Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10623


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ZLI. HUMERO 66.
11

Por qnartel pago dentro de 10 dias do 1. mez ...:,: .
tdem (lepois dos i.os 10 das do comecoe dentro do qoartel. .
Porte ao correio por tres mezes.......,..,,:
sjooo
6|ooe
750
DIARIO DE
TERCA FEIRA 21 DE MARCO DE 1865.
Por atino pago dentro de 40 dias do 1. mez ,,,.,. 491000
Porte ao correio por um anuo.............. 3J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, oSr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Alaloas, o Sr. Claudino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas eiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Agnas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
bora da larde.
Serinhaera, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 Loa chela as 8 h., 22 m. e 10 s. de m.
20 Quarto ming as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao.: lerdas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas s II horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s iO horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao raeio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a i
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. Ss. Faustino e Anatolio mm.
21. Ter?a. S. Bento ab.; S. Birillo b.
24. Quarta. Ss. Basilissa e Calecina mm.
23. Quinta. Ss. Victorino eFrumencio mm.
24. Sexta. S. Agapilo m.; S. Latino b.
25. Sabbado. cija Annonciacao de N. Senhora.
26. Domingo. Ss. Ludgero 'e Braulio ab.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 12 boras e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio.
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
_PARTE OFFICIAL
GOVBRNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 16 de marco de 186o.
Offlcio ao Exm. conselheiro presidente da rela-
pso.Queira V. Exc. interpor o seu parecer sobre
materia do incluso oflirio em original do juiz mu-
nicipal da 2* vara de 2a do mez passado.
Dito ao coronel commamlanle das armas interi-
no.Em deferimento ao que me requereu o solda-
do do corpo de polica Joao Ramos da Silva, man-
de V. S. iospeccionar a este de sande.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar no corpo de voluntarios da patria, depois de
serem inspeccionados os cidados Franpisco Fer-
reira de Araujo, Jos Ferreira Galvo, Laurentino
Jos dos Sanios, Manoel Firmino deSouza, Jos Pe-
dro Moreira, Herculaao Theodozio da Silva, Ma-
mede Jos de Sant'Anna, Jos Amaro Francisco da
onceicio, Joaquim Jos Pereira, Manoel Joaquim
de Barros, Antonio Luiz da Silva, Romualdo Fer-
reira de Mello, Jos Jeremas Gomes dos Santos,
Rulino Sergio da Silva Mindelo, Severiano Fran-
cisco de Albuquerque Cabra!, Antonio dos Santos |
Medeiros de Agotar, Lourenco Goocalves de Aze- ^-5 y. S. a 'mandar ad-
vedo e Antonio da Silva Gusmao Jnior | m(t||r no GvmMsi0 Provincial como alumno ex-
Dito ao fr-t252^J^^^~l5lS: temo gratuito, quandohouver vaga e sem prejuizo
tender como for de juslica o incluso requenmento "* d FrancisCo
o Sr. Dr. Claudino de Arujo Guimaraes, cnsul de
Portugal nesta provincia, transmitto-lhe-por copia
a informao/io ministrada ao juiz de orphaos desle
termo pelo escrivo de ausentes e residuos, da
qual var o mesmo Sr. cnsul que enhuma arre-
cacao se proceden na heranca pertencenle ao sub-
dito porluguez Roberto de Araujo, fallecido em
s. LouroDco da Malta.
Dito ao commandanlc superior da guarda na-
cional do Recife.Em vista do que represeniou-
me o coronel commandante das armas em offlcio
desta data, sob n. 514, sirva se V. S. de providen-
ciar para que com o 3 batalho de infaniaria que
aquartellou hoje, em substluicao ao 2o, desiaquem
mais 9 offlciaes subalternos, afim de que possa o
servico ser feito com regularidade e sem atro-
pello.Communicou-se ao coronel commandante
das arma?.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Pao d'Alho.Expeca V. S. suas ordens para
que o destacamento dessa villa seja augmentado
com mais 4 pracas de pm da guarda nacional sob
seu commando superior, e communique-me o da
era que esta ordem for executada.Fizeram-se as
necessarias communicacoes.
Dito ao director geral da instroccao publica.
De conformidade com a sua informacao da Io do
cial os inelusos ornamentos da receila e despeza I Brasil, rememorando os gloriosos feilos do inven- prestase muita allencao para os negocios da i da occasio, desceu com o Dr. chefe de polica,
para o exercicio de 1865 a 1866, que remetleu a | civel herpe brasileiro Henriques Dia. guerra. | commandante superior Exra. bario de Atalaia, Dr.
cmara municipal da villa de Flores com o offlcio Um numero j crescido de cidados lem-se offe-1 Maceio tem se portado com dignidade. Cada dia juiz de direito da capital secretarlo do governo.
junto por copia, datado de 21 de fevero ultimo, no recido para organisar, sem dispendio para os co-; apreciamos os effeilos desse mgico sontimento, o inspector da alfandega e'thesouraria provincial e
qual declaraos motivos porque deixa de enviar as fres pblicos, companhias de voluntarios, algumas amor da patria, que tanto nos enleva e arrebata os outras muitas pessoas gradas, dirigise ao povo,
contas do anno passado.
.Y 74. Dito ao mesmo.Em solucao ao seu offl
co de 6 do correle sob n. 8, e para ser presente
assembla legislativa provincial, passo por copia
dasquaes mareharo commandadas porelles; ou- coraces. saudou a bandeira brasileira e frente dell des-
tros para sustentar do sold e etapa, emquanto du- Nao posso furtai-me de continuar a fa!lar-ll>c nos fl|ou com mmenso cortejo pelas ras da cidade.
rar a guerra, a nao poneos soldados, e abrigar em nomes do actual presidente da provincia e do Dr.. Grande numero de foguetes do ar annunciava a
seos estabelecimentos fabris os filhos daquelles chefe de polica. Deus rae hvre da pecha de lison-1 viiorla de nossas armas ; repetidos e nao censados
s raaos de V. S., de ordem de S.'xc. o Sr. presi- que perecerem victimas do seu patriotismo. Os em- i geiro : sou apartado da administracao e muito i vivas dava frenticamente o povo
:_.-------1, i------j~. 1.1, ----------------.__ i tempo que lastimo o estado de desmantelo e anar- n---.---------
denle da provincia, a inclusa inclusa informacao
ministrada pelo desembargador da Santa'Casa da
Misericordia relativamente aos quatro quesilos
constantes do sea diado offlcio.
N. 75.Dito ao mesmo. Transmiti V. S., de
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, para
ser prsenle assembla legislativa provincial as
inclusas comas e orcamentos que roe envin a c-
mara municipal do Rio-Formse com efflcio de 8
do correle.
N. 76.Dilo ao mesmo.Transmillo por copia
V. S., de ordem de S. Exc, o Sr. presidente da
provincia, para ser presente a assembla legislati-
va provincial afim de lomar em considerado, o
offlcio incluso datado de 22 de dezembro ullirrio,
em que o juiz de direito da comarca de Cabrob
expde a necessidade que ha de urna cadeia no ter-
mo de Salgueiro.
de Lourenco GoncMves de Azevedo.
Dilo ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede no incluso requerimenlo Anto-
nio da Silva Gusmao Jnior.
Diloao raesmo.Consinta V. S. que os volunta-
rios da patria Manoel Elias Timudo Deco e Jos
Francisco de Barros Lessa, usem do dislinctovo de
1" cadetes at que provem 6 direito que tem a essa
classilicacao.
Dilo ao mesmo.Transmiti a V. 8., afim de at-
tender como for de jostra o incluso requerimenlo
do volantario da patria Jos Antonio Seifert.
Dito ao mesmo.Consinta V. S. que o volunta-
rio da patria Jos Vicente Lins de Barros, use do
distinctivo de soldado particular, at que prove es
sa classificacao.
Dito ao Dr. chefe de polica.Para satisfazer a
deliberaco da assembla legislativa provincial,
comida no offlcio do secretario de 15 do corren-
te, sob n. 26, ministre V. S. iaormacoes acerca do
esiadoem que se achara as casas que servem de
cadeia noslres termos de que se compe a comar-
ca de Cabrob, e se existe naquella comarca algu-
ma casa propria de prisao, e no caso negativo
.qual o meio mais fcil e conveniente de remediar
essa necessidade publica.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. adianlar ao capito do 10 balalhao
de infaniaria Theolooio Joaquim de Almeida For-
tuna, a importancia do seu sold no crreme mez,
vlslo ter de seguir para a corle no vapor que se
espera do norii-, aflm de ir reunir-se ae seu corpo.
Dilo ao mesmo.-Transmuto a V. S. os dous in-
clusos prets que me remetleu o commandante su-
perior desle municipio com offlcio de boje, sob n.
74, afim de que mande pagar os vencimenlos a
contar de 17 al 28 de fevereiro ultimo, das pra-
cas do Io balalhao de artilharia da guarda nacio-
nal desta capital, destacadas na fortaleza do Brura
e f*rte do Buraco.Communicou-se ao comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. para os
convenientes exames, as inclusas coplas das actas
do conselho de compras do arsenal de guerra data-
das de 2i e 27 de evereiro ultimo.
Dito ao mesmo.Transmillo a V. S. para os lins
convenientes o incluso mappa nominal do movi-
mento do pessoal das enfermaras do hospital mi-
litar na primeira quinzena desle mez.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Em vista das clausulas e orcamento juntos por co-
pias, que me remeiteu o chufe interino di repar-
ticao das obras publicas com offlcio de 25 de Janei-
ro ullimo, sob n. 23, mande V. S. por era arrema-
lacao os reparos de que precisa o empedramiento
da estrada de Apipucos desde o lugar em frente o
da Trempe at o Chora-menino, encunando V. S.
o prazo para essa arremalagao nos termos do arl.
103 do regu lamento daquella reparticao.Commu-
nicou-se ao chefe interino da reparticao das obras
publicas.
Dito ao mesmo.Tomando em eonslderacao
nue expz o chefe interino da reparticao das obras
Casimiro de Moraes, e como alumnos internos
gratuitos ao educando de collegio dos orphaos Joa-
quim Jacintho Pereira, fllho do finado coronel
Francisco Jacintho PereirJ, e a Manoel Leocadio
dos Santos, filho do tenenle Luiz Jeronymo Ignacio
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commando das armas de Pernambuco
na cidade do Recife, 18 de marco de 1863.
Ordem do dia n. 45.
Havendo desaquartelado 16 do corrente, a forca
pregados pblicos, com os descontos em seos ven
cimentos, contribuera a suavisar as extraordinarias
c enormes despezas do estado.
O movimento patritico lem-se prenunciado as-
sim em todas as classes da nossa sociedade, que
agrupam-se em torno da presidencia, cuia solicilu-
de e Infatigavel aclividade, unidas confianca que
inspiran sen carcter de verdadeiro liberalismo,
garanten) a proficuidadede tao nobres sentimentos,
e elevam sua verdadeira altura, para os volun-
tarios, as sinceras promessas comidas no decreto
de 7 de Janeiro.
A concluir-se pelas chuvas, que lem cabido
uestes ltimos dias, o invern este anno annuncia-
sa igual ao de 1862. Sem embargo disto, o calor
intenso, parecendo que as iniermlencias pluviaes
servem s de aggrava lo.
O estado sanitario da provincia apresenla-so
em melhores condices do que ha pouco csteve.
Algumas epidemias" que reinavam, muilas dellas
victimando grande numero
Dirgio-sc o sequilo ao quarlel militar, aposento
' | dos voluntarios onde hove altas deraonslrae5es
de euthusiasroo. O presidente e chefe de polica
eram vivamente saudados pelo povo. Em seguida
deslou pela ra Nova, iravessa do Livramento.
Boa-Vista, praca dos Martyrios, Commercio, praca
de D. Pedro II e outras. Nos Martyrios, e no lar-
go de Pedro II junio ao monumento'do imperador.
S, Exc. fez parar o grande ajuntamenlo popular,
fallou com emphasi.deu numerosos vivas e por sua
vez fura entusisticamente saudade.
Iloolem noute continuos a i Iluminarlo e hou-
A's 7 horas em freo-
calcada o Exm. Sr.
presidente, entoarara-se ainda diversos vivas, cao-
tou-se e tocouse cora vivo ardor o bymno na-
cional.
Apenas fundeado o vapor e communicado que
foi seu commandante com o presidenteaccordou-
se na partida do mesmo no dia de hoje segunda-
feira s 7 horas: devendo embarcar lodos os vo-
chia administrativa em que
vincia.
Tenho visto aqui ludo quanlo ha de aborto em
materia de liberdade e de juslica. Pareca que tao
cedo nao gozaramos de um governo, amante da
le e do direito. Mas grato confessar que nao
vamos presentemente mal. O dia 15 de dezembro
de 1861 abri urna nova era nos fastos desta pro-
vincia. A admioislraco do Sr. desembargador
Goncalves Campos, a polica do Sr. Dr. Sebaslio
Lardoso sao um dos acertos dessa sltuacao.
Integridade, espirito de justica e moderacao, sao vc'msca anda'pefas"rKK
os distinctivos que vao caractensando o governo le de pa|ac0 e descendo a
daquelles dous magistrados. Nao tenho motivos
ainda para reformar a este respeito meu fraco jui-
zo ; farei-ocom a independencia queme propria
quandu elles desaliaren, o que Deus tai-nao per-
milla. At aqui, nao. Os assumptos de inleresse
geral sao bem curados pelos dous funcionarios que
tenho nomeado.
dos Santos, o primeiro e o nliimo consiam dos re- j querimentos que inclusos devolvo, e o segundo j fieste municipio sob o commando do Sr. raajor Joo
Ihe.ser apresentado por parle do desembargador Bernardino de Vasconcellos, que fazia o servico da
provedor da Sania Casa de Misericordia, logo que gQarnicao desla cidade a contar do dia 8 de Janeiro
V. S. Ih'o requisilar, para o que ficam expedida, ultimo, sendo substituida por oulra do 3o balalhao
as necessarias ordens. da mesma arma comraandada pelo Sr. tenente-co-
Diio ao mesmo.Em vista de sua ioformacao de; rone| Francisco de Miranda Leal Seve, o coronel
11 do corrente, sob n. 71, dada com referencia ao; commandante das armas interino, assim faz publi-
requerimentoque incluso devolvo, de Jos Joaquim j Co para os flns convenientes, e aproveita aopportu-
da Silva Guimaraes, autoriso V. S. a mandar ad-1 njdadc para agradecer aos Srs. raajor Vasconcel-
miur no Gymnasio Provincial como alumno meio- |0Si offlciaes e pracas o bem que serviram.
de pessoas, teem ees
sado de produzir os seus malficos eUeitos. Abslrahmdo da poltica malfadada que tanto des- |umarios, polica e recrutas aqu existenles, os
- A presidencia, apar do desvelo que despen-1 gasto e mal nos tem causado, elles nao seguem as quaes vao se reunir aos da Bahia, que sao por
de em realisar ludo que concernenle sorte das man, ominosas pegadas que aqu acharam, bis- ora os que ^^ C0Dduzir 0 s prancUco.
armas brasiletfas na quadra actual, se nao descui-1 'ant deshonrosas a seus autores. A cidade e a j^^m M immediaiamente ordens e providen-
da de promover o engrandecimenio e a prosperi-1 provincia veem retirados de palacio esse grupo cias pi,ra a so|emndade do embarque. Honiem
dade da provincia, e de appllcar os mais enrgicos' oe harpas, essa amiga confrarla de exigentes e trabaiharam e abriram-se, nao obstante ser domio-
e adequados remedios s necessidades pnblicas. ; pedrales, que nao se pejavam do papel que repre- g0) lodas as repariicoes, afim de se activar o ser-
E' assim que j f.i-lhe apresentado o compelen- sentavam na sociedade, e do abysno que a olhos vi?0 pQblco com relacao ao mesmo embarque,
le relatorio pela commisso, que nomeou, compos- v,lslos cavavam para as infelzes adminislracoes. prepararam-se logo os arcos e palanques projecta-
l de cidados habiliadus, para estudar as causas! Gracas a presidencia estamos desassombrados des- dos> os quaes foram collocadosna frente do quar-
da roa qualidade da carne verde, que se expoe no | sest\fS!W. *!!i!!!2l. j._______*~ -: Ile1, na p.raa dos Martyrios, nos quatro cantos da
pensionista, o filho do supplicante de nome Secun-
dino Jos da Silva Guimaraes.
Dito a associaco protectora das familias dos vo-
luntarios da patria. Offerecendo-se o Dr. Manoel
Thomaz de Bittencourt Corte Real, para prestar
gratuitamente os seus cuidados mdicos as fami- i
lias dos voluntarios da patria residentes no Cabo e j
Ipojuca durante a guerra do sul, submello esse of-!
ferecimenlo a associaco protectora das familias
dos voludlarios da patria, para que oportunamen-
te aproveile os bons servaos do mesmo dontor, se
forero elles precisos. Offlcion-se ao Dr. Corte
Real, agradecendo o seu patritico offerecimenlo. i
Dilo ao coronel Antonio Gomes Leal.Pelo seu
offlcio de honiem sob n. I, fiqoei inteirado de ha-
ver V. S. assumido n'aquella data o commando do,
corpo de voluntarios da patria.Communicou-se a
thesouraria de fazenda.
(Assignado.) Jos Marta Ildefonso Jacome da
Veiga Pessoa e Helio.
(Conforme)Antonio Francisco Duarte, lente
ajudante de ordens interino, encarregado do de-
talhe.
INTERIOR
mercado ao consumo da populacho, as razos da
sua caresta, e indicar as medidas conducentes a
removerse um mal lo grave a sade publica e
aos escassos recursos do povo em materia de sub-
sistencia.
Asadmnistracoes s nao atlendem alimenta-
cao publica quando se* nao compenetram da res-
ponsabilidade da sua misso e dos devores que Ihes
sao irapostos pelo cargo que oceupam. O Sr. des-
embargador l.uiz Antonio Barbosa de Almeida,
neste ponto, como em ludo o mais, credor dos
maiores elogios.
COKHKNPOXDEXCIAS DO DIA
BIO DE PERXAnil'CO.
BAHA
S. Salvador, 1 i de marco de 1805.
Antes de ludo, urna palavra de cordeal agrade-
Di'loao commandante do corpo de polica. Fa- i cimento ao conceituado Diario de Pernambuco, pe-
Ca V. S. apresenlar ao coronel commandante do lo acolhimento benvolo que mereceu-lhe a minha
As aguas da compaohia do Quemado, que se -
teem denunciado insalubres nestes ulllmos lempos ciar para que nada Ihes falte, tudo ha sido obra de
pela falta de limpidez na cor, pelo goslo desagrada- momento.
vel e suspensao de principias orgnicos em s,! An I desejaramos todos nos que tao activo e di
tambero Ihe lem merecido a mais seria allencao. Ifgeato fosse o governo no Rio '
Nos dias ero que, n'um dos sales da Faculdade
de Medicina, reunio-se para discutir em ultima
AS. Exc o Sr. Dr. Campos deve-se a grande aro- rua do Commercio, ero oulro lugar da mesma ra.
macao que dominou para formacao do corpo dos, na frenle de |acjo na ,e de Macei na e5.
Voluntarios. Elle desceu a confundir-se cora o ul-, trada e n0 Da,rr de jaragu
timo do povo quando visilava o quarlel dos rota* j Descreverei em oulro diaa fesla do embarque
taos; enlhusiasma a populacao e dirige a pala-; de nossos bravos m |l6je ,0.
vra aos bravos que vao para u sul. I rioso destino, sob o commando do major Carlos
Nao ha offereciroento patnolico (qualquer q,ue se- Cyrillo de Caslro
jaocidado que o faca) que elle nao receba logo ja honiem se passaram para bordo alguns 86
cora verdeiro agradecimenlo, respondendo com. reCrulas, segundo ouvi dizer, para o exercito, que
igualdade, animacao e regosijo. aqui se achavam moito afim de seguirem. Nao
Preparar o quarlel, reparar seus aposentos, caa-. sei ao jusio o numero dos voluntarios que retra-
lo e piota-lo armar a polica e os voluntarios,,es- ho:e de ns_ Excedera a 400 e coro aquelles
ti-los ou farda-Ios, pagar Ihes ero lempo, providen- cre|0 que oS Frac(Sco levar s d'aqui 500 ho-
mens, pouco mais ou menos.
Nao consta que baja repugnancia alguma no
A vaga noticia que nos trouxe o Apa a 3 do
crreme sobre a capilulacao de Montevideo, preci-
sava de conlirmac-io e era com i;i xp.hcavel ancia
. esperada de todos. A lodo o nstame olhava-se para "" f-"am' (Zs absoTvido
discussao, denotando desfarte o vivo inleresse que o honsonle a ver se apontavao vapor & francisco, t de (art0 e r(mbo 2 de fermentos graveSl
lbe inspira um to imprtame assumpto. Breve-; que era esperado para transportar as rorcas. Ja o fensas physicas leves e l ie ameacas e
mente sera submeilido =ua apreciacao o referido | espirito (roblico amaldicoava a |.mprevidencia e
parecer, que, esludado minuciosamente, e recebe-1 condemnavel vagareza de nosso governo central a
instancia o seu parecer a coromisso nomeada pa-
ra analysar aqullas aguas, S. Exc. foi asslstir
U de voluntarios da patna, o lente secreta- priroeira roissiv.; e urabera_aos seus habis [*^!*]2S!! SSK?. "com efeito ftff'^^lfT
rio do corpo de polica, Luiz Jeronymo Ignacio dos posilores pelo cuidado que empregara era nao es-
Santos, afim de oceupar all o lugar de quartel tropear o que se escreve.
mestre, devendo V. S. consdera-lo como em dil- Satisfeilo esle deyer, entremos em materia,
gencia no predito corpo de voluntarios da patria., A victoria por nos alcancada sobre Montevdu
Dilo ao capillo do porto. Concordando com o j encheu da maior alegria os habitantes desta cidade
que prope Vrac. ero seu offlcio de 11 do corrente; e de oulros lugares da provincia,
sob n 48, auloriso-o a remeiler para a companhia j Assim quo espalhou se lo agradavcl noticia, co-
de aprendizes marinheiros o menor Joaquim Nar-1 roo por encanto, a urna hora da larde, o povo 00
v aos jusos reclamos dos habitantes desta cidade, I Com elTeito I que cousa mais triste, mais de-1
ja maiora dosqaaes ja nao Ingere as mencionadas gradante e vergonhosa doque _saber-se que_nosul
aguas, alientas as pessimas condices em que sao
publicas no offlcio junto por copia datado de 30 *a|J7; ",'
janeiro ullimo, sob n. 26, recommendo a V. S. que '.
roande pagar-lhe pelo mximo
ciso do Nascimenlo.
Dito ao inspector do arsenal de marrona.Em
visla do que informa Vmc. em seu offlcio de 11 de
corrente sob n. 862, antoriso-o ceder por empres-
timo e pelo praz* de dous mezes a Francisco An-
tonio Cardozo, tres toueladas de ferro bruto, asslg-
nando este termo de recebimento e responsabili-
dade pela restituigao do mesmo ferro, dentro do
prazo de que se (rata.
Dilo ao director do arsenal de goerra. Recom-
mendo Vmc. que remeta ao coronel comman-
dante interino do corpo de voluntarios da patria, a
proporco que se forem promptiGcando os farda-
mentos que esljo sendo manufacturados nesse ar-
senal para os mesmos voluntarios, afim de que
possam ser convenienlemente distribuidos.
Dito ao juiz de direito presidente do tribunal do
-Ti-o,lo nesta data nomeado o tenenle secre-
corpo de polica, Luiz Jeronymo Ignacio
o lugar de quarle
mecou a percorrer asj'ua; da cidade, precedido
de bandas de msica, dando os mais enthusiaslicos
e apropriados vivas, que eram fervorosamente
correspondidos. Por duas ou tres vezes, e por es-
paco de (res noutes, agrupou-se, em numero con-
slderavei, porta do palacio presidencial, repetindo
os vivas e frenticamente saudando o digno admi-
nistrador da provincia.
As casas dos particulares, c os edificios pblicos
illuminararo-se durante essas noutes, ostentando
garbosas bandeiras brasileiras. Vanos poetas fizc-
ram-se ouvir com primorosas produccoes, exaltan- com lodo o seu prestigio pessoal,
do anda roais o jubilo e o enlhusiasmo da popula- effeilo urna tao grandiosa idea.
distribuidas.
E' para lamentar que a tal estado chegasse a
respectiva empreza, urna das que mais ulilidade
eslavaro prestando populacao, e que, saudada
por esta com enlhusiasmo, vingou coro maior faci-
iidade entre nos.
O estabelecmenlo de casas escolares appropria-
das ao ensino publico primario, urna das necessi-
dades esla de recanhecida urgencia e subido al-
cance, mereceu os cuidados da presidencia, que
principiar muito em breve a ver a constrnecao
dellas, realisada porcidadaosinteressados pelo der-
ramamento da instruccao sobre a cabeca do povo.
A esses cidados, bem como s cmaras rounici-
paes, offlciou a presidencia no sentido de contri-
buirem, com todos os meios de que dispunham,
para levar-se a
aexa i dos Santos para servir o lugar de quartel mestre
ria, Nazareth, e Goianna, a servico daquella repar- te ^*J^gffgXSX rounici-
aLCTZZSeMandrcVS r ero hasta P>S Recife? CarollogAuguslo Ferreira da Silva
pnI ca osrepa"Tde"qMudeD Lf onte do" r!o "Aecuso a recepeo do offlcio de IIo jenj
bi.~Z, caroinrtn A,c Haia arrPinatapSn as ora que Vmc. renuncia as condices com que em
l^Z^^ff^S^\n^yT^ srfereceu.para Tar
fim v eram annexos ao offlcio do chefe interino da P"a o Rio da Prata, e declara estar promplo a se-
L,r.r.; cKme e sob n 6USimoSS. ao chefe templado .entre os offlciaes da guarda nacional
L0Sda%epar,icaodasob^^^
j^"SPssJSnsKA; saar8 qQe opponnte sera c,,e
CIOk VC^V S urna'rtacao das date^eS' Port'1a-0 presidente da ,rovincia, leudo ero
SOb L2^. H%U nn Dr^^rocurador fiscal as a proposla apresentada pelo tenen.e-coronel
que foram coro isia ao Dr. ^5(C/n ',dal_"s i commandante do balalhao n. 3 de infamara da
3o causas mencionada, ,^^^ aPre enlado por muDicipio, sobre a qual in-
essa thesouraria, relativo ao semeje de Janeiro a groji 9m^mtmmSSm superior inte-
junho de lo*. no em orfl(.jo 5y de 3 deste mez reSolve pas-
Dilo n^^"^*}:*^^ r'da lerceira para a primeira companhia da-
duccao de presos do termo de Caruar para esta mesmo nomea .
capital segundo consta de offlcio do chefe de poli- fc*,aao ,na,or-
ca de 3 do corrente, sob n. 302, juereio annexo Iferes pirla bandeira, o guarda Manoel Joaquim
incluso recibo.Communicou-se ae Dr. chefe de de Faras.
polica. j 1' companhia.
Dilo ao mesmo.Se nao houver inconveniente Alferes. o guarda Arsenio Carneiro da Cunha Mi
mande V. S. pagar a Joao Carlos Augusto da Sil- randa.
va, conforme olicitou o chefe de polica em offlcio ja companhia.
de 11 do corrente, sob o. 345 a quantia de ....... Alteres, o sargento brigada Francolino Domiogues
1:588^156, despendida no mez de fevereiro ultimo, da Sj|va_
coro o sustento e dietas fornecidas aos presos po- |< curopanhia.
bres da casa de detencao. | Alferes, o guarda Leonel Augusto Ferreira.-Com-
Dito ao mesmo.-Attendendo ao que expz o muocou-s ao commandante superior do Recife.
commandante superior da guarda nacional de ISa- Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
zareth em offlcio de 6 do corrente, sob n. Ui, de paqaetes, mandem dar transporte para a corte
recommendo a V. S., que em vista do pret junto era por con|a d0 ministerio da guerra no vapor que se
duplcala, c Bao havendo inconveniente, mande espera do 00rte as pracas constantes da relacao
pagar ao negociante J>s maria Ferreira da Cu- :uula asignada pelo secretario do governo, as
nha, a quantia de 37J1200, correspondente aos qiMes v5o reUnir-se a seus respectivos corpos.
vencimentos de urna pacolla de guardas nacionaes, ComraUncouse ao coronel commandante das ar-
que conduzo presos de justica d'ali para esta cap- ma
talComraunicou se ao commandante superior de Dta Os Srs. agentes da companhia Brasileira
laiareth. de paquetes facam transportar para a corte, por
Dito ao cnsul de Portugal.Annuindo ao que conla do ministerio da guerra, no vapor que se es-
solicita o_ Sr. Dr. Claudino de Araujo Guimaraes, pera d0 norlej ao capilo do 10* batalho de infan-
iaria Themoleo
cao que, arrebatada, a nao se conter em si de tanto
rgulho nacional, victoriava os cantores dos bros
da patria cora as mais vivas demonstrantes de apre-
Co e regosijo.
Foi muilo applaudida a poesa recitada e ollere-
cida por um oppositor da Faculdade de Medecfna
ao Sr. desembargador Barbosa de Almeida, como
um daquelles a quem a dignidade do paiz j de ve
muita gratido.
Em straima, parece que durante esses dias nao
ficou urna s possoa dentro de casa; que ludo la-
bio a desafogar seu coracao em hymnos de ale-
gra.
ero de oulro modo poda ser acolhida a noticia
da queda de Montevideo, atiento que nossa forca
moral s por si pode produzir aquillo que muilas
outras nacoes conseguem por meios violentos e de-
masiada effuso de sangue.
U presidente Aguirrc e os seus ministros, aban-
donando Montevideo, antes do Iroar de um s ca-
nho brasileiro, sobre incorrerem n'um crime de
lesa-nacionalidade, tanto mais quanlo foram elles
os creadores da critica sluaco do seu malfadado
paiz, deixaram provado a toda luz que sao traedo-
res e covardes a mais nao poderem ser.
Entre as resposlas que appareceram ao appello
do governo, lornou-se nolavel a do Ilustre conse-
lheiro Saraiva, o bahiano o politico distincto por
! qualquer lado que se censidere, prometiendo aoSr.
Barbosa de Almeida a sua sincera coadjuvacao no
melhoramenlo desse ramo da administracao, e bem
assim, mais urna vez, a sua adheso ao actual ad-
ministrador da provincia.
Os estabelecimentos bancarios esto passando
por um austero exame, procedido por urna coro-
misso habilitada, que para tal firo nomeou a pre-
sidencia, em razo de nelles se tercm nao ha mui-
to efleetuado dolosamente algumas iransaccoes,
de modo a co nprom'lterem o crdito indispensa
vel vida de laes-inslituicoes.
Na noite de 25 do passado foi offerecido ao Exm.
Sr. desembargador presidente da proviucia um
baile na freguezia da Penha, por alguns amigos
seus nella residentes, como deroonstraco do apre-
ha carencia de gente necessaria para aggredir e
accommetler, ale esmagar, o audaz, insolente Pa-
raguayo, defender a> ronteiras, ao passo que as
provincias do norte eslavam pejadas de bravos an-
ciosos por marcharero I
Calculase por aqui, que na zona do Para at.Ba-
hia, enlre voluntarios, policas, corpos fixos, tropa
de linha, etc., nao exislera menos de oito a dez mil
humen.-, prompios primeira voz.
Os nossos voluntarios aqui locavamjao deses-
pero combas noticias de novos insultos praticados
pelos selvagens do maldito Lpez ; todos porfia
queriam medir suas torcas com as innumeraveis
cohortes daquelle burlesco saltimbanco, armado em
chefe de um povo escravisado e barbartsado.
Emfim, chegou a noticia que todos anhelavam.
A's o horas da tarde de H deste (ante-hontem) vio-
se que demanda va nosso porto um navio grande
movido a vapor, e s 7 horas da noite j fundeado
eslava o S. Francisco, commandado pelo disiincto
fflcial de nossa armada, o caplto-tenente A. Vital
de Oliveira. O vapor apresenlou-se Iluminado e
dentro em pouco a cidade quasi toda corresponden
quelle expresslvo signal de boa noticia.
Capitulou Montevideo I A 20 de fevereiro effec-
tuou-se o convenio da paz entre a repblica e o
imperio : restabeleceu-se a tranquilidade no Uru-
guay : subi ao poder o general Flores nosso allia-;
do, que mandara saudar o pavlho brasileiro no
mesmo lugar onde ha bem poucos dias passados
urna horda de cannibaes dirigida pelo imprudente
Aguirre e sanguinario las Carreras, de odiosa me-
moria, haviam arrastado em completa orgia quel-
le emblema sagrado de nos>a nacionalidade. Nosso
exercito fizera sua entrada triumphal na cidade
por entre milhares de applausos da populacao, e
saudacao das familias de Montevideo. Viilalba en-
cetara a obra que depois continuou Flores : seu acto
Saudemos a polilica de Viilalba, que, para pro- rfsial. Esleve muilo concorrido o acto.
ceder coro sabedoria, nao sacrificando o seu paiz
poz diante dos olhos, bem aberlas, as paginas do
dos, na quadra actual, provincia e ao paiz.
Esteve muito concorrido e animado.
No dia 1." do corrente abrise asegunda
sesso da actual legislatura da assembla provin-
0 presdeme leu um luminoso e bem elaborado
relatorio, no qual se revela mais urna vez o estu-
I i ero negro, escriptas pela mo da falilidade quo Ido que tero feito S. Exc. das necessidades da pro-
pesava sobre os seus conterrneos. | vincia, para indicar aos seus representantes as roe-
0 despola burlesco do Paraguav, quem sabe se didas que possam cabalmente satisfaze-las. Essa
tambem nao envergar, logo primeira hora do \ leitura foi ouvida com o mais religioso silencio, o
cmbale, se nao antes, o seu gibode vagem, com que demonstra o respeilo que inspira ao publico o
sua sacla de provises de fugitivo, e nao ir im-; Sr. Barbosa de Almeida.
cnsul de S. M. Fidelissitna nesta provincia, era [, f hemoteo Joaquim de Almeida Fortuna.
offlcio de 10 do corrente, remeti urna copia do Communicou-se ao coronel commandante das ar-
aviso expedido pela reparticao de estrangelros ero mas
15 de fevereiro deste anoo, resolvendo a quesio da, D,peeilie j0 secretario do governo do dia 16 *
nacionalidade de Manoel Jos Freir de Andrade, de mareo de 1865.
suscitada enlre esse consulado o o juiz de orphaos r ?j _^*Mio da assembla le-
^RenoTaoroesrooSr. cnsul a seguraba de ^^^^-;SllSiSS^SSl,
tando o sublime desforco de Aguirre e seus minis-
tros? Cremos que sim, por parlrmos de uro prin-
cipio : que s nao arrefece coragem que deriva
de um espirito civilisado e conscio da nobreza de
sua misso. D'aqtii o ardor que ha desde o general
al o soldado brasileiro pela desalfronla dos bros
da liaefu.
Contina o alistamento de voluntarios, c o
povo bahiano a offertar diariamente ludo quanlo
compativel com os seus recursos. O offlcial, o sol-
dado offerecern a telalidade ou parle do seu sold,
para auxilio das despezas com a guerra; os direc-
tores c directoras de collegios, intrnalos ou extr-
nalos que sejam, lugares gratuitos, em numero li-
mitado ou nao, durante a guerra, ou ainda alm
della, para os filhos ou lili)as dos militares, que j
marcharan) ou tenharo de marchar para o sul, afim
de que, em condices de pobreza, nao deixem de
receber a educacao precisa.
* Mas de urna familia tero-posto disposico da
presidencia as suas horas de repouso, as que po-
dem furtar s quotidiaoas oceupacoes da vida, pa-
ra costurar gratuitamente as pecas de roupa neces
sanas ao fardameoto dos voluntarios da patria.
Ao comroandanlo da compaohia de crioulos, que
CO em que teem as qualidadcs pessoaes doadmi-; mais digno para com nosco foi rejeitar inlimine a
nistrador e os relevantes servicos por elle presta- ridicula proiecco do lyranno caricato d ASurop-
Cao, desprezar suas bravatas, deua-lo abandonado
a seu isolamento no meio da America. Relirou a le-
gaco oriental que resida entre aquelles desfruc-
lavis por considera-la intil.
Flores declarou que nao fazia caso de Lpez que
leve o arrojo de melter-sea querer inlervir nos ne-
gocios do Uruguay, e prestando ao Brasil toda gia-
lido e alilanca posslvel nao devia manler rela-
Ces com um governo que pralica actos de pirala-
ria e nojenta aggresso contra o magnnimo impe-
rio. O mesrao Flores hypoihecava sua honra a fa-
vor das exigencias a que lem direito a naco bra-
sileira, dando-lhe em tempo opportuno lodas as sa-
lisfaces desejaveis.
Bis a victoria que obtivemos sem derramar san-
gue.
Gloria as armas brasileira., gloria valorosa
marinha nacional. Honra ao disiincto visconde de
Tamandar e ao filustre diplmala conselheiro Pa-
nhos, que soube to bem encarainhar os negocios
de sua patria.
No meio deludo issocausou viva consternaco
a vaga noticia de que fra dispensada a misso da-
quelle iusigne ministro brasileiro. Muitos, os es-
pirilos lacanhos, querem ver nisso, se acaso ver-
dade (o que para admirar I ) um acto de desa-
A mesada assembla ficou assim composta :
Presidente, o Dr. Pedro Brando ; 1." secretario,
Dr. Gustavo de S ; 2., Dr. Goncal Blelo.
Sao tres nomes prestigiosos e de bem merecida
reputado.
A jxcepco de ura s de seus membros rara a
vis m trra, a representacao provincial presta o
mais fiauco e decidido apoio administracao.
AL.AGOAM.
Macei, 13 demarco de 1865.
Podendo ser que boje passe o vapor do sul da grado ao governo, porque no entender delles aquel-
companhia brasileira, preparo esla para seguir e le conselheiro fizera urna paz menos digna aos
nao inierromper a serie de inhibas corresponden- nossos inleresses Que disparate
cias. Se o Param (ou qualquer oulro) nao che- Se o governo assim remunera os servicos rel-,
gar, ficar ella feta e ento addilarei com as ec- vantissimos queao paiz acaba de prestar o illustra-
currencias posteriores. do diplmala brasileiro mal vai a causa publica
Hoje, que lanco mo da penna para Ihe escrever,
presencia nossa capital uro espectculo de grande-
za e saudade I Por toda a cidade msicas e povo,
arcos e flores, vivas e adeuses I E' a partida dos
nobres Fo/nnorios da Alagoas, vicloriados por
grande concurso de povo, a descida do garboso
se esl organisando sob a deoomioacao de Ziiaro balalbo dos patriotas que buscam Jaragua era cu-
Batanos, foram offertados, por um capito da jo porto esta fundeado o arrgame S. Francisco, que
guarda nacional, urna primorosa espada e um re- veio buscar nossos bra
wolver duplo com lodos os seus perlences, encer-
rado n'uraa linda caixa, para com essas armas
Antes que lbe retira a festanca e alegria que por
aqu reina desde a noite de sabbado 11 do correle,
aquelle offlcial voluntario, que as receben das raaos! devo, para ser melhodico, remontarme aos fados
do Exm. presidente da provincia, marchar para o, dos das anteriores.
campo da lua a punir os Insultos dos inimigos do i mala provincia, como Ihe tenho annunciado,
entregue a semelhantes ministros !
Dou tempo a que sojamos plenamente esclareci-
dos a respeilo. Por ora cusa a comprebender se-
mclhanle procedimenlo extraordinario, e que s
revelar odio, espirito pequeoino de partido e vin-
ganca, seo que leve lugar.
Como Ihe disse, apenas conslou pela cidade a
coBrroacao da rendic* de Montevideo, e por tan-
to o fim da guerra no Estado Oriental, apoderou-se
de todos grande jubilo.
A's 8 horas da noite, ja em frente de palacio,
achava-se o corpo de voluntarios da patria e a po-
lioia, urna banda de msica, grande ajunlameoto
popular, S. Exc. den numerosos vivas proprlos
chamamento dos 181 guardas nacionaes que a pro-
vincia vai dar para a defeza das fronteiras e servi-
co da guerra.
A primeira sessao Ho jury encerron-se no
dia II deste, julgando-se 7 processos e 8 rus, os
Os enmes foram 2
2 de of-
physicas leves e 1 de ameacas e uso d'ar-
ma defeza.
J nao existe o negociante desla praca sub-
dito portuguez Antonio d'AzevJo Maia, que era
socio da casa Ferro ahi.
E' um successo trgico, lamentavel e com seus
visos de mysterioso. A curiosidade publica andou
por tres dias smente convergida para esse fatal
acontecimento. Eis o fado.
Na noite de 8 do crreme, depois das 9 horas,
embarcou AzevJo Maia em caoa, como aqui
costume, para o Pilar, onde, se diz, ia ajusfar
celtas contas e liquidar negocios commercias. A'
urde do oulro dia-(9) espalhou-se pela cidade a
tristissiroa noticia de que na laga do Sul e alm
ja da ciilad das Alagoas virara a caoa pela ma-
drugada d'a inelli- dia e morrera alfogado Antonio
Maia que nella ia.
Milhares de conjecturas se formaran) inmedia-
tamente sobre o caso. Nnguem dava crdito ao
fado da calaslrophe. E' cerlo que na laga do
Sul alm de mansa e quasi toda rasa, principal-
mente de manhaa, nao ha costume de se darem
fados d'aquella ordem, e a nao ser de proposito
nao se sabia como operou-se semelhanle desgraea.
Maia lera ou tioha fortuna; girava com dnzen-
los ou mais contos de res. Achava-se mal de
seus negocios e em ajustes com a casa Ferro, ao
qual devia elle, segundo consta, mais de 100 con-
tos de ris: Maia, se tinha aguns amigos, infe-
lizmente mantinha grande numero de inimigo>.
Tudo isto induzio logo a crer era boatos alterrado-
res a seu respeilo.
Para uns elle fugira ou desapparecra, nao sen-
do a historia do affogaroento mais do que urna
farra ridicula : para outros j havia se preparado
para relirar-se para a Europa : para muitos tora
victima de um plano criminoso : assassinado ou
envenenado, e para algunsse suicidara
Numerosas foram pois as versoes de semelhante
acoutecimeoto. O que passava por cerloera o
desapparecimcnlo de Maia. Para as Alagoas par-
tirn) logo algumas pessoas e a polica deu enrgi-
cas providencias para indagaco do fado, prizo
do remelro, busca do cadver, exame ed.
No dia 10 pela manhaa seguirn) 2 mdicos pa-
ra a referida cidade. Emquanto isto se passava
o juiz municipal deste termo por parle da justica
abra a casa ou escriptorio de Maia para lomar
conla de seus papis e livros, dioheiro e leltras,
pr-lhes o sello e fazer termo de achada. Por sua
parte o vicecnsul porluguez apresentara-se em
virtude da celebrrima convencao que o Brasil ce-
lebrou com Portugal e oulras naces europeas, e
assumia, ex vi da mesma, o papel de protector e
liquidador da massa dofallecido ou affogado
Maia.
Appareceram logo conflictos e protestos, porque
declarou o caxeiro da casa que Antonio Maia Dada
tinha com ella, que era de seu irmao Joaquim
Maia, actual asente na Europa, e do qual apenas
era elle mero procurador! I
Nos outros das 10 e 11 com geral admirado,e
nos exames a que proceda a autoridade vo-se que
nesse negocio andam raystenos commercias tal
vez de alta criminalidade. Os livros da casa nao
apparecem, e nada se encontra coro o nome de
Antonio Maia, o qual entretanto figurava oe.-ta ci-
dade ostensivamente, de commerciante. Aberto o
cofre apenas achou-se a quantia de uro cont de
ris. K corre que na vespera 00 poucos dias an-
tes da sabida de Antonio Maia este recebra urna
grande somma, em pagamento de letiras. Sei que
continan) os exames e indagares do juiz munici-
pal e do consulado porluguez, mas ignoro o que
ha resultado de'mais interesse.
K polica por sua vez procede a minuciosos in-
terrogatorios e inforrnaces p?ra descobrir se hou-
ve ou nao culpabilidade ero toda essa rooxinifada
commercial que por ahi anda.
Quanlo morle do infeliz Mala o que consta e
rae parece acceilavel que fra casual: que fra
victima de asphyxia por immerso nagua, e que o
cadver 24 horas depois dia H) lora encontrado,
de modo disforme e em estado de putrefaeco, o
que nao padece duvida. O remero logo pela ma-
nhaa de 9, lendo sido encontrado por oulros ca-
noeros lulando com o lodacal da laga o com a
canoa virada, 00 lugar do simstro, e gritando a
bastantes Horas por soccorro, fora conduzido ci-
dade das Alagoas, onde recolheu-e a cadeia e,

J


M
1
-r ...
I>l:,o de Petambuco ... Tei*^\ Ifirft ti de Marco de tSG5.
por ordem do Sr. Dr. chefe do polica, mandado
star incoramuuicavel al que sejara interrogados
os canoeiros que o acharara, e salvaran): c se tire
a limpo todo o occorrdo verdaderamente.
-7 Hoja eomeca a funccibnar a guarda cvica de
Macei e Jaragu'para fazer o servigo nocturno da
ronda. O Sr. Dr. chefe de polica, commandante
da desta capital, dividi a cidade em 6 districtos
rondados por 18 guardas das 6 1/2 horas da tarde
ald_a mela-noite, e d'ahi at as 8 1/2 horas da ma-
nhSa por outros 18, sendo cada patrulha de 3. era
e as duas fa-
tigante, todos farao idea do que haveria por c.
Os alagoaoos e!evarara-se ao maior ponto a que
podiam chegar.
No mesrao dia 13 depots das Sboras da tar-
de cantouse na matriz desta cidade un Te-Deum
solemne em aegSe de grapas pela c>pitulagao de
Montevideo e feliz termo da guerra brasileira, no
Estado Oriental noticia trazida a II pelo S. Fran-
cisco. Asslstiram as autoridades todas.
-r 16
Depors do embarque dos Voluntarios no S.
Francisco, apresentaram se j al hoje 7 ciados
Sao pois 431 os
cada drstricte. Sao 36 por nolte.
Ihas diarias publicara os nomes dos que tera de que se alistaran) naquelle corpo.
rondar e rereber as neces"srias instrucgdes da po- da provincia, at aqui.
tici. Nao ha escolh : todos prestara servigo pe-
la ordem alphabetica des nomes. Assim desappa-
Tece todo motivo de desgosto entre os 240 guardas.
15 de marco.
Nao chegado anda o vapor do sul.
Embarcou effbrtivamente no dia 13 (ante-
ncnlera) o corpo dos voluntarios e da polica.
Foi uin dos actos pblicos mais solemnes da vi-
da, e nesta cidade, quig o mais grandioso. A al-
guns respetos poder ser equiparado ao da reoep- que se retiraran) do meio de nos
cao imperial a' i annos: a-outros, porm, exce
dea-o.
Al paginas de seu Diavo serian) insuficientes
se eu tentara deserever ludo qunto se passou sob
meus olhos por occaslio do pomposo embarque.
Farei-o muito succintaraenle : as fainas publicas
d'aqui, principalmente o Diario, descreveram eom
alguiua minuciosidado o interesse aquelle acio,
bastante digno de nosso patriotismo.
A's 7 horas da manba sahio do quarlel toda a
forca policial e voluntaria ao mando do Sr. major
Castro, com destino aos Martyrios, onde o rapel-
lo da raesma, Revm. Lcssa, celebrara urna missa
a que assislirara todas as autoridades e pessoas
gradas de Macei. Duas bandas de msica mar-
cial solemuisaram o acto religioso. Era bello ver
a porgo dos bravos, toda uniformizada de branco
com a honrosa chapa dourada dos voluntarios,
tendo no rosto, eslampado de envolta com a sau-
dade -o elevado sentimenio da gloria, em deman-
da da qual parliam ellas, dejando familias, gozos,
paes, esposas, miles e lilhos I
Foi um espectculo sublime. As ras aehavam-
so literalmente cheias de numeroso concurso que
nao se fatigava de victonar com emphasi ao nobre
balalho.
A's 9 horas do dia sahio elle, da igreja dos Mar-
tyrios, oade o Rvm. Amancio, no tinal d missa
lera dous saudosos e patritico^ hymnos que foram
distribuidos em impressos das cores naciooaes por
toda a tropa e povo. Estes impressos erara tamben)
arremessados de differentes janellas dos sobrados,
por onde pasaram os bravos. Desfllou o fortejo
pela extensa ra do Commercio em procura de
palacio, lugar em que devia fazer alto para rece-
ber as ovagoes populares. As senhoras alagoanas
elegante e garbosamente vestidas agitavam nos
ares seus delicados lencinhos brancos, e despedan)
m'ultides de flores por sobre os dignos lilhos da
patria.
Em palacio deroorou-se o cortejo urna hora para
terem lugar as expanses que o patriotismo pedia.
O Sr. presidente da provincia tornou-se um h-
roe no da 13 de margo.
O que elle fez, o que elle dlsse captivou asss a
todo mundo. Sua Exma.-senhora langava cons-
tantemente raraalhetes e bandejas de flores por
toda afarga que se collocou por ordem e em frente
de palacio. Ahi recitaram os Srs. Dr. Virgilio
Paluu-ira, Cerqueira Valiente e Scipio Juca cn-
ticos sublimes e que arrebataran) por raaneiras es-
trondosas o enlhusiasmo do povo. As ovagoes to-
cavamj ao delirio. Os voluntarios da patria, o
Brasil, o Imperador, as Alagas, a Heligio de Es-
tado, o presidente da provincia, o commandante
dos bravos, erain objecto dos repelidos applausos,
e nomerosas saudages de todos.
O Sr. Dr. Das Cabral e o Sr. tenente Procopio
lerain lambem brilhantes saudacoes em pro-a.
Esih ultimo por parte de seus collegas, os artis-
ta.-, offereceu ao commandante dos bravos um brin-
de mimoso que S. Exc. recebeu e pregou no pcito
esquerdo do Sr. major Castro, no centro de suas
tres eondecoracoes.
O brinde consista n'um trabalho de ouro, em-
blemtico e eipresslvo. Era um altinete de pello
n'um compasso e esquadro dispostos de modo que
ormava ama cruz, esmaltada com tres rubins,
tendo una esphera sobre a qual pousava a cora
brasileira. Na parte inferior d'esta a inscripeao
as artes. A senhora do Exm. Sr. presidente "da
provincia olTerecera pessoalmenie ao digno com-
mandante dos bravos um lindo bouqoet.
A's 10 horas deslilou o iramenso prestito debai-
xo do enlhusiasmo popular para Jaragu. Foi im-
portante esse trajelo. Apezar do sol abrasador e
inmensa poeira, numeroso concurso seguio a p
para aquella povoaco na qual se reuniram para
cima de cinco mil pessoas.
Os navios do pono se embandeiraram todos e o
S. Francisco ostenlava-se orgulhoso no meio das
nutras embarcares, us arcos triumphaes da es-
trada de Jaragua e os desta povoaco foram fetos
com esmero e elegancia.
Chegado o cortejo a Jaragu comecaram os lti-
mos adeuses e despedidas. Recitaram-se anda de
urna alia tribuna varias pecas patriticas, orando
com ardor o Exm. Sr. presidente que abracou, de
cada um dos dous corposa um offlcial e soldados
pedindo que o abraco fosse transnntliao a lodos
os ramaradas.
Das 11 horas ao meio dia effectuou-se o embar-
que.
As praias se accumularam de immenso povo.
Para ahi se dirigirn) anda as mais, as esposas,
as filhas, os amigos e prenles. dos 400 e tantos
bravos que iam partir. Foi um espectculo t-
came e cheio de commeges. Ninguem o dscre-
ve. Tremulavam as portas dos comraerciantes,
dos estrangeiros, dos cousulados, os signaes e ban-
deiras de ledas as nagoes. A ra de Jaragu alin-
dada com bellas columnas, tribunas, palanques,
arcos, indias de pavilhes nacionaes e estrangeiros
apresentava urna scena multplice de grandeza e
forraosura. As msicas nao paravam, e o povo
nao cessava de victoriar os voluntarios.
Na oecasio do embarque ^ j no fim houve um
desasir a lamentar. O lenle ajudante do cor-
po de polica M. Sarment, embareando-se por ul-
timo, ao saltar no esealer conduzindo um soldado,
que para dar expanso a seu patriotismo excedera-
se em uso de bebidas, fura arremessado de encon-
cootro ao bote, resultando ftcar com um braco
quebrado ou deslocado e o rosto contundido em
varias partes. Foi a tempo medicado o bravo.
Seus incommodos eram graves, mas elle por modo
nenhum accedeu aos pedidos dos amigos e autori-
dades superiores, que o cercaran), para ficar, di-
zendo que o camp da batalha era o sitio em que
elle devia morrer, e nunca na sua casa. A' um-
insistencia destas ninguem pode resistir.
O intrpido r. tenente Sarment um cidadao
de aspecto respeilavel, chefe de familia, maior de
30 annos, barbas pintadas e mni longas, mas de
constituico dbil, como parece e de estatura me-
nss que regnlar. Porm um bravo e revelou-se
como tal. Os mdicos com muito esferco endire-
taram, como Ihes foi possivel, o braco fracturado
do infeliz offlcial e fizeram curativos no rosto, sen-
do necessario at coser as soluces de continui-
dade com pontos falsos, apezar de tudo isso,
obstiuou em nao desamparar seu posto de honra e
deixar seguir sos os seus companheiros.
Nieguen) faz idea do modo porque tora victoria-
do o digno, o disiincio offlcial, quando urna hora
depois dos ferimentos que o iam quasi matando,
elle segla outra vez para o lugar do embarque,
com a camisa e farda ensanguentadas, o rosto co-
sido, o braco doeole e gritaude com toda a sua
torga,Viva o imperador, viva a patria, vivam os
voluntarios, viva o povo alagnano
Polica a cidade a guarda ricica e o servico
feto com zelo e interese.- A's 6 horas e raeia
apresentaram-se na casa da residencia do Dr. che-
fe, commandante d;. mesma, os 36 individuos do
dia. E' helio ver o artista, o medico, o bacharel,
o advogado, o juiz ou magistrado, o empregado pu-
blico, o offlcial do patente superior, o reformado
ou aposentado, o commerciante, o caxeiro, o mo-
go, o velho, todos emflm unidos e confundidos
para nm misterque os nobilita, servir a patria I
1 que nos tomaremos dignos daquelles
para sustentar a
honra da naci ne centro do fago e n campo da
peleja.
Os edificios pblicos conlinuam a ser Ilumina-
dos noute, desde II do correte.
17
Finalmente rhega o vapor da companhia brasi-
leira o sendo j cinco horas da Urde, devendo
elle sahir hoje mesino vou lindar minha corres-
pondencia com a noticia de que os habitantes do
Pogo e Mangabeiras, suburbios d'esta cidade, or-
ganisaram lambem sua guarda cicica para potoiar
a noule os respectivos di-trictos. visto que era fa-
tigante o servigo feto pela ronda .do 6 dislrlcto
desta cidade, a que pertenciam aquelles lugares.
Cem cidados inscreveram-se sob o coraraand) do
Dr. Manoel Lourengo da Silveira.
A desta cidade vai prestando servigos reaes e
pode-se dizer que nunca a nossa capital foi to cui-
dadosamente policiada. O Sr. Dr. chefe de polica
commandante da guarda cvica, visita da meia
noute 1 hor da manha os districtos para exa-1
minar se esto policiados. Adeus.
da nao vivemos sob o imperte do knwt o _
rismo. Qulzestes com a vossa violencia denunciar
do cza-1 anrt-verdo pode ser cravada qoando essa cida-
luuciar de se tiver rendido a discricio. E' essa a, nossa
que navleis fleado descontente; mas isso nunca questao de hdje, de Interesse, de honra, de vida,
basta, e multo menos tratando-ae de ama qoestio; At o da 20 de fevereiro, o nosso exercto si-
in\,nTf,rnV. a a lUnd0 Montevideo, tinha corrido o risco de se ver
.n !i n m nda"se a corda raiJ"T P*~ entre doos fagos, atacado na retaguarda pelos Pa
Ir cfr(f m1smo C0Stuma 9erife uia)> a^' ra8uay. Que, forgando poucas leguas de Corrien-
enfarca-seofuaccionano cora corda de esparto, les, entrassein no Uruguay por Monte-Caseros e
sera julgameuto nem proeesso. Qua delicio doaon- Balm.oo descessem por litre-Rioi Coaeeicao
seineiro Prannos motivou a sua demissao profer- e Pavsaod.
da de mod ioiamanle T Carregasles os s.obr'olhos, Nao havia nisso impossibllidade algara.- ven-
sabemos; estis furiosos, mas porqe 1 ceriamos sera duv^da ; mas a troco de que sacriB-
t ^Tes 1JJe.ci0S CU01Pre 1e sejam mu pblicos, cios T Esta posigo flcou desde 20 de feveiro toda
iodo o cidadao, em nossa forma de governo, tem mudada em nosso proveilo : era vez de nos ver-
direito de vos interrogar. Nao basta o liatti-sheriff; mos entalados entre os fagos do Uruguay e Para,
vennam os fundamentos. gUay, somos nos agora que, nao tendo j inimigos
tois que I Houve motivo poderossimo para em no Uruguay, marchamos ao contrario com esse es-
tai da em taes circamstancias se-fulminar um al- lado contra o Paraguay, tornaao inimigo coramum
lissimo empregado, urna inteira ordem de cousas; e nico.
e converte-se esse motivo n'uma propriedade ex- Esta ulterior face da questao foi finalmente nao
elusiva do1 governo, n'um segredo inquisitorial.n'ura menos encarada pelo hbil negociador. A coope-
mysierioT ragao do Estado Oriental na guerra encarnicada
imprudencia Para que o paz possa fazer efiro que vamos sustentar um faci consuramado. A
com o governo, este que o habilite com os ciernen- nota do general Flores, escripta a 28 de Janeiro e'
tos que teve para o seu juramento. A guerra ratificada no accordo de 20 de fevereiro, assegura
orienta! esta acabada. Publique 0 Diario as ios- ao governo imperial que prestar ao imperio to-
irucgoes dadas ao Sr. Paranhos, ou pelo menos, da a cooperagao que esteja ao seu alcance, consi-
por extracto, aquellas que o Sr. Paranhos menos- derando como um empenho sagrado a sua allianga
com o Brasil na guerra deslealmente declarada pe-
dal do cariosos, denominada Unido Comnurcial,
formou um baiaiho popular que, depois de baver
percorride toda esta freguezia e algumas ras da
de S. Jos, por entre as maiores ovagdes, dissol-
veu-so afina! no pateo do Carmo, onde se havia for-
mado.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Pedro da
Costa, por infraccao do regularoento da va farrea,
e Severina escrava de Manoel Joaqun do Reg e
Albuquerque, como indiciado em crime de morte.
19
A' ordem do delegado da capital, Alico Januario
Era seguida o referido Sr. Moura offereceu um Serra Grande, nomo inditiadoem crime de morte,
Nooousar, estamos convencidos. Envolven-
do-se aa capa das negociaces pendentes (que j
nao peodem), iolimar ao piz que o creia sob pa
lavra, e Ihe nao lome satisfagSes. E' outro dos taes
expedientes commodos.
lo governo paraguayo.
E ao concluir este tpico, responderemos as pa-
trioladas stygmatisadoras de urna guerra de parce-
ra, que esta nunca deslustrou paiz algum. E' a
Franga o paiz guerreiro por excellencia ; para a
Publicar tudo quanto se lera escripto ? Nao pos- dynastia napolenica timbre e elemento' desato-
Juein sbe se,enlre essas lostruecoe nao ranga a guerra. E todava Napoleo III ainda nao
apparecena a de conter os assolnos bellicos de al- guerreou seoao de parceria 1 Teve or Darceiro<
gera, era contraposigao a actual censura de os nao Inglaterra, Turqua e Piemonte no Oriente. Teve
ter animado e salisfeito? Quera sabe se.... N3o na Cochinchina a Hespanha. Teve
argumentemos sem base; cumpre ao governo pro- principio a Hespanha e
porcionar-no-la.
lecer.
Antes de avahar o que nos faltasse na conven-
gao, cumpre examinar o que pela convengo adqui-
rimos.
VID
Tres ordens de interesses tinhamos ainda no dia
20 de fevereiro que ventilar, ou pelas armas, ou
pela diplomacia.
- Em relagao as nossas justas reclamagoes, no iheatro da guerra, so a desejam com todo
RIO DE J A \cuto
7 de marca.
A grande queslo do da.
0 Sr. eenselheiro Paranhos. 0 accordo de 20
de fevereiro.
Narra Plutarco que Aristides, tendo tido grande
parle na adminislragao da repblica e recebido o
sobrenorae de Justo, fra um dos mais importantes
na batalba de Marathn ; o que Themislocles, seu
rival, com ciumes do seu credilo, o fez baoir por
raeio do ostracismo. Acreditamos que em nossa
patria nao ha Marathn, ostracismos, nem Temis-
tocles ; mas certas reminiscencias histricas nao
prejudicara.
Fra o dia 3 de margo de inefavel jubilo para
esta capital. Todos os cidados se abragavam ; a
cidade se vasra as ras e pragas publicas ; con- {passado.
tmuas girndolas atroavam os aies ; cruzavam-se j ~ A, nosso pundonor nacional, no presente.
em todas as dircegoes as bandas de msica; echoa-1 A' prosecuco da guerra no Paraguav, no fu-
vam por toda a parte os vivas e os brados de ale- \tur0-
gria ; illuminavam-se todas as casas espontanea-1 Todos estes tres pontos foram bem attendidos e
rnete ; adornavam-se as principaes ras ; fecha- coro?dos do melhor xito pelas providencias toma-
ram-se as repartigdes ; embandeiraram-se muitos das, como passamos a ver.
edificios; manifastavam-se todos os signaes de en- IX
Ihusiasrao de um povo ebrio da sua nobre e in-1 E' sabido que as nossas antigs reclaraagSes fo-
cruenta victoria. ram enfeixdas na memoria que acompanhou o
Cora elleito, chegara nesse dia a noticia da capi- ultimtum offerecido pelo Sr. conselheiro Saraiva,
tulsgaode Montevideo, que o governo, pelo seu or- c consegulntemente em referencia a essa ordem de
gao do Diarto Oficial, annunciava ao povo, ao pu- (exigencias tudo estava obtido desde que o ultima-
blirar logo os principaes documentos, s 6 horas, tum< repeliido com sobrancaria por Aguirre, fosse
da tarde, com estas palavras : aceito pelo novo presidenle da repubc. Assim
Esta solugo, que poupou cidade de Monto- succedeu.
video as desgragas de um assalto, e pacificou a re- O convenio de 20 de fevereiro ratifica o amiga
publica cuino por encanto, reslabeUcendo simnlla- vel accordo de 28 e 31 de Janeiro, no qual Flores
neamente a paz e allianca com o imperio sobre ba- prometle a justa reparago que o imperio havia
ses as mais honrosas, causou o mais enthus istice reclamadoantes da guerra. fesses dousnotaveis do-
contenlamento entre nacionaes e estrangeiros___ cumentos assim considerados parte integrante do
O convenio de 20 de fevereiro recordar daqui um accordo, apresentara urna honosa sequeocia de
no Mxico, a
Inglaterra, e depois os in-
dgenas. Teve na China a Inglaterra. Teve em Ma-
0 lempo urge. Sena puenlidade adiar tao pal- genta e Solferino a Italia. Ainda esl para ser a
SShS SSS ,paraK-a'-kale(!Ddans gre?.as da I6,a: Priineira expedigo bellica, tentada a sos por esse
niao do parlamento. Entao o Sr. Paranhos, perfei- principe e povo guerreiro. Nao precisamos nos
lamente armado, tomara severas contas a quem ti- alardear mais pundonores militares ane a Franca
, ver de as dar: mas a esse tempo j estas questoes dos Nap-oleoes. "*"v-
: estarao menos incandescentes, e provavelmente os xil
Tnln,le\ m,inislros- sustituidos. Com tudo isso se De quanto precede se collige que, cheio de ra-
coma, sendo a razao que obstara a urna publicagao zao, proclaraava o raarechal barao de S Gabriel
que devia ter sido falta sera rogos. ao exercito, logo em 21 do passado, ao descrever o
. .. v". leor. da convengo : t As armas e a diplomacia
rftfr,S2s^ os motivos da demissao nao foram brasileira nao podiam ser mais felzes, nem mais
divulgados, cumpre que o espirito publico se de.te generosas em seu triumpho. O Brasil inleiro o ha
a adivinhar, eessa ousadia lambem a tereraos nos, de reconhecer e applaudir
que alias nao vemos necesidades de restringir o Anda hoje, o Coireio Mercantil, em sea artigo
nosso pensamento. Todava, antes de perscrular editorial, se exprime assim : E' sobremodo li-
fihof^35 2?!0e,1,M d0 everno-anes ,*!e esme" sonfeira a aPreciagao que do procedimentodo Bra-
f,ar,e" que teria andorn.ha do Sr. Paranhos sil faz a imprensa do Rio da Praia, de todos os
a .,L e SegU'r k V0 da agu,a d, S,r' mmlro credos Pl,licos e olla com est'outraphrase do
ngeiros, ha um ponto cardeal a eslabe orgao offlcial Nacin Argentina : < O Brasil of-
fendido e presente na hora do perigo, nao pede
nada para si no da do triumpho. Declara-se sa-
tisfeito ; e relira-se no momento em que o partido
' liberal sobe ao poder.
Sim. cem vezes sim. E' esto a opiniao de todos
os homens seBsatos, e de inlelligencia Ilustrada e
: corago patritico, daquelles que se ne deixam
! arrastar por meia duzia de exaltados, que longe do
iheatro da guerra, s a desejam com todo o seu
acompanhamento de horrores.; que pretenden) fa-
zer-nos retrogradar as eras das hostilidades antro-
pophagas, e que pagam os Ieaes representantes dos
interesses brasileiros com o desar e a perseguigo.
Felizmente existe urna opiniao publica Ilustrada
para oppr aos desvarios de patriotas a quera o
goverqo escuta e obedece. Se o governo sonbou
que ao nobre conselheiro Paranhos importa macula,
deploremos to irrisoria pretengao.
Passemos agora a encarar a queslo pelas cen-
suras que se tem feito ao accordo e pelo alcance
poltico do inconsiderado acto do governo.
EpaminOndas.
(Do Jornal do Commercio.)
RBViSTA DIARIA
Poucas horas eram passadas, e a cidade se ma
ravilhava cam a mais estupenda mutacao de sce-
na. O mesmo orgo do governo, o imsmn Diario
O/ficial, s 6 horas da manhaa do immediajo da 4,
fallando do accordo que assim qualificra, exprme-
se agora assim :
t O accordo nao altendeu tanto quanto cumpna Brasil potare
as consideragoes que filemos. Comtudo, o gover- guerra,
no imperial repul de sua lealdade manter o que X
foi ajustado. O governo imperial resolveu dispen- Tinhamos incontestavel
serao attendidas com rigorosa justica e loteira leal-
dade, valendo aquella declaragao como e.-npenhde
honra, e acto solemne e perfeto da soberana
oriental.
Conseguintemente neste ponto essencial, o nico
que nos poz as armas as maos, est visto que o
tudo quanto
A asseffibia provincial deixou hontem de func-
falla de numero de Srs. depuiados.
co do vapor Bearn foi vendido, em has-
por 9:'C0H)00 ao Sr. Fructuoso Gomes
As quatro lanchas de bordo foram
endidas companhia liahiana por 190,5000 cada
urna.
Segundo cartas do Rio para a Bahia, foi con-
sultado o Exm. Sr. visconde de Abael para subs-
tituir o Sr. Paranhos, na misso do Bio da
Prata.
exigir -ao encelar a renle ^Se D ^'^ ** ***' de ,6 do cor"
I O Sr. Cmara Manoel, capitao de fragata re-
jus a urna brilhanle sa-! formado'que viveu muilos annos em Lisboa-se"
sai da missao diplomtica que llie"estava confiada, tisfago pelo actos'bTuiies;"praticados"pea"^o\^S^*^^^J^^S!^^:
o conselheiro Paranhos.. decahida em Montevideo, e isso o alcancamos'do ^"%T f2f S. fn Pni *f"
Pouco importara as coherencias ou incoherencias ni'do mais honroso e sufficiente para contentar o ale umero de
o Diario ; raas importan) muito para a causa pu- pondonor de urna nagao cavalheirosa.
t.s, as pala- \ No dia 22 eotrtu em Montevideo urna briga-
podr obter at o
2,000. .
blica- as incoherencias"n"s' ^wmSl m7 paT- : o da 2_2"e"nVr7"era Mnlevdlo uraa briga- oeos?dTen! esfo as dlsX be"a '
eobras do governo. Esto seuulti.no acto da nossa, e logo no segrate foi sandada a bandei- gefn^* ^
pSrae'^^
B eco para que se nao torne fecundo em des- o irrilo, e um do^; ^ais depfara,eis excedo' ^sS^ ~SSft?% KLBSC
. m entre Bras re^bltoareoX^aUoaoasdas \ \^^TZ^ ^ ^ ^ rgaD'Se
Quera o conselhe.ro i-aranhos, a quem assim, chammas, e restabelecendo o statuo quo ante bel- f iXan-a fai innlandid.
ia situagao mais grave por que o paiz tem passad '""' ? applaudida
esde a independencia, demtlem de semelhante!
Em Igual data se prescreve que nenhum ci-
dadao possa tomar armas contra o Brasil, nem
modo algum, directo ou indirecto, auxiliar o ini-
migo do Brasil.
A estes significativos factos juntem-se as dispo-
sigocs pactuadas era 28 de Janeiro, e ratificadas
na
d
cargo, como se fosse um iuspecter de quartiro
que mal houvesse cabalado em urna chapa eleilo-
r3 7
Paranhos c um dos homens de caben e cora-
gao, de acgaoe de palavra, que mais honram a nos-
sa patria. Sempre que esta o cbamou a servi-la, i pelo accordo de 20 de fevereiro, pelas quaes te es-
esse nomem se distingui na vaBguarda dos mais. tabelecem, entre outras cousas, por exemplos, es-
illustres. tas :
Applica-se ao eusino da mocidade, no alto Que os autores e cmplices notorios de de-
magisti'rto ? Torna-se modelo de professores. ctos comraettidos contra as pessoas de subditos
Toma a penna da imprensa peridica ? Seus brasileiros serao punidos coin toda a soveridade
escripios agradam, convencem e vencem. das leis da repblica, sendo destituidos imm>dia-
Sobe tribuna parlamentar ? Ahi se Ihe ad- lamente, sem prejuizo dos respectivos processos
miram a urbanidade.a elegancia, o vigor, a cerra- criminis.
da lgica, o atticismo, a sciencia, a facilidade, os Que os Brasileiros fargados a servigo serao
grandes dotes do extremado orador. postos em liberdade c indemnisados dos prejuizos
Lntrega-se-lhe a direcgo da fazenda publi- mmediatamente.
cal Apparece inopinadamente consummado finan- Que se executar logo o accordo da garanta
at ahi nao havia ainda revelado essa dada pelo governo da repblica s reclamagoes de
e dos seus variadissimos eslu- prejuizos da antiga guerra civil, equiparadas s
e unnimemente
adoptada; porm a proposta ficou adiada para
"' estuda-la com mais vagar, e dar-lhe urna forma
Je i que assegure a sua execugo mais rpida.
Hoje mais que nunca, porm, devia-se metter
peitos realisago desla boa lembranga ; porque
seria dureza que permanecesem captivos os que,
levantados em Jaguaro pelos castelhanos, preferir
ao voltar aos ferros que arrastam na sua patria, e
levantar mo parricida contra esta. -
Coragoes que lem arrancos destes nao sao de
escravos, nem devem ser captivos.
O Sr. Porfirio Mendos Martina, Voluntario da
Patria, offereceu, para auxilio das despezas rom a
guerra, nao s os 3005000 como as 22,300 bragas
de ierra, vantagens do decreto de 7 de Janeiro ul-
timo.
Chamamos a aitengao dos nossos leitores
para o artigo que publicamos sob a assignatura de
Fpaminondas, proposito da demissao do Sr. con-
selheiro Paranhos.
copo d'agua aos mogos que compunbam aquella
rjiusira e a mullos outros cidados distinctos, a
quem se dignou de convidar ; e ah foram recita-
das de improviso varias poesas com relaco ao
facto festejado, fazendo-se no decurso do feslim di-
versos brindes S. M. o I., aa exercito e a arma-
da, aos pernambucanos e aos Voluntarios da Pa-
tria, etc., etc.
As manifestagoes de regosto publico por esse
motivo, porm, nao se restringirn) soraenie ao ara-
hilo desta cidade ; ellas irradiaram-se pelos seus
arrabaldes.e ahi se pro.'uzram intensas e espon-
taneas, por que partiam de coragoes brasileiros.
No sabbado, quando esta cidade se illuminava,
convertendo a noto em dia, quando as suas ras
eram uraa fasta, quando emlim o seu Santa Isabel
estrondava sob as explosSes do enlhusiasmo, a Ca-
punga dava brilhante copia desie, illumlnando-se,
e vendo suas ras percorridas por um batalbo
popular com a msica marcial do 4" de artilhara a
sua frenle, por entre vivas enthusiasticos corres-
pondidos com a syo)palha do patriotismo.
Por essa oceasio o Sr. Francisco Antonio da Sil-
va Cavalcanti, actual subdelegado all em exerci-
cio, abri sua habitagao a esses cidados, o Ibes
proporcionou um bello serao, emque aos folgares
da dansa juntou os regalos de abundante mesa, on-
de os brindes foram numerosos.
Nesse mesmo dia foi igualmente Iluminada a
Passagem da Magdalena ; a pontezinha do Chora
Menino adornotf-se de verdejantes arcos ; e o ar-
ruado em segumento, que o povo consagrou a
denominago de Paysand, esteve embanderado,
locando ahi em urna das casas os irmos italianos
as sua harpas, flauta e rebeca por longo espago de
tempo.
No seguinle dia, porra, essa manifestago tomou
novas proporges ; e um batalho popular fez um
gyro em loda a extenso desse arrabaide, ao som
da msica marcial do 1 batalho da guarda naci- i
nal, por entre fogueies continuados que subiam ao
ir, e no meio de vivas a S. M. o I., ao exercito e
armada, ao conselheiro Paranhos, ao visconde de
Tamandar, ao presidente da provincia, aos bravos
da patria, etc., etc.
E' assim, pois, que Pernambuco se raanifesta de-
monstrando a quanto Ihe valem a honra e a digni-
dade brasileira. que Ihe nao sendo cousas indife-
rentes, nao pdem acha lo irnpassivel nem peranle
a respectiva suslentago, nem em presenga das
effusoes que resultan) desta em coragoes de filhos
da trra da Santa Cruz.
Em sesso do tribunal do jury de hontem,
toi submeitido a jnlgamento o reo Frederico Anto-
nio Pereira Bastos, pronunciado as penas dj art.
193 do cod. crim., em consequencia de ferimentos
faltos na pessoa de Gaspar Pereira da Silva, que a
elles veio a suceumbir.
A aecusago correu pelo ministerio publico, e a
defeza foi desenvolvida pelo Sr. acadmico Joo
Tbom da Silva.
No domingo houve outro espectculo de gala,
no Santa Isabel, produzindo-se ahi enlhusiasmo
igual ao da noite antecedente ; eeste subi de pon-
to quando o actor Teixeira recilou a seguinle poe-
sa do actor dramtico Lima, ora residente no
Para.
I1R.VD0 FRATERNO.
Vinde a mim, oh I lusos gratos,
Vinde cumprir um dever,
Que o Brasil nao soffra tratos,
Sem irmao p'ra o defender I
Foi na ierra brasileira....
Nesta torra hospitaleira,
Que grangeasles o pao :
Emprestai-lhe vossos bracos.
Para que em fraternos lagos,
Lhe mostremos :gratido I
Qne esta patria seja a vossa
Quando a viriles offendida";
Por su'honca, pela nossa,
Dar-lhe mesmo a propria vida !
Bem sabemos quanto 6 forte,
O povo fllho do norte,
Nunca recua ao fuzil :
Mas tamben) dever nosso,
Ajudar o nobre esforgo
Do imperio do Brasil !
Sim, mostrai-lhe que o re vez.
Como a gloria, partilhamos ;
Negra affronta do Lopz,
Mudos, quedos, nao solframos I
Ingrossemos as fileiras,
Das phalanges brasileira?,
At rojarmos no p :
Para assim mostrar ao mundo,
Que o hroe Pedro II,
A' peleja nao vai s I
Dos oossos anlepassados,
A sania bengo nos guia,
Ao ver-nos to denodados
Calcando a vil lyrannia I
Eia, patricios, marchemos I
Vamos, oh I lusos, mostremos
O nosso peto as canhao I
Que o Brasil ver contente,
Em cada filho um valente,
Em cada luso um irmo.
face
dos.
do seu talento
Confiam-se-lhe as relagCes internaclonaes, se-
ja na dirergao suprema, seja em missoes espe-
ciaes ? Nao ce nhece este imperio quem melhor
advogue a sua causa, quem mais felizmente conclua
francezas e inglezas.
Que se celebrarao quaesquer outros accor-
dos para as relagoes da boa vizinhanga e recipro-
ca seguranga entre os douspovos.
, pois, evidente que os nossos interesses fo-
a? negociagoes, com um tacto, um tino diplomtico, ram salvaguardados tanto no passado comonopre-
i|iveja dos excepcionalmente encanecidos nesse ser- sent, ou elles sejam de natureza material ou mo-
vigo do estado. | ral; e, quanto a qualquer ponto ainda omisso, a
I" j derradeira clausula o abraoge.
i;,, se o nomem daquella tempera, que diremos! E afim de que devidamente se aprecie esta con-
do cargo de que o exoneran) com lo rispidas fr-1 clusao cumpre nao perder de vista que nos nao fa-
mas, como se elle houvesse irahido o paiz ? mos guerrear com o Estado Oriental, e portanto
tm plenipotenciario, em tempo de guerra, urna nao podamos humilhar esse estado vencido. Aos
entidade quasi igual ao governo, quasi maior que o nossos olhos o exercto oriental libertador que
governo, pois que em verdadeds seus poderes cum- representava a nagao oriental, desse eramos nos
pre que excedam os regulares e ordinarios do po- al liados, e, porlanlo, esses, isto a nagao, foram
der execuuvo. Pois a um tal funecionario desti- vencedores. E' conseguintemente de primeira in-
tue-se cora lamanha sem-cereraonia T Se a meo- luigao que nao poda a linha poltica adoptada pe-
te foi urna punigo, nao comprehende o governo lo Brasil comportar mais violenta serie de saiisfa-
que, punlndo o seu lugar-tenente, se pune a si goes, que s poderiara ser dadas por paiz conquis-
mesmo ? udo ou vencido.
V xi
E ataquemos directamente a queslo. Ha um E o futuro ? Estamos"a bracos com a selvaaem
dilemma d onde o governo se nao pode desespe- aggresso do Paraguay. Essa guerra para tos,
,ar- por ranitos ttulos,mais grave.
Laicou o br. Paranhos as suas instrucgS.s de Dir-se-hia que Lpez, que nos deve o seu po-
ao imperio ? Enlo der, e a deploravel independencia do seo
um modo grave e prejudicial
sabia como expandir sen contenlamento pela bra-
vura do Sr. Sarment. Foi om verdadeiro freoesi.
1. Intrometleu-se em queslo es-
De iodos, os expedientes possiveis, nao o ha mais tranha, imaginando milagres da sua espada aanel-
----- mjuslihcavel que o adoptado. Descontenta quan- le Brenno das Pampas. Arvorou-se em dictador da
dVbaTode^S^^ tosteemiraballiado, estrangeiros enacionaes, para America meridional. Sem declaragao de guerra
lecas e ramaraflAs i ? S osseusc|- a solugaSquc seobleve. Destn.oral.sa complelamen- capturou um navio indefeso, laogo em ferros um
v-,? teasituacao. alto funecionario brasil! mnL,,, tnAn .._,
-\ao ha quem nao faga votos ao altissimo
Benovo ao mesmo Sr. cnsul a seguranga de mi-
nha perreila estima e distncia considerapao.
Por determinagao da presidencia foi transfe-
rida para o dia 7 de abril prximo v.ndouro a ben-
go da bandeira destinada ao 1 corpo de Volunta-
rios da Patria.
Na noite de 19 do correte houve principio
de incendio na ponte provisoria e foi immediaia-
incto extincto ; por all se haver dirigido o Dr.
delegado desla cidade, que estando no theatro, fra
disso avisado.
Nio foi preciso muito esforgo para isso, bastou
apenas que o inspector Costa, do quarteiro do pa-
leo do Carmo, se prestasse irao clubPernambucno
d onde carregou a agna precisa a tal fim e bem as-
sim apessoaque levou a Dolicia a aquella autori-
dade.
Na manha desse mesmo da, pelas 11 horas
foi eocentrado o cadver de um preto, confronte ao
portao do laboratorio pyrotechimco, enja identida-
de nao foi reconhecida. sendo que do auto de ves-
torta a que procedeu o subdelegado da freguezia
do Recifa, consta encontrarem-se vestigios de quei-
madura, occasionada por liquido queote, declarao-
do que a morte fra consequencia de dita qaeima-
dura, que oceupava o corpo dos peitos para baixo
onde ainda se vlara paixos de algodo, pelo que s
suppe estivera o preto em iratamento.
Anda na manha de dito dia foi encontrada
forcada a porta da taberna n. 43 da roa do Apollo
propriedade de Benlo de Freitas Gumares, onde
nao poderara penetrar os fargadores, aos quaes foi
impossivel destruir os obstculos que a isso os im-
pedirn), por causa da boa qualidade da fechadura
O subdelegado respectivo proceden a corpo de
delicio e trata de iodagar quaes os iodividoos que
tomaran) parte nesse facto.
Na noite de 19 do correle Fraocisco Jos da
alto funecionario brasileiro e roubou todo o capi-
- pea yue poltica e esta, santo Deus I o mesmo go- tal existente a bordo desse navio. Invada n nnL
saude de cidadao iao importante, de bravo .o sa- verno declara que mantera o que foi ajustado; 1 o territorio. Accorametteue tomou prSl nosls
frmflm s 9 hnr*<. h* .rta i.nin f c que fu! 3asiido slygmatisa o I Diz ao povo que 0- etn provincia desguarnecida. Na sua incurso ora-
fcwl h da 'o6- leva?10? ferro S- ra aceila a nova ordeD1 de cousas. e Prega-lne, por ticou os actos mais barbaros, talando violando in
Francisco comjlest.no a Baha, onde devera rece- palavras e factos. que isso que se fez foi em des- cendiando, roubando, matando enfiado oreha
os cortePOrCa laD[mos para IransPrla- crdito do paiz e em menoscabo dos bros naci- era cordeis e pralicando os ulumos aSdeeaa
tarlosKr a" 76reCrr- 2,- V0,Un-: r^'0 Ia ^evolug^o visada de cim* para baixo. sto' ?epuM.^stTma^ ^/p^^2^^"^'s SE
,r,c / P"' 2*4Jdo^rpo de P"c,aea5 o esphaceJameoto dos actos do poder, apregoado tvrannos, alardea os seos recorsos militara os
1 ?. 1 '2?a ;ha l0d0 ^ peSSOa5- p^10 wesmo Pder; is, a ocacao, a desor- seus Humayts com 300 pegas, os seu 30 50 ou
T.tiSr,mm,'. a x dera a aoarchia, awnseibadas por Ijulles cuja 100,000 soldados, as suas encommend^eencou
Connnuaram as demonstragoes etp Ierra, os misso devera ser a de obstar-Ibes. ragados, os seus... Tudo isso precisa serVarrido
Vl d> superficie da trra e das agaas. Abi, nenhuma
Mas, sniores, *s, se dos nao engaamos, ain-'capitulaco possivel. Na Assumpgao, a bandeira I tores, acoropanliado de povo o com muica"ma7"
pa*seies nontes, faguetes, salvas ele.'
Nao ou majs minucioso para n2o loroar-me a-
Na companhia de homens pretos que se acha
organisando o alfares Mani va achara se alistados e
juramentados as seguintes pessoas:
1 Thomaz Francisco Xavier Roraao, 39 annos, Per-
nambuco.
2 Geraldo Gomes, 23 idem, dem.
3 Paulo Francisco da Silva, 48 idem, idem.
4 Joaquim Pedro de SantAnna, 23 dem, idem.
5 Manoel do NascRienlo, 21 idem, idem.
6 Bernardo Joaquim da Costa, 20 idem, idem.
7 Mauod Salusiiano do Sacramento, lo dem,
idem.
8 Joo Joaquim de Sant'Anna, 24 idem,-idem.
9 Galdino Jos da Silva, 18 idem, idem.
10 Manoel Francisco da Trlndade, 18 dem, idem.
O Sr. tenente Loiz Jeronymo Ignacio dos
Santos acha-se em commisso, no lugar de quartel-
mestre do corpo de Voluntarios da Patria.
Darao- boje na 8 pagina um artigo do ^r.
Dr. F. Ferreira Correa, que teve a bondade de no-
to mandar, sob o ttulo de Proeesso dos magistra-
dos pelas assemblas procinciaes.
E digno de ser lido, pois versa sobre um ponto
importante, e'que ha sido pouco explorado no des-
envolviraento do nosso direiio publico.
De Garanhuns escrevem-nos em dala de 12
do corrente:
Seguem hoje para esta capital cinco jovens,
que acodem aos reclamos da palria, indo desaffron-
tar seus hroes nos campos de Montevideo e Pa-
raguay.
A sorte Ihes seja propicia, e'possam elles re-
gressar ao seio de suas familias cobertos de gloria,
como de esperar dos valentes liihos desta pro-
vincia.
Entre taes jovens vai o sargento quartel-mestre
do batalho de guarda nacional desla villa, Manoel
Francisco.de Paula, e sao apresentados da parle do
tenente Antonio Baptista de Mello Peixolo, um dos
membros da commisso nomeada por S. exc, o
presidente.
< O vigarto desta freguezia tem convocado o
povo as missas conventuaes dos dias santificados,
e consta que o commandante superior, alm de
otros, pretende offerecer um seu filho para fim
tao patritico.
Porm, no meio de ludo isto, lem causado
sensagao a demissao do promotor publico da co-
marca, bacharel Jos da Costa Dourado, que alias
era um dos mais empenhados em promover a
acquisigo de Voluniarios; porque, innegavel
que fai um bom empregado, o que coofessado
pe as pessoas morigeradas de ambos os lados
polticos.
t E' lameolavel o estado desla villa, pelas iotri-
gas, e desgostos que nella ha, filhos da inexperien-
* certa gente que nao olha para o futuro; e
Heorique Leonardo, Pedro Allemao, para corree-
gao.
A' ordem do subdelegado da Becife, Athanazio,
escravo de Jos Luii Guaico, aara correego.
A' ordem do de Sao Jos, Antonio Jos de Aze-
redo, como incurso uo artigo 201 do cdigo crimi-
nal, Jos Francisco dos Reis, para correceo, Fran-
cisco Florencio do Sacramento, por disturbio, e
Joaquim escravo de Jos Lulz de Azevedo, re-
queriraento d'este.
O chefe da 2' secgo,
J. G. deSiesqua.
. Passageiros do vapor brasileiro Oyapork, en-
trado do Rio de Janeiro e portos intermedios:
Jos Elias da Rosa Ualheiros e 1 escravo, Albina
Henriques de Almeida, sua senhora e 2 filhos me-
nores, Joo Francisco de Monra Magalhes, Dr.
Ignacio Jos de Oliveira Arruda, Antonio Pedro de
Aleocastro Jnior, Amonio Silveira Barboza da Sil-
va, Joo Carlos Cavalcanti, Satyro Alves de Azeve-
do, Antonio MoreiraTavares, Frederico Marinho de
Araujo, Joaquim Moreira da Silva, Pedro de Al-
cantara Vellozo da Silveira, Dr. Francisco Xavier
de Manos Telles, Jos Alves da Silva Pereira, An-
tonio Augusto Pereira de Matlos, Joaquim Pereira
da Silva Lobo e 1 escravo, Tito Livio Viera Dantas,
Vicente de Souza Queroz e 1 escravo, Bartbolomeo
Teixeira Palha e 1 escravo, Aleixo Marinho de Fi-
gueiredo e 1 escravo, Zefarino Botelho de Andra-
de, Luiz Nicolao Facundes Varella, Jos Pedreira
Franga Filho, Luiz Ayres de Almeida Freitas, Fiel
Jos Antonio Pires, Manoel do Nascimento Tei-
xeira, Joaquim Ribeiro de Souza Fros e 1 escravo,
Eduardo Meireiles Alves Moreira, Candido Xavier
Rabello, Lino Cassiano Lima, Arcenio Siuioes da
Silva Aitua e 1 escravo, Antonio Carneiro da Ro-
cha, Antonio Ribeiro Pacheco de Avilla, Baroneza
da Victoria e 3 escravos, D. Olympia GusraSo Coe-
Iho, D. Damiana da Silva, Clemente de Oliveira
Mendes e 1 e>cravo, Mathias da Ve'ga Orneilas e
1 escravo, Antonio de Castro Alves e 1 escravo,
Jos Alfredo de Oliveira, Jos Antonio de Araujo
Filgueiras, Tobias de Souza Lima, Marcolina Mo-
reira de Albuquerque, Dr. Jes Ricardo Gomes de
Carvalho, Octaviarlo Xavier Colrim, Dr Joao Bap-
lista Corle Real, Joo Mara Lisboa e I escravo, Dr.
Augusio de Araujo Santos, Gelutio de Castro Lima,
1 criado e 1 escravo, Libanio Rodrigues Pimenla,
Antonio Jos de Abroo, Joaquim Simoes de Airo e
Silva, padre Camillo de Mendonga Furlado e 1 es-
cravo, Exequiel dos Santos Aguiar, Joaquim Mo-
reira da Costa, Rozende Mauricio Lobo,Pelino Fran-
cisco de Castro Nobre e i.'escravo, Antonio Jos Ri-
beiro Braga, Jos Marinho de Alcntara Lima e 1
escravo, Epaminondas Jos da Silva, Raphael Fer-
nandes Porto, Jos Hilario, Jos da Mona Nones,.
Leopoldioo Aotonio da Fonceca, Antonio Jos de
Carvalho, Joo Nepomoceno, Candido Jos de Oli-
veira e Silva, Dr. Candido Pinto Lobo, Francisco
Pereira Camello, Jesuino Alves Fernandes, Angos-
to de Carvalho Marinho, Jos Portella, Atexandre
Ferreira Guimares, Gervasio Rodrigues Dantas,
D. Luiza Candida de Araujo e 1 escravo, Dr. Jacin-
tho de Mendonga e 2 irmes, Joo Juslimano Lopes
Joo Brostlmam, D. Henriqueta Frech, irmes de
caridade D. Mara e D. Vicent,- ex-praga Jos da
Penha Muniz, sua senhora e 1 lilha menor, Richard
Deppernaro, Richard Carduff, Antonio Jos da Sil-
veira, Manoel da Cosa Ferfeira, Manoel Dias de
Oliveira, Rosa Mara dos Prazeres, Diogo da Cosa
Dias, Bernardo Jos Googalves, Pedro Jos Gomes,
sua senhora e saa sogra, Manoel Cordeiro, Victo-
rino da Rocha, Agostinho David, 1 escravo de Ale-
xandre Jos da Silva.
Seguem para o norle :
Antonio da Silva Brebo e 1 filho, tenente-coronel
Leonardo Pereira de Araujo Britoe 1 escravo, Eleu-
teno Frazo Varella, .capitao Leandro Correa do
Lago, Anna Maria da Conceigo, Francisco Ferrei-
ra dos Santos, Antonio de Freitas, Adolpho Jos
Ferreira, Mauricio Silbelberg, Joseph Levig, Har-
rioam H.irris, A. Carlos Sapardo, Jacqaes Grad-
vohl, Jacques Weill, 1 ex-praga.
Passageiro do patacho brasileiro Ganbaldi.
entrado do Rio Grande do Sul :
Antonio Garca de Miranda.
Passageiros do vapor brasileiro Oyapock, sa-
hido para o Para e portos intermedios :
Domingos escravo do Exm. Ur. Antonio L. da
Cunha, Raphael Elias AlkaiD, Aoteoio Dionzio Pe-
reira de Carvalho, Joaquim Jos de Lemos, Dr. Pe-
dro Lopes de Mendooga, D. Mariana dos Sanies
Seve Mendonga, Gregorio P. de S Soulo Maia,
Temotio Epiphanio F. Lima, Antonio Geo Marelli,
Pietro Grannotte, Dommeciano Nunes Soares, Jos
Luiz de Souza e 1 escravo, Francisco de Paula Men-
des, Francisco Sutero do Ris Juoior, Carlos Edoar
do Iiyedel, Aoiooio Ferreira Bailar.
Passageiros do hiato brasileiro Exalacao, en-
trado do Aracaly :
Camillo Rodrigues da Silva Figueiredo, Aman-
cio Jos dos Res.

KiS?lia
ras
8
3
I : I : I
r
3
o
*
>
>
o
o
V. t t* 1 o i 1 I Masculino. 21 -> M
-i i I - i 1 1 Feminino. ex \
^ m M Masculino, i | a g a S
* l 1 * Feminino. | 1
I i te 1 1 > I Masculino, j ESCRAVOS
1 i 1 1 Feminino. 1
*
a.
4-S
Bs
Masculino
ino. ) |
____l 2 o
Feminino.
r/t y
a
-
tp
1
I I
06
00
Masculino.
Feminino.
c
i
- TOTAL.
ADVERTENCIA.
Na lotalidade dos doenles existen) 145, sendo ")*
homens e 53 mulheres.
Foram visitadas as enfermarias estes dias
As 7 1,4, 7 1,4, 6 314, 7 1,4,-7 1,2, 7, pelo
Ramos.
Dr
ca de
Tnndade, pardo escuro, ferio ao portogoez Frao- f*reia qae, se nao fra o prop
cisco Piolo Borges e sendo perseguido pode occul- "
tar-se em o bordo do vapor Jaguaribe oode fai pre-
so e entregue ao subdelegado da fregoezia do Be-
cife, pelo respectivo commaodaoto.
Dita autoridade procedeu a aoio de corpo de de-
licio e vai iostaurar o respectivo proeesso cootra
dito crimiooso.
Em ampllago as discrioges que bavemos
dado acerca dos festejos pblicos, por occasiao da
noticia da victoria das armas imperiaes em Monte-
video, cumpre-nos determinar o seguinle :
0 Sr. subdelegado da freguezia de Santo Anlo-
AfiSft.iUSb'*"**
gastro inlerite.
do dia 18 de
estado e continuo a estar, de s rae singir em di-
zer-lhe o que de interesse publico, apesar de que
semelhante balhardia j vai atTectando o socego de
todos os habitantes deste logar; muito teria que
ooticiar-Ihe. Basta pois, que tal vez j me esteja
excedendo.
Reparticao da polica :
Extracto das partes dos dias 19 e 20 de
de 1865.
margo
Foram recolhidos casa de deteago ne dia 18
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
ssasassr.-,r-jaij^dawp-crn ;:en.r,
Fallecern)
Cussim Guilherme
Joao ; idem.
Manoel Raymundo ; marasme.
Uemitehio publico-. Obituario
margo de 1863.
O cadver de um horaem de cor preta, encontrado
na praia, Recifa.
Manoel, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vista, denti-
gao.
Eduardo, Pernambuco, 3 annos, Recife, bexigas.
Manoel, Pernambuco, 1 hora, Recife,
Francisco, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antonio,
convulsoes.
Jos, Pernambuco, 10 mezes, escravo, Boa-Vista
espasmo.
Julia, Pernambuco, ? horas, Boa-Vista, convalse
Joo, Pernambuco, 1 anno, S. Jos, erysipela no-
rosto.
Luiz, Pemamboco, 2 annos, Boa-Vista, intermit-
iente.
Goilhermioa, Pernambuco, 2 mezes S. Jos enn
volsdes.
Adelaide, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista es-
pasmo.
Mana Pernamboco 5 mezes, Boa-Vista, hepalite.
Jos, Pernambuco, 18 mezes, Recife, dentico
Anna Francisca da Silva Balthar, Pernambuco, 75
annos, viuva, Recife, diarrha.
/.



"


-
.
'


ir


>


-
S'vT^' FerMn*. 32 anuos, casado,
oa-vista, marasmo.
ul^lh ^k Brase"-a, Pernambuco, 17 mezei,
Boa-Visu, convulsCes.
alaquias. Pernambuco, 66 auaos, S. Jos, casado,
esciaro, paralysla. '
Piarlo e r>rflflhncn -. Ter,a lefra ti de Wttrr* de 19&.
CIMNICA JUBICURI4
TRIBUYAL DA BELlClO.
SESSAO EM 18 DE MARGO DE 1863
PRESIDENCIA'DO EXM. SR. C0NSELHE1RO
j SOUZA.
As 10 horas da manba, prsenles os senhores
deserabargadores Santiago, Lourengo Santiago, Al-
meida c Albuquerque, Assls, Doria, Motta, Domin-
es da Silva e Barros Vasconcellos, faltndoos
appellaos, os berdeiros di'Antoolo Pereira de Car-1 dem alcooleu espirito da agua-
ardente ........
Algodo em ropo .' '. .
asconcellos dem em rama ou em lia
A appellago civel. Arroz com casca
dem descascado ou pilado .
_------_. Assucar masca vado .
uo !>r. desembargador Barros Vasconcellos ao dem branco *
r. desembargador Caetami Santiago i dem retinado.....'
a.>.ii A *npella?3o crime. Azeite de amend'oim ou menrin-
Appellante, o juno ; appellado, Manoel Jos de bim
Oliveira.
A's 2 horas
*rDSJr' semb*rgador Doraingues da Silva ao
ar. desembargador Barros Vasconcellos
A appellacao el re.
Appellante, a fazenda; appellados, D. Maria Vic-
torina Vieira da uinha.
90SdonUrTrLf ?"VJLa.\,aze,,da da mesma ** reriCtamenfe
arroba
Sr^SlSS-S EJt
encerTU-jt a sesso.
CORRESPONDENCIAS
ijr. desemoargadores Gitirana, e Guerra, procura- '""Prensa, para fazer chegar ao conhecimento do
or da coroa, abrio-se a sesso. | yerno os desmandos dos seus agentes, ao seu con-
rassados os fetos e entregues os distribuidos. I ceiluat, joroal recorro, certo de que n'elle acharoi
dem de coco .....'.'
dem de mamona .'.'..
Batatas alimenticias .
Bolacha o diara, propria para
embarque .....
dem tina ...
Caf oom
ranada
arroba
1125
joma, nu da acuna ludicado, pelo meio dia, e com-
petenteraeoje-babilHados.
E para constar
pelo jornal.
Secretario da
?3G00
1390O
33200
5*120
25000
11600
15000
15200
ItS^afLSfSSS M&ss* fde ss- onrestoihe: :"; :
dem torrado......liltra
deram-se os seguintes
JULGAMEXTOS
Recursos crimes.
Hecorrente, Manoel Jos da Silva Grillo; recor-
rida, a justica.
Relato o Sr. desembargador Doraingues da
Sorteados os Sr?. desembargadores Lourenco
santiago, Assis e Almeida Albuquerque.
Improcedente.
um lugar, como tantos outros tem adiado em iguaes
circumstancias.
Caibros
Cal......
dem branca .
Carne seeca (xarque)
Carneiros .
Carvao vegetal
Cavernas de sicupira
.
Mutas arbitrariedades, mutos escndalos se tem
aaoo nesta freguezia, porm nenhum pode ser
comparado ao seguinle:
Em 1834 ftri creado n'este lame um batalhao I Cera decant naTrn hrnto'
com a numeracao de 41, j haveo.do o batalhao n. jdem ideufem velas
40, sendo commandante deste o Sr. lenenlo-coronel Cha
Joao de Sa e Albuquerque, e dequelle o Sr. len-
lo coronel Manoel Gamillo Pire* Falco. O bata-
necorrente, Gongalo Mariins Lisboa ; recorrido, ? 4I '0I no mesmo anno organisado com um
8 Jo- elTectivo de 1: 174 pracas, os. seus offlciaes farda-
Helator o Sr. desembargador Al nelda e AIdu- aos> em como quasi todas as suas pracas, com
Sorteados os senhores desembargadores Doria, p.ara (Jue bavia um instructor pago orlos offi-
Domingues da Silva e Santiago.
Deram provimento.
Aggravo de instrumento.
Aggravante, Jos Francisco Ferreira da Cruz
aggravado, Jos Cavalcanti Ferraz de Azevedo. '
Relator o Sr. desembargador Lourenco Santiago.
caes.
Em seus exercicios nunca apresentou o batalhao
em forma menos de 600 pragas. Com a mudanca
de seu commandante o batalhao resentio-se um
pouco de sua falta, porm nunca o seu estado dei
xou de ser satisfactorio, e multo superior ao bata-
un
arroba


um
arroba
una
libra
1
Charutos .' .' .' ." .' ] cen't0
Cevados (porcos)
um
Sorteados os Srs. desembargadores Barros de lhao 40> 1ue nutca se organisou, nao por falla de
Vasconcellos e Domiogues da Silva. Kente Para as suas flleiras, porm pjr deleixo do
Segaram provimento. sen commandante.
Aggravo de petirao. As ns politices do Sr. Joao de S nao convem
Aggravante, Francisco Candido Faz; aggravado, m,e naJa dus batalhoes nVsla freguezia, e preciso
o juizo.
Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Santiago.
Deram provimento.
Aggravante, Joaquira Luiz Yraes; aggravado,
o juizo.
Relator o Sr. desembargador Molla.
Sorteados os Srs. desembargadores Domingues
da Silva e Lourenco Santiago.
Negaram proviroentu.
Ag
ue o seu mando se eslenda a toda ella, e por isso
preciso que os dous batalhoes sejam fundidos em
(SeCCS) cento
Cauros de boi, salgados,. .
dem dem seceos espichados
dem dem verdes
dem idem cabra corlidos .'
dem idein de onca
Doces seceos .....
dem em gela ou massa '.
dem em calda ....
Espanadores grandes .
dem pequeos.....
Esleirs para forro de estivas
de navi0.- ,......cento .
KnLDa.C'.nal :. arroba
farinha de de mandioca .
dem de araruta ....
Feijae de qualquer qudlidade
Frechaes .
libra
um
libra
um
11,5000
75OOO
75400
65000
440
360
280
500
35200
5000
151100
85000
300
300
15300
25300
135000
6500
G00
145
240
103
330
se mandou publicarlo presente
gago, para esse tlm fizer.
Conforme.
Antonio Ferreira d'Annunciacao.
DECL1RK0ES.
thesouraria provinci.l de Per-
nambuco, 14 de marco de 1803.-0 secretario, A.
f-dAnaunciafao.
1 =91auiulas esPecaes para a arrematacSo.
tJ'n ? ed'iei0 Para a caJeia de Nazareth,
eito de conformldade com a planta e orcamento
" na imPrtncia de 18:0935900 rs. i
9ft'rKaiwreraa,an,e ser obri8ado a dar principio aoscredores de
Cal\a fllial do banco do Brasil
em Peroambuco,
14rfe nro/l865.
De ordem da directora desla caixa, se convida
ebastlao Jos da Silva a virem
------_ ua, proprieda
es. quesegundo a noncordata.lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
.'gnacio Nunes Correia.
oatura do contrato.
i-?/ 0s Pagamentos serao feitos em 3 prestaces
iguaes correspondenles a cada terco da obra lida.
* N31sera m lempo algum altendida qualquer
*F&tt^Zttutt f^uiv%irloT,a es,amesmacai"se
CSes em que se bajam para esse Uro anda cs- [?voP,t Zt\ e",h-ores aPc'onis,as 'iue rcsPec-
mo por prejuizos provados. li!u1i(f iPn? Sta aa,orisado a Pa8ar o 22.di-
Para ludo o que nao esliver especificado as i de 10 por "em-
presentes clausulas, seguirse-ha o que dipoe o re-! Fa.rda '"f0*-
gulamenio de 9 de Janeiro de 1864- -^ Ignacio .Nones Correa.
Conforma*A F. d'Annunciaco.
O Iilm. Sr. inspector da thesouraria provin-; 2 cahle'irrVs t
m cuniprimento da ordem do Exm. Sr presi-1 qUe aluaTmenle P
ca
aeute da provincia de 13 de marco correte, man- meni
da fazrr publico, que no dia 30 do mesmo, peranie
1 a, a ,A th.Psour;lria provincial compra para a casa
de detencao o segninte
iguaes aos
servem no ninsmo estabeleei-
45 25000
dTvarzeale taSTa^ complreja ^'^ *"" sem"lha" forneclmeolo
um, e elle o commandante.
Para o conseguir tem empregado todos os meios I Fumo e
a convencer ao Eim. Sr. presidente da provincia Sn ordinS' S^..ik
que os batalhoes nao esto organisados, que a fre- i ffSCL? reSl0"'
guez.a^ nao pode dar dous batalhSes or falta de H !&** .:..
alqueire
arroba
f
um
arroba
>
105000,
150001a J"nIa da fazenda da mesma thesouraria, se ha de
320 1 arrematar, quem por menos li/.er, a obra da re-
300 cons'ruceao da '
bada em 8OO5.
A arrematacao ser feita na forma da le p
v.nc.a n. 343 de 13 de maio de 18;4, e sob as
tiaasuias especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessoes da referida
joma no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar, se mandou publicar o presente
_ i dito de dito forrado
loes.
de porcellana de 22 ga-
135000
15600
25500
5000
25800
35OOO
145000
85000
na mesma thesouraria, no dia 23 do
EMPEZZA--COIMBRA
Nao m tendo podido preparar lodo o scenario h
maehinismo do drama-Gabriel e Lusbel u 0^
Domingo 26 de raargo.
Preparase para o dia 23, em graode calla an
niverwio do Juramento da confi tulrt 'ai \mnZ
no um brilhante especaculo 7 mpe
O drama serO Poder do Otiro
Oprogranma em icwjm e circaro<=tin.-arta
mente annunciar todooe^ectaculo d
_ATO0S MABITIMOS,
OOMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
l j Dos portos do sul esperado
--.<\ al dia 3' do correle um do/
i'-'^- val,ores da companhia o rjaal de-
im6&B i>ois da dein"ra do cesttime se-
Desde ja recebem-se passageiros eengaja-sea
SllXt ri'"r P0der C0DUuzir- a 1ual *w
ser embarcada no dia de sua ch,gada :
- fo"!"!.6' pel mei dia> ^1mli3pmVS5 cr | e,ndas.e,.d_in/!ciro a fre{ate'o ^ITaahjS?
pode dar dous batalbdes'po'r falta de
pessoal; no que, ajudado pelo Sr. commandante
superior, que dcilmente se presta sua vontade,
acaba o Sr. Jos de S de conseguir o seu fim com
a resolucaojdo Exm. presidente, que, julgando os
dem ordinario ou restolho.
Gallinhas .
Gomma .
Ipccacuanha (raiz)
Aggravante, Sebasliao Jos do Reg Barros: ag- *talh6e's nao organisados,"madou"fazerrqualii"- Tnf em ahaS
gravado, o juzo. cagao de ambos os batalhoes por um s conselho,! Ln|,aS J ^. '
Relator o Sr. desembargador Domingues da Presidido pelo Sr. Joao de S. xNa qualilicagao as- Me loiiinohcn......um .
s,lva- S'm fet est a morte do batalhao 41, que tem de Mhn aC......caHada
porteados os senhores desembargadores Molla, oesapparecer do quadro da guarda nacional, nao i>anltrs
6 A?81*- Pr interesse publico, mas sim por salisazer inte- ~
Aegaram provimento resses pessoaes. E tao certo est o Sr. Joao de S
Aggravante, raonsenlior Moniz Tavares ; aggra- loe da qualificaco depende o seu triumpho que
vado o juizo na formacao do conselho atropellou todas as fo'rmu-
Helaior o Sr. desembargador Barros Vascon- ,as 'egaes afim de ter maioria, o que conseguio fa-
zendo rom que o Sr. Pedro Pinto, que capitao-.do
ilo. pedisse demissao de subdelegado do
urna
arroba

cento
arroba
um
8|000
600
25300
255000
25000
1150015
Sorteados os senhores desembargadores Almeida
Albuquerque c Assis.
-Negaram provimento
AppeUacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Flix de
Lima.
A
balalo.
2 districto afirn de entrar no consen"oTo*qoe fo
obedecido pelo mesmo Sr. Pedro Pinto, homem sem
vontade propria, e que tem garbo de ser dos mais
humildes.
Formado asslo) o conselho, principiou a qualifl-
novo jury ca?ao, como era de operar, excluindo-se a lorio e
AppelJantes, Francisco Alves de Athayde eoutro: a oireilo, e em vez de proceder-se qualificaco
appellada, a jUst.ca. dos dous batalhoes separadamente, esta-se proco-
Improcedenie. dendo a urna qualificaco englobada, como se fosse
Appellante, Antonio Raulino de Moura; appella- d um so batalhao, para vista della pedir o Sr
do, Manoel Luiz do .Nascimento. j Joao de S a suppresso do batalhao 41
Improcedente. Nao seria mais regular que, em vez desta quali-
Appellanle, o juizo appellados, Manoel Caval- "''acao ser feita pelo commandante e offlciaes d'um
canil de Albuquerque e outro. batalhao cao organisado, o fosse pelo commandante
A novo jury. e:offlciaes do que se acha organisado? Porm isso
Appellante. Joao Jos de Mello ; appellado, Cris- nao convem, preciso que toda a freguezia obede-
tovao Coriea de Farias. j ca o Sr. tenente-coronel Joo de S
Improcedente. Que esta freguezia pie ter dous batalhoes, nao
Appellaute, o juizo ; appellado, Manoel Francis- precisa rouito esforco para provar-se poi sendo os
co de baboia. batalhoes por distrlctos, se o 2 que menos poou-
A novo jury. loso pode formar o 41 com 1:170 pracas, est claro
a n0n n PPe,lai:5fs (*>** 9ae l0 districto pode tambem ter um batalhao com
Appellante, Dr. Bernardo Duarte Brandao : ap- "gual ou malar numero de pracas. Alm dlsso re-
pellado Manoel Francisco Ribeiro. I la qualicago dos votantes v-se quao populosa
Keceberam-se n embargos. < esta freguezia pois, sendo ella feila, como todos
Appeante, Joao Ferreira da Cosa Imbuzeiro; sabem.em sentido d'uma parriahdade, com exclu-
ados, Joao Joso da Silva c outros. sao da outra, ainda assim o numero de seus votan-
um
urna
moliio
um
libra
... ......-r um
Pao Brasil ....... quintal
dem de jangada......
Pedras de amolar .
dem de filtrar ..'.'.'.
dem de rebolo ....
Piassava....... .
Pontas, ou chifres de vaccas ou
D ........cento
Franchoes de amarello de dous
coslados' .
dem de louro .
Rap.....
Sabao .....
Sal.......
Salsa parrilha. .
Sebo em rama .
dem em velas .
Sola em vaqueta. .
Tahuas de amarello. .
dem dirersas. .
Tapiocas......
Tatajuba.....
Travs .....
Unhas de boi ...
Vassouras de piassava
Ditas de timb. .
Ditas de carnauba .
Vinagre.
240
900
35000
55000
55000
800
pelo jorna
Secretaria da thesourarir provincial de Pernam-
buco, 18 de marco de 1865. O secretario, A. F
d Annunctacao.
Clausuias especiaes para a arrematacao.
nreC0D!llrucau da boml,a da Va":ea no en-
Retino Paulisla, na Importancia de 8005, sera feila
de accordo com o prsenle orcamento apnrovado
pela presidencia.
h V-jarremalantfl dara cometo a obra no prazo
de lo das, e a concluir no de 45, contados ambos
na forma da lei.
3." O pagamento ser feto em urna s prestaeao
dcdois da obra acabada. *
fecl:,da- horas, agencia ra da Cruz n. 1 esc.rimorhTdp
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-' Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C
buco, H de margo de 1863. j--------, .---------~----------_
O secretario. a lil Panik (lo \orlft A R. F. d'Annuncta ao. .. hp':ue barraca Dous Amigos, a sahir por estes-
O conselho de qualificago da parochia de S.!d,as' re^,)e carga por precos commodos : a tratar
fre Pedro Goncalves faz constar que se acha all-1 a ^adinha com o meslre, ou no caes do Ramo
xada na porta da igreja matriz da respectiva fre- D- -*
guezia a lista dos guardas naclonaes do 1 batalhao Jl T-"-T
de artilhana, que foram designados para fazer JrClf'Cl {jISOOO,
parle dos corpos destacados para o servico da cncr- L. ,n a
ra, mandados crear PpIo decreto n!s83 de III de l" "te.U'r r.om.rnuila **** a barca por-
Janeiro do corrente
, 9 arrematante, na execuco dos trabalhos
seguir restrictamente as instruccoes docngeKhei-
450OO [ cncarrgado da fiscalisago d'os mesraos tra-
15000 l
120
35500
205000
alqueire
arroba
urna
duzia
>
arroba
quintal
una
Cento
caada
Confirmada a sentenca.
BII.ICENCIAS CIVE1S.
Com vista ao r. curador geral, depois de paga
a dizima de chancellara, a seguinte
A appellacao civel.
Appellante, Vicente Jos de Brito
J^aquim Amonio Pereira.
DILIGENCIAS CRIMES.
Com vista ao Sr. desembargador
justica
As appellagoes crimes.
appellado,
promotor da
tes e de perto de 3:000. Porm, Srs. redactores,
anda que a freguezia tivesse o triplo dapoplaco
que tem, anda assim o baialho 41 havia de desap-
parecer do quadro da garda nacional, porque con-
vem para mesquinhas vingangas, que o Sr. tenen-
te-coronel Joao de S seja o governador militar
desta freguezia.
Estou nteiramente convencido de que, se o Exm.
Sr. presidente da provincia concorre para isso com
a sua deciso, que manda formar um s conselho
de qualificaco para os dous batalhoes, o faz Ilud-
Appellante, o juizo; appellado, Zeferioo Aure- '-do. por info'rmagoes dos inleressadoV; Y por iSo"
liano uerigueiredo Mello. "- -"'--=
Allandega de Pernambuco, 11 de mano de 186
(Assignados):
O 1. conferente, Jenuino Jos Tacares.
O 2. conferente, Jodo de Frats Barbota.
Aiiprovo.-AlfandegadePernamuco, lde mar-
vereiro de 186S.-A. 'u/a/to.
o.* O arrematante nao ter direito algum a in-
demnisagao qualquer que seja a nalureza da alle-
gado que fizer
5.a Em tudo mais que nao se rontm as presen-
tes clausulas; seguir-se-ha o que dispde o regula-
105000 menl das obras publicas.
15000 Confrr"e A. F. a'Annunaacao.
120 ? 'llm- Sr inspector da tesouraru provin-
400 S'a e, ca'nPri,"eBII) da ordem do Ksm. Sr. presi-
2550001 ',? da Provincia de 4 do crrenle, manda fazer
publico, que no dia 23 do mesmo, perante a junta
da razenda da mesma thesouraria, se ha de arre-
matar quera por menos fizer os reparos dl^ue
precisa 1 ponte de Bujary sobre o rio Tracunhaem
avahados em 3305000.
A arremaiago ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 13 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparecam na sala das sessoes da referida
junta 110 da cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para coustar se mandou publicar o presente
pelo jornal '
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de margo de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Clausulas especiaes para arrem.ilagao.
anno : assim como tambem
BZ constar que o mesmo conselho se reunir nos
das 20, 21 e 22 deste rnez para receber as recla-
iragoes que tiverem apresenlar aquelles que em
dita listase achara contemplados.
Sala do conselho 14 de margo de 1863-
Joaquim JosSilveira,
Tenente-coronel presidente.
Manoel Nascmenta de Araujo,
Capitao.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro,
Capilao-secretario.
Jos Joaquira Lopes de Almeida,
I" lente.
Manoel Osraundo da Cmara Pimentel,
I 2o lenle.
Santa Casa da Misericordia do
liedle
A Illustrissima junta administrativa da
Casa de Misericordia do Rc.cife precisa contra
i tugueza Henriquela, tem parte de seu carresamen-
to a bordo : para o resto que Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tem mullos commodos, traa *e
com os seus consignatarios Amonio Lui-t de Oli-
veira Azevedo* C, losea esuriptorio ra da Cruz
numero 1.
**ra o Porto pela ilh O bem conhecido hrigue nacional Amelia pre-
tendo seguir al o fim do mez. tem parle do seu
carregamentb a bordo : para o resto que Ihe falta
e passageiros, para os quaes tem excellentes com-
modos, trata-se com os seus consignatario
nio Luiz do Oliveira Azevedo 4 C, no
torio na da Cruz n. 1.
Anto-
seu escrip-
Para o Hio da
55000
75000
25K00
1405000
875000
35000
25oee
65000
200
105000
85000
65000
500
Janeiro
o vvieiro brigue escuna Nao Set, pretende s(uir
no firn da presente semana, tem parte do fien car-
regamenio emgajado : para o resto que Ihe falla,
osdw trtla-se cora os seus consignatarios Amonio Luiz
construego de um caes junto a porta dVa'gua SlStg^T ?***" C" D SeU escriP'"OTUa
vtveiroda ilba do Nogueira, com 30 palmos de1 ''____________________________
extensao e 18 de altura, lendo a base 12 palmos' P/Iiw t, nv>A
de grossura a morrer em 5 ; bem coma um aterro j *1 U U rUl 11
de lo palmos de largura ao lado de dito caes. | pretende seguir com mulla brevidade o veleiro
nhr*,? rq''e lluizcrem enerregar-sc desta hiate om Amigos, tem dous tercos de seu nm-
ut $Z 1'riRir-se a esta secretaria afim de se Igamento prompto : para o resto que Ihe falta tra-
bes dar os esclarec.mentos que julharem necessa- ta-se com os seus consignatarios \ntonio Lu. de
S&! I6"J ""Tt" C0m suas propos,a? em 0liveira A7-eved0 ^ C- se" escriptor o r2 S
cartas fechadas na sala das sessos da mesma jnn- Cruz n. 1. P na
Conforme.-O 3." escriturario, Joo dosSanlos ,J,t'X2aros da pon,e. de Bujary na imporlan-
Porto.
Recebedorla de renda*, inter-
as geraes de Pernambuco.
Hendimentodo dia 1.a 18........ 34-83I5174
dem do dia 20................. 4:0895733
cia de 3305000, serao feilos de conformi iade com
o respectivo orgamento approvado pela presiden-
CJ3.
2a O arrematante dar comego aos trabalhos no
8 das e as concluir no de 30 das, con-
Appellaote, Idalino Fausto Moreira ;
Adoa Alexandrina de Moura.
Appellaute, o juizo
Camello.
i S. Exc. me dirijo pedindo-lhe que nao consinta que!
appellada, mesquinho interesse particular prevalega sobre
o interesse publico, e que nao tenha esta freguezia j
I -: iTl'l-l.l-- fll-ii r, .., ------*--
M0VIME1IT0 90 POBTO
DESIGNAQAO DE DIA.
Assigoou-se dia para julgamento
teitos :
Navios entrados no dia 19.
appellado, Joaquina Gomes, de registrar em seus annaes mais esse escndalo.! R'o Grande doSul-36 dias, patacho braileiro C-
Ipojuca, 18 de margo de 1863.
Um o/ficial do batalhao- 41.
dos seguintes
lados ambos na forma lei.
tTTITI; 3*. Pagamento ser feiloem urna s prestagao
38 5215727 depois dos trabalhos oncloidos.
S5a^pi^ 4* Na execucaos dos trabalhos o arrematante se-
guir restrictamente os instrueges doengenheiro
enearregado da liscalisago dos raesmos tra-
balhos.
S1 O arrematante nao ter direito a indemnisa-
ceoalguma, qualquer.que seja a nalureza da alie-
mes de Oliveira, equipagem 12, carga 10,000 ar-
robas de carne ; a Balthar & Olrveira.
Aracaty -10 dias, hiate brasileiro Dous Amigos, de
aPPe' ; appellado, Pau- Pasllhas vermfugas de Kem. ^a^^Srl^f ES2t,
CBiiw.s.TMut,.,. z, do segundo, brigue hespanhol 2#mofo, de 147
RiAisgAs ATOHME.NTADAS por yermes Ddem Mr I toneladas, capitao Antonio Casis, equipagem 14,
carga vinho e outros gneros: a Pereira & Car-
era apparencia e neiro.
As appellages civeis.
Appellante, Manoel Flix de Mello
Manoel l'arneiro de Freitas.
n6uWi.de 28* toneladas,' capitao Franco Goi fao, que para esse fim fizer.
- Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
ap-
uno Manoel de Souza Oliveira.
Appellante, Antonio Correia Pessoa de Mello ;
appellado, Antonio da Costa Mello Lima.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Francisco
Pereira da Silva.
Appellante, Antonio Francisco Anastacio
pellado, o cnsul portuguez.
Appellante, Dr. Felippe Carneiro de Olioda Cam-
pello ; appellados, los Duarte Rangel e outros.
Appellante, a cmara municipal; appellada, D.
Maria Francisca da Justa.
Appellante, a mesa da ordem terceira de S. Fran-
cisco ; appellado, o juizo.
Appellante, Luiz Jos da Costa Amorim ; appel-
lida, a fazenda.
PASSACENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
Aappallaclocrime.
Appellante, o juizo ; appellado, Joo Baptista dos
Sanios.
Do Sr. desembargadorLourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque,
As appellages crimes.
Appellante, o promotor ; appellados, Flix Jos
Dias e outros.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Luiz de
Aojo.
As appellages civeis.
Appellante, Maihias Lopes da Costa Maia ; ap-
ellada, D. Maria de Jess Cordeiro.
Appellante, Joaquira Mauricio Wanderley e ou-
tros appellado, Lino Ferreira da Silva.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
Aappellagocivel.
Appellante, Joaquim Ignacio da Silva Guiarte :
appellados, Sampaio e Silva & C.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarea-
dor Doria 8
As appellages civelu
Appellaote3, Guimares 4 Alcoforado : appella-
da, D. Maria do Carmo Rocha Costa.
Appellantes, a parda Cordulae seus tilhos
iiellado, Jos Vicente Ferreira de Freitas.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellago civel.
Appellante, Manoel Elias de Moura; appellado,
Francisco Cavalcanti de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
As appellages crimes.
Appellante, Theotonio Porfirio de Araujo; ap-
pellada, a justica.
Appellante, Maria Joaquina de Souza Rolini;
apaellada, a juMiga.
As appellages civeis.
Appellantes, Joo Marinho Paes Brrelo e-ou-
?ros; appellado, Jos dos Santos Neves.
Appellante, o juizo ; appellado, Joo Francisco
do Reg Maia.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gad* r Domiogues da Sdva
- A appellago crime.
Appellante, o juizo appellado, Antonio Jos dos
Santos,
A appellagao-civel.
Anillante, a irmandade de S. Jos da Agona ;
PUBLICARES 1 PEDIDO
- yermes pdem ser
aliviadas cora urna s dose Pastabas vermfu-
gas de kemp, que sao incitantes
tadasSEss Ta.tin'l-^f^-,para """"i regei" Ba.r^,0Da-70 dias> samaca hespanhola Indio, de
quatro motivos : ellas nao contm mineraes-nao
precisam depois de purgante-effectuam o que se
deseja sera causar dr. As criangas esto promtas
a lomar mais do que marca a receita.
Nenbuma me que ja as tenha experimentado
urna vez quer outro vermfugo na sua casa, a'
venda por todos os primeiros droguistas no impe-
rio, e em Pernambuco por Caors & Barbosa e Jos
da L. Bravo & C.
GOMMEBCIO.
Xovo banco de Pernam-
buco.
O banco paga o 14 dividendo na razao e
por aego.
-\'i>vo banco de Pernambuco.
O banco descoma letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor da
tres mezes.
Alfaudega
Rendimento do dia 1 a 18.......
Idemdodi* 20..............
494:4075324
31:23*5476
323:642000
ap-
XloTlmenCoda alfandega
Volumesentradoscomf azendas..
com gneros..
Volonessahidoscom fazeddas.
> com gneros ..
193
563
------ 702
83
683
------766
12, carga vinho e outros effeitos; a Tasso & Ir-
maos.
Tr!.es^r77 dias' brigue norueguense Sylphidem,
de 192 toneladas, capitao Thomaz Broolund.equi-
gem 1Q, carga 2,256 barricas com farinha de tri-
go ; a Saunders Brothers & C.
Bahia-10 das, patacho brasileiro D. Luiz, de 133
toneladas, capitao Jos Teixeira de Azevedo,
equipagem 10, carga differentes gneros a Jos
Maria Palmeira.
Adelaide ( na Australia )88 dias, barca ingleza
Oryx, de 281 toneladas, capitao P. Gell, equipa-
gem 10, carga borra de cobre ; a Saunders Bro-
thers & C, veio refrescar.
Liverpool57 dias, patacho inglez Spray, de 198
toneladas, capitao G. II. Melhuish, equipagem
10, carga carvao ; a Saunders Brothers & c.
Aracaiy 10 dias, hiate brasileiro Exliulacao, de
38 toneladas, capitao Trajano Antunes da Costa,
equipagem 5, carga algodao e outros gneros: a
Jos da Silva Lsite Jnior.
CardilT Barca ingleza Scot, de 343 toneladas, ca-
pitao W. Layctlock, equipagem 10, carga car-
vao : a Wilson & Hett.
Barcelona e Almira 71 das do primeiro porto e
O Dr. Eduardo Augusto Piulo de Oliveia, juiz mu-
ninpal e de orphaos do termo de Olinda, por S
M. I. e constitucional a quem Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente virem que a re-
quenmento de D. Rita Mana dos Anjos Paula, me
foi requerido para qne se procedesse exame no es-
tado mental de s /u marido o capitao Jos Nunes de
Paula, para que afinal se Ihe desse curador a sua
pessoa e bens.em vista do estado em que fosse jut
gado ; o que sendo por mim deferido e depois de
procedido ao respectivo exame e juslificagao, foi
por mim julgada a mesma justificago e exame,
nomeaudo curador do mesmo a supplicante sua
mulher, pela minha sentenga do theor seguinte :
Vistos estes autos etc., julgo por sentenga a pre-
sente jnslificacao, em vista do exame medico de fo'
Ibas 10, depoimentos das testemunhas e o parecer
do Dr. curador ad interim, e pagas as custas pela
lustihcanle.
Nomeio para curadora a justificante, que ser
notificada para prestar o respectivo Juramento.
Olinda, 2 de margo de 1863.Eduardo Augusto
Pinto de Oliveira.
E tendo assignado a curadora o respectivo termo
de curatella da pessoa e bens do mesmo seu ma-
ndo, no dia 6 do corrente mez, pelo que sendo-me
requerido pela mesma curadora, mandasse passar
o presente, para que chegue a noticia de todos aflm
de que ninguem com elle contrate, ou negocie, sob
pena de haver-se por simulado ou nullo qualquer
negocio ou transaejao que fizer na forma da lei.
E por detrimento a dila petigao, mandei passar
o presente, para que chegue a noticia de lodos.
Dado e passado nesta cidade d
a, pelas 4 horas da tardo do dia 23 do rorrele.
Secretada da Santa Casa da Misericordia do
Recife. 17 de marco de 1865.
O escrivao,
F A. Cavalcanti Cousseiro.
O Illm. Sr. engenheiro e chefe interino da re-
partido das obras publicas manda fazer publico,
que no da 21 do corrente ao meio dia estar em
hasta publica, perante a mesma repanigao, para
serem arrematadas a quem mais der, as madeiras
velnas que foram da Boa-Vista.
As pessoas a quem eonvier a mesma arremata-
gao, deverao comparecer na sobredlta repanigao
no dia e hora indicada com suas propostas.
Secretaria das obras publicas 17 de margo de
186o.O secretario interino,
Manoel Lourengo de Mallos.
Conselho de revista
Em observancia das ordens do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda o Illm. Sr. coronel com-
mandante superior interino da guarda nacional
deste municipio, publicar, para conhecimento dos
interessados, que no dia 23 do correle mez, as 11
horas da manba, na sala das sessoes da cmara
municipal desta cidade, se reunir o conselho de
revista deste municipio, para lomar conhecimenio
das reclamagocs djs guardas, designados pelos
respectivos c-mselhos de qualilicagao para o servi-
go de corpo destacado, de conformidade com o art.
124 da lei n. 60 de 19 de setembro de 1850.
Secretaria do commando superior da guarda na
conal do Recife 17 de margo de 1865.
O secretario,
Firmino Jos de Oliveira.
Pela thesouraria provincial se faz. publico,
que a arrerratagao do importo do pedagio da pon-
te de Molocolomb foi transferida para o dia 30 do
corrente.
Secretara da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de margo de 18650 secretario,
A. F. d'Annunciago.
Pela thesouraria provincial se faz publica,
que a arrematago dos reparos de que precisa o
impedramento do lugar denominado Areias do
Giqui-na estrada da Victoria, foi transferida
para o dia 30 do corrente.
Para a Bahia
segu o patacho D. Luiz com parte da carga
prompta: para o resto trata se com Jos Mana Pal-
raeira. largo do Corpo Santa n. 21.
Para o Porto pea' lTEade~8L
Miguel.
O velleiro e bem conhecido brigue nacional A-
melia pretende seguir com mua brevidade, tem
parte do seu carregamento engajado, para o resi
quelhe falla e passageiros, para os quaes tem ex-
cel lentes commodos : trata-se com os seus consig-
natarios A. Luiz de O. Azevedo & C. no seuesxrip-
orio na ra da Cruz n. 1.
COMPANHIAPERNAMBUCANA
DE
Wavegaeao costefra por vapor.
Parahyba,. Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac.
O vapor Jaguaribei, cora-
roandanie Lobato, segu no dia 22
do corrente as 3 horas da tarde,
ara os porto indicados. Recebe
arga al o da 21. Encommendas,
pa>sageiros e dinheiro a frete at 2 horas da larde
do dia da sabida: escriptorio no Forte do Mal-
los n. 1.
Para o Para.
vai seguir com muila brevidade o palhabote Pa-
raense, tem a maior parte da carga prompta, e
para o res 10 que Ihe faila tratase com o consigna-
tario Joaquim.Jos Goncalves Bellro, na ruado
.Vigario n. 10 ou no largo do Corpo Sanie n 6
armazera.
Maranhao
1
O palhabote Gaiibaldi segu para Maranho por
estes dias, recebe carga : a tratar com Tasso Ir-
maos.
pagem 10, carga vinho e outros gneros;
reir & Carneiro.
aPe-
JVai'io entrado no dia 20.
Ro de Janeiro 21 dias, barca franceza Maurice,
de 425 toneladas, capitao Verle!, equipagem 13.
em lastro ; a Flix Sauvages & C.
Ass9 das, hiate brasileiro Sania Rita, capillo
Manoel da Silva Santos, equipagem 8, carga sal:
a Tasso & Irmo.
Desarregara no dia 21 de margo de 1865.
Galera inglezaffcrtnumemercadorias e carvao
Barca ingleza Seraphmaidem.
Brigue inglezBellow Crestiem.
Barca ingleza/ron Gem objectos para a estrada
Brigue inglez -Carrie -dem.
Brigue portuguez Constante II diversos g-
neros.
Barca inglezaD. Mana -carvao.
Brigue InglezEliziaidem.
Patacho inglezUndaunte-idem.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
AUTA DOS PREQO DOS GNEROS SUJEITOS A DIRKITODB
EXPORTAgAO. SEMANA DE 20 A 25 DO MEZ DE
MARgO DE 1865.
Mercaduras. unidades. Valores.
Abanos.........cento 15.300
Agurdente de cana .... caada 800
dem restilada ou do reino
dem caxaga....... ,
dem genebra...... ,
_e Olinda, sob meu
signa! e sello deste juizo aos 11 de margo de 1865.
Eu Francisco das Chagas Cavalcanti Pesoa es-
X U^Zt'JTMr h^ia^TI,emoteo II trivio de orphaos o subfcrevi.-Eduardo August
de 111 toneladas, capitao Ezequiel Pages,. equi- Pinto de Oliveira. ugusio
Ao sello 300 rs. Valha sem sello
A. Oliveira.
O Illm. Sr. inspector -da thesouraria provin-
cial em cumprlmento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
publico que no dia 12 de abril prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesourarie
se ba de arrematar a quem por menos flzer os re-
paros de que precisa a ponte de Goianna, avahados
.Varios sahtdos no mesmo dia.
Para e portos intermediosvapor brasileiro Oya-
pock, commandante Antonio Marcellino da Pon-
te Ribeiro.
Ro de Jane!repatacho brasileiro Piulo, capitao
Joaquim Jos da Motta, carga assucar e 2 escra-
vos a entregar.
Philadelphiabarca ingleza John Matheus, capilao
J. Long, carga assucar.
ObsertacSo.
Fundearara no lamaro urna barca ingleza e um
patacho hespanhol, mais nao tiveram communica-
{5o com a trra.
Observago.
Nao houveram sabidas.
Fuodearam no lmanlo um vapor inglez de
A arrematago ser feita na forma da le pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo. declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao comparegam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de margo de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematago da obra dos reparos da ponte
dos Carvalhos foi transferida para o dia 30 do cor-
rente.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de margo de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
O administrador da recebedona de rendas
internas gsraes em cumprlmente do disposto na
portara n. 130 de 28 de dezembro ultimo da the-
souraria de fazenda, avisa aos devedores, abaixo
declarados, da dizima de chancellara averbada,
relativa causas, cujas sentengas passaram em
julgado no superior tribunal da relago desla pro-
vincia no trimestre de outubro a dezembro do an-
no prximo (iodo, segundo const da relago do
esenvao de appellages Manoel de Carvalho Paes
deAodradede9 de Janeiro ultimo, que venham
pagar os seus dbitos dentro do praso de oito dias,
contado da publicago deste, findo o qual, se pro-
ceder a cobranca executiva, a saber :
Manoel Pereira Puntes Grillo
Joaquim Salvador Pessoa de Siqueira Ca-
valcanti e Manoel Ignacio de Siqueira
Cavalcanti
Jos Lopes Machado
Dr. Francisco Joao Carneiro da Cunha
Antonio Jorge Guerra
Jo.- Lopes da Silva
Jeao Baptista do Reg
Jos Victorino de Paiva e Theotonio da
Silva Vieira a791
Recebedoria de Pernambuco 20 de margo de
1865.Manoel Carnebo de Souza Lacerda
Pela thesouraria provincial se faa publico
que a arrematago da obra dos reparos da cadeia
da villa do Cabo foi transferida
COMPANHIA BKASILEISA
DE
PAQUETES A VAPOR.
I i E esperado dos portos do norta
akua^ at o da 20 do corrente o vapor
tMtn f^Efifab nio Gomes, o qual depois da de-
SH1 w "'ora do costume seguir para
os portos do sul. v
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dover,
ser embarcada no da de sua chegada, encommen-
das edinheiro a frete ateo dia da sahida a*2 ho-
ras: agencia, roa da Cruz n. I, escriptorio de An-
tonio Lmz de Oliveira Azevedo & C.___________
- Para a Bahia pretende sabir em poucos dias
a escuna Elisa por ter alguraa carga tratada e
para o resto que Ihe falta, traia-s com o consig-
natario Joaquim Jos Gongalves Beltra. na, ra dr
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6*
armazem.
Para Lisboa
20333 pretende sahir em poucos dias o pataaho portugae*
Jareo por ter a maior parte da carga, ralada, e pa-
a0ll ra o pouco que Ihe ralla tratase cwn c consigna-
28* taos Palmeira & Beltro, largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
liases
223920
275636
263374
394419.
buco, 9 de margo de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Clausulas especiaes para a arrematago.
! Os reparos da ponte de Goianna na imnortan-
i? ^Sf 'era american e u-m bri*ue "a- c'a 2:2003000 serao feilos de contormiTade com
dez, mas nao tiveram common.cagio com a trra. o respectivo orgamento approvado pela presiden-1
EDIT1ES.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin"
800 cial, em cumprimentn da ordem do Exm. Sr. pre-
400 sidenle da provincia de 10 do corrente, manda fa"
800 zer publica que o da 14 de jnnho prximo vhr
para c dia 30 do
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam- corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Fernam-
bueo 17 de marfode 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a aremalago dos reparos de que precisa a
estrada do porto de Galinhas, foi transferida para
o dia 30' do corrente.
1 Secretaria da thesouraria provincial de Peraam-
bueo!7 de margo de 1865.O secretario,
2" Oarrematante dar comego aos trabalhos no
prazo de 15 das, e os concluir no de tres mezes,
contados ambos na forma da lei.
3 Os pagamentos sero feitos em duas presta-
goes e iguaes, a prirnelra quando estiver feita ne
A. F. d'Annunciago.
AdmiiiiMraca do comi.
Os Srs. Malbias Lopes da Cosa Maia, Joaquim
Para o Rio de *aacJro
pretende seguir com muita brevidade o brigue es-
cuna Joven Anhur, tem parte de seu carregamon-
to engajado : para o resto que Ihe falla trata-s
com os seus consignatarios Antonio Luh de Oli-
veira Azevedo 4C, no seu escriptorio roa da
Croa m. I.
Para o Rio Grande do Sul segoe era poneos
ds o brigue brasileiro Proceres, capitao Jerony-
mo Jos Telles : recebe alguma eara a frete e a
tratar no escriptorio de-Amorim Iraios, ruada

Para Lisboa.
Pretende seguir com muita brevidade a baa
poriugueza Henrtqueta, tem parle de seu carrega-
mento prompto : |>ara o resto trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, uo seu escriptorio ra da Cruz n. 1.____
Para Lisboa
pretende seguir com toda a brevidade o patacho
portuguez Flor de Mana por ter a maior parte da
carga prompta : para o resto e passageiros trata- -
se com o consignatario T. de Aquino Fonseca J-
nior, na travessa da Madre do Dos n. 5. primeiro
andar,
111 -


Diarlo de rernambueo .- Terca letra SI e Mareo de *&.
LEILES.
Leilo de duas machinas a vapor
Sondo:
Urna portavel, torca de 14 cavallos, sobre rodas,
com caldeira patente e todos sens pertences.
Oatra flxa e orisontal, torca de 12 cavallos com
caldeira e mais pertences.
BOJE
Terga-felra 21 de marco, em frente a
Associago Commercial.
O agente Pinto fara leilo por conta de quem
pertencer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engenho, as quaes se tornam
recommendadaspela soa perfeicao e par serem
dos melhores fabricantes de Inglaterra, os preien-
denles podero desde ja' examinaren) dilas ma-
chinas para o que podero entenderem-se com o
mesmo agente em sen escritorio ra da Cruz nu-
mero 38.______________________
i.ello de'fazenda.
A. C de Abreu, continuar o seu leilo de fa-
zendas inglezas e francezas, hoje 21 do crreme
no seu armazem, ra da Cadea, as 11 horas da
rnanha.________________________________
Lellao
De 1 mobiliade amarello a Luiz XV, nova, e
urna dita usada, 1 mesa elstica, I guarda louca
novo de amarello, 1 cama franceza de amarello,
1 guarda roupa e diversos objectos de gosto novos
e usados.
Qmi ta-feira 22 do cor rente as II horas.
No armazem ra da Cruz n. 37.
Cordeiro Simoes far leilo dos objectos cima
dito ao correr do martello, por conta e risco de
(juem pertencer. _______
Leilo de 2,000 cooros de catira.
Quarta-feira 22 do corrente.
O agente Pestaa vender por conla de quem
pertencer 2,000 couros de cabra om um ou mais
lotes a vontade : quarta-feira 22 do corrente pelas
10horasdamanhaa.no armazem do A vil la no
Forte do Mattos._________________________
Leilo de 3 cavallos andadores baixo a
mcio bonitas figuras.
Quarta-feira 22 do corrente as 11 horas.
Cordeiro Simes vender em leilo os cavallos
cima mencionados, pelo maior prego ao correr do
martello.
No armazem ra da Cruz n. o/.
AVISOS DIVERSOS.
Procise-se de um distrib: idor para
distribuir este Diario, do Mondego a Api-
pucos, que saiba 1er c escrever : na livra-
ria n. 6 e 8 da p'a^a da Independencia,
LOTERA
AOS 6:000$000.
Terca-feira 28 do corrente mez, se ex-
trahir a ultima parte da l1 < 1* da 2a lo-
tera (10a) a beneficio d. m tiizde S. Jo-
s do Reeife, no consistorio da igreja de
Nossa Senhora do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 6-0000000 at 10,5000
sero pagos una hora depois da extracto
at asi lioras da tarde, e os outros depois
da distrihuigo das listas.
As encommendas s^ro guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraeco
como de coslume.
O thesbureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Caixeire.
Xa ra Direita n. 82, precisase de um rapaz de
idade de li a 18 annos para caixeiro de padaria,
que abone seu comportamento.
.o
c
>
5 B
s
=. L A
2 B -*
o


a A
c- V
T= M
- ~
c ~
t V i
-i ^
- e
~ M
O. O- o s

c
'"OS
2 =
I!
Precisa-se alugar. urna escrava para todo o
servico de urna casa de familia : na ra das Cru-
zes n.9, segundo andar.
Precisa se de ttraa ama para casa de pouca
familia : na ra da Cruz n. 21, primeiro andar.
Precisa-se de um cozinheiro : ua ra da
Florentina n 18._________________________
Joo Jos Ribeiro Guiraares, Portuguez, va
a Europa.
U abaixo assignado faz sciente ao publico e
com especialidade ao respeilavel corpodo commer-
cio, que (feixon de ser socio desSrs. Alfredo de Al-
bnqurrque Martins Pereira e Frederico Augusto
Velloso da Silveira na prensa de algoio sita no
Forie do Mattos, e que gyrava sob a firma social
de Alfredo de' Albuquenjue Martins Pereira <$ C,
ficando os inesmos responsaveis pe* activo e pas-
sivo da mesina. Recife, 18 de marco de 1865.Jos
'feixuira da C >sta._______________________
Aluga-se a sala da frente do terceiro andar
do sobrailo Ja ra do Imperador n. 52 : a tratar
na livraria da esquina da mesma ra.
OftVreee-se urna pessoa de tions costumes pa-
ra fazer todo o servico de casa de homem solteiro :
quem de seu presumo se quizer utilisar dirija-se
ao becco do Veras n. 18.
Joanna Maria Maciel previne ao respeitave'
publico que nao contrate com o seu marido Fran-
cisco Jos Duarte Camargo, porque sle se acha em
estado de nao ser valido qualquer contrato feito
por elle, e qoera o fizer pausar pedo desgosto de
perder o seu dinheiro e ben?. Recre 21 de marco
de 1865.
te
Procnradoria.
m
m
tm Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
3 ce de Len, como solicitador, se entsarre-
I ga das causas crimes, civeis, commer-
ciaes e ecclesiastiew. Elle anda recete
algumas .casas de partido, mediante a
; um ajuste razoavel. Pode ser procur*- 2
do as salas das audiencias ou na ra
-. Imperial sobrado n. 6L
mmmmmmmmmmmmmm
Crise commercial de 10 'de
setembro de 1864.
Aeafea de pufelicar-se um Interessante escriplo
sobre a crise commercial do Rio de Janeiro O Dr.
Ferreira Soares, autor de diversas obras sobre
cienfiis positivas appiicadas ao Brasil, acaba de
dar-nos eom esta pobticaco mais nma exuberante
pro va da sua dedcag&V pelo progresso do nair. i
Tratase no ollmo escriplo do Dr. Ferreira Soares
de demonstrar ecm os hela* verdadeiros a origem
da crise eommereal de 10 de setembro de 1864, e
por tal forma eonsegue o autor os fins que teve
em visu que aioda em resumido ecbogo, como elle
o diz, j se conhece a origem verdadelra dessa
catastrophe. Chamamos, pois, a attenco dos es-
tudiosos para a lelura do esbogo da erise commer-
cial do Rio de Janeiro, que te acha venda na li-
vraria econmica, ra do Crespo n. 2 defront do
arco de Santo Antonio.
As autoridades policiaes.
Roubo.
Roubou o crioulo livre Cosme ao abaixo assig-
nado urna latinha que conlinha differentes joias,
conforme a lista infra. liste crioulo acompanhou
o annpnciante ao Maro d'onde ltimamente veio.
Este crioulo n > ladino, e tem estatura mea,
rosto chelo e pouco moroso no andar, porque tem
os ps palhetas. A latinha tinha a marca Pinto.
Presume-se que foi aluciado por um parete para
este acto, e contra elle ou contra quem Ihe der con-
t se proceder com o rigor da lei. Quem delle der
noticias ao abaixo assigoado na ra do Amorim,
em casa do Sr. Tasso Irmos, ser recompensado.
Roga-se pois aos senhores ourives, nao compren
tacs objectos.
Jos de Villa Flor.
LetreiroPintoum baosinho de folha.
Contendo:
13602 1 adererojde otiro para senhora.
11842 1 pulseira i
11902 1
11782 i f f
11602 1 <
12042 1 t
1102 1 par de brincos.
162 1
i-o 1 de bichas.
1182 1
1342 1 <
1122 1 <
1192 1 c
1202,!., 1 t
1262 1 memoria.
1282 1
1182 1
1242 1
1112 1
1362 1 par de boldes de mozinha, peito.
1222 1
1162 1
1352 I jogo de botoes para punho.
1242 1
1142 1 <
1142 1
6 chaves finas.
Na. 14,17.)
18, 15, Io >6 correntes curtas para relogio.
e!6 i
5,6,7 e 8 4 Trancelins.
De Jos de Villa Flor.
O portuguez Albino Baptista da
Rocha, relojoeiro e dourador,da
praca da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogioe
dourado por prejo mais commodo
do que outro qualquer e responsa-
'bilisa-se pelo seu trabalho e espera
protecgo de sens amigos e compatriotas.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgito dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas prepararles empregadas com muitas vaniagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os midieres da sua pro-
fissao, advertindo quetrouxe um immenso sortirnento de dentaduras artikiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem-
ijistrumenlos novo, ferramenta moderna, cadeira de operaces, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso de servir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianza.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nao tiver de ir em casas particulares.
CLUB PEMBIMNG
A reunio familiar do corrente mez, lera lugar
na noite do dia 24.
CASA DA FORTO
Aos 6:0000000.
1.
Billiete garantidos.
A' ba do Crespo n. 23 e casas do costumi.
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zesbilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir a beneficio das obras da igreja de N.
S. do Amparo de Olinda, os seguintes premios :
Um meio n. 2353 com a sorte 6:000^000.
Um quarto n. 2619 com a sorte de I:4(i0000.
Um meio n. 127 com a sorle de 50P.
E outras muitas sortes de 100*, 40*, 20* e
A NACIONAL
Companliia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna iianca em dinheiro, depositado ros cofres do estado, garante a boa ad
mi n i snica o da companhia.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os futidos para a es-
trada c margem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
ecapim para sustenla-lo, arvoredos deruc-j
tos, sem visinho defronte nem pelo.fundo,'
com ptimos passeios, sala e gabinete na J
frente, muito propria para passar a festa e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Rocife, na livraria ns. 0 e 8 da pra-
ca da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capitao Antonio Bernardo
Ferreira.________________^^^_____
O conselheiro Francisco dePaula Bap
tista continua em sua proflss3o de advoga-
do em sen escriptorio na ra d sTrinchei -
ras. primeiro andar da casa n. 19, aonde
poder ver procurado desde as 10 horas
do dia at'1 as 3 horas da tarde.________
Vende-se os compendios de herme-
nutica jurdica, e de theoria do processo
civil reunidos em um s li\ro, na loja de
livrosdeNogueira.enacasa de residencia
do autor dos ditos compendios, o conselbei- KT,ffE?S ffiKr.^oSS.Tot
ro Paula Baptista na ra do Hospicio n. 31,
ou em seu escriptorio na ruadas Trinchei-
ras n. 19.
Ospossuidorespodem vir receber sens respec-
tivos premios sem os descont*, das leis Da Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da 1" e 1
da 2' lotera beneficio da matriz de S. Jos do
Recite, que se extrahir no dia 28 do crreme.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......3-5500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que compraren] de 100000
para cima.
Bilhetes. : 6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manqel Martins Fiiza.
Aluga-se o seguudo andar do sobrado n. 48
da ra de Aguas-Verdes, muito fresco e com bas-
tante commodo, assim como as lojas da quina com
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O naneo de Hespaaha
DIRECgO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. IB
Salitre.
.Na ra do Queimadon. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimaraus, vende-se sali-
tre refinado por 25* a barrica de 4 arrobas, ou a
6*400 a arroba s a dinheiro._____________
Os Srs. acadmicas que vao matrlcular-se
no terceiro anno da Facoldade de Direito, podem
dirigir-se a ra da Saudade n. 9, fronteira a do
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil at as 9 horas da rnanha, e das 4 at
as 6 horas da tarde.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervivencia dos seguro
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripcao de raaneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que prodnzem as sociedades da ndole de A N ACIO-
NAL,que ainda mesmo diminnindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquda-
coes ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liqnidacoes, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna imporsiraoannual
de 100* produz em effeclivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119*300
, de 10........3:942*600
de 15 .......11:208*200
. de 20........30:256*000
> de 25 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideravei?.
Prospecta e mais informa^oes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia,
mo Joaquim Fuz de Olveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, estabel
imento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
Tinturara
Na ra Direitan. 116 conlinua-se a tingir para
qualquer cor, e o mais barato possiveL________
A higa-se
uraacasa acabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta, no lugar do Poqo
da Panella.ruado Rio : a tratar com Tassoir-
mos.na ruado Amonm n. 35.
luga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
a Rila : na ra da Aurora n. 36.
Samuel Power Jolinston k Companlia
Ra da Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundico de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreiosd- carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Affonso Jos de Olveira, professor jubilado
da cadeira de geographia e historia do ex-lyco
desia cidade e competentemente autorisado pela
directora geral da inslruorao publica para ensi-
nar primeiras letras, latim, francez, rhetorica e
geographia, contina com aula abena destas mes-
mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se-
gundo andar, e recebe alumnos internos e ex-
ternos.
GompaBliia da estrada de ferro
DO
Recife a Silo Francisco.
AVISO,
Pela superintendencia desta companhia se faz
publico a quem interessar, que tendo sido autorl-
sada pelo Exm. Sr. presidente da provincia a roo-
dificaco no regulamento do trafego desta estrada
de ferro, permiliindo o transporte de gado vac-
cum somente nos trens de mercaduras, regulares
on especiaes, tera' comeco de execoco semelhan-
te modificaco 8 dias epois da presente data em
diante.
Villa do Cabo, escriptorio da superintendencia
18 de marco de 1865.
G. O. Mann,
Engenheiro e superintendente interino
Mtencao*
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico c a todos os senhores officiaes do exer-
cito e da marinha que contina a ter sua casa sor-
tida de fazendas e roupas feilas, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
1 O Dr.Carolina Francisco de LimaSan-
tos,contina a residir narua do Impe-jR
rador n. 17,2* Andar, onde pode ser Pro'|
I curado aqualquerhoradodiae da noite^
i para o exercicio desuaprofissodeme-JR
dico ; sendo queos chamados,depoisdejM
' meio dia at 4 horas da tarde,devem ser*
i deixados 'por escripto. O referido Dr/-^
\ nao abandonando nunca o estudo da
molestias dointerior, prosegue, com o
maior afflnco, no das mais diffleeise deli-
cadas operares, como sejamdos orgos;
oarinarios.dosolhos, partos,etc.
Quem quizer posMiir um bonito mulatinho
de 12 a 14 annos, muito bora para qualquer ser-
vico de casa c momo de ra, dirjase a ra Nova
n. 38, loja, que ahi o veriio, e tratar da venda.
Alugam-so dous andares de uina casa com
commodos para gnnde familia : quem pretender
dirija-se a ra do Crespo n. 8 B.____________]
AMA
Na ra do Crespo n. 14, primeiro andar, preci-
sa-se de urna ama que S2iba coznhar e que faca
o servico de casa e ra.____________________
tro ne fundo do referido sobrado que bota para a
ra de Hortas, bem localizadas ; aluga se tambem
o segundo andar e soto do sobrado n. 4 junio aos
Martyrios com bstanle commodo, grande quintal
e cacimba : na ra do Imperador n. 44, terceiro
andar.
Faz-se comida para fra por preco commodo
e com perfeicao : na rua do Arago n. 3,
Offerece-se urna ama para casa de pouca fa-
milia : na rua do Hospicio n. 58.
Mma pessoa bstanle habilitada propoe-se a
leccionar preparatorios em algum engenho do in
terior desta provincia : quem se quizer utilisar,
dirija-se a vrarla ns. 6 e 8 da praca da Indepen
dencia, que se dir com quem tratar._________
Est para alugar-se urna casa terrea na rua
da Gloria n. 14, um 1" e 2 andar de um sobrado
na rua do Rosario da Boa-Vista,quasino pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
deBarros.com arvoredos, agua dcbeber.e portaoj
para o becco do Pombal: quem PN*M*lJ2 Lacenas machina para marcar papel, faz.rcar-
na rua das Crazas, sobrado n. 9, a j ^ de rtsttM> casameill0.s e oulra qualquer qua-
Iidade de pequeos formatos, assim como fazem-se
sinctes para carias, tanto para servir com brela
como sem ella : na rua do Arago n. 12.
Desappareceu no dia 16 a 18 do corrente, da
rua da Imperatriz n. 18, relojoarla de Carlos Wal-
ter, um reloglo de ouro coberlo, patente inglez de
n. 34734, tendo na coberta o nome de James Horn-
byLiverpool: roga-se a qualquer pessoa a quem
or offerecido, ou se encontrar em poder de al-
guem, o apprJienda e leve a casa cima, que se-
r gratificada._________________^^____
O Sr. Marcolino Antonio Pereira queira com-
parecer a repartico do correio, afim de receber
urna carta recommendada vinda da provincia da
Bahia^__________________________________
Fabrica ai-se
rnanha at ae meio dia
Precisa-se de urna ama para cozinhar e en-
gommar em urna casa de duas pessoas : na rua
da Penha n. 22, segundo andar._____________
Aluga se um moleaue ou urna preta
nha bons cestumes : na iua das Cinco
42, segundo andar. ^_____
Na praca da Independencia loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e pratae pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda etodoe qualqner concert.
Alugam-se dous grandes sobrados.com com
modos para numerosa familia, novos e aceiados-
corajardim.cocheira.estribana e outras cqramo-
didades.natravessade Joo Fernandes \ leira : a
tratar na rua daSenzala Nova n. 42.
mmm mmmummmmmmm
Companhia delldade 9
5
Francisco das Chagas Cardoso por haver ou-
tro de ignal nome, se assignar de hoje em diante
Francisco das Cbagas Olveira Cardoso.
Na rua da Cadeia n. 20, lem urna carta vin-
da do Rio de Janeiro para o Sr. Odorico da C-
mara.
Phosphoros.
Na loja do rival sem segmdo, rna do Queimado
ns. 49 e 55, chegou urna pichincha ; duzia de
phosphoros de seguranca a 120 rs caixas de pen-
nas inglezas muito finas a 500 rs.; esles dous ar-
tgos sao pechinchas por serem de qualidades su-
periores.
Precisa-se alugar urna escrava que saiba co-
zinhar e comprar : a tratar na rua do Queimado
loja n. 5.
[0 liacluirel Jos Baptista Gitiranaf
advoga nos termos do Bonito e Caruar. I
Pode ser procurado na villa do Bonito, J
rua Direita n. 16, defronte da cadeia.
Aniacio de Almeida Gomes roga aos sens
amigos o especial obsequio de assistirem a
urna missa, que na quarta feira 22 do cor-
rente, as 7 horas da rnanha, mandar cele-
brar na matriz de S. Fre Pedro Goncalves,
por alma do seu presado amigo Antonio Pe-
reira Ribeiro Guimares, fallecido na corte
do Rio de Janeiro.
Precisa-se de um criado estrangeiro, bom co
pefro, e que afiance a sna boa conducta : na rua
do Imperador n. 29.
RUA IJljUCIA DO
Rosario n. 39.
O propietario do hotel Traviata, achando-se de
novo em sea estabelecimento, e tendo feito nelle
muitos melhoramentos, convida a seus mui distinc-
I tos freguezes, qoe se dfgnem de hnralo com suas
presencas ; offerecendo-se-lhes para remetter co-
mida as suas casas com loda proroplido e asseio
ipelo preco mais commodo possivel: no mesmo es
tbeleciraenlo ha buhares, sorvete e refrescos.
Precisa-se alugar nma preta para todooser-
vico de urna casa de familia : na rua do Trapiche
numero 4.
Claudio Dubeux, proprielano das unhas de
mnibus, faz sciente ao publico qne no dia 15 des-
te corrente mez de marco tira do Cachang o m-
nibus que parte daquella povoaco as 7 horas da
rnanha e as 5 1|2 na larde do Recife ; assim co-
mo tira tambem no mesmo da. o mnibus de Api-
pucos que parte daquello tugar as 6 horas da ma-
nhaa, e. do Recife as 6 da tarde.__________
Aluga se o segundo e terceiro andares do so-
brado n. 62 da rua da Guia com commodos cada
: um delles para grande familia, os quaes se acham
pintados de novo por acabar de ser dito sobrado
concertado : e a tratar no primeiro andar com o
prc.prietario bacharel Francisco Luiz Correia de
Andrade._______________________________
Urna pessoa bastante habilitada pro-
pe-se a leccionar a li igua portugueza e
franceza em algum enginliodo interior des-
ta provincia ; quem se quizer utilisar diri-
ja-se a rua Direita n. 75, que achara cem
quem tratar.
Na rua da Florentina n. 36, prepara-se co-
mida para fora por commodo preco.
Os moradores da ilha dos Rato, em frente a
ponte de ferro, respeitosamente pedam ao digno
Dr. chefe de pjlicia, para que lance suas vistas
sobre alguns vagabundos que por aili apparecera
em difierentes horas do dia c da noite, injuriando
compalavras olisenas as familias honestas all do-
miciliadas.____________________________ i
Antonio Joaquim Goncalves Fraga, subdito
portuguez, retira-e pora a Europa.
Aluga-se a casa n. 29 da rua do Pires ; a
chave acha-se na rua da Cadeia n. 26, esquina do
becco Largo, onde se trata : esta casa lem com-
wodos para familia.
O Sr. Luiz Cesar Pinto de Farias queira di-
ririr-se a rua da Madre de Dos, armazem entre
a igreja e a botica. ___________________
Na rua da Cruz n. 38, em casa de Mills La-
tham & C, vende-se :
Cha.
Oleo de linhaca.
Follias de Fia odres.
Sellins e silliSes inglezes.
Cerveja aspinall. i
Dita Bass. i
Diu John Isfpry C.
E nm piano com pouco uso.
Quem precisar do um mulatinho para servi-
co interno oa externo de nma casa, on mesmo pa-
ra vender na rua. do que tem bastante pratica, di-
rija-se a rna do JJr.'JB? o, 84.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2 andar, onde pode ser procu-"|
rado para o exercicio de sua profis- m
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias -de olhos;
2 de peito:
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na erdem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias ds
6 as 10 da rnanha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c3o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimenlo dos seas
doentes. % i
Precisa-se do urna ama que salta eozinhar e
engocemar para casa de pouca familia ; a tratar
na rua do Crespo n. 18, pn.meiro andar.
seguros martimos e ter-*
restres estabelccfda no
5 Rio de Janeiro. J2
ES AGKNTKS KM PKPNAMBUCO
B Antonio Lnit de OliTeira Azeredo H., gg
competentemente antorisados pela direc-
I toria da companhia de seguros Fidelida-
m de, tomam seguros de navios, mercado- ||S
jgg rias e predios no seu escriptorio rna da _
M Cruz d.1. fPt
mmm mmn mmm mmm vm
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Machado
se encarrega ante o foro desta cidadede tndo que
for tendente a sua profisso, aceita departido an-
malas pendencias judiciaes de qualquer casa
commercial mediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobranzas nostormos do Cabo
elpojuca aondecontinna a trabalhar como d'an-
tes.e encarrega-se dedefezasperante o jury nos
termosproximosa via frrea,offerecendo gratui-
lamenteseus servicos^aos desvalidos, pode ser
procu'adotodososdias uteisdas9 horas da rna-
nha as3da'.ardena ruaestreita do Kosario n.
34, efora iessashora na rua Imperialn.36,ca-
se de sua reidencia.
mmmmm mmmm mmmmm
Maques sobrePortugal. M
S O abaixo assignado. autorisado peloS
BancoMercaniilPortuei.se. e naausencia I
J|do Sr. Joaquim da Silva Castro,saca ef- g
afectivamente por lodos o ; paquelessobre
gas pracas de Lisboa e Porto, e mais luga- M
Bjres do reino, por qualqner somma vis-p
^ta,e a praso; podendo, o qne temarem B
Uaqiiesa praso,receher^m-.ista,no mes-J
H|mo Raneo, descontando 4 0|0 aoanno: na ]
loja de chapos da rna do Crespo n.6, ou |
na rua do Imperador n. 63, segundo an- g
flgiir-Jos Joaqnim da Costa Miia.
mmmmm mmmm mm
Rogase ao Sr, bacharel Cezario
de. Azevedo joiz municipal deGaran-
Iiuhs, qneira dirigiase praca a In-
dependencia ns. 6 e 8, on annunciar
sna mar o il a para ser procurado.
mmmmmmi
W O bacharel
Perdeu-se no dia 16 do corrente, das 4 as 6
horas da tarde, da rna do Imperador n. 43 al a
rua de Apollo, edahi at n rua do Crespo, a quan-
lia de 100} em duas notas de 505 encarnadas da
caixa filiald banco do Rrasil nesta provincia: se
alguma pessoa que tiver achado aquella quantia
quizer restitu-la por espirito consciencioso, haja
de leva-la ou manda-la a sobredita casa n. 43 na
rua do Impejador, onde recebera por isso recom-
pensa correspondente._____________________
Precisase de um criado que faca todo o ser-
vico de nma casa de homem solteiro, inclusive co-
zinhar, prefere-se escravo : na rua da Imperatriz
n. 26, primeiro andar._____________________
Precisa-se de urna pessoa qne queira entrar
do socio em umu taberna, ou se vende pelo dono
ter outro negocio : a pessoa que quizer dirija-se
a rua das Cruzes n. 9 que se dir a pessoa que faz
negocio;____ _________________
Precisa-se alugar urna criada livre que saiha
cozinhar a engomroar para casa denmas pessoa:
na rna de S. Francisco n. 39, casa terrea._____
Precisa-se de urna criada forra ou escrava
'i para o servido do urna casa de familia : a tralar na
rua Augusta n. 31.
Joaquim Fernandes da Silva Campos, conhe-
cido pelo appellido de Pitorra, obrigado por mo-
lestia, se relira de Pernambuco. Dcixar de agra-
decer ao bom povo desta cidade o delicado irata-
mento que recebeu por espaco de 33_ anuos que
habitou entre elle, seria urna ingratido: a todos
pois, pede desculpa de algumas fallas ; e na sua
patria, ou em qualquer lugar que for habitar, e
que ahi appareca um Pernambucano, o apontar
aos seus compatriotas, dizendo Ibes all vai um
nosso verdadeiro e hospitaleiro amigo.
Furtaram do engenho Mussamb.da comar-
ca de Goianna, na quinta-feirn 10 do corrente mez
de marco, tres cavallos com os signaes seguinies :
dous castanhos e um amarello, castrado, troncho
da orelha, e est crusado nos quartos, por isto tem
pouca sustancia, porm muito bom para arrodacao
de engenho, o-ootro castanbo escuro, tem nma
estrella na testa, e um p branco, do piador par
baixo, e o nltimo cardo, bra-vo por ser pai do
lote, todos carnudos, e o cardo bem feilo e est
gordo bastante, novos, e esto ferrados : paga-se
bem a quem os entregar no Recife aos Srs. Leal &
' Irmo, o no dito engenho Mussamb ao padre Luiz
Loja de catanga, rna do Rangel n. U.\___ Hggirgto
Nesta loja lem um sortirnento de calungas dos Aluga-se urna mei-agj
melhores gestos e molduras douradas para quadro
em vidro, tambem se arranjam quadros de moldu-
ras douradas para estampas, tintas de superiores
qualidades, preta e rxa, por pre^o barato, a 320
rs. a garrafa.___________________________
Respndese ao curioso do Diarto de Ptr-
nambnco n. 63, que o fiscal de Sanio Antonio nada
lem com a ribeira do peixe, e sim o fiscal de S.
Jos. Quanto ao que se pergunta na Revista Ota-
ria, responde-se igualmente que a illuslrissima
cmara tem de providenciar acerca da materia de
agua
entre as casas de n. 51 e 53 :
reita n. 24.
na rua do Alccrim
a tratar na rua Di-
__ Acha-se justo e contrtalo a comprar a casa
terrea, .-la na povoaco dos Afufados n. 58 : a
pessoa que nelle se julgar com direito, annuncie
por tres dias, a contar da data desle.
cozinhar :
I recisa-se de urna ama para
rua da Cadeia n. 12, primeiro andar.
na
Antonio Luiz de Olveira Azevedo C. dei-
xaram de ser agentes nesta cidade do Banco Unfao
Vida an-
cerren-
JuT tTrZ:q V ,u"e S7 Portoe da companhia deSegjr.* 1
?0 do corrente foi o'bj^cto dos cuidados do fiscal de | ^SS^S_____^ *
las pelos mesmos as respectivas directoras.
Pernambuco 17 de margo de 1865 Illm.1 di-
recQo do Banco niao do Porto.Porto.J por
Santo Antonio.
Ama
Urna mulher branca de bons costumes se offere-
ce para ama, cozinha e compra : na rua da Penha
n.l, primeiro andar.____________________
Aluga-se urna pequea rasa terrea com quin-
tal, cacimba, etc., preco de 125 : na rua do Gazo-
metro confronte a fabrica.______________
Ca-
este paquete nos dirigimos a Vv. Ss. em data de
16 do corrente, cuja carta confirmamos e vamos
de novo a sua presenca para Ihes rogarmos se sir-
van) dispensar-nos da continuado do cargo de
agentes desse Banco. Apreveitamos a eccasio
para agradeeermos a conianca qoe Vv. Ss em nos
tem depositado, e esperando que se dignarao de
Aluga-se urna casa c(m bom sitio, na Ca- aceilar nossa demisso nos snbscrevemos com to-
pung Velha.que foi do Sr. Sebasliao Pcnna, com da a ooniderag5o de Vv. Ss. maito altentos vene-
bastantes commodos, tendo coeheira, esiribaria,
quartos para pretos. e muitas fructeiras : a tralar
na ruado Imperador n. 46^______^__^__
M francisco Augusto da Costa
ADVeGADO
m
m
m Rua do Imperador numero G9.
1*1** **** *****
Consultorio medico-ciruryieo na rua larga da
Rosario n. 20.
O Dr. loio Ferreira da Silva regressando sna
casa,contina em o exercicio de suaproflsso
nao s na parte medica como tambem nacirnr-
t___________________________________
Os administradores da massa faliida de Amo-
rim, Fragoso, Santos 4 C. declarara que o paga-
mento do dividendo de 5 0/0 j annunciado por
vezes, ter lugar somente at o dia 31 do corren-
te, e depois desse dia depositaro as quantias per-
tencentes aquellas senhores credores qne nao se
apresentarem no praso marcado.
Avisase aos pretendentes que vo ser arre-
matadas pelo juiz do coramercio da villa do Cabo
oito moradas de casas na mesma villa, seis de l-
jelo, estawlo duas em caixo, urna de laipa, ea
ultima de lijlo e laipa, t-, das em boas localidades,
e por barato prego : os pretendentes podem ir
examinar antes que chegue o dia da arremaiaco,
podendo all se entenderem com o Sr. Joo Jos: em nos tcem depositado, e esperando
radores e criados. -(Assignados)Antonio Luiz do
Olveira Azevedo & C.
Pernambuco 17 de marco de 1865.Illm.' di-
recgo da Companhia de Seguios Mutuos de Vida.
- i'orto.J nesta dala nos dirigimos a Vv. Ss.
cuja carta confirmamos e de novo vamos a sua
presenca para Ihes rogarmos de dispensar-nos da
continuacao do cargo de agentes desta secen de
Seguros e Mutuos de Vida. Aproveitamos a oc-
casio para agradeeermos a confianca que Vv. Ss.
que se dlg-
Pnto de Olveira, e nesta praca com Joaquim! naro de aceitar nossa demisso, nos subscreve-
mos com loda a consideraco de \ v. Ss. muito at-
tentos veneradores e criados.- (Assignados.)An-
tonio Luiz de Olivcira AzevedoA C.
Francisco dos Santos, na rua do Queimado om sua
loja.
Club commercial.
A partida do club cammercial no corrente mez
ter lugar nanoiie do da 25, anniver-ario do ju-
ramento da coostituico do imperio.
Francisco Lucio de Casiro
secretario.
Jos Francisco de Andrade Jnior vai a Eu-
ropa, e deixa por seus procuradores em Io lugar
a seu socio o Sr. A. J. W. Maia, em 2 o Sr. Jos
Das da Silva Guimares, e 3* o Sr. Joo Evange-
lista de S.
Aluga-se
um preto proprio para casa de pasto por ter muita
pratica, ou mais servico : a tralar no armazem da
tm da Guia n. 36.
-- Aluga-se a primeiro andar do sobrado da
rua Direita n. 88, com bons commodos para fami-
lia ; a tratar na padaria o. 84.
A quem interessar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer pretengo como : passaporles, porla-
rias,apprehencoes de quaesqutr objectos; pela
presidencia loriaras, passaporles, patentes de of-
ficiaes da guarda nacional e outras quaesqtier in-
cumbencias ; pelas reparticoes liscaes desembara-
co de terrenos de marinha e de ostabelecimentos
que por engao ou ignorancia de seus |>roprieta-
rios estejam sujeitos ao rigor do fisc^; pela capi-
taniado porto matriculas de carpinteiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser proourado no Re-
cife, armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Braga, rua da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, rua do Collegio n. tonio Domingues Ferreira, e em S. Jos rua Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Paranhos.
^_____Joaquim Jos dos Santos Barraca
Aluga-se urna casa terrea na rua da Concor-
dia, tendo 2 salas, 2 quartos e quintal com cacim-
ba : a tratar na rua Nova, 1oja de ferragens con-
fronte a botica franceza^_________^^^
O London 4 Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna. > >
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Precisa-se por aluguel de urna preta escrava
que nao beba agurdente, ou forra de boa conduc-
ta, para fazer lodo o servico de orna casa de fami-
lia : quem assim o queira, dirija-so a rua de S.
Francisco, como quem vai para a rua Bella, sobra-
do n. 10, para tratar do ajuste.
I
I
Joo da ailva Ramos, medico pela Un-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da rnanha, e
das 4 s 6 da Urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos era qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
qne o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da rnanha.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda diu.... 2*500
Terceira diu.... 2*006
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos qne tem pres-
tado.
O proprieurio espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
Livro do Povo.
O livro do povo, obraornada comestampas,con-
tendo a vida do Nosso Senhor Jess Chrislo, e mui-
tosartigosuteis. Este livro das familias recom-
mendado eapprovado pelos Exms. Srs. D. Lnix
bispo do Maranhao e D. Manoel arcebispo da Ba-
ha, vende-se a 1*000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogaeira de Souza, rna doCresroa. 2
y


Diario de Pernaiubuco Terca fcira ti de Mareo de !&&.
&

0 escrivao da (ajenia proviucial precita de
urna pessoa el par protocollista : na ra Pormo-
a n. 4.
Na ra do Jardira n. SO engomroa-se
aceio a perfeigo.
cora
COMPRAS.
Comprase ouru e prata em obras velhas, pa
ga-se bera : na lojs de bilbetes da Pra$a da Inde-
dendencia o. 22.__________________________
Comprase elTectivamente ouro e prala em
ooras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives._________^^^_
Compra-se um escravo eoznheiro que seja
moco, robusto e sen) vicios : a iraiar no sobrado
n. 32 da roa da Aurora._________________
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve
lho : na fundlgao da Aorora, cm Sanio Amaro.
Compra-se ou alugase um escravo que sirva
para todo o servigo : a tratar na ra da Coneor-
dia n. 64, padaria do gaz.___________________
Libras esterlinas.
Comprara-se na praca da Independencia nume-
ro 22.
A molestia ou infecto pecu-'
lial'conheeida pelo nome de Es-
W^cro/M/a um dos males maisj
YENDAS.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typograpliia o
Almanak Administra ti yo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praga da Independencia,
A tten cao.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Patero: C. ra
do Vigario n. 3.__________________________
Queijos
o melhor qne ha neste genero a 24 cada um e ce-
bolas a 15 o cenlo : no antigo e acreditado c > t a -
belecimento junto a esta typopraphb n. 42.
Accoes do navo banco.
Manoel Ignacio de Oliveira 4 Filho vendem 100
acc5es. _______________________
cces da caixa filial.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho vendem 20
acoes._______________
Vende-se urna negra de nina idade, boa co-
zinheira : na ra da Gloria n. 80.___________
Legumes novos a 6,40o rs. a arroba*
Na padaria atraz da fuodcao do Sr. Starr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhase sevadinha pelo preco emsortimen-
to de65i00 rs., econforme lr a porcao faz-se al-
gum ahatimento._______________
prevalecentes e universaes que
La em toda a extensa lista das
enfermidades de que sofle o
genero humano : disse um cele-
bre escriplor da medicina que
mais de urna terca parle de
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao e lao des-
Salst parrilha de
iris lo I
Pitillas de Kemp.
Vende-se na pharmacia de Pinto, ra larga do
Rosario n. 10.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
LOJA do BALAO
DE
AZEVEDO 4 FLORES.
;
porm a principal cansa de muttas
outras enfermidades que nao lhe sao gcral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phihysica pul-'
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecedet do cerebro :Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, $ vezes de urna
aleara transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea; fraqueza e *^^! TuZ^SZZ^o
molleza nos msculos: dtsgesto fraca e "j"J 'das preparac6es ferruginosas. Basta attestar
appetite irregular, falta de energa, venlre seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
inchado e evacuacao irregular (piando o S'iSS^J^SST^S^Si
mal lem seu assento sobre os pulmoes, urna '
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelliados:o hlito ftido,
a lingua car regada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposic3o escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupgoes na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
disposlas s affecedes dos pulmoes, do figa-
do, dos rins e dos orgSos digestivos e uie-
seguintes affecedes:
jungo no Mi|ie.
Fraqaeaa.
AnfiulH.
Chloroae ou Ictericia.
Menstrua. -
Airrrcinx do litera.
Snppreaaea da rr-
graa e deaardea na
menatruaeao.
AfTeccao pulmonar e
hlhlale.
Moleatlax desloma..
Gastralgia*.
Canvalr cenen de lan-
ga* malcatlas.
Malrallaa escroiulo-
aaa.
papolra.
Obutruccaa ana glaa-
dulaa.
Humor i- frlaa.
Humorea brancas.
RachltlnniO.
AHeece* enneereaa
, ayphllltlcaa.
Fcbrea typholdea
.Ruada Cadcia do Recife n. 17, esqnina que volla para a M
Atten$lo.
Madapoloes fraurezes (i.ei;a) 135, 1*5 e iojl.
Chitas para coberta a 320 rs. o covado.
Las lisas um completo e variado sortimento.
Lencos braocis milito lin-'S a 2^v00 a duzia.
Ditos de esguiao.
Um completo sortimeilo d; chitas largas de 300 a oOO rs. o covado.
Cambraias lisas bran;as nmito finas a o a per;a.
Aberturas de linho pregas largas.
Ditas de algodo muito linas.
Bramante de urna largura.
Algod* da Baha para sacco.
O B1LIO VE\E
adre de Dos.
lerda d'appellte, eie. 1 Varlolea, ele.
, ele.
rinOS. PortantO, nao smente, aquelles YeiSaseesbulUlinsdetherapeuticamedica
que padecem das formas ulcerosas e tuber- e ctrwrgka <3<> de novembre t&60; a Cazata
calosas da escrfula que necessitam de pro- dos hospitaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
tecrao contra os seus estragos; lodosas" A\m das pilulas de todureto duplo de fer
Vendem-se moedas portuguezas
15OOO : na ra Direita n. 24.
de ouro de
Jumentos.
Vende-se um lindo casal de jumentos, de bella
rara, grandes e novos, proprios para a conservado
da mesan raga, e crusamento, do que se colher
magnficos machos e muas para carros e cargas,
cuja jumenta esi grvida ; assim como urna lin-
da jumentinha com pouco menos de um anno :
ver e tratar com Jos Pereira Cesar no sitio Pi-
rauuyra, arrabalde da villa do Limoeiro.
Vende-se urna vacca boa leiteira com urna
cria, chegada ha pouco de Goiaona : a tratar na
ra das Larangeiras n. o, primeiro andar.
Mi lho novo era saceos grandes: no trapiche
d* Cunta, a tratar com Tasso Irmaos._________
""vende-se o estabelecimento da ra da Im-
neratriz n. 51: qnem pretender dirjase a ra
Imperial n. 61, defronte do viveiro.___________
e de Portland
Cemento romano
no armazem de Tasso Irmaos.
Vende-se a taberna da ra dos Agouguinhos
n. 20 : a tratar na mesma:__________________
Queijos del $6(10 al $800.
multo bons, pechincha : no armazem da Estrella
do largo do Paraizo n. l't. ________________
laterpretaca das leis
ron
Crrela Telles.
Na livraria da pracada Independencia ns. 6 e
8 vende se por 25500 a theoria da ulerpretaso
das leis por Carreja Telles._________________
quelles em cajo Mingue existe o virus laten-
te d'esle terrivel flagello (e s vezes 6 heri-
ditario) estao exposlos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phihysica, ulceraedes do pgado, do es-
tomago e dos rins: erupedes e enfermida-
des eruptivas da culis; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos. ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimenlo e debilidade geral.
Aos pulmoes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpcao pulmonar :
as glanulas ella produz inchaces e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos causa
desarranjos que produzem indigestao, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins:
na pelle produz erupcoes e aflecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer |
composla dos antdotos mais eflicazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-:
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupcoes cutneas, erysi-
pclas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge-
ral:Indigestao, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do ulero, a nevralgia e con-
vulcoes epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as c'ertidoes no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer "que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtules
.. stalas deiodurelo duplo de ferro e de
quinina de ltebillon os Mdicos aconselhio
igualmente o Xarop diodure duplo de
ferro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nio gostao de medicamentos sob fir-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'oure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se n5o poder conservar.
Peca-se o folheto que se di de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evitarem falsificac5es, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a at-
signatura do inventor. ,
Depsito geral em Pars, pharmaciaReoluoii,
442, ru du Bac, e em todas as boas pharmaciai
de Franca a dos puizes eatrangeiros, etc.
GRANULOS
Paletots de casamira proto e de cores saceos a 95, 105, 115 e \i.
Ditos de alpaca branca o |reta a ML i5500 e 55.
Caigas de casemira preti de 85 a 185-
Diis de cisemira dj cor a 55,85 b 105.
Galjas de brim branco a 35, *m e 55-
Golletes de dito dito de 25 a 35500.
Ditos de caso nira preus e Je c re; a i5. 1*500 e oj-
Cilgas de prioceza para luto a 45 e 55-
Ceroulas francezas a 15000.
Ditas de linho com duas costuras superiores.
Camisas francezas de diversas qualidades de i$ a 35.
Ditas verdadeiras inglezas.
Colarnhos de linho muito finos.
Ditos de papel a 40 rs. cada um.
Cortes de casemira de cores por preces coramodos.
Ditos de casamira preta fiaa de 75 e 55-
Maias cruas inglezas o nvilhor que ha a duzia 85.
Baloes de 20, 25 e 30 arcos a 35 e 35500.
Camisas de flanella de cores d--3530 J a 75-
Os donos deste estabelecimento encarregam-se de mandar fazer qualquer obra do
semira etc., para homens e meninos por oreos que admira ; aproveitem que o Balao est disposto a
oueimar, so quer dinheiro I 1
unm
.i-
BISMTH
DE GHEVRIER
Os granulos au bismulh de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaces de
bismulh empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir
curar as
Dlarrkraa chranleaa. Ma dlgcaloea.
DyaaeBleriaa. Gaatrltea.
Drea d'ealdmaxo. Gallcalglaa, ele.
Dyapepalaa.
Os primeiros symptomas d'cssas formidaveia
affeceftes se manifestao ordinariamente por diget-
tdet laboriosas, azidumes, falta a"appetite, pesos
i'estmago depois de cada comida, caimbras es-
lomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuido, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Haleallaa de Dgada
A Ictericia.
rulullaco de caraca
luirri noa ria.
Oppreaaoea.
Dnrra de rabera.
Irrllacoca de bnla e
da matriz, ele.
Superiores cortes de moirs preto com barra, OJjne ha de melhor gosto em
Pernambuco. .
dem de gorguro prelo adamascado com barra a imperatnz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos WW, 2*600, 3, 3;$300, M> M, G-5,
7{1 e 8i5 o covado.
Superior gorguro dsela preto, a melhor fazenda que lia para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hes;>anhola.
dem idem lavrada a 25 o covado.
dem idem lavrada muito superior. __
Completo sortimento de grosdenaple preto a IdoOO, 10800, 2, 20300, i>,
UoOO, 45, 45500 e o% !
Pannos pretos de superi r quahdade de 35 a 125 o covado.
Casemira preta de 15600 a 55 o covado.
Lindos chales, bournus, algerennes t retoudes de tilo prelo.
Mantas preles de fil e los pretos. .
E muitas outras fazendas de superior quahdade na l-ja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos S C. successores
de Jos Moreia Lopes.
Os granulos Chevrier sSo ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmaca Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
COMPENDIO DOLOROSO |
que contm o oflicio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rea, um setenario e mais outros ejerci-
cios de piedade e devogo; ordenado pe-
la irmandade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capucuinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S.M. L, que Deusguarde;
dado luz por devocSo do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
MCIHNASDEPATENT
de trabalbar mo para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estes confeitos que tem por base o prin.
cipio activo da viimeira cnbeba juuto com
a rupnhyba pura, nao nausen n estomaga.
Elles fazem parar inmediatamente asmis
posto que e offerecido rebeldes gonorrnas, mesmo as que ressti-
ao publico sob o nome de Salsa parrilha, e ram a cubeba'o a cupabyba isoladamente.
composlo de diversas plantas, algumas das Deposito seral em Pernambuc. rna da
quaes sao superiores a melhor salsa parri- Cruz nii em casa de Caros & Barboza
Iba no seu poder alterante.----------------------------------------------.------
PEITORU DE CEKEJA DE AVER. Colare R0V6r
Cura promptamenle a asthma, broncliite, ou co|aies anodines elctricos contra as convulsiies
tosse, defluxo, angina, coqueluche, das crjaneas.
phthysica primaria, tubrculos! 0 bom e proveitoso resultado' que as crianzas
pulmonares e todas as obtem na denllcao. trazendo desses colares, j
Francisco Jos Germano
MJ.ltfOVA X. 4,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos e binculo4,
apurado posto da Europa.
do ultimo e mais
molestias
Allivia os etlicos declarados.
pulmo-
nares.
bem conhecido/e por isso se tornam boje indis
pensaveis porque assim teem os pais incontesla
velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambera na ra do Queimado, loja d'aguia bran
draiule armazem de Untas.
Kl'A DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos cliimicos utensis e os maisempregados
e usados na pliarmacia,pHlura,pbotoraphia. tin-
turara, pyrotecbinia(fogosdearlicio) e era outras
industrias. .
Montado em grande escala, e suppnndo-se di-
rectamente nas principies drogaras de Pars, Lon-
dres, llamburgo, Anvers e Lisboa, podeoffereceer
productos de pleaa conlianca e satisfaier qualquer
encommenda a grosso trato e aretalbo, porprecos
razoaveis. .
Prvidos de machinas ,-appropnadas satisura
com promplldao qualquer pedido de tintas moldas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poderl ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado emlalasfechadas.
Tem grande collec^ao de vidros de dilterentes
formatos, desde urna oitava al deieseisonijas de
capacidade; de vidros para vidraras e diamantes
para corta-Ios; de pinceis paralinglr madeira com
propriedade e outros; de papis dourados epra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro d casa, para desenbo
com fundo j feito; de papel albuminado e Rns. I
verdadeiro saxe para photographia a para filtrar,
e nutros ; vernizes de essencia para qnadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhaa
clarificado, oleo de oielet, sicativo de Harlim.ooro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprias para confitarlas ; laa de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly jasmim,bergamota, aspice, patchouly,mbar,
boquet,limao, alcaraiva, melissa, orteiaa pimenta,
louro cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderaoser mostrados.
Joo Pedro das Netes,
rente.
Todas as molestias da garganta, do peito ca n. 8.
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou- A o-iia florida e tOnCO Orieil-
co tempo pelo peitohal de cereja do dr. rr
ayer. tal de Kemp.
A' venda nas principacs boticas e droga- Continuase a- vender em porgao e a retalho
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela f ranceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
FARELO
em saceos de mais de 100 libras: nos armazens
de Tasso Irmao.
avaHado.
Francez barrica .'OOO
Portland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Porand idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
t gales prelos para vessidos,
A aguia branca recebeu invamente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestido*, sendo
bonitas trancas, franjas, galoes e bicos pretos, etc.,
assim como botocs enfeilados de vidrilhos, e ou-
tros muitos enroles de differentes cores, conti-
nuando a aguia branca na rna do Queimado in. 8
a vender ludo isso por precos commodos.
Bonitas caixinkas
com msica e son ella para coslnra, e nutras
> ignalmenle lindas com perfumaras finas.
A aguia branca na ra do Queimado n. 8 acaba
de recebvr um bom sortimento de caixinhas para
costura, e outras com perfumaras finas, e conti-
na a vende-las baratamente.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Ra do Qaeimadu n. 19.
Vende-se o seguale:
Len^es de panno de linho
pelo baratissimo preco de 2J400.
Len^es de bramante de linho
de um s panno a 35300.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 25500.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 25 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 35800.
Pe(jas de cambraa
para forro com 8 I|2 varas a 256 0.
tuardanapos
de linho finos duzia 35500.
Algodo entestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 15200.
Cortes de la
com 15 covados a 65-
Cambraa adamascada
com 20 varas propria para cortinado peca 119-
Fil de linho
liso fino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algodo
com 8 palmos de largura vara 25200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Lazinhas carmezim miudinnas
prapria para vestido de menina, covado 600 rs.
LSazinhas
Estas machina-
podem descaroca'
lualquer especit
de algodo sem
estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descansar urna
arroba de algo
nao em earoce
en 40 minutos.!
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar- .
robas de algodc
limpo.
0 VIGILANTE
Ra do Crespo n.
O gallo vigilante tendo ldo agTactado peioff ra-
poso Dallisa, na sua ordem do da, e pela iatea
Aguia, apesar de que, para e&Je o Gailcrtn ftus
agudosesporoes nunca os olfender, antes o agra-
ciar na mesma conformidade, ra'a 'loe o LalizD.
possaraarchar em frente, a Branca Agola ic
levaniarieu voo,|levando nobicoas palinhas seo
ninho;a o Gallo Dcar em seu espacoso cnirc
u'andode novo o sen canto annunciaodc asees
bonsfreguezes e aorespeilavel publico
0 grande partimento deobjectos de muito gosto Qt
acalia de reeeber.
Ricas caixnhas com msica ricamente ebfeits'
das para costura, proprio para um delirado me-
nino.
ili|iissiraiseofresinhos com cadeadc;dc n.ei.i
parai guardar joias.
Bicaseaixaseom estejo, contendo tocc es per-
lencos parahomem.
Iti litssimas voltas fingindo perola.
Ditas com lacinhode lila.
Ditas d/! lindas cures e preta, delodis as ro.
suras.
LindosaJerec.os com pedrnhes Bngicdo lw
1 han tes.
Ricas fivollas para cinto, de todas as Qrsi!C,t>
e li un gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Paris.
Grande sortimento de lindos er.eitC [ <;: ga, sendo do ultimo gosto e de todos ospn :.iv
Flores muito finas para noivas.
Lavasenfeitadas e meias de soda rs;;. rins
Touquinhas sapatinhos e meias de i(Ca | ara
baptisado.
Rquissimas fitas de todas as qualidadt sia lr-
o, cintos ecinteiros.
Camisnhas e gollnbas para senhoia.
Riquissimosjrros e figuras para 111 :: < i te c*
sala.
Grande sortimento de gravatinhastariH [ai a sr-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarrilhasdc bonitascres.
Trancinhas.galao e maravilbas para (i i ile>.
Transelins de cabellos e de rrtic [ata :< UfKs.
Papel amisadee de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadnbos de lindes paifff.
l.encinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhora?, n nas.
Fitas de veludo lisas e cem nal; n e ci nas as
larguras.
Tliesonras e caivetes de tedas as qcahf&ff*.
Grande soriimento de sabonclrf.
Lindos vasos com banha para cfTcrtfin ir.to.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e en
frascos quadrados egarrafinhas.
Pomadafina de todas as qualidades. -
Superior banha cm frascos e copus e (tesos
tamanhos.
Saboinglez em paos grandes e pequen>.
Escovasde cabo de madreperola, rraiin.ede
oso para dentcs.
Pentesparadesembaracar,com friso de nci!
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas ontras cpalifo-
dess. C-cS^:
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de algodo, assim cr c c n uts
; outros objectos de gosto quesera mpcffirfln et-
cinar,qui a vista far fe, s no Gallo V(.i1lu.
ruc do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas vollinhas de perolas falsas conrrtuinbs
lingiiidobrilhantes, assim como crti2iil;s %1'!ss
evoltinhas, pelo barato pre?o de 15ei(0,ps
cruzesavulsasa 00 rs. s no Vigilante luadc
Crespo n. 7.
Leqnes.
Rlquissimosleques de madreperola tanto [ira-
senhoras como para meninas, pelo barate [ rece
de [25 e 115; s no Vigilante, ra de Cresio
Filas de laa.
Fitas de la de todas as qualidades, pror ras \v
Xssim como machinas para serem movidas po: tMp^^ rs. a pe^,; ;, ct Vi-
aniraaes, que descarogam 18 arrobas de algoda. I lte' n
Ricos espellios^
Riqnisslmos espclhos'com Iroldura r'irrrda'
sem ella de 85, 105, 125 e 145, asiir nno eerc
limpo, por dia-, e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina jcelumnas de differentes tamanhos a ?, .-&. i5, 5
mencionadas; para o que convida-se aos Srs. e 65 s no Vigilante, ra do Crespo n. .
agricultores a virern ver e examnalo, no arma-j Lindos jarros e figuras,
zemde algodo, no largo d*a ponte nova n.i7. Riquissimos jarros e figuras de prrceiara fina.
Saunders Brolhers & C.
X. II, prae.ii do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
n-a'aeioOTrr'-laOps'o
cBcrsoo-' tr*2, 2 2 S
a 3 ?. =-d.?^S -" S 2 H o
3-S g= ST 5-3 = irS 2
f
M os o. ^5
s u
W BJ
. as
B V CU
va _.
OS
e ce


as

INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnoirheas
antigs e recentes, nico deposito r a bo
ica franceza, roa
o 31
da Cruz o. 22 pre-
Vinho Hollares.
Acaba de chegar de Lisboa o superior e
verdadeiro vinho de Collares, em ca'xa,
esta excelente qualiade da vinho torni-se
recommendavel, por nao conter espirito e
ter asrradayel pal idar, supe ior ao melh r
B.rdeaux, sendo aquella particularidade
apreciave e utd na presente eslai;o calm )-
sa, emque osv nh >s aguwlentados se tor-
nam priijudiciaes: vende-se no deposito,
ra da Cadeia escriptorio de Leal Reis.
Vcnde-se 460 frascos de tinturas ho-
meopathicas vindas de Paris (d'Calellan):
na ra da Cruz n. 8i._________________
Predio venda.
Vende-se a casa terrea da ra da Conceico n.
29 da fregnezia da Boa-Vista : a tratar na rui da
Madre de Dos n. 16, das 10 horas da manhia as
o da larde.____________
Vende-se urna vacca boa leiteira com nma
cria chegada ha pouco de Goianna : a tratar na
ra das Larangeiras n. 5, primeiro andar.
FOLHItfHAS
Para 1805
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLHINIIA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dostribu-
naes do commeicio, etc. a 160 rs.
A FOLHINIIA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabal Mater
em verso, devoejo ae agn san te, coracSo
de Jess, cntico em louvor doSantissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, nm indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de nma
solteira ^poesa), crescido numero deraa-
/ximas e pensamentos, urna historiacomo
muitas (romance), e vintecinco novase
pilhericas charadas a 320 rs.
Vendem-se por pr^co mnito commodo, jan
tas ou cada nma de per si, sets casinhas no Cam-
po Verde, eahida pira Belem, as quaes, rende cada
urna 5.3OOO, faz-se todo e qualquer negocio : a ira-
1 tuna rna do Cotovello n. 17.
Ss-r^
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de i, 5 e 6 palmos de
largura, por menos preco do que em outraquai.
qner parte. .
Neste armazem de fazendas se encontrara nm
grande sortimento de ronpa feila e por medida.
CIMENTO
Francez barrica 5$'00
P .rilan i barrica Hj5 0.
N) trap c'n'bar) do Livramento a) caes
d'Apollo:______________________________
-----------------^DROGARA.
JlUua'larga do Rosario34
Bartholomcu Francisco dcSeaza k C.
Vendem:
Acido icitico puro pra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Pap;l para forrar casas.
Guarnieses avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em pies._________
0 GASTILLO DE GBASYILLE
TradHzido do francei per A. J. C. da Cru.
Vende-se este bello romance errquatr
tomos pelo baratissimo proco de 25500 :
ua praija da Independencia. livraria ns.
6e8.
= oS3aSoo? a0".
I S 2. 5" 838
o o-_ cu _, r*
Cu <6 tR o ."
Ifll l!
3 3 s*
-o -S o S> -2.
B ID U S O
-1 en O. -3
M O g g
-j as
Cu "*
M a o a>
^ 3 o o n
lo O 4 a
as o o <*9 *
o o -a
a> 9> -T a
w a O g-

para enfeite de san, secdo omelror gesto qci S(;ni
tem apparecido; s no Vigilante, ra de Crtfio
n. 7.
Para ais de'arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para psdeanez
cousa de muito gosto a IJ500 e 25, assim cene
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um ; s nc
Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banb&s, pirra-
das, assim como de lindos copos 011 vasos rrm dte-
tinctivos e offerecimentos as siDha:irbas f
Ihores e mais afamados autores de Taris e [ranu-
ra, assim como os grandes copos de banha js|reza
a 24 e a 14, assim romo outros objectos qce nSo e
possivel por hoje annunciar, e vista des ffene-
res se fartndo nepocio; na loja do Gallo Vifilsnle,
roa do Crespo n. 7.
o
O
a
e
s
Affua Florida.
B

J

a
Precos que admira.
Para restabelecer e conservar acor Latura*
los cabellos.
A agua florida nao urna tintura, factr essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor prin i-
tva ao cabello. Composta de plantas exetiea* e
desubstancias inoffensivas, ella tem a prctriic'cde
derestitur aos cabellos o principio rcraun qni fi-
les tem perdido. D'nma salubridade icrrntesi-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cafceca
destroe as caspas e impede os cabelle r;e r.11 ir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, eu
conslite poderosam*t, cora a Agua Florida, a
(orea,a belleza e a conservarlo dos cafc*...:.
Em Paris, casa de Qnislanr n. 12, ra de Riel p-
lien, e21,bonlevard Montmzr're
Todos os frascos, nao tendo intacto e ciaro.t
timbre prateado da casa, sao reputados faisos.
Deposito, rna do Imperador.pharmacia o. 3.
Snalos de trauca superiores pelo barato prec-o
de 15 o par, e duzia 105 : no vigilante, rna de
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as larguras a peca
com 10 varas, cada pea 400, 480, tQO e bOO
rs. : no vigilante, rna do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de nma e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 00 rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Coke Pltch dogaz.
.llcatrSo do gsz.
Coke, tonelada lOftOO.
Pitch, arroba 34000.
Alcatrao, caada 500.
O cok reconhecdamente o carvao mais ecenf-
i mico, torna-sc por isso recommendavel. Irmco-
IIiuJh,',,,, linn tifiOO mo pelo aceio qne se nota nas casinhas aoreV e
:abello.aduza-15-00, I5WW, e|,epusado pit'ch e a|Pa,r3o, aKm sairtlnrafc-
Pentes para atar c
24,34,45 e 55.
Balaios propriamente para costura e para truc-
tas, e para menina trazer no braco a 15500,15600.
15800, 25 e 24500.
Perfumara, macaca perola a 24, 25*00, 34 e
44 a duzia, oleo de maozinha a 34 e 65 a duzia,
banha a 34, 44 e 54 a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis procos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois aftanca-se a ponca avana e a boa qua-
lidade: s no gale vigilante, rna do Graspo c 7.
ces diversas a que se prestao, como paracalafa
tar embarcaces, alcatroar madeias, etc., it estes a propriedade de preservar do cupim, fft-
migas,etc. entregue na fabrica do paz, en man-
dado prem qualquer ponto da rn'ade, segundo a
vontadPdo comprador ejtrevio ajuste._______
" Vende-se urna vacca crionla, ririda do -.jj-
co muito boa de leite : para ver e tratar, aa la-
berna defronte da capella de S.
gnjpho.
>
Jos do Man-





J
----------------.------.------------------.
I 11 rs+x /r-i


Diario de Pernaubuco Terca felra ti de Marco de i 8G5
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARIIAZENS
DE
MOLHADOS
J Largo da Santa
Cruz ns. 12e84;
esquina da ra do
VI.\H0S
sCeoo.
ESPECIAL
Largo da Santa,
|Cruzns. 12e84,J
gesquiua da ra do]
sCebo.
d
n ... (,l'no .dos Ja rauito acreditados arraazens de rmlhados denominados Aurora
Briman acaba de recebcr de sua propriaencommenda.muitos gneros delicados
a\Jlis Presenle ota?ao, e tendo grandesortimento comprado aqu, aBancaqueto-
dos es seus gneros sao de primeira qualidade.
ladores seguinte Cabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
n ih *yen!,.um ar"iazem vender mais barato, e malhores gneros do que a Aurora
ruante, ja pelo grande sortimento que tem, ja mesmo por seu dono seachar encora-
n oaa lo era sua saude e ter de vender um de sous armaiens agora, e o oulro na pr-
xima primavera, por isso dove-se aproveitar urna quadra deslas
[Litas eom 8 libras de chouricas muito novas, |
para se comprar
em postas inieiras,
a 15000, 15280 e
kDius grandes cora peixe
mais de 12 lualidades,
IJiOO.
Ditas com ostras, excellente petisco para fri-
} gid :ira, a 729 rs.
Ditas com orvilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a CiO rs.
{Ditas c.m amellas a 13200,' U800 e 3500.
1 Ditas com inarmelada do afamado fabricante
Abreu. a 880 rs.
1 ... Ditas com massa de tomate, a jOO rs.
ir Ditas com ll^os ae comadre, novos, a 1-5300
H e 24300. %
Ditas com bolachinlia de soda muito novas, a
Diias com biscoitinlios inglezes de muitas qua-
, lutados, a l5't00.
Chocolate.
superior muito novo, a libra a
I Ciio-olate
15200.
1 Macan-So, lalhariam c aletria amarella, a libra
' a 480 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixa< (-om e>trelinha, pev;2 e oulras raas-
sas, a caica 35300. ? ^* I
' Ditas dita em libras a GiO rs. '
j-a.'d,:. libra a 360 rs.
'Sevadintu para sopa a libra, a 210 rs.
Emitas seecM, a libra a 160 rs.
ilu descascadas, a libra a 200 rs.
[Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
fortuna de aramia verdadeira, a libra a
. 500 rs.
'Arroz d> Maranho, em sacos, a arroba a
25100 e a libra a 80 rs.
kDilj da lidia e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
'Toucinh 1 de Lisboa a 0*300 a arroba e a 320
u. rs. a libra.
"75 iito d Santos, a arroba "5000 e a libra a
~~l 250 rs.
fjMitlWS eom 123 ceblas grandes, a 13280.
vtMistarla francesa, caixa rom 2 duzias a
W 8;000.
l&ft*300* c>m mostarda preparada em vinagre,
'rf$ a400rs.
*? Ditos com conservas ingiezis c francszas, a
r%. 6iOe800rs.
("/;>>.)itos em sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.
Cl^) Ditos com a
Vinho verde superior.
A caada a 35300 e a garrafa a 480 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sev
engommar, a arroba a 32000 e a libra
120 rs. !
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha. 1
Saccas grandes com farinha de Goiauna mu-,
to nova, a 35000.
Caf. ,
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,'
85300 c 95000.
Cha.
Cb, temos oestes gneros o melhor possivel,'
hvson, a libra a 25609.
Dito parola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hvson muito lino a 25^00.
Dito redondo a 25300.
Dito preto de primeira qualidade a 25300.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
I'.na ante.
Escolente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Esperncete,
O ma?so com 6 vellas de espermacete a 000,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de t6 e 8 libras de passas novas pro-
prias para miraje a 45 8 25300.
S 1*090.
^ Oitos .le 2 garrafa
verdadeira genebra de laranja, a
de Holianda verdadeira, a
dita proprla para negocio, a
superior, a
SiO rs.
.B-j|iai com
^ 4(IJ rs.
lirnfss cora 2 gaies com dita, a 65-
virvcj 1 bu, nurca, a 300 rs. a garrafa, e a 1
duza a 6>000.
'Vruh-> mn-citel de Setubal, a garrafa a 15.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 801 rs. e
ft a 13200.
iampigoe, a duzia 205000, e a garrafa a
11090.
AzoiM ruflnado portuguez e francez.a garrafa
a 15000.
Hait 75. 85. 95 e 105 a caixa.
'lilas com dito branco, a 75 a caixi.
Ditai con dito lasrriraas do Doaro verdadeiro,
ni **
-i'Oias .ron duqie do Porto verdadeiro *a
w, H5000.
litas con chimisso superior, a lia.
'Ditas com Porto velln e outras rauitas mar-
cas, a 123.
iVioh) do l'ortoda pipa, a garrafa a 640, 720
I e 8)0 rs.
'.):' da Lisboa muito bom, a caada a 35200,
I 35109 e 45, e a garrafa a 500 e 360 rs.
Dito da FiKueira, das seguintes marcas (X.)
(J. V. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
453)0. e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
q N ja est engarrafado e lacrado cora o
rotulo do armazem.
[OiW d 1 marcas mais dseonhecMas, a cana-
i da a 35300 e 45000, e a garrafa a 480 e
3i0 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
1 ).to de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Nes.
Nouf, a libra 160 rs. e arroba a 450C0.
.llpisla e painco.
Alpistac painc, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Carlas.
Cartas flaas para jogar, a duzia a 255 >0.
Castanuts.
Castanhas novas viadas neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azcilenas.
Barris com azeitonas novas a 15300.
Maoleiaa.
Manteiga superior, a libra a 15000.
Dita mais ab'tixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Qaeijos novos vindos neste vapor a 35200 e
35500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
15000.
Papel.
Papel almago pautado, a resma a 45500.
Dito dito tizo de liaho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 13200.
Vinho ladeira.
Garrafas cora o verdadeiro vinho Xerez e Ma-i
deira a 15500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, comm'uo
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amenileis.
Amendois com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixes de doce de goiab, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boi5es de graxa n. 97 a 25000, e 1
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-i
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos fiaos.
Charutos finos dos malhores fabricantes da,
Baha por diversos precos, caixas e rociase
caixas.

E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
m iunciar-se.
ATTENCAO
AO *
NOVO ARHAZEM DE MOLHADOS
N. IHHii;i do C'abug -n. 18,
DeiVaale da matriz de Santo Antonio,
DE
Lima & C.
Os proprietarios desle novo estabelecitncnto avisa ao rcspeitavel publico, que acha-
80 prvido de um completo sortimento de molhados e seceos, todos novos e por precos
comandos
Os proprietarios nunca quizeram annunciar pelo jornal a existencia de seu estabe-
I .vi meato ; porm, como faz-se necessaria a noticia aos senhores de engenho e agricul-
1 os,que rnanrlam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os
proprietarios o fazem agora.
Aproveitam a occasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estableci-
LiMiio se adiar sempre completo de um variado strtimento de molhados. seceos eou-
uos objeetos pertencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus presos sero menos 5 por cento do que em oulraqualquer parte, e para
este fim chaim-se a.attencSo de todos em geral.
Os pesos e medidas, c qualqner engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
en favor do consumidor, em qualquer occasio que reclamar.
Os proprietarios deste novo eslabelocimento esperam dos seus freguezes, e do
publico em eral toda a protectjo, prometiendo os proprietarios da Flor dos Progf'S-
*is tirar to smente nm_ lucro razoavel do laborioso trabaluo, com que possam dar
-.umprimento a esta ardua misso.
Adiando desnecessaria a publicapo dos precos minuciosamente explicados de
seas gneros, com o que geralmente todos fogem, pelo motivo nao somentede srenfa-
dmho, cimo tumoem pormda valer, os proprietarios tmsmenteem vista entreter es
seos coas naid >res com gneros novos, e precos mais razoaveis do qne em outra qoal-
qaer parte, pois ser5o as garantas para a nrntpccgo ao Novo Armazem de Molhados!
FLOR BOM PROCREVIOS,
Laboratorio enologico e cliimico de F. P. Lebeuf e 0.
, rua Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteull, prs Par (Franca).
B0MF1C4(L\0 E FAB.iIC.4CiO
Dos vihos, agoardentcs e licores.

NEM COROAS NEM MITRAS
VIN'HOS.Imitarlo dos viahos de todas as
qualidades, Extraelo de Medsc, dose para 230
litros, 1 f. 23,de Bordea!, 2 f., de Poraard, 3
f.,de Lisboa, 2 f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 41.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vjnhos cima e lodos os outres. A dose para
500 litros, SO f.
CLACIFICACOPos Ingleies, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, ele. A libra para 500
litros. S-f.
COLORACO.Purpirigine para colorear os
viahos brancos e vinlios claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
AGUARDEXTES.Essencla de cognac para dar
as agurdenles urdinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH EAUsIMTHO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se lodos os
licores conbecidos sem fogo nom alambique, (in-
dicar-se os que se deseia.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores Anos ou
communs a dose para 20 ou 25 litros, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos,agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chiraica.
GRAIOE IRMAZEM
NA
RUA 1IO IMPERADOR \. 40
Jauto ao sebrado em que mora oSr. Os borne,
Duartc Al incida A C, receberan de saa proprla encctcca-
da o mais lindo e variado sortimento de molbadoa, ptcftloa
da presente estacSo.
Manteiga ingleza
i "">*'* jiiit>L.iL.iua ue lauoraiono e ae cimnic.i.
Atguns de nossos agentes tendo falsifica do e imitado nossas proparacoes, o engaado nossos
freguezes, deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Pars,
0 modo de usar-so das preparafes aeha-se indicado no rotulo.
As encjnmMidas devam ser acoTipanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer oulra cida-l'
de de Franca, ou garantid|s por urna cna conhoci la. Dirigir-se aos Srs. Lebeuf j -C. chiraicos,' rua \
Monlm>rire,o,dl, em Parts, oaa su- fa!)ric em Argeoteml, prs Paris.
\ende-se na botica franceza, rua do Imperador n. 38. ^|
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRfilCO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HUDICO. PRTEIRO E OPERAPOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fuudao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
floras da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
Po mesmo consaltorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12)5000
de 24 tubosgrandes. 18)5000
de 36 tubosgrandes. 24)5000
de 48 tubosgrandes. 30|000
de 60 tubos grandes. 33i5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
i 0)lir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1|5"00.
Sende para cima de 12, custaro .s precos estahelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
{13
LITROS.
i
A miior obra da liomeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dons grandes volumes com diccionario........... 20500C
Me Jicina domestica do Dr. Hering, ... .....,,. 10^000
Repertorio do Dr. Mello Moraes...........' .' 65000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 3000
O remedios deste estabeleciraent sSd por demais conbecidos e dispensam portan-
so de sereno novamente reeommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro macar deleite, notaveis elasua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a. mais exacta e aecuradapreparaco, e portento a maior ener-
ga j certeza em seas effeitos.
Casa de saide pira escravos.
Recebe-sejscravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciantejulga-se suficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo coneeito se nao
pode duvidar, que pdem ser consaltados por aquelles que desejarem mandar seus
ioentes. .
Paga-se2(5000 por dia durante 60 dias e d'ahi emdiante 1)5500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nSe se quizerem sujeiter aos precos
zoeveis-juecotuma pedir o annunciante.
fxmk m cHiPos de sol
\ i I !l 11 \va coi ni a a da Camboa d Carino c rua do
Cabag n. 8.
A hr;to?h d)53e cstib3letn;nto o miis import;into que existe neste per.ero
as provincias do norte do impjrio, queren 1) que o publico desta provincia goze das
vanlagens que proporciona a fabricado em grande escala e directa relajo com as mais
importantes fabrcasela Europa, faz scicnte ojae resolveu-se a vender ainda'mais barato
do que do cjstume cmo demonstra a segunte tabe'la :
Descont em duzia.
20 'n
10
%
lo
0'.
15
Chapeos de sol de panno a 2-5000........
* armacao de baleia a 2&J0O .
de seda arm?c3o de ac inglez de 20 pollegadas
45, de 24 55, de 26 55500 e de 28 65 '. .
Chapeos de sol inglezes a baio 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pnllegadas 85, de 26 95. e de 28 105.
dem idera aballo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 115, de-26 125, e de 28 135......
Alm de muitas outras cualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrim de lnho, etc., etc. ha tambera de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os qnaes sao tao vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e' ar-
mas de caga, os quaes vendem-se igualmente em porco e a retalbo, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
Ihar pelo prego que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de nma duzia ser5o considerados como
a retalbo.
da safra nova vinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Mantelga franceza
pi *fra nova a 60e rs. alibra, e em barril
tisrogsra v"
Amejaoas
oimfeitadas de lindissimas cores a 800 rs.
libra.
AraeTfl<5
em frascos de vidrocom 3 libras liquido a
25400, muito propios para mimes,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 15300.
Chocolates
detodasasqualidadesal5O00 a libra.
Presuntos inglezes
dosmelhoresfabricantes a 800rs., tambem
teans velaos para 500 rs.
Queijos flamencos
chegados neste ultimo vapor a 2j6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um.
Queijo
londrinoo mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas malezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o.fraseo.
Figos
em libras ecaixinhas ricamente dourads
proprias para mimos a 900 e!520o!
OM uxim
o melhor que se pode desejar, queoutro
qualquer nao pode venderpor menos de
i
HJal qual dad. a _;.i o rs, a ,j,ra>
dem hvssoD
Mis aromtico que"pm vindo an r
^las .
para sopa,'macarrao, talharim e alpfrin
480 rs. abra. ,eina a
coc;\*r
omuito afamado cognacPalBrandr a i g00
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
almaco, greve, peso e de ootras muitas qua-
idades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me
mor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPFI
azul e pardo para embrulho de l.ioo a 2,2oo
rs. a resma.
Corintiiias
dcjar,
a 4(t rs.a
bra.
Maeas brancas
para sopa a melhor qne se pede
macarrao, talharim e aleiria
libra e 45500 a caixa..
Vinho
Figueira J A A e outras muitas mzrcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
ldeu de Lisbta
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, t
25800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porlo a 15 e 12C0
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, i.< ar
cas s5o as seguintes: Chamisso Filbe,
F. A M., Nctar ou vinho dos Denzes,
lagrimas do Douro e outros muitof.
Latas
com 10 libras de banha a 450CO.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica da mesma que
vendem a 25800 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* .a
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as ir ai
cas de 45500 a 65500 a duzia.
CjjARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
afoZk SOrle doRio de Janeiro a &M
e 85800 a arreba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 Vj garrafas com vinagre a 15000ti
ogarrafao.
, GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 1M000
a caixa.
dem
em frasqueiras de Holianda a 55800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Holianda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a roza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo acixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmeada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo r. a
libra.
Pregunto
abader prezunl de LameS a 52
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a Me rs.
libra e em caixa ter abalimeto
^S^'11?^ muito novas proprias para do k VELAS aDal,IDeDl0-
podim a 8oo rs. a libra. F V de carnauba em caixas de arreba a S 3on B
j caixa e 34o rs. a libra. '
Batatas oras
a 5 dC 2arrobas a H caiia e 60 n
Passas BDito novas
a. nura.
Fumo
Vinagre
PadTumTrelaSde9canadasal5'^rs.
Cebollas
as mais novasdo mercadoa 7,ooo rs a caia
eI,ooors.omolhoM
Alpiste
o
hdiftQO
Chales de renda preta e bournus deguip preto%^
A" leja da roa do Crespo n. 17, ^
DE feW$)
JONE ^IMIFS TILLAR
Vende a |8| 20*. 305, 40*. 50* a 60*. capas e casacSes de gros
I e chapelinas de palhae oulras muitas fazendas proprias para a quaresma
i Jos Gomes Villar pretondendo ir a Europa tratar de sua saude espera que
i deveiores taoto do malo como deu pra$a saldem seus dbitos qaanto antes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran
do de um paneiro para cima se far abatimenlo na rua do Imperador n. 40
CHEGiRMI OS MODERNOS CHILES W
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo uliimovapor francez, .
loja das columnas rua do Crespn. 13, de An'onio Corroa de Vasconcel-
os Si C.
o mais novo do mercado a 1 lra a libra
e 45400 a arroba. dl*>*s. a iiDra,
CEBLAS
mmadnona7a RS?!**-***
gotcamorQn.9Gmperad0rn-40ela'--
GR.\0 DE BICO
mu.to novo a 35400a arroba e 140 rs a li
muito fresco a 800 rs a ihr,
a caixa e400rs.a libra,
"_ Chocolate
. GOMMA MUITO NOVA
maiinn V,bra na rDa O Cce-
rcVrm;'n.7'0lmperadorD-40e1^
_ BOLACHINHAS
em Ia^s de defferentes qualidades a 12C0
*v0eCddocnLT9dO'nr"'',C"-
aos seut
r"e~^ -os.
fpularamos mesmosprecos nosJSSJ.Sa:faC,I,tara ^^idade de todos
VeracVrP-,,eipal PBi d# !E!?*r..
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes 45500: na raa do ^^ ^
40
DE
DE
J. VICNES.
Ua 'SSS^JS^^^SmSS^i lefc ta** sobre .
reis que elles tei deflnTimgrcSZsUdK T, nCOn,est-
,uindo nm teclado e machinismo rKli ?dos 0S que iem aPPar^ldo *<** Pr*C odo-
nunca alhar Dor wn.mhS- j oDedecem a todas as voatades e caprichos das p anistas m-
Sm^^ini^^^^J'0^^ e-teMe feito ltimamente melhoramenios SpiS-
veis aos S"doX^prSaTreV0 ** V0MB meIodi08*s e flDtadas' e P sto m<* SS3S-
Fazem-se conforme "as encommeadas, tanto nesta fabrica como nado Sr Rkin^i d. d.w. __
.ih^L ,^'St^ef,,nento ? ** sempre nm eiplaadido e variado sortimento Ksms ,Ift
JSSZSSSSS:^ """ h^-eVnos harmonio ^TtoafSc^

C




\
1
larl* de PernaukHe* Ter^a felfa tlk ate*, de 1SG5
-


^
/
Atten$lo.
FazcidiispreUs para a quaresma por
par baratissimo preg, na leja e ar-
fflazem da Arara, roa da Imperairiz
n. 56.
Lottrenfo Pereirm Mendes Guimares.
O propnaiarij ueste estabeleci meato retirarse
para a Europa a tratar de sua saude, puriu aules
de retirar-se preieude fater uina liquidago de ba-
baratssimo prego para fechar conlas ; agora fre-
guezes vende-se grosdenaples preto muito bom
para vestidos, a 15600, 25 e 25o00, dito de 5 pal-
mos de largo, a 3 : na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Meurantique preto a 3#.
Vende-se meuranlique preto. para vestido a 35 o
covado, grosdenaple muito largo e encorpado a Ji,
1*3300, 25 e i800 o covado, lpaea prel para
vestidos e palitos a 500,600, 700 o 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, caigas e palitos a
610 e 800 rs. o {ovado, la preta para vestidos a
610 rs, bombazioa preta para vestidos a 13180 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara d. 56.
Ricos vestidos a Mana Piaa ll>).
Vendeo se ricos vestidos a Mara Pa a 105,
125, 145,163 : ra da Imperatriz loja da Arara
d. 56.
Arara vende pecas de panninho a 5$ e de
madapol3o a 45.
Vendem-se pecas de pauninho muito lino de 13
jardas a '>$, veadem-se pecas de madapolo infes-
tado a 43 e 43500, vendem-se pecas de madapolo
de 24 jardas bom a 63, 73, 73500, 83, 93, 103 e
123, veadem-se pegas de algodosinho a 53, 63,
73, e 83 : ra da Imperatriz n. 55.
Arara vende os bales a 20500.
Vendem-se baldes de arcos de todos os lmannos
a 235OO, 33, 335OO e43: ra da Imperatriz
n.56.
Lazinhas da Arara a 320rs. o covado.
Vendem-se lazintias para vestidos de senboras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as edres a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
linas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 2i0 rs. o covado.
Veadem-se chitas de cores fixas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas nas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos 3,500 e 560 rs. o cova -
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidaco de soutambaques e lazinhas a
U, 80 e 10.
Vendem-se soutambaques de lazinhas para se-
nimias a 73, 83, dita de alpaca branca a 103, ditas
muito Unas de grosdenaple preto a 203, 253 e 303,
capas pretas de grosdenaple lino a 205,253 o 303,
manteletes pretes de grosdenaple a 203 e 223, go-
linlias para senliora a 240, 320 e 500 rs., maagui-
Us ora gola a 13. camiziuhas para seuhora, 23,
e 33, ditas muito linas bordadas a 43500 : na loja
do barateiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 5*.
Cortes de ditas fioas a 20400.
Veadem-se cortes de ditas com 10 covados por
23400, d'tjs de dita franceza a 35200, corles de
cassa franceza Una com 11 covados, por 35, ven-
dem se pegas de cambraia branca lisa a 33500,
43>00, 33'iOO, 65 o 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Liquidaco de roupas feitas palitos a 20.
Vendem-so palitos de bnm de cor a 25, 253'. 0 e
33, jaijuetoes de brim pardo a 35 e 35300, palitos | de Gama & Silva",
de casimira bera feito a 55, 65, 75, 85 e 105, di-
tos do paano preto bom a 85 e 05, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 125,
145,165 e 205, caiga de bnm deci a 25 e 23300,
ditas brancas de linlio a 35300 e 45, ditas de ca-
simira de cor 45,65 e 85, pretas a 55, 65 e 85,
colletes da casimira de cor e preto, de brim de cor
a 13300, braocos a 25 e -205.0, ceroulas feitas a
152S0, dius linas 1 15600 e 25, camisas trance-
zas a 25 e 25300, ditas inglezas de pregas largas a
35, de liiilio a 35 e 35500, colerinhos econmicos
a 640 rs. a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz loja da Ama n. 56.
Arara vende as cobertas a 2$.
Vendem-se cobertas de chita linas a 25 e 25500,
ditas de damasco a 4.3 ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e ven le cortes de casimira
preta a 3#.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
33, 33300, 45500, 63 o 85, ditos de cor a 35,
43300 e 6} : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 2#.
Vende se panno preto para caiga e palito a 25,
35, 2$300, 45, 453OO e 65 o covado, casimira pre-
ta Una a 25,25500 e 35o covado e outras murtas
fazeuda.s para liquidar : na loja e aromen) do
Arara, ra da Imperatriz n. 56.
AO PUBLICO
Sjcm o menor cons ran-
glmeato se entregar o
Importe do genero qne
5o agradar.
Faztndat pretas para a qua-
resma.
Na loja do PavSo.
Acha-se este esiabeieciraenlocomplelamente sor-
tido de fazendas pretas proprias para a quaresma,
a saber :
Grosdenaples jireto largo e muiiissimo encorpa-
do, ouiros inais estrenos tendo dos precos de
15280,1*600,13800, 23, 25400 e 35, superior
moreaalque preto a 35, superior sarja preta he>-
panbola, superior setiui preto raaco, ricas capas
pretas bordadas, soulembarques muito bem eufei-
ladas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, tudo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavo.
Acha-se neste eslabelecimeuto um grande sorti-
raenio de roupas feitas para homem como sejam :
superiores palelots sobrecasacos de panno preto
rnuito fino e forrados de seda a 223, 255 e 305,
ditos forados de alpaca a 1*3, 165 e 205, supe-
riores paletots de casemira Unto saceos como so:
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim do todas as qualidade?, coTletes
de casemira pretos e de cores, velludos, setias
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres nacionaes, manda-se fazer qual
quer obra por medida : na loja do Pavao ra da
Imperatriz n.60, de Gama & Silva
Chitas em cortes cota 10, 11 e 12 covades
Na loja do Pavo vende se urna grande porgoI ....
de cortes de chitas.'ncezas sendo claras e escu- pUnleiga ngleza especialmente escclliida
ATTENpAO
Os presos da segulnte
tabella para todos, po-
de ndo asslm servir de ba-
se para o ajaste de coalas
com os portadores.
PASTILHS
^mn
MAZEM UN
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Conctele)
PARA BEM DE TODOS.
Senhores e senhoras, o aceiq que presidio aos arranjos daste novo estabefecimento, e mais que tudo a namiili.llii *> mim
aO tiataflflS. r.finvida a lima visita sn tnoemr eartne Aa nn* nnrn. AIA~ mn A-x~ -_..!. r T""'

NOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAV
LIS
ras todas de crosfl as com 10 covados a 3320\
com II covados a 35600 e cora 12 covados a 45,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Grande liquidaco.
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
do Pavao de Gama & Sirva.
Acha-se este estabelecimentocompletameate sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias Unto para a praga como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parle, principalmente sondo em
porgo, e de todas as fazendas do-se amastras,
donando flcar penhor, ou raandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
Camismitas a l<{.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeiladas, proprias para senboras a
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
ama : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.60,
pe Gama & S:lva.
Cortes de cassa a 3$.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados
pelo baratissime prego de 35r(0 o corte : s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama
Silva.
Cambrjias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapadae transparente, pelo baratissimo orego de
45 tendo 81|2 varas oada pega, ditas mnito finas
a 75, 85 e 95 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 73, 93 e 10, ditas
Garrazes fazenda mu to mcorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 23600 a pe-
ga : isto na loja do Pavao ra da Impoaatriz n 60,
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupa feita nacional
Ra da Imperatriz ni. 72
Pechincha
Cortes de ebltaa S400
Vende-se cortes de chita cora 10 covados a
2)400 a 3.320o, ditos de cassa a 35. ditos de lazi-
nhas para vestido a 35600 e 45, ditos finos de bar-
ras a Mna Pia a 123, H5 e 16), ricos souteam-
barques de lazinha um fantasa a 85- 75 e 105,
ditos de grosdenaple pretos linos a 205, 225 e 255,
capas pretas de grosdenaple a 205, 235, e 255,
na ra da Imperatriz n. 72.
fazendas pre!as*para a quaresma.
Vende-se grosdenaple preto fino a 15600, 25, e
25550 o covado, panno fino para caigas e paletots
a 23,35, 35500, 15500 e 55 o covado, casimira
lir.'io lina a 25, 25500, e 35, alpaca preu para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para caigas e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Lazinhas a 320 e 360 rs. o covado.
Vonile-se lazinhas para vestidos a 360, 400,
500, c 560 o covado. ohius finas para vestidos a
240 o 280 o covado, ditas francezas linas 320,
360 e 400 rs. o covado, capas francezas Unas a
320, 360 e 400 rs. o covado:
Roupa feita.
Vende-se paletots de cor e preto a 55, 65, 85 e
105, caigas pretas de casimira a 55, 65 e 85, cor-
tes de colletes e paletots de brim a 25, 25500 e
3 : na ra da Imperatriz o. 72.
Madapolo enfestado a 40.
Vende se pegas de madapola eufestado a 45,
dito em panninho a 55, pegas de madapolo de 24
jarlas bom a 85.75 e 105, ditas de algodo a 55,
65, 7 e 85, cortes de calcas de nrim a 13600 e
25, ditos de casimira prela a 35, 35500 43 e 55 :
na ra da Imperatriz n. 72.
BENZINA
Xva esseucia para tirar nodoas sem ata-
car os lectdos era alterar as cores
Mancha algurna produzida por gorduras,
cera, ote, resiste a este famoso dis-
solvente, que pode sem receio appll-
car-se sobre vestidos de seda, lia,
tapegarias, panos de buhar etc.
Restaura perfeitameate as lavas de peli-
ca usadas.
cada fraseo l#ooo.
Um uipresso que acompanha cada fras-
co ensina a raaneira de usar-se, assim
como indica outras muitas applicagdes
que esta nova essencia pode ter as
artes.
PHARMACIA RIBEIRO
BM PF.RSAMBUCO
22 Pra;a da Boa-Vista22'
s
Gsse
barricascom gesso : nosarmaxens de Tasso Ir-
maos.
Vacca
Na Piranga, defronte ao sitio do St. Millet, ven-
de-se nma vacca mnito boa lettaira cw eriai
. Potassa da Rnssla.
Acaba de chegar a mais nova e verdadelra po-
tassa da Russia, e vende-se a prego commdo: no
escriptorlo de Manoel Ignaeio de Oliveira &Filno,
largo do Corpo Sanio d. 19.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincha a 35500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaco de tarlatana cora muitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 35500cada um,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 75, na loja
do Pavo, ra da Imperairiz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a Id c a 7$
Na loja do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Mara Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 45 e 75, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porgo, n.i loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os enfeiles do Pavo.
Vendem-se os mais modernos enfeites para cabega
de senhora : na loja o Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas da Pava.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por luver graude porgo : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
is lazinhas transpareotes a 400 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de lisias miudinhas
a imitago das sedinhas, pelo baralo prego de 400
rs. o covado; ditas entestadas de urna s cor e
di'as de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de criangas : na luja do Pavo ra da Impera-
triz n 60. de Gama & Silva.
Ricos souUnibaruues do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
Umbarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
205,225, 253, 305- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito era conta: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezasa 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para caigas, colletes, paletots, roupas para
criangas : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
Aos vate mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo cora lislras e quadrinhos mindinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; dilas transparentes com palrainhas
de soda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo baralo prego de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porco : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mara pia,
Grande pecbincba a 105000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de lia Maria
Pia cora as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, icndo
todos cora as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 105 o cor-
le, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 covados cada um a 105, ditos de cambraia
com barras bordadas acrox no ultimo gosto, pc-
lo"barato prego de 65 : na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de'liuho a 3GO rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de ludio
propria para vestidos e roupas para criangas, cora
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato prego de 369 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem-se as mais linas lazinhas de tima s
cor, tendo grande sortimento : na Iqja do Pavo
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silya.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeom asseatos de cores, sen-
do oeste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercido, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largara 5
estes modernisslmos chales nao s sao proprios
paca passeio por fazerem urna elegante visia sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a Ho
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha liysson de "superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson mnito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e.2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desojar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o r3. libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem paca vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespnhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacele superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixacGio e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs.. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo e ll.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 2io rs. a li-
bra e 7,ooo rs. a arroba.
Arroz do MaranhSo de Ia- qualidade a loo
rs. a libra e2,8o a arroba.
reza com que serao tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a pruteccao e preferencia" nV.'nm-! toditamente mais efficazes do que lodos
i?* .8-gAe?-ert? qUC Pre? Sarem' e qaand0 ^ po,8Sam Pderao mandar scus Portadores, ainda que estes sejam pouco orticos os mais medios perigosos e Mtttcafcundos
P^??.]^ havendo para com estes toda recommondaiao, afim de ^enao^oera 3ue exislem Para a pulsao das ka.bi isas.
ie- **> causam dores e produzcm seu elkito
sem precisar logo depois de purgante re-
nhum e tao incilsntes em apparuxia e deli-
ciosas em gosto, que ;s erfsncffl estSo
proniptas a tomar mais do qut marca a re-
ceila.
Uteis como um cxcelkme meio de faicr
remover as obslrurces do vcnlre, iixiio
no caso de nao existirem verme alpuo as
PAST1LHAS VKRMIITCAS DE BF1IPS?I0 pi(J)I-
as e infelHveisnasnarpeaoao e 101 lodos
os respeitos dignas de cu^arca e appseva-
co de todos os paes de famiii; s. Pre] a-
radas nicamente ptr Lanman & ,
Nova York.
Vendem-se no Recife em csa de Caors
Barbosa e Joao da C. Bravo & C.
Aletria, macarrSo e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorlas de 9 canadas a
35,ooo rs,
Vinb^em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32b, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em catxas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina, a 16,ooo, I5,ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e I,5oors. agarrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolacoiliaa de soda em latas de diversas
qualidades a i ,3oofs.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brilo no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por 2,5oo rs.
Ameixas francezas era fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamar.hos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4o?, l,6oo, i,8ooe2,ooo
i'aiJa urna.
Azeite doce refinado hespnhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 000 fs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 5Go e 64o
a garrafa, e 5,8oo, G,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Gevaditiha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades :
Exposic5o Normal de Ha vana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norle, Ma-
nilbas de Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
v
,!
1U

Vende-se a casa de molhados na rna da Impe>a-
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com ES* ZttJS!SESffA
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores, fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
.r0 4oo rs. o frasco.
Paincoe alpisla a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. | sopa> a 2oo rs. a libra.
Massa de tmales de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e 56o rs. a reta- j l a garrafa e 11,00o* a duzia.
ln0- Palitos de dente
a 1 o rs. o maco.
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamauhos, muilo proprias para
mimo, a I,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a *elalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes c peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a i,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
familia, efaz-se todo o negocio : a tratar na mesn.*.
ESCB1Y0S FGIDOS.
Fugio no dia 14 do c rnnlc mei, as 3 boras fia
tarde, o preto Joao, crioulc, idade 30 annos, pr-oeo
mais on menos, estatura baixa, um lano fuloe
barrigudo, provtnimle de refra idade deqceja-
dece ; esle escravo fui da familia do Sr. Car.iiJ,
foi vendido para o sol, e depois vcio vendido j.-.i
esla cidade, tem cilicio de pedreiro, e por so l-
de ser qne ande trabalhando em alpum tbr*
qoem o pegar leve-o a rna da ConcoiSia n. 8, uf
se gratificar rem genero.'idade.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques ue cores, sendo os mais bera
enfeltados que tem vindo a este mercado, com
adornos de vedado, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento que os fregnezes
podem dar o verdadeiro apreco a esta- fazenda,
vende-se por dlfferentes precos conforme a quali-
dade : na loja do Pavao de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
"'' mi 1 .....
Bixas hamfonrgaezas.
Vende-so na ra Nova n. 61.
RIVAL
Sem. segundo,
Ra do Queimado, n. 49 e 58. E' para admirar.
Carrelis de linna com 150 jardas...... 60
itos cem 300 jardas de Alexandre de
12a60.............................. 12o
Dito dito de 60 a 200.................. too
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das ................................. 80
IdHi idem brancos e de cores de 100
jard.s............................... 3o
Livros para assenlo de roupa lavada... 100
Gordo branco para espartilbo (wra) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de bteles de punho todes de edres 150
Tinteiros de barro com tinta___....... 100
Tesouras para costuras finase onhas 400
Ditas para costuras com toque d'avaria 200
Escovas para lirapar dentes muito finas
160,200e.............................. 320
Gaixascom 100 euvelopes das melhores
qualidades........................... 640
Dilas com 20 cadernos, rapel pautado e
u...,............................... 600
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
Iho)................,............. 20
Meiadas de linha frouxa para bordar... 20
Pares de sapatos de tranga........ 1JWW
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............ 30
Frascos de macaba perola muito snerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 500
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
muilo fina....................... 400
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............J........... 900
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade.................. 240
Pares de ligas para senhora as melho-
res .............................. 320
Pegas de bicos francezes e rendas..... 320
Frascos de agua dentifrice muito supe-
rlor.............................. 800
Caixas com 4 papis de agulbas a balo
e, Victoria........................ 200
Libras de la sendo de lodas as cores... 6000
Bonecos vestidos e tambem de choro^. 160
Calxas com superiores obreias........ 40
Ditas de linha de gaz com 50 novellos.. 800
Enfiadeiras de fita para espartilhos..... 60
Carrelis de linha de cores com 100 Jar-
das ............................. 20
Pecas de cordao imperial............ 40
Vende-se a casa de molhados na ra da Im
peratrii a. 34, por seu dono ter de retirar se para
tratar de sua saude, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na raesma cima.
BOTICA E DROGARA
Bartholomeu Francisco de Souza .
34Ra larga do Rosario34
Vendem:
Pilulusllolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pillas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinhode Salsaparrila deCh Albert.1
lnjecc,ao Feaugas.
Agua dentificade Desirabode.
Papelchiraico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aroraaticode Raspad.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL'Affecteur.
-Varope do Bosque.
Ungento Holloway._________________
Per hincha na o va loj a de fazendas
roupa feita nacional, ra da Impe-
ratriz n 72.
Pechincha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado; ditas francezas largas a 300, 320, 360,100
e 440 rs. o covado : pegas de madapolo fino a 64,
7,5, 8J, 9$ e 10*; pecas.-de algodo a 5j>, 6, 7j
e 8$ : ra da Imperalriz n. 72. "
Roopa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 5J, 6*, 84 e 105, ditos sobrecazacos a 12J, 149
e 16. Palitos de brim de cor a 2*500, 3 e 3*500
rs., caigas de cazemira preta a 69, 7# e 89, ditas
de cazemira de cor a $$, 6* 7, e 8* ; coletes de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 15500,
e 25500 rs.,; caigas de brim d cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 73.
Soulambarque de cores a-7(5!, 8& e 10$.
Vendem-se soulambarque de lia e seda para se-
nhoras a 7J*, 85 e 105 ; ditos de grosdenaple pre-
to a 200 e 255 ; capas pretas a 20 e 255 ; vesti-
dos de la a Maria Pa a 125, 14j> e 165 : ra da
Imperatriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a 3$.
Vendem-se cortes de cazemira preta para calca
"a 35, 35300, 55 65 e 65, ditos de cazemira do
cor a 35,45,59, e 75, ditos de brim de cores a
15600, e 25, ditos de chitas finas a 25*08 e 35200,
ditos de cassas franceza a 35 : rna da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
BIVAL
SEM SEGUNDO
Na rna do Queimado n. 49 e 55 lojas de miude-
zas de Joi & Azevcdo Maia e Silva continua a
vender tudo por pregos mais barato do que em
outra qnalquer parte, qoem qnizer ver o qne ba
bom e baralo venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............ 200
Frascos de vidro com superior banha.. 240
Pares de luvas de seda muito linas___ 320
Enfeites do melhor gosto qne tem vindo. 25500
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 15280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 300
Volta para pescooo do melhor gosto.... 500
Baralbos para vollarete, finas a 200 e.. 240
i Varas de franja branca de linha que
j tem muita serventa................. 060
I Duzia de pennas d'ago muito superiores 060
; Frascos de oleo Bboza muilo finos..... 200
i Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................ 240
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................. 200
Duzia de coiheres de metal muito finas
para sopa........................... 25400
Duzia de coiheres de metal muito finas
para cha........................ ijsoo
Grosas de botoes de osso para caiga... 200
Grosas de botSes madreperula para ca-
_ raiia............................... 500
Grosas de botoes de louca prateados
muito finos...................... 200
Varas de babado do Porto sonido..... 060
Duzias de lapes diferentes qualidade a
*4P............................ 400
Quadernos de papel de peso muito ftoo. 030
Resina do mesmo papel............. 25000
Ayiso
aos capites de campo e a polica.
Desappareceu em pjincipio do n. do anno passade, de bordo do palhatale raticia!
Ai mijo Malo, dous escraves de nones Re Itrio
(por apellido Macei), e Miguel ; r 1 de idade 4S
annos, pouco mais ou menos, enrulo, eor fula,
estatura baixa, barba serrada, un poueo lorio das
pernas, e com alguns cabellos blancos, Uni na
barba como na cabega ; o 2o alio, cheio do rene.,
sem barba e falla grossa, representa ler de 25 .
30 annos, cujos escravos desconlia--e andan pe-
los arrabaldes desta cidade : qoem os aprehen-
der queiram levar a ra.do Irai.icl.e n. que
ser generosamente gratificado.
Aos capites de ravjte.
BFugio no dia 27 de fevereiro detie son, de ca-
sa de seu serihor o escravo Scbasiiao, ercelo, ir-
lo, com idade de 22 a 24 anno?, foi esrravc do
senhor doengenhoQuandus da renarra de Santa
Anto, d'onde lina vindo para e.-ia ridade a 8
dias, de presumir que seguisse para Taquaiiun-
ga aonde tem mi e rmios, leven ralf e csihija
branca bastante suja, aluna regular, ratello 1 es-
covinha, cabega pequera e redoi.da,'testa gianrie o
bem canluda, olhos pretos e replales, nariz cha-
lo, bocea regular, beigos regulares, rale ledes e
limado?, nenhuma barba.apetias nm 1 (queo ligt-
de, corpo bem limpo, fes regulares e punco lar-
gos : roga-se portanio aos Srs. capiaes de can.po
a apprenensao do mesmo a entrgalo ra do
Imperador n. 83, segundo andar, dtfrocie do coi-
reio, que se gratificar rom 505.
Negro fugado.
Esl fugido desde o dia 27 de fevereiro dc?te
anno o preto Joaquim, de nage. Angula, qne foi
escravo do Sr. capito Francisco Joaquim Caval-
eanti Galvo, morador cm Mara Farinha (Praia),
o qual vendeu-o nesta cidade em dezeir.bro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques cera
arraazem de assucar ra de Afollo ; leven ca-
misa e caiga de al?odo branco, representa ler de
45 a 50 annos de idade, alio e de prosura regu-
lar, cor fula, cabega comprlda, quiixos largos,
olhos amortecidos, beigos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeituoso, bstanle barba, port'm
raspada, finalmente temnma grande costura entre
ospeitos proveniente deqneimadura, e supre-se
terse dirigido para o norte, d'onde veio : pratrfj-
ca-sea quera o apprehender ou denunciar o coito
em que estiver : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 52.
Vende-se nm sitio com casa de morada, ter-
reno proprio, j com alguns arvoredos e boa ca-
cimba para agaa, oa povoagao do Cacbang, sitio
aonde tem a padarfa : a tratar na raa da Impera-
triz, taberna n. 42.
Na rna da Madre de Dos n. 9 vende-se feijo
mulatinho, dito branco, e dito preto, mis barato
do qne em ootra qualquer parte, approveitem a
peehincha que a quaresma bate porta.
Duzia de facca e gario muito boas....
Sabonete de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bous............................
Ditos para sof.........i......!'.!!..'
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................
Creio para dezeobo de todas as qua-
lidades...........................
Cartas de alflnetes francezes muito su-
periores..........................
Caixas de corchetes francezes a 40 ris
Dna............................
Carreteis de retros cora quatro oilavas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade..................
25400
040
508
25000
|100
500
020
100
360
800
2O0
Fugio no dia 14 do corrente da ra da Cruz
n. 8, terceiro andar, a escrava Benedicta, com os
signaes segrales : cor fula, tem falta de denles
na frente, levou vestido escuro de palminhas bran-
cas, chale encarnado, bem conbecida por ter si-
do escrava do Sr. Salustiano Cantalista : recm-
mendase as autoridades policiaes e capital s de
campo que a peguero e levem-na a casa cima, ou
a ra da Senzala Velba n. 94, que serao gratifi-
cados.
Frigio no dia 18 de marco prximo
passado, um cabra de nome Mattias, do
engenho Pontal termo de Serinbem, jul-
ga-se elle andar para as bandas de ro lo
Calvo, a titulo de ferro, com os signaes se-
guintes: cor cabra, corpe grosso, cabelles
carapiRhados, com bigode e pequera barba
no queixo, tem urna das pernas ma s grj-
sa que a outra motivado de ma-ferida creio,
que ainda conserva, tem um dedo do p por
cima do outro encostado ao dedo grande e
tem falta de um dente Da frente no queixo
de cima, carreiro e trabalha de sapateiro :
quem o pegar 00 del le dr noticia certa ie-
r leodejiratificacao no mesmo engeibo
Pontal ou ero casa do Sr. Manoel Alvfe Fer-
reira. nesta praca, assim como o dito es-
cravo mudou o nome de Mathias para o de
Joaquim Antonio,
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gat da melhor qualidaide a
I0 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.l 6 e ra do Trapiche Nevn. 8. i cempanha.
100S
Quem apprehender elevar no palacete do Vis-
conde da Boa-Vista, raa da Aurora, ou no engento
Trapiche do Cabo, a escrava Joaquina, fula, alta,
falta de denles na frente, multo ronberida nesia
cidade, anda as vezes de timo ou sai de b*lae,-e
se diz que est em companhia de um pardo do
neme Jacob, que mora em Itamarac, recebera a
g/aiificacao aeima de 1005* Esta escrava est fa-
glda desde setembro do anno prximo passado,
desde j se protesta contra quem a tiver em im
*s'







-, .11 i I I
Diarlo e reraanabneo Verea fe
^t
de Hirco de 185.
cendencia de um processo crime ; os bons
principios d.-direito-exigem urna le, mui
medilada p lo corpo legislativo e competen-
temente sanccionada, pela" qual seja firmada
a qoem me re- a ordena do processo ;
4. Finalmente, que a ordem do proces-
que, para
nao s por sentenga do poder judicial como quena em proporces, quanto de grande em
por acto das assemblas provinciales; estn- merecimento.
do, portanto, em peior condigo que quaes- E' pena que Mello, Macarel e Silvestre
Processo dos magestrados pe as quer outros funccionarios pblicos I Pinheiro nao fossem objecto de estudo e
assemblas provinciaes. ^ .^ ^ ^.^ ^ considerac5o de considerares do autor
Esta epigraphe enoerra urna questo mo- q ^ quan(j0 as assemblas se convertem em firo- *
mentosa, e offerece vasto campo as maislar- tribunaes de justiga, os seus poderes sao' Restando o fio das ideas, quebrado pela so deveser establecida m le
gas considerares na esphera do nosso di- coarclados, nao os podem exereer seno em digresso, cabe notar que da combinado das' ser fixa, cumpre seja decretada pelo corpo
reito publico. virtude de lei, ecomo executores (!ell i sem faculdades concedidas ao poder moderador legislativo, declarando-se a de 12 de maio
Desde i promulg;co da lei de 12 de carcter politi o no julgamento que devem e s assemblas .provinciaes, em materia de '840, avista da qual e do art. 12 do
agesto de 1834. em additamento Consti- proferir de accordo com asleis criminaes e'de suspensao de magistrados, v-se que es-jacto addiccional, duvidoso se a assemblea
(uivao
selhos "eraes de verg enca com a autonsaaa opiniao ao sr. aer magestatico, apesar do esplendor que ""
assemblas pro- Fausto A de Aguiar, que as assemblas tm; cercjl 0 ti,rono. Paranagu, 16 de fevereiro de 1
E tanto m is se fortalece esta crenga em
meu espirito, quanto mais reflicto as s -
regada com chumbo de caca), alcancou o Contra incendio
agente na cabeca e no hombros, ferindo-o fixos.
gravemente.
Ento teve principio a mais tocante scena.
Pelas janellas da casa.que estavam abertas,
via-se Pambrun langar tranquilamente fogo"
palaa da cama em que dormia.
De tempos a lempos appareca janella,
*osto de 1834 em additamento Consti- proiem ue aecuruu com asieis cnmiuaei b ae suspensao de magistrados, ve-se que es- ^ mmmuuw, puU..u >~~------
Uco Poltica do Imperio, licou firmado com as do processo anteriormente estabele-' tas tm um poder mais ampie, mais dis- \ provincial ou a geral compete dispor a este
' Vincipio e estabelecida a competencia, cidas ; tanto mais quanto entende, em di-' cricionario e absoluto do que aquello po-.respeito, em le provincial ou no regiment
P V ,,.n(.3n inda mes- a faculdade de legislar antecipadameate so-
vi nc-iaes decretar a suspensao e ainua mes e ...
moa demissodo magistrado contra quena bre a ordem de processo, c.ng.ndo-se ape-
liouver quixa de responsabilidade sendo elle, nissregras estatuidas no -
ouvido, e dando-se-le logar defesa.
c preceito do art. 11
cionai.
7o do art. 11
Tal'do acto addicional earts 5 e 0 da lei de 12
7o do acto addi- de maio de 1840.
E' o raesmSr. Fausto, que me autorisa
Utendendo-se segunda parte do dispos- a assim pensar, quando diz em seu opscu-
lo no art. 13 da citada lei v-se que, naim-, lo recentemente publicado:
posicio de semelhantes pe as, as assemblas Se a lei tivesse o pensamento de deter-
ja'iberam soberanamente, e sem dependen- moar simplesmente que as assemblas de-
ca da sanego dos presidentes das provin-1 verjam procedei- a gemelhanga dos tribunaes
cas ; parecendo certo o direito que lhe as deju>tiga, segando as formulas a que estes
Francisco Ferreiba Correia.
UM POUCQ DETUL'O.
L-se no Correio Mercantil ierca dos
siete de legislaren! sobre a forma de seme-
esto sujeitos, em vez de se exprimir
i::;ntesprocesssos posto que esta opiniaos- procedem como tribunaes de justigateria
ja combatida.
Cumpre aqui advertir que nos termos
explcitos do art. 4o da lei de 12 de maio de
i&iO. nao esto compreh ndidos na pala-
vramagistradoos membrosdas relaces
e'.ribunaes superiores.
Esta declarado foi sem duvida feita para
minorar as consequ ncias, que podem ser
deplorareis, de lo extraordinaria -ttribui-
$5o conferiada s assemblas provinciaes.
Mas por isso mesmo que tal atlribuigose
oitende smente aos magistrados inferiores
qne tem toJo cabimento a pergunta : a
que ficareduzida a independencia desses
magistrados ?
Suspenso, ou demittido, o magistrado de
que recurso lia de Irncar mo ?
Ficar irremissivelmente sujeito todos
os effeitos funestos das penas decr tadas, e
que o tolhem do exercicio de sua> legitimas
funccOes, ou cabera recurso para a relago,
oa para o poder moderador?
A este respeito guarda o acto addicional
o mais profundo silencio.
Ea mesma lei de 12 de maio de 1840,
prescreveudo regras geraes e incomplejas
para a fo> machio e instruego do processo
respectivo, igualmente omissa, e d ixa
grande nnrgem duvidas infinitas, opi-
es esdruxolas, interpretaces vacil-
lantes.
E' materia, portanto, que carece de urna
Y-, reglamentar, que estabelega a uniformi-
ce de procedimento c a verdadeira dou-
l; na a seguir. .
To melindrosa attribuico cutorgada s
assemblas provinciaes, s dtve serexerci-
d i em casos graves e com a maior pruden-
cia e circuinspecSo.
A conslituiQo no art. 154 diz, cora refe-
rencia aos juizes de direito :
t O imperador poder suspende-los por
queixas contra el e$ feitas, precedendo au-
diencia dosmesraos juizes, informaco neces-
saria, e ouvido conselho de estado.
E contina :
Os papis, que ihes sao concernentes
sero remettilos relajo do respective
districto, i ara proceder na forms da lei.
Neste caso o direito de suspensSo conce-
dido ao imperador nao deslroe independen-
ciado loderjudicial, j porque o seu exercicio
depende do concurso de varios requisitos
salutares, j porque a esse exercicio sige-
se a responsabilidade que d lugar justifl-
cagao do magistrado.
Benjamn Constan, que com o seu precio-
so Curso de Poltica Constitucional, contri-
buiu |odere:amentes para aconfecg5o da
contituicao do imperio, fornecendo as llieo-
rias brilhantes sobre que descansa todo o
edificio social, a sombra de livres institui-
Ces, mostra que aquelle direito tem um
fundamento legitimo.
0 fim da suspen o, diz elle, privar o
magistrado de urna auloridade, decuja influ-
encia poderia prevalecer se para conseguir
a impunidade do crime.
Anda com relaco aos juizes de direito
preceita a constituigo no art 155 :
S por sentenga podero estes juizes
perder o lugar.
Mais adiante, no art, 179 II, diz :
Ninguem ser sentenciado sen5o por
autoridade competente, e em virtude
da lei anterior, e.na forma por ella pres-
cripta.
Aquella disposigo uo mais do que
urna consequencia necessaria do principio
da nmovibilidade dos juizes de direito, nos
termos do art. 153 da constituigo.
Quanto a esta materia, diz o Sr. Pimenta
Bueno pag. 334 ao seu Direito Publico
Brasileiro.
S por effeito de urna sentenga podem
os juizes perder o seu logar, isto s nos
casos em que a lei comminar tal pena e em
que ella for applicada por um julgamento.
< Para isso deve preceder ou mediar o
o neces3ario processo perante a autoridade
competente seja a relago do districto, ou
a assemblea legislativa da provincia. *
E' nssira que os magistrados de ordem
menos elevada podem perder os cargos.
ditocomo os tribunae- dejustica.
Logo as assemblas nao sao verdadeiros
tribunaes de justiga: nem a redaeco da
lei de 12 de maio se presta a descubrir no
legislador a intengo de vedar que as assem-
blas legislem sobre a forma do processo,
que todo especial.
E mesmo por entender desta forma as
disposiges vigentes, que julgo ainda mais
necesario chamar a attengo publica para a
questo de que me oceupo.
Ha manifest perigo em armar as assem-
blas com poderes plenos e quasi discri-
cionarios sobre cortos magistrados.
juiz de direito, ainda que nao estives-
se sujeito a essa jurisdiccao excepcional, en-
contrara correctivo aos seus abusos no art.
154 do grande cdigo poltico e em todo o
titulo 5. capitulo 1. do cdigo penal. E
esse correctivo necessario.
O poder judicial independente, mas
por isso mesmo, d>z o Sr. Pimenta Bueno,
de mister que elle seja detido em seus
abusos, que nao postergue e viole impune-
mente as leis que tinha por dever cumprir e
fazer respeitar.
Isto diz elle pagina 213 de sua j n en-
donada obra, e accrescenta pagina 337 :
i Tratando do poder moderador, j ob-
servamos que esta attribuicao (de suspen-
der os magistrados) era necessaria, como
um acto conservador, como um meio de
conter de prompto o abuso do juiz quaid
a ordem e justiga publica assim exigem, e
mediante a audiencia do magistrado, infor-
maces necessarias e consulta do conselho
de estado, | ara que se reconbega bem a ver-
dade da queixa ou violago da lei. Se de
um lado medida necessaria, de outro de-
manda razio sufliciente, e bem demons-
trada.
Desde que for suspenso o juiz devem
os documtntos indicadores do seu delicio
ser enviados a relago respectiva, para que
proceda na forma da lei, verificando a res-
ponsabilidade : o foro o juizo especial
que a constiluicao com razao estabeleceu,
pois que taes delictos envolvem questoes
de direito, e demandam conhecia,entos ap-o-
priados, assim como a competencia de um
tribunal superior: o cdigo do processo e
o regiment das relages determinam a for-
ma e termos do respectivo processo.
Pois-se, suspenso o magistrado com todas
s solemnidades designadas no art. 154 da
constituigo, intervm a relago como auto-
ridade competente para julga-lo, como
que o acto addicional esbulltou os magis-
trados dos seus sagrados direitos, estabele-
cendo contra elles urna excepgo odiosa ?
Que razo justificativa existe para pode-
rem ser os magistrados, quando punidos
pelas assemblas provinciaes, privados de
formulas e recursos que salvaguardam o di-
reito !
Supponha-se, e nao urna hypothese
gratuita, que a simples suspensao' decreta-
da pela ass mbla envolve uraaJnjustiga ao
magistrado e importa um abuso ou excesso
de poder,
Quem responde pela violencia ?
A lei muda, nada dispe.
Entretanto, se o acto arbitrario, se a sus-
pensao caprichosa, quando determinada
pelo poder moderador, certo que nao res-
ponde pelo abuso o imperador, porque a
sua pessoa inviolavel e sagrada, e nao est
elle sujeito a responsabilidade alguma; mas
ento recahe toda a culpa sobre os conse-
lheros de estado, que devem esclarecer
cora e inspira-la bem, e sobre o ministro,
que nao s aconselhou-a mal, mas incum-
biu-se de, por um decreto que leva a sua
referenda, dar execufo o abuso.
o que se le no opsculo intitulado
Da Natureza e Limites do Poder Mode-
radorcujo estylo e forga dialctica trazem
lembranca o nome de um Ilustre brasi-
leiro adepto da escola de Guizot.
As theorias de B. Constant, Foucart,
Slephen, Ponthoz e Macaulay sao hbilmente
exploradas nessa obra, que tanto tem de pe-
guintespalavras, escripias pelo Sr. Fausto
em frisantes interjeigoes:
e Se todos os epregados pblicos, diz
elle a pagina 15 do seu opsculo, gozam do eclipses deste anuo :
direito de nao ser processados senao pelas Do imperial observatorio astronmico com-
regfas da lei geral, porque seriamdelle pri- municam-nos a seguinte noticia sobre os
vados os membros do poder judiciario ? dous eclipses do sol que sero observados
Nao repugna esta idea com a natureza de este anno.
suas funeces, e com o carcter e preroga- Io em 25 de abril.Este eclipse ha de
tivas que Ihes sao proprias ? Nao offende ser total em urna facha terrestre do nosso
ella o grande principio da independencia da- continente do 33 leguas martimas em lar-
quellepodr? Hdese subordinar ludo gura, passando a linha central, na costa do
isto a vontade. e por ventura aos caprichos Atlntico, pela ponta do Cambri. na pro-
do maioria de urna assemblea provincial vincia de Santa Catharina, e na costa do Pa-
E tambera desta ultima phrase que eu cifico, pouco ao sul da cidade da Concico,
deduzoa ir responsabilidade dos membros no Chile,
desse corpo deliberante na decretago da i No Camburiv.
suspensao ou demisso dos magistrados. Primeiro contacto, s 8 h. 35' 9" da ma-
E' tambem d'ahi que eu deprehendo a nha.
necessidade de um recurso qualquer, quc| prmcjp0 do eclipse total s 9 h. 49" 38"
-64, todas com premios
De rendas vitalicias 14.
Martimas 30, das quaes 1 em mutaa-
lidade.
Contra o granizo 4%
Contra o encalhamento no gelo 6.
Contra a epizootia dos gados 3.
Contra a exploso de coldeiras 2.
Em Franga contam-se hoje 9 companbias
com a arma na mo, dando grandes garga- de seguros sobre a vida, a mais antiga das
lhadas e nraticmdn tndi a mialidade de lou- W* dala de 1819; a primeira companlua
nauas, e pratitando toda a quatiaae ae ou a foJ estabe|ecida em ,706
cura, e ludo era presenciado pelos que es- -
tavamna praca. "
Chegou mesmo a fazer dous ou tres tiros,; Smente em 1861, por occasio do re-
e diz-se que de um delles foram feridos o censeamento quinquennal da populago, se
.,_ D'.. ., r, tratou de indagar a que cifra montavao
capitao Belin, Mr. Lucien Desscrt, etc. numero de casbas nKiom existen-es em
Calclese qual foi o terror que se espa- Franga.
Ihou em todo o predio, quando se nolou que I ,.As commuuidades de homens comprehen-
----____, -i Idiam 58 casasmaes, 3/casas independentes
se propagara o meendio. promovido por este e |>M1 succursaes'; toial 2,026.
louco, sem que pessoa alguma ousasse apro-
ximarle da casa fatal.
Segundo a opinio do subprefeite, e do
procurador imperial, o capito da gendar-
maria deu ordem aos seus gendarmas para
tomarem de assalto a casa, afim de prende-1 Dirigindo casas de refugio ou ins-
rem o infeliz, que continuava a fazer tiros' ulos aKricolas
seu pessoal elevava-se a 17,776 religio-
sos, repartindo-se do modo seguinte confor-
me os misteres a que se dedicam:
Destinados ao ensino.....
Destinados aos deveres hospita-
leros ........
repare o mal feito ao magistrado, sobretu-
do se a pena imposta for injusta e derivada de
/uins paixes, que muitas vezes dominara o
espirito de homens polticos, que em sua
cegueira nao respei|#m a linha divisoria tra-
gada pela lei e pelos interesses sociaes entre
a justiga e as conveniencias dos partidos.
dito.
Fim do eclipse total 9 h. 54' 5" dito.
Ultimo contacto s H h. 16' 35" dito.
Tempo medio no Camburi.
Durago da escuridade 4' 7/ quasi a maior
I possivel.
Primeira impresso a 12 37/ do ponto
Que se consagram a deveres re-
ligiosos........
Total: .
12:845
389
496
4:046
17:776
para a ra.
Logo depois, o capito, o marechal de dis-
tricto Caaux, o gendarma Anar, e muitos
cidados delicados, Malhieu, Ladrix, Jacques
Lamarche, antigo zuavo, cuja coragem e
sangae fri superior a todo o elogio, e
Jos Peres, avangaram contra a casa.
O marechal de districto Cazaux e o Sr
Ladrix foram os primeiros que entraram :
Pambrun fez fogo por duas vezes contra
elles. mas o fumo espesso que havia, evitou
que os dous tiros podessem feri-los.
Agarrado vigorosamente pelo marechal
de districto, e pelo gendarma Amar, auxi-
,. Assim em 1861 o numero de estabele-
l.ados por Lamarche e Peres, o desgragado cmentos pertencentes a congregaces re-
arada pode descarregar urna pistola contra' Hgiosas de homens ou mulheres era de
As communidades de mulheres contavam
361 casas mes, 595 independentes e 11,050
suecursaes; total 12,006. Os seus mem-
bros, em numero de 90,343 tinham os s -
guintes destinos:
Consagradas ao ensino. .
Hospitaleiras...... .
Dirigindo casas de refugia ou
institutos agrcolas'. .
Contemplativas ......
58:883
22:046
3:073
8:006
Total.
90:343
Compulsando-se, quer o a to addicional
art. H, 1", quer a lei de 12 de ma o de mais, a,to d, so1 {* "*- iu
1840, arte. 5 e 6, v-se que para privar o i Uil,raa d,ta a *I6 3I/ semejantemente
magistrado do i xercicio de suas funeges. para leste.
No servatorio do Rio de Janeiro. t
Principio s 9 h. 5' 34" da manha.
Meio s 10 h. 24' 33" dito.
Fimsllh. 55'2" dito.
Tempo medio no observatorio
Maior phase: 11,7 dgitos.
Primeira impresso: a 13 0 do ponto
basta que baja queixa contra elle, que seja
envido ocerca do objecto da responsabilida-,
de argida, e que se defenda por esta for-
ma. Feito isto conslitue-se a assemblea em,
tribunal de justiga para impor a pena que':
eouber, segundo a legii-lago criminal em vi-
gor, t ndo em vista as formalidades eslabe-
lecidas de ante-mo para a ord/m regular majS a|t0 do sol para oeste,
do processo, cujo julgamento dever con-
ter : o relatorio do facto, a cilago da lei
em que o aecusado est incurso ; pnalmen -
te, os fundamentos cardeaes da deciso to-
mada. Eis tudo quanto se exige para que o
acto da -assemblea tenha forga executora.
Mas, assim condemnado, para onde ha de
elle recorrer ? Nao ha recurso algum esta-
belecido ?
Ladrix, que ficou ferido gravemente no bai-
xo ventre, e s depois o preso pode ser
amarrado.
Pambrun, restabelecido depois da sua
loucura furiosa, ficou segundo se affirma
desespereda quando soube dos actos que
praticara.
Consta que tem recusado tomar toda a
qualidade de alimento.
ifr-*
Onde estiio, pois, a independencia e ga-
ratitia dos memb os da magistratura brasi-
leira T E devem ser elles victimas de um
ostracismo atroz ? Nao.
A magistratura tem una misso impor-
tante e nobre, e a ninguem deve ser licito
Ultima dita : a 112 10' senae'hantemen-
te para leste.
Este eclipse quasi total, por ter de pas-
sar a linha central pelo ocano a 23 leguas
do observatorio, ha de ser total em Cabo-
Frio, porque s distar 11 Icguis da mes-
ma linda.
No observatorio de Pernambuco
Principio s 10 h. 6' 9" da manha.
Meios 11 h. 33' 39" dito.
Fim 1 h. 3" 0" da tarde.
Termo rr edio no mesmo observatorio.
Maior phase 8,6 dgitos.
Primei a impresso a 12 59' do ponto
violentar impunemente os membros do po- mais alt0 do sol para oeste,
der judiciario, que, como os. de mais po- j 2o em 19 de outubro.-Esle eclipse, in-
deres do imperio reconhecidos pela consti- visivel as latitudes austraes maiores de 21
tuigo, ama delegago da nag5o, grus, ha de ser parcial em Pernambuco.
Um jornal de Catanea escreve o seguinte
sobre o Etna :
Fortes abalos e detonages faziam pre-
ver urna erupeo imminente do nosso famo-
so Etna.
Effeclivamente na segunda-feira, 30 de
Janeiro, pelas 11 horas da noute, declarou-
se aprimeira crupgo junto ao monie Fra-
mento, que Gca ao nordeste da crtera, e na
noute immediata manifestou-se oulra no Val-
le del Bue, a urna milha da provincia.
A lava descreveu primeiro na sua corren-
te dous bracos que pareciam dirigir-se para
Villa-Nova e Giarrita, e para o districto de
Randazzo ; depois dividiu-se em tres cor-
rentes ; a de Framento dirigiu-se para o
territorio de Predimonte, passando as tr-
ras de Santa Mara la Vena; a do centro,
que se estendia n'um espago de quasi milha
14/32.
O numero de religiosos dos exos era de
108,119, isto am religioso por 340 ha-
bitantes ou 2892 por um milho de habi-
tantes.
De 100 religiosos de ambos os sexos,
69 consagra va m-s o ao ensino, 19 admi-
nistravam estabelecimentos de beneficen-
cia, 3 dirigiam casas de refugio e 11
desempenba-am deveres puramente reli-
giosos.
Na mesma occasio contavam-se 43,557
sacerdotes ctholicos.
Quando ti ver lugar o novo recenseamen-
to quinquennal da populago, ver-se-ha pro-
v.velmente que, longe de baixar, todas as
sommas que cima nomeamos, tem tido um
deseivolvmento proporcional ao augmen-
to sempre crescente dascorporag s religio-
sas existentes em Franga.
Se o magistrado, que justa ou injusta-
mente, soffre os effeitos de urna pena qual-
quer, nao ti ver urna vlvula de sa'vago se-
r esmagado e o seu poder absorvido e nul-
lificado.
Devia por isso ser-lhe garantida a facul-
Principio s 2 h. 22' 18".
Meio s 3 h. 36' 36".
Fims 4 h. 48'43".
Tempo medio no observatorio do Recife.
Mxima phase 4,3 dgitos.
Primeira impresso a 123 47' do ponto
dade de pedir a um tribunal superior, por,1
meio de recurso, o desaggravo da lei e dos
seus direitos offendidos.
Entretanto.no caso de condemoago pela
assemblea provincial, s lhe resta o meio.
No Eclto des Valles, l-se 0 seguinte :
A cidade de Bagneres, ordinariamente to
Diz um jornal americano, que urna carta
de Cuba contna a narraran do arrebata-
monto de urna enanca de oito annos por
um siba.
Alguns rapazes, vendo o peixe na praia,
atacaram-ao paulada, arremessando-lhe
ao mesmo tempo pedradas.
Quando se approximaram, o peixe esten-
deu urna das suas longas patas, e alcangando
o brago do rapaz que estava anis perto.
arrastou-o para o mar, no meio do terror e
dos gritos dos seus companheiros.
A pobre manya lutou com todas as suas
fargas, sol ando gitos desesperados c dous
eu tres dos seus camaradas, que eram mais
velhos, foram em seu auxilio, mas ja era
emea, deseen por Giarrita, bosque depi-|tarde; 0 peixe arrastU.0 quasi inJS(anta.
nheiraes, e a lerceira do lado sul, lomea a: neamente, ao ponto de se perder de vista,
direceo de Mascoli, e tinha jchegado' O siba, segundo a descripgo dadi por
cabega do districto, Scorciavacche, que fica Bluteau, um peixe c rnoso, firme, feio,
alias commum a todos os condemnados, de pacifica, foi ha pouco victima de urna gran-
implorar graca ao cl.efe supremo da nagao de commogo em consequencia de um san-
que, feliz. ente no exer icio do poder mode- giliento drama que encheu de consterna-
rador tem o difeito reparador de perdoar jco e desgdtto toda a populago por espa-
e moderar as penas I' co de muitas horas, levando o luto a diffe-
Mas, ainda que o imperador haja por bem ren es am"
perdoar ou commular a pena decretada ao Marcel Pambrun, de trinta e dous annos
magistrado, nenhum dezar resulta d'ahi pa- de edade, tinha sido encerrado, por aliena-
ra a assemblea. e quando resulte dezar, ne- gao mental, no asylo de Pan, onde teve um
nhum procedimen'o autorisa contra ella. tralamento conforme com o seu estado, des-
Ao terminar, transcreverei, porque ser- de agosto ultimo.
vena para aposr as coasideragoes que tenho'. Por instancias de sua me, a administra-
feito, as con lusoes de urna consulta do con- gao do asylo deu-lhe a liberdade, e elle vol-
selho de estado, com data de 18 de junho tou para Bagneres.
de 1816, que se encentra no judicioso e in- ltimamente accommeltido de um acces-
teressante folheto do Sr. consellieiro Fausto So de loucora, este desgragado preferiu bor-
de Aguiar; riveiS ameagas contra sua me, e como a at-
Sos as seguintes: titude que tomou se lornava cada vez mais
1.a Que a lei de 12 de maio de 1840 nao perigoso, a pobre mulher foi logo reclamar
sujeitou as assemblas provinciaes obser- o auxilio da polica,
vancia das leis que regolam o processo pe-, O commissario de polica mandou forga
rante os tribunaes; ; publica para tranquilisar Pambrun, ou para
2 Que o in uilo do legislador, descendo' o prender se continuasse as suas ameagas;
s especificages dos arts. 5 e 6 da lei de 12 quando se aproximaram os agentes, Pam-
de maio de 1840, foi deixar s assemblas brun tinha formado barricadas na casa que
provinciaes o direito de marcarem o que a oceupav, na ra Jeanne-d'Albret; estava
lei geral nao tivesse feito ; armado com urna espingarda de dous tiros
3.a Que, comquantoa m neira pela quai e com duas Pistola8-
a assemblea tem de tomar em considerado Encontrando a porta da casa fechada, os
a denuncia, ouvir as partes, interrogar os agentes descerara para ir procurar a auto-
ros c inquerir testemunhas, e outros actos' ridade.
semelnantes sejam mui proprios do seu re j No momento em que esta chegava porta
gimento interno, todava, reflectindo-se em da ra, Pambrun collocou-se janella da
que as assemblas fcilmente alteram os seus casa, apontou a espingarda de cima para
regmentos, e de ordinario delles diverge baixo contra o agente da polica, e desfe-
muit'o a pratica, e ponderando-se na trans-. chou; toda a carga (a espingarda estava car-
a cinco mithas de distancia do districto Nun-
ziala, annexo a Mascoli, comquanto este paiz
fique ao sul do regato de fogo, e n'uma po-
sigao elevada.
As noticias posteriores sao menos assus-
tadoras.
A lava, avangando com menos forga, os
prejuizos que tem causado nao sao to fabu-
losos como primeramente se praticou.
Outro jornal, diz tambera, que em diver-
sos pontos da peuinsula, e sobretudo na Si-
cilia, sentiram-se tcemores de trra que, ao
que parece, teem ligago cora a ultima erup-
go do Etna.
A lava ameaga actualmente Nunzata, La-
vena e Villa. Entre as illias e a trra firme
v-se urna edumna de vapor, que se levanta
do mar, a agua ferve e a temperatura -sobe,
o que ordinariamente indica a apparico
mais ou menos prxima de algum ilhote ul-
canico.
/
De Messina diziam que o Etna se achava
em plena erupgo e as ultimas noticias ac-
crescentavam:
A erupgo do Etna continua com -vio-
lencia.
Tem lugar por quatro differentes orifi-
cios.
A lava estendeu-se j a mais de 12 kilo-
metros de d:stancia, cobrindo campos e en-
tulhando caminhos.
Avalia-se os estragos em mais de um mi-
lho de francos.
E' sabido que a idea do seguro Dseos
em Inglaterra. Eis um quadro das compa-
nbias de seguros que aliexistiam no l.de
Janeiro de 1865, por onde se v o conside-
ravel desenvolvimento que n'esse paiz tem
tido esta instituico:
Comnanhias de seguros:
Sobre a vida 14*, das,quaes 36 em mu-
tualidade e o resto cora premios fixos.
com bocea sem denles, e bico da feigo do
papagaio, e oito ps, ou bracos pequeos,
que lhe servem de barbatanas para n dar,
ou de parras para afferrar o que topa.
E' coberto de urna pelle delgada, e as
costas sao formadas de urna especie de esca-
ma, ou osso liso por cima e espongioso, da
qual usam os ourives para moldes,
Em lugar de sangue, tem um licor, mais
negro que tinta, recolhido em urna bexiga
coma qual, turvando eescurecendo a agua,
se oceulta e eseapa a quem o persegue.
E' este licor to negro que com urna gota
delle se escurece um balde d'agua, e < scre-
ve Anaxjlo, que posto no candieiro em
lugar de azeite, n'uma casa que nao tenha
outras luzes, toda a genle della parece
negra.

Os jornaes estrangeiros do noticia de um
suicidio, cuja caus i muilorara. F... vi-
ven durante vinte cinco annos na mais per-
feita harmona com sua mulher, a quem
mostra va a maior dedicaran e amor.
Era um mode'o dos esposos.
ltimamente, quando j t'nha quarenta e
seis annos, deixou-se seduzir po- urna des-
sas mulheres, que s pensara em levar a
desordem ao lar domestico ; houve, pois,
offensa da fidelidade conjugal.
O arrependimento succedeu-se promp la-
mente, e o culpado confessou sua me ade
o erro, que havia commettido, declara do-;
lhe, que, depois de ter praticado semelban-
te acfo, se n3o julgava digno de vi ver com
ella.
A es, osa concedeu-lhe logo o perdo, que
mereca urna [confisso espontanea, acompa-
nnada da promessa de se nao repeliro facto.
Todava F... persista na sua resolugao,
e nessa mesma noute tentou aspbixiar-se
com acido carbnico.
Este intento malogr&u-se em consequincia
da apparigo inesperada da esposa que de
novo lhe ss' guroa que ludo eslava perdoa-
do, que o amava como'at enlo,v prodigali-
sando-lhe n'esse momento toda as demons-
trages de ternura.
Nada houve, porm, que ab.fasse osre-
morgos d'aquelle infeliz marido.
Sua mulher, vendo-o urna vez mais tran-
quillo, julgoo poder ir fazer um passeio um
poveo mais longe, mas no seu r&gresso en-
controu o marido enforc do.
PERNAMBUCO.-TYPDE M. F. 06 V. A tUHO
-
-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO6B1UN99_F4F4Z0 INGEST_TIME 2013-08-28T01:47:46Z PACKAGE AA00011611_10623
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES