Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10647


This item is only available as the following downloads:


Full Text

~ri
"^^fc

r*
1
fci
AMO Ul. HOMERO 10.
,i
P*r qnarteIpagodentrodelOdiasdl.0me ....,: i gfQOO
iaemdep9i8dosl.o'10diasdcomecoedeBtrodquartel. 6ooo
Porte ao correio por tres mezes .,,,...,".,,, 759
QUINTA FEIRA 20 DE ABRIL DE 1865.
Per annt pago dentro de 10 das dil.'m ,.....191000
Porte ao correio por ib auno.........., 3 J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marqoes da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de l.emos Bftga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maraoho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Gsraldo Antonio Aires S
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL. J
Alagoas, o Sr. Claodino Falco ias; Babia, o
Sr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparloho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanoa as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbnns, Bnique, S. Bento, Boro
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
P d'Alho, Naxareth, Limoeiro, Brejo, Pesqaeira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ourieurv, Salgueiro e Ex, as qaartas
fe/ras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
ora da urde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quinta
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
* Qnarto cresc. as 10 b., 89 m. e 22 s. da t.
11 Lna cheia as 2 h., 17 m. e 82 s. da m.
18 Qaarto ming as 9h., e 16 m. da t.
27 Loa nova as U h., 53 ra. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Helago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jnlzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphios : tercas e sextas s. 10 horas.
Prltneira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: qaartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
17. Segunda. S. Aniceto p.; s. Fortunato m.
18. Terca. S Galdmo b. card.; S. Anthia m.
19. (Juarta. Ss. Expedito e Arislonico mm.
20. Qulnla. S. Ignez do monte Policiano.
21. Sexta. S. Anselmo are.; S. Abdecalas m.
22. Sabbado. Ss. Soler e Caio pp. mm.
23. Domingo. S.Jorge m.; S. Adberto b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as II horas e 42 m. da manha.
Segunda as 12 horas 6 e minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROBv
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 t> 82 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, mareo, malo,
jalho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filbo.
PARTE GFFICIAL
G0Y1UI0 DA PR0T11CIA.
Expediente do dia 17 de abril de 186o.
fflcio ao coronel commandante das armas.Sr-
vase V. S. de providenciar para que me seja apo-
sentada cora urgencia a relaco, que solicita no
officio por copia incluso a direcgo da Associago
Protectora das Familias dos Voluntarios da Patria
estabelecida nesta provincia.
Dito ao mesmo.Sirva-so V. S. de mandar addir
ao 4o batalho de artilharia a p, aflm de segui-
rem para a corte, quando forem as praeas do mes-
ino batalho, es inferiores, cadete e soldados do
corpo de guarngo mencionados na relagao junta,
os quaes se offereceram, segundo con dos re-
qaerimentos annexos ao seu offlcio de 12 do cor-
que faz o capitao do batalho sob sea commando, i do porto, ou pelo tenente-coronel reerutador, nao
ManoelThenorio de Albuquerque Halte, para lomar pode ser' tomada em consideracao a sua peticio,
parte na guerra em que se acha empenhado o em quanto nao declarar qual a autoridade que o
paiz, tenbo a declarara V. S. para o fazer constar recrotuu, e onde se acha orecrula.
ao referido capitao, que ser tomada em conside-
raco a sua offerta quando se hoover de designar
os offlciaes que lem de marchar cois o contingen-
te da guarda nacional.
Dito ao director do arsenal de f tierra.Forneca
V. S. a enfermarla militar da provincia das Ala-
goas, como se determinan era avise di reparticao
da guerra de 31 de marco ultimo, os ulencilios e
mais artigos constantes da nota por copia in-
clusa.
Dito ao commandante do corpo de guarngo do
Piauhy a bordo do vapor Tocanttns. Sirva-se I
Vmc. de informar acerca do que pede Bento Jos
Ferreira Lima no incluso requerimento.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetes a vapor.Pdem Vmcs. fazer seguir para
os portos do sul e norte os vapores Tocanttns e Pa
Ursino Teixeira de Barros.De-se.
EXTERIOR.
RIO DE PEBKA1HBTCO
BAMBtUBOO
de
rente para tomar parte na suena aue se acita ao ran' n9je a nora indicada em seus offlcios de non-
snl do Imperio.
Dito ae raeamo. Determinando o governo Im-
perial, era aviso da reparticao da guerra de 4 do
cacrente, que ao cidado Porfirio Mendes Martins,
alistado no corpo de Voluntarios da Patria, se louve
os dignos seniimentos de abnegaco e patriotismo Ine us mezese "cend com a 8ra,ltlcaSac
que manifestou, renunciando nao s o praso de ter-' Pfreebe para vir a esta capital presentar u
ras, como tambera a gratiflcaco que Ihe d di- T e sobr1,.n,1 P> Voluntarios da Patria, d<
_--_ .____.. uhP m ? Iln n snnn inania ftairar om can liinir na^nq
lem datados.
Portara.-O presidente da provlocia, atienden-
do ao que requeren Jc4t Baptls do Amara!, pro-
fessor publico interino da cadelra de instruego
primaria da villa de Ingazeira, resolve conceder-
Ihe dous mezes de licenga com a gratificago que
seu B-
, deven-
reito o decreto n. 337f de 7 d'e Janeiro ultimo, as- Jo o supplicante deixar em seu lugar pessoa ido- vereiro, achando s"no dia
sim o communico V. S., aflm de que d a devida Dea a JUIZ0 do Jele?a(,o JiUerano.-Fizeram-se as
execugu a semelhante disposigo. I necesarias commuoicacoes.
Dito ao mesmo. Declaro a V. S., em addita-1' --Os Srs. agentes da companhia Brasileira
ment ao meu offlcio de boje, que os Voluntarios e C?'?etes a vaPr' acam transportar "o vapor
Maooel Saturnino de Albuquerque, Manoel Fran- rDc"'',n*. por conta do ministerio da euerra para
cisco Vilella e Manoel Jos da Paixo, devem ser ^"^a o 2 cirurgiao do corpo de saude do exer-
incorporados aos Indios, que se achara acuartela- clloluFirm|no Jos Dona e sua familia composta de
dosnoquartel das Cinco Ponas sob o commando i mulhe[ e?eis fllnos menores, concedendo a urna
do tenenie de polica Manoel Germano de Miranda. I *obr'nha do mesn>0 doulor, Francisca Valeriana
Dito ao mesmo. D V. S. as suas ordens para '. 1Alv,m a Pas^gem de r que existe vaga em
a <,.; ,m hm4m ...,n rtomA ^~, vJi no vapor, licanOo sem effeito a portara que a se-
melhante respelto se expedio em 4 do correnle.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte para a edrte
no vapor Tocantins em lugar de proa destinado a
passageiro de estado a Guiiherme Luiz Barcoie,
que consta ser desvalido.
Dita.Os Srs agentes da companhia Brasileira
de paquetes, facam transportar para a corte por
ultimo, por roDseqoucia dons mezes I^ es')ecial do orcamento para 1865 aprsenla- cao des agricultores do Dourclmn se ao?edar o L,-de eSCm ?s e J2ao Pereira Mout.nho, em
(, passaram^e antes^quea Prossia. em J"ovJ1erno' de ^belecer certos pontos de projecto di lei sobre o^^nm^S"\\SM m^^a-6L-A qamtn a'nVi-
na h* f a esma' e de apresenta-los cmara mmente apresentado ao parlamento Dlo mmistrn < CA',^ a
dos deputados para resoloco. das obras publica win^tnTiJiMtilJtFSEL ,h Ulr do me?m?'. re>eendo informacSes da
Para esse fim, ella redigio urna expos.co mui estudo do qua projecto havia anteriormenfe^Sn 'he'0UrarLa Prvjcal cerca dos l.miUs marcados
circumstanciada da posigo financeira do estado, nomeada na^wmwash^midmL KS pa" a col?ranca das "*s na cidade de Goyan-
wsaroindo as conclusoes, cuja approva5o propr competentes comm,MO comPos>a Pessoas na, era referencia ao offlcio n. 42.- A' quera fez a
i me'smas exigiao urna dimnuicao do orga-1 qoe t4^tS^Smmm^tSKit.' -fi1? rae?m?' .transm.i'? que sejam vaccinados sem demora todos os Volun-
tarios que forem sendo juramentados.
Dito ao mesmo. Queira V. S. informar acerca
do que pede Jos Miguel Rodrigues no incluso re-
querimento,
Dito o inspector da thesouraria de lxenla.
Mandd V. S. pagar sob minha responsabilidade,
nos termos do decreto n. 2884 do Io de levereiro
de 1862, a ajuda de custo a que lem direito o Dr.
Joan S.lveira de Souza, como deputado assembla conla do ministerio da guerra no vapor Tocantins
eral legislativa pela provincial de Santa Cathari-, J c,ro1rK|o,es do crPo de sade do exercito Dr.
na, visto assira o haver solicitado era offlcio de boje.! Prades Gomes de Souza Pitanga, Manoel Ber-
Dito ao mr.smo. Tendo sido acceito o otTer/ci- na,:d,.n0 iitr,e os desertores Jos Marta, Joo
ment, que fizoram os empregados da recebedoria ^nir da *"va e ,0* "'.> IVascimento, per-
de rendas, de 10 por cento mensaes, deduzdos dos nte, o i: M 2 baulhao, o 2 ao7, e o ulti-
respectivos ordenados p,ra as urgencias do estado, < mona, 9 Aod^s ,DaDtia- u.
em quanto durar a presente guerra: assira o cora- ., l,a-s Srs.. agentes da companhia Brasileira
munico V. S. para que, em nome de S. M. o Im- de Pa1aeles mandem dar transporte para a cffrte
perador. e de conformidade com o aviso da repar- i por. conla "2 roi0'Ster10 da eaern no vapor To-
ic.io da fazenda de 21 de marco ultimo, aeradeca c?nttns a|feres Pedro de Alcntara Tiberio Ca-
e louve aos Teferidos fraprecados por esa nrova vuuu e as pracas.de pxet .menciaoadas na rela-
de subido patriotismo. 'cao junta por copia, e bem assim ao H il lo
Dito ao mesmo.-Ao coronel do estado-raaior de *l'>a.,alnao de artilharia a p Augusto Vicente Ma-
2' classe, Antonio Gomes Leal, Heve V. S. mandar Salnaes- Comraonicou-se ao commandante das
abonar, sob minha responsabilidade, as vantagens armas.
de commandante de corpo a contar de 14 de marco' Ulla--Us ,rs- agentes da companhia Brasileira
ultimo em diante, visto que elle assumio nessa data de Palueles a vapor, mandem dr transporte para
o commando da f jrca de Voluntarios, de que fo er- a c0L,e por.con,a do ministerio da guerra no va-
ganisado em 20 daquelle mez o corpo n. 1 que ac- p0T Zoc"nlins ao 2cade'e Miguel Leopoldo Lima
tualmente commanda : o que declaro V. S. para ?-s_0Ldad Anton, Augusto da Frota Meuezes, que
21 de maree de 1865.
De 21 de dezembro do anno passado at 21
fe vereiro
completos, passaram-se antes q
resposta nota austraca da primeira data, reali-
sasse a formulario das exigencias que julgava de-
ver eslabelecer respeito da futura relacio dos
ducados para com a Prossia.
Essas exigencias tambera hoje nao se tornaram
anda publicas em sen texto authentico ; mas en-
treunto ha milito j nio existe nenhuma duvida
acerca do sen conteodo, e quanto a esse respeito re-
ferimos na nossa ultima, achou plena confirmado.
A Austria soube decidir-se com maior rapidez.' J
no da 5 do correte, parti de Vienna a resposta
ao despacho de exigencias prussiano de 21 de fe-
vereiro, achando se no dia 7 em mos do presiden-
te do conselho prussiano, o Sr. de Bismark.
Era-Vienna precisara-se pois s de dez dias para
tomar sua resoluclo, e essa resolucao de certo mo-
do atravessou os clculos prussianos.
E' cousa difflcil a comprehender, sobre tudo para
os que se achara de fora, que em Berln, ainda,
que nao se esperasse a aceitacao das exigencias
prussianos pur et stmple, se contasse entretanto
com sua adopcao como base de futuras
coes.
Tanto mais penosa foi a
o caso, ella nao qner que se empregue
Em todo
violencia.
A Isso tudo, qoe recommenda alto urna aeco
onsada para o exterior, accrescem as difflculdades,
que continuaoj, da questo parlamentar interna
da Prossia.
O conflicto com a cmara dos deputados conti-
nua, e cada sesso da mesma at agora s serve
para torna-lo ainda mais acerbo.
Sobretudo notaveis a esse respeito foram as dis-
cussoes dos ltimos cinco dias da
sada.
Achava-se em discusso
commlssao da orcamento.
Como j dissemos em outro lugar, essa commis-
ha achado por bem, antes de entrar na dis-
semana pas-
relatono geral da
SSSSg! aTOa' 10 kiloramasl00reise | "a. Teixeira de Mello, Antonio Vctor, G. Cam-
Esta proposla de lei foi largamente debatida na c?i .' ^9D5alv1es da Silva, Rochael, Araujo Barros,
assembla geral daImtuS A Smi ^ I SlJl*^55,'.lta*LBa,TO* Netto, BrandSe, Brito.
qual concor8reram ^S^X^ZS^ISf^?^^ ^ *bl
res, e como de prever, a grande maora da as-! q- -onseca' e Nabor
sembla declarou-se avessa idea da lberdade de
commercio de cereaes. Foram varios os alvtres
apreseniados para modificar a proposta do gover-
no em favor da agricultura portogueza, resolven-
do se afinal que a mesa, em nome da associcao,
dmjrisse nesse sentido represenUcoes s cambras
legislativas.
Na Regoa, houve no dia 12 de marco urna reu-
niao dos delegados das municipalidades do paiz v-
nhaieiro do Douro eonjunctamente com a associa-
0 Sr. Presidente abre a sesso.
Sao approvadas as acias das duas sessoes an-
teriores.
Comparecem depois os Srs. Amyotbas, Jacobina
Sa Pereira, Cunha Teixeira, e Soulo Lima.
OSn. I secretario d conta doseguinte
EXPEDIENTE
M offlcio do secretario do governo, remetiendo
araformaco ministrada pela thesouraria provin-
1 acerca da eliminago do imposto da casa de
ment militar, e .embravara a necessidade de des- 1~~^" *Zmm^^l^ZS^ZMtZl cama anlcipal de*U cidade, acerca da cora-
pesas ma.ores para ins productivos. os bons principioiem queHnjoda o almdido n o' Sft encarreada de e"ar o estado da secre-
nftl%fmK!empoTeco?men,!avamadimDa'5a() jeoto, aceitara'era imTSmSSS 2?i M TU* "2?" cc"P gerencia ao offi-
oq antes abol.cao de alguns irapos.os excessiva- suje.tando esla, na m,^t^LTSSSS; H^drfaTSSaSflft ,
dos viohos do Douro. a uro comolexo de mwlirias mesmo, remetiendo a informacao da
legis.alvas, alguma^ lESSSbT I +gt&S *P Z2& '*
Por fim deliberou a assembla que se represen- S.icio Q Varejao.-A' quero fez a
mente onerosos.
O ministro das lioancas, o Sr. de Bodelschwngh
decterou que todas as exigencias -ram inadmissi-
Wh e-yw toa aoeitaejft de parte da cmara dos tasse pedindo algumas modificacesno projeco'do
d^pniados, era lugar de diminuir o conflicto com o governo, tendentes a minorar os efTeilos aue de-
governo, tornara o mesmo anda mais forte. vera sentirse na passagem do actual yltoma ero-
di i'.Mm J ?e aChaVa a'nda, con?lu.idaJno ,ec'"- Pa o da i berdfd "daU^nSSm!n\o
da 18; mas como a maior parte dos chefes dos dos vinhos do Douro ------7
SSS&JPJtt!' n mai0ria, h Parlid0 Em conlraPos?3o ao resolvido as duas reunies
SuTaXrsS s. rZ ,wq2erd' Se dec arara-m aclna mencionadas, e tendo j o anno passado pe-
3Mun^M2? d cemraissa. nao d do na respectiva consulta a livre exportacao de
*Miii5 g : vinhos ^U barra d8 Doan>. acaba de resolver a
-sorpreza, que a resposta .* d^"ssaomtom?u Por veies um caracter e"es" iun'a eral do dlstriclo do Porto o enderecar ao
da Austria cont.nha urna recusa, ainda que mu eB_le, 'empestuoso, e accentuou-se repetida- governo urna consulta especial, indicando como
ponda ; mas por isso nao menos positiva. O
negocia-
mente
,meio deobstr iSS^3^tSStJ^
de de Mensdorff declaroo simpesment'e, quedas exi-' 111^'3 P0?sivel uma conciliacao, ella devia' negar zando sobre os gneros amenticios"i
gencias prassanas erara de natureza, que a Aus
tria devia recusar de negociar com a Prnssla sob
suas bases; que ellas nem correspondiara com
direito federal, pera eram compativeis com os u,-
reitos de posse-coromum, adquiridos pela Ans-'" racao'
tria. icrinie.
uma tal com o actual rainis-
1. Que
cussao do
o governo promova quanto antes a dis-
projecto de lei sobre cereaes, que pen-
decididamenle
teo.
di- i &L2* *y* ^J^^^S/kn^S^ > *QM PWpSta a dmiDoitio dosdireitosdo
que um passo semelhante sena um hacalho, tanlo quanto seja possivel, tendo em vis-
ta as exigencias do consumo
ao mesmo tempo o conde de Mensdorff
"Pressarae.nle desejo da mais prompta possivel
repetio' Doutro lado naP se occullou de parte minis-
terial, que s se julgava possivel uma conciliacao,
3
4."
~T"V mw *vsaiuiaiu
Que se permuta a livre importado do gado;
ue se facam reduzr convenientemente os Drummond :
Outro do mesmo, remetiendo os orcamentos de
receila e despeza da cmara municipal do Buiqne
do exercicio de 1864 a 1863. A" commsso de
orgamento municipal.
Um requerimento de Jos Rodopiano das Santos
irmao da veneravel OrdemTerceira do Carmo des-
la cidade, pedlndo a revogaco do arl. 14 do com-
proraisso approvado o anno passado pelo art. 38 da
le do orgamento. A' commsso de negocios ec-
clesiasticos
Lem-se e icam addlados os seguintes pare-
C6r6S"
As eomm;ss5es reunidas de legislagao eorgamen-
to provincial, examinando com toda aatteocao e
requerimento apresentado pelo Dr. Antonio do
Vasconcellos Menezes de Drummond, em que pede
a esta assembla que desapprove o contrato feito
pela presidencia da provincia com o Sr. Dr. Fran-
cisco de Paula Salles, para a publicacao do ndice
, alpnabetico das leis provinciaes. Pondera o Sr. Dr.
conclusas do actual p'rovis wto no SchJeswTg-Hols' 5b bJase da condescendencia sem reserva da cmara direitos sobre os produ da* u risa estran-1
tein, lembrando o dever das duas grandes potn- dos, leputadps na questo militar. geiras que em nadiSSaram%ito^Z^-Un^ESP*&i?aM2$* e-mJdala de 8 d -
cas aliemes de dar aos ducados o leu legitimo so- for fi T,s,e v' T exis,e nenharaa chaD5a \ 5ue nao sejam nm7Sk ou oSee anSar SlSUrZ P dlT PQbl,ea5a ^ condiC5es
berano. u pe solucso final do conflicto reinante. da proteccao das pautas /a tenham n^S !?.*!? i^' de ^3Se ao con,ra,' e 1ue s
Por ora nao de nensar n'uma retirada do mi-! om kSZS, pau,as Bao lentlim P"Prado em 11 de jutho o Exm. Sr. presidente despachou o
vao reunir-se ao corpo de voluntarios do Ceara' a
que pertencem.
Experlienle do secretario do governo do dia 17 de
abril de 186o.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mlilir a V. S. as sete inclusas ordens do thesouro
nacional, sob n. 33 a 40, menos a de n. 37. bem
E simultneamente com essas declaraces ao oa-' ,. ora, na
55SWW for-am. pedida ao commlssaro 2'^ie.^ ?21H?!??!? da anM.ra_ tt?JPW? I Era um mehng que ltimamente se effecluou' -1- -mln,0> mandando que o supplicante juntas-
civil da Austria em Schleswig, barao de Halbhuber
instrucges positivas de velar, que possecora-
mum austraca fosse guardado todo o seu valor
pratico, oppoRdo-se elle enrgicamente a qualquer
eventual tentativa particular do comraissario prus-
siano no sentido de borusslficagao dos ducadss.
Assim como, em quanto a Prussia seguir a tc-
tica de tratar bruscamente os estados secundarios
da Allemanha, em Vienna sempre se esforgaram
de nao deixar resfriar inteiramente as relacoes
com esses estados, agora essas relagoes
nao de pensar n'uma retirada do mi- j era Portugal.
01 Em um n
, mesma s seria a reele.go j Ltafstencta,"omew.sTum'a"
5S2JJS5 ***>> para "trata'r d'a'qe's" | "f(KJ constando-lhe
novo das
Ihe tinhara adquerido
Alsen.
as
Tambem a se comega
Biso
ter execugSo.
Dito ao mesmo. Em vista do prel junto em du-
plcala e nao havendj inconveniente, manda V. S.
pagar sob minha responsabilidade, nos t-rmos do
decreto n. 2884 do Io de fevereira de 1862, os ven-
imentos relativos a primeira qninzena deste mez
dos Voluntarios da Patria nesta provincia.
Dito ao mesmo. Aunuindo ao que solictoa o
hete de polica em offlc.o de 13 do crreme sob
n. 5i4,recommeodo a V. S. que, em vista da rela-
cao junta em duplcala, e n.io havendo inconve- directora geral" das rendas'pnblcas Brwd m3' Provisor'amente se limitar a "conVidarw%over-
niente, mande pagar a Manoel Jos3 dos Santos a deste mez. nos da Austria e da Prussia para darem dieta
qmntia d,- 163000, provnieote das dianas abona- N. I25.-Dto ao I* secretario da assembla le- esclarecimenlos acerca das suas intengoes para o
das aos recrutas Jo- Joaquim da Silva, Isidoro gislativa provincial. -Transmuto a V. S. de ordem fu'uro na questo do Schleswig-Holstein.
?s dos Sanios, Manoel Ignacio Galvao e Gon- de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, para ser Para ponderar devidamente o procedimento a se-
presente a essa assembla, a inclusa informagao
se mais intimas, significando se-lhes'.que nntttr- au(:a,?osera favor da Prussia poderla por
curaspecta rehabilitago da questo do Schleswig- sceP"smo que se propaga, e procura ao ministerio
Holstein na dieta, nao encontrara mais opposicao B uma "ov" eleCao ainda que nao a maoria; mas
de parte da Austria ; smenle qoe esse proced- sempre de algum modo uma minora de pezo menor
ment nao dova^passar alm dos limites da poli
tica ate agora seguida em Vienna, e que fosse evi-
tada toda intil provocago da Prussia com a qual
nao se quena por ora um rompimento aberio.
Segundo rjizem, houve a esse respeito um accor-
como uma outra do ministerio dos negocios da fl. "a 1uesiao principal, e a Baviera se encarrega-
guerra datada de 8 do corrente, e um offlcio da' ria de apresentar na dieta uma proposta, a qual
calo Jos de Barros, que, tendo sido remetlidos pa
ra esta capital pelo delegado do termo do Buiqne,
foram apresentados ao coronel commandante das
armas para serem alstalos no exercito, segundo
consta do citado offlcio. Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao mesmo. Restituo V. S. o pret era du-
plcala, a que se refere a sua informagao de 22 de
margo u'timo sob n. 189, aflm de qoe, de conformi-
dade com ella, e em vista do que soliciiou o com -
mandante superior da comarca de Nasareth em of-
licio de 6 do citado mez, expega sua- ordens para
que pela colleclora daquella cidade seja paga a
importancia dos vencimenlos de urna escolla de
guardas naconaes, que conduzio para esta caoital
os recrutas constantes da inclusa relago, os quaes,
segundo informam o chefe de polica o o coronel
commandante das armas, assentaram praga no
exercilo, menos o de nome Jos Joaquina de Olivei-
ra, que, por ter apresentado isengo legal, fo pos-
to em lberdade, cumprindo que V. S. nessa oeca-
siao mande descontar, na importancia do referido
pret, acuantia de 83000 lirada para fardamento a
que nao tem direito a mencionada escolta, como
se v da sua citada informagao.
Dito ao mesmo.Transmuto V. S., para o fim
conveniente, o incluso pret em duplica!-, que me
remeileu o coronel commandante das armas com o
offlcio de hoje. sob n. 638, tirando vencijj ntos re-
lativos primeira quinzeona deste mez para os Vo-
luntnos d Patria a cargo da companhia de art-
fices.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. -
Accuso recebido o offlcio de 12 do correnti e sob
a essa assembla, a inclusa
mioistrada pela thesouraria provincial relativa
mente a eliminagao do imposto da casa de venia
de escravos pertencente a Joo Pereira Moutnho,
bem como ao numero de escravos exportados pelo
dito Moutnho no exercico prximo Ando c no
corrente. Fica assim satisfeita a requisigo da
mesma assembla, constante do seu offlcio de 4 do
correnle, sob n. 61.
N. 126-Dito ao mesmo.Passo asmaos de V.
S. em addilamento ao meu offlcio de 6 do corren-
te, sob n. 110, e de ordem de S. Exc o Sr. presi-
dente da provmcia para ser presente a essa assem-
bla as inclusas informagoes prestadas pela the-
souraria provincial acerca dos limites marcados
para a cobrauga das dcimas na cidade de Goian-
na a que se refere o offlcio de V. S. de 24 de mar-
go, sob n. 42.
Dito ao Dr. Ignacio Firmo Xavier.Pela secre-
taria do governo se communica ao Sr. Dr. Ignacio
gulr, o gabinete de Vienna tinha chamado para
Vienna seu enviado junto dieta, baro de Ku-
bek, assim como sen enviado em Munich, conde
Blome.
Os raesmos deviarn vollar j para seus poslos, e
por isso pensa-se, que a proposta da Baviera nao
tardar de ser posta era scena. Elretantoo minis-
terio prussiano tambera chamou para Berln, na
quinta feira passada, o seu enviado na dieta, Sr. de
Savigny, segundo se julgar, para se entender com
o mesmo acerca de suas instrueges em frente da
proposta da Baviera.
Eat claro que era Berln nao reina bom humor
por causa disso tudo.
Ali, ponco a pouco, tinham folgado de um opti-
mismo, ao qual nada pareca impossivel, que a
Prussia desejava.
Pensava-se dever manifestar nicamente sua
vontade, para eslar certo da condescendencia aus-
traca, e da condescesdencia de todo o mundo, e a
e qaetao al afsiltfambem ninguem se engaa, no
que a consequootKmesma s seria a reeleigo to das MtafstMcta"nmew^ ; <^a^YTl^']he seI PreleQdenle o Sr. Dr.
da maior daM9dos deputados actual. para em prximo ^/"CaTesentar^o seo DX %22? da Presidea. seria Ilusoria a
Fal sobretud ^^psati BM0 parado oa questo obre tolwamnie3^n i apresentagao da sua propos, porque ella aerveria
do Schleswig-Hplstein, qoe privn o ministerio de j No anSo economim d 1MK Ifirfi haverS ,^Hk^^^l*w^i*a- syropathias, que durante a.gum terapo !diAVtoS^TeSo^di^S! 3Prresen'a--. e er a preferencia que se Ihe quera
victorias de Duppe. e Je gado suino, no Porto,; SS de Jo vaceura % Qe n5o precedeu ao con,rat pub| Q
da poltica 6ismark m'J&r^^S^^SiSSi 2S^fiM ^
10 miDisleno -slssSSSa! 52 r Bwas: ttKKSK
te d iT r,hr n^'J 'mPorlan,e d0, nor- Para promptificar o ndice alphabet.co pela quan-
facosno' 5SorSS W-tSS2?X|S. P*f t !ia d3:0. =Jo requerlraenlo foi indeforido por
riw i.rma naii a ter *", , ras primas: nelles empregadas prefizeram a quan- mesmo anno.
oneranns e omrDrt'Oci,.C0mbUSUvel' S jrnie5 a ^ ^ue tendo rePlicado offerecendo-se para fa-
7-6*8A4lft flnteZ3S sommaram............. o trabalho por dous tergos do valor do contra-
G5:OoS S ,mPor,ar3m em..........,,0. domonsirando as suas nllidades radcaes, leve
flmnJnrtT'n h.u a a por despacho do mesmo Exm. Sr. vce-presidente :
segunao o balango, o activo da companhia e de-------
212.-50C317 e o passivo de 203:4o8i)057, sendo
o9n c??!egainl6 a coala de ganhos eperdasde]
9.0483180, em vista de cuja quantia vai ser des-
tribuido aos accionistas um dividendo de 10 por '
cento.
Firmo Xavier, que o governo imperial como cons- 'mprensa offlciosa asss Ihana, para dar expres-
tou de aviso de 4 do corrente, louva e agradece 01** sorpreza, que se sent, que as cousas nao vao
eferecimenlo que Tez S. S. para prestar seus ser- !como sc pensara que andariam.
vicos mdicos, independente de qualquer honora-
do que at agora.
A esperanga, que se ligava ao offerecmento do
minslero austraco de rscar do orgamento das
despezas para 1863 mais de 20 milhoes de florins,
alim de accomodar o conflicto com a commsso
financeira da cmara dos deputados nao se rea-
lisou.
A ollera do ministerio foi tomada dependente de
se Ihe conceder o direito ampio para vi amentos,
Islo o autorisagao de empregar as sommas con-
cedidas para os diversos captulos e ttulos, no caso
de nao serem despendidas completamente para os
respectivos capitulos e ttulos, para cobrir as des-
pezas maiorcs eventualmenle necessarias para
antros.
A exigencia, segundo a nalureza das cousas, s
fora feita excepconalmedle para o orgamento do
anno de 1865; mas a commsso das fioangas pen-
sava dever recusa-la, declarando que se poderlam
realisar ainda raaiores economas, do que o minis-
terio offerecera.
A quesio vai ser submetlida ao pleno do Rei-
chsralh, e esta-se curioso para ver como o mesmo
se haver a respeito do procedimento da sua
commsso:
i Entretanto correm boatos, que o Sr. de Schmer-
ling entregara sua demisso como ministro do
estado.
i Tambem j se menconam as pessoas, que se-
riam destinadas para entrar em seu lugar, de um
lado o conde Belcredi, d'outro lado o baro de
Poche.
Al agora falta entretanto a confirmago.
no, as familias dos Voluntarios da Patria que na
ausencia delles possam precisar de soccorros da
medicina.
Porte, 26 de mareo de 1863.
As duas cmaras da parlamento apprevaram o
E orna parte da mesma nao quer ainda acredi-
tar, que a atlitude negativa da Austria seria, e
v n ella smente uma posico passagera, calcula-
da para augmentar para a Prussta o valor do ac- j subsidio de 73:5503000 proposlo pelo governo pa
Dito aoeogenhriroDr. Gervasio Rodrigues Cam- cordomais tardo da Austria : oulra parle ameaga,! ra a exposigo internacional, que era agosto do
pello.Pela secretaria do governo se communica e da a entender que se a Austria nao cedesse de I corrente anno se deve abrir no palacio de rrystal
ao Sr. Dr. Gervasio Carapello, que o governo im- nom modo, sua resistencia seria rompida pela for-! portuense.
perial, como constou de avisos das reparlig5es da ca> do mesmo modo como a resistencia dos estados' Em ambas as cmaras solTreu impngnago
guerra e marinha de 6 do corrente, louva e agr-' sec|1ndaros. -aquella proposta com o fundamento de ser ainda
dece a patritica e generosa desistencia que fez S. Ess.as ameacas, naturalmente, nao tem Importan-'sdo pa se fazer a exposigo, por sso que os
S. emquaoto dorar a guerra do sul, dos vencmen-' *i,a, a* Pr 1ae contra a resistencia da Austria,' trabalhos do palacio de crystal nao eslavam con-
tos que Ihe compelirem como encarregado das da Coofederaco Allema, e da grande maiorla da i cluidos, e nem a industria portugueza tinha tem-
que nao Ibe competa annullar orebntratos ce-
lebrados pelo seo antecessor.!
6." Que o contrato foi feito clandestinamente
com o secretaria da presidencia, quando j consta-
va officialmente ter sido demittido o Exm. Sr. Dr.
Domingos de Souza Leo do cargo de presidente da
provincia, nao devendo ento praticar acto algum
que nao fosse de mero expediente.
7. Que em vista da carta regia de 28 de dezem-
bro de 1686 e regiment de 27 de abril de 1799,
art. 2o A, devia ser admellida a proposla do sup-
plicante, em que se olferece a executar o trabalho
por 2:6003000, quantia menor do que os dous ter-
gos do valor do contrato feito com o Sr. Dr. Sales
na importancia de 4:0003000.
As commissoes considerando que a demora de
33 dias que houve em se despachar o requenmen-
! to do Sr. Dr. Drummond, cora quanto esteja prova-
im Lisboa bem como no Porto trata se de da, e as commissoes recenhegam ser excessiva,
nao podendo ser justificada
A drecgo desta companhia vai emitlir 120 ar-
ges de 5003000 cada uma.
A receila da companhia Bonanca, de Lisboa,
foi, no anno Codo 73:4403235; e as perdas......
40:1533890 havendo, portante, o lucro de........
28:2843343 que habelitou a sua direcgo a fazer o
dividendo de 123300 por cada titulo de cinco ac-
gees.
A companhia de reboques martimos e flu-
viaes do Porto abri o pagamento do dividendo de
18 por cenlo ou I8>000 por acgo, relativo ao an
no prximo passado.
n. 145, em<|ue V. S. me parlcipou haver Fraucis
co Alves de Miranda Varejo.daudo por fiador o obras do melhoramento do porto desta' provincia,! Populagao do'Schleswig-Holstein," coja "alTtud'e du-' po para sa fazer representar dignamente, sendo
cornmendador Manojl Jos da Costa, arrematado a ou por qualquer oolra commisso temporaria ou 11.??./' aida mais fortificada pela rejeitago alm disto insignificanlissimo o snbsidio pedido.
obra dos reparos de qoe precisa a cadela da vi la
do Cabo con o abate de 19 pjr cento no prego do
respectivo orgamento, e em resposta tenho a dizer
que approvo essa arrematago.
Dito ao commandante superior da guarda nado
permanente de que fr encarregado.
Dito ao padre Joaquim Mauricio Wanderley.
Tendo o governo imperial approvado, como cons-
tou de aviso da repartigo da guerra de 4 do cor-
rente, a deliberago que tomou o Ezm. Sr. presi-
austnaca
pas exigencias prussians, em" Berln
nao se tem poder insufflcente, alm disso nao se
deve deixar de vistas o exterior, e diversos indi-
cios denotara sempre mais claramente,-que o mes-
mo nao favorece as tendencias prussians. A esse
nal do Recife.Determinando o Exm. Sr ministro dente da provincia de aceitar e agradecer o offere- respeito causn sobre tudo sensaso urna novissi-
da justga, em avie de 5 do corrente, que seja Ion- cimento feito por V. S. da quinta parte do seu sol- ma manifeslagio da Inglaterra,
vado era nome do governo imperial o alferes do 1 do como capello alferes reformado do exercito,
balalhao de reserva da guarda nacional sob seu para as despezas da guerra ao sul do imperio, as-
commando superior, Joo de Castro de Oliveira sira o communico a V. S. de ordem do mesmo
Exm. presidente.
Guimares, por se ter offerecido para o servgo ac-
tivo, renunciando qualquer remunerago que por
ventura tenha direito; assim o communico a V. 5.
para que d a devda cxecygo a semelhante dis-
posigo.
Dito ao Tenente-coronel commandante do bata-
rtio n. 31 da guarda nacional.Approvo a medi-
da que, segundo o sen offlcio de 29 de margo ulti-
mo, tomou V. S. de reunir a guarda nacional sob
Despache! do dia 17 de abril de 186b.
Antonio Jorga Guerra. Assignado o requeri-
mento feito ao governo imperial, volle.
Francisco Carueiro de Albuquerque.Remetiido
ao Sr. inspector da thesouraria provincial para
atlender ao supplicante.
Francisco de Assis Campos Cordem.Informe o
seu commando em parada, afim de ser lido em Sr. director do arsenal de guerra,
presenga della o decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro! Guilherroina Basilissa de Oliveira e Silva.In-
deste anuo, espero que os seos esforcos prodozatn; forme o Sr. director geral da instruego publica,
o desejado enVito. Joaquim Vfanoe! de Barros.Concedo dez dias
Dito 3o director geral de Instruego publica. de prazo, devendo este ser apresentado ao Sr. capi-
Designo a professora da primeira cadeira do Reci- tao do porto.
fe Claudina Nativa do O' Santos, para substituir a
da de S Jos desla ridade Joanna Justina de Si-
queira Varejao na eammiasao deexame de que tra-
ta o seu offlcio datado de hoje sob n. 117.
Dito ao commandante do batalhae n. 31 da guar-
da nacional de Aguas Bellas. Respondendo ao of-
flcio de 19 de margo ultimo, com que V. S. trouxe
Coronel Jos Pedro Velloso da SiiveiraD-se.
A Prussia e a Austria, assim como a todos os ou-
tros estados, tinham-se dirigido commummenle a
mesma, pedindo o reconhecimento da bandeira in-
terina para o Schleswig-Holstein, como se sabe fi-
nalmente foi convenclonada depois de longas dis
cussdes.
A resposta da Inglaterra foi afflrmaliva, mas tor-
nara seu reconhecimento dependente da reserva
expressa dos direitos das dietas do Schleswig e
Holstein, e o que em Berln ainda mais desagra-
dara, tambera dos direitos da Confederago Alle-
ma.
A reserva por si era Unto menos necessara,
tratando-se smente de um simples interino -, tanto
mais claramente sai aos olhos a importancia defi-
nitiva da mesma.
Tambem a Russia mostra pouca vontade de
apoiar de modo algum os planos do Sr. de Bis-
mark, e em cada occasfio que se offcrece, indica a
eslabelecer casas de correegao para vadios. Para
a projeciada casa de correcgo na capital, a inicia-
tiva parti do governo, mas para a que se tencio-
na crear na segunda cidade do reino, e cojos tra-
balhos vo j adiantados, deve-se essa iniciativa
ao actual governador civil do districlo.
As redaeges do Jornal do Commercio, de
Lisboa, e do Commercio do Porto abrirn subscrip-
ges a favor da viuva e quatro filhos do fallecido
escriptor o Sr. Sebaslio Jos Ribeiro de Sa que,
como quasi todos os homens de tras, morreu po-
brissimo. O Sr. Ribeiro de S era j ha annos col-
laborador assiduo dos dous citdos jornaes.
Deram entrada na cadeias da relago do Por-
to Feliciano Joaquim de Oliveira e Maooel Jos da
Silva, prouunciados pelo crime de falsificago de
chapas para netas brasileiras.
. Por sentenga do tribunal do commercio de
ser justificada pela importancia de
despachosimples que foi dado ao mesmo requeri-
mento, nao motivo para nullidade do contrato fei-
to com o Sr. Dr. Sales em30 de novembro de 1864,
visto que o despacho foi de 11 de julho do mesmo
anno : nao podendo portanto des demora ter re-
sultado damno algum ao supplicante, nem atropel-
lo na realisago do dito contrato :
Considerando que nao se pode admitlir ra f da
parle do goveroo, nao estando provada, e que nao
tendo o supplicante apresentado a sua propos
como Ihe foi determinado por despacho de 11 de
julho, devia a presidencia da provincia entender
que elle tinha desistido de sua pretengSo, princi-
palmente nao tendo havid > replica allegndoos mo-
tivos parque nao o fazia, nem ao menos a declara-
gao de que em tempo competente a apresenlada :
entendem portanto as commissojs que da supposi-
Snf0ide?luadI> .m esUd0 de.1uebra Sr- D-! 5o de ser musora a proposta,
mingos Jos Monteiro, commerc.ante da dita pra- zir Um motivo de nullidade nem de censura :
A alta excessiva de alguns gneros alimentares
de primeira necessidade produzio e rauto natural-
mente, a questo das substancias.
Andam em peleja rija os mais denodados aposto
los das duas escholasa proctecionis e a da l-
berdade commercial. Cada nma dolas hasleou a
sua bandeira de guerra nos arraiaes da imprensa,
e breve comegar tambem a lu no seio da repre-
senlagao nacional, lendo por base as propostas de
lei do governo sobre cereaes e vinhos do Douro.
Sao duas questoes velhissimas, mas que des vez
parece sero resolvidas no sentido dos bons princi-
pios.
Em Lisboa reuni se a real associago central
de agricultura portugueza para discutir o projecto
de represenUgo ao poder legislaiivo contra a pro-
pos de lei sobre cereaes apresentada na cmara
electiva palo actual ministro das obras publicas.
Pela di proposta de lei permiuida a exporta-
gao de cereaes, trigo, milho, cntelo, cevada a
aveia, debaixo de qualquer forma, pagando um
direito de 2 reis por alqueire. A iroportago dos
referidos farinceos, sendo em grao, sujei, du-
rante 4 anuos, ,ao pagamento dos direitos, ero es-
cala d3scente, estabeleridos por biennios n'uma
tabella que faz parte da mesma proposta de lei,
Jaaquim Manoel de Oliveira o Silva.Informe o resolugae pela dle allema, como o nico meio mas com o augmento de mais 10 por cento quando
Sr. director geral da instruego publica. possivel de uma soloco corree da questo do "
Miguel Jos da Mol Filho. Informe o Sr.' Schleswig-Holstein.
commandante superior da guarda nacional do Re- A Franca finalmente, observa, como antes, a
cife. mais stric reserva, a s de voz em quando, pe
Maria da Cruz.Nao tendo sido o filho da sup-; sua imprensa official. lombra o suffragio da popu-
ao meo conhecimento o patritico offerecmento piteante reerntado pela polica, nem pela capitana gao dos ducados.
reduzidos a farinba, era rama; e sendo espoada
mais 25 por oeolo; ftcando permanentes, no fim
dos 4 annos, os direitos mareados na tabella para
o terceiro besnio, e cojos direitos sao: trigo, 100
kilogramas 300 reis, alqueire 30res;-milhoe
centeio, 100 kilogramas 200 res, e alqoeiro 18,4
ga.
Os coramerciantes de Guimares, cidade im-
portante na provincia do Minho, traUm de formar
uma associago commercial. A confecgo do pro-
jecto de estatutos foi encarregada uma commsso
composla dos Srs. Joo de Castro Sampaio, Anto-
nio Jos Ferreira Caldas, Francisco Jos da Costa
Guimares, Jos Joaquim de Lima e Jos Antonio
Vieira.
Do relatorio apresentado a jun geral do
dislriclo de Coimbra v-se que no anno ecanomico
de 18631864 foi a receila geral de 21:2133393
e a despeza de 222373381, resultando, portanto
um defir.it de 1:0233988.
Ere 31 de dezembro do anno ultimo existam
1,209 expostos, ou mais 163 que em igual da do
anno anterior. A mortalidade foi de 124 expostos.
O rendimento dos estabelecimentos pos no anno
de 1864 prefaz a quantia de 35:7073361. As di-
vidas erara activas 19:715*702 e a pessiva.....
7:0023212. '
As contribuicoes municipaes no anno econmi-
co de 18631864 foram : direitos 14:2964406,
indirectos 41:0923693.
PERNAMRUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
33- SESSO EM 19 DE ABRIL DE 1865.
Considerando que o artigo 58 da le n. 5% de 13
de maio de 1864, que autorisou o Exm. Sr. presi-
dente da provincia a contrar a publicacao do n-
dice alphabetico das leis provinciaes, nada deter-
minando a respeito da forma porque devia ser ef-
fectuado o contrato, den ao governo toda a lber-
dade a este respeito, e que, tendo elle entendido
ser mais conveniente que as condigSes fossem pro-
postas pelos pretendemos, e assim resolvido, nao se
pode concluir que a lei nao fosse Belmente execn-
tada, nem que o contrato Qcasse viciado :
Considerando que nenhura motivo de censura
pode haver em nao ter sido publica lo. o contrato,
que foi submettido approvago des assembla"
no principio da sesso, e que tendo o Exm. Sr. v-
ce-presidente conhecimento official de sua existen-
cia Bada tinba que deferir ao supplicante qua se
offerecia para fazer o mesmo contrato pela quantia
de 3:000; :
Considerando qne mnilo bem procedeu o Exm.
Sr. vlce-presidente o desembargador Peretti, decla-
rando que nao Ihe competa annullar os contratos
celebrados por seu antecessor, nao julgando con
razao suficiente para mandar por em concurren-
cia a premptfleacao do trabalho ou conceder ao
supplicante a preferencia, o facto de ter sido apre-
sentada orna segunda proposta cora um abate de
mais de um largo do valor do contrato, nem acei-
tando como reaes as nulldades indicadas no reque-
rimento como radicaes :
Considerando qna o Exm. Sr. Dr. Domingos de
Souza Leo ainda eslava no exereiclo do cargo do
j presidente da provincia quando asslgnou^o con-
PRKSIDRNCIA DO SR. DR. rEHMHA DK BRITO.
horas a !| As 11 horas a l|t da manha, ,
da acham-se presentes os Srs. depntados Estevdo! Ihe eompetindo marear o dia da posse do Exro. Sr.
tranca, Francisco Pedro, DIodoro, J. do Rogo Bar- vice-presideB, e qoe o acto da celebrago do con-
ros, Buarque, Ribeiro, Armlnk, Ramos, toe Ma-! trato nessa poca, se pode ser xado de uso do
v

%


II

_
Mario de Pcrnambueo Quinta tetra SO ele Abril de S 865.
i ni
^
________
poder, forl Ifa nfatic qne sffrfffh aljwris presl-' Ddpdts deftrarro os Srs. Silva Ramo?, faeobina
dentes de provincia por coiwideracan fgrt ermos osnr Rieuu^ o projecto approvado.
sucesores, j ra.iis pode ser qualilkado cono ara Entra depois era ultima discusso e approvada a
almH iando erigern a ama nullidade do ooatraio-o neo* at urojecto a 16 des) nn, anrinde um
era a* {de admiuir o principio de que urna das crdito supplementar ao orcamenlo vigente na im-
par* wtratantes deva indagar se a- ootra asa do oortaocta *e4K|IOtTi. f*ra eseorwr dwpeza
creito qoe tem com toda as condlces da decoro com a verbaillaminacao da casa de detenco.
dignidade pessoal, como o supplicantc accusa a.
presidencia, mas rneme ae este direo real e
os poderes por elle cowJWMnr MtontcMareis :
Considerando que nAe ha identidade eaere os
contratos para execoajlo de navas e cobraacas
de itriiwmos, rom qiwai ais vantagens offefete r,
o o que leve i or fan a publicado 4 do aneare
alphabetico, que janato podam ser "frito. Ten-
do-se "in cdnsaefacfe simiente a alerta mis
barxa; aitendo-ns ejue a eaparldade rateme espe-
ciaes do pretendnrfe devisn ser tomadas tanta
cu mawr (Utosideracao, do que o valor da oerta,
aftendendo-se qne a respelto desias batiilttacSes
impaasKet aria liiar-se de urna maaeira incontes-
tavcl a supericridade de qualquer pretndeme a
m cniursio deata ordem ; atlendendo-se mala que,
m tendo le determinado a pes.-oa com quem
devia ser etlectuado o contrato, so a presidencia .
compela apreciar a questao da hatiilitaso dos l onte em eonstruecao entre a villa de Barreiros a
pretndenos segundo a conlanca que [be mere- ilha do Jarrtim.
cesse, e que o Sr. Dr. Sales por ser secretario da Vem mesa e andada a seguinle emenda :
presidoncia nao estava Irrtilbfffo de faier o contrato; Aecresrente-se :
entendem as commissoes que a ofcrta coaa o aba Mandando-se proceder pela reparticao das
de Vi P<* f*"'n (,o ra'or do contrato, Bao razio obras publicas a nm orcamenlo e flscalisacao do
para r aowrNae o qne fcl frito e comecou a | emprego da qoota.SHva Ramos.Campello.
vigorar para se celebrar oulre eem o Sr. Dr.
Drommond.
JU HlMftiaaa Jolgaw conveniente ponderar a
E' a y pro vado un segunda discussio o projecto
n. 30 acate anua, mandando restituir aos berdeiros
de Joao Vieira Urna 8:0005, qne laderamente
angaram coma sello da segado.
E' taaabern apprarado em primen discussia
o proj ecto n. 7 deste anteo.
Sao aero vadas as despensas a tateratfcio para
e anjee* sapas a renjuertoaeotn a Sr. Aranje
Barros, para a da n. 43 a reqnertrrmate do Sr.
Silva lasos pan la de a. 34 a raaserimeale
do Sr. Buarque.
0 Sb. Silva Barros, pela ordem pede qne seja
posto em discusso o projecto n. 10 deste anno.
0 Sr. PnEsmnrm Velara qoe attender ao pe-
dido frito pelo nobre depulado.
Segne-se a terceira discusso do projecto n. 23
deste aono, anrorisaodo o gaverno a despender a
quantra de 1:0005 para auxiliar aconstrueco da
cao, solicita como deve ser palada* poasatatafa.
sar aos seus raunicipes, nao aagara a puati hraat
ca, urna vez que d'ahi s poda prawr vasasgea A
populacao.
Com effelto, seraelhante cuuBaHl a
per forma alguma animadlo o txeapco
aos atravessadores de gneros de primeJra news*l-
dade, vista coroo o referida cawnaerciaato aaa po-
de ser roofunrado com estes, ane vio kmr do
productor o geaiera para veveaia-lo comadiffe-
mca de preco, ae deacna Otar em proaaHe do
eaasumidar ; aoraaanto a a^aetlcs geaavaa ex-
paatos por awttda do preea por jat sao aa presen-
te vendida a mercada palo praductor, ataai de
ser a porcia dla preestablecida, e a ver**de-
va earrer aaa a SataJisacia deaftnta da ajastna
caaura, panexcWr qaabpner reeeia da IBodsr a
concesso.
fjaao aM nao se achava, mas em outra casa em annos v>em-se sufrstrmld'os peto p do sepalchro.tWi Hermogenes Braulio Ferreira da
ataanu distancia. Chegndo a esta casa e adan- pelo nada da vida humana I
e>a tachada, espern o subdelegado da puitk m< E' triste, minio triste. Tfa moca, lio rtwfo de
Mba alo qne, Ihe parecendo Moraes, teve de praa- vida e de esperaaea-* ja soOreo x tai rmaosua
aa-tea aewetrando em casa nm corapanbero #0 toda homamdade II...
aaaaaa Moraes proenrou ver se ahi se enaaatrava O qoe veiobusearenlre 00*? o qoe leva era par-
nhrtro subtrahido ao vendelhao : nao foi en- tilha oeste mundo? dores... dores... depois mor-
te precatura.
contrado naalgibeira dopaaaaaanaa 11 nn rmdata do
rinle mil ris, mas nao aaaaa atpticsr roaeaV;
Ikiha Tsndo pofs interrogado fiaideclataeSes ane
eram asmenlidas pelas pessaaV a aoei sx pe-
tarla.
O areao foi logo remettida aaa essaa averlgan-
;oes aa digno Sr. Dr. chefe de paDcia, ase na tai
de tratdaas o mandou soltar, nameaa por aio
se teraa encontrado bases para sai procesan.
Eisaajne se passou. Baassea certoa a qoe
as haver homem sensato que nesse fado descu-
A oomcattMn qoe damos em segnida Sitos bra mooo* de censura para'as autoridades, aasia'
seminaristas designados pelo respectivo raitor, para como estamos certas de que o advogado nao que-
nas tardes do prximo Mei Mariano praticarcto so- j rer ter por hospede o cliente que Ihe mereeen a
bre as grandezas daMi da Deas. dedicacao, julgada digna de ser trazida a publici-
K por certo louvavel o zelo do Sr. chantre An* dade.
esta assembla que sobre o contrato era qnestao ja
fcouve este anno nn parecer roncloinao por um
provecto de li qne est em 2" discussio.
vjn iu iit (I i|UQ sota lmi at.*u.-.------
As commrsds reunidas s5o de parecer, em vis- emendas.
Encerrada a dtscussao appravado o projette e
regeitada a emenda.
Entra em terceira dtsenso o pmjerto a. 14,
creande urna cadeira na poroacao da Trwabetas,
com s emendas a presentadas.
Vem i ates* e sao apoiadas diversas ostras
dtrs eondieCes apresentadas qne nSo ha que de-
ferir na peticao doSr. Dr. Antonio de Vascencellos
Menezes de DrtrmiDoad e que se deve contianar a
discussio do pT' jecto n... deste anno.
Sila das comtfkissoes, 19 de abril de 1885.
CnrnpeHo.-BuRrqne.-Sa Pe reir.Costa Ribeiro,
Barros, (vencido).
A commisso de ordenados examinando a poti-
co de Joaquina Deiflna de Mello, professora de
instrarcao primaria de Fora de Portas, nesta cida-
de, em qne pede a esta assemMa para autorisar o
abono da gratiflcacSo que Ihe compete na coofor-
midade das leis de 15 de outnbro de 1827, 13 de
juobo de 18o7 e 5 de raaio de 1851, visto ja ter
completado 18 annos O magisterio, como prova
com a inclusa Informacao da ihesuuram provin-
cial; e, attendendo a commisso ser dejnslicao
qoe pede a suppficante, de parecer que se consig-
ne no ornamento urna verba para a dita graiiea-
cio.
Sara das comrolssdes, 18 de abril de 1865.Sil-
va Barros I Braulio.
Procede-se a leitora do seguinle parecer, cuja
irapresso foi dispensada a rinutrimento do Sr.
Bnarqne :
A commisso de orea ment em vi Mude do qee
pondera o governo da provincia em officios de 15
e 8 do correte, propoe o seguate projecto de lei
para a consignacio de crdito necessario ao sarvi-
50 pnbrico pronnclal.
A assemMa legislativa provincial resolve :
AM. 1. Pica aberio uro crdito suppkmenUr na
Importancia de 2r094JSS3 para occorrer as despe-
zas das sepumti's vrbas do orcamenlo vigente:
1. Ajutfa de cuMo aos deputados
provmciaes...................... 293036
? 2. Empregados da instrucclo
publica.......................... 1:7945887
Art. Picam revogadas as disposicoes em con-
trario:Buarque.Campello.Reg Barros.
E' tamhem lido e approvado o seguinle parecer:
A commisso de ornamento requer qne pelos ca-
saos competentes seja ouvida com urgencia a the-
aonrarra provincial sobre a materia da inclusa pe-
tico da viova D. MaTia Theodora da Costa Alves
Ferreira.
19 de abril de 1863.Buarque.Campello.Re-
g Barros.
As seguintes iniieacoes, depois de lidas, sao re-
metidas a commisso de polica:
A assemblca legislativa provincial de Pcraara-
boco decreta os seguinle artigos additivos ao regi-
ment.
i' Tfechnm emprego poblieo poder ser crjado
seno por projecto de le especial, qne ser remani-
do nma das commisSes para lolerpor o seu pa-
recer antes de entrar em primelra discussio.
1 Os empregos na secretaru da assembla s
podero ser criados por projecto de lei apresen-
tado pela commisso de poficia.
3o Hevogadas as disposigoes em contrario.
Paco da assembla, 17 de abril de 1863.Cam-
pello.
Indicados qne sejio convidados os Srs. depu-
tados para assistirem ao embarque dos Voluntarios
da Patria qnando tiverem de seguir para o sul,
on seja nomeada urna commisso, como malber
entender esta assembla.
Sala das ses5cs, 19 de abril de 1865.Arminio
Tarares, Ayres Gama, Reg Barros, Stares Bran-
do, Aranjo Barros.
y^ Entra em discnso o seguinle requerimanto :
Reqoeiro qoe a commisso desta assembla,
encarregada do exame da thesouraria proviacial,
examine o estado da casa da roa da ImperaUix n,
12, pertencente a Maooel Antonio de Azevede,
afim de ver se foi fondado o que elle allegou para
que nao subsistisse a collera feita pelo respectivo
empregado do consolado provincial, pasiando essa
casa pagar de dt cima na razo de 1:1005, e
nao na da 1:90'3, como havia sido ollelada.
S. R.Aquino Fonseca.
Depois de orarera o Sr. Buarque e Aquino Fon-
seca, vem mesa o segointe substitutivo, qoe foi
approvado :
Requelro qne se peca com argenoia ao Exm.
presidente da provincia, que encarregoe nma pes-
soa de soa conflaoca afim de examioar o sobrado
da na da Impcratrtz o '2, pertencente a Uanoel
Antonio de Azevede e dizer se sao aueadiveis as
razSes que elle allega para ser rebaixada a calle-
ta feira pelo consulado provincial. S. fLAquino
Fonseca.
Sao mais approvados os segaintes requer
ment :
Reqoeiro qtre sejam remettidas commUsao
de legisladodeota assembla as informa(5es viu-
das lilimente da presidencia da provincia a res-
peito da effeclittdade do lagar Ae inspector da
thesouraria provincial, ocenpado pelo profesorde
geometra do collegio das artes lenle Jas Pedro
da Silva, aflra de que as confronte com as que roe
foram rcmetlidas anteriormente, e diga se pode
eonsiderar-se como inspector effeclivo o referido
professor, e se coovem que continu mielermina-
dmente nesse lugar, lornando-se por este modo
permanente a commisse em qne se acna por ao-
torisnejio do governo imperial^ de 9 de feverelro
de 1859.-Aquino Fonseca.
Reqoeiro que, por intermedio do Exm. presi-
dente da provincia, se peca com urgencia ama
nota pela cmara municipal do Recife, de todas
as qnantias qoe se tem despendido com a ponte
da rna d'Anrora, denominada^ Bario, Isto de
quanto se gastou com todos os reparos a recons-
trucrd>s, a que ella lem dado lugar.S. R.Aqui
no Fvnseca.
* Reqoeiro qne se coca o Exm. Sr. vigario ca-
pitular sebre 0 projecto n. 4* deste asno. Silva
Barros.
O Sr. los Mara fundamenta e manda mesa o
sgnlnte projeeto, qoe val a imprimir :
A assembla legislativa provincial resolve :
Art. i." 0 prndente da provincia oca aatorisa-
do i despender at a quantia de 100:000,5 rom a
coBstmeco de cadeias as villas do interior da
provincia.
Art. 2.- A despera aotonsada pelo arL 1." prefe-
rir qtiarquer ootra volada para obras publicas.
Art. 3.' Picara ravogadas as disposigdes em
conn-ario.
S. R Altmrpjerqoe Mello.
1." rXRTE 0A 0RDEM DO Dt\.
Continua a discusso do art. 12 do oroamenlo
provincial com a emenda apresenuda.
Oram os Srs. G. Campeflo e Araojo Barros, flcaa-
do anda a discosso adiada.
2.* PART DA ORDEM DO DI A.
Contfnna a srponda discosso do projecto n. 34
deste anno, transferindo a sede da comarca de Ta-
caratu' para a villa da Floresta na mesma co-
marca.
O Sr. Ri'arqui: reqoer e a mesa approva a reti-
rada ca emenda apresentada na ultima sessi
transferindo a cadeira da ltlm da villa Bella para
a villa da Floresta.
Boeen-ada a dlscnss, approvado o projecto
srjhstnntiro aprefeMadu pelo Sr. Silva Barros.
Entra em prlmeira aiscossJo o projecto n. 41
deste anno, explicando a doutrina dos S 18 e 37
do an. 44 da le n. 596 de 13 de maio de 1864.
O prajecte ees) todas as emendas remettSdo a'
commisso de iastrueco publica, por ter sido ap-
provado om r< querimento neste sesudo, oSerecido
pe* Sr. G. Campello.
Centioua a pnmeira discasso do projecto n. 10
deste anno, reunindo ao termo da villa do Salgoai-
ro, os ofBcias de eserrivio dos orphas, ios rosi-
ikofi e eapelias, e das eneeacees civws e crimes,
para ser exercido por om s tabellio, e qsal pro-
jecto sera debate approvado.
A raqueriaesto do Sr. Silva Barros dispensa-
do o intersticio.
Entra depois em primelra duesssin e sera de-
bate approvado o orcMeento municipal.
O S. Blaiujuk reqoer a dispensa de intersticio,
e a casa decide pela negativa.
Entra Vao1 em discnseo cada om por soa
vez e sao approvados os projectos ns. 18 e 28 des-
te anno, o primeiro reunindo ao offic de eserivo
do jury de CHiada a de escriao crine do aesmo
drade em preparar para om ministerio td impor-j
tanto, qnal o dopolptto,orna moetdade, qaemais
larde, por saa ineaaabilidade e bno, leaba de con-
quistar soldados para a milicia do Sebor.
Contine oSr. chantre Andrade no seo fervoroso
empenr, qne a Mcese 00 mesmo o paiz be agra-
decer os seus esforcos, invocando as beocSos do I
co sobre suas caas venexaodas.
Abertura. Alexandre Jos Rogerio Jnior.
Floriano Belmiro da Costa e Sirva, Manonl Doar-
te Ferreira Ferro, Jos de Andrade Meara, Jos
Enfrosirro de Franca Leite, Thcophito Ottoni The-
mistocies Simonette, Pedro Pacifico de Barros Ba-
zerra, Ascencio Francisco de Panla CaveJcaafl de
Albuqoermie, Jos JaaquMn de Frasca, Tertol^rao
Jos dos Santos Paiory, Maooel Aatmio da Sirva
Lessa, Graaariano Urbano Cavalcasfi Florida, Lote
Prudente de Barros, Jos Francisco da Silva Bor-
ges, Frederieo Angosto Raposo da Cmara, Jos
Alves da Costa Qadelaa, Manoel Fernando Lustesa
Lima, Antonio Ayres de Mello Jvmor, Ite Jos Pe
reir da Costa, Jnaqoim Alves da Costa Machado,
Mathias Ayres Delgado, Plorlam de Qaeiroz Coq-
lioho, Joei Esdras Lins Fialho, Miguel Ameneo
Perelra de Soasa Lisboa, MarcoHno Pacheco do
Amaral, Manoel Vieira da Costa e S, Constantino
Aurelia00 Gomes de Maltas, Joa(rmm Baas Caval-
canti, Jaelnm Francisco de OWrwkJ, PrancTseo
ABiano de Soaza Araojo, Manoel Joao Gomes, An-
gosto Franldio Moreira da Silva.
Moje tem logar no Parta Isabel nma recita
extraordinaria em benencio do celebre concprtHta
CerMBgio Gagliano, qoe se far de non) e peta ul-
tima vez oinir na san canta harmnica.
Alm de diferentes pecas qoe aM tecari o bene-
ficiado, o espectculo inlermeado pela conreantita
Y.
B
CORRESPONDENCIAS
l?deaarild18C5.
Srs. Redactores. Teodo eu eaaM arremataale
da barreira de Cachag requerido abale no preqo
da arremacSo, hto por ter a assemMa provincial
sido (avarawel a igiai presencio de arrematante
da barreira da Magdalena, cora pasmo vi no Jornal
qe a eoainrtssaa tinha dado parecer eentra a nri-
ntH preleneo, allegando qne e se davam as
mesmas raides e sflotrvee qne actavam a favor do
arrematante da ftarreira da Magdalena.
Toda gente sane, qoe a ftarretra do Cchang
Oca na BaasjM nitrada da barreifa da Madalea>a,
O deseja qoe anirsaava am seo soracia a ser
um dia til a asa patria, a saa lamaaa, a seas ami-
gosas letras aafiro;tudo desvanecea-se nomo
um sonho-tiaiisso oaaappareaeu.
Que recrtatelo aasaiga.l.......qne aerdade
cruel I...
Ja nao exista o acadmico Artiqutliao Avisa Al-
tano Costa.
A gravldade da awtestia qe o persegua, zombou
da medici aa mais bem aaplicada. E' que a inexo-
ravel raorle la pouco a pouco fazendo verque ba-
ta a porta da mocada daquelle ebristo, qne
Dos j nao quera reenmoensa-Ui, ejoe snoca aia-
da j liana soflrido bastante para coniinnar a fuer
parte dos tormentos desla vida... Cansolemo-Boa
sois.
Cessam os paosameato do homem, qoando
comecara os altos juizos de Dos.
Como recebar no entretanto sua familia a noli-.
aa, deta infelicidade TI... Oh I coraco de mi,
es accentos logobres que incessantemeote vos com-
movemdenotam que orna parte de vosso todo j
nao existe.
Cunta, doQAiivu.
905 Am5o Bergei Alves, mensalida-
de durante a goerr...........
906 Antonio Goacalvas da klva
dem........................
'907 Joaquina Antonio de Castro Mu-
ses, donativo................
1 908 Fr. Au^ostodalmmacolasa Con-
eelcao Arres, dem......-.....
909 Paulo Beserra Cava leas*, por si
epor sen fUao FrasciscadPaula
Cavaleaati, do asa ordenado de
procurador da cmara s Victo-
ria, durante a serta-........
910 Jos Ignacio de Mello, desalivo.
41 .Manoel da Costa Ventora, dem.
912 Dr. Pedro Bezerra Perka de
Araojo Bettro, dem.
Nao perturbemos o somno de nesso col-
faca cempanhia a essa
Basta.
lega.
Dwrma tranqnlllamente;
regio de morios. Adeas.
Jos Januario P. ie Carvaiho.
105000
200O
2000
55000
205OOO
lOOOO
20*00
2003000
(Conauar-teha.)
S. Jos da Vfaagoiaao, 17 de abril de i 860.
Illui. Sr.CotaiBoiiico arV. S. como presidente
da sociodade dramtica Thaiia Peraaiiibucaaa para
que leve ao coaaeeinenio da mesma, que nesta
data me considero eliminado da socio insultador
da referida sociedade.
Omro sir, declaro Ihejqoe nada devo a essa so-
ciedade.
Dos guarde a V. S.Mim. Sr. Loiz Francisco-
de Paul* Ramos, presidente da sociedade dramti-
ca Thaiia Pernambucana.
Tkem#i Brrelo Lins dt Barros.
*<&*
Continuadlo das pessoas qoe (era subscripto pa-
cora difftrenqa de urna teosa a sea chotera, a mu- ra a assoria"co Protectora das Familias dos Voiun
Janea dos amucares para loanna, inOsirara para tanas da Patria.
a dimiouie da pedagie ds barreira da Magdalena 807 Francisco Antonio de Albnquer-
essa raesma dimlnuico devia se dar na barreira; que Mefto, donativo............*. loJOOO
de Cacaaag, e so imeoio cnraprehaBde qoem 808 D. Cierta Angosta Leile, idem.. 205000
tem ma vertade, e deseeaasee a lapograpeia da, 809 Jos Luiz de Azevedo, dem.... 55CXXH
provincia, tendo por fun neatciar a un e noijio Jos de Mello Trtndade, idem.. JOOO
E'verdade que eu nao
fazerjustiga a oalros.
posso dar votos.
Teedd poraa, en a certeaa qoe a matorro da
assembia. jasiaaeiv* o nao visa aenao a instlca,
espero qoe seja alteadlas, aasira como loi o arre-
matante do Maejdalena, par so darem a oseo res-
paito as mesmas razos qoe snlitaram a (aver da-
quelle.
Fructuosa Ptrra do Nascinenta.
termo; eo seguado creando mais am offlcio o*es- dramaiica con a comedia Maricota e o raudeville rj |T,TCif!fiPX ft PEDIDO
erivfl do crime ao Recife. oraado sobre este aiomo Corda esastast i Umaowji aawavw
erivo do crime ao Recife, orando sobre este alomo
o Sr. G. Campello.
Sao dandis approvados diversos s rugas das postu-
ras da cmara Dunicipal de Pesqueira.
O Sr. Gervasio Campello reqoer qoe sejam pos-
tas em discusso as emendas offereciaas em ter-
ceira discussio as projecto a. 12 deste anno.
O Su. Presidutb attender ao pedido do nobre
depulado.
Entra deecis em primeir a discusso o e seta de-
bate approvado o projecto a. 80 do anBa passadn,
creando ama colonia orphanotogica ao artigo vio-
calo de llamee. '
Enirain finalmente em discusso as emendas of-
fercridas em terreira discosso ao projecto n. 12.
Pede a palavra e Sr. Jos alaria.
O Se. U-nha Tsixaiiu, pela pnaam reaner qne
em viola da hora qoe esta' moieo adiantada, fique
adiada para a sesse seguinle a diseusaao das
emendas ; e, consultada a rasa, decide pela afir-
mativa.
O Sb. Aaaujo BAaaos, pela ordera, requer qoe
seja dado para orden do dia um projecto apresen-
lado a' casa, mandando construir am acude na vil-
la do Lanioeiro.
O Sr. Presidente declara que tomara' o pedido
em cousideraco e levanta a sesso as 3 e meia
horas da tarde, dando para ordem do dia seguinle,
alm das materias ja' designadas, mais sepunda
di.-cus.-ao dos projectos as. 7, 42, 10 e 18, e pn-
meira do de n. 17, lodos deste anno.
Corda Btmivtt
Reparta m polica.
Extracto da parte do dia 19 de abril de v86S.
Foram recortados a casa de dwencio no dia 18
do corrente:
A' ordem do Hlm. Sr. Dr. chefe de polie, Olyra-,
pmotemo mbar, cerno criminoso de morte;
Lniz Beaerra da Silva, come indiciado em ertme
de tentativa de roabo; Looreocp Antoaw da Silva
e Mara das Virgen?, sem declaTaeo do motivo e
poeto logo em hberdade.
A' ordem do snbdelegado do Rec-fe, Rateo, es-
cravo de Jos Francisco da Silva Teixeira e Mello,;
a reToeTimenlo deste.
A' ordem do de S. Jes, Jas Costod Alves, para
correegao Leandro Jos Go*es, porfurle; Mamoel
Antonio Barbosa e Ftoriaoa Mara do Carmo, por
distorbios.
t ordera de da Captmga, Thiago Aires Ribeiro,
por crime detnorte.
O chefe da segonda seceid,
/. G. de esquita.
casa bs dktekcao. Movmeoto de da ti de
abrrl de 1865.
Enstum presos 370; entraram II ; saturara 16;
exilem 3b5", a saber : nacionaes 281; mulheres 3;
eslrangeiros 2i; mulheres 3; escravos 49; escra-
vas 6; Krtai 365.
Atimentades custafdos cofres proviaciaes 138.
M jvimento da enfermara de dia 19 de abril de
1865.
Tiveram aalxa:
Jos Custodio Alves ; cootosdes.
Antonio Francisco Pereira; chafa.
Movimento da casa de deteneao do dia 18 de
abril de 18S.-Exilam preses 36S, entraram
14, sahirafn 11, extstem 368 : a seber : naelesaes
281, mulheres 4, estrangeiros 28, estrangeiras
2, escravos 49, escravas 7.-Total 368.
Alimentados a costa das eofres pblicos 140.
Movimeoto da enfermara do dia 20 de abrH de
1865.
Teve alta:
Jos Martaho dos Santos.
Ttveram baixa :
Thiago Alves Ribeiro ; eontus5es.
Damio, escravo sentenciado ; hepatite.
CEMiTKiuo publico.Obituario dedla 18 de
abTil de 18*5.
Adelayde, Pernambuco, 20 annos, seHeira, Afoga-
dos ; phtysica pulmonar.
Lnlz, Pernambnco, 14 annos, seMeiro, escrave, Boa-
Vista 1 ttano.
Jos Ramos da Cruz, Portugal, 55 annos, casado,
Recife ; neplerito.
Antonio Bernardo, Pernambnco, solteiro, Boa-Visu;
nter i te. '
Joo Alves da Cost, Pernamboco, 35 annos, Boa-
Vista 1 phtysica pulmonar.
Francisca, Mara da Coneeicao, 40 annos, solteira,
Boa-Vista: assassioada
COMMUNICJaBGS.
RBYiSTi DI4KU.
O vapor americano Colorado, pertencente Pn-
cifil mml ttean aesp compaf*y, mae anachontera
esteve no lamaro, nao leudo podido commnaicar
com a trra, eatregoo nm pescador canas com
treebos de jeraaos de New-York do 1.* do eorren-
le. Apezar de sao termos podido ver cases trechas,
obtivemos as seguintes noticias do chefe de ama im-
portante casa eommercial de oossa praea.
Os rebeldes alacararo Shermaa e foram eom-
pleumesle derrotados. Sberman tomara Golds-
boro.
O exerctlo de Sbcridaa reaoira-se cora o de
FraaL
Lee atacou Graot e foi vencido, perdendo
aquella 2,00 borneas e este 0,000.
Richmoad eslava quasi cercado e esperava-se,
a cada momento urna grande batalba, que seria
Anal.
O ouro ficava a l'O por cento e o algodao
42 d.
Aate-bontem tomn posse do servico do
Hospital Pertognez de Beneficencia o nossodistinc-
to medico o Sr. Dr. Pedro de Athayde Lobo Moa-
coso.
Esta eseolba preenche lodos es fina desejavels,
porquanto rene o Sr. Dr. Lobo Moscoso, nao s
zelo e ialeresse pelas coosas a seu cargo, como
pela pralica qne teve nos hospitaes multares e cl-
vs, como tambera peles abalh-ados conhecimentos
prossionaes que rene.
Esta nomeacao, portante, honra sobremaoeira
ne s ao noieado, pelo devido apreco qoe se -deu
seu verdadeiro e cabal Btereeimento, como aos
membros da junta administrativa do Hospital Por-
tuguez, que, teodo de nomear nm medico para
substituir o Sr. Dr. Pitaoga que se retirou da pro-
vincia, nao cedeu nem a empenhos nem a pedidos,
e mesmo desattendeu quelles qoe se oflerecerara
para fazer o servico gratuitamente, quando sonbe-
ram que o Sr. Dr. Lobo Mostoso era o escolhido
pelajuata.
Damos perianto os nossos emboras om e ou-
iroe por to justo ccoatecimente.
Por portarla de honiem foram nomeados pa-
ra o 1* corpo de Voluntarias da Patria, para com-
piemealo do oslado maior e menor:
TeoeMe-secretario o escrplorarlo da secretaria
do governo, Fortunato da Silva Xeves;
Teen te da iJ companliia, o alferes Hyppoto da
Stlva;
Tenente da 4a, o tsenle secretario Francisco de
Fre tas Moreno;
Tenente da e>, e lenla da 4* Antonio de Albn-
qserqae Haranhao;
Alfares para as eempenhias, onde beaverera va-
gas : o sargento ajudaate Mariano dos Res Espi-
nela, o cadete Miguel Affoaso Ferreira, o acadmi-
co Francisco Antonio de Okveira Soonaho, o Io
ndete Jos Francisco Correa de Araojo, o cadete Nos Diarios de hanters e aoja acham-se publi-
Domingos de Souza Leo Reg Barres, o lcsargeo> cadas alsumas Iinba-s assign-d*s por Antonio do
to de corpo de polica Joan DeocJee.io da Silva Pau- Carmo Xavier de M. em testemnoho da protanda
la, o alfares da guarda nacional Miguel Joaqnimdo graudo de qne se acba poseuide para con o sea
Re ge Barros, e e cadete Manoel Coriolano dos advogado o Sr. Dr. Francisco Leopoldtno de Gus
Santos. mi Lobo pelo graade rasgo de nuaunidade que
Pedimos a leitura das seguales habas : pralicou este senaor, preslaodo-se a requerer e
O faci que Vmcs. noticiarais cora referencia promover tndo quanto se fez necessario soltura
ao enfermo do boceo de Pombal, foi verdadeiro. do mesmo Xavier.
c Diversos amigos pediram-oos para que nao Nao teriamos qoe ingerir-nos oeste negocio.
respoodessemos ao Rvra. pro-paroefao, nao obstan- indo tal vez perturbar a beatitud* com que o clien-
te certas circnmsUBtaacias que depois ae deram, te contempla, louvae admira aabnegacao edesio-
* que nao duvidamos pateotea-la ao publico, e a teresse de seu advogado, se por entre as pahvras
mais alguem, de quera se deve eapwar arovi- de loavor e agradenimeoto ao advogado aaa de-
dencias. parassemos cora outras do censura a antoridade
< Promettemos e cumprimos ; mas oatro tanto que prendera Moraes e que foi o digno subdelega-
nao Bienios anaci ao jaiz, eserivo, thasooreiro a do do Peres.
procurador da irmandadedoSantissimo Sacramen- A censura ao subdelegado consiste em ter pres-
to dt fregoezia da Boa-Vista, que poderiam contar dido Moraes quinta-feira santa eoaver-ltie vare-
oma historia qoalqaer, mas nao faltar vnrdade,: jado a casa saa ordem per eeoripto. Exaondo o
guando aseegnran nao ter tido o m-o-parocho tacto, melUor haUJiiaremos o publico aavaliar aa
.ciencia de qoe, alm desses senhores da irmanda-' censura.
do, mais antros, haviam coocorrido para que se Moraes, aehando-se desempregado, costoroava
aiogame o carro, quando o pro-pmrecho nos as se- reqoeolar a venda de nm portugoof na ra de
gurou ter concorrtdo tamben, e saber qoe com Sania Rita desta cidade, onde as vaos pernoitava
effeito se cotisaram. por ter amizade com o caixeiro do estabeleciajea.
f Arredttamos qoe o pro parocho estivesse ia-1 to a por ao possuir residentta nesia^odade. Em
commodado pef maitoa servico prestados; que
Em desaggravo de minha repotacao infamemen-
te maculada por um vil ralvrmrador, qoe leviana-1
mente me imputara a subiraccio de orna qnantia
desapparecida do seu estabeleciroente, crreme o
dever de declarar ao publico em geral, e tuna part-:
cnlar aos meus amigos e comparochianos que, ba- i
vendo sido preso na qnlnta-feira sagrada pelo snb-'
delegado do districto do Peres, qoe para este Om e
sem que me apreseaiasse ordem escripia e com as
solemnidades da lei cercara e varejara a casa do
minha residencia, fui relachado da priso depois
de 36 horas, retonhecendo por este modo a autori-
dade que nenhuma responsabHidade me pode ser.
imputada por esse facte a qoe alludi em princi-
pio.
Por esta occasio, relevar o Sr. Dr. Francisco
Leopoldtno do ttosmao Lobo qne mscreva aqni o
seu nome como o de nm verdadeiro e deslnteressado
amigo da homamdade qoe sem atlender escassez
dos meas recursos, servio-se ampararme com os
seus laminosos conselhos como advogado, dignn-
dose reqnerer e promover tudo quanto se fez a bem
de meo direito.
Afogades, 17 de abril de 1865.
Antomo do Carmo Xavier M.
HUMA VIDA SALVA!
NUo teos oculiecimuato iiVgui de neolmm
caso que tio purfaitmnciiU' raostro d'ama na-
neim a aiai.s clara e pervuasiv o podeT da
Stieneia Xedica sobre a molestia; qnal sej o
de Ajitoxio Jom^uim Pbbbsua, da Babia.
Ete botacra ials harta mais ?nra anno que
soffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Tx-oas
Terrifeis Clmgas Abertas
eepalhadas por sobre (fferentee partes de tea
corpo, teuJoum*ds ijuae sobre o pe todo p*
urna funda e maligna chaga, a qual o privava
de andar, rusando-]he aa dores as mais agoni-
sontcs quer de dia quer de nouta; ron!innada-
menw atonauntado por tae tiliicjCes e dores,
qaaai qn-abomeido da aoBtfaiBatcao de sim-
illiantn vida, tendo posto de parte toda a te e
eoadtaans eni medicina, a oa reolidade pareca
qo para lie nao llio restava atis esperanza
alguma; asarm wis resignado esperara eom-
paclencia o termo final de seus aiutipUcados
Buffrimentoa, eis 4ue mUagresameote por for-
tuna asa lite receitarao o graade pnrificador
do tingue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante a sua grande eficacia eexcellencia
elle se achou dentro ds pouco tempe, livre de
sea irreiuediavel estado de (teseapero, e a doce
e ritonha esperan ca toraou de novo revivar
em seu coraco; sob a poderoza e benvola in-
fluencia deste admiravel medicamentos as suas
chagua em breve prineipianto assamir um ca-
rcter favorarel diminuindo o aspecto de sua
maligntdade A masta do eangue e mais
bumorea do tystcma tornou adquirir urna
appareacia, dar e saudavel, as dores ator-
nicrmuV.ras d'outro ora o deixarao, e urna doce
s sua-ve tranquillidado principinu precorrer
todo o aeu systcma, restaurando-lhe a desejada
,*z e aocego d'espirito; as chagas urna a urna
se forZo fechando ot qus finalmente se ciea-
triiafo d'iun todo, e boje acha-se perfeita-
msnte sao, gotondo tfoni perfeito estado de
sunde, depois de te ter visto privado d'este
grando gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cara, apenas fez uto ds
Desatis garrafas da Genuina Salsaparrilha
d6 BristoL, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Reconrmendee mni particularmente aos
Doentee d'ambos os sexos, que empseguem
toda a cautella na nsrijlta d'este admiravel
nimedio, afim que ato obtonhao outra com-
poei(;So qualquer, que nao seja a Saltaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
mais pieparacocs e imita(oot d'este natureaa
sao falsas nao possmnde virtude alguma.
Vende-se Das boticas de Gaors & Barbosa
e C Bravo C.
1 ao podesseanaitad tiovtr et pt; mas oeste caso,
sverw aomoar um ontre padre, j qoe se encarre-
son da geeepcia da freguoaia, aor ter o vigario
ella se anaentado tro tem-po mirfs precioso para ir
fazer seraaos santa ao ertao lili
Coasta-no tqae om coomerciaate desta ci-
dade val reqnerer cmara municipal permi#ao
de expor i venda no mercado puUko, por metade
do respective preco correte, cerca de mil saceos
da feijao milito; e estamos qoe aquella corpora-
oma bella manba verifica se ter sidosubtrahida
da gaveta corla qoantia, eremos qoe aa cont de
ris. O dono do esiabelecimeeto desooooaodo do
Moraes procorou o Sr. Dr. hete de policia e por
este foi ordenado por escripto ao subdelegado do
Peres, em ooje districto mora onai de Moran o
qual por a ni lambeo cosluesa andar, que houves-
se de .preade-lo para se averiguar do facto.
O subdelegado acompanhade da fiarle interessa-
da e de dous soldados dirige-so a asa do pai de
Moraes; eBConiraodo-se com o pal late ueste qoe
Da a palavra ante a sepultura
do estudauic Artlqnlllno Ay-
res Albano Costa.
2 de abril de i 860.
Meas collegas.O motivo logalire qoe nos traz
a esta babitacao dos >morios se acba perfetameole
estamnado no abatmea4o de nomos semblantes. A
dr que compunge nossoM curaqoes demou-ra que
um collagaom amigo, despediodo-se dos banque-
tes da vida, alugoo um destes repousos para des-
cancar a materia, deixando percorrer a eteroidade
e ir at Dosaquillo que sommrte a elle per-
tenee.
Sim, meas amigos. J nao faz parta de nossa as-
soeiaqd, j nao se chama aosso conpannearo de
estados -o collega qoe se acha all, fazendo ettaiar
811 Joo Martins da Silva Vil lela,
idem........................
8(2 Marcolino Ferreira da Luz, idem
813 Antonio Moreira de Meudonca,
idem.........................
814 Ilenrique da Silva Moreira, idem
815 Joaquim Simad do> Sanios, idem
816 Antonio los Pereira doC, dem
817 Dionrzo Hilario Lopes, dem...
818 Henrlque Jos dos Santos, idem.
"19 Almeida Cruz.. ............
820 Joaqom Jos Lelao, idem.....
811 Joao Bapti.-ta de Medciros, idem
Wi lieni ique & Azevedo..........
823 Joo Pereira Moatinbo.........
821 Chaz Loox, idem.............
82o Cm anooymo, idem....~.....
Fraacisco Jos SU ve ira, idem..
827 Antonio de Albuquerqae Rotun-
da Cavaleaati, dem............
828 Henriqua li. Stspiile, ulero.....
89 Jos Antooie deCaraalbo, idem.
830 Joaquim Bernardo do Reis,
dem..........................
831 Joaquun Cardeso Ayres, dem...
832 Um auonyiuo, dem...........
833 Tnemistocles Cairnto de Aguiar,
idem.........................
834 Seuza Andrade & C, idem....
835 Juan da Silvera Tavora, tem..
8,1o Or. Joao Marta Seoe, idem.....
837 Francisco Jos de Medeicos, idom
838 Manoel Jos do Miranda Seve,
idem............,............
839 Manoel Ignacio de Uliveira Lobo
idem..........;..............
840 Joaquim Custodio de Uliveira,
idem...........................
841 Joaquim Sverio de Souza, idem
842 Jes Clementino Heariques da
Silva, idem.................
843 Jas Martins do Rios, idem....
844 Joaquim Pereira dos Santos,
idem..........................
845 Jit Martins dos Hios Jnnior,
idem..........................
846 Francisco Alves de Albaqoerque
P, idem.......................
847 Um anenymo, idem...........
848 F. b>. A. Antones, dem.......
849 Maaoet Ignacio de Uliveira Lobo
idem..........................
830 D. C 6^ Idem...............
852 Manoel Antonio da Silva Morei-
ra, idem......................
003 Jonquian r>aocieeoLavra, dem.
834 Antonio Correia de Vascoacellos
idtm.........................
855 Joae dos Santos aues Lima,
idem..............*...........
856 Jos Azevedo de Andrade, dem.
857 Jeronymo Ribeiro de Souza,
idem.........................
858 Antomo Goncalves de Azevedo,
idem..........................
850 Joo Fernandes Lopes, idem....
860 Manoel Jos Moreira, idem....
861 Jos Joaquim da Silva Gomes,
idem.........................
862 Antonio Goncalves Pereira Lima,
idem........................
863 H. Wtch, dem...............
864 Augusto Coelbo Leite, dem....
865 Dr. Jos Felippe de Souza Leao,
idem....... ..................
866 Joaquim Jos Alvares, idem------
867 Virgolino Jos de Almeida, idem
868 Bellarmmo dos Santos Bulcao,
idem........................
869 Manoel Rodrigues dos Passos,
idem.......................
870 Manoel Theodoro da Conha^
idem........................
871 Jos Peixoto de Abreu Lima,
idem........................
872 Geminiano Campello Cavalcanti,
dem. .....................
873 Hermogenes Goncalves Lima,
idem.......................
874 Francisco Jos Germano da Cos-
ta, idem....................
875 Jos Francisco Pedroso de Car-
valno, idem...................
876 Antonio Teixeira Machado, dem
877 Francisco Crrela de Amorini,
idem........................
878 Manoel Cavalcanti de Albuquer-
que Jnior, idem.............
879 Raymundo Antonio da Cunha,
idenv.......................
880 Manoel Cavalcanti Brrelo Lins,
idem........................
881 Manoel Carneiro Leao, idem...
8S2 Joaquim Ivs de Barros, idem.
883 Joaquim Bodrigues Duro, idem.
884 Castao Correia de (jaeiroz,
idem........................
885 G-- ncalo Jos de Barros, idem...
886 Joao Francisco Pereira de Mo-
raes, idem...................
887 Manoel Thomaz do Xascimeato,
idem....................-
888 plus Gomes da Silva, idem.....
889 Felippe Aatonio Rodrigues da
Co>u, idem..................
890 Jj.- Jacutho de Medeiros, idem
891 Joaquim de Barros Correia de
Queiroz, dem................
892 Antonio Jos Rodrigues da Costa,
idem........................
893 Joaquim Manoel de Oiiveira o
.Silva, do ordenada de professor
de Grvala, dorante a guerra...
894 Vigario Francisco Xavier des
Santas, donativo..............
893 Jos Patricio de Maura Cas,
. idem.......................
896 Jos Marcellino de Mello, por
mez dorante a guerra.........
897 Joao Jos Ferreira, donativo
898 Jpi*quiai Jos da Rocha, dem...
899 Manoel Gomes Sil verlo, idem...
900 Joo de Freitas Pinto e Souza,
idem........................
nossos coracoes de ddr, part >ado nossas almas de
afflicpyao.
Aquelle pello qoe bontem pulsavafrtil de ins-
piralesest fro comoo glo; aquelle semblante
lio jovial e cUeio de vida- ^e antes o symbolo
da morte.
Tanto amor >peIo estado, tanta dodincao pela
904
sciencia que alimentavatn aquelle coraco de 23
AntviB Ludgero da Silva Costa,
por mez, durante a gaerra......
902 Joaquim Jos Pereira Bargas, do-
MIVO......................
; 903 Manoel Joaquim das Trevat Ma-
rinho, do ordenado de cirurgiao
da cmara da Victoria, dnrante
0,5000
1000
500O
5JMXX)
25UHM)
21000
5000
550OO
2,8000
25000
55000
35000
25000
55000
55000
25000
25000
55000
25000
35000
25000
65000
15000
55000
15000
250OO
I50OO
I5OOO
5000
25OOO
55000
55000
55OOO
250O0
25000
25000
105*100
25OOO
25OOO
25OOO
IO5O0O
15000
25000
25000
25OOO
25000
25000
25000
25000
55OOO
55OOO
10AOO0
255000
6O5OOO
IO5OOO
105000
IO5OOO
55000
2O5OOO
85000
55000
205000
105000
95000
105000
IO5OOO
305000
305OOO
IO5OOO
54000
550OO
205OOO
405000
IO50OO
105000
305000
C05000
255000
IO5OO0
185000
255000
a guerra.
10 O/o
10050:0
105000
35000
205000
55000
55000
25OOO
95OOO
15000
10 0/0
Para Ca. Sr. vigatio capitular O Rvm. Sr. Ignacio Joaquim da Costa, por infe-
licidade vigario interino desta fregnezla, em qoe
foi imppis-.tdo por intrigas machinadas contra o
ttvd. vigario conego Joo Barbosa, de saodosa me-
moria, e que o levaram sepultura, enleudeu to-
mar-me para espinba de sua garganta ; e, consti-
tuido meu inlmigo gratuito, nao perde occasio de
difainar-me (nao era minha pressnea por que nao
capaz) e dizer de mlm qne costuma dizer de to-
dos os padres da sua freguezia, e at de seu propr io
lilho, a qoem todos os dias amaldic,a sem razo
em nome do Deas que adora.
Porm felizmente o Sr. padre Ignacio ainda nao
pode enamar-rae assassmo; e como asstm o quer as-
sim o tenha.
Entre mnitas cousas que lem dito de mim o Sr.
padre Tgnacio, com sea genio violento e atrabilia-
rio rtisse qoe eo nao era capaz de entrar na sa-
christia da matriz. Ora, nao sendo en excomtnun-
aado, ha de ser per tadrao.
Vamos, senhor padre Ignacio, ver de nos dous
quem O Sr. padre Ignacio faca favor 1er, e S.
Exc. Uvma. apreciar os documentos abauo publi-
cados sob n-1, 2, 3 e 4,5 e 6.
Desses documento v-so que os Rvds. Sn. sa-
cerdotes padre Anuncio, padre Costa, padre Pedro
Ltns, vigario Maciel, padre Souza (coadjutor), pa-
d-e Jos Vieira, padre Jos Prudente, padre Bu-
Ihoes e padre Pedro Peiioto attestavam a minha
probidade e honradez; e nao possivel qne os o-
to sacerdotes da freguezia do Sr. padre Ignacio so
conluiassem para dlzerem qne eu era muito bom,
sendo om velhaco oa tratante; agora o senhor
padre Ignacio veja que nome deve ter qoem co-
bra cera pertencente a urna irmaodai'e e fica-se
com ella; quem recebe duheiros para officios pa-
rochiaes e deixa as pobres almas ere jejura ; quem
cobra caminho e carro para o enterro da tinada
D. Roza, cuuhada do Sr. Francisco Ferreira Bas-
tos de Aniorim.
Quanto a este artigo tenho respondido e entregue
a apreciacio de >. Exc. Revma. e ao publico.
Agora Exm. e Revm. Sr. vigario capitular, V.
Exc. Rvma. que com tanta illnstracao e justica tem
covernado felizmente o bispado pernambucano ;
V. Exc. Rvma. que todos os dias lio abencoado
por todas as suas ovelbas, quelra voltar o> seos
olhos para a infeliz freguezia de Macei, digna de
melhor sorte, e veja se pode ser cura de almas um
sacerdote acensado pela opinio publica como as-
sassino de seu proprio compadre, o pai do Sr. Sal-
vador Leite Vidigal, que anda hoje chora merlo
de seu pai e aponta o Sr. padre Ignacio como o as-
sassino delle ?
Chmeme Sr. padre Ignacio a responsabilidade
se capaz. Veja V. Exc. Rvma. se pode ser cura
de almas um sacerdote que despreza todas as leis
cannicas baplisando solemnemente depois do so)
posto, oma enanca de que foi padriouo o fho do
Sr. capito Barra grande;|admittindo parapadrinho
no baptismo do fllho do Sr. capito Mataraca o In-
glez protestante Sr. Ja y mes Hunter 1
Exm. e Rvm. Sr. : o Sr. padre Ignacio reco-
nbecidamenle um homem de genio violento e in-
trigante, vive em lata continua com as suas ove-
lbas e com todos os padres da sua freguezia, aos
quaes chama indistinctamente velbaeos: peona V.
Exc. Rvma. seos olhos de compaixo para esta in-
feliz freguezia. 0 Sr. padre Ignacio no excesso de
sna loocura, e latan no proposito de hotar-me a
perder, j ini pedio-rae de armar na igreja, e por Om
exige urna licen;a especial; o Sr. padre Ignacio
para desmantellar unta festa ja passou urna licenca
as 9 horas da noute para se rezar ama novena as
7 horas da mesma noute, e de facto deixou de ha-
ver a novena e o sermSo com grande escndalo do
lodos os fiis e al o proprio presidente da provin-
cia e chcfo de policia qoe hoje de Pernambuco o
Sr. Dr. Moraes, os quaes se relraram murmuran-
do Espero que V. Exc. Rvma. nao despresar es-
ta minha qoeixa ; tomo a Deas por testemnnha
que na ivlacao desses fados nao ba a menor falsi-
dade; se V. Exc. Rvma. mandar inquirir delles Q-
car na conviceaode que tudoisto verdadeiro. Fa-
ga V. Exc. Rvma. mais este servico igreja de
Macei e Deas o abencoar.
Docuwnfo n. 1.
lllm. Sr. tenente Jos de Barros Accloli.Sen-
do Y me. ihesoureiro da irmaadade do Santisslmo
Sacramento e tambem de Nossa Senbora dos Pra-
zeres desta cidade, peco a V. S. que me declare ao
p desta se recebeu a quanta de quatro libras de
cera, importancia receida por mim e por wim en-
tregue ao Rvd. vigario Ignacio Joaquim da Cosa
conforme conla junta que importa em 65&"0,me
facultando fazer o u>o que quizer de saa resposta.
De Vmc. criado e brigado. Guilliermino dos
Santos Moraes, guarda da irmaudade.
llini. Sr. Guiihermioo des Santos Moraes.De
ninguem recebi a quana de que trata a saa carta
snpra, e desta minha resposta pode V. 8. fazer o
uso que Ihe aprouver.De V. S. ltenlo venerador
e criado.Jos de Barros Accioli.
Documento n. 2.
lllm. Sr. Guilbermino dos Santos Moraes.Em
reposta a sua caria de hoje lenho a dizer-lbe qoe
r. Rvd. vigario Ignacio Joaquim da Cesta nao
celebrou a missa do dia 19 de dezembro do anno
passado, s sim outros reverendos na visita da co-
va do finado mea pai o Sr. Francisco Pereira dos
Santos, em quanto o elucio paroebial eu loe paguei
185400 conforme a cunta que apresenlon, mas al
esta data nao me consta se ja o mesmo Rvd. Sr.
vigario o leona feito, pois o que tenboa respon-
der- Ihe a tal respeito, da qual poder fazer o aso
que Ihe convier, e como sou de vmc. amigo vene-
rador e criado. Joo Pereira dos Sanios.
Jaragu, 21 de abril de 1865.
Documento a. 3. '-.
lllm. Sr. GoitheTmrao dos Santos Morae?. Em
resposta sua carta de hoje, tenho a dizer-lhe que
paguei ao Rvm. Sr. vigario Ignacio Joaqaim da
Costa a quantia de 45000 pela missa do 7 da da
visita de cva de minha finada mae D. Mara An-
tonia da Ciinceicao no dia 19 de dezembro do anno
prximo passado, e quanto o offlcio parochial pa-
guei 185100 rs conforme a sua eonta, mas at
esta data nao me consta que o mesmo Rvd. Sr. vi-
gario o tenha felto, poi.- o que lenho a respon-
der-lhe, e da qual resposta poder fazer oso della
para o que Ihe convier, pois com estima soa de
Vmc. ltenlo, obligado e criado Manoel Gomes
Ribeiro.
Macei, 21 de fevereiro 1865.
Documento n. 4.
Uros. eRvms.Srs.Guilhermino dos Santos Mo-
raes, tendo exercido durante mais de doze annos o
lugar de sacristo da matriz desta capilal, roga a
Vv. Rvtnas. se digoem attestar se o snpplicanta fal-
lou alixuma vez com os pagamentos das esportulas,
que me eram coaadas, para sorem distribuidas
or Vv Rvmas., para o que
Pede'a Vv. Rvmas. deferimento.E B, Me.Gui-
laermioo dos Santos Moraes.
AMeslo que o supplicante dorante todo o le- no ,
qo tenho servido nesta. freguezia, se tem por
com toda a probidade e honradez de um verdadei-
ro homem de bem, pagando puntualmente todas o
Juaesquer esportulas que Ihe sao .confiadas pelos
eis para me serem entregues.
Macei, 20 de fevereiro de 1865.
Ea> t de sacerdote. O padre Manoel Amando
das >D0res Chaves.
r


fm
"
Ma#4 J* ? *m+**>*? -
Aftrltif* tsaa.
*v
JosmL'S0*"^ WI*Mf An,oni0
naffiSrliL **"* *** **a oo1*** *Mre M*
i JU?^,l,|i *," HL~ ** Podro
*;*^ VsaKMesttus.
i>- Maeoie, 20 da (MMiwir4fo itW.
Frajsciaca MwmI Maoisi.
JHiro-me ios attestadui snari.
Mseei, 20 de tpverelro de 1869. Paire Jos
d'Annunciac*6*m.
AMi'sto aWrimtrraawtK.
Mawi, 20de fevereiro de 18W. Padre Jas
Vieira Marques, eeadjucior da freguecis.
Atiesto qoe o appliea*le, Amate o lempo que
morei nesta capital, nunca fatloa a mlm eom o na
IHMt. H 4 burean
PrsdaaBa Tattea da Caata.
Diaujcu, /
Bispado de Pernamfmco
Para Lisboa. Saca-se sobre Lisboa, t>raV !mf daf CsVrtt. i
a bra portdgaei. Hennqvta, segu para Ljj- Migu I e Rio de Janeiro: o scrpfrir? t*RCta lllgleZA
Psi* Mentirla o Wspade se fiu poMco qie o
itrio 2 ?" T*art* c*P,u,r n? *afor ts-
*"* v mmim (Nm peisseaa qae- proearam fra das Ho-
ra* de despacio para casos urgente, prraclpal-
moatuuoate tema* oVhwerao, resorvou mu.y de-
fiailmasaile a a rewdaaa para aeuwaario
pcopaldeOliada, ande poda ser rvrocorade na
boa at o Ora da prevente nnstn : tem doos ter
j eos do seu carregamenld.IdGMo : para o resto
que Ihe falta e passageirf; para os quas ten ea-
callentes commodos, trala-se com es seus conajoa-
utm Juuauio U de Obvetra aovado* &,
sea escriptorio, raa da Cruz o. I.
^Camlha4'lfBuafiii,fadJa#alo-aa>i {* aaaa tteader)
mero 20. L Por G- f Hillard
."".* Gamboa do Carri
Para o Porta
segu iamrelfiriveluumie al o da 27 do correte
atiera conhecida e veleira ftrfWt CTnrrfinrtTWrier
o do sifeds-ioas ate 0 tocra da" ma'ahia al 'seu carreKameato prorapto : para pasageiros, pa-
ra os quaes se offerece excellontes cosimodos. Ira-
w-sf walta iraais* & C, na ra da HfflW
de Dos n. 8, ou cara oca pitia a borlo.
----- -.mo casa
eaapBdaaO patita para sentwm e lu m ebapos
" seda, vestidos e capas, erarepara-se plumas,
o por prt-oo comraedo. .
i Jas
J"
*
LEHOES.
las
Gii'-
sfoi
os
Maoetd. de k*trmn a Mtt-0
Feraaades de Basada*.
Aaeata, portar arda*, aja eSr
Innraaiae dos Saaaaa ~
sarriatM noca fiaBaa a
dos actos ntie flw eram liWstfus e sempie de
mwenbw lugar da sacrista eea actrridade e
digtfldade, e por m-> ser reijuertdo como consta de
>iu petiza, passo o prasaata en .qtw assigoo.
Jaragua, 21 defMerairoda UM. Padre Pedro
de S. ieraardo Peixeto.
Document n. .
Saaaa d* faaeral de B. Kosa Sfaria ilos Piazeres,
feito na noroacjio de Jaragu o eapella de Nos-
sa Senbora Mai da Pava
a i da tarda ; a para o caaos argeaiaa a saiai-
quer hora do da ou da aoilt.
i Ctdade de Olinda 1 de abril de 1865.
O secretario do bispado,
Canego Joaqaiui Ferreira dos Solos.
Pela inspectora de Peruambuco se faz po-
btico, que i porta, no dia ti do uorreaie, a 1 bar
da tarde, se ba de arrematar litre de direilos o
.tararla''mESSSTiS f^ ** ******?** ? H fcwrim
arara ae umu4*n n. 63 de 17 do terrete : -*- aah-'
*********** film. Sr. presidente^ d.nhas muto novas desembarcadas eata semana,
V sucedo a alfandm > P#mh,vdWaa era um ou ntais lotes a
abril de tfti-0Sr^or il ,T0Bla,de do:",tnte fluinta-feira 2(1 do corren-
"J Av^^art fatva. | fnS,M 1# hraS da manhaa no -- do
! Pdaihesourarlaprovioerslse fai ptAIko que .ttz3-------------r------------------_________
: a arrematacao dos reparos de que precisa simpe- LWfO de H Wil ltef aa IW roa Rsa-
de Apipucos desde o lugar ,.;,, 9 "
o CUera-meBio fol' n* B
draiaento da surada
era frente a da Trempe al
r s' lavaje' !ur!1TJ,*,,,^"***,**'^ ,*** ?*
' i Davram B,w*al, ra do Imperador nu-
mero 54.
aaparoclw: Enlerrc- buco 7 de abril de MW^Vareario,
Direims paracaiaea................... 2*360 di. .1-____* f. d'Aoooociacao.
EncrnimeadacSo solemne............. 3X000 MT~ 7;a'ne#ro,rar'a provrnTral se fai publico
Memento idem...................... 33000 2!,a arr|nra,aSa,>^o* reparos de que precisa a
r?XX PWlte de Bmarv sobre n m Tr<-mh5a,
rio n. (Baa-Visla.)
transferida para o dia"20 do crreme. "' Joa1uira D'as Pinbeiro Larangeiras far leilao,
aajatara d* ttMMAWM-ia prwvrnetal de Pernam-' c,m* C0**''}V> ** m8 cradaroe par iatarvaagae gammar para uwa casa da
r. Francisco Pires Ma
chada> Portel la
Medie operador
paiA
FACLnADt DE PARS,
gi-&aada a ua pratiaaia aaaa-so
promjito para o exercicio de sua proBs-
4o, qiuu- nesM ri*t#e, qdw lora d^fla,
especialraante em molestias de olhos (ca- >15
lcralas ^lc.) das vias urinarias (estreita- xg,
mentu de erethra etc.) e de pelle, paa S
cujo curativo se julga hablH*, MfMM $
a pratlca que leve nos Uspitaes de Pa- K
ris, e os modernos instrumtfnMs (fie pos- 9
sue. 'M
Pode ser procurado a .wtrqwt hora %
na ca. Carwo H. 2, esquina da rUa de Hortas. W
mmmmmnmw
Precisase de urna ama para cosinhar e en-
tres pessoas, forra ou
a raesma loja ada o mappa da guerra do
! ranga?, a venda^ lithographado t! Hgjttdtj
Fogio ha 1S das urna preta Africana de noihe '
Thereaa, que repreenta ter 70 anuos, baixa, ma-
gra, fnla, dedos doi ps e mos pequeos, levando
vestido de chita usado e panno da Costa coas fran-
es encardadas, e muito regrisla : que a pegar
ve-a a ra da Queimado u. 26, que sera recom-
pensad o.
Precisa-s* de urna ama para comprar e co-
siBhar para casa d ponca familia : aa ra Nova
a. a\
CLUB PRAMBUCNO- '"
A partida do corrente mez lera lugar na
noite do dia X
Salsa parrilha de.Ayer
PARA A CURA DA
e U*a as molesln
pra(n( nlrsdeilr
ioaa a* oJe^a** da
pelle
eheryoijfelfMy pajares, nleeris,
Ramas,
Bastid, fmpingrds,
llCim ATrfeun
etn todas as sma formas, nata com todo
o mal que provm fo us nttessfrQ dVj
MERCUFlrO
l'lceravo do fl^raalo
orem summa todos os males qm tm Ba
igern na
^amiabo............................ 340
arro para viageia................... 34000
A o coajjuclur :
Do mesmo acto...................... 7000
Ao ftvd. Amancio.................... 7*000
Ao Rvd. padre Padro Paisoto.......... 73W0
Ao Rvd. sacrasoio.................... t*0O0
Missas l 00 no otesaale ao Rvnrd. vig-
no e padre Anuncio................ 4^000
Visita do 7* dia.
Ao parocho:
Mbaa libera memento ecarambo....... 12*000
Aocoadjuctor :
PJos mesiiK actos.................... 10*000
Ao Rvi. Aeuacio.... ................. 10*000
Ao Uvd. Pedro Peixoio................ 10*003
Ao lv.i. sacrisio..........1.......... S*000
Caixa..................>.......... 6JM0
penle de Bojary sobre o ro Tracnahaem foi trans-
ferida pata o du 20 do crreme.
Secretara da theaooraria provincial de Peraam
buco 7 de abril de 185ko secretario,
_m A. P. d'AilnunciacJo.
Peta thcsuuiaTta provincial se faa publico,
que a arrematago dos reparos de qae precisa a
estrada do Porto de fialiaaas, foi traa*farida para
o dia 20 do corrente.
Secretarte da tfeesoararia pravlfldal de Pernam-
, buco 10 d abril de 1865.-O secretario,
A. F. tf Amiuipiacao.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar e seguiata :
. Par o eorpo da voteatarios da patria.
Panno azul corados........s&)
mesma taberna na importancia de 1:506,5040, cu-
ja relacao est Ora poder do mesmo agente a exa-;
me de quem pretender, cujo leilo ser effectuado
ME
s 10 horas da manha na mesma tafierna.
Leilo do resto do bacailio.
HOJE
O agente Pestaa vender' para fechar conta o
i resto de barricas; do bacalho exigente no arma-
1 zem do Sr. Vicente Farreira da Costa, as qoaes se-
rao vendidas par^ fechar ontas sem res'rva : ho-
je pelas ti horas "da manha ue armaiem do Sr.
j Vicente Ferreira da Costa defronte da eseadiofta
! da alfandsga.
/
Receta x conta cima. i
Macei, 8 de uaio da 186'
Marques.
DOCUMENTfJl. 6.
Conta da fiinerai da haada
Sr. Antonio Janeara de Ca
versario da finada nt snpra
Ao parocho :
Lrhera, memenio e missa..
-Cera da bauqueta que nao bdpa no
altar..................
Ao coadjuclor :
Dos mesmos actos.........
Ao Rv I. Pedro Luiz idem. .....
Ao Rvd. Pedro Amancio, idem.-.
Ao RvJ. Pedro Peixoto, idem..
Ao sachristo, idem..........
96J360
Padre Jos Vieira
Casemira verde idem.
Dita amare)! idem. .
Aniagem vara. .
Brim branco vars. .
AlgodaozimSo dem. .
~^>toes grandes de metal amarello.
23
23
33
1250
823
300
Leilttt 15 ntiUB coa qacijosia-
O gante PesUaa farirlaieo par conta e risco
de quem pertencer em lotes a vontade de \5 caitas
com os mais excelentes queijos Hamengos exis-
Antonio Francisco dos Santos capito do
brigue nacional Siquetra, coavi4a a seus col-
legas e amigos a assistirern a urna missa por
alma de seu mu presado pai, iw matrii d*
Cdrpn Santo, oe da sabbado 22 do crreme
as 7 horas da manha,Mo qual Ihes ficar
eternamente grato.
LIVRARIA ACADMICA
Aluga-se o qoarlu andar da casa da roa /
do imperador d. 54, com commodos para ?
familia : a tratar na ra do Rangel n. 54, $
assim como veade-se urna bonita mulata g
com habilidadee de cozer e bem arranjar 1
urna senhora, e especialmente de engom- |j
y aV5aa s XLvsstiT' me ?ara ,iar"ov' **e ?* a ^ j*
|3| enlraquecido pela ddengs
^5 Vantte-se na roa iria ns. 12 e 76 a
fma
Precisa-se de urna
IMPUREZA po SANGCE
um alterante pjderos |ra a
RENOVACAO D-SANUR
do se prefeteiwra
nhar : na ruado QuofeMuta
ama forra ou eserara, dan-
a ultima, pura compra e cozl*
a.-40. I..ja.
79.
as se-
r do bcrn g.Mn (>W ceTtalaa in^uafem vre,MSAi: a5S,n' como s<
verso rfeu*,., Htea lEST! "mmenda e l^ e qual
ario de cap, lo ou u,v,s.,/no Xo M &M MW^
naew, mulher do u^ redondos.
ibo, (eiiono anni- ^s
ISap^t^l'paMs'. '. '. '. '. '. \ \ \ ^0! pte^neste mercado-, enajtfono ~tt*Mho tapor:
Manas de la.
.......230
'-... 230
pesaoas qua qoiaerera veader ditos artifos
I apresotoa suas proposlas na sala do conseibo as
qanon ,lora8 dia 20 do correB'-
* i Sa1* do saafeano RX&A ,a i8 de abril do ,865-
oaow: 0 encarre;aij0 da 9Scriptaraca,
yjOfjQ Mam!Jos de Azevedb Santas.
70O0
7*000
7*000'
3*000
lioje 20 do corrente pelas 10 1|2 horas da manha
o armaiem do- Aaots.
i.eiio de ti jolas para facas e
sal refinado.
HOJE.
O ageMe PteitAa vender por orna : perieocer caixas com tijolo? para lunpar facas e
, caixas com vidros de sat refinado : ttojs 21 do cor-
11 "iite as 10 \\i horas ooarmazaw do Aaaes.
tiiea -rito
Mace, 2 de jtilho d 1863.-
Matques, coadjictor da freguezil
46*400
Jos Fierra
eoiiutlo.
Caixa lial il driici d.Brasi
Pcriiambuc!
A di rectora desta cana saca sHro o banco dn
Brasil no Rio de Janeiro e sobrtj caixa filial do
mesan banco na Bahi.
Xqvo baaea de l'1-uaui-
baaee. I
O banco descoma letras na prefcre semana a
40 por cento ao anno at o prazlie qualro me-
zes, e a 12 0|0 ate o de seis meies^uiiu dinbei-
roa juros a praso nunca menoiWatres mezes.
.lovobanco de Pero Abaco.
O banco paga o !* dividendo nTrazo de 8*
dor aeco.
C.txa filial do baiaco dt Brasil
em Peraambneo
19 de abril def 1863. \
Ten Jo-so deseu.:aininhadj do espolile Bernar-
do Jes Pinto a camela de 43 acedes te localisa-
das nesta caixa, sob Os. 1239 a 128J, adirectoria
az publico a qoem interessar possa, qtapor parte
d^ Antonio Jos Ramos de 'tveira, dotjo de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dita Pial se vai
aqol procoler a transferencia das refers acms
para o nome dos mesrao< herdeiros.
O guarila-livro.s
Innacio Nunes Coria.
E MPREZ A -C OIMBR A
Recita eitraerdioaria litr da asalfMttrra.
L'ltima recita do concertista awiscdo Gaoliaho
B A 9B BBITKrtCTO.
Quinta-feira 20 de abril de i 86o.
l^go que os senbnros professores da oranertra
liverem executado nma bella oavortura, o bene-
Ociado dar principie ao espectculo com o
HYM.VO Dfi GARIBALBI
por elle exeeutado na sua armnica, em seguida
tocar a ana do soprano e brinde da opera
TR.t11,iTA.
Seguir-se-ha depols pela companhia dramtica
a representacio da linda comedia em um acto or-
nada de msica
Leiiode um lesera va criolla, salien-
do coser, engtranwr, bmr c tos-
nharc com ooiras habilida Sexta-feira 2 Jj crreme as U horas.
CordciroSndesautonsado por um pessoa de-
ss amizade frrcila* da escrava cima.
Ser effectuado o leilo no ar.nazem a ra da
Cruz n. 57.
Leilo de movis, crystees e ostros ob-
jtfcfors de^sto
! Sexta-feira 21 d errentc *< 11 hora*.
i No armazem a ra da Cruz unm-ro 57.
CordeiroSiicV!faB*leillcrita ivsyms movis
como sejain : caderas, marquezas, camas, banqui-
ntias, mesas, redomas com flores.clices, garrafas,
reioglos dfe algleira e parado e outros muitos ar-
j tigos de goslo.
Leilo de
DE
J. W. DE MEDEIIUK
A' roa do Imperador n.
EsWestabelecimentj acaba de recebar
gumies obras:
DicctoBirt d(
das flores o v
ajaaeoiaaiaa
dos amawesy mais correcto e augiimatado com Ir-1 i
ti09 novse a umMama daa cores pela qoal com '^
duas nores, fructas, etc., etc., pjder qualquer **
pessoa eoviar uto recado completo a quem amar.
i *. elegamwiwiito etH;adtern:ido com as foihas
dburadas e dentro de urna c.iixinha, edieco
do lHOs. ,........tQwt) '
Novas cartas recreatUvas o doutrinaes de um
pai a seos Blirw para Ihes inspirar o aihor Vir-'
uide, por P. Haffmaun, traduzco do Mrito eotn
8 liadissimas gravuras coloridas, ediccao
1W)5....... .)
Tliornaz Alves, annolacoe
ene. .
Os atoaixo as^ignados intn arremaiado as iti-;
vidas da mima ftnTOl o> Jostqnlm Vfefra Coetho:
& C, fazem sciente aos devedores da mesma mas-;
sa, que elles sao os nnicos autorisados a receber
laes divida?, e por |ss pedem aos mesmos senho-
res devedores a vlrem ou mandarem pagar seus
debito amifavelmenie : na ra da Cadeia do Re-
effa n. 3.
Jos Joaqnim de Castro Moora.
_____ Joaquira Bepttsta de Araujo.
** ** pri(?d* Indy^eideaeia loja d> oarlvosn.
33, compram-se obras Je ouro prata o podras
n.t
ffwprjto n. i.
Vndese em Perriaraliwio:
na ->ari2acl!> franceza de
P.IWAfiER & C.
- RA NOVA N. 18.
! preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
quer concert.
a
Samuel Power Jobiiston &. Compaoa
Ra da vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
rnndlco de l.ow Moor.
Machinas a vapor Moendus e metas rnoeodas rmra eagarriio.
Taixae da fe^r coarto balido (tira #*f e-
nho.
de!
2*600
ao coJico criminal,
.... 13000
JUauat occlesiasitco 011 collecco de formulas
pelopadra H. T. da Sika, 1 r..l ene. 6*000
Compendio elementar de geographia geral e es-
pecial do Brasil por T. Pompdo, edte. augmen-
tad e c-uMid-isameotocorrigidj pelo autor. 1 vo-
luiaoenuaoVrBadO)
- r*'2m,l,'ra 'ranreza por Burgain, 4a ediccao
de t8SS a Vol. em.....'. 6*000
O Novo Mez de Maria, conlendo alm do nWitBs
oragoes imiiortaotes e abe das almas, 1 vol. ene.
edtt. deOSo........'. 2*000
O baeharel
Francteco AujiBt4o du Coslt
ADVoGADO
Ra do Imperador numero >9.
uaWaJUSK fma
empanbta tdehdade de seguros
marititnos e terrestres
stabelecida no Rio de Janeiro*
-AOKSTB3' KM MRtMtflfatf
Avlaala Uh de Olivclra lieveoo* C,
cOmpetetrtetoeme autorisados pela direc-
tbria da companhia de seguros Fidellda-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no sen escriptorio ra da
Crtlt n. f.
MARICOTA
O
os EFroTos ni nmm.
No lim da comedia o beneficiado exe.Sitar
oaisafl e*m nm*s.
Sxta-f(ira f| do corrw

ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 18......
dem do dia 19...............
33 004883
3385*310
30*233
MOVlMENr/O DA ALTAXDEGA
S'oluraes entrados com fzendas... 41.
com gneros___ 675
------\ f ,081
Volamos saludos com fazeadas.... 8
coro gneros...... 3,241
___te,3
Dosarregam no di* 20 de abril de 1
Barca francezaSof/erme -mercadortar.
Escuna ingleza-Cowintorfdr-ldem.
iarca franceza -S. AnArh-idom.
Paluclie portoynez Hartada Gloria djrsos
(Teneros.
Brigae nacional-P(ill 3arra portagneza-8. yododem.
Escuna Iranoveriana Ominaidem.
Barca og*zaTtetn =ear*ao.
Barca iogleraAnn tilt<-earvld:
8 irea belgaSopftie Theodorine idem.
Barca inglezaCommodore idem.
Brigue inglezUstt/ul-itom.
Brigueingloz fcaialtoidto.
KECEBEDDRA DE RSSDAS INTERNA
CERAS DE PERN\MBUCO.
Bendiraenlo dn dia t a 18......
Mea de dia 19...............
O.
13:818*8
553P
14:399,
CONSOLADO PROVINCIAL.
RefldimeBto do dia 1 a 18........ S0:073d9
i 'em ja-ala 19___,........... 1:836*'
31:912/11
tB"M
1. J.J. JB'UJg^g^wtmm
MOTIMEITG BO POMO
beneficiado executar o
coro de introduccao da opera
MARCO VISGONTI
e a aria de soprano da opera
BAHBEIR DE SEVILHA.
Segmr-se-ha a vrepresemacSo do lindo vaude-
vi I le em um acto
4 COBIH SENSIVEL
Em seguida o beneficiado executar a cavatina
de soprano da opera
Terminando o espectculo com a aria de sopra-
no no miserere do
TROVADOR.
Principiar s 8 hera.
Sendo eeta a primeira vez que o beneficiado pe-
corre generosidade do publico desta capital, es-
pera merecer a mesma proteccao qae a outros
tem dispensado.
Thealro de Sanio Antonio
' (apunga.)
Socielade dramtica Thain PernamlMicana.
De ordem dolllra. Sr. presidente do cooselho
administrativo desta sociedade, scienlidco a lodos
os-Srs. socios-insialladerosquo domingo 23 do cor-
rentaas 10 horas d roanhao, a sede da sociedade
haver sesso extraordoarta, aflm de tratar-se de
negocios tendentes a mesma sociedad.
Secretaria da suci.-dade dranuea- Ibalia Per-
nambucana, 19 do abr I de 186a.
O l*saaatano intenso,
Epaminondas P. B. e Accioli de Vasconcellos
O agente Pestaa fara' leilo por conta e ri'Co
de quem perteocer de porgad de iraixas com ex-
celifBh passas em mn oo mais. lotes-: sexla-feira
21 do Lorente as 10 i|i boras da maahaa na por-
ta do Aunes.
Leilo de 15cai\ade qneijos.
Martins far leilo per ctmta e risro de quem
pertencer de 15 eatxaa de qaeijos amengos che-
gados no ultimo Vapor
Sexta>-feira 21 db correte.
Na porra do armazem do Annes defronte da al-
'aniega, as 11 horas do dia.
AVISOS MA1ITM0S.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.^avcgaco costelra por vapor.
Parahyba, Natal, .aco, Aracaty, Cear
e Acarae.
O vapor ePeraiBTjnga, com-
rnaadanto Ralis, segu para, o
norte no dia 22 do corrente as 5
horas da tardo. Recebo carga
at o 81a 2t anrommendao, pas-
sageiroseainneiro a frete at 3 horas da tarde
do dia da sahida : eacriptorio no Porte do Mal-
los n. 1.
L -4.
tetra

Para-a Baha pretende sahir em pouceedias
a escuna Eitzo, por tor alguna carga tratada, o
para o resto que Ihe falta trala-se oom o contigna-
tario Joaquina Jos (ioncalves BeUro, na roa do
Vifaoto n. 10,00 no largo do Corpo Santo n. 6, ar-
mazem.
Para o Rio de Jaieira.
Pretende seguir eom muia brevidade a barca
Rfo W Janeiro, teodo parte do sea earregamepto
engajado: para o resto que loe falta e escravo* a
frej para os qoaes lem etcmienfe! commodos,
trata-se com o sea consignatario Antonio Lua fio.
Irigues Mindello, no seu escriptorie na ra da
]ruz n. 1.___________
Para Rio de J taolro.
O brigue escuna Joven Arthur, pretendo seguir
de 268 toneladas, oapiao M^yaan,a'tpa^^,mu^b-r.evldade'leado parte de s9U_ oawoaa-
12, carga 2,800 narnoas com ritlil^TiXnfen
a Phipps Brottiers & C.
Nnrins entrados no dia 10.
Terra-Nova34 das, patacho Inyfet Ptorenee,
163 toneladas; capitfo Petar Curria, equipag
9, carga 2,20f naiticas- com bacalho ; a Job
ton Pater 4 G.
Glasgow -41 das, patacho ingle* Ion Slar, de t.
toneladas; capitSO- faraes Meakle, equipajem
carga dilfcreotes gneros;. a ordem. Velo r
frescar e segm? para Xatal (oa frica).
10 Grande do Sul -20 dias, barca brasilera Nov
CoroMh, de 27o toneladas, capito Prancisc
Das da Costa, eifat^gtrnit, e*ga 12,000 arro
ba* de carne ; a David Ferreira Bailar. ,
Na-York-41 dias, barca ingle O. Blanohati
l.eilao de arana escrava.
Seaia-feira i de abhi.
O agenta Pmtoeainpnnd o despacho do Illm
Sr. Dr. jan espeoial do commerclo exarado n* po-
lieao de JosdMigoal Pe ira-e Lira, levara" a lei*
la pola ultima ve* no .ha cima MMtOdO a escra-
va Aloxaudriua, pertenceute ao orpho Domligds
Gabriel Peretra du Lyra e ex-isieol* no deposito
geral, servrndo do base a yfferia obtida no leilSo
do dia 18 do corrento mez; o leilo .sera' effectua-
do a.s 10 horas du da. cima dito em sou. triplo-
rio a' ruada Cruzn. 38
Leiiode trasles,"louca e outros ob-
jectos de casa de familia e urna 68-
cr.iva cosiulicira.
AviuvadeJos Antonio Goncalves da R>cha,
tenda de retirarse para BHftparfar leilo por in-
terveocao de aaonto Cordoiro Simoes de todos^ os
movis et i Oeotos no soSradd ra do Amorinr
n. 50, como tambera de urna eserava de naci An-
gola, Isto
Sattftadb z^dbscorrente-
s U horas enr pomo no mesmo sobrado.
Leito de dividas"
A vi uva de Jos Antonio Qoocalves. da Rocha
tendo de se retirar para Europa far. Icilio por in-
tervenco do agente Cordeiro Simoes, das dividas
de sfsn casal na imnorlancia de 1:3474188 rs.,
contantes da relelo om poder do referido agen-
ta, soado-omltni9 e-eonta* de hvros, isto
Sabbado22 do correol*
aa 11 horas,, uo sobrado, ra do Amoriui o. ."O.
j--a*fW^ ra flp_ A rsajii .-ririTnrrTTirTT_agra-
dece a todn-foflus cmiefls o amigos que
a'ssimiram o ulnm. sufraios e acomn-
nharam ao ultimo jazign o cjdaver do seu
irm.o Anlero Pereira de Araujo, e de novo
solicita-Ibes assire como U to-los os seos col-
legas e de seu- finado irmfio que no ass4stl-
ram a seo enterro o-canijos i obsequio de as-
si>tirem a missa d > solirnn dia,.sena-feira 31
do corrente, as 8 horas, na matriz, d* Bat*
Vista, esperando que ihes honrem com este
| acto de carldade o religlao, do que desdo j
confessa-se eternararnte agradecido.
Semana IIhiMrad*
Publicada no Rio de Janeiro e
asAigua-se na ra u. 41.
Auno 180080, sem*str 11,5000, trimestre
6000.
Aj pessoas quo quiaorem assignar principiando
no 2" trimesire, podem logo receber o Io numero
do abril corrente.

i
ti
iO *.%
CASA DA FORTJa i
Aos (kQOOftOOO-
BrilUetes garantido*,
A' MM Dr.KSe. w ti a CASAS DO fiOSTUllg.
0 abaixo asignado vendeu nos sons muito reli-
aos bilbetes garantidos da lotera que se acaben
de mtrallir a beneficio da Santa Gasa da Miseri-
cordia, os seguimos premios :
Um quarto n.88i com a tete de 0:0004000.
Um meio a. 2397 com a sorte- de l:4iU4i)0d.
Um quarto n. 121 cora a sorte de 5004000
liuiu**lawtaa sorte dn 1004, 404, 204 a
105000.
Precisa-se do urna ama forra ou captiva pa-
! ra coztnhar e comprar para casa de rapa* soltoiru:
Ospo^uidorespodem vir receber seus respec-lna r.ia do Queiraado n. 7.
tivospremiossem os descontosdas leis na Casal
da Fortuua ra de Crespo n. 23. A irmandade do S. Saeritment} de S. Jos
Acham-se a venda os da 2* parte da lotera Precia (?e capellSo : os Brras-. 3rs; sacerdotes que
s
ssr
*<\
Londres41 dias, brigue inglez Bezunlium,
179 toneladas, capito J. S. CJair, equipagem
carga polvo.-a, Trro e outros gneros : a Rol!
Bldodrac.
Navios sabidos no mesmo din
Macei-Patacho iugl Era, capilo W. Morter
em lastto.
Macoi -Barca ioglwa Volcan, cdpiao C. Has
em lastro.
prompto : para o resto que Ihe falla e os
jravos a rretes, para os quaes tem boas commodos^
-atase coro os soas coAsigoatarios- Amooie- Lat
*e01ireiriAz*aedc 4- Q.
Para o Rio de Janclr*.
Segu nesles oilo dias o brigae escuna Nao sei,
ido don* tercos do su carregamento a bordo :
ra o resto que Ihe falta e escraros a frete, pata
iquaes lem bons eommodos, trata-se eom os seos
osigoatarios Antonio Luiz doOlivelra Azooedo
C, no sin escriptorio na rna da Cruz tj.J.
AVISOS DITEBS&i.
LOTERA
AOS 6:000,5(000.
Qointa-fetra 27 do corrente mez. se ex-
tlbhir a 2-parte da Ia lotera (,13a) ab#
rtecio da matriide Xaaareih, na consisto-
rio da igre^.da NussaSeabora o Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
O&liihetes>nieios^ da oaraspectva teoararla -rnado Cas-
po n. t.
Os premios de 6:000,000 at 1O4000
seraopagos urna hora depois da axiraccao
at as 4. Itoras dtarday e es outros depoi
da distrihuicao das lisias.
A& eii.-.oiuinenrlas s rio1 guardadas so-
mtate at a mjiw da vespera da extraccao
como de eos turne".
0 tbosoureiro,
_______Antoaio-Jos Bodrirnes de Soiwfe
**' <5'Sr. JasepW Barra, subdito napolitana, reu
ra-sq para fra db imperio.
Jos Jacinlho Guales vai aPortuaal.
theotonio Flix de Mello, subdito porttiguez,
val a Boaaee, levande em soa companhia sua se-
nhora e ama sobrias*.
I .\W fluminn
ma^*-y- -NVTIIIUUUI
para rado imperio'
*- fa riwda-Gada(ro^~Reella^l)irdBnrp'
ens n. 44, deseja-se fallar com i Sr. Jos Dias
Pernandes, a negocio de interesse.
Farlaram do eiipeno Beoto-Veilio; em Sautb
ArHo, ojto qaanos, sendo qnatro furtados na noi-
te do 18d marco (indo, sao todos castrado^ cinco
rufos e tres caJtaulws, qnatrn ferrados somonte
cora a marca f por serem crfonlos e qusfro em-
prados com ootM< ferros, porm ferrados com a
mesma marca P de qn nsa o proprietarro que nao
vende nem troca cavaflos com esta-marca-: pede-
se a quem os encontrar, que os tontera e os man-
dem entregar no dito engenho, onde se pagara a
despera e-gr^tiltcjo. Di-se jae as duas quadn-
Ihas que alli exi>lem zombandi da fraqueza da lei
e das autoridades os negociam para Rio Formoso,
Pajeu' e Pedras de Fogo, e alli nafeira os adque-
ridos de fra. li assim que flst&igarantido o irri-
to de propriedade era toda sua pieaitode.
mmwmmm mmmm mmm
O cirurgiao Jos Antonio Marques mu- ,*.'
dou sua residencia para a ra da Guia
\ casa n. 33, segundo andar.
*Simrnmm mmm mmrnmm
Padaria'
Precisa-se de nra amasaador : ha padaria da
ra Direita d. 69.
Arreos d carro para um e dous cavallos.
Irelogkos de o-.ro patean inglez.
Arados americanos.
Machinas para deswrodar agodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Preersa-sede um criado fofro ou rsrfiro'-
a tratar na rna da Madre de Dens n. .16, nrrtticiro
attdar, das_9 as 2 turas da tarde.
O Sr. Franci>oo ns Paes Brrelo aotorisOB
o abaixo assignade para re'-eber dos forrirns da
ra da Roda o que -o aoliam a dever, bem assim
a tratar qualquer negocio eom o mesmo al final
decisao dos administradores do hospital de canda-
do, se dovem oti nao afeitar adojrcao quo foi feila-
na ra da Cruz n. 86.
Francisco de Alhoquerqiie Mello.
A patosa que perden 2* em srduls, dsndb es
Hgom cerl-s Ihe serio cntreRUM : no ifcfcfll do
Carmo n. i, Inja.
Escpiplwaca urreaaUlT"
Um* peoBoa precisamente hablliaoa prop's
fazer Mana* tr.-iUslhos do escriptiirc*o, porietido
ser procurada a roa da Cudeh do Recire a. .10, por
aorta- fechada com ae ioiwaes A^ ?:, &.
Precisase de nma ama~para"~mdo serVIp) d
nma cusa ife ponca familia : a tratar na rufa' Ve-
Iha n. Si.
Na ra da Cruz
das caixas filiaes das
Brasil, com descont razavel.
n. 33, compram-se redlas
provincias, e do banco do
Antonio
Europa.
d Silva paita, portugoef, va* a
Brasil :"Ha
"Descuiliaiii-se tunan uo uauco uo
ra da Cadeia do Recite d. 22.
sr
Vi*
na
(I3'j beneficio da matriz de ""Nazareln" .rac"se' prwendtervm pedem dlriglr-se ao largo do Paraizo
extrahir1 no dia Vt o corrente.
_ PllE^O.
fiMKols. .... 7*000
Meio......340O
Coarto*. ..... i#K>ry
Para as peasoas que comprares! del00 para cima.
Buhles......64500
Maiost..... 34260
uartos.....14700
Manobl Mabtuts Fiuxa.
Ama
Ha par alugaraifma esorava erieala para o
servicn interno e erterno de casa, cam a habili-
da1eoq-^(iMar: .- carterio do- utiellf-ro S,
sodarinfbraiafio.
Smmmm mmm mmmm*
O advogado Maximian Lopes Macha- t_
doir^u-frtrio o seu i-scnpioi i- da. ra do
Imperador n. 74 para a- do Crespo n. 10,
primeiro aadar,
\MMMMMMmZZ*$nW
AMA
Precisa-se de urna ama que compre, cosinhe, la-
vo e entname pira urna s6 pessoa : no becco das
Barren ras B. 3.
Precisase de urna aira forra para casa da
pansa, familia, que engqmrae, cosinhe a compre
na ma : na ra das Tnacbtras o. 40.
numerlo.
Ama.
Precisa-se de urna ama para todo serv
travessa das Cruzes o. 2, primeiro andar.
O London & Brazillan Bank, saca-por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Viannr.
G almarios.
Villa Real.
Coirabr.
Amarante.
Quem livor e quein alugar um moieqne da
14 o lo' sbous, fiel e activo, appareca ari ra do
Trapiche n. 44. segundo andar, 00 aonancie para
ser procurado.
Prcita-se por aluduel d> tima preta ecrava
de bons cotames para o servico iBterno de urna
casa de familia; na ra de $. PrhirCrSco sibrado
b.IO____________
O abaixo asslgnado tendo comprado ao~Sr.
Jos Dia da Cunta 6 esbbelecnlento da ra da
Cadeia do Becife n. 38, aue porfence firma de
Pinto & Cunha, e tendo de rcalisar notes oilo dias
o pagameoto, conforme o contrato, avisa a todos a
qoem esta transacce Bossa interessar, de apresen-
tarrm suas- idamacdes em devida forma, pena
de irresponsabilMadp. Reciiy 1 deabril-Je 1863
______________Ladislao Jos1 Perrert.
Procisa-se alagar urna preta que seja escra-
va para o servigu de urna casa de ponca familia :
na roa Direita n. 74.
Pedo se ao Sr. Francisco quo deUou om re-
logice uai par de rosis* por garanta de gneros
queeompron na-taberna da ra do Alecriro n. 2,
no dia 24 de de*mbTo do anrm pMjximo pausado,
o favor Je vir tirir dt dlios'oajectas ne>tes 15 dias
e pagar o importe dos gneros, do contrario sero
vendidos para pagamento.
liarlioi-el Jos Baplisla Oiliraua
g advoga nos termo* do Bonita e Garuar.
S Pode ser procurad na villa do Bonito,
Si ra Direita n. Iti, defronte da cadeia
mmmm mmmm m
Alugam se dous grandes sobrados com cora-
modos para numerosa familia, nevos e aceiados,
cora jardim, cocheira, estribara e outras eommo-
didades, na travessa do Joao Fornandes Vieira :
a tratar na ra da Seuzala Nava n. 42.
uga-se
- Joaipiim Antonio Pereira o sua familia len-
do-se retirado por aignni lempo para a Europa,
pede desculpa aes seus-amigos de nao so despedir
essoaimeaie altendeadoao poucoteaipo da que
pode dispor pela viagem rpida com que aqu che-
gou o vapor ingle.
Precisase de nma ama nara casa de pouca
familia : na ra de Martas o. 41.
A ma
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e eu-
gommar : a tratar no passelo publico n. 5", loja.
Na ra do Aaago n. 3 faz- comida- para
fra e por pree roa eommwio qne em- otitra
parte.
PrOcis*Se,>'ilma ama para todo servico do
nma casa : tratar na ra estreita do Rosario n. '
22, primeiro andar.
Tem de set entregue pelo diininuopreeo de
4005 preco que se tem adiado peki pardo de ida-
de de 20 aooo.,to someata por ter urna pequea
ferida n* perno : aa mesoa loja db fzendas no
Pasaeio PbHliao n. f.
soodito francei, renra-se
Pede-se e roga-se mesmo a reparligao das
obras1 publica* 011 a cmara mirnlcfpal'oi a' quera
eempoiir, qoo pelo amor de 0>o presten alguma
atlencao estrada da poo'e de Ucttda em dJrfccoSo
aos Aptpaew, pois no estado emque- esta nao
possirortramitarse sem que1 o viandante so espo-
unaacasa acabada agora, com commodos par fa
nlilia,estribara, cocheira, guarios para feuor e
escravos.com banho AS porla.no logar do Pogo
daPbffeHa.roS'do Rfo-.- a tratar cont fassOir-
rtos.oa.ruB do Amona s. 3d.
ials^B>aMIBS
WmW^KWtffK^i ^tJKTmn HsTWHB3B
m ObaeHarel-AlvarofUmioBaT. da Silva-
2 lem seo escriptorio de advoi>*eia a' raa
do Imperador n. 41, primeiro andar, oa>-
de pode serproearadb das 10 as 3 horas.
B" qoalqaeT ootw ew*s^5oseT encon W
irado na casa de sua residencia a mesma ||g
N Bdafiaula Torra1 Bifcisa de um
hoaierrudeTBijH iaadl para cxeitro sendo
solteiro e d conhecimento a sua conducta r
tendo ai^ama piatica mdhnr._______
AMA
PrSrsa-se" alOga-T urna ama* forra ou captiva
para comprar e cosiahar, paga-so oom : as loja da
ra .Vova n. II. __^^
f'recisa-se arrendar ou comprar 001 sil0
'gfaodte qOeiuntfa brfa Casa, e cOj' terreno sej d
barro : a.twur'na-r -* Pr**l*J*0 de om hiato pVi o Ararat :
quea otivero-qatsor frelar. rfrtija-Ba- a ra do
Eacaotaweoto ja.. 14-: a Matar -u. Jos-Lope
Ravmuodo do Buhar.
Precisa-se alugar ama preu sserava
coziobar, eh^ommar e* lazer ortlpTas, para
possoa': n*> brtwo das1 BarYeVWs'n 1:
nba a soffrer algura quebra costas, e quando che- g* ru*> 3>.jaa*B aoGabiaelePorosguea
gara focado itrvernotorn-r-se ha muito peior : S nnn-r iotim orasgucat sm
aa1amvX'al
^^aW33Bt
pei
entao nem a p nem a carro se poder por ain
l-Bssat porrtusa do estanacSo das ag^uas; cajo ronsollerVo medira-rirnraira
viaodaote oaB-wttdopara oBfe' se desviar so ter ,j0ns"0TO medKS-cinirgics na roa larga de
por recurso atnlar-se n'agua e lama id oloelho, Rosario a. 20.
mxime desde os sinos dos senhores Costa e Sin- Dr-feao Porreira da 3|va Itf Pulsando a sin
tr% al a Cruz d'Almas qae s de soroulas e p no caia'C90lluua en o exercicio dB sua'pTofissao nao
chao so podera transitar, eDeovsane se occasiSos c'
havor qoese faca preciso a compleme boia da
sakafUe.
Isto pedo om prcjndicado qns s ao pedagio do
Manguinho paga de 5004 a 600S ao-Quatraonta.
DS-se 1:6004 a premio sobre hypotrwca em
. ra ereita rto Rosario u. 10,
s na pane medica como tambora na cirurgica.
-Aluga-se ama cosa Ierro-nos arrorasados
Sm Olinda, com 2 salas, 4 qoartos e urna grande
eosmna coa porteo parA ario: a tratar na arma-
zem do Annes/derrontada alfand
22:
loja, se dir quem d.
- Precisa-se de um bom feitor casado, sendo
TaSoeir'a? *"" ** ^^ CoBCe,l *
par*
urna
A irmandade da N. S. da Boa-ViaVfrl prre-
sadelBW!Bo mo nome : os R-vmr. Srs. sScrdutes qiM preieB-
derem, podem duigir-se ao largo do Paraizo bu-
mero 10.
Preeiswse de urna ma para comprar e co-
zinhar para lasa de podca familia : na pxaca da
fnilerWoVncrft n. 33.______^_________
0 Sr. Antonio da Silva Gtrimaraesy>u algucm
por H, n travessa'das ftnnfea_H. l2.
Marcelino Jos Lopes declara qae ha muito-
residecarri saafafniHa n" frefiela dt-y,"
Paneila, aende tero volado, e nao aa trans a*
Boa-Visla, como saino pubjicado_neste Otario.
~ Quem precisar de nma ama de leiU\ dirija-
se'a ra da Santa Cruz o. 4.
'I
j
.
MUTILADO


Diaria *
*laU letra 4c Abril e i.

BANCO UMIAO
ECVAO DE SECVR08 HITUOt DE VIDA
Demonstrado do manojelo desta secco desde o Io de oalubro a 31 de dieift de i86,4.
..--**
Deslcamcoe*
Transporte do ulti-
mo trimestre
Subscripto no pro-
sete trimestre
Prestagoes recebi-
das idem.......
Poroentgeos por
atraso dem.....
Joro de inscnpges
idem..........
Inscripcoes compra-
das a 46 V.....
Jnsrripges compra-
das a 46 Vx.....
Inscripsoes compra-
das a 47 "/
Somma......
NUMERO DE
SOCIOS.

3
3
3727
227
5934
838
780
1618
6565
1007
7372
CAPITAL SUBSCRIPTO.
i Si
} 1
1-8
2,115:990*000
112:170*000
ti
s
CAPITAL REALISADO.

3
282:615*000
214:235*000
2,208:160*000 496:8705000
2,398:605*000
306:425*000
2,705:030*000
489:127*200
72:830*000
2:882*930
7:594*500
872:434*650
I 5
f *
67:228*000
65:375*000
1*500
2:004*000
s
556:353*200
138:205*000
2:884*450
9:598*500
134:608*300 707:043*130
CAPATAL EMPBEGADO.
Valor nominal em msctipcoes.
991:300*000
1:600*000
50:000*000
26:000*000
1,068:900*000
133:600*000
40:750*000
20:900*000
195:250*000
9
'O OS
}i
..-
3
Metal.
13 O
3 5
O. -5
1,124:900*000
42:350*000
50:000*000
46:900*000
489:158*885
746*000
23:230*000
12:220*000
1,264:150*000|525:374*88o
66:101*125 555:260*010
18:993*690
9:823*000
94:923*815
19:745*690
23:250*000
22:043*000
SJOSDMOMA.
O secretario da contraria de S. Jos d'Agonia
convida a todos os irmos a comparecerem do-
mingo 23 do corrate no respectivo consistorio,
pelas 10 boras do da, aSm de em mesa geral ele-
gerem os novos funccionai ios que lera do reger a
contraria no ann j de 1863 a 1866. O secretario,
_______Manoel Francisco dos Santos e Silva
Pede-se ao Sr. Joao Travasso Lima que alu-
gou um cavallo a Antonio Carreia de Mello, e po-
ni ter portador para mndalo para a Conceicar
dos Milagres, queira mandar entregar na ra do
Pilar aos Srs Beltro & Irmao._____________
Pede o abalxo assignado, morador na ra da
Praia, que muito desoja fallar com os Srs. Manoel
Jeronymo de Albuquerque, Alexandre da Silva Go-
mes, ambos moradores fura desta cidade, a nego-
cio qce Ihes diz respeito.
Claudino do Reg Lima.
S.H&H&
Urna familia que se retira vende orna mobilia
de araarello j asada, irem de cosinha, louca de
almogo e jantar azul, ama mesa da jantar de ama-
relio ps lorniados, mesas pequea, commodas
cama de casal e muies ootros objectos o qne todo
se vender em conta : na ra dos fires n. 62.
Caluogas finos e brinquedos
para meninos.
Chegaram para a luja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calunga
Unto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timeolo de mindezig.
620:298*700
Porto, 31 de dezembro de 1864. M *
Os directores do Banco Uniao.Jos de Almeida Campos Jnior, F. M. van der Siepoort, Jos da Silva Machado.
Approvado peU junta de vigilancia era sessao de 11 de Janeiro de 1865. .... ., ,.
Justino Ferrara Pinto Basto, vice-presidente, Visconde de Figueiredo, Agostinho Francisco veiiio, francisco Antonio de Lima, Antonio Adriao da Rocha, secretarlo.
N. B.Desde o 1* a 11 de Janeiro tem havido o seguinte movmonto na subscripto :
SOCIOS. CAPITAL.
Em 31 de dezembro..... 7572..... 2,703:030*000
Bol a 11 de Janeiro...- 205..... 42:425*000
Total....... 7777..... 2,747:455*000
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TE1XEIRA BASTOS
N. 60~Rua da Gadeia do EecieN. 60
MDANCA
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaes.
AZEITE DOCE
Ueite doce refinado em pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graode armazem
da Liga.
Saceos de 80, 100 e 120 libras a U, i-v'iOO e 5<3 ; no grande armazem da Liga.
Todos os arligos abaizo mencionados, forara comprados recentemenle pelo dono do estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmingham, Mancbester, e em diversas cidades que lUI'ava Da I'lia da Impera tri Clll Casa UO IllaI'CIQCI 10 Poil'iei' O. 00, pre
da Alleinanba, e tendo comprado ludo as melhores condicSes por ser a diuhelro, poitalH*'*> Lj^ a0 respeiaYel DUbCO e a tdoS OS SCS MilUezeS dH particular, qne
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer lnteiramente hqui- av ,c P*'* Fu v "v .wo f"" ar '_V_
dar ter de partir muio breve para a Europa. rondn sna oflicina para a rm da mMnz da Boa-Vbla b. do, onde se acna
Ha nesie vasto armazem ricos objectos com bnlhantes, como botoes, anneis, rosetas etc., e BrAmnift nr fa'/Ap a (me romnclo a U arta de fundidor e niat'hillistu.
bem a^sim, diversas obras de ouro, como trancelins, corrent5es, oculos, face-mains, anneis, e muitos 11
onlros artigos, relogios de oaro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Plnaud & Meyer, Deleltrez (Parfumerie du
mond lgant), Violel, Societ Hygiemque, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Gueland, e inglezas de Eug.
Rimmel e oulros ; ricas galantarias em marfini, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japo;
ricas pecas de criMal fino como ainda nao appareceiam nesla cidade, e bem a.-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castigaes, enfeites e adornos para cima de con-
solos e para graode toillette, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
etc.; modernos apparelhos de metal fino ioglez para cb o caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e militas oulras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha c caf,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cem sola de borracha, pianos dos
celebres fabricaotes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movimento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou sMoes, dilos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, da e noite ; stereocopios de nova nvenco e com bello sortimenlo de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimenlo de brinquedos finos para criancas, e bonecas fallando papai,
mami ; grande sortimenlo de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitacSo na Europa, grande e magniQco sorliinento de caixiuhas, ceslinhas e oulras galan-
teras feilas de crina e seda proprios para presentes; grande sortimeuto de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de oulras de lodos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio
para meio de mesa de jantar ou para jardim ; cutelaria fina, como talhtres com cabo de metal fino, co-
ifc '->" _T^#TQijr-n flnii li'tte iwA^ofwne nara il^ialo** .lh "-o ,%.itfptoQ p rn>*s .niiroc itivor.
sos artigos feilos de rame"; compreto'sbrtirrieio de mascaras de velludo, selim, c*ra, papelo e ra-
me, doces, confeitos e chocoUte em caixiuhas e em vidros; camas de ferro dejtodos os lamanhos, lava-
torios, etc. ; ricos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baler ovos, proprias
para quem faz po-de-l, bolinhos, ele.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos;
pannos para cobrir mesas, boleas grandes e*pf quenas para viagens, e onlros arligos, como cobertores,
malas, etc.; sortimenlo de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e oulras pegas
de charo para toillelie ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para pbolograpbia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illumnacdes moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma bannos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscoito* inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principae.<> marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros arligos
que para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muiu barato no grande ar-
mazem da Exposieao de Londres, na ra da Cadea do Recife n. 60.
Desappereceu o preto Antonio, crioalo, nata-
ral de Barreiros, da ra do Brum n. 52, no domin-
go de tarde, com os signaes seguintes : altura re-
galar, chelo do corno, rosto redondo, beicos gros-
sos, olhos grandes e brancos, ps apalhetados e
grosses, tem bastantes signaes de ter tido frieiras
nos ps, caiga de algodo azul, camisa de chita
com algumas pinlas ama ellas e chapeo de palha :
quem o pegar e levar a casa acima.ser recompen-
sado___________________^__________
Precisa-se de um pequeo com alguma pra-
tica de taberna para caixeiro : na ra do Rangel
n.75.
Francisco Jos Germano
RA NOVA X. 81,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimenlo-
de oculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais-
apurado gosto da Europa.
Precisase de ama ama forra ou escrava para o
servico de pequea familia : no principio do Cor-
redor do Bi-po, nona casa d lado esqaefdo.
Alagase urna prtta limpa com abundancia
de leite para casa de familia : a tratar na rna lar- '
ga do Rosario n. 26, loja.
Alnga-se urna mulata de meia idade, sabe i
cozinhar bem e engomma soffrivelmeute : a tratar j
na ra larga do Rosario n. 20, loja.____________
Feftfa dos Prazeres.
0 encarregado dos festejos de N. S. dos Prazeres
fai selente aos devotos da mesma Senhora qne a
festa sera feita com toda a pompa no da 24 do I
presente ; havendo missa pontifical feita pelo re-
verendo abbade do convente de S. Becto ; con-
cluindoo festejo com um fogo de vista.
Ensim em engenho
De primeiras letras e tambem do latim, francez,
ioglez e rhetorica, por preco commodo : noescrip-
tono do Sr. Dr. Biodoro, ra do Imperador n. 81,
prlmeiro andar, actor-se-ha com quem tratar.
Est para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um 1 e 2* andar de um sobrado
na roa do Rosario da Boa-Vista,qnasi no pateo da
Santa Croz, e urna mei agna na estrada de Joao
deBarros.com arvoredos, agna de beber,e portao
para o becco do Pombal: quem pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
Aluga-se o primeiro andar de algum sobrado'
na ra do Imperador ou pateo do Collegio : quem
tiver dirjase a ra estreila do Rosario n. 28.
VE\DHB-SE
caixes vastas proprios para bauulcr-
ros e funileiros a 1,760 rs.; a tratar
nesla oTuina,
Pharmacia.
Vende-se urna botica nesta cidade com algum
fundo e boafregaezia : quem a pretender dirija se
a ra do Imperador n. 38, que ser informado.
Euzebio Raphael Rabello tem para vender
em seu escriptono, ra do Trapiche n. 44 :
Velas de cera. '
Vinlio Collares em ancorlas.
Vinio de Lisboa puro em ancoreta?.
Vende-se aexcelllente propriedade da ra Im-
perial d. 164, fregutfcia de S. Jos, tenda 350 pal-
mos de frente e mail de 1,200 de fundo, no centro
do qual ha ama grt|de casa terrea de pedra e cal
com muitos bons dfenmodos e alguns arvoredos de
fructo, precisando felade do fundo de algum ater-
ro : o Sr. capitalisR que fizer esta acquisico (em
alm de predio, terreno para edificar um grande
numero de casas, ja com frente para a referida
ra, j em outras qi? passem por dentro da mes-
ma propriedade, oor ter embarque offerece a
Immensa vantagt de facilitar a condueco dos
materiaes, que ."ao despejados em cima das
obras: quem a prender dirija-sc ao mencionado
predio, ou a ra vBrum n. 57.
Vende-se um- escrava crioula, moca e ro-
busta sem vicios,pr prego muitomdico : na ra
Imperial sobrado 1.87.
Jende
se
Cmara municipal do Recife.
Quem estiver habilitado a fazer ser removido to-
do o entulho de llxo e immundices que existe no
caes do Ramos ao norte dos teibeiros que all exis-
te, com brevidade, entenda-se com o fiscal da re-
guezia de Santo Antonio desta cidade para tratar
do ajuste. ________
Precisa-se alugar'rha
de 14 a lfiannos, que seja
ra : a tratar no largo do
Brum n. 47.
Bilhees perdidos
cidade da Vitoria, no
bilhees da
Perderam-se do Reeife
dia 12 para 13 do corrate, doas meios
lotera (12) que se ha de extrahir a 19 do corren-
te, ns. 1904 e 2854 : pede-se ao Sr. thesoureiro
das loteras ou a qualquer outra pessoa, que no
. v.Lcaso de aue saiam premiados,
escrava ou moleqOe a Jos Soares fia Albuquerque,
fiel para servico de' morador na cidade da Victoria.
do
nao paguem senao
que e seu dono,
chafariz da ra
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da ra da Guia, pintado de novo e com commodos
para grande familia : a tratar no primeiro andar
eem seu proprielario o bacharel Francisco Luiz
Correia de Andrade.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas tlaes: na praca da Independencia n. 22
D1NHEIR0 FRANCEZ.
Vendem-se moedas de oaroe notas do Banco, e bem assim ama colleccao desde um centesimo
at mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. CO, no armazem da Exposieao de Londres.
Joaquim Fernandesdos Sanios retirase para
Europa, e deixa por seas preenradores durante a
I sua ausencia aos Srs. Antonio Martins de Carva-
Ibo Azevedo, e sea irmao o socio Antonio Fernan-
des dos Santos.
Domingos A lves Matheus mudou seu
escriptorio para a ra do Vigario n. 14
se
<
^a
= w
Zs
2 <
598
ta
o
35
TU
3
H
Q
Para completa liquidaco vndese, por muito menos de sen valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas rucentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguimos : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Delelrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere ele, etc., dos quaes ba grande sortimenlo d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para I impar denles, oleo babosa, extractos em gariafinlias e
vidros de differenies modelos, pos para impar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os arligos em geral existentes no grande armazem da Expsito
de Londres, na roa da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele-
gante at o presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posieao de Londres, na rna da Cadeia do Recife n. 60.
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recenlemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposieao de Lon-
dres, na roa da Cadeia do Recife n. 60.
19 RA NOVA 19
-
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
deseobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparaces empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que ge aclia de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
lissao, advertindo querouxe um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para ebumbagem,
instrumentos novos, ferramenta moderna, cadeira de operaces, etc., etc., dos mais acre-
ditados fabrcentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possvel, espera continuar a merecer toda
a confianza.
Aeba-se seapre no seu gabinete das 8 boras da manh at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quande- n5o tiver de ir em casas particulares.
AOS PAS de familia
Feijo mulatinho a 360 rs. a cuia.
Pela g ande quantidade e a prohibicao qoe ha de Cae poder expr as ribeiraff se
rende por este preco, o feijao bom e o preso agrada 3 todos: na ra dos Quartei n.
42, junto a loja de funileiro.
Ignacio Pessoa E-leves da Silva convida
ao> seas amigos e aos amigos do seu primo e
socio Jos Pereira Jaciniho Jnior para as-
sislirem no da sabbado 22 do corrente na
igreja matriz de S. Jos as missas que se lem
de celebrar pelo eterno repousa da alma da
ruai de.-te, fallecida na provincia do Cear.
SOjJOOO
Por
Hotel Traviata
Ra larga do Rosario n.
Paga-se
um perito cosinhelro 56000
37.
Aos briosos pernambucanos
voluntarios da patria.
Eugenio Mauricio
Photographos ra Nova n, 25.
Desejando facilitar aos Srs. voluntarios a occa-
silo de. deixar seus retratos a suas familias e ami-
gos offerecem-lties de fazer-lhes retratos em car-
loes de visita por raetade do preco dos particula-
res ou 6 a duzia.
CASA M RAMIOS
Largo do Carino aero 26.
Este estabeleri ment lao bem montado na sna
orignn, achava-se de a muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de sna adminis-
tra gao.
Moje que o novo proprielario emprega todos os
meif-s para restabelecer a grande utilidade deste
estabelecimenlo, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concorren tes acna-
rao desde j promptido e aceio nos bonhos fros,
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberla todos os das das 6 da manhaa as 11 da
noite.
Precos.
1 banho fri ou momo......500
1 dito de farello....... i000
I dito medicinal ser segando a qualidadt.
25 cartoes.........10J000
II ditos..........5*000
Caixeiros.
Na rna da Cadeia do Recife a..., foja de ferra-
gens, precisase de dous caixeiros que se sujeite
as seguintes coodiedes :
1* comer ao almoco um so pao de doas vileos.
2* eemer ao jantar de sobre mesa s ama ba-
nana.
3* comer a ceia s duas bolachas que a sua
racao.
4- nao gostar de peixe, porque as sexlas-feiras
e sabbados s se compra peixe costando doas pa-
tacas, e se cu- lar dnas e qaatro comprar-se-na ca-
rnario e marisco.
5* Trabalhar como um burro, e cara alegre, e
nao responder as iodirelas qoe o sea patrio Ihe
dirigir: as pessoas que se quizerem sojeitar a es-
tas condig-fls, dirijam-se loja cima, cortos de
que se quizerem comer mais do que a sua racao
comprarlo a tina casta.
D-se a nma familia honesta para morar de
graca um grande sitio com boa casa, lenha, agua
e alguma fructa, sob condico de guardar o mes-
mo sitio : para informar, na loja da praga da !n-
dependencia ns.6 e 8.
AVISO
Desapparecea no dia 16 do corrente um negro
de nome Manoel, com os signaes seguintes : boa
estatura, tem falta de denles na frente, e o signal
mais conhecido estar com o corpa chelo de bor-
toejas, fingindo sarna, sendo de calor, fci escravo
do Sr. Joo Ferreira Tabosa, senhor de engenho
na comarca de Caruaru', e ltimamente do filho
do mesmo Sr. Joo Ferreira Tabosa Jnior, ren-
deiro do engenho Redo, na comarca de Santo An-
uo : pede se encarecidamente as autoridades po-
lieiaes^eepitaes de campo e pessoas do pevo, que
o capturero, prendam e o levem a ra estreila do
Rosario n. 13, qne sero generosamente recom-
pensados.
Precisa-se fallar com o Sr. Procopio Epaml-
nondasde Oliveira Brederodes, e como nao sbe-
se onde est residindo, roga-se o obsequio de ap-
parecer na iivraria ns. 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de S an
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Ama.
Precisa, se de urna ama para casa de pouca fami-1
lia : a tratar na praca do Corpo Sanio o. 17, ler-
ceiro andar.
Casa vazla.
Aluga-se urna pequea casa terrea a ra
do Nascente n. 14: a tratar na ra do Quei-
mado n. 32. loja. ______________
Arrendase um grande sitio com boas casas
de vivenda, muito terreno de plantas, perto de cn-|
co mil arvores de fructo, muitas destas raras, i
muita lenha, agua, capim, tambom se pode fazer i
parceria com quem tiver escravos de servico de
campo, duas milhas distantes do Recife : a quem
ataviar, nforme-se na praca da Independencia ns.!
6 e 8,
COMPRAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferr ira & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
Compra-se ouro e praia em obras velhas, pa
ga-sebem: na loja de bilhees da Praga da Inde
dendencia n. 22.
Compra-se ellectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se um escravo cezinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da rna da Anrora.
Compra-se cobre, bronze e firro cuado ve
Iho: na fundlcao da Anrora, em Sanio Amaro.
Compram-se libras sterlinas : na ra do
Crespn. 16, primeiro andar.
urna escrava boa zinheira, faz doees, lava e en-
gomma alguma c('sa, se dir o motivo da veuda :
a tratar na ra dr imperador n. II, armazem de
louca.
"Pagote o1|ltO~
Sao de brim : i loja da ra da Madre de Dos
n. 16, defronte a guarda da alfandega.
Vende-se acasa da ra das Cinco Ponas n.
96 : a tratar na'ua uireita o. 106.
Vende-se taberna da ra de Joao Fernan-
des Vieiran. 64cuja taberna o se dono resol ven
a dar por menea armacao do que pedio por se
achar bastante oenie. Na mesma vende-se urna
pequens armacO de taberna j deserganisada, por
prego mais barO possivel : as pessoas que pre-
tenderen! dirijai-se a mesma, na Soledade.
Vndese na taberna com poucos fundos,
ou mesmo coimquelles que cenvler ao compra-
dor, muito pro'ia para qualquer principiante por
ser de pequen costeio e estabelecida em urna das
melhores locallades da ra Direita, e bem afre-
guezada para -trra : a tratar na mesma ra nu-
mero 2. _____________
,rroz com c sea
Vende-se si o de arroz com casca com 20 cuas
a 3$ o ~.-vcj a ra Direita n. 69, padaria.
Vendan urna porcao de terreno encravado
I no sitio da frre, no lugar de Belem : quem qui-
zer dirija sg ra do abug n. 2.
Vendfse urna cabra (bicho) que da urna
garrafa deile com urna cria e por preco com-
I modo : najua da Concordia n. 8.
AGUA
Compra-se urna escrava que saiba cosinha,
e ertgommar : no segundo andar do sobrado n. 2
esquina da ra de Dorias.
Compram-se soberanos
Nova n 42.
na ra da Senzal*
Precisa-se de urna mulher idosa para comprar e
cozinhar para pouca familia : na roa da Praia nu-
mero 3. _____________
Esola particular.
Clara Olympia de Lana Freir, professora parti-
cular de ioslroccao primaria, competentemente an,
torisada pela airectoria da instroccao publica.
abri snaaula na rna Direita n. 60, segundo andar
Quem precisar de urna pessoa para um en-
genho a vapor para se encarregar do machinismo
e outros servicos, dirija-se a roa da Praia n. 31.
I
Lino de Faria, sob o peso de urna grande
dr, agradece a seas dedicados prenles e
amigos que se dignaram assistir as exequias
de sua virtuosa e sempre chorada esposa
acompanbaudo o cadver ao cemiterio pu-
blico ; e roga aos mesmos seohores a cari-
dade de assilir a missa que por alma da
mesma sua consorte se ha de rezar na igre-
ja do mesmo cemiterio, pelas 7 horas da
manhaa do aia sexta-feira 21 do corrente, a
qual nao pode ter lugar no stimo dia, im-
pedido com os actos da oaixo. O mesmo
Lino de Faria se considerar sempre reco-
nhecido aos seus bons amigos e prenles
por este ultimo acto decaridade e sympalhia.
- Comprase na loja n. 25 da ra do Crespo
Liberal de marco e abril de 1863, publicado na
typographia da ra das flores.
Compra-se urna escrava de meia Idade, ro-
busta e sem vicios : quem a tiver dirija-se a ra
de Santa Cecilia, casa n. 17, que se dir quem
compra.
Cobre, laio e chambo.
Compra-se cobre, lalo e chumbo : no armazem
da bola amarilla no oito da secretaria de polica.
Libras sterlinas.
Compram-se a 9520' : no escriptorio do largo
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Precisa-se le W0# garantidos em predios
annuncio.
JSMIo para alagar.
Aluga-so o primeiro sitio a esqoerda, depois da
capdla dos Afilelos, com grande e excelleole easa
de vivenda, baixa de caplm, innmeros arvoredos
de fructo, tudo no melnor estado : a tratar em
Santo Amaro, sobrado junto ao cemiterio inglei.
Rogase a pessoa que levau por engao da
loja da Boa Fama um chapeo de sol que se achava
dependurado ao balco pelo cabo, de o restituir
cesta typographia,____________ ______
Esl fgido desde o dia 10 de margo prxi-
mo passado um mulato de nome Antonio, escravo
de Custodio de Oliveira C, morador no engenho
Salgado, freguezia de Goianna, o qual tem os se-
guintes signaes : estalara baixa, idade 24 annos,
Eouco mais ou menos, pouca barba, bonita figura,
em fallante, e pode passar por forro, desconfia-
se ter ido para o serlao : a pesoa qoe o appre-
hender pode dirigirse ao mesmo engenho, ou ao
Recife, ra da Madre de Dos n. 7, o qual ser
generosamente grafificado.
Precisa-se de doas amassadores entendedo-
res : na padaria de Jos .Vanes de Paula, em
Olinda^_________________________________
Precisa-se de um menino de la 14 annos
para caixeiro, prefere-se portugaez, oa brasileiro
natural dos arrabaldei : na roa de Moras n. I,
fabrica de charolo?.
VENDAS.
Atlenco
Vende-se superior vinhe do Porto em caixas de
ama duzia : em casa de Jobnsion Pater & C. ra
do Vigario n. 3.
Vaeca de
Vende-se ama muito boa
n. 34.
lelle.
na ra do Hospicio
PEHHIMII
K
Cortes de casemira com pintas de mofo a 1$
cada corte, para raigas, ditos limos a 25500 o
corte : na ra do Queimado ns. 43 e 45, na esqui-
na que volta para a Ccngn-gago, casa amarella.
Vende-se urna escrava que lava perfeitamee-
te, engomma soffrive! e cosinha : a tratar na ra
do Livramenlo n. 23, primeiro andar.
Vinhos doi] Porto finos
engarrafados erabarris ean-
coretas:
DE
F lo r i ri|a .
para resf 'alecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agul Florida nao urna tintura, facto es-
sencial raontestar, a mesma agua dando a cor
primitivjae cabello. Compostas de plantas exti-
cas e del bstancias inoffensiveis, ella lem a pro-
priedadJde restituir aos cabellos o principio co-
rante q/ellesMem perdido.
De ia salubrfdade incontestavel, a agua de
Florida Rretem a limpeza da cabega, dcstroe as
caspas lem pede os cabellos de cahir. -\
Farello
em sais grandes com dous tanvmhos de outros
quaesclT a 45800 ; na ra larga do Rosario rr
50, talrna da esquina.
Lagrimas do Douro.
Duque do Porto.
D. Luiz.
Menezes.
Particular.
Vinbo real e moscatel
19, primeiro andar.
na raa do Vigario
0 G1STELL0 DE GRASVILLE
Tradtuide do fraaeez per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em qatr
tomos pelo baratissimo.preco de 26500
aa praca da Independencia. Iivraria ns.
6 e 8.
Inho do Porto superior em caixa de duzia,
tem pL vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do d I, no seu escriptorio ra da Cruz n. I.
Machinas para algodo
Vlese urna machina de 18 serras e 2 moto-
res ufa 2 e 4 cavallos, um americano e outro in-
glez.lra mover tinas on mais machinas de algo-
do, lindros de padaria e de moer mandioca, o
outr quaespuer machinas para agricultura; ven-
de-s ior um prego mdico e muito mais barato
que n outra qualquer paite para liquidar : a ver
e tr ir na fabrica da travessa do Carioca n. i,
cae j Ramos.
|nde-seuma machina de copiar carias, 1 moi-
nh le moer caf, 1 balanga ingiera, latas de gaz,
va s.herva malte a 160 rs. a libra, velas de es-
pr /cete a 600 e 610, carnauba 440 e 480, pas-
s 400 rs., vinho de Lisboa a 320, 410 e 4*0,
F eir 500 e 560, branco 500 e 560, Porto 6^0
e \ touclnho de Lisboa a 320 e 400 rs., batatas
a 700 o gigo, e 100 s. a libra, arroz superior a
1 rs., caf 1" sbrte a 260 e 280, azeite doce a 560
e 0, cha 2560, dito prelo 1J500, sabo massa
si or a 200 e 240, rebolas a I i o rento, fari-
n do Maranhio, alpisia, manlelga, banha de or-
c : onlros muitos gneros qner em porges romo
a talho mais barato do que em outra ualqucr
p p, com o dinhelro a vista : na raa Direita n.
7 armazem ailencioso.
- Vende-se a taberna n. 12 no largo da Penha
- i ponaos fundos : a tratar na mesma.
Folha de Plaeres,
Tende-se em caixas, em porgao e a retalho da
Ihor marca um X, mais barato do que em ou-
qualquer parte : na fabrica da travessa do Ca-
ca n. 2, raes do Ramos.
Hez Mariano.
Anda est venda na rna do Imperador n. 15,
i ronte de S. Francisco, a rica edigo do mez Ma-
ano, ornada com estampas e vjnhetas, eencadt-r-
da, por I* e 15500 cada livro._____________
No escriptorio de Claudio Dubeux vendem-
[e foguetes com nova composigo de mistos para
natar formigas ; nova descoberta, e mais evi-
enle que as an'lgas velas mistas : prego 500 rs.
ada om._________ __________________
CARRO. '
Na offleina do Sr. Serino na ra do HospirTo,
[vende-se om carro Ioglez de qaatro rodas com
>ertences para um e doas cavallos e arreos.

"
i

I


>Url e car
imlmM letra 4 Atril *Jc *M.


I
FaMspreUs para a qu a res na por
por B&ratisft pre$, 11 leja e ar-
a ue* ia irara, ra da lateratriz
t. 5ft.
Lo renco Ptmra Vente* Guimares.
O proprieUrio Jaste estabelecimento retira-se
para a Europa a traur de sua saude, porm antes
il reiirar-ie pretende fazer urna liquidago de ba-
birdtissiinj prego para fechar coatas ; agora re-
gaozes veaie-se grosdenaples preto muito boin
para vestidos, a IJiOJ, *4 e 2*300, dito de 5 pal-
mos de largo, a 3 : na roa da imperatriz toja da
Arara a. 36.
Hcuraut<|ue preto a 3#.
Veale-se nuuraati jae preto para vestido a 34 o
cov11>, grjsldu;ipld maito largo e eucorpado a 34,
2J5JJ, i% e lilJO o covado, alpaca pret para
vestidjs e palitos a o'JJ.tiiM 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de laa para vestidos, caigas e palitos a
k) e 5JJ rs. o cjvalo, la preta para vestidos a
liVJ rs, lo a!) zi.u preta para vestidos a 14280 o
co/aJj : roa da Imperatriz lojada Arara a. 56.
IIicjs validos a Mara Pa a ii.
Venlun-sj ricos vestidos a Mara Pia a 105,
12}, US, l5 : ruada Imperatriz loja da Arara
a. So.
Arara vende pegas de panninho a 5l e de
madipolo a 4#.
Vii le n-se pegas de panninho maito fino de 12
jar lis a 35, vu:idm-se pecas de madapolo infes-
ta 1> at}a 44500, ven de ni-se pecas de madapolo
de jardas qora a 65, 75, 75500, 85, 95, 105 e
i 5, vi.'al n-se pecas de algodosinho a 55, 65,
75, e 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara veade os baldes a 20500.
Venanse baldes de arcos de todos os lmannos
a 2 510), 35, 35300 e 15: ra da Imperatriz
a. 36.
Liasinhtsda Arara a 320rs. o covado.
Venlvi.n-se Ifuzinaas p.\ra vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 300 e 560 rs. o covado. cassas
tinas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz a. 56.
Chitas d Arara a 240 rs. o covado.
Vende h se chitas de cores Otas a 240 e 280 rs.
0 e-ovalo, ditas francezas linas a 320, 360, 400 e
3JJ, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : roa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
L riiJacio de soutimbaques e lazinhas a
7, 80 e 100.
Venlim-se soutambaques de lazinhas para se-
nhoras a 75, 85, dita de alpaca branca a 105, ditas
muito Haas degrosdenaple preto a 205, 235 e 305,
napas pristas de grosdeaaple lino a 205, 235 e 305,
niateletes pretos de gro3denaple a 21)5 e 225,go-
1 i nas pira seniiora a 240, 320 e 508 rs., mangui-
tas co n gola a 1-5, camizinhas para senhora, 25,
e :J, ditis muito Unas bordadas a 45500 : na loja
do oarateiro da Bia-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 33.
G )rtes de ditas finas a 20400.
Vealeni-se cortes de ditas com 10 covados por
jioi, daos de dita franeeza a 35*00, cortes de
cassa franeeza tina com 11 covados, por 35, vea-
de use picas de cambraia branca lisa a 3>,500,
i5)), 3SJJ, 65-o 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Li (ii lacio de roupas feitas palitos a 20.
Ve ida n-se palitos de bnm de cor a 25, 25300 e
5 j* (datos de bri pardo a 35 e 35300, palitos
._ _... c< i st.ini ,i:
:e casimira be o feilo a 55, 65, 75,85 e 105, di-
tos do paino preto bom a 85 e 105, ditos sobreca-
saos de casimira de cor e preta e de panno a 125,
14}, 16} e 205, caiga de br,m de cor a 25 e 25300,
ditts brancas de liarte a 35300 e 45, ditas de ca-
simira de cir 45,65 e 85, pretas a 55, 65 e 85,
colletes de casimira d cor e preto, de bnm de cor
a 1 i )0, iiraicjs a 25 e -203vO, ceroulas feitas a
I5i-f, litis linas a 15600 e 25, camisas fraoce-
zas a 25 e 25500, ditas inglezas de pregas largas a
5. di lina-) a35 e 15300, coleriahos econmicos
i ai0 rs. a dazia, ditos de lioho a 500 rs, um : na
ra da I uperatnz loja da Araia n. 56.
Arara veade as cobertas a 20.
Vende n-se cobertas de chita finas a 25 e 25500,
dita-s de damasco a 45 : ra da Imperatriz n, 36.
a Arara que e ven le cortes de casimira
preta a 30.
Ven le n-se cortes de casimira preta para caiga a
3 5. 35300, 4531W, 65 e 85, ditos de cor a 35,
i50 e 6j : ra da Imperatriz n. 06.
Arara vende panno preto a 20.
Ven le se panno preto para calca e palito a 25,
35, 2)300, 45, 5598 e 65 o covado, casimira pre-
M tica a 25,2530 e 35 o covado e outras multas
f tiendas para liquidar : ai_ laja e armazem de
Arara, rna da Imperatriz n. 56. _____^^
PROPRW PAR V SENHORA.
Vende-se um excellente cavallo muito no-
vo e anso com todos os andares: na eo-
cheira do Paulino, raa de Santo Amaro.
Coke do faz.
piteii da gaz.
Alcatra t> gaz.
Coke ionelladas rs. i 00000
P,tcb ..... 800000
Alcatifa caada..... 400
O coke reconhecidamente e carvo mais econ-
mico, torna-se por isso reeommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se oota as cozinhas aonde
elle usada. Piten e alcatro, alm das applicages
diversas a que se prestam, cono para callafetar
embarcagoes, alcatroar madeiras, etc., teem este a
prapnedade de preservar do cupim, formigas, etc.
E' entregar .na fabrica do gaz ou mandado por em
qaalqaer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.________________________,
Fazenda* pretas para a qua-
resma.
Xa loja do Pavao.
Acha-se este estabeleoimeniocomplelamente sor-
tido de fazeadas pretas propriaspara a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e maitlssmo encorpa-
do, outros mais estrenos tendo dos precos de
1#280,1600,15800, 25, 25400 e 3*; superior
raoreaBtique preto a 35, superior saeja preta he*-
panhola, supejlor setim preto maco, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
udas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
aos que tem viudo, soperieres manteletes, camisi-
abas cora manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, tudo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
oheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pav3o.
Acha-se nesteestabeleciraeuto um grande sortl-
ment de roupas feitas para homem como seiam :
superiores paletots sobrecasacos de panno prelo
maito fino e forrados de seda a. 225, 235 e 305
ditos forrados de alpaca a 1*5, 165 e 205, supe-
riores paletots de casemira tanto sacces con so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de bnm de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, selins
etc., sendo todas estas obras cortadas por nm dos
memores mestres nacionaes, manda-e fazer qnal
quer obra por medida : na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas em caries com 10, 11 e 12 covadts
Na loja do Pavao vende-se urna grande porgao
de cortes de chitas "*ncezas sendo claras e escu-
ras todas de crest as com 10 covados a 35200,
com H covados a 35600 e com 12 covados a 45,
pechincba para se apurar dinheiro : na loja do
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Camisinhasaljj.
Veudera-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de deztustes cada
urna: na loja do PavSo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva
Cortes de cassa a 30.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenlio* multo delicados
pelo baratsimo prego de 35' (0 o rene :s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambriias lisas, na leja do Pao.
\endem-se pegas de rambiaia lisa muilo fina,
tapadae transparente, pelo baralissin.o ureco de
IIlirada 8 1,2 varas cada peca, ditas muito finas
a 75, 85 e 95 a pega, ditas Victoria cum 10 va-
ras pelo baratisslroo prego de 75, 95 e !(, ditas
Garrazes fazeoda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 25600 a pe-
ga :isto na loja do Pavo ra da Impoaatriz n.60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincha a 35500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitago de tarlatana com muitos
delicados desenhos, moli proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 35500cada um
sendo fazenda que sempre se venden a 75, na loi
ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
AO PUBLICO
se
esa
glmento
importe do
5o agradar.
eaor eonstran-
entregar o
genero que
ATTENCAO
Oa precos da seguate
tabella para todos, pu-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de eootas
com os portadores.
ARMAZEM UNIAO
Jtta atienta*.
Xa aova loja de fazendas e roupas fei
tas naciraaes na roa da Imperatriz
n. 72, ae.G ni maraes k rmo.
Acaba de chegar a este novo estabelecimento
um grande sormeato de sontembarques de cores
4>elc barato prego de 55, 65, 7a e 85, ditos pretos
de^rosdeoaple de 95, 205 e 25j : isto na ra
.Veadem-se chitas emite finas sendo de cures (1-
xas a 2W rs., ditas largas frac cezas a 260, 280,
20, H7 e 400 rs., dita* percales finas a 480 e
500 r-s. : isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Gnimaries & Irmo.
Grande sortimento de cortes de chitas a 25300
e 25WW, 4itas finas a 35 e 25300 : oa roa da Im-
peratriz a. 72, loja de Guimares & Irmo.
Vendem-e oadapoloes fiaos a 45800, 35, 65,
75 e 85, dito muito fino a 95 e 105, dito francez
enfestado a fc*. 45500 e 55 : oa ra da Imperatriz
n. 72, loja de-Guimares 4 Irmo.
BOUPAS FEITAS.
Vendem-se paletots de alpaca a 35, 35500 45
e 55, dios de casemira a 55, 65, ~3, 85 a 109,
.-algas de briin Je todas as qualidades a 15.1;800,
25 e 25500, brim pardo a 25, 25500 e 35, ditas
de casemira a 35300, 45, 45500, 55, 65 e 75 :
isto na loja de Guimares i Irmo, aa roa da Im-
peratriz n. 72.
Na ra da Cruz a. 38, em casa de Mills Rat-
teaa k C, vende-se :
Chi.
Oleo de linhaga.
Folhas de Plandre.
Sitios e silhdes inglezes.
Cerveja Aspinall.
Dita Bass.
Dita John Jeffres C.
Um piano com pouco uso.
Carta chorographlca
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta i venda, as lojas baixo men-
cionad u, a carta chorographica do tbeatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysandt, e do Moquero e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se reeommeodavel
nao s pela laeuna que veto preeneber, como pelo'
esmero do trabalho lythogrjpheo.
Vende-se pela mdica qnantfa de 2J000 as livra-
riai dos Srs. Nogueirj, rna do Crespo; e do 8t.
Cardoso Ayres, qa da Cadeiado Recife, assfm como
nao lojas da Rxposfgo de Londres e na Ivlfcorti-
pbia do Sr. Carlos, a meima rus. 5, e na toja
do Sr, Cardoso de Almefda, roa da Cruz. j
do Pavo.
Silva.
Vestidos a 10 e a 70
Na loja do Pavo vendem-sericos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras
pelo barato prego de 45 e 75, sendo fazenda qu
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
pargo, na loja do Pavo ra da Imperatriz n 60
de Gama A Silva. '
Ss enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeltesparacabeca
de senhora: na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 00, de Gama 4 Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhos e graiidos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos preces de 300, 320 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As lazinhas transparentes a 400 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de listas miudlnhas
a imitago das sedinbas, pelo barato prego do 4O0
rs. o covado; ditas enfestadas de urna s cor e
ditas de salplquinhs proprias para vestidos e rou-
pas de eriangas : na loja do Pavo ra da Imera-
triz n. 60. de Gama & Silva. ^
iees souUmbarqnec do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de soa-
tarnbarques de grosllenaple prelo muilo bem
enfeitados que se vendem telo barato prego de
205,225, 2*5, 305. Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em ceota: na loja do Pa-
vo ra da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aes viole mil corados de la.
Graode pechincha a 2*0 e 320 ri?.
Vendem-se as mais bonitas IaziBhas transparen-
tes, sendo com llstras e qnadrintios miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratsimo prego de 240
rs.o covado -, ditas transparentes eom paJminhas
de seda a Maria Pia, tendo de todas as cores e
alBumas proprias para luto, pelo barato preco de
$20 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porgao : na rna da Imperatriz o. 60, de Gama
Silva.
Manteiga ingleza especialaenteesciUiidaa
1,000 e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franeeza a mais nova do mercado a 06o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou raeios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muilo superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,000
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,0oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguiras muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimeDfo.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino negados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato ? 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervflhas e favas portuguezas ja preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muilo superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a dazia.
dem idem para vinho a 2io rs., e 2,loo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l ,00o e i ,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas $ das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e 64o e 7oo res a gar-
rafa.
Genebr-a de Hollanda a 48o rs, a botija de
con la certa.
Frasqueirasde genebra de Ilollanda a 6,800
e 64e rs. o frasoo.
Genebra de laranja verddeira em frascos
grandes a 1,000 e 11,000r*. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. ali-
bra e 8,Soo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arrozdo Maranh5o de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba,
dem de Java a
roba.
Sal refinado em frascos devidroeom taran:
do mesmo, a 5oo rs.
gerveja branca das marcas mais acreditada
que \cm ao mercado, a Soo, 56o e 64
a ganafa, e 0,800, 6,000 e 6,5oo a dt
zia.
Gevaditiha de Franca muito nova, a 2oo r .:
Charutos do affamado fabricante Jos Fuit; -
do de Simas, das seguintes qualidade- :
Exposice Normal de Havana, Impera s,!
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-|
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,:
6,000 e 7,000 a caixa ou em 11 eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri i
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-"
nilhas de Havana, intervallos, Vencedores '
P-anatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8001
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata con
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs.
libra. --
Matte.exccllente cha para os navegantes, a
2oo rs.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo pasMndo o arco da concelfo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a proniptido e miei-
rezacom que serlo tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar3o a proteceo e preferencia na com-
pra dos generes que prec'sarem, e quando n5o possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
poisserSo 15o bem senidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendai5o, afim de quenovocm
0utra parle.
Aletria, macarrao e talharim a4oors. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
:,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorlas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figoeira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Soo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
dd Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tagal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,oo, 15,ooo,
12,000 e 10,000 a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidadeal6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a.4oo rs. os quartos
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francezmuilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Paasas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,000 rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de .casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a 1 ico.
Ameixas francezas em caixinhas de diversos
lamanhes com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
fiada urna.
Azette doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gig com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
80 r. i libra e 2,4ooa ar-Mostarda franeeza em potesj preparada a
4oo rs. o frasco.
Ha para veader
Pinbo, pinito, mais pinho, muito pina,
pin lio, rta da IVaia, neje, ruaKova
de Santa Hita n. 17.
78910 e 11 pollegedas de largura
De 10 a 35 palmos de comprido, ce usa
muito boa e barata, e com todas as gro&-
suras : cheguem ra Bfova de Santa Hita
n. 17, serrara de Jo? F. Cocino.______
Attenco.
Loureiro Santos & C, acabam de receter da Es-
ropa pelo vapor, ctm lindo sortimento de enhiles
pretos, proprios para a qoaresma, enftiies ainda
nao vistos em Pernambuco, pelo prego de 5, 6,
10, 12) e 20, bem como grosdenaples prelo, mo-
reantiq, capas de grosdenaples, e soulhambarqoes
de mesmo ; tudo por pregos mdicos : ra do
Crespo n. 14. pinto a loia de lenca.
KESTIVAS
m
IDE PEPSINA!
DE WASM.AIV
J
As pastilhu digestivas com a pepsina i Wat-
man, emprego se com successo bi j alguna
annos pelas celebridades medicaes de Paria,
Londres, Vienna, etc., em todas as neommexti-
dades era as quaes a digeslio difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhof
remedio para curl as
CaMral&laa.
IVSpoii^lan.
Embarnrox gAtiic**.
A *nlrHo.
A alTccrora r.isilul-
Dlirrkrm cun**-
ycB prodii7l prln claborafd**
dcfcrlnasaa OB ato-
nimio*.
Sebollas de Franca muito grandes e novas; alterada. Seremos ao abrigo 2'este inconveniente
tmm do r(iunB
Em todas as molestias empregio-seamiude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Yicty,
t igualmente aspatiilhas de Vichy. Esse meio t
eflicaz quando se trate de dispepsias de curta d-
rselo, mas o prolongado uso das aguas e pastifhat
ie Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobrecom o singue e isso de tal
mancira que lhes arreblhio a parle vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
transformacao dos alimentos assimilhando-se
como elles e ajudo tabcm como olios a nutricio
Seral. Sua an.-ao vivifica o sangue os drgSos
e tal soric que, alh as pessoas que sem sofTrer as
affecocs gstricas cima mencionadas sio nica-
mente iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e neccssitSo substancial alimento para for-
tificar se, ach5o no emprego das pastiihas pep-
sina de Waswiun, um poderoso meio para a isso
chegar.
Avise importante. 0 successo das paslluu
a pepsina ie Wasman diu causa a se fazerem l'ai-
sibeacoes e imilaedes d'esse producto que os
mulos se quercm desfazer. Pois por falto d'uma
boa preparaco a pepsina que n'ella entra, jaa
Vellidos Hara fia,
tiraade jwbincha a 10^000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortos de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zando os competentes enfeites para o corpo, -..endo
todos com as cores ais delicadas que tem vindo,
e veudera-se pelo baratissimo prego de 1 OA o cor-
tejaos deprcala com lindas barras e enfeites,
com Id cevadoscada nm a I0, ditos de cambraia
com barras bordadas acrox no ultimo costo, pe-
lo barato prego de 6 : na loja do Pavo, ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Caas de lio lio a 360 r.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de lmho
propria para vestidos e roupas para eriangas,com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato prego de 360 rs. covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas.
Vendera-feas mais finas lazinhas de urna e
cor, tendo grande sortimento : na loja do Pavo
ra da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a toja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos qne tem vindo a este
mercado, ricamente bordados e cerculados de nm
elegante bico preto de mais de palmo de largura:
estes raodernissimoe chales nio s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, asslm como muito
proprios para o* actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, rna da Im-
peratriz n. 60, loja do PavSo.
Painco e alprsta a lio rs. a libra e i,oooa. Lentilhas francezas, excellente jegume para
arroba. opa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o .Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-1 1$ a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos-de dente a lo rs. o maco.
a l,8ooo cento e l,oosolas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito nove a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
BanhS de porco refinada a tvio rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranh5o muito al va e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,ooo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por Goo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fruclas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. a garrafa.
"Vinagre branco j engarrafado a Soo rs. a
garrafa.
exigendo os compradores que as pastiihas tenho
as i n ic i aes B. P. e saiio da pharmacia Chevrier.
Depsito geralem Pars, pharmacia Chevrier,
14, Faubourg-Montraartre, e em todas as boa
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
R B.B 3
9!9SB S M
*^is&
IH1 *!! i
a? fif 5.S-II
IsllikP
* S.Sl&S.g
f I!
li
.
6C
OT3
n
nn
u
o
<
O.
o
s
es
m
1 I
I 1
s.
o
T3
. 2 S S S-
g2 o o S
i a
~
a
o
o
IA
O-
1
Z. 2-
1
2 3 o
" o
a
$ s"8
I

'1
s.
lifg
0

1
OO
.ses.- g
l
8 go. sr
V11
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Soutambarquesdecor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarqnes de cores, sendo os mais bem
enteitados qne tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento qne os tregnezes
podem dar o verdadelro aprego a esta fazenda, e
rende-se pordifferenteg pregos conforme a quali-
dade : na loja do PavSo de Gama e Silva, rna da
Imperatriz n. 60.
Mndeles de IM M loja i Pavio.
Vecdem se os mais ricos msnteletes de fil pre-
to e ontros com os centros de cor, sendo neste ar-
tigo o mais rico que tem vindo ao mercado mais
moderno por seren mnito compridos e com deli-
cadsimos lavrores: na loja do PavSo, rna da Im-
peratriz n. 90, de Gama & Silva.
Pira mciiaos.
Vendem-se mnito bonitas roopinhas proprias
para meninos de' 1 a l annos, sendo calcinhas e
jaqnetinbas igoaes, e maito bem enfeitadas : na
loja do Parlo, rna da Imperatriz n. 60, de Gazna
& Silva.
Calciaha de Paria.
Vendem-se mnito bonitas calcinhas bordadas pa-
ra meninas a 640 r?. : na loja do PavSo, rna da
Imperatriz b. 60. __
RIVAL
Sem segundo,
Ra Jo Queimado, n. 49 e &>. E para admirar.
Carretis de linba com 190 jardas......
Ditos em 200 tardas de Alerandre de
12 a0..............................
Dito dito de60 a 200.................
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das ................. ...............
Idm iiieffl braceos e de cores de 100
jards...............................
Livrosparaassento de roupa lavada...
Cordo braceo para, espartilho (vara)
Varas de fraeja branca larga..........
Pares de botdes de pucho todos de cures
Tinteirofc de barro com tinta...........
Tesouras para costuras finas e unhas
Ditas para costaras com toque d'avaria
Escovas para limpar denles muito Qnas
160,200e..............................
Caixas com 100 eovelopes das melhores
cualidades...........................
Ditas com 20 caderoos, rapti pautado e
liso.................................
Cadernos de papel pequeao (e a reta-
lho)............................
Meiadas de linha Irouxa para bordar.
Pares de sapatos detranga. .. .....
Masscs com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de roacaga perola maito saerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400rs. h........................
Ditos e garraGnhas de agua de Colonia
muito lina.......................
Ditos de nanita a Ganbaldi e da familia
imperia I.............J...........
Pegas de fitas elsticas para vestidos a
melhor nalidide..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res .............................
Pegas de blcoi francezese remas.....
Frascos de aeaa dentifriee muito snpe-
lir..............................
Caixas com 4 papis de agnlhas a balao
e Victoria........................
Libras de laa sendo de todas as cores...
Bonecos vestidos e tambem de choro*...
Caixas com superiores brelas........
Ditas de linha de gaz com SO novellos..
Enfladeiras de fita para espartilhos.....
Carretis de linha de cores com 100 jar-
l.............................
Pegas de o irdio impariil............
30
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
40
600
20
20
t*W00
30
200
300
400
900
240
320
320
800
200
6*000
160
40
800
0.
iO
10
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidide a
lf| a lata : nos armaxensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon.8.
"^"Jilho novo em taceos grandes: no trapiche
ds'Cnnha, a tratar com Tasso frmiee.
! BOTICA E DROGARA
Baitlioiomeu Fi-ituosco 4e Soaza .
3Hua larga de Resario3 i
Vendem:
Pilulusllolloway.
Piluias do Dr. Laville.
Pilulasdo l)r. Alian.
Plalas do Pobre-bomem.
Piluias americanas.
Pillas vegetaes.
Piluias-.-egetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilba deCh Alien.
InjecgaoFeaugas.
Agua dentilica de Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
RobL'AITecteur.
Carope do Bosque.
Ungento Holloway._____________________
Pechiacha 111 v*i-ji de fazendas
roupa feita nacional, roa da Impe-
ratriz n. 11.
Pechincha a 210 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cures fixas a 2(0,280 rs. o
co*ado, ditas franezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado : pegas de madapolo lino a 64,
li, 8#, 95 e 105 -, pegas de algodao a 5$, 6*, 79
e &J>.: rna da Imperatriz n. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem--e patitos de cazemira preta e de cores
a ">S, 65, 85 e 105, ditos sobrecazacos a 129, 149
e 165. Palitos de brim de rdr a 24500, 3J e3J500
rs., caigas de cazemira preta a 69, 7a e 89, ditas
de cazemira de cor a 5, 64 7, e 8* ; coletes de
cazemira de crese pretos e ditos de brim a 1,8500,
e 2*500 rs.,; raigas le brim de cor a 2J, 2,8300 :
ra da Imperatriz n. 75.
Soulamhirque de cores a 7-3, H e 10.
Vendem-se natambarqoe de la e seda para se-
nhoras a 79, 8* e 10; ditos de grosdenaple pre
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na rna do Qneimado n. 49 e 3o lojas de iniudc-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parte, quem qoizer ver o que ba
bom e barato venba a loja do Rival.
Duzias de phospbros de segurauga a ... 120
Francos com essencia de Sndalo muito
superior.......................... 14000
Escovas de roupa muilo superiores a... 200
, Latas com superiores banba. .......... 200
Frascos de vidro com superior banba.. 240
Pares de luvas de seda muito linas___ 330
Enfeites do melhor gusto que tem vindo. 24500
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 1*280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 00
Vulta para pescoco do melhor gosto.... 300
Baralhos para voltarete, tinas a 00 e.. L240
Varas de franja branca de linha que
tem ruinta serventa ................ _060
Diuii da pennas d'ago muito superiores '060
Frascos de oleo Bboza muito finos..... 200
Talheres para meninos a melhor qnali-
lade............................ 240
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa........................... 24400
Duzia de colheres de metal muilo finas
para cria........................ 1*300
urosas de hotdes de osso para caiga... 200
Grosas de botoes madreperula para ca-
, "'"............................ 300
urosas Je botoes de louga prateados
muito Unos...................... 200
Carlas de alfinetes francezes muilo sn-
^ perio-*e*.......................... 100
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
, Dazia............................ 360
GjiinJias para senhora a melhor qnali-
dd-............................. 200
Duzias de lapes dilferentes qualidade a
*tj.................... ......... 400
Quadernos de papel de peso muito fino. 030
KetnlU pelas xperienciai feitu bu Indiu a
Fruta peloi miis ifimidoi mdicos qne u GRAIVO-
LAS e O XAROPE de 11VDR0C6TYLA ASITICA de
J. Lpve sio o ptimo remidi contri todas as espe-
cies de HNSENS HERPES e outras molestias da
tile, at ai nais inveteradas, assim come a lepra
tU MORPBEA, a SirilILIS, 1> MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS, es nuEiM vtismos efaroaieos, etc.
Deaosite feral em Parir, em casa de fournie .3
LABCLosmi, na Bourben-VilUneuv, \9.
Deposito geral em Pernambnce rn a
Croz D.22 em casa de Caros Barbos
Colaren Kover
ou colares anodinrs rlfcirifosconlra n recnlsies
' das, crianras.
O bom e proveitose resultado oik ? >ri,ings.*
oblem na dentigin, iiazendo fktus rtU-nr, |a
bem conhei ido, e |wr is.-o se toiLm I > jf irdrs.
pen?aveis potque a^^inl Krhi qs pais ini'it'.-la.
vt-lmente prevenido o ir a I: pss*> rol -i vi r <"i m-
se lambfm narua do Qunn.ado, !> j* u'ajui; brafl'
ra n. 8.
Agua florida e tnico o: ei>
talde Kemp.
Continua-se a vender rin poreff. e ; retalho :
na rna do Qnejmadn, loja d'agtiia brar.i a n. 8.
Bonitas trancas, franjas
t galdes preles para Trstldps,
A aguia branca receben novinenle um I rilo
sortimento de enfeites pretos 1 ai a vfslidcf, sendo
bonitas trancas, franjas, galoes e bicos i-trtr-s. etc.,
assim romo'botffes enfeilados de vidrl r ?, e ou-
tros muitos enf'iles de dilferentes tcitt. mili-
oiiandn a aguia branca na rna do Quein n'. p. p>
a vender ludo isso por pregos comrr.odo*.
Bonitas caixinhas
eom mnsica e sem ella para roslura. r rnfras
ignatrenle lindas rom perfumaras fjr>s.
A aguia branca na roa do Qneimado n. -' ar.-ta
dereceber um bom sortimento de raixir.!;s paa
costura,e ootrascom Derramaras finas, t uotfi-
Resiua do mesmo papel............. S4000 ea a vende-las baratamente.
Dnzia de facca e garfo mnito boa?
to a 203 e io4 ; canas pretas a 209 e 254 .
dos de laa a Mara Pa a 124, 149 e 164 : raa da
Imperatriz n. 71
Corles de caiemira preta a 3$.
Vendem-se -orlas da cazemira preta para caiga
a 34, 34500, 5165 o 65, ditos do cazemira de
cor a 34,44,59, e 74. ditos de brim de cores a
14600, e"24, ditos da chitas finas a 25100 e 34200,
ditos de cassas franeeza a 34 : ra da Imperatriz
loja do baratelro n. 72.
Anda est pra er vendido o sitio da ira
vessa do Remedio,, na fregaezia dos Afogados n.
21 : quem pretender dirija-se a sea proprietario
oa roa de S. Francisco, sobrado n. 10, que se faz
todo o egoeic.
vest- s,al)0n8t6 de espuma multo superior.
24400
040
Lapachos compridos e redondos muilo
I b>ri<.............................. 500
1 Ditos pira sof...................... 24000
Pares de suspensorio muito bons e para
nabar........................... -I0C
Essencia oriental para tirar nodoas de*
rvipi............................ 300 cellos* C.
Pegas de Uta de la para vestido com 10
varas a......................... 600
Vara de babados do Porto mnito supe-
riores a 100, 120 e............... 160
Livros com bonitas e linas estampas___ 320
Vcnde-se nm escravo idado 25 annos insigne J
ofOcial de carpina e bonita figura : na,travessa do
Carme o. I.
Chegaram. os superiores
cortes de seda
Superiores cortes de eda de cor, vindos peto
ultimo vapor francez: na loja das colon as a roa
I do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vsccb-
Tesouras de Guimares para Iormss e ea-
belieireiros e coslareiras : vende-se na ra da a-
deia do Recife n. 44, loja de ferrapens.
Vende-se urna parle do sobrado >i<* tres" an-
dares e solo no bfrro do Rerif.? rna do Air>r_nm
a. 25 : os pretendentes dirijam-se a rn do Pilar
em Fora de Porta MI, qw rbari eom qu.m

tratar.
1
ILEGVEL
,ii_t


r

lele marM t
AURORA BRILHARTE
C0,\StLT0RI0 MEUMMIRIRGICO
GiNDES ARMAZENS
MOLHADOS
VINHOS
GSPECIAES
Largo da Sant.
jCruz n. 8i, es-
qiima da roa do
Sabe.
em
a 000,
iletrai,
l*2S0e
Largada
2rx a- 4,
pin da roa do
sSibo.
iflfUL- ------ -
Cmw/* pw|M-ietauu da j maiio aa>eJtado armazem de malnados denominado Au-
rora Bfiaut. coatiiuu a ler 0 ihuu aartimento-de gneros de primeira qualidade.
A se^uinle tabella wvfa' tmim de base para ajin-ie de comas at portaderas.
eonum armazem vender' mais barato e menores do que a Aurora Brilhaoia, ja'
no grarr sortrmtQto qui tem, j* mesiae porque seu dono so deseja tirar diminuto lu-
cro Manto chegu-i para aacouiulaj- a topota* do estabotocHiietrte po* isso awese a-
proveitax. o pespnetario ba de tazar (aoa a dil*}cia, alito de servir be o seas eens-
.'.imt.'.- [rugimos.
L\U7 A caada a 3*000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
effwroiwr, a arroba a 8*00 a Kbra
m-n.
Sabio nu*a, & libra a J00, 240 280 rs.
tariuba.
Saccasgraades com [atiaba de Goiaaoa mu-,
to oova, a 5*000. I
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 8*,i
8*300 e 9*000.
GhJL
Ch.teraos nestes seeros o melpor possi*fiJ,j
hvs)u. a uor.aa oy.
Dito perola a 3*00. ,
Dito uxim a 25700.
Orto bywn mato ne a t*V8.0.
Dito redon.lo a 2*->00.
Ditopretode nrimftira qualidade a 2*500.
Dito mals baixo a 23000 e 1*500.
I>va mate.
Escolente cha medicinal, a Hbra a 460rs.
Espermacete.
O masse enm 6 aellas de esperncete a
640 e 720 r&.
Passas.
Clisas de 1G o 8 libras de nassas ows pro-
prias para mimos a i* e S300.
Notes.
tfozes, a libra UM) rs. arroba a 4*000.
\t'iis'a e paiaoo.
Alpttfafl paisee, a arroba 4909 e o Un* a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para |o?ar. a 4.411 a a 253 'Q.
Caslanhas,
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOS,
MEDICO. FART:IIIO E OPEHAO^R.
3 Ra da Gloria, casa do Fnrlto- 3
O Dr. Laeo Mascoao 4 ceooattw ginn1Hp aos pobres lodos os das das 7 s i
aoras da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos das santificados
Pharmacia especial homeopathica.
No mesmo eonwitario ba senpre e aa appropriado aortinente de earteiras .
avuisos, asira cano tintures do varias dyaaamiaaces e peio preces soguinfeq
Carteiras de 12 tubos grandes. 12^000
do S4 tubosgraotles. 18(5000
de 3Gtubos grandes. 240000
de 40 tahos^randas. 30)9000
* de0 tubos grandes. 350000
Prepara-so quaTquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
ine a pedir.
Um tubo a-rabo ora frasco d tintura Je mu obca dOGA.
Seode para cima do ii, custario Haiubos mis pequeaos cada nm a *O0 rM.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

TiRlIr
AL
a itm.
, 0 aas graodes com (taixa
mais d l i uulkdaiies,
1S400.
oas cuta urafi, excullete ptiiso para ri-
-[ iJau-a.a JiO f*.
''utascoa "'hitnmiMi. nnnnnitiT, 1711) ru
ias o>m ,ja, aiUr.
,; 'ZDiUi com aoeUas a iAzQO, 1*809 a 3fl0.
es 3 Da* cu* marnakda do anule fa brreaote
Abreu. a 720 r*.
>!>;lascoa mas sida I------, aCQO rs.
DUfAeom ijr.is e cimiAm, ffvss, a 1*809,
i'misc.-:fi .dlacainka deeoa moit oras, a
iMuSjjibiiieoitiahe acleceBde aai(oua-
: u i es, a luna.
OitKvhte.
C*i*Bhas eom^melTas enfetta*as proprtas
para mimo a H200.2J803 e 3}09.
.)0(!oJe superior aiuil Bm a Ifbra de
>m%WiH).
I icarro, itharfanB e aJotria amaretta. a ilbra
a km n.
iibj 4iio 9ita branca, a f*ra a 40! r.
. sas, a caira 34S9.
ia lna em'lrbr*s-a 840 TS.
p-iitl, a tiara a 989 rs.
-faditrta -para tpaa'Hbra^ a 0 t.
v-'nis ewas, afbraa WO rs.
1 us tucascadas, a libra a 20 rs.
wo muito nova, a libra a Wjs.
>** de ararula erdailflira, a hbra a
Wi) r*.
itK 4. Miranh'}, en saecQ, a awOba
fUMea hbra a 80 rs.
na India e Java, ;i arroba a 3(3004a I-
i'a a 100 rs.
i icinbe de Lisboa a 9*500 a arroto* e a O. rjastanhas novas "in ti* net vapor, a i
M. a Hbra. |,a i()(W e a |iorft a 990 fi.
j de S mi ->-. a arroba 7*009 a tiara-a AzalbMias
'au n 12. botas grandea, a t$2Hfl.
i -nrJa franceza, caixa com 1 duzws a
7*W0.
'MOtvoa mostarda preparada era^'ioagre,
VWts.
w teOQ rs.
i.-iaii;^, i reinado ana, a 6lt) e a 5QB rs.
*^fs enni a Merdafleira uabra de larania, a
i.ji)00,
l de i f;arraas de Hatl&nda verddea,a
440 ri.
L'iiiiJs com dita propnia para nagooto,a
5 400. rs.
} j4rrA$as dhi i galaes cera dita, a 3.
j '.?-] boa, marca, a 50D rs. a gatrafa, e a i
l riutia a 0,-*>o.
' labj flttisaaiel -a Satobal.o garrafa 1*.
Mrrasijuiivlio varJaierovfrascos abOC as. e
! mm.
>-ia'Mtfue, a dozia 20*090, e a farrjfa a
) UW.
I iivitpaSialo portaguezJrancez,agarrafa
' a i )!)).
',.sal"vinho BorAjana muito superigr, a
? 54 '4 93 e IOS a aaitti.
) iiis-i'i 'lito brancQ, a T3 a caixa.
.Irtavco-n tolarimasTl* Uouro veatladOro,
ali3.
>ii* *-o ap j* naa witf*il''
t*liV.
>')it*s ii Unaa iii|labia, ilMlf
Baviisrtorn ewitioanoova,sa 1*500
Baatga.
MnlcJea'4i1**,r'or- a li*>r* a MUBtti
Dita mais ,nb uxo a 1*120.
Dita menos superior a \$ .
Dita franceza nova, a libra a 43120
Dita dita-8 barata e ma6 dtos, a libra B
Dita.para lmparo a 400 rs.
ftueijos.
Queijos novos viudos nesto vapor aS808 e^
sjooe.
Dites teadriaos ora'rto natos, a libra
1*000.
Paael.
Papel almaco pautado, a resma a 44800.
Dito dito lizo de linhQ, a resma a 4*500.
Dito de pes> Irzo e pautado, a resma
23500.
Dito a>emhru!ho,bom a l* e'13490.
LITROS.
1 MLelkor obra da hoawopatuia, o Manual de Medicina Homeopathico do Br. lhr
donaran des vaJuaifacttai dicwooario ............ O3G00
Medicina dotaetiticatio r. Heriog, ........... 103000
tepoftwioi tir. MeUoMoraes............. 6,5000
Ducciunario deiersjos de edicioa ........... 35000
Os remedios deste estabeiecianeoo sao por demajs conbecidos e dispensara portan-
te doseram ftovaoienAKrocoowimdadcvs aspessoas que quizerem osar do remedios ver-
(iadoirat^Qfirgticoo edurpAojnea: ba todo do melhor que se pode dfisejar, globos de ver-
dadeiroassucar deioite, oota/vais >oia s,oa boa conservacao, tlniura do.s mais acreditados
estabelecHaetttw ettrepcrs,a maiaoxacta aecuradapreparacSo, e portanto anaiar ener-
ga* wie/.a eia eus affoit*.
Cata de mude pira escravas.
ReceUe-&eescravs i/ara tratar de jualquer enferastade on faser-se^rte qnalquer
operacao, para o qun oajwuc^tejuIga-oesuflBcieritetnente habHrtodo.
O tratameato o raclhor posslveL tanto na parte alimentar, como na metfiea, e
ranficienanilQ a casa a m&U do qiatro flnnos, ba muitas possoas de cujo etmeette se^o
pode duyidar, qae pde &er cacsuliados por aquelles que esejarem mandar seos
loantes.
Paa-s2tf0Q0 p>or dia duranie 60 dias e ffalii emdiante 1|JSOO.
As operares serio prowamenie ajustadas,.se nSo se quzere sujeitar aos prepon
Maeisiasoaitaai padra ajwJttwianAe.
Daboritwio eu$lo$ mu JBj*itBaarke, 31, em Paris.
Fabrica em Argente*!, prs Pari (Franca).
fh$ *ia1, apa-rdenlos e licores.
VlN'flOa.lipitai.Mp dos vioios de toUc 4
qualidades.Extracto de Medie, adose .para 230
litros, 1 f. 23,deBordeix, 2 f., de Pomard, 2
f.,de Lisboa, *!,d Cutalm, f'.,de Pacto,
Xares, Muaalal, Malaga, gata aara %> R 3& li-
tros, 4 f.
Subteoci para fabrltar com oaif.wi o zgw
o$ v*a4s,acinja e tedas os onuas- A ios* para
500 litros, 50 T.
CLACIFICACOPs Inglezes, pos des v^hos
mi Hespanha, da fraTlca, te. A libra para 500
litros, 5 f.
^OLORAQAO.-^nrpfriflne para eererear *s
vinlios branciw 3 vinhos ciaros, s Osas libras
para flOO litaos., 161
GRAHDB _JktoWUkVEM
RA DO IMPERADOR M. 4I
- Jante ao sebrado em qse ora oSr. Osbone,
Ruarte a Impida <& ., receberaan de ta praria euce u n cn-
da o> mala Hado e variado awtiaaeata de molbados, arcfrleo
da presente eataeo.
Ma^as brancas
3ius oaa)d>)rawatk* atrae mniaannr-
cas, a t*.
Viabo d Porto*a#tpa asoaaaalaaJfcQ, KO
i ate. ..
.Dito Usboa.iauUo,bPoif.waoa4a a 13IW),
l U"M 'Doda Fmuarra, dasaaybn>a)rcSi(?i.)
(J. A.A.) (I.L.fi.^ la -Mi) A eanaa.i
099*. e a anata a MOefti daae
ae j OTO enjarrafalto e'raaraaaoaaD
, rotnlfl tfo armaaanv
SBitos d marcas njais.deacoaiieaHws acwia-
da a 3S300 e 4*000, a gariafa a 4&)e
520 rs- ^ *-
iVinhobrancoBno, lfarafa'a(6atyrt ;
jDito de cajo iita afartot, (fawalaa
809 rs
Vinho Hadnira.
Garrafas com n verdadeiro tnho Xeraz e Ma-5
deira a 1*300 e 2*000.
Teatperos-
Follias delo-.iro, pimeota do reino, cominho"
e cravo, a libra a 400 rs.
Telas de carnauba.
Massos com 6 veas de caruatiba reinada a
400 rs.
Araeniloas.
Amendoas cora casca, a Loca a M rs.
Doce.
Caixoes de doce de eoiaba, grandes a 1*400,
e pequeos a 640 rs.
lijlos da limpar.
Tijolos de arear facas" 140 rs.
Grasa.
Duziasde boioes de grasa n. 97 a 2*000, e,
de latas a 4*000, e es boioos a 340 ts. ca-,
da um, e as latas a 100 rs.
Charatas unes.
Charuto* Onos dos tBlhores fabricantes da
Baha por diversos precw, oaimn e metas)
caixas.
AGLAIIDENIS.._Essacii de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cofrnac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KU'-SCME AHi.VrHQ.-Esseociade kirsch e
de absintho. para osJhim-cori aloaule agua. A
garrafa para to Um, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar s.e lodos os
icores contrectros sem togo nem alambiepie. (in-
d icar-sc es pie se tteeeja. j A 4o*e para 20 ou 85
Uliw, 8 f.
PERFUMES para fabricarle s licores finos ou
comnutns a Jase paraO ou 25 litros, 1 L 2S.
TODOS os outros productos para o trabarhe dos
vfnhos,>3uapd*ates, keores, vinagres, ele, sao
fabricados de eocammeada.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
1110 m*m 1 1 1 .....,11.11 >o :iv. ,111111 uui iu > ue ciiiiiik a.
Alguns de nossos agentes tendaJsiflcadoe mitado nossas prearaQQfls, o angauado nossos
tregelas, leven j otijir sjihrfl as rorhas e rotos as fnrciaesT". V. L. a Paris,
0 mofla 4e asar-so das ptflpaTtccs aeba-se indicado no rotulo.
As encommendas dvem ser aeompanhadas por urna letra sflbre Pars on qualquer oulra rtda-
Frasoa, ou itraiUltlss oToma oaaa ^mb*iiia. Dirigir-se aes Srs. Lebea & C. chimioes, ra
mirtre, n. 31, em 1'irK 011a sim almwn ->n \.r-j*nbut>\, pros Paris.
!><**> u lotwi traac*wa.iBada4gtpiiroilor n.38.
Iu* DE HTPrDFs
V. 2 Ra Nora esquina da ramboa do Carmo e ra do
Cabug n. 8.
A 'ireitorta lejsa estabelecioiento o mais importante que existe neste gecero'dAflTrt.ii .*"Ipc, ae i******
as provinfiias Jo norte do irapet'io, querendo que o pHbtico desla provincia goze das oexcB,l8nte qaadade a a^ldOO a resma,
a2,2oe
Manteiga ingleza
da safra aova vinda ne u+timo vapor a l.ooo
rs. altbra eem barril a 800 rs.
aateiga fraoceza
pa safra nova a 60o rs. alfera, e em barril
*>*.
Amendoas
tbofeitailas delradissimis ewes a 800 rs. a
Hora.
Aiaeixas
aOJOOO ;OT1 frascos de vidxo com 3 libras liquido a
2400, muito propio* para mimos.
0art5es
com bolos francezesa 500 rs. cadaum.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
iidades a 1*300.
Chocolates
de todas a squalidades a 1 #000 a libra.
Presuntos inglezes
dosraelhoresfabricaates a S0rB., tambem
tema volbofl para 30* rs.
Queijos flamengos
ebegados neste ultimo vapor a 26oo.
ataieljna
ebegados no altimo vapor a 2A60O cada nm.
9nHJo
londrinoo mais frasco que se pode esperar
e de excallante maree a 800 rs. a "
sondo iatoir e a 0rs, aretalfeo.
Ooaserras inglezas
as maisoo.vas quo se pode esperar a 700 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixiuUas ricamente douradas,
aropjas para mimos a W)0 40200.
Oka uxim
o melhor que se pode desejar, que oirtro
qualquer n3opode vaaderpor menos de
ZS a 2/J6O0.
Idean perol a
especial qualidade a 2$7G0 rs. a Hbra.
Msm Irjssirn
o mis aroantico que lem vido ao aosao
mercado a 2^600.
Massas amarelias
para sopa, macarra*, iaihsrtm e atetria a
4S9rs. a libra.
omuitoafamadocognacPalBrandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas quatda-
dosa l^>oo e 800 rs. a garrafa
COPOS
lapidados para agua a 4/5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
*BE re7e. Pe&o e de outras muitas qua-
lidades de 2^oo, a 4,Soo a resma dome-
Papel de botica
vantagens que proporciona a rrbricicru) em grande escala e directa relacao com as mais'azni e nard :**APfi
.3 da Europa, faz-soieote que resolveu-se a vender ainda maisbarato;' r8 'Wnlia l,4oo
como dfimonlr'a a Baarnlntn tahona "-resma.
importantes fabricas
do que do costme como demonstra a seguinte tabella :
Descont em duzia.
20 %
10 %
15 /o
15 %
i 3 /o
, canas.
grande quantidade de gneros tendentes
estes estb^ecimentos, qne deixam de aa-
nnnciar-se.
m

N. 11Rua do ueimadoN. 11
Superiores cortes de safa prera com lindas barras.
Saperior setfa fa^onn o que ha de melbor e mais gotio.
Moreaotiqtie praro muilo bonito a 2#800, 9,3&SO0 e 4* o covado.
Completo sortfmrnto de grosdenapl; preto de muitas (pafRtedes.
Pannos pretos e asemiras de mtrrtas qnadades.
Bonmos, cbahn eroa de renda pretos superiores.
Snperiores pelrsses soatembarqnes de soda para s;ohar.*s.
Boaroos de lab para sesearas a 12*.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhoras.
Cort*s de lh de barras d 14$ a 22| Oe muito gosta
E muitas uiras laabafas a espertar qnaMade na loja de Augusto Fre Jenco dos
Sanios Port aeoda taaitwn. se vende as uilhores e mais baratas
Estars da India para forrar salas.
Camas de ferro
Voade-se grande sortimento destas camas na
ru Nova n. 33 na me=ma1oja vende-se grands
i irinoes de ferro forrados de porcelana tendo
i as azas e tampo de farro, recmmfiudaavsii a
ijuem precisar.
mmm
N > arraazom da viuvr Peala Lope*, Aetoote do
f-mbar.jiie na escadinha, vendBna-se ceblas as me-
liior^s do mercado, era caita e cento, o mals-bo-
rato possivel.
mtiadtt.-
Frabeaz barrica 5*000
Portland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
la araiawiiu de Tasso IrmSos raes-do ApoHo.'
Fio de aISodo da nUnla.
venderse noescriptorto de Antonio Luli de Oti-
veira Atevedo 4 C, ra da Crnx o. 1.
Chapeos de 1 de panno a 25000.........
> armacao de baleia a 2$00 ....
de seda armaco dea?o inglez de 20 poJlegadas
i&, de 2455, de 26 5J500 e de 28 U......
Chapeos de sol inglezes a batao 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de i\ pollegadas 85, de 26 90, e de 28 10,?.
dem idem a tmRo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
polleoadBS H$, (httn, e de283l......,
A'lm demnitM ontras-piia-lifrades de chapaos de sol que eristem na mesma casa
como sejara dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem desefla e de panno
de todos os tamanbos e feitios, os quaes sSo t3o vantajosos come-os -an bu acia dos, ba
sempre um constante sortimanto do bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de caga, os quaes vndem-e: talmente em porcSo e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, aflrn fle'poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comBra"os.em menos de urna doaia sero considerados como
retalho.
Corintliias
*ftts?srproprias pwa
Fama
Vinagre
ADffllRftVEt PECHINCHA
tlIlfiES DE REUBA PRETOR
a lOjjWOO cada um,
rassas orgajadys de cores a a0 rs. o corado.
A' rua de Grespo Huero 17,
LOJA DE
Jos Gomes Villar.
GOMMA NOVA.
Em paheiros muito alva a 4sooo rs. % arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de. um paneiro para Cima se ftri abittfrn*eTrto na ra do Imperador a. 40,
CHKGiRi OS HABEROS CHILES DE
PILO PRETO.
Superiores ebaies de fil preto chegados pelo .imovapar franre
lojadaecolumiMoriiadoKresfwn. 13, de Aalonio Corroa de Vas^ontel-
ls o .
asmaisnovasdo mercadea 7 n^ .
el)0oors.omolno^a7, . Alpsta o Hiwx)
e mars novo do Bocead a IoV iKr.
CEBLAS
muitonovasa 1.J000 oceato oa ruado On.'
(rao m nrco
aito novo a 8#K>a arrob-a e 140 rs. a U
imperador n 40 e largo o Carmo a. 9.
(jaiio suis&o
muito fresco a 6%o rs a Hto*
2!Ipluj'm I" grande armazem
para sopa a laelhor que se pode defejar,
macarrSo, talbariai o aleiri* a i ( j'g. \
libra e 4500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e euras maltas cajeas acre-
ditadas a iOQ rs. a parra te.
Wem de Ltea
i de outras marcas a 406 rs. a gama, t
2^800 a cacada.
dem do Ferie
generosos engarrafad des veibortf fsl ri-
cantes da cidade do Porto a 1 e ii{>{i
a garrafa ede IOS iU a uim, u t at
cas sao as seg-uintes: Caaaiss illf,,
F. M., Mectar oa vfnbo dos I mes.'
lagrimas do Douro eoutros muilo.
Latas
coa i*) libras de bania a 4CC0.
Bolackinh ingieza
aipOO abarrie daeamaae
vtftdeo a 24^00 e 24CC.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* .a bra.
'Cerrejas
dosmeJheresfabricarrtwle de todas as mai
casde4a500a6WOOadrrria.
Cr>aUTOS
bra Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinbas a i/SSOO.
Arroz
do Maranhl a 100 rs. a libra, e da India
a m rs. a hbra, e 2^500 a UVCf) a ar-
roha desses que vendem por 3J&400.
CAF
de .e 2. serte doRi de Janefre a 8*6f
e 8^800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
CUerrafSes
com 4 Vi garrafas com vinagre a lOOOc
o garrafSo.
GBNEMA JDE LAHAJWA
Terdadeira a 1^1000 o frasco, e de iim
a caixa.
IIXEM
em frastuwjras do Hellanda a 5*800 cem
12 frascos.
GEKEBRA
de Hollanda verdadeira em rasqaeira a 6oo
rs. cada ama.
PALITOS
sverdadeiros pariros do gaz a 2,2oo a grow
e 2o rs. cada caixinba,
LICORES
finos de todas as qualidades, a 1 o.oeo a nj2
com urna doaia e a i,oes a garrafa.
Marmehda
dosnaelhoros fabricanesde Lisboa, era o se-
jarn A'breu e outros mnitos a 6ce rf. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunlo de Lameco a SSo rs
a ubra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a *co rs. a li) ra e
de J,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a U rs.
a liara e em caixa ter abatimeitc.
. t VELAS
de carnauba em caixas do arroba a (( t
caixa e S4o rs. a K*r.
Hlalas oras
itibr* de 2 a^'M,,,**, ^ a "^ e u n.
Pasaas muilo cerras
om quartos emelros a 2 o quarto e f/ rf o
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
ac/ar a 8ot) as. a libra 14 ra. o peo.
Frata em calda
. 'ms cao tata
ebegadas nfffmamente, pera, pecego cicla .
outrWBrtrftos a 64-oVs. a lita. J
a 600 e U ocaixe.
. GOMMA Murro NOVA
empanaros tfe, e 2 arrobaa a *r
do Oueimado"1^ ^'\^ "
4e'aTgodoCVno7^frrmrTI'-
m resmospreoos nos segeintos logares: "BioiM#dft de-todo t.
Marca N verdadeiro em nn nom e ^^ ^
na ra do Imperador n. 40.
DE
J. VIGNES.
Os pianos mi 1^ fctKh?* Im^RAD **
,ua superioridade, vaalaima e ^a 2^ COHheciaos Par $>* ^ O6cossar\o intsr sobre
eis que elles tem n*ffi*ana&M^^ taniccomPra3,oreS' ^^ estS iao^^
,ni.do nm teclado e macho eXdrf Ti0,?8 0S qU,e ?m aWar.ec'd* nesu praca ; odc
nnacafalhar, por serem fabricados ^^^^^1^1^^^ das P,an*<*V*
tissknof oara o clima destP nair mnloT e-wr"^e 'e*10 ulbmameote melfioramentes importaa-
Ss aos ouvidos dos miXe's^ v
^ JS^aTT m encommeB<,. tanto nesta fifirica oomo na do Sr. Blondel, de Paria socio
4HS. tii.!?,fI!es' T enj* Cs?i,al t0Tm semP'e Premiados em todas as XaaitS^'
W mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e vara sbrtmeate^Huei#*< a
i

:.
ILEGTVEL]


i
'*%f**ft*Mr>-t*MtHa f rjtt* 2j it>rH fe 1M5
*
>
.1
ME
AZEVEDO FLORES
c loada frdeia doRecife, esfaion da Madre de Deis.
Prestem attentto ao discurso do Balo.
Xeste eStobetectmeoto lodos os fregoeies encontrarSo rpialdade tte dirftitos, o
agrade qa* tntoas ao rico faremos ao pobre, ao menos empenhamos todos os exforcos
ao nosso atamee para agradarlos en geral.
Os notos presos sao os niais mdicos como sepm:
Chitas largas escoras muito soflrrres a 280, 300 e 320 rs..
" Dila* largas e fioas padroes novos de 400 i 500 rs
Ditas largas preclaras a 500 rs. so na (oja do Bato.
Cambraias de cores cotn quadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
dem lisas tapadas e transparente de todos os precos.
Madapoiao de 85 a peca que em outras lojas se vende por 9JL
Temos tambem muitos outros madapoloes de diversos precos, assim como te-
mos madapoioes fraocezes de 14 e ift a pega, inclusive orna qoalidade especial para saias
de senhora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forre de restidos.
La a preta para loto, e de todas as mais cores.
LSas com o assemo escaro e flores matizadas fazenda muito moderna e fina qoa-
lid de.
Meias pretas para seniora e homem.
dem cruas inglezas paa homem o melhor qoe ha de 75 e 89 a duzia.
Camisas de 24S00 que valem 3$, tmos murtas ootras qoalidades de diversos
precos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito inas a 5$ on 555 a dazia.
Camisas de meia muito finas de 205 e 255 a dozia.
Coltarinhos de papel de cores e trancos assim como coUariohos de fin inge-
7es a 500 rs.
Temos trm completo sortimento de grvalas pretas e de cores.
Ceroolas francezas muito boas a 15600. i
Ceroulas de linho com duas costuras superiores e lemo6 om complet sortimen-
to de ronpa feita de casemiras e de brins.
Camisas de flanella de cores a 35500, 45500 e 65.
BaRes de arcos a 35 e 355 a duzia as de panno e de arcos para meninos de 25
a 35500.
Chapeos de sol superiores com 16 asteas a 125.
Casemiras do ultimo gosto para se faxer caica e collete.
Vestidos a Maria Pia a 185 e sao matisados.
Ha muitas outras fazendas assim como grosdenapies e nwreantimie.
Lencos brancos j abanhados.
dem tinos para rap.
Cortes de laa a 5#500 com 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 35 e 45 cada um.
Brim branco a 15300, 1,500,25 e2500 '
Bramante de urna largura para lences e toalhas.
Brim de Hamburgo fiuo e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim pardo.
Casemira e panno preto fino, tudo isto por preci> baratissimo na leja do
\
__ Vende-se tres carrosas para boi, duas ditas
para cavallo, doas carros para conduccao de ge-
neres de estiva on entro qcnriqeer roister, tolo em
bem estad, vr prt?o| comuiodo, por mu don-
querer acabar con sae negocio a tratar na roa
do Sebn.54,taberna *
Em easa fle Tisset Freres roa do Trapiche n,
9, tem para vender :
Vitihu C-rdeaux em barricas e em caias.
Dito de Saateroe fino.
Dito d" Champagne muito superior.
Ceneja franceza marca Bobee.
Superiores cortes de umr preLo com bacra, o qne ha de saeinqr esto em
Praambaco.
cL&n de gorgurao preto adamascado con barra a imperatriz Eqgenia.
dem de -gorgyrao e seda bordado coas-barra.
Superiores moirs pretos e irgu* 2940flw 24600,45, WXQ. 45, 55, 6|>
75 e 85 o covado.
Superior gorgurao deseda preto, a melhor fazenda queta para vestido.
Sarp preta de seda,
dem preta he| aabola.
dem kdeaa lavrada a 25o covado.
dem dem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenapia preto a 15500,15800. 25,25500, 35,
35500, 44, 45500 e 55.
Pannos pretos de superior qualidade de 35 a 125 e covado.
Casemira preta Je 15660 a 55 o covado.
Lindos chales, bournus, algerieunes e retundes de fil preto.
Mantas pretas de fil e los pretos.
E raoitas ootras fazemies de superior qualidade na Ir ja das Columnas
na ra do Crespo o. 13 de Antonio Correa d Vascoaceflos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
MACHINAS HEPATM
de Irabalhar ft nao pa:
dcscarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Bro&ers & C.
HMI
Estasmacnina.'
poemescaroear
MOm topeo*
de algodo seno
estragar o fie
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalbo-, pd
descaro? urna
arreba de algo-
do en earoce
em 40 inmutes.
on 18 arroba.*
por diada 5 ar-
robas de algodac
tirapo.
Assim como machinas para serea movidas api
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodk
A LESITIMA
SALSAPARMIi
- Aos c&pitcs de campo
Desappareeen na da 24 do correte, da casa de
seo senner, o escravo de noroe Benedicto, cabra
escure, ca idade de 23 asaos, leveu venido mi-
cade aigedae de listra, camisa de algodao da ter-
ra,ectf fle rara de abas larjas,te!n aliora
MKBhf, ctMfo 8 aereo, rabeflo a escovinla
aihos relos reaa rj*cs, aarn e bocea retratares,
Mito aaaea barba do ejejasio e un pequeo bu-
50, iodos os dentes, ps'regulare?, etc.; de pr-
somir qtre segnrsse a estrada de Golacna pe 1 ur '
Tlndn da cidade de Sonta, provincia da Parahiba,
ha 13 dita, e (ai onaaprada aa sr. Jos Anicoio
Borges daquella ctdada : roga-se porumo aos ?e-
ahores capitaes de campa a apprehensSn do refe-
rido escravo, levaren-no a roa do Ujipcradcr n.
83, segando andar, que se gratificar com SOS.
limpe, por dia; e motorus para mover orna, duas,
agricultores a virem ver e etaarma-lo, no arma-
zemde algodo, no tango da ponte nova n.47.
Saneders BMtherg C.
N. II. praca do Corno Santo
HECIPE.
Os tleos agentes aeste pait.
DE BRISTOL.

PREPARABA 5HMENTE POR
UNAN k KB1F,
NOVA TORK.
Cwnposla de substancias, gozando de
pTOpriedades eminentemetite depurativas;
approvaila pelas juntas e academias de me-
dicina ; osada nos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Anlilnas e
no continente americano; receitada pelos
(facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhola
(TUBA HADICALMENTE
escraphulas, rheumalismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, cbagas
antigs, morpbea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imila^es e
falsificacos^ preciso a maior cntela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bri&tol vende-se por
CAORS 6 BARBOZA
JOO DA C. BRAVO C.
Joo da C. Brava & C
Vendem-se noBecife em casa de Caen 6
-
Vttene

Precos tra admira.
sapatos de tranfa sopenores pelo lamo prego >,. ^ c B r
de l* o par, aC 10* ? so vigilante, rna dolHarPOM e Joao aa c> Mravo u
Crespo n. 7. i
Bico adamascado de todas as larguras,a peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, roa do Crespo n. 7.
Co*ebes em cartic de wma e dnas arreiras
perJeilas, peloorato |tro> de 40 e 60 rs.eada
. arlaa, e dozia a 400 t 500 rs.
eutns dessas macntnas. fonos para atar Os mesnas tem ara vaoder ara eeHissimo va- 25,35,4 e U}.
porque poe aier mover seis dasus machinas Balares propriamenie para costera eBarafrtc-
meneionaflas; para o qne convfda-se aos Srs. tas,arameniaa iraaer no braeaifBO0,1580IX
l*80d, S* e 2*500.
Partomaria, macaca pavola a 2*, 2*200, 3* e
I* a duzia, oteo de maozinha a 5* e 6* a dutia,
bsnba a 3*, 4* e a duzia. Estes objertos se
veaiem por admira ve* pre^tf a eonseo^ieacia
d* eerent arrematados dossstvados da barca fran-
eaa,poisafTanoa-fie a pone* a vana e a boa qua-
lidade: s no galo vigilante, rna do Grespo n. 7.
Bixa bamhnrjHe/as.
Vende-se na rna Nova n. 61.
Attenco.
Vendem-se ecas de esleirs para rorro de sala,
tinta branca preparada a otee, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, refogfos para cima de me-
sa e para pendnnrr, aunes vara 1 excvanos,
velas de speraaeete, tudo da superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no arraazemda rna do
Trapiche n. 8.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes eioticae, ile
contnbue poderosamente, com a agaa de Flo-
rida a forra, a belleza e a eonsorvacao dos cabel-
los.
Em Pars casa de Guilaur n. 113 rna da Rechi-
nen e 21 bouievard MonlmarU*.
Todos os frascos nao teodo Intacto e clare, e Un-
cir prateado da rasa. repntado falso.
Deposito rea do Imperador phanuacia n. 38.
&c.
MOGABJA.
34Raa! larga do Rosario34
Barlhoiomeu Francisco dfSouza
Vendem:
Acido actico ocre para retratista.
.Esmaltes para orives.
Papel para forrar casas.
GnarnicSesavelIndadas.
Tinta braarasnperior em tata.
AivaudnVBMa,M,eDi paos.
Mnbilias e escravea.
l'ma familia qoe se relira para a Europa vende
I negro peca e 1 negra de Si annos que eozinha
e lava com perfeiyao, 2 mobilias 4e maguo, 1 poar-
da-sesiiaos, 4 rama franceza, 1 dita de Ierro com
colepao-e molas, 1 aparador, mesa de jantar, 1
toncador, lavatorios, carteira, quadros e mullos
ontres trastes, 4 grande vi vefro de pssaros, vasos
cora craveiros, etc^ todos as das nteis das 10 fio-
ras da fnaofaaa as 4 da tarde, na roa de Sebo nu-
mero 35.
ESCB1V0S FGIDOS.
AVISO.
acta-se (agida a oserava BeMna, de D. Aana
Basa de Honra, miden te no termo de Cirua.ru
cabra escura, de rdade fle 35 a 40 annos, leveu
vestido de cfeHa escura fina de rttnagens e chale
kraneo de la, bastante ladina, altura regalar e
teca 4o oorpt, asa cabello acaaeeda, tem naris
afilado, dantes limados, ps e maos regulares,
de pre.Tiar croe se acna Tmmslada no bairro da
Boa-Vhnaan noltrgar da Torre desta cidade, onde
ten pareles li : roga-se a polica a su apprehcn-
fio e aos capiiie de amp para agarrarem-aa
coadnztndcha a uravessa de Carioca a. 2 a Jos
Augosto Oe Ara ojo, qne est autorisado a gratifi-
car generosamente.______________________
Pogie honrem deste engenho o esvravo Jos,
alto, seco, de 25 a 39 annos, barbado pora eos-
loma a faze-la deixar snissas, denles limados,
feicoes regulares, nm poucogaga. olnes brancas,
julgo qne anda tem uroa marca de nm tatho em o
p direito, dito escravo tem um cunhando forro
morador no Beclfe roa do Bangel : qoen o pegar
Ede entregar n flecife ao Sr. capitao Jos Gomes
al on aqni que ser gratifleado. Mamimbu 9
fle abril de 1865.__________
Na noite do da 9 do correte mez desappa^
recen da casa n. 48, na travssa da roa da Concor-
dia, una mnlaticlia tapia de tome Francisca,
com os-signaes seyurntes : amarella, ps camba-
dos, cabello cortado meio estoquiade, leven vesti-
do de chila ja usado e camisa de uadapolao, tode
ja mnilo sujo, de idade 10 annos; julga-se ter sido
seduzida de casa em razo de ter vindo donato
ha dons inezts, peuco mais on menos, e nao saber
rea algama : roga-se s autoridades poliraes a
appreh- nsao da dita mulatinha, e leva-Ja i asa
cima mencionada.
*
No dia 4 de janeiro da annd~fe-4664, fogio do en-
genho Coaeeicao, comarca de Pc-d*A4feC^oscrv
vo Galdino, pertcnrenle ao abaiio a:-signad7cttS^
os signaes segnintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, fignra e altura regulares, cabellos mt-ios ca-
rapinhadoE, elhos pardos, sobranrelhas e palpehras
salienifs, lesa em cada braep um sino de Salonrac,
scijJo uro deMes mal ferro, e innto a este ama rru7.
tem na eateea nma ereantr de urna porgada, e trr.
cia de um qnarto ama ntva oicairia de tres pe-
legadas, proveniente de pona de pao e queda, tem
sobre as costas alguruas marcas o cicatrises de re-
madas on chirote; nm pooro desembararado
quando falla, tem principio de carpira e rarreiro,
tora viola. Foi soldado de corpo de polica no l't
cife, e levon comsigo a baiza do ihew segninte :
Serr;ao urbana, 2a companbia n. 50, Antonio Cana-
no de Olveira, DTho de Agostrnho Ferreira <1q Bri-
to, natural de Irgazerr, cr parda, cabeHos eara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenbum, estado soltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 polegadas de altnrn,
ao engajar-se. Enga)au-se na forma do regla-
menlo, em 17 de fevereiro de 1862, por oiTicio to
Em. Sr. presidente da provincia, data io de 28 do
abril d* torrente, c pnbbtsdo aa rorpo em ord^re.
do dia 1* de maio, tudo em 1862; leve baixa do
servico por ter dado em seu Uigar o paisano Joo
Pedro Perreira da Rocha. Poi escravo do capiao
Joao de Dees Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dcos, e boje nr-oredor na
Campia Grande da Parabraa do Norte, qne o vee-
deu em dias do mez de novembre de 1863 ao abal-
lo assignado, pelo ctstome 0e andar fgido e a ti-
tulo de torre eem o nome modado pelo que rega-
se a attenclo das autoridades civis e njlares, nao
s desla provincia como das demais do imperio, a
apprehenso do dito escravo, que a titulo de forro,
nao tenha sido recrotado ou assenlado praca t ni
atguns dos rorpos de Voluntarios da Patria, isro-
bem pede-se aos pitaes de campo e prsMM {ar-
ticulares a roesraa apprehenso, ejeva-lo ao s?u
senher no referido engenho Cooceicao, ou nesta ci-
dade ao capillo Mauricio Francisco de Lima ra
do Brnm n. 56, qoe ser gratificado com 2MI*.
las Maria dos Santos Cavalcan'.i.

Negro fugado
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro destt
anno o preto Joaqfim, decacae Angela, que fo:
escravo do Sr. capitao Francisco Joaqoat Cava'
eanti Galvo,orador esa Maria Karinl-a P;
o qual vendeo-o nesta cidade em dezembro de an
no passado ao Sr. Uanoet Francisco Marques con
armazemde assncar nra de Apollo; levon ca-
misa 6 calca da algadao branco, representa ter >
45 a 50 annos de Idade, alto e de grossnraregr-
lar, cor fula, cabeca comprida, qneixos largos,
olhos amortecidos, beicos gressos, sendo o supe-
rior um tanto efeiluoso, bastante barba, porre
raspada, finalmente tem nma grande rosiura enirt
ospeitos proveniente de qucmadnra, e snppoe-s
ter-se dirigido para o norte, d'ende veio : grattfi-
ca-sea qoem e apprehender ou denunciar o cono
em qneesftver : na ra da Cadeia do Recife no-
mero 52.
~Pugio em principios do mez de fevereiro do
crreme anno e consta estar acontado nesta cidade
o meleqne Eozebio, escravo da viuva do Br. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade peu-
co mais on menos, cor preta, secco do rorpo, olhos
I regulares e afumaqados, rabera nm pouco grande
e meia chita, belcs finos, dentes bem alvos, ps
seceos e mnrto ladino: roga-se por tanto a tedas as
autoridades policiaes e capitaes de campo que oar-
prehendam e levem-o a roa da Mangaeira sobrade
n. 6 qne serao gratificados, protestando-se usar dos
melos jndiclaes contra qnalquer pessoa que o tenba
' em seu poder.
--.
DOS PREMIOS DA
I
I
LISTA GERAL.

PARTE DA 1. LOTERA, A RENEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA. CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL K. 593 DE 13 DE MAIO DE 1864 PARA CANALISACXO D'AGUA E GAZ NO HOSPITAL PEDRO H,
EXTRAHIDA EM 43 DE ABRIL DE i865.
)!
>
**
^
\\

*7~" ; US. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS.iNS. PREMS. -NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS NS. PREMS NS. PREMS fNS. PREMS.
6 10* 209 6* 396 6* 569 O 763 6* 918 6$ 1053 ej 1227 6i 1 1399 6 >1594 10J 1783 81 1945 6*2061 6J 2371 64 2447 6 2604 K 12773 6 1 2944 G, (3150 J 13325 6*
7 6* 10 98 - 70 - 65 10* 18 56 30 1401 95 6 84 84 10* 82 71 53 8 75 - 49 . 54 - 28
10 11 409 - 72 - 7 6* 21 59 __ 35 10 97 86 55 6* 85 81 58 9 76 54 58 29
12 12 10 - 75 - 89 28 60 38 11 98 68 57 87 101 84 64 10J 12 78 10 58 . 59 31
ao 20 13 78 - 82 24 63 M( 41 13 1606 M 72 58 00 J 67 65 6 14 81 8 i 59 66 35
17 21 15 79 - 83 28 10* 65 46 40* 18 t 10! 77 00 91 99 67 16 100* 82 60 71 42
19 27 21 8* - 84 _ 32 6* 69 __ 47 20* 29 ,__ 12 6 80 61 05 2304 88 22 J 85 61 76 49
20 m 29 24 - 83 - 83 ._ 35 72 48 01 37 13 84 63 100* 2108 6 10* 69 25 87 65 77 52 -. 1 1
21 6* 30 28 84 - 89 mm 36 *. 73 49 38 17 10* 87 66 ** 9 8 6* 75 26 88 __ 88 85 56 _
25 32 34 ! 6 91 .^ 39 _ 74 51 H 24 10* 88 71 14 10 78 94 89 69 72 86 57
31 36 38 - 80 10* 93 ^^ 40 75 56 42 25 6* 89 74 16 12 10* 81 42 91 ' 88 63 I
40 38 41 93 6* 97 _ 41 77 61 48 37 99 75 17 14 6* 84 43 10* 96 76 94 28* 68
46 40 42 600 88 M . 42 ^ 78 --- 65 49 39 M^ 1807 _ 77 20 17 89 44 6* 97 M 83 10* 97 6* 72
53 w 6# 48 45 1 99 ^ ' 45 SsM 79 10* 66 59 ... 43 | 12 . _ 78 25 18 10* 92 48 99 6* 85 6* 98 < 74 209
55 52 50 - 7 888 ^_ 48 jsrf 80 6* 69 80 ^_, 5 _ 15 _ 79 27 19 6* 95 - 54 2800 89 99 76 3 .
67 53 10* 61 8 10* 7 ^mm 54 ^^ 82 \ ar.. 75 61 ___ 50 _ 16 _ 81 -n 31 21 98 56 7 B 95 3200 77 84
74 m 6* 87 6* 55 11 6* 10 ^ 55 85 r 77 - 4 -a, 52 --- 22 _^ 88 20* 33 23 40* 2502 60 1 23 . 98 1 46*
78 S 17 22 11 ^^ 59 ^_ 86 ( 6* 82 65 54 23 88 6* 38 37* 26 6* 3 __ 84 25 _ 3004 7 6* 89
79 60 58 33 12 __ 62 ^_ 89 85 88 40* 55 24 m 90 28 7 66 28 5 20* 14 i 93 96 97 -"
81 61 20* 63 24 _ 19 64 ^ 81 ~" 88 70 6 57 27 81 38 29 8 __ 67 29 11 # 17 *
85 90 3 6* 69 26 10* 20 _ 65 _ 94 20* 92 7! 59 32 _ 92 44 H 34 10 _ 69 31 --- 13 10* 18 #0*
66 70 31 fi* 21 ^J 67 ^ 95 6* 94 72 _ 60 __ 37 _ 98 i 48 42 _ 13 __' 70 10* 39 16 8* 19 9 8404
91 67 73 39 26 _ 88 a. 99 - 97 98 73 _ 63 _ 41 __. 88 53 44 20 _ 80 6* 40 17 20 8
92 9 _ 76 44 -' 28 ^ 72 20* 1106 ~ 74 w 67 , 48 97 54 19 40* 22 _ 83 41 20 > 21 -j 8
85 m 6* 74 77 - 46 _ 31 __ 73 9 18 1300 _ 82 69 sa 50 9088 20* 56 "" 60 6 25 a* 88 ' 42 21 _J 28 : 15
102 4 9 75 _ 78 48 _ 32 74 11 3 M 92 _ 71 ._ 52 _ 1 6* 57 65 _ 29 88 ___ 43 27 28 4 16
79 _ 85 - 54 33 75 13 6 10* 93 72 _J 54 _ 3 62 67 _ 33 91 18 31 _ 38 17
80 10* 87 J 80 - 34 76 15 - 9 6* 98 1 78 aJ 55 4 MI 63 71 _ 34 ._ 97 50 *- 52 _ 48 j 20 '
13 15 23 24 27 45 47 48 52 60 63 8 69 72 76 77 1 88 8C m 92 98 201 t 85 6* 89 tt | 38 78 21 40* 10 99 79 , 57 < _J 85 72 20* 38 __^ 2783 52 53 __ 41 21
87 _ 92 85 - 30 83 24 6* 16 1500 80 _^ 60 14 81 4 73 39 H 4 ' 55 54 H 48 23
88 97 - 68 -J 43 86 " 25 17 _ 1 H 88 63 17 (01 81 82 40* 40 8 59 35 _ 47 26 989
00* 6* 89 ^^ 503 73 - 46 87 29 20 MM 3 91 mm 64 !9 6* 85 89 6* 45 __ 17 60 59 ^^ 50 29 69
96 97 10 -12 -, 74 75 - m 50 91 92 10* 32 36 , 33 42 10Q* 200* 9 11 z 94 1700 66 68 40* 69 21 27 80 99 _ 91 93 ^~1 48 49 18 19 " 65 74 ^^f 64 65 55' 88 189 89 32 35 1 1
302 16 76 51 93 6* 42 43 6* 15 1 3 _ 70 28 ___, 2200 96 52 _, 20 76 67 Vi -~ 43
""^ 3 __ 18 -, 80 -, 52 95 44 45 17 10 5 - 71 _ 33 ____ 7 ' 99 H 57 fm 26 80 70 80 -* 47
4 _ 25 83 54 96 45 47 24 6* 9 _ 74 _ 34 _ 10 2401 _, 61 _. 27 83 --- 74 71 49
.o* 69 6 26 29 85 91 - 55 57 10* 6* 98 1000 52 54 MM 1 87 38 1. 11 14 81 88 ,39 42 n 11 24 1 2 5 63 64 * 28 33 M 85 88 z 77 79 __ 76 77 79 53 54 /
7 31 !88 i 88 10* 1 55 52 1 40 10* 16 .__, 89 __ 43 m 28 10 _ 67 37 90 80 56
15 35 06 -J a 10* 5 56 59 42 6* 18 m 01 :^^ 44 28 14 68 --- 44 91 81 0 57
6* 17 36 - 705 __ 68 1 W 50 64. 49 19 6* 93 * 48 "*i 36 15 70 45 90 m 91 "t 83 59 101
20 37 - 8 M 70 ' 13 _ 88 . 85 4v> 52 21 96 49 39 ~- 16 71 50 2000 9 93 89 - 82 9
94 *m 41 -| 12 6* 73 _ fl 10* 89 . 68 ... 55 23 1 97 __ 50 41 22 - 77 1 51 _4 % 96 90 1- 63
~* -88 _ 48 14 77 24 8* 75 70 mm 58 24 " A .- 2 45 ^ 25 . 80 53 4 i 104 , 99 1 64
30 33 38 49 a ^^ 79 _ 28 83 20* 73 50 26 _ 1908, 54 47 ^~ K 86 T\ 55 . to* , 7 . f H 10 3302 68 -
a* - 8a< 19 81 I0J 20 ii. 93 6* 75 _ 63 30 _ 10 56 49 --~* 28 87 56 6* 8 11 6 75 -
m 58 21 84 6:800* 81 i*.' 88 ao >-1 66 ai 20 .. , 60 53 54 10*. 30 88 57 10 24 13 < 79 -
45 80 66 C 73 5* - 25 , 89 6* 34 ' _ 98 88 m 35 -- 31 _ SI * 63 aa - 88 0 14 31 1 14 84 . -
m -50 30 - 90 41 99 85 "" 48 91 _ 44 1808 86 1i 82 6* 38 _ T ?7 20* 58 40* H -*- 93 65 19 38 17 69 100* 86
5t 981 i 7 t 90 M 8 42 tr 35 69 6* 59 0* * 1 98 97 l 68 20 _ 39 10* 20 88
3 __ Vt 55* 10* * m 0 20* 21 91 87 r^ 54 87 . 78 ^~ 06 42 . . 100* 68 *s 13 ~ 41 69 21 69 92 - ,
4 74 94 64 -4 04 . 57 8$ 4 _l 51 6* 21 95 40* 91 58 1 43 08 89 * 43 ~ 98 ** 70 .4^ 3 ..-n 41 23 . 94 -~
5 fil 14 -* "* 96 * U 6* 98 201 82 7 ~. 70 - 4* At 2603 *> 71 - 41 48 - 24 865. 97
68CTTflo,'W Pedro da. i i .1 (01 wi.- -ryp'foto to***.- 1
1 Jfeves. / c
- i 41 u T _, A


*
.
**

v > ..-'
Inri de PeriMbe *fcp*a Wn ale Abril de i &
LITTERATOR A..
Aleatoria histrica acadmica,
.'.presentada congregado dos
Eeates da faeuldade de dlrclto
(So Heclfe na sessio de 13 de
--iurvo 1*04, pelo Dr. An-
tonio de Vasconcellos .nenezes
Se Drctuiuioad, lectc Mibstltu-
to da mesma faeuldade.
(Gontinuagao)
XXX VIL
Hairiculas e actos dos estudantes da Fa-
euldade.
Matriclaram-sc nesta faeuldade 381 estu-
dantes, a saber:
No !. aono....... 80
2. ..... 61
; 3. .. .. 103
i. ..... 70
5.
67
381
Por aviso imperial de 9 de abril de 1863
foi aJmittido o estu.lante Melcades Pereira
da Silva, a matricula do 4o anuo, depois do
encerramenlo delta.
No ramio forana approvados plena-
mente ..........70
Simplesmenle....... 8
Reprovado........ 1
l'erdu o anno por excesso de fil-
ias- Manoel Prxedes Benevides
Pimentel. ,......
Total. .
No t anuo l'orain approvados plena-
diente.........
Simplesmenle.......
i'arderam o auno por ex:e faltaCi ero de Souza Marques,
Torquato Pendes Vianna e .Mari-
co Jos Furtado. .
MorreuFraneisco de Souza Mar-
l'n;s. ,........
Total .
No 3o anno forara approvados plena-
mente ..........
Simplesmente......
Reprovado .......
Perderam o anno por excesso de
faltas Godofredo Augusto de
Souza e Jos Pereira de Franca
Jnior........
Morreu Julio Cesar Antunes. .
Deixaram de fazer actoJoaqnim
Constancio de Mene/.es Costa, por
doente. e Joo Pereira da Silva
Leite, por se nao ler habilitado
com o pagamento da taxa da se-
gunda matricula
Total. .
80
43
14
3
1
61
82
15
1
103
O esludante Antonio Joaquim de Passos
fez acto do 3o anno por haver provado, que
para isso fra habilitado pela.congregacao de
11 de novembro de 1801.
No 4oanno furamapprovados plena-
mente ......... 62
Simplesmente....... 6
Deixaram de fazer actoEgydio
Franci-co das Chagas e Hermo-
genes Oclaviano AlvesdeFiguei-
redo, por nao terem compareci-
do para tirar ponto .... 2
Total .
No 5o anno foram ap, rovados pina-
mente. ........
Oeixou de fazer acto por nao ter
comparecido a tirar pontoJoao
Fernandos Chives Jnior .
To'al. .
70
66
1
67
XXXVIII
E' obvio que durante o ultimo anno lecti-
vo d'esla faeuldade nao houve excessivo ri-
gor nos respectivos actos.
Nem por isso dever-se-ha concluir, que
restarou-se a antiga condescendencia, por-
que este facto encontra fcil e verdadeira ex-
pli -.agao na maior appcaco, aproveitamen-
to e moralidade dos alumnos desta faeulda-
de, ( excepeao de alguns vadios classicos),
e ero razao do rigor havido nos annos ante-
riores.
Em todo caso se alguma benignidade
houve, nao foi por certo com sacrificio da
juslica o que em geral observei.
No dia 2! de outubro, em razao de ter si-
do feriado o antecedente, foram designados
pela congregado para os actos que comeca-
ram 23 do mesrao mez e anno :
Do 1. anno. -Os Srs. conselheiro Dr. Cu-
nha e Figueiredo, Drs. Fi-
gueiredo e Pinto Jnior.
Do 2. anno.Os Srs. Drs. VillellaTa ares,
* Aprigio e Jos Liberato.
'Do 3. anno.Os Srs-. conselheiro Dr, Lou-
reiro, Drs. Aguiar e Tar-
quioio.
Do i. annoOs Srs. Drs. Henriques de
.Souza e Portella.
O Dr. Drummond.
Do 5." annoOs Srs. conselheiros Autran
e Baptista, Drs Reg eBan-
deira Filho.
A congregacao de 2 de marco mandou ad-
mttir actos alguns estudantes, que por mo-
tivos peranie ella justificados deixaram de
-faze-los' em tempo competente, a saber;
tre< do primeiro anno ; dous do terceiro ;
tres do quarto ; e um do quieto; sendo que
tim do primeiro anno deixoade comparecer
para tirar ponto, e o terceiro foi reprovado,
XXXIX
Collaco da gru de hachare!.
No dia 20 de novembro tve lugar a col-
Jacio ci gru de bacharel em direito a 66
alumnos"do 5anno d'esta faeuldade, quasi
metade dos da de S. Paulo, que chegaram
!14.
Esta so emnidade acadmica estove na ver-
dade mui completa pele qae representava,
e pelo grande concorso das p imeiras auto-
ridades, e de pessoas qualificadas da provin-
cia ; lendo sido apenas sensivel a falta do
Exm. Sr. presidente Dr. Joao Silveira de Sou-
u, que, como lente cathedratico desta faeul-
dade, sw duvida cuocorrerta para mais
abrilhanlar o act E' para crer, que a sna
agencia fusse devida causa insnperavel.
O discurso recitado' pelo novo bacharero
Sr. Catao Guerreiro'de Castro, bem escomi-
do orgao t> seusiltostrs condiscpulos, em
geral agradou ao auditorio, como era de es-
perar avista dos crditos, que sempre goiou
na faeuldade, segundo me consta.
Em seguida deste acto os novos hachareis
d 1863 mandaram cantar um Te-Deum na
magestosa egreja de Nossa Senhora do Car-
mo desta cidade, em acco de gracas, pela
feliz conclusJo dos seus estudos acadmicos;
ao qual elles assistiram, bem como quasi a
todos os lentes, e* muitos convidados.
Foi orador d'esta pomposa festa o Rvm
S.\ padre Lino do Monte Carmello, prega-
dor da capella imperial, o qual reeitou maa
oraco cheia de unco religics. e bastante
erudic3o, que njereceu aapprovacSo geral,
como se Sfcmpre acontecer-llie. Foi aquel-
la llscurso publicado no Diario de Per-
nambueo de 21 do supradito mez de novem-
bro e essa oracao nos de 25 e 26 do mes-
mo mez e anno.
XL
Vice-directoria.
Considero de urgente necessidade o preen-
chimento do lugar de vice-direclor na pes-
soa do lente mais antigo em exercicio, como
deixa entrever o art. 9. dos estatutos das
faculdadesde direito do imperio, e lemsido
adoptado com grande vantagem na Prussia,
em toda Allemanha, eem outros paizes adian-
tados a respeito da instruccao publica.
Recahindo esta nomeaco no lente mais an-
tigo em exercicio, seria mais um elemento
de ordem e harmona para a taculdade, pelo
duplo carcter, que passarii a exercern'el-
la, pela mxima responsabilidade, que assu-
miria, pelo decidido interesse e empenho de
ver prosperar a su corporacSo, onde tem
dado provas de sua capacidade, e de bons
serviros, onde tem encanecido e consquista-
do toda sua gloria e renome, onde em fim
pelos seus estreitos vnculos de classe e inti-
mas relac5es com os seus antigos collegas,
se tornar um Iris de allianca entr'elles;
podendo somnte com a sua respeitavel
prese.ica e autorisada palavra chama-Ios sem-
pre a > melhor accordo, ao reslr.'cto cumpri-
mento dos seus deveres, quando para, isso
necessario seja : circumstancias ou habilila-
coes estas, que por certo nao militaro em
outra qualquer pessoa extranha faeuldade
por mais considerada que seja.
Se a lgica dos fados irrecusavel, ella
confirma esta minba humilde opiniao, atten-
dendo-se que o Exm. Sr. visconde de Cama-
ragibe nao lograra por certo estabelecer a
regularidade e ordem, que se nota nesta fa-
euldade, a despeito dos seus assiduos esfor-
cos e delicadas maneiras, entre o respectivo
corpo magisterial, se uao gozasse de bastan-
te prestigiopor j haver elle pertencido,
conservar ainda suas velhas tradces, con-
tar intimas relacoes, emfim conhecer de per-
to as boas niencoes dos seus collegas.
A prova em conlrario ainda existe na me-
moria de todos nos, que frequentamos a
academia jurdica de Olinda, onde os direc-
tores que nao pertenciam ao corpo docente
nunca poderam reergue-la do marasmo, em
que por muito tempo jazo.
XLI
Admissao do esludante reprovado.
Oulro sim. acho por demais severa a dis-
posicao do art 80 dos estatutos, prohibindo
a matricula ao estudanle reprovado duas ve-
zes no mesmo anno ; medida esta, que nao
adoptada as faculdades da Europa.
Diversas causas podem produzir essa du-
pla reprovacio, sem o concurso da vontade
do estudante ; e mesmo emtodo o caso por-
que ha de ser impossivel a sua rehabilitacSo ?
E' na verdade injusto encerrarem-se-lhe
para sempre as portas do augusto templo
da sciencia, quando elle com melhores in-
tences insiste em supplicar-lhe o ingresso,
quando parece, que a Providencia isso o
insina, por t-lo talvez destinado repre-
sentar ainda brilhante papel na carreira,
que primeiro escolhera.
Parece-me mais acertado, .jue ao estudan-
te reprovado duas vezes no mesmo anno se
impozesse o intersticio de tres annos para
poder de novo ser admiltido faeuldade e
ainda assim depois de deliberacjio da respec-
t va congregarlo; sendo que, no caso da
readmisso, nao se Ihe permita fazer acto,
senao depois de provar perant-* a mesma
congregacao haver pago a matricula e ter
lido frequenca, aproreitamento e bom com-
portamento vista das informacoes dos seus
lentes.
Dest'arte, se elle nao tiver bastante voca-
co para a carreira, e ao mesmo tempo gran-
de perseveranea, nao far essa nova tentati-
uj bem como se, durante o anno lectivo
houver mostrado alguui desvio desse seu
novo proposito, pela necessidade em que se
achara de produzir aquellas provas ante a
congregacao, nao lograr por certo arriscar-
se novo acto, e ficar asas punido com a
perda da importancia da matricula, e em prol
dos cofres pblicos, e do tempo intilmente
decorrido.
Pelo menos a Franca, que prima acerca
dos melhores systemas de insirucco publica
(depois da Germania, fonte principal e com-
mum della) preferiu o estudante omiss ou
relapso cora esse intersticio, a expulsa-lo.
XLII
Exames vagos.
Entendo, que se devero autorisar os exa-
mes vagos de todas as materias constituti-
vas do curso jurdico qualquer individuo,
que provar o pagamento do imposto das ma-
triculas de cada um dos respectivos annos,
e mostrar ter oblido pelo menos o gru de
bacharel em direito em qualquer faeuldade
da Europa.
Assim ficaria sempre estabelecida a prefe-
rencia do ensino as faculdades do imperio,
nao se prejudicaria a fazenda publica na per-
cepeo daquelles seus direitos, e poupar-se-
hia desde logo o trabalho de solicitar-se do
poder legislativo a permisso para effectua-
rem-se taes actos, como por muitas vezes
tem sLiccedido.
Nem nisso ha vera possibilidade de qual-
quer mediocridade arriscar-se aquellas pro-
vas, por serena ellas evidentemente mais ri-
gorosas, e qual somente se prestara o can-
didato de itelligenca e copia de conheci-
mentos.
Nesta'hypethese, a prova documental da
cllaco do gru em outra faeuldade estran-
geira s poderia dispensar a frequenca, que
se exige as do imperio, a qual nem sempre
indicativa da habilitaclo ou do mrito do
candidato.
Esta medida que indico, n3o extranha
ao plano da instruccao superior do imperio,
porque ella se acha consagrada no art. 20 e
eguintes do decret n. 1.387 de 28 de
abril de 4854, -que deu novo estatutos s es-
XLVI
Admissao matricula, com exames fritos
nos Faculdades de Medicina, Lycetu e
Gymnazios Provinciaes.
Prece-me que a disposico do artigo 54,
que permitte a admissao matricula das
colas de medicinaacerca dos facultativos!
autorisados com diplomas de academias ou
universidades estrangeiras, para poderem
corar no nosso paiz, ou obter o gru de dou-
tor as faculdades de medicina do Brasil.
XLIH
Desegualdade da taxa da matricula entre Faculdades de Direito, somente aos que a-
as facilidades de medicina e de direito. I presentarem diploma de bacharel em letras
Nao posso acbar fundamento na desegual-, do colegio Pedro II, ou titulo obtido nes
dade existente entre o quantum do imposto; concursos annualmente havidos ni corle,
da matricula, que exige para os alumnos das oujnostrarem certidoes d& approvaco dos
faculdaies de direito OS-dS it PS'bc4ft37-fespecitvos exames preparatorios feitos nis
isi para os primeiros 102#400 por anno, mesmas Faculdades, deve ser ampliada aos
o metade para os segundos. que taes cerlides apresentarem de exames
Se basea-se essa desegualdade, em que os idnticos as Faculdades de Medicina do
mdicos sao mais necessarios que os legis- imperio, nos Lyceus e Gymnasios Provin-
tas, ainda assim me parece improcedente; ciaes; parque preciso manter o principio
porqne o nosso paiz novo como precisa de coherencia, e fazer desapparecer todo
egualmente de horoens habilitados em todos espirito de desconfianca entre corporaces
os ramos scienlificos. scientificas asss importantes, igualmente
Se foi essa differenca estabelecida para di-' consideradas, e do mesmo paiz. Todo pri-
minuir o numero dos que aspiram a seguir vilegio, que n3o fundado em utilidade pil-
os estudos jurdicos, e augmentar os disci-j blica, deve proscrever-se, alm de que ha
pulos de Hypocrates, ainda assim os fados necessidade instante de facilitar a acquisicao
tem contrariado t5o infeliz lembranca ; por das primeiras habilitacoes aos esludos supe-
que o numero daquees tem crescido ; ao riores sobre as vistas prximas dos paes de
passo que o destes tem decrescido, como familias.
demonstrou o Sr. Dr. Antonio Pereira Pinto
em sua Memoria Histrica apresentada fa
culdade de medicina da corte em 1862, at-
XLVH
Estados das Faculdades Jurdicas.
O plano de estudos adoptado para as Fa-
tribuindo alias essa diminuico ao rigor ha- culdades de Direito do imperio me parece
vido nos exames preparatorios nos seguin-. deficiente, e mal disposto, por que nSo' s
tes termos : | ha omiss5o de algumas cadeiras indispen-
Ha escacez de mocos, que buscara o saveis, sen3o lamhem m collocac5o das que
estudo da medicina ; em 1861 apenas 9 pas- existem.
saram para o sexto anno. O contrario succe-
de as faculdades de direito, onde era peque-
a a affiuencia e hoje avulta e mulliplica-se...
< Depois que se creou a inspectora da ins-
truccao primara e secundaria do municipio
neutro, e perante ella tiveram de ser feitos
os exames preparatorios, tal rigor nclles ha
que os paes dos examinandos, e estes mes-
nos adquiriram pnico terror, e operou-se
urna diverso para as faculdades de direito.
Por esse justo rigor tem-se perdido no nu-
mero, mas tem-se ganbo na qualidade, pois
ha na faeuldade de medicina da corte mocos
com urna educaco preparatoria perfeita.
XLIV
Augmente-se sim o rigor nos exames pre-
paratorios, augmente-se mesmo o seu nume-
ro, exigindo-se nao s o Grego, como se pra-
tica as Faculdades de Direito de Coimbra,
Franca, Blgica, Hollaoda e Allemanha, (em
cuja lingua foram originalmente escripias as
novellas de Justiniano, as constituces im-
periaes, que ao depois foram infielmente
traducidas e innoculadas de vicios e defeitos
pelos glosadores), seno tambem o AUemo
e o Italiano, como aconselhava Salvandy,
ministro da instruccao publica da Franca,
para complemento de urna educaco li-
beral, e apropriada ao esludo da jurispru-
dencia.
Mas, n3o augmente-se a taxa das matricu-
las, porque islo s serve para opprimir os
paes de familias menos abastados, que des-
tinam seus filhos essa carreira. De mais,
esse excesso da taxa da matricula para as
Faculdades de Direito, nao est em relaco
com as despezas oreadas, e antes na razo
inversa, pois estas ainda em 182 foram de
153:3' 50338, ao passo que as das de medi-
cina foram de 209:816*068, islo quasi
dupla quantia. >
Em verdade foi singular, que se elvasse
a taxa justamente para as Faculdades, que
menos despendem, e se dimnuisse para as
que mais despendem I... -
Em summa, os que se formam em direito
tornam-se mais prestaveis ao estado' e pa-
gam mais direitos fazenda publica, do que
os mdicos. Si aquelles individuos seguem
a magistratura, fazem parle de um dos po-
deres da naci, e contribuem para os cofres
pblicos com novos e velhos direitos e ou-
tros impostos inherentes ao seu emprego.
Si sao orgos ou membros do ministerio pu-
blico (como promotores, curadores, procu-
radores fiscaes etc.) ainda sao partes inte-
grantes d'aquelle poder, e pagam idnticos
direitos nacionaes. Si seguem a advocada,
ainda assim sao obrigados pela lei a defen-
der os desvalidos, propugnan pelos interes-
ses da justica, e pagam o denominado im-
posto de escriptorio.
Porm os medios, na pluralidade dos
casos pouco ou nada dedicam-se ao servco
do paiz, nenhuns direitos ou impostos pa-
gam pelo exercicio da sua profisso, e raras
vezes oceupam algum munus publico.
Logo, a desigualdade estabelecida as la-
xas das matriculas entre as Faculdades de
Direito e Medecina, foi toda injusta e odio-
sa, pelo que deve cessar.
XLV
lsencoes da taxa da matricula.
Em complemento d'esta minha idea pro-
ponho, que sejam isentos do pagamento da
taxa da matricula, e mais despezas as Fa-
culdades de Direito:
t 1. Os filhos dos respectivos lentes, do
mesmo modo que d'esta isencSo gozam os
dos professores docollegio Pedro II. por
forca do artigo 14 do decreto n. 1556 de
fevereiro de 1855, e pralica constante as
Faculdades de Direito da Franca, Hollanda e
Allemanha;
2. Os estudantes, que provarem com
atleslados dojoiz de direito da comarca, do
Vigario da freguezia e da cmara do muni-
cipi i, em que as ce rain, extrema pobreza
de seus paes, sua moralidade, e houverem
feitos brilhantes exames preparatorios.
Esta isenejio acha-se autorisada n'aquel-
la citada disposicao para a admissao no col-
legio de Pedro II, e j est adoptada na-
qaelles paizes; devendo ser aquelles attes-
tados renovados de seis em seis mezes, pa-
ra demonstracao de continuar a mesma po-
breza: perdendo porm os estudantes tal
isenco por irregulari ade de conducta, fal-
ta de appiicacao, infraccao dos estatutos, ou
por haver soffrido alguma pena discipli-
nar.
3. Os alumnos, que obtiverem pre-
mios nos concursos annuaes entr'elles bavi-
dos sobre pontos dados para disserla'coes
escriptas na Faeuldade, m presenca dos
respectivos lentes, e dentro de'quatr ho-
ras, respeito das materias leccionadas em
Io
20
3o
Io
2o
3o
r
3"
1"
Para fundamentar neste s ntido as mi-
nhas subsequentes reflexes, abaixo trans-
crevo o plano ou a distribuido das materias
constitutivas dos estudos jurdicos as mais
acreditadas Faculdades da Europa a saber:
as de Coimbra, Franca, Blgica e Hollanda.
FACULDADES DE DIREITO.
COIMBHA.
Primeiro anno.
Io Historia geral da jurisprudencia, e parti-
cular do Direito Romano, Cannico e
Patrio.
2o Direito Natural; Direito das Gentes, Di-
reito Romano.
Segundo anno.
Direito Publico Un versal, Direito Publi-
co Portuguez.
Direito Romano.
Economa 5oli tica.
Terceiro anno.
Ioslituices de Direito Ecclesiaslico.
Insttucoes'de Direito Civil Portuguez.
Direito Administrativo.
Quarto anno.
Continuaco'do Direito Civil Portuguez,
e Medicina Legal,
2o Continuacao de Direito Ecclesiastico Pu-
blico e Direito Ecclesiastico Portuguez,
Direito Ccmmercial e Martimo.
Quinto anno.
Direito Criminal, Continuac5o de Mede-
cina Legal.
2o Jurisprudencia Formularia e Euremati-
ca, pratica do processo civil, criminal,
commercial e militar.
3o Hermenutica, Analyse dos textos de Di-
reito Patrio, Romano, Cannico e Di-
plomtico.
PAHIS.
Primeiro anno.
Para o bacharellado. (a)
Introducc5o ao estudo de Direito.
Direito Romano, Cdigo de Napoleao.
Segundo anno.
Processo Civil e Criminal.
Legslac3o Criminal, continuacao do Cdigo
de NapoleSo e do Direito Romano.
Direito Criminal e LegislacSo Penal comp i-
rada.
Xeiceiro anno.
Para o grao de licenciado, (b)
Continuacao"uo Cdigo de Napoleao
Cdigo do Commenio, Direito Administra-
tivo.
Quarto anno.
Para o Dotorado. (o)
Direito das Gentes, Historia do Direito Ro-
mano, e do Direito Francez (d).
BLGICA
Primeiro anno.
Encyclopedia de Direito, particularmente a
historia, theoria e fonles da legislacao
romana at o presente.
Direito Natural ou Phlosophia do Direito,
Historia do Direito, Instituas do Direito
Romano, e Elementos do Direito Civil Mo-
derno. -~
Segundo anno.
Pandectas, Direito Civil moderno aprofun-
dado, Direito Publico, Direito Administra-
tivo, Direito Commercial. Estatistica, Eco
nomia Poltica, Historia Poltica (tratados
e Diplomacia).
Terceiro anno.
Continuacao das Pandectas e d) Direito Ci-
vil Moderno, Direito Criminal, co i-pre-
hendendo o Militar, Processo Civil e Me-
dicina Legal, (e)
HOLLANDA.
Primeiro anno.
Encyclopedia e Methodologia de Direito.
Inslituicoesde Justiniano.
Historia do Direito, alguns textos das Pan-
dectas exegeticamente explicados, Direito
Natural.
Segundo anno.
Direito Civil e Processo Civil.
Direito Penal, Instruccao Criminal, Pan-
dectas.
Direito Publico e nter: acional.
Terceiro anno.
Direito Commercial, Direito Administrativo,
Historia Poltica da Hollanda, Historia Di-
plomtica da Europa at o Congrcsso de
Vienna, Diplomacia, Statistica.
Economa Poltica, Medicina Legal (f).
XLYII.
Deste quadro se evidencia ; Io que a ca-
deira de Direito Romano as Faculdades de
Coimbra, Franca e Blgica sao lidas duran-
te tres annos, e na Hollanda durante um,
com todo o desenvolvmento possivel, tra-
tando-se da sua historia, das Instituas e
Pandectas; ao passo que pelos Estatutos das
do Imperio apenas se lecciooam a) ditas Ins-
tituas no Io anno. e se faz a comparacao e
analyssuo Direito Civil Patrio com o Ro-
mano no 3o e 4o annos ; sendo que na nos-'
sa Faeuldade (segundo me consta) os estu-
dantes do 1 anno nunca pasgaram do 2o l-'
vro das Instituas : 2, que as Faculdades1
de Coimbra, Blgica e Hollanda ha cadeiras1
de Medicina Legal, de Historia; Introdcelo'
ao estudo de Direito ; e as duas nltimas as'
de Encyclopedia o Methodologia de Direito. |
comprehendendo particularmente a historia,
theoria, fontes e systema da Legislacao Ro- ]
mana atea posaactual.
Estas materias, reconhecidas como mu
importantes e al essenciaes par i o esludo'
da jurisprudencia, pela experiencia dos sa-
bios daquellas nacoes, foram entre nos con-
sideradas inuteis, sem atlender-se ajustada
distineco entre o necessario e o superfino.
S por um curso completo e methodico
de Direito se poder formar o perfeilo Icto,
o excelle te admin slrador, o eximio Dipl-
mala.
Estas reformas nao sao por certo impor-
taces exticas, mas acclimalacoes proprias,
uteis e verificaveis.
Ne-te mesmo sentido jopinou o Sr. Dr.
Antonio Carlos Ribeiro d'Andrada Machado
e Silva, um dos talentos da Faeuldade de
Direito de S. Paulo, em s ia Memoria Hist-
rica de 1860.
O estudo de Dir'(o Romano, em subs-
tancia ou abreviatura, tem sido por toda
parte geralmente reprovado.
Oucamos sobre este ponto a respeitavel
opiniao do afamado professor de Grnoble,
Jules Mallein, as suas consideracos sobre
o ensino de Direito Administrativo, pag.
175: /
Enseigner simpleiient les Institutes de
Justinien l'ouverture des eludes juridi-
ques, c'est dbuter dans le droil Romain,
comme on debutait a tome, tm'mc du temps
de cet empereur,ct comme le faisaienl long
temps avant S07i rgne, Gaius et d'autresju-
risconsultes celebres; c'est putser la subs-
tance de ce droit a la sdurce, oii il ft le
mieux resume pour le peuple, qui recevait
direclment l'application de ses principes ;
c'est en offrir le tablean general un aulre
peuple, qui a d~aulres lois, mais qui les a
principalement connues et perfectiones sous
son influence Interrogcr ensuite les Pan-
dectes, le Coda, les IS'ouvelles, et de nouveau
les Institutes sur des sujets parmi ceux,
qui offrent le plus d'interet notre poche ;
yjoindre les lumires qui peuvent fournir
les monumens legisla tifs el de l'antiquil
Homaine,et les interprfila, recommendables
de tous les temps, c'est nuvrir a des esprits
Clevs la voie el le goul des grandes eludes
et des grands travaux.
Si pois o Direito Romano inconte-ta-
velmente a razao escripia e o fundamento
das legislacoes civis da Europa inteira, na
phrase de Cousin, nao merece por certo o
seu estudo ser feito to perfuncloria, super-
ficial e succintamente, como enlre nos se
faz ; antes digno ds um estudo aprotun-
dado, ssiduo e paciente.
A morte do abalisado lente de Direito
Romano deta Faeuldade, o desembargado!"
Manoel Mendes da Cunha e Azevedo, ser
sempre urna perda muito sensivel para os
alumnos que a frequentarem, e deixar por
muito tempo um vacuo difflcil de ser cabal-
mente supprido, i orque em regra slo su-
perficiaes os estudos inherentes s interini-
dades pela ausencia do respectivo cathedra-
tico.Bolonha, que tao faiigerada se tor-
nou no ensino, a ponto de ser preverbial
Bononia d< r,tan5o se envergonhou de cha-
mar em 1196, de Ravena o sabio Ido Ir-
nerius, para ensinar ali a jurisprudencia ro-
mana.
(Conlinuar-se-ha).
UM POUCO DETUP8.
Segundo a Correspondencia de Hespanha,
o capitulo da ordem de Malta, residente em
Roma, elegeu para seu gran-mestre o mar-
quez de Borgia, por dezesete votos, sendo
dezenove os votantes.
Esta eleico deve ser sanecionada por um
breve especial do Pontfice.
Os cavalleiros de Malla nao tinham eleito
gran-mestre ha mais de um secuto: o ulti-
mo que obteve esta diginadade foi o impera-
dor da Russia Paulo I.
A Inglaterra, diz um jornal francez, o
beroo do fabrico das lunas.
Em todo o mundo as limas inglezas gozam
de merecida e incontestavel reputacSo, de
modo que todas as outras naces, com
relacao a este objecto, s5o tributaris; A in-
fflaterr, *r. '
Urna rival", porm, se offerece a est po-
tencia.
Em virtude de repetidas experiencias
comparativas feitasem Londres sbreos pro-
ductos de um inventor estrangeiro, acaba
de formar urna sociedade na Blgica, em
Gillylez Charleroy; a qual, constituida sob
a firma commercial A. Libotte, B. Gillieaux
4 C, tem por fim principal a exportado
das suas limas para Inglaterra.
Sabemos que novos productos d'esta so-
ciedade, hoje em' plena explorado, acabam
de ser remettidos para Londres, onde foram
submetlidos a novas experiencias compara-
tivas com os productos de Sheffield, e os
resultados obiidos sao de tal modo em favor
da sociedade belga, que muitos estabeleci-
mentos importantes inglezes, entre os quaes
citaremos The Soulth Easterh Railvay Com-
pany, acabam de fazer-lhe enoommendas e
um grande mercado, tanto de, limas novas
como para a empreza do recorte de limas
usadas, acaba de ser-lhe proposto.
Estes nidos sao tanto mais para admirar,
por isso que os productos que leer servido
a estas experiencias s5o limas recortadas,
as quaes foram postas em parallelo com as
novas das melhores marcas inglezas.
Resultados d'estes merecem ser menciona-
, nados, porque sao sem precedentes at
hoje.
*e
O Dr. Severini, em Italia, propoz vacci-
nar as creancas por um methodo differente
do que esl em uso.
O novo systema consiste em fazer-lhes
tomar pela bocea a trigsima dissolugo
do puz vaccinieo em vez .de ser inocu-
lado.
Diz o seu inventor que por este methodo
se obtem excellentes pstulas disseminadas
pelo cerpo, as quaes sao acompanhadas da
febre correspondente.
Este anno expira o prazo de vinte annos
fixao por Mr. de Talleyrand para a publi-
caco das memorias da sua vida, que este
clebre diplmala deixou lacradas.
(a) O grao de bacharel, na Franca, serve
para habilitado aos officios de solicitador,
notario ou escrivo.
(b) O grao de licencenciado habilita aos
cargos da magistratura, e exercicios da ad-
vocaba.
(c) O de doutor para o magisterio supe-
rior.
(d) Estas mesmas materias com outra
dislribuicao sao ensiadas as outras oito
Faculdades'de Direito da Franca, como diz
cada mudos annos, que elles frequenta- Fontain a Resbecq na obra intitulada; No-
rem > ticia sobre o doulorado.
Assim poderia preslar-se um justo auxi- -fe) Lei sobre o en lio ao verdadeiro merecimento, pobreta gica.
protegida pelanatureza e ao magisterio s- (O Memdria sobre o ensino de Direito na
ss desfavorecido no nosso paiz. Holanda por M. Blodeau.
Diz um jornal hespanhol qne a falta de
numerario chegou a tal ponto na Russia que
a troca de papel por metal se faz com 10
por cento de perda. ;
m i
O governo britannico acaba de conceder
duas novas linhas de paquetes a vapor, par-
i lindo ambas de Liverpool e lendo por ter-
i mo urna Behze (Honduras britannica), e ou-
i ira Tampico (Mxico)
- Os paquetes da linha de Liverpool para
Belize faro escala, tanto na ida como na
volta, por Kingston (Jamaica). PartirSo no
dia 5 de cada mez, ou a 6, quando aquelle
for domingo.
Os da linha de Tampico farao escala em
Porto Principe (Haiti), Jamaica e Vera Cruz.
Partirlo no dia 20 de cada mez, ou a 21,
se o dia 20 cahir ao domiuho. No dia 20
do cor rente j devta ter sabido de Liverpool
o primeiro paquete.
L-se no Diario do Povo :
Na freguezia de Rocas, deu-se um caso
que traz estupefacta a gente d'aqcelle sitio.
Urna mulher, que tinha por modo de vida
virao Porto vender carvSo, linha conversa
do n'uma das ultimas noutes com algnmas
mulheres suas visinhas, e fechou a porta
quando estas se despediram.
Costumava levantar-se tarde algumas ve-
zes, quando a agurdente lhe adormeca ex-
cessivamente o corpo; mas nunca se demo-
rou na cama alm das oito horas, que quan-
do a gente do campo costuma almocar.
Era, porm, alia tarde e a carvoeira ainda
nao abrir a sua porta.
Islo causou sensacSo na visinhanca, e al-
gumas mulheres resolveram bater-lhe por-
ta ; mas a carvoeira n3o responda, nem
era sentido l dentro qualquer movimenlo.
Resolveu-se chamar o regedor da fregue-
zia, e este mandou arrombar a porta.
Enlraram todos e dirigiram-se ao leto
da carvoeira ; mas, com grande espanto, nao
a encontraram; notaram apenas um cheiro
desagradavel.
Examinaran casa com o flm de a cn-
c ntrarem mor.a em algum canto; mas na-
da encontraram, at que o rededor encon-
trou ao p do leto algumas cinzas, vestigios
de que a infeliz linha ardido.
O regedor entendeu que a tinham queima-
do, e j tratava de um auto contra urna
visinha, quando appareceu um facultativo,
que, examinando ludo, declarou que tinha
sido victima de urna combusto espontanea,
proveniente das bebidas alcoolicas a que se
entregava com demasa; e effectivamente
do-se fac s d'estes que a sciencia n5o es-
tranha.
Sirva este caso de exemplo a muitas pes-
soas que demasiadamente se entregam a es-
tes abusos, pois, alm de se desm< ralisarem,
de perderem o conceito, de causarem des-
gostos familia, de serem prejudicaes
sociedade, podem ser victimas do excesso.
Anda que nao se d esle gravsimo caso,
certo que o abuso das bebidas arruina a
sade.
"0&&-

A Xaco publica o seguinte:
Segundo o almanak estatistica de Hespa-
nha, a longitude das estradas hespanholas
tem augmentado no espaco de seis annos de
9342 killomdros a 13540.
Comparada esta ultima cifra com a exten-
cao do territorio-de Hespanha resulta exis-
tir at ao fim de 1863 por cad i 1000 kilo-
metros quadrados de superficie 26,71 kilo-
metros de eslrada. '
N'um jornal americano lemos a descripcao
de urna bateria movel que nao nos parece
outra cousa seno urna machina infernal
aperfeicoada.
A machina de que fallamos foi inventada
por um John Fereman, do Missouri, soldado
raso na companhia D da ..rtilharia do esta-
do de Alabama, e que, segondo diz o jor-
nal, gastou mais de 20,000 pesos em cons-
truir e aperfeicoar a sua obra.
A machina consiste em 15"canhoes de 30
pollegadas do adarme 57, que o das cara-
binas de Enfield, esto sujeitos por parafuzos
n'uma solida peca de metal, a bocea dos ca-
nhoes p ssa por meio de urna barra de fer-
ro de tal modo que no momento da descar-
ga as balas a urna distancia de 420 metros,
comprehendem ao abrir-se um arco de 42
metros : a machina carrega-se pela culatra,
eesta operaco se verifica com tan' .jpi-
dez, que podem dar-se seis descargas no es-
paco de um minuto.
E' muito simples na sua conslruccSo,
pouco susceptivo! de se desmanchar, limpa-
s quasi n'um instante, a carreta s nece -
sita de um cavado, de maneira qne esta
nova bateria nada deixa a desejar debaixo
do ponto de vista de mobilisacSo.
Da St'mowa alustrada transcrevemos" o
que segu:
INSTRUCCAO PUBLICA.
Ao ver os nomes de alguns examina-
dores dos differentes collegios, pergunta um
gaiato si nao era conveniente, antes de en-
tregar os meninos a esses examinadores, su-
jeitar os mesmos a um exame previo.
Islo a semelhanca do philosopho antigo,
que entrando n'uma banbeira penco aceiada,
perguntou; U N
Emsahindo daqui, onde vae a gente
lavar-se? r
PERNAMBCO.-TYP. E M. F.DE & FLHO
i
>x
MUTILADO]


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIGJM765H_W6BJVK INGEST_TIME 2013-08-28T00:41:45Z PACKAGE AA00011611_10647
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES