Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10648


This item is only available as the following downloads:


Full Text
iX
AMO IU HOMERO 91.
Por laartcl pag <|ei(r de 10 di*s do 1. mez t t
(tea eifis dos i' 10 das do conecte eitro dt quartel. .
Porte o corrcio por tres mczes ...,..,,,,,,
1000
6$000
750
m
SEXTA FEIRA 21 DE ABRIL DE 1865.
Por pago dentro de 10 das do 1. nez
Porte ao crrelo per aiie.......
*
19I(
191000
looo
DIARIO DE PERNAMBUCO.
EN'CARREGADOS DA SBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrinu de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva -, Araeatv, o
Sr. A. de Lemos Draga; Cear, o S. J. Jos de
Oliveira; Marauho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos -, Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos/; Martin* Alves; Rio de Janeiro, e-Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e esteges da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Beierros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Boro
Conselho, Aguas Bellas e Tacara!, as tercas
feiras.
Pod'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricurv, Salgueiro e Ez, as quarlas
reiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a i
hora da tarde. .
Serinhem, Rio Formoso, Taraandar, Una, Bar-
reiros, Agua Prela e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Qoarto cresc. as 10 h., 89 m. e 22 s. da t.
14 Loa chela as 2 b., 17 m. e 52 s. da m.
18 Qnarto ming as 9h., e 16 m. da t.
27 Lna nova as 11 h., 53 m. e 46 9. da m.
AUDIENCIAS, DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comroercio : segundas e qnlntas.
Reiago: tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 hora?.
Jnlzo do commereio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segnnda vara do civil: qaartas e sabbados a 1
hora da tarde. .
DAS DA SEMANA.
a wSEPa n^nice Pi s' Ftunato m.
18. Terca. S Gald.no b. card.; S. Anthia m.
9- Quarta. Ss. Expedito e Arisiooieo mm.
20. Quinta. S. Ignez do monte Policiano.
21. Sexta. S. Anselmo are.; S. Abdcalas m.
22. Sabbado. Ss. Soler e Caio pp. mm.
23. Domingo. S.Jorge m.; S. Adbertob.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as O horas e 30 m. da tarde.
Segunda as O horas 54 e mnalos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sal at Alagoas a 14 e30; para norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada nwi; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de ianerror margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
I
no Retife, na livraria Ja praga da Independencia
ns. C e8, dos proprielarios Manoel Figaeroa de
Faria & Filbe. 8 "
PARTE OFFIGIAL
SOIBRRO DA PROUFICU
Expedienle do dia 18 de abril de 4865.
Ofikio ao Exm. desembargador provedor da
Saiita Casa da Misericordia.Sirva-se V. Exc. de
informar se possivel ser admittido no hospital de
Gnridade o paisano Joo da Costa Monteiro, que se
offerece para servir no corpo de Voluntarios da
Patria, como consta da peligo e informacao inclu-
as.
Dito ao coronel commandante das armas.Sir-
va ve V. S. de determinar ao coronel commante do
1* corpo de voluntario que mande tirar com ur-
gencio e remetter-me o pretdos vencimenlos a que
tem direito os Volnntajios da Patria Antouio Fran-
cisco Xavier, Joaquim Pereira da Silva e Antonio
Cirneme Barbosa, desde o dia 26 de marco ulti-
mo ora que partram de Baixa Verde na comarca.
de Flores, at o dia em que juraram bandeira.
Dito ao mesmo.De conformidade com o dis-
posto no aviso da repartigao da guerra de 8 do cor- '
rente, mande V. S. desligar do 4 batalbo de arti-
baria a p as respectivas pracas de pret, as quaes ;
devem seguir para a curte na primeira opportuni-
da.le (menos as que forem necesarias para a guar-
nicao das fortifleages da provincia) acompanha-
das de gu.as de seccorrimenlo no caso de ser pos-
sivel passar todas, Qcandoaqui os offlciaes do mes-.
jiio balalho para irem completando estas com os
rerrolas que se apuraren).
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar so-
bre o que pede Joaquina Thereza de Jess no in-
cluso reqoerimento.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar ins-
peccionar novamente o Voluntario da Patria Auto-
pio Marlios de Oliveira, e dar o f eu parecer sobre
o que pe<*e no incluso requerimento.
Dito ao Dr. chafe de polica.Reitere V. S. as
snasordens as autoridades policiaes para nao re-
crutarem os almocreves e conductores de gneros
para o mercado desta capital como se recomroeo-
dou em officio de 13 de Janeiro ultimo.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. para o Bm conveniente o pret
junto em duplcala, que me remellen o coronel
commandante dis armas com olTlcio de hoje sob
d. 91, dos venc meatos relativos a primeira quin-
zeoa deste mez dos" Voluntarios da Patria da com-
pauhla de horaens pretes. -Commuoicou-se ao co-
ronel commandante das armas.
Dito ao mesmo.Remetiendo incluso por copla
b calcio em que o Exm. presidente da Baha com-
rouoicou-me ter se apreseulado a elle 00 dia 10 do
corrate, o capilio de mar e guerra Hermenegildo
Anioub Barboi de Almeida, visto ter se Andado
do naquel le du a Ueeea ewn que elle se a cha va
e nio ha ver embareaelo para o seu transporte, te-
Abo a declarar a V. &., para sen conhecimento,
que sse offlc'il ja se rcolheu a esta capital e
leassumio o exerekio de inspector do arsenal de
piarinha em 16 deste wn.
Dito ao mesmo.Em vista do pret junto em du-
plcala que me remellen o commandante superior
.i.-..te municipio com officio de hoje sob n. 111, e
sao havendo inconveniente, mande V. S. pagar os
vencimenlos relativos a primeira quinzena deste
mez das [iracas do 3 balalho da guarda nacional
desta capital quartelladas para coadjuvar a forca
de 1* linha no servigo |de guarnicao da provincia.
Dito ao mesmo Remeti a V. S. para os con-
venientes exames as contas documentadas da re-
celo c despeza da enfermara militar de Tacarat
com o parecer da junta que as examinou.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Nazareth.A lente do balalho n. 20 de
infamara da guarda nacional, sob seu commaudo
superior, Jos Francisco Lopes Lima, mande V. S.
passar a iruia de que trata o artigo 45 da decreto n.
1130 de 12 de margo de 1853, visto ter transferido
a sua residencia para o termo da Divina Pastora
na provincia de *ergyp e, onde foi exercer o cargo
de juiz municipal e de orphaos, litando deste modo
deferido o reqefimento a que allude o ;eu officio!
de 7 do corrate.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Man-
de V. S. alistar na companha de aprendizes mari-
nheiros, urna vez que esteja as condirdes do res
pectivo reguiamenlo, 0 menor Jos Ignacio da Ca-
niara I'uneniel, como solicitou o pai deste, em sea
requerimento.
Dito ao coronel Domingos Alfonso Nery Ferrei-
ra.-Com o offlelo de V. S. de 17 do corrente, sob
n. 109, se me apresentou o segundo sargento da
guarda nacional Joo Domingues da Silva Guima-
raes, a quem mandei alistar no m^smo posto no
corpo de Voluntarios da Patria, e muito agradeco
V. S. o auxilio que continua a prestar a minla
administrado premovendo o alistamentode volun-
tarios.
Dito ao lente corouel recrulador. Recemmeo-
d a V. S. qne nao recrule os almocreves e con-
ductores de gneros para o mercado desta capital
Como j se ordenou, em offlco de 13 de Janeiro ul-
timo.
Dito ao commandante do corpo de polica.Man-
de V. S. apresentar ao oflkial encarregado do de-
posito de voluntarios das Cinco-Ponas um sargen-
ta e um corneta do corpo sob sea commando, aflm
de servirem no mesmo deposito.
Dito so juiz municipal supplente do termo de
Santo Asto.Cnm o parecer junto por copia, da-
do pela ihesourana de fazenda, respondo a consal-
ta que Vmc. fez, em seu officio de 24 de Janeiro ul-
timo, acerca do sello que devem pagaros alvars
de liceoga para casamentos de orphaos pobres.
Portara.O presidente da provincia resol ve no-
mear o lente reformado do exercito Francisco
de Paula Meira Lima, para o lagar de ajudante do
-director da colonia militar de Pimenteiras, e orde-
na que oeste sentido se expeca as convenientes or-
dens.Fizeram se as necessarias communicacoes.
Dita.O presidente da provincia tendo em vista
a proposta do director geral da instraccao publica,
datada de 17 do corrente, sob n. 116, resolve no-
mear o Dr. Joo Capistrano Bandeira de Mello Fi-
Iho, para o cargo de membro do cooselhe director
da instruoco publica, fleaodo exonerado daquelle
cargo por se achar fora da provincia em commis-
sao do governo imperial o Dr. Braz Florentino
Henriques de Sonza.
Dita.-O presidente da provincia atlendendo a
que a junta revisora de qualiflcaco da freguezia
de Aguas Bellas, nao procedeu cora regularldade
nos trabalhos da reviso das listas dos votantes do
corrente anno, j por nao haver receido as listas
e ja por se haver limitado a fazer urna simples
traBSCTipcSo da listada qualifleagao existente,como
declarou o juiz de paz presidente da mesma junta,
Victorino Jos da Rocha Souza em officio de 2 do
coarenle, sem empregar oulros meios que linha a
seu alcance para o bora enmprimento da sea dever,
e sem ao meos cumprir o de multar os juizes
omissos na forma do artigo 130 i 6 da lei de >9
de agosto de 1846, resqlve nao so annullar os re-
feridos trabalhos, mas tarabea) multar nos termos
do citado artigo 126 % 1 n 5 da mencionada lai a
predita junta na qoantia de 150*000 reis, repart-
dameote pelos seas merabros e ordena, que pela
secretaria do governo se espega a cmara munici-
pal competente copia aulhentica da presente para
sua execuga.Reroeteu-se copia desta portara a
respectiva cmara municipal.
Dita.-O Sr. gerente da com pan ni a Pernam bu-
cana mande dar transporte al o Rio Grande d j
Norte no vapor de 7 de maio prximo vindonre
que tem de seguir para all, em lugar de r, desti-
nado a passagiiro de estado ao offlcial-maior da
secretaria do governo daquella provincia Carlos
Joaquim Plnheiro de Vascoucellos.
Expedienle do secretario do governo do dia 1S de
abril de 1865
Offlco ao inspector da iheseuraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
muta V. S. a melosa ordem dirigida pelo minis-
terio dos negocios da guerra datada de 4 do cor-
rente.
Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda transmittir V. S. as duas inclusas
ordens em duplcala sob ns. 440 e 441,expedida
pela repartco do ajudante general do exercito.
Dito ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda transmittir i V. S. a inclusa or-
dem do Ihesouro nacional sob n. 37.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda acensar
recebido o offlco de 16 do corrente, em qne V. S.
communicou ter reassumido nessa data o exerci-
ci de inspector desse arsenal.
N. 127.Dito ao 1* secretario da assembla le-
gislativa provincial. De ordem de S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, transmiti por copia V.
S. para ser presente assembla legislativa pro-
vincial a inclusa informacao prestada pela cmara
municipal desta cidade acerca do parecer da com-
raisso encarregada de examinar o estado da se-
cretaria da mesma cmara a a qne se refere o offi-
cio qne V. S. me dirigi em 8 do corrente, sob n.
66, que lica assim respondido.
N. 128.Dito ao mesmo. Para ser presente a
assembla legislativa provincial e em solugo aos
seas offlcios de 21 de margo prximo flodo e 8 do
corrente, sob ns. 35 e 65, passo por copia s mos
de V. S. a inclusa informacao qne ministrou a c-
mara municipal do Recife,acerca da petlgo de Ba-
silio Alves de Miranda Varejao.
N. 129.Dito ao mesmo.-Transmuto a V. S.de
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
para sereno presentes assembla legislativa pro-
vincial os inclusos ornamentos dareceta e despe-
za do exercicio de 1864 1865, que remellen a c-
mara municipal da villa do Uuique, com officio de
24 de margo ultimo.
Despaches do dia 48 de abril de 1865.
Antonio, Africano livre Informe o Sr. Dr. juiz
municipal da 2' vara desta cidade.
Flix Jos Pimental.Aprsente o sea Blho ao
Sr. inspector do arsenal d marinha.
Dr. Jos Bernardo Galve Alce/orado.-D-se.
Joaquim Ursino Cavalcanti.Informe o Sr- com-
mandante do corpo de polica.
Joao Soares Guimares.Reeoettido ao Sr. ins-
pector da thesourarta provincial para mandar jun-
tar ao requerimento do suppticaote, que foi a in-
formar em 4 de margo ultimo.
Mara d'Assumpgao de Andrade Luna.Informe
o Sr. director da instruegio publica. *
Senhoroha Mara Cordeiro.Concedo quinze
dias para provar com documentos novos o que
allega.
PERNAMRUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
34* SESSAO EM 20 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DOSR. DR. PERBtRA DE B RITO.
As 11 horas e 1|2 da maobaa, feita a chama-
da acbam-se presentes os Srs. deputados Teixei-
ra de Mello, Ramos, Buarqne, J. do Reg Barros,
Francisco Pedro, G. Campillo, Ribeiro, Gonuaives
da Silva, Silva Barres, Nabor, S Pereira, Mara-
nbao, Brito, Armio, Aquino Fonceca, Araujo Bar-
ros, Amynlhas, Braodo, Diodoro, Antonio Vctor,
Reg Barros, Drummond, Sonta Lima, Baptisia,
Cunba Teixeira e Sabido.
O Sr. Presidente abre a sessao.
Deixa de proceder-se lettura da acta, por nao
se achar sobre a mesa.
Comparecen) depois os Srs. Eslevo Franca, J.
Varia, Jacobina, AyresGama e Rochael.
EXPEDIENTE
Dm cilicio do secretario do governo, remetiendo
as informagoes que ministrou o Exm. Sr. vigarlo
capitular acerca do projeclo n. 47 do anno passa-
do.A quem fez a requisicao.
l'ma petigao da mesa regedora da conrarjpe
ordem terceira de Carmo da cidade de Golanpa,
pedindo urna lotera para concertos de sua ignfa.
A' comraisso de petigdes.
Outra de Hermenegildo Firmino de Lemos, gaar-
a teremdiga-sesao obrigados a ter ; e sup-
primam se as palavrase sempre que entender
conveniente.
Sala das commissoesda assembla provincial de
Pernambaco, 19 de abril de 1865. Nabor.-Car-
valho Moura.Soares Brandad.*
Vae lambem a imprimir o parecer da commissao
respectiva sobre as posturas da cmara de Ouri-
curv.
approvada a redaccao do pnjecto n. 26 deste
, e mais o seguate parecer e requerimen-
E1
oo tiveram anda os ditos contratos principio de
execuga, bem como o pagamento desde ja do que
Ihe estiver a dever a provincia pelas obras ja fel-
fas : considerando que sao dignos de ser attendi-
dos os motivos porque reqoer. a peticionaria a re-
ferida resclso, os quaes vem a ser as difficulda-
des que lem como viuva e com flihos menores de
administrar obras que fleam disuntes desta cida-
de e que exigem diligencias e habilitagdes incom-
paiiveis com o seu sexo e o cuidado de sua farai-
iia, alm da circunstancia de ter fleado o casal
louerado de dividas directas no valor de mais
cer, e pede ao Sr. presidente as necessarias provi"
dencias. r
O Sr. Presidente dar as providencias conve-
nientes.
i." PARTE DA OIIMU DO D1A.
Coutina a dscusso adiada do arl. do orca-
mento provincial, com as emendas offerecidas.
1 Orara os Srs. Cunha Teixeira. Silva Ramos e Jo-
s Mara.
A dscusso lica adiada.
2.' PARTE DA ORDEM DO DA.
1* dscusso do projeclo n. 48 deste anno, abrin-
luiauuu que iieniiuui prejuizo presumive
..... -.-^^ .,,. .vu, sccucmuu uotrduuB i>uun resultar para a fazenda provincial da res- tima AtMMdkta ~.i.
deterioragao, considerando que o pedido do peticio- cisao pedida na parte em que se refere ao ceir- discS n nS. n ? S cfforMdas em 3'
P "?,* repeiio a dioheiros da provincia e lem 10 addieional para a censtracglo da estrada do or- n^TmTCtSSJtl
te a parte do segundo lanco, seodo posta
ca publica a factura da obra.
Considerando que no
em pra-
relaco com o orgameolo provincial, e que a neces-
sidade da despeza se acha por sua mesma natare-
za juslifleada, restando apenas ter em eensiderago
os recursos dos cofres pblicos na occasio de de-
creta-la, *de parecer que seja o negocio affecto
commissao de fazeoda e orcameolo. castam urnas bragas mais e ootras meaos, pelo
bala das coromissdes, 19 de abril de 1865.Soa- que d-se a compeosago devida, e que as 412 bra-
resBraodao.-Lampello. bas de estrada a construir do rio Tracunhem a'
Kequeiro que pelos canaes competentes se pegam cidade de Nazareth sao restos das que contratou
ao Exm. presidente da provincia, as seguntes in- fazer o finado marido da peticionaria, e que pode
ormates : ser que sejam as mais difflceis, e que importem
%f Une destino oi dado aos instrumentos da mais da quantia oreada, tendo outras anteriores
msica, que houve no corpo de polica e no caso de comprehendidas no mesmo orgameoto o contrato
miHMftJmAt Sld0 vend,,los "I01 Producto dos mes- custado menos do prego orgado, conforme acaba se
mundo como alumno interno do Gymnasio Provln-1 ros. | de ponderar
'2l .1ra.. s?a filb0 .d.a BOin? francisco Diodoro Porque prego tem sido comprada nestes tres Considerando quanto ponte do rio Tracunhaem
Amaral de Lemos.-A eommissao de petites. nlumos anuos a baeta para farda dos soldades des- que tambera foi esta comprehendida no mesmo
utro do padre prior do convento do Carmo de se corpo e quaes os furoecedores dessa fazenda. contrato da censtrueco da estrada e aue em at-
ollada, pedindo ama quantia para coadjuvago da 3.* Se as pracas da companbia urbana lem rece- teogo s vantagens calculadas resultantes desta
bido caigas azues e brancas. constrnego tal vez podessem influir para ser con-
4." be e certo ter o commandante do corpo de ralada a dita ponte, por prego menor do que aquel
polica em sua companha a ttulo de camaradas le por que podera ser boje arrematado em praca
deus cabos e um soldado. i slidamente! *i
Recife, 18 de abril de 1865.-Cunba Teixeira.
Ora o Sr. Jos Maria.
Nao havendo numero sufflcienie de Srs. depata-
contratf r.ara r^tnr ,' St- Presiden.te declara adiada a dscusso e
r levaota a sessSo s 31|2 da tarde, dando para a or-
desta estrada foi marcada ama certa quaotia por dem do ia'wiu" im a*,"c'^.ir!T "*a or'
braga, sendo que pela diversidade do's s ft fiSjSWMSK SASC
l, e dos arts. additivos da de Garanhuns dis-
cussc. dos projectos ns. 11, 29 e 46, e 2" dos de
as. 37 e 48, todos deste anno.
reediticagao do templo do mesmo convento. A'
commissao de ornamento.
Sao lidos e vao a imprimir os seguntes pare
ceres :
< A comraisso de.petigdes, a quem foi submet
(ida
REVISTA DIARIA.
A sessao do Instituto Archeologxco e Geographt-
co Pernambucano foi transferida para o dia 27 do
corrente.
A commissao do mesmo Instituto, que foi
incumbida da execuga do projeclo de eregir va-
rias estatuas oesia cidade em memoria dos hroes
da historia pernambucana, j dea comego a cum-
prir a sua misso. Por intermedio da respeltavM
casa commercial desta cidade Ketler d, C. j foram
solicitadas informagoes de Munich, relativamente
a estatua de Joo Fernandes Vieira, que ser a
primeira a eregir-se, como melhor se veri da car-
ta que damos abaixo; e para sentir que o corpo
legislativo provincial negasse nessa conjnnctura o
sen voto emenda do honrado Sr. Dr. Soares
Brandao, que consignava a subveogo de 1:0001
ao Im tanto.
.Cidade do Recife, 8 de abril de I865.-Illm.
Considerando qne esses mesmos motivos se con-1 Sr. J. Keller 4 C.s abaixo assignados maro-
l! c?l>.0 acau}e|amenlo dos oteresses da pro- j bros do Instituto Arckeologico n Geographt'co Per
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commando das armas de Pernambuco
ni cidade do Recife, 20 de abril de 1865.
Ordem do dia n. 56.
O coronel commandante das armas interino, faz
publico para conbecimento d guarnicao e devido
effeito, que a presidencia em portara de hontem,
datada nomeou para offlciaes do corpo de Vo-
luntarios da Patria, os individuos constantes da re-
lacao abaixo transcripta, e por ootra portara de
18 deste raez o sr. tenente"reformado do exercito
Francisco de Paula Meira Lima para o lugar de
ajudante da colonia militar de Pimenteiras. Deter-
mina portanto o commandante das armas, que o
Sr. coronel commandante interino do referido cor-
po, atlendendo a conveniencia do servigo distribua
pelas companhias os Srs. aiferes nomeados, e que
o Sr. tenente Meira Lima se aprsente quanto an-
tes a S. Exc. o Sr. presidente da provincia, para
entrar no exercicio de soas funcgdes.
Faz publico igualmente que o Sr. tenente refor-
mado secretario do corpo de polica Luiz Jeronymo
Ignacio dos Santos, que no sobredito corpo de Vo-
luntarios da Patria, exercia por commissao o lu-
gar de quartel-mestre foi elle exonerado com a
nomeacao do Sr. tenente Francisco Jos da Silva,
tendo no dia 12 deste mez effectuado a entrega de
todos os ohjectos que se achavam sob sua respon-
sabilidade. A maneira porque se houve durante o
tempo que exerceu essa commissao, digna de
louvor pela intolligencia, zelo e Interesse que sem-
pre tomn pelo servigo. Pode, pois, o Sr. tenente
a que me retiro, apresentar-se ao Sr. commandan-
te do corpo a que pertence.
!. seccao.-Secretaria do governo de Pernam-
buco em 19 de abril de 1865.
Reiago dos offlciaes nomeados por portarla des-
la data para o 1 corpo de Voluntarios da Pa-
tria, e a que se refere o officio dirigido hoje ao
coronel commandante das armas.
Estado malor:
Tenente secretario o escriptrario da secretaria
do governo Fortunato da Silva Neves.
1' companha.
Tenente o alteres da mesma Hypolto da Silva.
4* companha.
Tenente o tenente secretario nomeado por por-
tarla de 4 do corrente Francisco de Freitas Mo-
reno.
6a companha.
Fenente o tenente da 4' companhia do mesmo
corpo Antonio de Alboqnerque Maratrhio.
Para aiferes das companhias em qaeexistem vagas.
O ex-sargento do exercito sargento ajudante de
voluntarios Mariano dos Reis Espindala.
Cadete Miguel Affouso Perreira.
O estudaote do 3* anno jurdico Francisco An-
tonio de Oliveira Sobrinhn.
O cadete Jos Francisco Correa de Araojo.
O cadete Domingos de Souza Leo do Reg
Barros.
O ex-sargento de polica Joo Deoclecio da Sil-
va Paula.
O aiferes da gnarda nacional Miguel Joaquim do
Reg Barros.
O Ex-cadete sargento do exercito Manoel Corlo-
lao dos Santos.
O secretario Dr. Francisco de Paula Salles.
(Assignado.) Jos Mana Ildefonso acorn da
Vean Pessoa e Mello.
(Conforme)Antonio Francisco Duarte, 2 len-
le ajadante.de ordens interino,encarregado do de-
lalhe.
Considerando que apezar dos motivos que alie-
a petigao do padre bacharel Manoel da Costa! Requeiro que pelos canaes competentes se pe- ga a peticionara nao Ihe ser de grande detrimen-
Houorato, em que reqoer a coucessao de urna lote- cam ao Exm. Sr. presidente da provincia as se-, to a obrigacio de mandar construir as 412 bracas
ra para com seu beneficio percorrer toda a pro- guiles oformac5es : de estrada qa ihe restam por fazer do rio Tracd-
vincu de Pernambuco. descrever com toda a mi- i 1." Em que data foi recolliido casa de detenga* nbem cidade de Nazareth, e que nao podem det-
nuciosidade a topographia de todos os seus pontos, o criminoso Januario Bispo, preso no termo de xar de ser quanto a esta parte altendidas as consi-
com suas notabilidades naturaes e artificiaos, Olinda em meiado do mez passado. deragoes feitas em salvaguarda dos interesses da
dar a eslatistica civil, criminal e religiosa, e os I 2.* Era que data, por ordem de quera e sobre fazenda provincial
aponlaraentos histricos, bera como fundaco, 00- que fundamentos foi posto em iberdade esse cri-
dangas, importancia local, commereio, civilisago, e, ruinoso.
sendo-ihe possivel, lytographados os pontos mais 3.'Finalmente, o theor de toda a corresponden vincia, sendo mandada fazer por rata da petcio-1 nambucano, eocarregados'wr'aaelu 7o^redade
sanales e ootavels desta provincia, aperfeigoando ca trocada entre o Dr. juiz municipal do termo de naria a ponte sobre o rio Tracunhaem 5 da execuga do projeclo de inaugurar^e nesta ci
Olinda e Dr. chefe de polica, era reiago a priso Considerando por outro lado em reiago outra dade, em frente do arsenal de marinha a estatua
e soltura desse criminoso. *:-, Pe da petigao da mesma viuva, em qae pede Ihe em marmore de Joo Feroaodes Vieir, vem ro-
Recife, 17 de abril de 18S5.-Cuoha Teixeira. I soja pago o que aliena ser-lhe devido, que smente gar a Vates, o obzequio de, por intermedio de al-
Requelro que pelos canaes competentes se pega, a commissao de orgamento e fazeoda poder, ten- guos dos seus correspondentes de Munich raaoda-
ao Exra.Sr presidente da proviocia copia dos coo-,do em vista os recursos da thesouraria provincial rem indagar, porque preco poder ser all execn-
trats celebrados pelos Eiras. Srs. Drs, Joo Silvei- ,no rutare exercicio e o direito allegado, marcar a Uda a referida obra, cujo deseoho esta aconta-
ra de Souza e Domingos de Souza Leao, com An-* precisa quota para esse pagamehto; i nha ; de vendo ter a meociooida estatua 00 ve nal-
iomohM* Duarte Gwrabra, acerca da empreza dra- E de parecer, era coocluso, quanto a parte da mos craveiros de altura, e ser feita do melhor
mauca do ttiealro de Santa Isabel.-C. Teixeira., peligo de que tratou em primeiro lugar gue seja marmore. Convm igualmente saberraos ero quan-
G.Druramood. I adoptado o projeclo de lei que em seguida apre- tos mezes poder o artista apromptar a sobredita
E lambem approvado o segulote requerimento senta, e qnanto a esta ultima parte que seja a pe- estatua,
com as emendas abaixo publicadas, depois de te- ligio em qaestid remetiida comraisso de fazen-1 Tambem ser
assim o seu diccionario topographico, estilsticoe
histrico de Pernambuco : considerando de grao-
de vaotagem e de utilidade para a provincia a
obra que o supplicanle se obriga a apresentar,
de parecef que se adopte a seguiutd resoluco ;
A assembla legislativa provincial resolve :
Arl. 1. Fica o presidente 4 provincia autoriza-
do a contratar com o bacharel Manoel da Canta
Honorato a factura do diccionario histrico, estatis-
tico e topographico desta provincia.
Arl. i' Em retribuigo desse trabalho fica con-
cedida ao mesmo bacharel urna lotera de.....**
120:0003.
Artr 3." O premio a que tem direito o conces-
sonario, Ihe ser entregue de accordo com as
condges do contrato que effectuar com o presi-
dente da provincia.
Revogadas as disposigfles em contrario.
S, R. G. de Drummond. Ferreir Jacobina.
A comraisso de posturas e negocios de c-
maras, tendo examinado atleotamente as posturas
enviadas esta assembla pela cmara de Barra-
ros, de parecer que as referidas posturas sejam
approvadas com as seguntes allerag5es :
Art. 1." Em vez de 50, diga-se 80 ; e em vez de
30, diga-se 40.
Arl. 9. Seja uppnmido. |
Art. 54. Era vez de \& diga-se 500 rs.
Art 55. Seja supprmido.
Art. 9i. S-ja supprmido o 3."
Art. 99. Em vez do 500 rs. diga-se 1J.
Sala das esmmissoes, 20 de abril de 1865. Car-
valhoMoura.-*-Spares Brandao.Nabor.
A commissao de exame de pasturas e nego-
gocios municipaes, tendo cuidadosamente exami-
nado as posturas da cmara municipal do Salguei-
ro, e confrontando-as com os objectes sobre os
quaes podem as cmaras municipaes prever po-
licial e econmicamente, na forma da lei de 1 de
outubro de 1828 : e considerando que iocoropa-
livel com o favor e protecgo devidas agricul-
tura, comroercio e industria, o eraprego de meios
velatorios, quaes sejam os imposto* aonuaes so-
bre os mestres de arles e offlcios, que delles rize-
rem uso, sobre os proprielarios de ngsnhocas,
sobre os donos de fornos de fazer farinha, e d
theares par* tecer, sobre dizimos de gado ca-
prino e ovelhum, sobre cargas de -gneros ali-
menticios vendidos nos arraiaes d villa e fra da
respectiva frira, e outros que taes impostes; e
considerando mais que s a iniquidade poder
autorsar a pena de multa contra os conlnbuintes,
que tiverera deixado de pagar as imposigoes no
praso respectivo, viste como as leis do paiz se
acha establecido o justo meio da cobraoga judi- j
cial; e considerando finalmente que a materia
eontida 00 titula 8 se acba prevista pela lei de
26 de outubro de 1831, oo revogada pela re n.
1,090 de 1 de setembro de 1860, seno na parte
expositiva do contrario aoexpressa e especialmen-
te disposto nesta ultima lei, a mesma commissao
de parecer que, seodo supprirofdos os arts. 10,11.
13, 15,30, 36 e 46 das mesmas posturas, sejam
ellas approvadas com as alieracOes seguntes :
< Art. 4 Depois das palavrasarmas de fogo
accrescentesesem justo motivo.
c Art. 8 Supprraam-se as palavras e seus
arraiaes, e as finaos do artigo os infractores
pagaro a multa de 2 00 e o duplo" na reinci-
dencia.
c Art. 9 Supprimam-se as ultimas palavras
os infractores sero multados em 4#O0O e no du-
plo na reincidencia.
t Art. 12 Diga-se : Nioguem poder esiabele-
cer otaria, ou (orno de fazer cal, sera liceoga da
cmara, peta qual pagar 4JO00 par urna s vez.
Os infractores pagaro a multa de 85000.
Arl. 14* Substitua-se pelo seguinie : Nio-
guem poder matar gado para o consumo d sta
villa senao no matadora municipal, pagando a c-
mara 200 ris por cada cabega. Os infractores pa-
liarn a mola de 1,5000 peta primeira vez, e o
duplo na reincidencia.
< Arl. 21* Em lugar das palavraspastos alheios
diga-sepropriedade albeia.
Art 22 Ero lugar das palavras em fundo
de pastes alheiosdiga-se pelo interior da pro-
priedade alhea, em que nao tiver servido, ou
sem con-entimenio de sea dono.
Art 27 Subslilna-se pela modo seguate :
Todo aquelle, que der tiro, ou estocada, em gado
alheio, jarretar, ou quebrar chifre seodo vaccom,
oa cortar orelha sendo (-avallar, pagar a multa de
lOiOOO. oo (cando por isso isento de salisfazer
todo o damno causado ao respectivo dono.
t Art. 37. Em lugarjdas palavrascena cabegas
de periquitos e de outras aves condecidas como
destruidoras da agriculturadiga-se eora cabegas
de aves on animaos damninhos laroura e crea-
cao, inclusive os reptis venenosos.
Arl. 41 Supprimam-se as palavras e arraiaes.
rem orado os Srs. Drummond e G. Campello.
Requeiro que se pega presidencia da provincia
um* copia do contrato da companha Pernambuca-
na de Navegago a Vapor.Campello.
E copia dos reiatorios apreseolados por parte da
gerencia da companha nos 4 ltimos anuos. Cu-
nha Teixeira.
E o competente balango deste anoo.-S. R.Re-
g Barro:..
Sao lid ose dispensados da impresso os segun-
tes pareceres, o 1 a requerim-ntodoSr. Buarque,
e o 2 a do Sr. J. do Reg Barros :
A comraisso de posturas e negocios de cama-
ras, tendo examinado devidamente a proposta de
pasturas feita pela cmara municipal de Tacarat,
de parecer que sejam ellas approvadas com as
segrales modificagoes:
i* Que sejam supprimidos os arts. 2 e 3 do til.
l,e o arl. 1 alterado da segrate forma : 103 de
multa e 205 na reincidencia ; o mais como no
artigo.
2* Que sejam supprimidos osarts. 7 e 9 do tt. 2
por parecer comraisso extranhos s atlribuigoes
das cmaras, e ofieode a admioistrago ecclesias-
tica. y
Ao art. 6 accrescenle-se e soffrero 5 dias de
priso.
3* Aoart. 2 do titulo :i accrescenle-se depois das
palavras fechadas as palavras cora grade.
No art. 3 em lugar de -8 dias de priso -diga-
se-4.
4* No art. 3 do til. 4 em ve: das palavrassen-
do a obra demolida diga-se executada sua
custa.
5* Ao final do art. 6 do til. 5 accrescenle-see 8
dias de priso.
6a .No ari 1 do tit. 6, em vez da palavra -meio
dga-se indecentemente vestido.
Supprimam-se as palavras sem a decencia de-
vida.
7* Supprima-se o art. 2 do tit. 6, por conter ma-
terias extranhas s altnbuigSes das cmaras.
8* No art. 3 do mesmo tit. em vez da multa de
304 diga-se 10 rs. 8ubsiituam-se as pa-
lavras e se forem escravos, 4 duzias di palma-
toadaspelas seguntes se forem escravos sero
as multas pagas por seus senhores.
A commissao assim procede, por ser extranhas
as aitribugoes das cmaras a pena de palma-
toadas. -
9> No art. 2 do tit. 7 em vez de 8 dias de priso
diga-se3 das de priso.
10* Supprimam-se as palavras e na mesma
peoaat o final do art. 5 do til. 7.
11* Supprima-se o art. 7 do mesmo til
12* Ao final de arl. 8 accrescenle-se se maior
oo for o salario ou ganho do infractor.
13a Supprima-se o arl. 5 das dsposigdes geraes
por ser superfluo. Soares Brandao. Nabor.
Carvalho Moura.
A commissao de exame de posturas o negocios
de cmaras municipaes, leudo com a devida atlen-
go examinado os arligos addciooae s posturas
da cmara municipal de Garanhuns, de parecer
que sejam as mesmas approvadas com o substitu-
tivo seguinie :
Aoart 2* Nos termos do municipio destinados
creago, ningnem situar fazendas novas para
creaco de gado vaceum, ou cavallar sera qne te-
nha previamente construido acudes, on cacimba,
on condicoes appropria-ias para serventa dos pro-
prios gados, e aquelle que actualmente possur fa-
zendas ja estabellecidas, nao as poder conservar
conveniente que, mandem In-
dagar a importancia de lodas as despezas que te-
mos a fazer cora freles, condugdes, seguro, com-
missdes etc. al este porto: declarando que alm
desta, temos mais tres estatuas que mandar fazer
all, oo caso de que sejamos bem servidos com a
primeira.
Somos com toda a conslderago de Vracs. mui-
da e orgamento para que atteoda-a pela forma que
julgar possivel e cooforme os direitos da peticio-
naria :
A assembla legislativa proviocal de Pernam-
buco, resolve :
Art. 1.* Fica o presidente da provincia aatorisa-
do a rescindir o contrato addieional, celebrado cora
Jos Mamede Alves Ferreira para a construego da to veneradores.Sal /ador Hennque de Albtiquer-
estrada do norte a partir do20 laogo. quePadre Lino do Monte Carmello Lana.Jos
Art. 2.* A coostruego dessa obra ser maodada dos Aojos Vieira de Araorim.Gervazio Rodrigues
por em praga publica para ser arrematada, prece- Campello.
deodo plaota e orgameDto da repartigao das obras Pela barca brasileira Nova Carolina foi eo-
Publlcs. cootrada, na lat. S. 20 58" e long. O. 36, no da
Art. 3. Fica igualmente a prssidencia da pro- 10 do correte, a galera ogleza Virginia, em via-
viocia autorisada a mandar proceder o oecessario gem de Glascow para as ilhas Mauricias.
Coosla nos achar-se fretado o vapor Cama-
ragibe para accompaohar, at o cabo de Santo
Agostinho, o vapor S. Francisco, no dia era que
seguir com o 1. corpo de Voluntarios da Patria.
A' bordo do vapor americano Colorado, qne
passou dous dias oo lamaro, segaera para a
corte, o Revra. Flelcher, afira de tratar com o oos-
so goveroo o estabelecimento da linha de vapores
orgameoto e arrematar em praca publica a cons-
truego da poote do rio Tracunhaem a custa do ca-
sal do fallecido centratanle, caso queiram seus le-
gtimos representantes essa madificagao do respec-
tivo contrato.
Art. 4.a A despeza da ponte ser deduzida do
que se dever empreza, era con equenca de obras
que foram recebidas no exercicio viodouro e dep-
sitos feitos oa thesouraria por coate de obras rece-1 eolre New York e o Rio de Janeiro, e urna cora
1 1 .1 1 .l..r>.i!*n__
bidas definitivamente.
Sala das cororaissdes 20 de abril de 1865.Soa-
res Brandao.Campello.
E' tambera lulo e fica adiado por ter pedido a
palavra o Sr. Silva Ramos, o seguinie parecer :
A commissao de agricultura, commereio e obras
publicas foi presente o requerimento de Theodoro
misso scieoiifica, composta do professor Agassir
primeiro naturalista da actualldade, do Dr. Cotting
e mais olio ajudantes, que vem percorrer o nosso
paiz e collecciooar objecto* de historia natural.
Remetiera-nos a segrate noticia, cuja publi-
cago 'oigamos de fazer pela materia iouvavel de
que se ella ocenpa :
Rampche, e documentos nnexos, pedindo a esta I Sr. redactor da Revista Diana.A nossa he-
assembla Ihe mande restituir a quantia de 1:5953 roica provincia acaba de teslemuohar um aclo de
importancia do concert feto no assoalho da ponte mu elevado patriotismo qae acaba de ser pratica-
do Brumziuho, que o governo linha recebido pro- do por um insigne Pernambucano.
visoriamente. O Sr. Joaqoim Jos Ramas, applicado a vida
O supplicante allega em seu favor ter execntado commercial, e proprietarlo, inscreveu-se como Vo-
toda a obra de conformidade com as condges do [ luntario da Patria, renunciando toda e qualquer
seu contrato, e que, na qualidade de empreiteiro | vanlagera que d'ahi Ihe possa resultar,
executor da obra, oo pode ser responsavel pelo: t o Sr. Ramos abandona grandes lacros qae go-
darooo havido oas chapas de ferro arrugado. za de seus licites meios de subsisteocia, todos os
A commissao cooslderaado quo estas chapas ti-' commodos de urna vida oo de riqueza, porm de
nhara as diraeosdes sofflcientes para resistir ao pe- abundancia, sem mira em porvir d'ahi interesse
so que as damnificou, se tivessem sido conveoien-
teraenle enllocadas, o que se acha provado pela ex-
periencia feita na repartigao das obras proviociaes,
relatada a presidencia da provincia em officio de
28 de marco de 1864 ; confirmaodo-se desta sorte
a opinii d i Sr. eogeoheiro VctorLieuter expen-
dida em officio de l4 de novembro de 1863, no qual
se acha a declarago de que da mesma maneira
pensava o Sr. W. Martioeau ;
Considerando que o sapplicante executou a obra
do assoalho da ponte sem pedir instrucg5es ao res-
pectivo engenheiro fiscal, que nao podendo ir dia-
riamente vizitar todas as obras de qae eslava eo-
util a patria na actual
algum, s com o filo de ser
coojuBctura. >
- Tendo chegado ao lamaro, por volta de urna
hora da manhia de ante-hontem, o patacho inglez
forence, mandou o seu capito ferrar as velas
para fundear. succedendo cahir ao mar o mari-
Dheiro William Duoffy, que oo pode ser eucon-
trado, apezar dos meios embregados.
Recommendamos a leitura das pegas, que
damos seguidamente a' estas lohas, as quaes res-
labelecem am tacto que foi adulterado oa sua di-
vulgago, coro desproveilo de am estabelecimeoto
importante e que goza de ama reputago fundada
carregado, ao asslstio execuge dessa parte da-, oo zelo de sua adraiotstrago e na regularldade do
ponte, que foi executada com muita rapidez duran-1 servigo, qae nelle se faz. O Hospital Portnguez
te alguos dias em que elle se achou doente
Considerando que o defeito da obra foi de deta-
Ihe na sua execuga, o qual, nao tendo sido pres-
cripto pelo engenheiro fiscal, que nio se esqnivoa
de dar as oecessarias inslrncges, ficoa o emprei
leiro com toda a responsabilidade ;
Considerando finalmente que, estando a obra re-
cebida provisoriamente, e o damno nao sendo pro-
veniente de defeito do plano da obra, nem de um
caso de torga maior, era previste, como cima fica
exposto, bem proceden a presidencia da provincia
mandando que o concert fosse feito por cunta do
empreiteiro, a commissao de parecer qne seja m-
deferida a preteogo de Theodoro Rampche.
Sata das commisses, 10 de abril de 1865.Cara-
por mais de um anno sem as referidas construc- pello.Soares Brandao.
ges, podendo faze-las associadamente' com oulros A seguinie indicgo, depois de lida, reraetti-
creadores vizinhos, se o numero das cabegas de da a comraisso de palela
gado de sua creago oo exceder a noventa.
Os infractores pagaro a multa de 30a pela pri-
meira vez e o duplo as reincidencias.
Sala das commisses, 19 de abril de 1865.Na-
bor. Soares Brandad.Carvalho Moura.
E' hdo, approvado na primeira parle e mandado
imprimir na segunda, o seguinie parecer :
A commissao de agricultura, commereio e obras
publicas, havendo lomado na devida cuasideraeo
a peligo que dirigi a esta assembla a viuva de
Jos Mamede Alves, Ferreira, pedlade raeciso dos
contratos (eitos eotre o seo finado- mando e o go-
verno da provincia,-para a construego de diver
Art. 44. Emjlagar das palavrassao obrigadas sos laucos de estradas e ponte*, as pailas em que
indeo que se revogue o art 71 do regulamen-
te, adoptaado-se para substituir a disposigo nelle
comida o seguinie :
t A preposico de adiamento, seodo motivada
pelo autor e apoiada por 3 deputados na 1* en 2*
dscusso, e por 6 na 3*, ser recebida esujeila a
dscusso independente do que se estiver discul n-
du, e encerrada sua dscusso ser votada, prose-
guindo-se no caso de se dar a rejeigo do mesmo
adiamento oa materia principal. 10 de abril de
1865. Cunha Teueira,
O Sr. Nabor, pela ordem, diz que desappareee-
ram da pasta da commissao as posturas da cmara
municipal do Benque, ji tendo sido lavrado o pare-
urna instituigo de beneficencia" que ainda'no
falhou aos seus deveres, e o seu rgimen interno
digno de louvor por todas as cousiderages, nao
seodo por conseguinle a malevolencia ou urna di-
vulgago viciada desla on d'aquella oceurreocia,
que veoha a destruir o crdito, que ha consegui-
do de sua populago inteira, testemunha dos moti-
vos racionaos em que se elle basa.
Rvm. Sr. padre regente do hospital Portugoez
de Beneficencia.Em cumplimento ao mandato de
meus assoclados entrel domingo passado, 9 do cor-
rele, de mordomo de semana nesse estabeleci-
mento, tendo fim domingo prximo, 16, e como no
augmentado numero de doeoles que ah encontrel,
estivesse o finado Joo Aotooio Soares Vivas. Isto
fallecido no dia de minha entrega, e como da-
raote a mioha admioistrago o meos que frequeo-
tei^o estabelecimeoto foi urna vez diaria, e oa occa-
sio era que visitava as eofermaras coosultando
os doeoles cada um de per si a respailo de seu
passadio e curativo, a excepgo de ura.ou outro que
mesrae o seu estado de molestia assira o permiuia,
os quaes en tratava de consola-Ios com coaselhos
proprios do carcter que alli representava, o que
muito me satisfazla pelo agredacmeote que rece-
a em geral de todos, que at um de 3* ciasse que
leve alta sabbado, velo de proposito a raeu esiabe-
lecimeoio agradecer-roe, e eu. Ihe respond que nio
reeebia agradecimeotos qnaodo nada mais tioba
feito que cumprir o mee,dever e indo eu no do-
mingo 16 do crrenle, pelas 9 horas do dia, fazer a
bita de despedida, e mesmo fazer ver quena era
\
\J
%


~rv.v M Ji- :-A :ti. a A ,:/-, j -
:es.*6Tr di'orcasTa'da'e vlSftSr tffalteci I A' ora*em do de 5. Jos, "Mancel Ferreira di
Diarlo de Perntmbiioo Htiia felra ti de -Abril de 65.
o meo suer^gSrYflVoccasliolle vlsWf'fr fallec] A' oroom_dMS'.'''jbs, "Manoel FerreVado as- que acaba de conseguir de un*pwo et*>Ka4 a
do indacando de sea estado, iub lespuu'Jeu r*qner* cimento, e Be MU JbslWsas, por briga. peccado a iransformago do aaat
**=***=
emquanto a casa nao poda ser melhor, emquanto
a sanngue tr-a mo.e que o sentimeptoiaaa-tinh*
era nao \vt Mo para all log qde se achou doente ;
conseJet-e^ tndano por -dlaer-Rie que se pegaese
fom o nosso padroeiro, que este querendo de
tar-sc sobre a grade ao'nfl 4o travc>-eiro, chaj*!
ao enfermcira Josc Man*, e ianaei-Hie all Mir
oais um travesseiro. o eual mmaaiatamenie cn-
prio, e o fallecido me agradecen. ei termo tees
que mais tno penhoraraag com a seu itseqsioeo
modo de tratar.
wt CaUnatfe,
ticisco Im Macbado, traactsco jse tamos o sismo presar ae venan* o pow **ffee-
irq, Joio de Medeiro su seohora e 2 goeiia idoeiiOcado oam as den*** "Tf'fiTnM
s, Mo Ramos, Jas Pctese, Manocl Bepois de au*at *r.es* anona, em quraaui
i aanther. j mistiorrou' o Fr. Iiricp pareciatepa a
O cbefe da segunda secgo, As palavras do Rvd. missi
A C<(#ffMR. I foram as de um verdadeiro
Passaceiros da escuna, Dortu^ueza Emma, Cbristo, e ouvidas com toda a
entrada aVwHita-Oelgad : Meaeel Andrade lote- por urna populacaoagglomeradae^H
Iho sua mulher e 3 filhos menores, Joaquim Corroa numero de mals de cincov mil pesseas; te/w, pofs^
prompto poda levanta-lo da ama, e na occasiSo da Mello, F ancisco Julio Machado, Francisco Jos tamos o sabido praeer de veranes o pow den fte-
quc me dtspeco, vendo que Ue eslava a querer tai- da Costa Bjbeirr
manares
ilvaaaua _
CmifEiue rnauca. Obituario dadla 19 de : malaria da pafagle desta mnn esas
abril de 65. lee barhiriiinela liugieje aos arwalos
Je* da, gilva Loor**, Pernamlmeo, 74 annoa,; r*ifcsos ; la*, an*, aawfa arecearntal
casado;!. Jaf luaereulos puliaeawres. reea*o, Mtt*P"\/t. CMaaro, aepseguio m
aratoea, 3 as, Boa-Vi*; eejftsmo. ear Sss|h1 djlaord do atipa*) Man
, B-Vmi fe ** *PKlr4lr^JWtra^harSBjfciia
lucidez seus erros, e as glorias dfeternidade. Este
30 povo gnnra itp.vtrt ^^qinn'^f, g nraitint do vr i
**Md lesaam precisos seus servlcos na thesou-
Wttl prariocial que ia organisar ; e isto se acJu
* explicado pelo aviso n. 21 de 12 de jaawrodn
L >dn quecom quanlo sejapermiiuanat
de provincias, pela lei de 3 d'outobra
j Itfc, eommetler a empregadoa gerais negocios
jBtoinemes, esu attribuicao nao _deve ser enten-
mpi
,
drta
Ora, Ja v V. !lv#. <|eeavi*do qu aomicaae
passou, eu nao o weemrMdeMt, ais qa t*-a>e Btafe, N*rto, eVta.tOeima*, lolteico.
a miaia conscitorra e este em comprttnewto a venrfc.
meas deveres, cemo aioda que iminerecdauteote Ursttk leaqHMHi de Ottetra, Pejuajntaco,
romo mordomo de semana, cha-se tranquilla, po- anns, casada, S. Jos: apoplexia.
rm como if)fe senpre procura um motivo, o que maisme admjra, solteiro, Boa-Vista; pthysica,
-oomo o>wdameBte se falta a verdade, e ainda Joio, Peroambuco, 2 anpos. Recita i erysipaJf.
mai me djira havev qneen acredite, e como de- Mara, parvola, S. Frei Pedro Goocalves; oap>
vemos urna satis(>cao ao publico, este o uuice
motiv pelojqual me dirijo a V. Itvoxa., aflm de da-
baixo de sacerdotal flie responder ao pe desla #
que soul,*er a respeilo do ligado, concedendo-me V.
Rvma. permissiio para fater o uso que me convier
de sua resppsta o que mais descaradaipeolo di-
zem--ejae o fallecido foi sua morie promovida de
uaia oeda que dora dentro de bauheiro, ora, sa-
bende en que este doente nao pouia lomar baalio,
e apenas sentava-se n'agua, como invoco o teste-
muebo daquU*sqa eswo na enfermara e a de-
terinioajo do medico que sempre lem sido 6l-
menie executada pelos respectivos empregados,
por.n como o publico nao esicja firme nestas cir-
cumstanefas, baja V. Rvma. responder-me como
cima Ihe peco, soy de V. Rvma. amigo, criado e
obrigado,
Joaoutm da Silva Casia-
KeHfe, 18 de iftriTae 1865.
Illm. Sr. mordomo.Para camprir as ordeas de
V. S., passo a expor Ihe, que o Sr. Joo Antonio
Soares Vivas entroq para este estabeleciment s
5 horas da farde do dia 5 de abril do aano corren-
te, e que aqur esleve at o dia 16 do mesmo mee,
e todas as vezes qoe eu o v1sitava,(2 e 3 v'ezes por
dia) mostrava-se satl.-feilo; oque pode ser attes-
EMo pelos seus companheros de enfermara, os Srs.
Joaquim Martias Itibeiro, poriuguez, Leopoldo Hen
riqoes da Silva e canlo Cavalcaati de Albuquer-
que, brasileiros. O Sr. pharmacaulict} do es.lbele-
ciraemo, cuj eoergia rauito coaaecida, tambem
pode attestar, e todos ellos dirao que a morte foi
repentina, mas nao proveciente de queda c cem
de banho, de que o doente nao fazia uso.
Quanio a queda inventada dire, que o doente
pelos seas soffrimentos moriaes desceu de leita,
debrm.'w-sa sobre elle, e foi-se aeaisando at que
sentn se no soalhado, e uUimamenle deMou-se
nelle mesmo e com pequeo intervallo de tempo
falleceu da eulero-twiile.
Se os morios .voliassem vida, este viria res
tuir aos empreged.* desla casa o eredito que pes
soas mal iutencionadas Ihe querem roubar.
Pude faze.r de>U miiUt hei OKaesic^o uso que
Ibecoqvier.
Su com toda atten^o, de V. S. muite atttnto
eapejlio, amigo e servo.
Cutiana lote Purrw* Pmto i* Lemoi, reyente.
lufwraa-iws um morador aa ra da Santa
Cruz, que um de seus visinbos toado ero sua com-
paubia urna pardinUa forra, por tal forma a casti-
ga, que resuda senara ser eesaaguentada todas as
vezes que tem de receher a barbara correcro. A
auioridade competente, pois, cuinpre syudtcar des-
te faci para prevoslo qaaolo em si couier.
Completando as noticias que hntem demos
sobre os Esladoa-Uiudae, vamos accreseentar o
qoe podemos obter de ioformaooes que nos forna
eerem.
De 15 a 21 do passado hoave urna snceeasao de
cmbalos na Caroliaa do Sul entre confederados e
federaes, sainado estes aflaal com melhoria, e fu-
gindo ajtjoaOM para Raleigh. eetes combates
houve coinhinacao das forcas eeparativas ao mando
dos generaes Bragg, Johnstoa o Hardee ; e com-
mandava aos todera*s o general Uberman, o ejaal
em seguida da victoria, foi conferenciar com o pre-
sidente Lincoln eogeneral (iraut em Patersbourg,
donde regressou para logo do exereito.
As torcas federaes ja se liuham mobilisada sobra
Richenond, para onde marebavao general Tbomaza
fazer jooco, sendo interceptado e ultimo camitico
de ferro, que communicava a cidade com a parte
oceupada pelos suhsus; e acuava-se sitiada a
cidade de Mubille.
A companhia Brasileira de paquetes a vapor
leve, durante o anno de 18(54, dV receta geral
1,904:11.-IJ917 e de despeza 1.736:703460, dando
um saldo a favor de 227:4104338, que leve a
seguinte applicacao: i"/ ou 9:'Jbii3 para (un
do de reserva, 200:0004000 para os 42 e 43- divi-
dendos; e o resume, na somma de 18:3133825
juntamente com o saldo da receta de 1863, de
1:89757 passou conia de gaobos e perdas.
Ao Sr. coronel Manoel Pedro Drago, presi
dente e commandante das armas da provincia de
MalloGrossc, acompaubaram : i lonente-eoronel,
4 capiles, 6 primeiros tenantes, 16 alferes, 1 pri
rociro cirurgiao, 6 segundos cirurgioes, 4capelles,
2 boticarios e 31 enfermen os.
A's cmaras portuguezas foi apresentado o
seguinte projecio de lei, que aclara o e>tado dessa
questo de nteresse ti o vital para o Brasil:
Seohores. Em conformidade com o disposto
no art. 10 db acto addicional carta constitucional
damonarchia,cmpremefferecervossa cooside
rago a coavengab celebrada entre Portugal, o Bra-
sil, a ["ranea, a repblica do Haiti e a Italia, para o
esiabclecimento de urna liaba leiegraphica transa-
tlntica.
As eslipulagdes consignadas nesta convenci
tendo por lim assegurar s correspondencias, que
se trocaren) por esta liaba, as vaotagens de um
rgimen uniforme, a urna tarifa moderada, nao
podem deisar de contribuir efBeazmenle para
augmentar as mutuas relacoes dos paizes contra-
tantes, e por isso teoho a honra de submeitor a
vossa approvaco a seguinte proposlU de lei:
Ait. 1. E' approvada, para ser raiilicada pelo
poder execullvo, a convenci entre Portugal, o
Brasil, a Franca, a repblica do Hait e a lialia,
assignada em Pars pelos respectivos plenipoten-
ciarios, em 16 de malo de 1864, bem como o pro-
tocolo que delta taz parte, relativa ao eslabrtaci-
menlo de ama liuha leiegraphica internaeional
entre o eontiaente europeu e a America.
Art. 2.a Flca revogada a legslacio etn con-
trario.
Secretarla de estado dos negocios eftrangeiros,
em 21 de marco de 1865.Doque da Loul. >
.\o lugar Pedra Tapada, da fregueiia de Li-
moelro, Antonio Vicente dos Santos, menor de 18
annos, assassinou, s 8 horas de aoute de 15 do
correte, Felippe Jos de Castro, quando este
dorma em sua casa, em consoquencia de urna
altcrcacao que tiveram no diaaoterior. O crimi-
noso foi preso em continente.
Tendo Antonio Gomes dado um Uro em Ma-
noel Pequeo, no dia 24 do passado, no lugar
Gabriel, da freguezia do Bom-Jardim, o segundo
retribuid Ihe com outro, que o levou sepultura
pouco das depols. Evadio-se o orinjinoso.
Francisco Baptista (TAUaeida, morador no
engenho Amaragt iCAgua, de termo deSennhaem,
ferio gravemente ae caboclo Joaquim Fidelis da
Silva, e legrou evadlr-se.
>nmeragao dos bilbetes da lotera 13% offere-
ddos p"efo thesoorelro, para auxilio das despeaaj
da goerra
vulsdes.
UIROMCA _JllMIAKI4
TRIBl IAL o COSinKRCIO
ACTA DA SBSSAO ADMINISTRATIVA DE 20 DE
ABKIL DE 18M.
*Wtt DO BXH. SI. DESKMBXHSABOa
ANSELMO FRANC45C0 PEBETTL
As 10 horas- da manliaa, estando reunidos oSra
deputados Rosa, a Aleotorado, Basto e Miranda
Leat, e presente oSr. deeerabargailer scal, o-Eim.
Sr. presidente deelarou berta a sesso.
Lida, foi approvada. a acta da eessao aateoe-
dente.
SHHMKNTB.
Um o/ficio do Exrn. Sr. prnajdente.do tribunal do
commercio da prowocia da Bahia, da 3 de feve-
reiro pretrito, acousande o neeebmeoto do qoe Ihe
dirigi o Ezm. Sr. presidente deete tribunal em 26
de Janeiro desle aneo, cobimuoicando tbs ler reas-
sumido o esercicw da presidencia de mesmo tri-
bunal. Archive-se.
Outro do secretarlo do tribunal do eoromercm do sontssteiiiirio.
Maranhao, de 11 do correte, remeneado urna re-
lacio dos commerciantes all matriculados no de-
curso dos mezes de fevereiro e marco prximo pas-
sado. Accuse-se a recepcao o arehive-se.
Outro da jnota dos rorreiores, de 17 do corre-
le, acampauhando a cotaco oicial dos precos cor-
rentes da praga na semana linda. -Archive'-se.
Foram distribuidos aos seaboros depnttdos os li-
vros Diario e copiador de Joaquim Jos Goaealves
BeUrao.
sublime, e Mara Santbisiaw,^ paga de Unios be-
neroos, vetar sobre seas das.
Durante os das da missao, o Rvd. Fr. Casimiro
mostrou-se seo* prasenteiro, dcil e iocansavel
em beneficiar as almas de untos peccadores: eo-
tregou-se de todo ao penoso frabamo do eonBssio-
nario e da predica, ***** nao se oecupave,
em vez de.dar algum repoase ao cervo, promoria
em pesso es servlpos da igreja matriz do Seabor
1S. Sebastllo, que onosse padroeiro, em cuja obra
superau tedas as difBculades, como por encanto,
em Cace da falta da todos os recursos e desanimo
do povo.
Os alicerces de doos corredores, de ama sa-
christia, de duas torres, foram de improviso ale-
vantados rpgatarmente ; um elegante cruzeiro, so-
bre u*i boMo ahraria, achare qoast coaetoMo :
ne feb>ram materiaes, embora arrancadodas ea-
tranhas da trra, em longas distencias^ porque nada
era difRnuetoeo ao pow, trabalbando para o aper-
feicoamento da asa do Seohor ; cmflm, em tSo
poneos dias, sem dispendio de dinbeiro algum, o
Rf. missiooarie, consegolo realisar ser*icos,equi-
valaniesa ais de doos eontos de res, e vai con-
tinuando com toda dedicaco nos servaos da ma
?ri, que no qoe parece, se nao Ihe faltar o tempo e
reenrsee de asmlas, quando se retirar, deiiar* a
matriz embellezada com suas torres, frontesplcio,
corredores, christia e respeitavel eraaelro.
Tamos benefieio, s a divina misericordia poda
prodigajlsar a este povo, por intermedio do vhtao-
Ainda aqni nao terminaran! o>
regra geral, ne
"a o caso de c
fice/ com o dos
io prejudtear o
e sao annexas, sai
r circumstancias
que o governo
incias julgarem idi
uando mesmo
ea transcripto, _
30 de setembro sunraitadox e o que se acha es-
em verdade a contraalecio manifesta ; porquanto
no offlcio dirigido pelo Exrn. daeambaraador Costa.
Pinte ae governolnrperial, datado de 3ode setcm-
Aro del8i8,.sBia* oSr. Jn* fedra MJ*a
na va declarado que s accrilaria o lugar de ins-
pector Atoa theiouraria te fosse considerado em
commissdo, conservando se-lhe sua cadena de Geo-
metra do Colle/i das Artes, entreunten* emsua
inforraaco disae que, se tivesseaonsiderado puera
interina sua nomtacii, m nao weceitmia; e* a
coniradiccao, q* o Sr. los fladro da Silva, aera
nao ser pegademn fragrant dattelo de iutxaetido
oficial, procumnaalvar-e, ale^ndMma4emm*va
atoantes de ho*am oatwmoa,ii q**ti*ndi-
rigido ao govemnimpm* o.Imi. 4mamb*dor
Cosu Pinto. Mas t*e isto nan (mais*que
mostrar os embmene, em am -se a*n o Jos
Pedro da Silva, e para "imirar que o uJBcial
4*tptao a viso de-fl de jenel-o do 184, eqe- meter da secretaria da presidencia, qae redigio eofewmdades dos pulmoes, dos vasos bronehios e
e. rnan bens concedidos por especial gra^a de-Marta San-
tsima : o povo, que assstlo as missoes, faselnou-
se no exereicto da penitencia e pratlca de actos re-
ligiosos ; as conflssdes de percadores qoe longos
annos fugiram dos conOssionario?, tem sido em nu-
mero ereeeldo, os casamento mu frequentes ; cer-
ca de dazeatas maneas bao recebido santo bap-
tisaw, carcter distinetodo christao ; escandalosos
e libertinos, prooaram morallsar-se ; o soberbo
se maudou queojSr, Jos Pedro, da Silva petaos
sor de Geometra ao collegio das actas, fost*.ton-
siderado legtimamente impendo em quanlo durasse
commtssao em que se a chava, sendo acadeira
rtgSia peto respecme> substituto, serla sofllclnte
para mostrar que o Sr. Jos Padro da Silva nao
inspector effectivo da tbesourana provincial; o
tanto aa>la que o Sr. Dr. Meiwtes de Drum-
mond, em sua Memoria Histrica Acadmica apra-
seotada a eongregacDo de lentes da Pacntdade de
Direituideatt cidade am sia sessta de 18 de man-
to do anno passado tratando daoadeira de Qeo>
metria do collegio das arles, dbise que ella, duran-
te todo-e nao lectivo anterior, havia sido regida
pele, substituto por ao4--ee em commtssao do -go-
verno provincial o respectivo professor.
Nao ha attralgun dHbaVHH vtataadmioistra-
dores dona provincia, invocados pelo Sr. Jos Pe-
dro-da Silva, que lenha enubeleeido de urna ma-
neira positiva qnn o professo* de 6eofletria do
collegio da.artos Inspector effeetroo da thesoura-
ria provliicjal, o ao ae tere acensado- desta
questao esses vinie admioistradores tUiiaudo con-
tinuar indefinidamente essa intcrinidaie, nao pro
va -seoao que ha abasos, que se raantem ou pela
proteccffo que tem aqelres que delles tirara lacro,
ou porque ntngaera cada ou se anima de chamar
sobre taes abtrsq* attenco do governo ; mas
nem por isto se deve deduzir que o Sr. Jos Pedro
da Silva inspector e/ftetreo, e abasos nao dao
dlreito, nao fazendo esse qoe elle aponte mais do
que angmeotar o nnmero dos que existen!; sendo
para notar que, duendo o Sr. Jos Pedro da Silva
que muitos eram os exmolos de aeenmulacSes.de
empregos geraes com provnciaes, s trvesse iodi-
cado tres, dous de morios, e am de ausente, en-
tretanto qae os encentrarte entre vivos e existen-
tes nesta provine!*,o que dejxa snppor que o Sr.
Jos Pedro da Silva temea excitar susceptibilidades
porque esta podfaoi trarer-fhe poderosas represa-
lias : convindo oie omhtb- qno o Sr. Vaatnier,
No requerimento
DESI'A1*S.
do Jos dos Sanies da Costa
nxoso, prostou-se ante o sea dVsaffeeto, eonsejfnin-; acbaudo-se, como engeobefro", ao sertico desta
temente,_hoj-i o prazer assoma a face de todos, po-- provincia, foi promovida pelo governo francez de
tre-se.
tinnam a Invocar o poderoso auxilio, contra as ci-; acha o Sr. Jos Pedro da Silva, qae, tendo dous
.ISL* ***!** 'taBlon 4 G-, apreseoten- bdan do Inferno. empregos, s orcapa um, sem qne os accumule,
No nwio dos faetos que acabo de narrar temos porqaanto aceumutar dous empregos quer dizer
do urna procuracio para ser registrada : liegis-
tre-se.
Cuoha
trato
liso
No de enriqne Azevodo, nedindo o registro
de urna conta correte que apresentem s Reois-
tre-se.
No Loareoed Pereira Mendes ruimaraee, podin-
veres, mas outro a *saeranca de qoe o Rvd. Fr.
Casimiro, nos dias que continuar a estar entre nos,
conseguir alguma censa em beneficio da ciaste
desvalida, c das almas d) pertinaz avarento. No
penltimo dia das missoes, tiremos ama respeita
i .___!... i ------* ------- i"-iiiirumu uu u.ts iiiissues, iiTcmos una resuena-
RiSJSm p ami P"*0'**" P* P"""> -. vel proeissao de penitentes, que percorreu as roas
fifSTiL.i- j n mai pnbllcas da villa : impossivel deserever as
pj 5 J0^u'm Femandes des Santos e Antonio emocoes qne sollria o coracSo, observando esse
hernaades dos Santos, apreswiundoo sen contra- acto tocante : todos qoanto assistiram as raissaes,
oomh^Hde^SWre8^r^o:~Vi,aaoSr- ram parte deila, eonduzlndo sobre a eabec
aewn,ilaigodof ^g*1' o [ descobona, urna coroa de espiohos, corda amarra
n, m2S?" Fr*ac,6Cfl J1dos S310* e ionqaim da ao pescoco, e vella accsa na mflo: o Rvd. nHs-
m/,mn Hm '. *Prf!'ein,a'do "*?* P o sionario, era o nltimo do prestito da procisslo, re-
nm desn^hn S0(Meda,k5: ~ 0,eb- oraco>s anlogas ao acto, com as qaaes im-
V/u,,. D.n j.cu P'orava a clemencia do nosso bom Deas em favor
J?, a- Maria Bos* da tal AyrM- Ped,,,d0 das almas dos peeeadores.
l^rZ 0mi procurat30 9ua aP*t : e- Em verdade, arrebata o espirito do verdadeiro
v a! r^x i .,L ebrirtao, ver orna crescida populacSo em procisslo
Ao de Jos Jerenymo d Alboquorque Maranhao, symbolisados com instrumento?, que flzeram parte
pediodo o registra da sua nomeacao de caineim de daqnelles com qoe os jadeus martyrlsaram a Jess
v.i;mJiTh^:nTRf?s,f6',e- l- o I Cbristo, patenteando.se ao publica pela claridade
feSrfcSJf Dd airaUr' -Exm- Sr p5ei,_ de m:,i de 1aa,ro ra ow. qae briihavam como
da manir encerrada a sessan aa orne horas as estrellas no firmamento 1 O povo doOurrcnry,
mannaa. ^ 5,^0,1, veK MManMMnBiaMMMH^nM^M^^mM I11* snseeptivel de arrependlmento, dcil e obe-
diente a palavra de Deas, pronunciada por seos
dignos ministros.
Lamento que o Rvd. missionariaesleja soffrendo
em m preciosa saude, no entretanto, durante seos
soffrimentos o teremos entre nos, continuando
COMMPMCADOS.
Em vista dacertidao que vai abaixo transcripta,
podero julgar os entendidos se a auioridade poti- qoanto Iho permlttir snasforcas, as pratieas rel-
cial do districto do Peres procedeu ou nao desorde- giosas e servico da igreja.
nadamente em realisar a priso de Antonio do Car- O Rvd. vigarlo desta fregnezia, acha-?e na capi-
mo -)a1v,erc,MonIe|ro : : tal desta provincia, estando enearregado de paro-
UU. br. subdelegado do districto de Perea.- chiar este fregneila o respeMavel accio Rvd. Ma-
Antonio do Carmo, recolhido casa de deten-noel da Silva e Souza. que prestou-se com toda sa-
c^o. precisa que V. S. Ihe mande certificar, on tisfacao aos actos da igreja e da missao.
queira declarar por s^n despacho se ao suppli-1 Nao devo, porm, olvidar o nome de um eaval-
cante foi apresentada ordem por escripia on man- leiro, qae maito se distingui por actos de candade,
dado do pnsao no arto de ser cercada por V. 8.1 e concurso do seas valiosos esforcos, durante as
isa de sna residencia. N'ostes termos, pede | missoes; quero fallar do Dr. juiz de direito destaj
comarca, Antonio Buarqae de Lima, que tem sido
incansavel em promover o andamento da obra da
igreja, coadjuvando em tudo ao Rvd. missooarie:
a esse^cavalleiro.devemos agradecer a vinda do
deferiraenlo por mere (eslava assignado).
Despacho.
Tendo sido o supplieante preso por mim, em
urna casa sita na povoaeio de Tygipi, nao ihe
foi por mim pre6enuda ordem por escripto ou I Rvd. Fr. Casimiro esta villa, e bora
mandado de pnsao. Subdetetacia do Peres, 13 : qne Ihe prodigaHsa.
de abril de 186S.Coireio Barros. Os vndouroe, devem saber o qoe fofa as mis- -
beia-se agora o art 173 do cdigo do processo, ses doOurlenry, pelo que conscienciosamenle fa^o tro emprego,o que seria posslvel mesmo conti
ESS a-S'5n : k esla exPossao, que tem o sello da verdade, e o tes-; nuando a Faculdade de Direito era linda, ou sen-
i oaerao tembem ser presos, sera culpa forma-, temunho de urna populado inteira, qae garaulir do removida para Iguarass ; mas Isto ainda vem
aa_ r e nao a atwk os que foram indiciados em minhas palavras, qoando qualquer Inlmfgo da igre- mostrar que o Sr. Jos Pedro da Silva gosta de ar*
- enroes, em que nao tem lugar a flanea j porm; ja, procure desnaturar os faetos que levo de ranjar as coasas a geito, para dellas poder tirar o
is os mais casos, excepcao dos narrar. maior partido. Para qne o Sr. Jos Pedro da Silva
bos. O abuso, qne se d core o Sr. Jos Pedro da
Silva, mals escandaloso do que todos,porqaanto,
nao podendo accumular as raneedes do lugar de
inspector da tbesourana provincial, em que se acha
em commissao e por consequencia interinamente,
com as do de- professor de Geometra do Collenio
das Artes, em que vitalicio, exerce desde 1848,
nao obstante ser interino, as funego^s de inspector,
entretanto que se fbe conserva desde esse tempo a
cadeira qne abandonou; e Isto se tolera, perqu o
Sr. Jos Pedro Sirva prefere o ordenado de inspec-
tor da thesouram provincial, qne de 3:3605, ao
de professor de geometra do Collegio das Artes,
que s tem 1:800,5, e se val tolerando esse abuso,
porque o 8r. Jos Pedro da Silva qner Ir vencendo
tempo, at que encontr oceasio fSivoravel para ser
aposentado no lugar de inspector, que Ihe dar di-
reito a ter 2:880$, vistoqoe anda nao pode conse-
guir o que tem tentado por duas oa tres vezes, Isto
, ser aposentado em sna cadeira, reumndo os ser-
vicos provnciaes aos geraes, para ter direito a
maiores vencimentos.
Pretende o Sr. Jos Pedro da Silva qae ignorava
ate antes de hontera era qae termos setinha dirigido
ao governo imperial o Bxra. desembargador Costa
Pinto, quando pedloaapprovaco desna resolnco,e
a permico de conserva-lo na commissao era que
desde entab se acha; mas Yeiismente confessou
qae-tinha eonbeeimento do aviso de de Janeiro de
1849. O conhecimenlo desse aviso, em qne se
mandou qne elle fosse considerado legalmente im-
pedido emquanto durasse a commissao de que ha-
via sido enearregado, bastara para mostrar que o
Sr. Jos Pedro da Silva nao ignorava que era ins-
pector interitio, se ontras razoes nao honvesse;
mas queremos leva-Io pelo raciociuio, tendo diante
de nos disposleoes legaes, convicco de qae nao
tem fundamento algum sua prelencao effectitida-
de, porqaanto do que ba dito id se dedui que pro-
cura tirar-se airesameme, e por meio de argu-
mentos capciosos, de urna dlscusso, em que se
acha mal collorado peta falta de razae.
DisseoSr. Jos Pedro da Silva que, nio sendo
-ncompativeis os dous lugares qae tem, efle pode-
Tia exercer ambos ao mesmo lempo, isto aceu-
tratameato mula-los, e a razao, que den, foi que, s tendo o
professor de geometra urna hora de irabalho, po-
da o governo ordenar-lhe que exercesse um e ou-
de flagrante delicio ( e nao o houce) a pnsao
i nao pdi ser exculada seno por ordem escrip-
te da auioridade legitima.
Mais adianto vai ainda a lei : ella exige o con-
curso de >oleronidades internas e externas para a
legilimidade da ordem escripia. Foram ellas por
ventura guardadas na prisab de qae se contesta a
legalidad T
Sem lempo para mais, emprazamos o eommnni-
canteYpara a discusso do direito applicavel i
especie sujueita.
Villa do Onricnry, 7 de marco de 1865.
Antonio Haymtlndo Brigido dos Santos.
^-igr-o-
podesse exercer ao mesmo tempo os doos empre-
gos era preciso, em prlmelro lagar, qne nao eris-
tisseo aviso n. 89 de 4 de julho de 1847, e desap-
parecesse da collectao de lels do Brasil o aviso n.
48 de 22demaiode'1850, e, em segando lugar, qae
o*presidente da provincia e o director da Faeulda
Pareca me que, vista dos documentos effl-
ciaes, lidos na assembla provincial e publicados
no Jornal do Recife, e Sr. Joe Pedro da Silva es- de de Direito qizessem dar-se as maos para favo-
peraria pelo parecer dajeommissio de legislarlo
da mesma assembla,. a que haviara sido submet-
tldos, e se nao se apresentaria sustentando, pela
imprensa, que inspector effecttvo da thesouraria
provincial, nao fazendo mate do que reproduzr
os argumentos de qne servfn-se em sua informa-
do de 20 do marco desle anno; mas enganel-me,
e a leitura da correspondencia do Sr. Jos Pedro
recerem os ioteresses pewniarr do Sr. Jos Pedro
da Silva, inspector interino da (hesonraria provin-
cial e professor vitalicio de Geometra do uollegio
das Artes; mas os avisos snbsistem, e nao serao
nollificados por ootros, s porque o quer o Sr. Jos
Pedro da Silva, e nao llavera presidente de provin-
cia e director de Faculdade de Direito qne se pres-
te m a tanto, mesmo quando o Sr. Jos Pedro da
As missoes na villa 1* Ourl-
enry.
No Oorieory onde o interease o dolo do povo,
com honrosas xcepooes ; ende o septismo invade
tudo ; onde o orgulho e falsa nobreza tem seu
Inteiros de os. 270, 1,437 e 2.C54.
Meios de ns. 318, 1,732, 2,981 e 3.372. chando'ingente; a preeumpeao de nieHigencU
Qnartos de ns. 122, 473, 775, 878, 89J, 1,124,] ero limites j o assassBo, por de mais ornado, es-
Wm, 1,875, 2,079, 2,099, 2.322, 2^48, 3,774, | amecendo da aoflo da lei, esedado o peeami-
2,896, 3,213 e 3,437. no so orgolbo e fd/o prestigio; o ladrdo, ostentando
Os bithetes das loteras 11* e 13' produarm i honradez ; e o lascivo, inoculando do ooraeao da
405008. ; loeaute doezeUa, a steuta do inforoo qne Ibes for-
- Camas do Ourlcorjr nos oescrevem os boas: necia o diabe.
effeltos das missSes, que por ali (em pregado o ftv. Den compadecido daqoetles qne eram nertina-
eapachinbo frei Casimiro, o quai tem conseguido zes na carreira dos crimes, enviou-noe o Rvd. pa-
qne rnimigos de autiga date se reooneiJiem, e res- dre-mestre Fr. Casimiro de Militello, imsrionario
tabelecam suas relacSes, como entre ostros o mi capuchioho, o qual chegando a estt Um s seis
de direito Buarijne, e tenente eoroneJ dimes Lopos hora da tarde do dia 19 do passado an, prinri-
importancia, porque elles provara .me a pa^ larmmando-as boje, 7 de mareo; esse digno nogi-
ina aleda exerce muita afluencia sobro dedaSeaber, profligando os horrorosos criaoes de
da 8ilva, publicada hontem naquelle jornal, mais Silva seja o nico fuoccionario capaz de prestar
urna prova do que esse funecionario jolga-se an- os servlcos inherentes a esses dons empregos. A
torisado para emittir opinioes infundadas, qoeren-1 prevalecer o que acha possivel o Sr. Jos Pedro da
do qae sejam recebidas como concladentes, s por Silva,qnepareeeprocurartentarestenovomeiopara
qae delle partem, na supposieto de que os mem- continuar bo abuso, e podendo as reparticoes func-
bros da assembla provincial, e raesmos os habi- clonar 4 noite, ainda mais facis seriara as acon-
tantes desla provincia sao empregados da thesou- mulaees; mas tudo Isto faz rir, porquanto neste
rarla provincial, que se resignara e curvam soas aviso o. 89 de 4 de jamo de 1847, se estebeleceratn
cabecas por temerem snas iras. Felizmente todos os tres principios, dos quaes podem proceder as
nao se acham nessa triste condicao, e desle mol- incompatibilidades do exerciclo de empregos di-
to conheeo e cooheco bem o Sr. Jos Pedro da Sil- versos, e entre estes se acha eomprehendido o qne
va, sabeodo o qae valem soas bravatas. julga posslvel o Sr. Jos Pedro da 3ilva; dizendo-se
Nao basta mais do que ler a correspondencia do nesse aviso quea lei creou os empregos para o
Sr. Jos Pedro da Silva para reconhecer-se qnam iei publico, e nao para beneficio de quem os ocpm-
fofo o terreno, sobre que sentn seu edificio e pa, sendo esta urna das razoes pelas qoaes anti-
_, se en nao desroniasse de que elle, em sua vida- gotssmas e expressas disposices tem sanecionado
acento, ouservava-se qoe a rellgiao de nosso*. pas,' de, poderia crr qne mea silencio era prova de a dontrina de se nao accumularem os empregos em
era apenas um sentimeoto de ostentacao eiterior : raaha derrota, me teria absiido do responder-He, una pessoa.
no Ourieury, repetimos, onde o espirito reeimoso' entregando apreclacao do publico essa corres- E1 sabido qae, entrando em darida se o Inspec-
estava amortecido, e a materia do poro embriagado' pondencia ; mas conheeo com quem Into, o s por tor da thesouraria provinehd do Maranhio podia
nos prazores de sen peceados, porqne a cobica istoresolv-me a dar-Ihe resposta, e, se o no fiz exercer ao mesmo tempo este emprego eodeins-
nuaca se taruva; a soberba, sempre em progre8so,lmmedaiaroenle, foi porque sd li sna correspon- peetor da instruccao publica, qoe ait tmba'servi-
a ambicao, em suas aspiracoes; o desejo. mar- dencia quando j me aehava na assembla pro- 50 diario em horas determinadas, como tem um
vincial. proessor, e sendo consultado o gowerno Imperial,
Pare provar que o Sr. Mi Pedro da Silva nao fez este balsar o aviso n. 48 de 22 de maiode 1830,
inspector effecttvo do thesouraria provincial nao em que declaren qne, devendo o inspoctor da the-
basta mais do qoe ler os documentos offleiaes, qoe
foram ltimamente publicados, e confrenta-los com
sna correspondencia ; mas, nflo obsunte Isto, tra-
tarei de mostrar, sem estenderme multo, qne o
Sr. lote Pedro da Silva s effectiw na eadeira
de Geometra do collegio das artes, lugar vitalicio,
laacahuita peltoral de Kemn.
Um shnplns toase pdie tM*r l^ser mortal se
aao se aulhar temno; pera ewtfse-ha com-
pletamente o perigo fazendo se oso inmediato da
anacakutta peitoral de temp, a dual mediante a
sua benfica influencia faz ceder rpidamente a ir-
ritayao dos pnlmoes e garganta, e restabelece sua
aeco vigorosa, regular e saniavel. Os qoe dizem
que a asthma incuraveI mnito se enganam.
B*a fonitieanle composicin negetal subjuga essa
iftHielia molos*, ate* rnatmt> quando debaixo-
daafennas as aais oMinad* aggravantes. As
amjinne nunca terminarSo amtironcbitesa tosse
em tkrslea -noa a rooquidnam asthma, se des-
de tae em snai prlnelpieifMmm atalhados com
*e bakmno mfotal sna*** e sedatv); seus
benficos effeitos sao promptementa'execulados as
aquelle ci^io^DolBTo v^sse naoslrado, antes qne danp,,u,h
seguisse para a corte Pde-se achar a venda em todas as boticas e lo-
Nao s minha a opinio de qno o Sr. Jos Pe- jw te ni-ogae. -
dro da Silva se acha en commissao aa thesenraria .'"g se n pharmacta de Caors 4 Barbosa e
provincial, e nao por consequeueie mapeclor J* u Brava u
rfecino, como pretende. Na Faculdade de Direito an^n^Bnc^BaBnaanaaaaaaiBBBaB>v^^^u
desta cidade e Sr. Jos Pedro da Silva considera- j
do em commissao do governo provincial, fondan-
do-se isto no que disse o aviso de 9 de Janeiro de
1849, e Unto asslm que o Sr. Dr.. Mesiexes dt
Prnmmond, que nao so mostra intenso ao Sr. Jos
Pedro da Silva, disse em sua temaiia que elle ti-
nha estado ausente de sua cadeira em todo o anno
lectivo de 1863, por achar-se em commissao na
thesouraria provincial; mas nao se trata de opi-
ni5es.
O offlcio, dirigido pelo Exm. desembargador Cos-
a Pinto em 30 de setembro de 188, se acha es-
cripto em termos qire nao olTerecem dnvida, e o
aviso de 9 de Janeiro de 1849 terminante; e tan-
to o governo imperial o niio considera em effectlvi-
dafle.no lugar de inspector da thesouraria provin-
cial, qae The tem recusado conceder-lhe por duas
ou tres vezes a aposentadorla pedida, nao queren- m.a's am peregrino que caneado da romagem
do fo*ardhe era conta os anuos de servicos presta-!d* v'da> *>0Dre> nera lagem do caminho pousou
dos nessa thesonraria; e, so o Sr. Jos Pedro da a 'ronte fra empallideeeu e morreu I
Silva nodesse accumular os dous exercicios, ja o Ah j nao existe, j do mundo desprendeu-se
terta fec, p^ra poder percrtier os doas ordenados, e aos ceOS sa^ Artequlftno Ayres Albano Costa,
o cootar em sua cadeira esses dezeseis annos, du-.ese "Ibo estremoso, esse verdadeiro amigo de seu
raote os quaes tere estada ausente. amigo, esse joven dotado de scatlmentos tao puros
m falta de meinores razoes, o Sr. Jos Pedroda e noores que bem garantiam Ihe no futuro um no-
Silva invoca os termos, em que se acha redgida a me digno de sua patria.
portara de sua nomeacao, e o ter pago es direitos-, Senhores Arteqoilino Ayres Albano Costa, esse
mas a Isto respond na assembla provincial, e me mancebo, cojo cadver, representa hoje diante de
parece te uul que nao rae demorare! em re- as o mais tristee o mais eompungente de todos os
MBJUA
Oflereeida an meu amiue c collega e Sr. Iauoel
Lei te Cez>r Leureire, e recitada na eceasie em
que desciam ao tu mul os restes moriaes de
sen prente Arlequilino Aires Albano Costa.
Sensores. E* mais um tmulo que se ergue f
fular.
Admiron-me qno o Sr. Jos Pedro da Silva niio
ti vase reeorndo a algum Cyrino para terebrar-
me que, tendo havdo procuradores fiscaes, pro-
viaciatB e geraes, como os Srs. Drs. Vctor d'Oli-
veira e Ribeiro, que einbora nomeados presidentes
de provincia, nao perderam aquelles empregos,
ello so aeaava no mesmo caso, e podia s por isto,
sem recaer diante dos avisos citados, julgar-se ins-
pector effeclivo da thesouraria provincia, tanto
quadros-o quadro da morte, nao era, por certo,
nm desses homens indignos da humanidade, e por
consegninte indigno de si mesmo : nao, Artequih-
no era um desses homens ue coradlo bom, gene-
roso e magnnimo ; um desses caracteres Intelli-
geates que bem conheeem a alta missao qae Ihe foi
imposta pelo Creador.
Sim, Arte jnilino va qnal o ponto qne oecapava
no universo ; sabia e cria na existencia do destino
da humanidade, e mais que todo comprebendia
maisquantoh Cyrinj,queconsidera como lugares | Que era necessario caminhar e caminbar ncensan-
elfecvos as presi Jeneias de provincias, e nao como [ Cemente s. m esperanca de parar nm dia.
commissoas administrativas ; roas argumentos si-1 Diga-o,na verdade, o angosto templo da scien-
milhanles nao tem peso algum, e s sao bons em c'. o magno altar da sabedoria, esse tmmenso f
lavra
/ chrislfios.
RbparticXo ca PoircM.
Kxtracto da parte do dia 30 de abril de 186K.
Poram recolhidos a nasa da detencao no dia 19
do eorrente :
endurecidos peccadores, conseguie chamar ao gre-
mio da igreja, um rnknuho renitente aa pratiea do
pee rada
Ol I lleligiao santa e sublime, como sudes pode-
rosa e bella 1 Come em um momento ae realUam
coaversoes, s cem a exposicao de voseos dreeoitos,
souraria comparecer em sua repartf(o, cojo expe-
diente era desde 9 horas da mannaa at s i da
tarde, e tendo o inspector da instrnccAo publica
obrigacoes que devfam ser desempenhadas em
grande parte dos das do anno pela maoha, era
manifesta a incompatibttidade que exista no des-
e nSo 00 de inspector da thesonraria provincial,' empenhe dos dous empregos; mas, quanda o Sr.
em que interine, achando-se net*e em commissao Jos Pedro da Silva nao julgoe ainda suficiente o
com lieeoe.a do governo-imperial, como se r do que tica dito para provar a incompatibilidade dos
avise de 9 de Janeiro de 1849. I doos empregos, anda temos o aviso n. 69 de 7 d
Sendo o Sr. Jos Pedro da Silva professor de 'outr.bro de 1843 e n. 541 de 19 de novembro de
Geometra do collegio das arles, e per consequen- 1861, qae declararam Incempatlvels os lagares de
ca empregado geral, sd poderla ser nomeedo ato- professores pblicos com os de )aizes moniripaes,
listamente para o lugar de inspector da ibesonra- mesmo suppientes, s porque estes tem de dar au-
ria provincial,- vietoqae as feraooSes desses em-! dienclas em alguns dias e horas determinadas, o
pregos sao ineompativeig entre I, e s o foi por! que poderia fazer-se tarde ; e cre o qne ha ap-
que esta provineia aeaava-se entio em chrcnms-' plicago da doutrina desses avisos ao caso, em qne
tandas exrepetenaes, o o Exm. desembargador se acha o Sr. Jos Pedro da Silva.
falu de razoes.
0 Sr. Jos Pedro da Silva Uo obsenro no qne
esereve, que a isto aUrtboo o dizer que commigo
nao quera discutir, porque eu nao era o responsa-
vtt petos meus actos. Quero crer que isto se refere
a ser eu irresponsavel pelo qoe digo na assem-
bla provincial, como depulado-, mas, podendo es-
tar engaado, e nao gestando de obscuridades em
obrases que podem prejudicar miaba repnucSo, e
sor classilicadas como injurias, eston resolvido a
prevalecer-mo do meio qua me faculta a lei, e fazer
comparecer em juizo o Sr. Jos Pedro da Silva,
atn de declarar o sentido de sua phrase.
Os documentos oficiaos, apresentados assem-
bla provincial e poblicados no Jornal de Reafe,
mosteam evidentemente que o Sr. Jos Pedro da
Silva nao foi exacto na informa gao que den em 20
de margo desla anno, e a iuexactdo manifesta,
confronlaado-se essa informacao com o afielo di-
rigida pelo Exoa. desembargador Coste Pinto ao
governo imperial em 30 de setembro de 1848. Foi
isto, que u pro -.urei fazer sobresahir perante a as-
assembla provincial, e mesmo perante os habi-
tantes desta provincia : a assembla provincial e
e os habtenles desta provincia, lendo esses do-
cumentos, podero dizer de que lado est a razio ;
mas j nao rae contento com tito, depois que o Sr.
Jos Pedro da Silva veio imprensa, e appello para
o esclarecido juizo do Exm. Sr. Dr. Castello-Branco,
esperando qne S. Exe. tomar emeonsiderago o que
tica dito, e far respeltar a lei, pondo termo a esse
abuso.
Dr. Joaquim d'Aquino Fonceca.
20 de abril de 1865.
POBLICAQES A PEDIDO
O governo advogando a cansa
do povo'.
Copia.-Quarta seeqao.Palacio do governo de
Pernambaco, 15 de julho de 1861.O projecto de
postura, c afeccionado pela cmara municipal do
Recife para execocab do contrato celebrado com
Carlos Luiz Cambronne, eque me foi enviado com
o seu oficio de 2o de junho lindo, nao satisfaz, e
convm que seja alterado, tendo-se attengo as se-
gu ntes consideragoes:
Nao est na Ivir e espirito, e contrato qne os
proprietarios desla cidade sejam constrangidos a
acceitar o systema de apparelho de limpeza qoe o
empresario se propoe execotar, como prescrevem
os arte. 1 e 2 do cilado projecto de posturas, nma
vez, que conservera soas casas as precisas condi-
coes bygionicas. o artigo 41 do contrato prohibin-
do apenas o emprego de outro systema de lairmas,
que nao saja o do empresario, salvo aquellas que
ja exi.-tiam anterior meu te, e prehenchem as regras
bygiennieas, nao obriga com tudo a acceiter direc-
tamente o mesmo systema, e nem poderia obngar
a aquelles que por mais proprios pedessem fazer o
servico do limpeza de suas casas, sem inconvenien-
te aigum em retegio a saiubridade publica e asseio
da cidade; e anda meooi aqaees qae por sna
indigencia anda nao podessera comprar esses ap-
parolhos.
Neste sentido, pois, devem ser modificadas as
disposiges dos citados artigos 1 e I das postaras
para que as devolvo, conviudo que a cmara mu-
nicipal do Recite designe ao mesmo tempo lugares
em que possam sor I angadas as materias fe cea es,
lisos, etc., decrete medidas apenas coercitivas da
incuria e falta de asseio as ras e casas qne pos-
sa prejudicar a saude de sens habitantes, e empre-
gue a mais rigorosa iscaiisaco, para que nio seja
Iludido e fiel cumpnmento de suas posturas a se-
loelbante respailo. Chamo tambera a attengo da
cmara municipal do Reeifa para algamas oulras
condieoes desle contrato, que convsm sejam articu-
ladas as posturas municipaes, dando-Ibes forca
obligatoria de lei para sua melhor execocao, e
coramodidade dos proprietarios, sobre os quaes vai
recabir o onus que nelle se impoe.
1 Que o emprezario devora estebeJecer a sna
custa latrinas e ourinatonds pblicos nos lugares
determinados pela cmara municipal, a qual Kie
pagar urna mensalidade, segundo o prego qae por
ambas as partes for convencionado (art. 10 do con-
trato).
2 Que o emprezario ser obrigado a a presente r
dentro de um anno da data do contrato desenbos e
modelos dos melheree e mais perfeilos systeraas de
latrinas, e ourinatorios pblicos para que o gover-
no possa escolher o que mais conveniente Ihe pa-
recer.
3" Que o servigo da limpeza, ser executedo por
quarteires em que deve a cidade ser dividida pe-
la cmara municipal, ouvjodu o emprezario, e com
approvaco do presidente da provincia (arl. 18 do
contrato), o que ainda se nao fez, e que preceder
qualquer trabalho do emprezario, bem como a
planta da cidade, que por elle deve ser formulada
em escala suficiente, contendoo trago da canalisa-
gocom os respectivos perlis, e indicando os decli-
ves conforme exige o art. 19 do eorreole.
4 Que os prasos indicados no art. 27, nao sao
laxativos, e devem ser considerados como o maxi
co de luz, sob cajos reflexos procuren sempre elle
abrigar-se para melhormente servir Dos e Pa-
tria.
Mas, fatehdade 1... Viver nao pode o homem,
e muito menos gozar das delicias do futuro qae o
espera I
Apenas d elle um passo, mil difflcaldades se
antolham, e tem elle de, irreslstivetmente, trope-
gar, cahir e raorrer fI... '
Sim, mogo e bem mogo, na flor dos annos, anda
no principio de sua vida acadmica, finou-se Arte-
qailine Ayres Albano Costa, deixando no coragao
de seos amigos e collegas o mais profundo de todos
os vacuoso vacuo da saudade.
A trra Ihe seja leve.
Pedro Ulysses Porto.
Assoeiacae Protectora das Familias dea Velnntirios
da Patria.
Nesta associagao tem sido em contlnuagao ins-
criptas e matriculadas com as pensoes mensaes
abaixo declaradas, as familias dos seguales Vo-
luntarios da Patria :
52 Manoel Jos da Cnnha.......... 12,5000
53 Antonio Barboza de Carvalho---- 12000
54 Jos Pereira Simo............. 12000
55 Manoel Quirino de Oliveira Borges 121000
06 Manoel Ortiga de Mello.!....... 123000
57 Manoel Francisco de Mello...... 1550C0
58 Manoel Luiz de Souza Chaves---- 123000
59 Gervasio Portazlo do Reg Barros 12J0C0
60 Joao Manoel Roma Jnior e sen ir-
niao tambem voluntario......... 185010
61 Antonio Vicente de Vascoocellos. 125010
62 Gregorio Antuoes de Oliveira J-
nior.......................... 155000
63 Salusliano Gomes de Andrade.... 125000
64 Lydio Gomes Porto............. 125000
65 Manoel de Souza Cardozo...___ 123000
66 Rayraundo Pereira Duarte....... 125000
67 Joo do Reg Barres............ 153000
68 Manoel Gualberto Alves de Men-
donca........................ 125000
69 Runo Sergio da .Silva Mndello.. 155000
70 J0S0 Luiz de Sena.............. 123000
71 Jos Ignacio Pereira da Rocha So-
brinho......................... 123000
72 Tiburtino Pinto de Almeida Janior 125000
73 Joao Vicente de Brito Galvao___ 153000
74 Sebastio Antonio de Rezende Leal 123000
75 Lupcino Francisco das Chagas... 123000
76 Vital 1110 Viera de Lacerda....... 125000
77 Bernardo Jos da Silva.......... 125000
78 Miguel Felipne da Silva......... 123000
79 Pedro Ivo da Sil va........'..... 123000
80 Joaquim Figueira Porlella....... I230OO
81 Antonio Vidal Mathias de Negrei-
ros .......................... 123000
82 Eleuterio Mathias Guido da Silva. 123000
83 Vicente Ferreira Manoel Guido.. 123000
84-Francisco Das de Siqueira....... 123000
85 Antonio Francisco Monleiro...... 125000
86 Jos Ferreira da Silva.......... 123000
( Contmuar-se-ha)
Eleicao dos juises, jnizas, escrives,
tliesourciro. procaradores, c mais
nieml) os, que ho de festejar a Hat
de eos d'presentadlo da Escuda,
n'csla sua matriz, no nno le 1865.
Juiz por eleigab.
O lllm. Sr. Joo Flix dos Sanio*.
Juiz por devogo.
0 Illm. Sr. capito Francisco Cordeiro Falcad.
Juiz protector.
0 Illm. Sr. capito Belmino da Silveira Lins.
Juiza por eleifo.
A Exma. Sra. esposa do Illm. Sr. lenente-coronel
Francisco Cordeiro Falco.
Juiza por devogo.
A Exma. Sra. D. Aona Gongalves Ferreira, esposa
do lllm. Sr. lenente-coronel Antonio Gongalves-
Ferreira.
Escrivs por eleicao.
0 Illm. Sr. Manoel Rodrigues da Silva Cmara.
Escrivao por devogo.
O Illm. Sr. alferes Flix Pereira d'Araujo.
Escriva por eleigao.
A Exma. Sra. D. Anua M.ria da Silva Chaves, es-
posa do Illm. Sr. Jos Francisco de Souza Chaves.
Escriva por devoc.
A Exma. Sra. D. Anna Mara Pereira, esposa do
Illm. Sr. Flix Jos Pereira.
Thesourelro.
O Illm. Sr. Joao Baplista Maia.
Procurador geral.
O Illm. Sr. Adolfo Tarquinio Accioli.
Procuradores.
Os Illms. Srs. :
Deomedes das Chagas Ribeiro.
Gabriel de Jess.
Lucio Jos d'Albuquerque Meflo.
Joaqnim Francisco de Souza Chaves.
Mordomos.
Os Illms. Srs. :
Rvm. coadjutor Manoel Barroso Pereira,
| Fr. Francisco de Santa Thereza.
A' Ordem do fflm. Sr. Dr. cbefe de polica, An-
tonio Joaquim de SanfiM, para rec/uta. consegundo.se qua o hornera perverao-.terne-te so- Costa Plato jalgo'u qae dele poda esperar e ser-! Eu disse na assembla provincial que havia con-
A ordem do subdelegado i.aengroum, Ingle*,- a requitto do reeoealivo, esse poder I Cuno suave e edincaute vossa don- se no oficio do 30 de setembro de 1848, em qae da Silva.qundo foi convidado para ir dirigir rthe-
onsai. traaa J O Rvd. f/- Casimira, mieslooando a este pedia que fosse approvada a*> resolugo de no- souraria provincial, que se la reorgamsar, e o qae
A ordem do de Santo Antonio, Antonio Jos dos pooo, evaogelison a pa, eraogeasoii o bem : mea-lo interinamente, e a (MMHsio de conserva- se lia na sua informac-i, dada presidencia da
Santos Silva, como alienado. nnaniosaa helios ot pt d ev**> do Senbor,! lo aesea eommieato, arreddlo de sna eadeira, em provincia e datada de 20 de maree deste anno, e
mo do que pode o emprezario exigir pelos seus
apparelhos.
5o Que os trabalhos serao eomegados da maaei-1 }7m: Dom,D8s o Martins Perefra.
ra e pelas localidades que forera determinadas pe-! *'ori,no *"* Souza
la cmara municipal de accordo com o emprezario "a *?f **
e cora approvago do governo. i Fe,,x Cavaloante d Albaquerqae.
A cmara municipal attender ainda ao mais Antonio Rodrigues de Sena Birro.
que entender conveniente para a melhor regulari-! aniJel Ca|uello de Barros,
dade do servigo da mpeza deste cidade.Antonio nj.D, ?**< de Mello.
Marcelino Nunes Goncalves. \ ?nriD9 Aurehano de Figoelredo e Mello.
Joaqnim Lopes Ferreira.
i Joqu'm Jos de Sonza RabeHo.
i Antonio Torqoalo de Almeida.
i Jesnino Archanjo Cavalcante PImenteL


<
WKt1o tfe ?*nfttfa **ifa
fe?***.
Joao Carlos
Tiburcio Vi
Alexannre
lea
totafca
Goilherme Muoiz da Sonza.
rjwrfae.

MiBOtFramEc da-Silva.
Seraphim Jos d'Aranjo.
Joao Damaceao e Silva.
Laraet Cavateante dmuquarque.
Severino Ferreira de MefltJ.
Jo4 Antonio de Mjnra.
Isidoro CmmHd da Roana Cavalcante.
Joao de Sooza Goimares.
Amero Joaqun dos Santos.
Manoel Jos Joaqun da Costa Basilio.
Joao Gomes de Moura c Silva.
Manoel Alves da Silva Caldas.
Manoel da Costa Prazeres.
Jos Lacio Monteiro da Franca.
O vigario Simfto Azevedo Campo.
--------1->i^aBaaai^^--------
toneladas, capitn Dan*; *Ekloy, eqaipagera 10,
carga carvaoj a Jateen & t.
ffiaaa* Utato*-Ktmodia
Bartoadoa*-Barca inglesa, l O., capitSo Jotra
Gmm, lastro.
Woat4o*mnPiaho agtM Mmv Beit, apt|io
Robarl atosiga!, am lastra
J
n------..-v__.
z o TjBfiJU ai uu tos
'fjrfta-feff 27 do correte mez. se ex-
trahir a'2 parte da f lotera (13*) be-
DECLA11{5ES.
Bisado de Peraamuco
Mu retarla do bispado se faz pnblit que o
fita), a Bmt. Sr. vigario capitular para maior fa-
citdadfl das pasteas que o procurara fra das lo-
ria 4o despaeOo para caaos orgeaies, prloctpai-
aaenieaasle Uinao teraveirao, resorreu madar de-
finitivamente a ana residencia para o seminaria
episcopal (fe OTTnda, onde pode ser procurado na
occauo do expdale das 9 horas d* nanhaa al
>algneiro 25 fle levereiro de 1863. as 2 da tarde ; e para os casos urgentes a aual-
Maao e amigo.Muito bem I Es Voluntario da 'qaer hora do dia oa da noite.
Patria ; am sigaal da raeu conlealameato dog-te ] Cidade de Olinda 19 de abrir de 1865.
uro abraco e ofiVreco-te os e/sos juntas (se varaos 0 secrerario do bispado,
sao.) J deveia saber que ped orna liceaca, at Conego loaqulm Ferreira dos Santos,
completar o mau q-uairieaaio, para tambe poder i Para inspectora de fftsroarobueo se faz pu-
tar a gloria da roa alistar soldada, -So por aUli-! *Ho, oaa aporta, no da i do crreme, a i hora
dada nao redlisarai tan rdante dasajo. tda larde, *a mi de arrematar livre ae direitos o
Nao ka da ser aoiuaoie a trra da Aodradasqua gnie: do conformidad con a portara da tbe-
I Theafo de Santo Antonio
| (capuoga)
Socieiiade dramtica Thalia Pernambucaiia.
De ordem dolllm. Sr. presidente do xpaelba
administrativo desta sociedade, scientiOetr^BMNi
os Srs. sacias rasialladures que domingo 23 .do cor-
rente as tO horas da manhSa, a sede da sociedade
havera sesso extraordinaria, afjm 4e trauc-se.de neaeio da matriz de Nazafeib, no consisto-
negocios tendentes a mesma sociedade. I rio da igreia de Nosaa Senhora do .Rosario
ufe W'.J^Bfc+ojuuij te 9^ Aototiro.
Os bUuetes.maio e guarios esto a Ten-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
.Tiwii. 15.
OsJpnmiQS do (iOOOaJOOO at 10^000
seraopafos Ama hora desos da extraege
al a*4-Horas da larde, e os oulros depofe
da.dislrrbnitfatidag Ifrlas
nambucaaa, 19 de abril de
iO 1" secretario interino,
Epaminondas P. B. e 4cctoli de ta*eoace,llos
*
1TIS0S M1BITIM0S.
nnyPAMA
DE
coate os seo GaviOaa: A tarca d* Cama* a o a Uaa-
qnes Dias j conta oa PauJiBos Cmaras, cantara
aiada outros e o tea
Agntlo.
A me* trmo e amhjo Antonio Deocttcio Gonzona,
por oecasiao de saber que se ttnha alistado Vo-
luntario da Puirta*
Ao reaebar a aalMa
Da .aa eras Vrjluatarto
Exsilto'i m f (iranio:
Fies-tt bem ofTrecer
Tua vida, inda bem jo vea
Em saoHcie nacSo.
Oa oossa (ao chara Olioda
Foste o primeiro a correr,
A te alistares flofctado.
Avante, nao esmoreeas
K no campo da hataiha
S brioso o denodado.
Ta esqaece do patrio lar,
Vda ao diestro da guerra,
Corre a paira deXender;
Encara sera medo a morte,
Pois quem morra pela patria
Tti glorioso morrer.
Entre o sfbyllo das balas
E retumbar dos canhSes.
Se disperta marcio ardor
Um soldado brasTteiro
Em freate do immijto
E' qoal a onca em furor.
Eu tambem serei soldada,
K no campo da batalha
Anda, Irmn, m has de ver ;
Se o nosso Imperador
To india e bondadoso
A graga me conceder. ()
Eoto unidos aos bravee
Companheiroe de campanha,
Aos tigres corobateremos ;
E nao longe est o dia
Que p'ra gloria do Brasil
A laes fras domaremos.
Sa nao morrermos nos campos,
E se forem n i-sas vidas
Amparadas pelo co;
Todos viitao que trazamos
Pregado ao braco esquerdo
O noss roaior tropbo.
COMMEBCIO.
co;^e ofHeiaes.
20 de abril.
Oambios sobre Londres 90 div, 25 1/2 e 2o
d. por IJtOOO.
ubourcq Jniorpresidenta.
Guimaraaasocretario.
Caita filial d banco do Brasil em
Pernamboco.
A directora de-ta caixa saca sebro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha.
Moto banco de Pcrnam-
biico.
O banco desconta letras na presente semana a
<0 por cent ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 12 0|0 at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro a juros a praso nunca menor da tres mezes.
*orobauco de l'ernanibnco.
o banco paga o 14 dividendo narazodeS^
dor ac;o.
alia filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
19 da abril de 1863.
Ten>lo-se desencamirrhado do espolio de Bernar-
do Jes Pinto a cautela de 43 accSes das localisa-
das nesla caixa, sob.ns. 1239 a 1281, a directora
:at publico a quam Inleressar possa, que por pane
d Antonio Jos Hamos de Oliveira, do Rio de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqoi proceiar a laaasferencd das referidos accSes
para o noroe dos mesmo? herdeiros.
O guarda-livros,
Innacio Nunoe Correia.
ALFANDEGA.
tendimenlo do dia 1 a 19......
: ltm do dia 20.
370:5864233
o7:7S6563
428:3i2?79
saoraria de faaeadas o. 65 de 17 do correte
daus aHcalates perlancaoias a esta alfendaga, os
quaes se acham arruinados, rlcando sojeita a arre-
matado a approvar^ao do Exm. Sr. presideato da
provincia.
4* secro da alfandega de Pernambuco 19 de
abril de 1863.O 4 escriptarario,
J. da Avila Bilancourt Neiva.
Pala thesoararia provincial se faz pvalico
que a arremataco dos raparos de qot precisa a
ponte do Rio Farinoso foi transferida pasa o dia 27
I do correte.
Secretaria da thewnrarla provincial de Pernam-
bnco 7 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Aaouneiaoa.
Insprrco do arsenal de marinlia.
Fai-sa pobUoo qoe a coinmis^e de peritos exa-
minando na forma disposta no regulameuto anua-
xo ao decreto n. i,dli de S de avereiro de T854.
6 casco,.machi na, caldai ras, apparelio, rnslreacao,
veame, amarras aumras da vapor Paralaba da
compaahia PeraamboeaBa da navegaeao costeira,
acitua todos e-tes ob)ectos em regular estado.
Iospseeavdo arsenal da marmtia da Pernambu-
co 12 de abril de lt6K.
& a dos Santos
Servroda do secretaria.
Fiscalisafo de Santo Antonio.
O aballo assigna Jo, fiscal
Antonio dcsu cidade pelo prsenle pede a todas as
pessoas donos de madeiras, t ?lueiros, etc ,qae ixisrem dVposfiados na frente das
oasai desde o caes do Ramos at a travessa da fti-
beira, mgar qne divide a sua fscallsacio, que Os
fagam retirar para deatro de armazens, da data
deste a 8 dias, afim de niio serem maltados e ve-
rem ser removidos as mesmas madeiras e mais ob-
jeclos PBeeaUados a sua costa para o lagar que or
indicado por esta nscalisacaa, em eaaipcianenlo da
determinado na postura municipal.
Fbealisacao de Santo Antonio do Recife, 17 da
abril de 1866. a
O fiscal,
Caetano Pinto de Veras.
Pela thesouraria provincial sa fas publico,
que a arremataco dos reparas de que precisa o
empedramento do lupar denominado Areias do Gt-
qui, na estrada da Viciarla, fot transferida para
o da 5 de maio prximo vindouro.
eerelaria da tltoooraria provincial da Pernam-
buco 15 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Aannncia^ao.
Pola thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco da obra da construcfo da bom-
ba da varzea de Paul isla, fot transferida para odia
27 do crreme.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 15 de abril de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciacao.
.. Araeoal de guerra.
0 Sr. tenente-coronel director do mesmo arse-
nal, para dar cnmpnmento as ordena superiores,
faz publico que nesta repart rao se conlratam offl-
claes de serralheiro e alfaiates que quelram seguir
para a edite, com o* venetmentos da tabella em
vigor ; dando o governo o transporte : es li-
teressados comparecam nesta reparticao das 9 ho-
ras da manhaa as 3 da tarde para fazerem o res-
pectivo contrato.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
19 de abril de 1865.
O escriptarario,
Jos Alfredo de Camino.
O conseibo de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o hospital militar.
1 caixa com instrumentos para extraeco de
dentes.
Para provi ment do arsenal.
1,000 pares de sapalSes.
20 meios de sola de lustre.
20 grozas de fivelas estanhadas para grvalas.
Para a enfermara militar de Alagoas.
25 colchoes.
25 travesseiros.
30 pares de chinellas.
11 ourins com lampa.
25 casaes de pires e chicaras.
12 talhere.
12 colheres para sopa de metal branco.
Para o Forte do Buraco.
A pintura que necessita as pecas, reparos, gua-
ntas, de madeira, cheleiras, mastro de batideira,
cofre de bateras, soquetes e lanadas.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
aasim cerno empreitar & pintura cima declarada,
apresentem suas propostaa em carta techada, na
sala do conselho, as 11 horas da manhaa do da 20
do?correoie.
Sala das sessoes do conseiho de compras do ar-
senal de guerra 17 da abril de 1865.O eocarre-
ado da escriptura$3o,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Para o Rio de Janeiro.
O brisue escuna Joven Arlhur, pretende seguir
com moitatrevtdade, tendo parte de seu carrega-
mento prompto : para o resto que I lie taJlao e-
cravosa fretes, paraos quaes tem boncumaod#s,3
tratase com os seus consignatarios Antonio Luiz
daOlivaira Azevedo A C. ,
Para o RiaVtle Jbaneiro.
Segu aastesolio diae 0)aripae escuna SO.ti\. r'ajjfei n<> teado dous teraas do sea darrepmcnto bofdo : um npjjpa. crtoulo da -n mu Fclistaa, reptamata
da treguezia de SaolOr**1 re8t 1** laa falla esaaaatos a frea, kava tar 82 aapeavseoa. Mi xo, aafcega raauaaa, tac am
os quaes lem bons commodos, trata-se com os sens dente do queixo de cima para fora, canhoto, os
consignatarios Antonio Lniz de Oiivelra Azatedo. pos algumarfou*. pejiuaAos, quando anda rebita
& C, no su escripturlo oa roa da Cruz n. IJ s dedos, > e*pei>t*- asiasa, est qu^rendo bufar,
levou calca nova de riscadinho rxo ou azul, cami
MOVIME^TO DA ALFANDEGA.
ATolumes entrados com fazendas... 395
t com gneros----- 998
------1,393
Voluntes saludos com fazendas----- 172
f t com gneros..... 1,460
------1,3!
Desarregam no dia 21 de abril de 1865.
Barca franeezaSolferinomercaduras.
Barca franeeza -S. AndrOem.
Escuna ingleza Ctmmodore-*dem.
Patacho portuguez Mara da Olona diversos
gneros.
Patacho inglazHtonntbacallao.
Brigne inglez-B||2 Brigue nacional Pallas charque.
Barca portoguezaS. Joao dem.
Escuna hanoveriaaa -Gastadidam.
Itarca agUaaTftnt -aarvao.
Barca iaglzArran Isieea.VfiO.
arca belgaSophte Tkeoiorine idem.
Barca inglezaCammodore dem.
Brigue inglezf//u-jdem.
flrigue IttBle zabeltaidem.
aBCEREDORtA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
KandimeotO do dia 'I a 19....... 14:399*533
tdem do dia 10................. 382*321 i
Shrregaele costelra por Tapor.
Parahyba, Natal, Vfacao, Araclty, Cear
e Ajaraca.
O vapor iPersintnga>, com-
mandante Ratis, segu para o
norte no dia 22 do aorrente as 5
horas da tarde. Recebe carga
at odia 21, eoromaiendas, pas-1 \a raa d| (;adeia d0' Retrfe
inneiro a frele at 2 horas da tarde gn.s a 4\, deseia-se fallar com o
eaoriptofto no Fofte i Mal- FenwaoV. a-nagocla de fnteresse.
MlHietes garantidos
A'ai-a doCiiespo n. i3 k casas aotia*w>w.
As aniiimeadas & rao guardadas so-
liente at a nol'e Ja vesera ra extraccSo
como de costume.
O thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Sooza.
Levy Heymann, subdito fraseoe, retlraae
para fra do iraperio-

sageiros e
da diada
tos n. 1.
saluda
loja de ferra-
Sr. Jos Das,
., ...----------.,,..,..,,.-..........., Antonio
Para a Baha pretende sanrr era pooeos da* Europa.
M Silva Paiva, portuguez, vai a
^ ataaael de OMaar, sbdio portuguez,
ra-ae para o Rio de Janerro.
reii-
a escuna Elaa, por ter alguraa caraja tratada, e
pava rosla qno rhe falta tniva-se coro o emisfgtta-
laclo Joaqalm Jos Gonjatve? Bellro, na roa da
Vignrro n. 10, ou no largo do Corpo Santa B. 6. ar- fasfianrtrai aaia mBSSZ^SZSSSSSS
mazem. a tratar de sua saude, levando em sua companhia
o Rio de Janei/o. jcomo;"ftriadn Jnra,""m Ferreir! Coe!ho-_____
Pretende seguir com muita brevidade a barca!. ~ ,M"?,e'Jo* PpeDs Guimar,a9S. subdil Por"
Rio de Janeiro, leudo, parta do ae. carr^meata.BB3R 'g^SS*^ *'
Para
engajado: para o resto que Ihe falta e escravos a
qalm Francisco da
fretes, para os quaes tem excellenies commodos, "'S?.^ 0* 5[ osltta.m.QS da SlIva'lercei
trala-se com o seu consignatario Antonio Lniz Ro^ ro ao Sr Ant,jnll) de P"** !E?^___________
drigues Mindello,
Cruz n. 1.
ignatario
no seu oscriptorio
na ra da
Oabaixoassignado vendeu nos seos rauiofelt-
zes- Jjijbetes garantidos da lotera iftw se aaaJjpu
deextranir a benalicio da Santa Casa da Misen-
coriar* segainips premia*-i-.
Wmquarto n. 8 com a sorle de 6:000,5000.
l'm meio o. 2597 com a sorle de 1:4 Um quarto o. 1|4 com a sorle de 3004000.
E mtras muiaa sones de 1002, 404, 204 e
10000.
OspessaldoresDbdem virreceber saes respec-
tivospremjosaem ;os deseonlos das I os aa Casa
da Fortuna ra de Gresao n. 23.
acaam-e *oadoe-da ** -paM* d 4* laeria
(13*J bepeficio da matriz de Nazareth, qoe se
extrahiri no da B7 rt eorreaie.
PUECO.
Bilhetes.....7,8000
Meios........34500
Qoams. | 1J900
Para as pesuas qn comprareo do 1005000
para cima.
Uates.....64500
Meios......35250
Quartos.....15700
Manoel Martins Fiuza.
Antonio Francisco dos Santos capito do
lirigue nacioaal Siout-a, wnvida a sooh eol-
legas aaaigajs a assialirtin a urna missa por
ahn o> setr nrat presado pal, na matrft do
Corpo Sanio, no dia sabbado 22 do corren-te
as 7 horas da manba, pelo qual Ibes fleax
eteromente grato*
.........j$W
Companbia lidelitlde de Tesoros ZM
martimos e terrestres
estabelecida no fiio de Jaueiro.
AGKNIES BM reiNAMBfCO
Xairno LhH de Olivfh" ievedo 4 e,
compaerda/naue aatolisados pela direc- |
loria da comaaahia detseyuros Fideiida-
fle, tomam segaros de nafres, mercado-
ras e predios no'seu rscrlpforio ra da
Cruz 1. m
mumm w$mm mmm
Semam Ilkistrada.
Piablleada nenia deIaaelro e
asalgaa-se na ra do Crespo
M 4*
iualVil0, sintiere il0, Irkclrr
600OT
A pessoap que qnizarem (assignav principiaqdo
no 2 lnme$re, podem logo neetor 6 *? anmer
de abril frrente.
"T5daHF-----------------
Precisa-so de m amassalor
ra Direiia n. 69.
padaria da
I
AMA.
Precisa-se de urna ama para todo servido
travessa das Cruzes n. t, primeiro andar.
99.
as sa-
Precisase de urna ama forra- ou captiva pa-
ra cozmhar a comprar para casa do ?ap.tz sorteiru:
na na do Quemado n. 7.
Ama.
I'recisa-se de urna ama pata lodo servioo : na
Uav*a iU Q uzea o. 2, priaieiro amlw.
O lioadan 4 raailup aHiL *a' JW doos
os pa(|Ueles^obre
Li.-bea.
Furto.
Braao.
Wkaaav
iiuimar:W*.
Villa Real.
Coimbra.
Amaran Ve.
O bacharel Lourenfo Avelino de ATm
quarque Mello continua a ter seu escrip-
tatio de advogado nos auditorios e tribu
naes desia cidade : na ra do Imperador
Para UsbOa.
A barca portuguesa Wenrvjnein, segne para LrS-
boa al o ain da presente semana : tem dos tor-
cos do seu camgarrwato a bordo : par o resto
qoe Ihe falta e passageiros, para os ffiraes tem-ex-
cellenlas commodos, trsta-se coaa os seas comigaa'
tarios Antonio Luiz de Ohveira Azevedo \ C, no
seu escriptuno, ra da Cruz n. I.
Faca Vori
segu impreierivehaaaaaat ula J3 do correte
a bem conhecida e valaira haraa Caanhm por ter
seu carrega'mento praaipto : .ajara paa.-af'ir.is, pa-
ra os tjuaes se alfar* o acratnate* caaiaxiiios, taa-
ta-se com Cunha feaalw#{]., aa raa da Madre
de Dos n. 3, ou com o capitu a bordo.
douradas e deutro de urna caixinha, edieco
de 1865.......... 20O.
Novas cartas recreativas e doalftaae de um
pai a seas fllhis para Ibes inspirar o amor vir-
tude, por F. Uaffmann, tradusido de allemao com
aafla nadavoaiaaendo afeito e os puaav>> aao a lindsimas pavuras oataradaa, ediooM da
imitando o paito da camisa cllele, cbano de bae- 486^............24000
ta nova e pardo Jula..e ell.-! ter Ido para o Reci- llionwi Alvos, auaotay" ao eodico criminal,
fcr* d*hi satnia- para n cora a ra da Cabo, oade eoc....... 95000
i tem naai, irma e uarerdes em procura da mi | Manual eoelesiastieoou colleccao de formulas,
'que passava lemnw na ponte dos Cirvslhos e aa } potopadre M. 'f. da Silva, t val euc 64000
1 villa do Cabo, agora de suppor que esteja de mo-' Compeadio elemaalar de goographia geral e es-
rada no engenho Dourado da freguezia oe Ipojuca pecial do Ilrasil por T. Pompeo, 4* odt. augmen-
LIVRARIA ACADMICA
... Bl
J. W. DE MEDEIR0-.
A" roa do Imperador ti.
Este estabelecimentj acaba da receber
guiles obras:
Diccionario 0o bom. josto ou pnuiaa liuguasem
aa Hareaate'varso riutala, eootendo jogeis, ie-
sia o seareMrto de palo ou novsimo correi*
dos amantes, mais correlo e augmentado com ar I
tigos novse o emblema das cores pelo qual coa I Alugam se dous grandes sobrados rom com-
duas flores, fructas. etc., etc., poder qualquer rrtedos para numerosa famj+i, novos e areiados,
pessoa enviar um moado t*siuleio a quam amar. j''m jardim, cochaira, eaitiamria e ouiras commo-
1 vol. elegantemeataeacadernBtKi com as )tha*'d,''i*t^ n* Iraveaa da JoBu Feruander Vieira :
liacliarel Jos ftiplista (iiliniraj
advoca nos termos o orrito e Caroarft. |
Pude ser luotu/ado ua villa do linuitu,,
ni;, Diraita a. la^dadruate da ca"
a Iratar na ra da Senzala Reta n. 42.
a ittga-ae
LEILOES.
la tar aUa uina liUta e-crava do Sr. Francisco
Aivas de Miranda Varaja 1 ramleiro do mesmo en-
genkp : raga-se as aat'ori lades policiaes, capitaes
deoampoe a qual.piar partirulir a raptura do
msalo eaaraaoa trazt>em-no a seu senhor no en-
geilte Caaamdla fiawaavia da Luz que ser gene-
rosamente recompensado.
Alrjga-se a ca*a n. i da ra do bascante : a
tratar a ra da tjideia n. 62, segundo andar.
(adido
1 va-
umacasa acabada agora, con) commodos para fa-
milia, estribarla, cocbeira, quartos para failoro
escravos.com banho na porta.no logar do Pogo
da Pinella.ruado Rio : a Ir alar com Tassolr-
maos,na rna do Amoritn t>- 35\
mmmmw mmm mmw-m
At O baebiirel Alvaro Caimaha T. da Silva
tem ~eu escriptorio de advoeacM roa
dv Imperador a. 41, primeiro .-miar, oa-
de pode sf r procurado das iw ae 3 horss.
Iu; qualquer outra oeasiae sera' uucuo-
trado oa casa de sua residencia a mesma
ra a. 3, junto ao Gabinete Portoguer.
m
Acha-se lamido o preto de nome Gabriel,
v f < .. erloolo, daWade.pouco mais ou menos 35 annos,
I *ib* Aa. am% Uo.- ;-i- o .u.^ iliaixo a corpoka, roa curto e-barbado, pesco-
LdlSIt) t HHla escntva CriOUb, latH \fhttn^W vivos e sobra-nealMa arpeadas.
do Ctise-, CUOIHUiar, lavar e C0s-lboixareular. denles alvos, ps curtos e largos:
i. __ 1 l r- 1 t : rogase as autoridades vigilancia por so desconfiar
lli'l'ecoOlOUlra&kaUllluatlcs- idelle qwrer aswntar anea no corpo dos volunta-
IOl9! rww, ou a qmm a ella pairar rond 117.1 r ao engenho
Sexta-feira 21 do correte as fl horas. Tapagr de toa da comarca do Cabo a entregar a
Coraeiro9lmdasa0forisadopor urna pessoa de B*B senhor Aotoaio Jeaifim Cvalcanti de Alba-
sua amizade far Icila da escrava cima. querque ou a Jorge Clemente d Borfta Cmlcan-
Ser effectuado o leilo no armazem a ra da .1 ruada Apollo-n. 3i, segundo andar, que 1
Cruz n. S7. aar.graiiikado : dcscomi i-sa tambem dalle estar
1rp---- w# .i- .-------------------- gy.dar na eiade da CMiada, vwto que dshi foi
LeilaO (le lllOVeiS, CrjStatS e OlrOS O-comprado n.n pretafOrro de nonw Gulhermino
jedos oftosto.
tada e rutdadosaments corngida pelo autor,
lume encadaroado.
Grammatica franeeza por Burgaia 4* adieco
da 1865, 2 vol. eac.......6500
O Novo Mea Je Marta, coniendo alm de inultas
orayes imporlaalas e abe das almas, 1 vol. ene.
ade, de 186S. J__;___. ^__. _. 25000
Selecta ingleza
(Firot Cas Header)
Por (i. S Hallar.!
para uso dos asiudaBta> de iaglex : acba-se a vea-
! da na vraru L'mversal, ra do Imperador nu-
] mero 54.
Na iiioMiia loja se acha o mappa da guerra do
j Paraguay, a venda, iuliographado e colorido.
Preoisa-s- de orna ama para comprar e co-.'
slnhar para easa de pooca famil.a : na rna Nova ; Ng fUa mrQiU {lfi ^^^ a ,ngir ^
qualquarcor, a o mais barato possivei.
; Consultorio medleo-rirurgieo na ra larya da
Baaara a. 20.
0 Dr. Juo Farroira da Si'va rogres>ando a sua
casa, co'itinu ana o exeraicio do sua profissau nao
s na parle roadica como lambom ao tuitrgica
Alng-e Hm^ casa terrm nos rromiiados
i em Olinda, com 2 salas, 4 quartos e urna grande
' cosinb com perto para o ria : a tratar na arma-
. zem do Alinea afronte 4a allandaga.
Tin turara
Sexta-feua 21 do ocreuta as ItJioras,
No armazn a rita' da Cruz numero al.
Cordelro Simos far leilio de dlverros movis
como sejam : eadeiras, marqoezas, camas, banqui-
ahas, mesas, redomas com flores, callee?, garrafas,
reloglosde alglbetra e parede e oatros muitos ar-
tigo, de goalo.
Leilo de calas com
oassas.
O agente Pestaa far* te'IHo por conta e risoa
queui pertaneer dB pprrao da aalxae com ex-
. Ili ules passas omam ou mais Iotas : sexta-feira'
21 do cnente as 10 I [i oraa da manhaa na per-
al da Aunes.

Leilo de lo caixas de uueijos.
Marttns (ara leilo por coata e risco do quem
atrtencer de 13 caixas de queija flamengos che-
gados no ultimo vapor
UaHi
Na piTta do armazem do Annes de fronte da a|>
tendega, as 11 bocas do da.
s
TIIEATRO
DE
EMPREZA--C01MBRA
llecltn da asslgaataira.
Sabbado22deabrldel865.
Snbir a scena pela primeira vea o bollo drama
original brasileiro do Illm. Sr. ur. Macedp, autor
4a PhauUsma Branco,'em 4 actos el prologo
li::8U859 Ce?.ar.
Amador
PBRSONAOENS.
Pedro Nanee. .
Graciano.
Leonel da Silva.
Leoncio de Almeida.

CeUSL'bADO PWJVIiraAL
Rendimento do da 1 a 19...-. 8i:9f2$27l'
CdandodU. ................ i'?S"
83:6oT97.


.:.,
MOYIME
PORTO
runa pe
. .

*
L.-50. .
Julio. -. .
l'm medico.
Autoridade polici
Damiaaa. .
Carisiina. .
Beatriz. .
tilaudioa.
Flott*bfMa. .

ACTORES
Germano.
Lisboa.
Burgos.
Guimaraes.
Teixeira.
Maohonra-
Porto.
Faustino.
Pinto.
Porto.
. B. Eugenia.
U. Camilla.
D Jesuina.
. D. Leopoldina
- 0. JW|uta.
M. : : : r
. .

.Vanos 4*-#o t> $a 20-
Vonta-Delgada29 awa.^surhr'portagueza, Emma
0> 85 iqneladas. cepillo Augusto Borges Cao ral,
qnipge'm -Itr, carga em lastro; a Jdo Rdri-
ParoaagerH, mudos, oldaabs ejicr
A acedo do drama paasBdo no Rio de Janeiro.
poca aeualidade.
Terminar o espectculo com o gracioso duelo tierna.
brasileiro cantado pela gr." D. Eugenia e o, Sr. ^^
l.ello de urna eocrava.
IIOJI
Q ageatePata eamgtWaia a daspacho do Illm
r. Dr. juiz espacial do cooamorcto exarado na pe-
Meade JoaAMit^iel Pereira de tira, levara' a lei-
lo pela ultima vez no da cima indicado a ascra-
va Alejandrina, nertencente ao orpho Doininfa
Gabriel Pereira du Lyra e existente no oeposito
goral, servtndo de base a offertaobtlda no leilio
lo dia 18 o crrante mez; o leilo sera' effectua-
do-as 10 horas do da cima dito um seu escrinlo-
riu a'ra da Cruz n. 38. ^^^^^
Lelao de trastes, loica e outros ob-
jeetes de casa de familia e urna es-
crava cosiuheira.
A viuv da Jos Antonio Gon^alvas da Rocha,
tendo de retirar-separa ufopa,Cara Isilao por n-
ter vaoco do aBooteCoraer StmSes de tojjps os
movis existentes no sobrado ra do Amorn
o. 99, Como tambem de urna eserava de naco An-
gola, Isla
1 Sabbado 22 do correte
s 11 horas em potito no mesmo sobrado.
Leila de dividas.
A viuva Je Jos Antonio Gongalves da Rocha
leudo dase retirar piara Europa lar leilo por in-
tervencodo agente Cordeiro 8imSes, das dividas
de sea casal na importancia (te l;3i7489 rs.,
cnsules da relcao em poder do referido agen-
te, sendo em letras e comas da livros, isto ,
Sabbado ti do ecu-reuta
i|bs 11 horas, no sobrado rna do Amorlm n. 30.
Leilo i% fMtndog aya riadas.
A 24 do crrente.
Saunders Brothers 61 C faru leilo por iuter-
vaatcao do agente Olivefra,-e conta e risco de quem
pa]Mencer, de porcoes do raadapolSes, algodoai-
nbos e d estopa, aariadas a bprdo do Saladin,
e Lavinia, as suas recentes viagens de Liver-
pool para este porto :
Segunda-faira 24
do corrala, s 11.horas rta aianhi, em seu ar-
imazem n largo dfl <^rB^Sfflf;__i____^__
Leite de ama taberna na raa das Cru-
n* zes n. 25.
Trca-feira 25 do crreme.
O pfoprletano deste esfabetecimento far leilSo
por iDterteago do agente Pestaa de todos es g-
neros existentes na mesma sita na ra das.Cruies
n. 2o, em lotes a vonlade : lerca-feira 25 do cor-
rete, pelas 10 horas da manhaa na mesma la-
Seba^tiSo do Bvsanio, a 17 annos. poucu mais ou dadas que se di rao
meaos : pede aa portant i, aos senbures eapitaes, se dar informacao.
de campo, tanto dalli como de nutras partas, -aa
captura as condico 1.- cima ditas. Dito escrava
fk foi visto nesta cidade e no aterro dos Afogadia.
A Wttt Alup-se um sitio na rur do Cabra!
Ha para alugar-so urna escrava crionla para o da cidade de Olinda com casa tarrea, com
servido intarna e exteruo de casa, cara as liabili- cupiar nfrente, bota os fundos para a es-
ao carlurio da labelliFio S,
U Sr. Eroslo Batelho de Andrade queira awpa-
rerer em Santo Amaro, ra da Aurora, a negocio
de seu interesse.
Participa-se aos pala da meninas entregues
dirercao do colUgio de M. S. da Conceico, que
este collegio se acha transferido para os Coelhos,
onde foi a casa de Alienados. Todas as pessoas que
liverem relaejes com .ditQ collegio, all poduro
.lirigir-se : ssim co:n 1 all souieala aos domingos
de tarile so recebam visita.
Sr Jos t-Vlrcran Mi'cnado telu a bon-
dadv dedjrigir-sn a ra do Uartholam>'U (junto a
casa dadtencao) 11.4"), das 6 s U lloras da ma-
nhaa, ou das 3 as 6 da tarda, somanta ale o dia 19
. mmmm
O advogado Maxiiniane Lopes Maclia-
transfario o seu escriptoi io da ra do
Imperador n. 7L tara a do Crespo o. 10,
primeiro andar.
AMA
frecisa-sa de urna ama que compre, cosinhe, la-
ve e engommq pira uma s pessoa : 00 becco das
Barreiras n. 3.
Precisa se da urna ama forra para casa da
pouca familia, que engorme, cosinha e compre
na ra : na ra das Tnnclieiras n. 40.
Pede-se o roga-se mesmo a reparticao das
obras publicas ou a cmara municipal ou a quera
atlenijao estrada da pon'a de uha em direceo "gz
trada e ma*gem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavado
ecapim para susieota-lo, arvoredos defrc-
tos, sem visinlio defronte nem [>elo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a fesia e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livraria ns. 6 e 8 da pra-
i;a da independencia e em .Olinda na casa
contigua com o capito Antonio Bernardo
Ferrara.
Escrioluracao merranlil.
Uma pessoa precisameata haliilaaa propoe-se
fazer alguns Irabalhos de escripluracae-, pnrteud
ser procurada a ra da Cadeia do Recife n. 39, por
corla fechada com as iniciaes A. C G.
- Precisase de uma ama para todo servido da
uma casa de pouca familia : a tratar na ra Ve-
do crlente.
70
aos Apipucos, pois no estado em que est nao
~.n,., .......... 1 possivei transitar-se sam que o viandante se espo-
capiUo flonoralo Jueph de Oliveira Fi- n|,a a soffrer algum eaebra costas, e quando che
gueiredi scieotifica ao Sr. Joaquina Suriano da
Costa Aibuqucrquo, do engenho Biacica do tormo
de Ipojuca, que a ordem de I8O3 que S. S*. sac.ou
00 dia 11 i B"rremo contra Jos Marta Ferreira
da Cunha, a {avor do innunciant'', daixou de ser
paga, e (fue por con^equelleia Rea subsislindo 2'
gar a forja do invern tornar-se ha muito peior :
enlao nem a p era a carro se poder 'por alli
passar por causa da estagnayo das aguas; cujo
viandante nao ten o para onde se desviar s ter
por recurso atolar-se n'agua e lama al o joelho,
mxime desde os sitios dos senhores Costa e Sin
parte, PMaMMlp a qoa S. S.' se aojeitou na tn al a Cruz d'Almas que s de seroulas e p no
" chSo se poder transitar, e Dos sabe se occasioes
haver que se faga preciso a competente boia da
saltaqao.
Isto pede um prejudicado que s ao pedagio do
Manguinho paga de 5003 a 6005 annualmente.
couriliacao feila cora o annnnciante em audiencia
do juiz de paz do 2 disiricto naqualle da 11 do
corrala mez; portanw ?ruga o ap:iuiicoule a.
S." de nao faltar a dita obrigacao al o dia 26 de
cor re tita, aja de Iba nao accreseerem 10 ai ores
despezas jujipiaes. _________________
--- Precrsa-se de ama criada portugueza para
servir a uma familia ostrangeira, paga-se bem sen-
do boa : na ra da Imperatrit n. 63, primeiro
andar_________________
AMA.
Precisa-se da uma ama qu saiba cozinhar bem
a comprar para casa de puuna familia : a tratar
na ra do Qncimado, lj n. o.
. P'rcfsa s de orna errarla": na "rna do Co/-
redor do liispo n. 24.
Precisa-se
N ra da Gru o. 33, coinjiram-se cdulas
dascaixas filiaea das provincias, e do banco do
Bcastl, com descanto raioavej._______
Descontam-se notas do banco do Brasil : na
ra da Cadeia do Recite n. 22.
Quem tiver a queira alugar um moieqtte do
14 o 16 annos, tlel e activo, appareca na ra do
Trapiche u. 44. segundo andar, ou annuncie para
ser procurado.
Prcisa-se por alugueTHe n'pia preta escrava
de bons costumes para o servlco niernp de uma
casa de familia ; oa ra de S. FrauCiseo sobrado
n. 10.
casa de pouca
numero 29.
de uma ama para cozinhar em
familia: no Recife, ra da Cruz
^anelaa?- .,., / .'; .1 'Listoa
larcelrina-5$ df<, uiaci he=panhola Ardilla, oTlliaaaiwr D a. i.iuniuu,
de Monelad^pU^m^r^^a. Jj fcHJ04tW.| LtYrWSIM
barca ingleza Mbela. fle 356 \ ia^
ue iui loneaoa-, w
gero 10, carga viulu
Os billietes aeham-se desde j no lugar do cos-
a j- '.: rs'. f
".'
() Alindo *Hk)njr!a'ar pedfe

M'l fib I
...
Principiar s 8 horas.
"!"
-------
AVISOS
Jos Jacintbo Guedes vai a Portaeal.
t- TheotOQlo FeJix deHeUo. fiUOdiUi porlujtuez,
vai a Europa, levando em sua vprofanhia sua se*
uhora e ama sobrinha.
HOSH'UL PURTLL'Z
UB
I(K\(1A fiWPKHAAM-
BVCO.
De ordem dolllm. Sr. provedor convido aos se-
nhores rpemhroa da junta adrniistrattv.a, bem co-
mo a lodos of laais sealioro* socios a comparece-
rem neste Hospital pelas 7 liara> da maiiha do
domingo 23 do oorraole, para assistirem ao acto
rallgiaso em que so ha de admhaislrar por deso-
brga o Sagrado Vta/teo aos enfermos existentes
norefenik> Hospital, orno determiaa o % 0 doart.
'>* do regdlameato uiterau. faca iwe este acto,
pois, a por si wo subliBie a sanio sa torae mala
tocante solomne, se espera a ooocurrencia deto- i
dos 0$ senioras socios.
SecreiarladoHospUal Portuguez de Baacflcon-
cia am 1'erpauibui'o 20 le abril de 1865.
Joauulm Ferreira Manaes Guimariea,
' ___________l* secretario.___________j
Prapara-se omida para Bra com aceio e ni-
linez por preco mais corrrmodo do que em oulra
Sualqner parte, tambem lava-se e emjomma-se :
a" roa do Arago'n. 3- _________ ;
raariro.
Na ra da Cadeia do Recife o. 28, primeiro ao-
j dar, ha dous meninos de 12 unos, prnprios para
j algumaJoja de miudezas, ferragen* oji. fazeadas,'.'
elles pao (em praiica.mas lambem nao se exige.
ordenado era quanto nao me rece rem,.. ; ..
Precisa-se de uma ama >para urna asa 4
pouca familia, para coainlwr a comprar -na ra os
necessarios da caja.; pa rna Dirajtla a- 74..
O abaixo assignadn tendo comprado ao Sr.
Da se 1:6005 a premio sobre hypotheraem Jos Dias da-Cnnna o e.-tabelecimenlo da ruada
bens de raiz : na ra estreita do Rosario n. 10,. Cauea do Rcji n. 38, que perlenceu firma de
loja e dir quem d. Pinto &-Cunha, e tendo de realisar oestes oilo dias
Precisa-se alugar^n^eta^e^c^ S )fft^SffffSS^X 'JSK
vaparaoservicodeumacasade pouca familia..^ _-- reeU j- ein devig-a faa, pena
Ba rua D'reiia n. 7a._________,.. ,,,,,_____. ae irrtjspon<..,Wlalaiie. Recife 15 deabril Je 1865
Na rua do Arago n. 3 ax-sa oomida pira Ladislao Jos Ferreira.
fra e por preco mais comraodo que em outra | Xa Camboado CrmrTaTrnT sriava-sa
P*1"- __ .____ chapeos de palha para seohoras a faz-sa chapeos
Na padaria da Torre precisa de um de sed?, vestidos e capas, e prepara-se plumas,
liomem de meia idade para caixeiro sendo '"do por preco commedo.
solteiro e d conhecUpento a sua condujett :
tendo alguma pralica mellior. .
Precisa-sa arre|dtr au cdiprar bf"sJio
grande que tenia, boa c^^% e cuja t-rreoo saja de g
barro : a iratar na rua da Imperalriz n. 20, jtoja. j
"ama \\
Precisa-se de uma ama perfeita cozmheira e que
compre, prefera-se asorava : na r^a da Crw nu-
^;4> Dr. Fra!* o Ri#es Na
hado PortcJlii
Medico operadar
FACl'LDADE DE PARS,
mero 60.
se dO-BOia
laWate 1
Precisase ilBpa'Oriada (.araengommar :
no armazem d&vVKte Ferreira da Costa & Fl-
Iho, rna da Madre de freos.
Joao da Silva Sajaos, medico pela l'm
[ .versidade de Coiniftfa, da consulus em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da larde. Visita s .doentes
401 anas casas regular menta aa horas
i para isaa designadas, salvo os casos ur-
1 OWv*. ine s***0 saooorridos om auair
quer oreasjo. .D consultas aos pobres
qoe o proeurarem no hospital Pedro tt,
aonde A eaBootrade .diariameaie das t
s 8 horas da manaaa,
TVra si:a casa de sade regularment
montada para receber qua^.uer doen'A
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pea-
tica qualquer operagaocirurgica.
rara a casa de sade.
Primeira rlasse 31000 diaro.
Segunda dita... 21300 >
Terceira dita.... aaOOO *
Este estabelecimento j beaa acredi-
tado palos nona servas qae tem pres-
tado.
O prqnrietario espera qoa elle coati-
' nna a aSreer a collanca de que sem-
pre texa focado.
regsesMina'^ a eti provincia acha-se
prompto para o ejercicio de sua profis-
so, quer neMa cidade, q;ar tvra dnlla,
espec.ialrnente em molestias de olh.os (car
tucratas rtc.) das vias urinarias (estreita-
maau de orelhra ato k-e de patle, pana
cujo eori va sajona rblliidt>, tuinu j
a pratica que leve un l|oe|-iMa> de Pa-
rs, e os moderpos instrumentas que po^-
so*.
F4* ser praourado- a quarqner liaza
na,asada siu residencia ao wlat* w*
Carmo n. 2, esqqin \\* ri v\e flurla.
mmmmmwmm}
Precisa-se de um Inste para a Araraiy :
qohin olivare qui^r tratar, diria-w a rua do
Locaniamento n,,'i : a tratar com J& Lopes
Raymnndo do Bllhar. '
Precisa-se alaga* uma preta escrava para
[cozinhar, enj(P*mraar e fazer compras, para uma
'pessoa : Bo bccuo das-Barrena- n. 7. __
~ Marcelino Jost's opes declara que ha muilo
i reside com suatamilia n^ freguezia do Poco da
l'aueHI, aooa> v*a votado, a rwo a Ijguezia da
Boa-Visla, como sahto pbliesdo aesle Diario.
lavis-.-' aludir uma ama forra ou captiva
para comprar e rosinhar, pagast bem i'n loja da
rua Nova n. 11.
/


HUrl 4c r*mawM *exU *elra JL Ifcrll e !*&.
U BANCO UMIAO -,/W-
SECVAO DE SEGURO* Wl TI OS DE IDA ,ft.t<
DcMonslracao do aiovimeulo tles seccao desde o Io de oitubro a 31 de dezenire de 1864.
leaigaaeSea
Traosporte do ulti-
mo trimestre
Subscripto no pre
sent irimeslre
PrestacSes recei-
das dem.....
Poreentgeos por
atraso dem...
Jaro de inscripcod?
idem..........
Ioscripcoes compra
das a 46 V-----
Inscripcde) compra
das a 46 /
InscripcSes compra
das 1*7 /
NIMEBO DE
SOCIOS.
3 3
CAPITAL SlBSCBIPTO.
5727
227
Somma......15954 1618
838
780
6365
1007
7572
o
"P OS
% 3
8.-8
3
o
i
f
CAPITAL ALISADO.
i
2,118:990*000
92:170*000
2,208:1605090
282:615*000
214:255*000
496:870*000
2,398:605*000 489:127*200
306:425*000
72:830*000
2:882*930
7:594*500
2,705:030*000
o
s
.
872:434*650
-1 6
a ce
3
S
67:228*000
65:375*000
1*500
2:004*000
556:3f,5*200
138:205*000
2:884*450
9:598*500
134:608*500 707:043*150
CAFATAL KimutOAOO.
Valor nominal m tnscripQOfs.
si
I t
'8.S
15
3
991:300*000
1:600*000
50:000*000
26:000*000
1,068:900*000
133:600*000
40:750*000
20:900*000
195:250*000

o
8
3
Metal.
I 2
3
1,124:900*000
?2:350*000
50:000*000
46:900*000
489:158*885
746*000
23:250*000
12:220*000
1,264:150*000|525:374*885
66:101*125
18:999*690
9:823*000
94:923*815
555:260*010
19:745*690
23:250*000
22:043*000
620:298*700
Porto, 31 de dezembro de 1864.
Os directores do Banco Unio.Jos de Almeida Campos Jnior, F. M. van der Niepoort, Jos da Silva Machado.
Approvado pe. junta de vigilancia em sesso de II de Janeiro de 1865.
Justino Ferreva Pinto Basto, vice-presidente, Viscende de Figueiredo, Agostinho Francisco Velho, Francisco Antonio de Lima, Antonio Adrio da Rocha secretario.
N. B.Desde e 1* a 11 de Janeiro tem bavido o segninte movimento na subscripeao :
SOCIOS. CAPITAL.
Era 31 de dezembro..... 7572..... 2,705:030*000
Do 1 a 11 de Janeiro.... 205..... 42:425*000
Total.
7777..... 2,747:455*000
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSICAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60Ba da Cadeia do Recife-N. 60
Todos os artigos abaixo mencionados, foram comprados recntenteme pelo dono do estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmingham, Mancbesier, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condices por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer Inleiramente liqui-
dar e ter de partir milito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos cora bnlhantes, como botes, anneis, rosetas etc., e
bern a&im, diversas obras de ouro, como traocelins, correntdes, ocalos, face-mains, anneis, e muitos
ontros artigos, relogios de ouro, inglexes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas Gnas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVEB, Lubio, L. Legrand, Ed. Plnand Meyer, Detettrez fParfumerie du
mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Gueland, e ingiezas de Eug.
Rimmel e outros ; ricas galanlarias em marfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japao;
ricas pecas de cristal fino como ainda nao appareceram nesla cidade, e bem a- sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de cen-
slos e para grande toilette, o que se tem feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingham
etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e multas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana Qna para cha e caf,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cem sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movimento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou ss loes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, diae noite ; stereocopios de nova invenco e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos Unos para enancas, e bonecas fallando papai,
mami ; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitaeio na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, ceslinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda proprios para presentes; grande sortimento de estampas Unas coloridas
MDANCA
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaos.
que rnerava na roa da Imperalriz en casa do marcineiro Porier n. oo, pre
vine ao respeitavel publica e a todos as seus regaezes em particular, que
miidou sua officina para a rin da matriz da Baa-VUta' b. 36, onde se acha
prompto para fazer o qae compele a saa arte de fundidor e machinista.
M^MMs
AZEITE DOCE
.Vzeite doce refinado em pequeas latas a
da Liga.
560 rs. a garrafa : no grande armazem
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4, 4*5500 e 5* ; no grande armazem da Liga.
Alnga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da ra da Guia, pintado de novo e com commodos
1 para grande familia : a tratar no primeiro andar
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas'com figuras e ditas coro novas paysagens para *!!?TOHK bacbarel Fcis> Luiz
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio iU)rreia ae Anaraae. ......___
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; cu telara lina, como lalheres com cabo de metal fino, co- Descontam-se notas do banco do Brasil e das
Hieres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e ontros artigos, diver caixas filiaes : na praca da Independencia n. 22.
sos artigos feitos de rame; completo sortimento tle mascaras de velludo, setim, cera, papelao e ara- nominam Hn Mathn mudan m
me, doces, confeitos e chocol te em caixinhas e em vidros; camas de ferro de|lodos os lmannos, lava- r*~"*w ***** <"u!> inuuou seu
torios, etc.; ricos quadros para cartSes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos r>P*oriQ Para a rua "0 VlgariO n. 14
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baler ovos, propras
para quem faz po-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
pannos para cebrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e ontros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violes finos; figuras finas jarros de alabastro ; galanlarias e outras pecas
de charao para toillelle ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photograpbia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baldes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminacoes moda de Pars, salva-vida de borracha, para homens e senboras, proprios para quem
toma banhos em lugares fondos; amellas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, raiza in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos i te, e routos outros artigos
que para enumera-jos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e mut j barato no grande ar-
mazem da Exposiyo de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Precisa-se fallar com o Sr. Procopio Epami-
nondas de Oliveira Brederodes, e como nao sbe-
se onde est residindo, roga-se o obsequio de ap-
parecer na ivraria ns. 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia.
^^
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
al mil francos : vende-se barato no Recife rua da Cadeia n. (.0, no armazem da Exposico de Londres.
as
<
gas
5a
o
3d
Ignacio Pessoa Esteves da Silva convida
ao* seus amigos eaos amigos do seu primo e |
socio Jos Pereira Jacintho Jnior para as-
sistirem no da sabbado 22 do crreme na
igreja matriz de S. Jos as missas que se tem
de celebrar pelo eterno repousa da alma da
mai deste, fallecida na provincia do Cear.
50oi0
Hotel Traviata
Rua larga do Rosario n. 37.
Paga-ae
Por um perito cosinheiro 365000
Precisa-se de urna mulher idosa para comprar e
cozinhar para pouca familia : na rua da Praia nu-
mrOO^________________________________
' Eseola particular.
, Clara Oiyntpia de Luna Freir, professora parti-
cular de inslrucco primaria, competentemente au,
torisada pela directora da instruc^o publica.
abri sua aula na rua Direitan. 60, segundo andar
Qaem precisar de urna pessoa para em en-
genho a vapor para se encarregar do macbinismo
e outros servicos, dirjase a rua da Praia n. 31.
u
Q
Para completa liquidacao vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguiotes : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C., Lubin, Sociedade Hygienioa, Pver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em ganafinhas e
vidros de difereotes modelos, ros para limpar denles, banha era potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os arlieos era geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora,o que se tem feito de mais ele-
gante ateo presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Luvas novas de Jouvin.
Vea Jem-se excellentes luvas de pellica recntenteme chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo parasenhora por menos de seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Lon-
dres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
19 RUA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De votta de saa viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mai? recentes
daecobertas e ltimos aperfeicoamentos qae se tem feito na arte dentaria, alero de com-
prar o segredo de diversas preparaos emprfgadas com muitas vantagens, tem a hoo-
ra de participar jo respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se aeha de novo prompto ao seu dispor pafa todos os misteres da sua pro-
flftsao, advertindo que trouxe um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para ebumbagem,
instrumentos novo, ferramenta moderna, cadera de operacoes, etc., etc., dos mais acre-
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a conanga.
Acba-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manha at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando notiverdeir em casas particulares.
Aos briosos pernambucanos
voluntarios da patria.
Eugenio & Mauricio ,
Photographos rua Nova n, 25.
Desojando facilitar aos Srs. voluntarios a occa-
sio de deixar seus retratos a suas familias e ami-
gos offerecem-lhes do fazer-lhes retratos em car-
toes de visita por metade do preco dos particula-
res ou 6 a duzia.
CASA DE BAMOlT
Largo do Carao numero 26.
Este estabelccimento to bem montado na sua
origem, achava-se de a muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de >ua adminis-
tra cao.
Hoje que o novo propietario emprega todos os
mesSvnara restabelecer a grande ntilidade desle
eslabelVcimento, pode assegorar ao publico que
qualqtrer que seja o numero dos concorrentes acha-
ro desde j proinpl-do e aceio dos lioshos fros,
momos ou inedcinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberta todos os das das 6 da manha as Hda
noite.
Precos.
1 banho fri ou momo......500
1 dito de farello........1,5000
I dito medicinal ser segundo a qoalidade.
25 candes. ........lOiOOO
12 ditos......... 3*000
Precisase de dous amassadores .entendedo-
res : na padaria de Jos Nunes de Pauta, em
Olinda. ______________________________
Precsa-se de nm menino de lia 14 annos
para caixeiro, prefere-se portugnez, ou hrasileiro
ntioral eos arrabaldes : na rua de Hortas n. 1,
fabrica de charutos.
I
Lino de Paria, sob peso de urna grande
dr, agradece a sens dedicados prenles e
amigos que se dignaram assistir as exeqnias
de sua virtuosa e sempre chorada esposa
acorapanhando o cadver ao cemiterio pu-
blico ; e roga aos mesmos senhores a can-
dado de assitir a missa que por alma da
mesma sua consorte se ha de rezar na igre-
ja do mesmo cemiterio, pelas 7 horas da
manha do dia sexta-feira 21 do eorrente, a
qual nao pode ter lugar no stimo dia, im-
pedido com os actos da palxo. O mesmo
Lino de Faria se considerara sempre reco-
ohecido aos seus bons amigos e prenles
por este ultimo acto decaridade e sympathia.
Precisa-se de urna.ama forra ou escrava para o
ser vico de peqneua familia: no principio do Cor-
redor do Pispo, nona casa de lado esqoerdo.
Aluga-se urna prtfa limpa eoea abandancia
de leite para casa de familia: a tratar na roa lar-
ga do Rosario n. 26, loja.____________________
.Muga-se urna muala de meia idade, sabe
cozinhar bem e engomma sotTr i velmente : a tratar
na roa larga do Rosario n. 20, toja.____________
Feta dos Prazere.
O encarregado dos festejos de N. S. dos Prazeres
faz selente aos devotos da mesma Seohora que a
festa sera feita com toda a pompa no da 24 do
presente ; havendo missa pontifical feita pelo re-
verendo abbade do convente de S. Becto ; cluindoo festejo com um fogo de vista.________
Ensinn em engenho
De primeiras letras e tambera do ltiro, francez,
inglez e rlietorica, por preco commodo : no escrip-
tono do Sr. Dr. Diodoro, rua dn Imperador n. 81,
primeiro andar, achar-se-ha com quem tratar.
Est para alugir-seuma casa terrea na rua
da Gloria n. 14, um 1* e 2* andar de um sobrado
na rua do Rosario da Boa-Vista,T)uasi no paleo da
Santa Crux, e urna mel agna na estrada de Joao
de Barros,rom arvoredos, agna de beber,e portao
para a becco do Pombal: quem pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 9. das 9 horas da
manha at ae meio dia.
Auga-se a casa terrea n. 105 da rua de San-
ta _Rjtaj_n^nadaAumran:36.____________
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pouca fami-
lia : a tratar na praca do Corno San'o n. 17, ter-
ceiro andar.______
Casa vazla.
Aluga-se uma pequea casa terrea a rua
do Nascente n. 14: a tratar na rua do Quei-
mado n. 32. loja.
Precisa-se de 4005 garantidos em predios :
annuncie.
300000 Atten$o 30^000
Dao-se 30i d gralincacao a quem descobrlr ou
indicar onde param dous cavallos que desappare-
ceram na noite de 18 para 19 do eorrente da cam-
pia da Villa-seca (da Estrada Nova), nm dos di-
tos cavallos cor castanho, pequeo, calcado dos
ps, tem dnas costuras no peito, ainda nao tem
pello, o outro do mesmo pello, ossudo, feio e
grande, tem no casco da mao esquerda uma pe-
quea falha, e marcado na orelha esquerda :
quem delle der noticia dirjase ao mesmo local.
Perdeu-se uma caixinna de papelao cora 11
lencos de seda para pescoco, da ponte nova do Re-
cife a rua da Imperalriz : quem achou e quizer
restituir leve a rua da Cadeia armazem n. 62, qne
ser recompensado. __________
Precisa-se de nma ama forra ou escrava dan-
do-se preferencia a ultima, para comprar e cosi-
nhar S na rua das Crnzes n. 35.
COMPRAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferr< ira & Matheus, na rua da
Cadeia do Recife n. 66.________________
Compra-se ouro e praia em obras velhas, pa
ga-sebera: naioja de bilhetesda Praca dalnde
dendencian. 22._____
Compra-se efectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.______
Compra-se um escravo cezinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da rua da Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro ruado ve
Iho: na fundlcao da Aurora, em Santo Amaro.
Compram-se libras sterlinas : na rua do
Crespo n. 16, primeiro andar. _________
Compra-se uma escrava que saiba cosinha
e engomroar : no segundo andar do sobrado n. 2
esquina da rua de Hortas.
Arroz coa csea
Vende-se sacco de arroz com casca cora 20 caias
a 38 o sacco na rua Direita n. 69, padaria.
Vende-se uma porcao de terreno encravado
no sitio da Torre, no lugar de Belem : quem qui-
zer dirija se a rua do Cabug n. 2.
cabra
Vende-se uma
garrafa de leite com uma cria e
modo : na rua da Concordia n. 8.
(bicho) que da urna
por preco com-
AGUA
DE
F l o r i d\a .
para restabelecer e conservar a cor natnral dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao uma tintura, fado es-
sencial a contestar, a mesma agna dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante qne elles tem perdido.
De uma salubridade incontestavel, a agua de
Florida entrelem a limpeza da cabeca, destrfle as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Farello
Compram-se
Nova n 42.
soberanos : na rua da Senzal
s.j;ir\fiom.
O secretario da contraria de S. Jos d'Agonia
convida a lodos os irmaos a comparecerem do-
mingo 23 do correle no respectivo consistorio,
pelas 10 boras do dia, aQm de em mesa geral ele-
gerem os novos funecionarios que tere d reger a
contraria no anno de 1865 a 1866. O secretario,
Manoel Francisco dos Santos e Silva
Sm
Aluga-se o quarto andar da casa da rua ji
do Imperador n. 54, com commodos para **
familia: a tratar na rua do Rangel n. 54, |H
assim como vende-se uma bonita mulata
com habilidades de cozer e bem arranjar 91
uma senhora, e especialmente de engom- ji
mar, sendo qne vende-se, porque a pes-
soa de quem ella retira-se para fra.
Comprase na loja n. 25 da rua do Crespo o
Liberal de margo e abril de 1863, publicado na
typographja da rua das Flores._____
Compra-se uma escrava de meia Idade, ro-
busta e sem vicios : quem a tiver dirjase a rua
de Santa Cecilia, casa n. 17, que se dir quem
compra.
Cobre, laie e chombo.
Comprase cobre, laiao e chombo : no armazem
da bola amarilla no oilo da secretaria de polica
Libras sterlinas.
. Compram-se a 9tf20C : no eseriptorio do largo
do Corpo Sanio n. 4, primeiro andar.
Compra-te um cava lio que seja novo o ande
de baixo a meio : a tratar na loja da rua do Quei-
mado a. 18.
Joma es para embrulho
Compram-e jurnaes para embrulno a 140 rs. a
libra ; na aaliga fabrica de cigarros, rua do Quar-
le de polica n. 21.____________
em saceos grandes com dous lmannos de outros
quaesquer a 45800 ; na rua larga do Rosario n-
50, taberna da esquina.
Vez Mariano.
Ainda e*t venda na rua do Imperador n. lSr
defronte de S. Francisco, a rica edicto do mez Ma-
rianc, ornada rom estampas e rinhetas, e encader-
nada, por i e 14500 cada livro.
No escnpiorio de Claudio Dubeux vendem-
se foguetes com nova composico de mislos par
matar Hormigas ; nova descoberta, e mais evi-
dente que as an'igas vdas mistas: preco 300 rs.
cada nm.
Vacca de leite.
Vende-se uma mu lo boa : na rua do Hospici
n. 34.___________________________
PKCHIIVCHA
Cortes de casemira com pintas de mofo a 2
cada corte, para calcas, ditos limpos a ?500 o
corte : na rua do Queimado ns. 43 e 45, na esqu-
na que volia para a Congregaco, casa amarella.
Vndese uma escrava qne lava perfeitamen-
te, engomma suffrivel e cosiona : a tratar na rua
do Livramento n. 23, primeiro andar.
Ama
Precisa-se de uma ama Torra ou escrava, dan-
do se preferencia a ultima, para comprar e cozi-
nhar : na ruado Queimado n. 40, loja.
Os abaixo assgnados tendo arrematado as di-
vidas da mas fallida de Joaquim Vieira Coelho
& C, fazem scienle aos devedores da mesma mas-
sa, qne elles sao os nicos aotonsados a receber
taes dividas, e por isso pedern aos mesmos senho-
res devedores a virem ou mandaren) pagar seus
dbitos amigavelmente : na roa da Cadeia do Re-
cife n. 3.i
Jos Joaqun de Castro Moura.
Joaquim Beptisu de Araujo.
Comprase
uma escrava que seja de boa idade e sadia, sem
vicios ou molestias, e parfeita cozinheira : a tra-
tar na rna da Crnz n. 68.
Compram-se libras sterlinas a 9-2O0 : na
rua da Cadeia do Recife n. 30.
Compra-se um sobrado as seguinles ras :
Imperador, Crespo e Nova : a tratar com o agente
Euzebio na rua da Cadeia armazem n. 55.
VEID1S.
Na praca da Independencia loja de ourives n.
33, compram-se obras de onro o prata e podras
preciosas, assim como se fax qoalqner obra de en-
commenda e todo e qualquer concert.
AOS PAS de familia
Feijo mulatinho a 560 rs. a cuta:
Pela grande quantidade e aprohbicJo que ba de "(se poder expr as ribeiras se
rende por este prteo o ferjlo bora e o preco agrada a todos : na rua dos Quarteia n.
22, junto a loja de funiieiro.
Pede o abaixo assignado, morador na rua da
Praia, qne mniln desja fallar com os Srs. Manoel
Jeronymo de Albuqoerque, Alexandreda Silva Go-
mes, ambos moradores fra de;tn cidade, a nego-
cio que Ibes diz respeilo.
Claudino do Reg Lima.
f Precisa-sede um criado forro ou escravo
a tratar na rna da Madre de Dos n. 36, prmciroi
.udar, das 9 as 2 turas da lard.
i r
O Sr. Francisco Llns Paes Brrelo autorisou
o abaixo assignado para receber dos foriros da
rua da Roda o que >e acbam a de ver, bem assim
a tratar qualquer negocio com o mesmo al Anal
decisao dos administradores do hospital de canda-
de, se devem oa nao aceitar adoacao qae foi feita:
na rua da Cruz n. 26.
Francisco de Albuquerque Mello.
A pessoaujot perded 2*miedQla, dando os
signaos certas loe sero entregue* : no paleo do
Carao d. 18; loja.
O hacha re
Francisco Angosto da Costa
AOVOGADO
Roa do Imperador nnmero 69.
Samuel Power JehisUi i Companha
Rua da Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundlcao de Low Moor.
Machinas a rapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm"e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Aradoe americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.

Qaem precisar de uma
se a roa da Santa Cruz o. 4.
ama de leite, di rija-
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typograpkia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
Instruyes para o servido
das guardas do exercito, exirahidas do re-
gulamenlo de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; veode-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a 10.
Vinhos doj Porto finos
engarrafados embarris ean-
coretas:
Lagrimas do Donro.
Duque do P.^rto.
D. Luiz.
Menezes.
Particular.
Vinho real e mu.eatel
19, primeiro andar.
na rua do Vigario n.
Vende-se tres (-arrocas para boi, duas ditas
para cavallo, dous carros para conducho de ge-
non s de estiva eu outro qnalquer mislcr, ludo em
bom estado, e por preeoj commodo, por feu don-
querer acabar cora esse,'negocio : a tratar na ro
do Sebo n. 54, taberna
Em casa de Tisset Freresruado Trapiche n.
9, tero para vender :
Vinho Berdeaux em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito d- Champagne moito superior.
Cerveja francen marca Bobee.____________
VIMIO VERDE
puro, de Basto, em barrisde oitavo e dcimo : ven-
de-se na rua da Cadeia n. 17.
prai;a do recife.

YEMFM-SE
catates vasios reinos tara baiilei-
ros e fenileires a 1,760 rs.; a tratar
esta officina,
Pharmacia.
Veode-se nma botica nesla cidade com algara
fundo e boa fregueria : quem a pretender dirija se
a rna do Imperador n. 38. que ser informado.
Euzebio Raphael Rabello tem para vender
em seu escripiono, roa do Trapiche o. 44 :
Velas de cera.
Vinbe Collares em ancorelas.
Vinho de Lisboa puro era ancorelas.
Vende-se aexcellente proiVr1edad~dT7ua Im-
perial n. 164, freguena de S. Jos, tendo 350 pal-
mos de frente e mais de 1,100 de fnndo, no centro
do qual ha uma grande casa terrea de pedra e cal
com muitos bons commodos e alguns arvoredos de
fructo, precisando metade do fundo de algnm ater-
ro : o Sr. capitalista que lier esta acqosiclo tem
alm de predio, terreno para edificar nm grande
numero de casas, ja com frente para a referida
roa, j em outras que passem por dentro da mes-
ma propriedade, qoe por ter embarque offerece a
lmmensa vantagem de facilitar a condnecao dos
materiaes, qne sero despejados em cima das
obras: quem a pretender dirija-sc ao mencionado
predio, ou a roa do Brora n. 57.
Vndese orna escrava crioula, moca e ro-
busta sem vicios, por preco muito mdico : na rua
Imperial sobrado n. 87.____________
Vende se
nma escrava boa cotinbeira, fax doees, lava e en-
gomma alguma consa, se dir o motivo d venda :
a tratar na rua do Imperador o. 41, armazem de
1005a._____
Paletots al<[20(l
Sao de brim : n loja da rua da Madre de Deo
n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Vndese a taberna da roa de Joo Fernan-
des Vieira n. 64, cuja laberua o seo dono resolveu
a dar por menos a armaco do qoe pedio por se
achar bastante doente. Na mesma vende-se uma
pequen; armaco de taberna j deserganisada, por
preco mais barato possivel : as pessoas que pre-
tenderem dirijam-se a mesma, na Soledade.
Vende-se uma taberna com poucos fundos,
eu mesmo com aqoelles que cenvier ao compra-
dor, muito propria para qualquer principiante por
ser de pequeo costeio e estabelecida em uma das
melhores localidades da rua Direita, e bem afre-
guezada para a trra : a tratar na mesma rua nu-
mero 22.
%
Urna excdlentc cozinheira.
Sem causa alguma expSe-se a venda a escrava
prela, de nome Francisca, com todas as habilida-
des de uma cozinha, prepara um jantar importan-
te acompannado de diversas qualidades de doces,
faz bolos e pudlns com toda a promptido e aceie,
a-se a contento no caio de convncionar. to bib-
50, e assevera-se nao ter ella conhecido oolro se-
nhono : quem a pretender dinja-se a rua da Ma-
triz da Boa-Vista n 21. \.
/
ttenco
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
uma duzia .nm casa de Johnston Pater & C. na
do Vigario n. 3.
0 G1STELLQ DE GBASVILLE
Tradiiide.dTrances par A. i. C. da Craz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 20500
oa praca da Independencia, livraria na.
6e8,
No pateo do Carmo
crava bonita e meca.
n. 1 vende-so ama-' es-
Vndese azeite de crrapato a 480 rs. a gar-
rafa e 3800a caada': no armazem da Estrella
largo do Paralzo n. 14.
Na rua d imperador n. 28 vendem-se supe-
riores bichas hamburgoezas em porcao e a rela-
Ibo, e Urobea se alugara.______j________
Vende-se o sobrado de dous andares e sotio
n. 36, na rua da Imperalriz : a tratar na roa do
Imperador n. 54, primeiro andar.
m
de primeira qialidad,b em la-
tas eem garrafas: no pateo do
Terco n. 11
* 1 ......i-
farapo/ao a 5$5"0
no arma-
a pega seTJi avaria e aigodozinho a 4 ;
zem da Estrella largo do Paraizo n. U.
1
f


U*U fi fftia^vfo^.^^MiLleira^A^iM AJbvN i* i****

SALSA
PAIWLH4 bs ah. i ga: para vender
TiuNMfiviM aqol algutw pB|,0 ih# B1g .,iB# mt nh,
. ..j.. .ib.lul/11 mo lame .' _, '
pitU, rea di Prai, hoje, roa Aova
de Santa Mita a. 17.
7-^89 10 e 4i pollegedas de largura
De 10 a 35 palmos de comprido, causa
multo boa suras : clieguem ra Nova de Santa Rita
n. 17, serrara de Jos F. Coeltao._____
dos amitos altestados que temor
recabido da vtrules da salsa
parrilaa do Dr. Ayer.
nheuaaailtane.
. BE JOO JOS DOS SANTOS.
ato Preto.
< SolTri rheumatisrao por mili-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re?'-
solvi-me a comprar ara frasco e fazer use
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommode
que roubou-me tantas noites de somno. >
l^mpcrs. borbulha pstulas,
leers, e tdas a molestias
@ la pelle.
DO SR. JOAO PAULA DE ABRE E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Ufo de Janeiro.
SofTria mais de dous annos de urna
erupcao syphilitica em todo o corpo, mos
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profet
sor de medicina y cirurjia, subdelgaos
en ambas as facultades del sesto dis-
tricto.Habana.
t Certifico que be usado te zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo be ob-
tenido de ella los mas felices resultados es
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ba sido muy
eficaz en el tratamentq de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y no
vacilo en recomendar estas preparaciones
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Herrera.
Eserophula.
ATTESTADO DO ILLM. SR, FRANCISCO FERRAZ
dos santos. Ouro Preto.
c Me acho na quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto qi*e al-
gumas vezes quasi que diego a desrnimar
da vida e maldizer da minba infeliz sorte;
tenbo sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e neobum pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, estava sem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da Salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa;n-se hoje
trinta e sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas mella-ras tenhs
sentido que tenho convceo de em breve
recobrar a minba saude, perdiJa ba tanto
lempo.
SjphlHs e molestias merrnrlaes.
Do Illm. Sr. Dr. Jacksoi'.
Medico mnito conhectdo as provincias do
sal do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felixes resultados; o melhov alteran-
te que conheco. >
I.eucurrba e flores braueas.
Temos cartas em que nos coniam casos
inveterados que foram radicalmente curades
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permitte trauscrever
todos os attestados que possuimos Jas vir-
tudes (feste extracto composto.de Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao
publico que tem sido empregado ba mais
de vinte annos pela profissao medv.a tanto
das Americas como da Europa, sea nunca
desmentir a sua alta repuiaco.
Attenco.
Loureiro Santos & C, acaban) de receber da Eu-
ropa pelo vapor, um lindo surtimento de enfeites
pretos, proprios para a qnaresma, enteites anda
nao vistos era Pernambuco, pelo preco de 5*, 6,
10*, 129 e 20S, bem romo grosdenaples preto, mo-
reanq, capas da grosdenaples, e soaibambarqoes
do mesino ; ludo por preeos mdicos: roa do
Crespo n. 14, junio a loja de louca.__________
Colares Royer
ou colares asodiaes electrice^ ceir as (obvuIkms
das crianzas.
O bom e proveitoso resultado qne as enancas
obtem na denticao. trazendo derses colares, j
bem condecido, e por isso se tornam hoje indis-
pensaveis porque assim leem es pais incoatesta-
velmente prevenido o mal: esses colares vnden-
se tambera na ra do Queimado, lojad'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continna-se a vender em porcao e a rctalho :
na ra do Queimado, toja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e f alees preto para t sidos,
A aguia branca receben novamente um bello
sortimentode enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trancas, franjas, galoes e bicos pretos, etc.,
assim como botoes eneitados de vidrilhos, e on-
tros ramios enfeites de differentes cores, conti-
nnandoa aguia branca na rna do Queimado (n. 8
a vender todo isso por preeos commodos.
Bonitos caixinhas
com msica e sem ella para costura, e oulras
(fulmente lindas com orrfnmarias Anas.
A agoia branca na ra do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para
costara,e oulras rom perfumaras finas, e contl-
na a vende-las baratamente.________________
Irritado dos pulmoes. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
lo aos orgaos da respiracao
DElaPPARECEH
mediante a acc5o da balsmica e irresistivel
NACAHUITA
o
O NOVO GERENTE
DO
Para a cura radical de escrfulas e iffecces
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, ftidas, chagas,
erupcoes cutneas e todo e
qualquer incomrr.odo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM A
AMA PARRILHA DE AYER.
A' venda na ra Direita, ns. 12. 26 e 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tu cao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
a pataratada f raneeza de
P.MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
, DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Odeia do hecife, esquina da ladre de Deis.
Prestem atten$lo ao discurso do Balito.
Nesle estabelecimento todos os freguezes encontrarlo igualdade de direilos, o
agrado que fazemos ao rico fazemos ao pobre, ao menos empenhamos todos os exforcos
ao nosso alcance para agradamos em geral.
Os nossos preeos sao os mas mdicos, como sejam:
Chitas largas escuras jnuito soffrives a 280, 300 e 320 rs.
Ditas largas e finas padres novos de 400 a 500 re
Ditas largas preclaras a 500 rs. so na loja do Balao.
Cambraias de cores com quadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
dem lisas lapadas e transparente de todos os pregos.
Madapolo de 8 a peca que em outras lojas se vende por 9$.
Temos lambem muitos outros madapoloes de diversos preeos, assim como te-
mos madapoioes francezes de 14 e 16# a peca, inclusive urna qualidade espocial para saias
de senhora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forre de vestidos.
La a preta para luto, e de todas as mais cores.
Laas com o assento escaro e llores matizadas fazenda muito moderna e fina qua-
lid de.
Meias prelas para senhora e homem.
dem cruas inglezas pa a homem o melhor que lia de 7$ e 8& a duzia.
Camisas de 20500 que valem 30, temos muitas outras qualidades de diversos
preeos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito finas a 5j ou 550 a duzia.
Camisas de meia muito finas de 200 e 250 a duzia.
Collarinbos de papel de cores e braceos assim como collariobos de linho ingle-
zes a 500 rs.
Temos um completo sortimento de gravatas pretas e de cores.
Ceroulas-francezas muito boas a 10600.
Cern las de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita de casemiras ede brins.
Camisas de flanella de cores a 30500, 40500 e 60.
Baloes de arcos a 30 e 350 a dtizia as de panno e de arcos para meninos de 20
a 30500
Chapeos de sol superiores com 16 asteas a 120.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer calca e collete.
, Vestidos a Mara l'ia a 180 e sao matisados.
Ha muitas outras fazendas assim como grosdenaples e moreantique.
Lencos brancos j abanhados.
dem finos para rap.
Cortes de 15a a 50500 com 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 30 e 40 cada um.
Brm branco a 10300, 1,500,20 e 26500
Bramante de urna largura para lences e toalhas.
Brim de Hamburgo fiuo e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim pardo.
Casemira e panno preto fino, tudo isto por preco baratissimo na loja do
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
VIQI JJMilil DI 81 iDi'JiauTJl
AO
KESPEITAYfili PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desa heroica provincia existe no grande arm?-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente de estrang^iro podem ser
vendidos por preeos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm fliancar, com toda a seguranca do que
nenbua outro o exceder no restricto cuaiprimento das seguntes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos"lonrinos, ceneja, vinhos finissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic3o do freguez, elle deve contar que ser sempre mtu-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, | elo sen proprio intefesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para lomar a vender existe um sortimento t spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito de?e agradar aos aenfiores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGU1NTES PRECOS S SE VENDE
A DMHEIRO A VISTA:
PEITORAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura das n-
fermidads cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e appiovada pela academia
medica de Berlim 0 peitoral de Kemp I
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido bydrocyaoico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors 4 Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleei-
mentos pharmacettticos do imperio.
Vendem-se no Recite em casa de Caors
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
Cllegramos superiores]
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor frncez : na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de AdIobo Correia de Vaseon-
cello 4 C.
l"ma familia que se retira vende ama mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, kniga de
almoeo e jantar azal, ama mesa de jantar de ama-
relio ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal muies outros objectos o se vender em conta : na ra dos fires n. 62.
C'aluagas fiaos e brlnqnrdo.s
para enluos.
Chegaram para a loja de miudeas da roa do
Mimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
iuUo para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
limenio de rniudez;.
Tesouras de Guimares para logistas e ca
belleireiros e costureiras : vende-se na ruada Ca-
deia do Hecife n. 44, loja de ferragens.
GRAGEAS
GLISE CONT
Afnt pala lrfMH de M.dicln. da fmtt.
KealU ftVtt dou relttbriot, tdoptidoi pela dita
Actdemii em 1840 e en 1858, que as GRAGEAS d
6LM CONT Uo o melhor e Btii efficaz remedie
femfiaoae para earar a cblorosii (alia* fluor-ilbo), o*
lazo* branca, a fraquea de coupleiil* nos dou
mxoi, e tambera para ajudar a menttnueAo daa mo^aa.
latea Gragea* ale ata veadidaa tent em eaixinaaa
M tidroi cobertoa com rotulo e fechados com ama tira
UTtado a Irma do depoaiurio geral : LAMLONYK,
karataceutieo, rata BourioH-nilnevti, 19. Per.
^Deposito /oral em Pernambuco ra da
Cruz 0.22 em casa de Caros & Barboz
r-
Oleo de Florida
Franciscx) Jos Germano
Rr.4 MrVA 5T. ti,
acaba de receber om lindo e mattificb sortimento
de oeatos, helos e binculos, Jo ultimo e mais
apurada gosto da Europa.__________________
Machinas para algo.io
Vende-se nma machina de 18 serras e 2 moto-
res para 1 e 4 ea val les. orrr americaoe e oulro ln-
gle, para movr daas oh mais machinas de algo-
dio, cylindros de padaria e de moer mandioca, e
outrai qaaespner machinas para agricultura; veo-
de-se por om preco mdico e muito mais barato
que em oatra qaalqoer parte para liquidar : ver
e tratar na fabrica da travssa do Carioca n. J;
caes do Ramos.
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a torca, a belleza e a conservacao descabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e un-
cir prateado da <-asa, reputado falso. .
Deposito ra do Imperador, pharmacia n. 38.
Vende-se urna machina de copiar cartas, 1 moi-
nho de moer caf, 1 balanca Ingleza, latas de gaz,
vasias, herva malte a 160 rs. a libra, v%s dees-
permecete a 600 e 640, carnauba 440 e 480, pas-
sas a 400 rs., vinho de Lisjioa a 320, 400 e 480,
Figueira 500 e 560, branco 'OOe 560, Porto 640
e 730, touclDhorle Lisboa a 320 e 400 rs., batatas
a 24700 o gigo, e 160 rs. a libra, arroz superior a
100 rs., caf 1" sorte a 260 e 280, azeite doce a 560
e 640, cha 24560, dito preto 18500, salao massa
snpenor a 200 e 210, ceblas a \, o cento, fari-
nha do Maranhio, alpfsta, manteiga, banha de por-
co, e outros muitos gneros qner em porches come
a retalho mais barato to que em outra inalqner
parle,coa o dinhelro a visla : na roa Direita n.
72, armazem attencioso.
ViBfio do Porto superior em caia de tt"ia,
tem para veider Antonio Lile de Olivelri AieV3-
do 4 C, oo seu escrip torio roa da Orna. 1.
Mnbilias f escravos.
Uma familia qne se retida para a Europa vende
I negro peca e 1 negra de 24 annos que cozinha
c lava com perfciQao,2 manillas de mogno, 1 guar-
da-vestidos, I cama ff anceza, I dita de ferro com
eolebo de molar, I aparador, mesa de jantar, 1
toocador, lavatorios, cartelra, quadfos e mnitos
outros traste?, I grande vfreiro de nassaros, vasos
coro eravelros, etc., todos os dias uteis das 10 ho-
ras da manhia as % da tarde, pa roa do Sebo Da-
mero 35,
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem do gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 2*400, 2*600, 3*. 3*500, 4*, 5*. 6*,
7* e 8* o covado.
Superior gorgur'o de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda.
dem preta lies anhola.
dem dem lavrada a 2* o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 1*500,1*800, 2*, 2*500, 3*.
3*500, 45, 4*500e5*.
Pannos pretos de soperbr qualidade de 3* a 12* o covado.
Casemira preta de 1*600 a 5* o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de filo preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas nutras fazendas de superior qualidade na h ja dasColumuas
na ra do Crespo o. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Morei-a Lopes.
MACHINAS DEPATENT
de trabalhar (k I'oif
deacarofar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLBAM
Estas machina:
podem descaroca'
(Qualquer especi.
"de algodao sen
estragar o fi'.
sendo bastante
duas pessoas par
o iraballio; pd-.
descarocar um
arroba de algo
dio em earoc<
em 40 minutos
on 18 arroba'
por da oa 5 ar
robas de algod*
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, qoe descaro^am 18 arrobas dealgeda>
limpo. iior dia; e motores para mover urna, duas,
eutr s dbssas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimova-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examnalo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte aova n .47.
Sanners Brothers & C.
X. II, praca do Corpo auto
RECIPE.
Os aicos agentes neste pais.
" DROGARA.
31Rna'larga do Rosario34
BarthalemeuFrancisc deSoaza A C.
Venden:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieses a vellrjdadas.
Tinta brancanptrlor em lMa.
\lvaiadeV.-neia, |no,em pies.
Presos que admira.
Sapalos de tranca superiores pelo barate preco
de i o par, e andiz 10j ; no vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as larguras., peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em carto de nma e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de'40 e 60 rs. cada
cartao, e duzia a'400 e 500 rs.
Penfes para atar cabello, duza a 1*500,1*600,
i#,3,,4Se5fi. "
Balaios propriamente para costura e nare^ruc-
tas.e pira menina trazerno braco a 1 i'00.1600,
1*800, 3* e 2*500.
Perfumara, macaca perola a 2*, 2*200, 3*e
4* a duzia, oleo de maozinha a 5* e 6* a duzia,
banha a 3*, 4* e 5* a duzia- Estes objectos se
vendem por admiraveis preeos -em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca a va na e a boa qua-
lidade: s no pal vigilante, rna do Crespo d. 7.
Attcncdo
Vendem-se nefas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 ti-
tiras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavados,
Telas de permacete, tudo de superior qualidace,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da roa do
Trapiehen. 8. ...
------------------------^ARROT----------------------
Na offlcina do Sr. Serino na ra do Hospicio,
vende- se nm carro fnglez de qaatro roda$ coro
pertenees para ora e doas c.vallos arrotos.
ALPISTE E PA1NQO a lO rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc., etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs. a libra, em por-
co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
res.
BISCOITOS ng'ezesera lates de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os taa-
nnos a
D
DOCES de todas as qualidades.
B
ERVTLHAS seccas e em lates portuquezas e
francezas,
F
FABINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,< 00 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em late a 600 rs.
fi
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEBRA de laranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollanda <-m botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
MANTEIGA ingleza e francesa de 600 e
800 rs.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos preeos.
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra. /
PASSAS muito novas a 320 rs. a libray
PRESUNTO para fiambre.
4
QUEMO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.

SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,5(0
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4* rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.(00, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e .todos
os presos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha cnnslantemen--
te 20 a 30 pipas ao torno de dive sas
. qualidades e diversos preeos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
Rixas lnuiir|QftU5.
i Veode se tu ra rov a. II.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Raa da Queimado a. 19.
Vende-se o seguate:
Lences de panno de linbo
pelo baratissira opreco de 2*400.
Lences de bramante de linbo
de ums panno a 3*500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo pre$o de 2*500.
Lengos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 2* a duzia.
Pecas de bretaiha de rolo cora 10 varas
propria para saia, a 3*800.
Pei;as de cambraia
para forro com 8 l|2 varas a 2*6*0.
Guardaoapos
de linho finos duzia 3*500.
Algodo infestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 1*200.
Cortes de la
com 15 covados a 6*.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado pica Ha-
Filo de* linho
liso fino vara 800 rs.
Aloalhado adamascado de algodo
com 8 palmos de largura vara 2*200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largara vara 3*200.
LSaziohas carmezim miodinhas
prepria para vestido de menina, covado 600 rs.
LSaziohas
de cores Anas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
, Esteita da India
propria.naraforrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
largura, por meaos preco do que era outra qntl.
qner parte.
. Neste armazem de fazendas se encontrar .nm
grande sortimento de'ronpa feita e por medida
FARELO
da lfavana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de
vana de diversas qualidades.
Ma-
n
3
V.
-0=
etj =
11;
99
II
_ fi
B9
u
s.
" s
C V.
ce __
C O H rr '-< os
.gs:^='
- = V3 W _
Sw.S
l
'I
n
s
te
m
i B
3 B,
O Ej"
en .
as
5
O 5'
&-3
3
en -
a -.
3 "
a;
09
3i
J.
o>
O.
O
o
o a
= "2
3 o
OJ -5
aa _^ a
en OQ O. = 3
3
CS a>
S
o O
B i
f* r.
* a.
o
<' re*


a>
re
-i
(4

c/.
O
. s B *
5.5*1 q
J5 O O

15
OS
O.

s
o.
1
O!

09
-1
O.
o
2^-
I3C
g-g
O -i
O) 03
ctS?
3 =
c-
c
12
s
o
>
55
53?
*

de Lisboa.
Vendem-se sarcos com 90 libras de farelo, pelo
barato preco de 4*500 ; i rna da Madre de Dos
amera9. '
MARA PA
Mara Pa -
Mara Pia
Acaba de cliegar pelo ultimo vapor ingiez roa
esplendido sortimento de eufviie* de ralra a Ma-
ri Pia, os quaes pela *na elegancia e bom costo
de cada qoal o mais bonito nada drixam a d>sejar
sendo pretos, rAxos, cor de bonina e azulzir.no
seos preeos a 2*500, 9*. 4*, 6*, 8* e tOt : na
fija do novo rival roa do Qneimado n. 16.



*#*
^ iia^ nlifi^in ata aaAfcil
AURORA BRILHANTE

GRANDES AMMINS
fl Largo da Santa
JCriu n. 84, -es-'
felina da ra
Sebo.
E9PECIAES
lili
Largo da Santa
;ruz n. 84, es-j
juina da ra do 1
sSebo.
f njr iwnjirtetano do/ multo acreditado armazera de moihdos~deaomiaa ion NMNjaaCft, loo* a ter o raismj swUmento da genero, de prlrrwlra iraaKdatle.
A -agu me [aballa sirvira" a todo* de liase para ajuste da coau* aes portadora.
^ .dQu"1 ma^m vaoderi' mais barato e melhores nT^l *onlrnento I* 'em, ja' me*mo porque seu doao so deseja tirar diminuto lu-
cro fiuMHo etegoe pira accofflular as tfespczas do estabe1s,:finent por sO deixe Se a-
-! ?r* 5*m*rt ha faZ9T servir aetn o* seas eoes-
iantes ireguezes.
>L,*7IsS8 'braS dC c,,ourias mu0 novas> Viube verde suparhr,
' Oilas jrandes r.om peixe em postas n.eiras, A caada a 3*000 e a earraa a 400 r.
mais de t .nulidades, a 1000, 15280 e doana.
13400. Saccas de 4 arroba, 6 a verdadera de m\
D tas'ora ostras, excellente petisco para fri- gideira, a 720 rs. 120 rs.
Mus cora ervilhas novas, ensopadas, a 70 rs. S*0*0 massa, a libra-a 200, 240 e 480 9*i
^ dit>s <;-in fivas, a 040 r. arioha.
g;c Rl!" ROra amei*as a 1*200, 15800 e 33300. Saccasgrandes com faltaba de GoJaoea mw-
tt Oilas com inalada do afamado labrieante to aovav a 54000.
Abreu. a 720 rs. Caf
i!!"* Tl* 22S 500 rs. caf.lo Rio muito superior, a arroba a 8fcj
A' ?^S de ecwn*fr,' aoTOS> a 1*500, gf $00 e 95000.
,nl^c.(,mbolacbinhadts>daraitTOva8, c^emnief.*Me,lttr poaWetj
'K^tS05 ,ng,Mes de maites** ss 'aoofMfc"
! flkni.. Dito u( a-25700.
ri*h ,e- ,-. ., Dito hvson muito Ono-a SfSOO.
Miminas cnmameitas enfulladas proprias Diw redoo.fo a MSOO.
kJSZTT ***********e '"fe. W* S** PrfiSeira paita* *-#*.
5la t50)0PeCJOr nV miaba* a.JJOOOe 1*600.
1V.carrao, lalhriam e lletria amirella, a libra K",.,le,' ,ihr. a *ui
a i)8 r:J. Eoalieote cha medicinal, a libra a 2*u rs.
i) to dito dita branca, a libra a 100 rs. Espermaeete.
rjiixas eo sas, *caixa.;fciB00i VO-e 720 r*.
)i'-u dita em libras a 60 rs\ Paisa!.
Mf&, libra a 360 rs. Gaixas de 16 ; S libras de passas novas pro-
!adlnha para sopa a libra a'240 te. t^^ paaotmos a %5 e 15500.
K-ri!!ias seeeu, a libra a WO rs. KoRS
Mtaa descascada, a libu a 200 rs. R | ,60 r5 e arrobft a 45000.
'loiosa moit nova, a libra a 280 rs. iui nnro
".riwnw d^ ararara- v?rda^H--a, a< Iflwa'*. *,l,s,a JSEU .ih-a*
);) r< .Alpisiae paing.0. a arroba iJOOO e i ora a
vrij J.) Jtiaattw e:n>-sano, aarMba. 160 rs.
iM403-o a hbraaSOVs. CarttBi-
i > da India e Java, a arroft* a'tOO-e a*II- Cartas flaas par |o?ar, a dmia* SaWBw
ra a 1-00 rs. |t Cislanhas.,
i uiono deliislioa av*9."H)i)ia'arrobe:ai3J0>jfitmanh,s nor*s violas nette vapor, a arro-
" a ! * 'j de S'intos,. a arroba 75IO1) a libra-a-| V/.plnnas.
. 'I,V'S' ,., LBanViscfliljwoiMiuif novas M5508
I ilnos eo 11 123 ceblas tcrandesi.w IJsOO.
fwtarda franceza. caixa com 2 duziasa
73OOO.
riscos cj:ii mostarJa-pfepradanin viajsfe^
400 rs.
> >.< com ctfewvas i'njrtl'zav .? franelas-,
iJaSO rs
)itos com sal refinado-Uno, a 64e a 500 rs..
Utos com a verdadeira mnebra dejaranja, a
I3OOO.
*rtleirja.
MtltPisa-moArior, a libra a 15200.
Dita mais ah* a UWO.
rtitafto sup*roon U..
Wta franceza nova, a'libra a 45120
Dita dita era barris e meios ditos, a
15* rs.
Dita para" ropera'ai 40(Vrft.
Queijos
6i0 rs.
Ijtijas com dit* propria para negooio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 65-
iSarveja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, eaj
libra a
.Titos de 2 sarrafas de Hollandaverdadera,a ((Jnflijos> novos vidM aeste vapor a 258D0 e
novo?, a libra* ar)
aira a G3OOO.
v'iaho mascatel de S^tahal, a garrafa a 15-
A VIirraquinlio verdadeiro. frascos a.86C"rs. e
fpfi a 132 Y).
JO Champagne, a daxia 20300fV, agarrafaa'
2 5);)).
\T.f>'<* reinada pMIagaea e fcancez, a garrafa
a 13)')).
ixa de vhno irordeanx maito' superior, a
75, 8 5, 9t e lOSa-caii.
, 1 tas con dito branen, a 7-5 a caa*.
(lins n>n dito lagrimas do Banco verdadeiro.
a sn. .. ^.
'Ditas com dUrrtr? do r*brTo verdadeiro^
0->v 183)00.
\i",^Us com chamlsso snpHrlop, a-145.
Ditas com Porto velbo eontras 1
rJVinhodo Porto da pipa, a garrafa* 640, TO
,f|W e 800 rs. aftn
f. Dito de Lisboa tmri bofi.acanada.33ioor
3R 35300 e 43, e a garrafa-aSOO e 560 rs.-
^Ditrida Figaeira, das seaulntes marcas W
% (J. A. A.) (I. L. G.) (. W.V a eaawta a
o-to 45301, p. garrafa WWN fiaO-rs., fesia
*'# que j esta eagavrafM laodcome
t*. roialo'do'armaiiTk
?RDito de marcas mais desconnefidas, a can*
9$ da a 35500 e 43000, e a garrafa a 00 a-
"~ 320 rs.
-A*Vinh;> hranco flno, agarrafa a 640 rs.
4Dito de caj muilo superior, a {
35000
Mies londriQos muito
15000.
i Panel almaco pautado, a resoif aiV38)0.
Dito dlto-lizo de linlio, a.resma a 45300.
Dito do peso lizo e pautado, a- resma
iDito de emhrnlho, bom a \$ 15?90.
Vinhn Madr-ira.
Garrafa1' com o verdadeiro vinho Xerez e HB>j
deira a 15300 e 23000.
Tenaaros.
;flhas de louro, pimenta do reino, cominho"
e!cr"Ov a bra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnadba refinada a
460 rs.
\miMuInas.
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixSes de dore egoiaba, grandesa t540Q!j
e pequeos ai &J0 r.
Tijolos de limpar.
T/joio? de arear facas a f40 rs.
Dorias de bol5s d grr.xa n. 07 25000,
de hrtag a 15000, os hoi5es a 240 rs. ca-t
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos-finos dos melhores fabricantes da
Hahia.por diversos pcee.os, lisa* o meiaif
caixas.
m r E grande qaantidade de gneros tendentes
estes estsMecimeatos, que dexam cc m-
nunciar-se.
lOMLTORie NKO-ClRtRGlGO

''rrr -I
*;m
LOBO Mosceso,
IDOR.
o'Rudio 3
eoali acajajto ara pahrw lodos os diag fias7 s 1
6 e moa s 8 hora a traite, exeepcSo dos dias santificado;
DR. HRO
lEBICffJ
& Ra
0 ffaft Mosco
aoras da manha, e das
Mtarmaeia especial kevieopattica
No mesmo consultorio ha aeaaiM o ouis a^pcaprda aortmonto de eartoira;
tubos avaho, wsim como tinturas datarias dymoamnwgSe* afelos preces seguinte?
Carteirasde 12 taaaagrandes. 43#000
de 14 tofeefsrafldes. MiOOO
> fetfliinJsfnades. 800
de W tnbw*fm4m. 30)J000
de 60 tubos grandes. 35)5000
Prepira-se qaalqaeruarteira conforme o pedido que se fizer, e com
le se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntnra de meia onga 1(JO0O.
Senlo parapeto de 18; ciita^o presos estabele!dos para ai oarteiras.
Ha tubos mais pequeos cafa on a 500 ris.
I
NlM'GiltOAS NEM IBTJISW-! >m\
n
GRAMBB
os remedi
ARMIXElfl
E
NA
RIJA DO IWPEftADOtt X. 41
< iinte ao sebrada en qae Bar tSr. Oibafic,
Dnarte Alnelda c. receberam de su* prapria cdccb m m-
da mala liado variada sor tinenta de molkadoa, praf alas
da p reseate ataelo.
Ma^as braneas
L.IVROS.
~J
A meliior obra da homeopathia, b Majiual da Medieioa Homopathicodo'Dr. Jahr
4ons grandes rolumes com dicciasark *......,... ,. 20^1000
Medicina domestica* r. Hafeg, ,,?... t 105000
Repertorio lo r. Mello Mataoa,............ 6,5000
Diccionario de termos de fdiefta 4 ..,..*,.- .- 35000
Os remedies tet et&r>eledmeiTto sSo por demais conhffeidos dMpeaaanf portan-
te de serem novamente recomrawKadte fS'pssoas que qnizer'i asar de remedios ver-
dadeiros,eaergicos e dWcrthres:' natutfd do melhor qtre se pode desdar, gtobx de ver-
dadefro*aerear deleite,Kstarrois JelascRf boa conservaclr, trfltiirados tmi aweditados
esta6er^fn(eiillsettfr>p^o*,if rttatc" e accradapfpara5o, e pwtarrtto1 suneY MieY-
gia! certeza em seus effeitos.
Cam de mk*U pcira eacravos*
Reeeber-etiwavas pwa trata* de1 fuffiq'twr onfermidade ti facer-se-lhe qualquer
opera^ao, para o que o annunciantejulga-sesufiicientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel.tanW tf parta aitnerKW, orinw m ttedica. e
funccinnandfl'a das ihaidfii qa^anrw. ha murtas pessoas 4a Cffr ceneiw se nao
DoAaniWflu^ ^a f6Qm4*r MMMad^s p'oi' aqoelts ftjfte debaten fter seu?
asentes.-
Paga-se 20000 por dia duf*Hte t## ^dpeMr^s;sWu>pi'vlfiefile'a^esl#da9,se nlo s'qth^wni sajeWara^s' precos
aadaveis laeeostami pedir o annunciante.
IMmwmk* eaoioflfko i tliittt de K P, teteaf e C
ra Montniartre, 31, em Pafi&
iWMPfli tm J^fiMMI, prs Farfs (Franca).
E0MFICV(I\0 E FBm4Q\0
B viflJkss, a^iardaftlc e licorc s.
' VlNHOS. ImitaQao dos vinhos de todas as
jjhalidades,Extracto de Medie, dose para 230
flUt, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de l'omard, 3
X-nle Lisboa, i f.,-de Gatalaa. ar^-d* Por;
Xerez, Muscatel, Malaga, dos para 2o ou 30 lH
UA, 4f.
Substancia para fabricar com o alcobf e agua
1 ;a vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, SO f.
CLACIFICAfOPos ingieres, pos dos vinhos
da Hespanha, da Proaan oft. A. irtK* panal 509
litros, 5 f.
(lOLORAQO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As dhas litJtct
AGUARO'ffjrttS.sncfa de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o safloY e'tf aroma de
aojFwe. A twraf*para-100 litros, 5f.
KIRSGttE AB6lXTHO.-E9Stocia.de ftirsch e
de absiatbo-, para oafazsr com alcool e agua. A
[garrafa para 100 litros,3 f.
1 iCORES.E'teractoS-pararaoYfcar se1 todos os
licores wnttCtfJdoswm roa* rtfe atatrtbf(}ue. (in-
dicar-se os que se>daseja.) A- dose'para 20 ou 2o
litros, 3 f.
PERFUMES-para fabricar-se os Rcores finos ou
cortimunsa dose parai20ou 2o*ltrb*, f f. 2o.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de-encemmenda.
UTEXCILIOS de"laboratorio e de chimica.
e
paita 300 litros, 16 f.
Alguns donossns agantes tendo feJsificado p mitalo nossas preparares,
fregnezes, loves exigir sobre as rolha's 8 rtulos as inlciaes F. V. L. Pars,
i 9ntoili di Ssar-88 das ar^aracoos acna-a? iaicado no rotulo.
As cncommondajl dfeven%ser icompnshadas por urna letra sobro Pars ou qualquer outra cida-
Pranca, ou crafid*' poSumafcafa-'tnlleci la.l)trigir-5ft aos Srs. fcebeSf 4 C. himicos, ra
m^rtre, n. 31, ei*Pa#voSh 9trsf|b i \ < ii i.aijpii fran7.a. ruada ImS'.'raJyr ni38.
^^^^'

N. 11Boa da QaeimadoN, H
Superiores cortes do se3a prala com Hadas, barras.
Suetrier seda taoana-0 que ha da naetfcor e mais rosto.
Moreantique paet muito bearto a 22806. 35,3JtS00 e 44 o covado.
Gompteto sortRneata da grosdenapl preto de moilas qualidade.
Pannos pretos a casemiras de mattas qualidadts. -
Bourns, chale* e los de renfa prato septriore*.
Superiores paliases asoutembarques e la para s nhoras.
Bournusde lia para-senhoras a a.
Chapeos 8 ebapelinae de palha do Ftalia para senhoras.
Corts de lia de barras de i* a 22$ de tauito goslo.
E muitas outras tazendas da superior qualidade na loja 4a Aa^astO Preder^eo dos
Santos Porto aonde tambern se vedem as melliore* e raals baratas
Esteiras da India para forrar salas
N. 11Ra do Qntimado3L 11
Camas de ferro
v.-nde-se grande sortiraento destas camas na
-i' Vova n. :1 imm'ma lola.'aBneaa grandes
nnoes de ferro Torrados fl porcelana teno
iin? uas e t3rtfpo da Tarro, -i'waSmendam-se a
queo precisar.
, .... !. :, Aru
FARMGi m CHAPEOS DE SGL
ff. 9 3 Rui Vv i esquina da aaaboa o Carme e rua do
Cabug n. i.
A 'irejtoria desse eUabelecimento o mais importante queexaste
nas'jjtovincias do norte do. iiaperio-.. querendo que
Manteiga iogleza
da safranovavinda nonftimo vapor a i.ooo
rs. alibra eem barril a 800 rs.
aaelga francesa
pa safra nova a60e rs. alibra, e em barril
a WUTrs.
Amendoas
otvtifeit.-wlas da lincsimas coras I 800 rs, a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro ceaa % libras liquida a
2400, muito propios para mias,
Cartes
com bJos fraocezesa 500 rs. Mtdatim.
Datas
com bticbinbas de soda de todas as qoa-
(idades a l,-5300.
Chocolates
de todas anualidades a 1 #000 alibra.
Presuntos inglezes
dosmelboresfabrrcaates a 800rs., tambem
aetaw aeibos para SO rsv
Qiieij03 fliaHldngS
chafados nesteMiUiliM vaaot a 2jl6o.
Knr^jos
cbgadoDo lltinw vapoff a%jf00 eadaum.
Qiia4|o
lortdritirj o mais fresWd qtre se pdfc esperar
e i eateikante maree' a 800 rs>- a libra
soodo ioteiro e a 900 rs-, aretalho.
Caaservas malezas
as mais n(m* o- fraseo. .
Figos
em libias; eeaiairihas nca*dite? doanadas,
proprias para mimos a 900 e 1^200.
Ot UXittL
o melhor qne se p6d dMejar, que ontro
qualquer nJopdeaeader oai: menos de
35 a 2*000.
Idaa peroia
especial qualidade a 207O& rs. a Ubra.
Men hjasvn
o mais aromitico que tem vindo ao oosso
mercado a 2^600;
Massas amareas
oara sopa, macarr5o,taIharim e aleria a
4SUPS, alrbra.
cwmxMtt
engaado, nossos'omuitoafamadocognacPalBrandy |,8oo.
rs. a garrafa o de outras muitas qaalida-
des a l^ooo e 800 rs, a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,aoo- n ?
d'uzia, e a 440.e 5oo rs. cada aro,
IMiPEI,
ahnace, grere, peso e de outras muitas qua-
de 2,2oo, a 4,Soo a resma dome-
.i
Uaades
laor.
Ppei de- botica
naste gr.era'de osceteote qualidade" aT/oTa
o publico desta.provincia goza- das! 4 *
resma,
vantaens que proporciona i fabricarlo cm grande escala e directa relajo com m niais!azal*!irrift.narii*""*if"TL1'
importantes fabricas da Europa, faz sciente.que resolveu-se a vender anda mais barato! rs. ""m, em)ruibode l.Aoo a 2,2o.
do qa-dojostume como demonstra a segyinte tabeiia:
7"
/
Descanto em d*aa.
Chapaos deso de panno a 2'000 20 /o
*- armaco de baleia a 20500 .... 4a %
* >> de seda armado da*go ingloz de 20 pollegadia
4*V'de 24 5?, de 26 53300 e de 28 6#...... -. 45
Chapaos de sol inglezes abalo t2 wareisu, cabos muito -cios, a
. SO%superior da i\ pollegadas 80, de 26 90, e de 28 10&., la ,'
dem idem a baln dio 16 varetas patent paragon de fox de 24
poHegadas M^y de 28 420.6 de 28 >3| ..... 15 /
Alm de muitas outras cualidades de chapeos de sol que existem na meaot casa
orno sej,am deaipaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os lmannos e feitios, os quaes s3o to vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de .cata, oa qaias edem-se; malmante em porco e a retalho, notando porm
qne o cbmpradbr por ata-cado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
ltrar pelOpreee'qne aestatelecfmentoretaflta. ""'
N. B. Os obyectos compTadrjsem menos* de urna, duai sarta coaadapaioaomo
a retal lio.
rs. a resma.
CoriQthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
0u^eaSlamericanoemcbaP-
Yijiagre
PRRem aacoretasde 9 r^,^^^,.
ADMIRVEL PECHINCH
CHJLIjBS de remda prbtos
a 10^000 cada raa,
rassas gandyade cares a aso r. o cavado.
A' n Crespo numero 17,


- i

LOJA DE
Jos Gomes Villar.
\sil:
NO**A.
i '

Cm paaeiros muito alva a 4aaa>rg. a arroba e 16o rs. a libia e compran-
do de uai parwiro pata eiina se Cara abatimento na roa do Imperador n. 40.

"<>rarmaiem da viovr Paula Lopes, defront* do
emUarcne na eacadlnoa, tendeai-ee ceblas as e-.
ihor^s do mercado, m r-ilica a eeetp, o mais b-
ralo possive'.
aoarindo.
----- Fxaci *>%f~rii*f tijOQ
nra""iSSL:fHvvV
Ponland idem; aIMOOO
No armaiem de TaSVftSo re* do Apollo.
*Io de ai^d>o da JNMai. '
Vennefse no escriptorio de Antonfo Luir de 0)-
1 veira Aia/edo & C, raa da Crui n. t.
as mais-JWTasd-rjuBBEcatfp^ 7 j|(aarmjliaa
Alpsta 0 HMO
o mifa-ataaiga mercade a 1 iw n Kkn
CfflWUSf
c-ro de ruco
mmto novo a 3*400* airaba e 140rs a K-
bra na roa do Queimrdo n .7 "a di
imperadora^.^alargo doCarmo n. 9
muito fresco a 80O r ik.. ,
libra na roa dr>
Queinadon. 7
na do Imperador n. 40 e
paca sopa a meThor ^ue se jpae ikwjar,
macarrao, talbarim e aleiria a 4tt rs. '*
libra e 40500 a caixa.
Figfleira J A A e ootras matas tt srcas scre-
diudas a 800 rs. a garrafa.
Idew t lii
e de outras marcas i 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
tdeaa do Porto
generosos engarrafado dea mdhxB& falii-
cante da cidade do Porte a i e Uwo
a garrafa e de 10 a 120 a ca, a .< ar
cas sao as seguntes: Cnamiss 4 >}b,
F.M, Nctar ou vinho des l mea.
lagrimas do Joore a ouliroe amia.
Ltm
com 10 libras de baBha> iW-fO.
Bolachila ingleu
108OO a barrita damesaaeue
vendem a 20000 a 2*400.
Nezer
as mais notas do mercado a tCt .4 ir*.
fCervejas
da melbwes fabrfanlesf* Vi wd t arai.
cas de 40500- a #500 a tfett*.
C^ARCtOS
Charutos Thom Pinto,, fiis e outros em
meias caixinbas a 4*500,
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a tita e da India
a 80 rs. a libra, e 510500 a 340SS a ar-
roba desses qne vendem por 3#*00.
CAF
do!, e 2.1 sorte do Rio de Janeiro # U99
e 8*800aawabe, e280a 30 ra. a Hbr
-arraVW
com 4 V garrafas a vinagro i imotm
O'garra feo.
GaNEBRA-IMELAIMNaA.
verdadera a 40000 o fiasco, e de 14*060
a caixa. ,
em frasqueira de Hollaod a 5*800 eem
12 frascos.
GENEBRA
de HoUaada veedadewaem feaaqneir a Ovo
rs. cada orna
PALITOS
os verdadeiros palitos o gaz a 2,2oo a groz*
e 2o rs. cada aa i simba,
LCORES
finos detodasaeqnafirjade^ le>,or ciia
com urna india a l.oeo a gmiafl.
Marmelada
dosmeflteres fabricantes de Lisboa, ccat se-
jam Abreu e outros mnitos a 6ee rs. a
libra.
Frezunto
o verdadeiro prezonto de Lamego a 5S;o rs.
a liia.
.. ARR0Z
Maranhae, Java e India, a loo rs. a lilra e
devooov a 5,ee rs. a arroba.
VELA
deeepenaacete detKversas marras a ffo n.
a libra e emana ter aftatin-ertr.
. L VELAS
de^arnauba em eaiTas de arreba a 9,c caraa a 34o r. a rfbra
Batatas coras
em canas de 2 arrobas a 50 a caixa e C ra.
a libra.
Passas naife novas
em qwrtos e inteires a 20 o quartc e f i t0
a caixa e 400 rs. a frita.
Chocolate
portuguez e mais especial que se pede de-
sojar a 800 rs. a libra a MOrs. o pe
rrnias em calda
ebegadas urtmamente, pera, pecego cinia e
ootroa mnitos a 640 rs. a lata 8 J
nsre i casca da a da ha
a600M*ecarra-e. *" ***
,mnan .gomia Murro NOVA
rooae I40rs. a hbra na rua do Coei-
n,MO-,,.^rMdoInin4sndwl.40
do Carme a. 9
BOLACHTNIIAS
em.kts de deferentes tfjbBi
a lata
elarga
a iISCt
ao ?eva
lodos e*.

largo do Cirmo o |a
Os proprietariw do grande armazem nw!!7? do ^"0 a. *.'
fegaeaaa eamgos e,0 pobr? erTouearl 1 t Princi'al **'
paramos **w%?^^^ de
0 Verdadera Pri|ienaJ fM ^^_____
FARELLO DE UsSqT
Marca N ^ m Mecas ^ ^^ a ^^: ^ ^ ^ ^^. ^
.*

^%Wk\
CHEGiRM OS HODEINOS CHILES DE
FILO PRETO.
Siiperiajes'Miafiste'lll preto ebegados. pelo uUiraovaper fran/ez, a
|loj_adas^colurnnasr'ua dof'respo n. 13, de Antonio Correia d VascoaceJ-,
ba

\.
VIGNES.


?OH !. 55.

. Mt?oridadf ga abriCa M? h* assaz eoBhecidos para qne seja necessario ir
^/X^ elles tem &Se a!"an,,as Jue offereee* aos wmpraores/qualidates esta! ^Ta!
il? nm teeSn Sv 8Bte coa VSfVat %il *E* iest*.f** ^te a vozes sio melodiosas e flautadas, eparWmlHSE
reis aos o.uvioos dos apreciadores. l>i**m
FaeiOrse
Mrras!
S mesm estabelecimnto se
nelhores autores da Europa, assim
procos commodas e ruoaveis.
T, T ?TT 's enC4>nm pondento.de J..\lgnea,am cuja capital foraai samarpramiadasm tolaa*K*&
tato se achasompre um expleniido a variado aaMHoitieiraWng de
com harmnicos e pianos harmnicos, sendo rodo vendido po*
\
7

ILEGVEL


ftft*i ^*Hrfttui*MK. ftftfe te******.* v t*&

FazdjJUs rnUs para a fiarua* por
por baratisaiaia areca, aa laja e ar-
nazeut ia Arara, ra da imperairii
1.5I.
Lourengo Pereira Hiendes Guimaraes.
O prjpnetirij deste estabelecimeat ratira-se
para a BitoB a tratar da su saude, porm ames
a rd.ii-ar-io piiiuude fazor urna tiquidacio de ba-
baratusunj prege pare faenar coutas ; agora re-
F^eada* -jrreMatf para a.fltta-
reama !5 .
AchM*U MuatUniftotwf le terne** sor-
Mo^UuaM prejaa proptiaspara a qoaresna,

a saBt...
Otodenaales pretonrgoe muitlssimo encorpi-
nroe mal* sttertoi temi dos precos de
i*m>mm>i*mtn, Um 3*, upenes
moreaalique preto a 3*, superior sarja preta ties-
panhola, superior seuaa preto maco, ricas capas
preas bordadas, soulcmbarques muito bem enfei-
guezes veaJe-se grosdanaples prelo muiio bom Y* Doraaaas> souicnroarque muito bem enfet-
Jara vesi.do*, a 1*100, ** e i|500, di o da 5 Va t^V?9 *WM* s dos mais modet^
mos da largo, a 3* : M r dt taprtir |ojPd UU" 'am '"^ snn'p""rpt
Arara a. 56.
Hem mtiejae preto a ff.
Voala-sa mjirrauiqaa preto para vasiido a 33 o
cimii, grjsienaple auito largo e enoorpado a 3*,
21 jJJ. 4 a IS'iJO o covado, alpaca pret para
vdjjjs a palitos a 300,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja da lia para, vasudosv calcas e palitos a
6W a 8JJ rs. o cavado, lia prela para vestidos a
tiVJ rs, b j.n'j iziua preta para vestidos a 15380 o
co/ai): ra da Imperatriz laja da Arara n. 56.
Ilusos vditidos a Mara Pia a l}.
Vaadim-M Heos vestidos a Mara Pia a 10*,
12 J, U5, 16$: ruada Imperatrli loja 4a Arara
II- J.
Arara van Je pe (ja* de paoainko a 5> e de
uudijtolo a 44.
Van la n-se peca de pancUuho moito Bao de 11
jard.is a 'i, venJam-se pegas da madapolo infes-
ta 1 > a i j .; 4*300, vendem-se pecas de madapolo
de ii iarJas bom a *, ?*, 75300, 8,5, 9*, io* e
121, venla.ii-se pacas de algodojinho a 5'*, til
7y a Si : ra da imperalris n. 55.
Arara vende os baloes a 2#50O.
Van I ! a ii"))), 35. 34500 ei*: ra da Imperatriz
n. 'i.
AQ PUBLICO
wr conatraa-
glaneato te entregar
imperte do genero qne
* agradar.
oos que tena vindo, superiores manteletes, eamisi
aba eom manguitos proprias para Ib lo e neos
chales pretos de rede, tudo isto se vende ruis ba-
rato do que om outra qualquer paite poi ser a di-
ohelra : na leja floPavao rna da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva*
As roupas o> Pvo.
Acha-se oesteestai/elacunento am grnde sort*-
ment de reupas faltas para homemeomo seiam :
lT,nores paJells^recasacos de panno preto
multo fino e forrados de seda a 221 'jm; *3t
ditos forrados de alpaca a 14#, 16* e $ S
h^?^M0iS.,,eJ,,,,bem,r*ta"0 escomo st
tt"^*! dto8 d5'meia "B'ra preto de co-
res .ditosde brinde todas as qualidades,cuetes
a^nlr^ret0ff e e cbres. velludos, tm
en., aendo ledas estas obras cortadas
ATTENCAQ
oh preces da uegnlntc
tabella abara todo, pe-
dendo aaalaa ervlr de ba-
ae para o ajaste de canta
eona o portadores.
i m Ftlaa 4a Haadrcs.
VeaMe^e en eaitas, ee* poffS e a retallio da
rorthor marca, am X, mais barato do que em oo-
tr4 (juaiauer parta : ha fabrica da Iravessa do Ca-
rioca n. 2, caes do JParoos.
rmmmmsmmm......n ....i
Liaziab.isd Arara-a 320 rs. o covado.
Van lause laaiinnM para vestidos d senhoras
e meninas a 3i0, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cJras a iM, 300 e otiO rs. o covado. cassas-
lints para vastiJos a 3i0, 360 e 400 rs. o covado :
ra da imperaftiz n 56.
< titas di Arara a f 10 rs. o covado.
Vii la n se rtifta* de eAres Aras a 240 e 280 r.
o eova 11, ditas fraacezas lisas a 330, 360, 400 e
'>) h preclara para vastios a 500 e 560 rs. o cova-
do : r u dal.np.ir.uriz loja da Arara n. 56.
LijailagJ de soutambaques e laazinhas a
U, U e I O.
VeiiJa.n-se SDjtainbaques de laazinhas para se-
uiiarjs a 7-5, H$. dita de alpaca branca a 105, ditas
iauit>.i,us da^rtudanaple preto a 204, 285 e 305,
capis pialas'da grosdaeaple flftoa 205, 255 e 305,
nii.inlaias da grieoaple a 205 e 2i&, so-
la is p ira senDara a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tas cj a gala a 15, camizinhas para sdnbora, 25,
e 3j>, litis iniik> Unas bordadas a 45500 : na loja
lio oarauiN t-Vista roa da Imperairiz loja
da Arara n. 55.
C)rtes de ditas finas a 2#i00.
Van ij.nsa cortes da ditas com 10 covados por
2JI), 11 ti da dita franean a 35200, corles de
oassa icMi&eilln*com 11 corados, por 35, veo.-
dansapi; V cambraia braaca lisa a 355^0,
45 >)), > >)), ti a M : ra da Emperatriz n. 56.
Li i ti 11; i ).de roupas feitas palitos a 24.
Va.ila usa palitos de bnm de cr a 25, 25500 ej
35, j | uIjs da bri o parlo a 35 e 35500, palitos
e casi aira ben falto a 55, 65, 75,85 e 105, di-
tos I.: ,ii ia > prte bom a 85 e 105, ditos sobreca-
sacis 11 casi airada cor e preta e de panno a 125,
14}, 1 ii j J5, calcada bnm de cera 25 e 25500,
ditas oraacis da linho a 35500 e 45, ditas de ca-
simira da cir 45,65 e 8}, pretas a 55, 65 e 85,
coUel-s la i^wimtra de cor e preto, debrim de cor
a tS>)J, braieoe a 25 -20j. 0, caroulas faltas a
i-i), litis linas a 15600 e 25, camisas franca-
zas a i % e 25500, ditas nglezas de pregas largas a
35, da linli a 35 e 35300, coloranos econmicos
a i) rs dazia, ditos de Moho a 500 rs, am : na
i ua Ja i a.) ::'.unt laja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Venia n-se cobertas de chita linas a 25 e 25500,
d:tas da damasco a 45 I ra da Imperatriz n, 5&
E' na Arara que -e ven le cortes de casimira
preta a 33.
Venia n-se cortes de casimira preta para caiga a
35, 3$-)J3, 45500, 65 e 85, ditos decora35,
455)0 e 6) : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vande panno preto a 20.
Van I i M panno preto uara calca e palito a 25,
3-J, 2*503, 45,45500 e 65 o covado, casimira pre-
ta Una a 25,25500 e 35 o covado e outras muitas
fazendas para liquidar : m loja e armazem do
Arara, roa da Imperatriz n: 56.
MERCANTIL
RA DA CADEIA DO RECITE N: 53
(Logo passando o areo da Conrefeio)
PARA BEM DE. IODOS.
Senbores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estbelecimento, e mais que tudo a promptidao e inlei-
mtinwes mesires nacimas, rnVn7"ePfatJr a reza com W* ^lo ti'atados convida a u'ma visita ao mesmo, certos de que sem dovida me daro a protecc5oYp7eferenca"na com-
quer obra por medida: na loja do Patio ra da, pra dos generes que prec:sarem, e quand na"o prjssam W pTJflerao Mandar setls portadores, anda que estes sejam pouco urlicos
imperatriz n.60, de Gama & Silva, inn.ceo^n tnhom tervWncmnm sAvieasem Dessoabnente. ha^fld Dar cem fistfts tmla reromirifinla, ir> *r,m a* 5.-----,"., .J
Lniias em cortes com iO, 11 e 12 covadts
ESCRITOS misos.
aviso.
Acha-se fgida a oscrava Ui'Hin.i, de I). Auna
Rosa de Moura, ren : cabra escura, de idade de 35 a 40 ann>s, Icvnu
l vestido de chita estnrA fina de ramayens e -rhale
1 braeco de 19, bastante ladina, altura regular e
. serca do carpo, usa cabello perneado, lem nariz
afilado, denles limados, ps e mos repulan?,
i de presumir ^u s atfta homislada no Lalriu da'
j Boa-Vrsla ou no loW da Torre desialilade, ond
tem prenles la : roaa-tea poliYia a ma appreheii-
mu e aos rapitaes de campo para agarrarem-na
oonduzindo-a a travessa de Carioca o. 2 a Jos
Augusto de Arlujo, que esli autorlsado a graiill-
cr ppitf-rosamefiip. ____
Desappareceu oo dia 16 do correte un n< gro
de neme Uaneel, com os signaes f rguinius : U a
csiaiura, Imi falla de denles na frente,
Na loja do Pavao vende-se orna grande porco
de cortes de chitas -acezas sendo clarase escu-
ras todas de crese xas com 10 covados a 35200,
com 11 covados a 3500 e com 13 corados a 45,
e peciiincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavio, de Gama 4 Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Camisnhasal
Vendem-se camislnhas com manguitos, sende
moito bem eafeitadas, proprias para senboras a
meoiaes, pelo barato pre?o de dez tus toes cada
ama : na loja do Pavio, ra da Imperatriz a. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 3.
Vendem-se multo bonitos cortes de cassa.teodo
7 varas cada corte, com desenos muito delicados
Mlobaraussimopreeode3*'l'0 o corte :S6 na
loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
t silva.
Cambraias lisas, loja da PaTa.
VeUdem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tpana e transparente, pelo baratissimo Dreco de
45 tendo 8 1|2 varas cada peca, dilas muito Unas
a 7*, 85 e 95 a peca, dilas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preso de 75, 95 e IfXditas
Garrazes fazeoda muito eocorpada fazenda pro-
pfla para forro a 360 rs. a vara ou 25600 a pe-
ca :isto na loja do Pavao ra da Impojatri n 60
de Gama & Silva.
Os vestidos da Pavio.
Grande pechiacba a 35600.
Veodem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imilacao de larlatana cora muitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passaios pelo baratissimo prece ne 35306cada um,
sendo fazeoda que sempre se veuden a 75, aa loja
do Pavao, ra da Iiuperairiz n. 60, de Gama &
e o Henal
, mais conhecido estar com o corpo chero de ln.r-
pois sero lo bem servidos como se viessem pessoalmente, na\t!nro para cem ests" toda recommendatao, afim de quenovoem toej*s, fingn*) sama, swdo de calor, Meftravo
Aletria, tnacarro e talbarim a 4*oo rs. a li-
PKOPRIO PAR i SENHOBA.
Vende-se um excellente cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
ebeira do Paulino, ra de Santo Amaro.
Coke da faz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz
Coke tonelladas rs. 103000
Pitcb ..... 80^000
Alcatro caada..... 400
O coke reconhecidamenie o carvao mais econ-
mico, toroa-se por isso recommeodavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota oas coziohas aoode
elle usado. Pitcii e alcatro, alm das appiicacoes
diversas a que se prestara, como para callafetar
erabarcacoes, alcatroar madeiras, etc., teem este a
propriedade de preservar do eoplra, formigas, etc.
E' entregar aa fabrica do gaz oo mandado por em
qualquer ponte da cidade, segundo a vontade do
comprador. ____________ ______
Malta attenca.
Na nova loja de fazendas e roupas fei
tas nacionaes na ra da Imperatriz
n. 72, de,Guimares& irmao.
Acaba de chegar a este novo estbelecimento
um grande sortimaato de someto barles de cores
peto barata preco de 55, 05, lo e 85, ditos pretos
degrosdenaple de 195, 205 e 25-5 : isto na ra
da Imperatriz n 72, loja de Guimaraes & Irmo.
Veadem-se chitas muit finas sendo de cores fl-
xas a 240 rs., ditas largas frac cazas a. 260, 280,
320, 367 e 400 rs., ditos percales finas a 480 a
500 rs. : isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmao.
Grande sortimenlo de cortes de chitas a 25300
e 25400, ditas finas a 35 e 25200 : na ra da Im-
peratriz n. 71, loja de Guimaraes & Irmao.
Vendem-se madapolOes fiaos a 4*1300, 55, 65
75 e 85, dito muito fino a 95 e 105, dito fraocez
enfestado a 45. 5500 e 55 : na ra da Imperatriz
n. 72, toja da Guimaraes & Irmao.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se paletots de alpaca a 35, 35500 45
e 55, ditos de casemira a 85, 65, ^S, 85 a 10,
calcas da brim de toda asqualidades a 15,1*800,
25 e 25500, brim pardo a 25, 25500 35, dito
de casemira a 35500, 45, 45500, 55, 65 e 75 :
isto na loja de Guimaraes & Irmio, na rna da Im-
peratriz n. 72. __________________
Vestidos a !. o a 7$
Na loja do Pavio vendem-sericos cortes de vesti-
dos a Mara Pia, sende bordados e com barras
pe o barato preco de 45 e 75, sendo fazenda qu
val muito mais dinheiro, isto por baver grande
porcao, na loja do Pavao ruada Imperatriz n. 60
de Gama & Silva. '
Os enfeites do Pavio.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabeca
de senhora: na loja do Pavio, ra da Imperatri
o. 6o, de Gama & Silva.
As cassas do Pava.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhos e grados, chegados peto ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320 360
rs., por haver grande porco : na loja do Pavao
ruada imperatriz n. 60, de Gama ASilva.
is iaziahas transparentes a 400 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais moderna
laazinhas transparentes, sendo de listas raiudinhas
a imitacaodassedinhas, pelo barato preco de 400
rs. o covado; ditas enfestadas de ama s c6r e
dilas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de enancas : na loja do Pavo rna da Imoera-
tru n. 60. de Gama & Silva.
Rices soulambarqiies de Pavio.
Acaba de chegar um rico sortimenlo de sou-
tambarques de grosdenaple prelo mullo bem
entenados, que se vndela pelo barato preco de
205,225, 255, 305. Capas e casaeos de glace pre-
tos que se vendem muito em cenia: na loja do Pa-
vio ra da Imperatriz n. 60, de Gama Aes vinte nil covados de lia.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Veadem-se as mais bonitas laaziBbas transparen-
tes, sendo com llstras e quadriobos mindinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pres
e roas para lulo, pelo baratissimo preco de 240
rs. e covado ; dilas transparentes com palminhas
de seda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
aluumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porco.: na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Hara pia,
Grande pechincha a 10000 rs.
Chegaram os mais' bonitos cortes de lia Varia
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, : cutio
todos com as cores mais delicadas que lem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo preco de 105 o cor-
te, ditos deprcala com lindas barras e enfeites,
cen Id cavados cada ama 105, ditos de cambraia
com barras bordadas, a crox no ultimo gesto, pe-
lo barato preco de 65 : na loja do Pavo, ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esto nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e ronpas para criancas.com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
I.azluha Usas.
Vendem-se as mais Anas laazinhas de urna s
cor, tendo grande sortimenro : na fqja do Pavao
ra da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Ctales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavo os
mato ricos chales da renda cora tres pontos, sendo
todos pretos, e tambemeom asseotos de cores, sen-
do oeste artigo os mais ricos que tem vindo a este
raercido, ricamente bordados e cerculadoe de um
elegante bico reto de mais de palme de largura:
estes modernissimos cbales nao s sao proprios
para passeio por fazerem ama elegante vista sobre
am vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da qaaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra- da Im-
peratriz n. 60, loja 4o Pavio.
Marateiga ingleza especialmente escdbida a
i,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
batimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha bysaon de superior quatidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
8oo rs. a Hora*.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muioprprio para negocio a 2,ooo
n. a libra.
Mem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs. '
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,o0o e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimetto.
Chwrricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas ingleza? a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella oo para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
.por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8eors. a libra.
dem prato? 8oo rs. a libra, e mleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portoguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o!
FeijSo verdemnito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. adozia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
!ooo e 1,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, !,ooo e l,2oo rs.
VinhaBordeaux-das marcas mais acredita-
das fne vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija do
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo ell.ooors. afrasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Ceara muito superior a2io rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arrozdo Maranh5o de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8o a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a
arroba. ,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
bra e ti.ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinba, pevide e redi-
nba branca ou amareiia a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viuho do.Porto muito lino proprie para
engarrafar, era ancoren de 9 caadas a
3aooo rs.
Viflho em pipa; Porto Figutra e Lisboa a"l
3&>,. 4oo e -8oo a 2,5oo, 3tooo e 3,8on.
Vinhobranco de Lisboa de excellente quali-
dade a ?oo o 5o rs. a garrafa e em can i-
* a 3,ooo e 3,5o.
Vinbobranco para missa em caixae de i du-
zia a 8,000 e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das mebores marcas que
vem ao mercado ooaao sejam.: Lagrimas
do DoaroDquiedo Porto,Rainha de Por-
tugal, Duqde genuino, D. Lua lv Madoi*
ra Seeca, Malvaaia fina a lft,ooo,15,ooo,
12,000 e fo^ooa caia cerm 1 dazia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
ViObe> Gerexde sapo*iorqinlidadea'16,ooo
a duzia e 1,5oo rs. a garrafa.
Sardiohas de Nantes a 4oo rs. os qaartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas amito nov6 a 8,ooo a|
barrica e 320 rs. a libra.
BofaohiTiha de soaa em latas do diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes comblo nanoeanruito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas en caixinbas entortadas
para mimo a S,ooots.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e*oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoaa de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas-a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoSo
de Brto no Beato Antonio, em lata de6 li-
bras por2,5oors.
Amuixas franwzns en frasco de vidro com
lampa domesmo, a l;ico.
Ameixas frand zas em caixinbas de diversos
tamaitos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4o, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portaguez
a 9oo rs." a garrafa e lo:ooo a caita.
Batatas multo novas a 8o rs. a libra el,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas ioglezas a 75o rs. frasco e
8,,'ioo a duzia.
Vassooras de escova para esfregar casa a
4oo rs'.
Nozes moito novas a 1t3o rs. a libra.
Mofho inglez em garrafa de vidro com rolha
do raesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
*4oo rs. o frasco.
LentilhaS fraricezas, excellente legume para
sopa, a 2ob rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 1$ a garrafa e H.ooo a duzia.
lho. 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com i. mi a
do mesmo, a 6oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a Soo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
na.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furia-
do de Simas, das segtrintes quaKdades:
Bxposioio Normal de Havarra, Imperiaes,
Londrmos, Guababaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, o.ooo,
6,ooO e 7,oooa caixa on em n eias.
Charotos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
niHiasdeHavana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
o guac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Fariah de ara-uta Verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,escolente cha para os navegantes, a
Soo rs.
Seboilas de Franca muito grandes e novas
a liSooocento e ^Soosoltas,
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tm vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranhao moito alva e cheirosa
a Soo rs. a fibra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e 1,800 o frasco.
Caixinbas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias par.a
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas porttfguezas a Koo rs. a garrafa e
!>5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextnhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. adozia.
Papel azul paTa botica a 2,000 a resma.
Balaios para rOupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6S0 rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Soo rs. a
garrafa.
do Sr. Joo Ferreira Tobosa, sV>nlK>r de ci.pu-'
na comarca de Caiuaiu', e ulumanituie do h!r;c
do mesmo Sr. Joo Ferreira Tabosa Jnior, rm-
delro do engenbo Ree, na coniarca de Sanio Au-
lo : pede se encarecidamente as autoridades ju>-
lieiaas, capilea de campo e |sf oas da i'Ovu, que
o cpluum, pceadame o lev. ni a ra estrella do
Rosario n. 13, quiv serao genrosatncnle recom-
pensados.
Esciavo fgido.
Fugio ha 15 d3s urna prela Africana de 1 < ue
Tbereza, que rejirescnta ter 70 aaocs, balsa, :.--
fT; fula, dedo* dos ps e mos pequeo.', Irvxcdo-
vcsiklo de chita usado epaaoo da costa com I ao-
jas encarnadas, e muito regrMa : guia |*gr
leve-a a ra do Gaia n. 26, que seta reecmnen-
aado._______________________________________
El fgido detde o dia 10 de nairo p x<-
mo pascado um trrftlalo'de ttotie Ai-tomo, (ti-avo
de (Joio41o e Ollveirt C.wwador 1* Tpilo
Salgado, fregaezia de Goiami.. o qnal urnc. se-
guintts signaes : estatura taina, tfade 24 ni 1 s,
pouco mais on menos, pouca Laib,' bonita firma,
bem fallanie, e pode passar tor' ft.no, descmfia-
se ter ido para o svrio : a pe.-n a (|tie o y\ re-
hender pode difi*ir-se ao raerme crcinho, iu ro
Recife, ra da Madre de Dcos n. 7, o qual a ra
generosamente gratificado.
Despptreceu o prelo Antonio, rrloalo, natn-
'ral de Barreiros, da roa do Brum' n. 5!, no den in-
ge de tarde, rom o Mgnaee seguirles : altora te-
gular, chelo do eorpe, rosto redondo, letos gn-s-
sos, olhos grandes e blancos, ps apalhelad. s e
groWss, tem basiantrs signaes de ter lido frieiras
nos ps, calca de alfodo azul, camisa de ihila
com algunas pinlas anarellas e chapeo de palla :
qnem o pegar e levar a rasa aeima^er recen.j.en-
sado.____________________________________
Na noile do dia 9 do corrente mee desa pa -
receu da casa n. 48,na traveseada roa da Concor-
dia, urna muiatinha captiva de neme Francisca,
com os sipoaes sepnintes : amarella, psramba-
dos, cabello cortado meto esloquiario, leveu vr.-ii-
de de chita ja usado e camisa de madapolo, lude
j muito sujo, de idade 10 annos; julga-se ler Mito
seduzida de casa em razao de ler vindo do nato
ha doos mezts, pouco mais dn menos, e Tf3c aber
ru algoma : roga-se as autoridades |olWi;is a
apprebenso da diia mulaiiuha, e leva la cima mencionada.
A os cu pit es de cu w< p o
Desappareceu 110 dia 34-db<,orretilev;da c;:s de
eu seahor, a etoravo de Man Bcnedwie, (-ha
escuro, ctm idade de 25 tabee, leu n \e.-i)i al-
ta de algodao de listta, raBiisa de aigcdo b ttr-
ra, e chapeo J|de cotto de abas larpas.UOi alltra
regnlar, cheio do ewpo, ral tilo a escouila
olhos pretos muito vivos, nariz e bocea majulaie,
muiio pouca baiba o queiMi e un pniutiio lu-
co, lodos os denles, ps regulares, ele ; de pre-
sumir qaeseguisse a estrada de Goi.-rna ro ter
vindo da cidade de Souza, provincia da Psnihiua,
ha 13 dias, e foi comprado ao Sr. Jos totumo
Borges daqnella cidade : roga-f e ponaiio aos e-
nhores capiles de campo a apprclien.'So do refe-
rido escravo, e levarem-no a rna do Imperad! r n.
83, segundo andar, que sepraiif'far enm ff.
A tlenco
60'
12
100
80'
30
100
20
160
120
100
400
200
320-
40
Na roa da Cruz a. 38, em casa de Mills Rat-
teau & vande-se:
Cha.
Oleo de Hi)haja.
Foloas de riandre.
Silins e siUwea ingleza.
Cerveja Aspiuall.
Dita Bass.
Diu John Jeffres & C.
Um piano eom pouco uso._____________-
Carta choro^raphica
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta venda, as lojas sbaito men-
cionad ,s, a carta chorographica do theatroda guer-
ra aos Estados do Sol da America Meridional, con-
tonea aa ptaotaa de fymwit, e do bloqueio a cer-
co de Montevideo. Ella tornaie* reeoramenaaval
nao s pela lacuna que velo preencoer, como pelo
esmero do trabalho lytbographico.
Vende-se pela mdica qaantia de t>000 oas lina-
rias dos Srs. Noguein, roa do Crespo; e do Sr.
Careoso Ayres, na da Cadeiado Recife, assim como
as leas da Exposicia da Landres e aa .rythoara-
pbia d Sr. Carlos, a mesma roa a. 52, e na loja
do Sr, Citdoio de Almelda, roa da Cruz.
Soutambarquesdoeor na loja
do Pavao.
CUegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarqaes de cores, sendo os mais bem
enfeltados qae tem vindo a este mercado, com
adorno de vetlodo, sea setim, reada, Me., s
avista do grande ortimento qae os fregnezes
pedem dar o verdadeiro apreco a esta fazeoda, e
vende-se por di Iteren tes precos conformes quali-
dade : oa loja do Pavo de Gama e Silva, roa da
Imperatrrr ff. 60.
Manteletes de 11$ na loja do Pavio.
VeDdem-se os mais ricos manteletes de Bl pre
to e ontros com os centros de cor, sendo neste ar-
tigo o mais rieo qne tem viodeao mercado e mais
moderno por seren muito compridos e com deli-
cadsimos lavrores: na loja do Pavao, rna da Im-
peratrii n. 00, de Sama & Sil va.
Para nenaes.
Veadeai.se milito bonitas roupinhas proprias
ara menino de 1 a>4aonos, sendo eaJcinhas e
metinhas iguaes, e moito bem enfltadas : na
a do Pavao, roa da Imperatriz d. 60, de Gama
A Silva.
Caktabas i Pavio.
Veadem-se tanita bonitas calciobas bordadas pa-
ra meninas a 640 rs. : na loja do Pavo, rna da
Imperatriz n. 60.
RIVAL
Sem segundo,
Ra doQueiiuad, a. 49 ei>5. f para admirar.
Carretis de liona com 150 jardas......
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12afJ0..............................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de liuha grandes oeaa 40OJar-
das.............................. -
dem idem brancos e ce cores de 100
j ard s...............................
Livres para asseoto de roup lavada...
Cordo branco para espartiilio (vara)
Varas de franja branca lar*........-
Pares de botes de punbotodos decores
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costaras finase uahas
Ditas para cosluras com toque d'avaria
Escovas para mpar denles muito unas
160,200 e.........................,-
Caixas com 100 envelopes das memores
qualidades...........................
Ditas con 20 caderaos, rape) panudo e
liso......................v..........
Cadernoa de papel peqoaao (e a reta-
Ico).............................
Meiadas de linha fronza para bordar...
Pares de sapatos de tranca..... -
Massos com saperlores grampas para
senbora.............o............
Frascos de macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400rs. e.....................-.-
Ditos e garrafinba* de agua de Coloaia
\- muiio lina.......................
Ditos debanha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2.......
Peas de fitas elsticas para vestidos a
melhnr j'ialrdade................<
Pares de ligas para senbora a melho-
res .................*........>
Pegas de bicot francezese, renaas.....
Frascos de aaua dentfrice malto' sope-
tur-...............................
Caixas com 4 papis de agulbas a balao
Vietoria. ..<.............-......
Libras de lia sendo de todas as-cres..
Roneros vestidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obreias... ---
Dilas de linha de az com 50 novellos-
Enfiadeiras de fita para espartilhos.....
Carretis dellnha de edres com 100 ]ar-
Ik....................
Pecas de ordie Imperial...
600
20
20
1*500
30
200
I BOTICA E DROGARA
Barlolomeu Fraucssco de Soua C.
31Rualarja do Rosarioi i
Vendem:
l'ilulusllolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-benem.
Pillas americanas.
Pilulas vegelaes.
Pilulasvegeiaes assucaxaas de Kemp.
Salsa de Hristol.
Remedios de Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert.
Injec^o Feaugas.
AgUa dentiBcade Desirabode.
Papelchiaiico, paca talhoa.
Xarope depurativo de Chable.
Liaor aromtico de Raspail.
Pos aoti-epifetltos deBrest.(
RobL'Affecteur. ?
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway* ; __________
500
400
9O0
240
320
3*20
SOO
200
6*000
100
40
800
60
Peehincba ni va tu ja de fazendas
ronpa feita Racional, roa da Impe-
ratriz n. 72.
Pechincha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cOres fixas a 240, 80 rs. o
covarlo, ditas francezas largas a 300, 320, 30,400 Grdsaa de boto es de oso para caja...
e44Wrs.ova;,pecasde maaapolofiaoa6*.''-
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na roa do Queimad o. 19 e 3S lojas de miode-
tas de Jos A AzevedO Maia e Silva couiina
vender tnde por precos mais barato da que em
outra qualquer parle, qaem quizar ver o qae na
bom e barato venba a loja do Rival.
Duziasde phosphros deseguranca a ... 120
Francos com essenci de Sndalo muito "
soperlor.......... v............... 1*000
200
210
40
30
2*500
i280'
500
5C0
L240
Escovas de roupa muiio superiores a...
Laiaseom superiores banha. ..........
Frascos de vidro com superior banha..
I PreS de luvas de seda muito fina....
Enfeites do raelhor goeto qae tem vina.
> Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do melhor gosio e modernas.
i Volla para pescoco do melhor gosto.,..
Baralfio para voltarete, floas a 200 e..
Yaras de tVanja braaca de liana que
tea inulta serventa.................
Duzia- de peona? (Taco muito superiores
Frascos de oleo Bboza muito finos.....
Talberes para meninos a melhor quali-
dade......................,....,,.
Duzia de colhere da metal muito fiaas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muiio finas
para cita:
m
060
20
240
2*400
,i...".
20
40
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidade a
UoT alata : nos arrtaiensda roa do Ifi-
perafJor n.l o rna do Traytcbo Wovop.8.
Milho novo- em saceos .grandes: no trapiche
de Canba, a tratar com Tasso Irmos.
7*,8*,*e l*; pecas de atgodio a 5#, 6* 7
e 8* : ra da Iiaperatriz n. 72.
Raupa feita aacional.
Vendem-se patitos de casemira preta e de eftres
a *, 6*, 88 e 103', dtts soHrecaacrJs a 1*11,14
e'lt PHtoS defcflm d'eOr afaOOO, 3* a3*00
rs.^ea^as-d casemira preu a 6, 7>e8, ditas
de oaxemira le edr a 5#, 6* 7r e 8* ; colotes de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 15500,
e 2*800 rs*; caigas de brim d Cof a 2*, 2*S0
ra da imperatriz n. 7*.
Soutainbarqn de crea a 7*, 8jjt 10*. #
Vendem-se*etmbarqae de lia e seda para se-
nhorae a 7,.8* elO*; ditos de grosdenaple pre-
to a JO* e 25*i 4. canas pcetas a 20 e 2S* ; vesti-
dos de la a Mara pa a 12*. I4| e 16* : fui da
Imperatriz n. 72.
Cortes de caieasira preta a 1$.
Vendem-se',4rfes; d' eatarntra prela para ealca
a 3*. 3*500, 5* 64 6*. dito de casemira de
cor a 3*, 4*ia?, e 73, ditaade brim de cores a
1*600, e2*, ditos.de chius finas a 2*100 e 3*200,
ditos de cassas rr-fteeza a 5r: roa da Imperatri
!o]aonartterrtf*;l!
i Aia4ai(>8U> para/ ser vendido o silio da tra>
vessa do Remedio, na f regeeiia dos A togados n.
21 : qttem pretender dirija-se asea propr'relrid
na roa de S. Franclseo*, sonraao-tt 10, qae 9#az
todo o negocio.
Grosas da- botoes madreperula pan ea-fl
misa........................,.....
Grosas de boiSes de louc,a prateados
muito ftais.................,....
CafUsde alfiaeles tVaacdWS mono fl*
periares................., w. 11-,. j.
Caixas de clcheles franceiea a 40 ris
Duzia...........................
Galiana* para sohora-.a melborqali-
ae:-.. :..........; .-. .,. ...<-.....
Dusiaa de lapa differentes qualldudea
240...................*Z>.....,
Quaderoos de papel de peso moito fino,
Resma do mesmo paoel.............
Duzia de facca e garro mtrito boa....
Saboneta de espama mu superior...
Capachos compridos e radoadoa moito
boas.......... ^...................
Ditos para sof......................
Pare8d suspensorio mnltofins e pata
seab*r....................... ..
Esseneia orieatal para tirar nodoas de
roupa.........1................-.
Pecas de fita de la fiara vestido com 10
varis a...........................
Vara* de'-IMb*fl* ib PtW nlut sOp-
rldresarba,! ItOe.................
Llvre oem bonitas e finas estompas....:
1*300
200
soo
200
100
m
200
400
030
2*000
2*400
040
2*000
|100
500
000
160
320
No dia 4 de Janeiro do arm de 1864, fnglo do en-
genbo Conceico, comarca de Pc-d'Alho, o escra-
vo Galdino. perlencente ao ahaixo assignsdo, cem
os signaes seguintes : idade 26 anuos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos me ios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobranrclhas e pafr-ebias
salientes, tem em cada brseo um sino V Saloir.o,
sendo um delles mal fetto, e junio a este urna re,
lem na cabera urna cicatriz de urna polrgada, e em
cima de um quarlo urna oulra cicatriz de tre* po-
legadas, provenieni di pona de pao c queda, tem
sobre as cosas algtiMs marcas ou rirMREM de re-
Ihadas oo hicole; um pouco ft'sembarcado
quaudo falla, lem principio de carpina e rarreiro,
loca viola, foi soldado oe corpo de pollia n Re-
cife, e levou comsigo a baixa do theor egointe :
Sec^o urbana, 2* companhia r. 50, Antonio Cana-
no de Oliveira.filhode Agoslinhe Ferreira de Bri-
to, natural de logazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenlium, sladb soliel-
ro, com 30annds de Idade, 60 pcleganas de a'liura,
ao eng*jar-se. Engajou-.e na forma do repula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por Diario do
Exm. Sr. presidente da provincia, dataio de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo cm ordem
do da 1* de mito, tudo em 1862; teve bafxa do
servleo por ter dado em sea lugar o paisano Joo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do rapilo
Joo de Dos Barros, morador que fot na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
Campma Grande da Parahyba do Norte, qne b vea-
dea em das do mee de ttovembro de 1863 e abai-
xo assignado, pele cosime de andar fgido e a ti-
tule da forro com o nome mudado ; pelo que roga-
se a alinelo das autoridades civis e militares, nao
s des|a provincia como das demais dtHmrerio, a
apprehentSo do dito stravo, que a litlo de forro,
nao tenha sido resfalado ou assentado praca em
algufis dos corpos de Voluntarios da Patria, tam-
bem pede se aos caplfaes de camp 6 rjsscas par-
ticulares1 a'mdirtr at>pfehenao, c leva-h> ao scu
seahor no referido engenho Gocoeican, < u nesia ci-
dade ao eapilo Mauricio Franolsro de Lima ra
do Brum a. 66, que ser gratificado com 2G0*.
Jos Maria dos Santos Cavaicabti.
-. Vendase' tr escravo- idade 28 sanos insigne
offlcial de carploa e bonito figura : na jt/avessa do
Carra o a. 1.
Negro fgido
Esta fgido desde o da 27 d fevereiro deste
annoo pretd Joaqulfrt, deoace Angola, que foi
escravo do Sr. capitS francisco Joaqnitt Caval-
eatttl Galvao, morftdet en Maria Farinba (Praia),
o qual vendeu-o aesls cidade em dezembro do an-
nonassado ao Sr. Maooel Francisco Marques con
armazem de assucar roa de Apollo; levot ca-
misa e caica de alpfedSo braoCO, reprsenla ler da
48 SO aonOsde Idade, alto e de grossora rega-
lar, cor futa, oatoeca oeeafIda, qoeixos largos,
oMieeamorieeidos, bei^os grossos, sendo o supe-
rior om tanto defeituoso, bastante barba, porm
raspada, Hnalmente tem orna grande costnfa entra
ospeltos pfoventoBte de queknadafa, e supp5e-s#
ter-se dirigido para o norte, d'onde veio : gratifi-
ca-sea qaem o apprehender oa denunciar e coito
em quaestiver: na raa da Cadeia do Recife nn-
00 mero 51 '_____
Fugo em principios do mei de fevereiro do
corrente anno e cnti estar acontado nesta cidade
o moleqne Euzebio, escravo da viova do Dr. Fer-
nando AtTonsode MeHo, d 12 annos de idade pen-
co mais 00 menos, cor preta, secco do corso, olh"8
regalares e afomacados, cabeca nm poner, grande
e meia chata, belcos Unos, dente* hem afyoj, ps
seceos e rnnHo ladfno: roga-w flt tanto a todas as
autoridades policiaes e capiles decampo qoe e ap-
prehendam e levem-o afoa>da Manpoeira sobrado
n. 6:qne sero iratiflcadosj'protestando-se usar dos
meios judlclaes contra (TaaKJtn'Y p^ssoa qo* o tenha
1 tn sen podef.
t

ILEGV


** letra 1 da AhrM de i &
LITTERATORA.
Memoria histrica acadmica,
apresentada eaogrecaco dos
lentes da faenldade de dlrelto
do Reclfe na sessSo de 13 de
marco d I*G4, pele Dr. An-
tonio de Vasconcellos Menezes
. de Hrtunmend. lente substitu-
to da ueina faculdade.
(Continuaran)
XLIX
As cadeiras de medicina legal, enciclope-
dia do direito e anal y se de textos.
A instituido de urna cadeira de medicina
legal outra necessidade imperiosa a preen-
chcf-se, para completar o curso dos estudos
jurdicos as nossas Facilidades.
Era verdade, n5o possivel comprehen-
der como a pluralidade dos magistrados e
avogadus do dosso paiz arrisca-se a dscu-
. tir e julgar as difliceis questes sobre a ida-
' de para os diversos estados, idtntidade, ex-
ercicio de certos direilos, attentados contra
o pudor, nascimento, casamentos e bitos,
i'iabilidade, impotencia, esterilidade, gra-
videz, partos casuaes, focados, repentinos,
ferimentos, homicidios, infantecidios, abul-
tas, venificio, etc., especies que constituem
a mediciua legallegislativa, c.vil ecrimi-
uai, sem deltas ter o mnimo conbecimen-
to ; sendo por conseguinte obrigados a ju-
rar na honrada palavra dos facultativos.
Si por ventura trata-se de exames, autop-
sias, cor pos de delicio etc., ei-los de ordi-
nario estupefactos e irresolutos ante a dis-
cus&io, sobre que nada alcancam; deste es-
tado de ignorancia e duvida nasce necessa-
riamenle a deordem, a injustica e o sacrili-
co emGra da seguranza individual e do bem
social.
Quando porm estas e outras considera-
ces possam falbar, pele menos -as grandes
vantagens para os estudos jurdicos, e para
o paiz inteiro resultantes da creaco da ca-
deira de medicina legal as Faculdades de
.Direito do imperio, como existe as de
Coimbra, Blgica e Hollunda, ho de com-
pensar o sacrificio do augmento dessa pe-
quea despeza, que sobre os cofres pbli-
cos dever pezar.
E ser isto ainda mais possivel effectuan-
do-se a diminuido de alguma das cadeiras
de luxonovamente creadas as Facul-
dades de Mediciua do imperio, segundo me
mormam.
L
Do mesmo modo resulta grande utilidade
e importancia para o ensino da jurispruden-
cia a instituicio de um curso de introduc-
'ao ao esludo de direito, (que vena a ser o
mesmo que na Blgica, Hollanda e Aljema-
nlia se compreheodesob o nome de encyclo-
pedia e mstnodologia do direito), por abra-
car a syolhcse e connexao dos diversos ra-
mos de dir,lo, bem como a sua historia,
triejiii efoutes; ou alias por ser o funda-
mento de toda a philosophia jurdica, como
quafica Koussel, erudito professor da uni-
versidade de Bruxellas.
Emiim de primeira nluicao a vantagem
da analyse dos textos do direito patrio, Ro-
mano e Cannico, como se exige na Facul-
dade de Coimbra, para melhor interpreta-
Cao e appliea.ao das respectivas disposi-
Coes.
Nem para o ensino de taes materias seria
necessario ampliar o prazo exigido para os
estudos jurdicos, perqu bastara distri-
buir essas tres cadeiras novamente crea-
daspelos cinco annos, que para elles s3o
actualmente exigidos, como lambem se ob-
. serva em Coimbra.
Tjinbem o accrescimo do estudo de taes
materias nao traria cancheo e pouco apro-
veitmiento, pois apenas exigira assidudade
o attenfo, durante tres horas por da ni-
camente ; sem duvida mui venciveis, ainda
mesmo para as aptidoes mais mediocres,
11 nido secundadas por boa vontade, e ha-
vendo o intervallo necessario as lices para
o estudo individual.
Cousin, na sua memoria sobre a instruc-
c/o publica da Prussia diz que alli ha 32
horas de Urdes por semana, ao passo que
na Franca ha apenas, 22 ; sendo que, em-
bota se succedam, ha entr'ellas um inter-
vallo diminuto, e diversidade de mate-
rias, que causa urna distraeco bem enten-
dida.
Logo, nao muito que no Brasil, em cin-
co das uteis (para as Facnldades de Direi-
to) em cada semam, haja 15 lices, a saber
tres lices por dia, as quaes coraecando s
oito horas da manhia, e com o intervallo de
vinte minutos de urna outra aula, deverao
acabar antes de II e meia horas; restando
por conseguinte ao esludante cerca de 24
horas para o esludo no seu gabinete.
Cumpre:me anda revocar memoria, que
tres lices diarias ha no quinto anuo das
Faculdades de Direito do imperio, sem in-
tervallo algum entr'ellas, e ninguem ainda
considerou-as trabalho excessivo e penoso
para a vigorosa e intrpida moeidade-
LI
Plano de estudos para as faculdades jur-
dicas do imperio.
Contentar-me-bia que se adoptasse as fa-
culdades de direito do imperio o plano das
de Coimbra, Blgica e Hollanda mulatis
m>itandis, porque abrangeria o melhor con-
juncto de sciencias sociaes e jurdicas.
Se ine fosse permitlido expender a minha
humilde opiniao tai respeito, com bastante
acanhamento oflereeeria o seguinte plano:
, Primeiro anno.
t) curso de introdcelo ao esludo do di-
reito ou de enciclopedia e metuodologia ju-
rdica, contendo a historia do direito patrio,
romano e cannico ; o direito natural, das
gentes e diplomacia -deveriam constituir as
materias do ensino do primeiro anno.
Segando anno.
Os cursos de direito publico universal,
constitucional brasileiro, economa poltica e
dii cito administrativo, constiluiriam o ensi-
no do segundo anno.
Terceiro anno.
Os cursos de direito eclesistico, direito
civil patrio, direito romano, e principios de
medicina legal, seriam as materias do ter-
ceiro anno.
Qoarto anno.
Os corsos de direito civil patrio, direito
romano, direito commercial, e continuado
da medicina legal, constitniam o ensino do
qnarto anno.
Quinto, anno.
Os cursos de direito criminal, contendo o
militar, a hermenutica jurdica, a pratica
| do processo civil, commercial, criminal e m-
[ litar, a analyse dos testos do direito romano
e patrio, a jui$sprqdeica formularia e eu-
remaiica, constituiran! o ensino do quinto
anno.
Plano de estudos para a-creaco futura das
faatdades de sciencias administrativas,
polticas, moraes ou sociaes.
No correr, porm, dos lempos, quando o
riosso paiz abundar era meios e populacho,
crescer a necessidade do pleno desenvolvi-
menti da insttucc5o superior, e ff misler
derramar os principios administrativos e po-
pularsar as doutrinas econmicas, tornar-
se-ha entao indispensavei fundar outras ins-
lituices se en tficas.
Nesta hypothese talvez seja conveniente
crear urna faculdade de sciencias polticas,
administrativas, sociaes ou moraes, como
existe na Hollanda, segregando se para ella
as cadeiras que a deverao constituir, e pra
estilo annexas s nossas faculdades de di-
reito.
Tal o plano:
Primeiro anno.
IoDireito natural ou philosophia do di-
reito ;
2.Direito internacional;
3.Direito publico geral e positivo.
Devendo durar estes cursos dez mezes.
Segundo anno.
I.Economa poltica ;
2.'Estalislica ;
3.Admnslraco geral e comparada.
Devendo durar estes cursos um anno.
Terceiro anno.
1.Processo administrativo;
2.JEloquencia parlamentar ;
3."Historia do direito publico positivo.
Devendo durar este curso um anno.
Lili
Substitutos das faculdades.
O systema das subslituices adoptado as
Taculdades de direito do imperio por do-
mis defeituoso, e muito prejudicial ao es-
tudo.
Nao comprehendo como seis substitutos
estaro serapre habilitados a bem preencher
i 1 cadeiras, menos que se queira instituir
urna nova classe de professores encyclope-
dicos; o que sem duvida menos ajusta-
do, e s proprio para formar (sejamos fran-
cos) pessoas pouco dignas desse honroso ti-
tulo, ou para melhor dizer, pouco eminen-
tes no magisterio, visto como no geral sen-
tir dos homens verdaderamente doutos,
sempre a varedade dos estudos foi insepa-
rav I da superficialdade.
E' bem sabido, que Massillon era ptimo
pregador, mas pessimo pmegyrista : Cicero
sublime orador, mas mira poeta.
Dizia Cousin :Leshomms chargsdune
branche especale professent mieux. E Luiz
Peisse : t A especialidade a le inevitavel
da sciencia e da acc3o humana : to Jo o co-
nhecimento necessariamente especial, por
que ninguem possue um poder Ilimitado ;
por conseguinte um fado genrico e es-
scncial ao desenvolvimento das sciencias.
as faculdades de direito da Franca ha
tres secces de substitutos, e assim as da
Blgica: a 1." para as cadeiras de direito
romano ; a 2." para as de direito civil e cri-
minal ; a 3.a para as de direito commercial
e administrativo.
Na de Coimbra ha um substituto ordinario
e outro extraordinario para cada cadeira.
as faculdades de medicina do imperio ha
a ciasse de oppositores em secc 'Sde scien-
cias accessorias, sciencias cirurgicas e scien-
cias medicas.
No mesmo collegio das artes as substitui-
ces sao divididas em tres classes; ao passo
que s as faculdades jurdicas toram desti-
nados seis substitutos ad omne scibile
como meio mais proficuo de nunca torna-Ios
profundos e abalisados as respectivas ma-
terias.
Lembro, pois, para obviar esse inconve-
niente, que n5o sendo possivel a creaco de
mais um substituto (pelo costumado argu-
mento -ad terrorem de augmento de des-
peza para os cofres pblicos) se distinem
tres para as sciencias sociaes e tres para
as sciencias jurdicas; seodo a substituga i
das respectivas cadeiras, segundo a ordem
da antiguidade em cada classe.
LIV
Casa da faculdade
Achando-se a casa da nossa faculdade -
parede-meiade um aquartellamento de tro-
pi. o frequente rufar dos tambores, o toque
de cornetas, e o ensaio quotidiano da msi-
ca perturbam o exercicio das aulas.
Aproximadle um hospital, foco de bexi-
guentos, torna ainda mais sensivel a sua im-
propriedade para o destino que Ihe deram.
Accre*cente-se ainda, que para la chegar
preciso atravessar um areia', que, quando
reina o sol ardente, fortissima e quasi suffo-
cadora a reverbtraco, e quando cliove,
torna-se um lago.
Alm disto, a casa incapaz a todos os
respeito, por que sobremanera acanhada,
calida, mal repartida, e sem as precisas ac-
commodaces,
O edificio, em que est o collegio das ar-
tes, acha-se em condices ainda peiores,
como cima ponderei; pagando-se por taes
pardieiros o exorbitante alugi.el de tres con-
tos de res, ha dez annos e sob as mais one-
rosas condices, como o de entregar os pre-
dios com as accommodaces que antes ti-
nham e foram em parte desfeits, eu alias
pelo modo que indicaran os dorios ele.
Por aviso de 4 de Janeiro do correte an-
no foi eommunicado, que smente a ca>a oc-
cupada pela faculdade fura de n< vo a renda-
da por quatro cofit s de ris.(4:O0OOi'')
miiuaes ; e consta que tres contos doris
exige o seohorio do predio, em que est o
collegio das arles.
NSo ha anno em que aqu mesmo, nesta
solemne occa-iao, uo se oncam os maiores
clamores e ju-tos orados d'indignaco contra
esta maldita casa. .......
. Vejamos porm como se tem procurado
remedar esse lastimoso mal.
Compulsando-sc os annaes do parlamento
brasil iro do anno de 1857, acha-se a pag.
34 urna emenda apresentada na sessao de
10 de agosto da cmara temporaria pelo nos-
so mui digno diieVtor, e s mni otmaveis
collegas Srt. Dra. Auiar, Vilella Tavares e
oulms, autorizando ao governo a dejpendei-
desde logo a quantia de 50:> OOtJOO para
construir um edificio proprio pata fuecio-
nar a faculdade de direito doecife; emen-
da esta, que passou a ser consignada na lei
do orcamento n, 039 de 26 de setembro des-
se anno art, 16 { 8.

Pelo decreto n. 980 de 15 de setembro
de 1858 se mandou vigorar no anno finan-
ce ir o de 1859 a 1860 a mesma lei do orca-
mento, epela den. HtiVfe 27 de setem-
bro de 1860 art. 11 19/oi aindao gover-
no autorisado paro, desde logo, despender
com a \construfco do referido edificio a
predita quantia para isto consignada n'a-
quella outra.
No* por qui j temos visto espectculos
seme loaste.
venda ; de sorte que para elles foi urna ex- do tempo, n3o sejosaa applioar o dito de cannos das botes e m UMm dMtimuu
cellente exploracao a occupacSo dos seos Tayter com rotee* aos Estados-Unidos mente no meio do lodo
predios pelos dous estabelecimentos. (a) que ali se havia odmittido ao professorado j
LVI1 pessoas que se nao dtveria confiar o tro-
Meio para remoedo da Faculdade do edi- tomento de um cavallode estimaco.
ficio em que se ocha. I E' preciso, emflm, que as provas do, con-
Achando-se a fazeada provi cialem serias curso sejam taes que d'ellas se possa
difficulddes pu-a salisfazer aavultada quan- dizer, como disseramos julgadores-de Vau-j
,tia dtrezents trfirta e seis contosde rts quehn que d'etle haviam recebido urna
Em summa, pelo decreto n. 1149 de 21 (336:0004) we ,deve .fazenda nacional; fipfio em sua these. '
de seiembro.de 1861.se determindu que a diffieuldades, que de dia em dia crescem por LIX
Mtmale do orcamento (n. lili deH7 de inutras dividas passivas s companliias dos ligamentonos concurses.
setembro de 1860) decretMapara o eeerci-' vapores, gaz, e ainda mais pela sensivel fal Sobre aquello meu asserto recordar-vos-
exo de 1861 a 1862 continuasse em -vigor ta de equilibrio entre a receita e a despeza, hei, senhores, um fado bem significativo,
no anno financetro de 1862 a 1863,. em bem possivel seria ao governo obter da fa- que refere Cousin. I
quanto nao fosse promulgada a deste exer- zeadadesa provincia* por conta do dito sea t Mr. Breschet, membfo do instituto da
Esta poesa
Tavora:
do Sr. J. Franklin da S.
ctcio.
Do expendido se evidenc'a, que o gover-
debito, o edificio, que na ra'da
juato ponte novado Santa Isabel,
Aurora, Franca foi um dos concursos na faculdade:
, se man- de medicina de Pars,
no esteve competentemente au orisado para dou construir para o Gymnasio Pernambu- Era um verdadeiro sabio.
*!?0 ht a?ueila 1u*atia cora a construc- cano. i Apezarde ter urna palavra precisa, cla-
cao do edideiopara esta feculdade, at fim Neste ediflei >, prximo ao bairro central ra, methodica e autorisada, nao era porm
do anno passado. i.destacidade, bem poderam funecionar a orador.
LV
Mll.HKR Vt GEI.0.
Abre as cortinas de seda
Que vestemteu coracao,
E deixa Sobre o recndito leito,
Onde dorme em quietado,
Possa a (urto penetrar
Um olhar todo de amores
Raio defogoaqueimar.
Vejamos qoaes os obstaolos que sobre-
vieram :
No relatorio do ministerio do imperio,
oceupado pelo Exm. mvquez de Olinda em
1858, se l o seguinte :
< Ainda nao usou o governo da autorisa-
. m
go 16 da lei n. 939 de 26 de setembro do
anno passado, afim de mandar construir
edificios para as duas Faculdades de Direi-
to : trata de hab lita r-se com traba 11 ios pre-
paratorios.
Nos demais rotatorios subsequentes do
mesmo ministerio (que pude obter) j se
guardou sobre este ponto o mais profundo
nossa Faculdade e o Collegio das Artes", que A' vista da frieza de seu estyllo, o au
lhe annexo ; porque is suas proporces ditorio prodigalisou somente applausos ao
para esse fim sao gigantescas, segundo es- seu eompelidor que, bem longe de ter como
tou informado por pessoa competente, e elle a mesma profundeza de conhecimentos,
fui possoalmente observar. bavia brilaado por meio de discursos bem
Tem elle 300 palmos de frente, 240 de esludados e ornados de palavras harmnicas, |
fund e um grande pateo no centro, con- e sobretudo levara d'ante mo meia duzia i
Co.^quelhe fqj jada nosJS^ 7 e 8_dp_ arti- tendo dous pavimentos, um terreo, e outro de oficiosos pregoeiros de seu alto mereci-
que c o andar superior : cada um desses an- memo.
dares tem 6 salas com 3tt palmos de fundo,' Aquella Faculdade, porm, conscia de
e 33 de largo : e como as divises do andar que Breschet era muito superior ao seu
superior ainda nao eslo feitas, podero ser competidor por muitos ttulos, o prefer u e
alteradas as dimenses esclheu. E, quando ella leve de proclamar
Consta mais de 4 gabinetes com 22 pal- essa escoma perante o auditorio, como era
naos de largo e 33 de fundo, e de outras 4 estyllo, delle soff.eu as maiores injurias,
grandes salas em cada pavimento de 60 pal- ameacas ele.; e tao grande perturbado
silencio, at que no do anno passado o dito mos de fundo e 38 de largo: ha ainda em bouve da ordem, que, para sufloca-la, foi
Sr. marquez de Olinda assim se exprimiu : i cada pavimento mais tres salas, que variam preciso o emprego da forca publica.
c A casa ou propriedade partcula?, em j de 25 35 palmos de largo e 33 de fundo ; I O governo francez sanecionou a escolha de
que trabalha a Faculdade incowwoiente, ha n<> fundo um salao com 165 palmos de Mr. Breschel, que em seguida procurou
j por carecer de capaeidade necessaria, j | f .ndo e 33 de largo, que poder ser divi- justifica-la distinguindo-se por tal forma e
por ser impropria a localidade, era que ella dido em 3 grandes salas, cada urna de 80 com toda serenidade de seu espirito que se-
paraos, gundo diz o mesmo Cousinos desapprova-
Emfim consta-me ainda por pessoa com- (dores da sua escolha tornaram-se em pouco
ptente, que esse edificio custra fazenda os mais decididos enthusiastas das suas he-
provine al a quantia de duzentos e tres con-1 (des.
tos doris (203:000|jkX)0); bem como que i E assim obscureceu-se para sempre o
exigir o seu completo acabamento pouco competidor deste sabio, porque de ordina-
mais de metade d'essa quantia, e n3o se far rio esses hroes s sabem representar bem
esperar por muito tempo, vista do grande papis theatraes.
adiantamento da obra. O eximio Bossi tambem passou quasi por
Isto posto, sem o governo fazer desde j iguaes torturas, embora ao depois houvesse
sacrificio algum pecuniario, levando apenas merecido as maiores ovaces ealcancado re-
aquella importancia do custo do dito edificio putacao mui gloriosa.
do rs. 203:000)5000 em conta de rs___j J se v, pois, que para melhor ajuizar
336:000^000, que lhe deve a fazenda pro- acerca da preferencia do candidato nao se
vincial, e com a consignaco annualmente deve somente aitender certas provas por
t A' razio que ent5o aconselhava esta me- prestada pela assembla geral, pelo menos elle de momento produzidas, por quanto
dida, a insufliciencia e m collocacao da ca- egual da citada lei do orcamento n. 919, muitas circunstancias podem occorrer par.
sa, de propriedade particular, em que se
acha este stabelecimento, axresce agora
outra que a faz mais urgente.
se acha.
< A acquisico de um edificio faz-se cada
vez mais precisa.
Emlim no relatorio do ministerio do im-
perio apresentado pelo Exm. Sr marquez
de Olinda assembla geral no Io de Janeiro
do correte anno ainda se dem as seguintes
palavras acerca do edificio, em que se acha
esta Faculdade:
Faculdades de Direito de Medicina.
J ti ve occasio de chamar a a t tenca o da
assembla geral para a necessidade de cons-
truir-se ou adquirir-se um predio conve-
niente para ostrabalhos da Faculdade do
Recife.
dentro em mui breve tempo achar-se-ha j que ellas representem, o que na verdade nao
prompto, e bem acabado aquelle edificio,; valem e assim desviar o melhor juizo a res-
para receber os mencionados estabelecimen-' peito.
t Terminaram os contratos de arrenda- tos scientificos, em ptima localidade, com LX
ment dessa casa, bem como da outra em | excedentes accommodaces, e compalivel Provas escripta e oral nos concursos.
que existe o Collegio das Artes annexo Fa-
culdade.
O proprietario da casa em que est o
Collegio, e cajo arrendamento era de ris...
1:400$ por anno, declarou que no novo con-
trato ser estabelecido o preco de 3:000$,
sendo de q alio annos o prazo de sua du-
racao, ou de 2:Oj0fll se este fr de 6 a 9
annos.
c O da outra casa em que se acha a Fa-
culdade declarou tambem, que o seu aluguel
que era de 1:600$ annuaimente, ser eleva-
do a 4:000,5, se fizer-se novo contrato, s-
mente pelo tempo necessario para" se pro-
curar outra casa para onde se mude a mes-
ma Faculdade, ou a 3: 00$ se for fixado o
prazo de duracao de 6 a 9 annos.
Ou se ha de sujeitar o gov.-rno tao ex-
cessivas exigencias, ou ter de encontrar
grandes ditficuldades < para conseguir por
procos rasoaveis o arrendamento de outras
casas, que offerecam accommodaces pro-
pinas e sufficientes para os trabalhos dos
referidos estabelecimentos.
A acquisico, por compra ou con-truc-
cSo de um edificio, que aprsente estas con-
dices o nico meio de libertar o governo
de taes imposicesdos proprielarios,os quaes
se repetirlo por certo sempre que se tratar
de renovacao de contratos.
c A assembla geral resolver sobre este
assumpto como julgar mas acertado.
Peco tambem que a assembla geral con-
signe desde j alguma quantia para se dar
principio edificacode um p e lio proprio
para os irabalhos da Faculdade de Medicina
do Rio de Janeiro.
* E' urgente tratar-se disto, como por
vezes se tem observado, nao s por ser im-
proprio o predio em que se acha a Faculda-
de, mas lambem por ser elevado o aluguel
de 7200$, que por elle paga o governo an-
nualmenle (lili) Santa Cas i de Misericordia,
qual perteoce.
A mesma Santa Casa j representou a
necessidade que tem do dito predio.
LVI
De todo o expendido se conclue : Io que
o Exm. Sr. marquez d Olinda foi o nico
ministro do imperio, que desde a inauguraran
desta Faculdade (em 1855) at hoje, em
se os relatorios apresentados assembla ge-
ral em 1858,1863 e 1864 se oceupou da
necessidade de remove-ia para outro edificio
mais proprio e conveniente ; sendo que pro-
vavelmente foi sua lembranca devida a ser
ellePernambucano, conhecer a pessima ca-
sa em que se acha a Faculdade, e palpitar-
lhe o desejo de prestar esse benelicio S pro-
vincia que se gloria de ter-lhe dado o berco.
2* Que o governo tm estado competen-
temente autorisado, at o fim do anno pas-
sado, a despender a sobredita quantia de ch>
coenta contosde ris (50:00$). para acoos-
trucc3o de um edificio para a Faculdade ;
sendo qde nunca lhe aprouve levar a effeito
essa autor i saca o, sobre fundamento de estar
tratando de habilitarse para tsso com os
trabalhos preparatorios: como foi assevera-
do ao parlamento ;
3o. Qu deste adiamento resultou tambem
a desmedida pressao 4e pedirem 7:00O$O00
'annuaes oj propietarios dos dour pardjeiros
oceupados pela Faculdade e Collegio das
Artes, pelo respectivo aluguel, ao qual s a
fazenda Publica s> sugei'ar. como mui bem
informo!!'o digno iapector da' thesouraiia
da fazenda d sta provincia ao mesmo gover-
no, segundo me consta;
com a sua importancia. A' meu ver tambem se deve levar em con-
Consta-me, porm, que para o mesmo la os precedentes, areputacao os serviros e
fim trata-se agora de obter por arrendamen- trabalhos anterior dos concurrentes, para bem
toou por compra, a grande casa situada no se aquilatar o seu mrito, conjunctamente
campo das Princezas, esquina da ra do Im- com oaggragado das outras provas justa-
perador, pertencente ao Sr. Dr. Jos Joa- mente apreciadas,
qum de Moraes Sarment ; o qual deseja Parece-me p r isso ainda mui acertada a
vende-la, mediante urna avalizo feila por opinilo do nosso destnelo collega o Sr. Dr.
peritos respectivamente nomeadqs. e com Villela Tavares acerca da necessidade de dar-
pagamentos prazos, segundo s$mz. se toda publifdade s provas oraes dos con-
Em abono da verdade essa caSa apresen-; crrente, porque a mesma pubiicidade abre-
la excellente architectura. e est no coracao o melhor camiidio mais rigorosa aprecia-
da cidade, prxima dos tribunaes, e das re- ci de taes provas.
parlices publicas, e equidistante de todos Abundando pois iiessas, ideias repetirei as
os pontos extremos d'ella ; tornando-se mui palavras d'aquelle Ilustrado collega, com o
facis as communicaces pelas duas pontos, mais pronunciado desejo de que sejam ellas
que ligam no campo das Princezas os tres attendidas e adoptadas, como justamente
bairros princpaes : alm disto de dous merecem.
andares, repartida em grandes salas, que | As provas do concurso devem ser dadas
poderlo ser augmentadas unndo-as, e cora do modo o mais publico e solemne, bavendo
escada apropriada para qualquer estabeleci- tachygraphos para lomar as oraes, palavra
ment publico. por palavra, e decifra-las perante a congre-
Sem querer indicar positivamente este gaco, ou urna commissao por ella nomeada
edificio, embora conscienciosamente conhe- d'entre osseus meinbros ; cando o direc-
ca, que todos os respeitos preferivel ao tor com todas as notas tachygrapliicas no
em que se acha a nossa faculdade, talvez fim de cada dia, porque publicadas assim e
pareca mais adoptavel a primeira medida pelos jornaes, (an menos pelo mais imper-
acima indicada e pelas razes j;i expen-
didas.
LVIII
Concursos,
No anno pessado nao houve concurso al-
tante da cidade i, onde sita a faculdade. as
provas do concurso, todo o paiz avahara o
merecimento dos candidatos, e o governo
mesmo nao jurara somente no jnizoda con-
; gregaco, que nessecaso procedera sem du-
gum nesta faculdade, por se terem preen- i vida n3o. querendo incorrer em urna censu-
chido as vagas de substitutos. Ira publica e jcalificada,rom a maior impar-
Apezar dos inconvenientes attribuidos aosciafidade possivel.
concursos, a meu ver su pera veis, julgo-os! Outro^sim, considero excessivo para a pre-
preferiveis, ao arbitrio das nomeaces, por'lecco oral o prazo de 24 horas, que conce-
que elles tem produzido os mais salulares!de o art. liOdoregulamento complementar
elTeilos, e s3o geralmente approvados pela dos estatutos,, pois que tempo mais que
mais pura e longa experiencia de quasi tres sufficiente para o candidato redigi-4a e at
seculos entre os povos mais adautados em'pan decora-a mui bem, principalmente se
instruccio publica. | elle for de feliz memoria.
O Sr. Dr. Pertence, em sua excellente' Em apoio desta opinio tenho o que se
Memoria Histrica apresentada Faculdade pratica era Franca, por decreto de 19 de
de Medicina da corte disse, ( meu ver) agosto de 1857, nos concursos dos aggrega-
mui judiciosamenle que o provimento das dos, que eiuivalem aos subst tutos das nos-
cadetras sem concurso habilita o governo a sas facilidades.
introduzir moedas falsas enhrr as verda-, Ali apenas quatro horas sao concedidas
deiras. {ao candidato, depois de livre preparaco,
Quanto a mim, os concursos sao brilhan- para em seguida disserlar oralmente sobre
tes combates do espirito,' onde se acrisola o um ponto dado que faca parle do respectivo
verdadeiro e o falso merecimento, e onde os ensino.
proprios vencidos nlo perdem de todo a Assim melhor so poderiam conhecer, e
gloria. avahar a sciencia e o talento do candidato.
Seno fossem os concursos, n3o tera sido' E' anda urna das principaes garantas
possivel mancebos de talento medirem-se para a prova escripia, a mais completa in-
com Dupuytren, Broussais, Magendie etc. communn abilidade, e recluso do candidato,
Anda eotre nos nao foi possivel conside- sob immediata vigilancia, como se pratica
rar habilitado para o magisterio o candidato, naquelle paiz e em Coimbra.
que tiver adquirido reputacao somente pelas Do contrario, essa prova de todas a mais
suas obras e cursos. terrivel, se tornar a mais fcil par quem
E pois s o concurso pode ser a melhor poder receber auxilio estranho, e perder
provaco da instruegao do candidato. todo o merecimento.
T- d'avia, misler, que o concurso seja E' tal o valor dessa prova nos coacursos,
tambem ordenado, offoreca tantas laranlias que Cousin em sua circular de 8 d1 maio de
que jamis oossa comprometter reputaces 1840 recomraendava ao reitor da universi-
custosamento adquiridas, bu afugentar o ver- dade, que ella cada vez fosse mais for tfica-
dadero mrito, favoneando-se o nepotismo da, e desenvolvida em proveita dos proprios
e afilhadagem, em que se abroquelan sem- estudos, porque era mamar garanta do ver-
pr as mediocridades ou incapaeidade, por- dadero saber do candidato, epara seapre-
que do contraro perder todo o seu valor e ciar se os seus conhecimentos eram ou nao
excellencia, e. acarretar opprobrio para a sirpeificiaes.
Faculdade.
E' mister, pois, que se revista o concurso
das precisas diffieuldades, afim de que to-.
(Conlinuar-se-ka).


(a) Ao passo que assim hsiim irnos a mi-,
: seria do e lificio da Faculdade de Direito do
, Recife lrse na .Memoria Histrica de S.'
Ul POUCO DE TUDO.
A Xu.o publica o seguinte:
Escrevem de Paris Epocha que est ali
4o. Que importando o aluguel desdes Paulo le~ 1863 o seguinte com relacSo ex- fazendo tempo espantoso, n3o deixa de cho-
dous pardieiros em 3:000 por anno desde
o sen pi imeiro arrenoamento (a 5 de setem-
bro de 1854), tem cuslado aos cofres pbli-
cos, durante os det annos (30:000$), proco
que n5o poderiam os dono< de taes predios
obter actualmente, nem mes. o antes, por la.
cellente casa em que elUvse apha collocada, ver um instante, e o maedam dos boule-
o vasto, porm singeltssimo, edificio da'taras, est quasi completamente desfeito,
Faculdade acha-se presentemente retocado, podando dizer-se que os passeios sao as mar
A simples necessidade, entretanto, do aceto
e seguran(a nao foi mtegrahnenle satisfei-
gens de uns rios de lama, assim tem come-
cado a pdr-so em voga urna moda, muitas
pessoas mettera as calcas por dentro dos
Acabo de v-lo. Dorme
Sobre cobertas de glo
Como no ventre de um lago,
Mudo s vozes de um affago,
Fro chamma de um anhelo,
Morto vida de um olhar :
Ai 1 quem me mandou o templo
Dos seios teos devassar ?!
E' templo somrio, escuro.
Que falta-lhe a luz do amor;
Nao lhe on mlam pelas naves
Vagas de incensos suaves,
Que nem siquer um odor
De paix3o se-lhe exhalar;
Nao ha orebestra no coro,
Nem sacerdote no altar.
De sepultura esquecida
Sacrario mudo e funrea,
Ptrea grimpa de urna rocha.
Onde urna Mor nao desbrocha
Capella de cemiierio,
Abandonada ao luar:
Eis o templo de teu peito,
Eis leu peito sem amar.
Ai 1 mu er, fecha as cortinas
Que vestem teu coracao!
Coracao paludo, fri,
Como as entranhas de am ro
Por noiles de cerracSo,
Como as lagrimas do ar,
Aos olhos de um alma ardente
N3o se deve desnudar I .
Mulber de gelo, nascida
Nos fins do polo, entre bwmas,
Buslo inerte de alabastro
Na sacrista de um claustro,
Flor, banhada por escumas, .
Sombra da morte a vagar,
as indolencias da noite
Sobre as areias do mar:
Quem tem a alcva dos seios
Vasia por tal maneira,
Collas de orvalho no sangue,
Um cadver na alma langue
E urna glida caveira
No coracao sem amar:
Deixa a vida das cdades
Para um sepulcbro habitar.
Um areheologo dislincto, Nikls, annun-
cia ao Correio do Butxo Bheno, que alguns
trabalhadores. andando a cavar n'um campo
prximo a Ehl encootraram um thesouro ro-
mano, mas s com moedas de bronse, de pe-
quenas drmenses. posto qae em grande nu-
mero, e todas do imperador Constantino.
Eis como aquello sabio explica a ori-
gem e a preseaca deste ibesouro:
A unilbrmidade d'ess.s moedas indica
bem claro o quario secnlo, que foi das in-
vases germnicas.
Os allemaesoccuparama margem esquer-
da do Rheno, na parte soporior da Alsacia,
durante seis annos (de 351 ai 357; foi entao
Juliano d'abi os veio expulsar.
A pesar do sil ncio da historia, a cidade
gallo-romana, Helvelus (Ehl), nao devia por
cerlo ficar ao abrigo oos barbares, e pode
bem suppr-se que ehegada d'elles. em
351, a guarmeo d'Eld, composta talvez so-
mente d'uma cohorte da- 8a leg-iao, esmag -
da pelo numero, foi brigada a fugir. Es-
perando chegar cedo, oceultaria a caixa co-
br ndo-a com urna pouca de trra ; batida e
dispersada, nao ficou. ninguen que livesse
d'ella conhecimento, e- a6sim esta caixa mili-
tar pode ficar enterrada. 1514 aonos.
Un phenomeno eatraordioano acaba de
apparecer em Vieux Conde.
Urna mulher grvida d'aque la localidad^
eravktima de grandes sustos todas as vezes-
que pas-ava por p de urna cabra que antir
pathisara cora a pobre tilla de Eva, invesn-
do e dando sobejos sigaaes de execranda
colera.
Este caso finalmente acaba de ter uob des-
techo.
A pobre miillier du luz urna coeanca
com cabeca de-cabra.
Os visinhos fwram de parecer que se d*s-
se cabo d'aqueHe estranho phenoraeao. mas
o doutor, que (ora mandado chamar por
pessoa mais intelligeate, oppoa-se a este ac-
to barbaio. e intil, porque o rocwa-iasci-
do nao viveu mais do que duas horas.
Um photographo empregado pelo gover-
no hollandez pira reproduzir alguns dos-
mais bellos pontos de vista" da illia deJava,
acaba de descubrir urna cidade sepultada to
da inteira sob a lava do um vulcSo, extin to
ha muitos seculos.
S
O Cosmos allemo indica um meio corto
de rtrcMiheeer a dado de um catalte passa-
do os 8 annos.
C nsiste n'uraa ruga que se frma na par-
te superior da palpebra do cavallo, cadaaooo
produz urna nova.
Se Osle meio certo, incontestavel alU
lidade. .
PERNAMBUCa-TYP. DE M. F.DE F. FLHO



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECTA286J8_9SB180 INGEST_TIME 2013-08-27T22:17:57Z PACKAGE AA00011611_10648
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES