza a 1*200,1*600,
2*,3*,4*e5*.
Balaios propriamente para costura e para frue-
tas,e para menina trazer no braco a 1*500,1*600,
1*800, 2* e 2*500.
Perfumara, macaca prola a 2*, 2*200, 3* e
4* a duzia. oleo de maozinha a 5* e 6* a duzia,
banha a 3*, 4* e 5* a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis preeos em conseqnencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, poisaffanca-se a pouca avaria e a boaqua-
lidade: s no galo vigilante, ra do Crespn. 7.
Attcnco
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta tranca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavallos,
vejas de spermacete, tudo de superior qualidade,
viudo dos Estados Unidos : no armazem da roa do
Trapiche n. 8.
CARRO.
Naofflcina do Sr. Serino na ra do Hospicio,
vende-se nm carro Inglez de quatro rodas com
pertences para um e dous cavallos e arreios.

DO
DA
>x>i
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
UESPEITAVEL PUBLICO.
A apreciaco dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhadcs,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrang.iro podem ser
vendidos por preces asss razoaveis.
Sem a faluidade de querer que este novo e nteressanle estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm Dancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1." Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3. Sinceridade nos preeos.
As pessoas que por sua pdsico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos lonarinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha semprc de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que cm algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolbido por pessoa entendida que cortamente muito de~e agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA".

trabalbar nio
descarocar algodSo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLBAI
Estas machinas
podera descarocar
qualquer especit
de algodao sen
estragar o fie
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pd-
descarocar um>
arroba de algo
dao em earoc.
em 40 minutos,
ou 18 arroba
pordiaou 5 ar
robas de algod-,
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que desfcarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinat
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sauoders Brothers &C.
N. II, prca do Corpo Santo
RECIPE.
Os aicos agentes neste paiz.
DROGARA.
31Rna! larga do Rosario34
Bartholemcn Francisco deSooza
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVenera, fino,em paes.
Binas hambargue/as.
Vende-seoa ra Nova n. 61.
4C.
ALPISTE E PAINQO a 120 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELESa240rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs a libra, em por-
cao faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURigAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25.000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os taa-
nnos a
m
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVniIAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
a
GOMMA muito nova e alva'a 120 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEBRA de laranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Hollanda cm botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc. ____
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Kua do Queimado u. 19.
Vende-se o seguinte:
Lences de panno de linho
pelo baratissim preco de 240.
Lences de bramante de linho
de um s panno a .'53500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 250.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 2 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 3800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 l|2 varas a 2,50(0.
Guardanapos
de linho finos duzia 3o00.
Algodao enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 1J200.
Corles de la
cora 15 covados a ('*.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado poca ll-
Fil |de linho
liso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodao
com 8 palmos de largura vara 25200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Laazinhas carmezim miudlnhas
prspria para vestido de menina, covado 600 rs.
Laazinhas
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Groslenaple, raoreantique e ricas capas de gros-
denaple berdadas.
Esleir da India
propria para torrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
largura, por menos preco do que em outra qnvl.
quer parte.
Neste armazem de fazendas se encontrar .nm
grande sortimento de'roupa feita e por medida
Trelo
de Lisboa >
vendem-se saceos com 90 libras de farelo, pelo
barato preco de 45O0 : na roa da Madre de Dos
numero 9.
ti
MANTEIGA ingleza e franceza de 600 e
800 rs.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos preeos.
PE1XE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libia.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libro.
PRESUNTO para fiambre. '
a
QUEIJO do reino de 2,000 a
IDEM londrino.
IDEM snisso a 400 rs. a libra-.
DEM prato a 800 rs. a libra.
S
SABO MASSA a 160 rs. a libra e gravee
abate em caixa.
SEVADIMIA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 45 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.100, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os preeos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de dive sas
qualidades e diversos preeos.
VINAGRE em ancoretas a 15.000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
da II a vana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de Ka-
vana de diversas qualidades.

crr>
3 B
Da
^* V .
-o s.
2 "2. 3 S
9 ti
o
2 o
5'
B O.
p. as
- P a
a _
?!
O a>
- 2
Si
ci
I
n
-
j.
o o g
c--
v. v. o
fe." "
*
" I a
5o
5 *
CA O
09
'-
i.
3
w
B
o
el
-! = B
-
o i a
a a
B! ='
- os -
- 1 os
- r-
l 5.5-
fe*. O,
68 sg
O ,0
n. -i
rj
o S
n a
Eli
ce BD
5 o
s
Q
c

C-
c
< CB
O
si
C os
a
OS "1
g"S
&:
PS
s


i"
l '
J
EPJ3
? s
p
d
C
50
os
MARA PA
Maria Pa
Hara Pia
Acaba de chegar pelo ultimo vapor Inglez um
esplendido sonimento de enkitef de calicca a Ma-
ria Pia, os quaes pela sua elegancia e bi.m posto
de rada qual o mais bonito nada delxam a d- t-j-r
sendo pretos, rxo, edr de boinna e azulzmho
seus preces a 2*500, r4, f.*, 8* e tO : ua
loja do novo rival roa do Queimado o. 16.



ftt* A*a4*lMtf''. l^adrflrVttlVrll V f St
e*
. i '-
AURORA BRUJIRTE
fiRANDBS 4HMAZENS
E ri
MOLHADOS
*5j Largo da Santa!
fCra* u. 84, os-f
$ piim da ra o
Sibo.
fj'novo proprtat.ino
1
Largo da SantaJ
ruz n. 84, es-J
na da ra doj
Sebo.
ESPECIA-ES B^ d
111
doj multo acreditado armazem de mol hados daaoraiBaoAu-
rora Bwrhaiue. continua a ter o mesma sortlmenlo de gneros de prlmelra qualidade.
lirrira' a todo< de base para aju>te da coutas aos portadores.
.v; irnin armazem veadera' mais barato e melbor* do que a Aurora Briluaote, ja'
1 fregueses.
.ita< eom i libras dechouricas rauio novas.
a 7:m.
ilu grandes cora peixe em postas inieiras,
mus.le 12 jualidades, a 1000, t280 e
i) las ,;om ostras, escolente pelisco para fri-
ilira, a 720 rs.
filas com erviIhas novas, ensopadas, a 720 rs.
mis com-favas, aGidrs.
.Hitas com ameixas a U200, 15800 e 3JS00.
'.tas com marmedada do afamado fabrican
Abruu. a 720 rs.
,1 las eom onssa de tomate, a 500 rs.
' tilas com figos ae comadre, rtovos, a 15500,
ii o 243M). '
iiuseom bolachinha de soda multo novas, a
- 5 i)).
)iu li lides, a liOff.
Chocolate.
Cutianas com ameixas enfeitadas proprias
para mimo a 1 j20v 2$80O e 3200.
. i jfiolaie superior muito novo, a libra de
HO 15000.
t icarrio, lalbariara e letria amirella, a libra
i IDO rs.
J U Jilo dita branca, a libra a 400 rs.
' iixas cu n estrolinha, pevide, e outras mas-
JS, a c.jixa 33J00.
.. h Jila em libras a 6*40 rs.
i,', libra a 360 rs.
viiinha ,iara sopa a libra, a 240 rs.
2 -.'iI las seeeas, a libra a tffl) rs.
1 Us I;i:.iscadas, a libra a 200 rs.
lio va muto nova, a libra a 280 rs.
''Tii d; ararata* verdadeira, a libra a
!) rs.
r** di M*M|lStt em sieoOj a arrola a
!U').) o a libra a 80 rs.
1 -i 11 luii e Java, a arroba a 33200 e a II-
i a 100 rs.
11 rio de Lisboa a 9&5>:X) a. arroba e a 320
s. a libra.
< I Santos, a arroba. 73000 e a libra a.
'.) ti.
I 's co n 12o eebolas grandfes, a 16280.
I uUHa franceza, caixa com 2 duzias a
.' *m.
i seos com mosur-da.|MK*paradattrD vinagre,
i WO rs.
II is a-un conservas inglezas e franca?.*, a
Gil) e800 rs.
) ios cim sal reflnadofloo, a.640 e a 500 rs-.
r.tosc) n a verdadeira genebra delaranja, a
rfte 1J00.
ifi i tos de i garrafas de Hollanda verdadeira,a
W *40rs.
! Hijas esm dita propria para negocio, a
400 rs.
iirrafiSes com 2 galoes com dita, a 65.
*rej i boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
imia a 6J0O0.
.'nhi -scate! de Srtnbal, a garrafa a 15.
jBk Hirrasqmnho verdadeiro. frascos a 80C rs. e
?5S a riwo.
(55 n i nsngne, a duzia 205000, e a garrafa a
Ueite re iaIo portuguez e francoz, a garrafa
a moi
aixi de vinho Bordame muito superior, a
7-5, 8 5,93 e 103 a eatxa.
us cm dito braaco, a 75 a eaixa.
Utas eom tito lagrimas do Douro verdadeiro,
'Oitas com duque do Porlo ver4adeiro,Ta
135)00.
imitas cora chamlsso superior, a4*#.
?Ditas co Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa %0, 7W
Dito de Lisboa mnito bom.acanada a 35M0,
3 $300 e 45, e a garrafa a 500 a 560 rs.
i Dito da Figueira, das segulntes marcas (.Y)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
43300, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
que r est engarrafado e lacradocora o
rotulo do armazem.
iDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da i 38300 e 48000, e a garraa a 480 e
S20 rs.
,Vinho branco Uno, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior
8)0 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 38000 e a garrafa a 400 rs.
domara.
Saccas de i arrobas a verdadaira de se";
engoramar, a arroba a 35000 e a libri
120 rs. ,
Sabo massa, a libra! 200,240 e 980 rs. \
Carian*.
Saccasgrandes cora farhfta de Goiann* nwl-.
to nova, a 55000. I
Caf.
Caf lo Rio milito superior, a arroba a 85,;
85300 e 95000. *
Cha. ,
Ch'.emos oestes gerreroso melhor possivel,;
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Diio uxim a 28700.
Dito hvson muito tino a 25800.
Dito redondo a 2(500.
Dito pretode prirnelra qualidade a 28500.
Dito mais bailo, a 28000 e 18600.
Erra mate.
Encellante cha medicinal, a libra a 240 rs.
Bspernucete.
0 naso com 6 vellas de espermacete a 600,;
640 e 720 rs.
Passas.
Calvas de 16 ) 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 48 e 38500.
N07.es.
Nozas, a libra IRO rs. e arroba- a 48000.
Alpisla e paiflco.
Alpistae paingo, a arroba 4|90'9 e a libra a
t60 rs.
Cartas.-
Cartas finas par |o ir., a. iliuia a 283*,0.
Castankas,
Castanhas novas finias neste vapor, a arro-
ba 48000 e a libra a 200 rs..
Azeitonas.
Barriscom azeitonas novas a 18300
Mantija.
Manteicrasnnerior, a libri a I300i
Dita, mais abano a 18120.
DitaraeBOSsuperior a 15.
TYita:franceza nova, a libra a 45120
Dita dita em barris e meios ditos, a libra
15 rs.
Dita para tempero a MUS*
Queijos.
Qneiios novos vino* oeste vapor a 25800 {
38000.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
18000.
ftpfc
Papel almaco paulado, a rosmaa48800.
Dito dltoHzo de linho, a resma a 48300.
Dito de peso liza e pautado, a resma a
28500.
Dito deembrulho, bom a 15 e 13*00.
Vinho Madcira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 23000. !
Temperos.
Polhas de louro, piraenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. .
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnatiba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaiaSes de doce de goiaba, grandes a 15400
1 e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar
Timlos de arear facas a 140 rs.
Grata.
Dnzias de boiSes d grata n. 97 a 25000, e
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Babia por diversos, nrecos, caixaa a me
caixas.
a garraa a
grande quantidade de gneros tendentes
estes estaMecimentos, que deixam de an-
nuncar-se.
CONSULTO
IRIRGICO

PEM COROAS mt MAA8WV
DR. PBDRO DE ATf AHYDB LOBO M0SC08O,
MEDICO, WAMTUEm* E OPERADOR.
3 Ra d Qfcfi, casa do Pondao
I
GRAMI1E
ARMAZEM
DE
0 bt. Lebo Moscoso d cofuaft gman aos pota-es tolos os dias'das 7 as \
aoras da manh5a, e das 6 e meia s 8 hora da noite, i cep0o dos das santificado'
Pftarmaci* especial homeopatlika.
No mesmo consultorio ha tempe* naais appropriado sortiraento d eifteiras'
tubos avafffos, assim como tinturas de nria dymnamisacoea e pelos preces seguinte? i
IBA Carteirasde 12tubosgrtrods. 42,5000
de 4 tobos-grandes, 181000
ifeSOtobosfrande?. 24JJ000
de 4? firtro:nrmres. 30^000
de 60 tubos grandes. 35000
Prepara-so qualquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
q na se pedir.
Umtubo avulso ou frasco de tintura ie meia on$a 1(51000.
Sende para etma de 12, cutarSo is" precoz estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada nm a 500 ris.
N. 11Ra do ueimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta eom lindas barras.
S toerior seda faconno que ha de melbor e mais gosto.
Moreantique preta muito bonito a 23800, 35,35500 e 45 o covado.
Complete sortimento de grosdenapl* pretode muitas quatidades.
Pannos pretos e casemiras de am>t*s qualidades.
Bjurnos, chleselos de renda pratos superiores.
Superiores pelisses asoutembarquei de seda para s nhor&s.
Bournusde lia para senhoras a 125.
Chapeos e chapelina*de patha do Italia para senhoras.
Cort-s de lia de barras de 145 a 225 de muito gosto
E muitas outras lazendas da superior qualidade ua loj i de Augusto Fre Jer co dos
Santos Porto aonde tamb;m se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
fl. \\ Raa do Queimado--H. H
^t-AK
Camas de ferro
Vende-se grande sortimento destas camas na
ni i N iva n. 33 ; na mesma loj vende se grandes
o iHnoes de ferro forrados de potcelsna tendo
o us azas e tampe d* ferro, rwemmendam-se a
quem precisar. ,, lt\
GRI0L4S-
>' i armazem da viuvr Paula Lopes,- deroote do
" w'iar-ine na nscadinha, vsndom-se cebwas as rae-
pioros do mareado, em caiaa a.cento, o mal* be-
rato possivel.
avarado.
1 Fcaocez Laxrica fffOOO
Porllwd *em *506
Em perfatto estado:
Pra&cecsbatcicn 401000
Portland dem (23600
No armazem de Tasso frmaos caes do Apollo.
Fio de algodSo da Baha.
Vendefse no escriptorio de Antonio Lulz de OH-
veira Azcvedo & C, ra da Cruz d. 1.
A melfior obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do E>r. Jahr
W grandes voiumes com diccidiwfie .' .......... 20)5000
Medicina domestica *> Di. Hetog, ........... 10^000
Repertorio Jo r. Mello MofeSl............ 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,,. 35000
Os remedies deste estabfcrtimeitt) sSo por demais conhecidos e dispensam portan-
to d serem novamente recommeodados aspessoas que quizerenf asar de medios ver-
dadeiros,energicos e duradOPes*: ha tudo do melhor que se pode desejar, globo9 de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis)e1asua boa conservado, tinturados mais acreditados
estabelecimeirtos europeos; a mais exacta e ceurada preparado, e portanto a maior ener-
gai certeza em seus effeitos.
Cam de sabio. p%ra escravos.
Recebe-seescravss' pai^a tratar de TUfrlquer enfermidade ow fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciantejulga-sesuficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto' n* parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a1 mais'de quatre^annns, ha muitas pessoas de cejo conceite se nao
pode dtividar, que pvMea ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 2)5000 por dia durante 80 dias ed'ahi era diante 1)5500.
As operac&es ser3o'previamente ajustadas, se nao se qurzerem gujeitar aos precof
aaoaveis riecostami pedir o annunciante.

RA DO fMPER1BOU N* 463
- Junto a sebradoem fue mora eSr. Os borne,
ouarte Almelda A C, receberan de sua propria cbccbb *m-
da o mata Hado e variado sortimento de molbadtfs, prcfttva
da p rescate estaei*.
Ma^is brancas

Laboratorio euoloajie e ebmico de F. P. Lebeuf e C
ra Montniartre, 31, em Paris.
Fabrica em Argentcnil. prs Pars (Franca).
B0MFICA(!iBF\B8IC\(!i
Dos vimifts, apanleules e licores.
VINHCTS. Imitagao dos vinhos de todas as
flualidades.Elirado de Medoc, dose para 230
Iros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de Poinard, 3
f:,de Lisboa, f.,-do Cataian,. 2 f.d Porto;
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 2a ou 30 li-
ma, kl.
Snbstancia para fabricar com o alcobl e agua
os vinhos cima e todos os oulros. A
500 litros, 50 f.
i CLACIFICACOPos Inglezes, pos dos vinhos
da,Hespanha, da Franca*, elo. Ai libra para 500
litros. 5 f.
COLORACO.Purpiriglne para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
AGUARDEXTES.Essencla d cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac A garra/a-para 100 litros, 5 f.
KIRSCH-E ABlNTHO.-Essoncia de kirsch e
de aljsiuilio, para os fazer com alcool e agua. A
[carrafa para 100 litros,5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
dose para licores conhecidos sem fog nem alambique, (in-
dicar-si- os que se desoja.) A dose para 20 ou 2o
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores- finos ou
communs a dose para 20 ou 2o litros, 1 f. 2o.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos,aguardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado
Manteiga ingleza
da safra nova vinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra e em barril a 8oo rs.
Haatelga francesa
pa safra' nova a 60o rs. alibra, e em barril
a SWTrs.
Araendoas
jonfeita las de lindissimas cores a S00 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquide a-
2|i00, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1*5300.
Chocolates
detodasasqualidadesal/OOO a libra.
rresuatos inglezes
dos-meflhoresfabricantes a 800 rs., tambem
MBMB velhos para 509 rs.
I Qieljos flainengos
chegadbs neste ultimo vapor a 26oo.
Qneljos
anegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrinoo mais fresco que se pede esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Oonservas malezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frajtav
em I *aa a Gaixina vtaattnts rJbaandks,
prapafcaa fjaa ##M0.
GH usim
o malnTjr qpe se p& $e&e]i qiie. outrp
qaakfaes- i5w ei>d^vwdwrpw mmwM
laa prahi'
espeejjj qualidada a 2J7Q0 rs.a libra-
dem liyssoo
ornis .aromtico que tem. vindo ao nosso
mercado a 2#600.
Massas amarellas
e a le tria a
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e mitado nossas preparaedes,
.firaguezes, leves i exigir sobre as rolhas e rtulos asinlciaes F. V. L. Paris,
0 m lo do osar-sa das.preparaces acha-se indicado ne rotule.
As encommenda* davem.-ser acomnanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-
Franija, ou garaatidas por;urna casaiinlaci la.1)irigif-se aosSk. Lobea & C. chimicos, ra
mirtra, n. 31, emjPar, oua sua fatrlta ni V^nt^nil, prs Paria.
11 looa .francaza;- ra do Imperador n.-3*.
F4BHIC DE CHPEOS DE SOL
para sopa, macarro, talharim
iSQrs. alibra.
COGVIC
oossos o muito afamado cognacPat Brandy a l,8oo
j rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a i.ooo e 8oo rs. a garrafa
Cf>PO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 410 e 5oo rs. cada um.
JPAPEL
almaco greve, peso ffde outras muitas qua-
tdades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
rs. a
para sopa a melhor queis* pede cttpr,
macarro, talharim esleira a 4(t r.
libra e 45500 a caixa.
Vinbo
Figueira J A A e outras muitas it;rcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Utu de LiiimM
e de outras marcas a 400 rs. a garifa, e
25800 a catad.
Idean do Ferio
generoso* eagarradad des meJhorfs fai ri-
cantes da cidade d Poste- a 1 e l/too
a garrafa e de 1 Otf- a 12tf a ci>, a i ar
cas s5e as seguinlesr Caamiaso F. & M., Nctar ou vinbo do.* i-retes
lagriaias. do Douro eoatpoe ttiiita*.
Iffftns
com f/lrTrras debanba a SftCO.
Bolachinia inglesa
a408OO a barrica dametnna'que
vendem a 2,5000 e 2^400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12fr* a bra.
'Cervejas
des melhores fabrieantes|e de tedias a mal
cas de'44500 a 60300 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e oatro es
meias caixinhas a lSOO.
Arroz
do Maranbao a 100 rs. a libra, e da Ipdia
a 80 rs. a libra, e Z&im a Um a ar-
roba desses que vendem por 340*>.
CAF
de l.1 e 2.* sorte do Rio- de Janeiro a 5f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a fibr
arrafea
com 4 1% garrafas com vinagre a l^OCOea
o garrafo.
GENEBBA Dfi LARANJA
verdadeira a 1#00Q o. frasco, e de MNf
a caixa.
IDEM,
em frasqueiras de Hollanda a moo cea
12 fraseos.
u GiKERRA
de Hollanda, verdadeiram frasqueira a roe
rs. cada urna.
PALITOS
os verdaderos palkoa de gaa a 2,2oo greaa
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
fiaos de todas as.qualidadee, a e.ooo a eaixa
com urna duzia e a t,oo& a garrafa.
o MariBelada
dos melhores/abricantes de Lisboa, eco o sa-
jara Abreu e outros muitos a 6co n. a
libra.
S. 3 3 aiu Vr>v;i eiqulu da Caniboa do Carnao e ra do
Cabug a. 8. pA|
A 'irUoria desse estabelecimento o mais importante que existe neste gecerojdeexcellentp va a *
vincias do norte do impedo, querendo que o publico desta provincia goze das. a 2*0 a reS01a^
as provine.^ ...r.. .,__., ^ r.........r---------9^m a.*.-
vantagens-que proporciona a fabricagoem grande escala e directa relaco com as mais!azinarHnrvn,L ,,
haram p para embrulho de
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender ainda mais barato!
do que do costum.3 como demonstra a seguinte tabella:
Descont em duzia.
20 %
10 /a
Chapeos de sol de panno a 20000 .........
armacSo de baleia a 2#300 ....
9 de seda armaco deaee inglez de 20 pollegadas
4, de 21 U, le 26 55500 e de 28 6^...... 15 7o
Chapeos de sol inglezes a balao 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de i\ pollegadas 85, de 26 90, e de 28 100. 15 7o
dem idem a balao de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 2612(J,e de 28 130...... 15 o/0
Alm de muitas outras [tialidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
oomo sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes s3o t5o vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de caca, os quaes Tendem-se! ?ualmente em porc5o e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelopreco que o estabelenmenlaretalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia ser5o.considerados como
retalho.
ADMIRAVEL PECHINCHA
11IILES dje kgmda puetos
a 10^000 cada um,
Cassas orgaadya de cores a 9 SO rs. o corado.
A' ra da Crespo numero 17,
LOJA DE
Jos Gomes Villar,
rs. a resma.
l,4ooa 2,2oo
Coriufchias
GOlfBtA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
cbeguum os mmmm chiles de
FIL PRETO.
Superiores chuls de fil preto chegados pelo uliimovapor fran^ez, a
loja das columnas ra do Crespo n. 13, de An'onio Correia de Vasconcel-
los fi C.
PaSnS^iCm0rnhaS muit0 aovas P^Prias para
podim a 8oo rs. a libra.
.Fumo
3*1i,1,I,euow^-
Vinagre
Cebollas
as mais nevasdo mercadea 7,ooo rs a cmx
o l.ooo rs. omolho. ''ooors-a ""
Alpista o hiiuco
TTCrid0,l40r,-iU^
CEBLAS
!>aala7? I#? Cento woQne:-
OiO DE BICO
01 ha MW arroba e 140 rs. a li-
bra aa ra doQueimrdo n. 7, ra do-
ImPeYadorn.40elargodoGrmOB.9.
gjbi.ro srjisso
muito fresco a 800 rs. a nbra M rtai do
Os apritanos do grande
Preuunt
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o n
a libra.
ARROZ
MaranhSo, Java e India, a loo rs. a lilra a
de 3,ooo, a 3,2oo re. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a tfo rs.
a libra e em caixa ter abatirrrMt.
. L VELAS
de carnauba em caisas de arrtba a 9.? caixa e 34o rs. a libra.
Batatas coras
em caixas de 2 arrobas a 5 a caka e fifi rs
a libra.
Paasas muito aovas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e til CO
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se rf'e de-
sojar a 800rs. a libra e 140rs. tac
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, peeego, Riria
outros muitos a 640 rs. a lata. 8
t BOU. i/"'***" d,9oiaba
a ouo e 10 o caixae.
. GOMMA MUITO NOVA
ttSSg&a.
12C0
w ra
do Queimado n 7 r'm
"--!. In"rer8dcrD.
40
armazem o
TAE3LtoHiM:
Marca N verdadeiro em saccas novas o grandes, 40500: na
ra do Imperador n. 40.
W.
Jo VIGNES.
nr. 55.
f'* 7; RlJA BO IMPERADOR
snnerioridadP ,* rabnca sa? hoJe assai coahecldos para que seja necessario Higiir sfthw.
!af^P0erS^.T*iffi!?88 Prantias,ue offerecem aos compra Wqiwliaades eaS cSK
todo
Smm teclado 6^*^'6' c
,nnca WW. ?,-serem oricados de proposito, e ter-se eilo ltimamente melhora 8RS Sumisas." "! ""'. f JSSSSiSSE
MiL? !TJJ.: e'eoiraento !e acha sempre nm plendido e variado sortinrot d mD'sirj o
ptSomrdoes%dmSaSSim COm ^nnoxcose pianos hannonicos, sendo tudo vendido R
IL6VEL


ftEJartItwfcWw ^ aMwaW* AMil 4e !&
1
i
Admirem
Admirem
Admirem Bem!
As pechincbas narpslao 4 ruad* na .lja e ama-
xem do Pavo, na ra da Imperatrii n. 60 de Ga-
ma di Silva, onde se vendem todas as fazendas,
tanto deHuxo como de prtraeira necessidada por
precos mnito rasoavets, eeom especiahchde as se*
guimes, daudo-se amostras deu.odo car penhor,
ou maado-se levar era casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Algodiozinho de P.vie.
Veadem-se pecas de algodozlnhe marca T, mili-
to largo, proprio para leuces e toalhas, tendo 24
jardas pelo baralissimo prego de 05 a pega ; dito
large com viola lardas a o*, pechiucba por ser
fazenda que se vende em outra qualquer parte
por 10* e 15J, isto na loja do Pavao, roa da Ira-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Madapolio entestada a 4*, 1#M>0* S5000.
Vendem-se pecas de madapelio entestado com
12 jardas pelo baralissimo preco de 4*, 4*500 e
5*, ditas sem serem entestados demarcas muito
acreditadas a 7*, 8*. 9*, e 10*, ditas, francs
multo encornado proprios para salas a 480 res a
vara, isto na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande pechiucba.
Chitas a 220 ris o covtmi.
Ou 7*600 a peca s o Pavo.
Vendem-se enilas inglezas de soperior qualida-
de, aliaucando-ae as cores serem Usas, com muita
diversidade de padres, pelo baratissirao preco de
220 rs. o covado, ou 7*600 a pega tendo 38 co-
vados, sendo fazenda esta que sempre se vendeu a
280 rs. o covado eu 10* a peca, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60 de Gama de Silva.
Corles de chita franceza na loja do Paria.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores Qxas
eom 10 covados a 3*, ditos com 1 i ovados a
3*300, ditos com 12 covados a 3*600, ditos de chi-
ta inglez a 2*200, -2*100 e 20600, isto na loja do.
Pavo ra da iinoeratriz n. 60 da Gama & Silva
Cassas Francesas a 3i)i, 320 e 360 la loja d
Pao.
Vendem-se cassas francezas maito finas, de co-
res linas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pecas de cambraia com sleteos de cor
tendo 8 l|2 varas a 4*, ditas salpicos brancas a
a 23oJO e 3*, dita adamascadas para cortinadas
a 4*, na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
Gama Cortes a Hara Pia.
Gfande pechincha a 50000 e 60000.
Vendem-se os mis tontos cortes para vestidos,
sendo a catateraU branca com as barras e enfeites
bordados, de uor crox, pelo baralissimo prego
de o*, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baralissimo preco de 6* cada um, valeode
esta fazenda dobrado dinaeiro por ser a mais mo-
derna que tem tiodo ao aereado, isto na loja da
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama 4
Silva.
Grande pechincha a 80000.
Vestidos de la a Mara Pia.
Vende-se um bonito sortimenlo de vestidos de
la com barras bordadas Mara Pia com as com-
petentes afeitas para o corpo, pelo baralissimo
preco do 8* cada um, pechincha por ser fazenda
que sempre se vendeu a 12*, e por ler chegado
urna nova e grande pargae, resol vera m se a fazer
este grande abatimento na loja do Pavo, ra da
Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Vestidos Braacoo.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
baraio preco do 12*. 16 a 20 na toja do Pavo,
ra da Imperatriz a. 60 de Gama c Silva.
La garibaHim a 400 ris.
Vendem-se as mais modernas lazinhas transpa-
rentes, com listrinhas.miudinhas, pelo baralissimo
preco de 400 rs. o envido, ditas entestadas, cor de
ha vana, com listras diferentes, sendo das mais mo-
dernas e muito escarpadas a 500 rs. o eovado : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama
i Silva.
Grande pechtacha, vestidos a
l*ft.
Acaba de ebegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, multo proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dese-
nhos, sendo todos os padres toados e nao pinta-
dos, e vendem-.se pato baralissim preco de 3*500,
sendo fazenda que val muito mais dinhairo: isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Lazinhas a 40 res.
Vendem-se as mais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de quadri-
nbos como de listras, com as cores muito bonitas,
pelo baralissimo preco de 240 rs. o covado ; ditas
com parminbas de soda, padres muito bonitos, a
320 rs. : so na loja d j Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama 6 Suva.
Fazendas pretas.
Vende-se cronsdenaples prete a 19280, 1*600,
1*800 e 2* at 4*, superior meurantique prelo a
3*, selim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para talo, eom 6 palmos de largura, a 300,
560, 600 a 800 rs. o eovado, a outras muitas fa-
zendas propnas para lulo : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Grosdenaple de cor a lBOO.
Vende-se superior grosdenaple* cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 1*600
o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama 4 Silva
Casemirasa 1$6<0.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadri-
nbos e lizas, proprias para calcas, palitos e coletes,
pelo barato prego de 1*600 o covado, asgim como
caigas, palitos e coletes J feitos das mesmas: na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Grande sortimento de roana feita.
Vende se na loja do Pavo um grande sortimen-
to de roupas tea tas, constando de pal i ios de panno
preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos a sobrecasacos, ditos de brim braceo a
de cures, mos de casineta, caigas de casemir pre-
ta de todas as qualidades, ditas da cor, ditas de
brim de linho tranco e da todas as cores, coletes
de brim, easemiras, setim. gorguro, etc., etc., to-
das estas abras veadem-se per preco mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, ra da imperatriz o. 40, de Gama k Silva.
Chales e manteletes de renda
Vea Je m-se os mais ricis e mais modernos le-
les e manteletes de renda, cuegados pelo ultimo va-
por da Europa, por prego muito razoavel : na loja
do Pavo^rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
(lanas relas e soulembarques,
Vendem-se as mais modernas capas preta* lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, ludo de seda prela e o que ha de mais
gosto no mercado,- "per precos maito em conta :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma de Silva.
Enfeites pnra cabeca.
Vendem-se os mai lindes eafeUes para caneca,
a 3*, 4*, o* a 6*, as malaores baldes croaolinas :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Urna exodlente cozinheira.
Sem causa alguma expoa-se a venda a escravo
prela, de mane Francisca, cora tedas as habilida-
des de urna cozinha, prepara um jamar importan-
te acompanbado da diversas qualidades de doces,
faz hotos -e piratas com Wda a promptidao e aceie,
di-se a copenle no ato de coaveacloaar M pre-
co, e a*seera-.se nao lev lia ooubecido otro se
nhorio : quera a pretender dinja-ae a roa da Ma-
triz da Boa-Vista n 21.
AUenc&o.
Fazeada trotad par* a qaarasma par
por tocatHsiaao preeo, na loja e ar-
ituzeta da Arara, raa da Imperatriz
n. lo.
Loureafo Pereira Mendes Guimares.
O proprieurio desle eslabelecimaalo relira-se
para a Europa a iratar de sua saade, porm antes
' de relirar-se preieade fazer urna liquidago de ba-
oaratissiino proco para faenar coalas ; agora fre-
guezes veude-se rosdanaples prelo muito bom
para vestidos, a 1*600, 2* e 2*300, dito de 5 pal-
mos de largo, a 3* : ua ra da Imperatriz loja da
arara n. 56.
Jleuranticjue preto a B$.
Vende-se raeuranuque preto para vestido a 3* o
covado, grosdenaple muito largo e encorpado a 3*,
2*500, 2* a 1*600 o covado, alpaea prela para
vestidos e palito a 300,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, caigas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., feombaziua preta para vestidos a 1*280 o
covado : raa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Mara Pia a 120.
Vendem-se ricos vestidos a Maria Pia a 10*.
12*. 14*, 16*: ruada Imperauiz toja da Arara
a. 56.
Arara vende pecas de panninho a 51 e de
inadapolao a 45.
PUBLICO
. -
Sem o menor constran-
gimento ae entregar
Importe do genero qne
io agradar.

ATTENCO
ESCIAVQS FUCIIiGS.

o* precos da segnlnte
tabella para todos, po-
dendo asslna servir de ba-
se para afate de tontas
com os portadores.
MERCANTIL
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o reo ala Coneeieio)
PARA BEM DE TODOS,
AVISO.
Acha?e fgida a oierava Deluna, de D. Anna
Rosa de Moura, residente no termo de Caruaru.
cabra escura, de idade de 35 a 40 aun.*, ievo
vestido de chita escara lina de ramapens e rhale
braoco de l, bastate ladina, altura recular a
secca do corpo, osa cabello perneado, Um nariz
afilado, denles limados, pe e mcs rraujarf?,
de presumir que se acha liomtiada no hamo, da
Boa-Vista ou no Ingar da Torre desia eiflafle, ontfe
tem prenles l : roga-sea polica a Ma apprelim-
so e aos capitaes de campo para aparraren! na
conduzlndu-a a travessa de Canora u. 2 a .!...
Augusto de Araujo, qne esi autorizado a gralih-
car (reneroamente.
Fugio no dia 16 do correute na-z de .Lo.',
um negro crioulo de nome Felisbino, reprsenla
ter 22 aanos, seco, baiso, cabega pequi-Ba, lem i.i:>
dente do queixo de cima para fura, caaholu, es
ps alguma cousa pequeos, quan os dedos, esperto e vistoso, e*i querendo bugar,
leven caiga nova de riscadiuho rxo ou azul, can i-
sa de madapolo sendo o paito e os punlios'io^o
imitando o peitoda camisa collclp, chapeo de lf-
Senheres e senhoras, o aceio qne presidio aos arranjos dte noro estabelechnento e mais qrje todo a prompiid5o e intei- eed^id %$i $"? cmanVo^rSto! Se
reza conj que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos ae qoe sem anvida me daro a protecc5o e preferencia na com- ,<,m roai.irniah e prenles em procura da nar
Vendem-se oeTTde'^anni'nhTmnitfl fino d ii pfa dos generes que precsarem, e quando n5o possam Vir poder-So mandar seus portadores, anda que estes seiam pouco orticos, qu.? pas^v? lempos ajr,onUi dus (-arvfh0* [
-o se viesse* penalmente, iavendo para com estes toda recommendacao, aflm Jde JueSSwS tm' JS no ^X^^^Z^^
jardas a 5*, vendem-se pecas de madapolo infes- pOlS ser3o t5o bem servidos como
tiln h t .. L m lti\\ _______ _-^ J^____ a____. ^ r
Cortes de casemlra com pintas de mofo a 2*
cada corle, para caigas, ditos hmpos a 2*500 o
corte : na ra do Queimad os. 13 e 41, na aaga*
na que volta para a Cengregaco, casa amarella.
tado a 4* e 4*500, vendem-se pecas de madapolo
de 24 jardas bom a 6*, 7*, 7*500, 8*, 9*. 10* e
12*, vendem-se pegas de algodosinbe a 5*, 6*,
7*, e 8* : ra da Imperatriz n. 58.
Arara vende os bales a 2)5500.
Venaem-se tal5es de arcos de todos os tamanhos
a 2*300, 3*, 3*500 e 4*: ra da Imperatriz
n.56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos de senhoras
d meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
uas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
CLitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores lizas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas finas a 320, 360, 400 a
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara b. 56.
Liquidago de soutambaques e lazinhas a
70, 80 e 10*.
Vendem-se soutambaques de lazinhas para se-
nhoras a 7*, 8*, dita de alpaca branca a 10*, ditas
muilo linas de grosdenaple preto a 20*, 25* e 30*,
capas pretas de grosdeaaple fino a 20*, 25* e 30*,
manteletes pretos de grosdenaple a 20* e 22*, go-
linhas para sunhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gala a 1*, camizinhas para senhora, 2*,
e 3*, ditas mai io tinas bordadas a 4*500 : na loja
do Daraieiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de dilas finas a 20400.
Vendem-se corles de dilas com 10 covados por
2*400, ditos de dita franceza a 3*200, cortes de
cassa franceza fina com 11 covados, por 3*, ven-
dem-se pecas da cambraia branca lisa a 3**00,
4*300, 3*500, 6* e 8* : roa da Imperatriz n. 56.
Liquidado de roupas feitas palitos a 20.
Vendem-se palitos de brim de cor a 2*, 2*5C0 e
3*, jaqueloes de brim pardo a 3* e 3*500, palitos
de casimira bem folio a 5*. 65, 7*, 8* e 10*, di-
tos de panno preto bom a 8* e 10*, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 12*,
14*, 16* e 20*, caiga de brim de cr a 23 e 2*500,
ditas brancas de linho a 3*500 e 4*, ditas de ca-
sirajrade cor 4*,6*e8*, pretas a 5*, 6* e 8*,
colleles de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 1*300, brancos a 2* e -205', 0, ceronlas feitas a
1*280, ditas finas a 1*600 e 2*, oamisas france-
zas a 2* e 2*500, dilas inglesas de pregas largas a
i*, d linho a 3* e 3*500, colerinhos econmicos
i 640 rs. a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz loja da Ama n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Vendem-se roberas de chita linas a 2* e 2*500,
ditas de daoiaseo a 4* : raa da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e vente cortes de casimira
prela a 30.
Vendena-M cortes de casimira preta para caiga a
15, 3*300, 4*500, 6* e 8*. ditos di? cor a 3*,
't*500 e 63 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vendase panno preto para calca e palito a 2*,
3*, 2&500, 43. 4*500 e 6* o covado, casimira pre-
ta fina a 2*, 2*300 e 3* o covado e outras mokas1,
uzeadas para liquidar: na loja e armazem do
Arara, roa da Imperatriz n. 56.
PUOPR IO tAR 4 SENHORA.
Veide-se u m exeeltente cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
Coke dogaz.
piten 4o gaz.
Al aIr do gaz.
Coke tonelladas rs. .
Piten .....
Alcatro caada.....
O coke reconheeidameate o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso reeommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinnas aonde
elle usado. Piten e alcatro, aim das applicacoes
diversas a que se prestan, como para callafetar
embrcameos, alcatroar madeiras, etc., teem este a
propriedade de preservar do cuplm, formigas, etc.
B' entregar na fabrica do gaz ou mandado por em
qualquer poato da cidade, segando a vontade do
comprador.
100000
800000
400
'#.
Muita alienta
Ka nova loja de fazendas e roupas fei
tas nacionaes na roa da Imperatriz
n. 72, dejGuimaraes k Irme.
Acaba de chegar a este novo estabeleciment
um grande sortimento de oulembarques de cores
pelo barato preco de 5*, 6*, 7* e 6*, ditos pretos
de grosdenaple de 19*, 20* e 2o : isto na ra
da Imperatriz n 72, loja de Gnimares & Irmo.
Vendem-se chitas muite finas sendo de cores fi-
xas a 240 rs., ditas largas fratrezas a 260, 280,
320, 367 e 490 rs., ditas percales finas a 480 e
500 rs. : isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaries & Irmo.
Grande sortimento de cortes de chitas a 2*300
e 2*400, ditas finas a 3* e 2*200 : a ra da Im-
peratriz n. 72, loja de Guimares & Irmo.
Vendem-se madapoloes finos a 4*800, 5*, 6*,
7* e 8*, dito muito fino a (J* e 10*, dito francez
enfestado a 4*, 4*500 e 5*: na ra da Imperatriz
n. 72, loja de GnlniarSes & Irmo.
ROUPAS FEITA8.
Vendem-se paletots de alpaea a 3*, 3*500 4*
e 5*, ditas de casemira a 3*, 6*, 7ji, 8* a 10$,
caigas de brim de todas as qualidades a 1*, 1$800,
2* e 2*500, brim panto a 2*. 2*500 e 3*, ditas
de casemira a 3*080, 45, 4*500, 5*, 6* e 7* :
isto na loja de. Guimares & Irmo, na roa da Im-
peratriz n, 72. _______.
Na ra da Cruz n. 38, em casa de Mills Rat-
teau & C, vende-se:
Cha.
Oleo de linhaca.
Folhas de Klandre.
Silins e silhoes inglezes.
Cerveia Aspinall.
Dita Baos.
Dita Joba Iflffres & C.
Um piano omponeo uso.
T
nlra part?.
Winteiga mgleza especialmente esctlliida a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. era barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
(ih perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 13
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem bysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a i ,60o rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs- a libra.
Linguiras muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Cuouricas e paios a 800 rs. a libra.
Coslelletas inglezas a 64o rs. a libra, servo
para temperar panella ou,para fiambre.,
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de veHa a
2jOoo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervhas e favas portuguezasj preparadas
era latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,8oo
rs. a duzia.
dem idem para vinbo a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate fraucez hespaneol e suisso a 9oo,
I.ooo el,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, i,000 e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso" mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa c io e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,00o e 11,000x0. a frasqueira.
Ca do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Ca do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpsla a 14o rs. a libra e 4,000 a
arroba.
Massade tomates de superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e 56o rs. a reta-
mo.
Aletria, macarrSo e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
' nha branca ou amarella a 64o rs.,a libra e
^3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio paxa
engarrafar, em ancorlas de S caadas a
35,ooo rs. ',
Vinho empipa: Por.toFgueira e Lisboa a
32q, 4oo e 5oots. agarrafa, e emeanada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinhobranco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinbo branco, para missa em ca xas de i du-
zia a 8,000 e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e tq,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
1,000 e 1, 5to rs. a, garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade* 16,oo
a duzia/l,5oo rs. a garrafa.
Sardmhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latos.
Bolachinhas ingleaas muito novas a ii.ooo a
barrica o 320 rs. a Libra.
Bolachinhas -de oda em latas de diversas
qualidades a 1,3oo rs.
CartSescomMIo francezmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito e#vas om eahinhas enfeitados
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de caada a 8ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de asea ole a 4oo rs. a libra.
Milo de araendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por 2.ioo rs.
Ameixas francezas em fiasco devidro com
lampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em caixinbas de diversos
tarnanhes com bonitas estn-pas na cai-
xa exterior, a 4,4oo, l,6oo,l^ooc 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
~o gigo eom 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco o
8.5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
1 a garrafa e41,ooo a dozia.
Palitos de dente a lio rs. o maso.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas tasis acreditadas
que vem ao mercado, a oo, 56o e 64o
a garrafa, **, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do affamado fabrcame Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Havana, Imperiaes.
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,oooa caixa oucm neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a Soo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha" para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a i,8oo o cento e l,2oo solas.
Pablos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa maito nove a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banlia de porco refinada a ftt rs. a libra.
Bolachinba Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem viudo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinbado Maranho muito alva e ebeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e-l,6co o frasco.
Caixinbas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barr6 pequeos oo a retalho, a vista se
faro preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo o 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oe rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorla.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhasa 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa soja, grandes e peque-
nos, per diversos preces.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oe rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Boo rs. a
garrafa.
por ter ella'uma fllha escrava do Sr. Francisco
Alve6 de Miranda Varejao rendelro do me>n o en-
genho : roga-se as autoridades policiaes, eajiitrs
de campo e a qualquer particular a captura d-
mesmo escravo e trazeiem-no a sen senhor no eii-
genho Concordia freguezia da Luz que ser gene-
rosamente recompensado.
Ignacio de HolhDda CavaicantP.
Escravo futido.
Fngio ha 15 dias urna prela Africana rfp non e
Tbereza, que reprsenla ler 70 BlMMf, I mxa. n a-
gra, fula, dedos dos ps e mus pequen ?, iMacdo
vestido de chita usado e panno ta Qofila I i'
jas enramadas, e muilo regri-ta : qiuin n prt>ar
leve-a a ra do Gala d. ?6, que seta irn ni lu-
tado.
60
120
100
80
30
100
20
160
tiO
100
400
900
640
600
Carta chorographiea
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se eiposta venda, as tojas afcaixo men-
cionad is, a carta ehorographica ido thealro da guer-
ra nos Estados do Sol da America Meridional, con-
tendo as plantas do Favsand, e do bloaueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavel
nao s pela tacana que vrio preencher, como pelo
esmero do trabalbo ly*Bos:rfhico.
Vende-se pala mmtica fuaotia de S|00Qtias livra-
rias dos Srs. Nogueiri, roa do Crespo; e do Sr,
Cardoso Arre*, na da Cadia do Recite, assim como.
as lojas da Expos^So de Londres e na lythogra-
phia do Sr. Carlos, a mesma roa n. 8t, e na loja
do Sr. Cardozo de Almelda, raa da Cruz.
RIVAL
Sera segundo,
Ra do Queimado, n. 49 e lio. E' para anirar.
Carrelis Je liada coro 150 jardas......
Ditos cem 200 jardas de Alexandce de
13 a60..............................
Dito dito de 60 a 200.................
Novellos de liaaa grandes com 400 jar-
das .................................
dem dem brancos e de cores de 100
jard.s...............................
Livros para assento de roupa lavada...
Cordo branco para espartilbo (vara)
Varas de franja branea larga..........
Pares de botoes de punJw todos de cores
Tinteiros e barro com tinta..........
Tesonras para costnras finas e uunas
Ditas para costaras eom toque d'avana
Canas oem 100 envelopes das melhores
qualidades...................-.......
Ditas com 20 cadernos, raptl pautado e
liso..................................
Caderaos de papel pequeo (e a reta-
lho).............................
Meiadas de liaha frooxa para bordar...
Pares de eapaios de tranca... .....
Hassos com superiores frampas para
seuhora.............o............
Frascos de macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 ri. e.......................
Ditos e garraQnhas de agua de Colonia
muito Ana.......................
Pacas de Blas elsticas par sudes a
rnetlwr qualidade.., *,...........,,.,>
Pare de ligas para senhora as melho-
res ,..';.........................
Frascos de aeua deotifrice maito supe-
lor>.**
Caixas com 4 papis de agulhas a balao
e Victoria../,...........,,........
Libras de la sendo de todas as cores...
Booeeos vertidos e tsmhem de choro...
Calas eom superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 novellos..
Eoadeiras de fita pra espartilhos.....
Carretis de linha de edres com 100 jar-,
das............................. JO
Peeas de c r15o i -n^riil............
Resmas de superior papel almaco a..
Dutias de superiores meias croas para
homem a 35200 e......,.*.,...,.....
Dnzias de superiores meias para enho-
raaa.. -........................
Sabonetes de familia mnito finos a 120 e
telas garrafa* 4a tinta a.............
Cariiihas da doctrina a melhor qualida-
de a..............,,.............. 320
Caivetes de cabo de marflm de superior
qualidade. .<......................
Varas e> ardi branco de borracha...
20
2
i#500
30
200
500
400
240
320
BOtJ
200
6*000
160i
40
800
60
2*300
3*600
5*000
100
200
40
No pateo do Carino
erara bonita e moca.
n. i vende-se urna es-
BOTICA E DROGARA
Barthelomeii Francasco deSoaza&C.
UKualaraa Rasara34
Veudem:
PilulusHolloway.
Plalas do Br. Laville.
Pilulaado Dr. Alian.
Plalas do Pobre-bomem.
Plalas americanas.
Piulasveteues.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
alsa de Brlstol.
Remedios do Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert."
lnjec(o Feaugas.
Agua dentifica de Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depuraiive de Cbable.
Licor aromtico de Raspan.
Pos antl-eptleteoadeBrest.
Rob L'Affectear,
Xarope do Bosque,
aruenio Hollowa.T. _^__^______
Peen i nena tn ta-uja e fazeadas
raaaa feita lacioaal, raa da Impe-
ratriz o. 72.
Pecaiacoa a 240 rs. covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240.280 rs. o
covado, ditas francezas largas a 300, 320, 300,460
e 440 rs.o.'ovado i.^q* madapolo fino a 6*.
7*, 8*, 9* e 10*; pegas de algpdao a 50, 6*, i*
e 8* : roa da Imperatriz a. 72.
Roapa feita nacioaal.
Vendem-e palitos de cazamira preta e de cores
a 5*, 65, 8* e 10*. ditos sohreeazacos a 123, 14
el6* Palitos de brim M cor a2*500, 3* e3*50G
rs., calcas de cazeawra preta a 6#, "9 e 8& ditas
de casemira de c6r a 5, 6*7, e 8* ; coletes de
cazamira decores e relos e di toa de brim a 1*500,
e 2*500 rs.,; calcas de brim de cor a 2*, 2*500',:
ra da Imperatriz n. 72. (
Sentambarqae de cres a 7*. 8* e 10*. .
Vendpm-senutamharque de lia e seda para se-
nboraaa 7*. 8* a tO* S lltos de grosdenaple pre-
ta a 20* e 25* ; capas pretas a 20 e 25* ; veatt-
dos de ISa a Maria Praa IU, 10 e 16* : raa da
Imperatriz o. 72.
Cortes de cazemm preta a 3&
Vendem-s^rtes de cazemlra preta para alca
a 3*, 3*500, 5* 6* a 4*. ditos de atemra de
c6r a 3r4*,S, e 7*. litps de brim de cores a
t600, e 2S, ditos de chitas Anas a 2*100 e 3*900,;
dMae*e loja do baratoiro n. 72.
.'Aiort sta para aer vendido o sio da ira
sassa dnRemedjo na fr^gppzia dos Afogadosn.
21: qnflm pretender airija-se a sao proprietar-
na ra de S. Fraociseo, sobrado o. 40, ove ae fac
todo o negocio.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 55 lojas de oiiode-
zas de Jos A Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por precos mais barato do .que em
outra qualquer parte, qnem quizer ver o que ha
bom e barato ve nha a loja do Rival.
Duzias de atiosparos de seguran ca a ... 120
Francos cora essencia de Sndalo muito
snperiar.......................*,. 15000
200
200
240
2*500
15280
500
540
2 0
060
060
_0O
2*0l
2*460'
Escovas de roupa muito superiores a...
Latas eom superiores banha...........
Frascos de vidro com superior baoha..
Enfeites do melhor gosio que lem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescoco do melhor gosto,,..
Baraihos para vettarete, finas a 200 e..
Varas da franja braoca de liaha que
tem mu la serventa ........,,......
Duzia de pennas d'aco maito superiores
Frascos de oleo Bboza mnito. finos.....
Talheres para meninos a roelbor quafi-
Jade.............................
Duzia de eolberes de metal muito finas
para sopa.........*.......,,...
Duzia de colheres de metal mnito finas
para en.......................
Grous de botoes de aeso para salga...
Grosa da botoes madreperula para ca-3
fDlZ<* ^. m^'MMMi" *'* r. f *
Grosas de botoes de loaga prateados
maito finos......................
Cartas de alfioetes trnceles muito su-
pe rior es .'.........................
Caixas de clchele? (rancezes a 40 ris
Duzia............................
Goiiattas *ara seuaora a melhor uflli-
yMQ'>-.................,, .vr-
Duzias de lapes differentes qualidade a
240.:....:.......................
Quadernos de papel de peso muilo fin.
R&tuM do mesmo papel............-.
Duzia de facca e garfo muito boas-----
Capachos comprids e redondos muito
Ditos para sof. .1,..................
Pares da suspensorio mnito boe e pata
acabar. ,^>-f ...... .^. >* f
Esseocia oriental para tirar ppuoap de
roup.,. ,......................
'Peoas de Ota de lia para vestido com 10
varas a...................**;/<
YaraSe baados do Pprw.roaito supe-
riores a IQO, 1J0 .,,,.,*.....,.v. -
Livros cora bonitas e finas estampas....
i*5#
200
860'
m
too
360
200
406
030
2*000
2*400
509
2*000
500
600
Esta fogidodesde o da 10 or nau.o |uxi-
mo pas.-ado um ti.uUti- de non.. Autoioo, iki;.vd
de Custodio de OJiveira C,iiuiador 10 1 if.ilhi
Salgado, freguezia (!< Goiabna, o qual uns *e-
gulntes signaes : estatura taina, idare 5S mf;
pouco mais ou menos, peofa taibi-, Leiiiia I tu,
bem fallante, e pede pastar jw uio, deifttba-
se ler ido para o serlao : a pessia que o 8|. re-
hender 1 ocle dirigirse ao mtno erginhc, tt i.<>
Recife, tua da Madre de Dos D. 7, .0 qi>al na
generosarfieute graflfirado.
- Desapperecen o prelo Amonio, crenlo, natu-
ral de Barreiros, da rna do Brum n. 52, doUi n .li-
go de larde, com os sigaaes tfgomiea : altura 1-
gnlar, chele do corpo, rosio reduede, Uiaof P"s-
sos, olhos grandes e branros, | s apalheladt.s e.
grossss, lem bstanles sipnaes de ter lido fritiir
nos ps, calca de aigodo azul, rsrnisa de 11 ir
oom algumas pintas anarelbis e haploe p^il;i
quero o pegar e levar a casa arima,sna reten i-eo-
sado.___________________ .
Ka noite do da 9 do crrente hez dts::|pa-
recen da casa n. 48, na travessa da rna da Cu mi -
dia, urna mnlalinha captiva de neme Fraiitisra.
com os sigoats seguinies : anarella, psmi.la-
dos, cabello corlado meio estoquiado, l< vou vi sti-
do de chita j usado e tamisa de nactapolc, li:>>:
j muito sojo, de idade 10 *Dnrs; )trigs-re ler iv'k
seduzida de rasa em razo oe ter viudo do n:.<
ha doos mezts, poneo mais 011 menos, e nao
ra alguma : rega-se as autoridades (olici
apprehensao da dila mnlalinha, e lvala
cima mencionada.
sin
' I t ;r
1 ;.>i
Aos coyites dt anuyo
Desappartceu no dia 21 do com itr, da ras de
tea senhor, e ctrravu de coue Bci.f dicto, <; I ta
escuro, nm idade de 25 annos, levru ve.-lidr ral-
qa de slgodSo de listra, camisa de algoCao f;< Ier-
ra, a chapeo ^de eouro de abas Urtms.Kn al'i ra
regular, cheio do cprpo, cabello a em-tiil'a
olhos pretos muilo vivos, nariz e bofes n cu I? res,
muito pouca barba no queixo e um 1 irinrr o I b-
?o. todos os denles, ps regulares, etc.; de | re-
sumir que seguisse a estrada de Goiar.na pu tir
vindo da cidade de Souza, provincia da Pa rehila,
ha 13 dias, e foi comprado ao Sr. Jcsc A Mino
Borges daquella cidade : ropa-se portante ais se-
nhores capitaes decampo a apprdensao do rrfe-
rido escravo, e levarem-no a ra do -ln rera/u n.
83, segundo andar, que se gratificar con. !H.

Itenc
f?o dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceican, comarca de Pr-d'Alho, o escla-
vo Galdino, pertenrente ao abaizo asigu^do, cem
os signaes segaintes : idade zC ancos, pardo, laro,
corpo, figura e altura regulares, rabillos niejes ea-
rapiohados, olhos pardos, soLranrelhas e palebrss
salientes, tem em cada braco un sino de Salen :o,
fendo um delle^ roalfeite, e junio estr nma miz,
tem na cabera urna cicatriz de uu-a pelepada, e un
cima.de um quarto orna outra cicatriz de ti es 10-
legadas, proveniente de ponta de pao eliueda. t-n*
sobre as cosas algumas marcas ou ricalnris de ra-
lbadas ou chicote ; um pouco desen.har>.cado
quando falla, tem pnnelpio de 1 arpia e ramiro,
toca viola. Foi soldado do corpo de polica no Re-
cife, e levou comsigo a baixa do theor sepcmle :
Seccao urbana, companhia n. 50. Antonio C?. la-
no de Oliveira, Albo de Agoslinho Fmfia de Bri-
to, natural de Ipgazeira, cr parda, cabellas, rara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado siliet-
ro, com 30 anuos de idade, 60 pe lepadas de aluna,
ao engajar-se. Eogajon-se na fi-rina do repuia-
roento, em 17 de fevreiro de 1862, por cffino ro
Exm. Sr. presidente da provincia, data 10 de S8 de
abril do corrate, e publicado ae c< rpo cm < rdi 01
do dia de maio, tndo em 1862; leve baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano J1S0
Pedro Ferreira da Poeba. Foi escravo do ca uto
Joo de Dos Barros, morador que fui na cen? rea
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
Campia Grande da Parahyfca do Norte, que o v,n-
deu em dias do az de novembro de 1863 ao b-
xo assignado. peto cosame de andar lgido e a ri-
lle de forro com o nome mudado ; pelo que rega-
se a attengo das autoridades civis e militares, nio
s desta provincia como das demais' do imperio, 9
apprehensao do dito esoravo,^e a Ululo de fura
nio teaha ido recrulado ou sssrntado praca em
alguns dos cornos .de Voluntarios da Patria, 1 a ra-
bero pede-se aos capitaes de campo e pescas par*
lirulares a mesma apprehensao, e lev8-lo o seu-
seahor do referido ngeoho Concei-iVi, ( dade aoapitao (Manrieio Francisco de l.ima ra
da Bum o. 56, que ser gratificado rom 2(0*.
Jos Maria dos santos Cavalcanli.
Negro fugado
Esla fgido desde o da 27 de fevereiro drsia
annp o preto Joaquim, de nace Angola, que foi
escravo do Sr. eapitao Francisco Joaouim Caval-
eanti Galvao, morador em Maria Farinl.a (Prsia),
oal-veoleB'0 neataflidade e,m dzemlfo do an-
no paseado ao 6r. Mappel Francisco Maraues coa
armaierade assucar ruad* Apollo; levou ca-
mia e calca de alodio braneo, represen ter da
.45 a 50 annos de Idade, altoe.de prossur* regu-
Har.eor Pala, abeoa emprida, queixos largas,
olhoBamortacides,toiic;os grossos, sendo o supe*
rior umtapto dpfetios*, ba,tanb* barba, porta
raspada, finalmente tem nma grande costnra entra
ospeitosproverrierrteOacjueimadnr, e soproe-sa
ter-sedtftglaa para o narte, d'ande vea : jrrattl-
ca-sea quem e appraftenper ou dounciar p reiia
em qweesiiw : -oa ra da Cpdeia do Rente ns-
merp52.
Fojlo em princ/pibs' doTnde fevpre,iro do
CTVede5e um cnavo i daseM Ipooi insigne
.otiietal 4a eorptaa a bouM fifux* ; ,na iry,<|ssa dp
**rm&h___________ ...........
*m |imi.iWo et*pcc6-and;es:m\frapiche
da Cunba, a tratar com fasso limaos.
correnl auno e consta estar aeotartn nesla cidade
o moleqne EoteWe. esai*o da *nva a"o Dr. Fer-
naade Afcnsodetfelto, de*Mw><'S de ida^ r-^a-
po mais 4aafPQS, cor reU, secco do coreo, "!*
60 f^gp|>es,>macaaM,,rabeca nm onen ^raatto
seceos e morto*aMoO: *opa.*e f-r antea (adas 8
autoridades pollciMBO capWrfde m*> prebaodam a>,M##'"** Hanaunr ^brado
a\*aWIW^Tr*WWdo?t'Prot's^p'lo"s,! "5a""'8
m^eTos^TOaefcoqtri. qoalqoer peaipa que 4 leBha
em sen poder.
ILEGIVEL


':
feto* -~aa>lMMte:*a *e JUmrU de i &
LITTERAT8RA.
cercando os lentes das (acuidades de alga*
mas nopras, usna substancia altamente os
rebaixafao. De/am-ibas a cathegoria e o
vestuario dos desembargadores. mas nao
lhes concedern < 8 mesmos vencimentos,
quando isso n5o era arbitrario, antes j esta-
Hcaaorla histrica acadmica,
ipresentada cugrcgaco do
lentes da faenldnde de dlreito .
do Recite na sessSo de I de v expressatnente determinado pelo art, 3."
marco d IHG4, pel Dr. lo- da carta de lei de 11 de agosto de 1827 so-
tonlodeVasconcellos Menezes bre a creado dos corsos jurdicos, (b)
E' exacto, que os lentes passaram a gozar
dos mesmos vencimentos, que percebiam
os desembargador s n'aquellas pocas, mas
successivamente foram-se augmentando os
destes, sem o augmento dos d'aquelles.
Agora porm acaba de passar sem deba-
de Driimmoad. late substitu-
to da mesma faculdade.
(Continuaco)
LXI
Don lo iamento.
U leva obrigar o doutorando a prvas mais
rigorosas, porque sendo o gru de doutor o te n senado um parecer da commissao de
mais subido, que contre a faculdade. mis- fazenda adiando at melhorar o estado
tcr que so o possa alcancar quem na verd das nossas finanzas, ou nivelarse a receita
ds comprovar inslruccao real e solida. Na cm a despeza fh projecto ali apresen-
Francaa aspiracSoa esse gru t5o difficil, do em U demaio de 1859, queegaalava
que so a tem as primeiras capacidades, tan- os vencimentos dos lentes cathedraticos das
tJ que as theses dos doutorados so venia- Faculdades de Direito aos dos desembarga-
ras obras jurdicas, como diz com sobeja dores das relacOes, e determinava que os
razao A. Fontaine de Resbecq na sua obra dos substitutos fossem na razo dedous ter-
sobre o doutoramento. Na Blgica d'entre cos dos vencimentos dos mesmos desembar-
co candidatos a esse gru, apenas 30 sa- Qudorcs.
Lem approvados. Houve porem um voto em separado nui-
0 jnlgamento do douto.-ando por sete len- t0. curioso de um dos membros d'essa coca-
les, no peder j mais exprimir o juizo da missao, pretextando que aquella citada dis-
ficuldade representada por desesete, alm de posigao do art. 3 da lei de II de agosto de
que d'aquellc modo se tem tornado essa as- -827, e a do art. 1. do cap. XIX dos es-
pirarlo mais accessivel. Si porventura se tatulos dos referidos cursos, que assim
restaurasse o antigo svstema de ser argido egualava aquelles vencimentos nunca tive-
ojulgado o candidato por todos os lentes,'raw arecwtJo, bem como que esses venci-
coino lernbrou o 8r. Dr. Vilelia Tavares, es- Mantos nao foram elevados em 1854, quan-
tou bem persuadido, que muitas pretencoes jrfo teve %flr a ultima reforma dos mesmos
exageradas morreriam no nascedouro. cursos, pelo que nao poda ser mais invo- j
Os estatutos da univrsidade de Coimbra j c?da em justtficaco da dottti ina do dito pro- \
exigiamque para a concess5o d'esse gru o ect0-
GHididato continuasse a esludar por mais! Ea- verdade, Srs., pasma, que no seioda
te:npo, e se fizosse doulo e benemrito. | representado nacional se propaguem prin-
l-a mister, depoisum exame privado, ar-cipios anti-juridicos d'esta ordem, istoJ
gumentaco de theses. dissertacao, e isso ali e ? a-inexecucao de urna lei organi-
sempre fui sobremanera difficil. \ca> ou pom melhor dizer, que a sua fla-
Na Franca exige-se mais um anno de es- \ orante violaco nos regulamentos, que ul-
tudos econhecimentos jurdicos mui profun-j teriormente Ihe foram dados, importa a sua
dos, compro vados por dous exames successi-; implcita revogaco!
vos. O candidato lisenla diversas iheses, LXIV
. -las dissertacoes so! re a historia e diflkul- 0s mesmos estatutos equiparam os lentes
dades do direito romano, bem como sobre \em honras aos desembargadores, mas estes
Na Hollanda, Blgica e Allemanha exigem- de ultima instancia ou o supremo de jus-
se tambem maiores conhecimentos jurdicos, tica.
a provas mu lo mais rigorosas.
Em todos os paizes, exemplares na ins-
trucelo superior, o gru de doutor aspira-
cao to diliiil, que poucos ousam t-la, e
quem possue esse titulo lisongeia-se de ser
geralmente oonsi erado digno d'elle.
Cutre nos porm vai cahindo no ridiculo,
orno mui bem disse o Sr. Dr. Yitella Tava-
res, a ponto de j procurar-se vulgarisa-lo
como o de l achare!, e nao ha ver acadmico,
que desde o seu primeiro anno, Bao tenha
esse dourodo sonho.
[taja, sim, muitos doutpres ; mas taes,
que acroditeni a faculdade, que lhes conferiu
esse titulo.
Para nao alropellar o ens'no da faculdade.
Comtudo, se os ditos lentes tiverem a in-
felecidade de incorrer em qualquer crimina-
lidade estaro spjeitos a jurisdiccao do juiz
de direito, magistrado de primeira instan-
cia ; o qual (de passagem seja dito), sem
ter as mesmas honras, que os lentes, respon-
de peranle a relacao, tribunal superior.
J o Sr. Dr. Marti m Francisco, na bri-
Ihanle Memoria Histrica que apresentou
em 1857 Faculdade de S. Paulo, levon
evidencia to capital desigualdade entre je-
rarchias sociaes inteiramente idnticas, e
demonstrou a conveniencia e utilidade pu-
blica de proscrev-la sob os seguintes fun-
damentos :
Entre a honra, que se concede, o lugar
dorante o anno lectivo, que asss curto, e iue se oceupa, e o privilegio do foro, ha
haver ao mesmo tempoo maior cuidado e
rigor na prodncco das provas para o d uto-
ramento, seria conve ente adopiar o syste-
ma da Franca de designar para isso a poca
das ferias, ou o intervallo dos actos.
LXJI
Habilitacao para os concursos.
Na impossibilidade actual de instituir-so
urna escola normal para habilitar ao magis-
terio das faculda 'es de direito, como i xiste
ira diversos paizes da Europa, parece-me
que se poderia app oximar d'isso, estabele-
cendo-se, que para ser admttido a concurso
do lugar de lente substituto, o candidato ex-
fatbtoe prova de haver feito n'aqi bslecimentos, de acardo com o programma
do ensiito, com Jicenca e sob os auspicios da
respectiva congregacao (pro venia l-gendi
sen docend) cursos pblicos e gratuitos du-
rantes dous annos, contados da collacao do
gru de doutor.
Esta medida parece ter apoio nos estatu-
tos, que permitiera fazer na faculdade cursos
particulares sobre as materias do ensino; e
seria um < piimo noviciado para o magiste-
rio, concorrendo tambem poderosamente
para se contrahirem os hbitos qne lhe sao
inherentes, e nao ter essa aspiracSo, quem
se nao sentir com as precisas furcs, e nao
der durante esse tirocinio exuberantes pro-
vas de suas habilitacoes : seria em tnn urna
medida salvadora do talento, e proti'gadra da
mediocridadeousada e ininganie.esobre ludo
mu.toadoptavel, porque nada custa aos co-
fres pblicos.
Na Franca, assim se pratica para o lugar
de adjunto, qualificando-se esse exerccio de
Stage.
Na Hollanda, Allemanha e Inglaterra de-
nominara-se esses aspirantes ao magisterio
doctores leyentes ou prtvat docent Couzin,
dizia que el/es constituiam o viveiro, a vi-
da e forca da univrsidade, e eu accrescen-
tarei que si isso se adoptasse entre nos, se-
ria a melhor e mais fundada esperanca das
nossas faculdades.
LXIII
Vencimentos, e foro dos lentes.
Nao posso deixar de deplorar a sorte pre-
caria, que se acha reduzido o magisterio
das faculdades de direito do imper o.
Erabora se supponha; que urna vida de
commodos evantagens, pelo contrario a mais
simples i>bservacSo indica, que no nosso paiz,
toda ella de abnegado, esforcos e sacrifi-
cios, sema necessaraaaimaeo, enemase-
guranca indispensavel de um futuro para
qnem a segu, e para suas familias, (a)
Os estatutos procuraram tudo apparentar,
concedem-lhe a jubilaco, mas com perda
de metade da ana gratificado, em premio
de seus relevantes servicos. Isto por cer-
to inqualificavel I
E quando emfim a morte lhe cortar os
fios da vida, o sea cadiver ter de ser con-
duzido ao cemiterio publico pelo carro da
Misericordia, ou s expensas dos discpulos
e collegas.
Mas, com toda a certeza sua dobre fami-
lia ter* de chorar dupla desgrataa perda
de seu chefe e a miseria inevitavel, em que
fica para sempre jazendo: porque a sua
nica he ranea sera alguma beca, borla e li-
vros velhos, como exactamente succedu
infeliz familia do nosso sempre chorado col-
lega o Dr. Joaquim Vilella de Castro Tava-
res, e do Dr. Malaquias Alvos do Santos,
um dos mais afamados lentes da faculdade
de medicina da Babia.
Assim muitos, que contar mais de 25 e!
at 35 annos de servico, olhim sempre pa-
ra esse triste futuro com o coraco repassa-
do de viva dfir; nao obtante vao com longa-!
oimidade proseguindo no fiel cumprimento;
dos seus deveres, appellando s para Deus,
que nunca desampara seus filhos,e confiando
na alta munificencia imperial, que, princi- (
plmenle nestas dolorosas occasioes, e sem-
pre indefectivel, como se mosirou ha bem
pouco tempo, soccorrendo com um pensao
a viuva e filhos do Dr. Francisco de Paula
Menezes, Ilustrado professor do collegio Pe-
dro II, se me nao engae.
NSo por certo com esse desdem, que se
devem tratar os mestres das sciencias, quan-;
do bem sabido, que ellas sempre firma-
ram asvmais solidas bases os thronos dos!
reis justos ebons; quando repercute no
mundo inteiro, que a reorganisaco da ins-
lruccao publica o principal desidertum e
a grande obra do secuto XIX: quando se
reconhece com Fourcroy. que de primeira
ordem entre as questoes polticas a do esta-
belecimento do corpo docente, pois que sem
elle nao ha estado polticoseguro. Os
mestres das sciencias n5o devem ser como
o leo da fbula.
Por isso j houve quem ousasse compa-
rar a posicao dos lentes das nossas faculda-
des dos cmicos dos suburbios, que de-
pois de terem representado de Clao e Pom-
pen, acabam de sapato roto e chapeo esbor-
rochado.
O exemplo do que est soffrendo o Sr.
Dr. Felippe Jansen de Castro e Albuquer-
que, nos o respeilavel mestre, hoje jubila-
do com mais de 30 annos de servico, e com
redueco de vencimentos, disse a prova
mais exhuberante Ei-lo residindo em 0-
linda, cheio de privac5es e desgostos
(Conttnuar-seha.)
WATERLOO
(Conlinuaco do conscripto de 1813.)
POR.
ERCKMANN CHATRIAN
PRIMEIRA PARTE.
(a) Os lentes das faculdades do imperio
puera passar procurac5es todasescriptaspor
seu proprio pufino, por isso que sao deuto-
res ; do mesmo modo que o faz qualquer
nacha.*el. qne exerce a advocaeia, art. 7 4
das insirucees n. 82 de 30 de marco de
1849 Pereira e Sqfiza Proc.Civ, nota 472;
ao p sso que o commerciante (mnitas ^ezes
um taberneiro) pode maudar escrevr por
mo alheia e somente elle assignar a procu-
raco, por tbrea do art. 21 do Cod. com-
logicamente alguma ligagao.
O exerccio das ftmcpdes do lente, de-
vendo necessariamente offender o amor pro-
prio alheio, tambetn deve ser garantido da'
precisa independencia, qual a que resulta
de juizes especiaes.
O exemplo das naces mais cultas e avan-
tajadas as condicoes, e garantas para a
instruco publica, anda justifica a necessi-
dade do foro privilegiado para os lentes das
Faculdades.
Na Hollanda e na Blgica, os lentes sao
considerados altos funcionarios do estado,
e por isso nao respondona ante as autorida- j
des provinciaes e municipaes.
Na Franca s as cortes reaes (equivalen-1
tes aos tribunaes superiores no nosso paiz)
lem competencia para conhecer dos C' imes,
e delictos dos membros da univrsidade.
LXV
Jubilarn dos lentes.
Pelos arts. 95, 98 e 99 dos estatutos das
Faculdades de Direito do imperio acham-se
os lentes nivelados triste con di gao dos be-
deis e continuos.
Alm da sugeico ao ponto, se Ibes im- j
poz a nadmissibilidade de falta justificavel,
para o descont da respectiva gratific cao ;
e com tal severidade que, si o lente, depois
de ler dado aula no dia em que estiver
designada alguma congregacao, por qualquer
impedimento legitimo nao poder compare-
cer 4 ella, tem perdido a gratificado, como
se nao livesse prestado aquelle servico es-
colar.
E* preciso dar tratos ao pensamento para
se alcancar a razao d'esta disposic5o contra
pessoas, que exercem um ministerio, por
certo digno de outros respeitos e conside-
raco.
Quando o lente justamente acha-se pros-
trado no leito da enfermidade, e mais pre
cisa de recursos para o seu tratamento,
que os estatutos mandam deduzir-lhe a par-
te accessoria dos seus vencimentos, a grati-
ficaco.
Admissivel por certo seria esse descont,
se aquella falta do le te nao fosse por mo-
tivo to justificado. Mas, quando o impedi-
mento precede de molestia, que nao est ao
alcance de qnem quer que seja evitar, tal
descont a mais clamorosa injustica.
Na Franca, aos professores que adquirem
enfermidades, durante o exercicio de soas
funcc5es, concede-se um asylo seguro para
gozarem de sua jubilaco; bem como na
Hollanda. se a molestia dos professores
prolongada, nao ba dimhuico alguma, qur
nos seus vencimentos qur em quaesquer
emolumentos, que porventura lhes prten-
me calefrios. Depois abra os olhos olhava
para o tecto e dizia :
Eu estou em casa do Sr. Goulden, em
Phalsburgo, 4l' mtntra alcova. Hoje do-
mingo e vou a casa de Camarina.
Esta idea despertava-m de todo ; pare-
cia-m ver Camarina, com as suas faces ro-
sadas e "olhos azm s. Qoizera levantar-me
logo, vestir-me e partir; mas o relogio dava
matro horas; as portas da cidade ainda es-
lavam fechadas.
Era forcoso esperar, e essa, demora causa-
va-me o maior aborrecimento. Para nao sen-
tir o lempo, pensava nos nossos amores des-
de o principio; imaginava os primeiros
tempos; o medo do recrutamento, o mu
numero do sorteio, a nota debom para o
servicodo velho Werner na casa da cma-
ra, a partida, a marcha, Moguncia, a gran-
de ra de Capougnerstrasse, aquella boa
mulher que me deu um banho aos ps; de-
pois Francfort, Erfurt, onde recebi a pri-
meira carta dous dias antes da batalha, os
russos, os prussianos, emfim tudo. E eu
chorava. Mas a idea de Calharina nao me
deixava. Davam cinco horas, e eu saltava
fra da cama, lavava-me, fazia a barba, ves-
tia-me, e o Sr. Goulden, que ainda estava
entre os lencos, com a cabeca de fra, di-
zia-me:
Bem te ouco, bem te ouco. Ha meia
hora que andas para traz e para diante. Bem
se v que hoje domingo, meu patusco.
Isto fazia-o rir, e eu tambem ria, dando-
he os bons dias e descendo a escada em
dous saltos.
Havia ainda muito pouca gente na ra. O
carniceiro Sepel gritava-se sempre :
Ola, Jos, vem c; quero dizer-te
urna cousa.
Mas eu nem para traz olhava, e ao cabo
de dous minutos j estava na estrada real
dos Quatro Ventos, fra das fortificacoes
avancadas e das esplanadas.Ah, que bo-
nito tempo I que bom anno aquelle t como
tudo verdejava e reflona, e como todos se
davam pressa em ressarcir o tempo perdi-
do, em plantar os couves temporas e os ra-
banetes, e em revolver a trra calcada pela
cavallaria t como todos cobravam aiimo, e
esperavam da vontade de Deus o sol e a chu-
ya de que tinha necessidade.
(Continuar-se-ha).
cam
'.r
I
LXV!
A jubilar o sempre foi considerada como
justo premio de bons servicos prestados pe-
lo fuDCci.nario publico ;. tatito, que na as-
semblaconstituinte da Franca seoizia: //'
est juste que dora i'age des infermts', la
patrfe tieme au secours de celtiiqti jui a
consacr ss tolens et ses forcee.
Entre nos, porm. quando o lente est
exhawto de forcas, alqoebrafip pelas arfer-
mercial brasileiro ; privilegio que umeameor mjdaijes, quando ja tem consumido a maior
te foi concedido -pelas ditas uretrueces, I parte a saa vida (30 annos!), e perdido
art. 6, aos condes, marquezes, Duque, vis- todoiieii vigor no servico da patria, quando'
Otados, bardes com grandeza, arcebispos, o3o ^ re8tam mais recursos para- per oti-i
bispos, consdtietros. Tambem, os filhos iros meios promover a sua deceiie snbsis-;
dos lentes nao podem ser cadetes -e spmnte lencfo de ua pobre familia, os estatutos
saldadas particulares, como sao os filhos de
(b) O art. 3 da citada lei diz: Os lentes
pfophetaridswwne^" o ordenado que
qualquer coHector ou outra pesaoa, que te-
cha atffara considerpo civel. Decreto de .
4 de fevereirode 82h AuditorBrsBeiro.ttvm^ O (muro)osdesembnrgadores das
nao tao poned I 'f ...
ttverem (no lai-uroj us aesemDnrgQaores aa\
\reafss egozaro das mesmash I
(Continuacao)
Logo depois de abertas as portas da cida-
de, o Sr. Goulden escreveu ao ministro da
guerra, que se chamava Dupont, dizendo-lhe
que eu estava em Phalsburgo, ainda um pou-
co doente, e que coxeava desde o meu as-
cimento, mas que mesmo assim nao tinha
escapado s urgencias de momento ; que eu
eraum pessimo soldado, que viria a ser um|
bom pae de familia, eque seria urna barba-(
ndade obstar ao meu casamento,porque nun-
ca se tinha visto um homem mais mal ta-
lindo nem mais recheado de defeitos phy- j
sicos ; que eu estava em estado de ser man-
dado para um hospital, etc., etc.
Era urna carta muito bem escripia e que
dizia a verdade. Para que eu adoecesse bas-
tava a idea de voltar para a guerra.
Emfim, um dia e oulro e oulro espera va-
mos a resposta do ministro, tanto a ta Gre-
del como o Sr. Goulden e Catharina e eu.
Pde-se imaginar a minha impaciencia ;
quando.o carteiro Brai'nstein, filho do sihei-
ro, passava na ra, j o ouvia a distancia de
meia legua. Perdia logo a cabeca, nao po-
da fazer mais nada e debrucava-me na ja.
nella. Via-o entrar em todas as casas, e quan-
do elle se demorava um pouco, dizia comi-
go :Que estar elle a dar lingua ha tan-
to tempo ? N3o sei porque nao ha de entre-
gar as cartas e sahir logo. E' mesmo urna
mulher solheiro, aquelle Brainstein. Ento
irritava-me, desoa ra, ia ter com elle e
perguntava-lhe :
Nao traz nada para mim ?
Elle examinava os sobrescriptos e res-
ponda :
Nao, Sr. Jos, n3o trago nada.
Entrara em casa muito triste, e o Sr.
Goulden, que me tinha visto, dizia-me:
Creanca 1 s urna creanca I Ora va-1
mos. preciso ter alguma paciencia. A cousa
ha de vir, ha de vir. J nao estamos em tem-1
po de guerra.
Mas j podia ter respondido dez ve-'
zes, Sr. Goulden.
Pois to pensas qne nao-tem mais em
que cuidar ?. Olha que recebe todos os dias
centos de cartas como a minha; e cada
orna tem resposta por sua vez, Jos. de-'
pois/mea amigo, tirio est agora na maior
desofdem. Vamos, vamos ,* nos no somos
sos no mundo ; muito* outros rapazes, que!
tambem qnrem casar, estSocomotnes-
pera de licenca.. ,.
f Eu achava muito boas as suas razoes, mas
dizia comgo:Ah, se'o ministro soubesse
.o contentamento que pode dar-nos com duas
palavras, iposto que escrevia logo. Como o
cobririamos ent$o de benclos, Catharjna e
eu, e a ta Gredev, e todo o mundo tPor
6m da cotas, era preciso esperar.
Nos domingos^ como de erer, voltara eu
ao costume antigo de ir aos 0o.atro Ventos,
e nesses dias acordara muito cedo. Nem eu
sei o que me acrdava. Ao principio pare-
canme qne anda era soldado, e mo dava-
Ul POUCO DE TUDO.
L-se no Jornal de Lisboa :
O vesuvio do qual as gazetas italianas an-
nnnciam urna nova erupeo, est situada
pouca distancia de aples e de Castella-
na re.
A primeira erupeo de qne a historia faz
menco, teve lugar em 25 de agosto, no an-
no de Jess 79. Pompea e Herculano fi ca-
ra m sepultadas debaixo das chuvas de cin-
zas e de pedras arden tes; pereceram mais
de 250,000 pessoas naquella espantosa ca-
tastrophe.
Em2"2 houve segunda erupcao e succe-
deram-se mais duas em 282 e 472.
Em 28 de setembro de 1558 foi mui vio-
lenta a erupcao. O solo de Pozzuoh levau-
tou-se e ainda hoje assim se conserva.
Em 16 de dezembro de 1631 leve lugar
a erupcao mais nota ve! dos tempos mo-
dernos.
O vulcao vomitou fogo e cinza at ao dia
25 de feverelro de 1622 e pereceram mais
de 3,000 individuos.
Nos primeiros annos ram lugar muitas empees consecutivas.
A de 1757 durou cinco dias, e a lava vo-
mitada pela crtera oceupou um espaco de
40 metros de largo e 2 de altura.
Em 7 de junho de 1779 houve urna nova
erupeo que durou dousmezes,
Na erupcao de 1789 um incendio deslruiu
a cidade de Otlajano, elevando-se a colum-
na de fogo a 3,500 metros, isto a urna al-
tura tres rezes maior do que a montanha.
A erupcao de 1794 foi a ultima do seculo
XVUI.
A primeira do seculo XIX teve lugar em
23 de agosto de 1804.
Em 26 de jullio de 1855 violentas de-
tonaees subterrneas annunciaram novas
erupcoes vulcanicas e foram precursoras do
terramoto que em 12 de agosto destruiu e
derribou quasi totalmente o reino de a-
ples.
A extraordinaria erupcao que se lhe se-
guiu, foi urna das mais notaveis do seculo.
A lava, dividida em cinco correntes, das
quaes a menos consideravel tinha mais de
160 bracas de largo, formou no seguimento
do seu curso para o mar um novo promonto-
rio vulcanico.
Em 1832, o vulcao ameacava destruir a
cidade de Torre del Greco com as torrentes
de lava inandescente e com os jorros d'agua
a ferver que seguiam aquella direccao. Os
seus desastrosos effeitos foram felizmente
atalhados em consequenca do novo curso que
aquellas torrentes tomaram atravez dos
campos.
O vesuvio tem 1,200 metros de altura.
A sua circumferencia de 40 kilmetros.
Parece que as erupcoes do vesuvio dimi-
nuem medida que ugmentam as do Etna,
do que se infere que ambos os vulcoes se
commumeam subterrneamente.
Os jornaes italianos asseveram que a erup-
cao do Etna, que ba pouco comecou, acom-
panhada de furtes detences, boje formi-
davel.
O Stromboli ameags tambem urna erup-
cao, como evidentemente indicam grande
columnas de fumo cortadas por Iinguas de
fogo
Attribue-se a estes transtornos danature-
za o o desappareciment recente da povoa-1
co de CaslellQ di Nai, as proximidades de
Messina.
" Castello di Nasi submergio-se.
E' do Sr. Tobias B de Menezes esta poe-
sa :
.
;VjQS E Qt'^S."
Quebrei a c'roa de espiono
Que a minha fronte sangrou.
Como a serpe oixupa o ninho
Que o passaro abandonou,
Jaz emmeu peito o desgosto.
Do abismo lava-me o rosto
A onda crepuscular
Deminh'alma a fibra extrema
Sahe as unhas do problema
Que nao se deixa pegar...
Ver o mysterio ericado,
Rodeando os mausulus,
Mor rersubi ndoagarrado
No escarpamento dos cus,
E'triste, mas a vida.
O homemde tanta lida
Cansadoindagando vae
Chora embalde, grita, escuta...
Que a trramae prostituta
Nao lhe diz quem seu pae.
E a humanidade rolando
De queda em queda gemer;
E e pensamento voando
E o corac.au bater!
Do genio augusto aos ouvidos
Mal chegam vagos ruidos
Que sam :Deus ahi vem
Eu digo Virgilio terno
Foste com Dante ao inferno,
Leva-me elle tambem.
II
Do prazer tenue resabio
Fica n'alma que o sentiu,
Sbito cerra-se o labio,
inguem diz qu'elle sorriu:
Mas dos olhos que choraram
Como ainda se deparam
Indiciosna rubidez,
Na tristeza, no quebranto,
Naquelle trilho do pranto,
Que suja a mais linda tez !
Na cabeca que arde e pensa
Lauca embalde os opios seus
A' noute, esta gruta immensa
Cbeia da sombra de Deus.
Para a alma entenebrecida
Nos infinitos perdida
Sem fque vale a raz3o ?
E' como a locha tremente
Que a sonmbula doente
Leva na plida man.
Abalo as ramas celestes
E um fructo s me nao cae;
Seguro de um aojo as vestes,
E o aojo em fumo se esvae.
Quando cuido em ledo sonho
Beijar um vulto risonho,
A aurora grita sou eu!
E a, natureza accordada
E" toda urna gargalhada
Que zomba do engao meu.
De tudo a ira recuma.
O pego profere alm
Sua palavra de escuina
De sal e raiva e desdem.
Na malta o cedro detento
Despeitado pelo vento
Que a coma lhe esfrangalhou,
Range os den tes a gastad o.....
Ser meu Deus irritado
^Contra a m3o que o enraizou ?
Mas o homem q'emmudeca
0.ue se contente em chorar,
Joelhe, curve a cabeca
E deixe se coroar...
Coroar de espinhos duros,
Cercar de dias escuros,
Por issoo que se lhe d ?
Ah! como trmula a crenca
Firmada na recompensa,
Differida para !..
L mesmo, onde nao se chora,
Onde se vive feliz.
Falla Tsso Eleonora,
E Dante abraca Beatriz ?
J siuto monotona
Neste sol de todo dia
No riso d'estas manhas;
Contemplo triste, pasmado
O giro desorientado
De tantas ideas vas.
Apraz-me a tarde saudosa,
Como o olhar de quem chorou,
E a descor d'aquella rosa
Que aberta n'haste.ficou.
Luz mais viva me Ilumina
De ver o sol que se inclina
Como quem dizterminei;
De versanguento o horisonte
Rolar do topo do monte
Essa cabeca de rei.
Dem-me as auras na face.
Amor e goso.... nenhum.
Ruge o coracao vorace,
Ancioso, fro, em jejum.
Como um grito sotterrado,
Gerae o espirito abafado
No antro escuro da dor;
Se entilo blasph ma impiedoso ?
Ai., meu Deus, o cao raivoso
Nao conhece ao seu senhor.
Sobre a dor que me consom
Mo virgnea inda n5o puz.
Tenbo sede, tenho fome
De neijos, de vida e luz.
as fauces quentes, sequiosas
Nao entornam-me estas rosas
Tanto orvalbo q'ellas tem :
Vejo s se me revela
Desdemno rir da donzella,
Na bocea da flor desdem.
Mal a folhada dos dias
Cobre-me a dbil raiz;
Ao sopro das agonas
Vascillo, nto infeliz,
T3o puro em minha nascenfa i
Arrasta-me forca immensa,
E eu diego turvo no.mar..
Na lula desce-me o bra$o
Minha f, meu peito d'ac
Que mal te poude wrar? .._
ni
Lembro-me a garra serena
Voava l dos panes
Morria a tarde morena
Com suas veas azues
Filando o cu do sol-posto
Paludo como um desgosto
'Limpo como um seio n,
N3o sei que dor ma doia ...
E minha mae me dizia:
Fimo, de que choras ta ?
Meiga-enxugando-noe a face,
Mandando ama prete alm
Pedia que eu nao oqorasse
Ellachorando tambem.. .
Brandas aors vespertinas,
Como roupas femininas,
Faziam-me estremecer...
Na fronte -maternos beijos
No peitovagos dezejos
De medilar e morrer....
Meu pae, se nao tinha ouro,
Por que confiaste assim?
Minha me, que do teu choro
Que dos teus votos por mim ?
Essas lagrimas que banham
Faces de maen3o se apanham,
Deixa m-se toa i ahir ?!
Os anjos encarregados
Andam ahi oceupados
Na graca de algum sorrir.
E o meu destino adversario
Ella n3n poude escoar
as conlas do seu rosario,
Na* gottas do seu chorar !
Minha alma vasculejada
Borbulha a palavra irada--
Escoma de escencia ruim
Qual fora disso o effeito
Se urna lagrimado peito
Naorebeotasseai de min !
Como um hymno mudo, santo,
Como a prece que eu mais sei,
Em terminando o meu pranto
Posso dizerj rezei
Por, mim, por tudoem abono
Dos mortos, cujo abandono
Nao fica bem ao Senhor;
E elles doces e gratas
As preces sao serenatas
Da sua nouie de horror
IV
D'arvore o spetro soturno,
O tronco velhode p
Espanta o viajor nocturno
Que lhe perguntaquem ?
Tal o phantasma terriv*l,
A negra formaimpossivel
Que representa-se alm,
Mas qne cede a confianca
Do ca inheiro qne avanca
E emfim murmuraninguem I
Luctar com o anjo da sorte
Para dizer-lhevenc !...
Tremenda lucta que a morte
Contempla ao lado e sorri;
Noites sorver que consomem,
E nao ser mais do que um hornero.
Pequeo, tosco, vulgar,
Ao muitolibando amores
Nos degraus inferiores...
Assim?]... nao quero luctar.
Pois que nao sou um eleito
Para as conquistas da luz,
Eis a vidaeu a enjeito,
Amarro-a nos ps da cruz.
E vou-me espirito audace,
Mais livreno desenlace
Que a hora extrema produz
A' claridade em que ondeiam,
Deslumbram, cantam, vagueiam
Verdades mysierios ns.
D em trra o des?racado
Que a m3o siccaria abateu;
A fra rugecoitado !
E a serpe diznao fui eu
Quem sabe se a alma sedenta
Tomando a porta sangaenta
Que lhe abre o ferro lethal,
Voando por sobre a vida
Nao repete enternecido
Muito obrigada, punhal!
Eu sei!..* a campa despert
Deitada aos ps do Senhor
Anceia com a bocea aberta
Como cao de cacador.
Pois a vida sua preza
Talvez que d'alma a belleza
Se estrague na escurido,
Se o Senhor nao na re>erva ;
Tirando a pelle da cena
E a carne dando ao seu cao.
Da vida escura mesquinha v
Quando a alma sola os seus ais,
Como os pios da avesinha
No enleio dos espinhaes;
Va talvez de repente.
Oh! Simque eu morra contente
Nem oura o pranto dos meus.
Sob a campaem abandono,
Nao me accordeis do meu somno,
Deixae-me sonhar com Deus.
A Correspondencia de Portugal escreve:
O imperador Maximiliano contratou com
Mr. Borvent a introduccSo no vexico, por
certo numero de annos, de cem familias al-
ientes, de cinco pessoas pelo menos cada
familia.
Cada familia receber, por titulo de plena
propriedade, 20 ares de trra (cada are tem
100 metros quadrados).
A companhia representada por Mr. Bor-
vent dar gratuitamente a cada familia, urna
casa, vveres para determinado tem o, se-
mentes, utensilios de lavoura e os animaes
necessarios para reprodcelo e para os tra-
balbos agrcolas.
A companhia receber como nica cora-
pensacao ds obrigaces a que se sujeitou,
metade do producto das proprieades dos
colonos duraote dez annos.
------- n na m -------
...
O governo britnico acaba de. conceder
duas novas linhas de paquetes a vapor, par-
lindo ambas de Liverpool e te> do por ter-
mo um< Be!izc(H nduras britnica), e ouira
Tampico ("Mxico).
Os paquetes da liona de Live pool para
Belizc fario escala, tanto na ida como na
volta, por Kingston (Jamaica). Parlirao no
dia 5 de cada mez.
Os da linha de Tampico faro escala em
Porto Principe (Hait), Jamaica e Vera-Cruz.
Parlirao no dia 20 de cada mez. No dia 20
do corrente devia ter sabido de L'verpool o
primeiro paquete.
Quando o d a^oq 20 forem domingo,
as sabidas de Liverpool devem ser em 7 ou
21. Coso sabido aos dominfos nao sahe
navio a-gum dosportosde Inglaterra.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. P.DE F. & FILHO
;.

>^sr^'s



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENMNX4ADZ_J42W3U INGEST_TIME 2013-08-28T00:54:48Z PACKAGE AA00011611_10649
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES