Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10633


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A

AMO IL, HOMERO 76

Pop fUPtol,Kf*d0>tr*4e1Odia8dti.Bei ...::.. jJOOO
Iemde^dwl/'iOdiasdoctBeoedeBtrodoqttartel. 65000
PtpteMCwreiojtpegezes............. '750
SEGUNDA FEIRA 3 DE ABRIL DE 1865.
Per ano* paga dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao correio por um aano..,.,,,.,.,.,, 3|000
ENTARREGADOS DA SUBSCR1PCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Alaloas, o Sr. Clandino Falco Oas; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
ttibeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da Via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Umoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
191000
Segunda vara do civel:
bora da tarde.
quartas e sabbades a 1
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Quarto cresc. as 10 h., 59 m. e 22 s. da t.
11 La cheia as 2 h., 17 m. e 52 s. da m.
8 Qnarto ming as 9 h., e 16 m. da t.
27 La nova as-11 h., 53 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia. '
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
3. Segunda. S. Pancracio b.; S. Benigno m.
4. Terga. S. Isidoro are. dout. da egr.
o. Quarta. S. Ira v. m. S. Zenon.
6. Quinta. Ss. Diogenes e Platonides mm.
7. Sexta, s. Ephiphanlo b.; S. Rufino presb. m.
8. Sabbado. S. Amanciob.; S. Elizio m.
9. Domingo de Ramos. S. Demetrio m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 10 horas 30 e minutos da tarde, i
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife? na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PAUTE 0FFICIAL
SOYSRRO DA PROVINCIA.
EDITAL.
Secretaria do governo de Pernambuco, 29 de
margo de 1865.
Pela secretaria do governo se faz publico, que
por affluencia de trabalhos, S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia s6 dar audiencia de urna hora da
tarde em diante, excepto aes chefes de reparticoes
aos quaes ouvir em qualquer hora.
O secretario do geverno,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Expediento do dia 29 de narco de 1865.
Ofllrio ao Exm. presidente do CearLevo ao co-
nhecimento de V. Exc.Jqueos cidados Miguel Leo-
poldino Lima e Antonio Augusto da Frota Menezes
se alisiaram no 1 corpo de Voluntarios da Patria
desta provincia com destino ao dessa.
Dito ao coronel commandante das armas.Em
Aisla do termo de inspeegao a que foi submettido o
Voluntario da Patria Manoel Lniz da Franca, man-
deo V. S. desalistar do respectivo corpo.
Dito ao Dr. chefe de polica.Envi a V. S. o
passe para a praga de que trata oseu offlcio n. 464
dena data.
Dito ao mesmo.Para satisfazer a deliberagao da
assembla legislativa provincial, preste V. S. as in-
t'ornragSes exigidas pela mesma assembla no cili-
cio do respectivo 1* secretario datado de 21 do cor-
Tente sob n. 48, incluso por copia.
Dito ao mesmo.Ao offlcio de V. S. n. 452 de 29
do correnle sobre o guarda nacional Joaquim Coe-
Iho da'Costa, cabe-me dizer que havendo recurso
dos conselhos de qaalillcago para o de revista, e
tiesto para a presidencia, nao posso por ora tomar
conhecimeulo da designago de que trata o seu ci-
tado oulcio.
neiro Leo, ambos do batalho n. 43 de infamara
da guarda nacional do municipio de Serinhaem so-
bre que versa a sua informar-no de 23 do correnle,
autoriso V. S. a mandar passar-lhes guias, de con-
formidade com o art. 4o do decreto n. 1130 de 12
de margo de 1853, visto que transferirn) as suas
residencias para o municipio da Escada.Commu-
nicou-se ao commandante superior da guarda na-
cional1 dos municipios de Santo Anio e Escada.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Nazareth. De conformidade com o disposto
no an. 45 do decreto n. 1130 de 12 de marco de
1853, mande V. S. passar guia ao alferes da 3*
companhia do batalho n. 18 de infantana da guar-
da nacional, sob seu commando superior Joo Ca-
valcante Brrelo Chaves que allegou estar residin-
do na provincia do Rio Grande do Norte.
Dito ao coronel Francisco Joaquim Pereira Lobo.
Satisfazendo ao que solicita V. S. no final do seu
offlcio de hontem datado, declaro que exacto ter
V. S. pessoalmente trasido a minha presenga os
seus offerecimentos para servir na guerra do sul
com as condigoes mencionadas no seu citado offlcio
ejjue eu Ih'os agradeceodo, disse-lhe, e repito, que
nao era possivel a esta presidencia norr.ea-lo para
o commando de nenhum dos corpos, como preten-
da.
PERNAMRUCO.
ORDEM DO DIA.
Entra em discussao o projecto n. 103, do anno
passado, amansando o presidente da provincia a
contar o tempo de servigo militar a Joo Vicente
Ferreira Passos, em sua aposentadoria.
Oram os Srs. Boarqne e Jacobina.
Encerrada a discusse, rejeitado o projecto.
Segu a | discussao e sem debate approvado
o projecto n. 25 deste anno, autorisando o presi-
dente da provincia a conceder um auno de licenga
cora todos os vencimentos ao bacharel Antonio
Rangel de Torres Bandeira, professor do Gymnasio
Provincial.
Entram depois em discussao, cada um por sua
vez, e sao approvados os projectos ns. 23 e 24 des-
te anno, o i* autorisando o presidente da provincia
a despender a quantia de 1:000* para auxiliar a
construegao da ponte da villa de Barreiros a ilha
do Jardim; e o 2o creando urna cadeira de ensino
primario para o sexo masculino na povoacao de
Trombetas. *
O Sr. Presidente diz que tendo sido a assem-
bla convidada para acompanhar a procissao do
Senhor dos'Passos, vai consultar a casa se convm
em que se levante a sessao.
Consultada a casa, decide pela afflrmativa.
O Sr. Presidente levanta a sessao a 1 hora da
tarde, dando para a ordem do da seguinte a con-
tinuago da antecedente.
Dito ao Inspector da thesouraria de fazenda. ses*ao antecedente, a qual approvada.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
24* SESSAO EM 31 DE MABQO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
Dez minutos antas do meio dia, feita a chamada
acham-se presentes os Srs. depulados Joaquim do
Reg Barros, Braulio, Rochael, Gongalves da Silva,
Ribeiro, Teixeira de Mello, G. Campello, Silvelra
Lobo, Drummond, Maranhao, Brandao, Ramos, ,
Diodoro, Arminio, S Pereira, Netto, Loureiro ; "araa> cunta Teixeira e Jacobina.
Buarque, Aquino Fonseca, Amyntbas, Sabino Ja- i *>R. Presidente abre a sessao e declara nao
cobina e Francisca Pedro. precederse leilura da acta da sessao anteceden-
O Sr. Presidente abre a sessao. te, por nao se achar a mesma sobre a mesa.
O Sr. 2 Secretario faz a leitura da acta, da' ^n- ** facaWAlioJ coate do seguinte
25' SESSAO EM 1 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DJ SR. DR. SABINO OLEGARIO.
As II horas e 3|4 da manhaa, feita a chamada,
1 achara-so presentes os Srs. depatados S Pereira,
J. do Reg Barros, Braulio, Goncalves da Silva,
Arainthas, Rochael, Arminio, Aquino Fonseca, Ri-
beiro, Silva Barros, Bego Barros, Brandao, Jos
Maria, Sllveira Lobo, Buarque, Francisco Pedro,
Netto, G. Campello. Nabor, Loureiro, Teixeira de
Mello, Maranhao, Sabino, Diodora, Ramos, Ayres
posse em 15 do mesmo mez e anno ; attendendo
1ue o suppliconte est completamente cgo ; at-
tendendo que vive de esmolar o pao da* caridad
publica para si e sua familia, esta commisso de
parecer que se adopte a seguinte resolugo :
Art. nico. Fica o presidente autorisado a
aposentar Andr Avelino de Barros com o orde-
nado correspondente ao tempo de servigo presta-
do : revogadas as disposIgSes em contrario.
c Sala das commissoes, 13 de marco de 1865.
Ferreira Jacobina.Manoel Netto. "
O Sr. Buarque reqner, e assim decidido, que
este projecto seja remettido commisso de legis-
lagao.
Sao approvados os seguales pareceres :
A commisso de legislagao, para dar seu pa-
recer sobre o requerimento era que Francisco Au-
certido apresentada, como diz o inspector daquel-1 n fe a r^,^ .
la repartigo, nao Ihe serve de escusa. I tentando o EES* pronunc,a um d,scurso sus-
Considerando que, segundo as leis de fazenda, r, P" %e-,a M .
os peticionarios nao podem em poca alguma alie- JL2tzSS Teixeira ora respendendo ao pre-
gar perdas e dainos, nem usar de encarapago, I n Sn Aamm Fnsrvr* a, a- mu .
para o que deviam renunciar, como electivamente reiro deeKr? Sm ^ m.K! "V1*?**'
renunciaram pela condigo terceira do seu m^!^JS2L^S^&^ Re-' Bar"
trato a todos os casos posteriores ord.nar.os e ex- ?" EEK2L2P2W SSM seme-
.nordinarios, solitos e inslitos, cogitados ^^ffSSSSg^Sfr^t''^
Considerando que sem menor constrangimen-! a SjijStZSSSttJlSSS? aprefDlar
loprocurou o arrematante ser preferido a cinco S?ff^5M?.5,"V W1*) n**1 on"
vio le-lo. Parecendo-lhe que todos nao adoptavam
o pensamento comido na mesma indicago, teve in-
tengao de depositar sobre a mesa os 3OKJO0O, que
devia receber de subsidio, para se fazer a remessa;
consultando, porm, a um amigo, este mostrou-lhe
ionio da Silva Cavalcanti, portelro do "consulado ga o Oadorlmd'o a'ta^X?^Sn vS^lSS^**
Mas, depois da chegada do ultimo vapor, o ora-
competidores pela nica vantagem de superiorida-
de em lucro offerecido, vantagem que desapparece
pelo abale em queslo que torna Ilusoria a con-
currencia e causa consideravel prejuizo fazenda.
Considerando finalmente que tudo quanto alie-
Eftftft P6de a restitrao da 2?"" de......! fica d". inhuma importancia tem e nao Ihe d do?mnJtt,d?,Cheg1dV0
JISJOH rs., a que se julga com direito com parte o menor direilo que aos demais fiadores n/i f ,nteirarnenle de opmiao, por que est
de seus vencimentos, a qual deixou de receber, | E' de parecer que sejam indebidas as oelicoes S^SS a Crer Ia* esse fal,ado Pa'riosmo nao
precisa de que pela thesouraria provincial Ihe se- de Joaquim Cavalcaoti de Aibuqaeque Claudio SL"2 Um me, de esPeculagao, e por isso emende
,miiB,*radas- as informa55es ^bre o coetedo Dubeux, Francisco Antonio das fias e Francj i iaZ^acPm com cousa al8uma-
daquelle requerimento. e assim requer a corarais- co Casado da Fonceca e outros ao pode ser acc""sa Por falta de patriotismo,
Sala da commisso 1 de abril" de 1865. Buar- S^T'.S,'"68 lem dad pr0Vas de f
Macedo,Campello, Reg Barros.. SrL^^T^0 g8Vern- preci
E'julgadoobiecto de deliberado e vai a imnri- :e"Ls.!r!'?0s eraiuitos que o nao enco
sao que pelos canaes competentes se pecam as di
las informagoes.
t Paja da assembla legislativa proviacial de
Pernambuco, 1 de abril de 1865.Cesta Ribeiro.
J. do Reg Barros.S Pereira.
A' commisso de legislagao foi prsenle o re-
querimento de Jos Lulz Salgado Accioly, continuo
da thesouraria provincial, o qual requer a esta i Tacaral pan
assembla haja de tornar elfectiva e permanente a i marca,
gratificado de 2005
de
juigado objecto de deliberagao e vai a impri
mir o seguinte projecto :
A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco resolve :
Art. 1 Fica transferida a sede da comarca de
a villa da Floresta na mesma co-
sua de-
precisou de
enconlrasse
prompto a presta-Ios.
O orador conclue dizendo que da adheso da-
quelles que pensara como elle nao deve o governo
esperar muito.
Encerrada a discussao, o.parecer approvado.
Continua a terceira discussao do projecto n. 12.
Reconhecendo-se nao haver casa, o Sr. presiden-
dito requerimento remettido de ordenados, a
qnem cabe conhecer de assumptos daquella or-
Itit 'irado de quanto V. S. expoz em sea offlcio de
20 do crreme, sob n. 184, relativamente a arre-
niat igo do forneclmento d'agaa potavel para con-
sumo do forte do Buraco e do Laboratorio de fo-
gos, bem como da obia do pequeo tango de caes
que deve ligar o encontr da ponte de ferro do Re-
cife ao caes do passeA) publico, tenho a dizer em
resposia, que se nao houver urgencia no foroeci-
mento d'agaa para o referido forte, mande p-lo no-
smenle- em praga, no caso contrario convm que
indique o meio de ser elle levado a effeito.
Ouante, porm, a obra do pequeo caes de que
se traa, pode ser entregue aoengenheiro Marli-
nm. se quizer elle faz la. a razio de quinhentos e
incenla mil ris cada braga, eno prazo de 3ine-
zes.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., nos termos de
sua ioformago de 28 do correnle sob n. 210, dada
ora referencia a da contadoria dessa thesouraria,
a mandar pagar a Jos Pereira de Alcntara do O'
Compareceu depois os Srs. Araujo Barros, Paula
Baptista e Jos Mara.
EXPEDIENTE
Um offlcio do secretario do governo communi-
cando que a presidencia no fez uso da autorisa-,.
gao concedida da le n. 596 do anno passado sobre '
a abertura da barra do Rio Formoso. A' quem
requisitou.
Outro do mesmo remetiendo informagoes da re-
partigo das obras publicas relativamente a obra
da bomba da Varzea cora referencia ao offlcio n.
34 de 21 do crrente.A" quem fez a requisigo.
EXPEDIENTE.
Um offlcio do secretario do governo, remettendo
copia do contrato felto com o engaoheiro Milet,
para os estados da zona da estrada de ferro e as
plantas, satisfazendo assim as exigencias dos offl-
clos ns. 7 e 46 do mez passado.Ao ao projecto n.
" de 1861.
dem.
Paco da assembla provincial, Io de abril de
Costa Ribeiro. Sa' Pereira. J,Rego
reir; para ser tomado em consideragao o que pon-
dera o director da instruegio publica.- A's- com-
missoes de iostruegao publica e orgamento.
nutro do mesmo, remetiendo iiformacoes da
Urna peticao de Joaquina Deltina 4e Mello, pro-1 thes.P!;ria provincial, acerca das sobras da *on-
fessora publica jubilada na cadeira de Fra de s'Sagao da le do orgamento do exercicio prximo
Portas, pedindo a graticago que Ihe compete pe- flndo- ein desposta ao offlcio sob n. 29. A' quem
la le da 15 de outubro Ue 1827. A' commisso ez a requisigo.
de ordenados. Outro do mesrao, remettendo informagoes da the-
Outra do Dr. Antonio de V. Menezes de Drura- s0urari! provincial, acerca do requerimento, que
mond pedindo que se authorise ao presidente aa deyolve, do vigario Ignacio Alves da Cunha Souto-
1865.
Barros.
E' lido posto em discussao e fica adiado por ha-
verem pedido a palavra os Srs. C. Ribeiro e Sa'
Pereira o seguinte parecer :
< A commisso de fazenda e orgamento exami-
nou as piliges de Joaquim Cavalcanti de Alba-
Outro do mesrao, remeneado o requerimanto da cTagT' FrlSilc? Cacado ^a^FoiseSTutoI
profeosora de Caruar Joaquina das Mercs Per- SlS0FS/F,Tr
provincia a contratar a codificagao das leis pro-
qoantia de 889*000 a quo tem direito, prove-' J^nciaes, desapprovando o que foi feito com o Dr.
nienle de varias obras que fez no Hospital Militar Francisco de Paula Salles.A' commisso de or-
e nos quarteis desla cidade, coma se v dos docu-1 5jnento provincial e legislagao.
mentos que devolvo e que vierara annexos a sua Outra de Francisco Anlonlo Brayner de Souza
Maior.A' quera requesitou.
Outro do mesmo, remetiendo as informagoes de
que trata o offlcio sob o. 25. A' quem reque-
sitou.
Outro do mesrao, remetiendo informagoes exig-
Outra de Francisco
citada informago. i Rangel, escrivao do crime do termo'de Pao d"ho das e,n IDcio n. 16, acrescentaudo que* o inspec
Dito ao.mesmo.Para o hn conveniente resliluo P^indo o pagamento da quantia de 731*728 ris ,or da thesouraria provincial empregado effeclivo,
a V. S.,assignados pelo tenenle-coronel Joaquim de cusas.A'commisso de orgamento muniri- como coosla do titulo juuto por copia. A' quem
Jos Silveira commandante do Io batalho de artl-. Pa'- requesitou.
Iharia da guarda nacional desta capital, os prets Outra da irmandade de Nossa Senhora do Bom tma peticao de Theodoro Rampch, ampreiteiro
juc vieram annexos ao seu offlcio de 20do correnle Conselho pedindo preferencia para extraccao de da Ponte de ferro sobre o riacho Brumsinho, na es-
sob n. 181, relativos aos vencimentos a contar de uma Parle <*a lotera concedida pela le n. 593. ,rada de p d'Alho, pediadoa reparago da injus-
17 at 28 de fevereiro ultimo, dos guardas naci- A commisso de orgamento provincial. (ica que soITreu cora o descont da quantia de rs-
naes daquelle batalho destacados na forlaleza do ',ido e vai a imprimir o seguinte parecer: 1:595* rs., sob o fundamento de reparos feilos com
Brum e forte do Buraco. A' commisso de agricultura, commercio e a mesma ponte. A' commisso de obras pu-
. Dito ao mesmo.Tomando em consideragao o obras publicas, a quem foram presentes os offlcios blicas.
qu? no incluso requerimento expoz o bacharel Bar-.do Dr. chefe de po'icia da provincia e do delega- Outra do professor publico de lalim da fregu-
tholomeu Torquato de Souza e Silva promotor pu- do de pocia do termo do Rio Formoso, represen- zia de S. Jos desta cidade, Manoel Francisco Coe-
blico da comarca da Pao do Alho, recommendo a ,ando sobre o mo estado da cadeia existente na- ,h.> pedindo a graga de seHhe marcar a gratilica-
V. S. que Ihe mande pagar os seus vencimentos a quella cidade, assim como Informagoes relativas a gao que percebem os professores do Gymnasio
contar de 3 al 9 do correnle mez, em que por ess? objecto, ministradas pelo inspector daihesou- fnit cial.A' commisso do ordenados,
doente deixou o exercicio do seu emprego, consi- raria provincial, o que tudo foi remettido a esla Vo imprimiros segulntes pareceres :
dorando se assim justificadas essas fallas. assembla pelo Exm. Sr. presidente da provincia,' Acommisso de ordenado), tendo em vista a pe-
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S., que ten- para que esta assembla tomasse na consideragao I'?'0 do Rvd. padre Joo Jos de Araujo, professor
do em vista o que uo incluso requerimento expde 1ue iulgasse conveniente ; lecdo examinado devi- jubilado na cadeira de instruego elementar do 1*
o juiz municipal ede orphos do termo do Limoeiro damente a materia, e considerando que na verda- ?rao da villa de Santa Maria, na comarca da Boa-
bacharel Emigdio Marques Santiago, mande V. S. de nao est a cadeia de que se traa em condigoes vista, na qual pede a esta assembla que Ihe man-
pagar-lhe os seus vencimentos correspondentes aos de prestarse de maneira conveniente aos fins de de reformar a folha de sua jubilago na conformi-
dias decorrides de 28 de Janeiro al 25 de feverei- Que destinada : considerando qu3 a cidade do dada da lei n. 369 de 14 de maio de 1855, e o pa-
re desle anno, nos quaes por doente deixou de Rio Formoso por sua populago e adiantaraeoto e gamenio da quantia de 1:6300265 rs.. que julga-se
exercer as funegoas do seu emprego considerando or ser sede de termo e cabega da comarca, pre- cora direito, uma vez que seja reparada a iojustiga
assim abonadas as fallas por elle dadas naquelles cisa realmente e com urgencia, da uma casa de Que se 'he fez, oegando-se a sua jubilago na con-
priso em raelhores condigoes, quer quanto se- formidace da lei citada ; procedeu ao estudo e
guranga, quer quanto hygiene, quer finalmente analyse dos documentos que instruem a peiigo e
quanto ordem e decencia, que em taes lugares 'e's que regulam a materia : attendendo que foi o
deve haver. Considerando que j, reconhecendo
taes necessidades, a presidencia da provincia em
data de 5 de Janeiro do correnle anno,' autborisou
o inspector da thesouraria provincial a comprar
por 1:200* a casa que serve actualmente de cadeia
e primeira do projecto n. 28 desle anno.
art. 31 8-10 da lei do o?g0aem5nof0vigene.edda Pe, \ em rarSl. Rl-VancSpedo IZSST. I,e ,evan,a a sessaos 3 hora, e *a&&*>
t Unsiderando que a pretengo do pelicionario Sao approvados os senuintes reaue'rimenios Sara a 0T* do dia 3 : continuago da antece-
nao se reduz se nao a que sejam augmentados os Requeiro que peloi canos competentes se oe-' lDe; s.eKailda discussao do orgamento provincia
vencimeotos que actualmente percebe, e de manei-1 goao Exm. presidente da provincia informagoes
ra alguma en yol ve questao que dependa da inler- acerca do contrato que ficou auihonsado, pela lei
pretagaofla le, nem mesmo de estudo da legisla- n. 596-do anno prximo Bndo, celebrar com a
vl?!f!,e,, de Parecer a commis>ao que seja o Companhia Pernambacana, mediante a quota nun-
ca superior a 12:000* annuaes, para a construe-
gao de tnlhos de felro entre o porto de Japomim
e a cidade de Guian na. S. R.Arminio Tavares.
Requeiro que seja impressa por extenso
=3>*hS>--
RBYISTi DIAII1.
Funccionou sabbado o Instituto Aicheologico e
Geographtco Pernambucano, sob a presidencia do
' HXm "seDl}or Huniz Tavares, e com asistencia
jornal que Iranscreve os trabalhos desta assembla ^ j .' Joa1uimiPorlella, Apriglo Guimaraes.
a parte das informales do inspector da thesoura- ?oarei de ^w* e Wilruvio Pinto Bandeira, pa-
ria provincial, relativa a suanomeago, na qual i are;mes're L'o emajor Salvador Henrique.
elle se basea para dizer que inspector effeclivo.' ur-secretario perpetuo d conta do seguinte
no
dias.
Dito ao mesmo. Tomando em consideragao o
que expoz no incluso requerimento o capito refor-
mado Caetano Gaspar Lopes de Azevedo Villas-
Boas, recommendo a V. S. que sob minha respon-
sabilidad'! nos termos do decreto n. 2884 do Io de
fevereiro de 1862, mande abonar a esse offlcial
uma graticago de commandante de companhia,
at o lira deste mez, por ter servido como encarre- naquella cidade, o que deixou de realisar-se por
gado do deposito de Voluntarios da Patria e achar- nao ter o respectivo propietario para tal fim
se ainda servindo no mesmo corpo do quaj ser convidado, comparecido na mesma thesouraria
exonerado amanha.
Dito ao mesmo.Em vista dos ncldlos docu-
mentos que mo foram enviados com offleio do com-
mandante superior deste municipio, datado do hon-
tem e sob n. 93, mande V. S. pagar, nao havendo
inconveniente, os vencimentos, nao s do alferes
supplicante prvido na cadeira de instruego ele
mentar na conformidade da lei n. 43 de 10 de ju-
nho de 1837, nao havendo ento e 2* grao no en-
sino primario, e que esta lei fui alterada e revoga-
da em parte .pela lei n. 369 de 14 de maio de
1865;
Attendendo que a lei ltimamente citada, crean-
do 1 e 2* grao na instruego primaria e designan-
considerando que as condieges em que, segundo I do augmento de materias para o 2o o grao, as ma-
a representago referida, se acha a cadeia em
queslo nao bastar nicamente a compra da casa
para tornarse ella como preciso para seus fins,
e que o mesmo de presumir que acontega com
outra qualquer que possa ser comprada em lugar
do 1' batalho de artilheria da guarda ncional des- della, de opinio per tudo quanto deixa exposto
u capital Jdo Paulino Marques, commandante do que seja adoptado e seguinte prejeclo de lei:
destacamento da forlaleza do Brum, a contar de 17 A assembla legislativa provincial de Pernam-
de fevereiro ultimo, at lo do crrente mez, mas buco resolve :
tambera das pragas destacadas naquella forlaleza e Art. 1. Fica o presidente da provincia aulori-
M forte do Baraco^relaiivaraente a 1* quinzena des- sado a despender at a quantia de 1:500* com a
te mez.Communicou-se ao commandante superior compra e preparo de uma casa que sirva de cadeia
da guarda nacional do Recife.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mediante anga edonea, mande V. S. entregar ao
vigario da freguezia do Ouricury padre Francisco
Pedro da Silva, que assim o solicitou, a importan-
cia que se acha em deposito nessa thesouraria,
proveniente do jieneficio da 2* parte de lotera ex-
trahida a favor das obras da igreja da matriz da-
quella freguezia.
Dito ao mesrao.Pode V. S. mediante fianga edo-
nea, conforme indica em sua informago de non
na cidade do Rio Formoso.
Art. 2. Preceder a compra
terias do 1 Acarara sendo inferiores aquellas em
que fot examinado o supplicante na conformidade
da lei de 10 de Janeiro de 1837 ;
Altendo que o supplicante em face da lei de 14
de maio de 1855, nao habilitando se as materias
accrescidas para ser considerado professor do 2
grao, nao pedia deixar de ser considerado do 1
grao, visto como para islo nao houveram materias
accrescidas, devendo por consequencia perceber
da data da promulgago dessa le em dianle o or-
denado e gratigo marcadas para os professores do
1 grao, muito principalmente quando por delibe-
predio feita pela repartigo das obras provinciaes,
e orgamento dos reparos necessarios.
< Art. 3. Revogadas as isposigdes em con-
trario:
t Sala das commissoes, 31 de margo de 1865.-
Soares Brandao.Campello.
Sao approvados os seguinles requerimentos:
i Requeiro que se solicite com urgencia, do pre-
sidente da provincia o quadro das obras novas in-
, rago do conselho director
avaliago do foi juigado desnecessaria a
da instruego publica,
habilitagao do snppli
tem, sob n. 115 mandar entregar ao vigario da fre- dieadas pelo engenheiro em chefe das obras publi-
gaezia de Itamb Antonio RuQnoJeverano da Cu- cas em seu ultimo relatorio.S. R.Buarque.
aba a quantia de 1:848*000 que se acba deposita- < Requeiro que peloscanaes competentes se pega
do essa thesouraria, proveniente do beneficio da Ia por/copia a ioformago dada pela thesouraria provln-
parte da lotera extrahida a favor das obras da cial na petigo apresentada peios herleiros de Vic-
igreja matriz daquella freguezia. tormo Jos de Medeiros, que pedlam a presidencia
Dito ao ice consol da Italia.Em resposta ao mandasse suster a praga da casa n. 21 da ra das
oflic.k) -do Sr. Eduardo P. Wilson Jnior vice-con- Larangeiras, que a mesma fazenda penhora como
sul dallaba nesta provincia datado de 11 de janei- propriedade de Claudio Dubeux, e per forga dessa
ro ultimo, cabe-me d'uer-ihe que em vista das in- informago o presidente indeferio a dita peticao.
formagoes da theaonrarla e consulado provincial e
do parecer fiscal, constantes das copias inclusas, os
objactos de que trata a citado offlcio nao estao isen-
(os do imposto mencionado nos SS 33 e 34 art. 44
da lei provincial n. 596, como expresso na ulti-
ma parte do art. 2 da convengo a que allude o
decreto o. 3085 de 28 de abril de 1863..
Renov ao mesmo' Sr. vce cnsul os meas pra-
tostos de estima e consideragao.
Dito ao commandante superior da guarda naci
S. R.s Pereira.
, Vem a mesa e posto em discussao o seguate
requerimento :
c Reqaeiro que por intermedio da presidencia
se exija da cmara municipal desta cidade ama
exposico dos motivos que deram lugar as demis-
s5es bavidas de diversos empregados da mesma
cmara.S. R.G. de Drummond.
Oram os Srs. Jacobina, Drummond, Sa' Pereira
e Aquino Fonseca.
cante, para ser considerado em cadeira de Io grao,
pela razio j expendida de nao baverem materias
accrescidas, em que se devesse habilitar e suppli-
cante, como se evidencia dos documentos juntos
presente petigo;
Attendendo que, em virtude da lei de 14 de maio
de 1855, flcando o supplicante com direito a 600*
rs. de ordenado e 200* de gratifleago, e sendo ju-
bilado muito depois da promulgago da le citada,
era da mais rigorosa justiga que Ihe aproveliasse
o beneficio concedido pela.mesma lei, a mesma
eommissao de parecer que seja adoptada a seguinte
resolugo :
Art. Io Fica o presidente da provincia autorisa-
do a mandar reformar a folha da jubilago do pa-
dre Joao Jos de Araujo, tendo a reforma por base
o exposto ne art. 26 da le de 14 de maio de 1855.
Art. 2." O mesmo presidente da provincia man-
dar pagar ao padre Joo Jos de Araujo........
1:630*265 rs., a que tem direito era face da cita-
da lei wart. 1., e assim aos professores em idn-
ticas circunstancias.
Revogadas as disposigSes em contrario.
Sala das commissoes 29 de margo de 1865.
Carvalho Moura.Silva Barros.
A commisso de petigSes examinou a petigo de
Andr Avelino de Barros, que pede ser aposenta-
do no lagar de guarda dos armazens da repartigo
dos obras publicas, com o ordenado corresponden-
nal dos municipios do Rio Formoso e Serinhaem. Sendo pedida pelo seu autor a retirada do reque- dente ao tempo de servigo prestado ; attendendo
Deferndo os requerimentos do tenente Joveniano rmenlo, decide a casa pela afflrmativa.
Irineu Paes Barrete c alferes Jos Alejandre Car-' Ora depois pela ordem o Sr- Silva Ramo?.
fiadores do finado Francisco Cavalcanti de Albu-
qaerque, arrematante do imposto de 2*500 por ca-
bega de gado vaceum nos municipios do Recife e
de Goianua no tirenoio de 1857 a 1860, que soli-
citara desta assembla os tres primeiros um abale
de 25 por cenlo, o ultimo operdoda letra porque
ainda o responsavel a fazenda e que correspon-
de a 9 por cento de valer do respectivo contrato.
Allegam em seu favor os peticionarios que, tendo
esta assembla concedido igual abata a Jeo Anas-
lacio Camello Pessa Jnior e Manoel Barboza da
Silva, anematanles dos municipios de Pao d'Alho
e Santo Aolo, por uma disposigo taxativa da le
n. 488, pode estender este favor aos supplcanles
por uma disposigo facultativa da mesma lei; que
nao lendo o presidente da provincia por uma in-
diligencia arbitraria da citada lei, usado dessa au-
torisacao. foram elles privados do favor que lhes
havia sido outorgado ; que o abate em queslo fi-
cara' em grande parle realisado cora a restituino
das letras por elles garantidas.
Lembram mais os supplicantes, que teem de
solfrer as grandes perdas experimentadas nessa
arrematado pelo afflangado, e que teem entrado
cora os seus ben> para pagamento das ledras divi-
das fazenda, por isso que nada possuia o arre-
matante ; que o consumo do gado no triennlo de
1854 a 1857, encarregou o arrematante, quem
os supplicantes ti vera ni o infortunio du a til mear,
a elevar o prego da arrematado do trienoio de
1857 a 60 a 75 por cento mais que o do iriennio
anterior ; que, sendo o mesmo consumo de 111,971
rezes, e do supplicante daquelle Iriennio ficou muito
a quem de 100,000, diminuido esta que causou o
prejuizo que hoje allegara; que a fazenda provincial,
concedendo o abate em questao, lucrara anda 50
0|0 sobre o rendimento do triennio anterior ;
que o inspector da thesouraria provincial, tendo
dado um lacnico e duro parecer, e querendo fun-
damenta-la em outro que pouco depois foi obliga-
do a minsrar, encarregou-se de demonstrar que o
arrematante linha direito pelo menos ao abate de
18 por cenlo.
Considera por si o afiador Casado da Fonseca,
que nao fez parte da sociedade existente entre os
demais fiadores, para gerir os negocios do con-
trato ; que estes asseveram-lhe nao ser elle res-
ponsavel porcousa alguma, promeltendo-se-lhe exo-
nerado da fianga por uma declaragao, o que se nao
reaiisou ; que a dispensa do pagamento da ultima
letlra por elle pedida, muito rasoavel e cor-
respondente ao abaiimento de 4 por cento, me-
tade do que diz a fazenda ter direilo o arrema-
tante.
A commisso considerando que a disposigo da
lei n. 488, que conceden o abale de 25 por cento
sobre o valor dos respectivos contratos a Joo
Anastacio Camello Pessoa Jnior e Manoel Barbo-
sa da Silva, arrematantes do subsidio do gado
nos municipios de Pao d'Alho e Santo Anta era ta-
xativa, eque a ella se nao poda eximir o presi-
dente do provincia, desde que prestou a sua sane-
gao citada lei, que legalmente procedeu a mes-
ma presidencia nao se ntilisando da faculdade que
Ihe concede a mesma lei para atlender igualmente
aos supplicantes. porque usou de um direito in-
conlestavel ;
Considerando que esla assembla nao compele
mais apreciar os motivos que deram lugar pri-
meira aquellas disposigdes -,
Considerando que bera procedeu a presidencia
de enlo, recusndose a conceder aos supplican-
tes ou ao seo afflangado o abale de 2 > por cento so-
bre o valor dos contratos celebrados; porquanto
era presenga desle seria a fazeuda prejudicada na
importancia de 74:625*;
S. R.Aquino Fonceca.
Requeiro que por intermedio do Exm. Sr.
presidente da provincia se pega a seguinte infor-
mago,
Se a polica j descobrio o fim que teve um
individuo de nome Joo Mendes, a quem foi attri-
buida a morle do despachante da alfandega desta
expediente
Differentes ns. do Constitucional Pernambucano
e do Ensato Litterarit, offerecidos pelas respecti-
vas redaegoes.Recebidos com agrado, manda-se
archivar.
Varios ns. do Brasil Histrico ofterecidos pelo
Manoel de Figueiroa Faria.Recebidos
Aquino Fonceca.
Reqaeiro que por intermedio do Einvpresi-
dente da provincia se pego os seguinles esetare-
cimentos :
Io Se o lenle Jos Pedro da Silva, conside-
provincia Miguel Carnelro da Caoba, quei lave lu-com asrado' mandase archivar.
gar ha 10 annos pouco mais ou menos. S. R. M u rega|amenlo interno do collegio Sania Anna no
Marannae, offerecido pelo respectivo director, o Sr.
Dr. Kxequiel Franco de S.-Recebido com agrado,
manda-se archivar.
O Sr. secretario perpetuo d sciencia de que
r se achara promptos os retratos lyihograpbados do
rndo-se inspector effectito da thesouraria provin-: S mandes Vieira, que devem ser inclu-
cial, deve ser tambera considerado professor de \ ni? Pn0X'r n' da "*'a-
Geometra do Collegio das Artes, embora nao acu-' h Wl,rnvi0. Piolo Bandeira, como mem-
rale esses dous empregos I Dro relatr da commisso de fundos e orgamentos.
2 Se nao acumulando elle esses dous entpre- aPre.s.enIa seguinles pareceres, que deixam de
gos, deve ser considerado ainda professor eTecttvo ser a,scutldos P.or haver faltado o Sr. thesoureiro
desse collegio, nao obstante nao acbar-se em exer- iem conse1ue.ncja de legitimo impedimento,
cicio desde 1848. S. R.-Aquino Fonceca A commisso de fundos e orgamento lendo pre-
Orara pela ordem os Srs. G. Campello e Silva !en, ,as...con,as ^Presentadas pelo Ihesoureiro
Ramos. | desle Instituto, e havendo procedido ao exame
da sessao antece-
PriScedo-se leiluaa da acta
dente, a qual approvada.
ORDEM DO DIA.
Entra em seganda discussao o projecto n. 67
do anno passado, elevando villa a povoago de
Bezerros.
Vem mesa, apoiado e entra conjunctamente
em segunda discussao o seguinte artigo substitu-
tivo :
Fica perlencendo ao termo do Bonito a freguezia
de Quipap ; e erigida em villa a povoago de Be-
zerros, cuja freguezia, com a annexago da de Gr-
vala, formar lacmo
-Nabor.
Oram os Srs. Buarque, Baptista, Nabor e Reg
I dellas, verificou o seguinte :
. Qae no anno social de 1864 a 65 a despeza mon-
tou a quantia de 829*600, e a receita a de 673*629.
resultando um dficit de 155*980, que est levado
saldo do mesmo Ihesoureiro em desabono do
Instituto ;
Que todas as verbas de despeza do respectivo
orcamento tiveram a devida applicago, sem que
todava fossem esgoladas;
Que todos os ramos da receila prodoziram arre-
cadagao menor que o orgado;
Que, finalmente, desla causa procede a deficien-
reunido ao do Bonito S R ; cia 'ermeada, na comparago da despeza realisada
' com a receila effecluada.]
Em presenga, portanto, do que fica exposto, a
commisso de parecer que sejam approvadas as re-
feridas contas.
Barros.
Encerrada a discussao, o Sr. presidente poe a'
votos o artigo 1* do projecto, cuja votago fica era- bal f comm'ssoes o.Instituto Archeologico e
patada, bavendo 13 votos contra e 13 a favor (>eograpliico Pernambucano, 26 de Janeiro de 1865.
O Sr. Nabor observa que devra ter sido primei- witruvio Pinto Bandeira.Barros Falco.
ramente sujeito a votago o artigo substitutivo que'. A f on,naissao de fundos e orgamentos tem a
est sobre a mesa. honra de submetler apreciagao do Instituto o se-
0 Sr. Presidente declara que por esquecimento e}Dle PrJec, de orgamento da respectiva receila
pozera a votos o arligo do projecto, devendo ter! edesPeza para o anno social de 1865 a 66.
posto o arligo substitutivo, conforme determina o L A conim|ssao neste seu Irabalho, mingua de
I dados positivos, nao pode deixar de recorrer as
consignagoes ao arblro, figurando mesmo dados
ficticios para basear o referido projecto. Todava,
regiment; e que, por tanto, havendo irregularida
de na votago passada, a da por nnlla.
Oram pela ordem os Srs. G. Campello, Araujo
Barros e Paula Baptista.
O Sr. Presidente diz de novo que a sua decisao
que est nulla, por irregular, a --
algum senhor
consultara.
Posto a votos o artigo
por 13 votos contra 12.
deputado appellar para a casa, a
substitutivo approvado
fez por ciogirse o mais possivel natureza geral
u de taes trabalhos, reslrmgindo-se ao provavel as
votago, eque se! referidas consignagoes.
Por esla occasiao seja licito a mesma commisso
lembrar a conveniencia da apresenlagao de uma
conta correnle ou equivalente, que acompanhe ao
balango, e com relago aos socios, afim de que na
O Sr. Presidente declara estarem prejudicados! confeegao do orgamento da receila seja considera-
es ou tros artigos do projecto. da como precsao o que elles possm deverte
Seguese a discussao do projecto n. 16 deste an- atrazados ao Instituto. E' esla ama verba que
oo. approvando diversos crditos supplementares. pode ser orgada exactamente, mas pela ausencia
Vem mesa e apoiada a seguinte emenda. i de FJKfr,0 S8 s,do apenas com os dados de uma
t Accrescente-se ao crdito de o de dezembro :! Prebabilidade fallivel.
- 1:0378600 com o corpo de polica.Campello. bala das comm'ssoes do Instituto Archeologico e
Ora o Sr. Campello justificando a emenda aore- Geo9>aP>>'co Pernambucano, 20 de Janeiro de 1865.
v Witruvio Pinta Bandeira.Barros Falco.
sentada.
Encerrada a discussao, o projecto approvado.
Continua a terceira discussao do projecto n. 12
deste anno relativamente ao corpo de polica e vo-
luntarios da patria.
O Sn. Cunha Teixeira, pela ordem, requer ur-
gencia para que seja discutido o parecer da mesa
sobre ama indicago pelo orador apresentada, ten-1
dente a que a assembla offerega para auxilio da
guerra actual o subsidio da presente sessao.
Consultada a casa, decide pela afflrmativa, e em
seguida entra em discussao o referido parecer.
t Orgamento da receita e despeza do Instituto
Archeologico e Geographtco Pernambucano para o
anno social de 1865 a 1866 :
Receita.
Joias de socios effecli vos....... 100*000 (i
Ditas de ditos correspondentes.. 300*000 (2)
Mensalidades dos effeclivos___480*000 (3)
Ditas nao recebidas...........210*000 (4)
Assignaturas da Revista........ 10*000 (5>
O Sn. Cumia Teixeira diz que pedio a urgencia
por isso que, devendo estar j fechada a folha do
subsidio da assembla e dentro de poneos dias este
percebido, a indicago deveria flear prejudicada por I >no.
m
Considerando que este acto do presidente, fun-
dado em justiga e em defeza do nteresse da fa-
zenda, foi davdamente apreciado por esta assera- sua natureza, se nao fosse submetiida votago n
bla, que deixou de julgar objecto de deliberagao presente sessao, por quanto sena extrauho que se
um projecto de lei que conceden aos supplicantes o tratasse de renunciar o subsidio quando elle i es-
abate de que se tratou ; tivesse recebido.
Considerando que nonhuma razo nova se apre- (Kprador declara votar contra o parecer mas
senta hoje, para que esla casa proceda de forma nao fallar sobre elle ; e tanto mais forte 'o pro-
diversa por que tao dignamente se houve ; posito^ra que est quanto alguroas pessoas, infe-
Considerando que os prejuizos da fazenda em lizmente, tem interpretado mal o seu acto vendo
1:160*000
(1) Procede de 5 joias nao pagas.
(2) dem de 30 ditas nao pagas.
(3) dem das contriboigdes mensaes do corrente
que o snpplicante provou ter sido nomeado para o
citado lagar em 13 de maio de 1850, e tomando
materia de arrecadago de imposlos nao sao calca
lados pela forma por que o flzeram os supplican-
tes, tendo em vista arrecadages de exerccios di-
versos ; que os pregas por que se fazem as arre-
matagoes d esses i m pos tos effectaados em periodos
longos, nada provam salvo os lucros e perdas;
Considerndole nem mesmo o direito a um
abate de 18 OjO assiste aos; upplicantes e que nao
consta, como allegam, que a thesouraria reconhe-
cesse semelhante direito.
Observando que em vista dos contrato dos sup-
plicantes o oonsummo havido nos municipios do
Recife e Goianna no triennio que tenninon em ju-
nho de 1857 e d'ahi por dame at o ultimo de fe-
vereiro de 1860 o na\ nao esta provado com. a
no mesmo um meio de expor odiosidade os seas'
collegas.
Nao leve o orador isso em vista, e tanto assim
que na sua indicago deixa livre arbitrio, por quan-
to a renuncia poderi ser do total do subsidio ou de
ama parte delle-
Reconhece que aos seus collegas de fra desta
capital seria penosa a renuncia do subsidio.
Por sua parle est no Arme proposito de renun-
ciado ero. beneficio das despezas da guerra ; mas
nao deseja exercer a menor coagao nos seas col-
Sem idem do anno findo.
em correspondente a 2.
Despeza.
Impressao da Relista..........560*000
Festa anniversaria............ 110*000
Expediente................... 10*000
Gratificago do cobrador....... 60*000
Porcentagem do mesmo........ 140*000 (6\
Eventuaes..,.,............... 64*020
Debito por saldo do thesoureiro. 155*980
1:100*000
(6) 20 por eenlo sobre mensalidades e assigna-
turas da Revista.
Sala da., commissdes do Instituto Archeologico e
Geographtco Pernambucano, 20 de Janeiro de 1865.
Wilruvio Pinto Bandeira.Barros Falco.
Sob proposta do Sr.
legas, o, para affastat qualquer idea de coasirangi-! o xm^' presidente "resolve quo o Sr secretario
ment que possa haver, ser mais conveniente que, se dirija aos raembros da assembla provincial aue
seja approvado o parecer, declarando entretanto! slo lambem membros do Instituto, no sentido de
que vota contra He. | que interponharo os sea* hons offlciclos para que
\


M
^
i* i-. tn
V
'
Diarlo de ternmbuoo segunda lelra S de Abril de i 865.
X
to futuro exerclclo nnkncelro se xtraiam algnmas i Honorata, parda, fllha de Constancia, escrava
mesmo ttatiroto, tro Dr. Miguel Figuera de Paria.
partes la lotera coucedida ao
sendo para isto incluidas no numero das preter-
das
E nada mais havendo a tratar, levanta-se a
sesso, sendo mareade o dia 20 para a prxima
reuoio.
Amanha comeca o concurso para o preen-
chmenlo da cadeira vaga de latim do curso de
preparatorios annexos Faeoldide de Direito desta
cidade.
Pessoa devidamente habilitada tendo cenfec-
t'ionajo urna carta chorcffraphiea do thestro da
Marta, branca,~ulha legitima de Antonio Flix
Fructuoso Machado e Marcolina Leopoldina Ma-
chado.
Candida, branca, filha legitima de Agostinho Jo-
s da Silva e Antonia Goncalves de Faria.
Syraphronio; branco, fllho legitimo de Luiz de
Franca Guimares Peixoto e Lulia de Franca Car-
neiro Peixoto. ,
Julia, branca, filha legitima de Antonio Ignacio
Heitor e Anua Romana Martios da Cruz.
Joao, crioulo, filho de Silvana, escrava de Joa-
puerra nos Estados do Sul" acaba de d-te a luz, quim Jos da Costa Fajozes. .
tendo-a mandado lithographar em casa do Sr. F.| 'Anna, semibranca, fllha legitima de rosegarla
II. Cari?, cio trabaHio est primorosamente telto. j de Alencar e Mauricia Mana da Cooceicao
Expondo-a o seu Ilustrado antor ao publico nos i Amelia, branca, filha legitima de Jos Joaquim
lugares indicados no anauncio, que publicamos Al ves e Mana Libania dOliveira^Alves.
na sercao competcrrte deste Diaria, satisfaz a justa
curiosidade do lodos, que anciavam por um traba-
lito, que Ihes pozessente os olh, por assim dizer
os passos dos nossos bravos n'aquellas paragens, e
nials que tudo o itinerario dos paraguayos na
provincia do Mfto Gresso em sua excorso van-
Uto que se nao encontraba as grandes cartas, i Prudencio Machado
onde apeoas existe o que ha de geral, acha-se iies-1 ni de Miranda.
ta de que nos oceupamos, e qoe por sua especiad- Ladislao, branco, filho legitimo de Augusto Xa-
dade desceu s maiores miudezas locaes, para sa- vier de souza Fpnseca e Marta Xavier da Punfica-
tisface do seu fim, tendo alm disto a planta de cao l-erreira.
Paysao*! e suas fortifkacocs e do porto de Moa-1 Izolina, tranca, fllha
tevido com a posicio de nessa esquadra e acam
Jos, branco, filho natural de Diva Candida Rau-
gel.
Emilia, parda, fllha legitima de Joao Carlos da
Silva Ribeiro e Serafina A. Calvete Ribeiro.
Quintiliano, pardo, forro, filho de Cypriana, es-
crava de Manoela Caetana d'Olivera.
Francisco, pardo, filho legitimo de Marcellino
e Generosa Carlota Senhori-
pameoto do ex'ercito em frente da mesma cidade,
formando o respectivo assedio.
. E' digno de possoir-se esta caria chorographica,
onde se tem a* noticias indicadas pela mdica |
quantia de 2*000.
legitima de Caetano Le-
nidas Cunha Gama e Mara d'Almeida Gama.
Francisco, branco, filho legitimo de Francisco
Pinto de Queiroz e Thereza de Jezus Queiroi.
Antonio, branco, filho legitimo de Antonio Viei-
ra da Rocha e Antonia Francisca da Conceico.
As .ippellaces crines.
Appellanle, Jos Sancho Bezerra Cavalcanti-, ap-
pellada, a justiga.
Appellanle, o juizo ; appeilado, Brac Gomes da
Silveira.
As appellacoes civeis.
Appellanle, Flix Soares da Costa; appeHadd, Ka-
noel Alves Brrelo.
Appellanle, o Dr. Jos Angelo Mamo da Silva ;
e juizo.
Ao Sr. desemburgaaor Santiago
A appellaco civek.
Appellante, Joaquini Jos Ferreira da Costa Re-
binaba ; appellado, ttaphael Fernandes Port).
Do Sr. desembargador.Vasconcellosao Sr. des-
embargador Caetano Santiago
A appellaco civel.
Appellantes, bacharel Benjamn, Pinto Nogueira
e outros ; appellados, D. Margarida Augusta Pinto
e seus filbos.
A's 2 horas encerreu-je a sesso.
CQMMUNICADOS.
Anda orna vez : suspenda o* publico o seu juizo
a respeito dr.s injuriosas imputacoes, 'que na cor-
respondencia hoje publicada se repetera contra o
llibado carcter do mu digno Sr. padre Manoel
Jos de Oliveira Reg. *
A reputaca de um cidadao, e principalmente
de um sacerdote, nao pode nem deve estar roer-
c de quem quer, que por despeilos particulares
procure enxuvalha-Ia pela imprensa.
No paiz ha tribonaes para a punidlo dos crimes :
Vhram os briosos Goiannlstas I
Vhram os valentes Voluntarios da Patria 1
Margo, 19 de 1855.
H. Pereira de hucna.
FWLICACOES i PEDIDO
xEis o calculo para o eclipse parcial do sol, \ Joao Ferreira da Silva,
em 2o do correte, no meridiano do observatorio
do noss arsenal de marinha :________________
cjy31c>.cr-r"r,-o-rr-r->r-or~x=:
Valentim, crionlo, filho de Rita, escrava do Dr. admittinao-se (por hypothese) qne o Sr. padre Re
33^3
?. n = = = = = -
"a-fifi

CD
fia 2.
g o o o
V O S o .
O.B-3 5-
rA wn ""
O O
_o
=" .
o __ ,
=.=
o ?:

a

a
a
TS 2 -t
3, -^ .
w O S
B'S -
O,-o.
Q.
'llf
'. '.
"i
. n
e
: s
- a.
o
;
r>
sr
\ \ l
: : s
3
c
a. a.
S. o. 3
Ln t ir.
m
ca.ro g >
5.lf2
5 j B"S-
: 3:ese
o =0.3

a
9
rif
. o" ui
. a at
.2CP-" Qi9 "5" O I*
CJ os -* t
M 1* <
lOf-uuo-JOoa.

Ha ecco
030CO
Sto e c ci o> i o: -* o o 10 *=-
W
n
P3
ae
P3
X
H
O
O
>
r-
o
rt
r"
C
o
o
o
2?.
o 3
WW+_ CO + ?& 3
COOOOHffiOOCOiO"*-aUU'
ci!-co-oao*Oi
cocj o *o;0
C- -- : -J O
S* c-s eo e> co 1* ~"-"
c c es 1* ^1 x ~;. i os 4*.
1-i" l*"ia ootn*4* OMi-a'isVn
a5-J^C>COCitl-JOC
2 K
Joao, branco, Glho legitimo de Manoel Marques
Dias e Porcina Antera de Souza Res.
Jovina, crloula, filha de Quiteria, escrava de
Joaquim Pacheco da Silva.
Joao, branco, filho legitimo de Mauoel Ferreira
Diniz e Mara Felismina de Faria Diniz.
Cazamentos :
Joaquim Lopes d'Azevdo cora Anna Marlins
Ferreira.
Joaquim de Siqueira Cavalcanti com Julia Um-
belina de Mello.
(Idefongo Jos Mendes com Lniza Mara da Silva.
Keparticao da polica:
Extracto das partes do dia Ia de abril de
1865.
Fqram recolhidos casa de detengo ne dia 31
de margo :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Jos de Santa Anna, para recruta.
A* ordem do subdelegado do Recife, Antonio Go-
mes Mandinga, reqnisgo do capito do Porto ;
e Anselmo, escravo de Leopoldo Cesar, para cor-
reecao.
' ordem do de S. Jos, Joao Manoel do Nasci-
ment, por crime de rouba.
O chefe da 2" secgao,
J. G. de desquita.
OBITUARIO DO DIA 31 DE MARgO DE 1865, NO
CEMITERIO PUBLICO :
Mara, Pernambuco, o dias, Boa-Vista, espasmo.
Isabel, Pernambuco, 7
CURA
Espante e Adniravel
DE'MA CHAGA
CANCROSA E ROEDORA
0D
PLIPO l\0 NARIZ.
nao houvo reniSo de mesa, que a autorisasse nao
s por causa dos meus repetidos encommodos, como
tambem pela- difflchldad que constantemente se
observa da jalla de comparec ment de irmaos, era
numero sufficiente para 'constituir mesa legal, como
anda .no .di II do crrante se observoa cora o
knlgl. ^Vui-tembergUches
Coasnlat.
Ztr Ra de Jiieiro.
Aul Refebl einer hohen Enigl. Wnrtembergis-
eben Reglernng wird folgende Edital Ladung be-
maior escndalo, que faltando, dous^.para ^ ,e=- ^'flESST ,ei'Sho nd f m
constituir a mesa geral, e exislindo qualro de per- Knigreich Wnrtemberi? Der am 5 Sentemhpr
fetasaude, residlndo bemPenoda respecl va^e- im^n^ti^^totoS^
Jr^aiv-nlPareCTaneDb0r5<^Jf' K P^rtt les verstorbenen Trauben Wirths Johann Georg
rem avisados, pelo Diario de Ptrnmrtbuco, e part- bofo,,,,,, B nter-Urbach oad selner gleichfalls
cuiarmenie. erstorbenen3 Ehefrau Doroibee, geborenen Sleinle,
A,'^ltlSe"^ ^ISZT:l fieB?'.m. ** i82.3 BaekMeJ. _.f die* Wan-'
go tenha delinquido, lera de ser punido ; mas pe-
los meios regulares, pelos transmites eslabelecidos ;
por lei, e depois de ouvido e convencido.
K' isto o que a razao, a justiga, a moralidade pu-
blica exige.
O que nao podemos tolerar que de um modo
descomunal se procure abalar o bora conceito, que
merecidamente goza aquello respeitavel sacerdote;
que arleira e maliciosamente se trate de crear
prvengoes contra elle. As leis ah esto : elle se
defender cabalmente, 9 obter glorioso triumpho
contra o seu maldizente inimigo.
Um pouco de paciencia : esperen.
O subdelegado do l re jo da Ma-
dre de leos.
Tendo sido publicado no Diario de Pernambuco
alguns commuuieados contra o Sr. Rogerio Lodo
da Silva Mergulho, subdelegado do Brejo da Ma-
| dre de Dos, do qual prezo-me de ser amigo, deso-
jando fazer a defeza do referido Sr. Mergulho,
convido o autor de taes commuaicados a sobsere-
ver o seu nome, para, no caso de ser pessoa cem
possa discutir, dar-lhe conveniente res-
quem
posta.
Detesto o anonymo, e as insinuagoes cheias de
malicia.
A diffamagao nunca foi recurso de horaem s-
1 rio, e anda menos a diflamagao que nem tem som-
mezes, Boa-Vista desintena.: bfa' de yerdade
Destes elementos resullou o segrate:
Tempo medio.
b. m s.
Hora do principio do eclipse... 10 06 26 da manha.
Meio do eclipse ou maior phase 1131 prximamente
Fim do oclipse............. 102 38, 5 da tarde.
A grandeza deste eclipse.....*A do dimetro do
sol ou 8 dgitos.
Joo Soares Pinto.
Corte, C de Janeiro de 186o.
Sabbado foi vendido em leilao. pelo agente
Pinto, o casco do brigue Bglez Hebe of the Exe, no
lugar em que se perdeu, por 550-OO.
O Sr. Antonio Jos Rodrigues de Souza, mul-
to digoo thesoureiro das loteras provincaes, acaba
de offerecer ao Exm. Sr. presidente da provincia,
para as despezas da guerra, dez bilhetes inteiros
de cada lotera que se extrahir era quanto ella du-
rar. E' urna prova de verdadeiro patriotismo, que'
Maria, Pernambuco, 2 das, S. Jos, espasmo.
Antonio, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vista, desin-
teria.
Josepha, Pernambuco, 7 m?zes, Boa-Vista, inflam-
mago de intestino.
Maria, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista, convul-
saes.
Antonio, Pernambuco, 7 dias, S. Jos, espasmo.
Hilaria, Pernambuco, 34 anuos, solteira, escrava,
Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Lulz da Costa Leite, Portugal, 65 annos, vluvo,
Boa-Vista, desintena.
Antonio Teixeira Lima, Pernambuco, 70 annos,
viuvo, Sanio Antonio, paralysla.
Anna, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista, convul
soes.
CHKOMCA JUDICIARIA
Recife, 1 de abril de 1865.
Jos Joaqaim do Reg Barros,
CORRESPONDENCIAS
THIBlXll- A REIiA^iO.
SESSAO EM 1 DE ABRIL DE 1865
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
estamos certos ser devidamente apreciada pelo go- desembargadores Santiago, Gitirana.LourengoSan-
verno n peral. tago, Alraeida e Albuquerque, Assls, Doria, o-
O nosso amigo o Sr. Dr. Buarque de Macedo mingues da Silva e Barros Vasconcelos, faltando
acaba de_ dirigir-nos a seguinte carta, pedindo sualos Srs. deserabargadores Motta e Guerra, procura-
publicagao : ,.,..' dor da cora, abrio-se a sessao.
t Illm. amigo e Sr. redactor da lievista Da-1 Passados os feitos deram-se os seguintes julga-
ria.Desejoso de esclarecer urna questao, que: mentos
ltimamente se tem levantado acerca dos pezos
que servem nos transportes da estrada de ferro,
rogo a V. S. o favor de dar publicidade carta
inclusa do superintendente daquella estrada.
< Sou com.estima de V. S., amigo ofDcioso e
cbngado criado.Io de abril de 1865.Buarque
de Macedo.
Recife e Sao Fraucisco Railway Limited.Per-
nambuco. 31 de margo de 1863.Illm. Sr. Dr. Ma!
noel Buarque de Macedo.Nunca eu recebi recla-
marlo alguma a respeito da incorreegao dos pezos
usados na estagao de Una, e foi a prmeira vez que
AppeUacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Bezerra An-
tones.A novo jury.
Appellante, Alexandre Jos Teixeira de Sa;
appellada, a justiga.Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Francisco
Xavier.A novo jury.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Flix
Cardoso.A novo jury.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Luiz de
Araujo.Improi.edeute.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Jos de
em tal cousa ouvi fallar quando V. S. me requisi- Oliveira.Improcedente.
ton que os rnandasse conferir, o que sendo mme- Appellante, o juizo ; appellado, o escravo Flix.
di3ta"mente feito achou-se-os pereitamente em
ordem, como j informei a V. S.
c A menor reflexao teria mostrado a quahjuer
que nao trara proveito algum, e pelo contrario
uni consideravel prejuizo a companhia o ter em
urna estagao pezos menores sem ter iguaes em
todas: por excmplo, supponliamos que a arroba
na estagao de Una fosse smente de 28 libras e que
a companhia insistisse que scmelhante pezo era a
arroba legal de 32 libras, mencionando dos conhe-
ciraentos de carga os pezos nessa conforttidade, a
pessoa que mandasse assucar ou outro genero de
Una leria o direito de pedir na estagao de Cinco
Pontas 32 libras por cada arroba.
Se alguem iouvesse tao destituido de senso
para suppr qoe a companhia se collocaria em'lal
condigo, ella permute ao mesmo a opportuoidade
de realisar una rpida fortuna pois por cada arro-
ba despachada em UBa, a qual diz-se smente fazer
28 libras receboria em Cinco-Pmtas urna arroba
do mesmo genero na razao de 32 libras.
Eu estou informado de que -esta questo de
Eos pec.uenos proveio simplesraente de certos
ipradores de algodo em Una, os quaes usavam
a falsa arroba de 36 libras e at de 40 libras,
seguod i me disseram, para comprar o algodo aos
matulos, e achando-se estes tesados ensistiao para
serem conferidos os pezos com os da companhia, e
d'ahi esta assergo da parte dos compradores de
que'os pezos da estagao de Una no-eram de arro-
ba certa, porm^de 28 libras smente. Isto foi e
qne me disseram; narro a V. S. a historia como a
oavi.
Em concluso eu pego a V. S. que noraei por
parte do governo alguma ou aigumas pessoas para
examinaren! todos os pezos da Iralia comigo, em
ordem a provar a V. S. que a ompinhia nao tem
nem de seu interesse ter pezos illegaes.
Tenho a honra de ser de V. S. ltenlo venera-
dor e criado obrigado.G. O. Mtmni engeaheiro e
superii tendente. >
Bo bataneo dado as diversas caxas da the-
sourara provincia! werlflcou-so os saldos se-
guintes :
1864 a *865 moeda correrte....... 171:404^751
Calcameato 1:075*441
Apoliccs 4:648S99
fAccies.....:............. 31:033*800
Depsitos^ Letras........,........... 275:673*369
(Moeda correte........... 18:024*231
Chegaram sabbado, por noite, 21 voluntarios
da patria, da villa do Brejo, ali obtidos pela res-
pectiva commisso.
A escuna amborgueza Marte Louise,em vla-
gem de Santos para Falmooth, entrou ante-hontem
em nosso.Dorto para refrescar, e seguio pouco de-
pois para*seu destino, deixando aqu o passa-
geiro francez Pedro San Julion.
P>ssageiros do por inglez Saladm, sahido
para Liverpool por Lisboa : Manoel Jos M.ar-
(ins da Silva, Jos do6 Santos Farias, Joaquim
Jos de Axe^edo, Rodrigo Pinto Moreira e Joo
Francisco Manoel. I
Passageirotja.galera franceza Atnelie, sabi-
da para o ffevre :l. Pradines e sua familia.
Rel.ig.io dos baptisados durante o mez de
margo de 186$, feito* na matriz de Santo Antonio
do Recife.
Amalia, parda, lima legitima da* Joaquim Jos
da Naves e Antonia Maria da Nev?.
Joaquim, braneo, filho natnrai de Joaquina Ma-J
ra da Gonce i gao.
Joo, branca, fllho natural de Anna Maria do
1 iom Parto.
Guiihermfna, parda, fllha natural de Leandra
Joaquina do Rosario.
Improcedente.
AppellaQo civel.
Appellante, Joao Correia de Araujo \ appellado,
Maneel Joaquim de Albuquerque Lins.Annulla-
ram o processo.
Revista civel. eTanto esperam e confiam do nosso valor e pa-
Recorrente Jos Puta Macie I? ***&*%*- ?rio,ismo nunca desmentidos,
xandre Joaquim Das. So"^ SJSS: i a menor excitagao, o mais leve signal de fra-
bargadores Vasconcelos, e Almeida Albuquerque. I Qn (emor devnossa parle> attrahira1 sobre nos
I fl, 112 em Oante. | opproDr0 e a malrticn los r
Srs. redactoresPego a VV. SS.,que dem pu-
blicidade ao discurso abaixo escripto, proferido na
reunio popular de 19 do corrente mez, pelo Illm.
Sr. De, Henriqne Pereira de Lucena, muito digno
juiz municipal da comarca de Goianna, certode
que muito I he Acara' o
Patriota Goiannista.
Goiannlstas!
Do norte ao sul do imperio echa a voz da pa-
tria, ultrajada indigna, covarde e traigoeiramente
em sua honra e digoidade pelo sanhdo tyrano da
infeliz Repblica do Paraguay, chamando s armas
os seus briosos e valentes fllhos, para desafronta-la
perante o mundo de um modo condigno a alta po-
sico, que ella oceupa entre os estados da America
do* Sul.
A' esse brado do gigante americano, deste vasto
colosso, que na phrase de um joven poeta :
t Repousa-lhe a fronte no immeoso Amazonas,
E as aguas do Pratamurmuram-lheaos ps,
Ja se vo erguendo de todos os ngulos do paiz
os descendentes dos nobres guerreiros Tupis e de j
ootras tribus nao menos' Ilustres, entoando o seu ,
canto de guerra e marchando alegres e impvidos
para os combates, como se corressem tomar par-
te em algum festim patritico.
O enthusiasmo guerreiro dos fllhos do Cruzeiro
de da em dia mais se exalta, e todas as provincias
do imperio porflam em exceder urnas s outras
nesse dnello de honra, travado entre a barbaria e
a civilisago.
As discensoes intestinas, que nos delaceravam,
se ainda nao desappareceram completamente, eslao
ja muito amortecidas, porque, felizmente lodos nos
brasileiros temos comprehendido, que as aras da
patria devemos depositar todos os nsssos odios e
resseotimenlos, e fazer da causa nacional, causa
coramum.
Urge, pos, Goiannistas, que nos os habitantes
desta heroica cidade, que nos Pernambncanos, des-
cendentes de varSes, que se immortalisaram por
feitos homricos, e que pessuimos urna historia,
ue urna verdadeira epopa, sigamos ao campo
a honra os nossos irmaos de outras provincias,
Urna creada de servir residente em Pemam-
bneo c pertencernt* ExfT SeBrf. Viscokdessa
de Gotahna, foi attocwfa i'uma terrirel cha-
ga cancros* e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesma invohia e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, ameacando j distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
<,ou primeiro por apparecer sob o beifo supe-
rior e parte da fece, extendendo-ise por tal
forma e com tal rapidez, qne em pouco anin-
Cava transformar todo o rosto n'uma enorme
cliarga viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos medicnaes
que em taes cazos se uzao foriio abundante-
mente empregados, sem que de leve fizesse
parar a masen* lenta e distraidora de tao hor-
rivel enfermidadb, e todos os meios e esfor<;os
lorio baldados, e no em tanto o mal cresca eis
qne por milagrosa fortuna, da infeliz estando
as colizas neste ponto, se experimentou pela
vez prmeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente manevilhoso e sem igual; este grande
purificador do ggue1 e dos humores do sjs-
tema, immediatamente pz um termo mar-
cha disastrcaa e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando.se atraves dos tecidos os maie
delicados do corpo, expellindo at ultima
propriedade ou vestigio virulento da melestia,
e dentro d'um curto espaeo de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quao admiravel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
D'iiHia so nica (arrala!
d'este incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portanto todos os Doentes
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Salsaparrllha de Brlitol,
nicamente preparada por
L ANM AN & KEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mais preparados
i mitativas nao valem para couza alguma
Vende-se as boticas de Caors A Barbse
e G. Bravo 4 C.
ra da Soledade, como me$a administradora do
patrimonio de Nossa Senhora da Paz, visto como
nao lera esla imagem irmandade especial! nem no
compromisso daquella exista a menor disposicao a
respeito do patrimonio desta, pareceme qne taci-
I tamente se deve entender, que ao Sr. Dr. juz de
' capellas, e nao a mesa regedora da Soledade, com-
pete dar semelhanle licenca.
Seja, porm, como for, "como existisse aquella
1 impossibilidade, e urgisse a necessidade dos sobre-
ditos concertos, flzeram-se, e estou convencido,
que este acto, sendo para edificar e nao para des-
! trnir esses bens, como patente, nao deixar de
; merecer a approvacao do Ilustrado Sr. Dr. juiz de J;Jhres verslorben
CdpcilaS.
V. S. deve convir comigo, que se a verbaDe-
] cimas nao estivesse elevada ao ponto em que
saacha a respeito dos bens das corporacSes reli-
giosas, que absurve quasi urna quarta parte dos
seus rendimentos (23 por cenlo) qoe eu teria, co-
mo era meu intento, e aspiracoes, dado comeco s
obras da respectiva igreja, para as quaes ja existe
algum material prompto) que se acham grande-
mente estragados, principalmente a capella mr.
Kesta-me flnalraente asseverar a V. S., que du-
rante os cinco annos, que serv de juiz nesta ir-
mandade, nao poopei esforcos, nem mesmo sacri-
ficios era beneficio da mesma, adqnrindo para ella
a entrada de novos irmaos, cojo producto, mon-
tando no raelhor de seta contos de res, justa-
mente esse augmento, que se v Qcar ella fruindo,
no ponto de ser por mim entregue, -decrescendo
que eu a recebi empenhada, e a entrego livre e
desemoaracada, sem nada dever a ninguem, com
lodo patrimonio reedificado, recebendo-o todo es-
tragado, licando cerca de 500000 em caixa, se-
gundo os esclareclmentos que me minislrou o ac-
tual ihesoureiro, o Sr. Luiz de Azevedo Souza, cu-
jo zelo e lidelidade muito me coadjuvou nesiesdous
ltimos annos, por cuja razao nao nomeei thesou-
reiro interino, como para isso eslava autonsado
era vista dos seus incommodos, em consequencia
das melhoras que obteve, e por estar prximo o
fim do anno de sua adminislracao.
E' isto o que succintamente me occorre dizer a
V. S. que opportunamenle tara chegar ao conhe-
cimento da nova mesa regedora, e sendo-lhe indis-
pensavel um delalhe mais explcito, encontrara' o
recurso as comas cerrentes dos annos anteriores
ja revistas e approvadas.
Recife, 26 de Janeiro de 1863.
Illm. Sr. Manoel Ferreira Ramos, juiz interino
da irmandade de Nossa Senhora da Soledade.
Juiz, D. Jos Antonio dos Santos Lessa.
dersebaft und reiste ais solcher 1827 nach Brasi-
lien, wo er sich, wie aus einem Briefe desselhen
vom 17 Juni 1831 hervorgeht i Caduca bel Per-
nambuco ais colonist niedergelassen. Seit die-er
Zeit Ist keine Kunde mehr von ihm in seine Hei-
niaih gelangt.
Es ergeht nunmehr an ihn oder Awaiger dies-
seits onbekannte Erben desselben hierdurch di-
AulTorderung ninnen sechs Monaten vom Era-
cheinen dieses Blattes an berechnet bei unterzeiche
neter Stelle sich zu inciden und ib re Bereihti-
gung darzuthun, widrigenfalls nach Ablauf dieser.
Trist der Yerschollene ais mit l'nifluss seines 70.
angenommen und dessen iu
Unter-Urbach in pflegschaftlicher Verwaltnng ste-
hendes Vermgen im ungefhren Belrage von-
Vier tausend vier hundert Gulden suddentscher
Wahrung uoter seine diesseits bekannten ErbeB
verthelt wurde.
Den 6. October 186i.
Der Konigl. Wurtembcrglsche
Oberamthsrichter zu Schorndorf
Vermagel.
Konigl. Wurtembergisches Consulat
Zu Rio de Janeiro, 28 Tebruar 1863.
Hermann Haupt.
COHHEKGIO.
Relatorio da irmandade de Nossa Senhora da So-
ledade, apresenlado pelo juiz da mesma, D.
Antonio Jos des Santos Lessa, na oceasia de
entregar esse encargo ao Sr. Manoel Ferreira
Ramos, juiz interino.
Ao passar as mos de V. S. o encargo de juiz da
irmandade de Nossa Senhora da Soledade. que In-
dignamente tenho exercido, eu deveria ser bastan-
temente minucioso, e de boa vonlade o faria, seBao
fosspjn os padqeimentos. que acerca de um anno
me accommeitem, e ainda agora me obrigara a re-
tirarme para Beberibe, afim de melhorar o estado
de minna saode.
irei lodvia alguma cousa, ainda que sucinta-
mente, acerca da irmandade, do seu estado, e fi-
nanzas, desde que tomei posse at ao presente
Negaram a prorogacao
maldico dos nossos antepassados
1 e das geracSes porvindouras.
ios Pedro de Carvalho._ As nossas gloriosas tradigoes por nossos pas
iEsiGNAc.vo de dia. i conquistadas a forca de torrentes de sangue, e de
Assignou-se da para julgamento das segura-, mar4t ios de todava especie) sio um legado sagra-
Para s. Eie. o Sr. presidente da
provincia ver!!?
A abaixo assigoada vendo no expediente do go-
verno da provincia de 24 de margo prximo Ondo,
um despacho de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, mandando o Exm. commandante das armas
Informar acerca de urna petico da abaixo assig-
nada, vero mullo,solemnemente declarar ao Exm.
Sr. presidente da provincia, e commaodaote das
armas e a qnem interessar possa, que ella nada
requereu a presidencia da provincia, e que se al-
guem usou do nome delta para requerer alguma
couza ou isencao de recrutamento de Jozino da Sil-
va Accioly, urna perfeita falsidade que nao deve
passar desapercebda.
Para evitar portanto qualquer engao, e nao se-
ja Iludida a lei, vem a mesma abaixo assignada
irazer ao conhecimento das autoridades e do pu-
blico o facto soppra referido, quenaopassade per-
feita falsidade, e tendo o mesmo Jozino da Silva
Accioly, embora casado coma abaixo assignada,
deixadb a tres annos soa companhia a ponto de
morrer a fome se nao acbasse um irmiio que a soc-
corresse, nao pode apresentar-se agora reqoeren-
do isencao para marido dessa natureza, que falta
alguma Ihe faz e que nao Ibe pode fazer mal senao
no caso que obtenha a isencao ou dispensa que tao
fraudulentamente se reqner em nome de quera ig-
nora u nao concorda com semelhante pedido.
Recife, l" de abril de 1863.
Ffancelina Marta dos Santos.
PRAGA DO RECIFE.
Cotacdes ot-iaev
Io de abril.
Algodo primeira sorte 14J00O por arroba.
nubourcq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
Cai\a filial d banco do Brasil tn>
Pernambaco.
A directora desta caixa saca sebre o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Babia.
\ovo baneo "de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
toma dinheiro a juros a praso nunca menor da
tres mezes, c saca sobre a praca da Baha.
Hoto baneo de Pernambuco.
O banco paga o i4 dividendo na razao de 8
por acQo.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1.......... 30:644(202
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas...
i com gneros----- 234
Volumes sabidos com fazendas...
c com geeeros-----
-<
para o Illm. Sr. capito do porle
ver,
0 abaixo assignado, morador na freguezia de
Maraoguape, vem perante o publica desta cidade,
patentear a injustica que soffre do capataz daquel-
la localidado Manoel Antonio Cavalcanti, que em
verdade se torna indigno de exercer um logar de
confianca : tendo a illustrissims. ramara muuicipal
do Recife, prohibido por posturas a concorrencia
dos atravessadores de peixe ao mercado, c smen-
te permittdo aqoelles que s: apresentam matri-
culados psla capitana do porto, urna vez que mos-
trem exercerem a proflssao de pescador ; tem isso
dado lugar a que o dito capataz va preterindo ao
abaixo assignado, que tem jangada de pescar, e os
demais quesitos,' e dando falsamente habililacao
aos seus filhos Alexandrlno dos Prazeres Albu-
querque e Joo Tiburcio de Souza, compadre do
tes
Appellacoes civeis.
Appellante, D. Joanna de Jess Neves Quaresma
Duane ; appellado, Joaquim Francisco Doarte.
DILIGENCIA CnWE.
Com vista ao Sr. deserabargador promotor da
justiga
A appellaco crime.
Appellante, o juizo; appellado, Telespboro Mar-
ques da Silva Jnior e outro.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gader Gitirana
As appellacoes civeis. .
Appellantes, Jos Joaquim Ozono e outros ; ap-
pellado, Luiz Paulino Cavalcanti de Albuquerque.
Appellante, a fazenda; appellado, Joo Francisco
do Reg Mala.
Appellante, a irmandade de S. Jos da Agona ;
appellados, osherdeiros de Antonio Pereira de Aze-
vedo.
JJo Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellaco civel.
ppellante, Luiz Antonio Annes Jacome ; appel-
lado, Francisco de Salles Cardozo Lins.
Do Sr. desembargadorLoorenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellaco civel.
AppeUante, D. Tnemotea Josepha Maciel da Sil-
va : appellada, a fazenda.
Ao 8r. desembargadw Motta .
A appellaco civel.
Appellante, a fazenda; appellado, Manoel Custo-
dio Peixoto Soares.
Do Sr. desembargador Aleida e Albuquerque ao
Sr, desembargador Assls
As appellacoe civeis.
Appellante, Malhias Lopes da Costa Mala ; ap-
pellada, D. Maria de Jess Cordeiro.
Appellante, Dr. Joo Jos Pinto; appellado, Jos
da Costa Ribeiro.
Do 6r. desembargador Assis aoSr. deserabarga-
dor Doria
A appellaco civel.
Appellanle, Jos Joaquim Goncalves Bastos; ap-
pellado, Justino Pereira de Parias.
Po Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
A appellaco civel.
Appellaates, Guimares & Alcoforado ; appella
da, D. Maria do Carmo Rocba Co6ta. v.
Ao Sr. desembargador Dpmingues djrSilva
As appellagoes civeis.
Appellantes, a parda Cordula e seus fllhos ; ap-
pellado, Jos Vicente Ferreira de Freltas.
Appellante, Manoel Elias de Moura; appellado,
Joaquim Francisco Cavalcanti de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Domiognes da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
martyr
do, urna verdadeira reliquia, que devemos guardar
pura e intacta, como o fogo sagrado de Vsla, para
transmiltl-la aos nossos descendentes.
0 homem, que nao sensivel a' gloria, diz Taci-;
too grande e immortal historiador romanonao
sera' nunca virtuoso.
Isto posto, cumpre, que todos os cidados, ho-;
mens e mulheres, mocos e velhos, todos sem ex-
cepeo de idade ou sexo, concorram com e seu
bolo de qualquer natureza que seja, para se ex-
pelHr do nosso territorio o inimigo imprudente e
arrojado, que nelle ousou penetrar, e para faze-los
sentir, que nao se insulta impunemente os bros de
htm povo hvre.
O que se recusar a' satis faci desta divida sa-
grada... nao qnero concluir o meu pensamenlo/
cidados, porque nao possivel, que entre nos ha- j
ja algum irmao to degenerado, que desminla a'
sua progenie, e se torne Insensivel aos males da-
patria, nossa verdadeira mSi, por quem tao doce
morrer... Dulce pro patria mori....
Sim, nao possivel, que haja um s filho desta
trra, um s individuo, que se adorne com o pora
pozo titulo de cldado btlsileiro, que se regozje
com o espectculo, que todos nos com a indignagao
aa alma contemplamos, vendo os nossos campos
talados, e as nossas povoaees saqueadas^ielo br-
baro e selvagm inimigo, que deltas a falsa f e
traicoeiramentese apossou; que nao aspire a* urna
nobr vingaoca contra os algozes dos nossos ir-
maos, vendo nns acorrenlados e expostos as pra-
vas publicas as apupadas do povilo immundo, ou-
tros brbaramente trucidades, pregando-se-lhes as
cabecas em postes infames para servirem de Irrl-
sao publica e de pasto as aves carnvoras ; outros
atirados a', masmorras nauseabundas; outros, em-
fim, cruelmente offendides na honra de suas espo-
zase fllhas, e roubados em suas propriedades 1 I I
E alnd,a isto nao tudo, cidados, contemplando o
nosso glorioso pavilho, o emblema da nossa inde-
pendencia e liberdade. atirado ao*cho, como tape-
te, e pisado por aquelles, que nao eram dignos,
nem de beija-lo II...
Goiannlstas I Como possivel ouvir-se impassi-
vel tantos horrores, tantas anomalas neste secuto
de progresso, sem se soltar um brado de extermi-
nio contra o tyranno de um povo, digno de me-
Ibor sorte ?
As armas sera demora, Goiannlstas 1
A patria nos chama, e ella tem na presente qua-
dra necessidade dos nossos peitos, dos nossos bra-
cos, do nosso dinheiro e dos nossos canselbos...
Considera!, que dupla a nessa missaodesa-
frontarmos adfgnidade a honra da nossa patria,
e libertarmos um povo opprimido por um feroz ty-
lanno, e sequestrad inteiramente do banquete da
civilisaco.
Nao consintis, briosos Goiannistas, que se diga
jamis, queo'berco de Nunes Machado desappare-
ceu com elie... x
Viva S. M. o imperador I *
com
&
perore. .
do negar meus debis servicos a esposa daquelle,
a quem j estava prestando, e desejando ao mesmo
tempo annuir aos votos de urna commissao desta
irmandade, que ao palacio da Soledade sa diriglo-
pedindo-me para aceitar o encargo de juiz. aceitei-
0, recebendo a posse das mos do illustrado Sr. Dr.
Silvino Cavalcanti de Albuquerque, ( que por todos
os ttulos reconheeo mais digno do que eu, e na
verdade, quem devia continuar nessa regencia ) no
dia a de fevereiro de 1860.
Quando tomei posse deste encargo, achavase o
patrimonio de Nossa Senhora da Soledade alcanza-
do na quanla de res 247192. Este defflcit, com
alterado ora para mais, ora para menos, conti-
nuou a figurar ainda nos annos que se seguiram,
em consequencia das avultadas sommas, emprega-
das em beneficio da irmandade, no augmento, e
dotaco de obras importantes, como sao as que se
seguem, que a irmandade nao possuia, e hoje
possuidora, a saber :
Com a construeco da propriedade da ra da So-
1 ledade n. 3, qne existia em um monto de ruinas,
e hoje ora dos melhores predios do seu patrimo-
nio, despendeu ella a quantia de res 2:346441 :
Cora a edifieaco e construeco de 40 catacum-
bas no cemiterio publico, se despendeu a quantia
! de res"i:980000 :
Cora a construeco da casa n. 12 da ra da So-
' ledade, que se achava bastantemente arruinada,
sendo necessario edifica-la desde os, seus funda-
1 mentos as duas frentes, mesmo para lhe propor-
cionar maior capacidade, reparar, e altear os oitoes,
' sendo tambem boje um dos melhores predios da ir-
>andade, reis 1:709*780 :
Com a construeco (dentro do quintal da igreja)
de um bom armazem para serventa da irmandade
cuja necessidade era a muito reclamada, e com a
I edifieaco de urna casa para residencia do guarda
' da igreja, junto do sobredito armazem, a qual, co-
nhecendose hoje, que demasiadamente calida,
deve ser transferida para o lugar do armazem, e
este para aquella, abrindo-se porta e janella na
frente da ra, que flea em paralello com o quartej
do 9. balalhao de infamara, res l:28o 100.
Pelo que fica demonstrado, perfeitamente se co-
nhece, que na construeco desses qualro edificios,
se consumi a somraa de res 7:320J3zL
Com a construeco d urna nova esoada, concert
do travejamenta* assoalho, e coberta do corredor
da igreja do lado do sul. tambem se despendeu a
quantia de res 1:342*380.
Esta irmandade tem sustentado, ( bem contra sua
vonlade ) duas quesloes, sendo urna contra Jos
Gongalves da Cruz, eoulra'que pretendem estabe-
lece-ia de um grande terreno de baixa e pUntaco
os v'erdadeiros atravessadores. E' desta maneira
qoe a justica exeroida para serem (Iludidas as
boas intencoes da cmara municipal, pelo que cha-
mamos a attenco para quem competir, aflm de que
sejam conhecidas as boas qualidades de tal senhor
capataz.
Recife, 24 de marco de 1865.
Jos Mara da Costa Bandeira.
Cura espantosa e admiravel de urna nfiaumacao
chronica do baro ou splenit.
Um fllho d Sr. coronel Bernardo Jos da Cma-
ra, senhor do engenho Cuyamhuca.toi atacado des-
ta terrivel molestia inflammaco chronica do baco,
ou splenita mesma envolva outros padecimen-
tos, como cansaco, palidez, inapetencia, etc., etc.
Durante todo este terrivel estado, todos os re-
cursos medicinaes, que emtaes casos se uzam, fo-
ram abundantementempregados, sem qoe fizesse
parar a marcha lenta e destruidora de to horri-
vel enfermidade, e todos os meios e esforcos fo-
ram baldados, tanto que este moco ja foi Euro-
pa e nenhum resultado obteve, no entanto o mal
crescla ; e estando neste ponto se experimentou o
xarope elherio de veame.
O effeito produzido por este estimavel remedio
foi verdadeiramente maravilhoso e sem igual. Nao
menos importante o xarope alenoolico, e as pil-
las purgativas do mesmo veame, par gozar de
propriedades iminentemente depurativas, appro-
vadas por mdicos e pessoas desta provincia, e de
outras curas radicalmente effeetuadas, como es-
crophulas, rhenmatismo, escorbuto, enfermidades
venreas e mercurlaes, chgas antigs e todos as
molestias provenientes de um estado vicioso do
sangue. Nao impede os banhos fros do mar ou
do rio.
Entre outros muitos fados um, ha pouco, arabo
de reahsar-se bem importante : um escravo do
Sr. coronel Pedro Cavalcanti Wanderley, proprie-
tario do engenho Japarandoba achava-se atacado
de anemia, ou frialdade-, e cansava a ponto de
nao poder carrear, urna s.caixa das pilulas pur-
gativas de veame o festabeleceu.
esta molestia oque muito contriboe para o cu-
rativo, o trabadlo, o que se real sou com o dito
eseravo sem precisar do xarope. Um meu escravo
de nome Jos, quao arremate em hasta publica,
qoe foi da finada D. Candida por 80*5000, por se
achar com umacflaga em orna das coxas, e entre-
vado, com o xarope e pillas -de veame, se acha
bom, empregado como serwpte de pedreiro. Im
outro escravo qoecomprei ib Sr. Joaquim Gonral
-----234
81
672
-----733
Desarregam no dia 3 de abril de 1863.
Galeota hollandeza-fcViznierftdiversos gneros
Barca portugueza Cluudina-\cm.
Barca inglozaMa*ybacalho.
Brigue inglezDante bacalho.
Brigue portuguezEsperanca diversos gneros
Patacho nacionalBeberibeidem.
Patacho hanoverianoWidaridem.
Escuna inglezaZampamercaderas.
Barca inglezaAnsdell (itmhi de trigo.
Brigue nacional -Pallas-charque.
Sumaca nespanholaGnadalupeidem.
Barca inglezaD. Martacarvao.
Patacho inglezSprayidem.
Barca DglezaScoU-idem.
iniportacao.
Brigue inglez Dante, entrado de Terra-Nova,
consignado a John Pater & C, raanifestou o se-
guinte :
2,200 barricas bacalho ; aos mesmos.
Barca portugueza Armindd, entrada do Rio
Grande do Sul, consignada a Marques Barros & C,
manifestou o seguinle:
13,229 (f) de charque, 80 couros vaceuns seceos,
200 saceos feijo, 230 ditos farinha de mandioca, iw
resteas de ceblas; a ordem.
Patacho nacional Pulicena, entrado de Santa
Cathanna, pelo Rio de Janeiro, consignado a Mi-
guel Jos Alves, manifestou o seguinte :
7,500 alqueires de farinha de mandioca, e 10
duzias de taboado de custadinho-, a ordem.
Vapor nacional Tocantins, entrado do Rio do
Janeiro, consignado a companhia Brasileira, mani-
festou o seguinte:
Gneros estrangeros j despachados para o
consnmo.
1 caixo com" orna machina; a Jos Augusto de
Araojo.
2 caixas botinas; a Carvalho & Nogueira. ,
1 caixote roupa, e6 fardos fazendas; a ordem.
Gneros nacioaes.
i caixo livro* impressos-, a Jos Nogueira do
Souza.
1 caixo ditos ditos, 72 rollos fumo; a ordem.
1 caixote livros uzados; a Getulio M. C. L.
Da Baha.
3 caixoes charutos; a J. J. Goncalves Beltrao.
Brigue inglez Mary, entrado de Terra-Nova,.
consignado a John Pater & C, manifestou o se-
guinte :
2,800 barricas bacalho; aos mesmos.
Hiate nacional Ros I, entrado da Babia, consig-
nado a ordem, manifestou o seguinte :
1,490 alqueires de farinha de mandioca.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
PAUTA DOS PREC0S DOS GESEBOS SUJEITOS A DIBEITOS-
DB EXPORTACiO. SEMANA DI 3 A 8 DO MEZ DE
ABRIL DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos.........eentq
Agurdente de cana ....
dem restifada ou do reino .
dem caxaca.......
Idem gesebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente ........
Algodo em caroeo .' i .
dem em rama ou em la .
Arroz com casca
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado ....
dem branco-.......
dem refinado......
Azeite de amendoim ou mende-
bira ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque ......
dem lina .......
Caf bom .......
dem escolha ou restolho. .
dem torrado......libra
Caibros ...-.*
Cal.......
dem branca ....
Carne secca (xarque) .
Carneiros ......
Carvao vegetal ....
Cavernas de sicupira .
Cera de carnauba em bruto,
jdem idem em velas .
Cha....... .
Charutos ......
Cevados (poicos) ....
ves Ferreira, que se achava com eseropbulas, fe- cocos (seceos)
ra mfundos d terrenas de ue aauelles se d -' PH'S e banhos no rio de Una e5t3 r*rfeitameT>te Couros de Loi, salgados .
?^mZ^\o^X^iJ^^fL I bo"- ^** ""pregado em servlco de pedrei- .dera dem secaos espichados
"?J!8i^^^^ ro. Outros mnitosfactos desta ordern era jiessoas Wem dem vefdes ...
que deste salutar remedio tem feito nr.o, poderta iem em cabra eortidos .
enumera-los, o qtte nSo fago para nao ser prolixo. jdem dem de onga .
Vende-se estas preparares em minha botica, Doces seceos .....
ra Pjrelta n. 88. dem em gela ou massa .
m Jos da Rocha Paramo*. dem cm calda ...
------- Espanadores grandes .
fallecido Jos Mana da Costa Carvalho, cujos auto?
( de ambas l se achara na relaco do districto, ten-
do a irmandade despendido com a susteulaco das
mesmas, peno de tres contos de res.
Todo o patrimonio quer de Nossa Senhora da So-
ledade, quer de Noesa Senhora da P i, se acha
reedificado, sendo que para a reediflcacSo deste
cento 1*300
caada 800
> 800
i 400
> 800
* 900
arroba 3*373-
c 13*300
c 1*300
2*600
c 1*930
f 3*230
c 5*120
caada 2*000
> 1*600
1*000
arroba 1*200
> 3*000
i 7*000
i 7*400
6*000
libra 440
um 360
arroba 280
i 500
> 3*200
um 45000
arroba 1*00
urna ' 8*000
libra 300
i 300
i 1*500
cento 2*800
Um 15*000
cento 6*00
libra 60O
f i45
a 240
> 103
um 350
> 10*600
libra 1*000
i 320
500
ura 4*000
.
*
I "


\
/
Alarlo dem pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de mandioca alqaeire
dem da araruta .... arroba
Pe i ja de qualquer qndlidade
Frechaes ....... um
Fumo em tolha, bom arroba
dem ordinario ou restolbo >
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho.
tiallinhas ....... urna
Gomraa........ arroba
Ipecacuanha (raz)..... >
Lcnha em achas..... cenlo
Toros.........
Linhas e esteios....., asa
Mel ou mataco...... casada
Milho......... arroba
Papagaios ....... um
Pao Brasil ........ quintal
dem de jangada...... um
Pudras de amolar .... urna
dem de filtrar ..... c
dem de rebolo .....
Piassava...... molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos....... cento
Pranchoes de amarello de dous
costados....... um
dem de louro......
Rap......... libra
Sabao.........
Sal........... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama...... .
dem em velas...... >
2*000
13*000
1*600
2*500
4*000
1*800
5*000
11*000
8*000
10*090
5*000
600
2*500
25*000
2*000
11*000
8*000
240
900
3*000
5*000
5*000
800
4*000
1*000
ia-9 das, escuna brasileira SantaRMn, da V; '* e o paso de qaatro arrobas
meladas, capilao Leoncio Francisco 'aaSflva, 'a vwfula. pela sua m cravaca i
concert aue se Ibe fez.
Intwcefc do arsenal de mari
M3Iia|ar;odel868.
StC do!
Sentado d
O ordem o Illm. 8r. ins
raria de fazenda desta provincia, se az p
ra conheclmento de todos a circuanlo tri
Babia
tonelada
equipagem 7, carga 1300 alqueires de fariulia.de
mandioca ; a Tasso Irmo.
Navio Sihie no metmo dia.
Havre- galera fraoeeaa Amelie, capito f.haailiar,
carga aigodo e coaros.
EDI'TAES.

T
Para o Para,
0-
lico pa-
nal do
thesouro n. 7 de 13 de fevereiro prairoo bassadj,
abaixo transcripta.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da im- Secretaria da ihesouraria de fd de Per-
perial ordem da Rosa, e juiz dedireito especial nambuco em 31 de marco de 1865. Serondo de
3*500
20*009!
10*000
1*000
120
400
S.'iSOOO
5*000
7*000:
urna
duzia
1
arroba
quintal
urna
Centp

87*000:
35000
2,500fl'
6*0001
2001
105000
8*000
0*000
500
Sola em vaqueta. ....
Taboas de amarello. ,
dem diversas......
Tapiocas.......,
Tatajuba......,
Travs ......
nhasdebei ....
Vassouras de piassava ,
Ditas de timb....... ,
Ditas de carnauba......
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco, 1. de abril de 1863.
(Assignados):
0 1." conferente, Pedro Alexandrino de Barros
Cavlcante.
O 2." conferente, Joo Jos Henriques.
Approvo-.-^Alaadcga de Pernamuco, l.de abril
vereiro d>1865.A. Eulalto.
Conforme.O 3." escripturario, Joao dos Santos
Porto. I
hECEBEDORlA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Reudimento do dia t............ 881*063
CONSULADO PROVINCIAL
Reodimetuo do da 1............ 1:302*509
Assucar.
Azeite-dce..
Bacalho------
PRACA DO RECIFE
1 1>E ABRIL BE 184*5.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.......Sobre Londres saccou-se a 23
}i d. por 1*000; sobre Paris de
355 a 360 rs. por fr. e sobre
Lisboa de 95 a 98 por cento de
premio ; montando os saques
efectuados a 26 7,000, depois da
sahida do vapor.
Aigodo........Vendeu-se o de Pernambuco de
14*000 a 18*500 por arroba, o
de Macei, posto fiordo, de li*
a 15J500, e o da Parahyha.tam-
bem po.-io a bordo, de 15*300 a
16*500.
Vendeu-se o branco do 3*400
a 3*900 por arroba, o somenos
de 2*800 a'2*900, o masca vado
purgado de 2J230 a -2*450, e o
bruto de 1*900 a 2*030.
Agurdente.....Vendeu-se de 728000 a 735000
a pipa,
-Couros.........Os seceos e salgados venderam-
se a 140 rs. a libra.
Arroz..........O pilado da India vendeu-se a
2*350 a arroba.
Vendeu-se o de Lisboa a 2*350
o galo, e o do Estreilo a 2*200.
Vendeu-se em atacado a 13*300
a barrica, earetalho de 145 a
17*000 a dita; Meando em de-
posito 6,000 barricas.
Batatas.........Venderam-se a 2*000 o gigo.
olaxmhas.....dem de 3*500 a 4*000 a barri-
quinha.
Carne secca-----A do Rio-Grande do Sol, ven-
deu-se de 3*500 a 5*000 por
arroba, da nova, e de 300 a
15500 a velha; Picando em de-
posito 63,000 mil arrobas da pri-
meira e 10,000 da segunda ; e a
do Rio da Prata, vendeu-se de
3*300 a 4*800 a arroba; can-
do em deposite 28,000 arrobas.
Caf..........Vendeu-se- de 7*000 a 7*500 a
arroba.
Carvo de pedra. Vendeu-se a 12*000 a tonelada.
duzia de garrafas.
Farinha de trigo. A de Philadelphia e New-York
reta Ilion-se de 18*000 a 20*000
a barrica e a de Trieste de 20*
a 21*, e a do Chile a 8*000 o
sacco com 100 libras; Qcando
em deposito, inclusive um car-
regamento chegado- nesta sema-
na, 500 barricas da primeira,
11,000 da segunda, 9,500 da ter-
ceira e 8 saceos da quarta.
Feijo.......... Vendeu-se de 12*000 a 155000
o sacco.
Louca......t... A ingleza vendeu-se com 320
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Uanteiga.......Vendeu se a ingiera a 960 rs. a
libra, e a fraoceza a 830 rs. a
dita.
Maesas......... Venderm-sc a 5*200 a caixa.
Passas.........dem a 4*000 a dita.
Queijos........Os flamengos venderam-se a
15700 cada um.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a 135 rs. a
libra, o do Mediterrneo a 260
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se a 9*303 a arroba do
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 90*
a 112* apipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1905000 a 200* a pipa e os de
outros paizes de 180*000 a 185*
a dila.*
Velas..........As de composiejio venderam-se
a 510 rs. o pacote de 6 velas.
Descontos....... O rebate de letras regulou a
12 por cento ao anno.
Fretes.,........Para o Canal carregando na Pa-
# rahyba 35-; para Liverpool car-
regando aqu Va Vi P9r "Dr*i
5 '/. pelo lastro 12/6 5 /..
0YIME1IT0 DO ?0!TO
do commercio, nesta cidade do Recite, capital
da provincia de Pernambuco e seu termo, por
Sua Mageslade Imperial e constitucional o Sr.
D. Pedro II, quem Deas guarde etc.
Faro saber pelo presente que no da 3 de abril
do corrente anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der, era praca publico deste juizo, de-
pois da audiencia respectiva, a escrava crioula de
nome Gaudian, que representa ler 20 anos mais
ou menos, avallada em 600*000 res, a qual sendo
perlencente aos herdeiros de Francisco de Barros
Correa, fora penhorada aos mesmos por execucao
Y^q de Jos Joaquim Alves.
Em falta de licitantes serairejnatacaofeita pelo
preco da adjudicaco com o abatimento respectivo
da lei.
E para que chegne ao conheclraento de todos
mandei fazer o presente edital, que ser affixado
nos lugares do eos turne e publicados pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 16 de margo de 1865.
Eu Manoel do Carvalbo Paes de Andrade, esc-ri-
I vio o subscrevi.
. Tristao de Alencar Araripe.
itnffwKlO ')r- Tristao de Alencar Araripe, official da im-
a-irvS! Perial ordem da Rosa, juiz de direito especial
do commercio nesta cidade do Recife de Per]
nambuco, por Sua Mageslade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quera Deus guarde,
etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 3 de abril do cor-
rete anno se ha de arrematar por venda a quem
mais dr, em prraca publica deste juizo, o segra-
le : urna casa terrea sita no lugar da Casa-Forte,
com numero 31, tendo na frente; tres portas e
urna janella dividida em duas partes, duas portas
que seruem para venda e urna porta e janella para
moradia, com duas salas, tres quarlos, eozinha f-
ra, quintal murado, com porlao ao lado que d sa-
hida no fundo, e a outra parte oceupada com venda
com as mesmas proporcSes, e o fundo oceupado
com padaria e no fundo do quintal cora um grande
forno da mesma padaria, avallada em 3:000*000 ;
urna dita no mesmo lugar anda por acabar cora
duas portas na frente, em caixao, com travejamen-
to para sotao, com duas janellas no oitao, com quin-
tal e cacimba, dividido o quintal cora varas, avalia
da por 1:500*000 Asquaes casas foram penhoradas
por execucao de Vlanoel Carpinteare da Silva contra
Antonio Bao. E nao havendo langador que cubra
o prego da avaliagao a arrematarlo ser feta pelo
prego da adjudicagio na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente, que ser publicado pela
irapreosa, e affixado no lugar do costume.
Recife, 11 de margo de 1863. Eu Manoel Mara
Rodrigues do Nascimento, escrivao, o subscrevi.
Tnsfo de Alencar Araripe.
offical-maior, Manoel Jos Pioto.
Circular n. J.
1" secgo.Ministro dos negocios da faenda.
Rio de Janeiro em 13 de fevereiro de 186?.
Carlos Caroeiro de Campos, presidente o tribu-
nal do thesouro nacional, cortfmunica aossnhores
inspectores das thesourarias de fazenda, pra a de-
vida ini'lhgencia e execucao, qae o prao para
a suhsliluigao das notas de 100* da 3a esfropa de
Iue trata a circular n. 46 dealeBcvembrcultimo.
eve terminar em 31 de malo do correntt anno,
principiando do 1 de Junto em dlante e sconto
progressivo na forma da lei.
Carlos Carnelro de Camps.
Santo Casa de Misericordia do fccife,
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publii), que
precisa comprar a madeira abaixo declaeda, e
convida as pessoas que a quizerem fornjeer, a
apresentarem suas propostas em cartas fthadas
no dia 6 do ron-ente pelas 5 horas da tardtna sa-
la das sessdes da mesma junta.
15 duzias de taboas de soalho de madera de
louro, com 1|2 palmos limpos de largura e,27 de
comprimen). .
2 duzias de taboas de soalho de madera de
vai seguir com Burila brevidade o palhabote Pa-
raense, \em a maior parte da carga prompta, e
para o resto qae ihe faita trata-se eom o consigna-
tario Joaquim Jos Gongalves Beltro, na ra do
Bario o. 10, va ao largo do Corpo Santo n. 6.
mtzem. ^___ 1
Para o Para

pretende seguir cora muita brevidade o veleiro
biate Dous Amigos, tera dous tercos de seu earre-
gamento prorapto : para o resto ta-se com os seas consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, uoseu esortatorto roa a
Cruz n. l.
Para tisbou
pretende seguir com maila brevidade a barca por-
tugueza nriquetu, tem parte de seu carregamen-
to a bordo : para o rest que Ihe falta o passagei-
ros, para os quaes tem muitos commodos, trata se
cora os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.__________________^___________
Para o tiio de Janeiro
veleiro brigue escuna Nao Sei, pretende seguir
no lini da presente semana, tera parte do seu car-
regamento emgajado : para o resto qae Ihe falta,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Laz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. I.
0 NOVO GERENTE
DO
Porto.
Segu com brevidade para o porto cima indica-
do a m\uto veleira e bem rooheeida barca Claudi-
na, por ter a maior parte do seu carregamento
amarello com 2 palmos limpos de Iargurai28 de | prompto; para o resto e passageiros para o que
comprimen to. i
tem excellentes commodos, trata-se com Cunba
de quiidade Irmos C, na ra da Madre de Deus n 3, ou com
i o capito na praca.
LE LOES.
150 caibros da matu de madeira
com 35 palmos de comprimento.
Secretaria da Santa Casa de Misericorla do
Mente i" de abril de 185.
O escrivao,
F. A. Cavalcantl Cousseir
Correi geral
Pelaalministraso do cjrreio desta cidale se Leila lie imillas
fax publico pira fias convenientes, que em v|tude MIJI?
dodisoosto no arge 138 do reguiaraento geral **7^1**-"-
dos crrelos de 21 de'dezembro de 184 e arigo 9 O agente ^'V3"1'11^ 7rme"t^
de decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, s. pro- administradores da raassa fallida de Guimaraes &
cederi o consumo das cartas existentes na Itlmi
nislrago, pertenceote ao mez de margo de
no dia 3 de abril prximo, as i 1 -horas do d
porta do mosmo correio, e a respectiva list
acha desde ja exposta aos interessados..
Adminlstragao do correio de Pernambuco
margo de 1863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.,
mmm mu
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA K 60 <
'Mu A lilA !DI 25'. MJJ
AO
RESPEITAVEIi PCBIICO.
A apreciacao dos habitantes desla heroica provincia existe no grande arma
zent da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento (te molhados.
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrang iro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a faluid?.de de querer que este novo e nterossante estabelecifnento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm rfflropir, com toda a styWM/ftfa que
nenhum outro o exceder no restricto comprimento- das seguintes promessa:
1." Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3. Sinceridade nos pre^s.
As pessoas que por sita posico social gozam de certo fratamento, acharS nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinlios inissrroos manteiga e cha sempre de
primeira qualiJade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve eonlar que ser sempre mili-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa i!c
militas patacas, afreguezando-se tiesta casa, onde se llies vender o arroz, o caf, a man-
algumas partes nao po--
i
i

Irmao e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz espe-
cial do commercio, das dividas activas da mesma
massa na importancia de 13:3525660 rs., islo as
10 t[2 horas do dia cima dito em seu escriptorio j teiga o assucar, etc., etc. de boa qualidade pelo proco que om
I dem ou nao querem vender.
dos arrebaldes
ou centro, que compram para fte-
este estabelecimento para se convrnre-
i.eilo HOJE Igociar,devem vir, |elo seu proprio interesse,
O agente Pinto cumpriodo o despacho do Illm. | rem do quanto se pode veDder barato.
Sr. Dr. juiz especial do_ commercio exatado^ na para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento '-spe-
Relaco das cartas seguras, existentes fffe^^^0? A.Ixandr! < escflbido P" Pessoa entcndida ^ certamente
multo de;e agr lar aos senhores ^
dsla
DEGLAB1Q0ES.
anta Casa
do
Navios entrados no da i.
Bahia-8 dias, lancha nacional Ros l, de 53 tone-
ladas, capito Lionel Joaquim de Almeida Fun-
di, equipagem 8, carga 1,500 alqueires de lari-
nba de mandioca ; a ordem.
Terra-Nova36 dias, brigue inglez Mary, de 237
toneladas, capito George Debrex, equipagem 10,
carga 2,800 barricas com bacalho ; a Saunders
'Brothers A C. .
Sintos23 das, escuna hamburgueza Maiia Loui-
se, de 197 toneladas, capito A. Struise. equipa-
gem 8, carga caf; ao capilao. Veio refrescar e
segnio para Falmouib.
Navto sahido no mesmo w.
Liverpool por LisbVapor inglez Safalin, com-
mandanie Roberto Godsoe, carga algodao.
Observacae.
Suspeudeu do latnarao para Portsnrouth o vapor
Je guerra inglez Curleiv, commandanle udson.
Wat-iot entrados no da i.
io de Ianelre-24 dias. patacho inglez Continen-
tal, de 216 toneladas, capilao Ross, equipagem
HO, carga af; a Phtps Brothers ft G. \eo re-
Trlete-ii6 dias, brigue hanoveriano leopold, de
W, toneladas, capilao liiuseppe L. Freericks,
eqnipagem 8, carga 2175 barricas com tarjona.
de trigo 5 a N. 0. Bieber & C.
da Misericordia
l&ecife.
A Illm* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico, que
no dia 6 do mez de abril prximo futuro, pelas 4
horas da tarde, na sala de suas sessoes, ir pra-
ca por tempo de 9 annos, contados do Io de juina
do corrente anno a 30 de junho de 187i, as rendas
do armazem n. 21 publico e 58 particular da tra-
vessa da Madre de Dos, servindo de base a jirfe-
mataijao o offerecimen'o feito pelo actual rendeiro,
Joaquim Mauricio Goncalves Rosa, constante das
clausulas especiaes abaixo declaradas, e dependen-
do o contrato da approvaeao do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, de conformidade cora o disposto
no 7 do art. 52 do compromiso. Os preterden-
tes devem comparecer acompanbados de seus da-
dores, ou munidos de contas destes. *
Clausulas especiaes.
/ Fazer no praso de tres mezes, contados do
di em que principiar a vigorar o contrato, e sem
dispendio algum dos cofres da Santa Casa, as se-
guales obras : cubera nova, levantar as frentes,
tanto de diante como de detraz, avanzando esta
mais seis ou oito palmos, e tendo ambas tres portas
com soloiras e portadas de pedra, substituir o la-
drilho por asphalto, fazer novo soto, com seta de
tres janellas na frente de detraz, mudar o traveja-
mento que estiver arruinado, podendo servir-se
dos oiloes, que sao commuos ao dito armazem, e
a outros predios da Santa Casa.
2* Pagar durante o tempo do arrendamento a
quantia annual de 502#, que actualmente paga o
rendeiro, Joaquim Mauricio Gonealvcs Rosa.
3* Por morte do arrematante gozaro os sens
herdeiros o tempo que faltar para completar os
nove annos, podendo tanto aquello como estes su-
blocar o arrendamento, dando previamente parte
a junta, e prestando era qualquer dos cases funga
idnea.
4* Que somentc no caso de venda do predio ser
a Santa Casa obrigad a indemmsar ao arrema-
tante ou aos seus herdeiros da quantia proporcio-
nal a 2:700$ era que foram oreadas as obras ci-
ma mencionadas, tendo env vista o tempo do ar-
rendamento que deixarem de gozar.
5* Que aiem das obras descriptas na 1' condicao
flea o arrematante obrigado, no acto de assignar o
respectivo termo, a entrar com o donativo da
quantia de 500 para o cofre dos orphos.
Secretaria da anta Casa .da Misericordia do
Recife 31 de margo de 1865.
O escrivao.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Santa Casa da Misericordia do
Recife
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recire se faz publico qne entrn nesta data de
mez no hospital Pedro V. o Dr. Antonio Mara de
FariaNeves, e que contrauam igualmente de mez
na casa dos expestos e collegio de orphos o Dr.
Antonio Herculano de Souza Bandeira, e no hos-
pital dos lasaros, collegio de orphaas e hospicio de
alienados Antonio.Jos Gomes do Crrelo. As
pessoas que pretenderem fallar aos mencionados
mordomos sobre negocios relativos aos ditos esta-
belecimentos, pedem dirigirse quanto ao primei-
ro thesouraria provincial das 9 as 3 horas da
tarde, on em seu sitio, na estrada de Joo de Bar-
ros, a outra qualquer hora \ qnanto ao segundo
em sua residencia, na ra da Unio, ao norte do
canal; e qnanto ao erceiro em sua casa, na cida-
de nova de Santo Amaro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife. 1 de abril de 1865.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Pela inspectora de Pernambuco se faz publico,
que a porta da alfandega, no dia 3 do corrente
1 hora da tarde-, se ha de arrematar, livre de di-1
reito, o seguinte, vindo do Havre, no navio francez
Jean Baptiste em 26 de Janeiro ultimo, consigna-
cao de Monhard & C-, e por este abandonado aos
respectivos dlreitos : urna caixa marca M & C, |
n. 1935, contendo trinta e seis duzias de carniras
de cores, pesando 366 libras.'avaliados por 77J775.
E para constar, passei o presente. Qaarta sec-
cao da alfandega de Pernambuco, 1 de abril de
1865. '
O 4 escripturario
Jos de Aulla Bittancourt Neita.
Terga feira, 4 do correte, logo que Andar a
na admDistraco do correio
cidade, para os senhores abaivo fe-
signados ;
D. Anna Francisca Leal de Castro Delgado. j
Dr. Antonio d Cunha Pigueiredo.
Antonio Lepes Rodrigues, (i)
Benigno Dantas de Brito.
Bernardo Jos Rodrigups Pinlieiro.
Claudino de Hollanda Cavalcante.
Candido Vieira da Cunha. i
Dr. Demosthenes da Silveira Lobo.
Eduardo Melrelles Alves Moreira. I
D. Feliciana Candida Clemente Laraz
Firmino Theotonlo da Cmara Santiago.
Felippe Ncry dos Santos.
Francisco de Mello Barretb.
Padre Joaquim Mauricio Wanderlcy.
Joaqnim Pereira de Azevedo Ramos.
Alteres Joaquim Pedro do Reg Barros.
D. Joaana Floriana de Gusmao Lobo Vital.
Joao Baptisla de Albuquerque.
Joo Manoel de Araujo.
Dr. Jos Antonio de Figueiredo.
Dr. Jos Ferreira Druvalle.
Jos Joaquim de Lira.
Jos iN'unas de Oliveira.
Jos Porfirio Teixeira de Mirand.1.
D. Maria Josepha de Jess.
Vicente Francisco de Oliveira.
na perlencente ao orpho Domingos Gabriel Pe
reir de Lima, e existente no deposito geral, as
11 horas do da indicado em seu escriptorio ra
da Cruz n. 38.
Leilaoda casa terrea n. 12 da ra do Mon-
deg) freguezia da Boa Vista.
IIOJI2 ^*
O agente Pinto fara' leilo a requerimento de
Domingos da Silva Ferreira Jnior e mais herdei-
ros do linado Miguel Archanjo Fernandes Vianna,
e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos
da casa terrea da roa do Mondego n. 12, servindo
de base a quantia de 2:0003, as 10 horas do dia
supraditoem seu escriptorio a ra da Cruz u. 38.
Le'lo de urna casa terrea.
IIOJE
O asente Pinto levara' a leilao por mandado do i
Illm. Sr. Dr. juiz de orahios em virtude do que BOLAUILMIAS do beato Antonio a
requereo Manoel Pereira Lima, tutor da menor BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
Maria Joaquina, a casa terrea n. 19 sila na ra de ', rs
S. Miguel fregaezia dos Afogados, as 10 1|2 horas DKrn'iTOc ntr'pypc 9m latas do I ->0O rs a
do db cima dito era seu escriptorio ra da'?1j5t,u,?.V-:?..m?ezCb e.m Iair
ALPISTE E PAINCO a 120 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de80rs, a libra a,..
AME1XAS*francesas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc,, etc.
AZE1TE doce a 000 rs. garrafa, cadada a
BAN'HA de porcoa 660 rs a libra, em por-
Cao faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nemse deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
CENEBRA de Hollanda un botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.

MANTEIGA ingleza e franceza de 400 a
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 0.0 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes
diversos precos.
PEINE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
e
;
Cruz n. 38.
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
Leilo de eseraros de ambos os sexos
O agente pSnVfJgn.m^e'autorisado ven- CIIOURIGAS muito novas a 800 rs. a libra,
dera' em leilo urna escrava com cria que lava de i t.Al'L e ZOU rs. d libra.
t{ varrela, ongomma perfeitamenle e cosinlia bem o CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
i diario de nma casa, urna outra com as mesmas CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
/, habilidades, o escravo Antonio de 20 annos e mais | 9r> /w, :
3 excelentes escravos pecas Joaquim Marcellino e ; ',. ,:rr **' o'u- ....
Paulo lodos crioulos, que serao vendidos terca-fei- CHARUTOS de todas as qualidades, SUISSOS,
manhaa no largo do american s, babiannos, fluminenses, etc.,
de 1.400 a 10.000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS l'sos Iadidados de todos os tama-
nhos a
I ra 'i de abril as 11 horas da
I Corpo Sent. ^^^___
THLEATjRO
S. ISABEL
EMPREZA--C01MBRA
Terca-feira i de abril de 1865,
Espectculo extraordinario, cujo producto
pela empresa offerecido a associagk) protectora
das familias dos voluntarios da patjia em Per,-
nambuco, para ser distribuido coraq julgar con-,-
veniente. i- ,, Ibaiodo Livramento no caes do Apollo, aonde se
O espectculo boorado peto Exra. ir. presidentr ff^, 0 ySu 10 horas do dia cima dito,
da provincia, sera distribuido da raaneira se.
Leilo de fazendas avariadas a saber
MaJapoloes, algodoes, chitas, brins e
cobertores.
Terca-feira 4 de abril.
" 0 agente Pinto far leilo a requerimento dos
coisignal'jros do brigua inglez Hebe o Ihe Exei
cjn ltcenca do inspector da alfandega era presen-
ta dos empregado^ da mesma' repartido para o
fin nomeados, com assistencia d cnsul de S. M.
Brtannicae por conta e risco de quem pertencer,
da fazendas cima mencionadas parle dos salva-
da do referido brigue existentes no armazem do
guiute :
Entre-acto patritico e cangao popular
Os voluntarios da patria.
Segue-se a representacao do exc diente drama
em 3 actos, original brasileiro
0 SOLDADO HUliKS
ou
0 BRAVO DE MOTE-CiZEROS.
Dar flra ao espectculo a comedia em 1 acto
BERTHA DE CASTIGO.
Os bilhetes acbam-se a venda no escriptorio do
theatro.
Principiar s 8 horas.
Lilo do bilhar da Capuaga.
\ 1 Cordeiro Simoes
por conta e risco de quera pertencer far leilao de
um bilhar de jaearand e seus pertences, 4 mesas
de pedra e outros objertos, tudo existente na Ca^
punga a ra da Ventura, aonde ser effectuado o
leilfto, os pretendentes desde j poderlo examinar
os objecios.
Quarta-feira o do corrente s 11 horas em poni.
AVISOS DIVERSOS.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMB.CANA
Xavega^o cosclra p<}r vapor.
Parahyta, Natal, Maco, Araiaty, Cear
e Acarac; S ,
No da 7 do corinte segu as
o horas da tarde olapor Maman-
guape, commandatX Moura pa-
ra os portos indicados. A carga
ser recebida at o dia 6
commedas, passageiros e dinheir^ a (rete at 2
horas da tarde do dia da sahida;: escriptorio
no Forte do Mattos n. 1. __________
"COMPANHIA BRASILEIRA
DE '
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 4 do corrente o va-
por Ouapock, comnandante An-
tonio Marcelino deiPontes Itibei-
ro, o qual depois da demora do
jcoswme seguir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passageirosle engaja-sea
LOTERA
Aosi0;OO0$0O0e 3;000000.
Sabbado 8 de abril do corrente anno, se
extrahir a 2a parte da 4a lotera (IIa) a
beneficio d reja de Nossa Senliora do
Amparo de Goianna, no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes.meios e quartos esto a Ten-
da na respectiva thesouraria ra do Cres-
po n. 18.
Os premios de 10.000,5000 at 20,5000
serlo pagos urna hora depois da extraeco
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas stIo guardadas so-
EBna mente at a noite da vespera da extraeco
como de costutne.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
1
DOCES de todas as qualidades.
B
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.

FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs.
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a I e 5,( 00 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
I
QUEMO do reino de 1,500 a
DEM londrino.
DEM suisso a 400 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
H
SABO MASSA a iGO rs. a libja e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs": a libra e 8 libras se
Ufar grande abatimento.
V
VINHO tint d '3u a... ^anaAi.
VINHO tinto em caada de 2,5fi0
VINUO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 400 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.1.00, 7,000 e
VINHO de Grave a 0,000 rs. a caixa.
VINHO Cberry a 1,00 rs. a garrafa. .
VINHO do Porto de todas- as marcas e todos
os precos.
a! VINHO Collares a 800 rs, a garrafa.
VINHO tinto, neste genero.lia constantemen-
te 20 a 30 pipas ao lomo de di\e sas-
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
I
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra. VINAGRE branco a 400ts. a garrafa.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra. IVELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. *
GENEBRA delaranja a 9 e 10,500rs. arroba.
Aluga-se o armazem n. 10 da ra das Flores,' \ quem- tcressar.
proprio para qualquer offleina ou coche-ira : quera 1 Q abaix0 assignad()t eon.Senhor do engenh lio-
pretender dirija-se ra >ova, na loja de ferra-; y0> da freguejia de Serinhaem, declara qne, que-
gens n. 31. ____________ _______ rendo sua sogra, a Sra. D. Ignacia Mara do Sarra-
Precisase de um caixeiro com alguma
tica de ferragens : na ra Nova, loja n. 31.
pra-
^
audiencia'do Sr. Dr. jaiz munioparda vara, ser carga que o vanor poder conduzir, a qual dever
arrematado. porser a ultima praga, um sitio no lu- ser embarcada no dia de sua chifada,
gar das Corcuranas em ierras proprias, avaliado
em i:500000, o qual vai praga por execucao do
tuter dos erpuaos, filhos do finado Manoel da Silva
Barros, contra a v'rava e herdeiros de Joao Rodri-
gues Pioheir.-Escrivo Santos.
lRspecco de arsenal de marinba.
Faco publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma disposta no reguiamento anne-
xo ao decreto n. 1324, de 5 de feyere-ro de 18ai,
o csco, machina, caldeira, apparolho, mastreagao,
amarras e ancoras, do'yapar Camaragibe da com-
sua chetada, sncom-
mendas e dinheiro a frete ate o dia da sahida as
2 horas: agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio
de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para a Bahia^retende sahir em poucos di*
a escuna Eliza, por ter alguma ca^ga tratada, e
para o resto que ihe faka fratase c tario Joaquim Jos G'onoalves Beinio, na ra do
Vigario n. 10, ou n;o Jargo de Corpopanto n. 6, ar-
mazem.
D-se dinheiro a juros em pequeas qoan-
tas : na ra do Livramedto loja n. 35.________
Francisco Jos Fernandes Pires retira-se pa-
ra Portugal a tratar de sua saude, levando era
sua corapanhia sua seuhora e 7 filhos._________
Joo Siraoes Pimenta, subdito portuuez, vai
a Portugal tratar de sua saude, levando, em sna
compaoMa om Bino menor, e deixando. por seus
procuradores em t lugar Domingos Jos de Amo-
rim, en Antonio Alberto de Souza Aguiar, e
em 3 Aolonto Marlins Duarte.______________
~ Domingos Jos
se para Portugal.
Regueira, Portuguez, rolira
Parp. o Porto segu cora breviiade o brigue
panhia vigilante, aob.au que poda elle continuar i Esperr^u por ter a malo'r parte d4 seu carrega-.
CQ ervlco de reboque em qae se emprega, mas a nv;dt# prompto : para o resto e passageiros tra-
caldeira nao podendo fonecionar eem mais de oito' (S.e om Cunha trmaes C, ra da Madro d^
libras de pressSo de vapor por cada olegada qna,-1 pee* n. 3, ou com o capito na pracsa.
George M. Reay, subdito, britannico, relira-se
para fra do Imperio.
Que boa localidade
Estfivao RodTljOes Femtes precisando retirar-se
para Earopa. a, tratar de sua saude, vende a sna ta-
berna sita, un largo do Carmo n. 13, a qual est
bastante. a,{reguezada, tanto para o mato como para
a praca e serve para qualquer prlncipianio,por ter
peucoi fondos ; a tratar na travessa do Quetas
da n. i. ____
Estando de prsenle ne.-ta cidade Miguel No-
ral, socio da firma Norat Irmos,. pede a seus de-
vedo'res virem pagar quano antes seus dbitos,
porque do contrario entregar, as contas a seu pro-
curador para liquidar judicialmente sera excepcao.
alguma : na ra da Florentina n. 14, ou na roa
da Cadeia do Recife n. 40.
Da-se 6005 a juros sobre hypolheca em casa
nesta praca : na ra de Santa Rita n. 1 se dir
quera d.
Na padaria franceza da ra da Imperatriz n-
50, precisa-se de urna pessoa forra ou escrava pa
ra entregar pao e fater algum servico interno
O abaixo assignado tendo perdido o bilbele
de duas saccasde la n. 7.485 e 74%, encostadas
na prensa dos Srs. Augusto Coelho & Albuquer-
que, pede aos raesmos senhores que a ninguem
paguem sem ordem por escripia do mesmo abaixo
assigeado por sua letra e signal, e lugar da mo-
nada.LourencpdaSilvaAjves._____________
m pedido.
Pede-se a um senaor o faror de ir ponte de
Ucha a entregar os documentos do importe de urna
carroca ou o dinheiro que para esse flm receben;
do conuario, ter de ver seu nome por extenso
neste jprnal.
Attenco
A loja de trastes na raa do Imperador n. 47 est
liquidando por seu dono ter de fazer tima viagem
a tratar de sua saude, e por isso tem resolvido
acabar veadendo os trastes, e todos os mais per-
tences da estabelecimonlo de marcineria: quera
pretender e quaer aproveiur-se da occasio, diri-
-a-se i mesma loja, que se Taz negocia por menos
de seus valires; assim como do urna morada de
casa terrea na ra Imperial n. 372, de pedra e cal,
chao proprio, com duas salas o dsus quarlos, eozi-
nha fra, cacimba, e quinlal murado coaa porlao
para o ritx______________________________
ment, arrendar a parte que lemem dito engento,
elle nao arrenda a saapor negocio algum, pois-qoe,
pelo direito que tem.quer nella traballiar e lucrar :
outrosim, que nao aulorisou a pessoa alguma a fa-
zer negocio com dita-parle, e se alguem apparecer,
desde j protesta, e declara que far valer seu di-
! reito. Engenho Novo, Io de abril de 1863.
Minervino Francisco Loto.
Precisa-se de um rapaz.de 14 a 16 annos, oa
de om bomem de 30 ou 40 annos que *ai& ler : a
tratar na ra da Concordia, das 3 horas env.diante^
Ama.
Precisa se de urna ama para casi de pauca fami-
lia : a tratar na praca do Corno San'o n. 17, ter-
ceiro andar.
Fugio o Jacob.
Anda fgido ha lo dias o escravo de nago de
nome Jacob, maior de 40 annos, que foi proprie-
dade do-Sr. major Ignacio de Bawos Wanderley
seDhor do engenho L'baquinha, tesovo de Seri-
nhaem. O escravo lem os sigaaes. seguintes :
alio, cheio do corpo, ollios granaos e ro?to compn-
do, anda de vagar e parecearratar de urna per>-
na, est 0,'ilado e tem por isto grande palpiaoo,
nao muito ladino, levou vestido camisa de meia
e calca de riscado, dizem que anda, pela Passagem
da Magdalena aonde tem sido visto e de ctr
qne ande ganoando, elle fas vassouras e chapeos,
presume-ss qne esleja acontado por alguma pes-
soa que o seduzo e contra quem se protestar con
o rigor da lei : quem o trouxer a casa de seu so-
nhor a abaixo assignada na ra da Crua a. 33, se-
r re-compensada
Domingos Rodrigues de Andrade.
"__; Precisa-se de um bom cosinhro.'. no hotel
de Franca ra do Trapiche n. 1._____________
Alnga-so o sitio que foi da Sr. Seba>tio l'en-
na, na apanga Velha, com boa casa, feocheira,
estribara, qu^rto para preto, tanque para banho.
latrina etc., e mnitas frucleirat : a tratar na ra.
do Imperador n. 46. ^^^ ________

Ainda contina por alngar o .-olao do so-
brado n. 62 da ra da Guia, que equivale a um
terceiro andar por ter 2 jaBollas de frente, 2 salas,
6 quartos e nma grande osinha, o tjual acha-so
Precisa-se de ura moco
raa do Rangel n. 9, padaria.
P" caixeiro : na
Desappareceu no dia 22.de marco do cor
renie anuo, da casa de Franci.-co Boielba de Mon-
donca, a preta Mecas, escrava do Sr. Antonio Ma-
ra de Araujo senhor do engenho Pacas no termo m,adouenovo "aluga-so barato: a tratar no
de Agua Preta, representa ter de idade 23 a 24 ni ggJSSvvJ?^. rnnrioiarin n h>Ph>n>i
annos, estatura regalar, Cheia do corpo, nariz cha-
to, belcos grossos, \p\ov, vestido d chita de as-
iento rOxo co ores encarnadas e ch.i'ies preto
de merin.6 qnem aprehender lfl*jai*-i ao en
genho supra ou ama Nova de ';anta Rita 0. 3o,
qne ser racompeusado.
primeiro andar com o seu proprietario o bacbarel
Pranelsco Luiz Correia de Andrade.___________
- Aluga-se urna prela escrava para ^odo ser-
" vico de casa, sabendo bem engooiraar, cp^lnhtr a>.
i. lavar : quem pretender dirija-se. a ru,a, da Ki*""
da Boa-Vista n. 54,
i

>


Diario de rermmliuc*
i

f
i
CASA DA FORTORA.
Aos 10:000^000.
Bllhetes farantlos.
A' ra do Crespo n. 23 e casas bo costvme.
O abaixo assignado vendeu nos seos muilo feli-
zesbilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da matriz de S. Jos do
Reeife, os seguales premios :
Doas quartos n. 2839 com a sorte 6:0OOOO0.
Ummeio n. 2505 com a sorte de 1:400*000.
E outras militas sones de 100*, 40*, 20* e
10*000. .
Os possuidores podem tir receber seos respec-
tivos premios sem os desacatos das leis na Casa
da Fortuna ru de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da f lotera
beneficio das obras da igreja de N. S.- do Am-
paro de Goianna, qae se extrahir no dia 8 de
abril.
PRECO.
Rilhetes..... 12*000
Meios. ..... 6*000.
Quartos.....3*000
Para as pesseas qae compraren detOOpOOO
para cia.
Bilhetes.....H*000
Meios......S#300
Qaartos.....2*750
ANOIL MARTINS,FroZA._____
subdito portu-
f .
PRODUCTOS 1 l>HI HAYKI*
no
ENSIONE CHIMICO '
DO
RIO DE JANEIRO.
Manoel de Oliveira Canba,
guez, retirs-se para o Rio de Janeiroy
Na raa Direita n. 78, reflnacao, precisase de
urna ama que cozinhe para horaem solteiro.
AMA
Precisa-se de urna ama qne compre e cozinhe,
para casa de rauito pouca familia: na ra impe-
rial n. 36.
Ama.
Precisa-se de urna ama forra on escrava para
comprar e cozinhar : na ra do Livramento nu-
mero 14.
50000
i 500
2*000
3*000
2()000
AMA
Na ruadaCadeia do Recito n. 50 precisase de
ema ama para cozinhar e comparr, preferindo-se
uscrava.
Joo da Silva Ramos, medico pela Uni-
versidade de Coimbra, d consullas em
sua casa das s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
T'-ni sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda raesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operario cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2*000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado. ,
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conianga de que sem-
pre tem gozado.
1^000 90000
344000
30000 240000
10000 90000
Na praca da Independencia n.
urna ama de le i te.
33
precisa-se de
t mu;
Qnem llver ft onijer vendar ni molcjur. uu
mulatinho de 10 a 14anns, dinja-se a ra do Im-
perador n. 46, que achara com qnem tratar.
J
Precisa-ie de urna ama para todo o servico:
na ra Direita n 60, primeiro andar._______.
4- Os credores de Jos Marques dos Santos
Aguiar Filhos e do fallecido Jos Concalves
Malvelra, queiram mandar receber o primeiro di-
videndo conforme a concordata, manidos dos res-
pectivos ttulos, em casa do garante, raa da Ca-
deia n. 4.
mmKmmmmmmmmm]
O Dr. Cosme de S l*ereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade,
sobre o seguinte *
Io molestias de olhos;
2 de peito:
3 dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comeando o trabalho pelos
. derentes de olhos.
Dar consultas todos os das ds
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos. "
Fraticar toda e qualquer pera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seas
doentes.
C humbador lehl.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicaco para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeia-
mente -elicaz. 0 chumbador lehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
Cimento ehlnez
para concertar com a maior perfeicao iouca, porcellana, cryslaes,
vidros, marmore e qualquer objecte precioso......
Cimento de gutta percha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia ..... -. .'....,..
Cosmtico Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
Klexir edontalgleo vegetal
para curar instantneamente as dores dos denles mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservado dos mesmos, o en-
durecimenlo das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia...................
Enerlvore
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.....
Deltela
pedra austraca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim, cangalha e oulros arreios
dos burros e mallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Allianca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja ccatrisada, c que nao
exista mais inchaco. Acompanha urna guia.......
Cimas chlnilcas
extraeco dos callos e cura garanlida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. 0 par........... 3i>000
Hassa dentaria a raa k el
esta mas a, pouce tempo depois de sua introducen > na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentiticias. Acompa-
nha urna guia";...............
llassa lustrosa
para limpar c abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel ehelroso
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensacoes agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Cartejras. .
dem. t .
dem.....
i pomada Rondesicus
contra piolhos e lendeas; afiancada sem mercurio.....
pos de prata
para pratear instantneamente o cobre, o latao, o bronze, ele, e
reparar os objectos antigos praleados, como faqueiros, salvas,
castifaes, apparelhos de cha e oulros objectos semelhanles, af-
fiancados sem mercurio, para uso dos joalheiros, relojoeiros,
pticos, negociantes de ferfagens, curiosos e casas de familia:
Vidros de 2 oitavas. .
dem Je urna onca. .
P6s para limpar a prata tarrada
sao affiancados infalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. urna guia:
Carteira. .
dem .
Sabio oriental
para tirar todas as nodoas simples ou composlas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia ... .......
Tinta Azul Indelevei para marcar a roupa
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de urna
hora no ni. tnrna so prcta e nunca mas salle O panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Affianfa-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
Tinta enea nada Indelevei superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia unca.......
Ungento Iebl
remedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, 'fstulas, frieiras, hemor-
roidas, lcenos, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
reumatismos, supuraces putredas, caberas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
dem. .
deposito em Pernambco em grosso
EM CASA DE MANOEL i C.
8 RA DO ARlXlA
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22, em casa de Caros & Barbosa.
8 de Abril de AS&.
MUMNCA
TQNIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaes.
mora va na roa da Ira pera Irz era casa da marcineiro foirier n. 55, pre
ao respeilavel publico c a todos os seas fregaezes em particular, que
mu/oo sua ofiicina para a i u \ da matriz da Boa-Vista' o. 36, onde se acha
prfipto para fazer o que compete a soa arte de fundidor e mackioista.
180000
Moeo
500
1#000
loOQ
20000
4*000
74000
DE1VTISTA DE PARS
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
desiertas e ullimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prai o segredo de diversas-preparaces empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra i participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fiss, advertindo quetrpuxe um immenso sortimento de dentaduras artjficiaes; caout-
choi galvanisado, ouro, 'platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem-
instumenlos novo, ferramenta moderna, cadeirade operacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditalos fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no (aso de servir do modo o mais satisfotorio possivel, espera continuar a merecer toda
a cmfianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da machi alao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nSotiver de ir em casas particulares.
i
A PREVIDENTE
SfpEvE PORTGUEZi E SEGUROS 111 TI OS SOBRE A VIDA
FUNDADA
AMA.
Precisa-se de un ama qne ralba cozinhar 0
engommar, para casa de familia : a tratar poPas-
seio publico n. 5, ______
*- Eofomma-se com perfeicao, aceio e pre^o
conmodo : na traressa da raa Bella n. 7.
Aluga-sc urna grande casa na Matrii da Var-
zea, sita na roa do Fogo, com S quartos para qual-
quer estabelecimeiHo, sitio com varios arvoredos e
cacimba ; ao pe* urna mais pequea, lambem'se
vende : qnem pretender dirija-se ao pateo do Car-
mo, sobrado que bou a frente para a ra de Hor-
tas o. 2, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama que saiba engommar:
na roa da Palma n. 41, sobrado.
O abaixo assignado, socio gerente da firma
social de Francisco Aives de Souza Carvalho & Fi-
Iho, na capital da Parahiba, declara para conheci-
mento desuero convier, que de accordo com c-
sea socio de industria, Dr. Antonio de Souza Car-
valho, tem resolvido dissolver a sociedade em con-
sequencia de querer este estabclcrer-se por si;
continuando os negocios da casa c nnrrerci'al do
abalxe assignado a gyrar do Io de abril em diante
sob a firma de Francisco Alves de Souza Carvalho,
o qual se obnga por todas as transaccoes liavidas
durante a sociedade extincta.
Cidade da Parahiba "de marco de 1865.
__________Francisco Alves de souza Carvalho.
Na fabrica de charutos e cigarros da roa de-
Hortas n. I, precisa-se de um menino para eaixei-
ro de 12 a 14 annos.
Traspassa se a chave de duas casas no Ca-
chang por 50 por seis mezes, a Andar em 30 do
setembro do correte anno : a tratar na ra da
Cadeia n. 27.______________________^__
Precisa-se,alugar urna ama que siba co:i-
nhar e para comprar, assim como outra que saiba
bem engommar e coser para urna casa de duas
pessoas: a trarar na ra da Imperatriz n. 34, pri-
meiro andar.
A Menead

E ADMINISTRADA
PELO
BANCO ALLIANCA
Autorizada por decreto de 19 de julho de
1864.
CAPITAL SUBSCRIFTO |
o3:778o00
SUBSCRIPCOES I INSCRIPCES COMPRADAS
1,293 I 164:7oOJOOO
14500
30C0
500 4?50OO
500
1*000
J O seguro mutuo sobre a vida um dos meios que mais contribue para se adquirerem hbitos
ar economa e de moralidade, e o camlnho mais fcil e seguro para chegar fortuna ; por isso
pie todo o pae que desojar prevenir o futuro de seus iluos deve, pdenlo, fazer-lhes inscrever os
slus nomes na sociedadePREVIDENTE, porque, como o tempo paisa depressa, dentro em vinte
e :lnco anuos, e com ama pequea quantia que lodos os annos fr applicando, alcancar urna forta-
IO5OOO! n* para si, ou um dote para seus finios, que por nenhuma oulra forma, e com to pequeo desem-
; briso, tirado do fructo das suas economas, podara obter.
05000 i Vantagens qae offerece esta sociedade sobre as dentis.
yj"vyru 1.' Urna garanta de quatro mil contos de ris capital do Banco Allianca, que, na conformida-
1 d do art. 61 dos estatutos desta sociedade, responsavel para com os seus associados pelos actos e
ka admiaistraco da sua direccao e da dos demais empregados e representantes.
2.* Poder o subscriptor, do primeiro quinquiennio em diante, fazer as liquidares annuaes.
3.a Ter o subscriptor a liberdade de escolher a maneira de pagar os dretos de admini- tracao
e sao 4 por cento pagos no aeio da subscripto, ficando sujeito dedcelo de 1 por cento por oc
slo da liquidaco, ou S por cento pagos no acto da subscripto, sem licar sujeito a dedcelo al
turna.
4." Receber o subscriptor, gratis, de tres em tres mezes, o bataneo e contas da sociedade, fi-
lando assim sempre ao alcanee do seu movimento e estado.
8.' A regulandade com que esta sociedade se acha organisada, com pessoas aptas e habilitadas
(ara este ramo de operaedes, j com pratica de alguns annos em companbias hespanholas.
Porto 14 de fevereiro de 1865.
O agente promotor e lecebedor,
los Antonio Pinto da Rocha.
Ensina-se a lingoa franceza em tres mezes, per
um novo systema, e com mais facilidade de traba-
lho e esludo do que por lodos os meibodos em uso-
at hoje : quem pretender maiores informales,
dirija-se a typographia econmica, roa do Crespo.
Aluga-se um grande sitio com snfllcienea
para ter 8 vaccasde leile, 2 baixas para planta de
capiro, casa com commodos para grande familia,
prximo ao Recfe,'que se pode ir a p, e rauifos
arvoredos de fructo : na roa larga do Rosario, loja
n. 32.
125000
285000
45000
75000
500 45000
AOS PAES DE FAMILIA.
Dfficil tarefa ad'aqaelle que tem de propagar as doutrinas econmicas e sociaes.
bem sabido que quasi todos nos tendemos para poucoou nada curar do futuro, e que s
Iilhamos para o presente.
I Quantos ha ah que gastam em um s dia, em extravagancias ou em luxo, aquillo de que tan-
to careceran) para o dia seguinte ? I
E quantos oulros ha tambera qae, arrastados pelo vicio do Jogo, julgando fazer fortuna em
honraefortuna, mas tambem o pao de-sua
pouco lempo, perdem em alguns minutos nao s a sua
esposa ede seus innocentes Olhinhos ? I
15000
500
75OOO
45000
25000 18500O
nico
45000 305010
25000 175090
e a retalo
Vaccina publica.
As possoas que precisaren vaccinarse deverao
comparecer no terreao da alfandega as quintas e
domingos das 8 as 10 horas da manhaa, para apro-
veilar-se a transmissaodo fluido de braco a brago
" Precisa-se 4e um criado forro eu escravo :
a tratar na ra da Madre de Dos n. 36, primeiro
audar, das 9 as 2 horas da larde.
swaMtt mmmm i
rrtciradorra.
O solicitador Burgos Ponce de Len, m
tem seu escriptorio no sobrado do caes I
do Ramos, aonde astigamente foi a ty- 1
pographia do Roma o eollegio da Auro-
ra, abi est elle al as 9 horas da ma-
nhaa e das 4 horas 4a Urde em diaote,
H sendo que das 9 as 4 hora*, pode ser
IB contrado as salas das audiencias.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de fu-
a Rila : na ra da Aurora n. 30.
mmm
.. R*ikJnijM
Gompanbia Qdelidade de seguros g
maritiraos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEnNAHBUCO
Aliiio Lniz de Oliveira Azevedo & C,.
competentemente autorisados pela direc-
tora da compunhia de seguros Fidelida-
de, toruam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
m Cto n. 1. ^>
********* wmi
Veneravel ordem terceira de Xossa
Seakara do formo.
Determinando o art. 10 dos actuaes estatutos
que sejam replanos estrandos**' ordem os novi-
cos que fallecerem, tendo completado o anno do no-
viciado e mais seis mezes de aviso sem haverem
feito as suas profissoes ; e bavendo a mesa rege-
dora deliberado que os ditos seis mezes de aviso se
principiassem a contar da data do presente para
aqoelles irmos, que, tendo feito a sua entrada a
annos, anda nao professaram : assim se faz cons-
tar aim de que jamis possam allegar ignorancia;
sendo que, finao esse prazo, s sero admitlidos
proflssao com a multa de SOOO por cada anno de-
corrido depois'delle. como eslabelecido no, final
do art. 9 dos mesmos estatutos; sendo-lhes impos-
ta 4 pena do art. 10 no caso de fallecerem sem ha-
verem professado.
Secretarla da venera vel ordem terceira do Car-
oso, 24 demarco de 1863.
O secretario, ,-
donymo Emiliano de Miranda Castro.
I O Londondt Brazilian Bank, saca ponios
los paquetes.sobre
Lisboa.
, Pono.
Braga. -^
Vianna. '
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
________Amarante.___________________
IT AMA
Precisa-se de ama ama para servico inte-no de
ama casa qae seja boa cosinbeira e qee possa fa-
zer assistencia na mesma casa, dando informagoes
de seu comportamento : podera' se dirigir a roa
Nova n. 20, que achara' com quem tratar.______
O Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga de-
clara que nada deve a pessoa algama, mais se al-
guem se julgar seu credor pode apresentar suas
contas para ser pago inmediatamente, certo de
que seus procuradores nao pagarlo conta algurna
em sua ausencia.
O abaixo assignado responde ao Sr. Antonio Cal-
das da Silva, que sua deciaracao de Ihe ter cassa-
do os poderes de ama procuradlo qae S. S. confe
rio ao abaixo assignado, e por de mais intempes
Uva, e s propria de quem qoer que (o que ditoa
mmmmmmmmmi
O Dr.Carolno Francisco deLimaSa
tos,contina a residir naruadolmpe
8rador n. 17,2* andar, onde pode ser pro
carado a qualquer hora do dia e da noiit^
para o exercicio de suaprofissao de me-J
I dico ; sendo que. os chamados, depoisdein
I miodiaali beras da larde.devemserj
I deixados (por eseripld. O reiorido Dr.^|
9L ao abandonando nunca o esiodo dasj
"molestias doinlerior, prosegne, .cora S
maior afflneo, no das mais diffleelr deiV"
cadasoperafSes-comosejarodosorglo
.^QfinarlM^osoIhoa, partos ,etc.
X Preelsa-se alogar urna escrava para lodo o
servico de ama casa de familia : na ra das Cra-
zes n. 9, segando andar.
Ama
Precisa-se de ama ama para easa de pouca fa-
milia, que eozinbe e faca compras : na roa da
Cadeia do Reeife n. 38, primeiro andar.
tttiftMI MHflf ttjm
sp<
Tambem muitos ha, qae embebidos na doce esperanza de apparecerem ricos de um dia para o
putro.jogamqaotldianamenie na lotera quantias qae, reunidas no fim do anno e convenientemente
implicadas, ao de um dia pira o outro, mas no fim de algn- annos, com bem mais probabilidad*; e
seigaranca Ibes proporcionaran!, um grande capital, ao qual bem poderiam chamaro grande pre-
mio de lotera!
J que nos coubea honra de sermos o escolhido para o cargo de agente daPREVIDENTE
tambem nos cabe a obrigacao de diflundir e espalhar por toda a parte o conhecimento das vantagens
de urna das fiis atis e mais raoralisadoras de todas as instituicoes econmicas que boje se co
Ihecem.
Algn 1 d'aqaelles qae a nio estudam nem comprehendem dizem :a instituico boa, mas
ara quero tftn muito dinheiro.Outros dizem tambem :para quem a in titoicao boa para quem
m lilhos e o. segara logo depois de nascidos e baptisados.E outros clamam : Nos j temos urna
rtuna e na- precisamos de mais.
Ora di;ara-nos: as vantagens nao esto em relaco com as quantias desembolsadas? Nao se
ode julgar to feliz aquello qae ne podendo pagar mais do que 4 por anno, no fim de 25 annos
tem 1:000i, cerno aquelle que pode despender 400# e tem 100:0005 ?
Por qu ura individuo sollero e nao tem filhos, mas tem 40 annos de idade, nao Ihe vale a
.lena, podendi de arriscar 50J> por anno, para passar urna velhice socegada e com meios, quando
mesms nio tejha no fim dos 25 annos mais do que o resultado da sua subscripcao ? I
E aqodles que com ufana dizem : Temos ama fortuna e nao precisamos de maisnao terao
vistocahir poi trra, n'um momento, individuos millionarios, qae tem ticado reduzldos i miseria? E
se elles com a fortuna collossal que possniam tivessem posto de parle urna quantia para occorrer as
eventualidad que podessem acontecer-ibes, depositando-a era urna sociedade de seguros mutuos so-
bre a vida, nal leriam o seu futuro acautelado ?
Tratemos, pois, cada ura de nos segundo as nessas circomstancias, de separar alguma quantia
do fructo dasaossas economas para ir deposita-la naPREVIDENTEporque nenhum outro mea-
Iheiro encontfcremo- mais seguro e productivo. Os qae assim fizerem, mais tarde bem dirao a hora
em qae all irtereveram os seas nomes, porque os annos succedem-se uns aos outros com a rapidez
do raio, e entfcreve nos acharemos no fim d aquelle prazo, que to longe nos pareca, senhores de
urna fortuna Pie por nenhuma outra forma e cora to peqoeno-desembolso, poderiamos obter.
Ei pi :, pai? de familia, correi a inscrever o vosso nome naPREVIDENTE, subscrevendo
por vossos 0 )s; mas tende em consideracio qne assim como nao deveis obrigar-vos por quantias que
vos seja diffld 4>agar, assim tambera, podendo, nao deveis sub.crever com pequeas quantias, porque
nao tirareis t -tanho proveilo do tempo, e o lempo que nassa nao voita.
oOtiQo aoaaaimeotT'padeTrpTodazirT"___________-
Por um meni 1 de
I de
% de
r de 3
> > I de i
ia pess4 de 15
de 20
9 ama pess

de 30
de 40
*
1 dia al anno. ,
1 anno a 2 annos.
2 > a 3
a 4
a 15 >
. a 20
> a 30 >
> a 10 >
a 50
Em 5 an- Em 10 an- Em 15 an-
nos. nos. nos.
550#000
450*000
430*000
430*000
4301000
430*000
430*000
430*000
450*000
2:000*000
1:500*000
1:450*000
1:400*000
1:350*000
1:350*000
1:350*000
1:350*000
1:500*000
4:500*000
3.750*030
3:600*000
3:550*000
3:500*000
3:500*000
3:550*000
3:600*000
3:750*000
Em 20 an-
nos.
10:000*000
8:500*000
8:000*000
7:75 *000
7:700*000
7:800*000
8:000*000
9:000*000
Em 25 an-
nos.
23:500*000
18:500*000
17:500*000
7:800*000 17 000*000
16:650*000
16:650*000
17:000*000
18:500*080
25:' 00*000
As subftripcoes pagas por lima s vez produzm muito melhores resultados, porque podem
dar uns 25 po cento mais do qae o calculo aposentado na tabella anterior ; porm sao mui raros os
qae se achara abultados para de-nma s vez pagarem urna subscripcao firle, entretanto que subdivi-
dindo-a em an ualidados fcilmente o podem fazer, e a maneira mais suave de se adquirir um
grande capital lom pequeo desembolso.
A luga-se
umacasa acabada agora, com commodos para fa-
e
Cr ado ou criada
o rttc?2LUca^eS^i|VC- uSwra u
[ vVrs'oToorfa'rotm uTer^toi S
^LcVo das 11 horas da manhaa as escravos,com banho na porta, no lagar do Poco
' idaPanella.mado Rio: a tratar com Tassoir-
J-------------------------------------1 maos.na ra do Amoium d. 35.
A luga mise doas grandes sobrados com com- ,, .. n
M, "familia, nnvns areiadoc "7 Aluga-se a casa terrea da ra daiMangaber0
semelhante deciaracao, por quanto a dita procura
r'o sempre esleve est em mi do advogade de
S., existindo nicamente em mea poder ama es-
criptara de penhor, na quantia de 275*, e ama es-
cnptura de compra e venda de um escravo na
quantia de 1:100*, e na mo de sea advogado um
saque na quantia de 4:000*. quantias estas, qae na
qualidade de procarador do Sr. Caldas promov a
cobranca do seos devedores ; e qae at a data de
hoje nao recebi a commissio de 20 0|0 qae me
compete. Declara e scientiOca o abaixo assignado
ao Sr. Antonio Caldas da Silva, qae, assim como
S. S. teve a bondade de Ihe cassar poderes dessa
proeuracao, alias J Anda pelofnegocio em mo do
mesmo sea advogado; tambam o abaixo assigna-
Precisa-se alagar doas escravos:_ a tratar n ,j0 tem a delicadeza de Ihe pedir publicamente a
roa do Brum, fabrica de sabao._______I jademnisacao de seo trabalho; na certeza de qae,
quando n seja satisfeito este pedido, immediata-
roenle o chamar a juizo para o cumprimento de
seas deveres, o que. j nao fez por attencao ao
mesitfO advogado do Sr. Caldas.
Antonio Borges da Siiveira Lobo.
modos para
cora jardim,
didades, na t
a tratar na r
Imerosa familia, novos e aceados;
cheira, estribara e outras crame-1 .-
ivessadeJoao Fernandes Vieira '
n. 1, a qual tem grandes commodos, o sobrado d3
daSenzala Nova n.42.
Eseola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professera parti-
cular de nslruecao primaria, competentemente au-
torizada pela directora da nstrucelo publica,
hrio sc^aola na ra Direitan. 60, s^eundo andar.
Precsa-v? fl fi0*. <** uma negra ama
Preci>a-so de 13:000* a premio sobre hypo-
. ,th*ca : qcini. po?, qulier fuer esse neeocio, i-
casaem hypotheca .' fTerUs sobre tetras J. S. r* ;rija-se ao escri^torlQ (JpPr. .angelo que (lirqoem
cebe esta typograpmV 'ft?. hypotheca.
Na raa do uondego olaria a. 13. existe urna
carta para set entregue ao Sr. acadmico Anto-
nio Jos Lopes. Flho, e na mesma olaria pode
entregar a refresta.
Precisa-;
para fra da el
Jos Pinto da
ado
de dous amassadores de padaria
ade: a tratar em Olinda com Laiz
u.
In turara
Na raa Direita n. 116 conlinaa-se Ungir para
qualqaercor, ej o mais barato possivel. _____
Precisa-sf, de ama ama para lavar, engom-
mar, ooiiphar i compnr
mero 14.
loja da ra de Santo Amaro n. 16, e
o terceiro e quarto andar do sobrado da ra da
Brum n. 70 : a tratar na ra larga do Rosario d.
34, botica.
Aluga-se urna sala do primeiro andar da casa
da ra do Qeimado n. 41 : a tratar na merma.
Consultorio medico-eirurgico na ra larga d
Itosaiio b. 20.
O Dr. Jeo Ferrelra da Silva regresando a sua
casa, contina tm o exercicio de sua proficuo nao
s na parle medica como tambem Da cirurgica.
Aluga-se um sitio na ra do Cabra
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada e margem do rio Beberibe, cem com-
modos para familia, estribara para cavallo-
ecapim para sustenta-lo, arvoredos de/ruc-
ios, sem visinlio defronte nem pelo fundo,,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muilo propria para passar a fesia e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
eife, no Reeife, na livraria ns. G e 8 da pra-
Ca da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capito Antonio Bernardo
Ferreira. ________________
Est para alugar-se urna casa terrea na rua-
da Gloria n. 14, ura 1 e 2 andar de um sobrado
na roa do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joo
de Barros, com arvoredos, agua de beber,e portao
para o becco do rombal : quem pretender faile
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at aemeio dia.
Samuel Power Johnslon k Companha
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FiindicSo de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
' nbo,
#
Arreios d' carro para nm'e dons cavallo?.
Relogios de oiiro patente nglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
tttmwji. zar *m>m^ agSfc-< **' Ys*y*f
nj| Antonio Joaquim de Mello, anlgo jdvo-
gado nesta cidade e procarador fiscal da
ff? thesouraria de fazenda, emprfgo qne
|pt servio por mais de 22 annos, rr.miniia a
* advogar em lodos os ramos do civel e
crime, com provisao do Exm. Sr. conse-
Iheiro presidente da retaceo. Na ra do
Imperador n. 14. st*"*
Na ra de Santa Rila n. I, prerisa-se de orna
ama para o servico de casa e comprar, prefere-'se
sera va.
Na ra da Florentina n. 36, prrpara-se co-
mida para fora por rommodo prego.
ktlencao.
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico e a todos os senhores officiaes do ejer-
cito e da marraba que cenlina a ter sua casa sor-
tida de fazendas e roupas feitas, e por medida : no
-argo do Livramento n. 34.
<> bachare Jos Itaplista Gitiraas
i advoga nos termos do Bonito e Carnai.
2 Pode ser procurado na villa do Bonito,
I na Direita n. 16, defronte da cadeia.
mi wm mm mmmmmm
Franca e Brasil.
J. Morder, alfaiate francez, precisa de bons of-
ficiaes para obras grandes e de boas costureias
atraz do Corpo Santo a. 27.
ftWKf(n.)l III m*r.WX&t
O bacharel Alvaro Caminha T. da SiI\ ^
tem seu escriptorio de advocada a' ra
do Imperador n. 41, primeiro andar, on-
de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
Em qualquer outra occasiio sera' encon-
trado na casa de sua residencia a mesma
ra a. 3, junto ao Gabinete Portuguez.
Um rapaz brasilelro com pratica de calxei
ro offereee-se para ser empregado >m loja de fa
zeodas, escriptorio ou outro qualquer esiabeleel-
monto, dando fiador a sua conducta : quera pre-
cisar procure na fabrica da travessa do Carioca 0.
2, caes do Ramos, ou annuncie soa morada para
ser procurado..__________________________
Alaga-se o segundo andar do sobrado da
roa da Senzala Nova a. 42 : a tratar ao armazem
do raesmo.______________________________
Sacase sobre Lisboa, Porto e Rio de Janeiro
no escriptorio de Carvalho di Nogueira, roa de
Apollo a. 20.
Aluga-se o sitio das Mangabeiras na cidade
no becco daPdre" na-'de Olinda, ra do Bom-saccesso, junte a ladelra
) do Monte; 8 trattr na rw Direita o. 69.
VdMHSes PimenU, constando-lhe que o
Sr. Domingos Gomes de Macedd pretende vender
a armaco de sua taberna sita na raa de S. Bento
em Olinda, previne aos pretendentes que nao fa-
gam negocio sem que se entendam com o anoun-
canle.______________________________
Ninguna! contrate negocio alg-im com a loja
de calcado da roa do Livramento n. 33, perienuen-
te ao Sr. Caetano Leonida da Cunha Gama, ou
Caetano Lenidas da Gama Duarte, pois hoje per-
lencea Francisco de Paula Pinto ; havendo algu-
ma pessoa* qae tambem sejuignecom direito a
dita casa, baja de annuacar pelo raesmo jornal,
durante o praso deoitodias, pirque do contrario
perder este direito.________
Na ra do Imperador n. 46, primeiro andar,
precisa-se de ama ama para cozinhar, qae seja
limpa e de toas costumes.
Pede-se a moradora de um 1 andar da rna
Direita cajo quintal une com es das casas do pateo
deS. Pedro, que baja de por molda cas as suas f-
mulas, porquanto o chuveiro de palavradas lauca-
das larde da noite das janellas do quintal cons-
ume, sem ao meaos respeitar s pessoas da vjsi-
oban^a que apparecem para observaren) d'onde
parle tanto escndalo.______
Preojsa.se de ama ama forra oa scrava:
ra do Imperador o- 27.
-
na
J
(MUHLSDCI1
-


\
Jarlo dt Perambuco Segunda felra 3 Je Abril de iOft.
Grande aiuiazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. S.
O armazem de tintas ora grande deposito de
productos chimicQs uieosis e os maisempregados
e usados ua pharmacia,pwtura,photographa,tin-
turara, pyroieefcinia(fogosdeariiflolo) o era ootrai
industrias.
Montado era grande escala, e supprindo-se di-
rectamente uas principies drogaras de Caris, Lon-
dres, Haraburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianza e satisfazer qaafquer
encommenda a grosso trato e aretalbo, por presos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropradas satisfar
cora [iromptidao qualqusr pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qaalidadee pureza de seusingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, 6 qne
nao fcil fazercom aquellas que sao importadas,
e que se encontrara no mercado emlatasfechadas.
Tem grande collecgo de vidros de differentes
formatos, desde tima oitava at dezeseison$asde
capacfnade; de vidros para vidrac,as e diamante?
para corta-Ios; depinceis para fingir madeiracom
propriedade e outros; de papis dourados epra-
teadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulho, para forro de easa, para desenho
com fundo j feito; de papel alburoinado e Brisu I
verdadei ro saze para photographia e para Qltrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
terior ; oleo grazo, oleo seccativo, oleo deljnhaca
clarificado, oleode oielet, secativode Harlim.ouro
verdadeiro em p ; prata, uro, e estanto era fa-
llas de varias cores ; tintas vegetaes, inofensi-
vas proprias para confeitarias; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas era pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim,bergamota, aspice, patchouly,mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
ans da Rassia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderaoser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
Gerente.
ALMANAK. Ha para vender
Acaba de &aliir dos pr- pnho> pDh^ spii, hiobbIi,
los de nossa typographia o jtaitB [n$ **ruiKofa
Almanak Administrativo e: 78010 1 i Poiegedas de largura j
Mercantil P TrMiiiQtr.ii dftqfai De 10 a 33 Palmos de cotpprid, cousa
JIUMUIUU1 e inUSlIai GSta'muito boa e barala, e com todas as gros-
prOVinCia, COrreCtO at 31 suras: cheguera ra Nova de Santa Rita
de dezembro, e vende se a nl7'serrariade,os6F Cce,h0-
.na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Instruccoes para 0 servico
das guardas do exercito, exlrbidas do re-
gularnento de infantaria e accon modadas ao
exercito brasileiro; obra que muilo convm
DE WASMAN
As pastillias digestivas com a pepsina de Was-
tnan, emprego se com suecesso h j alguna
amios pelas celebridades medcaos de Pars,
aquellas pessoas que se alistan nos corpos Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
de voluntarios; vende-se na livraria n. tie e*fcm M quaes a di.esli<>.* difficii, penosa,
o da praca da Independencia, a \&.
0 GASTELLO DE GRSYILLE
, Tradiizido |do franeez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello r< manee trpquatr
tomos pelo baratissimo preco de "iliOO
ua praca da Independencia, linaria ns.
6 e8.
Coke dogaz.
Pitcli do gaz.
Alcatro do gaz
tonelladas rs. .
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
Gaatralglaa.
Uapepalaa.
Embnrara* (atrleaa.
A Irllr.
Aa affeeeoea organl-
caa da raimaga
Em todas as molestias cmpreg8o-seamude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente aspastilhas de Vichy. Etse raeio i ad
efficaz quando se trate de dispepsias de corta du-
Blarrheaa e eanail-
aarfta prodaililaa
pelaa elabaraaea
aVforlnoaa aa* al I
nirntaa.
I0'000
80?000
COMPRAS.
Compram se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fem ira t Matlieus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
Na ra da Cruz n. 33 compram-se cdula
das caixas filiae^s das provincias e do banco do
Brasil com descont razoavel._______
Compra-se um mulatinho de 10 a 12 annos
que seja sadio e tenha boa figura : na ra do Im
perador n. 46.
Compra-se ouro e prata em obras vebas, pa
a-se bem : na lojx de bilbetes da Praca da Inde-
pendencia n. 22.
sangue
manara que lhes arreblho a parte vivificante,
utriliva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
f\: lransiorm*-se o mesmo lempo que se effectua a
4UU transformaco dos alimentos assimijhando-se
como elles c ajudo tabem como elles a nutricio
-eral. Sua aevao vivifica
Coke
Pitch .
Alcatrao caada. .
O coke reconhecidamente o carvo mais econ-
mico, lorna-se por isso recommendaw.l, bem co-
mo pelo asseio que se nula as cozinhas aonde
elle usado. Pitch e alcalrao, alm das applicacoes affeccScsgstricas aeim mefiiomdat sloine>
diversas a que se presiam, como para callafelar mente fracas ou d'um temperamento um oouco
embarcacoes, alratroar madeiras, etc., teem este a
propriedade de preservar do cupim, fumigas, etc.
o sangue e os drgos
e tal sorte que, athe" as pessoas que sem soffrer as
Comprase effectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, toja de ourives.
temperamento um pouco
dbil, e necessitao substancial alimento para for-
r--f .......o-. "- Uncarse, achSo no emprgo iupastim pep-
t. entregar na fabrica do gaz ou mandado por em io de Wasman, um poderoso meio para a Uso
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do cliegar.
comprador.
Na roa da Cruz n. 38, em casa de Mills Ilat-
leau & C, vende-se :
Cha.
Oleo de linhaca.
FolhasdeFlandre.
Silins e silhdes inglezes.
Cerveja Aspinall.
Dita Bass.
Dita John Jeflres & C.
Cm piano com pouco uso.
Claudio Dubeux
X
vende os seus es'abeleci-;
mentos de mnibus e carros, montados como esto,
ou em partes separadas, vista dos compradoies :
Compra-se um escravo cozinheiro que seja faz todo o negocio a praso ou a dinheiro, e vende
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado muito em conta, contanto que realise a venda
n. 32 da ra da Aurora. total.
Aviso importante. 0 successo das pastilkas
a pepsina de Wasman du causa a se fazerem fal-
siheaedes e imitacSes d'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
Joa preparacSo a pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que aspast/Aai tenhio
as niciaes B. P. e saio da pharmaciaChevrier
Depsito geralem Paris, pharmacia Chvrir!
IJ, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
farmacias de Franca e dos panas estrangeiros.
S 5-S3g-
fmi?i*t=>
- -o w 3 _-
3 o1 2
"5
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve
Ibo : na fundicao da Aurora, em Santo Amaro.
FHOPR1 PAR l SENHORA.
Vende-se um excellente cavallorouito no-
Compra-se ou aluga-se um escravo que sirva VO e manso com todos OS andares : na co-
para todo o servic.0 : a tratar na ra da
dja n. 64, padaria do gaz.
Coneor- ebeira do Paulino, rua de Santo Amaro.
5-2. a
R 8 2 8 3 gBa-ra
r|e:70

Urna carraca para (avallo.
Quera tiver e quizer negoelar annancie,
pareca na ra do Livramento n. 38.
------- Cerveja a O rs.
Chegou ao armazem Aiianc, ra do Imperador
ou ap- n. 57 a superior cerveja bass em barril, que se
vende a 200 rs. o copo.
Compra-se ama mobilia de amarello com
pouco uso: no principio do Corredor do Bispo,
nona casa do lado esquerdo.
Compram-se libras sterlinas e descontam-se
notas do banco do Brasil e das caixas flliaes : na
prara da independencia n. 22.
Cobre, latilo e chumbo.
Compra-se cobre, lato e chumbo : no ar-
mazem da bola amarela no oito da secretaria de
polica.
Compra-se onro, prata e pedras preciosas: ------
na arco da Conceico do Rocife loja de ourives. i
Compra se urna loja de fazendas na ra do
Queimado, pagando-se vista, se convier o nego-
cio ': na ra do Urum n. 70, segundo andar, se
achara com quem tratar.___________________ Antonio Duarle Carneiro Vi*na sclentifka ao
Compram-se 6s segrales nmeros do Jornal respettavel publico, e especialmente aos seus nu-
da_Recifetit, 281 e 287 do anno passado; 22 e merosos freguezes, que acaba de abrir um novo
25 deste anno : a tratar na loja de livros da ra estabelecimento na rasa n. 22 da ra Nova, sitoa-
Estrelta do Rosario n. 12. da entre o seu amigo armazem de ferragens e a sna
bem conhecida e popular loja da exposigao de can-
FABRIGAGE
PICUSMS MAQUINAS
PARA MARCAR
PAPIL CORTAS LETRAS,
K CARTOES PE VEZITAS-
PASCB SINITES PARA CARTAS
TARA LACRE OBREIA E TI.\TA
J\a ra do Aragao n. it.
w
*
p ~

n
n
5 m
B>B
s-a E.B
2< i
Attenco
Compram-se dous ornamentos para celebrar
missas, encarnado e branco e um todo rxo com
todos os seus pertences e que esteja era bom us :
na casa do sacnsto daordem terceira deS. Fran-
cisco.
VENDAS.
Attenco.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
umaduzia : em casa de Johnston Pater & C. ra
do Vigario n. 3. _______
Vendem-se fazendas salvadas do brigue in-
glez, na ra Direita n. 3 :
Pecas de chitas largas francezas a 7J000.
Dita para coberta a 75000.
Dita de algodosinho com 30 varas a 6#000.
Dita de dito com 20 varas a 4*500.
Dita de dito com 20 varas a iaOO.
Cortes de laasinha a 2J000.
dieiros gaz, existindo entre as tres casas espa-
ciosas communicacoes, de maneira que facilitan) aos
compradores munirem-se commodarnente dos ob-
jectos diversos de que precisarem. Alm do cos-
tumado e variado-sortimento, que o respeitavel pu-
j blico sempre encontrn, e continua a encontrar nos
seuseslabelecimentos, achara no que ataba de fran-
quear urna multidc de objectos de luxo, gosto e
utilidade, das mais afamadas fabricas de Franca,
Inglaterra e Allemanha, para as quaes continuar'
sempre a fazer encommendas especiaes ; e sendo,
como fastidioso numerar os muito e variados
artigos de culellaria, laperaria, cristalaria, de me-
taes finos, de porcellanas, etc., etc., deixa de o fa-
zer, e convida ao mesmo publico, que venha visi
aros seus mencionadosestabelecimenlos.
Vende-se urna mobilia de amarello, usada :
a tratar na ra Velha n. 49. -
8 1
. 111 f 1
V> *"C B aa
?3 3g| Si
*- ct O ifl
ijfi
a 1 m
D|Sg. g-S 8-
Si B 2 _
?5S.S
n
o
< *
< d
o-F"
ll
I1 I*
8 S-E3I
p
MI
Sllir
Itl
1.9
11K
2-
I
ih

Carta chorographica
DO
HEATRO DA GUERRA.
A LEGITIMA
SALSAPABRILHA
Acha-se exposta a venda, as tojas abaixo men-
cionadas, a carta chorographica do theatro da guer-
ra nos K-ta.los do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer- i
co de Moutevido. Ella torna-se recommendavel'
nao s pela lacuna que veio preencher, como pelo
esmero do trabalho lythographico.
Vende se pela mdica quantia de 2#000 as livra-'
rias dos Srs. N'ugueirj, ra do Crespo; e do Sr.
Cardoso Ayres, na da Cadeia do Recife, assira como
as loja? da Exposico de Londres e na lylhogra-
phia do Sr. Carlos, a mesraa ra n. 52, e na loja
do Sr. Cardozo de Almelda, ra da Cruz.
- Vende-se urna mobilia de amarello usada:
a tratar na ra Velha n. 49.________________
for 8>$l! j
'.'ende-se para cfflcial de infantaria da guarda
acional um fardo, um par de dragonas, barreti-!
na e pluma, banda rica e Sel de ouro, pelo barato
preci de 80J : a tratar na ra Nova n. 17, ou na
rna dos Prazeres n. 4.______________________ NOVA YORK.
Mobilia de Jacaranda ^jfW de substancias, gozando de
- Vende-se urna mobilia de jacarandem meio ProPr,edades eminentemente depurativas;
uso, 2 eadeiras de amarello em meio uso, lanter- approvada pelas juntas e academias de me-
nasdevi^dro, mesas eeutros ebjectos que se ven- dicina; usada nOS principaes hospilaes.ci-
vis. militares e da marinha as Antilhas e
- Vende-se um terreno na Ct^eodib SUlSffS amerCan ; receitada Pelos
Imiu rtn Irona a ".RO Ap fundo ataaiaan I. W-UUailVOS OS
DE BRjSTOL.
PREPARADA DRICAMEHTE POR
LANIAN k KEMP,
GRAGEAS
GLISE CONT
approTidM pala Academia i% Madlclna da Pirli.
Resalta polos dous relatnos, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em 1858, que as grageas da
GELI8 e CONT to o melhor e mais efficaz remedio
ferruginoso para curar a chlorosis (alias fluor-albo), os
irnos brancas, a fraqueza de compleixis nos dous
sexos, e tanibem para ajudar a menstrnacio das mocas.
Estas Grageas alo lo vendidas sanio em caixinhas
aa vidros cobertos com rotulo e fechados com urna tira
levando a firma do depositario eral : labelovye,
aaarmaceutieo, ra Bourbon-Vmtntute, 18. arii.
Deposito geral em Pernambuce rna da
Crn n.22 em casa de Caros & Barboza
dorio por prego commodo
Prazeres n. 4.
a tratar na ra dos
palmos de frente e *80 de fundo, plantado de la- "tu,iai,vos os mais distinctos do imperio do
raugeiras novas, tendo cacimba e daas frentes, rasiljula America hespanhola
ama para a estrada do Lacerda, e outra para um
beeco: a tratar na Capnnga, venda dos Quatro
Cantos n. 33, de Jos de Alraeida Ferreira.
Francisco Jos Germano
RA "tOtt X. ti,
acaba de leceber um lindo e magnifico sorlimento
de oculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Colares Eoyer
ou colares anodines elctricos contra as convulsoes
das triaiifas.
O bom e prove toso resultado que as enancas
obtem na denticao. Irazndo desses colares, j
bem conhecido, e por isso se tornam boje indis-
pensaveis porque assim teem os pas iucontesta-
velraente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambera na ra do Queimado, lojad'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua se a vender em porcao e a relalho :
na ra do Queimado, loja d'agnfa branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e (jalees prelos para vessidu,
A agua branca recebea novamente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trancas, franjas, galOes e ticos pretos, etc.,
assim como botSes enfeitados de vidrilhos, e ou-
tros muitos enMles de differentes cores, conii-
a aguia branca na ra do Queimado n. 8
3
o
PILIXAM HiiI'Tli:^
1)0
O
DR. AYER.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra ta Cadeia o Recife, esquin* da Muir de Deas.
Prestem attenco ao discurso do Balao.
Moreantique superior a 2500 o covado.
Grosdenaple de i600, 1*9800, U e 36.
BalOes de 20, 23 e 30 arcos a3|e ;'fJ500.
dem para meninas de arcos e de morselina.
Chales pretos de fil do ultimo gosto.
Laa preta para luto e de todas as mais cores.
dem com assenlo pelo e cor de caf, llores matizadas, fazenda inteirom nte
nova vista se far o preco.
Vestidos a Mara Pia. os mais novos a i8#000.
Chitas largas de 300 rs. o covado a 500.
Lenc< s brancos a 20500, idem de esguio j embanhados.
Madapoloes francezes proprios para saias e camisas de senhoras a 5G0 rs. vara.
dem muito finos de 140 a 160 a peca.
Cambraias brancas muito finas a 50 a peca.
Chales escuros proprios para as senhoras trazerem por casa 40.
Meias cruas inglezas a 80 a duzia.
ou*a ii:m.
Paletos de alpaka brancos muito linos a 40500 e 30.
dem de cajemira de cores de 100, 110 e 120.
Calcas de casemira pretas e de cores de 70,80, 100 e 120.
dem de brim branco de 40, 40500 e 50.
Colletes de casemira pretos e de cores de 40,50 e f 0.
dem brancos de brim e frutas de 20, 20500 e 30.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o preco,
dem peitos de linho, e de algodao de 20-a 50.
Seroulas de linho com duas costuras.
dem de esguio de algodao a 10600.
Colleirinhos de linho inglezes.
dem de papel de cores.
Camisas de flanell i de cores de 33 a 60.
H.t muitas outras fazendas que sevendem por preros muito baratos, dao-sc
amostras com penhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do
>

Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30500, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola. i
dem idem lavrada a 20 o covado. I
dem idem lavrada muilo superior.
Completo sortimento de grosdenaple prjBlo a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, 45, 40500 e 50. |
Pannos prelos de soperiir qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na leja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successeres
de Jos Morera Lopes.
MAMAS DEPAM
de trabalhar ft ara o pus-
I y Nao ha iiccessidadr mais ge-
ral em indos os paze do ( a
de um pnjante que seja ao
mosino lempo nuo.eile, eflicaz
e di^iio de loda a eonfianra.
As [ululas que <:; oierfce-
mos ao publico pn Iicm eMas
coodicoes ; pois pdera sei to-
madas pelas pessoas mais frasbi
^^ sem pe igo algum, nao tendo em
sua composirao mercurio nem
oulro ingrediente ftocivo ;i siu-
de, mas sendo cohij>osio de a-
gentes vegetaes mui fortes,' sao bastante
'lucientes e activas para purilkar os rorjios
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificara toda
a extensao do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua accao viciada e fazendo recuperar sua
vilalidade.
Um remedio inestimavel contra di de
obera nervosa, enxaqueca, pn'sc do n n-
tre, hemorrlwidas, molestias do figado, e-
oregastro-hepatka, e todas as moles.as
eiliosas que teem sua origem no entorpec*
ment do figado que causa a escassez da
Ms na nflaniniace d'esle orgao que pr-
luz derramamento da bilis no estomago (io
em um desarranjo geral dos orglos aigea-
tivos.
A leterieia
produzida pela absorpeo da bilit no
sangue, dando pello c aos olhos uni lr
amarellenta ; nao smenle dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhaas, isto bastante par morer-
o ventre smene at que se recupere a ac-
fao sita do syslema.
Mal do /gado, febre gastro-hepaiica,
diarrhea biliosa, indigesto, a nevrcltjto
ou tic douleureux, sao todas molestias que
em seu comeco n'um desarranjo da buis.
A observacao dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula di pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curado;, com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanbam cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza delWau-
rer A C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 lili:! DfrcKa 15
RIO i>i: .i wiiite
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER i. C.
_______ RA NOVA N. 18.
Bixas liambure;ne?as.
Yende-sena ra Nova n. 61.
Vende-se arroz com casca a 3 a
20 cuias : na ra Direita n. 69.
acra uc
aJria&uinff-i
? sr aa S &f> = S
ai "9
li^lllllilll
* a S S
B o o-
? CJ
5 .
<* s- i,
g^ S B g T P g S
P||f.2|i|
a o
9-tm
i
M
a
MARA PIA
Marn Pa
Mara Pia
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumalismo, escorbuto, en- nuando
fermidades venreas e mercuriaes, chagas vender todo isso por precos commodos.
antigs, morphea e todas as molestias pro-1 RorntW PnivinTinc
venientes d'um estado vicioso do sangue. ,am ,.,13UUlltl PXlBflHB
Emqnanto existem varias imitaces e tom.m" M" costura, i
Acaba de chegar pelo ultimo vapor inglez um falsificacos, preciso a maior cautela para
esplendido sortimento de enfeiles de cabe? a.Ma- evitar OS engaos,
ra Pia, os quaes pela sua elegancia e bom f osto
de cada qnal o mais bonito nada deixam a desejar
sendo pretos, rios, cr de bonina e azulzinho
seus preces a 23300, 33, 4J>, 6*. 83 e 103 : na
loja do novo rival ra do Queimado o. 16. .
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel costra as gnoirheas
antigat.e recentes, onico depogitr) r a bo-
jea franceza, ra da Cruz n. 82 pre-
?o3#
A legitima salsa de Rristol vende-se por
CAORS 4 BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO A C.
Jlo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Joao da C. Bravo A C.
Ceblas a 800 rs
e cento : na raa larga do Rosario n. /0, e;auina
para a ra estrella do Rosario.
outras
igualmente lindas com perfumaras finas.
A aguia branca aa ra do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para
costura, e nntra com perfumaras finas, e contl-
nua a vende-las baralamente.
Eoao do ar.
Valdivno a duj, no seu armazem do sal da ra Imperial
n. 2zl.
Vende se um bom escravo moco e moito ci-
vilisado para jodo o servido domestido, para o que
tem mui[p pralea : na ra da Cruz n. 30, primei-
ro andar. Na rcesma ca^a necesila-se de orna
ama,
trabalhar h ir :1 o
descaroear algodao
FABRICADAS
PorPIant Brothers & C.
0LDA1
Estas machinai
podemdescarocar
qualquer especi
vde algodao sen
J estragar o fio,
sendo bastanU
duaspessoas par
o trabalho; pdt
descaroear urna
arroba de algo
do em earoct
em 40 minutos,
on 18 arroba
por dia on S ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machna?*para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpe, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seisdestas machina,
mencionadas; para o que convida-.-e aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zemde algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolliers k c.
IV. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agente? oeste*\)aiz.
Vende-se um bonito molatinho de 12
annos, proprio para qualquer servico; na
ra Nova n. 38, loja.
Tllo
Anda pinho t mais pinho 1!!.........
O abaixo assjgc-ado urna honra de annunciar
ao publico que abri um armazem com pinho, e
disposto a vender com lo a 20 0/0 de lucro, sendo
este um negocio que >empre deixou seus 300 0/01
Por agora s se acha na ra nova de Sania Rita
n. 17. al se dcsociopar um ou mais armazens no
caes 22 de Novembre, para nessa occasllo verem
a baraieza; mas por em qnantovenhama ra no-
va de Santa Rita n. 17. ver e comprar, a Jos F.
Coelho.
c
- 2
B S
~.
o;
*
gis.
3 ,|
9 to S"
v. c
Vi
ti
Si'
"I
o.
5
3


C 9 ~-
R O n
-c a
*=


-i
-i
o
r>
09
O
as
Q.
O
w sr
p
>
>

O
Pre^s
Vende-se milho muito bom, chegado ha pou-
co do Penedo a 33-500 o alqueire (32 cuias) : no
caes do Ramos m T.
Ijaleeira.
Vende-se urna balee!iva espacosa e bem cons-
iruida, cornos seu* pertences : na ra da Cruz n.
23, primeiro andar, para ver no trapiche do
Cunha.
que admira.
Snalos de tranca superiores pelo barate preco
de 13 o par, e andiz 103 : no vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as largura?, peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, CO e 000
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de urna e duas carreiras
perfeitasf pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzla a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, aduza a 13200.13600
23,33,43 e 53. '
Balaios propriamenle para costura e parafruc-
tas, e para menina trazer no braco a 11500.13600
1*800, 23 e 23500. '
Perfumara, macaca perola a 23, 23200, 33 e
43 a dnzia, oleo de maozinha a 53 e 63 a duzia,
banha a 33, 43 e 53 a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis precos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, ra do Grespo n. 7.
AHOGARA. ~"
31Rua! larga de Rosarle 34
Bai'tholomeu Francisco dcSooza
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
(luarnieues avelludadas. i
Tinta hrancasuperior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino, em paes.
AC.
AGUA
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao nma tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de sobsUnciarinoffensiveis, elIjLtein a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante qne elles tem perdido.
De urna salubridade inconlestavel, a agoa del
Florida entreten! a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Amigos do lanche.
Vende-se.a muito apreciavel cerveja Bass a ido
rs. o copo, queijo suisso a 300 rs. a libra, ct ir.inho
novo a 73 a arroba : no armazem Gerente, rna t*
Imperador n 14.
Attenco
Vendem-se pefas de esleirs para forro di vtl*
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2.'. ,'.-
bras, para pintar casa, relogios para cima di nu-
sa e para pendurar, arreios para I.e2eavallr*
velas de spermacete, tudo de superior qualiditt,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra a
Trapiche n. 8.
No armazem de fazendas k-
ratas de Santos & Cllio
Rea do Queimado n. 19.
Vende-se o segulnfe:
Lences de panno de linho
pelobaratissimopreco de 23400,
Lences de bramante de linho
de ums panno a 33500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo pre^o de 23500.
Lencos decambraia brancos
proprio.'para algibeira. a 23 a duzia.
Pecas de brtanha de rolo com \( varas
propria par* saia.a 33800.
Pecas dv cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 236(0.
Guardanapos
de linho finos duzia 33500.
Algodao enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 132C0.
Corles de laa
com 15 covados a 63.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para corlinado pe; -. j>
Fil (de linho
liso fino vara 8( 0 rs.
Atoglliadoadamascado de algodlo
coro 8 palmos de largura vara 23200.
Atoalliado adamascado do linho
com 8 palmos de largura vara 33200.
LSazinlias carmezim mudinhas
propria para vestido de menina, covado (((' i.
Laazinhas
d^ cores finas covado 560 rs.'
Fazendas para a quamma.
Grosdenaple, moreantique e rifas ca i di giM-
denaple berdada*.
Esleir da In'in
propria para forrar salas, de 4, 5 e C pam s ce
largura, por menos pre^o do que fio ouia qt.vl.
quer parle.
Xeste armazem de fazendas 'se encontrra um
lrande sorlimento de ronpa feila e por mrdiy..
^
\
_>
legvl
**_'
-
I
- .



/
/
Diario e P cr-aaaaaeo fteaaada felr. 3 de abril de 185
)
\
AURORA BRILHANTE
a\
GRANDES ARMAZENS.
BE
MOLHADO
YIMIOS
ESPECIAES
mm
m Largo da Sant
gCruzns. 12e84,
esquina da ruado
Cebo
R Largo da Santal
fCruz ns. 12 e 84j
esquinada ra do]
jC^DO.
O dono dos ja maito acreditados armazens de raolhados denominados Aurora
Bnlhante, acaba de receber de sua propria cncommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente eslacao, e tendo grande sortimento compradoaqui, aflancaqueto-
dos es scus gneros sao de primeira qualidade.
A seguate tabella servir a todos* de base para ai ust de contas aos por-
tadores.
Nenhum armazem vender raais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilbante, j pelo grande sortimento que tem, ja mesmo por sea dono seacnar encom-
modado era sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o ontrn pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra'destas para se comprar
barato.
Litas com 8 libras dechouricas muito novas,
i a 7*500.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 1*000, 1*280 e
Dt^s com ostras, excellente petisco para ri-
gidaira, a 720 ti.
' Ditas coai ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 6i0 rs.
Ditas com ameixas a 1*200, 1*800 e 3*500.
Ditas com marmelada do afamado fabricante
Abreu. a 830 rs.
Ditas co;n m.issade tomate, a 500 rs..
> Ditas com figos de comadre, novos, a I*ofH),
25 e 2*500.
?Ditas com bolachinha de soda multo novas, a
23)00.
'Ditascombiscoitinhos inglezesde muitas qua-
lidades, a i*W0.
Chocolate.
Chocolate superior muito novo, a libra a
1*200.
i tfacarraa, talhariam e alotria amarella, a libra
a 480 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
L Caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
sis, a caixa 35500.
f' Ditas dita t?m libras a 6i0 rs.
>;, a libra a 360 rs.
sevadiuha para sopa a libra, a 240 rs.
. Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
;,ib")itas descascadas, aJibra a 200 rs.
" W i'-ipioea muito nova, a libra a 280 rs.
"*fparinTia de aramia verdadeira, a libra a
if 300 r*.
af) Vrroz do Maranhao, em sacco, a arroba a
v 24W0 e a libra a 80 rs.
^n^Dito da India e Java, a arroba a 3*O0 e a li-
-V/S bra a 100 rs.
'** Toacinh de Lisboa a 9$SH0 a arroba e a 320
'M rs. a libra.
><# )ito de Santos, a arroba 7*000 e a libra a
V 200 rs.
v()lhos com 125 ceblas grandes, .i l280.
vlistarda franceza, caixa com 2 duzias a
4*000.
i 10 Frascos com mostarda preparada em vinagre,
jfig a 400 rs.
"*? Ditos com conservas inglesas e francezas, a
<%. 040 e 800 rs.
jm Mos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
diJDitos coma verdadeira genebra dolaranja, a
1000.
[Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
.rijtijas cora dita propria para negocio, a
\ 400 rs.
hlarrafoes com 2 galoes com dita, a 6*.
Vinho verde superior.
A caada a 3*300 ea garrafa a 480 rs.
Ilumina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira dei
engommar. a arroba a 3*000 e a libra
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Futen.
Saccas grandes com farinha de Goianna mui-^
lo* aova, a 5*000.
Caf.
Caf.i >lo Rio milito superior, a arroba a 8*,
8*500 o 95000. '
Cha. <
Cha, temos nestes gneros o melhor possivel,
hvson. a libra. 2*600.
Dito parola a 3*000.
Dito uxim a 2*700.
Dito hyson muito tino a 2*800.
Ditn redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*oOO.
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaeete.
O masso com 6 vellas de espermaeete a 600,
640 e 720 rs. <
Passas.
Caixa; de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4* e 2*300.
Noces,
i tinas, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpista e painco.
Alpista? painco, a arroba 4*000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
Cartas flaas para jogar, a dur a i*510.
Casi anuas.
, Castanhas novas vindas ne*te vapor, a arro-
ba 4*000 e a libra a 200 rs.
Azeitoaas.
Barril com azeitonas novas a 1*500.
Manteiga.
Manteiga smierior, a lihra a 1*000.
i-Dita mais ahaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos, a li
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Qneijos novos viudos neste vapor a 3*200 e(
3*300. ,.. '
Ditos londrinos muito novos, a 1
1*000.
Papel.
iServeja b3, marca, a 500 rs. a garrafa, e ai p a|ma,,0 paulado, a resma a45800.
> dlUa a ROMO. !.. 1!._ i:. An linhn 1 m duzia a 65000.
'Vinhi muscatel de Setubal, a garrafa a 1*.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 13200.
[Champagne, a duzia 20*000, e a garrafa a
2*000.
Uzeile refinado portuguez e francez, a garrafa
a 1*000.
Caixa drf vinbo BorJuaux muito superior, a
83, 95 e 10* a caixa.
"Ditas com dito branco, a 7* a caixi.
, Ditas cora dito lagrimas do Doaro verdadeiro,
a 20*. ..
'Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
.183000.
Ditas cora chamisso superior, a 14*.
'Ditas com Porto velh) e outras muilas mar-
cas, a 125.
[Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
I e 800 rs-
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 3*200,
35500 e 4*. e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas (P.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
I da a 3*300 e 4*000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco'fino, a garrafa a 640 rs.
(Dito de caj maito superior, a garrafa a
800 rs.
Dito dito I izo de linho, a resma a 4*500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
Dito de embrulho, bom a l* e 1*200.
Vinho Madeira.
Garrafa? com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^
deira ai*500 e 2*000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do rein, corainho
e cravo, a libra a 400 rs. _
Velas d carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Aaendsas.
Amendoas conveasca, a Hora a 320 rs.
IMa.
Caixoes de doce de gota**, frande a 1*4001
e pequeos a 6%0 re.
1'ijoUs -fe
lijlos de arear facas a 140 rs.
firaxa.
Dazias de booes de graxa a. 97 a 2*000, e i
de latas a 1*000, e es botos* 240 rs. ea-
da um, e as latas a 100 rs.
Charatas im.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, paixa e meiasJ
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, pe deixam de an-
nunciar-se.
CONSULTORIO MEMCO-CIRIRGICO
. DO I
DR PEDRO DE ATTAHYDE tOBO HOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Sorla, casa do Fiindao 3
0
NEM COROAS NEM MITRAS
t
GRMDE ARMAZEM
i^^^^
N. 11Ra do QueimadoN. 11
Superiores cortes de soda prta cora lindas barras.
Superior soda faconno que ha de melhor e mais goslo.
Moreantiqae preto maito bonito a 2*800. 3*, 3*560 e 4* o covado.
Completo sortimento de grosdeoaple preto de multas qualidades.
Pannos pretos o casemiras de maitas qualidades.
Bournus, hales e los de renda pretos superiores.
Superiores pelisses e soutembarqaes de seda para stnhoras.
Bournasdo lia para seoboras a 12*.
Chapeos 9 chapelinas de palha de Italia para senhoras.
Corts de 15a de barras do 14* a 22* de muito gosto
E mnitas outras iazendas de superior qualidade na loja de Augusto FreJerico dos
"Santos Porto aonde tambem se vendem as malhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
N. 11 Roa do QaeimadoN. H
i 12$000.* SACCi
Feijo mulatinho aovo 12*, uilfr a 4* : oa
rus dos Quartels n. 2.
Vndese ama taberna propria pira princi-
piante, faz-se um negocio vanjoso ao comprador:
a tratar na ra da Gula n. 42.
*-**3
Vende-se panno azu
to : na ra da Ca
iprio para fardamen
auariado.

Fraficez barrica 5*000
Portland dem 8*500 t
Bm perfeito estado:
Francs barril. 10*000
Portland idem 12*00
v j armazem de Tasso Irmlae Bes do Apollo.
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas jos pobres lodos os dias das 7 s 1
toras da mauh5a, e das 6 e meia s .8 horas da noite, excepeo dos dias santificado^
Pharmacia especial homeopathica
F mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tohosavulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacocs e pelos presos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubosgrandps.. i8000
> de 36 tubosgrandes. 24^000
de 48 tubosgrandes. 30,5000
de 60 tubos grandes. 35000
Prepara-se qaalquercarteira conforme o pedido quesefizer, e com os remed
jue se pedir.
Um tubo avulso oa frasco de tfntura de meia onca 1J0OO.
Sende para cima de 12, custarloos,precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
LIVHO.
d0as ^X^^s^!^ .Ma.nual de Med"iM Homeopathico.do Dro^o -y *JS53 ^sr40 a
dQS Medicina domesticado Dr. Hering,............ iojooo 2*400. muito propios para mimos.
Repertoriode Dr. Melle Moraes............. 60000 OartOeS
Diccionario de termos de medicina........... 30000 com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Os remedios deste estabelecimento sao por demis condecidos e dispensara portan- y f oo
to de seren aovamente recommendados aspessoas que qaizerem usar de remedios ver- nm.... aiaf .Ae _,
Leiros enrgicos e doradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver- ^fi^fL* "* detodaS aS qQa*
dadeiroa'ssucar deleite, notaveisoelasua boa conservado, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a maisexacta e aecuradapreparado, e portanto amaior ener-
giaa ccr'teza em seus effeitos.
Casa de mude pira escravos.
V NA
III V DO IWPER1DOR 4
Jietf ao sebrade em qie Hora Sr. Osberne,
DuarieAlmeida L c, receberam de ana propria ccccrfn en
da o mala liado e variado sortimento de mol ha dos, prestios
da presente estaco.
Maeas brancas
Manteiga ingleza
da safranovavinda no ultimo vapor a l,ooo
rs. a libra eem barril a 800 rs.
.ilnatelga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra. e em barril
a mjn.
Amendoas
libra.
dades a 10300.
Chocolates
de todas asqualidades a 1/000 a libra.
Presuntos inglezes
Recebe-seescraves para tratar de jualquer enfermidade ou fazer-se-Ihe qualquer dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
operaclo, para o que o annunciantejulga-ft suficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo coeeito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahiemdiante 10500.
As operaces serSo previamente ajustadas, se nSo se quizerem sujetar aos precos
azoaveisquecostuma pedir o annunciante.
Laboratorio enologico e chimico de F. P. Lebeuf-e C-
ru Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteull. prs Pars (Franca).
BONIFICADO E F4BR1G4C\0
D.is vinhos, agurdenles e licores.
dos vlnlios de
ou 30 li-
VINHOS.Iraitacao dos vlnlios de todas as
qualidades, Ettracto de Medec, -dose para 230
litros, 1 23,de Borde.ii, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Lisboa, f.,-de Qetalan, 2 f.,-de Porto,
Xer, Muscatel, Malaga, 4ose para 2.j
tros, i t.
Substancia para fabricar cotn o alcool e
os vinhos cima e lodos os outros. A dose
508 litros, 50 f.
CLACIFICACAOPos inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 500
litros. 5 f. I
COLORATO.Purpirigine para colorear os
vinhos braceos e vinhos claros. As duas libras
AGUARDENTES.E*sencla de cognac para dar
as aguardles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 (.
KIKSCH E ABSINTHO. -Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
r,ua LI90RES.Extractos para fabricarse todos os
para 'cores eonhecidossem fogo nem alambique, (in-
(iicar-se os que se deseja.) A dose para 21) ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os ITcores finos ou
commus A dose para 20 ou 35 litros, 1 f. 25.
TOOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos^gaarderttes, licores, vinagres, etc., sao
fabricaaos-ue encemraenda.
UTENSILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsiQcao eimita-io flossas preparacoes,
freguezes, deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as ioicie.es F. V. L. Pars, .
0 modo de asar-so das preparaees adu-se iadicado no rotlo
As encommendas devem ser acorapauhadas por urna letra sobre Pars oo Qualquer outra cida-,
de de Franca, ou garantidas por urna casa conhecida.Dirigir-se ass Srs. Lebeuf & C. chiraicos,] ra lapidados para agua a 4,500 e 5,ooo ri
Montmartre, n. 31, em Pars, ou a sua fabrica em Ar?enteOt|, pfi Paris.
Vende-se na botica franceza, ra do Imperador n. 38.
temos velhos para 500 rs.
Qneijos flamengos
chegadgs neste ultimo vapor a 26oo.
i Qneijos
chegados no ultimo vapor a 2|I600 cada um.
Qneljo
londrinoo mais fresco que se pode esperar
e de encellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho. -
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinbas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perela
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
Idea hyssao
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
pan opa, raactrrao, ttlhartm e aletria a
480 rs. alibra.
COG\AC
o muito afamado cognacPal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras mnitas quaida-
desa l.poo e 8oo rs. a garrafa
COPO*
F.VBRICV DE CIIIPOS DE SOL
do Carato e raa do
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
Papel de botica
| de excellente qualidade a 20200 a resma,
.V 1 Un* %9va esqua* da Caa boa
Cabug a. 8.
A lirajtori) desse estabelecimento o mais importante que existe neste genero i PAPE
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goae das azul e pardo para embrulhode 1 4oo a 2 2oo
vantagens que proporciona a fabricacao om grande escala e directa relacSo com as mais;i rs. a resma,
importantes fabricas da Europa, faz sciente que rejolveu-se a vender ainda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella :
Desconio em duzia.
las
20
40
V
15
%
%
15 /o
Bht/o
Chapeos de sol de panno a 20000 .-
armaco de bleia a 20500 .y.
de seda armacao dea?o inglez de 20 pollegad
40, de 2i 50, de 26 50500 e de 28 60......,
Chapeos de sol inglezes a balo 12 taretas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100.
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130......
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que extstem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tmannos efeitios, os quaes sio to vantajososcomoosannunctados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-seigualmente em porcao e a retalho, notando porem
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
Ihar pelo preco que o estabelecimento retalha. f ...
Nr B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serSo considerados como
a retalho.
&r
Chales de renda preta e bournus de guip preto^
A' laja da roa da Crespo n. 17,
DE
JOS &OJIES VILLAR
Vende a 1-55,205, 305, 405, 505 e 605, capas e casacoes-de gros pretos, chapeos
e chapelinas de palha e outras muitas fazendas proprias para a quaresma.
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Enropa tratar de sua. saude espera que seus
devedores tanto do mato como desta praca saldem seus dbitos qaanlo antes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito Iva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs, a libra e compran-
do de um paneiro para cima se fafa abatimento na ra do Imperador n. 40.

CHEGVSIVn OSIODER^OS C1ULES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo uliimovaper franrez, a
loja das columnas roa do Crespn. 13, de^nlonio Correia de Vasconcel-
losaC.
S
Corinthias t
T^^rra\ra:aspropriaspara
Eumo
Vinagre
PRcadeamamTetaS de 9 Canadas a 15'000 rs-
OeMas
aSemi8onBoaS0^i;Cad0a 7^00 rs-a ^ixa
e .ooo rs. o molho.
. Alpista o Painco
o mais novo do mercado a 140 -s a lihra
e 40400 a arroba. 1U)ra'
CEBLAS
mraa0dnonm7a l^,0 ?^t<> na ruado Qnel-
gT2rCa^DnatrmperadOrD-40eIar"
cro de bico
maito novo a 30400aarroba el40rs a li-
bra na raa do Queimrdo n. 7 ra
imperador n40e.argo;;Lmon.t
QtfGt/O SUISSO
muito fresco a 800 rs o i.-k
OiiPimarlnn 7 a llbra na raa do
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarrao. talharim eaieiria a 4(0 rs. I
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acie-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
IdcBi de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
Ideai da Parlo
generosos engarrafado das melhores fat ri-
cantes da cidade do Porto a 10 e tt< o
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, a. d ar
cas sao as seguintes: Chamisso d Filio,
F. 4 M., Nctar ou vinho dos Benzes,'
lagrimas do Doure e outros muitof.
latas
com 10 libras de baBha a 40OCO.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes .
as mais novas do mercado a 12Cr* .4 bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar -
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30COO a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1. e 2.* sorte do Rio de Janeiro a S03C
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoea
com 4 V garrafas com vinagre a 10000 tam
o garraf5o.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
IDEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 co
12 frascos. ,
GENEURA
de Hollanda verdadeira em frasqueir a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixiDha,
LICORES
finos de todas as qnalidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e l,ooo a garrafa.
"Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, cerno se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2bo rs. a arroba.
VELAS
de espermaeete de diversas marcas a 5Co rs.
a libra e em caixa ter abatimenlo.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a thra.
Btalas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs
. a libra.
Passas maito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e Cilco
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se rede de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o rao
Frats en calda
chegadas Hltimamente,7era, pecego, na e
otros muitos a 640Vs. a lata g J
a fian ***6 !? mm *"*
a 000 el0 ocaixae.
. GOMMA MUITO NOVA
emraan!'i0/nde l c 2 arrobas a mee a ar-
roba el 40 rs. alibra na roa do Coei-
BOLACHINHA S
em latas de deferentes qualidades a 12C0
QUEIJOS FLAMENCOS
chTnin:e_StAu,tn, vapor a 20f OO na rra
o. 7. roa do Imperador o.
do Queimado
"-'feiMBwSSfea-
tinnlaram ne puui,w em gerai, quepara
tipularamos mesmosprecos nos segniales logares :
0 Verdadeira Principal roa da Imperaaar
FARELLO DE LISBOA
Marca S verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500:
40

na ra do imperador n. 40.
DE
/

DE :
J. VIGN&S.
. W. &*. HA DO IMPERADOR If. 55.
Os puos desta antiga fabrica sao boje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobra 1
,aa superiondade, vaniagens e garantias reis pe elles tem definitivamente conquistado sobre todos os iue ter appareoid* nesu Draca oto-
mindonm teclado e machimsmo que obedecem todas asVnta#s eaprieboe 4 #ai5a'seiii-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhanmeatw imprtaB-
tissimo pra o clima ieste pai ; quanlo is votes sao melodiosas e flautadas, e or ido mnitolradi-
Teis aoa ouvidos doi apreciadores. i~ *""-"" "e,au*
Fazem-se conforme as encemmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. BIonfeL de Parts socio
wrwependente de J. Vigiles, em cuja capital oram sempre premiados em todas as eipMMSW.
Iw mesmo estabelecimento -se acha sempre um explendido e variado sonimento dmusioao do
melhores autores da Europa, assim como harmnicos 9 pianos harmnico*, sendo tude vendido po*
prejos commodos e razoiveis. ^ ^
r
>
v :
W>
'"WaaryrrL,.,-,' x j

i


raH. de leraabtic guada letra ft de Akrll de 1N&
i kttmfoo.
Fazeadas pretas gara a quaresma por
par aaraUsaa rec, ia laja e ar-
ina*eu 4a Arara, raa da laiaeralriz
b. Stt.
Lourenco Pereira Menes Guhnares. .
O propnelario -deste estabelecimeato retira-se
para a Europa a tratar de sua saude, porm antes
de retirar-se pretende fazer urna liquidado de ba-
baratissimo prego para fechar coalas ; agora fre-
guezes veade-se grosdenaples prelo multo bom
para vestidos, a i600, 2J e iM0, dito de 5 pal-
mos de largo, a 3J : na roa da Imperatriz luja da
Arara n. 56.
Ueuraotlqne preto a 3 g.
VeaJe-se' meurautique preto para vestido a 35 o
covado, grosdenaple muito largo e bncorpado a 35,
i i JOO, 5 e 15600 o covado, alpaca preta para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
610 rs, bombaziaa preta para vestidos a 15280 o
covado : ra da Imperatriz lojada Arara n. 56.
Ricos vestidos a Maria Piaa I2>.
Vendera-se ricos vestidos a Maria Pa a 100,
12j, I4J, 165 : roa da Imporatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende pecas de panninho a 50 e de
madapolao a 40.
Vendem-se pecas de pauniuho muito fino de 12
jardas a 50, vendern-se pecas de madapolao infes-
tada a 15 e 44500, vendem-se pecas de madapolao
de 2i jardas bom a'65, 74, 75500, 84, 94, 104 e
124, vendem-se pecas de algodaosinho a 54, 64,
74, e 84 : rna da Imperairiz n. 5S.
Arara vende os balees a 20500.
- Vendem-se baldes de arcos de todos os lamanhos
a 24300, 34, 30500 e 44: ra da Imperatriz
n. 56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se laaziahas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
finas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Iraperatrii n. 56. -
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240 e 280rs.
o covado, ditas francezas finas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a aOO e obO rs. o cova -
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Lifiuidaco de soutambaques e laazinhas a
4 70, 80 e 100.
Vendem-se soutambaques de laazinhas para se-
nhoras a 74, 84, dita de alpaca branca a 104, ditas
muito Unas de grosdenaple preto a 204, 254 e 304,
capas pretas de grosdenaple fino a 204, 254 e 304,
manteletes pretos de grosdenaple a 205 e 225, go-
linhas para senhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gola- a 15. carouiohas para senhora, 25,
e 35, ditas muito unas bordadas a 45500 : na oja
. do barateiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56. ,
Cortes de ditas finas a 2i00.
Vndense cortes de ditas com 10 covados por
25400, ditos de dita franceza a 35200, cortes de
cassa franceza fina com ti covados, por 35, ven-
den se pecas de cambraia branca lisa a 35500,
45)0), 54S90, 65 e 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Liiiuidacjo de roupas feitas palitos a 20.
Vendem-se palitos de tmra de cr a 25, 245C0 e
35 imnetoes de brlm pardo a 35 e 35500, palitos
de casimira be.n feito a 55, 65, 74,85 e 105, di-
tos de panno preto bom a 85 e 105, ditos sobreca-
sacos de casimira de core preta e de panno a 125,
145 165 e 205, caiga de brim de cr a 25 e 24500,
ditas brancas de linUo a 35300 e 45, ditas de ca-
simira de cor 45,65 e 85, pretas a 55, 65 e 85,
colleles de casimira de cor e preto, debnm de cor
a 14300, brancos a 25 e JOovd, ceroulas feitas a
15280 Jilas finas a 14600 a 25, camisas france-
zas a 24 o 24300, ditas inglezas de pregas largas a
35 de linho a 30 e 35500, coleriuhos econmicos
a CiO rs. a duzia, ditos de linho a 500 rs, nm : na
ra da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Vendem-se cobrtas de chita finas a 25 e 25300,
ditas de damasco a 45 : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara qne e venie cortes de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
35. 35300, 45500. 65 o 65, ditos de cor a $,
45300 e 64 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vndese panno preto para caiga e palito a 25,
35 2S300, 45,45500 e 65 o covado, casimira pre-
ta tina a 25,25300 e 35 o covado e outras muitas
fazendas para liquidar : na loja e armazem do
Arara, ra da Imperatriz n. 56\
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupafeita nacional
Hita da Imperatriz ni. 72
Pechincha
v Cortes de ehltaa Sioo
Vende-se cortes de chita com 10 covados a
2-3400 a 33230, ditos de cassa a 35, ditos de laazi-
nhas para vestido a 35600 e 45, ditos finos de bar-
ras a Maria Pa a 125, US e 16*, ricos sonteam-
barques de laazinha em fantasa a 4. 74 e 105,
ditos de grosdenaple pretos unos a1 205, 225 e.2o5,
capas pretas de grosdenaple a 205, 2J5, e ifi,
na ra da Imperatriz n. 72.
Fazendas prelas para a quaresma.
Vndese grosdenapie preto fino a 15600, 25, e
25330 o covado, panno fino para caigas e paletots
21 35 3X300, 4530i e 55 o covado, casimira
pmo lina a 25, 25300, e 35 alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800/s., sarjas de laa
para caigas e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Laazinhas a 320 e 360 rs. o covado.
Vonde-se laziuhas para vestidos a 360, 400,
500, e 5S0 o covado. chitas finas para vesUdos a
240o 280 o covado, ditas francezas finas a 320,
360 e 400 rs. o covado, capas francezas linas a
320, 360 e 400 rs. o covado:
tVoupa feta.
Vende-se paletots de cor e preto a 34, 64, 84 e
105, caigas prelas de casimira a 55, 65 e 84, cor-
tesde colleles e paletots de br.ra a 25, 25o00 e
3 : na ra da Imperatriz n. 72.
Madapolao entestado a 40.
Vndese pecas de madapola eufestado a 45,
dito em panninho a 55, pecas de madapolao de 24
jardas bom a 85,75 e 105, ditas de algodao a 55,
65, 7 e 85, cortes de caigas de brim a 15600 e
25, dito* de casimira prela a.35, 35^00 45 e 55
na rna da Imperatriz n. 72.___________j___
Promessas para Santo Amaro.
Vendem-se pernas, bragos, cabegas, peitos, de-
dos, ps, mos e coragoes, vellas enfeitadas para
baptisados, ludo de cera feito cora perfeigao por
commodos pregas : Da loja de cera da ra do Li-
vramento n. 36 junto igreja._____________
RA DO CRESPO
l4Ja A,
tem para vendar bicos da trra finos e fronhas de
labyrlntbo multo ricas.
"~OJ*FEITARlA
dos ananazes, ni da Crus numero i 6.
Contina a ter eropadas, snperior presunto a
850 rs., dito em fiambre a 15600, recebem-se en-
commends d Bandejas de doces, paesde-lo sim-
ples e enfeitado!, kfces, para es quaes ha bonitos
enfeite?, tambem tem figuras em grupos para bap-
tisadis e casamentas, prepara-Si Igualmente lata
com cij crystalisado proprio jra exportar, vi-
nhos do Porto e Figueica, outras qcalidade, e su-
perlor Bordeflon em gurrafa^ grandes a 800 rs.
lar farinha de
mmdioca.
Vende-so ftCaellente farirma' de mandioca a bor-
dD do patacho naoional Polycena, atracado ao
trapiche baro do Livrmento e na roa da -Cruf
D. 23, primairo andar, escriptorio de Antonio
Almeida Gomes.

de
-,>
r
da Bali
Vfrrde^-w rtirdafraia-, n. 8t, colla
Fazendas pretas para a qua-
resma.
Ka leja do Pavio.
Acha-se este estabelecimentoeorapletamente sor-
lido de fazendas prelas propriaspai a a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e mnitissimo encorpa-
do, outros mais estrenos, tendo dos precede
15280, 19600,14800, 25, 25400 e 35, supWlbr
moreaatique preto a 35, superior sarja preta bes-
paohola, superior selim preto maco, ricas capas
pretas bordadas, sontembarques mnito bem enfei-
tades, ricas vasqulnas e casacos dos mals moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
has com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, tudo islo se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parle por ser a di-
nbeira : na loja do Pavo roa da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pav5o..
Acha-se nesteestabelecimento um grande sortl-
mento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 224, 255 e 305,
ditos trridos de alpaca a 115, 165 e 204, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brlm de todas as qualidades, colleles
de casemira pretos e de cores, velludos, setins
ele, sendo todas estas obras corladas por nm dos
melhores meslres nacionaes, manda-pe fazer qual-
?uer obra por medida : na loja do Pavao ra da.
mperatriz n.CO, de Gama & Silva.
Chitas em cortes com 10, 11 e 12 covades
Na loja do Pavao vende-se urna grande porco I
de cortes de chitas rtncezas sendo claras e escu-
ras todas de corest xas com 10 covados a 34200,
com 11 covados a 35600 e com 12 covados a 45,
pechincba para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Camisinhas a 1$.
Vendem-se camisinhas com mahguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de deztustoes cada
nma : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 30.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenos mnito delicados
pelo baralissimo prego de 35' (0 o corte : s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
4 Silva.
Cambraias lisas, na loja de Pavie.
Vendem-se pegas de cambraia lisa mnito fina,
tapada e transparente, pelo baralissimo orego de
45 tendo 8 i|2 varas cada peca, ditas mnito finas
a 75, 84 e 94 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baralissimo prego de 74, 94 e lfy,ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 24600 a pe-
ga : isto na loja do Pavo ra da Impojatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincba a 34500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitago de tariatana com mnitos
delicados desenhos, mniio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 34500cada nm,
sendo fazenda que sempre se venden a 74, na loja
do Pavo, rna da Imperatriz d. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 10 e a 70 *
Na loja do Pavo vendera-sericos corles de vesti-
dos Maria Via, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 44 e 75, sendo fazenda que
val mnito mais dinheiro, isto por baver grande
porgao, na loja do Pavo rna da Imperatriz n. 60,
de Gama Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabega
de senhora: na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
As cassas do Pavao.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mladinbos e grados, ebegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n.60, de Gama & Silva.
As laazinhas transparentes a iOO rs.
Na loja do Pavao vendem-se as mais modernas
laazinhas transparentes, sendo de listas miudinfias
a imitago das sedinhas, pelo barato picgu e 400
rs. o covado; ditas eafestadas de urna s cor e
ditas de salpiqninhos proprias para vestidos e rou-
pas de changas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Ricos soutambarques do Pavo.
Acaba de chegar um rico sorlimenlo de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeilados, qne se vendem pelo barato prego de
205,225, 255, 305- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem mnito em conta: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos viule mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transparen-
tes, sendo cora llstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de tedas as cores, assim como pretas
c roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
algnmas proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por haver. urna grande
porco : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Maria pa,
Grande pechincha a 100000 rs.
Chegaram os mais bonitos corles de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, i-eDdo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 105 o cor
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada nm a 105, ditos de cambraia
cora barras bordadas a crox no ultimo gosto, pe
lo barato prego de 65 : na loja do Pavo, raa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
mnito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato prego de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Iraperairii n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas lisas.
Vendem-se as mais finas laazinhas de urna s
cor, tendo grande sortimento : na Iqja do PavIo)
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeora assentos de cores, sen-
do nesle artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercado, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernsimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem ama elegante vista sobre
um vestido de qualqner cor, assim como mnito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
Soutambarques de cor na loja
do Payjlo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos sontambarqaes e cores, sendo os mais bem
enfeitaos que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc., s
avistado.grande sortimento que os freguezes
podeai dar o verdadeiro apreco a esta fazenda, e
vende-se pordifferentes pregos conforme a qnali-
dade: na loja do Pavao de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60. s
Manteletes de fil na loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos manteletes de fil pre-
to e outros com os centros de cor, sendo neste ar-
tigo o mais rico que tem vindo ao mercado e mais
moderno por serem muito compridos e com deli-
cadsimos lavrores: na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para meninos.
Vendem-se muito -dobIus roapinhas proprias
pan medaos de i a 4 annos, sendo calcinhas e
jaquelinbas iguaes, e muito .bem enfeitadas : na
loja do Pavo, rna da Imperalri*^ n. 60, de Gaaa
& Sil*.
Caiclahas do Pavao.
Venden)'** rrraft bonitas ealcltfhas bordadas pa-
ra raaninasa640 rs. : aatoj* do Pavo/Troda
imperatriz n. 60.
AO PUBLICO
ATTEItCAO
Os presos da seguate
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajaste de con tas
con os portadores.
lem o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero qne
nao agradar.
ARMAZEM U
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da ConcelcSo)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promplido e inlei-
reza com que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a prolecco e preferencia na com-
pra dos generes que prec;sarem, e quando n5o possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
pois sero lo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaiao, afim do que nao vio em
outra parte.
CIMENTi
Francez barrica f>$<'00
Portland barrica 8^5>0.
No trapiche baro do Livramente ao caes
d'Apollo.
Atten0o.
Loureiro Santos & C, acabam de receber da Eu-
ropa pelo vapor, am lindo sortimeDto de enfiles
pretos, proprios para a qnaresma, f rfenos anda
nao vistos em Pemambuco, pelo prego do '>, (.-5,
10, 12a e 20*, bem como grosdenapk s prelo, ri:u-
reantiq, capas de grosdenaples, e soulhamlarques
do mesrno ; tudo por pregos mdicos : ;> i na du
Crespo n. I'i, junto a loja de louga.___________
Fogo do ar.
Vende-se fogo do ar a I56OO a duzia : na ra
mperial n. 349.
CEBLAS
No armazem da vinvr Panla Lope?, df ficnit r>
embarque'na escadinha, vendem-se ctLoias" a^ n.t~
Ihores do mercado, em caia e cento, o msis bo-
rato pos-sivel.
Manleiga ingleza especialmente escullida a
l ,00o e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 9do
rs. a libra e 90 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negQcio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,0oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
ero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato? 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 3,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e i,2oo rs. a libra.
Espermacele superior a 600 e 64o rs. a li-
brare em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem- ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e *o e 7oo res a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de I
a garrafa e em cana-
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a C4o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorlas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,000 e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs.
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Bainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,000
a duzia e i,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a lrbra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a i,3oo rs.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra. __
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por 2,5oors.
Ameixas francez:is em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a l)55oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamauies com Gomias estanipas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a Obra-.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco. *
a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e H,ooors. a frasqueira.
Caf do. Bio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba. N
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do MaranhSo de 1* qualidade a loo
rs. a libra e 2,8o a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna
lho.
libra s56o rs. a reta-
a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o mago.
1>J a garrafa e 11,000
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que Nem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 0,800, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha do Fran?a mailo nova, a 2oo rs.
Charutos do affamado fabricante Jos Fnrta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicau IN'ormal de Huvana, Jmperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Cliarutos.flnos- de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilbasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte. excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinbo de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba. ^
Banha de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do MaranhSio muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamaDhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Buibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a visla se
far o prego.
Azeitonas de Bivas em ancoretas grandes de
8 garrafas pur'Ooo e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos pregos. .
Amendoas confeitadas a 64o rs. a lib'ra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Fazendas btalas
No armazem que foi de Joaquim Frar.oi.'cc de
Alem, largo da Assembla n. 1, venden-te cl:its
francezas, algcd.o grosfo, eslora larpa e lfrcos de
chita, todo per preco muito ccn.n.fdo (ni irnse-
qnencia de se arharrm molhados d'agua salgada.
HYJfOOS
Acham-se a venda os hymms dos voluntarios
da patria da provincia de Perntml upo, e o l.jfrno
dos volonlarios de Ilenriques de Peir?n I neo. < a
historia sagrada por Hoymont, m i.m livro tira
encadernado : na ma do In perader n. lo dtfftn-
te de S. Francisco.
Vendem-se jarros vidrados vindos de M;hp
Iba, proprios para agua, farinha, e mesmo para
deposite de doce de calda : na ra do Trapiche
Novo n. 24, adiar com quem tratar. __
No escriplorio de Palmdra & Bellrao, largo
do Corpo Santo n. 4, vende-se o srpuinle :
Farello de Lisboa em saceos grandes.
Toros to Jacaranda.
Conservas inglezas em frascos modernos.
Vinho do Porto fino em barris.
Sement em latas de 1 libra muito superior.
Chocolate especial maranhense.
Farinha de mandioca da Babia muilo nova em
saceos de 2 alqueires mnito bem medidos.
Varmouth em raizas de I duzia.
B1VAL
Sem segundo,
Ra do Qiteimado, n. 49 e il>. E' para admirar.
Carretis de liuna com 150 jardas......
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60..........v..................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de liaba grandes com 400 jar-
das .................................
dem idem brancos e de edres de 100
jard.s ...............................
Livrospara assento de roupa lavada...
Cordo branco para espartilho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botOes de pnnho todos de cores
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesonras para costaras finase nnbas
Ditas para costaras com toque d'avaria
Escovas para limpar dentes muito finas
160,200e..............................
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pantade e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
Iho)................................
Mei.idas de liaba frouxa para bordar..
Pares de sapatos de tranca..........
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaba perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................
Ditos e garraBnhas de agua de Colonia
. mailo fina......................
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2...........
Pecas de tiras elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res..............................
Pecas de blcos francezese rendas.....
Frascos de acua dentifrice mnito supe-
rior...........................
Caixas com 4 papis de agolhas a balao
e Victoria........................
Libras de laa sendo de todas as cores.,.
Bonecos vestidos e tambem de choro..
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz cena SO novellos.
Enfiadeiras de fita para espartilhos.....
Carrelis de linha de cores com 100 jar-
das .............................
Pecas de cdrdSo imperial............
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
20
20
13500
30
200
500
400
900
240
320
320
800
200
6A000
160
40
800
60
. 20
40
Milbo novtxtn saceos grandes: no trapiche
de Conha, a traiar cm Tasso Irm3os.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor* qualidade a
12(j*alata : nos armazensda ruado Im-
perador 0.16 ? rna do Trapiche Nevn, 8,
BOTICA EDBOGABIA
Bartholomeu Francssco de Souza &C.
34ltua larga do Rosara'i
Vendem:
PiiulusHolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobre-homem. *
Pilulas americanas.
Pilnlasvegetaes.
Pilolas/egetaes assacaradas de Kemp.
Salsa de Uristol.
Remedios do Dr.Chable.
Elexir dePensina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCb Albert."
InjecQoFeaugas.
Agua denticade Desirabode.
Papelcoimico, para talhoi.
Xarope depnraiivode Chable.
Licor aromtico de Raspan.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL'Affecteur.
i .Tarop do Bosque.
Ungento Holloway._______________.
Pecbwcba na Ifj s de fazemias
roupa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n 72.
Pechjncha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezas largas a 300, 320, 360,400
e 440 rs. o covado : pecas de madapolao finea M,
7$, 8$, 9 e 10 pegas de algodao a 5#, 6$, 7
e 8 : roa da Imperatriz n. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a Sfi, 64, 85 e lOfl, ditos, sobrecazacos a 12, 14
el6. Palitos de brim de cor a 25500, 3* 63*506
rs., calcas de cazemira preta a 6#, 7j e 8$, ditas
de cazemira de cor a 5#, 65 7, e 85 ; coletes de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 15500,
e 25500 rs.,; caigas de brim de cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Sontttnbarqe de cores a 70, U e 10$.
Vendem-se soutambarque de laa e seda para se-
nhoras a 73, 85 e!05 ; ditos de grosdenaple pre-
to a 20 e 855 ; capas pretas a 20 e 255 ; vesti-
dos de lia a Maria Pa a 125, i4.e 165 > m* da
Imperatriz b. 72.
Corles de cazemira prefa a 30.
Vendem-se corles de cazemira preta para calca
a 35, 35500, 55 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a 35, 45,5, e 75, ditos de brim de cores "a
15600, e 25, ditos de chitas finas a 25100 e 35*00,
ditos de cassas franceza a 35 : roa da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Potasas da RnMla.
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira po-
ta9sa da RuSsia, o^vende-se a preco commdo:-no
escriptorio de Manoel Ignacio de Ofiveira & Pilho,
largo do Corpo Santo n. 19.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
conlnbue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservarlo dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rect-i-
lien e 21 boulevard Monimartre.
Todos os frascos nao tendo iniaclo e claro, e tin-
clre praleado da casa, reputado falso.
Deposito rna do Imperador pharmaria n. 3t:.
Feijao mua ti ii lio.
Vende-f rnperior feijSo mulatinho da trra :
na ra da Madre de Dos, no armazi m jnnto a
mesma igreja.
w'
ESCRITOS FGIDOS.
Aos capites de campo
Desappareceu uo dia 21 do ron ente, da cafa de
seu senbor, o escravu de none Benedicto, caira
escuro, rom idade de 25 annos, leveu volido cai-
ca de algodao de listra, camisa de algodao da le?-
ra, e chapeo de cooro de abas larcas, Km altura
regular, cheio do corpo, eaLello a escoviu.
olhos pretos mnito vivos, nariz r bteca reculare?,
mnito ponca barba no queixo e um r-tqwno i li-
go, todos os denles, ps regulares, ele.; o> j t-
sumir que seguisse a eslraa de Goianna |ir i vindo da eidade de Souza, provincia da tasima,
ha 13 diis, e foi comprado ao f-r. Jo.' Anlcr.ip
Borges daqoella cidade : regace penante a(s se-
nhores capites de campo a appnhensao do rile-
rido escravo, e levarero-no a roa do Irprerrdrr c.
83, segundo andar, que se gratificar un. .'(.
BIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 55 lojas de miude-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por precos mais barato do que ero
outra qualquer parte, quem quizer ver o que ha
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de phosphros de segnranga a ... 120
Francos com essencia de Sndalo muito
superior.......................... 1)C00
Pentes de tartaruga muilo fino a....... 00
Pecas de fila de la prela para vestido de
O varas......................... 66000
Escovas de roupa muito superiores a. 05
Latas com superiores banha............ 200
Frascos de vidro com superior banha.. 240
Pares de luvas de seda muito finas.... 320
Enfeites do melhor gosto que tem vindo. 25500
Garrafas d'agna de Florida, verdadeira. J8280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 500
Volta para pescoco do melhor gosto.... 500
Baralhos para voltarete, finas a 200 e.. |240
Varas de franja branca de liaba qne
tem muita serventa................. [,060
Duzia de peanas d'ago muito superiores 060
Frascos de oleo Bboza muito finos..... 200
Talheres para meninos a-melhor qnali-j
dade...............'............. 240
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................. 500
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa................*.......... 25400
Duzia de colheres de metal multo finas 1
para en........................ 15S00
Grosas de bot3es de" osso para caiga... 200
Grosas de botoes madrepernla para ca-
rniza. .>.......................... 500
Grosas de bolSes de louga prateados
mnito finos...................... 200
Varas de babado do Porto sortido..... 060
Duzias de lapes differentes qualidade a
240............................. 400
Quadernos de papel de peso muito fino. 030
Resma do mesmo papel............. 25000
Duzia de facca e grfo mnito boas.... 25400
Sabonete de espuma muito superior... 040;
Capachos compridos e redondos muito
bons............................. 590
Ditos para sof...................... 2J00O
Tares de suspensorio mnito bons e para
acabar........................... (iOC
Essencia oriental para tirar nodoas de
Aos capites de campo.
Fngiono dia 27 de evereiro deste anno, de ea-.-
sa de seu senhor o escravo Sebasiiao, crioulo, to-
lo, com idade de 22 a 24 anno?, foi escravo oo
senhor do engenho Quandus da comarca de Santo
Anto, d'onde linha vindo para eMa cidade a 8
dias, de presumir que seguisse para Taquariim-
ga aonde tem mi e irmos, leveu raiga e rpita
branca bstanle suja, altura regular, cahello a es-
covinha, cabega pequea e redonda, testa giaci e
bem cantuda, olhos pretos e regulares, nari?. (ba-
to, bocea regular, beigos regulares, denles todcs e
limados, nenhuma barba.apenas um rVqoeco bpe-
de, corpo bem limpo, ps regulares e pcueo lar-
gos: roga-se portanto aos Srs. capites de campo
a apprehenso do mesmo a entrgalo a ra do
Imperador n. 83, segundo andar, defronle do cor-
reio, que se gratificar com 505-____________
Desde D dedezembro de 1864 que est au-
sente da casa de seu senhor o escravo Ilereulanc,
cabra,idade40annos, alto, cbelos earapinhas,
rosto descarnado e comprido, olhps e orelhas te-
quenas, nariz chalo, barba pouca, Um aperas iu-
gode e pera, perna esquerda de quolra di. o pg desse lado torio que o faz andar reno fia-
bais, supp5e-se andar pela Casa Fer? atnaijado
com urna mulata forra, baiza, alvaccnta, ape );-
rece maluca : qnem o pegar leve-o a roa Direila
n. 54, que ser generosamente recompen-jdo.
Desde 6 de margo correte est fgida a es
crava Joanna.que foi ltimamente da Sra. D. Fran-
cisca Maria Marques do Amaral, com 40 anbos.
peuco mais ou menos, nariz chato, ps apalhetado
com signaes de foveiro, olhos grandes, falla um
pouco pegada : quem a pegar ou delta tiver noti-
cia, dirjase Magdalena, travessa dos Remedios
n. 27. que ser gratificado.
Negro fgido
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro desta
anno o prelo Joaquim, de nago Angola, que foi
escravo doSr. capilo Francisco Joaquim Caval-
eanti Galvo, morador em Maria Farinha (Praiaj.
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do an-
no passado ao*r. Manoel Francisco Marques cea
armazem de assncar ra de Apollo; levou ca-
misa e caiga de algodao branco, representa ter de
48'a^O annos de Idade, alto e de grossora regu-
lar, cor fula, cabega comprlda, queixos largos,
olhos amortecidos, beigos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeitnoso, bastante barba, porm
raspada, finalmente tem nma grande costura (ntre
os peitos proveniente de queimadura, e suppoe-se
ter-se dirigido para o norte, d'oDd veio : grattfi-
ca-sea qnem o apprehender ou denunciar o coito
em que estiver : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero102._________________________^____
Fugio no dia 14 do crreme da ra da Cruz
n. 8, lerceiro andar, a escrava Benedicta, cem os
signaes seguintes : cor fula, lem falta de dentes
na frente, levon vestido escuro de palminhas I rau-
cas, chale encarnado, bem conhecida por ter si-
do escrava do Sr. Satnstiano Cintalieta : reeem-
mendase as autoridades policiaes e capites d
campo qne a peguem e levem-na a casa cima; ou
a rna da Somata Velba n. 94, que serao gratifi-
cados.
Fngio em principios do mez-de fevereiro do
corrente anno e consta estar acontado nesta cidade
- ,o mnleqne Euzeblo. escravo da viov do Dr. Fer-
rosa.. ....................... 50k*ar^) ffonsode Mello, de 12 annos de> >^e pou-
L.i;rV.1US. *. ^co nSis ou menos, cor preta, secco do corpo, olhos
Itgmiet e afnmagados, cabega nm ponco gi
Creiao para dezenbo de todas as qua
lldades...........................
Cartas de alfinetes francotes mnito su-
periores..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................
Carretis de retros com quatro oltavas..
Golinhas pa senhora a melhor'ljoali-
ade. ..i.......................'
020
100
3<0
800
200
o meia chata, beigos finos, denles beotal ves es
seceos e muito ladino : roga-se por lauto a todas as
autoridades policiaes e capillos de campo que o an-
Drehendam e levem-o a rna da Mangucira sobrado
n 6 qne serao gratificados,-protestando-se usar dos
meios judiciaes contra-qoalquer pessoa que o tenha
em sen poder.


8
Mario de Feraaaabnea aegnada falra a*da Abril de AS5t
LTTEBTORA.
----------*_-----------------
0 imperador apressou se a fazer esta tran-
quiisadera declarado ;
Nos na\> vamos Rafia fomentar a desor-
o oo.nvk.nio de !5DEssETEieR0EAENCY(xicA;dem4 nem expqlsar os soberanos, nem aba-
D! 8 DEDEZEMBM, DESPOSTA PELO EXM. I
HVM. SR. BISPODEORLKANS.
Primalra parte.
O que pensa do Piemonte.
' i lar o poder do padre sanio** quem restitu
raos o seu throno.
E anda : O flm da guerra dar a Ita-
lia
demnado o poder temporal do papa, protes-
tooo Sr. presidente do conselho de estado
nestes termos: N5o o imperador mesmo,
que repelliu, to nobre como solemnemente
esta estranha accusaco! (27)
Veu a guerra ; o nosso exercito marchou
de victoria em victoria; o imperador vic-
I
(Coniiotiagio.)
r!o parlamento de Turinfoi .apresentado
utnrelatonoquedim: fm v.s.tar Pn- incoaveneQCas Mluo ^
soesde Melazzo! Horror! Sah coberto de "r" f "
bi hos, com o corado- cortado, a fronte afo- '" da se,sao I .slaUva esta declarado :
queada de vergonha de ser Italia:*.. ; 0sfa9los Mlm de Sl bem ^ "
O Sr. Ricciardi coofessava no parlamento ann<^ que sustento em Roma o poder do
ter visto em Palerrao mais de 1,500 pre- P*dre SanJ e Passado <*" ser urna ga-
sos amontoados como sardinha em canas- ",a tlltro-
tra; e nesta mesma sessao acrescentava : IaesJorm ao Principio as declaraces do
* O pao dos presos tal que nao o quererla ^ ; vejamos a*ora as do seu 8"
nem para o conde Ugolino. (2). i .
O Si. ministro dos cultos, mesmo depois
L agora se meperguntam o que pens do das palams do imperador> ju|gou dever ~
njs amado, ire: r ir uma crcul
Pens o que dore pensar todo aquelle,: -Analrt *". *iOUU!> S e*,,h
- -j i. copado francez, com o fim de esclarecer o
que nao e dos que olham e nao veem, escu-1 plprn Brt. rn u ,uu "B *'",*r u
taoi e nao ouvem ; ?stibn!uPWHWd'uma lata, que
se tornara mevitavel, c e de nos pedir nos-
Todo aquelle que conserva uma conscien- \ sas o acoes e de gaohar as nossas sympa-
coraco
a si mesma, nao faze-la mudar de se- torioso, em sua proclamaco de Milo, de-
",,or- c|arou ainda a Europa, que nag havia ntra-
E de novo, acabada a gueera, o impera- do na Ralia com o systema premeditado de
DESAPOSSAR OS SOBERANOS.
ura
de homom dentro do
cu
peito ;
Todo aquelle que nao calca aos ps a jus-
tica, a honra,, a palavra dada, e o sangue
dos povos;
E su me perguotam, o que concluo daqui
dii-vos-hei ainda e a minba concluso ser
to, simples como moderada :
Concluo, que, quando o Piemonte d uma
palavra c assigna uma convenci, cumpre
oslar prevenido, e quando, para ir a Roma,
falla de forcas moraes e de progresso da c-
trilisaro, cumpre saber em que
mos fiar.
tilias.
Que dizia a circular ?
A vontade do imperador fundar em
bases solidas a ordem publica e o respkito
das soberanas dos estados-italianos.
O Sr. Pouland acrescentara ainda :
O IMPERADOR TEM PENSADO NISTO ANTE
deus, e a sua prudencia, energa e lealda-
d: bem conhecidas nao abandonaram nem
a religio, nem o paiz. >
O principe que deu religio tantos
>s deve-1testemunnos de deferencia e dedieacao, que
I reconduziu ao Vaticano o padre santo, QUER
Agora, que disse'o que pens do Piernn- QUE 1,C"E JJ? DA EGBf* SE,A RESPEl-
te. devo dizer o que espero da franca.
I!
O que espero de Franca.
O que espero de Franca simples de
dizer.
Todo o francez atiento, que tiver seguido]
o fio dos factos, que me impoz o dever de
recordar, j sabe o que tem a esperar do
nosso alllado.
Quaesquer que sejam as faltas e as illu-
soes do momento, techo, pois, a firme con-
Sanca, de que a Franca n5o ser engaada,
nem um cmplice do Piemonte.
Espero mais que os recentes factos e pa-
lawas do parlamento de Turin tero esclare-
c lo completamente a todos tanto sobre as
obras passadas do ^Piemonte como sobre as
finuras.
Espero, n'uma palavra, creio e sei que
Franca tem palavra e que quer cumpri-la,
tem honra e quer guarda-la.
E' minliacoBvicco profunda que o Pie-
. monte tem querido constantemente illudir
esta palavra, e que, no convenio, ha pouco
assignado, elle nao tem outro fim seno illa-
. di-ia anda.
Neste convenio, nos entendemos umacou-
sa, o Piemonte entendeu outra. Nos escre-
vemos em francez, elle traduziu em italiano.
Nos, c, dissemos o que sempre haviamos
dito e querido ; elle, l, comprehendeu o
que sempre quiz e disse...
A coodicSo sine qua non posta por
nos no tratado nSo aceita pelo Piemonte e
eu concluo dizendo: A nossa honra n5o nos
deixa ir mais loige ; j nao seremos enga-
. aados, seremos cmplices.
i
O que pensou e quiz sempre a Franca ?
Ahi vae sem commentarios: solemne o
momento ; tocamos a hora do supremo pe-
rigo ; por isso record tudo.
Em tolo o fio destes grandes acontecimen-
tos uma cousa me assombra, a potencia
do esquecimento que em certas occasies se
encontra no espirito e no coracao dos ha
mens.
O lempo apaga as memorias que deviam
deixar nos povos os mais profundos traeos.
Esquecem-se os factos mais recentes, os
mais memoraveis, as mais augustas pro-
messas.
O Piemonte, bontem a nossa vista, fez na
Italia, quanto refer; e j hoje ninguem pen-
sa nisso.
Por nossa parte, nos, se n5o tomos, quan-
to deviamos, dissemos ao menos boas pa-
lavras.
Pois bem! chegou a hora de as recordar,
porque na cssencia o esquecimento nada des-
faz e quanto foi dito permanece na conscien-
cia e fioou consignado na historia.
As primeiras plavras, proferidas pela
Franca nesta grave questo de soberana pon-
tificia, sahiram, em uma circunstancia ex-
cepcional, da bocea do imperador, entao can-
didato presidencia da repblica.
O padre santo estava em Gaeta; a Fran-
ca querendo recooduzi-lo a Roma, desejava
saber o qne pensa va sobre um to grande
interesse o futuro eleito do suffragio uni-
versal. O principe Luiz NapoleSo escreveu
eato ao nuncio apostlico, representante do
padre santo em Pars :
t A soberana temporal do ckefe venera-
ce! da egreja est intimamente ligada como
esplendor do catholicismo, com a liberdade
e independencia de Italia.
A Franca socegou com estas plavras, quj
bem depressa foram seguidas por ipares
de suffragios; descancava ainda nellas, quan-
do, em 1859, a guerra da Italia veiu de re-
pente assustar os nimos e excitar os re-
cejos.
1 tado EM TODOS SEUS DIRFITOS de sobe-
rano temporal.
E finalmente dizia ainda o ministro:
Taes s5o os sentimentos de Sua Ma-
gestade, tantas vezes revelados por seus
actos, e confirmados ainda em seu nobre ma-
nifest, dirigido naco, que deve encher
o corao3o do clero francez de TANTA SE-
GURANZA COMO DE GR VTIDAO. (i de
maio de 59).
As promessas e compromisos tomados
face do episcado e do paiz, foram confirma-
dos com mais energa ainda no seio docorpo
legislativo, pelo Sr. Baroche, hoje minislro
dos cultos e entao presidente do conselho
de estado.
Na sessao de 30 de abril de 1859, quan-
do j haviam passado a fronteira os nossos
rgimen tos e que a honra da bandera esla-
va empenhada, um deputado catholico, o Sr
visconde Lemerier temendo que os aoon-
tecimentos marchassem mais depressa que
as ordens vindas de Franca, manifesta o de-
sejo de ouvir declarar que o governo do
imperador tomara todas as necessarias pre-
caucoes para garantir a seguranca do padre
santo no presente e a indepedencia da san-
ta s no futuro eacabou por declarar con-
vencido que o imperador estava determina-
do a fazer respeilar, apezar de todos os
acontecmentos, a independencia e os esta-
dos da santa- s.
O Sr. Baroche responde em nome do go-
verno :
<> NXNUUMA DU VIDA PODE HAVER A ES IE RES-
PEITO.
O governo tomar todas as medidas
necessarias para que a seguranca e indepen-
dencia da santa s fiquem Ilesas (23).
. ,0 preopinante, elle mesmo, respondeu
questo proposta, mandando memorias,
7'"? o governo do imperador nunca esque-
rra (24).
Tres dias depois havia fallado o mesmo
imperador, declarando em uma proclamaco
ao povo francez : que- a guerra nao aba-
lara O THRONO DO PADRE SANTO.
Um anno depois, na sessao de 12 de abril
de 1860, o Sr. Baroche repeta textualmen-
te as suas plavras e acrescentava grave-
mente:
Ellas nao foram proferidas ligeramen-
te (25).
E para o provar, o Sr. presidente do
conselho de estado expunha do novo as in-
tnseles do governo nos seguintes catbego-
rico< termos :
O governo francez considera o podei-
temporal como uma consideraco essencial
da independencia da santa s...
O poder temporal nao pode ser des-
truido.
O seu exercicio carece de condices se-
rias. A expedicao de Roma em 1849 foi feita
pararestabelecersse poder. Para o sustentar,
ha onze annos, que as tropas francezas oc-
cupam Roma ; sua misso defender ao
ihesmo tempo o poder temporal e a inde-
pendencia e seguranca do padre santo (26).
Nao todo ainda: contra o Sr. Julio Fa-
vre, dizendo que, desde longo tempo e por
todos os seus actos, o imperador havia con-
(22) Alluso ao terrivel episodio de go-
lino na Divina Comedia de Dante. Ugolino,
tyranno de Pisa, morreu de fome empareda-
do com seus filbos na torre de Muda. (Nota
do traductor).
(23) Narraco oflicial da sessao de 13 de
abril de 1860.
(24) O Sr. Baroche dizia ainda que sel
o Sr. Lemercier nao se houvera refutado a
si mesmo, o presidente do conselho do n5o poderia deixar de manifestar c-
mara o sea assombro pela duvida, que hou-
vesse, acerca do proceder do goverao.
(25) Ibidem.
(26) lbidom.
O goveruo em Paris continuava a assegu-
rar-nos. A de 18 de junho, um communi-
cado oflicial ao Amigo da Religin, confor-
me a todas as anteriores declaraces, affir-
mava novamente que a proclamaco do im-
perador ao pov francez e a proclamaco de
Milo, repudiavam toda intenejo de preme-
ditado syetema de desapossar os soberanos ;
que de mais o imperador.hava formalmente
reconhecido a neutralidade do padre santo,
que bastava recordar esta deca aco para
por a opniao publica em estado de julgar,
quantosao reprehensiveis as insinuacesj
tendentes a fazer acreditar, que a Franca
procura abater a autoridade poltica do padre
santo, a quem ella havia restabelecido havia
dez annos, e que estava ainda confiado
guarda respeitosa de suas armas.
Ao mesmo tempo um outro jornal, o Se-
culo, recebia em 2 dejulho o seguinle com-
municado:
O respeito e a proteceo do papa sao
parte do programma, que o imperador foi
realisar Italia.
Os jornaes, que procuram fals ar o ca-
rcter da gloriosa guerra que sustentamos'
faltam, ao que ha de maisobrgatorio no sen-
timento nacional.
Emfim o imperador faza mais : escrevia
ao padre santo, renovando-lhe a promessa
de que as armas francezas defenderan! e
conservariam Tttebuntur tur atque serva-
bimto poJer do papa as Romanhas (28J.
Mas emquant odas estas declaraces re-
tumbavam na Franca, em Roma, na Italia em
toda Europa, o PiemoDte, fiel aos seus pla-
nos, desmentia-nos. A cada urna de nossas
victorias realisava-se uma revolucao prepa-
rada por elle ; os nossos milhes, se de di-
nheiro se deve fallar, o valor e o sangue de
nossos soldados, s Ihe serviam para escar-
necer da nossa palavra ; o seu re fazia-se
qfferecer e aceitava a dictadura nos ducados
e as Romn lias ; os seus commssarios go-
vernavam militarmente e preparavam os vo-
tos annexionistas.
A ioquietaco crescia mais e mais em
Franca ; mas o governo continuava a asse-
gurar a opniao, declarando que enrapria
n5o inquielar-se com a dictadura piemonle-
za, e o imperador assignava a paz de Villa-
-am.il ea de Zuncb.
Mas nada embaracava o Pienwnte; e o
imperador era obrigado a queixar-se (9 de
setembro) dos esforcos tendentes a empecer
asconsequencias do tratado de Villa-franca,
e de novo em carta ao re de Sardenha, em
20 de outubro, lhe dizia : c E>tou ligado por
tratados. >
Mas o Piemonte respeitava tanto os trata-
dos aasigflados pela Franca como as proprias
promessas feitas ao imperador, e em des-
prezo de uns e outras, tentava, sob os nossos
olhos, contra os estados pontificios, uma das
mais pominaveis aggressoes de que falla
a historia.
E mu grado ludo isto, nos debates to
vivos docorpo legislativo,o Sr. Billault, mi-
nistro orador do governo francez, dizia, a
22 de junho de 1861: abandonar roma!
esquecera poltica seguida pela Franca,
ha seculos esquecer que foi o imperador
quem restituio a Roma o padre santo, e que
talvez tenha feito pelo papado tanto, como
seu to, de gloriosa memoria, com a concor-
data nao, nao possivel.
Pois bem avista de todas estas nobres e
firmes plavras, pergunto eu a todos os ho
mens de consciencia, e que derem valor
palavra humana: ante este concert unni-
me de vozes, to autorisadas, pergunto, re-
pito ; se se tivesse vindo dizer que tudo isto
daria em se consentir que o Piemonte fizes-
se contra o papa o que fez ; invadisse os
seus Estados, esmagasse suas tropas, acam-
passe s portas de Roma, declarasse, que a
cidade eterna sua ; e feito ludo isto, fize*
se de Florenca sua ultima parada na marcha
sobre Roma, do papa destronado um sub-
dito de Victor Emmanuel e de Roma a
capital definitiva da Italia revoluciona-
ria.......
Pois bem.' declaro com a mo na minlia
consciencia, que nao acreditara possivel fa-
zer boa f e honra de governo d'um
grande paiz mais sangrenta injuria.
Mas n5o a farei de cerlo Franca, nem
ao imperador; e se minha convcelo, que
o Piemonte n5o pensa, senao em se eslabe-
lecer em Roma e expulsar de l o papa, ten-
nho uma confianca inabalavel, que a Fran-
ca e o imperador nunca sero cumpl ees
de semelhante attentado.
Um proverbio oriental diz assim : < Se
me engaares uma vez, a culpa tal; mas
se me engaares duas vezes ento minha
a culpa. >
II
Pode havor alguma duvida sobre as inten-
C&es do Piemonte ?...
Vimo-las j; pelo voto solemne de 29
de marco de 1861 sobre a moc5o do 3r.
Cavour:
Carecemos de Roma para capital. O
P emente, ratificando os seus direitos sobre
Roma, pedu que se e'xpulsasse de l ao pa-
dre santa, proclamou Ron sua capital, e
declarou inabalavel a resoluco de se apode-
rar della.
Foi portanto un camente neste sentido e
para realisar este programma, que assignou
o convenio eo votou.
E quando comparo todas as plavras do Te" wm reiwYho^
Piemonte com as nobres plavras do impe- Quanto le as folhas n30 se limita aos arti-
rador, que acabo de citar, confesso que fico gs de fundo, devora os noticiarios, os com-
slupefacto mullicados, os annuncios.
Nao perde as sssoes da cmara, nem as
Tuto isto nos foi revelado, logo primei- do tribunal do jury,
ra. noticia do convenio, pelo jornal semi- Tem 80Sl Pelos processos complicados, e
oflicial do governo piemontez a Opinione, crim,e9 notave!s- ....
dizia elle Apraz-lhe conjecturar sobre a culpabili-
dade dos reos, a fidelidade das tesleiunhas,
O governo do rei acha-se na neces- u mrito das defesas.
sidade de transportar a capital para Fio- Como tenha o tempo inteiramente livre,
renca, como primeiro passo na estrada de oceupa-se quasi sempre, as horas vagas, em
Homa estudar diversos jogos e divertimentos para
as partidas dos amigos.
Como poder elle hesitar ? N'essas partidas o aposntalo faz tudo,
E' cousa assombrosa, posto que nada nos excepto da: sar e tocar: joga cartas e joga
deva j assombrar Umbem, o que deca- I"'endas> ProPe charadas' indaga 'le K
j v, wiuociu, u 4uo uooia (w, e de namoroS) recorda o passado com a
miente os propnos negocia-. dona da casa, d conselhos s mocas, foge
eos e fabulosas slo as sommas que Jenny
Lod trouxe da America do norte.
Adansarina Tagnoni teve uma receita
n'um beneficio imS. fetersbnrgde 204,000
francos e durante a repreieotacao o impera-
dor mmdou-lhe um behquet, s eomposlo
de flores de brilhaotes c turhuesas.
dores piemontezes.
Estes negociadores sao os Srs. Nigra e P-
poli.
Ora o Sr. Pepoli em um banquete, dado
em Milo alguns dias depois de ter assigna-
do o convenio, declara que elle nao pre-
judica nenhuma parte do programma na-
cional e someote quebra os ltimos los da
A economa nao um vicio, ama virtu-
de ; mas a economa do aposentado tem um
carcter to especial, que se torna notavel,
sem ser ridicula.
O apossentado nao assigna jornaes, mas
l-os por emprestimo. Quando nao losdo
visinho, l ;os do ca' ou os da botica.
_' doudo por poltica que discute com
fervor, cheio da experiencia dos homens, ad-' ...'
quirida na longa pratica do emprego.
Nao ha situagoes (|u nao advinhe, nem [ ^ | Avm. Sr: Manoel Amancio das Do-
ministerio cuja queda nao annuncie. reslhaves este hymno patritico que foi
Tem compadre,* em todos os gabinetes, calado em M.jcei, por occasiao do embar-
. porque o longo tempo de servio publico, (lue d corPO de polica e dos voluntarios da
. deu-lhe lugar a aparentar- e espiritualmen- Paina, em marcha dar o sul:
Acudamos, fiis companheiros
Da me patria acudamos aos gritos I
Nem de perda Cminstante ; marchemos!
Nao ouvis o gemerdos afflictos ?
Ao ta-plan-re-ta-plan do tambor
Mais s'ate nosso bellico ardor.
Nao temaes insensatas pbalanges,
Quando a face nos mostrara hostil ;
Paysandu' que responda o qoe somos...
Cento e vinte em Coimbra p'ra mil.
Da corneta marchae ao clangor,
Ao ta-plan-re-U-plan do tambor.
Vamos j desfraldar o estandarte,
E no campo o arvorar da batana;
Retomemos Coimbra, Albuqnerqu,
Ou nos sirva o pendo de mortalha.
Longe v do vil medo o pallor
Ao ta plan-re-ta-plan do tambor.
Cmara las as frontes altivas
Erguei para Assumpco, Corumb ;
Em seus antros as fras busquemos.
Vamos ve-las no seu Hum ait.
Que da patria s'acendl o "amor,
Ao ouvrmos rufar o tambor.
dos rapazes, acompanha as valsas com a ca-
beca, etc., etc.
Ha mil ontras nuangas do empregado apo-
sentado : mas estes traeos s5o os geraes.
Pan-
SCENA DE COMMEDIA.
Torqui litteraria.
Interlocutores :Caio, Adolpho,
cadea, que ligava a Franca aos inimigos da I cracio, Junbeba, Luciano.
Halia Adolpho (entrando).Entao j que ha de
i novo ?
O negociador, Sr. Nigra, no mesmo dia Jumbeba. Nada que valha a pena :. ha um
da assignatura do convenio, apressava-se a',livro-
annunciar ae seu governo, que o successo & m 1Iro !, De quem ? m. a
. ,' 4 : Pancracio De Anselmo; um romance
da negociacao era completo, que nada de imagina I
futuro obstara ao triumpho dos direitos da Todos. Que obra, meu caro!
nacao e das aspiracoes; nem a garanta' Adolpho. Dsso tenho noticia. Mas 8-0
collectiva das potencias cotholicas, d'antes n3 um livr0 : a cousa mais deploravel
promettida ao padre santo: nem o mais pe-! que te?h,lido em min,ha vida;T Nem plan0'
v n / u u, P8 nem estylo, nem caracteres. Uma cousa mi-
queno canto de trra, deixando aos france" seravel!
zes, como penhor da f piemonteza.
(Continuar-se-ha).
Caio. Isto que fallar t....
Luciano. Ha quem tenha cara de escrever
aquillo, e edictor que tenha coragem ile
compra-lo.
Jumbeba. Qual compra-lo Moito lhe faz
imprimindo a obra E elle que se d por
contente... E' um vaidoso o tal Anselmo
um vaidoso de primeira classe.
Pancracio. Tudo sabe e tudo critica, mas
em resumo nao sabe nada. Nao era melhor
Ul POUCQ DE TUDO.
Pessoa autorisada emui competente na
materia dirige-nos as seguintes lindas :
A noticia dada hoje no seu Pouco de
Tudo a res. eito do tnel do Monte Cenis,
com quanto verdadeira na poca, em que foi que ficasse rimando as suas balas de es-
publicada na Europa, nao exacta em refe- talo
referencia ao estado actual das obras; por! Adolpho Li o tal romance de fio a pavio ;
isto lhe transmiti a seguute noticia para o [ quando acabei tive nauzeas. E h3o de ver
sen jornal: que n5o fie i nesta....
A partir do Io de fevereiro ostrabalhos Caio. Qual !
da perfuracao do Monte Cenis progridem ra-' Pancracio. Daqui a dia* apresenta-nos ou-
pidomonto pr se tor ononuwrtodo lado dejtro---- Niohaver polica litteraria que
Modena uma rocha de pedra mais molle, na' Prohiba estes tigres...
qual se pode fazer a perfuracao de 250 me-
tros pormez^desorteque. a nao apparece
rem novos obstculos imprevis'os, em me-
Lmos n'um jornal francez que, de 1 de
Janeiro a 31 de dezembro de 1864, as no-
meaces epromocoes daLegiaode Honra
prefazem o algarismo de 3959.
nos i!e 3 annos estar concluida toda a obra.
-a a
3 de
Transcrcvemos da Revolucao de Setembro
A FORCA BRUTA.
Entro emfim tambem na luta.
Trata-se hoje de saber,
S'entr'homens, a forca bruta
pode milagres fazer:
A questo vae mu renhida :
Mas, eu julgo-a decidida
Pela historia das naces.
Desde que este mundo mundo
tem havido mil pimpes,
Hercules, 'Attas, Sansoes .
Goliathi e outros mais:
mas onde param agora.
tam empavidos mortaes ?
S3o todos inmundo p
recalcado a toda hora
por homens fracos, sem d!
Uns foram morios a tiro, .
outros a pedrada extinctos,
outros a ferro escorchados
cabiramsm sangue tinelos -
O gigante Anis-aba
esmagou-o um triste an5o !
Hercules, o homem papao,
foi vendido por cupido
(menino que o mundo inv. ca)
O qual por despreso infido
palmou-lhe a moca da mao
e poz-lhe nella uma roca
Hercules ganhou nessa troca,
pois em vez de-matar bichos,
fiou sua maearoca.
Porm, depois que em Triburgo
Um frade. a plvora inventou,
e em Veneza um metal urgo
aos canhoes a applicou,
qualquer creancinha imberbe
bravo, terrivel ficou!
Meus senhores, a forca bruta,
no oizer de dous autores,
til para as industrias;
bella, p'ra carregadores,
notavel, vista nos circos,
nessas gymnasticas .rdentes
em equilibrios e saltos;
mas nao presta p'r'as qoestdes,
entre homens baixos ou altos,
ricos, pobres, fracos, fortes,
pois se elles se fazem Martes
de ferro ou fogo na mo,
de um valente, surge um fraco
e d'um fraco um valentao!
Todos. Ad t ah i ah !
Luciano. E' o nome! o nome !
Caio. Nao ba milito tempo commelteu
um romantecidio, agora oulro, se commet-
te tere iro, quebr a peona.
Adolpho. E todos nos. Isto de ter por col-
lega sujeitos daquella ordem n3o honra mul-
to....
Jumbeba. J repararam no ti tul > ?
Caio. E' verdade : Duas aliiancas. E
um titulo rediculo.
Pancracio. Sem vaidade, muito melhor
q. titulo do meu ultimo romance : O club
dos fantasmas.
Caio. Est claro t (A' parte) E' fresco!
(Alto). Ou en o u teu titulo. Jumbeba....
Jumbeba Qual ?
Caio. Tristes destinos de uma familia.
Jumbeba. Nao digo tanto, mas tu tens um
drama, creio eu..., intitulado....
Caio. Mimoso
Jumbeba. E' verdade. (consigo) Nome de
cachorro.
Pancracio. EmfinT, qualquer dos nossos
ttulos, seja dito sem vaidade, era muito me-
lhor que as' Duas aliiancas. Mas o titulo
deve corresponder aobra. Aquelle respon-
de ; aallanca de V I i ce e de impruden-
cia. ... sao duas aliiancas
Caio. Bonito!
Adolpho (tira um volume dobolso e abre).
Ora vejam se conhec m maior asneira que
este cap lulo...
Jumbeba. Que rumor este ? Moleque,
v quem...
Anselmo (entrando). Sou eu, collega.
Adolpho. Chega a proposito ; admirava-
mos a sua obra. Que acc3o I Que estylo !
que pe;feic3o de caracteres Francamen-
te, o senhor um dos ornamentos da litte-
ratura-----
Anselmo. Tanta bondade !
(27) Narraco officia! da s ssSo de
abril de 1869.
(28) Allocucao consistorial de 20 de ju-,ecessldades aomestcas. o empregado bu-
nho de 1859. buco economisa.
OEMPREGADO APOSENTADO
Ar grave, conversa pausada, maneiras re-
servadas, eis o aspecto do empregado pu-
blcoa posentado, depois de ans bons trinta
annos de servico.
Como de ordinario os honorarios da apo-
sentado n3o sao suflicientes para aecudir s
A VOZ E AS PERNAS.
O que se pdeganhar c m a voz mostram
os seguintes nmeros.
Naudiu recebe 12,000 franco por mez e
200,000 francos no caso de que a grande
opera de Paris quebr o contrato com elle.
A Malibran recebeu 150 libras esterlinas
por cada representado no theatro Drury-Lu-
ne em Londres; a Grise por uma aria que
cantou em um sarao em Nova-York 400 li-
bras esterlinas, 60,000 francos em um sa-
rao musical em Londres. Lablacke recebeu
150 libras estrelinas para cantar duas vezes
em Londres e 1,000 francos per cada hora
de ensino raioba Victoria, Mario e Alboni
recebero cada noite 2,000 francos e Tam-
berlick 2,500 francos.
Offereceu-se na Italia ao maestro Rossini
por 6 mezes 1,000 francos, se quizesse fa-
zer o barbeiro na opera de igual nome
delle.
Hummel, artista allemao, deixou 100,01)0
thalers, muitas pedras prediosas, 26 annes
de brilhaotes, 34 bocetase 114 relogios.
Liszt fez na sua viagem o extraordinario;
seu gabinete esta* cheio de preientes hon-
rosos.
Paganini recebeu 3,000 francos por cada
hora, Herz e Talberg fizeram na sua vfagem
na America cada um mais de 200,000 fran-
- ,.
Ofterecemos os seguintes dados biographi-
cos acerca do padre Flix, cujo nome tanto
tem de conhecido quanto de respeitado entre
oscatholi'os: sao resumidos de uma folia
frapceza :
Nascendo era Neuwille, no Escaut perto
de Valenciennes, em 1810, coocluiu os seos
estudos em Lovaine e em Gand, depois do
que foi nomeado professor de rhetorica em
Bongolette.
Ahi, por occasiSo da dstributcao de uns
p emios, foi que o modesto professor ostentou
a sua muita erudicoe grandes recursos oril-
lnos, que mais tarde deviam tornar celebre
o seu nome.
Segurado a carreira do pulpito, veio para
Paris, e ahi orou em diversas egrejas, at
que o arcebispo, monsenhor Sibour b ele-
geu para a tribuna, que Lacordaire havia jl-
lust ado.
Hoje, quan lo ora o padre Flix, ordina-,
riamente em Notre Dame, as maiores cele-
bridades no forum, cas sciencias e as let-
tras, acercam-se silenciosas em redor do
pulpito, onde assoma o volto grandioso do
padre Flix.
11..... i
Alguns jornaes
guinle anedoct;:
francezes contam a se-
M. B., professor de chimica, no'ava que
havia cerlo tempo alguem devassava os ar-
canos da sua despensa, porque a falta de al-
guns objectos deixava sensivel vestigio de
profanador.
Iam-llie levando vinhos, licores, e ultima-
menle at na carvoeira principiou a achar
consideravel desfalque de combustivel.
Ancioso de conhecer o autor de taes sub-
traccoes, imaginou ura estratagema baslante
singular.
Pegou n'uns poucos de pedacos de carvao
e praticou uma cavidade em cada um del-
les, enchendo-as depois com certa compo-
sico.
Tapadas ootrj vez as cavidades, deixou
este carvJo onde estava o outro e espern
pelo resultado.
No outro dia pe.'a raanha, hora do al-
moco, ouviram-se gritos de : soccorro e
fog qs quaes pareciam vir da loja.
M. B., que se achava perto, acudiu rpi-
damente e viu o porteiro e a mulher ornan-
do aterrados para um magnifico fogo de ar-
tificio que se elevava do fogio, tendo feito
saltar pelos ares a chocolaleira do caf.
E' orna infamia! exclamou elle. Que-
riam matar-nos. Isto uma machina infer-
nal ; preciso dar parte polica.
E abrindo a porta, correu a avisa-la, po-
rm no sentido de mandar proceder captu-
ra dos dous conjuges, que, levados peranle
ojuiz competente, confessaram o roubo,
nao s do carvao, mas dos outros objectos
que haviam sido furlados da despensa de
M. B.
t


l

PBRNAMBCCO.-TYP.'bfc k. f. M'P. i ffljlfj


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6PA8X9Y9_7ICATM INGEST_TIME 2013-08-28T00:11:44Z PACKAGE AA00011611_10633
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES