Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10634


This item is only available as the following downloads:


Full Text
** y -<
AMO IL1. HOMERO 77.
i ~*""*"~"^~~~*
l%r {arto! mt dtf# de 10 dias do |, mei i i
Idemdefrirfosl/'IOdialiefBejde^itrdtqatrtel. .
Ftrte H ctroeit pr tres Jieies
-;> 4
*
i
51000
69000
750
TERCA FEIRA 4 DE ABRIL DE 1865.
Por ana pag ratrt de 10 dias da 1." mez
Parte aa carreia par un auno.......

DE PERNAI
1(
191000
looo
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyfta, o Sr. Antonio Alexandrioo de Lima;
Natal, o Sr. Anin*} Marques (]a Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maralo, o Sr. JoaqaiO Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGAD05 DA SBSCRIPClO DO NORTE
AUloas, oSr. Claadioo FalcAo Dias; Baha, o
Sr. Jos Mrtins Alves; Rio de Janeiro, a Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacbef da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna oas segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bez9rros, Bonito,'Caruar,
Altinho, Garaohaos, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Linoeiro, Brejo, Pesqueira,
logazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ourkury, Salgueiro e Exo, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a i
bora da urde.
Seriohem, Rio Forraoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Quarlo cresc. as 10 h., 59 m. e 22 s. da t.
11 Lna cbeia as i b., 17 m. e 52 s. da m.
18 Quarto miog as 9 h., e 16 m. da t.
27 La nova as 11 h., 53 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
[Julzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphios: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civelt tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
3. Segunda. S. Pancracio b.; S. Benigno m.
4. Terga. S. Isidoro are. doot. da egr.
5. Quarta. S. Ira v. m. S. Zenon.
6. Quinta. Ss. Diogenes e Platonides mra.
7. Sexta; S. Ephipbanle b.; S. Rufino presb.
8. Sabbado. S. Amancio b.; S. Elizio ra.
9. Domingo de Ramos. S. Demetrio m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as 11 horas 18 e minutos da tarde.
m.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para e sul at Alagoas a 14 e 30; para o orle
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Ferian-
do nos dias 14 dos mezes de janato, marco, mato,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figoeira de
Faria & Filbo.
PARTE GFFICIAL
29 de
tiOYERHO DA PROVINCIA.
EDITAL.
Secretaria do governo de Pernambuco,
marco de 1865.
Pela secretaria do governo se faz publico, que
por affluencia de Irabalhos, S. Exc. o Sr. presiden.
te da provincia so dar audiencia de urna hora da
....
tarde etff diante, excepto aes chefes de repartieses
aos quaes ouvir em qualquer hora.
O secretario do governo,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Continuara do expediente do dia 30 de marco
de 1865.
uflejo a Miguel Romio de Torres Gallindo.
Louvando o patritico seotimento que o aconse-
lharam roBerecer seu filbo Francisco Joaqoim de
Torres GaJIindo, para servir no corpo de Volunta-
rios da Patria, mandei oesta data alista-lo no pre-
dito eorpo, e agradeeo muito a V. S. a boa vonta-
d com que acudi aos reclamos da patria.
querimentos, memoriaes e outros papis de inte-
resses de partes, concebidos em feriaos menos co-
medidos ou contendo calumnias e injurias as mes-
mas autoridades, sob pena de nao serem por ellas
attendidas por mais justas que parecam ser as re
clamarles e sem prejuizo de qualquer procedi-
ment criminal, que tenha lugar, porqdanlo em
casos seraelhantes sera' sempre permiltido aos che-
les das reparlces mandar que se requeira em
termos, afim de evitar-se polmicas e desagrada-
veis recriminaees em prejuizo do servico.Igual
ao inspector da thesouraria provincial.
Dito ao mesmo.H -spondendo ao offlcio que V.
S. me dirigi hoje sob. n. 314, tenho a dizer que as
nomeaefies d offlciaes para o corpo de Voluntarios
da Patria feitas por esta presidencia sao interinas
como consta dos respectivos litlos.
Dito ao mesmo.Informe V S. sobro o que pe-
de no incluso requerimento o Io sargenta do 7o ba-
talhao de infantaria Geralzino Pereira de Oliveira.
Dito ao mesmo.Em vista dos dous prets jun-
tos em duplcala, e nao havendo inconveniente
mande V. S. pagar ao cabo Jos Rufino Leite de
Oliveira conforme solicitono chefe de polica em
offlcio de 29 do correte, sob o. 455, qoantia de
2305700 rs. era que irportam os vencimeatos da
forca da guarda nacional, que em Janeiro oltimo
conduzio do termo de Cimbres para est capital os
recrutas Manoel Vicente da Silva, Lulz Jos Es-
fdi?ur "' Srlt.m,n,strodaKoerraem wntar nrahomem criminoso, que devera proces-
2.5S 5 de Le'ere"2 n,t"D0' 1ue os lone,es d0, r. cumpre quo para satisfacao da secunda Darte
corpo de engenheiros Eugeoio Adriano Pereira da do artigo 152 do SkFSanneSaauSSS!^
Cunha e Mello e Jos Carneiro da Rocha, actual-! execofao do despachefdesta oresraenriaTde
gyjgg^l*"MB estrada de dezemlro vJSffiSlltSX^ & prVv
ierro, se recolham quaoto antes a corte : asstm o que o recrutado se achava iecalmente reennheeidn
commun.co Vmc. para que ofa5a constara esses! criminoso, ota A SS eUe fra ajeniada
?afflrKtoudrnicoa"se5inspecteraa,hesoa-IfiSi rffi?*&* *SS!?:
publicas. Para satlsfazer a resoluco da assera- to por copia aeiegaao no omcio jan
to^^P?^D^VKrlo -^ PranCSC Cos-Concedo 15 dias deli-
incluido o que se achadespendido coma construc-
Cao e concertos das duas pontes desde ane se den
principio a esse canal.
Dito ao commandante do batalhao n. 43 de in-
famara da guarda nacional de Serinhem.Com o
offlcio de Vmc. de 23 deste mez, recebi o em que
o lente Joaquira Candido da Veiga Figneiredo se
offerece para tomar parte na lula do imperio com
a repblica do Paraguay.
cenca.
EXTERIOR.
CORRESPONDE]!CAS 0 1UA
RIO DE PERNAHRUCO.
IIAHBI K.(>
6 de mareo de 186o.
A tanto esperada resposta definitiva da Prussia
ao despacho austraco de 21 de dezembro passado,
em negocios do SchleswigHolsleio, leve logar fi-
nalmente, e datada de 21 de tevereiro, fol expedi-
da de Berlim para Vienna na noile do dia 23. Isso
" partido anto-
jse inomaz de Aquino.Passe do que constar.
James Ryder C. S-ja dispensado.
Capitao Jos da Fonsecae Silva.-Deferido com 6tMmm^Y<^7^Mlnri^i^ oZTZ Kle!' S f r'IaDdo prasidenei da liga
o despacho desta data. ; 0 interesso polticoo^ Saoba concemra ***" sociedades Schleswig-holstioezas a reb-
pl&dSrS'Ss0 legaef VarejI?-Use sa{" i -aesPacho P""S0 mTrca as exigencias, ane 2 *2ZL* nova P^ideocia, composta
que so exige urna adlieso limitada, torn*m-se co-
tenas completamente nudas. Isto mostrou-se de
novo era urna reunio geral de cerca de WO socie-
| dades Schleswig-holstinezas, que oltimameote teve
lugar em Reoadsborgo.
Excepto quatro, todas as sociedades aehavam-se
nena representadas, e ao mesmo lempo que ne-
nnum representante do partido Plessen appareee-
ra, os raembros do partido de meia-annexacao vi-
ram-se logo com nma lio fraca minora, que in-
mediatamente se absteram da discusso, flcawlo o
campo exclusivamente ao chamado
oonio. Este appresentoo em coosequencia o seu
programma essencialmente de accordo com o en-
dereco de Kiel, e obrigando
O despacho prussiano marca as exigencias, que i0d iiinnnmii'
para o juizo superior, em Ber o se pensa dever levantar relativamente L au,on?m!*,as-
vls) nao ser materia adm.nistrativa. futura dmmLTS p"Z% ;*?.ni!Lrel!"?J!?eJl5.a ...j ?'.; populacao ficar fiel | essa atti-
futura posicao da Prussia para com os dous duca-
Manoel de Souza Guido. Em vista da Informa- dos. Por ora faltara arada esclarecimentos del.
Cao do coronel commandante das armas de 27 do
Fm rosnnef f^nh 'i.~ ""."""' "'iiinwuuauB ua armas ue n uo Ihados acerca do contedo dessas ptiffei n i Tilj5,. cu",r* ,as. exigencias prussanas, ter ura
*XS^JSI*2* que afrad.e5 e ,ouvo I crreme,_nao pode ser attendido o suppl.cante em do cuanto ^STSS^XJ7SX fii'f?0 Pderos'ssimo, e o qual mais cedo ou mais
tao patritico offerecimento, e Desta
mendo ao respecliro commandante superior ,
contemple entre os offlciae, qoe tem de marchar
em defeza do mesmo imperio.
Dito ao alferes do 4 batalhlode iofantaria Au- deve recorrer a
relio Chrispiano da Conba. Louvando muito e
lude, a resistencia da Austria e dos estadoVseca-
danos contra as exigencias
d^recom- quanto nao apres ^ ou^m^^aTC ^:^^^^^^^ 2^-XTsem iorluem.a, oomeadameote
>er.or qoe o amento a sua pretencio. ; ,0do o caso, porm, ^rtMnealamfaJtil L r PS,?a0 da /raD?a ^n a a quos-
t^SSa^Z3S^, ?e,qUera SDP:cerca da direcc'o geral em que se moem as .. ^ A ** diPlonaticos.,
!" o conselho de revista para o qual exigencias
noticiar i
forma da lei.
pindola, Loureoco Jos Lauriado e Maooel Francis-' agradecendo o patritico offerecimento qoe em pe-
Dito a Paulino Teixeira de Carvalho.Man- f0 do EfP'1"'1 Santo, dos quaes o primeiro foi pos-1 ticao ex Vmc. de iseus servaos ao governo impe-
dei abrir praca no corpo de Voluntarios da Patria,
aos3ciddos constantes da relacao annexa aosen of-
ficio de bontem datado a qpe respondo, agradecen-
do-lhe os esforcos qoe ha empregado para conse-
guir o alistamento de voluntarios, e espero que V.
S. continuar' nesse louvavel e patritico empe-
nho. .
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Offe-
recendo o contra-mestre da officina de carpinteiros
desse arsenal Francisco Jos da Costa 5 por cen-
to de seus veneimentos para auxilio das despezas
da guerra, emqoanto esta durar, a princiar do pri-
meiro de abril prximo vindouroera diante; assim
o comraunico a Vmc, para seu conhecimen-
to e fins convenientes. Offlcioo-se ao inspector da
thesouraria d fazenda.
Dito ao director do arsenal de guerra.Man-
de Vmc. admitt>r na eompanhia de artfices desse
arsenal o menor orpbao Pergentino Alves da Sil-
va que Ihe sefapresentado com este offlcio.
Dito ao juiz municipal de Cabrob.Respon-
do ao offlcio desse juizo de 17 de fevereiro ultime,
duendo que Feliciano de Oliveira Diniz, j foi exo-
nerado do cargo de professor publico.
Dito ao promotor publico de Olinda.Reeeb o of-
flcio que Vmc. rae dirigi em 21 do corrente e
sciente por elle -de que protnovendo a cmara mu-
nicipal da cidade de Olinda,-orna suhscripcao em
favor das familias dos Voluntarios da Patria, Vmc.
assignoo 5 por cents- -de eo ordenado a contar de
abril prximo tndouro, emquanto durar a guer-
ra do imperio; tenho a dizer-Ihe em resposta que
muito louvo o seu patritico offerecimento.
Dito a Francisco Mam Duprat.O Exm. Sr. mi-
nistro do imperio declaron-me em aviso de 17 do
corrente para Ih'o fazer constar que aquelle minis-
terio nao pode prestar o auxilio que Vmc. pede pa
ra o peridico qoe publica nesta cidade sob o titu-
le Brasil Agrcola por nao ser possivel aloptar-se
o mesmo peridico as escolas de instruccao pri-
maria do municipio da corte e caber aos presiden-
tes e as assemblas legislativas provinclaes e nao
ao governo imperial resolver acerca da admisslo
to em hberdade por doeote e os outros apresenta-' rial oas actuaes circomstaocias do Imperio, afim de
dos ao corooel commandante das armas para terem seguir para a guerra lego qoe Ihefor determinado,
o conveniente destino, e em 23 do corrente os de tenho a dizer-lhe que ser approveitado em occa
nomes Antonio Goilherrae Ferreira e Semiao Pe- sio opportuoa, o seo oflTereciment, qne voo com
reir da Silva, que para o mesmo tim tambera fo- j municar ao governo imperial,
ram apresentados ao predito coronel como todo Dito a cmara municipal do Recito.Para sa-
tisflzer a resoluco da
Alferes Quintiliano Henrique da Silva Primave-
ra. -Remetlido ao Sr. director do arsenal
ra para attehder ao supplicaote.
Tasso & Irmaos.-Seja dispensado.
.da direceo geral, em ane se mota as' S^S %^ZJZeSZJWot*W-
las prussianas, e sobretodo pensamos poder BTJrSK.^SS corP 'sla,,v-
o seguinte como certo : I servare a m? r? C 9? '? h<>je b'
Elgese a fusao dos navios de guerra a susten-
de guer- tar pelo Schleswig Holstein com a marinha de
guerra prussiana, e ao mesmo lempo urna relacao
das tropas dos ditos ducados para com o exercito
'' o irSttSJfiinto Lea'- 7 En,reg,oe-se 5?5? -"^^^a^'sW0
-nano de insPeca<>. se o requisitar o petic.o : risada formalmente como plena Lio, era
consta do offlcio cima citado.
5ito ao mesmo.Nao havendo inconveniente,
assembla legislativa pro-
vincial, informe a cmara municipal do Recito se
nao outra
dele as escolas respectivas e quanto ao inters- de descontarse a de 600 rs. correspondente ao
se que da sna leirura possa resultar a agricultura I Pr?se Antonio Los que rerruta.
mande V. S. pagar a Custodio Jos Alves conor- ja procorou saber sea conservacao do canal da
me solicitoo o chefe de polica em offlcio de 29 do ra da Aurora pode Influir desfavoravelmente m>-
corrente, sob n. 451, a quantio de 1415250 rs. em j bre a salubridade do bairro da Boa-Vist, e qual a
que, segundo a guia e pret juntos em duplcala, opinio da sua commissSo de saode pnblica.
impertam os veneimentos de urna escolta de guar- Dito a mesma.Para satisfater a deliberacao da
das nacionaes que do tormo do Brejo conduzio pa- "
ra esta capital os recrutas Joao Leite da Silva, Pe-
dro Victorino de Souza, Manoel Antonio dos Santos
e Jos AOtooto Moreira, bem como o desertor do
exercito Antonio Joaquim Ferreira, os quaes to-
rara remetiidos abcoronel commandante das ar-
mas para terem o conveniente destino, como de-
clarou o predito chefe no seu citado offlcio.Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
A Francisco Leo daSilveira, ooao seu procura-
dor maode V. S. pagar conforme solbiton o chefe
de policia em offlcio de 29 do correte, sob o. 418
a qoantia de 319 despendida desde o Io de Janeiro
ultimo at 6 do corrente com o sustento dos pre-
sos pobres da cadeia do Booito, como se v da
raejusa conta.CommoDicoo-se ao Dr. chefe de
polica.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. para o fira
conveniente a idclosa relacio dos depotados que
comparecern) as sessoes da assembla legislativa
provincial dorante o mez de marco cadente.
Dito ao mesmo.-De volvo a V. S. aconta qoe
veio aooexa ao seo offlcio de hontero, sob n. 120,
na importancia de 58*600 rs. despendida com o
sostento dos presos pobres da cadeia da Villa Bella
durante o mez de fevereiro oltimo, afim de qoe de
cooferraidade com o parecer da cootadoria dessa
thesouraria, a que se refere o seo citado offlcio,
mande pagar sraente a quantia de 58# por ter
servasse a mais rigorosa neutralidad^, nao s con-
servara passiva com cada solacio da questo
>ciiieswig.nolstioeza e sobretodo nao approvaria
violencia cootra a voDtade nacional
, Quanto as outras occorrencias na Allemanha,
vtrdide d,uramea !I'??eoa, nao ba moito a referir. Nao
coosa. A' Pussia ha de compelr o I ffJ^^JJ?.0"*? &*? Da c!ma" de-
An-onso Ernesto de Seixas.-informe o Sr. dir,; rCaTS^
^^derVercosa.-Passe. I.^^
Sao esses orna parte da baha de Kiel, para
zeoda.
Francisco de Pinho Borges.Como pede.
Francisco Fefreira Bailar Jnior. Seja dispen-
sado do servico.
Honorio de Alboquerque Barros.Indefendo em
assembla legislativa provincial, Informe a cmara
municipal do Recito, quaes os fundamentos em qoe
se batato para nao dar licenca ao subdito francez vista da informaco.
Delouche, qoe pretenda estabelecer nma fabrica' Cadet&Heoriqae Flix de Dacia.-Aioda oo se
da chocolate no largo do Carmo desta cidade. i offerece opportomdade para ser attendido o suppll-
fortana.o presidente da provincia resolve, que cante na forma do mea despacho de 24 de feve-
seja aggregado a seccio de reserva do municipio reiro oltimj. '
de Caruar, onde se acha residiodo, o alferes do de Joaqoim Goedes da Costa. Coocedo o prazo de
n. 9 do municipio de Cimbres, Pedro Maximiaoo de 8 dias.
Oliveira Mello, e ordena que neste sentido se expe- Jos Clemenoo Bezerra de Mello.Passe porta-
cam as convenientes commooicac5es.-Pizeram-se ria concedendo' a [cenca qoe reqoer o sopplicaote
as necessanas commumcacSes. | de eonformidade com o artigo 18 do regulamento
Centisuafo de expediente do secretaria de goter- das cdtlectoria
no do dia 30 de marro de 186S. Padre Jos T(,'ieira de Mello. Dirija-se a the-
Offlco ao iospector da thesouraria de fazenda. s0?1"''1. Provincial.
O Exm. Sr
_ all
estabelecer om porto de guerra fortificado, os dous
pontos de sabida do canal a construir com apoio
do estado prussiano por capitalistas prossianos, o
qual cortando os ducados ooir o mar do oorte e o
Bltico, e ser navegavel para os maiores vasos de
guerra, e finalmente as duas margen.- do saoda de
Alseo, isto a posico de Doppel.
Alm disso a Prussia tambem exige orna adheso
sua admioislracao de correios e lelegraphos, e a
entrada dos ducados oo Zollvereio. A posico do
Schleswig-Holsteio no caso que essas exigencias
fossem realisadas, seria toda oalr eopsa do que
urna iodepeodoole. Os ducados tornar-sehiara ifm-
plesmenle om estado vassallo d Prossia, e a sobe-
rana qne restara seo doqoe eventual, s seria
j urna chimera. Tanto menos, porm, tem essas exi-
| gencias por ora esperaoca de om resaltado final.
O Exm. 8r. residente da. provincia, manda iran- Le^e^ d Loaa Freir.-Informe o Sr. director, Nao queremos diz-r, que
miltir V.U inclasas orden*, sendo 4 do tne- &&* 'sJjacvS<> publica. | que a opportooidade evealoal de coostellaces po-
BaCharer Magno Brtino Marques; Bacalhao.-bel- tilicas particulares tolvez favoreca a Prossia, e re-
ada a Mtieio que o supplicante dirige ao governo, mova os impedimentos que presentemente se oo-
impenal volie querendo. i poe a execocao de soas preteocoss. Por flm todo
Tenenle Pedro Bezerra Cavalcaote Maciel.-Re- possivel, e visto as clrcumstancias vascillantes
metudo ao commandant) superior da guarda na-; da Europa, onde orna resoluco imprevista era ra-
cional dos municipios de Barreiros e Agua Preta ns pode completamente transformar a posico tem-
para incluir o nome do supplicante na lisia que poraria dos negocios, oadapJe aotecipar cora cer-
tem de apresonlar a presidencia para deslgnaco t mza.
dos offlciaes que temi de marchar para o sul com o \ Mas, entretanto, nao parece que temos de espe-
contingente da guarda nacional que tem de dar a rar essas constellacoes particolares, e se ellas nao
souro nacional sob ns. 27 A, 30, 31 e 32; 3 do mi-
nisterio da guerra datadas de 16, 20 e 21 do cor-
rete ; e 2 em duplicata, expedidas pela reparlici)
do ajudante general, sob ns. 38 e 39. bem como 2
offlcios datados de 2! deste mez, 1 da directora
geral das rendas publicas e outro do offlcial-maior
da secretaria do ministerio da fazenda.
N-9,--Ditoao primeiro secretorio da assem-
bla legislativa provincial.Passo as raaos de V.
S. de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
pro-
do Brasil, j o ministerio da agricultura, commer-
cio e obras publicas, fez o que convinha, tomando
30 assignatoras do referido peridico.
Dito aos agentes da eompanhia Brasileira de pa-
quetes a vapor.Podem Vine, fazer seguir para os
porto- do norte, o vapor Tocantms amaoha a ho-
ra indicada em offlcie de hoje.
Ptrtaria.-0 presidente da provincia, atlendendo
ao que expoz o inspector da thesouraria provin-
cial, em offlcio de i do corrente, sob n. 111, re
sol ve abrir una crdito suppleraentar na importan-
cia do 947^200 para pagamento das despezas com
^ Dito ao mesmo.Mediante lianca doea, maode
V. S., nos termos de sua informaco de hootem,
sob n. 122, entregar ao vigarioda fregnezia do
Buique, padre Jos Teixeira de Mello, o 1:0004. o, i, ; T------v ."-*"
rs. volado pelo 7 do arl. 14 da lei do orcamento' l&StS' Ia .pT2$,a. declaro a
atnz banana freeue- s.iu?ao.ao seu offlcl d do corrente,
vigente para as obras da matriz daquel la
zia.
Dito ao mesmo. loleirado de qnaalo V. S. ex-
poz era seu offlcio de 10 do correte, sob n. 94, te-
nho a dizer em resposta, que o contrato celebrado
em 9 de setembro de 1861 com o empreiteiro Jos
Mamada Alves Ferreira, e pelo qual se vigorou a
viocia, para serem apreseotes a assembla legisla- pro,""c'a;
Uva provincial, nao s copia do coolralo feito com
o engenheiro Milet para os estados da zona da es-
trada de ferro, mas tambera dos referidos estados
e as respectivas plantos; flcando assim salisfelta a
requisicao da mesma assembla, constantes dos o-
Ocios de V. S. Je 4 e 28 deste mez, sob os 7 e 46.
. 62.- Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
a V. S. em
sob n. 4o,
a illomnacao da casa de detenco at o fim de ju- estipulaco de juros contidas no offlcio da presi-
ono prximo vindooro, visto ser iusufflcienle pafa dencia de 28 de setembro de 1860, art. 4o, teodo
isso a consignacao votada pelo' | 4 do art 17 da s'do feito em virlude do art 23 da lei provincial
lei do orcamento vigente como se v da demonstra- n- SU de 18 de junho doj citado anno de 1861, e
Cao que veio annexa ao predito offlcio.Commu- determinando a lei n. 510 da mesma dala no art.
nicou-se ao inspector da thesouraria provincial.
Dita.O presidente da provincia, atlendendo ao
que rei|uereu o juiz municipal ede orphos do ter-
mo de S niihaem bacliarel Goiiherme Cordeiro C>e-
iho Ciolra, resolve conceder-lhe um mez de licenca,
com veneimentos para tratar de sua saude.
- 31
Offlcio ao Exm. presidente da provincia da Pa-
rahyba.Tendo de seguir part essa provincia no
dia 1 de abril prximo viodouro o vapor Impera-
41 4 que a presidencia eoovencionasse com o
supradito empreiteiro, para qoe a obra feita nesse
anno nao excedesse a consignacao votada, parece
procedente a duvida por V. S. proposta, se o em-
preiteiro tem direito ao pagamento dos juros das
quantias excedentes das consignar-oes annuaes, e
por isso competente a assembla provincial para
interpretar aquellas suas disposicoes.
fDito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recito.Offerecendo-se o alferes do 4o bata-
dor afim de receber a tropa que hovver de ser 'bao de iofantaria da guarda nacional deste mooi-
t-..,.....*.. .1.. .l'^ki im* It'.n A. I^kkIhh ** m (Miar* A nralin f'onnA 4a t\ ). ------*--------
traosportada d'ahi para o Rio de. Janeiro, podendo
conduzir al 500 pracas, assim o cominuniro a V.
Exc. a quem rogo a expedico de suas ordens para
que o referido vapor nao tenha demora alguma.
Dito ao conseHteiro presidente da relacao.Ar-
epa ra fazer constar a assembla legislativa provin-
cial, qoe a presideocia oo fez oso da aotorisaco
coocedida oo artigo 63 da lei n. 596 de 13 de maio
do anno passado, acerca da abertura da barra do
Rio Formozo.
N. 93. -Dito ao mesmo. Transmuto a V. S. de
ordem de S. Exc. o Sr. presideole da provincia,
para serem presentes a assembla legislativa pro-
viucial, as ociosas inlormacoes ministradas pela
reparlico das obras publicas, relativamente a obra
da bomba da varzea do engenho Paolisla, a que se
Bachirel Pergenlloo Saraivade Araojo Galv|o.
Em vista da informaco nio tem lugar oque re-
quer o sopplicaote.
Alferes Viceote de Moora Pessoa Cavalcante.
Informe o Sr. commandante' superior da guarda
nacional dos municipios do Cabo e Ipojuca.
ERRATA.
Por om erro typographico foi publicado hontem o
expedieole do governo do dia 30 com data de 29.
-i^<&-4
DE
OVEREO DO RISPADO
PERKAIBUCO
SEDE VAGANTE
NOVAS DISPENSAS MATRIMOMAES.
Faco publico que o Exm. Sr. internuncio nova-
occorrerem o caso que a Prossia fioalmeote malo-
grara dos ducados, debaixo das circomstaocias
actuaes tem moito mais probabilidade, do qoe o
contraro.
A deciso principal ?cha-se em niaos da Austria,
e se verdade que em Vienna do grande valor
sustentaco da allianca cora a Prussia quanto pos-
sivel, com todo comprehendem que essa possibili-
dade tem seos limites cortos. Segando se v cla-
ramente all eslo resolvidos por isso a nao deixar
a Prussia alravessar as barreiras, que o direito fe-
deral da Allemanha levanta cootra seos planos am-
biciosos, e bem longe de querer ajudar ao rival na
construccao de urna ponte, sobre a qual o mesmo
mais larde e mais fcilmente progrederia aos alvos
de sua hegemona sobre toda a Allemanha.
A Austria nao deixa de considerar-se como a po-
tencia presidia! da coofederaco Allema, e se ella ; g0 dlclador Laneiewicz
nao podera e qoerera recosar Prussia um igual -
direito na Allemaoha, to decididamente s op-
p5e a deixar o poder da Prussia ganhar a dianle
posiedes do orcamento
apresentado para 1864, de entender-se acerca dos
pontos de vista geraes a sustentar, e aprsenla ao
pleno o resultado das suas respectivas delibera-
Coes, pronunciado era um numero de resolucSes,
anm de dar ao mesmo occasib de dar sua opinio
a esse respeito, indicando a commisso do orca-
mento eventualmente outros pontos de vista.
A resoluco, aa sua parte esseacial tem por ten-
aaacia de exigir economa com o exercito, do ou-
tro lado concesso de dinbeiro para diversos fins
productivos, melhorameoto dos ordeoados dos em-
Prepdos subalternos, assim como do sold dos
soldados; mas ao mesmo tempo a bolicao de di-
versos impostes nao proprios, como sobretodo e
monopolio do sal.
Como ja disse tem-se de esperar oestes dias a
discusso plenaria acerca dessas resolucSes. Si-
multneamente, ou inmediatamente depois ter
de entrar em discossao uuia ootra questio.
O governo fez a cmara differentes propostas
aoerea da construccao de novas vias torreas, exl-
gindo para esse fim concessoes de crditos, garan-
tas de joros etc.
Urna proposta de parto do partido progresla
quer agora toroar a resoloco da cmara depen-
dente do estabelecimento d'um ornamento legal e
a cmara ter de decidir se quer, oo oao, fazer
uso da arma que dessa maoeira se Ihe offerece
cootra a cooliouaco do regimeo sem bodget. O
mais provavel, que a proposta ser acceita final-
Diente ; mas pensa-se que a cmara a adiar por
algum tempo anda.
Na nossa oltima escrevemos da possibilidade
o ora cooflicto que aoceava eolre o goveroo e o
Reichsrath oa Austria, observando todava que-
por ora oo exista um perigo serio a esse respei-
to. Isso acaba de confirmarse completamente.
O governo declarou-se prompto a riscar......
20,100,000 florins do orcamento das despezas apre-
seolada para 1865, e esse offerecimento to.
grandioso, que desde j flea neutralisada toda a
opposicao Alm disso o ministerio remediou urna,
queixa principal do Reicbsratb, abolindo agora
completamente as medidas excepcionaes na Gali-
cia, decretadas em coosequencia da insurreicao
na Polonia, e libertaodo os fugitivos da roesma
insurreicao, at agora internado! em algumas for-
talezas do imperio, entre os quaes tambem e-aoti-
cipio, Aurelio Crisniaoo da Cuaba seguir para
a guerra logo que Ihe fr determinado : assim o
communico V. S. para seu conheeinlMito.
Dito ao commandante superior da guarda naci-1
nal do Rio Formoso. Offereceudo-se o tenenle da' n n.,
1* eompanhia do baialhao n. 43 da guarda naci-
refere o offlcio de V. S. de 21 do corrente sob n. men,e concedeu licenca, em data de 10 de marco ra, e a neohum preco deixar-se ha por essa arran-
34, que Oca assim respondido. Prox,mo passado, para serem dispeosados do im- "
N. 95. Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi Pedin>eoto de affinidade licita em primeiro grao
dente da provincia, e em resposta ao offlcio de 16 '^ua' da 'm',a '"eral, bem como do impedimento
do corrente, sob o. 29, manda remellar a V. S. as de. consanguinidade era segundo grao attiogeote ao
inclusas informacoes ministradas pela thesouraria Prim*n> da linda lateral, os oradores constantes da
provincial, em data de 24 deste mez, acerca das so-. relacao abaixo transcriptas,
bras das coosignacoes da le do orcamento do exer-i Quero, pois, ti-er de procurar algum destes re-
ciclo prximo fiodo, e que foram addicionadas a Querimentos, pode dirigr-se em Olinda, secreta-
rubrica obras publicas e declara que maodou Tia do btspado no seminario episcopal, e no Recife
effectuar por offlcio de hontem, o pagamento da; ?, casa do "lm- Sr- conego da capella imperial
quanlia de 39:7809000 reis, de que trata o inspec-1 Fra"c'-sco *s Tavares da Gama, na ra da Cruz
tor daquella thesouraria oo final da citada infor-1 n-j?.6' UBt0 a roatriz do Corpo Sanio,
maco t o que ludo V. S. se sirvir de sobmetter' Cldade de Olinda. 3 de abril de 186o.Conego
ao coohecimento da assembla legislativa provin- Joa(lu,in Ferreira dos Santos, secretario do bls-
pado.
de.S. Esc.
cuso a recepcao do offlcio de 27 deste mez em que -
V. Exc. communicou-me ter o tribunal da relacao nal do municipio de Serinhem, JoaquimICandido m v ? irPE f "" f 5o? a
confirmadj o despacho de pronuncia proferido pe- da Veiga Figneiredo, para tomar parle na luto do !25lj JS5 d crreD,e' sob n- 3,> Passo
lo juiz de direito da comarca do Pao d'Alho coo- imperio cora a repoblica do Paraguay, recommeo-1por C0.P|a ma08 de s- Para seren PreseDles a
tra o delegado Carlos Jos Gomes de Oliveira, ere- do i V. S. qoe cootemple oa lista dos offlciaes de
Oradores que se acham ligados no tmpeditnenlo de
affinidade licila, em primeiro grao igual da linha
lateral.
formado igual despacho a favor do juiz municipal
Maximiano Francisco Duarte, por nao se poder
qunficar de respoosabilidade o crime porque fura
acensado.Fizeram-se as oecessarias commooica-
edes.
Dito ao coronel commaodaole das armas.Sr-
vase V. S. de informar sobro o que pede Mara
Anglica de Garvalho no incluso reqoeriment.
Dito ao Dr. chefe de polica.Respondo ao offl-
cio de V. S. n. 313 de 6 do correte, dizeodo-lhe
i]ue aotorise o Administrador da casa de detenco
a contratar a lavagem da roupa das respectivas
enfermaras, porm por ceno prazo, emquanto a
assembla legislativa provincial oo resolve a res- V. S. cora urgencia um mappa geral de toda a tor-
do a V. S. qoe contemple na lista dos offlciaes de asse",bla togislatjva provincial, as Inclusas infor-
que traa o offlcio desta presidencia de 20 de fe- nCes que ministren a thesouraria provincial,
vereiro ultimo acercado requerimento qoe devolvo do vigario
Diio ao commandante superior da guarda nacie- Ig vCj,AlvI?s.d* Cunna Soa' Maior- .
nal de Olinda e Iguarass.-Ordene V. S. ao com- s *:OT~Dlto 5o mesmo.-Passo as maos de V
mandante do 9 batalhao de infantaria da guarda! *Jfl* .rdem de 6- Exc- Sr- Piesideote da provio-
nacional sob seu commando superior, que preste : ^,!a- P*M ser Presente a assembla legislativa pro-
urna guarda de honra para acompanhar a procis-' !?1* 'nclusa cer'lllao ^ dalas, era que foram |
sao de Nossa Senhora da S )ledade, que tem de sa- Vlsl imes""c do exercicio de
bir da igreja de Nossa Senh ra do Rosario dos ho-
rneas pretos da cidade de Olinda, no dia 9 de abril
prximo vindouro s 4 horas da tarde.
Dito ao commandante do corpo de polica.Para
cumprimento das ordens imperiaes, remetta me
peito, para o que V.S.- me informar qual a despe
i\ mensal a fazer-se ou que se tem feito com
aquelle servico, e-qaal o preco porque foi agora
contratado.
Dito ao inspector da thesooraria de fazenda.
Communicaodo-meo Exm. Sr. ministro da mari-
nha, em aviso de 18 do corrente, qoe solicitoo do
ministerio da fazenda ordem no sentido de estr-
nar-se para a verhaobras do municipio da cor-
te -a quantia de 30:0005 dedozida da somma de
160:000} destinada as -obras do melhorameoto do
porto delta proviaeia ; assim o faco constar a V.
5. para sea coohecimento.
Dito ao mesma. A' D. Petrona Lourenca Men-
dos Kelly, residente desta provincia, mande V. S.
abonar mensaltoente a contar de amanhaem dian
Ca do corpo sob sea commando, acompanhado de
urna relacio nominal dosofflciaes do mesmo.
a 1864 as 35 causas de que trata o offlcio de
V. S. de 15 do corrente, sob n. 25, que Oca assim
respondido.
31
N. 98.Offlcio ao primeiro secretario da assem-
bla provincial.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, passo as mos de V. S. para
serem presentes a assembla legislativa provincial-
Dito ao'director geral da instrueco pblica.- dS inr*fi8eaexigidas em seu offlcio de 8 do cor-
Para salisfazer a exigencia da assembla leeislati- "nle, sob n. 16, cumprindo accrescentar de or-
va provincial, Informe V. S. qaantos e quaes os dera "a mesma Exm. Sr. quaoto ao primeiro qoisi-
alamnos que tem frequentade as aulas do Corso J5S;_0 'i?sPec,or da thesouraria provincial em
Commercialem cada um dos Innosquetem decor-
rido dffsde a sua creaco, com a deelaraeao do apro-
veitamento de cada um.
Ditoao inspector d3 arsenal de marinha.Com
munlcaodo-me o Exm. Sr. ministro da marinha em
aviso de 18 do corrente, que solicitou do ministe-
rio da fazenda ordens no sentido de cstoroar-se
para a verba obras do municipio da corte a
quanlia de 30:000^000, dedozidos da somma de
160:000f}000 destinada sobras do raelborameuto
litlo jonio por
de 186o.
pregado effectivo como ceosta do
copia.
Despachos do dia 30 de mareo
Requerimenos.
Antonio Gomes Cordeiro de Mello. Informe o
Sr. inspector da saude publica como indica o ios-
pector da thesoorana de fazenda.
Padre Antonio Rufino Severiaoo da Cunha.Di-
rija-se a thesouraria provincial.
Canato Jos Meodes Gairoares. Requeira
te como se determlnonem aviso da repartico da do porto desta provincia : assim o toco constar a j thesouraria da fazenda.
guerra de 14 deste mez, a qoantia de 200J, qne V. S. para seu conheclmento. Tenenle Epiplunio Borges de Menezes Doria.
Ihe consignou se marido p lente coronel Joa- Dito ao director do arsenal de guerra.-Forneca Nao pnde ser aceito o offerecimento do sopplicaote
quim Rodrigues Cbelho Kellv, commandante do 5 Vmc. ao lente coronel commandante do 3 bata- em vista da informacio do Sr. commandante das
batalhao de infantaria. lbao da infantaria da guarda nacional deste muni-1 armas.
Dte ao mesmo. Transmuto por copia a V. S-, cipio, como requesilou o respectivo commandante Francisco de Paula Carneiro.Reqoeira aa coo-
para qne teoha execucao nessa thesouraria, e as superior em offlcio o. 95 de 29 do ce/reote, os ob selho de revista para o qual deve recorrer na forma
demais repartieses qoe Ihe sao subordinadas, o -jectos mencionados em a nota inclusa assignada da le.
aviso de 4 do c&rrente em que o Exm. Sr. minis- pelo mesmo tenente-coropel. Commooicoo-se ao; Ignacio Peixoto Bezerra dosSaotos. Declare
tro da fazenda declara oo ceovr que sejam acei- commandante superior da guarda nacional do Re- qual a neocao qoe tem para provar.
tos as secretarias das presidencias nem dirigidos cife. ', Capitn Jos da Fonseca e Silva. Tendo o sup-
*4S outoridades flseaes para serem informados, re- Dito ao eogenbeiro fiscal da estrada de ferro. pilcante denunciado do delegado pelo delicto de re-
Jos Gomes da Silva e Mara da Conceico.
Joao Paolo de Alboqaerqoe e Aona Thereza do
Espirito Santo.
Martinlaoo Jos dos Santos e Vicencia Mara da
Conceico.
Aleixo Pereira da Silva e Rosa Maria.
Joaquim Jos de Santa Auna e Joanoa Aotonia
de Jess
Joao Fraocisco e Antonia Thereza.
Joao Evangelista Ponce de Leo e Florentina Can-
dida de Jess.
Antonio dos Aojos Souza e Janoa Maria da
Conceico.
Candido Marques das Virgeos e Anna Lozia do
Nascimenlo.
Joo Felippe dos Aojos e Anna Maria MacieL
Oradores queestao ligados no impedimento de con-
sanguinidad, em segundo grao myxto ao primei-
ro da Itnha lateral.
Joo Ribeiro da Silva e Maria Jos do Espirito
Santo.
Luiz Jos Feliciano e Maria Joaquina da Concei-
Cao.
Antonio Paulino de Alboqaerqoe e Maria Leo-
poldina de Albuquerqne.
Nicolao Alves da Costa e Pastora Maria da Exal-
tacio.
Joa Fraocisco' de Oliveira e Cypriana Maria da
Conceieae.
Protasio Jos de Hollanda Cavalcanti e Thereza
Maria de Jesns.
Jos de Barros da Suva e Aotonia Maria da Con-
ceico.
Miguel Joaquim dos Aojos e Josepba Maria de
Jesns.
Antonio Jos das Neves e Maria Francisca de
AssorapcSo.
Francisco Alves de Mello e Maria Francisca da
Conceico.
Joio Baptiita da Silva e Joanna Maria da Con-
ceic3o.
Car a sua influencia allema. As exigencias prns
sianas cerca do Schleswig-Holsteio, como assim
se comprebende, encontrara em Vienna urna resis-
tencia decidida, e a questo s como faze-la va-
ler mais efflcazraente.
Sao sobretodo duas opinioes, que nos circuios
decisivos se acham em opposicao, pelo momento.
Urna reclama a inmediata recusa das exigencias
prussianas, e ao mesmo tempo ara accordo com os
estados secundarios cerca dos passos communs na
dieta, com o fira de installar promplamente o do-
qoe de Augustemborgo oo goveroo provisoriamen-
te do Holstein, como estado federal em quanto
que, como_ se sabe, o Schleswig nao perteoce
coofederaco germnica e eventualmente soc-
corro armado do duque nos direitos a elle conce-
didos, contra qaaesquer passos da Prussia em con-
trario.
Com essa opinio concordara fra da Austria,
sobretodo os ovemos da Ba viera, Saxonia, Hesse
Darmsladt e Wurtemberg.
A ootra opinio pensa dever tender para os ntes-
mos fins com medidas mais moderadas. Segundo a
mesma, as exigencias prussianas nao devem ser re-
jeitadas absolutamente : mas sim oppor-se-lhe de
parte da Austria um cootra-projeclo, por conse- j
queocia por meio de aovas negociaedes a necessa-
ria restriccio das mesmas, e s no caso que essa
teotativa mallograsse, osar das medidas eoergicas
da primeira opioio.qoe; porm, oo deixanam de
araeacara paz da Allemanha. Viste a importancia
da deciso de qoe se trata, anda decorrer algum
tempo antes de se tornarem maduras as resolncoes
do gabinete de Vienna. O que al agora d'ali se
participa a esse respeito, moslra evidentemente o
typo de conjuncloras sobjectivas, o por isso deixa-
mos de menciona-lo.
Nao podemos, porm, de notar aqu, que segun-
do um tolegramma que acaba do chegar de Vien-
na, tem-se de esperar em breve urna proposta dos
eslados secundarios da Allemanha a Dieta em ne-
gocios dos ducados, cuja proposta a Austria nao
seria, estrantia. Mas, segundo a oossa opioio, essa
noticia tal vez mais a expressSo de certos desejes
e esperaocas, do que de urna tctica ja estabeleci-
da do gabinete da Austria e dos de Munich, Dres-
de, Stuitgart etc. Em todo o caso temos de espe-
rar a confirraaco.
Se de um lado positivo, que por ora nio se
pode peosar de modo algum na approvacao das
exigencias prussianas de parte da Austria, a oppo-
sicao da populacao Schleswig-holstioeza contra lo-
dos os planos, qoe pe em duvida a independen-
cia do sea estado, mostra-se cada vez mais or-
geote.
De Berln fazem-se todos os esforcos possiveis
para por meio de persuaco ganhar os ducados em
favor da Prossia; mas o resaludo justamente o
contrario do que se tem em vistas.
O partido do chamado endereco de Kiel mostra-
se sempre mais claramente, como o da grande
maioria da populacao, e os outros partidos, tanto o
de annexacaq Na Batiera a dieta foi coovocada para 27 do
correle. Em Wurtemberg a cmara dos depota-
dos ultimameote resolveu com grande maioria de
dirigir ao governo o pedido da apresenlaco d'un?a
lei abolindo a pena de morle.
Muito se lastima a destruijo do grandioso e
magesteso palacio do duque de Brunswick, oa ci-
dade de Bruoswick por um incendio, que rompen
na noite do dia 2C de fevereiro nos aposentos par-
ticulares do duque, durante um baile da corte
resistindo a todos os esforcos dos apparelhos para
apagar incendios. Completamente arruinada ficoa
a parte do mel, com a brilhanle estatua da Bru-
nomia governando quatro cavallos. Essa estatua,
de cobre, era urna das mais celebres obras de es-
cultura do tempo moderno na Allemanha.
Segundo se diz nao tardar a reedifleacao do
palacio, e o mesmo artista que creara a Bromonta.
perdida ser eocarregade d'uma nova, segundo o,
antigo modelo.
INTERIOR.

RIO DE JANEIRO
0 eonselheiro Jos Maria. da Silva Prannos.
Aos meas coocidados :
O decreto de 3 do corrate, qae me exonerouda
missao especial de qae oa estova eocarregadOL *
urna dessas injustieas que raros exemplos. eneon-
Irara nos annaes das fcaquezas humanas.
Decretar-se a mioba demisso sem. oovir-me par
ter sacrificado a digoidade nacional, t era moi-
to; mas maodar-se a demisso petos jaroaes a um,
homem qoe, al conseguir os fins qoe se proponna.
o Brasil (eu o provarei, espero emBeusi, nao mere-
cen do goveroo de- Soa Magesiade senao plena ap-
provacao ao qu* elle pratieoo sob soa grave res-
poosabilidade, a um homem que occopa urna aosi-
cao altamente considerada na seo paiz,. o qoe aqai
esuva recetando demoostraeoes das mais honrosas:
pela feheidade cora que servio nano que repre-
senta va, e^um acto que sorprehendeu aos proprtos
nlraigos do Brasil. i*r-'<
Sacrifiqoel a dignidade do Brasil no acto da
capitularlo de 20 de fevereiro t Deus de miseri-
cordia f qoe err ane ingratidao f___
A verdade ha de apparecer, e com o sen reco-
uhecimento ficarei salisfeito; porque nanea aspire!,
nem aspiro, seoo legar a meus filhos o nome que
devo a orna vida sempre laboriosa e honrada.
O ralo com qae resolvea folminr-m o goveroo
do mea paiz, e qoe estroodou em Montevido,quando
eu solemoisava o anmversario natalicio de S. 11 a
lmperatriz, ferio o cargo, mas, merc de Dos, nao
alcaocoo a pessoa qae o exercia.
A. traoquillidade de mioba consciencia assim
ra'o diz; as sympathias e considerarles Je qae
fui hoje rodeado por todos os membros do governo
oriental e do corpo diplomtico, pelos almirantes.
francez e inglez, por muilas outras pessoas de dls-
tincoao, entre as quaes cont mallos Braslleiros,
me oao certeza de qoe o patriotismo de meas con-
cldaos foi Maqueado em soa boa f, ou nao pod r


^^

r*~~
mmmm.
r-'
' "
,-*
apreciar em su veidadeira lu o brilhante trium-
pho du Brasil.
Eu mesmo concorri para excitar os resenliraea-
tos nicionaej : e pois, seria para mira ama coa-
sideraco se o golpe, que me fui atirado da alta
pesila de governo -do- meu -pa, -fosee uevido
nica mente a um excesso de amor proprio na-
cional.
Mas nao; o acto de 3 4o marco nao simples
effeilo do patriotismo ntctosal extremamente exci-
tado, mais do que una injustjga, una gravissi-
ma falta, que p dcmiltido e a contestona que 41a suscitar nio
puzerem bem pateles o* fies legtimos a que co-
pre se propt e aiuda boje se prerde a poltica
externa do Brasil em relacao aos seus vstanos.
Essa defeea ha de apparecer; e, posto qae eu
nao deva imitar a nexorablhdade do acto de 3 de
1 lar lo le Peraambuoo rer^a lelra 4 de Abril de 1865.
O efiamamento e orgaoisacaofla forca de gu;rda
nacional que a provincia'ha de dar cegundo o de-
creto ultimo, que exige 14 mil e tantos guardas do
imperio, t atfteri* atino? de joven* ros-
tes ltimos das.
Todos sebem a-qae esta de de anarchfa e iodiscl-
plina haviam chegado em nosso paiz os corpos da
briosa guarda nacional, que ltimamente se con-
verteu em doagdes as influencias eleitoraes.
A quaWkacio existente um aberto.
Resta provincia, como as outras maitas devem
ser pois aa diffieuldades a vencer.
O Sr. Goncalves Campos va transpones-as coa
exio faveraveL Elle eome^a por nao distinguir oe
commandantes superiores e coramandantes de ba-
tattio refractarios ao comprimento de sea dever,
eu pelo contrario lleis executores do pensamento
Ihe toca, advenidos ou censurados, louvados ou
-.______________
marco, porque cima do ministerio do Brasil est
o Brasil, espero que ella ustiear-me-ba plena- elogiados.
mente perante o joo desapaixonado de meas Porportamde27docorrenteacabaS.Exc.de
patrirtcs. -
NSouosso partir imrodiatamenle no paqneta
que sahe amanhSa, como exiga o acto do governo
orgamsar e piano da disirbuieo da (brea dos 484
guardas que teeni de marchar para o sul. O esta-
do mair cnmpor-se-l de ura tsente-coronel, I
II lili porque, ateda que demitMdo por orna ma- major fiscal, um aiferes-ajudaBla, t
um tan e*irenii<*^ irnue. atada que a minha tel-mestre e l alferes secretario. OmeBor.denra
alferes quar-
neifa to estrepitosa, porque, atada que
carta revocatoria fosse enviada, contra lodos os
estylos, pelo intermedio do nosso cnsul geral,
devo, nao obstante, ttencoes pessoaes e de etique-
ta olBciai aos govoruos junte-aos quaes ooube-rae
a honra de representar o Brasil na poca talvez a
oais critica de soas complieac<5es externas.
A nao ser este ponderoso motivo, en partira em
continente, emaopa.chegasse guando ainda a alluci-
naro de que fui victima padesse ver era miro, nao
o que sou, nas o que -a malevolencia oh o erro
figurou aos ofttos de urna parle do brioso povo
brasrteiro.
Que cuiat-idoncia nolavel I os innigos do Brasil
corriam espavoridos de Montevideo guando Mii
entravam as asesas forjas, e proeuravam quem
Ibes desse #m *8y4e seguro : pelo mesmo facto,
minlia pobre lawiba-Umbein careeu no Rio de Ja-
neiro, BeJjwzadftKOverBimperial, deque a peiicia
a proiegesse com es seus guardas I
Cousa yiafulir'! O partido vencido em Monte-
video, os iuuuigas do Brasil, acbaram lio admira-
ve I o nosso H'iumpho que 0 altribuiram iraico
do honrado Sr. Villalba, por elles acensado de se
ter vendido ao IBrasil: na corle do Rio de Janeiro
se enteudeu que o ministro do Brasil tinhe sacrifi-
cado a dignidade nacional!
Por honra da verdade deve-se confessar que
esse trwimpbo neo foi o fructo de urna seaoceo. O
Sr. Vi llama digno da .estima de todos os hmeos
honrado; e, se eu sacrifique a dignidade do Bra-
sil, a discussa e o lempo o deraensirard-
Nao lewbo expresados com que agradecer a
defeza generosa c brilbanle com que ful honrado
as pagina do Jornal 4a Commcacio e ne Comi
Meirunlil da 9 do cmate. A causa do Brasil e o
crdito de seus ieaes e dedicados servidores nio
podera perigar qoando ba juizes to Ilustrados e
rectos, sem todava terem penetrado no segnedo Oe
todos os actos oJficiaes.
E' urna divida sagrada que tica pana sempre
registrada era meu confie.
Protesto desde ja contra o
nal do Commercio daquella mesma dala: ioeaac
to, gresseiramente inexacto, dizer-se, em defeza do
acto de governo imperial, que os atlentados perpe-
trados pda* fats do general Muoz, e os que
deram lugar as reclamacoes anteriores guerra,
ficarao impunes.
art. 2" da capuulaco de 20 de fevereiro decla-
ra justamente contrario em sua leitra, e o seu
espirite manifestado em mais de um documento,
de que o governo impenal tem scieocia. A nota
de 28 de jaoeiro.ultimo, assignada pelo Sr. sene-
ral Fkvres, qaal se refere o acto de 20 de feve-
reiro, assegura a punicaodos factos mencionados
no iiltmuUMn de 4 de agesto.
Asim como ja tioha apparecidD oto decrete do
governo oriental, dando-aos plena satlsfacao p*)
insulto da queima dos tratades, o mais grave que
comiMjUeu o fitror denossos inimigos, assmi esta va
accordado que dentro em poucos dias appareceria
oatro, sujeiundo ao processo legal os feilos vand-
licos perpetrados contra o povo Brasileiro do Ja-
guaro.
Cumpre, porm, notar que estes ltimos atienta-
dos nao coBsiam de um modo positivo, e que, sen-
do pralicados em territorio brasileiro, d'ahi sao
nece>sarios esclarecimentos que en sem ordem de
quero me demillie bavia j solicitado directamente
do presidente da provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sul.
Tero chegado esses esclarecimentoe corte do
Rio de Janeiro 1 A' legacio de Montevideo, at
este momento, anda nao.
Rogo aos meus coacidadsos que nao me condem-
neni sem ouvir-me : impossivel que um aconte-
cimeoio considerado em arabas as margens do
Praia como brilhante triumiiho do Brasil possa
justificar a severidade com que fui publicamente
tratado pelo governo do Brasil.
O Paraguay j retirou as suas toreas de Corrien-
tes, e recolheo-as ao seo territorio d'aim Para-
n: porque seria? Pele mesmo fado que tanto
irritou o governo imperial 1......
J. M. ba Shjva Pabashos.
Montevideo, 14 de marco de 1865.
(Jornal 4o Commercio)
sargento ajudanie, idem quartel-niestre, de uro
roru-ta-mr. Tera compaubias, e cada compa-
nhia um capitao, 1 tenente, i alferes, i primeiro
sargento, 2 segundos sargentos. furriel, 1 corne-
ta, cabos de esquadra* 103 pragas.
Por acto da mesma data fol noraeado comman-
dante da forca o distinto teneotecoronel JoSo Fer-
reira da Cosa Imnuzeiro, commandantc do 17" ba-
lalhao de Anadia, que offerecera espontneamente
ao governo seus servicos. E1 ama nomeaco que
honra ao lino illuslracao do Sr. desembarcador
G. Campos, porque o nomeado nm bravo offlcal
superior da guarda nacional da provincia, homem
difpe.sto, cidadao prestimoso e digno do honroso
cargo que Me veni de ser coqferida.
A porcao de voluntarios que aqui esta' vai
sendo instruida eomoaoowa, aes exercicios e pas-
sos militare?, ilontetnhouvc um ejercicio de fogo.
Tudo aqui vai em inalteravel paz.
O vapor do sul acaba de apostar no horison-
te, segundo o signal do telegrapbe, e por isso faeo
hoj*> peni Acal, saudaedo antes disso, ao heroico
Pernambuco peopatrietlsmo que vai ostentando.
O vapor do sal trae a noticia de qne f6ra
pesslmameoie recebida em Montevideo a exonera-
cao do Sr. Prannos.
A larpressao fbi das mais desagradareis. o que
se esperava I...
m
DIARIO DE PERNAMBUCO
Pelos vapores Persinnriga e Parahyba, da com-
panhia pernambucana, tivemos nollcias do Cear
at 26, do Wo Grande at 30 do passado e da Pa-
rahyba e Alagoas at 2 do correte.
Cear.Faltecra o consol portuguez Maaoel
Caetane Gouva.
Ro Grande.Achavaro-se, alistados 170 volun-
tarios da patria e 48 do exercito.
CotmwMkado do Jer- Hoave grande enthusiasroo, por occasiao da
chegada da noticia da entrega de Montevideo.
PAnAHVBA.-L-se no Tempo :
t Ao constar no bairro do Varadouro as noli-
cias da entrega de Montevideo s Torcas do impe-
rio e da victoria afcancada em Matto-Grosso coa-
tra os Paraguayos, grande fol o enthudasmo do
corpo do commercio nacional e estrangeiro resi-
dente n'aquelle bairro, o qual, tendo sua frente
o negociante, Sr. Antonio Dias Pinto, deliberou
percorrer as ras da cidade precedido de urna
banda de msica e fevando arvorado e pavilbo
nacional, o que efTertuou-se as 4 horas da tarde de
sabbado 18 do correte.
Chegando o prestito frente de palacio, elle
retmfram-se o Sr. presidente da provincia e de-
roais autoridades, que o acempanharam ueste pns-
seio patritico.
< A concurrencia de povo foi immensa.
A' noite lluminararo-se todas as casas da ci-
dade e as diversas repartices publicas.
Alagoas.Ja se acbavaoi alistados mais MI vo
untarlos da patria.
PERNAMRUCO,
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
} ALAGOAS.
M cci, 29 de marco de l?>6o.
Nada mais incerto hoje do que a ebegada dos va-
pores da companhia brasileira. Entretanto salta lo-
go primeira vista qule ioconienveate e prejudi-
cial ao servico publico semelbante irreguiarida-
de. Isto mostra inlelizmenteque nio haviamo,an-
da chegado ao progresso desejaveJ e de que esta-
mos talvez alguma cousa distante em materia de
transportes ou correios omitilos, e de vas de
communicacao.
Ce i to de que neeessilamos de urna forma grande
em nosso industrialismo e progressos materaes,
ser para crer que a provaoga assaz custusa e ar-
riscada por que passa actualmente o paiz seja, una
proveitosa ligio para o futuro e induza nossos esta-
distas a appliear de ora em dame mais vanidosa-
mente as rendas da na^ao, e curar sriaioenle dos
seus verdadeires melhoraroenles e necesidades.
J o disse uma vez, a guerra actual um sacri-
ficio onerosissimo ao Brasil, mas nao deixa de ser
nm facto provideaeial que miuto deve influir na
sua prosperidade e civilisacao.
Trazeodo comsigo calamidades de toda especie
ella nos dar um dia. frutos beaefieos e resultados
fecundes. O exercito e a marinba, a guarda nacio-
nal e a defeca das fronteiras se reorganisaro de
modo condigno com a. nossa dignidade e importan-
cia. R assm aeootecer em es Atiris tamos do
servico publico.
E' preciso Inventar** On mero o> ofstrahir a
attencao de nosso pacifico e laborioso povo das Io-
tas esteren de rivalidades polticas, cansa princi-
pal de nossos males e atrazo.
A elei^ entre nos uma completa mentira, de
que provm o falseamento do systetna representa-
tivo. O governo impoe, comprime e vence. Acbe-
se com usa fuete de degradaco social. Com es-
forz ingente de ca^oes patriotas pode-se obter
uma iveeneracao, senao perfoita, ao meaos deseja-
vel lano quaolo em relaco asoossas torcas.
As Alagoas nao ofierece boje assompto para
oceupar as columnas de sea Dante, alheios ques-
to do dia, i.-to da guerra. Por isso liraitarei bu-
nhas noticias a ella. '
Presegue o alistameaio dos Voluntario? da Pa-
tria. Bestem cliegaraaidas margens do S. Franris-
cos no paquele da compaaoia tobiana Valeria Se
Smimh, 46 bravos que vio para o sai em defeza
dos bros nacieoaes as trras ibimgae do Para-
guay.
Com elles veio capilo Antomo Joaquim de
Mello e bravo tenente Pedro Soaras de Mello Al-
v,n C^zo, que fez um brilhante offerecimooto.
Al boutem j se acbavam no fuarttl 107 Vobo-
tarios da Patria, que leen muri em breve de par-
tir e iiuir-w aos seus briosos corapanheiros, que
hoje devem .estar na curte a disposicao do governo
ceatrai.
Esta provincia tem, pois, correspondido 4o modo
mais aos reclamos da patria. Ja envin 430 velon-
tarios e rom os 107 que aqu se achamofferee 337 requerimento :
bravos, aJm de 112 recrutas que seguiram este \ Reqoeiro .qne por tatermedio da presidencia
auno e do contingente de linaa.qee oo>priniro' o provlncii .'se pe^am as segulntes tnforma-
que parti. c5es :
& Kxc o Sr. presidente da provincia uio des- > Se foram processados e delegado do Ex, seu
cansa um so meraeDto; nunca limos mesmo ora primeiro supplente, e nisis autores do brbaro as-
adiiiioiirador tao preoecupado com os negocios sasslnato ferio na pessoa de Manoel Perreira Lima
publico?. Pendo no engenhe Coqoeiro, propfiedade de Ig-
Encpotrou no digo chele de polica,ennteMigen- nado Caetaoo de Aleear flodovaino, oo mez de
te iuspecior da ihesouraria Ae fasenda o Sr. Joao fsiembro do anno passado.
-Mendos Pereira, fortes auxiliares queip; hao pres- Se foram pwcessados e punidos oe meslos de
lado rauiu coadjuvacao.
ASSEMBLEA PROVINCIAL. -
26" SESSAO EM 3 DE ABRIL DE T865.
PRESIDENCIA DO SB. Du. SABINO OLEGARIO.
As 11 horas e 3|i da manha, feita a chamada,
acham-se presentes os Srs. dputados Aquino
Fonseca, J. do Reg Barros, Rbeiro, Netto, Gon-
calves da Silva, Rocbael, Reg Barros, Teixeira
de Mello, G. Campello. Sabino, Arminio, Francis-
co Pedro, Diodore, fiabor. Silva Barros, Lonrei-
ro, Braulio, Boarqae, Ramos e Maranhao.
O Sr. Presidente abre a sessao.
O Sr. 2 Secretario faz a leitora da acta, da
sessao antecedente, a qual approvada.
Comparecen depois os Srs Andedlas, Ayres
Gama, Brando, Cunta Teixeira Baptista.
Jacobina e Araojo Barros.
O Su. 1 Secretario d conta do seguinte
EXPEDIENTE.
Uma peticao do padre Jos Avelmo Mentetro de
Lima, vgarki encommendado da imperial matriz
da Vanea, pedindo nma qnantia para concert da
referida matriz. A' commisso de obras pu-
blicas
Outra de Fructaoso Pereira do Nascimento, ar-
rematante da barreira do Caehangl no triennio de
1863 a 1864, pedinde igual abate ao que se den a
Flavio Perreira Cata} e Jos Brandao Cordeiro,
visto se darem as roesmas razoes. A' commisso
de fazenda e orcamento.
i, Outra de Manoel Lopes da Silva, pedindo qne se
mande restituir aqoantia de 17820que indevida-
mente pagoo a' thesburaria provincial.A commis-
so de orcamento.
Outra de Antonio Candido Ferreira, arrematante
do imposto municipal cobrado pela passagem do
Rio Una, pedindo o abate de 50 0|0 no preco da
arrematacao. A' eommisso de orcamento muni-
cipal.
Vai a imprimir o seguinte parecer:
A eommisso de ordenados, examinando a peti-
cao da Joviniano Kernandes da Silva Manta, em
que pede a estaassemblaibe marque nm ordena-
os na qualidade de substituto dos professores do
Corso Commerclal Pernambucano. aonde tem ba
dous annos prestado gratis os seus serviros, eachan I
do attendlvel a pretencao do sopplicante, nao s
porque de jostica qne os substitutos de instruc-
coes seieeulieas percebam ordenados,como porque
a remunerado des servicos prestados sempre
ura incentivo para torna-Ios mais appliradosaos
estudos das materias inherentes instituido aon-
funecienaro ; mas, attendendo qne as leis qne re-
gtriam aquella institu cao nao consideraran! es lu-
gares de substituto nm lugar dMincio, sendo, sim,
considerado substitutos em face do art. 17 do reg.
de 29 de fevereiro de 1860 todos os substitutos pelo
mesmo corso qne se aeharem inscriptos na elasse
dos oppositores e eadeiras do dito Curso, de modo
que serao tantos os substitutos qoantos opposi-
tores houverom, podeado elevar-se o numero dos
substituios a dous ou tres; etc., e que a eommis-
so entende ser altamente inconveniente, e atten-
dendo finalmente que a eftabtllcide nos meios de
existancia condicao para o genio appareeer e o
campo da .ciencia ser explorado : de parecer
que se adopte a resolocao seguinte :
* Art. 1. Fiea1 creado de Curso Commerefal
Pernambucano um lugar de professor substituto,
que ser nomeado pelo presidente da provincia de
entre os oppositores de que trata o regotemenW' n.
29 de fevereire de 1860, soto proposla do director
geral da instruecio peblica.
< Art. 2. o respectivo substituto ter de ordena-
do 800* e 500* de graiificaco. r
i Art. 3. As cadeiras que vagarem serlo preen
chidas pelo substituto.
Art. 4. Picara revogadas as dispos3es em con
traria.
c Sala dassessoes, 2 de abril de 1865.Antonio
Lopesda<8rtva Barros.Jlo Braulio Correa da
Silva.
E' lido, apoiado e posto-em discussSo o seguiste
dos espancamentos e fe i m en tos fe los as pessoas
de Antonio Pereira de Andradn Leonardo Perei-
ra Lima na occasiao em que fdrs cercada a aroprie-
dade do mesmo Ignacio Caetaoo de Alekw Rodo-
val ho por ordem do dito delegado, lado a ana aaa-
plente com uma forca fazer o dito raraa. Dwaoni
l Ipiano.
O Sr. Bnaoao Ugpiano Ais no deva dar as
raides porque apresentpii o remurimeuto em Us-
enssao.
Nao extraaao f assaabla as tropeHat, os
excessos o as arbitrariedades amasadas pelas au-
toridades poMaes, durante as adaynistraeoes infe-
lizes dos Sra. fiarvair* de Seuza eieaza Leo. (Nao
apoiados.)
Estes dous administradores, contina o orador,
entauderam qoe podiim desoaoralisar a marcha
administrativa dc-u provincia, a, nao abtanla
dicisaodi* governo geral aflm de qne fosse livre o
voto dos cidados, tudo empregsram para calcar
aos ps a le e os direitos dos mesmos, fazendo a
conquista das nrnas, como foi facto publico nesta
provincia.
Foi nomeado entao para delegado do Ei nm
homem, cujo plano era conquistar as urnas; e na
eleicao de vereadores e juizes de paz, a que lti-
mamente se procedeu no cotlegio de Ex, collegio
que composto de liberaos sinceros e paros, nao
se podendo vencer a eleicao pelos meios legaes, fei
preciso empregar ameacas, violencias, arbitrarie-
dades e at mesmo o assassinato. (Rectama-
g5es.)
O orador declara que tem documentos e que
apreseota-los-ha em tempo.
No dia 2 de selembro, vendo o delegado de Ex
qoe nio era possivel vencer a eleicao para o go-
verno, proenrou aterrar a popolafo empregando
violencias, ameSNjas, prisoes llegaos, e al lanzan-
do mo do assassinato. (Nao apoiados)
Mandou-se entao buscar uma for^a, e cercou-se
a proprledade do respeitavel cidadio Ignacio Cae-
tao com o intuito de o prenderem, s porque
este ctdadio tem uma influencia importante, uma
influencia lexri tima, nao a Influencia da actualida-
de, nio a influencia das bayonetas. Como, porm,
nao acharara o Sr. Ignacio Caetano, eropregaram-se
todas as violencias de que sao capazes taes autori-
dades, espancararo a um individuo, prenderam a
um outro, e at assassinaram um homem iner-
me I (Reclamacoes.)
Nao consta entretanto ao orador que essas auto-
ridades fossem punidas al boje : os peridicos
denunciaran! esse facto horroroso, e s ex-adminis-
trador desta provincia, o Sr. Souza Leao, deixou-o
passar por alte.
Hoje, porm, que parece que urna nova pbase
se aprsenla ; hoje que o administrador da pro-
vincia promette jusliga e moralidade, o orador es-
pera que nao Mear no olvida factos tao graves, e
foi por isso que apresentou o requerimento, em
que pede esclarecimentos a respeito, esperando
; que a cmara o approva/.
Orara depois os Srs. Francisco Pedro e Silva
Barros.
A discussao fica adiada,
O Sr. Buarque, pela ordem, pede que o Sr. pre-
sidente d para ordem do dia as posturas da c-
mara mnnicipal de Tacarat.
O Sn. Presidente declara que o pedido ser to-
mado em coosideraco.
ORDEM DO DIA.
Entra em terceira discussao o projecto n. 88 do
anno passado, concedendo uma lotera de.......
120:0005 irmandade de Nossa Senbora da Esca-
da, erecta na igreja da Conceigo dos Militares,
com as soas emendas.
Oram os Srs. Jacobina e Silva Ramos.
Vern mesa e sao apoiadas as segrales emen-
das :
i Uma lotera de 120:000$ para a igreja da ir-
mandade de Nossa Senhora do Sobral do Rio For-
mseSilva Ramos.Ayres Gama.Reg Bar-
ros.Sirva Barros.-Camino Moura.Buarque.
Goncalves da Silva.Teixeira de Mello.Aquino
Fonseca.Araujo Barros.Rocbael.
c Uma lotera de 120:000$ para as obras da
igreja de Santa Rita desta cidade.Silva Ra-
mos.
Encerrada a discussao, aprovaflo o projecto com
todas as emendas.
Entra depois em 3" discussao o projecto n. 12
deste anno relativamente aos Voluntarios da Patria
e corpe de polica.
Oram os Srs. Jacobina, Sabino Olegario,, e
Araujo Barros.
Vero a mesa e approvado o seguinte requeri-
mento :
c Requeramos que se adi a discussao por 21
horas.Araujo Barros.Buarque.Campello.
Entra depois em segunda discussao o orcamento
provincial, comegando pelo: f
Art. 2 A asserobla provincial.
I." Subsidio de seus membros
em tres mezes de sessao........... 17:910,5000
2. Aiuda de casto aos mesmos 1:83000
13. Eropregados da secretarla 6:1605000
4. Expediente e aceio da ca-
sa, Inclusive a gratifleacao ao sr-
venle na razo de 300$ aunuaes...
o. Publicado dos debates e ou-
tras Impressoes................ 7:300000
OSr. Comlngio, naconfeccao de seu instrumento,
aleta de profundos conhecimentos de acstica, re-
velo rauito apurado gosto pela msica; e, na
maestra com que executou as pecas do prograav
asa, patenteou acurado estado e longa pratica desse
piano ie cnjstal.
As notas suaves e melodiosas que o Sr. Comin-
gie Ora ie seu mgico iastrameato formam, por
sala* flan, uma cscala i saas, ojo doce mor-
(atara ans extasa a alma, tando-aes ao eo-
raeao..
Ojuanae o Sr. Comingio, depois de preludiar, exe-
eaaan e Miserere do Trovador, parecen-nos que en-
viamos a voz altamente melodiosa de madama de
Lagraaaj| nessa aria sublime, cutes notas traduzam
o ulterior de uro coracao da memer estremecer
entre amor e o odio.
, Q duelo da Norma foi igualmente xeeulado com
' perfeicSo, e o mesmo acoOXeceu com as outras pe-
cas, de que e compunlia o programma.
Nao se pode bem julgar o inetrameato do Sr.
Gomiugio sera ouvi-lo. Pretendendo este seoher
| dar ainda alguns espectculos, convidamos os ama
Falleceram :
Anna Maria ; tubrculos pulmonares.
Caetano da Silva Gurmaraes; gangrena.
Angelo Custodia do Sacramento ; beaaUto e bernia
estomacal.
Leopoldina Maiia do Sacramento | pleurisia.
Passageiros do vapor nacional Perjinunoa,
entrado dos portos do norte :
Ljoo da Silva Bastes, Pietro Guida, Guiaaro de
Qu'Iquo Vinazo, Pedro de A. Maranhao, padre Jos
Martins de Morsas, Elmioo Jos dos Santos Gama,
Cleodono C. Pereira, Adriano dos Santos Pereira,
Francisco Soares da Silva Retumba a 1 criado,
Francisco f. da Silva, D. Jeao Busaaa, Antonio
Plari, Tertuliano da Costa Pinheiro, Joao Jos
Rodrigues, Joao da F. Silva, Francisco Jos da Aze-
vedo, Francisco de Panla Mendes, Francisco T.
Pssa Jnior, Domingos P. Mendes, mejor Fabri-
cie, sua sobrioha e 1 criado, Januario Nunes Tho-
maz e 1 fllho, Dr. Firmino Jos Doria, sua senhora
e 6 Albos, D. Fsancisca Valeriana de Oliveira, Joao
Tiburcio Pinto JnDior, Jos Daarle^da Silva, padre
Joaquim Severiano R. Dantas, Carlos Joaquim P.
seu sabor delicioso, nao causam naseas nem do-
res, etc., prodaza asu afeita completamente sem
que seja preciso logo Immediatameute usar de ne-
abuma especie de prgame.
Tanto as mais como os proprlos fllhbihos nunca
desesperam deltas, porque se as pffnreiras teera
completa con Banca as paaUaa, estes ltimos as
tomata com o maior prazer passivel. Desde que
estas admiraveis e imcomparaveis pastilhas foram
descobertas, lados osdexais hranfugos asquerosos
teem sido quati inteiramerita abandonados e des-
terrados por toda-.
As paaulhas vermngas eKemp se acham lin-
damente acondicionadas deaara de frasquinhos de
crystal, nao s para sna boa experta cao como para
sua couservacao contra toda as vicissitudes dos
lempos.
A venda na luja de J. C Bravo & C, e Caors &
Barbosa.
dores da msica e os apreciadores do merite ou- Pacheco, inspector lago' Francisco Pinbeira, Auto
vi-lo e admira-lo ; e quelles a quem a mais se- nio Sabino da Costa, Joaquim R. Pessoa, alferes
ductora das bellas-artes nao encanta, rogamos qne
vio ao Sant Isabel, em a primeira noite que o Sr.
Comingio exhibir mu instrumento, e promettemos-
Ihes que hao de voltar, seno transformados era
amadores da msica, ao menos convencidos da
belleza da invencao e do talento do inventor e eje-
cutor.
Ao Sr. Comingio damos os sinceros parabens, e
desejamos continu receber os applausus mere-
cidos e a cciher os louros iauBarcessIvois com que
tantos paizes o tem ornamentado, e que o nosso
publico nao Ihe negou na nolte de 2 do cr-
reme.
No correr dos mezes de Janeiro a marco l-
timos, pela delegacta de polica do primeiro dis-
tricto do termo desta capital, foram efectuadas 71
prisoes, pelos motivos abaiao mencionados :
Para correccao..........15
Por crirne de furto ........7
Por iofraegoes do regulamento da estradi de
ferro............6
Com destino ao recruiamento.....5
Por crime de raorte........4
A' requisicao dos seubores (eseravos). 4
Para averiguacoes em enroe de furto. 3,
Jos Gomes de Amorlm Jnior, Lucas Gomes de
Amonm, D. Maria Candida da Silva, Francisco
Gurgel de Oliveira e t criado, Dr. Sebastiao de Re-
g Barros de Laeerda e 1 escravo, Manoel Joa-
qun de Miranda, 2 desertores, 2 pracas escoltan-
do 2 recrutas, e 2 eseravos entregar. .
- Passageiros do vapor brasileiro Parakgba,
entrado de Macei e portos intermedios:
Joao Pereira da Cunha Maia, Joao Mendes Fer-
reira, sua senhora, 1 tillia menor e 1 escrava,
Jos Frncisap Moreira, Clodualdo Soares dos Pra-
zeres, Paulino C. Santiago, Antonio S. da Cimba
Reg, Jos iNunes Guimares, Severiano Bandeira
de Mello; Joaquim Teixeira da Silva, Joao de Si-
gaeira Ferro, Joao Marinlio, Flix Pereira de
Seuza, Domingos Jos de Parias, Lui Jos Fertei-
C Torres e 1 iilha menor, Pedro da Suva Reg,
Dr. Espiridio de Barros vimentel, Jos Paulino de
Alhuquerque Sarniento.
OBITUARIO DO DA i DE A lili II. DB i 803. NO
crhiterio 1'1'w.ic :
Izidora Maria, Pernambuco, 1 mezes, Saulo Anto-
nio ; febre maligna.
Maria Joaquina da Couceicao, Pernambuco, 2o an-
uos, solleira, Boa-Vista ; febre puerperal.
Por embriagues.........3; Caetano da Silva Guimares, Pernambuco, 16 an-
Desertores do exercilo.......3 nos, solteiro, Boa-Vista ; gangrena.
, Eseravos fgidos.........3 Joao Bocea, frica, 60 anuos, Recife, soiteiro, es
Por disturbios..........3
; Por ialraccoes de posturas......3
I Por ferimentos e offensas physicas leves t
Jogos prohibidos........ 2
Por vagabundos ... ...... 2
A' requisicao do tespeclivo comuiandante, por
falta de servico na guarda nacional. i
Por injurias verbaes........i
! A' dsposic,ao do commaudaute do cerpa de
polica...........i
Para averiguacoes erotorUne de reduar pea-
soa livre escravida...... 1
Por tentativa de morie.......1
Por desobediencia........1
Para averiguacoes em crime.de roubo. 1
Por crime de roubo........1
Nos cofres da cmara municipal foi recolhida,
proveniente de mullas'por rafnacooes de postaras
e regulamento policial acerca do carros e outros
vehculos, a quana de 579A0O0.
Nos cofres da companhia da estrada de ferro,
cravo ; diarrho.
Manoel, Pernambuco, 8 dias, Boa-Vista; espasmo.
Mara, Pernambuco, 10 mezes, S. Jos ; espasmo.
Joaana, Pernambuc, 6 annos, S. Jos ; anemia.
Dia 2 -
Angelo Custodio do Sacramento, Pernambuco, 31
annos, soiteiro, Boa-Vista ; hepalite.
Sebastiana, Pernambuco, 21 aunos, solleira, escra-
va, Santo Antonio ; endicardite.
Leopoldina Maria do Sacramento, Pernambuco, 19
annos, solleira, Boa-Vista ; pJeuriz.
Josepba Maria da Conceico, Pernambuco, 30 an-
uos, casada. Boa-Vista; luberculos.
liOndon t Braslllan Bank ( IJ-
mlted).
Capital do banco 15,000 acQoas
a 100....... 13,333:333*330
Accos emttidas 13,000 a & 100 U.ooo^SoSb'oO
Capital pago a & 10 por aceae. 4,622:222$220
por infracoes do regulamento policial da mesma,' BALANCO DACALXA FIUAL EM PERNAMBUCO,
EM 31 DE
ACTIVO.
Letras descontadas ....
Crditos sobre diversos, outros
bancos e caixas liaes, .
Caixa :
Em moeda corrale. .
PASSIVO.
Capital fornecido pela caixa ma-
triz ........
Depasitos.......
Crditos diversos, outros baa-
cos e caixas filiaes. .
8005000
legatos, sea primeiro suppfente e njaj autores
3i:213$0OO
Oram os Srs. Araujo Barros, Buarque e Cam-
pello.
Vern mesa e approvada a seguinte emenda
do Sr. Araujo Barros :
O 4. do art. 2." seja substituido pelo se-
guale : .^jm mi
4. Expediente e aceto da casa,
inclusive a gratifleacao do serven-
te na razio de 100$ annuaes....... 900$000
Encerrada a discussao, approvado o artigo
com a emenda.
Entra em discussao, e approvado :
Art. 3. Secretaria da presidencia.
1. Eropregados inclusive 200$
de gratifleacao ao continuo que
serve no archivo................. 19:180$0O0
2.a Expediente e aceio da ca-
sa, inclusive a quota de 600$ para
um colaborador encarregado de
copiar os livros antigos do archivo,
cuja letra comeca a pagar-se.......
3." Diaritrde dous serventes...
a quantia de 13$00.
Foram pronunciados 4 reos, comprehendidos
em 3 procesaos, sendo 2 as pecas do art. 269 do
cod. crim., 1 cerno autor e 1 como cmplice -, 1
por crime de furto e outro por haver falsificado
um documento e feito uso do mesmo : os don l-
timos pr estaram flanea no correr do processo da
formacao da culpa.
_ Hoje 4 do correle, effectua-se o ultimo tei-
lo de fazendas salvadas do brigue inglez Ue.be of
the Ext, por intarvenco di agente Pinte, em o ar-
mazem do baro de Livramento, caes de Apolla
Movimento do hospital do Nossa Senbora da
Conceico dos Lazaros, do 1 ao ultimo de marco
de 1865:
I Exisuam 10 homens e l mulheres, avadiorfie 1
homem, entrou 1 hornero, morreram 2 mulheres,
existem 10 homens e H muflieres doentes.
Existem eropregados: 1 capeftao, 1 medico, 2
regentes, 1 cosoheiro, i serventes ; total 7.
Mana Francisca do Espirito-Santo, entrou a 23
de ontubro de 1861, e fallecen a 21 de marco de
1866.
Joaquina da Costa, frica, vinva, idade 64 annos,
entrou a 4 de jnnho de 1963, e fallecen a 27 de
marco de 186o.
Movimento do hospicio de alienados na Mi-
sericordia de OISnda, do 1" ao ultimo de marco de
1663:
Enistiam 16 homens e 29 mulheres, entraram 2
borneas e S mulheres, existem 18 homens e 31
mulheres; total 49.
Existem 8 empregades nesle estabelecimento 6! Jeins depositadas
homens e 2 mulheres, sendo medico, perteiro, sa- Ttulos depositados,
ebristao, enfermeiro, cosinheiro, barbeiro, enfer-1 Letras depositadas.
metra e rodeira, 3 serventes, sendo 1 homem e 2 ( Leiras.caucionadas
mulheres. Letras descoatadas
Foi visitado o mesmo estabelecimeoto pelo res-! Letras receber .
MARCO DE 1863.
2,187:4I0$180
i,372:433$010
273:049$020
3,832:892$210
888:888$800
l,0:08l$910
1,911:918$380
~3332:892$210
Recife, 3 de abril de 1865.
W. J. Haynes,
Accoantant.
MlVe BANGO DE PERMIBUGO.
Balancete do Nove Banco ie Pernambuco 31 em de
marco de 18G5.
ACTIVO-
Apolices da divida publica........ 708:672S't81
Estrada de ferro de Pedro 11...... i53:OQ0$UU0
EsirAila de (erro da Babia........
Daaaniu
i:Jl:i>7W706
22:000^000
5:73380
72:682$27i
7:355$7o0
10:3300000
1:821:134$623
49:73t$133
pectivo medico nos dias 4, 7, 10,17, 22, as ii ho-1 tetras protestadas.....222:318$206
ras, He meiae 12 da manha e as 2 da tarde. Banco da Balda N/C.....217:809^123
3:078$000 [
1:460$000
RPARTigAO DA polica :
Extracto das partes dos dias 2 e 3 de abril de
1865.
Foram recolhidos casa de deteBcao ne dia !*
de marco :
A' ordem do Illro. Sr. Dr. ebefe de polica, Anto-
nio Joaquim da Siiveira, como desertor; e Manoel
Maria Monteiro, por infraeco do regulamento po-
licial.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Francisco,
escravo do Dr. Bernardo Pereira do Carino Jnior,
requerimento deste.
A' ordem do subdelegado do Recife, Severroo,
escravo de Ignacio Pereira do Valle, requeri-
mento deste.
Dia 2
A' ordem do IIIm. Sr. Dr. chele de polica, Igna-
cio Pedro da Silva, para correccao.
A' ordem do subdelegado do Recife,
Remesaas .
Aluguel de casa
Fornecimenlo .
luros.............
Despezas geraes.
Caixa..........
17:18o,i360
1:S75$000
5:000,3000
5:6084701
1:000&3
624:079*907
Res.... 4,125:3284211
PASSIVO.
Capital..........2,000:000$000
(Em circula-
Emissao< cao.....d,106:800
(Em caixa.. 93:200$
24:018$000
Segne-se a discussao do :
Art. 4. Directora geral.
S 1." Empreganos.............. 3:980$000
2. Expediente e aceio da casa 249$O0O
| 3." Diaria de 1$600 a um ser- 584^000
vente..............t............
4:813$0O0
Oram os Srs. Araujo Barros, Soares Brandad e
G. Campello.
Vem mesa e apelada a seguale emenda i.
t Incluida a gratificaco de 60$ mensaes a se-
cretario da reparticao.-S. R.Soares Brandao.
Encerrada a discnsso, approvado o artigo e
regeitada a emenda.
Entra finalmente ero discussao o :
Art. 5. Cyinnasio provincial:
1 Eropregados e preMeores, fkando suspen
so dentro do correte exercico o provimento da'
cadeira vaga de mathematicas, e de todas as outras
que vagar em, salvo o caso de indeclinavel necessi-
dade, no qual estas ultimas sero providas interi-
namente........................ 3640$tH
I 2. Aluguel de casa........... 2:000$000
g 3. Expediente movis, aceio da
casa e diaria do servente.......... 543$0W>
Io Mensaiidade' dos alumnos
pobres existentes............w..... 2:52O$OO0
5.* Musen, inclusive a gratifica-
gao de 400$000 a um conservador. 800$000
Oram os Srs.Silva Ramos e Campollo.
Vem a mesa e apoiada a seguinte emenda :
0 8 5. do art. 5 seja substituido do seguinte
modo :Museo, inclusive a gratifleacao de 800$ a
um conservador, 1:200$ Silva Ramos.
Reconhecendo-se nao bafrer easa e Sr. presiden-
te levanta a sessao s 3 horas e nm quarto, dando
para ordem do da seguinte : 1" parle1 eontlnnacao
da antecedente ; pareceres adiados, e requerimn-
tos; f* dos projectos ns. 18 deste anno e 97 do an-
no passado; 2' dos de nurnero 23, 21 e 25 deste
anno; 2* parte: t*discussao do ornamento trovin;
cial.
quim de Santa Anna, tarobem para correccao.
O chefe da sec$ao,
J. O. deesqwta.
Depsitos da direccao .
Letras por dinheito receido a
juros ..........................
Jos Joa- CoHm correte* simle..........
H
se 1 v
1:
mu
1,200:0004000
72:0O0$O00
54:3113500
161:73t>$38l
13i:688p;i35
Contas correales com juros .
Funda de reserva...... 119:102$3#9
>
>
S
>
00
o
OS
Masculino.
Frminino.
i
>
s.u
Masculino.
Feminino.
n
0 "
0 5
a
Masculino.
! i
11 1
Feminino.
I
Masculino.
mhS>-*<
] Feminino.
09 1.
i

a.
I
I
a.
Ttulos em coucao.....
Knowles & Foster, (le Londres.)
Francisco de Figueiredo & C, do
Ro de Janeiro................
Banco da Baha S/C ....
Saques........................
Massas fallidas cargo do Banco.
Dividendos........
Premies de saques e remessas. .
Descontos........................

83:7734301
io$270
3:0364000
i:i6:698$853
39:8694831
I:2i64<01
28:9874000
3434717
87:189*090
Res. 1,125:328,5214
Demonstracao da emisso.
3339 notas de valor de 200$000
4180 > > 100$000
2281 > > 50$000
667:8004000
4!8:000$0OO
111:2004000
Ris 1,200:0004000
H
>
RRIISTa DIARIA.
Estreou ante-honttm (domingo), em o nosso
Santa Isabel, o Sr. Comingio com a sua caixa har-
mnica de copos de.crysta .parece jncrivel tpjao I
crystal se preste i produtrr sons como acuelles
com que o Sr. Comingio sonbe electrisar o publico,
qne presuroso correa ao Santa Isabel a admirara ,
invenjao e o inventor.
Estado da caixa.
! Em ouro amoedado ....... 368:410$000
Em antas do Ibesouro de 10$000
emvores......... 13:910^000
i Era ditaa menores de 1Q$ 15:858$000
1 Em notas da caixa filial do Ban-
co do Brasil....... 126:640$000
I Em uolas do Nove
Banco de Per-
nambuco. sendo :
282 de 2004 56:400$
309 de 100$ 30:9004
1)8 da. 30$ 5:900$
2T Em i rata e cobre.
93:200$000
6:061$997
Ruis. 621:0794907
O guarda livros,
Francisco Joaquim Ptrtira PvUo.
PUBLK1CQES A PEDIDO
ADVERTENCIA.
Na totalldde dos doentes existem 1S5, sendo 103
bomens e 55 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias : .
As 6 3|4,6 1[2,6 314, 6 1|2, 6 1& 6 li2,7, pelo
Dr. Hamos.
As 9 Ii4, 8, 8, 8 3|4, 8 3|1, 9, pefo Dr. Sar-
ment.
Patialbas vermfuga de Keiup.
Todos os medicas qne especialmente se teem de'
dicado a cura das molestias das crianzas, asseve-
ram que as pastlibas vermfugas de Kerap o re-
medio o mal' excellento e eficaz qoe al boje tem
sido conhecido.
Acbam-se ellas excluidameate preparadas com
as abundancias "Vegelaes as ms salaiiferas. 0
ANSoclacSo Protectora das Fami-
lias dos Voluntarlos da Patria.
No dia 16 do Andante marco, liouve sessao dos
socios fundadores c socios votantes, na qual se pro-
cedeu a eleicao da directora, de conformidade cora
o que dispde os estatutos. Sabiram eleitos presi-
dente, Dr. Domingos de Souxa Leao; vice-presi-
dente, Joo da Silva Ramos ; Io secretario, Floriauo
Correa de Brilto; 2o dito, cooego Francisco Ro-
chad Pereira de Brftto Medeiros ; thesoureiro, ma-
jor Luz Jos Pereira SimOes.
At a data de hoje (30) foram recolhidas ao novo
banco, pertencentes associaco, cerca de 22:000$,
e outras quaniias ba ainda arrecadadas que breve-
mente loro o mesmo destino.
A importancia das mensalidades subscriptas at
ao presente anda por mais de dous contos.
Recite, 30 de marco de 1865.
Contlnuacao das pessoas que tem subscripto para
a Associafo Protectora das Familias dos Volunta-
rios da Patria.
537 Gabriel Soares Raposo da C-
mara, menralidade durante a guer-
ra........................1.....
538 Guiroaraes & Ol.veira, donativo.
559 Antonio Jos de Moraes Sarmen-
t, idem........................
560 Guilhermino Paes Brrelo Jnior,
idem...........................
361 Hermenegildo Marcelino de Mi-
randa, idem..............-......
562 Padre J. F. dos Sanios, idem...
363 Jos Soares de .\zovedo, idem...
361 Porfirio da Cunha Moreira Alves,
idem...................'-'.....
565 Joaquim Bernardo de Mendon.
ca idem.......................
56o Jos Francisco Lavra, idem
367 Joaquim de Souza Leao, idem..
568 Francisco de Salles da Costa
Martins, idem...................
569 Jos Antonio de Sant'Anna, idem
370 Gaspar Antonio Vieira Guiroa-
raes, principiando do diado embar-
que dos voluntarios at lindar a
5uerra, per raez..................
Antonio Epamiuondas de Mello,
raeusalidade durante a associaco.
572 Dr. Ignacio Firmo Xavier, por
mez, durante a guerra...........
373 Joaquim Jos de Abreu Jnior,
dona ti vo........................
, 374 Joaquim da Silva Reg, idem. .
575 Francisco de Paula Araojo, idem
576 Joaquim L'goliuo da Silva Fra-
goso, idem.....................
577 Guiilierme Bessone de Almeida,
idera...........................
578 Manoel da Cuaba Saldaoha, dem
579 Jos Joaquim Pereira de Olivei-
ra, idem.......................
580 Maaoul Felippe de Souza Leao,
idem....................-.....
581 Firmino Herculano Baptisu Ri-
beiro, por mez, durante a guerra..
382 Dr. Miguel Felippe de Souza Leao,
donativo......................
583 Jos Maximino Pereira Vianna,
idem...................-.......
584 Manoel Cavalcanti de Alhuquer-
que, idem....................
38o Dr. Felippe de Souza Leao, dem
386 Manoel Pereira do Nascimeato,
idem..........................
387 Joio de Azevedo Araojo Pinhei-
ro, idem........................
588 Mana das Neves Carneiro da Cu-
nha, idem......................
589 Manoel Francisco de Souza Leao,
idem.........................
Mensalidade durante a guerra......
590 Epamiuondas Vieira da Cunha,
donativo.....................
Mensalidade durante a guerra......
591 Manoel do N. Vieira da Cuaba,
donativo......................
Mensalidade dorante a guerra......
592 Padre Florencio Xavier Dias de
Albuquerque, donativo. -.........
Mensalidade durante a guerra......
593 Luiz Ferreira Bandeira de Mel-
lo, mensalidade durante a guerra.
591 Bernardino de Seua Salles, dona-
tivo..........................
Mensalidade durante a guerra......
595 Carlos Augusto de Barros Lima,
mensalidade durante a guerra.....
596 Roberto Gomes da Fraga, dona-
tivo...........................
597 Dr. Joo Garlos Augusto Caval-
canti Vellez, donativo............
Mensalidade durante a guerra......
598 Mariimano Jos Ribeiro Pessoa,
donativo........................
599 Ismael Gaudencio Fuado de
Mendonc.a, dem................
600 Padre Geouino Gomes Pereira,
dem..........................
Mensalidade dorante a guerra.......
601 Antonio Martins do Couto Vian-
na, donativo....................
602 Jos Domiagues de P. A., dona-
tivo....... ..................
603 Vicente Alves Ribeiro, donativo.
604 Francisco Leitao da Costa Ma-
chado, donativo..............--
605 Pedro Celestino de Souza Pimen-
tel, mensalidade duraole a guerra.
6.06 Joo Baptista Teixeira Cavalcan-
ti, donati vo.....................
607 Joao Baptista do AmaraJ, dona-
tivo...........................
608 Ildefonso Vieira da Cucha, dona-
tivo..........................
609 Francisco das Cbagas Cordeiro
Campos, donativo...............
610 Pedro Jo6 Montenegro, donativo
611 Antonio Fernandos Velloso da
Siiveira, donativo...............
612 Francisco Pereira de Arruda
Cmara, donativo................
613 Joao Vieira da Cunha, donativo.
614 Antonio Gomes Cordeiro de Mel-
lo, mensalidade durante a guerra.
615 J. L. C. de Albuquerque, dona-
24000-
54000
616 M. L. de Amorim Lima, menea-
lidade durante um anno.......... 54000
617 Augusto Duprat, dem......... 6$00O
618 Hermenegildo C. da Silva, idem. 34000
619 Joaquim Domingos da Cosa,
idem........................., 24000
610 Caed ido Angosto de Albuquer-
que Mello, idem................ 24O0O
521 Jos de Freitas Barbosa, idem... 14000
622 Joaquim Paulino M. Mua, idem 24000
623 Agrlcio R. de Araujo Lias idem 14000
624 Jos DomloguesGoncalves Lessa,
idem.......................11 14000
625 Francisco Lopes Machado, idem 1$00T>
6i6 Francisco Tranquilino de Almei-
da Bastos, dem..........-..... 2$00O
627 Manoel Odiloo de Luna Viraes,
idem........................ 11000
628 Lhomaz Rozend de Oliveira,
idam........................
629 Pedro Luiz de Oliveira, idem...
630 Beruardino Luiz Ferreira, dem
631 Luiz Pires, idem.............
632 FraoclscoLopes Guiraaraes.idem
633 Aureliano de Souza neis, idem
634 M. Macauhba, idqm...........
635 Maaoel Marques da Silva, idem
636 Augusto Carlos de Miranda Heu-
riques, idem .......":. ___
637 Gemlniano C Fernaades, iaeuv
638 Gn Araogi,*idem............
939 Jos Hyppolito Ferreira Castro,
idem.......................... 14000
\
154000
54000
IO40OO
24OOO
54000
10$000
104000
10$000
104000
504000
1:0004000
104000
IO4OOO
10$000
10$000
54000
104000
54000
54000
2$000
24000
54000
54000
50$000
24000
35$000
104000
54OOO
104000
14000
5$000
2005000
1004000
35000
100$000
104000
504000
104000
104000
24000
29OOO
164000
4000
54000
504000
10$00O
24000
34000
55000
104000
24000
104000
34000
24000
54000
2$000
IO4OOO
204000
50$000
54000
204000
104000
505000
504000

\



m*ri e rtrm*m%tn>9 *er*t ftfM /
^
W Jos Alvos, idem.............
e4l Amorim Urna, dem...........
(12 F. C da Silva Lobo, ida......
613 Mano.il J. da Silva, dem......
844 Francisco Antonio de Mefra Li-
ma, idem.....................
615 Augusto de Mal, dem.......
6i6 Jos Dias Villela, idem........
6.7 Antonio J->rge Mooleiro, idem..
68 Antonio Peana, idem.........
649 Meira Lima, idem.......r___
6-50 Joo Baplista 8odr, Idem.....
651 Manoel Capiluliao da ttendonca,
idem..........................
652 Manoel Gemenia da SHva. idem
653 Emilio do Amara!, idem.......
634 Antonio Jos LinsBandeira, idem
63o Eugenio Amorim, idem.......
636 Joao Caocio Cezario Pioto, idem
337 JarawX, idem.................
638 Manoel Jos de Saut'Anna Arau-
jo, por tiiez, durante a guerra....
639 Jos Genuino Ferreira, idem...
660 Antero Vieira da Cuuha, idem
661 Domingos Francisca de Souza,
idem...........................
6G2 Eduardo Morneg, donativo.
2*000 ra, seahar da engeueo Coyambuca, fei atacado de$
I400 la lerriveJ molestia InOaramitao cbronica do bacO
(saceos) e
2*000 ou stOaalta aaesraa envolva ootros padecimn4
3300 J tos eomo cMisaco, palidez, inapetencia, etc., ata
Durante lodo este terri vel estado, todos os re-
15000: cursos raedieinaes, que em taaa caaos se ucan, /
24000 ram abundantemente empregados, sera que fiesse
14W0 i parar a marcha lenta e destruidora de lo horri-
2J000 vel en/ermidade, e todos os nietos e estorbos fo-
24000 ram baldados, tanto que este mogo ja fui Euro-
34OOO P a neobum rosuludo obteve, no entanto o mal
14OOO resela ; e estando neste ponto se experimentou o
, xarope etherio de veame.
14000 P elTeto produzido por este estima vel remedio
14000 f<>> verdaderamente maravilloso e sem igual. Nao
14000 menos importante o xarope aleboolico, e as pilu-
14OOO las purgativas do mesmo veame, por gozar de
500 propmdades iminenlemente depurativas, appro-
140OO vadas por mdicos e pessoas desta provincia, e de
300 oulras curas radicalmente efectuadas, como es
(Contmuar-seha.)
THEATRO.
i crophulas, rheumatismo, escorbuto, enormidades
24OOO venreas e mercuriaes, chagas antigs e todos as
2400O molestias provenientes de um estado vicioso do
204100 sangue. N3o mpede os banhos fros do mar ou
i do rio.
Entre outros mullos Tactos um, ha pouco, acabo
de realisar-se bem Importante: um escravo do
Sr. coronel Pedro Cavalcanti Wanderley, proprie-
tario do engenho Japaranduba achava-se atacado
de anemia, ou frialdade; o cansava a ponto de
.. | nao poder carrear, urna s caixa das pilulas pur-
ifica- : cativas dp vehima n rociaK.ilnpiH!
1004000
5004000
.rn0^rVCo,mbra' d'8.no,eaJPreiario#do nosso ">ea- gativas de velame'o resiabeieceu.
dJSSS 4JadUf10 d esPetacu'9 ^a^ rativo, o traha.bo^o que s, realisou con, o dim
nambuco, que marcharem para o campo da guer-
ra, para por ella ser destruido como julgar con-
godo, 1,251 coaros com 33,258 libra
3,927 ditos veades com 184,835 libras.
Escuna hannoveriana Eitea, carregou para o
HodaPrOa osefBinte:
50 barricas coa 4JHO arnata e 4 libra* da
Su-ar atanco, a ditas m 8,1:16 arrobas IT
as de uto nuseavado.
EOJEDOBIA DB BNDAS INTEHXAS
GERAES DE PERNaMICO.
Rendimento do dia 1..........
idem do dia 3...............
Santa Casa de liaericara'ia
A Illm.' jnnta Administrativa da
Misericordia do Recite manda bxer poWico, que
precisa comprar a madeira abaixo declarada, e
convida as pessoas que a qoizerem forneeer, a
apresenlaram suae proponfaa em cartas fechadas
no da 6 da eorrente pelan 5 horas da tarde na sa-
la das scssSes da mesma jnnta".
15 duzias de taboas de soalho do madeir.v de
MQVIMETO DO PORTO
a segunda na sua concluso e entrega de-
va.
4.a Para ludo o que nao esiiver especificado as
praauAatr cfousnlas segair-se-ha o que determina
o raguhMBtMu de 9 de jofhav de 18i.
Confaraj.
A. f. da AasuaKiacao.
. **- O film. Sr. iaapettar da theeauriria provia-
ciat, em cumplimento da ordem do Exm. Sr. pre-
8814063, sitente da proyocia de JO do correte, manda fa- ,
1:077*98*, M'pubHce qne no da 14 de junho prximo'.vin- i0"' .com 'I2 Pa|nl9s liraPs de argnra e 27 de
--------------1 douro, perante a junta da fazenaa da mesma tire-, com^""-^D ?" ... ,u M
wuraria, se Hade arrematar, a qatm por manos:_- *?"""de' Mbo" d soa,n tfe madeira de
fuer, a obra da cadeia da cidade de Naxarelb. ava- *n,arel.to com 2 Pa'ras limpos- de largura e 28 de
liada em 18:0934900 rs. imem-
A arremalaco ser taita na forma da le pro-
vincial n. 343 de lo de maio de 1854, seb as clau-
sulas especiaos abaixo declaradas.
_As pessoas que se propozerem essa arremata-
9.10, comparegam na sala das sessoes da referida
juuta, no dia aewaa iadicade, pelo meio dia, e com-
1:9594047
Navios entrados no da 2.
Barcelooa e Malaga85 das do primeiro porto e
do segundo. 39, briaoe hespaahol Marta Rosa, .
de 220 tooelladas, capio Caetauo Bertrn, aqu- \ potentemente habituados.
gem 13, carga vinho e outros gneros ; a Amo- E para constar, se mandou publicar o presente
nm & Irmio. pelo jornal.
Bahia-4 dias, patacho hrasileino Sol, da 194 to- Seeretarin da thesonrania nrOTinciii de Per-
nelladas, capfto Rlcarto Nunes dos Res, equi-! namboc, 14 de marco de 1863.O secretario, A-
pagem 10, cargai9,300 arrobas de carnefe a Maia F- d'Anaunciagao.
& Espirito Santo. | Clausulas etpeciaes para a arrematajao.
New-York52 dias patacho inclez Althea, de 192 .** O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
capito Samuel E. Messenger, equi- [e't0 de conformidade eom a planta e ornamento
130 caibros da maiu de madeira de qualldade
com 35 palmos de comprimento.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia
Mec fe de abril de 185.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
do Recfe,! cm hcenea do inspector da alfaiidera empfeseo-
Santa Casa de! ca ds empregados da mesma repariljSo para o
im nonieado?, com assistencia do censal de S. M.
Hrrtannrcae por conla e risco de quenfperfeneer,
das fazendas aCima mencionadas parte dos salva-
das do refiwMlo brigue ex i sientas ao armazem d
baraodn Lirramonlo no ees 4o AboHo, sonde t
elfjciuar o leilo as 10 horas do dia cima difo.
tel de 2*0 carias com 150 m'm
e IUU quartos can aassas.
Qnarta-reira 5 do correle.
O agente Pestaa far leilao por conta de qoem
peneneer de 200 cantas, 150 melos e 100 quarios
oom passas de soperior qualidade e f erao vendi-
das em m ou mais leles a vontade dos comprado-
res : guaru-fcira 5 do crreme pelas 10 horas da.
manhaa no armazem do Annes.
do
veniente.
E' esta, por cerlo, urna aeco do Sr. Coimbra
que moitoo honra, e desde ja Itie asseguramos que
jamis ser entre nos esquecida.
O espectculo escolhilo, todo anlogo ao objec-
to, e rauito entusiasmar o publico que se desti-
nar a oacorrer para um flm to justo.
Sentimos que o nosso Santa ssabel seja acanha-
do, e que nao possa alargar suas paredes para
escravo sem precisar do xarope. Um meu escravo
de nome Jos, que o arrematei em basta publica,
que foi da finada D. Candida por 804000, por se
acbar com urna chaga em urna das coxas, e entre-
vado, com o xarope e pilulas de veame, se acba
bom, empregado como servente de pedreiro. Um
outro escravo qaecomprei ao Sr. Jeaquim GoncaJ-
ves Ferreira, que se acbava com escropbulas, fe-
ridas, palidez e cansando, com o mesmo xarope,
pilulas e banhos no rio de Una esta perfeitamente
bom, e tambera empregado em servlco de pedrei-
ro. Outros muitos factos desta ordem em pessoas
f^lmn^fr S. que !?v,.da deseJa te^munhar o verdade.ro enthusiasmo publico per- enumera-los, o que nao faco para nao se? prolixo.
Vndese estas preparacoes em minha botica,
nvbucano, como offertar o seu obulo, s familias
dos nossos patricios, que pela patria offendida vao
arriscar seos dias.
E quem ieinar de correr esta noite ao theatro
de Sauta Isabel T
Eia, mostremos em ludo nossos benficos seati-
menlos, tao proverbial entre nos, e j que nao
permiitido faxer parte dos nossos brtesos valentes
iemios, concorramos para pue suas familias sejara
amparadas durante setu valaraaoi feitos contra o
inimigo commum.
Ae Uieatro ao theairo !
l'ifido poco.
ra Direita n.
Jos da Rocha Parankos.
Para desraacarar oa embnsteires que tuda lallam
sem saber.
Pela primeira vara do JJIm. Sr. Dr. juiz munici-
pal propor Jos Bodrigues do Posso aegao de libel-
lo de nuliidade da arrsmatafao que ff-e o Sr. ba-
charel Joaquim Francisco de Miranda em 11 de
margo de 1862, foi ulgada nulla arremataco, o
Sr. bacharel embargou a sentenca, em 20 de ju-
nho de 1862 foram despresados os embargos, em
28 de junho de 1862 o Sr. hachare' appelloa da
sentenca para o tribunal da relaco: em 15 de
maio de 1863 venden a parte que tinh no arma
xem do Porte do Maito, era 26 de agosto de 1863
subi a appellaco, em 4 de junho de 1864 hypo-
tbecou o Sr. bacharel os bens de raiz, em 21 de
junho de 1864 foi por accordo confirmada a sen-
tenga aopellada, embargou o Sr. bacharel o transi-
to da sentenga na chancellara em '25 de junho de
1864 ; vendeu o Sr. bacharel os bens hvpothe.cados
(menos o sitio de Santa Auna que est' hypotheea-
do) em 10 de dezembro de 1864 ; foi desembarga-
da a sentenca em 10 de fevereiro do eorrente
anno.
Jos Rodrigues do Passo requereu aresto nos
bens do Sr. bacharel e procedeu-se nos bens de
raz, e foram depositados na forma da le; conti-
nuando-se com o aresto o Sr. bacharel em 28 do
fevereiro do crrente anno requereu ao Illm. Sr.
Dr. joiz municipal fazendo ver qne o arrematante
ontinoava ao eneommoda-lo com novas preten-
coes, quaodo ja eslavam arestados todos os seus
bens de raiz, que eram mais que suficientes para
garanta do arrematante ; adverte-se que os bens
-arestados sao os hypotheeados e vendidos, e igno-
ra-so se e Sr. bacfcarel tal poda fazer, assim como
se a eseriptura de hypotheca, e a da venda, a vista
do requenmeoio de 28 de fevereiro do correte
anno, assignado pelo Sr. bacharel, qual sera o ver-
dadeiro finalmente foi indeferido a requer ment
de 28 do fevereiro e proseguirn! os offlciaes com
o a resto em 24 cadeira?, 2 consol?, 1 mesa de
meio de sala, 1 sof,to somente os bens existentes,
e eseravos nome^dos pelo Sr. bacharel;certificaram
os offlciaes qne nao aresiarara prata e ouro por
ter o Sr. bacharel declarado que nao tinha 5 cerli-
ticaram mais que nao arrestaram as imagens que
estavam no oratorio qne se celebra o santo sacrifi-
cio da missa por ter o arestante assim determina-
do ; o arresto consta pelo canorio do Sr. esenvo
ilaptila, cujo aresto o Sr. bacharel pedio vista ja
a bastante lempo, e a inda nao foram para o car-
tono, existe neste aresto a copia da escripfura de
kypotiieca, e a da venda ; e o reqoerimenlo de 28
da fevereiro, assim como existe tambera acopia
tanto da eseriptura da hypotheca, como da venda
no cartorio do Sr. Peres.
Recife, 3 de abril de 1865.
Jas Rodrigues do Fasto.
Para a Illm. Sr. capito do aorta
C0MME1CI0.
Cai\a filial do banco do Brasil em
Pe ra ni buco.
A directora desta caixa saca sabr o banco do
Brasil no Uio de Janeiro e sobre a caixa Gliai do
mesmo banco na Babia.
Aovo banco de Pcrnani-
bacta.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cenfo ao anno al o prazo de seis mezee,
toma dinheiro a juros a praso nunca menor do
tres mezes, e saca sobre a praca da Bahia.
Vovo banco de Pernambuco.
O banco paga o 14 dividendo na razode84
por aeco.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1......___ 30:644*202
dem do dia 3 ............... 40:88397.
tonelladas
pagem 7, carga madeira
Johnston Pater & C
Rio Grande do Snl 20 dias
e outros gneros ; a
patacho brasilelro
junta, na iraportaaeia de 16:0934900 rs.
2." O arrematante ser obrigado a dar principio
. aos trafealeos as orneo de 30 dias, e concluidos
Bemfica, de 207 loneliadas, capitao Francisco o d Un anno, ambos a contar da dala da assig-
Paulino da Silva, equipagem 11, carga 9,600 ar- natura do contrato.
robas de carne; a Balthar & Oliveira. 3-* 0 ligamentos serSo feitos era 3 nrestacoes
NMMM entrados no da 3. I '<* correspondentes a cada terco da obra Anda.
Portos donorte-H da el horas do ultimo oot> <* Nao aera cm lempo alguaiaaandUtaqoelquer
to, vaporjnaciooal Peninunga, de 422 toneladas, reclamac^o par paxte do arremtame tenden-
equipagera23, commandante Francisco Jos da l* amdemnisacao, quaesquer que sejara as aiiesa-
Silva Rales. coes em qne se hajarn para esse flm, anda mes-
Macelo e portos intermediosM horas, vapor na- > Por prejuizos provados,
acoal Pwakyb* de 404 tenaladas, coainandao-1 5.a Par ludo o que nao esliver especificado as
te, L J. Maxtins. equtpagam 21- presentes clausulas, seguir-se-ba o que dipoe o r-
Rio Grande do Sul27 das, brigne brasilelro Fir- gulamento de 9 de Janeiro de 186't.
ma, de 175 toneladas, capillo Joao E. B. das Conforme.A F. d'Annuociacao.
Neves, equipagem 11, cama. 8,000 arrobas de
carne secca j a M. Barros & G,
Bahia4 dias, brigue nacional Tigre, de 163 tone-
ladas, capito Manoel Gomes de Oliveira Maga-1 _____
no, equipagem 11, carga 8,000arrobas de carne; |
a Balthar de Oliveira. aula
Navio saludos no uusma dia.
CorunhaBrigue bespanhol Aquilino, capko An-
tonio Garca, carga a mesma qu- trouxe de Mon-
tevideo.
Rio-Grande do SulPalhabole nacional Arroto
Hallo, capito Joaquim Jos Soares ; carga sal.
Liverpool-Barca ingleza Od Honesty, capito
John Yowng, carga algodao e outros gneros.
ParahybaPatacho inglez Billow Crist, capito
David Camm, em lastro.
THKITKO
DE
DECLBACOES.
do
Casa da Miserleordia
Recite.
A Illm* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico, que
no dia 6 do mez de abril prximo futuro, pelas 4
horas da tarde, na sala de suas sessoes, ir pra-
ca por lempo de 9 annos, contados do Io de julha
do eorrente anno a 30 de junho de 1874, as rendas
do armazem n. 21 publico e 58 particular da tra-
vessa da Madre de Dos, servinda de tee a rre-
S. ISABEL
EMPEEZA-COIMBRA
Terca-fcira 4 de abril de 1865,
Espactaenlo erlraordinsrio, cojo producto
pela empreza offrecidu a associaco protectora
das familias dos voluntarios da patria em Per-'
nambuco, para ser distribuido eomo julgar con- 1
veoleme.
O espectculo honrado pelo Exm. Sr. presidente |
da provincia, ser distribuido da maneira se-
gu ute :
Entre-acto patritico e canrtio popular
Os voluntarios da patria.
Segue-se a representado do exceflenle drama
em 3 actos, original brasileiro
0 SLDAIM) UTI3B
Lcilo de movis, eseravos e onlras
arligos de jost.
Quaiiafeira 5' do eorrente as 11 horas era ponlo-
em seu armazem a ra (Sem limite.]
Cordeiro Simrjes fara leHSo d-; diversos moris
como sRjam : camas francezas de aaiarello e ja-
caranda, mesa elasuca, guarda loueas, guarda rou-
pa, cnmraoda, santuario, machina de costura ca-
ma de ferro, 1 mobilia de amarello, eadeiras de
Jacaranda, ditas de faia, marquezas, cabidos, cli-
ces, garrafas, relotrios de ouro e prata e' curro
maitos objectos de gosto.
EscraA'as.
1 escrava crtoula de 20' annos com 1 cria.
1M 30 1 cosinha.
1 dita i 33 ,
Leilao de iUO saceos coai farello de
90 e i30 libras
Quintafeira G do eorrente.
Palmeira co de quem perieocer de 100 saceos com farello
de 90 e 130 libras cada urna em lotes a vontad
dos compradores : quinla-oira 6 do correnle no-
trapiche do Cunha.
Leilao de cerveja, raioteiga, baahar
biscoits, palitos pliosnliorieos, lau-
ca e dobnliees de ferro* salvados-
do brigue inglez Hete of tue Exe.
Quinta-Mra 6 de abril.
Por intervenco do ajenie Pinto.
No armazem do baro do Livramento cae* do
Apollo. O Difiri do dia designar a qnanlidade-
de cada genero.
Rio Grande do ul -Patacho nacional Brasil capi- ,,na,aS.5 ooflerecimen-o feito peloactuaJ rendeiro,
to Manoel Francisco Xavier Rangcl. carea car- Joa1uim aaricio Goncalves Rosa, constante das
vo de pedra.
Observacao.
Suspendeu do lamaro para New-York o patacho
inglez Continental, capito Roas, carga a mesma
qne Irouxe do Rio de Janeiro.
EDITAES.
clausulas especaes abaixo declaradas,e dependen-
do o eanlrato da apnrovago do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, de conformidade com o disposto
no % 7 do art. 52 do coanpromisso. Os preceden-
tes devem comparecer aeompanhados de seus Qa-
: dores, ou munidos de cuntas dentes.
I Clausulas especiaes.
_, Paaer no praso de tres mezes, eontados do
; dia em que principiar a vigorar o contrato, e sem
1 dispendio algnm dos cofres da Sania Casa, as se-
da thesouraria provin- *?MS* caer. oo*a, levantar as frentes,
71:5284187
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados cora fazendas... 90
com gneros 569
Volumes sabidos com fazendas.... 116
eom geeeros..... 118
-----650
234
as*tT*4D, marasr na
Mamagoaae, ven aennte #>WQ
patantanr ''', m*to a
verdade sa toma iadnaa de exwrer
onnaoea: teadoa _
do anefe, prafctaKa aar pwtarai a enncorpanea
dan ntmcnadjam de pane ao meanaai,
ta f-jai.aiirntiiaiailiwaaa t 1.
alanos peta cnpitanta wo poitov nina Tez qtTe mos-
trem exercerem a profissao de pescador ; tem isso
dado lugar a que o "tito ca[Ht" vi PjreiftTiintbi ao
iltaHo asstfjnaata,fatena jiai d -
I'hum qmajana,
aoa man fOML .
niasnao opon, Maia ote nanaiatana a
ijoriznoire, ase ata o sarrio da ma
l; lepeairo, sendo pnnitca ae naonnaneatas
: esanetr, a entretanto asto matricnladoa,
veradaires atmnaitidoras. E' deau
que a jusiipa exercida para serem llludidas as
boas inttncSes da cmara municipal, pela qoa cla-
mamos a attencao para quem competir, afim de que
sejam conhedans ai boas .saudades de tal senhor
capataz,
Recife, 24 de marco de 1065.
Jos Maria da Casta Bandeita.
Para %. Exe. o sr. presidente da
pro rela ver!!!
A abaixo assignada vendo no expediente do go-
verno da provincia de 24 de mareo prximo lindo,
um despacho de S. Exc. o Sr. presdante da pro-
vincia, mandando o Exm. commandante das armas
Informar acerca de urna peticao da abaixo assig-
nada, vem mullo solemnemente declarar ao Exm.
Sr. presidente da provincia, e comsaaodaule das
armas e a qnem interessar possa, que ella nada
requeren-a prestdenm da provincia, e que se at-
guem usou'do nome della para reqoerer algnma
cuza ou- ferico* de- reerataroenlo de Jozino di Sir-
va Accioly, urna perfeita falsidade irue nio deve
,pas?ar desapercebMI.
Para eviur porllle qtmftoer engar, e nao se-
ta ilmdida a le i, vera a msala abaixo assignada
irater ao conhecimento tas aniorldades e do pu-
tilieo o tarto wCTi|aiendOynn nope'sa^per-
eila |Uade,m teldoVo nnjsmo Jonno da 9lva
Accio% efHorJfcca!wdoT .coraga abaixo a-signada,
deixado a tres annos sua companhla a ponto de
morrer a lome se naaacbasse utnirmo que a soc-
c.irresse, nao,pode apr-eseatar-se agora requecen-
algnma the faz e que nao Irte pode fazer mal senao
no caso que obtenha a isenco ou dispensa que tao
i'rauduleniameoie se roquer em nome de quem ig-
d >ra e nao coneordarom senemanie pedido.
Jioclfe, t de abr de 4865.
Francelina Mana des Santos,
Cura espailOM e admiravcl de una inflammacao
laTMiea do baco oa saieait.
Um lilho do Sr. curonel Bernardo Jos da Cama-
Desarregam no dia 4 de abril de 1865.
Brigue inglez0onibacalho.
Escuna inglezaZampamercad iras.
Barca inglezaAn.*if/-farnha de trigo.
Barca ingl >zaMaybacalho.
Barca portugoezaCtawttna diversus gneros.
Galeota liollandeza EUznbeth carvo e canes de
ferro.
Paiacho ingle -Afeamerraaoria.
Brigue bespanholTraioio diversos gneros
Brigue nacional 'all* charque.
Sumaca nespanholaGuadalupeidem.
Barca inglezaD. Marta carvo.
Barca ingleza Scof dem.
ImportaeSo.
Patacho nacional Bemfiea, entrado do Rio Gran-
de do Sul consignado a Bailar & Oliveira, mani-
feslou o seguinte :
9,062 arrobas de charque, 60 couros vacenns, e
500 resteas de ceblas ; a ordem.
Escuna nacional Santa Rita, entrada da Bahia,
consignada a Tasso & Irmos, mani feslou o se-
guinte :
1,300 alqueires de farinha de mandioca.
Patacho nacional Sol, entrado da Bahia, consi-
signado a Maia & Espirite Santo manifestou o se-
guinte :
9,274 arrobas de charque, e 60 couros vaceuns ;
a ordem.
Vapor nacional Perstnunga, entrado dos portos
do norte, manifestou o segninle :
Do Aracaty.
8 saceos com 31 arrobas e 5 libras de algodao :
a Joao Antonio Estevas.
4 ditos com 14 arrobas e 24 libras de dito ; a
Aodrade & Reg.
24 ditos com IDO arrobas de cera de carnauba,
11 ditos com 57 arrobas e 30 libras de algodao ; a
Jos de S Leitio Jnior.
32 ditos com 12? arrobas e 5 fibras de algodao
a Francisco Gomes de Mallos Junor.
112 ditosom 725' arrobas e 27 libras de dito
a ordem.
Do Natal.
4o saacas com algodao; a l'isset-freres.
10 ditas dito ; a Y. P. da Costa Jnior.
Do'Cear.
10 saceos cera de carnauba ; a ordem:
Do AcaracU..
520 meios sola ; a Valle Porto di C.
4,122 meios de sola ; a Joao Jos de Carvalho
Moraes.
2,489 meios de sola, e 9 altanados curtidos ; a
Jo? de-S Lerto Jnior.
l,OSrmelos de sela ; a viuva Manoel Goncalves
da Silva.
210 meioi de sola ; a Antonio Alves de Moraes.
230 meras de sola; a ordem.
Da Granja.
1 eaixote com 2 arrobas de cera de abalha 1 a,
B. Francisco d Souza.
9 saceos com 29 arrobas de carnauba, 7 magos
com 90 courinhos de cabra, e 2 barricas cora 9
arrobas de cera de abetnn -, a Jos Rodrigues Bar-
reir.
DeMscau.
42 saceos com 120 arrobas 21 libra de car-
nauba ; a G. Soares R. da Cmara.
4 saceos com 16 arrobas e 26 libras de algode ;
Jos Joaquim da Silva Gomes.
t saceos com 88 arrobas e 9 libras de algodao,
O Illm. Sr. inspector .
cial era enmprimento da ordem do Exm. Sr. pre- Un.' d? djame como de delraz> avancando esta
sidente da provincia, de 16 do eorrente manda fa- nwi6 MIS m 0lt0 ?almos>fi tandoambas tres portas
zer publico que no dia 6 de abril prximo vindou- ^m- s0,0,ras a.portadas de pedra, substituir o la
ru, perante a junta da fazenda a mesma thosoura-
rta, se ha de arrematar a que per menos fizer as
reparos de que precisa o empedramento da estra-
a da
da de Apipnos, desde o tugar era frente
Trernpe at o Chora-Menino, avahados em rs.
3:0804-
A arremalaco ser eila na forma da le pro-
vincial n. 343 a 4 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparegam oa sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
eooipetentememe haorlrtadas.
E para constar se mandan pnbflcar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco, 20 de margo de 1865.
O secretar,
Antonta Ferreimda Annunciacjio.
Clausulas especiaes para a arremataco.
1.* As obras dos reparas ao empedrameolo ci-
ma menciaaadaa seria feims de conformidade com
o orcamento junto na importancia de 3:0804.
2-* O arrematante dar principio do prazo de lo
dias, e concluir uo de dous mecos, ambos conta-
dos da dala da arremalaco.
3.* O pagamento ser realisado em tres prsta-
seos iguaes, sendo a primeira quando tiver feito
urna terca parte da obra, a segunda quando tiver
feilo dous tercos, e a terceira e ultima quando ti-
ver concluido e entretrue defBnvameote.
4.* Para tudo mafs que nao estiver especificado
as presentes clausulas, seguir-se-ba o que deter-
mina o regulamento de 9 de julha de 186.
Conforme.
Antonio Ferreira da Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provin-
cial em comprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia da 4 do corrnata, manda fizer
publico que no dia 12 de abril prximo vidooro,
perante a junta da fazenda da mesma thesonrarie mordomoVsobre" negocios relativos*w7ltosesa-
drilbo por asphallo, fazer novo solio, coa sela de
tres jam-ilas na frente de detraz, mudar o ira veja
ment que esliver arroinaoo, podende servir-se
dos oitoes, que sao rommuos ao dito armazem, e
a outros predios da Saeta Casa.
2a Pagar durante o lempo do arrendamento a
qnantia aonuai de 5020, ujue actualmente paga o
rendeiro, Joaquim Mauricio Goncalves Rosa.
3* Por morte de arrematante gozaro os seos
herdeiros o tempe que fallar para completar os
nove annos, pudendo tanto aqueUe como estes so-
Mocar o arrendamento, dando previamente parte
junta, e pregando era qualquer dos casos llanca
idr-oea. *
4" Que somente no caso de venda do predio ser
a Santa Casa onrlgada a imlemnisar ao arrema-
tante on aos seus herdeiros da quantia proporcio-
nal a 2:7n0jem que foram oreadas as obras ci-
ma mencionadas, tendo em vista o lempo do ar-
rendamento que deixarem de gozar.
o> Que alem das obras descriptas 1 condigo
tica o arrematante obrigado, no acto de assignar o
respectivo termo, a entrar com o donativo da
quaniia de 5004 para e cofre dos orpbos.
Secretaria da >anta Casa da Misericordia do
Recife 31 de marco de 1865.
O escrivao.
F. A. CawaJcanti Cousseiro.
Santa Casa da Misericordia do
Nevife
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Rei-ife se faz publico que entrn nesta data de
mea no hospital Pedro V. o Dr. Antonio Maria de
FariaNeves, e que continuara igualmente de mes
na casa das expeslos e collegio de orpbos o Dr.
Antonio Herculano de Souza Bandeira, e no hos-
pital dos lasaros, collegio de orphas e hospicio de
alienados Antonio Jos Gomes do Correio. As
pessoas que pretendere fallar aos mencionados
ou
0 BRAVO DE MQNTE-CAZEROS.
Dar flm ao espectculo a comedia em 1 acto
BERTHA DE CASTIGO.
Os bilhetes acham-se a venda no eseriptorio do
theatro.
Principiar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
MavegaeSo eostelra por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac'.
No da 7 do correte segu as
5 horas da tarda o vapor M guape, commandante Mjura pa-
ra os portos indicados. A carga
ser rebebida at o dia 6. En-
commendas.passageiros e dinheiro a frele al 2
ntras da tarde do dia da sahida : eseriptorio
ue Forte do Mattos n. 1.
~ COMPAirmA~BaASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 4 do eorrente o va-
por Oynpoch; commandante An-
tonio Marcelino de Puntes Ribei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir' para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageirose engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-,
men las e dinheiro a Treta at o dia da sahida as a Porloal tratar de sua saude, levando em sua
2 horas -.agencia, ra da Crin n. 1, escritorio coraPaa*"a um "I ho menor, e deixando por seu
de AntMiio Luiz de Oliveira Azevedo & C. procuradores em I lunar Domingos J*se de Amo-
______________________________________ nm, em Antonio Alberto de Souza Aguiar, o
Para a Bahia pretende sahir em poneos dias
a escuna Ehza, por ter alguma carga tratada, e
para o resto que Ibe falta trata-socoro o consigna-
tario Joaquim Jos Goncalves Beltro, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do CorpoSanto n. 6, ar-
mazem.
Para o Porto segu com brevidade o brigue
Esperattea por ter a matar parte d seu carrega-
mente prumpto : para o reslo e passageiros tra-
ta-se com Cunha Irmias & C, na da Madre de
Dos n. 3, ou com o capltao na praca.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
Aos0;OO0s0O0e 3;n000O0.
Sabbado 8 de abril do eorrente anno< se-
extrahir a 2a parte da i lotera (M a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do
Amparo de Goianna, no consistorio da
igrejn de Nossa Seniora do Roario d*
freguezia de Santo Antonio.
Osbilbetes.meiose qaartosesto a Ten-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 10:0000000 at SO^OOO1
serao pagos unu hora depois da extraccio
atas4 horas da tarde, e os outros depoia
da distribnicodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente al a noite da vespera da extraccao
como de costume.
0 tbesoureiro,
_______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
D-se dinheiro a juros em pequeas qoan-
tias : na ma do Livramedto toja n. 36.
Francisco Jos Fernandes Pre3 retirase pa-
ra Portugal a tratar de sua saude, levando env
sua companhia sua sculiora e 7 filhos.
Joao Simoes Pimenta, subdito porluguez, vai
era 3 Antonio Martins Duarte.
Para o Para.
te ha de arrematar a quem por manos fizer os re
paros de que precisa a poniedeUaiaaaa, avallados
em 2:200*000. 1?
A arremataco ser feita na forma da le pro-
vincial n. 343 de 1S de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo decoradas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao comparecam na sata das sesadas da referida
junta, no da cima mencionado neto meio dia e
competentemente habilitabas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
baleciraenlos, podem dirigirse quanto ao primei-
ro thesouraria provincial das 9 as 3 horas da
larde,oa em seu sitio, na estrada de Joo de Bar-
ros, a oulra qualquer hora; quanto ao segundo
em sua residencia, na ra da Unio, ao noria do
canal; o quanto ao terceko em sua casa, na cida-
tle nova de Santo Amaro.
Secretaria, da Santa Casa da Misericordia do
Recife. 1 de abril de 186.
O escrivao,
F. A. Ca-valcaali Cousseiro.
Pela Inspectora de Pernambuco se faz publico.
Secretaria da th^varia provwiai de Pernam- que porta da alfaudaga, no dia 3 do correte
0 liba Sr. inspector oa thesouraria provio-
58 eouro* salgados, 10 mol nos com 100 counuhon.Jdar, em cumpnmento d odfera do Exm. Sr. pre-
1 caixan sapaios. ol saceos e 30 barricas com 3&3
arrobas e 1 libra de cera de cardauba, e 10 libra*
de peonas de emma ; a Tasso 4 Irmaos.
Vapor naciooai Parahtba, entrado dos portos do
Sul, manifestou o seguinte :
De Maefi.
38a eooros seceos com S76 arrobas e 20 librea;
a ardan.
Brigue nacional Firma, entrad dO'Rlo GaJie
db Snl, consignado, a Amorim & rmeos maufes
tan o se?nme
buco, 9 de marco de 186o.
O secretario,
Antonio Ferreira d*Annunciacio.
Clausulas especiaes para a" arremataco.
1* Os repasos da ponte de Goianna na importan-
cia de i:2005000 sero feitos de conformidade com
o respectivo orgament approvado pela presiden-
cia.
2" O arrematante *ar* comeen aos trabalhos no
prazo de 16 dna, e ae concluir bo da tres mezes,
canudos ambos aa forma dale
3* Os pagamentos serio fafos em dnas presta-
c5es e ignae?, a primeira quando estiver feita me-
tade da obra, o a segunda depois de eonetaidos to-
dos os trabainas.
V Na execiico dos t/ahalho* o arrematanle sa
gnir restrictaraeotc as mstrucooes do engenjieiro
encarregado da flscaTSsacao dos trabalhos.
8* O arreinatanea-rarlenraga a engenhaife-de
tonara madeira vaina travias ser o rasponsavei at que aflectue a dita
entrega. ,,_1^ ,* Da ordem do Dina Sr. inspector da thesou-
- 2_arTem>tale n5 rtaireio a indemnisa- Iaria da fazenda desta provincia, se faz puWicopa-
cao angnncti qaMqner_qnesejwarjBtureiada sme- T3 conaecimanto datados a circular do tribonaldo
gacan^nara esse flm fizar. atesouron. 7 de-13 de ferereiro prximo passad),
^. Conforme^ abaixo transcripta.
Antonio FerreiraTAnnunctatao. I Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco e 111 31 de marco de 1865. Servindo de
Otkal-naiar, Manoel Jos Plato.
Circular 9.
! secQao.Ministradas neaaciis da fazenda.
di mesma thesou- IVp de Janeiro em 13 i fevereiro do 1865.
1 hora da Urde, so ha de arrematar, livre de di-
reitos, o seguinte, vindo do Havre.no navio francs
Jean Baptisle va 26 de Janeiro ultuno, a. consigna-
gao de Monhard & C, e per este abandonado aos
respectivos direitos : urna caixa marca M & C,
n. 1933, cootendo trinta e seis dutias de carofiras
de cores, pesando 366 libras, avahados por 774773.
E para constar, passei o presente. Qaarta sc-
elo da alf ndega, de Pernambnco, t de abril de
1865.
O 4o escripturario
Jos ae Aulla Bittancmut Netva.
Terca foira, i do correle, logo que lindar a
audiencia do Sr. Dr. juiz municipal da i" vara, sera
arrematado, por ser a ulUrna praca, um skio no lu-
gar, das Corcuranas ero Ierras proprias, avahado
anr*:580a00, o qual ai praga aorexecnce do
tutor dos erpbaos, Bllios do finado Manoel da Silva
Barres, centra a -viuva e herdeiros de Joao- Rodn-
goes Pinheiro. Escrivao Santos.
vai seguir com muita brevidade o palhabote Pa-
rtiente,tem a maior parte da carga prompta, e
para o resto qne Ihe faita trata-se com o consigna-
tario Joaquim Jos ilongalves Beltro, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem.
Para o Para
pretende seguir com malta brevidade o veleiro
hiate Dous Amigos, tem dous tercos de seu carre-
gamento preaapto : para o resto que Ibe falta tra-
ta-se oom os seus consignatarios Antn Um de
Oliveira. Azevedo & C, no seu eseriptorio roa oa
Cruz n. I.______________________________
Para Lisboa
pretende seguir com muita brevidade a barca por-
tugoeza Henriqueta, tem parte de seu earregamen-
to a bordo : para o resto qne lhe falta e passagei-
ros, para os qoaes tem muilos coramodos, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo 4 C, no seu eseriptorio ra da Cruz
Damero 1.______________________________
Para o Hio de Janeiro
o veleiro brigne escuna NSo Sei,. pretende seguir
no lira da presente semana, tem parte do sen car-
regamenio engajado : para o resto que Jhe falta,
trau-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no sen escrlpierio ma
da Croa n. 1.
Domingos Jos
se para Portugal.
Regueira, Portuguez, retira-
GeorgeM. Reay, subdito britannlco, retira-se
para fra do Imperio".______
Eugenia Augusta Alves da Rocha, subdita por-
tugueza, retira-se para Portugal, levando em sua
rompaahu tres fllhas menores e seu irino Jos
Mana Alves Cardoso, e sua lia Candida Emilia da
Silva.____________________________
Tnomaz J. Harding retira-se para a Entapa
e deixa como seus procuradores em primeiro lo-
gar o Sr. Nicolao I larterv e em segundo o Sr. Ho-
ratins Jos Carinan.
Tnomaz J. Harding, gerente da rasa cont-
mercial de Adamstm. Howte 4 C, retira-se para
a Europa e deixa nesse Injrar o Sr. Horatins Joss
Canean, o qual aeha-se munido dos respectivos
poderes para exerce-lo durante a soa ausencia.
No dia 2 de correte perdeu-se do sitio do
Dr. Alcoferado at a entrada do Arralal, urna pul-
se Ira de ouro lavrado : quem a adiar teuba a
boudade de a entregar ou no eseriptorio da ra do
Crespo n. 2, ou era seu sitio no Caldeireiro, que
ser recompensado.
Porta
sidente da provincia de 16 do correte, manda fa-
cer publico qne no da 6 de abril prximo vindou
ro. perante a junta da eaenda
raria, se ba de arrematar a quem por menos fizer
os teparos deque precisa ponte do Rio Fexrnoso, nal do rbesouco,
Carlos Carneixo de Campos, presidente do tribu*
. il do thesouro nacional. cooimuQica aos senhores
servindo db Basa a esta arrematarn a quao'a de | inspectores das ihasourarias de fajendia, para a de-
78TiM00. ;vida inteJbn^nctt e execuco. ta o praso para,
A arroraatagao sera feita. na forma da lei por ,a subsiituicao das notas de 1005 da 3* esUmpade
B vincial o. ,'!'i3 de l de mar?o de SSi, e sob as qae trau a circular n. 46 de4dncvembro ultimo.
clausulas especiaes abaixo copiadas. deve terminar am 31 dk; maio de corrate anno,
As pessoas que se prapwarein ae>taeireaiala- prma^anii) 1-de jantiuca uianu desenlo
Segneeom brevidade para e porto cima indica-
do a murto velelra e bem cenhecda barca Glaudi-
na, por ter a maior parte do seu'carregaraento
pmmpto; para o resto e passageiros para o qne
lem excedentes oommodos, trau-se oom (uiha
Irmaos & C, na ru da Madre da Deas n 3, en eom
o capillo na prac^________________ '
Vende-se o brigne brasileiro Mrma, de 175
tonelladas, coustruecle. brailtema, carrega 10,000
arroba com. 16 palmos- d'agua, forrado de cobre,
apareihado prompto a navegar, com os forros e
amarra correspondentes: iraia-se cora os cou-
sigoauos iargo da Corno Sanio n. 6, segundo
andar.
Precisa-se de a caixeiro qne teoha pratica de
taberna e d fiador a sua conduela, da-se bom or-
denado : quem estivur nesU rircumstaatia va a
ra da Madre de Dos n. 38 que adiar com* quem
tratar.____________________
Quem precisar de algum sacerdote, para ce-
lebrar missas nos domingos e dias de guarda em
alguma capella, sita nesta capital on era sens su-
burbios, dirija-se a ra da Florentina zw M>, que*
achara eom quem tratar.
Na roa do Queimado, luja ni 20,i. precisa-se
de urna ama qa saiba cezinaar, preere-.-e es-
crava.
Precisa-se de urna ama para cana de pooea.
familia : a tratar no toeceo da Lingeeu n. 10, pri-
meiro andar.
*- 1 1 1
A pessoa que por engao latseou na matriz-
da Boa-Vista um chapeo com as Inkiaes A. <'.. S.,
dtrija-se a roa da Aurora n. 74, primeiro tjdar,
para desfaze' a troca.
ATTENCI10.
prafre8slVd na Trrria da Tef.
Carlos Carnelro de Campos.
raaaidattpubicar aprsente
de Pernara-
.8^U9arrobas de charque, 200 djta de sebo, em cao eompareijara na sata das sessoes da referida
pues, 163 ditas de dito em rama; 440 (fitas de gra- i00ia> no di cima menioiiB(e, pelo mio-dia, e
xa em bexigas e 69 couros vaceuns seceos; a or- competentemente habilitadas,
dem. E para coastir
Rxprtav"0. pelo jornal.
Brigue brasileiro. /ni, carregou .para Montevi- Secretarla da thesouraria provincial
do. o seguinte : i .7 1 buco, W de mareo de 1865.
750 barricas cora 5,38o arrobas e libras de| u O secretario,
assucar braaco, 200 ditas cora 1^47 arrobas a71 Antonio F. da Annunciacao.
libra de dito maseavado e 80 cseos-com ^.WO Clausulas especiaes para a arrematago.
Hedidas de agurdente. 1." Os reparos da ponte do rio Formse, serio FelicianoEleuterio do Horisonte BrasiUiro.
I Vapor inglez Saladm, carregou para Liverpool p feitos te conformidade com o oreamento na impor- Francisco Jos Germano.
seguinte: > >... tancia de 7874a8(). I Joao Bus son.
t f,at3 eteeos-eom 6,723 arrobas e 10 libras de '2.* As obras devero ser principiados no prazo *
algodao. I 'nfl a IR db 13 dias e concluidas no de 3 mezes, ambos con-
1 Galera franceza Amelin, carregou ara o Havre tidos da data da approvaijo da arremataco.
o seguinte : 3.' Os pagamentos serao n alisados em duas pres-
11,195 8ccas com 6,536 arrobas e l Iibr-.dte *l-; 4ic5es iguaes, a primeira qua#do-4Yr e _
1EIL0

Leilao de esoavos de ambos os sexos
IIO.I-E
O agente Pestaa legalment aurotlsado ven-
der' em leflO una escrava cora cria que lava de
Tavrela, engomma perflament e cosinha bem o
ai*. d,s cartas guras vimUs 4o norte pelo ^^^^^S'^t^S
vanor eosteiro iParahiia paraos enhorea.' 3 eccd|ontes ecravos pecas Joaquim Marcelih^
1 Paulo .todos criotilos, que sero vendidos terrea-fel-
abaixo declarados :
Antonio Jos da Eunba Gniraares.

ra 4 de abril as 11 horas da maoha no largo db
r.nrnn Santa.
Joo Pereira Rabello Braga.
Jos Nones de Oliveira.
Mnnsem i Vinassem.
Placido Pereira Pessoa.
Viuva r>iM Pereira 4 Avallar.


Corpo Santo
Leilao df fazeodas avaf iadas a saber
Madapoloee, algodoes, chitas, brins e
cobertores.
iioji;
O agonte Pinto far leilao a requeriraento dos
consignatarios do brigus inglez tHebe of lhe Ee*
O abaixo assignado, sabendo- qoe exieat nutra
pessoa de igual aome, assignan-se-ha de hoje ana
diante Francisco Jos Nunes Machado.
Francisco Jn Machadoi
am.
No dia 3u do marco fugiram do en^aelio. Soaaa.
na freguezia de Agoa-Pre!, os eseravos Saturaiao,
Arma e Hilario, todos csioulos: o primeiro com
chaga dirmica em urna per*, soepon-se lorem
seguido para t-staci Jad*, uade 'Kaai entapando*,
e sao conbecidos: roga-se s aut ndados poiMians
e a qualquer outra pessoa, de e-s a^preoeauer e os-
Jevnr a rila estrella d. Bbsavio. 2^, segando an-
dar, on ao referido engenho; que ser recompen-
sada : e protestare- conir qnem es guardar o*
deltes se servirem contra a -vontado de seu don*.
Aluga-si- mu moleune ie bomta Sgura, pata*
4o copero, e rauito fiel, i{u se garaale, sua con-
ducta; pao se davalando mesmo alagarla, para ou-
tro qualquer servico
numero 28.
a tratar na
ra do Aragao
.oh
Fugio desde 14 de mares prximo Ando da
hia da hta n. 8, leiceiro andar, a negra Bae
dicta, tem os stgnaes seguimos : nacao Angela,
alia, cor fula, tem falla de dent**-a frente, sig-
naes.de chistadas ja antigs na cunas, c.isiuma
embreagar-se ; Wvou vesiido escaro de palmas
brancas e chale encarnado, tem sido vista pela
casa Forte e Poco : recommenJase as autoridades
policiaes e capitaes de campo a sua aaprehensao.
lavem-pa a.ca*a cima dita, que sefli rototn-
pensado. 1 .


*,**Hfa*r********* *** 4 *** 4* **
MDANCA
ADMIRAVEL PECHINCHA
CHALES DE HE.1DA PllETOS
a 10#000 cada um,
cassas organdjs de cares a SOrs. o corado.
A' ra de Crespo numero 17,
e
LOJA DE
Jos Gomes Villar.
Saude dada a todo o mundo.
Pelos preciosos meJicameulos dos Srs. (riuiault
., pharmicfBtifos de S. A. I. o principe Na.
palean, M de la Feuillade 7 f m Pars.
Porque es Srs. mdicos c o publico usara de pre-
ferencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
mault 4 C, pharmaceulicos em Paris, com os quaes
elles tem sempre oblido as curas as mais extraor-
dinarias ?
l.o porque,esta casa sendo sera contradita a
mais importante de Paris, honrada com aclientella
de urna parte da corte, patenteada por S. A. I. o
principe Napoieao s vende productos de urna effl-
cacia reconbecida.
2. Porque esses medicamentos representara as
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
mica.
3." Perqu tem todos um gosto agradavel, satis-
fazem a Tista, e pdem ser administrados sem pe-
rijo, tanto s eriangas cerno s pessoas adultas.
i. Porque elles differem inteiramente desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por ln-
dnstriaes estranhos, tanto a medicina como a phar-
macia, dos quaes nao tem era a sclncia nem os
litles.
3." Porque estes medicamentos s se applicam a
um nevero limitado de doengas, e nao as curam
todas,como os remedios de que acabamos de fal-
lar ; erafim cada producto tem sua applicago par-
ticular.
Por isso pensamos prestar um servico a todo o
mundo, indicando aqui as importantes propieda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mauit & C.
sirope de ralfort lodado.
Enipregado com secesso certo em lugar do oleo
de ligado de bacalho, tno desagradavel, to diffl-
cil a digerir. E'o especifico e mais certo contra
as escrophulas, o lymphatismo, a moler das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rheu-
matismos, o escorbuto, as alTercoes da pe le, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregnm como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
lodosos casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lhe todos os principios vitaos que
perdeu, seja pelos excessos, pelas affecgijes lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
\sirope de quina vcrmelha fer-
roginoso.
Ou associaco dos dons poderosos remedios da
materia raediea que sao : o ferro nm dos princl-
paes elementos de nosso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excellenea.
Este delicioso medicamento agradavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admiravel as flores
brancas, dores de estomago, falta de appetile, po-
breza de sangue. Elle sobretudo til as senho-
ras e as mogas delicadas, para desenvolver e re
gularisar a menstuaco e suspender os effeltos
perniciosos das flores brancas, que sao a causa de
tantas doengas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das torgas e da saude para os doentes enraqueci-
dos pelo trabalho, os excessos, as a(Teec5es escro-
phulosas ou veBtreas.
As rais de familia acharo neste xarope um mer
dicamento sem igual, para fortificar e desenvolves
a systema osseo das criancas e os preservar da-
offeegoes escrophulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o pnmeiro lugar en-
tre as novas conquistas da sciencia, a pepsina pos-
sue com effeito a proprledade importante de fazer
do
GASA DA FORTOfli
Aos 10:00(W)00.
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaes.
fie mora va oa ra da lmpcratrz em casa do mmineire Poirier n. 55, px-
viee ao respeitavel publico e a todos os seus freguezes en particular, que
uudou sua officina para a un da matriz da Boa-YMa' n. 36, onde se ada
prompto para fazer o que compele a sua arte de fundidor e machinisla.
_________________

19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgi&o dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparares empregadas com muitas vanlagens, tem a hon-
llllhetes garantidos.
A' ba do Crespo n. 23 e casas do costdm.
O abaixo assignado vendeu nos seus multo feli-
7esbilhetes garantidos da loteria que se acaben
de.extrahir a beneficio da matrir de S. Jos do
Recife, os seguintes premios :
Dousquattosn. 8839 com a sorte 6:0005000.
l^tSA^ffitBfS ."df Par'ic,Par a? respeiUvel publico em geral e aos seus numerososclientesem par-
10*000. ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
Ospossoidorespodem vir receber seus respec- fisso, advertindo que trouxe um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
tivospreraios sem os descontos das leis na Gasa chou galvanisado, ouro; platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagera-
- 3- instrumentos novos, ferramenta moderna, cadeira de operacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manhS atao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nSotiver de ir em asas particulares.
Acham-se a venda os da 2' parte da i* loteria
beneficio das obras da igreja de N. S. do Am-
paro de Goianna, que se extrahir no dia 8 de
abril.
PRECO.
Rilhetes.....125000
Meios......65000
Quartos.....35000
Para as pessoas que compraren! de 100^000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......55500
Quartos.....25750
_______ _____Manokl Martins Fiuza.
Na ra Direita n. 78, refinago, precisase de
urna ama que cozinhe para nomem solteiro.
Joao da Silva Ramos, medico pela Un
| versidade de Coimbra, d consultas em
| sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
! das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
i em suas casas regularmente as horas
i para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
| quer ocoasio. D consultas aos pobres
; que o procurarera no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer'operago cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimenp j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conanca de que sem-
pre tem gozado.
Criado ou criada.
Precisa-se de urna pessoa livre ou escrava para
o sen ico de urna casa de familia : a tratar na ra
ilo Imperador n. 17, primelro an ar. defronte da
igreja de S. Francisco, das 11 horas da manhaa as
3 da larde.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante.___________________
O abaixo assignado responde ao Sr. Antonio Cal-
das da Silva, que sua declaracSo de Ihe ter cassa- mj|a,estribaria, cochura, quartos para feitore
do os poderes de urna procuracao que S. S. ronfe- escrav0S com D,'nho na n(,',t nnlnear do Poco
rio ao abaixo assignado, e por de mais intempes- da l'aaela nadaRio a trata? com Loir"
Uva, e s propria de quem quer que foi que ditou r ^fi L lassor-
semelhante dcclaraco, por quanto a dita procura- ""." roa do Aaorimajg._____________
cao sempre esteve a est era mo do advogado de Um rapaz brasileiro com pratica de caixei-
1S. S., existmdo nicamente em meu poder urna es- r offerece-se para ser empregado em loja de fa-
criptura de penhor, na quantia de 2755, e urna es-1 rendas, escriptorio ou outro qualquer estabeleci-
criptura de compra e venda de um escravo na monto, dando fiador a sua conducta : quem pre-
quantia de 1:100.-, e na mao de seu advogado um csar procure na fabrica datravessa do Carioca n.
saque na quantia de 4:0005, quantias estas, que na! -< caes do Ramos, ou aonuncie sua morada para
qualidade de procurador do Sr. Caldas promov a | ser procurado.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa do Joao Fernandes Vieira :
a tratar na rna da Senzala Nova a. 42.________
A luga-se
uroacasaacabada agora, com commodospara fa-
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas nm grande deposito di
productos chimicos utensis e os maisempregados
a usados ua pharmacia,pintura,photographia.tln-
tnrana, pyrotechinia(fogosdeartifleie) e em outras
iodustrlas.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamentenas principies drogaras deParis, Lon-
dres, Haraburgo, Anvers e Lisboa, podeoffereceer
productos de plena confianga e satsfazer qnalqner
encommenda a grosso trato e aretalbo, por presos
razoaveis.
Prvidos de machinas -appropriadas satisfar
compromplldao qualquer pedido Je tintas moidas
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nio fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado emlatasfechadas.
Tem grande collecco de vidros de dlfferente?
formatos, desda urna oitava at dezeseisongas de
capacidade; de vidros para vidragas e diamantes
para corta-Ios; depincels para fingir madeiracom
propriedadee ontros; de papis dourados epra-
teadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
paraembrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feito; de papel albuminadoe Brisul
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleograxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
clarificado, oleode oielet, secativode Harlim.ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias cores; timas vegetaes, inofensi-
vas proprlas para confeitarias; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne
roly, jasmim,bergamota, aspice, palchouly,mbar,
bouquct.limao, nlcaraiva, melissa, ortela pimenta.
lonro.cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero
anisda Russa, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
^__________________Gerente.______
SOCIEDADE
DOS
ARTISTAS MEGHANICOS E LIRERaES
DE
PERNAMBUCO.
Pela secretaria desta sociedade sao convidados
todos os senhores socios para virem assistir a ses-
so extraordinaria no dia 4 do corrente, as 7 horas
da tarde.
O Sr. Francisco de Paula Rodrigues, neg-
ciante na Macahiba, povoacao do Rio Grande do
Norte, tenha a bondade de declarar sua residen-
cia, ou ir na casa dos Srs. Alfredo & Mtheus, ra
da Cadeia n. 35, que muito se Ihe agrade era.
Precisase de urna ama que cosinhe e compre
na ra : a tratar na ra da Cruz n. 8, terceiro
andar.
0 GSTELLO DE GBASYILLE
Traduzido do frinrez por A. i. G. da Cror.
Vende-se este bello r(n anee (m qualr
tomos pelo baratissimo piteo de 2/1(0
oa praca da Independencia. livraria n\
6e8._________________
Coke do saz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonel ladas rs. lOOOO
Pitch 80^000
AlcatrJSo caada..... 400
O coke reconheeidamente o rarvao mais econ-
mico, torna-se por isso recoromendavtl, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatro, alm das appliracoes
diversas a que se prestam, como para callafeiar
embarcacoes, alcatroar madeiras, etc., teera este a
propriedade de preservar do cuplm. f-rmigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por cm
qualquer ponto da cidade, segundo a tontada do
comprador.
PASTILHAS
VERMFUGAS
ll
OE KEMP
f
Qnem livor e quizer vender um moleque ou
roulatinho de 10 a li annts, dirjase a ra do Im-
perador n. 46, que achara com quem tratar!
Engomma-se com perfeicao, aceio e
eommodo : na travessa da ra Bella n. 7.
prego
Precisa-se de urna ama que saiba engommar:
na rna da Palma n. 41, sobrado. _
Os credores de Jos Marques dos Santos
Aguiar 4 Filhos e do fallecido Jos Gongalves
Malveira. queiram mandar receber o primelro di-
videndo conforme a concordata, munidos dos res-
da Ca-
digerir os alimentos quasi sem soccorro do esto
mago, o remedio soberano das gaslrites, gastral- peclivos ttulos, em casa do garanle, ra
gias, das ioflammagoes do estomago, dos ligados e'6 n- *
dos intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas,
as pituites, o desgosto dos alimentos, e presta prin-
cipalmente um immenso servico as senhoras n'uma
poslglo ioleressante da qual supprime os vomites.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go oa nos intestinos, vero sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e conva-
lecenles o sustento de sua saude e o reparador de
suas forgas; porque com urna boa digesto sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de 9. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamento para curar a tosse. defloxo,
catarrho, grippa, irritagao do peito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa,etc.
Este delicioso, xarope popular .em toda a Franca
foi descokerto pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
Grimault t C., nicos propietarios da verdadeira
receita. Recommenda-se aos doentes que usem ao
mesmo tempo das deliciosas pastilkas peitoraes ao
sueco de alface de loureiro-cereja dos Srs. Gri-
mault & C, este excellente remedio composto
00m as duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais inoffenslvas da materia me-
dica, e nao contm opio.
lnjeceo e capsulas matlco.
Estes dous productos que constituem a mais re-
Vaccisa publica.
As possoas que precisare vaccinar-se deverao
comparecer no terreo da alfandega as quintas e
domingos das 8 as 10 horas da manhaa, para apro-
veitar-se a transmisso do Buido de braco a brago
Precisa-se de um criado forro eu escravo :
a tratar na ra da Madre de Dos n. 36, pnmeiro 1
audar, das 9 as 2 horas da tarde.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Precisa-se de um rapaz de 14 a 16 annos, ou
de nm homem de 30 ou 40 annos que saiba ler : a
tratar na ra da Concordia, das 3 horas em dlante
Ama.
Precisa se de urna arria para casa de pouca fami-
lia : a tratar na praca do Corpo San'o n. 17, ter-
ceiro andar.
Precisa-se de um bora cosinheiro :
de Franga ra do Trapiche n. 11.
no
Anda contiua por aiugar o soto do so-
brado n. 62 da rna da Guia, que equivale a um
terceiro andar por ter 2 janellas de frente, 2 salas,
6 quartos e urna grande cosinha, o qual acha-se
pintado de novo, e aluga-se barato : a tratar no
cente e a mais importante mediago para curar os i Pnmeiro andar com o seu proprietario o bacharel
corrimentos e as molestias veneraes do homem e i Francisco Luiz Correia de Andrade.
da mulher, sao exclusivamente vegetaes nao con-: Aluga-se urna preta escrava para todo ser
Um mercurio, e sao pteparados com as folhas do; vico de casa, sabendo bem engommar, cozinhsr e 'njo 14 demarco de 186S
BSta COnta- lavar mi Wlnilr airiil.cn 1 mi t \'ifrT A
cobranga de seus devedores ; e que at a data de
lioje nao recebi a commisso de 20 00 que me
compete. Declara e scientifica o abaixd assignado
aoSr. Antonio Caldas da Silva, que, assim como
S. S. teve a bondade de Ihe cassar poderes dessa
procurago, alias j linda pelonegocio td mao do
mesmo sen advogado; tambara o abaixo assigna-
do tem a delicadeza de Ibe pedir publicamente a
indemnisago de seu trabalho; na certeza de que,
quando nao seja satisfeito este pedido, immediata-
mente o chamar a juizo para o cumprimento de
seus deveres, o que j nao fez por attengo ao
mesmo advogado do Sr. Caldas.
___________Antonio Borges da Silveira Lobo.
Aluga-se o sitio que foi do Sr. Sebastio Peo-
na, na Capunga Velha, com boa casa, cocheira,
estribara, quarto para preto, tanque para banho,
latrina etc., e muitas fructeiras: a tratar na rna
do Imperador n. 46.
Precisa-se de urna ama para lavar, engom-
mar, coznhar e comprar : no neceo da Padre nu-
mero 14. 1
mwmmmmmmmw
Companbia fdelidade de segaros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonia Luiz de Olive ira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
99S de, tomam seguros de navios, mercado-
ftg rias e predios no sea escriptorio ra da
M Crnz n. 1.
. Ven era v el ordem terceira de Xossa
Sen hora do (armo.
Determinando o art. 10 dos actnaes estatutos
que sejam replanos estrandos a' ordem os novi-
gos que fallecerem, tendo completado o anno do no-
viciado e mais seis mezes de aviso sem haverem
feito as suas profissoes; e bavendo a mesa rege-
dora deliberado que os ditos seis mezes de aviso se
principlassem a contar da data do presente para
aquelles irmos, que, tendo feito i sua entrada
annos, ainda nao professaram : assim se faz cons-
tar afim de que jamis possam allegar ignorancia;
sendo que, lindo esse prazo, s serle admittdos a
proflssocom a mulla de 55000 por cada anno de-
corrido depois delle, como estabelecido no final
do art. 9 dos mesmos estatutos; sendo-lhes impos-
ta a pena do art. 10 no caso de fallecerem sem ha-
-----< j verem professado.
Secretaria da veneravel ordem terceira do Car-
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
rna da Senzala Nova n. 42 :' a tratar no armazem
do mesmo.
Sacase sobre Lisboa, Porto e Rio de Janeiro
no escriptorio de Carvalho & Nogueira, ra de
Apollo n. 20.
Aluga-se o sitio das Hangabeiras na cidade
de Olinda, ra do Bora-successo, junte a ladeira
do Monte : a tratar na ra Direita n. 69.
mmmmmwM
O bacharel Alvaro Caminha T. da Silva $M
tero seu esripterio de advocacia a' ra ^
do Imperador n. 41, pnmeiro andar, on- fH
de pode ser procurado das 10 as 3 horas. S
Em qualquer outra occasio sera' encon- B
irado na casa de sua residencia a mesma ^
ra n. 3, junto ao Gabinete Portuguez. S
hote'
matlco arvore do Pern. Nao ha molestia conta- j lavar : quem pretender dirija-se a ra da Matriz
giosa amiga ou recente que resista ao uso desses da Boa-Vista n. 54.
Precisase de
tica de ferragens :
um caxeiro com alguma pra-
na ra Nova, loja n. 31..
ra
dous meios. Sua rapidez de acgo superior a
tudo quaoto se tem feito at hoje. As capsulas
nunca cansam o estomago nem os intestinos como
as capsulas de eopahyba, cubeba e outras ; a in-
joccao nunca prodoz o estreitamento como aconte-
ce com as Injecgdes cora base metlica aconselha-
das at boje.
Todos estes productos vendera-se as princpaes
pharmacias do Brasil, gente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolel, em Pernam-1 vedores virem pagar quan'o antes seus dbitos,
buco, Caors & Barbosa, na ra da Crnz n. 28, na porque do contrario entregar as contas a sea pro-
Barcia, Lima 4 Irmaos ? em todas as boas phar- j curador para liquidar judicialmente sem excepcao
mafias do Brasil. .1 alguma : na ra da Florentina n. 14, ou na ra
Oeve-se exigir sempre assignatura Grimault da Cadeia do Re-ife n. 40.
.- >or uu ha falsilicaces perigosas. -A- ga .- "
Vender na boiiea fraaceza rrra do Imperador !n ~ Da"e ^^ a JuroHs socbr,J hypotheca em casa
3g nesta praca : na ra de Santa Rita n. 1 se dir
quem d.______________________________
Na padaria Iranceza da ra da lroperatnz n.
50, precisa-se de una pessoa forra ou escrava pa-
ra entregar pao e fazer algnm servico interno.
O secretario,
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Joao Simes Pimenta, constando-lhe que o
Sr. Domingos Gomes de Macedo pretende vender
a armago de sua taberna sita na ra de S. Bento
era Olinda, previne aos pretendentes que nao fa-
gam negocio sera que se enlendam com o annun-
ciante.______________________________
Ninguem contrate negocio algnm com a loja
de calcado da ra do Livramento n. 33, pertencen-
te ao Sr. Caetano Leonida da Cunta Gama, ou
Caetauo Lenidas da Gama Duarte, pois boje per-
tencea Francisco de Paula Pinto ; havendo algu-
ma pessoa que tambem se julgue com direito a
dita casa, haja de annunciar pelo mesmo jornal,
durante o praso de eito das, porque do contrario
perder este direito.
Na ra do Imperador n. 46, primeiro andar,
precisa-se de urna ama para coziohar, que seja
limpa e de bons costnmes._________________
Precisa-se aiugar nma ama que sibacoii-
nhar e para comprar, assim como outra que saiba
bem engommar e coser para urna casa de duas
pessoas: a trarar na ra da Imperatriz n. 34, pri
meiro andar.
G0MP11S.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fern ira & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
Na ra da Cruz n. 33
NOVA YORK.
DE COR CIIEIRO E SABOR AGRADAVE6
Infinitamente mais efficazes do que todos
os mais remedios perigosos e nauseabundos
que existem para a expuls5o das Icmbrigas.
Nao causam dores e produzem seu effeito
sem precisar logo depois de pingante ne~-
nhum e t3o incitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as cri?nris eslo
promptas a lomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrucces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme alguro,' as
pasturas veh.mifigas de Kmirs sao promp-
tas e infalliveis na sua 1 peraco e por todos
Brasil com descont razoavel.
Gompra-se ouro e prata em obras velhas, pa
ga-sebem: na loja de bilhetes da Praga dalnde- Nova York.
Cao de todos os paes de familias,
radas nicamente por Lanman &
Prepa-
endeudan. 22.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 4
Compra-se efectivamente ouro e prata em Barboza e Jo5o da C. Bravo & C.
onras velhas, pagando-se bem : na ra larga do-----------------------------------^
Rosario n. 24, loja de onrives._______________
Compra-sc um escravo cozinheiro que seja
mogo, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
11. 32 da ruada Aurora.
Attenco
Antonio Duarle Carneiro Vianna scieniifica ao
i respeitavel publico, e especialmente aos seus nu-
1 raerosos freguezes, que acaba de abrir um novo
estabelecimento na casa n. 22 da ra Nova, situa-
da entre o seu antigo armazem de ferragens e a sua
bem conhecida e popular loja da exposigao de can-
dieiros gaz, exisiindo entre as tres casas espa-
gosas communicages, de maneira que faciluam aos
Compra-se cobre, lalo e chumbo : no ar- compradores munirem-se commodamente dos ob-
mazem da bola araarela no oito da secretaria de jectos diversos de qu^nprecisarem. Alm do cos-
Compra-se cobre, broma e ferro cuado ve
Iho: na fundlgo da Aurora, em Santo Amaro.
Comprara-se libras sterlinas e descontam-se
notas do banco do Brasil e das caixas flliaes : na
praga da Independencia n. 22. ______ ._
Cobre, latfio e chumbo.
polica.
Comprase ouro, prata e pedras preciosas :
no arco da Conceigao do Hocife loja de ourives.
Compra se urna loja de fazendas na ra do
Qaeiraado, pagando-se vista, se coovier o nego-
cio : na ra do Brum n. 70, segundo andar, se
achara com quem tratar.
Compram-se
do Recife-lii, 281
25 deste anno : a traiar na loja de livros da ra
Estrella do Rosario n. 12.
A ttenqa
Ensina-se a lingoa franceza em tres mezes, por
um novo systema, e com mais facilidade de traba
Iho e estudo do que por todos os raelhodos em uso
at hoje : quem pretender maiores informares,
dirija-se a typographia econmica, ra do Crespo.
. Aluga-se urna sala do primeiro andar da casa
da ra do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.
Precisa-sede 2 itrabalhadores de padaria
na ra do Rangel n.-9.
Aluga-se o armazera o. 10 da roa das Flores, precisa-se aiugar urna escrava para todo o
propno para qualquer officina ou cocheira : quem servigo de urna casa de familia : na ra das Cru-
pretender dirija-se ra Nova, na loja de ferra- zes n. 9, segundo andar,
gens n. 31.
Ama
Precisase de urna ama
. para casa de pouca fa-
-- EsUndode presente aesta cidade Miguel No-i milia.qae cozinhe e faga compras: na rna da
t, socio da firma Norat Irmos, pede a seus de- Cadeia do ~
i Recife n. 38, primeiro andar.
n.
- Precisa-se ds um moleque de 14 a SO annos
pac 1 casa de pasto: a tratar na ra da Liogoeta
a.:S
- Precisase de um trabalhador para padaria:
cama larga do Rosario n. 16._______________
I Precisa-se aiugar nma escrava ou moleque
de 14.a 16 annos, que seja fiel para servigo de
roa t a tratar no largo do ehafariz
Brota 47.
Precisa-se de um mogo
ra do Rangel n. 9, padaria.
para caxeiro : na
Consnltorio uiedico-cirurgico oa rna larga do
Rosario 20.
O Dr. Jeo Ferrelra da Silva regressaado a sua
casa, contina em o exercicio de sua protissono
s na parte medica como tambem na cirurgica.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fondos para a es-
rua do Brum, fabrica de sabo.
Predisa-se de um caxeiro portoguez de 14
a 16: annos, que tenha pratica de taberna : na ron
do Brnw 47.
-4 No dia H de margo passado fui 10 di casa
de Jo> Pedro do Reg, na ra das Crozes n. 18, o
preu de aacao, de nome Camillo, que representa
ter < e 45 a 50 aaoos, alto, seco do corpo, falta de
dent
Ktlenqao.
es na frente, rosto en rugado, cor fula, levos
ve*t do camisa de rispado aznl e caiga da mesma
eor.
0121)09 rua do Apotio o, 35, escriptorio d Do-
STJ^G^JV^SSSFtS. ch5 rPno. com duas salas e dm qaartos, cox:!
e.Sn^ Cid,uba' e luinul murado com portao:
*!
na|
r.Kj
e rao, que ser recompensado.
can razia.
A uga-se urna pequea casa terrea a rua
do? aseen ten. H;a tratar na rua do Qoeij
gad)n. 32. loja. "________
~-" Sdalas de 24 e lt boas e prata, ha eropre
cono iiremio de I por OOPW na loja n, 24 da rna
o Qneimado. r^
Um pedido.
Pede-se a nm senhor o favor de ir ponte de
da"-rna dn I Ucnoa a entregar os documentos do importe de ama
. rD rroca, ou o dinheire que para esse flra receben;'
do contrario, tef de ver sea nome por extenso! Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respaita-
neste jornal. Te publico e a todos os senbores efficiaes doexer-
A T+a/r/\ 1 c'to <*mannna 1oe cntlna,a ter sua casa sor-
ALT"Q(,lO tida de fatendas e roapas ferias, e por medida : no
A loja de trastes na ruido Imperador n. 47 est -"go do Livramento n. 34.
bacharel Jos Baplista t i ti rana
advoga nos termos do Bonito e Garuar
Pode ser procurado na villa do Bonito, _
rna Direita n. 16, defronte da cadeia. U
mmmm inmn
A qnem interessr.
O abaixo assignado, con-senhor do engenho N'o-
i vo, da fregueza de Serinhem, declara que, que-
. rendo sua sogra, a Sra. D. Ignacia Mara do Sacra-
mento, arrendar a parte que tem em dito engenho.
Esievo Rodrigues Fontes precisando relirar-se' elle nao arreada a sua por negocio algum, pois que,
pora BuropJ a tratar fle sua saude, vende a sua ta- '< pelo direito que tem, quer nella trabalhar e lacrar :
berna sita no largo do Carmo n. 19, a qnal est' outrosim, que nao aatonsou a pessoa alguma a fa-
bastante afreguezada, tanto para o mato como para'" oegoeio com dita parte, e sealgaem apparec.6r,
praa serve para qualquer -principiante por ter de^8 Ia protesta, e declara que far valer sea di-
OMinoi fl#?s s < Pal*r travessa do Qaelma- reito. npPh J*0"0 i" de brir de 1665.
don. t, -' MwMno f) webeo tobe,
Precisase aiugar dous escravos: a tratar na tra(ia e rnargem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
ecapim para sustenta-lo, arvoredos defruc-
tos, sem, visinlio defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a festa e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livraria ns. 6 e 8 da pra-
ca da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capito Antonio Bernardo
Ferreira.
Escola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professora parti-
eularde inslrucgo primaria, competentemente aa-
torisada pela directora oa instruego pnblica,
abri sua aula na rna Direita n. 60, segando andar.
)S. dase urna negra e urna
ffertas sobre letras J. S. re-
Precisa-se de'
casa em hypotbeca
cebe esta typographia.
Na rua da Florentina o. 36, prepara-se co-
mida para fora pjr coatmodo prego.
liquidando por seu dono ter de fazer urna viagem i
a tratar de sua sade, e por isso tem resolvido
acabar vendendo os trastes, e lodos os mais. per-
tences do estabelecimento de marcmeria; quem
pretender e quizer aproveitar-se da occasio, liri-
quem o aprehender levc-o a mesma casa aci- i Z%\?*Z?i^\^ K? ^ZThI
. _-. jL .. >* iivli t I de seus valores; assun com de urna morada da
casa terrea na rua Imperial n, 272, de pedra e cal.
*JL!:
Que boa localidade
Est para alugar-se urna caga terrea na rua
da Gloria n. 14, um l*e i* andar de nm sobrade
na rna do Rosario da Bear Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros,cora arvoredos, agua de beber,e porlo
Sara o becco do Pombal : quem pretender falie
arnadasC.ruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
Samuel Power Johnston & Campanha
Rua da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moeadas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreiosde carro para nm'e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglet.
Arados americanos.
Machinas para (Jescarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
turnado e variado sortimento, que o respeitavel pu-
blico sempre eucootroo,e continua a encoairar np5
seusestabelecimentos, achara no que acaba de fran-
quear urna mullidc de bbjectos de luxo, gosto e
ulilidade, das mais afamadas fabricas de Franca,
Inglaterra e Allemanlia, para as quaes continuar
sempre a fazer encouimendas especaos ; e sendo,
como fastidioso numerar os muito e variados
de me-
e o fa-
zer, e convida ao mesmo publico, que venha vici-
ar os seus mencionados estabelecimenlos.
iraiar. winu i-, iu.-wuiu.--u uuniei^r os inuiio e va
o"s's7u7tes nmeros Tjrnal' ?Mis ,,e ""llana tapegaria, crisialaria, c
1 e 287 do anno passado ? 22 e ,aes bD0*> f| P"rce:.3..as, etc., etc., de.xa de
. 7.Pr P. rnnvirta mi iiIiMiiiI rm i upa un vi-rilv
- Compram-se dous ornamentes para celebrar ", Claudl ^beux vende 0S,sfDS '^'ee'-
missas, encarnado e branco e um todo rxo com 2tt**2!?ros' *??*S com" es,ao'
todos os seus pertences e que esteja em bom uso : ?n em Pe paradas, a vista doscomprado.es :
na casa do sacr.slo da ordem terceira de S. Fran- ** npl"0 Pr,aso,ou a d'nhp.,.ro' e veD^e
clsco muito era conta, contanto que realise a venda
Comprase urna escrava moga que lenba boa
conducta, e que saiba bera coznhar e engommar :
a tratar na rua de Apollo n. 32, segundo andar.
i i .. i
total.
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de &ahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
I??; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Instruccoes para o servico
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e arconrmodadasao
exercito brasileiro; obra que muilo convm
aquellas pessoas que se alistam nos co'rpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6e
8 d*-praca da Indi pendencia, a 1(5
PHOPKIO HAR i SENHOR A.
Vende-se um excellente cavallo muilo no-
vo e manso com todos os andares: na co-
clieia do Paulino, rua de Santo Amaro.
FABRICACE
PIQUIAS MACE i
PARA MARCAR
PAPIL; CONTAS 11 TRAS
K CARTOIS DE VZITAn-
PASCK SINITIS PARA CA
PARA LACRI 0BRKIA i-
-Na rua
Attenco
Veode-se superior vioho do Porto em caixas de
amaduzU : era casa de Johnston Pater & C. rua
doVigario n. 3.
-* Venderse um terreno na Capunga com 40
palmos de frente e 280 de fundo, plantado de la-
rangeras novas, tendo cacimba e duas frentes,
urna para a estrada do Larerda, e outra para nm
becco:- traiar na Capunga, venda dos Quatro
Cantfcm. 3o, de Jos de Almeida Ferreira._____
cerveJaaO rs.
Chegou aonrmazem Aiianc, rua do Imperador
n. 57 a superior cerveja lia.-s.ern barril, que se
venda a 300 rs. o copo.____________________
Cebo fas a 80* > rs
o cento : na raa larga do Rosario o. 30, esquina
para a rua estreita do Rosario.
Vend-se urna negrinhe pega, de 10 annoe,
moito sadia, por prego eommodo: no pateo da
matriz de Sauto Antraio n. 8.
Vende-se urna mulata cozinheira e lavadei*
ra: na rna Nova de Santa Rita, casa a. 5.
Algedo avariado a 38500 e 4sOOflT
Vende-se algodao avariado a 3J600 e i$ a peca,
fazenda de 9 e 104: na loja do Pavo, roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.______ i
Para a nova safra.
Urna excelleote machina de 20 sertas para des-
carogar algodao, est a venda pa rna Direita n.
PV padarta.
Francisco Jos Germano
RI'AXOVA X, ai.
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lmelos e binculo?, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Na rua da Cruz n. 38, em casa de Milis R^t-
tean & C, vende-se :
Cha.
Oleo de linhaga.
Folhas de Flandre.
Silins e silhdes ingleze-.
Cervja Aspioall.
Dita Dass.
Dita John Jeffres & C.
Um piano com pouco uso.
... ._..__.
Vendem-se fazendas salvadas do bngue in-
glez, na rua Direita n. 3 :
Pegas de chitas largas francezas a 7*000.
Dita para coberta a 700O.
Dita de algodosinho com 30 vara* a 6#000.
Dita de dito com 20 varas a 4|50O.
Dita, de dito com 20 varas a 4|000.
Cortes de lasinbaa -2*000.
PRELO"
de Lisboa.
vendem-se saceos com 90 libras de farelo, jielo
barato prego de 45500
numero 9.
na rua da Madre de Heos
Na rua estrella do Rosario n. 14, loja, vende-
se um relogio patente ingle?, 2 ditos horisoniaes,
1 dito patete snisso, 2 paras de brincos, 2 alfino-
ts, 2 medallas, 2 torrentes pari relogio, i abo-
toadura para cojlete, tudo de ouro, e 1 marco de 4
libras de bronze. Na mesma loja precisa-se fallar
ap Sr. Relarmiuo Firmino Bezerrt de MelM, oa a
pessoa de sua familia, para iDteresse do mesmo
senhor.

'-
; provincias e do banco do .s respeitos dignas de cenfiana e approva-


D arl *e PeVnbttc Vcrca felra 4fe**rU de **(>&

>
o
GERENTE
Ha para vender
Pinito, pinho, mais pink, niitt piuko,
picho, id da Praia, heje, ra Nova
de Santa hita n. 17.
78910 e 11 pollegedas de largura
De 10 a 3o palmos de comprido, cousa
: muitn boa e barala, e com todas as gros-
surss : cheguem ra Nova de Santa Rita
n. 17, serrara de Jos F. Coelho.
st
<
PASTlhASW'
ESTIVAS
OEPEPSINAl
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
A0
RESPEITAVEL PtBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da l-lga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por preces asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabeleciment seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm mancar, cora toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.
DE WASMAN
As paslilhas digestivas com a pepsina de Was-
man, emproga'o se com successo h j alguns
amios pelas celebridades medicacs de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as ineommodi-
dades em as quaes a digesUo difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel : eis o melhor
remedio para coral as
O
Dlarrbeaa e conl-
para* prodaxlriaa
pelas elakoraeca
dffertoesaa daa all-
mcato.
Delicadeza no trato.
Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
9'
6*
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tralamento, acbarSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha smpre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bera servido.
Aquelles que s pouco favorecidos da sorle far5o meosalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se llies vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assucax, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, celo seu proprio interesse, a esle estabelecmento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento cial, escolbido por pessoa entendida que certamente nitrito deve agradar aos seBhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, ncm se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO VISTA.*
CENEBRA de Hollanda garrafas, etc.. etc.
n
MANTEIGA ingleza e franceza de 400 a
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 60 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e,
diversos preeos.
P
PEFXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SEGCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 3iO rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
4
QUEMO do reino de 1,500 a
DEM londrino.
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
9
SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande]
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
GaRtralglaa.
Mapepalaa.
Embarara* gatrleoa.
A saalrttc.
Aa affeeedea orgni-
ca ala ratdmago.
Em todas as molestias empregSo-seamiudea
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente as paslilhas de Vichy. Esse meio i t
efficaz quando se trate de dispepsias de corta du-
racio, mas o prolongado uso das aguas e pastiUuu
de Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobrecen) o sangue e isso de tal
man eir que Ibes arreblhio a parte vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
transformado dos alimentos assimilhando-se
como ellos e ajudo taobcm como elles a nutricio
Seral. Sua accio vivifica o sangue e os rgos
e tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer as
affeccSes gstricas cima mencionadas sio nica-
mente fracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessito substancial alimento para for-
tificar se, achao no emprego das paslilhas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
chegar.
Avise importante. O successo das paslilhas
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
jcacoes e iinitacocs d'essc producto que os
O
<
2
PILl'US CATHAUflCA DE AYER.
Estas pilulas rejretae. ?ao a-
il.iptadas a todos os usos de um
^purgante as familias, c!s s
^pereilamente innocentes, e em
quanto militares de pessoas con-
fessam com gratidiio que foram
cliradiis por ellas de molestias

severas e perigosas:nao lia
um s-easo em que Laja su^pei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns (ios
attestados que temos de curas
notareis feitas ltimamente.
Um caso nota ve I de
DE
AZEVEDO a FLORES
Ruada oleia do Rccife, esquina dalMre de Dos,
Prestem atten$o ao discurso do Balo.
ti
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
koa preparacSo a pepsina que n'ella entra, jai
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que as paslilhas tenhio
as iniciaes B. P. e saiio da pharmaciaChevrier.
Depsitogeralem Pars, pharmaciaChevrier,
II, Fiubourg-Montmartre, e m todas as bou
pharmacias de Franca dos paizss estrangeiros.
of 2 3
|18i ;rfll
.AITeccao ehrouica do fijadu.
. Ii.lm. Sr.
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feilo uso das pillas- catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado" nao espera*
' do ; padecendo ba mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, coaa o uso
das pilulas posso lhe assegurnr que estou
bom, pois tendo desapparecido um grande
engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regio do figado e costas, dores ue
eabeca, ucharo do ventre, nao podendo
deitar-me senio do lado direito, isso mes-
mo procurando posiciio para Ic-r socgo, lu-
je me ado livre d'essc padecimento ; coreo
por aqui ainda as nao baja, eu como tenlio
este proprio que de casa, lhe rogo man-
VA*
o E a 3
o m 2 e g
!"5 5
2 g 1 ei's'S13
"2 s-? -3 s
g ALPISTE E PAINQO a l0 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AYELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada'a
3-PE.g
\ *i
I *
I &
n 2 o
-f's-ss
-3
BANHA de porco a 660 rs. a libra, em por-
cao faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ng'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURICAS muito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
araerican s, habannos, fluminenses, etc.,
de 1.400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a -
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama*
naos a
1
DOCES de todas as qualidades.

ERVILHAS seocas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta ?erdadeira a 800 rs. a
libra. a* ro
FARINHA de Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,( 00 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
-
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GENE Ma delaranja a 9 e 10,500 rs.

0 3
1 I
[
o
Moreantique superior a 2^500 o covado.
Grosdenaple de I #600, 1^800, 2-J e 3.
Baloes de 20, 25 e 30 arcos a 3e : d500.
dem para meninas de arcos e de morselina.
Cbales pretos de fil do ultimo gosto.
Laa preta para luto e de todas as n-ais cores.
dem com assento prelo e cor de caf, flores matizadas, fazenda imeirami-nie dar-me alguns vidfoT e"o c'ustoVnellie. sa-
nova vista se far o preco. ,osnn, tisfar, assim bem como do cliarope de
Vestidos a Mana Pa. os mais novos a 18^000. cereja) quc tive occasio de experimentar:
Cbitas largas de 300 rs. o covado a 500. ; em um ataque de guellas que uve urna
Lene/ s brancos a 2500, dem de esguiao ja embanhados. preta qiie com ene crei) faf0 uso ,re|)e5
Madapoles francezes proprios para-saias e camisas de senhoras a o60 rs. a va?a. Das tosses em mnna fam|a empre om
dem muito finos de 140 a 16#a peca. -1
Cambraias brancas muito finas a 5(5 a peca.
Chales escuros proprios para as senhoras trazerem por casa 4#.
Meias cruas inglezas a 85 a duzia.
IIOIPA FEITA.
Paletos de alpaka brancos muito finos a 40500 e 50.
dem de casemira de cores de 100, 110 e 120.
Calcas de casemira pretas e de cores de 70, 80, 100 e 120.
dem de brim branco de 40, 40500 e 50.
Colletes de casemira pretos e de cores de 40, 50 e 0.
dem brancos de brim e frutas de 20, 205OO e 30.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o preco,
dem peitos de linho, e de algodo de 20 a 50.
Seroulas de linho com duas costuras.
dem de esguio de algodo a 10600.
Colleirinbos de linho inglezes.
dem de papel de cores.
Camisas de flanell i de cores de 33 a 60.
Ha muitas outras fazendas que sevendem por precos muito barato?, tc-se
amostras com penhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do
as tosses em minha familia
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo s pi-
lulas pode montar a doze, porque tonlio
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g c
resultado ; sou bldoorojoandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERRKAi'F.RAit
ff3!5awa rt '
sfljt 18 E"i8s
&|?*!lS2efl
ego;3bay
lilt&tiifi
VINHO tinto de 360 a... garrafa.
VINHO tinto era ean*da de 2,560
VINHO branco era caada de 3,500 a
VINHO verde a 400 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.C0O, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs, a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero lia, constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de di ve: gas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE m pipa a 160, 200 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba. ,
FIGADO dfBACALHAU
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Roa do Qneimado i. 19.
Vene-se o sega inte:
Lences de panno de linho
pelo bara(issimopreo de 3400.
Lences de bramante de linho
Coberta de chita da India
pelo baralissimo preco de JJoOO.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibelra, a ti a duzia.
Pecas de bretanlia de rolo com 10 varas
propria para saia, a 34800.
Pecas de cambraia
para forro com- 8 lit varas a 260.
Guardanapos
de linbo anos duzia 35O0.
Algodo enfeslado
com 7 l|2 palmos de largara vara
Baleeira.
Vend-se urna baleeira espaeosa e bem cons-
truida, com os seas pertences : na roa da Crnr n.
13, primeiro- andar, para ver no trapiche do
Cunha.
P eo processo de Cherrier, pharmaceulico
Pars, ra do Faubourg Mon linar le 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
i mw sabor assucarado o nico que nao tem
| nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
jecto de numerosos relatnos scienlificos e
mdicos, este mdicamente que goza em
Franca de um successo to raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principaes mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DESINFECTA-
DO FEuitcGLtoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quando sao acorapanhadas de dcbili-
dade e atonta.
Deposito geral em Pernambuce ra da
Cruz o.22 em casa de Caros & Barboza

3 "2
VI
03
a o SS a>
co"g_ 0.ft> _,
a

I
1*200.
Cortes de lia
com 1S covados a 64.
Cambraia, adamascada
com 20 varas propria para cortinado pee Ilj|
Fil |de linho x '
liso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodo
com 8 palmos de largara vara 24200.
Atoalbado adamascado de linbo---------
cora 8 palmos de largura vara 34200. ~ -> *.
Uazinhas carmeiim miadlnar '
prppria para vestido de menina, covaio 60* r.
ajaZlDnlS ^
de cores finas covado 560 r?.| ^^
Faiendtt fa a qu*re?ma.
Grosdenaple, mol|s*H|0 e ricas capas fe gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrsrsalas.de 4, 8 e 6 pajmqsdf
largura, por menos preco do que em caira prel.
qaer parte.
Neste armazem de (aseadas '.te eBcotriri nm
S*" 2.0 CD

* 9 .

W5 O.-'
S "I 5
n o
** ~ i-i Q' Z
3
* 2
e-2.8
i

ce >
Superiores cortes de moirs preto com barra, oqne ba de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30500, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorguro de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem dem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500,10800, 20,20500, 30,
30500, 41, 40500 e 50.
Pannos pretos de soperbr qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas preles de fil e los pretos. *
E muitas outras fazendas de superior qualidade na leja dastolumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
MACHINAS bEPAUM
de traba!bar iro \pi
Rheiimalismo e ataques hemorrl]oilaf<.
Ili.m. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos) e soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al j pouco niivta, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sulte! a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; poim
lendo eu o almanack, do mesmo doutor,
comprei em sua casa nm vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sare do
ouvido, e mesmo dos ataques htmoifhoi-
daes: portanto so para mim as taes pilu-
as as melhores que tenho experimentado ;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigade,
O brigadeiro
Joo Ropmcpjb Pro dr Carvahc.
Caslriie.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de urna gastrjte
que soffria e que privava-me de andar <^er- -
tado, boje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino de Memo.



B
3
I
Colares oyer
ou Miares anodines elctricos esotra as eonvnlsoes
das mancas.
O bem e proveitoso resaltado que as rrianeas
obteui na deoticao. (razendo desses colares, ja
bem conhecido, e por isso se tornam Rdje indis-
pensaveis porque assim teem es pas incontesta-
velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambem na ra do Qneimado. loja d*agnia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Cootinua-se a vender em porga o e a retal ho :
na rna do Qneimado, loja d'aguia branca o. 8.
Bonitas trancas, franjas
e gal8 pretos para vestido?.
A agota branca receben novamente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trancas, fraojas, galves e bicos pretoF, etc.,
assim como botoes enfeitados de vidrilhos, e ou-
tres mnitos ent ites de diffreotes cores, conti
Nwj- nuando a airla branca na rna do Queimado n. 8
**r a vender lado isso por precos commodos.
trabalhar n
descaro^ar aIgo FABRICADAS
Por Plant Brothers & C..
OLDA
Estas macainai
podem descarocar
qualquer espcii
'de algodo sem
estragar o fie,
sendo bastante
duaspessoas para
o trabalho; pd*
df.-i-arocar urna
arroba de algo-
dio em caroco.)
em 40 minutos,
on 18 arrobai
por dia ou 5 ar-
robas de alfrodao
limpo.
a.
s
k
e?
O

grande sortimento delroapa feita e por medida.
r ...ii. "- 'i

Acham-se a venda o hyeonos dos voluntarios
da patria ds provincia de Pernimbnco, e o hymno
des voluntarios de Henriques de Prn?mbnco, e a
historia sagrada por Ro\moni, em um livro bem
encademado: na roa do imperador n. 15 efrsn-
tede8.Fr

*
vi s
MARA HA
Mara Pa
Mara Pa
Acaba de chegar pelo ultima vapor
Bonitas caixinhas?
e o m mi sica e sea. ella para costura, e outras
analmente lindas em perfumaras fipas. ;
A agUia branca na ra do Qneimado n. 8 acaba
I de receber um bom sortimento de' caixinhas par
costara, e ostras com nerfamarias fina, e contl
na a vende-las baratamente. ...
- >.. y

inglez nm
esplendido sortimento de enfeites de caneca a Ha
ria Pa, os quaes pela sua elegancia e bom gosto
de cada qnal o mais bonito nada deixam a desejar
sendo pretos, rosos, cor de bonina e,atu|sioho
seas preeos a 2J300, 3&4#,^,8* e 1W : na
leua do doto rlvaj ra do Que-hnado ig. c/
> ..
.. -.
Mobia de Jacaranda
Vender amamobilla de Jacaranda em meio
uso, IScadeira's'deamarllo em meto uso, [apier-
nas de vidro, mesas e eutros ebjectos que se vnT
dwo por preco commodo : a tratar na ra dos
Prazeres n. 4.

Por 80$!!
Vende-se para crucial de infamara da ruarda
nacional um fardo, um par de dragona*. barreti-
na e piorna, banda rica e el de.oaro, pelo barato
preco d'60 : a tratar na ra Nova n, 17, ou na
rna dos Prajeres n. i,

-
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodo
limpo, por diat *> motores para mover urna, duas,
eutr dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas para o que convida-.-e aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-le, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers k C.
M. II, pra^a do Corpo Saato
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
"RixaThaBbiifpe'Ss.
yende-se na .rna Nova n. 6L

Vende-se arroz cem casca alia sacca de
20 cuias : na roa Direita n. 60.
Precos que admira.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 21 de fevereiro de ISO4.
Sendo eu affectado do figado ha muiloi
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gragas a Deus por achar-me sio
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Yieip.a.
. .,|{, Mtenco.
i Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, en; latas de Jo li-
tras, para pintar casa,.relogios pira cima de me-
sa e psra pendnrar, arteros para I e 2 cavallos,
velas de spermacet,. ludo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos: no armazem da roa do
Trapiche n. 8.
<-
Vende-lis mimo meko bwm, chegado ba pon
co do Penedo a 55500 o alqueire (32 cuias) : no
caes do Ramo
os.n.
----
Oleo de Florida,
Composto de .substancias vegetaes exticas, elle
contribne poderoamenie, com a asna de Flo-
rL^jfMia a for.-a. belleza e a conservaco dos cabel-
: Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frasees nao rendo intacto e clare, e un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Depwrtc mi do Imnefdor pharmacia n, 3.
Sapaios de tranca superiores pelo barate preco
dula o par, e andiz 105 : no vigilante, rua-do
Crespn. 7._
Bico adamascado de todas as largaras, a peca
com 10 varas, cada pe$a a 400, 480, 00 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de nma e duas carreiras
perfeilas, pelo barato preeo de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a 15200,15600,
25.35,45 e 35.
. Balaios propmente para costura e para frac-"
tas, e para menina trazar no braco a 15500,15600.
15800, 25 e 25500.
Perfumara, maeac> perola a 25, 25200, 35 e
45 a duzia, oleo de mozinha a 55 e 65 a duzia,
banha a 35, 45 e 55 a duzia. Estes objectes se
venden) por admiraveis precos em consecuencia
de serem arrematados dos sa'l vados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a ponra avarta e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, ra do Crespos. 7.
.drogara. ~
31Rna! larga de Rosario34
BarlholoRicu Francisco deSouza k .
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnirlos a velludada?.
Tinta brancasnperior em lata.
AlvaiadeV-.-neza, fino, em paes.
O
AGUA
* DE
Fi orida
para resiabelecer e conservar acor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao nma tintara, faci es-
sencial. a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inofrensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido. ^u,
De urna salubridade incontestavel, a s Florida entretem a limpeza da caneca, dtslroe a*
caspas e empede os cabellos de cahir,
Cu us tipa cao, dores de cbeos.
Ouro-Preto, 28 de marco de 18(i4.
i Attesto que achando-me atacado de ums
forte constipado que trouxe-me dores por
todo o corpo e na caneca, soffri hornvtl-
mente por espaco de quatro dias; entilo
um amigo aconselhou-me que lomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas piilss
a todas as pessoas que forem affeeladas fie
constipacoes.
Agostinho Jos da Silva, negociante re Ja-
zendas.
Iriilaco do estomago.
Ouro-Preto, 9 de marco de 18( '.
Attesfto e juro, se necessario fr, qi;e. sr.f-
frendo:ha muito teinpo excessiva irrilaf
de estomago, pouco apetite e difficil l$es-
t5o, d'ella tenho experimenldo SUfiVtis
melhoras depois que tenho feilo uso das pu-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hebmogenes Pereira Hosjt.
Lemidgai.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1804.
As.pilulas do Dr. Ayer-(cathartic.is), lo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos que
soffria de vermes intestina*?, notando-sc
que os symptomas que entSo apresen'.ava
eram de molestia bastante perigosa,
FIaymundo Nonato de S. Thiago, pPain.}.-
ceulrco.
Nevrilgia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco Al\a- .
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dies
no hombro c as costas, tomei urna infint-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimem o qu tenho sol-
rido: ultinpmeBte tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, o es-
tou completamente reslabelccido; ba tres
dias que nao si-nto a mais leve dr no hom-
bro neja as costas.
Estas plalas abam-se venda as prir.-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e ho
Riq de Janeiro, ruaDiroitan. 45.
Vende-se em Pernambuco:
a pharmaela franceza dr
P.MAFER & C.
RA NOVA T. 18.
ILEGTVEL



J
Itrio *rtm*m+n?. ... Terca tetra 4 de Abril de 18S4
AURORA BRILHARTE
^GRANDES ARMAZENS
MOLHADOS
VIMOS
$ Largo da Santa*
gCruzns. 12 e 84,j
. ~. wesu'ua da roa do3
ESPECULES gcebo.
9 Largo da Santa
Cruz ns. 12e84,|
esquina da ra doj
... uono dos ja aullo acreditados armazens de molhados denominados Aurora
ruante, acaba de receber de sua propriaencoraraenda.rauitos gneros delicados
proprios da presente estacao, e tendo grande sortimento comprado aqui, alianca que to-
do a seus gneros sao de primeira qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores. r '
o ih ,enl'urn arma*wn vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
rimante, ja pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono seachar encom-
modado era sua saude e ter de vender um de seus arraaiens agora, e o outrona pr-
xima primavera, por isso deve-SB aproveitar urna quadra destas para se comprar
barato. '
CONSULTORIO NED1G0-GIBURG1G0

!
NEM COROAS.NEH MITRAS
DO
DR PEDRO DE AT1AHYDE LOBO HOSCOSO,
HGDICO, PARTEIRO 12 OPERADOR.
$ Ra da Gloria, casa do Fuadao 3
0 Dr. Lobo Moscoso 4 consultas gratuita asa pebres todos os lias das 7 s *
la manhia, das 6 e meias 8 horas da aoite, a excepto dos das santificado
Pharmacia especia i homeopat/ika

GRAVDE ARMAZEI
cal
Lita* com 8 libras de chouricas muito novas.
a 730.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mus de 12 qualidades, a 1&000, 1280 e
tjiOQ.
Ditas cora ostras, excelleate petiseo para fri-
gideira, a 720 rs.
Ditas com ervhas novas, ensopadas, a720rs.
Ditas com favas, a 6M> rs.
>Ditis com araeixas a 1*200, 1*800 e 3*300.
I Ditas com mirmclada do afamado fabricante
Abreu. a 880 rs.
.Ditas com massade tomate, a 300 rs.
i Ditas com figos de comadre, novos, a 15500,
U e 3*500.
(Ditas com bolachinha de soda muito novas, a
2*>00.
Ditas com biscoitinhos ingleze> de muitas qua-
lidades, a 1*100.
Chocolate.
i
-**

Chocolate superior nnrilo novo, a libra a
12i)0.
\I icarr.lo, talhariam e aletria amarella, a libra
a 43J rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caizas com Bstrolinha, pevide, e ouiras inas-
sas, a caixa 34300.
Ditas dita em libras a 610 rs.
Sa_', libra a 360 rs.
ievadinaa para sdpa a fibra, a Mi rs.
Rrvilrns seccaj, a libra a 160 rs.
'Jilas desriscadas, a libra a 200 rs.
1 Tipioca muito nova, a libra a 280 rs.
'imilia de aramia verdadeira, a libra a
300 rs.
Arroz d.) Maranho, etn sacco, a arroba a
2S100ea libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 3*200 e a li-
bra a 100 rs.
l'jucinh) de Lisboa a 9&50O a arroba e a 3JO
rs. a libra,
lito de Santos, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs.
VfilhM com 123 ceblas grandes, a 1S2SO.
distarla francaza, caita com 2 duzias a
8$000.
frascos com moslarda preparada em vinagre,
a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francesas, a
6 i!) e 800 rs.
)itos com sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.
liiloscoma verdadeira geaebra delaranja, a
' lO00.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira, a
640 rs.
Botija? cora dita proprla para negocio, a
400 rs.
larrafoes com 2 gales com dita, a 6*.
<.*r)Ssrveja bja, marea, a 390 rs. a garrafa, e a
ft Q dua a GjOOO.
v^ Vinho arscate! de Setubal, a garrafa a 1*.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 1S2D0.
Uha-npagoe, a duzia 20*000, e a garrafa a
2300.
Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
a 1*000.
laisa drf vnho Bordame muito superior, a
7*, 85, 95 e 10* a caa.
titas cora dito forneo, a 7* a caisa.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 235.
DHas cora duqae do Porto verdadeiro,"a
185000.
Sitas cora chamisso superior, a 14*.
Ditas cora Porto .volj e oulras muitas mar-
cas, a 123.
Vinhj do Porto da pipa, a garrafa a 640, TO
e 800 rs.
Uito de Ljsboa muito iiora, a caada a 33200,
33500 e 43, garra/A a m ti 560 r.
Dito da Figueira, das sezointes marcas fiY)
(1. A. A.) (J. L. 6.) (0. .) a caada a
43300, e a garrafa aiMOe 640 rs., deste
que^j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazom-
Oitos de marcas mais desconliecidas, a cana-
da a 33500 e 4*000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj minie superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3*500 ea garrafa a 480 rs.
(iomina.
Saecas de 4 arrobas, a verdadeira de *e<
engommar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
Farioha.
Saecas grandes com farinhade Goianna mu-^
lo nova, a 5*000.
Caf.
Gaf do Rio muito superior, a arroba a 8*,>
8*500 e 9*000.
Cb.
Cha, temos nestes gneros o mellior possivel,
hyson, a libra a 2*600.
Dito parola a 3*000.
Dito uxim a 2*700.
Dito hvson muito tino a 2*800.
Dito redondo a 28500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*>OU.
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600.
Erva mate,
mllenle cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermarrle.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, |
640 e 720 rs.
Caias de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4* e 2*500.
N07.es.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpista f patuco.
Alpistae painco, a arroba 4*000 e a libra a,
100 rs.
Carlas. '
Cartas finas para jogar. aduzi a 2*500.
Casal*.
Castanhas novas vindsest vapor, a arro-
I ba 4*000 e a libra a 200 rs. |
\ /. ei tonas.
i Barris cora azeitonas novas a 1*500.
Manleiga.
M^Qleiga supurior, a Ultra a l*Q00.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita fraoceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
660 rs.
DUa para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queiioe novos vlndos neste vapor a 3*200 ej
3*50.
Ditos londrinos muito novos, a libra
1*000.
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a 45800.
Dito diio Izo de linho, a resma a 4*300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
2*500.
Dito de embrrflbo, bora a 1* e 1*200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-}
deira a 1*500 e 2*000.
Temperos.
Folhas de louro, pimeota do reino, corainho
ecravo, alibraaWOrs. _
Vela* dr carnauba.
Massos com 6 veta* de carnauba refinada a'
480 rs.
jawtas.
Atnendoas com iw,ibfa a 3 rs.
Caii5es de dore domtoU, fraa*le**^O0
ipequenosa 610 rs.
Tijolos.4*
Jijlos de arear facaa & 140 ps.
Dtrziasde boio&4fm n. WiVMQ. e
de lata* a tOM tote* am rs. oa-,
da ura, e as taas a.|M n.
Charataa "
Charutos finos dos meftiores fabricantes da
Bahia por diverso*oreaos, caixa e nw
cixas
Ke mesmo consultorio ha smpr o mais appraytiavj sortinwnto de carteira?
tubos a?al!03, asaim como tinturas de varias dymnamisa^oes e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12A000
de 24 tubosgrandes. 18*000
de 36 tubosgrandes. 24*000
. de 48 tubosgrandes. 3O!IO0O
de 60 tubosgrandes. 35*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o patudo que se fizer, e com os remed
me *e pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia on?a 1 #000.
Sende para cima de custar5oos precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
LITROS.
A. mellior obra da homeoptica, o.Manual de Medicina Homcopathicodo Dr, Jabr
dons grandes votamesomdicoianario .....,,,.... 20*000
Medicina domesticado Dr. fteriug,........... 10*600
Repertoriods Or. Mello Morae............. 6*000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 3J000
Os remedios deste estabeleciment sao por demais oonhwdos e dispensam portan-
to de serum novaraent.e recommendados as pessoas que quizerem asar de remedios ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha todo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaTeispeta sua boa conservacao, tujturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mai'xaeta e aecuradapreparaco, e portanto a maior ener-
gas certeza em seus effeitos.
Casa de mude para escravos.
Manteiga iiigleza
da safra novavinda no ultimo vapor a l,ooo]
rs. alibra eem barril a 8o rs.
Manteista franceza
pa safra nova a 60 rs. alibra, e em barril
5f0>s.
Amendoas
ctufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2J400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezesa 500 rs. cadaum.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1*300.
Chocolates
de todas asqualidades a 10000 alibra.
Presuntos inglezes
Recebe-seescraves paratratr4e qualquer eufermidade ou fazer-se-Uie qualquer I dos melhoresfabricantes a 800rs., tambem
53
| S A
HIA DO IMPRAOOIIV.
Jiitt ae sebraitem fie mora Sr. Osbarae,
Ouarc Aiuieida A C. reeeberam de fu proprla ectcacn-
da o mala liad* e variad* sortimento de molhados, prcrivs
da presente estacSo.
eperaco, para que o annunciantejulga-sesufficieotemente habilitado.
Otratameoto o melbor peaaivel, tanto ea parte alimentar, como na medica, e
funccionan4o a casa a mais do quatre annos, ha maitas pessoas de cujo coocei se nao
p*e duvidar, que pdem ser consultados por aquellos qui doentes.
Paga-se 20000 por ra durante 60 dias e d*abi emijrante l^QO!,
As operares serlo previamente ajustadas, sa n3a se quwerem s^aitar ao* pregoa
tzoaveisquecosturaa pedir anweiante.
Laboratorio' enologioo e chimico d F. P. Lebeuf e C.
ra Honmartre, 8 i, em Paris.
Fabrica em Argenten!!, pre* Pars (Franca).
B0MFIG.\C\0 E F4BIIIC4(!\0
Djs viahos, mar de ates e lie res.
VINHOS.Imita^o dos viohos de todas as
quatidades.Eilraelo da Medae, adose para 230
litros, i f.*3,de Bordeas, i f.,f- d Poraard, 3
f.,-de.i$boa,4.,-do Catatan, 2 L-de Porto,
Xerez, -Mapcatel, Mlaga, de ^ra W ou 30 li-
tros, I f.
Substancia para fabricar eona o alaool e agua
os vinhos cima e todos os outres. A dose paral
506 litro*, SO f.
CLACIFICACO.Pos Ingieres, pus ios vinhos
da Nespanha, da Fraa$a, etc. A l*ra para 800
litros, 6 1.
GOLOftAQO.PorplrigtM sra colorear os
viohos brancos e vinhos claros. As dua libras
AfiUARDE.XTE8.Kssencia de ognac para dar
ai agurdenles urdioaras o sabor e o aroma de
cogas. A aerab paca lOO litros. 5 (.
K|sjfi||AUs!.\TtlO.-E3enciade kirsch e
e ttatto, ra os fazer coa aicool e agua. A
garrafa para 100 litros, ai f.
LICORES.ExtfaelQifara fabricar m lodos fls
licores anliecioos s^m foco uwn alambique, (o-
icar-s fs que se de.-eja.,) A dse para 20 ou o
litros, t-4.
PERPtiM3par tablear-fe os licores finos au
commuoarlse pr Vidu,23lros, 1 f. 39.
TQf>(tt05 outros pro9iKt< para o trabalto dos
vinhof,juariteatw, licores, Tiaafres, ele, s|p
fabrigados d* acwnmefida.
l'Tf:OIIJOS(delaboBUiino e dexhimica.
?ajanada |0S9V
para 300 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado eimiu-fp osmis prpar{oes, e
freguezes, devese exigir sobre as roMias e'tslntos as iniq^es F. V. L. i Pars,
0 mudo le nsar-9* das Repara?oes achjnw iaiaado no rotula.
As eneomoiindas dsvem sr aeompantiadas por umajtfnnofcre Paris ou qtfllgwr outra cid*
de de Franca, ou garantidas<>r no ca?a,inhecida.Diriaiit-seaBaSrs. Lebeuf $ C. <:himicos,1 riu
Moi)tmartra,n-3l, em Paris, ona,sua abrica om ArgenteuiLarefaris.
I.3C
Vende-se na botica franceza, ra do Imperador n.
; T"--------------"""
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultima vapor a 206oe.
i ueljoa
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
<|ueijA
londrino o mais fresco que se pede esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
endointeiio e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais oras que se pode esperar a 700 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixiohas ricamente douradas,
proprias para mimos i 900 e (#200.
Cha ixim
o melhor qne ae pode desejar, fue outro
qnalqaer nao pode vender por menos de
3(5 a 20000. r
dem perola
especial qaalidade a 2(70Q rs. a libra.
dem liysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
Mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletra a
480 rs. alibra.
(OtMt
omuito afamado cognacPalBrandj a LAm
rs. a garrafa e de entras muitas quaida-
desa l,ooo e 8oo rs. a garrafa
lapidados para agna a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
tbStn*'Jm e de "otras maltas qua-
Vgm de 2,2oo, a 4,500 a resma do me-
rs. a
Ihor.
*pel de botica
| de excellente qualidade a 20200 a resma.
grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.

IA1INBAS
X ll--Ena do CtaejB4o--N. 11
.f..


Superiores cortes de seda prela.eajw.fondas barras.
Suoenor seda facoon o que ha de melhor e mars gosto.
Moreantique or^tp ^pu^to bonito a 2^800, 3|5, 3*300 o 4* ?,cavado,
Completo s,ortlflento de grosdenaple preto de muitas quadades.
Panno orttos e eaaemiras d -itoJ qualiaaVs.
II iiirus, chales e los d* renda prolo spperiores.
Superiores peli,ssas ^sniitembarqnes de seda para s nli_ir:>s.
Uoiirousdi la.para seuhuras a t*
Chapeos e chapelinas de palh'a de ftalia par senhoras.
Cort-s de lia d farras de 145 a M5 de auito gosto
E muitas entras awndas da sapoflorQaaJjdada.na loja de Auji^tp, f rA?yco dos
Sautos Porta aonde tmbi(i6e vendem as nnjil^ires a mais baratas
Esteiras da India mjn brrar ^las.
>hJP. JXX> --** -QD^
4. 2j|00ft 4 SiCfiA.
Koijlo mulatinho novo a 12#, milbo a 4# : ha
ru; los Quartels n. 22. __________
~Veade-se paMo aml proprio futltadimen-
ierra :
junto a
efmado'iV.
. .
Vende-sa uperior
na ra da Madre
"mesma igreja.
f.;- ti !.; i
a variad o,
n; i'-' '
Pranoez barrio 5M0
Portland dem : 8*300
E|a perfeitn sudo.:
Francaa harrita "I
Portlaadrhe ni'-'H
Xo armazem de Tasso Irmos caes do Apollo.
I
i

F4BR1C BE CHPEOS DE SOL
. 9 3 liiii JSovA esquina di C'amboa do Cramo e rata 4o
Cabiig n. H.
A lirejtoria desse estabeJecimento o mais importante que existe oeste genero PAPE
as provincias do norte do imperio, querendo que o pnbJico Wa jwovina %om das; azul e pardo para embrulhode i nn a 2 ?no
vautagens que proporciona a fabricaco em grande eseaia edjnbl* reaco oo a* maisi
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveune a vtim' anra mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella:
Jtcstonto em iuzia.
m
40
/o
o a
/o
Chapeos de sol de panno a 2KMI0 .
armacSe de baleia.a 25500 .
de ceda armecH deaeo inglez de 20 porlegadas
U, de 24 S:?, de 28 S5500 e de 28 6$......
Chapeos de uol ingieres a balo It varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 poilegadas 8, de 26 9$. e de 28 105. 15 %
dem idem a balito de 16 varetas patent paragon de fox de 24
poilegadas H^, de 26 125, e de 28 134! ..... 15 /<
Alm de muitas outras cualidades de chapeos de sol queexstem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. la tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao tSo vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, cbicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caca, os quaes Tendem-se?ualmente em porc5o e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado tera sempre am descont razwel, aflm de poder reta-
lhar pelo preco que o esiabelecimecto retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia sero considerados como
a retalho.
rs. a resma.
Oorinthias
. ^ *umo
Vinagre
MR en acralas de 9 caadas
cada, urna.
Macas brancas
para sopa a melhor que se pede desejar,
macarrfio, tamarim e aleiria a 4tl rs. \
libra e 4^500 a caixa.
Vmlto
Figneira J A A e outras muitas marcas aae-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fari-
cautesda cidade do Porto a 1 e i/^oo
a garrafa e de 100 a 1U a cai*a, a j ar
cass5o as seguintes: Chamisse Filbo
F. 4 M-, Nctar ou viabo des Deiizes'
lagrimas do Douro eoutros muito.'.
Latas
com 10 libras de banfca a 400CO.
Bolachinha mghzn
a 15800 a barrica da mesma ene
vendem a 25000 e 25400.
^ Nozes
as mais novas do mercado a 12fr* .< vra.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mu
cas de 45600 a 5500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res eoutros em
meias caainhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da Jodia
a 80 r$. a libra, e 25500 a 30O0 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de I. e 2. sorte do Rio de Janeiro a 855f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
OarrafSes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 15000 tea
ogarrafao.
GENEBflA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 115006
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em fra^ueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a grozi
e 2o rs. cada cajxinha,
LICORES
finos de todas as quadades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e ontros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
..-
rs.
a 15,ooo es.
as
Chales de renda preta e bournus degaip preto^

A' laja da roa do Crespo n. 17,

.IOSK COMES VIIL IR
.. (
Cebo-Has
eXrrTo0mToad0a7'GOOr8-aca-
. Alpista e *aiuoo
CEBLAS
muitonovasa loon n-0n.
madon.7 rua>A?"ent0 ar<*do.Qae:.
godocJ^.^fflPfir* GRAO Of mrt)
Qun% sfs^ ar0IOfl- ft
n^ff m a Ittra a raa do
Vende a io, S05,30J:40i5,504^ 603, capas e ca$ae5es de gros pretos, ehapos
echapelinasde psltiaontras muitas faiendas proprias p^a'qaaresnia.
se Omms Villar'proteaOi*) ir4'Eropa tratar de sua satde aspara ^oe leis
devedores tanto do uto como desta praga saldem seas dbitos quaDio antes,

'Obf-Tfitl
GOMMA NOVAw
Em paeeiros muito alva a 4,ooors. a arreba e t6o rs. a libra e ompran-
dade. um paairo para cima se far abatimento -na>raa do Imperador-hfi'48j
C!lEfi\R\U OS MODfitNdS CHALES W
1M nm,

i
4
-
i tffl
" Stiperferes chafes de fil, preto chegados palo ulmovapor francas a*
loja das columnas r.uadOt'rofipo n. 13, da Antn Correia de Vasconael-
los & C. "'
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o
a libra.
ARROZ
Alaranha"o, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo r. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimetite.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9.3oo *
caixa e Uo rs. a libra. *
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 55 a caisa e 60 ri
a libra.
Passas noito novas
am quartos e inteiros a 25 o quarto e C5C0
a caixa a 400 rs. alibra,
Cnocolate
portuguez o mais especial que se rde de-
sejara80Ors.alibrael4Ors.
Frutas em calda
o pao.
outros muitos a 64os. a lata. ]
600ei5Bo^5rd,|OUti
. GOMMA MUITO NOVA
^ro^e'uo^1 6 ,larrobas a W a
roDaei40rs. a Hbra na roa do Coei-
' BLACHJNHAS
em te de defferentes quadades a 12CQ
*** dn0Sneste'ultimo vapor 3 2^00 na roa
iH0* woarnw n. 9 rx v"*""auo m ', ruade
declarara aos sena
Verdtd>,Pt Prtteipa raa da IaHgMw JO
,;,,, FARELLO DE LISBOA ,4

1
'a
s
"rTr"r7_r^"
*.'
*V ".! I'ILIIWI
-edo
;
DE
DE
9 4
**- VFGNES.
w* ** t~. ^PO IWPERJJI4WRI
rb. siie
? f> ttt! 1
: H
mi .
SiSSKiIh ^* f*Wa#o hoje assaz conhecidos aara que st> necassario insixttr sr,hm
,,is que elle tem deUn.hvametrte conquistado sqbre todos os que ).lH9iWca
raintfo.um. teclado emaeJiniBino aunes 'amar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feito ltimamente malhoranr
tissimo* para o clima deste pair; mn
v4s as ouvldos dos aar0iadoreS.
FU0M-M^.confartee as encemmeadas tanto nesta fttbrjca como na d.o $r. tondel, da Pas, sonto
rre**ond!ite de Vlgnes, em cajaeapftal foram sempre premiados ehllbdasas ex^sjStosT^ ^^
No mesmd AbeMchBMito se Mil sfflpre mn explendido e variado sortimento de msicas o
melhores autores da Europa, assim com) harmnicos e pianos harmnicos, sendo tuda vendido po-*
precs commodos e rawavais. *
',.
/


i
i
Diarto ale Peraltbate Terea tato 4 t Afcrll le ises.
'-*

i

Fazeadas preUs para a qu irtama Hr
por baratistUu areco, m laja e ar-
uiazeiu da Arara, ra 4a tapcrairiz
76.
Lourenco Pereira Mendes Gumaraes.
O propnetario deste estabeteclmeato retira-se
para a Europa a tratar de sua saade, porm antes
de retirar-se preteuda fuer urna ilquidagao de ba-
baratissirao prego para fechar coalas; agora fre-
guozos veuJe-se grosdenaples preto mullo bom
para vestidos, a 10600, 20 e 2oOO, dito de 5 pal-
mos de largo, a & : na ra da imperatriz loja da
Arara n. 56.
Ueurantlqae preto a 80.
Veaie-se inauraatiaue preto para vestido a 3 o
covado, grosdenapl amito largo e eaeorpado a 30,
20300, 20 e 10600 o covadu, alpaca pret para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, lia ptett para vestidos a
610 rs, bombizioa una para, venidas a i280 o
covado : ra da Imperalriz loja da Arara n. 56.
[Vicos vestidos a Marta Pa a lt>.
Veadem-se ricos vestidos a Mara Pia a 105,
120, 140,160: ruada Imperatriz loja da Arara
n. 36.
Arara vende pe$as e panninho a 5 ede
madaporao a 44.
Venlero-se pegas de panninne muito fino de 12-
jardas a 50, vendem-se pegas de madapolo infes-
tado a ije 45300, veadem-se pegas de madapolo
de 24 jardas bom a 65, 75, 75300, 85, 95, 105 a
125, veadem-se P6?*3 de algodosinho a 55, 65,
75, e 85 : ra da Imperalriz n. 5*.
Arara vende os bales a 2(5500.
Vendem-se baloes de arcos de todos os tamanbos
a 25300, 35, 30500 e 45 J raa da Imperatriz
n.36.
Lazinhas da Arara a 3i0rs. o coiado.,
Fazendat pretas para a qua~
resma.
Xa loja do Pavo.
Acha-se este estapelacinwnUieompletamente sor-
tido de fazeadas pretas propriaspara a qaaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muitissiroo encorpa-
do, oulros tnais estrenos tendo dos precos de
I528U, 13600,15S00, 25, 25400 e 35, superior
moreaatique preto a 35, superior sarja preta hes-
panhola, superior setira preto naco, ricas capas
pretas bordadas, soatembarques multo bem enfei-
tadas, ricas vasqulnas e casacas dos mais moder-
aos que tem viudo, superiores manteletes, camisi-
abas com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, ludo Isto se vende mais ba-
rato do que em outra qnalquer parte por ser a di-
obeira: aa loja do Pavo ra da Imperalriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavlo.
Acha-se nesteestabelecimento um grande sorti-
mento de roopas feitas para homem como sejam :
superiores pal&tots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 220, 955 e 305,
ditos forrados de alpaca a 145,160 e 205, supe-
riores palelots de qaseraira tanto saeces orno so-
brecasacos, ditos de meia oasemixa pretos c de co-
res, djtos de brim de todas as qualidades, colletes
le casemira pretos e de cores, velludos, selins
por nm
y. "

j I
AO PUBLICO
o menor constran-
ginento se estregara o
Importe do genero que
5o agradar.
,
flTTENQftO
Os precos da seguate
Cabella para todos, po-
deado asslm servir de ba-
se para o ajaste de eoatas
com os portadores.
ABMAZEM UNIO M
CIMENT
Francez barrica 5$
Portland barrica M
"00
5<0
No trapich- barao do Livramente a o caes
d'Apollo.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
Attenco.
Loureiro Sanios & C, acabara de receber da Eu-
ropa pelo vapor, am lindo sorlimento de enhiles
pretos, proprios para a qaaresma. enfeiies atada
nao vistos em Pernambueo, pelo prego de 55, 6,
105, 125 e 20$, bem como grosdenaples preto iu-
reantiq, capas de grosdcnapfes, e ftnnthaibartu<*
i do roeemo ; tudo por preeoa mdicos : a ra' uo
j Crespo n. 11, junto a loja de louga.
Fogo do ar.
Vende-se fogo do ar a 1*500 a duzia : na :ua
mperial n. 249.
I

e meninas a 350, 409 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cures a 400, 800 e 960 rs. o covado. cassas
fins para vestidos a 328; 369 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatris ? 36.
Chitas da Araraa,SAQ rs.. o cavado.
Veudem se chitas da cdrqs fl*as a 240 e 280 rs.
o covado, ditas rancezas finas a 320, 360, 400 e
300, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : ra dalmperatriz loja da Arara n. 99.
LiqoJdaco de soatanabaques o laazrnhas a
7, H e tO*.
Vendem-se soulamJMqnes dAtaazinhas para ae-
nhoras a 75, 35. ditadei alpaca bra,uca a 105, ditas
muito tinas degrosq>aajU preto a 205. 235 e 305,
capas pretas de grosdeoaple flno a 205, 255 e 305,
manteletes pretos de grosffenapre a 205 e 225, go-
liulias para sentiera a 240, 320 e 300 rs., mangui-
tos com gola a 15, caWha& paca aeohora, 25,
e 35, ditas amito tinas bqrdadas a 45300 : na loja
do baraleiro da Boa-vista ra da Imperalriz loja
da Arara n. 56.
Cortes dft ditas finas a 2^400.
V-iadiii-se cortes de dilas com 10 covados por
2540J, ditos de drta fraaceza a 35200, cortes de
cassa franceza tloom 11 coadas, por 35, ven-
dmn-se pe^is de .e#ail>raa orraca lisa a 35500,
45 JO J, 35333, 65 e 8 ru.a da Imperalriz n. 56.
Liquidado de roupas ffeitas palitos a 2&.
Veude:n-se palitos de bnra de cdr a 25, 25o9
35 nqu-itoes de brim pardo a 35 e 35500, palito
de casimira bem feito a 55, Ift 75,85 e 105, dir
los de auno preto bom. a 85 e 105, ditos sobrecar
sacos de casimira de cor e preta e de panuo a 125,
145,165 e 405 cal. Ae brup decer a 25 e 25500,
ditas branca* de liaba a 35500 e 45, ditas de car
siraira Je cdr 45, H e 85, pretas a 55, 65 e 85,
colletes de casimira de cor e preto, de brim de cor
a I5U0, braacos a 25 a -203..O, eeroulaa feitas-a
iSiSO, ditas flaas a i*0d o 25, camisas franca
zas a 25 e 25300, ditas nglezas de pregas largas a
35 d liuho a 35 35300, colerinhos econmicos
a 640 rs. duzia, ditos de liobo a 500 rs, um : oa
ra da lajporatria loja da-Araja n. 56.
Arra reode as cobertasi a 2jk
Yenlaw-se oberts de chita finas a 25. e. 25500,
dius de damasco a 45 : roa da Imperalriz n, 56.
E' na Arara que e vena cortes de casimira
preta. a 35.
Veaderta-se cortes de casimira preta para caiga a
35, 35300, 45300, 5 e 8ft ditos d cor a 35,
45500 e i : tua-da Iujaeratni n- 06.
Arara vende panno preto a 20.
Vende-se pwoo puMo para calca a palito a 25j
36 2S300, 4fl, k&M W ,0 covado, casimira pre-
ta liua a 2, 2*300 e 35 o covado e outras m4itas
fazeadas para liq.ujdar :-na loja e armazem da
Arara, raa da fnrperatrlz n. 56:_________________
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimen^ mais que tudo a promptidao e inlei-
mei'^wrI1<,0 t*8 8stas obras cor,adas VT dos reza com que sero tratados, coavida a uma visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar3o a protecgao e preferencia na com-1
quer pbra"po^med^d^nToa'df Pav^ruTda pra dos generes que precsarem, e quando nio powam virpoderaa mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, 1
impera'triz n. 60, de Gama & silva. pois serao to bem servidos como se viessem pessoalwente, paveado para com estes toda recommendatao, afim de que nlo v3o em |
Chitas m cenes com 10, 11 e 12 covadcs outra parte.
Na loja de Pavao vende-se urna grande por^ao
de cortes de hitos rqncozas sendo clarase esca-
ras todas de cores?, xas com 10 covados a 35200,
com 11 covados a 35600 e com 12 covados a 45,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama &.Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Camisinhas a 1$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
Vea lem-se Aiiahas pra vestidos de senhoras onito bem enfeiadas, proprias para senhoras a
jVuviaades
Xa nova loja de fazeadas e
roupa Mta nacional
Ra da.Iaiperalrz m. 72
Pecliificha
Cortes de ehltaa *^400
Veade-se cortea de chito com 10 covados a
*ji00 a 3S200,ditos de cassa a 35. ditos de laazi-
nhas para vestido a 35600 e 45, ditos finos de bar-
ras a Miria Pia a 126, i* W, rteos Motean-
baraues de lazioha em fantasa a 85. /Je 10^,
dito; te grosdtmaple pretos finos a 206, 225 e.2o6,
capas pretas de grosdenaule a 206, 236, e 2o6,
na ra da Imperatriz n. 72.
Pazendas prels para a quaresma.
Vndesegrosdeuaple prelo fino a 16600, 25, e
25330 o corado, paano fitt para calcas e palelots
a U. 35. 36300, 46503 e 56 o covado, casimira,
pn-to aa a 25, 26-50r a 35, alpaca preta para,
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs. sarjas de laa
paracaleas e patetots 640 e 890 re. o cavado.
Laainhas 30 a- 3S0 rs. o covado.
Voodt-se ttaztnSas para veslidos a 360, 400,
300, e 330 o covado. omtas finas para vestidos a
240 o 280. o covado, ditos frantezas unas a 320,
360 e 400 rs. o covado, capas francesas finas a
320, 360 e 400 rs. o cvab:-
Roupa feta.
Vende-se patetots dtfcdr e preto a 36, 66, 86 e
105, calcas pretas de casimira a 55, 66 e 86, cor-
las de collelas, a paletot de. hnm a 25,250O e
3# : na ra dalmperatriz n. 71
Madapolo entestado a 4J.
Vndese pe?as de" raadpolSa enfestado a 15,
dito em pana*a*o a 35, pecw de madapolo de^
jardas bom a.85,75 e 106, dilas do algodao a ai,
66, 7 e 85, comes de calcas de brim a 15600 e
25,ditos decasimiraprela a 35, 35300 45 a35 :
na rna da Imperalriz" i. 72. _______________
Promessas par&Santo Amaro.
Vendem-se pernas,-4ws; ifflibeeaa,. peitos, da-
dos, ps, maoa eosra^es, veJlas enfeiadas pa*a
baptisados, tudo da cera eito, cqox perfeieao por
comraodos precos: pa toja de cera da ra do Ll-
vramento n. 3C junte__fgreja-.____________
m

.
RA BOOtESPO
l.oja 9 A,
tem para vender bicoa da^urrai bos a fronhas do
ubynniho ,pioo rioav ',-.>.'
.ni 1 un >'' ...... "' .....
JOXFJBITARIA
dw aBitaie-,-^ da Crirs rdnfro f 6,
Contina a'tkr empadas, sapAHor pres.trote t
860 rs., di 4at mtUbn 15600, recebem-se w>
coomendiis d bsadejas de dotes, piiesHie-t sim-
ples e sofeUadoi, Jtts, para es qu,ae*,ba bonitos
afeitas, tarabm tea nuras em grupos aara bap-
tisadis e casament, prpara-sa lgaafoiente lata
eom oij rytolUMifl prftprlo para epottai', al-
baos do^Por e Figntira, otras qaaliaes, a su-
perior Bordeaux em garrafas glandes a 8QQ r.
Superior Jttrinh'te
-T6
mwmtooca.
Vende-se excfellente farinlia de, mapdioca a bor-
do do patacho nacional Parveen, atracado aa
trapiche bario do Livramento e na roa da Cruz
n. 23, prjmaiwaadar, escripiao de Antonio de
Aimeida Gomes.______________________________
Vcndfr'SC na raa dTPfala, d. 3i> t5U%
da Baha.
meninas, pelo barato preco de deztustOes cada
uma : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.60,
pe Gama 4 Silva. :
Corles de cassa a 99.
Vendem-se muito bonitos cortes de eassa, tendo
7 varas cada corto, con detentaos muito delicados
pelo bara,iissime preso de 36*-<0 o corte : so na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Gama
& Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Veadem-se pecas de eambraia lisa muito fina,
tapadae transparente, pelo baratissimo preco de
46 tendo 8 1|2 v^aras cada pega, ditas muito finas
a 76, 85 e 96 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo precede 76, 9$ e Inditas
Garrazes fazenda maito eneorpada fazenda pro-
aria para forro a 360 rs. a vara qu 26600 a pe-
ca : isto na loja do Pavo ra da Imnoialria o 60
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincha a 36500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de oambraia
transpanaata-a-imitacio de tarlataaa com rouitos
delicados desenos, mniio proprios para partidas e
passelos pelo baratissimo preco ne 3550cada um,
sendo fazenda que sempre se venden a 75, na loja
do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a ^ei 7
fja loja do Pavo vendem-se.ricqs.cortes de vesti-
dos Mara Pia, sendo bordados e cora barras,
pelo barato prco de 5 e 75, sendo fazenda qne
val multo mais dinheiro, isto por taaver grande
porgan, na loja do Pawio ruada Imperatriz n. 60,
de Gana 4 Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maiamodernosenfeilosparacabeca
de senhora: na loja do Pavo, ra dalmperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitos-cassas francezas, de
padroes mludinbos e grfidos, chegados pelo ulti-
mo vapor, palos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por haer grande, porcq : na loja do Pavo,
ra dalmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
is lazinhas transparentes a 400 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de listas miudinhas
i mitacao das sedinbas, pelo barate preco de 400
re. o covado; ditas en testadas da uma s er e
dilas de salplqaiohos proprias para vestidos a rou-
pas de enancas : na loja do Pavo ra da Impera-
lriz n. 60. de Gama.& Silva.
Ricos soulamarques de Pavo.
Acaba de chegar uro rico sorlimento de sou-
tambarques de grosdepaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
206,225, 255, 306. Capas a casacos de glace pre-
tos que se vendem muito era conta: na loja do Pa-
vo ra da Imperalriz n. 60, da Gama & Silva.
Aos vinto mil corados de lia.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitos lazinhas transparen-
tes, sendo com flstras e quadrinhos mindinhos, e
lisas, tendo da tedas as cores, asstm como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Mara Pia, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por muer nma grande
porcao : na ra da Imperalriz i. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mara pia,
Grande pecbineba a 10)9000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Mara
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zando os competentes enfeites para o carpo, tendo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baraissimo prego de 106 o cor-
te, ditos deprcala com lindas barras e enfeites,
com 10 covados cada um a 106, ditos de cambrala
eom barras bordadas a crox no ultimo gosio, pe-
lo barato preco de 65 na loja do. Pavo, ruada
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de liaho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
ranito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 re. o covado : oa loja.'do Pa-
vo, ra da Imperatriz n.*60, de Gama & Suva.
Laziuhas lisas.
Vendem-se as mais tinas laziahas de ama s
cor, rendo grande sortimento : na Tqja do Pavo
raa da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.'
Chales arjreattnos e renda.
-Chegaram ltimamente pata a loja do Pavao os
mais ricowdiales de' renda com tres postor, sendo
todas, pretos, e taraoemcom asientos de coros, sen-
do nesle artigo os mais ricos que tem vindo a este
mereido, ricamente bordados e cerctriados de nm
elegantebloo preto de mais.de palmo de largura;
estas modernissimosiabalB nao s sao proprios
para passeio por'fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, "ira como mujlo
proprios para os actos da qdaresma : vendem-se
eternamente na loja de Gama <& Sttva, ra da Im-
peralriz n. 60, loja do Pavao.
utambarquesdecor na loja
Chegaram pelo ultimo vapor francez qs raaisrV
cos -outambarques de eores, sendo as mais bem
etifeltados qne rera vtndo a este mercado, com
adornos da velludo, seda esetim, renda, etc.; s
avista o grande sortimento que os nregnetes
podem dar o verdadeiro aprego a esta fazenda, a
vende-se por differentes preeps. conforme a quali-
dade r na loja knperatrla 1. 0.
No armazem daviuvr Paula Lores, tWrir'. dfi
I embarque na csradinha, vfndem-se cebla.* ?s nc-
Inores do mercado, tmcaia e rento, o uai Lo-
i ralo possivel.
Maateiga ingleza especialmente escclliida a, Alelria, macarre e Hiarim a 4oo rs. a li-
l.ooo e 8co rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem ranceza a mais aova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou nietos.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo re. a libra.
dem hysson muito superior em latas de lo
libras mu i lo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de i e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pde-desejar neste ge-
uera a 2,ooo e 2,2oo rs a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se Caz abatimento.
Chpuricas e patos a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a fibra, serve
para temperar panelta ou para fiambre.
Queijos do reino chegadoeneste uUimo va-
por a ,2oo rs., ditos de navio de velia a
I 2,000 r,.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portogoezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs.a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o.rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhQl e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e.64o rs. a li-
bra e em caixa se Taz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das memores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vioho Bordeaux das marcas mais acreditar
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e 64o e Too ris. a gar-
rafa.
Genebra de Hottanda a 48o rs. a botija de>
conta certa.
Frasqueirasde genebra deHollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frascov
Cenebra de laranja verdadeira em frascos
' grandes a t.ooo e H,ooorsi a frasqueira.
Caf do Rio de l1 qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito1 superiora24o n. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a too
re a libra e 2,8oo a arroba-.-
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
br* e 6,ooo a caha.
Massa para sopa: estrenba, pevide e rodi-
iiha branca ou amanilla a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa coca 8 libras.
Visho do Porto muito fino proprio para
engarrafa^ em ancorelas de S caadas a
33,ooo rs.
Vinho era pifia Porto, Pigueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs a garrafa, e em caada
a 2,5o,ort 3,000. e 3j8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente. quali-
dade a 4oo e 3oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,o e 3,8oo.
Viahc branco para mise em caixas de I du-
zia a 8,00,0 e 68o rs. a garrafa.
Vinhp do Porto das. memores marcas, que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Raihba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Loiz I, Madei-
laSajM) Mahazia fina a 16,ooo, f6,ooo,
i2,poo e 1.0,000 a caixa com i duzia e 9oo,
1 ,ooo e l,5oo rss a garraa..
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,000
a uzia e l',5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de fiantes a loo' rs. os quartos
64o rs, a* maias lata.
Boiachinlias inglezas muito novas a u,ooo a
barrica e 320 rs,, a Ufera-
Bolachinllas de soda em latas de diversas
qualidades a t,3oors.
Cartesco bolo fratusetmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixmbas enfeitadas
para mimo a 3,ooo js,
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra;
Figos, de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca, mole a loo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, d fabrica de Mo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bra por2,3oors.
AB&eixa* franoezas em- fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a !&>.oo.
Ameixas fcanci zas em caixinhas de diversos
tamaiihes com bonitas estampas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
catla-uma. "
Azeitedoee nenado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e.2,9oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,."too a duzia.
Vassouras i de escova para esfregar casa a
loo rs.
Nozes. muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez- em garrafa de vidro comrolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza, dos memores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco,
a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-; Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra e 4,ooo a! Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de uma libra e 56o rs. a reta*- MT garrafire fl,ooo a duzia.
1 h o. Palitos, ile dente alio rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tamjia
do mesmo, a 5oo rs.
Qerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,Soo> 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Gavadmha da FFanca muito nova, a 2oo rs.
Gharotos do aflamado fabsicaate Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Erposicao Normal de Huvana, Imperiaes,
Loadrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
picoa Delichw, a 4>oao, 4,5eo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, inrervatfcs, Vencedores,
Paaatettas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa. *
o gnac inglez das melhores marcas, a.Soo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Fariolia de araruia verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
SeboHas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oosohas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e8,5oo a arroba.
Banba de porco refinada a 56o rs. a fibra..
Bolacainha Alberto, as memores qne pre-
sentemente tem vindoao mercado^ a 2,ooo
a lata.
Earinhado Maranhao muito alva e ebeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com finetas em calda dfe diversas
qualidades a 2,5oo e *,5co o frasco.
Caixinhas com (rucias em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oq cada uma.
Ruibos, excellente peixe portnguez, em
barris pequeos ou a retalbo, a vista se
far o preco.
Azei tonas de Rivas em ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8qo rs.. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l.,5oo cada uma aneoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,000 o gigo.
Gomma de eng(mmar muito alva a )2o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma. '
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em, calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Fazcnas batutas
Ko arniazem que foi de Joat.u m Frurrii de
Altm, larpoda A^finlila n. 1. vrr.dcir te rimas
francezas. alpodoarosso, tslipa Ursa t lircs du
rhita, ludo p nnf nria de m arha'rpm molhaoV's d'yna salgada.
VeDdDj-.ejir(i? vidi?dos vJr.dc.o df Hrse
Iha, proprios para agua, faririha, e menro para
deposite de dore de calda : na roa do Traiulm
Novo n. 24, afilar cun qutm traiar.
-T- Ni> fcnptMio e BajuwrBa A Bfiaut, i-ife
doCorpo Sanio d. 4, vende-i-e o i({,uiiiU- :
Farello de Lisboa em sarcos fraudes.
Toros p Jacaranda.
Conservas inplfzas rn. frasros modernes.
Vinba do Porto tino tai hitnts.
Sement tm laias de 1 lilia n.uo tujirior.
Chocolate esperral iraianhcnu.
Farinha de mandioca da lialna muio ip\ i.
saceos de 2 alqoeres mnifo lim ardido?.
Varitouth cm raixaa de 1 duia.
Carta eborograihica
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se rxpoMa .vtnda, as bjjs ataiio men-
cionadas, a carta chorographca rio ihealru da guer-
ra nos Estados do Snl da Aimrlca Miridirnal, rru-
tendo as plantas do Payiand, e do Lkqucio e cer-
co de Montevideo. Ella tornase rrrtumeodavpl
nao s pela laruna que reio preructipr, remo pelo
esmero do Irabalolyihographicc'.
Vende se pela medica quantia iIp 2JCC0 Das livra-
riasdosSrs. Nigueirj, ua do Crespo; o do Sr.
Cardoso Ayres, oa da.Cadeado Recife, assim ci no
Das lojas da Expsito de Londres e na lythopr.-
phia do sr. Carlos, a me.-nia ra n. 52, e na lija
do Sr. Cardozo de Aimeida, ra da Cri.1.
ESCEAVOS IUGI10S.
Mantejetes de fil na loja de Pava.
VeEflem,sa os inais. ricos manteletes de fil pre-
lo a oulros Com os centros de ccr, sendo neste ar-
tigo o mais rico ajae tem viudo M mareado a mais
moderoo por serem muito compridos e con deli-
cadissimos lavrores : na loja do Paxo, ra da Im-
peratriz d. 60, de Gama & Silva.
f Para meninos.
Vendem-se mullo bonitas ronpinbas proprias
para meninos de I a 4 anuos, sendo ralckihas a
jaoaet/nlias iguaes, a muito bem enfeitadas : na
loja. de Paiva, rqa da. Jnpwiriz a.. fiO, do, Gana
4 Silva.
.^ ; CaWnhas do Pavao.
"v^ndm-sfl aiurto bonitas calcinhas bordadas, pa-
ra aiwinis a 646 rs;: n loja do Pavfo, na da
Imperatriz n. 60.
RIVAL
Sem segundo,.
Ra doQiieiaiaiOt a, 49 e 5o. K'para admirar.
Carretis de lintia cqui o jardas......
Ditos cem 200 jardas de Alexaudre de
12 a60..............................
Dito dito de60 a200..................
.Novelice de Imha grandes com iOO jar-
das.............'-....................
Ide ni idem braucos e de cures de 100
jards...............................
Livrosparaassento de roupa lavada...
Cordo branco para espartilho (vara)
Varas: de franja branca larga..........
Pares de boldes da puuho lodos da cures
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costuras finase unbas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Esco.vaa para limpar denles muito unas
160,200o.......................,......
Caixas com 100. envelopes das melbores
qualidades...........................
Ditas eom 20 cadernos, rapel pautado e
liso............................'........
Cadernos de papel pe quemo (a a reta-
Ibo)...........................-------:
Miadas de linha frouxa para bordar.
Pares de sapatos de tranca.......... 15&0
Hassoa com superiores grampas para
senhora......i-----o..........
Frascos de macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeiro. oleo de babosa a
400 rs. e........................
Dito* e garrafirttas de agna d Colonia
dmkio- fina......................-.
Ditos de baaha a Ganbaldi a da familia
imperial....,..........."...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qnalidade..'___'............
Panes da ligas pava senhora as raellio-
res------;,. ......................
Pegas de bicoi francezas a renaas. ,T,
Frascos de aeua dentifrce muito supe
60
120
roo
80
30
100"
20
160
120
100
400
200
320
CIO
60O
20
20
30
300
300-
400
900
240'
320
320
rlor...........................T.. 800
Caisas eom 4 papis de agollras a balao
eVictoria......................... 200
Libras de laa sendo da todas-as cores... 6000
Bonecos vestidos e tambem dechoro... 1"0
Caixas com superiores pnreias........ SO
Ditas do linha de gaz com 80 novellas.. 800
EnGadeiras de fita para espartiihos..... 60
Carretis de linha de cores cora 100 jar-
das ....................._____... 20
Pecas de cordSo imperiaf.'.'...'........ 40
Milbo novo em saceos grandes : no trapiche
da Cunha, a,tratar com TasgoIrmaqs.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da Mlbor qualidade a
(S| aiaia : nos armatenada rna do Im-
perador n.16 e rna do Trapiche Novon. 8.
>
BOTICA. E DROGARA
Bartholou r-ranfcssco de Souza 4 C.
34Rna larga do Rosario34
' Vendem:
l'ilulusllolloway.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulasdo r. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pllulas-vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de ucistol.
Remedios do: Dr. Chable.
Elexir dePepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha.deCh Alberl.'
InjecQacFeaugafi.
Agua dentiftea da Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
P6s antf-epiretfcos deBrest.
RooL'AUfectenr.
.tarop do Bosque.
Ungento Hollcway. ^
PeclrichQo Ta iaj a de fezeida*
roupa feila nacional, rna da Imf e-
ratriz a. 72.
Pcchineha a 240 rs. o covado de chila.
Vendem-se cbius de cOres fixas a 240,280 rs. 6
covado, ditas francezaslargasa 300, 320. 360, 400
e440'r.eovadatv pacas de madapolo fino a 6*,
ifj 8#, !) a 8 : ra da Imperatriz a. 72.
Roupa feita nacional.
Vendm-se patitos de cazemira preta e de cres
a 55, 6A, 85 e 10,5, ditos sobrecaacos a 12$ 149
e 16#. Palitos de brim de cor a-lgSM, 3 831500
rs., calcaa de cazemira preta.a 6, 7 e 8#, ditae
de cazemira U car a Ka,, 6^ 7, a 8* coletas de
cazemira de.coras e pretos e ditos de brim a laoOO,
e 2J00 rs.,"; caicas de brim de cor s'fft 2J1S0O :
ra da Imperatriz n. 71.
Saotambarqne de cores a 7$, H e Wtgl
Vendem-se soutambarqne de lia e seda para se-
nhora a. 7ft, 8* a 10*; ditos de grosdenaple pre-
to a 204 e-25; capas pretas a 20 e 2; vesti-
dos de 15a a Maria Pa a 12, 149 e 160 : rna da
Imperatriz n. 71.
Cartes da cawmira preta SVJ.
Vendem-seertas da eaiemtra prew para calca
a 3*, 30300; o* 64 e 6$, ditos da cazetoira de
cor a 31,40,99, e 70, ditos de brim de cftres a
15600, e 20, ditos de chitas finas a 20400 e 302Op,
ditos de cassas francea a 30 : oa da Imperatnt
loja do baratelro n. 79.
rta**a da alsala.
Acaba, .de ebegap a mais nava e verdadeira po-
tassa da ftussia, e Veride-se a preco commido: no
escrlptorid de Manoel Ignacio de Oliveira &FHbo,
largo do Corpo Santo n. 19.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na rna do Qneimado n. 49 e 58 lojas de miude-
zas de Jos & Azevedo Maia e-Silva contina a
vender tudo por precos mais barato do qne em
ouira qualquer parte, quem quizar ver o qoe ha
bom a barato venia a loja do Ilival.
Duzias de phospbros de spgoranca a ...
Francos cora tssencia de Sndalo multo
superior............................
Fentes de tartaruga muito lino a .......
Pecas de fita de la preta para.veslido.de.
10 varas.........................
Escavas de roupa muito superiores a...
Latas eom superiores banha............
Frascos da vidro com superior bao ha..
Pares de luvas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gpstoque tem vindo.
Garrafas d'agua deHaia, verdadeira^
Puiceina do melhar geste o modernas.
Volta para pescoco. da melhor gosto....
Baralhos para voltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de liaha que
tem muita serventa1.................
Dnzia de peonasd'a^o muito superiores
Frascos da oleo aboza muito fijaos.....
Talberes para meninos a melhor quali-jj
dade...........................
Diversos livros, todos rellgtasos a 100,
200...........,......................
Duzia de colheres de raelal muito finas
para sopa.....,..-.....................
Duzia de colheres de metal multo finas 1
para cha............!-----..,,___
Grosas de botSes de- oseo para caifa...
Groaas de botoes. raadreporula para ca-
rniza......................a.......
Grosas de botes de louga prateados
muito finos......................
Varas de baaad do POrto'sortldav.'...
Iias de lapes difierentea qualidade *
40.............................
Quadernos de papel de peso muito fino.
Resma do mesmo papel............. 20000
Duzia de facca e garfa mnite boas.... 80400
120
10000
0.
60000
00
200
240
320
20500
15*280
uOO
500
|24
200
240
500
20400
10500
200
500
20O
000'
400
030
Desappareceu no dia 22 de margo do for-
rate anno, da rasa de Franciico Botclho dp |len-
donca, a preta Mecas, escrava do Sr. Amonio Ma-
ria ae Aiaujo ienlror do engnhii Pacs no termo
de Agua Preta, representa ttr de idatlo 23 a 4
annos, estatura regular, cheia docirio. narizcha-
to, lwigos gro.-yos, levou veslido de rauta de as-
tala loxo com fiorts encamadas e chaJsvpreto
de merino : qm m aprehender Uvacco-a ao en-
genho supra ou a roa. Nova de Santa Bita n. X,
nue ser recompensado.
Fugio o Jacob.
Anda, fgido na. la das o escravo de naci de
neme Jaceb, maior de 40 annos, que fri prepnt--
dade do Sr. roajor Ignacio de Barros Wauderley
senbor do tngenbo Ubaquinha, lun.o de Scn-
nhiem. Oescravo tem os slgnaes sepuintis :
alto, rhfio do cerpo, otos grandes c roi-lo rii-
do,anda de vagar e parece aira.-iar de una rei-
na, est c, ilado e tem por isto grande ;i| n: .,
nao muito ladino, lavon vertiiio camisa de nua
e calca de ri-cado, dizem que anda pela Passagem
da Magdalena aonde tem side visto p dp trtr
que ande ganbando, elle faa'vassouraa e chapeos,
presmese que esleja arcillado por alguma i-es-
soa que o sedzio e contra qnem se proiestar rcm
o rigor da lei : quem o trouxer a casa de scu se-
nhoro abaizo assignado na ra da Cruz n. 33, se-
r recompensado.
Domingos Rodrigues de .AndradP.
Aos copites de carrtpo
Desappareceu no da 21 do rerrenta, da rasf de
seo senhor, e escravu de neme Benedicto, cal ra
escuro, com idade de 25 annos, leven vestido cai-
ga de algodao. de listia, camisa de algidao d,- ier-
ra, e chapeo de couro de abas largas, Km alti.ra
regular, cheia do corpo, cabello a escovlnha,
olhos pretos muito vivos, nariz e bocea regulares,
muitoponca barba na queixo e um pequeo la-
gpodos os denles, ps regulares, etc.; de pre-
sumir que seguisse a estrada de Goianra id iir
vindo da eidade de Souza, provincia da Paiahita,
ha 13 diss, e foi comprado ao >i. Jc. Anktio
Borges daqnella eidade : roga-se pon Dhores eapities de campo a apprilieriao io refe-
rido .eseravo, e levr.tm-no a rtia do Impcrreler n.
83, segundo andar, que segralilirar con; 500.
Desde 9 de dezembro de 1864 que esl au-
sente da casa de seu senbor o eseravo, I!piu.;.m o,
cabra, Idade 40 annos, alio, cbelos rarapitlas,
rosto descarnado e comprido, olbos e orelbas te-
quenas, nariz chalo, barba penca, tem apenas ii-
gode e pera, perna esqueida. do queLra angue e
o p5 desse lado torio que o faz andar etn.o err.-
bado, suppoe-se andar pela Casa Forte ama2ido
com uma muala farra, baixa, alvacenla, qoe pa-
rece maluca : qnem o ppgar leve-o a ra Direila
n. 54, que ser,generosamente recompensad^
Negro fgido
Est fbgido desda o dia 27 de fevereiro deste
anno o pelo Joaquina, de naco Angola, qne foi
eseravo de Sr. capitati Francisco JQaqpim Cavai-
eanti Gal van, morador em Maija Farinla (Praia),
o qual vendeu-o nestaeidade em dezemlro do ati-
no passadoao Sr. Manoel Francisco Marques1 cem
armazem de assucar raa da Apollo; levon ca-
misa e ralea da algodio branco,. ropresenia ler de
45 a 50. annos de idade, alto e de grosturarego-
lar, cor fula,, rabega comprlda, qoeiics largos,
omos amortecidos, beigos grossos, sendo o supe-
rior ant tanto dafeitoeso, bastantp barba, perm
raspada, finalmente tem nma grande cosiuia.mlre
06 peitos provenient da queimadura, e sni.pce-se
ter^se dirigido para o norte, d'onde velo : gratiti-
ca-se a quem o apprebendpr ou denunciar o coito
em qneestiver i na raa da Cadaia do Recife nu-
mero 82.
Fogio no dia 14 do comente da ra da'C.rnz
n. 8, terceiro andar, a escrava Benedicta, edm os
signaes sepnintes : cor fula, tem falla de denles
na frenle, levou vestida escaro de paliiiinlias 1 ran-
eas, chale encarnado, bem contienda por w r si-
do escrijra do Sr. Sarustiano Cantalista : rrrem-
e gario muito ttoas.... agp*wimenda-ge as autoridades poticlaes e capies de
Saboneta da espuma multo superior... 040 campo que a peguen e levera-na a casa acijna, en
Capachos compridos e redondos muito a ra daSenzala Velha d. 04, que serao gratiB-
bons............................. 600 cados.
Ditos para snf...................4*-. 20000
Pares de suspensorio mullo bons e para
acabar. U....................^ ~..
Essenoia oriental par tirar nodoas de
roupa............,.....,, ,.....
Crelao para dezenbo de todas as qua-
lidades...........................
Cartas de alfinetes franceaes mnlto su-
periores.....,*.,.,.,...,(..,. ,,.,..^,
Caixas de colchetes franceees a W rjs
D u zia....,,.,,... t,.,,......
Carretel de retro* Cora qualro oitiva..
Golinhas para senhora a melhee qnari-
dade.............................
Fugio em principios do mea da fevereirp do
[IO0 torrente anno e consta estar .aeorjtado qesta pfae
9 Bji.lequp Euwbio, scrav* da viuva do Dr. Fpr-
500 napdo Affoqso de Mello, de 12 annos de ida-le, pnu-
' co mais ou menos, cor preta, secco do corpo, olhns
020 regulares e atamagados, cabega nm pnneo gaande
a meia chata, belfas finof> denles kem alvp^, ps
\
T
06 n. 6 que serlo graUtoaidOB, p?o?staa4n-se osar dos
ifanelos jndiolaesoaalri qoalqaer pMaft que olfnha
200 em seu poder.


larlo T>*mmttmf ... Ter ?**** 4*4e AhHl le U6&
LTTERATRA.
______________________________--------- i-W------------
O CONVENIO DE 15 DESEW-MBROEA.ENCTCUCA
DE 8 DE0EZEMBB0, nESPOSTA PELO EXM. E
HYM Sn. WSPODKOHLEANS.
Priuaelra parte.
II
0 que espero de Franca.
(Cominuagao.)
Os negociadores italianos baviam rece-
ido,, diz elle, in-trueces positivas parare-
geitarem toda a condc5o, que fosse contra-
ra aos direitos da naco. Nao p dia, por-
ta rito, suscitar-se questao de renunciaco
das aspiraedes nacionaes nem de garanta
ro lectiva das potencias catholicasf nem de
oocupaco de um canto do territorio romano
pe as tropas francezas, como penhor da exe-
cut-o de suas promesss.
0 jornal, a Italia, tmha razSo para es;re-
ver cinco dias depois :
f... O governo italiano de nenhum modo
renunciou a fazer fluctuar saa bandeira so-
bre Roma, capital. Os que dizem o contra-
rio calumniam as intencoes do paiz e do seu
soberano. Carta do Sr. Nigra ao Sr. Vaos-
la. 15 desetembrodel864.
A mesm i Italia acrescentava : A liaba
de proceder do Sr.' Thouvenel foi adoptada
pelo seu successor.
Todos os jornaes inglezes, francezes, pie-
montezes e d'outras nacoes foram unnimes
em interpretar no mesme sentido a dea do
Piemonte.
As associaces polticas redigiam declara-
(oe eguaes s dos jornaes.
A de Mi 15o dizia : c O convenio com a
Franca abre indubitavelmente o caminho
irletra realisacao do.programma nacional.
(Union de 4 de oulubro de 1864).
A commissao nacional dizia tambemem
urna prudamacSo: t O governo do rei nao
se ligou por neohuma condj$o, que vede ao
romo de Itali i aceitar a annexac5o de Roma
(Gazcta, 3 de outubro de 1864).
Um telegrapho de aples, de 28 de se-
tombro dizia: Acaba de celebrar-se um
grande meeting. Todas as parcialidades li-
baraes foram nelle representadas. A assem-
blea approvou o convenio franco-italiano,
m i< confirmando Roma capital. O governo
foi convidado a nao aitender a interesses
municipaes naescolha da capital provisoria.
i&azela, 30 de setembro de 1861).
Em Turim mudavam os ministros, mas
nlo muda va a idea piemonteza.
Quando correu o sa gue em Turin, cas-
tigado de sms ambicoes annexionistas por
jusm abaixamento, o ministerio, successor
do que o havia deixado correr, annunciou
presuroso em seu novo programma a cons-
tante esperanca da inteira realisacao dos
destinos da nac5o.
Devo declarar aqui. que oSr. Drouyn de
L;iuys icou perturbado com estas interpre-
tares tao contrarias, segundo elle, polti-
ca franceza e s mais solemnes promesss
do imperador; apressou-se, pois, aescre-;
ver, que se engaanm sobre o sentido
deste convenio e que os jornaes de todas as
cores rlaii tiravam consequencias tao con-
trarias s nossos intencoes como as dos mi-
nistros do rei Vctor Emmanuel. O npsso
ministro dos negocios estrangeiros no intui-
to de attenuar estas interpreaces acrescen-
tava anda sete artigos explicativos, mas que
FOLHETIM
Revista dramtica. .
29 de marco de 1865.
A HISTORIA D'UMA MOCa'rICA.
Discutir a idea fundamental do drama do
Sr. Dr. Pinheiro Guimares revolver as
mais intrincadas razes de lgica e de senli-
mento.
E' facto admttido, sem contestaco, a re-
generaco da muler pelo amor, pelo arre-
pendimenlo, pelo martyrio ? Acceitam os
horneas com a mesma franqueza a mulher
manchada, m filha, m esposa, m compa-
.nheira, e a mulber casta, a esposa bella de
virlude e de innocencia, pondo toda a sua
felicidade n'um berco, toda a sua ventura
nos bracos d'um marido e na conservacao
eterna da sua honra ?
0 Evangelho pode con lemnare pode -absol-
ver ; haoulroEvangelho pormque condem-
na, que fere e qae nao perdoaa lgica frii
da humanidade, a inllexiv.'lpunico dos ho-
mens. A sociedade nocommentajere.a so-
ciedade arremeca-se ao vicio embora sob a
podridlo naja urna fhra sonora ain la urna
corda que ao menor empuxao faca- vibrar to-
das as harmonas da alma, todas as notas,
todas as estr phes do sagrado poema dos
vinte annos.
A mulher cabio, mas cabio morta; sDeus
. pode animar o cadver, s o hc-mem sabe
profanar amorte. Deus levanta a mortal ha
da Magdalena e assopra-lhe na carne enrege-
lada a luz dopeTdo,-a sociedade repelle,
- paga as lagrimas com ce braceletes, abafa o
Soluco n'umachuva de diamantes, e taibando
a mortalha iras sedas cuida ter qu brado to-
* dos os padecimentos, todas as angustias, to-
da a miseria que o corpo n da Cbrtezaa pa-
tenteiou-lhe meia hora autes
A regenerarlo descida das paginas do
Evangelho ser a mais sibillante palavra, a
prova mais- irradiante d'uma tbeoria subli-
me que no Chrislo nascen e morreu no Cori-
to. A tbeoria ficou pura como a fonte (fon-
de rompeu,a tbeoria da suplimidade, a
sublimidad* di luz. Os borneas nao accei-
taram e transformaran! a pratica no castigo,
na vinganca, no insulto. Todas as portas
sero abertae mulher cabida, menos a da
sociedade. Ha na coate da desgranadas
rauitos desesperos banbados no lubrico de-
ni'
iam receber, como tantas outras palavras da
Franca, una solemne desmentido da parte
dos ministros de Viotor Bmmanuel e do par-
lamento de Torio.
O Sr. Lanza, ministro no reino, apresen-
tando o parlamento o projecto de le, de
transferencia da capital para Florenca, fallou
do seguinte modo:
Examinareis esta questo e resolve-la-
heis com tal dignidaie e sabedoria, que cor-
VKNCEBO CADA VEZ MAIS O MUNDO QVILISADO
da nossa inhabalavel resolucAo de com-
pletar a nossa unidade...
Omesmo ministro nos mesmos termos pro-
punha a questao ao senado, comecando por
esta declaracSo: O poder temporal do papa
contrario aos interesses da Italia.
Esse ministro chegou emfim a declarar ao
parlamento, que a Franca, por isso mesmo
que havia tratado com elles de Roma sem o
papa, reconhecia que s elles tinbimdirei-
tos sobre Roma e o papa nenhum.
0 convenio confirma a nossa poltica, sim-
plifica a questo romana e, eliminando a oc-
cupacao estrangeira, Ihe prepara soluc5o de-
finitiva, d satisfaco dignidade nacional e
consagra o dreito que tem o governo do rei
de negociar sobre todo o concernente ao ter-
ritorio italiano : pois que nao o papa mas
nos que tratamos de Roma com a Franca.
O general La Marmore, convidado pelo
Sr. Drouyn de Lhuys a dizer o sentido das
famosas palavras, aspirares nacionaes, re-
cusa-se a isso perentoriamente : t As as-
piraces d'um povo, disse elle, pertencem
consciencia nacional...*
Quer dizer: ninguem tem nada com isto.
Como se um contratante nao tivesse o ri-
goroso direito de saber, o que pens, sobre
o proprio objecto do convenio, aquelle com
quem contrata!
Convidado do mesmo modo pelo Sr.
Drouyn de Lhuys a explicar o sentido da pa-
lavra vas subterrneas que o Piemonle tem
constantemente praticado, o ministro pie-
montez deu-se por offendido, e recusou-se
ainda a fallar claro sobre este assumplo.
Mas um pouco mais abaixo, apezar destas
reticencias calculadas, a palavra que aqui
diz tudo escapa ao general diplmala, quan-
do fal a dos effeitos que devem ser o pro-
ducto lento, mas infallivel do convenio.
0 Sr. La Marmora, qae recusa explicar-
se sobre urna prevsao, que toda a gente tem,
voila a ella, prev os acontecimeotos, qae
podero dar-se em Roma, e declara ter a in-
tenc.So de os coordenar com o fnn da poltica
nacional.
Na cmara guardou menos reserva e fal-
lou mais claro: Nos n5o daremos um pas-
so paba tbas, iremos avante com pruden-
cia devagar, mas incessantemente.
Eis ah a nterpretaclo dada officialmente
ao convenio pelos ministrospemontezes.
Agora, vejamos se o parlamento foi de ou-
tro parecer e se votou o convenio n'outro
entido.
O
Sejao publico juiz.
O relator da commissao explica-se sem ro-
deios: O convenio nlo a renuncia de
Roma.. Tal se n5o deduz das notas do Sr.
Drouyn de Lhuys e acressentava em ter-
mos perfeit imente idnticos s palavras do
Sr. Lanza, riscando e raspando assim o des-
pacho de 28 de outubo e os sete artigos do
Sr Drouyn de Lhuys e levand i ao extremo a
injuria contra a Franca: Tratando com-
nosco sobre a evacuadlo de Roma, a Fran-
ca reconheceu os nossos direitos sobre
Roma.
Os deputodos piementezes collocam-se
v em, que todos os antecedentes do Pie-, E' a,fortaleza de ViUegaignon.
monte annunciam, que a situado, ao padre E 0Bde fi,a a de Estado de S ?
santo criada pelo mesmo convento, torna ine-
vitavel, e que nao obstante o cotvenio n5o'
prev, obre que nao diz urna palavra, nem1
-o
EDADE TENBA.
Menino, quantos annos tem?
Um so..
exactamente no mesme [lento de vista : Pop 'estatu nada: partidos nos, a eventual!
que raz3o, exclamava o Sr. Ferrari; procla- Jade de movmentos revolucionario; e:n \,t uu.'i. m -------
mastes Roma capital ? Porque intetaveii Rr,'r'a |
destruir opoder temporal e conduzir Victor' Esobre este ponto cumpre explicar a si-1 0 senhor sabe'dizer-me onde morar
Emmanuel ao Capitolio. Roma e o territo-, tuncao arranjada ao papa- Sr. Lanza, mi-; por aqU a|gum ve: eador ?
rio romano foram declarados, como o sao ninislro do reino no Piemonle, dizia ao se-; Porque, minba senhora? foi mul-
com effeilo, territorio italiano, fazendo parte Dado : O convenio deixa o papa t em tada ?
Nada, nao, senhor, para yr meu
marido que est muito mal de urna indiges-
to...
*
integrante do reino.
O Sr. Pissioa diia sem hesitar. #0 ter-
sen te de seas subditos..
Nao, nao em frente de seus subditos,
ritorio pontificio pertence-nos de direito. ^ue Vos deixaes o papa ; era frente de to-
0 Sr. Coppino ia mais longe. Roma nao dos os amentos revolucionarios, que vos
, nao pode ser dos romanos; mas e deve tendes amontoado em redor de Roma e na
ser dos italianos. propria Roma que todos os vossos discur-
E' particulamente notavel o discurso do'808'. t0d3S aS vossas nterPretages do con-
Sr. Buoncompagni, e muito instructivo pa- ^0' ,que JT de vossa/ V*^
ra o nosso ponto. Ha muito que nos co- 2'iSmar "^ **'
nbecido o anligo embaixador de Victor Em- "DeJoisT^uanto se tem passado na Ita-
manuel em Florenca. E.s as suas pala- fc, depos de tudo oque tendes dito efeilo
^ contra o papa, vir di/.er-nos que o deixaes
Alguns crram que Florenca ngnifieava em frente de seus subditos, quando vos lhe
renuncia era Roma.Sin, todos os que roubastes violentamente tresmilhoesdelles,
confiam na palavra da Franca IMas isso quando vos l eslaes emfacedelle, ssuas
nao impede que Roma continu a ser, na portas, excitando revolta os vassallos que
consciencia dos italianos a capital verdadei- he restam, estendendo a m5o para o seu ul-
ra e verdaderamente definitiva do reino... timo patrimonie, proclamando-o vosso, na
0 convenio nao restringe a liberdade de ac- verdade urna irrisao, que niopossobem
C3o dos italianos... qualificar seoao dizendo, que digno de
Alinde depois o Sr. Buoncompagni ao ce- quanto tendes feito e dito at hoje.
lebre discurso do conde de Cavour, em o' Pois que ? N5o trabalham, ha muito, os
qbal este sustenlava que smente Roma po- agentes piemontezes em corromper por vas
dia ser a capital do reino de Italia; e acres- i subterrneas ou s claras esta populacho?
centava: Devenios, senhores, conspirr Quem nao tem visto no caf das Bellas-
protestando cootinuamente, em toda occa-' Ar,*s e n'outras partes, os seus afiliados ?
sio, teimosa a firme vonlade de que Roma er% Pr acaso conjecturas es seus projec-
seja a capital no nosso reino. j tos ? Nao se est todos os dias a descobrir
E como se todas estas palavras, nao sen- alguma cons.jracao ?
do ainda bem claras, a cmara teve o cui-! Aida, no anno passado, as suas bombas.
ERUDICCO FEMLMNA.
Sr. doutor, meu marido muito su-
perabundante ; qualquer invaso de orva-
1 lio matutino nauseabunda-lhe os intestinos;
receio moito que elle soffra alguma laurisma
no pulmo do meseniario ; eile nao quer
tratar-se, porque detesta a sciencia de Hip-
pocrito ; mas como me dizem que V. S.
um grande mdico operario, mandei-o cha-
mar para fazer-lhe alguma applicacao, por-
que elle agora est morfuco, como tem
somno muito pesado, quando dorme Oca in-
teiramente incgnito 1 Pode fazer delle o que
lhe fr applausivo.
n un CAF.
D^seram-me hoje que os senadores,
conselheiros de estado, ministro do supremo
tribunal, etc., etc., offereceram tambem urna
parte de seus encmenlos para as despezas
da guerra e...
Ta... ta... ta I Olha que amanhaa
nao comes, porque estars com a garganta
toda arranhada.
Oh porque ? 1
Porque enguliste urna grande arara!
--------------- gi in. -
senfreio de paixesatrozes; devem ter o pe-
so de chumbo aqu lias lagrimas que correm
no snencio; pode reputar-se bem miseravel,
bem infortunada a creatura que prefere es-
tar em lutacoj urna multido, a ver-se so-
uuria, assustada, ardendo em gelo, e com
o olhar fixo na parede onde a sua sombra,
essa segunda consciencia, essa segunda mae,
parece chorar com ella as horas pertidas da
felicidade morta.
Contemplar por um prisma o sombro per-
fil d'essas infelizes, cobrir com roupas al-
vejantese poticas a hediondez do corpo e
as profundas maculas do espirito. Hugo
transforma, sob a pressao gil e sagaz da sua
maravilbosa peona aquelle sorrso cynico da
Marin de Lorme ; a procissao quasi intermi-
navel das representantes de Mileto e de Les-
bos faz destacar de#suas fileiras duas gran-
des capacidades na' irmosura sensual e ty-
pica ; Sapho e Aspa-ia. Aspasia e Sapho
n5o sao vistas hoje pelo mundo debaixo do
titulo de cortesas, mas de poetisas. A Gre-
cia soube elevar ao altar os vultos das suas
Phrynas; e o povo ia immolar no templo,
consagrado perdicao, o incens ea myrrha.
A corteza njesse lempo nao era a mulher
perdida, era a mulber da corte, era o estan-
darte da elegancia e do espirito.
Assim como a poesa grega, a poesa con-
tempornea tomou do escalpello e nos fros
membros da estatua vivanao sero vivas
estatuas ellas? esculpa a forma da belleza,
d'essa belleza livre e moca, que se entrega
todos os bracos, com a mais graciosa im-
pudencia do mundo. Prudhon imaginou o
crime perseguido pela vinganca divina ; ou-
tros imaginario a divindade subjugada^pelo
crime.
A mocidade, que a poesa da vida, mira-
se conio louca aos fructos pendidos de todas
as arvore-, embora elles sejam como aquel-
les que crescem s bordas do Mar Morto,
vicosos na casca e contendo no.sero a podri-
dlo e asxinzas. A vista fatua da chimera
s destingue o avellodado exterior e encan-
tare; a critica, a razio, a verdade bruta'
e atroz rompre as prises douradas e vae to-
car na cinza... A sociedade q em corta o
fructo, a sociedade quem fere; fugir Ibe
ao anathema querer fugir ao sol. A ver-
dade vae at os abysmos.
Porque razo, havendo aqui um exercto
de procuradores de causas e mais fuinhas do
foro, ainda nao consta que um s se alistasse
dadoemprecisar.com a ultima claresa, o'os seus manifeslos, os seus pasquios, as;com^ ^^ \ n0 sul 0 arrazoado vem
sentido, de seu voto, e declarou, regeitando,suas ameacas, e tudo isto estando nos l, enrolado em papel que nao sellado ; e,
urna ordem do dia proposta por vinte e tres dorara asss o que elles meditara para'
deputados, que a transferencia aa cpital quando tivermos sahido ?
para Florenca, nao era dar Franca urna ga- (Conttnuar-se-ha).
rantiadeque Roma ficasse ao papa. ----- T B"
Estportanto bem verificado, que, para
o Pieraonte, Florenca nao seoio urna pa-,
ra/ta na tria tia Dnm r, __ i i N UMA LOJA DE Ml'SICA
rada na m de Roma, urna cap.tal prov,sona Do Bazar Volante trabscrevamos o se-
e divisoria ; que esta condono sine quanon,' guinte :
posta pela Franca a um tratado, nao entra Madame, quer ter a bondade de dar-
em linhi de conta, que o Piemonle tem o me utn beii ?
Um velho de chapu de lebre e botas mi-
neira, confidencialmente: Oh senhoi, olhe
que o marido est ali.
O freguez : Pois bem, enti elle que
m'o d.
UM POUCO DE TUDO.
o dibeito, como a vontade inabalavel de fa-
zer urna um dia de Roma sua verdadeira e
definitiva capital.
III
E agora, que j nao possvel a duvidar
n'este ponto, examino o convenio no seu
fundo e pergunto a mim mesmo, como que
quando fustiga a pelle, o juiz nao concede
appellaco para a relacao do distrcto.
------------ usa 9 ^
0 POVO K A mvnicipaudade.
No dia 3 o povo, sem que ninguem Ih'o
pedisse, illuminou brilhantemente a frente
de suas habilaeoes; no dia seguinte a c-
mara municipal convidou o povo a que o fi-
zesse, e por mais duas noutes (convite in-
til, porque j assim eslava no pensamento
de todos;: mais foi bastante a leitura do
edital para que nos dons dias seguales a
illuminacao diminoissef... N3o sei que
birra esta do povo com a repartico dos
mdicos.
O velho: O que, senhor ? !!
O freguez : Ora o que ? o que eu ped, o
beijo.
O dono da casa com um papel enrolado:
0 Piemonle chegar ao seu fim atravez do Aqui est, para piano e canto, custa 2.
convenio ? O velho comsigo mesmo : Decididamente
Em verdade, deve declara-lo, nano con- entoqueco se me demoro mais tempo na
venio lacunas, atravez das quaes o Piemonte n
pode e pretende passar.
c;_ ,. .. N UM GABINETE-ESCRIPTOttIO.
S.m, pelo que diz e pelo que nao diz, o, Tem oceupado cargos moito importan-
convenio me obriga a tudo temer. i tes na cidade, desde o de subdelegado, ve-
As lacunas, que desde o principio me de- reador, etc., etc... este que exerco, e de-
ram nos olhos, como nos de toda gente, e claro-Ibes, meus senhores, que sahi como
que nao foram preenchidas pelos despachos ^reij (agarrando na aba da casaca e sa-
1 i. ". F, uco^avuua cutna^,\ posso afouianjenie sacudir minha
diplomticos, vindos mais tarde, sao as sa- casaca.
fuintes: Um ouvmte ingenuo: E a burra, doutor,
O convenio nao previu, o que devia pre- sacode-a com a mesma facilidade?
ver. Nao proferiu a palavra essencial1 que -------- m -.---------
devia pro'erir.
Nao fez a reserva, que devia fazer.
I\I AI.IM.NO D HiSTORU.
Papae, que ilha aquella que tem
Ha urna eventualidade, que todos pre- uraa bandeira?
Ent3o, seo Benedicto, ainda est no
firme proposito de ficar gosto nesta ca-
deira ?
Ora, meu amigo, o que tem feto por
mim esta patria ingrata ? O que tenbo eu
lucrado ? J estou caneado de softrer in-
j&sticas e ingratrdes! Termo tirado bom
sebo ? f
Este hymno, offerecido aos Voluntarios
Cearenses, produccao do Sr. commenda-
dor Antonio Joaquira de Mello :
Nossos peitos, nossos bracos
Serao sempre am baluarte
Da honra, e da liberdade
Do Brasil, em qualquer parle,
A's armas As armas !
Que a |i;tria briosa
Em ariiit;;- est,
Chegae, vamos todos,
Oh validos filhos
Do heroico Cear.
ravel, que ora nos assombra com o loxo, ora hemencia de applaosos exactamente a
nos esbarra com os andrajos. Nem envol-! mesma que devena ser occulta no silencio e
vo a corlezaa as pompas da^princeza, nem no esquec;mento; a mulber honrada at en-
arremeco-a aos charcos immundes d'onde t5o admiravel no soffrimento e na resignar
ella tenia erguer-se O meu intento fazer \ cao, arremecando-se aoleito d'um amante
urna resenha do que sepassa; coas rvo-me com o fim irriswio emesquinbo de vingar-
semprena posico passivado.chroista. (se das brutalidades d'um marido. N3o
Tem razSo o Sr. Dr. Pinheiro Guimares; combato com excepcoes, refiro-me ao pro-
tentando firmar a regeneraco da mulher .saismo. s vulgaridades da existencia coa-
pelo arrependiment? A mulher, ferida nos mum. At o segundo acto a herona naere-
seus bros, esbofeteada nos mais intrincados ce os applausos votados mulher, as se-
sentimeotos de sua alma, repisada pelas fu- guintes scenas, Revolta digna nicamente
ras, pela proverbal brutalidade d'um ma-Jda compaix3o, do olhar fri que o. mundo
rido deve procurar o caminho da perdicao deixa cabir sobre a corlezaa. Quem Calla
como o uni refugio,, o nico lugar em que em Amelia a alma; quem faa o Revolia
possa encontrar o descanco e fugir a> deses- a carne,Revolta representa a mais im-
pero d'um espirito quasi preso fnebre perdoavel hediondez com que o destino pos-
ida do suicidio? sa ferir urna creatu a humana. Nao po-
Cahida, maculada, desconceituada, corte- deria Amelia affastar-se de Magalhes, nao
z3a publica, bebendo as mesas da orgia, era crivel que a esposa fugisse do tecto con-
vendendo-se primeira bolsa que anparece, jugal com a dignidade da nobreza ferida ?
entregndose em leilo ao que mais tanca, A' que veio Alberto? Para que o amante?
possvel que ella sinta ama scentelha es- Para grangear as palmas da platea, para
quecida nos mysterios da alma, e essa scen- dar momentos felizes artista de se fazer
telbaalargando-se.possuindj-a, chegue a ar- admirar, ou nicamente com o fim de que-
fanca-la do vicio e atira-la,. toda banhada rer enxovalhar os mais puros, sedimentos
dos impuros labios d'um goso depravado, da alma ? O autor que com tanto disvello
nos braco da raaternidade e sombra pro formara aquelle typo de anjo,foi prompto
lectora da cruz e da religiao?, demai*em pregar-lhe as garras de Loci-
Essas questoes saltam-me involuntaria- fer.
mente ao papel e pedem urta resposta rapi- Se ha moralidade no drama, est encarna-
da, mas que satisfaca aos pontos de mter- da n'um s personagemo Dr. Roberto,
rogacao, qae levianamente espalhei n'essas Mas esse personagem vem tarde sempre,
lnhas sem sabor. vem nos momentos em que Amelia soffre
Em pnmeiro lugar creio que o autor nao solitaria no des spero do lar domestico, ou
pensou vantajsmente na sociedade brasi- lanca a sua indignaco e suas coleras n'uma
leira, escrevehdo o drama eomo reprsenla- nuvem de alcool, ao retiir do- corpos e s
se em todos os theatro3. Quaes.as razes gar gal hadas d'alguns dsconceituados Albos
que Amelia aprsenla attenuando os moti- do carnaval.
vos. que a atiraram ruina e irremedavel. Magalhes a brutalidade, a estupidez,
perdicSo do corpo e da afina? o cynismo,o autor accumulou todas esss
Razes futeis, brilhantes para o effeito <'e- quafidades infamantes no marido. Era ne-
clamtqrio, mas iaconsequ^ntes na pratica, cessario que a deprvcio sahisse da de-
A mulher antes de cabir impura aos bragos pravagao; Magalhes foi a origem da exis-
da cruz e suplicar o perdao sempre promp-. tencia de Revolta.
to de Deus, mas sempre Urdi da socieda- Os outros typos mais ou menos vivos, sao
de, deve abracar-se religiao, deve evitar o co o satelltes d'um grande astro; giram
crime, deve calcar o erro. A snblimidade em derr <)or da herona, sem trar-lbe a
da alma estao martyrio; Amelia n3o me- luz, mas conservando-a; ora, quando ella,
receria talvez o titulo presumpgoso de heroi- a Amelia virgem e casta, enchla a vida da
na de drama, familia de todas as berrapnias do sentimen- v.
No.drama doSr. Dr. P. Guimares, oes-to e da pureza, ora, as horas de lascivia, sent, cahe, v-se fulminada ; Ameba deve-
No serei eu portanto quem arremosse as pectador applade o estyllo, e recua ante a n'esses momentos em que a corteaia prega ra sem sentidos ser amparada pelo Dr Ro-
viogadras pedrs sobre esaa carnada mise-, ida. Urna das scenas que attribe mais ve-, va ao labio soffrefo e sarcastico a tac dos berto ; para justifica mesmo as ultima pa-
banqueies N'esse caso estao-, Henrique,
Dr. Roberto e o pae da herona, (foge-me o
Inome). No mesmo- plano correm as figuras
da baronesa de Periripi, Artbur, duas mo-
las saltando ao coola to do ateresse,--e o
vulto que apparece no terceiro e quarto ac-
to, Fredenco.Machinad^res infernaos-:
Magalhes, Antiwies, e a communhio de to-
dos os carnavalescos do universo.
O dFama do Sr. Dr Pinheiro Gu maraes
tem sido muito discutido, tem chaawdo a
campo mais de um valente campeo. E' urna
composicao de mrito e que veio attestar
exhaberantemenle a vigorosa inteligencia do
autor da Ptmico. Obra deestylo, revela-
se por urna phrase eorrecta, -'scintillanie,
ebuva de iris, 'uma prousSo de palavras
ousadase fe'izes.
A ultima phrase que fecha o ni timo acto
um reverbero de todos os dramas da
mesma idea e da mesma escota.Muito te!
ser perdoado (diz Dumas Filho ha Dama
das Camelias) muito te ser perdoado por-
que muito amaste, pa'avras que lembram a
grande peccadora^aa Biblia.O Sr. Dr. Gui-
mares atirou esta apaixonada e brilhante
phrase:Magdalena s teve os bracos da
cruz para se abrigar; eu lenuo os de minba
Giba.
At quando ser equilibrada a idea mais
que sagrada da regeneracao da mulher B At
a morle; na marte j apparecem as luzes
da eternidade : na etermdade que est
Deus. A sociedade ha de sempre ver ha
cortezSa amulher perdida. S Deus pode com
um olhar e com urna palavra mandar o per-
dao a Magdalena as lagrimas do arrependi-
menlo.
Para o desempenho do drama reservei na
primeira nouteem que subi scena toda
a minha attenco. Coube artista Eugenia
Cmara o papel principal, o primeiro typo
Amelia. O carcter ingenuo, delicado, in-
leressante da menina foi interpreUdo com
elegancia e com urna caprichosa naluralida-
de. Isso m acto. Na ultima scena toda-
va a artista descuidou-se e esqueceu-se da
verdadeira posicao em que a collocara o dra
maturgo. Quando Amelia recebe as iras de
seu pae, que leva quasi o furor a amaldi-
coa-fa, a alma presa de tal cholera nao
As fecundas erras nossas
Tambem o s do valor :
Patria livre I (os ech troam)
Hoora ao nosso imperador I
's armas t A's armas I
ue a patria briosa
Em armas est.
Chega', vamos todos,
Oh validos filbos
Do heroico Cear.
Relampe o terso ferro
Na dextra do Cearense ;
Derribado morda a trra
O brutal Paraguayense.
A's armas A's armas I
Que a patria briosa
Em armas est.
Chegae, varaos todos,
Ob validos filhos
Do heroico Cear.
Marcial heranra temos
De alto preco, alto esplendor.
De nos tambem dizer possam :
Grandes avs 1 Que valor 1
A's armas t A's armas t
Que a patria briosa
Em armas est.
Chegae, vamos todos,
Oh validos filhos
Do heroico Cear.
Que sublime objecto o joven
(Sempre audaz a invicta espada)
Pelejando voz da patria,
A fronte em suor banhada ?
A's armas A's armas f
Que a patria briosa
Em armas est.
Chegae- vamos todos,
Oh validos filbos
Do heroico Cear.
Ja fulmina o bronze a morte,
Entrechucam-se ira fileiras:
Eia, avante, avante sempre.
Bravas hostes brasileiras.
A's armas I A's armas !
Que a patria briosa
Era armas est.
Chegae, vamos todos,
Oh v didos filhos
Do h roico Cear.
K ento que o braco forte
Prostra, invade, abla, e talha.
Victoria (Proclama o chele)
Victoria t... Finda a batalla.
A's armas t A's armas !
Que a patria briosa
Em armas est.
Chegae, vamos todos.
Oh validos filhos
Do heroico Cear.
------------- .1 O mi ----------
Em 28 de feverero ultimo o Banco Unio
centava para os seguros mutuos de vida
8,719 subscripces, que represettavam um
capital de 3,020:495*.
Da comparaco desias cifras com as que
0 banco fez publicar em 31 de Janeiro, re-
sulta, pois, que as subscripces existentes
naquetia data tiveram ora augmento de 418,
representando um capital de 121:4354.
Na mesma data da 28 tioba o banco com-
prado e depositado na sua caixa filial em
Lisboa, inscripces no valor nominal de
1 .-S864250 em inscripcoes.
' A sociedade Philomatica de Bordeus pre-
para urna exposirao de productos de agri-
cultura, industria e artes industriaes, a qual
deve realisar-se aaquelJa. cidade no- dia Io de
jdho do corrente ara.
A es!a exposicao, que a undcima pro-
movida por aquella sociedade, sao chamados
a concorrer todos es industries e agricul-
tores de Franca, Hespanha e Portugal.
Deve egualmente realisar-se em Colonia,
a 15 do prximo mez de maio, orna exposi-
cao internacional agrcola, comprehendendo
a exhibicaode ma rhinas instrumentos e pro-
ductos de horticultura, de economa rural e
florestal, e de objectos de economa domes-
tica agrcola
lavras do medico. No 2o acto> a distinta,
artista-trabalhou exeel I en temerte, illuminou
sytlaba por syllaba, palavra por palavra, as
difflceis evolufes, o& gestos e as phrases
que rompiam cheis depanao da sua alma
e dos seus labios. A platea victoriou-a com
verdadeira consciencia : o mrito chama o
applauso. No 3* arto,, a meu ver, a Sra* Dw
Eugenia na-interprelou eonveuienteraente o
que exiga o papel. Ha sempre urna faina
n*alma ; embora ella traga couraca : o sen-
timentotemo poder dpraio, nada resiste-
Ihe torra.
Revolta estove glacial .n'essa scena, dir-
se-hia que recitava, que contava, e no en-
tanto, o odio a lembranca, o desespero apo-
deravam-se-lhe docoragao. Emcxjtra qual-
quer mulher a Jmittira eu esse geto inabala-
vel ; em Amelia, que o espectador conhece
pouco depois submissa e arrependida,
pouco natural. Revolta era orna mulher
cabida, mas era urna mulber. O coracao
o ultimo pador que seperde.
Como explicar immediatamente as lagri-
mas fervorosas que ella derrama aos ps do
Dr. Roberto ? Pregu a mulher mascaras
sobre mascaras no rosto ; as lagrimas rom-
pem'e o sentmenlo vem, como o relm-
pago.
No ultimo acto a artista alliou-se ao per-
fil humilde e submisso de Amelia, com a na-
tura lidade exigida, Sado-a. nesse drama
como um dos seus boas papis: poucas ar-
tistas terei eu de ver inierpretarem o 2 ac-
to da Historia de urna moca rka com tanta
paixo o tanta felicidade.
Os Srs, Germano, Coimbra> Port, Pinto,
Lisboa, os demais adores emfim, uniram>se
artista para mais profundo realce da peca.
Est-se-me a findar o espaco de folhetim ;
guardo algumas observac6es sobre alguns
desses artistas para urna Revista especial. O
papel de Henrique devera ser mais apaixo-
nado ; o actor pareca pronunciar as pala-
vras sem sent-las.
O emprazano deve' continuar a enriquecer
a scena com dramas da mrito e de se.,t-
menlo : a raelhor prova do seu talento ar-
tstico e do seu gosto pela ordem e pelo
progresso do thearo,
Luciano de Athayde.

PERNAMBCO.-TYP. DE M. F. DE F. 4 rUHO
.t
-^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E30O2LO32_0RZIL6 INGEST_TIME 2013-08-28T02:09:12Z PACKAGE AA00011611_10634
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES