Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10622


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLI. NUMERO 65.
Por qoartel pago dentro de 10 dias do 1. mez ;
dem depois dos i.0' 10 dias do comeco e dentro do quartel.
Porte ao correio por tres mezes......., ,
SJflOO
6$0*00
750
SEGUNDA FEIRA 20 DE MARCO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 dias do
Porte ao correio por nm anno .
1. mez ,,,... 191000
.......... 3|000
-r-
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPGO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty,-o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Pilhos; Amazonas, o Sr. Jerunymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Alaloas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagcs da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyaona as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Lmoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamaudar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPIIEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 La chela as 8 h., 22 m. e 10 s. de m.
20 Quarto mlog as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 h'., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commerckr: segundas e quintas.
Relagao : torgas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito do orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do eivel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quarlas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. Ss. Faustino e Anatolio mm.
21. Terca. S. Bento ab.; S.Birillo b.
22. Quarta. Ss. Basilissa e Calecina mm.
23. Quinta. Ss. Victorino e Frumencio mm.
24. Sexta. S. Agapito m.; S. Latino b.
23. Sabbado. fe Aonunciagao de N. Senhora.
26. Domingo. Ss. Ludgero e Braulio ab.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as 11 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Alag'oas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
jullio, setembro e novembro.
ASSIGXA-SE
no Recife, na^vraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios' Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE 0FF1GIAL
tIIYISTERIO I0 IMPERIO
Decreto n. 3,350 de 29 de nocembio de 1804.
Marca os prazos dentro dos quaes os conessiona-
rios de minas devem eomjgar a lavra-las e reco-
m>'car os trabalhos, interrumpidos.
Attendendo necessidade do maior desenvolvi-
men'o industria de mincrago, regulando a con-
cessao das minas, e sendo necessario para este 8m
establecer prazos dentro dos quaes devara come-
car os irabalhos da lavra e continuar os que forem
interrompidos com grave prejuizo para o Om da
concessao, hei por bem, de conformidade com a
muha iminediaia resolugo de 29 do mez Ando,
tomada sobro parecer da scelo dos negocios do
imperio do conselho de estado de 17 do dito mez,
decretar o seguirte:
< Art. 1. Fica marcado o praso de dous annos
para os aetuaes concesslouarios de minas comeca-
rem os trabalbos da lavra das mesmas minas, sob
pena de caducidade da concessao.
Art. 2. Urna vez comegados os trabalhos da mi-
neragSo, nao podero, debaixo da mesma pena do
artigo antecedente, ser suspensos por mais de 30
dias durante ca^a anno civil, sem que os conces
sionarios provem perante os presidentes das pro-
vincias, onde estiverem situadas as minas, ou pe-
rante o ministerio da agricultura, commerclo e
obras publicas, que a interrupeo dos trabalhos
occasionada porqualquer caso'de torga maior, de-
vendo em tal hypothese submelter-se ao prazo que
lhes ser marcado para recomegarem os mesraos
trabalhos.
Art. 3. As disposigoes des artigos anteriores vi-
goraro tambern para os futuros concessionaros de
minas, em cujas actas de concessao se nao marca-
ren! prazos para o comego e interrupgo dos tra-
balhos.
Art. 4. Os trabalhos preparatorios da raedigo e
demarcago do terreno mineral de todas as conces-
s6as feitas at a presente, ou que para o futuro fo-
rem feitas, devero ser comegadas e terminadas,
na primeira hypothese, dentro do prazo de ura an-
no contado da data deste decreto, e na segunda
liypotbese, dentro do tnestno prazo, cortado da da-
ta da concessao: salva disposigo em contrario Bol-
la expressa.
Art. 5. No caso de caducidade da concessao de-
cretada em virtude das disposigoes do art. 2, o con-
cessionario perder todas as bemfeitorias que tiver
feito as minas '.cuja concessao fr annullada, sem
direito a qualquer indeinnsagao, podando entre-
tanto retirar todas as cousas movis e semoventes
que alliexistirera e que Ihe pertencerem.
Art. 6. Aos aetuaes concessiorfarios de minas aos
quaes foram estabelecidos prazos para comego dos
respectivos trabalhos e para a meiligo e demarca
gao das datas concedidas, mas que nao nverera
preenchido as clausulas das suas concessoes, tica
marcado o prazo de maisum anno, contado da data
deste decreto, tanto para medirem e demarcarem
as mesmas datas como para darem comego aos tra-
balhos da minerago, se presentemente fr menor
o resto do prazo que lhes tiver sido concedido pa-
ra este fim. Findo este prazo, que pornenhum mo-
tivo poder ser prorogado, a concessao caducar
na forma determinada no artigo antecedente.
Art. 7/ Ficam revogadas as disposigoes em con-
trario.
Jos Liberato Barroso, do meu conselho, ministro
e secretario de estado dos negocios do imperio e
interinamente dos negocios mercio e obras publicas, assim o lenha entendido
e faga execular.
Palacio do Rio de Janeiro, em 29 de novembro
de 186,44 Ja independencia e d > imperio.Com
a rubrica de S. o Imperador. Jos Liberato Bar-
roso.
MINISTERIO DA FAZENDA.
Circular s thesourarias de fazen la.Ministe-
rio dos negocios da fazenda.Rio de Janeiro, em
11 de fevereiro de 1863.Carlos Carneiro de Cam-
pos, presidente do tribunal do thesouro nacional,
transmute &>. Srs. inspectores das Uiesourarias de
fazenda, para a devida indiligencia e execugo, o
aviso junto por copia do ministerio dos negocios
estrangeiros de 30 de Janeiro prximo passado,
relativamente a arreeadago dos bens dos subditos
portuguezes, e declarando as hypotheses em que,
vista da conveogo consular celebrada entre o
Brasil e Portugal a 4 de abril de 1863, cabe aos
cnsules desla lacio ntervir as successes dos
respeciivoi subditos fallecidos no imperio. -Carlos
Carneiro de Campos.
2J secgo. N. 2.Ministerio des negocios es
tranneiros. Rio de Janeiro, em 30 de Janeiro de
1865. Illm. e Kxm. Sr.Deseja V. Exc. saber, pe-
lo seu aviso de 19 do correrte, se porvontura deve
ser favoravelmente deferido o requerimerto que
ao thesouro nacional dirig > D. Mara Marcellina
Pacheco, reclamando o pagamento de quanlias que
o me-mo thesouro devia a seu marid'>, o finado ne-
gociante desta praca Antonio Jos Pacheco.
A sujipiicante, na qualidado de inventariante,
allega estar autorisada pelo consulado geral de
Portuga1, onde procedeuse a loventario dos bens
do finado, para receber as dividas activas do casal,
orno tuda consta do auto que V. Exc. transmiti-
me por copia.
A'cerca desta pretengo o que me cumpre de-
clarar a V. Exc. que basease ella em um acto
nullo, qual o inventario a que procedeu o cnsul
de S. M. Fidelissima, contra o expresso da nossa
iegistago que regula a materia,
A coavengo consular celebrada eotre o Brasil e
Portugal a 4 de abril de 1863 especicou no art. 13
as hypotheses em que cabe aos cnsules intervir
successes dos subditos de sua nago fallecidos no
Brasil.
Segundo aquella artigo os cnsules teem a fa-
culdade de arrecadar e liquidar osespolios de seus
nacin.-es, quaodo ustes fallecem sera ha ver deixa-
do berdeiros ou designar testamenteiros, ou cujos
herderos forem desconhecidos, estejam ausentes
sejam incapazes.
Segue-se que a couvengao conferio esta inler-
venco nicamente nos casos em que pelo direito
patrio nao houver quem entre na posse e cabega
do casal, para nesla qualidade proceder parante as
autoridades do paiz ao competente inventario e
partilha.
Equivale a dizer que a nterve.ngao foi concedida
aos cnsules lo sraente para os casos em que a
successao se considera jacente.
A successao de Antonio Jos Pacheco nao est,
porm, comprehendida em nenhum destes casos,
porque achava se presente a viuva, a quem, pela
ord. liv. 4 tus. 93 e 96, 3 6 e 9, perlencia ficar
na posse dos bens e cabega do casal.
t', alera disso um abuso intoleravel o fado de
arrogar-se o cnsul geral o carcter de juiz, a-lmit-
tinJo as pe soas encabegadas no casal a requere-
rem perante elle providencias relativas aos actos
de administrago e liquidago das herangas; por-
quanto, ainda nos casos em que as couvengoes con-
ferera a intervengo exclusiva dos agentes consu-
lares para aquelles actos, nao a podem exercer se-
nio pessoalmenle, ou por agentes por elle Hornea-
dos sob sua responsabilidade.
O Inventario da heranga em questo devia, pois,
sor processado e julgado perante a autoridade lo-
cal, que era a nica competente para autorisar
supplicante a cobraras dividas activas do seu ca-
sal.
A' vista do que ica exposto evidente que D.
Maria Marcelina Pacheco olio est legalmeote au-
torisada para cobrar as dividas activas do casal de
seu nado marido; e que, portasto, nao pode ser
favoravelmente deferido o reauerimento que para
aquelle fim dirigi ao ministerio da fazenda.
Renov a V. Exc. as segurangas de minha mais
alta estima e distincta consideragao.Jeao Pedro
Dias Vieira.A S. Exc. o sr. Carlos Carnero de
Campos.
Ferreira Lima Jnior, Joao Rodrigues de Souza e
i Genuino de Hollanda Vasconcellos.
Dito ao mesmo.Mediante recibos, mande Vmc.
i entregar fardamentos aos voluntarios da patria
' Antonio Deoclecio Gonzaga e Jos Ignaoio Ribeiro
Roma.
Dito cmara municipal da cidade de Olinda.
| Concedo a autorisagao que pede a cmara munici-
pal da cidade de Olinda em seu offlcio de 11 da
correrte, para por em administrago o dizimo de
capira de planta desse municipio, que tendo ido a
paga por duas vezes e com o abate da quinta par-
s por coma do ministerio da guerra no vapor I Andrade.-Remello V. S., para os fins convenien-, .>; Hn-____*- ,, k, A A *
se espera do norte, a mulher e duas fllhas me- tes, o offlcio em original que em data de-U do?' \%*nmZ h ado desta diocese
bs do 2 tenerte do 4 batalhao de artilharia a! correrte me dirigi a commisso encarreada da conIiaa em mu0 do hoJe da'ado.
Circular as thesouranas de fazenda.Ministerio
dos negocios da fazenda.Rio de Janeiro em 13 de
fevereiro de 1865.Carlos Carneiro de Campos,
presidente do tribunal do thesouro nacionW, com-
munica aos Srs. iospecloras das thesourarias da fa-
zenda, para a dovida inlelligencia e execugo, que
0 prazo para a substituigo das notas de 1005000
da 3* estampa, de que trata a circular n. 46 de 4
de novembro ultimo, deve terminar em 31 de maio
do correrte anno, principiando do t de jonho em
diante o descont progresivo na forma da le.
Carlos Carneiro de Campos.Commamcoa-se a casa
da amortisagao.
*-~ i^*^' ~ -------------
Ministerio dos negocios da fazenda.Rio de Ja-
neiro, era 15 de fevereiro de 1863.Carlos Carnei-
I ro de Campos, presidente do tribunal do thesouro
nacional, ordena aos Srs. inspectores das thesoura-
I ras de fazenda, a bem da regularidade do servigo
que, alera dosolcios era que aecusarem as reraes-
i sas de dinheiros para o mesmo thesouro, quando
estas tiverem lugar, fu;un depositar dentro dos
; caixotes ou voluraes em que forera acondicionadas
' os quantias remedidas urna relagao resumida da
i impottancia total dellas e suas especies, cora indi-
cago da thesouraria e da proveniencia da reines-
1 sa, para a devida e prompta conferencia a es-
cripturagao no thesouro.-Carlos Carneiro de Com-
! pOS.
te, nao comparecen licitante algum.
Dito ao mesmo.Emresposta ao offlcio que me feres Joaquim Pedro do Reg Barros,
dirigi acamara municipal de Olinda em data de | Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
11 do correrte, tenho a dizer-lhe que approvo a li- i cana, faga transportar-por corta do ministerio da
cenga que concedeu a Sllverio Antonio da Silva,' guerra para o presidio de Fernando, no vapor que
para cercar um becco junto sua propriedade com segu hoje para alli, cabo de esquadra do 4o ba-
gas por conla do
que
nore
p Francisco Jos da Silva, que tem da seguir para I liquidago das cortas da garanta da estrada de
a corte.Communicou-se ao coronel commandanto ferro desta provincia, o bem-assim copia da acta e
das armas. o balance relativas liquidago das cortas do mez
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernarabu- j de fevereiro ul.iino.
cana, faga transportar at Peoedo por canta do mi-1 Dito ao Dr. Ignacio Firmo Xavier. Louvo e
ntsterioda guerra do" vapor que larga hoje para os agradegocomo um acto de seu patriotismo, o offe-;
portos do sul, as mulheres do cabo de esquadra reciraento que V. S. fez em seu offlcio de 7 do
Saturnino Jos de Sant'Anna, e do soldado Joo; cjrrente, para prestarjseus servigos mdicos, inde-
Jos Pinto, de que trata a portara de 11 do cor- j pendente de qualquer honorario, s familias dos i
rente, os qmes regressam para Tacarat cora o al- voluntarios da patria, que na

INTERIOR.
KIO DE JANEIRO
.26 de fevereiro de 1865.
meio-dia reuniram-se na praga do
Hontera ao
ausencia de seus I comraercio, achando-se prsenles todos os mera-
membros possam precisar dos soccorros da med- broa da respectiva commisso, alguns negociantes,
cia, Ucando V. S. cerlode que nesta data subraet- proprietarios a capitalistas, allm de resolveren) so-
to esse seu offerecimento ao conhecimento da As- bre o melhor meio de auxiliar o governo imperial
sociago protectora das referidas familias, alim de I as aetuaes clrcumstancias.
que oppjrtunamenle aproveitc os seus servigos, re-1 Abrmdo a sesso, o Sr. veador Lima e Silva So-
as condigoes declaradas no seu citado offlcio. talho de artilharia a p, Manoel Franoisco da Cos- j mettendo-lhe urna lista' das preditas"familas7com brinho declarou que convocara essa reu
Uitoa mesraa. Approvo a licenga que, segundo ta.Lommunicou-se ao coronel commandante das declarago das ras e seus domicilios. Communi- vista de um requerimento que para esse Ora ha-
das Familias dos | viam dirigida varios negociantes commisso da
me communicou a cmara municipal de Olinda I armas.
em seu offlcio de 11 do correrte, concedeu a raes- i 13
ina cmara a Luiz Jos da Costa Araorira, para po-' Offlcio ao Exm. Dr. vigirio capitular desta dio-
cou-se Associago Protectora
Voluntarios da Patria.
Dito a Antonio Jos Botelho.Agradecendo cor-
praea.
Pedio entao a palavra o Sr. Dr. Caetano Fur-
derlevantar a coberta de urna sua casa a altura; cese.-Para satisfazera exigencia da assembla le- dialmente V. S. o patritico offc-recimento que quim de Almeida e pronunciou o seeuinte dis-
ca casa contigua pertencente ao patrimonio dessa I gislaiiva provincial, constante do offlcio do respec-1 fez em seu offlcio de honlem, para incumbir-se de curso :
pamara mediante a indemnisaco de 100^000. I nvo 1 secretario de 14 do correrte, sob n. 24, faz- fornecer gratuitamente, em quarto durar a guerra Senheres.-Primeiro que tudo permllti-me au*-
D,to a cmara municipal de Ipojuca.-ueclaro | se mister que V. Exc. informe acerca da conve-1 cora as republfcas do Uruguay a Paraguay, osos- me congratule comvosco e com o paiz inteiro pelo
cmara municipal da villa de Ipojuca, em respusta i niencia do incluso projecto n. 47 do anno passado, \ lento necessario aos presos pobres da c.deia da brilhante successo, que tem obtido nossas armas
.u?.r.rete/_i,!e .m!nde p0r! l? ,eieva, acaine0""?decidadeapovoagodaPe- villa do Bonito, resta-me assegurar-lhe que vou na campanha encelada as margens do Prata para
fazer as necessarias coraraunicagdes neste sentido.' finnr as alTrontas que tem sido feitas a nosso brio
Ministerio da raarlnha
i N. 14.Commando em chele da forga naval dr
j Brasil, no Rio da Prata Bordo da corveta Nithe-
rohy em Montevideo, 15 de fevereiro de 1863.
| Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra datrasmittir a V.
i Exc. copia da ordera do dia que acabo de publicar
i na esquadra dando conhecimento a ella das com-
j municages que fiz subir a presenga da V. Exc,
I relativamente aos successos de nossas armas era
frente a Passand.
i Ura offl .ial da armada, o 2o tenerte Jos Antonio
I Ltpes, e um inferior do contingente do Io batalhao
1 de infartara, 2o sargento Melanio dos Res Pereira
1 do Lago, portaram-sa mal na occasio do combate,
e devem responder a conselho de guerra para jus-
lifiear FO 1U.
Cumprindo um dever militar, assignalei-os a es-
quadra com pezar; assim como tive o prazer de
' mencionar com distineglo os companheiros que
, souberara conquistar um lugar de honra.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Kxra. Sr. conse-
i Iheiro Francisco Xavier Pinto Lima, ministro e se-
cretario de estado dos negocios da marinha.Ba-
rdo de Tamandar.
i ~> i 8"1'
Commando em chefe da esquadra imperial em
operagoes no Rio da Prata, bordo da corveta Nitlie-
rohy, em Montevideo, 13 de fevereiro de 1863.
ORDEM DO DIA.
N. 3.A confiaoga do Brasil, eda Sua Magestade
o Imperador no valor de nossos marinheiros e sol-
dados ao incumbir-Ules a ardua, mas honrosa mis-
sao de vingar as affronias que ueste solo soffrerara
rauito de nossos compatriotas recebeu mais urna
vehemente prova de que nao foi empregada em
vo, aos assignalados dias 6 e 31 de dezembro ul-
timo, I e 2 de Janeiro do correle anno.
As muraibas c forticagoes de Passand, que
protegiam um inimigo to audaz como cruel, nao
foram bastantes para conter o impelo de nossos
bravos, que leem gloriosas tra-ligoes a sustentar, e
que jamis recuara quando receben) ordem de
avangar. Elias jazem por trra, atteslandoo nosso
valor no combate, e a geoerosidade no triumpho
de seus defensores sorprendidos, porque confiavam
na sua inexpugnabilidade, sem se lembrarem que ti-
nhara era frente.um exercito que vinha lavar a
nodoa de mil insultos alliado a um povj indignado
de queem seu nome se perpetrassem tartas atro-
cidades contra outro povo visinho e amigo, prompto
sempre a ajuda-lo para o livrar de seus oppres-
sores.
Para gravar a memoria desse brilhante triumpho
de nossas armas dirig ao governo iraperiai as se-
guintes rommunicagoes, que sero registradas na
esquadra alim de que ella a todo lempo se compra-
ba na recordagao da pane gloriosa que nelle Ihe
coube e para que se prepare a colher botos louros
no campo da honra, que so abre dianle de nos, e
que deve conduzir-nos a Assumpgo.
Demorando a publicago tiesta ordera, do dia,
tive era vista recolher todas as inforinagoes neces-
sarias para fazer justiga a todos que se distingui-
rn) na tomada de Paysand. Se alguraa praga se
julgar cora direito a um lugar de honra nesta pleia-
de de bravos, que recommendo ao governo impe-
rial, com todo o prazer attenderei a suas reclaraa-
g5'?s fundadas. Por isso fago j menguo honrosa
du 1 tenente Joo Gingalves Duarte, e dos guar-
da-marinha AIT >n-o Hanrique da Fenseca e Carlos
Miguel Conrado, que se portaran) com valor e dis-
tinegao; assim como do 2o sargento de imperiaes
marinneiros Joaquim Lacerda da Luz e dos impe-
riaes marinheiros Anloaio Mathias Monteiro, Pe-
dro Paulo de Souza Marcilio Dias. Jorge Francisco
Regis, Eduardo Jos Cardoso, Wenceslao Gomes
Pereira, Tneodoro Alves de Araujo e Manoel Jos
Gabriel.
Smto profundamente ter de obscurecer este qua-
dro, declarando que o 2o tenente Jos Antonio Lo-
pes, e o 2 sargento Melanio dos Res Pereira do
Lago, nao se portaran) bera, pelo que devem justi-
ficar sua conducta om um conselho de guerra a
que oj farei responder. A imparcialidade e a jus-
tiga reclaman) esta declarago, por mais penoso
que seja faz-lo.Baro de Tamandar.Confor-
me. Eazebio Jos Antunes, Io tenente secretario e
ajudante de ordens.
ao seu cilicio de
novamente era bastea publica o imposto de passa
gens de ros, visto que segundo me communlcou a
mesraa cmara no seu citado offlcio, nao empare-
ceu licitarte algum na nltima praga a que se pro-
cedeu.
Dito ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.Etn vista do que Vrac. expoz em seu
offlcio de hontera, sob n. 71, convenho na derais-
so do guarda apontador das obras desta capital
; Manoel Pereira do Canto, cumprindo que roo re-
meta parao fim conveniente urna relagao dos ob-
! jectos por elle extraviados. Communicou-se i
thesouraria provincial.
Ditoao mesmo.Eatendendo-se Vrac. com o ad-
ministrador do tbeatro de Santa Isabel proceda a
ura exarae no referido theatro, allm de verificar-se
se est no estado em que recebeu Miguel Candido
de Medairos Pinto, quando se Ihe concedeu licenga
para dar bailes de mascaras durante o carnaval.
dras da Fugo, o transiere para ella a sede da fre-
guesa de (tamb.
Dito ao corouel commandante das armas.Sr-
vase V. S. da mandar alistar no coroo de Volun-
Fez-se a este respailo o necessario expediente. I nacional por selvagens inimigos, qne desconhecem
Dito ao director do arsenal de guerra. -Median- as mais triviaes nogoes do direito internacional. A
te recibo, mande Vmc. entregar fardamenios aos queda de Paysand e a esperada de Montevideo
esto para testemanhar Europa, que duvida-
le que o Brasil osse capaz da um grande es-
Araujo l.ima, Manoel Gualberto forgo para sustentar sua digoidade, que quando
taos da l'atria a J*ao Felismno da Silva Guabira-' voluntarios da patria Manoel Joaquim Soares, Joa- ahi es
pa^rraneisco Lins Nogueira, Pedro Alves Pereira,' quim Marques Santiago, Jos Antonio Seifert, An- va de
Joao Uvaleanti de Mello, Manoel Gaudencio Paes ionio Canuto de Araujo Lima, Manoel Gualberto torco
Dlva- alTrontas recebidas. Fique pois registrado as pa-
Dite ao inspector do arsonal de marinha.Man- ginas de nossa historia que, apezar de nossa en-
nio Luiz da Silva, Marcelino Dorothoo e Silva,
Genuino Daratheo Rodrigues da Silva, Carlos An-
gusto da veiga higueiredo, Joso Pedro Alexandra de \ me. alistar na companhia de aprendizes mari-1 dencia pronunciada para os trabalhos da paz agri-
I avares de Mello. Francisco Antonio Civalcanti,'nheiros, se esliver as condigoes legaes, o menor j cultura, comraercio e artes, apezar de nossa re-
Jose Ignacio de Mello, Francisco da Silva Ribeiro,! que existe m poder do pnmeiro supplente do i pugnancia para a arte d guerra, apezar de nossa
apre- tao exagerada indolencia, somos capazes de ura
Com- graudb esforgo, quando se atacan) a dignidade e o
j ose Ignacio ae Meno, francisco da Silva Ribeiro,' qua existe m poder do pnmeiro supplen
Manoel Elias Temndo Lessa, Jos Francisco de Bar- i subdelegado da freguezia daVrazea, c Ihe ser
ros Lessa, Manoel da Silveira Barbosa, Joo Arto-' sentado por parte do Dr. chefe de polica.
nio Reinaldo, Elisiario dos Santn Leal, Joao Cancio' munlcouse ao Dr. ctlefe de polica.
Farrer de Araujo. Jos Vicente Lins de Barros, i
polici;
Dito ao mesmo.Tendo-se offerecido
o cap tao
solo da patria. Demos gragas Divina Providen-
cia por nos ter proporcionado esta opportunidade
rente, sob n. 49, tenho a dizer-lhe que autoriso pro
visoriamente a modificago proposta era seu citado
offlcio para ser transportado o gado vaceura so-
mente nos trens de mercadorias ou especiaes e nao
nos irens de passage ros como permute o art. 54
das instrucgSes que regulam os diversos transpor-
tes dessa estrada. .
Dito a Joaquim Jos Passoa e Silva. Accuso.re-
cebido o offlcio desla data era que Vrac. se offerc-
cenara curar gratuitamente cora medicamentos
homeopticos as familias poDres dos Voluntarios
da Patria que marcharen) para o tbeatro da cellos.ip^ci.,!, i reotiado
guerra.
Agradecendo esse seu offerecimento submetto a
associago Protectora das Familias dos Voluntarios
da Patria, para que aproveite opportonamente seus
servigos.se delles houver necessidade. -Neste sen-
tido offlelouse a associago Protectora das Familias
dos Voluntarios da Patria.
Dito aojuiz de paz mais votado do 1 districto da
; freguezia do Cabo.Nao se tendo verificado a reu- Respondendo ao offlcio que V. S. me dirigi hoj,
nio da junta revisora de qualificago dessa fre- sob n. 164, tenho a dizer que mande entregar ao
guezia no dia designado por esta presidencia era tenente do corpo da polica Manoel Germano de
offlcio de '8 de Janeiro ultimo, pelas razdes pon- Miranda, sob minha responsobilidade, nos termo*
deradas era seu offlcio de 4 do correrte, recora- do decreto n. 2,884 do Io de fevereiro de 1862, os
mendo a Vmc. qhe guardado o praso e mais f r- 1005 de que traa o meu offlcio de honlem, e a que
dos Santos, Francisco Ignacio de Jess, Laurentino I desla cidade, durante o terapo em que estiver com
Manoel de Pinho, Antonio Luiz do Nascimenlo, An-! assento na assembla legislativa provincial o en-
nio Ignacio de Jess, Joo Nogueira de Oliveira,'genheiro Gervasio Rodrigues Campello, resolv
Antonio Rodrigues da Costa e Chrispiuiano Buar- aceitar esse patritico offereciraenlo, do que dou
que de Macedo. scienca a Vmc, para que aproveite os bons dese-
Dito ao mesmo.Km vista do nlerrogatorie jun- jos do mesmo engenheiro.
toem original feito pelo Dr. chefe de polica ao Dito ao conselho de.compras navaes.Fica ap-
crioulo Ricardo qtaa sa acha com praga no corpo provado o contrato que celebrou o conselho de
de Voluntarios di Patria, cora o nomo de Manoel compras navaes, com diversas pessoas, como oons-
irranciscojje Linfedo jyaaL iaulu sur elle es- ta do termo por copia annexo *o tou oCBuIq 'iv 14
cravo
imigos
propalado cora tanto afn, e que cora tanta facili-
dade tera sido acreditados pela Europa.
t Em segundo lugar consent que tambera rae
congratule comvosco pela promptido e boa vonta-
de cora que aecudistes aos rdanos da patria.
Vejo aqu hoje reunidos em grande numero repre-
sentantes do importante corpo do commerco da
capital do imperio, negociantes, capitalistas e pro-
prietarios, que vera com sua presenga nesta reu-
aiio do patiiotftroo mostrar ao paiz, que asta vir-
ma frui Alberto de Santa Augusta Cabral de Vas-
concellos, srvase V. S. de dar suas ordens para
que seja o predito crioulo eliminado daquelle cor-
po e entregue ao referido religioso.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede no Incluso requerimerto Maria
Francisca da Conceigao.
Dit > ao inspector da thesouraria
1. de Vascon-1 do crreme, para fornecimento de vveres, dietas e. lude impera cora tarta forga em sens coragoes, co-
o ivnfioaa mes- outros objectos de consumo aos navios da armada mo no de todos os Brasileiros. Estamos aqu rea-
-......----------aqu rea
o estabeiecimentos da marinha no trimestre de nidos, nao para tratarmos de nossos negocios mas
abril a junho prximo vmdouro, o que communico ] dos da patria; aqui nos adiamos para combinar-
aafc>#>0 *i 60VKRK0 DA PROVINCIA.
Continuar jo do expediente do dia li de inarg-o
de ISli.
Ditoao mesmo.Medanlo recibos, mande Vmc.
entregar fardamentos aos voluntarios da patria Pe-
dro Celestino de Almeida Cavalcanti, Vicente Fer-
reira Lima, Jucundlno de Queiroz Monteiro Rega-
ladas, Jos Pereira Brando Jnior, Francisco
Carlos Jos Teixeira, Miguel Joaquim do Reg
Barros Jnior, Fabricijno Napoleo do Reg Bar-
ros, Firraino Jos Tavaras e Manoel Dias de Toledo
Jnior.
Dito ao mesmo. -Mediante recibo*, mande Vmc.
entregar fardamentos aos voluntarios da patria
Manool Alfonso Ferreira, Salusliano Gomes de An-
drade e Joo Antonio de Sou-a Lefio.
Dito ao mesmo.Mediarte recibos, mande Vmc
entregar fardamentos aOs voluntarios da patria
Adolpho Augusto de Mendonca Pereira, Manoel
malidades da le convoque novamente os eleitores
e snpplentes que devera organsar a referida junta
e a faga reunir no dia 30 de abril vindouro que
para sso designo.
Portara.-O presidente da provincia conformn-
dole com a proposta do Dr. chefe de polica, n.
371 desta data, resolve nomear o cidadoJosMen-
des Carneiro Leo, para o lugar vago de delegado
do termo de Santo nto.Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica, n. 372
desla data, resolve demittir a Augusto de Barros
Correa do cargo de subdelegado do districlo do Be-
bedor, 2 da freguezra do Altinho em Caruar.
communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica, n. 374
desta data, resolve conceder ao tenento-coronel Co-
riolano Velloso da Silveira, a exonerago que pedio
se refere o de V. S. anma citado.
Dito ao mesmo Transmiti a V. S. os inclusos
documentos afim de qu*1 nao havendo inconvenien-
te, mande indemnisar o 4" batalhao de artilharia a
p como pede o coronel commandante das armas
em offlcio datado de hontera e sob n. 496, da quan-
tia de 365 despendida cora o aluguel de carrogas
para a conduegao do fardamento e mais objectos
pertencentes aquella batalhao, do arsenal de guer-
ra para o quartel da Soledade e do porto da cidade
de Olinda para o do Hospicio nesta capital.Com-
municou-se ao coronel commandante das armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. por em hasta publica a obra da re-
construegao da bomba da Varzea de Paulista, ser-
vindo de base a essa arrematago as clausulas e
orgamento juntos por copia, e qu para esse fim
me foram enviados pelo chefe interino da reparti-
go das obras publicas, cora offlcio de 10 do cor-
rerte, sob n. 66.Coramunicou-se ao chefe lateri-
cio cargo de delegado do termo de Serinhem, e no da repartigo das obras publicas,
para o substituir nomea o Io supplento bacharel Dito ao mesmo.Constando de offlcio junto por
Manoel Nicolao Pinto Rigueira de Souza, e para copia do chefe interino da repartigo das obras pu-
substituir a este no cargo de Io supplente nomea o blicas datado do 10 do correrte, e sob u 65, haver
maior da guard nacional Presciano de Barros o empreileiro do calgaraento desla cidade feito no
Acioli Lins.Communicou-se ao Dr. chofe de po- mez de fevereiro ultimo, servigo correspondente a
licia. i 23:644$, recommendo a V. S. que em vista do
Dita.O presidenta da provincia conformando- competente certificado mande pagar aqmlla quan
se com a proposta do Dr. chefe de polica desta da- lia ao mencionodo empreileiro. Communicou-se
ta, sob n. 370, resolve nomear o cidado Paulo Be ao chufe inte: ino da repartigo das obras publicas,
zerra Cavalcanti de Albuquerque, para o lugar Dito ao mesmo. Autoriso V. S., de conformida-
vago de subdelegado do ldistricto da freguezia de de com a sua informago de 11 do correrte, sob
Santo Antio.Communicou-se ao Dr. chefe de po- n. 96, que por copia veio annexa a de n. 97 da
licia. i mesma data, a mander curaprir a inclusa precato-
Dita.O presidente da provincia conformando-1 ria expedida pelo juizo especial do comraercio des-
se com a proposta do Dr. chefe de polica, n. 373 ta capital, embargando nessa thesouraria a pedido
desta data, c a bem do servigo publico, resolve de-1 de Prxedes da Silva Gusmo a quantia de 6005,
mitiir a Miguel Bezerra de Vasconcellos, do cargo dos dinheiros que tera da teceber nessa repart-
de 1 supplente do subdelegado do districto de Ca- gao Antonio Ferreira L'istosa, devendo porm esse
leude, 6 da freguezia do Bonito, e para o substi-; embargo ser feito as quantias que houveram de
tuir nomea o cidado Laurentino Antonio Pereira i ser pagas ao mesmo Luslosa no exercicio prximo
de Carvalho.Commuuicou-se ao Dr. chefe de po- ] vindouro, como V. S. indica em sua citada infor-
licia. I mago.
Dita.-O presidente da provincia attendendo aoj Dito ao commandante do presidio de Fernando,
que requereu Catharina Felicia de Geuva, mulher -Transmiti V. S., para os fins convenientes, a
do sentenciado de justiga Thomaz Antonio de Gou- inclusa relagao dos objectos embarcados bordo
vea, resolve conceder licenga a supplicante e a seu do vap>r Mamanguape, da Companhia Pernambu
ao mesmo conselho para seu conhecimento.Cora
mnnicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.Autoriso a Vrac, nos termos de sua in-
orraacao de 8 do correrte sob n. 58, a mandar um
de fazenda. conductor dessa repartigo a villa de Flores para
eucarregar-se da administrago, como pede a res-
pectiva Matara municipal em offlcio de 21 de feve-
reiro ultimo, da obra do melhoramerto da estrada
da Baixa verde, para a qual marcou a assembla
legislativa provincial 6:000.5000. (>mmunicou-se
cmara municipal de Flores.
Dito ao mesmo. Concedo a autorisagao que
Vmc. pedio ern offlcio ds hontem, sob n. 73, para
mandar vender era hasta publica urna porgo de
raadeiras velhas, que existe da parte desmanchada
da ponte da Boa Vista, segundo consta do citado
offlcio que fica assim respondido. Communicou-
se a thesouraria provincial.
Dito ao juiz municipal da 1J vara desta cidade.
Designando a Vrac. para fazer parte do conselho
de revista da guarda nacional, que se tem de reu-
nir no dia 20 do correrte para o fim declarado no
art. lii da lei n. 602 de 19 de setembro de 1850,
assim Ih'o communico para seu conhecimento e
fins convenientes. Communicou-se ao comman-
dante superior da guarda nacional do municipio do
Recife.
Portara O presidente da provincia, attendendo
ai_ que requereu Porfirio de Albuquerque Maga-
Ihes e tendo em vista a informago do director
geral da nstruegao publica de 14 do correrte sob
n. 73, resolve nomea-lo para o lugar que se acha
vago de porteiro do gymnasio provincial.
filho Melquades Antonio de Gouva, para irera ao
presidio de Fernanda, levando coinsigo os gneros
constantes da relagao junta assignada pelo secreta-!
rio do governo, nao podendo porm effectuar o
desembarque dos ditos gneros sem que por parte
do commandante do mesrao presidio se proceda a
exame para se verificar se ha agurdente ou outra
qualquer bebida espirituosa.
Dita.O presidente da provincia attendendo ao
cana, com deslino esse presidio.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recito.Remolame V. S., com brevidade,
para cumprunento de aviso do ministerio da justi-
ga de 14 de fevereiro prximo findo, um mappa da
toda a forga da guarda nacional aquart liada no
municipio dessa capital.
Dito ao mesmo.Cora as intorraagoes ministra-
das pelo commandante das armas em 13 do cor-
Contiuuaro do eipediente do secretario do governo
do dia 1-1 de margo de 1863.
N. 67.Offlcio ao pnmeiro secretario da assem-
bla legislativa provincial. Transmitto a V. S., de
ordera de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, e
em solugao ao seu offlcio de 10 do correrte, sob n.
19, para ser presente assembla legislativa pro-
vincial, a informago incusa por copia, em que o
Sr. Dr. chefe de polica declara que esto com
prehendidos na relagao que acompanhao seu offlcio
de 9 deste mez, sob n. 53, os recrutas vindos de
Caruar e (apreseutados naquella repartigo nos
dias 4 e 5 do correrte
N. 68.Dito ao mesmo. Transmiti por copia
a V. S., de ordem de S. Exc o Sr. presidente da
provincia, para ser presente assembla legislati-
va provincial, a informago inclusa por copia, pres-
tada pela repartigo das obras publicas acerca da
estrada do rio Ub Bojari na comarca de Goian-
na, a que se refere o offlcio de V. S., de 10 do reo-
rente, sob n. 20.
15 -
N. 69. Offlcio ao 1 secretario da assembla
provincial. Passo s mos de V. S., de ordera de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, para serem
presentes assembla legislativa provinciano inclu-
so orgamento da receita, que reinelleu a cmara
municipal da villa do Salgueiro com o offlcio unto
por copia, datado de 5 de fevereiro ultimo, no qual
expoe a mesma cmara as necessidades mais ur-
gentes de seu municipio.
N. 70.Dito ao mesmo. Solicitndome o se-
que requereu Jeronyma Maria da Conceigao, mu- rente sob n. 488, e commandante da fortaleza do cretarlo do bi.-pado desta diocese, em offlcio de 14
Iher do sentenciado Francisco Joanes de Sjuza, Brum, juntas por copia, respondo o offlcio de V. do correrte, que, quando se houver de pedir infor-
resolveconceder-lhe licsnga para ir ao presidio de S. n. 56 de 27 do raez passado, cora referencia a mages circuraslancadas acerca da creago de no-
Fernando no vapor da companhia Pernarabucana, outro do commandante do priraero batalhao de vas freguezias, se Ihe enve alguns exemplares im-
levando os gneros constantes da relagao junta as- artilharia da guarda nacional. pressos dos respectivos projectos, afim de que,
signada pelo secretario do governo, nao podendo. Dito ao commandanie superior da guarda naci- abrevindose o expediente, se possa com mais
porm effectuar o desembarque dos ditos gneros al de Olinda. Accusando a recepcao do offlcio de promptdo ministrar as necessarias intorraagoes,
sem que por parte do commandante do mesmo pre- V. S., de 12 do correrte, acompanhado de outro rogo V. S. se digne tomar era consideragao essa'
sidlo se proceda a exame alim de verificar-se se, era que o major commandanie da secgo da baia- requisigo, afira de opporlunamente hablltar-me a
ha agurdente ou outra qualquer bebida espiri- Ihao da reserva da guarda nacional do municipio satisfaz la.
tuosa. de Olinda, bacharel Jos Cardozo de Queiroz Fon-
Dita.O presidente da provincia resolve nomear' seca, antavendo a necessidado que tal vez se d de
provisoriamente o coronel de estado-maior de 2* aquartellar o nono batalhao de infartara tora do
classe Antonio Gomes Leal, para comraandar o cor- mesmo municipio, oOerece os seos servigos eos
po de Voluntarios da Patria at a sua apresentago dos offlciaes e pragas da mesma secgo naquella
ao governo imperial. lucalidade, por todo o lempo que forem necessa-
Dita.O presidente da provincia resolve nomear nos, e independente de quolquer vencimento a que
provisoriamente o capito de cavallana Manoel por ventura tenhara direito, tenho a dizer-lhe em
Porfirio de Castro Araujo para servir o posto de resposta, que agradego e louvo to patritico offe-
maj)r do corpo de Voluntarios da Patria at a sua' reciraento, a qua opportunamenle ser este apro-
apresertacio ao governo imperial. veitado. Comniunicou se thesouraria de (a-
Dita. -Os Srs. agentes da companhia Brasileira, zenaa.
de paquetes, mandem dar transporte para as Ala-. Dito ao Sr. Fraocisco \a,vtar da Costa Aguiar e
N. 71. Dito ao mesmo. Passo por copia s
mos de V. S., de ordem de 9, Exc o Sr. presi-
dente da provincia, para ser presente assembla
legislativa provincial, a informago qua prestou o
Exm. vigario capitular desta diocese acerca do pro-
jecto n. 33 do anno passado, creando nesta cidade
do Recife urna freguezia com a denominago de
Capunga.
Fica asssm respondido o offlcio de V. S. de 8 do
correrte sob n. 14.
N. 7t.Dio ao mesmo. Rogo V, s. se digne
de enviar-me alguns exemplares Impresos dos pro-
jectos n. 4 e 79, allm.de poder satisfazer urna re-
mos nos meios de prestarmos ao paiz os servigos
pecuniarios que todos Ihe devemos, cada ura na
proporgao de seus recursos e de sua boa vontade.
Deliberamos pois com calma, com reflexo, inspi-
rados nicamente pelo patriotismo, e nSo'pelo es-
pirito de partido. Lerabremonos sraente de que
somos Brasileiros, e de que a patria espera que
cumpramos nosso tfever como cidados.
Tres rousas sao necessarias para a guerra, di-
zia o grande Conde, dinheiro, dinheiro e dinheiro.
Com dinheiro oblem-se soldados, armamento, na-
vios, cavallos, trera e petrechos bellicos. Com di-
nheiro at adquirem-se alliados. A Inglaterra,
apezar de sua diminuta populagao pode sustentar
a gigantesca luta do 20 annos contra Napoleo,
porque com seus grandes recursos finaneciros
achou-se habilitada nao s a crear e manter collos-
saes armamentos martimos, mas assalariar e sub-
vencionar poderosos alliado?, que nunca Ihe falta-
ran), segundo as circunstancias.
E' pois de dinheiro de que mais precisa o paiz
na presente lula. Homens nao Ihe faltam : sua
populagao permitle-lhe levantar um exercito de 80
ou 100,006 homens, com lano que existan) os re-
cursos financeiros para sustntalos. O ardor com
que de toda a parte corren) voluntarios offerecer
seus servigos patria, indiea que por falta de sol-
dados nao se deixar de formar um grande exer-
cito. Crdito tambera, felizmente, nao falta ao
paiz, para levantar interna ou externamente as
sommas necessarias. Entreaoto, como leremos
necessidade de recorrer ao crdito por mais de urna
vez, a por avalladas soturnas, necessario que
coadjuvemos o governo com os meios que estive-
rem a nosso alcance, afim de que o mesmo crdi-
to nao se enfraqnega, e por fim nao se inutilse de
todo.
c Como, porm, poderemos auxiliar o governo
na presente crise ? Dous meios primeira vista se
olTerecera para este fim : urna subscripgo para
donativos voluntarios, ou um emprestimo aberto
em todo o imperio. Quai destes meios ser o pre-
ferivel ? Examinemos.
Se o governo achar facilidades em levantar no
estrangeiro as sommas necessarias, com vantajo-
sas condigoes para nosso crdito, emendo que ah
quo-se devem buscar os meios para a guerra.
Paiz oovo, com poucos capitaes dispeniveis, pre-
cisando desenvolver os grandes recursos que a na-
tureza Ihe liberalisou; convem antes ao Brasil
imporlar capitaes nao s para este fim, mas tam-
ben) para as despezas improductivas da guerra,
do que desviar da lavoura, do coramercio e da in-
dustriados poucos capitaes que possuimos. Se, po-
rm, nao forem aceitaveis as condigoes com que
se possam contrahir emprestimos no estrangeiro,
son de opinio que o governo deve recorrer a um
emprestimo nacional em todo o imperio, abrrado-
se urna snbscripgao em todas as povoages mais
consideraveis do mesmo, para emisso de apolices
da nossa divida publica.
Nao este o meio geralmente usado para se
emittirem ttulos da divida publica em todos os
paizes. Ordinariamente contrata o governo cora ama
casa commercial, um banqueiro ou urna associa-
go, a emisso de urna certa sorama de ttulos, por
om prego qnasi sempre abaixo da laxa do merca-
do! Oconiratador vende depois em detalhe e por
maior preg estes ttulos para aquelles que defini-
nitivamente os querem para emprego de capital.
Luiz Napoleo, porem, que tantas e to uteis inno-
vagoes tera realisado em Franga, afastou-se deste
precedente, 6 as duas nicas occasiSes era que
precsou recorrer a emprestimos na guerra da Cri-
mea e na da Italia, abri ama subscripgo em lodo
o imperio francez, da primeira vez pela somma de
700 milhes de francos, e da segunda pela de 500.
Em ambas ellas tal foi o fervor publico em sub-
screver o emprestimo, qu* a subscripgo excedeu
quatro ou seis vezes o capital exigido.
< Por que nao seguir o governo este to autori-
sadoexemplo? Ter recelo de qae nao prodaza
bom resultada urna tentativa felta neste sentido ?
< Nao tenho tal recelo, sobretodo porque vai-se
abrir o rapreslimo em ama poca de patriotismo
e de enthusiasmo, em que todos os Brasileiros es-
to dispostos a fazer toda a casta de sacrificios.
Por outro lado, nesta hypothese, nao se trata de fa-
zer sacrificios, mas de collocar seu dinheiro cora
rauta garanta em fundos pblicos, e ao mesmo
tempo presta-se ura servigo ao paiz. Em todo o ra-
l
-Xi_

#r-i


"BMBBHBMM
t
E
Mario de 7rrn\mlinco Segunda fslra 80 de ttarco de S &.
> fructo 8 baiM\Teneues Luiz Ca lilho d* Aginar, 01
lisfocao \ irior Modesto fir^.T; altores Joaquim Marl Sea- juiz ma
limar o bra. Amonio Carlos Francisco de Si. provine
raes.
so, ainda que a tentativa nao preditra todo o res-.il- lempo vamos realisado ebem empregado o fructo
lado desejado, algura sernpre se obierj, e o gover- de nossos sacrificios e cuidados, alm da saii
no ficara livre para recorrer s uperagoes ordina-, do um seniimenlo constante, que deve anim
ras do cre^O. homem, que a candade. fr batalhao.-Tenente Feliciano Ignacio de An
Quanto mimy acho o empres.Um.0 nacipnal, Que, levada avanle a idea do Asyl de lnvali-1 drade Maia ; alferes Clementino Pereira dos lassos
preferivel a nma subseripgio. A subscripgo nao dos, que o Sr. Dr. Furqalm bem denomina de Cavalcanti.
pode dar seno mesqumho> recursos para as gran- Asylo de Invlidos da Patria, tem levantado no paiz 10 batalhao. Alferes Joo do Reg Barros
des neco-sidades da guerra. O (Jqo ple prodazir, um verdadeiro padro de gloria, que alm de at- Francisco Borges de Souza.
urna subscripto nesta capital, e-mesmo efh todo o' tesar no fatnro as ideas do nosso patriotismo, te- 12 batalhao. -Tenentes Manoel Francisco Soa- no e castro "do "cargo de elle fe d'pocida prvin-
Imperio? tant.) ou ainda menos do que a que Se; r para a qnestao actual de servir de monumento res, Jos Ferreifa de Campos Jnior, alferes Aure- ca de S. Paulo ;
realis-u por occastao t^ qneslao ingleza, 1,600 ou'em como no anuo de 1865 tomos impellidose pro- llano Viegas de Oliveira. ( O barbare! Jos Alves dos Santos Jnior, do
1,800:0003. Ora, de que serve esta sorama, qnan- vocados a orna guerra santa e justa, onde nossas | 13 batalhao.Tenentes Pedro de Alcntara da lugar de juiz municipal e de orphaos do termo de
do o paiz precisa de vinte, trifila, quem sabe se de arma* foram victoriosas, porque, exclama o ora- Silva Monrlaro, Francisco Carlos da Costa Aguhir; Casa Branca, na inesma provincia ;
J0,000:000i5 p: ra cubrir o dficit e ao mesmo tem-; dor, tenho f que a victoria ha de ser nossa desde alferes Anacleto Ramos de Abreu Carvalho Con-! O baeharel Joo dos Santos Neves do logar de
po acudirs exigencias da guerra? que pugnamos sob o estandarte da civilisago, e trelras, Quinlrao Vieira da Silva, Jos Correa juiz municipal e de orphaos dos termos de S. Ma-
0 bacharel Auielisno i|.< AzcveJo Monteirn,
mcipal e de orphaos do termo da Serra, aa
provincia do Espirito Santo, fleando sem effeilo o.
decreto de 2 de abril do anuo passado, que.o no- po, dando o Ulm. Sr. Dr. chefe' da mesma previ-1 "*?; r*8" S,^',,, ,
meou para o termo de S. Romio, na de Minas-Go- dencias que o caso exigia, expedindo portadores e, Z*ZV? S?22H?1
I boatos, que roailos suppunham e iam tomando
vulto na cidade
A polica tomou todas as precaugoes em tem-
po, dando o Ulro. Sr. Dr. chefe da mesma previ-
0 Sr. Araujo Barros impugna
sentada.
O Sr. Prbsidbntb declara addiada
a emenda apre-
discuss.o
para ordem do da 20 : continoago da mesnia c-
Foram concedidas as demissdes que pediram ;
O jtfiz de direito Olegario Hercnlano de Aqu-
fazendo reeorameudagoes, segando nos consta, afira; &- ~Q "'
de se tirar a limpo todo o occorndo. v '
de se urar a limpo
PERNAIvIRUCO.
ASSRXBLEl PROVINCIAL.
0 paiz precisa nao de pequeos donativos, mas i nunca a civillsagao ntrou em lula
de grandes rei'ursos,
que s o crdito por esta ou
por outra forma Ihe pode fornecer.
t Por outro lado urna subscripto de donativos
depois da cri sar, punco resultado produzir. Embora seja gran-
de o patriotismo, se os recursos nao corresponde-
rn, o resultado ser pequeo. Cada um calcula-
r as necessidades de sua posigo e somente dar
aquillo que de todo nao Ihe fizer falta. Pelo con
trario, tratando-ce de sobscrever para nm emprego
seguro e garantido do capitaes em fundos publ-
com o barba-
completo
ri. nio que nao obtivesse o mais pleno e
Iriumpho.
Que pedia licenca para lr a sna proposta, que
sujeitavaa considerado dos conspicuos e honra-
dos membros que se achavam presentes.
Lida a proposla do Sr. Dr. Thomaz Alves Jnior,
e sendo sujeita ;i volago por arligos, a requer- nio
ment do Sr. Debcleriano Bruce, foram approvados! da Silva,
os seguintes : Corpo de guarnicao de
1. Que a commisso da praga do commercio Francisco Vctor Bptista.
^Ji^V Vieus e Barra de S. Matheus na provincia do Espi-
liatalhao de capadores de Matlo Grosso.Teen- rito Santo,
le Nuno Anaslacio Monteiro de Mendonca; alferes | Pirt designada a segunda vara erime do muni-
Virgilio Prceopio Paes de Barros. ; cipio da corte para nella ter exercicio o juiz de di-
j pnr si e por delegados de sua nomeacao promova| Corpo de guarnicao do Cear.Alferes Mario com o respectivo sold e as honras do pos-.o de se-
cos, cada um dar ludo quanto poder dispensar de em todo o imperio urna subscripcao, para a qual Severo da Rocha. gundo lente da armada, o mestre de primeira
sen negocio ou industria, ou ludo quanto ti ver ac-, serao convidados nacionaes e estrangeiros.^ j ^ Corpo de guarnicao de S. Paulo.-Alferes Manoel. classe do corpo de offlciaes marinheiros, Jos Al-
ves, nos termos dos arligos 22 e 23 do regulamen-
l* SESSAO EM 18 DR MARCO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PEREIRA DE BIUTO.
ao meio da, feita a chamada, achamse presen-
tes os Srs. deputados Maranhao, Araojo Barros,
Souto Lima, Gongalves da Silva, Teixeira de Mello,
Nabor, Joaquim rio Rejjo Barros, Ribeiro, Netto,
Brandan, Pereira de Brito, Aminlhas, Loureiro,
rato de Mallos juiz municipal e do' Diodoro, Arminio, Buarque, Francisco Pedro, Ra-
j orphaos do termo da Serra da provincia do Espiri-! mos, Braulio, Jos Maria e Silveira Lobo.
Minas-Geraes.Alferes \ to Santo. O Sr. Presidente abre a sessao.
Por decreto de 4 do correte, foi reformado Comparcceram depois os Srs. Drummond, Aqu-
no Fonceca, Silva Barros, G. Campello, Cun'ha Tei-
xeira, Jacobina, S Pereira e Bptista.
Procede, se a le tura da
BatalhSo de eacadores de Goyaz.Tenente Joo reito Olegario H-rculano de Aquino e Castro.
Francisco da Costa Estrella. a Foi declarado sem effeito o decreto de 14 do
Batalhao de eacadores da Babia.Tenente Anto- mala do ann passado, que nomeoa o bacharel
io Flix de Figueiredo; alferes Jos Vicente Luiz Francisco Libei
mensali
res. .Nao duvido de maneira alguma que assim zer parle, concorrendo as socios com a
seja. Mas a que preco se poderao emitir nesia dade que quizerem ou puderem.
pra?a mais do 10, 15, ou 20,000:0005 de apolices? 4. Que esta sociedade flcar desde logo sob
A que preco cahiram as que j existem na a immediala proteceo de S. M. o Imperador, seu
circularlo ? Nao ser mais vanlajoso distribuir presidente nato, a qoem compele designar em sna
por todo o imperio as que se Uvereai de emittir,: sabedoria qual o individuo que a deve dirigir de
aflin ile que ellas absorvam todas as economas que harmona rom um conselho composto dos socios, cirurgio do corpo de sade do exercito.Decreto
nao acliam emprego seguro no interior do paiz, e; sendo um e outro servico todo gratuito. | de 17 do dito mez.
nao venham pesir sobre o mercado da capital j
taw subrecarregado ? Ser conveniente que esle
o. Que essa sociedado tratar de capitaiisar
o producto da subscripcao para edificar o hospicio
to aonexo ao decreto n. 3,208, de 21 de dezembro
de 1863.
t Por decreto de 7 do correnle foi perdoada ao
soldado do batalhao naval, Jos Alexandre do Nas-
cimento, a pena em que incorrea pelo crime de
terceira desergao simples.
L-se no Corrtto Mercantil:
t Os directores do banco do Brasil olfereceram
para as urgeqcias d,o estado 6:0005000.
O governo acceitou e agradeceu tao generosa
offerta.
A'cerca de commercio enco nlramos o se-
guinte nos jornaes de 11 :
t Cambio.Ioclnindo as pequeas operacoes
j effectuadas hije, sommam ossaqoes fechados pelo
e appro-
. o^ a ieitura da acta da sessao antece-
cumulado de ecooomias, que depois da catastmphc! 2. Que essa mesma rommis.-ao convide a ou-. Chmaco dos Santos Sdlza.
bancaria em que tanto soffreram, estimaram en- Iras que j existem para que adbiram ao sen pen-1 NomeafSes. Do Exm. Sr. brigndeiro Solidonio
contr r tao bom emprego. samento e tratem de recolher em um s deposito o Jos Antonio Pereira do Lago, para commandante
c Mas dir-seha : se para se obter dinheiro para producto de seas esforcos e trabalhos. ; interino do corpo do estado-maior de 1* classe Em
a guerra necejsario emittir apolices da divida 3." Que, realizada a snbscripgo, seja o seu 16 de fevereiro findo.
publica, nao ha necessidade de abrir tun empresti- producto entregue aos cuidados e admiiiislraco, Do Exm. Sr. brigadeiro Jos da Victoria Soares
mo em lodo o Imperio; basta que o governo as de urna sociedade, que se formar de todos es na-' de Andrea, para ir servir no exercito em opera-
queira vender, que aqui mesmo achara comprado- cionaes e estrangeiroS que da mesma quizerem fa- eqcs no Estado Oriental do Uruguay.Em 16 do I
dito mez.
Dos Srs. tenentecoronel da cavallaria Manoel'
Pedro Drago, para commandante das armas da
prefnela de Mallo Grosso.Decreto de 25 de feve-
reiro findo.
Doutor em medicina Jos Carlos Mariani, para 2o
Tenente do corpo de estado-maior de 2" classe I paquete ir.glez'Pan/nd .
Jacinlho Candido da Silva, para o lugar de agente I t Sobre. Londres S 620,000 a 25 3iV 23 7i8, 26,
mercado, ainda soba pressao da caiastrophe de 10 ou asylo de invalidos.onde serao rccolhidos-e trata-j do laboratorio pyrotechnico do Campioho.Porla- f26 l|8 e 26 l|4 d.
do setembro, tenha de distrahir dos canaes poron- dos os sevidoresdo,paiz que por sua velhice ou, ria de 24 do dito mez. < Sobre Pars, 1,800,000 a 363, 66,67,68 e
de alimenta o commercio e o lavoura do sul do im- muiilaco na guerra nao poderem mais prestar Demisso do servigo militar.Foi concedida ao j 70 rs.
perio urna tao elevada somma como a que se hade servico, e onde se dar' educacao aos orphaos, fi- i Sr. '2o cirurgiaj do corpo de sade Dr. Joao Da-1 < Sobre Hamburgo : 600,000 m. b. a 687, 00 e
pedir para a guerra 1 Por outro lado nao eviden- \ Ihos de militares mortos em campanha, ou mesmo i masceno Peganha da Silva.Decreto do 17 de ].93 rs.
te que, distribuido o emprestimo por todo o impe-; quando destacados em servigo das armas. I fevereiro ultimo. Sobre Lisboa e Porto tem regulade ltimamente
rio, peuco ou nenhuma presso exercer sobre as
apolices em circulago, deixando livre a mainr par-
te dos capitaes de>la praca ernpregados no com-
mercio e na lavoura do sul do Imperio ?
Se esle meio fr adoptado, esla assembla re-
presentar ao governo que esi prompla a tomar
da nova emis>o de apolices o numero com que a
cada um de seus membros subscrever, emitiindo-
6. Que essa sociedade com as rendas do seo I Exonerarles. Dos Srs. coronel do corpo de es
capital e dad'vas de seus socios far as pensoes tado-maior de 21 classe, Francisco Xavier Torres,
que couberem em suas torcas s mais, viuvas e do cargo de inspector dos batalhoes 3o de arlilha-
filhos dos militares ou mortos, ou impossibilitados ria, 5o e IIo de infamara, do corpo de guarnicao
do servigo em combale. : do deposito de arliges bellicos da provincia do Ma-
O Sr. presidente declarou que, sendo a commis- ranho.-Aviso de 17 de fevereiro lindo,
sao da praga incumbida de tarefa lo importante,' Tenente reformado Jos Leite Pacheco, do lugar
eonyjria que se decidisse qual a marcha que de-. de agente do laboratorio pyrotechnico do Campi-
as o governo por um prego razoavel (pelo prego que veria adoptar para seu bom desempenho. i nbo.Portara de 24 do dito mez.
obtiverem na occasio.) Para este lm abrir-se-ha O Sr. Dr. Thomaz Alves Jnior respondeu que: Transferencias.Dos Srs.: capito Antonio Ma-
nma subscripgo em que tomaro parle todos os confiava inleiramenle no zelo da commisso e dei- ria de Castro Delegado, do 2o bilalhao de infanta-
xava ao seu arbitrio os meios de realizar o voto da
assembla.
O Sr. presidente agradeceu a bondade com que
havia sido atiendido o convite da commisso, e le-
vaniou a sessao.
ra para a 3* companhia do 9o batalhao da mesma
arma; e Joo Antonio Cardoso, deste batalhao para
a 2' companhia daquelle.Decreto de 17 do cor-
rente mez.
Alferes do 9o balaibao de Infantaria Jorge Caeta-
qne nella quizerem ioscrever seu nome alein dos
membros desta assembla, e at estrangeiros. O
governo determinar a maneira pratica para o re- ;
cebimento do dinheiro em prestages e para entre-
ga dos ttulos.
>e porm este meo nao for adoptado, se esta | 27 no de Sotua Couceiro para o corpo de guarnigao de
Ilustre assembla entender que devemos concor- Pelo ministerio da guerra foi expedida aos pre-! S. Paulo, e Jos da Costa Monteiro, deste corpo para
rer desde j com alum donativo para as urgenrias sidentes de proviocias a circular seguinte : i aquelle batalhao. Em 13 do correnle mez.
do estado, resta saberse cumpre-nos entregar o Sendo intuitiva a conveniencia de simplificar -sel Do Io sargento do batalhao naval Francisco Bor-
producto da subscripgo ao governo para incorpo- o expediente das repartgoes publicas, e podendo ges de Souza para o Io batalhao de Infantaria, no
ralo s rendas do estado e dar-lhe o destino que acontecer que, na affluencia do servigo, escape de mesmo posto Aviso de 12 do corrente mez.
julgar mais conveniente, ou se anies preferivel ser tomada em considerago por esla secretaria de | Licengas concedidas.Aos Srs.: 1 lente do
que fagamos isla subscrigo para um fim especial estado a ollera de algum militar, empregado pu- i corpo de engenheiros Sebastio Antonio Rodrigues
e determinado blico ou simples cidado, que com louvavel pa- Braga Jnior dous mezes em prorogago da com
t Sobre esle ponto nao me demorarei muilo tem- triotismo se tem apressado a contribuir para as que se acha ua Europa.Era. 16 de fevereiro
po : apenas fare algumas ligeiras consideragoes despezas extraordinarias da situagio ; Hca V. Exc. i findo.
para fundamentar urna idea que live a respeito do autorisado a providenciar para que taes offerlas se 2 cadete sargente-ajudante do 10 batalhao de
destino da subscripgo que tratamos actualmente tornem immediatamente effectivas, independente infantaria Tude de Andrade Gomes, tres mezes
de realizar. de ordens especiaes do, ministerio a meu cargo, | com sold e etapa, 'para tratar de sua saude na
Cuno esl ao alcance de lodos que urna subs- averbando-as as guias dos offlciaes, que seguirem provincia da Babia, onde se acha.Em 16 de feve
cripgo do donativos voluntarios poucos ou quasi para fra dessa provincia. A tbesouraria d fa- reiro (Indo.
nullos recursos pecuniarios fornecera ao governo zenda conservar em deposito, at terem o conve- A lincenga de quatro mezes concedida tem ordem
par as grandes necessidades da guerra, e que es- niente destino, as quantias arrecadads por :>quel do dia n.-433 ao Io sargento do asylo de invallidos
les o crdito Ih'os pode dar em larga escala, jul- la forma das quaes remetiera' mensalmente a ola da corte Verano da Rocha Wanderley, com sold
gu que o producto da subscripcao que vamos rea- secretaria de estado urna relago, com esp> ilica- e etapa.
litar deve ter urna applicagao especial, de elTeito gao dos offerentes. Menagem.Ao Sr. alferes do batalhao de caga-
mais visivel, mais palpavel, mais immediato, por Io de margo. ; dores da Baha, Deocleelano Augusto Colho dos
exemplo, a instiluigo de um asylo para os pobres, i Alguns nelos e netas do Sr. Antonio Alves Has-; Santos, foi concedida esla cidade por mena-
paraos doudos, para os surdos, mudos, paraos los, capitalista desla praga, foram ante hontem jgem.Em 14 do corrente mez.
cegos, para os orphaos, mesmo promuvem-se ac- casa do Sr. chefo de diviso Dr. Mtirelles, ciror- O resultado dos exames praticos feitos naconfor-
tu*iiiivnia aiu e em aurrenlo* partos do imperio iao-rar da armada, entregar-lhe urna porgao de mdalo dos aris. 28 e 30 do regulamentoide 31 de
sociedades para fundar monle-pios para as viuvas (ios que, em horas dadas aos seus brincos inran- ~
e orphaos dos que perecerem na guerra ; mas nin- tis, lioham preparado para os feridos do nosso
guem se lembrou do preparar um asylo para aquel- exercito em campanha.
les que vo expor sua viJa no campo da batalba i Cada qual trazia com a sua dadiva urna quadra
para defender a patria da aggresso de inimigos que trauscrevemos apenas com a expresso singe-
exiemos, ou que a expoem para manler no paiz a la dos sentimenlos dessas eslimaveis enancas :
ordem e as instituigoes |iublicas, de que depeode a |
Trabalhamos incessantes
Para os fios aprompiar
Pedindo-vos que os mandis ,
Para os feridos curar.
{Leomdia Bastos.)'
Sera o nosso desejo
A chara patria ajudar,
Mas como somos criangas
Fraca offerta vimos dar.
(Luiz Zamilh.)
E' de fios nossa offerta,
Mas dom do coragao ;
Fios que ligam nossa alma
Ao destino da nago.
(Luiz Bastos.)
Xo causa admirago
Que nos, ainda pequeos,
Pressurosos offerlemos,
Os trabalhos do serao.
(Emilia Bastos.)
Os nossos fracos Irabalhos
Vos entregamos sem pejo,
Se inda nos falta a idade
Nao nos fenece o desejo.
(Alberto Zamilh.)
Brasileiros, eia, vaute
Os goerreiros animai,
Que a cusi de seu saogue
Atacam o Paraguay.
(Margarida Zamilh.)
3
Da ordem do dia n. 337 espedida pela reparti-
Assim, j-ou de opiniao que opiniao que o pro- gao do ajudante-general, extrahimos a seguinte re-
ducto da subscripgo que raamos de aahsar se- lagao dos Srs. offlciaes subalternos ltimamente
ja destinado para o estabelecimento dt um asylo promovidos e que sao distribuidos pelos differen-
para o soldado que se inutilisar no servigo do esta- tes corpos do exercito
do, o qual se intitule asylo dos invlidos da pa- Armas de artilharia.'-1 regiment.-1 lenle
ira -. Tem a Fraoga o seu monumental hotel dos Jacinlho Machado de Biltencourt, 2 tenente Jos
invlidos ; possue a Inglalerra o seu magnifico Clarindode Queiroz.
as laxas seguintes:
112 a 113 por cenlo. a vista.
110 a 111 idem.....a 30 das.
109 a 110 idem...... a 60
Apolices.Negeciaram-se hoje as geraes
0|0 a 91 0,0.
t Desconios.Conservam-se nos bancas
0|0, e na praga de 9 112 a 11 0|0.
t Metaes.Exportaram-se desde o i. do coaren
te os valores seguintes :
Destinos Ouro Prata
P Moeda Moeda
Southamp. 11:882^400 i $
Lisboa... i 15:182-5 2:8845
Porto.... 5 3:9895 5
New-Y... 5 9:6005 5
Pernamb. 5 5 16:5005
de G
a 10
Papel
Moeda
126:0005
i Total 11:8825400 28:7715 19:4845 126:0005
Caf.As vendas boje (arara insignigeantes.
As vendas realisadas desde a parlida do paquete
francez Bearn, sommam :
Para os Estados Unidos.......... 47,000 saceos
o Canal e norte da Europa.. 39,400 ditos
t o Mediterrneo............. 15,700 ditos
t o Cabo da Boa-Esperauga 3,600 di/os
seguranga de nossa vida familia e tortuna. No
cumprfmento desles sagrados, mas perigosds deve-!
res, muito* dos que escapan) com vida, licam mu-
litados, estropiados, adquirem enfermidades inen-
raveis e licam inhabilitados de proverem a sua
sub.-istencia.
O mesquinho sold que o estado Ihes fornece
de pouco vale ; e o pobre soldado que arriscou
sna vida e ficou muito mutilado defendendo seu
paiz, v-se obrigado a recorrer caridade publi-
ca para nao morrer de fome. E' vergonhoso para
urna nagao que aspira aos foros de civiusada nao
ter ha mais tempo tratado de fundar ura estabele-
cimento desta ordem. Lonsta-me que ha na Praia
Vermelha urna cousa que se intitula asylo de inv-
lidos, mas lo mesquinha que nao merece ser
mencionada.
t Temos fundado palacios para os indigentes,
para os doudos. para os surdos-mudos, para os ce-,
gos, ele, etc. O hospital da Misericordia e o hos-
picio de Pedro II sao dous monumentos no seu ge-
nero. E' digna de louvores e de subido aprego a
caridade qire tem por fim soccorrer os desherda-
dos da especie humana, quem quer que sejara ;
mas com qianta raaior razo naj devemos soccor-
rer aqti lies que se tornaran! desgragados no ser-
vigo da patria ? Os primeiros sao apenas desgra-
gados, que merecem sira loda compaixo, mas a
quem a patria nada deve : os segundos sao desgra-
nados a quem a patria deve soccorro e asylo, por-
que no servigo della que se lornaram desgra-
gados.
Total.................. 105,700
< As ultimas rotagSes foram :
Para os Eslados-Umdos......... 65300 a
o Canal................... 65100
t o Mediterrneo............ OjMOO
o norte da Europa......... 65800
a E para as qualidades separadas
ditos
65650
65300
65300
75000
Lavado.
Fino.......
Superior...
1.a boa....
* 2' boa....
1" ordinaria
2" ordinaiia
75601
75100
6900
54000
35700
65100
55500
85V00
75200
7J0M
65600
G50O0
65200
55000
Ha em seo 90,000 saceos.
Chegou hoje (li) de Pernambuco, com 11
margo de 1831 foi o seguinte :
Arma de iofanlaria.Corpo de goarnigao de. Mi- das, o bfigue Beluario.
nas-Geraes. -Approvados plenamente : os Srs. te- Para este porto ficam carga : o patacho Va-
nenie-ajudanle Antonio Eneas Gustave Gal vio,; lente e a escuna hanoveriana Gersina.
teneniu Pedro Francisco de Toledo Ribas. B.un* Fallecer o epposilor da Facnldade de
Approvados simplesmcnle : os Io" sargentos Joa Medicina Dr. Antonio Alvares da Silva,
quim Alves das Neves e Silvestre de Sooza Ra- j L se no vtrio:
mos- Consta que amanha (17) a tarde seguirao pa-
OSr 1" cadete i' sargento Bibiano Jos Teixeira [ra o Rio os voluntarios da Baha e de Sergipe.
Ras e 2" sargento Pedro Pereira Nunes. ABrmam-nos que o corpo do commercio prepara-
Londecorago.Foi nomeadocavalleiro da ordem separa urna grande manifeslagao de jubilo por
de S. Bento de Aviz o Sr. capilo, do corpo de esse motivo, c que fechar as suas casas n'essa
guarnigao da provincia do Espirito Santo, Joao da tarde.
Silva Nazareih. Decreto de Io e diploma de 4 do t Parece que por parle de loda a popugao desta
fevereiro findo. cidade haver indisivel enthusiasmo com a parti-
Desigoagoes de reforma.A do Sr. capilao do 4 da desses bravos que vio dar a vida em defeza da
batalhao de infantaria Guilherme Herculano de
Medeiros, no mesmo posto, vencendo viote e urna
vigsimas quintas partes do respectivo sold pela
R8IISTA DttHA
1 batalhao. i" tenente Joo Bptista Marques
da Cruz; 2o" lenles Guilherme Greenhalgh, Fi-
lilo Gomes de Araujo, Vicente Polvdoro Fer-
reira.
2o batalhao.1" tenentes Joao da Gama Lobo
Bentes Juvenis, Honorio o' Teixeira ; 2o* tenen-
tes Benjamim FraDklinde Albuquerqne Lima, Gus-
tavo Adolpho Ferreira Fortes.
3 batalhao.Io tenente Adriano Xavier de Ol-
hospital de Groenwich ; porque nao termos nos em
poni mais pequeo o nosso asylo dos invlidos
da palria ?
Adoptada esta idea, deve-se nomear ama com-
missiio que agencie a collecta de donativos, a qual
depois se entenda com o governo sobro o raelhor
meio de se fundar o referido asylo.>
Oblendo depois a palavra, disse o Sr. Dr.Thomaz
Alves Jnior o seguinte :
Que havia feito um protesto de ter urna vida re-1 vefra1?ime"ntel ; 2- tenentes Francisco Raymuodo
lirada mas que se julgava obrigado a quebrar esse Ewerton Quadros, Amme Francisco de Paula
protesto e a vir Jwje expender suas ideas nesta Hollanda Cavalcanii de Al'buquerque, Albino Ro-
conspicua reuniao, pois que era esse o seu dever sire
de Bra.ile.lro, a que devia obedecer 4 "batalhao-1-lenles Jos Maria dos Anjos
Que, logo que alguns negociantes haviam pedido Esposel Jnior, Joaquim Teixeira Peixotode Abreu
eslareun.ao, e que a illusire commisso da praga Lma 2 tenente Dionysio Elisario Pereira.
havia tollo o convite, elle-orador se congratulara 1 Corpo de Matto-Grosso.-l' tenente Jorge Din.z
com o seu paiz por ter-se manifestado urna inten- de Santiago ; 2 tenente Carlos Edoardo Saulnier
cao que elle approvava. de perreleve,
Que, cogitando qual o meio mais proficuo de oc- Corpo do Amazonas.-l' tenente Amphriso Fia-
correr as necessidades palpitantes da s.tuagao, |ho ; 2 lente Aognsio Jos de Abreu.
acredilava que nenhum podena ser mais proveito-; Companhia de arlifices de Pernambuco.-1 te-
so do que urna subscripgo em lodo o paiz, para nente Francisco Jos dos Santos.
taoella do 1 de dezembro de 1841 e lei de 14 de
julho de 1853.Patente de 8 de agoste do anno
prximo passado.
A do Sr. alferes do 4o regiment de cavallaria
llgeira Joo da Silva Furlado, no mesmo posto,
vencendo dezesele vlge*imas quintas partes do res-
pectivos Joldo, pela tabella e lei sima cita-
das.Patente de 26 de setembro do anno prximo
passado.
A do Sr. altores do 9o batalhao de infantaria Tho-
m Gomes Vieira Lima, no mesmo posto ven-
cendo o respectivo sold por inteiro, na conformi-
dade das leis do Io de dezembro de 1841 e 14 de
julho de 1855.Patente de 25 de setembro do anno
prximo passado.
A do Io sargenteado corpo de artilharia de Mallo
Grosso, Manoel Simoes Henriques, no posto de
alferes, vencendo o respectivo sold por Inteiro,
pelas leis cima citadas. Patente de 24 de outobro
do anno prximo passado.
com o seu
lidos.
producto levantar-se o asylo de inva-
Arma de cavallaria.2o regiment.Alferes Ju-
vencio Jos Fraga e Antonio Jos Pereira Jnior.
i regiment.-Altores Antonio Adolpho da Fon-
toura Menna Brrelo e Francisco da Paula Adu-
nes Hudson.
3o regiment. Tenentes Bodrigo Nones Galvao
Fruclooso Sa-
Que tolga e enche-se de prazer ouvindo ler que
essa idea alimentada por rauilos, e acaba de ser
enunciada pelo illusire Sr. Dr. Furquim de Almel-
da, e que portante offerecendo a sua proposta re-
coohece que ella s tem por fim dar forma mes- i e Germano Jos da Rosa e alferes
ma idea. ; mrnino de Abreu.
Que todos so acham de accordo era que com o' Companhia do Faran. Tenente Melchiades
producto de urna subscripgo para a guerra pouco Lourenco dos Santos.
adianlam 110 auxilio qne prelendem dar, e que no Arma' de infantaria. 1* batalhao Altores Ret-
entante na idea enunciada da creago de um asylo: vecio Muniz Telles de Menezes, Antonio Carlos da
tem toto ura relvame servico, e prestado auxilio Silva,
ao estado. j 2o batalhaoTenente Jos Raymnndod'Andrade,
Que um estado tem o dever de cuidar na sorte. Laurenlino de S. Pedro Neves.
do invalido, da viuva e orphaos do soldado, e qoe1 3o bala I ho.Tenente Francisco Xavier Paes
se o nao faz com a franqueza neeessaria isso de- Brrelo, altores Ulysses Augusto de Alhnquerqoe
vido falta de recursos, porqae estado .novo nao- Salles, Augusto Zeioler.
tem os imios precisos para aeudir a lodos os recia-' 4 batalhao.- Tenentes .Manoel Fernandes dos
mosqoeselhe fazem, e por isso nio podemos fa- Santos Franco, Frederlco Carlos Osar Burlamaque; gues, juiz municipal e de ornhios dos termos
zer aecusagao ao governo, qualquer que elle fosse; alferes Joo Severiano Maciel da Costa, Tnslo Ma- Sanios e S. Vicente na mesma provincia
o, sendo assim, que era claro e palpitante o serv-; noel de Freilas, Tristo Florencio do* Sanies. | O bacharel Francisco Antonio Ferreira vuiz
co qae prestovam, pois qo'e assim hablHiavam ao I 6o batalhaoTenente Antonio Pedro da Silva, municipal e de orphaos do termo de Silvelrs na
overno a cumprir um dever que era sagrado e alferes Raymnndo Pedro da Conceigo, Luiz Borges mesma provincia ;
digno de um governo civilisado. Monteiro, Joao Ribeiro de Carvalha. O bacharel Francisco de Paula Marrano jniz
Que na realisago da idea proposta tinhamos sa-1 7o batalhao. Tenentes Collatino Teixeira de municipal e de orphaos do tormo de Saquarema na
tisfacao de nossa consciencia, porque em todo o' Azevedo, Jos Furlado Alves de Olivelra. provincia do Rio de Janeiro ;
Os jornaes trazidos polo vapor nacional Paran,
adiantam um dia do Rio e um da Rabia, alcangan-
do as datas do primeiro 12, da segunda 16 e
de Alagoas 17 do corrente.
Rio de Janeiro.-L-se no Jornal do Commer-
cio :
4." secgao.Rio de Janeiro.Ministerio dos
negocios do imperio, em 10 de marco de 1865.
Illm. eExm. Sr.-Tendo sido transferida para o
dia 12 do corrente, a sabida do vapor que devia
parlir a 7, cumpre que seja admiltido, na confor- j pontem acerca da cataslrophe que teve lugar na
midade do decrete n. 1,195 de 13 de abril do anno' 'a8ua do sul, e de que foi victima o negociante des-
lindo, matricula no anno que Ihe cumpetir dessa ,a Praca Antonio de Azevedo Maia.
patria.
01 batalhao de voluntarios contava at aote-
hontem 469 pragas, o 2 103, o 3 84, a compa-
nhia de zuavos 62, e a 2* 26.
Lesa no Jornal:
Recebemos honlem a seguinte carta :
Babia, 6 de margo de 1865.lllui. Sr. redac-
tor.-Pedimos a publicago da seguinte carta:
Somos de Vmc.
Atientes veneradores e criados.
Johnslon Saunders & C.
Vice consulado brilaonico.
t Macei, 27 de fevereiro de 1863.
Senhores.O capito do vapor nacional Santa
Cruz, portador desta, em passagem para este por-
to, observou nm navio naufragado com bandeira
britannica, e nio vendo ninguem bordo, man-
dou gente com apparelhos para salvar vidas se tal
fosse preciso.
t Do navio viram-se pessas na praia, e como
pareca estar abandonado, elle tirou do navio a
campa que trouxe para este porto, e nao bavendo
molivo para deferir a sua viagera proceden para
aqui.
< Como os seus motivos eram lo bons e o seu
coropertamento tao bondadoso e caritativo, pego-
Ihes (como vice-consul (fe S. M. B.) de elogiar pe-
la imprensa da Bahia os seus esforcos.
Sou, etc.
t (Assignado.) G. H. Hucherer.
a V. C. de S. M. B.
Alagoas. Causara frennieo enthusiasmo na
provincia a entrega do Montevideo.
No vapor de guerra S. Francisco, seguram
para a corte: 76 recruias, 200 voluntarios da pa-
tria e 224 pragas do corpo de polica.
L-se no Diario:
Verificou-se infelizmente a noticia qne demos
faculdado, o estudanle Ignacio Jos de Oliveira Ar-
ruda, que nao pode chegar ahi por aquelle motivo,
antes de estarem encerradas as matriculas. E do
mesmo modo se deve proceder a respeito de qnaes-
quer outros estudantes que se acharem em idnti-
cas circunstancias.
t Dos guarde a V. Exc.-Jos Liberato Barroso.
Sr. director da facnldade de direito do Recito. 1
t O Exm. Sr. Visconde do Uruguay tendo sido
ha das alacado de orna tobre perniciosa acha-se
felizmente em convalescenga.
Hontem (11) reunio-se no consulado geral de
Portugal grande numero dos prracipaes capitalistas
e negociantes portugoezes desta praga, com o fim
de pedirem ao Sr. ministro portuguez esclareci-
menios sobre o modo por que lem sido e continua-
r ser executada no imperio a ultima conveneao
consular celebrada com Portugal, vista do aviso
do ministerio dos estrangeiros de 30 de Janeiro
deste anno, publicado as folhas do da 10 do cor-
rente. Resolvcu-se que ficasse o advogado de con-
sulado Dr. Joaquim Jos Pereira Santiago encarre-
gado de redigir, de accordo com o cnsul, a respec-
tiva repre:-entacin, que ser assignada pelos Porta-
guezes residentes na corte.
L-se no Diario Official :
t Por decretos de 7 e 11 do correnle.
Foram orneados :
t O juiz de direito Lniz Francisco da Cmara
Leal, choto de poticia da provincia de S.' Paolo ;
O bacharel Alexandre Augusto Martins Rodri-
de
No lugar Pedreiras determioon o Infeliz viajan
te ao canoeiro que vollasse a canoa para Tapera-
gu onde (inha ura negocio urgente a tratar, antes
de ir ao Pilar; e sendo preciso armar a vela para
correr com o terral da maohia ( duas para tres
horas da madrugada) Maia offereceu-se mesmo pa-
ra collocar e armar a vela, sem que o canoeiro ti-
vesse o trabalho de encalhar para o fazer.
N'esse acto virou-se a canda, indo Maia por
differenles vezes ao fuodo, sem poder salvarse,
porque o canal bastante profundo.
O remeiro gritara bastante por soccorro, mas
dente, a qual depois de ligeiras reflexGes
vada.
O Sr. prosidente declara que nomeia para a com-
misso allm de feliclar na corte a S. M. o Impera-
dor pela victoria das tropas brasileras na repbli-
ca do Uruguay, os Srs. marque?, do 01 inda, bario
de Pirapama, deputados Dr. Jorquim Saldanha Ma-
rinho, Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello e Dr.
Antonio Alves de Smiza 1 arvalho.
EXPELIENTE
Um officio do secretario do governo remetiendo
o orgamento da cmara municipal da villa de Fio-
res.A commisso de grgamento municipaes.
Oulro do mesmo, remetiendo a informacao mi-
nistrada pelo Dr. provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia solicitada em offlcio de 6 do corrente.A
(,uem fez a re |Uisigao.
Outro do mesmo, remoliendo o orcameuto e des-
pezas da cmara municipal do Rio'Formoso.A'
commisso de orgamentos municipaes.
Outro do mesmo, remetiendo o officio do Dr. juiz
de direito de Cabrob, expondo 1 necessidade de
urna cadPa no termo de Salgueiro.A' commis-
so de commercio e obras pnblicas.
Oulro do mesmo, remetiendo a iDfermaco do
lxm. vicario capitular acerca do projecto n. "33 do
do anoo.passado.A archlvar-se.
Outra do mesmo, solicitando alguns exemplares
mpressos-dds projectos quando se lioover de pedir
Informac-es- acerca de novas freguezias. lnlei-
rado.
Outro do mesmo, pedindo alguns exemplares dos
projectos ns. 4e 79Salisfazer-se.
Urna peiigo do padre Simio de Azevedo Cam-
pos, vigario da freguezia da Escda, pedindo a ex-
iraego da lotera concedida pjra a obra de sua
matriz.A commisso de fazenda c orgamenio.
Outra do padre Domingos Alves Vieira, vigario
de Goianna, como administrador do patrimonio de
Nossa Senhora do Rosario, reclamando contra a ir-
mundade do Santissimo Sacramento da mesma ma-
triz.A' commisso de negocios ecclesisticos..
Outra de Jos Egyaio Ferreira, agente de bebi-
das espirituosas, reclamando contra a lei n. 596 de
13 de maio de 1864.-A' commisso de fazenda e
orgamento provincial.
Outra da mesa regodora da rmandade^de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo Amonio,
pedindo a preferencia de duas partes de suas lo
lenas para conlinuacao das obras do sua igreja.
A' eornmissio de fazenda e orgamento.
Outra de Francisco Antonio da Silva Cavalcanli,
porleiro do con>ulado provincial, reclamando con-
tra a injustiga que tem soride em virlude da m
inlerprelago dada a lei n. 510 de 1861.A' com-
mlssso de legislago.
Outra de Claudio Dubeux, proprletario de um
estabelecimento de mnibus nesta cidade, recla-
mando contra a pretengo dos agentes dos impos-
tes provinciaes e pedindo que por um acto legisla-
tivo se declare nao ser devido o imposto que delle
se exige. A' commisso de fazenda e orgamento.
Ouira de Liberato Tertuliana de Miranda Maciel,
professor publico de instruego primaria, pedindo
a assembla que Ihe mande pagar a quanlia de
380.$Q.1 _r._(|ue se Ihe deve de alnfnal de caa__
A' commisso de instrucg.io publica.
E' lida, posta em discusso e adiada por ter pe
dido a palavra o Sr. Cunha Teixeira, a seguinte
iadicago :
A commisso de conslituigao e poderes exami-
nou a proposta dos nobres deputados os senhores
Cunha Teixeira o Diodoro, e sobre ella passa a in-
lerpor o seu parecer :
Observa a commisso que a proposla (ende a al-
rancar da assembla provincial urna felicitagoao
Exm. Sr. desembargador Anselmo Francisco Pe-
rcili, pelo modo digno porque se houve na admi-
nistrago desta provincia, como seu primeiro vice-
presidente, esforgando-se para restabelecer o im-
perio da lei.
Nao presume a commisso de conslituigao e po-
deres, que esteja na conviego dos nobres autores
da proposla, ser um dever regular desla assembla,
segando sua organisaejio constitucional e os prin-
cipios cardeaes do systema representativo, o feli-
citar aos agentes do poder execulivo em quaesquer
circumslancias ordinarias e comrauns do paiz. En-
lende pelo contrario que taes felicitagoes s podem
merecer applausos da verdadeira opiniao publica,
e al do vario atilado a quem forera diregidas,
quando actos magnnimos do poder, senigos nota-
veis da adraiuislragao, beneficios pblicos e supe-
riores reconhecidos por todos; emfin quando urna
marcha governamental bem dislincta da que est
tragada na rbita dos deveres do funecionario pu-
blico, vierem qualificar como saliente na promo-
gao do bem pub'ico a administragao que assim
proceder.
O governo do Exm. Sr. desembargador Anselmo
Francisco Peretii, em quem a commisso tolga de
reconhecer o mais nobre espirito de justiga, e as
melhores intengoes de bem servir a causa publica,
foi lio curto e breve, que nao pode assignalar por
servigos, que provoquem da parte desta assembla
urna felicitago especial. A adminitrago daquel-
le digno vice-presidenle a quem a commisso mui-
to considera e respeila, propoz-se a nio alterar o
estado de cousas cm que encontrou a provincia,
nao teve tempo mesmo de reformar cousa alguma,
nem de iniciar medidas e providencias grandiosas
e proficuas. Urna felicitago especial, pois, desta
assembla, em semelhaiues circumslancias nao es-
tara na altura da circum que deve proceder um corpo deliberativo, nem se-
ria digna da pessoa a (quem se pretende felicitar.
Em vista do exposto concluo a commisso de
constiluigo e poderes que se archive a proposta.
Pago da assembla provincial, aos 17 de margo
de 1865.Araujo Barros.Lourenco Trigo de
Loureiro.
ORDEM DU DIA
Conlinuacao da discusso do requerimento ada-
do do r. Cuoba Teixeira.
Pede esle senhor a rateada do seu reqnerimen-
lo, e a casa sendo consultada nio o consenle.
Oram os Srs. Souto Lima e o autor.
Finda a discussio, o requerimento approvado.
Contina a discusso do arl. 2 do orejelo
n. 12.
O Sr. Nabor fundamenta o manda mesa a
seguinte emenda:
Depois da palavracreadodiga se: para o
servigo policial da provincia um corpo provisorio
ao qual serio adddas as pragas e offlciaes do cor-
po effeetivo, que nio se elferecem
collocando sobre a canoa virada, pedindo-lhe "que
se cooservasse nella, o que nio podia fazer o as-
phixiado certamenle pelo estado adiantad) da as-
phixia.
c Conla-se que por quatro vezes se repetir
a serem apesentados de contormidade
com as leis anteriores e segundo os annos de ser-
vigo que por ventura contem em seu favor.
Oram depois os Srs. G. Campello, J. Maria, e
Araujo liarros.
Eucerrada a discusso, approvado o arl. 2o,
aquelle baldado esforgo, ate que-desapparecera o sendo rejeilado o requerimento do Sr. J. Maria e
corpo. O canoeiro por milagre escapou e dictara emenda do Sr. Nabor.
por moitas horas contra a corrente das aguas e Entra em discuti o arl. 3."
contra o vento, sem conseguir revirar a canoa, a O Sr. Jacobina pensa que o numero de 300 pra-
qaal soslinha se agarrado, bradando por soccorro. gas, conforme determina 0 artigo exagerado
S3 as 6 horas da manhia, diz se fra tirado d'a- do. (Nii apoiados.)
quelle doloroso e afflictivo estado por outros re- O orador acha que 200 pragas sao sufficieote*
meiros que entao correram a salva-lo. porqoanio se deve contar com o servigo da guarda
t S hontem pela manhazinha foi casualmente nacional e cora o patriotismo dos cidados que se
descoberto o corpo petos c-nductores de urna bal- lem offerecido para Lzer a ronda da cidade
sa, que o transporta ram a cidade das Alagoas, on-
de chegou quasi em estado de putrefaego, e ficou
a disposlgio da polica.
Partiram d'aqui dous mdicos pela manhaa
com ollm de examinarem o cadver e fazerem o
competente corpo do delicio.
t O.pobre remeiro foi preso, e estamos certo
que verificado o facto o ponham em liberdade. As-1
sim pois, eslao desvanecidas as suspeitas e os tris-'
Demais ha no seno um corpo fixo de 400 pra-
gas que ainda nao se moveu, nem se mandou mo-
ver.
Diz mais o orador que em caso de necessidade
todo e qualquer cidado obrigado por lei a soc-
correr s autoridades policiaes.
Assim pois, offerece a seguinte emenda :
Em 'vez de 300, dgase200 praca*.F.
Jacobina.
Pernambuco, que se rev en tantos precedentes
gloriosos, que en sua historia acha um sem nume-
ro de tradigoes de bro o valor, nio podia conser-
varle quedo e indifferente ao tnumpho da digni-
dade nacional; para coja oblenso nio tem por
certo omittido os seus estorgos, nem os seus filhos
tem sido surdos.
Pernambuco commove-se sempre que a patria
soffre em seu organismo qualquer sensacio de hon-
ra ou affronta ; e assim nao poda, repi-timo lo.dei-
xar de estremecer jubiloso e do congratular-so pela
victoria das armas imperlaes Ra Banda Ooriental.
Pernambuco, pois, na demonstraco dos seus
sentimentosjde jubilo por esse motivo nio ficou so-
menos outra provincia irma. Esla verdade foi
testeinunhada nestes tres das por loda esta cidade,
que convertendo-se em urna s pessoa, que tradu-
zindo um s pensamenio, apresentava a mais bella
personificagao do patriotismo.
De facte, ainda nio haviamos presenciado tama-
nlio enthusiasrrm, lano mais para notar quanto
nascera espontaneo, sem urna sollcitago, e s filho
do impulso generoso do amor da patria, que irrom-
pia nVssas manlfe>iagoes solemnes quer do peito
do cidado humilde, quer daquelle doallamenle col-
locado na escala social, qne eno convergiam em
um ponto certo e sympathico. .
Era o regosijo de urna s familia pela consecu-
gao de um desejo intenso e commtim, realisada na
'nstontagao dos lirios nacionaes.
Como j dissemo-lo, sob a illumioago completa
da cidade, foi esta percorrida por varios batalhoes
populares, precedido* de msicas marciaes e por
entre as ovages mais completas dessas cohortes
patriticas e dos cidados que oceupavam as va-
randas as ras por onde ellas desfillavam em seu
extenso itinerario.
O batalhao do commercio e da guarda nacional,
com as msicas do 4. de artilharia e "do 1." da
mesma guarda nacional a sua frente, com dous es-
tandartes, sendo um destes a bandeira do anligo
batalhao n 53 de segunda linha, formn na ra do
Crespo, d'onde sahio com um pssoal de alguns
mil homens para e palacio da presidencia, a cuja
frente por enlre o hymno nacional e muilos foque-
tes entoaram se vivas S. M. o I., sua familia, ao
governo imperial, ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, aos bravos da patria, ao conselheiro Pra-
nnos e ao visconde de Tpmandar, ao exercito e
armada nacionaes, suhindo em seguida urna com-
misso ao palacio para dirigir suas felicitagoes ao
Exm.presidente ; o que repelise cora o Exm.
commandante das armas.
O batalhao dos Voluntarios da Patria com a m-
sica dos menores do arsenal de marrana tocou em
frente do mesmo palacio, reproduzindo-se ignal
scena de patriotismo ; e em sua retiraaa foi acom-
panhado de grande numero de pessoas notaveis
que. achavam-se rom o Exm. presidente.
O batalhao dos acadmicos, precedido da msica
da sociedade e curiosos Bella-Unio, percorreu as
ras com muita ordem: tocando tambem em frente
do palacio da presidencia, onde alm de vivas
S. M. o Imperador, ao governo imperial, ao eier-
cito e armada nacional, ao conselheiro Paranhos
e ao Exm. presidente da provincia, foram recita-
das bellas inspirages poticas, que arrebataran) a
todos quantos as ouviam com elogio dos seus au-
tores.
ata tres batalhoes cujas desigBagoes ignoramos
com msicas marciaes, percorreram as ras sob o
dominio do maior emhusasmo.
O edificio do Sania Isabel estove na sexta feira
todo Iluminado : e o seu terrago achavase em-
banderado e com grande numero de pessoas, que
a convite do digno emprezario e Sr. Antonio Jos
Duarte Coimbra, d'ahi vicloriavam os batalhoes
populares, em sua passagem, por meio de vivas en-
thusiasticos.
No sabhado houve espectculo de gala, e no seu
decurso nao liveram limites as manifeslagoes de
amor pela trra da Santa Cruz, se fazendo ahi ou-
vir a poesa em composigoes de mente.
Xa ra do Corredor do Bispo os respectivos mo-
radores (izeram urna bella illuminago, embandei-
rando a entrada da ra com o estandarte brasilei-
ro ; e quando ahi chegou o batalhio do commer-
cio e da guarda nacional, soltou-se um balao, bem
como ao passar este mesmo batalhio pela ma do
Sebo, fui da casa do Sr. Antonio de Moura Rolim
recebido com ebuvas de flores, a que correspon-
deu-se com explosoes de indescripvel enthu-
siasmo.
Em data de 17 do correte, o Exm. Sr. pre-
sidente da provincia expedio ordem ao comman-
dante das armas, para que o segundo lenle de
artilharia a p Jos Antonio Ribeiro de Freilas,
fosse para o corpo de voluntarios da patria coadju-
varo respectivo coronel commandante na organi-
sagao do mesmo corpo.
At 14 do corrente juraram bandeira, no core
po^de Voluntarios da Patria os seguintes Srs.:
345 Francisco Caitos Jos Teixeira,28 annos, Per-
nambuco.
246 Francisco Antonio de Oliveira Sobrinho, 21
idem, Ceara'.
347 Mathias Carlos de Araojo Maciel, 21 idem, Pa-
rahyba.
3*8 Manoel da Cruz Rodrigues Lima, 18 idem,
Pernambuco.
349 Joio Geremias de Bos, 19 idem, idem.
350 Antonio d'Oliveira Borges Jnior, 18 idem,
Ceara'.
351 Celestino d'Almeida Cavalcanti, 39 idem, Per-
nambuco.
352 Joo Bptista Feitosa, 36 idem, idem.
353 Manoel Vctor dos Prazeres, 22 idem, idem.
354 Francisco Bazilio de Barros Santiago, 18 idem,
idem.
353 Manoel de Moura Silva Aguiar, 21 idem, dem.
356 Emilio da Costa Feilosa, 25 idem, idem.
337 Jos Pereira de Luna, 25 idem, idem.
358 Andr Pereira de Luna, 24 idem, idem.
359 Joio da Fonseca Lima, 21 idem, idem.
360 Manoel Antonio de Macedo, 36 idem, idem,
361 Jos Polycarpo d'Aguiar, 30 idem.
362 Manoel Marcelino de Lyra, 19 idem, idem.
363 Luiz Antonio de Souza, 18 idem, idem.
364 Joo Rodrigues de Souza, 28 idem, idem.
365 Joaquim Alexandrino RabelloCaneca, 33 idem
idem.
366 Joo Amonio da Silva, 24 idem, idem.
367 Pedro Jos Ferreira d'Araujo, 21 idem, dem.
3)8 Alfredo Alves Pacheco, 18 idem, Idem.
369 Vicente Ferreira Lima, 33 dem, Ceara'.
370 Jucundino de Queiroz Monteiro Regadas. 18
idem, Parabyba.
371 Manoel Joaquim de Souza, 25 idem, Ala-
goas.
372 Jos Edelberto de Carvalho Gusmao, 18 idem
Pernambuco.
373 Antonio Canuto d'Araujo Lima, 24 idem
idem. '
374 Antonio Celestino de Mendonga, 18 idem idem
37a Vicente Ferreira da Costa, 24 idem, idem
376 Joaquim Marques de Souza, 21 idem idem
377 Antoeio Monteiro dos Sanios, 20 idem, Idem
378 Francisco Jos Castelhano, 18 idem, idem
379 Sebastio Luiz Guilherme do Mello' 18 idem
idem. '
380 Joio Sebastio da Costa, 23 idem, dem
381 Vilaliano Vieira de Lacerda, 28 dem, idem.
382 Bazilio Antonio Ferreira, 21 idem, idm.
383 Nstor Rodrigues Estoves, 20 dem, idem.
384 Antonio Francisco d'Aranjo, 23 idem, idem.
383 Miguel Vieira de Vasconcelos Araujo, 42
idem, Ro Grande do Norte.
386 Manoel Eleuterio o'Oliveira, 23 idem, idem.
387 Joaquim Flix da Silva, 29 idem, idem.
388 Miguel Ferreira Campos, 18 idem, dem.
389 Joaquim.Thomaz d'Araujo, 18 idem, idem.
300 Manoel Polycarpo da Luz, 33 idem, idem.
391 Marcolluo Balthazar dos Santos, 20- dem
idem.
392 Jos Esteves da Silva, 23 idem, idem.
393 Antonio Jos da Cruz, 23 idem, idem.
394 Lino Jos de Sani'Aona, 28 idem, idem.
395 Anlouio Francisco Ferreira, 28 idem, idem.
396 Manoel Jos da Cmara, 20 idem, idem.
397 Francisco de Siqueira Cavalcanti, 24 idem
idem.
39 Flix Ferreira de Moraes, 20 idem, idem.
399 Mauoel Ferreira de Moraes, 20 Idem, idem.
400 Benlo Antonio Bptista Ferreira, 20 dem
idem.
401 Izidoro Miguel Rodrigo js, 18 idem, idem.
402 Manoel Jos da Cunha, 20 idem, idem.
403 Alberto Jcs de Carvalho, 18 Idem, dem.
404 Manoel Urtiga de Mdlo. 23 idem, idem.
405 Severrao Jos da Pcoha, 18 idem, idem.
406 Antonio Muniz Ferreira, 20 idem, idem.



/

II P-a?i Mmmm


1.



Diarlo de Feraanifciico Segunda elra O de .narro de 1885.
9
tno Anlonio Pereira de Carvalho, ti dem, dem.
408 Autonlo Ballhazar de Carvalho, 18 idera, idem,
409 Agostinho Jos deSant'Auna, 23 dem, idem.
410 Miguel Francisco dos Anjos, 20 idem, idem.
*l' Eleuterio Malinas Guido di Silva, 18 idero,
dem.
412 Jos Pedro da Silva, 33 idem, idera.
413 Manuel Antonio Jaloba', 26 idem, idem.
414 Jos Amaro Vianna, t&idem, idem.
415 Vicente Ferrelra Manoel Guido, 18 idem,
idem.
416 los Pereira Simoes, 22 dem, idem.
417 Manoel Neves de Albuqaurque, 20
idem.
idem,
418 Dimas Jos de Alraeida, 30 idem, Bhia.
419 Joaquira Affonso Ferreira, 18 idem, Pernam-
buco.
420 Jos Feroandes Gouveia, 21 idem, idem-.
421 Antonio Francisco Monteiro, 29 idem, idem.
;2? Aalnio Bezerra de Mello, 24 idem, idem.
423 Joaquim Figueira Portella, 28 Idem, idera.
424 Manoel Lurino de '
idm.
425 Julio da Silva Cmara, 19 idem, idem.
426 Manoel Ignacio dos Santos, 20 idem, idera.
427 Manoul Bezerra da Silva, 22 idem, idem.
428 J Martins da Silva, 18 idem, idem
429 Manoel Antonio dos Passos, 32 idem, idem.
430 Laurino Jos da Silva, 32 idera, idera.
431 Manoel Felismino, 37 idem idem.
432 Clemente dos Aojos Pereira, 25 idem, idem.
433 Manoel Paula da Silva, 8 idem, idem.
414 B"mardo Jos da Silva, 2a idem, idem.
435 Francisco Jos Polycarpo, 28 idem, idem.
436 Antonio Vidal Machias deNegreiros, 21 idem,
idero.
437 Lourengo AUjes Pereira, 23 idem, dem.
438 Mareolino Dorotheo Rodrigues da Silva, 18
idem, idem.
439 Genuino Doroiheo Rodrigues da Silva, 1S idem,
idem.
-.4W_Laurentino Gomes da Costa Pereira Beltro,
25 idem, dem.
441 Manoel Vicente de Barros Feitoza, 23 idem,
idem.
442 Candido Feij de Mello, 23 idem, idem.
413 Joao Jos da Silva, 22 idem, id-m.
414 Joao Luiz de Sonna, 22 dem, idem.
415 Pedro Ivo da Silva, 18 Idem, idem.
446 Manoel Florencio da silva, 22 idem iJem.
447 Paulino Jos dos Santos, 22 idem, idem.
448 Pedro Bapii'sta de Lyra, 22 idem, nlem.
449 Jacio Francisco epomuceno, 25 idem, idem.
450 Joo Cleroentino de Amorim, 2 idem, idem.
451 Miguel Felippe da Silva, 34 iilem, idm.
452 Froncisco Jos Theotonio, 24, Idem, idem.
453 Francisco Olas de Cerqueira, 21 idem, dem.
454 Manoel Autonio Pereira Kunes Machado, 20
idem, idera.
455 Jeronyroo Bispo Martyr, 22 idem idem.
456 Bonifacio Archangelo de Daus, 18 idem, idem.
45 Manoel Joaquira de Santa Anna, 18 idem,
idem.
458 Antonio Eugenio Alves Ferreira, 20 idem,
dem.
459 Melchsedec Aar5odc Albuquerque Lima, 26
idem, Cear.
Ni Memoria Histrica Acadmica mpressa
na 8a pagina do nosso Diario n. 64, escaparam al-
jruns erros, dos qnaes corrigireraosos quealteram
o sentido, deinanJo de mencionar amelle, que a
perspicacia do leltor fcilmente conhecera.
Na 1* columna 1" liaba,'em lugar de Mas se
lea se Mas si.
Na m-.-ma columna lindas 89, era lugar de
certieao de direito natural lei-a-se certidao
de exame de direito natural.
SBN'a linha 120, em lugar de nos convencere-
mos de un padre bom leia:se" nos convence- ]
remos de que um padre bom.
Como convir espurgar este documento dos er-
ros com que sanio impresso, repeti-lo hemos em
outra occasiao.
Na sexta-feira nao funccionou tambera o tri
banal do jury.
No sabbado entrn ahi em juramento o cabra
Melquades, escravo do Sr. Rutino Antonio del
Mello, pronunciado as penas do art. 205 do cod.
r-riin., por haver ferido gravemente ao escravo
Elias pertencente Sra. D. Maria Felicia da Cou-!
ceico Leite e o u tros.
accusagao fui agitada pelo Sr. Dr. Joao Fran-
cisco Teixeira, e a defeza desenvolvida p;lo Sr. L)r.
Antonio Vicente do Nascimento Feitoza.
A' vistadadecisodo conselhi doseutenga, foi o
roo enndemnado a 100 a;oitss.
Repartido da polica :
Extracto das partes dos dias 17 e 18 de marco
de 1865.
Poram recolhidos casa de detencSo ne dia 16
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Fe-
lismmo Pereira de Lyra Birbj, Luciano Jos da
Silva, Martinhi Mendes da Costa e Martiniano Cor-
reia de Amorim, para recrutas; Francisco de Pau-
la C>rnpos Quaresma, disposigo do Or. juiz mi-
nicipal da primeira vara ; Sabino Joao Climaeo da
Cruz, Manoel Quirino da S.ccorro Nogueira, M iria
Anglica do Espirito Santo e Anna Joaquina do Es-
pirito Santo, sem declarago de motivo, e postos
em Itnerdade no mesmo da.
A' ordem (do subdelegado do Recife, Marcelino
es -ravo de Antonio de Almeida Gomes, a requeri-
inento dele.
A' ordera do de S. Jos, Manoel, Jos c Bmelic-
to, escravos o 1 de Joaquim Jos Rodrigues da
Ganda, o 2o de Joao Baroallio, o 3o de Florencio
do Reg Costa, sendo o 1 e 3" por briga, e.o2i
por fgido.
A' ordem do da Bja-Vista, Claudino Jos Dias,
por embriguez.
17
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Epa- [
ininondas Mariano G. Gouveia, sera declarago do
motivo, posto logo em liberdade.
A' ordem do Dr. juiz municipal da Ia vara, Ma-
noel da Silva Jacome Pessoa, por (er curaprido
os deveres de fiel depositario.
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Cus-
todio da Cruz, para corrcego.
^A' ordera do de Santo Antonio, Eliziario, esxra-1
vo de Manoel Cardoso Mariano Barata, para cor-
receo.
A' ordem do de S. Jos, Rosa Maria Joaquina, e
Ananias Dias Principe, por di>turbios ; e Romual-
da Maria da Couceicao, para corrccco.
O chefe da 2'" secgo,
J. G. deMesquita.
eompanhia de Zuavos. Depois de cantado o hym-
no dos Voluntarios da Patria pelos alumaos, tres
dalles recitaram poesas, que muilo applaudidas
foram, enternecendo profundamente o auditorio.
Entao o digno Sr. teoente-corooel Mundra, pos-
i suido do mals santo eathusiasmo chamou a si um
desses jovens, e deu-lhe um abraca em nome do
seu disliocto batalliaa, e dos Zuavos Balnanos.
i Appareceu nessa occasiao o Exra. Sr. bispo do
Rio Grande, e, a voz do Sr. Mundira, presencia-
mos o sublime espectculo de receberem os solda-
dos ajoelhados uraa beng.o solcmae, viudo desc-
arte a relgo corar o animar os sentimentos pa-
(trioticos eni-todos aquellos coragoes.
O Exm. Sr-. bispo desceu para distribuir com os
Zuavos poquenas medalhas de prata de ossa Se-
' nhora. acto em que tanto se enterneceu, a ponto
de derramar lagrimas.
Assim terminou essa tocante festa patritica,
onde mais era de notar o verdadeiro enthusiasmo
e o immenso regosijo, que transluziam nos sem-
Olivera Borges, 20 dem, blantes de todos os alumnos do gyranasio bahiano,
; cabendo ao seu director a gloria de saber dar vida
e desenvolver tan puros e louvaveis sentimentos.
O Sr. Dr. Abilio mandou dcslribuir poc esses
bravos soldados a quanlia de 2000000.
CURA
Espanta e Admirayel
DE UMA OHAOA
CANCROSA E ROEDORA
POLYPO M NARIZ.
Urna creada de servir residente em Pemain-
buco e pertmceHtc"!! Ex." Seiir". Viscokdessa
DE OoiANKA, foi attacada tl'unu terrivel clia-
ga ennerosa o roedoraou Polypo no Nariz.
A mesma involvia e tomara todo a parte in-
ferior do nariz, amentando j distrui^ranto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; C'ome-
cou primeiro por apparecer sob o beico supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em ponco aniea-
cava transformar todo o rosto n'oma norme
cliarga viva e asquerosa. Durante tado este
terrivel estado, todos os recursos medicnaes
que em taes cazos se uzao finio abundante-
mente empregados, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora do to hor-
rivel enfermidade, e todos os meioe e eeforcos
forao baldadce, e no em tanto o mal cresca eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as ronzan neste ponto, se experimenten pela
v,ez primaba a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que Instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente mar villioso e sem igual; este grande
purificador do sangue e dos humores do sys-
tema, immediatamente pz nm termt> mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e Infiltrando-se atreves dos tecidos os maie
delicados do corpo, cxpellindo at ultima
propriedade ou vestigio virulento da melestia,
e dentro d'um curto esparo de tempo prodozio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz qu5o admiravel resultado td bti
do apenas com o simples uso
D'nma so unica Garrafa!
d'este incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portante todos os Doentes
que procurem obter com o maior cuidado a
unica c verdadeira Salsaparrilha de Bristol,
nicamente preparada por
LANMAN & EEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todos as mais preparaejee
imitativas nao valem para couza algnma.
Vende-se ras boticas de Caors A- Barbse
e C. Bravo C.
0. publico que julgoe ftfiua!.
Longe de nos affasiarmos do fim a que nos pro-
pozemos, quando perguntamos pelo Diario de 10,
do crreme so Sr. Jos Luir e Senia o que sabia
acerca da compra de um sitio na povoacjia da Var-'
lea; se'a agora declinar muito dos sentimentos I
que nos demoveu a esse lm, se reparassemos as '
apawonadas diatribes dos pseudonymos iN'acional
ePortoguezt insertas nos nmeros 62 e 63 deste
Diario, e Ihe dssemos aqu urna resposta em ter-
mos Iguaes quelles de que flzeram aso para de-
fender a reputaco do Sr. Jos Luiz de Souza, cada
vez mais compromettida esse jogo de doestos e
allusSes com que nos brinda os seus redieulos e
gratuitos defensores.
Perguotamos ao Sr. Jos Luiz de Souza, aqnillo
que licito perguntar a qualquer hornera que, co-
mo S. S., lao escrupuloso e prevenido costuma ser
era todos os actos de sua vida; assim, nao tendo
apparecido de sua parle urna resposta que satisfaga
as perguntas que Ihe filemos, ha de consentir que
nos conservemos na attitude que as circunstancias
recommendadas, crentes do que as perguntas que
Ihe flzomos sao por sua natureza irresporuh-
veis l...
O publico que, assim como nos, v nos encom-
mmdaios aranzels dos Srs. Nacional e Portitguez a
difidencia de provas para responder as perguntas
que fizemos pelo Diario de 10 do corrente, ao Sr.
Jos Luiz de Souza, supprir quanto poderiatnos
dlzer para fzer conhecer o alcance da verdade que
se revela nos termos concebidos as nossas per-
guntas e tarde na insistencia desculp ivel cam que
refutamos os dizeres pouco significativos doSr.
Jos Luiz com referencia quillo que Ihe pergun
tamos.
Por semelhantes principios terminamos aqui essa
polmica no firme propozilo de nao vr mais a im-
prensa para repetir o que ] sabido e perfeiu-
raente conliecido pelo publico acerca das-perguiita*
que fizemos e para as quaes anda nao tivemos
resposta dignas da pessoa a que nos dirigimos.
para Liverpool Va por libra, 5
pelo lastro, e peloassncar
5'/..
mmmmn m posto
5 /. O coiKelho de qualiflr-ic.v da paro."l.ia de S.
12/6 Frei Pedro Gonc/alves ,u ousmij^&M acha affi-
xada na porta Ja igreja ui^ri^H^^ctiva fre-
guezia a li-t.i du> g'iar40.''oaj|fl &, |- baUllio
Jb artilhana, que (f?\f>\*m f^S |>ara fazur
parte dos corpbs J^sfBjUB Ki'diitrri^i da c ier-
ra; mandadus rrear-JH g^io n.rios:},],. i j.,
Janeiro do correle'SHR- rlasiiin como lambem
faz constar que o mesnVciwiiio se reunir nos
dias 10, 21 e 22 deste raai '-piara receber as recia-
N>tra entraHo no dia 18.
Barcelora 64 dca<, mnaea bnspinlh.la 'nrjo, de
loo tonelladas, c^pito Pedro Colomer. eaiiiua-
g.m 10, carga'vinho e oulros gneros a Amo- "y^^t TrZlTSJST m^S QUe em
rim & Irmao i acbam contemplados.
Navios sakidot no mesmo dia.
LiverpoolPatacho inglez RjriUa, caplto Eduar-
do Grabara, carga algodo.
BarcelonaSumaca bespanhola Porlollas, capitao
Paulo Isen, carga algodo
O Illra. Sr. inspector da lliesouraria provin- .
cial, em cumprirneoto da ordem do Exm. Sr. pre- SailtOL C(lS(l da
sjdente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zcr publico qne no da 14 de junlio prximo vin-
douro, perante a junta da fdzeuua da mesma tbe-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da cadeia da cdade de Nazareth, ava-
hada em 18:093*900 rs.
A arrematacao ser feita na forma da le pro-
vincial n. 3W de lo de maio de 185i, sob as clau-
Sala do conselho 14 de margo de 186"i-
Joaquira Jos Silvelra,
Tenente-coronel presdeme.
Manoel Nascimenta de Araujo,
Capitao.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro,
Capitiio-secretario.
Jos Joaquim Lopes de Almeida,
Io lente.
Manoel Osmundo da Cmara Pntente!,
2o lenle.
Misericordia do
sulas espeoiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
gao, comparegam na sala das sesses da referida
juma, no da cima indicado, pelo raeio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mabdoa publicar o presente
pelo jornal.
Secretarin da Ihesourana provtadL I de Per-
liecic
A Illustnssima unta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Reelfo precisa contraiar I
construegao de um caes junto a porta d'agua do i
viveiro da ilha do Nogueira. com 30 palmos de
extensao e 18 de altura, tendo a base 12 palmos i
de grossura a morrer em 5 ; bem com.) um aterro
COMPANIII \ PERXAMBUCANA
DE
.\'4reii;rt; etcira pr vapor.
Paratjyba, Natal, Vlico. Aracaiy, Cear
b Acaract'i.
0 vapor Jiguaribe, Com-
rr,3ndante Lobato, segne no dia 22
do corrente a ," horas da tarde,
para os portos indicados. Recebe
arga at o da 21. Encommendas,
passageiros e Uinheiro a frete at 2 horas da larde
do dia da sabida: escriptorio no Forte lo Mal-
los n. 1.
Tara o Para.
vai seguir com muila brevidade o palhabote P-
ntense, tem a maior parte da carga prompla, e
para o resto que Ihe faita irata-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Goncalves Uellrim, na ra do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem.
Maranlio
O palhabote Garibaldi segu para M.ir.inbao por
estes dias, recebe carga : a tratar com Ta.-so Ir-
mao-.
GOaiMEEglQ.
ota$des offlelaes.
IM1ai;a 1)0 HECFE.
18 de margo de 1865'.
Algodo primeira sorte 17i000 por arroba.
uubourcq Jnior presidente.
Guimaressecretario.
lovo banco de Peruam-
buco.
O banco paga o 14 divideudo na razio e
por aeco.
\im o banco de Pernambuco.
O banco descoma letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes.e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor de
tres mezes.
AJfandega
Rendimento dodialal7....... 471 sl4l.'i4
IdemdodiilS.............. 22.520^:190
nambucu, 14 de margo F. d Annunciagao. 0 escnv5o
Clausulas especiaes para a arrematagao.
1." O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidade com a planta e orgamento
junto, na importancia de 18:093^900 rs.
2." O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato. i c0 16 de margo de 1865.
J.4 s pagamentos serao feilos em 3 prestagoes q secretario
iguaes correspondentes a cada tergo da obra fioda., Alexandre Rodrigues dos Anjos.
4." Nao sera em lempo algum attendida qualquer Vai praga de renda pelo juiz de orphaos
reclamagao por parle do arrematante tenden- por tempo de 3 a unos pela
te indemnisagao, quaesquer que sejam as allega-' 600,5, o sitio uo larg<
g5es em que so hajam para esse fim, ainda mes-1 casa de vi
mo por prejnizos provdos. 1 deodo lambem
.* Para tudo o que nao esliver especificado as grande bai
e consenhor
do Queimado
qaizerem
^...genheiro e chefe interino da re-
nicipal e de orphaos do t-rino de Ounda, por S. | partgao das obras publicas manda fazer publico,
M. I. e constitucional a quem Dos guarde, etc. que o da 21 do corrente ao meio dia estar em
fago saber aos que o presente vircmque a re-. nasla publica, perante a mesma reparticao, para
quenmento de l). Rita Mana dos Aojos Paula, me serem arrematadas a quem mais der, as'madeiras
foi requerido para que se procedesse exame no es- ve|nas que foram da Roa-Vista.
COMPANHIA BBASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOB.
E esperado dos portos do norte
at o da 20 do corrente. o vapor
Jpn^commandante Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois' da de-
mora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde jrecebem-se passageiros e engaja-se a
, carga que o v.ipor poder conriuzir. a qual dever
ser embarcada no dia de sua cheirada, encommen-
F A. Cavalcahti Cousseiro. i ?as e liinn(;ir<> a frete at o dia da sahida as 2 ho-
- Precisando o arsenal de marinha de serven-1, s." a?enc'a, ra da Cruz n. 1, esenptork de An-
tes liyres para seus Iraballies, convida o Illm. Sr.! t3n' Llllz d Ol'vetra Azevedo & C.___________
capitao lente aerando do mspector.aos que quei- Para a Baha pretende sabir em pariros dias
rara assim empregar-se e estejara as devidas con-a escuna E//'j'i por ter alguma carga tratada, e
diegoes apresentaremse-lhe. para o resto que Ihe /alta, trata-s com n consig-
Inspecgo do arsenal de marinha de Pernambu- natario Joaquim Jos Gongalves Beltraj. na roa do
10, ou ne largo do Corpo Santo n. 6,
de 15 palmos de largura ao lado de dito caes.
As pessoas que qiiizerera encirregar-se desta
obra podern dingir-se a esta seeretana afim de se
Ibes dar os esclarecimentos que judiaren) necessa-
rios, e devem apresentar-secom suas propostas em
cartas fechadas na sala das sessoos da mesma jun-
ta, pelas 4 horas da tarde do dia 23 do corrente.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do
Vigario n.
armazem.
494:407^324
Hovlinentoda alfandega
Volamesentradoscomrazendas.
a 1 com ireneros.
Volumes sahido.-com fazeedas.
com gneros .
6
457
------ 513
109
1,818
------1,927
Desarregara no dia 20 de margo de 186o.
Brigue inglezBellote Crest mercadorias.
Barca ingleza Serapkinaidem.
Brigue porlaguez Constante It diversos ge
Para Lisboa
3!?. annua!_?e' pretende sahir em poneos das o patacho portugus
lado mental de su uarido o capitao Jos Nunes de
Paula, para quo allual se Ihe des*e curador a sua
pessoa e ben?,em vi>ta do estado em que fossejul-
gado : o que sendo por mim deferido e depois de
procedido ao respectivo exame e jiislificaeao, foi
por mim julgada a mesma ju^tificacao e exame,
nomeaudo curador do mesmo a supplicante sua
mulher, pela minha sentenga do tlieor seguinte :
Vistos estes autos etc., julgo por senienga a pre-
sente jnstillcago, em vista do exame medico de fo- i dente da provincia, manda crlllm. Sr. coronel com
Ibas 10, depoimentos das testemunhas e o parecer mandante superior interino da guarda nacional
do Dr. curador ad interim, e pagas as cusas pela deste municipio, publicar, para conliecimenlo dos
uMincnnte. j interessados, que no dia 23 do corrente mez, as II
Nomeio para curadora a justificante, que ser horas da manhfia, na sala das sessdes da cmara
notificada para prestar o respectivo Juramento. i municipal desta cdade, se reunir o conseibo de
Olinda, 2 de margo de 1865.Edurdo Augusto revista deste municipio, para tomar conhecimenlo
. i Pinto de Oiveira. | das reclamages dos guardas, designados pelos
E tendo assignado a curadora o respectivo termo respectivo* cmselhos de qiialificagiw para o serv
As pessoas a quem convier a mesma arremata-
gao, deverao comparecer na sobredita reparligao
no dia e hora indicada com suas propostas.
Secretaria das obras publicas 17 de margo de
1865.O secretario ini.-rino,
Manoel Lourengo de Mallos.
Conselho deremsta
Em observancia das ordens do Exm. Sr. proal-
; Barca ingleza -ron Gm -objectos para a estrada. \ decuratella da pessoa e bens do mesmo seu ma- co 1de1 corpo destacado de 'conformidade com o art
l_ .. riin Ililill-i h fin AArrODtu ih., ivil ..m > vnnln mn J 44 Alt Ui n fifi: .1- 111 .1 ..--,, 1 ,.,, I...... I > AQXll
Bngae Inglez -Carnc-idera
Barca inglezaD. Mura -carvo.
1 Brigue inglezEUzia idem.
Patacho inglezUndaunte-\dftR.
Galera ingleza Ifarm'one mercadorias
iteeebedorla de rendas
e carvao
Inter-
nas geraes de Pernaiubnco.
Rendmentodo dia a 17........ 327253109
idem do dU 18................. 2:10U56.j
rido, no dia 6 do corrente mez, pelo que sendo-me 124 da le n. 60 de 19 de setembro de 1850.
requerido pela mesma curadora, mandasse'passar i Secretaria do commando superior da guarda na
. o presente, para que chegue a noticia de todos aflrn conal do Recire 17 de margo de 1865.
I de que ninguem eoffl elle contrate, ou negocie, sob secretario,
pena de haver-se por simulado ou nullo qualquer Firmino Jos de-Olveira.
negocio era transaejo que lizer na forma da le. fVi f1 h) f^ l fi^ > t t> \ l
Epor deferimento adita petigiio, mandei passarj \]}>fl'.ffl\J!(Jj |&li'ft)l0
! Ilelanm das caitas seijuras viudas do sul pelo
(hajocki para os senhores abaixo de-
Dado e passado nesta cidade de Olinda, sob mpu
signal e sello desie juizo aos II di margo de 1865. 'apar
--------------- E11 Francisco das Cbagas Cavalcanti Pessoa, es- clarados :
34:831!'74 rrivao de orphaos o subserevi.Eduardo Augusto Aristides l'inalva de Faria.
Pinto de Olivera. | Major Francisco Flix de Souza Magalhaes(2).
Ao sello 300 rs. Vaina sem sello oxeausa. E. I Dr. Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drura
Continuagao das pessoas que tem subscripto para
a Associago Protectora das Familias dos-Volun-
tarios da Palria.
5i7 Jos Luiz Netto de Mendonga,
jnensalidade durante a guerra...
518 Fraocisco Maciel de Souza, do-
nativo .......................
1519 Francisco C-*elho Brando,
dem.........................
520 Antonio Gongalves da Costa,
idem.........................
521 Manoel dos Sautos aues de
Oliveira, idem.................
522
Antonio Joaquim Ferreira Por-
to, idem......................
, 523 Luiz Moreira da Silva. dem...
Usa dk detencao.Movimenlo da casa de! 5^4 Kirmino pace(.0 GlinL dpm
detengododia 17 de margo de 1865. Exisliam : :3i3 Jo^ Luiz Fereira Ribeiro
Presos354, entraram 8, saliiram 5, existem 357 ; ^m rerre,ra HlDe,ro'
a saber: nacionaes273, estrangeiros 19, mulheres 50 An'tonio' Aiionso,'idera''. .....
estrangeiras2, escravos 51 escravas 6.-T0- 527 Joaqoim Fernandes dos Santos,
Idem.........................
328 Bernardino da Costa Ferreira,
idera.........................
529 Manoel Luiz Ribeiro, dem...
530 Jos Faustino de Lemos, idem
531 Gongalves & Lima, idem.....
532 Figueiredo & Gama, idera.....
.533 Domiogos Jos da Silva, idem
534 Maximino da Silva Borges,
dem.........................
535 Ferreira & Gongalves, idem...
536 Francisco Domlngues Dias.
idera........................
537 Francisco Jos Rodrigues &
55000
40^000
255000
255000
255000
Consalado provincial.
Rudimento do da 1 a 17....... 57:4075792
Idea do *ik 18 .............. -2-3245397
59:7325189
PRAgA DO RECIFE
t* ItE MARCO BE IS5.
a'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
' Cambios.......Sobre Londres saccou-se a 26
>i d. por 15000; sobre Paris de
355 a 360 rs. por fr. e sobre
Lisboa a 95 por cento de premio;
montando os saques eflVduados
durante a semana a S 100,000,
para o vapor inglez.
Algodo........ Vendeu-se o de Pernambuco de
165500 a 175200 por arroba, o'.
de Macelo, posto a bordo, de ,)nco- 9 de mar? de HKo.
175000 a 185500, e o da Para- secretario,
hvba, lambem posto a bordo, de Antonio Ferreira d Annunciagao.
195000 a 195500 Clausulas especiaes para a arrematacao.
Assucar........ Vendeu-se o branco do 35400 *\ Eff?..?3 Putde Guianna na importan-
a 35800 por arroba, o somenos c,;l ue 2:2003000 serao fetos de conformidade com
a ASim n nmmii nnroado i o respectivo orgamonto approvado pela presideu-
mond.
Joao Xepomuceno Alves Maciel.
Joao Rodrigues Freir de Carvalho.
Jos Antonio do Olivera.
A. Oliveira.
O Illm. Sr. inspector da thesourana provin-
cial em eumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
publico que no dia 12 de abril prximo vindouro, Jos Joaquim de Lima,
perante a junta da fazenda da mesma thosourarie Jos Moreira da Silva,
se ha de arrematar a quem por menos lizer os re- i Lino Antonio Saraiva.
paros de que preei,-a a ponte de Goianua, avahados j Manoet Ribeiro Bastos,
em 2:2005000. Raymuodo Carlos Leite.
A arrematagao ser feita na forma da le pro- Victorino Jos de Souza.
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as Travasso Jnior,
clausulas especiaes abaixo declaradas. I Alferes Joaquim Pedro do Reg Barros.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-! Joaquim Jorge de Mello,
gao comparegam na sala das sessoes da referida! Crrelo geral.
junta no da cima mencionado pelo meio dia e j Relacao das rartas seguras vindas do sul pelo va-
competentemente habilitadas. por ,g|M i>liran para o senhores abaixo de-'
E para constar se mandou publicar o presente ; clarados :
pelo jornal. ....... | Dr. Augusto Magno de Mello Mallos.
Secretaria da thesourana provincial de Pernarn-, Antonio Lopes Rodrigues.
Carlos Mariano de Albuquerque Cavalcanti.
j Dr. Carolino Francisco de Lima Santos.
Dinamerico Augusto Reg Rangel.
I Francisco Teixeira Guimares.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com mnita brevidade o nrigne es-
cuna Joven Afiliar, tem parte de seu carrecanoo-
to engajado : para o resto que liie falla tratase
com os seus consignatario* .Antonio Lui: de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
"Cruz n. 1
Para o Rio Grande do Sul segu em poneos
dias o brigue brasileiro Prazeret, capitao Jerony-
mo Jos Telles : recebe alguma carga a frete c a
tratar no escriptorio de Amorim Irnaes, ra d*
Cruz n. 3.
Para Lisboa.
Pretende seguir com muta brevidade a barca
portugneza llcnriquftn, tem parte de seu carrega-
mento prompto : nara o resto Irata-se com os scua
cmsignatarios Aitnio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Hio ile Janeiro.
O brigue Trovador segu com brevidade e rece-
be alguma carga a frete e escravos : tratase com
os consignatarios Marques, Barros & (1
Para sboa
pretende seguir com toda a brevidade o patacho
portuguez Flor de Mana por ter a mior parte da
carga prompta : para o resto c passageiros trata-
se com o consignatario T. de Aquino Fonseca J-
nior, na travessa da Madre de Dos n. 5, primeiro
andar.
LEILOES.
a 55800, o mascavado purgado
de 25100 a 3400 e o bruto de
15700 a 15900.
Agurdente.....Vendeu-se de 709000 a 755000
a pipa.
Os seceos e salgados venderam-
se a 145 rs. a libra.
Joao de Freitas Barbosa.
Joao Silvero de Souza.
Dr. JosjJ Ferreira Druvalle.
Loiz Antonio Vianna.
Couros.....
Carne secca
2" O arrematante dar comego aos trabalhos no Marques Barros & C.
prazo de 15 das, e os concluir no de tres mezes, Miguel Ferreira Dias dos Santos Jnior,
contados ambos na forma da leu p Rosa francisca Borges L'choa.
3a Os pagamentos serao feitos em duas presta-
goes e iguaes, a primeira quando estiver feita me-1
4
lal 374.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 151.
Movimento da enfermara do dia 18 de margo de
1865.
Tiveram baix:
.Mo Conelb de Nourbu".
Francisco, escravo de Joao de Airaeda.
Tiveram alta :
Caetano Marqaes.
Joao Bento de Vasconcellos.
>- Cemitekio publico. Obituario do dia 17 de
margo de 1865.
Manoel, Pernambuco, 2 mezes, Recife ; dyar-
rha.
Clara Maria de Jess, Pernambuco, 88 annos, viu-
va, S. Jos ; dyarrha.
Slvina de Bi iio Correia, Pernambuco 22 annos,
solteira, S. Jos ; congeslo.
Manoel, Peruambuco, 11 mezes, Saoto Amonio ;
epalitc.
Alfredo, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos ; dyarrha.
Antonio, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos ; dentigo.
Eduarda Joselina Pereira dos Santo*, Pernambuco'
37 annos, solleira. Boa-Vista ; gastrite chronico.
155000
105000
moM
105000
105000
105000
A do Rio-Grande do Sul. velha, tade da obri< 8 a segunda depois de coneluidos lo-
vendeu-se de 300 rs. a 25000 do?oslrabalhos:
per arroba e a nova de 45500 a 4" Na execugao dos trabalhos o arrematante se-
55000: Picando em deposito 40 S<"ra restrictamente s nstruegoes do eogeobeiro
mil arrebas de ambas: e a do encarregado da flscalisacao dos trabalhos.
Rio da Prata, nova, vendeu-se: v* arrematante fara entrega ao engenheiro de
de 35500 45800 por arroba, e da lo3a a ma^ra velha que Qcar da ponte e pelos ex-
velha de 2*100 a 25500; Ucan- jlrav:os sera responsavel al que eflecluc a dita
do em-deposito4,000 arrobas da eQtrega.
primeira e 17 O'0 da segunda "* O arrematante nao tra direito mdemnisa-
Arroz..........O pilado da India vendeu-se do ?ao a1"'", qualquer que seja a natureza da alle-
25400 a 35000 a arroba; e o do &ava0> nara esse tlm fizer.
Trajano Augusto de Carvalho.
Thomaz Antonio Ramos Zany.
FPiUCACfflES A PEDH3Q
L-se no Jornal da Bahii de 15 do corrente.
Ante-hontem, 11 do corrente, teve o gymnaso
(i-ihiano a salisfaco de receber era seu recinto o
o 1.' balalhao de Voluntarios da Patria, sob o com-
mando do Sr. tenente-cpronelMundim Pestaa, e a
-1.' companhia deZuavos Bahianos.
Os alumnos do estabeiecimento, arompanhados
p lo sea digoo director e alguns professores, pe-
nhorados pela honrosa visita dssses briosos filhos
la patria, sahiram a recebe-ios fra do collegio,
-.iitre os mais frenticos vivas e os sigoaes mais
evidentes de patriotismo.
Entrando pela alameda principal do jardim.sem-
pre acompanhados pelos jovpns patriotas e por
-grande quantidade de povo, esse poahado de bra-
cos bahianos. que la> espontanea mete marcha
i ara o sul a viugar as injurias feilas bandeira
co Brasil, formou-se em urna Inzida linha na fren-
ie da chcara, oceopando os flancos a e*perangosa
Marnnho a 25000.
Bacalho.......Vendeu-se em atacado a 133000
a barrica, e a letalho a 185000a
dita; licandoem deposito 10,000
barricas.
Batatas......... Vendern)-se a 15800 a arroba.
Bolaxmhas.....Idem a 45000 a barriquinha.
. Caf..........dem de 75200 a 85000 a arroba.
i Cha............dem de 15600 a 2*300 a libra.
Carvo de pedra. Vendeu-se a 125500 a tonelada.
Cerveja........Vendeu-se de 5500t> a 65000 a |
duzia de garrafas.
10500
105000;
105000,
105 00
105000
105009
Conforme,
Anlonio Ferreira d'Anounciagao.
mumm.
105000
105000
Cal xa Siai do banco do Brasil
em Pernambneo,
14 de ioiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredoresde ^ebastiao Jos da Silvaavirem
Filho idem I0S0O0 ^' A de Philadelphia e New-York receber do thesourero da mesma cana o queem
8 Anionin Pm>mMm i.',mV 'dom retalhou-se de 175000 a 195000! ratelo Ihes toca da venda de urna das prpprieda-
a barrica e a de Trieste a 215 des, quesegundo a concordata,Ihe foram entregues
e a do Chilea85O00 o sacco I para serem vendidas.O guarda-livros,
com 100 libras; flcando em de- i
IO5OOO:
105000:
538 Antonio Fernandes Lima, idem
539 Joaquira Luiz Ribeiro da Silva
idem.........................
510 Antonio Fernandes da Silva
Beirz, idem.'................ 105000
541 Joaquim Alves Nunes, idem 105000
542 Jos Martins do Rio Jnior,
ide|n........................ 105000
543 Ignacio Ferreira de Mattos.idera J75000
544 Eduardo Marques de Oliveira,
_**......................... 55000
os lioi auonymo, idem.......... 55000
546 Um dito, idem.............. 55000
547 Outro dito, idem............ 55000
548 Manoel Jos de Brilo Barreros
idera....................... 355000
549 D. Clementin Theodora da Sil-
va, Idem..................... 2005000
5)0 Joaquim Ignacio Ribeiro J-
nior, idem.................... 205OOO
551 Andr Manoel de Amula.
idem......:...:............. 505000
552 Joaqoim Francisco Franco,
idem........................ 505OOO
553 Flavo Ferreira Clao, mensali-
dade durante a guerra......... 55r00
554 Paulino Pires Paleto, donativo 205000
555 Antonio Jos da Silva do Bra-
sil, meosalidade durante a guerra 105000
556 Johnston Pater & C, donativo 2050000
(f/mrmMr st-ka I
psito, 2,000 barricas da primei
ra, 13,000 da segunda, 8,500
da tercelra e 3,000 saceos da
quarta.
Louga.......... A ingleza vendeu-se com 320
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Manteiga....... Veadeu se a ingleza a 880 rs. a
libra, e a francesa a 800 rs. a
dita.
Massas......... Venderam-sc a 65000 caixa.
Passas.........- dem a 45000 a dita.
Queijos........Os flamengos venderam-se a
15400 cada um.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 120
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se a 85000 a arroba, do
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-sede 1005
a 1105 apipa.
Vinhos......... Veuderam-se os de Lisboa de
2OO50OO a 2155 a pipa e os de
outros paizes a 1605
Velas..........As de composigao venderam-se
a 540 rs. o pacote de 6 velas.
Descontos.......0. rebate de letras regaln a
12 por cento ao anno.
aretes..........Para o Canal inglez 40 -5 %,
Ignacio Nunes Correia.
De ordera da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est antorisado apagar o 22.di-
videndo de 105 POT aegao.
O jtnarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
A lliesouraria provincial compra para a casa
de detengo o segninte :
2 raldeiroes de ferro para a cozinha, iguaes aos
que actualmente servem no mesmo estabelecl-
mento.
1 dito de dito forrado de porcellana de 22 ga-
I5es.
A quem convier tratar semelhante fornneimento
comparega na mesma thesouraria, no dia 23 do
corrente, pelo meio dia, cora sua proposta em carta
fechada.
Secretaria da thesouraria provincial d Pernam-
buco, H de margo de 1865.
O secretario,
R. F. d'Annuncia o.
Delegada de polica do 1 districto do teriho
da cidade do Recife 16 de margo de 1865.
Por esta delegacia foi apprehendida urna barri-
ca com bacalho : qjuein se julgar cora direito a
mesma, apresente-so para ser-lite entregue, tro-
vando quanto baste.O delegado,
L. AdMariias Pereira.
TiiE.vrito
s
EMFREZA-OOIMBRA
3.a recita da asslgnatnra.
Qaarta-feira 22 de marco de 1856.
Subir scenao magnifico mysterio em 4 actos
GABRIEL E LUSBEL
ou
Lcilo de urna eas-a terrea na ra do
Prazeres n. 12.
Freguezia da Boa-Vista.
Martins far leilo de urna casa terrea edificada
em terreno proprio nos Coelhos a ra dos Praze-
res com 2 salas, 3 quartos, cosinha, qu.ntal com
cacimba e mais um quarto no quintal.
lio**:
Em seu escriptorio roa da Cadeia n. 9, primei-
ro ajidar^sllhorasdodia._______
Lcilu de 60 saceos rom caf do (le r,
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer de 60 sacros com caf do Cea-
r em lotes a voniade dos compradores : srgunda-
fera 20 do correte pelas 10 horas da uanha
cm ponto no armazem do Annes defronte da al-
fa n ilega.
Giriide leilo de trastes e escravos
IIOJE
Segunda-ieira 20 do corrente as 11 horas
no armazem da roa da cadeia do Recife n.
36, pelo agente Olympio.
Leilo de fazeedas.
Hoje SO do corrente.
A. C. de Abren far leilo por int.^rveucao do
ageote Pestaa, de diversa* fazeud-is avanadas o
de um completo sortimento de fazendas limpas in-
glezas e franelas: hoje 20 do correnle em seu
armazem na ra da Cadeia, as 11 horas da ma-
nha em ponto.
Leilo de duas machinas a vapor
Seudo:
L'raa portavel, forga de 14 cavallos, sobre rodas,
com caldeira patente e todos seus perteners.
Outra Hxa e orisontal, forga de 12 cavallos rom
caldeira e mais pertences.
Terga-feira 21 de margo, em frente a
Associago Commercial.
O agente Pinto fara leilo por conta de qnem
pertencer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engenlio, as quaes se tornaru
recommendadas pela sua perfeigao e por serun
dos melhores^fabricantes de Inglaterra, os preteu-
dentes podero desde ja' examirrarem ditas ma-
chinas para o que poderao entenderem-se cem o
mesmo agente era seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
OS MAGES DE S. ARTOS
com lodo o seu machinismo, msica e aparato.
Terminar o espectculo com a graciosa come-
dia em 1 acto
MARiCOTA
OU
OS EFFHTOS 1)1
Tomam parte as Sras. D. Eugenia e D. Francis-
ca, e os srs. Teixeira, Borges, Guimares.
Arlia-se em ensaios o drama em 5 actosA his-
toria de nma moga ricaque brevemente subir
a scena.
Os bilhetes achara-so a venda no escriptorio do
thealro.
Comegar as 8 horas.
AVISOS MAITIMQS.
Para o Porto pela Ilha de S.
Miguel.
AVISOS DIVERSOS.
Precise-se de um distrib idor para
distribuir este Diario, do Mondego a Api-
pucos, que saiba ler e escrever: na libra-
ra n. 6 e 8 da paca da Independencia,
IAJTERlA
AOS. 6:000#000.
Terca-feira 2S do corrente mez, se ex-
trahir.i a ultima parte da 1* c Ia da 2* lo-
tera (10a) a beneficio di m:ttiz de S. Jo-
s do Recite, no consistorio da ireia de
Nossa Senhora do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos estio a ven-
ida na respectiva thesouraria ra do Crcs-
i po n. 15.
Os premios de 60O05OOO al 100OO
serao pagos urna hora depois da extraccao
! at as l horas da tarde, e os outros depois
da distribuico das listas.
As encommendas serao guardadas so-
vespera da extraccao
O velleiro e bem conbecdo brigue nacional A
fta pretende seguir com muita brevidade, tem
parte do seu carrcgarHcnto engajado, para o resto mente al a noite da
que Ihe falla e passageiros, para os quaes tem ex- .. j. ,.n,.nmr,
cellentes coramodos : traase eom os seus consig- tjJ,llu ue tU5l",n^'
natanos A. Luiz de O. Azeved & C. no seuescrip-. theSOlireircr.
crio na ra da Cruz n. K Antonio JosC- Rodrigues de Souza




>wi ^i--^-^ei Ttr i.r -.iji_^^-, ~aif _^.




Diarlo de rernambuco .- ^muh lelra SO de Mareo de isft,
4ma
Urna mulher branca de bons eostumes se offere-
ce para ama, cozinha e compra : na ra da Penha
n. I, primeiro andar. ______^__^_
Aluga-se urna pequea rasa terrea com quin-
tal, cacimba, etc., prego de lz : na ra do Gazo-
metro confronte a fabrica.
Os administradores da massa fallida de Amo-
rira, Fragoso, Santos 4 C. declaram que o paga-
mento do 1 dividendo de S 0/0 j annunciado por
vezes, ter lugar fomente at o da 31 do corren-
te, e depoisdesse da depositario as quantias per-
lencenles quelles senhores credores que nao se
apresentarem no praso mareado.______^^^^
Avisase aos pretendentes que |vo ser arre-
matadas pelo juiz do commercio da villa do Cabo
oito moradas de casas na mesma villa, seis de li-
jlo, estando duas em caixao, urna de taipa, e a
ultima de lijlo e taipa, t das em boas localidades,
e por barato preco : os pretendentes podem ir
examinar antes que chegue o dia da arrematado,
podendo all se entenderm com o Sr. Joo Jos
Pinto de Oliveira, e nesta praga com Joaquim
Francisco dos Santos, na roa do Queimado em sua
loja.
Club conimcreial.
A partida do club cammercial no corrente mez
ter lugar nanoite do dia 25, anniversario do ju-
ramento da coastituieao do imperio.
Francisco Lucio de Castro
_________secretario.____________
Precisa-se de urna ama livro ou escrava que
cozinhe o diario de ama casa de familia : a tratar
na ra da Cruz n. 8, terceiro andar, ou na ra da
Senzala Velhan.94.______________________
Jos Francisco de Andrade Jnior vai a Eu-
ropa, e deixa por seus procuradores em Io lugar
a seu socio o Sr. A. J. W. Maia, em 2 o Sr. Jos
ias da Silva Guiraares, e 3* o Sr. Joao Evange- protecgao de
lista de S.
Precisa se de um caixeiro que lenha pratica:
na loja de fazendas n. 28 da ra da Imperatriz.
Precisa se de urna ama de leile : na ra lar-
ga do Rosario a. 26, segundo andar.__________
Na ra da Cruz n. 61, segundo andar, pre-
cisa sa de urna ama para cozinhar e engammar
para urna pessoa.
recisa-se de urna ama para cozinhar: na
ra da Cadeia n. 12, primeiro andar.
Na ra da Aurora n. 86, primeiro
andar, ha para alugar tima escrava que en
gotnma e cosinha soffrivelmente._________
Aluga-se e primeiro andar do sobrado da
ra Direita n. 88, com bons commodos para fami-
lia : a tratar na padaria n. 84.
A quem ineressar
O abaiio assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer pretengao como : passaportes, porta-
rlas, apprehenc<5es de quaesquer objectos; pela
presidencia portaras, passaportes, patentes de f-
llciaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ;pelas repartieres tlscaes desembara-
zo de terrenos de marinha e de ostabelecimentos
que por engao ou ignorancia'de seus propieta-
rios estejam sujeitos ao rigor do flscj; pela capi-
tana do porto matriculas de carpinteiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser procurado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Braga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, roa do Collegio n. o7 do Sr An-
tonio Domlngues Ferreira, e em S. Jos ra Direi-
la botica n. 88 do Sr. Jos daRocha Prannos.
__________Joaquim Jos dos Santos Barraca
Aluga-se urna casa terrea na ra da Concor
dia, teodo 2 salas, 2 qoartos e quintal com cacim-
ba : a tratar na ra Nova, loja de ferragens con-
fronte a botica franceza.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante.
O portuguez Albino Baptista da
Rocba, relojoeire e dourador, da
praca da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogio e
dourado por preco mais commodo
do que outro qoalquer e responsa-
bilisa-se pelo seu trabalho e espera
ens amigos e compatriotas.
Salitre.
Na roa do Queimado n. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimares, vende-se sali-
tre refinado por 2a a barrica de 4 arrobas, ou a
62400 a arroba s a dinheiro.
Os Srs. academices que vo matricnlar-se
no terceiro anno da Faculdade de Direito, podem
dirigir-se a ra da Saudade n. 9, fronteira a do
Hospiio, onde se !hes vender o compendio de
direito civil at as 9 horas da manhaa, e das 4 at
as 6 horas da tarde.
CLUB PERNtMBIJCiNO
A reuaio familiar do corrente mez, ter lugar
na noite do dia 24.
- Aluga-se um silio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada e margem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
ecapim para sustenta-lo, arvoredos deruc-
tos, sem visinho defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a fesla e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recite, na livraria ns. G e 8 da pra-
ca da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capito Antonio Bernardo
Ferreira.
O conselheiro Francisco de Paula Bap
tista continua em sua proQssSo de advoga-
do em seu escriptorio na ra dasTrinchei
ras. primeiro andar da casa n. 19, aonde
poder ser procurado desde as 10 horas
do dia at as 3 horas da larde.
Vende-se os compendios de herme-
nutica jurdica, e de tbeoria doprocesso
civil reunidos emum s livro, na loja de
livros de Nogueira, e na casa de residencia
doautordos ditos compendios, o conselhei-
ro Paula Baptista na ra do Hospicio n. 31,
ou em seu escriptorio na ruadasTrinchei-
ras n. 19.
Furtaram do engenho Mussamb da comar-
I ca de Goianna, na quinta-feira 10 do corrente mez
! de marco, tres cavallos com os signaes seguintes :
! dous castanhos e um amarello, castrado, troncho
1 da orelha, e est crusado nos quartos, por isto tem
' pouca sustancia, porm muito bom para arrodagao
de engenho,ooutro castanho eseuro, tem ama
I estrella na testa, e um p branco, do piador para
haixo, e o nltimo cardo, bravo por ser pai do
lote, todos carnudos, e o cardo bem feito e est
1 gordo bastante, novos, e estao ferrados : paga-se
bem a quem os entregar no Recito aos Srs. Leal &
Irmo, o no dito engenho Mussamb ao padre Luiz
: Jas de Figuciredo___________
Aluga-se tima mei-agua
entre as casas de n. ol e 53 :
' reita n. 24.
na ra do Alecriin
a tratar na ra Di-
as
G0MP1AS.
Tintar aria
Omnanliiu da estrada de ferro
DO
Recife a Sao Francisco.
4VIS0.
Pela superintendencia desta companhia se faz
publico a quem ineressar, que lendo sido autori-
zada pelo Bfia. Sr. presidente da provincia a ino-
dificago no regulamento do trafego desta estrada
de ferro, permitlindo o transporte de gado vac-
cum soroenta nos trens de mercadorias, regulares
on especiaos, lera' comeco de execucao semelhan-
le modifleago 8 dias epois da presente dala em
diante.
Villa do Cabo, escriptorio da superintendencia
18 de marco de 1865.
G. O. Iban,
.Engenheiro e superintendente interino
Na ra Direitan. 116 conlinua-se a tingir para
qualquer cor, e o mais barato possivel.
ktteng&o.
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeila-
vel publico e a todos os senhores oficiaes do exer-
cHo e da marinha que centina a tersua casa sor-
tida de fazendas e roopas feitas, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
Pechinckrt
O abaixe assignado desejando retirar-se de Pao
d'Alho em virtude dos grandes encommodos de
sua familia, se v na dura precisao de venders
suas casas situadas no melhor local, sendo urna
bonita casa de morada na ra do LivrameBto
urna outra ao p, propria para hotel ou outro esta
belecimento, urna outra coro a frente para a es-
trada nova, tendo ao p orna grande cocheira pa,
ra 40 cavallos passando o rio na porta, tendo com-
modos para carros e estando muito acreditada :
quem quizer comprar dirija-se ao mencionado lu-
gar para tratar.
^________Accurcio Jos de Mcdeiros.
Julio Osar Pinto de Oliveira declara que es
Srs. BAZ1LIO DA ROCHA OLIVEIRA e Augusto
Jos de Azevedo deixaram ambos de ser seus cal
xeiros.
SJgO hachare! Jos Baptista (ilirauagg
fjg advoga nos termos do Bonito e Caraar. jK
H Pode ser procurado na villa do Bonito, J
!S8 na Direita n. 16, defronte da cadeia. |
Precisa-se de um criado estrangeiro, bom co
peiro, e que afiance a sua boa conduela : Da ra
do Imperador n. 29.
WMJA Ij VRCA no
.losarlo a. 3 9.
O propietario do hotel-Iraviata, achando-se de
novo em sea estabeleciment, e tendo feito nelle
muitos melhoramentos, convida a seus mui distinc-
tos freguezes, que se dignem de honra-lo com suas
presengas ; offerecendose-lhes para remetter co-
mida as suas casas com toda promptido e asseio
pelo prego mais commodo possivel: no mesmo es-
tabelecimento ha buhares, sorvetee refrescos.
GASA DA FORTOiU.
Aos 6:000#000.
Bilhetes garantidos.
A' ba do Crkspo n. 23 g casas do costume.
O abaixo assignado vendeu nos seus muito fcli-
zesbilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio das obras da igreja de N.
S. do Amparo de Olinda, os seguintes premios :
Um meio n. 2353 com a sorte 6:0005000.
Um quarto n. 2619 com a sorte de 1:4000000.
Um meio n. 127 com a sorte de 5005.
E outras muitas sortes de 100V 40, 205 e
10*000.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da 1* e 1"
da 2* lotera beneficio da matriz de S. Jos do
Rectre, que se extraliir no dia 28 do corrente.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pessoas que comprare de 1000000:
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......35250
Quartos.....15700
_____________ Maxqel Marti'ns Ficza.
Aluga-se o seguudo andar do sobrado n. 48 pnmnri'si>'n
da ra do Agoas-Verdes, muito fresco e com bas-
tante commodo, assim como as lojas da quiaa com
5 portas, proprias para qualquer estabelecimento,
e n. 2 lojinha dentro do becco para moradia, eou- Compra-se cobre, bronze e ferro coado ve
tro ne fundo do referido sobrado que bota para a H'Q : na fundicao da Aurora, em Santo Amaro,
roa de Hortas. bem loralisadas ; a luga se tambem Compra-se ou aluga-se um escravo que sirva
o segundo andar e soto do sobrado n. 4 junto aos para todo o servigo : a tratar na ra da Coneor-
Martynos com bastante commodo, gran le quintal dia n. 64, padaria do gaz.
e cacimba : na ra do Imperador n. 44, terceiro________________^_____________
Compra-se ouro e prata em obras velbas, pa
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praga da IndeJ
dendencia n. 22.
Compra-se um escravo de idade que
sirva para trabalho de sitio : nesta tvpo-
graphia se dir quem quer.
Compra-se enectivamente ouro e prata em
oDras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
m escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da ra da Aurora.
andar.
Faz-se comida para fra por preco commodo
e com perreco : na ra do Arago n. 3.
Offerece-se urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra do Hospicio n. 58.
VENDAS.
D. Mara Rosa da Silva Ayres, Luiz Jos
da Silva Guimares, Joo Pereira Reg e fi-
Ihos, agradecem cordialmente a tedas as
pessoas que se dignaram de as&istir as exe-.
quias celebradas Da igreja da ordem terceira
do Carmo pelo seu finado marido, sogro e
pai Joao Cardoso Ayres, e convida-os a ou-
vir a missa do selimo dia que se celebrar
na capella do cemiterio publico segunda-
feira 20 do corrente pelas 8 horas da ma-
nhaa, protestando-lhes eterno reeonheei-
mento.
ALMANAK.
aU^iidJJ losHe nossa typographia o
Desappareceu no dia 16 a 18 do corrente, da llTOnjr ii -, r..
ra da Imperatriz n. 18, relojoara de Carlos Wal- UIll&IUlE AuIIUIUStrfttlTO e
ter, nm relogio de ouro coberto, patente inglez de l|".w-_ l T J j. i i .
o. 34734, lendo na coberla o nomo de James Horn- JxlerCailtll 6 Industrial deSta
byLiverpool: roga-se a qualquer pessoa a quem ,.,, j_r ctt
for oferecido, ou se encontrar em poder de al- prOVlCia, COrreCIO at SI
gaem, o appr.henda eleve a casaacima, que se- J^ j i -.
r gratificada._______________de dezembro, e vende se a
O Sr. Marcolino Antonio Pereira queira rom-
parecer a repartico do correio, afim de receber
urna carta recoramendada vinda da provincia da
Baha.
fe Pergunta-se se o contrato celebrado pelo go-
vrno da provincia, relativo a empreza cambrone,
se foi submettido a assembia provincial no caso Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
negativo, pergunta se mais, se o d.to contrato de- urna duzia : em casa de Johnston Pater & C ra
vera ser ou nao submettido antes debaixaralei doVgarion 3
obrigatoria para os habitantes desta cidade de 20
de abril de 1863 sobre essa celebre empreza.
Um proprietario.
Salsa parrilka de
ttrnlol.
Punas de kenip
. Vende-se na pharmacia de Pinto, ra larga do
Rosario n. 10.
D'IODIIRETP DUPLO
de FERROkQUININA
Os elementos que eompoem esu preparacio, o
ferro, o iode e a quina, a colloro no primeiro
grao das preparaedes ferruginosas. Basta aitestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes
que confirmrao saa poderosa efficacidade as
seguintes affecedes:
'llriKo ne angue.
Fraqnrca.
Anemia.
Chloraae a Ictericia.
Menatmo.
Afreecsrada uler*.
Suparenaca rin* rc-
Kraa e dmordr* na
meaatrnaeaa.
Aneec&o pulmonar c
phttalale.
Moleatiaa d'esloaBaia.
Gaatralglaa.
l'crda d'apprlllc. etc.
Coa val eaecaea de lan-
ga molestia*.
Molrallaa eaeratala-
aas.
rapeira.
Obalruccao daa gln-
dula*.
Humare* fra*
Humare* hraaeo*.
Raehlltxmo.
Aneeeoea caaeeraaaa
a aypbllltleaa.
Febrca Ivpholdr*.
Varales, etc., etc.
1$', na livraria ns. 6 e8
da praga da Independencia.

ittenco.
Queijos
Urna pessoa bastante habilitada pro-
poe-se a lecci.nar a liugua portugueza el 3. p^^a,ng>r Dm, m todooser.
franceza emalgum engenho do interior des- vico de urna casa de familia : na ra do Trapiche
ta provincia ; quem se quizer utilisar diri-
ja-se a ra Direita n. 75, que achara com
quem tratar.
Aluga-se
nm prelo proprio para casa de pasto por ter muita
pratiea, ou mais servico : a tratar no armazem da
ra da Guia n. 36o
Na ra da Florentina n. 36, prepara-se co-
mida para fora por commodo prego.
Saques sobrePortugal. |gg
' O abaixo assignado,autorisado pele 2
cjRjaacoVlercaniilPortueLse.e na msencia <$
ajilo Sr. Joaquim da Silva Castro.saca ef-||
*ai''ectivamentepor lodos o paquetessobre m
lis,iracas de Lisboa e Por.o, e mais luga- W
Bresdo reino, por qualquer sommavisj
aav.a, e a praso; podendo, O que tomaren M|
gaquesa praso,receberem>ista,nomes- 5
no Raneo, descontando 4 0|0 acanno: na g|
:ojade chapos darnadoCrtpo n.6, ou
na roa do Imperador n. 68, segundo an- g
I ir.Jos Joaquim da Costa Miia.
mmmmm mmmm mmmmm
Napraijada Inilependenca loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e pratae pedras
Ireciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda etodo e qualquer concert.
Alugara-se dous grandes sobradosicom com
modos para numerosa familia, novos e aceiados-
comjardim,cocheira,estribara e outras commo-
dilades.natravessade Joo Fernandes Vieira : a
tratar na ra daSenzala Nova n. 42.
121 'ouipuuhia Qdelidade de^
seguros martimos e ter-gg
*> restres esabeleclda no^
Rio de Janeiro.
AGENTES EU PEPNAMBUCO 9&
I Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, m
competentemente autorisados pela direc- U
I toria da companhia de seguros Fidelida-
I de, tomam seguros de navios, mercado-
%j5 rias e predios no seu escriptorio roa da y_4
mmmnnmmmm mmmmm
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Machado
se encarrega ante o foro desta cidade de tudo que
fortendenteasuaprolissao,aceita departido an-
nualas pendencias judciaes de qualquer casa
commercia i mediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobranzas nostormos do Cabo
elpojucaaondecontinnaa trabalhar como d'an-
tes,". encarrega-sededefezasperante o jury nos
termosproximosa via frrea,offerecendo gratui-
tamente seus servidos aos desvalidos, pode ser
procu'ado todos os dias uteisdas9 horas da ma-
nhaa as J datarae na ruaestreita do osario d.
34. eforadessashorasoa ra Imperialn.36,ca-
se desqa reidencia._______________________
Roga-se ao Sr, bacharel lozano
de \/.t.vi'(l') jaiz municipal deGaran-
luiHs, qaeiradirigase praca a In-
depe.adeacia ns. 6 e 8, 00 aonnociar
sua moroda para ser procurado.
wmmmm m-mmmmmmm
O bacharel
numero 4.
Claudio Dubeux, proprietario das linhas de
mnibus, faz sciente ao publico que no dia 15 des-
le crreme raez de marco tira do Cachanga o ora-
nibusjiue psirtc daquella povoacao as 7 horas da
manhaa e as a 1|2 na larde do Recife ; assim co-
mo lira tambem no mesmo da o mnibus de Api-
pucos que parle daquelle tugar as 6 horas da ma-
nhaa, e do Recife as6 da tarde.
Aluga se o segundo e terceiro andares do so-
brado n. 63 da ra da Guia com commodos cada
um dellespara grande familia, os quaes se acham
pintados de novo por acabar de ser dito sobrado
concertado : e a tratar no primeiro andar com o
pre.pretario bacharel Francisco Luiz Correia de
Andrade. _________________
A tugase
umacasaacabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta, no lugar do Poco
daPanela.ruado Rio : a tratar com Tassoir-
maos.na ra do Amonm n. 35.
Aluga-se urna casa cem bom sitio,,na Ca-
pungj Velha.que foi do Sr. Sebastiao Peona, com
bastantes commodos, lendo cocheira, estribara,
quartos para pretos, e muitas fructeiras : a tratar
na ra do Imperador n. 46.
Aluga-se a casa terrea n. 105' da ra de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Samuel Povu-r Johnston &. Conipsnba
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundicao deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreiosd' carro para um e dous cavallos.
Kelogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.______
Alfonso Jos de Oliveira, professor jubilado
da cadeira de geographia e historia do ex-lyco
desta cidade e competentemente autorisado pela
directora geral da instrueeSo publica para ensi-
nar primeiras letra?, lalim", francez, rhetorica e
geographia, contina com aula abena destas mes-
mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se-
gundo andar, e recebe alumnos internos e ex-
ternos.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engorr.mar para casa de pouca familia : a tratar
na ra do Crespo n. 18, primeiro andar.
Quem quizer possuir nm bonito mulatinho
de 12 a 14 annos, muito bom para qualquer ser-
vico de casa e mesmo de ra, dirjase a ra Nova
n. 38, leja, que ahi o verao, e tratar da venda.
Alugam-se dous andares de urna casa com
commodos para grande familia : quem pretender
dirija-s a ra do Crespo n. 8 6.
AMA
o melhor que ha neste genero a 2 cada um e ce-
bolas a 15 o cento : no amigo e acreditado esta-
belecimento junto a esta typographia n. 42.
Acedes do novo banco.
Manoel Ignacio de Oliveira J Filho vendem 100
ac$5es.
Accoes da caixa filial.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho vendem 20
aces.
Vendem se S8 saceos de faijio mulatinho
rajado e 70 ditos de muito bom'milho por barato
preco, 1 barrica com cerca de 4 arrobas de sebo
derretido, e 400esteiras do Aracaty : no armazem
n. 19, ra da Santa Rita, ribeira do peixe.
Vende-se um sobrado de um andar na Boa-
pois, pede desculpa de algumas faltas ; e na sua Vista, chaos proprios, na travessa do Veras n. 13 :
Fabrica in-se
pequeas machinas para marcar papel, fazar car-
teles de visitas, casamentos, e outra qualquer qua-
lidade de pequeos formatos, assim como fazem-se
slnetes para cartas, tanto para servir com obrea
como sem ella : na raa do Aragao n. 12.
Precisa-se de urna criada forra
para o servico de urna casa de familia :
ra Augusta n. 31.,
ou escrava
a tratar na
Joaquim Fernandes da Silva Campos, conhe-
cdo pelo appellido de Pitorra, obrigado por mo-
lestia, se relira de Pernambuco. Deixar de agra-
decer ao bom povo desta cidade o delicado trata-
mento que recebeu por espaco de 33 anuos que
habitou entre elle, seria urna ingratido: a todos
VejSe se es bullelins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gazeta
dos hospitaes de 28 dejulho 1860, etc.. etc.
A lem das pilulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
farro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosio de medicamentos sob for-
ma pilotar e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
d alterar-se e de se nio poder conservar.
Peca-se o felhelo qne se di de graca em casa
dos phannaceaticos depositarios.
Para-se evitarem falsifkacSes, extja o com-
prador em cada frasco de Pilulas on Xarope a 11-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
US, rae dn Bac, t em todas as boas pharmacia
de Franca a dos pnizes estrangeiros, etc.
GRANULOS
DE GHEVRIER
Os granulos ati bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos 3 lodosos paizes, para prevenir o
curar as
Dlarrhta* chronleaa.
Dysaeulcrlaa.
DAres dVatiniaga.
Dyapepalaa.
Maa llgeatea.
(iaatrltes.
Galtralglaa, ele.
Na ra do Crespo n. 14, primeiro andar, preei-
sa-sc de urna ama que saiba cozinhar e qne faga
o servico de casa e ra. ___________^^^_
urna pessoa bastante habilitada propde-se a
leccionar preparatorios em slpum engenho do in-
terior desta provincia : quem se quizer utilisar,
dirija-se a livraria ns. 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia, que se dir ,com quem tralar.
Est para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um Io e 2o andar de um sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agua de beber,e portao
para o becco do Pombal : quem pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
Precisase de urna ama para cozinhar e en-
gommar em urna rasa de duas pessoas : na ra
da Penha n. 22, segundo andar.
patria, ou em qualquer lugar que for habitar, e
queabiappareca um Pernambucano, o apontar
aos seus compatriotas, dizendo Ihes all vai um
nosso verdadeiro e hospitaleiro amigo.
Avise aos meas collegas.
Os senhores de engenho, que para o Rie Formo-
so bolam os seus assucares, devem saber que ha
all donos de barcadas que levara os sacos por
menos de seu valor, tirando-lhes de 2 a 4 libras
de assucar em cada sacco, como ha poucos dias se
descobrio essa raelgoeira ; pois que tendo um pa-
tro posto de ladrao a um seu ex-caixeiro, este sus-
tentou peraote o patro e muitas outras pessoas o
facto cima, no entanlo deu o calado c-m respo-ta.
Oeste modo se pode conduzir assucar de graga.
_____ O prejudicado.
na ra da Alegra, casa n. 3, se dir quem vende.
Vende-se um bonito cavallo gordo, alaso,
dos quatro ps calcados, frente abena, andador de
baixo at meio, novo e sem achaques, elegante
para nm eahrinfot na na Aa Caiovallo n. 3d.
FAKELO
em saceos de mais de
de Tasso Irmao.
Os pnmciros symptomas d'essas formidaveis
affeccSes se manifesto ordinariamente por diget- .
tdes laboriosas, azidumes, falta d'appetite, pesos
d estomago depois de cada comida, caimbras es-
tomjfcaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuido, traz ine-
vitavclmente, que seja:
Molenllaa de ligada.
A Irlrri.-la.
ralpllac&o dr roraro
varra no* ria.
Oapreaaca.
Dore* de rabera.
irrliMre de hrzlga a
da mairla, etc.
Aviso
Quem levou por engao um chapeo de sol de 12
asteas e deixou um com 16, queira fazer o favor
de vir desmanchar o troca na ra das Larangeiras
numero 16.____________________
Aluga se um moleoue ou-umapreta qne te.
nha bons cestumes : na iua das Cinco Ponas n
42, segundo andar.
Perdeu-se no dia 16 do corrente, das 4 as 6
horas da tarde, da ra do Imperador n. 43 at a
ra de Apollo, edahi at n ra do Crespo, a quan-
ta de 1005 em duas notas de 505 encarnadas da
caixa filial do banco do Brasil nesta provincia: se
alguma pessoa que tiver achado aquella quantia
quizer restitui-la por espirito consciencioso, haja
Acha-se justo e contratalo a comprar a casa
terrea, sita na povoacao dos Afogados o. 08 : a
pessoa que nelle se julgar com direito, annuncie
por tres dias, a cantar da data deste.
Na ra da Cadeia n. 20, tem ama carta vin-
da do Rio de Janeiro para o Sr. Odorico da C-
mara.
Antonio Luiz de Oliveira Azevudo & C. dei-
xaram de ser agentes nesta cidade do Banco Uniao
do Porto e da companhia de Seguros de Vida an-
nexa ao mesmo Banco, desde o dia 17 do corren-
te, como das participacoes que abaixo seguem, fei-
tas pelos mesmos as respectivas directoras.
Pernambuco 17 de margo de 1865 Illm.a di-
reccao do Banco Uniao do Porto.Porto.J por
este paquete nos dirigimos a Vv. Ss. em data de
16 do corrente, cuja carta confirmamos e vamos
de novo a sua presenca para Ihes rogarmos se sir-,
vara dispensar-nos da continuacao do cargo de
agentes desse Banco. Apreveitamos a occasio
avariado.
Francez barrica 5,5000
Portland dem 8,5500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Feljo.
Vende-se urna porcao de feijo mulatinho muito
novo a 15 a cuia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 520 rs.: na ra Direita n. 8.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
empo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
&

FIGADOd bacalhau
Vende-se urna escrava crioula cora 2o anuos
de idade. cozinha, engamma e dlsposta para tode o
servico: para ver e tratar na rna Bella n. 6.
Vende-se una vacca crioula, parida de pou-
co, muito boa de leite : para ver e tratar, na ta-
berna defronte da capella de S. Jos do Man-
guioho.
Feijlo e iiiilho chegado
agora.
Sacos com feijao mulatinho novo a 125, ditos
para agradeeermos a confianza que Vv. Ss era nos com milho novo a 4$300 : na ra dos Quarleis 11.
tem depositado, e esperando que se dignarlo de 22 junto aloja de funileiro.
aceitar nossa demisso nos subscrevemos com to- -------------tt-----~ri----------------z----
; da a consderacao de Vv. Ss. muito alientos vene-! JTTGuIO l VPTK13..
de leva-la ou manda-la a sobredita casa n. 43 na ra(jores e criados.-(Assignados)-Antonio Luiz de
ra do Impejador, onde recebera por uso recom- Oliveira Azevedo & C.
pensa corresponen'e. Pernambuco 17 de margo de 1865.Illm.' di-
&m
Vende-se a casa terrea da ra da Conceico n.
29 da freguezia da Boa-Vista : a tratar na raa da
- Precisa-se de um criado que faca todo o ser- i recejo da Companhia de Segaros Mutuos de Vida. 3" d Deos n- 16'das i0 horas da manhaa as
vico de urna casa de homem solleiro, inclusive co-1 -Porto.J nesta dala nos dirigimos a Vv. Ss. I -----__1_------------------------------------------
zinhar, preferese escravo : na ra da Imperatriz I cuja carta confirmamos e de novo vamos a sua; Vende-se urna negra de mca idade, boa co
n. 26, primeiro andar. j presenga para Ihes rogarmos de dispensarnos da zinheira : na raa da Gloria n. 80.
continuacao do cargo de agentes desta seccan de
Seguros e Mutuos de Vida. Aprovcitamos a oc ,
easio para agradeeermos a confianca que Vv. Ss.! ^a padaria atraz da fundicao do Sr. Starr ven-

Francisco Augusto da Costa
ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
s
m
Consultorio medico-cirnrf ico na rea larga ds
Rosario i. 20.
O Dr. Joio Ferreira da Silva regressando sna
casa, contina em o exercicio de sna profisso
nio s. aa parte medica como tarobem na cirur-
ea.
Os abaixos assignados declaram que pessoa al-
guma faga negocio com as partes do engenho
Timb, pertencente a Francisco Virissirao do Reg
Barros, porque o mesmo senhor anda nao pagou
aos abaixo assignados ; e para ningaem se chamar
a ignorancia previnem em lempo.
Antonio da Rocha Accioli Lins.
Joaquim Luiz Viraes.
Precisa-se poraluguel de urna prela escrava
que nao beba agurdente, ou forra de boa conduc-
ta, para fazer todo o servico de ama casa de fami-
lia : quem assim o queira, dirija-so a ra de S.
Francisco, como quem vai para a ra Bella, sobra-
do n. 10, para tratar do ajaste.
Phosphoros.
Na loja do rival sem segando, rna do Queimado
ns. 49 e 55, chegou orna pcchmcha ; dozia de
phosphoros de seguranza a 120 rs caixas de pen-
nas inglf-zas muito finas a 500 rs.; estes dous ar-
tigo? sao pechinchas por serem de qualdades su-
periores^____________
Feilor
Precisase de um feltor, no primeiro sitio da raa
do Hospicio n. 34.
Francisco das Chagas Cardoso por haver ou-
tro de goal nomo, se asslgnar de hoje em diante
Francifco das Chagas Oliveira Cardoso.
Precisa-se de urna pessoa qne queira entrar
de socio em umu taberna, ouse vende pelo dono
ter outro negocio : a pessoa que quizer dirija-se
a ra das Cruzes n. 9 que se dir a pessoa que fuz
negocio. ___ ____ ___^
Precisa-se alugar urna criada livre que saiha
cozinhar a engommar para casa de urna s pessoa:
na ra de S. Francisco n. 39, casa terrea.
rmandade do Di' inoEspirito
Santo
A mesa regedora manda celebrar segunda-feira
20 do corrente, em sua igreja, pelas 7 horas da
manhaa, urna missa por alma de seu fallecido ir-
mo e capello o Rvm. Ignacio Antonio do llego.
Roga aos seus charos irmaos e aos amigos do fal-
lecido, obsequio de sua assistencia.
Loja de calungas, roa do Rangel d. 24.
Nesta loja tem um sorlimento de calnngas dos:
melhores gostos e molduras douradas para qaadro !
em vidro, tambera se arranjam quadros de molda- i
ras donradas para estampas, tintas de superiores
qualdades, preta e rxa, por prego barato, a 320
rs. a garrafa._____________________________
Respndese ao curioso do Diario de Per-
nambuco n. 63, que o fiscal de Santo Antonio nada
tem com a ribeira do peixe, e sim o fiscal de S.
Jos. Quaoto ao que se pergunta na Revista I lia-
ra, responde-se igualmente que a illustrissima
cmara tem de providenciar acerca da materia de
que trata a Revista, a qual sabe-se que desde o dia
W do corrente foi objecto dos cuidados do fiscal do
Santo Antonio.
j! Le&umes novosa6,40u rs. a arroba'
em nos teem depositado, e esperando que se dig- de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
naro de aceitar nossa demisso, nos subscreve-: ds, lentilhase sevadinha pelo prego emsortimen-
mos com loda a considerago de Vv. Ss. muito at- t0 deb5400 rs, eeonforme for a porg.io faz-se al-
ientos veneradores o criados. (Assignados.)An- Cnm ahatimento.
tonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C.
m
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as i 1 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ar-
gentes, qne serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Trm sru casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira ciasse 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira dita.... 25000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera erue elle conti-
nu a merecer a conflanga de que sem-
pre tem gozado.
Vendem-se moedas porluguezas de ouro de
15000 : na ra Direita n. 24.__________
Vendem-se por prego muito commodo, jun-
tas ou cada una de per si, seis casinhas no Cam-
| po Verde, sahida p; ra Belem, as quaes, rende cada
nma 5;000, faz-se todo e qualquer negocio : a tra-
tar na ra do Cotovello n. 17.
Jumentos
Vende-se um lindo casal de jumentos, de bella
raga, grandes e novos, proprios para a conservago
I da mesma raga, e crusamento, dn que se colher
' magnficos machos e muas para carros o cargas,
cuja jumenta est grvida ; assim como urna lin-
da jumentinha com pnneo menos de ora anho :
ver e tratar com Jos Pereira Cesar no sitio Pi-
rauuyra, arrabalde da villa do Limoeiro.
fin
P eo processo de Cberrier, pharmaceulico
Pars, ra do Fanbourg Hon linar le 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um saborassucaradoo nico que nao tem
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
jeclo de numerosos relatnos scienlificos e
mdicos, esle mdicamente que goza em
Franca de um successo t5o raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principaes mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
0 oleo quando sao acompanhadas de debili-
dade e atonta.
Deposito geral em Pernambuce roa da
Cruz n.22 em casa de Caros & Rarboza
Nao passa emjutqado.
PfoteMa-se contra os annuocios da Sra. D. Rita
Mara dos Anjos Paula, por quanto sea marido
sempre sofTreu da molestia que agora diz a mesma
senhora em seas annuncios, e tanto verdade qae
seu marido contina como d'ant*>s aa gerencia do
estabelecimento, e a trazer escondidos pelas cuta tos artigos atis. Este livro das familias recom
alhetas os seus escrotos. E tarde Sra. D. Rita 11 menddo e approvado pelos Exms. Srs. D. Luiz
Vmc. e ofu cumulado denam ta- ajtrovttado o; bispo do Maranho e D. Manoel arcebipo da Ba-
entejo e ntra po. hia, vende-se a 1*000 eartoriado, na livraria de
ra credor. | Jos Nogoeira doSonza, roa do Crespn 2
Livro do Povo.
O livro do povo, obraornada comestampas,con-
tendoa vida deNosso Senbor JesusChristo, e niui-
Colarea Royer
ou colares anodines elctricos contra as convulses-
das criancas.
O bom e proveitoso resultado que as criangas
oblem na denliga^. Irazendo desses colares, j
bem connivido, e por isso se tomam hoje indis-
pensaveis porque assim teem os pas incontesta-
velmente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambem na ra do Queimado,4oja d'agnia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Contmua-se a vender em porgao e a retalho :
na rna do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e galfs prelos para vessidos,
A aguia branca recebeu novamente um bello
sortimento de enfcites pretos para vestidos, sendo
bonitas trangas, franjas, gales e bicos pretos, etc.,
assim como botoes enfeitados de vidrilho?, e on-
tros mullos enfutes do differenles cores, conti-
nuando a aguia branca na raa do Queimado n.
a vender tudo Isso por pregos commodos.
Bonitas caixinhas
com msica e sem ella para rostan, e onlras
igualmente lindas com perfumaras finas.
A aguia branca na roa do Queimado n. 8 acaba
do receber um bom sortimento de caixinhas para
costura, e outras com perfumaras finas, e conti-
na a vende-las baratamente.
llTTZ^t?? D3 C0"ler eSpr? C! Vende-se a casa de molhados na raa da Impera-
ter atrradavel paladar, supe 1er ao melh r'trUn 34 por seu dono ter de retirarse para a
Bordeaux, sendo aquella particularidad Europa a tratar do sua saude, tem commodos para
apreciavel e uttl na presente eslagao calm i- familia, e faz-s* todo o negocio : a tratar na mesma.
8a, emque OS vinh'isagURrdeiltados se tor-' Vende-se nia taberna na ra Direita dos
nam preiudiciaes: vende-se no deposito Afo*aoiVc1ora ncos fan.*>e PrPria P*ra qui-
ma da fqdpia psrnntnrir, Ha I Aai iLc "uer Principiante, ou vende-se somente a armagao
r*jj a Caaeia_escriptono de Leal Res. : e portenejs da mesma, como melhor convier ao
Vende-se 160 frascos de tinturas fao-! S2mpSfdor: a ,r?,ar n* me5ma rua' padaria "
monathicas vinda do Paric (A'r*ia\un\.;66- No raesmo lugar vendem-se por prego com-
meopatmeas vtnaas ce Pars (d Utellan) : \ moo duas carrogas, sendo ama propria para car-
na rua da crrjz n. Ci. regar agaa e oatra para condugo de genero?/
Veude-se urna vacca boa leiteira com urna
cria, chegada ha pouco do Goianna: a tratar na
rna das Larangeiras n. 5, primeiro andar.
Vinlio Collares.
Acaba de chegar de Lisboa o su erior e
verdadeiro vinho de Collares, em caxa,
esta excelente qtialidade ds vinho ton-se




Diaria de Pernambuco Segunda felra SO de Mareo de i*a.
Attentflo.
Fazendas prutas para a quaresma por
por baratissimo prego, aa toja e ar-
mazeu da Arara, ra da lmpera>riz
a. 56.
Lourenfo Pertira Mendes Guimares.
O propnetario deste estabelectmealo retira-so
para a Europa a tratar de sua saude, porm antes
de retirar-se preteode fazer orna liquidaeao de ba-
baratisirao prego para fechar comas ; agora fre-
guozes voude-se grosdenaples preto muo boin
para vestidos, a 1*600, 2 e 2*500, dito de o pal-
mos de largo, a 3 : oa ra da-Imperatriz loja da
Arara o. 56.
tlcuraatiquc preto a 3.
Vede-se raeurantique preto para volido a 3* o
covado, grosdenaple muito largo e encorpado a 3*,
24300, ti e 1*600 o covado, alpaca prel* para
vesdos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, Sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
40 e 800' rs. o covado, la preta para vestidos a
tilO rs., bJinbiziua preta para vestidos a 1*280 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a MariaTiaa i2#.
Vendem-se ricos vestidos a Mara Pa a 10*,
12*, 14*, 16* : ra da Iraperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende pecas de panninuo aoj e de
madapolo a 44.
. Vendem-se pecas de panuinlio muito fino de 12
jardas a 5*, vendem-se pecas de madapolo infos-
tado a i* e 4*500, vendem-se pecas de madapolo
de 24 jardas bom a-6*. 74, 7*500, 8*, 9*, 10* e
12*, vendem-se pecas de algodosinho a o*, 6*,
7*, e 8* : ra da Iraperatriz a. 5S.
Arara vende os bales a2-J500.
Vendem-se baldes de arcos de todos os lmannos
a 2*500, 3*, 3*500 e 4*: ra da Iraperatriz
n. 56.
Laazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-sa laazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
linas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores flxas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas linas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova -
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidado de soutimbaques e laazinhas a
U, 80 e I0.
Vendem-se soulambaques de laazinhas para se-
nhoras a 7*, 8*, dita de alpaca branca a 10*, ditas
muito Anas de grotdenaple preto a 20*, 233 e 30*,
capas pretas de grosdenaple fino a 20*, 25* e 30*,
manteletes pretos de grosdenaple a 20* e 22*, go-
linhas para senhora a 240, 320 e 505 rs., mangui-
tos com gola a 1*, camizinhas para senhora, 2*,
e :t-J, ditas muito linas bordadas a 4*500 : na loja
do Daraleiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Corles de dilas finas a 2^400.
Vendem-se cortes de ditas com 10 covado por
J100, daos de dita frauceza a 3*200, cortes de
cassa franceza fina com 11 covados, por 3*, ven-
dem-se pecas de cambraia branca lisa a 3**00,
i*500, 5*500, 6* e 8* : ra da Iraperatriz n. 56.
Liquidaeao de roupas feilas palitos a 2#.
Voudem-se palitos de bnm de cor a 2*, 2*5 0 e
34, jaquetes de brim pardo a 3* e 3*500, palitos
Fazeadas pretas para aqua-
resma.
%a loja do Pavo.
de casimira bem feito a 5*, 6*, 7*, 8* e 10*. di-
tos de panno preto bom a 8* e 10*, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 12*,
14*, 16* e 20*, calca de bnm de cr a 2* e 2*500,
ditas brancas de limio a 3*500 e 4*, ditas de ca-
simira de cor i*, 6* e 8*. pretas a 5*, 6* e 8*,
colletes de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 1*500, brancos a 2* e 205.0, ceroulas feitas a
1*280, ditas tinas a 1*600 e 2*. camisas france-
zas a 2* e 2*500, dilas inglezas de pregas largas.a
'-5. d< linho a 3* e 3*500, colennhos econmicos
a 640 rs. a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
i na da Iraperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 2l.
Veniem-se cobertas de chita finas a 2* e 2*500,
dilas de damasco a 4* : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e ven le corles de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para calca a
3*, 3*500, 4*500, 6* e 8*, ditos de cor a 3*,
i*500 e 6J : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vndese panno preto para calca e palito a 2*,
3*, 29500, 4*, 4*500 e 6* o covado, casimira pre-
ta Una a 2*, 2*500 e 3* o covado e oulras mnilas
fazeudas para liquidar : ni loja e armazem do
Arara, ra da Imperalriz n. 56. ______________
Navidades
Na nova loja de fazeudas e
roupa feita nacional
11 ua da Imperatriz m. 72
Pecninclia
Cortes de chita a S04OO
Vende-se cortes de chita cora 10 covados a
s}400 a 3>200, ditos de cassa a 3*. ditos de laazi-
nhas para vestido a 3*600 e 4*, ditos linos de bar-
ras a Maria Pia a 12*, 14* e 16}, ricos souteam-
barques de lazinha era fantasa a 8*. 7* e 10*.
ditos de grosdenaple pretos Unos a 20*, 22* e 25*.
capas pretas de grosdenaple a 20*, 23*, e 25*,
aa ra da Imperatriz n. 72.
fazendas pre'.as para a quaresma.
Vende se grosdenapie preio flno a 1*600, 2*, e
iSi-30 o covado, panno flno para calcas e paletots
a 25,3*. 3*500, 4*500 e 5* o covado, casimira
prnto Una a 2*, 2*500, e 3*, alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para calcas e paletots a 640 e 800 rs. o covado.
Laazinhas a 320 e 3U0 rs. o covado.
Vonde-se laazinhas para vestidos a 360, 400,
"OO, e 5*0 o covado. chitas finas para vestidos a
240 o 283 o covado, ditas francezas linas 320,
360 e 4o0 rs. o covado, capas francezas unas a
320, J60 e 400 rs. o covado:
Uo.ipa feita.
Vende-se paletots de cor e preto a 5*, 6*, 8* e
I0*,caicis pretas de casimira a 5*, 6* a 8*, cor-
les de colletes o paletots de brim a 2*, 2*500 e
3$ : na ruada Imperatriz n. 72.
Madapolo enfestaJo a 40.
Vende se pecis de malapola eufestado a 45,
dita em iiannintio a o*, pecas de madapolo de 24
jarlas bom a8*. 7* e 10*, dilas de algodo a 5*.
6*, 7 e 8*, cortes de calcas de brim a 1*600 e
2*, ditos de easiraira prela a 3*, 3*500 4* e 5* :
na ra da Imperatriz n. 72.
BENZINA
i Nova esseueia para tirar nodoas sem ata-
car tfcilu aew alterar as cores
i Mincha alguraa produzida por gorduras,
cera, etc., resiste a este famoso dis-
sjlvente, que pode sem roceio appli-
ear-se sobre vestidos de seda, la,
tapecaria*. panos de buhar etc.
itestauca peritamente as luvas depeli-
ea usadas.
Cada fraseo 10OOO.
i'm impresso que acorapanha cada fras-
co easinaa maneira de usarse, assim
corno indica oulras muitas applcacSes
que esta nova essencia pDde ter aas
artes.
PHARMACIA RIBEIRO
EM PERNAMBUCO
22Praea da Boa-Vista22
Acha-se este estabeiecituentocompletamente sor-
lidode fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muilissioio encorpa-
do, oulros nrais estrenos tendo dos precos de
1*280, 1600,1*800, 2*, 2*400 e 3*, superior
raoreantique preto a 3*, superior sarja preta hes-
i "i frp l,aunola. superior setim preto maco, ricas capas
'J.fi? M;^ Prelas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
tadas, ricas vasqulnas e casacos dos mais moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para lulo e ricos
chales pretos de rede, tudo isto se vende mais ba-
rato do que em outra.qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama As roupas do Pavao.
Acha-se nesteestabelecimeBio am grande sorti-
mento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito flno e forrados de seda a 22*. 25* e 30*,
ditos forrados de alpaca a 14*, 16* e 20*, supe-
riores paletots de casemira Unto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira prelos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidades, colletes
de casemira. prelos e de cores, ve'ludos, selins
ele, sendo todas estas obras corladas por um dos
melhores mestres naclonaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas em caries com 10, 11 e 12 covad(sl
Na loja do Pavo vndese urna grande porco
de cortes de chitas'Ancezas sendo claras e escu-
ras todas de crese as com 10 covados a 3*200,
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Grande liquidaeao.
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
d> Pavo de Gama i Silva.
Acha-se este estabelecimentocomplelamente sor-
tldo de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praea como para o
mato, prometiendo vender-se mais baralo do que
era outra qualquer parte, principalmente ondo em
porco, e de todas as fazendas dao-se aroaslras,
deixaodo llcar penhor, ou maudam-se levar em ca-
sa pelos caseiros da loja do Pavo.
Camisinliasa 1$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meoinas, pelo barato preco de dez tustdes cada
ama : na loja do Pavo, ra da Iraperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 30.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados
pelo baratissimo prego de 3*rC0 o corte : so na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
(Si Silva.
CamhnUs lisas, oa laja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapadae transparente, pelo baratissimo oreco de
4* tendo 8 1|2 varas cada peca, ditas muito finas
a 7*, 8* e 9* a peca, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 7*, 9* e 109, ditas
Garrazes fazenda mu;to encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pc-
ea : isto na loja do Pavao ra da Impojatriz n 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincha a 3*500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaco de tarlalana com mutos
delicados desenhos, muo proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo preco ne 3*506cada um,
sendo fazenda que semprc se vendeu a 7*, na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 10 e a 70
Na loja-do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Mara Pia, sendo bordados e rom barras,
pelo barato preco de 4* e 7*, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porco, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernos enfeites para cabera
de senhora : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 6o, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Venlem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhjs e raudos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por haver grande, porfo : na loja do Pavo,
ra da Iraperatriz n. 60, de Gama i Silva.
As laazinhas transparentes a 500 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
laazinhas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imitago das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado; ditas enfestadas de urna so cor e
dilas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de rriangas : na loja do Pavo na da Impera-
triz n 60. de Gama & Silva.
Ricos ssnlaiubarques do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimeoto de sou-
tambarques de grosdenaple preio muito bem
entenados, que se vendem pelo barato prego de
20*, 22*, 25*, 30*. Gapas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em contri: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escosseusa 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para calcas, colletes, paletots, roupas para
maneas : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinle mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transparen-
tes, sendo cora listras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Mara Pia, tendo do to las as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porgo : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Haria pia,
Graade pechincha a 100000 rs.
Chegaram os raals bonitos cortes de la Mara
Pa com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, i-endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo preco de 10* o cor-
te, ditos de precala cora lindas barras e enfeites,
com 19 covados cada um a 10*, ditos de cambraia
cora barras bordadas acrox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 6* : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para mangas, com
muito delicadas cores, moderna, o vende-so pelo
barato prego de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas lisas.
Vendem se as mais Anas laazinhas de urna s
cor, tendo grande sortimento : na loja do Pavo,
ra da Iraperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, seado
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercido, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernsimos chales nao so sao proprios
para passoio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peratriz d. 60, loja do Pavo.
AO PUBLICO
*em o menor eonstran-
gimento se entregar o
Importe do genere qne
>5o agradar.
/i
TTENQJO
Os presos da segulnte
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
rw
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Conceieio)
PARA BEM DE TODOS.
PILKL4S CAIHABTKA8 D AYER.
Estas pilulas vegetacs sSfl *
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, jeis fto
perfeilamente innocentes, e era
quanio milhares de pessoas coh-
fessara com grnlido que foram
curadas por ellas de molestias
severas i; perigosas;nao ha
um st'j caso em que naja suspei-
t.is do mais leve resultado inju-
rioso por scu uso.
Publicamos aqu alguns dos
attestados que tomos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimeDto, e mais que tudo a prompiidao e intei-
rezacom que serao tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proleccao e preferencia na com-
pra dos generes que prec sarem, e quando nao possam vlr podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pois serao to bem servidos como se yiessem pessoahnente, havendo para com esles toda recQmmenda^ao, aflm de que n5o vio em
outra parte.
Alelria, macarro e ulharim a 4oo rs. a li-
bra e G.ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a.04o rs. a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 08o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 10,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo c l,Soo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 10,ooo
a duzia e l.Soo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes
Manteiga ingleza especialmente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 9 Jo
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,000
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,0oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Coslelletas inglezas a 04o rs. libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 04o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas ja preparadas
em latas hermticamente lacradas a 04o..
Feijo verde rauilo superior a 040 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.oooc l,2oors. a libra.
Espermacete superior a Goo e 04o rs. a li-
bra e cm caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa cGi e 7oo ris agar-
rafa.
Gencbra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a G,8oo
e 04o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e Il.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de i* qualidade a 28o rs. a li-
bra c 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muilo superior a 24o rs. a li-
bra c 7,oo rs. a arroba.
a
.UIVitAo ebrouica do ligado.
Illm. Sb-
Juiz Je Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feilo uso das pilulas catbarficas
de Ayer, que me fez favor de dar um >i-
dro, tendo lirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
femidades do ligado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois temi desaparecido um grafios
engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regiao do figado e costas, dores de
Sal refinado em frascos de lido com lampa cabeca, incbacao do ventre, nao podendo
a 4oo rs. os quartos e
04o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a o,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a (i lo rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8.000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 0 li-
bras por 2,5oo rs.
Ameixas francez is em fasco de vidro com
tampa do mesmo, a l^Soo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhes com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, 1,600, l,8ooe2,ooo
cada urna.
Azeitedoce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo |
o gigo com 36 libra-.
Conservas inglezas a 7oo rs. o frasco e
8,Soo a duzia.
Va^souras de escova para esfregar casa a
leo rs.
Nozes muito novas a 10o rs. a libra.
do mesmo, a 000 rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, to e 04o
a gnala, e 0,800, 0,000 e 6,000 a du-
zia.
Gevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do affamado fabricme Jos Fui la-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guauabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,ooo, 0,000,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em treias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte*, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panaiellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,000 e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, exc<;llente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 060 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,000 e l,'oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
Arroz do Maranho de Ia qualiilade a loo.Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8o a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-; Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 400 rs. o frasco.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. SOpa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamenle dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-i 1$ a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a lio rs. o maco.
far o preco.
Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,000 o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em soxtinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
barrieascom gesso
mos.
Gesso
nos armazens
de Ta3o Ir-
Vacca
\a Pirang. defronte ao sitio do Sr. Millel, ven-
de-ie orna va&a moito boa leitcira com crin.
Potassa da Rnssla.
Acaba de chegar a mais aova e verdadeira po-
tasa da Rassia, e vende-fe a preco commodo: no
escriptorio de Maooei Ignacio de Oliveira Fit'%
largo do Corpo Sanio 0.19.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos sontambarques de core, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc.. so
avista do grande ortimento que os fregnezes
podem dar o verdadeiro apreco a esta fazenda, e
vende-se por differente precos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo da Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Bisas hambnrgaezas.
Vende-sena raa Nova n. 61.
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queiinado, u. 49 e o. E' para adnyrar.
Carrelis de linna com loO jardas...... 60
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................. 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
Novellos de liuha grandes com 400 jar-
das................................. 80
Id-m idem brancos e ce cores de 100
jard.s............................... 30
Livrospara assento de roupa Uvada... 100
Gordiio branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de boies de punho todos de cores 120
Tinteiros de barro com tinta........... 100
Tesouras para costuras Uase unhas 400
Ditas para costuras com toque d'avaria 200
Escovas para limpar denles muito tinas
160, 200e.............................. 320
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades........................... 610
Ditas com 20 cadernos, raptl pautado e
liso................................... 600
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
Iho)...............:.............. 20
Hatadas de liona frouxa para bordar... O
Pares de sapatos de tranca........ l&oOU
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............. 30
Frascos de macaba perola muilo suerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 300
Ditos e garralinhas de agua de Colonia
muito fina....................... 400
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2........... f
Pegas de litas clsticas para vestidos a
melhor qualidade.................. 240
Pares de ligas para senhora as melho-
res .............................. 320
Peas de bico? francezes e renaas..... 320
Frascos do anua dentifrice muito supe-
rior.............................. 800
Caixas com i papis de agulhas a balao
e Victoria........................ 200
Libras de lita sendo de (odas as cores... 6J0O0
Bonecos vestidos e tambem de choro... 160
Caixas com superiores obreias........ 40
Dilas de linha de taz com 30 novellos.. 800
Enfladeiras de fita para espartilhos..... 60
Carrelis de linha de cores com 100 jar-
das ............................. 20
Pecas de cordo imperial............ 40
Vende se a casa de molbados na ra da Im
peratrizn. 34, por seu dono ter de retirar se para
tratar de sua sanie, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na mesma cima.
Vende-se um sitio com casa de morada, ter-
reno proprio, j com alguns arvoredos e boa ca-
cimba para agoa, na povoacao do Cachang, sitio
aoodft tem a padaria
trfz, taberna n. 42.
BOTICA E DROGARA
Bartliolouieu l;iancsco de Souza & C.
31Rualarya do Rosario34
Vendem:
Pilulusllolloway.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilolasvegetaes.
Pilulas/egetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Uristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
VinhodeSalsaparrilha deCh Albert.''
InjeccoFeaugas.
Agua dentiQcade Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xaropedepuratlvode Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL'Affectenr.
.Varope do Bosque.
Ungento Holloway.______________________
Pe-hincha na o va loja de fazendas
ronpa feila nacional, ra da Impe-
ratriz n 72.
Pecbinroa a 210 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cures fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezas largas a SOO, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado : pecas de madapolo flno a 6,
75, 85, 0 e 1021 pegas de algodao a 3-5, 6, 75
e 8 : ra da Imperatriz n. 72.
Roupa frita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 35, 65, 85 e 105, ditos sobrerazacos a 12, 14-s
e 165 Pal i ios de brim de cor a 25300, 35 e 35300
rs., calcas de cazemira preta a 6#, 7# e 89, ditas
de cazemira de cor a 3J, 65 7, e 85 ; coletes de
cazemira de cores e prelos e ditos de brim a 15300,
e 25500 rs.,; raleas de brim de cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Soulambarqne de reres a 7ft, 8# e'10f$.
Vendem-se soutambarque de la e seda para se-
nhoras a 7;, 85 e 105; ditos de grosdenaple pre-
to a 20> e 235 ; capas pretas a 20 e 235 ; vesti-
dos de la a Mara Pa a 125, 14$ e 165 : ra da
Imperatriz n. 72.
Corles de cazemira preta a 3!.
Vendem-se cortes de cazemira preta para calca
a 35, 35300, #5 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a 35, 45,59, e 75. ditos de brim de cores a
15600, e 25, ditos de chitas finas a 25108 e 35200,
ditos de cassas franceza a 35 : ra da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Quetmado n. 49 c 53 lojas de miude-
zas de Jo>- & Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parte, qoem qoizer ver o que ha
bom e baralo venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha. ..........
Frascos de vidro com superior banha..
i Pares de luvas de seda muito finas___
; Enfeites do melhor gosto que lera vindo.
i Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
1 Pulceiras do melhor gosto e modernas.
i Volla para pescoco do melhor gosto.,..
' Raralhos para voltarele, finas a 00 e..
I Varas de franja branca de linha que
; lem muila serventa.................
I Duzia de pennasd'aco muito superiores
Frascos de oleo Bboza muito finos.....
i Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200
240
320
25-300
19280
300
300
240
060
060
200
240
Duzia de colheres de metal muito linas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muito finas
para cha........................
Grosas de botoes de osso para caiga...
Grosas de bot5es madreperula para ca-
rniza..............................
Grosas de -botoes de looca prateados
muito linos......................
Varas de babado do Porto sonido.....
Duzias de lapes differentes qualidade a
240....................
Quadernos de papel de piso muito flno.'
Resma do mesmo papel.............
Duzia de faeca e garfo muilo boas___
Saboneta de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof.....................'.
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Esencia oriental para tirar nodoas
roupa..............
Creio para dezenho de lodas
lidades...............^......
Carlas de allneles francezes muilo su
periores.......................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
300
25400
15300
200
500
200
066
100
030
23000
23400
040
500
25OOO
deitar-rce seiio do lado diicito, isso ir,es-
mo procurando pcsi^So para ter sccego, bo-
je me aclio livre d'esse padcrimenlo ; como
por aqu anda as nao (aja, ru como ttuho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-mc alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que Uve occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que ttve urna
preta que com elle curci, faco uso d'ellcs
as tosses em minha familia scmpie (m
bom resultado, e por isso c que peco para
mandar alguns frusquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque lenco
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i :mt e g e
resultado; sou btdooroirandfoda
De V. S. atlensgPs.ar
Francisco FerbeatbuaU
Minimalismo e. ataques hcmorrhoidacs.
Illm. Sh.
Ouro-Preto, 30 de marro de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca~
tharticas do Dr. Ayer sao cxcellentes, f os
que soflrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunlia ser rlieumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annosl e soffrer.c
tambem de ataques hemctrlioidaes, c.te
um ouvido, pois que al j pouco cuy a, e
acompanhado de urna dr no queixo, ccr-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa : porm
lendo eu o almanack do mesmo doctor,
comprei em sua casa um vidrinho das mer-
mas pilulas e por minha conla principiei a
toma-las, e sem as tinalisar acho-me sena as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques btmorrhoi-
daes: portanto s5o para mim as taes pili.-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obligado,
O brigdeiro
J0A0 Rodrigues Fk de Cartai ne.
Caslrite.
Ouro-Preto, 29 de marco de I84.
Atiesto que tendo feito uso, aconsejado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de urna gasitite
que sffria e que privava-rae de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinto.
ACGCSTO GOLLATINO DE MELLO.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fevereiro te I8C4.
Sendo cu afectado do figado ha muitrs
annos, c ltimamente soffi i falla de api-lite,
hoje riou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharttras
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieiba.
Consliparao, dores de cabera.
Ouro-Preto, 28 de marro de I8C4.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipaco que trouxe-me dores or
todo o corpo e Ha cabeca, soffri horrivel-
mente por espaco de quatro dias; etaw
um amigo aconselhou-me que tomasso pu-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ell?s fi-
quei sao e completamente reslabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme De-
posito de aconselhar o uso das ditas plalas
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipacoes.
Agostiniio Jos da Silva, negociante de {'
sendas.
lrriUrito do estomago.
Ouro-Preto, 0 de maco de I8t*.
SJFAtiesto e juro, se necessario fr, que.
frendo ha muito lempo excessiva ni:,
de estomago, pouco apetite e diffic di
15o, d'ella tenho experimentado sem:'
melhoras depois que tenho feito uso ai
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio IIeumogenes Pereira Roa,
de
as aua-
|10C
500
020
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 18C4.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas) fo-
rra empregadas com grande vantagen por
mim em urna menina de dez annos, que
soffria de vermes inteslinaes, notamlo-se
que os symptomas que entiio apresen?. .a
eram de molestia bstanle perigosa.
Ray.mundo Nonato de S. Tiiiago, pfaann
ceulico.
Nevralgia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Ava-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei urna infi.-
dade de remedios sem achar alivio alguin.
Dr, angustia, tormento sao palavras 01-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido : ltimamente tomei as pilulas ca-
100; tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, i
Dona". I.".;.... .. 36o:tou completamente reslabelecido; ha tres
Carreteis de retros com quatro tavs!. 800 dias que nio smto a mais leve dr no hom-
FIJ5o
ama da Madre de Dos n. 9 vende-se feijo
mulatlnho, dito I raneo, e dito preto, mais barato
a tratar na ra da Impera- j do que em outra qualquer parte, approveitem a
peehioclia que a quaresma bate porta.
_ quatro
(jolinhas para senhora a melhor quali-
dade....................,
GAZ GAZ GAZ
800' oas que
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as pr.
no
Vende-se gaz da melhor qnalidade a
if a lata : nos armazensdi ruado Im-
perador n.f6 e rna do Trapiche Nevn. ?.
cipaes boticas e drogaras do imperio, t
Rio de Janeiro, ra Diroita n. i ti.
Veode-se am Pernnmbuco:
a phamaela franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
' ..'
TTi
IV


Ha
Diario de Pernaiafonco -- ftrgnada feira tO de Marco de f 65

AURORA BRLHRTE
GRANDES ARHAZEKS
DE
MOLHADOS
I Largo da Santa
jCruz ns. 12 c 84,;
[esquina da ra do
i ESPECULES
VINHOS
Largo da Santal
||Cruzns. 12e8iJ
gjj|esquina da ra do|
gg|Cebo.
Jai ?3!!$K!-'!JSSSrK
Hrilha t ,,l,0 aos Ja mullo acrediiados armazen? de m ilhadus denominados Aurora
-', aca de ret'eber de sua propria encoramenda, muilos gneros delicados
p.opnos da presente estacao, e tendo grandesortimento comprado aqui, aflancaqueto-
uos os seus gneros sao de primeira qualidade.
. A quinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
n -ih 1>en!1.uin armazem vender mais barato, e nvilhores gneros do que a Aurora
Bnlhinte, ja pelo grande sortimento que tem, j raesmo por seu dono seachar encora-
m oda do em sua saude e ter de vender um de seus arraazens agora, e o oUtro na pro-
por isso deve-se aproveitar urna quadra dcstas para se comprar
xlma primavera,
barato.
Latas cora 8 libras de chouricas rauito novas,
a 7o'J0.
Ditas grandes cora peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 15000, 1#280 e
Ditas com ostras, excellente petisco para fri-
gid;ira, a 720 r.
Dias com ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 610 rs.
Ditas com ameixas a 15200, 15800 e 35300.
Ditas com marroelada do afamado fabricante
Ctq Abreu, a 880 rs.
< a Ditas com massa do tomate, a 500 rs.
SSP Dascom (Jgos ae comadre, novos,. a 15300,
- e 25->(K).
Ritas rom bolachinha de soda muito novas "a
25000.
Ditas com biscoitinhos inglezes de muitas qua
tidales, a 15100.
Chocolate.
superior muito novo, a libra a
inas-
i Chocolate
15200.
i Macarro, ialhariam e aietria amarella, a libra
1 a 48) rs.
Do dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide, e outra
^ sas, a caixa 35500.
, fC, Ditas dita em libras a GiO rs.
^Sa.', a libra a 360 rs.
i'p.seiradinha para sopa a libra, a 2iO rs.
Ervilhas suecas, a libra a 160 rs.
\V)i.is descascadas, a libra a 200 rs.
>j Papiona muito nova, a libra a 280 rs.
''annia de arruta verdadeira, a
'$ 500 rs.
>|p Arroz do Maranbo, era sacco, a arroba a
Y 25100 e a libra a 80 rs.
djIjDIto da India Java, a arroba a 35200
>$& bra a 100 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35500 e a garrafa a 4S0 rs.
(omna.
Saccas de 4 arrobas-, a verdadeira de seN
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs. J
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
farioha. j
Saccas graids com farinha de Goiaona mui-j
to nova, a 55000.
Caf. l
Caf do Itio muito superior, a arroba a 85, i
85500 c 95000.
Cha.
Cha, temos oestes gneros o tnellior possivel,'
hyson, a libra a 2560?.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito bvson muito lino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baito a 35000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Esperncete.
O msso com 6 vellas de esperraacete a 600,
640 e 720 rs.
Palm.
Cateas de 16 e 8 libras de nassas novas pro-
prias para mimo- a 45 8 25500.
X07.es.
Xozes, a libra 160 rs. e arroba a 4JOC0.
llpisla e paiiifft.
Alpistae piuv). a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
e a II- Cartas flox- para logar, a duzia a 255 0.
Casiankas.
libra a
Toucinh i de Lisboa a 99900 a arroba c a 320, C-istanhas novas te las neste vapor, a arro-
a libra. ha 45000 e a libra a 200 rs.
)iio de Santos, a arroba 75000 e a libra a Azeitonas
' 260 rs.
.. #>VI.ilhoscum 123 ceblas grandes, a 1J2H0.
...SJ -I (Star-la franceza, caixa i-ora 2 duzias a
*P 82000.
^(6 Frascos cora moslarda preparada em vinagre,
KfR a 400 rs.
*? Ditos com conservas inglezas e francezas, a
rfh Gie800rs.
Utos cjra sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
3fJ Ditos com a verdadeira geuebra de laranja, a
rfn 1-3000.
,' 'kx Wlos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira, a
" 640 rs.
%Botjis com dita propria para negocio, a
400 rs.
iGarrafdes cora 2 gaUfos com dita, a 65-
Barrls com azeitonas novas a 15300.
aatetga.
Manteiga superior, a hlira a 15000.
Dita mais abuto a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e metos ditos, a libra
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Q Mijos.
Qaeijos novas vindos nesto vapor a 35200 el
35500.
Ditos londrinos muito BOTOS, a libra
15000.
Papel.
rlS. ^'SSf6*? a a garrafa' C a P*Pel almaco paulado, a resma a 45S00.
duza a 0*000.
'Vinhi rauscatel de Selubal, a garrafa a 15-
tfarrasqmaho verdadeiro, frascos a 801 rs. e
a 11100.
;ha npijjue, a dazia 205000, e a garrafa a
S500O.
Azeita refinado portuguez e francez,a garrafa
a 15000.
Caixa do vinho Bordeanx multo superior, a
75, 85, 95 e 105 a. caixa.
[O i tas com dito branco, a 75 a caixi.
Ditas com diio lacrimas do Douro verdadeiro,
a 205.
'Ditas con duqie do Porto verdadeiro,*^
185090.
i1).tas com chiraisso saperior, a 145-
'Ditas com Porto velh e outras muitas mar-
cas, a 125.
Vmh > do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 803 rs.
Dito de Lisboa rauito bom, a caada a 35200,
33300 e 43. e a garrafa a.500 e 560 rs.
i3ito da Pigueira, das seguites marcas (N.)
J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
43300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
qie ja est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazera.
I Ditos do marcas mais descoaheciJas, a cana-
da a 35500 e 45000, e a garrafa a 430 e
529 rs.
.Vinho branco flm, a garrafa a 640 rs.
JDito de caj'V muito superior, a garrafa a
I 800 rs.
Dito dito li.'.o de linho, a resma a 45500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
25500.
Dito de erabrullio, bom a 15 e 15200.
S iaho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e ala-
deira a 15500 e 25000.
Temperos.
Folhas de loare, piraenta do reino, commiio
c cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba rTinada a.
480 rs.
Atneitdoas.
Amcndoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
'fijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Dazias de boi5es de graxa n. 97 a 25000, e 1
de latas a 15000, e os boioos a 240 rs. ca-i
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos Gaos.
Charutos finos dos mInores fabricantes da.
Babia por diversos preciSjCaixas e meias:
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixara de an-
uunciar-se.
k T T E N (1 \ 0
AO *
NOVO AMAZEM DE MOLHADOS
\. inliiia do Cabugn. 18,
iWronle da matriz de S.mto Antonio.
DE
Lima & C.
Oproprielarios deste novo estabcleciraento avisa ao respeil'vel publico, que acha-
se prvido de um completo sortimento de molliados c seceos, todos novos e por presos
v.uaaodos. .... .
Os proprielarios nunca quizeram annunciar pelo jornal a existencia de seu estabe-
n ato ; prm, como faz-se necessaria a noticia aos senbores de engenho e agricul-
t*;Ci,qae mandam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os
ppoprietarios o fazem agora.
Aproveitam a occasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
i. arto se achara sempre completo de um variado sortimento de moltiados. seceos e ou-
tr-os objetos perlencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos sero menos 5 por cento do que em oulr.fqualqucr parte, e para
.^t.' ftm chama-se a attencao de todos cm geral.
Os pesos e medidas, equalquer engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
;m fitor do consumidor, emqualquer occasio que reclamar.
Os proprietarius deste novo eslabeleciraento esperam dos seus freguezes, e do
fiuOiioo em geral toda a proteceo, prometiendo os proprielarios da Flor dos Progr'S-
tirar to somonte um luoro razoavcl do laborioso trabalho, com que possam dar
cumprimenla a esta ardua misso.
Adiando dosnecessaria a pnblicato dos suecos minuciosamente explicados de
us. gneros, com o que geralmeote lodos fogem, pelo motivo nao soraentede serenfa-
i!n, orno tambem pomada valer, os proprielarios tmsmenteem vista entreter es
i coasjmidores com gneros novos, e procos mais razofveis do queem outra qual-
jHr pirte, pois serao as garantas para a protecefW'ao Novo Armazem de Molhndos.
FLOR DOS PROGR13#90ll.
Laboratorio enologico e cliimico de F. P. Lebeuf e C.
ra Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenten!!, prs Pars (Franca).
BONIFICADO E FABilCAClO
- Dos vinhos, agurdenles e licores.
VlXflOS.ImitaQao dos vinhos de todas as
qualidadcs,Extracto de Medac, adose para 230
litros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de Poraard, 3
f.,de Lisboa, i /.,de Cataln, 2 f., de Porto,
Xere?, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. a dose para
300 litros, 50 f.
CLACIFICACOPos inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 300
litros. 5 f.
COLOUACO.Purpirigine para colorear os
vinhos braocos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.

NEM COROAS NEM MITRAS

GRANDE ARMAZEM
AGL'ARDEXTES.Essencla de cognac para dar
as agurdenles urdinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH EASINTIIO.-Essencia de kirsch e
de absintbo, para os fazer flora alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se lodos os
licores conhecidos som fogo nem alambique, (in-
dicar-su os que se deseja.) A dose para 20 ou 23
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 2o litros, 1 f.- 25. -
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc.,
, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chlmiea.
Alguns de nossos agentes teodo falsificado e imitado noasas preparacoes, e engaado nossos
freguezes, djVe-se exigir sobre as rolhas e rolulos as inlciaes F. V. L. Paris,
0 modo de asar-so das preparares acha-se indicado no rotulo.
>. a libra eem barril a 8oo rs.
Haate!sa franceza
pa afra nova- a 60o rs. alibra, e em barril
de de F
Monlm
Omoo de asar-so das preparafoes acha-se indicado no rotulo. -in "
As emniOTHijda?. divom sor aco.-npinhaas por urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-HW)60 fS.
I-ranea, pogaraotidw por urna casi conhncida.Dirigir-se es Srs. Lebeuf & C. chimicos, ra i ATOATlflnn<3
iirtre, n. 31, em Pari*. oa su i fabric em Ar^snteail, prs Paris. f ... auicuuuao
xnfttj mi n imn.ri.i,,. n i fiftufeitadas de lindissimas cores a 800 rs.
Vende-se ua botica franceza, ra do Imporador n. 38.'
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos.
Cartoes.
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a i 0300.
Chocolates
detodasasqualidadesaliJOOO a libra.
Presuntos inglezes
dos memores fabricantes a 800 rs., tambem
teans velaos para 500 rs.
Qaeijos flamencos
ebegados neste ultimo vapor a 20Goo.
Qncijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Oueijo
londnnoo mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o ira co.
Figos
em libras ecaixinhas ricamente douradas
proprias para mimos a 900 e t$20o!
Ca uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qualquer n5opdevenderpor menos de
j:,i a Z&UU\J.
dem perola
special qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hyssen
mais aromtico que tem vindo ao no
mercado a 2^600. nos'
Ma5SR5 amarillas
para sopa, macarro, talbarim e aietria a
480 rs. alibra.
o muito afamado cognacPalBrandv a I 8oo
rs. a garrafa e de outras multas quaida-1
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada om.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
i-lades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
loor.
!V 3 1 li ii X*va estiHlni di uabDi do Curato e ra do l| Papel de botica
Cibag d. 8. de excellente qualidade a 20200 a resma
A. liMjtorta Chus Oitaoslecimanto o mus importante que existe neste genero! PAPEL
as provincias do norte do aparto, quocenlo qua o pablice desta provincia gi ze das azuI e Pardo para embrulhode I ioo a 2 ^oo
vantagens que proporciona a fabricar-io om grande escala e directa relaco com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender aida mais barato
do que do costume como dem)nstra a seguinto tabe'la :
CONSDLTORIO MEDICO-CUIIRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIIiO E OPERADOR.
3 Eua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s l
aoras da manhSa, e das 0 e meias 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatltica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento d carteiras
mbosavulsos, assim como tinturas de varias djmnamtsaces e pelos precos seguites
Cartekas'de 42 tubos grandes. 120000
de 24 tTfbosgrandes. 180000
de 36 tubosgraedes. 240000
de 48 tubosjrandes, 300000
de 60 tubos grande?. 350000
Prepara-se qualquercarteira coriforme o pedido que se fizer, e com os reraedi
tu >i Diiir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia on?a I0"0O.
Send para cima de42, custarSo s precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A mlhor obra da homeopathia, oMinual de Medicina ,Homeopalhicodo Dr. Jatir
dons grandes volumes cora diccionario............ 2O0OOG
AleJicina domesticado Dr. Hering,......'.'.'.'.'. 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes-...........' 60000
Diccionario de termos de medicina ...... y. ,.. 30000
Os remedios deste estabelecimento so por demais conhecidos e dispensara portan-
do de serera noyamente recommendados aspessoa* que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros^nergicos e duradores: ha tudo do raelhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro asnear de leite, notaveis wla sua boa conservado, tintura dos mus acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecuradapreparafo, e pqjtanto a maior ener-
ga 3 certeza em seus effeitos.
Casa de sakie p%ra escravos.
Recebe-seascravos, para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-sc-lhe qualquer
iperacao, para o que o'armunciantejulga-se suficientemente habilitado.
Otratamento 6 o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha nanitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
leentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operares sero previamente ajustadas, se h5e se quizerem sujeitar aos precos
izoavetsquecosturaa pediro annunciante.
FiBRICl OS CB POS DS SOL
Chapeos, de sol de panno a 20000 ....
armaco de baleia a 20500 .
*o de sedaarmico de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 2 i 50, de 26 50500 e de 28 60......
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 2 i pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100.
Descont em dazia.
20 %
10 "/o
15
O'
15 o ,,
15 o
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 2
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130 *. .
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes s5o tiio vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se i ?ualmente em porcao e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
lliar pelo prego que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia sero considerados como
a retalho.
?"D!
' 4
0hales de renda preta e bournus deguip pretolfH
A' leja da roa do Crespo n. 17,
DE
JO^R CUMIES VILLAR

Vende a 15J, 20*. 30, 40*. 50* e 605, capas e casacoes de gros pretos, chapeos ?f^
c chapelinas do palhao outras muitas fazendas proprias |ara a quaresma. ^^
Jos Gomes Villar prelendando ir a Europa tratar de sua saude espera que
devedores tanto do mato como desta praca saldera seus dbitos quanlo antes.
seus 9U

'AS',
i RB5i eae it-.^v j.^^j, ^
i k^'V- \J?-\^> \^'\j) ^sK\zj> !^
4m
>b-.r--r,,-.,

GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na rna do Imperador n. 40.
mmm os modernos chiles de *
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto cliegados pelo uliimo vapor Irancez, a
loja das columnas ra do Crespn. 13, de An'onio Correia de Vas:or.cel-
los & C.
f@Sil

RA OO IMPERADOR IV. 40
Junto ao sebrado em que ora eSr. Osborue,
Baarte Almeida \ C, receberam de sua propria eccee reca-
da o mala lindo e variado sortimento de molhadcs, iiciilc
da presente esta^So.
Manteiga ingleza Maqsls brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a l,ooo i para sopa a melhor que se pede dttrjar,
macarro, talharim-e aleiria a 4t( n. I
libra e 40500 a caixa. .
Vinho
Figueira J A A e outras muitas merce* acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melberes tel fi-
cantes da cidade do Porto a 10 e 14*260
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, ?? n ar
cas sao as seguites: Chamisso Fi)i-&,
F. M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitof.
Latas
com 10 libras de banha a 4>C0.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a i2Cr* .4 bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
metas caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libr?, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
o I?** SOrte doR0 de htieiro a 8W
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
C.'arrafes
com 4 '/s garrafas com vinagre a 10OCiO taa
ogarrafo.
CEKHBRA DE LARA.XJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasquetras de Hollanda a 50800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PAUTOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a croza
e 2o rs. cada caixiuha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a cixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmeada
dos melbores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6o rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezonlo deLajnego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de esperraacete de diversas marcas a 5o rs
a libra e em caixa ter ahatimeulc.
,. VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo t
caixa e 34o rs. a libra. '
Batatas novas
alibra5 ** 2 arrbaS a a Caixa e 60 "
Passas amito novas
Chocolate
a600elA8eeda-C,seadaS("''a
WJU e,o caixe.
. GOAUfA MUITO NOVA
BOLACHINHAS
emlaus deferentes qualidades a imo
ttSSSSSha
rs. a resma.
Corinthias
PaSnnHrnbas muit0 novas PrPras para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
Vinagre
PISdTumaCOretaS de 9 C3Qadas a 15'000 rs-
Cebollas *,-
"pTnTI"? mT*0!l 7'000 rs-a ixa
e l.ooo rs. o molho.,
Alpista o Painco
CEBLAS
mTJnl%3 UQ0 Zm "a ruado Que!.
g^ra7rm;Unad9[raperad0rn-40el-
GRAO DE RICO
mu.lo novo a 30400a arroba e 140rs. a li-
branaruadoQoeimrdo n. 7, ra do-
Imperador n 40 e largo do cirm5. 9
QJfc.fJO SISSO
oeSn ?Wr rS; a ,bra na raa ^
a?Xc"rar9d[mperad0rn-^
tnm,?, S!""'08 d0 r>"de W&i "',
O VrWri,, Pr,e| do 1nttni .,
FARELLO DE LISBOA
LE
DE
J. VIGNES.
,ua s^erori^nu^ seja nl^'o imisir ^ e
veis que elles tem deflfiM compradores, qualdartes estas incontesu-
mL nm ...i.71 ir. u- conqaislado sobre todos es que tem apparec do nesia orar m.
.r^S^fi c?nfr,m.e as encommendas, tanto aasta fabriM como na da Sr Blonel dPam wi
correspondente de J Vignes, e caja capital fonus sempre premiados emn%VLTSi^'
m*?e?T '^jeeimonto se acha sempre umTxplindidTe SdSitmSTSSiSsios d*
[LI,
v

-
\
i
r+i\ /r-i


..

Diarlo de Pcrnam/jnco Seguida letra de Marco de 1S*.
LOJA
DO
BALAO
DE
AZEVEDO t FLORES.
Rm da Cadeia io Recife n. 47, esquina que volta par a ladre de Dos.
ttenQiio.
MadapolSes francezes (pega) 135, 1*3 e 153.
Chitas para coberta a 320 rs. o corado.
Las lisas um completo e variado sortimento.
Lencos braceos multo fiaos a 2lS0O a duzia.
Ditos de esguiao.
Um completo sortimento de chitas largas de 300 a 300 rs. o covado.
CamLraias lisas brancas multo finas a 55 a pega.
Aberturas de linho pregas largas.
Ditas da algodo mailo tinas.
Bramante de urna largura.
Algodao da Bahia para sacco.
O BALAO VENDE
MACiNAS DEPATENT
de trabalhar & mo para
descarlas* algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
MAM
Paletots do casemira pretos e de cores saceos a 93, 10*, 113 e 12*.
Ditos de alpaca branca e preta a 45, 45500 e 3*.
Cai?as de casemira preta de 85 a lo*.
Ditas de casemira de cor a 5,85 e 103.
raigas de brim braoco a 35; 45 e 55-
Colletesde dito ditode 25 a35o00.
Ditos de casemira pretos e de cores a 45, 45-MW e o$.
Caigas de princeza para luto a 45 e 35
Ceroulas francezas a 15600.
Ditas de linho cora duas costuras superiores.
Canteas franeezas de diversas qaalidades de 25 a #.
Ditas verdadwras Inglesa.
Colarinhos de linho multo fios.
Ditos de papel a 40 rs. cada um.
Cortes de casemira de cores por oreos comraodos.
Ditos de casemira preta fina d 75 e 35. .
Meias cruas inglesas o raelhor que ha a duza o#.
Baloes de 20, 23 e 30 arcos a 35 e 35300.
SdSSoVd.5? es'taelecimlnlo S^gaLe de mandar fazer qualquer obra i bri
semira etc. Jara homens e meaines por pregos que admira ; aprove.tera que o Balao esta di
queimar, so quer dinheiro
Estas machina*
podetBdescarojsr
qualquer espeet*
de algodao sea
estragar o fia,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descarogar urna
arroba de algo
do em earoct
em 40 minutos
ou 18 arrobar
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Asaim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodc
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
euti's dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va
por que pode fazer mover seis destas machina*
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Sauaders Brothers &C.
N. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paix.
A LEGITIMA
SALSFARHILHA

Aos eapilaes de cumpo.
COMPENDIO DOLOROSO Fugl,
que contera o oflicio de Nossa Senuora das, sa e feu seuhor 0 esciavo s* basts.., crite, fe.
Dores; o modo de resar e offerecer a co- i lo, com idade de 22 a 24 annos, foi irasco
roa, utn setenario e mais outrosexerci-!scnhrdoengenhoQonndus da curiana de &^r^-
PREPARADA UNICAMESTE POR
LAMAN k KEIP,
m e ca-
sposto a

2 M B
V
a g 5 5
s
O Si
OSO 53 > > O
s.g.g.3"
3 0} A) Q 3 3
_ Ti
Si O O
O O "t
Su
ce
*-^~u
D.-3
w a> o Q.
9-&Bg
O. en a>
I
(t 3
V. C
3> ja.
O ce
"L 2
o
o 2 M
9
O O tn
> ?
Cu,0)
~
a

Si
tS
Si
ai
Si
C si'
o 2
Soperiore*cortedemoirspreto com barra, oqne ha de melhor gosto em
Pernambuco. ,._...'.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Lugenia.
dem de corgnro de seda bordados com barra: ...,,,
Superiores m^irs pretos e largos 2100, 2^600, 3*. 3*300, 40, U, U,
1 e 8l 9 cebado.
Saperior gorguro de seda preto, a melbor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hestanhola.
dem dem lavrada a 23 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 1#300, l#80O, 2k, 2->300, 34,
3*500, 4, W500c5|j;.
Pannes pretos de saperi r qualidade de 30 a 12-5 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, toarnos, algeriennes retoudes de filo preto.
Mantas pretcs de fil e los pretos.
E muitas outras fasendas de superior qualidade na leja das Columaas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Morei a Lopes.
o cd
o S
O Bi ^
co eo ~ s
-I 2. 3
3 o I
3
o
I-i:
Q. O) "5
tS 3
S U (5 B
! -s o.
as
s
-1
o
2
i
en ^
O.
o
|.g
s2
o ^3
O 05
O "1
SO Bi
-
O 03
Si ^
S s>
ff
B cr
U Si
t3" "
09
3
M o
S *
o.
a. o
3)
_- CD

g s
g-i'5
n2
= i^
o os ^^
s C
o ^
CD
DROGARA.
31Raajlarga do Rosario34
Bartholomeo Francisco deSeuza
Vcndem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para onrives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em pes.______
k.
Vende-se orna vacc boa leiteira com orna
cria chepada ha pouco de Goianna : a tratar na
roa das Larangeiras n. 5, priraeiro andar.
CIMENTO
Francez barrica 5$('00
Portland barrica 8$500.
No trapichebaro do Livramente aoces
d'Apollo.________________________
Cemento romano
e de Portland : no armazem de Tasso Irmaos.

Presos que admira.
Sapatos de trauma superiores pelo barato preco
de 13 o par, e duzia 103 : no vigilante, ra do
Crespo n. 7
Bico adamascado de todas as larguras, a peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Colchetes em cartao de urna e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzla a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, aduza a 13200,13600,
23,33,43e 53.
Balaios propriamente para castora e para rrnc-
tas.epara menina trazer no braco a 13500,13600-
13800, 23 e 3500.
Perfumara, macaca pcrola a 23, 23200, 35 e
45 a duzia, oleo de maozinha a 55 e 65 a duzia,
banha a 35, 45 e 55 a diuia. Estes objectos se
vendem por admixaveis precos em consequeflcia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanfa-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, roa do Crespo n. 7.
Milho novo em saceos grandes : no trapiche
da Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.
NOVA YOSK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina ; usada no6 principaes bospitaes, ci-
vis. militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanliola
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
falsificacoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO A C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Joao da C. Bravo & C._______
,Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, fcto essen
cial acontestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas
desubstancias inofensivas, ella tem a propriedad*
de restituir aos cabellos o principio corante qne el*
les tem perdido. D'uma salubridad? incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetara exticas, ellt
censtite podcrosamsi'^. com a Agua Florida, a
forra,a belleza e aconsefvacodos cabl!;s.
Em Paris, casa de Qoislanr n. 12, ra de Riche-
lien, a 11, boulevard Montmar're
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, c
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador,pbarmacia n. 38.
Gokc do $;az.
Pltcb do gaz.
AlcatrSo do gaz.
Coke, tonelada 10600.
Pltcb, arroba 33000.
Alcatrao,caada 500.
O cok reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recnmmendvel, bem co-
mo pelo aceio que se nota as casinhas aonde %
elle usado. Pitch e alcatrao, alem s aidlmpap-
c5es diversas a que prestao, romo paracalafa
tar embarcares, alcatroar madeiras, etc., teec-
estes a propriedade de preservar do copim, ter-
migas, etc. entregue na fabrica do gaz, on man-
dado prem qnalquer ponto da rid-ade, segundo a
vontadedo comprador previo ajuste._________
Vende-se o estabelecimento da ra da lw-
peratriz n. 53: quem pretender dirija-se a ra
Imperial n. 61, defronte do viveiro.
cios de ptedade e devoro, ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja deN.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S.M. I., que Deusguarde;
dado luz por devooao do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vend-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
o armazem de fazeudas ba-
ratas de Santos & Colho
Roa do Queimado n. 19.
Vende-se o egniute:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo preco do 25400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 35500.
Coberta de chita da india
pelo baratissimo preco do 25500.
Lencos decambraia brancos
proprio? para algibeira, a 25 a duzia.
Pegas do bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 35800.
Ppcas de cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 256.0.
Guardaoapos
de linho Snos duzia 35500.
Algodao enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 13200.
Cortes de laa
com 15 covados a i'i.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria para cortinado peca 119-
Fil de linho
liso fino vara 800 rs.
Atoalbadoadamascado de algodao
coro 8 palmos de largnra vara 23200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Lazinbas carmezim miudinhas
prepria para vestido de menina, covado 600 rs.
Liaxiafcaa
de cores finas eovado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
Anlo, d'onde linha viniio para ca cidade a 8
dias, de presumir qne segalsse para Taqi i il l-
ga aonde tem mi e irmaos, levon ralea e c;nsa
branca bastante suja, altura regular, cabello a rs-
covinha, cabega pequea e redunda, testa grai
bem cautuda, olhos pretos e regulares, n;:ri7 da-
lo, bocea regular, beiyos regulares, dnlw udrs e
limado?, nenhnma barba,apCLas um pequeo I g*>-
de, corpo bem limpo, pos regulares e pruro lar-
gos : roga-se portan tu aos Srs. espitaos de Ci n p<
a apprenensao do mismo a entiegalo a ruad'
Imperador n. 83, segundo andar, defronle do coi-
reio, que se gratificar enm 505.
Negro fug dn
Est fgido desde o dia 27 de. fe ve re ro d auno o preto Joaquini, de DgcSe Ang*ta, qe foi
escravo do Sr. capitu Francisco Joaqun Latai-
eaui Galvo, morador em Maria FaiiLla (Prtia).
o qual vendeu-o nesta cidade em deznl ro do Mi-
no passado ao Sr. Manocl Francisco Marques c armazem de assucar ra de Apollo ; lerou re-
misa ecal^ade algodo Lraneo, ropr^esta tu (:c
45 a 50 annos de idade, alto e de groserarfni-
lar, cor fula, r-aueca comprlda, queixrs leritts,
olhos amortecidos, beiQos grossos, swio o mae-
rior um tanto defeituoso, Laclante barba, pcitm
raspada, finalmente tem urna einde cusiura mire
os patios proveniente de qoeimadnra, e si.n Ct ;e_
terse dirigido para o norte, d'onde veio : gratlb-'
ca-se a quem o apprehender ou denunri.nr o reiti
em queestiver : na ra da Cadeia do Reciff do*
mero 52.___________________
Fugio no dia 14 do correte da ra da Orna
n. 8, terceiro andar, a escrava Benedicta, com ps
signaes seguinles : cor fula, tem falta de denles
na frente, levon vestido escuro de palminlia* bran-
cas, chalo encarnado, bem conbecida por ter si-
da escrava do Sr. Saiustiano Caotalisla : rectB-
menda-se as autoridades policiaes c eaniltra de
campo que a peguero o levem-na a casa acinia, di
a ra da Senzala Velha n. 94. que serio yianti-
cados.
Fugio no dia 18 de marco prximo
passado, um cabra de nome Mnihias, c'o
engenho Pontal termo de Sertnbfem, jtii-
ga-se elle andar para as bandas (!e l'ttlo
Calvo, a Ululo de ferro, com os signaes te-
guintes: cor cabra, corpo grosEO, catrelbs
c'arapiRhados, com bigode e pequea lar! a
no queixo, tem urna das pernas ira s gisi-
sa quea outra motivado de urna fu ida trlo
que ainda conerva, tem um dedo do
_ | e cr
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmosde)c|1.a0 outr encostado ao dedo grande e
largura.por menos preco do que em outra qual. tem fa|tade um dei!tena frenie no qneixo
qner parte.
Neste armazem de fazendas'se encontrar um
grande sortimento de roupa feita e por medida.
ESCB1V0S FGIDOS.
de cima, carreiro etrabalha de sapateiio :
quem o pegar ou delle d r noticia certa !e-
r 100(5 de {iratificacao no mesmo engetLo
Ponlal ou cm casa do Sr. Manuel Alves Fer-
reira. nesta praga, assim como o dito es-
cravo mudou o nome de Mathias para o de
Joaquim Antonio,
Fugio no dia l\ do correte mez, as 3 horas da
Urde, o preto Joao, crioulo, idade 30 annos, pouco
mais ou menos, estatura baixa, um tanto fulo e
barrigudo, proveniente de refrialdade de que pa-
dece ; este escravo foi da familia do Sr, Cardeal,
fui vendido para o sul, e depois veio vendido para
esta cidade, tem offlcio de pedreiro, e por isso po-
de ser que ande trabalhando em alguma obra :
quem o pegar leve-o a ra da Concordia n. 8, que
se gratiOcar cem generosidade.
Avisa
aos capites de campo e a polica.
Desappareceu em paincipio do mez de outnhro
do anno passade, de bordo do palhabete nacional
Aravjo Malo, dous escravos de nomes Roberto
(por apellido Macei), e Miguel o Io de idade 45
annos, pouco mais ou menos, crisulo, cor fula,
estatura baixa, barba serrada, nm penco torto das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tanto na
barba como na cabeca ; o 2o alto, ebeio do corpo,
sem barba e falla grossa, representa ter de 25 a
30 annos, cujos escravos desconfia-se andares pe-
los arrabaldes desta cidade : quem os apprehen-
der queiram levar a rna do Trapiche n. 4, que
ser generosamente gratificado.
100
Quem apprehender e levar no palacete do Vis-
conde da Boa-Vista, ruada Aurora, ou no engento
Trapiche do Cabo, a escrava Joaquina, fula, alta.
falla de dentes na frente, muito ?onherda m *ta
cidade, anda as vezes de timo ou saia de balao, e
se diz que est em companhia de um pardo de
nome Jacob, que mora em Itamarac, receLer a
gratificacao cima de 1005- Esta escrava est f-
gida desde setembro do anno prximo pascado, e
desde ja se protesta contra quem a ti ver em sua
cempanhia.
Fugio do sitio Tabocas comarca do Brejo da
Madre de Dos o escravo Athanazio, de idade de
25 annos pouco mais ou menos, um pouco baixc,
cara bexigosa, nariz chato, dentadura perfeila, usa
de bigode, levou vestido camisa de madapolc a
calca de ca-emira parda e seguio em define a
capital: roga-se as autoridades policiaes a cap-
tura de dito escravo e a qualquer rapno de cam-
po qnalquer pessoa pois que o aprehender o po-
derem entregar no Recife ao Sr. Jos Luiz Goiaro
ou trazer ao sen senhor no Brejo, que ser i:i
recompensado.
LISTA GERAL.
9:
DOS PREMIOS DA i! PARTE DA i LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 472, A RENEFICIO DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DO AMPARO DE PUSPA, EXTRAHIDA EM 18 DE MARCO DE 1865.
103
65
105
65
NS. FKKMS.
3 03
8
9
12
13
14
13
24
23
30
3S
33
37
38
40
43
45
48
54
36
64
7
68
74
78
81
84
87
88
90
91
92
98
99
100
1
7
23
*7
30
37
38
43
47
48
31
85
56
58
M
64
67
68
69"
105
NS. PREMS.
171 63
79 -
81 -
84 -
85 -
87
93
95
99
202
11
16
17
20
21
23
25
33
34
40
42
43
47
48
52
405
63
103
203
3005
63
405
59
60
61
63
64
66
69
74
73
76
77
78
83
88
89
91
93
94
300
1
5
3
12
22
23
W
31
38
m
m
65
105
105
65
205
65
405
205
65
405
105
205
65
405
65
NS. PREMS.
340 6
46
47
49
57
62
64
65
66
67
78
83
87
90
95
402
5
7
8
19
20
22
25
32
33
40
43
54
61
03
70
71
73
75
77
84
85
87
88
90
92
94
95
99
301
7
9
12
14
15
16
18
23
26
28
403
65
63
NS. PREMS.
532 65
39 -
43 -
57
60
63 -
71 -
82 -
83 -
87 -
90
92
93
601
6
9
11
12
19
30
32 -
33
34
40
41
44
43
47
49
54
53
59
67
69
76
78
82
85
89
92
94
98
703
6
9
16
20
24
25
31
36
42
46
48
80
NS. PREMS.
NS. PREMS.
205
63
2003
65
NS. PREMS.
752 65 937 65 1108
53 105 41 15
57 65 44 405 24
38 --- 49 65 25
63 51 30
64 -- 54 31
65 -- 55 32
66 _ 60 34
69 _ 61 35
73 ^. 62 42
75 ^ 71 44
81 76 105 46
84 _ 78 63 49
92 _*. 79 50
96 mm 86 _ 51
802 ,m 90 33
3 1205 92 54
4 65 93 38
8 94 ^_ 62
10 _ 93 __ 63
11 96 __ 64
12 _ 1003 65
13 _. 4 67
18 _ 5 68
21 ^_ 11 69
26 __ 21 Vi
28 _ 24 72
30 _ 29 74
32 30 _ 78
43 34 _ 78
44 37- , 83
30 38 1005 85
32 105 48 65 89
53 63 57 91
56 105 62 ^_ 93
57 65 63 _. 94
61 64 H 1201
63 67 - 3
63 69 pSJM 6
67 72 103 8
70 73 63 10
76 74 11
80 _ 77 12
82 _ 79 15
87 ... 80 16
903 81 18
8 85 19
U 91 25
17 95 29
19 _ 96 30
21 99 34
26 1100 36
28 2 37
38 3 100J 38
36 104 3 6 31
105
65
405
65
NS.
1240
42
43
47
48
52
53
54
55
59
60
61
63
64
65
68
83
84
92
94
97
1303
5
7
11
25
26
31
36
38
40
42
45
46
47
48
30
54
61
63
66
68
70
71
73
78
81
82
87
93
96
97
98
99
1411
PREMS.
65
NS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS.iNS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.iNS. PREMS.
105
63
[1003
63
20
105
65
105
63
1414
18
19
21
22
24
26
27
40
41
45
51
62
67
68
74
75
78
79
81
83
85
88
90
93
93 '
1506
7
8
11
12
13
17
18
23
26
28
30
32
35
39
44
30
51
55
60
71
79
81
84
85
86
89
92
93
105
205
65
105
65
205
65
205
65
105
65
103
65
1593
97
1608
17
18
19
20
27
29
30
31
32
37
39
41
46
47
50
51
52
54
53
56
68
75
81
86
90
91
92
95
97
98
99
1700
2
3
7
8
10
12
22
24
25
26
27
28
30
33
34
40
42
103
65
50
38
1760
61
72
80
87
93
95
96
97
1802
4
8
12
16
23
24
25
27
31
33
34
33
42
30
52
53
55
60
63
64
67
70
84
86
87
88
91
92
97
1901
2
4
5
11
13
14
15
18
21
22
23
29
32
34
37
105
65
103
65
203
65
65 1938
40
44
46
56
59
66
69
72
81
83
84
85
87
89
97
99
2006
11
12
14
17
19
20
27
28
33
40
41
44
47
49
54
61
62
68
69
71
72
75
76
81
82
87
88
89
93
2101
4
5
6
9
11
16
19
65
1003
65
205
105
63
103
1005
65
10*
65
105
10
65
2124
25
27
29
35
43
41
33
56
62'
66'
68
72
80
81
84
86
88
93
94
95
98
2200
9
11
15
22
24
23
32
35
39
42
44
43
46
48
49
37
61
63
70
71
77
78
83
84
87
88
89
97
2301
3
* 5
205
105
65
105
63
105
105
65
105
2309
11
i?
17
19
20
25
28
35
39
47
30
51
53
55
58
59
61
63
64
63
66
67
68
69
70
72
73
77
86
87
89
90
9"3
95
2404
l?
8
9
14
16
17
20
22
25
29
30
33
34
35
37
40
43
46
47
6:0005
65
205
65
103
63
103
65
2448
49
51
53
57
60
62
64
66
69
72
74
79
84
87
91
92
2303
8
10
11
12
13
16
18
23
24
25
28
31
36
37
40
42
43
44
46
48
50
53
55
56
59
63
65
69
71
73
74
82
83
88
89
2602
3
205
65
105
65
2610
12
14
17
19 1
21
22
27
29
30
32
33
33
37
43
49
30
51
32
54
63
66
68
69
70
72
74
81
82
84
86
91
92
94
97
98
2700
1
4
12
22
25
29
32-
33
37
39
40
43
48
51
54
58
57
60
65
:40U5
103
65
105
65
2761
62
76
77
79
82
84
83
92
93
94
98
2804
11
15
20
22
24
28
29
33
35
36
37
42
s
45
32
63
64
66
70
73
74
75V
76
78
80
84
86
94
95
98
99
2900
3
9
ii
14
16
26
28
30
31
39
65
65
405
65
105
2941
42
45
52
55
57
58
60
67
69
71
72
78
79
83
87
90
91
93
94
99
3000
i
5
11
13
17
19
21
22
28
32
36
37
39
40
42
44
53
56
87
60
64
69
78
90
93
97
98
99
3101
2
3
4
5
65
105
65
105
105
65
205
65
3111
12
16
17
19
20
21
23
27
3t
48
49
50
55
57
61
71
73
82
84
88
92
98
3200
4
5
8
10
11
12
16
21
22
23
33
38
42
47
48
80
55
59
60
64
67
73
80
86
88
90
91
94
96;
105
5
103
63
3304
5
6
9
10
12
17
19
22
27
30
35
36
48
60
62
63
66
69
71
72
73
74
75
76
77
81
82
86
99
3401
4
18
20
24
26
27
28
31
30
37
46
51
61
61
68
83
86
87
89
90
92
94
95
103
63
103
63
103
6*
99
O mrto,-Joi4 Pedro das Naves.
Pern.Typ. d$ M. F. it Fari & Wtt#.1865
-
L
T
a**i% /r-i






Diarlo de rernanibnoo SeHada letra O de Marco de i&.
LITTERATORA.
Faculdade de direilo do nccifc.
MEMORIA HISTORICO-ACADEMICA DO AN.NO
de 18G4.
(Coneluso)
possuidos, por nm dos acontecimentos mais decreto de 10 de novembro do anno pas-
faustosos. com que o Poder Divino preor- sado.
dena a felicidade das nacoes. Este testemu- T/wl .
nhn do amn ] u Todas as aulas do collegio fem sido r gi-
, nao de amor e respeito dos membros da Fa- L.. i -v .
culdade do Recife mereceu aquelle LhJ\TjJ T "T PfS '
ment, que a complacencia e SS. MAL e'P**T, '' ^ P<"
*, rk ,. ios substitutos. I
]AA. imeralisa sempre, ante qualquer de-
. monstracao de cordura e fidelidade da parte SenDOres: a-me. esquecendo de que
Abundo portante as .deas de alguns col- de seus sub(J. ^ mm reslricla a comiss5o da al> dos I
legas, quando entendem que os hachareis, n______ ''\ meus r0g0Sj n3o
que aspiram o grao dedoutor, deven ser 20veroe imperial mostrando serio in-i
0' vos, que do grande Henriqie
Justos a gloria prezaes,
Defendei como elle a Patria,
Sede como elle immortaes.
A Turma valente
De Henriques a mil
Nao cede a soldado
Nenhum do Brasil.
Cidado, que observa a Patria
taveis do anno -acadmico, e-
mencao de urna obra annunciada com
tecedencia pelo Sr. Dr. Drumond na sua me
10 Ensato de di
a luz o anno pas-
ficarei
aK>--(S>--<
obrigados a fortificaros seusconhecmentos;,cresS8 Pel progresso e melhoramento da
com mais un anno de frequencia, apresen-1nossa Faculdade, ordenou por aviso de 17
tar.Jo alm disso certificado de approvaco.de outuDro do anno passado, que a directo-
piena em lodos os actos dos cincos annos \m> ouvido a congregado dos lentes, dsse
anteriores. Iseu Parcer sobre as reformas que a expe-
Facas mais notareis, i ,TmD!!naenSel!,aSSe ?MftatUt0S e no reu"
Devendo fallar acerca dos fados mais no- ^"l P ?lT meSma ?"?*
^.J._: ... me l0 fazer e bem como sobre a conveniencia de se
:.. A.___,v fazer alleraco no plano de sua organisaco,
e em que sentido. Para este importante tra-
. Uj1uo 'i nomeada urna commisso compos-1 chas,
mona histrica : refiro-mc ao Ensato de dt- (a dos grs consel|l ,jro Antran AJ CKtYatfeg foram sem du.
r-.ioconstituaonal, dado a luz o anno pa>- qujnio g mmmnd> de cuias luzes d've- vid* para s continuarem em presenca do
sado pelo nosso dislinclo collega o Sr. Dr.
Braz Florentino Henriques d,: Souza.
me quizestes dispensar: u". qu w a i
,i,r, Han^ ,m Por eslranhos offend.da,
pois n'esta altura dando por cam-s Voaf e ^
prida a minlia pena, e solicitando como leni- Braco, e bens, e sangue, e vid i.
Uto della o premio de vossa ioexgofravel in-
dulgencia.
Jos Dent da Cnnlia Figuereido.
A Turma valente
De Henriques a mil
N5) cede a soldado
Nenhum do Brasil
! Abater vis aggressores
UM P0C8 DE TUDO. Manda, e impelle a Natureza.
Descobriu-se em Pompeia um belle fron- Quem diz ,10nra> diz bravura:
tispicio de um chafariz coberto de con- bem valor na0 ha grandeza.
ta dos Srs. consell iro Antran e Drs. Tar-
qunio e Drummond, de cujas luzes dW
mos esperar um plan) de reforma lao com-
plet, que tornara desConchavadas e imper-
Se o apparecimeuto de qualquer produc- tinentes quaesquer observagoes e medidas
Cao litteraria marca sempre da festivo para que en quizesse agora suggerir. E portanto
os homsns doutos, e um padrao de gloria passarei aos quadros eslatisticos do anno lec-
para a corporaco.a que pertence o predis- tivo.
tinado de Minerva ; o importante trabalho
do Sr. Dr. Braz traz anda um valor mais
qualificado, quando tem por fim directo res-
tablecer a ortkodoxia da doutrina polit'ca
sobre a natureza e altribuicoes do poder
moderador; doutrina infelizmente to des-
virtuada, to sophismada nestes tempos no
parlamento, como fra delle !
Nao occasio opportuna nem me con-
Theses.
Houve dous actos magnos na defeza de
theses apresentadas pelos hachareis Graci-
liano de Paula Baptista e Cato Guerreiro de
Castro. O primeiro foi accidentalmente in-
feliz; mas o segundo obtendo o laurel de
suas fadigas recebeu o gru de doulor no
dia 5 de outubro, despendindo-se da Facul-
dade com o protesto de acrisolar-se mais no
sidero com forjas bastantes para fazer agora mnF .,. ,.
Iin, -.JZrf-u. ,iL im^m* amor das letlrasPa',a sustentar dignamente
urna discripeo anaivtica de^sa interessantc
o esplendor da borla, e a fama da nossa
Bibliot/teca.
obra: apraz-me somente commemora-la de- escoi
Clarando com intima convieco, que tanto na
deduccao verdade dos principios, como A collaCo do grao de bacharel foi solem-
na clareza e rigor lgico da exposifao, o au- nisada no dia 25 de novembro, sendo elei-
tor firmou sua boa repulatao, conquistando t0 orador escohstico o bacharel Jo3o Jos
de mais as sympathias dos hmeos sinceros, do Monte Jnior,
que nao sabem mentir consciencia e ao
paiz com vistas mesquinhas de alimentar o
egosmo, ou de lisongear as potestades do A bibliotheca da Faculdade nao tefe em
da< o anno passado o menor accrescimo: o seu
cathalogo achase mui aquem das necessida-
^o deixarei Ocar no escuro outro facto, des litterarias do presente seculo ; sendo,
que se den no anno que registro. Os alum- porm, de notar que assira mesmo mais
nos do irimeiro anno quizeram restaurar rica de exemplares do que de visitantes,
urna autiga associaco denominadaMonte tal vez por estar situada em um ponto extre-
Fio Acadmico, tendo por fim prestar soc- :mo da cidade. O Ilustrado bibliothecario,
corro aos eslndantes da Faculdade, menos fa- o muito Rvd. conego Pinto de Campos, tem-
vjiecidos da fortuna. De^ois de ter havido se desvelado em conservar os livros em bom
algum desaccordo ntreos restiU.-adorese.alipho eaceio, nao se descuidando ao mes-
diversos estudantes dos outros annos do mo lempo de sugar-lhes a substancia para
que resultaram algumas altercaros desagra- despedir alguos raios contra o philosophismo
daveis, que felizmente nao chegaram s vias [ dos Henans, e dos gratuitos inimigos dos
. de facto ; installou-se aflnal a assochcSo, frades. Nunca as mos lhe dam.
sendo approvado os respectivos estatutos, e | Collegio das artes
nomeado o conselho administrativo. n Anr. --i j .
digno esenptor da memoria histrica
Considerada a instituido em relajo ao, do auno passado foi tao noticioso e al di-
seu flm, nada me parece com effeito mais dactico em relacSo ao collegio das Artes,
. santo, mais generoso, e cosequentemente que seria de miaba parte fazer oppugnaco
mais digno de applausos. Visto, porm, o de talento, se pretendesse oceupar-vos ain-
quandro por oulra face, tenho duvida ares- da com mais consideracoes, que no teriam
peito de sua belleza fascinante. ou'ro mrito sen3o de cansar a vossa pa-
Estarao os estudantes auloriados para[dencia e a do governo. Limitar-me-hei
dislralrlrem em associafoes, ou velleidades, smentu parte estatistica d'aquelie curso
urna parte da mesada tjuesduspaeslhes con-lannexo a taculdade.
A Turma valente
De Henriques a mil
Nao cede a soldado
Nenhum do Brasil.
principe de Italia Humberto.
A parte superior do chafariz offerece a
curiosa circumslancia de ser coberta de
znco> Queremos paz, e amisade
' E? 'a primeira vez, diz a Italia de apo- !,Sinla amisade f) e unio ;
les, que se encontra empregado este metal ??as se alrozes nos nsultam,
em Fompeia. Guerra- guerra, e guerra entao.
Ha tenco de restaurar este mooumento
como modelo do systemade edilidaded'aquel- Turma valente
la poca. "e Henriques a mil
Nao cede a moldado
----- Nenhum do Brasil.
Quando o sangue farta a langa
E esta replecta a vinganca
A raga heroica descanca
No tmulo dos Bryareus,
Com toda a nossa grandeza
Arrjjemo-nos p'ra l !
Da morte sentindo a presa
Quil de nos descorar ?
Nenhum Nascemos.p'ra guerra.
Em nosso cVa ieo se ncerra
Urna alma que nao se aterra
Se a gloria lhe diz : vem c!
D i ventre das nossas maltas
Potando, for:e, maior
Com sangue e fogo as palas
Corre a fera do valor.
Labios de pedra nao gritam !
Ferreos ossos nao tintam !
Duas grandezas nosfilam :
O Brasil e o Imperado".

Por proposta do marechal ministro da Do Magnnimo desvia
guerra, acaham de experimentar os effei- A morle o voraz cutello :
tos da clemencia do imperador dos fran- Perecer, salvando a Patria,
cezes 618 condemnados militares. E' sempre um des.ino bello.
Trezentos e oitenta e cinco d'estes I omens
obtiveram perdo do resto da pen >, e os A Turma valente
outros 23 urna reduccao no lempo da sua
condemnacjM).
De Henriques a mil
Nao cede a soldado
Nenhum do Brasil,
Vive eterno em Cu mavorcio,
Astro grande, o nome seu.
A Turma Tlente
n u Vede o grande Henrique Dias
Os antigos Gonsideravam o espirito como Se acaso todo morreoil
um augurio.
Interpretavam-ao de differenles manei-
ras: favoravel do meio dia at meia nou-
te, desfavoravel, pelo contrario, da meia
noute em diante at ao meio dia; era um i De Henriques a mil
sigu de ventura ou de desgraca para; Nao cee\ soldado
2n iSTSSi nn 0cSP'rr? era dad a Nenhum do Brasil,
seu lado direilo ou esquerdo; mas, em
qualquer dos casos.consideravam-nosempre Marchemos pois, lodos, todos;
como um s.gnal sagrado, e saudavam aquel- Manda a |IonFra excita a G|oria'
les que espirravam d.zendo : Jpiter te Que ventura, a de augmentarme*
sa'?-', ... | O fulgor da nossa Historia!
E d all que provem. provavelmente, o
uso que se introduziu entre os christos A jurma valente
de dizer aos que espirram: Dominas te- De Henriques a mil
c"^" Nao cede a soldado
Desde que esta expressao deixou de ser Nenbum do Brasj|>
urna saudagao, tem sido adoptada como
urna formula de polidez.
Por urna d'estas singularidades que n5o
se explicam, temos continuado a fazer sau-
dades em todos os tons e sob to 'as as for-
mas, como se ainda
E' do Sr. Victoriano Palhares a seguinte
a 'hnns poes'a'recilada Por occasio do regosijo pa-
. '' f !T L !" triotico demonstrado na noute de 17 de
lempos em que Peneiope dava largas ao seu marP0
jubilo ao senlir Telemaco espirrar. '
signam para viverem com regra e economa ?
Sabero elles prestar soccorros sem se pre-
judicarem? Convir acorocoar os que nao
Fallec menlos.
Te do de fallar nos finados peco licenca
para em primeiro lngar record ir i:m dos
tem meio de subsistencia a seguirem urna vultos mais ilustres do nossos paiz ; o in-
carreira que a cada dia vae offerecen lo urna I ch} l0 fundador, de^ta Faculdade conselhei o
' Sociedade Lourenco Jos Bibeiro, que Deus acaba de
existencia visivelmente rachitica ?
composta excesivamente de ergotistas, de
jurisconsultos, de rhetoricos, de philoso-
pbos, nao ser urna calamidade publica e
particular ? O cadver ou as cinzas das an-
tigs repblicas, e a bacharelice dos antigo
gregos nos deve convencer desta triste ver-
dade.
cliamir sua santa gloria. Estarao anda
gravados na memoria de todos que frequen-
taram o curso Jurdico de Olinda os relevan-
tes servicos, prestados mocidade por es-e
; v ..so foi te, que veio abrir-nos as portas do
alcacar luminoso das leis. Se como direc-
tor da eschola o conselheiro Lourenco Jos
Ribeiro soube, sem altivez, infundir tanto
Ninguem mais do que eu deseja a propa-
gacao das luzes; mis com a condicao iode-' respeilo, e ganliar o coracao de todos os
clinavel de serem prudentemente difundi-
das, e repartidas segundo os diversos iote-
resses e variados misleres da communhao
social. Se, em lugac de expandir-se, houver
concentra^ao superabundante de todas, ellas
membros da Academia, como lente nin-
guem mais do que ellejse esforceu por guiar
com ama notavel proficiencia e immitavel
brandara os passos vacilantes dos seus alum-
nos, com os quaes reparlia os i udados de
era um s foco, podem deslumhrar em umjum excellente pae de familia. Testimunlia
ponto, vindo a fallir em oulros pontos a ne-' occu'ai* de suas virtudes, pois rae coube a
cessariaclaridade; eentohavei pernicioso: fortuna de te'sido seu discpulo e seu ad-
desequi ibrio: tn medio consislitvirtus. Con- mirador, 4eo seria ingrato, se em occasio
Decorreram scculos ; as conslipaces
multiplicaram-se no infinito e este uso sub-
sistiu.
Pouco importa que sejaes bom ou mu,
namem de bem ou patife; se espirraes, bu-
vireis nm Dominas lecum!
Deve-se, todava, dizer que o Dominus
tecitm j nao est em moda em certa classe
da sociedade; os que mais se distinguem
no meio da nossa sociedade elegante resol-
vram, ao que parece, proscrever esta ex-,
pressao vulgar; mas, para nao laucar a per-,
turbado as ideas supprimindo com dema- j
sada precipitico um costume tao velho,
decidiram que, para tornar menos sensive,
eta transico, convinha novamentc adoptar!
a saudaco dos anligos.
J nlo portanto, um lestemunho de io-
torease que se exige de nos, um signal de
respeito.
Di -se que ;.t mesmo a saudaco vae bre-1
ve desapparecer, e que em todos os paizes
e em todas as classes o espirro passar des!
apercebido*
Sentiramos deveras se este boato se con-
firmasse, porque ainda ha paizes onde o es-1
pirro est em moda na corte; no reino de
Sennaar, por cxemplo, onde vigora o eos-,
turne, quando o re espirra, de lhe voltar,
as costas, applii-ando-se com urna palmada!
na coxa direita; ou no imperio de Mono-!
motapa, onde, segundo as asserces de al-;
guns viajantes, o espirro do rei sempre
segu lo de um ruido espantoso.
Quando Sua Magestade acaba de espirrar,
nao lhe dizem : Dominas lecum mas
todos os cortezos fazem" por imitar o ruido
produzido pela exploso do nariz imperial:
este ruido, que sao obrigados a repetir os
que se acham nos aposentos contiguos, re-
percute-se i stantanean-ente as casas cir-
cumvisinhas e, as>im correndo de casa enr
casi, communica-se a toda a cidade.
O Sr. commendador A. Joaquim de Mel-1
lo dirige-nos as seguintes liuuas, que ser-'
ve de endereco ao hymno que offerece ao*
batalhao de Voluntarios Henriques :
a Como j temos um principio de bala-
lho de Voluntarios Henriques, alii Ihes offe-
rece um hymno marcial, que nao pelo pri-
mor, que nao tem, mas por sua intenco,
pode talvez sei vir como adminicule aos ou-
tros mais poderosos meios de estimular o
to solemne deixasse de lamentar o seu tran-
sito, e de convidar-vos tambema espalhar
comigo muitas flores, e derramar sentidas
lagrimas de verdadeira saudade, sobre o t-
mulo do benemrito, do christo por todos
os ttulos veneravel.
No dia Io de abril tivemos de lamentar e
perda do professor de lalim do collegio das
Artes, o bacharel Jos Lourenco Meira de
Vasconcellos, que deixou um vacuo bem sen-
sive no numero dos preceptores que sa-1 patriotismo bellicoso da provincia, para o
bem dignamente cumprir os devere* deseu!que" Sen3 devem ,p?-upar. toos' e *Me8--
n___ F v" ,ue!,eu!quer empregos, edeliginciaslicitas, e ho-,
cargo. Para suppnr a sua falta foi posta a Ineslas; nao nos esquecendo qu o enthusi-
cadeira de latim em concurso a 7 do mes- j asmo popular como o fogo, que senao '
mo mez, effeituando-se o acto das provas no cuidadosamente cevado de ombustiveis, en-!
dia 16 de agosto. E nao o governo por bem' rac>ue,:e' estingue-se. Com o ii.teresse da
2*"--*la"to- s a tez&x23, -StlSSS.f
deira posta a novo Poncurso em virtude do j t Occorre-me ainda lembrar, que o valen-
aviso de 5 de novembro do anno passado. I tissimo corpo, que commandava o impaga-
ae novo levada a concurso a cadeira de in- penalmente assim entre nos denQminados;
glez no dia 3 de agosto em virtude do avi-sim compunha-se destes, de ardas, minas,
sn le 17 de iunho da 44 Comparecen- e Pardos como est expresso nos Historia-
dores. Por este modo mais fcilmente se
sidero j excessivo o numero de hachareis
em direito ; c avenlurarei oulra ponderaejio,
que fz-me nao ter predilecto pelas associa-
Coes de estudantes.
O tempo, j muitissimo escasso para os
estudos obrigados, nao pode chegar para
preopinar-se em reunies philantropicas, de
mais a mais tao ephemeras quanto provi-
soria e movedica a residencia dos associados.
Todava sugeito-me a melhor juizo, proaun-
ciando-me nicamente pela associafo reli-
giosa, ou cefraria de N. S do Bom Conse-
lho ; porque d'ali s pode vir beneficio, e
nunca perigo.
, Commissdes.
Por occasio do feliz consorcio da sere-
nissima princeza imperial, a Sra. D. sabei
com S. A. o Sr. conde d'Eu, e o de S. A. a
Sra. D. Leopoldina com oSr. duque de Saxe,
nomeou a congregacio dos lentes urna com-
misso, composta dos Srs. conselhei ros Za-
caras de Ges e Vasconcellos, Jo5o Capis-
trano Bandeira de Mello e outros, para le-
varem presepca de SS. MU. IL, e dos Au-
gustos consortes, os rendidos protestos-de, Juir, foifinalment! 'n'e.la encartado o ffi/Zriq^^rw'.^i0'^
adbedd, e do contentamente, de que fomos|sr. Carlos Adolfo de Alvelar Alchorne por I effuue, fprosjTer. V' P DeUS" Se
i"17dejunho da 1864.
,enas um concurrente, que a nao pode
A QUEDA DE MONTEVIDEO.
Do Brasil na face augusta
Estranho labio cuspiu ;*
Sua alma, que nao se assusta
Sentiu a nodoa e sorriu.
Foi sinistra a gargalhada !
Ao bater da bofetada,
Ergueu na dextra urna espada.
Baio de morle iuziu !
Co'a coma toda ericjda
A turba dos canibaes.
Becuou desesperada
Uivaudo: AI tam de mais I
A phalange ve cedora
Co'as garras todas de fura
Bebramia aterradora
Com accessos temporaes.
Nos ares cu de fumaca ;
Belva de sangue no chao :
O que a lanca nao traspassa
Derruba, quebra o canho :
Sobre um combro de destroeos
De pedra, de carne, de ossos,
Brilhantes erguem-se os nossos
Desfraldando o pavilh5o.
E' que o aojo da victoria
Co'a bocea aborta a sorrir,
Vem dar-nos ainda a gloria
De insultos, magoas punir,
Montevideo derrubada
E' mais um louro ganhado,
Que vem juntar-se ao passado
De quem nao sabe cahir.
Paraguay treme convulso
Esperando a fatal vez:
Treme-lhe a espada no pulso,
Treme-lhe o chao sob os ps.
Em horisontes nublados
V cres;er de esperados,
Sangrentos, feros, suados
Da ruina os negros corseis.
Em memoria do passado
Somos um povo cato.
O presente denodado,
Empolga cr'oas co'a mao.
Fundemos a nossa gloria ;
Nao nos contente a victoria
De que falla a nossa historia
Ne ses tempos que l vio.
Quando a mao da liberdade
Um grande paiz conduz,
Sempre o povo mocidade
Co'a fronte cheia de luz ;
Co'a espada curta dos bravos
Na lucta dos desaggraros
Vence a morte e grita :_bravos !
Gaulezes de peitos nsr
Da gloria o horto litemos,
Cumpre escala-lo e subir.
Se tcamos, se trememos,
Que daremos ao porvir 1
Nada nos falta. Sigamos!
Quando a dextra alevantamos
A espada nos grita : vamos !
Vemos a morte fugir.
Se o povo levanta o brace
Arranca umgladio doscus,
Nada embaraca-lhe o passo
Que vae terminar em Deus.
Transcrevemos do Diario da Balda o se-
guinte :
A polica acaba de realisar urna impor-
tante diligencia com a priso de Francisco
Xavier Pinheiro e Bicardo Gomes de Cer-
queira.
Francisco Xavier Pinheiro, cujas aven-
turas seriam to curiosas de escrever-se,
como as de Vidock, dirigiu-se o mez passa-
do ao estrangeiro Henrique Jacob (pelo no-
me j se v que judeu), negociante de
joias, e lhe aisse que eslava para chegar a
esta cidade um lomera que queria comprar
muitas joias e que elle Xavier l lh'o levara
se o vendedor lhe garantisse dez por cento
do valor da sua venda.
Disse-lhe o joalheiro que levasse l o bo-
rnea para ver.
Com effeito, no dia 23 do passado dirigi-
ram-se para a casa do opgociante Francisco
Xavier Pinheiro e o comprador, que se apre-
sentou bem vestido e separou joias no valor
de 5:0005.
Em quanto isto se fazia, Xavier Pinheiro]
dirigiu-se ao judeu (a quem queria elle fa-
zer a judiara que se vae ver) e pergun-
tou-lhe:
Ento tenho os meus dez por cento ?
Tem.
Depois de escolladas as jeias, perguntou
o comprador, que ainda nao se sabe quem
fosse, se o vendedor aceitava 6005 em cobre
e resposta affirmativa, mandou o corretor
Xavier apromptar o dinheiro.
Decorridos que forara 10 minutos mais
ou menos, o comprador disse ao joalheiro
que ia-lhe buscar o dinheiro.
Alas seu companheiro j nao foi ? per-
guntou o negociante.
Foi ma dar pezar e dinheiro, mas
elle nao o pode trazer sem que eu d or-
dem, visto que o dinheiro meo e sem que
eu v ou es-.re\a. meu correspondente nao
o entrega. O senhor chame dous ganhadores
de S'ia confianza para Irazer o dinheiro.
O joalheiro chegou a janella, cbamou os
ganhadores e o meu Luigi Vampa desceu as
escadas. Mas como lhe parecesse extraordi-
naria a sabida dos dous, o joalheiro passou
urna revista rpida (miis radida do que esta
qu vale muito menos) sobre as joias sepa-
radas e de relance notou o desapparecimen-
to de tira par de argollas, de que tinha
dous irmos.
Fechar a porta e descer foi cousa de um
instante : os ganhadores estavam na porta.
O homem ?
Disse que esperasse.
O joalheiro correu polica, mas estran-
geiro como nao podia dar signaes siiffi-
cientes dosladroes.
Todava o Sr. Dr. Pedro Francelino nao
descancou e conseguio por a mao e;n cima
de Francisco Xavier Pinaeiro, o celebre cor-
rector, e d Ricardo Gomes de Cerqueira,
em cujas maos se eucontraram tres albuns
deouro, dos que foram furtados ao joalheiro.
O valor total do furto calcula elle em
1:3005.
A polica proje.'ue nis diligencias mas ac-
tivas, aflu de descobrir que o comprador,
visto que Xavier obstina em nao querer de-
clara-lo.
Francisco Xavier Pinheiro conhecido
nesta cida ie como am insigne larapio, me-
nos lemivel pela audacia de suas facanhas do
que pela intelligencia etino com que as rea-
lisa, conseguindo quasi sempre subtrahir-se
accao legal e no.dexaj^privas de seus
feitos.
Consta dos seguintes vasos de guerra a
nossa forca estacionada no Rio da Prala.
A vapor:
Fragata Amazonas, com 6 pecas, com-
mandada pelo capito de fragata Theotonio
Raymundo de Brito.
Corvetas: Niiherohy (traz a insignia do
vice-almirante visconde de Tamandar) com
28 pecas, commandante o capito de fragata
Victorio Jos Barbosa da Lomba ; Jequiti-
Atonto, cora 8 pecas, commandante o capi-
to de fragata Pedro Antonio LuizFerreira ;
Belmonte, com 5 pecas, commandante o ca-
pilSo-tenente Luiz Mara Piquetet; Pama-
hyba, com 5 pecas, commandante o capito-
tenente Aurelio Garando de S ; Paraense,
com 6 pecas, commandante o capito-tenente
Pedro Thom de Castro Araujo; Beberibe,
com 7 pecas, commandante o capitao-lenen-
te Bonifacio Joaquim de Sant'Anna ; Ypi-
ranga, com 6 pegas, commandante o Io te-
nente Alvaro Augusto de Carvalho, e Recife,
com 4 pecas, commandante o Io teBente
Antonio Carlos de Maris e Barros.
Canhoneiras: Araguahy, com 6 pecas,
commandante o capito-tenente Francisco
Freir de Borja Salema Garcao ; llajahy,
com 2 pegas, commandante o capito-len-
le Joaquim Jos Pinto ; Maracanaa, com 3
pecas, commandante o Io tenente Thomaz
de Bittencourt Cotrim ; Mearim, com 6 pe-
Cas, commandante o Io tenente Elisiario Jos
Barbosa; Iguatemy, com 4 pecas, comman-
dante o Io tenento Justino Jos de Micedo
Coimbra; Ivahy, com 6 pecas, comman-
dante o Io tenente Guilherme Jos Pereira
dos Santos ; Araguary, com 2 pecas,'com-
mandante o Io lente Antonio Luiz Hoo-
nbaltz.
A' vela :
Corveta Bahiana, com 22 pecas, com-
mandandante, o < apito de mar e gaerraJ
Jos Secundino de Goraensoro ; patacho
Jguass, com 2 pecas commandante o Io te-
nente Manoel Bicardo da Cunha Couto.
Total: 18 vasos, sendo urna fragata, 9
corvetas, 7 canhoneiras e 1 patacho, com
128 boceas de fogo.
Julgamos de interesse publicar a seguin-
te lista dos brasileiros que presentemente
se acham e-tudando em Roma.
NO COLLEGH) AMERICANO DO SOL.
Direilo cannico.
O padre Manoel de Medeiros, do Cear.
3o anno.
Theologia.
O padre Jlo Baptista Fialho, do Rio
Grande do Sul,
Os seminaristas:
Emilio Lopes Freir Lobo, da Baha.
Pedro Peixoto al ves Lima, de Pernam-
bueo.
Joaquim Augusto Canabarro, do Bio Gran-
de do Sul.
Urbano da Silva Monte, de Sergipe,
Joo Lopes Freir Lobo, da Bahia.
Philosophia.
Francisco Nery de Assis, do Para.
Lino Justiniaoo de Almeida Pires, da
Babia.
Maximano Tibronio Esmeraldo, idem.
Jos Vargas de Andrada, do Bio Grande
do Sul.
Latim.
Joaquim Anselmo de Souza, da Bahia.
Jos Clemente Pinto, do Bio Grande do
Sul.
Jernimo Thom da Silva, do Cear.
Sebasliao Angusto Larangeira, do Rio
Grande do Sul.
Joo Rodrigues Germano, da Bahia.
FRA DO COLLEGIO.
Direilo cannico.
Conego Estevo Alves dos Reis, do Mara-
nho, 2o anno.
Padre Jacintho Villas-Boas de Jess, da
Bahia, 2o anno.
Padre Joo Norberto da Costa, do Rio de
Janeiro, 2o anno.
Padre Antonio Jos Bentes, do Para, 2"
anno.
Conego Joaquim Mximo da Rocha Pinto,
de Minas-Geres ; acaba de formar-se em
scienoias ecclesiasticas.
Padre Silvestre Mximo da Bocha Pinto,
Minas-Geraes ; theoiogia, 2o anno.
Padre Jos Manoel dos Santos Pereira, da
Bahia, ex-seminarista do collegio America-
no ; acaba de ordenar-se, e formar-se em
theologia.
Padre A. G. da Silva Netto, do Rio de Ja-
neiro, formando em sciencias ecclesiasticas.
Desenho e pintura.
Francisco Viriato de F/eitas, do Ro de
Janeiro.
Horacio Tribuzi, do Maranho.
L-se no Correio Scrgipense:
Seguiram hontem os 31 voluntarios de
que lhe fallei.
Ghegando ladeira do mesmo Cuhy, teve
ah lugar o seguinte c interessante episodio,
que lhe vou referir.
Urna mulber velha, que os havia acom-
panhado at aquella ladeira, nao podendo
continuar mais, pediu que parassem, e vm-
do-se obedecida, dirigiu-se um dos vo-
luntarios, que comprebendendo a intenco
de sua me, ajoelhou-se a seus ps; a ve-
lha, no meio do maior silencio, com urna
voz firme e grave pronunciou ento as se-
guintes palavras:
Meu filho, de hoje em dtante nao terds
pae nem me, e s te resta o rei; nesle
momento em que te lanco minha benco, te
peco que nao sejas traidor a la patria;
meu filho, coragem, serve bem a leu rei.
O filho, levantou-se, lancou os bracos so-
bre os hombros de sua velha me, e ahi os
esqueceu por momentos.
Apoderou-se de todos um indizivel sen-
liraento, e lagrimas cabiram involuntaria-
mente.
Causou geral admiraco o inesperado pro-
cedimento daquella mulher to pobre de
sciencia, lao abandonada da fortuna e to ri-
ca do mais nobre sentimento.
Sirva isto de exemplo tantas mes, que
avahando em poucos os deveres do cidado,
occullam nesta occasio seus filhos nos mais
recnditos antros.
Depois teve lugar a mais tocante des-
pedida.
e conforto estatistico
eguaes nformacoe-
na cidade de
Transcrevemos do Doze de Agosto o se-
guinte :
Todas as ras da cidadt- de Lisboa sao
Iluminadas por 2,654 candieiros ou outros
tantos lum s, alm de 201 lumes em Be-
lm,
As luzes de fabricas e casas particulares,
lojas. etc., sao 10,558 (j houve mais por-
que o applaudido petrleo declarou vanta-
josa guerra ao gaz), theatros e espectculos
queso nao accendem todas as uoutes, 1,700
Total das luzes, 15.113.
Canalisago, 148,601 melros,
Oprevilegio da actual companliia Lisbon-
nense de illuminaco a gaz finda em ianeiro
de 1868.
Por curiosidade
acrescentamos aqui
acerca da i luminaco a gaz
Paris.
Paris tem 18 gazometros, tendo a cana-
lisaco do gaz 446:300 metros.
O consumo^ deJ5,470 metros cbicos
por noute, os quaes^alimentam 14,930 bi-
cos, acesos 10 horas por noute.
As luzes particulares sao 43.100 e coa-
somem 85,780 metros eubicos.
Total de Iuzes67,080.
No abencoado seculo das luzes e com
tantas mil luzes mesmo urna consciencia
andar s apalpadelas I...
L-se no Commercio do Porto :
Esto actualmente em costrucco no es-
taleiro do Ouro tres navios novos, que sao :
Barca Fria, propriedade da Exaa.
Sra. D. Joaquina Cardoso Filho. .
Destina-se carreira do Rio Grande do
Sul e deve ser hincada agua at o fim do
correte mez.
Barca Sanlista, propriedade do Sr. Ma-
noel Joaquim Ferreira, da praca de Santos,
consignatarios os Srs. Monteiro & Leo.
Destina-se carreira do Bio de Janeiro e
deve ser lancada agua por todo o mez de
dezembro.
Barca Palmeira, propriedade do Sr. Joa-
quim Adrio da Bocha <& Filho. ,
Destina-se cirreira do Para e deve ser
lancada agua por todo o mez de dezem-
bro.
A construccJo desles tres navios diri-
gida pelo hbil constructor o Sr. Custodio
Martins da Silva Santos.
PERNAMBim-h PDE M.. F. DE F. & KILU
1"
)
I


'


i.


f
l
L*





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDVDB02Q5_6V31ST INGEST_TIME 2013-08-27T23:37:14Z PACKAGE AA00011611_10622
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES