Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10646


This item is only available as the following downloads:


Full Text
L
mo ZLI. HUMERO 89
#f* i
^vidI
j OBMjhfgSf

Hea^w*s.'"l04ia4Miec*e6itwtfitrt6l. J000
Ptfte'fcMMtpr Uto afls............ : 780
QARTA FEIRA 19 DE ABRIL DE 1865.
P#r pago dentro e ludias do 1. un ,f %
Pirtc o correio per ua ame .. ^ .,...,.,. ,
491000
31000
DE PERNAM
ENCAMWGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o 5r. Antonio Alexandrlnu de Lima;,
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos -, Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Oas; Babia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estages da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, iiom
Conselhok Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
(eiras.
P d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricory, Salgaeiro e Ex, as qaartas
feiras.
Segunda vara do civel:. qaartas e sabbades a i
bora da urde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras. *\
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Quarto cresc. as 10 h., 89 m. e 22 s. da t.
i i La cbeia as 2 h., 17 m. e 52 s. da ra.
18 Quarto ming as 9h., e 16 m. da t.
27 Loa nova as 11 b., 83 ra. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS THIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal'do commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados as 10 horas.
Faxenda: quintas s 10 boras.
Jolzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: qaartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
17. Segunda. S. Aniceto p.; S.Fortunato..
18. Terga. S. Galdino b. card.; S. Anlbia m.
19. Quarta. Ss. Expedito e Aristonico mm.
20. Quinta. S. Ignz do monte Policiano.
21. Sexta. S. Anselmo are.; S. Abdecalas m.
ti. Sabbado. Ss. Soler e Caio pp. mm.
23. Domingo. S.Jorge m.; S. Adberto b.
PREAMAR DE IIOJE.
hPrimeira as 10 horas e 54 m. da manha.
Segunda as 11 horas 18 e minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEHtOS.
Para o sal al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE *
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa de
Faria & Filbe.
PARTE QFFICIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente de dia 15 de abril de 1865.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
r. Com copia da informago do eommandante
do presidio de Fernando, datado de 31 de margo
ultimo, remetto inclusa a petigo em que o senten-
ciado dessa provincia, Alexandre Braz de Mello
impetra a S. M. o Imperador, perdo da pena que
esi rumprindo naquelle presidio, aflm de que V.
Exc. se digne de dar-lhe a conveniente direreao,
depois de instrnldtrnos termos do decreto n. 2,566
de 28 de margo de 1860.
Dito ao coronel eommandante das armas interi-
no. Sirva-se V. S. de mandar assentar praga, no
caso de serem jaleados aptos para isso em aspee-1
gao de sade, a 114 Indios vindos do termo de Cim-I
bres, os qnaes devera ser conservados no quartei
das Cinco Postas, commandados pelo lente do i
cqrpo de polica, Manoel Germano de Miranda, re-
-qiii.-itando me V. S. sem demora todo o que for!
necessario, tanto para aquarteliamento como para i
rancho dos mesmos Indios.
Dito ao mesmo.Haja V. S. de mandar assentar i
praga a 13 voluntarios que Ihe seo apresentados
pel capillo da guarda nacional, Candido Jos de
Barros, os qaaes devem ser recolhidos no quartei
4a Suledade, sob o cemmando do capilo encarre
gado do deposito.
Dito ao mesmo.Queira V. S. remetler urna re-
lago dos medicamentos e mais objectos que pela
pharmacia do hospital militar foram enviados lti-
mamente ao presidio de Fernando, no vapor Ma-
manguape. Remetteu-se copia da predila relagoj
thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que alm
da suarda de honra que mandei postar do batalho
de Voluntarios da Patria, para acompahbar a pro-
cisso da Resnrreigao, que tem de sahir da igreja
de Santa Rila, mande dar urna guarda do mesmo
corpo, e com a forga que tiver desponivel, para
acompanhar igual procisso, que tem de sahir do-
mingo s 5 e meia horas da manha, do convento
de S. Francisco, devendo essa guarda ser acompa-
sada da msica dos menores do arsenal de guer-
ra, para a qual mandei porofflcio de II do cor ren-
te addir os tres msico* que se alistaram como
voluntarios, aflm de completa-la e poder tocar as
solemnidades religiosas da semana santa daquelle
convento, erdem que anda subsiste.
Ditoao mesmo.-Queira V. S. informar sobre o
que pede Bernardina de Jess Monteiro, no incluso
requerimento.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar so-
bre o que pede no incluso requerimento o soldado
do 8 batalho de infantaria addido a companhia
de artfices, Antonio Luiz da Silva.
Dito ao Dr. chefe de polica.Para que possa
ler lugar o pagamento, que V. S. sollicitou em seu
officio de 30 de margo ultimo, sob n. 461, da quan-
ua de 6)5080, adianlada pelo delegado do termo de
Caruar' aos recrutas Joaquim Cordeiro, Antonio
Jos Fructuoso, Joo Barbosa dos Santos e Igoacio
Ferreira de Araujo, faz preciso, segundo declarou
o inspector da thesouraria de fazenda, em offlcio n.
250, de 12 do correte mez, que seja ministrado
aquella reparlicao um pret, do qual conste as
quantias abocadas aos ditos recrutas, desde quan-
o, e al quando, c quanto a cada um delles.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.A'
vista do requerimento que aqu ajuuto, mande V. S.
abonar ao procurador do alteres do 7 balalho de
infantaria Pedro de. Alcntara Tiberio Capistrano,
que segu para a corle, a importancia do sold que
elle pretende consignar, para alimentos de sna
familia. Communicou-se ao eommandante das
armas.
Dilo ao raesmoTransmiti a V S., para o Gm
conveniente, o incluso recibo em dnpplicata, que
me remetleu o coronel eommandante das armas,
com offlcio de 13 do correte, sob n. 663, dosven-
cimentos, relativos ao mez de margo ultimo, do
alferes Felippe Jos da Exaltago Maniva, eom-
mandante da companhia do Voluntarios da Patria,
comporta de homens pretos.
Por essa occasiao julgo conveniente declarar-lhe,
que segundo consta do predito offlcio. igual recibo
j authentlcado pelo mencionado coronel, tura
extraviado, e por isso deve ser considerado sem
etTeilo. Communicou-se ao eommandante das
armas.
Dilo ao mesmo. Estando em termos os inclusos
prels que me remetleu o eapito do corpo de Vo-
luntarios da Patria, Manoel Gongalves Nunes Ma-
chado, com offlcio de 13 do enrrente, e nao haven-
do inconveniente, mande V. S. pagar os vencimen-
tos dos individuos que se alistaram na companhia
organisada pelo mesmo capilo, na cidade de
Goyanna, com deslino aquelle corpo, fcando na
tnti'lligencia de que, segundo consta do predito
offlcio, renuncia elle todas as despezas tendentes a
referida companhia, e relativas ao seu transporte
da predila cidade para iqui.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar sob minha
responsabilidade, e nos lermos do decreto n. 2,884, j
do Io de fevereiro de 1862, a ajuda de custo a que |
tem direito, o Dr. Antonio Vicente do Nascimeoto
Fetosa, como deputado a assombla geral legislati-
va por esta provincia.
Dito ao mesmo.-Annuindo ao que requereu o
Dr. Jos Antonio de Figueirdo, recommendo a V.
S. que, sob minha responsabilidade, nos termos do
decreto n. 2,884, do de fevereiro de 1862, man-
de pagar a ajuda de custo que. Ihe compete, como
deputado a as.-embla geral legislativa pela pro-
vincia do Cear.
Dito ao mesmo.Em vista dafolha e prels juntos
em dupplicata, e nao havendo inconvenienie, man-
de V. S. pagar os venciuoenlos, relativos ao mez e
margo ultimo, dos offlciaes nomeados para o corpo
de Voluntarios da Patria,- e bem asslm das pragas
do mesmo corpo, correspondentes a segunda quin-1
zena daquelle mez.
Dito ao mesmo.Em vista das inclusas relages, I
que me remetten o coronel eommandante das
armas, com offlcio de hoje, sob n. 673, mande V. S.
pnar os vencimentos dos individuos nellas men-,
cionados, e que se apresentaram n^ comarca do j
Brejo, e freguezia de Barreiros, com deslino ao
corpo de Voluntarlos da Patria, a contar do da em
que se alistaram at o era que juraram ban-;
deira.
Dito ao mesmo.-Transmitlo a V. S. as duas;
inclusas relages que me remetteu o coronel com
mandante das armas, com offlcio de hontero, sob
n. 672, dos 57 individuos apresentados pelo capilo .
Joo Vicente de Brito Galvo, para Voluntarios da
Patria, aflm de que a vista dellas mande pagar o
adiamntenlo feito a esses individuos al o dia 21
do mez prximo passado, e qne juraram bandeira
48, e os oulros foram julgados incapazes do servigo
militar, deduzind-se nessa occasiao a quaniia
fornecida pela collectoria de Santo Antao, a qual
consta da guia que j foi enviada a essa thesou-
raria.
Dito ao mesmo.-Remetto a V. S. para os conve-
nientes exames as cootas documentadas da receita
e despeza do hospital militar da guarnigo desta
provincia, relativamente ao mez de margo prximo
passado.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. At-
tendeodo as poderosas razos apresentadas por
Maria Jos Amalia de Miranda, professora particu-
lar e tendo em vista a informago do director geral
de instruego publica, de hoje datada, sob n. 115,
resolv nesta dala releva-la da multa .que Ihe foi
imposta, pela falta de apresentgo dos mappas de
suas alumnas, relativos aos doos tremestre do anno
pzssado, o que com m un ico a V. S. para seu conhe-
ciraento e execugo.
Dilo ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do cabo e Ipojoca. Ao capitao do balalho
n. 41 da guarda nacional sob seu commando supe-
rior, Paulino Pires Falcao, mande V. S. passar,
nao havendo inconveniente, a guia de que trata o
art. 45 do decreto n. 1,130, de 12 de margo de
1853, visto ter elle transferido a sna residencia
para o municipio do Cabo, como alegou em sea
requerimento.
Dito ao director geral da instmecao publi-
ca.Em vista de sua informago de 12 do corrente,
b. 113, com referencia ao parecer do conselho
director, approvo que seja adoptada as aulas pri-
marias da provincias a obra intituladaBiblia da
Infancia-organisada pelo padre Pascoal.
Dito ao eommandante do corpo de polica.Au-
toriso V. S. a mandar engajar, para o servigo do
corpo sob seu commando, o paisano Esteves da
Costa Tavares, apresentado com o seu offlcio
n. 237, desta data.
Dito ao capitao do porto.Inteirado, pelo sen
offlcio n. 59, de 4 do corrente, de haver Vmc. acei-
tado o patritico ofTerecimento do pratico-mr das
barras e porto desta capital, para conduzlr gratui-
tamente o vapor Imperador, al a cidade da Para-
hiba, recommendo a Vmc. que o louve por sea
servigo.
Duo ao conselho de compras do arsenal de
guerra.Autoriso o conselho de compras do arse-
nal a comprar para o respectivo almoxarifado ae
ete ca xas de foi has de Fl and res, mencionadas ns
incluso pedido.Communicou-se thesouraria do
fazenda.
Dito ao raesmo. Recommendo ao conselho de
compras do arsenal de guerra, que contrate com o
dono de alguma das fondigoes estabelecidas nesta
cidade a factura de 10 caldeiras de rancho, para
50 pragas, visto nao as haver promptas no mer-
cado.
Dito ao engenheiro liscal da estrado de ferro.
Declaro a Vmc. em resposta ao seu offlcio de 13
do corrente, sob n. 66, que approvo a deliberago
que tomn de ordenar que se dsse passagem no
trem de pissageiros da tarde daquelle da a um
offleial da guarda nacional e 14 voluntarios da pa-
tria, que se achavam na estago de Una.
Dilo ao juiz municipal da primeira vara.Re-
metto por copia a Vmc. para os flns convenientes
o offlcio de 27 de margo ultimo, em qae o eom-
mandante do presidio de Fernando participou-me
haver fallecido afogado, no dia 23 daquelle mez, o
preso Feliciano Jos da.Silva, que all se achav '
cumprindo sentenga.
Portara.O presidente da provincia, ttenden-
do ao que Ihe requereu Jos Mendes Carneiro da
Cunha, capitao da lerceira companhia do batalho
u. 51 de infantaria da guarda nacional do munici-
pio do Pao d'Alho, resol ve conceder-lhe 5 mezes de
licenga para ir ao centro da provincia.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o lente do batalho n. 1 de reser-
va da guarda nacional do municipio do Recife, Pe-
dro Alexandrino Rodrigues Lins, e tendo em vista
a Informago do respectivo eommandante superior,
datada de 8 do corrente, resolvc passar o referido
lente para a lista do servigo activo, llcando ag-
gregado aolercoiro balalho de infatuara da me- j
ma guarda nacional.
Dita. -O presidente da provincia. tendo%m vis-
la as Informagoes miuisiradas pelo eommandante
do corpo de polica, em offlcio n. 130 do 28 de fe-
vereiro ullime, e pelo, inspector da thesouraria;
proviucial, era data de 8 do corrente, sob n. 123,
acerca do requerimento do cabo de esquadra do
mesmo corpo, Joaquim Francisco da Silva, qne era ,
inspeegao de sade fot considerado inhabilitado!
para continuar a servir, resol ve aposentar a este
com os vencimentos que Ihe compelirem pelo tem-
po de servigo que tiouver prestado em dilo corpo,
de conformidade com o disposio no art. 2. da le
provincial n. 276 de 7 de abril de 1851, combinado
com e art. 3. da de n. 436, de 27 de maio de
1858.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
la as informagdes ministradas pelo eommandante
do corpo de polica em dala de 7 de margo ultimo
sob n. 174, e pelo inspector da thesouraria provin-
cial, era 8 do corrente, sob n. 137, acerca do re-
querimento do cabo do esquadra daquelle corpo,
Jos da Cosa Barros, que em inspccgo de sade
foi considerado inhabilitado para continuar a ser-
vir, resolvc aposentar a esle com os vencimentos
que Ihe corapetirera pelo lempo de servigo presta-
do em dito corpo, de conformidade com o disposto
no art. 2." da le proviDCial n. 276, de 7 de abril
de 1851, combinado com o arli 3. da lei0n. 436,
de 26 de maio de 1858.
Dita.O presidente da provincia allen.dendo ao
que requereu o juiz municipal e de orphos e de-
legado do polica do termo de Caruar, bacharel
Miguel Bernardo Vieira d'Amoriin, resolve conce-
der-lhe 2 mezns de licenga cora os respectivos
vencimentos, para tratar de sua sade.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasilera
de paquetes maodetn dar transpone para a corle, |
por coola do ministerio da guerra, no vapor To-
cantins qae se espera do norte, ao cirurgio do
corpo de sade do exercito Dr. Miguel Joaquim de
.'.astro Mascarenhas, e para a Bahia sua familia
composta de sua rnulher e 4 Qlhos.
Despachoss do dia 15 de abril de 1865.
Aona Joaquina Wanderley Indeferido em vis-
ta da segunda informago da junta medica.
Alferes Antonio Francisco Guima--os.A guia
de que trata o suplicante, tendo j sido remetlida
pelo corpo, foi devolvida por nao ler-se encontrado
o supplicanie. Nesta data de novo transmitida
secretaria da provincia do Rio Grande do Norte,
onde deve o supplicante procura-la.
Antonio do Coulo Vieira.Indeferido por nao
ter provado anda esta segunda vez rsencao legal.
Empregados do Hospital Militar desta provincia
Em vista* do disposto no art. 240 do reglamen-
to de 25 de novembro de 1844, nao pode ter lugar
o que requerem ns suppllcantes.
Firmino de Farias Barroso e Silva.Informe o
Sr. director dainstiuocao publica.
Capilo Jos Mendes Carneiro da Cunha.Pas-
se portara concdendoa licenga que requero sup-
plicante.
Joio Luiz de Paula.Junte a excusa qae obteve
do batalho em que servio.
Jos Bento deCarvalho.Indeferido em vista da
segunda inspeegao da junta medica.
Maria Jos Amalla de Miranda.Fica a suppli-
cante relevada da multa
Manoel Correada Silva.Indeferido em vista da
segunda inspeegao da junta medica.
Nicolao Severino de Andrade.Tendo sido o
supplicante pago de seas vencimentos, como afflr-
ma o eommandante da companhia de artiflc.es, na-
da ha que deferir.
Ulegano Jos da Costa.Indeferido.era vista da
segunda inspeegao da junta medica.
Pedro Celestino da Triadade.Informe o Sr. ca-
pilo do porto.
Capitao Paulino Pires Falcao.Ao eommandan-
te superior se expede ordena ne sentido em qae
reqner o supplicante.
COMMANDO DAS ARIAS.
Qnarlel do commando das armas de Pernimbuco
na cidade do Recife, 18 de abril de 1865.
Ordem do dia n. 5o.
O coronel eommandante das armas interino tem
a maior satisfago em consignar na presente or-
dem do dia para conheciraenlo da guarnigo o offl-
cio que na data dehoniemllbe dirigir a presiden-
cia, relativamente ao cidado Porfirio Mendes Mar-
tins, qae se alislou no 1 corpo de Voluntarios da
Patria desta provincia.
OFFICIO.
1* secgo.Palacio do governo de Pernambuco,
,17 de abril de 1865.Illra. Sr.Determinando o
governo imperial em aviso da repartigo da guerra
de 4 do corrente, que ao cidado Porfirio Mendes
-Martin-, alistado no corpo de Voluntarios da Patria
se lonve os dignos sentimentos de abnegago e pa-
triotismo que manifestou, renunciando nao s o
praso de ierras como tambera a gratiflccao a que
Ihe d direito o decreto n. 3371 de 7 de Janeiro ul-
timo, assim o commuoico a V. S. allm de que d
a devida execogo a semelhante disposigao.
Dos guarde a V. S.Antonio Borges Leal Cas-
tello Bi anco.
Sr. coronel eommandante das armas interino.
(Assignado.) Jos Mana Ildefonso Jacome da
Veig* l'essoa e Mello.
(Conforme)Antonio Francisco Duarte, 2a tenen-
te ajadante de ordens interino, encarregado do de-
talhe.
velmenle, progressvaraenle por modificagSes suc-
cessivas.
Damos, pois, araa.adheso completa ao projecto
de lei em queslo, sera abandonar nossas esperan-
gas de novos progressos para o futuro.
O imperador acaba de perder um de seus
amigos, dos mais antigos, um dos seus sustentcu-
los dos mais firmes e dos mais habis, Mr. de Mor-
ny, presidente do corpo legislativo acaba de suc-
cumbir a ama atTecgo anda mal conhecida do
pncreas: tinha representado urna figura decisiva
nos acontecimentos destes ltimos vnte annos.
flm de um cerlo tempo, nos lugares de administra-
gao e de magistratura, se encontraro homens ira
buidos desla opinio e qae antes de ser francez
primeramente subdito do papa, se isto continua as-
sim, pergunta Mr. Bonjean, quera reinar, o impe-
rador ou a cengregago ?
Monsenhor Darboy, arcebispo de Pars, lem de*
pois entrado em liga por sua vez. Seu discurso
respira um sabio espirito de conciliagao; tero pro-
clamado qae eslava preste a reconhecer os direitos
da auioridade civil, a reconhecer o valor legal da
concordata e dos artigos orgnicos que a acoropa-
Atem ao propno Napoieao III, oioguem teve tanta I nhara se inclina perante sua forga civil e regula-
parte na fundagao do imperio, como Mr. de Morny, i mentar ; concordara que ellas consagravara prin-
ninguem presin mais habis e mais uleis servicos | ciplos de urna necessidade superior e de urna or-
ao imperio desde a sua fundagao; sement o seu dem fundamental, que se nao exislissera, senara
papel era urnas vezes oceulto e outras apparenle. j necessario faze-Ias, que se loham cnido era des-
1 Nao se poda avaliar a influencia que elle exercia i uso era preciso faze-Ias revivare applica-las. Vn-
junto ao throno, como conselheiro intimo, foi um I do a fallar do espirito do dominio que Se altrlbue
presidente sem igual, no que respeila a amemdade geralmenle a igreja, uegou que a igreja quizesse
das formas e da habilidade. governar o eslado.
A oppesigo lem feilo mais de urna vez justga ; Acusarain-na disto, mas um erro urna illuso
sua impardaldade, observava alienta o raaravi- de ptica ; ella leraila seus volos e seus esforgos
Ihosamente a pendencia dos oradores da cmara, direcgo das consciencas, e ao ascendente mora
pa, prutestando-se contra suas dontrinas, se a isto
der lugar, do que nsar do meio bastardo de que
acabamos de fallar.-
O governo ven de propor um projecto de lei so-
bre a imprensa, em cujos termos a responsabili-
dade dos artigos pesara simultneamente sobre o
redactor, o director e o mpressor.
Os deudos commettidos por via da imprensa
contra o re e a seguranga do estado seo poni-
dos com priso e urna multa de doze mil a trinta e
seis mil reales. Para os deudos contra a ordem
publica sete a dezesseis mezes de priso e dez mil
a trinta mil reales de multa contra a moral publi-
ca de um a seis mezes de priso e malta de cinco
a seis mil reales.
O projecto prev e pane igualmente os delictos
contra os soberanos eslrangeiros, contra os parti-
culares, etc., etc. As penalidades apolicadas por
esta lei sao demasiadamente rigorosas. Demais
encerra outras disposigoes capazes de legar pro-
fundamente a liberdade da imprensa ; asslm antes
da publicago de qualquer escripto impresso, de-
vero ser deposto dous exemplares perante o go-
vernador da provincia
' f.*odo.pe*iK^^^^ 6oSSrdo^ ItoitaTmlSS^ arce'bsVo 2ta2 umtttSZ tf
xava anda urna bem grande liberdade a discusso,. de Paris que seria para desejar, que negociagSw ,pr ?7J??,, J? '."hamos "S*? de dl"
e est bem averiguado que certos depuiados fogo- fossem eniaboladas cora Pi IX com o flm de urna "erlos,d.ellc.tos commetl.dos por meio da.mprensa
smenle dedicados tem mais de urna vez ficado es-
candallados de sua tolerancia poltica.
conciliagao que se poda ficar cerlo, que elle ah
traria toda a boa vonlade, toda a moderago oos-
Bslancia por um s
EXTERIOR.
COBRESPOBBrfCIAS IHO IA
RIO BF. PKRYAIBKO
'' IMBIS.
24 de margo de 1865.
Posto que comege este artigo por algumas rede-
xoes sobre o ensino primario, o verdadeiro objecto
que oceupa a attengSa geral primeiramente a
a morte do duque de Morny, depois a discosso no
palacio do senado sobre a resposta da falla do Him-
no. No corpo legislativo a discosso nao tem ainda
comegado. A opposigao serra suas (lleiras, e pre-
para seu ataque.
As quesles que so referem a inslrucgo popular
eslo na ordem do dia. O ministro da instruego
publica diriga, ha maito pouco tempo, um relato-
rio ao imperador4obre o estado do ensino primario
em Franga.
Este irabalho, muito completo, abunda em medi-
das uleis; moslra que a educago das classes po-
bres rechina numerosas e urgentes melhoraraen-
tos.
A moraldade de um povo est em relago ISo
directa com o seu grao de cultura inteilectual, co-
mo pJe estar a sua propriedade material. E' bem
sabido que o numero dos eximes dirainue a propor-
gao do progresso da diffuso dos conhecimentos
elementares, na massa da nago ; urna verdade
que se raaniestaa cada instante, e de todas as ma-
neiras.
A cnse alimenticia que tivemos em 1847, tem
occasionado desordens em certos departamentos, e
estas nao eram entre aquelle?, a quem a necesfi-
dade mais opprimia, e sim entro aquelles em que
a ignorancia era mais profunda e mais geral. l-
timamente, a guerra da America tendo arrastadoa
paralysago de um grande numero de nossas ma-
nufacturas, muitos operarios se tem achado sem
pao e nem trabalho; no enlanlo nao lem havdo
desordens, nos districtos manafacturelros, vexados
pela falta de trabalho, por esta nica razao que as
degragadas victimas possuiam em geral a inslruc-
go elementar: sabiam que um molim teria sido in-
justo e intil sua siluigo.
Mas o que dizeraos para provar a utillade da
instruego popular quasi su per fl lio. Sob a rea-
gao da extenso do er.sino primario, a comparago
estabelecida entre a Franga e os outrns estallos da
Europa, nao a nosso favor. Com effeito em mui-
tos paizes, a instruego primara nao smente
graluih, mas obrigatoria.
Es as obrigag5es que se produzem ao redor de
nos, quando se poe em discusso a queslo do en-
sino obrigatorio : tem-se escrpulo, forgando-se o
pai a enviar seus filhos escola, de usurpar a sua
auioridade paterna. Tmese diminuir Os recursos
das familias pobres, que >o reduzidas, pela neces-
sidade, a faier trabalhar seus filhos, e a Ihes ajun-
tar lenha, etc. etc.
Nao ha bstanles escolas, e costaria mnilo di-
nheiro, para tornar o seu numero sufflciente. Pa-
zem valer anda oulros argumentos, mas esles, pos-
to que mos sao os principaes.
Nao se deve receiar de limitar a liberdade de
um pai obrigando-o a mandar ensinar a ler a seus
turtos; o direito do pai nao absoluto j elle tinha
em certas sociedades antigs o direito de vida e de
morte sobre seus filhos, nao existe mais este direi-
to porque nao se Ihe hade tirar ainda o de os dei-
xar viver em nma cegueira moral e intelleclual
que tira todo valor vida? O estado pJe pois to-
mar nestas circamstancias a lulefla do menino, e
proteger por urna lei seus interesses raoraes, como
seus interesses maleriaes esto ja amparados por
outras leis, mesmo contra o pai.
Quanto aos pequeos irabalhos execulados pelos
meninos pobres, a escola nao faria completamente
um obstculo a elles; a escola nao pide, na verda-
de, tirar seno ama parle do dia. No que respeita
ao numero muito insuliicieate dos professores exis-
tentes, basta que se consagrem esta despeza os
fundos necessarios. A,' nossos olhos o ensino obri-
gatono cousa legitima e excedente.
Outra queslo; devemos nos estabelec-lo imme-
diatamente : era este o parecer do ministro da ins-
lrucgo publica, mas as conclusoes de seu relato-.
rio nao foram acolhidas e o imperador dea a pre-;
ferencia a um projecto de lei que se funda*sobre
principios differenies.
Este projecto de lei se resume as proposgSes |
seguiotes:
1 Os professores particulares nao serao obriga-
dos a obtengao de um titulo de capacidade;
2* As communas, ruja populago exceder a 500
almas sero abrigados a ter ama escola publica de
meninas;
3* Premios de assiduidade podero ser distribui-
dos aos meninos qae se tiverem distinguido pela
sna frequencia;
4* O mnimo do ordenado annnal das professo-
res ser flxado em 300 francos (1805000 III);
5 O ordenado dos professores e professoras ad-'
juntos ser melh-irado, e sua noraeagio confiada
ao prefeito:
Applaadimos estas reformas liberaes; sao os de- \
graos que nos condoziro mal- larde ao ensino,
obrigatorio. Rellectindo-se sobre isso, dizem que
lalvez roelhor nao perturbar o systema actual
urna roudanga radical. Era todas as cousas as tran-
sigoes sao eerssarias. Otnsino obrigatorio ser
talyez melhor comprehendido, acceito mais volun-
tariamente, praticado mais realmente por nossas
populages raraes, se elle f6r introduzldo insensi-
a
mas
, tido da liberdade, seus conselhos servirn para mais lard,"repeino enrgicamente em sa perora-
alguma cousa as reformas, pelos quaes o governo gao, a aecusago tantas vezes iangada contra os
! tem melhorado a constituigo, e tem estenddo as caiholicos, de ser catholicos antes de ser francez,
aitribuigdes do corpo legislativo, quer ser francez respetando as leis de seu paz
Do mesmo modo no que respeila as leis nnun-s (sem exceptuar a concrdala) e calholico pratcan-
ciadas no discurso do imperador na abertura daa do a sua religiao. Mr. Delangle que deva fallar
cmaras, permittido crr que Mr. de Morny nao como orador do governo achou que Mr. Darboy ti-
foi estranho a deciso do soberano. ; nha feito a sua tarefa, o se tornara superQuo todo
E'preciso mencionar-se estas suas tendencias supplemento de disc^so. Com effeito por seu
progressistas. j acto de submisso e de obediencia lei Mr. Dar-
Mr. de Morny, desapparece no momento em que boy desarmava o governo.
se tornava por assim dizer indispensavel. O acres-1 Estas qoestoes religiosas sao as nicas que tem
cimo.numertco da apposige. no corpo legislativo animado o tenado.
torna mais delicadas as ruocgdes de presidente. I A resposta i falla do throno foi votada por 171
Mr. de Morny fazia aos adversarios do governo votos a favor e 2 contra, os dous ltimos sao os
urna guerra delicada; sua palavra espirituosa e do cardeal Matheu, e de Mr. de Segur d'Agues-
satynca reprima os rasgos de eloquenca, melhor seau, ama deputago apresentou-a ao imperador,
do que poderla fazer um chamado a ordem. Possa que expressara em urna curta allocugo a satis-
o seu successor saber dispensar como elle os raeios fago que senta por ver seus actos justamente
disciplinares, cujo emprego nao faz mais do que, apreciados pelo primeiro corpo do estado.
enfraquecer a auioridade moral daquelle que a el- O corpo legislativo nao lem feito at o presente
les recorre. | seno preparar o seu projecto de resposta ae dis-
O imperador, dzem, sentio mu vivamente a per-; cursso di corda. Nao insistiremos muito sobre
da deste amigo delicado. sua redaego ; cada paragrapho do discurso impe-
O senado tem votado a sua resposta a falla do nal de abertura, d nasciraento a ara paragrapho
tbrono. do vol degraga que a elle corresponde, e que ap-
As ideas expressas no discurso do imperador sao prova e saneciona o seu paragrapho gemeo.
saccessivamentes passadas -era revista e accompaf Ha com ludo duas passageus dignas de nota : a
sero julgados em primeira
juiz e nao por um tribunal.
Nos parece lamentavel confiar o julgameoto de
um processo a um s bomem : muitos boraens
reunidos fazem melhor justiga do que se estives-
sem solados ; sua consciencia nao oasa mentir,
e dar urna falsa deciso perante ontros homens.
Mas um juiz s em seu gabinete, sem censura, esl
exposto a soffrer a influencia ou de suas palxes
pessoaes, ou das paixdes polticas. A solido nm
escolho para sua equidade. Esperamos que as cor-
tes rejeitem urna lei, cujas tendencias sao profun-
damente retrogradas.
Parece que o gabinete de Vienna tem rejei-
tado os pedidos da Prussia, e teria particularmen-
te declarado macceitavel toda corabinago tenden-
te a um engrandeciraento do territorio da Prussia,
pela ineorporago de urna parte do Schleswig-
Holstein. Se a Prussia quer azer corlar por ama
deciso jqridica, a queslo da devolago dos duca-
dos, necessario que se entenda com a Austria
sobre a maneira de dar este jolgamento.
Em Vienna nao se est disposto a *accpilar nma
solugo baseada sobre o direito de conquista ; mas
se quizessem decidir a queslo sobre esta base,
seria preciso admittir na partilba dos ducados to-
dos as qae tem direito a islo; isto todos aquelles
que ajudaram a Prussia a conquista-Ios. Por nm
outro lado a Prussia e a Austria tem reconbecido
a individualdade dos ducados, singular que a
Prussia mude de parecer, e queira hoje retalhar
estas provincias. Eis a substancia da resposta dada
pelo gabinete austraco a nota que contera a expo-
nhadas de urna approvago explcita, arazoada e primeira diz que a perturbaeSo produzlda nascons-1 y}",:? PS!. /Tussia-
ornada de commentaros quo indicara como o se- ciencias pelas recentes agiiagoes nada tem de in-! mnins,ro d,a mVIDf,.Prr9nSmnifrn!.iftpr2?h5?;
nado lera coraprehend.do o pensaraento do sobe-; qulelanle ; a liberdade de conscmcia est ao abr- ^^^^"gttto !ae diveS cus
rano. go de todo ataque e por um outro lado a prolecgo c ""tr
A lluslre assembla exprime alternativamente concedida ao clero calholico permute exigir deile
sua adhesao e seu reconhecimeuto a respeito da em troca, a obediencia s leis do paiz, isto claro,
exiengao das immunidades coramunaes, e departa- e urna lembraga asss fra, dirigida ao episco-
roenlaes, da brandura de nosso pro -esso criminal, pado.Um pouco mais longo o voto de graga jul-
da maior largueza promeltida as associagdes com- ga a situago, que se tinha criado na Italia, e de-
merciaes, e as associages operaras, emfim das me- clara que aconvengo de 15 de setembro o me-
didas proprias a fortificar, e a generalisar a ins- lhor meio de conciliar estas duas cousas : ascon-
solidago do reino de Italia e a garanta do terri-
trnegao primaria.
A passagem a mais saliente, aquella qne traz o
cunho das preoecupagdes as mais serias, aquella
que se retere as relagoes da Franga cora a sania
sede.
A Franca, disseelle, nao poda soffrer que offen-
sa alguma posse feila aos principios de 1789; ella
devia manier a lei de 8 de abril de 1802, qne for-
ma sua defeza contra os abusos possiveis do exte-
rior e do interior. Nisto nao lem todava faltado a
religiao cara a maioria do paiz. S. Luiz mesmo
tinha cantido seus direitos contra as usurpages
da santa sede, nao obstante a Franga espera que o
seu govern.) maniera a boa harmona entre elle e
a corte de Roma.
O voto de gragas ve com seguranga a convengo
de 15 de setembro.
Nesta convengo a Italia se lera associado por
promessas solemnes s intengoes do governo fran-
cez de proteger a fronteira pontifical.
A Italia transportando sua capital para Franga,
tem fechado as paixes e o cainnho de Roma.
Tudo induz a crer que esta convengo prehencher
o flm a que se propoz.
Urna polmica inieressaate se tem levantado so-
bre a queslo religos.
O arcebispo de Brdeaux e o arcebispo de Be-
sangon se tem occapado desta especie de insurrei-
gao do episcopado, provocada pela eneyelica, e da
siluago creada ao clero pelas leis actualmente em
vigor. *
Mr. Rouland, orador do governo mostrou urna
grande vehemencia, quando foi levado seguindo a
ordem de sua discusso a fallar da congregago do
Index. lEste tribunal qnejulga sem ouvir os ac-
cusados, sem motivar saas deeisoes, sem regras
certas de iaquirigo. >
Mr. o cardeal de Bonnechose tem apresentado
perante o senado a apologa das congregagdes reli-
giosas, pedio que se perraiitisse aos bispos ter com-
municagoes inteiramenle livres cora a santa sede.
Tem enunciado o voto que depois da pacificago da
discordia occasionada pela eneyelica se abnssem
negociagSes com a corte pontificia, com o lim de
reformar as leis actualmente em vigor. Pedio ain-
da que esperndose, estas leis que irapedem as re-
lagoes dos bispos com o seu soberano espiritual nao
fossem applicadas.
Nos parece quo Mr. de Bonnechose tem fallado
um pouco inconvenientemente, e tem sido mal ins-
pirado pedindo a abrogrago de leis oppressvas
para o clero no momento mesmo em que o clero
nao pre.-lava respeito algum a estas leis.
Seria querer faze^ sanecienar as infracge re-
cntenteme commettidas, e se libertar ao mesmo
tempo de cadeias que. acham pesadas para sup-
portar.
O senado nao Ihe prestar o seu apoio nesta ten-
tativa. O discurso de Mr. de Bonnechose manifes-
ta tendencias excessivamente retrogradas e ultra
torio do papa.
Comparando as duas respostas a corda, a do se-
nado e a do corpo legislativo, percebe se que sobre
o terreuo religioso [o senado experimenta certos
temores, conserva certas duvidas, em quanto que
o corpo legislativo segu o governo com rita en-
iDusiasmo sera reserva.
Segundo os boatos quo (em transpirado no pu-
blico, urna polmica muilo viva acompanhara a
discusso desia resposta; preciso reservarmo-nos
para os brilhantes trnelos de eloquencia no cor-
po legislativo. Os depulados da opposigao tem
mandado um grande numero de emendas cujo
pensaraento diamelrlmente contrario ao espiri-
to que se faz notar no projecto da resposta.
Precisamos anda fallar da eneyelica. Ateo
presente o goveruo hespannol fazia esludar a en-
eyelica pelos homens de eslado, a lira de saber se
devia permiltir ou prohibir a publicago. Este
estudo acaba de se terminar, e a publicago tem
sido aulorisada. A Uespanha sera ler alguma cou-
sa que corresponda precisamente nossas liberda-
des gallicanas, a nossa concordata, a nss-os arli-
tar sessenta milhes de Ihalers, o ministro, tem
imaginado para fazer face a esta despeza, o plano
seguinte : se marcara para urna epocha remota a
construego de um porto de guerra na ilha de Ru-
gen, e a concluso do porto de Galde, isto costara
vnte milhoes de thalers ou dez milhes de francos.
Se diviJir-se os quarenta milbdes restantes dos ses-
senta milhes cima mencionados por doze annos
a somraa necessaria annualmente sera' soraente
de tres milhes e meio de thalers ; o ministro da
raarinha pede que o exeedenle das receitas de ca-
da anno fosse dado a sua repartigo al a somma
de tres milhes e meio de thalers; a existencia
dos excedentes da receita facilitara a execugo do
projecto do ministro da marraba.
O jjeneral de Boon ministro da guerra tem as-
segurado aos deputados que o governo nao repel-
lia a idea de terminar a diiferenga pela flxago an-
nual de contingente. Mas o re se tem recusado a
isto : os seus cortesos exclusivamente rcruta-
dis no partido feudal, Ihe persuadi que urna lei
que lixasse a cifra de um contingente annual para
o exercito traria quebra a prerogaliva real, que
periencia ao soberano sde determinar a impor-
tancia do e(Tedivo segundo as necessidades do
momento. Desejariara poder mudar as disposiges
de Frederico Guilhermji, mas ellas sao sustenta-
das por um partid) poderoso, rico, activo e domi-
nador.
Apresentando sea relatorio sobre o orgamento
geral para 1865 o governo lem declarado que
gol WST.3W suracienles STSEES a? SWWJK8
para se defender coutra as tentativas de usurpa- i^^S!mlSmLrS3^m\SZ
TmmTlSSXSl a aUl0rSat rea' "Ue ; S VandeS2sC,e(nCuaardda &VSB
mSS^SSS raErio procurava que con- ZrS ^^ ^ ^^ C ^"^ d
SScl!LCls ss." as n^r$rem ,heoia direUo qe a
uo fieou ento erabaragado. Devia elle reprimir r i*.*Va" ">?>. mas se a pro
ou se. ahsier riisse, f Fis n nartidr. nne P0>,5ao do overno, sobre o servigo mil
dlrl- *". Prussia nSo podera' ma's ser c
osbtspos ouseabster-disso? es oJar.X'que rX-VSSf^S^^J^J^
abragou declarou que o manifeslo pontifical
gindo-se a todo mundo calholico, mas nao de urna
maneira particular Uespanha, os bispos acredita-
ran! que deveria ler lugar a obtengao do placitum
regium.
Por meio desta especiosa interpretago, a cora
lem a satisfago de por por assim dizer, em nada
as Ilegalidades do clero. Na r^alidade elle tem an-
tes desculpado os bispos de ter promulgado a en
da Allmanha, ainda mais sua existencia seria
ameagada. Taes sao pelo menos os argumentos do
ministro.
Somos de opinio que elles faro pouco effeito
sobre os deputados. E no entanto os interesses do
povo prossiano reclamara altamente a unio do
re dos deputados. Um tal desaccordo entre os
differentes orgos da vida poltica do ama nago
cycucTpar; o queiX es^r SSE Ys *& ***** P^ para sua pros
montanas. Depois delle um sabio orador Mr. o rao perigo.
attitude muilo difTerente da tomada pelo gover-
no francez que lera consignado a encyc:ici na
fronteira, mas bem inulliraente porque a fronteira
foi invadida ; assim coma da conducta do governo
italiano que tem civilmente admiltido a eneyelica
a circular livreraenle em todo o paz.
O decreto que contem a absolvigo dos bispos
se termina por um paragrapho para o qual ne-
cessario chamar a atteogo. Se o governo hespa-
nnol nao tivesse recoorrido a especie de astucia
de que j temos fallado se tivesse se decidido a im-
pedir a promulgago da eneyelica, sera duvida al-
gunia, teria sido desobedecido pelo episcopado
como fura o governo francez. Cada nova circular
que o papa dirigir aos bispos far renascer o raes-
peridade.
PERNAIYIRUCO,
primeiro presidente Bonjean fez ouvir urna exp-
sigo, e defeza do que se chama as liberdades da
Igreja gallicana. E' a barreira do ullramontanis-
mo, o freio que necessario oppor ao arrebata-
meato de Mr. de Bonnechose. Mr. Bonjean tem
desenvolvido com nm latente um pouco dogmtico
est thesf^jue se na ordem da f, pode ser admil
na
Urna tal situagao nao lgica, o gabinete ;do
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
3i SESSAO EM 17 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PBREIRA DE BRITO.
(Concluso.)
Entra depois era discusso o :
Art. 10. Associago dos artistas.
nico. Subvengo....2:000*000.
Vem a mesa, apoiada e entra conjunctamente
em discusso a seguiole emenda :
Ao Instituto Archeologico Peroarabucano a sub-
Madrid quer por Mm a isto. O decreto aanuocia^vengo de liOOOJWOO.Soares Brando.
por consequencia que medidas legislativas sero
propostas as cortes cora o tira de Impedir que
nenbuma pega emanada da corte de Roma, e a
qual se tenha julgado nao se dever conceder o
placitum regium possa ser publicada nos jornaes.
tido, nao possivel na ordem da poltica soffrer, Ser preciso para chegar a este Um concluir com
que potencia alguma estrangera venha se envolver a santa sede urna convengo pela qual ella se era-
em nossos negocios. E' a anliga prelengo sempre penhara a comraunicar ao governo ihespaohol an-
renascente da corle de Roma, de ser nao sement tes de toda publicago, as pegas ou esenptos des
soberano absoluto da igreja na ordem espirlaal,
mais ainda de ser o mouarcha universal, o distri-
buidor da cora o arbitro dos povos e dos reis. O
papa o soberano do universo, os reis nao sao se-
no seus vasslos.Eis o nltramontanisrao O ora-
dor tem fortement'j insistido sobre a perigosa in-
fluencia da ebrarianbia de Jess, sobre a forga mys-
teriosa desla congregago que tinha resistido a to-
dos os ataques, reergaendo-se sempre mais podero-
sa que antes.
oyi ella nao se limita a dar a mocidade a ins-
truego secundaria se prepara ainda para escolas
esyeciaes, de sorle qae peder acontecer que no
tinados a ser reproducidos por via da imprensa ou |
do pulpito.
Parece difflcil obter do papa um tal compromisso
oque seria contrario ao espirita constarte da corle
de Roma. Snpponharaos o caso de urna allocucao
consistorial que o gabinete de Madrid nao quizesse
deixar que se espafliasse. Punir-se-ho os jornaes
que por Inliserigao a tivessera impresso antes de
conbecer a deciso do governo ? Consideramos
como ma, ineffleaz, susceptivel de inconvenientes .
par a liberdade da imprensa a precaugo qae em' nos.Gongs i ves da Silva.Prancisco Pedro.
Madrid se procura tomar. ; Loareiro.Teixeira, Araujo Barros.Ayres Ga-
E' melhor deixar publicar oau allocugo do, p*- ma.-Amynthas,
Orara os Srs. Soares Brando e Cunha Teixeira.
Encerrada a discusso, approvado o artigo e
rejeitada a emenda.
Entre depois era discusso e approvado, depois
de orarem os Srs. Aquino Fon seca e G. Campello,
o seguinte:
Art. 11. Bibliotheca Provincial.
1. Bibliotecario................... 1:0804080
| 2." Obras novas.................... 20O00O
| Aluguel da casa e expediente.... 815000
^ ~l:84l*000
Segae-se a discusso do:
Art. 12. Subvengo Companhia Pernambucana
40:000*000.
Vem mesa, apoiada e entra conjunctamente
em discusso a seguinte emenda :
Subvengo Companhia Pernambucana, em vei
d-40:0009000, diga-se-72:0OOOOO.Silva Ra-
-


z .

TT-
M-4m

Or o Sr. SIIt Ramos.
Vm depois i mesa e sao apoTas as seguintes
emendas:
Silva farros.

1=
Ht
rtr
ver ede30*e oito das de
, .....
cadeia as reincide
Piarlo de rernambttoo Qmarla feira 1 de Abril de /.
3E:
A
=2
>f
51 :r i
i
7
' w
< '
I
;:,:<'.
'ciden- ; dos pela msica da cidade quebj dMewdeade a
cas. vespera, e eom ella na frente. eMnsram oa poto*
Art. 7* Ninguem poder comprar oa vender al- cao eeses dlstinctos viajores daaa eaftasfestieos
gode oesta villa, e povoedos do muaifliom dff|s vitas a sanu rellgio, a sua maMstade Hp>ri-
das seis (joras da Urde. Os infractrcs,pagajS*a | dor, aos bravos do exercilo alliadive ao* vefcmta-
Emh^#to-4toO0lfl00*ditase-5fc00^.^'molla de le: Ha nresma mnlfc Imwrtrt arrart- nos da patria. Parott a eavalgx ta porta de
le que flzer compras do dito genero a escravos i dlgoissimo fre Seratim prefeilo da Penha, que afl
fttt lamilla sera bilhete dos respectivo cnhores e messioanao,e elevando temples a irtodeje-
to amo. I poMofefe abi os mesmos vivas ja mencionados; e
Pago 4a asamblea legislativa erovbeial de outros peles oavatfeirose poto.
Da
Nabor.S Pereira.
Pica a discassao adiada, per ta ter de
2.a parle da ordera do dia.
0 Su. 8ilv\ Ramos tfftr argeocia para oaati-
ouar a discussao do orojamento provincial, e, eoa-
sultada a rasa, divide pala negativa.
Segunda paute da ordjm do da.
Entra em primeira tecussao o prejeclo n. 34
deste anno, transferinda a sede da comarca de Ta-
earat para a viHa da Floresta na tnesma co-
marca.
O Sr. Sabino Olegario requer urgencia para
continuar a terceh-a discusslo do projecto n. 12
deste anno.
Oram rs Srs. Buarque, Sabino, Campello e Cos-
ta Ribeiro.
Vm mesa o seguinte requer ment substitu-
tivo :
Requeira fue seja substituido o reqnerimento do
- TrMMMinniaa 4 Ceiiitpmiinrtii de Portu- mos satisfagdes, ou ntao recorra aos meios que a
ful a. 77 sab a rubricaAoedidum artigo so- le estatu que |b'o acompaaremos. Por ora es-
bre segaros mutuos de vida, para o qual chama- amos coateotes eom cenceiio ojne (osamos dos
Pwroambueo, 10 de abril de WM. Naker, Soarea
Brandao, Carvalho Moura.
E' (ido e approvado o segointe parecer :
A commisso de agricultura, commereio e obras
publicas, para dar sea parecer eom relaco ao
abaixo assignado dos moradores de Campo Gran-
de, no qual pedem a factura de um paseadlo na
camboa da Tarar una, requer qne sejam os respec-
tivos papis renietudos direetoria das obras pu-
blicas para dar s.bre esse negocio o sen parecer.
Sala da contmissao cm 18 de abril de 1863.
Gervasio Campello, Soares Brandao.
E' Ikla e posta em discussao a segninte pro-
posta :
de oflical-malor, que se aeba va
t D'ali regresis cortejo para a porta do dlg-
bo subdelegado eapMo Raimaste, que o reebeu
eom desmesorado agrado, e honras, ao ruido de
moKos vivas propoe da ocrasiio, es disiinctas
mes a attencio de nossos leitores.
floja se extrahir a 4* parte da 1'lotera.d>
Sasta Casa de Misericordia,'para a canalisaco
d'agua e gaz no hospital Pedro II (12*), sendo o;
rutar precio 6:000*000. ^
Nagageiros do vapor meisnal Toeet
sabido pata os portos do sul :
MissMMrio Fr. Fideles de Alvore, Dr. Prxedes
Gomes le Souz, Pitanga, Dr. Miguel leaquira de
Castro Hascarenhas, sua senhora,4 8lhes, 1 criado,
8 escrttae 2 crias Dr. Firmioo ios Dona, sua
aossos superiores- aasan como d* aaaepo au
sempre tnereeeram nossas contas e documentos.
Recife, 18 de abril de 4861.
Filiciano Rodrigues da Silva,
FUlLIClyOES A PENDO
auteridadea da comarca, e a seus companheiios de senhora, 8 Albos e 2 escravos, atieres Pedro de A.
jornada. Tiberio Capisirano, Jernimo Lourenco de Araojo,
Tendo o Sr. tenente Nanes Machado ordena- Jacome Martin* a. de Aranjo, Joaquim Artome
ao, que os Voluntarias da Patria ja tardada Ibswb Geeeelves a ee+, Adolpho Carlee S*he!,Ma-
tambem assistir aos festejos de Pedras de Fogo, noel de Vasconcelos Junior, sua senhora e 1 es-
para abnlhantar o acto, epara ver-sese ellos aclia- cravo, D. Francisca Valeriana de Alvim, Mathfas
vam por la imitadores nos os fomos receber fora s. Brandao, Manoel Ignacio da Fonceca, Joo Bap-
do povoado eom msica, e grande concurso de po- tis dos Saotos, Manoel da Silva, 3 cadetes, 1 sar-
vo, e todos a p, dndose frenticos e enthusiasii- gento,.40 soldadub e 3 desertores.
eos vivas.
Pelas 4 horas da tarde o rauito dislncto e po
Seguros mutuos obre vida.
A Nacional.
Urna das mais sublimes combinacoes de econo-
ma politica sao as sociedades de segaros mataos,
e um das gneros, mais distinctos e complicados
em soas applicac5es sao os seguros sobre a vida
humana. Esta institoico que leve sea comeco em
Inglaterra nos principios do seculo passado, e que
por om modo to extraordinario se acha ali hoje
radicada e desenvolvida, foi successiva e lenta-
Para o lugar
Sr. deputado Dr. Sabino pelo seguinte : -que seja go pela aposentadoria de Francisco Uarte Coelho,; lido o Dr. Francisco Goncalves da Rocha JnU de
dado para discussao eom urgencia al que seja vo- propomos o bacharel Adelino Antonio de Luna direilo da comarca tomando o topo de orna mesa
tado o prejecto n. 12 deste aooo.Reg Barros.
Encerrada a discussao, este ultimo requer-
ment approvado, fleando o primeiro prejudicado.
Contina, portanto, a discussao do projecto n.
12 deste anno, relativamente ao corpo de polica e
voluntarios da patria, eom as suas respectivas
emendas.
Nao havendo quem peca a palavra, encerrada
a discussao.
O Sr. G. Campello requer e a casa approva a
retirada da seguinte emenda ao xrt. 7.":
Em vez da 2." parle do arU 7." diga-se :Para
este tim e alera dos vencimenios que as mesmas
pracas perceberem pelos cofres geraes percebero
pelos da provincia mis urna diaria addicional
atlm de prefazer cada nina a quantia de 1*400
diarias.
Posto, a votos approvado o projecto eom todas
as outras emendas, Orando prejudicada a seguinte :
Depois das palavrasa dar licenca accres-
cente-seeom o respectivo ordenado ; e sendo
rejeitado o seguinte artigo additivo :
< Nenhum officiai de polica que ti ver tomado
parle na guerra e que se liver distinguido, poder
ser demittido seno a pedido proprio ou por sen-
tenca conderanatoria, que o sujeite prisao ou
degredo por mais de 2 annos.
Segue-se a primeira discussao do projecto n. 34
deste anno, o qual sem debate approvado.
O .r. Francisco Pedro requer dispensa de inters-
ticio, e, consultada a casa, decide pela affirraa-
tiva.
O Su. Aiuujo Barros, pela ordem, pede qne se
complete a commisso de posturas de cmaras,
visto acharem-se ausentes dous Miembros della, e
pede que a mesma commisso examine, afim de
2ue possam entrar oa ordera do da, as postaras
as cmaras municipaes de Iguarass e Tacaral.
O Su. Presidente nomeia para a supradita com-
misso os Srs. Soares Brandao e Araynthas, e le-
vanta a sesso s 3 e meia horas da tarde, dando
para a ordera do dia seguinte, alm das materias
ja designadas, a primeira discussao do projecto n.
42 e segunda do de n. 30, ambos diste anno.
Freir; para o de archivista o
Xavier Carneiro Lins: e para
o cidado Francisco Pacifico do Amaral.
Paco da asserabla provincial de l'ernambuco,
18 de abril de 1863.Antonio Jo- da Costa Ri-
beiro, secretario Joao da Silva Ramos.
Oram os Srs. Reg Barros, Costa Ribeiro, Aran-
jo Barros, Gervasio Campello e Jos Mara.
Vem mesa, apoiada e entra conjunclamente
em discussao a segninte emenda:
t PropoDho para o lugar de 1" cfflcial o 3* offl-
cial da secretario Pedro Paulo dos Santos, para
o logar deste Francisco Pacifico do Amaral.Cam-
pello. i
Tendo terminado a hora de..tinada ao expedien-
te, requer o Sr. CunhaTeixeira urgencia para con-
tinuar a discossaoda proposta dos Srs. secretarios,
e, consultada a casa, decide pela afllrmaliva.
Oram em seguida os Srs. Sa Pereira, Buarque,
Silva Ramos, Loureiro e Araoje Barros.
OSr. presidente declara estar terminado o lem-
po destinado segunda parte da ordem Co da, e
Pa sageiros do vapor nacional Paran sahido mente introduzindo-se em Franea, Hespanha, Por-
para os portos do norte: togal, e oulros paizes da Europa, e j hoje leva os
Antonio Joaquim de Sani'Auna, Joao Luiz Gon seos marvilhoos resultados America.
calves, Henrique Pinto Alves, David Francfort, Fundada nos dados remecidos pela estatistiea e
1* offlcial Francisca jcollocada no oito da casado capillo Raimundo, Eduar'd Hoz, Alfredo Weaare l'escravo a entiegar! sobre clculos da probabilidade da duracao da vida
o lugar de Io offlcial em falla de salo espacoso, que acommodasse os Repartiqao da poucia ora cada urna das idades a que o individuo chega,
!n A mor I PCIltPt5fir\roi' a larwtri i cu Urln rtc i"lve ni* mnn! I 'i*- j. _^fc_ j ^ it. en ^.L 'l .1 nuniliae idmlumiAif ki n..ti .
espectadores, e tendo a seu lado os Drs. julz muni-1 Extract das partes do dia 18 de abril de
cipal, promotor publico delegado, o juiz municipal' 1865. -
do termo do P.lar da Parabiba, e os advogados! Forara recolhidos casa de deteacao ne dia 17
Joaquim Tavares, Joao Floripcs e reverendissimo do corrente :
padre Manoel Cavalcanti Bczerra de Menezes, ecir- i A' ordem do Blra. Sr. Dr. chefe de polica, Tho-
culado por grande concurso de povo, leu nm elo- maza Maria de Jess Rodrigues, e Esejuiel llodri-
produz admfraveis beneficios. Com o pequeo sa
crificio de ligeirasecmomias durante oanno, e de-
positando na sociedade de seguros o producto des-
sas economas crea um pai avultados dotes seus
flthos ; assegura o futuro de sua familia ; um ma-
rido garante urna penso sua compaoheira ; um
qnente e bem elaborado discurso muito proprio [ gues dos Santos, sem decaraco do motivo e postos mancebo prepara o socego e abundancia dos das
para convencer e enthusasmar aos ouvnles sobre
a necessidade de como voluntarios concorrerem os
Pernambncanos as armas e ao campo da batalha
em auxilio dessa plyade de bravos, que j tem in-
rraestionarel direilo as heneaos da palna, pelos
seus bnlhantes feitos d'armas em pro de nossa
honra, e dignidade nacional, coocluindo cora en-
tusisticos vivas a nossa santa religiao, a sua ma-
eestade o Imperador, aos bravos Voluntarios da
Patria, e aos Goiannistas. Orou depois o muito
conceituado e prestigioso Dr. Henrique Pereira de
| Lucena possuido do majar enthusiasmo. 1)ue se
commuoic u a lodo o auditorio, e pos elle os Drs.
que vai consultar a casa se deve continuar anda a los Antonio Correa da Silva, Joao Floripes, Dr.
discussao da proposta. Aprlgio de Mello digno juiz municipal do Pilar,
Decidindo-se pela afllrmaliva, contina em dls-' que foi mivido com moita attengo, e por ultimo o
eusso a proposta, orando sobre ella os Srs. Nabor
e Jacobina.
Encerrada a dscnsso foi a proposta approvada
em todas as suas partes, sendo rejeitada a emenda
do Sr. G. Campello.
OREM DO DIA.
Entra era 2* discussao o prejecto n. 34 deste an-
no, transferindo a sede da comarca de Tacaratti
para a villa da Floresta na mesma comarca.
Vem mesa, apoiado e entra conjunctameote
em discussao o seguinte projecto substitutivo:
Ari. 1. Pica transferida a sede do termo e co-
marca de Tacarat para o termo da Floresta, fican-
do aquelle termo annexo ou reunido a este.
< Arl. 2. Fieam revogadas as disposic5es era
contrario.S. it.Silva Barros.
Ora o Sr. Silva Barros.
Vem depois mesa o seguinte artigo additivo :
Fica transferida acadeira de latim da villa
Bella para a villa da Floresta.Buarque. Fran-
cisco Pedro.-silva Barros.
Nao bavendo mais numero suficiente de senho-
res deputados, o Sr presidente le-anta a sessao as
3 K da tarde, dando para a ordem do dia seguinte
alm das materias ja designadas, mais 1* discussao
dos projectos ns. 26, 33 e 44 deste anno.
REVISTA DIARIA.
Na igreja do convenio de Nossa Senhora do
Carmo desta cidade, foram mui solemnisados todos
os actos da semana sania ultima, sendo para ad-
mirar, e at digno de grande louvor.queo mean-
savel e zeloso provincial, o Rvm. Sr. Fr. Jorge de
Santa Anna Locio, smente por mel de esmolas
dos cenfrades e fiis devotos daquella Excelsa Vir-
gen, cooseguisse fazer rivalsar aquelles actos cm
brilhantismo e pompa, com os que tiveram lugar
em outras igrejas, que alias dispOem de piugues
rendimentos.
Nao menos dignos de muitos elogios tornara-se
aquelles confrades, e devotos pela cooperacao que
sem prestar sempre a todas as solemnidades na-
quelta igreja, j concorrendo a ellas, e j contri-
buindo com suas esmolas, para que as mesmas te-
nham o subido explendor, que iodos nellas ob-
servam.
Reuniram-se hontem, s 11 horas da manhaa,
na sala das audiencias do julzo commercial, e sob
a presidencia do Sr. Dr. Tristao de Araripe. os ere-
dores da massa fallida da sociedade bancaria Amo-
rim, Fragoso, Sanios & C, para 0 fim de elegerem
o novo adminislrador na vaga deixada pelo tinado
Sr. Thomaz de Aqoino Fonseca Junior.
Compareceram 117 credores, e obtiveram votos
os Srs. :
reverendissimo padre Manoel Cavalcnti Bezerra
de Menezes, que posto fosse, como elle disse, mi-
nistro de nm Ueos de paz e caridade, nao altenla-
va contra seus divinos preceitos pedindo com ins-
tancia o castigos dos reprobos, que affronlaram e
calcaram aos ps a par, a caridade, e a humantda-
de, por quem seu Divino Mestre ; sendo todos o;
discursos muito applaudidos com brados de-mul-
to bembravosapoiadosque prorompiam de
todos os lados do auditorio.
Sim, todos tlcaram incendiados no amor pa-
tritico ; mas nao se leve a ventara de que urna
s pessoa se alistasse como voluntario, tao forte
; o terrivel preconceito do povo contra o embarque
para guerra em palz estrangeiro ; porm espera-se
com muito fundamento, que d'ahi em vante, os ha
hitantes da freguezfa do Itamb imitem aos de ou-
tros logares da comarca.
t Dissolvlda a reuniao, a noite apresentaram
duas msicas urna da cidade e outra da povoaco
para acompanharera um elegante e gracioso carro
triurnphante em que o joven Augusto devla cantar
um hymno patritico, simbfalesando o cantor um
nosso indgena dos lempos premitivos.
Segmo o carro com giande concurso de povo
para a frente de urna elegante pirmide pontagu-
da col locada no largo da feira, em cujo pedestal do
lado do poente eslava embutido o busto de Sus Ma-
gestade o Imperador. E ah cantou o indgena o
hymno, qne acaboa por estrondosos vivas de todo
o povo a Sua Magestade o Imperador, ao bravo
exercito de mar e Ierra, e aos Voluntaras da Pa-
tria, que a cusi se ouvam em razo da grande
quaniidade de fogo, que suba ao ar de toda a par-
te. D'ahi desfilon o carro para a casa da cmara
da villa do Pilar, que eslava bem Iluminada, as-
sim como toda a povoaco de ambos os lados. Pelo
digno juiz municipal do termo forara dados os vi-
vas, e antes de seguir o carro um poeta d'entre o
povo recitoa algnmas patriticas quadras. Depois
seguio u carro de porta em porta das pessoas mais
gradas de todo o povoado de ambas as provincias,
fiercorrendo quasi loda pevoacao, que d'um e ou-
tro lado estava completamente Iluminada. Aps
as msicas, que tocavam alternadamente, march-
vam os Voluntarios da Patria enfilerados ao man-
dado do cadete Nones Machado, e todos mestravam
vivo ardor marcial.
Na povoaco do lado desta provincia foram os
pnneipaes directores do festejo os distinctos capi-
lo Raymundo de Araujo Lima, o digno eleitor
4o supplente de subdelegado Antonio Rutino Mon
teiro e o Sr. Trajano, e do lado da Parahyba o Dr.
Aprigo de Mello, e o digno subdelegado Ferrer,
que muito obsequiou aos nossos companheiros de
viagem, que se hospedaram em sua casa,
t Finalmente um lindo balo terrainou o festejo.
Justino Jos de Sonza Campos.............. 48 n col he n do-se todos aos seus domicilios repassados
Flix Antonio Alvcs Mascarenhas........... 36
Lniz Jos da Silva Guimares.............. 32
Joao Antonio de Almeida.................. i
Foi, pois, em virtude da lei e por maioria de vo-
tos, declarado administrador o Sr. Justino Jos de
Souza Campos, tendo se-lhe marcado o dia 24 do
corrente para tomar conta de dita adminislra-
co
do maior prazer, que nao foi agerentado pelo me-
nor dissabor.
i Pelas seis horas do dia da manha seguinte
partiram as autoridades da comarca com quasi to-
do o seu squito.
Pela tarde voltaram para a cidade alguns de
nossos amigos de viagem acompanhados at fra
com msica por obsequio dos Parabybanos
32" SESSAO EM 18 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PBPBIRA DE BRITO.
As 11 horas e :i|'i da manhaa, acham-se pre-
sentes os Srs. deputados J. do Bego Barros, Tei-
xeira de Mello, S Pereira, Aquino Fonseca, Na-
bor, Francisco -edro, Amynthas, Goocalves da
Silva, Arminio, Ribeiro, Caoba Teixeira, Silva Bar-
ros, Maranbao, Loureiro, Jacobina Buarque, Bri-
to, Rochael, Brandao, Araujo Barros, Rvgo Barros,
G. Campello, Ayres Gama, Sabino, Antonio Vc-
tor, Netto e Ramos.
O Sr. Presidente abre a sessao.
Deixa de ser lida a acta da sessao antecedente
por nao se achar sobre a mesa.
OSr. Io secretario da conta do seguinte
EXPEDIENTE
mrequerimentode Francisco de Araujo. Cesar,
pedindo que se marque quota na lei do orcamecto
para pagamento da quantia de 2032lo, qne Ihe
deve a cmara municipal de Nazarelh.. A' com-
misso de orcamento municipal.
Outro do padre provincial e mais religiosos da
oidcm Uoi mellla desta clOadc, pcdiodo pnforonoia
na extraccao das lulerias que Ihe foram concedi-
das para as obras da sua igreja.A' couimisso de
orcamento municipal.
Outro do tachygrapho Carlos Ernesto de Mesqui
ta Faico, pedindoalteracae as condicoes de seu
contrato.A' commisso de polica.
Sao lidos e vo imprimir os seguintes pare
cers :
A commisso de exames de posturas e negocios
de cmaras municipaes, tendo com a devida alien-
cao examinado as posturas da cmara municipal
de lguarassu' e considerando que os seus qualro
artigos 58, 9, 60 e 61 enciram materias sobre
que nae e facultado as cmaras municipaes prover
por mel de po.-luras, e sim proceder de coiformi-
dade com os arts. 41, 42, 44, e 51 da lei do de
ouinbao de 1828, sugeitando-se ao que a respeilo
se acha dsposto as leis vigentes, de parecer que
sendo suppriujdos os citados arligos, sejam as
mesmas postaras approvadas com as alteracoes se-
guintes :
Ao arl. 16 diga-se : Noguem poder curar allo-
pathicamente, nem comprar e vender remedios e
aviar receilas sem que se moslre devidamente ha-
bilitado pente a cmara municipal, e em caso al-
gum poder vender, ou por qualquer modo tome-
cer substancias venenosas a pessoas ignorantes ou
desconhecidas, ou mesmo que nao sejam notoria-
mente bem reputadas no municipio. Os contra-
ventores, etc. ele.
Ao art. 27. Depois da palavra municipio d-
ja-se devero em lugar de podero ; e
depois da palavra interior dgase das casas
e estabelecimentos de negocios ou industria e res-
pectivos quintaes em lug.r das palavras de
suas casas e quiniaes.
Ao art. 29. Depois da palavra reincidencia
sopprimam se as palavras e no caso de nao re-
incidircm at o final do anigo
Ao arl. 66. Em lugar da palavra selvagem
diga-se extravagante.
Ao art. 86.^ Depois da palavra tirar diga-se
trra, barro ou rea.
Pago da asserabla legislativa provincial de Per-
nambuco, 5 de abril de 1865. Nabor. Soares
Brandao. Carvalho Moura.
A commisso de exame de posturas e negocios
municipaes, tendo considerado sob o art addicio-
nal das postoras da cmara municipal de Cabrob,
que por e>ta foi proposto approvacao desta as-
sembla, de parecer que seja o mesmo artigo ap-
provado com a alteraco seguinte :
Em lugar das palavras 50 cabecas dos passa-
ros segrales : perequitos, caracars e mais aves
do bicco revolto e passarinhos que destrem as
plaotacees, ealgumas erlacSes neeessarias diga-
se 50 canecas de aves e animaes damninhos
lavoura e a anaci.
Pago da asserabla legislativa provincial de Per-
oambuco, 4 de abril de 1865. Nabor. Soares
Brandao.-Carvalho Moura.
A coiumisio de exame de posturas e egocios
de cmaras municipaes, tendo examinado os arts.
addicieoafis s peroras da cmara mnnirtpal da
villa do Cabo, de parecer que sejam approvadas
om as seguintes modifieacoes i
Se art. 2 em lugar de 104 diga-se 5 ; o
mais como no art
So art 3 em vez de serio morios diga-se
serio multados seus doaos em ti rs. e na rein-
cidencia bo dobrodesia quantia.
Sala das commiss5es, 18 de abril de 1865.Na-
bor.-6oares Brandao.Carvalho Monra.
A comnissae de exame de posturas e negocios Pedras de Fogo para retriboirmos apromptido
de cmara municipaes, tendo examinado as pos- com que os nossos amigos dessa freguezia nos au-
ioras da cmara municipal do Bom Censelho, xiliam em ludo, e para verroos se daquella para-
de parecer que sejam ai mesmas approvadas com gem conseguamos alguns volntanos que engras-
as alteracoes seguintes : sassem a companhia que se estava organisando,' urna das suas mais rigorosas obngacSes.
Art. Kica alterado o art. 23 da lei n, 551 tor-: visto tambem dizer se que daqoella'freguezia om Dignndose V. S. publicar o que levamos di-
nando-seegieosivaaprohibicsodacreacaodepor-s voluntario nao se conseguira, e que a tal res- to, resiabelecer a verdade, tirar o odioso que
ees solios nesta villa e povoacoes do municipio pello o povo d'all estava em algldez. ,'possa recahir sobre o sacerdote, encarregado da
aos lugares destinados a plaales oa prximos | Ao accordo seirno-se a execueao. E de eito adrar stracio desla freguezia, que de boamente se
a fwntes, acudes ou ribeiros de serventa publica.: na madrugada do dia domingo 26 do passado, os presta aos reclamos da parte dos enfermos, e a nos
<)s icfracloresjiagarao a mulla de dous mil ris' Srs. Drs. Francisco Goncalves da Rocha, Henrique fer om especial ob-eqnio do .qnal nos confessamos
Thago Alves Bibeiroassassinou na noite de Certo que os habitantes da maga do povo da
17 a Francisca Maria da Conceicao, moradora no freguezia do Itamb eram todos gelo ou rocha vi-
lugar Salgadioho, com duas facadas, sendo urna, a va, quanto ao alislamento como nos haviam dilo, e
que deu a morle, na chila esquerda. fomo experimentar; porque um s, como fica di-
0 criminoso foi preso por ter sido perseguido lo, nao se comraoveu ao ouvir as palavras de fogo
pelo menor filho da infeliz que, tomando a frente do lancadas pelos distinctos oradures da reuniao. E
assassino de sua infeliz mi e armado de pequeo acreditamos que mesmo Moiss quebrara inulil-
caceie entorpecen a ca reir que elle levva. menle sua vara prodigiosa contra essas rochas, se
Diz-se que o motivo que deu lugar ao crime de deltas pretendesse fazer brotar amor patritico,
Thiagn, foi ciumes da infeliz Francisca, com a qual como fez outr'ora broiar agua abundante para sa-
entrelinha relacSes Hienas.
ciar a devorante sede dos Israelitas I
Aeba-se preso e recolhido a casa de detenco Mas a sement foi laucada e na phrase da pa-
o portoguez Olympio Botelho Avelar que na noite' rabola do Evangelho, a que nao cahir era ridos e
de 9 do cerrenie deu urna facada no pardo Sebas-
ttao Rcdrigues de Almeida, da qual falleceu este
inmediatamente.
O criminoso foi preso no termo de Iguarasa,
para onde se tinha evadido.
Pedem-nos a segrate publicagao :
As autoridades, e as influencias maiores da co-
duros penhascos brotara. Vejamos, senhores do
Itamb I Porm, nao; vs sois Pernambucanos,.e
tanto basta para que nos desengais, e sejamos
desmentidos!
Eia pois, distinctos Itambeenses, grupai-vos
em derredor des briosos patriotas capitao Raimun-
do, tenente-coronel Ernesto, tenente-coronel Ma
marca de Goianna nao se tem restringido smente rianno, supplente Antonio Rufino, e d'outros nao
a meros festejos pelo feliz, e glorioso successo de ] menos distinctos, e dai um desmentido solemne a
nossas armas" em Paysand, Jaguarao, Montevideo ; quem vos anona de fracos, ou de ind fferentes aos
e Mallo Grosso ; a fora a reuniao patritica que padecimentos da cara patria. Sim, em toda a par-
teve lugar a 19 do passado, na igreja matriz da c-: te um Ptrnarabucano um leao do norte, que
dado coocorrida por mais de 600 pessoas, esses pa-1 pode dormitar s vezes; mas que despenando
triotas lem envidado todos os seus esforcos e recur- todo sanha e furor!
sos pblicos e particulares, para o fim de fazer-se Vivam o. Goyannistas.
mais, e mais sabir de ponto o enthusiasmo patrio- Os msanos oa irmandade do Sintisslrao Sa-
nco dos Goiannisias sempre altaneiros, e denoda-, craraenlo da Boa-Vista remettem-nos a seguinte in-
dos em qualquer lempo de calamidade para o seu formago sobre o facto, que noticiamos com refe-
paiz. E para que nao se pense que devaoeamoss reocla ao enfermo do becco do Pombal:
tendo em vistas exagerar minguados servidos,
apontaremos o aconiecimento seguinte que por
cima de outros j mencionados por si s poz em
altorelevo e patriotismo das autoridades de Goian-
oa, e de suas Influencias de maior parte sem ser-
reos sso incitados pela vaidade, e s sim para
que taes patriotas sejam imitados se nao excedi-
dos.
O drgoo subdelegado da freguezia do Itamb
capillo Raimundo de Araujo Lima communicou a
alguns amigos desla cidade. que elle e outras pes-
soas gradas de Pedras de Fogo pretendiam tam-
be festejar com grande enlhuslasmo o triumpho
de nossas armas contra os inimigos do Imperio ; e
que para esse fim me mandassemos bymnos, ban-
deiras, o busto de sua magestade o Imperador e
outros objectos ; acorescentando que a ser possrrel,
muito estimara, que nossas presencas tornasse o
acto mais solemne, e ioteressante.
< Devulgado esse convite, assentoa se na ida a
Pedras de Fogo
Sr, Redactor da Rectsta Diaria.Estando nos,
membros da irmandade do Santissimo Sacramento
do Boa-Vista, no dia sexta feira da Paixo na res-
pectiva matriz, bastantemente oceupados com ne-
gocios da mesma, ahi chegra a participaco para
ser applicado o Santissimo Viatico ao enfermo re-
sidente no Pombal; e como nao nos fesse possivel
acompanhar devidamente o mesmo, nao s pelos
afazeres de que eslavamos encarregados, como por
estarmos encommodados dos trabainos da vespera,
concordamos cora mais alguns irmos, que esta-
vam presentes, em cotisar nos para o fim de alu-
gar-se um carro para n'elle ser condozldo o sacer-
dote, que tivesse de administrar os Sacramentos;
deliberarlo esta que smente della leve sciencia o
pre-parocho encarregado da admlnislraco desla
Ireguezia, qoando chegou igreja para cumprir o
sea ministerio, sendo de notar que o mesmo sacer-
dote j tinha n'este mesmo da applicado a tres en-
fermos o Santissimo Sacramento da Eucharistla e
o da Extrema-Tocao
Parece bastante acre a aecusaco felta ao pro-
parocbo desla freguezia, accusaclo esta ase aff-cta
igualmente a mesa regedora no curopriraento de
pela primeira vez e o duplo na reincidencia. | Pereira de Lucena, jaiz' municipal, Jos Antonio
Art 3* Inguem poder planlar cm torras des- Correada Silva promotor publice, Jos Joaquim
tinadas a creacao sem ser dentro de cercado de Firmine del gado em exercicio, acompanhados pe-
estacas fortes e unidas, e eom sete palmo* de al- les Drs. Joaquim Tavares, Joao Floripes, maiores
tura. Os infractores pagaro a multa de 5*000 Raphael e Nuronha, pelos subdelegados supplenles
pela primeira vez* e o doplo as reincidencias. Leocadio Jos de Kigneiredo e Francellino Ferreira
Ningaem poder*, vender porrora on fabricar Crespo, e por entras rauitos dlstinctos habitantes da
fogos artificia** dtatro desta villa e povoados, e cidade, formando urna cavalgada de quasi clncoen-
smente nos logares designados pela cmara. Os la cavalleiros partiram para Pedras de Fogo; e l
infractores soffrero a malta de 20$ pela prmeira ehegando pelas 8 horas da amanbia, forara recebi-
gratos
< Boa-Vista, 18 de abril de 1835.
Antonio da Silva FerreirA Jnior,
juiz.
Manoel Zerino-Dlas Brrelo,
escrivio.
Joaquim Ignacio Ribeiro Junior,
thesoureiro.
Luiz MeKanio Franco,
procarador. >
ogoem liberdade. da sua velhice.
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Joa- Entre as companhias de seguros mutuos sobre a
quim Ferreira, para correccao. v'da que teera eslahelccido agencias, e procurado
A' ordem do de S. Jos, Antonia Maria dos Pra- subscriptores era Portugal, a que maior numero
zeres, e Guilhermiua Maria da Puncagas, um- e"e sympathias tem acareado, a que ha colhido mais
bem para correccao; Jus Vicenta Ferreira, Hono-' avulladas subscripcSes inqueslionavelmente A
rato Alves do Nascimento e Joaquim, escravo de Nacional.
Miguel Jos Alves, por disturbios. Esta poderosa companhia, que tem a sua sede
A' ordem do da Boa-Vista, Joao, escravo de An- em Madrid, offerece as mais seguras garantas e o
tonia Francisca, por fgido. maior numero de vanlagens possiveis aos seas
A' ordem do da Magdalena, Jos Antonio Severi- subscriptores. Fundada sob a vigilancia do gover-
no para correccao. no hespanhol e devidamente autorisada por urna
' ordem do commandandante do 1J corpo de carta regia, tem por fiador do seu crdito um aval-
voluntarios, Leonel Cavalcnti de Albuquerque, tadissimj deposito feito as caixas do estado, e por
requisicao do Dr. juiz especial do commereio.
O chefe da 2" secQao,
J. G. de Mesqatta.
MI gf SP "PlT pi
? } O S. 0 M
s-111 5 ^ 1 (p O
n> 2 I ? >
d S? 3 5
; i ' >
: 1 : g . o
. i J B K
i . e
i . *
i i > 3
i M p
: l: " e> E3
i O
1 : 1
, I .
1 1 1 Masculino. si -i ao i i al 9 s i S i

j l 11 Fow'mno. SI ti 1 1* 1 VI 1 o 1 g to_
m "0
i H a>
-I.U Masculino. en H 3
0 A f 2 B
1 1 1
.1.1-1. Feminino. a.
' ' O --o
1 1 i i *. 1 i 1 1 * Mascttirno. en
5
B>
i 1 ta \ 1 " ta Feminino. o a a. r
1 \ E
I Masculino- i ? *
-i 1 - Si \ 5s ^

Feminino. 1 ?
- os /
i i \ oo
-1 1 1 1 Masculino. 1 s
SI i -. .131.

1 1 Feminino. 1
01 f c?
fc A 1 I o i
1 | TOTAL.
O -< Si
banqueiro o banco de Hespanha.
A" frente da sua administracao eslo as pessoas
de maior honradez e illustrago, e as suas epera-
coes sao claras e regularissimas.
! as cidades de Lisboa e Porto ha dous conselbos
de vigilancia compostos de nomes respetabilsi-
mos, e todas estas circurastancias e outras umitas
que fra longo enunciar tem feito com que boje nao
naja urna provincia portugueza que nao tenha ins-
cripto numerosos nomes no cathalogo da A Na-
cional, O administrador geral da companhia em
: Portugal o Sr. D. Joao Aguilar e Ortega, cavallei-
! ro a cujo zelo, llustrago e delicado trato, es
! grandes sympathias de que por estas causas goza,
deve a companhia em grande parte o adiarse tao
radicada e conhecida neste. palz. Sao quatro os
gneros de subscripcao estabelecidos pela A Na-
cional, sendo cada um delles susceplivel de urna
infinidad de combinaces engenhosissimas, e que
o mbscrlptor pode escolher sua vontade para
fazer aproveitar os lucros a si, aos seus, oa aos en
tes que Ihe forem queridos.
Subscreve-se :
Cora perd.t de capitaes e juros por morte do se-
gurado, podendo liquidar em cada cinco annos
Ou nicamente com a cerda dos juros por morle
do segurado, podendo tambem liquidar em cada
cinco annos
Ou com perda de capital e juros por morte do
segurado, podendo, depois de haverem decorridos
os primelros cinco annos, liquidar e relirar-se to
dos os annos;
Ou finalmente sem perda de capital nem jaros
erabora suecumba o segurado, podendo, urna vez
decorridos os priraeiros cinco annos, liquidar em
cada anno.
Das numerosas combinagoes que podem operar-
se e das suas admiraveis vanlagens moraes e so-
ciaes fallaremos subsequenlemenle em outro artigo,
pois julgamos de magna utilidade a propagaco de
noticias desta ordem, e das quaes a sociedade em
geral pode colher to prodigiosos bens.
ADVERTENCIA.
Na tQalidade dos doentes existem 164, sendo 103
homens e 61 raulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das :
As 6 3i4,6 314, 6 1|2, 6, 6 1|2, 6 Ii2, 6 I [2 pelo
Dr. fiamos.
As 9 3|4, 8 3i4,9 1|2, 10, 9 1|2, pelo Dr. Sar-
ment.
Falleceram :
Fortunato de Souza Lima ; hepatite chronica.
Zeferino Jos de Carvalho ; tubrculos pulmo-
nares.
Joaquim Figas Nicols do Rosario ; hepatite.
Anselmo Bezerra Miguel; anazarca.
Manoel Rosario do Nascimento ; anemia.
Benedicto Pires de Campos; tubrculos pulmo-
nares.
Manoel (recem-nascido) congestao.
Camarina Maria dos Santos; hepatite chronica.
Manada Penha de Jess ; dem.
Cemiterio publico.-Obituario do da 17 de
abril de 1865.
Amaro Joao da Cruz, Pemambuco, 24 annos, casa-
do, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Manoel Henriquesda Silva, Pernambuco, 39 annos,
sollelro, Boa-Vista; hydropesia do roracao.
Benedicto, Arica, 40 annos, solteiro, Boa-Vista;
urna queda.
Joo Antonio Soares, Portugal, 44 annos, casado,
Boa-Vista; interile rolite.
Amalia, Pernambuco' 4 mezes, Boa-Vista; convul-
soes. .,
Pedio Francisco Joaquim Pereira, Pernambuco, 41
annos, Sanio Antonio; hydropisia.
Fdiizarda, frica, 56 annos, solleira, Santo Anto-(
nio; gangrena.
Prodigna, Pernambuco, 14 mezes, Santo Antonio;
congesio cerebral.
Maria, Pernambuco,7 mezes, Boa-Vista; denticao.
Amancio, Pernambuco, 9 das Recife; convulsoes.
Ignacio, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos; convul-
Mara, liberta, frica ,50 annos, solteira, Sanio An-
tonio; congestao cerebral.
Joaquina Libnia de Moraes, Pernambuco, 30 an-
nos, casada, S. Jos; edarpcia.
Francisco, Pernambuco, 1 anno, S.Jos; convul-
Felippa Thomazia dos Santos, Pernambuco, 70 an
anos, viuva. S. Jos; gastro intente.
Francisca Maria do Rosario, Pernambuco, 14 an-
nos, solteira, S. Jos; febre maligna.
.%gn;i Florida de Mnrray e
Laomaa.
Que os poetas erobora fallera dosares odon-
Plieros da balsmica Arabiaporm apezar de tu
do pdese muito bem por em duvida, se jamis
algum desses florescentes bosques de Cannelleiras
ou Laranjaesproduziram ou derrainaram incens
e perfume mais refrigerante e deleitavel, do que
aquelle delicioso e delicado aroma que exhala e
dimana desta admiravel essencia, colinda dos cam
pos virginaes de Flora.
A atmosphera, a qual roub e diveste a fragran
ca quasi todas as mais aguas cheirosas, parece
produzir bem pouco effeilo sobre a exquisita rari
dade deste aroma, a qual pertence por xcellencia
esla preparaco sublime e refrigerante.
Ella encerra em si, por assim dizer, o conden-
sado respiro e vida das flores as mais exquisitas e
odoripheras do reino vegetal e sua fragrancia pa
rece mexhaurivel, inexgotavel, mesmo depois de.
ter sido exposta urna prolongada evaporacae ou
diffusao.
Neste respeito ella se assemelha a original Agua
da Collonia de Faria, e proferida por toda Ame-
rica do Sul e as Antilhas, nao obstante o valore
custo dobrado daquelle outro perfume.
(Reparai bem que os nomes deMarra y e Lan-
raaose achem inscriptos sob cada envoltorio, le-
treiro e al mesraos embutidos no proprio vidro
da garrafa ou na fallados mesraos toda a mais
falsa.)
COMERCIO.
GOMMNIJABOS.
Era desaggravo de minha repotaco infamemen-
te maculada por um vil calumiador, que leviana-
raente me imputara a sublraccio de urna quantia
desapparecida do seu eslabelecimenle, corre-me o
dever de declarar ao publico em geral, e coro parti-
cular aos meas amigos e comparochianos qne, ba-
vendo sido preso na qninta-feira sagrada pelo sub-
delegado do districto do Peres, que para este flm e
sem que me apreseotasse ordem escripia e com as
solemnidades da lei cercara e varejara a casa do
minha residencia, fui relachado da prisao depois
de 36 horas, reconhecendo por este modo a auton-
dade qu9 nenhuma responsabilidade me pode ser
imputada por esse faci a que alludi em princi-
pio.
Por esta ocesio, relevar o Sr. Dr. Francisco
Leopoldino de Gasmao Lobo qne mscreva aqui o
seu nome como o de um verdadelro e desloteressado
amigo dahnraanidade quesero attender escassez
dos meas recursos, servise amparar-me com os
seus laminosos conselhos como advogado, dignan-
do-se requerer e promover lado quanto se fez a bem
de mea direilo.
Alagados, 17 de abril de 1865.
Antonio do Carmo Xavier M.
COBBESPONDEHCIAS
Sn. redactores.Em {esposta ao anonymo qne
se assignaSabe tudo,declaramos ama vez por
todas, que nio estamos resolvidos a' eotreter dis-
cnsses com incgnitos. Quem quer que teja o nos-
so gratuito Inimigo asslgne sea nome, e Ihe dare-
Caixa filial do baaco do Brasil em
Pernambiico.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
\ovo banco de Pernam-
t buco.
O banco descoma letras na presente semana a
10 por cenlo ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 12 0(0 at o de seis mezes, e toma dinhei
roa juros a praso nunca menor da tres mezes.
\ovobaneo de Pernambnco.
O banco paga o 14 dividendo na razo de8J
dor aego.
ALFANDGA.
Rendimento do dia 1 a 17...... 307:919^213
Idemdo dia 18............... 26:68ic678
334:60O893
MOVIMENTO DA ALFANDGA.
Volumes entrados com fazendas... 293
< cora gneros___ 672
-----967
Volumes sahidos com fazendas___ 81
t com generes..... 866
-----947
Desarregam no dia 19 de abril de 1865.
Barca francezaSolferino mercadorias.
Escuna inglezaZuave mercadorias.
Barca francezaS. Andr idem.
Barca ingleza -Commodore-dem.
Patache portuguez Maria da Gloria diversos
gneros.
Brigae nacionalPallascharque.
Sumaca nespanholaGuadalupeidem.
Barea portugueza S. Joaodem.
Barca inglezaArran sleearvao.
Barca belgaSopAie Theodorine idem.
Brigoe inglez Unefulidem.
Brigueinglez- Izabellaidem.
Barca inglezaTTen<=carvao.
Importaco.
Brlgue nacional Adolpho, entrado do Rio de Ja-
neiro, consignado a Maia Espirite Santo, mani-
festn o seguinte :
8,600 arrobas de carne secca, 105 ditas de sebo
era pes, 100 saceos farinha de mandioca e 50 cou-
ros vaceuns seceos; aos raesmos.
Sumaca nacional Bella Carolina, entrada da -Ba-
bia, consignada a ordera, maofesloa o seguinte:
2,450 alqueires farinha de mandioca de S. Ma-
tbeos; a ordam.
Hiale portuguez Dezenove de Junho, entrado do
Rio Grande do snl, consignado a ordem, manifes-
tou o seguinte:
11,913 arrobas de carne secca de charque, 100
ar retes de t%U Wte sebo em
rama, 60 coaros vacedos, 4968 tararas salgadas
em barrts < Migael Josf Arves.
Pataca taeioaai Gtra, irado da Bueoos-
Ayres, consignado a Pereira & Carneiro, manifes-
tou eeguime :
4,500 quiniaes hespaohea *e charque, 100 cou-
ros de poltro seceos ; aos maimws.
RECEBEDORIA DE RBNBAS INTERNAS-
GEtAES DE PEBWAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 17........ 12:6941053
idem de dia 18................. 1:151*866
13:845*918
MOVIMEHTO 30 P01T0
Navios entrados no da 18.
Rio de Janeiro 12 das, palaeho braslleiro ftir-
dta, de 219 toneladas, capito Francisco Alves
da Costa, eqnipagem II, carga 4,500 quintaes
Tiespanhoes de < ame ; a Carneiro Pereira & C.
Rio Grande do Sal 24 das, palbabote portuguez
Dezenove de Julho, de 225 toneladas, capitao
Joo Lonrenco, equlpageni 10, carga 11,915 ar-
robas de carne ; a Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C.
Rio de Janeiro23 dias, patacho brasileiro Espa-
darte, de 123 toneladas, capilo Manoel Guilher-
me Dinge, equipagera 10, carga 5,500 arrobas de
carne ; a Amorim Innao.
Baha -7 dias, sumaca nacional Della Carolina, de
92 toneladas, capillo Melquades Jos dos San-
tos, equipagera 9, carga 2,450 alqueires de fari-
nha de mandioca ; a ordem.
Meios sahtdos no mesmo dia.
LisboaPatacho portuguez Flor de Maria, eapilao
Manoel Joaquim de Oliveira Ramos, carga as-
sucar.
Ooscrcafao.
Fundeou no lamaro ora patacho iguora-se a na-
aao por nao i car bandeira.
H
EDITIS.
O Illm. Sr. inspector da thesourarla provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que no
dia 22 do corrente, perante a junta da fazenda da
mesma thesourana se ha de arrematar a quem
por menos fizer, a pintura da ponte de ferro por
detraz do theatro de Santa Isabel, avadada tm
450*000.
A arreraatacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maie de 1854, e sob as
condicSes especies, que serio presentes ao arre-
matante nesta thesouraria, devendo ter lugar as
habilitacoes no dia 20 do corrente.
E para constar se mandou publicar o prosente
pelo jornal.
Secretaria da thesenraria provincial de Pernam-
buco 15 de abril do 1863.O secretario,
A. F. d'Annufleiacao.
DECLlBiyOES.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que a arrematarlo dos reparos de que precisa a
pente do Rio Formoso foi transferida para o dia 27
do corrente.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernara-
buco 7 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciaca.
Pela thesouraria provincial se faz publico que
a arrematarlo dos reparan de qne precisa o i rape-
dramento da estrada de Apipucos desde o lugar
era frente a da Trempe at o Chora-menino foi
transferida para o dia 20 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciaclo.
Pea thesouraria provincial se faz publico
qne a arremataco dos reparos de que precisa a
pente de Bujary sobre o rio Tracunhaem foi trans-
ferida para o dia 20 do crranle.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Adnunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco dos reparos de que precisa a
estrada do Porto de Galinhas, foi transferida para
o dia 20 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 10 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Inspeeeo do arsenal de marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma disposta no regulamenlo anne-
xo ao decreto n. 1,324 de 5 de fe ve re ro de > 854,
o casco, machina, caldeiras, apparelho, maslreaco,
veame, amarras e ancoras do vapor Parahiba da
companhia Pernambucana de navegaco costeira,
achou todos estes objectos em regular estado.
Inspecgo do arsenal de marrana de Pernambu-
co 12 de abril de 1(65.
S. C. dos Santos
Serviodo de secretario.
conselhode compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segrate :
6 caixas com folhas de Flandres, marca grande.
1 estojo poriatil de pequea cirurgia.
As pessoas que quizerem vender taes arligos
apreseulem suas propostas na saladas sessoes de
conselho, as 11 horas da manha do dia 19 do cor-
rrenle.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra 13 de abril de 1865.-0 encar-
regado da esriptoraco,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Fiscal i sarao de Sanio Antonio.
O abaixo assignado, fiscal da freguezia de Santo
Antonio desta cidade pelo presente pede a todas as
pessoas donos de madeiras, t jlos, palhas de co-
queiros, etc ,qne ixistem d posilados na frente das
casas desde o caes do Ramos at a travessa da Ri-
beira, logar que divide a sna lisralisacao, que os
facam retirar para dentro de armazens, da dala
deste a 8 dias, afim de nao serem multados e ve-
iem ser removidos as mesmas madeiras e mais ob-
jectos encontrados a sua custa para o lagar quefr
indicado por esla fiscalisacao, em cumprimento do
determinado na postura municipal.
Fiscalisacao de Santo Antonio do Recife, 17 de
abril de 1866.
O fiscal,
Caetano Pinto ie Veras.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco dos reparos de qne precisa o
empedramento do lugar denominado Areias do Gi-
qui, na estrada da Victoria, foi transferida para
o dia 5 de roaio prximo vindonro.
Secretaria da Ihesonraria provincial de Pernam-
buco 15 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematagaodaobra da constrneco da bom-
ba da varzea de Panlisla, foi transferida para o da
27 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 15 de abril de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Arsenal de guerra.
0 Sr. tenente-coronel director do mesmo arse-
nal, para dar cumprimento as ordens superiores,
faz publico que nesta reparticao se contratara offi-
ciaes de serralheiro e alfaiates que qaeiram seguir
para a corte, com os venciraenlos da tabella em
vigor ; dando o governo o transporte : es ia-
teressados comparecam nesta reparticao das 9 ho-
ras da manba as 3 da tarde para fazerem o res-
pectivo contrato.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
19 de abril de 1865.
O escriptarario, .
Jos Alfredo de Carvalho.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguate :
Para o hospital militar.
1 caixa com instrumentos para extraerlo de
denles.
""* Para prov ment do arsenal.
1,000 pares de sapaldes.
20 meios de sola de lastre.
20 grozas de flvelas estanhadas para grvalas.
Para a enfermara militar de Alagoas.
2ocolchoes.
25 travesseiros.
30 pares de chinellas.
12 ourins com lampa.
25 casaes de pires e chicaras.
12 ulberes.
12 colheres para sopa de melal branco.

'
1
i-.



Blarl tf* Peraillbtto Mrta fefra M tfe AMl el* Para Forte d Boru*.,
A. Datura qw tweiit-s peca, reparos, gua-
ritas, de madeira, chelerraj, mastro de bandeira,
cofre de batera, soquetes e lanada.
As pessoas que quizerem rendar ditos trtiffos,
auim cerno empreitar k pintora aelma declarada,
apresentem saa} prripostas em certa rochada, na
Ullit t sna cstrtra eriaala, aben-
di coser,eagantaar, hvar e cosi-
nhar e eaa otitras habilida les
Sexta-feira 2t cL> corrente as II horas.
Ccdeiro Simoes autonsado por ama pessoa de
sala d conselho, a. 11 horas da maohaa dodl 20 wWha(h fart leliSe da eserava cima
Ser effeotuado o leilao no arnaiern roa
Cruz n. 87.
ato corrente.
Sala das sessges do censeiiio de compras do ar
seal de guerra 17 de abril de 1863. O encarre-
ado da escriptoracSo,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
TIIEATIXO
DE
S. ISABEL
EMPREZ A C OIMBR A
Recita extraordinaria lirre da asignatura.
Ultima recita do concertista Comingio Gacliano
e a seo beneficio.
Quinta-reir 20 de abril de 1865.
Logo que os seohors professores da orchestra
tiverem executado urna bella ouvertura, o bene-
ficiado dar principio ao espectculo com o
HYMNO DE GARIDALDI
por elle executado na sna armnica, em- seguida
tocar a ana do soprano e brinde da opera
TIIAVUTV.
Seguir-sema depois pela corapanhia dramtica
a representacao da linda comedia em um acto or-
nada de mu-ira
MAMCOTA
O
OS EFFEITOS DA IDICACI.
No lim da comedia o beneQciado executar o
curo de introducen da opera
M.4RC0 VISCONTI
e a aria de soprano da opera
BAKBEIRO DE SEVILHA.
Seguir-se-ha a j-epresentaco do, lindo vande-
villa en um acto
4 COIDl SENSIVEL.
Em seguida o beneQciado executar a cavatina
le soprano da.opera
Terminando o espectculo cjm a aria d sopra-
no no miserere do
TROVADOR.
Principiar s 8 horas.
Sendo eeta a primeira vez que o beneloialo re-
corre a generosidade do publico desla capital, es-
pera merecer a mesma proteccio que. a outros
tem dispensado.
da
Leilo de movis, crysiaes e outros ob-
jectos de oslo
Sexta-feira 21 do orrente as 11 horas.
Noarmazem a ra da Cruz numero 57.
Cordeiro Simdes far leilo de diverros movis
como sejam : cade.iras, marquezas, eamas, banqui-
nhas, mesas, redomas com flores, clices, garrafas,
reoslos de algibeira e parede e outros muitos ar-
ligos de gosto.
Leilo de trastes, baca e outros ob-
jetos de cusa de familia e ana es-
cravacosioheira.
A viuva de Jos Antonio Goncalves da Rocha,
tendo de retirar se para Europa far leilo por in-
tervenco do asunte Cordeiro Simoes de todos os
movis existentes no sobrado ra do Amorim
n. 50, como tambem de urna eserava de naco An-
gola, Isto
Sabbado 22 do corrente
s 11 horas em ponto no mes mo sobrado.
PILULAS-BLANCARO
AO 10DURETO DE FSBRO ISALTERAVEi,
Approvadas pela Acadaraia de Medicina de Pariz
AUTORIZADAS PELO COKSK'.H MEDICAL DE SA-PKIESDIBCO
EXPERIMENTADAS NOS HOSPITAES DA FRANCA, DA BLGICA, DA IRLANDA, DA TURQUA, ETC.
Mcn(oct honrosas nas Etpetitoi, Univercacs de Nexo-York, 185 e de Par, 1855.
Esta Pilulas envolvidas n'uma carnada resino balsmica de ama tenuidade excessrva, lem avaniagem de
sercm nalterarcis, stm sabor, de um pequeo rolumo, e de nao cansarem os orgas digestivos. Gozando da*
propriedadet do Iodo e do Ierro ; ellas conven principalmente as affeccos Chlorotieas, Escrofulosas,
Tuberculosas Cancrosas, na leucorrhea, ameHorrhsa, anemia, etc.: enlim, ellas offerecem nos pralicos urna me-
dicaca das mais enrgicas para modificar ts constiluicoea tgmphaticas, fraeas ou detUada,
If.B. O iodurelo do ferro impuro ou alterado um rosVamrnlo infle', irrilaolc
Como prora de pureza e de aulliencidade das verdadelras Psalas de Blaurard, deve
-se eligir nos$o ello a> prala reactiva e nosso Urina, aqu n-prodiuida, que se
ai ha na parle interior de um roalo verde. Dura -* desasnan das falsifi-acoes.
Ai liam -se em todas as Phanuacla.
Pharmateutico, ra Bonaparle, AO. Pariz.
ELIXIR DO DOTOITT.
AO CiTROLACTAT DE FERRO
'j. ..

COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
^avecaeo eosteira por vapor.
Parahyba, Natal, Sfaco, Aracaty, Cear/
e Acarac.
O vapor Persinunga-, com-
mandante Ralis, segu para o
W/1 ^&v norte no dia 24 do corrente as 5
*~ horas da urde. Recebe carga
at o da 21, encommendas, pas-
sageiros e diulieire a frete at 2 horas da tarde
o diada sabida: escriptorio no Forte do Mal-
los n. 1.
Para a Baha pretende sabir em poneos das
a escuna Rliza, por ter alguma carga tratada, e
para o resto que Ihe falta traase com o consigna-
tario Joaquim Jos Goncalves Rellrio, na ruado
Vi gario n. 10, ou no largo do Corpo Sanio n. (i, ar-
rnazem.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
AOS 6:000#000.
Quinta-feira 27 do corrente mez, se ex-
trahir a 2* parte da l lotera (13a) a be-
neficio da matriz de Nazareth, no consisto-
rio da igreja de Nossa Senhora do Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes.meios'e quartos est5o a ren-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 6.000(51000 at 10#000
sero pagos una hora depois da extraeco.
at as i horas da tarde, e os outros depois j
da distfibuicaodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraeco
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.

Para o Rio de Janei'O.
Pretende feguir com muia brevidade a barca
Rio de Janeiro, lendo parte do seu carregamenlo
engajado: para o reslo que Ihe falta e escravos a
(retes, para os qaaes lem excellenles commodos,
irata-se com o seu consignatario Antonio Luiz Ro-
drigues Mindello, no seu escriplorie na ra da
Cruz D. 1._______________________________
Para o Rio de fauciro.
O brigue escuna Joven Arlhur, pretende seguir
com muita brevidade, lendo parle de seu carrega-
mento prompto : para o resto que l\e falta e es
cravo a freles, para os quaes lem bons commodos,
tratase com os seos consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio le Janeiro.
Segu nesles oilo das o brigue escuna Kao sei,
tendo dous tercos do seu carregamenlo bordo :
para o resto que Ibc falta e escravos a frete, para
os quaes lera bons commodos, traia-se cora os seus
consignatario.^ Antonio Luiz de Orivelra Azevedo
C, no seu escriptorio na ra da Cruz n. 1.
Para Lisboa.
A barca portugueza Henriqueta, segu para Lis-
boa al o fim da presente semana : tem dous ter-
cos do seu carregamenlo bordo : para o resto
jue Ihe falta e passageiros, para os quaes tem ex-
pelientes commodos, trata-se com os seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no
seu escriptorio, ra da Cruz n. t.
O Dr. Francisco Vires Ha-
chado Porella
Medico operador
FACULAD DE PARS,
regressando a esta provincia acha-se
prompto para o ejercicio de sua profis-
sao, qoer nesta cidade, quer fora della,
especialmente em molestias, de olhos (ca-
taratas etc.) das vas urinarias (estrella-
ment de uretra ele) e de pelle, para i
cujo curativo se julga habilitado, alienta
a pratica que teve nos nospiaes de Pa- '
|H ris, e os modernos instrumentos que pos- I
'* sue"
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sna residencia no patea do
Carmo n. 2, esquina da ra de Hortas.
mmmmmmmww
Joaquim Fenvira de Araujo Uuimaraes, sub-
dito portuguez, vai a Europa.
Sr. Joseph lurra, subdito napHrab7~reti-
ra-se para fra do imperio.
Precisa-se de urna ama para cosinhar e en-
gommar para urna casa de tres pessoas, forra ou
captiva : na ra do Uangel n. 38, primoiro andar.
Na ra da Clela do R^cife toja de ferra-
gens b. 4i, deseja-e fallar com o Sr. Jos Dias
Fernandes, a negocio de interes*e.
Domingos Aires Matheus mudou seu
escriptorio para a ra do Vigario n. i 4
Ignacio Pessoa E.-teves da Silva convida
ao* seus amigos e aos amigos do seu primo e
socio Jos Pereira Jaciullio Jnior para as-
sistirpm no da sabbado 2 do corrente na
igreja matriz de S. Jos as missas que se ten
de celebrar pelo eterno repousa da alma da
mi de>te, fallecida na provincia do Cear.
^v
XARCPE
DE CASCAS de LAHAHJAS AHARGAS
de J. P LAR0Z2, Chmico,
PSASHACBSTICO DA ESCOLA SUPERIOR DE PARS.
% Este xnrope, regularisando as funecoes do estomago e intestinos, dcstroe essas
tndisposico^s proteormcs, e faz abonar as molestias .le qic sao indicios prccdiso-
rcs. Medid o doe-.ur-s lem minineiJo que restabelcce as in:i/->!6-s, fazoudo
desapparecer ositesoetle eslomj;o, qucalnn as enxaqncaas, csjmsiiiqs, p eaimbras,
jue sao resultado (le digcsiflos penosas. Seu gosto agmavel e a facidade con ijm
se suporta, o tem feilo adoptar, como especilico ifallivel das tJfl*qfa* wtmnm,
gastritis, gastralgias, clicas de eUomagt d udranhas, falpitofves, dores de
coracao, vmitos nervosos; sua aeco sobre as TunccScs assimiladpras tal, pie os
mdicos mais illastrcs o tem adoptada por reseipiente real dos dous prtmeiros
agentes tberapeuiieos: o odureto d Potassa e o Prote-Ioiureto de ferro, tendo
observado que dcbaixo de sua inllacnea-, priineiro perde sua accio irriunic, e o
segundo-seu cffeito adstringcnle.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas de laranjaa amargas com Io-
durato a potassa.
O iodurcto de potassa, admioistrado m
solucio ou dcbaixo da forma solida, causa ao
docnte urna grande repugnancia, ou determina
accidentes que o forcio renunciar a esta
medicteio efflcaz.
Unido porim ao Xaropc de cascas de laran-
jas, elle nao causa nem gastralgias, ncm per-
turbace d* estomago intestinos, e gracas a
csi* salvaguarda, os tralamMtos depurativos
sio continuados sem interrnpQao, as affec-
cas escrofulosas, tuberculosas, cancerosas t
nas secundarias e terciarias, mesma reuma-
thismaes, nas quaes elle o mais seguro espe-
cifico. A dosa est definida da tal mancira
qe o medica pode varial-a a saa voatadt:
0 frasco: 4 fr. 50 c.
XAROPE FERRUGINOSO
Da cascas de laranjas amargas com
proto-iodureto de ferro.
A asaaciacSo Ay sal ferro ao Xarop de cav
cas de laranjas 6 tanto mai* raciOBal quanto
que este xarope, impregado s, para estimu-
lar o apetite, activa a aecMeAs do sueco g-
strico, e per Hm regulunsa as luRCces abdo-
mi:aes, neutraliza N mos offeilos dos ferru-
ginosos c dos iodurctos (peso de cabega, pri-
sao ds ventre, dores epigstricas) em quanto
que facilita sua absorpeao. Dissolvido no
Xarope, tile se toma e se supporta fcilmente,
por achar-se-no estado puro mais assimilavel;
e assim pode coulinuar-se a cura da paliidez,
corrimentos brancos, anemia, affecces escro-
fulosas e rackitismo:
0 frasco : 4 fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estao sompre em frascas especiaos
(nuncaem metas garrafas nem em frascos redondos). ExpedicOes: em casa
J.-P. LAROZE, rus des Lions-Saint-Paul, 2, Pars.
Ra do Imperador n. 38. botica fraticcza.
r
NJECTIONBR
XAROPE DEPURATIVO
JbE GOUX
BROMO^Sl^PHpHQDUIlADO
Jos Jacintho Guedes vai a Portusal.
Para o Para.
vai seguir com muia brevidade o palhabote Pa-
iaense,\em a maior parte da carga prompta, e
para o resto que Ihe faita irata-se com o consigna-
tario Joaquim Jos GonQalves Beltrao, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem.
Para Lisboa
O patacho portuguez Afana da Gloria, capito
Valenle, vai sahir breve, recebe carga e passagei-
ros : irala-secjm o consignatario E. R. Rabello,
ra do Trapiche n. 44.
Para o Para o hiate Novaes recebe alguma
carga a frete : a tratar com os seus consignata-
rios no largo do Corpo Santo n. 6, segundo andar.
Para o Porlo
segu impreterivelmenle at o dia 27 do corrente
a bem conhecida e veleira barca Claudina por ter
sen carregamenlo prompto : para passageiros, pa-
ra os quaes se offerece excellontes commodos. ira-
ta-se com Cunta Irmos & C, na rna da Madre
- Theotonio Flix de Mello, subdito portuguez,
vai a Europa, levando em sua companhia sua se-
nhora o urna sobrinha.
Levy Heymann, subdito
para fra do iraperio-
francez, retira-se
50$ 37.
Emaqaeca,
Neuralgia*,
Eapnamoa,
Allaquro de ervo*,
Veril seas,
Syneopra,
ASTHME
LEUDES.
No dta quarta-feira 19 do corrate, se ven-
der em leilo pelo agente Euzebio, ama cama de
Jacaranda nova, mobilia com lampos de pedra
marmore superior, secretaria, berco, cadeiras de
arruar proprias para a presente estago, idem pa-
ra meninos jan lar, estantes, guarda roupa, guarda
(ouca.
leilo desardinhis novas em barricas
Qainla-feira 20 do corrente.
O agente Pestaa vender por conia e risco de
qtem pertencer 25" barrica* e 110 meias com sar-
tlinbas muilo novas desembarcadas esta semana,
as quaes sero vendidas em um ou mais lotes a
v >ntada do^ licitantes o/inau-feira 0 do corren-
t" pelas MO horas da manhla no armazem do
Annes.
ielo de una taberna na ra d > |(;>sa-
rio n. 2 (Boa-Vista.)
Joaqnim Dias Pinheiro Larangeiras far leilo
<\nn consenQo de seus credores e por intervenQe
do agenta Corlirc Simoes, dos gneros, armaco
c ntencilios da taberna cima referida, em um ou
ntais lotes a vontarie; assim c*mo as dividas da
mesma taberna na importancia de 1:5063040, cu-
j relacao est em poder do mesmo agente a exa-
rua de quem pretender, cupo leilo ser effectuado
Quinu-feira 20 do correte
s 10 horas-da manha na mesma taberna.
Hotel Traviaia
Ra larga do Rosario n.
Pagase
Por um prelo cosinheiro
Aos briosos pernambucaos
voluntarios da patria.
Eugenio &. Mauricio
PUotographos ra Nova, n, 23.
Desejando facilitar aos Srs. voluntarios a occa-
siao d deixar seus retratos a suas familias e ami-
gos offerecera-lhes de fazer-lhes retratos era car-
loes de risita por metade do prego dos particula-
res ou 6g a duzia.
"CASA M RAMIOS-
I^argo do Carmo numero 2G.
Este estabelecimento tao bem montado na sua
origem, achava-se de a muilo em quast completo
abandono pelo pouco interesse de sua adminis-
tracao.
Hoje que o novo proprielario emprega todos os
meins para restabelecer a grande ntilidade desie
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o nnmerodos concorrent^s acha-
ro desde j promptdo e aceio nos bonhos frios,
mornos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberta lodos os dias das 6 da manha as 11 da
noite.
Pregos.
1 banho fri ou morno......500
1 dito de farello........1000
I dito medicinal ser segundo a qualidade.
2o carlSes.........103000
12 ditos..........53000
Caixeiros
Na rna da Cadeia do Recife n..., loja de ferra-
gens, precisa-se de dous caixeiros que se sujeite
as seguintes condiedes :
1* comer ao alrnoeo um s pao de dous vintens.
2' cerner ao jamar de sobre mesa f urna ba-
nana.
3* comer a ceia s duas bolachas que a sua
raeao.
4" nao gostar de peixe, porque nas sextas-feiras
e sabbados s se compra peixe costando daas pa-
tacas, e se co-tar duas e quatro comprar-se-ba ca-
maro e marisco.
5* Trabalhar como um burro, e cara alegre, e
nao responder as indiretas que o seu patrio Ihe
dirigir: as pessoas que se quizerera sujaitar a es
tas condices, dirijam-se loja adma, certos de
que se qnizerem comer mais do que a sua raco
compraro a sua casta.
ilhees perdidos
Perderam-se do Reeife cidade da Tictoria, po
dia n para 13 do correte, dons meios bllhetes da
lotera (12) que se ha de extrahir a 19 do corren-,
ip, ns. 1904 e285i : pede se ao Sr. the das loteras eu a qualquer outra pessoa, que no j
caso de que saiam premiados, nao paguem senao Precisa-se de urna mulher i Josa para comprar e
a Jos Soares de Albuquerque, qne e seu dono,' cozitHiar para po.tca f*ma : na rna da Praia nu-
morador na cidade da Victoria. mero 3.
Este nove producto resultado de urna trplice combinacao de tres metalloidcs cujas proprie-
dades sao mui conhecidas, o Bromo, o Euxofr e o lodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais nouaveis dos hospitaes de Pars, os senbores Cazcnave,
Puche, Bazin, Bktche, Cuibout, Baroschet, Danet, Legroux, Vasse c Aubry, etc., demonstrarSo
sua poderosa efficacia nas affecces seguientes :
Doenoa de pelle,
Dartroa e berbalhaa de tada especie,
Piaras mucosas,
UbNlrurrorn l>iiipha(leon,
Papel ras,
Bserafalas,
Abceasos, postelas,
Cancros,
Ulceras,
TlBha,
xcorbnto,
Plaa ou Baubaa (do flrazil),
O Xarope de Le Goux, de nma fcil digesto e de gosto delicioso, se emprega tambera
com muita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
enancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mui
sapenor neste emprego ao oleo de ligado de bacalho e aos xaropes depurativos e anti-escor-
buticos que se administravio at agora.
Deposito geral, em Par, na botiea Boullay, membro da Academia imperial ole Medicina de
Pars, official da Legiao de Honra, e era todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Fraauboesla,
IIu moren fros,
Raebltlsme,
Ophlhalmla escrofnlosa e chroulea,
Tsica escrofuloxa,
Arfecees syphllltlcaa,
Elephanllasls dos Greyos,
E todas as doencas occasionadas por ubi vicio do
sangue, e j tratadas sem ncnhuin successo pelas
preparacoes vegetaes, iodadas e o oleo do ligado
de bacalho.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legiao de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paria.
Este xarope composto i mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, constitue a raelhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com successo em todaa as doencaa qe tirio saa
erigem de um erilhiamo nervoso, como sao as:
Calmbros de estomago,
Iadlajealoos,
ConvuUors,
Aeeessoa histricos hypo-
condrluras.
Calleas ventosa OU nervo-
sas, hepticas Oalnlcntas,
Aeeeasos de sota e de rheu-
matUnio,
Casos de eavenealemento,
te., ate, etc.
Deposito geral, em Par, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro ds Academia
imperial de Medicina de Par, official da Legiao de Honra, ra des Fosss-Montmartre, 17, e
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSlO
1
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
vlta o Xarope aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Deecoberta inteiramente
recente, este aovo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenclle, em toda* u
ticas de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22, em casa de Caros A Barbosa.
AVISO
ktlenqaOn
Desapparecea no dia 16 do corrente um negro Desappareceu em diM d, semana passada,
de nome Manoel, cornos s.gnaes g-guiotes : boa,ravds,a,la Concerdi para a casa de dateuca,
estatura, tem falta de de lies na frente, e o signal --
mais conhecido estar com o corpo cheio de bor-
toejas, lingindo sarna, sendo de c.lor, fu escravo
do Sr. Jog F^rre.ira Taboca, senlior d engenho
na comarca de Caruaru', e u ti,mente do iti 1
do mesmo Sr. Joo Ferreira Tabosa Jmior, reo-
deiro do engenho 11-,le, na counrea d- Sabto Au-
la >: pede se eiicaracid^uieni-) a> autoridades po
lieiaes, capites 4 o captorerp-.-yr/Hilame o levem arui estreila do '
Rosarlo 4. i'.\, qua sero gen irosamente recom- j
pensados.
da
. to n.
48, urna ptrdinha de circa de 10 "Irnos, de nome
Francisca, ella est um pouco amarella, e tem
como signa! mais visiva* o psmui curtos e meios
torios, suppoe se ter sido furtada : h por Isto ro-
Ra-se a polica as suas diliiteurias para que seja
appreifendida aquella e~orav< entregue no en-
geaho "ragus 1, tai m > de (>,in la, ande se dar ge-
nerosa rocornpeusa.
Padaria*
Precisarse de nm amasador
roa Direita n. 69.
ua palaria da
Precisa-se fallar com o Sr. Procopio Epami-
nondasde Oliveira Brederodes, e como nao saU-
se onde est residindo, roga-se o obsequio de ap-,
parecer oa iivraria ns. 6 e 8 di praca da Indooeo-,
dencia.
h\
N
2si
Precisa-se d-i urna ana Torra ou captiva pa-
ra cozinhar e comprar para casa de rapaz solteiro:
na ma do Qucimado n. 7.
A irmandade do S. Sacrament de S.Jos
precisa ce capeil > : fu ttvni*, Srs. sacerdotes que
pretenderem poJdin dirigirse ao largo do Paraiio
numero 10.
PRODUCTOR ADMIRAVEIS
no
ENSIOJE CHIMICO
xb. lehl
DO
RIO DE JANEIRO.
Ama^
Preci?.a-se de urna ama para todo servico
travessa das Cruzes n. 2, primoiro andar.
Chimbador lehl.
00 esmalte branco irtaiteravel, >em cheiro nem sabor e da mais
simples applicagao para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeita-
menle efficaz. O chumbador lehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
n. Cimento chlnez
para concertar com a maior perfeicao iouga, porcellana, crystaes,
vidrosj marmore c qualquer objecto precioso......
Cimento de gutta percha
especialmente preparado para chumbar o denles cariados. Acom-
panha urna guia....... ,
Cosmtico lndlauo epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pello. Ac urna guia. .
llc.vir odontnlgico vegetal
para curar instantneamente as dores dos denles mais rebeldes, e
que tambera proprio para a conservacao dos mesmos, o en-
durccimenlo das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Cncrivore
para tirar a tinta do papel e limpar as peonas de ago......
Ilelstein
pedra austraca para curar os tumores, incuacies e feridas prove-
nientes de rocadura decoleira, scllim. cangallia e outros arreios
dos burros e cavados; adoptado nas estribaras iinperiaes da
Austria desde o anno de 1751. Allianca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada, e que nao
exista mais nchaco. Acompanha urna guia.......
Limas chimlcas
extraeco dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourtb.
Acompanha una guia. 0 par...........
Massa dentarla Nainakol
esta masa, pouco temp> depois de sua Giroduccao na cavidade
dentaria, adqrjire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentilicias. Acompa-
Vm
Duzia.
'mo 40,5000
1,5500 1200O
2^000 18,5000
3.I000 24,5000
2,5000
. 500
I8r)000
4f5000
tina urna guia
I 060 9,5000
35000 345OOO
3S00O 24*000
1;5000 9*000
500
1.5000
l50t
45000
7,5000
105000
2*000 20*000
1*500
3*0i 0
- 12*000
28*000
500 4*000
500
1*000
4*000
7*000
.Hassa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de loju, grades e corrinioes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados iomo novos. Ac. urna guia .
Papel cheiroso
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e (guar-
ios, produzir sensacoes agradareis c desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondesicus
confra piolhos e lendeas ; aliancada sem mercurio.....
I>os de prata
para pratear instantaieamente o cubre, o lalo, o bronze, ele, e
reparar os objectos antigos proteados, como fiquciros, salvas,
caslicaes, apparelhos de cha c outros objectos semelhantes, af-
fiaucados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos o casas de familia:
V dros de 2 oitavas. .
dem de urna onca. .
pos para limpar a prata lavrada
sao affiancadosinfalliveis. Acompanha una guia, vidro ....
pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acump. urna guia:
Carleira. .
dem .
Mabo oriental
para tirar todas as nodoas simples 011 composlas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia...........
Tiuta Azul indelevei para marear a roupa
azul no escrever, c em 24 horas na sombra ou menos de urna
hora no sol, tornase preta c nunca ma s salte do panno nas la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno eneorpado ou engom-
mado. Affinnca-sc que nao hamelhor na corle em qualdadc,
Vidro de tres onca i .
- dem de urna onga. .
Tis enea nata indelevei superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia onca.......
CiiKueiit It-iil
remedio maravilhoso o melhor al beje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, (islillas, frieiras, bemor-
ro das, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
reumatismos, supuracSes pulredas, cabecas de preo, abeessos
no seto das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
dem. .
nico deposito em Permroibco em grosso e a retnlko
CASA DE MANUEL & C.
8 RA MO CABM 8
500 4*000
1*000
500
7*000
4*000
25000 18*000
4*000
2*000
30*000
17*000
Quem tiver e queira alagar um moleque de
14 a 1(3 annos, Qel e activo, appareca na ra do
Trapiche n. 44. segundo andar, ou annunrie para
ser procurado.
Precisa-se por aluguel de urna preta eserava
de bons costumes para o servico interno de urna
casa de familia; na ra de S. Francisco sobrado
B.iO.__________________________________
Caixeiro.
Precisa-so de um caixeiro de 10 a 14 annos de
idade, que tenha ou nao pratica de taberna, prefe-
re-se portuguez: na r la Direita n. 72.
AMA
Precisa-se alufar tima ama forra ou captiva
para comprar e cosinhar, paga-sc bem : na loja da
ra Nova n. II.
- O abaixo assignado tendo comprado ao Sr.
Jos Oias da Cumia estabelecimento da ra da
Cadeia do Recite n. 38, que pertenceu firma de
Pinlo & Cunha, e tendo de realisar nestes oilo dias
o pagamento, conforme o contrato, avisa a todos a
quem esta traosaecao possa ititxressar, de apresen-
tarem suas reclamacSes em devtda forma, pena
de irresponsabilidade. Reeife 15 de abril Je 1863
Ladislao Jos Ferreira.
Precisa-se alagar urna preta que seja esera-
va para o servico de urna casa de pouca familia :
na ra Direita ti. 74._______________
Pede se ao Sr. Francisco que deixou um re-
logio e um par de rosetas por garanta de gneros
quecomprou na taberna da ra do Alecrim n. 2,
no dia 24 de dezemhro do anno prximo passado,
o favor de vir tirar os ditos objectos ne>tes lo dias
e iiagar o importe dos gneros, do contrario serao
vendidos para pagamento.
Joaquim Antonio Pereira e sua familia ten-
do-se retirado por algum tempo para a Europa,
pede desculpa aos seus amigos de na) se despedir
pessoalmeole attendendo ao pouco tempo de que
pode dispor pela viagem rpida com que aqu che-
gcu o vapor inglez.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra de Hortas n. 41.
.4 ma
Precisa-se de urna ama que saiha cozinhar e en-
gommar : a tratar no passeio publico n. 5, toja.
na
a ra do Arago n. 3 faz-se comida para
fra e por prego mais coramodo que em outra
parte.
Precisase de ama ama para todo servico de
nma casa : a tratar na ra estreila do Rosario n.
ii, primeiro andar. _________
Tem de ser entregue pelo diminute preco de
400,5 preco que se tem ai-hado pelo pardo de ida-
de de 20 aono>, tao somonte por ter urna pequea
feriila na perna : na mosma ioja de fazendas no
Fasseio Publico n. 7.
Precisa-se de um hiate para o Aracaty :
quem o tiver e quizer fretar, dihja-se a ra do
Kucantamcnlo n. i4 : a tratar com Jo. Lopes
Haymundo do Bilhar."
Precisa-se alugar urna preta eserava par*
cozinhar, engommar e facer comnras, para urna
pessoa : no becco das Barreiras n. 7.
A irmandade de X. S. da Boa-Viagem preci-
sa decapeo que v assistir na povoncao do mes-
mo nome : os Rvms. Srs. sacerdotes que preten-
derem, podem dirigir-se ao largo do Paraizo nu-
mero Id.
Precisa-se de urna ma para comprar e co-
zinhar para rasa de pouca familia : na praca da.
Independencia n. 33.
O Sr. Antonio da Silva Guimares ou alguen
por elle, na travesea das Cruzet n. 12.
Marcelino Jos Lupes declara que- ha muilo
reside com sua familia n fregn.-zia do Poco da
P^nella. aonde tem votado, o nao na freguezia da
Boa-Visia, como 3ahio publicado oeste Diario.
Quem precisar de urna ama de lene, dirja-
se a ra da Santa Cruz n. i.
INJECCAO BRQW.
Remedio ifallivel contra as fnorrhbo-
antigas e recentes, nico deposito iaeas
ica franceza, ra da Crin n. 22 pre-
co 3*
I
i
' --------------------------------------
i -s q q era or-on o a o g 3 S 2o i S r1 i OBJw-lTO.,?" i

en bar Precisa-se arrendar ou comprar um si nde que tenha boa casa, e cujo terreno seja ro : a tratar.na ra da Imperatriz n. 20, k lio de ja.


Mario 4e rMpM durU loiira 1 c Abril fie l ftd
GASA DA FOKML
Aos 6:0000000.
Bilbetes garantidos.
A' ra do Crespo n. 23 b casas bo costum*.
0 abaixo assignado vendeu oos sens muiofeli-
lesbilhetes garantidos da lotera qne se acabon
de extrahir a beneficio da igreja de N. S. do Am-
paro de Goianoa, os seguales premios :
Ura quarto n. 1732 com a sorte de 10:0005000.
Um inieiro n. 2709 cora a sorte de 3:000*000
Ura quarto o. 132 com a sorte de 8001000.
Um meio n. 784 com a sorte de 400,5000,
E outras militas sortes de 100, 40$, 20$ e
103000.
Ospossuidorespodora vir receber sens respec-
tivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 4* parte da 1* lotera
(12*) beneficio da Santa Casa de Misericordia,
para canalisacao d'agua e gaz no hospital Pedro
II, que se extrahir no dia 19 do corrente.
PRECO.
Bilhetes.....7*000
Meios......3$o00
Quartos.....1#900
Para a pessoas que compraren) do 1005000
para cima.
Bilhetes.....6500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fiuza.
CLUB PERNAMBUCAN0-
A partida do corrente mez ter lugar na
noite do dia 20.
mm mmmmmm mmmmwm
Aluga-se o quarto andar da casa da ra
^J do Imperador n. 54, com cemmodos para
1 familia : a tratar na ra do Rangel n. 54,
S assim como vende-se urna bonita mulata
cora habilidades de cozer e bem arranjar
urna senhora, e especialmente de engora-
K mar, sendo que vende-se, porque a pes-
IH soa de quem ella retira-se para fra.
AOS PAS de familia
, Feijo mulatinho a 360 rs, a cuia.
Pela grande quantidade e a prohibico que ba de se. poder efpr as -ribeiras se
vende por este preco, o feija) bota e o preco agrada a todos : na roa dos Quarteis n.
22, junto a loja de funileiro.
MDANCA
O Loadoa* BrAmH.^Uf,t*ca por doos
os paqaetes,sobre'
Lisboa.,
- traga.
Viairaa.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
mwamgggM
JO bacharel Jos Baplisla Gitiranaj
Sadvoga nos termos do Bonito e Caroar. j
Pode ser procurado na villa do Bonito, !
rna Direita n. 16, defronte da cadeia.
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaes.
qoe merava na ra da Imperalriz era casa do marcineiro Poirier i. 53, pre-
-i i ii- > j e i umacasaacabadaacora.com commodos para fa-
vine ao respeilavel publico e a todos os seus fregozes em particular, qie |miiii, estribara, eScnera, qnirtospanreitore
mudou sua officiua para a rui da matriz da Boa-Vista' n. 36, onde se acha
prompto para fazer o qoe compele a sua arte de fundidor e machinista.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardiro, cochcira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na roa da Senzala Nova n. 42.
A luga-se
Ama
Precisa-se de urna ama forra oq escrava, dan-
do se preferencia a ultima, para comprar e cozi-
nhar : na ra do Queimado n. 40, loja.
Os abaixo assignados tendo arrematado as di-
vidas da massa fallida de Joaqun Vieira Coelho
& C., fazem scienle aos devedores da mesma mas-
sa, que p.lles sao os nicos aotoris.idos a receber
taes dividas, e por isso pedem aos mesmos senho-
res devedores a virem ou mandarem pagar seus
dbitos amigavelmente : na ra da Cadeia do Be-
cife n. 3.
Jos Joaqulm de Castro Moura.
Joaquim Beplista do Araujo.
?Ja praca da Independencia loja de ourivesn.
33, compram-se obras de ooro e prata o pedras
preciosas, assim como se faz qoalquer obra de en-
commenda e lodo e qualquer concert.
mmm-mmmmmm
O bacharel
Francisco augusto da Costa
id ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
mmm mw^mmmmm
$jfc Companbia fidelidede de seguros
S martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEHKAMBICO
|H Antonio Lab de Oliveira Azevedo k C,
Sm cornpetenlememe autorisados pela direc-
5 loria da companbia de seguros Fidelida-
P| de, tomam seguros de navios, mercado-
ij rias e predios no seu escriptorio ra da
JR Crui n. 1.
iiiliiWiiii
Boga-seas pessoas que assignaram a Sema-
na Illustrada, e que por falla de regularidade n
remessa da mesma, ainda nao receberam numero
algum da dita Semana, o favor de apparecer na
raa do Crespo n. 4, onde se assigna, afim de saber
se querem ainda a mesma assignatura ou fazer
alguma modificagao, isto antes da partida do va-
por para o sul, affiancando d'hora avante a maior
reguiaridade da parte dos proprietarlos na remes-
a da mesma folha.
Alexandre Jos da Silva e sua senhora, tendo
dse retirarem para a Europa, a tralarein de suas
saudus e nao podendo dispedirem-se das peSsoas
de suas amisades, pedem disculpa a mesmas e Ihes
oferecem eus diminutos prestimos na cidade de
Lisboa onde vai lixar sua residencia por algum
tempo e deixa por seus procuradores, em primeiro
lugar seu sogro Francisco Jos Regallo Braga, em
segundo seu mano Casemiro Jo.^c da Silv>, em ter-
celro Mello Lobo & C. e em quarto Manoel Rodri-
gues da Silva.
AMA
Precisase de urna ama forra ou captiva, sendo
de boa conducta e que saiba fazer o diario de urna
casa de familia : no Campo Verde n. 54.
Semana Ilustrada.
Publicada do Rio de Janeiro e
asslgua-sc na ra do Crespo
n. 4.
anno 185000, semestre 11,5060, trimestre
65000.
As pessoas que quizerem assignar principiando
no ia irimesire, podem logo receber o Io numero
de abril corrente.
Aluga-se urna casa terrea nos arrombado?
em Olinda, com 2 salas, 4 quartos e urna grande
cosinha com porlo para o rio : a tratar na arma-
zem do Annes defroote da alfandega.
Encola particular.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
escravos,com banho na porta.no lugar do Poco
daRanella.ruado Rio : a tratar com Tassoir-
mos.na ra do Amorirn c. 35.
O bacharel Alvaro Caramba T. da Silva
tera seu escriptorio de advocacia a' ra (
do Imperador n. l, primeiro andar, on- |
de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
Em qualquer outra occasiao sera' encon-
trado na casa de sua residencia a mesma
ran. 3, junto ao Gabinete Portuguez.
raa
Samuel Power Joauston A Cora pan ha
Ilua da Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundicao deLow Moor.
Machioas a vapor de 4 o 6 cavallos.
Moendas e mcias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreiosd- carro para um"e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura. __
Precisa-se de um criado forro ou escravo :
tratar na ra da Madre de Dos n. 36, primeiro
ndar, das 9 as 2 oras da tarde.
O Sr. Francisco Lins Paes Barreto autorisou
o abaixo assignade para receber dos foreiros da
ra da Boda o que >e acham a dever, bem assim
a tratar qualquer negocio com o mesmo at final
decisao dos administradores do hospital de canda-
de, se dovem ou nao aceitar adoacao que foi feita:
na ra da Cruz n. 26.
Francisco de Albuquerque Mello.
A pessoa que perdeu 2,5 em sedula, dando os
signaes cerlos Ihe sero entregues : no pateo do
Carmo n. 18; loja.
Consultorio niedico-eirurgico na
Rosario n. 20.
O Dr. Jeo Ferrelra da Silva rogressando a sua
casa, contina em o etercicio de sua profisso nao
s na parte medica como tarabem na cirurgica.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descoberlas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparacoes empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-1 cupiar na frente, bota os fundos para a es-
fisso, advertindo quetrouxe um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-. trada e margemdo rioReberibe, comcom-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem, modos para familia, estribara para cavallo
instrumentos novos, ferramenta moderna, cadeiradeoperaces, etc., etc., dos mais acre- 'ecapim para sustenta-lo, arvoredos de fme-
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca tos, sem visinho defronte nem pelo fundo,
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda com ptimos passeios, sala e gabinete na
a confianca. frente, muito propria para passar a festa e
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh5 atao meio dia comcer-tambemsealugarpor anno: afallarnoRe-
teza e as 4 horas da tarde quando nao tiver de ir em casas particulares
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS -
N. 60Ba da Cadeia do BecifeN. 60
Todos os artigo; abaixo mencionados, foram comprados recenleroente pelo dono to estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmingbam, Manchester, e em diversas cidades
da* Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores condicoes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer Inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve psra a Europa.
Ha neste vasto arraazem ricos objectos com bnlhantes, como botoes, anneis, rosetas etc., e
bem a outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas Anas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVEB, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Delettrez (Parfumerie du
mond lgant), Violel, Societ Hygienique, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Goeland, e inglezas de Eug.
Rimmel e outros ; ricas galantarias em marfini, mar de perola, etc., fabricadas na Chica e no Japao;
ricas pegas de cristal fino como ainda nao appareceram nesla ridade, e bem a-sim modernas lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, ca.-ticaes, enfeites e adornos para cima de coa-
solos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingbam
etc. ; modernos apparelhos de metal lino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo meial, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhora-, excelentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana Gnsulourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e anos de panno cem sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, parase tocar na ra, ditos
com figuras para sal5es e ditos com figuras em movlmento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou s loes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invencao e com bello sortimento de vistas das principaei
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos tinos para crianzas, e bonecas fallando papai,
grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante
cife, no Recifena livraria ns. G e 8 da pra-
ca da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capitSo Antonio Bernardo
Ferreira.
Est para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um 1 e 2* andar de um sobrado
na raa do Bosario da Boa-Vista, qnasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
deBarros.com arvoredos, agua debeber,eport5o
para o becco do Pombal: qnem pretender falle
naraadasCruzes, sobrado n. 9. das 9 horas da
manhaa at aemeio dia.
Aluga-se o primeiro andar de algum sobrado
na ra do Imperador ou pateo do Collegio : quem
tiver dirija-se a ra estreita do Bosario n. 28.
Aluga-se a casa terrea n. 10o da ra de San-
ta Rita : na roa da Aurora n. 36._____________
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pouca fami-
lia : a tratar na praca doCorpoSan'o n. 17, ter-
ceiro andar.________'_______ ._________
Casa vazla.
Aluga-se urna pequea casa terrea a ra
do Nascente n. 14: a tratar na ra do Quei-
mado n. 32, loja.
Urna familia que se retira vende ama mobilia
de amarelio j usada, irem de cotoba, louca de
a I moco e jantar azul, um meca de jantar de ana*
relio ps lorniados, mesas pequeas, comroodas
cama de casal e muites outros objectos o que ludo
se vender em conta : na roa dos Pires n. 62.
Calnagas Uno c brId quedos
para meninos.
Chegaram para a loja de miudezas da roa do
gueimado n. C9, os mais finos e lindos calongas
unto-para brraqnedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
tmenlo de miudez.g.
Francisco Jos Germano
Joaquim Mauricio Wanderley e Jodiiua
Pires Campello Wanderley, penhorados da-
quellas pessoas que se dignaram acompa-
nhar o enterro do seu muito presado filho e
marido o Dr. Vicente Jeronymo Wanderley,
roga-lhes de novo e aos mais prenles e
amigos do finado o candoso obsequio de as
sistirem a missa do stimo dia pelas 7 horas
da manhaa de 19 do correte em a capella
do cemiterio publico.
AO PUBLICO
Mara Bartholeza da Cdnceico com aula parti-
cular ae primeiras letras defronte da matriz da
Boa-Vista n. 8t, declara ao respeitavel publico e
principalmente as pessoas que a con.-deravam es,
crava do Sr. Jos Bitancourt Amarante, abaixo vai
transcripta por copia a certidao de seu baptismo-
o qual do theor seguinte :
Certifico que revendo o livro undcima dos bap-
tisados desta freguezia, a folhas 9 verso, nelle
achei o assento seguinte :
Aos 2o de abril de 1861 me foi entregue um des-
pacho de S. Exc. Bvm* mandando abrir o assento
seguinte :
Aos 3 de Janeiro de 1812, na matriz de Santo
Antonio, de licenga competente o padre Manoel
Florencio de Albuquerque, baptisou solemnemente
a Mara, parda, nascida em 24 de agosto de anno
passado, filha natural de Jeronyma Mana da Con-
ceicao, Africana, liberta, e moradora nesta fregue-
zia : foipadrinbo Antonio Joao Martins da Costa,
casado, do que para constar flz este assento em
que me assignei.O conego vigario, Manoel Joa-
quim Xavier Sobreira. O que se segua sao for-
malidades do estylo.
IU A \OVA X. I,
acaba de receber nm lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Hez Mariano.
Anda est venda na ra do Imperador n. 15,
defroute de S. Fraocisco, a rica edico do mez Ma-
, riaoo, ornada com estampas e vinnetas, e encader-
\ nada, por Ij e IjtSOO cada livro.
_LUVAS DE PELLICA. "
A loja da Aurora oa roa larga do Bosario n. 38,
jrtcebeu luvas de pellica muito frescas, pretas,
brancas e de cores, tanto para homem como para
senhTa, das mais novas e melhor qoalidade que
! tem ebegado, muito proprias para es actos da se-
mana sania.
ENFEITES DE BOM GOSTO.
Tambem recebeu enfeites de diflerenles qualida-
des e gostos, moito bonitos para cabeca, os quaes
se vendera baratos : quem quizer usar do bom
gosto e do modernismo, mande comprar na loja da
Aurora da ra larga do Bosario n. 38, pois !a en-
coatrarao tudo quanto diz cima.
VEWFSK
caixocs vasios proprias para bahlei-
i-os e fnnilciros a 1,760 rs.; a tratar
nesla ofll-ina,
Tinturara
Mara Bartholeza da Conceigo participa aos
senbores pas de familias que Ihe quizerem dar a ,i
honra de Ihe confiarem suas meninas, promette- Sq"* 1 grMd" cfsa ter,rea de Pedra e "'
ellas ohift. u -bons commoilos e alguns srvoredosde
Pliarmacia,
Vende-se orna botica nesU cidade com algum
fundo e boa freguezia : quem a pretender dirija se
a ra do Imperador n. 38, que ser informado.
Euzebio Baphael Babello tera para vender
em seu escriptorio, ra do Trapiche n. 44 :
Velas de cera.
Vinhe Collares em ancoretas.
Vinho de Lisboa puro em ancoretas.
Vende-se aexceilente propriedade_da~ra Im-
perial n. 164, freguezia de S. Jos, tendo 350 pal-
mos de frente e mais de 1,200 de fundo, no centro
Na roa Direita n. 116 continua-se a tingir para
qualquercor, e o mais barato possivel.________
D. Mara Angela"de~Moraes Monteiro e D.
Brites Sebastiaua de Moraes protestan) como acei-
tantes de urna letra sacada pelo Sr. Br. Americo
Al ves Guimaies quo nao apresentando a letra a
que-se referem, no dia do seu vencimentopara sen
real embolso, nao ficaro obrigadas a pagar os ju-
mamai grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere- ... j. m.nJnnnAn "jr:y,.lJ" Thpre7a nnc rnrnspnia inr 7ii ubm
terias feitas de crina e seda propnos para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas I oTuYies'com es*a"tran^accaoU
com o fundo preto e de outras de lodos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para! ^
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de christal, proprio | Desde Janeiro do corrente anno acha se au-
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; cutelaria fina, como lalheres com cabo de metal fino, co-! sent um escravo de nome Paschoal, do mosleiro
Iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, nvalhas finas, caivetes e outros artigos, diver de S. Bento de Olinda, cujas signaes sao os se-
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, selm, cera, papelo e ara-!guiles : cor bem preta, olhos redondos e vivos,
me, doces, confeilos e chocohte em caixinhas e cm vidros; camas de ferro de]todos os lmannos, lava-j urna mancha de panno no rosto, estatura regular
torios, ele.; ricos quadros para carlSes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos; e rheio do corpo, sera indicio algum de barba e
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias representa a idade de 18 a 20 annos : roga-se as
para quera faz po-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ; autoridades poliuiaes e capites de campo a sua
pannos paia cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores,! captura e entrega no mosleiro de Olinda ao Exm.
malas, etc.; sortimento de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pegas Sr. D. abbade ou no Recife ao Sr. Zacaras de San-
de charao para toillette ; machinas para varrer o chao, excellenles machinas para pbotograpbia para I la Isabel, ra dos Tanueiros n. 1, que sero gene-
tirar retratos, grandes e pequeas 1 lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para rosamente recompensados
illumioacoes moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senboras, proprios para qnem
toma banhos em lugares fundos ; araeixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja era barricas das principaes marcas de Londres, queljos etc., e muitos outros artigos
que para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito baralo no grande ar-
mazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vcndem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim nma colleccao desde um centesimo
at mil trancos : vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. CO, no armazeTn da Exposicao de Londres.
Precisa-se de um caixeiro para taberna com
pratica ou sem ella, prefere-se portuguez : a tra-
tar na ra do Pilar n. 9, em Fora de Portas, dando
fiador a sua conducta.
es
^<
o1"
o
55
O
'te
8 o
8
Saca-se sobre Lisboa, Porto, Ilha de
S. Migu-1 e Rio de Janeiro: no escriptorio
de Camino & Nogueira, ra do Apollo nu-
mero 20.
Ibes fazer todos os esforcos para que ellas obte
ubam o mais breve possivel o desejado aperfeic.ua-
mento, por todos os motivos, e principalmente por
ser moderna no exercicio escolar e querer acre-
ditar-se. Afianca-lhes a boa letra.__________
Na padaria da Torre precisa de um
bomem de meia idade para caixeiro sendo
solteiro e d conhecimento a sua conducta:
tendo alguma pratica melhor.________
Selecta ingleza
(First class Readcr)
Por G. S llillard
para uso dos esiudantes de inglez : acha-se a ven-
da na livraria Universal, ra do Imperador nu-
mero 54.
Na mesma loja se acha o mappa da guerra do
Paraguay, a venda, lithographado e colorido.
Escravo fgido.
Fugio ha l'i das urna preta Africana de nome
baixa, ma-
pequenos, levando
vestido de chita usado e panno da costa com fran-
jas encarnadas, e muito regrista : quem a pegar
le ve-a a ra do Queimado n. 26, que ser recom-
pensado.
Precsa-se de urna ama para comprar e co-
sinhar para casa de pouca familia : Ba ra Nova
n. 6.
COMPRAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferreira & Matheus, na ra da
Cadeia do Rocifen. 66.______________
Compra-se ouro e prata em obras velhas, p*
ga-sebem: na loja de bilhetes da Praca dalnde
tendencia u. 22.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
onras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario a. 24, loja de onrves.
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
a tratar no sobrado
fructo, precisando metade do fundo de algum ater-
ro : o Sr. capitalista que fiter esta acquisicao tem
alm de predio, terreno para edificar um grande
numero de casas, j com frente para a referida
ra, j em outras que passem por dentro da mes-
ma propriedade.que por ter embarque offerece a
Immensa vanlagem de facilitar a conduejao dos
materiaes, que sero despejados em cima das
obras: quem a pretender dirija-sc ao mencionado
predio, ou a ra do Brum n. 57.
Vende-se urna negra de 40 a 50 annos, boa
lavadeira : tratase na ra da Gloria, casa n. 51
Mnbilias e escravos.
Urna familia que se retira para a Europa vende
1 negro pega e 1 negra de 24 annos que cozinha
e lava cora perfeicao,2mobiliasde mogno, 1 guar-
da-vestidos, I cama franceza, 1 dita de ferro com
colchao de molas, 1 aparador, mesa de jantar, 1
toucador, lavatorios, carteira, quadros o muitos
outros trastes, 1 grande viveiro de passaros, vasos
com craveros, etc., todos os das nteis das 10 ho-
ras da manhaa as 4 da tarde, na roa do Sebo nu-
mero 33.
Arrendase um grande sitio com boas casas
de vi venda, muito terreno de plantas, perto de cin.! moco robusto e sera vicios
co mil arvores de fructo, muitas destas raras, *'
multa lenha, agua, capim, tambora se pode fazer'
parceria com quem tiver escravos de servigo de
campo, daas milhas distantes do Recife : a quem
convier, informe-se na praca da Independencia ns.
6 e 8, ,
Com
A's familias.
toda seguranga e responsabilidade
abri sua aula na ra Direita n. 60, segundo andar
w
a
Para completa liquldagao vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finase iartn, )nrad
novas chegadas recntemele de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguiotes : Eag.S3?X de delucao n 60 se encarreea
Rimmel, R. Matheus & G, Labio, Sociedade Hygieoica, Piver, Violel, L. Legrand, Deletrea, Pinand *-'
de colonia em
em garrafinhas e
. pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve
|lo : na fundicao da Aurora, em Santo Amaro.
Compram-se libras sterlinas : na ra do
Crespo n. 16, primeiro andar
Compram-se armagoes j usadas de chapeos
do sol em qualquer estado : na ra dos Quarteis
na ra | n. 22, loja junto ao funileiro.
Vende-se um moleque de 16 annos: a tratar
na ra do Imperador n. 29.
Tesouras de Guimaraes para logslas e 06-
belleireiros e costureiras : vende-se na ra da Ca-
deia do Recife n. 44, loja de ferragens.
Vende-se una pane do sobrado de tres an-
dares e solio no bairro do Recife ra do Amorim
n. 2o : os pretendemos dirijara-se a ra do Pilar
em Fora de Porta* n. IU, que achara com quem
tratar.____________
Vende se urna escrava crioula, moga e ro-
busla sem vicios, por prego muito mdico : na ra
Imperial sobrado n. 87.
Vende-se a taberna n. 12 no largo da Penha
com poucos fundos : a tratar na mesma.
t de mandar lavar roupa de varrella e ensaboado por
menos do que em outra qualquer parte.
- D-se a nma familia honesta para morar de meos de seu valor, bem como todos os artigos era geral existentes no grande armazem da Exposicao
graga um grande sitio com boa casa, leoha, agua
e alguma fructa, sob condigno de guardar o mes-
mo sitio : para informar, na loja da praca da In-
dependencia ns. 6 e 8.
Precisa-se de um bom feitor casado, sendo
portuguez prefere-se : no collegio da Conceigo
Tamariueira.
itt(
kncao
Furtaram do engenho Bento-Velho, em Santo
Antio, oilo quartos, sendo quatro fuados na noi-
te de 18 de margo lindo, sao lodos castrados, cinco
rugos e tres castauhos, quatro ferrados somonte
com a marca P por serem crioulos e quatro cora-
prados eom outros ferros, porm ferrados com a
mesma marca P de que asa o propnetario que nao
vende nem iroca cavallos cora esta marca r pede-
se a quem os encontrar, que os tomem e os man-
dem entregar no dito engenho, onde se pagar a
despeza e gratificago. Di:-se que as daas quadri-
Ihas qoe all existem zombando da fraqueza da lei
e das autoridades os negociam para Rio Formoso,
Pajeu' e Pedras de Fogo. e all na felra os adqoe-
ridos de fra. t assim que est garantido o direi-
lo de propriedade era toda sua plenitode.
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Escriplui-aco mercantil.
Urna pessoa precisamente habilitada propoe-se
fazer alguns irabalhos de escripturagio, podendo
ser procurada a ra da Cadeia do Recife n. 39, por
corta fechada com as iniciaes A. ('. G.
Compra-se urna escrava que saiba cosinhar
e engommar : no segundo andar do sobrado n. 2,
esquina da ra de Borlas
Compram-se soberanos :
Nova n 42.
na ra da Senzala
Protestos de letras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranga de senhora,o que se tem feito de mais ele- Ca^rmitua eTeSa^oXanoT? "' SemaDa"
gante ateo presente : vende-se*)or menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posigo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Luvas
de Jouvin.
novas
Vendem-se excelentes luvas de pellica recentemenle chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposigo de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DOCE
Na ra da Cruz n. 33, compram-se cdulas
das caixas filiaes das provincias, e do banco do
Brasil, com descont razoavel.
Qnem precisar de urna pessoa para um en-
genho a vapor para se encarregar do machinismo
e outros servicos, dirija-se a ra da Praia n. 31.
I
uizem que o fldalgo sem renda, (o diabo que o
entand) de sip assa', o primeiro nome Ihe caa
as costa,-, e derrengado de polica de Itijuca, man-1
Azeite doce refinado em pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graudc armazem
da Liga.
Saceos de 80, 100 e 120 libras a 40,4(5(500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
Caara municipal do Recife.
Quem estiver habilitado a fazer ser removido to-
do o entnlho de lixo e immundices que existe no
'emua oUedar surras d'ahica nos "fezes; ea*s do Ramos ao norte dos tejheiros que all exis-
recrotados e voluntarios que loe cabem no tron-
co III se assim como eremos, admiramos a feli-
cidade desse tratantasso era nao acbar quem Ihe
applique ama1)acamartada por to valiosos ser-
vicos 111 Nao seria melhor que ene caioteiro-mor
trata-se de trabalhar e pagar a qnem deve suac
letras vencidas a tres, seis a mais annos III avista
te, eom brevidade, entenda-se
guezia de Santo Antonio desta
do ajaste.
com o fiscal da fre
cidade para tratar
Alaga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da roa da Guia, pintado de novo e cora commodos
para grande familia : a tratar no primeiro andar
cem seu proprietarlo o bacharel Francisco Lniz
Correia de Andrade.
Lino de Faria, sob o peso de ama graode
dr, agradece a sens dedicados parentes e
amigos que se dignaram assistir as exequias
de sua virtuosa e sempre chorada esposa
acorapanhando o cadver ao cemiterio pu-
blico ; e roga aos mesmos senhores a cari-
dade de assitir a missa que por alma da
mesma sua consorte se ha de rezar na igre-
ja do mesmo cemiterio, pelas 7 horas da
manhaa do dia sexta-feira 21 do corrente, a
qual nao pode ter lugar no stimo dia, ira-
Cedido com os actos da pafxo. O mesmo
ino de Faria se considerar sempre reco-
nbecido aos seus bons amigos e parentes
por este ultimo acto decaridade c sympathia.
Comprase na loja n. 25 da roa do Crespo o
Liberal de margo e abril de 1863, publicado na
lypographia da ra das Flores._____________
Compra-se o Jornal do Recife de 2 de maio
do anno passado, paga-se bem : na ra da Umo
numero 42.
Compra-se urna escrava de meia idade, ro-
busta e sem vicios : quem a tiver dirija-se a ra
de .-ama Cecilia, casa n. 17, que se dir quera
compra.
Cobre, iaiie c chambo.
Comprase cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola amarella no oito da secretaria de polica.
Folha de Flaadres,
Vende-se em caixas, em porgo e a retalho da
melhor marca um X, mais baralo do que em ou-
tra qualquer parte : na fabrica da travessa do Ca-
noca n. 2, caes do Ramos.________
Machioas para algodo
Vende-se urna machina de 18 serras e 2 moto-
res para 2 e 4 cavallos, nm americano c outro in-
glez, para mover duas ou mais machinas de algo-
do, c\ I i tulros de padaria e de moer mandioca, e
outras quaespuer machinas para agricultura; ven-
de-se por um prego mdico e muito mais barato
que em outra qualquer paite para liquidar : a ver
e tratar na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.
Vende se
urna escrava boa cozinheira, faz doees, lava e en-
gomma alguma cousa, se dir o motivo da venda :
a tratar na ra do Imperador n. 4', armazem de
louga.
VENDAS.

Sitio para alugar.
Aloga-so o primeiro sitio a esquerda, depois da
capdla dos Afflicios, com grande e excellenle casa
de vivenda, baixa de capim, Innmeros arvoredos
de fructo, tudo no melhor estado : a tratar em
Santo Amaro, sobrado junto ao cemiterio inglez.
PreeUa-e alagar urna escrava ou moleqne
de 14.a 16 annos, qne seja fiel para servigo de
rna: a tratar no largo do r.hsfariz da ra do
Bro 0. 47.
Desconfain-se notas do banco do Brasil e das Rogase a pessoa que levou por engao da
caixas filiaes: oa praca da Independencia n. 22 : loja da Boa Fama um chapeo de sol que se ochava
- Joaqun Fernaodedoi Santos retirase para ^P^urado ao baldo pelo cabo, de o restituir
Europa, e deixa por sens procuradores dorante a inesCa typograpnia,________________________..
sua ausencia aos Srs. Antonio Martins de Carva- Precisa-se de ama ama para todo servigo de wmos Pe' uaraussimo prego ae zpow
Iho Azevedo, e seu Irrao o socio Antonio Fernn- urna casa de pouca familia ; a tratar na ra Ve- ua praca da Independencia, livraria ns.
des do? Sap'os, Iha n. 5i. 6 e 8.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typograpnia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
0 GASTELLO DE GRASVILLE
Traduzidodo franeex per A. J. G. da Crnx.
bello romance em quatr
Paletots al#200
Sao de brim : n loja da ra da Madre de Dos
n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Vende-se a casa da ra das Cinco Pealas n.
96 : a tratar na ra uireita n. 106.
Vende-se a taberna da ra de Joao Fernan-
des Vieira n. 64, cuja taberna o sea dono resolveu
a dar por menos a armacao do que pedio por se
adiar bastante doente. Na mesma vende-se urna
pequens armago de taberna j desorganisada, por
prego mais barato possivel : as pessoas que pre-
tenderem dirijam-se a mesma, na Soledade.
Vende-se urna taberna com poncoT fundos,
ou mesmo com aquelles que cenvier ao compra-
dor, muito propria para qualquer principame por
ser de pequeo costeio e estabelecida em ama das
melhores localidades da ra Direita, e bem afre-
guezada para a trra : a tratar na mesma ra nu-
mero 22.
Arroz com c sea
Vende-se sacco de arroz com casca cora 20 cuas
a 38 o sacco- na ra Direita n. 69, padaria.
Vende-se urna porgo de terreno encravado
no sitio da Torre, no lugar de Belera : quera qui-
zer dirija se a ra do Cabug n. i.
Vende-se urna cabra (bicho) que da urna
garrafa de lei le com urna cria e por prego com-
modo : na ra da Concordia n. 8.
Vende-se
tomos pelo
este
baratissimo
Instrucces para o servido
das guardas do exercito, exirahidas do re-
gulamento de infantaria e arcommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpes
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a \&.
Atteneao
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
ama duiia : em casa de Johnston Paler & C. raa
do Vigario n. 3.
JM


Dtarto de Per.aaMbiieo arte ielra 1 4e Al,r.l de las*.
Ha para vender
Pinbo, piRo, mais linka, uiailo pinito,
pinito, roa da Praia, baje, ra Nova
de Santa Hita u. 47.
78910 e 11 pollegedas de largura
J)e 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e com todas as gros-
suras : cheguem na Nova de Santa Rita
n. 17, serrana de Jos F. Coelho.
Atten$o. "".
Loureiro Santos & C, acabam de reeeber da Eu-
ropa pelo vapor, om lindo sorlimento d enfeites |
pretos, proprios para a quaresma, enfeites anda
nao vistos em Pernamboco, pelo preco de 5, 6),
105, 125 e 200, bem com grosdenaples prcto, nio-
reantiq, capas de grosdenaples, e southambarqo.es
de mesmo ; tudo por precos mdicos: ra do
Crespo n. 14. innin a Inia

ESTABELECIDO A EUA NOVA N. 60
A0 i
UESPEIJ AVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zea da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxjra i parte mandados vir directamente do estrangeiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico envseu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas :
ESffl0IGESTIVAs|SH8l
As pasthas dige$livas eom a pepsina de Wat-
man, empregao se com soecesso b j algn
annos pelas celebridades medicaes de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as ineommodi-
dades em as quaes a digestio difficil, penosa,
imperfecta on mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
1. Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
Gastralgias.
Mapeaalaa.
Eniliararna (atrlcoa.
A aalrlte.
A affreeora orgni-
ca da ratimago.
Dlarrhea e ranatl-
parao prorfuzldaj
pelaa elaboraaea
4efeetnaaaa do all-
aaentaa.
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos lonrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqaer qae seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Em todas as molestias emprego-se a miude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente aspattilhas de Viehy. Esse meio i so"
efncaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racio, mas o prolongado uso das aguas e pasthat
ie Vichy, tcm grandes inconvenientes, por quanto
os alcainos empobrecem o sanguc e isso de til
maneira que lhes arreblhio a parte vivificante,
nutritiva e reparatrz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
transformacao dos alimentos assimilhando-se
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de como eiies e ajudo tabem como eiies a nutricio
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- gerai. Sua accao vivifica o sangue e os drggos
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po- ^sorte que, ath as pessoas que sem soffrer as
dem on n3n miprpm vender affeccoes gstricas cima mencionadas sao unica-
aem OU nao querem ^enaer. ,.-.._. ; mente fracas ou d'um temperamento uro pouco
Os senhores de fora da cidade, dos arrcbaldes ou centro, que compram para ne- dbil, necessito substancial alimento para for-
gociar, devem vir, pelo seuproprio interesse, a este estabelecimento para se convence- t.ficar te. achio no emprego das pasthas pep-
rem do quanto se pode vender barato. \ gJJ >". >" poderoso meio para a uso
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe- Aviso importante. o successo das pastilhai
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito dere agr lar aos senhore* pepsina de Wasman din causa a se fazerem fai-
COmpradores. siicaces e imitacSes d'esse producto que os
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- ff ^^.*J fif SS5A
os# Iterada. Seremos ao abrigo Teste inconveniente,
eiigendo os compradores que as pasthat tenhio
as iniciaes B. P. e saio da pharmacia Chevrier.
dar a todos
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
Depsito geral em Pars, pharmacia Chavrier,
|1, Faubourg-Montmartre, e em to'
91
MANTEIGA ingleza efranceza de 600 e
800 rs.
MACARRAO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes
diversos precos.
ALPISTE E PAINC0 a 120 rs, a lib a.
AMEND3AS novas a 28o rs. a libra.
AVELAES a 246 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas era latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs. a libra, em por-
c3o faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezes em latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25.000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, habannos, fluminenses, etc.,
de 1.400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
D
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
FARINHA de aramia verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA dt> Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
Ct
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENE81U de laranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Hollanda cm botijas, frascos, J VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
garrafas, etc.. etc.
_ todas u bou
pharmacias de Franca dos paizts estrangeiros.
B 2-C 3 S-
g'd.-o'B'Sg agSsj
S. 2. P *><3_
a Os
Si.
ira s-g a
1 -3
n 3 3
.1768
M O.TJ
3 -!- S
53 O < 3 r. 3 g
a c o o 0
B.^S-5-g.Sg
III
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.-
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.

SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINTIO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHObranco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4(5 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.LOO, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porlo de todas as marcas e todos
os presos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de divesas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
arroba.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos. & Colho
Raa da Queimada a. 19.
Veadc-se e segainte:
Lences de panno de linho
pelo baratissiraopreco de 2,5100.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 35500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 24500.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibelra, a 24 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo cora 10 varas
propria para sala, a 3*800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 2*660. <;"J
Gnardaoapos
de linho fios doria 3500. ff&
Algodo entestado
com 7 1|2 palmos de largara vara 1A200.
Cortes de laa
com 15 covados a 6*.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cor-tinado pega HJ.
Pil |de linho
liso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodao
com 8 palmos de largara vara 2*200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmo de largara vara 3*200.
Liazinhas carmezim miudlnhas
prepria para vestido de menina, covado 600 rs.
Laazinhas
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdeoaple, moreantlqae e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
larwra, por menos preco do qae em ontra qutJ.
qaer parte.
Neste armazem de fazendas se encontrar .nm
grande sortimento dejroopa feita e por medida
FJRELO
de Lisboa.
Veadem-se sarcos eom 90 libras de farelo, pelo
barato preco de 4*500 : na ra da Madre de Dos.
omero 9.
da llavana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de Ha-
vana de diversas qualidades.
rr-- S O O
eo
3 a 5 S-S.S. ES =:
~,S;3Q.CE0"B
o>
B9
a
. C3
o
gK'g-.S
x a>
O ai OQ
Lo. =5 B -5 w S
*, o I c c-o

2g
o r>
- 2.
cr 9?
a
j 3 ^ t r* B
= r 5 o o.
O
s:8 2.
SI
c-3
* o. o." a>
ljif!
-a -2. 3 S S
8 *S
w < 2
*l Cu_, o rr
w a = ?
en
?a
S
2 .
i,
TP. S
5
S
o
a.
n>
tu
ai
3

oq o s e
o
s
T3
as
"I
09
O
as
Cu
O
as
'a
o
P
MARA PA
Hara Pa
Ka ra Pia
Acaba d* chegar pelo ultimo vapor inglez nm
esplendido sortimento de enfeites de cabera a Ha-
ra Pia, os quaes pela sua elegancia e bom gosto
de cada qoal o mais bonito nada deixam a desojar
sendo pretos, rxos, cor de bonina e azalzinho
seus preces a 2*500,9*, 4*, 6*, 8* e 10* : na
loja do novo rival roa do Queimado ja. 16.
LE?
5.5-3
N
M o

O.
o
w
ns
a"
a>

ft
"*SS 2..
o <2 A 2
3 S g
.. ^ 6
gS'P
ri
d n
n 3 S o o
a 3 E
-
o (a
E.H
z 1
8 s

'
e-p.

n
^ -i ?
o.
o
o
o
co
S
3.
o
fia.
S-5|
S.358-
w < K
s.
1?

I>
~ ^ I
I
co
3
Hl-i
II
si*
a
3
Eu-"Q
8?
KMSnSaTM
MASSA E XAROPE
BERTH
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxosf a Grippa e todas as IrritacSes
do peito.
AVISO
Fabificacocs reprchensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Massa de Berth,
nos obrigo a recordar que esses productos
to justamente
nomcados nao se
entregao senao cm
bocetas e em fras-
cos com a asigna-
tura aqui indicada. |i *,ha lu, ru Saint-Honor, na phariiacu no
LUVRE, e em todas as pharmacias. .
Deposito i;eral em Pernambnc* ra
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
da
O
o
O

DE
duenda inieiramenie
AZEVEDO FLORES
Roa da (l^deia do Recifc, esquina da M , Prestem atten^ao ao discurso do Balo.
Moreantique superior a 2#o00 o covado.
Grosdenaple de 10600, 1^00, e 3A.
Baloes de 20, 25 e 30 arcos a U e $m,
dem para meninas de arces e de morselina.
Chales pretos de fil do ultimo gosto.
Laa preta para luto e de todas as n.ais cores.
dem com assento prelo e cor de caf, flores matizadas,
nova vista se far o preco.
Vestidos a Maria Pia. os mis novos a 18^000.
Cuitas largas de 300 rs. o covado a 500.
Lenc< s brancos a 2^500, idem de esguiao j embauhados.
Madapoloes francezes proprios para saias e camisas de senhoras a 560 rs. a vara.
dem muito finos de 14(5 a 16$ a peca.
Camoraias brancas muito finas a 50 a peca.
Chales escuros proprios para as senhoras trazei em por casa 4#.
Meias cruas inglezas a 80 a duzia.
KOVPA FEITA.
Paletos de alpaka brancos muito.finos a 40500 e 50. .
dem de casemira de cores de 100, 110 e 120.
Calcas de casemira pretas e de cores de 70, 80, 100 e 120.
dem de brim branco de 40, 40500 e 50.
Colletes de casemira pretos e de cores de 40, 50 e f 0.
dem brancos de brim e frutas de 20, 20500 e 30.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o preco,
dem peitos de linho, e de algodo de 20 a 50.
Seroulas de linho com duas costuras.
dem de esguiao de algodo a 10600.
Colleirinhos de linho inglezes.
. dem de papel de cores.
Camisas de flanell i de cores de 33 a 60.
H i muitas outras fazendas que se vendem por precos muito baratos,
amostras com penhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do
5o-se
W'SJ
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao prelo adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorgurao de seda bordados co^barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400^ 20600, 30, 30500, 40, 50, 60,
70. e 80 o covado.
Superior gorgurao de soda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hes anhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500,10800, 20,20500, 30,
30500, 45, 40500e50.
Pannos pretos de soperbr qualidade de S0a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fTO prelo.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qgalidade na lija das Columnas
na ra do Crespo -b. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
mCBIMSDEPATEM
de trabalbar mn> |i
Colares Royer
u celares auodioes elctricos con ira as covulses
das enancas.
O bom e proveiloso resultado' que as enancas
ebtem na denlicao. Irazendo desses colares, j
bem conhecido, e por isso se tornam hoje indis-
pensaveis porque assim tcem os pais incoatesta-
velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambem narua do Queimado, lojad'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se a vender em por?ao e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia.branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e gales prelos para ressidos,
A aguia branca recebeu novamente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trancas, franjas, galoes e biros pretos, etc.,
assim como botdes enfeilados de vidrilhos, e ou-
tros muitos enfntes do difireme? cores, conti-
nuando a aguia branca na roa do Queimado In. 8
a vender tudo isso por precos commodos.
Bonitas caixmhas
com msica e sem ella para costura, e entras
ignalmente lindas eom perfumaras finas.
A aguia branca na roa do Queimado n. 8 acaba
de reeeber un bom sortimento de caixlnhas para
costura,e ontra?com perfumaras finas, e conti-
ni'ia a vende-las baratamente._______________
C/legramos superiores
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, vlndos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Corroa de Vascon-
celos A C.
traba I liar if*
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OlIrASi
Estas machina!
afe., podem descarocar
y qualquer especi*
ijl'de algodo sen
ff .'estragar o fie
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pd
descarocar ums
arroba de algo-
do em caroct
em 40 minutos,
ou 18 arroba*
por dia ou o ar-
robas de algoda;
lirapo.
Assim como machinas para seren movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas dealgodt
Ump, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por qae pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-so aos Srs.
agricultoresa virem ver e examina-lo, uo arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
. Sauiders Brothers & C.
W. II, praca do Corpo santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Rijas hamburgueas.
Vende-sena rna Nova n. 6\.
Atlenco
Vendem-se pecas de esftiras para forro de sala,
tinta tranca preparada a oleo, era latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendorar, armos para I e 2 cavallos,
velas de spermacele, tudo de superior qualidade,
vlndo dos Estados Unidos: co armazem da roa do
Trapiche n. 8.
Oleo de florida
Composto de substancias'-vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forja, a belleza e a conservacSo dos cabel-
los.
Em Pars casa de Guilaurn. 112 ra de Rechl-
lien e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao lendo intacto e clare, e Un-
cir prateado da rasa, reputado falso.
Deposito roa do Imperador pharmacia n. 38.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B> rdeanxpm barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito do Champagne mnito superior.
Cerveja franceza marra Bobee.
Precios que admira.
Sapalos de tranca superiores pelo barate preco
de 15 o par, e andiz 10 : no vigilante, ra do
Crespo n. 7
Bico adamascado de todas as larguras, poca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespn. 7.
Clcheles em cartao de nma e duas carreiras
perfeitas, pelo barato proco de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, aduza a 1200,11000,
M,3*,4Je5
Balaios propriamente para costura e para Inic-
ias,e para menina trazer no brac,o a 1 .100. i600,
1800, 2 e 2500.
Perfumara, macaca perola a 2, 2200, 3 e
4 a duzia. oleo de maozinha a o e 6 a duzia,
banha a 3, 4 e 5 a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis precos em conseqaencia
de seren arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, poisaffanca-se a pouca avana e a boaqaa-
idade: s no galo vigilante, ra do Crespn. 7.
IDlVOGAA.
31Ra'larga doKosario34
Barlholomcu Francisco deSonza
Vendem:
Acido actico piro.pra retratistas.
Esmaltes para otirives.
Papel para forrar casas.
Guarnieses a vellndadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeV>neza, fino.em paes.
A molestia ou itifeccSo pecu-
Jiai-eoiiheida pelo nftm do Es-
crfula um dos males mais
prevalecentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que sofffe o
genero humano : disse um cele-
bro escriptor da, medicina que
mais de nma tersa parte de
todos aquelles que uioiiem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la i:por si nao to des-
I Uva, porm a principal causa de muitas
I outras enfermidades que nao Ihc sao geral-
menle altrihuidas.
E' urna causa directa da phthjska pul'
' monar, das molestias do figado, do esloma-
\go e affecede de cerebro:Entre os seus
i numerosos symptomas acham-se os seguin-
j tes : falla de appetite ; o semblante pal-
liio e s vezes inchado, s vezes de urna
altura transparente e outras corado e a-
Imarellento ao redor da bocea ; flaqueza t
' molleza nos msculos : disgesto Yaca $
appetite irregular, falta de energa, tentn
inchado e evocuaco irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos ;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados: o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
lciras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupcSes na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pie- *
dispostas s affeccoes dos pulmdes, do figo-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Porlanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
tecce contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus latee-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) eslao exposlos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
Aphthysica, ulceracoes do figado, do es-
tomago e dos rins: erupcOes e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chagat, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz "tubrcu-
los e finalmente consumpcao pulmonar :
as glanulas ella produz inchaces e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affeccoes cut-
neas. ,
Todos estes males tendo a mesilla ori-
gem, carecem do menino remedio :.a sa--
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllba de jcv
composta dos antdotos mais eflicazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'eila que
contm virtudes verdaderamente oftraordi-
narias provado inconlestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feilo de tumores, erupedes cutneas, eryst-
pelas, borbulhas, nascidas, cha gas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrcpe- -
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge-
ral:Indigesto, Syphilis constitucional t
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceracoes do ulero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summa, teda serie
de enfermidades que nnscem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alma-
nack e .Manual de sado do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo- -
riosas experiencias, c ha abundantes provas
das suas virtudes: poslo que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composto de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITORAL DE CUIDA DE AYER.
Cura promptamenle a astlima, bronchitc,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
moleslias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as moleslias da garganta, da peito.
e dos pulmes pdera ser curadas em pou-
co tempo pelo peitohal de ceiiem po dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central de
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
napharmaela franeeza de
P.rMUBER i C. "
RA NOVA N. 18.
AC.
Carta chorographica
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta a venda, as tojas abaixo ir en-
donad is, a caria clmropraphica do ibealro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, ron-
tendo as plantas do Faysand, e do bloqueio e coi-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavel
nao s pela laruna que velo preeneher, como pelo
esmero do trahalbo lythographico.
Vende-se pela mdica qoantia de 2000 as livra-
rias dos Srs. Noguein, ra do Crespo; e do Sr.
Cardoso Ayres, na daCadeiado Recife, assim corro
as tojas da Expsito de Londres e na |\tliepia
phia do Sr. Carlos, a mesma roa n. 52, e na I. ja
do Sr. Cardozo de Almeida, rna da Cruz.
Marcineiro.
Vende-s nm pardo moco., bom cfflcial de marci-
neiro, e sadio ; para tratar na roa da Cruz luiiio-
ro33.
AGUA
DE
F lorid\a .
para reslabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A atrita de Florida nao ama tintara, fado es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas d/ plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
prledado de restituir aos cabellos o principio co-
rante que ellos tem perdido.
De urna salabridade incontestavel. a agua de
Florida entretem a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empeSe os cabellos de cahir.
Vende-se urna machina de copiar carta?, n .i-
nb" *p moer caf, I batanea ingleza, latas ce f ;z.
va.-if'torra mane '"(' rs. a libra, velas eis-
permecote a 600 e-bO, t.irnanba 'AO e ifcO, pai-
sas a 400 rs., vinho de Lisboa a 320, 400 e UO.
Fipueira 500 e 560. branco 500 e .'60, Por lo CO
e 720, toucinho de Lisboa a 320 e 400 rs., btalas
a ?700 o gigo, e 100 l*. a libra, arroz superior a
100 rs.. cato I* soite a 260 e80. azeite docf a 560
e 640, cha 2560, dito, prelo 1*500, sibao i)sa
superior a 200 e 2i0, ceblas !<5 o rento, fari-
nha do Uaranho, alpisla, manleigh, tanta ce i < i -
co, e onlros muitos gneros qnrr em pr,6 u n r>,
a retalho mais barato do qoe rm cotia luincrr
parte, com o dinhelro avista : na rea Dins n.
72, armazem attencioso.


Mil*. A *r*rfMt^iimi*.l' t ft' ltfhfeVM*

AURORA BRILBAWTE
#
GRANDES ARMAZENS
WOLHADOS;
? Largo da Santa!
fGruz q. 84, es
juina da ra do~
VIMIOS
!**:.....
O novo proprtelario
JR Largo da Santa!
^Gruz n. 84, es-
___________ Bqdioa da ra do
do j multo acreditado armazem de molhaqos d-iuominalo Au-
rora Brllhante. cooHoua a ler o mesrao sortimento de izeneros de primeira qualidade.
A seguale tabella si r vira' a lodos de base para ajuste do comas aos portadores,
rteuliuin armazeni vender' rnais barato e raelhores do que a Aurora Brilhaote, ja'
pelo grande sortimeato que lem, ja* masrao porque seu dono so deseja tirar diminuto la-
cro quinto chegu* para accumular as despezas do estabeleeimeato por isso deixe se a-
proveitar, o prsprietano ba do fazer toda a diligencia, atn de servir bera os seus cons-
olantes freguezes.
Litas com 8 libras dechourijas muito novas,
a 7aOO.
' Ditas graTides cora peixe em postas inteiras,
maisde 12 quaHdades, a 1,5000, 1*280 e
D.tas cam ostras, excellenle petisco para fri-
gideira, a 720 rs.
\ Bitas cora er vi Ibas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas cora (avas, a 640 rs.
^j Ditas cora mermelada do afamado fabricante
Abreu, a 720 rs.
jDitascom massade tomate, a 500 rs.
Ditascom figos de comadre, novos, a 13500.
23 e 2S3O0.
(Ditascom bolachinha de soda muito novas, a
f 25J0.
Ditascom biscoitinhos inglezes de muitasqua-
Iidades, a 1 *i00.
Chocolate.
Caixinba com ameitas enfeiladas proprias
para mimo a IJiOO,2J800 e 3J200.
Mvocolate superior muito uovo, a libra de
880 a lfiOOO.
MicarrJo,lalliariame aletriaamarella,a Irbra
a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevlde, e outras ms-
sas, a caixa :55aO0.
Ditas dita em libras a 640 rs.
3aU, a libra a 360 rs.
^vadinha para.spa a libra, a 240 rs.
Emilias seccas, a libra a 160 rs.
^itas descascadas, a libra a 200 rs.-
ipioca muito nova, a libra a 280 rs.
nana de araruta verdadeira, a libra a
Afl SWra.
>?*> Vrroa d) Miranhao, em sacco, a arroba a
' 25400 e a hhra a 80 rs.
f'Wo da India e Java, a arriba a 33*00 e a li-
bra a 100 rs.
i'ractohd de Lisboa a 9#j00 a arroba e a 320
i) rs. a libra.
. j )to de Santos, a arroba 73000 e a libra a
,. 260 rs.
'., lil nos con 123 ceblas grandes, a IJ280.
O isiarda franceza, caixa com 2 duzias a
74090.
'rudos com mosurda preparada em vinaizre,
v 400 rs.
J s com conservas iugletas e francezas,a
640 e 800 rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.
sih 'itas
"?$''pio
' .pin
Viabo rerde superior.
A caada a 30000 e a garrafa a 400 rs.
r.nmm1)
Gorama"
arrobas, a verdadeira de se|
a arroba a 33000
e a libra
#1
Saccas de &
enzommar,
120 rs. ,
Sabo massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
ftritfca.
Saccasgrandescomfarinhade Goianna mu-;
to nova, a 53000. I
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 83,;
83300 e J3000.
Cha.
Cha,temos ne>tes gneros o mellior possivel,]
hyson, a libra a 23600.
Dito peroia a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 23800.
Dito redondo a 23300.
Dito preto le primeira qualidade a 23500.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Era mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
literatee te.
O masso eom 6 relias de esperraacete a 600,1
640 e 7u rs.
Passas.
Gaixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 43 e 23500.
Xozes.
Nozas, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Aloisia e pnico.
Alpistae painso.a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 5'0.
Castaahas.
Gastanhas novas vindan neste vapor, a arro-
ba 43000 e a libra a 100 rs.
Axeitmas.
Barris com azeitonas novas a 15800
Manteiga.
WMteifftsQjfeerior, a libra a 13200.
Hila mais imito a 1SI20.
Dita menos superior a 13.
Hita franceza noya, a libra a 43120 Jj
Dita dita era barris e meios ditos, a li
13 rs.
ero
Dito
Ditos eom a verdadeira genebra dolaranja, a | Dita para tempero a 400 rs.
1-5000.
de 2 garrafas de llollanda verdadeira,a
-1- 640 rs.
,?XO)tjus cora dita proprla para negocio, a
ft 400 rs.
* Jarrafoes com 2 gales com dita, a 63-
Qneijos.
Qaeiios novos vinios neste vapor a 2*800 e<
3*noe.
Diros londrinos muito novos, a libra
13000.
Papel.
"ES MT" a 30cs'a garrafa'e a'***<* **> pau,aio>a resma a S22-
^L.viarra*qiiinIio verdadeiro.frascos a 80C rs. e "
S a 13200.
203000, e a garrafa a
?B'Iharmiagoe, a duzia
ffQ 25030.
A Vzeite refina lo portuguez e francez, a garrafa
a 1-3)03.
laixa de vinho Bordeaux muilo superior,a
: j. 83, 93 e 103 a caixa.
litas com dito branco, a 73 a caixa.
n Oiti* com lito lacrimas do Doaro verdadeiro,
;'ffa).
'a1-Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
r-s 185000.
yfij Ditas com chamisso superior, a 143.
'^f'Ditas com Porto veHio e outras muitas mar-
1 cas, a 123.
Y) Vinho do Porto da pipa, a garrafa* 640, /20
V w e 800 rs.
f. Dito de Lisboa muito bom, acanada a 33200,
KM 33300 e 43, e a gwrafa a 500 e 560 rs.
TPDito da Flgueira, das seguintes marcas (.\.)
i (J. A. A.) (J. L. G.) (O. H.) a caada a
43300, e a Rarrafa a 560 e 640 rs., desle
que i est engarrafado e lacrado com o
^^ rotulo do armazem.
ffisDitos de marcas mais desconheeidas, a cana-
B da a 33500 e 4*000, e a garrafa a480e
520 rs.
Vinho branco Bno, a garrafa a 640 rs.
(Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
raa a!
23500.
Dito de erabruiho, bom a 13 e 13200.
Vinho Xadeira.
Garrafas com n verdadeiro vinho Xerez e Ma}'
deira a 1*500 e 23000.
Temperos.
l'olhas de louro, pimenta do reino, cominlio>
e cravo, a libra a 400 rs. _
Velas de carnauba.
Masaos com 5 veas de carnauba refinada a
480 rs.
Araendoas.
Amendoas com casc, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce d.e goiaba, granaos a 1*400 \
e pequeos a 640 rs.
Tijtlos d* lisapar.
Tijolos de arear facas a MAM.
GnfeA.
Duzias de boiSes de (paaa 1. W 2*000, e;
de latas a 13000,<* boides a 240 rs. ca-
da um, e as latas a KK) rs.
Ciujutfls linos.
Charutos flno WtfcMM fatjiieaato da
Bahia por diversos precos, MBtt o- meias j
caixas.
E grande quautidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
N. 11 Una do QaeimadoK. 11
Superiores cortes de seda preta com lindas barras.
Suoerior soda fa^onn o que ba de melhor e mais ?osto.
Moreantique preto mnilo bonito a 2-3800, 3*, 33500 e 4* o covado.
Completo sortimento de groedeuaplt preto de muitas qaadades.
Pannos pretos e casemiras de nu'tas qiialidades.
Bournus, chales e los de-renda pretos superiores.
Superiores pdisses e soutemharques de seda para sinhorais.
Bonrnns de laa para senhoras a 12*.
Chapeos e cbapelinas de palha de Italia para senhoras.
Cortas de la de barras de 143 a 223 de muito gosto
E muitas outras lazendas de superior qualidade na toja de Augusto Frederico dos
Santos Porto aonde tambem se vendem as raelhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
H. 11 Roa de Queiraado---S. \\
3D
Camas de ferro
Vende-se grande sortimento destas camas na
ni i Nova n. 33 ; na mesma loja vndese grandes
o imioes de ferro forrados de porcelana teodo
d'Ms azas e lampo de ferro, recammendam-se a
iijem precisar.
CRR0L4S
No armazem da viavr Panla Lopes, defronte do
embarque na eseadinha, vendem-se ceblas as rae-
lhores do mercado, em caixa e cento, o mais bo-
rato possivel.
lOMLTORie MEDIC-CIRIRGICO
DO
DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO.
EDICO, P.IRTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da (Hara, casa do Fundo 3
O Dr. Lbe Moscoso d consaVts gratuitas aos pobres todos os das das 7 as i
Horas da maubJa, e das 6 e meia4s 3 horas da noile, excepto dos. das saotieado;
Pharmacia especial homcopathica.
No mesmo censultorio -oa sempre mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avolsos, assim como tinturas de varias dymnamisac5es e pelos preces seguate?
Carteiras de 12 tubos grandes. 12*000
de 24 tubosgrandes. 18,5000
de 3Gtuborgrandes. 2.40000
de 48 tubosgrandes. 30^000
de 60 tubos grandes. 35*000
Prepira-se qualquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
que se pedir.
m tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onfa i#O0O.
Sende para cima de 12, custaro is precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 300 ris.
LITROS.
A mellior obra da homeopatbia, Manual de Medicina Homeopatbicodo Dr. JaUr
dons jrandes volumes csn diccionario...... '..... 20*000
Medicina domesticado Dr. Hering,........... 10*000
Repertorio le l)r. Melle Moraes............. 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,,.. 3*000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamenterecommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis lelasna boa conservado, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a maisexacta e aecuradapreparaejo, e portanto amaior ener-
ga i certeza em seus effeitos.
Cam de sade para escravos.
Recebe-seescravos para tratar de lualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualqner
operacao, para o que oannunciantejulga-sesutficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nSo
pode davidar, que pdern ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
ioeutes.
Paga-se2^k)00 por dia durante 60 dias ed'ahi emdiante 1^(500.
s As opera?5es serSo previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos pre?o?
azoaveis imcostami pedir o annunciante.
NEM C0R0A.S N
0
GRAMDE
ARMAZEM
DE
Laboratorio enoloatfco e cliimico de F. P. Lebenf e C
i*ua Montmartre, 31, em Paris.
Fabrlea em Argeateuil, prs Pars (Franca).
BONIFICADO EFABB1C4(! 10
Dis viahos, aguardeates e licores.
VINH03.Imila^Jo dos viahos de todas as
qualidades.Eitracto de Med->c, adose para 230
litros, 1 f. 25,de Bordeax, 2 f., de Pomard, 3
f., de Lisboa, t f.,-do CaUlao, 2 f.,-de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 4f.
Substancia ara fabricar com o aloool e agua
os vinhos cima e todos os outres. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICAQOPos Ingleies, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 500
ijjps, 5 r.
COLORAQO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
AGUARDENTES.Essencla de cognac para dar
as agurdenles urdinarias o sabor eo aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABalNTUO. -Essencia de kirsch e
de abslntho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sera fogo eem alambique, (in-
dicaT-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos oa
comnaons a dos* para 20 ou 2o litros, 1 f. 23.
TOBOS os ootros productos para o traballto dos
vinha,*gaarientes, licores, vinagres, etc., sao
fabricado*4e encommenda.
UTfftCftrOS de laboratorio e de chimica.
sendointeiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas in^lezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras ecaixinlias ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 102QO.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que eutro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 20600.
Ideai peroia
especial qualidade a 25700 rs. a libra.
dem hysson
o rrnis aromtico que tem vindo ao nosso
mrcalo a2$G00.
Massas amarellas
para sopa, macarrojalharim e aletria a
489 rs. abra.
C>ft\lC
engaado''nossos rnuit0 afamado cojfnacPalBrandj- a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
desa l.ooo e 8oo rs. a garrafa
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
i almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
W. 3 au* .\ora esquina da Cam boa d Carme e raa do i^ de 2'2oo'a4'5ooa resma dome-
Cabug n. 8. I Paoil i h
A 'ir;toria desse estabelecimento o mais portante que existe neste genero' je es..i/p IAAC "otlca
as provincias do norte do imperio, querendn que o pablico desta provincia goze das! 08liei"e qualidade a 2^200 a resma,
vantagens que nroporciona a fabricado em grande scala e directa rdacSo com as mais ua\ e n d PAPEL
importantes fabricas da Europa, faz seiente que resolrea-se a vender ainda mais barata: rc i t.!L?ara embrulnode I,4oo a 2,2oo
do que docostume como demonstra a seguinte tabetta :
HU II IMPERADOR > 40J
- Jauto ao sebradeem qae era tSr. Osbaiae,
Duarc Aluieida fc C, reeeberam de ana proprla eutemmtm-
da o mala lindo e variado sor tmenlo de laolhadcs, ptef rio
da presente estco.
Manteiga ingleza Ma^as braBCas
da safra nova vinda no ultimo vapor a l,ooo para sopa a melhor que se pde dtffjar,
rs. alibra eem barril a 8oors. macarrao, talharim e aleiria a 4(1 ib. I
Hantel^a franceza libra e 4500 a caixa.
pa safra nova a60a rs. alibra, e em barril Vinho
Artrla FignairaJAAeoutras muitas acareas acra-
AIMenaOaS ditadas a S00 rs. a garrafa.
llbra- e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, t
AmeiXaS 2,580o a caada,
em frascos de vidroeom 3 libras liquido a dem do Porte
20400, muito propios para mimos, generosos engarrafado des melbores falri-
flnrtPQ cantes da cidade doPcrtoa Ij e l/sce
Udi tue a garrafa e de 10^ a 12A a caia, jftar
com bolos francezesa 500rs. cadaum. cas s3o as seguintes: Ciamisso 1,116
LataS F. & M., Nctar ou vinbo dos izes,
com bolachinhas de soda de todas as qua- lagrimas do Douro e outros mtiito.
lidades a 10300. LatS
ChOCOlateS com 10 libras de baBba a 440CO.
detodasasqualidadesal^OOO alibra. Bolachinha HgleZ&
PreSUIltOS nglezeS aipOO a barrica damesmaque
dos melbores fabricantes 800 rs., tambem vendem a 20000 e 20400.
terms velnos para 500 rs. NozeS
QlieJ03 flamengOS as mais novas do mercado a !2Cr* a
chegados neste ultimo vapor a 206oo. 'CerVejflS
ebegadosno SgR WOO cada m. *SZ'^^ZKIT """
londrino o mais fresco que se pode esperar | CHARUTOS
e de excellante marcea 800 rs. a libra Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
bra.
para 500 litros, 16 f.
Alguna de nossos agentes tendo falsificado e mita I o aossas preparaQes, e
freguezes, leve-s3 exigir sobre a rolhas e roiulos as iofciaes F. V. L. Parjs,
0 iudiI de usar-so das preparares acha-se indicado no roale.
As encommondas devem ser acomuanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer ontra cida-
Franca, ou garantidas por urna casa ; >n'ivi la. Jirisjir-se aes Srs. Lcbeuf & G. chimicos, ra
rairtre, n. 31, em Pari<, oa nii fabrica em \rsrentenil, pre Paris.
';. fueota, ra do Imperador n. 38.
FaBRIGI M CHMrD^rsOL
Descont em duzia.
20 "/o
10
7o
%
15 /o
'h
o'o
Chapeos de sol de panno a 2000........
armacSo de baleia a 20500 ....
de seda armio d^ir^o inglez de 20 pollegadas
40, de 24 53, de 2B 5,5500 e de 28 60......
Chapeos de sol nglezes a balo 12 varetas, cabos mnito ricos e
seda superior de i \ pollegadas 80, de 20 90, e de 28 100. 15
dem idem a balSo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130...... 15
Alm de muitas outras [nulidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambera de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes s5o t5o vantajososcomoosannunciados, ha
J sempre ura constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-se ?ualmente em porejo e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
lhar pelo prego que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia ser3o considerados como
a retalho.
rs. a resma.
Oorintkias
PabnSnHiCm0rnas muUo aovas PrPras para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
Vinagre
p d?u5Sorela,de 9 caDadas a 13'000 rs-
meias caixinhas a 10600.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da ludia
a 80 rs. a libra, e 20500 a 3ec0 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
2-* sorle do Rio de Janeiro a 8Cf
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
arrafea
com 4 yi garrafas com vinagre a 10OOca* ^
ogarrafao. \r
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o fraaeo, e de H0OOP
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 eem
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqoeira a oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdaderos palitos do gaz a 2,2oo a gre
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos detodasasqualidades, a lo,oo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmeada
dos melhores fabricantes de Lisboa, ce ir o se-
jam Abreu e outros amitos a 6oe rr. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ADMIRAVEL PECHINCHft
CHALES IIE nilUDA PRETOR
a 10#000 cada um,
Cassaa organdjs de corea a SO rs. o covado.
A' ra de Crespo numere i 7,
LOJA. DE
Jos Gomes Villar.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se Tara abatimento na ra do Imperador n. 40.
a variado.
Francez barrica 6,&000
FNland idem 85500
Em perfeito estado:
Prancei barrica (05000
'TOrtland idem 12*000
fto armaiem de Tasso Irm3os<;eii do Apollo.
Fio de algodo da Baha. I
Veortese n > escriptorio le Antonio Ltiz do Ol-
veira Arjveio 6 C., ra da Croz n. 1.
CHEGUttfl OS MODERNOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto cliegados pelo nliimovaper fran'ez, a
loja.das columnas ra do Crespo a. 13, de Antonio Correia de Yas^oncel-
os a c:
Cebollas
as mais novasdo mercadoa 7,000 rs.a caixa
e l.ooo rs. o molho.
CEBLAS
mmadnTV ^ 'm ^ruadoQne:-
grdrciunad9oiinperadorii-4o"iar-
R\>.D'E BIGO
"S5 ni0"0 *}&a arrob i 40 rs. a li-
branaruado^ieimrdo n. 7, ra do-
Imper^orn.40e,argodoCarmon.9
QJulfi SUISSO
to Sn 780 ^ a ,ibra do
Os wpriatarioa do grande
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a lilra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marras a Co ra.
a libra e em caixa ter abatinei tt.
. 4 VELAS
de carnauba em caixas de arroba a S,Sc r t
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e fie ra
a libra.
Passas muilo was
em quartos e inteiros a U o quarto e filio
a caixa e400rs. a libia.
Chocolate
portuguez o mais especial que se r e.
1 sejar a 800rs. a libra e 140 rs. f
Frutas em calda
chegadas Hitimamentej p .
outros muitos a 640 rs. a lata.
a b e 10f o caixe.
. GOMMA MUITO NOVA
"Si",,d0,"'-n*'"-l*'>l
BOLACHINHAS
emlatasdedefferentesqualidadesa
i CO
armazem
QUEjos f-LAMFNnr9
DE
IV.
DE
J. VIGNES.
** .RW* 1WPKRADOR I. 55.
^PB^^'^^'^^''
e-.u..a.- Wuc nerecein aos compradores, quadades astas w
ff nm tfcfSn lelB,l"?w* conquistado sobre todos os qo* tem wn^Sn^fSeP.
.dmos So chmJT f** 3* Proposito, o ter-se falto uhimaineiite nel^&nWknpoL
Sos ouvid0osCSs\prSedaPdoresqUan, M VZ68 D,eldSaS e M&S'e ^ ^ HE
F^lf c?nf"Se as encimeiidas, tanto nesta fabrica oomo na do 8r. Blonel H Pwis. sor la
,omspondente de J.TWem cuja capital foram sempre premiados era todas asTaS*?*^^
maihrr r^L^helecimeilt0 ?* ach* sempr* BIB esplendido e variado sortimMtVd musios d
PTe^cVmTd;es%drSvrs:MMm em harmnlCS 6 *S harmonicos> *,ndo -* 5?
LLEGIVEU


11
Btarfe lt *er*amtmro < Mr(t IHN lt e Abril de tt6.
Fazeilis preUt 4*4 fiaroaa par
fir bai\itUii*i areca, aa taja e ar-
n Lonrenoo Pf reir .Vendes Guimares.
O prjpnelirio desta estabeleclraeato retira-se
para a Birjpa a tratar de sua sauJe, porm autes
de reiirar-se orauadu fazer unta li>|uidago de ba-
birausiinj prego para fechar coatas ; agora fra-
gete* veule-se grjsJeuaples preto muilo boio
para vestidos, a 14*00, 2J e 24*00, dito de 5 pal-
mos Je largo, a 34 : na ra da Imperatriz luja da
Arara a. 90.
Hearantlque preto a 3$.
Veu le-se miurani |us prelo para vestido a 34 o
ao/iU, gros Jataple taailo largo e eacorpado a 34,
i'J.J, i i e ljfJO o cavado, alpaca preu para
vjitiJj e patitos a 3*0, 000, 700 o 800 rs. o cova-
do, sarja Ja lia para vestidos, calcas e palitos a
Vi e 8 /.) rs. o oovado, lia preta para vestidos a
tiiJ rs, bJ.nbiziaa preta para vestidos a 14*80 o
covadi : ra da imperatriz luja da Arara n. 56.
Lteos vestidos a Mara Pa a 12#.
Venlun-se ricos vestidos a Mara Pa a 104,
lij, 144, 165 : rua da Imperatriz toja da Arara
n. 35.
Arara venie pecas de panninho a 5jl e de
inadipolSo a 40.
V -.n len->e pecas de paaninho maito fino de 12
jardas a .">$, veaJemse pegas de madapolo infes-
tada a i. 5 a 44300, veadem-se pecas de madapolo
de ii jardas bota a 64, 74, 74300, 84, 94, 104 e
(4, vduldin-se pegas de algodosiuho a 54, 64,
74, e 34 roa da Imperatriz d- 35.
Arara vende os balSes a 20500.
Venina-se baloas de arcos de todos os lmanlos
a 25500, 35, 34300 e44: ra da Imperatriz
n. 36.
Laalnsda Arara a 320 rs. o covado.
Veulj.n-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meniuas a 3i0, 400 e 308 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 300 e 560 rs. o covado. cassas
fiaas para vestidos a 320, 360 a 400 rs. o covado :
ra da imperatriz u. 36.
Halas dt Arara a 10 rs. o covado.
Vea le a se cintas de cores fizas a 240 e 280 rs.
ocoval), ditas franeezas finas a 320, 360, 400 e
300 lindara para vestidos a 300 e 560 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Li 1 ti 1 irla de souUrabaques e laazitihas a
70, 80 e 100,
Ve:ije.a-s: soulambaqaes de lazinhas para se-
ciijius a 74, 84, dita de alpaca branca a 104, ditas
mditj ilaas de rosdenaple preto a 205, 235 e 305,
capis pretas de grjsdenaple fino a 205, 254 a 304,
i 11;:letes pretos de grosdenaple a 204 e 24,go-
liates para Manara a 240, 320 e 306 rs., mangui-
tas en n gola a 13. camiziahas para eahora, 24,
e 34, ditas muilo linas bordadas a 44300 : na loja
do uarateiro Ja Bja-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara u. 55.
C jrtes de ditas finas a 20400.
Venia n-sa cortes de ditas cura 10 covados por
24'iJJ, daos de dita (raneaza a 34200, corles de
cassa fraaceza Qaa cora 11 covados, por 34. vn-
dense pajas da cambraia branca lisa a 34400,
45))), 4J>)), 65 e 35 ra da Imperatriz n. 56.
Li 1 la?l > de roupas feitas palitos a 20.
Va ida a-sa palitos de bnm de cor a 24, 24500 e
:5, ji (lods de brlra pardo a 35 e 35500, palitos
Fazendat prttas para q lia-
res ma.
Xa lJa " Acha-se ea^a|ai)taamtoco^iunentesor-
ttdo de fazeadarprela proprlaspara a uaresnu,
a saber :
Grosdeuaples prete largo e uitfesimo encorpa-
do, outros iMia estrenos teado dos precos dt
14280, 1600,14800, 24, 4400 e 34; superior
moreaatiqae preto a 34, superior sarja preta he-
panbola, superior setim preto mac'io, ricas capas
pretas bordadas, soulembarqoes muito bem enlej-
iadas, ricas vasquOas e casaros des nrals moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para lelo e ricos
chales pretos de rede, ludo Isto se vende mais ba-
ratodo que em ontra qualquer parte por ser a di-
nhelfa : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva. v
As roupas do PavSo.
raA! ^ Mleestabelecimenk) um grande sortl-
sTerinrLnTlS/eUa.SParah0me'nC0D10 ^jam
mTifinf,0,!.sob/ec,saco8 panno preto
mZ r a forrados e seda a 224, 254 e 304,
ditos forrados de alpaca a 144, 164 e 204, sup*
hrZS<^t0iS.dVaSem,ra,anl0 "escomo So-
brecasacos, ditos de meia caseraira pretos e de co-
rt Mm r"? de ,0?as as Jial'^es, colletes
H MT*, Sre,os e de eores- vellDdos, setins
etc., sendo todas estes obras cortadas por um dos
melhores mestres naeioaaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavao ra da
Imperatriz n.60, de Gama Lhilas em cortes cooa 10, 11 e 12 covades
Na loja do Pavo vende-se urna grande porco
de cortes de chitas nncezas sendo claras e escu-
ras todas de cresfi xas com 10 covados a 34200,
com 11 covados a 34600 e com 12 covados a 44,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Camisinhasalg.
Vendem-se camisinhas
AO PUBLICO
mem a memmv eomstnm-
glmeato se entregar o
Importe d genero qne
5o agradar.
/
Os precoa da cgnlnt*
tabella para t*, po-
deudo asslm servir de ba-
se para o ajaste de coalas
com os portadores:
1 feafy-iafrescaixocAt para boi, duas dit"
[ para avallo, doos carros para eondurcao de ge-
j nerra de ewiva on ooiw q"ualqner mrsfef, todo em
i bom estado, e por pr(CJ comroodo, por sen don-
4 ARMAZEM UNIAO MERO
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passaado o arco da Cooeelcio)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo a promptidao e inlei-
reza com que ser3o tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteceo e preferencia na com-
pra dos generes que prec:sarem, e quando nSo possam vi* poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pois serlo tSo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommenda^o, afim de que nao vao em
parte.
Viaao do torw soporior em caiza de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do A C, no seu esenpiorio ra da Cruz D. i..
BSGBAT6S FGIIOS.
4VIS0.
Acha-se fgida a oscrava Dellina, de D. Anua
Rosa da Moura, residente no termo de Garuarfl,
cabra efeura, de idade de 35 a 40 annis, lovou
vestido de chita escora tina de ramagens e i hale
urancode la, bastante ladina, aluna regular e
eeca do corpo, usa cabello perneado, tem nariz
afilado, denles limados, ps e maos regalares, fi
de presumir tjue se acha bomisiada no bairro da
Boa-Vista ofr no logar da Torre desta cidade, onde
tem prenles la : roga-se a pulira a sua apprelien-
so e aos capitaes de campo para agarrarem-na
condozlndo-a a tiavessa da Carioca n. 2 a Jos
AURUtto de Araujo, que est autorisado a gralib-
ear geneosaniente.
de casi aira Ue-a Coito a 54, 64, 74,85 e 104, di-
tos da jaano preto bou a 84 e 104, ditos sobreca-
sacos da casimira da cor a preta a da panno a 124,
144,16i e i^, eai$a de brira de cor a 2,J e 24500,
ditas nicas da lian o a 34300 e 44, ditas da ca-
simira de cor W,1^ e 85, pretas a 54, 64 e 84,
sollates da casimira de cor e preto, de brim de cor
a 15 i)), braicos a 25 e 205.0, ceroulas feitas a
15i.), litas linas a 14600 e 24, camisas franee-
zas a 25 e 24300, ditas inglazas de pregas largas a
i, da liuo a 34 a 34300, colerinhos econmicos
a t i) rs. a dazia, ditos de lintao a 500 rs, um : na
ra da l.a^eratrfz loja da Ama n. 56.
Arara vende as cobertas a 21.
Venla>n-se cobertas de chita finas a 24 e 24300,
ditas da damasco a 44 : ra da Imperatriz n, 56
E' na Arara que e venie cortes de casimira
preta a 30.
Ven le n-se cortas de casimira preta para calca a
34, 35300, 45300, 64 e 84, ditos de cor a 34,
43J0 a 6 i : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 1$.
Ven i* se panno preto oara calca e palito a 25,
35, 2J30, 45, 44500 a 64 o covado, casimira pre-
ta tina a 24,24500 e 34 o covado e oulras muitas
fazendas para liquidar: na loja e armazem do
Arara, raa da Imperatriz n. 56. _____________
CO^TElTfclU %
dos anan/tz-s, ra da Ous numero 16
Contina a ter erapadas, superior presunto a
830 rs., dito em fiambre a 15600, recebem-se en-
commeodas de bandejas de doces, pes-de-l sim-
ples e enfeitadoi, kkes, para es quaes ha bonito?
enfeites, tambem tem figuras era grupos para bap-
tisadis e casamento, prepara-se igualmente lata
com caj crystalisado proprio para exportar, vi-
nhos do Porto a Figuelra, outras qoalidades, e su-
perior Bordeaux em garrafas grandes a 800 rs.
PROPRIO PAR V SENHORA.
Vende-se um excellente cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares : na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
Coke do saz.
piten lo gaz.
Alcatro do gaz
Coke tonelladas rs. 10,5000
Piten ..... 800000
Alcatro caada..... 400
O coke reconhocidament o carvio mais econ-
mico, torua-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
elle usado. Piten e alcatro, lm das applicacSes
diversas a que se prestam, como para callaftar
embarcaras, alcatroar madetras, etc., teem este a
prapnedade de preservar do cuplm, formigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado pr.em
qualquer ponto da cidade, segando a vontade do
comprador.______
Muita attenga.
Na nova loja de fazendas e roopas fei-
tas nacionaes na ra da Imperatriz
n. 72, de Gnimares k Irma.
Acaba de cnegar a este novo estabelecimento
um grande sortimeBto de soutembarques de cores
pelo barato preco de 54, 4, 73 e 84, ditos pretos
de grosdenaple de 194, 204 a 25* : isto na roa
da Imperatriz n 72, loja de Guimares & Irrao.
Vendem-se cotias muita finas sendo de cores fi-
las a 240 rs, ditas largas fraccezas a 260, 280,
320,367 e 400 rs., ditas percales finas a 480 e
300 rs. : isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmao.
Grande sortimento de cortes de chites a 24300
e 24400, dites finas a 34 e 24200 : na rna da Im-
peratriz n. 72, loja de Gaimaries & Irmao.
Vendem-se madapoloes finos a 44800, 54, 64,
74 e 84, dito muito fino a 94 e 104, dW francez
enestado a 44,44300 e 54: na ra da Imperatriz
n. 72: luja de Guimares Irmao.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se paletots de alpaca a 34, 34500 44
e 54, dit3s da caseraira a 54, 64, 7#, 84 a *0,
calcas de brim de todas asqualidades a 14,15800,
25 e 25300, brim pardo a 25. 84500 e 34, ditas
de caseraira a 34300, 45,, 44300, 4, 64 e 74 :
isto na loja de Guimariaa 4 Irmao, na rna da Im-
peratriz n. 72.___________________________
Na raa d Croz a. 38, en casa de Mills Ral-
teau 4 d, vaado-se:
Ca. ^f
Oleo de linhaca.
Folhas de Plandre.
Stlios e ilboes inglezes.
Cerveja aspinali
Dita Bass.
Dita Joba JefTres 4 C.
Um piano com pouco oso. *
com manguitos, sende
muito bem enfeiiadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de deztustOes cada
urna : na loja do Pavao, roa da Imperatriz n.60,
pe Gama & Silva '
Cortes de cassa a 3j$.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa,tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados
pelo baratsimo preco de 34' (0 o corte : s na
Ssn 'rUa da ,mperatriI n- 60' de Gama
Cambnias ligas, aa laja do Patio.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
upada e transparente, pelo baratissimo Dreco de
M tendo 81,2 varas cada pega, ditas mnito finas
a 70, 85 e 94 a pega, dites Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 74, 94 e K&.ditas
barrazes fazeada muito encorpada fazenda Dro
pria para forro a 360 rs.a vara ou 24600 a na-
ca : isto na loja do Pavo ra da Impoaatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do PavSo.
Grande pechincha a 34500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaco de tarlalana com mullos
delicados desenhos, muiio proprios para parlidas e
passeos pelo baratissimo prego ne 35500cada um
sendo fazenda que sempre se venden a 74, aa loja
do Pavao, ra da Imperatriz n.60, de Gama &
ol tV3.
Vestidos a i c a 7$
Na loja do Pavo vendera-sericos cortas de vesti-
dos a Mana Pa, sendo bordados e com barras
pe o barato prego de 44 e 7$, sendo fazenda que'
val muito mais dinheiro, isto por haw grande
porgan, na loja do Pavo ra da Imperatriz n 60
de Gama & Silva. '
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabeca
de senhora: na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 6o, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas franeezas, de
padroes raludinbos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos jtregos de 300, 320 360
rs., por haver grande porco : na loja do Pavo
ra dalmperatnz n.60, de Gama & Silva.
ls lazinhas transparentes a 400 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
laazmhas transparentes, sendo de lisias miudinhas
airaitagaodassedinhas, pelobarato prego de 400
rs. o cu vado; ditas enfesladas de urna s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
Pr n6 2S2 LnaJ.* d l>aV0 rUa da IraPera"
tnz n. 60. de Gama & Silva.
Rices soulambarques do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
lambarques da grosdenaple prelo muito bem
entenados, que se vendera pelo barato prego de
205,225, 2o4, 304. Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em conta: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil corados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo cora llstras e quadrinhos miudinhos e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pret'as
e roxas para lulo, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Mara Pa, tendo de todas as cores e
alKumas proprias para luto, pelo barato preco de
3-0 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porco : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mara fia,
Grande pecbineha a 10() rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Mara
Pia com as barras primorosamente bordadas, ira-
zendo os competentes enfeites para o corpo, i-endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 104 o cor-
te,ditos deprcala cora lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada um a 105, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no nltimo gosto, pe
lo barato prego de 64 : na loja do Pavo, ruada
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de llnho a 3GO rs.
Chegou este nova fazenda, sendo cassa de Moho
propria para vestidos e roupas para mangas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato prego de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperalnz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem-se as mais finas lazinhas de ama s
cor, tendo grande sortimento : nalqja do Pavo
ra da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres pontas, sendo
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem viudo a este
manido, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palme de largura;
estes modernissimos ehales nao s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ma da im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
pois
outra
Manleiga ingleza especialmnteescclLidaa
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha liysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,000
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Lnguidas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chourigas e paios a 800 rs. a libra.
Coslelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra. .
dem prato ? 800 rs. a libea, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas ja preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata*
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
1,000 e l,2oo rs. a libra.
Espermacele superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, i ,00o e i,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e6lo e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a .6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,000 e 1 l.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito superior a 24o rs. a li-1
bra e 7,5oors. a arroba.
Arroz do Maranho de 1* qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha brancaouaraarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viubo do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, oo e i00 rs. a garrafa, e em cunada
a 2,ooo, 3,ooo e 3,8oo.
Viiilio branca de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 5oq rs. a' garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branoo para nssa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,000 e lo,oooacaiMconH duzia e9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinbas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas mKo novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolaebinhas e soda em latas de diversas
qualidades al,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por 2,500 rs.
Ameixas franeezas em fi asco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhes com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a i\4oo, 1,600,1,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9 Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco
8,000 a duzia.
I Va&souras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. J 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e i,oooa Lentilhas franeezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-I 14 a garrafae II,000 a duzia.
lho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 3oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 0C0 e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do affamadrTfabricanle Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Ha vana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, o,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilbasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,eeo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2ooso!tas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs.
libra e8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito afta e ebeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com froctas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, era
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma deengommarmuitoalvaa 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Aos capitaes de campo (
Desappartceu uu da 21 do correnip, ti casa ie
teu senrior, e escravu de non e JBt-iitriirir, (; l;a
escuro, com idade de ib aunes, leveu vertWo cai-
ca de algedo de listra, camisa de algtc6 da ler-
r, e chapeo de couro de abas Urga.,iein altara
regular, r.beio do corpo, cabello a erri.wila
ollios pretos muilo vivos, nariz c bocea n guiares,
muilo pouca barba no queixo e um peotteo lu-
co, lodos os denles, ps regulares, ele.; 6 ef pre-
sumir que seguisse a estrada de Goianna per ter
vindo da cidade de Souza, provincia da Pacabibe,
ha 13 das, e foi comprado ao Sr. Jos Amonio
Borgesdaquella cidade : roga-se poiir.nio aos se-
nlire- capitaes de campo a appreheni-ao du rt-fe-
ridoescravo, e levarem-no a roa do Imperador n.
83, segundo anrlar,qne se gratificar rom '(>.
Pugiu huniem deste engeuhot) (H'ravp Jote,
alio, seeo, de 25 a 3 annes, barbado poirm con-
torna a faze-la e deiur isicsas, deiiits limados,
feigoes regulares, um ponco gago, cieos brar.ros
julgo que ainda tem urna marca de cm alto (in o
p direito, dito escravo ttm um enrhantio ferro
morador no Rerife roa do Hanpel : attem o 1 rpar
pode entregar no Kecife ao Sr. rapilo Ji.-c Gin is
Leal tu aqu que ser gratificado. IfamaLu 9
de abril de 186o.
Acba-se fgido o preto de ntao Gal riel,
rrioolo, de idade, ponco mais cu menos. 35 arntf,
baixo e corpulento, pesroco enro, olhos vivos e
sobrancelhas arqueadas bocea rotular e denles
alvos : roga-se as autoridades v.gilancia n r te
desconfiar delle qnerer assentar praca no corpo
dos voluntarios, ou a qnem a elle pegar eon ao engenho Tapugide cima da remarca o fabo,
a entregar a seu senbor Antonio Jeaquim Cavaf-
eanli de Albuquerque, ou a Joige Cl< mente r?e
Borba Cavaleantl, na roa de Apollo n. 34, teguneo
andar, que ?era grartficado.
Na nuite do da 9 do rorrente mtz desaf. pa-
recen da casa n. 48, na travessa da roa da Ocror-
dia, urna mulalinha captiva de neme Frci.-ea,
com os signaes seguintes : amarella, ps camb-
dos, cabello cortado mek) estoquiado, levou Vest-
o de chita j usado e camisa de madapolo, lud<*
j muilo sujo,de Idade 10 nonos; julga->e ler sido
sednzida de casa em razo de ter vindo do n ato
ha doos mezes, ponco mais 00 menos, e nao sal.er
roa algema : mga-se s anloridades poliches a
appreh>-nso da dila mulalinha, e lvala a cafa
cima mencionada.
*!
tem
64
i
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
Farello
em tagatgrwde eea doos lmannos de ostros
quaesqaera4#8O0 ; na ra larga do Rosario n-
SO, taberna 4a esquina.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavflo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soulambarques ue cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento A que os freguezes
podem dar o verdadelro apreco a esta fazenda, e
vende-se por differentes precos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, ra da
imperatriz n. 60.
Mantelete de fil na laja de Pavie.
Vendem-se os mais ricos manteletes de fil pre-
to e ontros com os centros de cor, sendo neste ar-
tigo o mais rico que tem vindo ao mercado e mais
moderna por seren muito eompridos e cora deli-
cadissiraos lavrores: na loja do Pavao, rna da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para eiiaos.
Vendem-se muito bonitas roupiqhas proprias
para meninos de 1 a & annos, sendo calcinitas e
jaquetinbas ignaes, e mnito bem enfeitadas : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, d Gama
A Silva.
Calcial fc PiTie.
Vendem-se muito bonitacalcinitas bordadas pa-
ra meninas a 640 rs. : na loja do Pavo, rna da
Imperatriz n. SO.
RIVAL
Sem segundo,
Kua do Queimailo, n. 49 e 00. E' para admirar.
Garretis de linha com 150 jardas......
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................
Dito dito de 60 a 200..................
IS'ovellos de linha grandes com 400 jar-
das .................................
Idtm idem brancos e de cores de 100
lard-s ...............................
Livrospara assento de roupa lavada...
Cordo branco para esp&rtitbo (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de boioes de punbe todos decores
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costuras finase nnhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpar denles muilo finas
160,2O0e..............................
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso.................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho) ...........................
Meiadas de linha frouxa para bordar...
Pares de sapatos de tranca........
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos do macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400rs. e........................
Ditos e garraflnhas de agua de Coloiia
muilo fina.......................
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor pulidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res .............................
Pegas de blcos francezese rendas.....
Frascos de aeua dentfrico muilo supe-
Ijr..............................
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
e Victoria........................
Libras de laa sendo de todas as cores...
Bonecos venidos e tambem de choro...
Caias com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 novel los..
EuGadeiras de fita para espartilhos.....
Carretis de linha de cores com 100 Jar-
das .............................
Pecas de cordo i raperiai............
20
20
1,5500
30
200
500
400
900
240
320
320
800
200
6*000
160
40
800
60'
20
40
BOTICA E DROGARA
Bai-tliolomeu Fraacssco de Souza C.
* 'iRa larga do Rosario34
Vendem:
PilulusHolloway.
Plalas doDr. Laville.
Pilotas do Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.*
Pilulas americanas. -
Pilulas vegetaes.
l'ilulas.-egetaes assacaradas de Remp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr.Chable.
Elezir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCb Albert."
Injecgao Feaugas.
Agua dentifica de Desirabode.
PapeIchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Cbable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos deBrest..
RobL'AITecteur.
Jarope do Bosque.
Ungento Holloway.___________________
RIVAL
SEM SEGUNDO
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melior qnalidade a
la a lata : nos aratazensda roa do Im-
perador n.16 e rna do Trapiche Herrn. 8.
HTMilho novo em saceos grandes: no trapiche
de Caoba, a tratar com Tasso Irmos.
Pechincha u \a > j .1 de fazendas
roupa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n. 72.
Pechincha a 240 rs. e covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas franeezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado : pecas de madapolo fino a 64,
7, 84, 94 e 104; pecas de algodo a 5#, 64, 7
e 84 ra da Imperatriz i. 72.
Reupa feita nacional.
Vendem-se patitos de eazemira preta e de cores
a 54,64, 84 e 104, ditos -obrecazacos a 12, 14
e 164. Palitos de brim de cor a 24500, 34 e34500
rs.,calcas de eazemira preta a 641, 7# e 8jfc ditas
de eazemira de cor a 5#, 64 7, e 84 ; coletos de
eazemira decrese pretos e ditos de brira a <4500,
e 24500 rs.,; -alcas de brim de cor a 24, 24500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Soutambirque, de cores a 7#, 85 e 10$.
Vendem-se *notambarque de-ta e seda para se-
nhoras a 7jt, 84 e!04; ditos de grosdenaple pre-
to a 20j e 254 ; canas pretas a 20 e 254 ; vesti-
dos de la a Mara Pa a 124, 14 e 164 : roa da
Imperatriz n. 74.
Corles de cazenira preta a 30.
Vendem-se -ortos de eazemira preta para ealca
a 34, 34500, ">S 6S e 65, ditos de caseraira de
cr a 34,44,5, e 74. ditos de brim de cores a
14600, e 24, ditos de chitas finas a 24400 e 34200,
ditos de cassas franceza a 33 : roa da Imperatriz
loja do baratelro n. 72.
Ainda esta par*. ser vendido o sitio da tra-
vessa de Remedio, na freguezia dos Afogados o.
21 : qum pretender dirija-se a seu proprietario
na rna de S. Francisco, sobrado n. 10, que s faz
todo o negocio.
120
14000
200
200
240
320
24500
lj?280
300
500
.240
.060
060
200
240
24400
14500
200
Na roa do Queimado n. 49 e 55 lojas de miude-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por precos mais barato do que em
' outra qualquer parte, quero quizer ver o que ba
j bom e barato venba a loja do Rival.
Duzias de phospbros de segoranca a ...
Francos com esseocia de Sndalo mnito
superior..........................
Escovas de roupa mnito superiores a...
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banba..
Pares de luvas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Puiceiras do melhor gosto e modernas.
I Volta para pescoco do melbor gosto.,..
Baralhos para voltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de linha qne
tem muita serventa.................
Duzia de pennas d'aco muito superiores
Frascos de oleo Bboza muito finos.....
Talneres para meninos a melbor quali-
dade............................
Duzia de colberes de metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muito finas
para ca........................
Grosas de bot5es de osso para calca...
Grosas de botd~es madreperula para ca-
rniza..............................
Grosas da boioes de louc> prateados
muito finos......................
Cartas de alfinetes francezes muito su-
periores..........................
Caixas de clcheles franceses a 40 ris
Duzia............................
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade............_.................
Duzias de lapes differentes qualidade a
240...................:........,
Quadernos de papel de peso maito fino.
Resma do mesmo panel.............
Duzia de facca e gario muito boas....
Sabonete de espuma multo superior. .
Capachos eompridos e redondos muito
boas.............................
Ditos para sof.......................
Pares de suspensorio muito bons e para
*cabar___.......................
Esseocia oriental para tirar nodoas de
ronpi...........................
Pecas de fita de la para vestido com 10
varas a...........................
Vara* de baados do Porto mnito supe-
riores a 100, 110 e................
Ltvres cora bonitas e finas etas*pM....
No da 1 de Janeiro do anno e 1864, fnglo do en-
genho Conceigo, comarca de Pc-d'Alho, o esera-
vo Galdino, perteneenle ao abaizo ai-signado, os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, clarr,
corto, figura e altura regulares, cabello* melos ca-
rapinhados, olhos pardos, sobranceras e palpebras
salientes, lem t meada braco um sino de Salomo,
sendo um delles malfeito, e junio a este urna erra,
lem na cabeca urna cicatriz de urna puligada, e fia
cima de um qnarto orna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente de pona de pao e queda, lem
sobre as cosas algumas marcas ou cieatrzes de re-
Ihadas ou chicote; um pouco desen>barnrado
quando falla, tem principio de rarpina e carriro,
tota viola. Foi soldado de corpo de polica no Re-
cite, e levou comsigo a baixa do theor seguinte :
Seccao urbana, 2* companha n. 50, Antonio 6a la-
no de Oliveira, tilho de Agoslinho Ferreia de fin-
io, nalura de Ingazeira, cr parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, eslado folteV
ro, com 30 annos de idade, 60 porgadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-fe na forma do regula-
memo, em 17 de fevereiro de 1862, por cilicio do
Exm. Sr. presidente da provincia, dalaio de 28 de
abril do correnle. e publicado ao corpo cm ordem
do da 1 de maio, ludo em 1862; leve baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano Jva
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capillo
Joo de Dos Barros, morador que foi na enmaran
doBrejo da Madre de Dos, e boje mirador na
Campia Grande da Parah>ha do Koile, que oven-
deu em das do mez de novembro de 1863 ao abal-
lo assgnado, pelo colume de andar fgido e a ti-
tule de forro com o nome mudado ; telo qne roga-
se a atlenco das anloridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehenso do dito escravo, que a tralo de forre,
nao tenha sido recrutado ou asseniado praca un
alguns dos corpos de Voluntarios da Palria,;; ni-
bem pede-se aos eapilaes de campo e pesos par-
ticulares a mesma apprehenfo, eleva-loao.wu
senbor no referido engenho Conceicao, ou nesia ti-
dade ao capilo Mauricio Francisco de Lima ra
do Drum n. 56, que ser gratificado com 2( 0$.
Jos Mara dos santos Cavalraiiti.
Fugio o Jacob.
Anda fgido ba 15 dias o escravo de naci de
nome Jaceb, maior de 40 annos, que fei proprie-
dade do Sr. major Ignacio de Barros Wanderley
senhor do engenho Ubaquinha, termo de Seir-
nhem. O escravo tem os signaes seguintes :
alto, cheio do cerpo, olbos grandes e rosto cempri-
do, anda de vagar e parece arrastar de au per-
na, est opilado e tem por isto grande paipaco,
nao mnito ladino, levou vestido esmi.-a de meia
e caiga de riscado, dlzem qne anda pela Passagem
da Magdajena aonde tem sido visto e de erer
que ande ganhando, elle faz vassouras e chapeos,
prefnme-se que esteja areutado per alguma pes-
soa que o seduzo e contra qoem se protestar com
o rigor da lei : quem o trooxer a casa de reu se-
nhor o abaixo assgnado na ra da Cruz o. 33, se-
r recompensado.
______ Domingos Rodrigues de Andrade.
Negro fugado
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro dosis
anno o preto Joaquim, denacae Angola, qre foi
escravo do Sr. capilo Francisco Joaqoim Caval-
eanti Galvo, morador em Mara Farinha (Praia),
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques cosa
armazem de assucar ra de Apello; levou ca-
misa e calca de algodo branco, reprsenla ter do
45 a 50 annos de Idade, alto e de grossura regu-
lar, cor fula, cabe$a comprlda, queixos largos,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeituoso, bastante barba, porm
raspada, finalmente tem urna grande costura entra
os peitos proveniente dequeimadura, e suppoe-s
n?2: ,er'M dirigido para o norte, d'ende veie : gratlfi-
"40 ca-sea quem o apprebender ou denunciar o coito
-Jern queestiver : na roa da Cadeia do Recite no-
500
200
100
30
200
400
030
24000
Fugio em principios do mez de fevereiro do
corrente anno e consta estar acontado nwta eidade
o nHeqoe EuzeWo, escravo da vuva do Dr. Fer-
n nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade peu-
eo mais on menos, eor preta, secco do corpo, olhos
regulares e afnroacados, cabeca um pouco grande
e meia chata, beicos finos, -denles bem alvos, ps
,, seeros e mnito ladino : rofs-ie sor tanto a tolas as
lili autorioso* policiaes e capitaes e campe que e ap-
' prehendam e levem-o a rna da lngneira sobrado
[100
000
- Vende-se nm eseravolnado tg anuos insigne;! n. qne serle gratlflos*, pretostnode-M asar des
offldal de canina e bonita figura : Mitravessa do { melos judlclaes contra qualquer pseos qne o lenba
Carmon. 1. em sen poder.
~7
ILEGVL
\


I
^
-'>
.,.,

Mario c rermavlme* Hua felra i e AbrU 4e t fte&
-i
-+
'
w. i.
MPa fes iluto* fcClkft das Artes da eiide
o;
----
' oo
8 sse^ss


s
J00S5*
I

_*00Oi ~-i re
HeaMria historie aeadeimlea,
presentada congrcf aco dea
lente da faenldade todlrelte
do Recite na sessSo.de 13 de
' arco d 84, pelo Dr. lu-
tonlo de Vascon'cellos Meaezes
de Drnmiaood, lente ufrstltu-
(o da mesana faculdade.
(C'ontiouacao)
XXVI
Esludo da lingtta ingleza.
0 estudo da lingua ingleza tem sido ne-
gligenciado entre nos, a ponto de que pern-
ees sao os alumnos, que aprendem mais do
que o absolutamente necessario para vencer
o respectivo exame, mediante' a suspirada
approvacao simples (ou o novo e irrisorio ^
bem escholastico) na pluralidade dos ca- z.
sos. E para prova disto basta a simples ob- s
servaco de que rarissimo o mancebo exa-
minado na Jingua ingleza, que pouco depois
do eiame saiba ao menos proferir palayra,
ou traduzir o mais simples periodo escripto
ness idioma.
Em todo o caso o esludo dessa lingua
um dos preparatorios exigidos para adrois- Mappa dos fx,ernos
sao as faculdades de direito do imperio,
como necessario, senao indlspcnsavel, e por
conseguinle de rigoroso dever nao despre-
za-lo por intil ou superfluo, ad libitum de
quem quer que seja ; e antes convm apro-
fundar o seu conhecimento como parte inte-
grante do respectivo curso.
XXVII
p
o
Matricuiaram-se em...
1863. ,
Perderam
1863.
o anuo em
| Examina ram-M em no-
vembro de 1863.
h.. Plenamente
s-l
SirrifilesmcLie
-.. Reprovados.
u. m> K.M. At 17 annos.
>. ijp _.
CKCcwi
De Ib a 21 an-
nos.________>
De 22 annos pa- \
ra mais. }
loo O 3: iP---i oj
Habilitados.
qne fizeram eximes em reve-
rta*} marf o e novemhro de 1863.
o a SJ -
i* ?o 3 o 3 3
: ilij r:
: 5-. sr?*#: :
wn | Fevereiroj
SSS^gS I e margo,.
00 Ol 00 "- O
Novem-|
bro.

35
C5 Ip-Oi U (
Fevereiro
e marco.
3
00

s;
j o c! oo
| Novera-
* I bro.
?3

o
Feve rei|ro |
e margo.
Novem-[|Ta
bro.
CJ 10 CO .
uxaoxx
Fevereiroj
e marco.
c a i* oj ^ ni
I No vera- ('
bro. \ T
o
| Feve reiro i
S:,*S5IS le marco.
| Novem-j
ct o ? os o S I bro.
m
Estudo da lingua franceza
Outro sim, nada mais fcil pode haver do' w j g j
que fazer boje o exame da lingua franceza,,
como dispe o regulamento complementar'
nosarts. 9el4, porque seria preciso nao!
ter o candidato quasi conhecimento algum
della, para n5o escrever e traduzir dentro
de duas horas nm trecho de prosa e outro
de verso, com o auxilio do livro em que es-
tiver esse ponto e do diccionario, assim como
nao fazer a leitura e a analyse grammatical
do mesmo ponto, levando-se ainda em conla
a grande facilidade do estudo dessa lingua.
A lingua franceza boje t> necessaria,
por ser quasi universal, e neW* est-'T escrip-
to ou traduzido tudo quanto ha de impor-
tantcnas artes e sciencias, que para seu com-, g
pleto conhecimento nao se deveriam exigir *.
provas to simples e um exame to perfunc- Dq mesmo mappa gob n { ge ^^
*on0, mais, que o collegio das artes continua a
Opino, pois, que, alm da versao por es- servir de valhacouto das pessoas, que maio-
cripto, se exijam para proi? oral outra de res de 18 annoi procurara fugir do servico
ftpro aberio ou de repente, no acto do exame da guarda nacional, e al do recrutamento
e urna composico i'o portuguez para o fran- para o exercito e marinha; de sorte que,
"tez, com a leitura e analyse grammatical, se ao governo imperial parecer conveniente,
como acaba de ser instituido nos lyceus de poder d'ali mandar desentulhar muitos bons
Portugal por decreto de 18 de setembro de servidores para o estado, concorrendo assim
(863. | eflicazmente para extirpar um dos mais gra-
. | ves males, que atormentam aquelle estabe-
Sem provas mais rigorosas do que as ac- lecimento, como sempre e em vao se tem
tuaes, o exame de francez continuara a ser clamado, e ainda em o anno passado o Sr.
de nenhuma importancia para os mancebos, Dr, vilella Tavares larga e judiciosamente
que se destmam aosestudos jurdicos; tan-: dscorreu s resucito em sua luminosa Me-
to as>im que se consideram para elle nanili- mora Historica.
tados com o estudo apenas de um ou dous ^XX
mezas, durante as ferias; com maioria de
razo contando que ser-lhes-ha menos diffi-
cil obterem urna approvacao simples neste
exame, com que se contentara para vencer
esse preparatorio, sendo que no fim de con-
tas nada ficam sabendo delle.
A experiencia continua basta para conven-
FACULDADE DE DIKEIT0.
Abertura da faculdade.
A' 3 de fevereiro do anno passado come-
faram os exames preparatorios, funcionando
alternadamente como commissarios por par-
te do governo os Srs. bacharel Joaquim Pi-
res Machado Portella, ento directo da ins-
cer de que estou descrevendo que ora se I cao publica desta provincia, e Dr. Aprigio
passa acerca do exame de francez com a. Jus iniano da Silva Guimaraes, e por parte
maior fidelidade, e ao mesmo tempo para de- da directora desta faculdade os Srs. Drs.
monstrar a indeclinavel necessidade de op- Vicente Pereira do Reg o Jo5o Jos Pinto
por algum correctivo efficaz, como o que ci-
ma propuz.
XXVIll
necido, mas ainda muito vigoroso em 1832
nao abandonar ib suas altas funegoes de e;n-
baixador da Franca em Londres.
Permitti-me, Srs., que em apoio d'este
meo juizo, e por ultimo, eu invoque trans-
creva as eloquenjes expressoes do Sr. Dr.
Aprigio Guimaraes, um dos orntcientos
d'esta fcculcadade respeito d'aqnefle res-
peitavel Decano d'ella:
O onselheiro Autrao, se Deus me ti-
vesse dado tientos para ser um dia lente
de direito, seria na cadeira o meu mode-
lo : perfeito cobhecimento da lingua, fcil
elocucao, pronunciag(f elegante acentua-
da, lQgica vigorosa na argumentacSo, mul-
ta vez ao modo dos grandes argomenta-
dores da escholasca, amenidade de estyl-
lo com que to felizmente se faz entender,
e eis um bom mestre. Mas se isto jun-
tares verdadeira paixSo pela sciencia, o
fogo da inspirac3o no gesto, na face e na
voz, lereis mais do que um bom mestre,
tereis um mestre .privilegiado, um mode-
lo que far o desespero de mais de um
copista.
< Ide faculdade de direito, entrai na sa-
la do quinto anno, vde esse horaem en-
canecido pelas vigilias do estudo, mas
com ajuventude na face, o entbusiasmo
no gesto e na voz. Demorai-vos um pou-
co attendei como a express5o Ihe sae colo-
rida dos labios, como o gesto sabe ac-
companhar o rigor da express3o.
< Deixai ir o nosso Bastiat; vede como
elle vae de harmona em harmona na sua
sciencia ; vede como a economa poltica
vos u rece cousa differeote do quetendes
ouvido ineia duzia de sabios de salao ;
vde-o rematando suas brilbantes de-
monstrancoes por apontar no auge da elo-
quencia para a mao potente que tudo re-
ge, indigitacao qfle jamis escapa ao seu
espirito ort d'oxo, e por flm diris com-
migo : E' um grande mestre.
O conselheiro Autran d'esses que per-
dem-se em nao ser ouvidos. Suas pre-
lecges stenographadas provariam que fal-
la ainda melhor do que escreve. >
Regencia das cadeiras do collegio das artes-
Na regencia das aulas do collegio das ar-
tes, tiveram lugar as segaintes alteraces.
A cadeira de lalim foi regida pelo seu dig-
no substituto o Sr. Dr. Pinto Pessoa, desde
27 de julho 23 de agosto, tempo este em
que esteve impedido por molestia o respec-
tivo professor.
O mesmo Sr. Dr. Pinto Pessoa, por no-
meac3o do Exm. Sr. director, substituiu a
cadeira de philosophia, durante o impedi-
mento do effectivo professor', desde 10 19
de junho. v
Por todo o anno lectivo regeram as cadei-
ras de geometra e inglez os seus substitu-
tos, por se achar o Ilustre professor da pri-
meira em commissao do governo provin-
cial, o da segunda em razo da difficuldade
que tem occorrido no provimento da respec-
tiva cadeira.
Do expendido se conclue qual o atropello
em que viveu o dito Sr. Dr. .Pinto Pessoa,
durante o ultimo anno lectivo, para bem
substituir todas aquellas cadeiras, de inglez
e latim, inglez e philosophia simultneamen-
te naque!las pocas cima indicadas de impe-
dimento dos respectivos professores ; e por
conseguinte eis a mais completa demonstra-
do de todo quanto a tal respeito tenho pon-
derado.
XXIX
Synopse dos exames preparatorios.
Para se fazer urna exacta idea da urgen-
cia de urna reforma regular na instrucco
preparatoria aos esludos jurdicos, abaixo
offereco o quadro synoplico sob n. 1 dos
examinados, alumnos do collegio das artes,
as pocas proprias do anno passado, com
especiicac5o da sorte que obtiveram, bem
como dos que para isso nao se habilitaran],
e cm face de egual quadro (n. 2) dos exter-
nos, que tambem fizeram exames, se evi-
dencia que o ensno particular muito mais
caro que o daquelle estabelecimento, e sem
a preferencia garantida pelos estatutos para
azer os ditos exames em novembro, tem-se
tornado digno de maior confianza e crdito,
qne o publico,
Jnior.
A' 3 de novembro do mesmo anno reco-
mecaramos ditos exames, funecionando como
commissario por parte da directora desta
faculdade o autor da presente memoria, e
por parte do governo o Rvm. Sr. padre-mes-
tre Ignacio Francisco (os Santos, digno pro-
fessor de latim do gyranasio provincial Per-
nambucano.
O Exm. Sr. conselheiro Dr. Autran, res-
peitavel decano desta faculdade apenas, por
dua& vezes, durante todo aquelle anno lecti-
vo, substituiu ao Exm. Sr. director visconde
de Camaragibe, a saber: a 1.a durante o mez
de'marco, quando leve de tomar asse to na
aasembla legislativa desta provincia, e em
seguida na cmara emporaria, as quaes
oceupava a mu honrosa presidencia, al 7
de junho, que reassumiu o respectivo exer-
cicio ; e a 2* durante 11 das no mez de
agosto, que o dito Sr. visconde de Camara-
gibe funecioaoa como presidente da assem-
sembla parocuial de S.' Lourenco da Matta.
XXXI
Direchria interina.
Ainda que em geral as administracoes in-
terinas sejam destituidas do preciso presti-
gio e forca moral inherente effectividade
de e 11 prego, pelo que nada emprehendem
de radical ou positivo ; todava a substitui-
c3o da directora desta faculdade, quando
oceupada pelo Exm. Sr. conselheiro Dr. Au-
tran, a mais completa excepco desta re-
gra, porque possuido de urna sollicitude
toda prova e da mais pronunciada estima e
dedicacao esta faculdade (sendo um dos
benemritos fundadores do curso juiidic >de
Olinda), e da longa pratica de 35 annos no
magisterio ; dotado de urna imaginac3o e
talento (nao enfraquecido pela idade) par
de muita illustrarao e moralidade ; torna-se
incansavel, demonstra o maior zelo possi-
vel, presta os mais valiosos servicos, em
urna palavra excede sempre a plena confian-
(a, que todos nelle deposuam.
XXXII
Minha nomeaco para o lugar de lente
substituto da Faculdade de Direito do Re-
cife, e respectiva posse.
A' 6 de fevereiro de 1863 tomei nosse
com as formalidades do estyllo do emprego
de lente substituto d'esta Faculdade, para o
qual ii ve a subida honra de ser nomeado por
decreto imperial de 17 de Janeiro do mes-
mo anno.
Possudo sempre do mais acrisolado e
profundo reconbecimento para com o nosso
mui sabio e justiceiro monareba por este ac-
to de sua proverbial rectido, nao posso dei-
xar boje nesta solemne occasi5o, e as pa-
ginas d'este meu primeiro trabalho acad-
mico, de patenlear a minha eterna gratido
e extrema dedicacSo
XXXIII
Designaco dos lentes para as diversas ca-
deit as.
Na congregafao inicial dos trabalhos d'es-
ta Faculdade (no primeiro de marco de 1863)
foi destribuida a regencia das respectivas ca-
deiras, pelo modo seguinte:
Io anno.
Ia cadeira.O Sr. Dr. Figueiredo.
2a cadeira.-O Sr. Dr. Pinto Jnior, no
impedimento do Sr. con-
selheiro Dr. Cunba Figuei-
redo, que se achava no go-
zo de urna (cenca concedi-
da pelo governo imperial.
2o anno.
Ia cadeira.O Sr. Dr. Jos Liberato, no
no impedimento do Sr. Dr.
Silveira de Souza em com-
missao do governo.
2a cadeira.O Sr. Dr. Vilella Tavares.
3o anno.
Ia cadeira.O Sr. Dr. Loureiro.
2a cadeira.O Sr. Dr. .aguiar.
4o anno.
Ia cadeira.O Sr. Dr. Henriques de Sou-
za.
2a cadeira.O Dr. Drummond, no impedi-
mento do respectivo cathe-
dralico o Sr. Dr. Portel'a,
com assento na assembla
provincial desde o primeiro
de marco at o ultimo de
abril.
5o anno.
Ia cadeira.-O Sr. conselheiro Dr. Bap-
tista.
2a cadeira.O Sr. conselheiro Dr. Au-
tran.
3a cadeir3.O Sr. Dr. Pereira do Reg.
XXXIV
Alteraces hav'idas durante o anno
lectivo.
Durante o anno lectivo deram-se ainda as
segaintes alteraces,
O Sr. conselheiro Dr. Cunha e Figueire-
do reassumiu a regencia da sua cadeira de
directo romano 17 de setembro, em que
ces-ou de gozar da licenca que Ihe fra con-
cedida pelo poder legislativo.
O Sr. Dr. Aprigio GuiraarSes substituiu
a cadeira de direito ecclesiastico durante o
impedimento do Sr. Dr. Vilella Tavares, de-
putado assembla geral desde 17 de abril
31 de maio.
OSr.
9
nal, durante a enfermidade de que fra ac-
commettido o respectivo lente o Sr. Dr.
Aguiar.
Os Srs. Drs. Bandeira Filho' e Aprigio
Guimaraes regeram a cadeira de economa
poltica durante 14 das no mez de julho,
que esteve servindp no tribunal do jury o
Exrn. Sr. conselheiro Dr. Autran; sendo
que o primeiro apenas a regen-durante dous
das, emquanto nSo pode comparecer o ulti-
0 Sr. Dr. Tarquinio Amarantho regeu de
lo de junho a cadeira de direito crimi-
Vs bem sabis, Srs., que o5o procuro
d'est'arte thurificar esse nosso venerando |jno, que anteriormente para isso bava sido
mestre e mui destincto collega, quando as- j designado .
sim me exprimo, porque todos vos porfa \ O Sr. Dr. Bandeira Filho regeu ainda a
e de continuo sois os primeiros a assim con- cadeira de direito administrativo desde 19
sideraf-lo. I de agosto a 4-de setembro, que o respecli-
Par'a mim o Exm. Sr. conselheiro Autran vo lente calhedratico o Sr. Dr. Pereira do
(o mui destincto Dr. em direito pela faculda-
de Aix em 1827, collega-dos eximios Riche-
let, boje Decano da de Rennes e de Hue,
Regoserviu no tribunal do jury.
O Sr. Dr. Bandeira Filho, no coraeco do
anno lectivo esleve m gozo de urna Kcenea
hoje ah professor de direito civil francez, de tresmezes, que Ihe f6ra concedida-pelo
como se v da obra de k<- de Fontaine de governo imperial.
Resbecq.Noticia sobre osdoutorad s em O Sr. conselneiro Dr. Cunha eFigoeire-
di- eito na Franca), um verdadeiro padrSo do cessou a 17 de setembro-
de gloria da nos'sa faculdade ; em summa, j O Sr. Dr. Jos Liberato obteve da presi-
elle um celebre e vivo monumento da anti- dencia d'esta provincia urna licenca de 30
gujdade, como alguem j disse com muito das, e della so gozoo djisde 10 ate 38 de
espirito acerca do grande principe eeminen- qutubro por havr rntmciado o restante do
te diplomata Tayllerand, ao v-lo todo enea- wlnpo.
-
XXXV I
'A eonctsso de carta de conselho e para .
continuaco wo. magisterio ao Sr. dr. I
* Loureiro,
Ao Sr. Dr. Loureiro, em justo premio**
dos relevantes serrina que tem (matado
como-lente, j do MHr, eirso jttridfto de
Olinda, ej desta Faculdjjjepor maisde 25
annos com assiduidad zelo exernpre3,'
S. M..o Imperadorhiwtfporktm porde-
creto de 7 de outubro de 1863 de distingui-
lo com o honroso titulo de c&rfstoeird; per-
mittindo-lhe ao mesmo tempo continuar no
exercicio do magisterio, mediante a gratif-
calo addicional estatuida pela lei orgnica'
d'esta Faculdade, como foi communicado
respectiva directoria^m 13 d'aquelle mez e
anno. i
E' sem duvida por meio da distineco ao
verdadeiro mrito, e justo premio ios que'
tem encanecido no laborioso magisterio, que
o governo imperial poder alcancar a ani-
macSo para bem servir ao estado, e causar
a emulacSo entre aquell s, que seguem a
espin osa carreira scientifica'. E ao mesmo
Sr. Dr. Loureiro era tanto mais digno d'ella!
quanto at o presente nenhuma outra havia
recebido.
Esta Faculdade deve ufanar-se todas as
vezes, que qualquer dos seus membros ob- i
tiver algum lituh de benemerencia, pe'os'
bons servicos que hoover pre:tado reli-'.
gio, patria e sciencia, como ora succe-
de respeitodoExm. Sr. conselheiro Dr.
Loureiro, nosso mui charo e respeitavel col-
lega, que extremamente dedicado aquelle seu
nobre empeaho, vivendo com toda a parci-
monid, e no maior recolhimento possivel,
consumiu todo o seu vigor, restando-lhe
apenas legar sua numerosa e pobre familia
um mme mui glorioso: o que devo aqu;
registrar em pleno teste nunho da verdade'
por todos nos bem conhecida.
XXXVI
Programmas e compendios adoptados na
' Faculdade.
Nao houve alteracao, quer a respeito dos;
compendios adoptados, quer acerca dos pro-!
grammas -de enseno.
Tornot-se, porm, sensivel para os alum- j
nos do 5 anno a taita dos Elementos do!
Processo Criminal i elo Sr. Dr. Ramalho,
digno lente calhedratico da Faculdade de
Direito de S. Paulo.
Pela parte que Uve no ensino desta Fa-
culdad', dorante o pouco tempo que reg a
cadeira de Direito Commercial no supramen-
cionado impedimento do respectivo lente,
devo declarar que adopti o seguinte pro-
gramla as minhas preleccoes.
Procurei estabelecer as diversas classifi-1
cagues do commercio, fz a sua historia e a
do Direito Commercial propriamente dito, j
indiquei as suas fontes, os seus limites, ca-
racteres e pocas ou collecces, tudo isto I
como'preliminares dessa materia. Em segui-!
da, entrei na analyse philosophica das dis-:
posices do cdigo commercial, mostrando |
em cada um dos seus artigos, a sua razo!
de ser, as suas funtes prximas e rerajtas,;
comparando-a com a sua iegislago propria'
das naces mais cultas, para demonstrar a \
preferencia daquellas disposicoes e indicando >
toda a discusso, que houve i o parlamento
brasileiro as controversias, duvidas, deci-
ses e explicacoes, que a respeito tem sido
dadas pelos poderes e tribunaes compe-
tentes'.
Ignoro se era ou nao preferivel esse me
thodo, massegui-o, porque pareceu-me mais
apropriado, embora mais trabalhoso, para
dar maior lattitude ou desenvolvimento ao
ensino de tao diffcil qu3o import nte mate-
ria. Se nao foi esse o melhor caminho, se
por ventura apartei-me mesmo do program-
ma (para mim at ento desconhecido do
digno lente cathedratico do direito com rer-'
cial nesta faculdade), ser por certo urna |
omisso involuntaria e justificada, devida
antes minha inquestionavel insufliciencia e |
tirocinio, do que ao mu proposito de con-
traria-lo.
( Continuar-se-ha)..
UM POUCO DE TUDO.
E' do Sr." Juviniano Monleiro esta poesa
Levanta o gladio na dextra.
Provincia dos Camares,
Urna voz grande orchestra
Dos brasileiros canhoes 1
Desfralda a tna bandeira.
Levanta a fronte altaneira,
Sacode as bastas guedell as t
Tu, no calor dasbatalhas,
Lancas da boceametralhas,
Lancas dos olhosscentelhas 1
Foi longo, certo, o teu somno.
Mas despertaste afinal. .
De x r a me no abandono
as bordas do tremedal.
Comprando a honra co'a morte
Nao p'ra filha do norte,
Para a senhora do raio :
Derruba, em punho o estandarte,
Cada peca um baluarte,
Cada tiroum paraguayo.
Retoma a lucida espada
Moldada p'ra t a mao,
Dirige a ponta agucada
Do brbaro ao corceo !
Desabe o grande colosso
De lama, de carne, de osso,
De materia e podridSo I
E a divindade d' America
Celebre a faranlia homrica
Ao resurgir deAssumpcao.
Rouba a cabeca do tronco
Um golpe s do teu gladio t
Baqueie o governo bronco 1
Debaixo do teu palladlo
A lyrannia n5o medra :
s E's a symbolica pedra
Que esboroou no fragor
Dos seus vrtices medonhos
A torva estatua dos sonhos
De Nabuchodonosor.
Leandro se embriagava
Do sangue na badiana),
Nuvens de balas mandava
A artilbaria'inlernal
Sobre a milicia de Flores ;
Desfez-se a mK'em de horrores
Apenas cheg stetu :
Ao choque do peito d'aco
Soffreram cruel fracasso
Os muros de Paysandi %
Da tua dextr o aceno
Choviam rajos do cu,
Vergado oroslo moreno
Chorava Montevideo I
Quando o inlmigo se corva
Dobrworostoseturva
De pesa e de compaix5o;
E a mao qne os raios continua
Veste a espada na bainha,
Aper^f a contraria mSo.
M
Agora, cidade invicta.
Voluntariamente vae :
De sangue nossa vindicta
Contra o torpe Paragu y....
NSo se deixe um s com vida !
Pena de morte ao homicida,
E' Deus queensina a Moy-s !
Si a bocea nos cospe a injuria,
Corta-lhe a lingua purpurea,
Derruba-o morto a leus ps.
Tetrvulto que ah assoma,
Ao -som dos guerreiros hymnos,
Lerabra na torpe Sodoma
Os mensageiros divinos:
A cidade prostituta
Nao resiste nobre luta
Do americano Ismael....
Quando os espacos dominas
Surgem montoes de ruinas
Das patas do teu corsel!
Na mao que doma as procellas
Ostentas, altiva, o raio,
Cinges um cocar de estrellas.
Vestes de nuvens o saio ;
Em azas de cliamma adejas,
gneo archanjo das pelejas,
Limpando as manchas do sol;
E l as invias alturas
O teu coracSo apuras
Da virtude no crisol.
E's nobre N5o te macula
A covardia, a dobrez !
A coragem que pullula
E' o bonissimo arnez !
Guerreiro, justa te libras
Em cada golpe que ribras
Jorram sp ida as de luz I
Na paz em amores brotas,
E inteiramente te votas
Ao throno, familia, cruz.
Vae, guerreiro encoracado,
Em ti confia o paiz...
Prende a medalha o soldado
Por cima da cicatriz.
Occupas diversas zonas,
Altivo como o Amazonas
Caboclo como o Para. /.
S com leu balito abrazas,
Com um s movimento arrazas
As muralhas de Humait I
Tudo aqui soletra morte,
Matta verde ou cu azul!
Ha pororocas no norte.
Temos pampeiros no sul 1
Por detraz das cordilbeiras
Rebentam-se as cachoeiras!
Ao canto da joriti
Se casa da onca o grito!
Tudo aspira o infinito,
Tudo grandiloquo aqui.
Vae, cndor, transpoe os montes.
Deixando rastros de luz
as nuVens, nos horisontes.
Nos infinitos azues!
Cometa, que extensa lauda
Occupas com tua cauda
No livro que abre-se IVae.
Lulas, vences.,, quasi exange
Deixas pegadas de sangue
as faces do Paraguay!
Macio nnho de relva
Tuas fadigas que dou,
Um vago rumor na selva
Do somno te despertou!
Escuta atiento! o que ouco?
Tropezara em Matto-Grosso
Um p que affronta o Brasil,
Quando um reptil o maltrata
O nobre animal o mala,
Mas tem nojo do reptil!
No campo o sangue que corre
Estampa os feitos de hroes;
O bravo vinga-se e morre.
Nao mancha as cinzas de avs
Aguia que aos ares remonta
Altiva sorri affronta
Da serpe que beija o chSo,
Baixando rpidamente,
Toma na garra a serpente,
Sacode-a d'um turbilho.
Pode um alomo do globo
Nosso sol eclypsar ?
Das nossas virgens o roubo
Deve essa Roma pagar f
O saque, a morte, a torpeza
Praticadas surpreza
Contra os filh^s do Brasil,
Sejam com sangue esculpidas
as frontes invilicidas
Da escoria de um povo vil.
Infamia, inveja, despeito
Armara a insana nacao...
Filhos ingratos que ho feito
Sudario do pavilbao...
Em perda da causa publica
Fizeram d'uma repblica
Oliarchia sem leis;
De bonzo ou rei a feitura
Occupra a dictadura
Decorada de ouropeis.
Demaistens andado... para!
Um punho estranho, fatal
Com fogo e sangue gravara
Tua seu tenca final l
O raio acceso da guerra
Reduz na face da trra
Os monumentos apo...
E deste povo proscripto
Por um symbolico edicto
Restar o nome s.
E na frente da cruzada
Ir o teu pavilho...
Que a cabocla laureada
Preceda sempre naco.
E a Veneza encantadora
Que o Atlntico oamora
A' gloria maior tem jus;
Seja seu nome estampado
No nosso livro dourado
Com carcter de luz I
r=
Em paga j regio
Na vol
ito
Naseio brando da pH ;
Cercam-le os astros de lumes,
As flores dio-te perfumes,
As brizas beijos subtis ;
Do Atlntico as ondas crulas
Vem encher-te as mos de.perolas,
Banhar-te as plantas gentis
Um jornal francez faz s~segumtes obser-
vaces acerca das enormes despezas, que os
iuglezes e os anglo-americanos teem feito
para aperfeicoar a sua artilharia, e sobre os
resultados obttdos.
Os inglezes, diz elle, em' 1860 metteram
mos a obra animados da maior confiarla,
e fizeram tentativas, que falharam completa-
mente, posto que, a principio, fossem sau-
dadas como victorias definitivas.
Depois de lerem despendido avoltadas
quantias, fabricado um material considera-
vel, experimentado as mais grandiosas pro-
porces tudo quanto julgavam que era de
utilidade esludar, qual foi o resultado, que
obtiveram ? Regressaram ao ponto de parti-
da, ao canbo de sir W. Armstrong, cora al-
guma leve modificaco.
Todo o ssu uidado dirigin-se para a ar-
tilharia de bordo para aquella, que especial-
mente dever servir contra os navios coura-
cados.
Seria demasiado longa a eoumeraco das
boceas de fogo experimentadas em Wolwick,
em Portsmouth, em Sboeburyness, as quaes,
depois das provas porque passaram, furam
postas de parte ; bastar dizer que depois
de lerem experimentado o calibre de 100 e
chegarem at ao calibre de 600, contenta-
ram-se com a amiga peca de 68, salvas al-
gumas excepces, as bateras do Blak Prin-
ce e do Rogal Sovereign.
A serem exactas as asserces do almiran-
te Halsted, as pecas antigs, a que alludi-
mos, sao as nicas, em que os homens do
mar depositara conlianea e que nao sao por
ellos consideradas como absolutamente inu-
teis ou perigosas.
Os americanos foram mais longo do que
os inglezes, pelo ,jue toca a despezas, ao nu-
mero de experiencias e ao algarismo dos ca-
libres.
Da fabulosa somma de milbes, que os
exercitos do norte e do sul tem consumido,
um ou dous e talvez mais, foram gastos com
a artilharia.
Saiba o leitor que os americanos fundi-
ram urna bocea de fogo do calibre 1080 li-
bras, que hoje a maior, que no mundo
existe.
Nestes ltimos quatro annos a America
tornou-se o Edn dos inventores; e todava
que resultou d'ahi ? as muitas e sanguino-
lentas batalhas. que se travaram durante
esta guerra, nao se acha menco alguraa nos
seus boletins que confirme que a artilharia
sustentasse aellas urna parte importante em
que fizesse alguma cousa comparavel com o
que praticou a famosa batera, que postada
ao longo caminho de ferro em Magenta, con-
tributo to poderosamente para o xito da
batSiha. ou com o que fez a artilharia da
guarda imperial quando em Solferino obstou
perigosa marcha intentada pelo general
Benedek.
Os americanos tambem sitiaram varias
fortalezas, que urna operaco, em que a
artilharia deve especialmente primar; mas,
ao que parece, nem mesmo nos assedios a
moderna artilharia pode fazer-se admirar.
Viktsburgo rendeu-se por falta de man-
timentos ; Charleston no capitulou, a des-
peito de um largo assedio o de repetidos ata-
ques; e se f.i ha pouco evacuada deve-se
isso attiibuir a movmentos estratgicos, que
os generaes do sul vio intentar, afim de
concentraren] as suas torcas disseminadas.
Couvm nao olvidar que urna diminuta
guarnice de 30 ou 60 bomens oceupou por
muito tempo o forte Sumter, que defenda
Charleston.
A artilharia americana, conclue o citado
jornal, causa espanto a toda a gente pela im-
mensidade das despezas, a que d lugar, e
pela enormidade dos calibres, que tenta.em-
pregar, mas nao pode ainda alcancar resul-
tado algum digno de copia.
Existe acaso alguma potencia, que tenlia
colbido melhor resultado do que a Inglaterra
e a America ?
Communicam-nos o seguinte fado digno
de attenc3o :
Em urna das freguezias do termo desta
cidade (Bahia) teve de ser lavrada urna e-
criptura de compra de alguns escravos para
o servico da lavoura.
Nada parece mais simples e fcil. Engao
manifest I j {
O publico vae ver porque tortoras teve de
passar o misero comprador.
Dous sao os collectores, geraLe provin-
cial (naturalmente para facilidade o tr ba-
lho); a um competa receber o sello pro-
porcial, a outro dispen ara meia siza,
Para pagar-se o sello deram-se os segain-
tes passos :
Ia vagem8 leguas de ida e volta. O es-
crivo estava doente e nao tinoa substituto;
o collector mandou que a parte recorresse
cidade.
2a viagem ( cidade) -14 leguas. A re-
cebedoria responde que o imposto nao podia
ali ser pago.
3a viagem (ao collector)8 leguas. Esta-
va incommodado.
4a viagem-8 1 guas, O horaem pode em-
fim recebero imposto!
Voltemos ao provincial..
1* viagem4 leguas.O collector nao se
julga autorisado a dispensar a meia siza e
manda recorrer a thesouraria,
2a viagem ( cidade)1A leguas. A the-
souraria decide que o caso da competen-
cia do collector.
3* viagem4 leguas.O cgllector des-
pacha emfim !
De sorte que para pagar-se' vinte. tantos
mil ris de imposto, teve-se de andar 38 le-
guas. Para isencSo da meia siza 22 legnas.
Ao todo 60 legoas,em IO das de aturado
trabalhotendo-se a favor a jwa vontade
dos prepostos da fazenda, e activos procu-
radores.
E pori4 r...
Como est tudo isto tao bem organisa-
do t...
PERNAMBUCO.-'TYP. DE M. F.D F. i FILHO
< -
;
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4OVK97JX_JT7ACM INGEST_TIME 2013-08-28T00:00:41Z PACKAGE AA00011611_10646
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES