Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10637


This item is only available as the following downloads:


Full Text

?
AMO m HUMERO 80.
.1
Par fitrtel|gf iilrdcl0di*s4tl.omez i i 1600
dem deiois dos 1.' 40 das do caneco e deitro da qaartel. (|006
Parten carra* aor tres MMts........... 750

tji
til taren
ENCARREGADOS DA SUB9CRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqaim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
FiHios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Alabas, o Sr. Clandino Falco Das; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
P.beiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, lodos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altiaho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bora
Conselho, Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quarias
feiras.
SEXTA FEIRA 7 D ABRIL DE 1865.
.
Per ano pago dentro de lOdias de 1. mez 191000
Porte ae eorreie por um anne.............. 3|000
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a i
hora da tarde.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Quarto cresc. as 10 h., 59 m. e 22 s. da t.
11 Lna chela as 2 h., 17 m. e 52 s. da m.
18 Quarto mlng as 9 h., e 16 m. da t.
27 La nova as 11 b., 53 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CANTAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas s 11 horas.
Mto de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do
hora da tarde.
civil: quartas e sabbados a 1
DAS DA SEMANA.
3. Segunda. S. Pancracio b.; S. Benigno m.
4. Terca. S. Isidoro are. dout. da egr.
5. Quarta. S. Iria v. m.; S. Zenon.
6. Quinta. Ss. Diogenes e Platonides mm.
7. Sexta. S. Ephipbanlo b.; S. Rufino presb.
8. Sabbado. S. Amanciob.; S. Elizio m.
9. Domingo de Ramos. S. Demetrio m.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas 42 e minutos da manhaa.
m.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,.
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Reeife, na livraria da praca da Independencia
os. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho. w,
PARTE OFFICIAL
G0YERR0 DA PROVINCIA.
EDITAL.
Secretaria do governo de Pernambuco, 29 de
marco de 1865.
Pela secretaria do governo se faz publico, que
por affluencia de trabalbos, S. Exc. o Sr. presiden,
te da provincia so dar audiencia de urna bora da
tarde em diante, excepto aes chefes de repartieses
aos quaes ouvir em qualquer hora.
O secretario do governo,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Continuarlo do
expediente do
de 1865.
dia Io de abril
em oflQcio de 29 de marco prximo findo, aatoriso-
a a despender mensalmente a qnantia de 4*300
com o fornecimento de agua e luz para as prlses
da cadeia d'aquella cidade, alm da quota consig-
nada na le do orcamento municipal vigente, para
semelhaote fornecimento.
Portara.0 presidente da provincia tomando
em censideracao a proposta do director geral da
instrueco publica de 31 de marco prximo Ando
sob n. 99, resol ve nomear para o lugar qne se acha
vago de delegado lilterario da freguezia de S. Vi-
cente ao capito da guarda nacional, Manoel do Re-
g Cavalcante de Albuquerque.Fizeram-se as
necessarias communicacSes.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
; de paquetes facam transportar para a Babia, por
I conta do ministerio da guerra, no vapor que se es-
pera do norte os 5 caix5es de que trata a portara
de 21 de marco ultimo, visto que nao seruirara no
vapor And.-Communicou-se ao coronel comroan-
dante das armas.
Dita.--Os Srs. agentes da companhia brasileira
de paquetes a vapor facam transportar no vapor,
setembro do anno passado, deve ministrar a relaco
dos presos existentes na respectiva cadeia, durante
aquelle tempo, o que nao difflcil em vista dos
respectivos assentamentos.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Restitoindo V. S. os papis que vieram annexos
ao seu offlcio do l." do.corrente, sob n. 220, tenho
de n de marco ultimo, fez V. S. de seus servicos,
cbeme dizer em resposta que em occasio op'por-
tona aproveiUrei taes servicos que reputo impor-
tantes em presenfa dos documentos, que V. S. sub-
metteo ao meu conhecimento e que ora devolvo,
dos quaes se evidencio a dedicaco e o modo sa-
tisfactorio com oue V. S. tem desempenbado as di-
w----------------w ---------------7------------ _a--------- -j**w i. *j. luiu un^viiiuciitldUU d.1 Ul"
a dizer em resposta, que os vencimentos dos offl- veras comraissoVs que Ihe tem sido commeltidas.
ciaes por mira nomeades para o corpo de volunta-
rios da patria, devem ser pagos sob minha respon
Dito ao major Dr. Jos Cardoso de Queiroz Fon-
ea.Mandei alistar no corpo de Voluntarios da
sabilldade nos termos do decreto n. 2884 do 1.'de Patria o cidado Felippe da'Peona de Sena que
fevereiro d < 1862, e a contar das datas de suas V. S. me apresenlou com o seu offlcio do primeiro
nomeaces nao compelindb por forma alguma aos j do corrente a que respondo, agradecendo a solici-
offlciaes reformados e eflectivos do oxercito, apro-1 tude com que V. S. tem auxiliado os esforcos do
venados para o mesmo corpo maiores vencimentos governo na acquisicao dos mesmos voluntarios
do que os des potos, que actualmente ocenpam no Dito ao tenente '
rerE sniaaB* sBssi'st] sasasa4*da mesma arma Laarenii-
iOtS^fJ&SSSfhSS S I ras^OrZe3t'SS-X+tB:
ZduPnad Ma rr^rV'nC,a d8S- Pedrodoicommando superior, que preste urna guarda de
wSJmn/fii^T,0'^ I nora para acempanhar a procisso de Encontr
ueste modo fleam deferidos os requenmentos que deve ter lugar na villa de hmarassi n tarde
Jessas pra5as a .que alinde o offlcio de V. S. n.608 3e sextaT-fira d! Triumpho t
Dito aoT^o.-Haja v. S. de informar sobre o J&VS&fcSJm d! Sariga
jsssjs ao,as Ro,im de oiiveira'no inciuso,guarda"* s-rs3
requerimento.
Dito ao mesmo. A' V. S. faco apresntar os re-
s Antonio Jos Gomes e Antonio Malaquias
Offlcio ao Rector da thesouraria provincial. SS se espera do norte a ser entregue ao Exm. ar-
Constando de offlcio do chefo interino da repart-! ceDSP da Baha, um caixo que lhe ser apresen
Cao das obras publicas datado de 28 de marco ul- aao_<, timo e sob n. 91, haver o arrematante do empedra- .aao dos saD,os oleos solicitados palo vigario ca-
ment da estrada do Pao d'Alho entre a bomba do P|Ialar j apresentando-me os mesmos agentes a
Pimeniel o o marco de 10 mil bracas executado 2 conta da despeza cora o transporte do referido cai-
tereos daquelle empedramento, e por isso com di- xaoafim de-ser satisfeita.
reito ao recebiraento da 2' prestaco do seu con-' Uita.O presidente da provincia considerando :
tracto ; testal o communico V. S. para seu co-1 Qae o conselho director da instrueco publica
nh
cert
ionada
rio
jote Joao Marinho Paes Brrelo. Gomes de Mello oara nue manda asseniar-ihes nra.
referido corpo de voluntarios, devendo-se compre-! Agradecendo o offerec.menta que fez V. S. de seu t ca, se foreraJugados aJL para is4> eSiniccrfo
hender nesses vencimentos os que elles anterior- filho Joaquim Marinho Paes Brrelo para servir no! de sade
mente pereebiam. j corpo de Voluntarios da Patria, mandei nesta data '
uno ao mesmo. t A vista do incluso pedido, e alista-lo no pr^diio corpo, e muito louvoa V. S.
nao havendo inconveniente, mande V. S. adiamar essa subida prova do seu patriotismo,
ao almoxarife do Hospital Militar, como soliciiou o Dito ao chefe interino da repartico das obras
comraondante das armas, em offlcio n. 600 do 1." publicas.-Para satisfaxefa deliberacao da assem-
do corrente, a quantia de 200, afim de oceorrer, bla legislativa provincial, remetta-me Vmc. o
quadro das obras novas indicado em seu ultimo
relalorio.
Dito ao lente da guarda nacional Pedro Be-
zerra Cayalcanti Maciel. -Agradecendo como um
acto patritico o ofTerecimento, que em offlcio de
as despezas com gneros para dietas dos enfermos
existentes naqueile estabeleeimento, em quanlo se
nao effectuar contratos para o respectivo forneci-
mento.Communicou-se ao caramandante das ar-
mas.
acompanhe o Sr. Bora Jess dos Passos da "Grasa
era procisso nao s as 6 horas da tarde de 6 do
corrente, mas tambera no dia seguinte a bora do
costume. ;
\ Dito ao vce-consul de Inglaterra.Tendo sido
effectuado no dia Io do corrente como informarara
o inspector da thesouraria da fazenda e o da al-
uno ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi- 27 de marco ultimo, fez Vmc. nao s para raar-
nistro da guerra, era aviso de 20 de fevereiro ulti- char para o Rio da Prata, mas tambem para agen-
mo, que seja suspenso a contar do 1." da margo j ciar o alistamento de voluntarios, tenho a dizer
havendo opportumdade aceitarei os seus ser
para a carapanha, e pela portara que junto
ito, fica Vmc. autonsado a promover a acqui-
dos mesmos voluntarios.
ao director do arsenal de guerra. Forneca
o coramandante do batalho n. 23 de infan-
execucao.Communicou-se ao coramandante das taria da guarda nacional do municipio de Santo
""}?* Anto, como requisltou o respectivo coramandante
uno ao mesmo. Em vista da conta junta era superior em offlcio de 21 de dezembro ultimo, 2
o s 2 Ii21 rao os dit)S ames e concursos provas de capaci- duplcala, e nao havendo inconveniente, mande V., caixas de guerra cora talabartes e baquetas nao
dade : | J5. pagar a Manoel Figueirda de Faria & Filho, con-1 excedendo o custo desses artigos ao que acha
ienles or-' ue iev^io o mesmo conselho pelo artigo 13 forme solicitou o capito do pono em offlcie do 1 estipulado na tabella de 8 de Janeiro de 1848 -
- do corrente, sob n. 38, a quantia de 24*600 rs, | Communicou-se ao respectivo coramandante supe-
provemenie de annuncios maulados publicar por, ror.
aquella capitana no Diario d* Pernambuco, avi- Dito ao mesmo.Concedo a auloiisacao'qne Vmc
sando aos navegantes de se acharera collocadas as solicilou em seu offlcio de n. 215 e data de 28 de
nal do Hecie.Expeca v. s. as soas ordens para,
qui) um dos corpo." da guarda nacional desta clda- exames de habelitacao e os concursos, designa-
da acompanhe a procisso do Seohor Bom Jess' ?ao de SUIT"na importancia, porque se nao for fei-
dasChagas, que tem de sahir da grejade Nossai a comj>tinlor criterio e indiligencia nao fornece-
Senliora do Paraizo no dia 9 do correte
horas da tarde.
Dilo ao mesmo D V. S. as convenientes
dos, para que um dos corpos da guarda nacional fl0 regulamento de 11 de junho de 1359, dar o seu
dela capital acompanhe as procisses da Sexta- Pare.cer sobre a capacidade dos concurrentes ao
Foira Santa e de Domingo da Ressurrelcao que j ""Bisterio, consentaneo que, para o bom desem-
tem de sahir do convento do Carmo, a Ia as 4 no- Penho o^sse dever. possa estatuir sobre as provas
ras da tarde e a 2* as 6 da manhaa. necesarias para formar o seu juizo, designando
DUo ao commandante do corpo de polica.Man
de V. S. augmentar com 4 pravas a guarda diaria
da casa de detencao, como solicilou o julz munici-
|>al da 1* vara desta cidade em offlcio de bontem.
os pontos sobre osyjuaes devera ellas versar :
Que essa faculdlde foi conferida ao conselho di-
rector pelo artigo 5 do regulamento citado era re-
lagao aos exames de todas as materias da iostruc
Communicou-se ao Dr. juiz municipal da l1 vara! G*e. PUD,|caj e que nenhuma raso ha para que os
de-la cidade. da instrueco primaria formem urna exeepcao; or-
dena que na execuco da Iei n. 598 de 13 de maio
de 1864 se observo o seguinte :
Artigo 1. Os pontos para os exams de habeli-
laco e pan os concursos tendentes ao provimen-
lo das escolas de instrueco primaria serao feitos
pelo conselho director na forma estabelecida no
artigo o do regulamento de 11 de junho de 1859.
Artigo 2." Os professores dia escola normal que
Dilo ao mesmo. Mande V. S. apresntar ao
commandante das armas para ser alistado no cor-
po do Voluntarios da Patria, como se olfereceu, o
guarda Ullisses Marinho Cabral e o exclua do cor-
po sob seu comtnando, se for julgado apto para
aquelle.
Dito ao director geral da instrueco publica.
Approvo a deliberado que tomn o regedor do
Gymnasio Provincial, de nomear o refeitorelro Joa-
quim de Souza Teixjira, para substituir cora as
mesmas condcoes e vencimentos o servente Porfi-
rio de Albuquerque Magalhes, que foi nomeado
porteiro daquelle estabelecimento.
Dilo ao bacharel Hisbello Florentino Correia de
Mello e Isidoro Jos Dias Brrelo. Inteirado de
quinto Vv. Ss. me communicam em seu offlcio de se as necessarias communlcacSes.
20 de marco ultimo, tenho a dizer-lhes que rauito Jui,a-Us Srs. agentes da companhia brasileira
boias do Banco do loglez e a dos baixos de Olinda. margo ultimo, para admittir a jornal at 8 opera-
Commnnicou se ao capilo do porto. i ros em cada urna das offleinas de funileiros, co-
Dito ao mesmo.-Mande V.S. indemuisar o mi-lronheiros.serralheros, tanoeiros, corneiros e al-
nistene da guerra da quanlia de 759*100 rs., sal- faiates desse arsenal, visto que sao elles necessa-
do da Importancia dosarligos de armamento e cor- ,rios para-o fabrico dos artigos que se tem de for-
rame constantes da conta junta, fornecidos ao i., neceraos corpos e nao terapparecidonumero snffl-
e 2? baialhoes de infantaria da guarda nacional jciente de' operarios que queirara incumbir-sedas
do municipio do Reeife. I obras por empreitada como Vmc. declara em dito
Dito ao mesmo. Para os lins convenientes, re- offlcio.Communicou-se a thesouraria de fazenda.
metto incluso V.S. o mappa nominal do mov- Dito a cmara municipal do Reeife Em solu-
mento havido com o pessoal das enfermaras do cao a offlcio n. 7, que me dirigi a cmara mu-
Hospital Militar, na segunda quinzena do mez de nlcipal'desla cidade representando sobre a pratica
margo ultimo. de seram os presidentes da provincia envestidos
^ ci,(aoninasrao' "** V" S- arrecadara quantia da possfc pelos seus antecessores no palacio do go-
.. ae t>ua*80 rs., que, segundo a conta junta por c- verno, remetto incluso por copia a fflesma cama-
torem membros do conselho director nao funecio- P'a> esta a dever a thesouraria provincial ao miis- ra o aviso expedido pela repartico do imperio em
narao no dito conselho, para aprecaco das provas tno da guerra, peKis objectos mencionados na 14 de marco ultimo, declarando que o governo
mesma conta fornecidos ao corpo de polica, fican- Imperial jolga abusiva semelhante pratica pelos
ao\. s>. cerlo de que, ao inspector daquella repar- fundamsnlos expostos em dito aviso,
iigao, expeco nesta data as convenientes ordens. Dito ao delegado de logazeira.Devolvendo a
h-xpedio-se a ordem de que se traa. | Vmc. os oficios em original pelo chefe de polica
Uito ao inspector da thesouraria provincial. dirigidos a essa delegacia em 12 de janeiro, 31 de
Hestituo a V. S. o pret junto em duplcala, na im- marco e 21 de raao de 1863, que acorapanharara o
a de 37*300 rs., proveniente dos venc- seu offlcio de 29 de Janeiro ultimo, a que respon-
oulra casa que
dos concursos em que tiverera inervindo como
examinadores.
Artigo 3. Ficam revogados o artigo 28 do re-
gulamento de 1 i de novembro de 1864, e mais dis-
posicoes regulamenlares em contrario.Fizerara-
Dito ao mesmo. Informe V. S. que destino teve
Antonio Estevo Tavares, que veio remettido como
recruta para esta capital, em novembro do anno SK^W &^lE^h^'%.
passado, segundo declarou o juiz de direito da co- tisfeilos os deseios manif>'iX nSi Sr BM.JS
"ardeavodiv.doDto ADl0 no inc,uso offlcio que rae se-1 SSaStSSftftJwapRi
Dito ao raesmo. -Sirva-se V. S. de mandar ,ns- ^ Vr^^^SSS'LMLStU
Kf pS'atnV6 Sade RVd- Padfe ae,a- toKSSrSWS^
no Jos Pereira Pinto, que requer ser nomeado ca- referido leilo naqueile dia
E^mJiSSfiJ!**'** ""*""> o! ^novo ao mesmo Sr. vce-consul os raeos pro-
nmVnS J n v c i,e3tos de estiraa e consideraco.
cinnar LtoSTiT. Qu,n ^ ^ ""S !.nsp 5"' Dit ao commandante do rpo de polica.-Man-
c onar pela junta de sade o contra-mestre da offl- de V. S. apreseatar as 10 horas do da de amanhSa
cia de 3- classe do arsenal de guerra, Antonio Joa-; Da 99S!S^^a^*?SSb
qu.m P,res, env.ando-mc o parecer da mesraa seu enramando, aflm de escolureVn* cimSJios at
if^Ik.eh^depH(^-jafWm.V.S.eo SRttt Be,la-Goramunicouse
'S&JTSL aCTa d0 r,ecrm*d0 Qnin'i'iaoo | Dito ao mesmo.-Visto que foi considerado in-
Antonio da Costa, de que trata o incluso docu- ; capaz do servico, era lospece de sade o soldado
u:,. ma,m ,,___ ,r 0 .. (, corP so" seu commando. Joaquim Jos de Amo-
, rtS; Z lQ ru W: S> c,om qUeJhe rira' corao Cdnsta Jo seu offlcio n. 207 de 3 do cor-
constar acerca do recruta Herculano Loureoce Bar- rente, autoriso V. S. a dar-lhe baixa corao elle so-
bosa, tendo era vista o documento incluso.
Dito ao mesmo.Convera que V. S. chame sua
presenca o recruta Firmino Francisco dos Santos,
a que alinde o seu offlcio n. 479 de 3 do corrente,
licitou.
Dito a Estevo Jos Paes Barreto.Louvando
com agradecimenlo o aclo patritico que acaba de
praticar V. S., offerendo seu filho Fernando Lins
t^n,rLSLJa"dt,ZAr}a,0 ?erreJa d0 !?f Paes Barre, Para servir no"corpo 'de Vo'vmaTios
cimento, do batalho n. 44 de infantaria do munici- da Patria dou nesta data as nrnrim nr*n* ,r*
tisas^Ti ,r.azeado v-s-ao me, as! que se erfe''ue Kssu. ts ssn
S&SSJSL lS0S Pape'S' oresu,ladodel referido corpo.-Offlciou-se ao commandante das
suas avenguacoes. armas nesle sentido.
4. .2JL2TSS ~.,Para saUsfaz<;r ,a ?e,,beW Dilo a Antonio Alves Campos e Caetano de 011-
da assembtea legislativa provrac.al, informe V. S. | veira Mello.-Com os offlcios de Vv. Ss. de 26 de
h?, HPo0n^mflJain-eSCu ? am ^ ?" Hi'f1' i ""V ul,im0 se me aPresentaram 21 cidados que
i.r.1 doTnh &i ^em foi altribuida a se destinara ao corpo de Voluntarios da Patria, no
5idodsPachaote Miguel Carneiro da Cuoha, que teve ingar ha dez j0S Pereira Trovoada por nao ler o necessario des-
annos pouco mais ou menos. | envolvimento physico
inspector da thesouraria de fazenda.- Quanlo aos dous voluntarios Antonio de Souza
que mande pagar-lhe integralmente os seus venc
mentos relativos ao mez de ab il ultimo, conside-
rando para esse fim abonadas as faltas que elle
den nos dias 16 a 20 do mesmo mez, em que por
doeote deixou de exercer as funecoes do seu era-
prego.
Dito ao mesmo. Mande V. S. fazer na guia do
SQCcorriraento, com que velo do Rio-Grande do
segundo
consta de um dos seus citados oficios, nada cabe a
esla presidencia resolver a sementante respelto.
Agradecendo por esta occasio a valiosa coadju-
vaco que tem Vv. Ss. prestado ao governo na ac-
quisicao de voluntarios, espero do seu patriotismo
que nao arrecefero nesse louvavel empenho.
Dito ao director do arsenal de guerra.Recom-
mendo a Vmc. que tomando em consideraco a in-
agradeco e applaudo o empenho patritico com de Paquetes, facam transportar para a edrte por, men,os de una escolta de guardas nacionaes, que do, tenho a dizer lhe que procur.
que Vv. Ss. e raais alguus cidados dessa villa pro-1 coo,a do ministerio da guerra no vapor que so es-: conduzio presos de justica da cidade de Nazarelh tenha as recommendacoes precisas para servir de
curara abrir urna subscripeo para oceorrer as des-, Pera do norte aos offlciaes mencionados na relaco Para esta capital, aflm de que, de conformidade cadeia, e por menor preco do que a do bacharel
pozas de reparo e trausporte a esta capital das pes- JUQla' e Pifa a Babia a familia do alferes pharma-: coni o parecer da contadura dessa thesouraria a Vicente Jansen de Castro Albuquerque.
soas que se quizerem alistar como Voluntarios da ceutico Joo Gualberto de Souza Gouveia, corapos- Que se refere o seu offlcio de 30 de marco ultimo, Portarla-O presidente da provincia
Patria, sendo o restaulo applicado em beneficio das '
ta da raulher e urna tilha com 8 mezes de idade.
familias dos mesmos voluntarios conhecidamente Relaco a que se refere a portarla sopra.
pebre. | Cirurgio-mr de brigada Dr. Jos Sergio Fer-
Dto ao capito reformado do exercito Joo An- reir.
1." cirurgio
tonio Leito.Accuso recebido o'offlcio de hontem
datado, em que Vmc. ollerecendo-se para fazer
parte da guarda cvica que tem de enearregar-se
da ronda noturna desta cidade, poe disposicao do
governo os servicos gratuitos de suas cinco filhas
para costurarem os fardaraentos dos Voluntarios
da Patria.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pi-
laoga.
Dito Dr. Francisco Goncalves de Moraes.
2. dito Dr. Joo Honorio Bezerra de Menezes.
Dito Dr. Ernesto Feliciano da Silva Tavares.
Alferes pharmaceutico Manoel Francisco de Oli-
veira.
Aceitando com louvor, e agradecendo niuto lo Dilo Joo Gualberto de Souza Gouveia.
grande prova de seu patriotismo, passo a recom- Dita. O Sr. gerente da companhia pernambuca-
mendar ao Ur. chefe de polica que aproveite os na niande dar transporte at o Rio Grande do Nor-
seu- bons servicos na guarda cvica quando forera \ te> no primeiro vapor que para all seguir, em lu-
elles precisos, e ao director do arsenal de guerra 8,r df! T& destinado a passageiro de estado, ao ins-
os de suas citadas filhas na manufacturaco dos' pector da alfandega d'aquella provincia Joaquim
fardamenlos. Expediram-se as ordens de que se Candido Possoa de Seixas, devendo serem pagas
trata. i as despezas de comedoria por conta do ministerio
Dito ao director do arsenal de guerra.-^Forneca da fazenda.
Vmc. enfermara do presidio de Fernando, como 3
solcitou o coramandante das armas era efflcio n. Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Rio
586 de 30 do correle, os objeelos mencionados na Grande do Norte.Recebi os 2 offlcios de V. Exc.
relacaj junta em substituido de outros que foram datados de 24 e 28 de marco ultimo, e fleo scienle
dados a cousumo Fieram-se as necessarias com- d terem vindo para esta capital no vapor Persi-
uiunicacoes. ,nunga o 2. cirurgio do corpo de sade do exer-
Dto ao mesmo. Compre Vmc. a caixa de ms- cito Dr. Firmino Jos Doria, e os soldados diserto-
trumontos crurgicos de que irata o seu offlcio n. res do 7. batalho de infantaria Roque Pereira de ; Por fiador Jos Lopes Rosas, arrematado com o i correspondente a quinta parle do> seus" ven
211 de 27 de marco find) alira de ser remanida L|ma e Jos Vicente de Aguiar.Communcou-se abate de 2 por 0(0 nos precos da respectiva tabella tos, visto ter-se destinguido no enslno por mais de
.., attendendo
soo n. 121, mande pagar ao negocianto Jos Mana ao que requereu Joo Agostinho de S Pereira, ar-
,rreir.a da Caniia, para isso indicado em meu rematante da obra da ponte de Itamarac, resolve
uMutm fuelle mez, sement a quanlia de conceder-lhe trinta das de prorogaco para a con-
JUJJO rs., por ter de deduzir^b do mencionado cluso daquella obra a contar da data em que se"
pret6*o09 rs. lirados para fardamento, a que nao lindar o prazo para esse fim raarcade no respectivo
tem direito a predila escolla, em visla do aviso de contrato.-Fizeram-se as necessarias comraunica-
1* de novembro de 1855. coes.
Dito ao mesmo. Nao havendo inconveniente, Dta.-O presidente da provincia tendo em vista
mande V, S. pagar a Joao Peroira de Gouveia Tor- o que requereu Jos Augusto de Araujo, arrema-
res balllndo, como peda no incluso requerimento, tante dus reparos urgentes da cadeia da villa de
a quantia que se lhe estiver a dever proveniente Serlnhem, e bem assim a inormaco ministrada
do aluguel da casa de sua propriedade oceupada a esse respeilo pelo chefa Interino da repartico
pelo destacamento da villa de S.B.oto, visto co- das obras publicas era 20 de marco ultimo, sob n.
mo a mencionada casa tendo sido allugada para 80, resolve prorogar por trinta dias o prazo mar
servir de cadeia, parte della prestava-se para quar- cado ao predilo arrematante para a coucluso das
te I do mesmo destacamento. obras do seu contrato.-Fizeram-se as necessarias
uno ao mesmo.Attendendo ao que requereu o eommuoicacSes.
director da sociedade dos Artistas Mchameos e Dita.-O presidente da provincia attendendo ao
Liberaes estabelecida nesta cidade, RuluodaCos- que requereu o professor publico de instrueco
ta Piato, recomraendo a V. S que, medanle flanea primaria da freguezia de Itamarac" Possidonio da
eaonea e nao havendo inconveniente, mande entre- Rocha Pereira, e tendo em visla a Informaco do
gar ao tnesoureiro da mesma sociedade, Jos Ao- director geral da instrueco publica de 31 de tnar-
tonio Alves Neivas, a subvencao votada pelo artigo co prximo Ando, sob n. 100, ouvldo o conselho
y da le do orcamento vigente. director resolve.na conformidade da primeira par-
Uito ao mesmo.Accuso recebido o offlcio de 23 te do art. 28 da Iei n. 369 de 14 de male de 1855
de marco ultimo sob n. 109, em que V. S. me par-1 combinado com o art. 27 da Iei n. 598 de 13 de
ticipou haver Joo Carlos Augusto da Silva, dando maio do anno passado, conceder-lhe a gratificaco
nortee segu para a corte, o 2" cirurgio do corpo clusa proposta de Jeronymo da Costa Lima e a de
desaude, Dr. Firmino Jos Dona, a conveniente Manoel Thomazdos Santos, que se propSem a fazer
declaracao de nao ter elle recebido vencimento al- ainda nesta um abatimento de 6 "/^contrate com
gura por esta provincia. estes, ou cora quera mais vantagens offerecer o fa-
Dito ao mesmo.Em vista da inclusa relaco, e brico dos fardamento des Voluntarios da Patria;
nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar a certo Vmc. de que ambos estes proponentes me de-
f>everino Saraiva da Cunha, conforme solcitou o clararam que sendo os seus dtsejos prestar um
enere de polica_ em era offlcio do 1 do corrente servico, pretendem ser ouvidos sobre qualquer ou-
wb n. 476, nao so a quantia de 21,5000 provenien- tra proposta de raaior vantagem.
le da etape fornecida aos reci utas Francisco Anto- Dito ao mesrao.-Constando-me nao ter ainda si-
mo Vaz, Alexandre Luir. Beserra, Joo Correia da do satisfeito o pedido do coronel commandante do
Rocha e Manoel Paulo do Nasclmento, que sendo 1 corpo de voluntarios de 8 jarras, urna mesa, 8
remeiiidos do termo de Papacaca para esta capital, cubos e 19 tamborees, que por despacho de 28 de
foram postos a disposicao do coronel commandante marco ultimo se mandou remecer aquelle corpo.
das armas para terem o conveniente destino, mas recomraendo a Vmc. que satisfaca com urgencia o
tambem a de o3250 abonada ao Voluntario da Pa- referido pedido.
Jos Feliciano, e cujo pagamento j foi orde-1 Dito ao juiz municipal da varaConstando de
offlcio do Dr. chefe de polica n. 457 de 29 do mez
repartico da guerra na primeira opportuoidade, a commandante das armas.
apreseniando-me a respectiva conta para ser auto- Dito ae Exm. visconde de Camaragibe director
risado o pagamento. | da Faculdade de Direito. Tendo em consideraco
Dilo ao mesmo. Viste nao haver no mercado oque V. Exc. informou nesta data sobre o reque-
desta praca foihas de Fiandres proprias para mar- j rimento de Leopoldioo Antonio da Fonseca, que
mitas, corao declarou Vine, era seu offlcio de hon-. pretende concorrer para o provimento da cadeira
tem, (ka o conselho de compras desse arsenal au- de lalim do curso de preparatorios dessa Faculda-
torisado, como Vmc. propoz, a encommendar a al-- de, e atlendendo s rasoes por elle apresenladas e
guns dos negociantes at 100 caixas tes foihas, com a marca e dimenses descriptas no esta provincia para inscrever-se opportunamento,
offlcio a que respondo. sirva-se V. Exc. de o adraittir ao referido coocurso
Dito ao alferes Luiz Belchior Pessoa de Siqueira se por acaso ainda nao tiver principiado, e se nao
Cavalcanti. Agradeco o patritico offerecimento houver inconveniente nessa admisso.
que faz Vmc. para ir tomar parte na guerra do sul, i Dito ao coronel commandante das armas.Si r-
e tenho a declarar-lhe que em occao opporluoa va-se V. S. de informar sobre o que pede D. Tho-
sero approveitados os seus servicos.
Dito ao juiz municipal de Ipcjuca. O cidado
Manoel dos Aojos Vieira, bem corao mais tres de
que tralei em meu offlcio de 18 do corrente, tive-
ram praca no corpo de Voluntarios da Patria, sen-
o fornecimento dos presos pebres da casa de de
teo'cao no trimestre de abril a juuho^este anno,
e em resposta tenho a dizer que approvo essa ar-
remata cao.
Dito ao mesmo. Autoriso V. S. nos termos de
sua informaco de 31 de marco ultimo sob n. 124,
dada com referencia a da coniadoria dessa thesou-
raria a mandar adiamar ao delegado do termo de
Garanhuns por intermedio do thesoureiro da re-
partico da polica a quantia de 400*000 res, para
quinze anuos.Fizeram-se s necessarias cominu-
DJcaeOes.
4
Offlcio ao Exm. presidente da provincia da Para-
hba.Hoje que segu para essa provincia o va-
por Imperador de que tratei, em meu offlcio de 31
de marco de nltimo, por nao ter sido possivel con-
cluirera-se logo como esperava, os concertos de que
elle precisava.
Se por qualquer circunstancia V. Exc. nao jul-
rtazia de Athayde de Albuquerque Mello, no inclu
so requerimento.
Dito ao mesmo.Approvo os contratos que, se-
gundo os termos datados de 20 de marco ultimo
por copia annexos ao seu offlcio n. 558 de 24 da-
do que por equivoco se deixou de declarar o nome. quclle mez, celebrou a junta do Hospital Militar
do referido cidado. com Jos da Silva Correa Collares, Bento dos San-1 Augusto Miet executado o seu contrato celebrado
Quaoto ao offerecmento do 10 por cento de seus tos Ramos, Domingos Jos da Cunha Lages e Jos j com a presidencia em 24 de agosto do anno pro-
vencimentos, que segundo o seu offlcio de 16 deste! Antonio Guedes da Trindade, para fornecerem du-1 simo passado, para execuco de um reconhecimen
mez, pretende Vmc. destnar para auxilio das des-, rante o mez corrente e os de maio e junho vindou-
pezas da guerra, esto expedidas as convenientes ro os gneros necessrios aquelle estabelecimento,
or icos para a arrecadac,o de semelhante oflerta convindo que V. S. recoraraende a mesma junta,
pela thesouraria de fazenda, e por essa occasio que nao prescinda de expressar nos termos todas
cabe-me louvar e agradecer Vmc. essa prova de as condi^oes dos contratos. Communicou-se a
que o mesmo delegado possa oceorrer as despezas | gar conveniente completar a tonelagem do referido
com o fornecimento dos presos pobres da cadeia i vapor com a tropa que ahi existe, neste caso rogo
daquelle t^rmo, visto nao haver quem queira in-1 V. Exc. que o faca voltar sem demora para esta
cumbir-se desse fornecimento, segundo consta do! provincia, aflm de conduzir a forca do 4.' batalho
offlcio do predito delegado de 11 do citado mez de i de artilharia a p, em numero de urnas duzentas
marco. Communicou-se ao delegado de Gara
fenos.
Dito ao mesmo.Era vista da informaco junta
por copla, ministrada pelo chefe interino da repar-
tico das obras publicas em 28 de marco ultimo e
sob n. 89, julgo ter o engenheiro civil Henriqoe
patriotismo.
Fica assim respondido o seu offlcio de 21 do
corrente mez.Communicou-se ao Inspector da
thesouraria de fazenda.
Dito ao chefe interino da repartico das obras
publicas.Inteirado pelo seu offlcio de 28 de mar
co ultimo sob n. 90, de haver Jos Lopes da Silva
Guiraares arrematado pela quantia de 52*000 as
madeiras velhas tiradas da ponte da Boa-Vista, te-
nho a dizer em resposta que mande recolber essa
quanlia ao cofre da thesouraria provincial a cojo
inspector offlcio a esse respeilo.Communicou-se
ao inspector da thesouraria provincial.
Dito ao delegado do termo de logazeira.Re-
commendo a Vmc. que d as convenientes provi-
dencias, para que seja soecorrido das ragoes neces-
sarias ao seu sustento o preso Severioo Rodrigues
Ferreira, que se acba recolhido a cadeia desse
termo.
Dito a cmara municipal de Olinda Em visla
do que ponderou a cmara municipal de Olinda
thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmoSirva-se V. S. de informar so-
bre o que pede Benedicto Jos de Freitas, no in-
cluso requerimento.
Dilo ao mesmo.Haja V. S. de informaa sobre o
que pede Joanna Mara da Encarnado [tabello, no
incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Remeti V. S. para ter o cou-
veniente deslino, a guia dos desertores do stimo
batalho de infantaria, Roque Pereira de Lima e
Jos Vicente de Aguar, qne foram capturados na
povoaco de Ares no Rio Grande do Norte em 28 de
Janeiro ultimo, e vieram escollados para esta capi-
tal no vapor Persinunga, como partecipou-me o
Exm. presidente daquella provincia, em offlcio de
28 de marco prximo Ando.
Dito ao Dr. chefe de polica. Respondendo ao
offlcio de V. S. n. 321 de 7 do mez passado, para
qne faca constar ao delegado de Agua Preta, que
para tep lugar o pagamento da despeza feila com
o sustento dos presos pobres dos mezes de julho a
to geral da actual zona de activtdade da estrada de
ferro desta provincia, e por isso recommendo a V,
S. que mande pagar-lhe a importancia devida na
forma do mesmo contrato. Communicou-se ao
chefe interino da repartico das obras publicas.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Nazarelh.Nao tendo V. S. ministrado o
mappa dos corpos e corapanhias avulsas do ser-
vico activo e de reserva da guarda nacional sob
seu commando superior, com declaracao dos offl-
ciaes e pracas fardadas e nao fardadas, de con-
formidade com o modelo annexo a circnlar desla
presidencia de 14 de marco de anno passado, bem
como do armamento e corrame pelos mesmos cor-
pos destnbuidos, exigidos por aquella circular e
pelas de 20 de marco, 11 de junho, 17 de agosto,
18 de outubro, 24 de dezembro do mesmo anno e
8 de fevereiro ultimo, cumpre que enve os refe-
ridos mappas com a maior presteza possivel, a flm
de se poder cumprir o aviso do ministerio da jus-
tica de 25 de Janeiro do anno pretrito.-Igual aos
commandantes superiores de Flores, Cabe e Rio
Formoso.
Dito ao tenente coronel Fernando Francisco de
Aguiar Montarroyos.Agradecendo com louvor o
patritico offerecmento que, segundo o sea offlcio
pracas que se achara promptas para embarcar.
Offlciou-se ao commandante do vapor para seguir
para a Parahiba, sendo-lhe apresentado por parle
do capito do porto o pralico que requisitou.
Dito ao Exm. Dr. vigario capitular desta diocese.
Para saiisfazer a deliberaco da assembla le-
gislativa provincial, sirva-se V. Exc. de dar o seu
parecer acerca do projecto incluso n. 65 do anno
passado.
Dito'ao Exm. desembargador da Sania Casa da
Misericordia.Sirva-se V. Exc. de dar suas ordens
para que o lauco Antonio Jos dos Santos e Silva
que so acha no hospicio de alienados de Olinda,
seja entregue a seu pai Antonio Martins Monteiro.
Dito ao coronel commandante das armas.Sirva-
se V. S. de mandar alistar no carpo de voluntarios
da patria a Lourenco Jos Gonzaga Fernandes, Joa
nado por meu offlcio do do marco ultimoCom-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Ao Dr. Francisco Carlos Bran-
do mande V. S. pagar, sob minha responsabilida-
de, nos termos do decreto n. 2884 do Io de feve-
reiro de 1862 a ajuda de custo, que lhe compele
como deputado assembla geral legislativa por
esla provincia.
Dito ao mesmo. Em vista do incluso pret por
duplicata, que me foi remettido pelo coronel com-
mandante das armas interino com offlcio n. 620,
datado de hoje, mande V, S. pagar ao alferes Fe-
lippe Jos da Exallaco Maniva'a quanlia de...
3t4*i80, em que imporlam os vencimentos relati-
vos 2a quinzena do mez de marco ultimo, das
pracas da companhia do Voluntarios da Patria sob
o commando do referido alferes.Communicou-se
ao commandante das armas.
Dito ao mesmo. Remetto V. S. para qne
lhe d o conveniente destino, a quantia de 155*,
importancia do seu subsidio do mez prximo passa-
do, que o deputado provincial bacharel Jos da Cu-
nha Teixeira offerece para auxilio das despezas
da guerra, em que o paii se acha empenhado.
Dito ao mesmo. Traosrailto V. S. para o fim
conveniente o pret junto em duplcala, que me re-
mellen o coronel commandante das armas com offl-
cio de hontem sob n. 611, tirando vencimentos pa-
ra os rocrutas em deposito a cargo da companhia
de artfices no tempo decorrido do l|a 31 de mar-
co ultimo.Communnicou se ao commandante das
prximo findo, que os individuos mencionados na
inclusa relaco, e que se achara na casa de deten-
Co, j cumprirara as sentengas a que foram con-
| demnados, e por falta de recursos nao pdem pro-
mover suas solturas, recommendo a Vmc. que ve-
rificado isso os mande por em liberdade.
Dito ao chefe interino da repartico das obras
publicas.Certo de quanlo Vmc. expoz em seu of-
flcio de 22 de marco ultimo, sob n. 86, tenho a di-
zer em resposia que a obra do levantamento do
muro de encost da ponte da Boa-Vista, deve ser
feita por essa repartico, epelo baro do Livramen-
to a do aterro necessario no lugar em que foi cor-
tada a mesma ponle, em virtude dos contratos ce-
lebrados com o mesmo baro, para a construeco
do caes e calcamenlo da cidade.
Dilo ao mesmo.Inteirade de quanlo Vmc. ex-
poz em seu offlcio de hontem, sob n. 96, tenho a
dizer em resposta que convm qne proceda a um
exame minucioso na ponle pensil do Caxang, afim
de verificar os reparos e concertos de que ella pre-
cisa, indicando os a esta presidencia com quaes-
qner medidas que julgar necessarias para a segu-
ranza e conservaco da mesma ponte.
Quanlo, porm, a pintura da que fica por detraz
do thealro de Sania Isabel, deve Vmc. apresntar
as condicSes para o respectivo contrato, quer por
empreitada, quer por administracao, como julgar
mais conveniente.
Dito ao tenente da guarda nacional Lenidas Ga-
armas. ma Duarte.Agradeco a apresenlacao que com o
Dito ao inspector da thesouraria provincial.! offlcio desta data fez Vmc. do cidado Lourenco
Para satisfazer a deliberaco da assembla legisla- Jos Gonsaga Fernandes, a quem mandei abrir pr'a-
tiva provincial, informe V. S. acerca do que pede i ca no corpo de Voluntarlos da Patria.Offlciou-se
no incluso requerimento o porteire do consulado neste sentido ao commandante das armas,
provincial Francisco Antonio da Silva Cavalcanti. j Dito a Decio de Aquino Fonseca.Apresenlon-
Dlto ao mesmo.Cooslando de offlcio do chefe i e'me eom sea offlcio desta data o cidado Manoel
interino da repartico das obras publicas datado I Lemos Ferreira, a quem mandei alistar no corpo
de hontem, e sob n. 9i, haver o arrematante dos de Voluntarios da Patria, e mmto agradeco a Vmc.
reparos do empedramento da estrada da Victoria auxilio que acaba de prestar ao governo na ac-
entre os marros de 8 a 12 mil bracas concluido o qmsiso de voluntarios, e espero do seu painolis-
priraelro terco das obras do seu contrato, assim o
communico a V. S. para seu conhecimento, e afim
de que, em vista do competente certificado, mande
pagar ao mencionado arrematante a qnaulia de
9255000 proveniente da 1* prestaco a que elle
tem direito.Communicou-se ao chefe interino da
repartico das obras publicas.
Dilo ao mesmo. -Attendendo ao que no incluso
requerimento pede o professor publico de instrue-
co elementar da povoaco dos Afogados, Luiz Cy-
mo que continuar nesse louvavel empenho.Offl-
ciou-se ao commandante das armas, para mandar
alistar o voluntario de que se trata.
Portarla.O presidente da provincia attendendo
a que a portara de 30 de marco ultimo, pela qual
abri um crdito supplementar de 947*200, a re-
quisico da thesouraria provincial, para coniinua-
Co da despeza de que trata o g 4 do art. 17 da Iei
do orcamento vigente, contraria a disposicao doart.
4o da Iei n. 575 de 5 de abril do anno passado, re-
solve que fique de nenhura effeito a referida pona-
quira Jos Soares, Antonio Gomes da Silva, Flona- riaco da Silva, recommendo a V. 9. que mande pa- ria, e que seja levada a assembla provincial oara
no Goncalves Joseph, Joaquim Roberto Pereira e gar-lhe integralmente os seus vencimentos corres-' resolver corao julgar conveniente a reauisico di
Urdino Teixeira de Barros.
Dito ao mesmo. Remetto incluso a V. S. por
copia o offlcio que rae dirigi o capito Joo Vi-
cente de Brilo Galvo, o em original a relaco no-
minal des voluntarios presentados por elle, afim
de serem feitos nao s os convenientes assentamen-
tos de praca, mais tambem o pret de que trata o
meu citado offlcio de 21 de marco nltimo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar dar
baixa do corpo n. I de voluntarios a Pedro Caval-
canti de Albuquer Wanderley, visto que se alistou
sem perraisso do sea pai, tendo apenas de idade
16 annos e 5 meaos.
Dito ao mesmo. Haja V. S. de informar sobre o
que pede no incluso reqoertmento o voluntarlo da
patria Paulino Jos Torres de Souza.
pondentes ao mez de marco ultimo, considerando
para esse fim abonadas as faltas que por doente
den naqueile mez o mencionado professor.
Dito ao mesmo.-Transmuto a V. S., para seu thesouraria provincial para o fim convenienie.'eof-
conhecimento e fim conveniente a inclusa copia do fflciou-se em nome do secretario do governo a as-
mesmo inspector, acompanhada da demoastraco
da insuficiencia da cooslgnaco votada para a
despeza suppracitada. Remetteu-se por epia
IllQCAIIFUpin litlAtBl __>_b O______________1____ _l
contrato celebrado em 18 de Janeiro ultim pela
repartico das obras publicas com Jos Augusto de
serabla legislativa provincial.
Dita.O presidente da provincia, tendo em visla
Araujo, para execuco dos|reparos sopplementares o que informou o respectivo coramandante superior
da cada de Serinhaem. em data de 17 de Janeiro ultimo, resolve que o ai-
Dito ao commandanie superior da guarda naci-1 feres secretario do batalho 87 da guarda nacio-
nal do Reeife.Em deferimenlo do requerimento I nal do municipio do Juaxeiro da provincia da
do negociante matriculado Antonio Domingos Pinto! Bahia Jos Bonifacio de Azevedo, seja aggregado
sobre que versa a sua informaco do 1' do correa-! ao batalho n. 47 de infantaria da guarda nacional
le, autoriso V.S. a mandar dispensar do servico i do municipio da Boa- Vista nesta provincia, de con-
em quanto forera eaixeiros do supplieante os gnar-1 lormidade cora o disposto no art. 45 do decreto n
das do Io batalho de infantaria Ursino Gervasio! 1130 de 12 de marco de 1833.Remetteu-se a pa-
V
\
f


A
.-r-----^=^jfcjaw
4-
Diario e Prnmbnoo eva reir 9 4* Abril de 18s.
-^
^.
tente ja apostillada do menciona Jo altores ao com-j (Agsignadb.) Jos Marta Ildefonso Jacome da Esta razao nao parco inteiramem aeeitavol M|mio extracto da sessao de a do corrente, esca-
maodanle superior da BoaVTsla. TeWnTrssdu. orador, por que para casos desla ordena nib- paran ot eeguintes erros lypographicos :
Dita.O presidente da provincia, resolve nomear | (Conferme)Antonio Francisco Duartt, tenenle, xenda exige tres, quatro, cinco mato boteros, Ha 80- linha em lugar de-a opinio de quaes
o alftres do9 batalhpo Je infamara Freaefceo > ejudaota
Frates Veneno, pare occdpar provisoriamente o talhe.
i>ostd tetavlnte secretario do corpo-n.-l te Vo-| ^^^,
luutarios da Patria.-Fizeram-se as necessanas,-
communicagdes. ^ '
Dita.-Os seohores agtate compsala Bm-
ieira Je paquetes, fagam transportar pare a gfctO, -
por coma do ministerio te guerra o alferes Piteo
de Alcntara Tiberio Gapistrano e as prag de
prel mencionadas na retalio por oopia inclusa, as
aaaesvo rcudlr-se aos Corpus a que pertencaa.
omtiiuuicou-se ao commandante das armas.
Dita.-O Sr. gerente te companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte at o Ceari no primer
ro vapor que seguir para o norte em lugar de r,
destinado a passageirc de estado a Tristo Fran-
klin de Alencar.
Dita.Os senhores agentes da companhia Bra-
silera de paquetes, fagam transportar por coma do
ministerio da guerra, no vapor que se espera do
norte, para a corle, o 2-cirurgio do corpo de sau-
te ordena interine, onoanreiado te fe-

PERNAmRUCQ.
para haver nma completa garantia qm se fai ama Mase-a opiniao daqnelle que.
semelhaole exigencia; e se apreseata hoja euw- Ka 5* linha em vez de-a demonstrada raanei
Utnente um dos casos previstos peto irtWat.au, w-la-se-e demonstra da maneira.
u ador em virtude do seu cntralo e responsi- Na 63 linha em vez dernais iofelizesla-se
I e nao pede ahajar circuawaocias de qtewjcr itellt
ortera, casos fortote*, cagitoda e nao cogfcates
ASSR1BLIA PROVINCIAL
27- SESSAO EM 4 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SU. DR. COSTA RIBtTRO, t* SECRK-
TABIO.
(Conclusao.)
O Su. Bcarqub levanta-se quasi persuadido de
que o pouxo que ter de dizer em sustentagao do
parecer nao ser sufflclente para destruir as raz5es
que araba de apresentar a casa o Ilustre deputado
que o precedeu, razoes que torio sem duvida de
determinar a aceitago do projecio de lei, que se
acaba de offerecer.
>, k-----------> Entretanto, nao pode deixar de manifestar a as-
de do exercito Dr. Firmino Jos noria e para a isa- seinblll ^ se acha extremamente apprehensivo
1 acerca do modo porque ella vi tratando dos aego
la a ramilia do mesmo doutor composta de sua
inuiher e seis lilhos menores.-Communicou-se ao
commandante das armas.
Cotinuago do expediente do secretario do gover-
nododia 1. de abril a> 1S6.
Officio ao dir. ctor peral da instrocgo publica.
S Exc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. Exc' para seu coohecimento, que at-
lendenoo aoque requeren a professora publicada
primeira cadeira, de Bstruccao primaria da re-
cos relativos aos abates concedidos a arrema-
tantes.
Ka moito que pessoas competentes informan) ao
orador que urna das causas do descrdito dos con-
tratos celebradas cora a fazenda, era a excessiva
Nao pede portan o orater aceitar tai argu en-
te, salvo se se lavara quesfto pira o lado da cari-
tete; mas, desdo que se disse aue aos peticio-
narles assiste joetica, tal argumento nao ten pro-
cedencia.
iBBBi
REVISTA
No dia 8 do crreme recolheu-te ao seu oou-
vento, rindo de Pedras de Fogo, o Rva. misstona-
*me*99* M*9* "e Potado quo o ore- no capaabmho Fr. Seraflm a Catauia, depois te
gLyyra<> ra"s *m ccrescentar; ao- quatro mmes de afanoso trata a igreja que ali
n!? ^^ M entrassena aoalyna do esU cencluindo, custa, dos fleis. Durante esse
^2fcQE? contesUsse *3?*,a* *2 o*iter- tempe compimfatn-se al uros lorres e o frontespi-
dos anm mw?Ul'casse compleumeate o projecto de Jet cornija da varanda, que tem de coraprtoento i 7i
ma rf ^S. u" pare"r !ndeferi0J a Pre'encao, pa|m8S. A obra magestosa e legante, segundo
mas f-lo em conseqoencia de considerandos que ftij nos infrBJWB,
suppunha mais on menos procedente, e o nabre i Naserca-feir*effectoon.se o espectacalo.que o
?!? PP,0e uma tu^i* 8absl,ta.l'a digno empresario do Santa Isabel odereceu em be-
recer sem destruir um s de seus considerandos! neflcio das fami|ias dos VolunUrios da Patria, au-
irritacao dos pulmOes e garganta, e restabelece sua
acQo vigorosa, regular e saudavel. Os que dizem
que aaslhma incurevel mullo se enganam.
Essa fjrlifleante composifao vafoUl subjuga
essa afflictiva molestia, anda mesme quando de-
baixo das formas as ruis obstinadas e aggraran-
tes. As anginas nunca termiaaro em bronchites
a tosse em ihjrsicanam a muquidlo en aeth-
ma, se desde logo em seus principios foram ata-
Ihados com este balsamo vegetal sunviaador a se-
dativo ; seus benficos effeitos ^ao promptameote
executados as enfennidadas dos pulruoes, dos
vasos bronchios a da aleara.
Vendem-se aas pharmacias de Caors & Barbosa
e J. C. Bravo & C
MOYIMMIO 00 PORTO
O orador qnizera que o Ilustre deputado rompa-
rasse cada uma das raides apresentadas com os
considerandos, mostrasse a Improcedencia de cada
nm delles, e concluisse entao por offerecer o pro-
jecto que se acha sobre a mesa.
O Sr. Paula Baptista diz que v-se em algumas
condescondencU que em gerai uolm os poderes I ^tfnrl?,^^^^; JISifSSSS venco alguma dos cofres puwicos pjraamann-
publicos para com os arrenlkantes. i *S pri'"e'r .se,cretar.o apresentou raides leDCao del^ 0 sea auii0F Mbre espontaneo foi
Dissese Umbem ao orador que a serie, por as- '^f,a,"^,m.?.e.^,r!! ???r,_.0.??!!!?_?: completo, nada dedozmdo elle do producto da re-
xiliaado assim os esforcos da associacao protectora
das mesmas familias.
O acto da benef cenca te Sr. Colmbra est ci-
ma de todo o elogio por gao sem embargo das
difhculdades com que lula na sustentado da em-
presa, nao obstante nao dispr actualmente de sub-
as impressdes que Ibe causa
ram as primeira's, e dir em resumo o que pensa a
respeito. ,
O nobre membro da commisso que falln em
ultimo lagar, disse que o orador que o precedeu
nao tomara o cuidado de refutar cada um dos con-
siderandos do parecer. Se se eslivesse em um tri-
bunal jurdico, se a assembla se tivesse de regu
serie por as-1 "" ~,---------"" wh"-~ *". e o nobre de-
sira dizer successiva de concessoes da ortemtede t^^f^J^^S^SSLj't T*10? c,u P"3 s respectivas despeas; as quaes assim
. .ih. ZtmZZmZZ .r, i i ,i,..r.v isa-1 correram todas pelo sen balso, tazando avallar o
patriotismo implcito no sea offerecimeffio tradozi-
do em i acto por um donativo mais crescido.
Erna empresa que samare se ana accessivel as
ideas generosas, ama emprea que jamis se fecha
ao que elevado, carece le ser tambem cercada
de coodic5es envolver essa tendencia sem qoe vi ao proprio sa-
crificio.
Faz-se preciso qoe sejam decotadas as arvo-
res plantadas nesta eidade, pois muitas deflas in-
commodam o transito dos carros ao ponto de j te-
rem sidoalgnns holeeiros punidos por qoebramento
de galhos dellas, qnando qnarendo evitar encontros,
se aproximan mais alguma cousa das mesmf.s.
Isio deu se alada a semana Onda com o boleeiro
de om mnibus, e para cessar a reprodoccao, im-
porta realisar-se o preciso decola, qat, alera disto,
, imposto pelas posturas mumeipaes.
A veneravel ordem lepcefra do Carmo expoe,
hoje, em seus respectivos altares, adora?ao dos
Seis, as veneranda?, imagens des Passos do Senhor,
das 5 horas da urde em diante, visto nao ter po-
dido fazer a procissae do triumpho, em conseqnen-
cia do prejoizo que soffren com o incendio do pre-
xou os considerandos, foi firmar-se sos dados offe- nnnAr^^yZAi..A -a..:s a.. k.. : dio do sen patrimonio, na ra das Cruzes.
recidos pelos peticion'ahos, dados estes que foram ^S^T.ZVf" ^2S %?. j Ao.onte se extrah.r a 2- parte da H
guezia'de'Sato Antonio dest eidade, Alexandri- que Irata, mullo tiiiba concorrido para tal descre-
na de L ma Alhuquerque, c ao que informou V. dito.
Exc no seu officio de 30 da marco findo, sob n. O orador julga dever observar que apenas refere
92 resol veu releva-la da multa que Ibe foi impos- o que Ihe dissera, nao leudo em vi>la censurar,
la pela falta da apreseoiaco dos mappas do 3o e neni isto Ibe competa, o prooedimento desla as-
\ emestre do anuo passada-Communicou-se ao sembla em annos anteriores e nesteque corre,
inspector da ibesouraria provincial. j Entretanto, pensa que estes precedentes nao po-
Ditoao mesmo.-S, Eac. o Sr. presidente da dem deixar de actuar ao sptnlo daassemelea; g g^ripTo 0^0^t trmente
provincia manda cofiMonaiear a V. Exc. para seu que os depolados legisladores da proviocja, os convencido ee'J1^l0%00bre'pr^eiro secreiarTo w
checineoto,qiieaudando ao que requereu o pnraelros liscaes dos d.nheiros pblicos, so devem maria js ^"KfSStSSS
director do instituto do Dom Conselho Antonio aaer coucessfies desta ordem, conceaaSosvie tem | comm, 6 J^Sjuw'e da^nai
jto&i&gstiitrJiXL Kisf^sfsaas: ss?^^t"Sssfi
_______.-s- -i m~~* man^c Jounc alnmnns BOOS. nao oallou. nem luzeiramente. no esnirilo do *-.___________'.,. ". _^*uu ,_"*
apresentacao de diversos mappas de seus alumnos, guos, nao caliou, nem Iqseiramente, no espirito do iz a es,e respejt0j ou *loJraen'os are^ achar.
Communicou-se a hesouraria provincial. oraoor. .. em contradico.
Dito ao mesmo.-S. Exc. o Sr. presidente da Acred.tou que S.S. levanUodose para sustentar Arespeilovda me proposi?a0 emiltlda Delo
provincia manda ammonicar a V. Exc. que at- o direito dos peticinanos comecasse por ler; nobre deputdo que o pricedeu, dizendo que aas-
todendo ao que requereram os professores part- uma analyse dos considerandos offerecidos a casa b| ^ concorrido para o descrdito dos con-
colares da ligoa Sina Joao Jos Rodrigese de pela commisso te orcamento, em virtude dos tratos, o orador *,earUS imrSesaoZtom
! leitras Adel.no Ildefonso de iqueira e Albu- "
querque, resol veu nesta dala em vista de sua in-
formado de 30 de marco prximo, sob n. 98, re-
leva los das multas que Ihes foram impostas pela
falta de a presen tacaot dos mappas de frequencia de
seus alumnos do anno passado Communicou-se
a tliesourana provincial.
quaes propez esta o indeferunento das peticoes nrn-j4 .
Ls ass'Tnao proceden o nobre deputado uei- KSi*< H2* do C<>D< ao
contestados pela commisso, eu'ahi concluio que
elles tlnham juslica.
O orador diz que a commisso nao procedeu com
publicas
conbece pessoas arrematantes de obras
I publicas, que Ibes sendo encainpadas algumas
obras e devendo-se-lhes pagar o servigo fetto, nao
se Ihes pagou ; e conliece um arrematante que,
lotera
<-. major aujuu uc ruaa Tumi, H"<^ f" -i 1------------_- >---- ",---------- -------..5" re
cho do Exm. Sr. ministro da juslica de 11 do mez porque nao achou as razoes por elles apresentadas de n u
OKiote fui iodefendo o requerimento que S. S. na so fuudamento, em virlude do qual existisse
enderecouao ceverno imperial sobre guarda na- essa juslica por elles allegada. i\ao proceden, por
,1 lauto, a commisso com sevendade, porque todas
__ 3__ as vezes que se atiende a juslica nao te obra com
N 99 -Officio ao primeiro secretario da assem- severidade, cumpr-se um dever.
Apreseutou o Ilustre depuladojprecedente oar-
bla legislativa provincial.De ordem de s. Exc.
o Sr. presidente da provincia, passo as mos de S.
S., em soluto ao seu officio de 24 de margo pr-
ximo lindo, sb n. 41, e para seren presentes a
assembla legislativa provincial, as informacoes in-
clusas ministradas pela thesourana provincial, re-
lativamente a coMecta do sobrade de dous andares
gumento deque, anda nao tendo expirado o prazo
do iriennio, outros peticionarios requereram a esta
conta pagar a multa.
Isto verdade, e o certo que o orador nao co-
assembla um abale de 25 /. no prego da arrema-' S.?!"?!^:*!^ publ,cas que eslejara
na apreciagaodos motivos pelos qJaes esta assem- ** J?"^%* Jf J^
de Nossa Seohora do Amparo de Goianna, (II*)
sendo os doos maiores premios 10:000 e 3:000$.
Kepartiqao da polica:
Extracto da parte do dia 6 de abril de 1865.
Foram reooihidos casa ?"!f o? eAordem do lllio. Sr. Dr. chefe te polica, Seve-
esidente da provincia, que era ento o SrSl-' ^X^^F^^SlSTJZ
veira de Souza, nao quiz raciocinar a lei, mas esse Cf Pin d^U na n-rm e losM eadro Pe
arrematante mesmo perante o Sr. Silveira de Son- fiL^HME s^r escravo
f^^V^T^0 documentos-, e esle> re", A'25 do subdeTegaTdTRecile, Jos Gon-
rjni.tt ^ meSra' mandouporsUa galvesdaPaixo, a ref siglo do c.pUo do por la
A ordem do de S. Jos, Rita on Celestina, 9-
muilas outias concessoes ; o Sr.
Cara espmtosi e admira tcI de nma infla mmarao
chreniea do ba;o on splenit.
Um lilho do Sr. coronel Bernardo Jos da Cma-
ra, senhor do engenbo Cuyambuca, toi atacado des-
la terrivel molestia inflammagio chronJca do bago,
on splenita mesma envolva outros padecimen-
tos, como cansago, palidez, inapetencia, etc., etc.
Dorante todo este terrivel estado, todos os re-
cursos medicinaes, que emtaes casos se uzam, fo-
ram abundantemente empreados, sem qne fizesse
parar a. marcha lenta e destruidora de lo borri-
vel enfermidade, e todos os meios e esforcos fo-
ram baldados, tanto que este mogo ja foi Euro-
pa e nenbum resultado obteve, no entanto o mal
crescla ; e estando neste ponto se experimenlou o
xarope etherio de veame.
O effeito produzido por este estimavel remedio
foi verdaderamente maravilhoso e sem igual. Nao
menos importante o xarope alchoelico, e as pilo-
las purgativas do mesmo veame, par gozar de
propnedades mioeotemento depurativas, appro-
vadas por mdicos e pessoas desta provincia, e de
ontras curas radicateiente effectuaiias, como cs-
cropOolas, rheumatismo, escorbuto, enfenmidades
venreas e mercuriaes, chagas antigs e todos as
moiaslias provenientes de um estado vicioso do
sangue. Nao impede os baohos fros do mar ou
do rio.
Entre outros mijitos (actos um, ba pouco, acabo
de realisar-se bem importante : um escravo do
Sr. coronel Pedro Cavalcanti Waoderley, proprie-
lario do engenbo Japaranduba acbava-se atacado
de anemia, ou frialdade; e cansa va a ponto de
nao poder carrear, nma s caixo das pillas pur-
gativas de veame o reslabeleceu.
Nesta mulesua oque mu lo cuat bue para o cu-
i rativo, o trabalho, o que se realisou com o dito
! escravo sem precisar do xarope. Um meo escravo
1 de nome Jos, que o arrematei em hasta publica,
! que foi da finada D. Candida por 805000, por se
achar com urna chaga em.uma das coxas, e entre-
vado, corrf o xarope e pilulas te veame, se acha
bom, empregado como servente de pedreiro. Um
outro escravo nuecomprei ao Sr. Joaquim Gongal-
ves Farreira, que se achava cora escrophulas, fe-
ridas, palidez e cansando, com o mesmo xarope,
pilulas e bachos 00 rio de Una esta perfeitamente
bom, e tambem empregado em servico de pedrei-
ro. Outros muiios (actos desta erdem em pessoas
que desle salutar remedio lem feilo uzo, poderia
enumera-Jos, o que nao fago para nao ser pralixo.
Veade-se estas preparagoes em mi una botica,
roa Direita a. 88.
Jos da Rocha Paranhos.
era va de Jos Pinto, por disturbios.
A' ortem do da tJapooga, Gonealo Antonio Flo-
rencio, por tentativa de homicidio e resistencia.
A' ordem do da Magdalena, Manoel Alves Be-
zerra, para correccao.
O chefe da 2* secgio,
i. G. ie Mesquita.
Passageiros do vapor Paraktba, sahieo para os
portos do sol:
Francisco de Assis Pereira Freir, sua senhora,
nma ennbada, 1 rliho menor e 1 escravo, Antonio
s= Z roa^^='^enc^nte a Mloe. ^ conceden a 2 arrematantes o abate de 2o par | ^SSi&rjt ^, SiS
^i^-iSmesme.- Passo as mos de V. ff verdade, que esU assembla, em lote de ^SXgSt^tSSS SjSR^
8., de ordem te S. Exc. o Sr. presidente da pro- nma disposigao Uiativa, fez uma sero^haale con- ^Cff^SSSSSSSUSJl
vincia, para seren presentes a assembla legislali- cessao: mas, respe.Undo o vencido, teado em con- JJ *> ^ZySLXSqT^m&
va provincial, nao s os balangos e comas do exer- s.deragao oque por ventura tivesse apretinado ^w affsi?,*JBoTce^VO^conira
.'. jTSS dftftk nue reinetteu a cmara mu- em seu favor esses arrematantes, o orador na., t-ode i'r^P,! ,,',^'J!^,p. .i;,7 7i; ^ Joaoo m de Paria, Francisco Thoroaz da Silveira
C,C' de deixar de dizer que a fazenda teve cora seme.l.au- ffS ^Z'i* f^-S? *r2 1 '' Junior, Manoel de VasconceJIos, Jos Nunes Gni-
te abate um conlideravel prejuizo. I ^J&V&ZlSSSitiS^JSS?? i maraes,Leopoldina Antonia da Ponseca.lago Fran-
Pergunta o orador: oT peticionarirlos apresen- f'L"?"" r:/r?^rf1.^S^ ^J,^eJsco PSnbeiro, Domingos Jos de Far.a, Rosendo
taram8razoes iguaes em virote das quaes esta as- ZZlTll fSffTtSSL S2S More.ra, 'jos dide Accioly, Manoel_Eva-
semblen deva conceder o abale por uma disposigao
taxativa, ou mesmo facultativa, quando este abale
nicipal de Oliuda, mais tambem oorgamenlo de sua
receita e despeza para o exercicio de 1864 a uno
e o relatorio, em que a mesma cmara expoe as
oecessidades te que se recente o seu municipio.

N. 102.-Officio ao 1* secretario da assembla
legislativa provincial.De ordem de S. Exc. o Sr. ja por mais de uma vez foi recusado, quando os
prndente da provincia, passo as mos de V. S. presidentes que servirn durante o exercicio da
para serem presentes a assembla legislativa pro-
vincial o incluso mappa e nota te que traa o Io e
2o do officio de V. S. te 22 de margo prximo lin-
do, sob n. 38, que ca assim respoadido.
N. 103.Dito ao mesmo. De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, declaro a V. S. em
solugo ao seu officio de 31 de margo prximo (indo,
sob n. a6, e para fazer constar a assembla legis-
lativa provincial, que a presidencia nao fez uso da
autorisago concedida no art. 62 da lei n. 596 de
13 de otaio do anno passado, acerca da construc-
co de trilhos te ferro entre o porto de Japomim e
a eidade de Goianna.
aos mteresses da fazenda : nm meio de conciliar
as cousas, que nao pode deixar de ter a approva-
go da assembla.
Oram anda os Srs. Campello e Baptista.
Encerrada a discusso, approva a casa, a reque-
rimento do Sr. G. Campello, que a votacao seja no-
minal.
Depois de uma discusso pela ordem, na qual
tomara parte os Srs. Silva Ramos, Buarque e Jos
Maria, posto a votos e rejeitado o parecer, votan-
s impostes tem : Naborj Uiranh30t JoBe Maria> Manoe| NeUo> Araya.
ei te 1860 nao se quizeram utilisar dessa autori-
sago em vista de razoes mui bem fundadas ? Cr o
orador que nao, e da leitura dos documentos nao
se evidencia isto.
Disse o nobre 1 secretario que em poca algu-
ma a arre mala cao ebegou ao excessivo prego por
teriormente as arremalacoes desses
ido successivameute declinando.
Observa o orador que S. S. limtou-se a referir
esta circumstancia ; nao altendeu ao que disse a
commisso no seu parecer para procurar a razao
juitifieativa da proposigo que ennunciou. Todas
thas, Rochael, Paula Baptista, Braulio e Teixeira de
Mello ; e a favor os Srs. Loureiro, Gongalves da
Silva,G. Campello, AyresGama, Silva Ramos, Fran-
cisco Pedro e Buarque.
E' em seguida jnlgado objecto de delberago,
entra em discusso e sem debate approvado o
N 104 Dito ao mesmo.-De ordem de s. Exc. as vezes que se faz a arrematago de um imposto
oSr. presidente da provincia, passo as mos de V. em ura Iriennio qualquer, razoes muito diversas pToJeoTsiltWilntto
S.,para ser presente a assembla legislativa pro- poten influir nessa arrematago ; e as circums- [^ uuslltu" "".i pe"
vincia!, aflm te ser tomado na devida considera- ^^^n^^*lSSL^^^S'\ Segue-se a terceira discusso do projecto n. 67
cao e incluso quadro que remetteu o inspector da "* uma maneira conlideravel no prego del- do an d elevando vlla a povoago de S.
thesouraria provincial das dividas pasmas do las. Pergunu o orador se o nobre depuado que o Jos dos Bezerro's F ^
exercicio Ando, liquidadas a requerimentos das precedeu entrou no exame dessas circumsUncias ; Pede pa,avra"pe|a ordem 0 Sr. Buarque e re-
partes at o ultimo do mez prximo Ando. ; S*g! ^f,nraI *&& TIE.2SS 1Qer a ur8encla P a discassa orgaraeanto
Despacbos^o dia { de abril de 1865. das proprias palavras dos fiadores, argumentando ^rovlnciaf. v
que, tendo o iriennio anterior sido arreatado por v r..^. 5. .,,. ,_ ..._=. Rarrf.. .....
prego inferior, este faci servia de justiBcago am M^SZS^ n^nta
de niiP. ns nptirinnarin nhiitMum n ahaio ron, i aao o requenmenio ae urgencia.
Requerimentos
Alexandrini de Lima e Albuquerque.Fica a
supr.iic.ante relevada da multa.
Antonio Augusto Ferreira Lima.Fica o suppJi-
cante relevado da multa.
Alferes Aurelio -Ghrispiaoo da Cunha.Agrade-
ca-se e le ve-se ao coobeei ment do govrrno im-
perial.
Adelino Celestino de Mendonga.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Padre Francisco oo de Azevedo.Indcferldo era
vista da informago.
Firmino de Karias Barroso e S.lva.Indeferido
ero vista da informago.
Flonnda Maria do Nascimento Barroso.Fica a
supplicante relevada da malta.
Irmandade do Stnhor Bom Jess das Cbgas.
Dinja-se ao Sr. commandante superior da guarda
nacional do Recite.
Jos Pereira te Sikva Gnimares.- Junte cer-
do de idade. ....
Jos Maria Machado de Figueiredo.deferido
em vista da informago.
Joaquim Mauricio Gongalves Rosa.-Aao pote
ser attendida a preteucao do supplicante, em visla
da informago.
Padre Joao Srvalo Teaeira.-Fica o supplican-
te relevado da multa.
Joo Jos Rodrigues.Fica o supplicante releva-
do da multa.
Jos Francisco de Menezes Amori.Informe o
Sr. inspector da tbesoararta de fazenda.
. Jos Luiz Doarte te Azeveo.Recorra o sup-
plicante uara o conselho de revista, ao qual com-
pele na forma da lei tomar conbecimento das deci-
soes dos conselhos de qunkneago.
Fre Jorge de Santa Anna Locio.Dirja-se ao
Sr. commandante snperior te goarda nacional do
Recife.
Miguel Jos da Molla Filbo.-Satisfaga a exigen-
cia do Sr. comauodante superior, constando da 0-
ormagio junta por capia.
Tenante Manoel te Carvalbo Paes de Andraoe
Gonvin.aofortse o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Mauoel Antonio Teixeira.Requeira a thesoura-
ria te fazenda.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.Informe
o Sr. director peral da inslruegao publica.
n. 67.
de que os peticionarios obtivessem o abate reque
rido.
Mas, pergunu o orador, ser isto uma razao? Sr ,
provincial a thesouraria de fazenda conta como
base infallivel, base que rarississimas vezes deve
falhar, o producto das arrematagoes ?
Esta a base mais (irme que lem a thesouraria,
por que o resultado de letras que se achara devi-
rislo de Souza, Antonio Mximo da Cunba Reg,
Flix Pereira de Souza, Eagenio Jos das Neves
Andrade.
Passageiros do hiate Sergipano, vindo da ha
de Fernaodo :
Umrique Jos Vieira dajSilva, Jos Rodrigues
da Silva Mello, Leonor Mara da Conceigao e rima
sobrinha menor, Pelrooilla Maria das Virgens, Je-
ronyma Maria da Conceigao, Francisoo Nunes dos
Santos, Joaquim Jos Ferreira Grande.
Passageiro da barca ingleza Serafina, sahida
para Lierpool : Alfredo Guilherme Rogero.
Casa dR'Dtbnqo.Movimento da casa de
detengo do dia S de abril de 1865. Exisliam
presos 370,entraram 7, sahiram 11,fallecen l.exis-
tem 365 ; a saber : nacionaes 279, estraogeiros
23, molheres 2 ; estrangeiras 2, escravos 52; es-
cravas 7. Total 365.
Alimentados a custa dos cefres pblicos 144.
Movimento da enfermara do dia 6 de abril
1865.
Teve alta :
Pedro Manoel Pegado.
Falleceu :
Jos Francisco de Moura.
-r OBITUARIO no niA 5 DE ABUIL DE 1865,
CKMITBRIO PBtICO :
Jos Lopes de Miranda, Pernambuco, 30 annos, ca-
de
NO
\*\j v* iiijuviiiuguiu uc uij;ci,iii. J D Velo KaTirrac
Continua, por tanto, a discusso do projecto J*Y J% Pernambuco, 55 an-
Encerrada a iscnssao rejeitado o requerimen-
to de adiamento e approvado o projecto.
Contina a segunda discusso do orcamento pro-
vincial
O Sr. ABACIO Barbos pede e a casa approva ur-
oos, vluva, Santo Antonio phtbysica.
Silvano Napoleao Cavalcanti, Pernambuco, 35 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; bexigas.
Anselmo Jos Ferreira, Pernambuco, 65 annos, ca-
sado, S Jos; indigestao.
Francisca Escolstica Gomes dos Santos, Pernam-
buco, 29 annos, casado, Santo Antenie ; febre
puerperal.
COMMEBCIO.
PRAC-A DO RECIFE.
(olaccs offlefacs.
6 de abril.
Algodo de Macelo14$ e 14500por arroba pos
to a bordo.
Cambios sobre Londres 904] vista 26 d. por
1J.000.
Descoatos8 0[0 ao anno.
Dubourcq Jniorpresidente.
Gnimaressecretario.
Caixa filial do naneo do Brasil em
Pernambuco.
A directora desla caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Babia.
\ovo banco de Pernam-
buco.
0 banco descoma letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
toma dinheiro a juros a praso nunca menor de
tres mezes, e saca sobre a praga da Baha.
Novo banco de Pernambuco.
O banco paga o 14 dividendo na razao de 8$
por aego.
ALFANDEGA.
Rcndimento do dia 1 a 5------- 118:990^880
dem do dia 6 ............... 22:794jj051
iVarioi entrados no dtn 6.
Rio te Janeiro-11 das, brlgoa nacional Stquera,
de 191 toneladas, capitio Antonio Francisco dos
Santos, equipagera lxoanja i0,860 arrobas de
carne secca; a David 9mmn Bailar.
Sao Francisco135 dlai, gahr americana Jannes,
da331 toneladas, enptio Cofell, equipagem 24,
carga azeite te peiaa; ao anosmo capito. Veio
ratoaaear "e segnio pan pasca.
lina de Ft mando5 dnw, Mam nacional Sergipa-
no, te 64 toneladas, cap lia folio Gomes da Sil-
va, aqoipagem 6, em lastra ; a llenrique Jos
Vieira da Silva. '
Navios salados no mesmo dia.
Aracaly.Iliale nacional Novo nvencivei, capitio
Joaquim Aulonio de Figueiredo, carga dideren-
les generes.
Para -Hule nacional Dous Amtgor, capitio Joa-
quim Jos da Silva Rales, carga differentes ge
ueros.
Rio de Janeiro, peto ZumbyBarca nacional Ludo-
vina, capito Joaquim Antonio Gadr Jnior, em
lastro.
BahaPolaca italiana Linda, capito Angelo Gher-
si, carga parto da que trouxe de Gnova.
Liverpool, pela ParahybaBarca ingleza Seraphi-
na, capite James Lamb, em lastro.
LisboaBngue portuguez Constante II, rapilao Eu-
genio Jos da Costa, carga assocar.
Liverpool, pela ParahybaBrigoe inglez Carrie
Jf. L., capito I. Finch, em lastro.
Portos do SulVapor nacional Parahyba, eomman-
daole J. J. Martins.
IDITiES.
141:784i93l
855
damente garantidas e que esto em seus cofres, ,! eencia nma di"c "o do nToiecto lS! testo Eugenio, Pernambuco, 23 mezes, Recife ; bexigas.
nnrtanm ritman indas mmuum uta hac. eucia para a ai.cussao 00 projecto nlZ ueste Bmhiw,n R,v.Viala : Psnas-
portanto, claro que todas as vezos que esta base
falha, que todas as vezes que se concede um abate
a arrematantes, e que essas letras deixam de ser
I Jovelina, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista; espas-
Entra por consequencia em discusso o projecto 'm.0- a .. J.iL ... ... ..
, n. 12 deste anno, relativamente ao corpo de pol- Mana, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio con-
oobradas, ha desfalque real nareceila da provincia.' cia e vo|umarios da palria. v pu
Veem mesa e sao apoiadas as seguimos eraen-
I das :
uoasiAaiDeDAS arias.
Qnartol de eammanoa das armas de Pernambuco
a oidate do Recite, 6 de abril de 1865.
Ordem do dia n. 51. ^
Havendo de proceder-se a hengo e eotaega da
bandeira que algumas pessoas desta eidade offer-
tam ao 1* corpo de Volntanos da Palria organi-
sado nesta provincia, ceremonia que vai ter lugar
na igreja de Nossa Senhora da Conceigao dos Mili-
tares, determina o coronel commandante das ar-
mas interino em execugo as ordene da presiden-
cia, que o respectivo corpo para tal flrn esteja ami-
oba pelas 9 horas do dia postado em linha em
frente da mesma igreja, e convida a todos os Srs.
officiaes do exercito em effeclividade e reformados;
assim como os da extioctaj* linha a abrilhantaram
comas suas presengas esse Jeto que entre os mili-
tares foi sempre objecto damaier venera gao o res-
peito.
Como, pois, dizr-se que a fazenda provincial
nao perdeu e pelo contrario lucrou 50 % ? E' um
verdadeiro sopbisma, um argumento que nao po-
de calar no espirito desta casa, porque parte de
nma base completamente falsa.
Disse o nobre deputado que fallou era primoiro
lugar, que se a fazenda tivesse de maridar arreca-
dar o imposto por agentes seus ao arrecadaria
somma lo elevada.
O orador concorda perfeitamente com isso, e
esto principio, sendo apllicavel arrecadaco te
todos os Impostas da provincia, nao pode vir em
auxilio do nobre deputado que o emitt.e
Disse mais este ilustre deputado que o inspec-
tor da thesouraria reconhecia e havia demonstrado
que os fiadores tinham direito a um abate, nao do
valor de '25 % mas de 18 ; e admirou-se de que
a commisso conteslasse esse fado.
Diz o orador que a informago lida a casa nao
prova que o peticionario tivesse direito a um
abate, e se tal dissesse era um absurdo, por-
quanto, quando o arrematante nao cumpre o
contrario, nao pode ter direito a abate algura. O
Inspector da thesouraria s disse que por equidade,
quando se quizesse attender aos documentos apre-
sentados pelo supplicante, que mostravam que ti-
nham havido perdas, se poderia fazer ura abati-
mento; mas disto nao se pode deduzr que o ins-
pector recooheceu o direito do peticionario a esse
abate, e a prova qne mais tarde, em uma outra
O art. 5o do projecto seja substituido pelo se-
guirte :
Os officiaes do corpo de policia em expedigo,
alm dos vencimentos que Ihes sero garantidos
pelos cofres geraes, percebero-pelos da proyin-
. cia, emquanto nao entrarem era campanha, o que
a cada um faltar para que nao soffram redocgo
alguma em seus vencimentos actuaes.S. R.
Campello. Araujo Barros. Buarque Ayres
Gama.
Emenda ao art. 6o. :
Em vez deo meio sold dos inferiores do
mesmo corpodiga-seuma graliflcago diaria
aos inferiores do mesmo corpo.S. R.Campello.
Araujo Barros.Buarque.Ayres Gama.
O aiL 7 seja substitnido pelo segninte :
c Durante o tempo da expedigo todas as pra-
gas de pret do corpo, alm dos vencimentos ge-
raes que devem perceber, tero mais pelos cofres
da provincia o que a cada uma faltar para perce-
ber diariamente 1,8400 rs S. R. Campello.
Araujo Barros.Bnarqne.Ayres Gama.
No art 14 suppnmam-se as palavras :dos
arts. 3, 6- e 7.-S. R.CampelloAranjo Bar-
ros.Buarque.Ayres Gama.
t O art. 15 seja substitnido pelo segninte :
Art. 15. O presidente da provincia poder
informago, o inspector diz da maneira a mais c.a- ggj HJg* f ^scoma'ndo^o'e'
a e terminante que o arrematante nao traba di- gJ"Jf^"\r'jTp^Vs.
pectiva gratificago, at completa indemnisago
dos adiantamentos que se Bzerem.S. R.Cam-
pello.-Aranjo Barros.Buarque.Ayres Gama.
Emenda ao artigo 16 :
t Accreseente se : s podando serem demil-
tfdos se tres mezes depois da guerra nao se apre-
sentaren) para entrar de novo no exercicio de
seus respectivos empregos. Estas licengas sero
sem vencimentos. S. R.Campello, Araujo Bar-
ros, Buarque, Ayres Gama.
Ora o Sr. Araujo Barros.
Reconhecendose nao haver casa, o Sr. presi-
vulsSes.
Silvano, Pernambuco, 6 annos, Santo Antonio; ver-
Lnrz, Pernambuco, 8 mezes, Santo Antonio; hepa-
tite chronica.
COMMUfllGAIGS.
a qne
que
reito de especie alguma ao abate.
O orador procede a leitnra da informago
allude, que a de 12 de abril de 186U
Contina o orador dizendo, que o nobre deputado
que o precedeu apresentou um outro argumento,
ao qual de alguma forma pensa ter ja respondido.
Disse S. S. que o poder legislativo eoneedeu igual
abato aos dous arrematantes do Pao d'Albo e San-
to Auo, e que, portanto nenhuma razie bavia pa-
ra que se negasse boje o que pedem os suppli-
cantes.
O orador ja disse que nao pode a assembla en-
trar as raides qne entao actuaram ; mas, quande dente levanta a sesso s 3 e raeia da tarde, ando
podesse assim fazer, elle dlria qoe no primeiro ca- para a ordem do dia seguiute : primeira parte,
so se cncedeu o abate em virtude de nma dispo- cotinuago da segunda discusso do orgamento
sigo taxativa, a qne se nao poda eximir o presi-' provincial; segunda parte, cotinuago da ante-
dente da provincia, e qoe, para que e*tt assembla ( riormente dada, e mais terceira discusso dos pro-
Dzesse orna coneessio por semelhante forma, ra-1 jectoi n. 16 e 78 do anno passado ; primeira dis-
zdes muito poderosas deviam ter havido.
Disse finalmente o illustre 1 secretario qne a
exMngo ter de pesar sobre nm dos fiadores, por
que o arrematante fallecido e es demals fiadores
failiram.
cusso dos de n. 102 e 30 deste anno.
ERRATA.
No discurso do Sr. Costa Rftoeiro, pnbicado hon-
Escrevem-nos de Tacaral :
Corre cerno certo que este termo acaba de sof-
frer uma grande perda pela mudanga para o de
Oiinda do Exm. Sr. baro de Vera Cruz. Esta
infausta noticia, conGrmada pelos amigos de S.
Exc. que altribuem esta sua resolugio approva-
go da ultima eleiga de vereadores de Iguaras
s, que S. Exc. protestara ser asimilada. Senti-
mos esta resolugao de S. Exc. tanto mais quando
nos pareca que sendo S. Exc. lo alustrado devia
presumir que o governo imperial nao poda faltar
com a justiga aos seus adversarios polticos, s
para servir aos ialeresses de S. Exc.
Corre tambem que o Bvd. vigario encommenda-
do desta freguezia, aquello mesmo que deu tres
atteslados que se conirartavam um ao outro, a
respeito da eleicao, que causou a mudanga do Sr.
baro deste termo, offerecendo sempre para ju-
rar o que dizia nos altestados, acaba de passar
pela decepgo de ver annullaoo um concurso, no
qual fra approvado, gragas a protego de certo sa-
cerdote quepunhadispunliadeslejbispado no tempo
do fallecido D. Joo de saudosa memoria.
Que*castigo ? e poder este Sr. vigario encom-
raendado de lguarass padre Jenoino Gomes Pe-
reira ir a segundo concurso, e ser neile aprovado?
estando regendo o blspado o muito digno Sr. viga-
ro capitular ? Isto desejamos ver.
A respeito deste pastor, pedimos S. Exc. Rvma.
que se informo de seu procedimento a respeito da
administragao dos bens da irmandade das almas
desla freguezia, da qual a mullos annos adminis-
trador sem prestar coutas a ningnem. As almas
nao fallara....
FBLEAOM A FEUDO
An.ieahiiita peltoral de Kcnp.
Uma simples tosse pode ebegar a ser mortal se
nSo se atalhar tempo ; porm evitar-se-ha com-
pletamente o perigo fazendo-se nso immediato da
Anacahuita peitoral de Kemp, a qual mediante a
sua benfica influencia faz ceder rpidamente a I
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas... 184
t cora gneros.... 671
Volumes sahidos com fazendas---- 85
t < com gneros..... 589
-----674
Desarregam no dia 7 de abril de 1865.
Escuna inglezaZampamercadorias.
Barca portuguezaClaudmadiverses gneros.
Brigue hanoverianoLeopoldo farnba de trigo.
Barca inglezaAnsdMfarinha de trigo.
Brigue inglez G/cciiin-bacalho.
Barca inglezaMarybacaIho.
Escuna inglezaZuave mercaduras.
Galeota hollandezaMzaftfiAcanos de ferro.
Brigue nacionalPallascharque.
Sumaca hespanholaGnadalupeidem.
Barca portuguezaS. Joaodem.
Barca inglezaD. Martacarvo.
Barca inglezaScotidem.
Brigue bespanhol JMio baldeago.
Importaco.
Patacho nacional Dhalia, entrado do Rio Grande
do Sul, consignado a Maia& Espirito Santo, man-
festn o segninte :
8,000 arrobas de charque, 50 couros seceos, i 7
arrobas de graxa em bexigas, 80 ditas de sebo em
paes.1,000 resteas de ceblas, 10 barris tainhas, e
3 ditos linguas; a ordem.
Brigue inglez Greeian, entrado de Terra Nova,
consignado a Thom Burkrnyoung & Roberts, ma-
n festn o segninte :
2,124 barricas bacalho -, aos mesmos.
Escuna hanoveriana Gezina, entrada do Bio de
Janeiro, consignada a Amorim & Irmos, manifes-
tou o seguinte :
3,000 quintaes hespanhes de charque e 60 coa-
ros seceos; a ordem.
Patacho inglez Althea, entrado de New-York,
consignado a J. Pater & C, manifestou o se-
guinte :
23 machinas para descarogar algodo, 3 caixas
fogoes, 6 ditas cadeiras, 1 dita e 2 pacotes nm car-
ro, 1 caixa arreios, 20 ditas acua Fonda, 16 ditas
salsa parrilha, 4 ditas pilulas de Kemp, 7 ditas me-
dicina, 250 resmas papel de embrulho, 182 taboas
de pinho 550 caixas kerosine, 50 barris bren, 16
ditos e 6 caixas candieiros, chamins e pertences;
a J. Pater & C.
32 arados, 6 fexes bracos para os ditos, 6 ditos
e 7 caixas ferragens, 1 volunte agnihas e mollas
para machina de costura ; a S. P. Johnston
& C.
14 caixas agna florida, 8 ditas oleo de figado de
bacalho, 1 dita canos de gemma elstica, 30 cai-
xas kerosene j a Caors & Barbosa.
1 caixa uma bomba, 8 machinas para descaro-
Perante a cmara municipal desta eidade tem
de ir novamente em praga no dia 8 do mez de
abril prximo vindouro, para ser arrematado pelo
tompo do nm anno por quem mais offerecer o di-
zimo do capim de planta, servindo de base a quan-
tia de 7cu. Os pretendientes podera comparecer
no referido dia com seus fiadores habilitados na
forma da lei.
Secretaria da cmara municipal de Oiinda 20
de margo de 1S65.
O secretario,
Marcolino Dias de Araujo.
O Illra. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial era cumprimento da ordem da Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
publico que no dia 12 de abril prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesourarie
se ba de arrematar a quem por menos Bzer os re-
paros de que precisa a ponte de Goianna, avahados
em 2:200*000.
A arrematago ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 313 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausula especiaes abaixo declaradas.
As pessoas qoe se propozerem a esta arremata-
go coraparegam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de margo de 186o.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annonciago.
Clausulas especiaes para a arrematago.
I* Os reparos da ponte de Goianna na importan-
cia de 2:2005000 sero feitos de confbrmidade com
o respectivo orgamento approvado pela presiden-
cia.
3* O arrematante dar comego aos trabalhos no
prazo de 15 das, e os concluir no de tres mezes,
contados ambos na forma da lei.
3* Os pagamentos sero feitos em dtras presta-
goes e iguaes, a primeira quando estiver feita me-
tade da obra, e a segnnda depois de concluidos to-
dos os trabalhos.
4" Na execugo dos trabalhos o arrematante se.
guir restriciamente as instrncgSes do engenheiro
encarregado da fiscalisago dos trabalhos.
5* O arrematante far entrega ao engenheiro de
toda a madeira velha qoe ficar da ponte e pelos ex-
travos ser o responsavel at que effectne a dita
entrega.
6" O arrematante nao ter direito indemnisa-
go alguma, qualquer que seja a naturezada alle-
gacao, para esse tim fizer.
Conforme.
Antonio Ferreira d'Annuncragao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provinc.a de 10 do corrente, manda fa-
zer publice qne no dia 14 de junho proximo^vn-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da cadeia da eidade de Nazarth, ava-
hada em 18:093*900 rs.
A arrematago ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
go, comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secrelarin da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 14 de margo de 1865.O secretario, A-
F. d'Annunciago.
Clausulas especiaes para a arrematago.
1.' ojediiieio para a cadeia de Nazaretb, ser
feito de conformidade com a planta e orgamento
junto, na importancia de 18:093*900 rs.
2." O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de nm anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3." Os pagamentos serao feitos era 3 prestages
ignaes correspondentes a cada lergo da obra frada.
4." Nao ser em tempo algum attendida qnalquer
reclamago por parte do arrematante tenden-
te indemnisago, quaesquer que sejam as allega-
g&es em que se hajam para esse fim, ainda mes-
mo por prejnizos provados.
5.1 Para tudo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dlpe ore-
gulamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annonciago.
O Dr. Tristo de Alencar Aranpe, ofltcial da im-
perial ordem da Rosa e jniz de direito especial
do commercio desta eidade do Becife, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, por Sua
Magestade Imperial e Constitucional o Senhor
D. Pedro II, a quem Deus guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital vlrem e
delle noticia tiverem, que por parte de Manoel Joa-
quim Rodrigues de Souza, orno liquidatario da fir-
ma Rodrigues & Ribeiro me foi dirigida a segninte
petico :
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio.Diz
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza, liquidatario
da firma de Rodrigues & Ribeiro, que sendo-lhe
Luiz Jos da Silva Cavalcante, Silvestre Pereira da
Silva Guimares, e os herdeiros de Francisco Xa-
vier Brito de Oiiveira, devedores de uma letra da
quantia de 108*, e dos juros de 2 % ao mez, ven-
cida em 30 de maio de 1860, por conta da qual
deram a qnantia de 35*, de Jos Francisco de Ol-
leira, de duas letras por elle aceitas na importancia
de 311*880 e dos juros de 2 % ao mez, vencidas
em 28 de margo e 9 de outubro de 1860; de Libe-
rato Rigueira Leite, de urna letra da quantia de
21*480, dos juros de 2 % ao mez, vencida em 6 de
abril de 1860, de Joaquim Jo* Bezerra de Mello,
de uma letra por elle aceita da quantia de 618*800
e dos juros de 2 % ao mez, vencida em 26 de se-
tembro de 1860; de Jos Francisco de Lira^de uma
letra por elle aceita da quantia de 802*520 e dos
juros de 2 % ao mez vencida em 5 de setembro
de 1860; de Luiz da Rocha Pilta, de uma letra "por
elle a:eita da quantia de 164*240 e dos juros de
% ao mez, venda em 5 de setembro de 1860; o
Maximiano Manoel dos Santos, e Galdlno da Silva
Brasileiro, de nma letra da quantia de 67* e dos
Guerreiro 4 Lima.
1,000 caixas kerosene
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
WSRAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 5
dem do dia 6.........
car algodo, 580 caixas e 13 barricas kerosene ; a 'joros de 2 % ao mez, vencida em 20 de abril de
1860; de Braz Antonio da Cunha Albuquerque, de
a ordem. nma letra da quantia de 216*845 e dos juros na
mesma estipulados, vencida em 6 de maio de
1860; de Costa & Irmos, de duas letras na impor-
tancia de 939*898 e dos juros as mesmas estipu-
4:008*481 |ado5) por conta da primeira deram a quantia de
1:810*768 300*; de Joo Caseroiro da Silva Machado, de
------------- duas letras na importancia de l:750p e juros esti-
5:819*239 potados, vencidas ero 23 de janbo a 23 de outubro
-- de 1860; de Lenidas Tito Loureiro, Silvestre
CONSOLADO PROVINCIAL. Pereira da Silva Gnimares e Lurz Jos da Silva
Rondimento do dia 1 a 3........ 14:300*787 .Cavalcante, de nma letra da quantia de 306*900 e
dem do dia 6 ................ 3:012*977 dos Juros na mesma estipulados; e de Antonio
-------------Pereira Lagos Gnimares, da qnantia de 30*470,
17:323*764 de "saldo de urna Ierra de 182*890 e dos juros esti-
/


o v

****** *i*nm%*
titoltietf*.
pulados; qaer o sapplietle Qlerramper a pres-
cripeao, para cuja flm requera V. S. se sirva man-
dar lavrar o respectivo termo de protesto, sendo
iatirnadososdevedores Lenidas Tito Louniro, Sil-
vestre Pereira 4a Silva Gamaraes. Antonio Perei
ra do Lagos Guimares, Jlo Casomfro da Silva
Machado, Costa & Irmfios, e Braz Antonio de Al-
buquerque, e os dentis por edito;, pan cajo flm
quer justificar a ausencia do mesaras on tugar
iocerto, e depois de provado se loe mande postar
carta de ditos para qae sejam citados.
Pede a V. S. deferimemo. -E R. merc.Costa
Ribeiro.
E mais se nao contioha nem alguma outra
cousa mais st declarava e mostrava mb dita petigao
aqui mui bem e fielmente copiada e transcripta, na
qual dei o despacho que do theor seguinte:
Smi, e justifique a ausencia do dia 29 do correte
mez, as 11 horas da manha.
Recite, 27 de marco de 1865.Alencar Ara-
ripe.
E mais so nao contioha e nem alguma outra
cousa mais se deolava e mostrava em dito despacho
aqui mui bem e fielmente espiado e transcripto,
depois do qual se va e mostrava a replica que
do theor, forma, modo e manelra seguinte:
Illm. Sr. Dr. jufx do commercio.Diz Manoel
Joaqolm Rodrigues & Rlbeffo, que havendo V. S.
designado o dia de boje, para a inquirigo de tes-
temoohas da justificado da ausencia do sappitcan-
te para ioterromper a prescripcae de diversas le-
tras quer tambem justificar a ausencia dodevedor
Silvestre Pereira da Silva Goimaries, aiioi de ser
citado por edito na conformidad* de soa peticao,'
visto bSo ter sido encontrado nesta cidade e
achar-se em fagar nao sabido.
Pede a V. S. deferimento.-ER. merc.-Como
procurador Flix Francisco de Souza Maga-
Ihaes.
E ais se nao contioha e nem alguma outra
cousa mais se declara va e mostrava em tal replica
aqui transcripta na qual dei o despacho que do
theor seguinte :
Sim. Recife, 29 de margo de 1863.Alencar
Araripe.
E mais se nao conlinha em dito despacho aqui
mui bem e Belmente piado e transcripto, por
orca do qual foi a mesma petlcao destribuida ao,
escrivao des joiro Manoel Mara Rodrigues do
Naseimeolo, qae fez larrar o termo de protesto do j
theor, forma, modo e maneira seguinte :
Aos 27 de mareo de 1865, nesta cidade do Rocife,
m meu cartorio, peraute mim e as testemunhas
iofra assignadas eomparecru o soppiicante por seo
procurador Flix Franscisco de Souza Macalhes,
e por este foi dito que redalia a termo o eontedo
da sua petico retro, a qwal offereeen como parte
do presente, no qual depois de lido se assignou
com as indicada;, tesiemuohas.
Do que, fiz este termo :
En. Manoel Silvia de Barros Faleo, eserevente
juramentado, o eserevi: eu, Manoel Mara Ro-
drigues do Nascimenlo, escrivao o scbserevi.F-
lix Francisco Ae Souza- Magalnaes.Antonio Carlos
Pereira de Burgos Punce de Len. Ignacio Bar-
roso de Mello,
E mais-re nao contioha e nem alguma outra
ron a mais se declarava e mostrava em tal termo
aqui mu bem e fielmente copiado'e transcripto,
depois do que se va e mostrava, que teado o smp-
plicante produzido suas testemunhas. que justifica-
ran) a ausencia dos supplrcados, sellados e prepara-
dos os autos, subiram a minha conclusas e nuiles
dei, profer e publiquei a sentenca que do theor,
forma, modo e maneira seguinte :
Hei por justificada a ausencia; e assim mando,
que os supplicados aumentes sejam citados por edi-
tes de 30 dias para o fim requerido, pagas as cusas
pelo just ficante.
Recife, 31 de marco de 1865.Tristo d'Alencar
Araripe.
E mais se n5o continha e nem alguma outra
-cousa mais se declarava e mostrava em tal senten-
ca aqui mui bem e fielmente copiada c transcripta
dos mencionados autos.
Eem cumprimento o referido escrivao fez passar
a presente carta de edites, pela qual chamo, cito e
hei p r intimados os mencionados supplicados para
que dentro do indicado praso comparejara neste
juizo, munidos de seos respectivos documentos,
a fim de allegarem o que fr de juslica, sob pena
d revelia
E para que chegne ao conhecimento de todos
mandei passar editaos que serao publicados pela
imprensa e allixados nos lugares do costume.
Dada e passada nesta cidade do Recife, ar.s 5 dias
do mez de abril do anoo do Nascimente de Nosso
Senhor Jess Quisto de 1865.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrevi.
. Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito especial
do comraerpio, nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco e seu termo, por
Soa Magestade Imperial e constitucional o Sr.
I). Pedro II, quem Deas guarde etc.
Paco saber aos que o presente edital vi.-era, e
delle noticia tverem que no dia Io de mao do cor-
rente anno se ha de arrematar por venda a quem
mais der em praca publica deste juizo, na sala dos
auditorios os bens seguimos :
Florencio, crioulo, que representa ter 35 annos
pouco mais ou menos, avallado em 650.5. Cliris-
t:ana, cabra, que representa ter a mesma idade,
avahada em 7003- Sophia, cabra, representa ter
16 annos, avaliada em 8005, os quaes foram pe-
nhorados por execocao de Joaquim Luiz Viriles,
-contra oDr. Joaquim Elviro de Moraes Carva-
Iho.
E havendofalta de lancadores .-era a arremataran
teita pelo prego da adjudicacao com o abatimento
respectivo da lei.
E para que criegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital, que ser atlixado
nos lugares do co>turne e publicado pela im-
prensa.
Recife, 30,'de marco de 1865. Eu Manoel Mara
Rodrigues do Nascimento, escrivao, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem d Rosa, e juiz de direito especial
do commercio nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, por Sua Madestade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, que Dos guarde, etc
Fago saber que no dia 10do mez de abril do cor-
rente anno se -lia de arrematar por venda a quem
mais der em praga deste juizo, depois da audien-1
cia respectiva, o escravo Theodoro, crioulo, de 24
annos de idade, avahado em 8005000, o qual vai
praga por execugao de Jos Ribeiro da Cunha Gui-
marae- contra D. Jeanna Mara das Dores e outros.
E na falta de licitantes ser a arrematarlo teita
pelo prego da adjudicacao com o abatimento res-
pectivo da lei.
E para que o presante chegae ao conhecimento
de todos ser publicado pela imprensa e afiliado
na forma do estylo.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 28 de margo de 1865.
Eu Mauoel de CarvaJho Paes de Audrade, es-
crivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe,
ou
deve terminar en 31 de rea do corrate an
principiando do i* de junho em liiaale a detcoi
Progressive na forma da le.
Carlos Carnelro de Campos
.
ral, as 10 horas em ponto dia s
seu escriptono roa da Cruz n. 38, pri
TIIE A TRO
S. ISABEL
EMPREZA--COIMBRA
e.a recita da assigaatura.
Sabbado8de abril de 1865.
Representarse-ha o sempre applaudido e apa-
ratoso drama sacro am 3 actos e 5 quadros, orna-
do de msica e machinismo
9
MART RES DA GERMN IA
PKRSOXAGENS. ACTORIS
Constancio, cezar do Ocidente......Coelbo.
Sciplo, patricio romano e senador. Coimbra.
Orsio, chefe dos christos, octogi-
nario........................Germano.
Gabriel, fllho de Orosio.......... Lisboa.
Decio, grande sacerdote de Jpiter Pinto.
Lucifer......................... Borges.
Pluto, centurio romano...'....... Guiraaraes.
Polion, guarda dos carceres.......Santa Rosa.
I*ac,judeu, escravo de Afra_____Teixeira.
O Arcanjo....................... N.
Afra, corteza romana............. D. Eugenia
Marina, virgem christaa.......... D. Camilla.
AF........................... N. N.
Enmenia, escrava de Afra........ D. Leopoldina
Digna, dem, idem............... D. Jesulna.
Eu propia, dem, dem............ D. Francisca.
Senadores, Helores, sacerdotes, sacricadores,
auruspices, vlrgns, centurioes, decenarios, sol-
dados, povo romano, povo christo, escravos o es-
cravas.
As eocemmendas podem desde ja ser procura-
das e o pequeo resto de bi I heles esli a venda no
escriptono do theatro.
Principiar s 8 heras.
Uttf * iJ SaJbad8eka*!l.
O agaate Pial* hvati mmmmc a leilo m
; vMas activas la naassa. ida de Guimar
. lnsao, u imporuMiia afl:3\fJK)0 rs., a i-^--
rlmento dos administradores da referida massa, e
i por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-'
i mercio, as 10 hora em ponto m seo eserlplorte
a ra da Cruz n. 38, primeiro andar.___________
: Leilo de movis de escriptorio pertencen-
te* a massa fallida de xj B. Cuervo dr C '
;rM Ptumaria e sabonetes de
ToM
di casa ?folet; perfomisfa cea pritffegio,
torameAor daa cas detall. Mnpera-
Iriar Frtaees da mJk ImmI II
de ffespanha.
As flores, as mais esquUitas, as plantas as mais
ritfas etn aren, os blsamos os mais odorficos,
serrem a composigo dos productos exclusivos da
rainia dae Melbas.
Sabu real de Trico.
Segunda-feira, 10 do crrante.
A raquerimento do depositario da massa fallida
; de A. B. Caervo & C, e por despacho do Illm. Sr.
| Dr. juiz especial do commercio e por conta e ris-
cj de quem pertencer, o agente Pestaa fara' lei-
lo de todos es objeotos d esenptorio como car-
teiras, cofres e nexos nertenceufes a mesma massa
existentes no arraazem da ra da Cadeia
segunda ter -.19 da comente pelas 10
manha.
Leao de imporantedividas.
Martins levar a leilo pela ultima tez as divi-
das activas da massa fallida de Joaflnim Vleira
CoelhoAC, na importancia de 81:661532i rs.,
sendo 50:5815963 em coalas de litre o.........
A7IS0S MiBITIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vavega^o costeira por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acaracu.
No da 7 da correte segu as
'> horas da tarde o vapor Maman-
guape, commandante Moura pa-
ra os portos indicados. A carga
----- ser recebida at o dia 6. En-
commendas, passageiros e dinaeiro a frete at 2
horas da tarde do dia da ssrhida : escriptorio
no Forte do Mattos n.L___________________
Para a Bahia pretende sahir em poucos dias
a escuna Ehza, por ter alguma carga tratada, e
para o resto que Ihe falta trata-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Gongaives Beitre, na ra do
Vigano n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6, ar-
mazem.
Para o Porto segu com brevidade o brgue
Esperanca por ter a mnior parte de seo carrega-
mento prompto : para o resto e passageiros tra-
ta-se com Cunha Irmos & C, ra da Madre de
Dos n. 3, ou coa o cipitae na praca.
Para o Para.
vai seguir com milita brevidade o parhabotePa-
Mmwytefl a maior parte i carga prompta, e
para o resto que Ihe faita trata-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Gongaives Beltrao, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6\
armazem.
Para o Para
pretende segnir com muita brevidade o veleiro
hiate Dohs Amigos, tem dous tergos de seu carre-
jramento prompto : para o resio que Ihe falta tra-
ta-se com os'seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra aa
Cruz n. 1.
Para isboa
pretende seguir com muita brevidade a barca por-
tugueza Henriqueta, tem parte de seu carregamen-
to a bordo : para o resto que Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tem muilos eomraodos, tratase
com os seus consignatarios Anionio Luiz de Oli-
veira Azevedo Si Cv no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1. \_______
Para o hio de Janeiro
o veleiro brigne escuna Nao Sei, pretende seguir
no fim da presente semana, tem parte do seu car-
regamento emgajado : para o resto qae Ihe falta,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio roa
da Cruz n. 1.
Porto.
BEJUEACOES.
tonnitado das armas de Per-
nanbuee.
Be oro>m do illm. Sr. coronel commandante das
armas interino faz-se pnblice s pessoas interessa-
das, que a junta da inspeegao desaude militar tra-
balha as segundas, quartas e sextas-feiras, na
casa do Sr. Dr. Alexandre de Soaza Pereira do
Carao, roa Nova; e as. tercas, quintas-feiras e
abbados aa casa de Sr. Dr. Pedro de Alta y de Lo-
bo Mescoso, ra da Gloria n. 3, das 10 horas da
manuaa a 1 hora da tire.
Secretarla do commando das armas de Pernam-
buco em 6 de abril de 1885. O tenente-corenel
-secretario, Francisco Camello Pessoa de Lacerda.
He ordem do Illm. Sr. iosaector da thesou-
raria de fazenda desla provincia, se faz publico pa-
ra noeeimento de lodos a circular do tribunal do
theeaoro n. 7 de 43 de ftyrereiro prximo passado,
-ebaixo transcripta.
.Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco em 31 de marco de 1865. Scrviodo.de
ufOcial-maior, Manoel Jos Pintor '
Circular a. f.
1' seccao. Ministro das negocios da fazenda.
13 de Janeiro era 13 de fevereiro de 1865.
Carlos Carneiro de Campo, presidente-do tribu-
na! do ihesouro nacional, commooica aeaaeAores
inspectores das theaooraras de Taxenda, para a de-
vida intelligencia e execugao, me o praso para
a sobsiitnigao das notas de 100$ da 2* estampa de
que ira a oireonr n. 46 de4 de cvaowo uKitno,
Segu com brevidade para o porto cima indica-
do a muito veleira e bem conhecda barca Claudi-
na, por ter a maior parte do seu carregamento
prompto; para o resto e passageiros para o que
tem excellentes eomraodos, trata-se com Cunba
Irraaos & C, na rna da Madre de Deus n 3, ou com
o capitao na praca.
Vende-se o bngue brasileiro tFirma, de 178
tonelladas, constraego brasileira, earrega 10,000
arrobas com t6 palmos d'agua, forrado de cobre,
aparelhado prompto a navegar, com os ferros e
amarras correspondentes : trata-se eom os con-
signatarios largo do Corpo Santo n. 6, segundo
andar.__________________________________
Para o Para o hiate Novaes recebe algnma
carga a frete : a tratar com os seus consignata-
rios no largo do Corpo Santo n. 6, segundo andar.
LSILOES.
Leilo
Dos mastros, vergas, mastareos, ancoras, ca-
bos, velas, moitoes, signaos, 1 pedago de corrente,
1 cio, 1 virador, 1 guincho, i bote, 2 barris com
carne, meia barrica com farinha de trigo, 2 peda-
eos de lona, 1 sacco com arroz, 1 lata com oleo, 1
caixa com macarrao, tudo salvado do bngue ic-
glez Hebe of Ihe Exe.i
Sahbado 8 do corrente.
O agente Pinto fara' leilo em continuago aos
antecedentes com a mes ai a autorisagao, e sob as
mesmas condieges de todos os objeotos aoima
mencionados, pertenceotes aos salvados do brigne
ingles Uebe of Ihe Exe c existentes no arma-
zem alfondegado do baro do Livramento no caes
de Apollo, onde se effeetnara' o leilo as 10 horas
em ponto do dia cima dito.
Ledo de 15 latas com gaz, 1 carro de 4 ro-
das para ca regar e 200 capachos.
Sabbado 8 do corrente.
O agente Pestaa fara' leilo por conta de quem
pertencer de lo latas com gaz, i carro para car-
guejar, 200 capachos todo em lotes a vontade dos
compradores : sabbado 8 do corrent pelas 12 ho-
ras da manha no armazem do Angas.________
Leilo de 8 barricas cora ceneja
prela.
Sabbado 8 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 8 barricas ai cerveja preta a
Jual ser vendida em um ou maii lotes a vonta-
b dos compradores : sabbado 8 do corrente pelas
10 horas da manha no armazem do Annes.
~~Leilo de nia escrata,
Sabbado 8 de abril.
0 agente Pinto levar novrnoste a leilo em
compri ment ao despacho do Illm. Sr. Dr. juiz es-
pecial do commercio exarado na peticao de los
Gabriel Pereira Lima, na dia cima dito, a eaera-
ta Aleandrina, periencente ao orphao Domingos
Gabriel Pereira. Urna e existente no deposito ge-
9.
:0795339 rs. em letras.
Segunda-fira 10 do corrente.
Em seu escriptorio ra da Cadeia di Recife
ae meio dia.
de
Leilo de movis periencente a massa fall'
da de A. B. Cuervo & C.
Tenja ftira 11 do corrente
A requermento do depositario da massa fallida
-j A. B. Cuervo 4 C. por despacho do Trini. Sr.
Dr. juiz especial do commercio o agente Pestaa
fara' leilo per conta e risco dt quem perteooer
de todos seus movis curao sejam : mohilias,
guardaroupas.guardalougas,mesas, cadeiras, cas- do
tigaes, lougas de almogo e de jantar, trens de co-
sinha etc., 1 cabriolet americano e arreos, 4 ca-
vado, 1 taaejnwde ferro a waiton outros objeotos
que se acharo patentes : terga-feira II do cor-
rente pelas 11 horas da manha na Ponte de
Uchoa.
Achar-seha om mnibus no dia do leilo as 10
hora* para conJucgo do- concorrentes na esqui-
na da roa do Crespo ao p da loja do Sr. naia.
Leilo
De quatro grandes casas de campo em o melhor
dos arrabales a saber :
Dnas casas terreas na entrada da povoagae de
Apipncos ao lado direito da estrada real com 32
palmos de frente e 60 de fondo, 2 salas, 4 quartos,
cosinha fora, eom muro e porto na frente e quin-
tal.
Duas ditas no afto e pouco depois da mesma po-
voagao a beira da estrada publica com 34 palmos
de frente cada urna e 66 de fundo, com 2 salas, 4
quartos, cosinha fora, quartos para pretos, caica-
das na frente e oiies, fundos divididos por muros
e lados por cercas, com quintaos, assim como
grande pateo na frente que nertence as mesmas
casas, dividindo urna cerca de madeira.
Terca-feira 11 de abril.
O azenie Pinto fara' leilo precedida a compe-
tente autorisagao, das qoatro casas de campo ci-
ma descriptas, construidas as primeiras em 1856
e as outras ero 1848, as qnaes se tornara recom-
raendadas por serem edilic.adas perto da pavoago
do melhor dos oosso- arrabaldes, perio do rio Ca-
pibaribe, e pan onde devemos ter em pouco lem-
po estrada de (erro. O leilo sera' effectuado it horas do dia suyradto em seu eicriplorio na
ra da Cruz n. 38. primeiro andar.
O nico recammendado pelas ceiabridadaa me-
"dfcas como bvgieorca da pelle.
Balsamo de Violeta.
Pomada fluidificada pelos oleo virgena para o
servigo dos cabeleireiros.
Golas d Vialelas.
Extracto da flor ataral, peiafce de S. M. a rai
ote Vieioria.
Sabw de laliant 4e Violetas.
HoTnffnagem a S. M. a Imperatri:.
Agua da belleza de 3aa Magestade a
Imperatrrz.
Locgao benfica para o toitet das damas.
l?!#r dearroc res-aria.
De S. M. a Imperatnz Eugenia.
Perfume de nctar.
Este1 p refrigerante preserva a pelle de todas as
avlecfdes dorraaes.
Keside das abelbas.
Lo5o refrigerante para o toilete o os banhos.
Orene ponpador.
Da belleza da pelle.
Para prevenir a* rusgas e refrescar o rosto.
reme SevigR.
Compo8cao especial, para lustrar e flxar os ban-
kJ (cabellos.)
leme fro espumoso.
Segredo da belleza.
Para refrescar o tessido dermal.
Fcrfames das brisas de nialo.
Delicias dos lengos e salSes.
Dicado a S. M. a Imperalriz da Russia.
Caixa de Javencio.
Cofre mysterioso.
Encerrando talismans, segredo para boiieza.
Vermelho da China, preto indio e branco
de Lys.
Para passeios e soires.
P boriOBtal
Pas as unhas o brilho de nacarregado.
Feriamos heriseataes.
Para perfumar as carias, toaHias e os quartos.
Vende-se na rcra do Imperador n. 38, botica
nrfceza.
iYISOS diyeisos.
LOTERA
Aosi0;OO0s0O0e 3;O00^0O0.
Corre amaaha.
Sabbado 8 de abril do crrente anoo, se
extrahir arparte da l* lotera (H*) a
beneficio d igreja de Nossa Senhora do
Amparo de Goiaaaa, no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhotes.meios e quartos esto a yen-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 10.000(JOOO at 200000
serao pagos uia hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depoi?
da distribuirlo das Mslas.
As encommendas s r3o guardadas se-
ment at a noite da vespera da extracc3o
como de costume.
O tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Felippe de Pigneiroa Faria retira-se para
fra do imperio.
Joaquim Antonio Pereira e sua familia ret -
ram-se para fra do imperio.
Francisco Ignacio da Silva, retira-se
a Europa, al o dia l do corrente mez.
para
Na praga da Independencia loja de oorives n.
33, compram-se obras de ooro prata e podras
preciosas, assim como se faz qualqoer obra de en-
commenda e todo e qualquer concert.
Eugenia Aogusta Alves da Rocha, subdita por"
tugueza, retira-se para Portugal, levando em sua
companhia tres Albas menores e seu irmao Jos
Mara Alves Carioso, e sua ta Candida Emilia da
Silva.
Antonia Joaquim Das Medronuo ivai
ropa.
a Eu
Joaqutm Fernandes dos Santos, Portuguez,
vai a Portugal.
Aiuga-se o sitio que foi do Sr. Sebastio Peo-
na, na Capunga Velha, com boa casa, cocheira, es-
tribara, quarto para preto, tanque para banho, la-
trina e militas fructeuas : a tratar na ra do im-
perador n. 46.
Precisa-se de urna ama para cozinnar e la-
zer mais alguns servigospara casa de urna pessoa:
a tratar na travessa de S. Pedro n. 10, segundo
andar, entrada na ra do Fogo.
Joaquim da Cunha Morara, subdito portu-
guez, vai a Europa.
Irmandade acadmica de Nossa Senhora do lom
Conselho.
Em virtude da dsposigo do $ 1 do art. 9 do
compromissp, o secretario da dita irmandade can-
vida a todos os irmos para, no sabbado, 8 do
correte, pelas 9 horas, assislirenl a mtssa do s-
timo dia, que, na igreja dos religiosos franciscanos
se ten de celebrar por alma do nossa irmao Art-
teclino Ayres de Aluno Costa.
Consistorio da irmandade acadmica de S. do
Bora Conselho 3 de abail de 1863.
Augusto de Araujo Santos,
Secretario.
Precisa-se de urna ama que cozinhe e en-
gorante, sondo de boa conducta: na ra do Viga-
no n. H, 2a andar
Precisa-se alugar urna ama para casa de
dous mocos estrangeiros : a tratar na ra da Ca-
deia do Reelfe n. f.
Precisa-se da urna ama para lodo o servigo
de portas a dentro, e que saiba cozinhar, para casa
de orna familia portogoeza : na ra das Cinco
Pontas n. 98.
Saca-se sobre Lrssoa, Porto, Una de
S. Migu 1 e Rio de Janeiro: no escriptorio
do Car ralbo d Noguetra, ra do Apollo nu-
mero 26.
ir Quem tiver urna escrava para alagar, para o
servigo de casa e roa; entenda-se aa ra das
zes n.21.
Precisa-se alagar ama sotara, que saHn
bem oocrnhar e eogommar; do beceodas Barrelras
n. i^___________________________________
Precisa-se da urna ama para coznhajr en-
gomroar para nm pessoa : na roa deirai da. ma-
triz da Boa-Vista n. 85, segundo andar.
0vMa*9a Faciildade de Dirvito, aos amigos e compro-
viseiaios do faltecHo Jes Augusto Galvao
Pires para ouvtrem um* bhss, que se ha
de dizer pelo repuuso eterna de sua alnta no
dia 8 as 9 hora do dia era a igreja da S.
Francisco.
Machina* de 8erra pa-
ra a/godad
l'edc-st! as pessoas que tem euommeu-
dado destas machinas n i roa da Cadeia do''
Recife n. 56 A, Rija d( ferragem do abaixo i
aasignado. queiram vk tomar conta deltas!
por estes tres dias, do contrario serao ven-
didas a quem primeiro as procurar.
____________Jo5o Carlos B. Oltreiaa,
AttenQo.
Pelo presente tenho o prazer do fazer sciente ao
respeitavel publico desla capital, que nao sendo
desconhecido aqui o meu padecimenio de urna
molestia-bstanle giave nos escrotos, e ja moito
se haviam apartado os prazeres de vitar, e como
tive a felicidade de chegar a esta capital o distinc-
to medico de Pernambuco o Illm. Sr. ur. Francis-
co Machado Portella, e visse no MercantH desta
capital o sen annuncto oiTerecendo ao publico es
seuo dignos prestirnos, reuniraei-me de novainente
b o mandei chamar a nossa casa e se prestou com
muita aitenoo e zelo ao meu chamado, ceatei-lhe
os meus soffrimentos, exarainou-me por espago de
um quarto de bora e respondeu-me curar sera no-
vi Jade, de cuja operago qne leve logar no dia 20
do mez prximo passado da qual extraho tres
ijiiartas de carne, a qoal fot assistida pelos lllms.
Srs. Drs. Jos Antonio Bahia da Cunha, o Cerque:-
ra Luna, felizmente tive multo bom resultado e
al esta data tenho gozado de um exceilenie tra-
tamento e no espago de 15 dias levantei-me quasi
restabelecido ; e afflrmado no resultado que tive
afflango a qnem solfrer igual eaeammodo que
aproveite a occasio de sua presenea para o seu
fiel tratamento.
Outro sim, estando tambem a soffrer de om
grande estreitamento na uretra acho-me quasi
restabalecido, do qual aiuda me acbo em trata-
mento.
O Illm. Sr. Dr. Portella, aceite este diminuto
5ignal de gratidao e cintera amizade, ao mesa o-
Sr. Dr. oferego os meus Traeos servigos nesta ca-
pital ou aonde quer que me encontr.
Macei 22 de marro de 1863.
Ignacio Jos Pestaa Jnior.
Procurador*.
O solicitador Burgos Penca de Len,
tem seu escriptorio no sobrado do caes
do Ramos, aonde amigamente foi a ly-
pographia do Roma e oollaglo da Auro-
ra, ah esi elle at as 9 horas da ma-
nha e das 4 horas da tardd em diante-,
sendo que daa t aa 4 horas, pode ser en-
contrado na salas das audiencias.
os capites de campo-.
Desapparecen no dia 21 do corrente, da oasa de
sea senhor, o escravu de nome Benedicto, cabra
eseuro, com idade de 28 annos, levon vestido cal-
ga de algodo de listra, camisa de algodao da ter-
ra, e chapeo de conro de abas largas^em altara
regalar, chelo do corpo, cabello a escovinha
oihos pretos muito vivos nariz e bocea regalares, I
mnilo penca barba no queixo e um pequeo ha-
g i, todos os denles, p regalares, etc-.; de pre-
sumir qae segaisse a estrada de Goianna per ter i
vindo da cidade de Scoza, provincia da Parabiha,
ha 13 das, e foi comprado ao *r. Jos Antonio
Borges daqaella cidade: roga-se perianto aos se-
nhores capites de campo a apprebensao do rel-
rido escravo, e levarem-no a roa do Imperador n. |
83, sogaqdo anda*,que se gratiflaar com S)}.
Ama
Preclsa-se do ama ama, praerindo eseravg,
para comprar cozinhar : na rna do- Qneimado
n. 40, loja.________________-_____________\
- Precisa se de urna ansa para lodo o servia |
de cssae roa, saneado lavara agocamar: na ra '
de Hortas a. 88, easa de dos* pessoas.
XAROPE
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
te J. P LAHOZE, Chimico,
HilSACIHIU i IJCHLA VCtl01 DI r*is.
Este xaroai, rcjjulirisando as fuiques do estomago c ounmuos, dcstroe essas
indisposicos proteifornics, e faz abonar as molestias de que s3 inlieios prrcar>9-
rcs. Mdicos e rioentes tem reeonheeido que. restabeleee as ih.1i5u>, hienda
desappareccroapesoftile esiomago, queoalraaai emaqeca.es^aatos, r -.aimbras,
que sao resultado de riigcsld? penosa*. Seu u^io ag-*.vcl o a aeitadailn com. q-ia
se iporta, tem" feito adoptar como c^peciiico ulalvel das doei>7i.-i ervos**,
gnatntis, gastralgias, clicas de zitomaga e de entranhas, palpitmfiirt, dures de
coracao, vmitos nervosos} sosaece sflbw'w Hnua^des asimaJorai c lal, cpic os
mdicos mais ttlaslrcs o icm adoptada por reseipientc real dos dan* pnuteiro*
agentes therapeuticos: e lodureto d>. Petassa e o Prot*-hdureto de tm, tendo
observado qc debaixo de sua intluensw, # primeirt perde sua accao irritante, e o
segundo seu cffeito acfstrrngcnie.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas da laranjas anar,-s coa Ia-
durcto de potassa.
0 ioduralo de toMMa, tdminhtrad* sm
oW{o os debaixo dd forma solida, causa ao
dotntc ama grande repagnancia, ou determina
accidentes que o fortM i rennniar a esta
medicicao efleai.
Unido porcm ao Xarope de cascas de taran-
jas, elle nad cansa nern ^astralas, nem per-
turbabas do cstoanafo intuimos, gravas a
u salva'uinla, os iralauentos depurativos
sis continuados sern irrterrapco, nls affoi-
efies tscrofuletat, tuberculosas, canetmas
noa $tcundarias e terciarias, metmo riumt-
thismaes, as qaaes elle o mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal manen
qne o medico pude varial-a a tu* vantade:
0 frasco: 4 flr. 50 c.
XAROPE FERRGIOSO
O* aaoai de Uraajas amargas com
prota-iadureto de frro.
A aas*eaco i sal ferro ao Xarope de os-
eas de teruijas i tanto mita ricianel quanls
qne sie sarui(, enapregado so, para esli'iiu-
lar o aneiite, aein a ascrcvAO i suero g-
strico, e por Ski regularisa as fuarees abJo-
nnaaes, nmtrali7a os mim eiTeitoa dos larra-
(lirataa o do loduretos (fato da cabera, pn-
sno A-< tenlrs, dores epigstricas) em quanto
que facilita sva afcsor-pcaot nissolvida aa
arope, elle se toma e s supporta fcilmente,
pur acbar-se ao astada puro ataja assimilaiel;
e assim pode ccnriuuar-se a cara da patlidaa,
eorrimentos brancos, anemia, alec;oes escro-
fulosas e rachitisao:
0 frasco: 4 tr. 80 e.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estfio sompre en frascos r-speciaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). Expediccs: era casa
J.-P. LAROZE, roa daa Lions-Saint-Patd, 2, Pars.
Uua do Imperador n. 38, botica fraoceza.
?''" -


& o. S H 22 = : = {:5- 35"I
si'is-l-' fr l2SI 1 aif| s-s*
Z!lalMfl"|tfS-,!f|5l,l-
8?S
6o
i!3igKsP!f::s^*s
9
c75
B fia_.
1g
gfSl
goSieaO
gfifK-
h Un
HCli
~' t ^ 3
~ ? S
s!l!tii>
S- ?* a 2 a
l,2ar
w
*
o
XAROPE DEPURATIVO
HE GOUX
BROMO-SULPHO- lODURADO
Este novo produelo resultado de urna trplice conibiaa^ao de tres metalloides cujas propie-
dades sao mu cooliecidas, o Bromo, o Euxofre e o todo, oceupa boje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes 6 o mais poderoso.
As experiencias dos medios mais notareis dos hoephaes de Paris, os senhores Cazenave,
Puche, Bazin, Blache, Gaibout, Barosehct, Danet, Lej^anr, Vasse e Aubrjr, eic^ demenstrarao
sua poderosa efcacia as alTeccoes seguientes:
Doenras e pcllr,
Dirtrui e borhulha* de t*m caparle,
Piaran muro.ai,
Framhoesla,
Humares frica,
RaMktltiataan,
Ophthalmlu meroCnlaaa ataranlca,
Tlalca rorralalaaa,
AKeceaea rvalUUras.
Klephantlaala den Grejoa,
I todas as doeujai accanlanadas por un ticiqjo
sangue, e ji tratadas tem neuhum successo pelas
preparac5as Tegetaes, iodadas a oleo da ligado
de bacalhao.
Obatraeeoen I?mphatlcoa,
Papel ras,
Escrfulas,
Abceaso*. postcaaaa,
Caneran,
Ulceran,
Tlaaha,
Eicarbuta,
O Xarope de Le Goux, de ama fcil digestSo e de goslo delicioso, se- emprega tambem
om muita yantagem aconaelbado pelo dontor Barthe, do hospital dos meninos, para as
enancas debis, escrofalosas a rachUicas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mui
uparior neste emprego aa otara ae fgado de bacalhao e aos xardpes depurativos e anti-escor-
auttcoj qae se adnainastraTio t agera.
Deposito geral, em Pvris, aa botica BouHay, memoro da Academia imperial de Medicina de
Paris, officia da Legio de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paixes estrangeiros.

XAROPE D'ETHER
DE BOLLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membre da Academia imperial de Medicina,
Oficial da Legio de Honra,
Ra des Fosas-Montmatrtre, 17, Pava.
Este xarpe composto mais de vinte anno pelo sabio lente Bomllay, coostitue a melhor
maneira de administrar o Elher. He empregado com successo em todas as dencajjue tirio soa
origem de um eritbismo nervoso, como sao as:

Kmaaajacaa,
NoralfiM,
Calmaras de eatanaasa,
ladlajeaaaea,
etc., etc., Oc.
Attaaincs ala wvos, Aaennaan ajIrricas krpa-
Vareisanaa,
Syneepcs, Callaaa Tcntesas ou aerva-
Deposito geral, em Pars, na botica de Boullay, deutor em Seieaciat, membre duAeaemj*
imperial de Medicina de Pars, oficial da Legio de Honra, ra des Fosss-Montmarire, 17, e
em todas as boticas de Fringa e dos paizes etrangairos.
ASTHMA ASTHMA ASTMiA
SFFOCQAO NEBVOSA 2 OPPBESSlO
nico remedio efficaz para combaiiir estas molestias, acalmar am attaqne d'asma e impedir a
rolta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Uateoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado eom extrema rapidez gratas aes ndnairavesi resol-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chanveaud, 5i, roa do Comercio, Paris-GreneHe, en todas as
blicas de Franca e do estrangeiro.
Depositogeral cta Peraarabuco ra da Cruz n. 22. em casa de Caros A Barbosa.
- Do poilo das canoas do caes de Apollo de-
sapparacea um sacco com roupa su>a, sendo algu-
Cru- roas e homem, mareada eom s letras A. P., e d
mamer com 8. P. : a pessoa qae dr noticia delle
a AataatO Fraacisro da Costa Pernambuco na ea-
farmria de marinna, sor recompensado.
Quem ti ver urna casa em bom estado, e qne
tenha oonnnodos para familia, aas roas Nova, Ca-
balga, Crespo,Qaeimado, Livramento e Imperadjr,
querendo vender, appareca na raa da Cadeia n.
30, noe armar cora qaem tratar.
AMA
Prt'cisa-se de una ama : na raa
Uecife n. $<)
da Cadeia i
Precisa-se alugar urna prela escrava para o
servios interno de familia, tratar de oriaaeas, en*
gomroar, a' outros ser vicos menores : na roa dos i
Guararapes em Fora de Portas d. J6.
Alaga-se o segando andar da easa n, 33 di
O Sr. Manoel Moraes Abroa e liau tes urna
carta* em oasa de Jos Vicente de ti, trsvessa
aioga-T nansuTtuu anw aa casa a, jj ai t; h d rv^ .o viad4 ao Macat.
roa da mar, o qoal tem oommodos para grande i da Madre ae ueoj, n. ib, vma* __
familia : a tratar com o Sr. Antonio Joaquim Fer-! Precisa-sede orna pessoa para tratar de vac-
reira Porto, ou com Miguel Jo^oaira da Costa, nav cas e vender Wrt: a tratar tw ra das Grate
ra da Cadeia n. 12. '' a. B.
K


.44
tolarlo reraa-NM .- sexta feftra V c -toril de _*.
PRODUCTOR VHWIIIVVKIS
DO
II / ENSIGNE CHIMICO
Ielil
|do
RIO DE JANEIRO.
fitn
Duzia.
Chnmbador Iehl.
ou esmalte branco inalteravel, sera cheiro nem sabor e da mais
simples applicaco para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sena chumbo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente eificaz. "O chumbador Iehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia...... 54AOO
Chucuto chiuez
para concertar com amaior perfeigao iouca, porcellana, crystaes,
vidros, marmore e qualqner objecte precioso......
Cimento de gutta percha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia ;_.*.;
cosmtico Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
lexir ndontalglco vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservado dos mesmos, o en-
durecimento das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Encrlvore
MDANCA
400000
10500 12,J000
20000 180000
30000 240000
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaes.
que niorava na ra da lmperalrz em casa do marcineiro Peirier n. 55, pre
\Be ao respeitavel publico c a todos os seas fregaezes era particular, que
mudou sua oficina para a ra da matriz da Boa-YMa' n. 36, onde se acha
prompto para fazer o que eompele a sua arte de fundidor e maehinista.
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.
llelstcin
20000
500
180000
40000
10000 90000
340000
240000
10000 90000
500
10000
10500
40000
70000
100000
20000 200000
pedra austraca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim, cangalha e oulros arreios
dos burros e cavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. AiBanca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada. e que nao
exista mais inchacao. Acompanha urna guia.......
cimas chimlcas
extraccao dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. O par.......... 30000
Hassa dentaria Samakol
esta mas a, pouce temp.i depois de sua introducto na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentitcias. Acompa-
nha urna guia -.............. 30000
Jfassa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de toja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel chelroso
inflammavel, quemando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensacoes agradareis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondeslcus
contra piolhos e lendeas; afiancada sem mercurio .
pos de prata
para pratear instantneamente o cobre, o lato, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigos prateados, como faqueiros, salvas,
castcaes, apparelhos de cha e oulros objectos semelhantes, af-
flancados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidros de 2 oitavas. .
dem de urna onca. .
pos para limpar a prata lar rada
sao afliancados infallives. Acompanha urna guia, vidro ....
pOs purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. urna guia:
Carteira. .
dem .
Sabo oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia..........
Tinto Azul indelevel para marcar a roupa
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de urna
hora no sol, torna-se preta e nunca mas sahe do panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Affianca-se que n3o ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
Tinta enea nada indelevel superfina
para marcar a roupa, cm vidros de meia onca........
Ungento Iehl
remedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, fstulas, frieiras, hemor-
ro'das, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
reumatismos, supuraces putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rotos. .
dem. .
nico deposito em Pernambco em grosso e a retalho c
EM CASA DE MANO EL & C.
8 RITA DO (MBl'G 8
10500
300(0
120000
280000
19 RA NOVA 19
FredericQ Gautier, cirurgi&o dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparaces empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fisso, advertindo quetrouxe um immenso sortimento de dentaduras artifciaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas_diversas muito aperfeicoadas para chumbagem-
insirumentos novos, ferramenta moderna, cadeirade operacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Pars, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh at ao meio da com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando n5o tiver de ir em casas particulares.
O Londoni Brazillan Bank, saca pordoos
os paqueles.sobre
. Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Criado ou criada
Precisa-se de urna pessoa livre ou escrava para
I o servico de urna casa de familia : a tratar Da ra .
; do Imperador n. 17, primelro andar, defronte da I erencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gn-
(USA DA FORTOi.
Aos 10:000^000.
Ililtictes gara_tldes.
A' RA 00 ClIESPO n. i E casas do costume.
O abaiio assignado venden dos seos muito feli-
zesbilbeles garantidos da lotera que se acaben
de eitrabir a beneficio da matriz de S. Jos do
Recife, os segulntes premios :
Dous qoartos n. 2839 com a serle 6:000*000.
Um meio n. 2503 com a serte del:40A000.
Eoutras muitas sortes de 1005, 40$, 20$ e
10*000.
Os possuidores-podem vir receber seus respec-
tivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Aeham-se a venda os da 2* parte da 1* lotera
beneficio das obras da igreja de N. S. do Am-
paro de Goianna, que se extrahir no dia 8 de
abril.
PRECO.
Bilhetes.....125000
Meios......6,8000
Qaartos. ... 3$60O
Para pessoas que cenprarem de 1000000
para cima.
Bilhetes.....11$000
Meios......5*500
Quartos.....2$750
Manoel Martins Fiuza.

11 II 5 K' "1 o _~ 1 i 1 o-S OS 3* t vr B a. P n 5' 1 -i P s a. o s o 1 5 > 5 a. o i "J 53 a < o O O"
9 3 a. C* t -1 a o- eb c H o. e II -, 'A H O t
t a o t W -f o B 3 rx > i

Saude dada a todo o mundo.
Pelos preciosos medicamentos dos Srs. Grimanlt
C, pharmaeeutieos de S. A. I. o principe Na-
poleo, raa de la Feaillade 7 era P*aris.
Porque es Srs. mdicos e o publico usam de pre-
igreja de S. Francisco, das 11 horas da manhaa as
3 da tarde, i
500 tooo
500
I 000
Companhia fidelidade de seguros ^
martimos e terrestres mt
estabelecidajno Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBDCO
Antonio Loiz de Olive ira Azciedo k C, ffi
competentemente autorisados pela direc- *^
3 loria ta companhia de seguros Fidelida- ^g
fff de, tomam seguros de navios, mercado- f||
S5 rias e predios no seu escriptorio ra da "
JSR Crui n. 1. gK
mmmmmmmmmm mwmm
Precisa-se alugar urna escrava para todo o
servico de urna casa de familia : na ra das Cru- i
jes n. 9, segundo andar. .
Eseola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professora parti-
cular de inslruccao primaria, competentemente au-
torizada pela airee-tona da instruccao publica,
abri suaauia na ra Direilan. 60, segundo andar.
Na ra da Florentina n. 36, prepara-se co-
mida para fora por commodopreco.
Attengao,
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico e a todos os senhores officiaes do ejer-
cito e da marinha que contina a ter sua casa sor-
AAAGf I lil*a de fa"ndas roupas feitas, e por medida : no
onn 'arg0 d0 LivrameDt0 n- 34-
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardira, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Juao Fernandez Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
a luga-se
uraacasa acabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta,no lugar do Poco
daPanella.ruado Rio: a tratar com Tassoir-
mos.na ra do Amonm n.35.
Aluga se o segundo andar do sobradu. da
ra da Senzala Nova n. 42 : a tratar no armazera
do mesmo.
Sacase sobre Lisboa, Porto e Rio de Janeiro
no escriptorio de Carvalho & Nogueira, ra de
Apollo n. 20.
500 40000
0 bacaarel Jos Baptista Gitiran
advoga nos termos do Bonito e Caruar.
Pode ser procurado na villa do Bonito,
ra Direita n. 16, defroote da cadeia.
mam
jiliraaajg
Caruar. M
i Rnniln ^*
1^000
500
70000
40000
Anda contina por alugar o sota do so-
brado n. 62 da ra da Guia, que equivale a um
terceiro andar por ter 2 jaaellas de frente, 2 salas,
O bacbarel Alvaro Caminha T. da Silva
tem seu escriptorio de advocada a' ra
do Imperador n. 41, primeiro andar, on-
de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
Em qualquer outra occasio sera' encon-
trado na casa de sua residencia a mesma
ra n. 3, junto ao Gabinete Portuguez.
Na ra do Imperador n. 46, primeiro andar,
prerisa-se de ama ama para cozinhar, que seja
limpa e de Lons costumes. ____________
Precisa-se alugar urna ama que siba co:i-
nhar e para comprar, assim como outra que saiba
bem engommar e coser para urna casa de duas
pt ssoas: a trarar na ra da Imperatriz n. 34, pri-
meiro andar-
Consultorio medieo-cirnrgieo na rna larga do
Rosario n. 20.
O Dr. Jeo Ferrelra da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua proQsso nao
s na parte medica como tambem na cirurgica.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
. da cidade de Olinda com casa terrea, com
6 quartos e urna grande cosinha, o qual acha-se I .._;_ a frpntp hnta 0<; flinw nara a oc
pintado de novo, e aluga-se barato: a tratar no cupiar na treme, DOia OS iunuos para a es-
primeiro andar com o seu propietario o bacharel, trada e margem do rio Beberibe, com COm-
Francisco Luiz Correia de Annrade.
20000 180000
40000
20000
D-se 600$ a juros sobre hypotheca em casa
nesta pra;a : na ra de Santa Rita n. 1 se dir
quem d;_______________________________
Precisa-se de um rapaz de 14 a 16 anuos, ou
de um homem de 30 ou 40 annos que saiba ler : a
tratar na ra da Concordia, das 3 horas em dlante-
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na rna da Aurora n. 36.
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pouca fami-
170000 i lia : a tratar na praca do Corpo Santo n. 17, ter-
300000
mault 4C, pharmaeeutieos em Pars, com os quaes
elies tem sempre obtido as curas as mais extraor-
dinarias ?
1.a Porque esta casa sendo sera contradita a
mais importante de Par's, honrada com a clientella
de urna parte da corte, patenfeada por S. A. I. o
principe Napoleao s vende productos de urna efi-
cacia reconhecida.
2. Porque esses medicamentos representam as
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
mica.
3." Porque tem todos um goslo agradavel, satis-
fazem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
rigo, tanto s crianzas cerno s pessoas adultas.
4. Porque ellesdifferem inteiramente desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por n-
dustriaes estranhos, tanto a medicina como a phar-
macia, dos quaes nao tem nem a scincia nem os
ttulos.
8." Porque estes medicamentos < se applicam a
um nc:.iero limitado de doencas, e nao as curara
todas,como os remedios de que acabamos de fal-
lar ; emfim cada producto tem sua applicacao par-
lcular.
Por isso pensamos prestar um servido a todo o
mundo, indicando aqu as importantes propieda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault & C.
Xarope de raifort lodado.
Empregado com successo certo em lugar do oleo
de gado de bacalho, tao desagradavel, to ifli-
cil a digerir. E'o especifico o mais certo contra
as escrophulas, o lymphatismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rhen-
matismos, o escorbuto, as affeccoes da pelle, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
todos os casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lhe todos os principios vitaes que
perdeu, seja pelos excessos, pelas affeccoes lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
Xarope da quina vermelha fer-
roglnoso.
Ou associago dos aous poderosos remedios da
materia mediea que silo : o ferro um dos princi-
paes elementos de nosso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excellencia. .-
Este delicioso medicamento agadavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admiravcl as flores
brancas, dores de estomago, falta de appetite, po-
breza de sangue. Elle sobretodo til as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re
gularisar a menstuacao e suspender os effeitos
perniciosos das Odres brancas, que sao a causa de
tantas dnengas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forcas e da saude para os doentes enfraqueci-
Sitio para alugar
Aluga-se um dos melhores sitios, nao spela
ptima casa de vivenda como por ter excellenles
baixas de caplra e commodos para vaccas, alem de
innmeros arvoredos de fructo : qnem o preten-
der dirija-se ao primeiro sitio do lado esquerdo,
passando a capella dos AiBictos. __________
Aluga-se urna mulata para o servico interno
de casa de familia, qual cose e engomma : m
Santo Amaro, sobrado junto ao cemiteno Inglez.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na rna da Mangaoira n. 10, na Boa-Vista
Saciedade Nova Ealrrpina.
Por ordem da directora desta sociedade sao
convidados todos os socios para se reunir cm as-
sembla geral no dia 9 do corrente, as 10 horas
da raanha, na casa da sociedade, para a apro-
vacao dos estatutos e eleger a nova directora.
Recife S de abril de 1865.
A. J. Brandao,
1* secretarlo.
AMA
No becco da Boia, no Recife n. 1 primeiro an-
dar, precisa-se de urna ama para comprar e cozi-
nhar.
Consta-nos que o escravo Antonio, Cacange,
do Sr. Vicente Mondes Wanderley, anda nesta
praca : portanto pede-se s autoridades policiaes
e pessoas do povo que o apprehendam e levem
casa do Br. Sabino, que se recompensar.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva,
que coznhe e engomrae alguma couza, para casa
de pouca familia: quem quizer dirjase a ra
larga do Rosario n. 48.
. ,p.recisa-se de um menino para caixeiro, de
ii a 14 anuos, com alguma pratica de molhados.
que para fora da cidade : na ra da Praia n 70
achara com quem tratar.
0 Dr.CarolinoFranciscro deLimaSan-!
tos,contina a residir narua dolmpe-'
gg rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro-!
B curado aqualquerhoradodiae da noitc
3S5 paraoexerciciodesuaprofissodeme3
m dico ; sendoqueoschamados,depoisdfi
* meio da at 4 horas da tarde.devem ser
deixados |por escripto. O referido Dr.1
mm nao abandonando nunca o estudc da^
t molestias dointerior, prosegue, com i
R maiorafflnco.nodas mais difflceie deli-
|g cadasopera^oes.como sejarodos orgaos]
D o urinarios .dosolhos, partos, etc.
I
C0HP11S.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fern ira & Malheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
Compra-se ouru prata em obras velhas, pa
ga-sebera: naloja detilhetesda Praca da lude
dendencian. 2-2. '
Compra-se efectivamente ouro prata em
obras velhas, pagando-se bem: na ra larga do
Rosario n. 24, leja de ourives.
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da ruada Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro ruado ve
Iho : na fundigao da Aurora, em Santo Amaro.
Cobre, lato e chumbo"
Compra-je cobre, lato e chumbo : no ar-
mazem da bola amarella no oitao da secretaria de
polica.
Comprase urna loja de fazendas na ra do
Queimado, pagndose vista, se convier o nego-
cio : na ra do Itrum n. 70, segundo andar; se
achara com quem tratar.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
paga-se bem : na leja de bilhete da praca da ln-'
dependencia n. ii.
Comprase ou aluga-se um escravo que seja
bom cozinheiro : a tratar no escriptorio de Claudio
Dubeaux, ra do Imperador n 43.
AMA I
Precisas-e de urna ama que tenha bom le te e J
seja sadia : na casa da viuva do commendader;
Luiz Gomes Ftrreira, no Mondego.____________
Precisa se alugar um preto para o servico
de urna casa de familia, prefere-se o que entender
de cosnha : na cidade nova de Santo Aimro se-
g'unda casa do Sr. Gome.? doCorre'O._______
Atten$io.
Precisa-se de um caixeiro, que tenha principio
de taberna, de idade de 14 annos : na travessa do
Campello n. 1, freguezia do Recife, achara com
quem tratar. _____________.^^______
* ~Precis-se d urna ama ; na ra da Concor-
dlan. 29._______________________________
Offerece-se um moco portuguez para qnal- j
quer oceupacao, bem cono criado ou cozinheiro, i
etc.: a tratar no Forte do Mattos, botequim de Jos
Mara Hespanhol._________________________ ,
Na ra Direita n. 78, refinaco, precisase de .
urna ama que coznhe para homem solteiro.
Hamos, medico peta Un-
versidade de Coimbra, di consultas em
! soa casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da ttrdc Ttsitt os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os caso ur-
gentes, qne seri soccorridos em qaal-
, ^juer occasio. Di consultas aos pobres
I que proeuraretn no hospital Pedro II,
sonde encontrado diariamente das 6
^ s S horas da manhaa.
Tm sea casa de sde regularmente
I montedA para receber qualquer doente,
; aiada aesmo os alienados, para o que
tem mmodes apropriados e nella pra-
fica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de satide.
Prineira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500 >
Terceto dita...: 2J006 .
Ete estaibelecimento j bem acredi-
tado pelos bous arvicos que tem pres-
tado.
O proprieorio gtftn qne elle conti-
nu a merecer a COatsaga de que sem-
pre tem gozado.
SOCIEDADE DRAMATICV THALIA PER-
NAMBUGANA.
De ordem do conselho administrativo desta so-
ciedad?, scientilico a todos os Srs. socios, que bo
dia 15 do corrente ter lugar o espectculo de inau-
gurado desta sociedade.
Secretaria da sociedade dramtica Thala Per-
aambucana, 2 de abril de 1865.
T. B l.ins de Barr,
1* secretario.
Ama.
Apprcvad* por variu Academias t atm
ummiiaict medica.
O *e oocmoih cm %n\ n malestlai baixo
designadas a rsla^nacio do ungue cm ccrtM
partn do corpo, a qual prodiuida pelos rejfria-
ifnto* e muias onlras caulas, cutio declario-M
\ Hhcumatismcs, Gota, PnralyMtm, Fraqueta.
dot membres, Cuntlipaciei, F.lcphanliasis en
Pirnas lnchaias, el Dores Xertosas.
O uso da escora HJECTHO-MACNE
TICA tem sdcccho certo para a cura de todaa
eslas molestias, sem recorrer se a enhorna outra
medicaci. Ella lem urna forma mal manejare!
e produz, a vanlade de qnem d'ella usa, seos mais
uteis e felixet resultados. Seo emprego preserva
sa molestias cima. Para mais inforiaacoesee-
ul-te-te a noticia que accompaoka cada Escora.
M$nlmtrt 1 P rate Eu**u, 1S, Parit. t
Sftfe.
Vende-se n ra do
franceza n. 38.
Imperador botica
Aluga-se o 3o andar do sobrado da raa do Li-
vramento n. 7 ; a tratar na loja do mesmo.
Precisase alugar urna escrava ou moleque
de i i a 16 annos, que seja fiel para servico de
ra: a tratar no largo do chafariz da ra do
Brum n. 47.
Precisa-se de um caixeiro portuguez de 14
Precisase de urna ama para comprar e cesi
nhar para urna pessoa : no becco das Barreiras
numero 3.______________________________
Sedulas de i& e 1*> boas e prata, ha sempre
com premio de 1 por cento na loja n. 24 da ra
do Queimado.
Casa Talla.
Aluga-se urna pequea casa terrea a ra
do Nascente n. 14: a tratar na ra do Quei-
mado n. 32. loja.__________________
Sitie para aligar.
O abaixo assignado aluga o seu
sitio na travessa de Joo remandes
Vieira n. 6, o qual tem as seguintes
commedidades : boa ca a de mora-
dia, cosinha fora, eoebeira, estriba-
ra para 6 animaos, quarto para feitor ou escra-
vos, boa casa para baBho com rico banheiro, co-
piar, mirante em frente da casa, um rico jardim
com bastantes diversidades de llores e um chafa-
riz do meio, o sitio tem bastantes fruteiras e to-
do murado, tem porto e gradiamenlo de ferro,
| tambem se aluga com toda a mobi!>a por seu pro-
| prietario ter de fazer urna viagem fora desta pro-
i vincia, no mesmo sitio alugam-se alguns escravos
i cora especialidade urna mulatinba que ongomma
! perfeitaraente e cose : quem pretender dirija-se ao
: mesmo silioa qualquer hora do dia que achara'
com quem tratar.
Guilberme Joaquim da Silva Braga.
mmm* mmmmmwmm
Caiieir*.
Precisa-se de um menino de 14 a 16 |
annos que tenha bastante pratica de ta-
berna : na ra do Rosario da Boa-Vista
n. 43, paga-se bom ordenado.
SJSgKftHattMttM
O Sr Henrique da Silva Coutinho, supplente
s
s
a
5
modos para familia, estribara para cavado
ecapim para sustenta-lo, arvoredos de ruc-
tos, sem visinho defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a fesla e dos pel trabalho, os excessos, as affeccoes escro
tambem se alugar por anno: a fallar no Re- phuiosas ou venreas.
rifo nn Rprifp na livraria n fi n 8 a nra As mais de fam'l'aacharao neste xarope um mer
ene, no tteciie, na iivrana ns. o e ua pra- aicamen,0 sem lguli para fortificar e desenvolves
ca da Independencia e em Olinda na casa > systema osseo das crianzas os preservar da-
contigua com o capito Antonio Bernardo offeccoes escrophulosas.
Ferreira. Elixir digestivo de pepsina.
----------------------------------------------------- I Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
Esta para alogar-se urna casa terrea na ra tre as novas conquistas da scincia, a pepsina pos-
da Gloria n. 14, nm e f andar de um sobrado Sue com effeito a propriedade imporUnte de fazer
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da digerir os alimentos quasi sem soccorro do esto-
SantaCruz.e urna mei agua na estrada de Joao mago, o remedio soberano das gastrites, gastral-
de Barros.com arvoredos, agua de beber.e portao gjas, das nfiammagoes do estomago, dos Ogados e
Compram-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na ra do
Compram-se dons silhoes em bom estado,
com todos os seus pene rices : na ra da lmpera-
triz n. 78. ________
Compram-se libras esterlinas b moedas de
ouro de 203 e 16-5 : no armazem de Augusto C
de Abreu, ra da Cadeia n. 37.
VENDAS.
para o becco do Fora bal : quem pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 9. das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
Samuel Power Johnslon k Companha
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FiindicSo de Lo Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios de carro para um'e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
dos Intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas,
as pituites, o desposto dos alimentos, e presta prin-
cipalmente um immenso servico as senhoras n'uma
posico interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, verao sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e cenva-
lecentes o sustento de sua saude e o reparador de
suas forcas; porque cora urna boa digesto sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de 8. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamento para curar a tosse. defluxo,
catarrho, grippa, irritarlo do peito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa, etc.
Este delicioso xaropa popular em toda a Franca
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
Grimaull & C, nicos propietarios da verdadeira
receita. Recommenda-se aos doentes que usem ao
mesmo lempo das deliciosas pastilhas peilorars ao
sueco de alface de loureiro-cereja dos Srs. Gri-
: maalt & C, este exceileote remedio composio
com as duas substancias as mais calmantes e ao
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
lfjl; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Vende-se
Camarao n. 13.
urna carro e um boi : na ra do
Instruyes para o servido
das guardas do exercito, exlrahidas do re-
glamento de infanlaria e accorr modadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. Ge
8 da praca da Independencia, a 1#.
Atten$io
A loja de trastes na ra do Imperador o. 47 est' mesmo tempo as raais inoffenslvas da materia me-
liquidando por seu dono ter de fazer urna viagem j diea, e nao contm opio.
a tratar de sua sade, e por isso tem resolvido < lajeeeSo e capsulas nial ico.
acabar vendendo os trastes, e todos os mais per- Estes dous productos que constitcem a mais re-
tences do estabelecimento de marcineria : quem cente e a mais importante mediacao para curar os
pretender e quizer aproveitar se da occasio, diri-' corrimentos e as molestias venenes do homem <
-a-se mesma loja, que se faz negocio por menos da mulher, sao exclusivamente vegelaes nao con
de seos valores; assim como de urna morada de; tm mercurio, e sao preparados com as folhas do
casa terrea na roa Imperial n. 272, de pedra e cal,' matico arvore do Pern. Nao ha molestia conta-
chao proprio, com duas salas e d*ns quartos, cozi-: giosa antiga ou recente que resista ao uso desses
nha fra, cacimba, e quintal murado com porto: dons meies. Sua rapidez de acejio superior a
para o rio. tudo quanto se tem feito al hoje. As capsulas
Qnem tiver e quizer vender um moleque on nunca cansam o estomago nem os intestinos como
mulatinho de 10 a I4anns, dirjase ama do Im-1 ** capsulas de copahyba, eubeba e outras; a in-
ttenco.
perador n. 46, que achara com quera tratar.
Eogomma-se com perfeicao, aceio e prego
commodo: na travessa da ra Bella n. 7.
Precisa-se de urna ama qne saiba engommar:
na roa da Palma n. 41, sobrado. ________
Precisa-se de um criado forro eu escravo :
a tratar na ra da Madre de Dos n. 36, primeiro
andar, das 9 as 2 hars da tarde.
< Aluga-se e primeiro andor do sobrado n. 55
da roa da Cadeia do Recife : a tratar na ra da
Gloria n. 69.
.^-^B^f.-^a^s
interease.
na raa di
Aluga-se una casa terrea na roa da SenzaJia
Nova o. 36, a qual tem tres qoartos grandes, e i
quintal com porio pata a rna de Aop||o ; a |ra|r j
M ra do Imperador n. 81. j
O abaixo assignado pede ao Sr. Filippe San-1------.. .->- ,nm h^
j tiago Vieira da Cunh., gonhor do engenho Maca- ~ A ga;M, f* f,aSf,in M
'co na freguezia d Ipojuca, flue responda a ,,n. Hwm"m "'.* ^'m-______________
i que Ihe foi dirigida em 21 de evereiro prximo' Aluga-se urna escrava de 16 annos para o
i passado, alias sofr^r as consequencias do seu servico de urna casa de pouca familia ; quemqui-
rocedimenlo. zer dirija-se a raa da Etper.Dca u, 60, Ao Cami-
Manp) gjenurio do RefO larrO- tbo Novo, por pfffco wmowto.
ma mulher estrangtira de boa conducta
deseja arranjar urna casa de homem solteiro ou
viuvo para cosinhar, engommar e tomar conta de
casa : quem precisar pode
Pires b. 88.
- Joao Fernandos Lopes vai a Europa, e deixa
donle a soa ausencia como primeiro procurador
Joo Evangelista de Si, e segundo Manoel Jos
Horera.
joceo nunca produz o estreitamento como aconte-
ce com as injeccoes com base metlica aconseja-
das at hoje.
Todos estes productos vendem-se as principaes
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pernam-
buco, Caors & Barbosa, na roa da Cruz n. 28, na
Baha, Lima & Irmos ; em todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre i assignatura Grimanlt &
C, por que ha falsifkacdes perigosas.
Vende-e na botica franceza ra do Imperador
n. 38._____________________________
Alugam-se tres eseravos, sendo duas escra-
vas que fazem o servico de ama casa de familia,
ratero i e externo, e um escravo multo intelligente
procurar na raa dos! para o servico de campo : na ra dos Pires a. 54.
Precisa-se de nm caixeiro portuguez de 14 a
16 annos 'na ra Augusta n. 76.
~"Quem precisar"de nm eaixeiro com pratlc*
__________ t para taberna, dirija-se a ra das Cinco Pomas n-
= A reunio familiar do Club Commerci) po, 98, que achara com quem tratar, e d (ianca de
frrente mez, ter logar na noite do dia 18. soa conducta.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : era casa de Johnston Pater & C. ra
doVigario n. 3._________________________
0 GASTELLO BE GRASYILLE
Tradozidojdo francez per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 26500
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8._________________________________
BOMBA DEJAPY
Vende se urna bomba de Japy n. 3, aind nao
servida, por prego commodo : na ra da Cadeia
do Recife n. 62, 1* andar.
Vendem-se duas escravas, sendo orna de na-
ci, de idade de 36 annos, boa cozinheira, e outra
crioula.de idade de >8 annos, reforcada. sem habi-
lidades, propria para engenho : na fundico da
ra do Brum n. 84._______________________
Vende-se a casa terrea n. 35 da ra do Pa-
dre Floriano : a tratar na ra do Imperador n. 69,
primeiro andar.__________________
Hez Mariaor
Anda est venda na rna do Imperador n. 15,
defronte de S. Francisco, a rica edico do mea lia-
rian:, ornada com estampas e vinhetas, e encader-
nada, por 15 e 14500 cada livro.,
Vendem-se casaes de pombos e borrachos de
boa raca, por baratissimo preco : na roa larga do
Rosario, casa o. 26, terceiro andar.
Vende-se ma casa terrea na roa de S. Jos
n. 52 : a tratar na roa da Imperatriz n. 39, sobra-
do defronte do becco dos Ferreiros, das 9 horas
da manhaa as 3 da tarde.
Ceblas
Vennde-se na roa da Cadeia n. 50, era restis,
a J400 a cento, edispenoadas a 1*300 o cento.


Diari de peraa.rViiqf ? r,*nU f*A** | 4ftW U **p*.
O NOVO GERENTE
DO
. :
DA
LIGA.
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
*xm jiotjia m si man
AO
RESPEITAVEL PCBMCO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrang*iro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3. Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerreja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqoer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Ha para vender
Pinho, pinta, nais piobo, umita pinna,
pinlio, ru:. da Praia. haje, ra Nova
de Sania Hita 17.
78910c Upollegedas de largura,
De 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e cora todas as gros-
suras : cheguem roa Nova de Santa Rita
n. 4,7, serrara de Jos F Coelho. _____
Grande arniazeni de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um graode deposito de
productos chimicos uteosis e os maisempregados
e usados na pharmacia,pintura,photograptria.tin-.
turara, pyrotecbinia(fogosdearliflci(r) e em outfas
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se d-
reclamenteoas principies drogaras de Pars, Lon-
dres, Mamburgo,Ai>viTs e Lisboa, podeoflereceer
productos de plena conanca e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato earetalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas p.appropriadas satisfar
com promptidao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qaalidadee pureza de seusingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor,o qne
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se enconiram no mercado erolalasfechadas.
Tem grande colleccjio de vidros de dlferentes
formatos, desde umaoitava al dezeseisongasde
capacidade; de vidros para vidragase diamantes
para corta-Ios; de pioceis para fingir madeira com
propriedadee outros; de papis dourados epra-
teadose olhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
paraembrnlho, para forro de casa, para desenho
com fondo j feito; de papel albuminado e Bristul
?erdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para qnadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleograxo, oleo seccativo. oleo de linhaga
clarificado, oleodeoielet.secativode Harlim.ouro
yerdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias cores; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprlas para confesarlas; la de cores,e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim,bergamota, aspice, patchouly,mbar,
bouquet,limo, alcaraiva.mellssa. ortela pimenta,
' louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte arao mensalmente urna economa eanisda Rnsi.a canelia, cravo e muitos outros ob-
mdo-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- jectos que s com a vista poderlo ser mostrados.
muitas patacas, afreguezand
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou n3o querem vetider.
Os senhores de fra da cidade, dos rrcbaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Cokc do jaz.
pitcli lo gil/.
Alcatro do saz
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento rape- Coke lone||adas r cial, escomido por pessoa entendida que certamente muito de^e agr lar aos senhores pilcn '.].'.
compradores. i AlcatrSo caada
N5o se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- 0 cpke reconhec'idamente
dar a todos.
104000
80,5000
400
3
c
1
Salsa parrillia de Ayer
PARA, A CURA DA
ESCRFULA
e teda as molestias
prevenientes dekla
todas as molestias da
pelle
eherjsipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
nascidas, empinyrns,
REUMATISMO

PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO VISTA:
ALPISTE E PAINCO a UO rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELAES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc. (
AZEITE doce a 000 rs. a garrafa, cadada a ',
BANHA de porco a 6G0 rs. a libra, em por-
co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURICAS muito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americanas, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
D
DOCES de todas as qualidades.
E
EBVILHAS seccas e em latas portoquezas e
francezas.
F
FARLNHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,100 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
O
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEB1U delaranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Hollanda em botijas, irascos,
garrafas, etc.. etc.
M
MANTEIGA inglcza e franceza de 400 a
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
'MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
QUEIJO do reino de 1,300 a
DEM londrino.
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
n
SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a... garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 400 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.(00, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de dive sas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arreba.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colio
lia da Queimadv a. 19.
Vende-se o seguinte:
Lences de panno de linho
pelo baratissimopreco de 25400.
Lenges de bramante de linho
de um s panno a 35500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 24500.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 25 a duzia.
Pesas de brelanha de rolo cora 10 varas
propria para sala, a 3,5800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 1|S varas a 26fi0.
Gaardanapos
de linho Anos dnzia 35500.
Algodio enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 15200.
Cortes de la
com 15 covados a 6|.
Cambrafa adamascada
com 20 varas propria para cortinado peca il|.
Pil |de linho
l*o 8no vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algod.io
com 8 palmos de largara vara 25200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 3*200.
Laazinhas carmelita mindinhas
propria para vestido de menina, covado 600 rs.
LSaziohas
de cores finastovado 560 r>.|
Fazendas para a quaresma. -
Grosdenaple, moreantlque e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forjar- salas, de I, 5 e 6 palmes de
largara, por menos prego do que em ootrtquel.
quer parte.
Neste armazem de fazendas 'se encontrara om
grande sortimento defroopa feita e por medida.
da llavana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de
vana de diversas qualidades.
Ha-
2"
Ul
i"S.fS g o. o.g-8
CJ
CE-
filis-8
x ?S "
sa-rai1^
3
ss-siynstii
siliilll"ll?s&ia
Si
a 3 tm
o rarvao mais econ-
mico, lorna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
elle usado. Pilen e alcatrao, alm das applicagSes
diversas a que se prestam, como para callafelar
embarcacSes. alcatroar madeiras, etc., teem este a
propriedade de preservar do rupim, furmigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por em
qualquer ponto da ridade, segundo a vontade do
comprador.
DE
AZEVEDO a FLORES
Ruada t> Prestem attenco ao discurso do Bal&o.
Moreantique superior a 2500 o covado.
Grosdenaple de 10600, 10800, 20 e 3*.
Baloes de 20, 25 e 30 arcos a 30 e a05OO.
dem para meninas de arcos e de morselina.
Chales pretos de fil do ultimo gosto. v
L3a preta para luto e de todas as n.ais cores.
dem com assento prelo e cor de caf, flores matizadas, fazenJa nleiramtnie
nova vista se far o preco.
Vestidos a Maria Pia. os mais novos a 180000.
Cbitas largas de 300 rs. o covado a 500.
Lene s brancos a 20500, dem de esguio j embanhados.
Madapoloes francezes proprios para saias e camisas de seahoras a 560 rs. a vara.
dem muito finos de 140 a 160 a peca.
Cambraias brancas muito finas a 50 a peca.
Chales escuros proprios para as senhoras trazerem por casa 40.
Meias ciuas inglezas a 80 a duzia.
KOIPl FEITA,
Paletos de alpaka brancos muito finos a 40500 e >0.
dem de casemira de cores de 100, 110 e 120. i
Calcas de casemira pretas e de cores de 70, 80, 10?) e 12?>.
dem de brim branco de 40, 40500 e 50.
Cohetes de casemira prelos e de cores de 40,50 e P0.
dem brancos de brim e fiutas de 20, 205CO e 30.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o preco,
dem peitos de linho, e de algodo de 20 a 50.
Seroulas de linho com duas costuras.
dem de esguio de algodo a 10600.
Colleirinhos de linho inglezes.
dem de papel de cores.
Camisas de flanell i de cores de 33 a 60.
H.i muitas outras fazendas qu sevendem por precos muito baratos, oo-se
amostras com penhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do
SYPH1XIS
em todas as suas formas, assini como todo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO .
Ulcera$o do ligado
e em summa todos os males que tem sua
origem na
IMPUREZA DO SANGE
um alterante poderoso para a
RENOVAgAO DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direita ns. 12 e 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
Francisco Jos Germano
RIJA MOV A X. I.
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos o. binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
LUVAS DE PELLICA.
A loja da Aurora na ra larpa do Rosario n. 38,1
rfcebeu luvas de pellica mito frescas, pretas,
brancas e de cores, tanto para homem como para
senh'ira, das mais novas e melhor qualidade que
tem chepado, muito proprias para os aclos da se-
mana santa.
ENFEITES DE BOM GOSTO.
Tambem reerbeu enleites de differentes qualida-
des e itostos, muito bonitos para cabeca, os quaes
se vendem baratos : quem quizer usar do bom
posto e do modernismo, mande comprar na loja da
Anrora da roa larga do Rosario n. 38, pois !a en-
contrarlo iifdo quanto diz cima.
Vende-se um terreno na Capnnpa com 40
palmos de frente e 280 de fundo, plantado de la-
rangeiras novas, tendo cacimba e duas frentes,
urna para a estrada do Larerda, e outra para nm
becco: a tratar na Capnnga, venda dos Quatro
Cantos n. 35, de Jos de Almeida Ferreira.
Para a aova safra.
Urna excellente machina de 20 serras para des-
cansar algodo, est a venda na ra Direita n.
84, padaria.
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Resulta pelas experiencias feitas as Indias e esa
Fruta pelos mais afanados mdicos que as Gran*-
LAS O XAROPE d HYDKOCOTYLA ASITICA da
I. lpije alo e ptimo remadio contri todas as nm-
es do IMNGENS ou HERPES o outras molestias ala
palle, at as mais inveteradas, assim como a lepra
OU MORPHBA, a SIPHILIS, as MOLESTIAS E8CRO-
FULOSAS, OS RHEl MAT1SMOS chronicos, ete.
Deposito geral em Parit, em caaa de fourxuS 4
LABU.ONYB, rus Bourbon-Vlentuu. lt.
Deposito eral em Pernamouce rna da
Cruz n.2 em casa de Caros & Barboza
a
m B
II
^3 -
. n C 'u
o *a 3 g s
8 T3
as ,. g ct>
CD
S^H.
SF
2. o
a.
o
Fazendas baratas
No armaiera que foi de Joaquim Francisco de
Alem, largo da Assemblea n. f, vendem-se ebltts
francezas, algodo grosso, estopa larga e lencos de
chita, todo por preco moito commodo em conse-
quencia de se acbarem molbadoi d'af na salgada.

5
5
I
-i
8*2 8
o -i 5
o
1

,
O 09
N
a> -t
!=
i "S
II
5.NN
'O
o
MARA PIA
Mara Pa
Maria Pia .
Acaba de chegar pelo ultimo Taer ingles nm
esplendido sortimento de enfeites de cabeca a Ma-
ra Pa, os quaes pela sua elegancia e bom gosto
de cada qnal o mais bonito nada deixam a desojar
sendo pretos. rxos, cor de bonina e azalzinho
seus preces a 2500, 3, 4 61,8* e JO* : na
loja do noro rival roa do Qaeimado n. 16.
Colare Royer
ou colares anodines elctricos contra as contnlses
das eriancas.
O bom e proveitoso resoltado qne as eriancas
obtem na dentigo. irazendo desses colares, j
bem conhecido, e por isso se tornam hoje indis-
pensaveis porque assim teem os pais incontesta-
velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambem na ra do Queimado, loja d'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se. a vender em porco e a retalho :
na rna do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e galees prelos para vessides,
A aguia branca recebeu novaraente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trancas, franjas, galoes e bicos pretos, etc.,
assim como botdes enfeitados de vidrilhos, e ou-
tros maitos enf-ites de differentes -lores,'conti-
nuando a aguia branca na rna do Queimado n. 8
a vender todo isso por precos com modos.
Bonitas caixinhas
com mnsica e tem ella para costura, e outras
igualmente lindas com perfumaras finas.
A aguia branca na ra do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para
costura, e outras com perfumaras Bnas, e conti-
na a vende-las baratamente.
No escriptorie de Palmeira & Belirao, largo
do Corpo Santo n. 4, vende-se o seguinte :
Farello de Lisboa em sarcos grandes.
Toros d" Jacaranda.
Conservas inglezas em frascos modernos,
Vlnhotlo Porto fino em barris.
Sement em latas-de 1 libra muito superior.
Chocolate especial maraibense.
Farinha de mandioca da Baha muito nova en
saceos de i alqueires multo bem medidos.
Varmoulb em caisas de 1 duzia. *
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de melhor gosto va
Pernambuco. .
dem de gorgur3o preto adamascado com barra a imperatriz Lugema.
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 3;>o00, 40, o0, 00,
70 e 80 o covado.
Superar gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para veslio.
Sarja preta de seda.
dem preta hesj anhela.
dem dem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior. llM1.,.i(iM .
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500,10800, 20,205UO, (i,
30500, 45, 40500 e 50.
Pannos pretos de soperhr qualidade de 30 a 12o o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de ilo prelo.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na lija dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successeres
de Jos Morera Lopes.
MCHIMSbEPTElVr
de frabalbar n ?_o r-*"^
descarlas* algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
Estas machina-
podemdescarocar
& qualquer especia
",'de algodo sea
estragar o fio.
sendo bstanla
duas pessoas para
o trabalho; poda
descarocar um
arroba de algo
do em earoct
em 40 minutos,
oo 18 arroba;
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para seren movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodc
limpe, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutr;s dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por qae pode fater mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers C.
X. II, praca do corpo Santo
HECIFE.
Os aicos agentes neste paiz._____________
Bixas~haiiburgae/a8.
Vende-sena roa Nova n. 61.
* Veodem-se tt quartos : na entrada da rna
da Palma portaoa direita a tratar no mesmo.
Attencdo.
Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, era latas de 2o li-
bras, para pintar casa, reloglos para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavallos,
velas de sperraacete, ludo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos: no armazem da roa do
Trapiche n. 8.________
Oleo de Florida
Composto de substancias vegelaes exticas, elle
contnbne poderosamente, com a agua de Flo-
rida a torca-, a belleza?* a conservado dos cabel-
los.
Em Pars casa de Gnaor n. f 1S roa de Rechi-
nen e Si boulevard Montmarlre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e un-
cir prateado da casa, repotado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Irritadlo dos pulmes. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que afior-
lo aos org^os da respirarlo
de.ippareci;h
mediante a accao da balsmica e ircesislive!
ANACAHUITE
PEITORAL ie KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, nina
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tnm-
bem ensalada e appt ovada pela academia
medica de Berlim O peiloral de Kemp
um xarope delicioso inteiramenle livrede
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors d) Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os eslabelcci-
mentos pharmaceuticos do imperio. ,
Vendem-se no Recife em casa de Caors d
Barboza e Jo5o da C. Bravo & C._______
Atteicao
Antonio Duarle Carneiro Vianna scleSlifica ao
respeitavel publico, e especialmente aos seus nu-
merosos freguezes, que acaba de abrir um novo
estabelccimcntq na casa n. 22 da rna Nova, situa-
da enlre o seo amigo armaiem de ferragens e a ua
bem conhecida e popular loja da exposicao de ran-
dieiros gaz, exisiindo enlre as tres casas espa-
(osas communicaefes, de maneira qne facililam acs
compradores munirera-se commodam.enie des ob-
jectos diversos de que precisaren). Alcm do ces-
tumado e variado sortimento, que o respeitavel pu-
blico sempre encontrn, e continua a enronirar nos
seusestabelecimentos, achara no qne acaba de fran-
quear urna mullidle de objectos de luxo, sottu e
utilidade, das matsjrafamadas fabricas deFraLca,
Inglaterra e Allemanba, para as quaes contituau
sempre a fazer encommendas especiaos: e srt;do,
como fastidioso nnmerar o muito a variados
artigos de cutellaria, tapecaria, crisialaria, de n'-
taes finos, de porcellanas, etc., etc., deixa de o l-
ser, e convida ao mesmo publico, que vena visi-
ar es seus mencionados estabelrcimentos.
Soda caustica.
N. O. Bieber & C. successores, vendem soda
caustica em barris de ferro : roa da Cruz n. 4.
Precos que admira.
Sapalos de tranca soperiores pelo barate preco
de 1 o par, e andiz 10J : no vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Bicoadamascado de todas as larguras, a peca
com 10 varas, cada peja a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo o 7.
Clcheles em cartao de ama e duas carreiras
perfeitas, pelo barato prego de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, aduza a 1200, i600,
2,3#,4*e5*.
Balaios propriamente para costura e para frue-
tas,e para menina trazer no bra;o a l500, I#600.
15800, U e -25500.
Perfumara, macaca perola a 25, 25200, 35 e
45 a dnzia, oleo de miozinha a 55 e 65 a dnzia,
banha a 35, 45 e 55 a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis precos em censeqnencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s6 no gale vigilante, rna do Crespo n. 7.
.DROGARA.
3 iRa; larga do Rosario34
BarlholoHieu Francisco dcSouza k i.
Veudeni:
Acido actico pnro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guaraie5esavelludadas.
Tinta brancasnperior em lata.
AlvaiadeVeneza, flno.em paes.
AGUA
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a c6r natnral dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao ama tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva-de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveu, .ella l priedade de restituir aos cabellos o prineipio co-
rante que elles tem perdido.
De ama salubridade incontestavel, a agaa de
Florida entretem a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Na ra da Cruz n. 38, em casa de Milis '';.(-
lean & C, vende-se:
Cha.
Ojeo de linhaca.
Folhas de Flandre.
Silins e silhSes inglezes.
Cerveja Aspioall.
Dita Bass.
Dita John Jeffres &JC.
Um piano com pouco uso.
FMULO
de Lisboa.
Vendem-se saceos cem 90 libras de farelo, pele
barato preco de 45500 : na roa da Madre de Heos
numero 9.
Ceblas o 800 rs .
cento : na rna larga do Rosario n. 50, esquina
ara a ra estrella do Rosario.
Aos senhores vendelhof s.
No armazem de Manoel de Souza Carvalbo Pim-
pao, largo a Assemblea n. i, vende-se sarinbas
muito novas a 8*000 o milhelr.____________
Vende-se urna mulata cozinheira e livadei
ra : na ra Nova de Santa Rita, casa o. 5.
Fazendi'S avariadas
Na loja da rna da Madre de Dos n. 10, de 1roo te
da guarda da alfandega, liquidam-se as seguimos
fazendas avariadas, porm com pouco defeik
pecas de algodo encornado com 20 jardas, tuto
largo muito superior eom 24 jardas, madanutao
muito largo e fino cera: 24 jardas a pec,a, chitas
francezas escaras muito finas,^deixa-se de n en-
donar o prero por haver convicio de ser mais ba-
to do qne em onlra parte e nao servir de inveja a
alguns dos collegas do annonciante, por iaaii
cheguem a ellas antes que se acabem ; assim co-
as) tambem ha palltot de brim avahado a 52G0.
Vende-se vinte eduas pipas de mel eccasca-
do em barris, por commodo preco, e tambcui se
vende sete tones vasios de amarello de 120 cena-
das cada nm, e 400 adcelas de amarello am es
sens competentes fundos para toneis; na ruado
Pillar n. 94, em fra de Portas., ____________
Vndese trescarroeas para boi, duas ditas
para cavado, dous carros para condcelo de ge-
neres de estiva ou ontro qualquer mister, tudo em
bom estado, e por preco commodn, por seu don-
querer acabar com esse negocio ; a tratar na ra
do Sebo n.5i, taberna.
Vende-e urna urna de Jacaranda; propria
para deposito de ossos: na ra da Imperatriz, ja
de marcineiro n. iS.



Dlai*- r rer.asnfc.eo -*xU MH 1 Virfl te 1865
v

U
TORIO UCO-RIRGICO
do
AURORA BRILSARTE

f
GRANDES AKM.4ZE\S
DE
WOLHADOS
M satMM.
if Largo da Santa!
jCrux ns. 12 e 84,
[esquina da ra do
itUO.
Largo da Santa!
Cruzns. 12 e 84,
esquina dama do
ESPECIAE8 Scebo.
MMWWWM
muito acreditados artnazens de raolhados denominados Aurora
nr,[jr:v recebar de sna prflpriaencommenda, muitos gneros delicados
Mii seutK.! f 2 teDd0 ^esortimento comprado aqui, aflan5aqueto.
Joo des ja
Brilhaote, acaba de
dos o seus generosao de prinwira qualidade.
tsdsres se^niate tabl|a servir a rodos de
Rriih^nfn-am larma"m Rudera mais barato,
modiS J*6 Sf sortimento que tem, j raesmo por sea dono
Z^lVlTJ^l *" *>* ">* armazens agora, e
base para ajuste de contas aos por-
melhores gneros do que a Aurora
seachar encom*
_ o outrona pro-
b';ato')r"naVera' Pr ISS dev8'Se aPr0Tei,ar ama quadra destas para se comprar
SHjJIatts na 8 libras de chouricas muito oras,
jfjj a ifji)t). ^
Ditas graodes cora peixe em postas inteiras,
L*' l lu&lwWe, a i000, 1^280 e
[D.las com ostras, eseellente petisco para fri-
gideira, a 720 rs.
* Ditas cura ervilhas novas, ensopadas, a720rs.
Ditas com favas, a 610 rs.
D.tas com ameizas a 1*200, 1800 e 35500.
, Ditas com mermelada do afamado fabricante
^ Abreu. a 830 rs.
y'fi Ditas com massa de tomate, a 500 rs.
qypDitayxoj figos de comadre, novos, a 13500,
jL 2 e 25500.
cJb'">itasco-n bolachinha de soda muito novas, a
w).isr,omt)iscoitinhos inglezes de muitasqua-
lidaJes, a IJ'iOO.
Ghacalate.
Soclate superior muito novo, a libra a
15*00.
-I icarr.Ii, talhariam e aletriaamarella, a libra
a 1S) rs.
Dito dito din branca, a libra a iOO rs.
Calzas com estrelinha, pevide, e outras mas-
as, a c liza 35300.
Dita* lu em libras a GiO rs.
i,'U, libra a 360 rs.
SivatinYi para sApa a libra, a 240 rs.
Rrvilrtis s ceas, a libra a 160 rs.
)iUfl descascadas, a libra a 200 rs.
raptos* mjito nova, a libra a 280 rs.
'arinhi de araruta verdadeira, a libra a
300 rs.
a arroba a
$3
Irrot d> Miranho, em sacco,
25W0 e a libra a 80 rs.
)j da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
lineo verde superior.
A caada a 35300 ea garrafa a 480 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*1
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 r^. i
Sabo massa, a libra a 200,240 e 280 rs. |
Farinha.
SaccasgranJes com farinha de Goianna mui-
to nova, a 55000.
Caf. ,
Caf lo Rio imito superior, a arroba a 85,
85300 e 95000. '
Cha. >^/^- I
Cb, temos uestes geoeros o mellior possivel,*
hysou, a libra a 25609.
Dito parola a 3*000.
Dito uzim a 23700.
Dito hyson muito tino a 25^00.
Dito redondo a 23300. a~nn
Dito preto de priraeira qualidade a 250OO.
Duo mais baixo a 23000 e 13600.
Erra uiate.
Ezcellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caltas de 16 e 8 libras de pascas novas pro-
prias para mimos a 43 e 25500.
Nozes.
Notes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
^tlpisla p paineo.
Al pista e paineo. a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas flois pa"- logar, a duzia a 255"0
Casta alias.
73000 e a libra a
rs. a libra.
)it de Siutos, a arroba
290 rs.
dftos com 123 ceblas grandes, A 1280.
listarla france/.a, caita eom 2 duzias a
8J000.
.if) 'rascas esa mostarda preparada era vinagre,
franceza.-
i
u
,<<3 a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas
640 e 800 rs.
)itos com sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja, a
:#> 1-OOO.
Ditos -le 2 uarrafas de ollanJa verdadeira, a
840 es.
j&lJI 'tijis cora dita pfopria para negocio, a
m 50) rs.
tfj 1 irraroes com 2 gales com dita, a 63-
-*0 arveja b >a, marca, a 300 rs. a garrafa, e a |
.'-4i duzia a GjOOO..
i\ /i ;ii 1 n 'i sea te I de Setnbal, a garrafa a 15.
.%.Mirras 1 nnho verdadeiro,Irascos a 80C rs. e
Hjj a 13100.
(25Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
23003.
.Izets refinado portuguez e francez, a garrafa
a 13000.
Caixa da vinho Rordeauz muito superior,a
' 73,85,05 e 105 a caita.
:)itas con dito branco, a 73 a caixi.
#Dita* com dito laurimas do Douro verdadeiro,
a 233.
Ditas :;oti duque do Porto verdadeiro^a
cft) 18 5100.
rjfiDitas com chamisso superior, al43-
-y^Ditas com i'orto velb> e outras muitas raar-
1 cas, a 125.
CHViuho (\o Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
mi eSOOrs.
rTr\ Dits de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
M 33500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
->5niti da Figaelra, das sejfalntes marcas (X.)
% (J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
<3jb 45-500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
'K que j est engarrafado e lacrado com o
Vr r,,!l1'0 ao armazem.
JfiriDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
3p da a 333OO e 45000, e a garrafa a 430 e
5 JO rs.
# Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
\i 1 :ia:i Me Lisboa a 9)300 a arroba e a 310.',c*stanha novas viada* neste vapor, a arro-
ba 43000 e a Mhra a 00 rs.
\zeitonas.
Barris com azeitonas novas a 15300.
Manfciga.
Wanteiea saoerier, a libra a 15000.
Dita mais abuzo a 8O0 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios dilos, a libra a |
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 35200 el;
35500. ...
Ditos londrinos muito novos, a libra
15OOO.
Papel.
i Papel almaco paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a l#9V9.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
255OO.
Dito de embrulho. bom a 15 e 15200.
Vinhi) Madeira.
Garrafas cora o verdadeiro vinho Xerez e Ma- (
deira a 1J800 e 23000.
Temperos.
Polhas de louro, pimenta do reino, cominlio
e cravo, a libra a 400 rs. ,
Velas de carnauba. j
Massos com 6 velas de carnauba reflaada a
480 rs.
Ame misas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Dees.
Caixoes de doce degoiaba, grandes a 15*00
e pequeos a 640 rs.
lijlos de asfar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Gran.
Duzias de boioes dgraia n. 7 a 21000, el
ds latas a 15000, e os betes s 240 rs. ca-<
da ura, e as laus a 100 rs.
Charutos fisga.
Charutos finos dos melhores fabricantes da.
Baha por diverso presos, caixas e meiasv,
ca us.
grande quantidade e gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunCiar-se.
N. 11Rna do QaeimadoN.'ll
Superiores cortos de seis preta cora liadas barras.
>> Sauerior sedafaconno que ha de melhore mais gosto-
fH Moreantique preto muito bonito a 25800, 35,35380 e 45 o covado.
Completo sortiraento de grosdenapla preto de muitas qua'idades.
(AJb Pannjs oretos e casemiras de muitas qualiddes.
Bjurous.cnafej ets 4a renda pretos superiores.
Superiores pafissenesouteuibarqnes de seda para s nhors.
Bournusde lia para senhoras a 125
Chapeos 9 chapetinas'.de tfallra de Italia para senhoras.
Cort-s de laa de barras daT43 a 223 de muito gosto
E imitas outras fazendas de superior qualidade na loja le Augusto Frolerlco dos
Smtos Porto sonde tarabem se vendem as mjthiires e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
R. HRoa do Queimado S. 11
121000 A SACCA.
- t'eijo mulatinho novo a 125, ntilbo a 15 : Da
ra dos Quarteisn.22.

Peehlaeha.
H tdapolao Abo com pequeo toque de avaria a
r>. 7 e 85 a peca, chitas largas a 340 rs. o covado :
na ra da Madre de DeOs n. 7; loja.
Miho novo era saceos graodes: no trapiche i
di Cuaba, a tratar com Tasso Irmaos. ,
avatiado.
Prsnae lvarrls 55000
Porthand idem 85900
Em perfeito estarlo:
Franeez barrhra WtOOO
Portland Mer* ff|00O
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO JE OlM.IVVDOIl.
3 Rna da Gloria, casa do Fundao 3
NBM CORO AS NH MITRAS

>
0
GBUDE
O Dr. Lobo Moscoso d consiltas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
tora* da raanha, e das 6 e meia s 3 horas da noite, excepto dos dias santificado
Pharmacia especial homeopalhica
Na mesmo consultorio ha uapra o mais appropriado soriimeato de carteiras
tobesavulsos, assim como tintaras de varias dymaamisacoes e pelos presos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
de 24 tubosgrandes. 18000
de 36 tubosgrandes. 240000
de 48 tubos?randes. JOflOOO
de 60 tubosgrandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
qao se pedir.
m tubo avulso ou frasco de tfotura de meia onca 10000.
Sendo para cima de *2, custar5oos presos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada iim a 500 res.
LIVBOS.
A melhor obra da homeopathia, o.Manual de Medicina Homeopatntcodo Dr. Jahr
dons rundes rolumes cam (iiccioBario .-...;....... 200000
Medicina domesticado Dr. Hering,........... 100000
Repertorio lo Dr. Mello Moraes............. 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por ciernis conuectdos e dispensam portan-
to de serem novamenterecommendados as pessoas que qnizerera usar de remedios ver-
dadeiros^energicos eduradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveisiela sua boa conservago, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais jxacta e aecuradapreparaco, e portanto amaior ener-
ga) certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-sesscravos para tratar de jualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operario, para o que oannunciantejulga-sesufQcientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel,ianto na parte alimentar, como na medica, e
funocionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceite se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
ioentes.
Paga-se20000 por da durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precoi
azoareis ru costama pedir o annunciante.
ARMAZC21II
DE
11UA DO MfPERABOli I. O
; Jiite ao sebratoem fie mora Sr. Osbone,
Duare Almclda & C, reeeberam de na proprla enccii:aco-
da o mais Hade e rarlade oralmente de msslhados, prcitios
da p i-asea te estaco.
Macas brancas
Laboratorio analgico e chimico de F. fc P. Lebeuf e C.
rna Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteiiil, prs Paris (Franca).
BONIFICADO E FABBICVC^O
Djs viahos, agoardentes e licores.
VIXIIOS. Imitac.'io dos viuhos de todas as
qualiddes, Eitraeto de Medac, adose para 230
litros, 1 f. 23,de Oordeax, 2 f., de Poraard, 3
f.,de Lisboa, i f.,do Cataln, 2 f..de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 2.* ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o aleool e a?ua
os vanos cima e todos os outres. A dose para
300 litros, SO f.
CLACIFICACOPs Ingleses, nos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 300
litros. 5 f.
GOLORAGO.Parpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
AGUARDEXTES.Essencla de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor t o aroma de
cognac A garrafa para 100 litros, 3 f.
KIRSCH ABsl.VTHO.-Esiaacia de kirsch e
de absintbo, para os fater com aleool e agua. A
garrafa para 100 litros, 3 f.
LICORES.Ex tracto para fabricar se lados os
licores conhecidos sem fago nem alambique, un-
dicar-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 2j litros, 1 f. 2o.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encornmenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
Mantega ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a i,ooo
rs. alibra eem barril a 8oo rs.
HanAeiga franceza
pa safra nova a 60 re. afbra, e em barr
3IOrs.
! Amendoas
fcufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
detodasasqualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dosmelhoresfabricantes a 800rs., tambem
temjs velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
! QneIJe*
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
<|ne!J
lonunnoo mais freseo que se pede esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
bra.
mar
para 500 litros, 16 f.
Algons de Rosaos agentes tendo falsificado simitado nossas preparagoes,
freguezes, ddve-jis exigir sobre as rolhas e rtulos as iniciaes F. V. L. Paris,
0 modo de usar-ss das preparares aetia-se indicado n rotulo.
As encommandas devera ser aeorapanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-
de de Franca, ou garantidas por ama casa sonJiaeida.Diriglr-se aos Srs. Lebeuf & C. chiraicos, raa
Imartre, n. 31, em Paris, o:ia saa fabrica era Argenteml, prs Paris.
Moa ese na botica francea, rna do Imperador n. 38.
F4BRICV DE CHlPOS DE SOL
V 9 i
em libras ecaixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor qne se pode dasejar, que outro
qualquer n5o pode vender por menos de
30 a 20000.
dem pcrola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromitico que tem vindo ao nosso
. mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrlo, tafharim e a/etria a
480 rs. alibra. a
COGNAC
omuitoafamadocognacPalBrandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas quaida-
desa l,ooo e 8oo rs. a garrafa
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo r a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
^S'rT'cPeso e deoutras muitas qua-
^ades de 2,aoo, a 4,5oo a resma dome-
Ihor.
Papel de botica
3i:i .\'iv;i esqtiisia da Casnboa do Carmo e rna do
Calinga n. 8.
A lira;toria desse etabeleciment o mais importante que existe neste ger.enjje exc i> "|M-1/,l,e doIc
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desla provincia goze das qualidade a 20200
vantagens que proporciona a fabricaco em grande escala e directa relac5o com as mais!^,! -...j. PAP jl
rs. a resma.
a resma.
grande escala e directa relac5o com as mai8{rn|gp PApEl
importantes fabricas da Kuropa, faz sciente que resotveu-se a vender ainda mais barato rs ?rA,para emDrulhode I,4oo a 2,2oo
do que do costana como demonstra a seguinte tabella :
Descont em duzia.
20
10
/o
id
%
15 "/.
15 /
Cliapos de sol de panno a 2000.......
armaco de baleia a 20500 .
> de seda armaco de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28 60.....
Chapeos de sol inglezes a balo 12 vareta?, cabos asoito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 8, de 26 90. o de 8 400.
dem idem a balao de 16 varetas patent paragon fie fox de 24
pollegadas 110, de 26120, e de 28 130 .....
\ Alm de muitas outras qualiddes de chapeo de sol que existen na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., ele. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os qoaes slo tao Tartajosos eomo os annonciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entiraria ffna e ar-
mas de caga, os quaes vendem-seigualmente em porco e a retalbo, notando porm
que o comprador por atacado ter-sempre um descont razoavel, aflra de poder reta-
Ihar pelo preco que o estabelecimentoretalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de unw duzia ser5o considerados como
a retalho.

ADMIRAVEL PECHINCHA
CHALES DE RE1DA PRETOR
a lOjjOOO cada um,
cassaa organdya de cores a 8 SO rs. o corado.
A' ra 4a Crespa omero 17,
LOJA DE
Jos Gomes Villar.
GOMMA NOVA.*
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimenlo na ra do Imperador n. 40.
CHEGVRV OS MODERNOS CHILES DE
FILO PISTO,
Superiores chales de fil preto chegados pelo nliimovapar
loja das columnnsrua do Crespo n. 13, de Anlonio orrela de
ios AC.
franrer, a
e Vasconcel-
Corinthias
Fumo
7tfu!! S? arieaoo
i,oors. alibra.
Vioaarre
PBRemaacoretasde 9 caadas
cada urna. "uaa
Ceblas
a mais novasdo mercadoa 7,ooo rs a caira
e l,ooo rs. o molho.
. Alpisfca e'hunco
o mais novo do merrartn i, ? u.
e40iOOaarroba aU0r8'ahbra>
CEBLAS
em chapa a
a 15,ooo rs.
muitonoTasa l0ooOo> mado n. 7, rZ do?mn 5a ruad Qoe"
godoCarmoT9Imper3dorn-40ela'--
tXO DE BIGO
muito fresco^J^^
Queimadon.7 bi?>J I,braJ
tiSS*****? grande armazem
n. 9.
na rna do
para sopa a melhor qne se pede dcejar,
macarrio, tarharim ealeiria a itOrs \
libra e 40500 a caia.
Vmho
Figneira J A A e otrtras muitas icreas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a earrafa a
20800 a caada. 'e
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fal rj.
cantes da cidade do Porto a 10 e i^oo
a garrafa e de 100 a 120 a caiaa, a* n ar
cas sao as seguintes: Chamisse d Filbo,
F. & M., Nctar ou vinbo dos Teuzes,'
lagrimas do Douro e outros muitof.
; Latas
com 10 libras de baRha a 40CCO.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma aue
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* a
'Cervejas
des melhores fabricantesle de todas as
cas de 40500 a 0500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a 10500.
j Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a, libra, e da India
a 80 rs. a.hbra, e 2|atX) a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de |. e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 803C
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
-arraoes
com 4 /i garrafas com vinagre a 10000 tan
ogarrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 0060
a caixa.
IDEM
em frasqueiras de Hollanda a 5800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Coo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeirospalitos do gaz a 2,2oo a groia
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualiddes, a lo.oco a csiia
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmeada
dos melhores fabricantes de Lisboa, cerco se-
jam Abreu e outros muitos a 6ce rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a lilra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS .
de espermacete de diversas marcas a C rs
a libra e em caixa ter abatimeMc.
. VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 0,2tc i
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a cala e 60 rs
a libra.
Passas muilo oras
em quartos e inteiros a 20 o quarto e Clica
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se tice tt.
Hiara8Mr...Jbr.cI4o4!p70.
h rutas em ralfn
cbaMu'ultimamente,Mera?p1caego, ^e
outros muitos a 640 rs a lata
. GOMMA MUITO NOVA
3iff 0 a ar-
Cffi-
a lata
a 1^C0
QUEIJOS FLAMENCO"?
o Verdadeiro Prin,n,i ^.;._._. .
ar? sers
freguezes eamiiros c3n W0"",U a""f-cm w rcraaaeiro Prinrin-.! *-"i
.ipularamos .!!fao pab,,ce emgeral, que para facilitar.. p,,dec,aram
1P "mesprecos nos seguintes lugares: r a "^odidade de todcs .
%-
Marca N verdadeiro
FARELLO DE LISBOA
em saccas novas e grandes a 40500:

n. 40
na roa do Imperador n. 4P.
DE '-!
J. VIGNES. #
ocanos d?s*ta?f' 71 B^A DO HHPERAMR W. 55.
nwffldsilff ^ p fabnc* M? hJe "S3M conhecidos psrs qne seja necessario insistir sobro
,ua raP"1^ vanagens e garanUas que oTerecam os waares/flUaJidadss "--
8fnMt2 Ken,e conquisto sobre todosT$Tt7m S^neT5,rS*SS.
SS Vil?^&LW Z VM88 nw,oTows ^to, e por too tSSBL.
Fazem-se oonfortte as encemm6B?.s1 tanto nesla abriea como na do Sr. ||HeL de Pars seria
No mesmo eStabslecinwnto Se acha sempre ^ expedido e variado soHtaeXmaslM-*

1
<^


fcvt 4c Wetmambmem fleita feto* 9 de *brll 4c i 5.

Fazeaiis pretas para a qaaresma par
par baratissife pre$, aa laja e ar-
wazeu da Arara, raa a laipcrairiz
Lourerw> Pereira .Vendes Guiardes.
O propriurio deste esubeleciraenlo retira-se
para a Europa a tratar de soasando, parte ames
de rorar-i pretenda fer ina liquidacao da ba-
baratissimo preco para Techar coalas; agora fre-
gueies veode-se grosdenaples preto multo t>om
para vestidos, a 15600, 2* e 25500, dito de 5 pal
mos de largo, a 35 : na roa da imperatriz toja da
Arara a. oti.
Heur (illque preto a 3.
Venle-se a>auraatit]a prelo para vestido a3jo
covado, grosdenaple malto largo e encorpado a 35,
i$yM, 25 o 15600 ,o covado, alpaca pret para
vestidos e palito a 300,61)0, 70 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, lia preta para vestidos a
GW) rs, borabizina preta para vestido* a 1*280 o
corada : ra da Imperalriz loja da Arara o. 56.
iicos vestidos a Maris Piaa 12$.
Vendem-se ricos vestidos a Maria Pa a 105,
125, i i-i, lt>-3 : ra da Imperatriz loja da Arara
D. 36.
Arara vende pecas de panninlio a 5$ e de
roadapolSo a 40. >
VenJem-se pecas de paaniaho muito fino/de 12
jardas a 'i?, veodera-se pecas de madapolo infes-
tada a i e 44j00, veodera-se pegas de madapolo
de 2i jardas boro a 65, 75, 7*500, 8*, 9*. 10* e
12$, VeaJem-se pecas de algodosiuho a o$, 6*.
7*, e 8* : raa da Imperalriz n. 59.
Arara vende os bales a ifioOO.
Veadera-se bales dearcosde todas os tamanbos
a 25300, 3*, 3*500 e 4*: ra da Imperalriz
n.56.
Lazinhisda Arara a 320 rs. o covado.
Ven tem-se lazinhas para vestidos de seuhoras
e raeniaas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
linas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperalriz a. 56.
Chitas di Arara a 210 rs. o covado.
Vende* se chitas de cores fixas a 240 e 280 rs.
0 cov.il>, ditas fraacezas Unas a 320, 360, 400 e
30), preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova -
do : ra da Iraperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidadlo de soutambaques e lazinhas a
7, 80 e 10;?.
Vea-lem-se soutambaques de lazinhas para se-
n'i r.is a 7*, 85, dita de alpaca branca a 10*, ditas
milito linas de grosdenaple preto a 20*, 25* e 30*,
capis proias de grosdenaple tino a 20*, 2o* e 30*,
manteletes preto. de grosdenaple a 20* e 22*,go-
1 i alias para senhora a 2i0, 320 e 500 rs., mangui-
ta com gola a 13, camizinhas para senhora, 23,
e 35, ditas muito linas bordadas a 4*500 : aa loja
do tiarateiro da B >-Vi>u ra da Iraperatriz loja
da Arara n. 56.
i: irles de ditas finas a 2.->if)0.
Ven li:-se cortes de ditas cora 10 covados por
2*400, Jilos de dita franeeza a 3*200, cortes de
cassa franeeza (loa com 11 covados, por 3*, ven-
dera-so pwsa da eanibraia branca lisa a 3**00,
45 0), aJ:>, 65 e 85 : ra da Imperalriz n. 56.
Li i i lacJL) de roupas feitas palitos a 20.
Vendo a-se palitos de brira de cor a 2*, 2*30 e
35, jv| Mides de brim pardo a 3* e 3*500, palitos
de casimira be.o feito a 5*. 6*, 7*, 8* e 10*, di-
tos de panno prelo bora a 8* e 10*, ditos sobreco-
saos de casimira de cdr e preta e de panno a 12*,
145,163 e 20*. caiga de brira de cr a 2* e 2*500,
ditas brancas de liafco a 3*o00 e 4*, ditas de ca-
simira de cor 4*, 6* e 8*. pretas a 5*, 6* e 8*.
colletes de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 15)00, braacos a 2* e 203.0, ceroulas feitas a
1*289, ditas linas a 1*600 e 2*, camisas france-
Fazcndat pretas para a qua-
resma.
*a loja do Pavo.
Acha-se este estabelecimontoeompletmente sor-
tido de fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e moitissimo encorpa-
do, oulros mais estrenos tendo dos preces de
1*280,1*600,1*800,2*, 2*400 e 3*, superior
moreaatique preto a 3*, superior sarja preta bes-
panhola, superior setim preto maro, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques mnito bem enfei-
tadas, rieas vasquiuas e casaeos dos raais moder-
os que lem viudo, superiores manteletes, camisi-
abas com manguitos proprias para loto e ricos
chales pretos de rede, lado isto se vende mais ba-
rato do que ora outra qualquer parte por ser a di-
obeira : ua ioja do Pavo ra da Imperalriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do PavSo.
Acha-se nesteeslabelecimento um grande sorti-
melo de roupas feitas para hornera como sejam :
superiores palelots sobreeasacos de panno preto
muilo fino e forrados de seda a 2?*, 25* e 30*,
ditos forrados de alpaca a 14*, 16* e 20*. supe-
riores paletols de casemira unto sacces como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brrm de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, velludos, seHns
AS PUBLICO
Sean o menor constran-
gimento se entregar o
importe do genero ne
nao agradar.
ATTENQAO
os preeoe da aegnlnte
tabella para todos, po-
diendo asslaa servir de ba-
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
Atten$io.
I.oureiro Santos & C., arafeam de rccehcr da Eu-
ropa pelo vapor, om lindo sorliweulo de enfeiius
pretos, proprios para a quaresma, enfertes ainta
nao vistos em Pernambuco, pelo jrtco de 5*, 6,*,
W*, 12a e 20a, bem como grosdenaples preto, mo-
reantiq, capas de grosdenaples, e sooihanjbarqufs
de mesmo; todo por preces mdicos : roa do
Crespo n. 14, junto a loja de louca.
ARMAZEM UNIAO MERCANTIL
RA D CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da ConeeicSo)
PARA BEM DE TODOS..
CEBLAS
Iso armazem da viuvr Paula Lopes, tl^frrnic do
embarque na eseadinha, vendem-se bolas *s n.e-
Ibores do mercado, em calxa e cenio, o nals bo-
rato possivel.
Carta chorograiiliiea
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se txposta a vnda, as loj s alaao rrn-
ci6nadas, a carta rhoronrapbica do iheMru da gutr-
ra nos Estados do Sol da Anurira Meridional, ron-
lendo as plantas do I'ajsatd, e do Lloqueio rel-
eo de Montevideo. Ella tornase rtctanerdavel
nao s pela lacuna qnc vcio prerncher, cerno i i lo
, esmero do trabalho Ivthocrapbico.
, .,, Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estableciraento, e mais que todo a promptidSo e inlei- j Vndese pela moo'ira quamia di- sjocota* livta-
raeihores mesiresCn s corla,s pfor um dos reza com que sero tratados, convida a orna risita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protec?ao e preferencia na cora- irias dos Srs- Noueirj, ra do Crewpo < do sr.
qoer obra por medida^n^Tdo'pa^o'uTda' Pra dos Keneres ^e Pc:sarem, t quando nJo possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratiecs, I ^^g'&^t^^-hl"^" *
- pssoalmente, havendo para com estes toda recommendajao, afim de que niovaoem 'SaVJoSrf&rffimesm L
Imperatriz n.60, de Gama Silva.
(Ailas em certes com 10, fl e 12 covades' utra parte.
Na loja do Pavo vende-se urna grande porcao'
de cortes de chitas bocezas sendo clarase escu-
ras todas de cresC xas com 10 covados a 3*200,
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavao, de Gama & Silva, roa da Imperatriz n. 60.
Camisinlias a 1$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para 6enhoras
'pois ser5o to bem servidos como se viessem
ra n. 52, f na lija
do Sr. Cardozo de Alroeda, roa da Cruz.
cada
n.60,
zas a i $ e 2*300, ditas ioglezas de pregas largas a
3*, de linho a 3* e 3*300, coleriahos econmicos
a 6W rs. a d.uia, ditos de lioho a 500 rs^ura : na
ra da Imperatriz loja da Araja u. 56.
Arara vende as cobertas a 2-$.
Vea lem-se coberlas de chita finas a 2* e 2*500,
ditas de damasco a 4* : roa da Imperatriz n, 56
E' na Arara que e ven le cortes de casimira
preta a 35.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
3*. 3*300, 4*300. C*-e8*, ditos de cor a 3*,
4*500 e 63 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 2$.
Venie-se panno preto para calca e palito $ 2*,
35, 2J500, 45, 4*500 e 6* o covado, casimira pre-
ta lina a 25,2*300 e 3* o covado e outras multas
fazeadas para liquidar: na loja e armazem do
Arara, ra da Imperalriz n. 56. _________^
Navidades
Na nova loja de fazeadas e
roupa feita nacional
Ra di Imperan z m. 72
Pecaincba
Cortes de chita a Seo
Venle-se cortes de chita com 10 covados a
2-5*00 a 3^200,ditos de cassa a 3*. ditos de lazi-
nhas para vestido a 3*609 e 4*, ditos finos de bar-
ras a Mida Pia a 12*, 143 e 165, ricos souteam-
barqaes de lazinba em fantasa a 8*. 7* e 10*,
ditos de grosdenaple protos Unos a 20*, 22* e.2o*,
capis pretas de grosdenaple a 20*, 23*, e 23*,
na roa da Imperatriz n. 72.
Fazendas prelas para a quaresma.
Vendase grosdenapie preto Uno a 1*600, 2*, e
2*330 o covado, panno fino para calcas e paletots
a 23,33, 3*700, **500 e 5* o covado, casimira
prto fina a 2*, 2*300, e 3*. alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para calca; e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Lazinhas a 320 e 360 rs. o covado.
Vonda-se lazinhas para vestidos a 360, 400,
500, e 589 o covado. chitas finas para vestidos a
210 o 280 o cova lo, ditas francezas linas 320,
360 e 400 rs. covado, capas fraacezas boas a
320, 360 e 400 rs. o covado:
Ro.ipa feita.
Venle-se paletots de cor e preto a 3*, 6*, 8* e
10,3, calcas pretas de casimira a 5-5, 6* e 8*. cor-
tes de colletes e paletots de brim a 2*, 2*300 e
3i : oa roa da Imperatriz n. 72.
Madapolo enfesiado a 40.
Vende se pecas de madapola eufestado a 4*,
dito era oanninl a o*, peQas de raadapol5o de 24
jardas bom a 83,7* e 10*, ditas de algodo a 5*,
64, 7 e 8*, cortes de calcas de brim a 1*600 e
23, dito; de casimira prela a 3*, 3*500 4* e 5* :
na ra da Imperalriz o. 72.
COiWEITnRI*
das ananaes, raa da Cru* Damero \ 6.
Contina a ter eropadas, soperior presuulo a
850 rs., dito em fiambre a 1*600, recebera-se en-
commeadas de bandejas de doces, pes-de-l sim-
ples e enfeitade, kkes, para es quaes ha bonito?!
enfeitog, tambem tem figuras em grupos para bap-1
tisadn casamentoe, prepara-se igualmente lata
com caj cr^talisado proprio para exportar, vi-
nhos do Porto e Figoeira, outras q saudades, e su-
perior Bordeaux em garrafas grandes a 800 rs.
meninas, pelo barato preco de dez tustoes
urna : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a SI:
Vendem-se muilo bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados
fv0J!iaoa"-s,mG pre de 3*'(0 o corte :s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, do Gama
& Silva.
Cambnias lisas, na loja tfo PavSo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muilo fina,
tapadae transparente, pelo baratissimo nreco de
*V oS i1! varas ca<,a Pfa' di,s mo' fiBs
a 7^, e 9* a peca, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 7*, 9* e ICS.ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pna para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pe-
ca listo na loja do Pavo ra da Irapoaalriz n 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavio.
Grande pechincba a 3*500.
vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaco de tarlatana com muitos
delicados desenhos, mnfio proprios para partidas e
passeos pelo baratissimo preco ne 3*500cadaum,
sendo fazenda que sempre se venden a 7*, na loia
do Pavao, ra da Iraperatriz n. 60, de Gama &
Silva. w
Vestidos a \b c a 70
Na loja do Pavo vendem-sericos cortes de vesti-
dos a Mana Pia, sendo bordados e com barras
pelo barato preco de 4* e 7*. sendo fazenda que"
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porcao, na loja do Pavo ruada Imperatrii n. 60
de Gama & Silva.
Os enfeites do Pari.
Vendem-se os maismodernosenfeltes para caneca
de senhora: na loja do Pavio, ra da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavao.
Veadem-se as raais bonitas cassas francezas, de
padroes miudinhos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320 360
rs., por haver grande porco : na Iota do Pavo
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As lazinbas transparentes a 400 rs.
Na loja do Pavo veadem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de listas miudinha<=
a mitacaodassedinhas, pelo barato preco de 400
rs. o covado; ditas enfesladas de urna s er e
Ha* caipiquiohoc Ppoprs para restMos e'Tro-
pas de enancas : na loja do Pavo ra dalmpera-
tri n. 60. de Gama & Silva.
lucos soutambargnes do Pavo.
Acaba de chegar nm rico sortimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
20*, 22*, 25*, 30*. Capas e casaeos de glace pre-
tos que se vendem muito em cenia: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos rinte mil corados de lia.
Grande pechincba a 240 e 3S0 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com lstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Hara Pia, tendo de todas as cOrcs, e
abromas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porcao : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Maria pia,
Grande pechincba a 1000 rs.
Chegaram os mais bonitos corles de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, tendo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo preco de 10* o cor--
te, di tos deprcala com lindas barras enfeites,
com 19 cavados cada um a 10*, ditos de cambraia
com barras bordadas a croz no ultimo gosto, pe
lo barato preco de 6* : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 366 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para enancas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vao, ra da Iraperatriz n. 60, de Gama Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem-se as raais finas lazinbas de urna s
cor, tendo grande sortimento : nalqja do Pavo
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Si Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e Tambemcom assentos de cores, sen-
do oeste artigo os raais ricos que tem vindo a este
mercado, ricamente bordados e cerculados de nm
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernissimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peralriz n. 60, loja do Pavao.
Manteiga ngleza especialmente escullida a
I ,ooo e 8oo rs. a,libra e em barril se faz
abatimento.
dem franeeza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i 5
libras muilo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 2 li-
bras a i,6oors.
dem preto o que se pode desej'ar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguiras muito oras a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas ja preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 3,ooo~e o.aoo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
i ,ooo e i ,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rsn
Vinho Bordeaux das marcas ibajj acredita-
das que vem ao nossp mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64oT^T5oreis a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
contaoort*.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a i.ooo e li.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,oo rs. a arroba.
Caf do Ccar muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a Ido Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
A elria, macarrao e talbarim a 4oo rs. a li-
I bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa: estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
l35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e Soo rs. a garrafa, e e n caada
a 2,5oo, 3,000 e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e ooo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Viuho branco para missa em caixas de i du-
sia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vil iho do Porto das melhores marcas que
'em ao mercado como sejam: Lagrimas
iWDouro,Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000, i5,ooo,
2,000 e 10,000 a caixaj com I duzia e 9oo,
,oooei,5oors. agarrafa.
Vin'bo Cherexds superior qualidade a 16,000
duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sadinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
C4o rs. as me asalas.
Bojachinhas inglezas muito novas- a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1,3oors.
Caiftes com bolo francwmuito proprios pa-
va mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Fiaos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica deJoao
4e Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por 2,3oo rs.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a 45oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamaihes com bonitas estanpas na cai-
xa exterior, a i,4oo, 1,600,1,800e 2,000
cada urna.
Amh*a doce refinadn hespanhol ouportuguez
a Ooo rs. a garrafa e lo:oou a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
O gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Va$souras de escoya para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda inglesa dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
Mostarda franeeza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas. excellente- legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 1$ a garrafa e 11,000 a duzia.
lbo. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a Soo rs.
Cerraja, branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a Soo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Gevadioha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricanie Jos Porta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de avana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do or le, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oosolta8.
Pablos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinbo de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banba de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranhao muito al va e cheirosa
a 2oo rs.\a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fruclasem doce secco de di-
versos tamanbos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a Soo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a B.ooo o 3,Soo a garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada:
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e'640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Polvo.
Na ra da Crnz n. 36, defroDte do bre^o da
Linceen. Ee vende polvo recentemente rln-jato
do Porlo, ao prego de '60 rs. a libra.
a padaria da ra Direita v. 24, em para
? ender moedas de ouro portuguezas de i, e ba-
laios para o servico de padaria. ______
Escravaa eniobilias
Vendem-se duas mobilias demogno cem pedrss.
assim como urna escrava de 15 airaos, ruin habili-
dades, e um escravo moco : a tratar na ra taiga
do Rosario n. 12, botica.
Pesos
Vendem-se 8 pesos dV 2 arrobas, 3 de 1 a/ro-
ba e I de meia arroba, por preco rommede : na
ra do Vigario n. 21, loja.
m&ano"7r.szrx: >, -*
ESCBAVOS FGIDOS.
Desappareceu no dia 2 de, marco do fr-
rente anco, da rasa de Fratri.-to Bol I lio de *' n-
donca, a preta Mecas, nrrava do Sr. Anin. A'a-
ria de Araujo senhor ir. ergenbo Puttt no inn o
de Agoa l'ieta, representa ler de .ce '.;: a .<,
aunos, estatua regular, ckiia do cu o. uanii bu-
lo, beicos grossos, levou venido o 11 i.i de as-
iento rxo ecm flores enramadas < rlslf 11 rio
de merino : quem apiHunrier bvai((-a *o eu-
genbosuprau arca Nova de Sania lua d. 31,
ijue sera reromrensado.
Fuflio no da 14 1865, um cabrinha da povtacao Je Ganeleira ;
com os signaes seguimos: rcr de canilla, ral < ra
grande e um pooco porrada para traz, eatwllcs
pouco enresrados, bem parecido de feifoes. el bes
grandes, com fallas de denles afenle, pe* p u-
os, idade de 14 annes, tem mais nascislas Atu-
trlzes de reino, multo regrisla, tal vez entilu^-H
por forro, e qceira com influencia de voluntarios
asseniar praca : conduz cbapo de palla velho air,a-
relio, calcas brancas de panno de algodao, paklct
de algodo azul, camisa de lislia do m< sme pasco,
por noree Gmlherme ; qne de ludo pode se des-
fazer para desacert das inforrosc5t-s, m. srao n n-
dar o nome, por ser bastante ladino, rogo por tin-
te aos Srs. capilaes de campo, e inspectores de
quarleiroes, e os Srs. capnes de cinivanhiasdo
corpo de voluntarios, e prehender aonde aeon-
lecer que o dilo cabrinha appareea e mandar en-
troga-lo ao Sr. Manoel Alves Ferreira, qne grstib-
caia generosamente o aprehensor.
Genuino Alves Maciel.
lugio o Jacob.
Anda fgido ha 15 das o escravo r> naci oe
neme iaceb, maior de 40 annos, que foi pMprie-
dade do Sr. roajor Ignacio de Barros \\anduiey
senhor do engenho Ubaquinba, timo de Sei-
nbatm. O escravo tem es signaos stpuinHs :
alto, rheio do eerpe, olhos grandes e ro^to rrnpn-
do, anda de vagar e paifce arrasur de nna p na, est o, liado e teai por isto grai de palpiiTi,
nao muito ladino, levon yesiit'n (misa de n oa
e calca de riscado, dlzem que anda \ da Magdalena aonde tm sido visto e e Ce irir
qne ande ganbando, elle faj vassonras e cfcspeos,
fresume-se que esteja aceulado por alguma es-
soaque o seduzo econtraquim si proiesiar nm
o rigor da lei : quem o trouzer a casa de .-eti >e-
nhoro abaixo assignado na ra da Cruz n. 33, te-
r recompensado.
Domingo* Rodrigues de Andrade.
AVISO.
Superior farinha de
mandioca.
Vende-se excellente farinha de mandioca a bor-
do do patacho nacional Pelycenai, atracado ao
trapicio baro do LiTramttrto e na ra da Cruz
n. 23, primeiro andar, escripiorio de Antonio de
Almeiia Gomes. ^________
KaHUCAC
PIQB'VAS MAOl
"A MARf
II CO IVTA& LI
Na ra do Aragto n. ti:
~' PROPRIO PAR\ SENHORA.
Veode-se um excellenie ca val lo muito tra-
vo e manso com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, ra de Santo Amaro.
Soutambarquesdecor na loja
do Pav&o.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques de cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos de velludo, seda e setim, renda, etc., s
avista do grande sortimento que os fregueses
podem dar o verdadeiro apreco a esta fazenda, e
veode-se por differentes precos conforme a quali-
dade : na loja do Pavao de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Manteletes de lito na loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos manteletes de fil pre-
lo e outros com os centros de cor, sendo neste ar-
tigo o mais rico qae lem vindo ao mercado* mais
moderno por serem muito eompridos e com deli-
cadissimos lavrores: na loja do Pavo, roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para meninas.
Veadem-se muito bonitas roupinbas proprias
para meninos de 1 a 4 annos, sendo calcinhas e
jaquetinhas iguaes, e mnito tem enfeitadas : na
loja do Pavao, roa da Imperatriz a. 0, de Gama
& Silva.
Calcilla* fc Paria.
Vendem-se muita bonitas calcinhas bordadas pa-
ra meninas a 8*0 w. : na loja do Pavo, ruada
Imperatrix n. 60.
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queiruado, n. 49 e SS. E' para admirar.
Carretis de linna com 150 jardas...... 60
os com 200 jardas de Alexandre de
12 a60...;.......................... 120
Dito dito de60 a200.................. 100
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das................................. 80
Idtm idem brancos e de cores de 100
jardis............................... 30
Livrospara assento de roupa lavada... 100
Cordo branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de botoes de pnnbo todos decores 120
Tinteiros de barro com tint........... 100
Tesouras para costuras finase unhas 400
Ditas para costnras com toqne d'avaria 200
Escovas para limpar denles muito finas
160,200e.................:............ 320
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades......................... 640
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso.................................. 600
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lbe)................................ 20
Meiadas de linha frouxa para bordar.. 20
Pares de sapatos de tranca.......... 1500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeira olea de babosa a
400 rs. e.......;................
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
mnito fina.......................
Ditos de banba a Ganbaldi e da familia
imperial.............B...........
Pegas de fitas elsticas pira vestidos a
melbor qualidade.................
Pares de ligas para senbora as raelho-
BOTICA E DROGARA
Bartholomen Francssco deSouzaiC.
34Ra larga do Rosario34
Vendem:
PiluInsHolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulasvegetaes.
Pilnlasvegetaes assncaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remediosdo Dr.Cbable.
Elexir dePepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert.'
InjeccaoFeaugas.
Agua dentificade Desirabode.
Pape Ichimico, para talbos.
Xarope depuraiivode Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL'Atlectear.
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway. ______^^^_^__
30
200
500
400
900
240
RIVAL
SEM SEGUNDO
res.........;....!............... 320
Pecas de bicoi francezese rendas. ..afU 320
Frascos de luzua dentifrice muito supe-
rior...........................7.. 800
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
.e Victoria........................ 200
Libras de lia sendo de todas as cores... WOW
Bonecos vestidos e tambem de choro... J0
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 norello.. 80
Enfiadeiras de rita para espartilhos..... 6
Carretis de linha de cores com 100 Jr-
das............................. 20
Pecas de cordio imperial............ *
Vende-se na roa da Praia, o.3i,coUa
da Baha.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gas da melhor qualidade a
11$ a lata : nos armazensda ruada Im-
perador d.16 e ra do Trapiche Novon. 8.
Pet hincha nao la loj a de fazcedas
ronpa fcila nacional, raa da Impe-
ratriz n. 72.
Pechincba a 240 rs. o fwado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas franoeras largas a 300, 320, 360, 400
e 44a rs. o covado : pecas de madapolo fino a 65,
^l, 85, 95 e 105; pecas de algodo a o, 65, 7
e 85 : ra da Imperatriz n. 72.
Ronpa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 55, 65, 85 e 105, ditos sobrecazacos a 129, 14
e!65 Palitos de brim de cor a 25300, 35 e 35500
rs., caigas de cazemira preta a 6a, ~$ e 8j, ditas
de cazemira de cdr a 65 7, e 85 ; coletes de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 15K00,
e 25500 rs.,; raigas de brim de cdr a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Sootambarqne de cores a 7$, 8 e 10<>.
Vendem-se sontambarqne de la e seda para se-
nhoras a 7, 85 e 105; ditos de grosdenaple pre-
to a 20a e 255 ; capas pretas a 20 e 255 ; vesti-
dos de la a Maria Pa a 125, 140 e 165 : ra da
Imperatriz n. 71.
Certes de cazemira preta a l&.
Vendem-se cortes de cazemira preta para calca
a 35, 35800, 55 65 e 65, ditos de cazemira de
cdr a 35, 45,5a, e 75, ditos de brim de cores a
15600, e 25, ditos de chitas finas a 25*00 e 35200,
ditos de cassas franeeza a 35 : roa da Imperatriz
loja do baratelro n. 72.
P*tasaa da Ruaala.
Acaba de ebegar a mais nova e verdadeira po-
lassa daRnssla, e vende-se apreco commodo: no
escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo,
largo do Corpo Santo n. 19.
Na ra do Queimado n. 49 e 55 loja? de miude-
zas de Jos & Azevedo llaia e Silva contina a
vender ludo por precos mais barato do que em
outra qualquer parte, quem qnizer ver o que ha
bom e barato venba a loja do Rival.
Dozias de phosphros de segoranca a ... 120
Francos com essencia de Sndalo muito
superior-........................ 1000
Pentes de tartaruga muito fino a....... 00
Pecas de fita de la preta para vestido de
10 varas......................... 60000
Escovas de roupa muito superiores a... 05
Latas com superiores banba............. 200
Frascos de vidro com superior banha.. 240
Pares de luvas de seda mnito finas.... 320
Enfeites do melhor, gosto que tem vindo. 25500
Garrafas d'agua Florida, verdadeira. i,280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 500
Volta para pescoco do melhor gosto.,.. gno
Baralhos para voltarete, finas a 200 e.. |2io
Varas de franja branca de linha que
tem mutta serventa................. ogo
Duzia de pennas d'aco mnito superiores 060
Frascos de oleo Bboza muito finos..... 200
Talheres para meninos a melhor quali-J
dade............................ 240
Diversos Jivros, todos religiosos .a 100,
200,................................. 500
Duzia de colberes de metal muito finas
Prasopa........................... 25400
Duzia de colh'eres de metal multo finas]
para ca........................ 15500
Grasas de botoes de osso para calca... 200
Grasas de botoes madrepexula para ca-
rniza............................... 500
Grasas de bolSes de lonca prateados
muito finos...................... 200
Varas de babado do Porto sonido..... 060
Duzias de lapes difiranles qualidade a
240............................., 400
Quadernos de papel de peso mnito fino. 030
Resma do mesmo papel............. 25000
Dnzia de facca e garfo mnito boas.... 25400
Sabonete de espuma muito superior... 040
Capachos eompridos e redondos muito
bons............................. 500
Ditos para sof...................... 25060
Pares de suspensorio mnito bons e para
acabar........................... |10f
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................ 500
Crelao para dezenho de todas as qua-
lidades........................... 020
Cartas de alfinetes francezes mnit su-
periores.......................... 100
Calzas de colchetes francezes a 40 ris
Dnzia............................ 360
Camteis 4e reros com quatre oitavas.. 800
Goliohas para seafeara a melhor quali-
dade..................;.......... 200
No dia 30 do marro fugiram do rngenho Sonta,
na fregoezia de Agoa-Preta, esescravw Saturnino,
Anna e Hilario, todos crioolos; o prinwro rcm
cbaga ebronica em nma perna, fon ce-fe tmm
seguido para esta cidade, onde fot a n- comprados,
e sao conhecidos: roga-se s autoridades portriaes
e a qualquer ontra pessoa, de os apprt hender e os
levar a ra estreita do Rosario n. 23, m guado an-
dar, ou ao referido engenho, que fer reeonpen-
sada ; e protesta-se contra quem os goardar i n
delles se servirem contra a vontade de *eu doro.
Fugio desde 14 de marco prximo findo da
roa da Cruz n. 8, terceiro andar, a negra Bene-
dicta, tem os signaes seguintes : naci Angela,
alia, cor fula, tem falta de denles na frente, Hg
naes de chicotadas j antigs as costa*, cosluna
embreagar-?e ; levou vestido escuro de nalnas
brancas e chale encarnado, tem sido vista r ela
casa Forte e Poco: recommendase as aotoridadrs
policiaes e capilaes de campo a sua apprtbemac,
e levem-na a casa cima dita, que ser recom-
pensado. _________
Gratificaco de 1Q0$
Escravo fogido.
A nm mez e tanto fngio do lugar Bengalas da
comarca do Limoeiro o escravo Rufino, com os sig-
naes seguintes : idade de 16 a 18 annos, baixo,
grosso, olhos grandes cara lustrosa, com falta do
dotas dente? d;. frente, quando anda puxa por urna
perna, e a cabeca um tanto comprida, e cansa
que fra para o Recife assentar praca : roga-se,
perianto, todas as autoridades e capilaes de cam-
po de o apprehende-lo e levarem cidade da Vic-
toria, ao sitio Sant'Anna, a seu senhor Joaq'uin
Hollanda Cavalcanti de Albuquerque, ou em Ben-
galas, comarca de Limoeiro, a D. Maria Cavalcanti
de Albuquerque.
Negro fgido
Est fgido desde o dia 37 de fevereiro deste
anno o prelo Joaquim, de nace Angola, qne foi
escravo do Sr. capitao Francisco Joaquim Caval-
eanti Galvao, morador em Maria Farinha (Praia),
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques ceta
armazem de assucar a ra de Apello ; levon ca-
misa e calca de algodo branco, ropresenta ter do
45 a 50 annos de Idade, alto e de grossnrarego-
lar, cor fula, cabeea comprtdi, qutiics largos,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior um tanto dafeituoso, bastante barba, prrm
raspada, finalmente tem urna grande costura mire
ospeitos preveniente de queimadura, e sur(oe-se
ter-se dirigido paTa o norte, d'onde veio : grattfi-
ca-se a quem o apprehender on ennnrrar o coito
em que estiver : na roa da Cadeia do Recife nu-
mero 52. ______
Fngio em principios do mez de fevereiro 6o
crrante anno e const estar acontado nesta cidade
o moleqne Eazebio, escravo da vinva do Dr. Fer-
nando AiTonsode Mello, de 12 amos de idade pru-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo, rlhrs
regulares e afumscados, rabeca nm porro grande
e meia chata, beicos finos, denles bem alvos, ps
seceos e mnito ladino : roga-se per tanto a tedas as
autoridades policiaes e captfies de campo que p ap-
prehen*nn e levem-o a ra da Mangneira sobrado
n: 6 que serio gratificados, protestando-se nsar dos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que o lenha
em seu poder.

JLEGVEL


'
Mario de reractftm** m*xt* Hlra 9 Abril tfe i 5.
LITTERATURA.
0 CONVENIO DE 15 DE SETEMBRO E A ENCVCLICA
Dli 8 DE DEZEMBRO, RESPOSTA PELO EXM. E
- RVM 5n. BISl'ODEOUI.IANS.
Fruncir parte.
V
Resumo e conclusas.*
(Cominuac.o.)
Resumamos e precisemos.
sos valentes exercitos e dos que mais glo- vencido, mas tambem tilo inda socegado;
na deram s nossas armes na Italia e n'ou- Ihe prohibo reinar em paz,
tras paites duna, ha pouco: t Faco votorj Convenho, pois, em que as palavras do ca dos impedimentos dirimentes
para que nem urna so pedra d'esse edificio papa sao importunas; ellas incommodam-' 68, 66 70 )
caba sobre elle, nem sobre a sua uyamas-;nos, inquietara-nos, exaspram-nos. Mas' Dfpois/em Causa matrimoniales et
de Rejado et o direito, a verdade 6 a ra- sponsalta c as causas matrimoniaes e os es-
ponsaes. Mas
Jnductre impedimenta dtrimentitic
constantemente traduzido pronunciar cer-
(Prop.
lia
Ha por certos acontecimntos que cahem zo? Cumpre examinan s). -
na historia, como a pedra na agua. V-se Antes de tudo direi, que, na temeraria pre-
Coofesso mesmo, queomeu espanto ro
tem limites: deu-se aos jornalistas um di-
rei to, que se Ibes nao concede habitualmen-
te, o de publicar, em toda liberdade cora
toda sorte de amplifica roes e aggravaces.
do traductor ; e escrevea
sponsalid exceda o alcance clara attentatorio da Constiluico do impe-
uma ondulaclosmha superflcie e passa-se cipitacSo, com que tem sido atacada a ency- trimoniacs c
adame dizendo. que importa ? clica tiremos um dos mais admiraveis exem-
Outros ha, porm, cujo echoar seno ex- pos deste grande ardor.que noscaractensa e
As palavras vaem nada ; em Franca vae tingue, coja nodoa se nao lava nunca. Nem a que os italianoschamaram/"ra/rancese,
dizer-se que o goverao italiano nao pode re- a gloria, nem os beneficios, nem o tempo que certamente muite' boa para ganharba- do jornal- 'jnSo
primir as palavras imprudentes, para nao abrandam o rigor da posjendade, que os tallias de Solferino, mas que o e muito pou ductor nao comnrehe
descontentar o partido extremo.
Na Italia ja altribuem as tardas explica-
os do Sr. Drouyn de Lhuis necessidade ''"" P" ui8iiu wuuuisiauures re- mcer. ndomitam cupid atem < >senfrea
de nao descontentar os calholicos. "J aPfn un* retrato; mas o seu nome e O Sr. ministro dos negocios estrangeiros cubica, foi traduzida Dor indomavel assidui-
Em Franca vae dizer-se de novo o que o nsultado ao recordar tal ou tal palavra. ou queix va se, em urna de suas notas diplo- dade (Encvlc)
nr^rmnaZ^T^K ",erv "J-.". por lerem entre as liuha de seus' Acho traduzido Velipsa germana jus-
8e,m?riSP C d churnbono fndo despachos o que l nao eslava ; tambem titiae notiopv a nogo' eslriciamenLli-
ja p nhi ini*. nn r.rtn. iy ,! n *0 reConhecertenho ^^ convicio, que gada da juslica, em vez de: a verdadei-
Ja seOIVIaOU OUP, (,ailiK l\ assianrm as ilovoi'i lam m n.nn.n _:... _._- .._ I______^' ,_
as causas ma- rio 1 Vemos sem cessar jornaes, principal-
Traduziu et por mente jornaes religiosos, advertidos, sus-
.Sr. Rillault costumava repetir: que o go-
verno sabio, seguidor de um justo meio,
mi migo dos extremos, conciliador de duas
i-a usas s quaes igualmente dedicado.
Nao, nao entre extremos que a Franca
e collocou ; entre juramentos.
I lo ha cunciliacSo entre oque quer to-
mar e o que quer guardar. Nao te pode
Oslar a igual distancia do justo e do injus-
to ; nao se trata de conciliagoes derrisorias,
mas de permanecer na justica e na verda-
Je; nao se trata de conservar urna posigo,
mas de cumprir a palavra, e desmentir-se
nao desobrigar-se.
Has seja assim; deixemos os discursos.
que Carlos IX assiguou as devera leraer-se o mesmo perigo para um
ordenares de L Hospital, que amava as ar- doenmento theologico, exposto s interpre-
indou escolas, que ousou arrostar tacao ignorantes e apaixonadas da multido.
com Pbilippe II; mas sabe-se que sobjuga-
do por miseraveis, deixou commetler o al-
ternado de S. Barthomeu, ou antes que o
nao impediu, limitando-se, diz um historia-
dor, a deixar continuar o fio e curso da
empresa.
A eneyelica nSo tem sido interpretada ,
tem sido desfigurada; e o proprio governo
se enganou estranhamente acerca d'ella.
OS CONTRA-SENSOS E OS CONTRA-B0M-SENSOS
Compre observar primeiramente que os
Olvidou-se j que Fraucisco I foi o mais document s ro nanos eram dirigidos, nao aos
leviano e o mais duro dos soberanos, que'jornalistas, nem mesmo aos simples fiis,
esbanjou o sangue e a fortuna da Franca, mas aos bispos: ora aconteceu precisamen-
quando liverem passado, ficarao asobriga- Que preferiu os seus prazeres aos seus deve- te, serem subtrahidos aos bispos, e dados
;ojs tomadas, as mais solemnes palavras,re^ e uas vis amasias aos sene vassallos;!em parte aos jornalistas.
dadas, o texto do convenio e de seus quatro sabe-se somente, que escreveu asna m"e de- Mas, entendam-me bem, e nao vSo alm
ailigos. pois da batalha deMarignan: Tudo se do meu peosamento. A minha intenco
N5o mais fallarei dos dous artigos acces- perdeu, menos a honra I n"o desdenhar aa imprensa.
i'18 e inaplicaveis relativos ao exercito e Aquella fraqueza criminosa entrega Car- Ninguem, mais do que iu, reconhece, a
los IX execrado; esta palavra ser sem- par dos seus perigos e do sen irresisti-
pre um raio de gloria na fronte de Francis-j vel e inevitavel poder, a- suas rantagens;
co' ninguem principalmenteprofessa unasym-
A queda do poder temporal do papa, che- pathia mais sincera por tantos1 genorosos
gando a realisar-se, seria um d'esses acn- j escriptores, que, a despeito de todas as
tecimentos. que echoam na historia e carac-: peas e de todos os perigos, se dedieam co-
tensam urna poca. Os prncipes, que a l rajosamente na imprensa religiosa ao servi-
houvessem consummado, seriam por longo co da sociedade e da religio.
tempo nomeados e julgados por esse acto.
Qualquer que seja a sua carrera, nao te-
riam parte em nenhum outro acontecimen-
to, cujas consequencias para alm da sua
morte fossem mais prolongados, nem de mais
terrivel responsabilidade ante seus filhos e
ante Deus.
Se os francezes se retiram, se Vctor Em-
maouel se apresenta em Roma.que far o So-
berano Pontfice. N5o tenho autordade al-
guma para o dizer. Mas suppondo, que sa-
ou; sponsalia por causis nupciaes; como.pensos, supprimidbs, ou semestrados na
se fosse a mesma cousa. (Prop. 74). j fronteira por menos do que isto seguramen-
,Prop. 77). Non erpedit: tradcelo te... E quando os bispos queriam levantar
necessario... O tra-a voz: quando, sem contestar aos jornalis-
tas a faculdid que tiveram, queriam fallar
por seu turno, dissipar os engaos, apontar
os coitra-sensos, desviar a immensa torren
te de mentiras, de erros, de raivas, que se
engrossa contra a egreja, s elles se devem
calar! Nao poderam dar explicaces, redi-
gir consultas, nem fazer o que faz o juris-
consulto, o advogado sobre um texto de le
ou um processo em litigio, sendo elles os
guardas e interpretes jurados da doutrina:
devem curvar a cabeca, tudo ouvir, tudo
soffrer, devorar tudo em silencio! E tu-
do isto em um paiz catholico! Em nome
Algumas pessoas sfio attreitas, mrmente
de invern, a gretas, que ordinariamente se
manifestam as m3o e algumas vezes nos
ps.
Um dos melbores remedios para faze-las
, um acto, que o Sr. ministro dos Cultos de- dewpparecer, diz um jornal estrangeiro, e
Cons untar a parte mol'ela com a seguinte poma-
ra nogo da justica. (Encycl.) O que fez
engaar o traductor foi a palavra germana
que significa algumas rezes ligada pelo
sangue.
Todos sabem, que infelizmente nem dzs'liberdadeTe fawwiioT'd'eg"reaG7l-
serapro tem havido concordia entre sa-1 (cana !
da; tutano de boi, 30 grammas; gordura
de redenho de vitella, 60 grammas; mel e
azeite, JO grammas de cada cousa; campho-
ra, 2 grammas. Derreter a lu ue brando,
mexen !o com urna esptula de pu.
Estende-se um bocado desta pomada so-
bre a parte affectala ; liga-se com um olea-
do fino, e dentro em pouco os ligamentos
recuperara a llexibilidade que haviam per-
dido. ^
Segundo se l no Jornal do Havre, as fa-
bricas de cortumes allemaes teem sustitui-
do com grandes resultados o azeite de peixe
pelo oleo de petrleo na preparaco dos
couros.
so nos
fasteda.
Vejamos os dous outros.
0 primeiro a palavra dada ao Pemonte
para nos render a sentinella da fronteira ro-
mana ; ora j sabemos como este soldado
emende essa palavra.
S o segundo ser executado.
A Franca tem dous annos para preparar
i sua retirada, o papa dous'annos para se
resignar com a sorte, o Piemonte dous an-
nos para caminhar aos seus fms.
Todo o convenio est.nesle artigo.
Dentro cm dous annos tudo estar prorap-
to para que rebente urna revolufo. At
^ii'.ao procurar-se-ha por todos os modos
abitar toda e qualquer manifestaco; eo
mais completo socego vae reinar em Roma ;
haver todo o cuidado em tirar qualquer
pretexto de prolongar a oceupaco, sabidos
as, rebentar logo arevoluco preparada.
Se o papa se defende um tyranno; se a
doixa vmgar est perdido.
Ao Piemonte permittido atirar aos tu-
rinenses descontentes da transferencia da
capital, ou fuz lar por centenas os napolta-
. nos que defender a sua independencia:
mas o papa, isso outra cousa! Se deixa
fazer fogo, voaro em soccorro de seus sub-
ditos oppr imidos'
Se prefere partir de Roma a deixar der-
ramar sangue, accuza-lo-ho de fraqueza, e
a pretexto de manler a ordem iro oceupar
acidade.
as florestas, quando o lenheiro quer der-
ribar um carvalho secular, corta-lhe pri-
meiro os bracos grossos, depois descarrega-
lbe no tronco repetidos golpes; e antes de
acabar deita-lbe em cima urna corda, puxa-
a com forca e desva-se para o lado; o gi-
gante inclina-se e cahe, parecendo, que so
por forga do proprio peso.
Este convenio, as maos do rei de Italia,
. a meu ver, a-corda as raaos do lenheiro.
Mas disse comigo, que se este lenheiro aca-
bar a sua obra, ser com licenca d'outro
que o seuhor de tudo, e os meus olhos ar-
rasam-se-me de lagrimas, lembranca de
que o convenio, em analyse, est assignado
pela Franca.
Desde que esta generosa naco, chamada
tantas vezes pelo curso de seus gloriosos
destinos defeza da Santa S, est de guar-
da ao Vaticano, o soberano pontfice, o epis-
copado, os fiis nao tem cessado de tes!e-
.jnunhar ao' imperador c ao seu governo
um- reconliecimeolo que os acontecimntos
teem podido tornar inquieto, sera o suppri-
ntir.
Nos nao esperavmos, nem desejavamos
urna oceupafao permanente. Nem o pro-
prio papa a queria permanente. O Sr.
Drouyn de Lbuys recordou que o papa pe-
dir por duas vezes que cessasse a oceupn-
co. Certamente; mas entao nao o tivesseis
posto na necessidade e no perigo em que
est".
Quanto a mim sempre pensei e ainda
pens, que a palavra da Franca substituira
a sua espada e que viria ura dia que o im-
perador, com todas as potencias catholicas,
dira solemnemente Italia...
A SOBERANA DO PAPA EST NETRALISADA
K COLLOCADA SOB A NOSSA GARANTA COLI.EC-
TIVA.
NAO TOCAREIS N'ELLA NUNCA, NUNCA, NUN-
CA !
Esta palavra podia ser dita em Villa-Fran-
ca, em Zurich, em Gaeta, em aples, em
Pars; podiatersido escripia no cdhvenio
de 15 de setembro.
Mas nao foi, e o Sr. Nigra no-lo disse; o
Piemonte lahi a palavra contraria.
Ora se antes da campanha de [Italia os
ser vicos prestados do papa eram voluntarios,
depois tornaram se obrigatorios, pois que
assim garantimos o papa contra as conse-
quencias de nossos preprios actos e compri-
mo s a nossa palavra.
De hoje em diante um posto de honra.
Nao vos pergunlo se tendes religio, se ten-
des f; pergunto-vos se tendes honra. De
certo que sira. Logo nao podis sahir de
Roma e entregar o papa.
O imperador, em sua lealdade, sabe mui-
to bem, estar a sua honra empenbada na de-
feza do papa contra os perigos, que se en-
grandcelo com os seus* triuraphos. No
dia em que fr aggredida a tranquillidade
do soberano pontfice tambem o nao ser
menos a honra da Franca.
O papa ficar su jeito desgrana, mas a
Franca ao remorso,todas as consciencias de-
licadas esto accordes em nao dar a urna pro-
vaco, peso igual ao do fardo de semelhan-
tes responsabilidades. Por mais que a Fran-
ca se pretenda garante de nada, ser respon-
savel de tudo.
E qual responsabilidade 1 N5o se toca im-
puner.unte n'aquelle quem foi dito: T
s Pedro e sobre esta pedra edificarei a:
Mas, em fim, que tem feito a maior parte
dos jornalistas? Tem dito porfia.na traduc-
co da eneyelica e do Syllabus, contra-serisos
e contra-bom-sensos, e, forcoso confessa-lo,
os mais ridiculos, os mais inesperados mes-
mo sobre os pontos mais graves.
E isto nao s o Sicle mas o proprio Jour-
nal des Debats, que de ordinario, gram-
maiicalmente, mais seguro, do que o Stce.
Contei na tradueco da eneyelica, e do Syl-
labus, dada pelo Journal des Dbats mais
hir de Roma; que delorosa alternativa se-Ue-serwra cntra-sensos.
me apresenta aos olhos OVa, se o Journal des Dbats foi 13o longe
Proscripto, ou ir de cidade em cidade, o que n3o lera feito o Sicle*
nha egreja.
Um de nossos mais valentes chefes de
como o divino mestre, sem ter um asylo on-
de descance a cabeca: que espectculo e que
remorso !
Ou alguma potencia catholica lbe oferece-
r urna residencia soberana. Serahirece-
bido como rei. Cerca-lo-hao osembaixado-
re;. Ainda mal! Esta potencia nao ha de ser
a Franca, que contribuir para as suas des-
gracas.
Assim pois teremos feito tantos esforcos,
derramado tanto sangue, dispendido tanto
dinheiro para votar o padre santo ao exilio,
ou para o conduzir por nossa mao a alguma
na^ao rival. .
Esta consideracao.queme assuste, faz tam-
bem a aminha esperanga. Quando a sobea-
nia pontificia j nao repousar sobre a espa-
da de Franca, repousar sobre a sua honra.
No dia em quo o papa fr despojado de tUdO
depois do nosso abandono, a Franca ficar
deshonrada. Mas sao ser assim. E eis a
razo porque eu deixo cahr das mos esle
convenio, que nada convem, este arranjo,
que nada arrala mas consola-me, esperando
em Deis, e repetindosempre asmesnapa-
lavras :
Quando a Franca d'aqui a dois annos j
nao garantir nada, ella ser responsavel de
tudo.
Nao, a Franca nao se deixar engauar nem
ser cumplice do P.emonte.
VI
A eneyelica de 8 de dezembio.
Depois de haver demonstrado, que'o aban-
dono de R ma n5o dara nem felicdade
Italia, nem honra Franca, nao me ser dif-
ficil destruir o argumento, dos que preten-
den!, chelos de contenlamento, que a eney-
elica de 8 de dezembro facilitar este aban-
dono e o justificar.
E primeirameDte os inimigos do papa que
aproveitam clamorosamente este pretexto,
dispensaran tambem todo protexlo. J nao
eoganam ninguem.
Demais se os fins a que se caminha nao
sao bons, porque razo alegrar-se de se tor-
naren! mais rtalisareis ? Pois havemos ale-
grar-nos com as maiores facilidades do mal ?
Mas eu perceb > muito bem a tctica de
nossos adversarios. J o disse : Fallar d'ora
avante o menos possirel do convenio ; te lo
escondido sob o capole, como arma decisi-
va no mesmo final ; no entretanto annun-
ciar, exagerar, desfigurar a eneyelica e disfa-
mar o papa antes de o desthronar; mostrar-
se mais exigente que o papa, mais ultra-
montano, do que os ultramontanos, gritar
a todos os cath lieos. Nem urna relexo,
nem urna explicacao; dobrae o joelho i >
afim de mais fcilmente os deitar por ierra
eis-ahi a palavra d'ordem.
Nao me bao de engaar a mim; por isso
fallarei; fallarei, porque ha tempo para fal-
lar e para calar diz aescriptura. Fallarei;
porque precisamente no momento, em que
o soberano pontfice atacado com a maior
indignidade, que me jnlgo feliz, o mais fe-
liz de todos, por lhe poder dar um novo tes-
temunho de minha r neragao, de meu dedi-
cado aecto, de minha submisso e piedade
filial. .
Os escriptores, que deveriam calar-se,
fallaram primeiro ; justo, que aquelles, a
quem desde o principio deveriam ter deixa-
(lo fallar, quebrem agora o silencio. Creio,
qoe chegou o momento de dizer a lodos al-
guma cousa u'il.
Ha quem diga, que as palavras do papa sao
inopporlunas. Engsnam-se na qualificaco.
Importunas que querem dizer. Em ver-
dade que as advertencias e as exhortacoes
da egreja s3o importunas.
A egreja, desde S. Pedro e S. Paulo, es-
t encarregada de importunar o mundo e de
o reprehender. Os bomens assemelham se
muitas vezes s creancas. Eofadam-nos as
- reprehensoes, porque Ihes s5o obstculo. Nis-
i so est a gloria do Christianismo. Depois
. pie elle appareceu no mundo, o mal nao foi (Prop. 11).
Permiltam-me a citacao de alguns exem-
plos.
Fazem condemnar ao papa a immulabili-
dade divina, traduzindo por immutavel, a
expresso latina immutationibus obnoxium,
que significa precisamente o contrario
(Prop. I.)
Fazem-lhe stygmaiisar, como um erro,
esta elementar e evidente verdade que Deus
est em todi parte, em todas as creaturas
traduzindo: Deus est no homem e no
mundo, isto onde o papa, mo irando e
fulminando o monstruoso erropantheislico, o
Perpetuo formase de Renn e outros, cob-
demna, os que dizem i Deus fit in homine
et in mundo, Deus faz-se no borne.n e no
mundo. (Prop. 2.)
Os erros acerca da sociedad jvi, o.-_
rores de societate civili, tornam-se os erros
da sociedade civil. (Titulo do 6.)
Na proposico 39, reipublicae, a cou-
sa publica, a repblica e faz-se condem-
nar ao papa o estado republicano, no que
decerto elle nunca pensou.
Quero crer, que foi um erro de copis-
ta o seguinte contra-senso : Episcopis fas
non est vel ipsas Hueras apostlicas pro-
mulgare :
Os bispos nao tem o direito de promulgar
as mkw letras apostlicas.
Porm na proposico relativa nomeaco
dos bispos, per se traduzido como se fosse lingua propria ?
pro se, pare si, o que adultera compltame i-
te o sentido. Por esta tradcelo, o papa pa-
rece negar aos governos o direito, que lhes
attribuido pelas concordatas, de nomear
os bispos, quando o papa diz simplesmente,
que elles nao teem esse direito de si mesmos.
(Prop. 50).
Na mesma proposigao : procuratio-
nem, que significa administraco tradu-
zida por tomada de posse.
E n'outra parte leio: O governo pode
em seu direito mudar urna poca fixa"da pela
egreja para o cumprimento dos deveres re-
ligiosos dos dous sexos. Que quer dizer
isto ? Recorro ao texto da proposico con-
demnada, e acho: O governo pode, de
sua propria autordade, mudar a edade fi-
xada pela egreja, para a profissao religiosa
nos mosteiros, tanto de mulheres como de
bomens.
Aqu o interprete do jornal, em vez
de um contra-senso. commetteu dous: tra-
duziu aetatem, por urna poca, e profissio-
nem religiosam, por cumprimento dos de-
veres religiosos, como se se tr.itasse da
Paschoa, do jejum ou da missa do domingo.
(Prop. 52.)
Agora um outro contra-senso dos mais
singulares : Quem pensara, que o chefe da
egreja podesse achar reprehensirel urna pro-
posico como esta ? O poder civil... pode
favorecer os estabelecimentos religiosos..
Pois foi isto, o que o traductor fez condem-
nar ao papa. As palavras que o induziram
em erro foram : penitus extinguere; elle
traduziu favorecer, tratar com favor, e
estas palavras significam destruir inleira-
menle. (Prop. 53.)
E que diremos desta embrulhada ?
nao ha outrasforcas reconhecidas sen3o as
que residem na materia, eque, contratada a
disciplina e toda a honeslidade de cos'tumes,
se reunem na accumulagao das riquezas e na
satisfco de todos os prazeres.* E' assim
cerdocio e o imperio: fizeram dizer ao
papagustaraente o con'rario. O papa havia
dito : a concordia e a intelligencia entre o
sacerdocio e o imperio foi sempre urna cousa
feliz e salutar : Fausta semper exlitit et sa-
lutaris. Foi este malfadado extitit, que des-
eo certou o traductor : nao viu que extitit
tinha aqu, em bom lalim, o sentido de fuit
(Encycl.)
Acho ainda na traduegao da Eneyeli-
ca : Oj dous cleros, de quera nos vm,
d'uma maneira lo autheilica os mais certos
monumentos da historia... em vez de:
como o provam evidentemente os mais
certos monumentos da historia.
A clausula derogativa nao obstante
lodas as disposicoes em contrario, mesmo
as que s sao revogareis por urna menco
e urna d' rogaco especial e individual,
foi traduzida desta singular maneira: As-
sim o ordenamos, nao obstante tudo quan-
to poderia ser feito em contrario por nma
menco especial e individual e que seria
digno d'uma derogago. Aqu o traduc-
tor intendeu tao pouco o seu francez, como
o latim.
E que diremos finalmente, d'esta in-
crivel phrase: As oraces, os gemidos e
lagrimas por meio das quaes cumpre in-
sistir e ficar, (ficar onde ?) batem por-
ta.
O arcebispo de Freis ngen, archiep.
Erising, na tradcelo: o arcebispo Fri-
siny.
O arcebispo de Mont'al Episc.
Montisregal, como quem dira: Monse-
nhor Montisregal, monsenhor Frisiny. Sao
todava nomes de cidades bem conheci-
das.O traductor tomou-os por nomes de
bomens?...
Mas, dir-me-bo os redactores do Sicle
e os jovens prefessores do Journal des De-
bis, para que ha de Roma fallar nma lin-
gua inintelligivel?
Inintelligirel para vos, sim; mas olhae
que nao violastes smente o sentido theolo-
gico, o sentido litleral, o sentido gramma-
tical, seno tambera o diccionario e a granv
matica.
Tomar os nomes de cidades pelos de bo-
mens, os verbos por substantivos, as aflir-
m->c7iac por oogo^Oos, clol/nu ot/l h CI1I Ver-
dade muito extraordinario em bomens, que
fizeram seu curso de estudos e teem demais
sua disposico os diccionarios de Qui-
cherat e de Bouillet ? Perdnarieis isso a um
principiante de humanidades ?
E quando s vos houvesseis engaado no
sentido theologico, para que vos meltestes
a traduzir, o que nao podieis comprehen-
der? Para que precipitar-vos assim? Nao
podieis consultar alguem, ao menos um de
vossos veteranos, mais acostumados, do que
vos, lingu theologica?
Nao tem porrenlura cada scencia urna
Ora nao seria tempo de poupar nossa
lingua, tao clara e to franca, contra-sensos
to ripientos ? Quero adocar a expresso:
mas se sao estas as liberdades e franquas
do vosso liberalismo, n3o estamos mais dis-
postos do que o papa a reconciliar-nos e a
transigir com elle.
N5j tudo ainda ; as declaraages odien-
tas, e mentidas, dos jornaes irreligiosos,
que se langaram sobre a Eneyelica, como
sobre urna preza, penetraram em todas as
casas, circularara por todas as aldeias, ec-
coam por toda a parte; urna perturbagao
immensa agita os espiritos; os catholicos
mais graves recorrem de todos os lados aos
bispos c n ultam-nos e os bispos no ha-
riam de responder... ^
Se tambem assim que se intende a li-
berdade de conscencia, nao estamos do mes-
mo modo mais dispostos, do que o papa a
reconciliar-nos com esta liberdade!
(Continuar-se-ha).
UM POUCO DETUPe.
Da Semana Ilustrada transcreveraos o
que segu:
os BEIJOS.
VSo como as gras...
{Dante.)
Urna destas noutes como o loar estivesse
claro e o cu asul, deixei a cama e os livros
e sub ao terraco.
Nao havia o menor ruido, nem no cu,
era na Ierra.
Urna briza ligeira agitava apenas os meus
cabellos sollos.
Na qualidade de poeta, disse commigo
que erara o beijos que a noute me dava,
porque a noute, nio sei se sabem, a mi-
nha amante, a melhor das amantes deste
mundo.
Estive assim durante algumas horas, seis-
mando na mulher dos meus peosaaaentos
(que urna bella inullier, sem ilesfazer as
leitoras) forjando versos, meditando romn- ? infancia o que foi ? foi tenue essencia
E' do Sr. J. de Fre as esta p )isia:
minha infancia,
Oh t minha iofancia ; ota t de flores f
De innocente illusao alv andos.i I
(MvgalhAes)
1 /
Minha infancia o que foi ? foi flor macia /
A borda da corrente vicejando,
Que candida esperava e tanto cria,
Quando o vento desfolbou-a e foi boiando...'
Ah I que grato tempo! ? E sempre amado,
As manhas eram mais bellas.queeupassava,
Era o horisonte a tarde mais rosada.
Era mais doce o ar, que eu respirava.
E tudo era to bello I o vento, a briza,
As flores do jardim, agua das fontes,
A relva que se doura e se malisa,
Quaado a aurora se mostra alm dos montes!
Que innocencia 1Eu eumamenim,
L quando vem o sol nao se devisa,
Corramos desales na campia,
Apanhavamos flores na camisa.
Corra a larde atraz das barboitas,
Multi-colores, lindas, doudejantes ;
Ouvia a noute incantadoras petas
Dos velhos, meus amigos, meus amantes.
Minha infancia o que foi ? flor Ticosa
Perfumando a roanaa, toda orvalhada;
Mas urna briza ardente, caprichosa,
Crestou-a e jaz no chao j desf lhada.
II
Minha inacia ; o que foi ? foi a barquinha
Em lindo lago .de agitada aguas.
Que vogava feliz, porm qoe asinha
Sogobra, e o que reslou ? aocias e magoa-..,
Ah I que grato tempo I Era a esperanca
Flor dopeito, que tinha mais fragancia.
Regada pela crenca de crianca...
Ah! qu*e grato tempo foi de minha infancia !
ees, alinhavando dramas.
A la continuava clara e lmpida no seu
cammbo.
A madrugada aproximava-se, e eu tive
um momento de despeito, vendo cpie nao
me era dado gozar por mais tempo d'aquel-
la bemaventuranca da noute.
la entrar na prosa, ia achar-me em face
da cama era primeiro lugar, e do almoco
depois que acordasse.
Vejam si ha poesia n'uma cama de soltei-
ro e n'um almoco de hotel 1
Com tudo era preciso dormir.
Dispunha-me a vallar do quarto quando
ura rumor estranlio despertou a micha at-
tenco.
Era um rumor no ar.
Olliei e nada vi 20 principio; mas d'ahi
a alguns segundos o rumou augmentou, e
NSo seria eu o mais temerario e o mais i eu vi seguir para o cu subindo perpendi-
ridiculo dos homens, se intenlasse traduzir \ cularmente daterrfl, urna infinidade de rul-
os upophthegmas de Hippacrates para a! tusinhos brancos e luminosos,
academia imperial de medicina, ou as pro-1 Que era aquillo?
posicoes de Euclides para a academia das j Fiquei a olhar extactico, e a ouvir sem
scienciasou as Pandectas para a academia das consciencia de mim
sciencias moraes e polticas, sem nenhum
estudo da materia, sobre que ia fallar e es-
crever ?
Seria bem recebida no mundo sabio a
minha leviandade ? Nao; baviam de por*
me no meu lugar e sem discusso declarar-
me indigno de nunca mais ser ourido nisto e
portant 1 em tudo mais.
Ora esta exactamente a enormidade
commettida pelos jornalistas e sou obri-
gido a accrescentar, que muilos dos me'ho-
res intencionados nao escaparam aqui ao
perigo.
A' visla disto nao terei eu o direito de 1
dizer a estes jornalistas, inimigos da egre- j
ja: Comoousaes proclamar o vosso tri-
umpho com taes contra-sensos e contra-bom-
sensos ?
Assim teem corrido as cousas e o mal in-
tendido tem engrossado cada vez mais: on- j
de a Eneyelica diza sim, declaram, que j
dizianao e vke versa. O mez, que; ouvir n'aquelle cora, a voz d'algum
acabou, poda bem ser chamado na historia Que eu ti-esse dado ou furtado.
o miz dos engaados.
No momento, em que estes senhores iam
gritar contra a infallibHidade da egreja, por- Mae (ao filho) Alfredo, porque nao da-
que razo nao duvidaram um pouco mais da mos com a tua noiva ?
agencia liaras ou de qualquer outra ? 01 Filho.Porque rompi as- relaces com
mais joren escolar lhes teria poupado urna ella." Nao ostou para aturar certos odiares
mystificagao, que seria risivel, seno bou- que ella troca com o filho do commendador
vera feito as almas a mais espantosa de-. Balthazar.
vastaco. __
Cumpre .primeiro acreditar, que os jor-
naes teem urna desculpa ; mas rm-Ihe
de urna regiao, d'onde nao devia ter
vindo. ,% .^
Aqui sobem mais alto o meo pezar
Os vultos do tamanho de lamparillas, iam
sobrado ao cu, o rumor ia-se tornando mais
kmginquo.
Mas urna rajada de vento, que se levantou
com a aproximaran da aurora, Irouxe um
ruido mais forte aos meus ouridos: ouvi
distinctamente um canto dos taes vultos que
subiam e se enlranharam no cu asul.
Eis o canto:
Somos os doces beijos,
Honestos e culpados,
Furtados e trocados
Da noute sob o vn ;
v, Do sil ardente o claro
O brilho nos aterra,
Nascemos sobre a trra.
Vamos dormir no cu.
Os beijos l se foram pelo cu adiante.
Pouco depois desappareceram.
Eu voltei para a cama, lamentando nao
beijo
Que depressa evporou-se, d'uma hora
[ Quando quiz saborea-la a innocencia,
A pa, com a infancia, ah! tudo foi-seemboraL
III
Minha infancia o qoe foi ? foi ave implume,
Que as maternas caricias se crescia,
Feliz, sem carecer dar um qneixume,
Mas que roubada fot no outro dia.
Sim foi ave implume aminna infancia,
Que tenlou voar, mas- ne-podia___
Que em trra caho, pobre, com ancia ;
E l..' victima fatal da. tyrannia.
Ah que grato tempo Erara s flores....
Esse tempo gentil de minha infancia !
Os prazeres de hontem hoje sao dores*.
Sio boninas murebas sem fragancia.
Minha vida eram flguedos de manga,
Risos, carreiras, prazer be violento ;
Mas ingenuo, gentil, que jamis canea
As traquinas de cabello solio ao rento.
Paes,e irmos smente eram meus sonfcos.
Amores de innocencia os meus desejos...
Esses prazeres lodos tao risonhos
L se forana co'os maternos beijos.
Eraaejinho : assim minha me chamava-me ?
De manbla tinha orarlo, beijos depois;
Me leva va missa, aconselhava-me...
Feliz nao'era ums felizes dois I...
Soffrimentos agora, ah nem ura gozo f
Nunca um minuto, nma hora de alegra.
Nunca um s instante de repouso,
Ha para mim, que d'antes me soma.
Ah minha infancia to florida educe,
Que me amemsas os tormentos meus
Com lembrangas s, tudo acabou se....
Ah minha infancia to floridaadeus!
A senhora mestra nao quer, que mi-
nha filba lea este romance.
Creio, basta ser de Paulo de Kock.
Quem tem isto? Quando eu tinha. a
e, se
tenh o direito de as manifestar, as rainhas idade da minha menina, j tinha escripto
traduzida a proposigao condemnada, cuja reprehenges. Nao venho discutir a lei em um romance, que minha m3e me prohibiu
verso exacta : Cumpre nao reconhecer j nome da qual o Sr. ministro da justica sig- reler.
ouiras forgas, sene as que residem na ma- nificou aos bispos a prohibigao de publicar
teria, e toda a moral, toda a honeslidade deve;e interpretar a Eneyelica; mas digo, que
reduzir-se a accumular, a augmentar riquezas! d'ahi veio ura fado de urna anomala com-
aeo>
por todos os meios possiveis a conseguir
toda a casta de prazeres. (Prop. 58).
pletamente mdesculpavel e inaceilavel em
um paiz de bom-senso, de boa justica, de
A egreja em nenhum caso deveproce- lealdade, como a Franca vm a ser, que os
tra- absolutamente incapazes de bom intender,
traduzir, e interpretar o acto pontificio, fo-
ram, elles sos, livres de o fazer, e prohibiu-
se que o fizessera sement aos que para isso
tinbam a capacidade, e direito e derer ina-
lienareis.
der com rigor contra a philosophia, o
ductor entendeu :
t A egreja nunca deve oceupar-se de phi-
losophia ; > jugou que animadvertere que-
ra dizer olhar para,.. dar attengs a.,,
Mui tos pombos engracados,
Cheios de vida e esperanzas;
Sao, ao deilar-se, corujas
De metter medo as criangas.
Outras ao sahir da cama
Sao lagartas asqueirosas,
Vio ao toilette e apparecem
Borboletastoli cosas.
No Doze de Agosto l-se o seguinte :
A empreza editora da collecco das obras
classicas portuguezas tem sido auxiliada es-
tes ltimos das com grande numero de
assignantes que teem afiluido a rascreverem-
se nos prospectos. Os jornaes de Coimbra
louvam muito a tentativa, e teem chamado a
coadjuvaco do publico em fSvor deste
grande servico que se vae prestar littera
tura portugueza.
Como esta publicaco interessa tambem a
litteratura brasileira, por isso que o idioma
o mesmo nos dous paizes, esperamos ver
a noticia espalhada pelos jornaes do impe-
rio. As assignaturas no Brasil, podem fazer-
se em qualquer livraria, porque todas ellas
tem correspondencia directa com o editor.
Fazemos este aviso aos apreciadores do bel-
lo, para que aproveitem a occasio de pos-
suir as obras dos nossos mais suaves estylis-
tas, to raras hoje e apreciadas.
O mesmo editor acaba tambem de dar k
estampa urna obra indita do padre Agosti-
nho de Macedo, intitulada a Creac3o,
Es les monumentos de litteratura sao pre-
ciosos e a publicaco delles importa um
grande beneficio s lettras de Portugal e
Brasil.
-
j

-



1


PER.NAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & PlLQ
ILEGVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBABKMO6P_YEATG0 INGEST_TIME 2013-08-28T01:38:42Z PACKAGE AA00011611_10637
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES