Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10620


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANUO XLI. NUMERO 63
Ptr qntrtel pago deatro He 40 dias o 4. mn \ : 5f000
dem tieaois dos I.01 ludias do cte$#edenJrod*qnarteI. 6J000
Ptrte to ctrreio pr tres meies.......,...,:. 780
DIARIO DE
SEXTA FEIBA 17 DE MARCO DE 1865.
Por anno pago dentro delOdias do i. mez ,,,,,. 491
Forte ae correio por um anno........... 3 $000
V
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE|
Parahyba, o 3r. Antonio Alexandrinu de Lima;
Natal, o Sr. AntODio Marques da .Silva ; Aracaiy, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves A
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTEJ
Alabas, o Sr. Claudino Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr Jos,
Ribeiro Gasparlnbo.
PARTIDA DOs ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Esrada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anio, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinh'i, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesquera,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a i
hora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quinta.-
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 Loa cneia as 8 h., 22 m. e 10 s. de m.
20 Quarto tning as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 h., 8 ro. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados as tO horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: lernas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
,jpra da tarde.
DAS DA SEMANA.
13. Segnnda. S. Sancha prinreza v.; S. Rogarlo
14. Terca. S. Mathilde rainha de Allemanha.
15. Quma. S. Zarharias p.; S. Longuinho s.
16. Quinta. Ss. Cyriaco e Taciano diac. mm.
17. Sexta. S. Patricio b. ap. da Irlanda.
18. Sabbado. S. Gabriel arch.; S. Narciso are.
19. Domingo. S.Jos esposo de N. Senhora.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 m. da manha.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30-, para o norte
ata a Granja a 7 c 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, mate,
julho, setembro.e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da [iraca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE GFF1CIAL
GOVERNO DA PI0V11GIA.
Expediente de da 14 de marco de 1865.
Offlcio ao coronel commandante das armas Ten-
do de proceder se a benco e entrega ao corpo de
Voluntarios da Patria desta provincia, de um estan-
darte Imperial, que pretendem offertar-lhe algu-
mas pessoas desta cidade, sirva se V. S. de dar
soas ordene, am de que para semelhante fim se
acha todo o referido corpo formado as 9 horas da
mauha do dia 23 do correte, em frente da igreja
da Conceigo dos Militares, onde ter lugar essa
soleinnidade religiosa e patritica.
Para asslstir a esse acto foram convidados todos
os cnefes e empregados das reparticoes e mais
funccionarios pblicos.
Dito ao mesmo.Srva-se V. S. de mandar alis-
tar no corpo de Voluntarios da Patria, a Viuliano
Vieira de Lacerda, Sebastio Lmz Guilherma de
Mello, e Antonio Eugenio Alves Ferreira, osqnaes
me foram para isso a o res otados, este por seu tic
e tutor bacharel Antonio Jos Alves Ferreira, e
aquelles pelo delegado de polica de IpojucaCora-
municou-se ao predito delegado
Ocio de hontem, sob n. 353. Coraraunicou-se ao
Dr. che fe de polica.
Dito ao mesmo.Constando de offlcio do ebefe
interino da reparigo das obras publicas datado de
hontem, e sob n. 70, que o impraiteiro dos reparos
da cadea de Serinhem, j executou mais de me-
tade da obra de seu contrato, e por isso acba-se
com diretio a respectiva primeira prestacio, assim
o commuoio a V. S. para sea cuiihecmnto, e alm
de que, em vista do competente certiflcado mande
pagar a mencionada prestago na importancia de
1:1250 00 reis.Coinmunicou-se aochefe interino
da repaiticao das obras publicas.
Dito ao mesmo.ManJe V. S. pagar ao arrema-
tante da coBservacao do terceiro termo da estrada
do sul, em vista do competente rertiticado, a quan-
tia de 30149.50 reis, a que tem direito, segundo
cousta de officio do chafe interino da reparigo
das obras publicas, datado de hontem, esob n, 69,
por haver cumprido as coodiges do seu contrato
durante o mez de Janeiro ultimo.Comraunicou-se
ao chefe interino da repartigo das obras publicas.
Dito ao encarregado do vice-consulado da Italia.
- Respondendo ao offlcio que, em dala de hontem,
dingio-me o Sr. Jos Saponti, declarando ser o
nico embregado do vice-consulado da Italia nesta
provincia, tenno a dizer, que fleo sciente e que
I nesta data expego as necessarias communicacoes
I as reparticoes competentes, de achar-se o Sr. Jos ',
1 Saporili encarregado do supracitado vice-consalado
da fazenda, que ser o seu vice-
geral da real casa e patrimo-
20 annos de idade, segundo informa o Sr. comman-, Do ministro
dante das armas, nao pode ter lugar o que reqoer a presidente;
supplicante. Do administrador
Teuenle-coronel Hemeteno Jos Velloso da Sil- nio;
veira.-Muito agradeco o patritico offerecimento De dous senadores e dous doputados s cortes,
do supplicante, que tomarei na maior considera- que sent eleitos respectivamente pelos corpos de
gao. legisladores;
Ignacio Teixeira da Mello.Fica expedida a or- Do procurador geral do ministerio da fazenda ;
dein do commandante superior da guarda -nacional Do advogado consultor' geral que ser tambero
de Santo Anto. secretario da commisso.
Joo Francisco dos Santos.Satisfaga o suppli- A commiss-i, concluidos os trabalhos dar con-
cante as condiges do decreto n. 2,478 de 28 de se- ta s cortes do que tiver (eito e dos resultados ob-
tembro de 1859. I dos.
Jos Policarpo de Freitas.Era vista da informa- S. M. nao cnsente que se separem do cum-
go do tenente-coronel recrutador, nao tem lugar o primelo desta sua nobre resolugo a sua proprle-
que requer o supplicaote, que nao provou ser o re- dade particular, nem o que Ihe pertence da testa-
Dito ao mesmo.Sirva-so V. S. de mandar alis-
tar no corpo de Voluntarios da Patria o soldado do durante a ausencia do Sr. E. P. Wilson.
crutado seu bolieiro.
Alferes Jeronymo Ignacio dos Santos.Informe o
Sr. juiz de direito da 2' vara desta cidade.
Luiz Francisco de Araujo.Em quanto o sup-
plicaute nao provar o que allega, nao pode ser de-
ferido, visto nenhum esclarecimento se colher a
seu respeito das informagoes do Dr. chefe de poli-
ca, tenente-coronel recrutador e vigario da fre-
guezia
Mara Bezerra dos Santos.Tendo sido a sup-
plicaote abandonada a mais de 2 annos por seu
marido, que alm disso de m conducta como
ludo informa o capitao do porto, nao pode ser este
sent da praga.
corpo de polica Manoel Neve.s e Albuquerque, que
para isso se ofTereceu, e ser apresenlado a V. S.
por parte do commandante daquelle corpo.
Dito ao mesmo Sirv-se V. Si de informar
acerca do incluso officio do Dr. chefe de polica a
que vai aooexo por copia o do delegado do termo
do Ex.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de attender como
f ir de justiga ao que pedem nos inclusos rejneri-
mentos Manoel de Queiroz Monleiro Regadas, Jo-
Ignacio Ribeiro Roma, e Antonio Dioclecio Gon-
zaga.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar como Voluntario da Patria a Jos Aldaberlo
Carvaiho Gusmo, que para esse fim me fui apra-
sentado por seu pai Antonio da Silva Gusmo
Jnior.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar no corpo de Voluntarios da Patria a Manoel de
Barros Reg, Maooel Teixeira da Carvalho, Joa-
quim rsulino Cavalcanle, Gaudencio Jos da Sil-
va, Dionisio Ferreira das Chavas, manoel Lmz de
Souza, Cosme Morelra dos Santos, Manoel Seve-
nano da Paixo, Ricardo Martins de Bnto, Jos
Bernardo Ferreira, Joo Francisco Machado, Silvi-
no -Nunes de Castro, e Joo Mathjgs de Santa
Anua.
Dito ao mesmo.Sirva se V. S. de mandar alis-
tar como Voluntario da atria* a Bonifacio de Beus
Archanjo, Manoel Antonio Jaiob, Manoel Joaquim
de Sant'Aona, Laurentino Gomes da Cunna Perei-
ra Bellro Jnior, e Joo Baptista do Espirito San
to, devendo este ultimo ir servir na companhia de
Voluntarios, cuja organisago. foi incumbida ao
alferes Felippe Jos da Exaltago Maniva.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de, tendo em vis-
ta o incluso requerimento documeutado, mandar
alistar no corpo de Voluntarios da Patria no posto
que Ihe competir, a Miguel Pinheiro de Vascon-
celos.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar como Voluntarios da Patria a Antonio Pedro de
Barros, Celestino Manoel Luiz de Franga, e Tibur-
cio Emiliano Falco.
Dito ao mesmo.Em vista do incluso requeri-
mento que me foi apresenlado pelo Voluntario da
Patria Joo Rodrigues de Souza, mande-o V. S.
considerar no posto de furriel que elle oceupava no
batalho n. 45 da guarda nacional de Barreiros.
Dito ao mesmo. Sirva se V. S. de mandar as-
sentar praga no corpo de Voluntarios da Patria, se
para isso ferem considerados aptos, os cidados
Nstor Rodrigues Estevo, Basilio Antonio Ferrei-
ra, Antonio Francisco de Araujo, Miguel Pinheiro
de Vasconcelloi Araujo, e Joaquim Jos Ferreira da
Gama Juninr, apresenlados por Manoel de (larva
Iho Paes de Andrade Gouvim.
Dito ao Dr. chefe de polica.Nao havendo na
secretara do governo exemplares das instruegoes
de 10 de junhu de 182, assim o communlco a V.
S. em resp >sta ao seu offlcio de 3 do correte.
Dito ao mesmo.Em additamenlo ao mpu offlcio
desta data, e em resposta ao de V. S. n. 331 de 8
do crreme, tenho a dizer-lhe, para que faga cons-
tar ao delegado do Limoeiro, que o destacamento
da guarda nacional que ali existe, pode ser coad-
juvado do mesmo modo que o de polica que la es-
teve.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.i
Participando o respectivo commandante superior
que, em 6 deste mez, entrararn em servigo o infe- i
rior e onze pragas da guarda nacional, que mande
destarar na villa do Limoeiro : assim o communico
a V. S. para seu conhecimenlo.
Dito ao mesmo. As 8 horas da mauha do dia
16 do corrente, mande V. S. passar revista de mos-
tra aos destacamentos do 1." haialho de artilliaria,
estacionados na fortaleza do Brum e forte do Bu-1 respeito se faca declarago de todas estas circums
raro, os quaes para isso cstaro reunidos naquella l
fortaleza, tem como a forcea que se acha aquartel-
Prevalego-me da occasio para ollerecer ao Sr.
Jos Saponti os protestos de minha subida conside-
rago e eslima.Fizeram-se.as necessarias commu-
nicages.
Dito ao vicepresidente da caixa filial do Banco
do Brasil nesta capital. -Pelo officio que V. S me
dirigi, em 11 do correte, Gquei inteirado de que
no mez de fevereiro ultimo, entraran) em circula-
gao as notas da emisso desse eslabeleciment dos
valores a particularidades constantes da relago
que veio anuexaao seu citado offlcio, a que respon-
do e dislo dei sciencia as repartiges competentes.
Fez-so o necessario expediente a este respeito.
Dito ao coinmaudanle superior interino da guar-
da nacional do Recife.Em vista do que informou
V. S. em offlcio n. 53 de 22 do mez passado, leobo
a dizer-lhe que expeca suas ordens, para qne o
Dr. Joo Francisco Xavier Paes Brrelo reassuma
o exercio do posto de tenente-coronel commandan-
te do segundo batalho de reserva da guarda na-
cional deste municipio.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens,
para que seja postada era frente da igreja de S. I
Jos de Riba-mar, urna guarda de honra, tirada de
um dos batalhoasda guarda nacional sob seu eom-
raando superior, atim de acompanbar a procsso
do Seuhor Bom Jess dos Afflictos, que tem de sa-
hir daquella igreja no da 19 do corrente as 3 horas
da tarde.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Cabo.Ex peca V. S. suas ordens, para
que o destacamento de 1 inferior e 5 pragas da
guarda nacional da villa de Ipnjuca, soja augmen-
tado com mais 5 pragas de pret, communicando me
a data em que esta ordem fr eiecuiada.Com-
municouse thesouraria de fazenda.
Dito ao commandante suponor da guarda nacio-
nal de Santo Anto. Expega V. S. suas ordens,
atim do que seja postada ein frente da matriz des-
se municipio urna guarda de honra tirada do bata-
lho n. 23 da guarda nacional sob seu ominando
superior, para acompauhar a procsso do Senhor
Bom Jess dos Passos, que tem de sahir daquella
igreja no da 19 de abril vindouro s 3 horas da
Urde.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Bonito. Respondendo consulta que V. S.
submetteu minha deciso em officio de 6 do cor-
rete, cbeme dizer-lhe :
i. Que o conselho de qualificago que tem de
proceder a desigoago dos guardas nacionaes, em
cumpnmento da ordem que exped em officio cir-
cular de 20 de fevereiro ultimo, deve o fazer pela
ultima qualificago existente, urna vez que a deste
anno anda nao est feita ; insi-revendo os nomes
dos que forem designados no hvro da qualiiicago;
2." Que o referido conselho deve designar nao
s o numero de guardas que essa comarca deve
prestar, mas tambera outro numero igual, que se-
ro considerados substitutos dos primeiros, no; ca-
sos em que as decisoes daquelle conselho sejam
reformadas pelo de revista ;
3." linalmente. Que o numere de 165 pragas que
coube essa comarca fornecer, deve ser reparida
proporcionalmente pelos dous municipios de
3ue ella se compe, segundo as forgas de cada um
os balalhes que elles tem.
Dito ao mesmo.Dando solugo ao que me con-
sulta V. S. em seu offlcio de 6 do correle, tenho a
declarar-lhe qne a lista dos offleiaes da guarda na-
cional exigida por met officio de 20 de fevereiro
ultimo, deve ser organisada de conformidade com
o disposto no art. 121 da lei de. 19 de setembro de
1850 ; podendo V. S. addicionar-lhe os nomes dos
offleiaes do reserva que se offe.recerem, o que por
sua robustez, estiverem no caso d prestar-se ao
servigo da guerra ; convindo, porin, que a seu
mentarla de seu augusto pai.
Esta generosa redencia levoa o governo a
retirar o projecto pendente da cmara, acerca da
antecqwgo dos impostes.
O duque do Valencia depois de annunciar rai-
nha esta intengo do governo reunir os ministros
em coBielho, o qual se prolongou pelo espago de
4 horas.
O ministro da fazenda, o Sr. Barzanallana, pe-
diu a na demisso, que foi effectivamente acceita.
Este ministro sustentava que o seu projecto, d'an- j
tecpacao d'impostos, era a medida menos onerosa
para ittentiar a crise do thesouro.
A pasta da fazenda foi primeramente offerecida I
ao Sr. Along Martnez, o qual teve urna conferen-
cia eo a rainha, a que assisto tambera o Sr.
Castro, presidente do congresso.
O Sr. Martnez declarou soberana que nao jul-
gava conveniente acceitar a pasta, porque enten-
da que as circumsiancias criticas porque passa o
paz, os homens pblicos devem prescindir de al-
0 coronel comm"n"dante"'da's aVmas interino, faz ?"?" *Le*?" P0"1/6"' t s?cfo ?,"I?*?"' paM
publico pa.a osfms convenientes que a presiden- se .C0"?sWem a solugao da tranquillidade naco-
por
OOMMANDODAS ARIAS.
Qnartel do emanando das armas de Pernambuco
na cidade do Recife, 46 de narco de 1865.
Ordrm do dia n. 44.
nal; mas, conlinuou elle, julgando
cia concedeu por portari de 18 de" fevereiro ulti- ri(Z'f*J:?""',uuu. *"" Ju,SttUUU 1ue os seus
mo ao Sr. caCello alferes da reparligo ecclesas- '^n vil?, ?A qUP' Pr T56?"6"'
tica do exerrlto, padre Antonio de Mello e Albu- f,jSf2tI''AV,* VS PresenSartn? Kab,nele- Pr,n-
querque, 40 das de licenga para tratar de sna f'KSJl f.,?do"lh?, apOI1dOS SeUS JH,l,gs'
saude, nos termos do art. 106 do regulamento de 0^ na0 dever acce,,ar a Pas,a 1ae sc lne offe-
27 de eutubro de 1860, cuja licenga principiar a
ser contada nesta data.
(Assignado.) Jos Mara Ildefonso Jacome da
Veiga Pnsoa e Helio.
(Conforme)Anfotijo Francisco Ovarte, tenente
ajudante de ordens interino, encarregado do de-
talhe.
EXTERIOR.
recia.
i A rainha manifestou em seguida o empenho que
tinha de ver reunidos todos os homens de ideas
m marclu'cas e liberaes, fosse qual fosse a fraego
a qqe pertenressem.
A maneira porque S. M. se expressou, levou o Sr.
Alonso Martnez a declarar que acceitaria a pasta
se podesse coniar com o apoio dos homens do seu
partido. Mas, tendo-se estes recusado a aceitar as
prnpostas e condigSes que Ihes foram submetlidas,
o Sr. Martnez fez constar ao presidente do conse-
lho, que nao podia cumprir as ordens da rainha.
Foi portanto chamado o Sr. Castro, presidente do
| coogeesso, indicando-se para o substituir na presi-
denci, o Sr. Movaos.
Urna parte da imprcasa da opposigo extranhou
que todcs os membrns do gabinete nao acompa-
nhassem oSr. Barzanallana, utna vez que o projecto
da aolwf*co dos impostes tinha merecido a ap-
profano d0 ministerio,
[fao devo admittir que fra immenso o enthu-
COBRE8POMEIVIAS DO DIA
RIO DE F'fRWniIKO.
Lisboa, 28 de fevereiro de 1865
(Noticiat de Hespanha.j
O grande acootoeimeato 4rk qaiozena eati Hes-
panha, a deliberagao generosa quo S. M. a raif
nha acaba de lomar espontneamente em favor do siasmo do congresso qar.do foi lida a acta autogra-
Pa''- i phaem que arainha, encarregava o general Nar-
Nas apuradissimas circumsiancias d* thesouro vaez, (dutnie de Valencia) de fazer saber < cortes
hespanhol n procedeu pois a salvago publica de a cedeucia que fazia dos seus bens nago hespa-
combinagoes financeras, nem de manejos polili- nhola. Gritos unnimes de viva a rainha acolhe-
cos, nem da confianga dos capitalistas oq das pra- ram o notavel discurso do duque de Valencia e to-
gas extrangeiras, mas do patriotismo da soberana, dos os chefes da materia o da opposigo se associa-
Terminou por tanto a crise do modo mais favora- rain aos senlimentos de S. M. Toda a cmara se
vel. Conhccendo a rainha as difficuldades com dirigi logeao pao. e S. M. respondendo ao pres-
que I uta o thesouro. e nao querendo impor ao dente do congresso* o Sr. Castro, disse :
paiz novo encargo, deliberou, por um acto de ex-
traordinario patriotismo, ceder incondicionalmcnte
todos os seos hens nago, privndose com esta
cedencia, de vinte e cinco mil contos.
E' de presumir o enthusiasmo e sincera popula-
ridade rom que foi recebido este acto generoso de
Isabel II, to conforme com as tradic5es cavalhei-
rosas da nossa pennsula.
Podo fazer saber nago que est sna dispo-
sig3o ludo quanto possuo, e que nao me ser pe-
noso nenhum sacrificio para assegurar a sua fe-
licidade.
Immensas acclamagoes respondern) a estas pa-
lavras da soberana.
A noticia foi recebida as provincias com o
maior enthusiasmo e com todas as demonstragoes
lada no Ho-picio, e que vao ser substituidos no re-
ferido dia, esta pelo 3. batalho de infamara, e
aquelles por outros do corpo a que pertencem.
Ditoao mesmo.Transmiti a V. *. os inclusos
documentos alim de que nao havendo. inconvenien-
te, mande pagar os venc:mentos a coniar de 14 de
novembro a 19 de dezembro do anno prximo pas-
sado, do destacamento de guardas nacionaes da ci
Dito ao commandante do corpo de polica.
Mande V. S. eliminar do corpo sob seu commando,
e apreseuta lo ao coronel commandante das arma<
para ser alistado como voluntario da patria, o sol-
dado Manoel Neves de Albuquerque, que para isso
se ofTereceu, segundo consla de seu officio desta
dala sob o. 166.
Dito ao mesmo.Expega V. S. suas ordens,"para
que de hoje em diante, e emquanlo doraran as
A cedencia pois absoluta de todos os dMeitos de regosijo. Teem chegado a Madrid algumas de
que S. M. possa ter aos bens vinculados ora; puhgoes provinci?nas para apresentar ao throno
direitos que se fundam em haver adquirido por testemtinhos de humenagem e reconhecimento, e
heranga urna grande parte delles, e em ter adqui- as cartas de difTerentes pontos annunciam manifes-
rido outros posteriormente com o seu patrimonio lagoes populares. O congresso hespanhol nomeou
particular, e aos grandes sacrificios pecuniarios umadeputaqo que depositounas mosda sobera-
que tem feto p*ra impedir que ueixenr-'de perten- na, aseguintc mensagem :
eer a cora objeelos to preciosos como os quadros t Senhora. O congresso dos deputados acaba
que se encontram no real mnzu, e outros, cautos de ouvir, eheio de euthusiasmo o projecto de lei,
de grande valor. V. i pois proceder-se mmediala- que, devjdo expontanea inspirago de S. M., Ihe
mente venda dos bens que nao forem declarados apresentou o seu governo.
de futuro patrimonio perpetuo da corta. t As vivas e sentidas acclamagSes que partirn)
A Gazet i de Madrid, El Len espaol que tenho de todos os lados da cmara, quando terminou a
vista e outros jornaes publicara o relatorio din- leitura; a profunda emogo que agilava os cora-
gido a S. M. pelo administrador geral do real pa- goes dos deputados era consequencia deste acto
trimonio, para a desamortisago dos bens da cora inexperado, com quanto nao fosse extranho a pro-
assignado pelo Sr. D. Francisco Goicoerrotea, com verbial magnanimidade de V. M., e ao amor que
data de 18 do corrente. j tem pelo seu povo ; o enthnsiasmo pelo nome de
O relatorio apresenlado pelo Sr. duque de Va-, V. II.; a adheso vossa augusta pessoa e vossa
lencia, presidente do conselho de ministros, ao: excelsa dyumastia, sao um testemunho eloquenle
congresso tem a data de 19 e precede um projecto do jubila immenso com que ha de ser acolhido por
do lei dispondo quaes os bens que d'ora avante t toda a nago este novo rasgo da parte de V. M
formaro o patrimonio da cora, a saber : Io o pa- O congresso, movido nicamente pela idea de
lacio real de Madrid, com suas cavallarigas, co- submetter a V. M. as demonstragoes enlhusiastas
cheiras, parques, jardins e demais dependencias; da sua admirago, e reservando-se examinar o
2o os reaes sitios do Buen-Reliro, a casa de campo projecto, tomando por inspirago o seu patriotismo,
e a Florida, exceptuando a parte do primeiro des- corre aos ps do throno a expr com a maior re-
tinada a novas eonstrueges e va publica nos pro- verencia V. M. a expressode seureconhecimen-
jertos de melhoramento e emhellezamento appro- to, demonstrada to sincera e ardentemente na ses-
dade de Olmda, conforme solicitou o respectivo. sesses do tribunal do jury desta cidade, all se
commandante superior em officio de 10 do corren-1 aprsente disposigo do respectivo juiz de direito,
te.-Communicou-se ao comandante superior de a guarda do estylo. Commumcou-se ao presidente
Olinda.
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu-
mentos que me foram remeltidos com offlcio do co-
daquelle tribunal.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmc. entregar ao Dr. chefe de polica, para enviar
ronel commandante das armas de hontem, sob n. a delegado do termo do Lnnoe.ro 12 granadeir^s
483 e 484, e nao havendo inconveniente, mande V. i com baionetas e os competentes correames, afim
de serem distribuidas pelos guardis nacionaes all
destacados.Fizeram-se a este respeito as necessa-
lias communicagoes.
Despachos do dia 1 i de marro de 1865.
Requerimentos.
Antonio dos Santos Pinheiro.-Informe o Sr. juiz
1 municipal de Goyanna.
Antonio Pedro da Silva.-Concedo, sendo esta
apreseulada ao commaodaBle do corpo.
Antouio Gomes Cordejro de Mello.Informe o
ra.-em vista
forme soliciten o chefe de |Klicia, em seu offlcio da iuformagao da thesouraria nao pode ser deferido
de hontem, sob n. 332, a quaolia de IOjOOO reis, o suppl-ante no que requer, visto como recebando
S. pagar ao segundo lente do 4. de artilharia a
p Assencio Minervino Meira, a quantia de 199500
reis, por elle despendida na qualidade de quartel-
me-tre do mesmo batalho com o respectivo expe-
diente, a contar do 1. de Janeiro at 28 de feverei-
ro deste anno. e ao capitao Jos Angelo de Moraes
Reg a de 28&000 res, tambera despi ndida cora o'
expediente da 6.a companhia, que rommandou in-
termamente desde 12 do predi lo mez de Janeiro,
at 28 de fevereiro, cima indicado.Commuo)cou-
se ao coronel commandante das armas.
Dito ao mesmoSe nao houver inconveniente,
mande V. S. pagar a Mauoel Brigido dos Santos ou Sr. nspector da thesourana de fazenda.
ao seu procurador Nelson Brigido dos Santos, en- Teneute. Assencio Minervino Meira.-Em
forme soliciten o chefe de |Klicia, em seu offlcio da iuformagao da thesouraria nao pode ser de
de hontem, sob n. 332, a quanlia de 10&000 reis, o suppl.ante no que requer, visto como rece
proveniente do aluguel de cinco mezes vencidos, a gratiflcagao de commando de companhia, nenhu-
era 12 de fevereiro ultimo, da casa que serve de ma indemnisagao se Ihe deve fazer pelo expediente
quartel ao destacamento de Granito, cimosa v do della, nem pelo da escola com a qual nenhuma
incluso documento. Communicou-se ao Dr. chefe
de polica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.A
Joaquim Carnetfo de Andrade ou ao seu procura-
dor Luiz de_Pranc> de Oliveira Lima, mande V. S.
pagar, se nao houver inconveniente, a quanlia de
72:200 res, despendida com o sostente dos presos
pobres da cadea do termo de Villa Bella durante
o mez de Janeiro ultimo, como se v da inclusa
coma, qae me remetten o chefe de polica, com of-
despeza fez segundo a iuformagao do commandante
das armas.
Bacharel Celgo Tertuliano FernandosQuinlella
Entregue-se.
Francisco de Carvalho Paes de Andrade.Infor-
me o Sr. Dr. juiz municipal de Goyanna.
Godofredo HVnnque de Miranda.-Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Gertrudes Mana da Cooceigo.Tendo-se alista-
do voluntariamente o filho da supplicaote que tem
vados j pela administrago da
municipalidade da Madrid; 3
real casa e pela
os reaes sitios de
sao de hoje.
Na propria sala da audiencia,
os asombros do
Araojuez, Sao Ilde.fongo, Pardo e Sao Lorenzo, com congressos reunidos nesta depptago levantaran)
seus pertences; 4o os palacios reaes de Barcelona, vistas rainha e ao principe das A-turia.
Valladolid e Palma de Mallorca, e o castello de. Parece que alguos grandes de Hespanha tam-
Be'lwer; 5o o real muzu de pintura e esculptu- j bem esto decididos a auxiliar o governo para me-
ra ; 6o a armer'a real; 7" o edificio da Alhambra | Ihorar a sitoago do thesouro.
e o alcagar de Sevilha; 8o o padroado do mosteiro
das thielgas de Burgos e do convento de Santa
Clara de Tordesllas, que encerra pantheoes de
reis e principes hespanhes, o das mais casas re-
ligiosas declaradas do real patrimonio pelas auto-
ridades competentes do estado.
A totalidade dos movis e semoventes que exis-
te m nos palacios e demais propriedades menciona-
das, considerar-se-ha tambem como patrimonio da
cora, sem prejuiso da natural faculdade que para
di>pr d'algura ou alguns delles assista ao rei.
L-eelaram-so pelo referido projecto de lei em es-
lado de venda os predios urbanos on rsticos, e os
censos que pertencem na actualldade ao real pa-
trimonio, que nao forano mencionados na relago
supra.
as vendas das propriedades o mais bens de se-
melhante nalureza, observarse-ho as seguintes
regras: os compradores pagaran o prego em 4
prestages iguaes, sendo a primeira a contado, e
as outra em prasos de 12 mezes As vendas an-
nunciar-se-ho em hasta puhlica, e se adjudicaro
ao melhor lancadnr;os bens continuaro at
sua cesso a cargo da administrago geral do real
patrimonio ;o valor de 75 por cont de todas as
quantias oblidas em resultado das vendas se consi-
derar como pertencente ao estado, e dar entrada
no thesouro publico. Os vinte e cinco por cento
restantes perlencero real casa.
Os edificios e terrenos do real patrimonio qne se
reputara necessanos para os servigos do estado se-
ro por este adquiridos pela 4* parle do prego do
seu valor, que se deduzir das qnanlias que em
resultado das vendas corresponderem ao thesouro.
Para os flns da raesma lei se organisar urna
commisso compo>ta do presidente do conselho do
ministros, que ser o sen presidente;
O novo miistro da fazenda, o Sr. Castro, tam-
bem est decidido a fazer importantes economas
no orgamento de 1865.
Quando o governo declarou na cmara que retl-
rava o projecto da antecpago dos importes, um
deputado apresentou urna proposta que entrou lo-
guera discusso, nao tendo a cmara tomado an-
da resolugo alguma sahida do ultimo correio de
Madrid.
A proposta diz assim :
c A cmara declarou qne ouvio com satisfago
t que ficava retirado o projecto de antecpago for-
t gada de 600 milhes, com qae o governo tinha
pensado onerar o paiz. >
A assembla oceupava-se desta proposta, que
era considerada como um acto de opposigo mani-
festa ao iniuislerio presidido pelo general Narvaez,
que havia sustentado a medida como urna necessi-
dade para a Hespanha.
Os bens da cora sero desamorlisados do mes-
rao modo que o foram os bens nacionaes, e o seu
producto pode calcular-se em 500 milhoes de reales.
O jornal offlcial publicou um decreto suppri-
miudo desde 1 de maio as gratificages de toda
a especie, e seja qual fra sua denominago, a to-
dos os fuiu conanos, cujos cargos nao estiverem
expressamente reconheodos pela lei do orgamento,
ou por nutra especial, sendo prohibido aos minis-
tros fazer novas nomeagoes.
Assegura se qna esta medida, resolvda em con-
selho, proporcionara ao thesouro hespanhol urna
economa de alguns milhoes d* reales.
O duque de Valencia, presidente do conselho
de ministros, convid Ara urna conferencia os ho
mens polticos mais importantes, para de accordo
coma maiona dos deputados se propr o candida-
to ministerial, para a presidencia do congresso.
vaga em consoquencia da noraeaga do Sr. Castro,
para ministro da fazenda.
Parece que, seja qual Tr o candidato governa-
mental, o partido chamado da Uuio liberal votara
na cmara com a opposigo.
isseram alguns jornaes que se consprava
as provincias. Foi desmentido pelas folhas mims-
teriaes.
Consta, porm, que se tem tomado algumas me-
didas preventivas. Expediram-se ordens para con-
centrar algumas forgas militares as immediagoes
du Madrid, e diz-se que urna parte da guarda civil
das provincias vai reuoir-se as principaes cidades
do reino.
Entretanto o ministro do reino, em cortes disse
ltimamente que erara infundados os recetes e
boatos de tentativas revolucionarias, e que, se ti-
nha juigado conveniente adoptar algumas provi-
dencias, era para satisfazer expectativa publica,
e nao para obstar a um perigo real.
Comtudo a linguagera da iraprensa nao u to
tranquilisadra como a do gabinete, cujos mem-
bros se pronuncam como homens de estado, quan-
do as conveniencias aconselham toda reserva. '
Fallava se ha dias n'uma tentativa do partido
absolutista, julgandose que a consprago que se
descobrio contra o duque da Victoria, tinha rela-
go com estes manejos.
Sem descrever da vigilancia da autoridade, de
esperar que a forga do partido liberal ser suffl-
clente contra a execugo de qualquer plano.
Diz a Iberia, que na ultima reunio do con-
selho fie ministros se resolveu adoptar, desda o,
priocpio de margo, um systema mut repressvo
contra a imprensa.
A Correspondencia nega esta noticia.
No conselho de estado foram apresenlados os
votos em separado contra o parecer da eneyelica
de sua santidade.
O primeiro assignado por dez membros do con-
selho, e ser apresenlado ao governo cora algu-
mas rerlexes fetas pela maioria.
_ Foi redigido pelo Sr. Escudero. Os outros dous
sao individuaes um do Sr. Echarri e o outro do
Sr. tgan. E-tes mais dillerem nos considerandos
que as conclusdes.
U Sr. Egan, como os seus collegas, reconhece
as regalas da cora, para conceder ou nao o exe-
qutur s bullas pontiliciaes ; mas julga que deve
conceder-se o p/acr eneyelica e nao considerar
os lispos.
O Sr. Engaa entende que o governo deve cer-
tificarse se sao ou nao autlienticos a eneyelica, o
syllabas e os mais documentos offleiaes submettidos
ao examc do conselho.
A maioria do conselho de estado foi de opinio
que se concedesse o placel quelle documento pon-
tificio, mas nicamente na parte religiosa. E>te
parecer comprehende alguns artigos, e a respeito
de cada um delles, a maioria foi insignificante.
Segundo dizem os jornaes he-panli' jot, o gover-
no parete dispostea resolver no sentido'via minora
do conselho, pcrraitlindo a publicagao da eneyelica
na su in.ettra. Serve de base a e-la supposigo o
discurso que o ministro Arrazolapronunciou no se-
nado.
Parece que o partido reaccionario trabalha acti-
vamente em Hespanha.
Acerca do par&ser do conselho de -estado, escre-
va ha poucos dias o Diario Espaol :
t Diz-se, que.se o parecer de que se trata deu
lugar a votages to duvidosas e a debates to nu-
tridos deve se maneira porque o governo proce-
deu com alguns consellieiros, e assegura-se que,
pouco satisfeilo de terem triumphado os sustenta-
dores das regalas e inmunidades da cora de Hes-
panha, traa de exonerar alguns delles do cargo
que oceupam. O quecolloca o ministerio era maior
couflicte, a parte do parecer que indica a con-
veniencia da amnysta aos bispos que incorreram,
com a puhlicaco da eneyelica, na responsabili-
dade que eslabeleceu o art. 1)5 do cdigo penal.
t Os prelados hespanhesquepublicaram aquel-
lo documento, uns lizeram-o tcitamente autensa-
dos pela inaego do governo nesta parle, e depois
de ter apparecido em lodos os jornaes ; e os de-
mais, cora o conseulmento expresso do Sr. Arra-
zola, que se_revela no discurso que pronunciou no
senado, e nao nos referimos a urna certa circular
reservada, que se diz ter sido tiansniitiida a todos
os bispos,dando-lhes l.cenga para apublicago...
t O iniuislerio est n'uma posigo gravissima, e
mal.- importante do que parece na apparencia.
Se adopta o parecer do conselho de estado, faz re-
cahir nos prelados urna culpa, que a elle pertence,
e so nao aceita, tem quo deixar sem defeza as re-
galas da carda.
Apezar desta solugo ser dificultosa, parece
que a ella se inclina o gabinete, recelando do es-
cndalo que produziriam as fundadas queixas dos
bispos, e por isso se diz que, regeitando o pare
cer da maioria, se conformara cora o voto parti-
cular.
A qnesto da Italia foi tocada na cmara
electiva pelo Sr. Posada Herrera.
Este deputado disse :
Quanto a questo da Italia, existe ella segu-
ramente para nos ioteressar :a Italia, mas nte-
se que o paiz onde nasceu, e onde se desenvol-
ven o pnvo que nos deu a sua legislago, e al a
sua propria lingua ; onde se encontram de novo os
vestigios do nosso antigo poder, e o esplendor da
nossa passada gloria ; onde rezideo chefe da igre-
ja, que o chefe de todos os Hespanhes I E' evi-
dente que aquelle paiz deve inspirar-nos sympa-
thla.
Os acontecimentns que j temos visto surgir
desde 1849, devem nteressar-nos. All vemos nos
levantar-se urna naconalidade.
t O tratado de 15 de sptemhjo fez entrar no di-
reito publico europeu, pelo impulso da Franga, o
estado actual da snhprania da pennsula italiana,
reconherendo o Piemonte, o estabelecimento da
sua corte em Florenga. e o direito da soberana do
papa a Roma, direito qne se nao pode atacar sera
se chamar s armas contra a Franga, o qne e mais
grave do que ter contestagoes com os duques de
Modena. Tocana. on cora os cardeaes qne gover-
navam as legagops.
No tratado de 15 de setembro nada est in-
completo, e en pergnntarei ao actual governo :
Na ua opnran, o qne et por conclnir na Ita-
lia ? E' a execugo do convenio de 15 de selem-
brn ? Quando este estiver cumprido, o que julga o
governo que n devemos fazer t Deverpmos espe-
rar, para rpconhpeer e reino da Italia, que o papa
nos d o exempte ?
Eu estabeleco esta pergnnta, porque folgo que
o governo nao qner, como nao quer a commisso,
que esperemos que o convenio estpja completa-
mente executado para o reconhecer de urna ma-
neira segura. Pelo que meter, declaro, segundo
a minha maneira de ver, qoe ou o governo nao sa-
be o que quer a este respeito, ou nao est dispos-
to a dize-lo. Nesta ultima hypothese, mais valerla
nao ter agitado esta queslo, porque fallar $pm se
confessar o que se pensa, nao nutra cousa mais
do que mofar dos re,>resenltotes da nago I
Emqnanto a questo do reconhecimento da
Italia pela Hespanha se suscita na cmara, o go-
verno de Madrid permanece na sua inaego a tal
respeito.
PERNAMRUCO,
ASSEMBLA PROVINCIAL.
12* SESSAO EM 15 DE MARCO DE 1865.
PRBSIDENCIA DO SK. DR. PEREIRA DE BKITO.
(Concluso.)
ORDEM DO DIA.
Contina a 1' discosso adiada do projecto n. 52,
creando um raaposto addicional para a manulengo
de umasyli* de mendicidade.
Toiuam parte nadiscusso os Srs. Buarque e Ja-
cobina, sendo depois approvado o projecto em 1"
disc.u.-so.
Entra depois em 2* dscussSo e projecto n. 12
deste anno, relativo aos Voluntarios da Patria, co-
megando-se pelo art. Io que diz :
Fica o presidente da provincia autorisado a
permittir que o corpo de polica v tomar parle na
guerra actual.
Vera a mesa a seguinte emenda :
t Ao art aeerescente-se o seguinte: e levan-
do-se desde ja a 500 jiragas, as quaes tero a or-
ganisagao da actual secgo volante e o mesmo uni-
forme.
Pago da assembla provincacial, aos 15 de
margo de 1863.Araujo BarrosCampello.S.
Olegario.Buarque. Ayres Gama.
O Sk. Drummond deseja saber se o projecto em
discusso abraoge em si o da forga policiaC ^__
O Sr. S. Olegario, que oceupa enlao a cadeira
da presidencia, declara, como membro da commis-
so esppcial e da de forga policial, que o projecto
em discus- nada tem com a Qxago de forgas.
O Sr. Jos Mara reitera a pergunta feita pelo
Sr. Drummond, e, respondendo o Sr. vice-presldente
do mesmo modo, passa a discutir o projecto.
Conforme o regiment o orador s pode fallar do
art. i, e isto embaraga o, porquanlo desejara fazer
considerag^s sobre todo o projecto. Acha nelle
defeitos e lacuna*, e julga que sena melhor ser subs;
tituido por om outro, que consignassa disposiges
differentes, mas tendentes ao mesmo lira.
Para apresentar os defeitos do projecto e O* que
julgava mais acertado que se fizesse as acluaes
circumstam-ias, o orador pedio a palavra; mas, re-
conhecendo que o regiment e a inleliigencia res-
tricta que se Ihe da nao Ihe permitiera fazer o que
lencionava, v-se erabaragado.
Passaudo a tratar do art. 1 o orador declara
acha-lo desnece-sario, porque o presidente da pro-
vincia nao precisa de autonsago desta assembla,
para fazer marchar o corpo de polica atim de to-
mar parte ua guerra em que est empenhada a
nago. Quando, porm, fosse necessaria permissao
da assembla provincial, o orador entende que se
dewria periniti lo directamente, sem autonsar o
presidente a conceder tal licenga.
O Sr. G. i.amhki.i.o nunca pensou que o art. 1
do projecto que se di.cuie sollresse irapugoagao,
entretanto deu-se o contrario.
O orador chama a attengo do Ilustre deputado
que o preceder a que disse dever ser apresenlado
um outro projecto sub-titutivo do que esta em di.
cuso, para urna disposigo do regiment que de-
termina que, reprovado um projecto, nao pode ser
reproduzido na mesma sessio. Declara o orador
que a commisso nao est prevenida contra medi-
da alguma tendente a raelhorar o projecto, que por
tanto no correr da discdftso pode o iliustre deputa-
do apresentar as modifleages que entende dever
soffrer o projecto.
Quanto ao art. Io em discusso, o orador nao
o acna desnecessaro. O corpo de polica e provin-
cial, pago pelos cofres provinciaes, tem engajamen-
los provinciaes, e portanto o presidente nao podia
faz lo sabir da provincia, salvo perdendo todo o
carcter provincial, urna vez que nao estivesse
autorisado por esta assembla. (Apoiados e nao
apoiados.)
Se acaso marchasse o corpo de polica sem au-
torisago da assembla, perguota o orador, termi-
nada a guerra anda po leria ser considerado co-
mo um corpo empregado na polica da provincia?
Entende que nao, porque teria perdido o seu ca-
rcter provincial, na sua ausencia se teria orga-
nisado um novo corpo que continuara, mesmo na
sua volta, a exercer as funegoes policiaes. Por
isso o orador julga ramio n^ce.-sano o art. 1.
O Su. Jos Mara pede a palavra a insiste as
opimoes enmiela- no seu primeiro discurso, e man-
da mesa o segrate requerimento :
, Requeiro que seja adiado o projecto por tres
das. >
O Sr. Araujo Barros pronuncia-se a favor do
artigo em df>cusso e contra o requerimento de
adiaimnto.
O Sn. Paula Baptista acha-se embaragado tendo
de discutir urna iiiultido de ideas coudas no pro-
jecto era discusso, vendo-se ohrigado pelo regi-
ment a cingir-se ao artigo 1.
A discusso havida j tara dado provas mais que
suficiente* de que as dilTerentesdisposiges que se
achara no projecto, esto ligadas urnas s nutras
de modo que nao podem ser discutidas separada-
mente. O orador, porm, fara o possvel para uo
se affistar do artigo 1.*
Recouhecem lodos que o corpo de polica nao
pode ser obrigado a sahir da provincia para lomar
parte na guerra, e que s podera ir por sua livre
vontade.
Ora, nao querendo o corpo de polica marchar,
preciso, j por meio de recompensas, ja por meio
de castigos, faz-lo marchar : eis a situago que
quer crear o projecto.
O corpo de polica nao quer marchar, entretanto
a assembla quer que elle marche offereceodo-lhe
recompensas, meio-soldo, etc., e Isto a assembla
provincial nao poda fazer, est lora de sna esphe-
ra, porquanto as despezas de guerra sao do gover-
no geral, nao podem correr pelos cofres provin-
ciaes.
Diz o orador que se por ventura o corpo de po-
lica da provincia se livesse offerecido para mar-
char como o da Baha, Alagoas a outras provincias,
o presidente nao precisava da autonsago coolida
no anigo i. Nao se lendo, porm, o&Vrecido, a
assembla quer ver se elle imita os outros, e isto
nao se conseguir, porque os outros s marcharam
com as vantagens do decreto relativo aos volunta-
rios, e o corpo de polica marchara, nao s com
essas vaniagens, mas anda ctim as do projecto em
discusso, castigados os que nao os quizerem fa-
zer.
O orador sabe qne o pensamenta que domina a
todos os membros da assembla nobre : tem to-
dos pezar de qoe o corpo da polica nao se tivesse
ofierecido romo os outros, levado de senlimentos
do patriotismo, dizendo : t Queremos tomar parte
na guerra, nao nos importa o angajamento ; a idea
que acta sobre nossos espirites, muito diversa
do dinheiro que se nos oRYrece. >
Mas o corpo de polica nao se tem apresenlado,
e eis-ahi um projecto, enjo fim principal, aquelle
que mais avulta, aquella que est ferindo os ulhns,
obrigar o corpo de polica a embarcar, abrindo-
se os cofres provinciaes para urna despeza que per-
tenca aos cofres geraes.
O orador observa que nm dilema suficiente
para destruir o artigo em questo :ou o corpo de
polica quer marchar ou nao quer. Seno quer,
nao poda ser largado; se quer, ento o seu patrio-
tismo deve ser aceito pelo presidente da pro-


'


.
r .^ -


T*"
^t=r
^
==
Alarlo de Pfrnanibnco seita felrft 19 de Mareo de 185
Ul MU
e para lal Bm desuec**ar4 o a jmtorUa- encarregados
reir.
da coacliuo.- S. R. S
L-se o projectp de orgamento provincial, que vai
vieta,
cao.
Dita) orador que os Ilustres depuUdos ,-ignaia
nos o projecto, dominados per m patriotismo a Imprttatr.
muito lmvit| e qge deve ser respailado, proco- "em a mesa o seguidle requerinteote:
raram fazer marchar o co'rpo' de* polica, jnljfanao' wflnero que pelos canaes competentes se
que os meios de o conseguir eram os comidos no solivie do Exm. Sr. presidente da provincia as se
projecto; mas acha o orador que esse meios nao gustfes itnformages
sao os mais adequades, allm d* arrancar a provin-
cia de.-sa iudiffercga ew que jai submerjida em
presengafle orna guerra, era presenta de urna ne-, mandante para o corpo de Voluntarios da Patria.
cessda^f grande, de urna necessidade sublime, de 2 Era que motivas se fondn a despensa
urna ne-> ssidade ante a qoal nio ha cidado bra- concedida ao de neme Antonio Jos de Freltas.
sileiro que nao sinta em seu coraco o desejo de j 3-* Quaes desdes guardas nacionaes forana
contribuir mais ou menos para a gloria ou honra jolgados aptos e assentaram praca.
Pe-1 Alves Pioheiro, por desobediencia, e Caetano Sfar-r Adiou-se o julgamento a requerimento de um
1 ques para correcgo. I dos senhores depuUdos.
A' ordem do subdelegado deS. Jos, Joao, escia-, Appellanie, francisco Antonio de Brito -, appel-
vo de Ignacio Pedro das Neves, por fgido. lado, David WMiam Bowraan.
O chefe da secco, Desprezaram-se os embargos.
J. G. de Mesquttn. < I O sr. desembargador Aceioli apresentoo em me
. Gasa dk detencao.Movimento da casa de' sa a appellagao eutre partes, appellaote Francisco
detencSo do dia 13 de margo de 1865. Rxttiam : Jos da Cota Barros, appellados os adinralstrado-
1." Quaes os guardas Racionaos do 7'batalhao preaos361, entraram 4, sahiram 7, exislem 358 ; res da maasa fallida de -"acneco & Mendes. requi-
Infanlaria aprsenla** pelo respectivo cora-: a saber: nacionaes 279, estrangeiros 20, mniheres sitando as diligencias legaes em vista da suspeicao
do-paii.
Em face de tao grandes ideas a provincia deve
ra ler apresentado maior enlhusiasmo, o concjrso
das forjas devera ter sido maior.
O orador, porm, espera que a provincia d an-
da hrilhaote? provas de si. Urnas fardas se desen-
volvem mais cedo, ostras mais tarde. Desde quo
cerios homeos importantes eomegaram a contri-
buir para o desenvolv ment do patriotismo, vio se
logo augmentar o uumero de volontarios, crescer
o enthusiasmo, e o governo romo que se v mais
.Recife,
xeira.
15 de marco de 1865.Cunha Tei-
(Conlinuar-se ha.)
nmn diaria.
2 estrangeiraa 2, escravos 49"; eserav'as 6.To-
tal 358.
Alimentados a casta dos cofres pblicos 157.
Movimento da enfermara do dia 17 de margo de
1865.
Tivejam alta :
Francisco Antonio da Silva.
Manuel Vicente de Barros.
Teve haixa :
Caetano Marques, ferimeoto.
dos Srs. desembargadores Reis e Silva e Silva Gui-
mares; e o Exm. Sr. presdante offlcioa ao Exm.
Sr. coQseiheiro presidente da relaco reqaisilando
juiz.
DESIGNA);AO DE DIA
Foi apresentado ao Exm. Sr. presidente o feito
que pende de embargos entre partes, appellantes
os administradores da massa fallida de Bastos *
Lemos, appellados Compano revisao do nual fra designado o Sr. desembarga-
viuva, Boa-vista hepalite chronica.
A companhla dramtica do Santa Isabel aca-
ba de ser augmentada em seu pessoal com os Srs.
I Manuel Jos Pinto e Francisco de Paula Borges,
esembaracad, livredesse torper com que pareca! actores que estavam licenciados, e cujo merec- Mara da Conceigo, "Pernambuco, 17 annos, sol-
jazer a provincia. I '"ento connecido do nosso publico. j leira, Boa-Vista ; constipado.
O orador conclue dizendo, irue pelas considera- A estes actores devem seguir outros, que esto a Claudino Jos da Costa, Pernambuco, 30 annos,
^des expendidas vota contra o art. 1. Est dlspos-! chegar da corte, onde o digno emprezario mandou-1 casado, Boa-Vista ; phtysica.
tos a nao faltar mais sobre es outros artigo", e a- jos conlractar. Jos, Pernambuco, 3 das, escravo, S. Jos ; es-
guardar a tercera discussao para entao em um s; Os pacficos habitantes da fregueza dos Affo- pasmo. .
discurso poder fallar subre todas as dispusieres do gados nos pedem, que chamemos a aitcngo das Francisco, Pernambuco, 3 1|2 annos, escravo, Boa-
projeetj, de modo a justificar o seu voto contra autoridades superiores para o deplora vel estado em | Vista ; astro interite.
Cmiitehio publico.-Obituario do dia de dor Ucha Cavalcant no impedimento do Sr. des-
marco de 1865. erabargador liis ejSilva : e, tendo cessado dito im-
Strafina, Pernambuco, 7 mezes, Boa-Vista; ulce-'. pedimento .o mesrao Exm. Sr. designou o primero
raco no pescoco. dia til para o julgamento, e ordenou se convidas-
Josepha Coelho da Silva, Pernambuco, 60annos, se o Sr. Jos Baptiza da Fonseca Jnior, que juiz
elle.
Ora, em seguida o Sr. Lourero, combatendo as
opinioes do Sr. Paula Baptista, que faz um segn
do discurso em sustentado de suas ideas.
Tem a palavra fiualmente o Sr. Jacobina, o em
um exten>o discurso sustenta o artigo em discus-
so. .
O Sr. presidente declara adiada a discussao pala
Jiora, e da para ordem do dia 16 :
Continuacao da anteriormente dada, e discussao
dos projectos e pareceres adiados.
Levanta se a sesso as 3 1|4
13" SESSAO EM 16 DE MARCO DE 1865.
I'KESIDENCIA DO Sn. DR. PEREIRA DE BRITO.
As II e 1/z da manha. feta a chamada, acham- nacional.
que aquillo por all se acha, em relaeio reguran- Slanoel, Pernambuco, 1 anno, s. Jos ; dyar-
q& de propriedade ; mas nao haveado dia em que; rha.
mais ou menos se nao pratique um furto, um di*lur- Caetano, Pernambuco, 2 annos, escravo, Santo An-
bio.elc. Allirniiii de l que um tal Joao Grande,' tonio ; convulsoes.
que se tem feito celebre por suas tropelas figura em Antonio, Pernambuco, 30 annos, solteiro, escravo,
tudo como ayente principal, e apezar disto urna ': Boa-Vista ; apoplexa.
das pessoas mais intimase queridas das aulor-j Malhllde Ignacia das Candeas, Pernambuco, 17 ao-
dades | nos, solteira, Santo Antonio; hydropicardite.
E pois, nao s o termo de Iguarass que offe- Joao Pinto de Araojo, Portugal, 40 annos, casado,
rece mo e terrivel aspecto policial, so la existe I S. Jos ; phtysica.
o hroe das facaohas de Tres Ladeiras, nos Afloga- Joo, frica, 80 annos, solteiro, Boa-Vista : gastro
dos ha os Joaos Grandes. i intente.
O Sr. teneute quartelmeslre Jos Pedro das Benedicto, Pernambuco, 19 mezes, escravo, Boa-
Neves acaba de ceder em adjuctorio das despezas \ Vista ; vermes.
da guerra todos os veneimentos que Ihe couberem Gaspar, Pernambuco' 18 annos, solteiro, Santo -in-
naquelle posto durante o aguartelamento da guarda | tonio; phtysica.
Ignacia Margarida, Pernambuco, 56 annos, casada,
se presentes os Srs. deputados Francisco Pedro, E' um acto do civismo, que honra ao referido Sr. S. Jas ; apoplexa.
GoncMves da Silva, Jos Mara, Aminthas, Joaqmm Neves, pondo do plano os seus sentimeutos patrio- Padre Ignacio Antonio do Reg, Pernambuco, 48
do Reg Barros, Brando, Ayres Gama, Arminm, ticos?.
Teixeira de Mello, Bnarqne, Netto, Pereira. de Remeitemnos a segointe noticia, cuja mate-
Brito, G. Campillo, S Pereira, Nabor, Braulio, ria urge pela providencia pedida
Lourero, Ramos, Aquino Foneeca, Araujo Barros,
Jacobina e Cunha Teixeira.
O Sn. Presidente abre a sesso.
O Sr. 2* .-ecretario faz aiitura da acta, a qua
approvada.
Comparece os Srs. SoutoLima, Deodoro, Sabino,
Ribeiro e Dcummond.
EXPBDIENTE.
annos, Santo Antonio ; aneurisma.
CIIKMO JIDICIABU
TRjBivti; io comtiEacio
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 10 DE
MARCO DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SB. DESEMBAKGABOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Leal, e
presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
presidente declarou aberta a sesso.
Lida, foi a pprovada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um ofilcio do Exm. Sr. presidente da provincia,
Pedimos a Vrac. se digue chamar a altenco
do Sr. fiscal da fregueza de Santo Antonio desla
cidade para a portara que est no principio do
Caes do Ramos.
Alera dos despejos que ah fazcm do lixo e das
materias feeaes, deram a/ora ern fazer fogueiras
todos os das, privando os moradores terem suas
janellas abenas, pelorando a sade daquelles qae
Um offieo do secretario do governo, remetiendo estiverem doenles, e pondo em risco as vidas de-
o orgamijnio da receita da cmara municipal da es moradores, pois os armazeos fronteiros aocaes
jyjlla'u'e Salgueiro. A' commissao do ercamento este h"je ebeios de pipas de agurdente.
municipal. E'de admirar que em frente ao desembarque
Urna petifo de Hermino Ernesto de Lemos A- do estrangeiro se conserve um monturo como o I
maral & C, pedmdo nm privilegio de seis annos que existe, havendo no entretanto a praia de Santa!
para por meio de carrocas especiaes fazer a llmpe- una, que a ninguem ncoramoda se se lizer aiu os
xa desta cidade.A' commissao de consliloicao e despejos e nao nos vexa.
poderes. Cunvmdo, por tanto, que qnanto antes cesse se-! de '* do correte, convidando ao Exm. Sr. presi-
Outra do bacharel Manoel da Costa Honorato, melhante abuso, esperamos que V. S. empregar dente do tribunal para assistir no da 25 do refe-
pedndo a concesso de urna lotera com preferen- pe|a sua conceituada folha seus esforcos para de-!rido mez, na igreja da Conceicao dos Militares, a
cia para as despezas da obra topographica que pre- fender o bem publico. Jbenco do estandarte imperial que tera de ser of
tende apresentar ao publico.A' commissao de pe- Foram coodemnados no grao medio do art. ferecido por diversas pessoas desta cidade ao cor-
tiedes. 269 do cod. crim. os reos Amonio Jos de Santa P. de voluntarios da patria. Accusou a recep-
Ootra do bacharel Joo Dinii Ribeiro da Cnnha, Anua e Jos Luiz da Silva, e absolvido o reo Anto- ?*?_
secretario da instrueco publica desta cidade, pe- uio Rodrigues Chaves, que entraram emjulgamen-
dindo a mesma gratificacao que percebia seu an- to-ante-hoiitem na sesso do jury,
lecessor.-A' comrois>o de ordenados. Hontem devia ser julgado neste tribanal o Sr.
Outra de Seraphim Pereira da Silva Monteiro e j0s Aua>tacio de Albuquerque, mas por imped-
ootros, professores de in^rueco primaria desta ment do seu advogado, foi transferido esse julga-
mento.
Em consequencia deste incidente foi trazido a
baria para ser julgado o reo Antonio Gomes l/iuti-
nho, prouuociado as penas du art. 201 do co ligo.
A defeza sendo incumbida-ao Sr. academin An-
eante, procurador do patrimonio de S. Jos do Bre- ionio Jos Lopes Filho, offereceu este a exerpeo
jo da Madre de Deus, pediodo o pagamento da dt pererapfo, visto que nao constava do processo
qasntia de 274^820 rs., importancia dos foros que nem 0 ter ,|ju 0 ^ pres0 em flagrante, era a mi- certido do llieor da escriptura de bypotheca< que
veocein os terrenos perteocentes ao mesmo patri- serauilidade da pessoa offendida, para ter lugar o 'ne ^ez Manoel do Amparo Caj, em 1861 : De-
monio em que se acham situados, a cadeia, o cur- procedimento offieial. se-lhe.
ral e o acugue daquelta villa. A'commissao de o ministerio) publico nao se oppondo a excepcao, ^* de Bartholomeo Lourenco, apresentando a
orea ment municipal. esendi ella,, conforme a direito, o >r. Dr- juiz de carta de registro do hiate Arlitta, que raudou o
Outra de Antonio Rodrigues de Alliuquerqoe, direito presidente recebeu-a, mandando pa'ssar al- nome para o de Paraense, afim de se fazerem as
erceiro eserlpturario do consulado provincial, pe- vara de soltura em favor do reo. : competentes anootacoe* :Como reqaer. faKndo-
dindo que se torne effectiva a disposcao do art. 64 Desaquartelou hontem o 2o batalhao da goar- se na carta respectiva as competeotes netas."
da le do orcamento vigente.A commissao de or- (ja nacional, sendo substituido no aquartelamento Foram cora vista aoSr. desembargador fiscal :
carnelo provincial. pelo 3 da mesma guarda. I O de Jos de Castro Redondo t Joo de Almeida
Sao lidos e approvados os seguntes parewres : Pedem nos a seguinte publicaco : Lima, apresentando o seu contrato desociedade
A commissao de fazenda e orcamento, e de pare-; o, rendeiros que sucrederam quelles que edi-' para ser registrado.
O de Alves, Hamburger & C, apresentando tam-
nidade, removidos em virtude do art. 23 da lei o.
598 de 3 de maio de 1864, pedindo que sejam igua-
lados seus ordenados aos demais professores desta
cidade.A' commissao de ordenados.
Outra de Florencio Jos de Albaqaerqne Csval-
Forara distribuidos aos Srs. deputados Basto e
Alcoforado os livros Diario e Copiador dos commer-
ciaotes Silva & Alves.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio Fernandes de Aze-
vedo, pediodo o registro de ama procaraco que
apresenta :Como requer.
No de Joaquim Antonio Pereira & Sobrinho, que
satisfizeram o despacho de 13 do corrente para ser
registrado o seu contrato de sociedade : Regis-
tre-se.
No de Miguel Archanjo de Figueiredo, pedindo
certo, para quo compareca na prouma sesso de
20 do corrente, afim de poder ter lugar dito jura-
mento.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador.Silva Gulmares:
ippellantes, D. Olympia Constancia de Moraes
Silva e D. Adelaide Minervioa de Moraes Silva ;
appeHado, Joaquim Luiz Vieira.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Aceioli :
Appellantes, os administralores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado, o
vigario Manoel E.-perldio Muniz.
Do Sr. desembargador Aceioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva :
Appellantes, os caradores fiscaes da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados,
Jos Antonio dos Sanies Fontes.
DISTRIBUICOES.
Ao Sr. desembargador Silva Gaimares :
Appellautes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
o bacharel Manoel Gentil da Costa Alves.
AGORAVO INTERPOSTO DO JOIXO ESPECIAL DO
C0MMERCI0.
Aggravante, Pedro Alexandrino da Costa Macha-
do ; aggravados, Joaquim Vctor Pereira Falco e
sua mulher.
O Exm. Sr. presidente negou provmento.
Nada mais havendo a tratar o Exm. Sr. presi
dente encerrou a sesso 1 hora da tarde.
CORRESPONDENCIAS
Srs. Redactores.Nao sendo marcado comosi-
nete infame da Ingratidao, devo por consequencia
dar o seu a seu dono; e por isso declaro a Vs.
Ss., que as estacSes da estrada de ferro, exislem
rauitas capacidades, e de entre ellas enumero os
Iilras. Srs. chefe da estacao de Una, Americo Jos
Lins Wanderley e Eugenio Marques de Amorim,
ajudaote da mesma e por conhecer o grande zelo e
desempenho de seas deveres para cora o publico
em geral. Nao Ibe fago mais do que ju.-tiga, e
por conseguiole nada devem esses bons cidados
empregados agradecerem ao seu mulio reconhe-
cido criado.
Eogenho Fanal da Luz dislricto de Agua Preta,
lo de marco de 1865.
Antonio Manoel de Agolar.
de pare
cer que seja ouvido o Exm. Sr. presidente da pro- ficaram as ierras da extincia aldcia deBaxa-Ver-
vincia, acerca da materia do requerimento do vi- de em j.-|ores> suas propriedades, e que se acham
gario Ignacio Alves da Cunha Soulo Mamr, na na posse por corajira que fizeram das mais bemfei
qne pede ser indemnisado da qaanlia de 318*.J00 lorias, reclamam ardentemente pela arremalacao
de adiantamentos feilos para concluso das obras uas mesmas trras; e que seja denegado a comar-
ca capclla-mir da matriz da fregueza da Luz.-15 Ca de Flores qualquer pedido que lizer, aulorisao-
de marco de 1865.Baarque. Campello. do-a a invadirs ditas propriedades, como concep-
A commissao dos negocios ecclesiasucos desla g^es de terrenos para edificaces, quo qualquer
assembla, a quem foi apresentado o compromiso que seja essa concepeo muilo prejudcar aos
da irmandade de Nossa Senhora da Conceicao da niesmos rendeiros e propietarios de diversos si-
poToacao de Alagoraha, fregueza da villa de Cira- tlS contiguos mesma povoaco : pois que haven-
bres, nao enconirando nelle a respectiva approva- do desoecupado como ha immensos terrenos dentro
cao e parecer do Exm. Sr. vigario capitular regen- da povoaco, esta brn visivel que, o peusamenlo
te do bispado, de parecer que seja-lhe remeiudo
o mesmo eompromisso, para que o tomando na de-
vida consideraco Ihe d sua approvaco na paite
religiosa.
Passo da assembla legislativa provincial de Per-
de se pedir aulorisaco de invadir os sitios, nao
tem outro um, que prejudlcar urna propriedade lo
til quo necessaria edfleayo era um lugar
qualquer.
quando esses terrenos que ora se acham de-
nambuco, 16 de marco de 1865 O vigario Mar- volutos estiverem oceupados, eutendem os mesmos
nho.Teixeira de Mello. rendeiros que para se desapropriar os seus predios
Leem-se depois os seguntes projectos. que, sen-
do julgados objeelos de deliberado, vo a impri-
mir.
A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco resolve :
t Art. 1. Fica creada ama cadeira de ensino
primario, para o sexo masculino, na povoaco d,e
Trombetas, da comarca de Palmares.
Art: 2." Ficam revegadas as disposicoes em
contrario.
devem de ser indemnisados dos prejulzos causados
para edificaco ou para outro qualquer mister par-
ticular ; pois nao se traa em obras da nac.o, e
nem em edificios pblicos.
Os mesmos rendeiros esto humilhados em
suas propriedades, a ttulo de estarem em terre-
nos do estado I... Nao, os rendeiros entendem
que o terem pago as rendas das ierras do estado,
nao estaro disposios a perderem, nao s as pro-
priedades que com muito dinheiro compraram,
Paco da assembla provincial aos 16 de mar-1 como aquellas qne teem de novo construido,
code 186o.-Araujo Barros.Ayres Gama.Silva- Os mesmos rendeiros esperara, senhores re-
Ramos. Carvalho Moara.
< A assembla legislativa provincial de Per-
nambuco resolve :
Art. 1. Fica o presidente da provincia autori-
sado a dispender a quantia de 1:000; para auxiliar
a eonstrncco da ponte, que se esta fazendo entre
a villa de Barreiros e a ilha do Jardim.
Art. 2. Ficam revogadas as disposicoes em
contrario.
Pago da assembla legislativa provincial 14 de
margo de 1865.Aranjo Barros.Silva Ramos. -
Manoel Netto.Carvalho Moura.S Pereira.
Ayres Gama. Reg Barros.
Wrn a mesa e depois du ser lida. remeltida a
commissao de poderes a seguinte indicaran :
Propomos que seja nomeada urna commissao
de tres membros, que por parte desta assembla
felicite o Exm. Sr. Dr. desembargador Anselmo
Francisco Peretl, pelo modo digno porque se boa-
ve na administradlo desta provincia, como seu 1
vce-pres*dente, esforgando-se para restabelecer o
imperio da lei.
i Recife, 15 de margo de 1865.Cunha Teixei-
ra.Dlodoro.
Sao approvados os segrales requerimentos :
Reqaeiro que se pega as seguntes informa-
c.5es ;
< 1." Qoanto tem o consolado provincial arre-
cadado do imposto de 20 por eenlo sobre o arren-
-dameuto das catas, onde se achavaro estabeleo-
menlos de coramercio no correle exerctcio.
2.a Qual o numero ae negociantes que lem re-
clamado o favor concedido pela lei n. 93 de 9 de
maio de 186i.
< 3.* Qual o numero de casas de negocio de com-
pra e venda de escravos eslabelecidos na cidade
Sala das ses-oes em 13 de margo de 186o.
Campello.BuarqueBego Barros.
Requeiro que com urgencia se pega pelos
aoaes competentes, as seguntes informagdes, j
pedidas na tesso de 21 de margo do anno
pascado :
1.a De 1856 at o presente que obras se tem
eito por arremata-gao.
c 2" Que obras se tem feito por admnislrago
desde a sua origem, copia de orgamento que lh-s
precedeu; nota do quanlo se gastou com as mesmas
obras.
1.' Que obras principiaran) por arremalacao e
foram encampadas e acabadas por adminstracao;
copia do orgamento qae de va preceder os contra-
loa e nota do qne se gastn para conclu-las por
administrago com declaradlo do estado em que o
empreiteiro deixou a obra e quaes os eugenheiros
; dadores, a publicago destas linhas, atim de que a
autoridad! competente bem se possa haver em sea
despachu, quando se tratar de prejudicar o direito
de propriedade de quem quer que seja ; o que
muito aeradecero.
Vmcs. nao imaginara o qnanto nos acharaos
incoininodacios, com os pedidos e deliberago da
nova cmara de Flores em relago s suas vistas I
gordas nos nossos predios, por estarem em ierras
de sismara ; notando que estas ierras foram offe-
recidas por seus legtimos donos, e as poucas ren-
das que pagavam at 1848 erara to diminutas que
neohuma differenga havia a quem as pagavam,
cujas rendas erm applicadas pelos missionarios
capuchinhos para adobos da capella que aqu exis-
te na maior pobreza ; hoje, porm, quer-se enricar
a thesuraha custa dos maiores sacrificios de
urna pobreza immensa I
i Mui breve ah iremos requerer a arrematago
destas trras, porque prevemos um jugo que se
nao poder supportar com resignago^i
Em sesso da cmara municipal de 15 do
corrente foram demittidos os Srs. Jorge Vctor Par*
reir Lupes e Manoel Ignacio de Oliveira Lobo, es-
te de fiscal da fregueza de s. Fre Pedro Gongal-
ves. e aquelle de procurador da mesma cmara.
Para substituir ao Sr. Jorge Vctor foi nomeado
o Sr. Francisco de Paula e Silva, e ao Sr. Oliveira
Lobo o Sr. Inuocencio Xavier Vianna.
OSr. capilo Manoel Porphirio de Castro
Araujo pedio ao Exm. Sr. presidente dispensa do
Jugar de major do corpo de-Voluntario* da Patria,
para que o Horneara S. Exc
Este corpo ja se acha organsado com um pes-
soal de cerca de seiscenlas pragas. Est dividido
un seis companhias, e ja foi estabelecido o compe-
tente rancho.
No lugar Porto, da freguezia de Bora Jardim,
Jos Thomaz de Freltas assas.-inou a Jos Miguel
da Silva, uo dia 25 do passado, legrando evadir-se.
Em Jaguaribe, do lermo de Olmda, Pruden-
cio Gomes da Silva ferio gravemente a Basiliano
Jo- Alves. O criminoss foi preso e est sendo
processado.
Os versos que temos publicado com as ini-
ciaes J. J. F. A. sao producgdrs do acadmico Joo
Joaquim Fonseca de Albuquerque.
Amanha se extrabira a 1* parte da 1* lote-
ra de Nossa Senhora do Amparo de Olinda (9),
sendo o maior premio 6:000,5.
REPAIlTigAO DA POUCIA :
Extracto das partes do dia 16 de margo de
1865.
Furam recolhidos a casa de detengo no dia 15
do corrente:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Bernardo
bem o seu contrato para o mesmo Dm.
O de Silva Guimares 4 C., apresentando Igual-
mente e para o mesmo nm, o seu contrato de so-
sociedade.
Com ioformago do Sr. desembargador fiscal:
No de Jos de Sa Leilo Jnior, pedindo ser ad-
raetudo matricula : Matricule-se.
No de Manoel Jos Carnero, pedindo o registro
do distrato de sociedade que apresenta : Begis-
tre-se.
No de Villaga 4 Irmo, pedindo o registro do
emirato de sua sociedade :Salisfagam o parecer
fiscal.
No de Manoel Jos Guedes de Magalhes e Joa-
quim Jos da Silva Oliveira, pedindo tambera o re-
gistro do seu contrato do sociedade Salisfagam
o parecer fiscal, quanlo a falta de assigoatura da<
testemunhas.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso as ooze horas e ura quarto
da manha.
Rectificaqao da publicando da acta de 13 do
corrente.
Antonio Barbosa de Barros e Manoel de Souza
Cordeiro Siraoes Jnior, bem como Nunes & Coe-
lho, pedirn o registro dos distraas de suas socie-
dades, e nao o de contratos como se diz na publi-
go de que se faz mengo.
SESSAO JUDlIARlA EM 16 DE MARCO
DE 1S65.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMRARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
Secretario, Julio Guimaret.
As onze horas e raeia da manha o Exm. Sr.
presidente abri a sesso, estando reunidos os se-
nhores desembargadores Res e Silva, SilvaGuima-
res.e Accisli, e os senhores deputados Rosa, Can-
dido Alcoforado, Basto e Leal.
Lida, foi approvada a acta da esso antece-
dente.
Foram assignados osaccordos proferidos na ul-
tima sesso as appellagoes entre partes :
Appellantes. Sam Mendel de Manchesler e os
curadores scaes da mssa fallida de Rosiron Roo-
ker 4 C.; appellados, Kalkraao Irmaosft C
Appellante, Domingos Francisco de Souza Leao;
appellado, BenloJosda Costa.
Appellante, Manoel Ribeiro Bastos ; appellados,
a embargante 3* D. Theodora Maria Quileria e ou-
tros.
JULGAMENTOS.
Appellante, exequente Jos Francisco Barrote ;
appellados, execuiados os curadores fiscaes da mas-
sa fallida de Amorim, Fragoso, Santos <& C.
Adiado na ultima sesso
Fui reformada a sentenga appellada.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado, o
Dr. Gabriel Soares Raposo da Cmara.
Adiado na sesso anterior
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, J..aquim Ignacio Ribeiro Jonior; ap-
pellados, os administradores da massa fallida de
Se ve & Filhos.
Adiado na precedente sesso
O Sr. depuiado Leal jurou suspego ; e sortea-
dos os Srs. Ba to e C. Alc forado juraram sospei-
go, e o Exm. Sr. presidente ordenou que se offl-
ciasse ao Sr. deputado sopante Antonio Jos de elaborada composigao nao entra nenhum acde-Trus"-
i ter lugar o julgamento na sico, nem lo pouco ingrediente algum de especie
ou carcter venenaso
PPIUCAyuBS A PEDIDO
i;lei<-o ds juizes e juizas que
tem de festejar a \ossa Senno-
ra das Neves, padroeira do con-
venio de S. Fraaeisco da cida-
de de Olinda ao auno de 1865.
Juizes por eleigao.
Os Illms. Srs.:
Conego Joo Baptista Pereira de Mello.
Francisco Xavier de Oliveira.
Conego Traaquelino Cabral Tavares de Vascon-
celos.
Luiz Jos Pinto da Costa.
S_ Julias por eleigao.
AsvEx-. Sr".:'
D. Paula Joaquina Cavalcanle, mulher do Illm. Sr.
Gaspar Mauricio Wanderley.
D. Mara, mulher do Illm. Sr. Antonio Valentn) da
Silva Barroca.
D. Maria, titha do Illm. Sr. Dr. Joao Antonio de
Freitas Henrques.
D. Mara, mulher do Illm. Sr. Antonio Luiz dos
Sanios.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs.:
D. Antonio da Cunha Figueiredo.
Conego Francisco Rochael Pereira de Brito Me-
deiros.
Padre mestre Jos Raymundo'Baptista.
Dr. M.raoel da Cosa Honorato.
Dr. Francisco Jos Cyrillo Ledo.
Francisco Jos dos Passos Guimares.
Jeronyrao Pereira Villar.
Dr. Joaquim Guenes da Silva Mello.
Major Salvador Coelho de Drummond.
Fortunato Cardoso de Almeida.
Thomaz Ant-mio Maciel Monteiro.
Major Jos Joaquim Antunes.
Joo do Couto Alves da Silva.
Juizas protectoras.
as Ex"". Sr".:
D. Jusliniana Marques de Castilho.
D. Maria, lilha do lllra. Sr. commendador Joo Pin-
to de Lemos.
D. Rita, mulher do Illm. Sr. capilo Flix Francisco
de Souza Magalhes.
D.Augusta, mulher do lllra. Sr. Dr. Antonio de
Moraes Sarment.
D. Emilia, mulher do lllra. Sr. Francisco Goncalves
Netto.
D. Joanna, mulher do lllra. Sr. Albino Jos da
Silva.
D. Ermina, (ilha do lllra. Sr. Luiz do Reg Bar-
ros.
D. Thereza, filha do Illm. Sr. Felippe do Nascimen-
to de Farla.
D. Ignacia Lopes.
D. Guihermina, mulher do Illm. Sr. Joo Baptista
de Macedo.
D. Joaquina, mulher do Illm. Sr. Domingos Antu-
nes Villaga.
D. Mara, mulher do Illm. Sr. Manoel Ignacio da
Silva Braga.
A mulher do Illm. Sr. Joo Pereira Caldas.
A mulher do Illm. Sr. Dumiogos da Silva Cam-
pos.
Olinda, 4 de dezerabro de 1861.
Fr. Antonio de S. Cimillo Leus,
Guardio.
M-tS^
A auacahuita peitoral de Kemp,
est fazenria pasmar a lodos os nossos mdicos pela
grande rapidez com que cura a tosse em todos os
seus periodos.
A academia medica de Berlim teve muita razo
e n considerar o sueco desta balsmica arvore, co-
mo um especifico absoluto para as irrilagoes e in-
flamraacoes da garganta, ou vasos bronchios. Ne-
nhum caso de rouquido, asthma, catarrho, dor da
garganta ou bronchites, pode resistir as snas pro-
priedades contra-irritantes. Reslitue e restabelece
a voz, quando por affecges da trachea ou larynx se
chega a perder ou debilitar: faz parar a expeclora-
go sangunea, e impede a agglomeiago de muco-
sidades nos tubos da respirago que conduzera aos
pulmdes. Interamente mui difireme a esses pei-
toraes compostos principalmente de fructas acres e
adstringeites, etc., finalmente na sua delicada e
prxima sesso de 20 do corrente.
appellados, Manoel
de ura
Appellantes, Tasso & Irmo
Jos Salgado Couto e outros.
Adiiu-se o julgamento a requerimento
dos senhores deputados.
Appe Untes, os curadores fiscaes da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
lado, Antonio Ferreira da Silva Maia.
Desprrzaram-i-e 06 embargos.
Appellantes, Guimares & Oliveira : appellado?.
Braga Silva & (1 '
Adiuii-so o julgamento
dos senhores deputados.
Appellaotes, os administradores da massa falli-
da de Joaquim Francisco de Mello Santos : appel-
lado, Augusto Frederico de Oliveira.
Acha se a venda as pharmacias de Caors & Bar-
bosa, e J. C. Bravo A C.
a requerimento de ura
Pedem-nos a transcripgo do seguale oommu-
nicadn, inserto no Jornal da Parahyba, n. 68.
Ao Exm. Sr. presidente da provine'a, ao Illm. Sr.
Dr. chefe de polica, ao Exm. Sr. presidente da
relaco do dixtricto, e ao governo geral.
Senhores Redactores Se ha factos que na vida
humana devam ser considerados como incompre-
hensveis, sel vagens e brutaes, parece que sao os
que se seguem.
Tendo o abaixo assignado por diversas vezes
soccorndo com sua profisso de advogado aos in-
felizes, que tecm sido victimas de urna familia,
conhecida aqu por Pona de Serra, e servido de
algum obstculo, e tesleraunha de muitos actos
criminosos dessa familia ; tendo futrado em eier-
cicio de subdelegado prmeiro supplente Amaro
da Costa Ramos, entendeu que era occasio op-
portuna de bpur daqm para fra, por raeio da
forga do despotismo, de ameagas, injurias, pnsdes,
calumnia de ser suspeito criminoso etc. etc, de
accordo o subdelegado com seo Irmo, o acadmi-
co Domiogos da Costa Ramos Filho, e outros de sua
familia.
Assim, no dia 2 de Janeiro do corrente anno, foi
o subdelegado Amaro da Costa Ramos, acompa-
nhado do soldado do destacamento, Antonio Jo-
da Nasciment, e dos paisanos Jo Severino e
Manoel Thomaz casa do abaixo assignado, e in-
timoo-lhe que Ihe apresentasse passaporte.
Respondeu o abaixo assignado que seu passa-
porte era sua carta da bac'iarel em direito, ser
morador e advogado deste foro, ha dous annos,
ser juiz de fado qualificado neste lugar, ter o anoe
passado oceupado os cargos de promotor publico s
curador geral uterino, terpagoajui direitos de
escriptorio, laxa de escravo, nao ser de duvida, e
nao pesar sobre sua conducta o meoor facto, que
o desabone, e nao haver lei que lmponha aocida-
do obrigago de andar com passaporte. Ao que
replicou c subdelegado, dizendo que no flm de urna
hora voltaria para o abaixo assignado apresentar
o passaporte sob pena de ser preso e de soffrer I
Passada a hora vollou o subdelegado a casa do
abaixo assignado, acompanhado das mesmas pes-
soas, com iguaes auques e exigencias que da pri-
meira vez, e teve as mesmas resposlas que dapri-
ineira vez ; ao que o subdelegado replicn qae s
dava-ao abaixo assignado- quatro das para dentro
delles retirar-se do lugar, sob pena de prisaa, e de
com elle se haver I
No dia tres de Janeiro mandoa o acadmico Do-
mingos da Costa Ramos Flho citar o abaixo assig-
nado, para assiunar um termo de bem viver, alle-
gando factos que s elle seja talvez capaz de pra-
ticar, e at hoje 2 de fevereiro anda nao provou
oqueallegou, nao obstante jtero abaixo assig-
nado requerido que fosse citada para provar o que
aisse, e apresentar em audiencia o pai ou pas de
familias, ou outra qualquer pessoa, a quera tivesse
o abaixo assignado faltado cora o respeito devido ;
o que prova bastante, quanlo o tal acadmico
um iufame calumniador.
No da 4 de Janeiro araanheceram dous cceles
na porta do abaixo assignado, cujo insulto s
dado atlribuir genle da Pona da Serra, porque
nao tem o abaixo assignado a menor dcsaffeigo
com outra pesoa.
No da 6 de Janeiro mandoa o subdelegado Ama-
ro inlimar ao abaixo assigoado pelo offlcial de jus-
tiga Theobardo de Andrade para ir sua presen-
ga, e igualmente varejar- a casa do abaixo assig-
nado pelo mesmo offlcial de justiga, sem que trou-
xesse ordem escripia. v^
Ao que o abaixo a.-signado franqueou a casa, e
respondeu que se achava incommodado.
Meia hora depois apresenlou-se em casa do abai-
xo assignado o mesmo offlcial de justiga acompa-
nhado de dous soldados do deslameoto, e um man-
dado asssignado pelo subdelegado para levar o
abaixo assignado preso por ser desconheciio e sus
petto de ser criminoso ; porm, sem declarar o cri-
te !
Respondeu o abaixo assigoado que se era crimi-
noso declarasse o subdelegado no mandado o cn-
me, como prescreve o 4. do artigo 176 do cdigo
do processo, e que Ihe apresentasse a colpa for-
mada, que estara prompto a recolher-se a prisao
se fossa da lei, para defender-se ; e se nao era cri-
minoso, que nada tinha com o subdelegado, porque
nao era o abaixo assignado polica, e sim bacharel
em direito, e advogado, com as honras de capilo,
de lente da armada, de juiz de tora, de escadeiro
lidalgo, e dicono ; depois abnu o abaixo assigna-
do o livro e mandoa o offieial de justiga ler o de-
creto de 8 de malo de 1763, que Ihe d essas hon-
ras ; e a final disse, que em face do decreto, da
consliluigo, e dos direito e pterogativas, de que
gosa em virtude de sua cana de bacharel, s po-
da ser incommodado pelos offiViaes superiores da
guarda nacional, quando nouver guerra extraor-
dinaria com os paizes extrangelros, ou quando se
acbarem absolutamente compromeltdas as bases
da constitugo, casos estes em que todos os cida-
dos sao obrigados c >ocorrer.
A vista disto o offieial de justiga e se Idados re-
liraram-se deixando o abaixo assigoado em paz.
Poucos momentos depois vollou o mesmo offlcial
de jusliga, acompaohado de tres soldados do des-
tadamenio, sendo um delles o cabo Feliciano Ro-
drigues da Costa, e disseram ao abaixo a-isiguado,
em presenga de algumas pessoas, que estavam em
sua casa, que a ordem que linham do subdelega-
do era entraren) forga em sua casa, agajrarem-
oe, e arrastarem-no preso at a cadeia.
A vista disto o abaixo assigoado respondeu-lhes
que nem o subdelegado podia dar dessas orden-, e
nem ellespodiamcumprilas ; depeis abra o abai-
xo assignado o cdigo criminal, e mandou o cabo
da guarda ler os arligos 142, 143 e 181 do dito
cdigo, dos qoaes se v que se nao pode cumprir
as ordens illegaes ; e concluio dizendo que elles
seriam igualmente com o subdelegado responsa-
veis por qualquer desacato, que fizessem a sua pes-
soa, e em sua casa, peloque anda pela terceira
vez retirou-se o offlcial e soldados, deixando-o em
paz.
Poucos instantes depois veo o subdelegado Ama-
ro da Costa Ramos Filho, qnatro soldados do desta-
camento, alguns paisanos acompanhado? de muita
canalha, negros, moleques, meninos, ludo debaixo
da maior confuso e gritara possivel de entra I...
entra I... pega! pega I agarra I entra I mata I...
de modj que poz toda a villa em abrrna, entraram
pela casa do abaixo assignado a deutro, agarra-1
raram-lhe pelo paletot, os soldados todos com as
bayonetas nuas, e apontadas em cima do abaixo
assignado; nao obstante ser este muilo doenle de
rheumaiismo e paralysia as pernas, de modo que
anda com muita dlcoMade, e escorado em um
sipo; o, ha qaatro para cinco annos, e nao ter feito
a menor accao, sendo tambera preso um escravi-
nho de 14 anuos do abaixo assiynado, sendo am-
bos arrastados para a cadeia, e sendo o moleque
espancado desde a casa at a cadeia.
No mesmo da 6 de Janeiro fez o abaixo assigna-
do sabir pela 8 horas da noile nm portador para
a fazenda Espirito Santo, onde mora e faz toda as-
sistencia o juiz de direito interino Emiliano Castor
le Aranjo, distante da villa treze ou quatorze le-
guas, com urna petigo pedindo habeas-corous para
si e seu escravo, cuja peligao foi apresehtada no
dia 7 ao mel dia ao juiz de direito ; este, em vez
de vir immediatamente tomar conhecimento do
facto, como Ihe cumpria, e dar a petigo o prov-
mento que fosse de direito, como prescreve o art.
342 do cdigo do processo, o qual manda que o
juiz faga passar a ordem dentro de duas horas, dei-
xouse ficar na fazenda, despachando a petico pa-
ra no da 12 serem-ihe apresentados os presos,
nesta villa, e chegado esse dia nao veio dar au-
diencia, e dizem que por pedido da gente d. Pona
da Serra, pelo que estove o abaixo assignado preso
nove dias, e seu escravo dez.
neiro, nao obstante ter o abaixo assignado mostra-
do com a le, que nao poda ser testemunha I
Tendo o abaixo assigoado requerida ao juiz do
direito Interino recusar o promotor publico, nao
foi attendldo; e competindo ao mesmo promotor
por si dar-se de suspeito, at hoje anda nao o fez,
nao obstante estar coa o* autos em seu poder ha
quatro ou cinco dias para dar o seu parecer.
Agora chegoa ao conhecimento do abano assig-
nauo, segundo dizem, que est jurado e ameagado
pela mais insignificante, trivial ou innocente pala-
vra, ser a flanea que preslou juigada quebrada; o
que nao se pode duvidar em vista do que se acha
relatado, que verdade pura, coja responsabilda-
de assumlmos, e damos por testemunhas todos os
habitantes da villa, como a comarca toda, porque
no da b de janeiro havia umita genle na villa, que
veio missa.
A' visla do exposto, o governo, o publico, o paz
inteiro apreciarao o estajo desta comarca; eo
abaixo assignado roga ao Exm. Sr. presidente da
provincia, ao Illm. -r. Dr. chefe de polica, ao Exm.
Sr. presidente da relaco do distrcto, e ao gover-
no geral se dignem dar as mais enrgicas e promp-
tas providencias, fazendo partir ja para esse logar
ura delegado militar, probo, intelligente, fazendo
uoraear, e entrar em exercicio cora a maior brevi-
dade possivel um juiz de direito honrado, ntelli-
gente, Ilustrado e severo; capaz de compreheoder
a sua posigo, de fazer valer a lei e os direitos so-
ciaes, responsabilisando e punindo todos os crimi-
nosos desse e de outros nefandos actos.
Desla occasio fago chegar s raaos do Illm. Sr.
Dr. chefe de polica urna denuncia ou queixa con-
tra o subdelegado Amaro da Cosa Ramos ; certo
de que,se tiver de iotervir o juix de direito oteri-
oo, pareee que posso affirmar ser tempe perdido;
assim como fago chegar s mos do xm. Sr. pre-
sidente da relaco ama denaucia oo qaeixa coulra
o juiz de dlreilo interino,
Certo porm de que, se o governo nao dr as
mais prompUs e enrgicas providencias, lera de
ver sem remedio a malicia suhjogar a ioooccncia,
na sociedade inteira deste lugar visto se achar ca-
da cidado entregue aos s>eus proprios recursos na-
luraes, que sao nenhuns comparados com os genios
mos revestidos do poder
Assim de novo reclamamos providencia e puni-
gao, e garanta de direitos, se que lemos lei e go-
verno para os fazer manter e respeilar.
S. Joo;i2 de fevereiro de 1865.
O bacharel Joaquim Gomes da Cunha Bellrao.
C0MME1CI0.
Cotaees offleiaes.
PtUCA DU RECiFE.
16 de margo de 1865.
Acgoes da caixa filial do banco do Brasil 2004
por accao.
Acgoes d'a companhia de Beberibe 67000 por
aegao.
Cambios sobre Londres 90 di vista 26 1/2 d
porlOO. '
Doboorcq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
lo vo baoeo de Pernam-
buco.
O banco paga o 14 dividendo na razao e
por accao.
Aovo banco de Pernambuco.
0 banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno al o prazo de seis mezes,e
loma dinheiro a juros a praso nunca menor do
tres mezes.
Alfandega
ftendimento do dia 1 a 15....... 437 55074Q
dem do dia 16..........,------ 23:oo7444
461:108*193
novlmenloda alfandega
VolasBesentradoscomfazendas... 374
> com gneros... 799
Volomessahidoscom fazendas... 164
com gneros ... 761
1:167
92S
Desarregam no dia 17 de margo de 1865.
Brigue inglezBellow Crestmercaduras.
B-irca ingleza/. O.dem.
Barca inglezaSeraphinaidem.
Lugre inglez Lavmiadiversos gneros.
Brigue portuguez-Constante //dem.
Galera inglezaflertmonecarvo e ferro.
Barca inglezaron Gem -objeelos para a estrada.
Brigue inglez-Carne-dem
Barca inglezaD. Marta-carvao.
Brigue inglezEliziadem.
Patacho inglez i'ndaunte-idem.
itecebedorla de rendas Inter-
nas geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 15........ 31-437J693
idem do dia 16................. 784J304
\
32:221*997
Consulado nrovlncial.
ftendimento do da 1 a lo....... 52:8925016
dem do dia 16............... 8:754*861
55:646*807
MOYIMESTTO DO PORTO
Navios entrados no da 16.
S. Mmeos17 dias, brigue esenna brasileiro Oli-
veira, de 143 toneladas, Joao Baptista Pequi,
equipagera 10, carga 3000 i Iqueires de farinha
de mandioca ; ao mesmo capito.
Ro Grande do Sul 25 dias, brigue brasileiro Sur
pertor, de 153 toneladas, capito Joaquim Anto-
nio Das da Silva, equipagem 11, carga 8000 ar-
bas de carne; a Amurim 4 Irmo.
Cdiz34 das, barca belga Meteore, de 320 tone-
ladas, capilo H. Haak, equipagera 12, carga sal:
a ordem. ^
Navios sahidos no mesmo dia.
Ro de Janeiro-brigue brasileiro Mrquez de 0-
Unda, capito Agostiubo Gomes da Silva, carta
assucar. "
Paraescuna nacional Ernestina, capito Fran-
cisco Eustaquio Rodrigues, carga differenles g-
neros.
Terra-Nova patacho inglez Glenlevet, capito M.
Power, em lastro.
Liverpool pelo o Rio Grande do Nortebarca in-
gleza Crace, capito H. Blach ford, carga algo-
IDIT1ES.
A' vista disto o subdelegado Amaro da ('osla Ra-
mos, seu irmo Domingos da Costa Ramos Filho, i
acadmico, reunidos em rasa do seu cunhado o
Dr. promotor publico Elias Eliaco Elizeo da Csta
Ramos, o qual nesse dia eslava em casa, reunido
tambera o sogro deste e pai daquelles, de mime
Domingos da Casta Ramos, fizeram lavrar um auto
de resistencia contra o abaixo assignado e sen es-
cravo, por nao ter o abaixo assignado obedecido
logo, e entrado para a priso, e ao contrario ter-se I
opposto com as torcas da lei e da palavra: toman-17"~\,""S"a "un Jaue,ro a correle anno,
do o subdelegado e seu irmo, por base do auto de hZ- ? *'iDaesf u,n,es j Peuueao, Terrado cora
resisteocia, um sippo quo o abaixo assianadoI ,^V ado d,reit0'e com nm oo lado es-
iraz comsigo ha quatro annos em casa, na ra na! T a Cm Uma ,nancna Preta de nm e outro la-
igreja, as audiencias publicas, por Ihe servir de P^cogo junto as dinas, com uma bexiga
escora, era virtude da paralvsia e rheomatismo e' c- estJIQna? e uma bellida em um dos olhos.
mais uma facca que um dos soldados tirn da ga-'. P.arAque cnegue ao conhecimento de quem direi-
vela do abaixo assignado; pelo que foi preciso o
abaixo assignado prestar Uanga para si e seu es-
cravo, nao obstante nao terem crime de especie al-
mima a n "ni nlutnnto ts du.. **- M I.>
O Dr. Eduardo Augusto Pinlo de Oliveira, juiz
maoieipal e de orphos e prevedor do termo de
OiraJa, por S M. Imperial e Constitucional que
Deus guarde etc.
fago saber aos que o presente virem que tendo
me sido romettido em ll do corrente mez Dlo
subdelegado do Curato da S desla cidade, o pro-
cesso de appreheng^ e deposito de um cavallo
que fra encontrado, com cangalha vagtodo n
estrada, no dia 12 de Janeiro do corrente
guma, e nao obstante o que dispdem os arts 116
lii, 143 e 181, e outros do cdigo criminal.
to ti ver ao mesmo cavallo, mandei passar o pre-
sente que ser afiliado e publicado pela imprensa
de i-onformidade cora o artigo 90 do decreto n.
2433 de lo de junho de 1859. Dado e passado
; nesta cidade de Olind, sob mea sgnal e sello des-
A-vNadMo e,ti p t,rnrf7m ltejU110' ?alendo sem sell -causa, aos 14 de
enca con o ^.w 2iJ3 prCeSS de re" ra:,rc" de ,863" Eu Francisco das Chagas Civtl-
eopXiU^ Pes-oa' escriv0 da Provedoria "o escnvl.
o oonK resitencia^.nn''M deporem so- Edoardo Augoslo P.nto de oliveira. Ao sello
^^Z?'^^^'*T*: 'r5C,"i*ris- Va,esem sello ex-caosa E. A. P.
sistencia
s sendo petmiitido
bre o
nado entregou-se logo a priso oo oo7sto ~& de Oliveira.
abaixo Tia^df J^,?A,uMe,eB-*Jd0 .a casa d01 ~ Illra- Sr- insPec,or da thesoararia provin-
/s~ eTemnh ole nTSSL f"7 PT Cal' e,n ^'primento da ordera do Exm. Sr .
1^,7!S sobre o* mais actos do sob- sidente da proviocia de lOd.. corrente, manda fa-
como e pral.ca neste e em todos os foros. |,ad em 18:093*900 rs. reib, ava-
n,m ^'"unlias no processo Domingos da Costa A arrematago ser feita na forma da lei nm-
Ramos Filho, irmo do subdelegado, o um dos au- vlncial n. 343 de 15 de ma o de 1854 sob as claS
toros dos ataques e violencias dos das 3 e 6 de ja- sulas especiaes abaixo declaradas
'





f



Diario de r*ra?iiiil>tlco -- Serta eiM f 9 if ITareo de I8&.
As pessoas que se propozercm esss arremata-
do, comparec,am na sala das sessdes da referida
juota, do da cima indicado, pelo meio da, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, su roandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretario da thesouraria provine) de Per-
nambuco, 1 i de margo de 1863.O secretario, A.
P. d'AnBuiiciaco.
Clausulas especiaes para a arreraalacSo.
{.* O edificio para a cadeia de Naiarelh, ser
feito de conformtdade com a planta e orcaraenlo
junto, na Importancia de 18:093^900 re.
2.a O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
do de um anoo, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3. Os pagamentos serao eitos em 3 prestacoes
iguaes correspondentes a cada trro da obra Anda.
i.- Nao ser em lempo algum attendida qualquer
reclamacao por parte do arrematante tenden-
te indemnisacao, quaesquer que sejam as allega-
res em que se hajam para esse fin, ainda mes-
mo por prejnizos provados.
5.* Para ludo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipe ore-
gulamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annunciacao.
O Dr. Eduardo Augusto Pinto de Olivelra, juiz mu-
nicipal e de orphos do termo de Olinda, por S.
M. I. e constitucional a quem Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente virem que a re-
querimento de D. Rita Mana dos Anjos Paula, me
foi requerido para que se procedesse exame no es-
tado mental de s-u marido o capito Jos Nunes de
Paula, para que afioal se I lie desse curador a sua
pessoa e bens.em vista do estado em que fusse jul-
gado : o que sendo por mim deferido e depois de
procedido ao respectivo esame e juslifiV.aco, foi
por mira jnlgada a mesma Jostificacio e exame,
nomeaudo curador do mesmo a supplicante sua
mulher, pela minlia sentenga do Iheor seguiute :
Vistos estes autos etc., julgo por sentenga a pre-
sente jnstificacao, em vista do exame medico de fa-
inas it), depoimentos das testemunhas e o parecer
do Dr. curador ad nterin, pagas as custas pela
justificante.
Nomeio para etiradora a justificante, que ser
notificada para prestar o respectivo juramento.
Olinda, t d* margo de 186o.Eduardo Augusto
Pinto de Olivelra.
E tendoassignado'a curadora o respectivo termo
de euratella da pessoa e bens do mesmo seu ma-
rido, no dia 6 do corrente me*, pelo que sendo-ma
requerido pela raesma curadora, mandasse passar
u presente, para que chegue a noticia de todos aflu
de que ninguem com elle contrato, ou negocie, sob
pena de haver-se por simulado ou nullo qualquer
negocio ou transaejo que Iz-r na forma da le.
E por deferimento a dita peligo, mandei passar
o presente, para que ebegue a noticia de todos.
Dado e passado nesla cidade de Olinda, sob raeu
signal e sello desle juizo aos 11 de margo de 1865.
Eu Francisco das Chagas Cavalcanti Pessoa, es-
crivao de orphos o subscrevi.Eduardo Augusto
Pinto de Oliveira.
Ao sello 300 rs. Valha sem sello ex-tausa. E.
A. Oliveira.
O Illm. Sr. inspector da thesourana provin-
cial em cumphaieulo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
publico qne no dia 12 de abril prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesourarie
se ha de arrematar a quem por menos tizer os re-
paros de que precisa a ponte de (ioianna, avallados
em, 2:2005000.
A arrematarn ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo de roaio de 185'4, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta arremala-
o.5o cotnparegam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se roandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, U de margo de 186o.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annuneiacao.
Clausulas especiaes para a arremataco.
1 Os reparos da ponte de Goianna na importan-
cia de 2:2005000 sero feitos de conformidadecom
o respectivo orgamento approvado pela presiden-
cia.
2a O arrematante dar comego aos trabalhos no
pr.izo de 15 das, c os concluir no de tres mezes,
contados arabos na forma da lei.
3a Os pagamentos serao feitos em duas presta-
res e iguaes, a pruneira quando estiver feita rae-
tade da obra, e a segunda depois de coneluidos to-
dos os trabalhos.
4* Na execugo dos trabalhos o arrematante se-
guir restrictamente as Inslrucgoes do engenheiro
encarregado da fiscalisagao dos trabalhos.
5a O arrematante far" entrega ao engenheiro de
toda a raadeira velha que ficar da ponte e pelos ex-
travos ser o responsavel at que cffectue a dita
entrega.
6a O arrematante nao ter direito iodemnisa-
cao alguma, qualquer que seja a natureza da alle-
gacao, para esse m Dzer.
Conforme.
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 4 do corrente, manda fazer
publico, que no dia 23 do mesmo, peraute a juuta
da fazenda da mesma thesouraria, se ha de arre-
matar quem por menos flzer os reparos de que
precisa z ponte de Bujary sobre o rio Tracunhem
avahados em 33O500O.
A arrematago sera feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de majo de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que so propozerem a essa arremata-
gao comparegam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para- constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de margo de 1865.
O secretarlo,
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
Clausulas especiaes para arremataco.
Ia Os reparos da ponte de Bujary na importan-
cia de 330^000, sero feitos de conformi lade com
o respectivo orgamento approvad^ela presiden-
cia.
2a O arrematante dar comeco aos trabalhos no
prazo de 8 dias e as concluir o de 30 dias, con
lados ambos na forma lei.
3* O pagamento ser feito em urna s prestago
depois dos trabalhos concluidos.
4a Na execuglos dos trabalhos o arrematante se-
guir restrictamente os instrucg5es do engenheiro
encarregado da fiscalisagao dos mesmos tra-
balhos.
5a O arrematante nao ter direito a indemnisa-
reo alguma, qualquer que seja a natureza da alie
gaco, que para esse flm tizer. '
Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
DECLUiCSES.
i frangos, farinha d mandioca, de aramia e de tri-
go, feijo preto, gallinhas, leile, lenha m acfoas,
laranjas, manteiga ingleza e franceza, marmelada,
maearrio, ovos, pes de 5, 4 e6 ongas, rafe, al,
toucinho de Lisboa, vinagre, vinho braoco do Por-
to e de Lisboa, velas de carnauba e de esparma
cele.
Para o expediente e outros servigos.
I Areia preta, canelas, lapis, papel almago pauta-
do em resmas, ditos de Holianda em foihas, pennas
de ago, tinta preta, e hvros de incenla, cem e
duzentas foihas, velas de cera branca, de meia li-
bra e vassouras de piagaba.
Hospital militar de Pernambuco, 14 de margo de
1865.
O escrivao,
Jos Marcelino Alies da Fonceca.
A thesouraria provincial compra para a casa
de detengo o seguinle :
2 caldeiroes de ferro para a cozinha, ignaes a3s
que actualmente servetn no mesmo estabeleci-
mento.
1 dito de dito forrado de porcellana de 22 ga-
loes.
A quem convier tratar semelhante fornecimeuto
comparega na raesma thesouraria, no dia 23 do
corrente, pelo meio dia, eom sua proposta em carta
fechada.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 11 de margo de 1865.
O secretarle,
R. F. Annuncia ao.
Conselho de compras navaes
Contrata o conselho no da 18 do corrente mez,
sob as condigoes do eslylo, e por lempo de tres
mezes, lindos em junho prximamente vindouro
lavagem de roupa dos estabelecimentos do marinha,
e o rurnecimento a' estes e aos navios da armada
dos seguintes objectos de .fardamento :
Para os aprendizes artfices.
Bonets de uniforme, bonets para o servigo, blu-
sas de brim braoco, blusas de algodo azul, caigas
de brim branco, ditas de algodo azul, ditas de
panno azul, camisas de algodozmho, cobertores
de la, colchas de algodo, colches de linho cheios
de palha, fronhas de algodozmho, frdelas de pan-
no azul, lengos de seda preta para gravatas, len
ges de algodaozinho, sapatoes feites no paiz, sac-
eos de guardar roupa,e travesseiros de linho cheios
de palha.
Para os Imperiaes raarinheiros e aprendizes ditos.
Bonets de panao azul, camisas de brim branco,
caigas de algodo azul, ditas de brim branco, ditas
de panno azul, camisas de algodo azul, fardetas
de panno azul, lengos de seda prela para grvalas,
sapatoes feilos no paiz, e saceos de lona de raari-
nhagem.
Para os fusileiros navaes.
Bonets de chapa e palla, caigas de brim branco,
ditas de panno azul, camisas de brim branco, far-
detas de panno azul, fardas de brim branco, gra-
vatas de couro de-lustre, polainas de panno pretr-,
e sapatoes feitos no paiz.
E convida o conselho aos que pretenderen! esses
contratos a' apresenlarem-se com suas propostas
em cartas fechadas no referido da 18 do corrente
mez al as 11 horas da manha.
Sala do conselho de compras navaes, 11 de mar-
go de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Delegada de polica do 1 districto do termo
da cidade do Recife (i de margo de 1865.
Por esta delegacia foi apprehendida ama barri-
ca com bacalho : quem se julgar com direito a
mesma, apresente-se para ser-lhe entregue, pro-
vando quanto baste.O delegado,
L A. Minios Perelra.
Precisando o arseal de marinha de serven-
tes livres para seus trabalhos, convida o Illm. Sr.
capito lente servindo de inspector,aos que quei-
ram assim empregar-se e eslejam as devidas con-
uiccoes apresentarem se-lhe.
Iospecgo do arsenal de marinha de Pernambu-
co 16 de margo de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos. _
Vai i, praga de renda pelo juiz de orphos
por lempo de 3 annos, pela quantia annual de
6005, o sitio no largo da Casa Forte, com grande
casa de viveuda e todo seu terreno comprehen-
dendo tambera o lado que dividi o encanamento,
grande baixa de capim, podendo os prelendentes
dinglrem-se ao tutor dos menores e consenhor
Joo Joaquim da Costa Leile, na ra do Queimado
n. 2, para dar as ioformagoes que quizerem.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico que
no dia 18 do corrente mez, a 1 hora da tarde, es-
tar era hasta publica perante a raesma tnesoura-
ria para ser arrematada a quem por menos fizer,
a obra de um pequeo lango de caes que tem de
ligar o encontr da ponte de ferro do Recife ao
caes do passeio publico, e o fornecimento d'agua
potavel ao forte do Buraco e ao laboratorio de fo-
gos : as pessoas a quera convier a mesma arrema-
tago, devero comparecer na sobredita thesoura-
rie no dia e hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de I'er-
nambuco em 13 de margo de 1865.Manoel Jos
Pinto, servindo de oflleial-maior.
Pela repartigo das obras publicas se faz
publico que os propietarios da ra Nova lem o
pras" de 30 dias, a contar de hoje, para a cons-
truego dos paaseios era frente de suas propie-
dades.
Reparticao das obras publicas 14 de margo de
1864.O secretario interino,
Manoel Lourengo de Mattos.
Aviso aos navegantes
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que a
boia do extremo do sul do banco do inglez, que
hava sido langada praia por Ihe haver arreben-
tado a amarrago, foi novamente collocada.demar-
cando lhe o pharol do pico ao O 1/2 N O, e a Or-
re do seminario de Olinda ao N 1/2 N O, rumos
magnticos, e em fundo de 5 bragas, exactamente
onde termina pelo sul o recife, que forma o ban-
co inglez. Capitana do porto de Pernambuco 4
de fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
Arremataco
i
Fnda a audiencia do da 17 do corrente, do jui-
zo de orphos, escrivao Guimares, a requerimen-
to da junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife, ser arrematada de venda, ser-
vindo de base a quantia de 403412, orna parte do
sobrado de um andar e soto n. 66, sito na ra de
Hortas, freguezia de Santo Antonio desta cidade,
avahada dita parlo em 6305329, deduzida esta da
quantia de 4:0003, por quanto foi avahado o dito
sobrado, a qual parte pertencente a Anna Rosa
das Mercs, ou Prazeres, que se acha recolhida
ao hospicio dos alienados, e vai praga a referida
parte para satisfago dos alimentos da mesma
alienada.
ARREMATACO.
Per impedimento do jnizo nao leve lugar a ar-
rematago dos escravos pertencentes aos menores
ulhos do fallecido J->- Francisco de Lima, a qual
ter lugar 00 dia 17 do carrete, na sala das au-
diencias.
"criado........Mar-use.
i> dito. X. N.
A accSo passa-se em Portugal.
Actualidade.
Denaminacae aos actos.
1. A seducao e a parlida.
2. O pobre e o rice.
3." A miseria e a ventura.
4. A honra eleva-se e o crime abate-se.
Terminar o espectculo cem a linda comedia
em 1 acto
MARICOTA
OU
OS EFFKITOS 1)1 EDIHA-SA).
Tomara parte as Sras. D. Eugenia e D. Francis-
ca, eos Srs. Telxeira, Borges, Guimares.
Coraegar as 8 horas.
AYISOS MARTIMOS.
COMPANHUPERNAMBUCANA*
DE
Vivej;\;3o costeira por vapor.
Paranyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
e Acarac.
O vapor tJ^guaribe, eom-
mandanie Lobato, segu no da 22
do correte as 5 horas da larde,
ara os portos indicados. Recebe
'carga al o da 21. Eocommendas,
passageiros e iaiieiro a frote al 2 horas da tarde
do dia di sabida : escriplorio no Forte do Mal-
tos a. 1.
Leilo de un cvalo con andares
HfK
Sexta-feira 17 do corrente ao meio dia
na porta doarmazem da ra da Cadeia do Recito
nnroero 36.
OLYMPIO
vender em leilo um
baixo a meio.
cavalio novo andador de
Para o Para.
Leilo de ama casa terrea na ra dos
Frazeres n. 12.
Freguezia da Boa-Vista.
Martins far leilo de urna casa terrea edificada
em terreno proprio nos Ceelbos a ra dos Praze-
res com 2 salas, 3 quartos, cosinha, quintal com
cacimba e mais um quarto no quintal.
Segunda-reir 20 do correle.
Em seu escriplorio ra da Cadeia n. 9, prfmei-
ro andar, s 11 hora* do da.__________^
Leilo de 60 saceos com caf do Ce r,
Segundafeira 20 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por eonta c risco
de quem pertencer de 60'saccos rom cal do Cea-
r em lotes a voniade dos compradores : segunda-
feira 20 do corrente pelas 10 horas da manha
em ponto no armazem do Annes defronte da al-'
fandega.
Leilo de duas machinas a vapor
Sendo:
Urna porlavel, forga de 14 cavallos, sobre rodas,;
com caldcira patente e todos seus pertences.
Outra xa e urisontal, forga de 12 cavallos com
caldeira e mais pertences.
Terga-feira 21 de margo, em frente a
Associago Commemai.
O agente Pinto fara leilo por coma de quem
pertencer das duas machinas a vapor cima des-
ermitas proprias para-engenho, as ijuacs se tornam
recommendadas pela sua perfeigo e par serem
vai seguir com rauita brevidade o paluabote Pa-
raense, tem a maior parte da carga promyta, e
para o resto que lhe faita irata-se com o consigna-
tano Joaquim Jos Gongaivos Beltro, na ra do dos melhores fabricantes de Inglaterra, "os prcten-
1 denles podero desde ja' examinaren) dilas ma-
chinas para o que podero eDtenderem-se com o;
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem.
Maranhao
0 palhabote Garibaldi segu para Maranhao por
estes dias, recebe carga : a tratar cora Tasso Ir-
maos.________
~~OOMPANHIA BKASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado das portos do norte
at o da 20 do corrente o vapor
Apa, commandaBte Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde jrecebem-se passageiros e engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, eocommen-
das edinbeiro a frere ateo dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
t )nio Luiz de Oliveira Azeyedo & C.
Para Lisboa
pretende sahir em poucos dias o patacho portuguez
Jareo por ter a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouco que lhe falla trata-se cem os consigna-
tarios Palmelr & Beltro, largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brigue es-
cuna Joven Arthur, tem parte de seu carregamon-
to engajado: para o resto que lhe falta trata se
cornos seas consignatarios Antonio Luii de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio roa da
Cruz n. 1
AVISOS DIYEESQS.
Precise-se de um distrib idor para
distribuir este Diario, do Mondego a Api-;
pucos, que saiba 1er e escrever : na livra-!
ria n. 6 e 8 da praga da Independencia,
LOTERA
AOS 6:000$000.
Corre ainnnka.
Sabbado 18 do corrente mez, se extrabi-
r a Ia parte da Ia lotera (9a) a beneficio
das obras da igreja de Nossa Sennora do
Amparo leO'ioda, no consistorio da igreja
de Nossa Sennora do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes.meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. lo.
Os premios de 6-000000 at i0#000
serao pagos unta hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuir'i das listas.
As encommendas srro guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracc5o
Para o Porto pela Ilha de S.corao de coslume- .
O thesoureiro.
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Vae a quem toca.
Nao com publicagoes capciosas forjadas com
to*a a prevencao para eximir a devida responsa-
bilidade,que se consegue fazer acreditar ao publi-
co os actosreprovados da vida de qualquer indi-
viduo.
Portanto, para que mfrecessem conceiio as per-
jguiilas que pelo Diario de 10 do crreme foram
dirigidas ao Sr. Jos Luiz de Souza, cem sitio na
Varzea, era necessano que o autor .e apresen
senlasse debaixo de seu proprio nome, como cos-
lumam fazer os envalheiros, nao s para sustentar
as suas assergoes, mas, para ser conhecido do pu-
blico, e receber a justa paga de tao importante
descabala I
Quem presa a verdade, ou conserva as faces
alguns laivos de vergonha, nao se c-conde ntm
procura rodeos e momlces para declarar o que
sabe, descobre-se, r faz-se conhecido, para que lo-
dos o possara comprehender e acreditar I
Entretanto nao tem assim procedido es^e mise-
ravel, que voltando honlem imprensa com a sua
desailpavel insistencia, foge vergenhosamente a
acgo da lei, para se confundir cam a noite, e as-
saliar com toda a gana, nao as algibeiras, no que
pode estar muilo adextrato, mas, a h ora, o brio,
o pondunor que o que mais invejam aquees
que nunca o possuiram I
Lamentamos realmente a sorte do desgragado
que sendo provocado, para apresenlar o nome, se
conserva ainda mettldo em algum dos esgotos da
cidade deixando de fra a pona das orelhas, para
afugentar com a materia ptrida que as envolv,
9' aquelles que desejam conhece-lo!
Miguel.
O velleiro e bem conhecido brigue nacional A-
melia pretende seguir com muita brevidade, tem
parte do seu earregaraento engajado, para o resto
qnelhe falla e passageiros, para os quaes tem ex-
cellentes commodos : tratase com os seus consig-
natarios A. Luiz de, O. Azevedo & C. no seuescrip-
orio na rua da Cruz n. 1. __________
Para o Rio Grande do Sul segu em poneos (^
das o brieue brasileiro Prazeres, capito Jerooy-
mo Jos Telle; : recebe alguma carga a frete e a
tratar no escriptorio de Amorim Ir.naos, rua da
Cruz n. 3._____________________________
Para a Baha pretende sabir em poucos dias
a escuna Eliza por ter alguma carga tratada, e
para o resto quo lhe falta, trata-s com o consig-
natario Joaquim Jo> Gongalves Beltra. na rua do
Vigario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem.
Para Lisboa.
Pretende seguir cora mnila brevidade a barca
portuguesa Hennqueta, tem parte de seu earrega-
mento prompto : para o resto trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luir, de Oliveira Azevedo &
C, uo seu escriptorio ruada Cruz n. 1.
Rio de Janeiro.
O brigue Trovador segu com brevidade e rece-
be alguma carga a frete e escravos : trata-se com
os consignatarios Marques, Barros & C
para Lisboa
pretende seguir com toda a brevidade
portuguez Flor de Mana por ter a maior parte da
carga prompta : para o resto e passageiros trata-
se com o consignatario T. de Aquino Fonseca J-
nior, na travessa da Madre de Dos n. o, primeiro
andar.
Para o Fenedo
Ohiate Amelia a sahir nestestres dias, anda re-,
cebe algum carga a frete para completar o sen i publico com o mo
carregamento : a tratar na rua do Brum n. 6 com
o seu proprietario Bernardo Jos Rodrigues-Pi-
nheiro.
laixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco,
lWe neiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de -ebastio Jos da Silvaavirem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
ratelo Ibes toca da venda de urna das propieda-
des, que segundo aconcordala.lhe foram entregues
para serem vendidas.O gnarda-livrof,
Ignacio Nunes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico a* sentases alienistas.que o respec-
tivo thesourei esl aotorisado a pagar o 2*. di-
videndo de 10$ por acgo.
O guarda hvros,.
Ignacio Nunes Correa.
O hospital militar contrata, em vista das pro-
postas que lhe devero ser apresentados no da 20
do corrate, pelas 10 horas da manha, e sob as
condigoes j estipuladas, nao s a lavagem e cos-
nira da roupa do eslabelecimento, como tambem o
iornacimenio de vveres e outros gneros abaixo
declarados, no trimestre de abril a junho do cor-
rente :
Para as dietas e racSes.
Azeite doce, arroz pilado, asaucar refinado, ale-
ira, bananas, bolachas, biscollos, bolachinhas in-
glezas e de araruta; cat moido o de carogo, cha
tiysson, carvo em saceos, carne verde, de porco
e salgada, chocolate, doce de goiaba e de banana,
LEILOES.
THE1TBO
Da
S. ISABEL
EMPREZA-COIMBRA
3.a recita da assignatura.
Sabbado 18 de marqo dr 1865.
Subir ascena e interessante drama em 4 actos,
iatitulado
PODER DO Ol'BO.
PERSONAGENS. ACTORES.
Joaquim Ribeiro, carpnteiro. Coimbra.
JoSo, seu filho....... Lisboa.
Margarida, irmaa de- Joo. D. Eugenia.
Martiinna, mulher de Joaquim. D. Prancisea.
Francisco Vielra...... Teixeira.
Manoel, seu pai...... Guimares. .
Jos, seu tio....... Porto.
Mrquez do Seixal..... Pinto.
Julia, sua filha...... D. Camilla.
Conselheiro Mascarenhas. Borges. -
Baro de Gond#les..... Santa Rosa.
Tabelio Monteverde..... Ceclho.
Leilo de escravos morigerados. .
Sexta-feira 17 do correte no armazem da rua da
Oadnia do Recit n. 36.
OLYMPIO.
Vender era leilo diversos escravos de ambos
os sexos com habilidades e sem ellas, os quaes es-
a rao patentes no dia do leilo.
Leilfto de mobilias comple-
tas, pianos, guarda rou-
pa, relogios e outros ar-
tigos de gosto.
H04E
Sexta-feira 17 do corrente s H horas,
no armazem da rua da Cadeia do Recife
o. 36.
OLYMPIO
Vender em leilo 1 mobilia de Jacaranda com
lampo de pedra marmore, 1 dua de amarclfe,
guarda roupa, me dra marmore, marquezas largas, guarda vestido,
quadros diversos, camas francezas, apparelhos de
louga para /antar e al mogo, pianos de armario
quasi novo, camas de ferro, bergos, duzias de ca-
deiras avulsas, santuarios e outros mnilos objecto-
qne se toroa enfadonbo mencionar, desde ja pos
dem ser examinados ditos objectos.
Leilo de 200 capachos.
HOJE.
O agente Pestaa vender em leilo por eonta e
risco de quem pertencer 200capachos, em um ou
I mais lotes a vontade: hoje pelas 10 horas da raa-
1 nhaa no armazem do Annes defronle daalCandega.
Com inimigos de tal natureza, nao deve pois_o
Sr. Jos Luiz eiicommodar-se, porque a reputago
do individuo que se presa c goza consideragoes,
nao est ao alcance das pedradas de qualquer ga-
flo que se apresenta em urna praca publica a
insultar aquelles qne passam.
Com um eute nestas circunstancias, e sem no-
me, at vergonhoso discutir ; tocar-lhe, seria in-
fringir as pusturas municipaes e encommo.tar e
cheiro que deve necessaria
mente exhalar. Por hoje basta.
16 de marco de 1865.
O Portuguez. _____
O preto Antonio, crioulo, de idade de
25 a 30 annos, altura regular, espailaudo
e grosso do corpo, queixo fino, mages do
rosto alta, barba na pjuta do queixo, falla
grossa e descanrada, acaba de as assinar a
seu senhor o alferes Manoel Jos da Costa,
no engenho Pererecas do Rio Formoso.
Faz-se o presente aviso afim de evitar que
esse malvado se alis e em algum dos corpos
de voluntarios da patria escapando dest'arte
a bem merecida punigo legal.
Pergunta-se ao fiscal da freguzia de Santo
Antonio da cidade do Recife, ou a quem >uas ve-
zes tizer, qual a raze por que cnsenle vender
peixe na respectiva ribeira -aos pombeiros ou atr,.-
vessadores ahi existentes, quando prohibe amea-
ga cora inulta aos quo veem de fra. pr textando
ser contrario as posturas municipaes?ou estas pro-
hiben) ou nao. No caso fflrmalivo ninguem deve
vender, lauto mais que os privilegiados nao se
matriculados, nemleemarmalilhas proprias, como
se quer exigir dos outros. Na caso negativo qual-
quer pode vender, pelo principio de que a lei
igual para todos: o contrario escndalo de quem
o pralica; com qualquer resposta li ara salisfeito.
O curioso.
Clab eommercial.
A partida do club caramercial uo corrente mez
ter lugar na noite do da 25, anniversario do ju-
ramento da constituir') do imperio.
Francisco Lucio de Castro
Secretario.
Ycueravcl conlVaria de Sarta Rita de
Cassia.
O abaixo assignado, em nome da mesa regedora,
convida a tidos os irmos desta contraria para no
ilomingo, 19 do corrente, pelas 2 horas da tarde,
reuniremse em nossa igreja, afim de enenrpora-
dos. acompanharmos a proeisao do Senhor Bom
Jess dos Afilelos que tem de sahir da igreja de
S. Jos de Riba-mar.
Consistorio da coafrara de Santa Rila de Cas&ia
15 de margo de 1865. O escrivao,
Joo da Malla Beltro.______
Precisase de urna ama de leile : na rua fe\r,
ga do Rosario n. 26, segundo andar.
INJECTION BRO
XAROPE
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Crmico,
Mmacihico ba aicon lopuiai nts.
Bata xaropt, regularisando as funccCes do estomago e intestino, destroe essas
indisposieoes proteiformes, c faz abonar as molestias de que sao induras precurso-
res. Mdicos e doenles lem reconbecido quo resubelece as indigestes, fazeud
desapparecer os peso de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, c Mimbras,
que sao resaltado de digestdes penosas. Seu gosto agradavel e a facililla*; com que
se suporta, o tem felo adoptar como especifico infallivel das doencas nervosa*,
gastritis, gastralgias, clicas de tstomago e de etHranhts, palpitacSes, dores de
corafo, vmitos nervosos; sua acgo sobre as fimeges assimiladoras lai, que os
mdicos mais Ilustres o tem adoplade por rescipicnte real dos dous primeros
agentes therapeuticos: o Iodurcto de Polassa c o Proto-Iodureto de ferr, tendo
observado que debaixo de sua influencia, prinuir perde saa aecao irritas?*, e o
segundo seu cffeito adstringcnle.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas de laranjas amargas com Io-
dursvo da potassa.
O ieurelo de aoiam, administrad* m
jolucia en dtbsixo da forma solida, eausa ao
dtate ama grande repngnaneis, eu determina
accidentes que e forero renunciar a esta
medieteto effieaz.
liaido porm ao Xtros de cascas de laran-
jas, elle nai etnsa era gastralgias, nem per-
turbcea do estomago e intestinos, gracas a
este salvaguarda, os tretamentos depurativos
sis cosaaados sem iattrrupeso, as affse-
5es etcrofulostu, tui/eradosas, cancerosas <
as ticundariat t terciarias, mesma rtumn-
tkitmaet, as quaes elle e mais seguro espe-
cifico. A dos* est definida de tal maneira.
que o medico pode vsrial-a sua ventade:
O frasco: 4 fr. 50 c.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjas amargas com
proto-iodureto de farro.
A asseeiacjio do sal ferro ao Xarope He cac-
eas de laranjas tasto mais racional quanto
que este xarope, embregado s, para estimu-
lar o apetite, acta a secrecio do tueco g-
strico, o per flm regularisa as fuscejes alxo-
minaes, neutraliza os mos effeitos dos ferru-
ginosos e dos leduretos (peta de eabece., pri-
sao de Testre, dores pigatlricaa) em quante
que facilita tas absorte**. DissoWid* ao
Xarope, elle te toma e te supporta fcilmente,
por achar-se no estado puro mais assimilare!
e assim pode continuar-se a cura da pallidei,
corrimentot brancos, anemia, affec(8et escro-
fulosas e rackitismo
0 frasca: 4 fr. SO c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE esto sempre em frascos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). Expedirles: em casa
J.-P. LAROZE, rus des Lions-Saint-Paul, 2, Paria.
Rua do Imperador n. 38, botica franceza.
33 t=J
a
H
n
V
II
s-l
ia
' B
8
i
V
g3

cu
et
c/s
o
I
e>
p>
i
es
a
s
s
51
a
n
z
3
X
H
X
a
3

z4
^
s ;
d na
Sf
m
o
el
S
c *
-* o
JJ9:J
i a
C/l
Cu
M
j E q =
tJ3 3 2
su,
Sw S-a" S-
a d
slifl-
-"? s = 5
l&E
1
% i

B-sja-g C-f
fSHKi
3
- \ = 5
Un
; B ti
sil
9 & 2
rs ~
- ^ <"- n = 3
5 5-=.
= = 2 x >


-~8 S 2 7 < 5
8Is5jraS
te* o-~? -
;S s

Ifis-a1
US les
3
ili
> % s > s S

= ^09 r
5 u "I
c 2 l
O -1 -!
Afftjs-H
re 3
O!
o
gJ5
m
o
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
toutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Offinal da Legio de Honra,
Rua des Fosss-Montmartra, 17, Pars.
Esle xarope composto mais de vinle annos pelo sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com sueeesso em todas as doencas que tiro sua
origcm de um crithismo nervoso, corao sao as:
Onlmbro- de entornos*,
Iadigealiea,
Cnuvulite*,
Aeeeaaaa hytrric*a o hypo-
condrlacaa,
Col Ira venloaaa ou i
Eniaqnrea,
Kevrail;ciiia,
Eapaanioa,
Altaqup* ale nrvea,
Vertlgena,
Syncapca,
Deposito geral, em Paris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro d,i Academia
imperial de Medicina de Pars, official da Legio de Honra, rua des Fosss-Monlmarlre, 17, e
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
aaa, heptica* naiulmta*.
Aeeeaaaa > sata a ato rat-u-
anatlatua,
Caaoa de rnvenralcmcnto.
te., te, etc.

XAROPE DEPURATIVO
\M GOUX
BROMO-SULPHO-IODRADO
Este nova produelo resultad) de urna trplice combinago de tres melalloides cujas propric-
dades sao mu conhecidas, o Bromo, o Euxofre e o Iodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos medico* mais nolaveis dos hospilaes de Paris, os senhores Cazenave,
Puche, Bazin, Blache, Guiboat, Barosehet, Danet, Legroux, Vasse e Aubry, etc., demonslrarao
sua poderosa efficacia as al'r'ecgoes seguientes:
Fraaahaeata,
Humorea friaa,
Daeneaa de pella,
Bartra e borbalha* da tada caparle,
Plaraa tnueoaaa,
Obatraceca Ijotpbatlcoa,
Papelraa,
Eaerefalaa,
Abeeaaa*, poilruu,
Caera*,
Ulcera*,
Tlnba,
acarbata,
Plan ou Bonboa (do Brail),
O Xarope de La Goux, de ama fcil digestlo e de gosto delicioso, se emprega Umbem
com muita vantagem aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mni
superior ueste em prego ao oleo de ligado de bacalho e aos xarpea depurativos a aati-escor-
bueos que se administravlo at agora.
Beposilo geral, em Pars, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina dt
Paris, official da LegiSo de Honra, e era todas as boticas da Franca e dos paizes estrangeiros.
Rachlilame,
Ophlhalwla eaerefaleaa e chroulea,
Tlalca cacrofuloaa,
Artceeea aypblllllcaa,
Elepbaatlaala do* Greyoa,
E todas at doencas occaaionadu por un vicia do
sangue, e ji tratadas sem neahum sueeesso pelu
preparaedes vegeta*!, iodadw o oleo dt ligado
de bacalho.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgAO NE&VOSA E OPPRESSO
nico remedio effieaz para combattir estas molestias, acalmar am attaque d'asma e impedir s
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Uascoberla inleiramente
recente, esle novo produelo se lem propagado cora extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na boca Chauveaud, 51, rua do Comercio, Paris-Grenelle, a ea todas as
boticas de Franca e docsirangeiro.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n, 22, em casa de Caros & Barbosa.
Jo* Francisco de Andrada Jnior vai a Eu-
ropa, e deixi por aau< procuradores em Io lucar
a seu serio o Sr. A. J. W. Ifaia, em Io o Sr. Jos
Dias da Silva Uuiraares, e 3a o Sr. Joaa Erangs^
lisia de S.
Aliiga-se um nriajeiro andar aa. rua.da Pa-
nha com fundos para a roa Diretla : a tratar n
segundo andar. __________
Precisa se de urna ama livre ou escrava quo.
I cotinlte o diario de urna rasa de familia : a tratar
Paeeisa se de um ra'ueiro que tenha pralica: na rua. da Gnu n. 8, terceiro andar, oa aa rua m
na loja de faieodas n. 2S da ru da Imperatriz, Senzala Velha n. fi,


Diario de rernambuco .- SeUa tetra 1 e Mareo de lltt
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De vnlia de sua viagem a Europa, aonde tomn conbecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparares empregadas com muilas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fisso, advertindo quetrouxe um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
chou galvanisado, our<>, platina, massas diversas muito aperfeigoadas para cbumbagem-
instrumentos novo, ferramenta moderna, cadeira de operarles, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso de servir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a con (langa.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manhS at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nao tiver de ir em casas particulares.
BANCO lIXAO
SEGUROS DE VIDA ExM MTALIDADE.
A direcco do BANCO UNIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a aulorisacjio
para estabelecer o seguro de vidas em mulualidade, faz publico que desde j toma subs-
cripces annuaes por urna so vez, debaixo das segumtes coudicoes:
Com perda de capital e lucros;
Dito de capital somenle;
Dito de lucros smente ;
devendo a primeira liquidado ter lugar no Io de Janeiro de 1869.
As vantagens do emprego de capitaes em mulualidade, sao Obvias, porque nao so- frei] f
menta se colhe o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-'SXmseSoS^^o^aldlIrnoRi
nhum resultado; mas alm d'isso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros,! fe no Recife na BmrtaM r t da na
ou ambas as cousas, conforme as cundicoes da subscripcao, dos que fallecem. Tambem ca da independencia e em blinda na casa
e partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga-! ::_ I2L nn:,-.n ini^vl,,^
minios, sao por este motivo obligados a pagar, bem como caducidades que occWem! JE C0D capd0 Anlon, Bernardo
pela falta de cumprimenio do comprnmisso social.
As liquidaces sao pelo systema das companhias hespanholas, tutelar e outras ; e
para se pjder fa/.er urna idea do que pode produ/ir urna entrada annua de 10)$000, pu-
GASA DA FORTIU
Aos 6:000,5000.
Bllhetes garantidos.
A' ra do Crespo h. 23 k casas do costumk. .
O abaixo assigoado vendeu nos seas mallo foti-
zesbilbetes garantidos da lotera que se acaben
de exirahir i beneficio da Sania Casa de Miseri-
cordia, os seguinies premios :
Dods quartos n. 3227 com a sorte de 10:0005000
Um quarto d. 1383 com a serte de3:0004000.
Um bilhete inleiro n. 2299 com a sorle de 800$.
E muras muilas so res de 200$, 100$, 40$ e
200000.
Os possaidores podera vir receber seos respec-
tivos premios sem os desconlos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da i* parte da 1* lotera
beneficio das obras da igreja de Nossa Senhora
do Amparo de Oiinda, que se extrahir no dia 18
do crreme.
PREgO.
Bilheles.....7$000
Meios......3$500
Quartos. '. 1$900
Para as pessoas que compraren de \ 00000
para cima.
Bilhetes.....64500
Meios......34250
Quartos.....1$700
_______________Manokl Martins Fiuza.
Precisase de uma ama para casa de pouca
familia : a tralar na travessa da roa das Crines
n. 12,jegundo andar.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Oiinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada e margem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavado
ecapim para sustenta-lo, arvoredos de inic-
ios, sem visinho defronte nem pelo fundo,
! com ptimos passeios, sala e gabinete na
Q conselheiro Francisco de Paula Bap-
tista continua em sua proos>5o de adv- ga-
blica-se a seguinte tabella baseada sobre a experiencia de muitos annos de companhias I" em ?eu escritorio na ruad sTrinchei
desta natureza. ras* pr'meiro andar da casa n. 19, aonde
25 annoi'poder >er procurado desde as 10 horas
Em 5 annos 10 annos lo annos 20 annot
Por um menino de 1 dia a 1 anno 110,5 4005 9005 2:0005
de 1 anno a 2 0*>,S 3005 7505 1:7005
c de 2 a 3 865 2905 7205 1:6005
de 3 a -i 865 2705 7105 1:5605
de 3 a lo i 86d 2705 7005 1:5505
Por uma pessoa de 15 a 20 865 2705 7005 1:5405
t de 20 < a 30 < 865 2705 7105 1:5605
c de 30 c a 40 < 865 2705 7205 1:6005
a de 40 t a 50 c 905 30*5 7505 1:8005
4:7005 do dia at'as 3 horas da tarde.
3:7005
Vende-se os compendios de herme- Machinas de costura,
neutica jurdica, e de theoria do prucesso
CLUB PEINIMBM
A reunio familiar do crreme mez, ter lugar
na noite do dia 24.________________________
.4 que ni mteressar
O ahaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer preteneo como : passaporles, porta-
rlas, appreheocdes de quaesquer objectos; pela
piesidenca portaras, passaportes, patentes de of-
flciaes da guarda nacional e outras quaesqner in-
cumbencias ;pelas repartieses flscaes desembara-i
50 de terrenos de marinha e de ustabelecimentosl
que por engao ou ignorancia de seus proprieta-'
res estejam sujeilos ao rigor dj Qsc; pela capi-
taniad-j porto matriculas de carpinteiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Podo ser proourado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Braga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, rua do Collegio n.o7 do Sr An-
tonio Domingues Ferreira, e em S. Jos ra Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Paranbos.
_________Joaquim Jos des Santos Barraca.
Aluga-se uma casa terrea na ra da Concor-
dia, tendo 2 salas, 2 quartos e quintal com cacim-
ba : a tratar oa ra Nova, loja de ferragens con-
fronte a botica franceza.
Aluga-se uma casa com bom sitio, na Ca-
puuga Velha.que foi do Sr. Sebastin Penna, com
bastantes commodos, tendo coeheira, estribara,
quartos para pretos, e muitas frucleiras : a tratar
na ra do Imperador n. 46.
Jnslmcco particular.
Urna pessoa com todos os ttulos de habitaco
propoe-se a aceitar em sua casa alguns meninos
menores de 12 annos por preco muito razoavel :
que.ii so quizerutilisar de se presumo pdese
dirigir ra da matriz ra Boa-Vista n. 26, pri-
meiro andar, que achara cem quem tralar.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da~rua de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Samuel Power Joliustnn & Compa nlia
Ra da en/u la Nova n. 4.
AGBNCIA DA
I iilidlv tu ile l.i.tt loor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de oi.ro patente inglcz.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Salitre
.>a roa do Queimado n. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimaraes, vende-se sali-
tre retinado por 25$ a barrica de 4 arrobas, ou a
6$4u0 a arroba so a dinbeiro.______________
Os SrsTacademicos que vao matricular-se
noterceiro anno da Faculdadede Direito, podem
drigir-se a ruada Saudade n. 9, fronteira a do
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil ateas 9 horas da inanha, e das 4 at
as 6 horas da tarde._______________________
Tinturara
Na ra Direita n. 116 cnnlinua-se a tingir para
qualquer cor, e o mais baralo possivel.________
Saca-se sobre Lisboa, Porto e liba de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escr]-
turio de Caminoe Ntjge ra.______
Mtencao*
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico e a todos os senhores ofciaes do exer-
cto e da marinba que contina a ter sua casa sor-
lida de fazendas e roupas fetas, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
Na praca da Independencia loja de ourves
n. 33, compram-se obras de ouro e praia e cedras
dreciosas, assim romo se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qoalquer concert.
Alugam-se dons grandes sobrado? rrn. crm
modos para numerosa familia, novo? e arriados-
com jardim.coeheira,estrib> na. e oolras cm n 0-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira : a
tratar na ra daSenzala Nova n. 4?.
A pessoa que annonciou no Diario de Per-
nambuco de 14 do crreme dar dinhelro a premio
sobre hypotheca, querendo dar cerca de 5:000$
com hypotheca em. predio rustico de muito mais
superior valor, annuncie aonde deve ser procura-
do para tratar-se de seminante negocio.
3:5005
3:4005 civil reunidos emum so li>ro, na loja de
3:3505 li?resdeN(.gueira, e na casa de residencia ,^?sta cidade competentemente autohsato pea
Alfonso Jos de Oliveira, professor jubilado
da cadeira de geographia e historia do ex-lyco livros de litteratura esclencia, e tildo quinto
|0 la< harel Jo* Baplisla (iiiiraua{
advoga nos termos do Bonito e Caruar. I
Pode ser procurado na villa do Bonito, *
ra Direita n. 16, defronte da cadeia.
ens-
As entradas Dor uma so vez dao resultados muito superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 55000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO UNIA'O, Jos da Silva
Machado.F. M. van der Nicpoort
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, ra da Cruz
numero 1.
s:3iooLdoaput(!r,10os ?iW06"pTd' >^-p^^tPCrESta e
o'nf\?i au,a BaPtlsta na ra do Hospicio n. 31, | geographia, contina com aula aberta destas mes.
3:/005 ou em seu escnptorio na ruadasTrinchei-
5:0005rasn.l9.
MMMmmmmmm mm^mm
) Dr.Caroline Francisco de LipiaSan-
tos,contina a residir na ra doImpe-|
rador n. 17,2* indar, onde pode ser pro-^
curado aqualquerhoradodiae da uuite
para o exercicio desuaprofissaode me
Em Sanl'Anna de dentro
aluga-se uma boa casa muito fresca, e por preco
muito commodo : a tratar com o solicitador Ma-
noel Luiz da Veiga na ra da Gloria n. 94.
pessoa que annuncioudar dinheiro a pre-
mio sobre hypotheca queira ter a bondade de
deixar o seu nomee lugar onde pode ser procura-
se lico; sendo queos chamados,depoisdejgj doem carta fechada com as iniciaes A. A. V., nes-
m
meio dia at 4 horas da tarde.devem ser
deixados por e,scripto. O referido Dr.^R
I nao abandonando nunca o estudo <^a?^|
0 molestias dointerior, prosepue. com oS
1 raaior afflnco, no das mais dfflcese deli-^
S cadas operaroes. como sejarrdos orgao?^
S ourinarios.dosolhos,parios,etc. Z
m*mmm mvwwwm wrm i
Cansaltorio medico-cirurgieo na raa larga do
Rosara 2. |
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua profissao
nao s na parle medica como tambera naeirur-
ca.
taiypographia.
Pagara
Pechincha
O abaixo assignado desejando retirarse de Pao
d'Alho em virtude dos grandes encommodos de
sua familia, se v na dura preciso de venders
suas casas situadas no melhor local, sendo uma
bonita casa de morada na ra do Livramento|
uma outra ao p, propria para hotel ou outro esta!
beleciniento, uma onlra coro a frente para a es
Irada nova, tendo ao p urna grande coeheira pa
ra 40cavallos pastando o rio na porta, tendocom-'
modos para carros e estando muito acreditada :
quera quizer comprar dirija-se ao mencionado lu-
gar para tratar.
Accorcio Jos de Medeiros.
Julio Cesar Pinto de Oliveira declara que os
Srs BAZ1LIO DA ROCH\ OLIVEIRA e Augusto
Jos de Azevedo deixaram ambos de ser seus ca
xeiros.
Na padaria de Domingos Antonio da Silva Bei-
ris, na ra da Iroperatriz n. 66, precisa-se de um
amassador que saina bem desempenhar o seu lu-
gar e que saiha corlar masas.
reiUr
Precsase denm fetur, no prraeiro sitio da ra
do Ho.^picio n. 34.
Aluga-se um pardo escravo muito fiel para
criado : na ra laiga do Rosario n. 20.
raucisco Augusto da Costa
ADV6GAD0
te
m
I
W Ra do Imperador numero 69.
m ** 1 mmmm mmmmw.
Auioni-Luiz de Oliveira Azeudo c
Agentes do bancu Unio do Porto.
CorapetMOtemente aulorisados sacam por todos
os pajuates sobre o mesmo banco para o Porto e
Lisboa e para as segumtes agencias :
i-.'mi lres sobre Bauk of Londou.
Parts Frdric S. Ballin & C.
Ilamburgo JooGabe & Filho.
Barcellona > Francisco Rohala & Ballesta.
Madrid > Jaime Merie.
Cidis Crdito Commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
V-z. Castello Branco. Gulmares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Bircellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhao. Lau ego.
u-ii. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. uoncSo
Braganca. Evora. oncao.
Faro Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aie- Pinhal. Regoa.
meis. Porio-alegre. Setubal.
Penna fiel. Thnmar. Vianna do Cas-
Tivira. Villa Nova de tello.
Villa doCinde. Poriimao. Villa Real.
Villa R*al de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faal. S.Miguel.
No imperio.
Baha. Mar nho.
Rio de Janeiro. Para.
Q lalqtier sorama a Drazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados na
m-'t'no Banco a razio de 4 por cento ao anno o
ratar na ruada Cruz n. 1.
UMMMM UM MM
gg Saque) loorea-ortu^al.
J aoaiio assiguado; autonsaao pele 5
mt sanco dercautii Portuei.se. e nausencia M
I lu Sr. Joaquim da Silva Castro,saca ef- M
,'cvamentepor todas o paquetessobrr S
.s jracas de Lisboa e Por.o, e mais luga- m
'ii lo reino, por qualquei soturna vi>-j
a,e a praso; podendo, o que temaren S
ijnesa praso.receberem, ista.no me-
I 11 Banco, descontando 4 0|0 ar-anno: na M
>ia le chapos da rna do Crtpon.6 ou
.a raa do Imperador n. 63, srgnndo'an- "
JJjitr.Jos Joaquim da Costa Via B
iiiiiiiiiimi
A. W. Remahl, sua senhora e sua filha. reti-
' ram-se para Enrona.
1 ^-^^^_^_
1 Antonio Pereira dos Santos, subdito porlu-
,guez, retira .se para Lisboa, levando em sua cora-
panhia sua criada Anna Rita Vieira, tambem por-
lugueza.
Muda oca.
Euzebio Raphael Rabelloiiudou o seu escripia-
rio da ra da Cadeia n. 55 para a ra do Trapiche
o. 44, segundo andar.
Preeisa-.-e de um bom jardmeiro, e paga-se
bem : na ra do Queimado n 31.
Precisa-sealugar uma escravapara cozlnhar
e fazer mais algum servico para rasa de familia ,
a tratar na ra da Imperatriz n. 4, primeiro andar,
Quem perdeu um bollo de ouro para pilono
com um lopasio queira procura-lo ra da Cruz
n. 57.
D. Mara Rosa da Silva Ayres, Luiz Jos
da Silva Guimaraes, Joo Pereira Reg e fi
Ihos, agradecem cordialmente a todas as
pessoas que se dignaram de assistir as exe-
quias celebradas na igreja da ordem terceira
do Csrmo pelo seu tinado mariilo, sogro e
pai JoSo Cardoso Ayres, e convida-os a nu-
vir a missa do stimo da que se celebrar
na capella do cemiterio publico segunda-
feira 20 do correte pelas 8 horas da ma-
ni.aa, protestando-lhes eterno reconhtei-
mento.
- Na ra da Florentina n. 36, prepara-se co-
mida para tora por commodo prego..
- Francisco das Chagas Cardoso por haver ou-
iro de igual nome, se asslgnar de hoje em diante
Franciico das Chagas Oliveira Cardoso.
Precisa-se de uma ama
Rosariojn. 35.
na ra larga do
Atiendo.
Perpunta-se aos senhores enlendedoros da le,
se o oficial de jnstica no principio da estrada dos
Afflirlos, juuto ao Manguiuho, por uma imimacao
tem estada, dizem uns que nao, outros que stm,
4000 ; e roga-se o esclarecimento a respeito.
Qalquer Rvm. Sr. sacerdote que queira ser
capello da irmandade de N. S. do Terco, enien-
da-se com o thesoureiro na roa Augusta 'n. 20.
Na ra da Cruz a. 64, segundo aodar. pre-
cisa s. de uma ama para coznhar e
para orna pessoa.
Precisa-se de um raixeiro de 14 a 18 annos
de dadi, que tenha pratlca de molhados : na ra
do Imperador n. 83,
Precisa-se de um criado estrangeiro, bom co
peiro, e que afiance a sua boa conducta : na ra
do Imperador n. 29.
RA JLAKttA IIO
Itosario a. 39.
O propietario do hotel Traviata, achando-se de
novo em seu estabeleciment, e tendo feito nelle
ramios melhoramentos, ronvida a seus mui distinc-
tos fn-gueze, que se dignem de honra lo com suas
preseDcas ; offereceodo-selhes para remetter co-
mida as suas casas com toda proraptido e asseio
pelo preco mai> commodo possivel: no mesmo es-
tabelecimento ha buhares, sorvetee refrescos.
"ATTENA07
O proprietario da offleina de encadernaco da
ra do Imperador n. 15, defrunte de S. Francisco,
acaba de entregar a direcco da dita offleina ao
Sr. Heraclio Constantino de Paula Monteiro, enea
dernador que foi da livraria Acadmica, onde pro-
vou habllidade e pericia na arte, tanto em enca-
dernaedes em bsame, corooem cooro,veludo,etc,
o qual se acha munido de todos os utencilios e
aprestos necessarios para bem servir aos fregue-
zes c por mais barato preco do que qualquer outra
pessoa. Na mesma offleina ha a venda : livrosem
branco para borrador e mesmo para reparticoes,
oe-
cessario para- as escolas primarias como : cartas
de A B C, taboadas, rathecismos, grammatcas de
Castro Nunes, pautas, procuracoes bastantes espe-
ciaes e geraes, despachos da alfandega, papel pin-
tado e marbrados de diversos tnjannos e precos,
papel almaco e pintado, etc._______
Precisa-se alugar uma preta para todooser-
vico de uma casa de familia : na ra do Trapiche
numero 4._____________________________
Claudio Dubeux, proprielano das unhas de
mnibus, faz sciente ao publico que no dia 15 des-
te corrente mez de marco tira do Cachang o ora
nibus que p- re daquella povoaco as 7 horas da
manha e as 5 1|2 na tarde do Recife ; assim co-
me tira tambem no mesmo dia o mnibus de Api-
pucos que parte daqueile tugar as 6 horas da ma-
nha, o do Recife as 6 da larde. _
Aluga se o segundo e terceiro andares do so-
brado n. 62 da ra da Guia com commodos cada
um delles para grande familia, os quars se acham
pintados de novo por acabar de ser dito sobrado
COMPBiS.
Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa^
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praca da Inde!
dendencian. 2.
Compra-se um escravo de idade que
sin a para trabalho de >itio : nesla ivpo-
graphia se dir quem quer.
Comprase eflectivamente ouro e prata em
ooras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de oorives.
Compra-se um escravo cozmheiro que seja
mogo, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da ra da Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve
Ibo : na fuodlgo da Aurora, em Santo Amaro.
Compra-se uma escrava moca que saiha co-
serj^cozinhar : na roa larga do Rosario n. 20.
Compra-se ou aluga-se um escravo que sirva
para todo o servico : a tratar na ra da Concor-
dia n. 64, padaria do gaz.
VENDAS.
concertado : e a tratar no primeiro andar com o
Alagase
mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se
gundo andar, e recebe alumnos internos e ex-
ternos._________________________________
Attenco
Desappareceu no dia 8 do corrente mez, am
mulatinho forro por nome Miguel, com idade de 8
para 9 annos, levoa vestido uma calca de riscado
j velha, uma camisa de brim brance, sem nada
na cabeca, foi de p no chao : rogase portento a
quem o encontrar 00 delle der noticias levar a
ra da Cruz do Recife n. 28, que ser recompen-
sado.
Pede-se providencia*
O morador da ra das Cruzes n. 5, pede ao Sr.
inspector da mt-sma ra para que providencie aos' proprietario bacharel Francisco Luiz Correia de
insultos que diariamente uos meoioos e inoleques: Andrade.
Ihe fazem a porta, a ver se sao a andados ou de I---------
sua livre vontade, pois estamos em urna ra pu-
blica desta cidade.
-----_--------r-------3--------,;------, omacasa acabada agora, com commodos para ra-
- Deseja-se saber onde.reside Antonio Jos railia )es,ribaria, coeheira, quartos para feitore
Gomes najural de Lisboa, 81 bode Jos Gomes, e escravos,com banho na porta, no lugar do Poco
**Jr***_a"&iy*!.!**>"*"My Py- da Panel a, ra do Rio: a tratar cora Tassoir-
namburoem 1815 recommendado aos srs. Mo- m5ns na ,, lm.rim oh
raeslogistas de errag^ns no Recife, depo.s cons- iraaos,na rua do Amor,m n' 35'
tou ter Ido para o mato empregando-se em com-1 abaixo assignad declara que no da 13 do
mercio e lavoura, ignora se o lugar e se vivo ou corrente, tendo desa|iparecido de seu paletot a
morto e se leve aqui herdeiros : roga-se qualquer iQuantia de 800^, do porto da eseadinha ate o
esclarecimento a respeito na rua do Caldeireiro Decco d Amorim, pede a qualquer pessoa que
n. 4. Ihe der noticia ou por ventura o tenha aenado
,---------3-----------------:-------:-----i-------- queira restituir ao mesmo abaixo assignado na
A SegUUda eSCl primaria da f'-egne- !rua do Queimado n. 17, que ser generosamente
zia de Samo Amonio cala cidade
continuar aberta a concurrencia publica do dia
16 do corrente em diante, na mesma casa da rua
da Palma n 23.
Por occasiao da fazer o presente annuncio o
abaixo assigoado, professor publico da referida es-
cela, faz ver aos Srs. pas de familia, e a quem
mais mteressar, que, como d'antes, continua a
leccionar tanto por casas particulares cmo na de
sua residencia nao s as materias de sua profis-
sao como o latim e o francez, para o que se acha
devidamente titulado
Joao Jos Rodrigues.
gratificado.
Joao Pereira de Mallos Oliveira.
A ma
Uma mulher branca de bons costumes se offere-
ce para ama, cozinha c compra : na rua da Penha
n. 1, primeiro andar.__________.^_____
Aluga-se urna pequea casa terrea com quin-
tal, cacimba, etc., preco de 12,5 : na rua do Gazo-
raetro confronte a fabrica.
Os administradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C. declaram que o paga-
mento do Io dividendo de 5 0/0 j annunciado por
,. __n" j. _, ------i K T, l wniHf ui, J Ul.iuruuu U rj t'/v la aiiuuut mu/ pui
7. 26 irseixs?.lAyst; -. n *** >^ 3> ^ -
/' h WSlS! a.C3Sa SaD" I'".e d^pois desse da depositario as quamias per-
f f-" 2? V qe"? en,"ano,o:encentesquelles senhores credores que nao se
^Ir.rr? a' rSSEf?. a '0ja e apresentarem no praso marcado.
Silva Guimaraes & C. rua do Cabug a quem per- r ,--------
tence. E ao mesmo lempo pede-te ao Sr. Sandres Deseja-se alugar uma ama forra ou captiva
Brothers o nao aceite visto ter-se desencaminhado Pra servico de casa, paga-sO bem, mais fora
------77-----------:-------------;------1-------------- da cidade : quem quizer dirha-se a rua das Aguas-
- O aba.vo assignado tendo do ret.rar-se paralYereS era asa d Dr. Raugel n 46
ALMANAK.
Acaba de Mihir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1#; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
Attrvtcao.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
uma duzia : em casa de Johnston Pater & C. rua
doVigario o. 3.
Qaeijos
o melhor que ha neste genero a 2 cada um e ce-
bolas a 15 o cenlo : no amigo e acreditado esta-
belecimento junio a esta typographia n. 42.
- Vndese uma casa terrea nos Afngados, roa
do Morocolomb n. 2 : a tratar na roa larga do
Rosario n. 18, taberna.
Aceoes do navo banco.
Manoel Ignacio de Oliveira & Fiiho venden) 100
aceoes.
Acedes da caixa filial!
Manoel Ignacio de Oliveira A Filho vendem 20
atoes.
Vende-se uma mobila de amarello e uma
cama franceza, e alguns objectos de cozinha e de
casa : na travessa do Queimado n. 7, segundo an-
dar, nuir'ura becco do Peixe Frilo.
Precisa-se de um criado que faca todo o ser-
vico de uma casa de hnmem solteiro, inclusive co-
znhar, prefere se escravo : na rua da Imperatrz
n. 26, primeiro andar.
engommarj _. Qoem qnitdr posanlr um bonito mulatinho
de 12 a 14 annos, minio bom para qualquer ser-
Europa, julga nada dever a pessoa alguma, mas
se alguem .-e julgar seu credor, dirija-se a rua do
Livramento n, 2, loja de Andrade & Maia, que ser
immediatamente pago.
_________Jos Francisco de Andrade Jnior.
Precisa-se de um caixeiro menor de 18 an-
nos para o mato : a tratar na rua do Livramento
numero 16.
Jos A vi-s da Silva Guimaraes e sua senho-
ra vao a Europa. _______^____^
Precisaee de uma pessoa com as habilita-
rles necessanas para ensillar a 4 meninos em um
engenho peno desta praca : quem se julgar hab
litado dirija se a rua da Cruz n. 18, primeiro
andar, que se dir as vantageBS que se faz.
Desappareceu no dia 10 do corrente, de casa vico de casa e mesmo de rua, dirjase a rua Nova i
, iU s Bl0S? Ignano ('ardoso' morad.* na; a. 38, loji, que ah o verao, e tratar da venda.
rua da Aurora n. 44, um menor por nome Jos ____________.__________________
AnloMO do Sacramento, idade de 10 anuos, cheio Es a fgida ha tres mezes a muala Bnnedi.'-
do corpo, cabellos corridos, para a idade um' ,ai idade 25 aonos, altura regular, secca do corpo,
pouco desenvolvido, branco moreno, aprenda o jcom fa'ta de denles na frente, cabellos caxiados,
offlcio de marcraciro com o seu tutor, levou ves- consta andar aqu mesmo na cidade, ribeirae Afo-
ndo cal^a de casemira, camisa de chita desbolada, Rados: quem a pegar leve-a a rua do Hospicio
chapeo de maasa, tem uma cicatriz de ferimento numera 46.
do lado direito da cabeca. Este menino sem moti-1 ------r----------1--------;-------:--------------------
ve algum abaodonou a casa de seu tutor o qual o' ~ A'uKarn-se ous andares de uma casa com
mandou procurar uma casa para habitacao da fa-! c?mmodos para grwide familia: quem pretender
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar o
engorr.mar para casa de pouca familia : a tratar
na rua do Crespo n. 18, primeiro andar.
milia : rogase, pois, a quem delle soubr, queira
dar nolicia na casa cima que sera recompensado
generosamente.
na
I recisa-se de uma ama para cozinhar
rua da Cadeia n. <2, primeiro andar.
Fugio no dia 14 do corrente da rua da Cruz
n. 8, terceiro andar, a escrava Benedicta, com os
Mgnaes seguintes : cor fula, lera falla de denles
na frente, levou vestido escuro de palminhas bran-
cas, chale encarnado, bem conhecida por ter si-
do e.>rrava do Sr. Salustiano Caotalista : rerom-
menda se as autoridades policiaes e capitaes de
dirija-se a rua do Crospo n. 8 B.
A abaixo assignada.casada com Jos Nunes de
Paula
ABVOGACIA.
O hachareis Jos Ladislao Pereira da Silva, Pe-
dro Affono de Mello e A. J. de Souza transferirn)
o seu escriptorio para a rua das Cruzes n 41. pri-!
meiro andar, defronte da typographia do Sr. Fi-:
gueiroa.
Precisa-se de uma ama que saiba bem cozi-
nhar e comprar : na rua Direita o. 112, primeiro
andar.
Antonio Fernandes de Azevedo vai a Europa '
S
Companhia Qdelldade de
seguro martimo e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES KM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, toraam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no sen escriptorio roa da
Crnz n.l.
m
m
faz publico que soffrendo infelizmente dito e deixa encarregado de seus negocios em primei- Mlttfl
FreWsa-se de duas pretas escravas
trafico de rua : quem tiver dirija-se a rua do Co-
tovello n. 25,
ro tugaros Srs. Antonio Martins de CarvalhoAze-
vedo, em segundo J.-aquim Domingues Fernandos,
e em terceiro Antonio Ferreira Al ves.
Sorveleiro.
Precisa-se de uma pessoa que saiba fazer muito
bem sorvete : a tratar roa Nova n. 11.
seu mando desarranjos em sua faruldade inlellec-
tual, foi assim jnlgado por sentenca o Illm. Sr. Dr.
juiz de orphos deste termo a 2 da crreme mez ;
e por isio nomeada a abaixo assignada curadora
administradora do dito seu marido e bensdoseu
casal em qoanto durar o referido oslado de alie-
naco. Dando disto sciencia ao publico, previne:
Io que com o mencionado seu curatelado nenhuma
| iransaccn facam : 2o convioa aos credores de soa
campo qoe a peguem e levem-na a casa cima ou JutJIFl ^ en,endam-s- com a abaixo assigna-
aroa daSenzala Velha n. 94, que sero giifl- fi qoe no nteres de iodos resolva-seo
cados. melhor acerca da liquidacao do passivo della ;
----- quando o nao facam a tal respeito pedir a mesma Timb, prtencente a Francisco Virissimo do"Reg
para o abaixo assignada as providencias legaes dez das Barros, porque o mesmo senhor ainda nao pagou
Z&S* d.?. rmhl'cacao deste. Oiinda 8 de margo de .ios abaixo assigoados ; e para ninguem se chamar
mmmmmnmwmmm
Procurador!*. i
Aotonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ce de Len, como solicitador, se encarre- 2
ga das causas crimes, civei^, commer- I
ciaes e ecclesiasticas. Elle ainda recebe
Saigumas casas de partido, mediante a '"
um ajusie razoavel. Pode ser procura- a
do au ala* das audiencias ou na rua a
Imperial sobrado n. 64.
Precisa-se de uma ama para cozinhar e en-
gommar em uma rasa de duas pessoas : na rua
da Penba n. 22, segundo andar.
Precisase alugar uma ama ou escrava-para
cozinhar para pouca familia : na rua da Impera-
trz n. 17.
1865. Kita Mara dos Aojos Paula.
A M A
Aviso
Na rua do Crespo n. 14, primeiro andar, preci-
sa-se de uma ama que saiba coznhar e que faca
o servico de ca-a e rua.
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Hachado
se encarregaante o foro desta cidade de tudo qoe
fortendenteasuaprofissao.aceia departido an-
nualas pendencias judiciaes de qualquer casa
coramercialmediante razoavel ajuste Continua
a seencarregar de cobranzas nos termos do Cabo
elpojuca aondecontinna a trabalhar como d'an-
tes.e encarrega-se dedefezasperante o jury nos
Os aba.xos assignados declaram que pessoa al- termosnroximosa via frrea.offerecendo gratoi-
faca negocio cora as partes do engenho tamentP,Pn ,ervicos aos desvalidos, pode ser
proru-aitetodososdias ntPsdas9horas da ma-
nha as3da'ardpna rnaestreila do Hosario p.
34, eforalessashorasna rua Imperialn.36,ca-
se de saa reidencia.
AWU\
a ignorancia previnem em lempo.
Antonio da Rocha Accioli Lins.
Joaquim Luiz Vires.
*
- Aluga se uma casa nova muito fresca, caiada ; 7" ** **< ^"J Cezari<>
e pintada, e de varios commodos, naCapunga, rua de Ze*idO JUIZ mnniCIpJil defiaran-
meSrr30UaS "' meSm l^" \ 1 *W|Mf |MM 8 l-
Uma pessoa bstame habilitada propoe->e a ~~ Pr'cisa-se por aluguel de tima preta escrava WpOiWMli ns O e N, OU *DDUDCar
lecciooar preparatorios em algum engenho do in- qe nao beDa agurdente, ou forra de boa conduc- sua mel'Ofl para SCr Drornrado
ynem levou por engao um chapeo de sol de 12 terior desia provincia : quem so qaizer milisar ,a' Para faier 'ldo servico de uma casa de fami--------------------------------------.
asteas e deixon um com 16, queira fazer o favor dirjase a livraria ns. 6 e 8 da praca da lodepen- lia : quem asim o qiifira, dirija-so a rua de S. Avlsa-se aos pretendemos que vao ser arre-
de vir desmanchar o troca na rua das Larangeiras dencia, que se dir com quem tratar. Francisco, como quem vai para a rua Bella, sobra- matadas P^o niz do enmmerrio da villa do Cubo
numero 16.
Alunase n primeiro andar do sobrado da
Est para alugar-sr uma casa terrea na rua
da Gloria n. 14, am Io e 2* andar de um sobrado
Phosphoros.
rua in-ia n. 88, com bons co^modes para fami- oa rua do Rosario da Boa-Vista,quasi no pateo da Na loja do rival sem segando, roa do Queimado
na a iratar na padaria n. 84. _______ Santa Cruz, e uma mei agua na estrada de Joao ns. 49 <
do n. 10, para tralar do ajuste.
oito moradas de casas na mesma villa, seis de li-
jlo, estando doas em caixao, uma de taipa, e a
ultima de lijlo e taipa, t das em boas localidades,
e por barato preco : os pretndeme podem ir
e 55, chegou orna p. chincha ; duzia de examinar antes que ehegue o da da arremaiacao,
-Na ruada Aurora n fifi Orimeiro e Barros, rom arvoredos. agua de beber.e portao phosphoros de seguranca a 120 rs, caixas de pan- podendo all se enlenderm com o Sr. Joo Jos
quem pretender falle as Ingleza muito fina a 500 rs.; estes dous ar- Pinto de Oliveira, e nesta praca com Joaqnim
n. 9, das 9 hora da ligos rio pechinchas por serem do qnalidades su- Francisco dos Santos, na rua de Queimado em sua
'eeriores, 1 loja.
^*Eute"^f^,SCLr
goroma e cosinha. soiTrivelmente.
sobrado
I manbaa at ao meio da.
Vende-se um silio com casa de morada, ter-
reno proprio, j com alguns arvoredos e boa ca-
cimba para agua, na povoaco do Cachang, sitio
aonde tem a padaria : a tratar na rua da Impera-
triz, taberna n. 42._________
Vende->e uma exeellenie negra Mossambi-
que, de idade, pouco mais ou menos, 32 aunos,
muito sadia e fiel, cozinha e lava muito bem, as-
sim como faz com perfeicao todo o arranjo de uma
casa de familia, e excellente quitandeira que pa-
ga 800 rs. por dia : a tratar na rua do Principe
n. 32.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S.Joao da Luz, na rua do Livramento n. 21.
Borzoguins de lastre (Nantes) 6000.
Dilos de hezerro de tres solas (Nantes) 65000.
Ditos de bezerro de duas solas 64000.
Sapatosde tpele 640 rs._____________
Colares Koyer
ou colares anodines elctricos contra as convuhe
das enancas.
O bom e proveitoso resultado que as mancas
obiem na dentigSo. trazendo desses colares, j
bem conhecido, e por isso se tornam hoje indis-
pensaveis porque assim leem os pais ini-ontesta-
velniente prevenido o mal: esses colares vendem-
se tambem na rua do Queimado, loja d'aguia bran-
ca n. 8.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continuase a vender em porco e a relalho :
na rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Bonitas trancas, franjas
e galoes pretos para vestidos,
A aguia branca recebu novamente um bello
sortimento de enfeites pretos para vestidos, sendo
bonitas trancas, franjas, galoes e bicos pretos, etc.,
assim como boles enfeilados de vidrlhos, e ou-
tros muitos enf- ites de differenles cotes, conti-
nuando a aguia branca na rua do Queimado in. 8
a vender tudo isso por precos commodos.
Bonitas caixinhas
com msica e sem tila pira costara, e outras
ignalmrntc liadas com perfumaras finas.
A aguia branca na rua do Queimado n. 8 acaba
de receber um bom sortimento de caixinhas para
costura, e outras com perfumaras Anas, e conti-
na a vende-las baratamente.
Venoem se 23 saceos de feijao mulatinho
rajado e 70 ditos de muito bom milho por barato-
preco, 1 barrica com cerca de 4 arrobas de sebo
derretido, e 400 est-iras do Aracaty : no armazem
o. 19. rua de Santa Mita, ribeira do peixe.
Vende-se uma taberna na rua Direita dos
Afogados, com poucos fundos, e propria para qual-
quer principiante, ou vende-se somenle a armaco
e pnrtencjs da mesma, como melhor convier ao
comprador : a tratar na mesma roa, padaria n.
66. No mesmo lugar vendem-se por prego com-
modo duas carrocas, sendo urna propria para car-
regar agua e outra para conducao de gneros.
Vende-se um sobrado de am andar na Boa-
Vista, chaos proprios, na travessa do Veras n. 13 :
na rua da Alegra, casa n. 3, se dir quem vende.
Vende-se um bonito eavallo gordo, alasao,'
dos quatro ps calcados, frente abena, andador do
baixo at meio, novo e sem achaques, elegante
para nm cabriold : na rua do Coto vello o. 2.
FARLO
em saceos de mais de 100 libras : nos armazn
de Tto Irmao.
-
Yeudf>e o e.-ubeiecimeoto da roa da Im
oeratriz n. 51: quem pretender dirjase a roa
Imperial n. 61, defrnte do viveiro.
ava'indo.
Francez barrica 5X010
l'ortland dem 84500
Em perfeito estado:
Francez barrica 104000
Porltand dem 124000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.


*


\


PRODUCTOS AIMIIItAVIIS
Diarlo de Peruana buco se*a felra 19 Je Mareo de t.
a
DO
, ENSIGNE (HIMNO
n. Iehl
LDJi
DO
DO
RIO DE JANEIRO.
Um
Duzia.
o;mo
lf)500
31000
2000
500
lusilbador iehl.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro era sabor e da mais
simples appbcaco para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente eflicaz. O chumbador Iohl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
Cimento chlnez
para concertar com a maior perfeico louca, porcellana, crystaes,
vidros, marmore e qualquer objecto precioso .......
Cimento de guita perelaa
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha uma.guia..........., 2t)000
Cosmtico indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pede. Ac uina guia. .
Elexlr odontalglco vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
3ue c tambera proprio para a conservaran dos mesmos, o en-
urecimenlo das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia. .................
Enerivore
para tirar a tinta do papel e limpar as peonas fie ac. ....
llelstelm
pedra austraca para curar os tumores, inchaces e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim. cangalha e oulros arreios
dos burros e cavados; adoptado as estribadas imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Alanca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada. e que nao
exista mais inchacao. Acompanha urna guia.......
Limas chiiulcas
extraccJo dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. O par........... 34000
Massa dentarla Samakol
esta mas a, pouc* temp depois de sua iutrodnccSj na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
aenhuma das substancias alimenticias ou dentiticias. Acompa-
nha urna guia................
Massa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de loj.i, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novas. Ac. urna guia .
Papel chelroso
nflammavel, queimando sem bulha, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensacoes agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondesicus
conra piolhos e lendeas; afiancada sem mercurio .....
pos de prata
para pratear instantneamente o. cobre, o lato, o bronze, etc., e
rep casticaes, apparelhos de cha e oulros objectos semelhanies, af-
fiancados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidr.is de 2 oitavas. .
/ dem le uina onca. .
POs para limpar a prata lavrada
sao afflancados infalliveis. Acompanha uina guia, vidro ....
Pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. urna guia:
Carteira. .
dem .
Sabo oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinno, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia...........
Tinta Azul Indelevel para marcar a ronpa
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de uina
hora no sol, torna-se preta e nunca ma s sabe di) panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Afianca-se que nao ha raelhor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
finta *>nca nada iiulelevel superfina
para marcar a roupa, em vidros de raeia onca.......
(Jiicuet- I-lil
remedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e autigas, ulserosas e saniosas, fistolas, frieiras, heinor-
rodas, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, qneiinaduras,
reumatismos, supuraces putredas, caberas de preo, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
dem. .
nico deposito em Pernambco era grosso
EM CASA DE IKIANfEL & C.
8 RA. DO CABUG.4 8
BALAO
Na esquina da Madre Deas,
Vende-se algbdo da Baha o melbor que ha ne
mercado.__________________________
Orise commercial de 10 de
seterabro de 1864.
Acaba de publicar-sc nm Inleresssnte escripto
sobre a crise commercial do Rio de Janeiro O Dr.
; Ferreira Soares, aulur de diversas obras sobre
' sclencias positivas applicadas ao Brasil, acaba de
j dar-nos com esta publcacao mais urna exuberante
,AtnAA proa da sua dedicagopelo progrrsso do paiz.
OflUOO Tratase no uhimo escripto do Dr. Ferreira Soares
de demonstrar cem os factos verdadeiros a orncrn
da crise commercial de 10 de setembro de 1864, e
125000 Pr ta' ^orma eonsegue o autor os flns que teve
ipuw e(J) vislaqUe aD(ja era resnm,j0 esbogo, cmo elle
; o diz, j se conhece a origem verdadelra dessa
' catastrophe. Chamamos, pois, a attencao dos es-
18f>O00 tudlosos para a leitura do esbogo da crise commer-
cial do Rio de Janeiro, que se acha venda na li-
vraria econmica, ra do Crespo n. 2 defronte do
' arco de Santo Antonio.
atoe,-------------^j-------------
LOJA
DO
DE
BALAO
AZEVEDO & FLORES.
barricascom gesso
I mos.
uosarmazens de Tasso Ir-
I8000
Va cea
Na Piranga, defronte ao sitio do Sr. Millet, ven-
' de-se urna gacca muito boa leiteira com cria.
|r)>000; Vendes um moleque de-9 a 10 annosde
J Idade, bem preto e maito bonita figura : na roa
; de An-iH" n. 19. primero andar.
14000 90000
GRAGEAS
GLS ECONT
Roa da Cadeia do Reeife n. 17, esquina-que volta part a Madre e Dos.
Atten$o.
Madapoles franeezes (pega) 133, 145 e 155.
Chitas para coberta a 320 rs. o covado.
Lias lisas am completo e variado sortimento.
Lengos branco* muito finos a 25!-O a duzia.
Ditos de esguio.
Um completo sortimento de chitas largas de 300 a 500 rs. o covado.
Cambraias lisas brancas maito finas a 55 a pega.
Aberturas de linho pregas -largas.
Ditas de aigodao muito finas.
Bramante de urna largura.
Algod da Baha para sacco.
O B1LI VENDE .
mm?&.
Paletots de casemira pretos e de cores saceos a 95, 105, !l e 12*.
Ditos de alpaca brauca e preta a 45,15500 e 55.
Calcas de casemira preta de 85 a 155-
Ditas de casemira de cor a 55,^5 e 105-
Caigas de brim branco a 35, 45 e 55-
Colleles de dito dito de 25 a 35500.
Ditos do casemira pretos e de cures a 45, 'i-ioOO e 6'5.
Caigas de princeza para luto a 45 '>&
Ceroulas francezas a 15600.
Ditas de iinho com duas costuras superiores.
Cambas francezas de diversas qualidades de 25 a 33.
Ditas verdadeiras Inglezas.
Colariohos de linho muito finos.
Ditos de papel a 40 rs. cada um.
Cortes de casemira de cores por oree )s commodos.
Ditos de casemira preta fina de 75 e 55-
Mcias cruas inglezas o nHhor que ha a duzia 85-
Baldes de 20, 25 e 30 arcos a 35 e 35500.
Camisas de Amella de cores d- 3550,. a 75-
Os donos deste estabelecimento eacarregatn-se de mandar 1.1. ;r qualquer obra de brim c ca-
I semira etc., para homens e meninos por pregos que admira ; aproveium que o Balo est disposto a
i qneimar, s quer dinheiro I I
3$000 24,5000
lOOO 9I000
500
10000
10500
20000 200000
10500
30Ot 0
500
500
10000
120000
280000
10000
40OOO
70000
500 40000
10000
500
70000
40000
20000 184000
40000
2*000
e a retalho
Irritatfio dospulmoes. angi-
nas, tosse, escurres de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidlo
t todas as innumeravei molestias que affec-
jo aos orgSos da resairacio
DESIPPARECEH
mediante a aeco da balsa ui.-a e irresislivel
ANACAHUITA
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
JESCfttOFUJLA
' PEITORAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nomc es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvre, cuj madeira por muito tempo se
ha usado no Tampico para a cara das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bera ensaiada e approvaila pela academia
medica de Berlim 0 peitoral de Kemp
um larope delicioso inteiramente livrede
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo 4 C. e em todos os estabeleci-
m-mtos pharraaceuticos do imperio.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
Vende-se urna escrava crioola com 25 annos
49 idade. cozinha, engamma e dlsposu para tode o
servico: pare ver e tratar na roa Bell o. 6.
e todas as Molestias
provenientes del la
2RVIP$(D!23
todas as molestias da
pipilo
eherysipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
nascidas, empingens,
REUMATISMO
SYPHILIS
em todas as suas formas, assim como todo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
Ulceracao do ligado
e em summa todos os males que tem sua
erigeui na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACO DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direita ns. 12 e 7S e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaeia f ranceza de
P.WAURER & C.
RA NOVA N. 18.
Feijao e mil to chegado
agora.
Saces com feijn mulatinha novo a i!5. dit
com milh) novo a 4300 : na rna dos Quarteis n
t junto a lnja de fnnileirn.
Vende-se Hma easa terrea hem conxtrnida.
nos Afolados, rna do Mutncolamh n. 2 : a tratar
na ra dos Quarteis, taberna 18. ^^____
Vende-se ama vacea boa leiteira com ama
cria rhegada ha ponco de Goianna : a tratar na
roa Appreadn pala Ao>aua aa madioina da Parla.
Remita pelos doui relatnos, adoptados pela dita
Academia em 1S40 e em 1858, que as GRAGEAS de
Cixis e cont sao e melbor e mais efflcaz remedio
' ferruginoso para curara chlorosis (alias fluor-albo), os
34^000 luios brancas, a fraqueza de eonpleixie nos dous
i Mos, e lambem para ajudar a menstruacto das mocas.
Eatas Grageas aso sao rendidas sent em camuas
b vidros cobertos com rotulo e fechados com ama tira
layando a firma de depositario peral : labelovve,
fkarmaceutieo, ru< Bourbon-Villtnruve, 19. Parit.
Deposito vjeral em Pernambuce ra da
Cruz D.22 em casa de Caros & Barboza
Vendem-se seis terrenos para edificar, chaos
proprios, todos com frentes para osul; quatro Jel-
fes com :) palmos de frente, dous com 40, e todos
com ISO de fundo ; a localidade a melhor possi-
vel, entre a ponte do Chora-menino e a da Magda-
lena, no mesmo ponto em que a companhia de ne-
beribe acaba de collocar um chafariz, agua de be-
ber ao-p, to perto da cidade, para onde e d'ondo
4>000 se pode fazer o trajecto a p, a beira de nma es-
7(5000 ,ra^a frequentadissima, dous portos, o do rio e o
lOOOO rfa ramDoa-Pafa embarque e desembarque, e para
banhos, enja necessidade to reclamada em nos-
so clima quente, e cidade edilicada com tantas des-
conveniencias hygienica.%, sao commodidades mui
Tantajosas e apreciaveis. Um dos ditos terrenos,
o da esquina ao nascente, tem duas frentes livres
e urna grande mangueira da mais bella e attrativa
sombra, e de fructos, cuja excellencia nao cede ao
de nenhuma outra mangueira da provincia ; dos
outros terrenos, um tem boa cacimba e os outros
algumas arvores fructferas, cajueiro, romeiras e
sapotUeiros que do ptimos sapotis : na ra do
Imperador n. 14.
Potassa da Rusala.
Acaba de ehegar a mais nova e verdadeira po-
tassa da Hussia, e vende-se apreco commdo: uo
escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira 6 Filbo,
largo do Corpo Santo n. 19.
fura lhli5
Acham-se venda na livraria ns, 0 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLHINIIA DE PORTA, abrangendo e
Calendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do comtnercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINIIA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais nma nova
Salve Ilainha em versos, o Stabat Mater
em verso, devoco ao agonisante, corac3o
de Jess, cntico em louvor doSantissi-
mo Rosario, cntico a Virgen) Maria Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero dema-
ximas e pensamentos, urna historiacomo
muitas (romance), e vintecinco novase
pilhericas charadas a 320 rs.
Livrar ia e enrailern^io acadmica de
Joo W ne lrdcinis, (ei caixeiro
da livraria econmica) ra do Ini-
peradir n. 79
O proprietano deste estahelocimento participa
ao Ilustrado corpo acadmico, que se acha esta-
belecido na muito condecida livraria acadmica,
com um grande sortimento de obras de direito e
de literatura, onde enrontrar-se-ha as principaes
obras, astini como todos os compendios da Parol-
dade de Direite e dos preparatorios. Tambem
prepara em sua offlcina quaesquer encadernacSes
om apurado go preco possivel, bem como relacSes de Economa
Poltica pelo Sr, conselheiro Auiran por 3$ t vo-
lume encadernado ; licoes Acadmicas sobre arti-
gos do Cdigo Criminal por Jannano Bezerra
Montenegro 1 volume encadernado Si, Waldock,
Direito Romano, obra completa, 1 vulume enca-
dernado em couro 55, e oulras muitas obras que
com a vista se verificar.
Sais i parrilha de
Bruto l.
Pllnlas de Kemp.
Vende-se na pharmaeia de Pinto, ra larga do
Rosario n. <0.
COMPENDIO DOLOROSO
que conlm o oflcioMe Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmanlade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na enreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S.M. I., que Deusguarde;
dado luz por dcvoc5o do muito reve-
rendo padre Fr Placido de Missina.
Vende-se a 3i0 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Vende-se a taberna n. 12 no largo da Penha:
a tratar na mesma, -__________
Vende-so urna varea crioula, parida de pou-
co, mnito boa de leile : para ver e tratar, na ta-
bf rna defronte da capella de S. Jos do Man-
gninho.
FeljSo.
Vende-se urna poreao de feijo molatinho multo
novo a 15 a r.uia, dito pretn a 880 rs., dito rajado
do Porto a 320 rs. : na ra Direita n. 8.
Farinha de imlho.
Vendem-se barricas de farluha de ilbo ameri-
cana de 6 arrobas: na roa do Rangel n. 3.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores m urs pretos e largos 0400, 2$600, 30, 30300, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorgueo de seda preto, a melbor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta bes tanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, 4 i, 40500 e 50. t
Pannos pretos de soperi r qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes t retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos
E muitas outras fazendas de superior qualidade na 1 ja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Morei a Lopes.
Presos que admira. HinilXlS! IIFPiTFi\T
los de trauca superiores nel barate oreco ilIrmUIl* .IrmAl l"lil rl I lili
300000
170000
| Sapalos de trauca superiores pelo barato preco
de l o par, e duzia 105 : no vigilante, ra do
. Crespo n. 7
Bco adamascado de todas as lareuras, peca i
| com 10 varas, cada pega a 400, 480, 500 e 600
I rs. : no vigilante, rna do Crespo n. 7.
Clcheles em carto de urna e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
-cariSo, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a 15200, 15600.
25,35,45 e 55.
Balaios propriamente para costara e para frae-
tas.epara menina trazerno braco a 15500,15600.
15800, 25 e 25500.
Perfumara, macaca nerola a 25, 25200, 33 e
45 a duzia, oleo de maozinha a 55 e 65 a duzia,
banha a 33, 43 e 53 a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis precos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
. ceza, pois affanca-se a pouca a varia e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Milho novo era saceos grandes: no trapiche
de Cunta, a tratar com Tasso Irmos.
de trabalhar nao para
descaroear aigodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C#
ftlAfl
Estas machinas
podem descaroear
iQualqner especi*
de aigodao sem
estragar o u,
sendo bastante
CIMENTO
Francez barrica 5$"00
Portland barrica 8$5'i0.
No trapiche barao do Livramente aoces
'd'Apollo._______
Viaho collare.
Acaba de ehegar d Lisbea a superior e verda-
deiro viaho de Collares em caixas : esta excellen-
te qualidade de rindo torna-se recommendavel por
nao conter espirito e ter agradavel paladar, supe-
rior ao melhor Borbeaux ; sendo aquella partcula-
ridade apreclavel e til na presente estacao calmo-
sa, era queos vinhos aguardentados se tornam pre-
judiciaes: vende-se no depo.-ito, ra da Caleia,
e.scrintoriud-) Leal Bels.________
Legumes noves a 6,40o rs. a arroba'
Na padaria atraz da fuodicao do Sr. Starr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e sevadinha pelo prego em sortimen-
to de 65400 rs, e conformo fr a poreao faz-se al-
gum abatimento.
r a r. n o i -.i o O fit q
M ^ ai
2 *
03
35 25* s | g- 2
C O O -J rr---". o,
- O. Q. S Z-.O
3 M Q>3 3-;
a.co O -y S. S
3 ??
EJ
d)
CS 09
2 a* n o
Si
o> l
CLCD M

m S .
1 O B" 3
~ --3
rs B o J Q.X.Q. n B ? s
offl s n.^ y -
S O 5Q o O H a
SJ v^
O o:
c 5
l= i
S a en a,
S 2.2? "
V 09 O
s
1
s
o
2-
m
s
09
a
Qu a> "^
u "TT"
SffSs
E 3 a
g 09 09
09
-i
t
o
s
09_ 09
o-'
3
0 VI6IL4ME
Rna do Crespo o.
Ogailo vigilante tendo sido agraciado pelo rom-
poso Uallisa, na sua ordem do ia, e pela Branea
Aguia, apesar de que, para esto o Gaih ri m .-.ens
agudosesporesnuncaos offender*;antes oapra-
ciaranamesiMa conformidade, para qne e Baln,
possamarchar em frente, a Branca .Apiiia pofsa
levantar ninho;e o Gallo licar em seu espacon eano .
dando le novo o seo canto annoociande a sene
bonsfreguezes e aorespeilavel publiro
0 grande sortimento de objectos denmiUfi'(ei
acaba de receber.
Ricas aixinhas com msica ricamente eefeita-
das para costura, proprio para um delicado ae-
ui no.
lli|uissimos eofresiahos com cadeadosde metal
para uardar joias.
Ricasuitasom estejo, contendo todos os per-
teneos para homem.
Iti luissiinas voltas lingindo perola.
Ditas com lacinho de lila.
Oitas delndas cores e preta, de todas as eros-
saras. v
LindosaJerecos com pedrinhos Qngicdo Ln-
Ihantes.
Ricaslivellas para cinto, de todas as qoalit'ides
e bon gesto.
Ricos cintos de ultimo gosto de Paris.
Grandesortimento de lindos enlejes rara ^te-
ca, sendo do ultimo gosto e de todos os rreres.
Flores muito finas para novas.
Luvasenfeitadas e meias de seda para im?s.
rouquinhas sapatinhos e meias de seda rara
baptisado.
Riquissmas litas de todas as qualidades rara la-
go, cintos ecinteiros.
Canisohag c golinhas para senhora.
Riquissimosjarros e figuras para ornan ecto de
sala.
Grande sortmentode gravatinhaslanlo para se-
nhora como para homem.
Luvasdepelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancnhas.galao e maravilfas para PEftites.
Transelins de cabellos e de rptio? i ara rdcttf j.
Papelamisadee de outras qnalidadf.
Bolsas para viagem.
Entremeiose bahadinhos delindos padres
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhora?, Kiiirc> ir f ti-
nas.
Fitas de veludo lisas e com ira irire deifdrsaj
larguras.
Thesonras e caivetes de todas as qnlidd.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para clTcrrcin ti tcs.ftj
Caixinhascom seis frasquinbos.
Essencias de todas as qualidade.
Aguaverd-deira Florida.
Agna da Colonia, em garrafas grandes, e em
; irascos quadrados egarrafinbas.
Pomadalna de todas as qualidades.
Superior banha em frasese coros de tcde8e
tamanhos.
Sahaoinglez em paos grandes e rpqrerfs.
Escovasde cabo de madreperola, n arfim e de
.osso. para dentes.
Pentes para desembaracar, com friso de treta!
eem elle.
i Ditos de tartaruga e de mnilas onlras ccalida-
! des.
Pentes de tartaruga para Minora
Ligas de seda e de aigodao, assim renr niiitts
( utros objectos de gosto queseia in UFfn p fc-
oinar.que a vista far f, s no Gallo Viniste
[cue do Crespo n. 7. '
V'oltinbas. .
Lindas voltinhas de perolas falsas rojrrotinnas
hngindobrilhantes, assim como erni*Jiat ;vi,l5ss
descaroear urna
arroba 'de algo
do em earoc:
em 40 minuto's
ou 18 arroba
por dia ou o ar-
robas de digoa
limpo.
Vende-se a casa de mnlhad-is na rna da Impera
tu. n or sea dono ter de retirarte para >
Europa a tratar do sua sande, tem commodos par:
ramiHa.e faz-e todo o negocio : tr*t+r n m*. t
Vende-se a casa de pasto o ra uo uSe
rador n. : a tratar aa mesma,
Assim como machinas para serem movidas Bu
animaes, quo descarogaan 18 arrobas dealgod-
limpo, oor dia; e motores para mover urna, dua-
eutrss dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um hellissimo va
por que pode fazer mover seis destas machina."
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultor-* virem ver e examnalo, no arma-
zem Je aigodao, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brothers *<,.
X. II, praca do Corpo Santo
HE.irt,.
Os nicos agentes ueste paiz.
0 GASTELLO DE GRSVILLE
Traduzido do francez per A. J. G. da r.rnz.
Vende-se este bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 24500 :
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8._________________________
No armazem de fazendas ba
ratas de Santos & Colho
Rna Vende-se o segninte:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo preco de 25400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 33500.
Goberta de chita da India
palo baratissimo preco de 25500.
Lencos decambraia brancos
proprios para algibeira, a 25 a duzia.
Pecas de brotan ha de rolo cora 10 varas
propria para saia, a 35800.
tVtfui j.- camhraia
para forro com 8 l|2 varas a 256:0.
Guardanapos
de linho finos duzia 35500.
Aigodao eufestado
com 7 1(1 palmos de largura vara 15300.
Cortes lie la
com 15 covados a 65.
Camhraia adamascada
cora 20 varas pror. : n-"-* tinado peca 11$.
Fil de linho
liso fino vara 800 rs.
Aloalhado adamascado de aigodao
com 8 palmos de largura vara 25200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Lazinhas carmezim miudlnhas
prspria para vestidn de menina, covado 600 rs.
Lazinhas
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
largura, por menos preco do que em outra anal,
quflr parte.
Neste armazem de fazendas se encontrar um
grand sortimento de ronpa feita e por medida.
Cemento remana
e de Portland : no arraatorn de Tasso Irisaos.
ESB2Tj |J2 P"o barato preco de 7--,>V^7;
cruzes avuls asa 100 rs. s no Vigilante ra do
Crespn. 7.
Leqnes.
Rlquissmosleques de madreperola t3itf r?ra
senhoras como para meninas, pelo barsto irrco
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
Fitas de lia.
Fitas de laa de todas as qualidades, propia r,a.
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos esprlbfls.
Riqnissimos espelhos rrm moldura iftTffol
sera ella de 85, 105, 125 e 143, ss ruto nm
cnlumnas de differentes tamanhos a 25, 33,45 Bal
e 63 ; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7. '
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana Pea
para enfeite de sala, sendo o melhor posto (.re?rn
tem ajiparecido; s no Vigilante, ra do Cj^m
n. 7. '*
Para ios de arroz.
Riquissimosvasos comboneclapara psde&rrcz
consa de multo gosto a 15800 e 23, assim cen-.o
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banbas. |< ma-
das, assim como de lindo? copos 011 vasos erm rMs-
tinctivos e oflerecimentos as sinhasinhas *s me-
Ihores e. rasis afamados autores de Pars eirglf tr-
ra, assim como os grandes copos de bar-ha jai(neza
a 25 e a 15, assim como outros olijerios r,re rao o
possivel por boje annunciar, e vista dos firpce-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo fkibata
rna do Crespo n. 7. '
,Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natural
dos cabellos.
A agua lorida nao urna tintara, frto psshj-
cial acontesur, a mesma agua dando a por Krimi*
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
desobslanciasinorTensivas, ella tem a proprieddo
derestituiraos cabellos o principio corante qce el-
le* tem perdido. D'uma salubridade inrcnte'.ta.
vel, a Agua Florida eutretem a limpe da eabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de earr
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetis exotira*. f lio
constit poderosamf" com a Agua Florida, a
forca,a belleza e a consorvacao dos rahe:;.:..
Em Pars, ^asa de Qnislanr n. 12, ra de Richf-
Hen, e21,bonlevard MoBtmrT
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timhre prateado da easa, sao reputado? falsos.
Deposite, ra do Imperadnr.pharmaria n. 3.
Coke 4o saz.
Piteh do caz.
Alcalro do gaa.
Coke, tonelada lOjflOO.
Pitch, arroba 33000.
Alcatrao, caada 500.
O cok reconhecidamente o earvao mai? rcoao-
mico,torna-so por isso recommendavel, homco-
mo pelo aeeio que so nota as raji*-***$
elle usado. Pitch e alcatrao, alela'- airtln t-sre-
coes diversas a que se prestan, rr-fr.o para califa
r embarcacoes, alratroar madeiras. fie, teec-
estes a proprledade de preservar do riiriim, ter-
mieas, etc. entregue na fabnra do paz. 1* man-
dado por em qnaiqner pintada cidade, sepnrdo
vootadedo comprador e previo ajosto.
Azeite de carrapa^T
Vende-se por atacado 00 a retalho mal* f>ar*ia
o que vendem os matulos as carga? : ra M.ri-
ca da travessa do Canaca n.'S, Jcies do Ramos.
I
_ T._____


Marte de Pcraambnco sexta lelra i de Marco de 1865
**>.
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARUZENS
ME
MOLHADOS
M***mwmp
9 Largo da SaataS
Cruz ns. 12e84,j
Ijesjuina da ra do]
Cebo.
VIMOS
ESPECIAES
Largo daSantaS
Cruzas. 12e84j|
esquina da ra ilojj
Cebo. 2*
dno "os j muito acreditados armazens de mol hados denominados Aurora
Brante, acaba de receber de sua propria encommenda.mui tos gneros delicados
proprios da presente estacao, e tendo grande sortimento comprado aqui, aflanca que lo-
dos os seus gneros sao de priraeira qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de cenias aos por-
tadores.
N'enhum armazem vender mais barato, e raelhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono seachar encom-
modado ern sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outro na pro-
Tima primavera, por isso deve-se aproveitar urna uuadra destas para se comprar
barato.
i*ta< com 8 libras de chouricas muito novas.
a n;m.
Ditas grandes com peine em postas inteiras,
mus de 13 -nulidades, a l#000, 1*280 e
1-JlOO.
Ditas com ostras, excellenle petisco para fri-
gid-iira, a 720 rs.
Ditas cun ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 610 rs.
iDtaj era ameias a 1*200, 1*800 e 3*500.
I Ditas com marmelada do afamado fabricante
pg> Abreu. a 880 rs.
> Ditas con rnassade tomate, a 500 rs.
Ditas cora ligos ae comadre, novos, a 15500,
1* e 2*oii0. '
[Oita -ora bolachinha de soda multo novas, a
25100.
Ditas cora biscoitiobos ingleses de muitas ma
ItdaJes, a I*'t00.
Viiilm verde superior.
A caada a 3*500 e a garrafa a 480 rs.
Geanu.
arrobas, 6 a verdadeira de se*
a arroba a 3*000 e a libra
Saccas de 4
cngomraar,
120 rs.
Sabo massa.
Chocolate.
superior muito moro, a libra a
I Chorme
1*300.
Macarra*, talliariam e aletria amarella, a libra
a 48) rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
.Caixas cu i n estreliuha, pevide, e oairas inas-
sas, a caixa 34500.
' Ditas dita era libras a 640 rs.
(Sa.', a libra a 360 rs.
avadiuhi para sopa a libra, a 240 rs.
\ Brvilnas seceos, a libra a 160 rs.
;.oOitas de^c.iseadas, a libra a 200 rs.
^rayiO'-a raaito nowa, a libra a 280 rs.
vC,?,tr""u ae ararula verdadeira, a libra a
-.$ 50Jrs.
"pArroz do Maranoo, em sacco, a arroba a
3*100 o a libra a 80 rs.
dmDitu la India e Java, a arroba a 3*200 e a li-
fi lira a 100 rs.
'JP roa;iali) do Lisboa a 9$l)0 a arroba e a 320
~\S) IS* a l,Dra-
IgKdita de Sanios, a arroba 7*000 e a libra a
*g 200 rs.
&t* 'l",, com ^ ceblas grandes, a 18280.
'Jjtftf's'.ir-la francesa, caixa com 2 duzias a

Priscos om mostarda preparada em vinagre,
a IDO rs.
Ditos iM ti conservas ingiezas e francezas, a
y 6')e800rs.
3Ditos c un sal refinado fino, a 6i0 e a 500 rs.
>Ditocmo a verdadeira genebra de laranja, a
> 15000.
i ito ifn 2 garrafa; de Hollanda verdadeira, a
oi) r*.
B itij.i> com dita propria para negocio, a
{ 40J rs.
iiirr.ifes cora 2 galoes com dita, a 6*.
I Servej i b a, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
| 'lima a 6?000.
finta moscatel de Setubal, a garrafa a 1*.
Marrasijiinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
J a 1*200.
|i;tia iio't^'uc, a duzia 20*000, e a garrafa a
, 2 30 JO.
)&(i!ri r-tina Jo portuguez e francez,a garrafa
' a l*W.
Caita it- vinho Bordeaiix muito superior, a
15. 8*. 9* e 10* a caita.
[Ditas cora ilito branco, a 7* a caixa.
Oias co a dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 205.
'Ditas r.Tn duque do Porto verdadeiro,^
18*900.
io.tas cora chamisso superior, a 14*.
Ditas cjrn Porto volito e outras muitas mar-
c.n, a l-S.
tVini) 1 t-i Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
f e )) rs.
)' 1 it I-AV1.1 muito Lora, a caada a 3*200,
\ 35 )0 e 45, e a garrafa a500 e 560 rs.
1D1I1 da l'iueira, das seguintes marcas (X.)
(J. 4. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45 H, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
qi j P't engarrafado c lacrado cora o
rotulo do arraazem. .
[ Oios d mi i I *a a 35500 e 4*000, e a garrafa a 480 e
Si r.
.Yin!- branco fino, a garrafa a 640 rs.
> Lio de caj muito superior, a garrafa a
> 100 rs.
a libra a 200, 240 e 280 rs.
Fariaha.
Saccas grandes com farinha de Goianaa mu-
to nova, a 5*000.
Cale.
Caf do Hio muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Cha.
Cha, temos oeste* gneros o mellior possivel,'
hyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 3*000.
Dito uxim a 2*700.
Dito hvson muilo tino a 2*SO0.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade o 2*500.
Dito mais baixo a 2*000 c 1*600.
Erva laale.
Excellcnte cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 000,
640 e 720 rs."
Passas.
Caitas de 10 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4* e 2*500.
Roses.
Hojeo, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpisla e painco.
Alpistae oainco, a arroba i*000 e a libra a,
160 rs.
Cartas.
Cartas Anas para jogar, a dtizia a 2*5^0.
Caslanhas.
Castanhas novas vnas neste vapor, a arro-
ba 4*000 e a libra a 200 rs.
Aei tonas.
Barris com azeilonas oovas a 1*^00.
Maoteiga.
Manteiga superior, a libra a 1*000.
Dita mais abano a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita francpza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita coi barris e meios ditos, a libra a 1
660 rs.
Dita para tenpero a 400 rs.
Queijes.
QueijQs novos viodos neste vapor a 3*200 ej
3*500.
Ditos londrinos muito novos, a libra
1*000.
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a 4*800.
Dito dito lizo de iinho, a resma a 4*500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
2*500.
Dito de embrulho, Lora a 1* e 15200..
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^
deira a 1*300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, c
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a,
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grata.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 2*000, e 1
de latas a 1*000, e os botis a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos liaos.
Charutos finos dos melbores fabricantes da.
Bahia por diversos preces, caixai e raeiasl
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
a
uuttciar-se.
2^'
ATTENAO
AO *
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
^
ffl. ISUna do Cbuga. 18,
Defroule DE
Lima & C.
Os pro;)rietarios deste novo estabelecimento avisa ao respeitavel publico, que acha-
>.; arovido de uji completo sortimento de molliados e seceos, todos novos e por precos
commodos .,...-,. .
Os jjroprielarios nunca quizeram annunciar pelo jornal a existencia de seu estabe-
i intento ; p.'irm, como ae-se necessaria a noticia aos senhores de eugenho e agricul-
ta M.qne man proorleanos o fazera agora.
Aproveilam a occasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
cianta se achara sempre completo de um variado sortimento de moluados, seceos e ou-
)s objectits perleficentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos serio menos 5 por cento du que em oulra qualquer parte, e para
y/.te Su chama-se a attencao de todos em geral.
Os pesos c medidas, e qualquer engao dado na casa, sero- garantidos pelo dono
m.fuvor do consumidor, em qualquer eccaslo que reclamar.
Os [iroprietarios deste novo estabelecimento esperam dos seus freguezes, e do
[Mfcttn e;n treral toda a protecQio, promeWendo os propietarios da Flor dos Progvs-
irir to smente nm hiero razoavel do laborioso trabatho^ com.qne possam dar
jrimento a esta ardua raissao.
A-.hanito desnecessaria a publicaco dos precos minuciosamente explicados de
aros, com o que geralmente toosfogem, pelo motivo nao somente de serena-
J>rno tambem pomada vater, os proprietarios tmsmenteem vista entretgr es
^is unid ires eom gneros novos, e procos mais razoaveis d que em oulra qual-
qm parto, pois serio as. garantas para a protecc5o ao Nbw Armarem de Mu hados..
FLOR DOS PROGRESOS.
Laboratorio biolgico e cliimico de F. P. Lebeuf e C.
roa Montuiartre, 31, em Paris.
Fabrica em Argenteuil, fres Pars (Franca).
BONIFICADO E FAB!ilCA(i\0
Dos vinhos, agurdenles c licores.
- VINHOS.Imitacao dos vinhos de todas as
qualidades, Extracto di Mtdsc, dose para 230
litros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Lisboa, 2 f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscalel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancio para fabricar com o olcool e agua
os vinhos cima e lodos os outres. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACOPs Inglezes, pos dos vinhos
do Hcspanha, da-Franca, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
AGUARDENTES.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH EABSINTIIO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicarse os que se desoja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricara os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 25 litro?, 1 f. 23.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, aguardemos, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encammenda.
UTE.NCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
COLORACAO.Purpirigino para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
Alguos de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparar-oes,
freguezes, deve-se exigir sobre as rol has e rtulos as inlciaes F. V. L. Pars,
0 nodo de usar-so Jas preparaces acba-se indicado no rotulo.
As on.')rmi'ii 1 is davem Ser acompanhadas por urna letra sobre Pars ou qualquer outra cida-
de de Franca, ou garantidas por unn casa conhecida.Dirigir-se aes Srs. Lebeaf & C. chimicos, ra
Montmartre, n. 31, era Paris, oua sui fabrica era Argenteuil, prs Paris. aB
Vende-se na botica franceza, rua do Imperador n. 38.
0
NEM COROAS NEM MITRAS
E
GKODE
ARMAZEM
DE
RUA DO IMPERADOR 40
Jnnlo ae sebrado em qne mora oSr. Osborne,
Buarte Almeida A C, receberam de ana propria cdcoilkcb-
da o mais liado e variad sortimento de molnados, prcprlos
da presente estaco.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a i.ooo) para sopa a melhor qoe se pede derejar,
rs. a libra eem barril a 800 rs. j macarrlo, talharim ealeiria a 4Ct rs. a
Ha tela; a franceza i libra e 45-jOO a caixa.
p-> fra nova a 60o rs. alibra, e em barril Yn0
^ Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOBGOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
floras da manbaa, e das 6 e meia s 8 boras da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopaihica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, a&sim como tinturas de varias dymnamisagoes e pelos preces segrales
Carteiras de 12 tubos grandes. I2,J000
de 24 tubosgrandes. 18,5000
de 36 tubosgrandes. 240000
de 48 tubosgrandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prapara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
fa* id pdir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sende para cima de 12, custarSo >s precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina,Homeopathicodo Dr. Mr.
dons grandes volumes com diccionario............ 200000
MeJictna domesticado Dr. Hering,........'. 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem noyamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros,onergicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis pela sua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-seescravos para tratar de pialquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciantejulga-se suficientemente habilitado.
Oiratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados*por aquelles que desejarem mandar seus
loentes.
Paga-se20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces serilo previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos precos
azoaveisquecostuma pedir o annunciante.
FABRICA DS CHPEOS DS SOL
3. 91 R:ii S3Y& e^ijalai da Cimboa do C'armo e na do
Cibug n. 8.
A lirejtoria Jj'se eUabelecimento o tniis importante wi. existe nste cer^r
as provincias do norte do impjrio. ijuerenJo que o pabli^ desta provincia goze das azu'e P; Amendoas
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muite propios para mimos.
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10360.
Chocolates
detodasasqualidadesa!0OOO alibra.
Presuntos inglezes
dos melhoresfabricantes a 800 rs., tambem
tenns velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellaate maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas ingiezas
as mais novas qte se pode esperar a 760 rs.
o fra.co.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 102Oo!
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que out
qualquer nao pode vender por menos de
Ideua | rola
;pecial qualidade a 20700 rs. a III a.
dem hyssou
nais aromtico que tem vindr ao nosso
Horcado a 20600.
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
COCJV4C
o muito afamado cognacPal Brandy a 1 8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa
COPO4
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica.
de excellenle qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
bra.
vantagens que proporciona a fabricarlo om grande escala e directa relacjo com as mais
importantes fabricas da Europa, fat sciente que resolveu-se a vender ainda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella :
Descomo em duzia.
20
10
%
7o
rs. a resma.
Coriuthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
a a
Chapeos de sol de panno a 20000.......
armaco de baleia a 20500 .
de seda armaco de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 21 50, de 26 50500 e de 28 60...... 15
Chapeos de sol inglezes a balito 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 2 i pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100. 15 %
dem idem a balo de 16 varetas palent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 1-20, e de 28 130...... 15 o/
Alm de muitas outras qualidades. de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao to vantajosos como os annunciados, ha
sempre um constante sortimento do bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se i ualmente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta- mai! aovo i(y mercado a UOrs a libra
a 15,000 rs.
Ihar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia sero considerados como
a retalho.
ESS
si
Chales de renda preta e bournus deguip preto \

&?.
A' loja da roa de Crespo h. 17,
DE
JOS tCMIES VIIiLIR
Veade a 15, 205, 305, 405, 505 605, capas e casacSes de gros pretos, chapeos =^
echapelinas de palhae outras muiUs fazendas proprias para a quaresma.
Jos Gomes Villar pretendeodo r a Europa tratar de sua saude espera que seus *#w
devedores tanto do mato como desta prara saldera seus dbitos quanlo antes.

GOM VIA NOVA.
Em paneiros muito Iva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran
do de um paneiro para cima se far abatimento na rua do Imperador n. 40
CHEA\RM OS MODELOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fll preto chegados pelo ultimo vapor francez, a
loja das columnas rua do Crespo n. 13, de Antonio Gorreia de Yasconcel-
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chap
t,4oors. alibra.
Viji?gre
PRRem ancoretas de 9 caadas
cada urna.
Cebollas
as mais novasd mercado a 7,ooo rs. a caixa
e i,o*u rs. o molho.
Alpista o Painco
aovo do mercar!,
e 40100 a arroba.
CEBLAS
grdoC-arm:Unad9Olmperad0rn-40e^
GRIO DE BICO
* h! !*!?0? arroba e 140 rs- li-
bra na rua do Queimrdo n.7, ruado-
Imperador n 40 e largo do Carmo a. 9
QUEO SUISSO
"tatfaSC! ? rs' a ,ib,,a na rDa
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Ideo le Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a f0 e !seo
a garrafa e de 190 a 120 a caixa, a? aar
cas s3o as seguintes: Chamisso dFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deozes,
lagrimas do Douro e outres muitof.
Latas
com 10 libras de Lai-iha a 40GCO.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma aue
vendem a 20000 e 20400.
Nbzes
as mais novas do mercado a 12Cr* .a
KJervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mu
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maralo a 100 rs. a libra, e da India
a ? s- a llbra' e l*Wi a 3=5OO0 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
o o2'* sorte doRio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
CSarrafes
com 4 Vs garrafas com vinagre a 10000 tan
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 114000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6o
rs. cada urna.
PALITOS
os verdaderos palitos do gaz a 2,2oo a croza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a ciia
com urna dtizia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro preznnto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
ae ,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimento.
a VELAS
de carnauba em caias de arroba a 9,3oo t
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
3 iiDrd
muilo oras
emaSpfer0S ??* ^art0 e e*W
a caixa e 400 rs. a libra,
___ Chocolate
SrUaZAmaS e?rial ^ue se P^ de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
. frotas om calda
a60OPiADnCeda-caMada3iaba
d ouu e i0 o caixae.
. GOMMA MUITO NOVA
iSfa1 e ,2Karrobas a 500 a ar-
rooae 140 rs. a libra na, rua do Ccei-
BLACH/NHAS
em latas de defferentes qualidades a
a I.k.i
mee
QUEIJOS FLAMENGOS
a commodidade de lados es-
r o uiesniGsprecos nos seguintes lugares :
0 Verdadeira Principal rna do imperador 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500:
na rua do Imperador n. 40,
DE
DE
J. YIGNES.
M
* ** RUA DO IHPRRIDOII I. 55.
,a SnSSMK.'iy^ fabrCa Sl? hoje asaz COHhecidos Para que seja necessario insistir soBre *
11 Sta^R" *futa ^ *WceiB M compradores, qnafe* aas mwate^a!
22LTC1S efiBlt'T.amente conqnislado sobre todos os que lem appareeido neste praca : SL
mi 1 fXr nLr Le mf ^,s7 ?" ^decem todas as vontades eeLprichos das 2i T.
So S'o^ilT. abncados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoraraentos ffiS-
_af^'sefc.c?nr?r-.e as enc^ine^as, tanto nesta fabrira como na do Sr. BIonieL de Paris ocio
:orrespondenre de J. Vignas, em cuja capital foram sempre premiados ra todas as euMicte. '
lio mesmo estabefecimeno se acha sempre om eiplendido e variado SQrtJnwnto. de buuoas do*
melhores amores da Bnrooa, assim eomo harmnicos e planos narmomtt, sendo md vendido do
presos commodos e razoaveis. ^*


ll r-aii #aFa


Diaria de Pei-aan__c esta felra 1 4c Mar?* de 18*.
*
?
Atiendo.
Fazeadas prelas pira a qaaresaa r
per baratissiiii pre$, ** lj e *'
muc-iU Arara, roa 4a Ineereirn
n.56.
Loren(o Pereira Menes Guimares.
O proprietario deste siabeleciiuento retira-se
para a Europa a tratar de sua sauJe, po.'ia aoles
de retirar-se pretende faier urna liquidago de ba-
baratissimo prego para fechar coalas ; agora fre-
guezes vende-se grosdenaples prelo muilo bom
para vestidos, a 1}6QQ, 25 e 25300, duo.de 5 pal-
mos de largo, a 35 : na ra da Imperatriz toja da
Arara n. 36.
Meuruatique preto a 3Jf.
Vndese roeuraniique preto para vestido a 35 o
covado, grosdenapie muito largo e encorpado a 35,
25500, ti e 14600 o covado, alpaca prel* para
vestidos e palitos a 500,600, 700 u 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la prela para vestidos a
640 rs., bombazioa preta para vestidos a 5180 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Mari Piaa 420.
Vendem-se ricos vestidos a Maria Pia a 104,
124, 144,164 : ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende pecas de panninho a 50 e de
madapolo a 45.
Vendem-se pecas de panninho muito fino de 12
jardas a 54, vendem-se pecas de madapolo infes-
tado a 441 4450O, vendem-se pecas de madapolo
de 24 jardas bom a 64, 74, 74500, 84,94, 104 e
124, vendem-se pegas de algoJosmiio a 54, 64,
74, e 84 : ra da Imperatriz n 5i.
Arara vende os baloes a 20300.
Vendem-se baldes de arcos de todos os tamanhos
a 24500, 34, 34500 e44: ra da Imperatriz
n. 56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Veodem-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meninas .1 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
finas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n 56.
Gbitas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendera se chitas de cores fixas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas linas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova -
do :' ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidacao de soutambaques e lazinhas a
70, 80 e 100.
Vendem-se soutambaques de lazinhas para se-
nhoras a 74, 84, dita de alpaca branca a 104, ditas
muito Unas de grosdenapie preto a 204, 254 e 304,
capas pretas de grosdenapie lino a 204,254 e 304,
manteletes prMos de grosdenapie a 204 e 2*4. gu-
linhas para seohora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gola a 15, camizinhas para seuhora, 24,
e 34, ditas raailo linas bordadas a 44500 : na loja
do oarateiro da Boa-Vista ra da liuperalna loja
da Arara n. 56. .
Corles de ditas Anas a 20400.
Vendem-se cortes de ditas com 10 covado3 por
24400, ditos de dita franceza a 34200, cortes de
cassa franceza fina com 11 covados, por 34, ven-
dem-se pecas de cambraia branca lisa a 35400,
44300, 55500, 69 e 84: ra da Imperatriz u. 56.
Liquidacao de roupas feitas palitos a 20.
Vendem-se palitos de bnra de cor a 24, 245.0 e
34, jauaetoes de brim pardo a 34 e 34500, palitos
de casimira bem feito a 54, 64, 74,84 e 105, di-
tos de panno preto bom a 84 e 104, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 125,
145 16 e 205, caiga de bnm dec' a 25 e 24500,
ditas brancas de liono a 34500 e 45, ditas de ca-
siralrade cor 44,64 e 84, pretas a 54, 65 e 84,
colletes.de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 14500, brancos a 24 e 205.0, ceroulas feitas a
14280, ditas finas a 146OO e 25, camisas france-
zas a 24 e 24300, dilas inglezas de pregas largas a
34, de liulio a 34 e 35300, colerinhos econmicos
a 640 rs. a dazia, ditos de linho a 500 rs, ura : na
ra da Imperatriz loja da Araaa n. 56.
Arara vende as cobertas a 2f.
Vendem-se cobertas de chita finas a 25 e 14500,
ditas de damasco a 45 : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e ven le cortes de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para calca a
35, 3450O, 44500, 64 e 84, ditos de cor a 34,
15500 e 6 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vende se panno preto para caiga e palito a 25,
34, 25500, 45,45300 e 60 o covado, casimira pre-
ta tina a-25,25500 e 34 o covado e outras rauitas
fazendas para liquidar: na loja e armazem do
Arara, ra da Imperatriz n. 56.______________
Fazenrlas pretas para a qua-
resma.
Na loja do Pavao.
Acha-se este esUbaieciiiranlosoupUtaraente sor-
tldode fazendas pretas propriaspara a quaresma,
ha saber :
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros ina+s estrenos tendo dos pregos de
14*80,1*600,14800, 24, 24400 e 34, superior
moreaalique preto a 34, superior sarja prela he-
panhola, superior setun preto reacio, ricas capas
pretas bordadas, souteinbarques muito bem enfei-
i.iJos, ricas vasquinas e casacos dos mals moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, tudo islo se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parle por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavo. -
Acha-se neste estabelecimento um grande sorti-
mento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paietots sohrei'asacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 224, 254 e 304,
ditos forrados de alpaca a 144, 164 e 204, supe-
riores paietots de casemira tanto saceos eomo so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidades, rolletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, selins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres nacionacs, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas em caries coaa 10, 11 e 12 covados
Na loja do Pavo vende se urna grande porgo
de cortes de chitas '*ncezas sendo clarase escu-
ras todas de cresi'. as com 10 covados a 34200,
com 11 covados a 34600 e com 12 covados a 44,
pechineha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Grande liquidacao.
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo venderle mais barato do qne
era outra qualquer parte, principalmente sondo em
porgo, e de todas as fazendas do-se amastras,
deixando flcar penbor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
Camisinhas a \$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras
AO PUBLICO
em o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero qne
nSo agradar.
ATTEMCiO
Oa preeoa da aegnlnte
tabella para todo, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de coatas
com es portadores.
ARMAZEM NIO
Sintos finissimos.
A laja da Aurora na roa larga do R< ario n. 28,
recebeu riquissimos sintos largos tanto de fita co-
mo de galio douradoscom fivelas, e>its lutos sao
os demais costo que tero che gado a t>ia praga, e
enfeites mnilo modernos para cabega.
drogrTa7~
31Raajlarga do Rosario 34
Barlliolomen Francisco de Seaza t C.
venden:
Acido actico puro para retratistas. ?
Esmaltes para ourive. ,
Papel para forrar casas.
Guarnigdesavelladadas. *
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paes.
Vende-fe urna mei-agua em Fra de I-irir-,
na ra do Pharol n. 66 : a tratar com Vicente
Ferreira da Costa na primeira barca de vicia.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelce)
PARA BEM DE TODOS.
ESCR1V0S FGIDOS.
Aos Cflpiles de campo.
Fugio no dia 27 de fevereiro deste aune, sa de seu senhor o escravo Sebasliao, emulo, fo-
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupa feita nacional
Ra da Imperatriz ni. 72
l'ectiiocba
Cortes de ehltaa tjMOO
Vende-se cortes de chita com 10 covados
294OO a 30200, ditos de cassa a 34. ditos de lazi-
nhas para vestido a 34600 e 44, ditos finos de bar-
ras a Maria Pia a 124, 1*4 e I6j, ricos souteam-
barques de lazinha em fantasa a 84- 74 e 105,
ditos de grosdenapie pretos linos a 265, 225 e 2-"55,
capas pretas de grosdenapie a 205, 234, e 254,
na ra da Imperatriz n. 72."
Fazendas prelas para a quaresma.
Vende-se grosdenapie preto fino a 14600, 24, e
25530 o covado, panno fino para caigas e paietots
a 25,35, 35->00, 45501) e 55 o covado, casimira
preto fina a 25, 25500, e 35, alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para caigas e paietots a 640 e 800 rs. o covado.
Lazinhas a 320 e 3ti0 rs. o covado.
Vonda-se lazinhas para vestidos a 360, 400,
300, e 560 o covado. chitas Goas para vestidos a
240 o 280 o covado, ditas francezas finas 320,
360 e 4oO rs. o covado, capas francezas Unas a
320,360 e 400 rs. o covado:
Roupa feita.
Vende-se paietots de cor e preto a 55, 65, 84 e
104, caigas pretas de casimira a 54, 65 e 85, cor-
tes de colletes e palelots de brim a 24, 24500 e
30 : na ra da Imperatriz n. 72.
Madapolo enfestalo a y.
Vndese pegas de malapola entestado a 45,
dito em panninho a 55, liegas de madapolo de 24
jardas bom a 84, 74 e 104, ditas de algodao a 35,
64, 7 o 84, cortes de caigas de bnm a 15600 e
25, ditos de casimira prela a 35, 35300 44 e 54 :
na ra da Imperatriz n. 72.
H
BEJNZINA
Nata esseucia para tirar nedoas sen ata-
car os lecidos neo alterar as corea
Mancha alguma produzida por gorduras,
cera, etc., resiste a este famoso dis-
solvente, que pode sera receio appll-
ear-se sobre vestidos de seda, la,
lapegarias, panos de buhar etc.
Restanra perfeitameote as lavas de peta-
ca Osadas.
Cada fraseo l#oao.
Um impresso que acompanha cada fras-
co ensina a raaneira de usar-se, assim
como indica outras muitas applicagdes
que esta nova essencia pode ler as
arles.
PHARMACIA RIBEIRO
KM PERSAMBUCO
s
22Praca da Boa-Vista22
meninas, pelo barate prego de dez tastSes cada
urna : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & S:lva.
Cortes de cassa a 3$.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados
pelo baratissimo prego de 34*!(0 o corte : s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama
& Silva.
Cambriias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparent, pelo baratissimo prego de
44 tendo 8 1(2 varas cada pega, dilas muito finas
a 74, 84 e 94 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 74, 94 e 10j), ditas
Garrazes fazenda ramio encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara bu 24600 a pe-
ca : isto na loja do Pavo ra da Irapojatriz n 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Parfio.
Grande pechiRcha a 35300.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitago de tarlatana com mnitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 3500cadaum,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 74, na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama di
Silva.
Vestidos a c a 7:5
Na loja do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 44 e 74, sendo fazenda qne
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porgo, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva/
Os enfeites do Paran.
Vendem-se os maismod^rnosenfeitesparacabega
de senhora : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
o,. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes raiudinhos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz o. 60, de Gama &. Silva.
As lazianas transparentes a rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
laziohas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imitago das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado ; ditas enfestadas de urna s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de mangas : na luja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Ricos soulambarques do Pavo.
Acaba de chegar un rico sorlimento de sou-
lambarques de grosdenapie preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato preg de
204,225, 255, 305. Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em conta: na luja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras eseossezas a 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras eseossezas
proprias para caigas, colletes, paietots, roupas para"
enancas : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60,"de Gama & Silva.
Aos vinte mil covados de lia.
Grande pechineha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com llstras e quadrinhos miudinlios, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como prelas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de soda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, islo por haver urna grande
porgo : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Hara pia,
Grande pechineha a 104000 rs.
Chegaram os mals bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, ira-
zendo os competentes enfeites para o corpo, ;,endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baraiissimo prego de 104 o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 cavados eada um a 105, ditos de cambraia
com barras bordadas acrox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 65 na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para chancas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
paralo prego de 36 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas. ,
Vendera se as mais finas lazinhas de urna s
cor, tendo grande sortimento : na Iqja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60, -le Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tarabomcom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercilo, ricamente bordados e cercolados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura:
estes modernsimos chales nao s sao proprios
para oasseio por fazrem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
tnicamente na Inja de (Tama A Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
reza com
pra dos generes
pois serlo to bem servidos como se viessem pessoalmente,
outra parte.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a
i.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 9 jo
rs. a libra e 90U rs. cm barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de i e 2 li-
bras a 1,60o rs.
dem preto o que se pode desej'ar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelietas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mals superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 0,000 e 5,5oo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a dnzia.
Chocolate francs hespanhol e sujso a 9oo,
1,000el,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordcaux das marcas mais acredita-
das qne vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e 64o e Too ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollando a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueiras de genebra de Ilollanda a 6,800:
para com osles toda recommendaio,
que n5o vo em
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia na a 16,000,15,ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherex de superior qualidade a 16,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a u,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas -em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 400 rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francez is em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a li55oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada uma.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
e 64o rs. o frasco. I Ratatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libras.
grandes a l.ooo e 11,000r?. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-l 8,5oo a duzin.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Va^souras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a 16o rs. ,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de uma libra c56o rs. a reta-! 1$ a garrafae H.ooo a duzia.
lho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que > em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 0,800, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Gevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante JosFurta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Hilvana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
1,oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a 1,80o o cento e 1,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinlio de Lisboa muilo novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
, a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada uma.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,ooo cada uma ancorla.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada uma e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
ga aonde tem mi e irmos, levou raiga v eawsa
branca bastante soja, atlura regular, nlello a -
coviDha, cabega pequea e redonda, lefia grande e-
hem cantuda, olhos pretos e reglales, ran? rha-
to, bocea regular, beigos regulares, dente:- todos e
limados, nenhuma barba.apeiias um i+quero tipo-
de, corpo bem limpo, ps regulares e punco lar-
gos: roga-se portanto aos Srs. capies de ran-pu
a apprenenso do mesmo a entrega lo a ra do
Imperador n. 83, segundo andar, defronte do cr-
relo, qne se gratificar com 50i.
Escravo fgido.
Fugio no dia 3 de Janeiro do crava Catbarina, de nago Congo, de idade t-. ,N
anno?, ponco maisou menos, estatura regular,
quero a levar a roa da Guia n. 31 ser gratificado
Negro fug do
Est fogido desde o dia i7 de fevereiro este
anno o preto Joaquim, de nagas Angola, que foi
escravo do Sr. eapito Francisco Joaquim Caval
eanli Galvo, morador em Maria Fai ir.t a (Pn-ia).
o qual vendeu-o nesta ridade em de7> ir bro do an
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marones rcr,
armazem de assucar ra de Apollo ; levou ca-
misa e caiga de algodao branco, rorrrsHia ter de
48 a 30 annosde Idade, alto e de gros:nra regu-
lar, cor fula, cabega comprlda, qunxis largos,
olhos amortecidos, beigos grossos, s< neo o suee-
rior nm tanto defeilnoso, bstanle barba, peiai
raspada, finalmente temnma grande eosiura entre
ospeitos proveniente dequeimadnra, e lopfO>se
terse dirigido para o norte, d'onrie veio : gratit-
ca-sea quem o apprehender ou riennnriar o coito
em que estiver : na rna da Cadeia do Heeife no-
mero 52.
Aviso
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queimado, n. 19 e iio. E'para admirar
Fazendas baratas.
Madapoles com Si iardas a i*, 6 e 7# a peca,
ditos los e largos a 75">00. 84500, 9i e 9*300,
alnrt5 chitas intlezas a S00 rs. com 15 covados por 45 : na loja do verdadeiro c
principal harateiro, roa da Madre de Dos n. 14,
defronte da guarda da alfandega.
Ven le se a casa de molhados na ra da Im
peratriz n. 3i, por seu dono ter de retirarse para
tratar de sua sande, fw-se todo o negocio : a fal-
lar na me*ma aeima.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor france os mais ri-
cos soutambarqnes de cores, sendo os mals bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e se.tira, renda, etc., s
avista do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadeiro aprego a esta fazenda,
vende-se por differentes prpens conforme a quali-
dade : na Inja do Pavo de Gama' Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Rixas h'mhrjrgaezas.
Vende-sena ra Nova n. 61.
Carreiis de linha com 150 jardas
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................
Dito dito de 60 a 200.................
Novelios de. huha grandes com 400 jar-
das ................................
Id hi idem brancos e de cores de 100
jards ...............................
Llvros para assento de ronpa hvada...
Cordo branco para esparlilho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botdes de pinino todos de cores
Tinleiros de barro com tinta...........
Tesouras para costuras tinas e unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpar denles muilo tinas
160,200e..............................
Caixas com 160 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso..............:....................
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
Iho)..............................
Meiadas de linha frouxa para bordar..
Pares de sapatos de tranca........
Massos com superiores grampas para
senhora.............o,...........
Frascos de macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................
Ditos e garraflnhas de agua de Colonia
muilo na.......................
Ditos de banba a Ganbaldi e da familia
imperial.............2...........
Pegas de litas elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pegas de blco? francezes e renaas.....
Frascos de anua dentfrico muito supe-
rior..............................
Caixas com 4 papis de agullias a balo
e Victoria........................
Libras de la sendo de todas as cores...
Bnnecos vertidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obrejas........
Ditas de linha de gaz com 50 novellos..
Enfladeiras de fita para espariilhos.....
Cairelis de linha de cores com 100 jar-
das ...........................
Pegas de cordo imperial............
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
20
20
15500
30
200
500
400
900
240
320
320
800
200
65OOO
160
40
800
60
20
40
PRELO
a 35500 : na ra larga do Rosario n. 50, taberna
da esquina qne volta para a roa estrella do Ro-
sario.
Hilhta 4,M0.
Na rna larga do Rosario n. 50, taberna da es-
quina que volta para a da estreita do Rosarlo.
BOTICA E DROGARA
Bartholemeu Fraacssco de Sooza &C.
34Ra larga dj> Rosario34
Vendem:
PilulusHolloway.
PilulasdoDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulas do Pobrehomem.
Plalas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulasvegetaes assacaradas de Kernp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinhode Salsaparrilha deCh Albert.1
InjecgoFeaugas.
Agua deotiRca de Desirabode.
Papelchimico, para taino?.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-ppiletiew deBrest.
RobL'Affecteur.
Jarope do Bosque.
Ungento Holloway._____________________
Pechineha na o va loj a de fazeadas
roupa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n 72.
Pechineha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fizas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado : pegas de madapolo fino a 65,
75, 85, 95 e 105; pegas de algodao a 5j>, 65, 7#
e 85 : rna da Imperatriz n. 72.
Ronpa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 55, 65, 85 e 10-3, ditos sobrecazacos a 12$, 149
e 165 Palitos de brim de cor a 25500, 35 e 35500
rs., caigas de cazemira prela a 69, 75 e 89, ditas
de cazemira de cr a 59, 65 7. e 85 ; coletes de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a <550O,
e 25500 rs.,; caigas de brim de cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Sou la mi) arque de cores a 70, 80 e 100.
Vendem-se snutainbarque de la e seda para se-
nhoras a 79, 85 e 105 ; ditos de grosdenapie pre-
to a 209 e 255 ; canas pretas a 29 e 255 ; vesti-
dos de la a Maria Pa a 125, 149 e 165 : ra da
Imperatriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a 30.
Vendem-se cortes de cazemira preta para calca
a 35, 35500, 55 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a 35.45,59, e 75, ditos d brim de cores a
15600, e 25, ditos de chitas nas a 25500 e 35500,
ditos de cassas franceza a 35 : roa da Imperatriz
loja do barateiro n. 71
F4lJ
Na rna da Madre de Dos n. 9 vende-se feijao
mulatinho, dito i raneo, e dito preto, mais barato
do qne em ontra qualquer parte, approveitem a
peehincha que a quaresma bale porta.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 5o lujas de iniude
zas de Jo.- Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parta, quem quizer ver o que ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de lavas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gosto que ten vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescogo do melbor gosto....
Baralhos para voltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de linha que
tem muita serventa.................
Duzia de pennasd'ago muito superiores
Frascos de oleo Baboza muito fines.....
Talheres para meninos a melbor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 160,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muito Boas
para cha........................
Grasas de botoes de osso para caiga...
Grasas de botoes madreperula para ca-
rniza. ... r\.......................
Grasas de botoes de louca prateados
muilo finos......................
Varas de babado do Porto sonido.....
Duzias de lapes differentes qualidade a
2i0..............................
Quaderoos de papel de peso muito fino.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo muito boas....
Sabonete de espuma multo superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muilo bons e para
acabar...........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa.........................._
Creiao para dezenbo de todas as qua-
lidades ...........................
Cartas de alfinetes francezes muito su-
periores..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................
Carreteis de retros com quatro oitavas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.............................

aos eanites de campo e a noticia.
Desappareceu em pjineipio do n^-z de ootchrt
do anno passade, de bordo do palbabMe r cima!
Aravjo Malo, dous escravos de non es Ri Ierro
(por apellido Macei), e Miguel ; p le iriadi- 45
annos, pouco mais ou menos, rri. ule, cor fula,
estatora baixa, barba serrada, um penco orto an
pernas, e com alguns cabellos trances, tanto na
barba como na cabefa ; o 2o alto, cbeio de cerro,
sem barba e falla grossa, representa ter de _
30 annos, cujos escravos desconfia-se andaren> pe-
los arrabaldes desta ridade : qnem os ai preten-
der queiram levar a ra do Trapiche n. 4, qne
ser generosamente gratificado. _____
2)
No dia 5 de margo aosentou-se da rasa de seu
senhor, Jos dos Santos Ramos de Oliveira roa do
Mondego n. 2, a escrava de oome Therrza, preta
fula, ainda moga, alta, cheia do corpo, vitr'?a"e
despachada, levou bstanle roupa. eoMia >|iie foi
para casa de seu ex senhor Manoel. Joaqnim .Sii-
veira em Caruarn', e por isso pede-se a qnem a
encontrar que a prenda e remeta para ca |-i tga
a sen senhor, que recompensar bem a qnem !ne
a entregar.________________________________
Fugio no dia 18 de marco prximo
passado, um cabra de nome Matbias, do
engenho Pontal termo de Serinhem. jul-
ga-se elle andar para as bailes de l'uto
Calvo, a Ululo de ferro, com s signaes m-
guintes: cor cabra, corpe grosso. cale 11/8
carapidiados, com bigode e pequea bara-
to queixo, tem uma das pernas ma s gr%-
sa quea outra motivado de urna brida crcm
que ainda conserva, tem um >iedn do | per
curado outro encostado ao dedo grande e
tem faltado um dertena frenle no queixo
de cima, carreiro e trabalha de sapateire:
quem o pegar ou delle d r nofici- certe 1*-
r lOC0de?ratificac5o no mesmo erigen!!
Ponlal ou em casa doSr. Manoel Alve> Fet-
reira, nesta praca, assim cobdo o dte es-
cravo mudou o nome de Mathias para o e>
Joaquim Antonio,___________________
200
240
320
25500
1?280
500
500
240
060
060
200
240
500
25400
15500
200
500
200
066
400
030
25000
25400
040
508
25000
[lOf
500
020
100
360
800
200
GAZ GAZ GAZ
Veade-se gaz da meleer qualidade a
(0 a lata : nos armazensia nado Im-
Quen; apprehender e levar no palacete do Vie-
conde da Boa-Vista, ra da Aurora, ou n nger.r_:i
Trapiche do Cabo, a escrava Joaquina, fula., alta,
falla de dentes na frente, multo ''onhecida nesRi
cidade, anda as vezes de timo ou saia de balo,'
se diz que est em companhia de um (ardo da
nome Jacob, que mora em Ilamarae, rereber a
gratificagao cima de 1005- Eta escrava esta- f-
gida desde setembro do anno prximo passado, B
desde j se protesta contra quem a liver en saa
cempanhia.______________________ j
Gratificado de 'OOj
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de janefre
deste anno o sen escravo crioulo de am-e Jff,
com os signaes seguintes : cabra escuro, ral el-
los caraplnhos, estatura baixa, cbeio do corpo, pea
largos, e faz um geito as pernas qnsndo anda, s
muito pouco barbado, e tem uma cicatriz Yrui *1-
sivel em um lado do quefxo; quanto a muja w
ha signaes por ter levado mais do nue a lio/np,
mas o chapeo do Chile Garibaldi ; rnjo ^tra-
vo compramos junto com outro ao Sr. capitSn Sil-
vino Guiherme de Barros, e este senhor es baya
comprado ao Sr. Jlo Cabral, mirador em Naza-
reth. Consta-nos que o referido escravo antes de
perlencerao Sr. Cabral, fra de um senhor majar,
morador no Brejo d'Areia, onde o dito pfraw
casado e tem filhos, tendo ultima_->ente n i ri\(p
a mulher. Sabemos com ceriezf de ter tmnm
este nosso escravo ero Pao d'Albo com direceSi
aquellos lugares : roga-se perianto as autoridades
policizes e a qualqner particular a eapinra de
mesmo escravo, e lraiereai-no < sens ejihon*
nesta praga, roa da Imperatriz n. 46, refinaelo,
que se gratificar rom 1*05.
Luiz da Silva Ferreira & C
Fugio do sitio Tabocas comarca do Hr>jo d.i
Madre de Dos o escravo Albanazio, de idade de
25 annos pouco mais ou meao*. um ponco l-airto,
cara bexigosa, nariz chato, dentadura perfeia, ota
de bigode, levou vestido camisa de madatmliio -e
caiga de ca eroira parda e sepuio em deMim>s
capital: roga-se as autoridades policiaes cap-
tura de dito escravo e a qualquer repiti de cam-
po qualquer pessoa sois qne o aprehender pr>
derem entregar no Recite ao Sr. Jorf Luiz Gniaco
eu trazer ao seu senher 00 Brejo, qne ser betn
recompensado. _________________ .
Escravo futido.
N dia 20 do mez passado fogio do Peres a ne-
gra Mara, cor fula, estatora baixa e feia, mup
marrada de bexiga*, tem orna dnr em um t> qnV
custa andar, aeda 00peten*' beigos groe-
sos, olhos fumacados : rocooimenda-pe a quem a
___i_ ... ,_ .., a I encontrar qne leve-a a ra de Hurtas n. 68, (fdfi
perador n._6 e raadoTrapicaa Nevn.8. ^j gratificado.
1 I I ___\ _r
.






Dlarl* de Peraarabnco Se ta felra t de Mareo de 1*45.
_^
^s
LITTEMTORL
O que rae pelo ainado.
Vamos em seguida publicar a mensagem
da nobreza d Moscova, dirigida ao im-
perado/. Esle documento, publjcadp sem
ntonsaco previa, nos termo 'da lei que
ragc a imprensa no imperio, pn duzu a
raais grave sensaeo da capital. Os nme-
ros do jornal em que se publicara a mensa-
gem foram supprimidos, e intenlou-se um
pr de vera ser chamados pera n tu um tribunal
criminal.
Disse-se de principio que o imperador
Alexanlre nao receberia a mensagem. que
fe devia ser apresentada por urna depu-
iacao; mas este caso nao se chegou a
dar, porque a assembla da no reza mos-
covita foi dissolvida, determmando-se que
todas as suas resoluces fossem annulladas.
A mensagem tinba sido adoptada, depois
di urna grave e importante discussao, que
tambera se publicou, por urna maioria de
70 voto* contra 36.
A mensagem a seguinle :
c Graciosissimo soberano.
t A nobreza de Moscova, na sua actual
asembla, nlo pode deixar de manifestar
os seus sentimentos de profunda dedcacao
c reconhecimento pelas vossas sabias medi-
Gas, que tendem sempre ao bem da nossa
patria.
t Estamos promptos, senhor, a ajudar-
vos pela p-davra e pela acco, a marchar
ao caminho difficil mas glorioso que haveis
escolhido *
c Eflamos convencidos, senhor, que nao
vos suspendereis n'esse caminho; mas que
Veis m lis alm apoiando-vos na vosa fiel
obteaa e em toda a naco russa. A
un3o dos esforgos a forca da nossa pa-
ria. Fa/.endo da vossa Russia, at apora
dividida, um todo compacto; reunindo to-
d".s as di fe "entes partes, e suhstituindo o
direito de cila urna d'ellas por direitos com-
muns a todo o imperio, destruiris para
:iempre a possibilidade da revolta e das guer-
t A propriedade rural (remslvo), qua
fcaveis dado urna nova vida, deve, depois
do seaccmpleto dcsenvolvimento, consolidar
a foi\a e a gloria da Russia.
Coroae, pois, senhor, o edificio comc-
c/do, convocan lo urna assembla gcral dos
eleitos da Russia, para o exame das neces-
si lades communs de todo o imperio. Or-
dcnae vossa fiel nobreza que escolha os
Cljit >s d'entre o seu seio. A nobreza tem
sempre sido o rnellior c o mais firme apoio
do throno ru&so.
c No servgo do estado, sem tirar partido
.dos privilegios que esse servico conferc, des-
cm|itnhan*io sem a menor gratificlo os seus
fleverS para com a patria, esses eleitos,
i> las proprias condices da sua posigo of-
Iwial, ho de ser cnamados a garantir os
Cireitos polticos e moraes que servem de
Jjaseao edificio do estado, direitos sagrados
para o povo, e necessarios para um paiz
bem organisado. Por este meio, senhor,
.podereis con'iecer as necessidades da nossa
patria na sua verdadeira luz.
Resiabelpeeris a confianca no poder
ezecutiv. > Tereis urna perfeita observa-
do d s leis, e tornareis essas leis apphca-
feis s necessidades do paiz. A verdade
apparecer sem obstculo aos ps do thro-
Bo, os inimiuos externos e internos sero
Coreados a callar-se, vendo que o povo. na
pes>oa dos seus representantes, cercando
C>m amor o throno, se dedica a nao deixar
em ponto algum accesso traigo.
c Gnciosissimo soberano, a nobreza de
'Moscova lem-vos aberto o seu corago e
O sea pensameoto, obedecendo ao sagrado
flever de subditos leis, e ten lo nicamente
e vista o bem do imperio.
c Temos fallado senhor, porque estamos
p rsuadidos de que as nossas palavras esto
de aecrdo com o vosso pensameoto sobe-
rano, e com o espirito ias grandes reformas
qne haveis emprehendido.
tar o trabaiho, chegando ultima cachoeira se lug ir. Durante a noule ouvimos o sem 22 33' II"; longitude E. de Paris, 86 O' A cada momento langa as suas vistas para
(Guajar-riniriBi) La em cima consegu doas das gaitas na aldeia do Tupi. 33". Como se v pela sua lalitude Calcuta o interior das trras; pensava talvez nos
alqueires de farinha de milho, e urna arro-
0 sallo do Theotonio a mais bella ca- toparte da Zona to rida,
terrenos que cobrem os restos mortaes de
.J' qu1?ratuUa,;i,' ceJderam- choeira do Madeira. Tem ah o rio 250bra-| Este facto diz sufficiente at que ponto o seus mustres ^passados.
!!J?;^^d^!1.P0fia8!,e,a^8u,: e obstruido por urna mu-calor faz soffrer os sus habitantes durante' Respeitei a sua tristeza.
rm alagou-se a canoa no salto do Made.ra, rana de granito de urna a outra margem.
perdendo metade da fannha. A sorte pare- da qual despenham-se as aguas com gran-
ea c .pnchar em reduzir-me fome I | de ruido; p Uo fort a queda> que na arte
Achando-se as tr s canoas que levava mui- superior prova que o rio est em vibrago.
to arnuinadas, e temendo eu qualquer des- Depois de Theotonio seguem-se em grandeza
graga na descida. que quando socorre aoRibeirao, BananuBe eMadeira. No Ribei-
mais perigo, aluguei urna ub boliviana. ro o nivel no lado direito mais elevado
Na cachoeira da Pedernera a minha ca- na abalroou sobre urna pedra no meio do servo este curioso pbenomeno. Ha ao todo
canal. A velocidade era talvez de 12 mi- 15 cachoeiras e 3 correntezas. Contavam
lh s f imagine qual nao devia ser o meu *9 ^ ant'gos, mas as duas ultimas cachoei-
susto rasGuajar-ass, e Guajar-mirim consti-
Em meio de um torbilhao, vi a morte bem lUem Qm mesma ,to-
perto, mas urna onda bemfazeja suspendeu **o Tbeotonio, Giro e Ribune,. preciso
a canoa e salvamos-nos milagrosamente. '""^tor as canoas por trra em qualquer
D as canoas mais alagaram no Ribeirao e temPo; na Bananeira smente pelo vero
ume esteve quasi perdida no Caldeiro do conforme a grndeza da em^arcaco. Em
Inferno, que nao desmente o nome. Sant> Antonio, Marinho, Caldono, Pdernei-
Ver,iadeiro inferno toda essaregi5o das raS> Pard5' Araras' Madeira' Po Grande
cachoeiras, onde o viajante tem sempre a e GuaJara' P^iso descarregar e fazer pas-
morte diante-ou entre as pedras e corren- Sar a c'Ba Tas,a esPia- A varia?30 de 2
tezas~ou na ponta da setta do malvado Ca- a 3 palm5 n0 mvel muda C(>mPletamente o
estado das cachoeiras. No mesmo lugar em
,,,, ,. que hontem passou-se a remo, sera perigo,
Estes indios acham-se as cachoeiras mais a i j
s preciso hoje descarregar e empregar o
maior cuidado.
a maior parte do an.io. Devem exceptuar- Saudei S. M., e ia partir possuido da idea
se apenas tres mezas, dezembro, Janeiro e de que essa realeza selvagem desdenha das
fevereiro, em que tem lugar o invern, o riquezas da Europa, e so pede um copo
qual, debaixo do sol de Calcuta, produz d'aua.
urna deliciosa primavera. j E dlza eomigo. ek aq(] um homem ^
A distancia directa de Calcuta a Paris se prefere a liDepdade e a miseria a todas as
fosse possivel segui-la a vo de passiro, se- riquezas da civilisagao.
ria smente de 8,000 kilmetros, isto ,l A SUa vida errante e pobre permitte-lhe
2,000 leguas* I ,. *
nao curvar a cabeca diante de um conquis-
A dist.ncia por meio da navegago entre tador estrangeiro.
um porto de mar da Mancna, ao Havre,: n1 m. .
Dirig as minhas ultimas despedidas ao
por exemplo, e seguido pelo cabo da Boa-'
rei Billy, e ia retirar-mc, quando repenti-
ripuna.
pengorosas, e costumam assaltar os viajan-
tes para roubarem, principalmente se a tri-
polaco diminuta.
Quando naufragaei a primeira vez appa-
Em menos de orna hora a cachoeira para
do torbilho medonho placidez do lago.
So urna estrada acabar para sempre com
receramelles em crescide numero Dorm ^^.TT ^^,
mAetraMm.. :,catlUHUU,uero'Porem essacadea de pengos, que tantas vidas e
mostraram-se affaveis por verem mu ta cen- ._ ^ i .
te. Ass,mfazem oslLroTlotZZs S^T T*?' Aesf daPdete
estes indios que para rae.horlurtarem. p 4legU3S' .^* -> B* vantagem
asmulheres nuas na frente. Em roda do ^ TT T deve.Ser^uantK anteS
viajante formara ellas urna murah" *Lt S^JSE TZ CaChe'raS
... uiuiama, dipi^ad pocje-e estabelecer a navegagao a vapor
qual furtam os homens; as criangas tambera para a Bova e para^latto-Grosso, e livrar-
tera, seu lugar no nefando exer icio, pois nos aSjim das inlermnavei8 pendenciase
sao os conductores dos objectos furtados. gostosdo Paragua
Pedem tudo que veem, e mesmo o que nao
vem; as vezes querem arrancar o pro rioj Ja este ann0 desceu da Bo,ivia em 70 cibs
facto ; zangam-se quando nao sao satifeitos, Cerca de ,20:000' em gener0S> COuros- '
e assim conslitue um flagelo egual oupeior Ca0, charul0' xarque' gad' etC" Caf ,la
que as cachoeiras repblica excellente, o assucar tambem.
Quasi todos andam ns, trazendo as mu- 'te,VM 8uperior ao de Pernambuco- O taba
Iheres apenas urna folha verde sobre o dis- m nval,sa com melnor da Havana- o xar-
tinctivo do sexo; das 9 horas da manhSa que emfi,n Pde ser vendido a(lu 60000
em di nle depois de banho. Nos dias de be- a arroba' com ,acro- aPezar das demoras e
bedeira, que a sua festa, em vez de f.dha perigos das cacll0eiras- Imagine dos bene-
poe um pedago de panno enfeitado do ficios W* nao recebia a estrada, princi al-
conchas e peonas ; pintam-se com aran, e men epara nosso paiz' que quem lncra
nada mais. icom a exPortaCo dos vizinhos.
O i homens apartara o cabello sobre a nuca: lagi,r mais bell do Madeira a reg5o
envolvendo-o era uraa tira de panno, e atara ^ul^Ttm ^ ^T'u ** Ml*
. K cordilheira de 800 palmos de altura nroxi-
I ponta do masso algunas pnnas de arara m bordando o rio pela margem esquerda,
epapagaio; as tintas do genipapo e uruc forman(]o darenles, que veem morrer
derramadas sobre o corpo e completa.u o hpira A'aoom
seu ornato. i L,ra a 3"ua-
Da primeira cachoeira (Santo Antonio)
a naveg;gao pouca em qualquer tempo
Na physionomia do homens vem-se pin-' foz
tadas as suas ms quadades. Entre as mu- n,
Iheres ha alguraas bonitas, mas no estado Z Se .1? TZJF?!^'
selvagera a mulher perde completajnente o STWt.Sl 1S ha
encanto. Geralmente repugna a mulher sel- Ped.raS' T lomam a Passa^ Porque no
vaem> ^8 | verao, pde com facihdade desapparecer
j esse obstculo.
Tal povo nao pde amar o trabalho. A ,
I A noticia da navegagao a vapor e da aber-
A mor parte do tempo consumido em tura de estrada, exultou os bolivianos, e no
orgias. Do milho e da mandioca fermenta- seguinte nno teremos ta vez o dobro dos
dos preparam urna bebida asqueirosa cha- productos. A entrada inttressa a todo cen-
mada-casen, que o seu constante elixir, tro da America do Sul,
A depravagSo chega a ponto de venderem o ,.
h ,u renuwwu gem querer tenhofe to um reatorio, mas
oshomensasmulhereseosproprioshlhos! raMw,w
Por amor da verdade devo dizer-lhe que o COm0 a um homem ^ue ''-mprehende
estado em q e se aeham estes desbragados que nos nli,j Por isso na0 receio ter
devido em grande parte ao contacto dos abusado.3 deoutubro de 1864.
viajantes. deMatto-Giosso dc*k^ju o *
PS.Acabo de chegar a Serpa, e fui
Esperanga, na razo dos desvos das corren- _
to Ha m,;, k nncx i a mente S. M. se levantou, estendeu-me a
tes, e de mais 5,000 eguas, mas indo por m n v___ ...
.,, ,a e*.-. a Q ca i ,m3' e disse-me com tom lastimoso:
buez, a distancia e de 2,600 leguas,
I D-me dez ris (!!!)
Calcuta n5o uraa cidade antiga. No fim
do seculo dcimo stimo, nao era mais d
que urna aldeia, que nao tinha raais impor-
tancia sena o forte Guilherme, levantado
Os boletins da polica, em Nova-York,
para cercar a proteger uraa modesta feito- aPresentam ^ d'a Para ia um quadro as-
ria. Este forte, reconstruido no reinado de suslador da moralidade daquella cidade.
GuiihermelH, urna das mais impurtanles Eis *1ai> tratada do Courrier, a parte da
maravilhas do mundo. Policia do dia il de Janeiro:
Ca'cula-se em 50 milhoes que actualmcn- Henr>' Francis foi preso por ter dispara-
te corresponderiam a mais de 100 milhoes do uma Plslola conlra Bernard Simn, amea
as despezas era que se incorreu para foni- Cando-o de lhe fazer saltar os milos.
ficar a chave do imperio ing ez na Indi i.
Um policeman conseguiu, a tempo, arran-
No caso de necessidade esta fortaleza po- car-lhe a arma da mo, evitando assim uma
deriareceber todos osinglezes queresidem cat: em Calcuta e ma s 15,000 soldados; mon-| o mogo de uma taverna, chamado Owen
ta 620 peces de rtilti-ria; conlm uma salla Early, foi preso em estado de embriaguez,
onde est5o de reserva cem mil armas por- Prefera palavras indecentes, e fazia alarido
tateis, etc. na ra, ameagando os transentes com um
Os soberboscaes de Calcuta, protegido8 rewolver-
pelo fogo da fortaleza, poaem ser abordados tribunal de policia mandou-o preso
pelos n.vio de ambos o mundos, p.r navios paraa casa de trabalho ****** ls"
de mais alio bordo, porque all en ontram a
um ancor douro to enmmode como se che- Um italiano, por nome Philippe Bessires,
gassem ao Tamisa, abaixo da ponte de disparou, sem provocagao, esquina das
Londres. A'l fundea-se, depois de ter su- ruas Parl e Pack, uma pistola contra uma
bido o Ganges, n'uma exteiso de quarenti mulher chamada Ellen Lynch, que ia pas-
sando na companbia de uma das suas
leguas.
Os indgenas chamam a esta magnifica
posigao, dedicada a deusa Kali, u os cara de
escadas ou o desembarcadero de Kali
Kali Ghats, neme de que os inglezes, que
sao grandes corruptores de palavras, tira-
rea o nome de Calcuta.
0 Ganges ali temu'iia largura de ma:s
de 600 metros. Urna floresta de maslros e cmco duros-
amigas.
A desgragada recebeu a bala no baixo
ventre, e ful transportada para o hospital
n'uma siluagao que poucas esperangas deixa
de ser salva.
Wdliam Savage, foi preso por ter teota-
do pas>ar em mudas lujas uma nota falsa de
as bandeiras de tod s os povos di' dous
Um mancebo de 10 annos, por nome Wil-
mundos, indicam que hoje a cidade mais liam Houcher, travou-se de razes na laver-
poderosa e mais rica enti e todas as cidades na de Henry Buschman, Howard Street, n.
40, com o proprietario do eslabelecimento.
e disparou .contra elle uma pistola. Por
da Asia oriental.
A cidade nova de Calcuta, com os seu<
principies monumentos, e notaveis cons-
truccoes particulares, merece o nome de ci-
dade dos palacios. Tudo babilnico nessas feitor.
fortuna o tiro falhou c Buschman pde cha
mar um policeman, que prendeu o malr
massas de ped as, levantadas naquella ca-
pital do poderoso e novo imperio do oriente.
Ve-se all um espectculo cuja semelha:ga duros.
O juiz do bairro mandou-o preso, por
nao ter apresentado uma fianga de mil
saliente com o dos b los quarteires de i
S. Petersburgo, prximo da Neva.
A parte'asiatica de Calcuta est ainda na
John Gallen, por alcunha California Jack,
presumido cmplice no assassinato de Har-
ry Lazaras, foi capturado ante-honlem.
infancia. O cuidado de fazer desapparecer Aj lnA^ne,
. ... r' Os ladroes nem mesmo respeitam os jor-
os restos apodrecidos de m llenas aniraaes
langados ao m io do mar, parece comraelli-
do nuvens de corvos e principalmente
nalistas.
Um dos nossos redactores, passando bon-
. tem uma hora da madrugada em Gran J
\oracidade de um pissaro, que nao ertpn-m,,.^, f i,j .,
. ,. ? Street, fui deudo por um gentleman, que
ce ao nosso clima, e que mu o poucos na-' m- ... .. ,. H
(l,,i;cl M_. .^.V ,. .. com maneiras assaz polidas lhe pediu em-
turahstas tem desenpto. -.hama-se indiffe-' ,. .. .
renteraente o argirlal,,. passaro carnvoro *T^0* *" d, dndole a entender
e o vhosopho. Tem a aza preta, o peito que na0 se,ndo aUend,do "**** a b^
m m nTJ16 ^end^rem mu,heres ^m' Io8 adiando o jornal em que vem o seu bello encarnado, a cabega sem peonas e o bicco para have"los-
comprido : de grande estatura. Passeia O noss redactor resignou-se de bom
impun mente e com passo fieme as ruas grado. n5o querendo expr-se a uma vio-
b m tem os Manes. as outras rinus que discurso. Sempte esperei trabalho succu
observando ainda nao encontrei uma tal lento e til d* sua illustragSo e patriotismo.
nmnstruosidade. i Se todos fizessem assim, nao teriamos tanto
UM POUCB OE TUPO.
A seguinte carta foi dirigida pelo distinc-
fc> engenhfiro J. M. da Silva Coutinho ao
Cxm. Sr. senador T. Pompeu. E' uma des-
Cipgi animada e cheia de interesse a res-
pailo dos nossos mdigenas do rio Madeira.
Rio Madeira, 28 de setembro de 1864
Idiu e Kxm. Sr. Dr. Pompeu.Von des-
eclo por este rio, de volta da ultima ca-
Cfeuetra, agratecendo a Deus ter es:apdo
de tantos perigos e incommodos. A traves-
ta dascacliotiras/com os elementos de que
ftapunba, por demais arriscada. Achava-
ane na quarta ctchneira quando alagou-se
na canoa, perdendo-se quasi toda a fari-
cha que levava. Fiquei reduzido a quatroal-
^pjeires !
E Unido assim com a fome bater-mn
f>orta, deixei a canoa maior nessa cachoeira
jpliheiro) e segui escoteiro em nutra menor.
I>a>a o mais breve possivel completar a mi
o-.ia missao, nao perdendo-a e sacrificio do
governo se por infe'icidade outra desgraga
iesse a par primeira. Em cinco dias,
empreando grande esforgo, pude comple-
publicas raais frequentadas entre a gente a lencia, e por se adiar completamente des-
a utres devoram os cadveres arrojados s variavel obedecer s leis do paii.
J. M. da Silva Coutinho.
(Do Cearense).
>1M
O Jornal do Commercio de Lisboa pu-
blica :
Na minha segunda viagem fui obrigado a depois da hirrivel catastrophe occorrida
chegar era uma aldeia de Caripunas, que na cidade deCalcul, de que demos noticia
tica perto da cachoeiraCaldeirau do fnfer- circumstanciada, devem ser lidas com toda
margens do Ganges, e o seu horrivel festim
suppre o lugar de sepultura aos corpos ex-
pulsos do rio.
A populago de Cale it comprehende a
raga britmnica pura, os christaos que so
britannicus, francezes, portuguezes, hindous,
mulsumanos, asiticos estrangeiros, parsis,
hebreus, chinas, rabes, mogols, abrangen-
do um total de 600,000 almas.
Os Paramas avizionam-se dos Caripunas, pape! dourado e podre, que s serve para pe) cava[l ,s e* carruagens. Estas especies de armado, attendende a que a nossa regra in-
e sao seus amigos, mas differem completa- biinqnedode meninos,
mente nos costuraes e quadades. Apezari Para as questes importantes, preciso
de nao terem muito trato c m os civil.sados' estU(Io, que poucos esto dispostos a empre-
sao comtudo mais doceis e corapassivos. Dender. Todos conlentam-se com fulhasde1
Plantara o sufficiente alimentadlo, prefe- rosas que s duram um dia.
n-do a pacora e macaxeira fai inha. Nao
tr cam com as mulheres, nem pedem c^u- Adeus" aceile um abrac de seu am, aN
sa alguma ; se recebem algum brinde mos-,
tram-se sumuiamente agradecidos. O seu
Tuchua um homem sympathico e de es- j
latura elevada. Puz-lhe o nome de Antonio I
Couiinho, bnndando-o com um fato, peonas. I
thesouras, etc. No dia seguinte apresen-
tuu-se elle fardado, e a mulher na com um
lengo ao pScogo!
no.-Homens e mulheres invadiram-me a a attenCao as seguinles inforraagoes extrahi-
cana querendo levar tudo que estava mo. das de um docu,nent,) offial, ltimamente j simples autoridade, diz o viajante.
Foi preciso muito esforco para polos fra. Pub,icada- e q,ie foi reJigido por uma eom-
Muito cima, na cachoeira das Araras, ha m,SSao adli,,istrativa
Se este louvavel exemplo fosse geralmen-
te seguido, os juizes de policia nao se veriam
na necessidade de se reunirem, como ante-
hontem fi/.eram, para achar um meio de
acabar com este uso funesto de armas de
V)go, ao qual se deem a mor parte dos cri-
mes que se commettem.
Grande numero de disputas que teem lu-
gar as (avernas ou as esquinas das ruas
e que acabaara a troco e meia duzia de
socos degenerara fatalmente em duelos san-
guinolentos, quando os que n'ellasse acham
Da narragao feta por um viajente, que SIliS lem mj, d que metler a
.,..;_____ J0"1,' ^uc mao na algibeira para d'aln sacar um ns-
aciualmente percorre o interior da Auslra- truniento de morte.
lia, extraamos o seguinle, que se refere i| O jajaes decidiram applicar d'ora avan-
audiencia que o rei de Moolooloo se dignou te as leis com mximo rigor aos indivi-
duos que forem capturados com armas pro-
hibidas.
dar-lhe no meio da ra.
S. M. Billy, rei de Moolooloo nao uma
Em qualquer contenda, falla sempr* a
plvora.
oncluiremos esta nomenclatura narran-
Temd07e mulheres negras juntas a sua do a se/uinte occorrencia :
ha Para fazer apreciar o q-ie a capital (Cal- peSSOa' e duas ou tres du2as de c3e8' uma aldeia de triponas, melhores que os cul) do raais prodigioso im rio J nao deixam de ser ferozes. de Patrick Lysaiwhi, Peai 1 Street, n. 48.,
da parte inferior. Em troca de algumasfa- a~.L* .-i- j : i!m. .km, u u. m.,.j. travou-se de razoescom dous desconheci-
caseespelho^ deraramegrande oorcaode ^ seusmo,u,nentos> ins- Uma cbapa de bre gravada, suspensa dos, e feriu m dMes com um tiro de
eterno .ae.am me granue porga, de ti^uiges e costumes, empregamos todos os a Pescogo por uma cadeia do mesmo me- pisuda.
macaxeiras. O seu chefe chama-se Buxi, e tai atiPia a na rt;niH.iQ
. ... ., nossos esforgos, para que fosse comnleto o Wl a"esia a sua aigmdade.
e nlhodocapitao Tupi, que vive no no A u- i. m .
nh p.i.Ji-a i trabalho qm apresenlamos.
na. Cuta talvez /O annos, e dizeraque tem
Neste theatro concentrado, encontram-se
Estes dous individHOS, tendo sem duvida
boas razes para prescindir da proteceo
Pediu-nosagua: obedecen compren*. ^uVoridadruS'T^Z*
a patente passada por sua magestade wesie toeatro concenirauo, encontram-se Ua0- Geraghty d^rigiu-se estago da policia do
O padrinho levou-o ao Rio de Janeiro, e "P^"? de W" os P &* ^ Apresentou-se-lhe agua fdtrada, que havia ^J^m\tStS^ PrSner
l receba mullos presentes e o competente ^"i*1* 't^T T' l f ^ ^, 2 2f** ^ ^^ito sobar,
fardamento. Falla bem o portugus, rPa V T ?' f SB^T mnStrOU-nos sen aKra''<*.mento pela pu- fianga, devendo comparecer primeira nli-
c,aeamblCao. Nenhuma outra cidadfe da reza d'aquella bebida, que sacia a sde,.nMc3o. se alguem flzer qoeixa. *
Buxi fez-me presente de seu arco e flexas. Asia apresenta um to grande espectculo sera excitar a embriaguez.
Antes de descrever esta cidade. ainda A attitude do rei offerecia ura contraste
mais importante pela sua posigao poltica c natural com a turbulencia e indiscrigo dos
commercial de que pela sua magnificencia e seus subditos; a sua phisionomia seria ;
O Abuu, como sabe, entra na parte mais
occidental do Madeira. Nesse ponto passei
uraa noute mitigando os incommodos e pe-
ngos da viagem cora a idea de ser o pri-
meiro engenheiro brasileiro que chegou nes-
*-.<
Diz a Patrie que o governo francez rece-
; SwpiI^d.Seuencarre'ad"de*w**
porto as as suas attracges, indicaremos conhece-se que est sempre absorto nos ne- ^ toKwM XXl m1"!?
que e a sua posiglo geographica ; latitude gocios do estado I cbmond. p
Sao as segumtes:
i. Reincorporago do sul unio ;
2/ Aboligo gradual da escravidSo ;
3." Roconheeimento dos direitos particu-
lares dos isiados compromettidos hoje na
confederago do sul;
4 Amnista geral para todos os cidados
confederados ;
5. Conservago do exercito do sul no ac-
tual p de guerra ;
6. Allianga offensiva e defensiva entre os
estados .do m.rieedo sul.
Como era de esperar, a primeira propos-
ta suscitou grande discussao entre Mr. Blair
e Mr. Jefferson Oavis, n5o tendo sido pos-
sivel regular-se cousa alguma, por isso que
o ultimo declarou nao ser i ossivel a rera-
corporago. Quanto as demais propostas,
Mr. Davis nao mostrou resistencia, ao con-
trario, disse que adhera a todas no prin-
cipio.
As negociages ficaram portanlo sem re-
sultado.
Segundo publica o Recueil de murine de
S. Petersbureo, a esquidra russa tnha no
Io de Janeiro de 1865, os sefftiintps navios
enroragadns. no mar : uma fragata, dnas
bateiras de duas torres rada urna, dez cha-
lupas de uma torre. Alm destes tem nos
estaleiros uma fragata e uma bateira.
Um acadmico humorstico nos offerece
este soneto ;
15 DE MARCO.
,. ...
Nao ha gosio per feito n'esta vida
(BOCAOE.)
No remanso da paz doce e serena
De outubro para c, viv contente,
Gozando as ferias, estacao amena
a minha vida, vida de innocente!
Em casa estava resonar dormente
Na ra dehicava uma requena.
Que em meu amor (ungido.) estava crente,
Seduzida com a minha camilna.
De Afarfo quinze, oh! raio fulminante
Nao chegues, inda nao, doces espacos
Eu quero gozar mais por um insUite...
Ei-lo que chega; que me segu os passos,
O dismancha prazeres do exudante
Que d i folganga, se atrou nos bragos,!
Le-seno Cruzeiro do Brasil o seguinte :
OS CASAMENTOS MVXTOS.
Chama-se casamento mixto a unio de
um catholico com uma protestante, ou de
um protstame com ura i catbolka.
A egreja sempre v cum dor esta especie
de casament s.
t-lles attestam de ordinario uma grande
indifferenga em materia de religio, e tem
frequenemente por consequencia a educa-
go hertica dos fllhos que deles nascem.
Pela minha parle confesso qne nao com-
preheodo um ch istao, um catholico to
pnuco zfloso -'as cousas divinas, que baja
de escolher uma mulher hertica para com-
panheira de toda a sua vi la, par me de
seus filhos, para directora do seu in erior.
A egreja most a, por todos os aeios
posH'veis, quanto lhe repugna esta casta de
un'es.
Ella nao s deixa de as circr-mdar da ma-
gestade usual das pompas nupcias, mas at
prohibe exoressamente a seus padres o to-
raarem nella< mu a p rte que nao seja a de
stmphces testemunhas ; por isto que estes
matrimoni s se contrahem fra da egreja,
na sachristia, sem bengo nem ora;o al-
guma, em pres nca do padre nica ente
revestido cora a 'oba ou sotaina, senrsobre-
pelliz e sem estola.
E ainda assim necessario que os dous
futuros conjunges, tanto a parte hertica
como a parte catholica, se obriguem pre-
viam-nte, deb^ixo de juramento, a educar
na religo ratholica todos os filhos que pro-
venham de tal casamento, tanto meninas co-
mo meninos.
A enreja, sem este juramento, recusa-se
absolutamente aos casamento* mixto .
Todas as vezes que virdes filhos oriun
dos de um matrimonio mixto educados no
protestantismo, podis ficar certos que sao
fructosde um perjurio.
Quando todas as condigoes requeridas
para estas lastimosas unioes estlj preelegi-
das, e o matrimonio oi contrahido em pre-
senga do p>dre. deve saber-so que prohi-
b do aos catholicos ir apresentar-se, como
algumas vezes se pratica, ao pastor protes-
tante.
Isto seria communicar com os hereees
sacris, is o as cousas santas, e fazer urna
culposa concesso heresia.
Uma vez que foste casado na egreja ca-
tholica que ides l.uscar ao templo protes-
tante ?
<:erlo, quen3o o matrim- io, visto que
j o coctrahistes ; se ides ao templo pa a
ouvir ler algumas passagens da Rihlia rela-
tivas aos deveres dos esposos, nao vale a
penna commetter um peccado de es' ndalo
para isso. porque as podis ler era -vossa
casa.
E'sabido que os protestantes nao olham
o matrimonio como sacramento, e se os se-
nsores pastores lem conserva o o uso de
convidarem os esposos para o templo,
porque e-ta ce emonia, a nao ser isso in-
til, lhe eos urna render bom dinheiro.
E' o enfr nqnecmento da f que traz os
casamentos mixtos. Para que o enristo des-
ea a tal abatimento religioso, mister que
tenha perdido o tentimente da dignidade
catholica.
O matrimonio um grande sacramento,
do qual commu ente depend m a salvaco
do esposo e da esposa.
Ai daquelles que o n3o contrahem se-
cundo Deus, e preferem sua f arranjos
de familia e de fortuna, i u caprichos de
sentimentos.
I


-



PEKNAMBUCO.-TYPDE M.. F. DE \ d: FILH

i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQLMB1L7N_YOE9ZV INGEST_TIME 2013-08-28T03:14:13Z PACKAGE AA00011611_10620
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES