Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10640


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO U HUMERO 83.
ipajd(feiitPoelOdUsdoi,0mei i i .
Ws^osl.0110dii8 4icffleceeilentpodoqaartel. .
,rt.dtfr*eP01"tr*s mezes .,.,.,,,.,, 750
"
5|000
J

1
s -
"\o


TERCA FEIRA ll DE ABRIL DE 1865.
fw idb ||t dentro de 10 das de i. mez ,,,., 191000
Porte ao eorreie per um auno........,.,.,, 3$000
ENCARREGADOS DA SUBSGRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; MaranhSo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Aives &
Filhos -, Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagnas, o Sr. Clandino Falco Uias; Baha, o
Sr. Jos Martin? Aives; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Rioeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhans, Buque, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as trras
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ourlcury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sbbades a 1
bora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Quarto cresc. as 10 h., 59 m. e 22 s. da t.
11 La cheia as 2 h., 17 m. e 52 s. da m.
18 Quarto ming as 9h., e 16 m. da t.
27 La nova as 11 b., 53 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintases 10 horas.
Juizo do commereio: segundas s 11 horas.
Dito de orphlos: tercas e sextas s 10 horas.
Prmeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
10. Segunda. S. Ezequiel prof.; S. Tetencio m.
11. Terca. S. Leao Magno p. dout. da egr.
12. Quarta deTrevis. S. Vctor m.; S. Julio p.
13. Quinta-feira maior. S. Hermenegildo p. m.
14. Sexta da paixo. S. Domntna v.
15. Sabbado d'allelua. S. Pancraco.
16. Domingo. Paschoa da Resurreigo de Christo.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as i horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas 54 e minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Fgueiroa de
Faria & Filho.
PARTE 9FF11AL
GOBERN DA PROVINCIA.
LE N. 605.
Antonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Fago saber todos os seus habitantes, que a as-
sembla legislativa provincial decreloa e eu sanc-
conei a resolugao seguate :
Art. I." Ficam concedidas as seguiotes loteras:
1." Urna de 1,000:000,5 para auxilio das fami-
lias dos ndailaos que se alistaram nos cerpos de
Voluntarios da Patria desla provincia.
3 Quatro de 120:0005 cada urna, para as
obras do Gymuasio Provincial.
3.* Urna de 120:0005, para a greja que serve
de matriz na freguezia de Serinhem.
4 Outra de igual importancia para concluso
das obras da nova matriz de S. Jos na cidade do
Recife.
5." dem dem, para a nova matriz do Brejo.
6. dem idem. para a capella dos novigos da i
ordem 3* do Carmo da cidade do Recife.
3 7. dem idem para a igreja do Rosario em Be-
tercos. i
8. dem dem, para a igreja do Rosario de
Olinda.
9. Urna de 100:0005, para as obras da matriz
do Rio Formoso.
10. dem idem, para a concluso das obras da
igreja da Misericordia em Goyanna.
11. Duas de 60:0005 cada urna, para auxilio
das obras da capella da Conceigo da povoago do
Barro, frequezia dos Afogados.
| 12. Outra de 60:0005, para auxilio das obras
da ijreja de Abreu de Una.
13 dem dem, para os concertos da igreja da
povoago de Pona de Pedra, da comarca de
Goyanna.
14. dem idem, para a concluso das obras da
igreja do Livramenlo da villa de Po-d'Alho.
Art. 2." A lotera concedida pelo Io do artigo
antecedente ser dividida as partes que o presi-
dente da provincia achar mais conveniente.
Art. 3. O beneficio de cada parte da lotera de
que falla o mesmo Io do art. Io d9sta le, ser en-
tregue inmediatamente depois que correr, e inde-
pendale de nanea, Sociedade Protectora das Fa-
milias do? Voluntarios da Patria, para Iha dar_des-
cando obrigada a sociedade a prestar contas de sua
destribuigo Ihesouraria provincial.
Art. 4 o O imposto provincial de 5. % S0Dre os
premios maiores de 4005, asslm como o excesso
la quanlia destinada para pagamento do sello, re-
verterlo em beneficio das mencionadas familia?, e
sero igualmente entregues pela forma estabelecida
no artigo antecedente referida sociedade, medi-
da que se forem exirah'rado as diversas partes da
lotera referida no mesmo artigo.
Art. 5. Ficm revogadas as disposicoes em con-
trario.
Mando, portaoto, a todas as autoridades, a quem
o conhecimento e execugo da presente resolugao
perteacer, que a cumpram e fagam cumprir to
inteiramente como nella se conten. O secretario
do governodesta provincia a faga imprimir, publi-
car e correr.
Palacio do govern de Pernambuco, aos 3 de
abril de 1865, 44 da independencia e do imperio.
L. S. ^s
Antomo Jorges Leal (Zaslello Branco.
Sellada e publicada a presente resolugao nesta
secretarla do governo de Pern>mbuco, aos 3 de
abril de 1865.
O secretario do governo Dr. branetsco de Pau-
la Salles.
Registrada a folhas do livro 7o do les provin-
ciaes. Secretara do governo de Pernambuco, aos
3 de abril de 1865.
O escripiurario da 4* s'ecgo.Theodoro Jos Ta-
zares. I
LE N. 606.
Antonio Borges Leal Castello-Branco, prndente
da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes, que a as-
sembla legislativa provincial decretou c eu sane-
cionei a r eso lucio segu o te :
Artigo 1." Fica o presidente da provincia auto-
risado a mandar construir quanlo antes, dous agu-
des, sendo um no termo de Granito e ontro na
freguezia da Glora do Goit, em lugares conve-
nientes para abaslecimenlo d'agua aos habitantes
dessas localidades.
Art. 2. Fica decretada para a factura desses
agudes a quantla de 8:080*000, sendo 3:0005000
para o de Granito e S:000$000 para o da Gloria de
Goita'.
Art. 3." Fica novamenle autorisada a construc-
ge de um agudo em Flores e consignada para essa
obra a mesma quota marcada no 6 do art. 16 do
orgamento vigente.
Art. 4." Ficam revogadas as disposicoes em con-
trario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem
o conhecimento e execugo da presente resolugao
pertencer, que a cumpram e* fagam cumprir to
mtelramente como nella se contm. O secretario
do governo desta provincia a faga imprimir, pu-
blicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 3 de
abril de 1865, 44 da independencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello-Branco.
Sellada e publicada a presente resolugao nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 3 de
abril de 1865.O secretario do governo.
Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl.do livro 7o de leis provinciaes. Se-
cretaria do governo de Pernambuco, 3 de abril de
1865.O escripiurario da 4" secgao,
Theodoro Jos lavares.
Continuarlo do expediente do dia 6 de abril
de 186o.
Offlcio ao com mandante superior da guarda na-
cional do Recife.D V. S. as suas ordens para
que urna guardado honra tirada da gnarda nacio-
nal desta capital, acompanhe o SS. Viatico em pro-
cisso do costume aos enfermos na freguezia de
Sanio Antonio no dia 11 deste mez, providencian-
do V. S. ao mesmo, para qne urna outra guarda
assista aos actos da semana santa qne se tem de
celebrar na matriz da mesma freguezia e acom-
panhe as proclssoes que sahirem daqoella Igreja.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de expedir as
suas ordens para que um dos corpos da guarda
nacional desta capital, nao so preste urna gnarda
de honra paraassistr aos actos da semana santa
na igreja do Corpo Santo desde as 10 horas dia 13
deste mzale domingo de paschoa, mas tambem
acompanhe as procissoes de enterro e ressurreigo
qne tem de sahir da mesma igreja.
Dito ao alteres do 4o batalho de infaoura da
guarda nacional do Medie, Manoel Romo Correa
Araujo Jnior.Rccebi o offlcio de 3 deste mez
em que *. m oflerece seguir com o Io corpo
de Vdartrios da Patria, afim de prestar seusser-
vlgos na campanha do Paraguay desistlndo da d-
cima parte do seos vencimentos em favor das des-
peas do imperio com a mesma camparla, e m
resposta tenho a dizer-Ihe que muto louvo e agr-
dego o seu patritico offerecimento, que opportuna-
mente ser aproveitado.
Portara.O presidente da provincia resolve no-
mear para.servirem provisoriamente no 1 corpo
de Voluntarios da Patria desta provincia aos offl-
ciaes abaixo declarados :
Estado maior.
Teneute quartel-mestre o tenenle da 7' companhia
" Francisco Jos da Silva.
7" companhia.
Gapo Manoel Gondalves Nanes Machado.
Tenente Manoel Lourengo da Silva. .
Alferes Gnilherme Francisco de Paula Montenegro.
Alferes Francisco Vidal Aranha Montenegro.
Fizerani-se as necessarias comraunicagoes.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requeren o juiz municipal e de orplios,.e de-
legado do termo do Cabo, bacharel Joao Gonzaga
Bacellar, resolve prorogar por um mez com orde-
nado na forma da lei a licenga de igual lempo, que
Ihe foi concedida por portara de 3 de margo ulti-
mo, para tratar de suasade.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
la a informago do commandanle superior da guar-
da nacional do municipio do Limoeiro, datada de 3
de margo ultimo, resolve conceder passagera para
a lista de reserva ao tenente da 3* compaohia do
batalho n. 21 de infamara da mesma guarda na-
cional Fraucisco Manoel Cavalcanli, que deve ser
aggregado a secgo de reserva n. 4.Fizeram-se
as necessarias communicagoes.
7
Offlcio ao coronel commandanle das armas.
Haja V. S. do mandar inspeccionar o Voluntario
da Patria Liurentno Alves Coelho, bem como de
informar acerca do que elle pede no inclusso re-
querimento.
Dito ao inspector da tnesonraria de fazenda.
Em vista da inclusa conta documentada e do que
no offlcio junto por copia, datadado de 4 do corren-
te sob n. 871, expe o inspetor do arsenal da ma-
rinha, manije V. S. por conla do ministerio da
guerra indemnisar o da marinha da quantia de
1:3655859 proveniente dos ohjectos indicados na
mesma conta, os quaes foram fornecidos de ordem
desta presidencia ao vapor Imperador.-Cemmuni-
cou-se ao inspector do arsenal de marinha.
Dito ao mosmo. -Se nao houver inconveniente,
e estando em termos os inclusos documentos, man-
de V. S. pagar a companhia de illuminaco desta
capital a quantia de 3965900, send) 2475500 pro-
veniente do gaz consumido com a illummago no
interior do palacio da presidencia nosm-zesde ou-
tubro.novembro e dezembro do anno prximo passa-
do, Janeiro e fevereiro ultimo? e 1495400 do traba-
Iho, material, apparelhos etc., empreados na illu-
minago exterior do mesmo palacio era das de no-
vembro, 1 e 2 de dembro, 6 e 7 de setembro, e na
chegada de Sua Alteza Imperial a Senhora D. Isa-
bel e seu augusto esposo nesta provincia, etc.
Dito ao mesmo.Inteirado do contedo do offl-
cio que V. S. me dirigi hoja sob n. 23i, tenho a
di'zer em resposta que, apezar das reflexes feitas
em dito offlcio, mande adiantar ao coronel com-
mandandante do Io corpo de Voluntarios da Patria
como se ordenou no offlcio que devolvo, a quantia
de 5:2255 por conta dos vencimentos do mesmo
corpo. relativos a segunda quinzena do mez de
margo ultimo, pois que taes reflexoes apezar do
justas do em resultado ficarem os soldados priva-
dos do necessario alimento al a apresentago nes-
sa thesourana do respectivo pret, que anda nao
se acha organisado por circumstancias poderosas.
Dito ao inspector da Ihesouraria provincial.
Accuso recebido o offlcio de hontera sob n. 133, em
que V. S. participou haver Feliciano do Reg Bar-
ros, dando por fiador o baro do Livramento, ar-
rematado com o abate de 22 por cento no prego do
respectivo orgamento a obra dos reparos da ponte
dos Carvalhos sobre o ro Jaboato, e em resposta
tenho a dizer que approvo essa arremalago.
Dito ao commandanle superior da guarda nacio-
nal do Becife,Expega V. S. suas ordens para que
urna guarda de honra com msica de algum dos
corpos da guarda nacional sob seu commando su-
perior acompanhe a procisso do Senhor aos en-
fermos qne tem de sahir da matriz da freguezia da
Boa-vista desla cidade as 6 horas da manha do dia
12 do corrente.
Dito ao vigario da freguezia de Ingazeira padre
Jos Antonio Alves de Brito. Applaudindo muito
os elevados senlimentos de patriotismo, que mani-
festa V S. em seu offlcio de 22 do margo ultimo of-
ferecendo para ir prestar no theatra da guerra
apesar de septuagenario, os servigos do sen minis-
terio, acabe-me agradecer seus bons servigos que
sero aproveilados opporlunamente pelo governo
quando sejo precisos.
Dito a Francisco Luiz Paes Barreto. Agrade-
cendo com muito louvor os senlimentos de patrio-
tismo que manifesta V. S. em seu offlcio de 29 de
margo ultimo, offerecendo os servigo de seu filho
Francisco Paes Barreto Lins para a desaffronta
dos bros nacionaes, acabo de dar as convenientes
ordens para que dito seu filho seja alistado no
corpo de Voluntarios da Patria.
Dito ao director geral da instruego publica.
Em vista de sua informago de hoja sob n. 105
dada com referencia ao requerimento do Dr. Pr-
xedes Gomes de Souza Pitaoga, autorso V. S. a
mandar admlttir no Gymnasio provincial como
alumnos meios pensionistas os filhos do supplicao-
te de nomes Prxedes e Joo.
Dito ao mesmo. Respondendo ao offlcio de V.
S. de 6 do correte sob n. 103, tenho a dizer Ihe
que designo a professorae Alexandrina de Lima
Albuquerque para fazer parta da commisso de
exames de que trata o seu citado offlcio.
Dito ao administrador do crrelo.Recommen-
do a Vmc. que mande para o vapor O'japock as 6
horas da tarde de boje a mala qne tem de ser en-
viada para o sul.
Dito ao mesmo.Declaro a Vmc. que o titulo
de ajudante do alvigareiro do lelegrapbo da torre
do Collegio Joo Nunes Correa de que trata o seu
offlcio de 6 do corrente, deve;ser dado por Vmc.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. D
Vmcs. suas ordens para que com a maior urgen-
cia poslvel seja o vapor S. Francisco sopprido de
carvo necessario para proseguir na sua viagem
ao Maranho, bem assim para que se faca com
presteza os peqneaos reparos de que precisa o
predito vapor.
Dito ao chefe interino da repartirlo das obras
publicas.Recommeodo a Vmc. em vista da sua
informago de 5 do corrente, sob n. 100, que en-
tenda-se com o empreiteiro do calamento desta
cidade, para que o da rna larga do Rosario na
freguezia de Santo AntoDlo tenha execugo logo
que se conclua o da ra Nova.
Dito ao mesmo. Concedo a autonsagao que
Vmc. pedio em seu offlcio de 4 do corrente,
sob n. 99,para mandarfazer por empreitadaa subs-
tilnigo de duas llnhas que segundo consta do seu
citado offlcio acho-se muito arruinadas na ponte
do Caiar, despendendo-se para esse Ora at a
quantia de 1605000.Coramunicou-se a thesou-
ria pro vicia I.
Dito ao mesmo.Fica approvada a proposta que
Vmc. fez em sen offlcio de hontem sob n. 101 de
Francisco de Araujo Caldas Lima para feitor es-
pecial das obras per administracao nesta cidade :
o que Ihe declaro para seu conhecimento e em
resposta ao seu citado offlcio. Commuoicou se a
thesourana provincial.
Dito aos agentes da companhia br.sileira de pa-
quetes a vapor.Podem Vmcs. fazer seguir para
os portos do sul o vapor Oyapock hje as 6 horas
da tarde.
Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-
bucana mande dar transporte at o Acarac, em
lugar de r destinado a passageiro de estado, no
vapor que segu boje para o norte, a Antonio Fran-
cisco de Paula Queixada.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na de navegagao costeira, faca transportar no va-
por Mamanguape, por conta do ministerio da guer-
ra, 14 caixSes com artigos de fardameoto que o di-
rector do arsenal de guerra tem de remelter ao
corpo de guarnigo da Parahyba.
Dita.-O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte em lugar de proa, des-
tinado a passageiro de estado, at o Cear, no va-
por que segu hoje para o norte, a Augusto Ra-
phael Lucci
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na mande dar transporte at o Cear, no vapor que
tem de seguir para o norte no dia 22 do corrente,
em lugares de r, destinado a passageiro de estado,
ao inspector da ihesouraria de fazenda das Alagas
Joo Mendes Pereira e a sua mulher, os quaes le-
vam em sua companhia urna filha menor de 10
annos.
Contianaro do expediente do secrelario do gover-
no do dia 6 de abril de 1865.
N. 109.Offlcio ao secrelario da assembla le-
gislativa provincial.Satisfazendo a deliberago da
assembla legislativa provincial, constante do offl-
cio de V. S. de 29 de margo prximo lindo, sob n.
51, passo por copia as mos de V. S., de ordem de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, para ser pre-
sente a mesma assembla, a informago que deu a
cmara municipal do Recife acerca dos fundamen-
tos em que se baseou para nao dar licenga ao sub-
dito francez Uelouche pa estabelecer urna fabrica
de chocolate no largo do Carmo desta cidade.
N. 110.Dito ao mesmo.Para serem presentes
a assembla legislativa provincial, e em solucao ao
offlcio de V. S. de 24 de margo prximo Ando, sob
n. 42, passo as mos de V. 8., de ordem de S. Exc.
e Sr. presidenta da provincia, as inclusas informa-
g5es prestadas pela ihesouraria provincial, acerca
nao s dos limites marcados para a cobranga das
decimas na cidade de Goianna, mas tambem dos
povoados que nos annos de 1862 a 1865, foram
comprehendidos em ditos limites.
N. 111. Dito ao mesmo. -O Exm. SfV presidente
da provincia, manda remetter a V. S. para os fins
convenientes, os inclusos autographos dos actos de
ns. 605, 606, 607, 608 e 609, decretados pela as-
sembla legislativa provincial em sua presente
sesso.
N. 112.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, transmiti a V. S.
para serem presentes a assembla legislativa pro-
vincial, 40 exemplares do relatorio com que o mes-
mo Exm. Sr. abri a presente sesso da mesma as-
aembla.ficando assim satisfeita em partea exigen-
cia do offlcio de V. S. de 28 de margo prximo An-
do, sob n. 46.
7
N. 114.Dito ao mesmo De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, passo as mos de V.
S. em solugao ao seu offkio de 29 da margo ultimo,
sob n. 50, para Serem preseutes a assembla legis-
lativa provincial, as inclusas informagoes ministra-
das pelo director geral da instruego publica, rea
tivamente aos alumnos que tem frequentado as au-
las do curso coramereia! em cada nin dos annos
que tem deco/rldo desde a sua creago, cora deca-
rago do a prove lamento de cada um.
N. 115.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, passo por copia as
mos de V. S., para ser presente a assembla legis-
lativa provincial, a informaclo solicitada em seu
offlcio de 6 do corrente, sob n. 54, acerca do reque-
rimento do professor Claudino dos Santos Lopes
Castello Branco.
tava imminente : lodosa temiam, lodos se esfor-
gavam por evita-la. No proprio momento, em que
eu profera d'esie lugar o meu discurso inaugural,
no firme proposito do salvar a Uoio sem a guerra,
os agitadores percorriara a cidade e machinavam
sorraleiraraente a separago, querendo destruir a
mesma Umao. Ambos os partidos desejavam evi-
tar a guerra, mas um d'elles prefera langar mo
da> armas para sustentar a integridade da nagao, e
o resultado foi que a guerra appareceu. Urna oi-
lava parte da populaglo compunhase de escravos,
que se nao achavam destribuidos com igualdade
por todo o paiz, mas localsados nos Estados do Sul.
A existencia d'essa escravatura era do particular
interesse d'aquelles Estados : sabia-se que esse in-
teresse seria de certo modo a causa da guerra.
Fortificar, perpetuar e eslender este interesse era
o objecto pelo qual os insurgentes subjeilavam a
Unio guerra em quanto que o governo se jul-
gava com direito de Impedir desmembramenle do
territorio. Nenhura dos partidos previa a grande
durago que a guerra teria de aliingir; ninguem
poderia prever que a escravatura, causa da guerra,
tena de extinguir-se antes mesmo de terminar a
guerra. Todos esperavam por um Iriumpho mais
fcil e um resultado menos importante e sorprende-
dor. Ambos os partidos liam a mesma Biblia, e
adoravam o mesmo Dos, cada qual invocando o
seu auxilio contra o eutre. Pode parecer exira-
"tatfue haja quem se atreva a pedir o socorro de
urt^tisto Dos ao mesmo tempo que tira o seu sus-
tento do suor de seus semelhaotes, ms nao trate-
mos de julgar antes de serraos Julgados. A snppli-
ca de ambos nao pode ser ouvida, por ora nenhu-
ma o foi completamente; por que o Omnipotente
tem seu proprios designios, t A infelicidade do
genero humano provm do crime; islo urna lei
fatal a que a huraa'nida est subjeita ; mas infeliz
daquelle que o commclte. Admitlindo que a es-!
cravatura da America seja um d'esses criraes ne-
cessarios nos planos da Providencia, mas que, ten-
do continuado alem do seu preflxo tempo, Dos
agora quer remover, e manda ao Norte e. ao Sul:
esta terrivel guerra, como castigo quelles. por
quem o crime foi commettido, nao deveremos nos
reconhecer.em todos estes successos da sabedoria.
e bondade do Dos vivo ? "
Devemos esperar com ardor e supplicar ferven-
temenle que este grande tlagello da guerra desap-
parega quanlo antes. Entretanto, se da vontade
de Dos que elle continu emquanto nao desappa-
reeer a riqueza areummulada pela cubiga por meio
da um irabalho de 250 annos sem remuneragao, e i
emquanto cada gotta de sangue derramado pelo
azarrague nao fr lavada por outro sangue derra-'
mado pela espada, como se disse ha tres mil an-
nos, anda neste caso devemos acatar como verda-1
deiros e justos os altos juizos de Dos.
t Sem odio pessoa alguma, tendo cardade pa-
ra com ledos, Armados no direito como Dos con-
cede que comprehendamos o direito, exforcemo-1
nos por terminar o Irabalho encelado, por cica-
(rizar as feridas da nago, velando pelos que tive-
rera sopportado os trabalhos da guerra, e por suas
viuvas e orphas. E com todos estes procuremos
firmar urna duradoura paz no interior e com todas
asnagfles. >
Na cmara dos communs, em Inglaterra, Mr.
Hennessy denunciou o imperador di Rusia como
o tyrannda Polonia ; mas lord Palmerston tomou
a palavra e disse ser impolitica e injusta aqnella
aecusago.
Diz-se que Vctor Emmanuel e o imperador
dos Francezes vo ler urna nova conferencia, cujo
objecto tratar da abdicagao do re em favor do
principe Humberto.
As cmaras francezas discutem a queslo ro-
mana, e os ministros parece estarem firmes a res-
peito da obrigago do papa ao imperador.
Em Portugal, o novo ministerio tinha recebi-
do um voto de confianga da cmara dos deputados,
DIARIO DE PERNAMBUCO
Do Daily-Post de 18 de margo prximo passao,
que recebemos pelo vapor ingiez Gladiator, de Li-
verpool, extraclamos as noticias seguinles :
As ultimas noticias recebidas do theatro da guer-
ra dos Eslados-Unidos nao indicara com preciso o
estado e posigo do exercito do general Sherman.
As operagoes, ao passo que perdem de interesse
as Carolinas, tornam-se importantes no valle de
Slienandoah. A impreza do general Sheridam em
Charlottewlle influio provavelmente mullo na mar-
cha do Sherman em Lynchburgo. Os successos de
Charlottewille parece lerem sido muito prsperos.
O general Sheridan, descendo o valle de Shenan-
doah, encontrou-so com o general Early, e deu-se
urna grande batalha entre os dous exercitos, em
um lugar entre Slanton e Charlottewille, Early, se-
gundo referem os jornaes do norte, foi completa-
mente derrotado e capturado com 18,000 lioniens,
que Bcaram em poder de Sheridan.
Os confederados, reconhecendo a importancia
d'este acontecimento, e de suas consequencas man-
daram quatro regnientos para reforgar Early (de-
pois de capturado ?! ) e quatro brigadas para Lyn-
chburgo, afim de antecipar ali a chegada de She-
ridan. Nao ha certeza em dizer-se que Sherman
e Sheridan tinham tido urna conferencia com o
proposito de concentrarem suas forgas em Lynch-
burgo, cuja posigo se dizia que Lee abandonara
logo que Ihe constasse achar-so Richmond indefeza.
Tambem dizia-se que so tentara a etecuago de IV-
tersburgo o da capital da Conft-der^ao logo que os
navios podessera navegar. Granl previnia-se para
esse tempo, mas cautelosamente para nao agilar o
socego publico. Dahlgren refere que se lenta a
tomada de Geergelown, na Carolina do Sul.e a for-
ga naval em Mobile declarou estar prompta para
esse ataque.
O cnsul americano foi expulso, em Malta-
moros, no Mxico, por nao ter reconhecido o impe-
rador Maximiliano. Os Estados Confederados, ao
contrario, consta que reconhecem o novo impera-
dor.
No Novo-Brunswick ha um decidido pronun-
ciamenlo contra a Coofaderagao.
Eis o discurso inaugural do presidente Lincoln :
< Meus charos concidados.Comparecendo pela
segunda vez perante vos para prestar o juramento
do cargo de presidente, julgo desaecessario dirigir-
los, como flz da primeira vez, um longo discurso.
N'essa primeira occasiSo, era conveniente e proprio
3ue eu vos apresentasse um minucioso programma
e governo; agora, porm, depois de decorridos
quatro annos, em que tive umitas occasioes de ma-
nifestar publicamente as minnas opinioes concer-
nentes aos differenles ramos da administrado, e
com especialidade acerca da grande luti, que ainda
absorve a altengao e redobra os esforgos da nago,
ponco lenho queexpor-vos. O progresso de nossa's
armas, qne o assumpto mais ratmentoso e a que
tudo o mais se acha dependente, to publicamen-
te sabido, que escuso dar-vos noticia d'elle, que,
estou certo, lem sido satisfactorio e animador para
todos: Posto que teaha grande esperanga no futu-
ro, nao me parece prudente fazer prediegoes a este
respeilo.
< Quando prestei juramento, ha quatro aonos. a
altengao publica eslava aoeiosameate preza ao?
sustos e laquielagdes de unta guerra civil, que es-
' PERNAMRUCO,____
ASSEHBLEA PROVINCIAL.
30* SES5AO EM 8 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
(Concluso.)
O Sr. Amynthas pede que se examine se exis-
lem ou nao na secretaria da assembla as postu-
ras da cmara municipal de Barreiros, alim da
que, ouvida a respectiva commisso, enirem com
urgencia em discusso.
O Sr. Costa Ribeiro (Io secretario) procurar
satisfazer ao pedido do nobre depulado.
O Sr. aqcino Fon seca chama a attencao da com-
misso encarregada de examinar a escripturacao
da Ihesouraria provincial sobre urnas informagoes
que acaba de rereber acerca daeolleeta do presidio
n. 12 da ra da Imperatriz.
Contina a discusso do requerimento do Sr.
Diodoro Ulpiano sobre negocios do Ex.
O Sr. Buarque diz que sorprendeu-jhe a forma
que o nobre autor do requerimento adoplou na
apreseniagodomesmo.eainda mais sorprenderam-
Ihe as palavras com que procuren justifica-I". Esla-
va acostumado a apreciar es->e Ilustre membro
pela maneira calma e prudente com qne sempre
discuta as questdes ventiladas na assembla, e por
sso admirou-se de ver os termos em que se acna-
va concebido ,o requerimento, e ainda mais do ver
que as palavras que offerecia em apoio delle nao o
juslicavam de forma aiguma.
Da simples leitura do requerimento v-se qua o
seu Ilustre signatario admittio como autores desse
pretendido assassinato o delegado do Exu' e-oseu
supplente; entretanto fundamentando ;e?se mesmo
requerimento, o nobre depntado nao apresentou
casa provas de que essas autoridades fossem os au-
tores de semelhante crime.
Esta impntagao, porcia, que se levanta.sobre a
cabega d pesss to respeitaveis gravissima, e
nao poda deixar de ser acompanhada de provas.
O orador proeurou colher os necessarios docu
menlos e informagoes as mais minuciosas do fado
de que se (rata, e vera haja apresenta-las casa,
afim de mostrar que o nobre autor do requerimen-
to nao est perfeitaraente informado, e foi um tan-
to injusto para com essas autoridades, Ja nganil o -I h es
a impulago de assassinos.
O orador procede a leitura dos seguinte-> docu-
mentos :
i Delegacia de polica do termo do Ex em 15
de novembro de 1864.Illra. Sr.Acenso recebido
o offlcio de V. S. de 14 de ontobro do corrento an-
no, em o qnal V. S. pede-me informagoes acerca
da oceurrenria qne se deu neste termo em nmade-
ligencia feita por ordem desta delegacia, com o Am
de capturar alguns criminosos, da qual resnliou a
morle do um delles, de nome Manoel Ferreira Pen-,
do, que atirou sobre a tropa, bavendo ferido mor-
taimente ao soldado do corpo de guarnigo Pedro
Moreira de Meirelles, e que de taes factos nao ti-
nha V. S. recebido desta delegacia informago al-
guma.
Soa a dizer V. S. que em dala de 19 de se-
tembro flz scieate V. S. todo occorrldo a respei-
lo, como vera V. S.do offlcio daqoella data, que per
copia remello.
< Na imposslbilidade do mostrar V. S. offlcial-
mente que Manoel Ferreira Peodo era criminoso
e hornern perverso, ionio achara V. S. am doca-
mnlo particular assignadopelo delegado do termo
do Crato, provincia do Cear, homem de todo cri-
terio, e delle conhecer V. S. quem era Pendo ; e
se V. S. quizer ter mais positivas informagoes
respeilo daquelle criminoso, usar dos meios que a
le Ihe faculta, etc., etc.
Deus guarde V. S. por mullos annos. Illm.
Sr. Dr. Jos Pereira da Silva Moraes, dignissimo
chefe de polica desta provincia. Jos da Costa
Agr, delegado de polica em exercicio.
Delegacia de polica do lermo do Ex, 19 de
setembro de 1864. Illm. Sr. Constando-me que
no si lio faboca, deste termo, achavam-se homisia
dos e protegidos de Ignacio Caetano de Alencar
Rodovalbo, criminosos, entend peisoalmente cap-
tura-los,_visto como o mesmo Ignacio Caetano apro-
goava nao consentir que no seu sitio se lizesse pri-
zoes de qualquer natureza ; e para isso requesitei
a presenta de urna torca de linha do destacamento
do Ourlcury, a qual vio commandada pelo alferes
Pedro d'Alcantara Tiberio Capistrano, com cuja
forca e um offlcal de justica desta delegacia, me
aprescnle no referido sitio, eahi encontrando como
mestre do engenho do dito Ignacio Caetano, a Ma-
noel Ferreira Pendo, que me constava ser crimi-
noso na provincia do Cear, e segabava ter 14
processos naquella provincia, por isso iniimei-lhe
ordem de priso, logo que essa ordem ouvio pre-
parou-se para resistir e disparou um clavinote que
conduzia, sobre mim e a torga que me acompava ;
porm esse tiro nao empregando, o alferes Pedro
d'Alcantara Tiberio Capislrano fez cerca-lo afim de
o prender, e nese acto o referido criminosa car-
regando de novo o clavinote, o disparou segundo
vez sobre a 'fjrga, cujo tiro empregou no pulso do
brago esquerdo do soldado da torga de liona de
nome Pedro Moreira de Meirelles, o qual acha-se
gravemente enfermo, a forga fazendo fogo sobre o
referida criminoso o baleou no peito morrendo mi-
nulos depois.
A' vista, pois de taes oceurrencias, nao se
achando no lugar em que se deu esse facto o escri-
vo desta delegacia, mandei chamar o escrivo do
subdelegado do Exu' e com elle proced a exame
de corpo de delicio no soldado ferido, e exame de
idenlidade de pessoa o de corpo de delicio no cada-
ver do mencionado Pendo, cujos exames passo
por copia s mos de V. S. ; prendendo nessa
mesma occasio a dous criminosos, os quaes foram
recolhidos cadeia desla villa.
A' vista, pois, de taes oceurrencias pego V.
S. que d as ordens necessarias a tal respeito.
Deus guarde V. S. Illm. Sr. Dr. Jos Pe-
reira da Silva Moraes, dignissimo chefe de polica
desla provincia.Jos da Costa Agr, delegado de
polica em exercicio.
< Barrigada, 6 de novembro de 1864. Illm.Sr.
tenenle-coronel Antonio Luiz Alves Pequeo Jnior.
Estimo a saude de V. S. e da Exma. familia.
Vou por meio desla pedir V. S. que em abono da
verdade me informa o que souber a respeilo do
proced inepto do finado Manoel Ferreira, por alcu-
nha Penda; este individuo foi bem conhecido por
sua conducta nao s no termo do Assu', onde V.
S. tem relagCss, como (laivez) em toda essa pro-
vincia. Ha aqu quem diga que Pendo era ape-
nas um homem infeliz, que soffria injnstigas sem
merece-las, que nunca tinha commettido criraes,
que nunca tinha furlado, e que smente para esca-
par-se de perseguigoes langou mo por algumas
vezes de animaos alheios, porm aonde esbarrava
mandava dizer aos doaos que fossem buscar seu
animal.
Permitta-me V. S. fazer de sua resposta o uso
que quizer.
t Mande-me V. S. as suas ordens a quem presa
ser de V. 8. etc. Manoel Florencio de Alencar.
t Atiesto "sob f de meu cargo que Manoel Fer-
reira, por lcunha Pendo, era criminoso no termo
de Saboeiro desta provincia, de cujas prisoes se
evadir fazendo resistencia s sentinellas, e cau-
sando muilos ferimanlos; e que era ladro de ca-
vallos, traiia assuslado os habitantes daquelle ter-
mo e parle deste, por suas perversidades, e final-
mente era homem valenle, perigofo c audaz.
c Pode V. S. fazer uso desla mlnharesposiacomo
Ihe aprouver.
c Cidade do Grato, 10 da novembro da 1864.
O delegado de polica Antonio Luiz A. P. Jnior.
Est a firma supra reconhecida por labelho
publico.
t Illm. Sr. Dr. Manoel Buarque de Macedo.
Pespondendo a carta que V. S. se dignou dirigir-
me, curnpre-me dizer a V. S. que exacto eu ter
seguido para a villa do Ex, em diligencia com
pragas do destacamento de meu commando, por
ordem do juiz da direito da villa da Ourlcury em
virtude da requisigo do delegado daquelle termo ;
depois de atravessar a serra de Araripe encontr i
o supplente do delegado, Jos da Costa Agr, e por
elle foi oflieialmente requisitado o meu auxilio pa-
ra capturar grande numero de criminosos, acoita-
tados no engenho Tabocas, propriedade Ignacio
Cavalcante de Alencar Rodovalbo, oizendo-rae que
entre os criminosos exista o faraigerado Pendo,
muito Tecomraendado pela polica da provincia do
Cear, bem como Mathias da Souza Forle, tambem
criminoso daquella provincia, e Antonio Pereira
que havia dado urnas facadas na villa do Granito ;
prestando-me requisigo, com elle delegado sup-
plente e um offlcal de jusliga seguimos para dar o
cerco no referido engenho. Em caminho encontrei
Maihias de Souza Forte armado de clavinote, flz
desarma-lo e prendi-o ordem do delegado, que
se achava presente ; conseguimos dar o cerco, que
tinliauos em vista, as 11 e meia horas do dia.
t A rainha posigo foi na frente da casa, e ou-
vindo, na retaguarda dizer: nao faga acgaol ren-
dase !> aps houva um tiro, quando eu em passo
accelerado me dirig para o lugar do simstro, don-
de vi um hornera correado cora um estoque em pu-
nho e ura grosso bacaroarle era baixo do brago es-
querdo, ao chegar queima do engenho-Duas
pragas sahiram-lhe frente, e deram-lhe voz de
prisao, o que foirespondido com outro tiro, de que
a nao ser a Divina Providencia seria victima o sol
dado Pedro Moreira da Meirelles, que o recebe^u
no pulso esquerdo, cravando-lhe duas balas e ram-
ios caragos de chumbo pela mo e brago de mesmo
lado, de cujo feriment, grave, Ihe resultou com-
pleto aleijo; cora tudo nao trepido'u o mesreo
soldado segui-lo e dar-lhe urna bayonelada depois
que cahira de um tiro partido da palrulha que
conduzia o j citado Malinas de Souza Forte ; eis
que chego e repulo o procadiraenlo brbaro do sol-
dado em queslo.
c O tiro leve lugar por ter o dito Pendo se di-
rigido palrulha com o Am, laivez, de perpetrar
novo crime, visto como ameagava aos soldados
com o seu bacamarle.
< Ainda devo declarar a V. S. que o tiro dado
patrnlha sobre o infeliz Pendo fora do clavinote
tomado a Maihias de Seuza Forte, nem s porque
tenho por coslume prohibir que se carreguem as
armas, como tambem a carga era de chumbo e
baila de pequeo adarme.
t No dito engenho e na mesma occasilo pren-
deu-se ao criminoso Antonio Pereira, nao se pren-
dendo a outros moitos por se acnarem ausentes.
O delegado, depois de effecluadas as prisoes,
segnio para a villa de Granito, donde voltara no
dia segrate o respectivo escrivo para proceder
s formalidades da lei.Recife, 5 de abril de 1865.
Son etc.Pedro de Alcntara F. Capistrano.
A vista desses documentes o orador nao pode
volar pelo reqaerimwuo 3presenlado a casa, e vai
apresentar um substitutivo para que seja remetti-
da assembla toda a corresponbenca offlcal re-
lativamente ao facto.
Passa o orador a responder a alguns dos topices
do discurso do nobre autor do requerimento.
Dizia o Ilustre deputado : t Nao eslranbo
assembla as tropelas, excessos e arbitrariedades
praiicadas pelas autoridades policiaes durante as
adminislragoes infelizes dos Srs. Silveira de Souza
e Souza Leo.
Diz o orador que a casa j protestou contra estas
expressoes, e que a sua resposta quanto a este t-
pico ratificar o protesto que entao fez, por quan-
to agora nao oocaso propria para discutirse po-
ltica ; aceita, porm, nesse terreno toda e qual-
quer discusso quando for occasio opportuna.
Disse o Ilustre autor do requerimento que ha
de apreseniar documentos. O orador os espera, e,
se eiles provarem que o delado do Ex e seu sup-
plente foram os assassinos de Pendo, desde j
declara que sera o primeiro a levantar a sua voz
centra essas autoridades.
Dizia mais o nobre membro que nao consta que
essas autoridades fossem punidas e qne nao hou-
veram providencias a respeito. O orador respon-
de que S- S. est perfeitamente |enganado : a pre-
sidencia da provincia, nao obstante reconhecer
que esse individuo tinha sido morto em resisten-
cia, mandou proceder contra as peisoas que por-
veuiura se iadigilavara como negligentes. O Qra-
dor vai pedir por copia lodos os documentos rela-
tivos ao facto e espera provar ao seu Ilustre col-
lega que elle foi injusto para com essas autor!
dades.
O orador nao pode deixar de manifestar o pro-
fundo pezar de que se acha possuido por ter visto
o seu Ilustre collega, o Sr. Silva Barros, tomar
parte na discusso do modo porque o fez : amigo
daquelle? que o mandaran) para esta casa, reco-
uhece qne s o espirito poltico, s informagoes
menos exactas, talvez, teriam provocado essa im-
pulago gravissima que peza sobre elles. Acha-se
convencido da innocencia desses respeitaveis ci-
dados, e por tanto com a mais viva dr que v
dirigirse a que.to para o terreno das personali-
dades.
Nao quero orador enirar em discusso com o sea
collega, e Ihe dir apenas que elle foi, seno se-
vero, de alguma forma menos generoso para com
esses cidados, principalmente qoando disse que
eram pessoas sem prestigio, que eram homens que
nao tinham forga moral na localidade, e que s po-
diam vencer urna eleigo forga de bayonetas.
O orador continua a pensar que as autoridades
do Ex devem rarecer toda a confianga, quo aquel-
es seus amigos lera torga bastante para all iri-
umphar em um eleigo, .e quo nao preciso o ele-
mento da bayoneta para que esse triumpbo se d.
O orador limila-se a dixer isto, por que nao de-
seja entrar em urna discnssaoque elle julga des-
agrada vel ; pela sua parte envidar todos os esfor-
gos para que ella nao continu, e por isso conclue
lavrando este protesto : as influencias do Ex
lera os necessaros meios para fazer triumpbar as
suas ideas narradle localidade independente do au-
xilio das bayonetas. (Muito bem.)
Vem mesa, apoiado e entra conjanctamenia
em discusso o segrate requerimento substitutivo:
c Requeiro que se pega ao governo da provincia
copia de toda a correspondencia relaliva morte
do criminoso Pendo, no lermo do Ex.S. R.
Buarque. >
O Sr.Presidente declara a discusso adiada.
O Sr. Piodoro requer urgencia, e, consultada a
casa, decide pela afflrmativi.
Oram depois sobre o requerimento os Srs. Diodo-
ro, Francisco Pedro, Cunha Teixeira e Loureiro.
Encerrada a discusso, houva urna queslo de
ordem em que tomaram parle os *rs. Jos Mara,
Buarque, Cunha Teixeira e Diodoro.
Sendo consultada a casa, approvado o reque-
rimento primitivo, e reeeitado o subslilutive.
ORDEM DO DIA.
Entra em 31 discusso o projecto n. 16 deste
anno, abrindo diversos crditos supplemeniares.
Encerrada a discusso approvado o projecto
com urna emenda.
Kutra depois em 2a discusso o projecto n. 23
deste anno, autorisando a presidencia a despender
a quantia de 1:0005 para auxiliar a conslrucgo
da ponte que se est fazendo entre a villa de Bar-
reros e a ilha do Jardim.
Depois de orarem os Srs. G. Campello e Ayres
Gama, o projecto approvado.
O Sr. Araujo Barros requer dispensa de inters-"
ticio, e, consallada a casa, decide pela afflrmativa.
Segue-se a -2' discusso do projecto n. 24 desle
anno, creando urna cadeira de instruego primaria
para o sexo masculino na povoago de Trombetas.
Encerrada a discusso o projecto approvado
com as segrales emendas:
< Fica creada mais urna cadeira para o sexo fe*
minino na povoago de Brorabelas.Amynthas.
t Fica mais creada urna cadeira de instruego
primaria para o sexo masculino era Santo Amaro
na freguezia da Boa-vista, e urna do sexo femioino
na cidade de Goyanna.Carvalho Moura.Araujo
Barros.
Accrescente-se :
Fica igualmente creada urna para o sexo mas-
culino na povoago da ponte dos Carvalhos.Reg
Barros.
O Sr. Araujo Barros requer, e a casa approva, a
dispensa de intersticio.
Segue-se a 2* discusso do projecto n. 25 deste
anno. concedendo um anno de licenga ao bacharel
Antonio Rangel de Torres Bandeira, professor de
geographia a historia no Gymnasio provincial.
Vera mesa as seguinles emendas, que sao
apoiadas e entram conjunctamente em discusso :
Fica igualmente concedido ao professor de
instruego primaria da villa do Granilo, Jos Pei-
xoto da Silva, seis mezes de licenga com todos os
vencimentos para tratar de sua sade onde Ihe
convier, deixando em seu lugar urna pessoa idnea
para o substituir.Silva Barros.i
e Additivo : Um anno de licenga com todos os
vencimentos ao Dr. Antonio Annes Jacome Pires.
Diodoro Ulpiaco.
Additivo:Fica o presidente da provincia
igualmente autorisado a conceder ao bacharel An-
tonio Annes Jacome Pires e a Alexandre Americo
de Caldas Brando, ao primeiro am anno de licen-
ga, e ao segundo seis mezes, ambos com todos os
seus vencimentos; e a restituir ao segundo os des-
comes feitos no sea ordenado pelas licengas da pre-
sidencia da provincia e faltas occasionadas por mo-
lestia prevada perante a Ihesouraria.Araijo Bar-
ros. Silva Ramos.
Oram os Srs. Silva Barros e Araujo Barros.
Encerrada a discusso approvado o projecto
com as duas primeira? emendas. A primeira parle
da ultima emenda Acou prejadlcada, e a segunda
a requerimento do Sr. Aqnno Fonseca.
Entra depois em primeira discusso e sem de-
bate approvado o projecto o. 30 desle anno, man-
dando jestituir aos herdeiros de Joo Vieira Lima
2:0005, que indevidamente pagarara.
Oram pela ordem os Srs. G. Campello e Drom-
mond.
O Sr. Buarque requer urgencia para se discutir
o orgamento provincial, e, consultada a casa, deci-
de pela negativa.
Entra Analmente em discusso o projecto n. 32
do anno paseado, prohibindo a accumulago de em-
pregos provinciaes.


V

r
Alarlo de Pernambnoo rerca felra 11 te Abril de 185.
Vem mesa as segrales emendas: ] abril de 1803.Existlam presos 353,
t Arf. 1. Os funccionarios reraes, quer estirado 4, salfiraml, etlsleoil? : a saber
270, estrangeiros 13, mulheres 4, estrangeira-
2, escra vos estraves 7 Alimentados a casia dos cofres pblicos 141
Movimentode enfermara do dia lOde abril de
1863.
Tiveram alia :
em exercicio, quer sendo aposentados ou Jubilados,
nao podero accumulu empregos que sejam fetri-
buidos pelos cofres pblicos.
Arl. 2. Estes funectonarios poderae por urna
nica vez ler aproveitados para qualquer commis-
sao, a qual ne podera proloagar-se por nais de
dous annos, e por este senado percebero ama gra- Antonio Joaqu ira de Lima.
iillcaco.-S. R.Silva Rasaos. Antonio Joaquim da Hora.
A'spalavrascofres geraes-accreseente-ee : Paeeafeires do vapor brasileiro Jaguavtbe,
quer provtociaes, quer geraes e provinciaes. S. viudo do Acaracn' e Cear :
!.- Carvalho Moura.. Augusto Ce.-ar de Si Poreira, Pedro Itibeiro de
Osfuocoionarios geraes nj) poderae ser empre- Oliveira, Hanoel Alves dos Santos, Antonio Per-
gados em comrnisios permanentes, e sim apenas nandes de Parias e Antonio de Sa Pereira.
entraram facto havido no dia 8, na prenga de* Srs. Loorvn-
uacionaes : co & Braga, para o publico awder eeaHtir e sen
j ni lo a respelto, e nao pela atMaeio fie S. S.me
merece.
A segunda que o costaran de Mdir as bo-
mens pela sua bitola, erro e erro iaaperdoavel
A terceira e ultima que se tiver a petulancia'
------ o^w>au;
para os temporaes em que forem de indeelinavel
necessidade.A y res Gama.
Oram os Srs. Silva Ramos, Jacabina e Costa Ri-
beire.
Ne ha vendo casa o Sr. presidente levanta a ses-
so as 4 horas da tarde, dando para a ordem do
diaeguinie, alm das materias designadas, pri-
me-ira discusso do ornamento municipal, e terceira
discusso dos projectos 23 e 24.
IfBCBBBBORlA DE RENDAS INTERNAS
ttfitAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento o da 1 a 9........ 7:186*883
idomdodiaiO................. l:4SajaK
8:644*988
de mndame ais recados enano
em casa de men patro, o Taro resp
es a Justina riojaalr
Bacife, iO^de abril de 18*5.
BeJmin Augusto Homaro Salgado.
Seguem para o Rio de Janeiro
Ur., Antonio Manoel N. de Medeiros, alferes Ludo
Flosculo da Silva, tenente-coronel Jos Nunes de
Mello, 1 alferes, 3 pracas do corno da guarnicao
do Caar, 24 cadetes, 426 voluntarios, 6 mulberes
e 3 fllhos menores dos volantones.
Passagetros do patacho portaguez Mara da
Gloria, viudo de Lisboa :
Theodozio Cordeiro, Joo Francisco de Almeida.
Joo Nunes Ribeiro, Joo Soares Pereira, Joaquim
: de Almeida Novamos, e Joaquim de tal.
DDVICTi nilBIt OBITUARIO DO DA 8 DE ABRIL DE 1865, NO
KKllolA UlAHI*. CEMITSRIO PUBLICO.
Deixou hontem de funecionar a assembla pro- j Olivia, Pernambuco, 10 mezes, Boa-Vista ; con-
vincial por falta de-numero. i, vulsoes. ,
Os religiosos franciscanos celebram todes os; Jooquina Francisca do Reg Fanas, Pernambuco,
actos da semana, no seu convento, desde o Man- 30 aun, viava. Poco da Panella ; molestia in-
dato at a Ressurreicao, com a pompa compativel tenor,
seu* diminutos recorsos. 'ulia> Pernambuco, 8 mezes, S. Jos convulsoes.
As Drocis5es de fogaros, enterro e ressurrei- Anna, Pernambuco, 2 aunes, Boa-Vista ; con-
vulsoes.
PU1HC1&ES 1 PEDIDO
-<&-
cao per corre rao algumas Tuas do bairro da Boa-
Vist.
Consta-nos que se preparam dilTerentes ma-
nifestacoes patriotico-populares para solemnisar a
partida dos Voluntarios da Patria desta provincia;
e informam-nos que os moradores da rna da Praia
ali faro de vespera diversos festejos, Iluminando
os edificios, armando arcos triumphaes,
mando ogos de artificio.
Alm djslo, a sociedade recreativa Corybanlina,
que tem a sua sede no palacete daquella ra, se-
gando nos informam tarobem dar sua partida na
zoesma noite, acompanhando-os nessas demnstra-
teos de apreco aquel les bravos, que tem em menos
os seos commodos em preseflea dos reclamos da
patria ultrajada vilmente.
Tundo sido afferecido aoExm. Sr. presidente
da provincia o vapor inglez Gladiator, para con-
ducao do 1" corpo de Voluntarios da Patria, deixou
de ser acceito esse offerecmenlo, em consequencia
de nao poder esse navio aecommodar seno de 400
a 500 pracas.
Aumeracao de 10 bilheles da lotera 12* offe-
recidos pele re>pectivo tbesoureiro para auxilio das
despezas da guerra :
Inieiros de ns. 633. 1451 e 223a.
Meios de ns. 347, 973, 1996, 2390, 2987
3151.
Quartos de ns. 24, 149, 178, 403, 493, 715, 787,
836, 1173, 1243, 1803, 2063, 2382, 2837, 3263 e
3435.
Os bilhetes da lotera 11* produziram 15$000, e
ficara recolbidos thesouraria de fazenda.
Chegou hontem do Cear em direitura, o va-
oor iaguanbe, da companhia pernambucana, fre-
tado alii por cunta do governo imperial com as
mesrans condicoes da componhia brasileira, para
conduzir iropa para a corte.
A' bordo delle segu o pnmeiro corpo de volun-
tarios da patria, composto de 460 pracas, ao man-
do do Sr. tenente-coronel Jos .Nunes de Mello.
Houve muito entbusiasmo, na occasio do em-
barque.
O JtujHaribf segu hoje para a corte, tirando a
mata uo correio ao meio dia.
Segaio hontem para o Maranho e Para o
vapor de guerra 5. Francisco, a tomar a tropa que
all houver. Na volta tocara este vapor em nosso
porto, afim de conduzir o pnmeiro corpo de volun-
tarios da patria.
De Cimbres chegaram hontem noite 114
voluntarios da pama all oblidos pela commisso
respectiva.
No concurso, a que hontem se procedeu na
directora da inslrucce publica, informam-uos, fo-
ram reprovados todos os concurrentes.
Falleceu ante hontem, victima d'uma facada
na rxa esquerda, que cortou-lhe as arterias, um
cabo do pnmeiro eatlbo de artilharia da guarda
nacional do Recife, que Ihe deu um portaguez de
sobrenome Anuda, n'uraa discusso que liveram
na travessa da ra da Guia.
Hoje faz leilao o ageste Gbrdeiro Simoes de
mobilias, pianos, joias de ouro e prata,e outros mul-
los artigos de gusto, no armazem da ra da Cruz
n. 57, as 11 horas em ponto.
. Heparticao a polica :
) Extracto das partes dos das 9 e 10 de abril de
1865.
Foiaui recolhidos casa de deteaco ns dia 8
de abril :
A' ordem do subdelegado do Recife, Marcelino
Jos dos Prazeres e Joo Francisco das Cbagas,
para correccao.
Dia 9
A' ordem do subdelegado do Recife, Maria Ar-
changela do Rosario e Guilhennina Maria do Es-
pirito-Santo, para correccao.
A'ordem do de Santo Antonio, Joaquim Mauri-
cio dos Santos, para correccao ; e Marcellino, es-
cravo de D. Alexandrina de tal, por ser encontrado
com um bab sem saoer dizer o dono.
Joaquim da Silva Lopes, Portugal, 60 annos, seltei-
ro, Recife; gangrena.
Vleenie, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista con-
vulsoes.
Mathias, frica, 35 annos, solteiro^escravo, Boa-
Vista ; gastro Interite.
e quei- Violante, frica, 80 annos, solteiro, Boa-Vista -,
velhce.
-9-
Eugenia Maria do Carmo, Afriea, 26 annos, soltei-
ra, Boa-Vista ; elephanttasis.
BentoLniz Al ves. Vianna, Pernambuco, 38 annos,
solteiro, Boa-Vista ; estreitamento na oretra.
Minervina, Pernambuco, 17 mezes, Boa-Vista :
dyarrhea.
Manoel, Pernambuco, 1 mez, S. Jos ; espasmo.
Manoel, Pernambuco, 13 mezes, escrava, Santo An-
tonio ; gastro interite.
\ftV'a aA'tl'9\ onm a iLiliilu in.
< >iium vvn TivTiuH TvUlH
ao seo autor.
Acudamos, fiis companbeiros;
Da mi patria acudamos aos gritos 1
Sem perda d'um Instante, marchemos !
Pois ouvimos gemer os aflictos.
Ao ta-plan-re-la-plan do tambor
Mais se ate nosso bellico ardor.
Nao temis a Insensatas phalanges,
Guando a face nos mostrara hostil;
Paysand nos atiesta o que somos...
Em Coimbra cento e vinte para rail.
Da corneta escutai o clangor,
E o ta-plan-re-taplan do tambor.
Vamos ja desfraldar o estandarte
E no campo arvorar a batalba ;
Retomemos Coimbra, Aiboquerque,
Ou nos sirva e pendo de m jrtalha.
Longe v do vil medo o pallor
Ao ta-plan-re-la-plan do tambor.
Camarads! as frontes altivas
Erguei para Assumpcao, Corumb;
Em seas antros as fra busquemos,
Vamos v-las no seu Humait.
eros.
Lisboa 32 das, patacho portngnez MarmmGlo-
\ ra. de 184 tonelades^ capiao Antonio de Barros
Valente, equipagem 11, arga vioho e outros g-
neros ; a Euzebio Raphael Rabello.
Liverpool24 das, barca inglexa Arron Isle, de
216 toneladas, capilo Charles H idson, equipa-
gem 9, carga carvo ; a Willsun & Hett.
Da patria se augmente o amor,
Ae ouvirmos rufar o tambor.
WVIMENTO UO f QIT6
jVnt'ios entrados no Ha 10.
Acaraofto Ceara'10 dias, vapor brasrteiro Ja-
guaribe, de 458 toneladas, comanndanto Manoel
iravios ser o responrarel irt que tfeciae x 311a
entrega.
6* O arrematante nao- ter dlreito inderanisa-
co alguma, quakjue- que saja a aatoraza da aile-
gcao, para esse fira flzer.
. Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciacao.
Para o Rio de Janeiro.
Sguee-usoito as Hbatgua eaonva Nao se,,
tendo dous tercos do sen carregamenlo bordo -
para reste que.rae falta e estraves rete, para
os qoaec tem kons eonwiados, traia-se eom os seos
consignatario* Antonio Luiz de Olivelra Azevedo
& u, no seu escriptorio na aaa.da Cruz n. 1.
Pela tbesoararia provincial se tu publico,
Joaq*.Lobato, equipagem 29.carga\riosg: SI.^^^Z^ftI.Tiu SL'SE
do corrente.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
LruOv / tro Rurrl uo icwO- \J MHMVIk
A. F. (TAnnaociaca.
Pela thesouraria provincial se faz publico
Sue a arrematarlo dos reparos de que precisa a
adea da villa do Cabo foi transferida para o da
12 do corrente.
Terra Nova40 dias, patacho inglez Mary Bell, de
135 toneladas, capitao Roben Kuight, equipa-
gem 9, carga 1815 barricas com bacalho; a
Saunders Brothers & C.
Liverpool48 dias, barca ingleza Comodore, de
499 toneladas, capitao H. C. M. Beatb, equipa-
gem 12, carga arvao a Sowthl Melor A C.
Havre49 (Mas, barca franceza S. Andr, de 268
toneladas, capitao Coendet, equipagem 11, car-
ga mercadorias; a E. A. Burle & C.
Nomos sahidos no tnesmo dia.
Para' -Vapor brasileiro de guerra S. Francisco,
comraandante o capitao lente Vital.
Macei Barca ingleza /ron Gen, capitao W. D.
Saws, em lastro.
IDIT1ES.
O Dr. Trislio de Aleucar Ararlpe, offlcial da im-
periai ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernambu- costeiro Iaguanbe seguir hoie H do corredte pa
e seu termo, por Sua Magestade Imperial e ra o Riode Jatieiro em direitura, e a mala-que
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de abril de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico que
a arrematado dos reparos de que precisa o impe-
dimento da estrada de Apipucos desde o lugar
em frente a da Trompe at o Chora-menino foi
transferida para o dia 20 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de abril de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Pela thesouraria provincial se' faz publico
que a rrematacao dos reparos de que precisa a
ponte de Bujary sobre o rio Tracuahem foi trans-
ferida para o dia 20 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bateo 7 de abril de 1863.O secretario,^
A. F. d'Adounciacao.
Canija jera I
Pela administracaodo crrelo se faz publico qqe
tendo ebegodo hontem dos portos do norte o vapor
*ara l.lfc*a
A barca portuguen Henr^utta, segu para Lis-
boa at o tira da treseme seaaaa : tem ous ter-
cos do seu carregmeato a tardo : para o resto
que Itoe falla e jiassagwos, pan os quaes tem ex-
celentes commodos, trata-sean os seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliuatra Azevedo &C do
seu escriptorio, ra da Cruz m. t.
Para o Porto pela ilha de S.
Miguel.
Segu no dia 14 do corrente o brigne nacional
Amelia : para a parte da carga que Ihe falt, tra-
ta-se com os seus consgnanos Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, na roa da Cruz n. 1.
Para o Porto segu com brevdade o brigue-
Esfmranca por ter a maior parte de seu carrega-
menlo prowipto : para o resto e passageires tra-
ta-se com Cunha Irmos & C, ra da Madre de
Dos n. 3, ou oom o capifio na praca.
Para o Pari
co
CORRESPONDENCIAS
Ao publico.
Havendo-se suscitado diversas dnvidas sobre o
facto qne passo
Constitucional o Sr. D.Pedro II aqaemDeos deve conduzir fechsr-se-ha as H horas em ponto
guarde, ele. do referido dia. Recebendo os seguros at as rO
f ac saber pelo presente, que no da 15 de mez horas,
de maio do crreme anno se ha de arreraaiar por I Pera thesouraria provincial se faz publico,
venda a quem mais dr, em praca publica deste qne a arrematadlo dos reparos de que precisa a
Paslilhas vermfugas de Kemp. Ja'z0- depois da audiencia respectiva, os bens se- estrada do Porto de Galinhas, foi transferida para
Chamamos a attencao de todas as mais para o *J**,: -um terreno de marinha situado ao lado; o dia 20 do corrente.
remedie mais agradavel e til que se conhece para 9o lle.atro ovo cora lo palmos de extenso, co-1 Secretaria da thesonraria proviucal de Pernam-
tazer expellir as lombrigas : as pastilbas' vermi- berl e. eina.s no cenlro. lito terreno acha-se buco 10 de abril de 186.-0 secretario,
lugas de Kemp. Em vez de todos esses immundos nia'' 'alt0 terr? occasionando este estrago I A. F. d'Annunciagao.
e perlgosos remedios vermfugos compostosde to- S8*^?.^!1 Ia ri ane rodaia' avaliad8 emj Ue ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
da a casta de mineraes, apresentamos um delicioso f :a*000- A casa errea sita por detraz doquar-; rana de fazenda desta provincia se faz publico a
le n. zu, com quintal, cacimba e sahida para traz, i quem interessar possa, que na dia 17 do corrente
avahada em 2:5O0JH)O0. Os quaes bens sao per-
tencentes aos herdeiros de Juliao Beranger, e aos
por execuco de Jos Moreira
i confeto vegetal prompto e infalllvel na sua opera-
cao, nao causando nauseas nem fncommodos de
. a expender dado no dia 8 do cor- qualidade alguma, produztndo sempre o seu efleito peDhorad
rente as 10 horas da manha, na prenca algodoei- ^e urna mane.ra suave e complet, >&> SSTBBSu^^^
ra dos Srs. Louren^o & Braga, cumpre-me eluci- depoisaassistenc.a de qualquer um outro pui||n- rn-maucan Mta
rtandn n faror oinnmac rt..riaL m.o cnnnnnhn ^' til como um excellente meio de fazer IBbd- ?" '*. "c "o'iraH,sera a arremaiacao reita
uteis advertencias que supponho w obglracg5es ^ venire) mesmo no mo de no pelo pnpa da adjudcacao com o abatiraenlo res-
A's 9 fcnras da m.nh:. Ar, rpfr.rfn Ai fi msn- eiisUrem vermes alguns e finalmente tornam-se
hnrc rta mnh"n Hn rofanrfn Hi S min BXISlirein verifll lieuie luruam-io fj*
.. o oras da mantiaa do referido da 8, man- resoeitos da conflanca e E para ^e dou-rne meu patraoo Sr. Diogo Jos da Costa, ven- e"as l*1as for ^^ s respeiws aa conuauva mandej ^ -
der 4 sacos de algodo que se achavara na prenca XSSf9, ** "." pa,1S de/ara,l,,as' os faes
d-aqnelles senhores, min.strando-me os competen- ac^ara estas pastilbas elegantemente acondicio-
nadas dentro de frasquinhos de cryslal, e a venda
as boticas de Caors <& Barbosa e de Joo daC.
Bravo A C.
P3 M a B f i s I I s p T 3 g >
m .* : : ' i > > es o i a o a.
I -*1 i O 1 * C5 s i Masculino. SI l e B i"
si i i 5 .J - J 1 1 Masculino. SI i M 1 ? ex. i =
1 i ,1.1. i Feminino. a
, i i 1 Masculino. ! 5
*- . 1 . - *- 1 if Ou
1 A m * Feminino. w < A,
--i m M Masculino. 9 o o > i R : 9 > O"
1 Feminino. oo 1 a.
00 m * A
1 -1 1 su i - . 1 o Masculino. o p oo
. , ,
si I - . J Feminino. ^
I 1 1 1 tm | TOTAL. Oc 1 ao 1
tes bilhetes de guia. Ao chegar a dita prenca en-
contr! o Sr. Steple e perguntei-lhe (,ual o preeo
corrate nesse ramo de commercio, e obtive a res-
posta de 145500 res; ora, como eu levava ordem
de effecluar a venda pelo mais que acbasse, tratei
de especular, e vim finalmente a conhecer que o
Br. Steple era quem mais me havia offerecido. En-
tregoei-lhe em conflanca os taes bilhetes de guia,:
tornando assim a venda effecliva. O Sr. Steple ao
assumir a pesse dos bilheles guiou-me at junto ao
Sr. Braga, e ordenoo-lhe que pagasse-me o algo-
do constante dos taes papeluchos pele precoque!
dizia era o corrente ; depois do qne retirou-^e. T) I
Sr. Braga transmittindo a ordem a seu socio, e-t;
aps as fermalidades do estylo contou o dinheiro e
disse-me t aqu tem 305,5000, tendo Vmc. de vol-1
tar-me 700 res, que tarde o Sr. Braga recelier!
de seu patro > visto que o algodo vendido im-
portara em 304300 res. Em confianza, ou an-1
porque sou delicado, tomei
GQMMERGIO.
PRAQA DO RECIFE.
Cotaces oftlelaes.
10 de abril.
Cambios sobre Londres90di vista 25 3/4d. por
I500.
Frete de algodo para Liverpool3/4 d. por libra,
ubourcq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
Caixa filial do banco do Brasil em
. Pernambuco.
tes, porque sou delicado, tomei o dinheiro, e sem
o contar fui-me retirando com lie ; mas por una A directora desta caixa saca sebra o banco do
dessas inspiracoes a que o vulgo chama rrttilit>as, Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
ao chegar quasi a alfaaJega contei o dinheiro de mesmo banco na Bahl.
mea vagar, e conheci que havia recebido dinheiro -----
de mais, tratei-de voltar tomando a direccao da Yuyo banco f, Pernam-
prenca onde o havia recebido, mas ao dobrar na' hii
esquioa da ra, reparei qae um suscito sahia i n. *
apressado da mesma prenca, o qual dirigio-se a O banco descoma letras na presente semana a
mira, e me pergunlou se por aca*o eu leria recebi- l21 canto ao anno at o prazo de seis mezes,
do dinheiro demais, ao que eu respond afflrroati- toma dinheiro a juros a praso nunca menor da
vamente. Entramos na prenca. Tudo era trvas tres mezes> e saca sobre a praga da Baha.
pois que tudo eslava em confuzao, mas ao eu en- i -----
r com o dinheiro, essa vivificadora luz aclarou | \ovo banco de Pernambuco.
ter o poesente edital, qne ser afflxado
nos lugares do-costume, e publiodo pela imprensa,
i Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 7 de abril de 1865. Eu Manoel Ma-
ra Rodrigues do Nascimento, escrivao, o escrevi
no impedimento do escrivao companheiro.
Trulim de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Aleucar Araripe, offlcial da ira
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recito, capital da
provincia de Pernambuco e sen terme, por Sua
Magestade Imperial e Constitucional o Senhor
D. Pedro II, a quem Deas guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital vlrem e
delle noticia tiverem, que Jos Jeronymo Monteiro,
administrador da massa fallida de Amorim, Frago-
sa, Santos, Si C, me dirigi a seguinte pe-
licao :
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio.Diz
Jos Joronymo Monteiro, administrador da massa
fallida de Amorim, Fragoso, Santos, & C, que ten-
do fallecido seu companheiro Thomaz d'Aquino
Fonseca Jnior, julga necessario nomear-se outro
mez, comegarao na refertda thesouraria os paga-
mentos das pens5es do Monte Pi dos servidores
do estado, vencidas al 31 de margo ultimo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco em 10 de ebril de 1865. Servindo de
offlcial-maior, Manoel Jos Pinto.
Arsenal de gacrra.
Precsase de offlcues de funileiro, coronheiros,
serralheiros, tanoeiros e corrieiros para trabalha-
rem a jornal as oflJcnas respectivas do mesrno
arsenal : os prelendcntes dirijam-se ao referido
arsenal para tratarem cora o Sr. director.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
11 de abril de 18G5.
O escriptorario,
Jos Alfredo de Carvalho.
vai seguir com milita brevidade o palhabote Pa-
raense, tem a maior parte da carga prompa, e
para o resto que Ihe faita trata-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Goncalvcs Beltro, na ra do
Vigario u. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem. #
Para o Para o hiate Novaes recebe alguma
carga a frete : a tratar com os seus consignata-
rios no largo do Corpo Santo n. 6, segundo andar.
Porto.
Segu com brevdade para o porto cima indica-
do amuito veleira e bem conbecida barca Claudi-
ca, por ter a maior parte do sea carregamenlo
prompto; para o resto e passagetros para o que
tem_ excellenies commodos, trata-se com Cunha
Irmos & C, na ra da Madre de Deas n 3, ou cora
o capitao na praca.
Vende-se o brigue brasileiro tFrrmai, de 175
tonelladas, construeco brasiletra, carrega 10,000
arrobas rom 16 palmos d'pgua, forrado de cobre,
aparelhado prompto a navegar, com os ferros e
amarras correspondentes : trata-se com os con-
signatarios largo do Corpo Santo n. 6, segundo
undar.
LE IL OES.
AVISOS MilITIMQS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco cosleira por vapor.
Rio de Janeiro cm direitura.
O vapor iJaguaribe, com
mandante Lobato, segoe hoje a
urna hora da tarde para o Rio de
Janeiro em direitura. Recebe al-
--------------^.guns passageiros de r e tira a
administrador, para substituir a este; por isso re- mala no crrelo ao meio dia : escriptorio ao For-
quer a V. S., que se digne marcar da para reunio le do Mattos n. 1.
Idos^redores.convocando.se a estes por meio de--------C0.MFANHU PKNAMBUOANA-------
Pede a V. S. deferimento.E R. merc.Jos! DF-
Jeronymo Monteiro. Xavegaeo cosleira por vapor.
Ka presente^peticao dei o segarme despacho: Hacei e escalas, Penedo e Aracaj'.
Sim, marcado o da 18 do corrente mez, as 11 0 vapor Parahiba, comman-
horas da manhaa, na sala das audiencias. J .^X. dante Marlins, segu no dia 13
Recife, G de abril de 186o.Alencar Araripe. fTRElV do corrente as o horas da tarde.
b. em cumplimento a este despacho fez o ^aa^- UeceDe cartia, eneommendas e
respectivo escrivao passar o presente edital pelo efl passageiros at o dia 12. A en-
Sozt^ofraSorderand0 "*^"**"**"| OC5plaTll^vTdeVdo" fTo^8*|TmTi <2S~^22f212,l?^Pl2L^J!:\m '* >?oras
; por accao.
Recontndose o dinheiro, viose qne en tmha
de mais 140,5000 reis, justamente a quantia que
eu aecusava exceder. O Sr. Loureoco arrecadou
alegremente a eicedencia, e cora ineffavel bondade
me restituio_ o que de facto me pertencia. Ento
para que nao se desse um outro engao, recontei
por miaba vez os 303,9000 reis, e solieitei os bi-
lhetes de guia qae eu havia recebido com o dinhei-
ro, e os quaes tmha deposto sobre a mesa em que
se havia contado e recontado a enorme somma em ;
questo, porm o Sr. Loureoco depois de procara-1
mtnrte?,ro qae j. m'S havia dad0'Jmas 1ae Volames sabidos com fazendas....
idana escrever outros, na margem dos qnaes
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 9......
dem do dia 10...............
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas... 17
com gneros 244
foi posta a declaracaocopia.
Em quanto o caixeiro de escripta os estava es-
crevendo, deu Sr. Loureuco pela falta de OO^OOO
reis, e me pedio que deixa-se-lhe recontar anda o
dinheiro que eu recebi, visto como Ihe faltava mais
aquella quantia, e era mu possivel que ella ainda
estivesse de permeto.com os 303,8000 res. Acce
comparecerem no dia, hora e lugar
I acraa designados, afim de que teuha lugar a deli-
geocia requerida.
E para que este chegne ao conhecimento do
184:1431)511, todos, ser publicado pela imprensa, e afflxado ua
30:3G6389 forma da le.
-------------! Cidade do Recife, 7 de abril de 1865.
214:510il00 Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrevj.
TristSo de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em comprimentn da ordem do Exm. Sr. pre-
271 sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zerpublice qne no da 14 de junho prximo vih-
douro, perante a junta da fazenaa da mesma the-
souraria, se ba de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da cadeia da cidade de azareth, ava-
hada em 18:0933900 re.
A arremalaco ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de maio de 1854, sob as clau-
118
com (eneros..... 415
-----. 533
Desarregam no dia 11 de abril de 1865.
Vapor inglez Gladiatormercadorias.
Barca francezaSolferinogenero* para fra.
Barca inglezaMary Mebacalho.
Brigue hanoverianoLeopoldo farinha de trigo, solas especiaes abaixo declaradas.
Brigue naciooal -Pallascharque.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 169, sendo 110
homens e 39 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das :
As 7,6 l[i, 314, 6 3(4, 7, 7, 7 pelo Dr. Ramos
As 9, 8 rtt, 8 3i4,8"3i4, 9 1[2, 8 3|4, 8 3|4, peto
Dr. Sarment.
Fallecern):
Joatrna Francisca do Espirito Santo ; tubrculo
pulmonares.
Bento Luiz Alves Vianna ; estreitamanio da
uretra.
Eugenia Marra do Carmo ; anemia consideravel-
Casa de dbtencao :
Mov ment da casa de delenco do dia 8 de
abril de 1863.Existan presos 360, entraram 3,
8, existem 355: a saber :
Barca ioglezaD. Martacarvao.
Barca iogleza -Scott -dem.
Barca inglezaCommodore
Importaeo.
Patacho portaguez Maria da Gloria, entrado de
^?^^?fae,d-Sri'0.Uren50' fil co,rapr-ehea- Sumaca hespauhola-Gnadnupe-i'dem.
?... E? f. ex1sl,a'J0U se s n> ^- Barca porlugueza -S. Joao-idem.
tva em meu peder o que poda sana-la. Ah sus- -
citou-se ama desconfianca geral; havia alguem
desconfiado de si proprio, e en no se se eslava
nesse numero, o certo que impetrei que em
quanto tempo se desembaracasse semelhante tra-
palhada. Por muits e mais voltas que se dessem
ao milo jamis foi possivel desembaraga-la, at
que o sr. Braga declarou afina! qae provavelmenle Lisboa, maoifeslou o seguinte :
os cern mil res se haviam perdido com os primei- i 14 pipas, 2 meias ditas e 10 barris de vinha 8
ros bilhetes que eu recebi. Admlttio-se a idea, caixoes de figos, a Thomaz de Aquino Fonseca -
perem eu incontinenti repliquei que com qnanlo 44 pipas, 9 meias ditas e 65 barris de vinho, 1 pi:
nao me oppozesse a admisso da idea, os bilhetes pa, 4 meias ditas e 8 narris de azeite, a Thomaz
haviam sido perdidos de sobre a mesa, onde, como de Aquino Fonseca Jnior ; 1 barril de linhaca 1
disse, eu os havia deposto. de cevada, 1. volme de drogas, e 1 cesto de bro-
Relirei-me da prenca depois de toda esta massa- xas, a Joaquim Martioho da Cruz Correia ; 8 bar-
da, com destino casa de men patro, a quem ris de vloho, a Jos Ferreira Matheus ; 60 barris
oarrei o succedido, prestndo-me elle a alinelo de vinho e 200 ancoretas de azeitonas, a Manoel
qne o facto em si mereca. Jos de Souza ; 24 barris de vinho, a Jos Antonio
E bom advertir qae o Sr. Steple nao se achou J
presente a esta oecurreacia, a qual foi
tre 5 on C pessoas.
As 5 horas da tarde do mesmo dia 8, tive or- Mendes 4 Coelho
dem de ir Boa-Vista a ioteresse da casa onde
son caixeiro, e nesse teri o Sr. Steple que no 754 pedras de lagedo, 100 aaetios foreHo, 'ba' gtmen to dVTOSlre ^1864
presenciara o facto, dirigi* a casa de meu pa- cas; alpist, 11 de cevada, 136 caas, 39 meias e 44 B3Kn-4 W?*MNi^
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessSes da referida
junta,no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretario da thesonraria provincial de Per-
nambuco, 14 de marco de 1865.O secretario, A-
F. d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arremataco.
1.* O edificio para a cadeia de azareth, ser
feito de conformidade com a plant e orcamento
junto, na importancia de 18:0930900 rs.
2.a O arrematadle ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3." Os pagamentos serlo feitos em 3 prestQ5es
igoaes correspondentes a cada terco da obra fiada.
4.* Nao ser em lempo algum atteodida qualquer
reciamaco por parte do arrematante tenden-
aliega-
ainda mes-
no se achoa ^ Silva Jnior I cesto de presuntos, a Joo Mar-, ni^^^^i^,,
i passada eu- tuw de Barros; 30 harneas de cevada, 100 saceos ces em que se hajara para esse fin, aiod
,. ,. JSS *so 4 Irmao ; O barris de azeite, a mo por prjnizos provados.
!.*& ; i..np,pa-s vi5agrei 5 barricas i 3-' P8" '"do o qne nao estiver especificado as
toucinno, 2o ditas e 110 meias ditas de sardinhas, presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipde ore-
trio, e depois de pergantar por mim proferto com
arrogancia diga-lhe qu& v com urgencia entre-
gar-me os cem mil reis, qae moro na rna da Im-
peratnr, ao conlrarlo no se queixe. Este reca-
do foi-me litteralmente dado, por consequencia vou
E^ P I' i5 R-R^ell 5 12 cestos de: o Illm. Sr. inspector da thesouraria provm
azulejos, 4, com 6. pinnas de louca, a Paulo Jos cial em comprimeolo da ordem do Exm. Sr. pre-
uomes, M barris vinbo, 5 pipas e 25 barris de sidente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
vinagre e 6 cestas de mercurio, a Cunba IrmSos & publico qae nodia 12 de abril prximo vindouro,
h,A.C8^..C80B Ooreimed'cinaes el dito roas, a perante a juata da fazenda da mesma thesourarie
samram 8, existem 353: a saber: naclonaes271, qualquer em to simples thema? Eu acho pos
estrangeiros 23, mulneres z, estrangeiras 2 escra- slvel I
vos 88, escravas 7.Total 355. FeUzmeate o Sr. Steple nicamente conbecido
Alimentados a custa dos cofres pblicos 145
Movimento da enfermaria de da 9 de abril
de 1805.
T2ZH r?.tep,e COm0 CnVem sa1lsfaiend0 ^r^r& BairSe 'K201Darricas de-apista,a Mar- se ba de arrematar a quera por menos fizer os re-
^^mi ? h. k i T^ -r0o ? C'; 5 vo,aa,es drogas e erras roe- paros de que precisa a pootede oianna, avallados
O hornera que recebe dinheiro de mais do que dicinaes e3 barricas de liaba a Caors 4 Barbosa em 2-200AOOO i"""*<=."", *ii-uu
amelle que lera a recety, se estiver de m f, 5 cestos de chouricas e 5 ditas de peiae, a R. b! a arreraatacao ser feita na forma da lei nro-
**gfef*y!f^* *. a? Qdividuo Lasserre 4 d ; 10 barris vinbo, a Isidoro Netto 4 vincial n. 343 de 15 de maio de 85, e sob as
9ZX299* Paraentregar-lho. Logo que o C.; 2 barris de vloho, 1 costo de chocolate e 50 clausulas especiaes abaixo declaradas.
recebedor o pnmeiro a desfazer o erro que se aocoretas de azeilooas, a Antonio Lopes Braga 4
dera contra o pagador, para sana-lo em soa tota-, C.; 20 cestos de cha, 10 saceos de farello, a Ma-
Iidade, islo para entregar-lhe o excedente da noel Ignacio de Oliveira 4 Filho 1 5 barricas de
quantia que de direito tem a reeeber. Poi isto o carvo animal, a- Joaquim Jos Pereira Alhandra
que ea fiz. Pois se entregue! 1405000 res que 5 barricas de linhaca, 3 volumes de drogas a Joo
me sobrou, cerno no entregara 24OO0O reis, se da Silva Paria : 2 barricas de vioho a Joo Ribei-
SS0?^ m?e sobrassem T Sr- steple precisa ro Lopes; 1 cesto com toaihas de linho.a Guilher- Secretaria da Ibesonraria provincial de Pernam
d culos de mais alcance do que os que lera, visto (me da Silva Guimares: 10 cestos de cha e M sac- buco, 9 de marco de 1863
que anida meito myope. eos de ervilhas a Custodio Jos Alves Galmaraes;
Se eu tiaba boa fe qaando recebi o dinheiro sem 1 cesto de beesina e 1 de vidros, a Joaquim Igna-
0 cootar, o que me crescesse eoropria-me entrega- ci Ribeiro Juoior ; 7 ipas e 15 barris de vinho
lo (ao que dei exeeoco) porem se eu possnia a a Palmeira 4 Beltro; 6 qoartolas de cal em pe-
ma f nao entregara nenhum. Isto se nao pa- j dra e 9 volumes de drogas, a Meuron 4 C : 90
rece lgico, que acba Sr. Steple ? Dar-se-ba acaso i barris de vioho e 30 de vinagre, a Campiano 4 o respectivo
que V. S. nao_possa depreheoder urna coocluso Cordeiro; 31 saceos de feijo e 15 cestos de cera cia
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar so mandn publicar o presente
pelo jornal.
O secretario,
Antonio -Ferreira d*Annnnciacao.
Clausulas especiaos para a arremataco.
1* Os reparos da ponte de Goianna na importan-
cia de 2:2005000 serio feitos de conformidade com
orcamento approvado pela presiden-
Tevealta :
Manoel Joaquim de Sant'Anna.
Tiveram baixa :
Manoel Flix de Sant'Anna, nevralgia.
Joo de Souza Eugenio, ferimentos.
Movimento da casa de deteaco do dia 9 de
em velas, a Christovao Goilherme Breckenfeld ; 2 2* O arrematante dar eomeco aos trabalhos no
.I18 *e Vak0> a Vlcen,e Pereira da Costa ; 7 prazo de 15 das, e os coBduir no de tres mezes,
atados de figos, a ordem ; 81 cestos de cera em contados ambos na forma da lei.
no centro commercial de Pernambuco, donde al- velas, a Domingos Rodrigues de Aodrade ; 5 bar- 3- Os pagamentos sero feitos em duas presta-
guem podera fallar por elle, no eotanlo que eu ricas de carvao animal, a Miguel Joaquim da Cos- edes e iguaes, a primeira quando estiver feita me- trala-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
u onvu-^moba defeca na voz geral. Saber ta; 10 barricas sardlnaas, a Sebastiio Antonio dos tade da obra, e a segunda depois de concluidos to- de Oliveira Azevedo A C.
Tho- dos os trabalhos.
da manha de 13, quando se fechar a mala no
correio : escriptorio no Forte do Mattes n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.\a vega cao coste! r a por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac.
O vapor tPersinunga, com-
mandante Ratis, segu para o
norte no dia 22 do corrente as 5
horas da tarde. Recebe carga
at o da 21, eneommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete al 2 horas da tarde
do dia da sahida: escriptorio no Forte do Mat-
tos n. 1._______________________________
COMPANHIA BKASILEIB
B-E
PAQUETES A VAPOR
Dos porlos do sui esperado
at o dia 14 do corrente um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros eengaja-sea
carga qne o vapor poder conduzir, a qualdever
ser embarcada ao da de sua chegada: eneom-
mendas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
horas, agencia roa da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BBASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado des portos do norte
at o da 18 do corrente o vapor
Tocani'ns, commandaBte Carlos
Antonio Gomes, o qual depois da
demora do coslume seguir para
os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual de vera
ser embarcada no dia de sua ebegada, eneom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas: agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorie
de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C-
Leilao de movis periencente a massa falli-
da de A. B. Cuervo 4 C.
II04E
A requerimento do depositario da massa fallida
de A. B. Cuervo 4 C. por despacho do Ilim. Sr.
Dr. juiz especial do coaimereio 0 agente Pestaa
tara' leilao por cont e risco de quem pertencer
de todos seus movis como sejara : mobilias,
guarda roupas, guarda loucas, mesas, cadeiras, cas-
tcaes, loucas de almoco e de jamar, trens de co-
sinha etc., 1 cabriolet americano e arreios, 1 ca-
vallo, 1 tanque de ferro e muitos outros objeclos
que se acharo patentes : terca-feira II do cor-
rente pelas 11 horas da manha na Ponte de
Uchoa.
Achar-se-ha um mnibus no dia do leilao as 10
horas para condoceao dos concerrentes na esqui-
na da ra do Crespo ao p da loja do Sr. aiaia.
Leilao
Ue quatro grandes casas de campo em o melbor
dos arrabaldes a saber :
Duas casas terreas na entrada da povoacae de
Appucos ao lado direito da estrada real com 32
palmos de frente e 60 de fundo, 2 salas, 4 quartos,
cosinha fora, com muro e porlo na frente e auin-
tal. "
Duas ditas no altoe pouco depois da mesma po-
voaco a beirada estrada publica com 34 .palmos
de frente cada urna e 66 de fundo, com 2 saias, 4
quartos, cosinha fora, quartos para pretos, calca-
das na frente e oitoes, Tundos divididos por muros
e lados por cercas, com quintes, assim como
grande paleo na frente que pertence as mesmas
casas, dividindo urna cerca de madeira.
UOcIG '
O agente Pinto fara* leilao precedida a compe-
tente autorisaco, das quatro casas de campo ci-
ma descriptas, construidas as primeiras em 1836
e as outras em 1848, as quaes se tornara recom-
mendadas por serem edificadas perto da pevoaco
do mellior dos nosso- arrabaldes, perto do rio Ca-
pbaribe, e para onde devemps ter em pouco tem-
po estrada de ferro. O leilao sera' effectuado as
11 horas do dia supradito em seu escriptorio na
ra da Cruz n. 38. primeiro andar.
Grande leilao de mobilias, pianos, joias
de oiii-o e wrala e onlros mnites ar-
tigos de gosto.
MOJE
Terca-feira H do corrente as 11 horas.
No armazem a ra da Cruz numero 57.
SEM I.I.MI IKS.
Cordeiro Simoes far leilao de urna nnbilia de
Jacaranda a Luiz XV, 1 dita de amarello, 1 gnar-
roupa, I guarda louca, I santuario, 1 commoda, 1
cama franceza, 1 machina de costura, cadeas
novas e usadas, cabides, qaartinheiras, banqui-
nhas, marquezas, relogias de onro e prata e ou-
tros maitos artigos. Na mesma occasio vender
1 rico piano de Jacaranda, 1 cofre de ferro, 9 cas-
ticaes de pra e diversas obras de ouro e mais
artigos de gosto que estaro patentes no acto do
leilao.
Leilao de dividas.
IIO JE
O agente Pinto levar a leilao pela terceira vez
as dividas activas da raassa fallida de Guimares
4 Irmao, na importancia de 13:342^660 rs., a re-
querimento dos admiuislradores da referida mas-
sa e por mandado do Illm. .^r. Dr. juiz especial do
commercio, as 10 horas em ponto do da supradto
em o seu escriptorio a ra da Cruz n. 38, pnmei-
ro andar.
Leilao de urna
Fara o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade a barca
fli'o de Janeiro, tendo parte do seu carregamenlo
engajado: para o. resto que Ihe falt e escra vos a
freles, para os quaes tem encllenles commodos,
trata-se com o sen consignatario Antonio Luiz Ro-
drigues Mindello, no seu escriptorio na ra da
Cruz n. 1._______.
companhia das Mensagerles
Imperial is.
Al o dia 14
do corrente mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor fran-
cez Eslramadure
o qual depois da
demora do cos-
tume seguir pa-
ra a Bahia e Rio
de Janeiro.
Pora condicedes, frotes e passagens trata-se aa
agencia roa do Trapiche n. 9.
lra IIlo de Janeiro.
O brigue escuna Joven Arthur, pretende seguir
com arta brevidade, tendo parte de sen arrega-
mento prompto : para o resto que Ihe falt e es
cravosa fretes, paraos qnaes tem boas commodos,
escrava,
O agente Pinto levara' a leilao pela terceira vez,
em cumprimento ao despacho do Illm. Sr. Dr. juiz,
especial do cemmerco, exarado na peticao de Jo-
s Gabriel Pereira Lima, no dia cima dito a es-
crava Alexandrina, pertencente ao orpho Domin-
gos Gabriel Pereira Lima, e existente no deposito
geral as 10 horas em ponto do dia supradto era
seu escriptorio a ra da Cruz n. 38, primeiro
andar. r
r ventura o Sr. Steple o que voz geral 7 Tal- Santos Jnior; 25 cestos de cera em velas a T
z supponba que 4 tnxugar urna garrafa de cer- mi Fernaa^ da Cunba : 2 barris de vmho
M ooim P(icrt\ nnam **ni -- _. *..- t,-_;., j._____ f '
por
vez
ven assim como quem vaia mista ao Rotarte.
Terminando permitta-se-me que publicamente
previna ao Sr. Steple de Uvs coasas:
A primeira que 0 ne ocupe em elucidar o
10
4 Na eiecucio dos trabalhos o arrematante se.
barricas de cevada e 4 cestos de doce, a Doarte 4 guir restrictamente as Instruccfes do engenheiro
L.; W barris de vinagre. 23 de toueinho, 25 de encarregado da fisealisacao dos trabalhos.
linguicas, 5 saranes de cominhos e 160 cestos de 5 O arrematante far entrega ao engenheiro de
caboias, a Antonio Loa do Oliveira Azevedo 4 G. toda, a madeira vaina qoe flcar da ponte e pelos ex-
Para a Babia pretende sahir em poneos dias
a escuna Eliza, por ter alguma carga tratada, e
para o resto que Ihe falta traia-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Goncalves Beltro, na ra do
Vigario n. 10, ou 00 largo do Corpo Santo n. 6, ar-
mazem.
i;oniiuuu-ao do leilao de bacalho
HOJE.
Em consequencia de |no haver tempo nao se
pode concluir o leilao de bacalho, o que tera lu-
gar hoje no largo da escadinba da alfandega.
Leilao
(Sean limitis.) *
De um rico adereco de ouro de lei sem uso.
HOJE
; ra da Cruz armazem o. 57.
Cordeiro Simdes far leilao do objecto cima
mencionado no dia, ora e lagar cima dito.
Leilao de 48. cainas de igos.
Quarla feira 12 do correte.
O agente Postana far leilao por costa e risco-
de quem perlencer de 48 caixs com figos de ex-
cellente qualidade, os quaes sero vendidos para
fechar cocas pelo maior prego: quart-feira 12 do
corrente pelas 10 horas da manhaa no armasen
do Aunes.
atoos Mimos,
Alexandre Jos da Silva val a Europa levan
do em sua companhia sua senbora.
~ William Kiog, subdito inglez, retira-se pan
a Europa.
Pede-se ao Sr. Gaspar Jos da Silva, naja de
vir ao largo da Assembla a. 44, -bascar ama cal-
ca que lera empenbada pela quantia de 7*000, no
jira/o de tres dias, do contraro ficar sem direito
ao dito penbor.

I
i


<
Marltf *ernaml>neo "< Tere* felra I i de Afcrif de 1 g .

AOS PAS BE FilIUr
/W?ffo mulathho a 560 rs, a cuta.
Pel'agraadequatidade a probrbicSo que lia de se poder expr as ribeiras se
vende por esle precio, o fejao bom ero precp agrada a todos : na ra dos Quarteis n.
22, junto a loja de funileiro.
PILUS = BLANCARD
AO ODUBETO DE FERRO INALTEBAVEL
Approvadas pela Acadamia de Medicina de Pariz
AUTORIZADAS PELO COffSP.RO MEDICAL DE S.t-PETESBORGO &
HXPRIIIV KM AI) AS NOS BOSPITAES DA FRANCA, DA BLGICA", DA IRLANDA, DA TURQUA, ETC.
Metifoes honrosas as Expostcoes, Univercacs de New-York, 1853 e de Pars, 1855.
Estas Pilulas envolvidas n'oma carnada resino balsmica de urna tenuidade excessiva, tem avantagem de
seren inaltcrareis, sem sabor, de um pequeo rolume, e de nao cansaran o ergads'diipatiros. Gozando das
propriedades do loso e do FHkBO; ellas conven principalmente as alTeccoes Chloroticasr Escrofulosa,
Tuberculosas ('amorosas, na Inteorrheu, amenorrkta, anemia, etc.; enlim, ellas oBerecem aspraricos urna me-
dicado des ais enrgicas para modificar as constltuicoes lymphaiicus, freos omdeHUiadas.
.Vi?. O iodurelo de Ierro impuro ou alterado na raedicamnio infl', irrilanie
Cado prova de puma e de authencidade das verdadehras Pilulas de Blaueard, (leve
-se eligir nosso geno de prata reactiva e nosso Orina, aqu rrprndiizida, que se
UBI na parle inferior di- um rotulo verde. Dte -se desconfiar dos (alsificaeos.
Achaui -se ein toda as Pharmacia*.
Pharmaceutieo, ra Bonaparte, AO. Pars.
r XAROPE
CE CASCAS DE LARAWJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chmico,
BAfcMAC*aiICO ESCOLA SUPERIOR BE PARS.
Este xftrono, rcgnlarissndo- as fuuecSes do estomago c intestinos, destroe cssas
indisposiedes proteitbrmes, e fe attorwr as molestas de que sao indicios precorsu-
rcs. HcdicM e tlacotes tem reconueeido que restabelece as indigestos, frzendo
desapnarecer os pcww.de estomago, que calma as cnxaquecas, j|nssMiii. o eaiuibras
que sito resaluda de digstaos penosas. Sen oslo agradavel c a facilidade com que
se mi perla, o leu feito adoptar como especifico inlallivel das doencas narvaso*,
gnslrkiSj gu&i algias, clicas de estomago t dt eniranhas, malpacSes, dores de
eoru<*;*, votmto* nerootm; sa ace3o sobre as funrcSes assimiladoras tal, que es
mdicos waii illirstrcs o t*M artoptaW por resetpiente rval dos doas primeiros
gentes iherapeuticos: o lednnln e Potassa c o Proto-Io4uret& ie ferro, UJtxla
observado que debaixo te sua inUa*au, o primaire perde sua adcao irritante, e o
segundo sea effeito adslringcnlc.
XAROPE BEPMATiyO XAB0PE PEBRGW&SD
De cascas de lanuj.is amargas com Io-
ureto de petatea.
0 iodursto do potasas, administrada tin
solucho ou. daba rio da forma solida, causa a
doente un, ramio repugnancia, ou determina
accidentes que torci a renonciar a esta
ir.cdicicao efeaz.
tnido |iorm ao Xaropo de cascas de laran-
i :s, elle sai cauta nem gastralgias, nenv per-
lurliai,io do estomago e intestinos, o giagrf *
este salvaguarda, os tralamaalos depuvaxitos
si coaliida sen iassiiayuls. tas aflsav
cffss siiisMnist, tuimrmbat. sancmmm
*** ssraHdevtav $ Cett,ioji4Br samas fsusss-
Masas,, aat atases ** aeaavaafss asp*-
rifc. A ** tt* sSatsU de tai aanm
nte iiistet t,
8 rrain; 4 r. K o.
"\
De cascas de laramjas amargss eos
prolo-iodurst'o de ferro.
A assaciacie d sal ferro ao Xarop de cas-
cas de laranjas tanto mais racional quanta
que este inrape, eniprsij.'via s, para csliwa-
lar o apetite, activa a sccrcc>> i sueco J-
strico, e por fita rcgularis;i as fuacoAae aMO-
iaaai, mutraia mi'-s cffciifl/J.w(ferru-
ginosos e des ioduretos ipctu de cahrQa, pri-
sa i veatr, doaea pigaatricas^ em quino
que facilita sua absorpclo. Dittolyido no
Xaroea, ello ts toara e st tupporta facHtnciUv
por echarse bo estado puro mais assiniiUvel
assim pede coatinuar-se a cura da pallidaz,
carwimentt brancot, aneis, affcl-;3m aset-
fulosas < rachitismo:
0 frasee: 4 fr. BO c.
Os Xaropes 4 J.-P. LAHOZE esta saoipre em frascos i-speciaes
[DDBcatm meias gasraas nem eai frascos redondos). ExpedioSes: em casa,
J.-P. LAROZE, ru- dea Lions-Saint-Paul, 2, Pars.
Ra do Imperador n. 38, botica franceza.
XAROPE DEPURATIVO
LiE GOUX
BROM0-SULPH0-IODURADO
Este novo produelo resultado de urna trplice combinacao de tres meulloides cujas proprie-
dades sao mu conbecidas, o Bromo, o Euxofre e o Iodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais notareis dos hospiUes de Paris, os senhores Cazenave,
Puche, Bazin, Blachc, Cuibout, Baroschct, Danet, Legroux, Vasse e Aubry, etc., demenslrarao
sua poderosa cffcacia as affcc(5es seguientes:
Doeneaa de pella,
Dartroa e borhnlhu de toda a capele,
Piaras macease,
Obalrneeea Ijmphatlco,
Papelraa,
Eaerafalaa,
Abeeaaoa, postemas,
Cancro*,
Ulceras,
Tlssaa,
Eaearbata,
Plan ou noubaa (do Brasil},
O Xarpe de Le Goux, de nmt fcil digestao e de gosto delicioso, se emprega Umbem
com muila vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospiul dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e racbiticas ou sobre a influencia de um ricio hereditario, e mui
superior neste emprego ao oleo de ligado de bacalho e aos xaropes depurativos e an-escor-
buticos que se administravao at agora.
Deposito geni, em Paris, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de-
Paris, official de, Legiuo de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paiaes estrangeiros.
Framboeala,
Humorea fros,
Raebltlsnae,
Ophlhalnila escrofulosa e cbronlca,
Tsica escrofulosa,
Affeeeees aypbllltleaa,
Elepu'autlasls dos Greyos,
E todas as doencas occasionadas por em vicio do
tangue, e ji tratadas sem neuhum sacessso pelas
SreparacSes vegetaes, iodadas e o oleo de fijado
e bacalho.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
. Doutor a Faculdade de Scieneiat, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legio de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Esle xarpe composlo mais de vinte annos pele sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com suocesso em todas as doencas que tirio sua
erigcm de um erithismo nervoso, como sao as:
saja, hepticas flalalrulas.
Aeeeaaae de data e de rheu-
EBStlBBtO,
Csasa de rnvenealeiuruto,
etc., etc., etc.
Calleas veatasaa OU aerva-
Deposito geral, em Part, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro da Academia
imperial de Medicina de Paris, official da Legio de Honra, ra des. Fosss-Montmartre, 47, e
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Enxaqaeea,
Nevralglae,
Zspnsmos,
Al taquea de ervos,
Verlla-ens,
Sjncopes,
Calmbrea de saisage,
ladlgeates,
Convulses,
Aeeeaaaa histricas e hjpo-
cendrlaeos,
ASTHME
ASTHMA ASTHMA1! ASTHMAIt
______________________SUFFOCglO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio effieaz para combattir esUs molestias, acalmar um atUque d'asma e impedir a
volu o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Lioeeoberia iaUiramente
recente, este nevo producto se tem propagado com extresna rapidez grates* aos admiraveis resul-
tados que tem stmpre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, en todas es
blicas de Franca e do estrangeiro.
Deposito gerat em Pe*narl)nco roa da Cruz n, ti, em casa de Caros & Barbosa.
LOTERA
AOS 6:00000v.
Qaarta-feira i9 do correirte mex. se ex>
traira a 4* parte da Ia lotera (12a) a be-
neficio, da Santa Casa de Misericordia, para
canalisacSo d'agua e gaz no hospital Pedro
I!, nv> consistorio da igreja de Noss So-
nhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bifhet-s.meios e quartos estilo a ten-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 13.
Os premios de 6:000)9000 at i0#000
serio pagos urna hora depois da extraccao
at as 4 horas da tarde, e os ontros depois
da distribuigao das listas.
productos admiraveis
ensigne"chimico
Iehl
|do
RIG DE JANEIRO.
como de costume.
0 thesoureiro,
_______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Alaga-so um excellente sitio na Capunga
Velha eoea orna grande casa para ramilla, dita
para feitor, dila para eseravos, coe.heira e estriba-
rla : quem pretender dirijs-se a Capunga Nova,
o entrar da mesma o primeiro purto no segan-
do, que achara com quem tratar.______________
Joisode paz do primeire tlistriete da
freguezia da Boa-Vista
A aodiencla deste juizo na presente semana se-
r amarillas terca-feira it do corrate, as 4 horas
da tarde, do lugar do costme._______
CLUB PERNAMBUCANO-
A partida do crrente mez ter lugar na
noite do dia 20.
tbuuibador lehl.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicaco para ebumbae o dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, s*metiwf%o nem dor, meio prompto eperfeita-
mente eSeaz. O ebumbedor Itthl torna-se na bocea braaeo co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
c iuiento cblnez
is,
m
Dtizia.
3r>000 40^000
As encommendas s rao guardadas se- _
mente at a noite da vespera da ektracco- paL3Jrertar C0H, m"T V9***? I0U?a>. porcellana, cryslae
^lauaM^ rrdToy, marmore e qualquer oBjecto precioso.....
Cimeato de gutta pereha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia .........., 2^1000
Cosineileo Indiano epilatorio
para destruir quasi inslaitaneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e' sem alterar a peHe. Ac urna guia. .
Elexlr odontalgico vegetal
para curar nstaataneameiite as dores dos denles mais rebeldes, e
que tamban propfio para a conservacao dos mesmos, o en-
durecimenlo das gengivas e a suavidade da bocc. Acompanha
uraa guia..................
Kncrivore
para tirar a tinta do papel elimpar as pennas de ac.....
Helsteln
pedra austraca para curar os tumores, inchages e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim, cangallia e otilros arreios
dos burros e cavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anuo de 1741. Allianca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada. e que nao
exista mais inchacSo. Acompanha urna guia.......
Limas) cblmieas
1500 12>000
18000
3000 1.2450C0
sewpn eblido as
diaras ?
1.
curas as mais extraor-
A Gateta ito Norte
Redigida pelo Dr. Affonscr de Alboquerqnc Mello.
Sahie sabbado a las e est a venda na na do
Imperador n. 67 e na ra de Hurlas a. 14, a 40
rs. avoUo, onde se snbscreve a 500 rs. por serie
de 12 nmeros, assim como na ra estrena do Ro-
sario D. 34.
luga-se o tereeiro andar do sobrado da rua-
do t.ivramenlo n. 36 : a tratar na loja.
2000-
500
180000
U00O f>5000
Preciss-se alugar ama
de 14 a 16 annos, que seja
ra : a tratar no Largo do
Brura n. 76.
escrava on moleqae
fiel para servir de
chafan?, da ra do
Quem tiver ama escrava. para alugar, para o
servico de casa e roa; eutenda-se na ra das Cru-
zes n.21.
Saca-se sobre Lisooa, Porto, Uta de
S. Migu 1 e Rio de Janeiro: no escriptorio
de Carvalbo o* Nogneira, ra do Apollo nu-
mero 20.________________
Alagani-se tres eseravos, sendo daae escra-
va. que fazem o service de urna easa de familia,
mlero> e exteeno, e un eseravo muri intelligente
para o servico decampo : na cua dos Pires n. 54.
Acha-se josto e tratado por compra o arrrra-
zem de moltrailbs na roa dos Pires n. ^4, perteu-
cente a Francisco Jos Fernandes Pires: quem se
julgar com siretto ao mesmo appareija oestes 3
dias.
Jos Henrique da Sil v precisa de um cria-
do btleeiro que seja bom : pode er procurado
no pateo do Carmo a, lo um casa de Gabriel An-
tenio ou junto a Ponte da Passagem n. 21, no Re
cife das 9 as 2 1|2 davtatde e no sitio at as 8 da
utanliaa e das 3 1|2 em diaote.
Prwcisd-se de ifflibama para todo servico de
urna casa de pouca familia : a tratar na ra da
Imperatriz n. 74.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama do leite :
Trincheiras, sobrado n-. 17.
na rna das
Precisa-se de um criad* cosiaheiro eseravo
oo livre : a tratar na ra das Urnzes"n. 22, se-
gando andar.
Ama
Na ra do Corredor do Bispo n. 22, precisa-se
akigar urna escrava para o servio^ interno e ex-
terno de casa._______________________________
Um favor.
Deseja-se saber onde mora o Sr. Jacob da Bou-
ca ou quem por elle represante, sirva-so annun-
ciar por esta folha ou dirigirse a ra Real do
Manguinho casa de Joo Antonio Carpioteiro da
Silva, a negocio qne Ibe diz respeito.
Loteria.
0 quarto garaatido a. *732 com a sorte grande
foi vendido na fe'.iz loja da ru Nova n. 56.
Venerare! ordem t*reeira de s. raa-
cisco do Recite,
O irmo secrelario abaixo assignado, por delibe-
racao da mesa regedora, e convite do Rvd. padre-
mestre guardio, roga a todo* os seus carissimos
irmos o comparecerem paramentados de seus h-
bitos aos actos da semana santa, que tem de ser
celebrados na igreja do mesmo convento assim
mais a acompanbarem as procissoes de fogaros,
enterro e resorreicjlo.
Secretaria, 8 de abril de 1863. Francisco Jos
dos Passos Guimaraes.
A mu
Precisa-se por alugael de ama mullier de maior
I idade, que dando provas de sua boa conducta e
' comportamento, esteja ao caso de tratar de meni-
I nos e fazer o servico interno de urna cas : quem
! esti ver neslas circurastancias, dirija-se a ra de S.
i Francisco, .obrado n. 10 : a fallar com o dono da
casa._____________________________________
Precisa-se de urna pessoa as condicoes de
ser porteiro, dando fiador a sua conducta : na ra
da Aurora n. 50.
Avian
O escrivao Albaqoerque est de semana nos
protestos ; cartorlo a roa do fmperadar n. 12.
0 Sr. Jos Bernardina Gorreia Barros tem
urna carta na livrana os. 6e 8 da praca da Inde-
pendencia.
Precisase de ama preta escrava para cozi-
nhar somente : na rna do Imperador c. 35.
Feitor
Precisa-se de um feitor para tratar de um pe
queno sitie: na botica do Sr. Gameiro praca da
Boa-Vista.
Precisa-se de ama ama para cozinhar : na
rna do Imperador n. 18.
Acha-se fgido o. preto .de nomo Gabriel,
Ti'iulo, de idade. pouco mais ou- menos, 35 auno-,
baixo e corpulento, pescocA curto, oltios vivse
soliraneelhas arqueada, boca regular e denlas
alvos : roga-se as autoridades vigilancia por se
desconfiar delle querer assentar praca no cepo
fln* irolunlario?, ou a quem a elle pegar conduzir
ao engenbo Tapugi de cima da comarca do Cabo,
a entregar a sen ssnhor Antonio Joaqaim Caval-
anli de Albuquerqoe, ou a Jorge Glemeute de
tiorba Gavalcantl, na ra de Apollo o. 34, segundo
andar, que sera gratificado.
.-'.- -
Caixeire.
Precisa-se de am menino para eaixelra :
iNea de cbarules da roa de Hortas n, 1.
ordenado.
na fa-
e-se
rwandae do Divino Espirito Sautado
CHej;io.
Por determla{9o da mesa fegedopa convido a'
todbi os riosibs irmos a comparecerem .era nosa-i
igreja no3 dias sexta-feira li do correte, pelas 9|
hora* di tarde, e domingo 16", pelas 6 horas da
manha, affm de enc.orporados, acompaoharmos as '
proclssSes de enterro e da ressurreico que tem de
sahir da matriz de Sanio Antonio, para e que fo- i
mos convidados pela respectiva irmandade do SS.'
Sacramento. Consistorio da irmandade 10 de abril
do 1865.O escrivao,
Maneel Luii da Veiga.
Precisa-se de um bom feitor casado, sendo
portagiifrz prefere-se : na cjHegio j Gqnc',cSo '
Tamarinejra. J
Precisase de am feitor que seja portuguez
e que tenha pratica, para o engenho Bonito, co-
marca de Nazareth : a tratar com Ignacio Xavier
Garneiro de Albuquerqne no mesmo engonho, ou
com Leal & Irmao, na roa da Cadeia n. 56.
Precisa-se de um feitor que seja portuguez e
que sai ba ler para o engenho Mallo Grosso, comar-
cado Rio Formse : a tratar com Jos Bentode
Gouveia, no mesmo engenho, ou com Leal Ir-
mao, na roa da Cadeia n. 56.
Aluta-ee a esea a. 6 na roa dos Coelhos jimv
u**o sobrado do fallecido Adelo, com 3 quaff-
tov, 2 &ita, grande coziaha : a traur na ra d
Mon'lego, olaria n. 13. _______
Precna-se de um preto eseravo para carrea
gzr agua e para lavar casa : na roa do Brum nu-
m9So-74>
Tinturara
Rrua Direitan. Ilff conlinua-se a tingirpara
quatquercor, e.o mais bsralo possivel._________
Frecisa-se alugar ama ama para rasa de
dons mocos, estrangeiros : a tratar na roa da La-
tendofeecifcn^ia, '
imi
Precisas-e de una ama que tenha bom leite e
Lulz Gftties P\frW3, d Jlondego.
/
3r>000 34000
215000
15000 OjjOOO
500
16000
ifljoe
45000
7,5000
10;$000
25000 205000
15500
350(0
125000
285000
extraccao dos callos e cura garantida sem dor nem pergo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourlh.
Acompanha urna guia. O par...........
Massa dentaria Samakol
esta mas a, pouco terapi depois de sua iatroduccao na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentificias. Acompa-
nha um guia................ 3ooo
Massa lustrosa
para limpar oabrHbantar instantneamente os trastes, pianos, W-
maces de lojw, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo* das
mosca.?, fioando envernisados como noves. Ac. urna gura .
Papel cbelroso
brftammavel, quefmando sem bulla, para perfumar easas e quar-
tos, produzirsensacoes agradaveis e desiufectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
. dem.....
pomada Rondesicus
confra friolhos e lendeas ; afianzada sem mercurio.....
pos de prata
para pratear mstantaneamcrrte o cobre, o lato, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigos prateados, como faqueiros, salvas,
casticaes, apparelhos de cha e outros objectos semelhantes, af-
fiaoeados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes ele ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidros de 2 oitavas. .
dem de urna onca. .
pos para linipar a prata lavrada
sao afliancados iufalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos pnrgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. urna guia:
i Carteira. .
dem .
Sabao oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem altera/ os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia...........
* Tinta Azul Indelevei para marear
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de
hora no sol, torna-se preta e nunca ma:s sabe do panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Allianca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
Tinlsi asea ndlBi iudelevel superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia onga.......
L'iiKUfiit'- I.-liI
remedio maravilhoso o melhor at heje condecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas c saniosas, fistolas, frieiras, bemor-
rodas, lueencasv mordeduras, muas, panarigos, queimaduras,
reumatismos, supnpaijoes putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parle:
Rolos. .
dem...
nico deposito em Pernambco em grosso e a retalho
EM CASA DE MANUEL & C.
8 KCA DO CABUA 8
500 45000
500
15000
500 45000
a roupa
urna
15000
500
25000 185000
45000
25000
SANTA RITA DE CASSIA.
A mesa actual da confraria de Santa Rita de
Gassia, tem resolvido fazer os actos da semana
santa seguintes-: quiola-feira sania as 8 1|2 horas
da maohaa a expesico do Saotissimo Sacramento
9 sepulc.hro, sexla-feira as horas da tarde e de-
efldimento da cruz e procisso de enterro, domio-
(} as 5 horas da manha raissa cantada, para o
que convida a seus charisslmos inr.o>, alim de
comparecerem paramentados com seus hbitos aos
ditos actos, e bem assim pede aos moradores das
roas abaixo que se dlgnem mandar limpar as fren-
tes de suas casas, visto como por ellas tem de
pssar a procisso de enterro : a* sabir na de
Santa Rita, pateo da ribeira, Rangel. Queimado,
praca da Independencia, Cabula-, Nova, Flores^
cani'boa da Crnae, pateo do Carme, ra de Mor-
as, Augusta, ao voltar a ra. Imperial, pateo do
Teres, Direila, Assurnpcao, Nogueira, paleo de S.
Jos-, a recolber-se.
O escrivao,
Joo da Malta Bellro.
. -----
Xa rna Nova n. 6, precisa-se de urna ama
para servico de ponra ftrmilia.
Aluga-se um armazem na travessa do Poei-
aho a em frente da deteneio, proprio para taber-
na, marcineiro ou outro qualquer estabelecinumlo:
a fallar na ra do Rosario c. 31.
Arrenda-se um grande sitio com boas casas
de vivenda, muito terreno de plantas, perto de cin-
co mil arvores de frncto, muitas destas raras,
maita lenha, agua, capim, lambom se pode fazer
parcerta com quem tiver eseravos' de servico de
campo, duas railhas distantes do Recite: a quem
convier, informe-se na praca da independencia ns.
6 e8,_____________________________________
Que qnizer urna ama de leite, dirija-se a
ra dos Pescadores p. 35.
Irmandade do Divino Espirito
Santo erecta no convento de
S. Francisc >
Por ordem da mesa regedora, convido a todos
os bossos irmos para comparecerem ein o nosso
consistorio, aflm de encorporados asslstirmos aos
actos da semana santa que se tem de celebrar
neste convento nos das e horas abaixo declara-
dos :
Quinta-feira pela manha, lausperene, e a tarde
procisso de fogaros.
Sexla-feira pela manha, descidimento da cruz e
a tarde procisso de enterro.
Domingo, procisso da Ressurreico as % horas,
da manha.
Consistorio 11 de abril de 1868.
O secretario,
Joo Walfredo de Medeiros.
Furtaram do cercado do engenho Cbnceico,
da freguezia da Escada, no dia 4 do crrente, um
cavallo com os signaes seguintes: rugo pedrez, cas-
trado, de bom tamanho, mantedo. gordo, bom an-
dador de ludo, velho, mas tendo denles, tem em
urna das pernas o seguinte ferro--0alm de ou-
tros : quem o entregar ou dr noticia delle e de
quem foi o ladrc, lera ama gratificars de 1005000
no mesmo engenho Conceicao ou no Siqueira em
Rii-Formoso.
Precisa-se para um engenho na Escada, dis"
tante da estacan una legua, de ama senhora que
tenha as habililaedes precisas para bem ensinar a
Imna portagneza, msica e piano, e se souber o
franoes, melhor : a tratar na ra do Imperador
n. 2.
Offerece-se urna criada porlugueza para o
servico interno de urna casa de pouca familia : a
tratar ruada Cruan. 18, armazem.
Jaaquin Cawalcaaii de Albaqnerque Mello
pede ao Sr. Joo SHverio de Souza qaeira declarar
por esta folha em qae dia passou a procurago de
que falla, e para qne n n fot. ella passada, sob pena
de pansor por calumniador para o publico,
Porque esta casa senda sem contradita a
mais importante de Paris, honrada cem aelientella
da ima parte da corte, pan-oteada por % A, I. o
principe Napoleao s veade productos de urna effl-
cacia recenhecida.
2. Perqu esses medicamentos representara as
mais recentes conquistas da medicina e da cbi-
mica.
3." Porque lem lodos um gosto agradavel, salis-
faaera a vista, e pdem ser administrados sem pe-
rigo, tanto as eriaacas egmo as pessoas adultas.
4t Porque ellos dilferem inleinmente desses re-
ntedios ingiezes e americanos, pR-parados por In-
dusiriaes eslranhos, tanto a snedieina como a phar-
macia, dos quaes nao lem nem a scincia nem os
ttulos.
." Porane estes medicamentns s se applicam a
um Dci.iero limitado de nencas, e nao as curara
todas, como os remedios de que acabamos detal-
lar ; cmOm cada producto fem sua applicaco par-
ticular.
Por isso pensamos prestar am servi'co a lodo o
mundo, indicando aqiri as imprtanles proprleda-
des dos principsos medicameaws dos Srs. Gti-
manll & C.
tarop de raifori lodado.
Empregado com successo certo em lunar do oleo
de figado d bacalho, tao desagradavel, tao diffl-
cll a digerir. K o especifico o mais ceno contra
'futu as e,crPn"'as' lymphaiisnw, a ladkM das car-
-i,->UOU nfl.s, os humores das enancas, a pnpeira, os rheu-
matismos, o escorbuto, as' affutcocs da pelle, as
' molestias do pait.
Todos os mdicos de Paris o empreg?*! como o
depurativa o mais poderoso, e o reromimendam em
lodosos casos que precisare corripir a arrimonia
do sangue, e dar-lhe todos os principios fftaes qaa
perdeu, seja pelos excessos, pelas alfreces lym-
phalieas, escrophukisa,. venreas.
Xaro|e de qnina venueflUs fer-
ro^inoso.
On associaco dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o fen o um dos princl-
paes elementos de nosso sangue e a ^mns que o
tenico e o febrfugo por excellencia.
Esle delicioso medicamento agradavel ao paladar
e a vista, tem um resultado adnriravcl nSs flores
brancas, dores de estomago, falta de appetile, po-
breza de sangue. Elle sobretodo til as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re
gularisar a menstuaco e suspender os effeitos
perniciosos das flores brancas, que sao a causa da
tantas doencas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forsas e da saudc para os doentes enfraqueci-
dos pelo trahalho, os excessos, as afercaes escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharao ne.-ie xarpe um mer
dicamcnlo sem igual, para fortificar e desenvolves
a syslema osseo das crianzas e os preservar da-
olfecces escrophulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso licor que orenpa o primeiro logar ea-
tre as novas conquistas da scincia, a pep.-lna pos-
sue com effeilo a proprledade importante de fatvr
digerir os alimentos quasi sem soccorro do este-
mago, o remedio soberano das gastrites, rastrat-
giai, das inflamniacoes do estomago, dos figadeae
dos Intestinos. Elle'supprlme os gazes, as nauseas,
as piluiles. o desgosto dos alimentos, e presta prin-
cipalmente un immenso servico as senhoras ii'uto*
poslco interessante da qual supprime os v .mitas.
As pessoas que padecem de cancro no esroasa-
go ou nos intestinos, vero sua vida prolongada
pelo oso do elixir de pepsina, e es velhos e caaea-
iciviiies o sustento de sua saude e o reparador efe
suas forcas; porque com urna boa digestao sempw
se gosa de boa saude. *
Xarpe peltoral de M. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido enmato
j qq melhor medicamento para curar a (osse. defluaev
--ana catarrB0' Brippa, irriiafao do peito, anginas, dore*
/ ,-)UOU je garganla, coqueluxa, etc.
Esle delicioso xarpe popular em toda a Franca
foi descoberto pelos nrnnges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
Grimault & C, nicos proprietarios da verdadeim
receita. Recommenda-se aos doentes que usem a
mesmo tempo das deliciosas pasltlhas pritoraes a*
surco de affact de lourtirocereja dos Srs. Gri-
mault & C, este excellente remedio composts
com as duas substancias as mais calmantes e a
mesmo tempo as mais inolTensivas da materia roe.
dica, e nao rontm opio.
Injeceo e capsulas matico.
Estes dous productos que constitoein a mais re-
cente e a mais imprtame mediacao para curar os
corrimentos e as molestias veneraos do baan a
da mulher, sao exclusivamente vegetaes nao con-
ten mercurio, e sao pttparados com as folhas do
matico arvore do Pern. Nao ha molestia conta-
giosa antiga ou recente que resista ao uso desses
dous meios. Sua rapidez de accjio superior a
todo quanto se tem feite al aoje. As capsulas
nunca cansan) o estomago nem os intestinos como
as capsulas de copahyba, cubeba e nutras ; a in-
jocgao nunca proiluz o esli eitarnento como aconte-
ce cam as Injecces com base- metlica aconselha-
das at hoje.
Todos estes productos vendera-se lias principaes
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, era Pernaro-
huco, Caors & Barbosa, na ra da Cruz n. 28, na
Babia, Lima & Irmos ? em lodas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir semprc i assignatura Grimault &
C, por que ha falsifleacoos perigosas.
Vcnde-se na botica franceza ra do Imperador
n. 38.
75000
45000
305060
175000
Ama. .
Precisa-se da urna ama para cozinhar e engom-
mar : a tratar no Passio Publico n. 5, loja.
Com oSr. Ernesto Bolelno de Audrade
seja-se fallar na ra do Crespo n. 16.
de-
D-se a nma familia honesta para morar de
graea una srarule sitio com boa casa, lenha, agua
e alguna frucla, sob caodicao de guardar o mes-
mo sitio : para informar, na loja da pra;a da- In-
dependencia ns. 6 o 8.
Precisa-so alugar urna prela escrava de meia
idade para o servico interno e externo de urna casa
de muito pequea familia: a iratar no pateo do
Carmo n. 46, primeiro andar.
Precisa-se de um oo dous eseravos sobre hy-
potheca em dinheiro : quem tiver pode vir iratar
na ra da. Concordia n. 6i, padaria do gaz.
Precisa-se alugar tima escrava que se-
ja sadia e de bons costumes, para o servico
inte no de casa de familia: na ra do Sol
so6rado n. 21. -
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito da
producios chimicos uteosis e os maisempregados
e usados na pharmacia,pialara,photographia. tin-
turara, pyraiechinu(fogosdeariincio) e em outras
industrias..
Montado'em grande escala, e supprindo-se di-
rectamentenas principaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, podeoffereceer
productos de plena contianca e satisfazer qoalqner
encommenda a grasso trato e a retalho, por prego
razoaveis.
Prvidos de machinas ,*.appropriadas satisfar
com iroiapildo qualquer pedido de Untas muidas
a oleo, cuja'qualidadee pure/a de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o qua
nao fcil fazer com aquellas que.sao importadas,
c que se encontrar o mercado em latas fechadas.
Tem grande colteecao de vidros de diiTereates
formatos, desde ama oilava at dexescisoneasdt
capacidade; de vidros para vidracas e diamantes
para carta-ios; d* pinceis parafirqar nradeira toa
propriedadeo ouiros: de papis domados e pra-
teados o folhas de gelatina para ornamento: da
papel grande epequeat> formato de varias corea
paraenibrulho, par* forro darasa gafa Vsenh
com fundo ja cito-, de papel alboanaada- Briiut
verdadeifo saxe para photograp&te e oar filtrar,
e outros ; rernizes de essencia para qoadros, do
espirito para madeira. copal para o interior e ex-
leiior; oleograxo, oleo seccalivo, oleo de linhac*
clarificado, oleode oielet, seeativpde Harlim. ooro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias eflres ; tintos vegetaes, inofensi-
vas proprias para confeilarias; laje cores, e
olhos de vidros para imagens; untas ero tubos
telas para retratos ; tintos cm pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de n-
roly, jasmim,borg*raota, aspice, patchouly,mbar,
bouqnet.limao, alcaraiva, melissa, rlela pimenta,
louro, cereja, alfasema, Portugal, lima, lunipero,
anis da Russia, oaneiia, cravo e muilos nutros ob-
jectos que s c Joaa Pedro das Neves,
Gerente.


Saude dada a todo o mundo.
Peles srenatos sMakaawata. das s Griawilt
C, pbannacrtitlees i 9. k. I. fnuft Na-
puleaa, raa I la Fe mi We 7 en Piris.
Porqoi o* SrsjneaJicos e o puhUeo ajam de pre-
ferencia dos niediCTraentwespechR'9 dos Srs. Gri-
mault & C., pharmaccuiieofi em Paris, rom os latM
etles tem f-----------"-

\
ILEGVEL


Diarto *er*p*e,- *<} ***** M # A^rU **.
MUDANCA
ANTONIO JOREZ
Eseola particular.
Clara Olympia de Laoa Freir, professora parti-
cular de inslruccao primaria, competentemente au-
torisada pela airecloria da instracco publica
abri sua aula na ra Direita n. 60, segando andar'
Na ra da Florentina n. 36, prepara-se co-
mida para (ora por commodo preco.
W
Fundidor e torneiro em metaes.
morava na rna da Imperalrz em casa do marcineiro poirier 55, pre-
>ine ao respeitavel publico e a todos os seos frepezcs em particular, que
mudou sua oficina para a rm da matriz da Boa-YUta' n. 36, onde se acha
promplo para fazer o que compele a sna arte de fundidor e machinista.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tera feito na arte dentaria, alem de com-
prar o segredo de diversas preparares empregadas com muitas vantagens, tem a oon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto aoseu dispor para todos os misteres da sua pro-
fisso, advertindo quetrouxe um immenso sortimento de dentaduras rtificwes, caom-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas P chombagem,
instrumentos novo, ferramenta moderna, cadeira de operacoes, etc., etc., dosmais acre-
ditados fabrcenles de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais quenunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toaa
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manha at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando naotiver de ir em casas particulares.
* O London & Brazillan Bank,saca pordoos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Gumaraes.
Villa Real.
Goimbra.
Amarante.
8***855"? *P**S**i
advoga nos termos do Bonito e Caruar. M
H Pode ser procurado na villa do Bonito,
I ra Direita n. 16, defronte da cadeia.
imiiaiiMMHi
Alugamse dous grandes sobrados com com'
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
cora jardim, cocheira, estribarla e ootras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42._________
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
A luga-se
umacasaacabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta,no lugar do Poco
daPanella.rnado Rio: a tratar com Tassoir-
mos.na ra do Amonm n. 35.
mmmm m mmm mmmmm
SE, O bacharel Alvaro Caminha T. da Silva m
3 tem seu escriptorio de advocada a' ra c
fR do imperador n. 41, primeiro andar, oh- ^
ase de pode ser procurado das 10 as 3 horas. ~"M.
* Em qualquer ontra occasiao sera' encon- b
mb irado na casa de sua residencia a mesma $
mt ran. 3, junto ao Gabinete Portuguez. tftt
GASA DA FORTOiU
los 6:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costuhf.
O abaixo assignado venden nos seos muito feli-
zesbilhtes garantidos da lotera que se acabeu
de extrabir a beneflcio da igreja de N. S. do Am-
paro de Goianna, os segulntes premios :
Um quarto n. 1732 com a sorte de 10:0005000.
Um inteiro n. 2709 com a sorte de 3:0O5O00.
Um- quarto n. 132 com a sorte de 8005000.
Um meio y. 784 com a sorte de 400J000,
E outras muitas sones de 1005, 405,205 e
10*000.
Ospossuidorespodem vir receber seus respec-
tivospremiosem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 4* parte da 1' lotera
(12*) beneficio da Santa Casa de Misericordia,
para canallsacfio d'agua e gaz no hospital Pedro
II, que se extralnr no dia 19 do correte.
PRECO.
' Bilhetes.....7*000 -
Meios......3*500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que comprarem de 1000000
para cima.
. Bilhetes.....6*800
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Martins FlUZA.
Cavara municipal do fiecife.
Quem estiver habilitado a fazer ser removido to-
do o entulho de lixo e imranadiees que existe no
caes do Ramos ao norte dos leiheiros que all exis-
te, com brevidade, entenda-se com o fiscal da fre-
gueiia de Santo Antonio desta cldade para Iratar
do ajuste.____________________________
Arrenda-se um sitio em Boa-Viagem que foi
do fallecido Porlella : quem o pretender dirija-se a
ra da Cruz n. 24, segundo andar, que achara com
quem tratar, ou com o cirurgio Alves._________
Aluga-se urna casa terrea com soto, sita no
pateo da Paz, na povoacaa dos Afogados, tendo com-
modos para grande familia, quartos para criados,
estribarla, quinlal cora muilos arvoredos de Iructo:
a tratar na ra Augusta o. 94, ou na mesma po-
voacio com o Sr. Jos Lncio Lins.
C0MP11S.
Precisase de urna ama capaz de
diario de urna casa de pouca familia :
ra da Cruz n. 29.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferreira' & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66._________________
Compra-se ouro e prata em obras velhas, p*
ga-sebera: na loja de bilhetes da Praca da lude
dendencia n, 22.__________________________
Compra-se eftectivamcnte ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives._______________
Compra-se um escravo cezinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
cosirihar o
no Recife n.K'da "na da Aurora.'
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60Eua da Cadeia do Recife-N. 60
Todos os artigos abaixo mencionados, forara comprados recentemente pelo dono do estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmiogliam, Manchesler, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condicues por ser a dinheiro, por isso vende todo cupar na [rente, bota OS fundos para
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer Inteiramente liqai-1 trada ft marfi,em 0 r0 fieberibe, COtt
dar e ter de partir muito breve para a Europa. J
firiucipalmeate por querer
Ha n'este vasto armazem ricos objectos com brilhantes, como botoes, anneis,
Precisa-se alugar urna ama que siba coii-
nhar e para comprar, assim como outra que saiba
bem engommar e coser para urna casa de duas
pessoas: a trarar na rna da Imperatriz n. 34, pri-
meiro andar._______c
Consultorio medico-rirurgieo na ra larga de
Rosario n. 20.
O Dr. Joao Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua proflsso nao
s na parte medica como tambem na cirurgica.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
aes-
margem ao rio ueDerme, com com-
, e! modos para familia, estribara paracavallo
Na manhaa de 8 do frrente levaram do ar-
mazem da ra da Cadeia n. 55, um chapeo do
Chili contendo urna carta, roga-se ao autor de tal
graca o obsequio de ao menos enviar a carta ao
dito armazem, so nSo publicar-se-ha o nome visto
nao ser desconhecido.
Samuel Power Joknston k Corupanha
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundlcae de Low Moor.
[Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d i cari/o para um e dous cavallos.
Relogios de o:iro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
franceze?, como L. T. PIVER, Lubin," L. Legrand, Ed. Plnaud & Meyer,
mond lgant), Violet,Societ Hygicnique, Moopelas,Mailly, Regnier, ^-.Gueland _ggM
Rimmel e outros i ricas galantarias em marfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japac.,
ricas pecas de cristal fino como ainda nao apparecerara nesta cidade, e bem a-sim modenns I
para velas, ditos par
solos e para grande
etc.; modernos app e muitas outras pecas do mesrao metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se
nhoras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos deporcelana fina para cha e cafe,
ditos para antar, e inmensos arligosde porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras..
para gaz e para petrleo, serpeutinas, caslicaes, enfeites e adornos para cima de con-, injeDendenCa e em
nde tofllette, o que se tem feito de mais elegante em Par.s, em Londres B'rm.ngham f,SrS!!iSSi Ai
apparelhos de metal fino inglez para cha a caf, os quaes nada tem de inferior a prata, contigua com O capitdO AI
rr. *___________.^i -:-.,,.___... An u.i.riinA Hi iiltim mfiia tiara IranfJlS ufi Sfi- Prpiri
frente, muito propria para passar a fcsla e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livraria ns. 6 e 8 da pra-
Olinda na casa.
Antonio Bernardo
Ferreira.
Est para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um i' e i' andar de um sobrado
calcado dos principaes I^Mlii de fgfi*** SfcKVS IS
om figuras em movlmeuto ; modernos l!lik!^^ de Barros,cora arvoredos .'agua de beber.e portao
para becco do Pombal: quem pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 9. das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
ce ebVesTbricanres^PeyerWoTfir C.^tejoT^oder de Gavio.i & C para se tocar na ra, ditos \ %X^%%X&n*Z*iifi&
com figuras para saldes e ditos com figuras em movlmeuto ; modernos elbooUOS^fMfc^; TS^ilf'ZLSl^rf^E^
ca (mgica) para theatros ou saloes, ditos de phantasmagona ; lanlernas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite stereocopios de nova invencao e cora bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa : grande sortimento de brinquedos linos para enancas, e bonecas fallando papai,
mami : grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitacSo na Europa, graude e maguilico sortimento de caixiuhas, cestinhas e outras galn- o Sr. Marcelino Antonio Pereira queira com-
terias feitas de crina e seda proprio para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas parecer a reparticao do correio desta cidade, afim
cora o fundo prelb e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para de receber urna carta rec oramendada vinda da pro-
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrisUl, proprio vincla da Baha,
para meio de mesa delantar ou para jardim ; cutelaria liua, come talheres com cabo de metal fino, co-
meres, thesouras Unas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, cauvetes e outros artigos, diver
sos artigos feilos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, selim, edra, papelao e ra-
me doces, confeitos e chocoUte em caixinhas e em vidros; camas de ferro detodos os umanhos, lava-
torios, etc. ; ricos quadros paracarloes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias
para quera faz po-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados o brancos;
pannos para cobrir mesas, bolgas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas njS para aprender o oficio de marcineiro,
de charo para toillelte ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia parj 0 oao da MSk 0 sastent0.
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminacoes moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
que para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendein barato e muitD barato no grande ar-
mazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Aluga-se o primeiro andar de algum sobrado
na ra do Imperador ou pateo do Collegio : quem
tiver dirija-se a ra estreita do Rosario n. 28.
Precisa-se de um rapaz de 14 16 anuos, ou
um hornera de 30 a 40 aunes, que saiba 1er : a
tratar na ra da Concordia, casa n. 38._______
Na ra dasCruzes n.33 precisase de meni-
aando
DINHEIRO FRANCEZ. .
Vendem-se raoedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
at mil francos f vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, no armazem da Exposico de Londres.
as
<
O
o
ais
'as
s
Ed
< 3
Q
Para completa liquidacao vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus 4 C., Lubin, Sociedade Hygieoica, Pivor, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia era
vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em gariafinhas e
vidros de differenles modelos, pos para limpar denles, banha en potes e era vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumarlas para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos era geral existentes no grande armazem da Exposijao
e Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Ainda contina por alugar o soto do so-
brado n. 62 da ra da Gula, que equivale a um
terceiro andar por ter 2 jane I las de frente, 2 salas,
6 quartos e urna grande cosinha, o qual acha-so
pintado de novo, e aluga-se barato: a tratar no
primeiro andar com o seu proprletario o bacharel
Francisco Luiz Correia de Andrade.__________
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Ritajnaruada_Auror;36:_____________
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pouca fami-
lia : a tratar na praca do Corpo Santo n. 17, ter-
ceiro andar._________________ ______
SOCIDE DRAMATICV THALIA PER-
NAMBUCANA.
De ordem do conselho administrativo desta so-
ciedade, scientifico a todos os Srs. socios, que no
| da 15 do correle ter lugar o espectculo de inau-
gurarn desta sociedade.
Secretaria da sociedade dramtica Thalia Per-
aambucana, 2 de abril de 1865.
T. B Lins de Barres,
! secretario.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de seobora, o que se tem feito de mais
gante at o presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da
posicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes lavas de pellica recentemente chegadas de Paris, Unto para hornera co
rao parasenhora por menos de seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Lon
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
AZEITE DOCE
Vzete doce refinado em pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4?, 45500 e '>& ; no grande armazem da Liga.
Toado o Sr. Joao Baptisla da Silva Penna viu-
do da cidade de Olinda, desembarcado no dia 8 do
correlo S horas da urde no porto das canoas,
entregara um Jbii a um preto ja velho e de esta-
tura baia, para conduzir at a ra de Santa Rita
n. 47, em casa 4o Sr. Vicente Alves Machado, e
tendo o meamo sensor aeompaohado o dito preto
al perto do mercado, e como elle camlnhasse um
pouco de vagar, e Sr. ioo adiantou-se mais algn-
ma eoosa; o preto, qur azesse por dolo, qur por
engao, tomou entra direceo, (crelo que pelo bec-
co do mercado) : por isso pode-se a quera quer
_, que teaha sabido alguma cousa a respeilo, ou mes-
me do dito preto, que (enea a fcondade de o entre-
gar a sea dono, que ser bem recompensado.
' A pessoa que liver as habilitadles necessa-
rUs para ensinar as primera* letras, e quizer ca-
carregar-se do eusino de dous meninos era um en-
genho, e qo seja solteiro; dirija-se ao largo do
Paraizo n. 26. j
Joaqaim Antonio Pereira retirndose par
ra do Imperio, delxa por seas procuradores, era
primeiro lugar o seu sobrinho Manoel Joaquira Pe-
reira, em segundo logar Jos CaeU.no de Carvalho
e Jos Joaqaim de Paria Machado, em terceiro An.
. JOBiO Qoocajves de Mora.es,
1 O abaixo assignado participa ao Ilim. Sr.
Dr. chele de polica e mais autoridades da provin-
cia, que os Srs. Francisco da Silva, Pedro Brrelo
(Gongo), Evaristo Salgado e Panl Magno Soares,
governador de Sabar, feram derailtidos, e agora
se apresentam fazende guerra ao geverno legal da
naco, indo desta maneira de encontr as erdens do
Illm. Sr. Dr. cfaefe de polidta e deixando de compa-
recer, apezar de terem sido por vezes chamados,
desobedecendo s ordena do governo legalmenle
constituido. O'abaixo assignado declara a toda
a nacao, que no domingo de paseboa ella se deve
achar toda reunida na caes da Ponte-velna. No en-
treunto consu j ao abaixo assignado que os
mesmoc demittidos tem llndido algans delles, para
que nao comparecara; Unto assim que as cartas
que o governo Um dirigido, tem sido algnmas re-
culadas; por tanto o abaixo assignado ropa ao
lllm. Sr. Dr. ebefe de polica e mais autoridades,
que nao consinUm sesso alguma em qualquer
parte que seja. seno as que forem feitas pelo go-
verno legal.
Recife, 10 de abril de 1863.
Antonio de Oltvetra Gaimares,
__________hefe da confederaco africana.
-r- Deseonum-se notas do banco do Brasileras'
Htia? 52C5! M praca da lodepend^ncja fl.- f>, t
Ama.
Precisa-se de urna ama para comprar e casi
nhar para urna pessea : no becco das Barreiras
numero 3.______________________^_
Achando-se na escada do sobrado n. 26 do
largo do Paraizo, era que mor* o abaixo assigna-
do, urna menor, parda clara em desamparo ; de
clarc-u ella chamar-se Mara, natural da comarca
de Santo Anto, de idade de 12 annos, e que sua
mi chmase Hara da Conceico, parda? viuva,
moradora no Afogados; e que sua ave de nome An-
glica entregara nesu cidade a ama Sra. D. Umbe-
lina, a qual tem duas Sitias casadas, afim de ser
educada, e que nao sabia em que ra ella mora, e
por causa dos mos tratos que soffria, empregau-
do-a em compras na roa, sahira de casa : quem ti-
ver direilp a diu menor appareca no [sobrado aci
ma indicado.
Flix Francisco de Souza Magalbes.
O commendador Tbemaz de Aquino Fon
seca e seas Minos muito agradecen) a todos
os seus amigos que assistiram e acempanha-
ram ao cemiterio publico o enterro de sea
finado e presado filho e Irmao Thoraaz de
Aquino Fonseca Junic-r, e roga ainda aos
seus amigos o caridoso obsequio de compa-
recern na igreja matriz da Boa Vista, no
dia terca-fera 11 do corrente as 7 horas da
manhaa, afim de ass>tirem ao memento e
mlssa que mandara celebrar pelo descanco
eterno da alma de mesrao finado.
Casa vasta.
Aluga-se urna pequea casa terrea a ra
do Nascente n. 14: a tratar na ra do Quei-
mado n. 32. loja.
Precisa-se de uraa ama que cozinhe, para
casa de pouca familia : na rus doQueimado n. 17,
segundo andar.
O abaixo assignado pede ao Sr. Filippe San-
tiago Vieira da Cunta, sonhor do engenho Maca-
co na frtgaezia de Ipojura, que responda a carta
que Ihe foi dirigida em 21 de fevereiro prximo
passado, alias ty.Tror as consequencias do sen
procedimento.
Maooel BkB!?rlp do Reg Barros,
Cornprs-se cobre, bronze e ferro cuado ve
lho: na fundlco da Aurora, em Santo Amaro.
Cobre, tatu e chumbo.
Comprare cobre, lato e chumbo : no ar-
mazem da bola amarella no oito da secretaria de
polica.______________________________
Compra-se ouro e prata em obras velhas
pa-ga-se bem : na loja de bilhete da praca da In-
dependencia n. 22._____________ .
Compram-se libras esterlinas e moedas de
ouro de 205 e 165 : o armazem de Augusto C.
de Abreu, roa da Cadeia n. 37J______________
Compra-se
da Cruz.
um prelo : no armezem n. 6, ra
Compra-se ou aluga-se um
que saiba cozinhar : a tratar na
mero 135.
negro ou negra,
ra do Pilar nu-
Compra-se urna escrava de 9 a 10 annos de
idade, por preco commodo : na ra das Cruzes n.
41 A, porta larga.
Oarta cfcorographica
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta venda, as tojas abaixo men-
cionad s, a caru cborographica do theatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavel
nao s pela lacuna que veto preencher, como pelo
esmero do trabalho lyihographieo.
Vende-se pela mdica qoantia de 2000 as lina-
rias dos Srs. Nogueirj, roa do Crespo; e do Sr
Cardo Ayres, na daCadeUdo Recife, assim como
as tojas da Exposico de Londres e na lythogra-
phia do Sr. Carlos, alnesma ra n. 52, e na loia
doSr. Carduzo de ^melda, ra da Cruz. m
Vende-se a casa terrea n. 35 da ra do Pa"-
dre Floriano : a Iratar ni roa do Imperador n 69
primeiro andar._______ '
Ski Mariaao.
Ainda est venda na roa do Imperador n. 13
defronte de S. Francisco, a rica edigao do mez Ma-
riano, ornada com estampas e vinheus, e encader-
nada, por 15 e 15500 cada livro.
Vendem-se casaes de pombos e borrachos de
boa raca, por baratissimo preco : na ra larga do
Rosario, casa n. 26, terceiro andar.
Irritado dospulmoes. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, ciupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que aiTec-
lo aos orgos da respiraco
DE8APPARECEH
mediante a acc5o da balsmica e irresistivel
Camas de ferro.
Vendem-se dnas lindas camas de ferro para 2
pessoas sendo ama de ferro batido com duas fa-
ces com lindas molduras e armaco moderna, e
outra diu de ferro fundido tambem com dnas fa-
ces e lindas molduras e cpula, per precos bara-
tos : njij^_daJmperatnz_126Jo^__________
Na ra da Cruz n. 38, em casa de Mills Rat-
leau & C, vende-se :
Cha.
Oleo de linhaca.
Folhas deFlandre.
Silins e silhdes inglezes.
Cerveja Aspioall.
Diu Bass.
Dita John Jeffres & C.
Um piano com pouco uso.
AttenQio
A loja de trastes na roa do Imperador n. 47 est
liquidando por seu dono ter de fazer ama viagem
a traUr de sua sade, e por isso tem resolvido
acabar vendendo os trastes, e todos os mais per-
tences do esUbelecimento de marcraeriaj quera
pretender e quizer aproveitar-se da occasiao, dir
YENDAS.
ATTENCAO.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
- los de nossa typographia o
Vende-se um mulalinho de 10 a 14 annos boni-
ta figura sem achaques algum, proprio para todo
e qualquer servico : a tratar na roa das Cinco
Puntas n. 29, primeiro andar.
Calungas Unos e brinque Ion
para meninos.
:a-se raesmi loja, que se faz negocio por menos i_lft_ftT1. A Jmniot-Tvn Chegaram para a loja de miudezas da ra do
de seus valores: assim come de urna morada de AlmanaK AdminiSTl'atUO e Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
&t&Xttttt&*\mBn^ e Industrial i^>tt'ttVgStt'Vk
n.,^, caciraba, e guinU. murado com porfao. ^fo^ CorreCtO at 31
timento de miudezis.
A reunio familiar do Club Coramercial no. \a \ arrart\\iVf\ A VATtflA o A a
rrenle mez, ter logar na noite do dia 1S. 1 U UeZCUlUr, VJ1W8 d
criado forro ou escravo: j 1; na Icaria nS. 6 60
e de Dos a. 36, primeiro tf
_____da praca da Independencia.
Guararapes em Fra de Portas n. 26.
Precisa-sede um
a tratar na ra da Madre
andar, das 9 as 2 hars da larde.
M d. m. I^Umm. m, i InstruccSes para o servico
para comprar e cozinhar : na ra do Queimado: das guardas do exercito, exlranidas do re-
n. 40, loja._______________________________' gulamento de infantaria e accommodadas ao
Precisa-se aiug->r uma preta escrava para o exercito brasileiro; obra que muito convm
servico interno de familia, traur de criancas, en- aquellas pessoas que se alistam nos cornos
S^^^^feS2*S: na raa dos de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a 10.
Attengo.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
umadazia : em casa de Johnston Pater & C. rna
do Vigario n. 3.__________________________
Tgastello de grasville
i Tradazidojdo francez per A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 26500
ua pra?a da Independencia. livraria ns.
6 e8._____________________________
Carallo para sella.
Vende-se por 2005 um cavallo russo pedrez,
boa figura e muito novo, anda bem baixo, meio e
esquipa : na cocheira do Paulino a ra de Santo
Amaro.
. Aos scnlioies yendelhes.
No armazem de Manoel de Souza Carvalho Pim-
po, largo a Assemblca n. 1, vende-se sardinhas
ranito novas a 8000 o milheiro._____________
LUVAS DE PELLICA.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,
rtcebeu luvas de pellica muito frescas, pretas,
brancas e de cores, unto para homem como para
i senhura, das mais novas e melhor qualidade que
tem chegado, muito proprias para os actos da se-
i mana santa.
ENFEITES DE BOM GOSTO.
Tambem recebeu enleites de differentes qualida-
des e gostos, muito bonitos para cabeca, os quaes
se vendem baratos : quem quizer usar do bom
gosto e do modernismo, mande comprar na loja da
Aurora da ra larga do Rosario n. 38, pois !a en
1G.s" o milheiro
de ceblas grandes em resleas : na ra do Impe-
rador n 28.
Cempanhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM FEnNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cru: n. 1.
Na praca da Independencia loja de ourives n.
33, compram-se obras de ouro e praU c pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda e todo e qualquer concert._________
A fogados
Jos Boarqae Lisboa avisa ao publico que pela
semana santa, quarla, quinta e sexU-feira, vende-
r em sea viveiro as boas curimas, camurins e
carapebas, e ontras rauitas qualidades de peixe.
mmmm wmmMmmmmm
O bacharel
Francisco Augusto da Costa M
A0V6GAD0
Ra do Imperador numero 69. m
Francisco Jos Germano
RA NOVA \. I.
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Alnga-se o segundo andar da casa n. 33 da
ra da matriz, o qual tem commodos para grande
familia : a tratar cum o Sr. Antonio Joaquim Fer-
reira Porto, ou com Miguel Joaqaim da Costa, na
ra da Cadeia n. 12.
- Aluga-se o sitio que foi do Sr. Sebastio Pen- contrario ludo qnanto diz cima.
na, na Capunga Velha/com boa casa, cocheira, es-
tribara, quarto para preto, tanque para banho, la-
trina e muitas fructeiras
perador n. 46\_______
a tratar na rna do fm-
Precisa sede uma ama de leite
Cruzes n. 41 A, porta larga. _____
na roa das
Vende-se un- terreno na Capunga com 40
palmos de frente e 280 de fundo, plantado de la-
rangeiras novas, tendo cacimba e dnas frentes,
uma para a estrada do Lacerda, e outra para um
becco: a tratar na Capunga, venda dos Quatro
Cantos n. 35, de Jos de Almeida Ferreira.
Aluga-se o segundo andar da ra estreita d0
Rosario n. 22 : a fallar na Camba do Carmo n. g.
Precisa-se alugar nm preto que entenda de
cozmha : na ra dos Pescadores n. 1 padaria.
Precisa-se de um caixeiro para loja de calcadoi
na roa do Livramento n. 7 loja. ______^,
_ ms3-sa&
ao da Silva Ramos, medico pela Un-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manba, e
das 4 s 6 da Urde. VisiU os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
que o procuraren! no hospiul Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Ttm sua casa de sade regularmente
mouda para receber qualquer doente,
ainda mesrao os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Prime ira elasse 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira diu.... 25000
Este estabelecimento j bem aeredi-
Udo pelos bons servicos que tem pres-
toda" ...
O propnetano espera que elle conti-
nu a merecer a conianca de que sem-
pre tem gozado.
Na padaria da ra Direita o. 24, lem para
j ender moedas de ouro portuguezas de 15, o ba-
tatos para o servico de padaria.
Ceblas a 800 rs
. o cento : na raa larga do Rosario n. 50, esquina
para a ra estreila do Rosario.
I
VENDEM SE
caiies vasios proprios para bahulci-
ros e fnnileiros a 1,760 rs.; a tratar
nesta oflirioa,_____________________
. Vinho do Porto superior em caiza de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no sen escriptorio ra da Cruz n. 1:
Vende-se um escrava prelo criooto de idade
de 20 annos pouco mais ou menos proprio para o
servico de campo : na ra do Apollo n. 19, pri-
meiro andar.
!
nuil mumtf
Procuradoria:
MO solicitador Burgos Ponee de Len, |
Um sea escriptorio no sobrado do caes H
do Ramos, aonde antigamente foi a ty"- J[
pographia do Roma e collegio da Anro- m
ra, ah esi elle at as 9 horas da ma- I
nba e das 4 horas da Urde em diante,
sendo que das 9 as 4 horas, pode ser en-
contrado as salas das audiencias.
Mlllllilll
Em casa de Tissel Freres roa do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Burdeanxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito do Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Fazendas avariadas.
Na loja da roa da Madre de Dos n. 16, de fron-
te da guarda da alfandega, liquidam-se al o Om
'. da presente semana as seguintes fazendas avaria-
: das : algodo iocrpado com 20 jardas, dito muito
; largo e superior da marca T com 21 jardas, chitas
; trance zas finas escuras, paletols do brim avaria-
dos a 15200, e derxam-se de mencionar os precos
afim de nao por em raoviraento as ideas de quem
' quer que seja, assim como tambem ha madapoldes
; limpos e superiores a 75, 8 e 95, este elephan-
te; das chitas dose amostras com penhor.
Vendem se palraeiras imperlaes para orna-
mento e embellesamento de sitios,portes, etc.; na
estrada dos AfOicio?, primeiro sitio aesquerda.
~~ Vende-se orea negra moca com uma cria de
i 4 anus muito bonita e esperta : na ra do Im-
perador d. 45, tercoro andar.
1H
Leja de miodezas.
i6Ra do Qneimado16
Haria Pa
Mara Pia
Mara Pa.
Acabam de chegar pelo paquete inglez os mais
lindos e modernos enfeites de cabeca a Mara Pia :
ninguem tem fazenda de tanto gosio, sendo seus
precos 25, 25503, 45, 55, 65, 85 e 105-
\ ollas e pulseiras.
Lindissimas voltase pulseirasde aljofares brancos,
azues e cor do rosa a 600, 15, 15500,25, 35, 45
55 cada pega.
Brincos balo.
Bonitos brincos a bailo, pretos, brancos, azues,
cor de lirio, a 6i0 rs. o par.
Dilos ditos de coral a 15 dem.
Ditos ditos de'cristal a 15500 ideen.
Sinlos pretos.
Riquiasiraos sinto- pretos de seda, gorguro e
veludo a 35, 45 e 55-
Fivellas de pedrinhas e de aro.
Bonius Ovellas de pedrinhas a 15200, 5500,
25o35.
Ditas ditas de ac a 15500, 25, 35 e 45.
Fitas de gorguro para ditos 25.
Cascarrilhas
de seda, pretas e de cores, de differentes largaras
a 800, 1*280 e 1,3600 a peca.
Pecas de ditas, de la, preUs e de cores a 15.
Pecas de ditas de la escura a 15500.
FiUs.
Pecas de Gtas preUs de velludo a 500, 640, 800,
35300 e 45-
Varas de ditas de sarja lisa a 320, 400, 500, 15
e 15280.
Varas de ditas de sarja lavradas a 800, 15280 e
15600.
Varas de ditas de gorguro para sinto?, 3 dedos
de largura a 2;.
Micos pretes.
Varas de bicos pretos de seda a 120, 200, 300
400 e O rs.
Varas de bicos pretos de llnbo a 80, 100, 20,
160 e 200 rs.
Luvas de Jqivhi
muito frescas, sendo pretas, brancas, cor de cana
e de todas as cores para homens e senhoras a___
255OO.
Ditas pretas seccas a 320.
Ditas de seda pretas para homens e para senho-
ras a 15,15500 e 25.
Ditas de seda para senhora a 320 rs.
Grvalas pretas a 00 rs.
Aibuu
Para 12 retratos a 15280 e 15600 rs.
Ditos para 20 ditos a 15800 e 25
Ditos para 100 ditos a 59,155 e 20-j.
Ditos de velludo para 50 ditos a 55-
Ditos ditas para 100 ditos a 75.
,' Objecles varios.
Alfinetes de pedrinhas para pello a 15280 rs.
Mallas de viagem a 59.
Despensa veis de velludo a 12$ __ -
Ditos de marrequim a 10.
Caixas com 12 frascos de cheiro a 10200 rs.
Dilas com 6 ditos de dito a 900 rs.
Frascos de sndalo a 13 e 15280 rs.
Sabonetes de bola a 310 rs.
Escovas de denles a 160, 240 e 320 rs.
Varas de fita de lia preu e de todas as cores-
para debrum a 100 rs.
Pecas com 20 varas de diu a 15500 .______
Polvo.
Na raa da Cruz n. 36, defronte do becco da
LingoeU, se vende polvo recentemente chegado
do Porto, ao preco de 160 rs. a libra._______
Ainda est para ser vendido o sitio da tra-
vessa do Remedio, na freguezia dos Argados n.
21 : quera, pretender dirija-se a seu propreuno
na r* de S. Francisco, sobrado n. 10, que se faz
lodo o negocio.



Diario de Peroaiubuc Terca I eir lt Je Abril de !&.
NOVO GERENTE
Atenco
DO
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
ili QN>IIM 1D1 B3 IDXAll B'J'
AO
RESrElT.lVEL PL'BT.IC'O.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido rua Nova n. 60 um magnifico sortimento---de molhados,
ijue sendo em sua mxima parte mandados vir directamente da estrangeiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o suras :
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranza de que n. 17,
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
Anlo'nio Duarle Carneiro Vianna scientifica ao
respeitavel pulilieo, e especialmente aos seus nu-
merosos freguezes, que acaba de abrir um novo
estabelecimento na casa n. 22 da ra Nova, sima-
da entre o sen amigo armazem de ferragens e a sua
j bem conhecida e popular loja da expongo de cac-
, dieiros gaz, existindo entre as tres casas espa-
ciosas communicacoes, de maneira f|uefacihtam aos
! compradores mnnircm-se coirimodamenle dos ob-
jectos diversos de que precisarem. Alera do cos-
tumado e variado sorliraento, que o respeitavel pu-
, blico sempre encontrn, e continua a encontrar nos
seusestabelecimenlos, achara no que acaba de fran-
' quear urna multido de objectos de luxo, gosto e
utilidade, das mais afamadas fabricas de Franca,
I Inglaterra e Allemanha, para as qnaes continuar
sempre a fazer encommendas especiaes ; e sendo,
como fastidioso numerar os muilo e variados
arligos de cutellaria, lapecaria, cristalaria, de me-
taes finos, de porcellanas, etc., etc., deixa de o fa-
zer, e convida ao mesmo pnblico, que veoha visi-
ar os seos mencionados estabelecimenlos.
Ha para vender
Pin lio, pinhe, mais pinho, milito piaho,
pinho, rea da Praia. hje, ra Nova
de Santa Rita n. 17.
78910 eli pollegedas de largura
De 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e com todas as gros-
cheguem ra Nova de Santa Rita
serrara de Jos F. Coelho.
O
-:
o
a
O

DE
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
Atten$io.
Loureiro Santos & C, acabam de receber da Eu-
ropa pelo vapor, um lindo sortimento de enfeites
pretos, proprios para a quaresma, enfeites anda
nao vistos em Pernambuco, pele preco de 5, 69,
10, 12) e 209, bem como grosdenaples preto, mo-
reantiq, capas de grosdenaples, e sootbambarqaes
As pessoas que por sua posicJo social gozara de certo tratamento, acuario nesta a'Ti\Xm \^k$e*'' '
casa os melhores queijos londrinos, cerreja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio inleresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que cortamente moito deve agradar aos senhore-T
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar todos. ;
AZEVEDO FLORES
Ra da frdeia do Recifc, esquina da Mndre de Dos,
Prestem atten#io ao discurso do Balito.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
ALPISTE E PAINQO a 120 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELAES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
n
MANTEIGA ingleza efranceza
800 rs.
MACARRA0 a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 630 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
Os ekmentos que compoem esta preparado, o
ferro, o iode e a quina, a collocSo no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestar
j seus resultados oblidos pelos Mdicos dos hospi-
! lacs, e os rclatorios dos prcticos mais eminentes,
que confirraro sua poderosa eflicacidade as
de 600 e seguintes afecees:
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada al MARRASQUINO de Zara.
B
BANHA de porco a 660 rs. a libra, em por-
Co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINIIAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISC01TOS ng'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
CHOURICAS mnto novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, habannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
D
DOCES de todas as qualidades.
B
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas,
F
FARINHA de raruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.

GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
CHAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEB1U delaranja a 9 e 10,500rs.
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 es. a libra.
PASSAS muito novas a 3O rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
a.
QUEUO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
0
SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINIIO verde a 4$ rs. a caada.
VINHO Rordeux em caixa a 6.C00, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do l'orto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de divesas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
Cn val mcr n r a a> lan-
ga* niolesilaa.
Molciillaa cncrafula-
ai.
Pupclra.
(ilKirucr <* clan-
dulas.
Humorea fros.
llumnrc hrnnro
Itachltlnmo.
Affeccea caneeroaai
e sypullltlcaa.
i Febrca typholdea.
I Varales, etc., etc.
CENEBRA de Hollando garrafas, etc.. etc. arroba.
2fo armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Kua do Queimado b. 19.
Veade-se o seguate:
Lences de panno de linho
pelo baratissimopreco de 2J400.
Leudes de bramante de linho
de ums paunoa 35500.
Coberta de chita da India
pelo baralissimo preco de 24500.
Leagas decambraia brancos
proprios para algibeira, a i> a dazia.
Pecas de bretanha de rolo cora 10 varas
propria para saia, a 3J800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 li varas a 2,56c 0.
Guardanapos
\ de linho finos duna 35500.
Algodao enfestado
com 7 \.\1 paitaos de largura vara IJ200.
Cortes de lia
com 15 covados a 65.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado peca lia).
Fil (de linho
Uso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodao
com 8 palmos de largora vara 25200.
Atoalbado adamascado de linho
com 8 palmos de largara vara 75200.
Lazinhas carmezim mindinhas
prepria para vestido de menina, covado 600 rs.
Laaziahas
de cores finas covado 560 rs.
. Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, tnoreaatique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
largara, por menos pre?o do que em outra qutl.
quer parte.
. Neste armazem de azendas se encontrar ,om
grande sortimento dejroupa feita e por medida
Trelo
de Lisboa.
Vendem-se saceos com 90 libras de (arelo, pele
barato prego de 45500 -. na roa da Madre de Dos
numere 9,
E1M1M:
da 11 a va na. '
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de Ha-
vana de diversas qualidades.
Qcroscitcooi srv< o o o
2 B 1 S. CJ.O.{ OO-^^m
8l'I?*88lffSS.
Mlngoa no saogne.
Fraqnrra.
Anemia.
Chlorase ou Ictericia.
Menstruo.
Affrcriii-B do tero.
Suppresscs das re-
tiras e dcHordes na
uenstruarao.
Affeceao pulmonar e
phthlsle.
Molestias d'cstdmas;o.
Gastralgias.
rerda d'appetlte, etc.
Veja se es bulletins de therapeutica medica
t cirurgka de 30 de novembre 4860; a Gazeta
dos hospilaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
Alcm das pilulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Itebillon, os Mdicos aconseMo
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
tarro e de quinina do mesmo author para as
. pessoas que nao gostSo de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tara
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nSo poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em asa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evitarem falsificacSes, extja o com-
prador era cada frasco de Pilulas ou Xarope a ae- <
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacii Reblon,
4 42, roe du Bac, e em todas as boas pharmaeiai
de Franca' a dos pases estrangeiros, etc.
GRANULOS
Lx>E BISMUTHl
DE CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacoes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para preveair
curar as
Marraran chronlcas. Ms dlgestes.
Dyssenterlas. Gastrites.
Dores d'csUmago. Galtralglaa, etc.
Dispepsias.
Os primeiros symptomas d'essas formidavis
affecedes se manifesto ordinariamente por diges-
toes laboriosas, atidumet, falta d'appelite, pesos
d'estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacaes, e, muitas veies, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se O descuidlo, tras ine-
vitavelmente, que seja:
Molestias de ligado.
A Ictericia.
Palpltaen* de eoraena
DAres nos rlns.
Moreantique superior a 2500 o covado.
Grosdenaple de 1 600, 1^1800, 25 o 3A.
Baloes de 20, 2 e 30 arcos a U c J$SQ0.
dem para meninas de arcos e de morselina.
Chales pretos de fil do ultimo gosto.
La preta para luto e de todas as cas cores.
dem com assento preto e cor de caf, llores matizadas, fazenJa inteiramente
nova vista se far o preco.
Vestidos a Mara Pa. os mais novos a 18^000.
Chitas largas de 300 rs. o covado a 500.
Lenc< s brancos a 2#500, jdem de esguiao j embanhados.
Madapoloes francezes proprios para saias e camisas de senhoras a 560 rs. a vara.
dem muito finos de 140 a 16$ a peca.
Cambraias brancas muito finas a l> a peca.
Chales escures proprios para as senhoras trazerem por casa 4 o.
Meias cruas inglezas a 8$ a duzia.
ROHM FEITA.
Paletos de alpaka brancos muito finos a 45O0 e ><>.
dem de casemira de cores de 10$, 11$ e 12$.
Calcas de casemira pretas e de cores de 7$, 8, 10> e 12$.
dem de brim branco de i&, 'i 5500 e 5$.
Golletes de casemira pretos e de cores de 4& 5$ c f f>.
dem hranCos de brim e frutas de 25, 2oOO e 3(5.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o preco,
dem peitos de linho, e de algodao de 25 a o.
Seroulas de linho com duas costuras.
dem de esguio de algodo a 15600.
Colleirinhos de linho inglezes.
dem de papel de cores.
Camisas de flanell > de cores de 33 a G>.
H i muitas outras fazendas que sevendem por precos muilo baratos, dao-se
amostras com penhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do

SALSA PARRILK DE AYER.
Tuanscrevemos aqui alguns
dos muitos attcslados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
RheiiiuaiL.sstio.
DE JOO .'OS DOS SANTOS.
_ O. en t 3,
O 5
2 o 9 ; -i
5 E.'^-w ?i
2; o srQ.=r>c?

S.B
2
I*a t?' s
TjffS
sflS
0*0 p
aTBs. *
22 3.
Oppressoes.
Dores de rabera.
Irritaeoes de besiga e
da raatrli, etc.
Os granulos Chevrier s5o ordenados pelas
sommidades medicacs para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sio tomadas a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos
estrangeiros.
GRAGEAS de CUBEBINA
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurio preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 25400, 25600, 35, 35500, 45, 55, 65,
75 e 85,o covado.
Superior gorguro de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 25 o covado.
dem idem lavrada muilo superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 15500,15800, 25,25500, 35,
35500, 45, 45500 c 55.
Pannos pretos de superior qualidade de 35 a 125 o covado.
Casemira preta Je 15600 a 55 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidde na leja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
MARA PA
Mara Pa
liria Pia
Acaba de ebegar pelo ultimo vapor ingles nm
esplendido sortimento de enfeites de cabeca a Ha-
ra Pia, os qnaes pela sua elegancia e bom gosto
de cada qual o mais bonito nada deixam a desejar
sendo pretos, rxo?, cor de bonina e arulzinho
sens preces a 3*500,3#, 4, 6*, 8* e 10* : na
loja do novo rival roa do Qaeimado B. 16,
"mm
Estes confeitos que tem por base o prin
cipio activo da vrimeira cubeba juuto com
a cupahyba pura, nao nausen o estomaga.
Elle fazem parar immediatamente asmis
rebeldes gondrrhas, mesmo as que res'Sti-
ram a cubeba o a cupahyba isoladamente.
Deposito geral em Pernambace roa da
Cruz d.22 em asa de Caros & Barboxa
No escriptori de Palmeira & Beltrio, largo
do Corpo Santo n. 4, vende-se o seguinte :
Farello de Lisboa em saceos grandes.
Toros d Jacaranda.
Conservas inglezas em frascos modernos.
Vinho do Porto fino em Larris.
Smente em latas de 1 libra muito superior.
Chocolate especial maranhense.
Farinha de mandioca da Baha muito nova em
saceos de i alqueires muito bem 'medidos.
Varmouth em caixas de 1 duzia.
Urna familia que se retira vende urna mobilia
de amarello j usada, treni de cosinba, iouca de
almoco c jamar azal, urna me?a de jantar de ama-
rello ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama decaale muites ontr-s objectos o que tndo
se vencer em conia f*hi ra dos Fires n. 62.
Vndese tres carrosas para boi, duas ditas
para cavallo, dous carros para conduccio de ge-
neres de estiva ou outro qualquer miste-, tudo em
bom estado, e por preco commodo, por sea don-
querer acabar com esse negocio ; a tratar pa ra
do Sebo p. 34, taberna.
trabalhar n: <>
escarolar algodo
FABBICADAS
Por Plant Brothers & C.
OIDAM
Estas machina
podem descarocar
J; qualquer especie
de algodao sem
estragar o fis.
sendo bastante
doaspessoaspara
o trabalho; pdt
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earoco
em 40 minutos,
on 18 arrobas
por da ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Asstm como machinas para serem movidas
animaes, que descarocam 18 arrobas de alg<
liropo, yor dia; e motores para mover urna, duas,
euirss dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis tiestas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e esamina-lo, uo arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saaaders Brolhcrs& C.
N. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Dias hamburgne/as.
Vende-sena ra Nova n. 61. __________
Attengo.
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2o li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendnrar, arreios para l e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos: no armazem da rna do
Trapiche n. 8. *
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contnbue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a torca, a belleza e a conservarlo dos cabel-
los.
Em Pars casa de Ouilaur n. 112 roa de Rechi-
nen e 21 bouievard Montmarlre.
Todos os frascos nao tendo Intacto e clare, e un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito roa do Imperador pharmacia n. 38.
Soda caustica.
N. O. Bieber A C. successores, vendem soda
caustica em barris de ferro : rna da Cruz n. 4.
Presos que admira.
Sapaios de tranca superiores pelo barato preco
de 1* o par, e andiz 10* : no vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as larguras, peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em carto de urna e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
carlao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentcs para atar cabello, aduza a 1*300,1*600,
2*,3*,4*eo*.
Balaios propiamente para costura e para fruc-
tas.epara menina trazer no braco a 1*500,1*600,
1*800, 2* e 2*500.
Perfumara, macaca perola a 2*, 2*200, 3* e
4* a duzia, oleo de maozinha a 5* e 6* a duzia,
banha a 3*, 4* e 5* a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis precos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avana e a boa qoa-
idade: s no galo vigilante, rna do Crespo n. 7.
ra
Vende-se urna mulata cozinheira e lavadei
: na ra Nova de Sania Rita, casa n. S.
DROGARA.
; I Hua' larga do Rosario34
Barlholomeu Francisco dcSooza i G.
Vendem:
Acido actico puro pira retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
C.uarnicoesavelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvatadeVoneza, fino, em paes.
AGUA
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natura I dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao orna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agaa dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido. *
De urna salubridade incontestave), a agua de
Florida entretcm a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e mpede os cabellos de cahir-
Ottro Preto.
t Sofl'ri rheuinaiism por mu-
tas vezes, e vendo annusciade
em um jornal desta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
Solvi-me a comprar um frasco e fazei uso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos; a parte do corpo que ts-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noiles de somno.
Erupedes, borbulhas pastillas,
ii I ceras, e todas as molestias
da pelle.
DO Sr\. JOO PAULA DE ABREU K SOl'ZA.
Ra-de S. Pedro.Rio de Janeiro.
* Solfria mais de dous annos de una
erupco syphilitica em todo o corpo, mos
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e cnsultei
muitos mdicos, c cstava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilfia
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupro aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco tt-
nha o mal dcsapparecido completamente (le
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, pboi i s~
sor de medicina v cirurjia, subdelega ii
em ambas as facultades del sesto as-
TRICTO.Habana.
Certifico que he usado la zarza pan ti-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidades
que exsigeu el use de los porgantes, y no
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr.ios V. Herrera.
Escrophula.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO PERRAS
DOS SANTOS. uro Pjelo.
Me acho ha quasi dous annos afectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a des nimar
da vida e maldizer da minba infeliz sorle;
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-
dad de minba molestia, eslava bnm spe-
ranfas de recobrar a minba saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da salsa par~
rilha do Dr. Ayer. Complelan-se boje
trinta e sete dias que comecei com c=te
santo remedio, e tantas mellui-as tenue
sentido que tenho conviccSo de em breve
recobrar a minba saude, perdida ha lantt
lempo.
fyphills e molestias mcr< uries.
Do Illm. Sr. Dr. Jacksoi'.
Medico muilo conhecido as provincia; de
su! do Brasil.
t Tenho receitado a Salsa parrilha >!c
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizesresultados; o mclhov alie:an-
te que confiero.
Lcncorrha e flores bramas.
Temos cartas em que.nos contam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esla Sfl/af par-
rilha.
O espaco nao nos permute htoiscrever
todos os atlestados que possuimos Jas vir-
tudes d*este extracto composlo ce Salsc
parrilha do Dr. Ayer. Hasta decarai ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela profiss3o med ,a tanto
das Americas como da Europa, se\n nunce
desmentir a sua alta rcpulafao.
Para a cura radical de escrfulas e iffecces
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, ferdas, chagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sange,
TOMEM A
SALSA PARRILHA DE AYER.
A' venda na ra Direita, ns. 12 26 c 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuicao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na pbarmaela franceza de
P.MAURER.& C.
___________RA NOVA N. 18.
Colare loyer
on colares anodines elctricos centra as cctiubcrs
das eriiiicas.
O bom e provetoso resallado que as rriar(as
obtem na deotican. tiazendo deftes colare?, ja
bem conhecido, e por isso e tornam hoje intis-
pensaveis porque assim leeni os rais Incontsia-
velmentc prevenido e mal: esees colares vendem-
se tambem narua do Qoeimado, loja d'agua bran-
ca d. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Conlinua-se n vender em porcao e a retalho :
na rna do Queimado, loja d'agua branca n. 6.
Bonitas trancas, franjas
e gales aretes para vessides,
A aguia branca recebeu novamente om t ello
sortimento de enfeites pretos pars vestidos, sendo
bonitas trancas, franjas, galSes e Lieos prelos. etc.,
assim como bordes enfeitados de vidrilhos, e ou-
tros mn i tos enrules de differentes ccres, centi-
Duandoa apuia branca na rna do Queimado in. 8
a vender tudo isso por precos corr modos.
Bonitas caixinhas
com msica e sem ella para costura, f eutras
igualmente lindas rom perfumaras finas.
A aguia branca na roa do Queimado n. 8 araba
de receber um bom sortimento de raixinhas |ara
costura, e outras com nerfnmaria3 finas, e conti-
na a vende-las baratamente.
CEBOLAF
No armazem da viovr Panla Lopes, defroi.ie do
embarque na escadinha, vendem-se retol.s as me-
lhores do mercado, em caixa e cento, o mais I*-
ralo possivel.______________________* _
Vndese a casa terrea da ra dos Gnarar--
pes em Fra de Portas n. 67 : a tratar na lega da
ra do Crespo n. 25 A.


-
e
marta de PeraaMlhrc* Terea felra II de Ahrll de 18&
.
TORIO BHMWMGO
NEM CORO AS NEM MITRAS
AURORA BRILHAWTE

DO
GB4NDES ARShZENS
DE
MOLHADOS!
m Largo da SantaW VIH1 AD Largo daSant
$Cruz n. 84, es-gg f lllIlUil Cruz n. 84, es-!
quina da ra doas Sqona da raa
I ESPECIARS |sebo.
Sebo.
Oja O nova preprietano do ja maito acreditado armazem de molbados denominado u-
frora l)ruante, continua a ter o mesmo sertimenlo de gneros de primeira qualidade.
A seguate tabella sirvira' a todos de base para ajuste de comas aos portadores,
enhom armazem vender' mais barato e nielbores do que a Aurora Brilbante, ja1
_% pelo grande sortimento que tem, ja' mesmo porque seu dono so deseja tirar diminuto lu-
M8 ero quauto chegue para accumular as despezas do estabelecimento por isso deixe se a-
/.(>) piokeitar, o prspnetario ha de fazer toda a diligencia, afim de servir Wem os sens cons-
tantes freguezes.
Latas oom 8 libras dechoariras maito novas.
75&>0.
BB* PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEBICO, rAltTi: 1IIO E OPERADOR.
p Bf "
3 Eiia da Glora, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s l
hars da manhSa, e das 6 e meias 8 horas da noite, excepto dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatkica
No mesmo cnsul torio ha seaipre. o mais appropriado sortimento de carteiras
tobosavalsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12)5000
de 24 tubosgrandes. 180000
de 36 tubosgrandes. 24,8006
de 48 tubosgrandes, 30)5000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepira-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
pi3 se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12; eustarSo >s precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
0
GRANDE ARMAZEM
BA DO IiHPEBAVORW. IO
i Jutt ae sebraie eni fie mora tSr. sbtrie,
Ruarte AInaeida dfc c. receberam de ana proprla cu rea n cu-
da o mala Hado e variad sortimento de molhades. prc|ttea
da presente cstaco.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra nova vinda no ultimo vapora l.eool para sopa a melhorque se pde derejar,
a
' Diu.-yrandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 nulidades, a 15000, 15280 e
t $400.
;).tas ora ostras, escolente petisco para fri-
gideira, a 7JO ra.
i)itas com ervilhas novas, ensopadas,a 720 rs.
Jit >s com favas, a 640 rs.
?Ditas cora ameixas a 15200, 1,8800 e 35500.
Ditas com marmalada do afamado fabricante
Abreu. a 720 rs.
pilas com mauade tomate, a 500 rs.
'itaseom figos de comadre, novos, a 15500,
25 e t"M.
Ollas '.on bolachiaha de soda muito novas, a
i&).
'OKdscombiscoitinhos inglezes de muitas qua-
lidades, a 15400.
Chocolate.
Caixinhas com ameixas enfeitadas proprias
ql;. para mimo a 15200,2>80J e 3>200.
%x chocolate superior muito novo, a libra de
SKJ 880 a 15000.
IMacarro.talhariajnealeiriaaraarella, alibra
5 a 400 rs.
Dito lita dita branca, a libra a 400 rs.
Canas cob etrelinha, tatito, eouwas mas-
sas, a caixa 34500.
Wtai lita em libras a 640 rs.
1*4&, a i i Ora a 360 rs.
>:/a tiuha para sdpa a libra, 240 rs.
irri ceceas, a libra a 160 rs.
Vitas i-ivuseadas, a libra a 200 rs.
i'ipioea maito nova, a libra a 280 rs.
'finiu je anrruta verdadeira, a libra a
JL >)Jrs.
'.S '.-ro d> Miranhio, em saooe, a arroba a
!*W3 e a libra a 80 rs.
Jk ito da In'lia e Java, a arroba a 35*00 e a II-
" tira a 100 rs.
ti i innno de Lisboa a 9*300 a arroba e a :>20
Jf rs. a libra.
w3 lito de Stnlos, a arroba 73000 e a libra a
5 260 rs.
.Kiosorn 123 ceblas grandes, a 1;280.
isurda Franceza, caixa rom 2 duzias a
7,000.
i-.-u> con mostarda preparada em vinagre,

iOO rs.
<
> js cora conservas ingleza^ e francezas, a
640 e 800 rs.
Ditos com sal reftaado fino, a 640 e a 500 rs. i
>Uoscotna verdadeira genebra de I ara aja, a
13000.
Titos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira, a
640 rs.
'Mijis com dita proprla para negocio, a
400 rs.
} ir raides com 2 galoes com dita, a 65-
Sorreja feo*, mares, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65OOO.
' ni-, masoatel deSMubal. a garrafa a 1J.
Harrasqainho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
1 1 -5200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
2,50,10.
Ueite refinado portuguez e francez,a garrafa
r\ 13000.
Caixaderinho Bordeaux muito superior.a
73. 83. 93 e 103 ca xa.
1 las -ora dito branco, a 75 a caixa.
Ditas enm dito lacrimas do Douro verdadeiro,
a 203-
Titas cora duque do Porto verdadeiro,*"a
189000.
Ditas cora chamisso superior, a 145.
Ditas com Porto volho e outras muitas mar-
cas, a 12-5. x
V'inho do Porto da pipa, a garrafa a 6*0, 720
e 800 rs.
,VwT Dito de Lisboa muito bom, acanada a 35200,
9fi 33500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
ufipjitoda Figueira, das seguintes marcas (X.)
T (]. A. A.)*(J. L. 6.) (O. M.) a caada a
dfc 43500, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
?y? Tie ja est engarrafado e lacrado com o
'if ro'ulo do armazem.
3f%Dito=dH marcas mais desconhecidas, cana-
3B da a 35500 e 43000, e a garrafa a480e
''' 529 rs.
.A! Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
'?)ito de caj muito superior, a garrafa a
3 800 rsj
1
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gorama.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se |
engommar, a arroba a 33000 e a libra
O rs.
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
Cariaba.
Saccas grandes com farinha de Goianna mui-^
to nova, a 55000. *
Caf.
Caf do Rio maito superior, a arroba a 83,:
83300 e 93000. <
Cb. <
Ch.teraos nestes gneros o melhor possivel,.
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 25700.
Dito hvson muito tino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a z>ow.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Em mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espprmaecte.
O masso cora 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs. i
Passas.
Caitas de 16 e 8 libras de pas^s novas pro-
prias pan mimos a 45 e 23500.
Htata.
N'ozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpista e painco.
, Alpista painco, a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 235W.
1 Castanhas.
Castanhas novas vindas nete vapor,
ba 43000 e a libra a.200 rs.
Azeitena.
; Barris cora nzeitonas novas a 1J500.
Manteiga.
Manteiea suoeror, a ,ihra a 13200.
Dita mais abaixo a 13120.
1 Dita menos superior a 43 .
; nita^franceza nova, a fibra a 43120
' Dita dita era barris e meios ditos, a
13 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Qneiios novos viudos neste vapor a 23800 e[
33008. ...
Ditos londrinos milito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel ifttMco panudo, a resma a**?00.
Dito dito Imj de linho, a resma a 43o00.
Dito de peso lizo e pautado, a resma s
25500.
Dito de embrnlho, bom a 15 e 15200.
B I \ ICOS.
A melhor obra da bomeopatbia, 0.Manual de Medicina Homeopathicodo Br. Jahr
dOns .fraudes voiuraes-com diccionario............ 203000
Medicina domesticado Dr. Hermg,........... 10)3000
Repertorio! Dr. Meila Maraes............. 6)5000
Diccionario detenaos e medieina ...,...,,.. 33000
Os remedios deste estabelecintentosSO por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serera novamente recofimenddos as pessoas que quizere usar de remedios ver-
dadeiros/inergicos e duradwes.- ba tudo do melbor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis>elasua boa conservado, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacSo, a nortanto a maior ener-
gas certeza era seus effeftos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-seescravos para tratar de jualquer enfermidade mi faffler-se-lhe qualquer
operagao, para o que o arinuneiantejulga-se suficientemente habilitado'.
Oiratameoto o melbor possWel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funceionando a casa a mais de quatraiannos, ba muitas pessoas de cujo conceit se nao
pode duvidar, que pdew-ser consoHados por aqueiles que desejarem mandar seu
deentes.
Paga-se 2)5000 por dia durante 60 dias e tfahi era diante 1(500.
As operacoes serio presamente ajustadas, se n3 se quizerem sujeitar aos prefos
azoaveispiecostuma pedir o-annuoeiairte.
Laboratorio enologico e chimico de F. P. Lebeuf e C
na Montniartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteuil, prs Pars (Franca).
B0WIC.4C.i0 E FABMGAdiO
D is vinlos, agurdenles e licores.
V1NHOS.Iraitacao dos vinhos de
qualidades,Estrado de Medsc, dose
a arro*
libra, a,
todas as
para 230
litros, 1 f. 23,le Bordeax, 2 r., de Poinard, 3
f.,de Lisboa, *-f.,de Cataln, f^de Porto,
Xerez, Moscatel, Malaga, dase para 2fi ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia pala .fabrican osia o aleool e agua
os vinhos cima e todos os-estres. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACO.-Ps lngleies, pos dos vinhos
da Hespanhai da Fran{a, etc. A libra paca 500
litros, 5 f.
COLORACO Purpirigine para colorear os
! vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 13500 e 25000.
Temperos.
Folhas de loara piraenu do reino, cominio
e cravo, a libra a 400 rs.
Vela de carnauba.
Sfassos cora 6 velas de carnauba refinada
480 rs.
Ameadoas.
Araendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Bees.
CaixSes de doce de oiaba, grandes a 13400 J
e pequeos a 640 rs.
Tijrios de limpar.
Tijolos de arear facas avlltfrs.
tima*
Daziasde boioes d ?raxa n. 97 a. 23000, e;
de latas a 15000, e os boidos a.240 rs. ca-,
da um, e as latas a 100.rs^
thantto reos.
Cbarntos Anos dos melhan& fahkcajttas.da
Baha por diversas precos, caixai e maias}
AGUARDENTE3.Essencla de cognac para dar
as agurdenles urdinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, o-f. .
KlftSCH B ABSIJU'HO.-Essenciade kirsch e
de absintho, para os fazer com aleool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se lodos os
licores eeobeeidos sera fogo neta alambique*, (in-
dicar-se os qne se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
commonsa dose para 20 ou 23 litros, i f. 25.
TODOS'os-ontros prodtictos para o trabalhd*J
vinhos,agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encemmenda.
UTENCIL10S de laboratorio ede chlmica.
e engaado nossos
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado eiraitado nessas preparares,
freguezes, lev j-sj eligir sobre as. rol has.e ro utos as inlciaes P. V. L. Part,
0 moda de usar-si das preparares aeha-se indieado no rotulo.
As encomraendas devem ser acompanhadas por uras letra sobre Paris ou qualquer ontra cida-
Franca, ou garantidas por urna casa conhacida.Dirigir-se aes Srs. Lebeuf & C. chimicos, ra
tmirtre, n. 31, era Paris, oua sua fabrica em Argenteuii, prs Pars.
Mon -i # oa botica fraoeeza, ra do Imperador n. 38.
X. 2 1 liii .^fora esquiaa da Cataboi do Carme c rna do
Cafcns h. 8.
A Iiraitoria
as provincias do norte do imperio, querendo qpe o publico desta provincia goze das! '"",v 4uuaue a 2)j200 a resma,
que proporciona a fabricado em granil escala e directa relaco com as mas!azule nardo na 1 h*
I importantes fabricas da Europa, faz sciente que nssolwu-se a vender ainda mais barato[ rs rnel a embrulhode l,4oo a 2,2oo
i do que do costume como demonstra a seguinte tabella r
rs. alibra eem barril a 8oo rs.
Haotelga franceza
pa safra nova a 60o rs. afibra, e em barril
a 580:rs.
Amendoas
coufeitadas de lindissimas cores a 300 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2/JI400, muito propios para mimos, ^
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um. ^
Latas
com bolachinhas'de soda de todas as qua-
lidades a 1)5300.
Chocolates
detodasasqualidades a 1)3000 a libra.
Presuntos inglezes
dosmelhoresfabricantes a 800rs., tambem
teons vteos para 500 rs.
Qiieijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
I Qnel|os
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.

Iondrinoo mais fresco que se pede esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteira e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o fraseo.
Figos
em libras e caixinbas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900. 6 4*200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 20600.
i ilc ai perola
especial quadade a-25700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aroraitico que tem vindo ao nosso
mercado a 2?600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
430 rs. alibra.
CC*4C
omuitoafamadocognacPalBrandy a l,8oo
rs. a garrafa e de ontras muitas quaida-
des a I.ooo e8oo rs.a garrafa
CHPS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
altnaco greve, peso e de outras muitas ma-
ldades de 2,2oo, a 4,5oo a resma dome-
Ibor.
Papel de botica
desse estaibeleciraento o maisi ttapottaate que existe neste gecero|ee ,, p ac **tlc
lorte do imperio, querendo ipie o publico desta provincia goze das e ?ua''dade a 20200
Descont em duzia.
20
10
15
15
%
%
7o
7
15 o'
caixas.
grande quantidade de gneros tendentes
estes estafelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se. __
Chapeos de sol de panno a 25000...... J .
s armacao de baleia a 20500 ....
de seda armacSo de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 2 i 5, de-26 50500 ede 28 60......
Chapeos de sol inglezes a bal2o 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas. 80, de 26 90, e de 28 1Q0.
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox ere 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130......
Alm de muitas outras iiialidades de chapeos de sol que existem na mesraa casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., ele. ha tambam de seda e da panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao tovantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-seigualmente em porclo e a retalho, notando porra
I que o comprador por atacado ter sempre um descont razoaivel, afim de poder reta-
lhar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N, B. Os objectos comprados em menos de urnac duzia
a retalho.
rs. a resma.
serlo considerados como
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta cora lindas barras.
Suoerior seda fa?onn o que ba de melhor e mais ?osto.
Moreantique pre. muito bonito a .2*800, 35,3J580 e 44 o covado.
Comiileto sortimestodegrosdenapl preto de muitas qualidades.
Pannos pretos e casemiras de muitas qualidades.
Bournns, chalas'e iba de reod pretos superiores.
Superiores polissesesoutembarquesd seda paras nhoras.^
Boornusde la para senhoras a i.
Chapeos e chacalinas de palha de Italia para senhoras.
Cort-s de la d barcas SOkm a 225 de muito gosto.
E muitas outras lazendaa de superior qualidade na luja de Augusto Frelerico dos
antoa Korto aonde tambem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
R. lRaa do Queimado---N. 11
Camas de ferro
ADMIRAVEL PECHLNCHA
CHALES DE E\1 PRETOR
a 10^000 cada nan*
Cassas orgaadjs de cores a 8trs. o corado.
A' ra de. Osao, nnnfer 17,
LOJA DE
Jos Gomes Villar.
Corintliias
""Ttt^sisrproprias para
Fumo
Vinagre
TadTumT^^'^-^^oors.
Cekllas
aSemiaoSoo0raS0mmt!:Cadoa 7'000 rs- iu
e 1,000 r. o molo.
. Alpisfca o Painco
CEBLAS
mtSSS 22LOCento "a ruado Qne:-
goadoCoT.rmperadorn-4^-
OUO DE BGO
ora na ra doQueimrdo n 7 ma rln
Queimadon.7 rua(iJm a/a rHa do
largo do C,rmn39^[mperad0rD'413e
freguis3 SmBS^F^ armazem
tipulaxam-os mlsm 0Pb,ie* em geral, que para facilitar iSSSMln aos se
mesmosprecos nos seguintes lugares wnmodidade de todos ef-
, '-TaataijB-
"""-'"-.:~-.m,..""*, ,
sow na rna do lBVpera(jor 40^
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito Iva a 4,ooo rs. a. arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se fip abatimento na ra do .Imperador n. 40.
Vende-se grande sortimento- destas cama na
ra Xova n. 33 ; na mesma laja veade.se grandes
d'jimoes de ferru^rradts d pvtnelana tendo
tuas .izas e lampote fer r9Comnndam-se a
quem precisar.
Superior farinha.de mandioca
Vende-s*a excellente farinha de mandioca- de
Smia '".atharina, a bordo do patacho nacional Po-
lyccnot, atracado ao trapiche barao do Livramrn-
to, e na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, escrlp-
torio de Antonio de Almeida Gomes.
avariado.
Francez barrica 55000
Portland idem 85500
Em perfeito estado:
Prancez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso* Irmios ciea do Apollo.
JIo de algodo da Baha.
Veodefse no escriptorio de Antonio Luiz de*01i-
veira Aievedo A C, roa da Croz n. 1.
CBEGaRlH OS MODERAOS CHILES DE
FIL PRETO.
apar francez,
Superiores-chales de fl! preto chegados pelo uliimov
loja das columnas ra do'Crespo n. 13, de Antonio Correia'de Vasroncel-
los 0._________
il6S?3EJ>3IE*l
macarrSo, talharim ealeiria a 4(c j'g. '
libra e 400 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas atareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas- a 400 rs. a garrafa, e
25800 a caada.
dem do Porfo
generosos engarrafado des melhores M fi-
cantes da cidade do Porto a l e !0O
a garrafa e de W# a 120 a caia, am ar
cas s5o as seguintes: Chamisse d Filio,
F. M., Nctar ou vinho dos bevzes,
lagrimas do Douro eoutros muito?.
Latos
com 10 libras ebanba a 40f.
Bolachinia iugeza
a 1,5800 a barrica da mesma que
vendem a 21000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* .4 bra.
'Crvejas
des melhores fabricarrtes|e de-todas as mar
cas de 4,5300 a 60800 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
, metas caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a librar, e 2^500 a 30PO0 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 2'*sorte do Ri0 de Janeiro a 800f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Carrafes
com 4 / garrafas com vinagre a lfjOGOi
o garrafao.
GEi\EBRA DE LARAfJA
verdadeira a 10OOO- o frasco, e de 110000
a caixa.
IDEM>
em frasqueiras de Hollanda a 50800 eco
12 frascos.
GENEHRA
de Hollanda verdadeiraem frasqueira a600
rs. cada urna.
PALITOS
os yerdadeirospalitos de gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,oco a ciixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmeada
dos melhores fabricantes de Lisboa, con: o se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o ra
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loe rs. a litra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
. VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5f o rs.
a libra e em caixa ter abatimeMc.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo 1
caixa e 34o rs. a libra.
Btalas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a ca.xa e 0 rs
a libra.
Passas muito novaa
em quartos e imeiros a 20 o quarto e CH0
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se ixYe 'p-
sejara800rs.alibrael40rs. o rao
, Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, giria e
outKos.muitos a 640>s. ahita g J
a bOO e!0 ocaixae.
MUITO NOVA
tfOMMA
a 102CO
. a BOLACHJNHAS
latas de defferents qualidades
DE
J- VIGNES.
nsmanosoV*,??* ti WA DO PBADtll W. 55.
annerioridadTt *??>'abr!!a.s5? KoJe as1 ^ahecidos para itias que offereccm aos compradores, qualidades entae iimiui
conquistado sobre todos os qas tem apparedio^esakBrac
teclado e machinismo """,--------- --J---------*-~.:~>~
?eis que
saindoum
unca
fXr Ir emlsm queobedocem todas as voHtafcs e eafricho ^ afi^gSa[%m-
lamar por serem fabricados de proposito, e ter-se feito uhunaanento elh^aSwnlwKrt.
nssimos para o clima este paz 5 quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, epor istormitoZtndi.
veis aos ouvidos dos apreciadores. uiuiw agraaa-
Fazem-se conforme as encommeadas, tanto nesta fabriea eofflo na do Sr. Blondel de Phrie aoettf
correspondente de J. vignea, em cuja capital forara sempre premiados en todas as exMcleSes '
No mesmo estabelecimento se acha sempre un explendido e variado sortmentoae mnsip
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido do'
precos coramodos e razoaveis. ^'

U
/
\
ILEGVEL


larl de FenraNie rea felra 11 *t Abril de 185.
,
i

1
Paleadas pretts pira i fumaa por
por bardtis&iaa prego, ti leja t ir-
nazca tk tara, rao 4o. Utporoiriz
n.ft.
Lourengo Pereira Menees Guimares.
O prjpnurio Oeste eatabetocl atento re tira-se
para a Europa a tratar de sua saude, porta ames
de retirar-so pretende fazer urna liquidacao de ba-
baratisslmo prego para fechar cotilas ; agora fre-
gaetes vende-se grosdeaaples preto muito boin
para vestidos, a 1*600, Sj e 23300, di lo de 5 pal-
mos de largo, a 30 : na ra da Imperatriz luja da
Arara n. 56.
Ueurautique preto a S.
Veaie-s aidaraatiqae preto para vestido a 30 o
cov.id), grosdenaple maito largo e encorpado a 30,
20500, 2* e lK) o covado, alpaca pret para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cora-
do, sarja de taa para vestidos, caifas e palitos a
6VJ e tfJJ rs. o covado, la preta para vestidos a
6i0 rs, bJinuutaa preta para vestidos a 10280 o
covado : ruada Imperatm loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Mara Piaa 124!.
Veadam-se reos vestidos a Haria Pia a 100,
120, 140,1&3 : roa da Imperatm loja da Arara
a.36.
Arara vende pecas de panninho aa3 e de
madapolao a 45.
Venlem-se pegas de paaninho muito fino de 12
jardas a 53, veaJera-se pegas de madapolao infes-
tado a 40 e 40*00, vemiem-se pechas de madapolao
de 24 jardas bom a 63, 73, 70300, 80, 90, 100 e
120, veadem-se pecas de algodaosinho a 50, 60,
73, e 83 : ra da Impsralriz a. 55.
Arara vende os bales a 2)5500.
Vondin se baloes de arcos de todos os tamaabos
a J-JOJ, 33, 33500 e 43: ra da Imperatriz
D.06.
L5aziahas da Arara a 320 rs. o covado.
Veniam-se laazinhas para vestidos de senhoras
e mamas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as coros a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
fmas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da imperatriz n 56.
Guitas da Arara a 240 rs. o covado.
Veademse chitas de cores tizas a 240 e 280 rs.
o covalj, .litas (rancezas Haas a 320, 360, 400e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : raa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Li'iiidaco de soutambaques e laazinhas a
f& 8$ e 10,*.
VeaJem-se s.v.itambaques de laazinhas para se-
nioras a 73, 83, dita de alpaca branca a 103, ditas
man i tinas do roideaapLe preto a 203, 253 e 303,
capas pretas de grosdeaaple noa 203, 253 e 303,
aiaiitiletes pretos de grosdeaaple a 200 e 223,go-
11 iras para seahora a 240, 320 e 500 rs.,-mangui-
tos com n-)U a 13. caminabas para senhora, 23,
e 33, ditas muito uas bordadas a 43500 : na loja
do oarateiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara u. 55.
C jrtes de ditas finas a 2#i00.
Vonien-se cortea de-ditas otn 10 covados per
23WJ, ditos de dita -frane*za a 33200, cortos de
cassa franceza flua com 11 covados, por 33, vn-
dense pijs de caiabraia branca lisa a 33500,
43>0), 5-5 >').), OS e 83 : ra da Imperatriz n. 56.
Li \j\ laC'5) de roupasfeitas palitos a 20.
VeaJe n se palitos de brvra de cor a 20, 20300 e
30, ja-intoes de brina pardo a35 e 30500, palitos
de casi.aira beso feito a 53, 63, 73,83 e 103, di-
tos de oa.ino preto bom a 83 e 103, ditos sobreco-
saos de casimira de cor e preta e de panno a 123,
143,163 e 203, caiga de brim decr a 23 e 23300,
ditas brancas de liurto a 35'iOO e 43, ditas de ca-
simira de cir 43,63 e 83, preUs a 53, 63 e 83;
colletes de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 1,3)00, brateos a 23 e 20-5.0, ceroulas feitas a
13280, 'litas uas a 13600 e 23, camisas (rance-
zas a 23 e 23500, ditas inglesas de pregas largas a
33, de liaho a 33 o 33500, colertahos econmicos
a Gi'J rs. a d-.izia, djtos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 2!.
Vendem-se cobertas de chita finas a 23 e 23500,
ditas de damasco a 43 ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e venie cortes de casimira
preta a '-i-i.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
33, 33500, 43500, 63 e 83, ditos de cor a 33,
43500 e 63 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Voade-se panno preto para caiga e palito a 23,
33, 2}300, 43,45500 e 63 o covado, casimira pre-
ta tina a 23,23300 e 33 o covado e outras mu tas
fazeudas para liquidar : ns loja o armazem do
Arara, ra da Imperatriz n. 56.___________.
Fazmd** preta* pttra a cua-
resma.
Sa fofa do rave.
Aena-a* sm MtiMiMikiMtOBMMtetatDeBWtor-
d de Oazentfas pretas propriaspara a fluareama,
a saber :
Grosdeaaples preto largo e maitissimo encorpa-
ao, outros roais estrenos tendo dos pregos de
10280,10608,10800,20, 20400 e 30, superior
rooreaeiiqae preto a 30, superior sarja prwa hes-
pauhola, superior setim preto maco, ritas capas
pretas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
tadas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos -que lem vindo, superiores manteletes, camisi-
aftas oom manguitos proprias para lato e ricos
chales pretas de rede, ludo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
utieira : na loja do Pavao ra da Imperatriz a. 60
de Gama 4 Silva.
As roupas do Pavao.
Acna-se ueste estabelecimento uro grande sorti-
mento de roapas fetas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
mano ano e forrados de seda a 223, 253 e 303,
ditos forrados de alpaca a 140, 163 e 203, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
Drecasacoi, ditos de meia casemira pretos e de eo-
res, ditos de brim de todas as qualidades, clleles
de casemira pretos e de cores, velludos, setins
etc.j sendo todas estas obras cortadas por um Sos
melhores mestres nacionaes, manda-se farer qnal
quer oftra por medida : na loja do PavSo ra da
UU eratriz n.60, de Gama & Silva.
Chitas em curtes coa 10, He 12 covados' outra parte.
r a loja do Pavao vndese urna grande porgo
de (orles de chitas 'acezas sendo claras e escu-
ras odas d crese ^as com 10 covados a 33200,
com U eovados a 33600 e com 12 covados a 43,
e pebhincba para se apurar dinheiro : na loja do
Pav^o, de Gama & Silva, ra da Imperatriz o. 60.
Cumisiuhas a \$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de deztastSes cada
ama : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.60,
pe Gama Silva.
Cortes de cassa a 341.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados
pelo baratsimo prego de 33'(0 o corte :s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Si silva.
Cambraias lisas, na leja 4o Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina.
tapadae transparente, pelo baratissimo prego de
43 tendo 81|2 varas cada peca, ditas muito finas
a 70, 85 o 93 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 73, 93 e 10,ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 23600 a pe-
ca : isto na loja do Pavao ra da Impoaalriz n 60
de Gama & Silva. '
Os vestidos do Pavo.
Grande pechncba a 33500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitago de tarlatana com muitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeos pelo baratissimo prego ne 3350ecadaum,
sendo fazenda que sempre se venden a 73, na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
AO PUBLICO
*em o menor constran-
f laaeato se estregar o
importe do genere qne
5o agradar.
ARMAZEM
ATTENtfO
O precos da segulnte
tabella para todos, po-
dendo asslna servir de a-
oe para o ajaste de costas
com os portadores.
MERCANTIL
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelcao)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arraojos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e inlei-
reza com qne seriio tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darSo a proteccSo e preferencia na com-
pra dos generes que prec sarem, e quando sao possam vir podero mandar seus portadores, amda qne estes sejam pouco praticos
pois sero to bem servidos como s*vieasem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendacao, aflm de que n5o v5o em
PASTILHA
VERMIF

Silva.
Vestidos a id c a 7$
Na loja do Pavao vendem-sericos cortes de vesti-
dos a Mana Pia, sendo bordados e com barras
pelo barato prego de 43 e 73, sendo fazenda qu
val muito mais dinheiro, isto por ba^er grande
porgao, na loja do Pavo ruada Imperatriz n 60
de Gama 4 Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabega
te senhora: na loja do Pavo. rna da Imnprairii
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupa feita nacional
Ra da Imperatriz m. 72
PecbiDCia
Cortes de chita a 04OO
Venle-se cortes de chita com 10 covados
2}i00 a 3JZJ0, ditos de cassa a 33. ditos de laazi-
nhas para vestido a 336O0 e 43, ditos finos de bar-
ras a Mirla Pia a 123, *i e #, ricos souteam-
baxqaes de lazinha em fantasa a 83- 73 e 103,
ditos de grosdenaple pretos Qnos a 203, 223 e.253,
capas pretas de grosdenaple a 203, 233, e 253,
na ra da Imperatriz a. 72.
Fazendas pretas para a quaresma.
Vndese grosdenapie preto fino a 13600, 23, e
23)30 o covado, panno fino para caigas e paletots
a 25,3$, 3J500, 4SS00 e 50 o covado, casimira
pr*to lina a 23, 23500, e 33, alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para caigas e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Laazinhas a 320 e 360 rs. o covado.
Vonde-se laazinhas para vestidos a 360, 400,
500, e 560 o covado. chitas finas para vestidos a
240 o 230 o covado, ditas [rancezas finas 320,
360 e 400 rs. o covado, capas francezas linas a
320,360 e 400 rs. o covado:
Roupa feita.
Vende-se 'paletots de cor e preto a 53, 63, 83 e
103, caigas pretas de casimira a 53, 63 e 83, cor-
tes de colletes e paletots de brim a 23, 23500 e
3j : na ra da Imperatriz n. 72.
MadapolSo enfestado a 40.
Vende-se pegas de madapola eufestado a 43,
dita em panoinno a 53, P5s de madapolao de 24
jardas bom a 83,70 e 103, ditas de algodo a 53,
63, 7 e 83, corles de calcas de brim a 13600 e
23, ditos de casimira prera a 33, 33500 43 e 53 :
a roa da Imperatriz n. 72.
CJtfffEIT ARII
dos ananazes, raa da Crns oamero 16
Contina a ter empadas, superior. presunto a
850 rs., dita em fiambre a 13600, recebem-se en-
commendas de bandejas de doces, pes-de-l sim-1
pese enfeiudoi, kkes, para s taes ha bonito? I I^j, B,OaTi~tloParia.
enfeites, tambem tara figuras em grupos para bap- i'
tisadis e casamentas, preparase Igualmente lata
com caj crystalisado proprio para exportar, vi-
nhos do Porto e Pigaelra, ontras qaalidades, e su-
perior Bordeaos em garrafas grandes a 800 rs.
loja do Pavo, ra da'mperatViz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pava.
Vendem-se as mais bonita* cassas francezas, de
padroes.miudinlios e grades, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n.60, de Gama & Silva.
As laazinhas transparentes a 400 rs. '
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
laazinhas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imitago das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado; ditas enfestadas de nma so cor e
ditas de salpiquinhosj>roprias para vestidos e rou-
pas de mangas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Ricas soutambarques da Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendera pelo barato prego de
203, 223, 25'3, 303- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito era conta: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Veodem-se as mais bonitas laazinhas transparen-
tes,/endo cora llstras e quadriohes miodinhos, e
lisas, tendo do todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo b?-atssimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Mara Pia, tendo de todas as cores, e
alcumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porgo : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mario pi,
Grande pechincha a 103000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia eos as barras primorosamente bordadas, tra-
zando os competentes enfeites para o corpo, *endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 103 o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e eofeites,
com 19 cavados cada um a 103, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 63 na loja do Pavo, roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 3CO rs.
Cbegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para enancas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se nelo
barato prego de 368 rs. o covado : na loja do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas Usas.
Vendem-se as mais finas laziohas de ama so
cor, tendo grande sortimento: na Iqja do Pavo
raa da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tamberacom assentos de cores, sen-
do nsste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercado, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernissimos chales nao so sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gana & Silva, roa da lm-
Manleiga ingleza especialmente escelliida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
' rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas mglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panel la ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
dt,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, c inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5eo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 2lo rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate fraccez hespanbol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors.a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,ooo ell.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
MaSsa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 04o r$. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,000 e 38oo.
Vinho bronco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa emcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao marcado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D". Luiz I, Madei-
raSeoca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l'.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superiorqualidadea!6,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nautes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cart5es com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoss de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas'a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a loSoo.
Ameixas franc< zas em caixinhas de diversos
tamaitos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, al,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a dnzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-. Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massade tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a
lho.
lata de urna libra e56o rs. a rta-
la a garrafa e 11 ,ooo a du#ia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tamjia
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
qne vem ao mercado, a 5oo, 56o e C4o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Gevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades^
Erposi3o Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Goanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em tueias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira- a 32o rs.
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes,
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltae.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs.
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 060 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com frnctas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o fiasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos taman'hos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalfeo, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivas em ancoretas. grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,800 o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a Hbra.
Figosem sextinhasa 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
NOTA YORK.
DE COR CHEJRO E SABOR AGRADAYE1S
InGnitamenle mais efficazes do que kilos
os mais remedios perigoyos e nar?e;: t.: r< s
que existem para a expulso das Ifoj&hilgas.
Nao causam dores e produzem seu ffltito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhom e tao incitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as criancas estao
promptas a tomar mais do qjie marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meic de fo7er
remover as ebstruccoes do venlre. misino
no caso de n3o existirem verme algunr,' s
PAST1LHAS VERM1FV6AS DE KKMPS Sao ll('TP\'-
tas e infalliveisna suaopeiaeo e por tecas
os respeitos dignas de confianca o approva-
cao de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Vendem-se noRecife em casa de Caors
Bar boza e Joao da C. Bravo A C.
-Vende-senma machina do eojpiar carias, i n nho de moer caTc, I balarca tupir, latas de raz,
vanas, herva matle a 160 rs. a lilia. -\elas de e-
peimcete a 6C0 e 640, carnauba 440 e 480, ras-
sos a 400 rs., vinho de LMn a 3'.0, 4(0 e 4*0.
Fiftueira 500 e 560, branco 000 e 60,. Porto 40
e 720, tcocinho de Lisboa a 320 e 4C0 rf., batatas
a ?0700 o gigo, e 160 is. a libra, aircz mperior a
100 rs., oaf forte a 60 e SFO. azeite dice a .C0
e 640, cha 20560, dito preto J00, >to niai-a
Fupenor a 2C0 e 240, rebolas a 10 o crtto, fari-
nha do Maranhao, alpisla, roanieiga, tarta de ror-
ro, e ontros muitos gneros quer em poicoes rimo
a retalho mais har dt> que em onira inalciGer
parle, com o dinheiro avista : na ra Direita n.
li, armazem aiiencicso.
muios FGIDOS.
Desapparecen no da 22 de marco do cor
rente auno, da casa de Pratlico Bt>n-il n de Jli n-
doDca, a prea Mecas, tcrava do Sr. Amonio Ma-
ria de Araujo sechor do crgeuho Pacas i:o tem o
de Agua Pela, repiesenia ler de dado 53 a 54
annos, estatura regular, cfceia dccrjo. uarlzcta-
to, belfos grossos, leveu vestido de chita de as-
iento rxo ctm llores encamadas e diales puto
de merino : qu genho supra ou a roa Nova de Sania Rila n. 35,
qne ser recompensado.
Fogio em das do mez de marco do correMc
annonesia cidade do Recife para onde veio oa
freguezia de Timbauba, dao, o escravo Manoel Clemente, idade de 25 an-
nos pouco mais ou menos, franzino do ron o, mi
tanto alie, pernas Urnas, um lano barbado e gago
no fallar, fei visto nodia 30 de marco ao re co
chafariz do Forte do Mallos : regase as aolorlda-
dades e capilaes de campo a sua apnhensao e
levem-no a ra da Madre de Dios n. 16, que se-
rio generosamenle recompensados, protestando se
osar dos melos judifiaes contra quem o liver
ocrulto.
RIVAL ;
Sem segundo,
Ra do Queimado, n. 49 e 55. E' para admirar.
60
PROPRIO PAR l SENHORA.
Vende-se um excellente cavallo muito no-
vo e mansp com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
Coke to gaz.
pilch 4o gaz.
Alflfltro do gaz.
Coke tonel ladas rs. 10(5(000
Pitch : 80 Alc,atro caada..... 400
O coke rec.onhecidamente o carvo mais econ-
mico, iorna-e por Isso recommendavel, bem co-
ito peto asseio ^oe te nota as oozinhas aonde
elle asado. Pitch e alcatrao, ale* das applicacoes
diversas a que se prestara, cerno para caJIafeiar
embarcacoes, aleatroar madeiras, etc., teem este a
prapriedaOe de pmerrwr 4o cophn, formigas, le.
E' entregar na fabrie* d gaz oa modaOo por em
qualquer ponto da cidaAe, secuade a voatade do
comprador.__________^^^
1 -
Vende-se ama urna de Jacaranda, propria
Kra deposito de otsos : na rna da Imperatriz, toja
marcineiro n. VS.
Soutambarques de cor na loja
do Pavao.
Chegaram pele ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques de cores, sendo os mais bem
entenados que tem vindo a este mercado, com
adornos dd velludo, seda esetira, renda, etc., so
avista do arando sortimento qne os fregnezes
podem dar o verdadeiro apreco a esta fazenda, e
vende-se pordifferentes presos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, roa da
Imperatriz n. 00.
Manteletes de filo na leja de PavSe.
Vendem-se os mais ricos manteletes de fil pre-
to e ontros com os centros de cor, sendo neste ar-
tigo e mais rico que tem vindo ao mercado e mais
moderno por seren muito compridos e com deli-
cadissimos lavrores: na loja do Pavao, roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para meamos.
Vendem-se muito bonitas ronpinbas proprias
para meninos de i a 4 annos, sendo caleinhas e
jafuetietiii iftaes, eaMte bem enfeitadas : naJ,
loja do Pavao, roa da Imperatriz b. 60, de Gama
Si Silva.
Caleinhas de Pavie.
Vendem-se mntte bonitas caleinhas bordadas pa-
ra meninas a 640 rs. : n loja do Patio, rna da
Imper&lriz n. 00.
Carrelis de huta com 150 jardas
Ditos cem 200 jardas de Alexandre de
12 a60..........:...................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de liaba grandes'com 400 jar-
das .................................
dem idem brancos e de cores de 100
jard.s ...........................
Livrospara assenlo de roupa lavada...
Cordo branco para espartllbe (vara)
Varas de franja branca larga........~
Pares de botSes de punho todos de cores
Tinteiros de barre com tinta...........
Tesouras para costaras finas e unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpardentes muito finas
160,2O0e..............................
Caisas com 100 envelopes das melhores
qualidades................"...........
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho).. .............................
Meiadas de liaba fronxa para bordar...
Pares de sapatos de tranca........
Massos com superiores grampas para
senhora..............o............
Praseos de macaca perola muito saerior
I Ditos de verdadeiro ole de babosa a
400rs. e........................
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
maito fina.......................
Ditos de banha a Garibaldi e da familia
imperial.............J...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pegas de bicos francezese r en a as.....
Frascos de agua dentifrice muito supe-
rior...............................
Caizas com 4 papis de agulbas a balo
e Victoria........................
Libras de la sendo de todas as corea...
Bonecos vestidos e tambem de choro...
Caizas com superiores obreias........
Ditas de linha de gas com SO novellos..
Entjadeiras de Ota para espartilbos.....
Carrelis de linha de cores com 100 jar-
das.............................
Pecas de cordo imperial............
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
040
600
20
20
10900
30
200
500
400
900
240
320
329
800
200
60000
160
M
800
60
20
40
BOTICA E DROGARA
fiartlulomeu Francisco de Souza & C.
3 Itua larga do Rosario3-1
. Vendem:
Pilulnsolloway.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobre-homem. .
Pilulas americanas.
Pillas vegetaes.
Pilulas^egeta.es assucaradas de Kemp.
salsa de Bristol.
Remedios'** Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert."
Injeccao Peaaga.
Agua den tfica de Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromaticode Raspan.
Pos aati-epleticos deBrest.
RobL'AITecleur.
-Tarop do Bosque.
Ungento Holloway._______________
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
124 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Nevn.8.1
Mi lho novo em saceos grandes: no trapiche! Feijio mulatmno nove a 120, mho a 40
de Cuaba, a tratar com Tasso Irmaos. I r na des Quarleis n. 22.
Per hincha na yo loja de fazendas
roupa feita nacional, raa da Impe-
ratriz i 72.
Pechincha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-.se chitas de cores fizas a 240,280 rs. o
covado, ditas rancezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado ; pecas de madapolao fino a 60,
70, 30, OOe 100-, pacas de algodo a 59, 60,7
e 80 ra da Imperatriz n. 72.
Reapa feita nacional.
VenAem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 50,60, 80 e 100, ditos sobrecazacos a 129, 149
e 163 Pantos de brim de cOr 20800, 30 e306O0
rs., caifas de cazemira preta a 69, 70 e 80, das
de cazemira de cor a 59, 60 7, e 80 ; coletos de
cueaaira de cores e pretos e ditos de brim a 10500,
e 20500 rs.,; calcas de brim de cOr a 20, 20500 :!
rna da Imperatriz n. 72.
Seataabarfie de cores a 70, 80 e 104.
Vendem-se sootambarqne de lia e seda para se
nhoras a 79, 80 e 100 ; ditos de grosdenaple pre-
to a 20* e 260 ; capas pretas a 20 t 250 i vesti-
dos de la a Marta Pa a 120, 140 e 160 : rna da
Imperatriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a 3.
Vendem-se nortes de cazemira preta para calca
a 30,30000, 50 60 e 60, ditos de cazemira de
cor a 30,40,59, e70, ditos de brim de cores a
10600, e20, ditos de chitas finas a 20400 e 30200,
ditos de cassas franceza 30 : raa da Imperatriz
loja da baratelro a. 71
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na roa do Qneimado n. 49 e 55 lajas de mi nue-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender todo por precos mais barato do que em
outra qualquer parte, qaem qnizer ver o que ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de phosphros de seguraoca a ... 120
Francos com essencia de Sndalo muiio
superior.......................... 15000
Pentes de tartaruga muito fino a....... 80
Pegas de fita de la prela para vestido de
10 varas......................... 60Q0O
00
200
240
320
20500
1^280
500
500
|Z40
060
060
200
A i2$000 A SAGCA.
Escovas de roupa muito superiores a...
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro cora superior banha..
Pares de lavas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Puleeiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescoco do melhor gosto....
Baralhos para voltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de liaba que
tem muita seurentia.................
Duzia de pennas d'aco muito superiores
Frascos de oleo Baboza muito finos.....'
Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos iivros, todos religiosos a 100,
200..................................
Dnzia de colheres de metal maito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal maito finas]
para cha........................
Grosas de botes de osso para caiga...
Grosas de botoes madreperula para ca-
rniza..............................
Grosas de botoes de- louga prateados
maito finos......................
Varas de babada do Porto sonido.....
Duzias de lapes difiereates. qualidade a
240....................:........,
Quadernos de papel de peso mnito fino.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfa muito' boas___
Sabonete de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos maito
bons.............................
Ditos para sof...................... 20000
Pares de suspensorio maito bons e para
acabar...........................
Esseacia oriental nara tirar nodoas de
roupa.....................,......
Creiao para dezenho de todas as qua-
lidades..........................
Cartas de alfinetes francezes muito su-
periores..........................
Ca xas de toteantes franceses a 40 ris
Duzia............................
Carretela de Tetros com qnatro oitavaa..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.............................
Aos cuyilts de enrayo,
Desapparecen no dia 21 do correnle, da casa de
sen senbor, e escravu de nome Benedicto, cabra
escuro, com idade de 25 aDnos, leveu vestido cal-
ca de algodo de lislra, canosa de algoOao da ier-
ra, e chapeo de conro de alas Urgs,km ahuia
regular, cheio do corpo, cabello a esmiha
olhos pretos ranilo vivos, nariz e bocea regulares,
mnito pouca barba no queixo e um pequeo lu-
go, todos os denles, ps regulares, ele.; de pre-
sumir que seguisse a estrada de Goiacna por ler
vindo da cidade de Sonza, provincia da Parahita,
ha 13 das, e foi comprado- ao Sr. Jos Antonio
Borges daquella cidade : roga-se portanto aos se-
nhores capilaes de campo a apprehensSo do refe-
rido escravo, e levarem-no a rna do Imperador n.
83, segundo andar, que se gratificar com 500-
Fugio o Jacob.
Anda fgido ba 15 das o escravo de nagSo de
nome Jacsb, maior de 40 annos, que foi proprie-
dade do Sr. major Ignacio de Barros Wanduley
senbor do engenho Ubaqumha, termo de Sen-
nhem. O escravo tem os signaes seguintfs :
alto, cheio do cerpo, olhos grandes e rohto rompri-
do.anda de vagar e parece arrasiar de orna per-
na, est opilado e tem por isto grande palpitarn,
nao muito ladino, levou vestido camisa de m'eia
e caiga de riscado, dizem que anda pela Passag(m
da Magdalena aonde tem sido visto e de trer
que ande ganbando, elle faz vassouras e chapeos,
prefume-se qne esteja acouiado por alguma pes-
soa qne o sedozo e contra quem se protestar rom
o rigor da le : qaem o tronxer a casa de seu se-
nhor o abalxo assignado na ra da Crnz n. 33, se-
r recompensado.
Domingos Rodrigues de Andrade.
240
00
20400
10500
200
500
200
060
400
030
20000
20400
040
800
Fugio desde 14 de margo prximo lindo da
rna da Crnz n. 8, terceijo andar, a negra Bene-
dicta, tem os signaes seguinles : nago Angela,
alia, cor fula, tem falla de dentes na frente, sig-
naes de hicotadas j antigs as costas, cosluma
erabreagar-se ; levou vestido escuro de palmas
brancas e chale encarnado, tem sido vista pela
casa Forte e Poco : recommenda-se as autoridades
policiaes e capilaes de campo -a sua apprehensao,
e levem-naa casa cima dita, que ser recom-
pensado.
|10C
500
100
360
800
Negro fgido
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro desie
anno o preto Joaqaim, de naci Angola, qne loi
escravo do Sr. capitio Francisco Joaquim Caval-
eanti Galvo, morador em Maria Farinha (Praia),
o qnal veadeu-o nesta eldade em dezembro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques com
armazem de assncar ra de Apollo; levou ca-
misa e catea de algodio branco, representa ter de
40 a 50 annos de Idade, alto e de grossura recu-
lar, eor fula, cabega cemprlda, qneixos largos,
olhos amortecidos, beigos grossos, sendo o #upe-
rior nm unto defeittraso, bastante barba, perm
raspada, finalmente tem urna grande costara entre
os peitos proveniente de quemadura, e suppe-se
ter-se dirigido para o norte, d'onde veio : gratifi-
care a qaem o apprehender on denunciar o coito
em qne estiver : na rna da CadeTa do Recife nu-
mere 52.
Fugio em principios do mez de fevereiro do
correte anno e consta estar acontado nesta cidade
o mnleqoe EnzAio. escravo da viuva do Dr. Fer-.
pando Affonso de Mello, de 1S annos de idade peu-
co mais on menos, cor preta, secco oWorpo, olhos
0801 regulares arnmaeados, cabega nm Jmco grande
e meia chata, heleos finos, dentes bem alvos, ps
seceos e maito ladino: roga-se per tantos todas as
autoridades policiaes e capltes de campe que o ap-
prehentfam e levem-o a rna da Mangueira sobrado
n. 6 qne sern gratificados, protesiaodo-se usar des
melos jadicJaes contra qualquer pessoa que o lecha
em sea poder.
500
-


Diarlo de rernanbac* -- Terea Icira ii de Abril de l5.
LITTERTftA.
co do Exm. Sr: visconde de Camaragibe;
d'ode se conclae que eem sobeja razo a
considero credra de todos os elogios e a
melhor garanta para a contnuacp do esta-
do prospero dtata Facaldade.
Os que bem conliecem e avaHam devida-
mente a independencia de meu carcter si-
a lisonja,
Memoria histrica aeademlea,
apresentada emgregae*
lentes da Faenldade de Dlrelto
do Iteclfe na sesso de 13 de
marco e^-^'KuSesb-?ffitamrqueabomino-
o prestar pre.to senao
. i | verdade, s sei honrar caracteres distinctos
iLLi'sriiissiMOs sexhobes. A lionrosa ta- e recommendaveis por seus honrosos prece-
refa, que me confiastes, a benvola demons- ^ denles e nobres qualidades cvicas, quaes-
traco, .que me dstes na sesso do encerra- quer que sejam os seus oatizes polticos con-
mentodos trabalhos d'esta disti.cta Facul-' sideradandoque ellescomo sombras passam,
d3de em o anno pasoado para apresentar- e somente a virtude perdura, e cada vez se
vos hoje a memoria histrica, ou chronica torna mais pura e radiante.
dos factos n'ella succedidos, durante aquello j jy
periodo, foi sem duvida muito superior fej s urna memoria histrica se limitas
nimbas forgas. nicamente a referir os factos notaveis oc-
Enfraquecido por ncommodos de sade, corridos na Faculdade no decurso de um
em grande parte devidos aos dous laboro- anno, pouco extorco exigira, nenhum men-
sos e successivos concursos que submetti- to poderia ter, porque todo trabalho da sua
me para conquistar o elevado logar, que ora confeceo consistiria em guardar a* melhor
oceupo, regencia, que logo, e em seguida ordem e mxima fidelidade na exposicao
me coube de urna das mais difliceis cadeiras chronoiogica de taes acontecimentos, on
d'esta Faculdade, ao penoso trabalho dos'alasem registra-los, como testemunha im-
respectivos actos e dos exames preparatorios, passivel, sem commentario algum e em face
a que assiste, como commissario, nomeado dos precisos documentos,
pelo Exm. Sr. director, ludo n'aquelle mes-' Mas, des que n'essa memoria deve-se es-
tro anno, nao podia por certo" corresponder pecificar o grau de desenvolvimento e fazer
cabalmente vossa expectativa. ; a exposicao das doutrinas profesadas na
J para isso deveria influir poderosamei^ faculdade, msso asss espin!osa, que
te a minha reconhecida insufficiencia, como ex'2e consideracoes importantes sobre o sys-
lema e mefliodo do ensino, e a indicac3o de
lente mais moderno d'esta Ilustrada Facul-
dade, epor conseguirle o ultimo em servi-
co, em mrito e a lodos os respeitos entre
medidas adoptaveis e concernentes ao seu
incremento e progresso; assim como de
to conspicuo corpo magistral. Se d'est'ar- theorias novas, seguidas com feliz xito nos
te excessiva foi para commigo a vossa con-
fianza, peo que vos sou muito reconhecida
tambetno deve sera vossa benerolencia, que
vos peco para dtsculpardes as numerosas
omisses e grandes defeitos que necessaria-
roentc encontrareis n'este arduo trabalho,
que com todo o acanbamento venho offere-
cer vossa justa e esclarecida apreciaco,
mxime attenta minha propria convieco do
desvalor d'elle ante memorias idnticas de
subido merecimento, que anteriormente vos
teem sido apresentadas.
Possuido de grande jubilo por acharmo-
nos de novo aqui reunidos, noposso, antes
de coraecar a narrado de que fui incumbi-
do, deixar de render fervorosas grabas Di-
vina Providencia por haver concedido es-
ta Faculdade um dos annos mais prsperos,
sem o mcaor acontecimento synistro na sa-
de de lodos os seus membros, e sem a mc-
nor quebra as relacoes de perfeita tormo-
nia, reciproca satisfago que entre elles rei-
nou, parecendo urna verdadeipa assocagao
fraternal, (sentimentos estes mu louvaveis
entre pessoas de elevada 'posico, e destina-
das ao nobre e honroso fim do cultivo da
sciencia), assim como pela regularidade, or-
dem, disciplina e aproveitamento, que em
geral se observou entre os alumnos da mes-
ma Faculdade no crescido nmero de 381 ;
donde se pode concluir que esses briosos
mancebos ja vo melhor comprehendendo os
seus deveres e o modo de cumpri-los res-
trictamente, por isso mesmo que vo entrar
. na carreira, em que o respeilo autoridade
legitima o pmttiro d'esses devres, como
bem o disse Salvandy, ministro de instruc-
Co publica da Franca.
Couratulo-me ainda com os dignos len-
les d'esta Faculdade, que me ouvem pelo
disvello, zelo,-saber e circumspecco com
que procuraram desempenbar suas obriga-
coes relativas disciplina escholar e ao pro-
gressivo desenvolvimento das doutrinas scien-
ticas, com o glorioso fim de concorrerem
para a completa regenerado do ensino su-
perior, do que fui testemunha ocular.
111
Registrando poiV estes factos, para mim
de summa importancia, pleno regozijo e
grande ufana, considero, que to feliz pas-
sado devera produzir no espirito de todos a
maior confianca e bem fundadas esperances
de que ainda mais brilhante e satisfactorio
ser o porvir d'esta Faculdade, como a nova
estrella d'alva precursora de das mais cla-
ros e mais serenos.
O mais vivo penh.or d'essa seguranca por
certo o Exm. Sr. visconde de Camaragibe,
mui digno director d'esta Faculdade, que
sempre se ha mostrado to afanoso e deli-
cado quanto ao bem desta Faculdade, accres-
cendo-lhe as mais delicadas e polidas manei-
ras para com todos os lentes, estudantes e
empregados d'ella.
Autoridades bem respeitaveis n'esta Fa-
culdade tambem assim ajuizaram era annos
anteriores. O nosso mui distincto e sem-
pre chorado collega o Dr. Joaquim Vilella
de Castro Tavares disse em sua memoria
histrica de 1856, que urna das primeiras
necessidades d'esta Facaldade, a boa direc-
co, fora devdamente satisfeita com a no-
meaco do mesmo Exm. Sr. visconde de Ca-
maragibe, porque elle pos'suia as precisas
habilitacoes e qualidades para dirigir um
estabelecimCnio scientifico d'esta ordem;
gendo que desde ento a ordem e a regula-
ridade dos trabalhos foram mantidas.
Os Srs. Drs. Jos Antonio de Fiqueiredo,
Francisco de Paula Baptista, Aprigio Justi-
niano d? Silva Guimares, em soas memo-
rias histricas de 1857, 1858, 1860 e ou-
tros to preclaros collegas' nossos em idn-
ticos e successivos trabalhos tambem con-
sideraran) digna, zelosa e Ilustrada a direc-
paizes mais adiantados, que o nosso no
maior empenho do seculo XIX, a instrueco
publica: tudo como exigem os estatutos das
Faculdades, que n'este ponto sabiamente nao
as reduziram ao estado de immobildade,
dando-lhe.s alias este direilo de iniciativa.
Para consecuco d'esta ardua tarefa, in-
dispensavel grande cabedal de conhecimen-
tos proQssionaes, muita llustraco, ou vas-
t erudieco, predicados estes que por cer-
to me nao cabera, como ingenuamente re-
conheco. E por isso foi que antecipadamen-
te pedi excusa da honrosa misso de ser o
historiador e apreciador dos factos eschola-
res occorridos no anno passado, a qual bem
a meu pezar nao pude obter. *
Irreraediavelmente poisobrigado aocum-
primenlo do dever que me foi imposto, en
vidarei todos os meus exforcos, fallando-vos
com o sentimenlo que me inspira urna causa
tao boa e t5o justa, sem a opulencia da lin-
guagem, nem o brilho da forma, que era ou-
tros abundam e de que absolutamente care-
50. Nem mesmo me seria possivel imi ta-
los, embora saiba que na imitaco consiste
hoje principalmente quasi toda a sapiencia
dos improvisados Iliteratos.
Um bomem de grande engenho consagrou
entre os axiomas de eloquencia parlamentar
o seguinte conselho. c Em vossos relatorios
sede claros, exactos, precisos e imparciaes,
nao busquis dizer tudo, mas o que disser-
des, dizei bem.
Procurarei portanto fazer a fiel historia
d'esta Faculdade, mas nao a sua apologa;
bem como emiltrei a minha humilde opi-
niao em estylo simples e linguagem franca,
despeito das supervenientes invectivas do
rebanho alethophylo, e sem receio de desa-
gradar ; porquo antes isso do que engaar
quem quer que seja.
V
COLLEGIO DAS ARTES.
Gausa do deprectamento dos exames pre-
paratorios. .
Tendo eu sido omeado pelo Exm. Sr.
director d'esta Faculdade, membro da com-
aiisso julgadora doj exames preparatorios,
durante o mez de novembro ultimo, poderei
informar-vos, com bastante exaeco, o que
presencien e o que pude saber por informa-
cues.
Em geral os examinandos apresentaram-se
poucos habilitados as diversas materias, o
que me fez reconhecer a evidencia das bellas
palavras do sabio arcebispo da|Bahia, o vene-
ravel marquez de Santa Cruz, quando disse
geralmente pouco se estuda nesta po-
ca do progresso, e os diversos ramos de lit-
teratura (pelo menos os que servem de pre-
paratorios aos estudos supperiores,), ou se
Des que o examinando tivesse certeza de
que apenas dous graus de approvacjes exis-
liam no seu julgamento approvado ou repro-
vado bem como que o primeiro s poderia
obler custa de grande exforco, e ylta de
brilhantes provas de sua capacidjde, em ul-
tima analyse que a n3o ser as-im, elle n3o
se.uaad 1 ittido matricula na faculdade de
direilo, sem a menor duvida n5o teria a te-
meridade de submelter-se exame, n5o
achando-se nsss habilitado, porque o contra-
rio seria em pura perda sua.
Esta diviso de approvac.no plena e sim-
ples, bem se parece com o systema de intei-
ra e tneia verdade, quando esta s pode ser
una, indisivel, perfeita, absoluta, e sem frac-
Ces taes, por certo incalculaveis.
VI
. Para consecucSo desse nico fim (das e/e
approvacdes simples) os estudantes recor-
rem diversos meios, que lhes so todos
mui prejqdiciaes.
O primeiro o patronato, que elles
empregam em alta escala, de sorte que
mui diflkil se torna a posicao de membro
da commisso julgadora nos exames pre-
paratorios ; sendo preciso para poder fa-
zer j ustica puder relacoes antigs e apre-
ciareis, que os estudantes adrede vo procu-
rar em seu favor, ou alias saltar por todas
as considerares sociaes, o que sempre po-
de succeder n'actualidade, poca de poco
stoicismo.
Esto mal ja era lamentado, e ao mesmo
tempo providenciado nos estatutos da uni-
versidade de Coimbra, liv. 2tit. Io cap: 3,
nos seguintes termos; e sobre elle largas
considei acoes apresentou o Sr. Dr. Aprigio
Guimares em sua exposicao dirigida em
1860 presidencia desta provincia acerca de
taes exames.
< E porque; (diziam os ditos estatutos) as
proteccoes e os respeitos alheios do mereci-
mento destes exames costumam salvar nel-
les grande numero de ignorantes e idiotas, I
que sem esta patrocinio seriam certamen e
reprovados : Ordeno, que neuhuma pessoa
acompanbe estudante algum, que for exa-
me nem o aprsente, nem fall*, nem escreva
por elle aos examinadores nem ao principal,
que ha de presidir aos exames, sob pena de
privaco de todos os empregos, que tiver
de mim, e de inhabilidade perpetua por to-
dos e quaesquer despachos, ou empregos do
meu real servico,.que de mim poderia espe-
rar : alm de incorrer na minha real indigna-
co, que deve ser a pena miis sensivel.
Nem os examinadoras, nem o dito princi-
pal podero acceitar, ou receber carta, ou
recado algum no acto do exame, com qual-
quer pretexto, que seja, debaixo das sobre-
ditas penas de privaco, inhabiliaade e da
minha real indignarlo.
VII
Providencias para regularidade dos exames
preparatorios.
Se essas medidas indicadas pelos ditos
estatutos da uriversidade de Coimbra s5o na
substancia por "demais enrgicas, ou pouco
applicaveis na presente poca, conviria ao
menos garantir, os julgadores dos referidos
exames com a precisa independencia porque
sem ellanSo pode haver jugamento recto.
Segundo me consta nos exames prepara-
torios da Bahia, ha inteira incommunicabili-
dade dos examinandos, e o seu julgamento
feito s>, pela respectiva commisso, para
depois ser apregoado o resultado delle.
Para chegar a esse fim, lembro as seguin-
tes medidas;
1. Vedr na salados exames, edurante
elles, o ingresso de toda e qualquer pessoa
por maior que seja a sua posico social, sob
pretexto, por mais attendivel que seja, como
o de fallar com o director da facul lade, ou
com outro qualquer membro da commiss5o
julgadora, etc. No caso d'- infraoco, ficarem
desde logo suspensos os exames, e os be-
deis, que para isso concorrerem direta ou
indirectamentesnjeitos suspenso e res-
ponsabllidade.
2. Prohibir o recebimento e entrega,
antes e depois dos exames naquella sala, de
toda e qualquer carta, ou escripto de qual-
quer natureza que seja para o director e os
de mais membros da commisso julgadora.
Eracuar-se, sob aquellas mesmas penas
impostas aos bedeis, a sa'a dos exames du-
rante a prova escripia, para que ella se ef-
considerados como um objecto de recreio
ou luxo.
E' para admirar a audacia com que mui-
tos d'esses mogos assim mal preparados se
atiram a ataes exames sem receio da sorte,
que os aguarda.
Todo o seu mar r empenho consiste em
conseguir urna approvaijo, sem se lhes im-
portar de ser ella simples ou nao; tanto as-1 ^iso oVeu'voto.
sim que pergontados como se sahiram des-
ses exames, respondem com todo desplante
apredem muito superficialmente, e quanto 1
h* ZZL fectue nicamente na presenca da commis-
basta para vencer os exames, ou sao apenas 1 j \.
.JL^ ,nm, J3 T2 JZZ- sa0 Jugadora, e se estabeleca a mais perfei-
ta incommunicabilidade e recluso dos exa-
minandos.
4.* Proceder-se ao julgamento das pro-
vas escripias apenas sejam ellas concluidas e
entregues ao director, sendo secreta a yota-
co, como se pralica nos actos acadmicos
escrevendo nominalmente, e assignando abai-
xo dolas cada umdos membros da ditacom-
E' pois urgente acudir com providencias
bemtermo por elles pplicado, como enrgicas e adeqadas para obviar o mal,
equipolente ao deapprovacao simples. {^Q de dia enr toma ma,orM ProPor'
ces, com detrimento da propria mocidade,
Deste indifferentismo -procede em grande ge dedca -0 eitudo ^0,,^^ e para
parte que rarissimas s2o hoje asapprova-, a5 approvacoe8 injustas nao possam ni-
edes plenas, que esses mancebos nao se es- ve,|ar Q verdeir0 mU) wm a iaepmo pr0.
forcem por obter, nem se quer mesmo as j tegda) ^sirio o desanimo da uelle, e fo-
ambicienam, e por conseguinte frequente mentaodo 0 ^jo desta
ver mottos o"elles apresentarem cheios de f
grande prazer todas as certidoes dos se- .
te exames preparatorios com a nota de ap- Bienniopara os exames preparatorios.
provacoes tmpJM, que alias os habilitam O segundo motivo, que. se aponte para a
matricula na faculdade, seu nico deside^ relaxaco e descrdito dos exames prepara-,
ratum. torios a existencia do biemio fixado pelo
art. 30 do regulamento complementar dos
estatutos desta facaldade para dentro delle
fazerem-se ta s exames.
Nesle sentido esta Ilustrada congregado
tem feito subir ao governo imperial algumas
representacs, segundo me consta, sendo
que na sessao de 15 de abril do anno passa-
do o nosso distinelo collega o Sr. Dr. Aguiar
offereceu urna bem elaborada proposta para,
por intermedio da directora, indicar-se ao
mesmo governo imperial como medida uti!,
precisa e urgente alteraco daquelle razo,
ampliado ao duplo do tempo.
E' exacto que o citado art. 30 do regula-
mento complementar djspe, que para ad-
missao primeira matricula nesta Faculdade
haj medeiado o espaco de dous annos e'.-
tre o primeiro e o ultimo exame preparato-
rio ; mas, segundo me parece, esta dispo-
sc2o nao consagra a necessidade de serem
estudados todos os sete preparatorios duran-
te o termo fatal, e peremptorio de um bien-
nio, *sira que depois dehabilitar-se o eslu-
danle nelles durante o tempo, que lhe fr
possivel, se submetta ento aos respectivos
exames irremissivelmente naquelle periodo,
factos alias muito distinctos.
Talvez seja o dito biennio curto prazo
para consecuco de todos aquelles exames, e
neste caso poder ser razoavelmente amplia-
do ; accrescendo que talvez fosse esse o meio
de tirar todo pretexto de se estudar os sete
preparatorios, no mesmo biennio,* como se
tem praticado.
No meu entender fura de duvida, que o
motivo, ou a razao de ser daquelja disposi-
co.foi obrigar o estudante a mitricular-se na
faculdade com as ideas ainda frescas das ma-
terias, que sao como indispensaveis aos es-
tudos jurdicos, anteriormente estudadas.
Entretanto elles pelo contrario se dedicam
ao estudo simultaneo de umitas dessas ma-
terias constitutivas da instrueco preparato-
ria, e assim o fazem sem ordem. sera syste-
ma e sera nexo, para fazorcm todos os res-
pectivos exames dentro do fatal biennio; re-
sultando ento que nada aprendem slida-
mente, ou succede-lhes o mesmo que
follia d'ouro, que se torna mais delgada,
medida que se estende, porque ganha em
superficie o que perde era profundidade.
IX
Providencias para regularidade dos exawes
preparatorios.
O nosso Ilustrado e estimavel collega o
Sr. Dr. Jeronymo Vilella de Castro Tavares
reconheceu este mesmo inconveniente, < in-
dicou em sua luminosa Memoria Histrica do
anno passado o meio de obvia-o, que me
parece aceitavel.
O Exm. Sr. marquez de Olinda, no seu
relatorio apresentado assembla geral em
maio daquelle aimo ainda abundou nessas
mesmas ideas com sobeja razo, o que dis-
pensa acrescentar mais alguma cousa a res-
peilo.
Lembro, pois, por minha vez, e era vista
do to respeitaveis opinies, e dos factos oc-
corridos sobre os estudos, e exames prepa-
ratorios: Io, nao ser ninguem admittido
ao exame de latim, sem provar, que o estu-
dou com frequencia, pelo menos, dous an-
nos, e aos das outras disciplinas, pelo me-
nos, um; nao podendo porm estudar mais
do que dous desses preparatorios em cada
anno: 2", nao ser ninguem admittido aos
exames das linguas vivas, sem ter sido~ap-
provado no de latim, adoptando-se para os
demais a seguinte ordemphilosophia, geo-
metra, rhetorica, historia e geograpbia: 3o,
nao ser ninguem admittido aos exames pos-
teriores sem mostrar approvacao nos ante-
riores.
X
Regulados assim os exames, e o estudo de
taes materias desapparecero, nao s o atro-
pello naquelles, como tambem a falta de
nexo no segundo. '
Effectivamente mocos mal preparados, que
a todo transe conseguem malricular-se na
faculdade, inicios dos principaes rudimentos,
nella jamis podero dislinguir-se, e s fa-
ro a mais triste figura ; e assim conclui-
rao a sua carreira em proprio detrimento,
e para flagello da humaoidade, porque nada
mais sensivel e nsupportavel do que um
ignorante com fumaras de doulor.
XI
O terceiro motivo do descrdito dos exa-
mes p eparatorios no collegio das artes des-
ta cidade todo local, e por conseguinte ac-
cidental.
Todos sabm, que esse collegio est col-
locado em um pardieiro prximo, do que
oceupad por esta faculdade, para maior de-
preciacao desses dousestabelecimentos scien-
tificos. Pois bem, aquelle pardieiro pessi-
mamente repartido, asss escuro, e excessi-
varaente acanhado, apenas tem tres mesqui
nbas salas, em que trabalbam, diariamente
sete aulas.
' E' em urna das maiores dessas salas, que
se fazem os exames preparatorios, tendo ella
apenas 26 palmos e 6 pollegadas de largura,
desdeas ja" ellas at urna pequea grade, que
serve de diviso para a galera tos espectado-
res, a qual da largura de dez palmos, se-
gundo asdimenses,que. meu pedido,me
foram ministradas pela secretaria desta fa-
culdade.
(Continuar-se-ka.)
III POUCO DE TBff.

Proudhon que nasceu em Besancon a 15
de julhode 1809, de um dos ramos da fa-
milia do celebre jurisconsulto do mesmo no-
me, era o primognito de cinco Albos de
um pobre tanoeiro ; destinado a seguir o
officio de seu pae, deveu \ bondade de al-
gumas pessoas cardosas o favor de seguir
gratuitamente os cursos do collegio da sua
trra natal. Sem embargo porm do suc-
cesso que obtnha nos seus estudos, foi
obrigado a abandona-los e a entrar como
aprendiz era urna typographia, onde para
logo se distinguiu pelos seus hbitos de or-
dem e de trabalho; de sorte que a custa de
um trdbalho incessante e de privaces, pode
elle auxiliar seus paes e ao mesmo tempo
cuidar da sua propria educaco.
Convidado para- tomar parte na redaeco
de um jornal da prefeitura em 1830, recu-
sou-se.
Occupava-se Proudhon de estudos a res-
peito de etymologia, e encarregado de pre-
parar urna edicao da Biblia, tinha reunido
mitas notas acerca dos principios da lingua
hebraica.
Reimprmiu urna obra do abbade Bergier,
Elementos primitivos das linguas enriqoe-
cendo-a cora um Ensaio de grammatica
geral. Este trabalho que Proudhon publi-
cou depois em separado, determinou a aca-
demia de Besancon a conceder ao autor delle
a penso triennal de 1,500 francos fundada
por Mme. Suard em 1838.
Com este pequeo recurso foi Proudhon
a Paris ; fornecqu alguns. artigos Enciclo-
pedia catholica, e dirigiu academia de
Besancon a obra intitulada Celebraco do
domingo.
Foi a mesma sociedade que elle offereceu
a sua famosa memoria acerca da proprieda-
de, O que a propriedade ? que teve mul-
tas edicoes.
De todos os.escriptos de Proudhon foi es-
te o que excitou maior crilica, seria e jo-
cosa.
Dizendo que a propriedade o roub,
conclua Proudhon pela transformaco radi-
cal da propriedade em urna especie de posse
que se engrandece proporco do trabalho,
dever absoluto e universal
A academia de Besancon suspendeu a pen-
so que dava a Proudhon, e este correu o
risco de ser julgado nos tribunaes pela obra
que escrevra. Salvou-o o economista Blaa-
qui, que, encarregado de examinar a obra,
declarou nao achar nella cousa alguma dig-
na de censura.
Em 1842 foi chamado Proudhon aos tri-
bunaes por causa da memoria que escrevra
intitulada Aviso aos proprietarios, sendo
porm absolvido.
No mesrao anno deixou a empreza typo-
graphica a que se tinha associado, e tomn
a direceo de urna empreza de transpoi tes
martimos no Sabona e no Rhodano, no que
prestou bons servicos. A par do trabalho
que lhe incumba como director de urna em-
pr za importante, Proudhon nao descurava
os seus estudos philosophicos ; e assim em
1843 publicou urna das suasmelhores pro-
dueces Da creaco da ordtm na humani-
dade, e em 1846 o Systema das contradi-
cues econmicas, em que bata de'frente os
reformadores utopistas, bem como os econo-
mistas da escola ingleza.
A revoluco de 1848 sorprendendoProud-
hon em preparos para a publicaco da So-
lucao do problema social pela organisaco
do crdito e da circulaco monetaria; e nao
tendo elle tomado parte na revoluco, e nem
lhe merecendo grande confianca os seus
chefes, conservou-se em observaco ; e s
no-l. de abril comecou a redigiro Repre-
sentante do povo, jornal quotidiano, que
foi suspenso no mez de agosto seguinte.
Nesse mesmo anno, em junho, obteve o
mandato popular como representante pelo
Senna. com-77,094 votos: e na tribuna a
palavra de Proudhon fazia-se ouvir para,d ir
relevo puerilidade ou ao nenhum valor
dos assumptos qne se discutiam.
Tendo votado cura a direita contra a abo
lico de pena de morte, desenvolveu, no dia
31 dejulho, a sua famosa proposta relativa
ao imposto sobre o rendimento, no qual pe-
dia que o estado se apoderasse do terco
das rendas das propiedades rustica e ur-
bana u dos juros de capital, para chegar,
por meio de crdito, gratuito realisaco
seria da repblica. Esta proposta levantou
violentos protestos e foi rejeitada por 691
votos.
Vendo que na tribuna nao consegua pro-
pagar a sua doulrina, Proudhon fundou suc-
cessivamente tres jomaes, o Povo a Voz do
Povo, e o Povo.
Todos tres foram condemnados e suppri-
midos.
Nestas folhas peridicas teve Proudhon
serias polmicas com as notabilidades da
poca.
Levado aos tribunaes, via avultado nume-
ro de subscriptores concorrerem para o pa-
gamento das multas que lhe eram impos-
tas.
As brochuras que mprimia vendiam-se
aos milhares. Entre ellas citaremos, O di-
reito aq trabalho, Os iMalt/msianes, De-
monstrar) do socialismo, Ideas revolucio-
narias, cujos principios eram combatidos a
serio pelos Srs. Thiers, Bastiat e oulrcs, e
pelo notavel e espirituoso caricaturista Cham
no Charivari.
Em 1859 fundou Proudhon o Banco do
Povo, sociedade cpmmercial com o fundo de
cinco milhoes de francos, destinada a orga-
nisar a abolico do juro, a circulaco gratuita
dos valores e por consequencia, a suppres-
so do capital.
Obrigado a fugir para evitar a pena de
priso por tres annos, a qual havia sido con-
demnado por crime de abuso de liberdade
de imprensa, interrompeu as suas operaooes
bancarias, e foi residir em Genebra: ma> a
4 de junho voltou a Franca, e constituiu-se
prisioneiro.
Casoo em 1850, e na priso mesmo es-
creveu as ConfissSes de um revolucionario,
Actos da revoluco, Crdito gratuito, urna
serie de cartas debaixo do titulo Principal e
jttro, a Revoluco social demonstrada pelo
golpe de estado, em que o Ilustre publicista
apresentava para o futuro imperio a alter-
nativa da anarchia ou czarismo; sendo po-
rm solt a 4 de Junho de 1852, voltou a vi-
da privada.
Escreveu depois o Manual das operaces
da bolsa, era 1858 publicou urna obra em
3 volumes intitulada Da justica na rewlu
cao e na 'greja. Novos principios de phi-
losophia pratica.
Esta publicaco que era oflerecida ao cle-
ro, ao cabo de oito das foi apprehendida,
sendo o autor condemnado a tres annos de
priso e a malta de 4,000 francos; de sor-
te que para evitar a priso refugiou-se elle
na Blgica, onde o foi procurar a clemencia
imperial em 1860.
Proudhon estavava complelanto um im-
portante trabalho quando a sua doenca se
aggravou, roubando-lhe a vida por fim.
L-se no Corroo do Sal, de Porto Alegre
o seguinte:
Urna das nontes de delirante festejo com
que a boa Porto-Alegre acaba de celebrar a
paci6cac3o do Rio da Prata, um foguete ca-
hindo no meio do povo, incendiou as saias
de urna galante menina que se desarma em
applausos a gloria das armas brasileiras.
Vendu-lhe arder o vestido, acudiram al-
gumas pessoas a apagar o fogo pressurosas;
porm ella advertindo o que era, com um
movimento cheio de mimo afogou a chammu
e disse:
Deixem!... Uto nao nada... a vista do
de Paysand I
J se pode prever como nao seria applau-
dida a espirituosa alluso e o sangue fri da
graciosa donzella.
Transcrevemos do Publicador o seguinte:
A CABECA DE LEANDRO G0ME3.
O genio da especulaco, que em tudo v
urna mina a explorar, nao lhe imporlandoa
natureza do objecto, seja elle alegre ou
pungente, levou aos muros de Paysand
um apostlo da especulaco, no dia terri-
vel em que, aos golpes dos collorados de Flo-
res", sal lava a cabeca do valen te general Le-
andro Gomes.
Mr. Perroquet, homem emprehendedor,
que havia assistido aoj episodios terriveis
daquelle dia de sangue, apenas v cahir a
cabeca do chefe da Sebastopol oriental, con-
fundindo-se na turba, della se apodera,
simulando leva-la em triumpho. Debalie
procurou-se depois o conductor daquella
cabeca, j desfigurada e paluda. Mr. Per-
roquet se havia, com o seu precioso despo-
jo, oceultado as vistas de urna soldadesca
victoriosa, que s respirava vinganca; e
concentrado em seu gabinete de estudos,
talvez j de aniemo preparado para esta
ou outra semelhante eventualidade, ahi pro-
cedeu, sem perda de tempo, ao embals-
menlo da cabeca pelo novo systema da ex-
traeco do ar, systema que elle muito tem
aperfeicoado, c pelo qual tem conseguido
dar aos cadveres urna quasi expresso
de vida.
O que verdade, e duvida nenhuma res-
ta, que Mr. Perroquet conseguiu conser-
var a cabec 1 de Leandro Gomes como se
viva esiivesse, em nada mudando a sua phy-
sionomia natural, conservando mesmo i*
olhos abortos em posico que parecem mirar
um ponto fixo. No canto esquerdo da boc-
ea apresentam os labios um.ligeiro con-
frangimento.
Era, sem duvida, a expresso daquella
fronte altiva no momento de receber o tre-
mendo golpe, mas que nao deixa percebei
se provm da dr physica que devia ter
experimentado nesse instante de agona, ou
se do despreso com que nesse momento
encarava a Degra perfidia de seus compa-
triotas, assassinando-o no momento em que,
de preferencia, a elles se entregara prisio-
neiro de guerra.
Mr. Perroquet collocou o seu apreciavel
thesouro dentro de urna redoma do mais
lino christal da rocha, e pretende com elle
seguir para a Europa, onde, coro a sua ex-
posicao, espera obler urna larga indemnisa-
co de seos perseverantes esforcos.
Nos tres das que, de passagem, se de-
morn no Rio de Janeiro conservou a ca-
beca de Leandro Gomes em exposicao na
casa de Mr. Bernasconi, ra do Ouvidor,
onde a curiosidade publica affhia cora
tanta soffreguido, que preciso foi a in-
tervenco da polica para nao ser interrom-
pido o transito.
Com quanto fosse a contribuido de 80 rs.
por pessoa, era tal o numero dos concurren-
tes que enchiam o salo das 7 horas da
manha as 10 da noute, que alguns jor-
naes da corte calcularam de 6 7 contos de
ris o ganho de Mr. Perroquet naquelles
3 dias.
Na Bahia s se demorou dous dias, por
ter de tomar passagem para Macei no pri-
meiro vapor que partiu para esta ultima
cidade, na gual se demorou um dia, segura-
do para Pernambuco, onde estere a cabe-
ca do grande general em exposicao por es-
paco de dous dias no immenso salao do
theatro de Santa Isabel. Informam-nos que
ali foi extraordinaria a concurrencia mani-
festando-se no semblante dos generosos Per-
nambucanos, nao urna demonstraco de
applausos, masum sent ment #ecompaixo>
e veneraco por aquelle guerreiro que, ta
phrase do poeta portuguez, antes quk
morrer com a patria do que fugir cobarde-
mente, como ao depois fez o vil e infaiac
Aguirre, cujo acto vergoolioso a morto 3>
consentiu que presenciasse o valcnte geaecal
de Paysand. 1
Mr. Perroquet, desejando antes de par-
tir para a Europa, visitar as provincias do
norte, veio, instancias de raoitos de nos-
sos comprovincianos que se acham em Per-
nambuco, fazer aqui urna ligeira exposicao
at a passagem do vapor que se espera do
sul.
Para islo obteve um salo terree do con-
vento de S. Bento (o primeiro entrndo-
se pela portara e tomando direita.)
Como este salo seja espacoso pode conter
urna concurrencia de 100 espectadores.
Privo da entrada 80 rs. por pessoa adulta,
e 40 rs. para meninos. Nao se admita
pessoas descalcas. Abrir-se-ha o salo hoje
s 7 horas da manha.
N. B.Mr. Perroquet tem per conveni-
ente prevenir ao pblico de que seo vapor
do sul chegar hoje a este porto a exposi-
cao durar smente at o momento de se-
rem as malas despachadas pola administra-
do do correio, por tei de seguir para o
Cear no mesmo vapor.
PERNAMflCO.-TYP. DE M. F. DE F. & flLH


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWWIMXLJG_LVPJFS INGEST_TIME 2013-08-27T22:42:00Z PACKAGE AA00011611_10640
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES