Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10627


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.r

AMO ILI, HOMERO 70.
Por qoartel pago entro del Odias do 1. mez i : .-. $$000
Idemdepoisdosi.MOdiasdocomecoeileBtrodoqnartel. 6SOO0
Porte ao correio por tres mezes............ 750
DIARIO DE
,
SEGUNDA FEIRA 27 DE MARCO DE 1865.
Pop ano pago dentro e 10 dias do l. mez 191000
Porte ao correio por um auno.............. 3J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPGAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Alaloas, o Sr. Claudino Falco Ulas; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estag5es da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garaabuns, Buiqne, S. Beato, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingaieira, Flor, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda rara, do rivel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
Serinhem, Rio Forraoso, Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Plmenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 Loa cheia as 8 h., 22 m. e 0 s. de m.
20 Quarto ming as (O h., 16 m. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBINAKS DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago : tergas e sbados as 10 horas.
Faienda : quimas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sexlas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
27. Segunda. S. Leandro b.; S. Robeito b.
28. Terca. Ss. Prisco, Maleo e Pistor mm.
29. Quirta. S. Bertholdo c.; S. Joas m.
30. Quinta. S. Rudezindo b.; s. Clinio.
31. Sexta. S. Veremundo; S. Balbina v.
1. Sabbado. S. Macario b.; S. Valerio ab.
2. Domingo. S. Nicolao b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 4 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o nort?
ata a Granja a 7 c.22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, mato,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manocl Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
G0YERH0 DA PROVINCIA.
Continuado do expediente do dia 21 de marco
de 186o.
Offleio ao tenente-coronet commandanle do ter-
celro batalhao de infaoteria da guarda nacional do
municipio do Recife, Francisco de (Miranda Leal
Seve.Tenho presente o offleio de 16 do corrate,
oiii que V. S. declara, que tendo aquarlellado na-
quelle dia com o batalhao sol seu commando, cede
lodos os vencmenlos que ibe possam Caber em
quanlo estiver aquartllado, para as despezas da
guerra do imperio," e qoe o mesmo fazem o capi-
to Luiz Pereira de Parias, cirurgio mor Dr. Joo
Mana Seve, tenente quartel-mestre Jos Pedro das
Neves e alferessecretario Adriano da Silva Parias.
Em resposta cbeme dizer-lhe, que muito agra-
drgo e louvo lo patritico olerecimento, e que
nesta data o levo ao conhecimeoto do goveroo im-
perial.
DUo ao tenente-eoronel Mariano XavierCarneiro
da Cunha.Apresentou-se-me coui offleio de V. S.
de liontem datado, o cidado Aulonio Jeronymo da
Silva, a quem madi alistar no corpo de volunta-
rios da patria.
Agradecendo mnito o interesse com que V. S.
promove o alistamenlo de voluntarios, confio que
continuar nesse patritico empenho.
Dito a.Vicente de Araujo Pinheiro. MauJei
alistar no corpo de voluntarios da patria aos cida-
dos Joaquim Campello de Sant'Anna e Antonio
Frrncisco do Espirito Santo, que V. S. me apresen-
tou com os seus officios de 27 de fevereiro ultimo e
18 docorrente, a que respoado, agradecendo muito
a boa vontade com que V. S. pro ura auxiliar o
governo na acquisigo de voluntarios.
Dito ao Dr. Manoel Nicolj Rigueira Pinto de
Souza.Foi-me apresenlado com o offleio de V. i.
de 18 do crreme, o cidado Antonio Rodrigues do
Nascimento, a quem niandei alistar no corpo de
voluntarios da patria, e muite agradego a sollc'tu-
de com que V. S. procura auxiliar o governo. na
acquisigo ao maior namero possivel de volun-
tarios.
Dito a Antonio Peregrino Cavalcanti de Albu-
queriue.Respondeudo o offleio de V. S. de 17
do crreme, tenho a dizer-lhe que da secretaria do
governo consta terem sido apresenlados por essa
delegacia para o servigo do corpo de voluntarios
da patria, os individuos mencionados na relago
annexa ao citado offleio. os quaes todos se eh.im
com praga oa referido corpo, cora excepgo do de
nome Jovino Gomes de Mello, que deiroa de ser
alistado, por lersido considerado incapaz do servi-
go, em inspeceo de sade.
Dito a Antonio BaptUla de Mello Peixoto.Man-
dei alistar no corpo de voluntarios da patria os ci-
dados Manoel Francisco de Panla, Deodato Mar-
ques de Faria Manoel Ferreira de Araujo e-Jos
Ferreira Galvo, os quaes me fortl* apresentados
com o offleio de V. S. de 12 do crreme, a que
respondo, agradecendo-lhe a solicitade com aue
procura auxiliar o governo na acquisigo de maior
numero de voluntarios.
Dilo ao padre Joaquim Mauricio Waodcrlev.
Accusando receido o offleio de 20 do correte,
em que V. S. dando mais urna prova do seu pa-
triotismo, offerece a quinta parte do seu sold co-
mo capello alferes reformadp doexercilo, a contar
do pmneiro de abril prximo vindouro. para as
despezas com a guerra dai repblicas do L'ruguav
e Paraguay em quinto durar a mesma guerra, te-
nho a dizer que aceito e muilo agradego esse seu
offerecimento, asseguraodo lhe ao mesmo lempo
que acabo de dar sciencta delle a thesouraria de
fazenda para o|fim conveniente e ao Exm. Sr. mi-
nistro da guerra, para ser lomado na de vida con-
siderado.
-22-
Offlcioao conselheiro Dr. Pedro Autran da Malta
e Albuquerqu. Tendo nesla data nomeado V.
Exc. para corapor a commisso julgadora no con-
curso de latim que brevemente se tem de proce-
der no Collegio das Artes : assira Ih'o communico
para seu conhecimento e direego.Communicou-
se ao Exm. visconde de Camaragibe, director da
Faculdade de Direito.
Dito ao coronel commandanle das armas. Sir-
va-se V. S. de informar sobre o que pede Francis-
co Lniz da Silva no incluso requerimento.
Dito ao mesmo. Concedo a aulorisago que V.
S. solicitou em seu um pharmaceutico civil, aura de servir no hospital
militar de-ta provincia, visto qne tem de seguir
para a corte na f^r.-na das ordens imperiaes os
pharraaceuticos militares que aqu se acham.
communciou-se ao iespector da thesouraria de fa-
zenda.
Dito ao mesmo. Declarando rae era urna peli-
gao o cidado Porllrio Mendes Martins, alistado no
corpo n. 1 de Voluntarios da Patria, que agradece
o prazo de Ierras concedidas pelo artigo 2o do de-
creto n. 3371 de 7 de Janeiro ultimo, aos volunta-
rios qne nao forera guardas nacionaes, uando de-
rem baixa, bem como que renuncia, em auxilio s
despezas da guerra a gratificago de 3004000 rs.,
de que, trata o citado artigo : assim o communico
V. S. para que mande fazer menso de seraelhan-
te acto nos assentaraentos do supplicante. Com-
municou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar acer-
ca do que pede no incluso reqnerimeoto, o volun-
tario da patria Joaquim Jos de Sant'Anna.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S. a expedirn de soas ordens,
para que seja paga a ajuda de costo que compete
ao Dr. Jos Leandro de Godoy e Vasconcelos, co-
mo deputado a assembla geral legislativa por esta
provincia.
Dito ao mesmo.Inteirado de quanto V. S. ex-
poz em seu offleio de 18 do crreme, sob n. 177, A
tenho a dizer em resposta, qu o autoriso a man-
dar pagar, sob miaha responsabilidade nos termos
dos | 3o e 5o do art. Io do decreto de 7 de maio
de 1842 e do 8 4 do art. 5 do decreto n. 2,884 do
Io de fevereiro de 1862, todas as despezas fetas
pelo arsenal de guerra com o forneciraeato que lhe
forera ordenados por esta presidencia em vista das
circumstancias extraordinarias em que se acha o
paiz.
Dito ao mesmo.Em vista dos 2 prets juntos em
duplcala e nao havendo inconveniente, mande V.
S. pagar os vencimento.s, a contar de 16 de feverei-
ro al 15 de margo desle anno, do destacamento
de guardas nacionaes da comarca do Pao d'A-
lh0- ,u
Por essa occasiao recommendo-lhe a expedieao
de snas ordens para quo os veooimentos do mes-
mo destacamento sejam pagos d'ora em diante pela
collectoria daquella villa, conforme soliciten o res-
pectivo commandanle superior em offleio de 17 do
crreme.
Dito ao mesmo.Em vista doi inclusos docn-
memos que rae toram remanidos pelo eoefe de po-
lica, cora offleio de 20 do correte, sob n. 408, e
nao havendo inconveniente mande V. S. pagar a
Aprigio Jos da Silva, a quanlia de 52*000, pro-
veniente do aluguel de 6 mezes e meio vencidos a
15 de Janeiro ultimo c na. razo da 8*000 mensaes
da casa que servio de quartol do destacamento de
P linha, exlaconado em Baixa-Verde.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.At-
tendendo ao que me requereu Manoel Jos de Al-
buquerque Mello, proessor particular de primeiras
letiras da freguezia de S. Jos de-la cidade, resolv
nesta data releva-lo da multa que lhe foi imposta
pelo conselho director da Instrncgo publica, por
falta da apresentago do mappa do ultimo trimes-
tre do anno passado; o que communico a V. S.
para seu conhecimemo e execugo.Coramuni-
cou-se ao director geral da instruego publica.
Diloao mesmo.A Joaquim Carneiro.de Andrade
ou ao procurador desle Luiz de Franga d'Oliveira
Lima, mande V.S. pagar.se naVhouver inconvenien-
te, a quantia de '>86O0 despendida com o sustento
dos presos pobres da cadeia de Viila-B3lla,durante o
mez de fevereiro ultimo, como se v da inclusa
conla que para esse flm me foi remeltida com offl-
eio do cnefe de polica, datado de 20 do crreme e
sob n. 406.
Dilo ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife.-Devolvo a V. S. os 2 inclu-
sos prets dos vencimentos, a contar de 17 al 28
de fevereiro ultimo, dos guardas nacionaes desta-
cados na fortaleza do rum e no forte do Buiaco,
alim de que, conforme indica o inspector da the-
souraria de fazenda, em offleio de 20 do crteme
mez, sob n. 181, sejam remedidos em duplcala e
com recibo do tenente-eoronel Joaquim Jos da
Sflveira commandante do batalhao, para que possa
ler lugar o respectivo pagamento.
Dito ao conimaudante superior da guarda na-
cional dos municipios de Bonito eCaruaru'.Tendo
o tenente do batalhao n. 27 de infamara da guarda
nacional do municipio de Caruaru' Manoel de Souza
Braga, se offerecido para couimandar o.destacamen-
to daquelle termo durante a guerra em que se acha
actualmente o imperio com as repblicas do sol per-
! cebendo por esse servlgo somenle melade dos venc-
i menlos que por le lhe possam tocar cedendo a ou-
i ira melade para ser applicada as despezas da mes-
ma guerra : assim o communico a V. S. para que
I faga aproveilar o pairioti o offerecimenlo desse of-
' Ucial. Coramunicou-se a thesouraria de fa -
zenda.
Dilo ao tenente-eoronel Mariano de S e Albu-
! querque.Com o offleio de V. S., de hornera data-
do, foi-me apresenlado o l* sorgento do batalhao,
sob seu commando Joo Manoel Baptista, a quem
mandei alistar no mesmo posto no corpo de volun-
tarios da patria. Agradecendo o interesse com que
V. S. lera procurado secundar as diligencias do go-
verno na obtengao de voluntarios espero que con-
tinuara nesse louvavel e patritico empenho.
Dito a Jos Ignacio da Andrade Lima. Apre-
sen tara m-se-me para o servigo do corpo de volun-
tarios da patria, os cidados Francisco Luiz de
Sant'Anna e Joao Calado Porto Calvence, osle acora-
panhado de urna guia passada por V. S. e aquelle
com o seu offleio de 20 do crreme. Mandando-os
alistar no predito corpo, agradego muito a V. S. o
modo patritico com que procura auxiliar os ex-
forgos desta presidencia na acquisigo de volunta-
rios.
Dito ao director da Aideia d Barreiros Paulino
Augusto da Silva Freir.-JRespondendo ao offleio
que V. S. me dirigi em dala de 19 do crreme
comraunicando-rae a vinda para esta capital de 15
indios dessa Aldeia afim de servirem no corpo de
voluntarios da patria, tenho a dizer-lhe que dos
referidos indios apenas se me apresentaram 10 in-
clusive o maioral dalles Je nome Pedro Correa da
Maia, o qual declarou me terem os outros cado
em caminho, devendo brevemenle chegar a esta
cidade.
Mandando-os a listar no predito corpo, cabe-me
agradecer o patriotismo digno de louvor com que
V. S. procura auxiliar o governo no empenho em
que esl de conseguir o maior numero possivel de
voluntarios da patria.
Dilo ao director do arsenal de guerra. Tendo
D. Amalia Francelina dos Reis Campello m offere-
cido para costurar, sem remunerago pecuniaria,
fardamentos destinados aos voluntario/, da patria ;
assira o communico a Vine, afim de que aproveite
o valioso servigo que aquella seohora quer pres-'
lar a bem da sua patria.
Dilo ao mesmo.Cora este offlc j fago apresan- j
tar a Vine, o menor de nome Joo dos Santos, i
alim de ser alistado na companhia de aprendises
desse arsenal, se estiver as condigSes legaes.
Dito ao mesmo. Mande Vmr. entregar ao co-
ronel commandante interino do corpo de volunta-
rios da patria todo o armamento e equipamento,
queja estiver prompu, eo mais que se fr aprom-
ptando e que dever ser feito com a maior ur-:
gencia '
Outro sim recommendo a Vme, que concluido o i
fardamento do primeiro corpo de volunlarlos pas-
se a mandar preparar o preciso para mais 600
pragas de voluntarios segundo o llgurino que lhe I
ser apresentado.
Dito ao mesmo. Mande Vme entregar ao Dr. i
chefe de polica, para serem enviadas ao delegado
do termo de Agua Preta, olto granadeiras e igual
numero de patronas e centures para armar o
desueunenio daquella villa. Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Dilo ao subdelegado de Cruaogy, Antonio de i
Albuquerque Montenegro.Apresontou-se-me com
quia passada por Vme, o cidado Joo Antonio
Rodrigues, a quem mandei alistar no corpo de vo-
luntarios da patria, e muito agradego o zelo com
que Vme procura auxiliar os esforgos do governo
na acquisigo de voluntarios.
Dito a Berlamino Jos Feilosa. Apresenlarm te-
me cora guias passadas por Vme os cidados An-
tonio Martins de Oliveira, Manoel Fabiano Bezerra
da Silva e Jos dos Sanios da Silva, aos quaes
mandei alistar no corpo de voluntarios da patria,
e muflo agradego a solicitude cora que auxilia
Vme as diligencias do governo para a acquisigo
de voluntarios.
Dito ao chefe interino da reperligo das obras
publicas.Concedo a autorisaco qne Vme pedio
em seu olflcio de 20 do correte, sob o. 78, para
lavrar o termo de recebimento definitivo da obra
dos reparos da rampa do caes do Ramos, a qual ja
se acha concluida de cooformidade com o respec-
l tivo orgaraenlo segundo consta de seu citado offleio
a que respondo, Itcando na inteligencia de que
acabo de recommendar a thesouraria provincial
que em vista do competente certificado, pague a
i quantia de 5315300 rs., a que tem direito o arre-
matante de taes reparos.Offlciou-se nesle senti-
do a thesouraria provincial.
Dilo ao mesmo.Para satisfazer a exigencia da
assembla legislativa provincial preste Vme, as in-
formages seguintes :
1." Emquanlo foi oreada a obra da bomba da
Varzea do eogenho Paulista.
2." Se esta obra foi feita por adminislraco ou
arremalaoao, e nesle caso quem foi arrematante.
3. Qaantas vetes lera sido esta obra repara-
da e qual a importancia dos reparos feilos.
4.* Em que estado se acha esli bomba actual-
mente.
Dito a Vicente Ferreira Coelho da SilvaiCom o
offleio de Vme de 20 do corrente foraro-rae apre-
sentados os cidados Manoel Igacio dos Santos e
Francisca Gongalves da Silva, aos quaes mandei
alistar no corno de Voluntarios da Patria, e multo
agradego a Vme. o modo porque auxilia o governo
ni aeqojsieo de voluntarios.
Dito a cmara rauaicipal do Recife.Pan satis-
fazer a deliberado da assembla legislativa pro-
vincial, informe a cmara municipal do Recife
acerca do que requer Basilio Alves de Miranda Va-
rejo no Incluso requorimeoto.
Dito a mesma.Sendo de reconherido interesse
publico a medida adoptada pela cmara municipal
do Recife como consta de seu offleio de 15 do cor-
rente, sob n. 16, em ordem a evitar o alravessa-
inenio de gneros de primeira necessidade, bem
como o pexe, facultando smenle aos productores
a venda de taes gneros nos mercados pblicos,
nao todava justo era conveniente qne os indi-
viduos munidos de ttulos para terem enrraes e jan-
gadas destinadas a pescara, deixem de ser consi-'
dorados productores e excluidos de venderem sens
productos nos mercados pblicos; tarabem mais '
que nenhuma ditTerenga existe entre elles % os !
pescadores matriculados que sao admittidos nos
mesmos mercados.
Recommendo porlanto a mesma cmara que es-
tenda aquelles a faculdade que a estes concede,'
empregando toda a Qscalisago ao sen alcance pa-'
ra eviiar os atravessadores.
Dito acamara municipal de Olinda.Para no-
der resolver acerca da materia de offleio da ca-'
mar municipal da cidade de Olinda de 18 do cor-'
reate, convra que a mesma cmara interponha o
seu parecer sobre a conveniencia de fazer-se a
arrematago do dizimo de capim de planta do seu'
i municipio pela quanlia de boO que offereceu o
i Dr. Francisco Brederodes de Andrade, ou por ad-
I ministrago como j foi por essa cmara indicado
em offleio de II do corrente, visto parecer muito1
diminua aquella quantia era comparago a da ar-:
i rematago de 1865 quando a plan (agio do capim
era menor, segundo a sua inforraago de 11 deslo
1 mez.
Despachos* des dias 20 e 21 de mareo de 186S.
Antonio Jos Gome do Correto.Informe o Sr. j
inspector da thesouraria de fazenda.
Adolpho Ferreira da Silva.J foi preenchdo o
lugar.
> monto Vicente Ferreira.Informe o Sr. de-1
! serabargador proVedor da Santa Casa da Miseri- i
1 cordia.
Abaixo assigoado dos moradores na ra Nova
da freguezia de Santo Antonio.O chefe interino
da reparligao das obras publicas tem ordem para ,
fazer a mudanga solicitada pelos supplicantes.
Capito Caetano Gaspar Lopes de Azevedo Vil-;
la-Boas.R.equera o supplicante a thesouraria,
, da fazenda a liqmdaco do seu tempo de servigo,'
' apresentando para esse flm a respectiva l de ol-
flcio, depois do que lera lugar o pagamento do
seu sold.
Ciara do Monte.-Ficam expedidas as conve-
nientes ordens para a soltura do irralo da sup-
plicaute.
Francisco Bibiano de Gouveia.Passe por-
tara nomeando o supplicante.
Francisco Bernardes Pessoa de Vasconcellos
Jnior.J foi preenchdo o lugar.
Brigadeiro Gaspar de Menezes Vasconcellos de
Drummond.Informe o Sr. inspector da thesou-
raria provincial.
Jos Elias Machado Freir. Informe a cmara
municipal de Recife.
Jacintho Jos d- Souza.Remedido ao Sr. ins-
' pector do rsenal de marinhapara tomar em con-
siderado.
Luiz Antonio da Costa.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Manoel Eugenio de Souza. Dirjase ao seu
commandanle.
Moreira & Duarte.-Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Maria dos Prazeres.Informe o Sr. Dr. chefe
de polica.
I Manoel Gomes de Mello.Informe o Sr. desem-
bargador provedor da Santa Casa da Misericor-
dia.
Bacharel Pergentino Saraiva de Araujo Galvo.
i Informe o Sr. director geral da instruego pu-
blica.
Virgilio Vieira da Costa Pinto.Tendo sido in-
, deferida em 14 do corrente a preieigio de que
irata a supplicante no presente requerimento, na-
da ha que deferir.
>i<:
<;ovi:h\o do hispauo
rillMHIII o
SEDE VACA.m
Expediente do dia 15 de marco de 1865.
Offleio ao Exm. presidente da provincia, guan-
do eu me dispunha a responder queixa que a ir-
mandade do Santissimo Sacramento de Papacaga,
era data de 19 do prximo passado me dirigi con-
tra ocoadjucior pro-parocho daquella freguezia, foi-
me entregue o offleio de V. Exe, lirmado em 8
do corrente, exigindo a minha Informago sobre
igual queixa que a mesma irmaodade dirigi a V.
Exc. com a mesma dala de 19 do p. p. Cosluman-
do eu ai i 'ii Jer s que se me fazem, e dar todas as
providencias, afira de qne os empregados eclesis-
ticos nao faltem ao cumplimento dos seus deveres,
e offlciando-ine a irraandade do Santissimo Sacra-
mento de Papacaga sobre as taitas que ella diz ler
commeltido o Rvd. coadjuctor di mesma freguezia,
parecia-me desnecessario que a mesma irmandade
offleasse a V. Exc. nos mesmos ternws e na mes-
ma data, pedindo a V. Gxc. as providencias que de
mira igualmente solicitava.
Com tudo, passo a satisfazer ao offleio de V. Exe,
como me cumpre.
Recapitulando todas as aecusagoes que a irman-
dade irroga ao Rvd. coadjucter pro-parocho daquel-
la freguezia, reduzera-se ellas aos dous pontos se-
guintes :
1 O art. 42 do corapromisso da irmandade do
Santissimo sacramento de Papacaga marca que pao
pode haver mesa regedora ou geral sem assisten-
cia do vigno, salvo se, depois de convidado, res-
ponder que nao comparece : ora, o coadjuctor pro-
parocho, sendo convidado no dia 19 do prximo
passado para assistir a una mesa regedora daquel-
la ir mandada maiulou dizer que podiara fazer a
sua mesa, que elle nao ia assistir, como consta do
offleio do mesmo coadjuctor que a. me.-a regedora
enviou a V. Exe e a mim por copia authentica e
assignada por toda a mesa.
2o O art. 3o 3' marca a multa de dez mil ris
pelo falla de compan-cimeato as ses-oes : o coad-
juctor pro-parocho falla s sessoes, e por isso se
pedem provlencias autordade civil, e antorida-
de ecciesiastica para que nao Fique impune lao re-
provado procedimenlo, como se expressa a mesma
irmandade.
Quanto ao 1 pomo de aecusagao tenho a dizer
qu a sagrada congregago dos Ritos, no decreto
Urbts el Orbis, de 10 de dezembro de 1703, e a sa-
grada congregago do concilio em 13 de margo de
1728 expresamente declaran) que nao necessa-
rio a presenga do pa rocho naquellas mezas que ti-
verera por objeclo a gesto dos negocios da irman-
dade e sua economa. Independente, porra, deslas
decisoes, no mesmo art. 45 do seu compromisso
tem a irmandade o remedie que procura. Diz o
citado art. qne n) poder haver mesa regedora ou
geral sem assistencia de vigario salvo se depois
de convidado responder qoe nao comparece (no
offleio a mira dirigido est responder por escrip-
ia.*) Convide pois a mesa ao vi gario ou a quem
suas vetes lizer, e se ello mandar dizer que p >r es-
cripta nao comparece, como ttt o eoajneter porof-
fieio de 19 do prximo passado, proceda a mesa aos
seus trabalhos na conformidade do mesmo art. 42.
E para que nao haja falla, nesta data recommendo
ao Rvd. coadjuctor que todas as vezes que, sendo
convidado, deixar de assistir s mezas, o participe
por escripia, como manda o compromisso.
. Quinto ao 2o ponto de aecusago estou convenci-
do de qHe a multa de de/, mil ris de que falla o
art. 3 do compromisso, nao imposta ao vigario
quando nao comparece, e sim aos membros da me-
sa regedora da irmandade quando nao concorrem
as sessoes. O vigiro nao assiste a mesa na quali-
dade de membro della, e sim na qualidade de vi-
gario ; e como tal nao est sujeilo s inultas em
que incorrerem os raembros das mesas que faltam
as sessoes ; o que evidentemente se coohece com-
binando este ari. com o art. 42, que permitte ao
parochs deixar de assistir s sessfjes, com lanloque
mande dizer por escripta que nao assiste. Dado,
porm, (nao, concedido) que o Rvd. coadjuctor pro-
parorho houvcsse incorrido na pena declarada no
arl. 3o, era a mesa competenlj para lh'a impor,
visto como os compromisos approvados tem forga
de lei ; e qualquer autordade lhe prestarla o seu
apoio sem que fosse necessario recorrer s primei-
ras autoridades da provincia para impor-se urna
mulla exarada em um art. do compromisso.
E' o que a tal respeilo lenho a informar a V. Exc.
para que se digne lvalo ao conlieclmento da ir-
mandade do Santissimo Sacramento de Papacaga.
Tenho a honra de devolver incluso o offleio da
irmandade, e o offleio por copia do Rvd. coadjuctor,
os quaes acompanharam o offleio de V. Exc.
Dito ao juiz e membros da irmandade do Santis-
simo Sacramento de Papacaga.Acenso recebido o
ofco que a irmandade do Santissimo Sacramento
de Papacaga rae dirigi em dala de 19 do prximo
passado, cata resposta a mesma irmandade deve
aguardar do Exm. presidente da provincia, a quem
Uve de informar sobre igual offleio que na mesma
data lhe foi enviado por essa Irmandade.
Ditoao coadjuctor pro-parocho de Papacaga.
Em cumprimeoto do art. 12 do compromisso da
irmandade do Santissimo Sacramento erecta nessa
matriz, cumpre que quando V. Rvma. for convida-
do par. assistir a qualquer sesso da mesa regedo
ra, e nao tiver de comparecer na mesma sessao ou
mesa, o faga constar por escrpto, como manda o
cidado arl. 42 do compromisso, e como V. Rvma.
praticou em data de 19 do prximo passado, cujo
offleio me chegou s raaos por copia.
Dito ao vigario de Cruaogy. Para satisfazer
requisigo da assembla provincial, que pede a mi-
nha informago sobre o projecto n. 4 que crea urna
freguezia em Tlmbauba, com a denominago de N.
Senhora das Dores, cumpre que V. Rvma. rae d
urna informago circumstancada a tal respeilo,
declarando qual a conveniencia dessa diviso, qual
o estado da capella de Nossa Senhora das Dores,
que se quer erigir em matriz, e se lem os para-
mentse alfaias necessarias para o mlster a que se
deslina.
' Incluso por copia achara V. Revnv o projecto n.
4 a que me retiro.Igual ao vigario de Itamb.
16 -
Offleio ao Exm. presidente da provincia.Tendo
recebido o offleio de V. Exc. Qrmado em 7 do cor-
rente, para que eu d o meu parecer sobre os pro-
jectos ns. 3 e 70 da assembla provincial, cumpre-
me declarar que ja mandei ouvir a tai respeilo os
parocbos respectivos, afim de poder formar um
juizo seguro.
Dilo ao mesmo.Tendo eu em data de 14 do
corrente, respondido ao offleio de V. Exc. de 8 do
mesmo, na parte era que exige o meu parecer so-
bre o projecto n. 33 da assembla provincial do
anno passado, j me dirig aos Revds. vigarios de
Itamb e Cruangy, afim de poder dar o meu pare-
cer sobre o projecto n. 4 e satisfazer desle modo a
segunda parte do offleio de V. Exc.
Diloao mesmo. Chegando-me s raaos o pro-
jecto n. 4 da assembla provincial do anno passado,
juntamenle com o offleio de V. Exc. de 13 do cor-
rete, vou dirgir-me aos vigarios respectivos pa-
ra poder dar com fundamento o meu parecer.
Dito ao vigario de S. Benlo.-Para satisfazer a
requisigo da assembla provincial, que pede o
meu parecer sobre o projecto d. 79, que desanexa
diversos terrenos dessa freguezia de S. Bento e os
eueorpara a de Garanhuns, cumpre que V. Revm."
me d urna informago circumstanciada tal res-
peito, declarando quaes as conveniencias dessa no-
va diviso, e qual a distancia desses lugares a cada
urna das inatnzes.
Incluso por copia achara V. Revm.1 o projecto
n. 79 a que me retiro.Igual ao vieario de Gara-
nhuns.
- 17 -
Offleio ao vigario do Pilar.Attendendo ao que
V. S. me expoz em data de 24 do prximo passa-
do a respeilo da utilidade, da necessidade mesmo
que ha de conservar-se o religioso franciscano Fr.
Francisco de Jess Maria Camaro no lugar em
que est de capello, diga-lhe V. S. que eu suppro
a licenga que elle devia ter do ordinario da dioce-
se, e se a tem eu lh'a confirmo, devendo elle quan-
to antes recorrer ao seu prelado, am de obter del-
le a competente licenga por escripto para estar to-
ra do convento, o que estou ceno que lhe ser
muilo fcil.
Dito ao vigario da Palmeira dos Indios.Tenho
presente o seu offleio de 12 do prximo passado,
em que me participa que, no domingo 29 de Ja-
neiro ultimo, estando a sua matriz preparada como
para urna feslividade proceder V. Revm." a' ben-
gao das imagens do Senhor Crucificado e de Nossa
senhora das Dores, que forara de novo encarna-
das, e d'abi as condnzio em proclsso para a ca-
pella novamente conslroida na povoagao do Riacho
Fundo sob a invocago de Nossa Senhora das Do-
res, a qual capella' foi tambera benzida por V.
Revm." cora aulorisago minha.
Nao me admira o eslraordinario concurso de
povo, que V. Revm/ diz ler acompanhado a pro-
cisso e assistldo a todo o acto da inaugurago da
nova capella, pois o povo do imperio da Santa
Cruz essencialmenle religioso, e quando encon-
iraura parodio zeloso e cumpridor de seus deve-
res, est sempre prompto a seguido e coadjuva-lo,
quer na reparago dos templos, quer as praticas
de devrgo e piedade.
Quinto ao peridico religioso Oio de Dezembro,
que V. Revm.* me pede para distribuir pelos seus
parorinanos, nao rae possivel por era quanto ac-
ceder aos seus pos dosejos, visto como apenas se I
pdem tirat dous rail exemplares de cada numero,
que mal chegam para se dislribuirem as cidades
do Recife e de Olioda. Se eu conseguir que se ti-
rem mais exemplares, os mandarei para outras pa-
rocinas, em o numero das quaes sera' contemplada
a de V. Revm."
Dito ao vigario de S. Jos de Mipib.Pelo seu
offleio de 28 do prximo passado tico scientc de
haver V. Revm." do dia 2' do mesmo benzido a
capella do cern ter io publico dessa cidade, na qual
eslo collonadas com toda a decencia as imagens
do Senhor Crucificado e de Nossa Senhora das
Dores.
Foi muito a proposito terminar-se o acto com a
celebrage do santo sacrificio da missa petante
grande concurso de pessoas que te achavam reu-
nidas, as quaes mostravatn os seotimentos de pie-
dado e devoce-que as levava a assistjr a esse acto
religioso, e acompartilhar a alegra de- seu pastor,
por ver mais ota malhoramento nessa parochia e
mais um ponto de reoniao para os fiis orarem pe- pera que V. Exc. Rvma., com a experiencia de
las almas dos seus rmos fallecidos. sua piedosa soliciiude, o habilito a tomar as medi-
uilo ao vigario de Quebrangulo. Attendendo ao das que forem necessarias realisaco de to alio
o e costme geralmeule eslabelecido nesla dio-', desidertum.
I Dos guarde V. Exc. Rvma.Jas; Liberato
, Uai roso.Sr. hispo da diocese de___
O Sr. tenente-eoronel Norberto Augusto Lo-
pes, que commandava interinamente o 2u corpo de
i volunlarios da patria, eotregou hontem fi4> este
commando ao major Garcez Palha.por ter conclui-
cesa, pode V. Revm.a celebrar o Sacramento do
I Matrimonio era oratorios privados mesmo depois
', do sol posto, quer aude em desobria quer nao, sem
| que por isso exija esranlla alguma para a caixa
pa. Fica assim respondido o seu offleio do Io do
! prximo passado.
-. -,.. ,.. ti ---------- .-j. uia.ww* .nina, pul toi L.UUIIUI
Uitoao vigario interino de S. Jos.Pode V. d) a organisagao do mesmo corpo, e passoua orga-
I Kevrn. beozer o sino, que a irmandade do Senhor j nisar o 4., coraraandando-o tambera interina-
i om Jess dos Martyrios lem de enllocar na torre i mente. Este corpo coma j 161 pragas jariraen-
j da sua igreja no da 19 do corrente, e para que pe-'. tadas, parle da banda de msica, 2 addidos e 38
de aulorisago minha no seu offleio datado de ho- encostados,
'je, que tica assim respondido.
DISPENSAS MATHWONIAKS.
Achara-se nesla secretaria ja despachadas e
promptas as segnintes peligres de dispensa viudas
Foi nomeado director local do Banco Brasile -
ro e Portuguez, o Sr. John Moorre Glover.
* s- M- a Iraperatriz mandou entregar hontem
(14) ao Sr. Gennaro Arnaud,como mimo remedido
Rio de Janeiro. por S. A. o Sr. conde d'Eu, urna Irada lapizeira de
Miguel dos Anjos Bezerra o Joanna Francisca : ouro.
Freguezia de Beierros Juraram bandera honlem (14) no quarlel de
Jo< Alfredo de Mello e Genuina l'mbelraa da i Santa Leopoldina, era Nitfterohy, mais de 300 ura-
l SilvaFreguena de Goianna. gas do 6." balalho de voluntarlos da palria, {! da
| Francisco Arocha Campo-Bello e Francisca Ru- provincia do Rio de Janeiro) em presenga do
Dna da ConceigaoFreguezia da Eseada. Exm. presidente da provincia', e demais aulori-
! Antonio Gomes da Rocha e -Mana Thereza da dades.
Conceigo-Freguezia do Bom Jardira. t Parece que o governador provisorio de Monte-
As pessoas prtenlo encarregadas de as procu-1 video nos vai dando exponlaneamente as satisfa-
rar, queiram se dirigir a" secretaria do bispado no goes e fazendo as reparagoes que tinhamos direito
seminario de Olinda. 17 de margo.
Conego, Joaqum Feri eua dos Santos.
Secretario do bispado.
de exir. O governo pub'icou h>ntera (14) pela
sua folha as seguintes noticias, que seguramente
lhe nao podiam vr seno de fonte mais ou menos
offlc al :
As disposig5es do presidente da repblica e do
I governo oriental se as mais benvolas para com
io imperio. Constava que ia ordenar-se a averi-
j Ruago dos fados que Munhoz, Aparicio e outros
sceleratos haviain praticado as nossas fronieiras.
STm I X 11 ?&*? d,S 13 e supP,emen"! Para serem *""' administrativa e judicialmente
l,0.?>!tt0J?.}h *5?! I'tl0 vaPr S"?'101 Do mesmo modo constava que haviam resolvido
do Rio de | syndicar do insulto bandeira brasileira, feito de
Susviela, Palomeque e outros, para conhecer seus
autores e puni-los.i
DIARIO DE PERNAMBUCO
Ao obsequio de um amigo devenios o cocebi-
Imperador, chegado sabbado
Janeiro, cora escala pela Baha e Alagas.
Delles consta que Aparicio e Munhoz se haviara
entregado, reconhecendo o governo de Flores,
que havia feito desarmar a sua gente, fazendo-a
seguir aos seus departamentos, entregando dis-
posgo e guarda de um coronel, os dous cau-
dilbos.
As senhoras monlevldeanas offereceram Flores
para ser dada Vilbalba urna liandeira bordada
por ellas, e promoviam urna subscripgo para a
compra de ura palacete, que devia ser offerecido
ao mesrao Vilhalba.
Flores havla procedido a um nquerto dos Tac-
tos praticados por Munhoz e Aparicio na fronteira
para seren punidos devldaraente, bem como dos
quatre que arrastaram a nossa bandeira na ci-
dade.
No dia 13 havia sido nomeado plenipotenciario
do Brasil, em lugar do comelheiro Paranhos, o Sr.
Francisco Octavian de Almeida Rosa.
Os Paraguayos haviam conduzido da provincia
de Matto-Grosso 103 familias brasileiras, seado o
mfcior numero raulberes e criangas, e sua che-
goda Assumpcao, haviara sido distribuidas pela
populago para servir como escravos.
Lpez coucentrava suas torgas em Humaili.onde
consta j haviam reunidos dez mil horaens, che-
gado todos os dias levas de 50 e mais reerntas.
A esquadra paraguaya acha/a-sc tarabem em
Humada, e nella dizem-se monlavam pegas de 80.
Nao sabemos como ser possivel tal esquadra
manobrar com arlilharia de um tal calibre I
O carregaraento do vapor Mrquez de Olinda
foi vendido em leilo na Assumpgo.
O governo havia no da 14 requisilado Cora
panhia de paquetes 4 vapores para seguir no dia
seguinte.
J se organisava o 6. batalhao de voluntarios.
Nao se pode fazer idea do enthusiasmo com que
alli na corle todos os das se apresenlam os 100 e
290 cidados para volunlarios.
Alera deslas noticias copiamos mais o se-
guinte do Jornal do Commercio de 15 do corrente :
Gabinete do ministro. Ministerio dos nego-
cios da guerra. Rio de Janeiro, 12 de marco de
1865.
Declaro V. S., para seu conhecimenlo e de-
vdos eleitos, que se deve adoptar, para alguns
corposde voluntarios que se osto actualmente or-
ganisando, a seguinte numerago : de 2 e 4.
para os da corte, de 3. para o da provincia da Ba-
ha, de 5.e 6. para os da provincia do Rio de Ja-
neiro e de 7. para o da provincia de S. Paulo.
t Dos guarde V. S.Visconde de Camama.
Sr. Polydoro da Fonceca Quinlaoilha Jordo.
PERNAMRUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
19" SESSAO EU 24 DE MARQO DE 1865.
PIIESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
-vs II horas e 45 minutos, feita a chamada,
acham-se presentes os Srs. deputados Buarque
Francisco Pedro, Joaquim do Reg Barros, Ar-
minio, Gongalves da Silva, Rochael, Aquino Fon-
seca, Teixeira de Mello, Jos Maria, Nelto, S Pe-
reira, G. Campello, Amynthas, Maranhao, Diodoro,
Loureiro, Ayres Gama, Reg Barros, Brando, Bap-
tista, Braulio, Ramos, Sabino, e Jacobina.
O Sr. Presidente abre a s'esso.
Comparece depois o Sr. Araujo Barros.
O Sr. 2o secretario faz a Uilura da aow, a quai c
approvada.
EXPEDIENTE
Cm offleio do secretario do governo, remetiendo
as inforraag5es miuislradas pela thesouraria pro-
vincial, relativamente aos objectos pertencentes
refinago do Monteiro. A' quera requisitou.
Outro do mesmo, remetiendo ioformacoes da
thesouraria provincial exigidas em offlci sob n.
28 de 16 do corrente.A' quera requsitou.
Outro do mesmo, remetiendo por copia o offleio
do Dr. chefe de polica com o do delegado do ter-
mo do Rio Forraoso, era o qual expoe o estado da
cadeia daquella cidade ; e a informago do inspe-
tor da thesouraria provincial, sob n. 107.A' com-
rasso de obras publicas.
Urna petigo da irmandade de Nossa Senhora do
Bom Parto, erecta na capella de S. Sebastio da
cidade de Olinda, pedindo preferencia para a ex-
traego de sua lotera. A' commisso de orga-
raenlo.
Outra de Jos de Barros Correa Sette, fiel do
thesoureiro do consulado provincial, pedindo a
graga de se lhe mandar contar para sua aposenta-
dora e tempo que servio como agento recebedor
do mesrao consulado. A' commisso de peli-
g5es.
Outra da Ordem Terceira do Carino do Recife.
pedindo preferencia para a extraego de urna par-
te de suas loteras. A' commisso de orcamento
provincial.
Outra de diversos moradores do Manguinbo, pe-
dindo que a illuminagao publica seja continuada
at o sitio de Manoel Luiz Goncalves com 18 lam-
Na mesma data flzeram-se as segrales nomea-; pe5es.-A' commisso de orcamento
g5es : para tenente-eoronel commandanle do 4." I E' lido, posto em discusso c addiado or haver
corpo de voluntarios da patria, e Dr. Francisco pedido a palavra o Sr. Jos Maria, o seguinte pa-
Pinheiro Guiraaraes ; capilao, o alferes do estado-! recor : *""* v*
maior de 2." classe Antonio Joo Lyra Flores : te-
nenies, os segundos tenenWs de artilharida guar-
da nacional Alfredo de Barros Cavalcanti Albu-
querque e Lacerda e Ernesto Machado Freir Pe-
t A commisso de esiatistica, a quem foi presen-
te o projecto n. 81 do anno passado, desmembran-
do do termo do Brejo o distrcto de Corapots para
o de Caruar, teudo-o estudado, e nao menos to-
mado o em muita considerago, lhe parece indis-
pensavel novo esclarecimenlos para poder firmar
=ua opiniao ; de parecer que pelos canaes com-
petentes, se pegam informagSes acerca delle ao ju"z
de direito da cemarca do Brejo, e mais autorida-
des do termo.
t Pago da assembla legislativa provincial de
Pernambuco 24 de margo de 1865.Francisco Pe-
dro. Maranhao.
,oEappr0Vai,a a redacgo do projecto n. 29 de
1860, com as suas respectivas emendas.
Sao lidos e approvados 03 seguintes requerraen-
IOS .
Requeiro que por intermedio da presidencia
reir da Silva.
Foi declarada sera effeilo a nomeaco do te-
nente-eoronel do corpo de estado-maior de primei-
ra classe Manoel Francisco Coelho de Oliveira Soa-
res, para commandar o 2. corpo de voluntarios, e
nomeado para commandar o corpo da guarda na-
cional destacada Ra fronteira da provincia do Pa-
ran.
t Nomeado tenente-eoronel de commisso para
commandar o 2. corpo de voluntarios, o major do
eslado-maior de segunda classe Dioio Garcez
Palha.
O cirurgio-mr de diviso Dr. Jos Ribeiro
de Souza Fonles foi nomeado para organisar o ser-
vigo de sade do exercito em operagoes no sul do I da provici'se "exija o segu lareci
'rape'' ,a L .u- I Qu68 8 ,imites marcado
1 hoi transferido para o batalhao de cacadores 1 das iWiniaa na -h,,^
de
r .ti* L ,u- uaes "mites marcado para a cobranei
. hoi transferido para o batalhao de cacadores ; das dcimas na cidade de Goianna eouaes minE
Matto-Grosso o alferes do de infantera Vic- voados qoe nos annos de 1865 forara coranrehen
tor da Silva Araujo. e nomeado alferes de corarais- didos era os ditos limites.-DVodoro nSo
sao para um dos carpos Je volntenos o 1. cadete Requeiro aue Dor intermertin L a. ,
naioralisados cidados brasile.ros os subditos por-. Antonio de Azevsdo^ iZdM de1 nformaco
saja tssjsi"Pereira dc Noro-: t raEv w25 *ssx
Circular.-6." seccao -Rio de JaneiroMi- j O Sr. S Pereira fundamente e manda a me* o
nisteno dos negocios do imperio, 11 de margo de seguinte requerimento que approvado
186o.-Exm. e Rvm. senhor.-Prestando o gover-' Requeiro que pelos caaaes competentes se ne-
no imperial a mais sena attencae aos interesses ; gam os seguintes esclarecimenlos v
moraes do paiz, nao pode ser indilferente ao estado i copia da hypomeca feita por Claudio Du-
pouco sat.sfatorio e ao pouco desenvolvimento que : beux fazenda provincial a se sobren "a hvnn
desenvolvimento das verdades religiosas e propa-
gago das verdadeiras crengas urna necessidade
indeclinavel de toda a sociedade hem constituida e
civilisada, nao pode o governo imperial deixar de
chamar a attencae de V. Exc. Rvma. para esle ob-
jecto de to alta raagnitude.
2 termo de penbora.*
3 Os pareceres dados pelo respectivo procu-
rador fiscal. r v
o V4 ?.s desPachos esentengas do juiz dos feilos.
S. R.-Sa Pereira.
Contina a discusso adiada do requerimento do
. Nao ignora V Eie. Rvma. quanto depende do \ S.r. SHva Rarao^ p di a noraeYco de urna
nST'^n.n ,r^,deV"eS W"" a n>Qissao para examinar os Mecimentoste
tisfagao de lao importante necessidade ; e que cardade
ETffinK "a S.elda fami,ia' sob ** iosP- Oram os Srs. Gervasio Campello; Si Pereira,
ges do ministro de Dos que o menino deve rece- Silva Ramos, Jacobina, Baptista e Jos Maria.
ber a educagao e desenvolver as qualidades do co- Vem mesa e approvado o seeuinte reai
E por este
motivo o governo imperial, cha-
approvado o seguinte requeri-
mento :
Requeiro que se pegara da Santa Casa da M-
manao a attengao de ^. Exc Rvma. para um ob- sencordia informago acerca dos factos aue acaba
jecto que tamo raleressa aos destinos do paiz, est de nomear o Sr. Dr. S Pereira, aOm deque asta
convencido de que nao faz outra cousa seno asso- assembla saiba do grao de veracidade aue elies
ciar-se aos bons desejo: de V. Exc. Rvma.; e es-; merecem.-Aquino Fonseca. q
V



1 Jo- I.'ite Co'rreia
Diario de t*eroaubuo segnnda letra IS de Harco de 1 65.
- V
1
ffwi
a Silva. (E' tambem crimino-
so or Turto de cvallo.)
Joo Francisco. ,
Ferimento gravee.
Manoel Francisco,
ios Flix dos Santos.
Joo Tavares de Oliveira.
Manoel Alexaudre.
Wenceslao Grreia de Mello.
Caetano Barbosa de Sarles.
Rogerio Alves da Costa.
Virgolino Jop de Souza.
Sabino Jas Teixeira.
Ferimentos leve?.
Jos Cosme Iiezerra.
A*disc*usso fica adiada.
ORDEM DtrDTA.
Entra em 2" discusso o projecto n. 88 do anno
liassido, aneedendo orna lotera de 42OtO0O*a|
Irmandade de Nossa Senhdra da Escada, erecta na
ignja da Genceigo dos militis.
E approvado o projecto com as seguintes emen-
das :
- Urna lotera de I004M P"a convente de
Ipojuca.l.arvalho Monra.
Fica concedida urea loteria de 120:0005 para Bernardo Jos Joaqun),
a conelnso das obras da igreja dos Martyrios da Gabriel de ta
cidade deGoianna.
Urna fe 100:0003 para o-can vento de Naza-
relli da freguezia do Cabe.Reg Barros.
Coniina a discusso do art. 11 do projecto n.
12 deste anno com as suas emendas.
U Sr. Loureiro pedio para retirar da discusso o Claudio, escravo.
art. snhstttnt.vo por elle offcrecido. Consultada a Jos Maria Perejra de Castro,
casa, consom no pedido. Ignacia Maria do Rosario.
Encerrada a discusso, approvado o artigo Marcelina Maria da Coneeigo.
com as emendas : : Manoel Pereira de Mattos.
Em ver. de-quer ao lempo da guerra, quer de- Furto de animaos,
pois delta, diga-se :depcis da guerra, podendo Flix Correa de Araujo.
o presidente da provincia conservar nos postos os Jos Patricio de Almeida.
ofliciaes que porventura forera promovidos pelo Joaquim Soares.
governo gera. Rayrnundo Jos de Figueiredo.
t Depois da palavra sero accrescente-se j Manoel Rufino da Costa-
na provincia. Ja0 Francisco do Nascimento.
Fica empatada, e por consequencia devendo en- Roubo.
trar em urna nova discusso a seguinte emenda : | Epiphanio Jos Moreno.
, Em vez de__podendo diga-se devendo. Candido Jo.- da Silva.
As palavras pelo governo accresceote e ...... Daino.
se forem dos corpos de voluntarios ou guarda na- Marcolino Jos da Silva,
clonal da provincia. Ferreira Jacobina. Lou-
Foi regeitada a emenda offerecida pelo Sr. Ro-
chael.
E' approvado sem discusso o art. 12.
Entra depois em discus>ao o art. 13, sendo offe-
recidas as seguintes emendas :
Ao art. 13 aerrescennte se : devendo ser l
admittidos igualmente no Gymnasi provincial como
alumnos internos ou externos, a vontade dos res-:
pectivos pais, at 10 menores filhos dos voluntarios
pobres que mareharem para a guerra.Soares |
Brandao.Goncalves da Silva.
Ao final do segando membro do art. 13 ac-
crescenie-se as palavras on ficarem invlidos.
Arminio Tavares.
< Depois das palavras seos pais, accrescen-
te-se :onde qualquer pessoa que por elles se n
teressem.
O Sr. Arminio toma a palavra e justifica a sna
emenda.
alguem que flgurou esse negocio, e -taando se-
ment sobre mimo odioso, crreme dever de
restabelecer a verdade do Tacto, -para qne de mea
silencio nao se procure tirar um argumento on-
tra mim.
A minha noraeago para o cargo de nbdetegado
deste distrido, nao foi bem recebida aqu por par-
te de algw individuos, que ditendo-se mens ami-
gos na pparencia, sao todava meus tntmigos na
reahdade -, e por isso, esses Individuos maneira
da reptis venenosa, conservaram o seu bote arma-
da, at qae Ibes apparecesse urna occaslao que, jul-
f aram atada para me picaren), am de por este
nodo poderenviae acontar como corrompido pela
poeasha de qne esli ebeios, e assim fazerem com
qne o governo arrede de mim a coofianca com que
me neo roa.
Sinto, porm, profundamente que o autor da no-
ticia sao quizesse assumir aresponsabilidade delta,
e se saiisfizesse em alirar a sua pedrada, escondi-
do cobardemente a mao ; mais declaro que, serei
incansavel em procurar deseobrilo para dest'arte
tirar a mascara a esse impostor, que amaldicoamlu
o tempo da liberdade, e do progresso me quit eha-
jfurdar no lodacal immundo em que elle, e por ven-
tura muites destes caracteres, que aspirara a su
' prema direccao dos negocios desta comarca, sem
patinhar.
A minha defeza fcil, e difflcil ao mesmo tcm-
tntervim para desprestigiar a maguera, c nem pa-
ra exercer violencias contra Joo Manoel da Coala
Pinheiro, que na minha opinio tinha nesse negocio
.a responsabilidad igual i que tem a machina que
se raove, cenforme o movimenlo que se Ihe impri-
me : sendo qoe tanto verdade o que venho de
dizer, que Joo Manoel da Costa Pinheiro em mi-
aa easa nao fez declraeio mais compromettedo-
ra do qm aquella que foi por elle firmada, em da-
ta de 28-de junho de 1864.
Em minha consciencia julgo ter dilo quanto
bastante para justificar-me.
Todava pode bem ser queme Iluda, c qne o
te massndas-oa mesmo aqutlas quelevantamo
punlial homicida contra sua propria mulher, po-
diamrepo:ler eJoquentemenle as perguntasfeitas
por alguem ao Sr. Jos Luiz de Souza! risum H-
neatis amice.
E' pqr isso qua admtmms ainda (para vergonha
de seas patricios, e deshonra da nacao a que V. S.
pertenee) que aacorrer da sna desgreadttsima de-
feza se lembrasse V. S. de dirigir ao publico desta
provincia urna o-inuacaj desaa ordem, insinuaran
que elle repelle e deapreza porque nao sane fazer
coro com homens de sua lata, nem compartllhar
com os sentimentos pessimo6 e rasleiros que se
autor da.noticia ou mais alguem queirara ainda at- deixam ver as suas palavras de arrieiro.
ii'ibuir nm carcter de violencia aquelle meu auto.; Se nessa parco de asoeiras e parvoices,t>ffere-
Se a-skn for, nao me fuartarei ainda urna vez a oc- cidas por V. S. ao publico, eslvesse a defeza do Sr.
copar as columnas deste, en de ooiro qnaiqaer jor- Jos Luiz de Souza, poda V. S. escrever para a
nal, paca dizer aigjimas palavras em meu abono, trra aunde nascen e mandar dizer o iroponaate-
ama vez que seja a questo eslabeleclda em seus servigoque acabava de prestar a classe dosbemens
verdadeiros termos, e nao se me queira atacar so- probos e honrados.
mente, porque sou autoridade o tempo de lber- j O publico quer ver a resposta do Sr. Jos Luiz,
dade progressista. e tiesta expectativa'se tem conservado al hoje,
Se desgraciadamente a quesillo fr col locada nes- sem se importar com essa serie de atolelmadas
te terreno, nao terei duvida em levantar a pedra descomposturas que V. S. tem alirado ao vento,
do immundo sepulcro, onde jaz esse passado que porque geralmente sabido que a lama aiirada ao
tanto lamentam certos individuoc desla e oulras ar, saja s e somente a quem a atira.
Fuga de presos.
Benlo Jos de Lemos.
Antonio Mauricio.
Injurias.
1 Jos Bento do Nascimento.
Iufantecidio.
Rosaura de Tal.
Falsidade.
Manoel Ferreira de Mello.
Estupro.
. Joo Martins da Silva Caxeado.
Por quebramento de termo de bem viver.
Francisca Xavier de Barros.
Desertores do exercito polica.
Targ'ijo de Tal.
Sebastio de. Souza.
Jos Joaquim Soares.
Amonio Lopes de Sena.
Joaquim Antonio de Oliveira.
Francisco Xavier de Sena.
Amanha se extrahir a ultima parte da 1'
Para quem observa ; j bastante.
Recife, 22 de margo de 186o.
O Varziita.
paragens, qne, vivendo cusa das posces que
oceupavam, nao podem perdoar quelles que os
apearam do poder; e dest'arte mostrar a poarioo
po : fcil, por que vista da maneira por que o j que alli se encerra, deixaodo que o pubiieo sensato
faci se passou, a sua exposico, a publicaco dos decida de qne lado est a superiondade.
documentos que vo abaixo transcriptos faro pen- Villa do Brejo, 4 de marco de 1863. Chegada
der para o meu lado a opinio sensata da minha | Rogerio Luci da Silva Mergulho. O Illm. Sr. Dr. Caetano E^tellita Cavalcanti Pes-
provinca ; difflcil, porm, por que ae vejo for- Documentos a que se refere a correspondencia s.oa- acaba de chegar a esta provincia, vindo da do
gado a trazer para a discusso nomes de indivi- ,je Rogerio Lacio da Silva Magalhes : i Amazonas, onde oceupou muitos anuos o cargo de
dos, que nao estimo, nem aborrego, mais que tal-1 Numero 1 Ichefe de Polic'a> cora invejavel honradez e probi-
i vez emendara que jogo mui fle proposito com o seu \ Ficam em meu poder S0000 pertencentes dade 5 ,uSar 1,ue servio com diversos presidentes e
' nome. Entretanto forga defender-rae ; o farei, ao gr. Joo Manoel da Costa Pinheiro' e cuja quau- entre e"es !'r- ^r- Fuado, actual presidente do
l pois, guardando as preciosas conveniencias, e pro-1 ua pagarei 3005000- ao da 26 do corrente, e conselho de ministros e ministro da juslica.
mettendo nao ir alm de minha defeza, para que 200A000 a tres mezes-cootados da dala deste. ^ ^r- Dp- Estellita recebeu no seu embarque as
nao me tachem de exagerado. villa do Brejo 22 de iunho de 1864.-Francisco malores provas de sympathias do povo amazonien-
Em das do mez dejulho do anno passado app-' Clemente de Souza. se' acoraPaohando-o a bordo numerosas familias
receu em casa de minha residencia Francisco Ce- N. 1,184.Pagou200 ris__Brejo 2 de margo distinctas e dlstinctissimos cavalleiros, entre os
mente de Souza, e communicou-me o seguinte : | e 1863.No impedimento do colleclor Siqueira 1a;,es as P'ljneiras autoridades da provincia que o
Encerrada a discusso, approvado o artigo com e i da 2* loteria da matriz deS. Jos do Recte,
as duas ultimas emendas, ^endo rejeitda a primei- (10-) sendo o maior premio 6:0004.
Heje27 do correle havera lellao em conli-
ra dos Srs Soares Brandao e Gongalves da Silva.
Entrara em discusso cada um por sua vez e
sao approvados o artigos 14 al 19, sendo rejeita-
da urna emenda do Sr. Araujo Barros concebida
uestes termos :
Ao art. (6 accrescente-se ficando garantidos
os respectivos empreges.
Sobre o art. 17 oram es Srs. Jos Mana e Araujo
Entra em segunda disenssao o projecto n. 36 do! gaz sobre columnas semethants as da ra do Cres
anno passado, decretando a abertura de nma es-
trada para Beberibe, com as emendas preposlas
Joo Manoel da Costa Pinheiro possuia um escra-
vo de nome Antonio; esse escravo tendo fallecido em
consequencia de urna inflammago no mez de malo
, de 1864, um mez depois de semelhante acontec- conlieciuienlo.
memo, Joao Manoel procurou-me, e disse-me que
corria o boato de que a morte de seu escravo re-
sultara de urnas cacetadai que recebera de meu es
cravo Camillo, e que por tanto exiga de mim urna
reparagao.
< Semelhante pretenglo, encontrando de minha
parte, proseguio Clemente, prompta repulsa, esta
desapontou a Joo Manoel que depois de novamenle
offerecer-me diversas proposlas todas no senti-
i do de acommodar-me, concluio por fim dizendo que
pela comnisfio de obras publicas.
E' approvado o art. 4.', e suppnmido o 2..
Sobre o art. 3 oram os Srs. Baptista, G. Cam-
Dello, Awimas e -Silva Ramos, tendo vindo a mesa : excepgo, como;se deu Ba ra Nova, onde alguns
nuagao'dos salvados do brigue ioglez Hebe of tke se louvava no Sr. vigario, cuja imparcial e desen-
Bxe, o qual constar de madspoloes, algodes e' teressada opinio poria termos a duvida.
chitas, no armazem do baro do Livramenlo, caes | Esta ultima proposla sendo aceita por mim, no
do Appollo. da 22 de junho do anno passado, adiamos eu e
Consta-nos qoe est dettaiti va mente contrata- Costa Pinheiro, em casa do mesmo vigario, cujo ir-
da com a eompanhia do gaz a illuminago da ra | ma0j 0 tenente-coronol Francisco Berenguer Cesar
Nova. | de Andrade, ento em exerclcio da vara municipal,
Essa illuminago ser feila por sessenta nicos de e ,ja delegada, lo bem ahi se achava.
Ahi, continua Clemente, refere todo occorrido
po. E' um bello aformoseamenlo que os negocian- entre raim e Costa Pinheiro ; e depois de ouvir o
tes da ra Nova fazeni am beneficio da cidade, e mesmo vigario as razoes de um e de ouiro, appro
que seria incontestavdmente Lom se fosse imitado- von a j^a de urna acommodago Hesite! em a-
pelas priocipaes ras do comraerek), concorrendo nujr semelhante acommodago, e disse que nao fi-
para so todos os negociantes de cada urna, sem cara convencido de que a morle do escravo Anto-
a sepoiate emenda : E mais 2:0005000 para o
embarreamento da estrada de Jeo de Barros.
Amwilas.
Encerrada a disenssao, approvado o artigo com
a emenda da correegao, sendo rejeilada a do Sr.
Amistas.
Sao approvadps tambera os artigos 4. e 3.
Entram em discusso as emendas offerecidas na
terceira discussito do projecto n.l do anno passa-
do, e sao sem debate approvadas.
Entra finalmente em discusso o projecto n. 78
do anua passado, concedendo a Flavio Ferreira C-
lao e J'io da Costa Brandao Cordeiro um abati-
mento da quinta parle sobre o preeo da arremata-
gao dos pedagios d*s pontes de Magdalena, Carva-
Iho e Tapacor, com o parecer da respectiva com
misso.
Nao havendo numero sufflcienle de senhores de-
pinados, o Sr. presidente declara adiada a discus-
so e da para ordem do dia 27 : continuago da
anteriormente dada ; primeira discasslo dos projee-
los ns. 22, 46 e 10 desle anno ; dem do de n. 107 ;
segunda do de n. 98 -, e terceira do u. 32, todos do
anno passado.
Levama-se a sesso as 2 3|4 da tarde.
REVISTA Mk'ilk-
O vapor Imperador, comraandante Maciel, che-
gado aote-hontem tarde, sahio do Rio de Janeiro
na larde de lo do correle para a Baha e Macei,
alini de tomar tropa onde a encontrasse prompta.
Nao a tendo adiado em nenhuma destas provin-
cias prestes a embarear, seguio para aqui a ver
se pode levar alguma qne se ache as cirenms-
tancia de marchar.
Como o vapor s pode acommodar cerca de 500
pragas, e nao convenha retalhar o nosso corpo de
Voluntarios da Patria, depois de alguns pequeos
concertos de que carece, seguir para a Para-
hyba.
No Rio de Janeiro eslava carga para nosso
porte, o palhabote Piedade.
Deu-se sexia-feira um pequeo incendio n'u-
ma loja de funileiro da ra Direita, que foi apaga-
do es foigee do dono e offlciaes da casa e de al-
guns visnhos.
Tendo o commandante do vapor de guerra
inglez Curhw, quando pairava perto do brigue
Uebe of llie Exe, descoberlo que algamas pessoas
estavam roubando a carga, pode prender a um ho-
mem, cjue hontem enlregou ao Sr. commandante
do brigue escuna Tonelero.
Era trras do engenho Parnazo, do termo
de Agua Pret:>, Joo Babo matou a Manoel Igna-
cio, logrando ugir.
Sexla-feira tarde percorren algumas ras
do bairro de Sant Antonio a procisso do Senhor
Bom Jess dos Martyrios, qual presidio durante
todo o trajelo boa ordem e decencia.
O vapor iParakyba, chegadosabbado de Ser-
gipc e Alagoas, apenas adiantou as seguales no-
ticias :
Em Sergipe continua va o enthuslasmo para o
alistamenlo de voluntarios da patria, principal-
mente depois da tomada de Montevideo.
Le-se no Correio Sergipense :
< A E.\ma. Sra. J). Helena de Freitas Oliveira,
mui digna esposa do Dr. Domingos de Oliveira,
olfereceu presidencia os seus serviros e sustento
pecuniario a todas as familias dos vuuitarios do
municipio de Larangeiras, que tiverem a infelici-
dade de perder as suas vidas na pugna que se tra-
va em defeza do paiz.
as Alagas continuava a funccionar a guar-
da cvica.
Por ser sabbado o dia do 44 anniversario do
depois de terem'assignado a proposta feita com-
paohia, recusaram-se assignar o contrato cora
prejnizu dos outros, e falta de consideraco a si
proprio.
Remettcm-nos o siguite :
Em todas as provincias do imperio tem-_se da-
do demonstragoes satisfactorias, por occasio do
embarque das tropas que tem seguido para as re-
publicas do Prata, smenle Pernambuco tem-se
deixarara offegantes de saudades, s quando des-
ferrou o navio.
S. S. tem de seguir no prximo vapor do sal pa-
ra a sua comarca, no Rio Grande do Norte.
Villa do Brejo, 2 de margo de 1863. VeDos Propicios os levem barra em fra. at ao
Eslava o sigoal pubhoo.-Em testeraunho de 'Porto do_sea_des,,no!.eJer.e,a f_S'V Cavalcante.
Reconbeco verdadeira a assignatura
Francisco Clemente de Souza, por deila
retro de
ter pleno
verdade, o labeilio publico, Malbias Soares d'Al-
meida.
Nada mais se continua em dito documentos que
bem, e fielmente extrani do proprio que me foi
apresentado pela pessoa abaixo assignada, e vai na
verdade sem cousa que duvida faga conferido, e
concertad j por mim, e o segundo labeilio, Elias
Francisco Bastos, e escripto e assigoado de meas
sigaaes pblicos e razo de que uzo nesla
sobredjla villa e comarca do Brejo, aos 2 das do
mez de margo de 1863.Em testemunho de verda-
de, o labeilio publico, Malbias Soares de Almei-,
da.Rogerio Lucio da Silva Magalhes.Comigo
labeilio, Elias Francisco Bastos.
N. 1,193.Pagoa 200 ras.-Brejo, 4 de margo
de 183Mello.Siqueira Cavalcante.
Numero i.
Conslando-me que se lew publicado, que meu
escravo Antonio, fallecer por ter sido espancado
pelo preto Camillo, escravo do Sr. Francisco Cle-
mente de Souza, em razio -de urna briga que ti ve-
rain; em abono da verdade declaro que ainda me
nao convenc que a morte de meu escravo pro-
viesse do que se diz, e al o presente nao sei
realmente do qae proceden.
Para firmeza mapdei passar a presente deelarago
por me ser pedida, e na qual me assigno.
Brejo, 2o de margo de 1864.Joo Manoel da
Costa Pinheiro.
Reconhego verdadeira a assignatura retro do Sr.
mero dos seus respeiladores, nos deve contar sem-
pre, em qualquer parle, aonde a sorte se approuver
cotloca-lo.
(Do Jornal do Para.)
HTTM
D'f.M.I
nio fosse effeito da causa apresentada pelo mesmo
Costa Pinheiro, sem que este recorresse aos meios
competentes ; qae Pinheiro poda usar de seu di-
reito contra o meu escravo, e que eu, me conven-
cendo da criminalidade deste nao teria duvida en-
trega-lo a jusliga.
A essa minha resoluco, ainda Clemente
quem falla, responden o mesmo vigario, peranie
seu irmo, 911c o meto de acabar com aquelle neg-! j0jo Manel da Cota Pinheiro, por haver visto
co era esse, c qae se eu nao me acommodasse, te-' outras semelhante*
esquecido desse dever sagrado para aqnelles que na de mais tarde nao s perder o meu escravo, se i Villa do Brejo, 2 de marco de l86S.-Estava o
deixam suas familias a bem da dign.dade na- nao ttmo lSo bem pagar o damno. sigDa| publico, ta testemunho de verdade o label-
cl0Da'- .__ ,.- ^flC ,, wa 0ra es,as palavras com quanto nao me con-' |ao publico, Mathias Soares d'AIraeida.
t Pernambncaaos, que fazeis das llores de \os- vencessem, disse anda Clemente, fizeram com que !- \ 118aPaeou 200 risBreio 2 de marco
sos jardins ?
c Porventura nao
das sobre quelles que
sas irmas de Matto
a Oh I nao queirais que se diga que lamnem tao aceitando a acommodago assgoei em avor de ter'pleno
as mulheres tem havido indiferentismo. Costa Pinheiro um fica de 3005000 reis, que em Villa do Breio, 3 de'margo de 1865.-Estava o
. Evos, ^"^nf..^.^.^'0!8 data de 22 de junho foi passado pelo Sr. Manoel siga| publico, em testemunho de verdade, o label-
devem passar os filhos da l'berdade e da honra Rodrigaes Frapga a pedido do Sr. vigario. i,|0 Publ.co.-Mathias Soares d'AIraeida.
festeja, tambera a sahtda desses bra^s Que so Essa narragao, senhores redactores, loraou para I E mais se nao contnha em dito documemo
depois de lerem lavado, a mancha posta por esses mrrn mai0r importancia qnando me aprsenlos, o apresentado pela pessoa abaixo assignada, que bem
vis Paraguayos, voltarao a dizer-nqs I'izemos mesmo Clemente um documento que, conhec ser e fielmente extrahi do proprio a presente publica
Molestia Ulcerosa
nosso dever, agora agradegamos Dos a nossa
viciorla.
Passageiros do vapor nacional Parahyba, en-
trado do Aracaj.com escala pelos portos dosul:
Jos de Vasconcelos, Antonio Jos Teixeira,
Manoel Arminio C. Gncerona, Joaqnim C. Pes-
feito pelo proprio punho do Sr. major Joo do Re
go Maciel, datado de 25 de junho, tres dia? depois"
da acommodago e assignado por Costa Pinheirc.
N'esse documento l-se a deelarago, que faz Cos-
ta Pinheiro de que nao tinha certeza de que o
sea escravo morrera de espancamenlo, e que at
soa de Seixas, 1 criada e 1 escravo, Francisco da en,0 na0 sat)ia realmente a causa do sua morte.
Costa Monteiro e 1 escravo, Candida Leopoldina e Qra vista de ludo islo estabeleci a questo de-
2 filhos menores, Antonio Francisco da bilva, Pe- Daxo de dous pontos de vista; e ento disse de
dro de Alcntara Monteiro, Jos Doarte Ribeiro, mim para mjm D0 -z jg ,je julho : Ou o direiro
forma, e vai na verdade sem couza que duvida fa- j
ga, conferida e concertada por mim, e o escrivo
companheiro Elias Francisco Bastos, e vai na for-
ma dita assignada aos 3 das do mez de margo de
1803, de meus signaos pblicos e razo de que
uzo.Eu Mathias Soares d'Almeida, tabellic. o
escrevi.Em lestemunho de verdade o tabelliao
publico, Mathias Soares d'Almeida.Cemigo labei-
lio, Elias Francisco Bastos..
N. 1,192.Pagou 200 ris.Brejo 4 de margo
de 1863.Mello.Siqueira Cavalcante
Noveira.
Reparticao da polica:
mente; contra os interesses da justiga. porque pro-
curavam subtrahir aegao deste um criminoso,
Clemente, transigindo as-
de
Extracto da parte do dia 24 de margo de 1863. c.omo era escravo de
Foram recolhidos casa de detengo no dia 23, f'ra We nao podiam transigir; contra os m
do correle 1teresfes de Clemente, porque, podendo acontecer
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Mar-1 <|ae mal? arde ma'* cedo tal racto cahisse no
cellioo, escravo de Laurentino Jos de Miranda,; "fr ^ publico,^e tiresse o escravo de -er pro-
sem deelarago do mouvo e posto logo em lber-; e. dado o caso de ser elle condemnado a
dade r solfrer pena de gales, ou oulra que nao podesse ser
A-'ordem do subdelegado de Santo Antonio, Do-' ^SSSfhJAiSff' C,Sme.,,e d? Perder
mingse Fortunato, escra vos, esie de Francisco, escravo e mais 3005000, quando e geralmente sa-
Maciel Pitanga e aquelle, de Jos Maria de Castro,; b'doJueha ***** doa esfravo- no cas d Sr. o en-
ambos Dar rorreceo .,reRar a Jus,lCa. "vre este da reparagao do damno.
A' ordem do de Sao' Jo.-, Delna Maria do Es-! No.segundo caso.leriam procedido o mesmo Sr.
pinto Santo, por briga e insultos. v,8ano: e "a Irn?a0 ?0Dtra .todos ?s principios de
A- rodera do da Boa-Vista, Paulo, escravo de equidade, aconselhando, e instando mesmo para
Laurentino Jos ae Miranda, por embriaguez. aoc Clemenle pagassse aquillo, que legalmente lal-
0 che da 2- sec^o, vei DUnca fs obrigado a pagar.
J. G. deMesquita. Em ambos os casos havia na qneixa de Clemente
Casa de detenco.Movimento da casa de alguma cousa, que podia fazer vacillar o juizo de
deleDgo do dia 23 de margo de 1863. Exsliam qualquer hornero honesto a respeito da boa f e
presos 363, enlraram 5, sabiram 3, falleceu 0, desinleresse que, por summa presumpgo deduzida
existem 363; a saber: nacionaes 280, estrangeiros de sua posigo, se devera suppor em individuos de
21, mulheres 2 ; estrangeiras 2, escravos 31; es- certa ordem.
cravas 8.Jo-tal 363. _. |S.. Era, pois, preciso que no carcter de autoridade
Alimenudos acuitados cofres pblicos loo en(rasse eu 8yDd3.ancla do fact0 b de
Mov.mento da enfermara do da 25 de margo de qoe ,adoestava a verdade. e {q- po/|sso que "
cie ao sogro de Joo Manoel da Costa Pinheiro pa-
ra que, na qualidade de Inspector de quarteiro, o
noticasse para comparecer perante mim : man-
dei-o chamar, repito, e nao negarei jamis-, nao foi
para coagi-lo, porque talvez somente isto a;sente
no autor da noiicia, ou em quem o informou; mas,
1865.
Teve baixa :
Joaquim Manoel Torres, inlermmittente.
Alexandre Marioho Costa, nervralgia.
Francisco Jos Gomes, dor espasmodica.
Passageiros do brigue portuguez Esperanca
entrado do Porto
PUBLICARES A PEDIDO
O Sr. Sebastio Lopes Guimares, commandante
do corpo de polica, recebe dos cofres geraes e
provinciaes o seguinte :
Sold de major reformado.-....... 8405000
Gratificago de chefe do estado-
maior da guarda nacional do Re-
cife........................... 3605000
1 forragem a 480 rs. diarios, r..... 1735200
Sido de commandante do corpo de
policia......................... 1:3205000
Addicional....................... 2405000
GratilicagO...................... 2405O0O
dem de exercicio................ 3605000
2 forragens a 15800 diarios........ 6575000
Reis 4:1925200
Esta nota extrahida de documentos efficiaes
emaaados das respectivas thesourarias, e o Sr. Se-
bastio Lopes Guimare recebe essa pequea
quantia, nao obstante haver sido reformado em
consequencia de soflrer de molestia grave e incii-
ravel, que ihe nao permitte montar a canillo, como
se venticou da juma de sade.
T frer iulestia8 scrofulocn.-', ulwronas, ou syphi-
liticas, ainda mesmo as reputadas de peior
natureza, upenas npr.'.-?itao de lr o seguinte
caso maravillioao, pare cne se sbitao int-ira-
HMite eonvi-ncidos que a sua propria cura,
nao s ineruiuentc poeeivel man Bm nbsolu-
tainente ct-rto.
Joao Jos Fekkeika Bajuioza, residunte
na Cidudc de Maranlifto. tinha. lod o sn
corpo coberto do chagas alo i-osas, e durante
aJffuuws a unos uclia va debaixo do tratnmento
r mdicos os mais afamados, ti-ndo usado
dnruit(> lodo osle U>ui]k> qnai-i toda a especio
de m>-deonaf: que em 'aos rasos emprefrada
peda mculdade medica, port'm debalde sem
obtt-r o menor licnoficio ou alivio: acliando-se
pois em tai apuros elle lina'-nu-nte nsolveu-
e, depois de rerxitidos o tablados e'f irooe
t'axor uso da
saparril
Minee, de Figueiredo Anlao, Domingos ^ZLt^S^T C lra Parle' *
Para o Illm. Sr. capilo do porto ver.
O abaixo assignado, morador na freguezia'
de Maranguape, vem perante o publico desta j
cidade, palentear, as injustigas que soffre do ca-
paiaz daquella localidade Manoel Antonio Caval-.
cante, que em verdade se torna indigno de exercer
um lugar deconlianca; tendo a illustrima cmara
municipal do Recife, prohibido por posturas a con
Alvaro Manoel de ngueireoo Antac>. ceder conforme manda a le..
Gomes, Manoel Coelho de Fana, Antonio Jo^e aa t c^g^^ que f0SH,m a miu ia 0 ni;rje(.tor correncia uus auavessauores ae pene ao mercauo,
Silva Pinto Antonio Allonso Vellado Jnior Jos de quarleirao e Joao Manoe| ^ GosU finheiro e somente permittido a quelles qoe se apresen-
Rodrigues de Amorim, Antomo da Silva Cido, An- aW presente 0 escrivio da ubue|e8a(.ia 0 ua tam marticulado pela capitnia do porto, urna vez
ionio Justino MesquiU. | maDdei chamar jgua,mente, prevenindo o 'caso de 'Jue s? mo?tre"i a exercer a proflsso de pesca-
juramento da coDstiUucao, estiveram embandera- ~ Pessageiros do hiate brasilelro Santa Uuz, ser precs0 reduijf a termQ g^^^ dor; lera isso dado lagar, a que o dito capauz, va
dos os ,tavios de guerra e mercantes, consulados sabido para o Aracaty : ____ relativa ao fado da morte do escravo Antonio V preterindo ao abaixo assignado, que tem jangada
No lodo elle apena chegou a tomnr Cinco
Garrafas du &ih.qiariilha a quulro frascos das
Pihilit Vegetar* Awirari'dtn, e o resultado
foi ello obter una completa e perfeila cura.
Os Seirs."I'ERlil-:ii( \ \- ('a., Droguistas do
afafanhao, forao quem suiprirao os meJi'-a-
mentns, e nc)iSo-ae rxrfeitam'iile mi hete
d'cstc caso, e os meamos Scnlu.res, nao si so
acliRo promptos .1 confirmar o mesmo, como
tanibeni em I'orneccr o actual adresso do eiir.
B\i!i!07..\, toda e qualquer pessoa que por
ventura se desejo informar da verdade.
Reconnnenda se mui jmrticul:;rmente aos
Doentes qne tonlio o luuior cuidad. 1 na esculla
deste escolente remedio, nao usando nutro
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Brislol,
a qual e exclusivamente preparada por
LANMAN&KEMP,
De XOVA YORK,
poisquu todas as inais sao ineffieazes e de neo
hura prtstimo
Veode-se na ra do Imperador bolici
4iveFoOS, e fortalezas, salvando a do Brum pela
manha, 1 e s 6 horas da tarde.
A' tarde teve lugar a .parada e conejo do 06lylo,
o qual osteve muilo concurrido e animado.
Da Parahyba nos escrewem o seguinte :
J demos publindade aos nomes de 110 cri-
minosos presos nesta provincia da Parahyba na
admioistrago policial do JJr. Gervasio Cmpello
Pires Ferreira, que comwjou a 14 de agosto passa-
do, sendo 2 i de morle, ti de lentativa de morte, I ti
de ferimentos graves, lo de ferimentos leves, dt
de furto de animaes, 2 de outros furtos, 2 de rou-
bo, z de estellionato, .3 de vesistenoia, z de redazir
escravido pessoa iivre, <3 de damno, 7 de faga
de presos, i de rapto, 1 de injurias .uerbaes, e 10
pesertores do exesclo; ali.n deslci teem sido
presos mais os seguintes :
De morte:
Justino Gomes da Silva.
* Jos Joaquim da Silva.
Ricardo, escravo.
Bernardo Jos dos Aojos.
Manoel da Costa Monteiro.
Maooel Torquato.
Manoel, escravo.
Joaquim Gomes da Silva.
Manoel Barbosa.
Sebastjo Jos de tirito Lima,
loo Felippe Nery,
Manoel Cardoso Moreno Guedes.
Lacio Candido.
Manoel Rodrigues.
SymploriaDo Jos Ribeiro.
Salastiano Miraono de Araujo.
Januaria Maria da Conceigo.
* TenuUva de orle,
liento Soares da Silva.
Joo Francisco Vieira.
re-
Luiz Gonzaga Menezes Lyrae 1 fllho menor, Joao feri a Cosla PlDneJro ,udo
Machado Souza Pimentel Mana Claadma de Jess Cleinenlei que ^^^ e'senl d P
Lima, 1 filha menor e 1 fllho. tenUva ludo quai)l0 me navia d0 >*
- 4M1T?i.0 MWttM*0 dodia 23 de i Em consequencia passou Joao Manoel da Costa
marco de 1865. ., Pinheiro a explicarse; mas em toda sua explca-
Guilhermina, Pernambuco, 22 annos, Boa-vista, ?j0 DOfe esse descoachavo de que multas vezes se
escrava, congeslo Pulmonar. reseotem as exposigoes de factos, que assentam so-
Silvma, Pernambuco,* riftaes, eserava, Boa-visu, bre nma base fa)sa 0 que me |a robus,tecen(i0 D0
dentigao. espirito a crenga de que Clemente tinha urna tal
Luiza Andrade de OUveira, Pernambuco, 42 annos, ou ua| mao de queixa
solteira, Boa-visu, ulcera 00 tero. c.,; n, -_.;. n ... n. u 1
Maria, Pernambuco, C mezes, Boa-vista, dentigo. .?%,. fse,nUr a CosU P,nhe'ro W* Julava a
Maria da Purif.cag, Pernambuco, 0 annos, San- *J%? ,^3m ?ue procedimedto que l.ve-
to Antonio urcera no ulero ram para com Clemenle me pareca ale criminoso,
Anna Joaquina de Moraes Sorges, Pernambuco, 2o ^YiSJf hT-0?1"-3 dheclaIa*ao delle Cj1 P'nheiro,
annor-, casada, S. Jos, vastros acamoso. S8SS S' da qMl se evideciava 1?e
Mara Pernambuco 8 dk Santo Antonio con- nao ,IDha 6l)e certeza. e nem mesmo hav-a indi-
vulcoe/ cios de que escravo Ant0D0 fa"ecra em conse-
FeJippe Damas de Araujo Correa, Paratoyba, 3S ''S^.^,ST,T ;,qae' "5o Pde^d con
annos, solVeiro, Sanio Antonio, interile ^IJl *$,**?* orem- Passass?m desaPer-
Mara P.nambu'co, 4 oras, S. W^.^^^^
Fraacisco, Pernambuco, 40 annos, escravo, salti- %*'JaTZ'J^I tel!?JL*'dS.:
ro. Boa-vista, bydrolborax.
COMMNICDOS.
Ilogerio Lucio da Silva Mcrgnlhao e a Revista
Diaria-do Biario de Prniaabuco de 48 de fe-
teiro.
"O Diario de Pernambuco de 18 do mez passado,
trax BuJjMcado orna noticia acenea de nm faeto qne
teve logar neste termo.
Parecendo-me qne tonve da parte do autor da I Diario de 1* de fevereiro aolicla; taes /oralnas
de pesca, e os demais quisilos, e dando falsamente
habilitago aos seus, lilho Alexandrino dos Praze-
res Albuquerque, e Joo Tiburcio de Souza, com-
padre do mesmo capataz, sendo to escandalosa a
proteco do primei ro, que at se servio de ama
matricula de tereero, sendo publico qoe nenhum
destes tem pesqueira, no entretanto esto matricu-
lados, seodo os verdeiros atravessadores; desta
maneira que a.justiga exereida para ser Iludida
as boas inlenges da cmara municipal, pelo que
chamamos allengo para quem competentir.aQm de
qne seja conhecidas as boas qnalidades do tal
senhor capataz.
Recife, 24 de margo de 18*3.
Jos Maria da Costa Bandeira.
franceza n. 38.
-^<
Ao autor da u desposta conveniente, 9
Temos lido os dous importantes e estupendsi-
mos artigos de sua fetdissima hura, em resposla,
segunde diz V. S. as desaforadissimas perguntas
que alguem se atreven a fazer ao Sr. Jos Luiz de
SouzaJ morador no Recife com o seu sitio na povoa-
gao da Varzea.
Temos igualmente adarao e conkecido em Y.
tratasse on de promover a punigo do escravo, ou
' a reparagao do damno, como elle melhor quizesse;
aecrescentando qne, se as provas por elle colhidas
fossem de tal natureza, que se estabelecesse como
erta a causa da morle do escravo, eu seria solicito
em prestar-lhe toda eoadjuvagao, aflm de que esse
faeto nao ficasse impnne.
A* face das mlnhas observag5es, Joo Manoel da
Costa Pinheiro resolveu so a restituir a somma re-
ceida, passando nesta occasio urna letra com o qniz V. S. com o seu artigo de boje aggravar mais
prazo de seis mezes, visto nao' 1er mais em se po- o estado deste, offerendo ao publico mais ama pro-
der a quantia que havia recebido de Clemente. va que justifica a verdade das perguntas que ihe
Tal ^Srs.^redactores, a verdade do /acto que o j foram feitas.
No centro de todas estas eoasas que fazem rir,
s. (gracas a sua forraidavel eabeca) urna habilida-, desse infeliz pai'de familia, abusando cyoicamente
de espantosa para exhibir e produzr defexas em da conGan^a, qoe como ministro do altar tinha
favor dos innocentes calumniados : desta vez, po-' conseguido, nao duvidou por nm acto digno de
rm andou V. S. eslapidamente mal no seu louva- execrago publica, dar lugar a separago de espo-
vel empeuho porque, sendo a iinguagem do seu sos que viveram traoquillos e felizes em quanto
a primeiro escripto, por si s, um aliestado da cri- em sua casa nao leve ingresso esse refalsado que
- mraalidade do seu infeliz coustituuUe, ainda assim'. nao salisfeito cora a ortica da lo indieno'acto
vada a prestar ouvdos voz dessa venenosa e in-
siname serpente.
'Ser possivel qne fique impnne lo deleslavel
procedimiento de nm sacerdote para que assim
continu elle em seus damnados intentos de levar
a desharmonia e ofelicidade ao seto das familias,
calcando aos ps as leis do.pu.dor ? Nao o espera-
mos, e pois lastimando qne esse acontecimento
viesse amargurar a vida do*. Salvador Clemen-
tino, olingando-o a separar-se de sua esposa para
recome-la a casa de seus parantes, fazemos votos
para que, patanteado-assirn o.procediraento do Sr.
padre Manoel Jos .de Oliveira Reg, enrgicas
providencias sejao tomada6.afim de que nao pro-
siga o Sr. padre Reg em ana.desastrada carreira
provocando assim actos inconvenientes em repulsa
a seus feitos hediondos.
Se* digno de ledo o respeito e venerago o sa-
cerdote que por suas virtudes se torna recom-
mendavel, a execragao publica deve cobrir aquel-
le que, polluindo o sacerdocio, entregase pra-
tica de actos reprehenslveis.
Em nome da paz das familias, em nome da dig-
nidade do sacerdocio, c prestigio de que deve go-
zar o nosso clero, pedimos ao Exm. Sr. vigario ca-
pitular qae, prestando exposigo que deixaraos
feita aquella considerago que costuma dar a ne-
gocios de gravidade, como esse, naodeixe de pro-
videnciar como em sua sabedoria parecer con-
veniente.
Timbaiiba, 22 de margo de 1865.
O inimigo do crime.
C0MME1CIQ.
\ovo banco de Pernam-
bao.
O banco paga o 14 dividendo na razaode8.^
por aego.
Novo banco e Pernambuco.
O banco descoma letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor da
tres mezes.
Alfandega
(tendment do dia 1 a 23.......
Idemdodia i\...............
GG9.68i4 39:208*484
m&ffi
HoTlmentoda alfandega
Volnmeentradoscomfazendas... 420
* com gneros... 194
Volumessahidoscom fazendag..
com gneros ..
Ao Exm. e Rvra. Sr. Dr. Vigario Capitular.
Convictos do zelo e energa que sabe desenvol-
ver o Exm. e Rvm. Sr. Dr. vigario capitular em
tudo qaanto sojeito a sua aego coociliaodo a
cordura de_seu corago com o necessario rigor pa-
ra a punigao daquelles que, refractarlos aos seus
mais sagrados deveres, polloem o nobre sacerdo-
cio, viraos hoje imprensa para trazer ao confie-
cimento de S. Exc. Rvraa. o procedimiento do Sr.
_y padre Manoel Jos de Oliveira Reg, capel-
lo em Timbaba.
Deixaremos de oceupar-nos de outros factos
pralicados por esse senhor antes de chegar a esse
desdi tose lugar, nao iremos tocar em outras ton-
das que ainda sangrara, e nem lo pouco applica-1
remos nossa altengo a todos os actos inconvenien-
les praticados por esse sacerdote : seria isso mis-
so penosa. Occupar-nos-hemos somente do pro-
cedimento desse sacerdote para com o Sr. Salva-
dor Clementino da Cosla, que teve a desdita de
manter relagoes de amizade com esse desalmado,
com esse hornera que esqueceu-se de sua nobre e
santa misso de pastor oara fazer de lobo voraz.
Sim, est publico, e ningnem era Timbaba
innora, o reprovado proeedimeoto do Sr. padre
Oliveira Reg, que transpondo o limiar da casa
61 i
116
952
-----1,062
Dcsarregam no da 27 de margo de 1865.
Brigue hollandez Orion diversos gneros.
Polaca italianaLindadiversos gneros.
i Patacho nacionalBeberibedem.
Brigue hanoveriano-Sy/p/udfarinha de trigo.
i Barca ngleza-Jron Queen-objectos para a estra-
! da do ferro.
: Brigne inglez Carrie- dem.
Brigne inglezBellow CresJpedns,
: Brigue portnguezEsperanca diversos gneros
para fra.
'Barca inglezaSeraphma o resto das mercade-
ras.
Barca inglezaD. Afana-carvo.
Patacho inglezSpraydem.
Importaco.
Brigue hollandez Orion, entrado de Anvers, con-
signado a Rotbe & Bidoulac, manifeslou o se-
guinte :
30 barris alvaiade; a E. A. Burle & C
200 caixas vidros para vidraca; a Saunders Bro-
thers & C.
400 caixas genebra; a Rotbe & Bidoulac.
1 caixa brim, 1 pacole amostras; a Linden Wild
&:c.
50 caixas vidros para vidraga; a Mello Lobo
& C.
4 fardes lecidos de algedo; a Monteiro Lopes
&C.
1-caixa um retrato de familia; a L. de C. P. de
Andrade.
10 caixas papel de escrever, I pacote amostras,
19 caixas espingardas, 1 dita pistollas, i dila fei-
chos, 50 barris pregos; a Uennque & Azevedo.
1 'caixa armamento, 20 barris tinta, 293 caixas
vidros para vidraga, 3 caixas raerrearia, 1 pacote
amostras, 1 fardo riscado de liuho a ordem.
46 caixas espingardas, 3 ditas pistollas, 21 dilas
papel de impresso, 37 dilas papel de escrever, 5
pacoles papel de tmbrulbo, 1 dito lypos, 16 caixas
aligador, 5*5 ditas vidros para vidraga, 100 dilas
velas stearioas, 100 barris ginebra, 1 dilo bacas
de cobre, II caixotes marmore polido, 3 barricas
e 33 caixas ferragens, 164 barris pregos de ferro:
a Brender a Brandis.
Hiate nacional agio Inrencivel, entrado do Ara-
caty, consignado a Silva & Alves, manifeslou o se-
guinte :
8 molhos com 160 esleirs de palha de carnau-
ba ; a Jos de Sa' Leito Jnior.
21 saccas com 117 arrobas e 21 libras de algo-
do, 167 ditos com 680 arrobas e 18 libras de cera
de carnauba. 32 molhcs com sola, 77 caixas com
81 arrobas e o libras de velas de carnauba-, a or-
dem.
Ksportaco.
Brigue inglez Hunlress, carregou para Marseille
o seguinte :
3790 saceos com 18P50 arrobas de assucar mas-
cavado.
Galera portugueza Xoea tama, carregou para
Lisboa e Porto o seguinte :
9 barricas e 3510 saceos com 17587 arrobas e S
libras de assucar branco, 1:585 saceos com 7925
a-robas de dito mascavado, 10 saccas com 57 arro-
bas e 15 libras de algodo, e 1104 couros salgados
e seceos com 31172 libras.
Escuna brasiieira Conceirao, carregou para o
Rio da Prata o seguinte :
560 barricas com 3778 arrobas e 11 libras de as-
sucar branco, 600 barricas com 4832 arrobas e 21
libras de assucar mascavado.
Brigue inglez Sea Breze, carregou para New-
York o seguinte:
1000 saceos com 5000 arrobas de assucar mas-
cavado.
Brigue hannoveriano Haselune, carregou para o
Rio da Prala o seguinte :
1350 barricas com 11310 arrobas e 28 libras de
assucar branco, 350 ditas com 2825 arrobas e 9 li-
bras de dito mascavado.
Barca franceza Gvillterme Tell, carregou para o
Havre per Macei o seguinte:
300 saccas com 1133 arrobas e 14 libras de al-
godo, 2024 couros seceos salgados com 86778 li-
bras.
Barca portugueza Bella Figuerense, carregou pa-
ra Lisboa o seguinte:
1800 saceos com 9000 arrobas de assucar bran-
co, 1100 ditos com 5500 arrobas de dito mascava-
do, 55 cascos com lOlOO medidas de agurdenle,
GOditos cem 2100 dilas de mel.
Barca ingleza Contad, carregaja para Valparaizo
o seguinte :
4000 saceos com 22500 arrobas do assucar
branco.
Brigue inglez Brilhante, carregou para Liver-
pool o seguinte:
1400 saceos com 7000 arrobas de assucar masca-
vado, 1209 saccas com 7802 arrobas e 24 Jtbras
de algodo e S87 relies.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
ATA nOS PREgO DOS GNEROS SCJKITOS A D1E1T0 CE
EXI'ullT.VgAO. SBMAKA DE 27 DO MEZ DE MABgO
AO 1. DE ABKIL DE 1865.
Mercadorias. unidades. Valores.
1*500
800
800
400
800
900
Abanos......... cento
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca.....-
dem genebra ...*.. *
dem alcooi ou espirito de agua- >
ardente........ *
Algodo em carooo .... arroba
dem em rama ou em la
Arroz com casca
noticia o mais calculado proposito de ferir-me, fa- razoes qne me impellifam a tomar parte contra es- teve V. S. o inqualicavel arrojo de dizer ao publc
zendo soto/esafcir a mparz-JaUdade e iesuUeresse de I sa ngoctaeao feita em casa do Sr. vigario. N5o que- s um chicote tangido por ataos eslupidameti-
dem descascado ou pilado
pra tica da to indigno acto, Assucar mascavado.....'
nao soube ao menos oceultar sea miando proec- dem branco....... i
diroenlo e ao contrario ostentando-o tornou impos- dem retinado.......
sivel aoSr. Salvador Clementino da Costa com-1 Azeite de amendoim ou niende-
nuar a ter em soa eompanhia sua desdilosa con-
sorte, qne, cercada de todo o respeito e conside-
rago, durante dez anuos de urna exemplar con-
duela de esposa, pela fragilidade humana, foi le- Batatas alimenticias
bim
dem de coco
dem de mamona
-
. .
caada

arroba
44125
164500
1*500
2*600
14950
3*250
54120
24*0
14600
14000
1*200
.
i


-
J


*


Bt*t-ta f reramhucr, mrgnmlh Mto t f e tfai^o de I8.

ljra
11 ni
arroba
Bolacha 01 diara, propria para
embarque ......
IJwu fkta .......
Caf non .......
Ideo escoma ou restouio. .
dem torrado
Caibros .
Cal-......i>
dem branca .'
Carae seooa- (xarque) ...
Carueiroe ....... ana
Carvo vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna.
Cera de carnauba ero bruto. libra
]dem dem em velas ... >
Cha ........". >
Charutos ....... Cento
Cevados (porc^) .,. ,- ., um
Cocos (seceos)...... roto
tolla........ libra
Couros do boi, salgadas t
dem dem seceos espichados
dem dem verdes ....
dem idem cabra- cortidos mu
dem idem de onca ....
Doces seceos ....... libra
dem em gela ou massa
dem era calda ..... t
Espanadores grandes nm
dem pequeos......
Esleirs para forro de estiras
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
3*600
7*000
7*400
6*000
440
360
280
900
' 3*200
4*000
1*000
000
TOO
300
15500
2*500
18*000
6*00
600
145
240
m
330
105000
1*000
320
500
4*000
2*000
MOTIMElTO DO POMO
arroba
i
um
arroba
urna
arroba
>
cento
Farinha de de mandioca
dem de aramia ....
Feijao de qualquer qdlidade
Frechaes ......
Fumo em tolda, bom .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom ....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinhas ......
Gomma.......
Ipecacuanha (raiz) ....
Lenha em achas ....
Toros........
Linhai e esteios......um
Mel ou melado......caada
Milho.........arroba
Papagaios .......um
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada......um
Podra de amolar .....urna
dem de filtrar .....
dem de rebolo ..... i
Piassava........molho
Ponas, ou ehilres de vaccas ou
novilhos.......cento
Prancboes de amarello de dous
costados.......um
dem de louro...... >
Rap.........libra
Sabao......... >
Sal...........alqueire
15*000
13600
alqueire 2*500
4*000
2*800
5*000
14*000
8*000
8*000
5*000
eoo
2*500
25*000
OOO
113000
8*000
210
900
3*000
5*000
5*000
800
4*000
1*000
120
3*500
20*000
10*000
1*000
120
400
Navio entrado no da 14.
Bio-Grande do Sttir-3i dias, briiue-escuna brasi-
Iciro Cusne, de 257. toneladas, oapltao Jos Mon-
teiro de lmeida, equipagem 13, carga 13,000
arrobas o>e carne; a Amorim # Irmac*
Pono38 dias Brigue portuguez Eiperanra, de
231 loaeiadas, capito Amonio Rodrigues Sain-
paio, equlpagem 13,- carga vinho e outros gne-
ros ; a Marques, Barros & C.
Trieste90 dias, patacho norueguense Dvmso, d*
436 (Meladas, capitao O. A. Jacobson, eqnipa-
gem 8, carga 1,634 barricas com farinha de tri-
go ; a Johoston Pater & C.
Aracaty10 dias, biate brasileiro Novo Invencivel,
de 45 toneladas, capitao Joaquim Aotooio de Fl-
I gueiredo, equipngcm 6, carga difTerootes gene-
ros ; a Joo Joaquim Alves.
Navios \salndus no mesmodia.
. AracatyHite brasileiro Sania Cruz, capilao Joao
Victorino das Neves, carga diferenles gneros.
Valparaizo Barca ingleza Contad, capitao Wil
i liara M. Alexandre, carga assucar.
Rio da Prata Bricue hanoveriano Uaselhnne, capi-
lao Hermann Forkambeick, carga assucar.
New-York Hiale ioglez Sea Breez, capllo Deg-
get, cargr assucar.
Navios entraddos no da 25.
Aracaj com escala pelos porto* do sul4 da*,
vapoe brasileiro Paraliyba, de 104 toneladas, equi-
pagem 21, coraraandaote J. J. Martins.
Para25 dias, hiate brasileiro Novaes, de 199 to-
neladas, capitao Joaquim Jos Mendos, equipa-
gem 12, carga differenles gneros; a Marques
Barros & C.
Bahia-10 dias, barca portugueza 5. Joao, de 361
toneladas, capitao Mannel Ferreira Leito, equi-
pagem 15, carga 5,000 quijitaes hespanhes de
carne secca ; a Amorim Irmo.
Navios saludos no mesmo da.
CanalBrigue inglez Runnymedcs, capitao Peter
Hansen, carga assucar.
Quenstown-Brigue inglez James Stwart, capitao
I. Craig, carga assucar.
LisboaBarca portugueza Laura, capitao Manoel
Pereira Dias, carga assucar e outros geaeros.
LiverpoolBrigue inglez Azof, capito Bramage,
carga assucar e algodao.
Obsenacao.
Suspenden do laraaro para a, Baha a sumaca
hespanhola Dolores, capilao S. Marti, com a mes-
ma carga quo trouxe de Barcelona.
amo entrad no da 26.
Bio de Janeiro, Babia e Macei8 dias, vapor bra-
sileiro Imperador, de 400 toneladas, coramao-
daute Joaquim Antonio da Silveira Maciel, equi-
pagem 34, ao mesmo commandante.
Navios sabidos no mesmo da.
CanalBrigue inglez Esperanza, capilao Bebrant,
carga assucar.
Lisboa Patacho portuguez Jareo, capito Fernn
do Pereira, carga assucar e outros gneros.
junta, no dia cima menciDnadOj pelo meio-djp, e
competeriteraenta ftoitfiifcri*. ,.
E para consijr e vandeu aqfrlicar
pelo jornal.
Secretar!
buco, 20 de marco
Secretarla efe lh*onraria provincial f
:o de i 865.
- Pelojuiodat vara, eecriwio Athayde.ea
reigun tiento dtesiameteire da tinada D. Clara
Joyphfe folio Borgias ten de ser arrematada
anales-e soto tita na
0 secretario,
Antonio F. da AunfHcjaec.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
1.'Os reparos da ponte do no Formaso, serio
puf venda a casa de djs
rna, da tmptratciz a. ilf para pagamento das dis-
posigoeslestamentarias, avaliada por 8:000* ; co-
ja arrematadlo lera lugar na sala das audiencias
no dia 19 do carrele as horas do costume, sendo
esta a ullima praca. Heeife, 24 de marco de 1865.
A:ham-sdBOiladwspeja subdelegada dos
felos de conformidade com o orcamenlo na impar- Alegados dous cavaMos, sendo um alaso e ouiro
tancia de 7S7*600. ruco,ambos castrados: quem se julgar com direi-
2-* As obras de-verlo ser principiados no prazo to aos mesmos compareca, que, provando, Ihe se-
de 15 dias e concluidas no de 3 raezes, ambos con- rao entregues.O subdelegado,
lados da data da approvaeo da arrematacao. Jos Hobecio de Moraes .Silva.
3.* Os pagamentos serio realisados em duas pres-: No dia 28 do crreme mei tero de ir em
tardes iguaes, a primeira qiiando tiver metade das pra^a para ser arrematada urna parte da casa
obras e a segunda Da sua concluso e entrega de- terrea n. 47, da rna das Calcada freguezia de
flniliva. i S Jos, com una porta e janeiij na f-onte, ava-
4.a Para ludo o que nao estiver especificado as liada dita parto em 513*204 rs., peaborada a
presentes clausulas seguir-se-ha o que determina Ludgero Baurind*Soares de Caavalho. por exe-
Para lisbem
Salsa parrilha.......arroba 25*000
Sebo em sama....... 3*000
dem em velas...... 7*000
Sola em vaqueta......urna 2\s00
Taboas de amarello.....duzia 1406000
dem diversas. -..... 87*000
Tapiocas.........arroba 3*000
Tatajuba........quintal 1*900
Travs ........urna 6*000
Unbasdeboi ......Cento 200
Vassouras de piassava ... > 10*000
Ditas de timb....... 8*000
Ditas de carnauba..... 6*000
Vinagre. .........caada 500
Alfandega dePernambuco, 14 de maryo de 1865
(Assignado;):
O 1." conferente, Florencio Donunguet O 2. conferente, Jos Miguel de I^ira.
Approvo.-Alfandega de Peraamuco, 24 de mar-
vereiro de 1865.A. Eulalio.
Conforme.O 3. escriplarario, Joao dos Sanios
Porto.
Recebedorla de rendas Inter-
nan seraes dePernambuco.
41:814*150
777*132
Rendimentodo dia 1 a2C
^dem do dia 14
391*282
PRAGA DO RECIFE
94 E n Vll O Bt: IS65.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios....... Sobre Londres saccou-se a 26
;i e 26 ), d. por 1*000; sobre
Pars a 360 rs. por fr. e sobre
Lisboa de 95 a 97 por cento de
premio; montando os saques
efT.-ctaados durante a semana a
se 25,000. .
AlgoJo........Vendeu-se o de Pernambuco de
16*500 a 18*ii00 por arroba, o
de Mcei, posto a bordo, a
17*600, e o da Parahyba,. tajn-
bem po-io a bordo, a 19*300.
Assucar........Vendeu-se o branco de 3*400
a 3*800 por arroba, o somenos
a 2*800, o mascavado purgado
de 2*100 a 2*500 e o bruto de
1*750 a 1*050.
Agurdente.....Vendeu-se de 74*000 a 75*000
apipa.
Couros......... Os seceos c salgados venderam-
se a 140 rs. a libra.
Arroz...........O pilado da India veadeu-se a
2*400 a arroba-, e o do Mara-
nho a 3*000.
Azeite-dce.....Vendeu-se o de Lisboa a 2*350
o galo, e o do Estreilo a 2*000
B icalho.......Vendeu-se em atacado a 13*000
a barrica, e a letalho vendeu-se
a 18*000 a dita; cando era de-
posito 8,000 barricas.
Batatas.........Venderam-se a 2*500 o gigo.
Itolaxinhas.....dem a 4*000 a barriquinha.
Carne secca-----A do Rio-rande do Sul. ven-
deu-se de 300 rs. a 5*000 por
arroba, Picando em deposito 50
mil arrobas ; e a do Rio da Pra-
ta, veadeu-se de 2*000 4*000,
licando em deposito 25,000 ar-
robas.
Ca.......... Vendeu-se de 7*000 a 8*000 a
arroba.
Cha............dem de 1*600 a 2*300 a libra.
Carvo de pedra- Vendeu-se a 12*000 atondada.
Ceneja........Vendeu-se de 4*800 a 0*000 a
duzia de garrafas.
Farlnlia de trigo. O deposito lem diminuidomuito,
em consequencia da que tem sa-
bido para a Babia e para o nor-
te, limitndose hoje a existen-
cia a !,%0 barricas de Phila-
delphia, 9,000 de New-York,
10,000 de Triesto e cerca de
1,000 saceos de 100 libras cada
om do Cnile : retatnou-se a pri-
mrira e segunda de 18*000 a
10*000, a tercena de 20*000 a
21*000 e a do Chile a 8*000 o
sacco.
LMft....... A ingleza vendeu-se com 320
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Manteiga.......Vendeu se a ingleza a 960 rs. a
libra, e a franceza a 840 rs. a
dita.
M.1IMII......... Venderam-se a 5*500 caixa.
p.issas........ dem a 4*000 a dita.
Oueijos........Os llmennos venderam-se de
1*400 a 1*600 cada um.
Sabo.......... O ioglez vendeu-se al40rs. a
libra, e a da Mediterrneo a 120
rs. a dita.
Toucinho....... Vemieu-se a 8*003 a arroba do
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 100*
a 110* a jiipa.
Vinhos......... Venderam-se os de Lisboa de
200*000 a 210* a pipa e os de
outros paizes de 160*000 a 190*
a dita.
Volas.......... As de composico venderam-se
a 540 rs. o pacote de 6 volas.
);scGnlos.......O rebate de letras regulou a
12 por cento ao auno.
Fre|c..........Para Liverpool Vs a X d- par li-
1ra, 5 % pelo algodo ; o a 10/
a 12/6-5 % pelo lastro, e para
o Canal inglez 40/-5/..
o regulamento de 9 de julho de 1864.
Conforme.
A. F. da Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-^
cial, em cumprimento da ordena do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do correte, manda fa-
zer publico qne no da 14 de junho proximovin-
douro, perante a junta da fazenaa da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da adeiadacidade de Nazarelb, ava-
liada em 18:093*900 rs.
A arrematadlo ser feita na forma.da lei pro-
pretende sahif em poucos dias o patacho portuguez
Jarcopor lera mator parte daearga tratad; t par
-M~a pooco que Ihe falta trala-se cem os coosigaa-
larwsPaJwira^BelIrio, larg do.Corpo 3anio
n. 4, priroeiro andar.
Ri* (iraiuiV. do Norte e 33.
Segna a oarcaca Uous Amigos, a sabir por estes
dias, recebe carga por precos commodos : a tratar
na escadinha com o mostr, ou no caes do Ramos
CMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Mavegacio costeira por vapor.
lieno e escalas.
No dia 30 do corrente as 5 ho-
ra da larde, segoe o vapor Pa-
rali/i.coiiimaiidante Marins, pa-
ra os portos indicados. Recebe-se
carga ato o dia 29. Encom-
medas, passageiros e dinheiio a frete at 2 horas
da tarde ;do dia da sabida : escriptorio no For-
te do Mallos n. i.
Para o Rio da Prata frela-sc a barca brasiler-
. ra Nova Colonia, de lote de :<00 toneladas: a ira-
rente pe o vapor francez Jvflwnrft As cartas se-, tar no escriptorio de Amorim Irraos, ra da Cruz
rao receb.das ate 3 horas antes da que for marca- B. 3, ou cora o. capito Maoocl Nuaes Barbosa, na
da para, a sah^a do vapor, e os joruaes ale 4 lio- praca ,} commercio
rasantes.
se ex-
2a lo-
cuca; de Amonio Moreira Reis, como cessiona-
rio de D. Joinna do Ro^srio Guimaraes.
Correi geral
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico que em virrude da convenci postal
celebrada pelos governos brasileiro e frncez, se-
roexpedidas malas para Europa no dia 30 do cor-
EDITAES.
O Dr. Joo Antonio de Araujo Frcitas Hanriques
juiz de direilo do crime e substituto do do com-
mercio desta cidade do Recife de Pernambuco e
seu termo, por Sua aiagestade Imperial e cons-
titucional o Sr. u. Pedro II a quem Deus guarde
etc.
Fago saber pelo presente que no dia Io de abril
do correle anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der em praca publica depois da audien-
cia respectiva, a escrava Leopoldina, crie+a, que
representa ter 10 aonos, e esta" soffrendo de Triel-
dade, avaliada por 400*000, a qoal pertencente
a Manoel do Reg Barros, e ao mesmo penhorada
poc executao de Gurgcl o, Perdigo.
E na falla de licitantes sera' a arrematacao ferta
pelo prego da adjudicaco com o abaiimeato res-
pectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimenlo de todos,
mandei fazer o presente edital, que sera' afflxado
nos lugares do costume e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 24 de margo de 1865.
Eu Manoel de Camino Paes d'Andrade, escri-
vo a subscrevi.
Joo Antonio d'Araujo Freilas Heuriques.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial; em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 15 de margo corrente, man-
da fazer publico, qoc no dia 30 do mesmo, perante
a junta dafazenda da mesma thesouraria, se ha de
arrematar, quem por menos Dzer, a obra da re-
construegao da bomba d varzea de Paolisla, ava-
liada em 800*.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
ciaasuias especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
go, comparegam na sala das sessdes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar, se maodou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesourarir provincial de Pernam-
buco, 18 de margo de 1865. O secrelario, A. F.
Clausuas especiaes para a arremalago.
1.* A reconstruego da bomba da Varzea no en-
genho l'.iulista, na Importancia de 800*, ser feita
de accorJo com o presente orgameoto approvado
pela presidencia.
2.J O arrematante dar comeco obra no prazo
de 15 dias, e a concluir no de 45, contados ambos
na forma da lei.
3.* O pagamento ser feito cm uraa.sprestago,
dedois da obra acabada.
4.* O arrematante, na execaco dos trabaihos,
seguir restrictamente as instruegoes do engeahei-
ro encarregado da tiscalisacao dos mesmos tra-
baihos.
5.' arrematante nao ter direilo algum a in-
demnisago qualquer que seja a natureza da alle-
gagao que fizer.
5." Em ludo mais que nao se contm as presen-
tes clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o regula-
mento das obras publicas.
Conforme.A. F. d'Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 16 do corrente, manda fa-
zer publico que no dia 6 de abril prximo vindou-
ro, perante a junta da fazenda da mesma thesoura-
ria, se ha de arrematar a quem por menos fizer os
reparos de que precisa o empedramento da estra-
da de Apipucos, desde o lugar em frente a da
Trenope at o Chora-Menino, avahados em rs......
3:080*.
A arrematagao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparegam na sala das sos-oes; da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o prsenle
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 20 da margo de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira da Auounciago.
Clausulas especiaes para a arrematago.*
1.' As obras dos reparos ao empedramento ci-
ma mencionadas serao feitas de conformidade com
o orgamento junto na importancia de 3:080*.
2.a O arrematante dar principio no prazo de 15
dias, e concluir no de dous mezes, ambos conta-
dos da data da arrematago.
3.* O pagamento ser realisado em tres presta-
c5es iguaes, sendo a primeira quando tiver feito
urna terga parle da obra, a segunda quando tiver
feito doos lergos, e a terceira e ultima quando li-
ver concluido o entremie definitivamente.
4.' Para tudo mais que nao estiver especificado
as preseoles clausulas, seguir-se-ha o que deter-
mina ct regulamento de de julho de 1864.
Conforme.
Antonio Ferreira da Annunciago.
O Illm. Sr. inspeclor da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 16 do corrente, manda fa-
zer publico que no dia 6 de abril prximo vindon-
ro. perante a junta da fezenda da mesma thesou-
raria, se ha de arrematar a quem por menos fl/.er
os reparos de que precisa a ponte do Rio Formoso,
servindo de base a esta arrematago a quantia de
787*000.
A arrematago ser feita na forma da lei Dro
vlncial n. 343 de 15 de margo de 1834, e sob as
clausulas especiaos abaixo copiadas.
_As pessoas que se propozerem a esta arremata-
go comparegam na sala das sesses da referida
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau-
sulas espeoiaes abaixtMleclaradas.
As" pessoas que se propozerem essa arremata-
go, comparegam na sala das sesses da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarin da thesouraria provinci. I de Per-
nambuco, 14 de margo de 1863.O secretario, A
F. d'Anaunciago.
Clausulas especiaes para a arrematago.
1." O edificio paca a cadeia de Nazareth, ser
feilo de conformidade com a planta e orgamento
junto, na importancia de I8:003*i'i)0 rs.
2." O arrematante ser obrigado a dar principio
aos Irabalbos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato. ,
3.* Os pagamentos serao feitos em 3 prestagoes
iguaes correspondentes a cada lergo da obra (inda.
4.* Nao ser em lempo algum atleodida qualquer
reclamago por parle do arrematante tenden-
te inderanisago, quaesquer que sejam as ailega-
g5es em que se hajam para esse fin, ainda mes-
mo por prejuizos provados.
5.* Para tudo o que nao esiiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipoe o re-
gulamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Aunoociacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
publico que no dia 12 de abril prximo vjndouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesourarie
*C bg^ rjft ^^^llflUMaJI fr *MkWt O-C IJiettiii fit.W ti

paro* de quc-MQCiftt-fr-jftlWndilfcniWHtf. avaaik*.
em 2:20O*j&
r*feita n terna da lei pro-
de mais de 1854, e sob as
darttacadac.
ozerera,a esla arre mata-
sala das sessoes da referida
mencionado pelo meio dia e
ilHadas.
se mandou publicar o presente
AdmjmMraco do correio de Pernambuco 22 de
marco de 1865.O administrador,
Demragosdos Passos Miranda.
aORREIQ MU
Helaran das carias seguras vindas do narle pelo
vapor lp> para os senhores abaixo decla-
radas :
Dr. Augusto, (lurgel do Amaral.
Alfredo Nuuo ds Castro I.avor.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Emiliano Jos Rodrigues
l'irmino do Mello Azevedo.
Francisco Ferreira Bo/ges.
Ildefonso Hinoch de Berredo.
Joaqnim Pereira de Azevedo.
Joo Joaquim da Cunta Reg Barros
Jos Rodrigues de Souza.
Jos dos Sanios Neves.
Jos Roberto Vianna Guilhon.
Maria Emilia Pinto.
Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Presidente da relaco.
No dia 30 do"corrente depois da audiencia
do juiz do paz do segundo dlslrirto da Boa Vista
tem de ser arrematada um terreno com urna pe-
quena casa de tabea sito na ra de Joo Fernin-
des Vieira, pertencente a Luiz Manoel do Nasci-
rnento, por execugo que move contra o mesmo
Eduardo Marques de Olivoira & C.
i'empanhia das lensagerjes
Imperial Is.
No dia 30 do
correnta niuz es-
pera-s dos por
tos do sul o va-
por francez Ka-
AGS &300$000.
Corre aiuaolia.
Terra-feira 28 do crreme mea,
trahir a ullima parte da < Ia da
teria (10a) a beneficio d. m iriz de S. Jo-
s do Becife, no consistorio da oreja de
Nossa Senhora do Rosario da freguezia
de Santo AmoHio.
Os bilhetesjneios e quartos esio a ven-
da na respectiva thesouraria roa do Cres-
po n. 15.
Os premios de G-OOOjSOOO at 100000
serio pagos unta hora depois da esfraeco
at as 't horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas s ro guardadas so-
menle at a noite da vesperada extracto
como de costume.
0 uVsoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
l'm rapaz bnsileiro rom pratica de caixei-
ro offoreoe-se para ser empregado em toja de fa-
zendas, escriptorio on oatro qualquer estabelec-
mento, dando fiador a sna conduela : quem pre-
cisar procure na fabrica da Iravessa do Carioca n.
2, caes do Ramos, ou ajiimncie sua morada para
sor procurado.
Alujase uro sino que (ni or. Sebaslio Pen-
na, na Capunga Velha, com boa casa, cochera, es-
danta 4ui.iv ,le ,rir;,na- loarlo para preto, tanque para banho, le-
u sdi ,^,.,1!lrin:'' e,c- mu,a* fructoiras : a tratar na rea
la l\oi, o quat rto imperado,. n. i6_
(Uhiois da derao |-------:--------,,.,, .-^,..nm-------- -^:
?VfceSy?"iS-rf0iri Para Bord,,aux loean4 emi abaixoass'S :'ado P^^ encarecidameu-
'Em. ViccoTe'ha'uin vapor em corresponden- \ !c no,Sr- A,),,mio Emjgrfio RibeirO, que a
cia com Gore. ljen' da sua Iioiiim entregue ao annanciante
Para fretes, condi^des e passagens trata-se na j a quantia de U04, a qual fiz o complemento
agencia ra do Trapiche n. 9.______________j da resliluicio de 80;5, dados |.el Illm. Sr.
PflVfl (i U\(\ ti o //iaa9'iV/i.. '-^' da '' a *'* ^ dezembro de 18(54,
o /no ut. Janean,paraseremenlregDesaoannllnciaie. sim;
o veleiro brigue escuna No Sn, pretende seguir
no flm da presente semana, lem parle do seu rar-
regamento emgajado : para o resto que Ihe falla,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Ohveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1.______________________________
Para o Para
Sr. Emygdio, complete esla restituico ;
porqu*vem muito ao caso, a quem pie-
tende provar em juizo o quesito de ho-
mem honrado, em oceasiode abeilura de
falieocia que se Ie proiaove. Sim, Sr.
Emygdio, repito, convm resliluir este di-
nheir i; assim como estituio a letra d acei-
te da mesma pessuaj referida edo valor de
pretende seguir com muila brevidade o veleiro
hiate Dous Amigos, tem dous tercos de- seu carre-; 8
gamento prompto : para o rest que llie falu ira- i -Jl-)ooU, no da / de reverti do presente
KCIacao (las Carlas segOPaS, existentes ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de! anno, quando o aiinunciaiite expro'ron e
na adiniistracao do Col'PeiO desU 0|iveira Awvedo & C, no seu escriptorio ra oa! S. S., em alias vozes, araraoando cliama-lo a
ci ade, para s senhores abaixo de- -ruzD" ^ ^ presenra da autoiidade pol cial no estabele-
A arreatataoop
vincjal nN
clausulas
Al pos
qo com;
junta no
competen!
E para
pelo-jornal
Secretaria.da tuesourark provincial' de Pernam-
buco, y de marco de I8tw.
Q secretario.
Antonio Ferreira d'Annunciac,
Clausulan especiaes para & arrematacao.
1*. Os reuaros. da poute o>. tioiauna na importan-
cia dje 2:2005000 serao feitos de conformidade com
o respectivo orcaraeuto approvado pela ytesideu-
cia.
2";0 arrematante dar comeco aos trai>aihos no
prazo de lo dw^.o.o conclua*no d lias umzes,
contados ambos na forma da lei.
3*0s pagamentos serao feitos en dua? prestar
coes.e iguaes, a primeira qaCQd.o estiver ftjta me-
tade da obra, e asegunda depois Jj3 coucluidoa to-
dos os uabalbos.
4" Na execucao dos trabaihos o arremaiaala se.
guiri restrictamente as instruccoos do engenheiro
encarregado da uscaJisaso dps trabaUws-
"i- O arrematante fura oiroga ao cngwpeico (U
toda a madtira velha que (car d-u poute n pelus e v
tr.ivios ser o r.espon^vl, alu quo tlkrtut a dtla
entrega.
6* O. arremata! ni. tr,a di*io ^?JQVwMp
cao aiguma, qualquer aja) sjfi a nattwzalda. alte-
gagp, para esse nm fizer.
GmfQr.mfi,
Antonio Ferreira d'Annunciaijao.
O i)r. Tristao de Aloecnr Araripe, officiaj da un-
pejial ordem da. lusa e mi(espacial do cm-
marcio desta cidade- do- Recife de Pernambuco e
se termo, por Sua Magestade- Imperial, quo
Daps guarde, ele.
Fago saber aos qua o [Msente edita! vivera, e
doli noticia tivercm, que no dia 27 do corrente
mez, ter lugar a arrematago do eseRavq.de no-
me Amaro, crioulo, de deses.eis annos de idade
pouoo mais ou menos, pe*orado ao lente coro-
nel Francisco Santiago Ramos por execucao de
Joaqpim Elviro Alves da Silva, avahado em um
cont e quiQheotes mil ris; aaso nao appareca
iSncador, que eutra o pre^o da avaliacao, sera a
arreaiatacao feita pelo preeo da a.dj|udicacao com.
o abate d h-i.
E para que o presente cheeuc ao raiilMituna^tq,
de todos, ser publicado pelo imprentae ajjlvido
na fdrraa da 1er.
Repife, H de marco de 1865".
Ei Manoel Maria Rodrigues do Nascimento. es-
crivO; o subscrevi.
TrisSo de Alencar Araripe.
Antomo Lopes. Rodrigues^ (i)
r>r. Augusto G'urgcb d> Amajal.
Clandino de Hollanda l'awalototi^
(auoMdo Vieira da Curta.
Felippe Nery dos- Santos-.
Francisco de Mello Brrelo.
Dr. Emiliano Jos Rodrigues.
Dr. Gaspar de Menezes Vascoorellos <
mond.
Alfercs Joaqnim Pedro do liego Barros.
Joaquim Pereira de Azevedo.
J' 3o Francisco Silvestre de Mello.
Dr. Jos Ferreira Druvalle.
Jos Joaquim de Lima.
Jos Porfirio Teixeira, de Mifanda.
D. Mara J..scpna di Jssu?.
ManoerRibpiro Bastos.
Presidente da relacao.
'frajano Augusto de Carvalho.
Vicente Fraorisro-ite Oliveira.
Arminlo Saraiva & c.
Geminiano Brasil de Oliveira Ges.
Joo da Concei(ao Bravo.
Jbs Jorge de Siquelra FiltMk
JOs Joaquim Ribeiro de Campos.
Drui-
Para a Babia
segu o patacho D. Luiz com parte da carga
' prompta: para o resto trata se com Jos Maria Pal-
1 moirc. largo do Corpo Santa n. 21.
Para o Para.
vai seguir com muila brevidade o palhabote Pa-
raense, tem a maior parte da carga prompta, e
para o resto que Ihe faita tratase com o consigna-
tario Joaqnim Jos Gongahes lieltrao, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6.
armazem.
Maranhtio
O palhabote Gartbaldi segu para Maranho por
estes dias, recebe carga : a tratar com Tasso Ir-
mos.
LEUDES.
t-UW
IlffiLiM&uES.
OLPREZA- -COIMBB&
4* reeirn da asignatura.
Qtiarta-foira 29 de marco de
1865.
Representar-so pela primeira voz o oteressante
(Irania em 4 actos, do Sr. Pinheiro Guimares, in-
titulad"
HISTORIA
m WC4 RHI4.
PERS0N.VGE.NS.
U*U*................ D. Eugeoja.
Baijtttoa de l'enripi----- D. Francisca.
U Mana-............. D. Jt.suiua.
Braufc, omlaW. ose va D. Cami.
Enulia, menina.......... N. N.
Rositiha............... D. B.ilbina.
! JoanniaUa.............. D. Leopoldina
Vieira................. Cimbra.
Dr. Roberto............ Germano.
Frederico............... I4*boa.
Henrique.............. Boefes.
AHhur.................. Coeiho.
Alberto................ GtHmaraes.
Magalhes............. Porto.
Antunes............... Pmto.
Alfredo............... Teixeira.
Leopoldo..............- Santa Rosa.
Joao da Silva........... S. Demetrio.
Joo. mualo escravo___ Manhooso.
l'oj. kri'i......... N. X.
l'm escravo........... N. N.
Um criado............. N. N.
Mascarados de ambos os sexos.
01 e 2Uactos passam se em Pernambuco; o 3o
na cidade do Rio de Janeiro ; e o 4 na provincia'
Dar fim ao espectculo o muito appiaudido vau-
deville era ora acto
4 GOHUA SE\SiVi;L.
Principiar s 8 horas.
Lello
De urna mobilia de Jacaranda com pedra, 1 guar-
da vestido, 1 mesa elstica, 3 secretarias, t cama
franceza, 1 lavatorio com pedra, 2 cadeiras de
i blanco, 1 guarda roupa, 1 sof, 1 cama de ferro,
! l cadeiras, 1 aparelho para jantar, 8 lanternas,
6 jarras para llores, 2 serpentinas, I aparo.lho para
| almo?o, 2 salvas de prata, C castieaes de prata, 1
i paliteiro de prata, o bancas para jogo, 4 escarra-
deiras, 2 cadeiras de braco, 2 palanquins, 1 fog*
| inglez, esleirs para sala, 1 cabriolet de 4 rodas.
11 cavallo, 1 cabti.let, 2 rodas e outros ohjectos, 1
I esc. ava de 35 anno>, 1 escravo de 18 annos.
ajioojtk:
' Na Soledade principio da estrada de Joo de Bar-
ros casa n. 7.
Cordeiro Sim5es fara leilo dos objectos cima
! mencion?dos e por conta e ordem de urna pessoa
i que se relira para uropa.
Dar principio o leilo as 11 horas, parlindo da
ra do Crespo um mnibus as 10 horas para con-
duccao dos prelendenles.
Leilo de l'azendas avariadas salvadas
dobr 2 hoja:
27 da marco as 10 horas em ponto.
O agente Pialo far, leilo a requerimento dos
consignatarios do brigue inglez com licenca do inspector da alfandega em pre-
senta dos empregados da mesma reparlico para
flm nomeados, com asistencia do cnsul de S.
M. Britannica e por conta e risco de quem per-
tencer de dilforentes fazendas inglezas taes como
, madapoloes. algodozinhos, chitas, casos e las,
parte dos salvados do referido brigue, existentes
no armazem alfaudegado do baro do Livramento
caes do Apollo,onde se effectuara' o leilo deven-
do ter comeco as 10 horas em ponto.___________
Leilo de2casasterreis sitas na Capung.-i
a ruadas Crioulas n. 39 e 41, em chaos
proprios edificadas bem pouco terapo
! cimente de fazendas do Sr. Manoel da Silva
Antunes, na ra do Queimado; aim, de se Ihe
restituir a referida letra, u/ie estar em seu
poder, para ins convenientes, dttde 20 de
maio de 1864, e restituir tambero acuella
quantia de 80(5, a qual prometiendo S. S.
solemnemente restitui-la a 28 de fevereir
do presente anno, eso restituio 206 por mo
do dono do eslabelecimento. O annunciante
ainda Ihe acccssivel. se nao euixula-Io
em sua residencia, nos cartones ou na casa
de audiencia ; bote o referido valor de 60$
no deposito gcral, porque fica riscado da
conducta do Sr. Emygdio este abuso de con-
ianca. que todos sabem a lei coreo qualifica
fados desta ordem praticados quando se
fechou a toja, e desappareteu o que
havia dentro. J o Sr. Emygdio pode
passar entre a ilustre corporacao commer-
cial, atravessar o grupo de amigos e evitar
em algum templo.-, como homem honrado.
Complete oSr. Emygdio a restituico ainda
recommendo-lhe, nao faca suas lestemunhas
estremecerom no acto de boiarem a nifio di-
reita no livro dos Santos Evang-elhos : nem
seus amigos por enyergonhados se hormri-
sarein.
Justino Martijr Gomia ile Mvlo.
Na ra Velha n. 43 toja, ha para .lugruma
ama escrava para todo o servico de casa de fa-
milia.
Precisase de urna mulher quo saiba bem de
costura para casado pouca familia : na ra do Ran-
gel n. 3.____________________________________
Ao publico.
O escrivo do commercio Paes do Andrade, de-
clara que da sala das audiencias, no dia 13 do cor-
rente, desapparecera urna h-ira e varios documen-
tos, sendo esla de Antonio Fernandos de Azevedo,
aceita por Joaquim iguacio Itibeiio Jnior do valor
del:700000 mais ou menos ; e assim previne
! que ninguem. negocie dita letra, pedindo a quera
\ porventura a possuir, ou rieUa noticia tiver, se di-
i rija seu cartono a ra do Imperador n. 35 ou a
sua casa particular ra da Umo n. 42, corto de
I que ser generosamente recompensado.
Preclsa-se de um caixeiro : na ra da Flo-
rentina n. 18.
Ama
AVISOS M1BITIM0S.
COMPANEIA BEASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOB
com um grande t rreno junto as mesmas.
Cordeiro Simoes
fara' leilo por conta e risco de quem pertencer
das casas e terreno cima raenci nados : os pre-
tendentes podera examinar e qualquer informa-
coes o mesmo agente satisfar, cujo leilo ser ef-
fectuado
Qaarta feira 29 do correte
as 10 horas era ponto no arraaiem a ra da Cruz
d. m.______________________________
Leilo de movis, cryslaas, pianos e outros
objeetos de gosto.
Qiiarta-feira 29 do corrente as 11 horas.
Cordeiro Simoes fara' leilo de movis novos e
asados,crystaes, pianos e outros objectos de gos-
to que se torna eufalonho mencionar.
No armazem da ra da Cruz n. 37.
AVISOS DIVEBSQS.
Caixa Altai banc* le Brasil
ew, PernamiDiico,
14 de neiro de 186o.
De oaaeo da. dlraotona desta eaia, se convida '
aoscqedores de >ebastlo Jos da Silvaavirem
recebttffia&aukcauuk aueem:
rateiolhes toca da vendado urna das propieda-
des, .queseguodo acoacordata.lhe forarn entregues
para serem vendidas.Oguarda-livros,
Ignacio .Nuiles Corma.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tiv* thesoureiro estiautorisado a pagar o 22. di-
videndo de 10# por aeco.
O. guarda livaos,
Ignacio Nunes Correa.
Pela theseuraria provincial se faz publico,
que a arrematacao do importo do pedagio da pon-
te de Motocolomb foi transferida para o dia 30 do
corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de marco de 1865.O secretario.
A. F. d'Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publie,
que a arrematacao dos reparos de que precisa o
impedramento do lugar denominado Areias do
Giquina estrada da Victoria, foi transferida
para o dia 30 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de marco de 1863.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematacao da obra dos reparos da ponte
dos Carvalhos foi transferida para o dia 30 do cor-
rente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de marco de 1863.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico dias o brigue brasileiro Prazeres, "capilao Jerony-
que a arrematacao da obra dos reparos da cadeia \ mo Jos Telle : recebe alguma carga a frete e a
da villa do Cabo foi transferida para o dia 30 do tratar no escriptorio de Amorim Ir.-wos, ruada
correte. | Cruj b. 3.
Secretaria da thesouraria provincial de Femara-. ---------------=r--------------":----------------------
buco 17 de marco de 1865.O secretario, I Para \.lSUOa
A. F. d'Anmmeiacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico, I pretende seguir com muila brevidade a barca por-
que a arrematacao dos reparos de que prpcis :* j tugoeza Henriqueta, tem parte o sen carregamen-
cstrada do porto de Galinhas, foi transferida para to a bordo : para o rosto qua ihe falta e passagei-
o dia 30 do corrente. I ros, para os quaes lem muitos commodos, tratase
Secretaria da thesouraria provincial de Perom-i cora os seas consignatarios Antonio Lniz de Oli-
huco 17 de marfo de 1865.O secretario, I veira Azevedo 4 C... u"> so?, csciiptotjo ra da Cruz l Augusto R Blandi, subdito francez, segne
A. F. d'Annunciaco. 1 numero I. hpan o Rio de Janeiro.
Precisa-se de urna mulher j de maior idade e
que nao lenba a menor pessoa de familia, que dan-
do provas de sua boa conduca e comportamento,
esteja no caso de administrar urna casa de familia,
e fazer lodo o servico interno da mesma : quera
estiver neslas circumstancias dirija se a casa do
sacristo da Ordem Terceira de S. Francisco na
mesma que dir quem o pretndeme para iraiar
do ajuste.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prohs-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
Deseja-se filiar com o Sr. Domingos
da Costa llamos Filho, na ra larga do R)
sarion. 36, sejund) andar, a negocio de
Dos portos do sul esperado co ntorps's
at o dia 31 do correle um dos sea micre8S>e_______-------------------------__
vapores da companhia o qual de-' Adiase fgido o escravo de uoine Ruhuo,
pois da demora do costume se- crioulo, natural da povoaco de Bengallas, comar-
guiri para os portos do norte. ca do Limoeiro, baixo, grosso do eqroo. nariz cna-
Desd i recebem-se passageiros eengaia-se a to, bei$os grossos, em um dos ps urnas verrugas
eargaqneo vapor poder conduzir, a qual dever era ponto pequeo, no rosto urnas pintas de pan-
ser embarcada na dia de sua chegada: encon- s, em um geilo pouco na perna direita, bolan-
mendasedinhciroafreteatodiadasahidas.doojoelho para dantro, que ponco oivuiga-se .
hvac *aamri* na aa Crin n i nsftriinrin de Quem pegar o referido escravo sera bem gratinca-
Antonio^le&aAz^ levando-o a sua senhora D.
Maria Cavalcanlt de Albuquerque, up stfio Olho
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias ds
6 as lOdamanhSa, menos nos do-
mingos.
Praticara toda e qualquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabeiecimento dos seus
doentes.
Para o Rio Grande do Sul segne em poucos a\Agoa juntoa mesma povoaco de Bengallas ; Ai-
zendo mais que vai sentar praca no corpo de vo-
luntarios da patria.
"Aluga-se a leja o. t na ra Dircita, propria
para negocio : a tratar no segundo andar, entrada
pela ra da Pcpha.____________
Precisa se de um caixeiro at a dado ds 16
annos: na ra do Rangel n. 8, deposito.
Aluga-so urna boa casa n. 6 sita na. ra dos
' Coelhos, junto ao sobrado do fallecido Aoacleto :
a tratar na olaria n 13 na rna do Mondego.
Fugio em principios -dj mez de feveroiro do
corrente anno e consta estar acontado nesia cidade
o nvdeque Euzehin. escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Alfonso de M-dlo, de 11 anojs'do idade pou-
co mais ou mpnos, cor prela, secco do corpo. olhos
regularos e afuma^ados, cabeca nm pouco grande
e meia chata, beieos lino*, denlus bem alwis. pes
secos o muile ladino : roga-se por lano todas as
autoridades polir.iaes e capites de camp que o ap-
preliendam e le\em-o a ra da Mangneira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protesiando-se usar do
ineios judiciaes contra qualquer pessoa que o tetina,
era seu poder.
Fernando Afionse de Mello.
- Aluga-se o
Livramento n. 36
' andar do sonrado
a tratar M loja.
da rna do-
__Alugs-sc um sitio cercado, com algumas ar"
voresde frncio, poco d'agua doce, um lelheiro que
n^vo, na estrada Nova, perto do sitio da viuva Vil-
usecca, com quifm pede entender-o.


faj"
i


Mari* 4c remambuco .- efunda lelra 92 4 } 4* !#*
CASA DA FORTJh.
Aos 6:000$009,
Bilhetes garautidos.
A' ba do Crespo n. 23 i casas do costlmb.
O abaixo assignado vendeu nos seus muilo feli-
zesbilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio das obras da igreja de JS.
S. do Amparo de Olinda, os seguales premios
Ummefo n. 2353 com a serte 6:000000.
Um quarto n. 2619 com a sorte del:4OO#000.
m meio n. 127 com a sorte de -500,1.
E ouiras muitas sortes de iOOJ, 40J, 20$
10*000.
Os possnidores podem vir receber sens respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da 1' e I'
da 2* lotera beneficio da matriz de S.Jos do
Hectfe. que se extrahir no dia 28 do crreme.
PRECO.
Bilhetes. .... 7*000
Meios......3*500
Quartos.....1#900
ai pessoas que compraren! de 100)5000
para cima.
Bilhetes. 6*500
Meios. ..... 3*250
Quartos.....1*700
Manuel Martins Fiuza.
Para
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite que queira acem-
panhar urna familia fra da capital : na roa da
Croz n. 42, segundo andar.________________
Una carroca para cavad.
Quera tiver e quizer negociar, annuncie ou ap-
pareca na ra do Livramento n. 38.___________
Precisa-se de um menino de II a 15 annos,
que tenha bastante pratica de taberna e d fiador
a sua conducta : na ra do Rosario da Boa-Vista
n.43._________________________________
Joao Florentino Cavalcanti de Albnquerque,
residente na cidade de Campia Grande da pro-
vincia da Parahiba, achando-se accionado por nm
de seu credores, o Sr. Manoel Luiz do Oliveira
convida a lodosos outros seus credores para que
comparecam nomais curto praso, alim de entra-
rem em ratero, ou requerer lodo o direilo que lhes
assiste. ,^T_______ _
Furtarara do engenho Mussarob da comar-
ca de Goianna, na quinta-feira 10 do correnie mez
de marco, tres cavallos com os sigoaes seguintes :
dous rastanhos e um amarello, castrado, troncho
da orelha, e esta crusado nos quarlos, por isto lem
pouca sustancia, porm muito bom para arrodaco
de engenho, o outro castanho escuro, lem urna
e-trella na testa, e um p branco, do piador para
baixo, e o ultimo cardo, bravo per ser pai do
lote, todos carnudos, e o cardan bem feito e est
gordo bastante, novos, e esto ferrados : pagase
bem a quera os entregar no Recife aos Srs. Leal &
Irmo. e no dito engenho Mussamb ao padre Luiz
Jes de Fipueiredo __________
w
Procuradoria.
Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ce de Len, como solicitador, se encarre-
t ga das causas crimes, civeis, commer-
ciaes e ecclesiasticas. Elle anda recebe
algumas casas de partido, medanle a
um ajuste razoavel. Pode ser procura-
. do as salas das audiencias ou na ra
I Imperial sobrado n. 64.
mmmmmmmmmmm m
Francisco Luiz Gongalves Ferreira participa
aocorpo do commeno que dissolveu a socida-
de qne tinha rom Maximiano da Silva, Orando o
abaixo assignado ixm a casa de pasto da ra das
CraztS d. 39, denominada Vtneza do Norte. Re
c i fe 23 de marco de 1865.
Francisco Luiz Gorcalves Ferreira.
Os administradores da massa faliida de Amo
rkm, Fragoso. Santos & C. declarara que o paga-
mento do Io dividendo de 5 0/0 ja annunciado por
vezes, lera lugar somente at o da 31 do corren-
te, e depois desse dia depositario as quantias per-
Lencentes aqueltes seuiioru credores que nao so
apresentarem no praso marcado.
Precisa-se de urna ama forra de muito bons
costamos para tratar de meninos, engonimar e ou-
tros pequeos servicos: na ra dos Guararapes,
sobrado n. 26.___________________
Joanna Mara Macil previne ao respeitavel
publico que nao contrate com o seu marido Fran-
cisco Jos Duarte Carnario, porque este se acha em
estado de nao ser valido qualquer contrato feito
por elle, e quem o fizer passar pelo desgosto de
perder o seudinheiro ebens. Recife 21 de marco
de 18ti5.________________________________
a ra da Florentina n. 36, prepara-se co-
miJa parafora por comraodo prego.________
Precisa-se alugar urna escrava para todo o
servico de urna casa de familia : na ra das Cru-
zes n. 9, segundo andar._______________
O abaixo assignadj tem justa e contratada a
sua taberna sita no pateo do Carmo n. 2 com o Sr.
Thomaz Jos de Oliveira : quem se julgar com di-
reilo a mesma, dirjase no praso de tres dias para
ser attendido, no largo do Carmo d. 13. Recife
22 de marco de 1865
Estevo Rodrigues Fontes.
faMigce
Instrueces para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e aceomniodadas ao
exercito bresileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistan nos corpos
de voluntarios; vende-se na vratia n. 6 e1
8 da prata da Ind pendencia, a 10.
..wmwmm..
Aatonio Joaquim de Mello, antigo advo
gado nesia cidade e procurador fiscal da
loeseuraria do fazenda, emprego que
WL servio por mais de 22 annos, contina a
^p advogar em lodos os ramos do civel
crine, com proviso do Exm. Sr. conse-
Iheiro presidente da relacao. Na ra do
Imperador n. 14.
Theotooio Flix de Mello, avisa ao respeitavel
publico que todos os escravos da propnedade do
Sr. Pedro Coelho da Silveira, reodeiro do engenho
Balara da comarca de Santo A ota o Ihe estao hy-
potheeados por eseriptura publica laucada na nota
do tabellio Porto-carreiro, alim de que nao seja
alguem Iludido, visto constar-llie que o mesmo
senbor pretenden dispr de algum dos referidos
escravos._______________________________
O abaixo assignado tendo de fazer urna via-
gem a Europa deixa o Sr. Joao Francisco de Oli-
veira Santos, subdito brasileiro, sea discpulo en-
carregado de sua oflicina de cutileria sita a ra
Nova n. 34, que fara" como de costume as amola-
coes, concertos de armas e outros trabalhos ten-
dentes a sua arte, os qoaes desempenhara' cora
habilidade visto estar em sua companhia ha mais
de 6 annos. O abaixo assignado espera que seus
freguezes continuem com a mesma benevolencia
ao dito Sr. Joao Francisco de Oliveira Santos, o
qual se tornara' merecedor della pela sua pericia.
E deixa por seus procuradores ero primeiro lugar
o Sr. JuNo dos Santos Pereira, em segundo o Sr.
Augusto Berlrand e em terceiro o Sr. Joo Fran-
cisco de Oliveira Santos.
Joseph Pradines.
WZ O bacharel Alvaro Caramba T. da Silva
^ tem seu escriptorio de advocacia a' ra
rfei do Imperador n. i, primeiro andar, on-
jjg de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
^2 Em qualquer outra occasiao sera' encon-
Jgl irado na casa de sua residencia a mesma
g ra d. 3, junto ao Gabinete Portugaez.
19 RA NOVA 19
Frederieo autier, cirurglo dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descocerlas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas prepararles empregadas com murtas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fissao, advertindo que trouxe um immenso sortimento de dentaduras artikiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aporfeicoadas para chumbagem-
instramentos novo, ferramenta moderna, cadeira de opejacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso de servir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confian oa.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manlia" atao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nSotiver de ir em casas particulares.
A NACIONAL.
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEWBRO DE 1859
Orna lianra em dinheiro, depositado eos cofres do estado, pranle a boa
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA I D1RECCO GERAL
O Bauco de Hespaaha | Madrid : Ra do Prado n.IO
Esta companhia liga pelo systema mutuo lodasas combinaedes de supervivencia dos seguro
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenbum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tosuprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI-
NAL,que ainda mesmodimlnuindo urna ter$a parte do interesse produiido em recentesliquida-
|f6es ecombinando-o com a raortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidacSes, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna mporsie.aoannual
de 100 produz era effeclivo metlico:
No flm de o annos. ... 1:119*300
de 10 + -......3:942,5600
de 15........11:208,5200
de 20........30:256*000
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considera veis.
Prospecta e mais informales serao prestadas pelo sub-direclor nestaprovincia.
mo Joaquim Fiuz de Oliveira. ra daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, estabel
responsaveis os abaixo assignados pelo activo e cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irm5o.
passivo da mesma sociedade, vem pois protestar
Os abaixo assignados socios da firma social
Alfredo de Albnquerque Marlios Pereira & C,
vendo publicado nos Diartos dos dias 21 e 22 do
correnie mez, um annuncio de Jos Teixeira da
Cosa socio da mesma firma social em qus declara
que deixou de ser socio da prensa de algodao, sita
no Forte do Mato que gyrava debaixo da referida
firma social, e bem assim que ficavam somente
contra dito annuncio e declarar qne, nao podendo,
um socio de orna sociedade qualquer della reli-
rar-se e eximir-se da responsabilidade a seu arbi-,
trio e sem mutuo accordo dos outros socios, o re-
ferido Costa, nao poda COBO tal fazer um seme-
Inante annuncio vista como nenhum accordo hou-
ve a tal respeilo entre os abaixo assignados, os'.
quaes consideram o dito Sr. Costa como socio e
solidariamente responsavel, tanto como os abai-
XO assignados pelo activo e passivo de dita pren- [
sa social, em quanto nao fr dita sociedade le- j
galraente dissolvida per mutua concrdala de lo-
dos os supraditos socios.
Alfredo de Albaquerque Martins Pereira.
Frederieo Angosto Vellose da Silveira.
Precisa-se de urna ama que saiba bem cosi-
nhar e comprar: na ra Direita n. 112, primeiro
andar.
Aluga-se urna casa nova e fresca por prefo
commodo na Capunga na primeira entrada antes
de chegai S. Jos do Mangoinho : a tratar no nu-
mero 3 A.
Na rna da Cadeia do Recile n. 54 precisase
fallar com o Sr. Manoel Pereira Brando a nego-
cio que nao ignora.
Da-se dinhelro a juros
lias : na ra Augnsia n. 45.
em pequeas quan-
VA'fi* W'AftCA*
js^b'-'cWa*:
^obrbab tinta
Na ra do Arago n. 12.
Caixtero.
Na na Direita' n. 82 precisa-se de um rapaz de
idade de I i a 18 annos para caixeiro de padaria
qne abone seu cdinportamento
Precisa-se de urna ama forra oa escrava: na
ra do Imperador n. 27 _______________
~~^ Te ca-fetra pelas 8 horas do dia cele-
bra-sc urna missa n > matriz de Santo An-
tonio pelo reponso eterno do Exm. Sr. con-
sellieiro Francisco Xavier Paes Barreto. Pe-
de-e aos amigos e parentes queiram com-
pare er a um acto to religioso.______^J
Alugam se dous grandes sobrados com cora-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, coeheira, estribara e outras commo-
didades na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42._______
Joo da 3ilva Ramos, medico pela ni-
versidade de Coimbra, da consultas em
sua casa das 9 s II horas da manhaa, e
das 4 s 6 da urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
paro isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qaal-
quer oceasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
as 8 horas da manhaa.
Tem sr.a casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doeute,
ainda mesmo os alienados, para o qne
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira cas* 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2*000
Esle estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos qne tem pres-
tado.
O propietario espera que elle conti-
a merecer a contiacca de que sem-
tem gozado.
No dia 21 do correte mez desencamiohou-
te um preto ganhador com nm sarco com 2$
cuias de farinha e orna arroba de caf, que deu-
se para elle levar no largo da igreja de N. S. da
Soledade da freguezia da Boa-Vista, e vinha em
companhia do dito prelo urna prela de idade da
casa do dono dos objectos, e ella nao pode seguir
os passos do dito preto : roga-se as pessoas a
quem for offerecido estes ebjectos, de toma-Ios e
fazer o favor de mandar leva-Ios ao stu dono, mo-
rador na rna de Joo Fernandes Vieira n. 64. ou
annunciar pelo Diario, que se pagarlo as des-
pezas.___________
tirande sortimento de music-s
chegadas pelo ultimo vapor do Rio de Janeiro, e
tiradas das melhores operas dos melhores antores
da Europa e da corte do imperio, entre ellas se
acham as denominadas :
Familia imperial
Tomada de Paysandu
Entrega de Mntevido
Os voluntarios da patria, eic, etc.
Assim como um esplendido sortimento de msi-
cas viadas de Paris pelo ultimo vapor : ra do
Imperador n. 53, fabrica de pianos.
Traspassa-se a leja de barbeiro da ra da
Imperatriz n. 63, muito propria para um princi-
plante ou outro qualquer negocio pela sua boa lo-
calidade : a tratar na mesma.________
RA JLAltftA IlO
Rosarlo n. S9.
O proprietario do hotel Traviala, achando-se dej
novo era seu eslabelecimenlo, e tendo feito nelle
minios raelhoramentos, convida a seus mui distinc-:
tos freguezes, que se dignem de honra lo com suas
preseocas; offerecendo-se-lhes para remetter co-!
mida as suas casas cora loda promplido e asseio
pelo preco mai commodo possivel: no mesmo es-
tabelecimento ha buhares, sorvelee refrescos.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ia Rila : na ra da Aurora n. 36. i
Precisase de urna ama que faca o servico'
de urna casa de pouca familia, paga-se bem : na
ra do Queicado n. 33, loja. ____________ :
Precisa-se de urna pesara para botar sentido ]6V,{
a ura sitio na Capunga, dando-se-lhe dous quar-! A.4
to> para inorar : a tratar na ra da Imperatriz
n.64._______________________________
Anda contina por alugar-se o sota > do so-
brado o. 62 da ra da tiuia, que equivale a ura
terceiro andar por ter 2 jaaellas de frente, 2 salas,
6 quartos c orna grande cacimba, o qoal acha-se
pintado de novo, e aluga-se barato : a tratar no
jrmeiro andar com o seu proprietario o bacharel
Francisco Luiz Correia de Andrade.
Na ra do Arago n. 3, faz-ss comida para
fora, lava se e engomma-se rom perfeico ludo
mais barato do que cm outra qualquer parte.fQ
Na ra de Santa Rita n. 1, precisa-se de urna
ama para o servico de casa e comprar, prefere-se
escrava.
Precisa-so de urna ama para cpzinhar c fa-
zer o mais servico de una casa de familia : na
travessa dos Ferreiros, casa qoe tem lampio de
gaz na porta.____________________________
Ainda est para alugar o segundo
XAROPE DEPURATIVO
JLE goux
BR0MO-SULPH0-IODURADO
Este novo produelo resultado de urna trplice combinacao de tres mctalloides cujas proprie-
dades sao mui conhecidas, o Bromo, o Euxofre e o Iodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais notareis dos hospitaes de Paris, os senhores Cazenave,
Puche, Bazin, Blache, Cuibout, laroschet, Danei, Legrux, Vasse e Aubry, etc., demonstrarSo
sua poderosa efficacia as aeccoes seguientes:
Denra dr pella,
Buril- e borbulkas teda a espacia,
Placan mucaaaa,
Obilrucriin I jmpballca,
Papel raa,
Eacrefalaa,
Abeeasea, paatentaa,
Carnerea,
Ulceras,
Tlatha,
Eaeerbate,
rlaa ou Bsuhas (do Braiil],
O Xarpe de L Oonx, da unta fcil Hige*tn e Ha HM Helicioso, se emprega tambem
com muita vantagem t 6 aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e rachiiieas oh sobre a influencia de nm vicio hereditario, e mui
superior nesle emprego ao oleo de ligado de bacalho e aos xarpes depurativos e anti-escor-
buticos que se adminislravao at agora.
Deposito geral, em Parts, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
Paris, official da LegiSo de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Frambeesla,
llamares fras,
Racbltlsa*, .
OpbtkalMla esarafalasa e ehraalea,
Tialca cscrofalasa,
Affcceca syphllltieaa,
Elepliaatlaala du Grcyas,
E todis u doent occationadu por un vicio do
stngne, e ji tratadis sem neuhum succesio pelas
preparacaes vegetaet, iodidas t o olto d firado
de bclhio.
XAROPE D'ETHER I
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legiao de Honra,
Ra dea Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este xarpe composto i mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de administrar o Eiher. He empregado com suocesso cm todas as doencas que lirio sua
origcm de um crilhismo nervoso, como sao as:
Eaxasjaeea),
Nen-alglas,
En ananaes,
AttaajHes Se nervs,
Vcrllceaa,
Syaeapes,
Deposito geral, em Paris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro da Academia
imperial de Medicina de Paris, official da Legiao de Honra, ra des Fosss-Montmartre, 47, c
cm todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Calinbra de ealoniago,
Iadlgcstoee,
Canvulara,
Aeeessas hysterleas e jpo-
condrlacsa,
Calleas veatasaa ou
aaa, hepatleaa Hataleatas,
Aeeessas Se (ata Se rheu-
aiatlaaaa.
Casas Se cnvcnralcmeato,
te., etc., etc.
1
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
____ SUFFOCgAO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio efficaz para combatlir estas molestias, acalmar um atlaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do D' Danet. DcecoberU inteinunente
recente, este bovo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resal-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Ghauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e en todas u
blicas de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22, em casa de Caros & Barbosa.
N. 11Ra do Queimado N. 11
roa do langel b. 67, coofronle
na le ia do Costa eS.
andar da
botica : a fallar
Precisa-sede amassador: na roa da Senzala
Velha n. 94.______________
Aluga-se ama sala no primeiro andar na roa
Nova n. 23, muito propria para escriptorio : a
tratar na loja.
Precisa-se de um feitor que sJba ler e es-
crever, e que seja portugoez, para o engenho Nat
to Grosso, enmarca do Ro Formoso : a tratar
com Jo3o Rento ?. iooveia, propriatario do mes-
mo engenho, ou com Leal & Irmo, na ra da Ca-
deUdo Recife n. 56.
Pergunta-se aos senhores administradores da
massa de Manoel de, Azovedo Pontes se ainda res-
la fazer algum dividendo, e quando pretendem
prestar ootas.
Superiores cortes de seia prela cora lindas barras.
Suoerior seda faconn o que ha de melhor e mai.s gosto.
Moreantique prelo muito bonito a 2800, 3, 3otlO o 1,3 o covado.
Completo sortimento de grosdenapL preto de muitas quaidades.
Pannos pretos e casemiras de uUitas quaiidades.
Bournus, chales eis de renda pretos superiores.
Superiores pelisses e soulembarqoes de seda para j olieras.
Buurnusde la para senhoras a 12
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhoras.
Cortas de la de barras de HA a 22$ de muito gosto
E muitas outras lazeodas de superior qualidade na loja de Augusto FreJcrco dos
Santos Porto aoode tambem se vendem as melhores c mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
N. ti Ra do Queimado---X. \\
Na ra do Moodego nlsrla n. 13. existe orna
carta para ser entregue W Sr. acadmico Anto-
nio Jos Lopes Filho, e na mesma ciara pode
entregar a resposta.
Atteiicao.
Furlaram na noitede 21 do correnie, do en-
genho Timb, era J.ihoalo, um avallo alagan ca-
boclo, declinas e cauda brancas, eom o nico fer-
_ 'ro F no quarlo direilo: quem delle soutier e qui-
Precia-su d um molequeda 18 a 0 annos: I zer dar noticia ao pnprietario do referido enge-
na ra da Larangeirae d. 10. nha ter urna boa reeompenai.
Offureee-se ura h.imera cora bastante pratica de
adminislracao de engenho*: quem de seu presu-
mo se quizer utilisar annuncio por este jornal pa-
ra ser procurado.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 33
da ra da Matriz, tem comraodos para grande fa-
'mla: a tratar com o Sr. Antonio Joaquim Fer-
! reir Porto, ou com Miguel Joaquim da Costa na
na da Cadeia n. 12. ____________ _______
ireci*a~'se de orna ama para o servido de
casa e comprar: Ba ra A'igosia n. o.
Aluga-se um sillo na ra do Cabial
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada emargem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para sustenta-lo, arvoredos de ruc-
los, sem visinbo defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a festa e
tambem se alugar por armo: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livraria ns. 6 e 8 d pra-
ca da Independencia e em Olioda na casa
contigua com o capitao Antonio Bernardo
Ferreira. ^____
Est para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um 1* e 2* andar de um sobrado
oa roa do Rosario da Boa-Vista, qoasi no pateo da
Saota Croz, e urna mei agoa na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agna de beber,e porlao
para o becco do Pombal : quem pretender falle
na roa das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa al ao meio dia. _____________
Aluga-se orna pequea rasa terrea com quin-
tal, cacimba, etc., preco de 12# : na ra doGazo-
raetro confronte a fabrica._________________
A quem mteressar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer pretenco como: passaportes, porta-
rlas, apprehencoes de quaesquer objectos; pela
presidencia portaras, passaportes,paleotes de of-
flciaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ;pelas repartices Gscaes desembara-
zo do terreos de mannha e de estabelecimeotos
que por engao ou ignorancia de seos proprieta-
rioseslejam sujeitosao rigor du flse^; pela capi-
taniado porto matriculas de carpinteros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser procurado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Braga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ra do Collegio n. 7 do Sr An-
tonio Domingues Ferreira, e em S. Jos ra Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Prannos.
_________Joaquim Jos dos Santos Barraca.
Samuel Power Jolinston :iom|ianlia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA OA
Fnnd;So de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Comprase ou
que seja cofinheiro :
aluga-se nm preto oo prea
na ra do Pillar n. 113.
Jornaa para embrvlho
Comprase a 140 rs. a libra : na aotiga fabrica
de cigarros, roa dos Qaarteis n. 21. ________
Na ra do Cre.po n. lo, primeiro- andar,
coraprara-se libras esterlinas. ____________
Comprase urna balanza que sirva para ar-
mazem de carne secca \ na ra do Vigario n. 2',
loja.
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de ^abir dos pe-
los de nossa typogiapbia o
Almanak Admiriistiairvo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Attenco
Veode-se superior vinho do Porto em caixas de
umaduzia : em casa de Johnston Pater A C. rna
doVigario n. 3.
Queijos
o melhor qoe ba neste genero a 2 cada um e ce-
bolas a 1.3 o cento : no amigo e acreditado esta-
belecimento junto a es la typographia n. 42.
Vende-se um jarro, bacia e salva grande de
prata contrastada ecm o peso de 1,443 oiisvas,
muito proprio para o lava-ps de qninta-feira san-
ta, orna escrivaninha de prata ecm todos os seos
perlences, 12 colheres para sopa, 12 ditas para
cha, 12 garios e algumas facas, 1 talher delirar
sopa, lalher de trinchar, lude prata antiga, nma
cama de Jacaranda muito antiga, talvez de mais
de om secnlo, composta de mais de 80 pe^as, cora
muitos bordados e relevos, faltando-lhe algomas
pecas, que com facihdad se pode mandar fazer,
est se acabando de invernisar una duzia de ca-
deiras tambem de Jacaranda, gosto antigo, vindas
I do Rio de Janeiro para um casamento : quem
I pretender qualquer dos objectos cima, dirjase a
! ra da Senzala Velha o. 124 que achara com
quem tratar.
Promessas para Santo Amaro.
Vendem-se pernas, bracos, cabecas, jeitos, de-
dos, ps, maos e rorarOes, vellas enlejiadas para
Alfonso Jos de Oliveira, professor jubilado baptisados, ludo de cera feito rom perfeicao ror
da cadeira de geographia e historia do ex-lyco' commodos precos : na loja de cera da ra do Li-
desta cidade e competentemente aotorisado pela' trmenlo n. 86 junto igreja.
directora geral da nstrurrao publica para ensi-
nar primeiras letras, latim, francez, rhetorica e
geographia, contina com aula aberta deslas mes-
mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se-
gundo andar, e recebe alumnos internos e ex-
ternos.
Salitre
Na rna do Queimado n. 37, leja de ferragens, de
Domiogos Jos Ferreira Goimaraus, vende-se sali-
tre refinado por 25j a barrica de 4 arrobas, ou a
6*406 a arroba so a dinheiro.
Os Srs. academices que vo matrieoar-se
no terceiro anno da Facoldadede Direito, podem
dirigirse a ra da Saudade n. 9. fronteira a do
Hospicio, onde se lhes vender o compendio de
direito civil at as 9 horas da manhaa, e das 4 at
as 6 horas da larde.
Ccrveja a COO rs.
Chegou ao armazem Atianc, ra do Imperador
o. 57 a superior cerveja bata em barril, qoe se
vende a 200 rs. o copo.
Tinturara
Na roa Direita n. 116 conlinua-se a tingir para
qualquer cor, e o mais barato possivel.
A luga-se
umacasaacabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, coeheira, quar'os para feitor e
escravos,com banho na porta, no lugar do Poco
daPanella.ruado Rio : a tratar com Tassoir-
mans,na_rua do Amorira n. 35.
Precisa-se de urna ama que engomte e co
zinhe : a tratar na ra da Cadeia do Recife n. 40
loja de relojoeiro.
Na loja da ra estrena do Rosario n.24 ven
de-se um relogio patente inglez, um dito suisso e
dous ditos horisontaes, todos de ooro, 2 pares de
brincos, 2 medalhas, 3 allioetes, 3 vollas e 1 abo-
toadura para collete.
Bilkar.
Vende-se um bilitar de Jacaranda, moderno, com
pouco oso, e com todos es seos perteoces : a tra-
tar oa ruada Cadeia do Recifen 61, segundo
andar.
GRANDE
PECKHA
Chitas largas de cores flxas 1 240 rs. o covado :
Da ra da Madre de Dos o. 7.
Vendem-se duas arrobas de pennas de ema
de priraeira qualidade, seodo a maior parte hran-
cas : na ra do Araorira n. 36.___________
Vende se
unta porfi de doce secco e de calda, caj, laran-
ja, gela eprozella, por preco commodo : a tratar
oo largo do Jarmo o. 2, taberna.
Vende-se urna taberna propria para um
principiante fazer um negocio de vantagem : a
tratar na ra da Guia o. 42.
Cera de carnauba em saceos por pre^o c m
modo : na ra do An.orim n. <>2 anuazem de An
ionio Alberto de Son'.a Aguiar.
Vendem se duas casas na estrada do Ca
Phosphoros.
Na loja do rival sera segnndo, rna do Qoeimado
os. 49 e 55, chegoo nma pechincha ; duzia de
phosphoros de seguranca a 120 rs caixas de pen-1 xang, tendo um grande'elheiro ao lado e es
as lnglezas muito finas a 500 rs.; estes dous ar- hribaria : a tratar na padra do Chara Menino
seor? pechinchas por serem de 1uaIi*a pe o.__________________________! bom andador sem achaques, para tratar e ver na
ruado Imperador cacheiran. 23.
Aluga-se a casa n. 29 da rna do Pires ; a
chave acha-se na ra da Cadeia n. "6, esquina do
becco Largo, onde se trata : esta casa tem com-
modos para familia.
Na roa da Croz n. 38, era casa de AHIIs~La-
thara & C vende-se :
Cha.
Oleo de Imhaca.
Folhas de Fiandres.
Sellins e silhoes inglezes.
Cerveja aspinall.
Dita liass.
Dita John Isfnry & C.
E nm piano com pouco uso.
kttenco*
Vende-se 160 frascos de tinturas ho
meopathicas vindas de Paris (d/alellan)
na ra da Cruz n. 6i.
NICO DEPOSITO
DE
Pao e de cestas em PertaRibuco
Rna larga do Rosarlo 11. 3 Este estabelecimento nico nesta cidade, sordo
de um ludo que desejar-sc emobras de palli se de vi-
me,acaba de receber da Europa os econmicos bei eos-
volantes de todos os tamaitos para recem-nasci-
dos, ditos paia horneas de meninas, balaios to
meninos aprendernn a andar, ditos com lampa e
, sem ella para costuras grassas, ditos com tampa-
Jose Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita- para 3rumar roupas de passar dias fura e conduzir
vel poblico e a todos os senhores offlciaes do exer- jantar,, ditos grandes e menores para deposito de
cito e da mannha que contina a ter sua casa sor- roupa SOja> dilos para ajuntar papel rasgado, ditos
tida de fazendas e roupas fetas, e por medida : no | para costura de meninas e cestinhas dcllas enia-
jargo do Livramento n. 34. rem no braco ; bandejas de vime para roupa cm-
gommada e para flores ; cadeira-i para senhoras e
\ meninas viagarem nos vapores e rerrcio nos Ierra-
eos, condenas e acafates brancos e pintados de to-
aos os tamaitas, balaios e cestas das compras no-
mercado : continuamos a fornecer sorlimentos
deslas obras, as pessoas de fra que nos honrara
com os seus pedidos, certos de que os precos serao
os mais razoaveis, por muito carecernios da prote-c-
.10 dos nossos freguezes e amigos.
(0 hacharel Jos Baplisla Giliranajlj
advoga nos termos do Bonito e Caruani. ttj
Pode ser procurado na villa do Bonito, 5
rna Direita n. 16, defronte da cadeia.
Urna pessoa bastante habilitada pro-
poe-se a leccionar a lrgua portugueza e
franceza em algum engenho do interior des-
ta provincia ; quem se quizer utilisar diri-
ja-se a ra Direita n. 75, que achara com
quem tratar.
G0MPBA5.
Compram se libras slerlinas: no ar-
mazem de Ferrira A- Matheus, na rna da
Cadeia do Recife n. 6(5.
Na rna da Croz n. 33 eompram-se cdulas
das caixas filiaes das provincias e do banco do
Brasil com descont razoavel.
Comprare um raulatinho de 10 a 12 anno*
que seja sadio e tenha boa figura : na ra do Im-
perador n. 46. ^^_________________
Compra-se ouro e prata em obras velbas, pa
pa-se bem : na loja de bilhetes da Praca da inde-
pendencia n. 22.
-^Compra-se efectivamente ouro e piala em
onras velhas, pagndose bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Attenco
1
Antonio Duarte Carneiro Vianna scienGca ao
respeitavel publico, e especialmente aos seus nu-
merosos freguezes, que acaba de abrir um novo
estabelecimento na casa n. 22 da ra Nova, situa-
da entre o sen antigo armazem de ferragens e a sua
bem coohecida o popular loja da exposicao de can-
dieiros i caz, existiodo entre as tres casas espa-
cosas commonicaroes, de maneira que facilitam aos.
compradores raonirem-se commodamente dos ob-
jectos diversos de que precisarem. Alera do eos-
tomado e variado sortimeoto, qoe o respeitavel pu-
blico sempre cncoolroo.e eontioua a encontrar nos
seus estabelecimentos, achara no que araba de fran-
quear nma multidc de objectos de luxo, posto e
utilidade, das mais afamadas fabricas de Franca,
Inglaterra e Allemanha, para as quaes continuar
sempre a fazer encommendas especiaos; e sendo,
como fastidioso numerar os muito e variados
artigo de culellana, tapecaria, crislalaria, de me-
taes Anos, de porcellanas, etc., etc., deixa de o fa-
zer, e convida ao mesmo publico, que venha visi-
ar os seus mencionados estabelecimentos.
Vende-se
_________________ instruecoes para os servicos das guardas exlrahi
Compra-se um escravo cozinheiro que seja!das dos regulamentos de infantaria e accommoda
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado. dil!!> a disciplina que se pratica no exercito brasi
n. 32 da rna da Aurora. : 'eir'. cm a tabella das continencias: na livraria
da praca da Independencia ns. 6 e 8, a 1 cada
exemplar.
Compra-se cobre, bronze e ferro ruado ve
I ho : na fundlcao da Aurora, cm Sanio Amaro.
-Comprase ou aluga-se um escravo que sirva
para todo o servico : a tratar na ra da Coneor-
dia n. 64, padaria do gaz.
Vende-se
Compra-se um piobiha
corredor do Bi*po n. 9.
do amarello: no
um sitio no Caminho Novo, ra 4A Espe/an^a n.
64, que vai para o Mangoinho, cora grande casa
moito fresca e ramios commodos: na rna do Des-
lino o. 16.





s


Diarto de pernaiM^,-. H^wfkjclr^p^^w^^ J,#*.
PRODUCTOS ADMIRAREIS
DO
ENSIGNE CUIMICO I
X
DO

RIO DE JANEIRO.
2*000
500
Chumbador lehl.
ou esmalte branco inalieravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicagao para chumbar os deutes por si mesrao, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente efficaz. 0 chumbador lehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios denles: acompanha ama guia......
Cimento ehlnez
para concertar com a maior perfeicao iouca, porcellana, crystaes,
vidroSj marmore e (jualquer.objecte precioso......
(iraealo de guita percha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia...... ........
t-oginelico indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac urna guia. .
islevir olontalgico vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservacao dos mesmos, o en-
durecimento das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia...................
Eacrivore
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.....
Uelsteln
pedra austraca para curar os tumores, inchaces e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim, cangalha e outros arreios
dos burros e cavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de i"it. Afianca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cieatrisada. e que nao
exista mais incliaco. Acompanha urna guia.......
Unas ehnticas
extracto dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos p61as afamadas limas chimicas de Pedro Mourlh.
Acompanha urna guia. O par ... ...... 3*000
Massa dentarla Sainakol
esta mas a, pouce temp depois de sua introduccaj na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentilicias. Acompa-
nha urna guia................ 3*000
Massa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de loja, grades e corrimoes de escada. tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel cheiroso
'iiflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
los, producir sensai.oos agradaveis e desinfectar o ar dos denles:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondesicus
contra piolhos e lendeas; aancada sem mercurio.....
pos de prata
para pratear instantneamente o cobre, o latao, o bronze, etc.. e
reparar os objeclos ahtigos praleados, como faqueiros, salvas,
casticaes, apparelhos de cha e outros objectos semelhantes, af-
fian?ados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidros de 2 oitavas.. .
dem le urna onca. .
pos para limpar a prata tarrada
sao affiaocados nifalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos purgativos
paracowr e prevenir as molestias dos caes. Acomp. urna guia:
Carteira. .
dem .
Sabo oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia...........
Tinta Azul indelevei para marcar a roupa
azul no eserever, e em 2i horas na sombra ou menos de una
hora no sol, tornase preta e nunca ma s sabe do panno as la-
vagens. E' preciso eserever sobro panno encorpado ou engom-
ando. AHianca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres onca. .
dem de urna onca. .
fin enea nada indelevei mu perlina
para marcar a roupa, em vidros de meia onca.......
Ungento lehl
remedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, fstulas, frieiras, hemor-
roidas, lueencas, mordeduras, muas, panaricos, queiinaduras,
reumatismos, supuraces pulredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
dem. .
000 40*000
14500 12*000
2*000 18*000
3*000 2450C0
, Salsa pardilla de Ayer
PARA A CURA DA
EXKCOiLlLit
e todas as molestias
provenientes deila
todas as molestias da
pelle ,
eherjsipdlas, turnares, ulcera*,
sarnas,
nascidas. tuipiugeos,
REUMATISMO
SYPH1LIS
em todas as suas formas, assim como lodo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
l leeraco do ligado
tOJA OE M1UDEZAS
iC-KUA IWJgii:i.MAl)0-l
Enfrilc de checa
Mara, acabam de ehegar pelo uimo vapor fran-
cez os mais modernos e 111 11 de caheca a Maria,
os quaes se vendem muilo em cotila, a 2*, 3*, i*,
3*, 6*, 7* e 8*.
Casca nilnas.
Bonitas cascarrilhas de seda preta e de cores,
e com diferentes larguras, a l. 1^280, e l500 a
peca.
Ditas com duas cures, e de.todas as cores dille-
rentes larguras, a 1*500 e 1*800 a peca.
Ditas ditas de la com differentes cores a 1* e
1*280 a peca.
Fitas.
Riquissimas filas de grosdenaple lavrado, boni-
tos gostos e de lindas cores de 3, i, e o dedos de
largura, a 1*, 1*280, e l*>00 a vara.
Ditas ditas de sarja lisa de lodas as cores e de
e era summa todos os males que tem sua varias larguras, a 400, 500, 600, i* e t280.
18*000
1*000
1*000 ;*000
34*000
erigem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVAgO DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j
enfraquecido pela domen.
Vende-se na ra Direita ns. 12 e 7fl
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela f ranceza de
P.MAURER 4 C.
RA NOVA N. 18.
oW-UMa
D'IODURETO DUPLO
de FERROe QUININA
M
DE
AZEVEDO FLORES.
Ra da Cadt'ia do Kecife a. 47, esquina que volta para a Madre de !)<">.
Attenejlo.
MadapolSes francezes (prca) 13*, 143 e lo*.
Chitas para eoberta a 120 rs. o corado.
Laas lisas um completo e variadcsortiniento.
Lencos braDcos muilo tinos a 2*^0u a d:i zia.
Ditos de esguiao,
Um completo sortimento de chitas Jaras de 300 a oOO rs. o covado.
Cambraias lisas brancas muito finas a o a peca.
Aberturas de linho pregas largas.
Ditas de algodao muilo finas.
Bramante de urna largura.
Algod.i 3 da Baha para sacco. w
O 11.11,AO VENDE

24,5000
1*000 9*000
500
1*000
1*500
4*000
7*000
10*000
2*000 20*000
1*500
3*0(0
12*000
28*000
500 4*000
500
1*000
500
4*00
7*000
4*000
Os elementos que compoem esta preparacio. o
ferro, o iode e a quina, a colloco no primeiro
grao das prcpara<;des ferruginosas. Basta attestar
seus resultados oblidos pelos .Mdicos dos hospi-
taes, e osrclaioriosdos prcticos mais eminentes,
que confirmrSo sua poderosa efcacidade as
seguales affecvScs:
Minuna na aangae. COnvalcueeneadelon-
Fraqncu.
Anetulu.
CliloroKC ou lolrrtrl.
Menilint.
Aforcop do ntera.
Suppreaaea flan re-
(ran e tlCHordca na
menatruae&a.
AITeeeao pulmonar e
hlalale.
Maleatiaa d'e aldiu s
Qaatraltflaa.
lerda d'apprllte. etc.
Vejas se i bultetins de (teraputica medica
t cirurgica de 30 de novembre 1560; a Gateta
ios hospilaes de 28 dejulho 18t0, etc., etc.
Alm das pilulas de iodurelo duplo de (erro e de
quinina de RebiUon, os Mdicos aconseMo
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
forro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nio ten
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se t de se nio poder conservar.
Peca-se o folheto que se da" de graca em cata
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evitaren) falsificares, exija O com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a aa-
signatuxa do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia RebiUon,
4i2, rae du Bac, e em lodas as boas pharmaciu
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
Kk moleaiiaa.
MolcHilait eaerafala-
NU,
Paprlra.
< obniriirrao daa |lan-
dulaa. ...
llu inoren frloa.
, Huilln-)'* braaeaa.
. Bacblllamo.
Affccrea eanceraaa*
C K.phlllCIru.
i Fehrca (ypholdra.
I Varlalea, etc., etc.
i
1*000
500
7*000
4*000
2*000 18*000
GRANULOS
[de BISMUTH1
DE CHEVRIER
Os granulos au bismulh de Chevrier bem
superiores a todas as oulras preparacocs de
bismulh empregadas anles com o maior successo
pelos mdicos de lodosos paizes, para prevenir
curar as
Ma dl(eatoca.
Gaatrllea.
Pecas ditas de sarja muito estreitinha para en-
feitar toucas, a 600
Varas de llu do gaz de lodas as cores e lavra-
das de 2, 3, 4 e 5 dedos d3 largura, a 200, 24o,
300, 400 e 50.'.
Pecas grandes de tranca de la, a 240.
Varas de fita de la de lodas as cores para de-!
brum de vestido, a 100.
Bice urdo
Bonitos bicos pretos de seda goslo muilo moder-
nos, a 160, 240, 320, 400. 300, 640, 800 e 1*V
Ditos ditos de linho, a lOO, 160 e 200.
Latnrinlhos
de chroch imitacao dos da trra de dous dedos
at um palmo de largara, a 1 i, 1280, 1,5600, i,
2500, 3, 3J300, 5*000 e 7*000 a peca com dez
varas.
Luvas de Jouvd.
Brancas, pretas, cer de canna e todas as cores,
para nomens e para senhora, por 2500.
I Ditas pretas de seda, para nomens e para senho-
ra por 24
i Ditas f>relas de Jouvin, para homeds e para se-
nhora, porm na.-, sao frescas, a 500.
Sintos e livelas,
Riquissimos sintos pretos e largos com Arelas
pretas e grandes, a :5 e 5*.
i Ditos ditos pretos e bordados a ouro muito lar-
1 gos e com (ivelas grandes a 5.
i Riqnissimas flvellas para sintos dos gostos mais
I modernos qae tem apparecido, a 1*500, 2*. 3*,
4* e 5*; sao as (ivelas mais bonitas que tem vin-
I do a esta praca.
Alfioelcs de peito.
Riquissimos alfluetes cravejados de pedriohas e
madreperola do mais apurado goslo, a 1V 1*280,
: 1*600 e 2*.
Leqnes de Sndalo.
Bonitos leques de Sndalo de muito gosto, a "5,
6*, 7* e 8#.
Correales de reiogio,
Pretas e de muito gosto, a 1*280, 2* e 2*500.
Alnuns.
Para 12 retratos, 1*600 e 1*800.
Ditos para 20 retrato-, 2* e 2*200.
Ditos para 100 retratos, 6*, 15* e 2'
Ditos de veludo para 50 retratos, 6*.
Ditos ditos para 100 retratos, 8*.
Varios objectos.
Escovas para dentes, 160, 320 e 500.
Ditas para cabello. 600, 800 e 1*280.
Ditas de roupa, 800 e I*.
Conenies preta para relogio, 1* e 2*.
, EnOadores de espartilho, 60 e 120.
Varas de galo branco lavrado, 80.
Varas de fila de relroz preto, 120.
Bonecas grandes vestidas, 800.
i Ditas que choram, a 160, 800 e 1*280.
i AIGnetes pretos para peito, 4*. 1*500 e 2*.
Rosetas pretas, i*, 1*500 e 2*
L Pulseiras de conlinhas, 500 e 600.
Ditas de aljfar, 1*. 1*500, 2* e 2*^00.
Voltas pretas grandes, 1*500.
Pentes pretos, 1*500 e 2*.
Bonitas crozes com pedrinhas, 1* e 1*600.
perfumams,
Garrafas de agua Florida, 15280.
| Garrafas grandes d'agaa de Colonia, 1*100,
1*600 e 2.
Fras minhos de dii.v a 400, 500 e 800.
Ditos de Sndalo, a I* e 1*500.
Ditos de oleo pheiocome, a 800.
Frascos com banha franceza, a 100 e 800.
Ditos com banba e extracto, a 1*.
Copos com banha franceza, a 1*200 e 1*400.
Caixinhas de p d'arroz, a 600 e 1*.
Saboneles de bolla, a 360.
~v>nn < o so sT>-"> ngco^-;g
ErJCOOi TT---". a o a o

12*.
Palotots de casamira pretos e de cores saceos a 9*, 10*, II* e
Ditos do alpaca branca e preta a 4*, 1*500 e >&.
Calcas de i asumir preti de 8* a 155.
Ditas de casemira d i cor a 5*, 8* e 10*.
Calcas de brim branco a 3*, 1-3 e 5*
Golletes de dito dilo de 2* a 35500.
Dil >s de r.iseiiira pretos e de c 'res a 45, 45300 e 35-
Calcas de princeza para luto a 4* e 3*.
Ceroulas francezas a 1*600.
Ditas de liulio com duas costuras superiores.
Camisas francezas de diversas qualidades de 2* a 3*.
Ditas verdadeiras inglezas.
Colarinhos de linho muito linos.
Ditos dfiapel a 40 rs. cada um.
Corles de casemira de cores por presos cornmodcs.
Ditos de casamira preta fioa de 7* e 55- -
Mdias cruas Inglezas o melluT que ha a duzia 8*.
Balos de 20, la o 30 arcos a 3* e 3*300.
Camisas de Amella de cores d 3*30o a 7*.
Os donos deste estabelecimenio encarr--gam-se de mandar fazer qualquer obra de brim e
semira ele. para horneas e meninos por precos que admira ; aproveitein que o Balo esta dispos!
jjUeimar, so quer dinbeiro I
a
& '-y^-
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ba de melhor goste em
Pernambuco.
dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 2*400, 2*G00, 3*, 3*500, 4*, 5*, 0*,
7* e 8* o covado.
Superior gorgur.o de seda preto, a mellior fazenda que ha para vestido.
Sarja pela de seda,
dem preta hes>aiihola.
dem idem lavrada a 2* o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a l*.fi00, 1*800, 2*, 2*500, 30,
3*300, i i, 4*500 e 5*.
Pannos pretos de soper'nr qualidade de 3* a 12* o covado.
Casemira preta de 1*600 a o* o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas proles de fil e los pretos.
E muitas outras fatendas de superior qualidade na lija dasColumua?
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successon
de Jos Morei a Lopes.
a
v.
-4*000
2*000
Marrara* raronlcaa.
Djaaenterlaa.
Ddrea ,I>Iiiho
Dyapeaalaa.
a M
-* M M ,-;
35 c^- te
Ualiralflaa, etc.

nico deposito em Pernambco era grosso e a retalho f^X^'^
30*000
17 4000 pnmciros symptomas d essas formidaveis
i />)wv tffeccoes se manifesto ordinariamente por diges-
a, falta d'appelile, pesos
EM CASA DE MANOEL & C.
h ra no (Aiuca
f'ara 1 Acliam-se venda nalivraria ns, 6 e 8 da
pra^a da Independencia:
A FOLIIINII.V DEPORTA, abrangendo o
Calendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
mes do commereio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBE1KA conteiido o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabal Mater
?m verso, devocao ae agonisante, coracao
deJesas, cntico em louvor doSantissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
snlteira (poesa), crescido numero dema-
ximas e pensamentos, urna historia como
militas (romance), e vintecinco nevase
pilhericas charadas a 320 rs.
LeRiimes novos a 6,40o rs. a arroha*
Na padaria atraz da fuudicao do Sr. Siarr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e desrasca-
das, lentilhas e sevadinha pelo preco em sorlimen-
to de 65400 rs e conforme fr a porgao (az-se al-
gum abatimento.
Vendem-se moedas portuguezas de ouro de
15000 : na ra Dlreilan. 24._________________
Jumentos.
Vende-se nm lindo casal de jumentos, de bella
raca, grandes e novo?, proprios para a conservacao
da'mesma raca, e crusamento, do que se colher
magnifico* machos e muas para carros e cargas,
cuja jumenta est grvida ; assim como urna lin-
da jumentinha rom pouco menos de ura anno :
ver e tratar com Jos Pereira Cesar no sitio Pi-
rauuyra, arrabalde da villa do Limoeiro. _
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
d> >!nnha. a tratar com Tasso Irmiios.
CemcnlA ronano
e de Portlaad : no armazem de Tasso Irmos.
Vende-se urna vacca boa lellera com urna
cria chegada ha ponco de oianna : a tratar na
rua das Larangeiras b. 5, primeiro andar.
Vende-se um bonito faqneiro novo de prata
e duas grandes salva: na roa da Praia n. 9.
avariado.
Francez barrica 5*000
l'ortland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portlaud idem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
ntrpretaca das leis
POR
Crrela Telle.
Na livraria da praca da Independencia ns. 6 e
8 vende se por 2*560 a Iheoria da interprelacao
das leis por Cerreia Telles.
Salsa parrilha de
HrisloL
Pilulas de lemp.
Vende-se na pharmacia de Pinto, rua larga do
Rosario n. 10.
FARELO
em saceos de mais de 100 libras : nos arinazens
de Tasso Irmo.
Attencao.
Loureiro Santos & C, acabam de receber da Eu-
ropa pelo vapor, um lindo sorlimento de enfeiles
pretos, proprios para a quaresma, enfeites ainda
nao vistos em Pernambuco, pelo preco de 5*, 69,
10*, 12# e 209, bem como grosdenaples preto, mo-
reantiq, capas de grosdenaples, e sonthambarqoes
do mesmo ; ludo por precos mdicos : rua do
Crespo n. 14, junto a loja de Iouca.
tomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidSo, Iraz ine-
viuvelmente, que seja:
Maleatiaa de Ciliada.
A Ictericia.
ralpllaca de roraeaa
Darea aaa rtaa.
v ^z Z. > ^^
_ 2? -; a> -i a
"frliHSl vivan
* B so> 2.t o ^5 e-i
o
o r-__
I i "i I
ts
3 cr
-a
c
-i
CJ
5
% O
as

^ s '
f M 5?
39
(A
o "
v.
z:
2 3 s
W o, o
e o,
cu
2-
t M
i'
B
o,
X
s
s
c-o:
6 t:
-5 C/. C_
u > -
r.

-i
-i
c
u zz
OppreaaOea.
Ddrea de rabera
Irrllacoea de Ix-ilga e
da aiatrlm, etc.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cura) as quando sio tonudos a
tempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito graLem Pars, pharmacia Chevrier,
e cm todas as pliarmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
GRAGEAS dlCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
Estes confeitos que tem por base o prin..
cipio activo da vrimeira citbeba juulo com!M colares anodines elctricos colra as convulses
a cupahyba pura, nao nausen n estomaga. (|;k criautas.
Elles fazem parar immediatamente as mais; O bom e proveitoso resultado que as maneas
rebeldes gOnorrlidSj mesmo as que reS'Sti- oblem na demicao. trazendo desses col.-.res, ji
nm ncnli.'lia o a cnnnhvha i nm a tnooa o a copanyin iMiiaaamente. ;penfaveis e aS!im leem os pais inconles,a.
Deposito geral em PernambUC rua Qa|Velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
Cruz n.2- em casa de Caros & Karboza
Colare Rover
se tambem na rua do Quemado, loja d'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Conimua-se a vender em porcao e a retalho :
na rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
v e gales pretos para vestidos,
A aguia branca recebeu novamente um bello
sortimento de enfeites preto? para vestidos, sendo d'Apollo.
bonitas trancas, franjas, palOes e bicos pretos?etc., J
assim como botos enfullados de vidrilhos, e on
tros mnitos enffiles do di(Tei\:.V- 'ores, conti-
COMPENDIO DOLOROSO
I que contm o oflicio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e fferecer a co-
r a, um setenario e mais oulros exerci-
cios de piedade e devoco; ordenado pe-
la irmandade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S.M. I., que Deusguarde;
dado luz por devoco do muilo reve-
rendo padre Fr. Placido de Missina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
i da praca da Independencia.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Rua do Queimado n. 19.
Vende-se o segiiinte :
Lences de panno de linlio
pelo baratisHmo preco de 2*400.
Lences de bramante de linho
de um so panno a 3*500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 2*500.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 2* a duzia.
Pecas de bre'anha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 3*800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 2*6 0.
Guardanapos
de linho finos duna 3*300.
Algodao'entestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 1*200.
Cortes de la
com 15 covados a 6*.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado peca 11?.
Fil de linho
liso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodao
com 8 palmos de largura vara 2*200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 3"200.
Lazinhas carmeiim miudlnhas
prspria para vestido de menina, covado (00 rs.
Lazinhas
de cores Onas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
largura, por menos preco do que em outraqual.
quer parte.
Neste armazem de fazendas "se enconirar nm
grande sortimento de roopa feita e por medido.
MACHINAS MI?
de trabalfaar Ko par*-
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C
OIPAH
Estas machinas
podeindescarogar
qualquer especio
de algodao am
estragar c g,
sendo bastante
duas pessoas para
o traballio; podo
descarocar urna
arroba de lgi-
das em canjee
em 140 mioutoi.
ou 18 arroba.*
por dia ou 8 *
robas de algodao
limpo. -
Assim como machinas para serem movida: por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
iimpo, por dia; e motores para mover um. i'uds,
euirjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um beHissin;< \--
por que pode fazer mover seis dcstas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Sr:,.
! agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Satiuders Brothers k C.
X. II, praea do Corpo Maulo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paix.
CIMENTO
Francez barrica
P rilan l barrica
ou
8J5 '0.
Ni irap'c'ii!btr5> do Livrament aj ce>
Francisco Jos Germano
mi \ov.i x. 2i,
acaba de receber um lindo e magnifico sorlimento nuando a aguia branca na rua do Queimado in. 8 Blrlliol0111011 Fl'ailCSCO dcSoUZS k C.
DKOGAHIA.
31Kua larga de Rosario34
de ocultis, lunetos e binculos,
apurado goslo da Europa.
do ullimo e mais
Vendf-se
A melhor taberna da rua de S. Miguel nos Afo-
gados, com poucos fundos, na mesma tem um ran-
cho bem montado para sertanejos, com urna nume-
rosa freguezia, e deixa um resultado que so se
acredita mostrando se a quera pretender.
. Vende-se ou troca-se por outra que cozinhe
e engomme, urna escrava de nacao, ptima quitan-
deira, que paga pontualmente por semana 6*000 :
a tratar na rua da Detencao, casa defrente do so-
brado n. 13. Xa mesma se vendo urna erioulinha
mulata com principio de costura e labyrinlho, de
idade de 9 para 10 annos, excellente peca para
memosear alguma noiva. l
Vinho (Miares.
Aca\i de ehegar de Lisboa o su; erior e
verdidiro vinho de Collares, em ca'xa,
a vender ludo Isso por precos commodos.
Bonitas caixinhas
com msica sem ella para costura, e atrs.
igualmente uncas coin perfumaras finas.
A aguia branca na rua do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para;
esta excei ente qua i ade d i vmho torna-se costura, e outras com perfumara? finas, e conti- '
recommendavel. por nao conter espirito e na a vende-las baratamente.
Veadem:
Acido icjtico puro p..ra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papjl para forrar casas.
Guarnieses avelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino, era pcs.
ter agradavel paladar, supe ior ao mellrr
Bdrdeaux, sendo aquella parlicularidade
apreciajel c ut na presente eslavo calm>
sa, emque osv nhis aguinlentados se tor-
nam pr'jit'lieiaes: vende-se no Tjeptsito,
ruadaCadeia escriptoro di Leal fteii.
ATTENQAO.
Vende-se no armazem Garantia da run do Im-
perador n. 14, ceblas novas a I* o cento e bata- _
tas a UOOO a arrolia e 60 a libra, e carne de por- "a Praa d* Independencia.
1 co de Minas em iombo a 2*0 rs a libra 6 e 8.
0 GASTELLO DE GRASVILLE
Tradnzido do franeei per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
j tomos pelo baratissimo preco de 2*5300 :
ivraria r.s.
Presos que admira.
Sapatosde tranca supuriores pelo barato piteo
de l*o par, e duzia 10* : no vigilante, rua do
Crespo n. 7
Bico adamascado de todas as largura' ; peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 5C( i e.U'
rs. : no vigilante, rua do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de urna e duas taritira*
perfeilas, pelo barato preco de 40 e 60 i--, cad
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Fentes para atar cabello, a duzia a l*"00. tJfiCC,
2*, 3*, 4* e 5*.
Dalaios propriamenie para costura e para tro,
tas,e para menina trazer no braco a 1*500. iMi\(j.
1*800, 2* e 2*500.
Perfumara, macaca perola a 2*, 2*200, 3* e
4* a duzia. oleo de mozinha a 5* e 6* a dii7ia.
banha a 3*. 4* e 5* a duzia. Esles objectos se
vendem por admiraveis precos ero consequeccia
de screm arrematados dos salvados ia Lana ft>n.
ceza, pois affanca-sp a pouca avaria e a bea u; -
lidade: so no gale vigilante, rua do Grespo n. '.
Vende-se a casa de moldados na rua da I mi ma-
triz n 31 por seu dono ter de retirar se paia *
Europa a tratar do sua sande, tem rnmmodos i ara
familia,e faz-se todo o negocio : a tratar na rr' sica.
Vende-se um sobrado de nm and^i ha [ -o
reedificado na na de Hertas em frente a tr
de S. Pedro : qoem o pretender romp
a rua do Hospicio n. 41, ou ao Forte r
prensa b. K-


\
fr^-------------------------^ -
sr .^ i *. #


Diarlo de Pernasabuco segunda felra 1 de Mareo de I85
AURORA BRILHANTE
GR4KDES ARM4ZENS
DE
I.QLHADOS
VINHOS
Largo da- Santa'
JjCruz ns. 12 e 8i,
fgcsquina da ra do,
Ceno.
SR Largo da Santa1
pCruzos. 12 e 84,i
KSPECIAES iSf daru3\
Rrlhin^dOi1.0ah(i0SHj ,nut0 ^editados armazensde nnlhados de^inado^Aurorr
DMDrio^d/nr0=0n. r.PC-ber de saa Pr0Pria encommeoda, muitos gneros delicados
dos l\Jn\ Un? e-,a?0' e tendo prandesortiraeoto comprado aqu, aflaneaqueto-
aos os eus gneros sao de primoira qHalidade.
tadores seffUmle labe,la servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
Rr!ii,-,n^n-Ura armazera vender mais barato, e melhores gneros do qoe a Aurora
m,, i,^ 'Ja pe' gande sonimenio que tem, j mesmo por seu dono seaohar encom-
ia.;L- SUa Saude e tr de Tender um de ses armazens agora, e o outro na pro-
i, por isso deve-se aproveitar urna quadra dess para se comprar
barato.
[Lita* com 8 libras de chouriras muito aovas
i a i&oOQ. '
Dias grandes com peixe em postas inteiras,
mus de 12 qualidades, a 1JO00, 13280 e
19*00.
Dita-; com ostras, excellente petisco para fri-
gi 1 ra, a 720 rs.
Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs
Ditas com favas. a 640 rs.
| Ditas com ameixas a l&io, 13800 e 3SJ00.
I Ditas cora marmelada do afamado fabricante
i Abreu, a 880-rs.
[Ditas rom masa do tomate, a 300 rs.
Diasco.n Igosde comadre, novos, a IfioOO
25 e 25."ii)0. '
J Ditas com holacaraha de soda rauito- novas, a
i Dtiascom biscoitinhe* inglezes de muitas dua-
lidades, a l$W>. 4
Vinko Trdc superior.
A caada a 3&>00 e a garrafa a 480 rs.
Uomuu.
arrobas, 6 a verdadeira de sev
a arroba a 3900 e a libra
Saccas de 4
engommar,
120 rs.
Sabio ra--;.
Chorftlalf.
superior muito novo, a libra a
[Chocolate
15200.
Wai-arro, talliariam e aletria amarella, a libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Gaixas com estrellaba, pevide, e outras mas-
[ sas, a eaixa 3S300.
i Ditas dita em libras a 040 rs.
.>a,'u, a libra a 360 rs.
kSevadinlia para sopa a libra, a 240 rs.
, Emihas seccas, a libra a 160 rs.
3Dius descascadas, a libra a.200 re.
Wrapio muito nova, a libra a 280 rs.
-Pannha de araruta verdadeira, a libra a
'A >00 rs.
9Arroj do Maranlio, em sacco. a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
SOito da India e Java, a arroba a 3200 o a II-
bra a 100 rs.
'Toucinh) de Lisboa a 9j00 a arroba e a 320
>l rs. a libra.
H ">!to de Santos, a arroba 75000 e a libra a
2f0 rs.
kMilhos com 12o ceblas grandes, a 1J280.
O M oanla franceza, eaixa com 2 duzias a
J s?ooo.
?Frascos com mostarda preparada em vinagre,
g WOrs.
Ditos com conervas nuezas e frane>zas, a
u 6W e 800 rs.
ahitos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
3 Ditos ora a verdadeira genebra de larania, a
) 1-5000. '
2 Ditos de 2 garrafas de llollanda verJadeira, a
640 rs.
R>jas cora dita propria para negocio, a
4J rs.
Sjrrafes com 2 gales com dita, a 6J.
Slu'a aM00.Ca' a5rS" aBarrafa'ea!l
Vinh) rau>catel de Setubal, a garrafa a 13.
Marrasqmnlio verdadeiro, frascos
ibraa 200, 240 e 280 rs.
Farioha.
Saccas grande com i irinlia do Goiaona mui-
to nova, a 33000.
Cit. ,
Gafcdo Rio ntnito superior, a arroba a 83,'
8ff0t e 9300. *
Cha.
G, temos nestes gneros o naellior possivel,^
hyson, a libra a 231300.
Dito perota a 33000;
Dito uxirn a 23700.
Dito hvsoa rauito tino a 23800.
Dito redondo a 23300.
Dito preto de primeira qualidade a 23300.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erra mate.
Excelleute cha medicinal, a libra a 320 rs.
Esperncete.
O mas-so com 6 vellas de esperraacete a 600,'
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 15 e 8 Horas de passas novas pro-
prias parj iii.ini- a 43 e 23300.
\07.S.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
tluisia e paiiiv.
Alpistae patuco, a arroba 43000 c a libra a.
160 rs.
Carlas.
Cartas finas par jogar, a duzia a 233 '0.
Culanhas.
Castraba.* novas vivas oeste vapor, a arro-
ba 43000 e a libra a 200 rs.
Azf lonas.
Barrisco anitoias novas a 13300.
Vanleiga.
Minteiga suparior, a libra a 13000.
Dita mais abano a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita era tafias e meios ditos, a
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos
Queijos oovos vindos neste vapor a 33200 ej
33300.
Ditos londriaos muito novos, a libra
13000.
Papel.
libra
sm HJ900.
^QSDitas com ch
?jp Ditas com Po
a 80C rs. c
a 13200.
Cha npajae, a dazia 203000, e a garrafa a
, 23000.
IAzeite refinado iiortuzuez e francez, a carrafa
1 a 150)0.
Caita i*, vinlio R>rdeaux muito superior, a
7-3,85,93 e 103acaixa.
jOitas cora dito branco, a 73 a caixi.
, Dulas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 203-
'Ditas rom duque do Porto verdadeiroTa
18*000.
chamisso superior, a 148.
"irlo vellu e outras muilas mar-
cas, a 125.
[Vinh 1 Ha Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 800 rs.
Ditn dn Lisboa multe bom, a cnida a 33200,
23300 e 43, e a garrafa a00 a $60 rs.
>.),'. '..i 1 FiiMeira, das seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazetn.
I Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
> da a 33300 e 43000, e a garrafa a 480 e
320 rs.
tVinho braneo fino, a garrafa a 640 rs.
i do de caj milito superior, a garrafa a
? 800 rs.
Dito dito lizo de linlio, a resma a 43300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23300.
Dito de embrxno, bom a 13 e 18200.
\ ti lio Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a t3"v e 28000.
Temperos.
Polkas de iotiro, pimenta do reino, coramiio
e cravo. a libra a 400 rs.
Velas de earaaba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a.
480 rs.
Aincndoas.
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Gaixoes de doce de goiaba, grandes a 18400
e pequeos a 640 rs.
Jijlos de liapar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duzias de boides de grasa n. 97 a 23000, e 1
de latas a 13000, e os boiocs a 240 rs. ca-(
da um. e as latas a 100 rs.
Charutos iaos.
Charutos finos dos m-ilhores fabricantes da
Baha por diversos presos, eaixa e meias!
caixas.
E graude quantidade de geaeros tendentes
estes estabelecimentos, que deixaui de an-
nunciar-se.
ATTENAO
AO
NOVO ARMA.ZEM DE MOLHADOS
X. 18 1M do 'ahu2 n. 18.
Defronle da matriz de S.mlo Aotooio,
DE
Lima & C.
Osproprietarios deilo novo estabelecimento avisa a > r.vspe'tlavel publico, que ach-
fi prvido de um completo sortimento de molhados e soeco?. todos novos e por precos
O'iaiaiodos.
Os propietarios nunca quizerara annuneiar pelojurual a existencia de se"u estabe-
1?, inento ; porm, como faz-se neceasaria a noticia aos senhores de engenho e agricul-
to 3,que mandara seus portadores directos a esta 011 .tqtiea casa, motivo pelo qual os
propietarios o fazem agora,
^- Aproveilam a occasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
n ule se achara sempre completo de um variado st rtiaieato deiaoJnado6. seceos-fc:oa-
u-( objetos- pertencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos sefo menos 5 por ccnlo do que em ouliaqualquer parte, e para
,lm chami-se a attencao de todos em geral.
Os pesos e medidas, equalqupr engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
Os proprietarios deste novo estabelccimetito esperara dos seus fregoezes, e do
ilico e;n geraltoda a proteceo, prometiendo os proprietarios da Flor dos Progr's-
io.i tirar lo smente um lucro razoavel do laborioso trabalho, com que possam dar
''iimprimento a esta ardutijisso.
Acliaiii de-oocessaria a pirDlicacao dos precos minuciosamente explicados de
se-.s gneros, cora o que goralmeate todosfogem, pelo motivofl3o somentede serenfa-
,..'\), com) tam'jcuj nornid raler, os proprietarios tm smente era vista entreter os
seos consumadora caft generes navos. e precos mais razoaveis do que em 011 Ira qual-
quer parte, pois sero as' garantas para a protecco ao Novo Armazm de Molhndos.
-FLOR DOS PROCiRE.OS.
Laboratorio enologieo e chiniico de F. P. Lebeuf e C.
ra MontwAitre, 31, em Pars.
Fabrica em A*|(eiii!. >r l'arU (FrnncJi).

Ds vinhos, agirdentes eticares.
VIXHOS.Imitajao dos vinhos de todas as
qualidades, Extracto do Medsc, adose para 230
litros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de PomaM; 3
f.,de- Lisboa, t f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 2.j ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIRGACOPos Inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
GOLORACO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 1G f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparan
/reguezos, deve-sa exigir sobre as rolbas e rtulos as inlciaes F. V. L. Paris
0 modo de usar-so das preparaees acha-se indicado no rotulo,
--jdas dever -
de de Franca, ou garantidas p..
Montraartre, n. 31, era Pars, o-i a su fabrica-en Argenteuil, prs Pari
Vndese ua botica franceza, na do imperador a.38.
0
NEM COROAS NEM fflfTRAS
AGt'ARDEXTES.-Essencia de cognac para dar'
as aguarduaies rdioaria o sabor e o aroma' de !
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABIXTHO. -Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer cotn alcool e agda. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se lodos os
licores conhecidos sem fugo nem alambique, (io-
dicar-Sb os que se deseia.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-so os licores Anos ou
communs a dose para 20 ou 2 litros, 1 f. 25.
TODOS os outro productos para o trabalho dos
vinhos, agaardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
l'TENCILIOS de laboratorio e de chinaca.
e engaado nossos
GRANDE 1RMAZEM
Aj cncommindas devera ser acora panhndas por uraa letra sobre Pars ouqualquer ontra cida-
r urna casawntiwida.Dirigir-se assSrs. Lebenf & C. chimicos,* ra
RIJA TO IttPElt IIIOR N. 40
Janto ao sebrado em qoe mora eSr. Osbarie,
Ruarte Almelda A. C, receberam de ana propria tnecmma-
o mais Hado e variado sortimento de molhados, precito
da presente estaco.
Manteiga ingleza
da
C0\SLL0KI0 HIEIIICO-GIRURGICO
do
m PEDRO'DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HKUICO, IVVIt I 1 IIIO E OPliBlADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso di consultas gratuitas aos pobes todos os das das 7 s 1
aoras da manbaa, e das G e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados
Pharmacia especial hvmeopathica
No mesmo coBsulterio na sempre d mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, asstm como tinturas de varias dymaamisa$5es e pelos precos seguimos
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubosgrandes. 18,5000
de 36 tubosgrandes. 1^ 240000
de 48 tubosgrandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
[ai se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfutura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12, custaro >s precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVROSo
A mellior obrada homeopataia, o Manual de Medicina Homeopathicodo Dr. Jahr,
dons grandes Tolumes com diccionario.......' 200000
Melicina domesticado Dr. Hering, .........' '. 105000
Repertorio da Ur. Melle Moraes..........'.'.'.' 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,'.! 3?000
Os remedios deste estabelecimento S3o por demais conhecidos e dispesam portan-
te de serena aovameqte rocommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis lelasua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener-
ga i certea em seus effeitos.
Casa de mude p%ra escravos.
Recebe-seescraves para tratar de pialquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciantejulga-se suficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
tunectonando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cu jo conecito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
loentes.
Paga-se25000 por dia durante 60 dias e d'ahi emdiante 10500.
As operagoes sero previamente ajustadas, se n5a se quizerem sujeitar aos precos
azoaveis juecostumi pedir o annunciante.
a 4tt is.d
Kftfis braacas
da safra novavinda no ultimo vapor a l,ooo para sopa a melhor que se pode dcff'ar
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Ranterga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a50 rs. -;) 3
Amendoas
wifeitadas de lindissimas cores a 800 rs.
libra.
AniMYnQ
em irascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidadesa 10300.
Chocolates
detodsasqualidadesal0OOO a libra.
Presuntos
dosmelhoresfabricantes a 800 rs., tambem
temos veliios para 500 rs.
Queijos flamencos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Oueijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrinoo mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas iuglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs
o frasco.
Eigos
em libras ecaixinhas ricamente douradas
proprias para mimos a 900 ei02Oo'
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que OUtro
qualquer nao pode vender por enos de
F\8RIC\ DS CihPGS DE SOL
i-mo e na do
U'.>
X. 3 1 R n \>n esqnlnt dt luliai do Car
Cabng n. H. ,
A hiiti-ii Jjtse eitabeb3,;im.:nto o miis importante-que existe ueste ger.ero
as provincias do norte do impino, querendo que o publico desta provincia goze'das
vantagens que proporciona a fabrieaco em grande escala e directa relaco coraTas mais
importantes fabricas da Kuropa, faz sciente que resolveu-se a vender ainia mais barato
do que do ostitme como demonstra a seguinte tabella : >
_. Descont em duzia.
Chapeos de sol de panno a 2000........
armagSo.de baleia a 25500 ....
de seda armago deago inglez de 20 pollegadas
40, de 2 i 50, de 26 50500 e de 28 60......
Ghapss de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos mnito ricos e
seda superior de 2 i pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100.
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130......[
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao to vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas re caca, os quaes vendem-seigualmente em porgo e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
lhar pelo prego que o estabelecimento retalha.
. N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia scrao considerados como
a retalho.
rs. a
20
10
15
15
15
Chales de renda preta e bournus deguip preto^
K loja da ra do Crespo n. 17,
J2
<&&&
DE
JOWK GOIie VILL1II
> oiiuc a 10, vp, .*, 4Ufl, OU/J
e chapelinas de palhae outras muitas fazendas proprias paraVqnaresma.'
Jos Gomes \ illar pretendendo ir a Europa tratar de sua saude espera
devedores tanto do mato como desla praga salJem sea dbitos quanlo antes
M
!^lbSkS: ?*-..*??..8.ft "_Ps.e casacSesde pos pre.os.. chapos
m
que seus
.v 6
dem perola
special qualidade a 20700 rs. a libra.
Idera hjsstB
mais aromtico que tem vindo ao nn
mercado a 20600. nos
para sopa, macarrao, talharim e alptri;. ,
480 rs. alibra. eina a
cr.v*c
omuito afamado cognacpalBrandv a I 8nn
rs. a garrafa e de outras muitas aualida
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa 4
copn
lapidados para agua a 4,5oo e 5 ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
nSJnP'Jm e Jeoutra5 muitas qua-
dadesde2,2oo,ai,5ooa resma do me-
L ,. P*PC| d botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPFf
aZ,rs8aPresmaara embrulhode Hoo a *>**>
Corinthias
TSaWjflBT1 proprias para
Tumo
Vinagre
PRcadTumretaSd69canadasa '3,000 rs.
Cebollas
as mais novasdo mercadea 7,ooo rs a raia
e l,ooo rs. o molho.
. Alpista e Paiuco
o mais noy do mercado 11. i-v
e 40400 a arroba a,iors'a llbra'
CEBLAS
mmarnVa7a JS? :ento ^ ruado Qoel-
^iO DE BIGO
muito novo a 30400a arroba e 140 ^ r
bra na ra doQueimrJn n 7 ,1''
Imperador n. 40 a |3rffn t 1' raa do"
"2!?J?5?A?M rs. 1 libra
macarr5o, talharim' e aleiria
libra e 40500 a eaixa.
Vinho
Figueira J A A e outras. muilas marca? acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Men d lhh$a
e de outras marcas a 400 rs. a carrafa e
20800 a caada.
Idena do Porto
generosos engarrafado des melhores fatrr-
caates da cidade do Porto a i& e l^ioo
a garrafa e de 100 a 120 a eaixa, 2f n ar
cas s3o asseguintes: Chamisso FiJfco
F. & M., Nctar on vinho dos Feuzes'
lagrimas do Doure eoutros muito?.
Latas
com 10 libras de banha a 4GfJO.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas o mercado a *2Cr* ,a bra.
fCervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mat.
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C&ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis outros em
meias caixinhas a 10500.
... Arroz
a 80 rs. alibra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
A CAF
l'eLk sortedoRO de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a Ubi
Garrafdes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 10000 o
ogarrafao.
GENEBRA DE LARAXJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 114060
a eaixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o rs. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a eaixa
com uraa duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
3 lord.
., L ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,00o, a 3,2oo rs. a arroba
VELAS
de espermacete de diversas marcas a Ho rs
a libra e em eaixa ter abatimento.
, VELAS
cf2af Un CarlS ^ arrba 3 9'3ft
eaixa e J4o rs. a libra.
Batatas novas
aTibra8. 2 am)baS a 5d 'Caixa 60 "
Pasas mnito noias
em quartos einteiros a 20 o quarto e 6/'fin
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
sSeaZ80maS fE1*1 que se B*d de-
ejaraSOOrs abbrael40rs. ro
amnn G0MMA JKJITO NOVA
BOLACHINHAS
S3SSP* 'ffigSSfc- -
QUEIJOS FLAMENCOS
20F(
Imperador p.
tinnlnmm nc ao Pub,lco em geral, quepara facilitar '.dec,a
ram aos seus
a commodidade de todos es-
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran- ,
do de m paneiro para cima se far abatimento na roa do Imperador n. I0v ^
CHEG\R\tf OSMODEHiVOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo ultimo vapor franez a 1|
loja das columnas ra do Crespn. 13, de An'onio Correia de Vasconce-
los & C.
tipularamos mesmoZ^ em gera1' ^nePara
mesmosprecos nos seguintes lugares:
, "saris asar-
DE

J.
DE
VIGNES.
Os pianos desfnta^brS^h00 "SH^N ~ *
ina superioridade, vaniaSns; e wm?. ^r" COBhecidos Para necessario insistir sobre i
teisque elleste defiS"vimenT^MLf!rerfin."? ^P^ores, qualidades estas incont^a-
,uindo um teclado e bSehSmo mi?ffi^r? ^0S os q"eem "SS* nesla P5 = *>
lunca falhar, por srem ffiX S l0dlr,S VtadeS e fapnc,h.os das Pianistas, se^
.
fTl f-*%f% #r-i


Diari* de PcwMitlw ffiMHla tetra If Je Mnr.- dt 185
Attefl$to.
Fazendas pivUs para a quaresma par-
par baratas i no preoa, M.fttja e ar-
iica 4a Arara, roa da itiperairiz
n. 56.
Louren$o Pereira Menies Guimar&es.
0 proprieUTio deste estabeleciniento retira-se
par a Europa a tratar de a saude, porm aules
de retirar-se pretende fazer urna liquidago de ba-
baratissimo prego para fechar cardas ; agora fre-
gueses vende-se grosdeoaples prcto muilo bom
para vestidos, a IJftOO, 2J. e 25500, dilo de 5 pal-
mos de largo, a 3# : na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 5o.
euratl<|ue prcto a 9$.
Vende-se meurautt}ae preto para vestido a 35 o
covado, grosdenaple muilo largo e encorpado a 35,
25500. ti e 15600 o covado, alpaca pre* para
vest Jos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs, boinbazina preta para vestidos a 15280 o
covado : ra da Imporalru toja da Arara o. 06.
Kicos vestaos a Mara Pia a 124.
Vendera-so ricos vestidos a Mara Pia a 105,
125, 145.165 : roa a Imperatrit loja da Arara
n. 56. .. ,
Arara vende pecas de parjnmlio a H e de
madapol5o a 45.
Veodem-se pecas de pauninho moho fino de 12
jardas a o, veudem-se pecas de inadapolao infes-
tado i i-5 45500, veodem-se pecas de madapolao
de2lVrdasboai a 65, MtOT 8-5,95,105 e
125 veudem-se pecas de algodaosinho a o5, 65,
75 e 85 : roa daloiperalrn n. od.
' Arara vende os bales a 2#500.
Vendem-se baloes de arcos de todos os lamanhos
a 25500, 35, 35500 e 45: ra da Imperatriz
UiiillUwti Arara a aaOars.o oorado.
Vendem-se Iaazinhas para vestidos de seohoras
e meaiuas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. casas
linas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
^rua da Imperatm c 86-
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem se chitas deres4txas, 1>.240 2801 rs
o covado dius francezas fioas a 320. J60, 400 e
50reclra para vestidos a 500 e 5o0 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da ATara n. 36.
Li.iuiaco de soatambaques e laazmhas a
1 U, H e 105.
Vendem-se soutambaques de iaazinhas para se-
nhoras a 75, 85, dita de alpaca branca a 105, ditas
muito linas degrosdentple preto a 203, 23| c 305,
capas pretas de .gw*iaRta no-a 205, iu|le305,
manteletes puto* de grosdenaple a 205 e 223, go-
iTnhas para senhora a 240, 320 e oOO rs., mangl-
os com gola a 15, camizrahas para senhora, 25,
e 33 ditas muito Unas bordadas a 45500 : na oja
do oaraleiro da Soa-VtoU raa da imperatriz loja
da Arara n. 56. .....
Cortes de ditas finas a 2*400.
Vendem-se cortes de ditas cora 10 covado3 por
->3W0 d.tos de dita franceza a 35200, cortes de
cassa franceza una cora 1.1 opados por 35, jen-
(li>n se nacas de cambraia branca lisa a 33500,
4550), 53300, 65 e-83 d* ^ptmriz n 56.
Li.midaclo de roapasfeitas palitos a 25.
Venlem-se palitos de btim de cor a 25, 255; 0 e
l* i maetoas de brim pardo a 35 e 3550Q, palitos
S'cVs mira be" eito a 53, 65, 75, 85 e 105, di-
tos de panno preto bom a 85 e 103, ditos sobreca-
"acos de casimira de cor e preta e de panno a,125,
14.1 103 e 203, calQ de bnm Qe cer 2* 2*o0>
litis brancas de lia* a 3*300 e 4*. ditas de ca-
Smtra de cor 45,65 e 85, pretas a o, 65 e 85,
colletes de casimira de cor epreio, de brim de cor
1*500 braceos a 25 e 205.0, ceroulas Jeitas a
15280 ditas tinas a 15600 e 23, camisas france-
ta* ne 25500, ditas inglezas de pregas largas a
35 de liuho a 33 e 35500, colerrahos econmicos
a 040 rs. a duzia, ditos de Imho a oOO rs. ura : na
ra da Imperatriz lojada Arajao. ob.
Arara rende as cobertas a 20.
Ven1em-se cobertas de chita linas a 23 e 23300,
ditas de damasco a 43 : ra da Imperatriz n, ob
E' na Arara que e -ven le cortes de casimira
preta a H-
Vendem-se corles de casimira preta para -cato a
33 33-300, 45500, 63 e 85, ditos de cor a 35,
45500 e 63 : ra da Imperatriz n. 06.
\rara vende panno preto a 25.
Vndese panno preto para caiga e palito a 25,
ti --i300 45, 45300 e 65 o covado, casimira pre-
ia lia a *& 23500 e 35 o covado e outras rauitas
fazeadas para liquidar : na loja e ^rmazem do
Arara, ra da lmperatnz_n. 56.
I
Ifazvat pwttt fara a qua-
resma.
.\"a loja do Pa Acha-se este esiabelectnMVloeoiDpletaiaeate ser-
iado de azendas pretas propnaspara a quaresma,
% saber-.
Grosdenaples preto largo e mnitissimo encorpa-
do, oulros inais estrenos tendo dos precos de
15280,1*600,15800, 25, 23400 e 35, superior
raoreaBticjue preto a 35, superior sarja preta bes-
panhola, superior setun preto maco, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques mnito bem enfei-
ladas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos que tem viudo, superiores manteletes, camisi-
has com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, ludo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As ronpas do Pavo.
Acha-se neste esta beleci ment nm grande sorli-
ment de roupas fritas para hornera como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
mnito fino e forrados de seda a 225, 255 e 305,
ditos forrados de alpaca a 145, 165 e 205, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos lie meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidade?, colletes
de casemira pretos e de cores, velludos, setins
etc., sendo todas estas obras corladas por nm dos
melbores mestres nacionacs, manda-se fazer
quer obra por medida : na loja do Pavao ra
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas em cortes coa 10, il e 12 covades outra parte.
O PUBLICO
Sem o menor eenstraa-
gimcMto se entregara o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM
aTTEHCaO
Os presos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
PSTiLHS
VERMI
DE KEMP,
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando o aro da conecieSo)
PARA BEM DE TODOS. DE C0R CHEIR0 E sAB0R aGR.\DA\E:S
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos 'Tmptfdno e inlei- ^gnjtanjeme mais eflicazes do qne twlos
Navidades
Na nova loja de fazeiidas e
roupa eita nacional
Una da luipcraliiz ni. 72
IVcliintlia
Cortes de ehltaa t40
Vende-se cortes de chiu com 10 novados a
23400 a 35200, ditos de cassa a f. ditos de laazi-
his para vestido a 35600 e 43, ditos bnosde bar-
f?s a Mara Pia a 123, \3 e 165, ricos souteam
na ra da Imperatriz n. 72.
Fazendas pretas para a quaresma
Vende-se grosdenaple preto Doo a 13600, 23, e
",1530 o covado, panno flno para caigas e paletots
%U 35 350. **M0 t '& covad0' cas,m,ra
Brete tina a 25, 15-100, e 35, alpaca preta para
saiase vestaos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de laa
para cale paletols a 640 e 800 rs. o covado.
Laainhas a 320 e 360 rs o covado
Voude-se Iaazinhas para vestidos a 360 400,
500, e 560 o covado. chitas finas para vestidos a
40 o 280 o covado, ditas francazas boas a 320,
360 a 400 rs. o covado, capas francezas Unas a
320, 360 e 400 rs. o covado:
ttoupa eita.
Vende-se paletots de cor e pretc> a 55, 65, 8Je
103, calcas Pr,"las de c*s,m.ira!:5t* til UZ.
tes de colletes e paletots de brim a 25, 25o00 e
M : na ra da Imperatriz o. 72.
Madapolao enfestado a 45.
Vende-se pecas de raalapolia eufestado a 45,
dito em panainno a 55, pecas de madapolao de 24
jardas bom a 83,73 e 105, ditas de algodao a o5,
65, 7 e 83, cortes de calcas de hnm a 15600 e
25 ditos de casimira prefa a 35, J5^w es*-
Ba'rua da Imperatriz n. 72.
BENZINA
B Novaesscnciapaia tirar nodoas sem ala-
car os leciios nem alterar as cores
Mancha alguma produzida por gorduras,
cera, ote, resiste a este famoso di-
solvente, que pode sem receio appli-
car-se sobre vestidos de seda, la,
lapecaria, panos de bllhar etc.
Restaura perfeitaraente as lavas de peli-
Iea sadis.
Cada fraseo 109.
Um impresso qe aeompanha cada fras-
tj co ensina a roaoeira de sar-se, assm
S como ndica olivas multas applicacoes
I que esta nova, essencia pode ter as
arl65
PHARMACIA R18EIR0
EM PF.RNAMBUCO
2-2-l'raca da Boajista-
Gesss
barricascom gesso : nosarmatens de Tasso Ir-
rnos.
i
mu 5
------
Vacca
Na Piranga, defronte ao sitio do Sr. Mlllet, ven-
de'se orna varea mnito boa leHeifa-eom erie.
Potassa da Rsala.
Acaba de ebegar a mais nova verdadeira po-
tassa da R*wi*. wde >e teoo mm^Ojp
escrlptorio de Manoel Ignacio de Olivwra &Filho,
jaro do Corpo Sanio n. 19.
Na loja do Pavao vende-se urna grande porcao
de cortes de chitasf *icezas sendo claras e escu-
ras todas de cores xas com 10 covados a 35200,
com 11 covados a 35600 e com 12 covados a 45,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Grande liquidadlo.
Itua da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecmentocompletamente sor-
trdo de fazendas inglezas. francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, promettendo vender-sc mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porco, e de todas as fazendas dao-se amastras,
deixando flcar penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
Camisiulias a 1$.
Vendem-se camisjnbas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senboras a
meninas, pelo barato preco de deztostoes cada
urna : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 3/$.
Vendem-se muito bonitocortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenlies muito delicados
pelo baratissimo preco de 35100 o corle : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz. n. 60, de Gama
Gambriias lisas, na leja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapadae transparente, pelo baratssimo oreco de
45 teodo 8 1|2 varas cada pega, ditas mnito finas
a 75, 83 e 95 a peca, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratssimo prego de 75, 05 e 109, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a .vara ou 25600 a pe-
ca : isto na loja do Pavo ra da Impoaatriz n 60,
de Gama & Silva.
Os resudes de Pari.
Grande pechincha a 35500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaco de tariatana com mnitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas r
passeios pelo baratssimo prego ne 35500cadanm,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 75, na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 45 e a 75
Na loja do Pavo vendem-sericos cortes de vesti-
dos Mara Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 45 e 75, sendo fazenda qoe
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porgo, na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Os en frites do Pave.
Vendem-se os maismodernosenfeilesparac&beca
de senhora : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinbos e grados, ebegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As Iaazinhas transparentes a (00 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
Iaazinhas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imtago das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado; ditas enfestadas de urna so < Jr e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de criangas : na foja do Pavo ma da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Reos soutanbarqnes do Pave.
Acaba de chegar um rico sortiraento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
205,225, 255, 303- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em cenia: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezasa 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para caigas, colletes, paletots, roupas para
criangas : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Aos viute mil covados de la.
Grande pechinCha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas Iaazinhas transparen-
tes, sendo com listras e quadrnhos miudinbos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratssimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Mara Pia, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porco : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mara Pia,
Grande peebtaeba a 405000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de laa Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, ^endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratsimo prego de 103 o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada nm a 105, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 65 : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de llnho a 3GO rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de Imho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
muito delicadas cores, moderna, c vende-se pelo
barato preco de 36 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazlnhas lisas.
Vendem se as mais linas IJazinhas de urna s
cor, tend9 grande sertimento : na Iqja do Pavo,
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Gbales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja dp Pavo os
mais ricos chales de renda com tres ponas, saado
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do oeste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercido, ricamente bordados e eerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernsimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem urna elQgante vista sobre
ura vestido de qualquer cor, assim como muilo
proprios para os actos da quaresma : vendom-se
nicamente na loja de Ganu. Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques de cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da veflido, seda e serim, renda, ele. s
avisto do grande sortimento *ue os freguezes
poden dar o verdadeiro apreco a esta fatenda, e
vende-se por differentes preces conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, raa da
imperatriz b. 60.
Manleiga ingleza especialmente escelhida a
i.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 9fio
rs. a libra e90 rs. em barril oumeios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 1
libras muilo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem" hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l ,60o rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios'a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem pratoa 800 rs. a libra, e inieiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilbas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,boo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate frascez hespanhol e suisso a 9oo,
I.ooo e i,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melliores qualidades de pei-
xe a 800,*l^ooo e I,2oo rs.
Vitiho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixae6io e 7oo ris agr-
rala.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a .ooo e II,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-
bra e 7,3oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de ia6 qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
Aletria, macando e talliarim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos de vidro cun lampa
bra e '6,000 a taha.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nba branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32*, 4oo 5oo rs. a garrafa, e em carrada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,800.
Vinho bxanco de Lisboa de excedente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a "3,000 e3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melliores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, uguedo Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, lo.ooo,
42,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
I.ooo e l,5oers. agarrafa.
Vinho Cbercxde soperionquadade a 16,ooo
a duzia e i,5oo is. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas*
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 r6. a libra.
Bolachinhas de sodaN qualidades a l,3oo rs.
Cartes cora bolo francezjnuilo propriospa-
ra mimo a.64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a-5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
deBrito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,oo rs.
Ameixas francezas em Tasco de vidro com
tampa do mesmo, a 455oo.
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o 64o
a garrafa, e 3,8oo, 6,000 e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, dasseguintes qualidades:
Exposicao Normal de Huraa, lmperiaes,
Loadrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em 11 eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000, 2,5oo e
3,000 a caixa.
o gnac inglez das melhores mafcas; a 800 e
i,2oo,a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excelente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebolia6 de Franca muito grandes e novas
a 1,80oo cento e I,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Sanba de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachroha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tom vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e ebeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com froctas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinbas com fructas em doce secco de di-
versos lamanhos, muito proprias para
mimo, a I,6oo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excedente peixe portugoez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prero.
predu?
sem precisar logo depon de [urgat-tc r.e-
nhiim e to incitantes cm qppamun c di !-
ciosas em goslo, que t& cric ricas estSc
promptas a lomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellcnle rr.ek de finer
remover asobstnicries do ventre, ir.atn.c
no caso de n3 existirem veime alpum.' as
PAST1L1IAS VEHMIFIGAS DE KIKPS S fl< II 1 -
las e infalliveis na sua opeaco e par tedos
os respeitos dignas de corifianea e appiova-
c5o de todos os paes de familias. 'Prep-
radas nicamente por Lanman A d,
Nova York. *
Vendem-se no Recife em casa de Caors
Barboza e Joao da C. Bravo '& C.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
tamailiGS com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4o, l,6oo, I,8ooe2,ooo
cada urna.
Azerte doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa. 1
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas ioglezas a 75o rs. o frasco e
^ 8,5oo a duzia.
Vassouras de escota para esfregar casa a
ioo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a-libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra e 4,000 a; Lcntilhas francezas, excellente legume para
arroba. I sepa, a 2oo rs. a libra.
Ma9sadetomatesdesuperiorqoalidadea64o Marrasquino de Zara propriamente dilo a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-: a garrafae 1 I.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,000 o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 3oo rs. a
garrafa.
RIVAL
Sein segundo,
Ra do Queiiuado, n. 49 e 5. E' para admirar.
Carretis de liana cora 150 jardas......
Ditos oom 300 jardas de Alexandre de
12a60..............................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das .................................
Idtm idein brancos e de cores de 100
jard*s...............................
Livrospara assento de roupa lavada...
Cordo branco para espartilbo (vara)
Yaras de franja branca larga..........
Pares-de botos de punbo todos de cores
Tinteirosde barro com tinta...........
Tesouras para costuras finase unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Cscovas para limpar denles muito finas
160,400e..............................
Caixas com lOOenvelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo ( e a rela-
lho)................................
Meiadas de linha fronxa para bordar...
Pares de sapatos de tranca. r... loOO
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaca perpla,miito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
40Ora. e........................
Ditos e garrafnhas de agua de Colonia
mnito fina.......................
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pe^as de bicos francezes e renuas.....
Frascos de aeua dentifrice muito supe-
rior............................:.
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
e Victoria........................
Libras de la sendo de todas as cores...
Bonccos vestidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 novellos..
Enfladeiras de fita para espartilbos.....
Carretis de linha de cores com JOO Jar-
das ..............*..............
Pecas de cordo imperial............
Binas hanburgaezas.
Vende-te na raa Nova n. 61.
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
390
640
600
20
20
30
200
300
400
900
240
320
320
800
200
6*000
160
40
800
0
20
40
Vndese a casa e molhados na rna da Im
peratris*. 34, porseu dono ler de retirar se para
tratar de sua saude, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na mesma cima.
Vesde-se a taberna sita no pateo do Carmo
n. 39, bem afreguezada para a trra, toa para
quem quizer ter nm principio por ser em pfmto
pequeo.
BOTICA E DROGARA
Bai'lholoineu It.iucssco deSooza&C.
31Ra larga do Rosario31
Vendem :
PilulusUolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pillas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilotas vegetaes.
l'ilulapvegetaes assuearadas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert.'
InjeccoFeaugas.
Agua dentificade Besirabcde.
Papelcblmico, para lalhos.
Xarope depuraiivode1 Chable.
Licor aromtico de Raspall.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL'Affecteur.
.Varope do Bosqne.
Ungento Holloway._____________________
fefcJMfea fia M loj a de fazeadas
roupa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n 72.
Pechincha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cures fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas fraoceras largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado ; pecas de madapolao fino a 6,
7, 8$, 95 e 10J; pecas de algodo a 5, 6, 7
e # rea da Imperatriz n. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 55, 6, 85 e IOS, ditos sobrecazaros a 12a, 14
e 165 PaK's de brim de cor a 25800, 35 e 35800
rs., calcas de cazemira preta a 6#, 7* e 8& ditas
de cazemira de cor a 5, 65 7, e 85 ; coletes de
cazemira do cores e pretos e ditos de brim a 1tp800,
e 25500 rs.,; caigas de brim de cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Sontamharqne de eres a 75, H 105.
Vendem-se soutambarqne de la e seda pan se-
nbora* a 7#, 5 e 105; ditos de grosdenaple pre-
to a,.20> e 255 ; capas pretas a 208 e 255 i vesti-
dos de la a Maria Pa a 125, 14 e 165 : rna da
imperatriz a, 72.
Cortes de cazemira preta a 3f>.
Vendem-se cortes de cazemira preta para calca
a 35, 355OO, 55 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a 3, 45,0. e 75, ditos de brim de cores a
156O, e 25,' ditos de chitas finas a 25100 e 3500,
ditos de cassas francesa a 35 roa da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Lnva$ A loja Esperanca recebeu novas Invas de pelli-
ca, brancas, pretas e de cores, assim como eofei-
tes para caboca : na ra de Queimado n. 33.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. i'.) e 55 tojas de miude-
zas de Jos 4 Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por precos mais barato do que em
outra qualquer parte, quem quizer ver o que ha
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............ 200
Frascos de vidro com /superior banba.. 240
Pares de (uvas de seda muito finas.... 320
Enfeites do melhor gosto que tem vindo. 25500
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 1(280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 500
Volta para pescoco do melhor gosto.... 500
Baralhos para vollareie, finas a 200 e.. i40
Varas de franja branca de linha que
tem muiia serventa................. {060
Duzia de pennas d'aco muilo superiores 060
Frascos de oleo Bboza muito tinos..... 200
Talneres para meninos a melhor quali-
dade............................ 240
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................. 500
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa........................... 25400
Duzia de colheres de metal muito linas
para cha........................ 15300
Grasas de botoes de osso para calca. 200
Grosas de botoes madreperula para ca-
rniza.............................. 300
Groeas de botoes de louca prateados
muito finos...................... 200
Varas de babado do Porto sonido..... 060
Duzias de lapes differentes qualidade a
240............................., 400
Quadernos de papel de peso moito fino. 030
lieiiua do mesmo papel.............. 25000
Duzia de facca e gario mnito boas---- 2400
Sabonele de espuma mnito superior... 040
Capachos compridos e redondos maito
bons............................. 300
Ditos para sof...................... 25000
Pares de suspensorio muilo bons e para
acabar........................... |10T
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................ 300
Creiao para dezenho de todas as qua-
lidades........................... 020
Cartas de alunles rancews uite su-
periores.......................... 100
Caixas de clcheles francezes 40 ris
Duzia......................------- 360
Carretis de retros com quatro oitavas..
GHnt9 para senhora a mlborqwli-
dade.............................
ESCBAT05 m GIL'OS.
Aos capitn de campo
Desapparereu no dia 21 o ctneiitc, da casa Ct
seu senhor, e eteravu de ntne BeneoSAe, islia
eteuro, com idadede 2o baos, levea ve^do <>t
5a de algodo de li.-lia. camisa de algido da \tf-
ra, e chapeo de conro de abas iarfas, i recular, chtio do corpo, cabello a e-cov^fc,
olhos pretos muilo vivos, Dariz c Lcrra n^ulaiir.
muilo pouca batba no qucixo e tm 1 (qbtnd-iu-
go. todos osdenlt, ps ifjiulaies, etc.: ('eft^-
sumir que seguisse a isirada de Goianra \\ 1 ji r
virido da cidade de Soi.za, pioviLcia da l'3*Ni\u.
Jia 13 iis, e fui ciiprfcilu ao sr. Jos AlUili
Borges daquella cidade : rega-se perianto a'o &-
nbores capitaes de campo a apprtr.cnso do Rft-
rido escravo, e levaremrno a ra do Imierrdcr n.
83, segundo andar, que segralificar com 505
Aviso
aos capitaes de campo c a polica.
Desappareceu em pjincipio do mez de oul. ,\
do anno passade, de bordo do palhabeie i ;.,]::..
Araujo Malo, dous escravos de nemes Roberto
(por apellido Macei), e Miguel; o Io de idade 45
annos, pouco mais ou menos, crisulo, cor fula,
estatura baiia, barba serrada, um peni o torio das
perjias, e com alguns cabellos blancos, tacto na
barba como na cabeca ; o 2o alto, rheio do corpo,
sem barba e falla rossa, representa ter de 25 a
30 annos, cojos escravos desconfia-se andarem pe-
los arrabaldes desta cidade : quem os appreteri-
der queiram levar a rna do Trapiche .11. 4. que
ser generosamente gratificado.____________
Desde9 dedezembro de lfC4 qup est ;u
sent da casa de seu senhor o escravo Ileicuiai ('
cabra, idade 40 ancos, alto, calelrs rarapiBta*
rosto descarnado e comprido, olhos e oilhas pe-
queas, nariz chalo, barba pouca, ti ni aptiws, l <-
gode e pera, perna esqnerda de quibra dtu i
o pe desse lado torto qoe o faz aedar rrn o r; li-
bado, suppoe-fe andar pela Casa Foite air.azjato
com urna muala forra, baixa, alvacent, qoe i.-
rece maluca : qntm o pegar leve-o a rea Distila
b. 54, que ser generosamenie rtcemptu-sdo.'
Aos es pitaes de campo.
Fugiono dia 27 de fevereiro.deste anno, de c?-
sa de seu senhor o escravo Sebastiao, ci icelo, fu-
lo, com idade de 22 a 24 annos, foi fsrrav* co
senhor d engenbo Quandus da cerrarta de Santo
Anlo, d'onde tinha vindo para e.-ia 1 idade a 8
dias, de presumir qne seguisse para Taqnalm-
ga aonde tem mai e irmos, levou caira e c;irisa
branca bastante suja, altura regular, calcllo os-
covinna, cabeca pequea e redonda, testa graDte e
bem cantuda, olhos pretos e regularos, nariz cha-
to, bocea regular, beicos regulares, d i.les tcdts e
limados, nenhuma barba,ai.cLas um | f qutro tigo-
de, corpo bem limpo, ps regulan se pov.ro lai-
gos: roga-se portaoto aos Srs. capitaes de cairpo
a apprehenso do mesmo a entrgalo a ma de
Imperador n. 83, segundo andar, defronte do cor-
reio, que se gratificar com 505-____________
Negro fgido
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro (leste
o qual vendeu-o nesta cidade em dezembro do aD
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques coro
armazemde assucar ma de Apollo; levou cu-
misa e calca de algodo branco, roprestnia ter de
45 a 50 annos de Idade, alio e de grossura regu-
lar, cor fula, cabeca comprlda, queixos largos,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior nm tanto defeituoso, bastante barba, porm
raspada, finalmente tem urna grande costura enlre
os peitos proveniente de queimadura, e soppoe-se
terse dirigido para o norte, d'onde veio : gratifi-
ca-se a quem o apprehender ou denunciar o coito
em que esfarer : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 52.
Fngio no dia 14 do corrente da ra da Cruz
n. 8, terceiro andar, a escrava Benedicla, com os
ignaes segnintes : cor fula, tem falta de denles
na frente, levou vestido escuro de palminhas bran-
cas, cbale encarnado, bem conhecida por ter >>-
do escrava do Sr. Salnstieno Cantalisla : Mrm-
roenda-se as autoridades policiaes e capitaes de
campo que a peguero e levem-na a casa cima, on
a rna da Senzala Velha n. 94, que sero gratifi-
cados.
Fogio no da 7 de marco, o escravo criulo
de nome Pedro, idade de 19 annos, pouco mais cu
menos, altoia regular, um tanto cheio do cerro,
cor meia fola, cabecil peqnena, orelhas pequeas,
olhos pardos, beicos grossos; est com urna cica-
triz no beico snperior, nariz chato, denles separa-
dos, ps e naos regular, dedos compndcs e sec-
eos tem mais duascicatrizes, urna no pe esquerde,
e otra no pe direno n* parte interna, algnmas
manchas pelo roslo e peaeoco, um pouco gpgo:
quem o aprehender queira recolhe-lo a cadeia, par-
ticipando ao Sr. Manoel Domingos da Silva Jnior,
on em Beberibe, qoe ser generosamente recom-
pensado por seu senhor Manoel Elias de Moura.
Beberibe, 8 de merco de tfifl-f.
Manoel Elias de Moura. __

GAZ GAZ GAZ
200
Veode-se gaz da melhor qualidade .1
kU 'lata : nos aramensa ma do Ipn-^
perador n.16 e roa do Trapiche Nevn. 8.''cempannla:
10
Quem aprehender lew n^1palacetedoV's"
conde da Boa-Vista, ruada Aurora, on no etgenho
Traplrbe do Cabo, a esorava Joaquina, la, alta,
falta de denles na frene.mi!o coBnena nesta
cidade, anda as vezes detimio eu ssia de bailo, e
se it qoe tt*i em compMhia de mm pardo de
sema Jacob, que mpra emiamarac*, jeceaera a
raKcae cima e TO05. Este escrava esa fu-
^4sdseteMmdoanM prXMio paesado, e
atiwr era sua
F mm ^^Tm !


Diaria de PefawliM egnuda felra 19 de Har de i5.
L1TTSRTRA.
Discirso pronuntiado na reuoio acadmica ques-
[ 'Binisoua victoria deMnlevii*o porTaeodl-
i-PtB Carta dr Inri Soato.
MAores.A victoria da Justina e
Psob e a iniquidade o a barba-
rm grande ac ntecimei to social
vencedor.*, mas anda una tro-
Fioso pendurado no aliar da hu-
ad. E' que a mo do Deus dos exer-
citos enrama sempre de louros a fronte ve-
ri anda do direito, infindas vezes salpicada
Jo lodo vil das injurias, mas sempre ra ian '
te de lodos os fogos eternos. Cada carro de
tnumpho roda um feixe de semenles do fu-
turo ; cada guerreiro dessesque empunham
uina espada sem manchas, e ouvem a voz de
urna consciencia pura, como nos torneiosca-
villeirescosos justadores de outr'ora,
um defe. sor dos foros da patria, e um ho-
nran abencoado dos povos; cada gotla de
s mgue que orvalha o chao escarvado das ba-
ta Ibas lliama de ouro que se insculpe Das
paginas da historia ; cada gemido ae muri-
bumdo atravessado de urna bala de canbo
dor funda que prenuncia glorias sem som
bras ; cada sepultura de finado base em'
que so arrimo os deslinr s de urna socieda-
de inleira, e grao de areia mais ou menos
li .itado.quereunidocom mnitosoutros j
ha d formar immensas dunas, que bao de
ser immei.sas plagas do porvir, seguros por-
tes que um dia abicar o atormentado ba-
tel em que todos navegamos.
Mas nao vos engais. O que eu affirrao,
e que a guerra justa, como nos a compre-
hendemos, foi e ainda um principio salva-
do, e progressivo. O que aflirmamos prin-
cipalmente, e com todas as torcas de que so-j
mos capazes, que esta guerra brasileira, |
e este triumpho brasileiro que ora solemni-
.vimos, sao direitos nossos to evidentes to-j
las as luzes, sao elementos to incontestaveis;
dos nossos falos, conquistas to necessarias
da nossa civilisaco, elevaces to altas da
nossa individuadade pela escada da grande-
za, e deveres to sagrados da nossa non a e
dignidade, que todos os consideramos urna
das fon tes mais abundantes do nosso b m es-1
- tar, urna das espe ancas mais ricas dos nos-
ios corarles euma das ascen-es mais ra i-
das das nossas forcas. N'um momeHto an-
damos mais que em muitos annos dissipidos j
n'um lidar nao interrompido de ideas egois-
t- arta rasgando todos os liames do corpo
social, o redusiriam por derradeiro um es-
tado semelhante ao des-e gigan'e da-balla-
da germnica, que cada instante perda
tina parcella de vida i ela s parago conti-
nua das molculas.
A victoria dos nossos exercitos sobre o j
t giiay a saneco mas formal que pode-
. nao teros nossosfres ahi infame e covar-:
demente deprimidos e a consagrado supre-
ma d urna idea, que o direito publico ame-
ricano den a cathegoria de um dos seos dog-
mas cardeaes, que sao os acontecimentos de
tolos os das trad izindo n'uma bella real-
dade, que se patenteia gradualmente, que se
ergue pouco4 pouco cima dos nossos ho-
rsontes, e que ser amanha fado incon-
trastavel, existencia cavalleiro de todas as
impugnares, e podero a chave de organisa-
co do novo mundo.
t}ue necessidade tenho eu de memorar-
vos as innmeras offensas que contra nos
co .metleram repblicas s notaveis pela
anarchia intestina que as dissolve, pela des-
leaidade com que proceden! postergando a
f los seus tractados, pelo despudor c m
que nos culpande phantasticas lesoes, e pela
sclvageria com que attacam pessoas e pro-
piedades de brasileiros! Para que desco-
b'rir-vos pela millesima vez scenas de van-
dalismo, em que apersonalid de inviolavel e
sagrada umde nosso concidado toreada
esvasiar plano vaso frto de ignominias c op-
probros sob a virga frrea de instrumentos
vis de tyrannetes ainda mais vis? Ha pouco,
vos o vistes assomavam cabecas de irmos
- nosss sobre as ameias daquelles miuvs
asylos de sicarios, ja desabados ao embate
das nossas balas Hontem mesmopulavam
bordas de salteadores por cima dos cadve-
res dos bravos de Coimbra, e com as facas
finetas no livor da vergonhosa derrota moral
que Ihes vinha abrir as portas da campanha
do crime, corriam despeadamente em meio
ao trip'.ideiar ebrioso de abutre busca de
ceva. Cale-se porm isso neste momento.
O pensamento refoge horrorisado desse es-
pectculo onde a verligem do latrocinio se
desvair na saturnal ensopada do mais puro
sangre bra^ ileiro. O hymno da ovacjto de-
ve ser limpo de nodoas, como a idea que nao
se enlaivou na poeira da arena ; a religio
do entbusiasmo lanca um veo sobre os repro-
bos da justica ; nao soffre que aquelles sa-
criheadores enlodados profanem a festivida-
de do templo, e embebe-se s de luz entre
os rolos perfomosos do incens. Depois
do banquete enumera-se meudamente a se-
rie de todas as afirontas, e aguca-se o ac
vingador no limiar mesmo do campo ainda
resoante dos brados triumphaes.
Eu vos disse tambem : ha nessa victoria
um grande principio social, que ser urna
cegeneracSo por vindoura do solo americano.
N'este corpo gigantesco ha muitos membros
que se movern, rauitas forcas que se jogam
na dynamiea diflicil e affanosa da conviven-
cia polHijM dos pvos n'um ponto determi-
nado do globo: sS6 todos irmos, verda-
de: todos se baoham as aguas do atlntico
e do pacifico; todos se encostam s faldas da
extensissma cordilheira dos Andes; todos
xtrahem thesouros de um terreno opulen-
tissimo. e ubrrimo; e o que inVis todos
se baptisaram rus aguas lustraes da liberda-
de, e arvoraram o estandarte da soberana
dos rtovos. Urna narrativa dos nossos lem-
pos heroicos representou a trra de Colom-
bo e de 'abral emblemada n'um vastissi-
mo ok-sso de p as cimas do Chimbo-
razo com urna cora vermelha de ramos
de pu-brasil sobre a testa, e um pezado
troco de marmore as mos. Essa cora
tradnzia a idea de um tropel de conquistas
nos prometerem mundos d gloria no fu-
turo ; e esse marmore era o symbolo da in-
destruciivel unidade, que um da condensar-
nos-hia lodos os elementos, enrijaria todos
os msculos, e vestir-nos-hia, da impenetra-
bilidade do bronze, e da indssolubilidade
do diamante. Mas nao ha nacionalidades
constituindo um todo compacto sem harmo-
na entre as partes, nao ha harmona sem
equilibrio, nao ha equilibrio sem urna balan-
ca que pese os direitos, nao ha balanca sem
brar..s que a sustentem, nao ha bracos sem
caberas que estudem no livro da justica as
mximas directoras da moral internacional,
e assentem as garantas da soberana de ca-
da um, que a condifo vital do respeito
mutuo, e dos progressos da communho
para a grandeza. A preponderancia moral
de um estado sobre outro nao anniquila a
gualdade dos direitos imprescriptiveis; ha
e houve sempre influencias poderosas, que
a capacidade pessoal alcou cima do nive1
ordinario, e investiu da misso seno de
iniciar tudo, ao menos de crear mais, de
luzir mais, de encaminhar os fracos, e de
protege-los as agonas dolorosas, em que
tanta vez se debatem esses simulacros de na-
Ces, que j sao o escndalo da humanidade, e
j vctimas de oppressoes intoleraveis. Urna
sumidade nao um despotismo ; e muitas
igualdades absolutas sao quasi sempre mui-
tos zeros. no mappa das sociedades. Tan-
tos periodos tem a historia do mundo quan-
(as sao as naces depositan s da urna sa-
grada de todas as esperanzas, e basties fir-
mes onde se abrigam os batalbadores do
presente, que sao tambem os progenitores
da posteridade. A India foi um grande
centro director ; o Egypto amedrontou-se
dante da esphynge, e abdicou a realeza nos
descendentes dos Pelasgos e dos Hellenes;
Roma levou do Palheon as estatuas dos
Deuses, e fez do Capitolio o atlante do
Olympo : e boje a Franca a revoluciona-
ria, e a Inglaterra a commerciante do-
mina i sobre todos os continentes e sobre
todos os mares d'alm. Muitos estados sem
conductores sao muitos soldados sem che-
fes; perdem pela diviso, e pela falta
dos exemplos que asclarescem e acorocam:
sao como aquellas pedras dos muros cy-
dopos; nao tem cimento que as ligue,
e se esboroam ao primeiro sopro do tem-
poral.
E porque, meus senhores, nao ha de o
Brasil ser um dos eixos sobre que gire o or-
be americano? Nao possuimos para isso
todas as condices indispensaveis para urna
potencia preponderante e directora ? Nao
reside no cerebro brasileiro a maior somma
de illustraco do meio dia, no seu coracao
maior somma de virtude, na sua conscien-
cia mais inspirares de verdade, e nos seus
bracos maior pujanca e valor ? Nao ha nes-
te territorio santificado urna exhuberancia
de seiba tamanha, que faz trasbordar de vi-
talidade tudo desde a planta at o ho-
mem ? E esses agentes prodigiosos da
nossa natureza nao seajuntam lodos os prin-
cipios extrnsecos, que methodsam o desen-
volvmento das cousas, fecundam ainda mais
as causas geradoras, accelerando aqui, e re-
freando acola o movimento de progresso
dos orgos sociaes? Nao descreamos: sera
f apaga-se o lampadario do trabalho, e a
vida se estagna as veas. A gloriosa cam-
panha do Uruguay a primeira iniciaco do
tupy as formulas mysteriosas da religio
social americana. Abnu-se de par em par
a portada do tabernculo, e a idea que
nossa s ergueu a cabeca d'entre os veos
da arca. Um vento de morte perpassou
por cima dos campos, mas as faces dos
eleitos illuminaram-se do arraiar da espe-
ranza.
Mais de trezenlos horneas triste a cer-
tezaforam arrastados no torvilnho ; em-
horanao vacilla a coragem, nem recua ;
bebe torrentes de inspiraco naquelle oca-
no de morte, e clama que nao eterna a
noute. que aps as cortinas de sombra ha
um purpurear resplendido do sol da manliaa.
Volve-se luta, ou antes, laucado por sobre
os hombros um olhar aos infelizes, arroja-se
cada vez mais no acceso da lide, obstioa-se,
endurece-se, exaspera-se, ferve em santa ira,
range os denles, estorce as feipoes no esgar
estupendo da cholera justa, que se encarnou
na forma soberanamente horrfica, porm
soberanamente bella da vinganca.transpeos
precipios de um salto, galga as fortalezas, e
vae plantar o pendo soberbo bem no pon-
to mais culminante ta cidadella. Mesquinho
do soldado sem nome, pode ser que dalli
mesmo, daquelle throno supremo do guer-
reiro, tombe ao sibilar de ama bala trai-
Coeira !
Nao importa : o genio do triumpho um
urna face regada de lagrimas copiosas; e a
patria estampa n'alma aquella imagera cer-
cada de aureolas immarcessiveis, que se
transforma n'uma reminiscencia brilhante,
n'uma lenda de ouro se baloigar entre as
nevoas do passado, e junto as divindades er-
rantes que vagam pelos perystiles murmu-
roses do templo do futuro. Mas a3 hostes
noparain. Depois de PayaandMontevi-
deo, depois de Montevideo-----Assumpco.
Nao ha duvida: nao se suffocam os louros
depois de germinados: arrebentam por for-
ca o cnico duro da arvore, e ho de brace-
jar bastos galbos. Retemperemos nos cry-
ses da f a lamina da valenta. Ha de ser
to alto o prtico dos nossos triumphos, di-
gamos com o poeta da legenda dos seculos,
que o colosso da nossa glora passar por
ahi sem dobrar as espaduas. E quando se-
renar o vendaval, acreditae-m'o, emmude-
cero os tredos e bejaro as plantas do di-
reito. Ento j o sopro da guerra tem sacu-
dido o p encobridor do principio, quero
dizer, da preponderancia legitima do Brasil,
da nivelaco da primeira monarchia com a
primeira repblica da America, da exalta-
Co da patria dos Andrades altura da pa-
tria dos Franklins.
E' fado averiguado: o Brasil costuma dor-
mir por largo tempo, mas quando acorda-se,
faz um estrepito de assustar. Conta Hen-
ry Heine, o poeta sublime do Resibilder,
que ha as sodes profundas das nossas im-
mensas florestas coevas da creaco urna plan-
ta chamadaaloes, que vegeta silenciosa-
mente durante cem annos : revam por l
as aves do cu, e nao a descobrem nunca;
as alimaas da trra nem sequer sonham
aquella existencia erma e inteiramente ano-
nyma. L'm dia ouve-se um estrondo assom-
broso; foram as ptalas da flor titnica que
se abotoaram ; ha urna chava de myriadas
de estrellas que envolva o clice maravillo-
so ; e ao de cima daquelle mar de folhagens
ergue-se a corolla soberba da rainha dos
bosques. Assim o Brasil; como o aloes
fabuloso cala-se, mas nao morre; soffre,
porm mais tarde toma urna vinganca es-
trondosa, que aco'rda todos os chosda Ame-
rica, eatroa todos os ngulos do mundo com
o estrugir dos triumphos.
Nos, mocidade acadmica, que ora des-
cantamos hosannas, tambem sabemos descer
do circo das esgrimas da palavra para a lica
rubra, onde se bale o soldado : sabemos
saltar os abvsmos que separam as ideas dos
fados, e atirar-nos das cumiadas da moma-
nha do pensamento no campo raso onde vae
banhada de grossas bagas de suor, e cober-
ta de nuveus de poeira a mais ruidosa das
realidades sociaes. E' um juramento solemne
que aqu prestamos neste grande dia: esten-
da-se mais o ap ello aos cidados brasileiros,
e aggrave-se mais a crise, e cada um de nos
ser um voluntario da patria. Nos.somos
como aquelles mocos dos cantos pasmosos
dos Niebelungen ; nao consentimos que se
enferrugem os gladios dos nossos irmos
mingua de bracos, nem derramamos pran-
tos de covardia, quando vao socobrar todas
as esperanras da causa commnm.
Depois da exploraco ao Tanhiry, exami-
nei o furo da Itaboca, e achei que o leito
daquelle estreito (ento completamente sec-
co) tanto na proximidade da Cachoeira gran-
de, c mo na da pan ;adaJos Correia,
elevava-se a 40 polegadas sobre o nivel d'a-
gua no canal da Itaboca ,-circumstancia que
junta da bocea de cima do canal-Itaboca.
j estar muitp afastado para o O do fio da
correnteza geral do co, me induz a asseve-
rdr que para o occidente/daquelle canal a
abertura de qualquer outro ser excessiva-
mente dispendiosa, nao obstante aquello ter-
reno ser pouco pedregoso.
A posico do terre .o entre a Itaboca e o
Inferno o torna va muto adaptado abertu-
ra de um canal pela sua proximidade ao
da correnteza, e mes no por nelle existirem
o lago do Bruno, e oulro que ao N termina
as proximidades das pedras de Joaquim
Ayres, pois facilitaran! a escavaco ; porm,
infelizmente, tanto os lagos como o dito ter-
reno superabundam em pedra, e por tal
motivo torna-se a abertura de qualquer ca-
nal por ali egualmente inconveniente.
Q canalCapitary-cura pelo que me in-
formaran!, e pelo que observei na sua foz.
me parece com a Itaboca improprio para ser
mahorado.
Explorar ao e eXMM da rio Toeantios, pelo eapita
teurnle da armada Francisca Parahvbuna dos
Reb.
(CoDtinuacao.)
No dia 16, s 7 horas larguei a praia do
Chico-Gorgulho. ao OE da qual existem ;d-
guns grupos de pedra, que emquanto de
enchentepodem ser perigosos navegado
daquelle lugar ; e seguindo o ONO e NO,
passei pela praia do Murusi-grande s 7 ho-
ras e 29' ; continuando ao NO s 7 horas e
57' passei pelo meio da bocea do furoMu-
rusi-grand ; s 7 horas e 53' montei a pun-
ta sul da praia Jacund; s 8 horas e 2'
vagando sempre ao NO veuci a ponta N da
dita praia: s 8 horas e 27' passei a bocea
do igarap Jacund, que fica quasi OE com
a ponta sul da ilha de fra ; s 8 horas e
38' navegando sempre ao NO, montei a
ponta S. da ilha doMeio, passando a bocea
do canal Jacund ; s 9 horas deixando de
costear a referida ilha, tendJ para isso nave-
gado aos ramos entre NO e SO pelo O,
vistei a bocea do Inferno a ENE, e depois
segui ao NO iO ; s 9 horas e 25' aportei
margem esquerda : na navegaco que na-
quelle dia fiz nunca encontrei menos de 9
bracas d'agua, e frequentemente com 15
bracas de linha nao alcancei fundo; a cor-
renteza as proximidades das boceas do
Jacund e Inferno seguramentede duas mi-
Ihas por hora, porm cambando para o NO
de urnas pedras que ficam a E da hocca do
Inferno, a agua corre menos de urna milha ;
s 9 horas e 45' larguei a referida margem e
seguindo aoN eNNO, s 9horas e 55' entrei
no canal de Itaboca ; s 40 horas e I3'pas
sei em 14 polegadas d'agua por cima do ta
boleiro de que j tratei; s 10 horas e 26'
passei o Piracaba; s H horas e 10' o
Pinagr-|; s 11 horas e 30' aportei na ensea-
da occidental da Cachoeira-grande, e s 12
horas chegnei ao abarracamento no Jos
Correia.
Durante a minha viagem ao Tanhiry, o en-
carregadodos gneros da fazendaEstellita
empregaodo a guaroico do bote, conseguiu
dar principio a profundar e alargar o estrei-
to desvio da pancada Jos Correia o qual
no estado em que j o deixeia 25 de setem-
bro ultimo, emquanto de endiente, dar pas-
sagem a qualquer I ot e pela sua nova di-
reccaocom a vantagera que salando aquee
canal de ir -afo das pedras d Joaquim
Ayres.
A' vista do que tleixo expendido, mani-
fest que opino para que o canal que se de-
ve melhorar naquella parte do rio, seja o
canal do Inferno, e avanco mesmo a d clarar
que, quando a desobstrueco do rio Tocan-
tins nao v a effeito, em despeito da sua n-
conteslavel utilidade, julgo que o governo
imperial tendo em consid raco ser aquella
a extenso mais perigosa do referido rio,
tanto em relaco propridade como s vidas
que nella transitam, deve mandar melhorar
aquelle canal por ter sufficiente agua em to-
do o anno, por ser mais curto e mais direito
do que qualquer dos canaes que Ihe sao
contiguos, e sobretudo porque a sua desobs-
trueco ser muito menos dispendiosa, que
a de qualquer dos outros de que tenho tra-
tado.
No dia 18 de setembro observei que as
ultimas 24 horas a agua no rio em lugar de
descer urna polegada, como era costume an-
terior.! ente, tinh i subido quasi polegada e
meia, e que a sua limpidez tinha sido altera-
da ; no dia 19 a agua tinha volvido a des-
cer duas polegadas e a tornar-se cry.-talina,
e que nos dias seguintes conlinuou come
; anteriormente, descendo regulannente : sig-
naes de pequeo repiquete. No mesmo d'a
appareceram alguns individuos com vmitos,
diarrhea e febre, o que altribui comeza-
nas a que continuamente se entrega va m.
No dia 20 aportou ao poco do Brtuio. pro-
cedente de Mo ajuba, urna igarit com um
oflicio do sub elegado de polica do 5o e 6o
districtos de Camet, Romualdo Antonio
I Martins, e conduzindo onze vofumes, nos
quaes comprehendia-se urna ambnlanciai
No dia 21 foi despedida a referida em"
barca cao.
Nos dias 19. 20 e 21 enferma am diver-
sos individuos, em cujo numero fui contem-
j piado com intermitientes, que por sua in-
tensidade forcaram-me a abandonar a com-
misso na manba de 25.
No d'a 30aportando a Baio cora a guar-
nico da igarit, quasi toda doente, engajei 5
remadores, cuja acquisico foi eita pelo res-
pectivo subdelegado de polica.
Aportei Gameta no dia | de outubro o
no da 2 regressou para Baio a igarit eom
os remadores engajados e o pratico Luiz da
Franca Pimentel, incumbido de entrega-la
ao respectivo subdelegado.
O tenente-coronel Joaquim Francisco Go-
mes de Castro, recebendo-me em sua casa
e ao contra-mestre Cardoso, que sempra me
acompanhou naquella commisso, promoveu
egualmente agazalho ao resto dos meus com-
|panheiros, que foram entregaos aos cuida-
dos do delegade de polica interino, ento
i em exercicio,
Aquelle cavalheiro o Sr. Castro, no dia 3
expediu excoteiramente urna montara, avi-
sando ao digno gerente da companhia do
Amazonas do que se passava, em virtude do
que e por dsposco d V. Exc, fui trans-
portado no vapor Soure para esta capital
onde cheguei na raanha de 8 de outubro
ultimo.
Cumpre-me aqui declarar que o tenente-
coronel Castro e sua respeitavel familia pres-;
taram-me e aos meus companheiros, com
delicadeza e humanidade todos os soccorros
e altences de que tanto necessitavamos.
Os obstculos que aprsenla navegaco
a seceo do rio Tocantins que tenho visto,
sao provenientes dos pedregaes ou grandes
accumulaces de pedra no seio do rio que
obstruindo-o represam a agua no seu curso
natural, produzindo assim fortes corrente-
zas, caprichosas revessas, e perigosos ri-
lheiros d'agua em muitos lugares.
Para a dita seceo tornar-se navegavel com
todas as vantagens, preciso extrahir as
crystas daquelles pedregaes de maneira que,
; na baixa mar do rio, haja sobro a mais alta,
! pouco mais ou menos oito, palmos d'agua e
collocar de distancia em distancia bolivas
que marquem o numero de palmos ou pol-
egadas d'agua q ie ha sobre a pedra mais
alta, e a direceo a que corre o canal.
Para conseguir aquella desobstrueco com
economa e presteza, parece-nos que se deve
observar o segrate:
O trabalho deve principiar em meiado ou
(ins de junho e terminar era fins de novem-
bro ou meiado de dezembro, conforme o an-
damento das estaces, que naquelle rio, se-
gundo me informaram, nao sao muito cons-
tantes.
Nao se devem empregar menos de cem
jornaleiros ; os quaes serao distribuidos pelo
servico em secces de vinte, as quaes na
falla de ligan artista, sero dirigidas por
algum dos jornaleiros entre elles escolhido
e que para isso.se mostr mais idneo ; e
mesmo quando haja algum artista para a-
dirigir, o dito jornaleiro ser considerado
seu substituto.
Devem ser engajados um ferreiro com
dous ajudantes, dous cavoqueiros e um car-
pinteiro, com condico-expressa de que,
quando nao tiverem o que fazer pelos seus
respectivos misleres, sejam obrigados a di-
rigir alguma das secces de trabalhadores,
e os ajudantes obrigados a fazer todo o ser-
vico que Ibes for ordenado,
Que para cada cem trabalhadores precisa-
se o seguiute : duas alvarengas de ferro
com capacidade para 20 toneladas de car-
ga, internamente divididas em tres secces
por duas anteparas perpendiculares aquella,
e cuidadosamente calafetadas, para as sec-
cts extremas fazerem o oflicio de salva vi-
das, e a do centro de conductora de carga ;
que ambas, ou ao menos urna, deve ter um
alcapo para descarregar pelo fundo ; e que
sejam apparelhadas com um guindaste que
pegue, ao menos, em trinta arrobas; um
trilho volante de madeira ou de ferro com
60 bracas de com,'rimento prvido com tres
carros, dous sarilhos e correntes, duas ou
tres pequeas cabrilbas, seis lingas de cor-
rente : e finalmente alvies, alavancas, bro-
cas, cunhas, mar roes, marrelas, etc., cor-
respondes aquelle numero de individuos.
Naquella desobstrueco muito couviria o
emprego das pillias galvnicas e de algumas
das machinas que as nenie-americanos em-
pregam no servico das pedreiras com econo-
ma de bracos e tempo, e sobretudo indis-
pensavel, logo que principiarem os referi-
dos Iraba'hos, empregar nelles exclusiva-
mente um pequeo vapor.
Sou tambem de opinio que, sempre que
se poder, conduzir-s-ha- a pedra para trra
firme ou para alguma ponta de ilha ou de
cora que eonvenha revestir para obstar ao
seu desmoronamenlo, u que s em ulti i a
extremidade seja lancada as profundidades
do rio, operaco que s deve ser dirigida
por pessoade conlianca, que a no praticar
sem ter primeiro reconliecido a profundi-
dade e extenso do poco ou lugar em que
pretender fazer o afijamente, e- bem assim a
direceo e torca da cerrentez naquella pa-
ragem, para evitar a futura rormaco de
novos obstculos navegaco.
(Gontmuai'se-lta.)
(M POUCO OE TUPO.
Este discurso e poesa forara recitados aos
acadmicos, na noute de 17 do correrte,
pelo Sr. Tobias B. de M.:
Meus senhores.
E' intil preambular.
Um pensamento fraterno,, radiante, su-
premo, flucta sobre as nossas cabecas, de
parelia com o astandarte da gloria.
Acceza em nossas almasaidadeengran-
decimento, sen'.uli-nos grandes queremos
lutar.
V. neste momento que afundando-aos na
abundancia de urna existencia de mocos es-
perancosa e vivida, adiamos, tocamos al-
guma consa de mais o essa demasa, se-
nhores, que somos brasileirosessa de-
masa que ao livro deste novo pico e ge-
neroso ajunta-se a estFophe moBlanhosa e
sublime de um de seus-grandes feitos.
O Brasil agita-sea mocidade o rodeia
o Brasil triumpha, a mocidade ajoelha-se
com elle para contemplar nos patrios cus
o vo de suas victorias.
E na face de tudo que tem um potico de
alma para sentir um pouco de san-
gue para derramar um pouco de vi-
da para morrer lavra a claridade de
um sentimento que absorve ledo o viver
positivoe ordinario; paixo nobilitante, pu-
rificadera, que o coracao de um homem mal
pode cont-la com todos os seus impetos
que lendem ao passado, que tendera ao fu-
turo, com todas as.suas avancadas para
a morte e para a vida, para o cu, para a
gloria, para a luz, para Deus.
E este sentimento, senhores, o patrio-
tismo. Pode haver quem diga tempo vi-
ra em que o grito dos alarmas, o lampejar
das espadas nada signifiquem sim :
mas l mesmo adianto, aonde nos promet-
iera levar os pontfices do progresso, quan-
do o gladio tiver sido substituido pela pala-
vra, a torca pela dea, a raio que fulmina
pelo raio que esclarece, l mesmo o bo-
mem deixar-se-ba vibrar d'essa paixo que
ser sempre no seu peito o eslremecimento
enorme das selvas, dos campos, das solides
da patria.
O Brasil era o colosso da paz; o Brasil,
esse pedaco do globo, cuja sombra bastara
para eclypsar qualquer sol que se Ihe poses-
se diante, tolerou por muito tempo os in-
sultos de rediculas pequenezas. Dizem que
as aguias, s depois de muito soffrer, de-
terminam-se punir com a morte as avesi-
nhas insignificantescujos pos Ihes iicommo-
dam. Tal aconteceu. O gigante principia
vingar-se, o pantheon da historia princi-
pia renovar-se de grandes vultos, as cam-
pas de grandes mortos, os cus de grandes
astros. '
A morte que se conquista pela patria,
nao urna dessas mortes lgubres, chora-
das, misteriosas, communs nao-; mor-
rer assim ao fumegar das batalhas
desembaracar-se de um dos enigmas do nos-
so destino, resolver o problema da gran-
deza, humana morrer assim engrande-
cer-se.
Parabens aos morios que ao rolarem no
abysmo da eternidade, atiraram por cima de
nos o mam de suas glorias. Parabens
patria que com toda a torca, com toda a
masculinidade de urna romana, capaz de
desarmar, se os tem, o braco dos seus co-
riolanos, ancar no meio dos combates a sua
prole de Scipioes, e ver em fim fartas de
triumphos as ancias de seu coracao gene-
roso. ..
Montevi'l-o catn rendido, e preciza que
o Brasil d-IUc a mo para levntalo...
Eis a victoria.
Juntemos as almas gratas
De collegas e de irmos;
O vento que accorda as mattas
Nos toma o livro das mos
A vida urna leitura :
E quando a espada fulgura,
Quando ente-se bater
No peito heroico pancada,
Deixa-se a folha dobrada,
Em quanto vae-se morrer.
Quando a patria se consterna,
Am-Ia... melter a mo
Nftuminosa caverna
Da yenda de CatSo :
Eujpunhar um ferro heroico,
Crav-lo no peito estoico,
Dizer sorrindo eis-me aqui
Derramar o sangue ftil.
Trapo de purpura intil
Que a alma repelle de si.
Nem permitamos que tallera
Campas Ilustrespor nos
Sao grandes, mas j nao valera
Pliautasmas, sombras de avs.
Se vos cobris de agicios,
Ociosos, nobres, patricios,
Diz Mario, se nada ooraes,
Que importam avoengos brios.
caducos, mansos e fros
Raios que nao prestara mais ?
Que leio em vossa alma inquieta ?.
Peso de Montevideo
Cahiste, diz o profeta,
E o raio applaude no cu.
Pernambucano agita a eoma.
incliua-se um pouco e loma
O peso do Paraguay
D d'escarneo urna risada.
Cerra o punho. e sua espada
Desembainha-se e vae
J das victorias que correm
Nitrera os rubros corseis,
Os furles avaucam, morreui,
Erguera-se espectros crueis
Levara dos gladios terriveis,
Rubidos, quentes, tiexiveis,
Cerno 11 nguas de leoes
Gritam a morte se assusta,
Va tonta e barafusta
as azas dos pavilhes.
Tinera os msculos de ac
Do brasileiro valor;
O be re alevanta o braco
Clamando esperae, senhor...
Tudo nosso nada alheio
A sorte va neste meio
Nio pe o seu p fatal
Tendo os auxilios divinos,
Taxar-nos-hio de molinos,
Senhor! sede imparcial.
Bem cerno os ros valentes
Que atiram-se alm dafozi
Distiuctos, independentes
Das aguas do mar feroz.
Desses que a patria defcndem
E aos sacrificios se rendera
Guardando os direitos seus.
O volto impectaoso e forte
Avistare alm da morte
Na immensidade de Deus.
Esses que alargam os peitos,
As mos para sustentar
Vastos planos, altos feitos
E a fama enorme empolgar.
Da altura precipitados,.
Rlam nos reos abiacados
Com as suas nobres aeces,
Deixando mpressos os dedos
Nos poemas, nos rochedos,
Nos bronzes, nos coracoes.
.
.
'
"

.
'

-*--'-
Na ultima sessoda sociedade geographica
de Londres, o capio Sherard Oaorn pro-
poz urna nova expedieco s regioes r-
ticas.
O temerario capito. a quem nao intimi-
da a sorte de. John Franklin, pee toda a sua
ambicao em chegar ao polo Norte, do qual
ainda al agora ninguem se aproximou, se-
no anima distancia de 435 milhas.
Pede para a expedico dous vapores de
hlice 120 homens, comprmettendo-se a
chegar cora esta gente ao eixo da trra.
Partir na primavera de 1866, passar os
annos de 1867 e de 1868 em cumprir a sua
misso com o auxilio de erabarcacoespeque-
as e trenos, e voltar era 869, depois di.
ter p rmanecido dous inventes tres veros.
na zona glacial.
Seguir a derrota do cabo Parry na Groe-
landia.
Esta proposta deu origem a urna acatara-
da polmica nos jornaes e nos cireotes
scienticos.
.......y .i
Para que se avaliera os extrao-dinaifijos lis
cros que tem dado o Banco hypoihecario
belga, creado apenas ha quatro anuos, ex-
tractamos do peridico francez Mfmiteur
Iniernatioml a seguirte noticia relativa s
operaces d'es'e Banco no anno de 1863 :
N'esse anno elevou-se a cifra da collo-
caco era letras de penhor a 10,794-350
francos.
Em 31 de dezembro de 1863 as letras
de penhor em circulaco representa va na nm
valer de 21,251:750 francos.
total das sommas emprestadas sobre
hypothec attingiu a cifra de 12,371:240
francos.
A s mma total dos crditos hvpothecarios
era 25,421:102 francos.
A co ta de lucros e perdas apresentava
um lucro que se el vava a 4.252:321 fran-
cos, e d'esta somma propoa o conselho que
se dividisse pelus accionistas simplesmente a
quantia de 2,220:000 francos, devendo os
restantes 2.032:321 francos formar urna re-
serva supplementK fra da reserva exigida
pelos estatutos.
Vieram assim os accionislas a receher um
dividendo de 111 francos por accio, oque
equivale a 74 por cento.
rtfcHAlWl'to.-T. Wt 15E f. i FiLHO


lm
IV


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9ORQZ6GH_R83RTI INGEST_TIME 2013-08-28T01:54:57Z PACKAGE AA00011611_10627
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES