Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10631


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"T
TF
'
f

i
AOO XII. HOMERO 74
Par quarlel pago dentro de 10 das da 1." mez
dem depois dos l.os 10 dias do comeco e dentro do qaartefl
Porte ao correio por tres mezes .
SEXTA FEIRA 31 HE MARCO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 dias do i. mez ,,,.?,. 191000
Porte ao correio por un anno.........., 3 J000
EN'CARRKGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
-Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Araraty, o
r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Alaloas, o Sr. Clandino Falco Uias; Bahia o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr Jo's
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagScs da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Ignarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezorros, Bonito, Caruar,
Altiaho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacaral, as torgas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingateira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quarlas
feiras.
Segunda vara do civel:
Hora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar
reros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
EPIIEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Qnarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da ra.
12 La cheia as 8 h., 22 m. e 10 g. de m.
20 Qnarto ming as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
qnartas e sabbades a 1J AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribuna! do eommercio": segund&S e quintas.
italaco : torgas e sbados as 10 horas.
I-alenda : quintas s 10 horas.
Joto do eommercio: segundas s ii horas.
r>i|Tde orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Mita vara do civel: tercas e sextas ao meio
|Seginda vara do civil: quartas e sabbados al
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
27. Segunda. S. Leandro b.; S. Robeito b.
28. Tere*. S< Prisco, Milco e Pastor mm.
29. Quirta. S. Bertholdo c.; S. Joas m.
30. Quinta. S. Rudezindob.; s. Clinio.
31. Sexta. S. Veremundo; S. Balbina v.
1. Sabbado. S. Macario b.;'S. Valerio ab.
2. Domingo. S. Nicolao b.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmeira as 7 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 Je cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e novetnbro.
ASSIGNA-SE
no Recite, na Itvraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figoeiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
ni\I*Ti:iiIO DA CiUEHRHA
DECRETOS.
Hei por hem reformar, na conformidade do Io
do art. 9o da lei n. 648 de 18 de agosto de 1852,
os ofAciaes do corpo do estado-maior de segunda
lasse mencionados na relaco que cum este bai-
la, -tssignada pelo visconde d Caraamd, do meu
conseibo, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da guerra, assim o teoha entendido e faga
externar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 17 de margo de
1865,44* da independencia e do imperio.
Com a rubrica de 8. M. o Imperador.Visconde
de Camama'.
ItEI..\Q\0 DOS OFrICIAES do estado-maior de segun-
da CI.ASSE, REFORMADOS NA CONFORMIDADE DO
i 1 DO ART. 9" DA LEI N. 648 DE 18 DE AGOSTO DE
1852.
<>s majores Jeronymo Jwjc Velloso e Joaquim
Cesar de Mello Padilha.
Os tenentes Joo Jos da Silva Theodoro e Joo
Marioho Paes Brrelo.
Os alferes Jos Pereira do VaJJe e Antonio Espi-
nosa de Brito.
Hei por bem, na conformidue do art. 7 da lei
n. 1,163 de 31 de iulho de 1862,' transferir para o
corpo de estado-maior de segunda clasce, a que Ii-
carao aggregados emquanto nao houver vagas nos
differentes poslos, os offlciaes das armas de caval-
laria e infantaria constantes da relagao que com
este baixa, assignada pelo visconde de Camam,
do meu conselho, ministro e secretario de estado
dos negocios da guerra, que assim o tenha enten-
dido e faga executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 17 de margo de
1865, 44 da independencia e do imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador. Visconde
GOYEINO DA PR0YNG1A.
EDITAL.
Secretaria do governo de Pernambuco, 29 de
margo de 1865.
Pela secretaria do governo se faz publico, que
por afluencia de trabalhos, S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia s dar audiencia de urna hora da
tarde em diante, excepto aes chefes de repartigoes,
aos quaes ouvir em qualquer hora.
O secretario do governo,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Expediente do dia 28 de marro de 186o.
i Gfllcio ao Exm. presidenle da provincia do Ama-
zonas.recuso recebido com o officio de V. Exc.
i de 23 de fevereiro ultimo, dous exemplares do re-
: latorio que V. Exc. apresentou a assembla legis-
lativa dessa provincia no dia 1 de oulubro do an-
| no passado.
Dito ao coronel commandanle das armas.A vis-
la do que pondera o inspector da tnesauraria de
fazenda no oflicio por copia incluso, nao pode ter
lugar o pagamente da conta que dovdvo das des-
pezas feilas pelo 2o lente do 4o batalho do arli-
lharia a p Hygino Jos de Oliveira Coelho com o
expediente do lugar de quartel-mestre o que V. S.
far constar a esse official.
Dito ao mesmo.Slrva-se V. S. de mandar exa
INTERIOR
v
13 de fevereiro de 1803.
-r Por decretos de 7 e 11 do crreme foram no-
meados
Em quaato o 12 batalho esteve era Sania
lia houve contra urna nica
Hontem foram apresentados a S. M. o Irope-1
rador, pelo Sr. ministro do Per, os eoramandantes uaoel nenhl
das corvetas peruanas America e Union, actual- praca
raenie surtas em nosso porto, as quaes seguem bre- Emborai
vemente para o Pacilico. ca, ,, YralJBL^mSi, *l d^aelle lu"
. >dr lnes 'ranMaaiiem ludo quanlo havia as sua-
" "' i ------ quintas e mal plantagees, apenas alguns legumes
No vapor de guerra bespanhol Vad Ras e no eram acetos, e o Bal respeitado, como objectos
Importancia de sua offerta, afim de ter a applica-1
gao que V. S. indica.
Dito ao coronel Jos Antonio Lopes. Mandei
alistar no corpo de Voluntarios da Patria o cidado
Jos Felippe do Santiago, a que allude V. S. em :
seu officio de 2i do corrente, a que respondo agra-
decendo o interesse e solicitado com que procura
V. S- promover o alistamento dos mesraos volun-
tarios.
Dito a Lat de Albuquerquo Maranhao.-Com o
officio de V. S. de 23 do correnle, se me apresentou
o cidado Joo Baptisla de Souza Monteiro
mandei alistar no corpo de Voluntarios da
Agradecendo muito o auxilio que acaba
prestar a esta presidencia na acquisigo dos mes
mos voluntarios, espero que continuar nesse lou-
vavel e patritico erapenho.
Dito ao Dr. Joo Baptista Casanova.Agradecen-
do o patriotismo e desinteresse com que V. S. se
offerece em seu officio de 22 do corrente, para tra-
tar pelo systema homeopathico as familias pobres ? Pe ae ?rphaos do termo da Serra, na pro-1 procedido regularmente, mandando cumprir os | J* de direilo Aprigio Ferreira Gomes, da
dos \ oluntarios da Patria residentes as freguezias ^ ,v'r!0 SanI- ncando sem elfeito o de- provimentos dos sollicitadores do foro commercial, i comarca de Paranagua, de 1* entrancia, na pro-
de S. Fr. Pedro Gongalves e de Santo Antonio, .. 2 de *bT!> do anno passado, que o comeou expedidos pelo presiCente da relaco dessa provin- ymcia de Paran, para a de Itapicur, de i', na
____ .... i i^ra n tomn Ha G u/\m,^. .i ... m :.. .____. I m a ^. .uii. a____ .r. ili UaKio '
0, ..f.-i uv Dui/iin uj;nuii"i t un jiuo O UU -----
juiz de direito Luiz Francisco da CamaraLeal, I francez ecide fugiram de Montevideo, entrada sarados.
tam ae polica da provincia de S. Paulo; do general Flores, 2 brigadelros-generaes, (Medina | Qoando se coniegoe infandir o espirito de dis-
baeharel Alexandre Augusto Marlins Rodri-! e Lamas), 9 coronis (entre os quaes Aguirre, clP"a no coraclo de soldado j reconhecido por
l a quem pue. Ju'z,.mouicipal e de orphaos do termo de San- i Sienra e Palomeque), 14 tenentes-coroneis, 16 sar-1 Datorea valeroso, muito se deve esperar pela glo-
la Patria. | rteKb- 2 lceni? na mpsnia provincia; i gentos-mores, 31 capites, 4 ajudantes-mores, 42 rU do P3" onde vio a lux e que to galhardamenie
V. S de Dfcn"el Francisco Antonio Ferreira, juiz mu-1 lenles, 14 sublenentes, 9 alferes, II sargento*, 1; sabe defender.
nici|a| e de orphaos do termo de Silveiras na mes-
ma proviBcia;
O bicharel Francisco de Paula Marinho, juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de Saquareraa, na
provincia do Rio de Janeiro;
clarim, 1 lambor, 241 soldados e 19 paisanos, total I
411.
16 -
Ministerio dos negocios da jasiig.Rio de Ja-1
neiro, em 10 de margo de 1865.Consulta V. 8.
SO
Por decretos de 16,17 e 18 do corrente foram
removidos :
O joiz de direilo Alexandre Pinto Lobo, da co-
marca de Iupicur, de 2- entrela, para a de
, *-----, ""i -v.,, cui iu uo ang ue iodo.uousuua v. ,"" F1' w ^ eniriiucia, para a
utacnare Aureliano de Azevedo Monteiro, juiz em officio de i de julho do anno passado se tem i branles, da 3\ ambas na provincia da Bahia.
acabo de submetter ess'e seu louvavel offerecimen- pap* ,ermu dft s- Rorao, na de Minas Geraes.
to associagao Protectora das Familia dos Volun-! ri?*??. .'."aLas demissoes que pediram
ca, ou se alias deve fazer taes provimentos, a
exemplo do que praticava o seu antecessor t Era
da Bahia.
O juiz de direito Francisco
Urbano da Silva Ri-
, aflm de que opportnnamente apro-1 ,V *?'* u.e aire,lyiegano nerculano de Aquino resposta, declaro a V. S. que ha sido curial o seu I Deiro> aa comarca do Ipii, para a do Acarac, am-
veite seus bons servigos se forem elles precisos. ^ ^*v* car* de chefe de polica da provincia i procedimento, e abusiva a pratica contraria, por i bas a& '* entrancia, na provincia do Cear, por as-
Officiou-se neste sentido a associagao Protectora das n W i? e!,ar em desaccordo com a doutrina do aviso n.; sim. naver pedido.
Familias dos Voluntarios da Patria. i oacnarel Jjse Alves dos Santos Jnior, do lu- 8, de 11 de Junho de 1855, no qual se termina i H"1 municipal e de orphaos Fernando Alves
Dito ao vigario da freguezia de S. Caetano da far ,UI1 ra"n'cipal e de orphaos do termo de que sejam admittldos a servir nos tribunaes do j d.e Carvalho, do termo de Pastos Bons, na provin-
Raposa.Devolvo a Vmc. aflm de que seja omani- ^f^oruiea, na mesma provincia ; i eommercio os sollicitadores nomeados pelos presi- cia do Maranhao, para os de Parnahyba e Batalba.
na do Piauhy, por assim o haver pedido.
Foi dispensado o Juiz de direito Joo Augusto de
O baeharel Joo dos Sanios eves
sado de conformidade com o modelo incluso o map- cnare Joao dos Sanios Heves, do logar de denles das relagoes, em virlude do decreto
- pa dos bitos havidos nessa freguezia durante o ].UIZ moilclPal e de orphaos dos termos de S. Ma-de 31 de dezembro de 1844, aflm deque
l anno passado, que Vmc. me reraettea com o seu ,eiig ea Barra de s- MalheU- "a provincia do Es- multipliquen) taes empregados.
minar o estado de saude do Voluntario da Patria .
Manoel Luiz de Franga, leudse em attengo a or-' officio de 20 do crrente. P1"!* Sanio.
ganisago defeituosa da caixa thoraxica do mesmo i Dito a cmara municipal do Limoeiro Pelo of-' designada a 2" vara crime do municipio da
voluntario. ficio que me dirigi a cmara municipal da villa I f-8 Rara nella tJ1er ercicio o juiz de direilo Oie-
Dito ao mesmo. Communico a V. S. para seu' do Limoeiro, em 6 do corrente, fiquei inteirado de ar_' "rcalano de Aquino e Castro,
conhecimenlo, que em officio de 28 de fevereiro ul- se acharem no exercicio de suas funccSes es novos declarado Sera elTeit0 o decreto de 14 de maio
limo, parlicipou-me o commandanle do presidio de j vereadores desse municipio. ?.no Passad?. que nomeou o baeharel Francis-
l'VniJl lliiil tlir vim 1 rr K'.l'J/ln t,f,r iifik-i Ando m i l"\.*- J:-^^.___A- ._.....
do logar de | deif*s_"as relagoes, em virlude do decreto n. 398,
se nao
Fernando, ter sido arrebatado por urna onda em I Dito ao director do arsenal de euorra Mande ''">eral de Mallos juiz municipal e de orphaos
i eccasio que eslava com oniros presos no lugar. Vmc. entregar ao Dr. chefe de polica aflm de se- tern, da Serra, na provincia do Espirilo-Santo.
| denominado -Bibocas-o senlenciado militar Ma- rem remellidas ao delegado de polica'do termo de
, noel Herculano Paes Brrelo, que nao appareceu j Garanhuns, 12 granadeiras e igual numero de pa-
A ,ls- tronas e cinturoes.Communicou-se ao Dr. clnfe
REI.AgAO DOS OFFICIAES DE CAVALLARIA E INFANTARI
que por decreto desea data sao transferidos Di lo ao Dr. chefe de polica.OfTerecendo-se o
i-ara o corpo de kstado maior de segenda clas- 4o escripturario da alfandega desla provincia Ale-
se. na conformidade do art. 7o da le n. 1,163 xandrino Thomaz de Aquino Coelho, para prestar-
df. 31 da julho de 1862, e Qi f. ficam aggrega- se ao servigo das rondas nocturnas desla cidade,
dos ao mesmo corpo at que haja vagas nos assim o communico a V. S. para que opporluna-
di ffkrentes postos. mente aproveite o offereciraento do
O brigadeiro graduado, commandanle do se- dado.
gando regiment de cavallaria ligeira, Joo Anlo- Dito ao inspector da thesourarla de fazenda. -
tiio de Oliveira Lobo ; o major do stimo batalho Remedo a V. S. para os convenientes
de infantaria, Jos Francisco da Silva ; o capito j conta
do 12 batalho da mesma arma, Eugenio Luiz: pital
Franco ; o capito do batalho de cacadores da! limo.
Bahia, Luiz Antonio Ribeiro.
mesmo ci-
de polica.
Hei por bem promover as tres armas do exerci-
U os individuos mencionados na relagao que com
este bai\a, assignada pelo visconde de Camam,
do meu conselho, ministro e secretario de estado
dos negocios da guerra, que assim o tenha enten-
dido e faga executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 17 de marco de
1865, 44 da independencia e do imperio.
Com a rubrica de M. o Imperador. Visconde
de Camam'.
REI.AQV0 DOS INDIVIDUOS PROMOVIDOS AS TRES AR-
MAS DO EXERCITO POR DECRETO DESTA DATA.
Armas de artilharia.
Para pnmeiros lenles os segundos ditos Jos
Clarindo de Queiroz, Joo Ribeiro da Silva Jnior,
Jos Thomaz Tneodozio Gongalves, Napoleo Au-
gusto Moniz Freir, Joaquim Luiz de Medeiros J-
nior, Filinto Gomes de Araujo, Vicente Polydoro
Ferreira e Benjamim Franklim de Albuquerque
Lima.
Armas de cavallaria.
1." regiment.Para coronel commandanle, o
lenenie-coronel do 3. regimanlo Amonio Peixolo
de Azevedo, por actos de bravura.
Para mojor, o capito da companhia do Paran
Jos Mara Brrelo Falco, por mcrecintento.
2 regiment. Para coronel commandanle, o
tenentecoronel do 5. regiment Manoel Pedro
Drago, dem.
3. regiment.Para lenenle-coronel, o major
do 5. regiment Augusto Cesar de Araujo Bastos,
por merecimento.
5. regiment. -Para lenenle-coronel, o major do
!. regiment Agozlinho Maria Pique!, por mere-
cimento.
Para major graduado, o major Rraduado do cor-
po de Matio Grosso Joo Paulino Guedes, por anti-
guidade.
Corpo de MattoGresso.Para capilo, o tenente
do i. regiment Jos Procopio Ta vares, para a
4.' companhia.
Companhia do Paran.Para capilo, o lente
do 4. regiment Crispim Alves Jardim.
Para lenles da arma, os alferes Ernesto Fer-
reira da Silva, por aniiguldade ; Jos Antonio Ro-
drigues Tola, por esludos.
Para alferes da arma, o primoiro cadete segundo
sargento do 1. reg memo Tnomaz Augusto de
Vasconcellos Coimbra, o primei'o cadete segundo
sargento do 5. regiment Jos Joaquim de Andra-
denominado -Bibocas-o senlenciado milil pr ^^ de do ^^ ^ reformado
com o respectivo sold e as honras do posto de 2
leqenie da armada, o mestre de I' classe do corpo
de officiaes raarioheiros, Jos Alves, nos termos
Expediente do secretario do governo do dia 28
de marro de 1863.
N. 89.Officio ao secretario da assembla le- dado do batalho naval, Jos Alexandre do asci-
gislativa provincial. S. Exc. o Sr. presidenle da memo, a pena em .que incorreu pelo crime de 3-
provincia, a quem foi presente o officio que V. S. deserco simples.
, as rae dirigi nesta data, sob n. 44, manda declarar- 14
i documentadas da receil e despeza do hos- lhe' aHm ,de fazer cstar assembla legislativa Eotrou hontem do Rio da Prala com escala pelo
militar relativamente ao mez de fevereiro ul- {"rovmp,al- T19 amanha a 1 hora da tarde rece- Rio-Grande e Sania Calharina o vapor Gerente.
Dera no palacio do governo a deputago, que tem As datas de Buenos-Ayres e Montevideo sao an-
Diio ao mesmo.Ao major Carlos Felipoe da i a6 aP'!esen,ar al8UDS *ct03 legislativos sanego tenores s que nos Irouxe o Cruzeiro do Sul; nao
ilva Muniz e Abreu e 2 lenle Manoel Goncal- de S> E*Cl obstante, publicamos no lugar com
Deus guarde a V. S. francisco Jos Furtado.
Sr. presidente do tribunal do eommercio de Per-
nambuco.
Pelo ministerio da fazenda expediram-se os avi-
sos segumtes :
Circular s lliesourarias de fazenda.Ministerio
dos negocios da fazenda.Rio de Janeiro, em 23
de fevereiro de 1865.Carlos Carneiro de Campos,
presidenle do tribunal do ihesouro nacional, re-
commendaaos Srs. inspectores das thesourarias de
fazenda a fiel observancia das disposigoes em vi-
gor, que para conhecer-se e averiguar-se bem os
tf 1 M" 2 fad0/e*Ulame,?10.!2?eXO a decre" rao,ivos C d5 ori8era aos '" dos respon-
.' ;?*?: .r JVe,d/Zembr dV?63 save,s Pr diheiro da fazenda, obrigam os tomado-
5?Aff*L.* 7 d0 c.orSe.le lot f*rdoada a? so res das respectivas conlas aemittir sempre o seu
de Notos Jnior, o sargento quarlel meslre do cor- se ao comraandanl
Sil
I ves Rodrigues Franga, arabos do 4 batalho de ar-
lilharia a p, e que tem de seguir para a curte
brevemenle, mande V. S. ajustar conlas at o fim .
do mez corrente. aior .
Diio ao mesmo.-OITerecendo Alexandrino Tho- d
maz de Aquino Coelho, para auxilio das despezas
da guerra ern que se acha empenhado o paiz e em-
quanto esta durar, dous por cento sobre os venci-
mentos que percebe na qualidade de 4 escriptu-
rario da alfandega desta provincia, assim o declaro
a V. S. aflm de que faga arrecadar nos devidos
lempos a importancia de semelhaute
carta que recebemos.
Despachos do dia 28 de marro de 186o. De Porto Alegre alcangam a 3, Rio-Grande 7 e
AlexandrinoJThomaz de Aquino Coelho.Com a Sai>'a Calharina 10.
ior salisfaco accelo o patritico offerecimenlo Wj se conlirmou, como se previa, a nolicia da
siipplcaole, que muito louvo. invasio das Itordas de Muoz em Sania Anna do
Alexandre Jos Tavares e sua mulherIndefe- amanenlo, dada pelas folhas da capital da pro-
rido por nao larem os sopplicantes provado que viocn de S. Pedro do Sul.
seu filho menor de dezoito annos. Noticias de 16 do passado do aquella villa guar-
Barros A Silva. Recorram os suplicantes mecida por urna forga de 1,600 pragas da guarda
thesouraria provincial na forma da lei. nacional das duas armas.
Major Francisco Duarle Coelho. Informe com Em Algrele, cujas dalas alcangavam 12, tinha
urgencia o Sr. inspector da thesouraria provincial, desapparecido o receio da to fallada invaso pa-
juizo sobre a causa dos alcances, verificando bem
se provm de dolo, negligencia, m escripturago
ou qualquer ouira circunstancia alheia gerencia
dos mesmos responsaveis, aflm de que possa o re-
ferido tribunal exercer a ttribulgo que lhe con-
fere o arl. 2 9 e 12 do decreto de 10 de margo
de 1860, approvado pelo art 12 da lei de 27 de
setembro do mesmo anno.Carios Carneiro de
competente urna; Campos.
Francisco Pereira Lima. Em vista da informago guaya,
requeira o supplicante ao governo imperial. "W
a importancia de semelhaute offerta para
ler a conveniente ar plitaco.
Dilo ao mesmo.-i ommnnico a V. S. que era 20 reiaeiira. aplicante ao governo imperial. O Bageense diz:
do corrente foi augmentado com cincolpragas, co- kJ ,c,ie0r da Sllva- ~ lnforme Sr- Dr. Por caria escripia de San Anna a pessoa res-
moeuhavia determinado em officio de 14 deste c i e-poilr,a' n peilavel desla cidade, soubemos que nessa villa
mez o deslacamenlo da guarda nacional existente L Joaquim Mauricio Gongalves Rosas. -Informe o apresentou-se um Paraguayo a fallar com o gene-
na villa de Ipojuca i r. desembargador provedor da Santa Casa de Mi- ral Unabarro olTerecendo-lhe um corpo de 50)
D.toaomesmo.-ltestiluo aV. S.orequermen- ser'cord.,a- homens, que formara a vanguarda do exercito
lo documentado sobi a ue versa a sua informacao J?aa.a'm. Amancio de Freitas Castro.-Indeferido brasileiro, por occa&o daeulrada no Paraguay do
de hontem, sob n. 2(16 e no qual Joaquim Duarle 'giLgyft. .
Pinto e Silva, pede c pagamento da quanlia de... Luiz francisco da^Silva.-Indeferido por nao ter
30-5220 rs., proven!
dicamentos que fo
pragas de 1* linlia,
povoagao de Baixa
de que mande elfec
po de Matto-Grosso Jeo Baptisla de Anuda Pen
teado, o segundo cadete segundo sargento do 1.
regiment Aristides Joaquim de Almeida Arnisaut,
o primoiro cadete primelro. sargento do 3." regi-
ment Manoel Luiz da Rocha Ozorio.
Arma de infantaria.
4. batalho.Para capito. o lente do 3 ba-
talho Joao Baptisla Brrelo Leile, para a 1* com-
panhia.
6. balalho. Para tenenle-coronel comman-
danle, o major do batalho de cagadores de
Goyaz, Jos Ignacio Teixeira da Fonseca, por me-
recimento.
Batalho de cagadores de Goyaz.Para major, o
capito do mesmo balalho Joo Gervasio de Souza
Pern, por merecimenlo.
Para capilo, o tenente do 10 batalho Jos Ma-
ria Eduardo, para a 6.a companhia.
Para tenentes da arma, os alferes do 3. bata-
lho Leoncio Jos Barbosa de Oliveira, com anti-
guidade de 18 de fevereiro ultimo, o alferes secre-
tario do batalho do deposito Manoel Martino de
Carvalho, por anliguidade, o alferes do> 1 bata-
lho Augusto Rodrigues Chaves, por estudos, o al-
feres do 6- batalho Tude Soares Neiva, dem.
Para alferes da arma, o primeiro sargento do ba-
talno de Malto-Grosso Miguel Jos da Franga, o
segundo cadele segundo sargento do balalho de
cacadores da Baha Joaquim Fabricio de Souza
Azevedo, o primeiro cadete do 1. batalho de in-
famara Anlonio Luiz Villa Forte, o primeiro ca-
dele sargento quartel-mestre do corpp de guarni-
co do Espirito Santo Francisco Rodrigues Pereira
das Neves, o segundo cadete sargento ajudanle do
corpo de guarnigo do Cear Manoel Firmino da
Costa, o primeiro sargento do segundo balalho de
infantaria Victorino dos Santos Silva, o segundo
radete do 6 balalho de infantaria Miguel Antonio
de Mello Tamborim, o segundo sargento do bata-
lho do deposito Joaquim Antonio Genovez, o se-
gundo sargento do 5. batalho de infantaria Ale-
xandre de Brito Guerra, o segundo cadete do 1.
balalho de infantaria Aoreliano Pedro de Faria.
Palacio do Rio de Janeiro, em 17 de margo de
1865.Visconde de Camam'.
te de visitas que fez e de me-1
ueceu para o tralamento de
ue esliveram destacadas na
erde, comarca de Flores, aflm
ar esse pagamento, cerlo de
que nesta data pegojao juiz de direito daquella co-
marca, as informagejes indicadas pela contadoria
dessa thesouraria no parecer a que se refere a sua
citada informago, as quaes sero transmillidas a
essa reparlgo log que me sejam dadas.Pedi-
ram-se ao juiz de cireiio de Flores as informagoes
de que se Irala e cimrouaicou-se ao coronel com-
mandante das arm;s
Dito ao mesmo.- Participando o baeharel Abilio
Jos Tavares da Sil >a, que tendo cessade o incom-
modo que o privara do exercicio do cargo de juiz
de direilo da comarca de Olinda desde l: do cor-
rento, reassuraio o i elerido exercicio no dia 21 des-
te mez : asim o communico a V. S. para saa in-
telligencia.Comm jnicou-se ao Exm. conselheiro
presidente do supremo tribunal dejusliga.
Dito ao mesmo.-Expega V. S. as suas ordens
para que se passe vista de mostra no dia 1 de
abril prximo vindeuro, s 8 horas da manhaa ao
batalho n. 3 de inf miara da guarda nacional, que
se acha destacado no quarlel das Cinco Ponas, e
rtilharia em servico na fortale-
rte do Buraco.Communicou-
supenor da guarda nacional
o supplicante provado isengo legal.
mesmo exercito.
O referido Paraguayo deixou mais dous com-
panlieiros fra do povo.
Segundo urna carta do Pirahysinho com data de
14 do passado, o tenente-corooel Sezefredo recebra
I 17
Por decretos de 14 do correnle foi removido o
juiz de direilo Marcos Correa da Cmara Tamarin-
do da comarca dp Joazeiro, na provincia da Bahia,
para a de Tacaral, na de Pernambuco, ambas de
1" entrancia, por assim o haver pedido.
Por aviso de 14 do corrente foi nomeado com-
mandaute du vapor Taquary e 1 lente Joaquim
Antonio Alves Nogueira.
Por decreto de 15 do corrente foi aposentado
com o ordenado que lhe compete, na forma da lei
o escrivo das offleinas do arsenal de marinba da
provincia da Bahia. Alexandre Rodrigues de Souza,
e por decreto de igual data foi nomeado para esse
lugar Pedro Jos de Souza Jnior.
----- I I I I"
i' secgo.Ministerio dos negocios da marinha.
Rio de Janeiro, em 6 de margo de 1865.Con-
vindo esiabelccer regra para o abono s pragas da
companhia de invlidos das vantagens a que se re-
feren) o art. 10 da lei de 6 de marco de 1845 e as
ioslrucges de 7 de fevereiro de 1848, aura de evi-
tarse desharmonia naconcesso de laes vantagens,
V TP HT A n oraf,m de desligar o seu corpo da brigada do coro-' aeclar a S, para sua mtelligencia e execagao,
Jj A Ii til II K ncl Trislo e seguir para o Livramento a unirse (?ne' emJvlsla da* disposigoes citadas, somente
**** ***** Vil. brigada do coronel Joao Anlonio : au,u'l,as das preditas pragas que esliverem effecli-
as pragas do 1 de i
za do llruin e no
MOV 'El IIHO.
5 de margo de 186o.
Escrevo apressado e resumidamente, mesmo por
que as noticias sao poucas.
O enthusiasmo em Montevideo pelo restabeleci-
menlo da paz ainda dura e proraette conti-
nuar.
O Brasil e o seu alliado eram objecto de repelidas
ovagoes.
O general Basilio MunSz, o invasor da nossa
fronteira, submetleu-se ao general Flores, com
todas os seus bandos, que comegaram a disper-
sar-se logo que lhe chegou a noticia da rendigao
de Montevideo. Foi lo feliz que pode entregarse
antes de ser alcangado pelas forgas ao mando do
general Netto, que havia um mez partir para
; persegu-lo.
A paz da repblica esl porlanlo plenamente
restabelecida.
do Recife.
Dito ao inspecto
O corpo de guardas nacionaes que veio a bordo
do Cruzeiro do Sul, acha-se aquartelado na cidade
de Montevideo, fazendo parte da brigada brasileira
que se nes abriram as portas
da thesouraria provincial.Of- ,
ferecendo o profesior jubilado de tatira Jos Perei- ai, nostada desde
ra Borges, para auxilio das despezas da guerra 10 SBSSlT
% de seus vencimntos durante o lempo que aquella
durar, a contar dd1 de abril prximo vindouro, O Sr. vice-almirante visconde de Tamandar,
recommendo a VJS. que faga arreeadar mensal- relirou-se para Buenos-Ayres, e aps elle vao se-
me,D,leiaimKP orlaf,adf semelhante offena, e re- gnindo para o mesmo destino todos os vapores da
inelte-la a thesouraria de fazeuda. afim de dar-lhe nossa esqnadra !-" -
ar,f,DHei'l,e.apJaICa5a0~ComraUn,Coa"se a the" Presnmia-se em Montevideo que S Exc. ia man-
sourana de fazenda. dar ma diviso naval, com alguma forca de trra.
Dito ao mesmo -Em vista da inclusa conta e nao: bloqueiar as Tres Boceas 8 '
havendo inconveniente, mande V. S. pagar a Anlo-
nio Domingues de Almeida Pocas, conforme soci-! O presidenle LapM contestara no seu Semanario
lou o chefe de polica em officio de 22 do correnle,! longamente o manifest que oSr. conselheiro Pa-
sob n. 422, a qukntia de 22^400 dispendida du- ranhos dirigi ao corpo diplomtico. conteslago
rante o mez de fivereiro ultimo, com o sustento; jwlida, como escripto official do Paraguay, mas
dos presos pobre da cadeia do termo de Santo An- nao obstante urna perfeita amostra das suas rabu-
to.Communicou se ao Dr. chefe de polica. : lieos, puerilidades e impudente m f.
Dito ao commalnJanle superior da guarda naci- Mais urna alrucidade desse tresloucado gover-
nal do Becife.- Bxpega V. S. as suas ordens para no; dstribuio na Assumpcao, comn escravos, cenlo
que um dos corpps da guarda nacional sob sea > tantas pessoas. entre as quaes algumas mnlheres
commando superior, acompanhe a procisso do Sr. que mandou vir de Corumb como prisionei-
Bora Jess da Croz, que deve ter lugar na tarde do ras.
2 de abril prximo vindouro, sahindo da igreja de I .-,.__. a .
Nossa Seniora do Rosario da Boa-Vista. -Commu- n^5? s? aafec,ada arrogancia com que o
nicou-se a mesa regedora da irmandade do Sr. Bom ?*%%?.*2SP'2H&2&Q S6US e dos
Jess da Cruz 'n03SOS soldados, a sua arllvidade e recursos, com
Dilo ao coronel commandanle do corpo de Vo- 1*8 elle chama morosidade e impotencia do
luntarios da Patria. Ao tenente Joaquim Gomes S,' ______.__
Pessoa, mande V. s. entregar mediante recibo, 20' ***%: 22f!2 Ua^ 5K?"? extraordinario
fardamentos brancos completos para voluntarios da p*r?'f i?2L2ff J t uraa das boinba!i conT6
lalria v y 0 cacique do Paraguay espera esmagar-nos. Que
Dito' ao director das obras mililares.-Recom- TSi0^,^* ^ Mhir5 d,qnee respei"
mendo a V. S. que d com urgencia as providen- tablllssimo eopago.
cas necessarias, para que nao continu a faltar luz O Sr. conselheiro Prannos permaneca em Mon-
como esta acootecendo em alguns dos bicos da illu- tevido as mais estreitas e amigaveis relagSes
minagao do interior do hospital militar.Commu- com o governo da repblica. Consla qne este es-
nicou-se ao coronel commandanle das armas. uva dispoMo a concorrer com tima diviso para a
uno a Jos Pereira Borges.-Agradecendo muito | cruzada liberladora do Paraguav. Varios estran-
o palnotico offerecimenlo qne em officio de 18 do geiros pediam armas ao Brasil para o mesmo
corrente fez V. y da 10 % de seus vencimntos! fim.
como proessor jubilado de latim, para auxilio das' Actividade, prudencia e patriotismo, que o nosso
despezas da guerra em que se acha empenhado o-, iriompho seri infallivel. J agora preciso qne o
paiz, acabo de offlciar a thesouraria provincial para Brasil complete a sua misso civilizadora marchan-
qne nos devidos lempos proceda a arrecadagao da' do rpidamente al Assompcao.
O 10 batalho seguia tambera para o mesmo
destino.
L-se no Diario de 7 :
Os Srs. PocOra Ferreira Nunes, Euphrasio Lo-
pes de Araujo e Francisco Antonio Lopes, que no
mez passado agenciaram em menos de tres dias
quantia superior a vintc contos de res para ser
empregada as despezas da remogo das aras e
collocago de pegas as trincheiras, resolveram,
vista das uliimas noticias da guerra com o estran-
geiro, noconlinuarem mais com aquelle penoso
traballio, e devolverem aos subscriptos o dinheiro,
recebido ao qne de facto deram hontem comeco. >
O Comnurcial da mesma data da a segrale no-
ticia :
O capito da guarda nacional da Cruz Alia Mi-
guel Antunes Pereira offereceu-se para organisar
um corpo provisorio com pragas vt luntarias, para
guarnecer a fronteira do Uruguay, e partUodas as!
eventualidades da guerra com o Paraguay.
A presidencia acaba de acceitar ess offereci-
ment, antorisando a compra de tres cavados por.
praga, e mandando adiaotar um mez de etapa.
Os commaodantes superiores da Cruz Alia e |
Passo Fundo teem ordem de auxilia-lo era lo pa-
tritica empreza.
L-se no Correio do Sul de Porlo-Alegre de 2:
O /Vo/ecfiOtrouxe-nosum dos bravos de Pay
vamente servindo nos arsenaes e outros eslabeleci-
mentos de marinha assiste jus a perceber rago e
fardamenlo.
Dos guarde a V. S.Francisco Xavier Pinto
Lima.Sr. contador da marinha.
O vapor Prtnceza, enlrado hontem, trouxe-nos
folhas do Rio-Grande que alcangam a 11 do cr-
reme.
Nao ha noticia alguma importante.
Segundo escrevem do Jaguaro ao Diarto, no
dia 4 tinha passado para o Estado Oriental o Sr.
baro de Jacuhy frente de 1,000 homens, mais
ou menos, ainda com o filo de bater as forgas de
Basilio Muoz, que se achavam na serra dos Her-
valitos.
O Sr. general baro de S. Gabriel (inha embar-
cado para Porlo-Alegre no dia 7.
O primeiro corpo de Voluntarios da Patria, que
d'aqui parlira a bordo do Prtnceza, ficava aquar-
lellado no Rio-Grande. O Commerctal de 10 noti-
cia nos termos seguintes o desembarque desla
forga :
Texfe lugar hontem o desembarque do 1 bata-
lho de Voluntarios da Patria, chegado provincia
no paquete Hinceza.
Padua Fleury do lugar de chefe de polica da pro-
vincia de Minas Geraes.
Foi designada a comarca da capital da provincia
de r.oyaz, de 1- entrancia, para nella servir o juiz
de direito Joo Augusto de Padua Fleury.
Foram nomeados :
O baeharel Fernando Affonso de Mello, juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de Lages, na provin-
cia de Santa Calharina.
-------- a i -------
Por decreto de 18 de fevereiro foi promovido
graduaco do posto de lenente-coronel o major do
corpo de estado maior de | classe Jos de Miran-
da da Silva Res.
Por decreto de 18 de margo :
Foi concedida ao brigadeiro Antonio Nones de
Aguiar a exoneraco que pedio do logar de com-
mandanle das armas da provincia do Para.
Foi nomeado o desembargador Jos Antonio de
Magalhes Castro para o logar de joiz relator do
conseiho supremo militar de justica.
Foi transferido o capilo Joo Antonio Cardoso,
da 3" companhia do 9 batalho de infamara, para
igual companhia do balalho do deposito, e desta
para aquella companhia o capito Joao Carlos Ga-
ihardo.
Foi concedida ao lenle do 5 balalho de infan-
taria Luiz Augusto Coln a demisso que pedio do
servigo do exercito.
Da ordem do dia n. 43'. publicada ante-hon-
tem pela repartigo do ajudanle general, consta o
seguinle :
Foram nomeados :
Commandante do corpo de estado-maior de l'
classe, o Sr. brigadeiro Ernesto Augusto Cesar
Eduardo de Miranda, ficando em disponibilidade o
Sr. brigadeiro Jos Antonio Pereira do Lago, que
servia interinamente. Em 11 do corrente mez.
Para organisar o servico de sade no exercito
de operages no sul do imperio, o Sr. cirurgio-
rar de diviso do corpo de sade Dr. Jos Ribeiro
de Souza Fonles.Aviso de 11 do oorrente raez.
Tenenle-coronel de coramis-o, commandanle do
corpo de guardas nacionaes na provincia do Para-
n, em destacamento, o Sr capito do corpo de es-
tado-maior de 2* classe, Diogo Pinto Homem.Era
16 do correnle mez.
Major do mesmo corpo, o Sr. major da guarda
nacional Luiz Moniz Tollo de Sampaio.Em 13 do
corrente mez.
Para se apresentarera ao Sr. presidente e com-
mandante das armas nomeado para a provincia de
Malto-Grosso, afim de seguirem para a mesma pro-
vincia :
Os Srs. : capilo do corpo de eslado-maior de
1 classe Antonio Florencio Pereira do Lago, 1 te-
nente do corpo de engenheiros Joaquim Jos Pinto
Chichorro da Gama, 2 tenenle do mesmo corpo
Joo da Rocha Fragozo e alferes alumno Bento An-
tonio Monteiro Tourinho.que servir na artilharia.
Em 9 do correnle mez.
Os Srs. : l" cirurgioes do corpo de sade Drs.
Antonio Luiz de Souja Seixas, Olegario Cesar Ca-
buss, Ayres de Oliveira Ramos e Joaquim Jos de
Araujo; 2 cirurgioes do mesmo corpo Drs. Anto-
nio Jos Pinheiro Tupinamb, Jos Antonio
de Andrde, Galdino de Carvalho e Andrade,
Manoel da Silva Dallro Brrelo, Cicero Alvares dos
Santos, Joaquim Mariano de Macedo Soares, Sera-
fina Luiz de Abreu e pharinaceuticos alferes Tobas
Alvim do Amaral e Pedro Alexandre Nucator.
Em 10 do correnle mez.
Para licarem disposico do ministerio da agri-
cultura, eommercio e obras publicas, os Srs. : 1
tenente Jeronymo Rodrigues de Moraes Jardim e
2 tenente Alvaro Joaquim de Oliveira, ambos do
corpo de engenheiros, e tenenle do corpo de estado
maior de l classe Francisco Antonio Monteiro
Twurinho, devendo reputarse como de servigo mi-
litar as commissoes de que vo ser encarregados.
Em 11 do corrente mez.
Para servirem no 2 corpo de voluntarios da pa-
tria :
Tenenle-coronel de commisslo commandante, o
Sr. major ido corpo de estado-maior de 2* classe,
O immenso povo que acudi a esse desembar-
que, comprehendendo quanlo ha de nobre e eleva-
sand, o primeiro que volla a provincia, o bravo j do no procedimento desses homens, cuja abnegacao
tenentecoronel Jos Anlonio Correa da Cmara, pela patria os leva a sacrificar seu proprio bem-
promovido por dislincgo para o l1 regiment de oslar, recebeu-os dignamente, acompanhando os al -
cavallaria as trincheiras, onde foram aquarlellar, sempre ap-. Diogo Garcez Palha.-Em 13 do corrente mez."
Ovlente official veio no vapor Imperador plandidos frenticamente em seu trajelo, durante Major de commisso, o Sr Luiz Jo da Fonse-
cora omcios para o Sr. Gonzaga, e licenga para o qual subiram ao ar innmeras girndolas. j ca Ramos : alferes de commisso, os'srs. V ea-
O sexo amare),, sem o concurso do qual fri dele 2 sargento do corpo de guar'uico do Piauhy.
o entnusiasmo, mor lo todo.o seotimenlo, aniraavao \ Gongalo Paes de Azevedo e Almeida, e 1 cadete do
quadro da recepgSo, langando a esses bravos do! Io batalho de infantaria, AntoBio Luiz Villaforte.
alto das varandas, a que acudiram pressurosas,! Em 9 do correnle mez.
odorferas flores, juntas como por encanto, e qne I Tenente de commisso, o Sr. alferes da guarda
ido o solo como que procuravam amenlsar-1 nacional, Jorge Maria de Oliveira Goimares.Em
passarneslacapitalalgumlempo coma sua familia.
A sua chocada fez poca no Ric-Grande. O
povo cercou o de ovagSes enthusiaslas, indo-o bus-
car sua residencia por vezes, dando-lhe lugar dis-
d'racto no Te-Deum, e offerecendolhe no theatro
um camarote especial adornado de bandeiras na-
cionaes.
Hontem a cmara muncipal tesla de mais de
1,000 pessoa* com tres bandas de,musica e cerca-
da de luzes, foi saudar tambera "cora victorias e
acclamagoes de tnumpho o valoroso soldado, e de-
Ihes a vereda da gloria, a cujo templo marcham.
A originalidade do uniforme dessa tropa, com-
pletamente armada e equipada, offerecia um as-
pecto bizarro, e a julga-la pela regularidade e eer-
leza da marcha dir-se-hia um corpo, nao que vera
pois delta mais duas reunios populares reoderara de recenlemeote orgaoisar-se, mas de aguerridos
idntica homenagem ao digno representante desse veteranos.
exercito glorioso que em* pouco, mais, de dous me- Cma ou outra cousa, nao so|menos que Vo-
tes derribou o poder que nos assoberbava desde ntanos da Patria, e tanto basta para enchugar-
Montevido. lhe as justificadas lagrimas, levando de rojo as hor-
t Porlo-Alegre fez hontem uraa segunda e ex- das escravas desse lyraonete qne ousou provocar-
plendida maolfestaco de jubilo pela lerminacao da nos. >
guerra no Estado Oriental. i L-se no Comnurcial de 9 sol a rubricaDsci-
c Era justo esse regosijo, era oobre, era bello. P'' militar :
< Celebra va o maior bem dos povos: a paz eom O exercito brasileiro qne sob asrdeos do ma-
honra, a paz pelo triumpho, e, o que mais pelo fechal Propicio alravessou o Estado Oriental, para
tnumpho sem saogue, sem desastre, sem victimas, mmortalisar-se pela tomada de Paysaoda', nao
A hora em que escrevemos nao nos coasente
fazer a narraco dessa exploso generosa ; asso-
ciamo-nos a ella com toda a forga da nossa alma o
o mais profundo senlimento de confraternidade.
O Sr. general baro de S. Gabriel chegou ao
Rio-Grande no dia 6 e ia partir para a capital da
provincia.
Com S. Exc. vieraiii de Montevideo os Srs. bri-
fadeiro Portinho, coronel Valenga, Dr. Jayraes
outo e capito Brilhante.
De Sann Calharina nao ba noticia de maior in-
teresse.
apresentou um s castigo corporal, nern raolivou
urna nica reclaroago dos habitantes da cam-
panha.
Semelhenle conducta honra soldado*, offlciaes
e o chefe que tanto respeito inspira, e-i apezar
dos seus soffrimeutos physicos, soebe i r tonta
disciplina, sem recorrer ao rigor, b*i~ .,., abasos
Uo repetidas vezes empregados era uo excepco-
naes circumstancias.
Commentarios sobre fio bella conducta do
? s,ao.muleis 5 *"* e applaudir o mais
elevado elogio que se possa fazer de to devolados
e raleles soldados e S evoiaoos
14 do corrente mez.
Altores de commisso para ir servir na provin-
cia do Matto-Grosso, o Sr. ex-2 lente de artilha-
ria do exercito Zeferino Jos de Oliveira. Aviso
de 7 do correnle mez.
Alferes de commisso, para servir no 1 corpo
de voluntarios da patria.
O sargento quartel-mestre da guarda nacional
Nono de Mello Vianna. Em 11 de ferereiro pr-
ximo passado.
Os voluntarios do mesmo corpo Jos Leopoldo
de Sa, Francisco dos Sanios Silreira, Joaquim Gon-
galves de Andrade Breves, Agostinho Ribeiro da
ronioura Joaquim Herculano da Costa Brito, Au-
gusto Alfredo Gongalves Moreira, Ovidio Jos de
(Niveira Alexandre de Oliveira Machado, e Venan-
cio Jos Vieira Trras. Arisos de 4 do corrente
raez.
O Sr. 1 cadete do referido corpo de voluntarios,
Antero de Souza Schutel. Em 4 do corrente
mez.
Alferes de commisso para o 4* corpo de rolun-
tarios da patria : >
O sargento ajudanle do corpo de al linces da cor-
te, Joo Pereira dos Santos. Em 14 do corrale
mez.
O Sr. Ia cadete 2 sargento do 1 batalbao de in-
fantaria, Joaquim Felicissimo do Reg Barros.Em
14 do corrento mez. .
O Sr. major do corpo de estado-maior de 1* clas-

-



"


-r
m '-'""

DUilo de Pernambuoo -- sexta elra 3i de Hai^o de 5 85.

se, los de Miranda na Silva tleis e o Sr. 1 cirur- momentos da nova administrado, aguazando a
eio do corpo de *ade, Dr. Antete de Jess e espontanea e prxima deliberado de nossos alha-
Souza, que foram mandados car dsposigao do dos, como Ja aconteceu com a salsfacao relativa a
Exm. Sr. presitknie e commandante d armas quema, dos tratadas. .' .!.._..
oorBeadopara provincia de Matto-Grosso, como O mural Diegoi Lamas, que e un dosautores
sepublicouna drdm do dia n. 438", vJo servir, o do miseravel insulto tollo a nossa bandeira das
i- na nualtdade de chefe da commissao de enge- antes de serem vencidos e fngirem precipitada-
nheiro< e o t na de chefe do servico de sade das mente; o general Lamas j fot demdo do sea
(oreas expedicionarias. DOSl com ,0,los os tros militares que se ausen-
TVaosfcreneiasDos Srs. : altores do cerpde taram de Montevideo. Sasviela, compaoheiro de
suarmeo de Minas Genes, Francisco Aoteoio Diogo Lamas nesse feito, qae so desairou aos seos
Carnero da Cunha, para o Batalho de infanta- autores, tambem est privado do emprego qae
na Em 14 do corretemez. exercia como membro do sapremo tribunal de
lferes do 5 batalhio de infantera, Vctor da jostica.
Silva Arauio. para o bataflio de cagaderos de Mal- Diogo Lamas se nao o fosse por aquel te monvo,
toGros-o.-Em 14 docerrente. s-Iohia potf urna de nossas antigs reclamagoes,
Licencas concedidas-AoSr.eapitM do 8 bata- conforme os compromisses que contrah o gen*,-
fhao de Infantaria, addido ao corpo *> artinces da ral Flores enji sua not de 28 de janeiro timo,
corte, Jos Anselmo Valejo, dous me*es, com sold Na opiniaq de alguns -o art. 2 do acwde 20 de
o etapa para ir provincia das Alacas.-Em 9 do fevereiro afld exeessivo, por compretwnder delic
correte m tos politicos.1 Somos arada aecusados, mas de cer-
E' anurovada a de 3 mezes, concedida pela pre- to sem razio, de ler addicionado sos artigos do
sideucia da provincia de Pernambuco ao Sr. 1 ca- nosso Uinialum as reclamacoes pelos prejnizos
dte do 9 batalho de infantaria Antonio Goncal- da antiga glierra civil
ves da Silva, para tratar de ssa sade. Iim1ie", ,0 de fi dfe,raarc1 ^W"^
Condecorares.-Apresentaram diplomas : to do 10 de novembro fello pelo chefe da revolacao.
De cavalteiro da ordem imperial do Cruzeiro e deetoroii r ollas todu. a. riMtoiHmN
Sr. capito de l batalho de art.lharia a p, Er- pblicos pelo governo de Agu.rre; manda, porem,
nesto Augusto da Cunha Kaltos. Decreto de 18. restituir a w compradores o prego que tenham
de. fevereiro e dioloraa de i 1 de marco do corren-; pago. ..... ,
*~ faro* legislativo, ian ja os ontros pode-
Otoniel Pcua,Po Len.Joan Gome*.Dolores' enrreo sangue de parte a parte, sendo es Castelha-
Pamgua.-Jos de Len.Esteban MaofmlD.As-acc corridos pedra at aos seus esealeres*
el Decoud.Len Machain.Jos Marn Decood. Moitns atiraram-se a agua para escapar sanha
Ds Macham.- Eusebio Machain,GreforTo Ma-'* povo, apezar da tropa ter acudido para prote-
chain ( hijo ).Jos Mara Millos.Pedro Loktaga. ge-Ios por ordem das autoridades peruanas. Um
Narciso Pineda.Pedro Reeafde.Antonio Re- rem da estrada de ferro do Oalho para Lfma a:
calde.-Pablo Recalde.Segunde Machain.-Jos foi atacado e delido para ver se iam nelle hespa-
el CarraetrPerei. -Jos O. Gonxalez. I nbes. felizmente nenhum fol encontrado.
( Continuara as assignataras ). i ti
Na Tribuna lemos o segrale : Por cartas imperiaes de 18 do correte mez fo-
Chega-nos urna noticia que, kinge de sorpren- ram nafcralisados cidados brasllei ros os subditos
ciantes de Conimba'am" abrigados. Estes hoinens ros Carlos Jos Pereira das Xeves a demisso que
foram encontrados com muitos despojos, como los p^jo q servico do exercita
sem o relogio dertenente coronel Camisao, do aju-. p0 nomeado director do arsenal do guerra da
dante de ordene lente Costinha, lavrados de se-) provincia d > Para o coronel do corpo de estado
nhoras, etc. ] maier de 2* elasse Prancuco lavier Torres.
Na norte do me9mo.da 19 chegou tambem o por decretos de 21 do crreme mez foram
tenente-coronel Pdrlo Carreiro com a torca exped-, rmvidos :
conaria, dizendo qae elle ha va requerido voltarj q Sr. conselheiro Joaqnim Maria N'ascentes de
der-nos, era esperada.
iz-se que o tyrannoselvagem da Assampco,
mal sinta rogir i tormenta, isto n>al presinta o
exercito e armada braslleiros entrar no seo terri-
torio com animo decidido de atcalo na sua gua-
rida, fedir nmiaco do governo argtntino para
verse se arranja paci/icanunte com o imperio.
Do Pacifico chega-nos pelo Rio da Praia a im-
portante noticia de estarem feitas as pazes entre o
Peni e a Hespanha, confessando o governo perua-
no qnasi abertamente as proclamaeoes ao exerci
to e a armada e ao povo que ceder a
necessidade.
portngtMzes Antonio Maria da Silva, Francisco
Ferreira Bastos de Amorim, Ignacio Jos Martras
o Joaqnim Augusto Machado.
Por carta imperial da mesma data foi nomeado
secretario do governo da provincia do Espirito-
Santo o bacharel Antonio Vespasiano de Albu-
querque.
- 23 -
Chegaram hontem noticias de Matto-Grosso que
alcancam a 27 de Janeiro prximo passado. A />-
prensil de Cuyab, folha com que lomos obsequia-
urna triste dos, diz em dala de 19 sob o titulo
Forra expedicionria.
para a capital, alim do a vir guarnecer.
Consta me que o general Augusto Leverger fi-
cou desesperado com mais este acto do tenente-co-
ronel Porto Carreiro, e amcia hora depois da meia
noite apresenteu-se em palacio ollerecendo-se ao
presidente para descer com a gente oe o qoizesse
acoinpnhar para defender a provincia e a integri-
dade do Brasil. O presidente, acceilando esta of-
ferta, o nomeou immediaiamente commandante ge-
i ral das torgas em operajoes.
i Pelas cinco horas da manhSa apresenlou se o
Sr. Leverger no ponto do embarque e disse a torga
reunida quem me quizer acompaohar d um pas-
i sb em frente, todas as pracas da guarda nacional
una roce responderam i queremos, porque ja' ve-
mos um chefe a nossa frente.
Aqai damos a integra do tratado ajustado entre t No da 14 do correrite, pelas 5 horas mais ou j <0 presidente disse nesta occasiao ao Sr. Lever-
o almirante hespanhote o general peruano Vi- menos da tarde, apresentou-se nojargo da Mariana, ger qae ja' havia ordenado que o tenente-crone'
te anuo.
De cavaileiro da ordem de S. Bonto de Aviz, o
Sr. capitn do 2 regiment de cavallaria ligeira
Hercul.wo Alexandrino^le Mello. Decreto de N
de juoho de 1862 e oip'.oma de 23 do dito me2.
Designaco de;reforma. A do Sr. major do cor-
po de estado-maior e 2* classe Jo3o Dias de Ara-
puero no posto de tenente-coronel, vefccendo o
respectivo sold pete tabella do 1 de detembro de,
MM e lei de 14 deijulho de 1855. Patente e^
de fevereiro findo.
21
ii-se na TVioum de 10 do correte :
Chega-nos urna noticia que, longe de sorpren-
der-nos era esperada.
Diz-se que o tyranno se'.vagem da AssnmpcSo,
mal sinta rogir a tormenta, isto mal presinta
o exercito e armada brasileiros entrar no scu ter-
ritorio com animo decidido de ataca-lo na sua
guarida, pedir a mediaro do goterits argentino
para ver se se arranja pacificamente com o im-
perto.
Repetimos, nao seria isto para nos urna sor-
presa.
c Lpez tomn por typo o partido blanco. Este
todas as vezes que se tem visto perdido, depois de
uaver commettido urna inflnldade de crimes, appel-
la para a paz, ou faz como Basilio Manos : sobmet-
te se.julgando deste modo lavar as infamias per-
petradas.
A tctica parece boa ao tyranno paraguayo,
que se dispoe a imta-la. MM nao basta quere-lo.
t Aceitarla o Brazil transacca) alguma que nao
tivesse por base a immediata descida do Lpez do
poder que recebeu por heraoca ? A simples sop-
posicao de nm faeto semelhante importara urna
offeiisa que nao nos jnlgamos aalonsados a irrogar
ao Brazil.
Nao ; com Lpez j nio ha nem pode haver
transare/ possivel As offensas e insultos que
fez ao Brazil nao tem nome; sao daquelles que
oxigem uro castigo tremendo e exemplar, sao da-
quelles que urna nacao nao pode deixar impunes
sem cobrir se "de opprobrio e de vergonha.
Achando-se na mais perfeita paz com oBrnzil,
Lpez apodera-so mo armada de um vapor que
trazia a bandeira do imperio. Faz prisioneiros os
seos [s, entre elles am deputado e presi
dente de provincia. Condemna-os a trabalhos po-
blicos. Nao contente com isto, invade a indefesa
provincia de Mallo Grosso. All nao ha especie de
iniquidade que nao commetta. Incendia as povoa-
cies, viola as mulheres, sobmeile os prisionelros
de guerra aos mais brutaes tratameotos, e a ou-
tros corta as oreihas. com que faz insufles para os
seus navios.
E ludo isto porque 1 Qae tinha o Brazil felto
ao Paraguayo para ser assira Iratado ? Nada, ab-
solutamente nada.
Arvorando-se em campeao de um equilibrio
que njnguem o tinha encarregado de conservar,
Lpez toaou por pretexto a atMode do Brazil na
Banda Oriental para commetter urna serie de cri-
mes sem nome.
c Diante de tae: tactos uao poda o Brazil nem
nuvir [al|ar de iransaccoes com Lpez.
A sua missao grande e generosa. Por isso
as sympathias de todos, tanto na Europa como aqu
acompanham o imperio na cruzada libertadora que
vai iniciar contra o despota que opprime a desven-
turada Repblica do Paraguay. >
Atora o
res do estido tunrcionanlo regularmente, recons-
tituidos os trlbunaes, e precnchido o pessoal das
repartHjdei publicas. Contrva-se mesma qne nio
tardaran) a ser convocados os commfeos para tor-
maco da representago nacional.
O general Flores eslava dando um excmplo de
raagnanin idade al agora desconhecida as guer-
ras civis i o Prata. Os fiomens do partido venci-
do, fugide s no primeiro momento da desconfianca,
iam-se re olhendo a snas casas, onde niuguem os
incommo lava.
Entre estes notam-se at chefes qae representa-
ran) papel coaspicuo, como os coronis Palomeque
e Garca, o major Rodrigues e o r. Requeoa Fi-
Iho. A nesma impreosa tio livre que a Refor-
ma Pacifica cominea a hostilisar o governo pro-
visorio como debaixo de Aguirre hostilisava a re-
volucao.
A resp ;ito do famigerado Juan Sa conta-se que
elle, diri jindo-se primeiro ao Uruguay, mandara
pergunlar a 1'rqoiza se havia garantas para elle
saltar en: trra. Respondeo-lhe o general que all
havia garantas para todos, mas que nwthor seria
ir para outra parte, e foi entao que elle noscou o
camioho da Europa.
De PaySandii noticia-se que se tinham snbmetti-
do, alm de Muoz, os chefes Ocampo, Vaaa e
Palacios.
A respeito desle Muoz diz o Siglo de 14 :
Algumas pessoas supinem que Muoz lera
partido para Entre Rios, artendendo aos das que
tm decorrido desde que as suas torcas depuzeram
Porto Carreiro e o cap tilo tenente Chaves o acom-
panhassem; o Sr. Leverger respondeu-lhe, dizem
qne com bastante vehemeocia : < Ja' disse a V.
Exc, o que se me offerecia a esse respeito; o que
nao quero que a capital da provincia seja entre-
gue sem queimar-se um cariucho.
Pelas seis horas mais ou menos embarcou com
a torga o seguio seu destino,
ciarlos, a saber : s/xc. o presidente da repblica pulago quasi inleiraapinnava aquelle largo e caes, ] o Sr. Leverger o nico homem que na ac-
peruana, o Exm. Sr. D. Manoel Ignacio de Vivauco, notando-se em todos os rostos a maior disposicao e tualidade pode salvar a ptovincia, nao s porque
benemrito da patria em grao heroico e eminente, animosidade. conhece todo o pessoal della, como mesmo porque
condecorado com as medallias do exercito liberta- A torca composla do 3o batalho da guarda j conhece bem a sua posieao topographica, e assim
vaoco.
< Tratado preliminar de paz e amizade entre a
Repblica do Per e sua magestade catholica.
Desejando a Repblica do Per por ama par-
te, e sua magestade a ralnha das Hespanhas por
eulra, por um termo amigavel ao conflicto desbra-
gadamente occorndo entre ambas as nacoes, no-
raearam os seus respectivos ministros pleaipoten-
a torga qne em primeira expedigao tioha de seguir
ao sul da provincia, em numero de mil e tantos ho-
mens.
t S. Exc. o Sr. presidente da provincia, o Sr.
chefe de polica, o Exm. Sr. general Laverger, -
commandante superiorinterino.da guarda nacional,
toda a offlcialidade" achavam-se presentes, e bem
assim todas as pessoas gradas dosta capital; a po
, h
Restauracin, etc., nacional,da ala esquerda do 1, de nina parte do 2,
os do Per, e envia- de artiQces ede muitos voluntarios. Feros de tao su-
dor Zapita, Jussin, Ayacacho,
general ue brigada dos exercitos ..
do extraordinario e minisir plenipotenciario junto bida honra, de serem os sustentculos da patria,
da Repblica do Chile, etc.; e sua magestade ca-; via-se em todas essas feiges a alegra de envolta
tholica o Exm. Sr. D. Jos Manoel Pareja y Sep- com a coragem. '
tien, benemrito da patria, cavalleiro gr-cruz da c Depois do discurso pronunciado pelo Dr..\e-
real ordem de Isabel a Catholica, commendador de ves, a frente da mesma torga, seguiram-se os vivas,
numero da real e distincta de Carlos III, duas vezes que foram entusisticamente correspondidos por
cavalleiro da militar de S. Fernando de primeira toda a Iropa e povo e outros dados tarubem por b.
esta' muito na caso de bem a defender. Goza por
seu mrito proprio de geral conlianga, at mesmo
dos seus adversarios polticos, que foram os pri-
meiros a qnererem que elle toinasse cont da ad-
mim.-trasau, quando a cmara municipal inlenlava
depor o presidente por inhbil na note de O para
7 do corrente, e nos dias consecutivos. Dou esta
noticia porque ella correu immediatameute por to-
da a cidade, contndose tudo alto e bom som, sem
classe, condecorado com a da marinha de Diadema Exc. o Sr. presidente da provincia, sendo multo o menor rebugo. E parece que a causa de nao
Real, commendador da de S. Gregorio dos Estados applaudidos; e o bem elaborado discurso pronun- [ porem era execugao este projecto toi a constante
Pontificios, condecorado com a medalha de Pi IX, ciado a frente da torga pelo seu commandante Por- recusa do mesmo Sr. Leverger.
senador do reino, ex-minislro da cora, chefe de to Carreiro. No boletim que se e*palhou nesta cidade nao
esquadra da real armada, commandante geral da c Segaio-se depois o desfilaraento da tropa para (ha um ceilil de verdade quanto aos offlcos da ca-
esquadra de sua magestade catholica no Pacifico, o caes da Mariana, aonde dava-se o embarque. | mar municipal dirigidos ao presidente e ao chefe
etc., etc., etc., os quaes, depois de terem reconhe-
cido e trocado os seus respectivos plenos poderes,
e de t-Ios achado em boa e devda forma, convie-
ram nos artigos seguinles :
Art. 1.* Tendo o governo de sua magestade
catholica desapprovado a conducta dos seus agen-
tes no litoral do Per, tomando posse das ilhas Ciinchas a titulo de reivindicaco, e toado ao mes- de, e as tnelhores providencias consta-nos terem
rao lempo o do Per reprovado, como desde logo o sido tomadas pelo teneote-coronel Porto Carreiro
suppoz o de sua raagesiade catholica, as violencias em ordem a vedar a marcha ao iniraigo e a trau-
A riispo.-icao da nossa gente, o en'hsiasmo de polica. Pois urna cmara que na ncite de G
que reinava em todos elles, dando repelidos vivas, para 7 do corrente fol enquietar o presidente as
a proporco que as columnas embarcavam, moslra 11 horas da noite pediodo-lhe providencias energi-
o que o amor da patria e o que combater por cas sobre os acontecimentos que acabavam de dar-
clla. se as nossas fronteiras, a mesma que no dia 10
i Chegaram a esta capital os vapores que condu-1 o felicita pelas enrgicas medidas tomadas em prol
ziram a columna expedicionaria ao sul desla cida- j da defeza da provincia e da integridade do impe-
rio T Tudo o que deixo dilo toi visto e leslemunha-
do por todos; foram lodos actos pblicos.
Todas as familias mais poderosas se aprorop-
Azambuja, director geral da secretarla de estado
dos negocios estranfeiros, para o lugar de enviado
extraordinario a ministro plenipotenciario nos Es-
tados-Unidos da America; oSr. conselheiro Miguel
Maria Lisboa, enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario nos Efctados-nidos, para o reino
da Blgica, no mesmo carcter, com o vencimento
annual correspondente categora da legagao; e o
ministro residente na Blgica, o Sr. Joaquim Tho-
maz do Amaral, para o lugar de director geral
da secretara de estado dos negocios estran-
geros.
Eis o resultado dos collegios da corte, Nithe-
roy, Cabo-Frio, Estrella, Mag, Angra dos Res,
Barra Mansa, Igoass, Paraty, Itaguahy, e Vassou-
ras, na eleigo senatorial :
Conselheiro Cliichorro....... 610 votos.
Conselheiro Gomes dos Santos. 601
Conselheiro Valdetro.:..... 584
Conselheiro Pedreira........ 480
Conselheiro Sayo Lobato___ 364
L-se no Diario Ofpfial:
i Recebemos commooicagoes officiaes da pro-
vincia de Matto-Grosso, que alcancam a 27 de
Janeiro.
Naquella proviocia havia, ha lempo, noticias
desta corle, que pela snrpreza dos paraguayos com
o vapor Mrquez de Olmtla, t,ue capturarn), tor-
naram-se mais diDceis. Como se sabe esse vapor
levava, alm do p.esidente nomeado para aquella
proviocia, despachos, ordens, dmheiro; etc. nter-
rompida a uavegaco, o governo tratou logo de es-
tablecer correios, partindo do Io de feveiro a
mala desta corte, que devia ser conduzida Cuya-
b pelo primeiro estafeta da lioha extraordinaria
de correios, eslabelerida pelo ministerio da agri-
cultura, depois de concertar essa providencia cora
a presidencia de S. Paulo. Em 8 dias devemos re-
ceber a mala da capital de Mallo Grosso.
Pelos vapores chegados do balxo Paraguay
capital de Malto Grosso nos dias 6, 7 e 9 de Janei-
ro, recebeu a presidencia comraunicago offlciai do
ataque de Coimbra, da resistencia da torga al i
existente, e da sua retirada, na noote de 28 de
dezembro.
A presidencia oflciou no dia 11 de Goyaz
pedindo auxilios, a qual commonicou que tomava
todas as providencias com esse fim.
Alm das medidas do presidente de Matto
Grosso, e que ja anteriormente noticiamos, S. Exc.
nomera o chefe de esqnadra Augusto Leverger,
l* vce-presidente da provincia, commandante
superior de toda a guarda nacional. Tendo este
chefe com alguma torga partido para Melgaco, 20
leguas abaixo da capital, ali aportara na macruga-
tain para seguir para a provincia do Goyaz o mais da de ai( cnegaila0 noras QepClis as Qemajs embar.
breve possivel, etc. ____ cages, tratando logo do estbelecimento da torca
'I !> I igl 'I I
Por portara de 21 do corrente foi nomeado
Francisco Maaoel de Lima para o logar de ajudan-
expedicionaria em trra, e fazendo seguir os vapo-
res Juar e Cuyab para transportaren! a gente
que anda devia seguir para aquelle ponto.
a
as armas, sem que ninguem saiba Bada deste ehe- intentadas contra o commissario hespaohol em Pa- quillisar a nossa capital
fe. O Pueblo, comtudo, assevera qne em breve nam, segundo o expressou o governo da Republi- A mesma folha de 27 diz :
estar elle nesta cidade como prese. Carecemos | ca por meio das suas circulares e agentes diploma- O Sr. general Augusto Leverger toi nomeado
de dados para contrariar ou afirmar estas ver-1 ticos-, em guarda da sua honra, fica aplanado o (a 20 do corrate eoramaodante superior da guarda
soes. principal obstculo que se oppunha desoecupacao { nacional e commandante das torgas de mar e trra
A Repblica Argentina contlnuava em paz, rea- i das litas ilhas, e, por tanto, serao estas evacuadas da provincia e desceu ao sul da capital para tomar te aa agenC|a do crrelo da villa de Jaicoz, na pro-1 No da 2 o'commandaote das armas com a gen-
tadas as relagoes amigaves com a Banda Oriental. | pelas forgas navaes de sua magestade catholica e I o commando da columna expedicionaria, que em- | vQCJa ao p,auhy, vago por exouerago de Maria- w que tinha em Corumb parti para o porto de-
Deu-se, porm, n'uma das suas provincias, em entregues s pessoas que o governo do Per no-. barcou-se no porto geral no da 14 deste. no Rodrigues de Araujo. ; nominado Sara, a bordo do vapor Anhambahy, on-
Cordova, um lamenlavel successo, que depoe con-' mear para receb-las. A esta torga foram incorporar-se no da 2 mais; ,, ; de chegou s 10 horas da manbaa de 5, desembar-
ca o estado do interior da repblica. Hoave all | t ArL 2. O governo do Pero', afim de cortar alguns cenleuares de horneas, sob o commando do -Min.st^rin dos nesocios da marinha canat> "^o para que o vapor voltsse ao encontr
urna tenntiva de revolugao, que fol abafada radicalmente toda a responsabilidade de desavenga, tenente-coronel Joao de Souza Ozono. Y ,", "" ido resto da gente, que vmha era urna eseuna e
nascenca com derramamenlo de nao ponco sangue. confirmando os sens amigaveis sentimentos para ; O commando da guarnlgao da capital estava con- mo de Janeiro, 13 de margo Je_ 18oo.
Dizem at que esta revolugao toi imaginaria e com a Hespanha, acreditara nm ministro junto de fiado ao tenenle-coronel Lino de Farla.
inventada para sombra della as autoridades se sua magestade catholica. As noticias de Vlla-Maria alcangavam
descartaren) de alguns horneas desaffeetos. Fosse, Art. 3. Como o governo do Per nunca se Nao tinha uavido alterado na tranquillidade pu
porm, o que tosse, o que corto, para vergonha negou em absoluto a admissao do commissario hes-; blica.
da humauidade, que o Dr. Jastiniano Posse, ex-' panhol, e como o de sna magestade catholica ma- De Miranda e Nioac nao havia noticia alguma.
goveraador da provincia, depois de preso em sua| nifestou em suas circulares diplomticas ae 24 de Sobre a oceupago de Corumb esotros aconte-
casa como um dos chefes da revolta, foi n'uma das :
ras da capital da provincia e luz do meio-dia
assassiaado per ama descarga de espingardaria da
jiioho e de 8 de novembro ultimo que o titulo de cimentes posteriores, eis o que se le na citada to-
commissario especial nao prejudica os dirertos do Iba :
Peni' sua independencia, flea convencionado pe- As noticias espalhadas nesta capital na noile
escolt que o conduzia. Esperava-se que o govn las partes contratantes que o governo de sua ma- de 19 do corrente precisavam todas de confirma-
no geral punisse os culpados deste crime. gestado catholica poder enviar a Lima e o do Pe- gao : ei-la que ehega.
No ultimo domiogo do mez correte deviam h- ru' receber um commissario especial encarregado t E' real haver o commandante das armas eya-
zer-se era Buenos-Ayres as eleiooes para a renova- [de entabolar gestoes ou reclamares sobre a causa cnalo o Coromba antes da chegada de torgas ini-
gio anaual do corpo legislativo provincial. seguida pelo acontermenio de Talambo. migas, e de se haver transportado a bordo do va-
Relatlvamente ao Paraguay insistase na noli-, Art. 4 o O Per' autorisar com plenos pode- por Anhambahy com o seu eslado-maior, a maior i vo termo,
ca, que em Corrientes passava j por cena, del res ao seu ministro na Hespanha para negeciar e parte da Torga de linha e algumas familias para o I 2." Os objectos inventariados sero descriptos
terem sido os Paraguayos derrotados em Mallo- concloir nm tratado de paz, amizade, navegagaoe lugar denominado Sara. com a maior individuacao, declarando-se a quali-
commercio, semelhante ao ajustado pelo Chile e o E'exacta a noticia de h ver sahdo tambem dade, quaniidade, peso, valor e materia de cada
oulras repblicas americanas, qae sua magestade de Corumb a populagao brasileira, ficando o lugar um delles.
catholica bem como o governo do Per' esto dis- entregue aos Italianos, que segundo_corre, foram .V Nao mencionando as receitas respectivas o
Convindo me I hora r o systema de inventario dos
a 19. \ objectos a cargo dos machinistas e mestres embar-
cados nos navios da armada, evitando os erros e
equvocos provenientes da folha de conhecimento
da nomenclatura de taes objectos por parle dos
empregados incumbidos de os lomar a rol, lenho
resolvido ordenar o seguinte:
1. Todos os inventarios de gneros a cargo dos
responsaveis cima mencionados devem nesta cur-
te e as provincias em qae houver arsenaes de ma-
rinha, ser feiles na-presenga do director das offi-
cinas de machinas os 'los primeiros, e na do pa-
trao-mr os dos segundos, ou de um delegado des-
tes funecioaarios, es quaes assignarao o respecti-
0 paquete francez Saintonge trouxe-nos datas de
Buenos-Ayres a' 13 do corrente e de Montevideo
at lo, sahindo s 7 horas da manha deste dia
para nosso porto.
O Mersey chegou a Montevideo no dia 14, dis-
tribuiudo-se a correspondencia respectiva depois
do meio dia. Para logo espalhou-se a noticia da
demisso do Sr. conselheiro Paranhos, causando a
mais dolorosa impressao.
Os proprms blancos admiravara-se de que os
servicos do incansavel e all lo considerado agen-
te brzileiro tossem por esse modo apreciados no
Rio de Janeiro. Alguns dos mais moderados per-
gunt-wun : c Entao oqnequeriam mais ? quetos-
semos fuzilados pelas costas ?
Os amigos da nova ordem de cousas, muitos es-
trangeiros imparciaes corrern) a lestemunhar ao
nosso ex-rainistro o seu pezar, e a testemunbar-
Ibe oseu reconhecimento e alto aprego.
O Sr. conselheiro Paranhos reeebeu a primeira
noticia dos seus convidados para a* (esta que elle
prepara va em homenagem a S. M. a imperatriz
Alguns quizeram esquivar-se dejantar com S. Exc.
julgando que S. Exc. nao poderia estar salisfeito
nesse da : cederam, porm, vendo a calma com
que o demiiiido Ihes rogava qne *o nao privassem
do i'iw.er de solemnisar o anniversario natalicio
de S. M. a imperatriz e Ihes dizia que o acto do
seu goveruo nascera de urna apreciacaoque havia
de modiflcar-se, e nao signicava seno escrpulos
de amor nacioaal que em nada compromelleriam
o feliz restabelecimento das boas relacoes do Bra-
sil com a Rppnblica Oriental.
O general Flores oo comparecen todavia; maD-
dou declarar ao nosso ex ministro que o seu in-
fortunio o magoava profundamente, e que, protes-
tando todo o seu respeito ao motivo da reuniao,
deixava de tomar parte nella porque nao poderia
dis-imular o seu pezar.
Durante o jantar, o Sr. conselheiro Paranhos
onvo brindes dos mais proprios a consola-lo, se
om seu proprio animo elle nao achasse a torga ne-
cessaria para resistir impressao que Ihe devia
naturalmente causar o facto que exeitava o reparo
de todos. Os brindes mais nota veis partirn) dos
Srs. D. Malheo Magarinns, presidente do supremo
tribunal de justiga da Repblica, do Sr. Maillefer,
encarregado de negocios de Franga, e do Sr. vice-
almirante Chaignean, por si c pelo seu collega o
Sr. Kiiiut, contra-almirante inglez, que o apoiou
vivamente^
O Sr. conselheiro Paranhos respondeu a todos
estes brindes, nao como um tonecionarie inespe-
radamente dernittido, mas como se anda fosse o
representante do Brazil em missao especial no Rio
da Prata.
S. Exc. nao pode partir co Saintonge porque es-
tava preso pela festa do da, e tinha anda devores
qne cumprlr antes do sea regresso, os quaes ext-
giam a demora de alguns dias.
O Estado Oriental licava em paz. U governo or-
denou que tossem conduzidos capital, para ai.i
responderem pelos attentados que se attnbuem s
suas forgas no ataque contra Jaguarao, o^ chefes
que ltimamente se sobmetteram. Aparicio, de-
pois de estar na capital, vendo chegar sua casa
um offlciai que nao la prndelo, mas s ialimar-
Grosso. Diz o Progresso, folha daquella provio
cia:
t Sabemos por vai ios canaes que na Assump-
g.o embarcaram varios cerpos de linha a altas ho-
ras da noite e com lodo o segredo, suppondo-se
que iam para Matto-Grosso.
Pelo que se v, a derrota indubitavel.
A casa do presidente es! fechada, mas ha
constantemente urna guarda porta, e ninguem
pode passar seno a distancia de quarent ou cio-
coenta varas, e saudaado aeasa.
Segundo passageiros chegados de Corrieutes, ti-
nha Lpez reforgado com 3,000 homens a margem
do no as immediagoes da fronteira argentina.
O Ferro Carril do Rosario diz .
Segundo estamos informados, no vapor Espi-
gador passou um agente paragaayo, um Sr. Can-
cinjs, que veio do Paran.
Rosna se que a missao de.-te sujeto procu-
rar quanto chefe descontente ha neslas provincias,
postos a celebrar.
Art. 5. No dito tratado se estabelecerao ao
mesmo tempo as bases para a llquidago, reconhe-
cimento e pagamento das qaantias que, por seques-
tros, conliscos, emprestimos da guerra da indepen-
dencia ou qualquer outro motivo, deva e Per' a
subditos de sua magestade catholica, com tanto que
reunam as condigoes de origem,
tualidade hespanholas.
t Art. 6." Uccorreodo qualquer difflcoldade ou
duvida para a liquidagao e reconhecimento de al-
guma ou algumas das quantias reclamadas, serao
resol vidas por urna commissao de seis pessoas, no-
meadas tres por cada urna das partes contratantes.
t Art- 7.* O Per' indemnisar a Hespanha os
tres milhoes de pesos fortes hepanlies que se vio
ohrigada a desembolsar para cobrir as despezas
chamar o inimigo, e a urna pequea torga de linha valor ou importancia de algum oo alguns dos ob-
qoe tambem salvou-se. jectos inventariados, devora este na occasiao do
t O Anhambahy, qne no da 6 deseen do Sara a! arrolamento ser arbitrado pelo mesmo director,
rebocar o reste da torga que fieara em Coromb, patro-mr ou seus delegados,
foi aprisionado por quatro vapores paraguayos, en- O que communicoa V. S. para sua intelligencia
tre os quees consta achar-se o Mrquez de Olinda, e execugao.
armado com 11 boceas de fogo, depois de um re-i Dous guarde a V. S.Francisco Xavier Pinto
continuara; e ac- nhldo conflicto contra elles, e de haver sido des- ; Lima.Sr. contador da marinha.
montada urna de suas pegas, e soffrer ama aborda- j -------- i......
gem do maior dos vapores paraguayos que o levou j 0s Srs. barao de Nova Fribnrgo i l'ilhos, man-
contra o barranco do rio. daram entregar hontera no thesouro nacional a
No tiroteio o Anhambahy inutihsoo a acgaode. ()Uanla de 20:0005, como auxilio para as urgen-
iim dos vapores paraguayos, e despejou anda urna cas ^ rrUerra.
descarga sobre os inimig'os no acto de se passarem i 24 _
para seo bordo. |>or decretos de 20,21 e -21 do coroente foram
Sao inexactas as noticias de sedigao entre as; nomeanos.
pragas do 2o batalho de artilharia, o aprisiona-
para ver se o ouro do scu commilleote pode Ira- feitas desde qne o governo da dita Repblica rejei- ment de toda a gente que se transportiva de Co-
zer-nos urna conagragao. | toa os bons otlicios de um agente de outro governo rumba para o Sara em canoas, igarits e outros
O governo argentiuo deve vigiar rauto este amigo de ambas as nagSes nessas aguas, e repel- vasos; amorte do commandante das armase do
senhnr, pois nao estamos para revoltas. n lindo deste modo a devologao das ilhas de Chin- tenente-coronel CamisSo que se a"ham actualmente
A 3 devia reunir-se na Assumpgab o congresso chas, que espontaneamente'-e Ihe offerecia. no 5. Pedro, e a do ebefe da estecho naval, que fe-
convocado por Lpez. Contra esta i con vocago, t O presente tratado ser ratificado por S. Etc. lizmente se acha entre nos.
cojos fins sSo obvios, protestaran) os emigrados o presidente do Per' e por soa magestade calholi- Const qae os Paraguayos innutilisaram toda
paraguayos em Buenos-Ayres, nos seguinles ler-1 ca e as ratificacoes trocadas em Madrid no prazo a plvora depositada nos Dourados atirando-a ao
deslruindj o paiol.
mos
Os cidados paraguayos que assignam por si e
em nome da grande materia do povo paraguayo,
que geme escravisado debaixo do jugo do seu ty-
ranno Francisco ^olano Lpez, sem o direito, a fa-
culdade, nem a possibilidade de contrariar seus
actos de setvagerta e barbarismo, protestan) desde Mea Villa de Madrid, ancorada na bhia de Callao,
j nao s coutra o decreto publicado no Semanario 27 dias do mez de Janeiro do anno do Senhor de
com data de 23 do prximo passado, em o qual, 1865.M. J. Vivanco. ( L. S.)Jos Manoel Pare-
fazendo burla da desgraga do povo, se convoca um ja. ( L. S.)
congresso geral para o dia 3 do presente mez, mas, A diffi -.uldade da saudagao bandeira foi resol-
0 bacharel Lacas da Silva Antones, juiz munici-
pal e de orphos do termo de Pastos Bons, na pro-
vincia do Maranhao;
O bacharel Joaqnim Pereira Arraes, Juiz munici-
| pal e de orphaos do termo de S. Raymundo Netto,
, na provincia do Piauhy;
O bacharel Cypriano Jos Soares, juiz municipal
' e de orphaos do termo de Areias, na provincia de
S. Panlo;
O capillo Jos Ignacio do Prado, major ajudante
de 90 das. no e
t Era f do que, nos abaixo assignados, mnis-1 t Consta mais que aprisionaran) e conduziram de ordens do commando supenor da" guarda na
tros plenipotenciarios da Repblica do Pera' e de algumas igarits e va-os peqnenos; que destru- cjona| do muncp0 de Itabaiana, da provincia de
sua magestade catholica, assignaraos o presente em ram a casa de vivenda do major Jos Caetano Me- Sergipe;
dupplicata, sellado com os nossos respectivos sel- tello, no logar denominado S. Jos, tirando todo o q ma'jor Joao Jos de Fretas Guimares, cor-
los. A bordo da fragata de sua magestade catho-! madeiramento para corobustivel de seas rapo- man()anle aa i. secgao de batalho de artilharia
dous lanchos.
No dia 25 chegou capital o capitn de fra-
gata Francisco Candido de Castro Menezes, e com-
municou a presidencia o seguinte : que partindo
0 Anhambaliy de Sara no dia 6, eacontrou 4 vapo-
res paraguayos, pelo qne sem demora deu volta
para ir soccorrer a torga que estava em Sara; que
nao pode conseguir isso por ser perseguido por 3
vapores ioimlgos, com os quaes se bateu, sendo
capturado s 2 1/2 horas da tarde, depois qoe o ro-
dizio desmontou-se e o Anliambahy foi sobro um
barranco em urna das estreitas voltas do rio; que
nesta occasiao salteo para a trra quasi toda a
guarmgo, a maior parte compost de menores do
corpo de imperiaes marinheiros ; qne a torga que
os alacava era superior a 600 pragas ; que procu-
raran) inntilisar o Anhambahy mellendo-o a pique,
para o que abriram-Ihe as vlvulas.
De Sara communcarara que a torga deband-
ra a npproxiraago do inimigo, e que as fazendas
da margem do rio S. Lourengo tinham sido des-
truida.
t Estavam cortadas as communicagoes Quviaes
para o Piqniry, Villa Maria, Taquary, S. Paulo,
Miranda e provincia do Paran.
t o saber destas noticias toda a offlcialidade da
guarda nacional, qoe estava em Melgago, capita-
neada pelo tenente-coronel Joao de Sooza Osorio,
represeotou ao tenenle-coronel Porto Carreiro, que
convmha concentrar as torgas na capital da pro-
viocia. Reunido o conselho assim se deliberou,
embarcando toda a munigo, armamento e mais
objectos de bagagera e a tropa de linha, partindo
por trra toda a guarda nacional.
< No dia 19 chegaram a capital no vapor Co-
rumb e outros oo s o teoente-coronel Porto Car-
reiro, come a torga embarcada.
Foi oesta conjundura que o chefe de esquadra
Leverger offereceu os seus servigos, que foram
aceites pelajireslencia, e o qual "partir logo no
dia seguinte a oceupar de novo o ponto de Mel-
gaco.
f A presidencia tem mandado distribuir arma-
mento, muniges de guerra e fardameoto guarda
nacional.
A Imprenta de Cuyab d anda as seguinles
noticias :
Foi nomeado commandante da guarmgo o Sr.
commandante superior interino Leopoldino Lino de
Fana.
t tiestas ltimos dias tem-se apresentado s res-
pectivas autoridades grande numero de desertores
de linha.
t Entrou nestes ltimos dias das Brotas, Chana-
1 da, Rosario e outros pontos grande numero de ho-
mens a receber armas.
Consta-dos que o Sr. barao de Pocon offere-
res- ., da guarda nacional, na provincia do Amazonas,
O palhabote nacional Presidente tambem sup- tenente-coronel chefe do eslado-maior.
poe-se presa dos inimigos. poram reformados:
t Em todas as calamidades por que hemos pas- \ No posto de tenente-coronel o major comman-
sado felizmente nao se tem dado maior mortaoda- danle da seec0 do batalho de infantaria n. 1, da
tan.bem contra todas as resoltiroes que partera ; vida no sentido de ser feita simultneamente por de, conta-se apenas, porem nao com certeza, terem nQarda nacional da provincia do Amazonas Fran- j .,,.,. o Fyc ft ., pnr,ia, S,n(i a
delle. ambas partes. Com elleito, na tarde de 2 de feve- suecumbdo tres ou qua'o pessoas.. | ?iS)!0 Gongalves Pihheiro.
Protest?m, porque esse decreto, symbolo do sea reiro a fragata hespanhola Villa de Madrid, arvo- Tralava-se da organisacao de novas torgas. p^ dispensado do exercito por tempo indetermi-
medo e da sua impotencia, revela o funesto plano rando bandeira do Per, dea 21 tiros de pega ao Das Brotas, da Chapada, do Rosario e de outros' Dado, o coronel commandante superior da guarda
de fazer o poro paraguyo complico dos crimes e mesmo tempo que fazia outro tanto a fragata pe-' pootos tioham entrado nos aitimos das grande no-! nacional dos municipios da cidade de Caxias e
infamias que tem commettido o tyranno, o qual, ruana Amazonas com a bandeira hespanhola no mero de homens a receber armas, e apresentavam-
presentindoa sua queda, quer tornar a repblica topo do raastro grande. Inmediatamente aps esta' se as respectivas autoridades muitos desertores de
solidaria de suas proprias faltas,amparando-se com formalidade foram as autoridades da capitana linha.
as sanegoes de um congresso nullo e Ilegal. comprimentar pessoalmonte o almirante Pareja, e Entre alguns offerecimeatos patriticos avoltava
Protestan), porque, existindo aqnlle governo no dia 3 enlregaram-se as ilhas Chinchas aogo- o do Sr. barao de Pacon cora 300 rezes das suas
de facto o nao pela lei e a razao, e porque, tendo' vernador nomeado pelo governo peruano, coronel fazendas as margeos do Paraguay,
sido imposto ao povo pelo terror e a torga sem em | D. Miguel Saturnino Zavala. Completamos estas noticias com a segninte carta
nada consuita-lo, nao reconhecera como legal ne- j Achando-se encerrado o coBgresso, o presiden- escripta com data de 22. por pessoas conceiluadas,
nbum dos seus actos. te da Repblica do Per, Joao Antonio Pezet, por para esta corte :
Protestara, porque, emhora assim nao tosse, a ; decreto de 2 de fevereiro ratificou este tratado pre- J a esta hora deve saber que perdemos todas
cirenmstancia especial de se ter concedido um nm- limnar, declarando que o fazia porque algumas as nossas fronteiras do Baixo Paraguay. Nenhuma
co dia de prazo para a eleigao, e a de achar-se em das estipulagoes nito careciam de approvacao le- noticia temos de Miranda edodestacamento de Nioac. ua 1 ra.a, est
armas quasi a totalidade dos cidados habilitados gislativa, e oulras tinham spenas de servir de ba- Toda a presumpgo que os habitantes desta villa I
para votar, basta pura nollifica-la. \ se para o tratado definitivo que a sea lempo seria
< Protestan), porque, sombra do terror e da lomado em coasiderago pela representado na- -
cional. i dar, porque um veo esposso ludo occulla, tudo en
Quanto aos antecedentes, cumpre accrescenlar I C0Dre aos
que, apresentado, como dissemos, o ultimtum
hespaohol ao congresso, autorisou este nvamete <*'" tda a 'a Vfn&S'SGhF!?
o governo a negociar a paz e fazer a guerra em *'ndo coms,S' alm de SQa fam,lia> 8a".""'as- lc-
espantosa tyrannia que opprime o povo, privado
de todos os seus direitos polticos e civis, os cida-
dos paraguayos, sem vontade propna e sem ne-
nhuma tai que garanta o exercico dos seus direi-
tos, nao podero eleger nos comicios os homens de
annexos da provincia do Maranhao, Jos Dias Car-
neiro.
Foram alterados:
O segando uniforme dos batalhoes ns. 1, 2 e 27
da guarda nacional da provincia do Pianhy;
A organisagao do 3 batalho de infantera da
guarda nacional da provincia das Alagas.
'-i a i- --------------
A partida do Sr. conselheiro Francisco Octaviano
de Almeida Rosa, era
fixada para depois de amanha s
a bordo do vapor Recife.
do destacamento, ou sao morios ou prisioneros. I 1nle,m, 'l|Suns am'60i ntimos ofTercerara-lho
Noticia exacta destes acontecimentos nao Ihe posso no flolel de Europa, um jantar de despedida, a que
j assisliram alguns parentes e pessoas de araisade.
tenenteeoronel Porto Carreiro desamparou
sua sympaim, mas somente os que previamente umo ,.aso. E*,io 0 prePfidente da repblica tor- e,c-> Para a P^acao de Corumb e d all para es-
designar o despota, constituido deste modo um n ar 0 general vivanco como o seu ple-!11^'111' t:ne80u no da b do corrente, en-
congresso que seria o dcil instrumento de seas. nip0lenCiario ao almirante Pareja, e reabertasas tre8aQd? ass,m lao >portaste ponto aos Para-
mteresses pesseaes, em vez de ura representante i negociagoes deram em resultado o tratado prelimi- uayos !
nar cima transcripto l commandante das armas, que se chava bai-
Feito sto, o presidente proclamou a marinha e lando ^ povoagao de Corumb', recebendo esta
ao exercito o notlCiai e sabendo mais que dous vapores para-
. Soldados da nagao t Rua>os baviam che&ado **?SKS deZ 'f f"
distante do povo onde elle se acbava aquartelado
Vossa magnifica e heroica resolugao na defeza com o segundo batalho de artilharia, o casco do
da honra nacional notoria no Per Inteiro, que batalho de cagadores, e muitos cidados que ti-
sabera' fazer-vos plena justiga. Bem o sei : longe nham-se armado para rechassar o injr.;igo, fugio
fiel da nago paraguaya.
t Protestan), porque a conhocida coaegao que o
tyranno ha de exercer sobre 0 coogresso, embora
fosse legalmeote constituido, anollaria de facto to-
dos e quaesquer dos seus actos.
a Protesten), emfim, de urna maneira publica e
seiemne, e em nome dos qae nao podem erguer
sua voz conra o congresso convocado pelo oppres-
sgr do Paraguay, declarando que, vista das ra-! de esquivar-vos, estovis promptos para o desigual com toda a torga para a povoagao do Sara'. A po-
;Z8es exposta*, tero por nullos e illegaes e sem \ combate, que cada dia pareca mais inminente. pulaco, vendo-se iodefeza, pz-se em fuga para o
Ihe aordem de cousirvar-se em Montevideo para, nenhum valor os actos, que de sen seio emanem,' a Terteis sacrificado vossas vidas as aras da; mesmo ponto. Dizem qae neste doloroso trajelo
aquelle lim, fugio assostado. pesando estes nica e severamente sobre o tyranno' patria, cingindo Immarcessivel corda. Mas com- tudo fazia compaixao!
Estes factos poblicos e notorios em Montevideo, 1 da patria escravisada, Fraacisco Solano Lpez, e de! prehendestes que a mesma gloria pessoal se deve No dia 14 do corrente seguio para Melgago
onde as Imepgoes do governo orienta' contra! nenhuma maneira sobre o grande povo paraguayo,' propr a mais altas e sagradas consideragSes. AI urna expedigao de mil e tantos homens debaixo do
aquelle* individuos tem sido censuradas por uns e! cuja vontade nao tem podido nem pode consaltar-' vida, o porvir da, nagao, devem contemplarse an- commando do tenente-coronel Porto Carreiro, co-
defendidas por outros, provam que o aeto de 201 se livremente no meio da brutal tyrannia, que op- tes de tudo, e todas as vezes que a sua dignidade mo vera' do boletim do governo, que Ihe remetto
de fevereiro nao veda a punlgo destes e de outros ', prime neje a sua dolorosa fronte,
attentados, praticados antes e dorante a guerra. 1 E, para qoe nossa vontade flqoe patente e nos-
Pelo conirano, a excepgao estabelecida no artigo sos direitos salvos, firmamos o presente protesto,
segundo desse acto leve preciameate por objecto na cidade de Buenos-Avres, aos 10 dias do mez de
esses crimes, e at o insulto feito nossa bandei- margo de 1863. -Femando Ilubur.Juan Fran-
ra, que o proprio governo oriental estava disposlo cisco Decoad.Gregorio Machain.Luciano Re-i
a reprovar de um modo solemne, conforme o es- calde.Carlos Loizaga.Manoel Pedro de Pea.-'
tipulado em ura protocollo que se diz fieara reser- Pedro Nolasco Deeoud.-Prederico Alonso. Sera
vado, por consderages que pareceram attendiveis po Machain.
posea salvarse.
ao povo disse :
Est terminado o conflicto entre o Per e a
Hespanha. As ilhas de Chinchas esto em nosso armada Moreira Marques, que o presidente tinha
poder, o pavilho foi sandad, o decoro e a honra j mandado em explorago, dando a infausta noticia
nacional estn a salvo. i de terem os vapores paraguayos chegado at -
junto.
No da 19 a note chegou ao porto esta cida
de o vapor Corumb, commandado pelo tenente da
Pelos vapores brasileiro Tocanlins e francez ft'a-
varre, chegado3 hontera do sul do Imperio, recebe-
mos joruaes do Rio at 21, da Baha at 26 e de
Alagas al 29 do corrente.
Sob as rubricas Parte ficial, Exterior e Interior
vai o que ha de mais importante, ao que s temos
que accrescenlar o seguinte:
Rio Di Janeiro.Por cartas imperiaes de 22 do
corrente mez, foram agraciados :
W. J. C. Huyssen voo Kallenduke, ministro da
marinha dos Paizes-Baixot, com a gra-cruz da
ondem da Rosa;
O. A. Uhlenbeck, commandante da fragata dos
raesmos Paizes Adolplie Une de Nassau cora a
cominenda da mesma ordem;
J. J. Wilekens, commandante da corveta Primes
Amelia, e Julio Posno, cnsul geral dos raesmos
Paizes, com o.offlcialato da referida ordem.
Por decretes de igual data :
Foi nomeado Ladislao de Souza Mello Netto,
director da seceo de botnica, agricultura e artes
mecnicas do masen nacional;
Foi concedida a peoso annual de 720jOOO, re-
partidamente, e sem prejuizo do meio sold que
a toz, Ihes competir, i viuva e lillios do cap Lio Aatooio
de lirar em suas fazendas^situadas s margeos do
rio Paraguay.
O 1 batalho de guardas nacionaes coma neje
I setecentose tantos homens; devido isto ao patrio-
tismo e zelo dos dignos officiaes que o compoe, e
do seu prestante commandante o tenente-coronel
Joao UuaIberio de Maltes.
i Nao nos licito nesta occasiao deixar de me-
morar os servigos por esta forga prestados na in-
fausta ncite de 7 do corrente, quando chegou a esta
capital a noticia da tomada do forte de Coimbra.
Como o leao que se despert e embravece no seu
covil.acordou teda ella procura do inimigo que
missao especial para o Rio j se dizia ja as proximidades de nossa capital. >
Sahiram para Pernambuco : 12. a escuna ha-
noveriana Gesina, e t'9, o patacho Valente.
Chegon, procedente de Pernambuco, 20, o
patacho Viamo, com 8 das.
Do Jornal do Commercio de 24, copiamos as
seguiotes nolicias commerciaes :
Cambio. Incluindo pequeas operages effec-
luadas hoje sobre Londres a 25 7/8 d. e Pars a
370 c 372 rs., sommam os saques pelo paquete
francez Navarre:
Sobre Londres : 0 110,000 a 2o 0/8 25 7/8 e
26 d.
Sobre Franga e Antuerpia : 600,000 francos a
367, 368, 370 e 372 rs.
Sobre Hamburgo : 150,000 m. b. a 693 rs.
Sobro Lisboa e o Porto regulon a tabella se-
guinte :
! antes as felizes inspiracSes da Providencia, que
. -Jos Toribio Itubnni.Juan Jos De- nao dado esperar a todo o momento, tiraram-nos
aos negociadores, apresentadas com instancias por cood.-Carlos Lojzaga ( hijo ). Ramn Gonzlez.' da stuago mais difflcil e Iranscendental em que
parte do Sr. Villalba. Fernando Ilubur ( hijo ) -Salvador ovellanos.' o Per se vio desde a sna emancipagao at aos
Nestes proposites oempenho do gevernoera tao Jos Segando Decoad.Cayetano Itubor. Jaime nossos dias.
sroigavel, que o nosso ex-minislro, informa-nos Sosa.Daniel Loizaga.Miguel Goanes.Benigno i Apezar disto, era grande a irrtagao do povo
urna carta de pessoa competente, julgou delicado Ferreira. Evaristo Machain.-Florencio Alvarez.' contra os Hespanhes ; e assira que um trogo des-
cao renovar as suas reclamacoes dos primeiros Daniel Itubur. Jos Dhz de Bedoya.Po' tes veo trra logo te frafn urna lula, era que
Oscooselhos da prudencia eda firmeza, ou : do rio Cavaba' devastando todos os sitios por onde Fernandes Borges, morto no ataque de Pay
passavam,
< Dous soldados quo fugiam foram encontrados
em ama casinha, e foram presos pelo Moreira Mar-
ques. Estes homens, poste que suspeitos e multo
suspeitos, dao a noticia de que houve um combate
entre a nossa torga e a forga paraguaya no sitio de
Sara', matando e dispersando lodos os nossos para
as malas, e desgranando todas as familias e neg-
sand.
O major Joao Jos de Fretas Guimares,
commandante da 1* secgao de artilharia da guarda
nacional da proviocia do Amazonas, fot nomeado
tenente-coronel chefe do estado-maior da guarda
nacional da mesma provincia.
Por decreto de 22 do corrente :
Foi concedida ao capitao do corpo de engenhei-
112%..... vista.
111%..... a 30 dias.
110%..... a 60 dias.
109 %..... a 90 dias.
Apolices,Negociaram-se hoje as geraes de 6 %
91 Vo-
Metaes.Exporiaram-se em moeda desde o dia
12 do corrente at hoje (23) os valores seguiotes :
Destino,
Brdeos. .
Lisboa .
Buenos-Ayres .
Montevideo .
Ouro.
7.5004000
990,1000
90:0005000
180:0004000
Prata.
204OOO
Total. 378:4984000 204000
Caf oo constara vendas.
Baha.A carne verde estava pelo prego de 240
rs. a libra.
Encerrra-se em 17 a nscnpgao para o con-
curso da cadeira de physiologia da Facnldade de
Medicina, ficando habilitado para elle os Drs. : Je-
ronymn Pereira Sodr, Demetrio Cyriaco Tourinho,
luz Alvares dos Santos e Jeo Pedro da Cunha
Valle.
O vapor inglez Pamn leven para a Europa
349 cita vos da diamante.
L-se no Jornal:
t
*







^
arfo e rwrmnmthttr n*x<* fe* etor? *4*%i.
Hontera (17) i fcrjje tnlarcaram os volunta-
rios, marchando neuta ordem : o Io de voluntarios
da Babia, a compaohta de Zuavos Baftanos, e
m voluntarios de Sergpe.
< Eram precedidos por pelotoes de diversos cor-
pas da guarda naeiodal e de paisano da tod.is as
classes, entre os quaes iam os Veteranos da Inde-
pendencia com o seu estandarte.
* Acompanhou-os (ambem al o arsenal o 2 da
voluntarios, e a offieialidade de diversos corpos. O
povo enchia todas mas e praeas, e em todas as
janelias e portas agglomerava-se para saudare des-
pedir-se dos bravos que vio voluntariatiwuie pres-
ur sen contingente em "Tavor dos bros offendlos
da naco.
A marcha foi a mais demorada possivel por
causa das poesas, que, acorapanliadas de vivas, se
reeuvam das janelias, de algumas das qaaes cho-
viam impressose flores. Em algumas praeas havia
grande girndolas de foguetes. As ras estavam
alcatifadas de folhagem, e enfeitadas de grandes
arces de folhas e flores, e de bandeiras, que se cru-
savara em todas as direegoes, alm das que pen-
dan de todas as casas, cuja maior parte eslava
ornada de colchas. Ao meio da o commercio fe-
chou-ae.
t Foi urna verdadeira fe.-ta que se fez aos Vo-
luntarios da Pairia. l'rasa aos cns que seja o pre-
nuncio das que se bao de fazer em sua volta glo-
riosa e triuraphante.
Para Pernambuco sahiram: a 23 ; o hiate
Santa Rita e a lancha Ros I.
Alagoas.Nada occorreu qoe merega menguo.
reBWUHRUCO.
ASSEIBLEA PROVINCIAL
23" SRSSAO EM 30 DE MARfO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DB. SABINO OLEGARIO.
Ao meio dia, feita a chamada, acham-se pre-
senta os Srs. deputados Francisco Pedro, Texeira
de Mello, J. do Reg Barros, G. Campello, Artni-
nlo, Gongalves da Silva, Buarque, R*inos, Lourei-
ro, AyresGama, S Pereira, Maranho, Sabino,
Ribeiro. Reg Barros, Baptista, Netto, Rocnael,
Amynthas. Brando, Cunha Teiseira e Jacobina.
0~Sr. Prndente abre a sesso.
O Sn. 2o Secretario faz a leiiura da acia, a
qual, depois de pequea, discussao, approvaoa.
Comparecem depois os Srs. Dr. Barros, Drum-
mond e Jos Mana.
EXPEDIENTE
llm offlcio do secretario do governe, remetiendo
a plaa e orgamenlo para a canalisacao d'agua
potavel- na cidade da Victoria. A quem requi-
siiou.
Urna peticao de Josepha Mara da Conceigo,
regente do recolhiraento do Santisslma Corago
de Jesuc de fguarass, pedlndo preferencia para
extraego de suas loteras.A' commisso de fa-
zenda e orea ment.
Ontra de Joaqoira Antonio de Castro Nunes,
professor publico de instruego primaria da cidade
da Victoria, pedindo que a assembla o considere
com direito ao orden.nl > de professor de segundo
grao de S. Jos desta cidade. A' commlsso de
ordnados.
l.'ma peticao da cmara municipal da Encada,
pedindo a creago de urna collecloria no seu mu-
nieipio.A' commisso de fazenda e orgamento.
Outra de Rotilio Tolentino de Figueiredo Lima,
escrivo da subdelegada e do jury de Sanio An-
to, pe lindo quota para pagamento da qaanlia de
389J786 rs. de costas de processos decahidos.
A' commisso de orgamenlo provincial.
Outra de Ate landre Americo Caldas Brandio,
pedindo se ajunte sua peligfio apresentada em
sessa de 22 de corrale os documentos que agora
aprsenla.A'commisso de petigoes.
O Sr. Amynthas requer que e officio do secrata-
rio do governo, remetiendo a planta e orgamenlo
para a canalisacao d'agua potavel, na cidade da
Victoria, v commisso de orgamenlo provincial;
para toma-lo em considerago.
Depois de orar o Sr. Costa Ribeiro, o requer-
memo j-ejeiado.
l-se e vai a imprimir o segninle parecer :
A commisso de legislacao, havendo exami-
nado alternamente o requerimenlo e docum ntos
anoexos, apreseatados esta assemola por An
ionio Alvares de Miranda Guimares teslamenteiro
e procurador dos herderos de Joao Vieira de Li-1
ma, passa a dar COOta do resultado desta oame.
Lima deixou um legado consisliude ainda ua im-
portancia de 180:0005, principal e juros, sendo i
metade para o hospital Pedro II e outra meta-;
de para o hospital Porluguez de Baneteencia. !
No inventario a que se procedeu por fallectmento
de Lima, foi o testamenleiro conslrangid) a entrar
para a repartigo lisral com a quantia de 8:0005,
saldo do sello da parle do legado deixado ao hospi-
tal Portuguez de I! raoficenci, visto j haver este
pago por conla do mesmo sello a quantia de.....
1:000{ correspondente aparte que ja tinha rece-,
bido da divida legada.
Assim tiveram os herderos de pagar o sello de
um legado consistente em divida para receberem
depois a importancia desse sello do legatario, a
a proporgao que se fr arrecadando a divida le-
gada.
E' a restituigo dessa quantia de 800-5000 que
reclama o peticionario na qualidade de teMamen-
telro e procurador dos herderos do dito Joao Viei-
ra de Lima. No requerimento que bstanle de-
senvolvido parecen a commisso estar claramente
demonstrado o direito qoe ao peticionario assiste.
Consonando se a legi-lago vc-se qae pela lei n.
18 de 20 de maio de 1836 nao devido a sello de
heranga ou legado consistente em divida, se nao a
proporgao que pelo pagamento da divida o legado
ou heranga, tornase real e effedva.
A dontrina dessa lei a mesma que ja vigora va
desde o alvara' de 17 de junho de 1809, em cujos
8_e 9 expresso que o sello da heranga ou lega-1
do nao deve ser pago se nao era relagaa a heranga
ou legado liquido, ou que effectivamente se arre-,
cadar, expressoes eslas que sao as de que usa o
citado alvara'.
A' commisso lamenta que na arrecadago do;
impostos sejam os conlribuinies vechados por exi-
geeeias da parte dos agentes do Oseo,'os quass vo
alm do que na lei se acha claramente definido.'
Havendo o peticionario apreseniado ao presidente
da provincia a mesma reclamagao de que ora se;
trata, foi por daas vezes indeferida a sua reclama-
gao era face das nformagoes do procurador fiscal!
e do inspector da thesouraria, mas examinando-se
acuradamente urna e outra informagao em ne-
nhuma a commisso encontrn procedencia.
. Entende o procurador fiscal que o peticionario,
nao devia ser altendido por haver recolhido o sello
sem reclamagao na occasiao em que procede de
accordo como artigo 12 do regularaento de 28 de
abril de 1842, quando diz :
< Constituidas as herangas e legados, nao na
mesma propriedade, mas no nso fructo, podero
pagar o imposto ou por urna vez somenie, ou em
prestaco annuies. > I
O inspector da thesouraria entendeu, que a su-
pracitada lei n 18 de vera oonsiderar-se revogada
pelo citado regulameoto. Art. 4 e 6, pois nelles
se acha determinado que feto o inventario se con-
templa a fazenda como qualquer herdeiro, se este
mesmo regulamenlo nao devesse consderar-se por i
urna ve', revogado, pelo anigo 44 da lei n. 320 de
17 de maio de 1833, que mandou observar qanto
a cobranga do sello e legado os alvara's de 17 de i
junho de 1808 e de 2 de oulubro de 18 >1. Entre-
tanto oeste al rara' que a commisso encontrn
sanecionada a doulrina de que nao devido o sel-
lo, se nao de heranga ou legado liquido, quando
este elfeetivaaieaio arreeadado.
Assim convicta de que a reclamagao de que se
trata basea-se um direito inslrlclo e vigoroso, a'
'ommissao nao.duvda oJTerecer a deliberagao des-:
t.i assemWao Wguinte projecto : 4
t Art. nico. Aos herderos de Jo3o Vieira de'
Lima ser*' restituida a quantia do biOOOdOOO, que
tndevidamente pagaram como sello de legado con-1
--tecle cm de vida deixada pelo dito Lima ao hos-
Vital Porluguez de Beneficencia, de quem ha vera' a j
fazenda provincial o sello a proporco que o lega-
'l'j tiver iiilettvaianle pela cobranga da divida le-1
ada, revocadas as disuosigpes era contrario.S.
R. Pagoda assembla legislativa provincial de
l'ernambuco, 28 de marfo de 1885 Costa Ribei-
ro. Sa' Pereira.J. do 'Reg Barros.
Le se e tica adiado por ler pedido a paiavra o
Sr. Silva Ramos, um parecer da commisso de fa-
zenda que publicaremos depois.
Vi julgado objecto de deliberaga e Vai a impri-
c A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco msalve :
< Art. 1. Fira o presidente da provincia autori-
zado a despender a qaanlia de 15:089 com a ca-
nalisagSo d'agua potavel para a cidade da viclora.
< Revogadas as disposicoes em contrario, f. R-
Caryalho Moura.~Rego Barros.Ayres GiW.
E' lido, apoiado e posto em discussao o seguinte
letperimesto :
Requeiro que se pep ao galerno a seguinle
informafio:
Se consta officialmenle ou por qualquer ontra
forma qoe te tivesse dado na estrada de ferro des-
ta provincia um desfalque de 5O0:O00.
c Se existe irregularidade no servigo da admi-
nistragao da mesma estrada que tenbnm sido de-
nunciadas ao governo, e de que com antecedencia
nao se tivesse ocenpado o respectivo engenheiro
fiscal. S. l.-.' de margo de 186o. -Buarque.
(Continuarse ha.)
RETISTa DIARIA.
Foi hontera noute levada para o convento do
. Carino a imagera do Senhor Bom Jess dos Passos,
I sendo acompanhada por um concurso iramenso de
povo, e pelas diversas autoridades da provincia.
Hoje voltara' ella para o Corno Santo.
O digno Sr. Antonio Jos Rodrigues de Sou-
| za Jnior, thesoureiro das loteras provinciaes,
acaba de ofterecer tres bilhetes, oito meios e doze
j quartos da dcima primeir lotera, que vai agora
correr, para auxilio das despezas da guerra, reco-
j Ihendo o premio que Ihes tocar na extraego toe-
souraria de fazenda. s nmeros sao os segra-
les :
loteiros33'., 1657 e 3193 ;
1 Meios-556, 853, 1599, 1929, 2314, 2579,3094 e
3095 ;
Quartos.9,117, 603,1005, 1301 2070, 2402,
i 2612, 2809,2919, 3268 e 3281.
O Sr. Souza Jnior digno de todo o Iouvor, por
essa prova de civismo, e nos Ihe damos nossos em-
boras.
Foi na quarta-feira a' scena, e amanha sera'
repetido no Santa Isabel o magnifico drama do Sr.
Dr. F. Pinheiro GuimaresHistoria de urna mora
rica.
Como ja' ti vemos occasiao de dize-lo, esta urna
composigo de esforgo iatellecUal, Iluminada por
alcance reformador no campo pratlco da morali-
dade. Com elfeito, perscrutando ella myslerios n-
timos, retratando a sociedade em que vivemos por
um perfil bem sensivel, da' urna ligo que nao po-
de deixar de ser proveitosa muitos, qoe em pre-
senga della admiram-se de achar-se lo carecedo-
res de remedio.
Drama de mrito, rico de bellezas artsticas, que
nelle se notam mesmo a' simples leiiura, mals so-
bresahem ellas quando traduzidas com expressao
e sentimento, como em gerai o foram naquella re-
presenlaco a que nos referimos.
O Sr. Germano, no papel do Dr. Fredenco, nao
deixou nada a desejar, desempenhando-o com a
comprehenso absoluta do carcter que Ihe impri-
mi o dramaturgo. Vio-se que o amigo dedicado
jamis sacriticeu as aras deste sentimento a rigi-
dez do hornera honrado em bello contraste cora ou-
tros caracteres, cora que jogava, e a que serva
como que de moldura pela sympathia do papel, lia-
na exeenga que
. Fnioheo,
ir*
escravo de Joao de Almeida Mon-' JCtoAMEtvros.
Appellame, o Dr. Ignacio Kaei da Fonseoa; ap-
Passageiros do vapor TociH/inienlraio dos. por-'(fellaabs; os administradores da massa fallida de
' Siqueira & Pereira.
toa do mi
Jtatonjpifeaquin BibaJualor. Jaili Adulfo Ri-
bas, I). Mara C. de Aratijo lima e 1 asara vai Joao
J. Surjosl varejo, Juaquim Al ves da Silva e 1 es-
cravo, Domingos Aires Matoeus, >fert Jezufka do
llego I'eTeifa; Virgin da Paixo Barros e cria-
do, Maria Magdalena, Joao Barroso de Carvaiho,
Uernardino Alvo Ferreira, Francisco Joaquim Tei-
xeira, Manoel Antonio Sarpado, Joaquim da Cu-
nha Momra, Manoel Evaristo de Soun, Francis-
co da Cunha Morera, Domingos de Sou?a Barros,
Jos Rotendo Uferefra, Jos Candido Aecitv, D.
Carolina C. Pereira, D. Joaquina Capritlap Wan-
derley e urna escrava, Joaquim Peres Carneiro
Monieiro sna senhora e 2 escravos, Ismael Joa-
quim Ferreira, Joao Jos de Miranda, Eugenio Jos
Neves de Andrade, Manoel de Vasconcellos esua
familia e 2 escravos, Antpnio Texelra Pinto, An-
tonio Joaquim de Rari, Pedro Claudtao Duarie e
sua senhora, Severlano S. da Cfroha,fRiM Mara da
Conceigo, Francisco Alves Vieira, Joao da Ponte
e 2 ex-pragas.
Seguem para o norte :
Desembargador Francisco Vioira da Costa e 1
criado, Dr. Manoel Joaquim da Rocha Forte o sua I
Adiado na nltrma sesso
Foi reformada a sentenga appelfada.
Appellanles, o presidente e directores da caixa
filial do banco do Brasil nesta cidade-, appellados,
Manoel Jos de Si Araujo e os curadores Bs-
caeS de sua rallenci.
Adiado na sesso anterior.
Daspraram-se os emDargos.
Appellante, Virginio Barbosa da Sffva ; appella-
dos, Cardozo A Souza.-
Adou-se o julgamenlo a requerimento de nro
dos senbores daputados. ,
AppelIantes,os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C. appellado,
James Crabtree C.
Desprezaram-se os embargos.
RBonsigo de nz,
Appellantes, D. Josepha Justina de Jess Gon-
galves e outros; appellados, Isaac Curio & C.
O Sr. desembargador Res e Silva jrou impe-
dimento, e o Exm. Sr. presidente oracin ao Exm.
Sr. conselheiro presidente da relago reqnisitando
juiz.
PASSAGKNS
senlwra, D. Carolina Augusta Rednor o 2 escravos,' Do Sr. desembantador ttais e Silva ao Sr. des-
Jos Vi ceoteM., Joaquim Antonio d Cruz, Kirm- embargador Silva Gui.maraesj:
no Nolasco, Jos Dorotheo da Suva, Luiz M.; W.
Jaques, Jos Pereira da Molta, W. Jaoc, Manoel
Lombert, Loiz Manoel, Augusto P., J. Gelberlerg,
Vjceute P. deOliveira, Hay mundo J. de Araujo e
sua familia, Augusly H. Luci e sua senhora, Xis-
la de P. Uahia, Peregrino L. de Mnezes, Jos de
M. Vascoucallos, 1 praga 7 ex-pragas e 1 preso.
Passageiros sahidos para o sul no brigue brasi-
leiro Prazeres*
Joao Gongalves Ferreira, Jeronymo Jos Telles
Jnior.
Passageiros sahidos para os portos do sul no va-
por brasilelro Paralaba ;
Jos Marinho de Alcntara Lima e 1 criado, Ti-
burco Alves de Carvaiho. Francisco Lourenco de
Paula, Jos Goedes Nogueira,.|D. Aana Gaspar Pe-
reira e i menor, Joao Rodrigues Duwr, D. Candi-
da Berenger Puggi, D. Ernestina Berenger, Jjs
Berenger 3 escravo e 1 criado, Jos Beruardes
Mendes, Antonio Joaquim, Mara Aletuia, Jos
Francisco' Moreira, Joaqoira Francisco dos Santos
Maia, Cesar A. Paroites, Joaquim Ponseca e Silva,
J. Uchoa de A. Sarment, G. M. de Mello, Antonio
de M. Rodrigues S. sua senhora e 1 escrava.
Passageiros do vapor francez Navarre salado
para os porlos da Europa :
Manoel da Silva Santos, Luiz Pueche e 3 irmas
da caridade.
Passageiros viudos de Lisboa na barca porlu-
gueza Claudina :
Joaquim Gongalves Moreira, Fructuoso de A.
Maia, Manoel Lopes Fructuoso, Francisco Antonio
Ribeiro, Manoel Joaquim Gomes Ferreira, Antonio
Gomes da Silva Jnior, Manoel Pereira G. Amel-
las, Antonio Balthazar de Freitas, Manoel Gomes
Brasileiro da Amorim, Antonio Gaspar, (Antonio
Appellante, Jjs Duarte das Neves; appellado,
Jos Baptista da Ponseca Jnior.
AGORAV0 INI'ERPOSTO DO JUIZO ESl'ECIAI. DO
C0M1IRRCI0.
Aggravanle, Manoel Polycarpo Moreira de Aie-
vedo ; aggravado, Luiz Solano de Mello.
O E\m. Sr. presidente deu provimenio.
Nada mais havendo a tratar o Exm. Sr. pres i
denle encerrou a sesso- 1 hora da tarde.
TKIBV.WIi U\ RKiAt lO.
SESSO EM 28 DE MARCO DE 1865
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitirana, LourengoSan-
ago, Almeida e Albuquerque, Assis, Doria, MotU,
Guerra, procurador da cora, Domingues da Silva
e Barros Vasconcellos, abrio-so a sesso.
Passadoa os feitos deram-se os segrales jura-
mentos :
Recursos crimes.
Relator o Sr. desembargador Santiago :
Recorrente, o juizo; recorrido, Quintiliano Jos
de Lucena. Sorteados os Srs. desembargadores
Molla, Assis e Barros Vas'.oneellos. Improce-
dente. ,
Recorrente, o juizo ; recorrido, Victorino Luiz
da Silva.-Sorteados os Srs. desembargadores Do-
ria, Assis e Gitirana.-Improcedente.
Recrreme, o juizo: recorrido, Manoel Barbo
da Silva Gatobraho.Sorteados os Srs. desembar-
gadores Molla, Assis e Gitirana.Improcedente.
Relator o Sr. desembargador Gitirana :
Recorrente, o juizo; recorrido, o escravo Luiz.
BASSAcari*
DoSr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
A appellago eivel.
Appellante, a fazenda ; appellado, Manoel Custo-
dio Pefaolo Soares.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellago erime.
Appellante, ojttio ; appellado, Joao Baplista dos
Sanios.
Ao Sr. desembargador Doria
A appellago civel.
Appellante, Manoel Elias de Moura; appellado,
Joaquim Francisco Cavaleanti de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
A appellagc' civel.
Appellante, Jos Joaquim Gongalves Bastos ; ap-
pellado, Justino Pereira de Farias.
Do Sr. desembargador Assis aoSr.desembarga-
dor Doria
A appellago crime.
Appellante, o promotor; appellado, Joao, es-
cravo.
Ao Sr. desembargador Molta
A appellago civel.
Appellante-, Jarradlo Luiz da Silva ; appellado,
Manoel Pereira da Costa.
Do Sr. desembargador Molta ao Sr. desembar-
gad, r Domingues da Silva
As appellages eriales.
Appellante, Jos Sancho liezerra Cavaleanti; ap-
pellada, a justiga.
Appellante, o juizo ; appellado, Braz Gomes da
Silveira.
As appellagoes oiris.
' Appellante, Joaquim Jos Ferreira da Costa le-
bimba ; appellado, Itaphael Fernandos I'ort >.
Appellante, Flix Soares da Costa; appellado, Ma-
noel Alves Brrelo.
Ao Sr. desembarga lor Guerra
A appellago civel.
Appellantes, ti. Anna Maria da Conceigo e ou-
tros ; appellado, Francisco Joaquim Dantas.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molta
A nppellaco crrae.
Appellante, Rosa Maria Borges ; appellado, Joa-
quim da Cunha Freir.
A appellago civel.
Appellante, Joaquim Ignacio da Silva Guiarle ;
appellados, Sampaio e Silva & C.
Do Sr. desembargador Vasconcellos ao Sr. des-
embargador Caetano Santiago >
A appellago civel.
Appellante, a fazenda; appelhdo, Joao Francisco
do Reg Maia.
A's 2 horas encecr c-.-e a sesso.
CORRESPONDENCIAS
perfeilo conhecimento da coocepgo do autor, aju
dando-o al nisto o seu physico. Nos modos brus
eos que siinulava, na rispidez da falla, na villana
e sordidez qne resumbrava de seu todo, via-se per-
feilo um desses miseraveis que pairara em torno
de urna moca rica, com o coragao so gelo e infa-
mia, para conquistaren! despeito de ludo um pu-
nhado de oiro e mais urna escrava, sempre menos
apreciada que outra que da cozinha se extende
sala, e d'ahi vai compartir do thalamo, como no-Io
mosira o mesmo drama na ooposigo caractersti-
ca de Braulia, a escrava senhora, e de Amelia, a
senhora escrava.
Este papel, a victima expiatoria de erros albeios,
a martyr, na Sra. D. Eugenia leve a traduccao
mais completa.
A dstincta actriz moslrou-se ao nivel do talento
que Dos Ihe deu; e, as differentes phases da vida
de Amelia, a vocago da artista manifestou-.se brl-
Ihaote, rica de recursos, vivida de coloridos, que
nella reproduziam successivamente a virgem inno-
cente na aurora dos dias a senhora victimada
em seus afnelos e ferida.affrontosamente em sua
dgnidade de mulher a Messalina impdica em
realiago a' sociedade, que levava por seos precon-
ceitos at esse abysmo e finalmente a Magdale-
na, que as lagrimas do arrApemm^nto e n amor
materno realiza a nbiu^ao d um pissailu, que to-
dava sempre Ihe um aguilho a conscienci.
Os sentimenlos encontrados que ns=r,--m dessa
variago, vt-os o espectador alli produzidos origi-
nalmente, e nao em reflexo de paixoes que se co-
piam. Sim, nao era aaclriz ; era porra a verda-
deira Amelia ; a Amelia, donzella innocente retra-
tada naquelle tatvez indefinivel alirado a Henrique,
o escolhldo do seu corago ; a Amelia, mulher ca-
sada cheia de boura, retratada no mundo imponen-
te com que repelle os avangos da seduego de Al-
berto ; a Amelia, mulher perdida, retratada na se-
de inaciavel de ouro e orgias ; a Amelia,
arrepeodida retratada n'esse complexo de dogura
entre a zsii e a flha, em cujos bracos acba a pec-
cadora a cruz da reparago.
Era sublime de ver ludo isto, e a penna nao lera
tinta que o descreva, como o merece ; mas nao po-
demos omiltir o nosso tributo de admirago nestas
Srs. i edactores.\ Lmos urna correspondencia
iblicada era seu Diario de hoje na qual o autor
nrT-T'Tn.'! U \nh ZmerST perra? lj?sJ?110 daS.va~BrrQsTascnn^Tl7s"TMtl lmnro^ da ",tsina- Pedindo a P''CO suspenso de jui-
Branco, Antonio O. do Puso, Domingos Jos Gon- J3- Barros \asconcellos e Molta^-Improce- 10 em rela^0 ao qui, issemos no o,ano de hou-
Recorrente, o juizo; recorrido, Manoel Rodri- tem. acerca do proced ment do Sr. padre Manoel
gues de Carvalho.-Sorteados os Srs. desembarga-'Josli de, 0llVi:'ra """ a, ff'"^ "
'
dores Santiago, Doria e Almeida Albuquerque.- mem lega, desmanare osea vil detractor, faz o
Improcedente. i panegyrico das qualidades que oroao esse senhor,
burlente sustentada a exeenga que Ihe" deu o Jos Ricardo de Fana,' Minervino Fe'rro CaseHo T" Sorteados os Srs. desembargadores Domingues I
Sr. Germano.
No papel de Magalhes o Sr. Porto houve-se com galve;
Cemiteiuo publico.Obituario dodia 29 de
margo de 1865.
Adelayde Arsencina das Neves Mena, Pernambu-
co, 14 annos, solteira, S. Jos ; Menengite.
Mathildes, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista; be
xiga*
Domingos Valeriano Alves de Souza, Pernambuco,
72 annos, casado, S. Jos ; laterita chrouica.
Benedicto,. frica, 43 annos, solteiro, escravo, San-
to Aiitouio ; b.ypetrophia.
Emilia, Pernambuco, 8 dias, Sauto Antonio ; cou-
vulges. .
Greuorio, Pernambuco, 1 raez, Santo Antonio; es- ot Almeida Albuquerque, Barros ,,.... mn, ,,.--..,.
pasmo. e t"tirana. -Improeedenie.
Francisco Augusto de Lemos Jnior, Pernambuco Reeorrente, o juizo; recorrido, Jos Gomes dos
16 annos, solteiro, Boa-Vista: bexiga Res Lima.Sorteados os Srs. desembargadores
Maria Jos do Nascimento, Pernambuco, 30 annos, Almeida Albuqnorque, Barros Vasconcellos c Motta
casada, Recife ; pulmona. j [nprocedente.
_________^^_ I Recorrente, o juizo ; recorrido, Jos Antonio
Campos.Sorteados o Srs. desembargadores Mot-
ta, Gitirana e Almeida Albuquerque. Improce-
dente.
Relator o Sr. desembargador Aluelda e Albu-
Kleico ds df votos *m bao t, concor-
rer co Mas es mol as para a fruta
de S. Mtgael no ann dt 186o,
Juz.
O Illm. Sr. Nicolao Huiiery.
Juiza.
A Exraa. Sr. D. Liba Coelho de Serpa Brando.
Bsenvo.
O Illm. Sr. Blelquiades Anluues de Almeida.
Escrva.
A Exma. Sra. D. Josepha Francisca Pinto Re-
gueira Ramos.
Mordomos.
O Illms. Srs. :
Francisco Coelho Brando.
Jos Joaquim Moreira.
Francisco Joaquim da Cosa Pialho Jnior.
Francisco Gonalves Nelto.
Jos Pereira Mendes Guimares.
Francisco Deodato Lins.
JoaoTiburcio da Silva Guimares,
Dr. Jos Sergio Ferreira.
Jos Pacheco de Medeiro?.
Joaquim Gusano de Mesquila.
Joo Francisco dos Sanios.
Flavio Ferreira Cato.
Duarte Borges da Silva.
Joo Martins dos Res.
Iqs Antonio Moreira Dia1.
Joaquim francisco Franco.
Francisco Jos Arantes.
Mordomas.
As Exmas. Sras. :
D. Henriqueta Marques de Oliveira, esposa &s Illm.
Sr. Manoel Marques de Oliveira.
I). Balbina Aula de Carvaiho Santos, esposa do
nosso irmo Jos Rodopiano dos Santos.
D. Catbartna Coemada Silva Brando.
D. Carlota Maria d Costa Brrelo, esposa do nosso
irmo Mano-I ZeBrino Das Harreto.
D. Z<"linoa Maria do Carmo Lopes e Silva, espesa
do nosso irmo Joaquim Francisco da* Ghigas
e Silva.
I). Maria do Carmo Rocha Santos, lilha.do nosso ir-
mo Jos Rodopiano dos Sanios.
I). Maria Leopoldina Cordeiro da Silveira.
D. Aona Isab-I Ramos de Oliveira Costa, esposa do>
Illm. Sr. Benlo Jos da Cosa.
D. Theresa de Jess Ribeiro, esposa do nosso irmo
Joaquim Ignacio Ribeiro.
D. Maria Tlieodora Bezerja de Mi-nezes.
D. Mara eflrim Carneiro I* -zorra de Menezes,
esposa do Illm. Sr. Ur. Joo Honorio Bezerra de
Menezcs.
D. Maria Fnrtnnata Carneiro Rios.
Boa-Visla, 9 denulubro de I86i.
O padre Manoel Orillo de Oliveira,
coadjutor pro-parucho.
COMMERCIO.
Recrreme, o juizo ; recorridos, Joaquim Cyra- -pasmado de ver a maligna cusadia com que al-!
co de Brito e outros.-So irados os Srs desembar- i uem,prociirou pela imprensa conspurcar urna re-
gadores Almeida Albuquerque, Ass.s e Motta-Im-1 Pulaca? a, hJe. ^mpre atacada, considerando o
procedente. j Sr. padre Reg incapaz de ter praticado o facto a
Relator o Sr. desembargador Lourengo San- ; el1 atribuido.
(ja0 ^ao '"Haramos a imprensa para faier algumas
Recorrente, o juizo : recorrido, Francisco Alves observaeoes ao quedisseo amigo do Sr. paire Re
Pereira e outrft.-Sorleados os Srs. desembarga- K.S nao fSSB proposito em que estamos
Jarros Vasconcellos t" que ornme continu revestido das
de nao
roupa-
.Erraa.
Na correspondencia do Sr. Barlholomeu Torqua-
to de Souza e Silva, publicada no Diario de 29, de-
ram-se os seguales erros: querqu
Na 20Mraha, em lugar de e o pracedmenlo Recrreme, o juizo ; recorrido, Sergio Jos da
dos mteressados no inventario nao dao lugar, silva. Sorteados os Srs. desembargadores Molta,
vemtrio" naoDaeutmga9rnl0"d0S ,nlereiSados no in_ Domiugues da Silva e Lmiengo Santiago.-Irapro-
Na 30* linha, em lugar demaodandando ou-! Recorrente, o juizo ; recorrido, Vicento Ferreira
rir ao menor de 14 annos, leia-sc :maudaodo de Barros. Sorreados os Srs. desembargadores
ouvir ao maior de li annos.
Na 32J linha, emlu^ar demaodou contmpla-
lo na partilhaleia-se :mandou contempla-la na
paniiha.
imsua Jiiiiiiiw
TRIBIWL 1M COMIIEHCIO
mulher ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 27 DE
MARCO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
s 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e M. Leal, c
palavras a quem soube por tal forma idntificar-se \ Presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
com a creacao do dramaturgo, para dar-nos um
specimn to bello.
Os papis de Vieira, Frederico, Henrique, Ar-
thur, Antunes, Braulia e baroneza de Pereripe fo-
ram devidaraente desempernados e por serem de
ordem secundaria, d.io nos demoraremos em deta-
Ihes da respectiva execuro.
Remettem-nos a seguinte communicago :
< E' rasuppnrtavef, e muito contraria a hygiene
publica, a existencia de urna fabrica de sabo que
se acha assenlada no interior da loja do sobrado n.
31 da ra do Rangel.
Alm do mo chero que exala, succede fazer I
tanta fumaga por occasiao do fabrico do sabo, que
toda a visinaanga se v grandemente encommoda-' \
da, e ainda mus soffrero os moradores dessa casa,
Domingues da Silva, Motta e Lourengo Santiago.
Improcedente.
Recorrente, o juizo : recorrido, Francisco Pau-
lino da Rocha. Sorteados os Srs. d^sembargado-
rvs Assis, Domingues da Silva e Motta.Improce-
dente.
Relator o Sr drsembargador Assis :
Recrreme, o juizo ; recorrido, Jos dos Santos
e Silva Jnior. .-orteados os Srs. desembargado-
res Domingues da Silva, Gilirana e Dona.Impro-
cedente.
Recorrente, o juizo ; recorrido, o vigario Jos
' Buvelaque. Sorteados os Srs. desembargadores
; Gilirana, Barros Vasconcellos e Lourengo Santiago.
Improcedente.
Recorrente, o juizo recorrido, Manoel Joaquim
Epiphanio. Sort-ados os Srs. desembargadores
presidente declarou abrta a sesso. Almeida Alb.uqnerqne, Barros Vasconcellos e Lou
Lida, foi approvada a acia da sesso antece- rengo Santiago.Improcedente.
dente. Relator o Sr.-desembargador Doria :
expediente. Recrreme, o juizo; recorrido, Jos Correa Le'
Offlcio da junta dos corretores, remetiendo a co-' te Brasil. Sorteados os Srs. desembargadores
tago offlcial dos preeps correntes da praga na se- Vasconcellos, Almeida Albuquerque e Sinliago.
E' natural que o amigo do Sr. padre Reg), apre-
ciador de suas nobres qualidade?, o jnlgun inca-
paz do acto que mencionamos, to torpe este ;
mas o que Ihe podemos asseverar urna e militas
vezes que nao ha calumnia em nossas assersoes,
sendo o fado que publicamos verdadeiro e geral-
mente sabido era Timbaba, onde o pesimo pro-
cedmento do Sr. padre Reg em todo esse neg- i
ci, lem sido eslygrnatisado por lodos os homens
honestos.
Nao recuamos ante o que Atsemos, e ainda
acrescentaremos que o Sr. padre Reg lera de res-
ponder em juizo por ese fado. Ser essa urna oc-
aaaln nrnnria nara o Sr. padre R'-go confundir o
jiretendido cafurnniartor.
O amigo do Sr. padre Reg vera ento se avan-
gamos proposicoes falsas, ou se ao contrario disse-
inos verdades," embora amargas para. e*se exem-
piar sacerdote, que a seu procedimento execrando
deve o trazermosao conhecimento do Exm. e llvra.
Sr. vigario geral, que por certo lera occasiao de
saber quem seja o caritativo Sr. sacerdote.
Prometteraos ao amigo do Sr. Reg que nS > dei-
xaremos de oceupar-nos dos factos praticados por
este, embora iocorramos em seu desagrado; a mo-
ralidade publica, o pudor da familia para nos va-
lem mais que essas consideragoes de amizade por
que movido na defeza que apresectou a seu ado-
rado amigo.
Vallaremos quando for prenso.
Recife, 28 de margo de 1865.
O inimigo do crimt.
Caixa filial do banco do Brasil cm
Pci'uaHiouco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa Olial do
mesmo banco na Baha.
.Vovo banco de Peruam-
bnco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por ceiito ao anuo al o praio de seis mezes,
toma linhero a juros a praso nunca menor da
tres raezes, e saca sobre a praga da Baha.
Xovo banco de Iecnaiubuco.
O banco paga o 14 dividendo na razode
por aego.
ALFANDEGA.
Rendmento do dia 1 a 29'.....
dem do dia 30............*.. .*
.'-"-
716:005,5360
15:9783251
7i)i:98326i ft
mana linda.Archive-se.
Foram distribuidos aos senhores deputadas 5 -
livros Copiadores da casa commercial de Maury,:
Romaguera hijo & C, um da de Kfeller & (I, outro
da de Leal & Irmo, e o diario da de Magalhes
da Silva Irmos.
DESPACHOS.
No requrmento de Maria Rosa.da Suva Ayres, j
viuva de Joo Cardoso, Ayres, pedindo o registro I
a procuraco e aulorlsago que apresenu : Re-1
Improcedente.
Recrreme, o uizo
Lima.Sorteados os Srs. desembargadores Motta,
Lourengo Santiago, e Assis.Improcedente.
Recorrente, o juizo; recorrido, Esperidio Iri-
neu de Caldas.Sorteados os Srs. desembargadores
Assis, Almeida Albuquerque e Vasconcellos.Im-
procedente.
Relator o Sr. desembargador Molla :
Recorrente, o juizo ; recorrido, Antonio Gomes
FUBLICACES A PEDIDO
o juizo .
e muito de reeear-se algum incendio ; pelo que eslre-se. de Lima.-Sorteados os Srs. desembargadores Lou-
cbama-se a attengo da lllioa. cmara municipal i No de MaB aflm de que seja de prorapto removido semelhante ^ MSSSSrf! su,a.^P3 ClmMtm. que | Imuraeedeme.
foco de materias prejudlciaes saude dos morado-
Xa botica e > liar macla Xntureza.
Se encontram especifieos para a cura de todas
recorrido, Manoel Pereira f as molestias, se por acaso podessem ser descocerlos.
Porm ao menos u,m foi descoberlo. O pe toral Se
Anacaliuila de Kemp, tirado e extrahido do urna
arvore balsmica; ndubitavelmen,te o antidoto
natural, contra todos os desarranjos c molestias da
garganta e dos orgios pulmonares. A eficacia
de seus simples effeitos, seriam em si mals que
sufBcientes para dissipar toda a incredolidade, se
por acaso j nao eslivessem altamente reconheci-
dos pelo lesterannho unnime de milhares de pes-
soas.
A historia de suas extraordinarias curas se acha
res d'aquella localidade.
Keparticao da polica:
Extracto das partes do da 29 e 30 de narco de i
1863.
Foram recomidos casa de delengo na dia 28
do crreme :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. -chefe de polica, 8 |
sentenciados, viodos do presidio
de Fernado ; e .
Severino Jos Ferreira como suspeito de ser cri-1 !ei*!?.rt',i,.r?d :-Substituara na condigao La-
minoso na provincia das Alagoas; Quialilana An-
tonio da Cojta, por furto de caval los e Feliciano
Joaquim da Cosa, sem delarago do motivo, e pos-
to logo em liberdade.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joaquim
passa a denominarse Lodocina, para se fazerom Recrreme, o juizo ; recorrido, Francisco Xavier inscripta e transladada com as innmera veis cer-
neste sentido as competentes averbagSes : Como Ferreira da Silva.Sorteados os Srs. desembarga- j tidSes e allestagoes enviadas de todas as partes do
requer, fazeodo-se na carta as comp'etentes notas, dores Santiago, Vasconcellos e Gilirana. Impro- mundo habitavel: entre esta grande agglomeragao
No de Pedro M. Maury e Jayme Romaguera lilho, | cedente. I de testemunhos, se comprehende cartas de eminen-
pedindo o registro do seu contrato de sociedade : | Recorrente, o juizo ; recorrido, Ignacio de Aze- ^ mdicos, clrigos, legisladores, oradores publ-
Vista ae Sr. desembargador fiscal. ; vedo Jacuaoa.Sorteados os srs. desembargadores C0St mecnicos, advogados e letrados; n'uma pala-
No de Silva Guimares & C, satisfa/endo o des- Gitirana, Lourenco Santiago e Domingues da Silva. Yra ae pessoas pertencentes todas as classes e
pacho dfe 20 do crreme, com um artigo era addi-' Improcedente. proflssoes da vida. Todos fallam em substancia que
taraeoto ao sou contrato de sociedade, para que,_ Relator o Sr. .desembargador Domingues da a tosse, as constipag5es, os bronchites, as esqu-
Pereira Pinto, para correego.
A' ordem do Dr. delegado do tercelro distado
do Recife, Joaquim Pinto da Fonseca, por ferimeo-
tos leves e graves.
A' ordem do sohdelegado do Recife, Thomaz
Meirelles Ferreira Bandeira, reqnisigo do ca-
pillo do parlo.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Luiz,
escravo de Condida Leonor Severraa de Miranda,
requerimento do procurador desla.
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Anna
Maria de Lyra e Lourenga Maria do Espirito San-
to, para correcgo e Demetrio, escravo de Joo
l'edro'Chaves Moreira requerimento deste.
29
A' ordom do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ro-
berto, escravo do barao do Livramento, sem deela-
rago do motivo e posto logo em liberdade.
A' ordem do subdelegado de Santo, Antonio,
Francisca Maria Joaquina do Nascimento e Caroli-
na Vieira de Lima, para correcgo.
A'ordem do subdelegado d* Boa-Vista, Bene-
dicto, escravo do Dr. Almeida, por fgido.
O ebefe da 2* secgo,
J. G. deUesquita.
Casa i b detbnco.Movimenio da casa de
delengo do dia. 29 de margo de 1865. Existiam
presos 378, < ntraram 4, sahiram 13, extotem 349 ;
a saber: nai lonaes 279, estrangeros 21, raulhe-
res 4; estra igeiras 2, escravos 56; escravas 7.
Total 369.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 162.
Moviraento da enfermara do dia 31 de margo de
Silva
a paiavra devidas pela paiavra duvfdas. Recorrente, o juizo
No da viuva Thereza de Jess Azevedo, pedindo j nos da Costa.Sorteados os Srs. desembargadores
| que ge declare na carta de registro do hiale iV/co- Molta, Doria e Lourenco Santiago. Improce-
; lo I, que aprsenla, que o mesmo propriedade dente.
sua, por ter-lfce tocado na partilha dos bens deixa- Recorrente, o juizo ; recorrido, Manoel Aurelki-
dos por seu finada mando Antonio de Azevedo no de Araujo Cabral. Sorteados os Srs. desembar-
; Pereira \TTsla ao Sr. dteroJiargador fiscal. gadores Molta, Vasconcellos e Almeida Albuquer-
No de Manoel Jos. Gue'des Magalhes e Joaquim que.Improcedente.
Jos da Silva Oliveira, pedindo o registro do seu | Relator o Sr. desembargador Barros Vascon-
contrato de sociedade, visto terem satisfeito o des-1 cellos :
pacha de 16 do correte : Regislre-se. Recorrente, o juizo ; recorrido, Herculano Vi-
nencias e a asthma, efe, se alliviam e curam me-
recorrido^Cullherme^Nu-. diante o uso deste admiravel e prodigioso remedio
de um modo infallivel prompto e radical.
Acha-se a venda as pharmacias de Caors &
Barbosa e J. da C. Bravo & C.
1863.
Tiveram 1
Antonio a
tre.
Francisco
ana.
ves de Athayde, conslipago de vea-
Al ves de Athayde, gastrite.
Joaquim Francisco Leandro, tumor.
Teve alia.
eben Regierung rugi<>|>txr
No de Cari Friedrick Theodor Christiaosen, pe- cente Ferreira Lisboa. Sorteados os Srs. desem-, i^ju geraacbt: l'nter-Urbach bei Scborndorf im
Kalgl. % urteaherjjlsche*
Consnlat.
Zu Bis de Janeiro.
Aaf Refehl ciner hohen Knigl. Wurtembergis-
wird folgende Edilal Laduog be-
dindo o registro da nomeaco de sea caixeiro An-
tonio Alves Ribeiro:Reg.atre-se.
Com informagao do Sr. desembargador fiscal:
bargadores Almeida Albuquerque, Doria e Gttira- Koigreich Wurtemberjr. Der am 5. Sepiember
na.Improceiente. 170-1 geborene Gottlib Friedrich Kwfraann, Sohn
Recrreme, o juizo ; recorrido, Quintiliano An- des verslorbenen Trauben Wirths Johanu fieorg
No de Keller 4 C, pedindo o registro do seu tonio-da Costa.Sorteados os Srs. desembargado-1 Kaul.nann ra Unter-rbach uud seiner glekhfalls
contrato de so iedade Satisfagam o parecer res Assis, Lourenco Santiago e Domi^gues da Sil
fiscal. va.Improcedente
No de Barlholomeu Lonrenco, pedtndo carta de Aggravo de peticao.
registro do hiate Graciosa :-Comorequer, preen*- Aggravanle, Antonio da Cunha Soares Guima-
chidas as formalidades da le. raes; aggravado, o juizo.Relator o Sr. desembar-
No de Manoel Marques de Amorim, pedindo tara-' gador Gitirana.Sorteados os Srs. desembargado-
bem a carta de registra para a sua escuna Senhora res Doria e Molla.Negou-se provimento.
da Concetco :0 mesmo despacho.
.. 1 11 1 \-w------r-'-------- /.fii isi iveuie
Aggrvanle, Baulio Alvares de Miranda Varejaot m;)ln ge|angt.
verslorbenen Ehefrau Dorothee, geboreneo Sieinle,
gieng ira Jahr 1823 ais Btitergesell auf die Waa-
derschaft und reiste ais solcher 1827 nacft Brasi-
Uen, wo er sich, wie aus einem Briefe desselben
vom 17Juni 1831 lervotuehy io Caduca bel Per-
aamhuco ais colonist neder^iassen. Seit dieser
Zeit Ist keine Kunde raehr von ihm in seine Hei-
Saodo presente pelo dvogado Jos Narciso Ca--i aggravado, o junio. Relator o Sr. desembargador
mallo a defeza produzida em favor do administra-. Guerra. Sorteados os Srs. desembargadores Do-
dor do trapiche Pelourlnho, deliherou o tribunar" mingues da Silva e Doria.Proveram.
que aquelle junte procuraco do aecusado, para designacao dk oa.
poder ser apreciada a raesma defeza, e que seja; Assignou-se dia paisa jalgtraento das appellagoes
esta dehberago intimada ao sobredito dvogado. crimes
Es rgeht nnnmehr an ibu oder Awaiger dies-
seils unbekannle Eiben desselben hierdureh di-
Aufforderung binnea sechs Monaten vom Ers-
cheinen dieses Blatts an berechnet bei unteneiche
neter Stelle sich zu melden und ihre Derethli-
. I gung darzuthun, widrigenfalls nach Ablauf dieser.
Nada mais la^indo a tratar, o Exm. Sr. presk- Appellante, Alexandre Jos Teixeira de Sa; Trist eT Yerscaoltene ais mil Unftuss semes 70.
dente encerrou a sesso as onze horas eum quarto, appellada, a justiga. Jahres verstorben angenommen und. dessen in
da manha. Appellanle, ojujzoj appellado, Jase Bezerra An- jjoler-Urbach la pflegschafllicher Verwaltung sle-
ll">e-- heades Varmgen im uugefhren Betrage von
SES3AO JUDICIARfA EM 27 DE M"ARrO
DB 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. BtBSKMBARGADdR
ANSELMO FRANCISCO PEUETTI.
Secretario, Mi Guimares.
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr.
presidente abri a sesso, estando reunidos os se-
Mores desembargadores Res e Silva, Sil^C.uima-
res e Aecioll, e os senhores deputados Rosa, Can-, justiga
didu Alcoforado, Baslo e Miranda Leal A appellaco crime.
Lda, (01 approvada a acta, a^essao. antece- Appellante, Manoel Jos de Almeida Jnior: 8f~
nte
Appellante, o juizo ; appellado, o escravo Flix. Vier tauseftd; ver Uundarf Gulden suddentscher
Appellante, Theotonia Porno de Afaujo -, ap- | wahrong unter seine diesseits bekannlen Erbea
pellada, a justiga. : verlheill wurde.
Aawellagaocivel | pea c October 1864.
Appellanle, Joo Lorreia de Araujo ; appellado, oer Konigl. Wurtembcrgische
Maueel Joaquita lo Albuquerque Lins. Oberamlhsrichter zu Schorndorf
mugekcu miaB. Yermagel.
Com vista ao Sr. iesemnarg^dor promotor da ( Konigl. Wortembergisches Consulat
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.'
Volumes entrados cora fazendas... 134
com gneros----- 737
Volumes sahidos com fazendas,... 68
t com geeeros..... 1,189
-----87t
i,a
Desarregara no da 31 de margo de 1865.
Polaca ItalianaLindadiversos gneros.
Bjigue escuna norueguenseTW>*M-farinla de
trigo.
Brigue hollandezOrondiversos gneros.
Brigue hespanholTenunee-t-generes para fra-
Patacho nacionalBeber/be\em.
Patacho hanoveriano^ Widar idem.
Brigue nacionalPallascharque.
Sumaca hespanholaGnadalupe idem.
BarcainglezaD. Mana carvo.
Patacho inglezSprayidem.
Barca inglezaScottdem.
Importadla.
Escuna hollandeza Btiiabeth, entrada de Lon-
dres, consignada a Rotho & Bidoulae, manifesloa o
segrate :
i ca xas louca; a Monhard q\ C.
t carrinho ; a S. T. Bastos:
100 barricas cerveja; a Manoel Pedro d.i Mello.
332 canos de ferro; a Thomaz de Aquino Fon-
ceca.
8 volumes mialhac.; a Maia. Espirito Santo.
10 barris cerveja; a ordem.
300 caxas cerveja; a Patn- Nash & C.
10 caixas biscoitos, 1 dita mantas, colleiras, e
miudezas ; a Tasso Irmos.
100 barricas cimento, 30 ditas cerveja c 21 to-
neladas e 7 quintaes carian v a Rothe & Bidou-
lac.
2 barris carne em conserva; a Thom. B. A. Ro-
berts.
3 caixas vinho; a C. H. Lo-.*e.
50 caixas plvora: a Adamson Howie 4 C.
2 barris vinho, 3 caixas agurdenle; a G. O.
Mam.
400 barrilinhos plvora; a Saunders Brothers
&C.
4 caixas phosphoros; a E. da C. Medeiros.
300 barrilinhos de plvora; a S. P. Johnstoo
&C.
43 volumes cabos, 5 caixas, & fundos e 2 chapas
cobre; a Prente Vianna RECEBEDOIUA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE iiltNA.MBUCl.
Rendimentodo da 1 a -h;....... 47:099463
dem do dia 3t)................. 1:604917
48'704i82
CONSULTO' PROVINCIAL.
Rendmento do da i a- 28.........
dem do dia 29-----.......%.....
431
163


94:0905614
MOVIMENTO M POETO
Nai'ic&entrados ttoiha 3Q.
Rio de Janeirtte portos intermedios 6 dias, e do
ultimo porto 1nonas, vapor brasileiro Tocantin.^
de 720 toneladas, commaodanle o Io tenenle Pe-
dro Hypolilo Duarte.
Porto23 dia barca porluj{ueza Claudina, de392
toneladas, capilo Jos de Souza Amellas, eaui-
pagera 13, carga vinho e ontros gneros, a Cu-
nha & Irmo.
Rio de Janeiro-20 das, patacho brasileiro Plice-
na, de 19>toneladas, capitao Francisco Jk- Pra-
tes. equipagem 10, carga 10.300 alqueires de
farinhade mandioca ; a Miguel Jos AWes.
Rio de Jaaeiro 23 dias, brigue barca trasileira
Rio de Janeiro, de 270 toneladas, capitao Luiz
Francisco de Fijueirede, equipagem 11, carga
farinha de mandioca e ontros gneros : a Anto-
nio Luiz de 0> Az'.-ved. 1 4 C.
Terra Nova-terts, brigue inglaa D.mTc, de 276
toneladas, capitao F. Gardner, equipagem 13,
rara* 2,200 batutas com bacaibo; a JolinslMfi
Paier & C
Rio de Janeiro e francez .Ma-
opnte A. dala
Zu R,io de Janeiro, 28 Tebruar IS6.
Hermann Haupt.
tenle.
I pellado, o juizo.
1

varre, de 127k toneladas, cotMiac
!*'', eqtiipagam 143. I
. Jtorio. sahidos no mesmo da.
Ro Grando do Sul Brigue braMleiro Prazeres,
Ll capitao Jaron**- Jr* Tallas, carga aasucar e
T agurdente. ,
Rio de Jararo-Dripie brasikirojOli do Sul,
capio Francisca Ma tras Baslos, carga assuear
e outro gneros.
Porlos do sul-Vapr brasileiro Parahma, com-
mandante l. I Marlins.




7
~s
y-*-

UUrU 4e reruamfeuco ... Seita Ie|ra 1 e Mar$ de 1S.
Bordeaux e portos intermedios Vaper france*
Navarre, commandante A. de la No.
m
EDIT1ES.
.
HISTORIA
DE
m\ MOCA RIGA.
Terminar o especttcnlo con a representagao
O Dr Tnslao de Alenear Araripe offlcia] da ""Pe- do ,indo e e^pirituoM entre acto ornado de msica
nal ordem oo Rosa e juiz de direito especial ao
commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
co, por Soa Magestade Imperial e Constitucional
o Sr. D. Pedro II, que Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem, e
delle noticia tiverem, que por parte de Francisco
Botelho de Andrade, rae foi dirigida a peticao do
th-or seguinte :
Illm. Sr. Dr. juiz do direito do commercio.Diz
Francisco Botelho de Andrade que 6 credor de Ja-
cintho Jos do Amaral Aragao, da quantia de-----
3:732Jil38 rs., proveniente das oito letras juntas
BERTHA DE CASTIGO.
Pela Sr.- D. Eugenia, o Sr. Porto e a Sr.' D.
Francisca.
Os bilhetes acham-se a venda no escriptorio do
theatro.
Principiar s 8 horas.
Mara Joaquina, a casa terrea n. 19 sita na ra de,
S.Miguel freguezia dos Arogados, as 10 1|2 horas
do dia cima dito em seu escriptorio roa da
Cruz n. 38.
Leilo ile ama estrrava.
Seganda-feira 3 de abril.
O agente Pinto cumprindo o despacho do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio exarado na
peticao de Jos Gabriel Pereira de Lima, vender'
em leilo do dia cima dito a escrava Alexandri-
na pertencente ao orpho Domingos Gabriel Pe-
reira de Lima, e existente do deposito geral, as
11 horas do da indicado era seu escriptorio ra
da Cruz D. 38.___________________________
Leilao da casa terrea n. 12 da ra do Mon-
deg freguezia da Boa Vista.
Segunda-felra 3 de abril.
O agente Pinto fara' leilo a requerimenta de
Domingos da Silva Ferreira Jnior e mais herdei-
ros do tinada Miguel Archanjo Fernandes Vianna.
e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos
A empreza tem a honra de annnnciar ao publi-
co que acaba de contratar com o Sr. Comingio
de Salviano Bezerra Leite de Mello, da guarna de i Qegliani, famoso concertista, admirado em diver-
2714066 rs.; proveniente tambera da inclusa le- ; sos Vatros da Europa, para este senhor dar al-
tra ; de Manoel de Aieveda Almeida, da quantia ns niervallos com a sua caixa harmnica de.
de 297893 rs. constante da letra junta, e de Ma-, Jue nVentor. A randado do mslrumento e ha-1 <] g% ?H* fe r,.aad^0.nd.e.g?nn:2'.servin,(!0
noel Martins de Oliveira da de 710,5, tambera de D|dade e mais que ludo a delicada execuco do
duas letras, que igualmente junta; e bem assim auinor no deixar por certo de causar admira-
de Thomaz Ribeiro dos Sanios, da importancia do p0 e 0 emprezario felicita-se sempre que tem oc-
146J930 rs., como se v da letra que o suppliean- casio de proporcionar ao publico distraccScs dig-
te une, cujas prescripcoes qoer o supplicaote jo- nas(je||e. Para a semana prxima comecar o
terromper, e por isto vem requerer i V. S. se dig- gr Comingio seus trabalhos, cujo programma ser
de de mandar laucar termo de protesto que faz em ,empo publicado,
para tal fim com inlimago dos referidos devedo- ______________
res, fazendo passar carta edital, visto come resi-
den) elles em lugar incerto e nao sabido : nestes
termos pede V. S. deferimenloE R. M.O soli-
citador, Vicente Licinio da Costa Campello.
E mais se no continba em dita peticao aqu co-
piada, na qual dei o despacho do theor seguinte :
Justifique a ausencia amanha ao mel dia. Re-
cife, 7 de marco da 1865.-Alenear Araripe.
E mais se nao continha em dito despacho aqu (
copiado,em virtude do qual fura z mesan peticao,
distribuida ao escrivo desle juizo Manoel Maria
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR
Rodrigues do Nascimento, o qual lavrou o termo
de protesto do theor seguinte:
Terme de proteste.
Aos 8 de marco de 1863, na cidade do Recife,
na sala das audiencias, onde eu me achava, e
sendo ahi corapareceu o suppPeautc, e disse pe-
rante mim e as testeraunhas infra assignadas, que
reduzia a protesto o contdo de sua peticao retro,
a qual olTereceu como parte do presente que fiea
sendo, c de como assim o disse e proteslou, iancei
este termo, no qual depois de lido se firraou com
as ditos testemunbas
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, o escrevi.Francisco Botelho de Andrade.
Joo Jos de Almeida Pernambuco.Jos da
Costa Reg Lima.
E mais se no continha em dito termo de pro-
testo aqui copiado.
E tendo o supplicante produzido suas testemu-
nbas, sellados e preparados os autos, subiraro
minha cencluso, e nelles del a sentenca do theor
seguinte :
Hei por justcada a ausencia dos supplicados,
que sera citados por edilos de trinta dias para o
lim requerido, pagas as custas ex-causa.
Recife, 10 de marco de 1863.Tristo de Aien-
car Araripe. *
E mais se nao continha em dita sentenca aqui
copiada, por forca da qual o referido escrivo fez
passar o presente edital, pelo qual chamo, cito, e
hei por citados os referidos supplicados, para que
comparecam neste juizo dentro do indicado prazo,
afim de allegarem o que fr de jnstiga.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa e affixado no lugar do costme.
Recife, I i de marco de 1815.
Eo Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, o sobscrevi.
Tristo de Alenear Araripe.
Dos portos do sul esperado
at o dia 31 do correte um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde" ja recebem-se passageiros eengaja-se a
carga que o vapor peder conduzr.a qualdever
ser embarcada no dia de sua chegada : encom-
mendase dinheiro a frete ateo diada sahida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. i, escriptorio de
Antonio Loiz de Oliveira Azevedo & C._______
Para o Ro Grande do Sul segu era poucos
dias o brigue brasileiro Prazerts, capilo Jerony-
mo Jos Telles : recebe alguma cargaba frete e a
tratar no escriptorio de Amorim Iranes, ra da
Cruz n. 3. ^^__^__
de base a quantia de 2:0005, as 10 horas do dia
supradite em seu escriptorio a ra da Cruz n. 38.
AVISOS DIVERSOS.
Instituto
MUDANCA
ANTONIO JOREZ
Eundidor e torneiro em meta es.
que morava na ra da Imperatrz em casa do narcineiro Poirier a. 55, pre
vine ao respeilavel publico c a todos os seus fre&uezes em particular, que
mudou sua oflcina para a rui da matriz da Boa-VUla' u. 36, onde se acha
promplo para fazer o que compele a sua arle de fuudidor.e machinista.
CASA DA FORTOili
Aos 10:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado vendeu nos seos muito feli
zesbilhetes garantidas da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da matriz de s. Jos do
Recife, os seguintes premios :
Dous quartos n. 2839 com a sorte 6:0005000.
Umraeio n. 2305 com a sorte de 1:4005000.
E outras muitas sones de 1005, 405, 205 e
10*000.
Os possuidorespodem vir receber sens respec-
tivospremios sem os descontos das leis na Casa
Arcbeolejiee e fieograahieo Pernam-
Itucano.
No dia I* de abril prximo futuro toma posse
a nova mesa administrativa, eleita em 15' de feve-
reiro uitime. Sao portanto convidados todos os
membros do Instituto que actnalmente se acham
no Recife a comparecer a' sesso deste dia, que | da Fortuna a ra do Crespoji. 23_.
sera' abrta as 11 horas fia manha, e pella tera'
de discutirse o oreamento do anoo social de 1865
a 1866, em conformidade do que dispoe o art. 27
dos respectivos estatutos.
Secretaria do Instituto, 30 de marco de 1865.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Para o Para.
vai seguir com muita brevidade o palhabote Pa-
reme, tem a maior parte da carga prompta, e
para o resto qpe Ihe faita trata-se com o consigna-
tario Joaqoim Jos Goncalves Beltrao, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem._____________________
Para o Para
pretende seguir com muita brevidade o veleiro
hiate Dous Amigos, tem dous tercos de seu carre-
gamento prompto : para o resto que Ihe falta tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra aa
Cruz n. t.
DECLARARES.
Maranhao
D-se dinheiro a juros em pequeas quan-
tias : na ra do Livraroedto loja n. 35._________
LOTERA
AosiO;000\sOOOe 3;O00$0O0.
Sabbado 8 de abril do corrente atino, se
extrahir a 2a parte da Ia lotera (IIa) a
beneficio d> igreja de Nossa Senliora do
Amparo de Goianna, no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Osbilbetes.meiose quartos esto a Ten-
roa do da na respectiva thesourana a ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de (0:0000000 at 20^000
seraopagos urna hora depois da extraeco
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraeco
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Acham-se a venda os da 2* paite da 1* lotera
beneficio das obras da igreja de N. S. do Am-
paro de Gjianna, que se extrahir no dia 8 de
abril.
PRECO.
Bilhetes.....125000
Meios......65000
Quartos.....35000
Para as pessoas que coinprarem de 100.6000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......55500
Quartos.....25750
Manoel Martins Fiuza.
0 solicitador Pedro Alexandrino da Costa Machado
se encarrega ante o foro desta cidade de tudo que
for tendente a sua proflsso, aceita de partido an-
imal as pendencias judiriaes de qualquer casa
coramercial mediante razoarel ajuste. Continua
a se encarregar de cobranzas nos termos do Cabo
e Ipojuca aonde continua a trabalhar como d'an-
tes, eencarrega-se de defezas perante o jnry nos
termos prximos a via frrea, offerecendo gratui-
tamente seus serviros aos desvalidos, pode ser
procurado todos os dias das 9 horas da manhaa
as 3 da tarde, na ra estreila do Rosario n. 31,
e fra dessa hora na roa Imperial n. 36, casa de
sua residencia.
iwmmmm mmm
jCompanhia idelidade de seguros $
martimos e terrestres ws
stabelecida no Rio de Janeiro. B
AGENTES EM PERNAMBUCO >Bl
Antonio l.'iu de Oliveira Azevedo i C, flj
competentemente autorisados pela dlrec- K
loria da companhia de seguros Fidtlida- -*
de, tomara seguros de navios, mercado- f&
rias e predios no seu escriptorio ra da g"?
Crui n. 1. JK
rnmmwmmm
Salitre
.Na roa do Queimadon. 37, leja deferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimares, vende-se sali-
tre refinado por 255 & barrica de 4 arrobas, ou a
Preclsa-se alugar orna ama que cozinhe
engomme, forra ou captiva, para casa de pequea 165400 a arroba s a dinheiro.
familia : no pateo do Carmo n. 2, segundo andar.'
Ama.
Tin turara
O palhabote Garibaldt segu para Maranhao por
estes dias, recebe carga : a tratar com Tasso Ir-
tnaos.__________________________________
Para o Porto segu com brevidade o brigue
Esperanca por ter a malor parte de seu carrega-
mento prompto : para o resto e passageiros tra-
ta-se com Cunha lrmes & C, ra da Madre de
Dos n. 3, ou com o capito na prac,a._________
Para i isboa
(tanta Casa da Misericordia do 'pretende seguir rom muita brevidade a barca por-
Recife tugueza Meiriqutla, tem parte de seu carrepamen-
A Illm- junta administrativa" da Santa Casa de! a bordo : para o resto que Ihe falta e pasMgei-
Mssericordia do Recife manda convidar as pessoas, ros, para os quaej Wm mu.tos cornrnodos tratase
com os seus consijnatarios Amonio Luiz de un-
Antonio Lopes Braga, subdito portuguez.va
viajar a Europa.__________________________
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra da Senzala Nova n. 42 : a tratar no armazem
do mesmo.___________________
Sacase sobre Lisboa, Porto e Rio de Janeiro
no escriptorio de Carvalbo & Nogueira, roa de
Apollo n. 20.
Aluga-se o sitio das Mangabeiras na cidade
de Olinda, ra do Bom-successo, junto a ladeira
do Monte : a tratar na ra Direita n. 69.
Precisa sede urna ama que saiba engommar, co-
zer, e fazer o servico de casa para urna s pessoa,
e que nao sia ra : a tratar ra do Imperador
n. 41, armazem de louga._______________
Offerece-se nm
Na roa Direita o. 116 oonlinua-se a tingir para
qualqoercor, e o mais barato possivel.
A luga-se
. umacasaacabada agora, com commodospara fa-
para ca.xeiro de taberna? coa.guma StST? SSSfSStJtStSTSSfftfSl
l tratar oo becco Largo o l, ubrk_________;^^g^. porU,.- lugjr do^og
maos.na ra do Amorim n. 35.
Na ra da Cruz n. 38, em casa de Mills La-
tham & C, vende-se :
Ca.
Oleo de linhaca.
Folhas de Flandres.
Scllins e silhdes ioglczes.
Cerveja aspinall.
Dita Bass.
Dita John lsfry & C.
E um piano com pauco uso.
de
Na pra^a da Independencia o. 33 precisase
urna ama de leite.
' ~Na ra do Arago o. 3, faz-s comida para
fora, lava se e engomma-se com perfeico tudo
mais barato do que era outra qualquer parte.
Precisa-se de um feitor que saiba ler e es-
crever, e que seja pertuguez, para o engenho Mal-
to Grosso, comarca do Rio Formoso : a tratar
com Joo Bento de Gouveia, propriatario do mes-
mo'engenho, ou com Leal & lrmao, na ra da Ca-
______deia tio Recife n. 56._____________
Precisa-se alugar urna escrava para todo o
servico de urna casa de familia : na ra das Cru-
zes n. 9, segundo andar.__________________

Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
engommar, para casa de familia : a tratar no Pas-
seio publico n. 5, ____________________
Engomma-se com perfeico, areio e preeo
commodo : na travessa da roa Bella n. 7.
Aluga-se urna grande casa na Matriz da Var-
zea, sita na ra do Fogo, com 2 quartos para qual-
quer estabelecimenlo, sitio com varios arforedos e
cacimba ; ao p urna mais pequea, lambem se
vende : qoem pretender dirija-se ao pateo do Car-
mo, sobrado que bota a frente para a ra de Hof-
tas n. 2, prlmeiro andar.
Lava-se e enpomma-se roupa de homem rom
promplidao, e emsrespam-se vestidos e camisinhas
de senhora : na ra da Imperatrz n. 22, primel-
ro andar. _______ .
Precisa-se de urna ama que saiba engommar:
na ra da Palma n. 41, sobrado.
Desde 6 de marco corrente esia fgida a es-
crava Joaona.que foi ltimamente da Sra. D. Fran-
cisca Maria Marques do Amaral, com 40 annos,
peuco mais ou menos, nariz chato, pee apalhetado
com signaes de foveiro, olhos grandes, falla um
pouco pegada : quem a pegar oo della ti ver noti-
cia, dirija-se Magdalena, travessa aos Remedio
n. 27, que ser gratificado.
O abaixo assignado, socio gerente da firma
social de Francisco Alves de Souza Carvalho 4 Ff-
Iho, na capital da Parhiba, declara para conheci-
mento de quem convier, que de accordo com o
seu socio de industria, Dr. Antonio de Souza Car-
valho, tem resolvido dissolver a sociedade em con-
sequencia de querer este estabelecer-se por si;
continuando os negocios da casa commercial do
abaixo assignado a gyrar do Io de abril em diante
sob a firma de Francisco Alves de Souza Carvalho,.
e qual se obnga por todas as transaccoes havidas
durante a sociedade exliocta.
Cidade da Parahiba 27 de mareo de 1865.
__________Francisco Alves de Souza Carvalho.
Na fabrica de charutos e cigarros da ra ("e-
Horliis o. 1, precisa-se de um menino para caixei-
ro.de 12 a 14 annos.
Traspassa-se a chave de duas casas no Ca-
chang por 505 por seis raezes; a Ondar em 30 de
setffmbro do corrente anuo : a tratar na ra da
Cadeia n. 27._________________
Precisa-se alugar urna ama que sibaco:i-
nhar e para comprar, assim como outra que saiba
bem engommar e coser para urna casa de duas
prssoas: a trarar na ra da Imperatrz n. 34, pri-
meiro andar.____________________
A tten^a
Ensinase a lingoa franceza em tres mezes, por
um novo systema, e com mais facilidade de traba-
Iho o estado do que por lodos os methodos em uso
at hoje : quem pretender raaiores informacoes,.
dirija-se a typographia econmica,. ra do Crespo.
Aluga-se^um grande sitio cora sufficiencia
para ter 8 vaccas de leite, 2 baixas para planta de
capim, casa com comraodos para grande familia,
prximo ao Recife, que se pode ir a p, e moitos
arvoredos de fructo : na ra larga do Rosario, loja
n. 32.
Precisa-se de duas amas, urna cozinheira e
outra engimmadeira, escrava ou livre : a tratar
na ra das Cruzes n. 22, segundo andar.
Ama
que se quizerem encarregar da mo d'obra de
carpina abaixo declarada, a apresentarem as suas
propostas em carta fechada, na sala de suas ses-
sfies. nn dia 30 do corrente. pelas 4 horas da tar-
de, a saber :
Urna cubera com 200 palmos de compnmento e
30 de largo, 100 crabos sobrelinhase mo de for^a
do centro.
Onz; grades de janellas com bandeiras e caixi-
Ihos tendo as janellas enfichadas.
Cinco ditas com bandeiras e venesianas.
Seis ponas.
Secretara da Santa Casa da Misericordia do
Recife 27 de marco de 1865.
O escrivo.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Calxa filial do banco do Brasil
em Pernanbueo,
14 de neiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de >ebastlo Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateiolhes toca da venda de urna das proprieda-
des.'.quesegundo aeoncordata.lhe foram entregues
para serem vendidas.Oguarda-livros,
Ignacio Nones Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22.* di-
videndo de 105 poracco.
O guarda livros,
Ignacio Nones Correa.
Gerreio geral
Pela administraeo do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenco postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rao expedidas malas para Europa no dia 30 de cor-
rente pelo vapor francez Navarre. As cartas se-
rao recebidas at 3 horas antes da qne or marca-
da [tara a sahida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
ras autes.
Administraeo do correio de Pernambuco 22 de
marco de 1865.O administrador,
Domingos dos Pasaos Miranda.
i'.rrei $eral
Pela administraeo do correio desta cidade se
faz poblico que neje (31) as 3 horas da tarde, fe-
char-se ho as malas que o vapor Tocanlins tera
de conducir para os portos do oorte. As cartas
serio admettidas a seguro al a 2 horas da tarde,
e os jornaes recebidos al o meio dia.
toiRftiiQ mm
Itla vapsres brasileiro e francez para os senhoires
abao declarados :
Antiscko Antonio Alves Ribeiro-
Alves Hamburgo & C.
Antonio de Oliveira Costa.
Benigno Dantas de Brito.
Bernardo Jos Rodrigues Pinheiro.
Dr. Demosthenes da Silveira Lobo.
Eduardo Melrelles Alves Moreira.
Guimares.4 Oliveira.
Joo Baptista de Albuqnerque.
Jo'u Manoel de Araujo.
Jos A. de Oliveira.
D. Laoriana Maria Ramos.
Luiz Caetano Muoiz Barreto Filhe (4).
Miguel Ferreira.
Dr. Saofos Jnior.
Marques Barros U C.
Manoel Amanes Correia Gomes,
Tobas de Souza Lima.
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.
Para o ttio de Janeiro
o veleiro brigue escuna No Sei, pretende seguir
no fim da presente semana, tem parle do seu car-
regamento emgajado : para o resto que Ihe falta,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Croz n. 1.
Para a Bahia pretende sahir em poneos dias
a escuna Ehza, por ter alguma carga tratada, e
para o resto que Ihe falta trata-se com o consigna-
tario Joaqoim Jos Goocalves Beltrao, na roa do
Vigario n. 10, oo oo largo do Corpo Santo n. 6, ar-
mazem.
Para o Porto pela liba de S.
Miguel.
O bem conhecido brigue nacional Amelia, pre-
tende seguir at o lim do mez, tem parte de seu
carregamanto a bordo, para resto que Ihe falta,
e passageiros para os quaes tem excellentes com-
modos. trata-se cora os sens consignatarios Amonio
Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio
ra da Croz o. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Navegaco costelra por vapor
Macei e escalas.
No dia 30 do corrente as o ho- Ditos
Precisa-se de um caooeiro forro oo captivo
para trabalhar em tijolo, paga-se por viagem ou
por mez : a tratar na ra larga do Rosario n. 16,
padaria. ________________^_
Precisa-se de um criado que saiba principal-
mente fazer compras para urna casa de familia, e
d liaDca de sua coodincta, sendo que preferir-se-
na se or aigum rapasmno : a tratar na ra aa
Aurora n. 26.
Precisase de urna ama para casa de pouca fa-
milia, que cozinhe e faca compras : na ra da
Cadeia do Recife n. 38, primeiro andar.
Na ra larga do Rosarlo b. 31, segundo an-
' dar, precisa-se alugar urna ama forra ou captiva,
' que saiba cozinhar e que engomme para urna s
| pessoa^_________________________________
Procisa-Se de Om criado quo ontoniti da cor
vico de copeiro : oa ra da Aurora n. 50.______
Aluga-se a casa terrea da ra da Mangueira
n. i, a qual tem grandes commodos, o sobrado de
um andar e loja da ra de Santo Amaro n. 16, e
o terceiro e quarto andar do sobrado da ra do
Brura n. 70 : a tratar na ra larga do Rosario n.
34, botica._____________________
Veneravel ordem tereeira de Nossa
Senhora do Carmo.
Determinando o art. 10 dos actoaes estatutos
que sejam reptanos estrandos a' ordem os novi-
cos que fallecerem, tendo completado o anno do no-
Aviso
Roga se a pessoa que achou um escrpto de pra-
ca dentro de um Duina de Pernambuco, j com a
cerlidao do porleiro de nao ter apparecido lacea-
dor ao bem que devia ser arrematado pelo juizo
da 1" vara, escrivo Baptista, o favor de ir levar
taberna de Antonio. Moreira liis, junto a fortaleza
das Cinco Ponas o. 49, qoe ser generosamente
recompensado.
AVISO.
ras da tarde, segu o vapor Pa-
raAj/6n,commandante Martins, pa-
ra os portos indicados. Recebe-se
_____. carga al o dia 29. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro* frete at 2 horas
da tarde ;do dia da sahida : escriptorio no For-
te do Mattos n. 1._______________ _____
Para Liverpool com escala por Lisboa o va-
por inglez Saladin pretende sahir sabbado de
abril; para passageiroi, fretes, etc., a entender-se
cora seos consigoaiarios Saooders Brothers & C,
no largo do Corpo Santo n. 11. Frete de peda
para Liverpool 1|2 0/0 para Londres entregue no
barco de Inglaterra 5|8 0/0
THEATRO
DE
S. ISABEL
EMPREZA-COIMBRA
3.a recita 44 signatura.
Sabbado i' de abril de 1865
Rep.resequr-se-ha o ato?s#nie drama em 4
ua igreja dos religiosos iran iscanos-
Por ordem da mesa regedora convido a todos os
nosses irmos para comparecerera na sexia-feira
31 do correte pelas 3 horas da tarde em o nosso
consistorio, afim de encorporados acompanharmos
a procisso do Senhor dos Passos que tem de sahir
da igreja do Carmo para a matriz do Corpo Santo.
O secretario,
Joo Walfredo de Medeiros.
Eseola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professora parti-
cular de inslrurco primaria, competentemente au-
torizada pela directora da instrueco publica,
, .. i i ii I abri soa aula na ra Direita n. 60, segundo andar.
Leilo do casco do brigu. inglez Reto I-------------------j^----------------
of Ihe Eie. j Precisa-se de urna ama para servico iute-no de
i O ai/ uma casa que seja bnacosinheira e que possa fa-
Sexu-feira 31 de margo as ..'horas do dia i por- Z-er ass,4,en,;ia n mpsra casa,.diodo ioformacoes
IEII0ES.
O proprietario da casa da roa do Mondego em
qoe mornu o Sr. acadmico Antonio Jos Lopes Fi-
nio, tem urna carta para o mesmo senhor, qu po-
der fazer o favor de a mandar buscar na otaria
n. 13 na mesma roa, e entregar a resposta.____
Veneravel ordem lerceira de Nossa Se-
nhora do Carmo.
A' convite da irmandade do Senhor Bom Jess
dos Passos tem a veneravel ordem terceirt do Car-
mo de acompanhar a procisso do mesmo Senhor,
para cujo fim rogo a todos os charissimos irmos
qoeiram comparecer paramentados com seus ha-
em a nossa igreja as 3 horas da tarde do da
31 do corrente.
Secretaria 29 de margo de 1865.O secretario,
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
viciado e mais seis mezes de aviso sem haverem
feito as suas profissoes; e havendo a mesa rege-
dora deliberado que os ditos seis mezes de aviso se
principiassem a contar da data do presente para
aaoelles irmos, que, tendo feito a sua entrada
annos, aioda nao profe^earam aim co faz cons-
, tar afim de qoe jamis possam allegar igooraocia;
O abaixo assigoado faz sciente ao respeitavel (MB qUe) fiaao esse praz0, s serao admittidos
corpo do cemmercio que nesta data tem dissolvido profissocom a multa de 3008 por cada anno de-
a sociedade qoe tioha com o Sr. Antonio Ferreira 1 corrido depois delle, como estabelecido no final
da Cunha, na loja de fazendas da ra do Livra-1 ,j0 arl. g dos mesmos estatutos; sendo-lhes irapos-
mento n. 14, sob a Orma de Rosa & Cunha, lican- u a pena ,j0 an. io no caso de fallecerem sem ha-
do o abaixo assignado a cirgo do activo e passivo I verem professado.
da mesma. Recife, 28 de margo de 1865.Olympio Secretaria da veneravel ordem tereeira do Car-
Gongalves Rosa. | mo, 24 demargo de 1865.
Aluga-se urna sala do primeiro andar da cas
da ra do Queimadj n. 41 : a tratar ua mesma.
Precisa-se de urna ama que en?omme e co-
zinhe : a tratar na roa da Cadeia do Recife n. 40,
loja de relojoeiro.
O. da Cmara, sendo comraissioado
por urna grande fabrica de ornamentos
de igreja, em Pars, avisa aos reverendos
vigarios e irmandades desta e mais pro-
vincias, que pode prover-lhes no s dos
ditos artigos, como tambem de ootros
queesquer pertencentes ao culto catholi-
co. A qualidade e medicidade do prego
de taes artigos, qne serao vendidos aqui
ao prego da fabrica, offerecem immensa
vantagem como se poder apreciar dos
pregos ixos em cathalogos que podero
ser procurados na ra da Croz n. 34, pri-
meiro andar.
%
Aluga-se urna casa cora duas salas e tres
quartos grandes, coznha fra, cacimba, e nm pe-
queo quintal e porto, na ra da Conquista, na
Soledade : a tratar na ra da Cadeia do Recife
n. 3, ou na ra da Esperanga n. 85.
Carlos Daumerie precisa de officiaes de alfaiate
para casaca e paletot, paga melhor qoe em ootra
qoalqoer parte : na roa da Cadeia o. 26, esquloa I
do becco Largo, primeiro aodar.
O secretario,
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Attencdu.
Terga-eira 28 do correte mez desappareceo
I da ra do Crespo um cavallo com os signaos se-
| guintes : rugo, s tem um ferro do lado direito e
omaferidana sarnelha : quem achar queira en-
| regar na ra de Caldeireiro n. 42, que ser gra-
tincado.__________
Irmandade acadmica de Nossa Senhora do
Bom Consellio.
Por deliberago da mesa administrativa da ir-
mandade acadmica de Nossa Senhora do Bom
Conselho sao convidados todos os irmos para
comparecerera na sexu-feira 31 do corrente, pelas
, 3 horas da Urde, no consistorio da dita irmanda-
de afim de, em comraunldade acompanharem a
Hontem pelas 11 horas da manhaa nma mulher' procisso do Senhor Bom Jess dos Passos.
semi-branca com vestido de chiu cabocla, entrn Comisiono da irmandade acadmica do Nossa
na casa n. 22 do pateo do Carmo e achando dis-' Senhora do Bom Conselho 28 de margo de 1865.
trahida a dona da casa, rooboo um relogio de pra-1 O secretario.
U honsonul cora o n. 19119, estando este eom a I Augusto de Araujo Santos.
Irmandade do Divino Espirito Santo erecta I corda e o vidro quebrados, assim como urna cor-1 precisa ss saber onde se acha morando oo
rente de .enrod 18 qni lates, pesando 11 oitavas : | 8er procurada a Sra. D. Thereza Coelhda
roga se a polica a apprehenjao dos ditos objectos, ^j|va morou na rua do s Francseo n. 54 pa-
epedese aos senhores ourivesa mesma apprehen- ra ^.|0 de sea ,Bteresge.
sao, dingindo se, qualquer que der noticia, ao pa-1 .. ,.
teodo Carmo n. 22. Precisa-se de um caixeiro al a idade de lo
annos : na rua do Raogel n. 8. deposito^_______
Houho.
u da Associacao Commercial,
os pretendentes podero desde j examinarem no
s o casco com o resto da carga all existente, de-
vendo comparecer ao leilo no dia e hora cima
dito.
de seu comprtamelo : podera' se dirigir a rua
Nova o. 20, que achara'-com quem traUr.
Manoel Francisco da Silva declara que ne-
nhum effeito tem o annuncio qne sahio no dia 30
do corrente a respeito do negocio, que rontrahio
com o Sr. Caetano LeinMas da Gama Dnarte, di
Leilat de movis, eSCraVOS e CrySlaeS toja deealgado da roa do Livramento o. 33 e para
constar assigao-me.
Manoel Francisco da Silva.
SexU-feira 31 do correle as 11 horas.
Sem limites.
Cordeiro Simoes (ara leilo de moveic novos
Caetano Lenidas da Gama Duarte declara
6 [ que vendeu a soa loja da rua do Livramento ao
usados, 2 machinas para costura, 1 machioa para Sr_ Francisc9 a.e Paula Pnl0 e na0 a0 Sr. Manoe|
al.mpar facas, camas de ferro, e outros .objectos; Francisco da Sila como por engao sahio no Dio-
de costo, 'riode 30do corrente.
Na mesma occasiao^'enoera urna escrava com i ------------;--------------------------
cria no armazem ruada Cruz n. 57. O Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga de-
gr------------------------;------------------. clara que nada deve a pessoa alguma, mais se al-
LflIaO dC lima Casa meiaagiacni CUaOS |goem sejulgar seu credor pode apresenUr suas
eonUs para ser pago immediatamente, certo de
que seus procuradores nao pagarlo conta alguma
em sua ausencia.
proprios sila na rua do Pbarol n. 66
Sabbado 1* de abril prximo futuro as 12 horas.
Cordeiro Simoes fara leilao da meia agua cima
com um quarto e dais salas etc. Ser effectua-
e o leilo ao armazem rua da Croz o, 57-
AflA
Precisa-se de urna ama que compre e cozinhe,
para casa de muito pouca familia: na rua impe-
rial n. 36.
Leilo de dividas
Segunda feir 3 de abril.
O agente Pinto far leilo a requer ment dos
administradores da massa fallida de Gaimares &
lrmao e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz espe-
cial do commercio, das dividas activas da mesma' comprar e "cozinhar : "narua
massa na importancia de 13:312^660 rs., Isto as mern 14.
10 1|2 horas do dia cima dito em sea escriptorio i -
a rua da Cruz n. 38.
Ama
Precisa-se de urna ama forra ou escrava para
do Livramento na-
Precisa-se de nma ama para todo servigo de
nma casa : na rua da Concordia n. 65.
Veneravel ordem tereeira de S- Fran-
cisco do Recife.
O irrnao secretario, abaixo assignado, em nome da
mesa regedora convida a todos sous charissimos
irmos a comparecerem pelas 2 horas da tarde do
dia sexu-feira 3< do corrente na igreja da mesma
veneravel ordem, paramentados d seas hbitos, | Precisa se de
paraem commnnidade acompanharmos a precis- Florentina n. 18.
sao do Senhor Bom Jess dos Passos. Secretaria
28 de margo de r865.O secretario,
Francisco Jos dos Passos Guiraares.
Caetano Lenidas Gama Duarle vendeu a sua
casa de negocio que tlnba no paleo do Livramento
n. 33 a Mane el Francisco da Silva, no dia 20 do
corrente, tirando desta data em diante desobrigado
de qualquer duvida que haja. Recife 29 de mar-
go de 1865.__
om cosinheiro: na rua da
Precisa-se de tres amansadores de padaria :
a tratar na ma da Senzala Nova n. 30, padaria.
Avia
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua da
Cadeia do Recife n. 55, proprio para escriptone 011
residencia : a tratar na rua da Gloria n. 69
Aluga-se a alguma familia urna mula'a moga,
a qual lava, eogomma, cozinha, e tem mais habili-
dades : quem a pretender dirija-se a rua da Au-
rora o. 10, segundo andar.
Precisa-se alugar dous escravos: a tratar na
rua do Brum, fabrica de sabo
Precisa-se de um caixeiro peijueno e que
i tenha praiica de taberna e d conhecimento a sua
' conducta : na rua da Praia n 62.
actos
Led5o de urna casa terrea.
Segunda-felra 3 de "abril.
O agente Pinto levara' a leilao por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz de or?hos em virtude do
I remjereo Mant-ef Pereira Lupa, tutor da menor i escrava.
AMA
Na rua da Cadeia do Recife n. 50 precisa-se de i
que J urna ama para cozinhar e comparr, preferindp,s I
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portuense, e na ausen-
cia do Sr. Joaqoim da Silva Castro, saca
eflectivamenle por todos os paquetes so-
bre as pragas de Lisboa e Porto, e mais
lugares do reino, por qualquer soturna
vista e a prazo; podendo, os qae tomaren
saques a prazo, receberem avista, no mes-
mo Banco, desconundo 4 0)0 ao anno :
na loja de chapeos da rua do Crespo n. 6,
ou na rua do imperador n. 63, segundo
andar.Jos Joaqoim da .Costa Miia.
Irmandade das almas da matris da
Boa-Vista.
Por antorisacao do irmao juiz eonvido 1 todos os
nossos irmos afim de comparecerem na consisto-
rio da mesma irmandade domingo 2 de abril, pelas
2 1|2 boros da tarde, afim de encorporados, acom-
panharmos a procisso do Senhor Bom Jess da
Cruz qoe tem de sahir da igreja Jo Rosario, pira
a qual tomos cenvldados.O escrivo,
tSllva Janfor.
Testamentos.
Acabara de sahir luz os da hyenaedo
gatto, esto venda, juntamente com os ou-
tros j annuciados, ao preco de 160 ris ca-
da um : na ruado Imperador n. 15, enca-
derna,c3o defronte do convento de S Fran-
cisco.
Na offleina de encadernacao da rua do
Imperador n. 13 d fronte de S Francisco,
precisa-se de dous ou tres mocos que quei-
ram aprehender a arte, urna vez que sejam
moral isados.
Precisa se do um oflicial de s.pa'eiro, e este
que queira ir para Macei : a tratar na rua estrei-
', U do Rosrrio n. 4.
Na rua dos Martyrosc. 2. 'primeiro andar,
precisi-se de urna ama com bom leite.
Alfl*
Precisa-se de nma mulher de meia idade que
saiba cozinhar com perfoigo e limpeza, e fazer to-
do o mais servigo de urna casi, sendo fiel e dando
Canga de sua boa condneta, para tomar conta da
casa de um homem solteiro: na "rua da Impera-
trz n. 6, terceiro andar, se dir quem pretende.
Criado ou criada
Precisa-se de urna pessoa livre ou escrava para
o servico de ama casa de familia : a tratar na rua
do Imperador n. 17, primeiro andar, defronte da
igreja deS. Francisco, das 11 horas da manha as
3 da Urde.
Preclsa-se de dous amassadores de padaria
para fra da cidade ; a tratar era Olinda com Luiz
jos? Piqto da Cosu.
Consultorio medieo-cirurgire na
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressaudo a sna
casa, contina em o exercicio de sua profisso no-
s na parte medica como tambem na cirnrgica.
Espirito Santo do Colkgio
Por deliberago da mesa regedora dd Divino Es-
pirito Santo do Collegio sao convidados todos os-
irmaos da mesma irmandade comparecerem em
a nossa igreja sexla-fcira 31 do corrente, as 3 ho-
ras da tarde, afim de encorporados, acompanhar-
mos a procisso do Senhor dos Passos para a sua
igreja, para cojo lira fomos convidados pela res-
pectiva irmandade.O escrivo,
__________Manoel Luiz da Veiga.
Quera precisar de urna ama para casa de
pouca familia, dirija se a rua Augusta n. 83.
Aluga-se um sitio na rua do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada e margem do rio Beberrbe, com rom-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para sustenta-lo, arvoredos deruc-
tos, sem visinho defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a fesla e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livrara ns. G e 8 da pra-
ca da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capito Antonio Bernardo
Ferreira.
Est para alngar-se urna casa terrea na rua
da Gloria n. 14, um 1 e 2* andar de nm sobrade
na rua do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agna na estradi de Joao
de Barros, com arvoredos, agua de beber,e porto
para o becco do Hombal : qoem pretender falle
narria das Cruzes, sobrado o. 9, das 9 horas da
manhaa at ao meio dia._________
A quem interessar
O abaixo assignado solicita pel polica em ge-
ral qualquer pretengao como : passaporles, porta-
ras, apprehencoes de quaesqner objectos; pela
presidencia portaras, passaportes, patentes de of-
ficiaes da guarda nacional e outras quaesqner in-
cumbencias ;pelas repartigdes flseaes desembara-
zo de terrenos de marraba e de estabelecimentrs
qne por engao bu ignorancia de seus proprieto-
rios estejam snjeitos ao rigor de 0sc; pela capi-
taniado porto matriculas de carplnteiros. calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser pnmurado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio -Lor-p
Braga, rua da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ma do Collegio n. 67 do Sr An-
tonio Domincues Ferreira, e em S. Jos roa Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Paranhos.
________ Joaquim Jos dos Santos Barrica.
Samuel Power JolTsUi 4 ComNilr
Ruada Senzala]fcrta n. 4.
AGENCIA DA
rundido deiLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho, 1
Arreiosd; carro para orne doos cavallo?.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Os administradores da massa fallida de Ame
rim, Fragoso, Santos & C. declaran) qne o paga-
mento do l* dividendo de 5 0/0 j annnnciado por
vezes, ter lugar somente al o dia 31 do corren-
te, e depois desse dia depositarlo as qnantias per-
tencentes qnelles senhores credores que no se
apresentarem no praso marcado.
i


Otarte Je peruahm-- *ta lelr.St Jr Haree de !.
-V
.''
Sfc
0 solicitador Burgos Ponce de Len, jKg
; tem seu escriplorio bo sobrado 4o caes 1
d j Ramos, aonde amigamente Mi a ty- |
pographia do Rema e eoilegio 4a Auro-
ra, ah osla elle at as 9 horas da ma-
l hia e das 4" horas da larda en diante,
eadoquo das 9 as 4 horas, pode ser en-
K contrado as salas das audiencias.
ISISmHS flSflilHHMl MH9I
Club Pernambucano.
Os sales do club estao a disposicao dos Srs.
socios e suas familias <|ue quizerem ver a procis-
sao do Senhor Bom Jess dos Passos.
RA LVKtiA IIO
Rosario n. .
O proprietario do hotel Travlaia, achando-se de
novo ein seu estabelecimenlo, e lendo feito oelle
muiios melhoramentos, convida a seus mu dislinc-
tos freguezes, que se dignem de hnralo com suas
presencas ; offerecendose-lhcs para remetler co-
mida as suas casas com toda promptidao e asseio
pelo prego raais coramodo possivel: no mesmo es-
tabelecimento ha buhares, sorvetee refrescos.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Anda contina por alugar o sotao do so-
brado n. 62 da ra da Guia, que equivale a um
tereeiro andar por ter 2 janellas de frente, 2 salas,
6 quartos e urna grande cosinha, o qual acha-se
pintado de novo, e aluga-se barato: a tratar no
primeiro andar com o seu proprietario o bacharel
Francisco Luiz Correia de Andrade.___________
TAiU Hi
Nosamiazens n- i2 c 24 do caes 22 de
Nebenbro,
Por prego barato, muito barato, e baratis-
simo de mais, pranxoes de pinho, de 8 a 11
pollegadas de largura, de 3 a 4 de grossura
com differentes comprmenlos, .c serrados a
tontade do comprador. Taboas de 1 polle-
ga de grossura, e 20 de largura, proprias
para mesas de jamar, ou de engommar,
conforme o freguez e a quantidade que eli
comprar, dr-se-ha 8 mezes de prazo.
Approveitem o ensejo, que nem sempre,
as praias do Rio Grande do Norte, ver-se-
lio abarrotadas de pinho naufragado, para
abastecer o mercado desta cidade com pinho
e muito pinho.
Sitio para alugar
Aluga se um dos melbores sitios, niio so pela
ptima casa de vivenda como por ter excedentes
baixas de capim e commodos para vaccas, alem
de innmeros arvoredos de fructj : quem o pre-
tender, dirija se ao primeiro sitio do lado esquer-
do, passando a capella dos Affllctos.____________
Vaccina publica.
As possoas que precisareis raccinar-se dererao
comparecer no terreao da alfandega as quintas e
domingos das 8 as 10 horas da manha, para apro-
veilar-se a transmisso do Buido de braco a br ac
Ha para vender
Pinho, pinho, mais pinho, muito pinho,
pijuuo, roa da Praia, hoje, roa Nova
d Sania Rita n. 47.
78910 e 11 pollegedas de largura
De 10 a 33 palmos de comprid, cousa
muito boa e barata, e com todas as gros-
suras : cheguem ra Nova de Santa Hita
h. 17, serrara-do Jos F. Coelho.
XARPE
deLABELONYE
Impraiado con hiTaravel succeaio desde 30 annoi
yeto* Nadie** de todo* o* paites contra as molestias
rganieas en nio orgnicas do coraca, as diversa* hy-
dr*pisiai a maior par* das molestias do peito dea
rooehios (j>**vMnM, cttarrhoi pulmonares, tithmat.
in/Umma(it ntrtoiat doffirtncXiot, ettarrheirtu, e/e...)
O xARen de i. abei.onye nao se vende sent .
garrafas com rotulas de cor t fechadas com urna chapa
letando a firma de inventor.
* r-AMa, ras nrban-VllleneaTe, ) S.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
Casas terreas.
Vendem-se quatro casas terreas, na Soledade,
sendo tres confrontes ao oitao da igreja, e urna
no principio da estrada de Joo de Barros, reedi-
ficada- ha pouce, esfaltadas, de porta e janella, 2
salas, 2 quartos, cozinha fra, quintal e cacimba,
etc. sao de ns. 9, II e 13 ; e urna confronte ao
quarlel do quarto batalhao, u. 21, i om as mesmas
coiiimoJidades : a tratar na ra dos Pires n. 62.
Vndese um bom quarto grande e ferte
para carga : em Santo Amaro, sobrado Junto ao
cemiterio inglez.
Francisco Jos Germano
RIJA MOYA X. *I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lmelos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
COMPRAS.
Compram se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fcrr ira Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.________________
Na ra da Cruz n. 33 compram-se cdulas
das caixas filiaes das provincias e do banco do
Brasil com descont razoavel.
Compra-te um mulalinbo de 10 a 12 annos
que seja sadio e tenlia boa finura : na ra do Im-
perador D. 46.
Compra-se ouro e prata em obras velhas.pa
ga-se bem: na loj& de bilhetes da Praca da Inde-
pendencia n. 22.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
onras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, leja de ourives.
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
moco, robnsto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da ra da Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve
Iho : na fundicao da Aurora, cm Santo Amaro.
Compra-se ou aluga-se um escravo que sirva
para todo o servico : a tratar na ra da Coneor-
dia n. 64, padaria dogaz. ^^^
Jornaes para embrulho
Compra-se a 140 rs. a libra : na antiga fabrica
de cigarros, ra dos Quarteis n. 21.________
Lina car-roca para cavallo.
Quem tiver e qnizer negociar annuncie, ou ap-
pareca na roa do Livramento n. 38.
C mpra-se um escravo de naco que tenha
30annos, pouco mais ou meaos, que sirva para
servico de ra : na ra da Guia n. 9.__________
Comprase urna raobilia de amarello com
pouco uso: no principio do Corredor do Bispo,
nona casa do lado esqnerdo.___________________
Compram-se libras sterlinas e descontaro-se
notas do banco do Brasil e das caixas filiaes : na
pra^a da Independencia n. 21.________________
f"Compra-se cobre, lato e chumbo : no ar-
mazem da bola amarella no oitao da secretaria de
olicia.
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de ahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da pra^a da Independencia,
Instruyes para o servico
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamenlo. de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-so na livraria n. 6e
8 da praca da Ind pendencia, a 15.
O MSTIUO DE GBASYILLE
Traluzido ,'de fraaeez per A. J. G. 4a Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 2fj00
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Cokc dogaz.
pilch do gaz.
Aleatro do gaz
Coke tonelladas rs. lOdOOO
Pitch ..... 80000
Alcatrao caada..... 400
O coke reconhecidamente o earvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavcl, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozlnhas aonde
elle usado.' Pitch e alcatrao, alm das applicacoes
diversas a que se prestara, como para callafetar
embarcacoes, alcatroar madeiras, etc., teem este a
prepriedade de preservar do cupim, formigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a ventado do
comprador.
Na ra da Cruz n. 38, em casa de Mills Rat-
teau A C, vende-se:
Cha. i
Oleo de lindara.
Folhas deFiadre.
Silins e silhes inglezes. '
Cerveja Aspinall.
Dita Bass.
Di la John JefTres & C.
Un piano com pouco u?o.
,_________________________________________ i
Claudio Dubenx vende os seus es'abeleci-
mentos de mnibus e carros, montados como estao,
ou em partes separadas, vista dos comprado, es :
faz todo o negocio a praso ou a dinheiro, e vende
muito cm conta, contanto que rcalise a venda
total.
------------------------------------.---------------------------------- i
Vende-se
orna porcao de doce secco e de calda, caj, laran-
ja, gela e grozella, por preco commodo : a tratar
no largo do Carino n. 2, taberna. i
PROPRIO PAR V SENIORA. |
Vende-se um excellctile cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares : na co-
cheia do Paulino, rua de Santo Amaro.
| Interpreaca das leis,
POR
Crrela Tclles.
Na livraria aa praca da Independr.cia ns. 6 e
8 vende se por 2oC0 a ibeoria da inlerpretacao
das leis por Cerreia Telles.
Oleo ele Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservarao dos cabel-
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Monlmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e claro, e un-
cir prateado da casa. 6 reputado falso.
Deposito roa do Imperador pharmacia n. 38.
Vende-se urna mobilia de amarello usada;
a tratar na ra Velha n. 49.
Vendem se jarros vidrados vindos de Marse
Iba, proprios para agua, farinha, e mesmo para
deposite de doce de calda : na i ua do Trapicha
Novo n. 24, achara com quem tratar
Vende-se um escravo de idade de 20 annos,
pouco mais ou menoj, robusto e bonita figure: na
livraria ecommica junto ao arco de Santo An-
tonio. _______________
No escriptorio de Palmeira fi Beltro, largo
doO>rpo Santo n. 4, vende-se o seguinte :
Farello de Lisboa em sarcos grandes.
Toros o> Jacaranda.
Coacervas inglezas em frascos modernos.
Vinho do Porto tino em barr*.
Sement em latas de i libra mui'o superior.
Chocolate especial marauhense.
Farinha de mandioca da Bahia muito sova em
saceos de 2 alqueires omito bem medidos.
Varmoulhem caixas de I duzia.
Fcijo mulalinbo.
Vendes* r.uperl* feijSo mnlatinho da ierra :
na ra da Madre de Dos, no armazem junto a
mesma igreja.
Veode-se o sobrad de um andar n. 93 da ra
Imperial, a casa terrea n. 91 da mesma ra, e a
de d. 12 da ra da Mangueira da Boa Vista, tudo
por preco commod* : a trat.r, ou em Ollnda, ra
de S. Bento, com o promotor publico, ou no Med-
ie, ra do Livramento n. 39, com Pedro Alexandri-
no do Amparo.
Attengao.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater C. ra
do Vigario n. 3.
IIYjfINOS
Acham-se a venda os hymnos dos voluntarios
da patria da provincia de Pernarakaco, e o hymno
dos voluntarios de Henrique* de Pernpmbnco, e a
historia sagrada por Roymonl, em um livro bem
encadernado : na roa do Imperador n. 15 defren-
te de 8. Francisco._________
Vende-se nma taberna propria para princi-
piante, faz-se om negocio vantajojo ao comprador:
a tratar oa roa i* Gafa n. 12.
NOVO K1VAL.
' LOJA OE MIUDEZAS
16RA I> QUfilMADO16
Knfcite de C'beca
Mara, acabam de chegar pelo ultimo vapor fran-
cez os mais modernos enfeites de caheea a Maria,
os quaes se vendem muito em coma, a 25, 3-3, i-S,
$, 6$, 1, e 8*.
Cascarrilhas.
Bonitas cascarrilhas de seda preta e de cores,
e com differentes larguras, a 15, IJ280, e 1500 a
peca. <
Ditas com duas cores, e de todas as cores dille-
rentes larguras, a l500 e 1,5800 a peca.
Ditas ditas de laa com differentes cores a I<5 e
15280 a peca.
Fitas.
Riquissimas fitas de grosdenaple lavrado, boni-
tos gustos e de lindas cores de 3, 4, e 5 dedos de
largura, a \i, 15280, e 15o00 a vara.
Ditas ditas de sarja lisa de todas as cores e de
varias larguras, a 400, 500, 600, 15 e 15280.
Pecas ditas de sarja muito esireitinha para en-
feitar toucas, a 600.
Varas de fita do gaz de todas as cores e 1 avra-
das de 2, 3, 4 e o dedos de largura, a 200, 240,
300, 400 e 300.
P^as grandes de tranca de laa, a 240.
Varas de fila de laa de todas as cores para de-
brum de vestido, a 100.
Bico prete.
Bonitos bicos pretos de seda jo-to muito moder-
nos, a 160, 240, 320, 400, 500, 640, 800 e 15-
Ditos ditos de linho, a iOO, 160 e 00.
Labyrinthos
de chroch imitaco dos da trra de dous dedos
at um palmo de largura, a 15, 15280, 15600, 25,
25300, 35, 35500, 55000 e 75000 a peca com dez
varas.
Luvas de Jouvd.
Brancas, pretas, cor de canna e todas as cores,
para homens e para senhora, por 25500.
Duas pretas de seda, para homens e para senho-
ra por 25
Ditas gretas de Jouvin, para homens e para se-
nhora, .oriiin na-, sao frescas, a 500.
Sialos e livclas,
Riquissimos sintos pretos e largos com fivelas
pretas e grandes, a 35 e '>&.
Ditos ditos pretos e bordados a ouro muito lar-
gos e com fivelas grandes a 55-
Riquissimas fivellas para sintos dos gostos mais
modernos que tem apparecido, a 15500, 25, 35,
45 e 55; sao as fivelas mais bonitas que tem viu-
do a esta praca.
Alfinetcs de peito.
Riquissimos alfinetes cravejados de pedrinhas e
madrer erla do mais apurado gosto, a 15, 15280.
15600 e 25-
Leqaes de Sndalo.
Bonitos leqnes de Sndalo de muito gosto, a 55,
65, 75 e 8$.
Correnles de relogio,
Pretas e de muito gosto, a 15280, 25 e 25500.
AlttHDS.
Para 12 retratos, 15600 e 15800.
Ditos para 20 retratos, 25 e 25200.
Ditos para 100 retratos, 65, 155 e 205.
Ditos de veludo para 50 retratos, 65-
Ditos ditos para 100 retratos, 85-
Varios olijectos.
Escovas para denles, 160, 320 e 500.
Ditas para cabello. 600, 800 e 15280.
Ditas de roupa, 800 e 15-
Correnies preta para relogio, 15 e 25-
Eniadores deespartllho, 60 e 120.
Varas de galo branco lavrado, 80.
Varas de fita de retroz preto, 120.
Bonecas grandes vestidas, 800.
Ditas que^boram, a 160, 800 e 15280.
Alfinetes pretos para peito, 45. 15300 e 25-
Rosetas pretas, 15,15500 e 25
Pulseiras de continhas, 500 e 600.
Ditas de aljfar, 15, 15500, 25 c 25500.
Vollas pretas grandes, 15500.
Penlcs pretos, 5500 e. 25-
Bonitas cruzes com pedrinhas, 15 <- 156^0-
Perfumaras,
Garrafas de agua Florida, 15280.
Garrafas graudes d'agua de Colonia, 15400,
15600 e 2*.
Frasiuinhos de dita, a 400, 500 c 800.
Ditos de Sndalo, a 15 e 15300.
Ditos de oleo pheiocome, a 800.
Frascos com banha franceza, a 400 e 800.
Ditos com banha e extracto, a IJ.
Copos com banha franceza, a 15200 e 15400.
Caixinhas de p d'arroz. a 600 e 15-
Sabonetes de bolla, a 360.
CIMENTO
Francez barrica f>$>00
Portland barrica 8J500.
No trapchi'barao do Livramento ajees
d'Apollo.

a*rt <
O
1
DE
Potassa da Rnssia.
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira po-
tassa daltussia, e vende-se a preco commodo: no
escriptorio de Manoel Ignacio de Oiiveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
Atten$to.
Loureiro Santos & C, acabam de receber da Eu-
ropa pelo vapor, um lindo sortimento de enfeites
pretos, proprios para a quaresma, enfeites anda
niio vistos em ernambuco, pelo preco de 55, 6J>,
105, 12> e 200, bem como grosdenaples preto, mo-
reantiq, capas de grosdenaples, e soulbambarqaes
de mesmo ; tudo por preeos mdicos : ra do
Crespo n. 14, junto a loja de louoa.
Fago do ar
Vende-se orj do ar a 19300 a duzia : na ra
mperial n. 249.
Attenco
Vende-se panno azul proprio para fardamen-
lo : na ra da Cadeia n. 52,
Fogo do ar
Valdi vino da pol vora vende bom fogo do ar a 15300
* duzia, neseu armazem de sal da ra Imperial
n. 221.
Vende-se um bom escravo moco e muito ci-
vilisado para lodo o servico domestido, para o que
tem muita pratica : nXrua da Cruz n. 3t, primei-
ro andar. Na mesma casa necessila-*e de urna
ama. N
Vende-se urna mobilia de amarello, usada :
a tratar na ra Velha n. 49.
Antonio Duarte Carneiro Vianna scientifica ao
respeitavel publico, e especialmente aos seus nu-
merosos [reguezes, que acaba de abrir um novo
estabeleciineuto na casa n. 22 da ra Nova, sita
da entre o seu aniigo armazem de ferragens e a sua
bem conhecida e popular loja da exposicao de can-
dieiros a gaz, existindo entre as tres casas espa-
Cosas communicacSes, de maneira qne facilitan) aos
compradores inunirem-se commodamente dos oh-
jectos diversos de qne precisarero. Alm do eos-
tomado e variado sortimento, que o respeitavel pu-
blico sempre encontrou, e continua a encontrar no*
seusestabelecimentos, achara no que acabado fran-
quear urna multidc de objeclos de luxo, gosto e
utilidade, das mais afamadas fabricas de Franca,
Inglaterra e Allemanha, para as quaes continuar
sempre a faz. r encommendas especiaes; e sendo,
como fastidioso numerar os muito e variados
artigos de cutellana, lapecaria, cristalaria, de me-
taes linos, de porcellanas, etc., etc., deixa de o fa-
zer, e convida ao mesmo publico, qne venda visi-
ar ns seus mencionados estabelefimentos.
r RA DO CRESPO
Loja n. 9 a,
tem para vender bicos da ierra Unos e fronhas de
labyrintho muito ricas
Amigos do lanche.
Vendes"'! a mufto aprecia ve I cerveja Bass a 200
rs. o copo, tfieljo snisso a 500 rs. a libra, cominho
aovo a 75 a ai .'Obi no armazem Gerente, roa do
Imperador d 14. I
Cerveja a 200 rs.
Chegou ao armazem Aiung, ra do Imperador
n. 57 a suptriji cerveja bass em barril, que se
vende a 200 rs. o copo.
FABIUCACE
PIOXKMAS MAQIT
PARA MARCAR
PAPIL COMAS MITRAS
E CATO IS r>E VE2ITAS
PASCK Si CARTAS
ARA LACRf CRFlkl. I. TINTA
-Na raa do Aragio iiTT
AZEVEDO a FLORES
Ra da Odeia do Iteeife, esquina da Muir de Deas.
Prestern attenco ao discurso do Baldo.
rs. a v.i..i.
Moreantique superior a 2u00 o covado.
Grosdenaple de I #600, 15800, 20 e 3A.
Balocs de 20, 25 e 30 arcos a 3 e J500.
dem para meninas de arcos e de morselina.-
Chales pretos de Al do ultimo gosto. %
Laa preta para luto e de todas as n.ais cores.
dem com assento preto e cor de caf, flores matizadas, l'azenda inteiramente
nova vista se far o preco.
Vestidos a Maria Pia. os mais novos a 180000.
Chitas largas de 300 rs. o covado a 500.
Lene- s brancos a 20500, idem de esguiao j embanliados.
Madapoles francezes proprios para saias e camisas de seahoras a 500
dem muito finos de 140 a 160 a pega.
Cambraias brancas muito finas a 50 a peca.
Chales escuros proprios para as senhoras trazercm por casa 40.
Meias cruas inglezas a 80 a duzia.
ROITPA FEITA.
Paletos de alpaka brancos muito finos a 40500 e o0.
dem de casemira de cores de 100, 110 e 120.
Calcas de casemira pretas e de cores de 70, 80,100 e 120.
dem de brim branco de 40, 40500 e 50.
Colletes de casemira pretos e de cores de 40, 50 e P.
dem brancos de brim e frutas d 3 20, 205CO e 30.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o_ preco,
dem peitos de linho, e de algodao de 20 a 50.
Seroulas de linho com duas costuras.
dem de esguio de algodo a 10600.
Colleirinbos de linbo inglezes.
dem de papel de cores.
Camisas de flanell i de cores de 33 a 60. .
H;t muitas outras fazendas que se vendem por preces muito baratos, do-c
amostras com penhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do
sa pamllia de Ayer
I'AIIA A CURA DA
ESCROFU&A.
e todas as molesitaas
proveo lentes !e L;\
totlufc as molestia da
pelle
eberoipeas, fumorrs, ulceras,
samas,
nascidas, eni|iii REUMATISMO
SYI'fillXIS
em ludas as suas lrmas, assim como ludo
" mal que provm do uso excessivr rJo
MERCURIO
i leciavo do ligado
e em summa todos os males que tem sua
ori|em na
IMPUREZA DO SANCUE
um alterante poderoso para a
RENOVACO DO SA.NGIE
'. para dar nova forca e vigor ao corpo ,i
enfraqaeoido pela doenca.
Vende-se na ra Direila ns. 12 e 76 i
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia f ranceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
Irritadlo dos pulmoes. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou gario--
tilho, catarro, rouquidfio
e todas as innumeravei molestias que affee-
lo aos orgos da respirarlo
DEKAPPAHECi:
mediante a aceito da balsmica e irreeistive! .
ANACAHUITA
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de mellior gosto em
Pernambuco.
dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatrtz Eugenia.
,Idem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 3?>500, 4(5, 50, 60,
70 c 80 o covade
Superior gorguro de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda.
dem preta hesianhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,.205OO, 30,
30500, 4 5, 40500 e 50.
Pannos pretos de snperi >r qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lidos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretus de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidde nt lt ja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successorrs
de Jos Morei a Lopes.
MAMAS DEPaTENT
de trabalkar \ u ;" i-:ir:
PEITORAL de MI
a anacahuite mexicana que d o nomc es-
pecial este incomparavel remedio, nma
arvdre, cujd madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tana-
bem ensaada e approvada pola aradenus
medica de Berlira O peitoral de Kenip c
um xarope delicioso inteiramente )ivre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingro-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleuW
mentos pharmaceuticosdo imperio.
Vendem-se no Recife em casa de Caors
Barboza e Joo da C. Bravo C.
Bitas liiimlnirsiuc/as.
Tende-sf na ra Novan. 61. _^___
Wnde-fe arror. com casca a 3 |P^acca tic
r-O cuias : na ra ircita n. 9.
trabalbar De o
desearocar aSgodo
FABRICAPA5
Por Plant Brothers & C.
OUrAM
Estas machinai
poderadesearocar
tiialqner especii
de algodao sen
estragar o fio
sendo bastante
duas pessoas para
o traba Iho; pd
descarooar urna
arroba de algo
dao em carocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba
por dia on 5 ar-
robas de alpod-'
limpo.
Assim como machina; para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia-, e mutores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convidare aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.i7.
Sauuders Brolhers k t.
X. II, prava do Corpo Santo
^RECIPE.
Os nicos agentes nesto paii.__________
J) c. r. -5 C1 55 5C > > -
Vinho (Mares!
Acaba de chegar de Lisboa o su erior e
verdadeiro vinho de Collares, em caixa,
esta excel'ente quali lade de vinho torna-se
recommendavel, por nao conter espirito e
ter agradavel paladar, superior ao melh'r
Bordeanx, sendo aquella particularidade
apreciavel e til na prsenle estago calmo-
sa, emque osv nh'sagusrdentadfls se tor-
nam prejudiciaes: vende-se no deposito,
ra da Cadeia escriptorio dp Leal Reis.
Jume titos
Vende-se um lindo rasa! de jumento?, de bella
raga, grandes e novo?, proprio? para a conservacao
da mesma raca, e misamente, do que se colher
magnifico1 machos e mua? para carros e cargas,
cuja jumenta esl grvida ; a.'?im romo urna lin-
da jumcnlinha cem pouro n- ?nos de inri anno :
ver e tratar com Jos Pereira Ce?ar no sitio Pi-
rauuyra, arrabalde da villa do Limoeiro.
Pre^s que admira.
Sapalos de tranca superiores pelo barate preco
de 1 o par, c adiz 105 : no vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as largura?, i peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, oOO e 60
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de urna e duas carreira?
perfeilas, pelo barato prego de 40 e 60 rs. rada
cartao, e duzia a 400 e 500 r?.
Peotes para alar cabello, a duzia a if 200, 1 600,
ii, 3* 4 e 5*.
Balaios propriamente para costura e para fruc
tas,e para menina trazer no braco a 1J500, J600,
1*800, ti e 2*500.
Perfumara, macaca perola a 2*, 2*800, 3* e
4* a duzia, oleo de maezinba a 5* e 6* a duzia,
banha a 3*, 4* e ft* a duzia- Estes objectos se
vendem por admirareis preco? em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois alTanca-se a pouca arana e a toa qua-
lidade : s no galo vigilante, ra do Crespa n. 7.
.DROGARAN
31Ra!larga doRo8**o34
BarlIioloHicu Francisco jooza C.
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives1.
Papel para forrar casas.
GuarnicSesarelludadas.
Tinta brancasnperior em lata.
AlvaiadeVeneza. fino, em paes.
Vende-se um bonito molatinho de 12
annos, proprio para qualquer ser/ico; na
ra Nova n. 38, loja.
AGUA
da
DE
F lo r i
para reslabelecer e conservar a rr natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao orna llntnra, faotc es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a ror
primitiva de cabello. Compostas do planta.- exti-
cas e de substancias inoffnsire, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubrdade incontestavel, a asna de
Florida cntretem a lipipeza da rabera, destroe as
caspas e rmpede os cabellos de cahir.
2lll!tf|rf!l^|

|8
i 5
crSl" y-*
f. o
o -
a ce
35 i*
c
2 5
es
09 fH
'Ji
-
-
B=. -g-
3 e,g 3.
FF b
B
s
ct
V-
a
=r
=
o,"^ s
ffS8
P K,
o .
c"
u

en

-5
C
O
o
c

9*
AO Pl BUCO
Anda pinho t mais pinio !!!...........
O abaixo a?Mgtado um a honra de aci.ur.Mar
ao publico que abri um amiazan cem pinlio,
disposto a vender rom lo a SO 0/0 de Iccro. stride
este um negocio que simprc deixou seu? CO <'/0!
Por agora s se arba na ma nova de Santa Hila
n. 17, al se desocrupar um ou mais afMzrr-* no
caes 2 de Norenibro, para ne??a occasiao veirm
a barateza; mas por em qnantoveiihama roa r>-
va de Sama Rila n. 17. ver e remprar, a .n: t.
Cocino.
No armazem da viovr Paula Lopes, detrrnie lo
embargue na cscadinha, vendem-se ceblas as n^
Inores dn mercado, em caixa e cento, o nais b<"
rato possivel.
. Fazenas baratas
No armazem qne foi de Joaquim Francisco df
Alen*, largo da Assemblca n. I, venden se ib las
francezas, algodao prosso, estopa larga e lucos d*
chiur, tudo por preco muito commodo em n u~
qnencia de se arbarem molhados 'agna sa!(.(.
a mm k SACCA.
Feijao mulatinho novo
roa dos Quarteis n. 22.
a 12*, milho a -i* : na
Na ra Imperial" u. 62 rendem-se bo s para
carroca : qnem os pretender din'ja-se a ru anua
indicada, que achara com quem tratar.
Attevco
SVendem-se pegas de esleirs para forro di sala,'
tinta branca preparada a oleo, in lata? de S."l li-
bras, para pintar casa, relogios para .cima de lu-
sa e pira pende rar, arreios para l o 2 carritos,
velas de spermaeete, mdo de superior
vindo dos Estado? l'nido: no arvazen i
Trajichf d. 8.
qualWjHt
idan.n aW


m a i
TT
fu r-**7* -.


J

'
Marro de tVrna-kcV:'-*ctf> Telra SI de iiareo de 18G5
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS
MOLHADOS
1
li
Largo da Santa!
jjjCrui us. 12 e 84,|
Bsqoiaa da ra do|
Ceno.
VINHOS
ESPECIAES
Largo da. Santas.
gCruzns. 12 e 84jj
esquina da ra dolj
jCebo.
Rrlhini k J ra acreditados arraazens de molhados denominados Aurora
ni ri J receber de saa propria encommenda, muitos gneros delicados
piopno aa presente estacao, e tendo grandesortimenlo compradoaqui, aaca que to-
do* es seas gneros sao de primeira qualidade.
M seoUin'c tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
. Nenhum armazem vender mais barato, e melhore.*generos do que a Aurora
urilnaoic, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono seachar encor-
modado em sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o ootro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveiiar urna atiadra destas para se comprar
barato.
ata* com 8 libras de cliouricas muito novas
a 70300.
Ditas grandes cora peixe em postas inteiras,
mais de 12 quahdades, a 15000, 1280 e
13 iOO.
I D.tas com ostras, excellente petisco para fri-
i gideira, a 720 rs.
'Ditas com ervilbasnovas, ensopadas. a720rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
{Ditas com ameixas a 15200, 15800 e 35500.'
, Ditas com marmelada do afamado fabricante
fffy Abreu. a 880 rs.
rV'&D tas com massade tomate, a 500 rs.
Ojp i )i tas co m figos de comadre, novos, a 15500,
^ 25 e 35'iuO.
fwS Mtascom bolachioha de soda multo novas, a
JSJ Ditas com biscoitinhos inglezes de muitas qua-
Mft lidades, a 15i00.
Chocolate,
superior muito novo, a libra a
\ iiilin verde superior.
A caada a 35500 ea garrafa a 480 rs.
Gomuta.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
engommar, a arroba a 35900 e a libra
120 rs. j
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. {
Farinha. i
Saccas grandes com farinha de Goianna mu-.
to nova, a 55000.
Caf. ,
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,1
85500 e 95000.
Cha.
Cha, temos oestes gneros o melhor possivel,'
hvson, a libra a 200.
Dito pjrola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hvson muito lino a 2300.
Dito redondo a 25500.
Dito prelo de primeira qualidade a 25500.
Chocolate
15200.
*Tm*"***e alolria am3re"a'a libra Es<*
Di!o dito dita branca, a libra a 100 rs.
Caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
.sas, a caixa 35500.
' Ditas Jila era libras a 610 rs.
tod, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Krvilias seccas, a libra a 160 rs.
Oitat descascadas, a libra a 200 rs.
f Tapioca multo nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
> Arroz dj Maranhao, em sacco, a arroba a
25400 o a libra a 80 rs.
)Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
I traeiflih) de Lisboa a 9?500 a arroba e a 320
' rs. a libra.
Jilo de Santos, a arroba 75000 e a libra a
200 rs.
.'fillios com 125 ceblas grandes, a 1J280.
distarla franceza, caira com 2 duzia a
1 8*000.
frascos com mostarda proparada em vinagre,
FJJ a i 00 rs. f
unos com conservas inglezas e francezas, a
60 e800 rs.
tO'H a com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
1 Ditos com a verdadeira genebra de larania, a
1*000.
! Ditos de 2 garrafas de Ilollanda verdadeira, a
640 rs.
.Botija? c:m dita propria para negocio, a
[ 403 rs.
l'Jirrafoes com 2 galoes eom dita, a 65-
Serveji bji, marca, s 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 6?000.
'Vinho ranscatel de Setubal, a garrafa a 15.
Marrasqumlio verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 15200.
lhampagQe, a duzia 205000, e a garrafa a
25J00.
i Azeile refinado parluguez e francez, a garrafa
' a 15003.
laixi d.*. vinho Bordame muito superior, a
73, 8 3, 9 3 fl 105 a caixa.
i i>itas t- n dito branco, a 75 a caixi.
m Ditas cora dilo lacrimas do Douro verdadeiro,
% a 233.
B5Ditas con duque do Porto verdadeiro,*a
185)00.
D.tas com chamisso superior, ali5.
'Ditas co:o Porto velh) e outras muitas mar-
cas, a 125.
[Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
, e 800 rs~-
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
. W500 eHS, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das segulntes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
4J500, e a garrafa a 560 e 640 r*, deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotule do armazem.
Bitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
i da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
iDito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
a libra a 320 rs.
Esperraacete.
O masso com 6 vellas de espermacele a 600,
640 i 720 rs.
Passas.
Caixas da 15 e 8 libras de passas notas pro-
prias para mimos a 45 e 25500.
Nozes.
Xozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpisla e painco.
Alpistae painco, a arroba 45000 e a libra a,
160 rs.
Cartas.
Cartas fin? para jogar, a duzia a 255 W.
Castanhas.
Castaohis novas vniflis neste apar, a arro-
ba iiOiX) e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonaa novas a 15500.
Manleiga.
Manteiga < ipjrior, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita fraaceza aova, a libra a 720 rs.
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
660 rs..
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 35200 el
" 35500.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel almajo paulado, a resma a 43300.
Dito dllftlizo de linho, a resma a 45500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25506.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho Uadcira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-]
deira a 13500 e 25000.
Temperos.
folhas de louro, piraenta do reino, cominbo
e cravo, a libra a 400 rs. i
Velas de carnauba. *
Masso com 6 velas de carnauba refinada a.
480 rs.
Aiacndoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Mr.
Caixes de doce dgoila, frandes a-1#400
e pequeos a 640>rs.
lijlos de Haqor.
Tijolos de arear faca a 140 rs.
Urtia.
Duzias de boioes de grt n. 97 a 25000, e i
de latas a 15000, e os boiSes a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 ra.
Charatas lias.
Charutos finos dos melhores fabricantes da.
Baha por diversos presos, caixai e meias.
caixas.
grande quantidade de gneros tendentes
estes estabeleeimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
11 Raa do QueimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta com lindas barras.
' Superior seda faconno que ha de melhor e mais gosto.
Moreantique preto muito bonito a 25800, 35,35500 e 45 o covado.
CdmpletJ sortimento de grosdaph prelo de muitas qaa'1 "es.
Pannos pretos e ca juraus, chale; e los de renda pretos superiores.
Superiores pelisses e soulembarques de seda para s nhoras.
Bournusde la para seahoras a 12
Chapeos t chapelinas de palba de Italia para seahoras.
Cort-s de la de barras de 145 a 225 da muito gosto i
E raaitas outras tazendas de superior qualidide na loja de Augusto Freder-co dos
Santos Porto aunde tambsm se vendem as-melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.,
S. i I-Ra do Queimado W. 11
GRANDE
PICHINCHA
'"-hitas, largas de cores flxas 240 rs. o covado
na ra* da Madre de Dos n. 7.
LttlK)ratorio .enologico e cliimico de F. P. Lebeuf e 0.
ru^ Montmartre, 31, em Bais.
Fabrica cm Argcuteui!. prs Pars (Fraaca)-
BONIFICADO E FABftICVClO
Dos viibts, igaardcBtes e licores.
Nm COROAS NEM SOtft&S
VIXHOS. Imitafao dos viahos de todas as
qualidades, Eitraeto da Mador, a dose para 230
litros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Lisboa, t f.,-de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 25 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACAOPos Inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franja, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
COLORACO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
0
GRiUDE ARMAZEM
AGL'ARDEXTES.Essencia de cognac para dar
as agurdenles urdinarias o sabor c o aroma de I
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABSINTHO.-Esseticia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sera fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 25 litros, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encemmenda.
l'TEXCILIOS de laboratorio e de cbimica.
e engaado nosso3
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparares,
freguezes, lvese eligir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Paris,
0 modo de usar-se das prepararoes icha-seimlicado no rotulo.
A< encomm:ndas devem ser acompanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-
de le Franga, ou garantidas por urna casa eonhaiida.Dirigir-se aesSrs. Lebeuf & C. chimicos,^ ra
Mralmirtre, n. 31, em Paris, ou a sui fabrica era Argenteuil, prs Parts.
Veade-se na botica franceza, ra do_ Imperador n. 38.
CONSULTORIO MEDICO-CIRURGICO
DO
DK PE9R0 DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HISOICO, P5RTEIRO K OPERADOR.
3 B-iia da Gloria, casa do Fundo 3
RADQR \. 40
HBt a sebratffen fie mora Sr. O&bone,
Duarte Almelda <& C receberam e saa propria cnecu u cn-
da mats lindo e variado orllmcnlo de Diolhados. i r< 111, *
da presente esaco.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra novavinda noultimdvapor a l.rjoojpara sopa a melhor que se pode
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos-os dias das 7 s 1
lloras da manhaa, e das ti a meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopaifrica
No mesmo consultorio a' sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacSes e pelos preces seguimos
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
d 2 tutosgrandes. 18^000
de 36 tubosgrandes. 240000
d^ 48 tubosgrandes, 30^000
de 60 tubos grandes. 350000
PYBjfcrrsr-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer. e com os remed
juese oi.Iir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca l^ooo.
Sendo para cima de 12, custaro >s precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A mluor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr:
Jonsgraades volumeseym diccionario ...'....'..... 20#000
Medicina domesticado Dr. Hering,........... lOjjOOO
Repertorio Js Dr. Mello Moraes............. 6,-?000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 3)3000
Os remedios desto estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensam portan-
to deserem novamenta recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadti'ro8,eaergicos e doradores*- ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro>assucardeleite, notavei6 lelasua boa conservafSo, tinturados mais acreditados
estabeleeimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener-
gij certeza em seus effeitos.
Casa de saie para escravos.
Recebe-sejscraves para tratar de Qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacSo, para o que o anmmriante julga-sesuficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se n5o
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
ioentes.
Paga-se 2#000 por dia durante 60 dias e d'ahi eratliante 10500.
As operares serao previamente ajustadas.se nao se quizerem sujeitar aos precos
zoaveis pie^ostuma pedir o annunciante.
F\M1C\ OS CBiPOS DE SOL
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Hantelga franceza
pa safra nova a 80o rs. alibra, e em barril
a 5]rs.
Amendoas
wifeitadas de lindissimas cores a 800 rs. '
libra.
AniPixn
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Gartoes
com kolos francezes a 500 rs. cada am.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas asqualidades a 10600 a libra.
Presuntos wi***!**
dosmelhoresfabricantes a 800 rs., tambem
temos reinos para 500 rs.
Queijos flamengos"
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrinoo mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o fra. co.
Figos
em libras ecaixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 el02Oo!
Cha uxim
o melhor queje pede desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
$ a 20uu.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico qu tem vindo ao noss-
mercado a 20600. D0SS
Massas aronrellas"
PT8oT'anDCrarr50'ta,harm e a,etria a
omuito afamado cognaepal Brandy a 1 Rnn
rs. a garrafa e de outras muitas quaida
desa l,oo e 8oo rs. a garrafa
lapidados para agua a 4,5oo e S.ooo r< a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
ahffii grT' peso e de outras cuitas qua-
Jdades de 2,200, a 4,5oo a resma doV
v J
Ihor.
i.
I de excellente qualidade
dtsejar,
macarr5o, talharim e aleiria a 4ti n.
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas me-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a gerrafa,
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado (fes melhores ftri-
cantes da cidade do Porto a 10 e tyseo
agarrafa e de 100 a 120 a caixa, a D ar
cas s3o as seguintes: Chamisso Filio,
F. 4 M., Nctar ou vinho dos Eerzes,
lagrimas do Douro e outros muitor.
latas
com 10 libras de bauha a 40OC0.
Boachinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaaue
vendem a 20000 e 20-400.
Nozes
as mais novas d mercado a 12Cr*-.< bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 853f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafe
com 4 li garrafas com vinagre a 10000 ce
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos. t
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo v
rs. cada urna. V
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a2,2oo a greza
e 2o rs. cada caixinba,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a ciixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
Papel de botica
a 20200 a resma.
21 .ii V>i\i esqulax da Catnboa d Carao e na do
C'abug n. 8.
A lu-vti-ii dje etabelecimento o mais importante que existe neste genero) PAPEL
na provincias do norte do imperio, querenlo que o publico desla provincia goze das ^"".e pardo para embrulho de i
vanlagens que proporciona ; fabricafao em grande escala e directa relaco coin as mais
importantes fabricas d.i Europa, faz sciente que resolveu-se a vender arnda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella :
Descont em duzia.
0 /o.
10
0',,
15
lo %
15 o'
i Chapeos de sol de panno a 20090.......
armaco de baleia a 20500 .
de seda armacJo deafo inglez de 20 pollegadas
40, de 2i 50, de 26 50500 e de 28 60......
Chapeos de sol inglezes a balao 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 2 i pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100.
1 dem idem a balSo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130......
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao t5o vantajososcomoosannunciados, ha
'sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
omas de caga, os quaes vendem-seigualmente em porc3o e a retalho, notando porm
I que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia sero considerados como
a retalho.
& a araS la e^taS v>,(3 M Ws
mMmmmmmmmmMm a^m ^i^
Chales de renda preta e hournns deguip preto^
A'loja da ruado Crespo u. 17,
DE
JOH IOIIE VILLAR
Vende a 15^,203, 303, 403, 303 e 603, capas e casacSes de gros pelos, chapeos,
e chapelinas de patria e outras omitas fazendas proprias para a quaresma. '
Jos Gomes Villar preteadendo ir a Europa tratar de sua saude espera que seus
devedores tanto do mato como dsta praga saldera seus dbitos quanto antes.
rs. a resma.
Corinthias
*1$^^U&? Parias para
Fumo
0"tdrafeamflricMo--pa
Vinagre
PRRemancoretas de 9 caadas
cada urna.
a 15,ooo rs.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de om paneiro para cima se lar abatimenlo na ra do Imperador n. 10.
mm
Vende-se
'ni sitio no CamiDlu Nevo,' roa da Esperanza n.
\. na.: vai para o Maoguinho, con- grande casa
maito fresca e muitos conunodos: na ra- do Des-
tino n. 16.
avariado.
Fraocez barrica 53000
t'orlland idem 8*500
Z:a pjrfeito estado :
Francez barrica 103000
PortlaDd idem 123000
No .'.'aaiera de Tasso Irmaos caes do Apollo.
CHEGUtt OS MODERNOS CHILES BE
FILO PRETO.-
Superiores chales de fil prelo cliegado6 pelo ufiimovapor francez, a
loja das columnas ra do Crespn. 13, de Anlonio Correia e Vascortcel-
los & C.
Cebollas
asmaisBovasdo mercadoa 7,ooo rs a raia
e l,ooo rs. o molho.
. Alpisfca o brinco
o mais novo do mercadn a 17 -u
e 40400 a arroba ad0aUors allbra-
CEBLAS
muitonovasa 10000 nn-- m
!!??!&;
GRAO DE BICO
nmto novo a 30400a arroba e 140 rs a li-
bra na raa doOueimrdo .V rUa do
Imperador Ti.io],ran,,'r' ruMo-
ailt i rg0 do Garmo n. 9.
muito fresco a 880. rs. a libra
o verdadeiro prezunto deLamegoa 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,00o, a 3,2oo re. a arroba.
. VELAS
de espermacete de diversas marcas a Uc ra.
a libra e em caixa ter abatimeoto.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9 J)oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 ra.
a libra.
Passas muito novas
em quartoseinteiros a 20 o cuarto e no
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se rcc'f tt.
sejaraSOOrs.alibraelWs.
ka frotas cm calda
chegadas ltimamente, pera; peceiro
outrosmuitosaeiOrs.a'lata.
a b el0 ocaixae.
. GOMMA MUITO KOTA
e%\nri40drV 6 ?"*s a ar-
madon 7 r' 5 ]ibra ** r* ^ Coei.
rc0armo*nrUd0lmperad0rn-40el3^
, l? dC d8ff*rcmes ^ff* SCO
hoa^. 0EfJOS "AMEMOS
chegadosnesteuitinio vapor a^dSOftBarrw
Jo Qneimado n. 7, 7m do tapcradorT
Os proprietarios Hn jun-i_ e.lar8 do Carao nt 9-. *
Quetmadon.7 m/^r rBa f
UrodoCarmonaaad0l"Perado'n-*O
n. 9
rea do
e
o ie.
gijae
fregnezes e amigos e
mesmesprecos nos segSinTes ogares-:
Verdadeira PriBciMl raa da Imperador n, 40
FARELtO DE LISBOA
Marca Jf verdadeiro em saccas n
es-
MiRlet''

as novas e grandes a 40500.- na raa-do Impmmi* 'rwu|^
------
DE
.


J.
\.
DE
VIGNES.
h ?' 71 .RliA BO IMPERADOR ~ K. 55.
suoe oridade van,i'f abnc* sa.? hoje asiaz checidos para que seja necessario iasistir sohre t
nP iti h"Ws e a,-ant,as Ia" offerecem aos compradora, qualidades toeoS.!
TL tu? definitl1vamente conquistado sobre todos os que te^p\>aMcida n mS^^L
,dfXr n emach'?,s?'> Que obede<;effl todas a; voVtadTocSSSS d^BL ?-
lCa ^,'n nVSerT abados te fwposito, e ter-se feito ultinMu^aSSwSwSTSrS-
fS SosCt\Saffisqaant VM6S mel0d0SaS e ^aasTpT^'K.
-J^^T'fT *S encemmeB(lai. tamo nesta fabrica como na do Sr. Bloniel. de JParis, joci
irespondente de J. Vmoaa, em cuja capital forara sempre premiados enr todas as V*
r I No mesmo estabelecimento se
i sempre premiado
acha sempre nm xplendido e variado soft


instas
do
iW Wf W* l ^0r*La^?.SQd* f3?' assim como armnicos pianos harmnicos; Vendo tud'o adido po
i w*va ^.\c jxai J'\A pre?os BonaWMQS e raaoaveis. w^
aai i
ii a r\r\



'" -



BUrU de Peraambvc* fteita felra Si de Mar? de 1S&
j
<
1
>
Attenc&o.
Fazeaias preta* para qiaresna por
par baratissim prect, na Uja e ar-
inazem da Arara, ra la Inperatrix
n. 56.
Lourenco Pereir Mendes Guitnarss.
O jiropnetario deste estabelecimeato retira-se
para a Europa a tratar de su saude, porm antes
de rer.ir-se pretende fazer una liquidago do ba-
baratissiino prego para feear comas agora fre-
guezes vende-se grosdenaples preto muito bora
para vestidos, a 15600, 25 e 25500, dito de 5 pal-
mos de largo, a 35 : na ra da Imperalriz toja da
Arara n. 56. -
Heurautique preto a 3ff.
Venle-se meurantique preto para vestido a3jo
covado, grosdenaple muito largo e eocorpado a J,
25300, 25 15600 o covado, alpaca prel para
vest Jos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
610 e 800 rs. o covado, la prett para vestidos a
6i0 rs, bomluzioa preta para vestidos a 1*280 o
covado : ra da Imperalriz toja da Arara a. 56.
Ricos vestidos a Mara Piaa 12.
Ven lera-se ricos vestidos a Maria Pia a 10*,
125, 145,165 : roa ol Imperalriz toja da Arara
n. 56.
Arara vende pecas de panninho a 5# e de
madapolo a 45.
Vendem-se pecas de panninho muito Tino de 12
jardas a 5*, vendem-se pecas de madapolo infes-
tado a 44 e 4*500, vendem-se pecas de madapolo
de 24 jardas bom a 6*, 75, 7*500, 8*, 9*, 10* e
12*, vendem-se pecas de algoosinho a 5*, 6*,
7*, e 8* : ra da Imperalriz n. 5 i.
Arara vende os baloes a 24500.
Venera se baloes de arcos de todos os tamaitos
a 25 )00, 35, 3*500 e i*: ra da Iraperatrii
n. 36.
Latinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Venlem-se laazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as edres a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
finas para vestidas a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperalriz n. 56.
Cintas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem se cintas de cores lixas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas (rancezas linas a 320, 360, 400 e
300, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova -
do : ra da imperalriz toja da Arara n. 56.
Liuuilaco de soutambaques e laazinhas a
U, 80 e IO.
Vendem-se soutambaques de laazinhas para se-
nhoras a 7*, 83, dita de alpaca branca a 10*. ditas
muito tinas de grosdeaaple preto a 205, 235 e 30*,
capas pretas de grosdenaple Ano a 20*. 23* e 30*,
manteletes pretos de grosdenaple a 205 e 22*, go-
lloras para senhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos om gola a 1*, eamiztohas para senhora, 2*,
e 3*. ditas mallo Haas bordadas a 4*500 : na toja
do oarateiro da Boa-Vista ra da Imperalriz toja
da Arara n. 5.
Cortes de ditas Anas a 2400.
Vendem-se corles de ditas com 10 covados por
2*400, ditos de dita franeeza a 35200, cortes de
cassa franeeza Ana com 1 i covados, por 3*, ven-
de n se pecas de cambraia branca lisa a 35500,
4JJJ, 353JJ, 63 e 8*: ra da imperalriz n. 56.
Liquidacio de roupasfeitas palitos a 20.
Veadem-se palitos de bnm de cor a 2*, 2*5f 0 e
33 jaquees de bnm pardo a 33 e 3*300, palitos
de'casimira bem feito a 5*, 6*, 7*. 8* e 10*. di-
tos de panno preto bom a 85 e 10*, ditos sobreca-
saeos de casimira de cor e preU e de panno a 12*,
145 165 e 205, caiga de bnm decr a 25 e 25300,
ditas brancas de linho a 3*300 e 45, ditas de ca-
simira de c&r 4*, 6* e 8*, pretas a 5*, 6* e 8*,
cohetes de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 1*300, brancos a 2* e 203.0, ceroulas fetas a
1*-2SJ 'litis linas a 1*600 e 25, camisas france-
zas a 2* e 2*500, ditas inglezas de pregas largas a
3*. de linho a 35 e 3*560, colerinhos econmicos
a '40 rs. a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatnz toja da Ama n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Ven lem-se cobertas de chita finas a 25 e 2*300,
ditas d damasco a 43 : rna da Imperatriz n, 56.
E" na Arara que.e ven le cortes de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para calca a
3* 3*500, 4*300, C* e 8*. ditos de cor a 3*,
i*j00 e 61 : ra da Imperatriz n. 36.
Arara vende panno preto a 20.
Yenle-se panno preto oara caiga e palito a 2*,
35 2J300, 45,4*300 e 65 o covado, casimira pre-
u tina a 25,2*300 e 35 o covado e oulras muitas
fazendas para liquidar : n^ toja e arraazem do
Arara, roa da imperatriz n. 56. ___^^^_
Fazendas pretas para a qua-
resma.
\'a loja do Pavo.
Acha-se este estabelecimentocompletamente sor-
do de fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, oulros mais estrenos tendo dos precos de
1*280,196OO, 1*8Q0, 2*, 2*400 e 3*, superior
raoreantique preto a 3*, superior sarja preta hes-
panbola, superior selini preto maco, rica* capas
pretas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
lades, ricas vasqninas e casacos dos mais moder-
nos que lem vindo, superiores manteletes, carnisi-
ahas com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, tudo isio se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a d-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pav5o.
Acha-se neste estabeleci ment um grande sorti-
ment de roopas fritas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 22*. 25* e 30*,
ditos forrados de alpaca a 1*5, 16* e 20*, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, velludos, setins
AO PUBLICO
lem o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero qu
"So agradar.
ARMAZEM
ATTENCJO
Os presos da seguale
tabella para todos, po-
dendo assina servir de ba-
se para o ajaste de contas
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da ConceicSo)
PARA BEM DE TODOS.
I O III ME As
Para 1&65
Acuain-se venda nalivraria ns, G t & ta
praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecciesiaslue., tabelias
de feriados, ch>emolumentos dos tritu-
naes do commercio, etc. a ICO rs.
A FOLHINHA DE ALGIBE1A eontei
mesmo que aquella e mais urna riova
Salve Rainha em versos, o Stil-ai $ feter
em verso, devoco ae agonisanie, cu; [So
Jess, cntico em louvor to Sar.Ussr-
mo Rosario, cntico a Virgrm Mari Kof-
sa Senhora, trinta e tres chistes : i((-
dotas, um indito poema sol e ;.. su-
turas de um cozinheiro, ocai.li itxa
solteira (poesia), crescido ren re d< n*-
ximas e pensamentcs, ura hiHui: erro
muitas (romance), e vintecirce r,c> e
pilbericas charadas a 320 rs.
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei-'
meinoresme quer obra por mdMa: mTb5*So fnSnTSi Pra dosgeneres imperalriz n. 60, de Gama & Silva. pois sero t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendavao, aflm de que nao vo em
Chilas em cortes com 10, II e 12 covades outra parte.
Na loja do Pavo vende-se urna grande porco Mjnipiaa intrlpja p?reciaJrrfntpp de cortes de chitas nncezas sendo claras e escu- r me escciliia a
ras todas de cresr". as com 10 covados a 3200,
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
I.ooo e 8oo rs. a libra
abatimento.
e em barril se faz
rs. a libra e 900 rs. em barril on meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do. idem franeeza a mais nova do mercado a 93o
Pavao, de Gama A Silva, ra da Imperalriz n. 60.
Camisioias aljj.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a .
meninas, pelo barato preco de deztastdes cada;Lh perola 0 MM superior do mercado a
urna : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, | 2,800 rs. a libra.
pe Gama A Silva \em bysson muito superior em latas de 15
Cortes de cassa a 3. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendp iihr9 r r r
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados '*" ? uuld-
pelo baratissimo preco de 3*',t0 o corte :s na Wem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I ,Goo rs.
loja do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambraias lisas, na leja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo oreco de,
i* tendo 81|2 varas cada peca, ditas muito finas Dam' se faz abatimento.
a 7*, 8* e 9* a pega, ditas Victoria com 10 va- Chouricas e patos a 800 rs. a libra.
ras pelo baratissimo prego de 7*, 9* e ifjf.ditas Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
KSyffftfSft encorPada 5g5f^ Pro para temperar panella ou para fiambre.
pria para forro a 360 rs. a vara on 2*600 ape-nK.. t .,___*, __.
5a: isto na loja do Pavo ra da Impoaatriz n 60, Quijos do reino chegados neste ultimo va-
Alelria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra e G.ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
n ha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs^
Vinho em pipa : Porto, Figoeira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,'joo.
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavio.
Grande pechincha a 3*500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente i imitagu de tarlaiana com mnitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 3*500cada nm,
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato? 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
sendo fazenda que serapre seveudeu a 7*. na toja; dem SUSSO O. mais superior que tem vindo
do^avo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama & | ao mercado a 64o rs. a libra.
: Ervillias e favas portuguezas ja preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupafeita nacional
Ra da Imperatriz tu. 7 2
Pecliincha
Cortes de ehltaa 2^400
Vende-se cortes de chita com 10 covados a
2-jiOO a 3j2i)0,dilos de cassa a 35. ditos de laazi-
nhas para vestido a 3*600 e 45, ditos finos de bar-
ras a Uiria Pia a 15, 45 e I6j), ricos souteam-
barqaes de lazioha em fantasa a 8*. 7* e 10*,
ditos de grosdenaple pretos finos a 20*. 22* e 23*,
capas pretas de grosdenaple a 20*, 23*, e 23*,
na ra da Imperatriz n. 72.
Fazendas prelas para quaresma.
Vende-se groedenapie preto tino a 1*600, 2*. e
23330 o covado, panno fino para caigas e paletots
a 25,35, 35300, **50J e 5* o covado, casimira
preto lina a 25, S*500, e 3*. alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para calcas e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Laazinhas a 320 e 360 rs. o covado.
Vonde-*9 laazinhas para vestidos a 360, iOO,
301 e 360 o covado. chitas finas para vestidos a
2i0 o 280 o covado, ditas franeezas finas 320,
360 e 100 rs. o covado, capas franeezas linas a
320, 330 e 100 rs. o covado:
Roupa feita.
Vende-se paletots de cor e preto a 35, 6*, 8* e
10*, caigas pretas de casimira a 55, 65 e 85, cor-
tes de colletes e paletots de brim a 2*, 25500 e
39 : na rna da Imperatriz n. 72.
Madapolo enfestai a 4$.
Vende se pegas de madapola eufestado a 4-S,
dito em panninho a 3*, pegas de madapolo de 24
jardas bom a 85,7* e 10*, ditas de algodo a o^,
6*, 7 e 8*, cortes de caigas de brim a 1*600 e
2*, tos de casimira prela a 35, 3*300 4* e 5* :
na rna da.Imperatriz n. 72.
Vestidos a I.-} e a 7-$
Na loja do Pavo vendera-sericos corles de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com. barras, | FeijO verde muito superior a 640 rs. a lata,
pelo barato prego de 4* e 7*. sendo fazenda que Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,500
val muito mais dinheiro, isto por baver grande j rs a duzia
porgo, na toja do Pavo ruada Imperatriz n. in. I-. ._*.._._ '. ,- ,__
de Gama Silva. dem dem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
Os eieites do Pavo. | a duzia.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabega Chocolate francez hespanhol e SUSSO a 900,
de senhora: na loja do Pavo, ra da imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
BENZINA
sm \ovaessencia para tirar nodoas sem ata-
5 rar os lecidos nem alterar as cores
Mancha algn produzida por gorduras,
cera, etc., resiste a este famoso dis-
solvente, que pode sem receio appll-
car-se sobre vestidos de seda, la,
lapegarias, panos de blhar etc.
Restaura perfeitanienle as linas de peli-
ca usadas.
Cada fraseo lgOOO.
Um impressa qae acorapanha cada fras-
co ensina a maneira de" usar-se, assim
como indica outras muitas appcagSes
que esta nova essencia pode ter as
artes.
PHARMACIA RIBEIRO
; BM PERNAMBUCO
22Praca da Boa-Vista22
mmmmmmmmwmmwmm
Promessas para Santo Amaro.
Vendem-se pernas, bragos, cabecas, peitos, de-
dos, p5, mios e coragOes, vellas enfeitadas para
baptisados, todo de cera feito com perfeigo por
commodos pregos : na toja de cera da ra do Ll-
vramenlo o. 36 junto igreja.
Letames aovo a 6,400 rs. a arroba*
Na padaria atraz da fundigo do Sr. Starr ven-
de-se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e sevadinha pelo prego em sortimen-
to de6*400 rs.,econforme fr a porco faz-seal-
o* abalimente.
padroes miudinhos e izrados, chegados pelo u 1 ti
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
roa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Is laazinhas transparentes a -100 rs.
Na loja do Pavao vendem-se as mais modernas
laazinhas transparentes, sendo de listas miudlnhas
a imitagao das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado; ditas entestadas de urna s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de criangas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Ricos soiilainliarijiies de Pavo.
Acaba de chegar um rico sorlimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
20*, 22*, 23-5, 30*. Capas e casacos de place pre-
tos que se vendem muito em cenia: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transparen-
tes, sendo rom llstras e quadrinhos miudinhos, e-|
lisas, tendo de tedas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes rom palminhas
de seda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
alsumas proprias para Into, pelo baralo prego de
320 rs. cada covado, isto por haver nma grande
porgo : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Maria pia,
Grande pechincha a 10?)000 rs.
Chegaram os mais benitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, ^endo
lodos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se peto baratissimo prego de 10* o cor-
tenos deprcala com lindas barras e enfeites,
com 19 cevadoscada um a 10*, ditos de cambraia
cora barras bordadas a crox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego do 65 : na loja do Pavo, ra a
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de llraho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 36 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperalriz a. 60, de Gama & Silva.
"Laazinhas lisas.
Vendem-se as mais finas laazinhas de urna s
cor, tendo grande sorlimento : na lqja do Pavo
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a toja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-1
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercido, ricamente bordados e cerculados de um I
elegante bico preto de mais d palmo de largura;
estes modernsimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, toja do Pavo.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavao.
dem preto o que se pode desejar neste ge- Vinho branco para missa em caixas de l du-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra. zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
' Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e Io,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
I,ooo e i,5oo rs, a garrafa.
Vinho Cherex de superior qualidade a I6,ooo
a duzia e i,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1,3oo rs.
Cartes com bolo francez muiio proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras po* 2,5oors.
Ameixas francez-is em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a i5oo.
l.ooo e i,2oors. a libra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Vendem-s as mais bonitas cassas franeezas, de l r,;, ..^-i.. ~ !.. i ,!. i..__! i
idroes miudinhos e raudos, chendos nem ui- Peixe ,em P0/13 em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo acaixae6io e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de j
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos | o gigb com 36 libra*,
grandes a I.ooo e 11,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Cafe do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
ali-
sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5o'oNrs. \
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \ em ao mercado, a 5oo, 56o e 64t
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,3oo a du-
zia. ;
Gevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabricante JosFurta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposifo Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norle, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2*,ooo, 2,3co e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excelente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oosolas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito nove a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
l 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muiio proprios para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Rtibos, excellente peixe portuguez, era
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Ameixas ranc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estampas na ca- 8 garrafas por 6oo e 8o rs. a garrafa.
& exterior, a 1,4o?, I,0oo, l,8ooe2,ouo
lld^a nma.
Azeite doce retinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa.
Caf do Cear muito superior a 24o rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de 1* qualidade a loo
rs. a libra e 2,8ou a arroba,
dem da India a loo rs. a libra
arroba.
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
e2,8oo a.Mostarda inglza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franeeza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas franeezas. excellente legume para
arroba. i sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra c56o rs. a reta-1 IB a garrafa e 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos de denle a 14o rs. o maco.
Azeiiuiias pm tugue/as a 500 rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
jfzeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 3oo rs. a
I garrafa.
Chegaram peto ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques de cores, sendo os mais bem
eneitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc., s
avista do grande sortimento que os freguezes
poden dar o verdadeiro apreco a esta fazenda, e ?eas e blcos francezes e renoas
vende-se pordifferentes pregos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, ra da
hnperatriz n. 60.
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queiuiado, n. 19 e 55. E' para admirar.
Carretis de lintia com 130 jardas......
Ditos com 300 jardas de Alexandre de
12 a60..............................
Dito dito de 60 a 200..................
Noveilos de linha grandes com 400 jar-
das .................................
dem idem brancos e de cores de 100
jarda s...............................
Llvrospara assento de roupa lavada...
Cordo branco para espartilno (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botSes de punho todos de cores
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costuras finase unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpar denles muito finas
160,200e..............................
Caixas com 100 envelopes* das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho)................................
Meiadas de linha frouxa para bordar...
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
20
20
Pares de sapatos de Tranca.......... 1J500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaca peroia muito suerior 200
Ditas de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 500
Ditos e garraOnbas de agua de Colonia
muito fina....................... *00
Ditos de banha a Ganbaldl e da familia rMk
imperial.............;........... 900
Pegas de fitas elsticas para vestidos a .
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Manteletes de filo na leja de Pavo.
Veodem-se os mais reos nunteletes de fil pre-
to e outros com os centros da eor, sendo neste ar-,
tigo a mais rico qne tem vindoao mercado e mais [Ditas de linha de saz com 50 noveilos.,
moderno por serem muito compridos e com deli- Enfiadeiras de fita para espartilhos
Frascos de azua dentifrice muito supe-
rior..............................
Caixas com 4 papis de agulhasa balo
e Vietoria........................
Libras de la sendo de todas as cores...
Bonecos vestidos e lambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
cadissimos lavrores: na loja do Pavo, ra da Im
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Pira meninos.
Vendem-se muito benitas roupinhas proprias
para meninos de i a 4 annos, sendo calcinhas e
jaquetinhas igoaes, e milito bem enfeitadas : na
toja do Pavorra da Imperatriz n. 60, de Gawa
& Silva.
Catelinas do Pavo.
Vendem-se multo bonitas ealeinhas bordadas pa-
ra meninas a 640 rs. : aa loja do Pavo, ra da
Imperalriz n. 60.
Carretis deiinba de coree com 100 jar-
das .............................
Pegas de cordo imperial............
320
320
800
2O0
GiOOO
160
40
800
60
20
40
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
do Cuaba, a tratar com Tasto trmaos.

GAZ GAZ GAZ
""
Vead-ae gaxda melhor qualidade a
li>alata: nos armazensda ruado Jm-
peradof n. o e roa do Trapiche Ifevon. 8.
BOTICA E DROGARA
Bailliolomeu Franessco de Souza C.
34llua larga de Rosario34
Vendem :
PilalnsHlloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian. a
Pillas do Pobre-homem. y
Plalas americanas.
Pilulasvegetaes.
Pilulas/egetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristel.
Remedios do Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
VinhodeSalsaparrilhadeCu Albert."
InjecgoFeaugas.
" Agua dentificade Desirabode.
Papelchimieo, para talhos.
Xarope depurativode Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL" A (Teclear.
-Yarope do Bosque.
Ungento Holloway.________________________
Pechincha nao il loj a de fazendss
roopa feila Bacional, roa da Impe-
ratriz n 72.
Pf chincha a 240 rs. covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas franeezas largas a S00, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado pega9 de madapolo fino a 65,
7J, 8, 95 e 105 pegas de algodo a o, 65,7j
e 85 : ra da Imperatriz n. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se palitos de cazemrajreta e de cores
a 55. 65, 85 e 105, ditos sobrecazacos a 129, 14-3
e!65 Palitos de brim de cor a 25500, 35 e 35300
rs., caigas de cazemira preta a 6J, 73 e 8#, ditas
de cazemira de cor a 5$, 65 7, e 85 ; coletos de
cazemira de cores e pretos e ditos de brfma 15500,
e 25600 rs.,; caigas de brim de cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Soutanibarque de cores a 7#, 8# e 105-
Veadem-se sontambarque de la e seda para se-
nhoras a 7, 85 e 105 i ditos de grosdenaple pre-
to a 20* e 235 ; capas pretas a 20# o 235 vesti-
dos de la a Maria Pa a 125, 149 e 165 I ra da
Imperalriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a 3#.'
Vendem-secrtes de cazemira preta para caiga
a 35, 35500, 33 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a?5,45,8#, e 75. ditos de brim de cores a
159OO; e 25, ditos de chitas finas a 25100 e 33200,
dito* de cassas franeeza a 33 : roa da Imperatriz
toja do baratolro n. 72.
Lavas de pellica.
A loja Esperanga receben nova? luvas de pelli-
ca, brancas, prelas e de cores, assim como enfei-
tes para caboga : na rna do Queimado o. 33.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na rna do Queimado n. 49 e 00 tojas de minde-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parle, quem qoizer ver o que ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de phosphros de seguranga a ...
Francos com essencia de Sndalo muito
superior..........................
Pentes de tartaruga muito fino a .. _...
Pegas de fita de l prela para vestido de
10 varas .........................
Escovas de roupa muito superiores a...
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gosto que lem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Polceiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescoco do melhor gosto.,..
Baralhos para votarete, lisas a 200 e..
Varas de franja branca de liaba que
tem muita serventa.................
Duzia de pennas d'ago muito superiores
Frascos de oleo Bboza muiio finos.....
Tlheres para meninos a melhor quali-1
dado............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200..................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal mullo finas]
para on........................
Grosas de fttoes de osso para caiga...
Grosas de botoes madreperula para ca-
inita..............................
Grosas de botoes de louga prateados
muito finos......................
Varas de babado do Porto sortide.....
Duzias de lapes diflerentes qualidade a
240:............................,
Quadernos de papel de peso muito fino.
Resma do mesmo papel............. 25000
Duzia de facca e garfo muito boas----- 23400
Sabonete de espuma muito superior... 040
Capachos compridos e redondos muito
bons............................. 800
Ditos para sola...................... 25000
Pares de suspensorio muito bons e para
aeabar...........................
Esseneia oriental para tirar nodoas de
roupa............................
Creo para dezenbo de todas as qua-
lidades...........................
Cartas de alfinetes francezes muito su-
periores..........................
Caifas de eolehetes francezes a 40 ris
Duzia............................
Carretis de retros com quatro oltatns..
Gelhaspaw senhora mlhor qiali-
dade.............................
120
15000
00
60000
05
200
240
320
25300
i?280
300
300
|240
[060
060
200
240
300
25400
15300
200
300
200
060
400
030
ESGBAVOS FGIDOS.
Acha-se fugitivo o escravo Manoel Muqum,
com os signaes seguintes: crioulo, cor prela, ai;<.
magro, desdenudo, tem urna fstula aberid 1*
qufixo proveniente de drde denle e una cu-aipz
no rosto, representa ter 40 annos pouco mais mi-
menos, bastante afouto e presumido de valei.u, :
a todas as autoridades e pe^soas do povo e & rao
um de per si roga-se a captura do dito eM-rave
que poder ser entregue ao Sr. Antonio da lluctia
Arcioli Lins ra do Apollo, ou no eDgeono Gui"<-
ro. O senhor e depositario do mesmo protesta .11
recorrer ao tribunal competente coiitra qoea n
techa aecutado e paga-se com gentrosit':.d-. &
quem o apprehender. '
Aos cupitts de campo -
Desappartceu no dia 21 do coifecte, da t*M ae.
sen seanor, o escravu de- non-e Becediftc .aira
eteuro, com idade de 23 annos, lateo mude i;..-
ca de algodo de listia, camisa de algccjio c> le-
ra, e chapeo de conro de abas largas, fun altura
regular, cheio do corpo, cabello a etcoviiriit,
olhos pretos muito vivos, nariz e bocea rttulsies,
muito pouca barba no queixo e um kefneus 1 li-
go, lodos os dentes, ps regulares, ele. fe j re-
sumir que segnisse estrada de Goiaira |ir nr
viudo da cidade de Souza, provincia c"a Paiabifca.
ha 13 diis, e foi comprado ao sr. Joi Ai ki .-,
Borges daquella cidade : roga-se pernoto .is se-
nhores capilaes de campo a appn hen.-^o 00 11 e-
rido escravo, e levarem-no a roa do Impendo n.
83, segundo andar, que se gratificar com 3(.
Na quinta-feira 23 do correnle fngio
do sitio do Dr. Witrovio, na Torre, um es-
cravo, de nome Miguel, que o mesmo savia
comprado no dia 17 aoSr. l.viiz Amonio! e-
reira. E' idoso, alio e j foi ha tempes sor-
tador de carne n'esla cidade, estando por
ultimo empregado em servico de sitio
d'aquelle senBor. Desapparecen levando
vestida calca velha de urna casimira escura,
jaqueta parda e ihapo usado do t bil; e
de suppor que ande mesmo por esta cidade.
Rogando-sea approhensao d'elle, poder .*er
entregtie a roa de Cabug n. 2.
os capilaes de canipoT-
Fugio no dia 27 de fevereiro deste ni.e. ce ca-
sa de seu senhor o escravo Sebastian, crtofftV, le-
lo, com idade de 22 a U annos, foi rWavti ao
senhor do engenho Quandus da comarca de SDto
Aulo, d'onde tinba vindo.para esia udade a 8
das, de presumir que seguisse para Taquaritir-
ga aonde tem mi e irmaos, leven raiga e remisa
branca bastante suja, altura regular, rar>?o a es-
covinha, cabega pequeM e redonda, te.-ia 5. ;a.. -
bem camoda, olhos pretos e regulares, cariz chi-
to, bocea regular, beigos regulares, denles itttis e
limados, nenhuma barba.apeuas um peqoenc Fipt--
de. corno bem limro, ks regulares e ikuc ia-
gos: roga-se porlanto aos Srs. rapitaes de campo
a apprebenso do mesmo a entrgalo ru w>
Imperador n. 83, segundo andar, defnnie d( n--
rcio, que se gratificar com 505.
Aviso
acs capilaes de campo e a polica.
Desappareeen em pjincipio do mez de outoiirr
do auno passade, de bordo do pailebote raciona,
Araujo Malo, dous escravos de DODMS Htberto
(por apellido Macei), e Miguel; o 1 de idade 4
annos, pouco mais ou menos, cii.ulo, ro fuiu,
estatura baixa, barba serrada, un penco torio da?
pernas, e com algn.* cabellos brancos, tanto na
barba como na cabega ; o 2o alto, ebeio co carpo,
sem barba e falla grossa, representa ter de Sha
30 annos, cojos escravos desconfia-se andarem pe-
los arrabaldes desta cidade : quem os apprehen-
der queiram levar a rna do Trapiche m 4, oue
ser generosamente gralificado.
Desde 9 dedezembro de 18G4 que esta au-
sente da casa de seu senhor o esciavo Heirulato,
cabra, idade 40 annos, alio, cteles cara"|-i.hss,
rosto descarnado e compride, ol es e orelhas pe-
quenas, nariz chato, barba pouca, tim apiras I -
gode e pera, perna esqflerda de quetra n 11'. e
o pg desse lado torto que o faz andar f( n i :; re-
liado, suppoe-se andar pela Casa Ferie mazirdo
com urna mulata forra, baixa, alvacema, qo* \>-
rece maluca : qnem o pegar leve-o a ra Direita
n. 54, qne ser genefosamente reccn-pens
Negro fgido
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro oeste
anno o preto Joaquim, deaage Angola, que I01
escravo do Sr. cpiiao Francisco Joaquim Cava!-
anti Galvo, morador em Maria Farinha Praia),
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do ar-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques com
armazem de assucar rna de Apollo ; levou ca-
misa e caiga de algodo branco, representa ter de
45 a 50 annos de idade, alio e de grossura rege-
lar, cor fnla, cabega comprlda, qneixos largos,
olhos amortecidos, beigos grossos, sendo o aupe-
rior um tanto defailuoso, bastante barba, prrm
raspada, finalmente tem nma grande costura entre
os peitos proveniente de queimadura, e soppSe-se
ter-se dirigido para o norte, d'onde velo : prattP-
ca-sea quem o apprehender 00 denunciar o coito
em queestiver : na roa da Cadeia do Recito uo-
mero 52._______________________________ '
Fugio no dia 14 do correnle da na da Cruz
n. 8, terceiro andar, a escrava Benedicto, coto os
signaes seguintes : cor fula, Km falta de denles
na frente, levou vestido escuro de palminhas bran-
cas, chale encarnado, bem ronhecida per ter si-
do escrava do Sr. Salosliano Canlalista : recrr-
mendase as autoridades policiaes e capilar* de
campo qne a peguem e levem-na a casa cima, ou
a ra da Senzala Velha n. 94, que sero gratiii-
cados.
(100
300
020
100
360
800
2O0
Fugio em principios do mez de fevereiro do
corrente anno e consta estar acontado nesta cidade
o moteqoe Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando AtTonsode Mello, de 12 annos de idade pen-
co mais ou menos, cor prela,:secco do corno, otiVs
regulares o afumagados, cabega um pouco granito
e meia chata, beicos finos, dentes bem alvos, prSs
seceos e mnito ladino: rogase por tanto a todas as
autoridades policiaes e capilesde campo que i< ap-
prehendam e levem-o a ra da Mangucira sobrado
n. 8 que sero gratificados, protestando-se usar des
netos judielaes contra qualquer pessoa que o ton ta
em sen poder.
100$
Quem apprehender levar no palacete do Vis-
conde da Boa-Vista, ra da Aurora, ou no engento
Trapiche do Cabo, a escrava Jeaqnlna, ma, alta,
falla da dentes ba freatt, notto oanhecida nesta
cidade, anda as vejes de timo ou saia de balso.
se diz que est em compantiia de nm panto dr*
oiM-Xacob, qae mopa BiJUrntrao*. Me*,n
Craflcacao cima de 1005, KsU escra;a est fo-
gtda tattS Wembro de ao proxfroc. p^'
deade j at protesta centra M, *w tmsUi
cempanhia.
Si


til EnMCl


m

IKpr wr
^M"

Diarlo de rer
i
LITTERATRA.
Foram violadas a le de Deus ealei dos
homens; o que prineipiou pela astucia, e
pela perfidia e se perpetrou pela violencia,
acabar pela deshonra.
No baslando todos estes meios os pie-
roonlezes chamaram a !raco em auxilio de
uas a mas, e redigirara o que um jornal de
Turin chamouTarifa dosangue :Tan-
to ao que por qualquer modo entregar um
0 CONVENIO DE i 5 DE SETEMBRO E A ENCVCLICA
DB 8 DE DK7.EVBB0, ESPOSTA PELO EXM. F.
KVM. SU. HISPO DE ORLEANS.
Primclra parte.
O que pensa do Picmontc.
(Continuayao.)
Estas palavras foram citadas na tribuna
d.> parlamento nglez por membros do parla- chpfe de "bando. t"snt0 ao que agarrar um
me ito britnico em urna sesso memora- ,-. ,
ve!, que lord Palmerston chamava o aconte-, napolitano vivo; tanto, se esliver morto.
es:enloda sessan, naqual sir Benlick e ou- (19).
tro. Inorados memoras da cmara dos cora N-estas ^ Q recompensa
m luis protestaram em nome da honra ingle- \. v
7.\ contra urna poltica atroz, que o governo Pel cadaver un reacionano morto era
de -nslaterra havia glorficado em demasa, o tripulo e o sextupulo da concedida pelo
I'stavam e esto ainda occupados nesta vivo.
g !$-$* *>X fm, ^* .res
um outro deputado, Averrano, exclamava annos depois da nvasao, est lo pouco se-
na parlamento piemontez : As atrocidades gura de sua conquista, que sent a neeessi-
qn duram, ha dos annos e as quaes pa- dadet de legalisar esta medonha represso,
,. collocar toda sua eseperanca, deshon- megmo r df a (leputados, que ex-
ram-aos aos olbos da Europa. ^ ^
..Mas nada punha embarao; os cheles pie- '
montea conlinuavam a dizer em suas pro- 'dade na0 deve enlra'- e< nossas ,e,s;
c!,macoes : Se talou tal bngante se nao a tres annos, que as autondades c.v.s e mi-
aprosentar em 24 horas, arrasare! as suas ^m Poderes ilimitados e devemos
confessar que sem neutium ganlio. (10)
A 1 de agosto de 1863 foi portanto vota-
da urna !ei, a lei Picea, que entrega aos con-
i
G n'outra sesso : tEstocheias as nos-1 selhos de guerra o julgameDto supremo,
sas prises, e, em grande numero, cheias nao s de todo napolitano, preso comas ar-
.\p inocentes! A vida e a berdado de mas na mo, mas ainda dos seus cumpli-
nu sos conedados dc-pe dem do capricho de ces, fautores, dos que os asarem ouderem
u:n espillo, deum tenente de um sargento alimentos etc.
e sesmo de um cabo. ., ,
i Do numero de napolitanos tuzlados des-
Lord Lennox quiz visitar as prises, como tt m.)do pelos piemontezes, alm d'aquelles
n'jutro empo o Sr. Gladstom, e procedeu que cahjram em successivos combates, te-
tm o escrupoloso cuidado dos esiadi-tas mos> segundo um relatorio apresenlado na
mglezas, notando tudo era seu memorial e cmara dos deputedos de Turin, urna cont
pobtieou as suas notas em seguimento aoseu q^-^ qaJ est longe de dizer tudo .
discurso. (.18) O relatorio confessa, que, desde maio de
Reeommendo este discurso celebre, bem > ,,,, ,nna
. .,__, 61 a fe ver ro de 63. foram fuzla 'os 1038.
como o quairo outros da raesma colleccao, .
sos que querem saber exactacmente o que
casas, prendere! as suas p.-opricdades.e sen
do presos sero fusilados. E a proclama-
''>, era executada.
albuco mextn frlra Si le Mar? de 15.
nancaacabar.se quizesjse entrar aqui eos 01 P00C8 DE TUPO. ,R. W. HuntereJ. A.|Carapbell, para atraves-
pormenores desta horrhe! tyrannia Publica o Corrier de FAals-Unis, o se- sarem ;s nossas liohas, afim deteremuma
Libardades nacionaes, liberdade de Im- guinte : conferenci i com Mr. Lincoln ou quaesquer
pren a, liberdade de ophiao, libertftde indi-j Mf. Lincoln enviou hontem (10 de feve- pessoas que elle podesse encarregar de o
vidual, inviolabilidade dis domicilios, lber-, reiro) ao senado federal o resultado da con- representar.
dade da justica, todas a- liberdades, emfim, ferencia de James. i Ein seguida submelto ao exame do con-
Por emquanto apenas temos qm resumo gresso o relatorio dos eminentes cdadosaci-
telegraphico, concebido nestes termos: ma indicados. Este relatorio demonstra que
Segundo a mensagem do presidente, Mr. 0 inimigo recusa enlrar em negociares com
Blair, comquanlo fosse a Richmond com o os estados confederados, ou com qualquer
seu consentime to, n3o estava autorisado d'elles separadamente, e conceder ao nosso
para tratar ou proceder em nome do gover- povo oulras condices que nao sejam as que
no ; Mr. Davis escreveu urna carta, de que se podem esperar de um conquistador. Em
empilhados as mas-
cesso.
todas desappareceram, bram violados todos
direitos. (21)
Liraito-me a um fado s, pelo qual s
podem avahar lodos o i outros ao numero
immenso de napol-tano
morras, com ou sem pr
O Sr. Benlinch dizia no parlamento in-
glez, fundando-se no relatorio do conse-
iho geral inglez, o Sr. Bonham, e nos do-
cumentos apresentados no parlamento de
Turim, que no momento em que fallava
o numero de presos polit eos passava devin-
te mil.
Um outro orador, o S
no parlamento inglez qu<
Co de crimes, nao podero existir nos Es-
tados-Unid s, nem em qualquer parte sujei-
to sua jurisdiccio, e que o congresso ter
o poder de impdr essa emenda por meio de
legslaco apropriada.
Qu mto conferensia qoe precedeu a men-
cionada conferencia, j vos haveis sido pre-
viamente informado.
Somos mui repeilosamente, .etc. (Se-
guem as assignaturas dos tres commissa-
rios.)
A Oazette des Tribunaux narra este < aso
Bowycr affirmou
segundo certos
encarregouMr.Blair.naqualdeclaravaque urna palavra, nao nos permute terapaz, cario^^Sdo Sr^dSd5 :'
se acliava prompto a receber ou a mandar seno tomando por base a nossa submisso,
commissarios; Mr. Lincoln respondeu que sem coadicoes, a sua auto:idade, junto
consenta em receber pessoas nomeadas, nossa acceitacao sua recente legslaciio re-
sem formalidades officiaes, com o proposito tativa emancpaco dos escravos, e ao di-
de assegurar a paz, tomando por base a pa- reito da parte do congresso iara regular as
tria commum. relac5es entre a popu!a<;o branca e negra de
A mensagem publica ento os pormenores | cada estado.
dos incidentes que produziram a confe-
des e assegurar-Ihes salvo-conducto e pro-
teceo. Fez-se saber explcitamente que se
d'este mod que o Pimonte res-
a tem passado c se est passando ainda nes- Peitou os tos das populacdes, que poz em
[taha, regenerada, diz-se, e salva pelo iobra os mfu moraes e raandou fazer ci-
vilttaco moderna os progressos, cujo be-
*.
Piemonte.
Noposso, ao terminar, reler nos labios; neficio invoca boje para os estados pontifi-
e no fundo de nimba consciencia come vida jC10S"
esle grito, 1 meado no parlamento inglez pe-
lo Sr. Mauguire :
E ainda hpntem, na Sicilia, um official pie-
montez dava s chammas urna familia in-
Iteira.
Tal segundo eu [comprehendo, o effei-
to da emenda da constituico que foi adop-
tada pelo congresso dos Estados-Unidos.
Palacio do exeemivo, Richmoni 6 de fe-
vereiro.
Jefferson Davis.
tralava de urna conferencia nao official fun- Rela'orio dos coramissaros confederados
Desfallecem ror nezes e annos ,,,,, __. a.. mn ., A i
1 .. iaaa na Da e ja mencionada. Os commissa feto ao presidente dos estados do sul :
ira que esta, i aii ros escreveram uma cnrU> dec|aranci0 qu0 Senhor.Em cumprimenio da vossa car-
positivos, sabidos, repito-o, desej3vam conferenciar sobre a questao da ta de 28de Janeiro, partimos para sollicitar
pelos d.scursos proferios nos mesmos par- guerra existete e a respeto das condi(.0es uma C0IlftreI1< nao official com Mr. Abra-
lamentos de TurimeLohdres. que Ihepodi^m por termo. ham Lincoln, presidente dos Estados-Uni-
(Cntinuar-se-ha). | Presumindo que tudo estava bem enten- dos, sobre o assumpto mencionado na dita
-------- 1 p ------- jdido, o presiente expediu o secretario Se- carta
deWTfTSl deIm S2K i warAd ir a- STS.*" commfissaris-1 Foi concedida a "**. e verificou-se
solvidos 99 cmaras nunicipaes, e 96 cor-! As 'nslruccoes daquelle era conferenciar no da 30 de Janeiro a bordo de um vapor
pos de guardas nacionaes (Vide Confis-l^bre a base da reslauracao da autoridade tandeado na baha de Hampton, no qual nos
documentos; este numer), depois da ma- rencia.
sao monUva a setenta m l... Derafn-se instruccoes particulares para fa-
Assim ento, como ag. ra, as prises do fr alraTOM" as lnas commissarios rebel-
reino nao bastam, regurgitara. N5o se cui-
da de julgamento, nem mesmo de interro-
gatorio.
'iii sab
S5o fados
n.cional, nio s-comprometiendo o executi- eQContramos como presidente Lincoln,
fJ'Ji^i? i V C3USa na questa0 da escravidi0- Quan ; com o honrado Mr. Seward, sscretario d'es-
" to ao termo das hostilidades, nao podia este tado dos Estados-Unidos.
ter lugar senao no fim da guerra, e depois Esta conferencia durou algumas horas, e
de haverem sido dispersas as forras re- foi to completa como explcita.
beldes. Soubemos d'elle que a mensagem do pre-
Mr. Seward recebeu posteriormente novas sidentc Lincoln ao contrresso dos Estados-
nssao; era forca obe-
irefeitos piemontistas,
quaes circulares es-
rnadores das provin-
(18) No poteo de uma d'eslas prises,
daquella mesma que o Sr. Cladstone descre- Falia-se da moderaco dos revolucionarios
m com tanta complacen a, os presos con i ,a|ian0. ei.!a |h|, Faaes.me pimonte. |
la lord Lennox, precipitaram-se em roda de .,_, ... .,.,.,. i
mirn. em lame, tosos gritos.com os oIlios!Zes,da 'berda-Je de Italia.
i-?cados de sanirue, bracos estendidos, im-; E eu ies;ondo-vos e ii nome da liberdade,'
[)' ramio, nao a liberdade, mas um procos- [ da verdade e da honra, que tendea sido que ,
soes e mentiras.)
At era prohibido
concelho dar a sua de
decer s ordens dos
sob pena de morte.
Eis ah, com effeit
tes enviavam aos go
cas confiadas sua administraco.
Prcfeitura da provincia de Girgenti
\. oututyro 1862.
Senhor... advirlb-vos de que no caso de j
violaco desta ordem seris tratado sem!Para na0. demor.ar de modo algum as ope a- dos termos, condiraes e methodo. pelos
piedade, como o sao boje os saspeitos de #* i'ilares; i quaes apa se poda restabelecer. Nao fo-
tendencias criminosasL j Mr- beward wmmunicou com o p esiden- m03 informados de qe estas devessem ser
E se o administrador, assuslado, se lem- te, o qual se diriga a Hamptoi por convite modifica jas ou alteradas para chegar quel-
bra de dar a demfsso, assim amea- do general Gran i, depofs de haver recebido! ,e flin> Fez-nos comprehender qu 5 nenhu-
Ao terminar advrto-vo: de oue nao Um deSpaCli' q"C S commissarios ac" raa condicao ou oroposta de tratado ou de
to para licenca ou demissao do vosso cargo, conferencia.
se de futuro o fizerdts, ver-me-hei obrigado1 uma nota declarara os commissarios,
a obrar com todo o rigor que os tempos. que o seu mais vivo desejo era chegar a uma
acluaes demandam e autorisam. I paz justa e honrosa, e que estavara promp-
0 Prefeito Falconieri.
Islo em relaco s
Mr. Millspaogh, nfgociante abastado, de
Nova-York, desposou ha 7 annos uma for-
mosa don/.ella pertencente a uma familia dis-
t i neta.
Imitando o exemplo de uma grande parle
da sociedade elegante, os esposos Mills-
paugh, para e vitar em o incommodo de ter
uma residencia propria, viviam n'uma hos-
pedara das mais aristocrticas; e o marido,
homem laborioso e entregue aos negocios,
saia de casa cedo e regressava mui tarde.
Aconte eu, porm, que um dos locatarios
da mesma hospedara, Mr. Adams, foi por
Millspiugh apresentado a sua jnulher, tor-
nando-se pouco depois o amigo intimo des^
tesjovens casados.
Sem oceupaco alguma que lhe roubasse
o lempo, gosando largamente de uma avul-
tada fortuna, Mr. Adms, offereceu senhora
Millspaugh todas as distraeces que seu ma-
rido lhe nao podia proporcionar; e a sua
intimidade progrediu a ponto de os tornar
inseparaveis, de sorte que demasiado tarde
Mr. Millspaugh se apercebeu que o seo des-
leal amigo lhe roubra o affecto da esposa.
Nao tardou M. Adams em propor sua
amante o divorcio, para poderem em segui-
da unir-se legalmente.
O offerecimento agradou e foi aceito, sen-
do, sem demora, effeduado.
Os culpados parliram juntos para a Jn>
diana.
A legislatura desse estado exige que as-
parles que reqnerem divorcio, residam por
esp;n;o de um anno no seu territorio.
Apezar disto, alguns das depois, gracas
so nao grafa mas julgamento.. A atti-' s ainda os t QS da ,|a|ja#
tos a receber ou a apresentar propostas ad .
iberdades municipaes.!.. nhuma cir^umstancia se faria.
Os ali i entos daqoelles ir.felizes nao se-1 npla fhpntira i^ia t. hr.,1,,1 'n.,n<.a A r' I Press3o e fonecionario que a exerce, sem nico ponto, e d'este modo se malograran!
min dados em Inglaterra aos animaes. > Pela menl,H Pla JW Dru,al' nunca P r" n.nguem consultar, uih Questor pode arres
Lord Lennox dizia ainda : tTenho uma mittirei, at onde cheguem as minhas tarcas,! lar e confiscar qualque r jornal.
Icr.ga llsHTTI nomes d< mulhere's retidas na que tes fados sejam absolvidos pelo succes-' Assim s em aples foram s
gotario. Ncstas prises as mulheres hones-
tas estavam misturadas com as prostitutas ;,re'contra.
os padres e os magistrados com os assassi- > ^m
briam de sangue o reino de aples, pesava era exercida a mesma t:
n)s: fidalgos com forcados I m etreita
ce'lula do mais mi^eravel aspecto i stavam
quatro homens, agrilhoadosdous adouscom
a^ mais pesadas cadeias- Um d'elles era
francez.-
O Sr. de Luca estava accorrentado com
um salteador condemnado por assassinio e
roubo Assim um gentilhomem italiano,
cujade-gaca era nao ter a mesma oploio
do governo de Turin, estava acorrentado
com o mais vil malfeitor.
sobre os habitantes, qu nao queriam pegar Por egual modo rts'peitou o Piemonte ai camra dos representantes,
em armas, um systema de terror. Era um liberdade das pessoas. Eis o que lord Le-
. nox viu em aples.
JDLHETIM
Revista dramtica.
2a de marro de 1865.
DUNA DE RIONE29PODER DO Ol'HO.
O meu silencio nao infundado. Quize-
ra seguir a companhia dramtica do thealro
de Santa Isabel na analyse justa, na critica
sincera dos dramas que successivamente
fossem os artistas estudando e atirando ao
palco. A quinzena deu-nos tres composi-
ces vistas, revistas, criticadas, analysadas
por todos os jornaes do imperio: os dra-
mas Diana de Rione, 29 ou Honra e Gloria
e finalmente o Poder do Ouro.
Lance de mo prlogos e prembulos e
vou tentar, vo d'ave, dizer duas palavras
sobre o primeiro d'esses dramas, visto sob
a face de concepcao dramtica.
Diana de Rione resume uma tata de seu-
timentos vigorosos, nem sempre patenteiada
pela verdade oo pelos prismas d'um estyllo
analysador e recto. N5o ha moralidade no
drama, ha enredo; o romance a mola
real donde saltara as peripecias, os fugaces
relmpagos da palavra arrebatada, que pode
seduzir mas raras vezes impressionar.
O romance d'uma mulher elegante, inn-
Iher da Regencia, prompta a accumalar n'uma
paixao os ltimos raios puros, que lhe pou-
param no instincto os combates do amor,
mulher infeliz poder-me-h5o nega-lo?
iufeliz por conservar ainda nos transes mais
apaixonados da vida uma mascara sobre o
coracSo, uma mascara sobre o rosto, uma
couraca sobre a alma. Ha moaentes em
repaesada na candara d'um innegavel amor,
rompe-lhe do labio irnica, zombeleira, sar-
castica. Explicar o carcter d'uma mulher
(disse um moralista francez) explicar o
carcter de todas as mulheres. Com essa
Diana, cae o proverbio ou a mxima citada;
se a verdade o'elia transluz n'uma ouvem de
raa condicao ou proposta
pacto seria tobada em conside aeo ou ac-
ceite por elle conjuntamente com os esta-
dos confederados, porque isso seria equiva-
lente a um reconheciment da sua existen-
cia como potencia separada -r o que. em ne-
Em v ir lude
Quando liberdade] de opinies, uma eir- "V ^am,;, ^,.,^0,,.^ os roram praposta ema
tu-le e a condicto dos condemnadesdo m-\ ,u<" TT ^l'cular de 2I ianei! dfe.i8tt3 dir,da ^lu^^TJ^i^m^lZ^ dos estados separadamente seria tara-
ferno de I) mte dariam a mais justa .d. da qanto la se tem passado e m.nha convfcco (ministro a todos os 1 refeitos, recommenda ustentaram o pedido de um armisticio, sem; J
cena passada no pateo daquella prisao : | inabalavel que tudo foi feito p la traicao, W ^2LS t$Zfl?TaZ ?IIZ "gZ~l LT!/!?"."!!! Acrescenteu que nenhuma tregea ob ir-
misticio seria concedido sen* previamente
haver segurancas satisfatorias de uma com-
Os jornaes de Richmond puWicam os se-1 ^et3 restauraco da autoridade da constitu
guinte documentos, que foram communica-! ?3 e das les dos Estados-Unidos em todas
?r^.!VT'^.:?-^^ e em 1ua,lt0 me Wr vo!, prostesta- pela polica 27 jornaed
E lord Lennox. no discurso que me for-dosao COngresso confederado ascidades situadas nos limites dos estadbs
quanto os soldados piemontezes ^J^^K^X'oV'^ffiSL t ^Z a communicac"ao do presi- confederadosr que noientre.anto os ndm,
io sinmun r.in Ha Vonnioo ^0!_____"_.-*. .______.; d-nte Dav feta tanto
19) Circular da commisso central dis- m uma s niute't a polica involveu eaclo escripta, que me convenceu que o pie
tribuidora de subsidiosCircular da com- em suas redes 200 pes soas, mulheres e ho- dente dos Estados-Unidos estava disposto
T SSr^a'p d O^^^^-imense entre elles um padre de mais de 80, a conferenciar com les n5o officiae
da? no discurso de M. Cochrane, no parla-, annos de edade.e enea rcerou-as (ordLen-; 8 '
ment inglez. nox, no |)arlamento in rlez.) j I08 w l,Gdesse Jul8ar conveniente mandar,
(20) Odepu'ado Minervini, sess i do Io! as provincias aceitera como na c*-com o pro; osito de chegar ao restabeleci-
de agosto de 1863. i ptal. ment da paz, pedi armas. A. H. Stepheus,
instruece para nao concluir ajuste algume o Unidos em dezembro ultimo, explicava ca- a um juramento falso e liberdade de Mr.
presidente raandou ao general Grant ordera ra e distintamente as suas ideas, a respailo ft\^^*f^ ^ no
mesmo da legalmente unido por um sacer-
dote.
Tendo elles regressado a Nova-York, vi-
viam juntos sob a salvaguarda do acto de di*
vorcio e de nm fedificado de casamento.
Porm Mr. Millspaugh, que resolver per-
doar a esposa infiel julgando que ella fosse
viver longe delle. nao pode tolerar a nova
atiranta que os culpados lhe queriam infli-
gir com o seu regresso. Appellou, portanto,
para o supremo tribunal, pedindo a< anuut-
laco do d.vorcio obtWo na Indiana por meio>
fraudulentos, e do casamento que et segui-
da tivera lugar, redamando alm disso do-
seductor e de sua mulher uma indemnisaco
de 18 contes de ris.
Os debates revelara cousas curioeissimas-
e pormenores interessantes acerca dos usos
e eostumes- da classe aristocrtica nae hos-
pedaras.
A despetto dos esforcos empregadbs por
Mr. Adams para provar que o seu adversa-
rio usara de brutalidad- para cora sua. mu-
lher, Mr. Millspaugh pode fcilmente-provar
que havia constantemente tratado a> esposa
com todo o carinho, e que se os sene- affaze-
res lhe nao permitliaa ser to assidan como
oseu rival junto de sua-molher, nao-havia
comtudd dado motivo agum para a. sua in-
fidelidade.
O tribunal declarou millo o divorcio al-
cancado por meios fraudulentos 3em que
Millspaugh,. fosse intimado' a coaparecer
para se defender; declarou illegale Ilegi-
timo o casamento celebrado sombradeste
divorcio, e- condemnou Mr. Adams-a pagar
ao ultrajado- esposo 9:000,3 a titulo, de in-
demnisac.
completamente os resultados que se espera-!
vam da conferencia-
ao seaa como a
ehios que estavam sujeitos aos castigos-, e
penas previstas pelas leis dos Estados-Uni-
dos, podam contar com um oso mais'liberal
Tendo recentemente recebido uma notifi-i do direito de perdo de que eunesta inves-
!i
tidb, se a paz se rcstabelecerJ *^|
No decurso da conferencia suscitaram-se
as emendas constitucionaes adoptadas pelo
Gungresso em< 31 de Janeiro.
Estas emendas decide n que a escravido
ou a servido \uluniaria, exceptla expa-
I
ironas, e se a pureza, a sublimidade na mu- ,-da Gauthier n'aquelfe. bonita comedia dos j symphonias do amor A mascara na mulher
lher firma-se na candidez, na suavdade, na' Trjbutos da mocidafe, Murger patenteu.|cecom a primeira iagriraa.
molle flexo do espirito e dos sentimentos, 0 mesmo perfil as Skerns da Vida de Bo-
onde existir o lado formoso, o perfil encan- hemta, Dumas Filli. Barriere, Thiboust,
tador d'essa creatura ? bella nos contornos piouvier, deram as Atdlteres de Marmore, a
vicosos e incomprehensivel nos torneios ca- Condessa de Limotrs, a Peccadora, Bay-
;: ohosos e indomaveis d'um carcter fu- ard imaginou Eva, lo autor dos Miseraveis
gaz? em Franca colligiuinuitasfeices equivalen-
tes em quasi todo q seu admiravel reporto
Raivem os crticos; atiro a observaco e
nao analyso-a, sobra-me vontade e nao me' rio, o poeta dos hiiseraveis no Brasil es-
sobra espaco. | bocou aquelle perfil so mbrio as vezes, as vezes
Diana de Rionecaractersa o pensamento lacrimoso, de Fausta que nos viraos ha bem nulos desinceridade. O dramapassoo
Os outros personagens descobrem faltas
do mesmo quilate,, mas menos- salientes.
O conjuncto do drama ediMo-hei ? o....
ensemble engaa como uma chuva de pris- \
o que certo que o nome popular, de que
se acha hoje-acercado o drama., fundamentou-
se na contenda renhda de duas plateas, de
dous partidos e de dous theatros. Foi. do
borborinho-quese ergue eapplauso; a glo-
ria nasceu do fumo.
A cempaobia dramtica deu-nos por fim
mas, e a sceoa do ultimo acta recommen-: um drama, j muito conhecido e que, se-
davel por phrases inegavelmente encanta-; melhanga da composco do Sr. Jos- ftoraa-
ttoras. j n, enraigou-se no animo da platea ao sei
E o desempenho Vou gastar dous m- porque combinaces^etecogeaeits. Itefiro-me
mais saliente e aproveitado da moderna lit- pouco tempointerf retado as taboas dothea-
teratura dramtica franceza. Litteratura tro de Santa Isabe
que deu o verdadeiro impulso H Murger Chame-se a herona Dalila, Diamt de Zo-
nas Scenas da Vida de Bohemia, que Du- ne ou Mimi; seja o autorOctavio Feull-
mas Fjlho proseguiu na Dama das Carne-' |et, Theodoro Barriere ou II. Murger, o
lias, que Theodoro Barriere, Lambed Thi- id al o mesmo. a irona d'uma alma secca
boust, Eduardo Piouvier e os exagerados de corteza allia-e s lagrimas, s emoces
D'Ennerye Dumanoir continuaran! com mais precipitada dums paixo violenta.
mar
ou menos felicidade e applausos.
E' uma escola scyntillante de dialogo, ou-
Diana de Rione como concepcao drama-
tica fraca, nao i esistiria porventura ao ata-
passam os dramas... m escudados. Nio'
ba culpa verdadeira nos artistas, justificados tingue-se- pelo requinte e revela-se pela exa-
pela presteza com que tai atirado scena o (?"*> A ida moral e nobre, mas exa-
espectaculo. Reservo-rae para a primeira 8erada e acobertande-se por vezes- com o ar-
em que o drama patentear cedo estudo da ro aturavel do melodrama e da tragedia,
parte dos actores, e quando a critica tenha I *fto fere' mas fere cora umaccommetti-
por norma ser inflexivel, porque nesse caso meoto serisincera. Gustavo Planche, o grande cri-i ?poder d<>ourocapaz de tudo o que
tico francez, escreveu uma phrase que para N> dramaturgo patenteou-nos, nao quero nem
mim tem tarca de dogma; a alma, que nao m cabe a muQ a Pretenc50 de nea-' >
sada. rica de espirito e movimento, porm que d'uma crilicY severa e justa. O enredo
nao me criminarSo por esta verdade? nSo se recommenda,nem causa sorprezasao
porm estacionaria no pensamento, egual espectador ; un ta autopsia de sentimentos,
sempre no fundo, invariavel nos alicorees. um romance onde predomina o corac3o;
Segu os vos progressivos da esculptura ; 'o lado esquerdo la mulher batendo soffrego
os artistas, por uma simples combinacao de'pelas effuses ap ixonadas d'um desesperado
linhas, por um ligeiro movimento no mar- amor.
more e na pedra, affeicoam ab gosto con-
temporneo a ida ennunciada pelos primei-
meiros esculptores do mundo. A plstica
resiste franqueza, nada pode merecer;
nao eonhecer a sinceridade desvirtuar a
justica.
Gustavo Planche era d'uma avidez assas-
sina,entenda-se,n5o podia ser impeHido
pela lisonja ou pelo antagonismo quando im-
1 primiu esse pensamento na biographia d'um
Os persoaageqs giram sem a precisa vi-! poeta admiravel,o visconde de Chateau-
vacidade as evoljices d'um dialogo s vezes briand.
rutillante de exprjessao e de sentimentalismo,! O drama militar 29 ou Honra e Gloria
torcida, alinhavada, purificada talvez, com- porm em certos momentos fraco, ennubbr mais wbido que as oraces contra... as
bina as suas mais imperceptiveis manifest- do, desengracador A scena torna-se fria, e trovoadas e contra os quebrantos. O Sr. Ger-' [
ces o ideal primitivo da arte mais re- a ante-sala d'umbaile, onde se movemos
mota.
Soup,
n'um dos seus livros de critica
I rincipaes arrojos do drama, nao comporta
tanto socego, tanto gesto fri, tanta phraie
theatral, aprsenla as scenas mais rea fistos, glacial.
da escela realista como novos trages com O drama bonito, podia ser admira-
que cobriram as primeiras scenas, s scenas. vel; nem todas as pennas talham perfis
libidinosas e sorprendentes das bacchanaes como a Dalila.
romanas. Quanto ao gosto com que foi idealisado o
Quanto ao pensamento, repito, a ida pre- carcter da herona,^ittrevo-me a offerecer
dominante na escola que pertence. Da- algumas censuras, embora desenxabidas. Ha
na de Rione, pouco tem mudado de es-
sencia; muda porm de veste..
Len Gozlao imaginou o' typo de Marga-
muito sarcasmo de mais, muitos moteje,
muito gelo naquella alma de mulher, na-
quella alma atravessada pelas vehementes
mano faz o que se pode fazer no papel. Digo
uto porque apreciei-o realmente n'um dos
theatras do Rio de Janeiro ; nSo o vi no
Santa Isabel; de crer que trabalhasse com
o mesmo talento.
A escola que o Sr. Jos Romano fll'ou
a sua composico escola do momento, da
todava o poeta dramtico deve medir os
seus pensa raen tos pelo tempo e pela socie-
dade que os fez conceber; passar os limites
faltar verdade.
Ha certas combinacej no drama qu pas-
sariam por puerilidades, se a mira sobre
que se dirigiam os votos do autor nao fosse
o enthusiasmo, o soffrego applauso de alguns
espectadores mais amantes da palavra deci-
siva e forte, do que da forma e das regras
dramticas; encaradas tanto pelo lado inti-
mo como pelo lado da arte. Nesse case es-
to as repeticoes immediatas do titulo no
correr do drama, no final dos actos, e a pre-
senta de Margarida cerno o epilogo ; por
cuja nreseoca a platee conhece irremediavel-
mente a quedas do panno sobre o quadro
scenico.
- No entanto o autor tai feliz porque o dra-
ma tem agradado, e o thealro ltimamente
A companhia esforcou-se por agradar ;
fazendo justiga ao pouco estudo que tiveram
talvez os actores, sou forcado a declarar que
nem todos-agradaram-me nessa noute. Os
Srs. Guimares e Pedo-foram os encarre-
gados dos> dous typos rsticos de que Uve
occasio de fallar ; o Se. Guimaiaes exage-
rou extraordinariamente a ida do autor,,
tanto na inllexo da voz cerno* nos gestos.
Nao sempre feliz o aetor que recebe como
nona pan o seu traMao ae gargalliada.--
;ed*aawde- de a,gM0$ enthasiaete* de ealremez. Esse
artista tem talento, e o meio de aproveita-lo
ou.ir sua consciencia nicamente ;: os
mediares applausos nascem do trabalho. ; o
trabatoo que nos ir.comiBoda, o traballioque
nos-cora. A sinceridade dicta essas palavras.
O Sr. Porto affeicoou-se melhor a ndole do
personagem. O Sr. Coimbra bastante sym
pathico nesses typos ; no entanto. ama
parcella mais de coneentrac'o n5o lhe dis-
virtuaria o trabalho. A Sra. D. Eugeaia tira
sempre f liz partido dos sens papis ; coa-
tudo reservo o meu decidido apptuso aos
seus esforcos em outro genero de persona-
gens ; o carcter ingenuo nao dos que
mais fazem realcar a sua inteHigeneia. O
Sr. Teixeira e os outros artistas estiveram
no alcance das tarcas de que dispoem ; o Sr.
Lisboa no ultimo acta mereceu Sinceros ap-
plausos. Espero admirar o talento da com-
panhia em dramas de maior talego, creie.
que o fareiembrave.
oecaso.doe :thusiasmo. O povo applaude- pertence mais s plateas do que correccao
se na obra; na penna do dramaturgo osflarte. Os caracteres de dous rsticos ca-
patriotas reconhecem espada do soldado ; rieatos que apparecem no drama esto ex-
as grandes tradicoes que geram as grao-'celleotemeDteJescoohecidos; Margarida po-
des iaspiracoes. No vou condemnaronelo-jdia ser mais d'ifficil, mais senhora s iosi-
giir o Sr. Romano pela sua idea dramtica; nnaooes e Odooces do commendador.
O Sr. Colas Filbo compoz um hymoo de
guerra che de enthusiasmo e paixao; a
harmona revela-se e o sentimento palpita
em cada nota. Esse hymno, poesa do Sr.
Guimares Jnior, foi cantado pela compa-
nhia na noute de 25. Aperto a m5o de dis-
tincto maestro saudando-o com verdadeiro
jubilo; sou muito amigo do autor dos ver-
sos, dou-me por suspeto e... calo-rae.
Luciano SAthaydt.
PERNAMBCGO.-IVP. E f E P. VlLH
-"






\

I

I
I
i r-^ii% #ii
V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGL7FD2VT_4ARA85 INGEST_TIME 2013-08-28T01:37:19Z PACKAGE AA00011611_10631
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES