Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10630


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
f
-
j
AMO III. BMEHO 73.

Pr fMftfcljtgi dtlr del Odias do 1, mez ...::., SJOOO
IdcM ?rte cwreio por tres eizes.......,.,,.' 7S0
j)IHTA FIRA 30 D ARCO DE 1865.
Por anno pago dentro deludas do \. mez ,,,.,.. 191000
Porte ao correio por um anno ,.....,' 3$000
NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alezandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivelra; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Pilhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Alabas, o Sr. Claudino FalcSo Das; Bahia, o
Sr. Jos Martius Alves; Rio de Janeiro, 0 Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e cstacoes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buiqne, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MAR0.
4 Qnarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 Lna cheia as 8 h., 22 m. e tO s. de m.
20 Quarto ming as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 Lna nova as 3 b., 8 m. e 22 s. da m."
AUDIENCIAS DOS THIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do ci*l; tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
2'- Segunda. S. Leandro b.; S. Robeito b.
28. Terca. Ss. Prisco, Maleo e Pastor mm.
29. Quarta. S. Bertholdo c.; S. Joas m.
30. Quinta. S. Itudezindo b.; s. Cllnio.
31. Sexta. S. Veremundo; S. Balbina v.
1. Sabbado. S. Macario b.; S. Valerio ab.
2. Comingo. S. Nicolao b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 c 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e noverabro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE GFFCIAL
G0VSKNO DA PROVINCIA.
Continuar!) da expediente do dia 2 i de marco
de 186o.
Offlcio aojuiz municipal da primeira vara desta
cidade. -Para cumprimento de aviso do ministerio
da justica de 28 de fevereiro ultimo, informe Vmc.
sobre o incluso requerlmento documentado em que
Adolpho Liberato Pereira de Olivelra pede ser pr-
vido nos offlcios de tabelliao e escrivo do lermo
de Nazarelh.
Dito ao mesmo.Em observancia do que foi de-
terminado por avifo do ministerio da justica de 28
de fevereiro prximo lindo, informe Vmc. sobre o
incluso requerirnento documentado em que Mar-
cellino Antonio Pereira pede ser prvido nos offl-
cios de tabelliao e escrivo do termo de Nazarelh,
fazendo o peticionario satisfazer os direitos da fo-
lha corrida.
Dito ao mesmo.Para cumprimento de aviso do
ministerio da justica de 28 de fevereiro prximo
lindo, informe Vmc. sobre o incluso requerirnento
documentado em que Alvaro Paulo Noblato pede
ser prvido nos offlcios de tabelliao e escrivo do
termo de Nazareth, e faca o peticionario pagar os
direitos da folha corrida.
Dito ao juiz municipal de Nazareth. ?ara cum
cou-se ao Exm. conselheiro presidente da rea-i releva-la da multa que Ihe foi imposta pelo
Cao. j Iho director, visto haver ella provado ter em tempo
uito ao mesmo.Com copia do offlcio do com- entregado ao respectivo delegado litterario o mappa
mandante do presidio de Fernando, datado de 28 de suasalumnas relativos ao 4. trimestre ; o que
de fevereiro, remello inclusos a V. S. para os Qns communico a V. S. para seu conhecimento.Com-
convenientes, 2 documentes que passou o alraoxa- municou-se ae inspector da tbesouraria provincial,
rife do mesmo presidio, por occasiao de receber j Dito ao commandante do corpo de polica.P-
daquelle commandante vanos gneros por paga- de V. S. contratar para servir no corpo sod seu
ment da quantia de 847,5000 de um raachinismo commando o paisano Dionizio Ferrelra das Chagas,
de fabricar farinha que vendeu no auno de 1863, v|sto que foi considerado apto para isso em iospec-
conse-1 para atl'ender supplicante nos termos de sua in-
rormacao do 21 do corrente sob n. 81.
Bacharel Pergentino Saraiva de Araujoo Galvao.
Kemettido ao Sr. director geral da instrueco pu-
blica para atlender ao supplicante, de conformidade
cora a sua informacao.
sob condico de ser pago com gneros de produc-
cao daquella ilha.Communicou-se ao comman-
dante do presidio de Fernando.
Diio ao mesmo.-O bacharel Bartholomeo Tor-
quato do Souza e Silva,deixou por molestia oexer-
cicio do cargo de promotor publico da comarca do
Pao d'Alho, em 3 do correnle e a reassumio em 10
do mesmo mez : o que a V. S. communico para saa
intelligencia.
Dito ao mesmo.Em vista da inclusa conta do-
cumentada qm me foi remettida com offlcio do co-
ronel commandante das armas interino, datado de
24 do corrente e sob n. 352, mande V. S. pagar a
quantia de 118680 despendida pelo alferes Felippe
Jos da Exaltacao Maniva ^commandante da com-
panlua de Voluntarios da Patria, de homens pretos
com a conduco de artigos de tardamente do arse-
nal de guerra
Cao de saude, segundo consta do seu offlcio n. 172
de 18 do corrente.
Dito ao mesmo.Deferindo o requerirnento de
2." sargento do corpo sob seu commando Joao Fran-
cisco de Almeida Bastos, sobre que versa a sua in-
formacao n. 188, datada de 24 do corrente, auto-
riso V. S. a dar-lhe baixa do servlco.
Dito ao presidente da cmara municipal da ri-
(OMflANDODAS ARMAS.
Quartel do coraman lo das armas 'le Pernambueo
na cidade do Recife, 29 de marro de 186o.
Orden do dia n. 49.
O coronel commaudante das armas interino con-
vida aos Srs. offlciaes do exercito a comparecerem
pelas 6 horas da tarde na igreja matriz
ohclVSetSaf6 l,UC Mab5a U0Va COnU Q6 6a" Cuadrando que no termo de Cabrob ;
Juntos os dous dividendos prefazem alies a 2^ ^ ~J&jg" *** a'u"'a'
quantia de 180000 ris ou 9 por ceulo por accao. I Sr "*?*'" "EL*6*0 ,dos preE? deSe*
. A Companhia de Reboques Martimos e Flu- HWfiJKffJHL 5 em evad,do Pres0
yiaes, do Porto, teve de receita. no anno social
que passa a nova conta de ga-
. receita, no anno .
lindo em 28 de fevereiro ultimo, 16:3103535 ris
e, de 5speza 7;9203723, resultando o lucro de
ris 8:3893832.
A companhia tem dous vapores o Foz do Douro
c !Srt> ^"'os nuaes Hieram 00 decurso do au-
no 330 reboques martimos e 14 fluviaes.
Deve brevemente ser discutida urna proposta pa- Dor' SPr B.
-Os ccionLs do ihearo^ EBftfS. [ K"?^ ES SKSIfL^
ca publica e al desanimo para as autoridades que
vem assim inulilisados os seus esforcos e suas vi-
das ameacadas por aquelles criminosos que se con-
sideran) cima das leis:
Considerando que a cada do lermo do Salguei-
ro um instrumento de tortura que serve de pri-
S. de 23 do correte apresentaram-
cidadaos, aos quaes mandeialistar no corpo de Vo- ,",,.
'untarlos da Patria. I companharem a procissao do mesmo Senhor Bom
Jess p;ira aqulla matriz.
(Assignado.) Jos (Marta Ildefonso Jaco me da
I Vaga Pessoa e Mello.
do Corpo Sanio, aGm"VcVpaharem"em pro-; & dePois de 7 annos"de "existeciV'd "me'smo I Sfcf "S--d majr Altxan,!re Gomes de S, se-
-ngeni do Senhor "
trasladada para
da larde do da 3 1 igreja para
'. __ ,is ,[ hnrnc di 11 r 11.. ...t^ ..... i -> i
as 3 horas
Agradeceodo muio a coadjuvacSo que presta
V. S. aos esforcos do govorao na acquislcao de Vo-
luntarios, confio que continuar nesse louvavel e
patritico empenho.
Dito a Flix Francisco Portella.Mandei alistar
no corpo de Voluntarios da Patria a Trajino Ro-
para o quartel das Cinco-Ponas e.
deste para a companhia de artfices, bera como com \ drigues do Nascimento. a que allude o offlcio de
a compra d'agua para o consumo das pracas sob V. S. de 23 do corrente a que respondo, agrade-1
seu commando. cendolhe o modo porque proenra auxiliar apre-|
Dito ao mesmo.Deferindo o incluso requer- sideneia na acqusico de Voluntarios.
lo corpo de Vo- i Dito ao inspector interino do arsenal de mari-1
lunUrios da Patria Joaquim Cypriano Bezerra de nha.Mande Vmc. fazer urna pona de eixo de,
Mello, recommendo a V. S. a expedicao de suas or- Ierre batido ou fundido para substituir a que se
dens para que a contar do Io de abril prximo: acha partida no vapor Imperador, bem como forne-
vindouro em diante se abone a mana do suppli- cer ao mesmo vapor 60 tonelladas de carvo de
da Escada.-Era cumpri- cante Rosalina Olympia Bezerra de Mello a consig-! New Castle, como requisitou o respectivo com-
mento de aviso do ministerio da justica de 23 de I naci diaria de 300 ris que de seu sold pretende' mandante em offlcio desta data,
fevereiro prximo findo, informe Vmc. sobre o in-, elle deixar nesta cidade. Dito ao capio do porto. Visto que nao podo
(Conforme) Antonio Francisco Duarte, tenente
junte de ordens interino, encarregado do de-
talhe.
irimento de aviso do ministerio da justica de 28 de ment do particular 2' sargento do corpo de Vo-
evereiro prsxirao ndo, informe Vmc. sobre o in- '
cluso requerirnento documentado em que Orlando
Me luilino de Almeida pede a serventa dos offlcios
de tabelliao e escrivo desse termo.
Dito aojuiz municipal
EXTERIOR.
COHRESPO.YlftEXCIAS BO 1>IA
VIO DE PERHTAHIBCC'O.
IMMtTI U\l,.
Porto, 1 i de marco de 186.
Foi nomeado novo ministerio, que se compoe do
isiracao u aquella tidos todos os criminosos de mais importancia dos
6:0003 para a compra dessa casa.
e a despega de 1:7753730. Pago
existindo o saldo positivo de 367X640 ris
- A desagradavel rueslSo entre n sniivrinin A commiSSao nao Pde avaliar se realmente
res dissidentfs To Lco Xacional U tramarno e" i nV' -de HSS*"* do"Sr- maJr GonMS de Sa
o governador do mesmo Banca c ,i 11' IfPSS&SS?** sua *id P1"" 6:0003, ape-
sabido, sendo mandado restituir os rtenos'.osThnV 'nas Pe declar.ar qae Pelas V*V*fH do edificio
pelos ditos "ubSio^ T"""* m* ^T que lhe fo r6mMiii- endo
suas assgnaturas Vs SS^jSSuSSl ^n Y Pndra e cal' e boai madeiras' como
pendencia? pela parte dos dissTdenles foi de tllS* !r- Dr" Juiz de direi,0> este valor nat-
3:3985595 ri a.ssiaentes, ro de..... p0li(. deir de ser coasiderado em qua|quer loca.
-OBancodoMinho.estabeleciJonacdadede SX^S^T^^ ^^ ""
cluso requerirnento documentado em que Manoel' Dito ao mesmo.Parlicipando o bacharel Abilio: scraproveitado para o servico da armada o menor duque de Loul, presidente do'coa*elho de mini'i-
Heraclito do Albuquerque pede ser prvido nos Jos Tavares da Silva, ter por doente deixado o
i exercicio do cargo de juiz de direilo da comarca
de Olinda, no dia 16 do corrente, passando-o ao
juiz municipal do termo do mesmo nome : assim o
communico a V. S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.O bacharel Joao Gonzaga Ba-
cellar, juiz municipal e de orphaos do termo do
offlcios de tabelliao" e escrivo do termo de Nal
relh.
Dito ao juiz municipal de Goianna. Declaro a
Vmc. era resposta ao seu offlcio de 11 do corrente
que nao ha por ora vaga para a ado)isso dos or-
phaos de que trata o seu citado offlcio.
Dito aojuiz municipal do Cabo. Para cumpri- Cabo, entrn em 10 do corrente, no gozo da licen-
mento de aviso do mioisterio da justica de 28 de fe-1 ca.de um mez que obteve e no dia seguinle assu-
vereiro prximo Ando, informe Vmc. sobre o in-1 mi aquelie cargo o 4 supplente Maiimiano Rl-
cluso requerirnento documentado em que Jos Ge-1 belro de Aguiar Montarroyos : o que a V. S cora-
nmno Ferreira pede a serventa vitalicia dos olli- \ muir j para sua intelligencia.
cios de tabelliao e escrivo do termo de Natt-1 Dito ao mesmo.Remeti a V. S. para os con-
reth. j venientes exames as inclusas copias das actas do
Dito aojuiz municipal de Ipojuca. Para cum- conselho de compras do arsenal de guerra, datadas
primento de aviso do ministerio da justica de 28 de de 9,15 e 16 do corrente mez.
Tevereiro prximo Ando, informe Vmc. sobre o in- Dito ao inspector da thesouraria provincial.
cluso requerirnento documentado em que Antonio Para satisfazer a exigencia da assembla legisla-
Carlos_de Almeida pede ser prvido nos oficios de Uva provincial, ministre y. S. os seguintes esclare-
labellio e escrivo do termo de Nazareth. cimenlos : Quaes os limites marcados para a co
Joaqnim Narciso dos Santos, segando declaram o i 'ros e ministro dos estrangeiros e d marinha
commandante do brigue escuna Tonelero e o ins-, arquez de Sabugosa, ministro do reino ; Malhias
pector do arsenal de marinha nos offlcios a que, de Carvallio, ministro da fazenda ; Joao Chrisosto-
allude o sea datado de 2-2 do corrente e sob n. 55,1 mo, ministro das obras publicas; marquez de S
mande Vmc. apresentalo ao Dr. chele de policia, 1 mioisiro da guerra ; Avres de Gouveia, ministr
alim de ser devolvido ao delegado do termo de da justica.
Dito aojuiz municipal de Agua Preta. Para \ branca das decimas na c
cumprimento de aviso do ministerio da justica de os povoados que nos ann
28 de fevereiro prximo Iludo, informe Vmc. sobre comprehendidos era ditos
o incluso requerirnento documeutado em que Joao ; Dito ao mesmo.Para
Tzidoro de Inojosa Varejo pede ser prvido nos | da assembla legislativa
dade de Goianoa e quaes
Us de 1862 a 1865 foram
imites.
satisfazer a deliberad-So
brovincial, remetta-me V
reth. i brado de dous andares si
Dito a cmara municipal de Olinda.-Para satis- triz pertencente a Man
Olinda.
Dito ao director do arsenal de guerra.Ao offl-
cio que Vmc. me dirigi sob n. 9 e data de 15 do
corrente, respondo declarando-lhe que pode o con-
selho de compras desse arsenal effectuar com-
O novo gabinete apresentando-se na cmara
electiva foi recebido pela anliga opposieao e por
alguos cavalheiros dissidentes do partido "histrico
de urna maneira inaudita. Todava o ministerio
conseguio conjurar a tempestado na cmara dos
pra das fazendas necessarias para manufacturo Reputados pela proposta do Sr. Placido de Abreu
dos artigos de fardamento, que se tem de fornecer assim concebida : t A cmara, ouvidas as explica-
aos cornos e remetter a conta de conformidade com <5> do governo, passa ordem do dia e que foi
o aviso de 11 deste mez, flcando Vmc. certo de que
ser paga pela thesonraria de fazenda a importan
cia das referidas fazendas.
approvada por 87 votos contra 28.
_ Falleceu em Lisboa, no dia 11, oSr. Sebas-
) Jos Ribeiro de Sa, prestraoso cidado e um
da
Dito ao mesmo. Mande Vmc. fornecer ao ter-1 dos ornamentos da imprensa portugueza.
ceiro balalho de infantera da guarda nacional No dia 2 de marco teve lugar a eleico _
aqurtellado nas cinco pootas, havendo-o nesse : nov direcco da associacao eommercial do Port.i.
arsenal, os utencilios mencionados na. relaco a qual foi este anno, como ja o havia sido no an-
por copia inclusa Communicou-se ao comman-, tenor, muito disputada. O Sr. visconde de Lagoa-
dante superior da guarda nacional do Recife. jfa, que tinha bons desejus de Bear reconduzido na
Dito ao mesmo. Faca Vmc. apromptar cora a presente, nao o conseguio desta vez. Deixando aos
roaior brevidade possivel, como solicitou *o Exm. seus amigos o cuidado de
l uado na ra da
>el Aolonio
offlcios de tabelliao e escrivo do termo de Naza- i S^ umanota da quantia e^n que foi colimado o so- j presidente da parahiba em offlcio de 21 do corren- eieiloral corresse regularmente, parti para Lisboa
Impera- te, os artigos de fardamento que se mando for- Qa manha do dia da eleigo para tornas assento
1 de Azevedo,' necer ao deposilo de artigos bellicos daquella pro- na cmara dos deputados, como elTeclivamente i
fazer a deliberacao da assembla legislativa pro- acorapaanada da informacao do que occorreu a viucia por aviso de 8 e offlcio de 21 ludo deste tomou.
vincial informe a cmara municipal da cidade de respeito da collecta desse predio. I mez. A direccao Qcou composta dos Sr*. Justino Fer-
Olinda acerca do que requer no incluso requer- Dito ao mesmo.Para satisfazer a resolucao da! Dito ao mesmo--Mande Vmc. com urgencia des- reir Pinto Bastos, presidente ; Jos Ferreira dos
ment Sebastio Francisco Belm. 1 assembla legislativa provincial, preste V. S. os! ligar da companhia de aprendizes desse arsenal e Santos Silva, vicepresidente : Eduardo Moser pri-
Portaria.O presidente da provincia, tendoem seguintes esclarecimenlosl: apresentar ao commandante do corpo de Volunta- meiro secretario ; e Jos Joaquim Rodrigues de
vista a informacao do commandante superior inte- 1 Copia da hypotheca leila por Claudio Dubeux rios da patria os seis menores de que trata a in- '
rino_ da guarda nacional dos municipios de Santo a fazenda provincial, e sobre essa hypotheca hoje i clusa relaco, os quaes. segundme consta querem
Antao e Escada, datada de 6 do corrente, resolve pende urna execuco da inesma fazenda. I servir voluntariamente ni mesmo corpo. -Gommil
2. O termo da penhora.
3. '
conceder ao tenente-cirurgio Manoel Joaquim das
Trevas Marinho passagem do batalho n. 5 de re-
serva do municipio da Escada para o de n. 23 de
infamara do municipio de Santo Antao, no qual
deve servir como aggregado no caso de nao haver
vaga.
27 -
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea- te, de nao mandar transportar no vapor Maman-
r.Em resposta ao offlcio de V. Etc., n. 4 de 10 /? a familia do alferes reformado Lourenco Jos
de fevereiro ultimo, cabe-me dizer que a farinha Rorao, visto que a mulher deste offlcial achava-se
que se tem de fabricar no presidio de Fernando, doente na occasiao de sahird'ahi aquella embarca-
em o anno corrente apenas sulllciente, segundo ern
; ntcou-sc ao coronel commandante das armas.
Os pareceres dados pelo respectivo procura- Dito ao Dr. juiz de direito da comarca de Palma-
dor fiscal.
4. Os despachos c sentenca do juiz dos feitos.
Duo ao csmmandjute do presidio de Fernando.
. Approvo a dcliberacao que V. S. tomou como de-
clarou-me, era seu offlcio n: 206 de 18 do corren-
declarou-me o respectivo commandante em data de
18 deste mez, para o sustento da guarnico e do
crescido numero de sentenciados all existentes,
sendo que por isso nao podera ser enviados os 300
alqueires que V. Exc. solicitou no cit-do of-
flcio.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.-Remello ipcluso o reqnerimento
que me inderecou o capito do batalho de re-
serva da guarda nacional deste municipio Jos An-
tonio de Souza Magalhes, afim de que V. S. nao
havendo inconveniente, mande passar-lhe a guia de
Dito ao Exm. conselheiro presidente da relaclo. qoo trata o artigo 45 do decreto n. 1130 de 12 de
Sirva-se V Exc. de habilitar-me com a sua'in- marco de 1833, visto ter elle transferido a sua re-
ormacSo de modo a pder resolver acerca da pre- sideneia para o municipio da escada.Communi-
tenco do sentenciado de justica da Parahyba Fran- cou-se ao commandante superior de Santo Antao.
cisco de Souza Coringa, constante o incluso reque- Dito ao comimndante superior da guarda naci-
riraenio qje me ser devolvido. nal de Santo Antao.Mand V. S. passar ao tenen-
Dito ao Exm. dssembargador provedor da Santa te-errurgio do balaiho n. 23 de infantaria da
Casa de Misericordia--Sirva-se V. Exc. de mandar guarda nacional sob seu commando superior Ale- dldo Leodoro de Souza Miranda Couto, resolve
recollier ao hospital Pedro II, atino de ser con ve- xandre Bezerra de Albuquerque Barros a guia de conceder-lhe 6 mezes de liccnca para tratar de ua
nientemente tratado a Antonio Pereira da Silva que que trata o artigo 45 do decreto n. 1130 de i2 de ssde.-Comraunicou se ao commandante superior
a este acompanha. margo de 1853, visto que segundo a sua informa- j do Recife.
Dita.O presidente da provincia, attendenJo ao
se
Freitas Jnior, segundo dito.
A mencionada associaco dirigi cmara dos
deputados urna represetacao pedindo que seja
concedida a admisso de cereaes estrangeiros, em-
hora os importadores liuuera obrigados ao paga-
res. Com guia passada por Vmc. apresenlou se- ment de direitos.
me hoje o cidado Joao Rodrigues de Carvalho. a Sobre o mesmo objecto tambera o corpo commer-
quem mandei alistar no corpo de Voluntarios da cial de Lisboa representad pedindo urna lei per
Patria, e muito apradego a Vmc. a solcitude com manente de imporiayo e exportacao de cereaes
que tem procurado secualar os esforcos do gover- mediante o pagamento de direitos lisos e modera-
no na acquisicao dos mesmos voluntarios. dos.
Dito a cmara municipal de Cabrob. Com a O corpo cemmercial porluense noraeou urna
informacao inclusa por copia ministrada pelo di- commissopara estudar os novos regulamentos tis-
rector geral da instrueco publica, em 22 do cor- caes do tabaco, da alfandega e de mercaduras
rente sob n. 83, respondo ao offlcio que dirigi a transportadas pelos caminhos de ferro, porque ef-
esla presidencia
em dala de
aoexprofes
elementar dessa villa Feliciano de Olveira Diiz. O Sr. Alfonso Botulho de Sampaio e Souza,
Portara.u presidente da provincia attendendo grande proprietario da provincia do Douro, e um
ao que requeren o bacharel Luiz Felippe de Souza dos mais estrenuos defensores das leis restrictivas
Leo, resolve conceder lhe a exoneraco que pedio do commercio dos vinhos, convidou urna reu
do cargo de Io supplente do juiz municipal e de nio os lavradores e proprietarios seus conlerra-
orphos do termo do Cabo. Fizeram-se as necessa-, neos, que se achatan) na cidade do Porto para
rias communicaedes. convencionarem o que couvinba fazer acerca da
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao proposla de lei sobre vntios do Douro, apresenta-
que requeren o guarda nacional da 4" companhia da pelo Sr. mini-tro das obras publicas commercio
do balalho n. 3 de infantaria deste municipio Can- o industria na presente sesso legislativa. A reu-
Braga, convidou os subscriptores a effectuarem a
primeira entrada de 20 por cerno ou 2ftp000 ris
por accao at ao dia 20 de abril. A sua organisa-
Cao tem sido morosa em consecuencia da crise
monetaria porque passou nos ltimos mezes do
anno ltimamente (indo a praga do Porto.
A fiscalisago da alfandega nas costas do
norte do reino que ha annos era feita pelo vapor
de guerra Lyncc, expressamente construido para
tal lim, vai ser substituido por canhoneiras ade-
quadas a este servico, pela experiencia ter ensina-
do que a fiscalisacao na costa exercida por estes
barcos menos dispendiosa o mais efflcaz, por is-
so que elles podem sem risco aproximar-se da tr-
ra e fundear nos pontos em que baja desconanca
de dezemliarcar contrabando.
O tribunal da relaco nao deu provimento no
aggravo que enlerpoz o editor do Nacional, do
Porto, do despacho do juiz de 1. iustancia que nao
recebeu a exeepcao de incompetencia que o dito
editor apresenlou na polica correccional a que o
chamou o general Francisco de Paula Lobo de Avi-
la, que foi o encarregado dos negocios da guerra
da Junta do Porto em 181C, e hoje commandante
geral de artilharia.
O Nacional recorreu deste accordo.
No dia 5 de marco abrio-se a junta geral do
districto do Porto. .Xenhum interesse offereeeu
por emquanto as suas sessdes.
Comecaram ja os estudos par o projectado
camnho de ferro do Porto Braga.'
Os estudos para o tracado de outra via-ferrea,
tambera em projecto, de Coimbra a Almeida, eslo
concluidos al ao rio Alva.
O camioho cdtoeea era Coimbra vem at Miran-
da, segu ao alio do Padro, airavessa a ribeira
da Louza, entra no valle de Gallegos direilo ao
rio Ceira, passando a 100 metros do lugar de Al-
ter, atravessa aquelle rio, segulndo a margem di-
reita at prximo da rocha de Nossa Senhora da
Candoza. torna a atravessar o Ceira, segu ao lu-
gar da Varzea Grande passando o Soto, contin)
pela margem esquerda do Ceira, toma a ma/gem
direila da ribeini de Salarisa entrando era tonnel
para atravessar as aguas do Alva na povoaco do
Bordelro, passa prximo ao lugar do Sereiro, vem
ao casal do Frade, segu para Arganil e atraves-
sando os campos desta villa toma a meia encosta e
segu direito ao Alva.
n. j, respondo ao otncio que dirigi a waosponaaaa petos caminhos de ferro, porque ef-
lencia a cmara municipal de Cabrob fec.tivamente esses regulamentos encerrara dispo-
e 23 de Janeiro ultimo, com referencia sico-s desfavoraveis aos interesses do commercio,
sssor interino da cadeira de instrueco sen| conveniencia alguma ara o lisco.
co awui|>auiii. luaiyuuc ioiw, luiu i|ui: seyaiiuu a sua loiurma-
Dito ao coronel commaudante das armas.Sirva- Ca0 de 6 do corrente, transfiri o mesmo cirurgio
V. S. de expedir as suas ordens afim de ser no- a sua residencia para o municipio do Bonito.
n > .. ^. n inni*i>nniln n l'.tnii'nri.i i\ n flilpn I n I 11 til It Ai*% rH nilunli ... I --^ .1 a>______ 3 _. ^; _
varaente inspeccionado o Voluntario da Patria Lau-
rentino Alves CoeIho.de que trata o incluso reque-
rirnento remettende-me o resultado dessa inspec -
Cao.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar sobre o
que pedem no incluso requerirnento Alexandre Jos
Tavares e a mulher deste Florinda Mara.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede Francisco de Paula Albuquer-
que Maranhao no incluso requerirnento.
Dito ao mesmo.Em vista do requerirnento do
particular Io sargento Jos Hygino Xavier da Fon-
seca que se offereeeu para servir na guerra era
que se acha o imperio com algumas das repblicas
do sul, autonso V. b. a manda-lo para a corte
quando seguir o 4 batalho de artilharia a p, a
que deve ser addido como V. S. indicou no seu of-
flcio de 24 do corrente.
Dito ao commandante superior da guarda naci
nal de Olinda e Iguarass.Ordene V. S. ao com-
mandante do baUUuo de infamara da guarda na-
cional de Olinda, que preste urna guarda de honra
para acompanhar a procissao de encontr que deve
ter lugar naquella cidade no dia 7 de abril a
tarde.
Dito ao commandanie superior da guarda nacio-
nal do Rio Formozo.Remello a V. S. j apostilla-
da a patente do tenente coronel chefe do estado-
raaior desse commando superior Gaspar Cavalcanti
de Albuquerque Ucha.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Barreiros a Agua Preta.
Em deerimenm ao requerirnento do tenente-cirur-
gio do batalho o. 46 de infantaria da guarda na-
cional do municipio de Agia Preta Austricliano
Scrates de Moura Puggi sobre que versa a sua io
Dito ao mesmo.Informando o inspector da the- formaco de 13 de fevereiro ultime,
sooraria de fazenda que das despezas de que trata a man lar passar-lhe a guia de i| u
o offlcio por copia incluso s pode ser paga a de 45 do decreto n. 1136 de 12 de marco de 1853, vis
283000 ao capito do 4o batalho de artilharia a p to ter elle transferido a sua residencia para o mu
Jos Angelo de Moraes Reg, urna vez que sejara nicipio de Barreiros.
que requereu a sociedade Beneflcente dos Ai listas
Alfaiatcs, instituida ne.la cidade, o em vista do que
dispoe o 5 do artigo 29 do decreto n. 2711 de 19
de dezembro de 1860 resolve nomearpara o lugar
de director da mesraa sociedade a Manoel Rodri-
gues do O'.
Dita.O presidente da provincia resolve nomear
o capitao do 4o balalho de artilharia a p Jos de
Cerqueira Lima para occopar provisoriamente o
poslo de major do corpo n. 1 de Voluntarios da
Patria, c ordena que neste sentido se expecam as
convenientes ordens.Fizeram-se as necessarias
conimunicacoes.
Expediente do secretario do yoverno do dia 24
de marco de 4805.
X. 87.Offlcio ao Io secretario da assembla
legislativa provincial. -De ordem de S. Exc. o Sr.
presidente transmuto V. S. para ser presente a
autoriso V. S.! assembla legislativa provincial, o incluso quadro
trata o artigo demonsirativo das quantias pagas a erapreza Ma-
mede ministrada pela thesouraria provincial.
Fica assim satisfeita a requisico da mesma as-
sembla constante do offlcio de V. de 8 do corren
rubricados por esse commando de armas, os res- Dito ao commandanie superior da guarda naci-'le S0D n- J5.
pechvos documentos, nao podendo, porm, ser sa- nal do Brejo.Em soluco ao sen offlcio de 26 de Bespachoss do dia 27 de mareo de 1865.
tisfeita a de 193500, ao quartel-mestre Assencio Janeiro ultimo, tenho a declarar a V. S. que o te-: Auna Mara da Conceico Nepomuceno.Fica a
Minervino Meira, por nao haver disposico que a nente do corpo de cavallaria n. 2 da guarda naci- j supplicante relevada da mulla.
autorise : assim o declaro a V. S. para seu conhe- nal do municipio do Brejo Jos Ferreira de Mello, | Caetano de Olveira Mello. Informe o Sr. com-
imecto e direccao. j mais pde ser proposto capito d'aquella cumpa- mandante superior da guarda nacional dos muni-
Dito ao mesmo.Tendo em 21 do corrente offl- nhia, viste que tran.-ferio a sua residencia ha mais cipios do Brejo e Cimbres,
ciado a V. S. para que fizesse transferir para a de 4 annos para o municipio de Cimbres, onde j Horacio Raymundo Camlnba. Passe portara
companhia do alferes Felippe Jos da Exaltacao continua a morar segundo consta do citado offlcio, coneedendo a icenca que requer.
Maniva, todos os voluntarios homens pretos que o cumprindo que V. 8.jo mande, aggregar ao corpo
quizessem, apresenta-me o referido alferes a rea- em cujo districto elle mora, so ti ver satlsfeito o
Cao inclusa, dizendo me que tendose passado para disposto no artigo 45 do decreto n. 1130 do 12 de
a sua companhia as pracas ah mencionadas, foram marco de 1853.
estas ultima'! onte requisitadas pelo commandante Dito ao chefe de estado-maior e commandante
do coi po de Voluntarios. superior interino da guarda nacienal do Bonito Ma-
Joao Pedro de Souza. Dirija-se Associaco
Protectora das Familia' dos voluntarios da Patria.
Josioo da Silva Accioli.Indeferido por nao pro-
var isenco legal.
Jos do Espirito Santo Amorim. Apresente-se
ao Sr. coronel commandante das armas para ser
Sirva-se V. S. de wformar-me cora o que houver noel Gomes da Cuoha Pedroza.Accuso a recep- alistado no lusar que lhe competir.
occorrido a semelhante respeito. cao do offlcio de V. S. de 24 de fevereiro prximo
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda. findo, participando ter fallecido o commandante su-
Participando o bacharel Leocadio de Andrade Pes- perior da guarda nacional dessa comarca coronel
soa, em 18 do mez passado, que nesse dia reassu- Franeisco Bezerra de Vasconcellos Torres,
mi o cargo de juiz de direito da comarca de Ca- Dito ao director geral da instrueco publica
brob, interrompendo assim a licenca concedida Em vista*de sua informacao de 24 do correte, sob
peto governo imperial da qual comecara a gozar n. 87 dada com referencia ao requerirnento da pro- pector da thesouraria de fazenda.
em 9 de setembro do anno passado. assim o com- fessora particular da cidade da victoria, Anna Ma-, Mara Christina Cavalcante Pessoa Cesar. Re-
manico a V. S. para sua Intelligencia,Communi- ra da Concei^ao Nepemuceno. resolv nesta dala raettido ao Sr. director geral 'Ja instroccSc- publica
Luiz Aprigio de Olivelra Salerrao.Apresenle-se
se ao Sr. coronel commandante das armas para o
mandar alistar.
Manoel Thomaz dos Santos.- Informe o Sr. di-
rector do arsenal de guerra.
Manoel Antonio Teixeira. Informe o Sr. ins-
niao effecluou-se na noute de 2 de marco em urna
das salas da associaco industrial Porluense. Pre
sidio o Sr. Affouso Botelho, que expondo assem-
bla o motivo porque a havia convocado pedio aos
PERNAMRUCO.
Sala das commisses, 28 de marco do 1865. -
Soares Brando.-Campello.
Requeiro que pelos canaes competentes se pe-
Cam a presidencia da provincia nforinaces acer-
ca do contrato que peloart. 63 da lei n. 696 de 13
de maio do anno passado, ficou ella autorisada a
effectuar com a companhia Pernambucana de va-
pores costeiros para abertura da barra do Ro Fcr-
moso de modo a que os vapores da mesraa compa-
nhia possain entrar at o lugar denominado Pedra.
Ayres Gama.Silva Ramos.
O Sr. Pbksidentk declara que, existindo diver-
sos projectos de Jei para seren remetiidos aoExm.
presidente da provincia, vai se officiar a S. Exc.
neste sentido noraeando para a comisso que tem
de apresenta-los os Srs. Loureira, Teixeira de Mel-
lo e Di odoro.
O Sa. Aquino Fonskca, (pela ordem) diz que ha
bastantes dias pedio algumas informales da the-
souraria provincial; que estas informacSes deve-
riam ter vindo para a discussao da le do orcamen-
to; e que entretanto ja passou o orcamento em !
discussao e taes nformaces anda nao chegaram.
O Sb. Costa Ribeiro declara que as ioformacoes
foram Immedialaraente solicitadas.
O Sr. Aquino Fonskca dic que nao duvida disso,
mas que at agora nao vieram, como costuma a
acontecer quando se pede informacoes da thesou-
raria.
O orador pede, portanto, que se repita a solici -
taco.
0 Sr. Pbesidente declara que o pedido ser to-
mado na devida consideracao.
Contina a discussao adiada do requerirnento do
Sr. Reg Barros sobre negocios de Caruar, e de-
pois de orar o seu autor, foi approvado.
Entra depois era discussao o parecer adiado da
commiss de constituico e poderes acerca de di-
versos actos que nao foram sanecionados pelo pre-
sidente da provincia, e sem debate approvadw.
tendo cedido da palavra o Sr. Buarque.
Segue-se a discussao do segrate parecer adiado:
A commisso de peticoes, examinando cuidado-
samente a materia contida na petirjo de Felippe
Benicio Cavalcanti de Albuquerque, arrematante
do pedagio da barreira de Santo Amaro Jaboalo,
na ijual pede um abate da quinta parte no preco
da arremataco, considerando esta cemmisso que
o supplicante qur um abale no preco por qae ar-
remotou o citado pedagio, considerando que a som-
ma dessas arremalafoes fazem partes da receita
provincial, de parecer que a petico seja sub-
metlida commisso de orcamento provincial, para
! dizer conforme a justica.
Sala das commisses, 10 de marco de 186o.
Ferreira Jacobina.Manoel Netlo.
Oram sobre a materia os Srs. Araujo Barros,
Silva Ramos, Jacobina, Buarque, Campello e Ro-
ASSEMBLE4 PROVINCIAL.
21 SESSAO EM 28 DE MARCO DE 1863.
PUESIDENCIA DO SU. DR. SABINO OLEGARIO.
As 11 horas e 40 minutos, feita a chamada,
aclum-se presentes os Srs. deputados Goncalves da: cnarel- .
Silva, Buarque, J. do Reg Barros, Reg Barros vu' a mesa e sa0 apoadas' duas emendas, nma
G. Campello, Teixeira de Mello, Rochael Silveira' i sr ArnJ Barros para que o projecto v s
Lobo, Ayres Gama, Amynlhas, Aquino Fonseca, -mmissoes de legklacao e de peticoes, e outra do
Braulio, Ramos, Diodoro, Silva Barros, Maranhao I '.r-.Jose aria, para que v s commisses de pe-
Lonrero. Araujo Barros. Arminio. Ribeiro, Fran-' tic??s e de fazenda.
cisco Pedro, Brando e Jos Mara. Vem tambera mesa o seguinte requerirnento :
O Sr. Presidente abre a sesso. i .' Proponho o adiamenlo at que se voriflqne se
Procede-se leitura das actas, da penltima e,' ";xisle Parecer indeferindo a prelenco.A. Fon-
ultima sesso, que so-approvadas. Isec-?-*
Comparecein depois os Srs. Nabor, Drummond ECtrrada a discussao, regeitado o requeri-
S Pereira o J icobina. i ment do Sr. Aquino, e approvado o projecto, fican-
EXPE DIENTE i do P^judicadas as emendas.
Um offlcio da cmara municipal da cidade de' Enra era discussao o requerirnento do Sr. Dio-
Nazareth apresentando nao s o orcamento Dar I S2 u'P'ano> empatado na ultima sesso.
?.*!^\r.?.S^?:Se,D'e:i qae ilu5idasse, acerca da j o exercicio de 1865 a 1866, como tainbem o ba- E' Dedida a retirada do requerirnento pelo seu
lanco da receita e despean do anno prximo passa- autor,
do.A' commisso do orcamento municipal. i Uram J* a materia os Srs. Reg Barros. Dio-
Um reijuermcnlo do padre Florencio Xavier Das dor,0'(j0Ita "ibeiro e Jos Maria.
de Albuquerque, capello e administrador do reco- Consultada a casa, decide pela retirada.
Ihimento de Iguarass, pedindo a consignaco na | 5r- Bi-arqi-e requer que seja nominal a vota-
lei do orcamento para occorrer s despezas com os Je30 9U0 Iem de haver -'obre a emenda do Sr. Reg
reparos da igreja do mesmo convento.A" comis- Bar,ros-
sao de orcamento municipal. Consultada a casa, decide pela aflirmativa, e pas-
Sao lidos e approvados os seguintes pareceres e sa"se a vo'ar nominalmente a seguinte emenda :
requerirnento: >. A passar o projecto, accrescenle-se :sendo
t A commisso de peticoes, tendo examinado a ualmef,te concedido igual abate ao arrematante
petico de Francisco Antonio das Chagas, Joaquim do PedaB|d do Manguinho, Joaquim da Cosla.-Ke-
Cavalcanti de Alququerque e Claudio Dubeux, fia- 8 ?arros.
dores do arrematante do imposto de 23500 por ca- I Vlaram a favor da emenda os Srs. Aquino Fon-
da caneca de gado vaceura consuramido no muni- seca, Loureiro, Soares Brndo, Diodoro Ulpiano.
cipio do Recife e Goyanna durante o trienio de ArauJ Barros, Nabor, Maranhao, S Pereira, Car-
1857 a 1860, na qual pedem a coufirmacao de um Yal.hu Mot,ra. Bego Barros, Ayres Gama, Rochael.
abale que lhes fora concedido por esta assembla J 'iJ8.0. Barros, Braulio, Silva Barros e Teixeira
na legislatura passada: atiendendo que o abate pe- de M""0-
dido diz respeito receita da provincia : atienden- >tarara contra os Srs. : Costa Ribeiro, G. Cara-
do que os precedentes establecidos teem firmado Pe"> Silva Ramos, Buarque e Francisco Pedro,
a regra a que taes pretencoes sejam sugeitas! Sb- Pres">e-"te declara estar approvada a
commisso de orcamento provincial, por sso es-, etn1enda tm segana"a discussao.
ta commisso de parecer que a mesma prelenco ,2tr,a depois era terceira discussao o projecto
questao que all os reunia. de modo a facullar-lhe
os meios de, como depuiado, advogar do parla-
mento os interesses do Douro.
A discussao correu larga e calorosamente, sen-
do moito para nolar que a maioria dos oradores
se pronunciassem a favor da lberdade da barra
do Porto para a exportacao de todos os vinhos, mas
todos foram accordes em pedir providencias para
se sustentar a genuidade dos vinho* do Douro.
Lerabrou-se a conveniencia de se conslruirem ca-
minhos de ferro, o haver armazens era Villa Nova
deGaia para a separacao de vinhos, crearse urna
associaco dos lavradores no Douro, etc. O Sr.
Alfonso Botelho, porm, em quanto lberdade da
barra do Porto manifestou receios de que viessom
os hespanhes tambem exportar por .ella os seus
vinhos, fundando-se para isso no tratado de nave-
gacao do rio Douro celebrado com a Hespanha.
A novidade vincola do Douro do anno pas-
sado soffreu por decreto de 16 de fevereiro o corte
de dez mil pipas de vinho. Haviam sido arroladas
66,578 pipas, das quafs somente concorreram s
provas 62,861 e meia ditas. Destas foram qualifi-
cadas pelo respectivo jury como exporlavei-
tSSIT&\SSS!^a^&\' '.f?^da **> P^ ti no-
do exportacao.
Segnndo o relatono apreseotado
cia do Banco Mercantil Portuense em
geral dos accionistas no da 1 de marco,
ao nono anno econmico do mesmo banc eiro para servir de paco o; trovad
21 de fevereiro ultimo, v se que o movimento da cmara municipal, cada, quartel e casa de jurv
em que tomam par-
e Jos Maria, o re-
As transferencias de fundos entre diversas pra-
cas prefizeram o valor de 7::849392% ris.
Destas iransaccfies resullon o Incro liquido, alm
de 40:8183000 ris levados centa do dividendo
do 1. semestre do dito anno, de mais 93:4919184
ris.
Abatidas as quantias para pagamentos do divi-
dendo do 2. semestre, que de 6 por cento ou
123000 rjs por accao, e o do l. semestre de 3
por cento ou 3000 ris j pago ap-parece o balan- para ro prisSo'
a respeito
caixa foi de 30:997:6663 i45 ris incluindo a en- e bem assim o offlcio do Exm. Sr. Dr chefe de o-; m n ? dl ,, f"/3 *** o projec-
rei>, 24ti letras descontadas na qnantia de...... e o da cmara municipal do Salgueiro
2:192:8013495, e emprestimos sobre penhores na das necessidades" do seu municipio.
somma de ris 626:8093560. A commisso considerando que, no termo do
Ex, a casa que serve de cada, nao tem aspro-
porcSes necessarias para este lim, que seu pro-
prietario recusase a fazer os reparos c obras novas i
de que necessita para o flm a que est destinada ,
Considerando mais que o proprietario desta casa
dos predios comprehendidos no municipio do Reci-
fe, e que este sujeitos a collectoria de Olinda.
O Sr. Araujo Barros justifica e manda mea
um requerirnento de adiamenlo.
Vem mesa o seguinte requerirnento :
Requeiro a prorogaco da sesso.S. R.-
Carapello.
O Sr. Presidente declara que, nao estando ain-
S m,e P -C ,emp reclama-|a c> te I d IuLSa,q"e s1rvia antcr'"nente de cada, e a "cao o requerirnento, e que o ser opportuna-
difficuldade que ha cm se poderobter nma casa que! mente. uworrana
^e^s_,."d!f>en5aveis cnditoes de garanta i Contina a discussao do projecto, "e sobre elle
1 oram os Srs, Campello e Araojo Barros.
r
i*
.-4. -.,.


^jmm^mmmmm

Diarlo de refaambuoo Quinta elra a O e Mai'vo de 86a.
-r
Tendo dado a hora, o Sr. .prndenle snbmett* ao
apoiamenlo o requerraento do Sr. G. Campello.
Sedo apoiado o requcrimento, pede o seu aulor
a retirada,
Vem mesa mais o segrate roqaenraenio :
0 Sn. G. Campello pela ordem diz quo timbera
deve estar encerrada a discussao de um rcqucri-
moDto que mandara a mesa.
O Sr. Presidente: declara qne, na tendo lido
em lempo lido o requerimento e estando eucerra-
Rcnwfro a prorogacao parar qne se proceda da a discussao, nao pode presentemente ceita-lo.
a votagao.-Aquioo Fonseca. Sr. Costa Ribeiro .(primeiro secretario) expl-
Ora pela ordem o Sr. los* Mara. : co o motivo porque nao proceden a leitnra do re-
Consultada a casa sobre a retirada do requer-! querimento.
menta do Sr. G. Campello, decida pela negativa. Trava se urna qnestao de ordem, em qne tomara
Posto a votos, o rwraerimento approvado, fl- parle os Srs. Silveira Lobo, Araujo Barros, Jacobi-
cando prejudicado o do Sr. Aquino Fonseca. na e Nabor. ,
Contina a discussao do projeclo, tomando a pa- O Su. Presidente dte qne a sua decisao qne
lavra o Sr Silva Hamos. Pde haver mais discussao sobre o parecer,
Vem a mesa e deixa 4c ser apoiado o seguinte estando ella encerrada, e que vai por a votos o
art. subsiituiivo : |mesmo parecer.
Art. i.' A arrecadaclo da dcima urbana de to- Consultada a cas approvado o parecer.
dos aquelles predios que, emboracomprehendides Sao em seguida lidos e approvados os seguintes
no muuicipw do Recife, esto arada sujeitos a col- requerimentos :
lectora provincial do municipio de Oliuda, pasar: Requeiro que pelos canaes competentes se pega
a ser feita pelo consulado provincial. a cmara mumcipal do Recife o segrale :
Paco da assemKa, era 28 de margo de 1*65.-; Se j procurou saber se a conservagao do canal
Araujo Barros. Ida rua d Aurora pode influir desfavoraveln
-
Tendo nedido a nalavra Dar fallar pela terceira sobre a salubrldade do barroda Boa-Vista, e qual por rugido
_ r I. _.____.- A X .. lUlta .!> .m nnmn.:.ran An Pitilla nnhlcfl A lflirtf
em conseqaenca de um engao, segundo nos in-
forman), da pessoa que all eonferto os papis do
navio e Ihe deu o bilhete de sahida, no qaal poz a
designago de patacho em ver de pattiabote, como
era a armago e se achava escripto em todos os pa-
pis. Verificado o engao sahio o novio, perden-
do o governo a plvora empregada.
Repartiqao da polica:
Extracto das partes do da 38 de margo de 1865.
Foram recolhidos casa de detengo ne dia 27
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Juvenal Dias Barreto, Alexandre Joaquim Barbosa,
Antonio Januario de Abren e Sebastin Manoel dos
Santos, para averiguagoes em crime do furto.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonio
Rufino da Silva, Francisco Jos Firmino e Bernar-
do Manoel do Carmo, por crime de furto.
A' ordem do subdelegado do Recife, Severino
Luiz de Franga, para correego.
A' ordem do de S. Jos, Joo Xavier da Maia J-
nior e Custodio Manoel de Arruda, por disturbios;
c Jos, escravo de Henrique Pereira de Moraes,
As apnellagoes civeis.
Appellanle, Albino los Fcrreira da Cuuha ap-
pellada, a fazenda.
Appellante, a irmandade de S. Jos da Afona ;
appellados, osherdeiros de Antonio Pereira de Aze-
vedo.
A's 2 horas encerr& oe a sessao.
cmara
vez o Sr. Araitjo Barros, rrava-se urna tpestno de
ordem, na qual tomam parte o mesmo senhor e os:
Srs. Buarque, Jos Maria e Jacobina.
O Sr. residente declara que, segundo entende,
o Sr. Araujo Barros lera o direito de fallar terceira
vez, por ser aulor de um requerimento de adia-
menu, que tarabem so acha em discussao, mas
que entretanto sujeita este seu parecer a decisao
da casa. i
GoRSHltada a cas*, decide pela aTflrmaiiva, sendo |
concedida a palavra ao Sr. Araujo Barros, que era
um longo discurso sustentou o seu requerimento. Os fundamentes em que a mesma cmara mu
Toma depois a palavra o Sr. Loureiro, e declara oicipal se baseou para nao dar licenga ao subdito
que se reira da casa para nao votar sobre a mate- francez Delouche, que pretenda estabelccer urna
ria, porqoanto nao se acha suGlcientemente escla-. fabrica de chocolate no largo do Carmo desta cida-
rerido l*e- s- R--Aquino Fonceca.
O Sr. Araojo Barros declara tambem retirar-se. i Requeiro se pegam ao Exm. Sr. presidente da
Reconhece-se enlo nao haver numero suflicien- provincia informagao sobre o segrale :
te de Srs. depuiados, e o Sr. Braulio requer que, Quanlos e quaes os alumnos que lera rrequen-
sea feua a chamada Ilado as aulas rto Gurso Commercial em cada um
Sn Y Seciu-tario toma nota dos deputados: dos annos que tem decorrido desde a sua creagao,
Sresentes, que sao os Srs. : Sabino Olegario, Costa com declarago de aproveitamonto de cada um. S.
ibeiro, Silva llamos, Avres Gama, Jos Maria, Soa- R. Costa Ribeiro.
res Brandao, Nartor, Amintas, Reg Barros, Bnar- O Su. Araibo Barros reclama contra um aparte
8ue, Drummond, Jacobina, Campello, J do Reg publicado no jornal da casa sob seu nome.
arros, Aquino Fonseca, Diodoro Ulpiano, Silva O Sr. 8a Pereira reclama contra um tpico do
Barros, Braulio e Peixeira de Mello. discurso do Sr. Silva Ramos publicado no jornal
O S. Preiidenie levanta a sessao s o horas e da case,
uro quarto, dando para a ordem do dia seguinte Por esta occaslao trava-se urna discussao calmo-
conlinuago da antecedente, e mais primeira dls- sa entre o orador, o Sr. Silva Ramos e outros de-
cusso dos projeclos o. i03 do anno passado, e 2o putados.
O a opiniao de sua commissao de saude publica. A' ordem do da Boa-Vista, Damio. escravo de
S. R.Aquino Fonceca. i Manoel Antonio Gongalves, requerimente deste.
Requeiro que pelos canaes competentes se pega A' ordem do da Capunga, Pacifico, escravo de
o seguinte : Marcellino Jos Lopes, pot>rafracgo de posturas.
Quanto se tem gasto cora o canal da rua d'Au
"O chefe da 2* secgo,
rora, sendo incluido o que se acha despendido com J. G. de Mesqutta.
a construego, reconstruego e concertos das doas | Casa de detencao.Moviraento da casa de
pontes, desde que se deu principio a esse canal, detengo do dia -28 de margo de 1805. Exisliam
S. R.Aquino Fonceca. i presos 379, entraram 19, saturara 20, existem 378 ;
Requeiro que pelos canaes competentes se pega a a saber: nacionaes 287, eslrangeiros 23, mulhe-
mara municipal o seguinte : W8 i estrangeiras 2,escravos 53; esefavas 7.
1 Total 378.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 1G6.
Movimcnlo da enfermara do dia 28 de margo de
A organisagao de um segundo corpode Volunta-
rios da Patria deve ser deste j diligente empento
da administrago. Preenchido como est o quadro
do primeiro, de indeclinavel necessdade que se
promova com generoso impulso a creagao de nm
segundo ncleo que-sedeslinem os tantos volun-
tarios que, muito de esperar, concorranr dos va-
rios pontos da provincia, acendrado ao reclamo da
pairia que ira melindrosas circunstancias exige o
sacrificio de seus filhoscomopenhor da victoria na
luta em que est empenliada a sua dignidade.
A honrosissima e pacifica solugao, que acabam
de obter as armase a diplomacia brasileiras peran'
te os muros de Montevideo, j por si um Tacto
que nos deve encher de legitimo orgulho nacional,
daudu exemplo ao mundo do nosso valor militar,
temerariamente experimenlado pelas forgas de
Aguirre ante as forlificagoes de Paysand. Derriba-
mos um governo injusto, inhbil e tyrannico ; res-
tabeleceraos a paz de uraa repblica amiga sobre
a base de urna allianga sincera e desmleressada :
collecamos a frente da gestaodos negocios do Uru-
guay o nosso bravo alliado quem cabe quioho
importante da gloria de nossa misso civilisa-
dora.
Embora tao assignalado triumpho, nao podemos
traduz b
ver.
."i a consciencia de haver feilo o seu de-
Todos choravam e essas lagrimas diziara quanto
soa ierra Ibes era ebara, e qtao grande e nobre
Logo nomeado para igual cargo era Alagoas e era o empenho que ellos tinham em defende-la.
tendo sua conta mais extensas funcgdes, o Sr. O Br. Pedro Bezerra Pereira de Araujo Bellro
Lobo foi anda destituido depois de um exercicio recitoa nesta KCAS\i0 Dm bomto discurso animan-
de 17 das, Foi acensado de violento e fez apenas do-os, e recommendando-lhes valor na Iota e gc-
n'esseespaco 11 recrotas. I nerosidade ao vencido.
Aqu estao os factos relativos ao Sr. Lobo, rea-1 Depois de fervorosos vivas, marebaram todos
tados sem paixlo e sem odio a ninguem. S. Exc. com a magestade do goerreiro e com a timidez da
o Sr. presidente parece-nos bem intencionado, e erianca, ao som de nma canco triste quo a raasi-
ca tocava.
e sem odio ninguem. S. Exc.
parece-nos bem intencionado, e
anda nao o desmeutio.
E, pois, esperamos que este nosso appe^i sua
moralidade venga fcilmente as odiosas sTgestoes
que procuram passar de continuo pelas portas re-
servadas de seu gabinete.
Mu
Urna massa de povo de mais de mil pessoas fa-
zla o prestito. Bello e triste espectculo foi esse !
Chegados a igreja matriz entraram, prostram-
se e beijaram a imagem do padroeiro qne Ibes foi
trazida.
-------- a a m -------- "Havia tao solemne magestade nessa ceremonia
Oescripco da partida dos Voluntarios ^^SSS^^*^*
oulras igrejas, e foram satisfeitos.
da cidade da Victoria,
i
O corago do povo assira como o coragao
homem lera emogoes que o abalam at o
timo.
Uepois dessa visita sahiram da cidade acorapa-
do nhados por todo o povo al a ponte (Arrabal
in- de peuco distante) onde zeram suas despedidas.
Ah se havia eregido um arco de follias de pal-
186o. anda adormecer na tranquilidade de urna paz im-
Teve baixa : perturbavel. Mas terrivel nimigo lemos comba-
Damiao, escravo de Manoel Antonio Goncaives, fe- ter e vencer ; um despot oppressor, imbcil,
ridas contusas. : quasi selvagem, ousa calcar aos pos os nossos mais
Teve alta :
Flix Jos Alexandre.
Cemiterio publico.Obituario do dia 28 de
margo de 186o.
AureliaoCavalcant de Albuquerque, Pernambu-
co, 27 annos, Santo Antonio; hepatite aguda.
Cicilia, Pernambuco, 1 anno, Santo Antonio ; es-
pasmo.
sagrados direilos, os nossos mais charos interesses,
e viola as leis do direito das geotes por actos de
covarde nostilidade. As violencias, depredagoes, e
lodo esse cortejo de torpes alternados, que todos os
das nos referem os jornaes, pedem aos nossos
bros urna exemplar desalTronta.
A tao nobre convite, nao se pode recusar esta
heroica provincia. Estamos seguros de que, im-
A phlsiologia do primeiro se bem que diversa meiras, que produzio um bello efleto.
da phisiologia do segundo, tem pheuoaimos identi- Os Srs. Drs. Camargo e Cassiano recitaram dous
eos em sua nalureza, embora diversos no gru de importantes discursos, e nessa occasio o negocian-
intensidade, que se desenvolve em cada um dos te portuguez Joao Jos Ferreira offereceu aos vo-
systemas. i luntarios 126K)00 rs., que foram distribuidos.
As crengas que os fanatisa, os sentimentos qne J o sol se havia escondido no occaso, e o poen-
os exalta, e os impulsos que o delibera; sao ir-1 le cheio de nuveas avermelhadas, pareeia o relle-
mos porque conservam essas relagSes que o todo i xo de um grande incendio,
tem com a parte, a nota cora hymno, e o reino! Foi nesta hora melanclica, que os soldados
om a luz. abragaram seus amigos e langando atravez de um
vu de lagrimas, um olhar para a sua trra, e par-
deslo anno.
2 SESSAO EM 29 DE MARQO DE I86.
"PRESIDENCIA 'DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
hs 11 oras e tres quartos da manhaa, feita a
chamada, acham-se presentes os Srs. depatados :
. Campello, Gongalves da Silva, Rochael, J. do
Reg Barros, Teixeira de Mello, Nelto, Sabino,
Aquino Fonseca, Loureiro, Amynthas, Ribeiro.
Braulio. Brandao, Francisco Pedro, Rege Barro?,
Arrainio, Ayres Gama, Diodoro, Ramos, Araujo
Barros, Silva Barros, Cunha Teixejrae Nabor.
O Sr. Presidente abre a sessao.
O Sr. 2o Secretario faz a leitura da acia, a qual
approvada.
Compare eram depois os Srs. S Pereira, Jos
Maria, Silveira Lobo, Jacobina e Drummond.
EXPEDIENTE.
Um offlcio do secretario do governo, remetiendo
opia do processo instaurado pelo', juiz de direito
de Pao d'Alho contra o juiz municipal bacharel
Maximiano Francisco Duarte, e delegado de polica
Carlos Jos Gomes de Oliveira.A' quem fez a re-
quisigo.
Outro do raesmo, communicando que S. Exc. o
Sr. presidente da provincia receber hoje a a urna |
O Sr. Presidente chama ordem o orador, e
declara passar-se
ORDEM DO DIA.
Contina a 3" discuss3o do profecto n. 23, decla-
rando competir ao consulado provincial arrecadar
Graciliano Marques de Jess, Pernambuco, 30 an- pulso benfico de um administrador que tem a ia-
nos, casado ; phthysica. i tengao de collocar-se na altura da questo nacional,
Francisco Xavier de Moraes, Jnior, Pernambuco, | evitando a luta de rivalidades polticas que po-
23 annos casado, Recife; hemorrbagia cerebral, j deriam encontrar os interesses legtimos do pau,
| Joaquim Augusto de Franga, Pernambuco, 8 me-1 com pouco estaro organisados dous ou mais cor-
zes, Santo Antonio ; phthysica.
Mariana, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista; es-
pasmo.
a decima urbana dos predios comprehendidos no
-.___lalala .1 i ?/_ _____ __*3.a -ii!i!|a/< nr\llni>.
muuicipio do Recife, e que esto sujeitos collec
loria de Olinda.
Depois de ter orado o Sr. Nabor, o projeclo ap-
provodo, sendo rejeitado o seguinte reqaeriraento
do Sr. Araujo Barros:
i Requeiro o adamento at que a commissao
especial d o seu parecer.
Segue-se a 1* discussao do projecto n. 63 do an
no passado, estabelecendo os limites da freguezia
de Grvala'.
Vem a' mesa o seguinte requerlmento
a Requeiro que o prieto seja remettido a' com
mssao de diviso civil para dar o seu parecer.
Silva Ramos.
CIMOMCA JUDICIAIUA
A harmona a cadeia que os vincula, como a
mosculatura de um corpo, que alando os diversos
orgaos que o compSem, por esse milagre harmni-
co da organisagao, cooperam para esse phenonimo
que se chama vida.
A nago a vida do povo, e o amor da patria o
mais exaltado de seus sentimentos, porque o amor
do bergo, dos tmulos, do altar, dos lares, do cli-
ma, das montanhas, e tudo quanto caro ao
homem, nelle se resume e concentra.
Desde que o grito de guerra suou em nossas
fronteiras, um rumor surdo como essesqueannun-
ciam o rebeniar de um vulco, se fez uvir no seio
do paiz.
OU&o do norte, que julgavam adormecido,
ou antes fatigado da luta de tantas guerras ci-
vis,esse suicidio do corpo socialtambem ouvio
o som da trombeta marcial, e arrancando a setta
anda gotejaute do sangue cora que se cravara,
embalsamou a ferida, sacudi a juba, e preparou-se
para o combate.
Urna phalange de condores va de suas monta-
nhas para immumdar o sul.
Vejamos o que se passa em Santo Anto para
ajuizarmos do enthBsasmo patritico de nossa
TRIBUNAL DA RE1.V<:10.
SESSAO EM 24 DE MARCO DE 1863
presidencia do exm. sr. CONSELHEIRO
S0UZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
! desembargadores Santiago, Giliraoa, LourencoSan-
' tiago, Almeida e Albuquerque, Assls, Doria, Motla, que cercam
pos de briosos Voluntarios. Qoeira-o S. Exc. com
as vistas louvaveis, que um dia talvez Ihe applau-
diremos, e a sua vontade bem intencionada nao
semear em terreno ingrato.
Diz-nos bem do carcter de S. Exc. um simples pr0Vjn(
acto da actual administrago, que por ser sem pre- A Vicloria (faamos a descripcao no theatro para
cedente nos annaes polticos nao e menos digno de me|hor se COH(prenendor a scena) ao nma
nota ; foi a nosso ver urna simples carta em que S.' a|de nem uma granae cidade. E' rfsna dessas
Exc. explicou ao orgao do partido constitucional a; beas ndjas perdjdas pe|as floresta do Brasil,
razao de algumas palavras que, tancadas em um meio se|vagem meio civilisada, que vestida a eu-
despacho, pareceram estabelecer uma injusta pre-, fa ,raz seu capacele de p|Umas, e seu arca
ferencia. Esie rasgo de cortezia ao orgao de uma i jra.C0||0
opioio poltica, que est tao pouce as grag?s dos j Rec|inada como uraa odalisca em seu divn de
frequenlemente S. Exc e Ihe trans-1 relvag_ com 0 esoirjlo (luasi semnre livre de emo-
Doraingues da Silva e Barros Vasconcells, fa|V miltem informag5es,d-nos garanta de que o ac-1 5es 'sombrias> eseuta descuidadosa o canto de
lando o Sr. desembargador Guerra, procurador da }uai administrador toeado do desejo de fazer o seus passaroSi 0 murmurio de seus regatos, e aria
cora, abrio-se a sessao. "em e d,slr"?uir juuca. perenne e montona de suas brisas.
h Passados os feitos julgaram-se os segrales Do. 1ue al" *M"* damos agora uma prow em Toma.|a.hiam pe|a cagadora Diana se vestisse a
fJrSfUS SCBU'UlCS Pntt'r nome de um mililaF d,stincl0>'e ^ de
Recrreme, o juizo; recorrido,' Antonio Marinho f.amilia numerosissima que por muitos malos de
Requeiro que sobre a materia seja ouvido o Crescendo.. Relator o Sr. desembargador Santiago, benemerencia se faz rredor de honra de ser o orga-
Exm. vigario capitulare presidente da provincia. Sorteados os senhores desembargado res Assis.Vas-. a'^or de um dos corpos de Volntanos bem
S. R.-Araujo Barros. > .nMiinE ., n..^ ih---------f _t-.^Ti^ I contestar o merecimento do.Sr commendador Pe-
Re^u
ver de ii
prejuizo da 1-discusso.-Silva Lobo. SSTSoneados"os's'rs. desembridos"DomT-1 Para "mJJ^hTis^^SJ^T,?0^"lT
Orara os Srs. Arau;o Barros, Silvajaraos, J. gues da Silva, Lourengo Santiago e ter.a.-Negou- o nome 8 c om^ador Penis J
.ba.,u ovuuiai ^ P,^.UvU.v -- r---------- oorieauos os sennores ueserauargaoores assis, vas-1 ~ .------- ---r---- ....... jj. n
-Araojo Barros. > concellos e Almeida Albuquerque.-Improcedente.! cA0Dle^T o merec ment do Sr commendador Pe-
jueiro que se o projecto em discussao ti- ReCorrente, Carlos Jos Gomes de Olvelra ; re- dr Alexaudrmo de Barros Cavalcanli L*cerda,sol-
ir para o Exm. vigario capitular, va sem corrid juzo Re,a g deserobargador Gi- dado da '"depend-nca, que ha pouco foi indicado
ado
re-
hora da larde a commissao que tem de apresentar Reg Barros, Silva Lobo, Costa Ribeiro* Jacobina
alguns acios legislativos sanego.Inteirada. e Jos Maria.
B" bdo e adiado por haver pedido a palavra o Encerrada a discussao, requer o Sr. Loureii
Sr. Gervasio Campello o seguinte parecer : qne a votagao do requenmento do Sr. Araujo Bar-
. A commissao de inslrucgo publica leu com ros seja feita por partes,
todo o cuidado a petigo do professor publico Libe- Posto a votos este requenmento, e appn
rato Tiburtino de Miranda Maciel, e do expendido em ambas as partes. tambem approvado
pelo peticionario observou a commissao :
l." Que tendo a lei n.396 de 13demaio de 1861
art. 81 2o, autorisado o pagamento de !)70i do
peticionario de seus vencimentos correspondentes
ao anno de 1861, foi a resolugao desta assembla
mal entendida pola ihesouraria provincial, descon-
tando-se-lhe da quanlia marcada a de oti$, cor-
respondentes ao aluguel da casa a qu^ tem o peti-
cionario inconteslavel direito, como ja foi reconhe-
cido p-ir esta asserabla.
2.' Que sendo o professor Liberato Tiburlino de
Miranda Maciel, absotvido e confirmada sua absol-
vigao por accordao da Telago de 15 de abril de, tomara na devida consideragao. Recrreme, o juizo ; recorrido, Francisco de As- j
18G2, dcixou elle de ser pago de seus vencimentos' O Sr.. Pbesidente declara que a resposta de sis Bezerra. Relator o Sr. desembargador Mola.!
a saber : ordenado, grauficacao, dita de mais de S. Exc recebida com especial agrado, e levanta _srteados os Srs. desembargadores Gitirana,'
quinze annos, e luguel de casa desde o f de ja- j a sessao as 3 horas e 20 minutos .a tarde, dando Lourenco Santiago e Vasconcellos.-lmprocedente. i f
se provimento.
Recurrente, o juizo ; recorrido, Francisco Anto-
nio do Sobral. Relator o Sr. desembargador Lou-
rengo Santiago. Sorteados os Srs, desembar-
gadores Doria, Motte Vasconcells.Improcedente.
Recrreme, o juizo; recorrido, Pedro de Assis
Campos Cosdem. Relator o Sr. desembargador Al-
querimento do Silva Ramos, seDdo rejeitado o do ; meida e Albuquerque. Sorteados os Srs. desembar-
Sr. Silveira Lobo. v gadores Lourenco Santiago, Assis e Gitirana. lm-
Enlra finalmente em 3a discussao o projecto n. proi;eden[e
12 desie anno relativamente ao corpo de polica e Kecorrente, o juizo; recorrido, Alexandre Ansel-
Volnnlaros da Patria. mo da Silva. Relator o Sr desembargador Assis.
Vem a mesa diversas emendas, que nao foram Sorleados os Srs. desembargadores Molla, Do-
apoiadas por falta de numero. minguesda Silva e Doria.-Improcedente.
O Sr.(Lourero, pela ordem, declara que a com- Recrreme, o juizo: recorrido, Manoel Amonio
misso encarregada de apresentar a S. Exc. o Sr. dos Santos Re|alor 0 Sr. desembargador Doria,
presidente da provincia os aelos approvados pela Sorteados os Srs. desembargadores Assis, Do-
assemblua, dera conta de sua misso, e que S. Exc. mingues da silva e Almeida Albuquerque.-Irapro-
respondera que os acceitava cora agrado e que os cedeie-
eiro at o dia 13 "de abril do mesmo anno "de i para ordem do dia seguinte : continuagao da ante
de 339^303 rs. como se\ cdeme : 2" discussao do projecto n. 87 do anno
1862, cuja importancia
v da certido da thesouraria provincial.
A" commissao, pois, recoohecendo o direito que
tem o peticionario a ser indemnisado de taes quan-
tias, de parecer que seja elle attendido pela com-
missao de orgamento marcando quota para o paga-
mento de 385303 que ainda se Ihe esla' a dever.
passado, a Ia do de n. 7 deste anno.
umn umk.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Antonio Thomaz
de Aquino. Relator o Sr. desembargador Domin-
gues da Silva. Sorteados os Srs. desembarga-
dores Moita, Lourengo Santiago e Assls.Improce-
dente.
Recrreme, o juizo; recorrido, Manoel Bernardo
'. Pereira. Relator o Sr. desembargador Barros Vas-
concellos. Sorteados os Srs. desembargadores
Alm dos cidados que se offereceram para,
Sala da commissao, 23 de margo de 1863.-Gon- <"omo guardas cvicas fazerem o servigo da ronda Doria Assis e Lourengo Santiago. Improcedente,
calves da Silva.-Arminio Tavares.-Rochcl. nesta cidade e seus suburbios, assignarara-se mai=
L" tambera lido o seguinte parecer : Para o mesmo fim os segrales :
Foi presente a' commissao de fazenda e orga- Antonio teitosa de Mello, proprietano.
memo a petigao de Felippe Benicio Cavalcanti da [ Belmiro Augusto.de Almeida.
Albuijuerque, arremtame do pedagio da barreira Augusto Cesar da Lpnno.
de Santo Amaro Jaboatao, em que solicita desta Hermenegildo Eduardo do Reg Monteiro.
assembla um abale correspondente a' quinta par- Candido Autran da Matta e Albuquerque
te do valor de seu contrato.
Allega o supplicanle, que tendo sido primili-
Pedro Alexandrino
cerda.
de Barros Cavalcanti de La-
vamenle orgado a arrecadago annua do pedagio; Hennque Soares^de^Andrade Brederodes.
daquella barreira em 3:888, [ora de novo offere I
cido praga com um abate da quinta parte por
falta de pretendentes : que nessa occasio, compa-1
recendo varios licitantes,elle peticionario animado
pela concurrencia, e acredilaudo no incremento
que di'viam tomar a agricultura e o commercio,
elevouo seu lance :405.
Pondera mais o suplicante que, tendo contra a
sna expectativa delinhado a agricultura logo depois
do sen contrato ; faci este que influjo para o de-1 Antonio Machado Pereira Via
crescimento do producto do pedagio, nao podia dei-1 L d
xar d soffrer sensivel prejuizo ; que, raraificanJo
se a estrada da Escada na da Victoria carcularam
pela barreira na poca da arrematagao os produc-
ios d* raais de duzentos engenhos, que hoje sao
transportados pela estrada de ferro; finalmente que
nma segunla invaso do cholera em fins de 1861
multo concorren tambem para que fossein frusta-
das todas suas esperancas.
Theodoro Machado Freir Pereira da Suva.
Antonio Luiz db Amaral e Silva.
Jos Baptista de Castro e Silva.
Joao de Assis Pereira Rocha.
Joao Carneiro Lins Soriano.
Joao Athanasio Botelho.
Carlos A. Lins de 'onza.
Franrisco de Paula Gongalves da Silva.
Jos Thomaz de Campos Quaresraa.
Francisco de Carvalho de Andrade Brandao.
Manoel de Carvalho Soares Brandao.
Thomaz Garren.
Manoel de Siqueira Cavalcanti Jnior.
Joaquim Aurelio Wanderley.
Joao uarte Costa Monteiro
Joao da Silva Guimares.
Joo da Silva Faria.
Recurrente, o bacharel Maximiano Francisco
Duarte ; recorrida, a mesa eleitoral da Gloria de
Goit. Relator o Sr. desembargador Barros Vas-
concellos. Sorteados os Sres. desembargadores
Almeida Albuquerque, Doria e Assis..innullaram
o processo.
diligencia crime.
Cora vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga
Appellante, Marcolino Bezerra Torres: appella-
da, a justiga.
designacao de da.
Assignou-se diapara julgamento das appellagoes
crimes:
quim Pereira Lobo, reformado nos postos de coro-
nel da guarda nacioual e alferes do exerrito.
liavendo militado por longos annos em um dos
batalhoes de cagadores de 1* linha, onde exerceu o
cargo de ajudante e primou por seu amor disci-
plina e por seu genio instructor, o Sr. coronel Pe-
reira Lobo teve occasio de, em varios difficeis re-
contros, dar prova de sua bravura. A medalha que
Ihe orna o peito, e que coube como recompensa do
primeiro imperador ao exercito cooperador da Boa
Ordem, documento deste assento.
Ao romper da insurreigo militar de 1832, o al-
feres Pereira Lobo offereceu-se espontneamente
para servir ao mando do general Vasconcells, e
marchando para esta cidade no carcter de ajudan-
te de ordens, foi o escolhido para commandaros
contingentes dsSerinheme|Goianna, aqu destaca-
do--, fa/endo com elles o cerco do forte das Cinco-
Pontas, quando a nova insurreigo ah rebentou em
novembro do mesmo anno.
A' instituigiio da guarda nacional, onde servio
as graduacoes de lenente-coronel, coronel de le-
gio e chefe de estado maior, prestou o Sr. Lobo no-
taveis servicos. Como coramandante de um bata-
ihao de Itamaraca, o Sr. Lobo fardou a custode
sua fazenda grande numero de pragas, e fez com-
pleta a organisagao desse corpo.
Em 1818, e "oos dias infaustos de 26 e 27 de I
junho, de tao triste recordaco aas paginas de nos-
sa historia da provincia, o Sr. coronel Pereira Lo-
bo fol nomeado superintendente do bairro de S.
Frei Pedro Gongalves e o salvouda insania dos tu-;
multuosos, resis'tindo cora gallarda aos varios im-
petos e evitando os dosagradaveis e funestos resul-
tados do motim popular, que graves erros polticos
haviam provocado. 0
Uma caria honrossima, firmada por um punho
reglo, de memoria saudosa, foi a recompensa deste
assijn.ilado servigo a causa da ordem.
Em 48, data tristemente memoravel, as forgas le-
galistas virara o Sr. coronel Lobo nos pontos mais
arriscados, pelejando em denodo ao lado do Sr. Joa-
quim Jos Ignacio, o chefe de esquadra de hoje, do
Sr. Marques Lisboa, o bario e depois da victoria de
Paysand o visconde de Tamandar, ao lado do fi-
nado coronel Francisco Jacintho Pereira e de tan-
tos outros bravos, que sao atlestados vivos da ma-
tunica, c a capa do antigo Grrgo.
Um dia porm, esse sereno vi ver foi assaltado.
As aves estancaram seus hymnos, e o vento
trouxe-lhe um slvo agudo que ferio seus tympanos
acostutnados a suaves melodas.
E' um serpe que se roja, pensoo ellae tac-
tiando setia com os labios entre-abertos, os olhos
entumecidos, e as narinas dilatadas nesse afn de
cagador, coltocou-se no arco e preparou-se a vibrar
a corda.
II
Logo que foi lida aqu a proclamagao do Exm.
presidente da provincia, os reclamos da nagao fo-
ram ouvidos com enthusiasmo do povo.
O corpo de Voluntarios que j contava enlo
algumas pragas, foi engrossando pouco a pouco,
devido em grande parte aos esforgos do capito
Joo Vicente de Brito Galvo, que ne exitaya em
tixar ouvidos aos prantos saudosos dos filhiohos,
para ouvir as vozes da patria; e aos do sargento
Ciryllo Soares de Medeiros, queem sua esphera fez
quanto pode.
A Victoria a pois pela primeira vez ver sabir de
seu seio, homens para a guerra. Era um espeta
culo novo para ella, e o que nao commum sempre
nos abala.
Assim, preparou-se a dar um abrago de despidi,
da c gratido a aquelles que com tanto palriotisrao-
iam defender a causa que tambera Ihes per-
lencia.
Uraa commissao composta dos Srs. Anlao Borges
Alves, Francisco d'Amorim Lima e Joaquim Perel
ra Borges, encarregou-se de promover orna subs
cripgo para solemnisar-se a partida dos bra-
vos.
E' de notar a satisfagao cora que todos davam
seu contingente para essa lacrimosa festa, que
to bem souberam comprehender.
Annunciada a partida para o dia 19 deste, fize-
ram-se os preparativos.
A commissao encarregada do festejo, mandou
erigir um arco triumphal na rua imperial, com
elegantes dimengoes, cuja descripgo deixo de dar
para nao ser prolixo.
Na vespera da partida, a noute, illumicaram-se
o arco e toda a rna, e o corpo de Voluntarios
acompanhado de urna banda de msica e grande
: numero de pessoas dirigio-sc at elle, fez continen-
cia a bandeira, com todas as ceremonias mili-
lares.
Um sentimento misto se esteriotipara no rosto da
multido, como se a phisionomia de cada um fosse
apenas um envolocru transparente que permittisse
ver a alma"em seu recinto.
O amor da patria, e o enthusiasmo bellico lutava
com o amor da familia, e a saudade do bergo.
Appellante, Maria Joaquina de Souza Rolim ;: neira honrosa cora que se liouve o Sr. Lobo. 0s vlvas fr^netcos era a linguagem de nos, e os
appellado, o juizo. | Agraciado por essa occasio com o grao deofflcial; eDlervallos silenciosos a tradueco des outros.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Francisco ida ordem da Rosa, mais tarde com o grao de com- 0 gr A rj A|ves um dos enCarregados da resta,
Xavier. mendador, e arada ha pouco com o titulo de filial-' re(.lou um be||0 discurso e depois delle o Sr. Roti-
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Luiz de : 8 cavalleiro, o Sr. Pereira Lobo tem inconteslavel Ho Tolentino de Figueiredo Lima, tenente Manoel
appellado, Manoel Jos de
A commissao considerando que o facto do sup-' Jos da Silva ."Seves.
plicante ter concorrido arrematagao depois do Jos Mana Seve.
abatimemo da quinta parte feito pela reparticao da Jos Pedro de Miranda Cunha.
'"*-, bem longe de o, L 1-. Paula Ramos.
fazenda no ogamento priroitido
favorecer, contra prodceme, por quanto parece
revelar que o supplicante, lendo o precedente da
nao concorrencia na primitiva arrematagao como
indicio do pouco que devia produzir a barreira :
offereceu lango superior ao de todos os outros lici-
tantes e at base anterior do orgamento para ar-
redar aquelles que talvez nao recorressem hoje a
esta assembla.
Considerando que se nao deu na agricultura o
denhamento que iraaginou o supplicanle, por isso
que a sa
que se tr-ra visto nesia prov
O imposto sobre o assucar 405:2353000, e notando
se que desde aquella poca lia em crescimento
Appellante, o juizo
Ollveira.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Jos dos
Santos.
Appellagoes civeis.
Appellante, Gabriel Antonio ; appellado, Fran-
cisco Santiago Ramos.
Appellante, Joo Marinho Paes Barreto; appel-
lado, Jos dos Santos Neves.
Revista civel.
Recrreme, Jos Pilla Maciel ; rocorrido, Ale-
xandre Joaquim Dias.
O conflicto de jurisdigo entre os julzes de or-
phos do Recife e o de Ipojuca.
passagens.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Manoel Peregrino da Silva.
Joo Francisco Antunes.
Augusto Cesar Stepple.
Antonio augusto da Cunha Rodrigues Selte.
Thom Joaquim do Reg Barros.
Miguel Archanjo Mindello. A appellago crime.
Joaquim Ignacio de Barros Lima. Appellante, o juizo ; appellado, o escravo Flix.
Alexandrino Thomaz de Aquino Coelho. A appellago civel.
As pessoas que ainda nao tiverem assignado, Appellante, Jos Vicente de Almeida Valenga ;
ara^TsoTTlItfY fo7om"das ^maiors I qnerendo faze-lo, poderlo dirigir-se secretaria de appellado B.nto Jos Alves de Oliveira.
t,-ra visto nesta provincia, prorfuzindo enlo! policia, on as typographia* dos Srs. Figueiroa e Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
Vasconcellos. gador Lourengo Santiago
Em consequencia de se estar aterrando a rua A appellago crime.
eonsUnte"a "cofieitt dollfdao que "em aa maior I do Lima, em Santo Amaro, e lerem sido bastante Appellanle, o juizo ; appellado, Joo Baptista dos
parle circula pela barreira de Jaboatao. grandes as mares na presente semana, acbara-se Sanios. .- .
Considerando que ao pode a estrada de ferro os moradores do lado do norte dessa roa cercados A appellago civel.
servir de justificaco ao que pede o supplicanle, d'agoa, com grave detrimento de seus negocios, e Appellante, Manoel Elias de Moura; appellado,
por is.o que j traba do entregue ao transito pu- minete pengo da salubridade publica, nao e sp Francisco Cavalcanli de Albuquerque.
blicoati a eslago da Escada muilo ames da cele- de presente que se da essa agglomeragao de agoas, Do Sr. desembargadorLourengo Santiago ao Sr.
bracio do contrato de que se traa. mas sim toda a vez que houverem chuvas; por que
Considerando, finalmente, que a segunda inva- as agoas ahi ficam eslagnadas pela falta de um pe-
sio do cholera rauito benigna em quasi toda a pro- queno cano que Ibes d sabida, e que pouco deve
costar. Lembramos, quem compete, se digne
attender ao justo reclamo desses moradores e pro-
prielanos.
O Sr. Alexandre da Hlveira Lima Veneno foi
Sala das commissOes, 29 de margo Ye 1865.! nomeado escrivao da casa de detengo.
Buarque.Campello. Remettem-nos o seguinte :
Posto em discussao o parecer e tendo pedido a Srs. redactores da Revista Diaria.Sentimos
palavra o Sr. Nabor, rica adiado* que nm facto desta ordem fique impune.
O Sr. Rc.yrque requer urgencia. Honlem ao meio dia, no becco Largo, nm sol-
E' apoiado o requerimento e posto cm discussio dado do 4, pelo simples motivo de ser salpicado de
erando sobre elle o Sr. Ramos. i lama por um matuto, atirou-se a elle com tal gana
O Sr. Buarque pede a retirada do requer ment,' e den-lhe tanto com a espada que deixou-o todo fe- gadi r Donaogues da Silva
e, sendo consultada a casa, decide pela afflrmatlva. rdo, consegrando evadir-se. A appellago crime.
O Sr G Campello pede tambera urgencia para! Nao sabendo o matuto o nome desse soldado, | Appellante, Theotonto Porfirio de Aranjo ;
vincia, bem pouco ou nada podia influir no peda-
gio de que arrematante o peticionario.
E" de parecer que seja indefenda a peligao de
Felippe Benicio Cavalcanti de Albuquerque.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellago crime.
Appellante, Alexandre Jos Teixeira de Brito;
appellada, a justiga.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
A appellago crime.
Appellanle, o juizo; appellado, o escravo Joao.
As appellagoes civeis.
Appellante, Jacintho Luiz da Silva ; appellado,
Manoel Pereira da Costa.
Appellanle, Flix Soares da Costa; appellado, Ma-
noel Alves Barreto.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
ap-
iTascoficelhs
i fora adiado, d a palavra ao Sr. G.! ra syndicar do facto e "castigar o delnqueme, i Appellante, a fazenda; appellado, Joo Francisco
empello, que della desiste, e, depois de ter con-! Hontera o palhabote nacional Garibaldi aodo-; do Reg Maia.
soltado a caa d por encerrada a discussao do pa- mandar a barra para sabir, foi mimoseado com Do Sr. desembargador Vasconcells ao Sr. des-
recer. dous ^T0S de plvora secca pela fortaleza do Brom, embargador Caetano Santiago
direito a urna honrosa menco entre os caracteres j0"am das Treva^Marinho, o um cujo nome nao
prestantes da provincia. .Na ordem civil, eleitor va!e apeDa de mencionar-se.
Depois, percorreram as principaes mas da cida-
cora uma larga serie de annos, vereador e juiz de
paz, o Sr. Lobo tem merecido por esle modo as
sympalhias populares.
Confiamos que S. Exc. nao deixar de aprovei-
tar o patritico offerecimemo do nosso distinelo
concidado e correligionario poltico.
Primeiro militar offerecer os seus servigos,
como se v do relatorio do Sr. desembargador Pe-
retti, o Sr. Lobo deu cora esle facto uraa prova de
civismo, digna de louvor. Empregado em commis-
de como que fazendo a sua grave despedida.
Vivas enthusiasticos aos Voluntarios, ao Impera
dor, e aos exercilos victoriosos, sahiram a cada
passo de todos os peitos, e rebavam as serras
que pareciam contemplar r.iagistosas essa fesla
explendida de seus lilhos.
Radiou o dia 19, pagina bella e pomposa da
historia dessa pequea trra. O sino da matriz
com a voz soave do catholicismo, convidou a popu-
so do governo na provincia de Alagoas, nao duvi-:, s ao sacriflcio da mis5a.
finn trncir nc oninmArlAr Hn nc/\ri>inio niAthnn Ha *^ _-. .
dou trocar os commodos ,do exercicio pacifico de
suas funegoes pelos perigos e azares da guerra.
Nao temos o Intuito de fazer effensaaquera quer
que seja. Mas, por ventura, argumentase em con-
trario nossa pretengao como precedente de tres
successivas exoneradles quaes tem solrido o Sr.
P. Lobo ?
As nomeagoes conhecidas da actual adminiatra-
go devem este respeito iranquilisar-nos o espi-
rito.
O corpo de Voluntarios formou-se em frenie do
quartel, e commandados por seu capilo, marcha
ram sem duvida com o fervor religioso, que assalta o
coragao quasi sempre nos graudes actos da vida,
para asslstirem quem sabe......pela ultima vez a
essa ceremonia que suas maes Ihe ensraaram a
assistir, nesse templo aonde existe a fonte que Ihes
deu agua para o baptismo.
Um concurso numeroso enchia o templo.
A ceremonia prracipiou grave e solemne como
poderia ser um aDrago do Christo, aos lilhos que
sabem comprehender a honra e dignidade de seu
paiz.
A elega de dor que se passava enlc no coragao
de uma mal, ao ver o filho com o jolho direito
curvado a Deus, e o outro erguido para s curva-lo
ao rei, o que Ihe trazia a idea de o ver em breve
fra de seu seio, seria precise para discrev-la a
para
O facto de uma exoneragao nao sempre o do-
cumento de inobservancia dos deveres a cargo do.
funecionario. Tambem o Sr. coronel Antonio Go-
mes Leal havia sido exonerado da direcgo de um
imprtame estabelecmeuto, e do commando de
um presidi, respondendo por grave aecusago a
um conselho de guerra, e S. Exc. venceu fcilmen-
te os seus escrpulos diante da absolvigao decreta-
da em favor desse militar. O Sr. Lobo foi exone- eIoquenca"'da"'Tagr,ma,'queTe deslisava pealace
rado em um curio periodo dos cargos de vogal do | rugosa ou a do sufocado solugo que abalava
conselho admiras rativo, e de recrulador nesta po- aquelles peilos que vao servir de rauralhas
vincia e na de Alagoas. guarnecer a sua patria.
A injustiga da primera( exoneragao foi patente i Flnda a mssa o Revd. vigario recitou um pe-
as vistas do governo : durante o exercicio do Sr.' queno discurso, e em seguida Fr. Augusto, que
Lobo n'aquelle cargo, nenhuraa deliberago se lo- invocando o Dos dos exercilos, moslrou que com
mava que nao fosse assente em unanimidade de. a linguagem do Evangelho tambem se falla ao sol-
votos. Estamos informados que o proprio chefe! dado que vai para a guerra. .
dessa repartigo altestra ao funecionario, j exau- i Depois desse acto foram para a casa da cmara
torado, que o seu proceder fra sem repreheosao.: ondo os esperava uma mesa preparada cora asseio
Recrotador n'esta provincia, sbese o como foi \ e gosto.
destituido o nosso amigo desse tarefoso encargo. O J ahi se achava o III. Sr. Dr. Jos Felippe de
proprio ministro da guerra, que o dispensara dessa Souza Leio, e outras pessoas gradas. O coronel Ti-
commisso, carcter rgido e austero, o finado con- burtino Pinto de Almeifla recitou um bello discor-
selheiro Jos Marianuo de Mattos, escreveu nma so, e depois delle outros mais, e lindos esses a
carta ao seu successor, propondo-lhe a nomeagao commissao era nome dos Victorienses Ihes offere-
do Sr. Lobo, como reparago a injustiga que havia ceu o copo d'agua. Muitos brindes feram emhu
commeitido por inrairago do presidente de Per- siaslicamente satisfeitos, entre os quaes notamos
tiram.
Victoria, 21 de margo de 1865.
Uomicio Cavalcanti Ponce de Len.
Lendo no Diario de 18 de margo um communi-
cado assignado por Tupi, em resposta a ootro com-
municado inserto no Diario de 3 do raesmo mez,
sob a firma P. P.; e, com quanto nao fosse autor
do escripio a que allude o Tupi, nao posso ser in-
dilerente a algumas, ou quasi lodas proposigSes
langadas n'esse commnnicado.
Como liberal que sou, e que me ufano de ser, e
pertencendo n'esta comarca a grande maioria do
partido estigmatisado n'aquelle commnnicado, re-
pillo, em meu nome, e de lodosos meus|correligio.
nanos, a infame insinuagode estar em almoeda,
de exigir concessoes para prestar servigo ao gover-
no, de especular com a situara, de excitar o povo
a nova maribundada, e outras nao menos indignas
aecusagoes.
Os que me conheccm, e aos distinctos liberaes
de Nazareth formam idea muito diversa da que ou-
sou avangar o Tupi.
Os liberaes de Nazareth, assim como de toda
provincia, nunca se recusaro, nem se negarao a
prestar o servigo que estiver a seu alcance, em
prol de sua patria; sobeja-lhes patriotismo e vir-
tudes para indicar a estes renegados o caminho da
honra e do dever: se o exclusivismo dos liberaes
consiste em nao se sugeitar a que alguus trnsfu-
gas do partido conservador Ihes dicte anornia de
sua condiftta, elles sero exclusivistas; e foi nesse
sentido sem duvida, qne se exprimi o communi-
cante P. P. Se o Tupi entender especular com os
nomes dos Srs.: Dr. Kabricio Gomes d'Andrade Li-
ma, Dr. Jos Jeronymo Pacheco d'Albuquerque
Maranhao, capito Ignacio Xaviei Carneiro d'Albu-
querque e Joo da Costa Ribeiro e Souza, enga-
nou-se completamente; pois posso assegnrar que
esses cidados, e muitos outros igualmente distinc-
in, perlencera a setta dos exclusivistas : era elles,
nem eu, nem os liberaes desta comarca snsplram
pelas posiges oflkiaes.
Quando, na ultima eleigo de senadores, que se
procedeu nesta provincia, o Sr. Souza Leo, impoz
ao corpo eleitoral os nomes dos Srs. S e Albuquer-
que, e Feitoza, os liberaes de Nazareth tiveram a
necessaria coragem para repellir essa imposlgo,
e votar quasi por unanimidade no venerando con-
selheiro Antonio Pinto Chixorro da Gama, e com
immensa maioria nos distinctos parlamentares, Dr.
Joaquim Saldsnha Marinho, e Dr. Urbano Sabino
Pessoa de Mello, por entenderem que esses cida-
dos ibes merecan) sua plena confianga.
Depois desse dia glorioso para o corpo eleitoral
de Nazareth, em uma reunio a que comparec em
casa do meu collega e amigo Dr. Andrade, na qua-
lidade de direclor do partido-progressista, estando
presente na racsina qualidade o meu primo o Dr.
Jos Jeronymo Pacheco d'Albuquerque Maranhao,
declaramos francamente que os conservadores pro-
gressistas de Nazareth nao nos raereciam confian-
ca; que jamis marcharamos de accordo com el-
es. Se,.dep"is dessa declarago franca e leal, al-
guns liberaes nao eatenderam convenientca sepa-
ragao, elles, e nao eu, sero responsaveis pelo seu
procedimento: e o futuro justificar quem seguir
o melhor caminho.
Firmes no nosso ponto de honra, convencidos de
que o paiz se acha n orna posigo anmala, nao
ambicionaremos, nem acceitareraos posigSes ofli-
ciaes; e resignados, como vtrdadeiros crentes es-
peraremos, que esses novos raercadores sejam ex-
pulsos do templo.
Esteja portanto descangado o Tupi, que nao ser
apeado das laes posigSes oflkiaes. Nao me admi-
ra que o commonirante, como rancoroso conser-
vador mascarado com otillo de progressista quei-
ra especular com o infortunio do partido liberal
perseguido e proscripto, depois da revolacao de
1848; queira eosinuar ao governo que somos re-
volucionarios I! Isso nao admira, lctica j estra-
gada. Glorio-me de pertencer a familia desses bra-
vos, que se sacrificaram por uma causa, que jul-
garam santa ; venero as cinzas dos martyres sacri-
ficados nessa hecatombe.
Nao foi porm Nazareth o bergo dessa revolugo
nem eu me glorio de um aconteciinento to funes-
to ao partido liberal. Nao teve pejo o communi-
canle de tirar da obscuridade em que vegeta o sub-
delegado de S. Vicente Pedro da Cunha para ele-
va-lo cathegoria de personagfm e compara-lo,
fazendo-o superior a todos os respeitos ao distmclo
cidado Joao Alves Camello Pereira de Lyra, ex-
subdelegado de S. Vicente, sacrificado ao progresso
vermelho de Nazareth pelo Sr. Souza Leo, depois
da eleigo a que j me refer, visto como na refe-
rida eleigo os eleitores daquella freguezia votaram
unnimes na mesma chapa liberal.
Para aquelles que conhecem o ex-subdelegado
de S. Vcenle, os que tem podido apreciar o sea
bello talento, sua energa, forga de vontade, probi-
dade e verdadeira influencia que tem naquelle la-
gar, a comparago do Tupi ser devidamente apre-
ciada.
Para os que, porm, o noconhecerem, ser pre-
ciso dizer que Pedro da Cunha Cavalcante recru-
tado a poucos mezes do partido conservador onde
vegetava, e aproveilado pelos progressistas para
instrumento, nma pobre creatura que nenhum
raerecimenio tem, nenhum prestigio, quasi isolado
naquella freguezia, e que mal sabe assignar o sea
nome. '
Se o Tup meter a mo em sua consciencia ver
qne, sob minias relagSes, o ex-subdelegado de S.
Vicente Ihe superior, e que de nenhuma maneira
pode ser comparada trisle e mesquinba indivi-
dualidade de Pedro da Cunha.
Nao mejuigo necessario nesta comarca, nem me
quero tornar o lerror dos meus adversarios, como
irnicamente finalisou o Tupi [o seu coramunicado.
Tenho nobres aspiragoes, nao de empregos publi-
blicos, que os regeito, porm as de ver o mea paiz.
livre dos parasylas que Ihe matara a seiva.
Nazareth, 26 de margo de 1863.
Jos Ignacio de Andrade Lima.
CORRESPONDENCIAS
O subdelegado do Itrejo d ladre de Dos.
Srs, Redactores.O Sr. Rogero Mergulho, por
seu bastante procurador, apresenia-se na impren-
sa muita ancho e orgnlhcso, defendendo-se do que
nao tem defesa, isto do acto arbitrario por elle
praticado, coagindo a Manoel da Costa Pinbeiro a
entregar Francisco Clemente de Soma uma le-
tra de 5008000, acto qne o proprio Sr. Rogero
nao nega, embora pretenda attennar sna gravdade
com a illegalidade do primeiro negocio felto, e a
conselhado pelo vigario do Brejo, segundo se diz.
Concordo com essa iilegalidade; mas tambem con-
cordo que Irregularissimamente andn oSrf Roge-
rio, quando violentou Joo Manoel a restituir a le-
tra Clemente, o qual linha os tribuoaes compe-
tentes para ventilar perante elles osea direito.
pois, diga o qne quizer o Sr. Rogarlo, a prt-
nambuco.
Sentimos que nao possa ser aqu transcripto esse
documento, que tivemos occasio de 1er era puuli- pela a elegancia da linguagem.
E,
_ meira aecusago esta em p, e Smc. s pod conti-
nm do Sr. i)r. Virginio Carneiro que geralmeote i nnar investido da auloridade, porque nos acharaos
agradou, nao s pela idea que disperta va, coma em tem pos anormaes; ainda assim confiamos na
ca-frma. a' demais sabido que o Sr. Lobo em
uma volumosa publicaglo provocon exame sobre
os seus actos, serviodo-se de uma linguagem que partida.
moralidade da administrago aclnal, qne provideo-
As cinco boras da tarde, eslava em frente do cas sero tomadas em ordem a por termo a tantas
quartel o corpo de voluntarios ja preparado para: arbitrariedades.
I Quan'o ao sepulchre do passado, quo o Sr. Ro-
/
/


r

-
,

"

1


Diario t Fernanflfcne *nl jrerio ameaga de revolver era relaja aos negocias
do Brejo. desde ja Ihe declaramos que nao duviaa-
remos aeceilar a lava, proleslaada qne havemos de
convencer o paix de qae no dominio dos conserva-
dores nJo derara-se nuica os factos atrocissiraos,
pralicados por qacm o Sr. Rogeno nao ignora
( e era o responsabilisamos por elles, nos quaes
11*0 teve parle) : ento se saber quem compoz a
quadrilha de lalroes, que publicamente roobaram
ao infeliz Poriagnez Moniz de Sorra-Verde era
oais de 30:OOOJOOO, de que resultou a oiorte do
pobre- velho: entilo se saber de novo quera as-
sassinou, e mandn assassinar o distincto capitao
Traiano; enlo se gabera....Venna, Sr. Rogelio.
O Chico Tat.
PUBLICARES PEDIDO
,
de realrsar-se bem Importante : nm escravo do
Sr. coronel Pedro 'Cavalcanti Wanderley, nroprie-
tario do eugenbo Japarauduba achava-se atacado
de anemia, ou frUldade; e cansava a ponto de
nao poder carrear, urna s caita das pilulas pur-
gativas de vtame o resiabeleceu.
Nesta molestia oque muito contribae para o cu-
rativo, o trabalbo, o que se realisou con o dito
escravo sem precisar do xarope. Uin meu escravo
de noma Jos, que o arremalei em hasta publica,
qno foi da'lioada D. Gandida por 805000, por se
adiar com urna chaga era urna das coxas, e entre-
vado, coin o xarope e pilulas de veame, se acha
bom. empregado como servente de pedreiro. Um
outWescravo quecoraprei ao Sr. Joaquim Gongal-
ves Ferreira, que se achava cora escropbnlas, fe-
ridas, palidez e cansando, com o mesmo tarop,
pilulas e banhos no rio de Una esta perfeitamento
bom, e tambem empregado em servigo de pedrei-
ro. utros muitos factos desta ordem em pessoas
que deste salutar remedio lem feito uzo, poderia
enumera-los, o que nao fago para nao ser prolixo.
Vende-se estas preparares em minha botica,
ra Direita n. 88.
Jos da Rocha Paranhos.
Hei por justificada a aulonea doS supplicattos, [paie ittervailos cora asna, caita harmnica |de |iCJ0 ,Je noVM*, tSCraOS e Crystaes
nr53 u** nnr orti do trini* dfn nsra o .oe Inventor. A randade ao instrumento e na- Sexta-feira 31 do correte as 11 horas.
bilidade e mais que ludo a delicada etecucao ao &em |milM
aulhor nao deixar por certo da .causar admira-
gao e oeaiprezario felicita-se sempre que tem oc-
casio de proporcionar ao publico distracedes dig-
nas delle. Para a semana prxima comear o
que soraa citados por edites de trinta das para o
I lira requerido, pagas as cus'as excausi.
Berife, 10 de margo H65.Trlstao de Ates-
tar Araripe.
E mais se nao contiaha i m diu sentenga aqtH
TefTd
copiada, por forea da qual ) referido escrivao fez
passar o presente edital, pe!) qnal chamo, cito, e 9r. Lomiogtoseus irabalhos, cujoprogramma sera
em tempo publicado.
AVISOS
Ao publico.
Em consequencia do despacho do Illm. Sr. di-
rector das obras publicas, certiQco que revendo o
livro de cootabilidade desta pagadoria eocontrei os
langaroentos do theor segrate : Em o anno de
486*1.-Abril 30.-Fs. 11-Documento n. 1, impor-
tando era 10:000 rs.No mesmo dia, mez e anuo
o documento n. 2, fls. 11, importando em 15G 800
rs em maio no mesmo di e anno o documento
n 3 importando em 231:680 rs. : em 20 de maio
do mesmo anno o documento n. 4, importando era
101:120 rs. Estez documentos foram pagos por
administrago no empedramento de 1067 bracas
estrada da Victoria. ^ ^ ^ ^ Ffes|
CGMMERGIO.
Colav es offleiaes.
29 de margo.
| Cambios sobre Londres 90 d[ vista
d. por 15000.
23 1/2
E nada mais encontre
passo o presente em 7 de margo de 186o. O fis-
cal pagador, Raymundo da Silva Maia.
A' vista desta certidao e do officio do director das
obras publicas de 20 de dezerabro de 1862, dirig- j
do ao Etm. presidente da provincia, asseverando
que o empedramento de 1067 bragas nunca tinha!
sido feito por administrago. Pergunto ao Sr. Fe- ]
e 5 0|0 por tonelada.
Dubourcq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
Gai\a filial do banco do Brasil em
Peruambuco.
A directora desta caita saca sobre o banco do
COMPANHIA BBASIL_IBA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos porlos do sul e esperado
at o dia 31 do corrente um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir.a qualdever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendase dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antn io Luiz de Oliveira Azevedo & C.________
Parao RioGrajde doSul segu em poucos
dias o brigue brasileiro Prazerrs, capitao Jerony-
mo Jos Telles : recebe alguma cargaa frete e a
tratar no escriptorio de Amorim Iraios, ra da
Cruz n. 3. _____
Para o Para.
vai seguir com muita brevidade o palhabote Pa-
reme, lem a maior parte da carga prompta, e
liciano Rodrigues da ^*W>* "" Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caita filial do
nheiro da reparligao das obras publica e encarre- h u ni
gado dos irabalhos da estrada da Victoria, quera! me5DQ0 Mnco na ~"^___
recebeu do thesoureiro Maia os 499:600 rs., aquem *rovn baneo de l'ci'uam-
cemeu e>te dinheiro, visto que o Sr. Feliciano
qnem deve responder e sabe de tuo?
m mAoAu
l
S... ii-:i-~ r pii'ifri'iin"> iilpi'm (I- nruliiiin
une ,", .i-; I'nit m -.-.i- n:i>stro il'uma nia-
;l mM s.- ,eia '' i Mitirf a ni'ilfs'iii: jiml -ja o
. .. iNi.iMi .ioA<;ii\i Pkkeika. ra Salda.
y;. :... i \ infeliz '.:. i maia d'uin ; nnoque
-,'...' a< :;'; as ma atroMs epoogeatM
|ri.-. -.!'. :' '.
]\m\vm ihigAs SAmiM
..,;:.;, :. or "':;' dURtente arles de 8111
.. *cado ama a quaes sobre o )>iit<>do >
mus fanifa e maligna chaga, a ijunl o privara
.: -!ar, raunudo-Iao as dorea as mais agoni-
. que lu dia 'jci.-r do uonte; conliuiuula-
in >ntc aTwnni-ntado por taca aflHecSoe-e dores,
'tii .si bup aborrocido i!.i rontinoaSo de sim-
i'-'i :ii' v i'a. t "-'o >iisto ., .1,:. tuas, v u; n-nlidailo jon-ria
.. ain Ihe rertaiva mais ctfperanfa
1 .: resignado osperava oora-
j ., ': iiriu o termo final de s. us mutiplicados
, ,.,... m iuo mil.igi'OKamenti.']K>r 6>r-
-i!".\ rnwi l!ie rer'-ian," o rr.iiide purificador
.. nngn
A Balsaparrilha
buco.
0 banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
toma dinheiro a juros a praso nunca menor da
j tres mezes, e saca sobre a praga da Bahia.
. Novo baneo de Pernambnco.
O banco paga o 14" dividendo na razao de 8$
por accao.
ALFANDEGA.
Rcndimento do dia 1 a 28..... 710:2125931
dem do dia 29............... 3o:762j>i29
746:0033360
MOYIMENTO DA ALFANDEGA.
Volantes entrados com fazendas... 267
t cora gneros----- 720
------987
Voluntes sahidos cora fazendas 141
< t- com geeeros..... 1,128
------1,269
Dosarregam no dia 30 de margo de 1865.
Brigue hollandez- Orion -diversos gneros.
Brigue portuguezHspernnr.a diversos gneros
Patacho banoverianoWidardem.
Patacho nacionalBeberibeiem.
Biigue escuna norueguenseTronxo farinha de
trigo.
Galeota hollandezaElizabeth-*ceTve& e gneros
- para fra.
Polaca italianaLindadiversos gneros.
Brigue hespaoholTmoifofarinha de trigo.
Brigue nacional -Pallas -charque.
Sumaca hespanholaGuadalupeidem.
Barca inglezaD. Manacarvao.
Patacho inglezSpray-idera.
Barca inglezaScott -idom.
UECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNXMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 28........ 453273936
dem do dia 29................. 1:7713529
hei por ciados os referidos supplicaJos, para que
comparegara oeste juizo dentro do indicado prazo,
aflm de allegarem oque fr de juslu;i.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa e aflkaJo no lugar do costume.
Recife, 14 de marco de 18 jo.
En Manoel Mara Rodrigues do Nascimenlo, es-
crivao, o subscrevi.
Trlstao de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector Ja thesouraria provin-
cial; ern cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de lo de margo corrente, man-
da fazer publico, que no dia 30 do mesmo, perante
a junta dafazenda da mesm;. thesouraria, se ha de
arrematar, quem por menos lizer, a obra da rc-
consirucgao da bomba d varzea do l'aulista, ava-
llada era 8003.
A arrematago ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
claasulas especiacs abaixo opiadas.
^ As pessoa. que se propozerem essa arremata-
gao, comparegam na sala das sesses da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesourarir provincial de Pernam-
buco, 18 de margo de 1865. O secretario, .4. F.
d'Annunciarao.
Clausuias especiaes para a arrematago.
. A reconstruegao da bomba da Varzea no en- para o resto que Ihe faita irata-se com o consigna-
genho Paalista, na Impor'nncia de 8003, *er feita tario Joaquim Jos Gongalves Beltrao, na ra do
de accoriio com o pftscute orgameuto approvado j Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. o,
pela presidencia. I armazem. ________^^
2.a O arrematante dar comeco a obra no prazo r
de 15 dias, a concluir no de 45, contados ambos \ rCLFOL O rttl 11
O areraaante na execuco dos irabalhos,! mDio prompto :pn^^K:
seguir restrictamente as instruegoes doengenhe-to-se.com oa *B.o* ~ns,","* AS
ro encarregado da liscalisagao dos mesmos Ira-Oliveira Azevedo & C, no sea escnplor.o
balhos. \***. V
5.* O arrematante nao ter direito algum a in-
demnisagao qualquer que seja a natureza da alie-
gagao que fizer
5." Era tudo mais que nao se contm as presen-
tes clausulas, seguir-se-ba o que dispoe o regula-
menlo das obras publicas.
Conforme.A. F. d'Annunctacao.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ofncial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito especial
do commercio, nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambnco e seu termo, por
Sua Magestade Imperial e constitucional o Sr.
D. Pedro II, quem Deus guarde etc.
Fago saber pelo presente que no da 3 de abril
do corrente anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der, em praga publico deste juizo, de-
pois da audiencia respectiva, a escrava crioula de
nome Gaudiana, que representa ler 20 anos mais
ou menos, avaliada em 6003000 res, a qual sendo
pertencente aos herdeiros de Francisco de Barros
Correa, fora penhorada aos mesmos por execugao
de Jos Joaquim Alves.
Em falta de licitantes ser arremalagao feita pelo
prego da adjudicagao cora o abatimenlo respectivo
da lei.
E para que chegue ao conhecimento de lodos
mandei fazer o presente edital, que ser afxado
nos lugares do co>turne e publicados pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 16 de margo de 1865.
. Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi.
Tosido de Alencar Araripe.
Cordeiro SimcVs far Icilo de movis novos e
usados, 2 machinas para costura, 1 machina para
alimpar facas, camas de ferro, e outros objeclos
de fosto.
Na mesma occasi3o vender nma^ escrava com
cra nd armazem ra da Cruz n. 57.__________
Leilo do salvados de brigue iogiez
Hebe of the Exe.
Sabbado 1* da abril continuar o leilao das fa-
zendas salvadas do referido brigue e existentes no
armazem do barao do Livramento caes do Apollo.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
Aosl0;OO0$0O0e 3;O00#00.
Sabbado 8 de abril do corrente anno, se
extrahir a 2a parte da Ia lotera (IIa) a
beneficio d ifijeja de Nossa Senhora do
Amparo de Goianna, no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes.raeios e qaartos esto a Ten-
d na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. lo.
Os premios de 10:0000000 at 20,>000
seropagos uma hora depois da extraegao
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuiejo das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Luiz de
ra da
Maranlio
O palhabote GartbalJi segu para S|aranhao por
estes dias, recebe carga : a tratar com Tasso Ir-
ruaos. '________________________________
Para o Porto segu, com brevidade o brigue
Esperanca por ter a maior parle de seu carrega-
nienta prompto : para o resto e passageiros ira-
tase com Cunha lrmaos& C, ra da Madre de
Dos n. 3, ou com o capitao na praga.__________
Para Lisboa
pretende seguir com muita brevidade a barca por-
rtfgueza Henriquela, lem parte de seu carregamen-
to a bordo : para o resto que Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tem muitos commodos, trata-se-
cora os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & ., no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1. ________
,T"
11

,11; Aia^mndr Hiciciu aosccllencia
,- .. ackon dentro de [lonco lempo, livro do
ulinvtd estado ,|,. desespero) cadoce
,- r-im'i.i espiTinca torrn de novo revives
:a ..; -ol a podtfosa e benvola ii\-
lt.....:ia.ik-to adnfcvel medicamento, as su -
pta na breve princIpiarSo asBnmir rao e:v-
, eiei' ':; e*av innulndo o aspecto e soa
niiiiguidade. A maesa do saogue e mais
humor-a do uystema tomn adquirir uma
nrenda fiara s sandnvel, a.^ dore ator-
,,i. q adoras d'ontnwm o deixaiio,e urna doce
.,i i trano,uillida tttdo < seu gvstcma, reataHrando-llie deeejada
M soseg "espirito aeehagMnma -'i ama
forSo fesdiaado ate q.u finalmente se cica-
.<-.,., ,'um todo, e hoje iichii-se perfeita-
:. ato, gosande ii'uiu perfeito estado de
Mole, depois de se ter visto privado d'este
. .. ; ._,;, d iran maia d'um auno. Elle
.: mt esta soa cura, penas fes nao do
i ,..,.: tgfrut ila Genuiua Salsaparrilha
: 3-i.!io!, >n-p. eselusivmnentepor
LHMAS & KEM?,
!>C SVA YORK.
R -...-i-i! '.-!:. s'- mu particolarmcnte nos
iv. .;. d'ambw os sexos, -que emptegnem
i a emit -lia na escolba d'este admiravel
tem dio, afitn que nao obt^nhao ontn conv
vi,- .-.' r, <;e.e nao seja i Salsaparril-
li* Geiiuh-a de Bristol, i>is que todas RS
mais pn-jinraeo- e Imitafoos d'eafa natmeza
..\o falsas ifllo possnindo virtnde alguna.
Vende-se as boticas de Caors A BarbosB
e C. Bravo & C.
17:099*465
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 18........ 90:9065431
dem do dia 29 ................ 3:i8U63
9-1:0905614
BECLAB1S0ES.
Para o tilo de Janeiro
o veleiro brigue escuna Nao Sei, pretende seguir
no fim da prsenle semana, lera parle do seu car-
regamento emgajado : para o resto que Ihe falta,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo &.C., no seu escriptorio ra
da Crnz n. 1.___________
Attencdo
Terga-fefra 3S o corrente mu desappareceil
da ra do Crespo am ravallo cun o signa* se-
gantes : rugo, s lem am ferro do lado direito e
omaferidana sarnelha : qnem achir queira en-
tregar m ra de Caldeireiro n. 41, que ser gra*
tincado.__________________________
Irmandade acadmica de?4ssa Senhora do
Bom Consefbo.
Per deliberaeao da mesa admini'iraliva da ir-
mandade acadmica de Nossa deudora do Bom
Conselhosao convidado* todos os irmaos para
compareeerem na sexta-feira 31 do crreme, pelas
3 horas da larde, no consistorio da dita irmanda-
de aflm de, em commnnidade arompandarem a
procisso do Senhor Bom Jess dos Passos.
Censlstortoda irmandade acadmica de Nossa
Senhora do Bom Conselho 28 de margo dr 1865.
O secretario,
_______________AuguMo de Araqjo Santos.
Precisa-ss salier onde sa ada morando, ou
possa ser procurada a Sra. D. Tnereza Co<-|lto da
Silva, qae raorou na ra de S. Pranciseo n. 34 po-
ra negocio de seu interesse.
O Sr. commendador Antonio Luiz Congalve
Ferreira lem uma carta vinda do Rio de Janeiro :
no largo do Paraizo n. 20.____________________
Precisa-se de um neiro al a idaje de It
annos : na na do Rangel n. 8. deposito.________
Caeiauo Lenidas Gima Pitarle venden a sua
casa de negocio que tlnha no paieodo Livrampnio
n. 33 a Mantel Francisco da Silva, no dia 20 do
corrente, (Icando desta data em diante d'-sobrigade
de qualquer duvida que haja. Recife 29 de mar-
go de 1865._________________
Precisa se de
Florentina n. 1S.
um cosiubeiro: na ra da
Precisarse de um caiieiro pei|iieno e que
lenha pratn-a de taberna e fi. corrtiecimento a sua
conducta : na ra da Praia n 6*.
Acha-se fupilivo o escravo inoel Muquim,
com os signaes seguintes: crioulo, air preta, alio,
magro, de>dentado. tem urna fistu-la abena no
Antonio Jos Rodrigues de bouza. j ,|Ueixo proveniente de dr de denle e uma cicatriz
Antonio Lopes Braga, subdiTo portuguez, vai no rosto, representa ler 40 annos pouco mais oa-
menos. liasianie : .mi.i e nre.siimidn de va en a: :
viajar a Europa.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra da Senzala Nova n. 42 : a tratar no armazem
do mesmo._____________________
Sacase sobre Lisboa, Porto e Rio de Janeiro
no escriptorio de Carvalho c Nogueira, ra de
Apollo n. 20. _____________
Aluga-se o sino das Maogabeiras na cidade
de Olinda, ra do Bom-successo, junto a ladeira
do Monte : a tratar na ra Direita n. 69.________
Precisa-se de um canoeiro forro ou captivo
para trabalhar em tijolo, paga-se por viagem ou
por mez : a tratar na ra larga do Rosario n. 18,
padaria.___________________________
Preciaa-se de um criado que saiba principal-
mente fazer compras para uma casa de familia, e
de anga de sua conducta, sendo que preferir-se-
^ha se or algum rapasinho : a tratar na ra
Aurora n. 26.
da
Aviso
Rogase apessoaque achou um esenpto de pra-
ga dentro de um Diario de Pernambnco, j com a
certidao do porteiro de nao ter apparecido langa-
dor ao bem que devia ser arrematado pelo juizo
da 1* vara, escrivao Baptista, o favor de ir levar
taberna de Autonio Moreira Reis, junto a fortaleza
das Cinco Ponas n. 49, que ser generosamente
recampensado.
MOYIMENTO 30 PORTO
Nauta Casa da Hlsericordia do
Recife.
A Illm junta administrativa da Santa Casa de
Mssericordia do Recife manda convidar as pessoas
que se quizerem encarregar da mao d'obra de
carpina abaixo declarada, a aoresentarem as suas
propostas em carta fechada, na sala de suas ses-
ses, no da 30 do corrente, pelas 4 horas da tar-
de, a saber :
Uma coberta com 208 palmos de comprmanlo e
30 de largo, 100 crabos sobrelinhas e mao de forea
no centro.
Onz grades de janellas com bandeiras e caixi-
lho, tendo as janellas enfichadas.
Cinco ditas com bandeiras e venesianas.
Seis portas.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
Navio entrado no dia 29.
Rio Grande do Sul-9 dias, barca portugueza Ar-
minda, de 240 toneladas, capitao Antonio Fran-
cisco da Silva Jnior, equipagem 13, carga
13,200 arrobas de carne secca ; a Marques Bar- Recite 27 de marco de 18b..
ros 4C.
JYari'os sonidos no mesmo da.
Cear-Palhabote nacional Ganbaldi, capitao Cus-
todio Jos Vianna. carga farinha de trigo e outros
gneros.
Rio Grande do Sal -Brigue brasileiro Mafra, cap-
tao Jos Joaquim dos Santos Souza, carga as-
sucar.
Para a U.iliia pretende sahir em poucos das
a escuna Eltza, por ler alguma carga tratada, e
para o resto que Ihe falta lraia-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Gongalves Beltrao, na ruado
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6, ar-
mazem. _________
Para-o Porto pea Illia de S.
Miguel.
O bem conhecido brigue nacional Amelia, pre-
tende seguir al o llm do mez, tem parle de seu
carregamanto a bordo, para e resto que Ihe falta,
e passageiros para os quaes lem excedentes com-
modos. irata-se com os seos consignatarios Antonio
Luiz d'Oliveira Azevedo & C- no seu escriptorio
ra da Cruz n. 1.___________________________
COMPANHIA FERNAMBUCANA
DE
Xavegaeo costeira por vapor.
Maeei e escalas.
No dia 30 do corrente as 5 ho-
ras da tarde, segu "o vapor Pa-
)-(/Ai/6a,coinmandante Martins, pa-
ra os porlos indicados.^ Reeebe-se
carga at o
AVISO.
O nroprielario da casa da ra do Mondego em
que*morou o Sr. acadmico Antonio Jos Lopes Pi-
Iho, tem uma caria para o mesmo senhor, qu<* po-
der fazer o favor de a mandar buscar na olaria
n. 13 na mesma ma, e entregar a resposta.____
^Precisa-se de uma ama que engomme e co-
zinhe : a tratar na ra da Cadeia do Recife n. 40,
loja de relojoeiro.
dia
EBIT1ES.
EDITAL.
Secretaria do governo de Pernambuco, 29 de
margo de 1863.
Pela secretaria do governo se faz publico, que
por afluencia de Irabalhos, S. Eic. o Sr. presiden-
te da provincia s dar audiencia de uma hora da
tarde em diante, excepto aos chefes de repartigoes,
aos quaes ouvir em qualquer hora.
O secretario do governo,
Dr. Francisco de Paula Salles.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olfieial da impe-
rial ordem do Rosa e juiz de direito especial do
O escrivao.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Caixa filial do baneo do llrasil
em Pcrnanibueo,
14 de neiro Je 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredores de -ebastio Jos da Silva a viren) i
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em |
rateio Ibes toca da veuda de uma dasproprieda-
des.'.quesegundo a concordata,lhe foram entregues
para serem vendidas.Oguarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
29. Enc&m-
d mendas,passagerose dinheiro a frete at 2horas
da tarde ;lo dia da sahida : escriptorio no For-
te do Mallos n. 1.
Companhia das Nensageries
lmperiaiis.
o publico
que como simples ci
Cahindo sjbre mim faltas, que como simp.es ^" i 71060 rs.; proveniente tambem da inclusa le-
dadao, nunca commttti, e menos como inspector, \ ,M r Aa xun^ h A7up_ Aimeida. da miantla
ra dever poderoso para mim mostrar que amo a
lei, e o respeito moralidade publica. Neste in-
tuito nao podeudo reprimir os abusos, que homens
mos praticavam, o dizum faze-lo confiando na-
quelles, que deviam ser os primelros a puni-los,
julguei acertado pedir rainha demissio, o que, per
muitas vezes tenho feilo, e agora consegu.
Fage esu declaragao para que o publico fique
sabendo que nao pactuo com o crime.
O ex-inspector do Atierrinho do Giqui. fio-
gados 1. distncto aos 27 de margo de 1865.
Ricardo Pantaleo da Cmara.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro estautorisado a pagar o 22. di-
videndo de 105 poraegao.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Pela subdelegada do 2 districto do curato
da S de Olinda se faz publico que no dia 25 do
'corrente, palas 2 horas da manhaa, fai apprehcn-
1 dldo a Quintillo Antonio da Costa um cavallo fur-
' tado de cor foveira e magreiro : quem for seu
commercio desta cidade do Recife de Pernambu- ; dono aslr,Cando, Ihe ser entregue,
co, por Sua Magestade Imperial e Constitucional j gabdelegaca do 2 districto do curato da S de
o Sr. D. Pedro II, que Dos guarde, etc. | Q(ada 37 de margo de 1865. O subdelegado do
Fago saber aos que o prsente edital virera, e 2 disirict0 d0 curato da S de Olinda
delle noticia tiverem, que por parte de Francisco Manoel Deonizio Gomes do Reg.
Botelho de Andrade, me foi dirigida a petigao do Crrelo qeral
*M_*ff_ lua de direiio do commercio -Diz' Pela administrago do correio desta cidade se
tB^'JL^AS&VtTSSSS fPublico que em virtude da convengo postal
3:7525138 rs., proveniente das oito letras juntas j; n*fx^i"%l mZrl 11 carias se
, c"... u'., r .,Q hq MaiiA Hr, lala rto rente pelo vapor francez Novarte. As carias se-
rao.recebidas at 3 horas antes da qne for marca-
da para a sahida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
No dia 30 do
corrente mezes-
pera-se dos por
tos do sul o va-
por francez Na-
narre, comman-
dante Aubry de
la No, o qual
depois da demo-
ra do costume seguir para Bordeaux tocando em
S. Vicente e Lisboa.
Em S, Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para fretes, condigoes e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
0. da Cmara, sendo commissionado
por uma grande fabrica de ornamentos
Jfe de igreja, em Paris, avisa aos reverendos H
r
vlgarios c irmandades desta e mais prc-
vincias, que pode prover-lhes nao s dos fe
ditos artigos, como tambem de outros fl
queesquer pertencentcs ao coito caiholi- %
co. A qualidade e modicidade do prego S
de taes artigos, que serao vendidos aqui 'a
ao prego da fabrica, offerecem inmensa |
vantagem como se poder apreciar dos 9
pregos Hxos em cathalogos que poderlo ^j
2 ser procurados na ruada Cruz n. 34, pri-
| meiro andar.
Consultorio meilico-cirurgico na
Rosario n. 20.
O Dr. Joao Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, conlina em o exercicio de sua prolisso nao
s na parle medica como tambem na cirurgica.
____k___ _. _5 _< _>s_ _r.%m
I s
Para Liverpool com escala por Lisboa o va-
por inglez Saladin pretende sahir sabbado Io de
aril para passageiroi, fretes, etc., a entender-se
com seus consignatarios Saunders Brothers & C,
no largo do Corpo Santo n. 11. Frete de specie
para Liverpool 1|2 0/0 para Londres entregue no
barco de Inglaterra 5(8 0/0
LEILOES.
de Salviano Bezerra Leite de Mello, da quanlia de | rente pe
miente tambera da inclusa le- "
ira ; de Manoel de Azevedo Alraeida, da quantia
ras antes.
Administrago do correio de Pernambuco 22 de
margo de 1865.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
TltEATltO
Cura espantosa e admiravel de uma inflammago
chrouica do baro on splenit.
Um filho do Sr. coronel Bernardo Jos da Cma-
ra, senhor do eogenho Cuyambuca, foi atacado des-
ta terrivel molestia inflammagao chronica do bago,
ou splenita mesma envolva outros padecimen-
tos, como esnsago, palidez, inapetencia, etc., etc.
Durante todo este terrivel estado, tbdos os re-
cursos medicinaes, que era taes casos se uzam, fo-
ram abundantemente empregados, sem que fizesse
parar a marcha lenta o destruidora de to horn-
vel enfermidade, e todos os meios e esforgos fo-
' rara baldados, tanto que este mogo ja foi Euro-
pa e nenhum resultado obteve, no entanlo o mal
resela ; e estando neste ponto se experimentou o
xarope elherio de veame. '
O effeito prodozido por este estimavel remedio
f i verdadeiramente maravilhoso e sem igual. Nao
menos importante o xarope alchooHco, e as pilu-
las purgativas do mesmo veame, por gozar de
propriedades iminentemente depurativas, appro-
vadas por mdicos e pessoas desta provincia, e de
outras curas radicalmente efectuadas, como es-
oropholas, rhenmatisrao, -escorbuto, enfermidades
venreas e mercuriaes, chagas antigs e todos as
molestias provenientes de um estado vicioso do
sangoe. Nao impede os banbos fros do mar ou
do rio.
de 2975893 rs. constante da letra junta, e de Ma-
noel Martins de Oliveira da de 7105, tambera de
duas letras, que igualmente junta; e bem assim
de Thomaz Ribeiro dos Sanios, da importancia do
146930 rs., como se v da letra que o supplican-
te nne, cujas prescripgoes quer o supplicante in-
terromper, e por Uo vem requerer V. S. se dig-
de de mandar lsngar termo de protesto que faz
para "tal fim cora ii timagao dos referidos devedo-
res, fazendo passar carta edital, visto come resi-
1 dem elles em lug r incerto e nao sabido : nestes
termospede V. S. deferimenloE R. M.O sol-
1 hilador, Vicente Li :inio da Costa Campello.
E mais se nao miaba em dita petigao aqui co-1
piada, na qual dei o despacho do theor seguinte : |
Justifique a ausencia amanhaa ao meio dia. Re-
cife, 7 de margo d 1 1865.-Alencar Araripe.
E mais so nao continha era dito despacho aqui { ,1 -. 1 nhri de 18fi.^
copiado.em virtud i do qual fra i mesma petigaobaoDaao l (le (IDril 16 IODO
s
5.
EMPREZA--COIMBRA
recita da assignatura.
Entre outros muitos factos um, ha ponco, acaba I segrate
distribuida ao es< rivao deste juizo Manoel Maria
Rodrigues .do Nasicimento, o qual lavrou o termo
de protesto do theojr seguinte:
Teime de proteste.
Aos 8 de marga de 1865, na cidade do Recife,
na sala das aodiekicias, onde eu me achava, e j
sendo ahi comparecen o suppl'cantc, e disse pe-1
rante mira e as testemunhas infra assignadas, que'
reduzia a protesto o contedo de sua petigao retro, |
a qual olTereceu como parte do presente que Oca
sendo, c de como a>sim o disse e protestou, lancei
este termo, no qualUepois de lido se firmou com
as ditos testemunMs
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es^
crivao, o escrevi.Francisco Botelho ae Andrane.
-Joo Jos de A|meida Pernambuco.Jos da
Costa Reg Lima.
E mais se nao continha em dito termo de pro-
testo aqui copiado.
E tendo o snppicante produzido suas testemu-
nhas, sellados e preparados os autos, subiram
minha cenclnsio, e elles del a sentenga do theor
Representar-se-ha o interessante drama em 4
actos
HISTORIA.
DR
IM M0{4 RICA.
Terminar o espectculo com a representagao
do lindo e e:pirituoso entre acto ornado de mostea
BERTHA DE CASTIGO.
Pela Sr.' D. Eugenia, o Sr. Porto e a Sr.* D.
Francisca.
Os bilhetes acham-se a venda no escriptorio do
theairo.
Principiar s 8 horas.
A empreza tem a honra de annenciar ao publi-
co que acaba de contratar com o Sr. Comingio
Gogliani, famoso concertista, admirado ota diver-
sos theatros da Europa, para este senhor dar al-
l.eiSao de uma parte de um so
brado de 'i andares*
<_>_" BE3
Quinta-feira 30 do correle as 11 horas.
OLYMPIO
competentemente auionsado veuoera em leilo
uma parte do sobrado de 2 andares sito na ra da
Senzala Velha n. 11J), avaliada em 1:8395, chaos
proprios, lera lugar o leilo no dia cima no es-
criptorio do referido agente ra da Cadeia do Re-
cife n. 30, primeiro andar^______________
Leilo"de]uia^taberna em a-
melelra.
HOtl-.
Quinta-feira 30 do corrente ao meio dia em ponto.
Cordeiro Sim5es far leilo dos gneros da ta-
berna cima dito a requerlmento de Manoel Jos
da Silva Oliveira e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio em um oh mais lotes a
vontade, cujos gneros foram arestados a Manoel
Jos Alves Coelho.____________________
Leilo de 25 barricas com sardinhas
HOJE.
O agente Pestaa vender em leilo por conta
de quem perteucer 25 barricas com 700 sardinhas
cada uma em 4oles a vontade ou em um s : hoje
as 10 horas da manhaa no armazem do Annes.
tem mmm s
Saques sobre Portugal. g
O abaixo assignado, aulorisado pelo m
Banco Mercantil Portucnse, e na ausen-
M -ca do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca g|
X elfeciivamente por todos os paquetes so- g
"M. bre as pragas de Lisboa e Porto, e mais |
mk lugares do reino, por qualquer somma a a
S vista e a prazo; podendo, os que tomarera v,
WR saques a prazo, receberem avista, no mes- S
^ mo Banco, descontando 4 0)0 ao anno : I
S na loja de chapeos da ra do Crespo n. 6,
m ou na ra do Imperador n. 63, segundo >
Bj andar.Jos Joaquim da Costa Maia. Jf^
_<_S_(_S_S_S _f _S__f ^._f W$M)
0 solicitador Pedro Alexandrino da Costa Machado
se cncarrega ante o foro desta cidade de tudo que
for tendente a sua prolisso, aceita de partido an-
nual as pendencias judiciaes de qualquer casa
commercial mediante razoavel ajuste. Continua
a se encarregar de cobrangas nos termos do Cabo
e Ipojuca aonde continua a trabalhar come d'an-
tes, e encarrega-se de defezas perante o jnry nos
termos prximos avia frrea, offerecendo gratui-
tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
procurado todos os dias das 9 horas da manhaa
as 3 da tarde, na ra estreita do Rosario n. 34,
e fra dessa hora na rna Imperial n. 36, casa de
sua residencia.
;_*_*=<> *__K____*3___ _?
menos, bastante afoulo e presumido de valenlo
a lodas as auloridades e pessoas do povo e a cada
um de per si roga-se a ciptura da (Jilo escrava
que poder ser entregue ao Sr. Antonio da Rocha
Accioli Lios ra do Apollo, ou no rngenbo Outei-
rao. O senh >r e depositario do mesmo prol^siam
recorrer ao tribunal competente contra quem o
tenha aci.utado e paga-se com generosidade a
quem o apprehender. _________________
tTibdi ii
Nosnrmazens 12 e 24 do raes 22 de
Nebembro,
Por proco barato, muito barato, e barat-
simo de mais, pranxes d pinbo, efe 8 a 11
pollegadas de largura, de 3 a i de^grossura
com differentes comprimeDtos, e senados a
vontade do comprador. Taboas de t polle-
ga de grossnra, e 20 de largura, proprias
para mesas de jantar, ou de etigonimar,
conforme o freguez, e a quantidade (fue elle
comprar, d Approveitem o ensejo, que nem sempre,
as praias do Rio Grande do Norte, ver-se-
!so abarrotadas de pinbo naufragado, para
abastecer o mercado desta cidade co pinho
e muito pinho. ______ ________
Lourengo Pereira Mendes Guimares, esla
belecido com tujas de fazendas na ra da Impera-
triz ns. 56 o 72, faz scienle ao respeitavel publico
e principalmente ao corpo de commercio, que val
a Europa tratar de sua saude, e deixa em sua au-
sencia para tratar de todos os seas negocios como
procuradores os Srs. : em Io lugar Jos Alves Li-
ma, em 2o Carneiro & Nogueira, e em 3* Jos Pe-
reira Mendes Guimares. _________________
Os abaixo assignados fazem sciente ao res-
peitavel:publiro e com especialidaoe ao corpo com-
mercial,' que no dia 24 de fevereiro dissolveram
..raigavelniente a sociedade que tioham na tabrr-
na da ra das Cruzes n. 22, que gyrava sob a ra-
zo social de Carneiro & Fernaudes, ficando o ac-
jtivoe passivo a cargo do socio Fernandes, o qual
! contina com o mesmo estabelocimento ; e o socio
Carneiro IWre de toda a responsabilidade. Per-
nambuco 24 de margo de 18H5.
Franciso Jos Carneiro.
Jas Rodrigues Fernando.
Precisa-se de uma ama que compre, cozuihe e
engomme para casa de muito pouca familia : a
tratar na ra Imperial n. 36.____________;
Sitio para alugar
Aluga-se um dos melnores sitios, nao s pela
ptima casa de vivenda como por ter excelentes
baixas de capim e commodos para vaccas, alera
de innmeros arvoredos de frueij : quem o pre-
tender, dirija se ao'primeiro sitio do lado esquer-
do, passano a capella dos Afilelos.
Vacdoa publica.
As possoas que precisaren vaccinar-se devero
comparecer no terreao da alfandega as quintas e
domingos das 8 as 10 horas da manhaa, para apro-
veitar-se a transmissodo Cuido de nragoa braco
Professora.
Precisas de uma snhora que,sendo solteira ou
viuva, tenha habililagoes necessarias para en>inar
primeiras letras em m engenho na provincia de
Alagoas : a tratar na ra da Palma n. 60.
No dia quinta-feira se vender em leilo pelo
agente Euzebio uma rica secretaria, mubilias e ca-
mas de Jacaranda e obra> novas, guardas roupa,
ditr* para louga, cadeiras de braco com encost de
lona, o camas, ditas obras de amarello, camas de
ferro, tres cadeiras d'arrnar, filtradeira, e outros
artigos que serao presentes._________________
Leilo do casco do brigun iuglez llebe
of the E\$.
Seita-feira 31 de margo as 11 horas do dia por-
ta da Associagao Commercial,
os nretendentes poder i desde j examinaren* nao
s o casco cora o resto, da carga all existente, do-
vendo comparecer ao cilio na da e hora cima
dito.
m
IJComptihia idelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PERNAMBL'CO
; Antonio Luix de Oliveira Azevedo & C,
jks competentemente autorisados pela direc-
*w loria da companhia de seguros Fidelida-
m de, tomam seguros de navios, mercado-
^ rias e predios no seu escriptorio ra da
aR Cruz n. 1. ____
*_!'X>_!KiX!_;V_2_'a1 >M,JIT_
Veocravel ordem lerceira de Nossa Se-
nhora do farmo.
A' convite da irmandade do Senhor Bom Jess
dos Passos tem a veneravel ordem terceira do Car-
ino de acompanhar a procisso do mesmo Senhor,
para cujo fim rogo a todos os charissimos irraaos
queiram comparecer paramentados com seus h-
bitos em a nossa igreja as 3 horas da larde do da
31 do crtenle.
Secretaria 29 de margo de 186o. Osecrelario,
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Irmandade do Divino Espirito Santo erecta
na igreja dos religiosos fraa iscanos-
Por ordem da mesa regedora con-vido a todos os
nossas irmos para compareceris na sexia-feira
31 do correnle polas 3 horas da tei-de em o nosso
consistorio, afim de encorporados acompanharmos
a procisso do Senhor dos Passos que tem de sahir
da igreja do Carmo para a matriz do Corpo Santo.
O secretaro,
Joao Walfredo de Medeiro>.______
Eseola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professora parti-
cular de inslruccao primar, competentemente au-
Uorisada pela directora da iustruegao publica,
abri sua aula na saa. Direita n. 60, segundo andar.
Uma pessoa recem-chegada, profundamente
versada no ensino da lingua franceza, pretende
abrir um curso nocturno, e por isso convida s
pessoas nue se quizerem inscrever dirigirem se
typographia econmica, ra do Crespo, para
maiores nformagoes.________________________
Testamentos.
Acabam de sahir luz os da hyena e do
gatto, esto venda, juntamente com os ou-
tros j annuciados, ao prego do 160 ris ca-
da um : na ra do Imperador n. 15, enca-
dernago defronte do convento deS. Fran-
cisco.
Na officina de eneaderna^o da ra do
Imperador n. 13 d fronte de S Francisco,
precisa-se de dous ou tres mogos que quei-
ram aprehender a arte, uma vez que sejam
moral isados.
Precisa se de nm official de s.paeiro, e este
que queira ir para Maeei : a tratar na ra estrei-
ta do Rosrrio n. 4.
^"N^rurdorMarTyrioTnT 2,~pnmeiro andar,
precisa-se de uma ama com bom leite.
AMA
Precisa-se de uma mnlher de meia idade que
saiba cozinhar com perfeigo e limpeza, e fazer lo-
do o mais servigo de uma tasa, sendo fiel e dando
fianga de sua boa eooducta, para lomar coata da
casa de urrr hornera solteiro : na ra da lmpera-
triz n. 6, terceiro andar, se dir qnem preiende.
Criado ou criada
Precisa-se de urna pessoa livre ou escrava para
o servigo de uma casa de familia : a tratar na ra
do Imperador n. 17, primeiro au-lar, defronte da
igreja de S. Francisco, das 11 horas da manhaa as
3 da tarde.
Aluga-se um grande sitio com sufflcieocia
para ter 8 vaccas de leite, 2 baixas par* planta de
capim, casa com commodos para grande familia,
proximf> ao Recife, que se pode ir a p, e muito
arvoredos de fructo : na ra larga do Rosario, toja
n. _._____________________________________-
precisa-se de duas amas, uma cozinheira e
outra engjmmadeira, escrava on livre : a tratar
na ra das Cruzes n. 22, segundo andar.________
"_~1iiga-se uma sala do primeiro andar da casa
da rna do Queimad) n. 41 : a tratar na mesma.
Precisa-se de urna mnlher que saiba bem do
cotara, para casa de pouca familia ; na ra do
Rangel a. 3.
Na -_..\


J


GASA DA FORTl
Aos 10:000^000.
Itlheteg garantidos.
A' BA DO CRBSPO N. 23 E CASAS BO COSTUMK.
O abaixo assignado vendeu dos seos multo feli-
zes bilhetes garantidos da loteria que se acabou
de extrahir a beneficio da mairix de S. Jos do
Kecife, os seguintes premios :
Dous quartos n. 2839 com a serte 6:0005000.
Um meio o. 2505 com a sorte de l:4OO5O0O.
E outras muitas sortes de 1005, 405, 20J e
10*000.
Os possaidores podem vir receber sens respec-
tivos premios sein os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra da Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da i* lotera
beneficio das obras da igreja de N. S. do Am-
paro de Gjianna, que se extrahir no dia 8 de
abril.
PRECO.
Bilhetes.....125000
Meios......65000
Quartos.....35000
Para as pesseas que compraren de 1003000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......55500
Quartos.....25750
Manoel Martins Fiuza.
Diario 4c fernambuto ... Quinta letra & e Marco de &&.

Salitre
a roa do Queimadon. 37, leja deferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimaraes, vende-so sali-
tre refinado por 255 a barrica de i arrobas, ou a
65400 a arroba so a dinheiro.
OsSrs. academices que rao matr(cular-s
noterceiroannolda Faculdadede Direito, podee
dirigir-se a ruada Saudade n. 9, fronteira a m
Hospiio, onde s Ihes vender o compendio do
direito civil aias 9 horas da manhaa, e das 4 de
as 6 horas da tarde. J at
MUDANCA'
in tarara
Na ra Direita n. 116 conlinua-se a tingir para
qualquercor, e o mais barato possivel.
a lug-se
umacasaacabadi agora, com commodospara fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos,com bauho na porta, no lugar do Poco
daPauella.ruad Rio: a tratar com Tassoir-
maos.na ra do kmorim n. 35.
Preclsa-se alugar urna ama que cozinhe e
engomme, forra ou captiva, para casa de pequea
familia : no pateo do Carmo n. 2, segundo andar.
Ama.
Precisa se de urna ama que saiba engommar, co-
zer, efazer o servico de casa para urna pessoa,
e que nao sia ra : a tratar ra do Imperador
n. 11, armazem de louca.
Atiendo.
O Sr. Fernandes GazzoU tenha a bondade de ir
ao Hotel de Italia concluir um negocio '|ue la tem|;
e caso nao compareca no prazo de tres das, pro-
ceder-se-ha conforme a lei o determina em relaco
aos penbores.
O Dinbo coxo.
tham & C, vende- se
Cha.
Oleo de linhaca
Folhas de Flandres.
Seilins e silhoes Dglezes.
Cerveja aspinal.
Dita lias.
Dita John Isfry |& C.
E um piano com pouco uso.
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em metaes.
que morava na ra da Imperalrz em casa do marcineiro poirier n. 55, pre-
vine ae re8peitavel publico e a todos os seus frejruezes em particular, que
mudeu sua o (tirina para a rm da matriz da Boa-VMa" n. 3G, onde se ada,
prompto para fazer o qHe compele a sua arte de fuudi !or e machinista.
A Sra. D Anglica de Almeida Macha-
do Bello, que dizem morar no Jang, tem
urna carta-nesti typographia.
Na ra da C -uz n. 38, em casa de Mii s La-
Alaga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota osfundos para a es-
trada e margem do rio Bberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para sustenta-lo, arvoredos de (ruc-
ios, sem visinho defronts nem pelo fundo,
Na ra da Crui n. 33 compram-se cedrias
das caixas filiaes das provincias e do banco do
Brasil com descont razoavel.
Compra-se um mulatinho de 10 a 12 anno3
que seja sadio e tenha boa figura : na ra do Im-
perador nr 46.
. Compra-se ouro e praia em obras reinas, pa
-sebera : na lui d hlvhmoc
dendencian. 22.
com ptimos passeios, sala e gabinete na ^nsl0brie,m,:ni|u'J de bretes da Praga da linde-
frente, muito propria para passar a festaj e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livraria ns. 6 e 8 da pra-
(?a da Independencia e em Olinda ncasa
contigua coin o capitao mlonio Bernardo
Ferreira.
Compra-se effec.tivamcnlu ouro
Obras velhas. pagando-se bem
e prata em
na ra larga do
>
Franca e Brasil.
J. Mercier, alfaiate francez, precisa de bons of-
flciaes para obras grandes e de boas costureras :
atraz do Corpo Santo n. 27.
Offerece-se um menino de idade 13 annos
para c.aixeiro da taberna e com alguma pralica :
a tratar no becco Largo n 1, taberna.
AMA,
de
I&SUJ&30X*
Xa praga da Independencia n. 33 precisase
urna ama de leite.
Na ra do Arago n. 3, faz-se comida para
fora, lava e e engommase com perfeicao tudo
mais barato do que cm outra qualquer parte.
Precisa-so de um feitor que saiba ler e es-
crever, e que^ejaportuguez, para o engenlio Mal-
to Grosso, comarca do Rio Furmoso : a tratar
wm Joao Bento de Gouveia, propriatario do mes-
nio'engenho, ou com Leal & Irrao, na ra daCa-
deia do Recife n. 56._______________
Precisa-se alugar urna escrava para todo o
servico de urna casa de familia : na ra das Cru-
zes n. 9, segundo andar.
Obacharel Alvaro Caminha T. da Silva
5 tem seu escriptorio de advocacia a' ra
ti do Imperador n. 41, primeiro andar, on- |
S de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
B Km qualquer outra occasiao sera' encon-
K trado na casa de sua residencia a mesma
k'rua n. 3, junto ao Gabinete Portuguez.
Precisa-se de urna ama que saiba bem eosi-
nhar e comprar: na ra Direita n. 12, primeiro
andar.
Na fabrica de charutos e cigarros da ra de
Hortas n. I precisa-se de ura menino para caixei-
ro de 12 a 14 annos.
19 RA NOVA 19
Fredarico Gfautier, cirurgi&o dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conbecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas prepararles empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acba de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
ussao, advertindo quetrouxe um immenso sortimento de dentaduras artifieiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeifoadas para chumbagem-
instrumentos novos, ferramenta moderna, cadeirade operacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianza.
Acba-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manha atao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando naotiver de ir em casas particulares.
a "7. para alu8ar-se una casa terrea na ra
oa Gloria n. 14, um 1 e 2- andar de um sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Sania Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agna debeber.e portao
para o becco do Pombal : quem pretender faile
naruadasCruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
Rosario n. 24, leja de onrives.
Compra-se um.escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e scru vicios : a traur no sobrado
n. 32 da ruada Auruta.
A m
Precisare de urna ama para casa de pouca fa-
milia, que cozinlie e faca compras : na ra da
Cadeia do Recife n. 38, primeiro andar.
Na ra larga do Rosario n. 31, segundo an-
dar, precisa-se alugar urna ama forra ou captiva,
que saiba cozinhar e que engomme para urna s
pessoa.
Atten#o#
Olfereceso urna mlher para ser ama de urna
casa de pouea familia : a pessoa que interesar,
dirija se a ra de Sania Rita nova na serrara nu-
mero 13.
l'erdeu-se urna pulseira de coral a sabir da
ra do Livr?meulo ra Bolla : quem achon pode
enlicgar na rua Blla n. 30, que ser gratificado.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira. estribara e oulras coramo-
didades, n travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
Am
Precisa-se de um criado que enlenda ao ser-
vico de copeiro : na ra da Aurora n. 50.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
corpo do cemmercio que nena dala tem dissolvido
a sociedade que tinha com o Sr. Antonio Ferreira
da Cunha, na loja de fazendas da ra do Livra-
menio n. 14, sob a firma de Rosa 4 Cunha, (can-
do o abaixo assignado a cargo do activo o passivo
da mesma. Recife, 28 de margo de 186o.-Olympio
Gonealves Rosa.
Aluga-se urna casa com duas salas e ires
quarloi grande=, cozmha fra, cacimba, e um pe-
queo quintal e portao, na ra da Conquista, na
Soledade : a tratar na ra da Cadeia do Recife
0^3, ou na ra da Esperanza n. 85.
D-se dinheiro a juros em pequeas quan-
tias : na ra do Livramedto loja n. 3o.
Na ra do Mondego olaria n. 13. existe urna
carta para ser entregue ao Sr. acadmico Anto-
nio Jos Lopes Filho, e na mesma elaria pode
;ntregar a respesta.
Os administradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C. declaram que o paga-
mento do Io dividendo de 5 0/0 j annunciado por
vezes, ter lugar somente at o dia 31 do corren-
te, e depoisdesse dia depositario as quantias per-
tencentes quelles f enhores credores que nao se
apresentarem no praso marcado.
Na ra da Florentina n. 36, prepara-se co-
mida para fora por commodo prefco.
Francisca Jos Leite manda para a
o seu filho menor Guilherme Jos Leile.
l'ma carroca para cavallo.
Quera tiver e quizer negociar, annuncie ou ap-
parecana ra do Livrantento n. 38.
Miengo,
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico e a todos os senhores officiaes do exer-
cito e da marinha qoe centina a tersua casa sor-
tida de fazendas e roupas feitas, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
Etffbpa
PREVIDENTE
SOfilEDAOE rORTUGUEZA BE SEGUROS MUTIOS SOBE A VIDA
FUNDADA E ADMINISTRADA
PELO
BANCO ALLIANCA
Autorlsada por decreto de SJ de jiilho de 18G.
CAP|T^;- SBSCRIFTO I SUBSCRIPCOES I INSCRIPCOES COMPRADAS
oi3:7/8o00 | 1,293 | 164:7505000
O seguro mutuo sobre a vida um dos meios que mais contribue para se adqurerem hbitos
de economa e de moralidade, e o caralnho mais fcil e seguro para chegar forluna ; por isso
que todo o pae que desejar prevenir o futuro de seus filaos deve, poden io. fazer-lhes inscrever os
seus nomes na sociedade-PREVIDENTE-, porque, como o lempo pala depressa, dentro era viste
e cinco annos, e com urna pequea quantia que todos os annos fr applicando, alcanzar urna fortu-
na para si, ouurn dote para seus filhos, que por nenhuma outra forma, o cora tao "pequeo desem-
bolso, tirado do fructo d.s suas economas, podiria obter.
Vantageus que offerece esta sociedade sobre as deuils.
a a yi"? aramia de quatro mil contos de ris capital do Banco Allianga, que, na conformida-
de do art. 61 dos estatutos desU sociedade, responsavel para cora os seus associados pelos actos e
boa administrado da sua direeso e da dos demais empregados e representantes.
2." Poder o subscriptor, do primeiro quinquiennio em diante, fazer as liquidacoes annuaes.
3. Ter o subscriptor a liberdade de escolher.a maneira de pagar osdireitos de admini tracao
quejao 4 por cento pagos no acto da subscripcao, ficando sujeito dedcelo de 1 por cento por oc-
casiao da liquidacao, ou 5 por cento pagos no acto da subscripcao, sem ficar sujeito a deduccao al-
guma. *
4. Receber o subscriptor, gratis, de tres em tres mezes, o balanco e contas da sociedade, fi-
cando assim sempre ao alcanee do seu movimento e estado.
5." A rgulandade com que esta sociedade se acha organisada, com pessoas aptas e habilitada*
para este ramo de operacoes, j com pratica de alguns annos em eompanhias hespanholas.
Porto 14 de fevereiro de 1865.
O agente promotor e tecebedor,
fos Antonio Pinto da Rocha.
A quem inferessar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer pretengao como : passaporles, porta-
ras, apprehencoes de quaesqner objectos; pela
presidencia portaras, passaportes, patentes de of-
ficiaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ;pelas repartieres flseaes desembara-
co de terrenos de marinha e de eslabelecimentos
que por engao ou ignorancia de seus propieta-
rios estejam sujeitos ao rigor da fisc^; pela capi-
taniado porto matriculas de carpinteiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser procurado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonia Lopes
Braga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ra do Collegio n. ii7 do Sr An-
tonio Domingues Ferreira, e em S. Jos roa Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Prannos.
__________Joaquim Jos dos Santos Barraca.
Samuel Power JolinsoXCompanlia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Pundicio tletow Noor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendasejneias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Compra-se cobre, bronze e fprro cnado ve
Iho: na fundlcao da Aurora, t ni Santo Amaro.
Compra-se ou aloga-se um esrravo que sirva
para todo o servico : a iratar na ra da Coneor-
dia n. 64, padaria dogaz.
Jometes para emhrulho
Compra-se a 140 rs. a libra : na antiga fabrica
de cigarros, ra dos Quarteis d. 2i.
Escravos.
No Hotel Italiano, compra-se um escravo crioulo,
novo, e que seja morigerado, e urna escrava as
mesmas condicSes, que saiba bem lavar e engom-
mar.
l'ma carroca para cavallo.
Quem tiver e quizer negoelar annuncie, ou ap-
pareca na ra do Livramento n. 38.
Comprase um habito da Rosa que nao seja
pequero e que sirva para farda : a tratar na loja
de sirgueiro do Sr Paula na ra das Trincheiras,
para effectuar a compra.
Arreiosd- carro para um e dous cavallos.
Kelogtos de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descaroear algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Affonso Jos de Oliveira, professor jubilado
da eadeira de geographa e historia do ex-lyco
desta cidade e competentemente autorisado pela
directora geral da inslrur{5o publica paraeosi-
nar primeiras letras, latim, france*, rhetorica e
geographia, continua com aula abena destas mes-
mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se-
gundo andar, e recebe alumnos internos e ex-
ernos.
C >mpra-se um escravo de na^o que tenha
30annos, pouco mais ou menos, que sirva para
servico de ra : na ra da Guia n. 9.
Comprase urna raobilla de amarello com
pouco uso: no principio do Corredor do Bispo,
nona casa do lado esquerdo.
Compram-se libras stcrlinas e descontam-se
notas do banco do Brasil e das caixas filiaes : na
praca da Independencia n. it.
VENDAS.
Um rapaz brasileiro com pratica de caixei-
ro offerece-se para ser empregado em loja de fa-
zendas, escriptorio ou outro qualquer estabelecl-
ment, dando fiador a sua conducta : quem pre-
cisar procure na fabrica da travessa do Carioca n. .,-
2, caes do Ramos, ou annuncie sua morada para' 6ulamei)to de infantana e accommodadas ao
ser procurado.
Preclsa-se de urna ama para o servido de
casa e comprar : na ra Augusta n. 3.
Ama
Carlos Daumerie precisa de officiaes de alfaiate
para casaca e paletut, paga raelhor que em outra
qualquer parte : na ra da Cadeia n. 26, esquina
do becco Largo, primeiro andar.
A enga
nm AOS PAES DE FAMILIA,
Difflcil tarea e ad'aquelle que tem de propagar as doutrinas econmicas e sociaes.
E bem sabido que quasi toJos nos tendemos para pouco ou nada curar do futuro, e oue 6
olhamos para o presente.
Quantos ha ah que gaslam em um s dia, em extravagancias ou em luxo, aquillo de oue tan-
to carecenam para o dia seguinte ? I '
E quantos oulros ha tambera que, arrastados pelo vicio do Jogo, julgando fazer fortuna em
pouco lempo, perdem em algunsminutos nao s a sua honra e fortuna, mas tambem o nao de sua
esposa e de seus innocentes filhinhos 11
Tambem rauitos ha, que embebidos na doce esperanca de apparecerem ricos de ura dia para o
outro, jogam quotidianamente na lotera quantias que, reunidas no Um do anno e convenientemente
applicadas, nao de um dia para o outro, raa> no fim de algn* annos, com bem mais prohabilidade e
Una pessoa bastante habilitada pro- seguranza lhes proporcionaran^ um grande capital, ao qual bem podenara chamaro grande pre-
poe-se a leccionar a liugua portuguoza e mi0 de lleria'
Precisa-se de urna mlher j de maior idade e
que nao tenha a menor pessoa de familia, quedan-
do provas de sua boa conducta e comportamento,
esteja no caso de administrar urna casa de familia,
e fazer todo o servico interno da mesma : quem
i estire r nestas circunstancias dirjase a casa do
sacristo da Ordem Tercelra de S. Francisco na
mesma que dir quem o pretndeme para tratar
j do ajuste.
ALMANAK.
Acaba de sabir dos pe-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31'
de dezembro, e vende se a
I??; na livraria ns. 6 e 8
da prapa da Independencia
Instruccoes para o servico
das guardas do exercito, exlraliidas do re-
[0 bacharel Jos Baplisla (lilirauaj
' adroga nos termos do Bonito e Caruar. I
Pode ser procurado na villa do Bonito, !
ra Direita n. 16, defronte da cadeia. i
O London & Rrazillan Banl
os paquetes,=obre
Lisboa.
Porto.
Braga.
V'ianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
saca por doos
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind' pendencia, a i0.
0 GASTELLO DE GRASYILLE
Traduzido ,'do francez per A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello rimante tomos pelo baratissimo preco de 2fJC0
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8.
Atteneo.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C. ra
do Vigario n. 3.
Queijos
Aluga-se
J que nos coubea honra de sermos o escolliido para o cargo de agente da-PREVIOENTE ramfinl "' "i6
tambem nos cabe a obrigacao de diffundir e espalhar por toda a parte o conhecimento das vantagens ~~ AtDa-se um sitio cercado, com algumas ar
ima das mais uteis e mais moralisadoras de todas as iostituicoes econmicas que boje se co ivores de frc,'o. Poqo d'agua doce, um telheiro que
serve de estribarla, casa de pedra e cal, pintada de
Previn-se pelo presente a quera possa interes-
sar, que a verba testamentaria do Exm. finado
bispo do lio de Janeiro D. Manoel do Monte Ro-
drigues de Araujo, relativamente aos bens que
deixiiu era Pernambuco para curaprimento de le-
gado;, acha-se ha muito tempo cumprida pelo res-
pectivo teslamenteiro e inventarame ; e para que
ninguem possa allegar ignorancia se faz o presen-
te annuneto.
franceza emalgum engenho do interior des-
ta provincia ; quera se quizer utilisai
ja-se a ra Direita n. 75, que achara com nhecem.
quem tratar.
-------=--:------------------------------------------------ para quera
Ua abaixo assignados declaram aos seus Ir- iem uihos
guezes e ao publico em geral que teem mudado fortuna e nao precisamo"s de mais.
iS'V^?mS2ttJ!ft a 0ra diKam-nos: a* vantagens nao estaoera rela5o cora as quantias desembolsadas ? Nao se
n h, ?;& .-de Nvcmbr, f*n a Pode lulgar tao feliz aquello que nao podendo pagar mais do que & por anno, no fim de 25 annos
ra do Trapiche n. 22, antigo restaurante do com- btem cOOOS, como aquelle que pode despende? 40J5 e tem 100:000* ?
S.0.'?11 ."ompraram ao Sr. Sebastiao Lopes Por que uni mdviduo solteiro e nao tem filhos, mas tem 40 annos de idade, nao Ihe vale a
?c?iSiLU!!!or'qdecon,inuan,como msm Pena, podendo, de arriscar 50* por anno, para passar'urna velhice socegada e cora meio?, quando
mesms nao tenha no fim dos 25 annos mais do que o resultado da sua subscripgo ? '
o 3o andar do
a tratar na
sobrado
Inja.
da ra do
I os poderes que confer ao
1 Silveira Libo em urna
estabelecimento.
Cabors & Jeuve.
Sr. Antonio Borgesda
procuraco que passe ao
meu advogado, e pois nao poder dito senhor usar
delles em parte alguma.
Antonio Caldas da Silva.
Xa ra das Cruzes n. 18, lia para se vender
10 escravas, entre ellas tem algumas que sabem
Precisa-se de una ama forra oa scrava: na
E quelles que com ufana dlzem :-Temos urna fortuna e nao precisamos de mais-nao terao'rua do Imperador n. 27. ___________________
vistocahir por trra, n'uts momento, individuos millionarios, que tem ticado reduzdos miseria? E Por pouco tempo precisa-se de 2 3:0005,
se elles coma fortuna collossal que possuiamtivessera posto de parte urna quantia para occorrer as pagase 6 0|0 ao moz : ofertas recebe-se nesta tv-
.*,. ..-u.j viiiil ciliar tcni inhuma] ju .^u^iii -------------------------------- r* !--*** j/m a vn.ui i^ ao r-- "i" -- ". uvi **<
bem engommar, cosidhar, lavar e fazer todo mais eventualidades que podessem acontecer-)nes, depositando-a em urna sociedade de seguros mutuos so-', pographia sobre as letras R. B.
servico de urna casa e bem assim um preto de Lre a v'da-nao leriam fO futuro acautelado ? -^"Forne-se c^rdalara fr
meia idade que serve para servico de casa ou de Traten.os, pois, cada um de nos segundo as nossas circunstancias, de separar alguma quantia co na rna di frnn n
fra por commodo pre-
Koub
II intem pelas ti horas da manhaa urna mlher
s;iiii branca com vestido de chita cabocla, entrou
na casa n. 22 do pateo do Carmo e achando dis-
traala a dona da casa.roubou um relogio de pra-
ta bonsontol cora o n. I9il9, estando este eom i
cerda <; o vidro quebrados, assim como urna cr-
rante de ouro de 18 qnilates, pesando 11 oitavas:
roga se polica a apprehenso dos ditos objectos,
0 pede-se aos senhores ourivesa raesma apprehen-
sao, dirigindo se, qualquer que dr noticia, ao pa-
teo do Carmo n. 22.
Vciieravcl ordem terceira le S* Fra^
cisco do Recife,
O Sr. secretario, abaixo assignado, em nofne da
mesa regtdora convida a todos sous charissiraos
irmosa comparecerem pelas 2 horas da tarde do
dia sexta-feira '{' do corrente na igreja da mesma
venera ve I ordem, paramentados de seus hbitos,
para em commnnidade acompanharraos a precis-
sao do Senhor Bam Jess dos Passos. Secretaria
28 do margo de 1865.O irmao secretario,
________Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
Precisa-se de tres araassadores de padaria":
a tratar na rua da Senzala Nova n. 30, padaria.
Aviso
Alnga-se o primeiro andar do sobrado da rua da
Cvdeia do Recife o. 55, proprio para escriptorio ou
residencia : a tratar na rua da Gloria n. 69.
campo : a tratar na mesma. do fracI das nossas economas para ir deposila-la na-PREVIDE.NTEporque nenhum outro r
- Alan se a casa terrea da~rua da Mmsueira enD.lr3Tm- mais seguro e productivo. Os que assim flzerem, mais larde bem- dirao a hora i
1 em que all inscreveram os seus nomes, porque os annos succedem-se uns aos outras com a rapidez!
do raio, e era breve nos acharemos no lim d'aquelle prazo, que tao longe nos pareca, senhores de !
urna forluna que por nenhuma outra forma e com tao pequeo desembolso, poderiamos obter.
Eia pois, pas de familia, correi a inscrever o vosso nome naPREVIDENTE, subscrevendo
por vossos filhos; mas tende em consideraco que assim como nao deveis obrigar-vos por quantias que
vos seja difflcil pagar, assim tarabem, podendo, nao deveis sub.crever com pequeas quantias, porque
nao tirareis lamanho proypjio do temtio, e o tempo que passa nao voita.
n. 1, a qual tem grandes commodos, o sobrado de
um andar e loja da rua de Santo Amaro u. 16, e
o terceiro e quarto andar do sobrado da rua do
Brum n. 70 : a tratar! pa rua larga do Rosario n.
34, botica.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama que tenha bora leite pa-
ra criar um menino : na rua da Imperatriz n. 56,
loja da arara.
o melhor que ha neste genero a 25 cada um e ce-
bo as a 15 o cento : no amigo e acreditado esta-
belccimentojnntn a esta tvpogr.iphia u 42
AO PUBLICO
Anda pinho e mais pmlio !!!...........
O abaixo assigeadot.m a honra de annunciar
ao publico que abri um armazem cora pinho e
disposto a vender com 15 a 20 0/0 de lucro, sendo
este um negocio que sempre deixou seus 200 0/0 f
Por agora s se acha na rua nova de Santa Rita
n. 17, ate se desoecupar um ou mais armazens no
caes T de Novembro, para nessa occasiao verem
a barateza ; mas por era qnantovenliama rua no-
va de Santa Rita n 17, ver e comprar, a JosF.
uielho.
CEBLAS
Joao da Silva tamos, medico pela Uni-
| versidade de Coimera, d consultas era
i sua casa das 9 ; 11 horas da manhaa, e
! das 4 s 6 da la de. Visita os doentes
1 em suas casas legularraente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serd soccorridos em qual-
quer occasiao. ] l consullas aos pobres
que o procuraren no hospital Pedro II,
aonde encontr. ;do diariamente das 6
s 8 horas da mapha.
Tem sua casa c e sade regularmente
montada para rec;ber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operago cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3000 diarios.
Segunda dita.... 2500
Terceira dita.... 2$OO0
Este estabeleciuento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
oDpu aunoaiiueiite podem prodazir.
Por um menino de
i de
> de
> > de
de
y urna pessoa de 15
> t de 20
> de 30
de 40
1 dia
1 anno
2 i
3
4
1 anno.
2 annos.
3 >
4 .
II .
20 .
30
40 >
50 >
Em 5 an-
nos.
Em 10
nos.
MI-
5503000
4503000
4305000
4303000
430()O0
i303000
4305000
4305000
4505000
2:0005000
1:5005000
1:4505000
1:4005000
1:3503000
1:3505000
1:3505000
1:3503000
1:5003000
Em 15 an-
nos.
4:5003000
3.7503080
3:6005000
3:5505000
3:5005000
3:5005000
3:5505000
3:6005000
3:75050001
Em 20 an
nos.
10:0005000
8:5003000
8:000500
7:8005000
7:75 5000
7:7005000
7:8005000
8:0005000
9:0005000
Em 25 an-
nos.
23:5005000
18:5005000
17:5003000
17.0005000
16:6505000
6:6505000
17:0005000
18:5003000
25:- 003000
As subscriptor pagas por urna s vez produzem muito melhores resultados,"porque podem
dar uns 25 por cento mais do que o calculo apresentado na tabella anterior ; porm sao mui raros os
que se acham habilitados para de urna s vez pagarem urna subscripcao forte, entretanto que subdivi-
dindo-a em annualidados fcilmente o podem (azer, e a maneira mais suare de se adquirir um
grande capital cora pequeo desembolso.
Na rua de Santa Rita n. 1, precisa-se de urna
ama para o servico de casa e comprar, prefere-se
escrava.
Espirito Santo do Collegio.
Pur delibcracao da mesa regedora do Divino Es-
pirito Santo do Collegio sao convidados todos os
irmos da raesma irmandade comparecerem em
a nossa igreja sexta-feira 31 do corrente, as 3 ho-
ras da tarde, afim de encorporados, acompanhar-
mos a proeiiiso do Senhor dos Passos para a sua
igreja, para eujo fim fomos convidados pela res-
pectiva irmanaade.O escrivo,
Manoel l.uiz da Veiga.
luga-se urna casa n >va na Capunga, rua da
Ainizade, com urna porta e duas janeilas de frente,
4 quarto?, 2 salas, eozinha fra, quintal grande,
pori.o na frente e cacimba d'agua de beber : a
tratar na rua da Imperatriz n. 74._____________
Aluga-se a alguma familia urna mula'a moca,
a qual lava engomma. eozinha, e tem mais habili-
dades : quem a pretender dirija-se a rua da Au-
rora n. 10, segundo andar.
Precisa-se aiugar dous escravos : a tratar na
rua do Brum, fabrica de sabo.
Veneravel ordem terceira de Nossa
Sen hora do Carmo.
Determinando o art. 10 dos actuaes estatutos
qoe sejam reptanos estrandos a' ordem os novi-
cos qoe falleeerem, toado completado o anno do no-
viciado e mais seis mezes de aviso sem haverem
feito as suas profisses ; e havendo a mesa rege-
dora deliberado que os ditos seis mezes de aviso se
principlas.'em a contar da data do presente para
quelles irmaos, que, tendo feito a sua entrada
annos, anda nao professarara : assim se faz cons-
tar afim de que jamis possam allegar ignorancia;
sendo que, findo esse prazo, s serao admlttidos
proUssaocom a mulla de 5500 por cada anno de-
corrido depois delle, eomo estabelecido no final
do art. 9 dos mesmos estatutos; sendo-lhe* impos-
ta a puado art. 10 no caso de falleeerem sam ha-
verem professado.
Seeretaria da veneravel ordem terceira doCaf-"'
mo, 24 demarco de 1865.
O secretario,
Jerongmo EmiUaasi de Wanda Catire. J
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
J rado para o exercicio de sua profis-
f sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de cilios;
2o de peito:
3o dos orlos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias ds
j 6 as 10 da manhaa, menos nos do-
' mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar eoaveniente para o
prompto restabeleciiaento dos seus
doentes.
Caiselro.
Precisase de um menino de 14 a 15 annos, que
tenha bastante pratica de taberna e d fiador a
sua conducta: na rua do Rosario da Boa-Vista
n. 43.
m&lm WiMMmf&fSit wmmM
IH Antonio Joaquim de Mello, amigo advo- ?g
K gadp nesta cidade e procurador fiscal da H
M thesouraria de fazenda, emprego que J|fe
M| servio por mais de 22 annos, contina a ^p
*?* advogar em todos os ramos do civcl *p
>,? crime, com proviso do Exm. Sr. conse- mt
^5 Ibeiro presidente da relaco. Na rua do C^J
JK Imperador n. 14. S&
***ttMi mmmmmm
Theotonio Flix de Mello, avisa ao respeitavel
publico que todos os escravos da propriedade do
Sr. Pedro Coelho da Silveira, readeiro do engenho
Batana da comarca de Santo Antao Ihe esto hy-
pothecados por escriptura publica laucada na nota
do tabellio Porto-carreiro, afim de que nao seja
alguem Iludido, visto constar-lhe que o mesmo
senfcor pretendeu dispr de algum dos referidos
escravos.
No armazem da viuvr Paula Lopes, defronle do
embarque na escadinha, vendem-se ceblas as me-
lhores do mercado, em caixa e cento, o mais bo-
rato possivel.
Fazendas baratas
No armazem que foi de Joaquim Francisco de
Alem, largo da AssoraWea n. I, vendem-se chitas
francezas, algodao grosso, estopa larga e lencos de
chita, tudo por preco muito commodo em conse-
quencia de se acharem molhados d'agua aleada
_________ PRAGA DO RECIFE. *
A
Feijo mulatinho novo
rua dos Quarteis n. 22.
000 A SACCA.
a 125, inilho a 45
na
-Na rua Imperial n. 62 vendem-se bols para
carroga : qnem os pretender dirija se a rua cima
indicada, que achara com quem tratar.
Eogo do ar -
Valdivino da plvora vende bom fogo do ar a 15
a duzia, no seu armazem do sal da rua Imperial
Altencdo.
- Manoel Jos Guedes Magalhaes vai a Portu- "^
gal traiar de sua saude.e deixa por seus bastantes) ItOsariO n. 8 7.
irocuradores aos Srs. : em l- lugar Jos Joaqu m' Propietario do hotel Traviata, achando-se de
e Paria Machado, 2 Ignacio Jos do Couto, 13.; novo em sea estabelecimento, e tendo feito nelle
Jo.- Lopes Alheiro.________ muitos melhoramenips, convida a seus mui distinc-
--------------------- tosfreguezes, qoe se dlgnem de hnralo com suas
presentas -, offerecendo-se-lhes para remetter co-
r^ mida as suas casas com toda promptidao e asseio
a ama para o servico interno f!ZrilCn,,'"'il)pi,ssi'el: no mesmo es-
ja boa cosinheira e que possa '^'cemento ha bilhares^orvelee refrescos.
Precisa-se de urna
de urna casa que seja noa cosinneira e que possa
fazer assistencia na mesma casa, dando informa-
ces de seu comportamento : poder se dirigir a
rua Nova n. 20, que achara rom quem tratar."
------ ~------ Anda continua por alugar o sotao do so-
rfn7n?,a,rU,a dn rra",cne B- W Pnmeiro e segn-' brado n. 62 da rua da Gala, que equivale a ura
1 eteffs Swilar P"a gaf'Se Cm aS Cm' S2^^JKJ5!J85* 'reDte.> "
Aluga-se a casa terrea n. 105 da rua de San-
la Rita : na rua da Aurora n. 36.
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 23 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para l e -2 cavallos
velas de spermacete, tudo de superior qualidadej
vindo dos Estados Unidos : no armazem da rua do
Trapiche n. 8.
feijo mua ti 11 lio.
Vende s superior feijo mulatinho da trra
na rua da Madre de Dos, no armazem junto a
mesma igreja.
Veudese o sobrad de um andar n. 95 da rua
Imperial, a casa terrean. 91 da mesma rus, e a
de n. 12 da.rua da Mangueira da Boa-Vista, tudo
por prego commodo : a tratr, ou em Olinda, rua
de S. Bento, com o promotor publico, ou no Reci-
fe, rua do Livramento n. 39, com Pedro Alexandri-
no do Amparo.
AMA
:usg
JJU|
Precisa-se de urna ama qoe saiba bem cozinhar
epara comprar, forra ou captiva : na loja da rua
Novan. 11.
Precsa-se de urna ama que saiba cosinbar
a tratar na rua da Cruz n. 8, terceiro andar.
Quem precisar de urna ama para casa de
ponca aroilia, dirija se a rna Augusta n. 33.
6 quartos e urna grande cosinha, o qual acha-s
pintado de novo, e aluga-se barato : a tratar no
primeiro andar com o seu proprietario o bacharel
Francisco Luiz Correa de Andrade.
C0MP1AI7
Comprara se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferreira i Matheus, na rua da
Cadeia do Recife n. 66.
Claudio Dubeux vende os seos estabeleci-
raentos de mnibus e carros, montados como esto,
ou em partes separadas, vista dos comprado.es :
faz todo o negocio a praso oa a dinheiro, e vende
muito em coma, contanto que realise a venda
total. _________________________
No escriptorio de Palmeira & Beltro, largo
do Corpo Santo n. 4, vende-se o seguinte :
Farello de Lisboa em saceos grandes.
Toros d* Jacaranda.
Conservas fnglezas em frascos modernos.
Vinbo do Porto Uno em barris.
Sement em latas de 1 libra muito superior.
Chocolate especial maranhense.
Farinha de mandioca da Baha muito nova em
saceos de 2 alqueires moito bem medido?.
Vermoulh em caixas de I duzia.


Otario de peruaiubuco 4*u.ntt felra 3o de narco de !&&.
V&ide-se
urna Dorgao de doce secco e de calda, caj, laran-
ja, golea e greiella, por preco comraodo : a tratar
do largo do armo n. 2, taberna. m
PROPRIO PAR l SENHORA.
Veode-se um excellente cavallomuito no-
vo e manso com todos os radares: na co-
cheira do Paulino, raa de Santo Amaro.
aTktma
S1LSAPAI11HJ
PILULAS CATBARTICAS DE AIEI.
Estas pilulas vegelaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao
perfeitamente innocentes, e ei
quanio milhares de pessoas con-
fessam com gratidao que foram
cuhdas por ellas de molestias
seberas e perigosas;nao ha
Ha para vender
Pinito, pinito, maisjHnho, muilo >iiiho,
piolio, im da IVaia, lio je, rua Nova
de Sania Rita n. i 7.
78910 e 11 pollegedas de largura
De 10 a :J3 palmos de comprido, cousa
muito boa e baraia, e com todas as gros-
suras: cheguem ra Nova de Santa Rita
um s caso em que baja suspei- n- 17, serrara de Jos F Coeiho"
tas do mais leve resultado inju-
riosa por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
altestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
PASTILHASg
IGESTIVAS
DEPEPSINAI
Affccco chrouica do ligado.
Illm. Sr.
DE WASMAN
As paslithas digestivas com a pepsina de Was-
man, cmpreg"o se com successo h j alguns
DE BRISTOL
PREPARADA uTHCAJSENTE POR
LANIAX A KEMP,
NOVA YORK.
luit de F.\m i"7 a* t ~~ j~"io/.t arvn0* pelas celebridades medicaes de Pars
Tedo.falt Jn' '?'?"" 1 f*' YS****"*"" cm todas as "comS
enuo ieilO USO das pdulas catharticas dades cm as quaes a digestao difficil, penosa,
de Ayer, que me fez favor de dar um vi- \ J!'!ec!f ou me,smo mpossve: es o meihor
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ba mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, com o uso
j das pilulas posso lhe assegurar que estou
: bom, pois lendo desapparecido um granad
engorgitamento que sofTria, muitas dores
sobre
remedio para cnrl as
nMralglas.
Rluprpalaa.
Emburaro* gatrlcoa.
A gliMrltt-.
Aa affrecoea orgAnl-
f do ratdmago.
Diarrheaa e a ranall-
l>nra prnduzlriaa
peina Haborates
Urrorliiooa* don all-
mrntoa.
Em todas as molestias empregao-seamiude
as
sobre a regiSe do figado e costas, dores de "6uas alcalin:s, especialmentea agua de Vichy,
cabera, incbaco do ventre no nodendo; M8" mcnlCiaspa""iasrf,''c/'!'-E*$emeio<5
1 deitar.mil ntn ,1a i. aL Ueitar me Senao do Jado direitO, 1SS0 mes- j raC5o, mas o prolongado uso L aguas epasilhl
mo procurando posicao para ler SOCCgO, lio-,' & Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
je me acho livre d'esse padecimenlo ; como os alP!'nos cmpobrcccm o sanguc e isso de tal
por aqui ainda as-nao baja eu como tenho ma.n<;lra que Ihes 'Mlhio a parte vivificante.
Composta de substancias, gozando de f e proprio que de casa, lhe rogo man-! SSir^SMa
propriedades eminentemente depurativas; *\- alguns vidros, e o cusi elle lhe sa-! transforma-so ao mesmo tempo que te effectua a
approvada pelas juntas e academias de me- tis'ar> ass'H* bera como do charope de translorniavao dos alimentos, assimiihando-se
dicina; usada nos principaes hospitaes, ci- Z^L^Z WSk P^eotar; | JStS ^JS^Sff "Sg.
LOJA DE MIUDEZAS
16RA DO QUEIMADO16
fcufdtc de c- Jlaria, acabam de chegar pelo ultimo vapor fran-
cez os mais modernos enfeites de caheca a Mara
"S^ea^A venJem inu'' e,i! c"nla' a ** 3& 4&
Casca rriihas.
Bonitas cascarrilhas de seda preta e de cores,
e com diferentes larguras, a 10. 1**80, e 15500 a
peca.
Ditas com duas cures, e de todas as cores dilfe-
rentes largura?, a 1*300 e 1*800 a pega.
Hitas ditas de la com diferentes cores a 1* e
IS80 a peca.
Fitas.
Hquissimas fitas de grosdenaple lanado, boni-
tos gostos e de lindas cores de 3, 4, e o dedos de
largura, a 1*. 1*280, e 1*300 a vara.
Ditas ditas de sarja lisa de todas as cores e de
varias larguras, a 400, 300, C00, 1* e 1*280.
Pegas ditas de sarja muito estreinha para en-
feitar toacas, a 600
Varas de fita do gaz de todas as cores e lavra-
ul t' ioS dedos d3 larSura> a 20 24,
oO, 400 c 30v'.
Pegas grandes de tranca de la, a 240.
Varas de lita de laa de todas a cores
brura de vestido, a 100.
Bico prelo.
Bonitos bicos pretos de seda go?to multo moder-
nos, a 160, 210, 320, 400, 300, 610, 800 e I*.
Ditos ditos de linho, a lOO, 160 e 200.
Lab^rintlios
de chroch Imilagao dos da Ierra de dous dedos
ate um palmo de largura, a 1*, 1*280, 1*600, 2*,
2*300, 33, 33300, 33000 e 73000 a pega com dez
O
1
O
I
H
CQ
BE
para de-
AZEVEDO FLORES
KuadaCdeia to Hccifc, esquina da ihdre de Dos
Prestem atteacao ao discurso do Bala.,
vara.
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhola
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rlieumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
em um ataque de guellas que lave uml^^^M^^^^^^
preta que com elle curei, faco uso d'elles1 affec^oesaslncasacima mencionadas sao unica-
cas tosses em minha familia semore em J't",'6 acas ou d'uIn lemperamento um pouco
bom resultado, e por im aue eco ma' S'1'7fr^la0subs^^'m''ntoparafor-
mandir alanna rJU T ^ P C > "fi08^6;,801130 no emprogo dupastilkat pep-
manai alguns frasquinhos, e mesmo as pi- a de Wasman, um poderoso mcio para a isso
lulas pude montar a doze, porque tenho chegar- ,
felo uso d'ellas para uso da familia e al. a iSl^g^: ~"*^ t"M<"
>-----o trnmnti noanae ii i PePuna ae >' asman diu causa a se fazerem fal-
antigas, morphea e todas as molestias pro- f lo,,P s' ?., d i .mteg e i smcagoes e imitacoes d'esse producto que
venientes d'um estado vicioso do sangue. esuiia0 > sou btdooroioandeoda mulos se queicm desfazer. Pois por falta d'
sang
Emquanto existen varias imitacoes e
falsificacoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS A BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Joao da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors &
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FBBBB&rERAlt
os
urna
Interpretando das leis,
POR
Crrela Tollos.
Ka livrar/a da praga da Independencia ns. 6 e
8 vende se por 23500 a iheoria da interpretago
das leis por Cerreia Telles.
<
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a torga, a belleza e a conservago dos cabel-
Em Pars casa de Guilaur n. 112 ra de Rechi-
lieu c 21 boulevard Montmarlre.
Todos os frascos nao lendo iniacto e clare, e tin*
clre praleado da casa. reputado f*l?o.
^Deposito ra do Imperador pliarinacia n. 38.
Vende-se urna mobilia de amarello usada;
a tratar na ra Velha n. 49.
Vendem-se jarros vidrados vindos de liarse-
iha, proprios para agua, fariuha, e mesmo para
deposite de doce de calda : na ra do Trapiche
Novo n. 24, aehar com quein tratar.
Vende-se um escravo de idade de 20 annos,
pouco mais ou menos, robusto e bonita figure : na
livraria econmica junto ao arco de Santo An-
tonia.
Colares Eoyer
ou colares anodiocs elctricos contra as convitlscs
das enancas.
O bom e proveitoso resultado que as criancas
obtera na denticao, irazendo desdes colares, e j
bem conhecido, e por isso se tornam boje indis-
pensaveis |iorque assim teem os pais incontesta-
velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambem na ra do Queimado, loja d"aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porgao e a retalho
na rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e gales prelos para vessides,
A aguia branca recebeu novamente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trangasjranjas, galoes e bicos pretos, etc.,
assim como botoes enfeitados de vidrilhos e ou-
tros muitos enftites do dilTorentes cores,' conti-
nuando a aguia branca na rua do Queimado n. 8
a vender ludo isso por pregos commodos.
Bonitas caixinhas
e4n msica e sera tila para costura, e ondas
ijnalmente lindas com perfumaras finas.
A aguia branca na rua do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para
costura, e outrascom perfumaras finas, e conti-
na a vendo-las baratamente.
Itheumatismo e ataques hemorrhoidacs.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que 'as pilulas ca-
trticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rlieumatismo, (molestia esta
que ja havia soffrido ha annos) e soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
[acompanhado de urna drno queixo cea-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo cu o almanack do mesmo doutor
compre em sua casa um vidrinlio das mer-
mas pilulas e por minha conla principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem a<=
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : porlanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado :
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigoceilo, venerador e obrigado,
0 brigadeiro
Joao Romuglks Fix pe Gabtalho.
Caslriie.
Ouro-Preto, 29 de marco de 18G4.
Atteslo que tendo feito us, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr A ver
hquei perfeitamente bom de urna gastrite
que sollna e que privava-me de andar aper-
tado, boje felizmenle riada sinlo.
Acgcsto Gollati.no de Mello.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fevereiro de I8G4
Sendo eu aneciado do figado ha muito
annos, e ltimamente solfi i falta de apetite,
boje dou gracns a Dous por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharlicas
do Dr. A ver.
_-,----_.t vhuiiwuc, e biu timas as Doas
pharmacias de Franca e dos paisas eitrangeiros.
n
BP3
H

B*3
B-oX
- r I ! !T- ft C 3 Ol 3
C^ al <
2 P =
m
i B a K 2

Hh'i
s.s o a
S = w
Luvas de Jouvio.
Brancas, pretas, cor de canna e todas as cores,
para homens e para senhora, por 2^300.
Ditas pretas de seda, para homens e para senho-
ra por ~1&.
Ditas gretas de Jouvin, para homens e para se-
nhora, porm naa sao frescas, a 300.
Sintos e fivelas,
Riqoissimos sintos pretos e largos com fivelas
pretas e grandes, a 3 e 5&.
Ditos ditos pretos e bordados a ouro muito lar-
h!J Vl c a pepsina S"e n elIa eHlra. i os e com fivelas grandes a 61.
Snd ^25K d este incnveniente, Riqu.ssimas flvellas para siutos dos gostos mais
SS^B^i^te.^"^lSS&!2h* Pernos que tem apparecido, a 1^500,25, 3
iS^Si'^SSa^Ste*1 ^ e ; 0 as fivela' raais bonitas qae tem vin-
ueposiiogeraiem Pars, pharmacia Chevrier, do a esta praca.
M,, taubourg-Montrnartre, e ,m todas as boas P 5A|fittetCs de ^
Riquissimos alfinetes cravejados de pedrinhas e
madreperola do mais apurado gosto, a 1$, 1#280,
l>t)0O e 2-5.
Leqaes de Sndalo.
Bonitos leques de Sndalo de muilo gosto, a o$,
O, 7^ e 8>.
Correnles de relegio,
Pretas e de muito gosto, a 1^280, 2^ e 2*500.
A limos.
Para 12 retratos, 1*600 e 1*800.
Ditos para 20 retrato, 2* e 2*200.
Ditos para 100 retratos, G*, lo* e 20*.
Ditos de veludo para 50 retratos, ti*.
Ditos ditos para 100 retratos, 8*.
Varios objectos.
Escovas para dentes, 160, 320 e 500.
Ditas para cabello, 600, 800 e 1*280.
Ditas de roupa, 800 e I*.
Correntes preta para relogio, I* e 2*.
Eofiadores de espartllho, 60 e 120.
Varas de galao branco lavrado, 80.
Varas de fita de retroz preto, 120.
Bonecas grandes vestidas. 800.
Ditas que choram, a 160, 800 e 15280.
Alfinetes pretos para peito, i*, 1*.j00 e 2*.
Rosetas pretas, 1*, 1*500 e 2*.
Pulseiras de continhas, 500 e 600.
Ditas de aljfar, 1*. t*.N00, 25 c 2*500.
Voltas pretas grandes, l*;00.
Pentes pretos, 1*500 e 2*.
Bonitas-cruzes com pedrinha>, 1* e 1*600.
Pcrfamariis,
Garrafas de agua Florida, 1*280.
Garrafa^ grandes d'agua de Colonia, 1*100,
Frasjuinhos de dita, a 400. 500 800.
Ditos de Sndalo, a 1* e 1*500:
Ditoi de oleo pheoc<.>me, a 800.
Frascos com banha francezn, a 400 e 800.
Ditos com banha'e extracto, a 1*.
Copos com banha francezn/a 1*200 e 1*400.
Caixinhas de p d'arroz. a 600 e 1*.
Sabonetes de bolla, a 360.
t

a S
_ a o a c--
-alB|llS
3-3 Q-3 S-g* a.<
_.g a'
n. g.
S"5
S
o -.
3 a "
o 5 c.*
hik
ei I
rliZ 8
gi*
ira
^ o cws
p no
l w I
matizada?, fazenda iateiramenla
Moreantitjuc superior a 2^500 o covado.
Grosdenaple de l^OO, 1*800, 25 e 36.
BalSes de 20, 25 e 30 arcos a 3> o 34K0O.
dem para meninas de arcos e de morselina.
Chales pretos de fil do ultimo gosto.
Laa preta para luto e de todas as n.ais cores.
dem com assenlo preto e cor de caf, llores
nova vista se far o preco.
Vestidos a Mara Ka. os mais dovos a 185000.
Chitas largas de 300 rs. o covado a 500.
Lene s brancos a 25300, idetn de esguiao j embanhados.
Madapoloes francezes propriospara saias e camisas de seahoras a jGO rs. a v.r a
dem muito linos de 145 a 165 a peca.
Cambraias brancas muito finas a 55 a peca. ^
(Chales escuros proprios para as senhoras trazerem por caes |A.
Meias cruas inglezas a 85 a duzia.
4 ROUPA FEITA.
Paletos de alpaka brancos muilo tinos a 45500 e 5s.
dem de casemira de cores de 105, 115 c 125.
Galgas de casemira pretas e de cores de 75, 85, 105 e 12o.
dem de brim branco de 45, 45500 e 55.
Cohetes de casemira pretos e de cores de 45, 55 e P5.
dem brancos de brim e frutas de 25, 255G0 e 35.
Camisas verdadeiras inglezas, vista far o preco, ;
dem peitos de linho, e de algodao de 25 a 55.
Seroulas de linho com duas costuras,
dem de esguio de algodao a 15600.
Colleirinhos de linho inglezes.
dem de papel de cores.
Camisas de flanelli de cores de 33 a t>5-
II i muitas otitras fazendas que se vendem p0r preeos muito baratos, duo-se
amostras com peuhores e tambem se mandam levar s casas. Na loja do

%^. S&: tea; ^.
w


w m s
8S 5*
sl|i
I lis
h\\
I?
[fl
I I
GRANULOS e XAR0PI
D'HYDROCOTVLE ASITICA
de J. LEPINE
Antonio Rento Vieiha.
Noarmazerade fazendas ba-
ratas de Santos & CoOlho
Rua do Queimado n. 19.
Vende-se o segnine:
Lences de panno de linho
pelo barattssiroo prego de 2*400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 3*500.
i Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco d-> "2*500.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 2* a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia,a 3*800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 2*6(0.
Guardanapos
de linho finos duzia 3*300.
ArgodSo enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 1*200.
Corles de laa
com 15 covados a 6*.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado pega H#.
Fil de linho
liso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodflo
com 8 palmos de largura vara 2*200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 3*200.
LSazinhas carmezira miadlnhas
prepria para vestido de menina, covado 600 rs.
La azi nh
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a qoaresma.
Grosdenanle, moreantlque e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esleir da India
propria paraforrarsalas.de i, S e 6 palmos de
largara, por menos prego do que em outra quel.
qoer parte.
Neste armazem de fazendas se encontrar um
grande sortimento de roupa taita e por medida.
Bi\as hamburgueras.
Vende-se na roa Nova n. 61.
" Vende-se arroz com casca a -1* a sacca de
20 caas: na rua Direita n. 69.
Constipara", dores de cabrea.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Atiesto aue achando-rae aiacado de urna
forte conslipaco que trouxe-me dores por
todo o corpo e na caheca, soffri horrivel-
mente por espaco de qualro das; ent5o
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas calharticas do Dr. Ayer : com ellas fi-
que! sao e completamente" restabelecido em
Resulta pelas experiencias feitas as Indias e em
mnea pelo man afamados mdicos que as GRANB.
J^V3^0"2 *' HY>OCOTYLA ASIAtTcA i,
a. LEPINE sio o ptimo remedio contra todas asesna-
wy de impigens ou herpes e outras molestias da
STTaSL- mi"* ,nTeter<1". sm como a leprA
i, ,T/cHEA' a "". MOLESTIAS ESCR^
FLLOSA8, OS RUEUMATISMOS chronicos, etc.
Deposito geral em Paris, em casa de FOURNIB* fl
LABELONYE. rua BoHrbw-VUlmut$, P"
Deposito geral em Pernambuca rua da! 'Apollo.'
Cruz n.2!* em casa de Caros A Harboza
5
Francez barrica
Portland barrica
No trapch'baro do Livramente aoces
<'00
500.
eot:.ssa da Dlnssla.
Acaba de chegar a mais nuva e verdadeira po-
lassa daltussia, o vende-se a preco commodo: no
Agostimio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
In ilarao do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864
li Atiesto e juro, se necessari fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excessiva irritacv
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
lao d'clla tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das Di-
lulas catharlicas do Dr Ayer.
Antonio Hermoof.nes Perehu Rosa.
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1864
As pilulas do Dr. Ayer (catharlicas^ fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos que
sofTria de vermes intesiinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymundo Nonato de S. Thiaco, pliarma-
ceutico.
qnarteldo qnarto batalhao, n. 24,, om as mesu
commodidade* : a tratar na rua d
confronte ao
i as mesm
__na rua d_os_Pres n. 62.
bom quarto graiTde~e' ferte
^miu r-'m^L"^"10 Am"> ""rado junto ao
Vende-se um
ira carga
cemiterio inglez.
Lourciro Santos & C, acabam de receber da Eu-
ropa pelo vapor, nin lindo sortimento de enfeites
pretos, proprios para a quaresma, enfeites ainda
nao vistos em Pernambuco, pelo prego de 5*, 6#,
10*, 12j> e 20tf, bem como grof-denaplfs preto, mo-
reantiq, capas de grosdenaple*, e southambarques
de mesmo; todo por pregos mdicos : rua do
Crespo n. li, junto a loja de louca.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de meihor gosto em
I'eraambuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz liugenia.
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 2!400, 2oC00, U, 3#>00, 4,8?, S^ O.
75 e 8(5 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a meihor fazenda qne ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 2$ o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple pr*
3#;0O, II, 4*500 e 35L
Pannos pretos de superbr qualidade de
Casemira preta de 1*600 a 5o o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retondes de fil prelo.
Mantas proles de fil e los prelos.
E muilas outras fazendas de superior qualidade na lt ja fes Colon
na rua do Crespo n. i, de Antonio Correa de Vasconcelos C. successores
de Jos Morei a Lopes.
C a IOO, I800, U, 2^300, 3*,
?o a 12o o covado.
.- .1a fil.". .-.r.-.l..
MACHINAS IPATINT
de trabalkar kio ar
descaroear algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & Qt
OLDAI
*~^m,

Francisco Jos Grermano
Rl l SOVA ..!,
acaba d ruc -i"^nm lindo e magnifico sortimento
de oenlos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
Fago do ar.
Vende-se fogo do ar a 1>500 a dazia
mperial n. 249.
na rua
Nevralgia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Al va-
renga de Azevcdo.
Ha .mais de sete antics que soffria dores
no hombro e as costas, lomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento s5o palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido : ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro. ruaDiroilan. 15.
Vende-se em Pemambuco:
na pharmaela franceza de
P.MAURER i C.
RUA NOVA N. 18.
apurado gosto da Europa.
Coke do gaz.
Pilcli do saz.
Alcatro do gaz
Coke tone'ladas rs. .
Pitch > ,
ttenco
Antonio Duarte Carneiro Vianna scientifica ao
respeitavel publico, e especialmente aos seus nu-
merosos fregoezes, que acaba de abrir um novo
Pregos que admira.
Sapaios de tranca supariores pelo barate preco
de 1* o par, e aogiz 10* : no vigilante, na do
Alcatro
O coke
caada.
estabelecimento na casa n. 22 .1j rua Nova, sita-
, da entre o sen antigo armazem de ferragens e a sua
bem conhecida e popular luja da exposico de can-
diiiros gaz, existindo entre as tres caas espa-
fosas communicacoes, de maneira quefacilitam aos
compradores mnmrem-se rommodamenle dos ob-
I0?>000 JL'ctS diversos de ue precisaren). Alm do cos-
80 nflfl ,uma('0 e variado sortimento, que o respeitavel pu-
-nn b,ico sempre encontrn, e continua a encontrar nos
i seusefialielecimentos, aehar no que acaba de fran-
uxo, gosto e
ia-se por isso recommendavcl, bem co- utilidade, das mais afamadas fabricas de Franca
>seioque sela as cozinhas aonde Inglaterra e Allemanha, para as quaes continuara
>. I itch c alcatro, alm da ajiplicacoes sempre a fazer encomnienda* especiaes ; e sendo
a que se prestara, como para callafetar como fastidioso numerar os muito e variados
oes, alcatroar madeiras, etc., teem este a arligos de culellaria, tapecaria, crismara, de me-
ue ue preservar do cupim, formigas, etc. taes finos, de porcellanas, etc., etc., deixa de o fa-
,i gar n* ra,,nra do gaz ou mandado [>r em zer, e convida ao mesmo publico, que venha visi-
quaiqutr ponto da udade, segundo a vontade do ar os seus mencionados estabelecimenlos.
Assim como machinas para serem movidas por
ammaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
ampo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os raesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis deslas machina
mencionadas ; para o que convida-se os Srs.J
agricultores a vrem vr e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers &C.
IV. II, praca do Corpo acto
NEGIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Vinlio Collares.
comprador.
Na rua da Cruz n. 38, era casa de Mills Ra:
teau & C, vende-se :
Cha.
Oleo de linhaca.
Folhas de Kladre.
Silins e silbdea inglezes.
Cerveja Aspioall.
Dita Ba.-s.
Dita John Jeffre^ & C.
l'm piano com pouco u=o.
Vende-s" urna tberna com ponoo'idoa |
Casa Forte n. 8; a tratar na rua da Praia n.13 ou '
na mesma. i
Ce r ve ja a OO rs.
Chpgou ao armazem Aiianc, rua do Imperador
o. 57 a superijr cerveja basa em barril, que se
vende a 200 rs. o copo.
Acaba de chegar de Lisboa o su. erior e
verdadeiro vinho de Collares, em caa,
esta excel'ente qua'i lade dd vinho torna-se
recommendavcl, por nao conter espirito e
ter agradavel paladar, superior ao tnelhor
Bordeaux, sendo aquella particularidade
apreciave e til na presente eslai;3o caln-
jsa, emque os v nhosaguardenlados se tor-
nam prejudiciaes: vende-se no deposito,
rua daCadeia escriptorio da Leal Res.
Estas machinai
poderadescarocar
Mpaalcioer especit
Jde algodao sen:
estragar o o,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho: pode
descansar um
arroba de algo-
dao em earocr-
em 40 minutos.
on 18 arrobas
por dia ou 5 ar j Crespo"^";.'
robas de algc^a- i,-o adamascado .lo todas as larguras, a reca
"mpo- ;cein 10 vara*, cada peca a 400, 480, 500 eCCO'
rs.^: no vigilante, rua do Crespo n. 7.
Clcheles em carura de una e duas ranuras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e CO rs. caoa
cartao, e duzia a OO c ii'00 rs.
Pames para atar cabello, a duzia a 1.2C0, UCCC
2$,W&, i e o$.
Dalaios propriamiute para costura c para fire-
tas, e para menina trazerno braco a ltPo. l-'t
1^800. 2 e ?#500.
Perfumara, macac;i peroia a if,, 22CO, 3^ e
ii a duzia, oleo de maozinha a 55 e 6$ a ttizi:..
banha a 35, \ e 55 a duzia. Estes objectoa re
vendem por admiraveis preeos cm ccnseqtf rea
de seren arrematados dos salvados da barca frai
eeza, pois affanca-se a pouca avana e a un <,i --
lidade: s no galo vigilante, rua do (Jrvsfto t. J.
[M06ARIA.
31Ru! larga do Rosario34
liillioiomeiiFraucisco deSoaz? &. G,
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludada?.
Tinta hrancTsuperior em lata.
AlvaiadeVoneza, fino, em pues.
Vende-se panno azul preprin para fardamen-
to : na rua da Cadeia n. 32,
FABHICAGE
PIQUIAS MAQUINAS
PARA MARCAR
PAPILCONTA& tITRAS,
K CART0IS DE V1ZITAS--
PASCB SI.VITKSPARA CARTAS
TARA LACRf 0BRIIA t TINTA
Na rua do AragSo n. 12.
Alt
AGUA
Vende-se on aluga-se um excellente sitio na Ca-
ounga Velha com urna excellente casa parafami-
lia com 3 salas e 6 quartos, est caiada e pintada
de nove, cocheira, estribara, casa para escravo?
dita para fetor, tanque para banho, dito para la-
var roupa, viveiro com peixe, terreno proprio e
muitas fructeiras com fructos : qoem pretender
dirija se a Capunga Nova, no entrar da mesma,
ao lado esquerdo passando o primeiro portao, ro
segundo, achara com quem tratar este negocio.
DE
F lo r i d a .
i paia restabelecer e conservar a cor natura* <.<<> c^
bellos.
A agua de Florida uao urna tintura, f? (. ef-
sencial a contestar, a mesma agua daBdc. f ccr
primitiva de cabello. Compostas de plantas (
.cas e de substancia? iaoflensve-, o\h t..rr
priedade de restituir aos cabellos oprin.Spn >.-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a asua de
Florida entretem a limpeza da caboea. deelrce^ts
caflpai c empede os cabellos de cahir

I
r" flkaim w


M^^HHHBMi^mh
S
Diario de Pernambuco Quinta lelra 30 de arco de i85
Laboratorio enologieo e cliimico de F. P. Lebeuf e C.
ra Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica en Argenten!!, pres Pars (Franca).
BONIFICO E FABRICA
Dts viahes, agaardenlcs e licores.
MOLHADOS
Largo da Sarita^
jCruz ns. 12 e 84,
[esquina da-ra do!
iCbo.
VIMOS
ESPECIAES
Largo da Santal 3P
Cruzns. 12e84,'
esquiua da ruado'
Cebo.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

GRAIDE ARMAZEM
VINHOS.Imitacao dos vinhos de todas as
qualidades, Extracto da Medsc, adose para 230
litros, 1 f. 25,de Bordoax, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Lisboa, t f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 2j ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar cora o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CI,ACIFICACO.-Ps Inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franja, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
COLOUACO.Purpirigine para colorear os
vinhos braocos e. vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
AGUARDENTE3.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABSI.YftIO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros^S'f.
LICORES.-Extraclos para fabricar se lodos os
licores conhecidos sera fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se desoja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricarlos licores finos ou
communs a dose para 20 ou 25 litros, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
O dono dos ja muito acreditados armazensde molhados denominados Aurora
'Brilhante, acaba de receber de sua propria encommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente.estacao, e lendo grandesortimento comprado aqui, aQanc.aqueto-
dos es seus gneros sao de primoira qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores.
Nenhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhaate, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono seachar encom-
modado em sua saude e ter de vender ura de seus arraazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para se comprar
barato.

Litas com 8 libras de chouricas muito novas,
i a 75500.
Ditas grandes cora pc-ixe era postas inteiras,
mals de 12 qualidades, a 1-5000, 1280 e
45400.
| Ditas com ostras, encllente petisco para fri-
gideira, a 720 rs.
1 Ditas com ervilbas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
[Ditas com araeixas a 15200, 13800 e 35500.
, Ditas cora marmelada do afamado fabricante
Aureu. a 880 rs.
) Ditas com massa de tomate, a 300 rs.
1 Ditas com figos de comadre, novas, a 15500,
25 e 25'inO.
[Ollas com bolacbinha de soda muito novas, a
23000.
Ditas com biscoitinhos inglezes de muitas qua-
lidades, a 15400.
Chocolate.
[Chocolate superior muito novo, a libra a
15200.
i tfacarrio, lalhariam e aletria amarella, a libra
a 480 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
v Caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
sas, a caixa 35500.
Oit&l lita em libras a 640 rs.
,Sa<, libra a 360 rs.
sevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Ervilhas suecas, a libra a 160 rs.
O tas descascadas, a libra a 200 rs. _
[Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Karinha de araruta verdadeira, a libra a
L 500 rs.
(Arroz do Maranho, em sacco# a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 c a II-
[ bra a 100 rs.
'Tuacinm de Lisboa a 9300 a irroba e a 320
! rs..a libra.
} Dito de Santos, a arroba "4000 e a libra a
260 rs.
j'l.ii'ioscjm 123 ceblas grandes, a h280.
i \ siarda francesa, caixa com 2 duzias a
* 8jO00.
1 Frascos com mostarda preparada em vinagre,
a 400 rs.
Ditos com conserva? inglezas e francezas, a
640 e 800 rs.
(Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
'Ditos com a verdadeira guuebra de laranja, a
15000
Dito de 2 garrafas de Hollanda verdadeira, a
640 rs.
Rfiijis cora dita propna para negocio, a
400 rs.
IGarrafoes cora 2 gales com dita, a 65-
iServeja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
dazi a 6:>000.
'Vialw muscatel de Selubal, a garrafa a 15-
Marrasqumln verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 152J).
(Cha npigoe, a dazia 205000, e a garrafa a
25000.
lAzeito refinado portuguez e fraacez, a garrafa
a 13033.
Caita da viobo Bordeaax muito superior, a
75, 83,95 e 105 a caixa.
'Ditas com dito branco, a 75 a caixt.
Ditas com dito lauriuias do Douro verdadeiro,
a 205-
'Ditas con duque do Porlo verdadeiro, a
183000.
i Ditas com chamisso superior, a 145-
'Ditas com Porto veltn e outras muitas mar-
i Vinlu do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
i e 80'J rs- anft
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
l 35300 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
'Dito da Figueira, das seguintes marcas (Y)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
4J300, e a garrafa a 580 e 640 rs., deste
que j e>t engarrafado e lacrado conro
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais descoahecidas, a cana-
I da a 35300 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
* Vi olio branco fino, a garrafa a 640 rs.
Oito de caj muito superior, a garrafa a
? 800 rs.
a arro-
Vinho verde superior.
A caada a 35500 ea garrafa a 480 rs.
Gomina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sev
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs. i
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. |
rarinlia. j
Saccas grandes com farinha de Goianna mni-^
to nova, a 55000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
85300 e 93000. '
Cha. I
Cb,temos nestes gneros o melitor possivel,,
hvson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito fino a 2,8300.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 2,5000.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Enrmate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacele.
O masso corr 6 vellas de esperraaceto a 600,
640 e 728 rs. *
Passas.
Caitas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25300.
Xozes.
Noces, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e painfo.
Alpistae paideo, a arroba 45000 e a libra a(
160 rs.
Carlas.
Cartas Unas pira jogar, a duzia a 255 '0.
Caslanhas.
Castauhas nota* vLnlas neste vapor,
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barriscom azjitonas novas a 15300.
Manleiaa.
Manteiga superior, a libra a 15000.
Dita mais abalxo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita fraoceza jiova, a libra a 720 rs.
Dita dita em Barra e meios dlpos,
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijov
Queijos novas vindos ueste vapor a 35200 ec
35500. .
Ditos londrinos muito novofe, a UDra
15000.
Papel.
J Papel almajo paulado, a resma a 4S800.
Dito dito lizo de linho, a resntk a 45>00.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500. I
Dito de embrulho, bom a 15 a 1>>200.
Vinho Madeira.
Carrafas com o verdadeiro vinho N;rcz e Ma-i
deira a 13500 e 25000.
Temperos.
louro, pimenta do reino.
, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a(
480 rs.
Ameudoas.
Ameadoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400^
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
(rata.
Duzias de boioes de grasa n. 97 a 25000, e i
de latas a 13000, e os boiSe. a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da (
Bahiapor diversos presos, caixai i
caixas.
a libra a;
Folhas de
e cravo
coraipuo
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam

nuneiar-se.
le an-
N. ll-B.ua do QueimadoN. 11
Superiores cortes de sea preta cora lindas barras.
Suoerior seda fafonnAo que ha de melhor e mais gosto.
Moreantique preto muito bonito a 23800, 35, 35390 e 45 o covado.
Completo sortimento de grosdenaph preto de muitas qualidade?.
Pannos pretos e casemiras de anitas qualidades.
Bournus, chales e los de renda pretos superiores.
Superiores pelisses esoutembarqoes de seda para s.nhoras.
Bournus de la para senhoras a 125
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhoras.
Cort-s de la de barras de 145 a 225 de muito gosto
E m utas outras tazendas de superior qualidade na loja de Augusto reierico
Santos Porto aonde tambem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas,
N. iiRa do QaeimadaN. H
GRANDE
dos
PEMCII.4
- Chitas larcas de cores flxas a 240 rs. o covado
na ru& da Madre de Dos n. 7.
Yende-se
a -lio no Catninho Novo, roa da Esperanca n.
61, que vai para o Manguinho, com grande casa
lii.iito.fiesca e muitos commodos: na ra do Des-
tino n. 16.
avariado.
Francez barrica 33000
Portland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idera 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do Apollo
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparaedes, e engaado nossos
freguezes, deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as iniciaes F. V. L. Paris,
0 modo de nsar-so das preparares aeha-se indicado no rotule.
A* oncommendas devom ser acom;ianh:Has por urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-
de le Franca, ou garantidas por urna casa conhcida.Dirigir-se aes Srs. Lebeuf & C. chiroicos, ra
Miulmartre", n. 31, em Paris, oua sui fabrica era Argenteuil, prs Paris.
Vende-se na botica franceza, ra do Imperador n. 38.
CONSULTORIO nC0-CGlC0
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LORO HOSCOSO,
HEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s i
horas da manbaa, e das 6 e meia s 8 horas da uoite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatfrica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimeuto de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dytnnamisacoes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubosgrandes. 18^000
de 36 tubosgrandes. 24^000
de 48 tubosgrandes. 306000
de 60 tubos grandes. 35^000
Prepararse qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com
iue se p3ilr.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca l5fi0O.
Sende para cima de 12, custaro is precos estabelecdos para as carteiras
Ha tubos mais pequeos cada ura a 500 ris.
RA DO IMPERADOR N. 41
Junto ao sebrado em qne mora osr. Osborne,
Duarte Almcltla A C, receberam de sua propria cncen n co-
da o mais liado e variado sortimento de molfaados, frefrica
da presente estaco.
Manteiga ingleza I Maeas brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a l.ooopara sopa a melhor qne se pode defejar,
rs. alibra eem barril a 8oo rs. macarro, talhanm e aleina a 4U u. j
Manteca franceza ltbra e 4^1500 a caixa.
pa safra nova a 60o rs. alibra, eem barril Vinho
os remedi
LTV IIOS.
A melhor obra da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
donsgrandes volumesesm diccionario............ 20#000
Medicina domesticado Dr. Heriog,........... 1Q#000
Repertorio Ja Dr. Mello Moraes......(....... 63000
Diccionario de termos de medicina ...,*...,. 3^000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara portan-
te de serem novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis lelasua boa conservado, tinturados msis acreditados
estabelecimentos europeos, a mais acta e accuradapreparacSo, e portanto a maior ener-
ga) certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de jualquer enfermidade o fazer-se-lhe qualquer
)perag3o, para o qne o annunciante julga-sesufficientemente habilitado.
Otratamento 6 o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medicare
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cuio concert se n5o
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarera mandar seus
ioentes.
Paga-se20000 por dia durante 60 dias ed'ahiemdiante l500.
As opera?oes sero previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos pre?os
jzoaveis que postuma pedir o annunciante. _______'___________________________
F\BMG\ OE CHPEOS DE SOL
a 5COflrs.
Amendoas
libra.
Ammns
em frascos de vidrocom 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
CartSes
com" bolos francezesa 500 rs. cadaum.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Ch>J3olates
detodasasqualidades a 10000 a libra.
Presuntos /*.
dosmelhoresfabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrinoo mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras ecaixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e I200.
Cha uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qualquer n5o pode vender por menos de
$ a 2f>ouo.
Itfem per ola
especial qualida e a 2570 ) rs. a libra.
dem hvss ii
i mais aromtico que ten vindo ao doks.
mercado a 2060o. oss
Massa s ama^lfis
para sopa, macarrSoJalharim e aletria a
COGV4C
omuito afamado cognacPal Brandy a 1 8oo
rs. a garrafa e de outras moitas quaida
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5po rs. cada um.
PAPEL
almaco greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a i,5oo a resma dome-
^ t J 3in Xov* eaqnln da Cambo d Carmo e ra do
Cabug n. H.
A Imrtora dJise ertabele'unjnio o msis importante que existo neste gcr.ero
as provincias do norte do imperio, querenlo que o publico desta provincia goze das
vantagens que proporciona a fabricarn cm grande escala e directa relaco com as mais
importantes fabricas da Europa, faz scie.ite que resolveu-se a vender anda mais barato
do que docjstume como dounnstra a seguinte tabella : ,l .
Descont em duzia.
Chapeos de sol de panno a 2#000........
armacao de baleia a 2^500
> de seda armaco de ac inglez de 20 pollegadas
4^, de 24 5^1, de 26 5^300 c de 28 6
20
10
15
0/
o
15 /e
15 o'o
Chapeos de sol inglezes a balao 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 8&, de 26 9s, e de 28 10#.
dem idem a hilo de 16 varetas palent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 125, e de 28 13,5......
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os lmannos e feitios, os quaes sao to vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cuidara fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-seigualmente em porcao e a retamo, notando porem
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, ahm de poder reta-
lhar pelo preco que o estabelecimento retalha. .
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serao considerados como
a retalho.
Ihor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 2200 a resma,
i papel
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
P^o(lim?haS muit0 novas PrPrias Para
podim a 8oo rs. a libra.
Eumo
Vinagre
PRcRadeamumaCOretaSde 9 Caadas a I3'000 rs"

m
YS>
Chales de renda preta e bournus de guipi'i preto]
lia da ruado Crespo n. 17,

A'
DE
JOE GOMES VILLAR
i->^5
Vende a 15J, 20^, 305, 403, 503 e 603, capas e casacoes de gros pretos, chapeos Sij
e chapelinas de palha e outras muitas fazendas proprias para a quaresma. WJ5h
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de sua saude espera que seus
devedores tanto do mato como desta praca saldem seus dbitos quanto antes.
,$($&'i*. !. iy.' ''y.''y-
GOMMA NOVA.
Em paoeiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Cebollas
"pTnT8? mt[Cadoa 7'G0 r*-a ixa'
e l.ooo rs. o molho.
. Alpisfca o Painco
^4raarrorCad0alOrS'albra'
CEBLAS
"mZT" m? 0cent0 ^ ruado Que!.
OliiO DE BICO
mMitt novo a 35400a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n.7, ruad"-
ImPerad0(r)f ." *0 e largo do Carran. 9.
'Jji'AK) SUISSO
mUotmadon ? rs' a ,ibra na lo
&odK;%domPera^rn.40e
Os proprietario
Figueira J A A e outras muitas marcas aci o-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des meihores falri-
cantes da cidade do Porto a 10 e i so
a garrafa e de 100 a 12$ a caixa, at n ar
cas s5o as seguintes: Chamisso d Filio,
F. 4 M., Nctar ou vinho dos Dcuzcs,
lagrimas do Douro eoutros muito.
Latas
com 10 libras de banha a 4)*CCO.
Bolachinna inglesa
a 1^800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* .4 bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar -
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinbas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 0J5f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Carrafes
com 4 '/i garrafas com vinagre, a 10000 um
o garra fo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, ede 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 ctm
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groia
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES -V/
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Co rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3co c
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito noTas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e meo
a caixa e 400 rs. a libra, '
Chocolate
portuguez o mais especial que se pede de-
sejar a 800rs. a libra e 140rs. o vio.
>han F."as em calda
chegadas ult.mamente, pera, pecego, ginia e
outrosmuitosa640rs.alata.
a 600 e 10 o caixe.
. GOMMA MUITO NOVA
emPMeirosde 1 e 2 arrobas a 35C a ar-
n? l47W- a,ibra na *ua doCoei-
rCafm^D9dOmperadrn-40e,aj
. a BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENCOS
dgc oSS!Y]mo, vapor a *mo a
doQueimado n.7, rna do Imperador D.
40 e largo do Carmo n. 9
Piezes ^i^^^^^jS^Z PrDCPal deC,3ram aos co-
pulramos mesmosprecos nos santos lugares" faci,ltar a co^odidade de todos e.-
0 Verdadeiro Principal rea do Imperador n 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes
a 40500: na roa do Imperador n. 40.
DE
CHEGMM OS MODERNOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo ullimovapor francez, a J/f)
loja das columnas ra do Oespo n. 13, de Antonio Corroa de Vasconcel- a
los & C.

DE
J. VIGNES.
n a dW* *5' R1JA DO I9PERADOR W. 55.
Os pianos esta antiga fabrica sao hoje assaz coahecidos para que seja necessario insistir sotire t
$ua superioridade, vanlagens e garantas que offerecem aos conSpradores, qualidades estas iocomesu-
reis que enes tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; odo-
?aindo ura teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sen-
aunca ialhar, por serem fabricados de proposito, e ter-s feHo ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos uvidos dos apreciadores.
- Fazem-se conforme as encesimendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Bloniel, de Paris, soi
correspondente de J. Vignes, em cuja capital oram sempre premiados em todas as expasitoes.
No mesmo estabelecimento se acba sempre nm explendkto e variado sortimento de msica* do
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tude vendido m'
preces commodos a raaoaveis.





-
v:
[i iiiTi


Diarlo de Prrisnbiic Quima /elra 30 de Mane* de 1865.

~*r


*
Atten$to.
Pazeaias pretas para a quaresma por
por baratissiaio preco, na loja e ar-
aaiew-da Arara, ra 4a laperairiz
i. 06.
honren** Pereira Mendes Guimares.
O propriurio deste estabelecimeato retira-se
para a Europa a tratar da sua saude, porui antes
de retirar-se pretenda fazer ama liquidacao da ba-
baratissimo prego para fechar coalas; agora fre-
cuezes veade-se grosdenaples preto muilo boin
para vestidos, a 15600, 25 e 25500, dito de 3 pal-
mos de tarso, a 35 : ua ra da liuperairiz ioja da
Arara o. 56.
Heuiautlyue preto a 3.
Veade-se meuraatique preto para vestido a 3 o
covado, grosdenaple rauito largo e encorpado a 35,
25500, 2* a 15600 o covado, alpaca preta para
vestidos e palitos a 300,600, 700 a 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
6W e 800 rs. o covade, la preta para vestidos a
6W rs, bombaziaa preta para vestidos aJ5280 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara d. 36.
Ricos vestidos a Mara Piaa 120.
Vendem-se ricos vestidos a Mara Pia a 103,
125, 143,163 : ra da Imperatriz loja da Arara
n. 36.
Arara vende pecas de panninho a .# e de
madapol5o a 40.
Vendera-se pegas de paaninho muito fioo de 12
jardas a 33, vendem-se pegas de inadapolo infes-
tado a 'i3 e 43300, vendem-se pegas de madapolo
de 21 jardas bom a 63, 73, 73300, 83, 93, 103 a
123, veudeoi-se pegas de algodosmho a 33, 65,
73, a 83 : ra da Imperatriz n- 3o.
Arara vende os balees a 2#500.
Vendara-se baldes de arcos de todos os tamauhos
a 25*500, 33, 33300 e 43" ra da Imperatriz
n. 36.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Veadein-se lazinhas para vestidos de seuhoras
e meoiuas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 300 e 560 rs. o covado. cassas
finas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
rua da Imperatriz a. 36.
Giiitas da Arara a 240 rs. o covado.
Veodem-oe chitas de cores ias a 240 e 280 rs.
o covado, di Us fraacozas aas a 320, 360, 400 e
300, preclara para vestidos a 300 e 560 rs. o cova -
do : rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liiiuiacao de soutambaques e lazinhas a
n, U e 100.
Veadem-se soutambaques de lazinhas para se-
nhoras a 73, 8.3, dita de alpaca branca a 103, ditas
muito lioas de grosdenaple preto a 203, 233 e 303,
capas protas de grosdenaple tinoa 203,233 e 303,
manteletes ptotos Je grosdenaple a 203 e 223, go-
linhas para senhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gola a 13, camizrahas para senhora, 23,
e 33, ditas muito tinas bordadas a 43500 : na loja
do narateiro da Boa-Vista rua da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de ditas finas a 2$i00.
Vendem-se cortes de ditas com 10 covados por
23400, ditos de dita frauceza a 33200, cortes de
cassa fraaceza flaa com 11 covados, por 33, veo-
de-n-se pegas de cambraia branca lisa a 33300,
45JO), 53300, 03 o 33 : rua da Imperatriz n. 56.
Liiiiii Jacio de roupas feitas palitos a 20.
Veudem-se palitos de bnm de cor a 23, 235C0 e
33 jaquotes de brim pardo a 33 e 33300, palitos
de casimira bem feilo a 53, 63. "5,83 e 103, di-
tos de uaono preto bom a 83 e 103, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 123,
H3,16-1 e 203, caiga de brim de ccir a 23 e 23500,
ditas brancas de linho a 33300 e 43, ditas de ca-
simira de cor 43,03 e 83, pretas a 53, 63 e 83,
collete- de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 133OO, braucos a 23 e 203.0, ceroulas feitas a
13280, ditas finas a 1*600 e 23, camisas france-
zas a 23 e 23300, ditas inglezas de pregas largas a
33, de linho a 33 e 33300, colerinhos econmicos
a 640 rs. a duzia, ditos de Huno a 500 rs, um : ua
rua da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 2.
Venlem-se cobertas de chita finas a 23 e 23300,
ditas de damasco a 43 : rua da Imperatriz n, 36.
E" na Arara que e ven le cortes de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
33, 33300, 43300, C3 e 83, ditos de cor a 33,
13500 e 6J : rua da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vndese panno preto para caiga e palito a 23,
33 290OO, 43,43500 e 65 o covado, casimira pre-
ta fina a 23,23300 e 33 o covado e outras muitas
fazendas para liquidar: na loja e armazem do
Arara, r.ua da lmperatriz_n. 56. _____________
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupa eita nacional
Rua da Imperatriz m. 72
Pechincha
Cortes de ehitaa 2400
Vende-se cortes de chita com 10 covados a
"3400 a 332)0, ditos de cassa a 33, ditos de lazi-
nhas para vestido a 33600 e 13, ditos linos de bar-
ras a Miria Pia a 123, '43 e 163, ricos souteam-
barques de iaazinha em fantasa a 3- 73 e 103,
ditos de grosdenaple prctos linos a 205, 223 e2o3,
capas pretas d grosdenaple a 205, 235, 205,
na rua da Imperatriz n. 72.
Fazendas prelas para a quaresma.
Vndese grosdenapie trelo Uno a 13600, 25, e
25530 o covado, panno fino para caigas e paletots
a 25,33, 33)00, 4330J e 35 o covado, casimira
orno lina a 23, 23500, e 33, alpaca preta para
saias e vestidos a 300, 600 e 800 rs., sarjas de laa
para calcas e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Laaiinhas a 320 e 3G0 rs. o covado.
Voode-se laziuhas para vestidos a 360, 400,
500 c 360 o covado. chitas finas para vestidos a
240'o 280 o covado, ditas francezas finas 320,
360 e 400 rs. o covado, capas francezas linas a
320,360 e 100 rs. o covado:
Roupa fetta.
Vende-se paletots de cor e preto a 53, 65, 85 e
105, caigas pretas de casimira a 55, 65 e 8, cor-
tes de colletes e paletots de brim a 25, ?3>00 e
39 : na rua da Impe:atnz o. 72.
Madapolo entestado a 43.
Vende-se pegas de malapola eufestado a 13,
dito em panninho a 55, Peg*s de madapolo de 24
jardas bom a 83,75 e 105, ditas de algodaoa a&
6*. 7 b 85, cortes de caigas de bnm a 15600 e
25, ditos de casimira prela a 35, 35300 43 e 55 :
na rua da Imperatriz n. 72.
I

-BEftZINA.
Xoiaesseucia para tirar nodoas sem ata-
car os tecidos nein alterar as cores
Mancha alguma produzida por gorduras,
cera, etc., resiste a este famoso dis-
solvente, que pode sem receio appll-
car-se sobre vestidos de seda, la,
tapegarias, panos de bilhar etc.
Restaura perfeilamente as linas depeli-
ea usadas.
Cada fraseo lgOOO.
L'm mpresso que arorapanha cada fras-
co ensina a maneira ie usar-se, assim
como indica outras muitas applicagoes
qae e*ta nova esseocia pode ter as
artes.
PHAIVMACIA R1BEIRO
SU PEB.VAMBUCO
22Praca da Boa-Vista22
i
Promessas para Santo Amaro.
Vendem-se pernas, bragos, cabegas, peitos, de-
dos, pe, mos e coragoes, veilas enfeitadas para
ba plisados, ludo de cera feilo coro per fe i gao por
eommodos preeos : na loja de cera da rua do Li-
vramento o. 36 juntb igreja.
LeiBHies n-ros a 6,400 rs. a arroba*
Na padaria atraz da fuodigo do Sr. Starr ven-
der ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
da, lentilhas e sevadinha pelo pregoemsortimen-
to de 65400 r., econforme for a porglo faz-se al-
gara abatimeoto.
Fazendas pretas para a qua-
resma.
\a loja do Pavo.
Ada-se este estabelecimenlocompletamente sor-
lido de fazendas prelas propriaspara a quaresma,
a saber :
Orosdenaples preto largo e mnitissimo encorpa-
do, outros inais estrenos tendo dos pregos de
15280, I5OO, 15800, 25, 25400 e 35, superior
moreantiqae preto a 35, superior sarja preta hes-
panhola, superior setim preto maco, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques moito bem enfei-
tadas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
aos que tem viodo, superiores manteletes, camisi-
has com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, tudo Isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavo.
Acha-se oeste estabelecimento um grande'sorti-
raento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 285, 235 e 305,
ditos forrados de alpaca a 1*3, 165 e 205, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de bnm do todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, velludos, setins
ele
melhore
quer
Imper
Chitas em cortes cota i0, H e 12 covades
Na loja do Pavao vende-se urna grande porgo
de corles de chite nncezas sendo claras e escu-
ras todas de crest xas com 10 covados a 35200,
com 11 covados a 35600 e com 12 covados a 45,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama & Silva, rua da Imperatriz n. 60.
Camisinhas a IjJ,
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeiladas, proprias para seuhoras a
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
urna : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 3$.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com deseahos muito delicados
pelo baratissimo prego de 35' (0 o corte :'s na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambriias lisas, na loja do Pato.
Vendem-se pegas de rambraia lisa moito fina,
tapadae transparente, pelo baratissimo orego de
45 tendo 8 1|2 varas cada pega, ditas muito finas
a 75, 85 e 95-a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 75, 95 e 109, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 25600 a pe-
ga : isto na loja do Pavao rua da Impoaatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincha a 35500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitagao de tarlatana com muitos
delicados desenlies, moiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego oe 35506cada um,
sendo fazenda que sempre se venden a 75, na loja
do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a i$ e a 7j5
Na loja do Pavao veudem-sericos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 45 e 75, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto 4or baver grande
porgq, na loja do Pavo rua da imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeltesparacabega
de senhora: na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do PavS).
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mfudinbos e ^raudos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
s lazinhas (ransparenlos a 100 rs.
Na loja do Pavao vendem-se;as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo d listas miudinhas
a imitagao das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado ; ditas entestadas de urna so cor
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de mangas : na loja do Pavao rua da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Ricos sQUlaubaruues do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimenlo de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
20-3,225, 255, 305- Capas e casacos d'yglace pre-
tos que se vendem muito em centa: na loja do Pa-
vo rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos viuie mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com llstras e quadrinhos raiudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para lulo, pe!o baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palrninhas
Je seda Maria Pia, tendo d todas as cores, e
alsumas proprias para lulo, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porco : na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva. (
Vestidos Maria pia,
Grande pechincha a 10*000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, :>endo
todos com as cores mais delicadas que tem viodo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 105 o cor-
le, ditos de precala com lindas barras e eufeltes,
com 19 cavados cada um a 105, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 65 na loja do Pavo, rua da
Imperatriz u. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato prego de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem-se as, mais finas lazinhas de urna s
cor, tendo grande sortiraento : na Iqja do Pavo>
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda cora tres ponas, sendo
todos pretos, e tarabemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercido, ricamente bordados e cerculados de nm
elegante bico preto de mais de palmo de largara \
estes modernissimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
nm vestido de qualquer cor, assim como rauito
proprios para os actos da quarema : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, rna da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
Soutambarquesdecor na loja
do Pav&o#
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques de cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos de velludo, seda e setim, renda, etc.. s
visla do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadeiro aprego a esta fazenda, e
vende-se pordifferentes pregos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, roa da
Imperatriz n. 60.
Manteletes de fil na loja de Paiao.
v';ndem-se os mais ricos manteletes de fil pre-
to e otitros cora os centros de cor, sendo neste ar-
tigo o mais rico que tem vindo ao mercado e mais
moderno por serem moito compridos e com deli-
cadsimos lavrores: na loja do Pavo, roa da Im-
peratriz d. 60, de Gama & Silva.
Para meninos.
Vendera-se muito bonitas ronpinhas proprias
para meninos de I a 4 annos, sendo ealclohas
jaquetnhas igoaes, e muito bem enfeitadas : na
loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama
& Suva.
Calcinhas do Pavo.
Vendera-se muite bonitas calcinhas bordadas pa-
ra meninas a 640 rs. : na loja do Pavao, i
Imperatriz n. 60.
AO PUBLICO
Bem o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
MAZBM
STTENCAQ
Os
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajaste de eontas
i os portadores.
RUA DA CADEIA DO RECITE N. 53
(Logo passando o areo da Conceieo)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e inlei-
outra parte.
Manleiga ingleza especialmente escullida a Alctria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
i ,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
a batimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 95o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha bysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,800 rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i 5
libras muilo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I ,Coo rs.
dem preto o que se pd Jesejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs a libra.
bra e (i,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrenaba, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 6io rs. a libra e
3,oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caoadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Para lb65
Acham-se venda ualivraria ns, e 8 da
preeos da segulnte praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA. abrangeDdo o
Kaleodario civil e ecclesiastco, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
ales do commercio, etc. a IKO rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contend o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabal Water
em verso, devocao ae agonisanie, centa*
de Jess, cntico em louvor do Sar.tisti-
mo Rosario, cntico a Virgen .Msik (i s-
sa Senhora, trinta ettesebistofas anc-
dotas, um indito poema sobie oj aven-
turas de um cozinheiro, o canty de i n
solteira (poesa), crescido nen eredrpa-
ximas e pensamentos, un-.a hbUri." uno
muitas (romance), c vintecinco n(\ss e
pIbricas charadas a 320 rs.________
Jumentos
Vende-se nm lindo caeal de jnente?, df rta
proprios para a C0Df*fvaci?o
crusamento, do que se r< II i rs
muas para carro." e rr.i;;-.
grvida ; assim etjBo tima lin-
da jumentinha cem pouco nenes de phap:
ver e tratrr com Jos Pereira Cesar no sitio P-
ranuyra, arrabalde da villa do Lin>oeirt>.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em Vinho do Porto das melhores marcas que
barril sefaz abatimeoto.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suis'so o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muilo superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
I,oooe I,2oors. a libra.
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a I6,ooo, I5,ooo,
I2,ooo e I o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
I.ooo e I,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae i,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a i,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li-: Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. ;Bolacninhad'agua e sal, da fabrica deJoo
Peixe em posta em latas hermticamente la-'. de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oo rs.
xe a 8oo, I,ooo e I,2oo rs. Ameixas francezs em Tasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-, tampa do mesmo, a i#5oo.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 3o rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do adamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Uavana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,oo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
oilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
.l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de aramia verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excelente cha para os navegaotes, a
2oo rs.
Sebollas de Fraoca muito graodes e oovas
a l,8oo o ceoto e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,ooo a arroba.
Banda de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito a Iva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e I,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a i,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prego.
das que vem uo nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
tamairhss com bonitas estn pas na ca-]
xa exterior, a i,toa, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a t.ooo e H,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de l1 qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-
fara e 7,ooo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8o a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamenle dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-1 1# a garrafa e 1 I.ooo a duzia.
lho. : Palitos de dente a 14o rs. o maco.
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,ooo cada urna ancorela.
; Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez .Champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libras. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,ooo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Gomma
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos preeos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. aJibra.
Latas com fructas em calda: pepa, pecego
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Vende-se um bonito molatinho de i2
annos, proprio para qualquer serv.,r, na
rua Nova n. 38, loja.
ESCBAVOS FUGIECS.
Aos copitaes de campo
Desappareeeu nu da 21 do corifMe, o> iia Ce
seo senhor, e e&cravu de ncn.e BeMdjfl, (*i
escuro, coin idade de 2o annes, leviu venido <*!-
ya de algodao de listra, tamisa de algvdo o* let-
ra, e chapeo de conro de abas larca, Itro atura
regular, cheio do corpo, aLi-116 a eeflovlfcha,
olhos prelos n.uito vivos, tariz v tmr< ritui; r< i
muito pouca l.arba no queixo e um itgutno lu-
go, lodos os denle.*, pe reglales, ele.; <'e pre-
sumir que peguisse a estrada de Goiatra pi ti r
vindo da cidade de Sonza, provii.cia i a Paiifcita.
ha 13 das, e foi comprado ao kr. Jo> Milu io
Borges daquella cidade : rega-se perianto a nhores capilaes de campo a apinlcnsSo do ate-
rido escravo, e levarerc-no a rua do Inperri n.
83, segundo andar, que se gratifcala tm i($.
RIVAL
Sem segundo,
Rua do Queimado, n. i!) e 55. E' para admirar.
Garretis de linha cora 130 jardas......
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60..............................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das .................................
dem idem braneos e oc cores de 100
jardas...............................
Livrospara assento de roupa lavada...
Cordao branco para espartilho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botes de punho todos de cores
Tinteirosde barro com tinta...........
Tesouras para costuras finas e unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpar dentes muito finas
160,200e..............................
Caixas com iOOenvelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a rela-
Iho)................................
Meiadas de linha frouxa para bordar.
Pares de sapatos de tranca.......... 1500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaba perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
muilo Tina.......................
Ditos de banba a Ganbaldi e da familia
imperial.............3...........
Pecas de Utas elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pegas de bicos francezes e rendas.....
Frascos de agna dentifrice muito supe-
rior..............................
Caixas com 4 papis de agulbas a balo
e Victoria........................
Libras de la sendo de lodasas cores...
Bonecos vestidos e lambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com SO novellos..
Eoadeiras de fita para espartilhos.....
Carrelis delinba de cores com 100 Jar-
das .............................
Pecas de cordao imperial............
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
CIO
600
20
20
30
200
500
400
900
240
320
320
800
200
C$000
160
40
800
60
20
40
Mi lho novo em saceos grandes: no trapiche
de Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
ii5 alata : nos armazensda roa do Im-
BO'flCA E DROGARA
Bartlioloiueu Franessco de Sooza C.
34^-hua larga do Rosario34
Vendem:
PilulusHolloway.
Pilulasdor. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulasdo Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulasvegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparriiha deCh Albert."
InjeccauFeaugas.
Agua den tilica de Desirabode.
Papelehimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
RobL'Affecteur.
.Yarope do Bosque.
Ungento Holloway.____________________
pechincha nao loj a de fazendas
roupa feila nacional, rna da Impe-
ratriz n 72.
Pechincha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas fraBcezas largas a 300, 320, 360, 400 ,
e 440 rs. o covado ; pegas de madapolo fino a 65,
7(5, 8, 9$ e 10$ -, pegas de algodao a 5#, 6, 73
e 8$ : rua da Imperatriz n. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 55, 65, 85 e 105, ditos sobrecazacos a 12, 14
e 165- Palitos de brim de cor a 25300, 35 e 35500
rs., caigas de cazemira preta a 6, 7 e 8, ditas
de cazemira de cor a 5, 65 7, e 85 ; coletes da.
cazemira de cores e prelos e ditos de brim a 15500,
e 25500 rs.,; caigas de brim de cor a 25, 25500 :
rua da Imperatriz n. 72.
Soutamliarque de tires a '5, U e 10|$.
Vendem-se soutambarqoe de la e seda para se-
nhoras a 7$, 85 e 105! ditos de grosdenaple pre-
to a 20 e 255 ; capas pretas a 20 e 255 4 vesH-
dos de la a Maria Pia a 125, 14* e 165 : rna da
Imperatriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a H-
Vendem-se corles de cazemira preta para caiga
a 35, 35600, 55 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a 35, 45,5, e 75, ditos de lirim de cores a
15600, e 25, ditos de chitas finas a25*00 e 35200,
ditos de cassas franceza a 35 : rna da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
120
15000
eo
60000
05
200
240
320
25500
15280
500
500
|240

Lavas de pellica.
A loja Esperanca receben novas lavas de pelli-
ca, brancas, pretas e de cores, assim como enfei-
perador n.i 6 e rua do Trapiche Novon. 8.1 tes para caboga : na roa do Queimado n. 33.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na rua do Queimado n. 49 e 55 lejas de miude-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parte, quem quizer ver o que ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de phosphros de segnraoga a ...
Francos com essencia de Sndalo muilo
superior..........................
Pentes de tartaruga muilo fino a.......
Pecas de fila de la preta para vestido de
10 varas .........................
Escovas de roupa muito superiores a...
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescogo do melhor gosto....
Baralhos para voltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de linha que
tem muita serventa.................
Duzia de pennas d'ago muite superiores
'Frascos de oleo Bboza muito finos.....
Talheres para meninos a melhor quali- *
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200..................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muito finas]
para cha........................
Grosas de botSes de osso para caiga...
Grosas de botoes madreperola para ca-
rniza..............................
Grosas de boloes de louga prateados
muito finos......................
Varas d babado do Porto sonido.....
Duzias de lapes differentes qualidade a
240.............................,
Quadernos de papel de peso muito fino.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e gario muito boas. .
Sabooele de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar..........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................
Creiao para dezenbo de todas as qua-
lidades...........................
Cartas de alfinetes francezes moito su-
periores ..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia........;..................
Carreteis de retros cora qvratro oitavas..
Golinhas para senhora a melhor qnili-
dade.............................
Na quinta-eira 23 do corrate Cupo
do sitio do Dr. Witruvio, na Torre, um es-
cravo, de nome Migoet, que o mesmo bavia
comprado no dia 17 ao 3r. I uiz Antonio Pe-
reira. E' idoso, alio e j foi ha tempes cor-
tador de carne n'esta cidade, estando por
uliimo empregado em servico de sitio
d'aquelle senhor. Iiesappareceu levaido
vestida caiga velha de urna casimira escura,
jaqueta parda e chapeo usado do < liili; e 6
de suppor que ande mesmo por esta cidade.
Rogando-se a approhensao dVlle, poder ?^r
entregue a rua do Cabug n. 2.
Aos capilaes de mnpV.
Fugio no dia 27 de fevereiro deste mine, it ca-
sa de seu syihor o escravo Sebastiao, criii-lo, fi-
lo, com idaoe de 22 a 24 annos, fui eseravo de
senhor do engenho Quandus da eamarra de lano
Antao, d'onde linha. vindo- para esia cidade a 8
das, de presumir que seguisse pata Taqoa/iiiti-
ga aonde tem mi e irmaos, leveu ralea ras isa
branca bastante suja, altura regular, ratelle a^-
covinlia, caneca pequea e redonda, te.-ia gialde e
|-bem cantnda, olhos pretos e regulares, uriz (i i-
to, bocea regular, beigos regulares, dtiiiet. ujuh b
limados, mu,i.na barba,apejas um pequea bigo-
de, corpo bem limpo, ps regulares e pairo ar-
gos: roga-se portante aos Srs. rapilSes de car: i
a appretiensao do mesmo a entrega-lo a rna o
Imperador n. 83, segundo andar, defnulc oco-
reio, que se gratificar com 505.____________
Aviso
aos capilaes de campo e a polica.
Desappareceu em pjincipio do niex de ouTubrc
do anno passade, de bordo do palbabete nac i a.
Araujo Halo, dous escravos de nenes luluto
(por apellido Macei). e Miguel ; o 1 de dade 4S
annos, pouco mais ou menos, eikulo, ter,fn)a,
estatura baixa, barba serrada, um penco tollo cas
pernas, e com alguns cabellos trancos, iscle na
barba como na cabega ; o 2o alio, cheio do ecn u,
sem barba e falla grossa, represeua ter de -25 a
30 aonos, cojos escravos desconia-se andareic pe-
los arrabaldes desta cidade : qui-m os apprehec-
der queiram levar a roa do Trapiche o. i, qn
ser generesamente gratificado.___________
Desde 9 de dezrmtuo de 1864 que esi au-
sente da casa de seu senhor o escravo Hnie ,io,
cabra, Idade 40 annos. alio, Cibeles ei.i;.| n l ;s,
rosto descarnado e comprido, ollas e ereihas fe-
quenas, nariz chato, barba pooca, tem sr(raf M-
gode e pera, perna esquerda de onrt>a n ?rri e e
o pg desse lado torto que o faz andar reo o r; ro-
bado, suppoe-se andar pela Casa Forte an azi: c!o
com urna mulata forra, baixa, aivacenis, qte ja-
rece maluca : qnem o pegar leve-o a na Diiea
n. 54, que ser generosamente rerr^nipcnsdo.
Negro fugidn
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro deste
anno o preto Joaquim, de nage Angela, qi loi
escravo do Sr. capitao Francisco Joaquim Cavsl-
eanli Galvo, morador era Maria Faiinla (Fr&iaJ,
o qual vendeu-o nesta cidade em dezen.bro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques can
armazem de assucar rua de Apollo ; levon ca-
misa e caiga de algodao braneo, ropresema ler de
45 a 50 annos de idade, alio e de grossnraf egn-
lar, cor fula,; cabega .comprlda, queixos lirpos,
olhos amortecidos, beigos grossos, sendo o suje-
rior um tanto defeituoso, bastante barba, perm
raspada, finalmente tem urna grande costura enire
os peitos proveniente dequeimadura, e soppoe-se
ter-se dirigido para o norte, d'onde velo : grattf-
ca-sea quem o apprehender ou decnr.riar o cello
em queestiver : na rna da Cadeia do Rerife nu-
mero 52.
Fugio no dia 14 do correnle da rua da Cruz
OdMn. 8, lerceiro andar, a escrava Benedicta, com es
060 signaes seguintes : cor fula, tem falla de denles
na frente, levou vestido escuro de palninbas" brin-
cas, chale encarnado, bem centurin por ter si-
do escrava do Sr. Salustiano Cantalista : r#f(m-
mendase as auloridades policiacs e capilaes de
campo que a pegnem e levem-na a casa acim, en
a rua da Senzala Velha n. 94, que serao gratifi-
cados.
do mez de fevereiro da
200
240
500
25400
15500
200
500
200
060
400
030
25000
25400
040
500
25000
[100
500
020
100
Fugio em principios
corrente anno e consta estar acontado nesta cidade
o moleque Euzebio, escravo da vinva do Dr, Fer-
nando AHonsode Mello, de 12 annos de idade>,pou-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo, rabos
regulares e afnmagados, cabega um penco grande
e meia chata, beigos finos, dentes besn alvo, ps
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a tedas ?s
autoridades policiaes e capilaes de campo que o ap-
prehendam e levem-o a rua da Mangneia sobrado
n. 6 que scro gratificados, protestndose, usar dos
melos judiclaes contra qualquer pessoa que o tenba
em seu poder.
100
Qnem apprehender e levar no palacete ftfVis-
conde da Boa-Vista.-roa da Aurora, ou e epgtnro
Trapiche do Cabo, a escrava Joaquina, fufe, alta,
falta de dentes na freBte, molt contienda nesta
cidade, anda as vezes de trmo tm sai* d* balao, e
se diz que est em companhia de um pardo de
nome Jacob, que mora emita marac, reneber a
360 granfleagao cima de 1005- E*t escrava est fu-
800 gida desde seteoibro do aiBo prximo passano, e
i desde j se protesta contra quem a livor en sua
200 cempanhia.

r..____r.____ t
f;




Diarlo lie Fernanibnco -- tilinta ffra de Marfo de 1SS
LITTER ATORA.
0 CJXVEMO DE 15 DE SETEMBftO EA ENCYCLICE
DE 8 DE OEZESIBllO, RESPOSTA PELO EXM. A
HVM. SR. BlSPODEOltLEANS.
Prlmeira parte.
0 >;nc pensa do Piemonte.
I
(Continuadlo.)
IsIj quanto a Florcnra.
Em Parma o Sr. Farini exclua toda a po-
puhco dos campos.
KmModena, atezar das excluses, resta-
v.mi anda 72,000 eleitores.
I: :!estes quantos erain os votantes 1
Apenas 4,000 !
Nos estados do Papa, nao se admilliram
m-iis de 18,000 el lores, e deste numero
n m mesmo um terco pode ser levado urna
p >la forra ou pela corrupgo. (8).
Bis aqui o que o Piemoule fez das aspi-
racdesnacionaes, c o que far em Roma se
chegar a ir ; eis aqui o que p aja elle foi
a exprsalo livre c franca do voto das popu-
les : que nunca istoseja esquecidn.
Em vista disto com razio exclamou o par-
;;i.into piemontez:
( Que o nosso glorioso rei receba o jura-
mento, que llie prestamos neste dia feliz, de
n parar em tao bella estrada Marche-
mos avante. A Italia carece de novos desti-
nos, i chegada a hora. (Sesso de 14 de
abril de 1860.
Com effeito, o Piemonte poz-se inmedia-
tamente em marcha sobre a mesma Uoma,
com os meios cicilhadores e as forjas mo-
rr.es, cujo auxilio ainda hoje invoca contra
o papa.
>epois das revoltuves e annexgces vie-
ra m as invasoes.
liasgou-se todo o veu, que cobria a expe-
digo de Garibaldi,
i Ninguem ignora, que o Sr. Cavour desap-
p-.ovou a tentativa de Garib Idi em face da
branca e da Europa ; at escreveu ao rei de
iples, que alguns navios da esquadra sar-
da iam partir para aprisionar o aventureiro.
(9) E era elle quena o enviava.
A expedigo havia sido preparada a luz
do sol, em Genova e nos outros portos pie-
naontezes. Os arrolamentos faziam-se em
io.!o o Piemonte publicamente. O Sr. Ca-
vo ir dava o dinheiro e armas. E ao mes-
an tempo, que fazia partir os navios para
prender Garibaldi, escrevia ao almirante
Persano : Procurae navegar entre Gari-
baldi e os vasos napolitanos; espero que me
1) i veris compreheudido.
a O almirante respondeu:
Creio que vos comprehendi; se for ne-
cesario fazei-mc conduzir a Fenestrella.
< O Sr. Gavour escrevia ainda a La Faria:
Persano nos dar todo o auxilio-que po-
der, seni comludo comprometter a nossa
bandera
Um pouco mais tarde, quando Garibaldi,
desembarcado na Sicilia, sob a protecgo da
esquadra ingleza, quiz, depoi^de revolucio-
i: !u a illia passar ao continente, i O Sr.
Cavour enviou os deputados Brottero e Ca-
ndis com 500:000 francos cada um, para au-
xiliar esta passagem eos vasos sardos recebe-
ram ordem de a proteger.
Kmquanto o Piemonte continuava a des-
?pirovar Garibalbi, negociava ao mesmo lem-
po com o rei de aples, assalariava por to-
da a parle em redor d'elle as mais indignas
trEooes, comprava seus ministros, seos al-
mirantes, sena generaes.
O joven rei appella finalmente para a 80a
congem e marcha contra o inimigo.
O Piemonte teme ento, nao seja Gari-
baldi vencido, e para o salvar finge querer
combate-lo c assim nos engaa.
ivsla historia memoravel; acho-a em
un documento official. em a narrago da en-
tre is'a de Chambery, tal qual vm em um
despacho do Sr. Thouvcnel (18 de outubro
de 1860:)
a Su a Magesladc diguou-se autorisar-me
a dizer directamente, o que se passou em
Chambery entre elle e os enviados do rei
Vctor Emmanuel, os Srs. Farini e general
Cialdini.
Ora, querem ver, o que se passou, se-
gundo o despacho ? O Pieomonte fez saber
ao imperador, que Garibaldi ameagava Ro-
ma, Roma onde nos eslavamos, onde fluc-
tuava a nossa bandeira! depois pedioper-
misso de atravessar os Estados Pontificios.
se;n tocar na autordade do papa, afim de
dar batalha, revolitrao no territorio na[ -
i'; no, se tanto fosse necessario.
E o Sr. Cavour, oito dias depois da entre-
vi a de Chambery, ordenava ao papa, que
be nciasse o seu exercito, e Cialdini. mesmo
antes de ser conhecido do papa este ultna-
uiiu, invada com setenta mil bomens os
Eados do Padre Santo, trucidava os nossos
voluntarios em Castelfidardo, bombardeava
Ahcona e roubava a Pi IX as Marcas e a
U.i)bra.
E se finalmente o 'Sr. Goyon nao tivesse
mandado um cabo e quatro soldados extre-
ma fronleira do patrimonio de S. Pedro,
tu do era tomado.
Eis aqui como o Piemonte cumpria a sua
promessa de nao tocar na autoridade do
papa ; e eis aqui, entre outros centenares
de fados, o que d a medida do valor da
mesma palavra, e da confianga, que Rc&a
e a Franca devem ter n'ella.
Depois en vez de dar batalha a Garibaldi
no territorio napolitano, o Piemonte salvava
Garibaldi, batido cerca do Vulturno: o em-
bzixador piemontez em aples, vendo que
0 aventureiro ia ser derrotado, cnvia-lhe a
toda a pressa batalbes de cacadores; a es-
quadra sarda, durante o combate abre fogo
sobre as tropas de Francisco II, e Cialdini,
nvadindo entao com os seos setenta mil bo-
mens os Estados do rei, cujo embaixador
est ainda em Turim, acaba a obra.
O resto sabido; Gaeta bombardeada
como Ancona; as bombas apontadas s ca-
sas, as egrejas, aos hospitaes, s mulheres,
as creancas, a urna joven heroica rainha, e
e.Tifim, depois de quatro mezes do mais te-
meroso bombardeamento, a traigo pz ter-
mo ma> nobre defeza com a exploso dos
paioes.
Tal foi a boa f piemonteza ; tal cumpri-
mento da palavra, ao nosso imperador em
pessoa dada em Chambery.
E ba ainda quem nos diga, que confi-
is) Historia dos estados da egreja des-
,de a primeira revoluco franceza.
(9) UrtasdeUlloa Gazeta Official de
Turina* 10de maio de 1860, e nota de
..W de maio de 1860.
mos b|oje o papa f e lealdade do Pie-
monte I .
Eslava, arremecada a mascara. A' cum-
plicidade vergonhosa, mentira das desap-
provacoes succedera a confraternidade das
armas: Vctor Emmanuelestendia a mo ao
seu ajdante de campo, Garibaldi, dizendo-
Ibe Obligado e viu-se dar o rei entrada
em Napolel tendo a seu lado na mesma car-
ruagem o aventureiro de camisola.
E este inesiio principe, que havia dado
Franca e Europa a sua palavra de rei
de que ignorara a expedido de Garibaldi,
nao receou inllgir-se a si mesmo. em
urna proclamarlo, um solemne desmenti-
do : Eram italianos; nao pude nao quiz
rtelos. (12)
tal, que ia fazer-Ihe a guerra tersidopra-
ticado, mas eu nSo o vi publicado. Sigamos
os successos. Principiaran! os actos de hos-
A mesma justca rigorosa trigorosa justi-
zia* havia sido feita a Castellmare na Si-
cilia..
Fum 1 na Calabria fusilava presionemos j tildade, e apresenta'-se encorporado a arma-
por centenas e em Turin chamavam-no oda e exercito ao Brasil o gene-al Flores com
salvador da Calabria. |o seu pequeo exercito, que creio nao pas-
Senti affluir-me todo o sangeo ros- sava de 500 bomens. Flores era um revolu-
to, exclamava o deputado Calabrez Miceli, cionarie nue se acljava em campo armado
quando li que o coronel Fumel havia salvado 1 conli a o gtverno legal de Agairre. Repare
a provincia de Cosena fuzilando 350 presio-1 o meu aojigo para este negocio, que mui-
ne'ros- B | to serio, e i de ser rauito parigoso para o
Em 20 de novembro de 1862 dieta ainda futuro do Brasil. A queslo entre o Brasil e
o Sr. Ferrari. Uruguay questao de nago a naco, nao
J sabemos, senhores, quesefuzila, que pode ler oulra nalureza seno a que Ihe
se prende familias inteiras, que se encarcera! marca a Sua propria origcm ; portanto em
em massa. E' urna guerra de barbaros. Se que carcter se apresenta envolvido nella o
o vosso senso moral vos nao diz ; que cami-' general Flores ? E' para ajudar o Brasil a
aeposiiar em signal aefldchdade eamor ao
; Ja tnump ante, do alto da tribuna pie-, nhaes por sobre sangue, nao vos sel compre- desaffrontar-se dos insultos feitos pelare- no.va lempesiade.
monteza declarou o Sr. Cavour, que estes hender. publica do Uruguay ? Nao o creio, ninguem Fique a questao
Flores assignar todo3 os tratados, dar'
todas as satisfagoes, prometiera todas as in-1
demnisac5es ao Brasil, e este nem por isto
icar com melhores garantas pata ver cum-
pridos taes tratados do que linha cora Aguir-
re e to los os seus antepassados.
Passado algum tempo Flores principiar
a reunir o combustivel rom que ser acendi-
da a nova fogueira em que serao immjlados
os novos tratados. E o governo do Brasil,
se nao fora a guerra de Lopes, a que deve
aecudir de prompto, tratara de arranjar de
novo urna bellacama formada pelas follias dos
louros da victoria para recuperar o somno
perdido, e accordar smente ao ribombar da
i memoraveis acoutecimentos eram a conse-1 E o que digo de aples digo da Sicilia:; o crer! I Seinelhante allia ca fazem-se'com
: quenca necessaria da poltica piemonteza tambem l prises, execucoes, fuzilamentos, I outras nacoes, como fez o Brasil com a mes-
,nos ltimos doze annos e ebrio com seus processos... E' um systema de sangue... !ma repblica do Uruguay quando tratava
successos, exclamava em fim, langando a mas nao com sangue q'ue se cura o mal.... I de expelir a Rosas, que ata-ava a sua inde-
lu\a ao nosso exercito, nossa palavra, c No sul d'Italia n5o se sahe de umsysle-i pendencia, e poderia mais tarde ameacar
nossa poltica declarada : Carecemos de ma de sangue e todos os que fazem farda j tambem a do Brasil. As alliancas fazem se
Roma para capital, e l estaremos dentro de julgam-se com direito de matar os que a nao [ como fizeram as naces da Europa contra
Napoleo I, como fizeram a Inglaterra, Fran-
(Continmr-se-ha).
seis mezes. E o parlamento, sanecionando vestem
! esta declarago por um voto solemne, pro-
.clamou Roma capital da Italia (20de marco!
de 186i.)
Eis aqui o homem, eis ahi o governo, que,
alguns mezes depois, abria com o governo
! francez as negociaces preliminares do con-
\enio de 15 de setembro.
Em aples comeca urna nova phase de
poltica piemonteza, que devo anda conside-
rar altentamente.
Deveril tolvez parar aqu
rei e um dos motivos ouir a bomens de
X2&&.
UM P0UC9 DE TUPO.
ga e Turqua contra a Russia, e ltimamen-
te a Austria e Prussia contra a Dinamarca,
mas ainda nao houvepaiz algum que ou para
vingar-se de affrontas feitas por qualquer
I naci, oupara garantir reclamages justas,
Um nosso patricio de elevada pesico, que f 'embrasse de fazer allianga com um die-
se acha de presente na Europa, escreve de fe> e um 8ruP de ''ebeldes da ao offen-
Sevilha em data de 5 do corrente a seguin- S0l'a- .,
te carta a um amigo desta provincia: o qual'. Semelhante procedimento importa urna
mas n3o o fa- Pede-nos a respectiva publicagao : intervencao no rgimen interno do paiz, im-
Acreuitando na sinceridade com q e
do Paraguay para oulra
carta, que esta j vae muto extensa. As ver-
dades que tenho expend o, que nao podem
ser tUbas de amor, ou odio, de sympathias
ou antipalhias pessoaes, sao nicamente um
dever de patriotismo.
E' do Sr. Tob as B. de Menezes esta
poesia
(Depo s de ouvir a aria final da Tra-
viata.)
Alguemsoluca. A tecla dolorida
Que fundas magoas do intimo revela,
E' o peito a sangrar de Margarida...
fa nao calques assim no peito della.
D'um corago nos funeraes destrocos.
me I porta urna grave ofensa a independencia ^o | V que amor que n'a'raa nao cabendo
r^i e uiu a momos e wuvir a iiuuiaus ue i,- .. --- mesmo paiz. O Brasil tem o direito de fazer; Cava as entranhas, estortga os ossos
hnrrnres a nalavra psarta \ rnnlri n Horrores (e a paia\ra exacta) contra os *" altpn*M A(vr uras.,ipims alterar o governo interno do paiz a quem
quaes, por minha pane, nunca admittirei a SS?o-2e o ZS^cll!^tZ: \ Pede as satisfaces. Infelizmente o facto de
prescripeo. A Escripturadiz algures: Es- 5SSi P ^.nlinuada> Pr,e"Iallianca com tfneral Flores caminln nara
te homem j seno conhece; lancem-lhe em gfaesmsobre altadas; cabe nos h-: J^^ HSSE2352 difi?-
rr.im a n mimAndP m,les de uma carla a bistona detalhada das i e*?e'ebuiuuo, cnev inycompucacocb aira
, causas antigs, e acomuladas que deram em!ce,s Para, Bm.,^gmca ie^er^os para
amigo
Tambem aqui se fallou em voto das popu- P~r ,MB' e TTTT V* a sua iodeDeadeocui Tt^iren
lardes, em aipiracdn nacionaes. P P 1 [elff a g.uerra "^ 1,m't0:'n Por 'sl! no que vou dize,
Nunca houve mais flagrante mentira. Ia ?US-a Prox,ma- e da,u segu,re em m,,lhas i "Lfll'
nv
e*u
citos populares.
As datas e os fados dizem o contrario
reflexoes. A paciencia apurada, eesgolada t Supponhamos que approx madas nossas
ultimtum^
Disse-se, que Vctor Emmanuel entrara nos I *c" R .. pa ,apuraaa' e esg0iaaa tropas a Montevideo e noV a nraraei
Fstfldo-? nannlitanm rhimidn n^in niohis idos Brasileiros residentes, e propnetanos i ;ri,.d!> a omevmeo, e posta a praraei
SfSLSST04- PL0S P,C : P "A* oriental produziu en.fe ei.es o! & ^fi. rSSJ fl
poder
o Brasil recosar-se a eceitar a proposta ?
enlendo que nao, e entao que far o Brasil
e do seu exercito ? J
com F'ores colloc i o Brasi
E parece que as visceras arrancas
Palpitantes do esphinge de harmona ;
Como que arijos batend > as azas brancas
Vem tomar-te nos labios a ambrosia.
O canto que teu hlito escutado
Lanc,a-me em t irno virginal perfume ;
Dissera que miiiba alma teu cuidado.
Que alimentas na bocea esta ave implume,
Gomo fimbrias subtis dos leus vestidos
Auras de seda rocam-rae na frente
jbrado de desespero e devinganca, tinham dLodas a? satisfaces exigidas, e indemni-
0 plebiscito de 21 d'outubro, ea rS^^ Tremem os nlhos^para os cus erguidos,
va^ao do Cialdini as trras napolitanas de *Z^ ^Grande do sKdTacanS- reconhecido P^o Brasil; li caso poder Rolam as bagas de suor nitente. .
este plebiscito realsou-se do modo se- ra PPuiar se enthusiasmou.e tambera tive-
guinte: irara ra2a0'eram Brasdeiros os assassinados,,, -
A imprensa Pien^teza^mo em F^
renca, declarou traidor patna, e digno ^^^^tnSZ^^^'^tto^^to ifflc' e <****-
vinganga publica todo aqoelle, que ousasse! J^c^re,^rs^f T:,J"ll"a Para'in. ou a abandonar Flores,
votar contra a annexacio. ;Ju.rar a temestade' e determmou que uma
Ao mesmo tempo percorriam as ras ban-' m,ss3 extraordinaria partase para o Uni-
dos de sicarios, que haviam sabido das gales "ua>' aBmde Ped,r salisfacgao com a puni-
do trabuco e punbal, fazendo auscas e dei- l0 dos ehnquentes, seguranza das vidas,
lando na urna listas s maos ebeias! 'e Propriodades dos Brasileiros, e creio que
A immensa maioria dos votantes com- 'ndemnjsacao dos prejuizos causados
punba-se de individuos assalariados pelo1 Ale aqu vae tudo muito em regra. Foi
oiro piemonhz, dos voluntarios de ahbal- meado para a missao o Dr. Sara.va um
*", c dos miseraveis, que compraram a im- dos UJlhores caracteres da actuabdade, e
punidade com a venda do seu paiz. Tris-'P.essoa de ramla "telligencia, foi boa nomea-
te paiz, lo indignamente vendido, como ?; as fo' comeado para seu secretario o
vergonhosamente comprado. (13) ;Dr. Tavares Bastos, que reunindO eguaes
E a hto chamaram votos da naco italia- 9MBdades, nao era o mais proprio para o
na e do novo napolitano ; 1lu!r' vislu, a Parle activa e exaltada, que
tTOus mezes depois deste irrisorio plebs- havia tomado as discussoes da cmara. Par-
cito, o Piemonte faz proceder eleigao de l'u.a "^^P iuai! ced, d0 1ue **"* Parlir-
depu'ados Que succedeu r eitas as nomeacoes tinham os Brasileiros
No bairro do Me.tatoi em aples, que da Parte 0rental lO,a a seguranca de q^e
tem 180,tOO almas, o Sr. Paulo Crtese foi ,a tratar-se do negocio comsericdade. e nao
eleito por 43 votos contra 41 que tere o seu podwm perigar por qualquer demora de que
competidor i necessitasse o governo para proceder com
' N'outro collegio SO houve 60 eleito-: .toda a cautelia e previsao, indispensaves em
i taes casos.
E' que revolves diviuaes segredos
Eachendo as maos de prolas-fuga* es.
Goitas que saltara lubricas dos dedos
E uns borrifos atiram-te as faces ;
Que iguda veza me deixar tranzido
o que sena um acto
da mais condemnavel ingratidao, ou de con
tinuar a guerra at eb.var Flores a presiden- Como a aragem perpassa enlre minas,
te da republie >, e entao essa guerra tomar | Qoe pla^geiit leo curvo abatido
necessariamente o carcter de uma conqus-' Nos ps da santa que Ihe ameiga as winas!
ta, milito parecida com a de Franga no M-
xico, e com a da Hespanha em S. Domiugos, Pelo bafo sonoro entoatecida
diversa inteiramente qoanto aos fins, e seus | ^um meigo bocejaralgaste o canto ;
resultados, porque nenhnma das dnas naces E era o peito a sangrar de Margaridu
collocaram nos governos es rebeldes, e trai- j E o seu anjo a verter celeste pranto.
dores de cujos servlgos se aproveitaram A
Franca fez do Mxico um imperio, e a nos-! Derrama, virgemno meu seio ardente
que pronunciando o Dr. Saraiva um bello
discurso perante o presidente Aguirre, e re-
1 cordando-lhe ao mesmo tempo o triumpho
Monte-Caseros, este firmara immediatamen-
te um tratado com todas as condigoes exig-
res.
< as cleicoes municpaes as salas estive-
ram vasias. aples com 500:000 habitan-
tes s deu 800" eleitores. (14)
Os napol taos niio protestaran s por
raeio 4a a: as armas.
aples e todas as provincias annexadas das nus os Brasdeiros temos tanta fe em
foram postas em estado de sitio. I d'scurso, que nos parecemos cora o peda-
E auui comeca u na serie de atrocidades,; &8 d,as fabuas de La Fontame, que ao ver
de que s pode dar uma idea a historia do .estudante a afogar-se pnncipiou a pronun-
lerror ciar um discurso, mas Aguirre lembrou-se
Cialdini foi o primeiro, que appareceu fa- da lamentavel derrota brasileira no anno de
zendo-se precede, da segrate proclamago: J82,' e contando coai o Lopes na retaguar-
.Annuncae, que mandarei fuzilar todos da_do Brasil respondeu, nao e nao. Se o go-
aquelles,
ma
exor^Js^'oSestino.Tr'l^qnwBM da falta qae'commetteu de nao fazer demo-
tuM o ferro e fogo estas reges inticiona- rar a embaixada ate que a podesse apompa-
das da immunda baba dos padres.... Phar de. uma arraada caPaz de fazer bloque ir
E Galaleri: Venho exte minar os ban- 'inmediatamente o porto de Montevideo, e
doleiros... Armem-setodos defoices, for-,de ttr um ?xe,cl.t0 de quall a se's rad h/
quilhas, forcados c persigam-n'os por toda me.ns nas ""entenas, em esta o de a pn-
parle... Quem Ibes der asyto ser fuzila- meiC ace"0'. e em um so passo entrar no
do um distincro de edade, de sexo, de ton- territorio Oriental. Essas misses que levara
dicao. (lu) a Pa,avra de paz envolta no guante de guer-
Os bando le
lieraontezes
repellem. Devia ser : paes que os piernn
tezes nao o tomavam para s, deviam da-lo re sdesse, e se nao cedesse. as re] resaltas
aos seus adversarios. sendo t5o promptas, como deviam ser,.nao
Os outros (befes piemontezes Nigra, Fu- dariam temP a que LPes presidente do
me I etc. langm por sua parte proclamaces, Parfgua) pensasse, e se apresenUsse.
que at arrancaram um grito de horror a ^a0 se declarou, pois, o bloqueio deMon-
lord John Russell. Deltas disse na tribuna ^video, e a esquadra commandada pelo ba-
italiana o deputado Nicotera : Ia? de Tamandare entranbando-se pelo ro,
As proclamagoes de Cialdini e dos ou fo1 al1 ancorar e ento dito bar5o enviou aos
tros chefes, sao dignas de lameran, de representantes das nages estrangeiras resi-
Gengis-Kam e de Attila. dentes em Montevideo a celebre notificacao
E as proclamaces eram oxecutadas le- d<> d'reito de Tisit, que ia exercer sobre
tra; as columnas piemontezas invadindo o os barcos estrangeiros.a qual foi dignamen-
paiz era todas as direccoes enchiam as pro- \e volvida, porque nao se haviam cumpn-
vincias napolitanas de ruinas e de sangue. ? as regras interaacionaes prescripias para
i Vi, dia o deputado Ferrari, navolta taes casos. Recordei-me do Pedro Ferra fei-
de umaviagem s provincias napolitanas, to diplomtico, e mannheiro; porque agora
um anno depois da annexacao, vi doze al- veJo Sr- de Tama dar, diplomtico, ge-
deas incendiadas; vi as ruinas de Pontelau-; neral de mannha e general do exercito de
dolfo, cidade de 5:000 almas, e as de Casal- lerra.' e lalvez amanha seja convertido em
duni, outra cidade de 7:000 almas. (16) I m,sslnario para cathequ.sar os selvagens do
Em Pontelaudolfo 30 infelizes-mulheres,; dra8ua>-
que se haviam refugiado junto de um cruaei-j Bem sabe o meu amigo, que as nacoes
ro foram desapiedadamente assassignadas. para se communicarem, e entenderem qu
panha ftz de S. Domingos uma colonia.
Se o Brasil nao pode e nem deve fazer do
Uruguay u n imperio, uma colonia, ou mes-
mo urna provincia do Brasi|, tem que entre-
gar o Uruguaya Flores, este um fado
contrario inteiramente ao direito das gen-
tes ;e um lerri ve: precedente, qir nos
pide ser para o futuro muilo funesto. Sup-
pnha-e que um dia rebenta uma re ol i-
gao no Rio Grande do Sul, ou mesmo em
qualquer outra provincia do imperio, e que
Esses lamentoscomo a noite calma.
Anda apandar a lagrima innocente
Que o teu piano salpicou-me n'alma.
Discurso patritico a proposito da tobada
de Montevideo, recitado por *"
Charos patricios, feridosdo mais justo en-
tbusiasrao exultemos pelo feliz resultado
queobtiveram nossas forcas contra o tyranno
de Uruguay, que tanto vechava e affiigia
arece, porm, que o governo entendeu, iaina das repblicas do Prata,sob qualquer nossos irmosdosul, levando essa parte de
pretexto apresenta-se apoiando e ligando-! nossa querida patria s matares depreda-
se aos revoltosos, lera o Brasil deqnequei- coes.
xar-se ? Nao, porque foi elle que deu o Esse tyranno era Aguirre que moslran-
exemplo, foi quera estabeleceu o preceden- do-se trii) garboso em sua selvageria. pare-
te. O Brasil o mais que poderia fazer erajeia querer engulir-nos, masque foi comple-
ter reconhecido o Flores como belbgeran- tamente derrotado cora os seus pelos nossos
te ; mas nunca admitti-lo em nossas freirs, [bravos de mar etprra, estacionados em frn-
emenos ainda dar-lhe o governo do Uuru-jte de Montovidj, o qual julgando-se mais
guay. Por admitti-lo em nossas fileiras,'que de sobejo fortificado nesse ponto, capi-
langam a nossa responsabilidade o fuzila-tal de sua re ublica, ultrajava to injusta e
ment horroroso do general Leandro Gomes, j desapiedadamente nossos brios, honra e dig-
J v que na parte diplomtica vae esse ne-! nidade nacionaes l
gocio cheiode err s, e transgressoes. Vamos, Um hvmno por nos proferido em honra
a parte militar. Nao tenho em vista formar dos nossos bravos.
(17).
Depois de ter entregue s chammas estas
na paz, quer na guerra tem regras e for-
mulas das quaes nao podem prescindir sera
duas cidades, Cialdini escrevia : Hontem transgressao do que se chama direito rater-
ao romper d'aurorafoi feita justlga a Ponte- nacional. Tambem sabe que no ultimo con-
laudolfo eaCasalduni. ; gresso celebrado em Pars depois da uer-
processos contra os actuaes governantes,
porque elles receberm a heranga de todos
os gorernos passados. A inercia est a
muilo.- annos dominando de uma maneira
muito prejudicial a todos os interesses do
Paiz : a inercia trouxe-nos a questao com a
Inglaterra, que se poderia ter evitad >, se
fosse tratada em tempo ; a inercia abando-
nou inteiramente o nosso exercito, e por isto
nas horas apertadas recorre-se ao patriotis-
mo nacional, que faz muito bem em savar
do perigoa nagao abandonada pela inercia.
Emfira l tem ido aos punhados o nosso ex-1 Lopes, nosso inimigo commura, chefe da re-
ercilo, que se achava espalhado pelas co-' publica de Paraguay, que to fcil vil e trai-
marcas fazendo a polica eleitoral. Imagino goeramente nos declarou guerra, trucidan-
o grande capital dispendido, e que se ha de Ido cruelmente os habitantes da provincia de
dspender com essas levas preparadas a Matto-Grosso, sem diflerenga de sexo, eda
trcuxe mouxe. E' e tem sido sempre a guar- ] de, e, senhores, tende horror, que at mes-
Infinitas honras, bencos e louvores, eu
com o mais vivo enlhusiasrao o repito, a to-
dos que to denodadamente se arrojaram
contra a barbara, mesquinha, i ruel e sangui-
naria caterva dos Uruguayos no ataque de
Passand, por cujo feilo foi entregue Mon-
tevideo discripgo dos nossos, cujas pracas
quaes outra Sebastopool, eram por esses
vndalos assim julgados. Baqueou para
sempre o :ollo insano do tyranno do Uru-
guay, tertninaram-se suas iqudades, res-
tando-nos to smente debellar o indigno
da nacional do Rio Grande do Sul a nossa
salvago emt es conflictos, Deus a abengoe.
Seo exercito tivesse chegado mais cedo, a
tomada de Passand' seria mais fcil. E nao
sei que causas motivaran a soffreguido do
Sr. de Tamandar para tentar o primeiro
assalto infructfero dos tresprimeiros dias,
sem ter calculado bem as forgas de que dis-
punha, e a d-^sproporgao que havia entre
ellas, e as da guarnico da praca, foi mais
um erro lamntavel. Emfim, tomou-se Pas-
sand, e quando recebi a noticia desse gran-
de feto de nossas armas, fiquei muilo satis-
feito ; mas logo lembrei-rae que a tomada
da praga de Montevideo seria muito mais
difficil e cubara militas vidas dos nossos
patricios, que me parecem pouco garanti-
dos rea arte da guerra, porque vejo que ao
valor dos nossos soldados, e s ao seu valor
se confia o triumpho das batalhas. O bom
general nao aquelle que arroja e sacrifica
as massas ; mas sin o que sabe poupar as
vidas, aproveitando-se das boas posiges to
pegraphicas, observando as partes mais vul-
neraveis do inimigo, e preferindo a victoria
ra da Crimea, fizeram-se profundas altera- embora mais tarda, porm que seja menos
(12) Proclamago de Victor Emmanuel de' coes nesse direito, entre ellas a de nao co-
Ancona 9 de outubro de 1860.
(13) Cartas d'loa.
(14) Cartas d'Ulloa.
(15) Itelle present eondizioni del reame
de lie due Sicilie, per Ulloa.
(16) Confissoes e mentiras porG. Palom-
ba Londres 1863.
(17) Ibi.
sanguinolenta. Em Passand tudo se deveu
megar-se a guerra entre duas ou mais na- ao arrojo dos nessos soldados. Pode ser
g5es sem hver previa declaracSo, e que as que neste momento esteja oceupada a capi-
nagoes que nao se acharara ali representa-
das, foram depois convidadas a adher %m ao
resolvido. Dentre ellas o Brasil declarou que
adhera a tudo sem a menor reserva, ou res-
triega). Onde est o acto pelo qual declarou
o Brasil antecipdamente ao go?erno orien-
mo f ria-se o pudor das virgensl Os feitos
dos nossos bravos no ataque de Payssandu',
sao dignos de ser commentados com leltras
de ouro nas paginas de nossa historia, quaes
outros gloriosos feitos de nossos antepassa
dos : abri-a e lede bem attentamente, ahi en-
contrareis os meraoraveis e iramorredores
nomes dos Vieiras, Negreirs, Cama.'es,
Henriques Das e outros, que, com o sacrifi-
cio do precioso sangue de suas proprias
reas, souberam libertar a patria das maos
sacrile-as da altiva Hollanda, e depois des-
ses os de outros muitos hroes, qu tambem
regaram com o proprio e precioso srgue
de suas veias, o slo da Sania Cruz, para fun-
nosso paiz. Vamos, marchemos e corramos
ao reclamo de nossos irmosopprimidos. A
causa justa, Deus a salvar. Vamos entre
as muralhas 4os inimigos conquistar oslau-
reis quecingiram nossas frontes, como volun-
tarios da patria, e ento proferindo nos um
nico brado, e concentrando todos os nossos
esforgos em um s ponto, erguer-nos-hemos
como um gigante e leo, saecudindo a juba
para fazer esmagar o cuito audacioso do
monstro Lopes, que nos ameaga engulir.
No meio do nosso enthusiasmo, nao deve-
nios deixar passardesapercebida a bravura
do nosso dstncto alliado, o general Flores
e seus orientaes, dignos da todo o elogio, e
como bem a maneira porque se tem porta-
do em nossa luta, os Porluguezes, France-
zes e Allemes.
A's armas, patricios, vamos emfim colher
nossos louros, cingir nossas frontes de gri-
naldas, levando em nossos peitos asegrate
inscripgoquam dulce el decorum estpro
patria mor i, porque assim que salvar-se-
ha a Arca Santa, e sero vingados nossos
brioj, honra e dignidades nacionaes.
Viva o Imperador, o Sr. D. Pedro II !
Viva a Dymnastia Imperante !
Viva a Nago Brasileira !
Viva a Constituico e Integridade do Im-
perio l
Viva o Exercito e a Marinha Brasileiaa !
Vivan os Voluntarios da Patria !
O nomo de Sonora, at aqui pouco co-
nhecido, tomou-se objecto da altengo geral,
gragas aos boatos, que ltimamente tem
corrido acerca d'ella.
Disse-se que o novo governo mexicano fi-
zera cesso desse paiz Franga; tendo sido
officialmente desmentida esta assergo, affir-
mou-ie, cora mais verosimilhanca, que de-
via servir de penhor especial para um novo
emprestimo. .
Seja como for, o leitor nao julgar fura
de proposito o darmos alguns pormenores
acerca d'aquella vastissim regio, mui pou-
co explorada e abundante em riquezas, de
que pouco partido se tem tirado por em-
quanto.
Remontando as costas do Mxico no oca-
no Pacifico, ebega-se a um mar interior, que
recorda pela ua configuraco o mar Verme-
Iho ou o Adritico; o golpho da Cali-
fornia.
A um lado do continente fica a provin-
cia da Sonora; entre o g. Ipho e o ocano,
uma lingua de trra quasi deserta ; a maior
extenso do golpho de 129 leguas mexica-
nas (de 4:179 metros.)
As margeos do golpho, sem elevago al-
guma e eneras de panes, onde abundan os
crocodilos, tem um aspecto extremamente
triste. A pouca distancia, porm, do litto-
ral o solo vae tomando maior elevacao, e ali
o terreno frtil e o ar sadio.
A provincia da Sonora confina com o ter-
ritorio americano
As fronteiras definitivas resultam de uma
linha convencional fixada pelo tratado de 31
de dezembro de 1853,
Uma grande extenso de termos foram ce-
didos repblica do norte, que por ora ain-
da eslo desertos ; as provincias septemtrio-
naes da Sonora esto reduzidas maior mi-
seria pelas frequentes invasoes dos indios :
foi mis'er abandonar a capital antiga e trans-
fer-la para uma posigo menos exposta aos
ataques d'aquellas hordas ferozes.
A capital actual, Ures, fica a uma distan-
ca de 22 leguas mexicanas a noroeste do
Mxico ; esta distancia d uma idea da im-
mensa extenso do novo imperio.
A populaco total de Sonora inferior a
150:000 almas; tres quartas | artes dos ha-
bitantes sao indios.
A raga branca entrega-se agricultura,
creago de gados e aos trabalhos das minas.
Guaymas, pequea e pobre aldeia, o
porto da provincia, o centro do commereio
exterior.
A riqueza mineral da Sonora prover-
bial na America; ella tem servido de texto
a narragoes, ras quaes a imaginago e o
maravilloso liveram urna larga par-, mas
que se b3seavam em esclarecimentos, cujo
fundo verdadeiro.
A Sonora effectivamente um dos pazes
mais ricos do mundo em ouro e prata ; po-
rm as minas outr'ora exploradas esto hoje
abandonadas ou muito mal exploradas.
A incuria e a rapacidade dos governos,
falta completa de seguranca, as guerras
cvis dspersaram os irabalhaderes!
Durante os ltimos vinte annos, nao pas-
sou de 7 milhoes e meio de francos o pro-
ducto annual do pequeo numero de minas,
que sao exploradas na Sonora, algarsmo es-
te insignificante em presenga do que po-
deriam alcangar trabalhadores activos, au-
xiliados e dirigidos pelos recursos da sci-
encia.
Poder-se-hiam tirar centenas de rontos de
ris das minas ainda nao exploradas que
abundam d'aquellas raontanhas: mas os eu-
ropeus ainda nao se dirigiram aquellas re-
ges ; o governo mexicano nao Ihe offerecia
garantas sufficientes para abj poderemesta-
belecer-se ; os estragos dos'indios, a difli-
culdade das communicacoes, a falta de uma
grande cidade martima com S. Francis-
co, tudo isto explica o motivo porque as
dar^ e firmar ^independencia, cojos nomes "inas da hSon?ra esf ainda a,esPer de 1ue
crcumdados de gloria acompanharo o ro-
dar dos tempos at a consumago dos se-
culos.
S5o esses os feitos que por certo nao po-
deriam nem deveriam ser por hs olvida-
v tirar-Ihes d?s entranhas os seus tfaesouros
que encerram desde, muilos seculos.
Se acaso se conseguir que naja seguranga
D'aquellas regioes, fra de duvida que o
dos, c mo verd ideiros herdeiros das tradic-1 e"odo ,de uma P'waclo mu fructuosa ahi
coes gloriosas de nossos antepassados; e chamara os homens enrgicos e robustos
sirvam-nos elles de luz para o caminhar do qe arada povoam a California, cujas minas
futuro. :quasi exhaustas j nao proporcionan os
Brasileiros, que participa-s da luz e ar > meios de se fazer uraa fortuna rpida.
que respiraes, dos gozos e di eitos que au- n.
fers na nossa chara patria, nao sejaes indif- a1ui a dez ou vmte annos, Guaymas po-
ferentes aos seus soffrimentos. quaesquer dera, como porto de exportagao, oceupar no
(al do Uruguay por nossas forgas, e Deus que sejam tossos credos politiejs, passae mu^ K coromerc'a| m flugar anlogo ao
nos livre de uma derrota seria nessa tremen-; uma esponja sobre o passado. fazendo es- |,|'aQC,sc^> ede Melboorne, cidades ho-
da jornada, porque nesse dia contaremos' quecer vossos od os, desgostos e sentimen- Je .,mPortaote* e que ba vinte annos nao
inimigos orientaes aos militares, tal a sor- tos, e tambem quaesquerque sejam vossas exisliaa
te dos vencidos. classes, unamo-nos e i araos com o estndar-1 -_________
Tomada a cidade ser Flores erapossado te da cruz, depositar pressurosos no altar da. pkrnambi-co.-typ de & f. df. f & tiuto
J
i
6
/
i j
t

X

'


'


I
-
:
Ir

BT'^
*--


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIGO5FI7Q_5QNIZS INGEST_TIME 2013-08-27T23:25:31Z PACKAGE AA00011611_10630
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES