Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10619


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ti
l
AMO ILI. HOMERO 62
. t
Pr qaartel pag* dentre de 10 das do*i. mez
dem depos dos i.os 10 das 4o caneca e dentro do qaartel. .
Porte ao correio por tres mezes........*.:
5|000
efooe
750
QUINTA FEIRA 16 DE MARCO DE 1865.
Por a mo pago dentro delOdias do l.mez
Porte ao correio por um anno ..,.,..
191000
3J000
DIARIO DE
ENC.\RREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves A
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Alabas, o Sr. Clandino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Esrada e estacos da va frrea at
Agoa Preta, lodos os dias.
Iguarass e Goyanna as segandas e saxtas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho,, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Lirooeiro, Brejo, Pesquera,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro c Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sahbades a 1
bora da larde.
Serrahem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da ni.
12 Loa cheia as 8 h., 22 m. e 10 s. de m.
20 Quarto ming as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 Loa nova as 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAKS DA CAPITAL.
Tribunal do commercin : segundas e quiolas.
Relaco : tercas e sbados as 10 hoias.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do coromercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphios: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Sancha nrinctza v.; S. Rogerio f.
14. Terca. S. Mathilde rainha de Allemanba.
15. Quilla. S. Zacharias p.; S. Longuinho s.
16. Quinta. Ss. Cynaco e Taciano diac. mm.
17. Sexta. S. Patrelo b. ap. da Irlanda.
18. Sabbado. S. Gabriel arch.; S. Narciso are.
19. Domingo. S.Jos esposo de N. Sendera.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 c 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
os. 6 e 8, dos proprielarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE
G0YSRK0 DA PROVINCIA.
Coiiliimarao do expediente de dia 11 de marro
de 186o.
Officio ao commandante superior da guarda na-
cional do Rio Formoso.Expela V. S. suas or-
dens, para que destaque urna praca da guarda na-
cional sob seu commando superior da fortaleza de
Tamandar, comrouuicando o dia em que esta or-
dem fr executada.
Dito ao commandante do corpo do polica.An-
toriso V. S. a mandar excluir do corpo sob seu
commando, o cabo de escuadra Pedro Ferreira
Ba-tus, e soldado Antonio Firmino de Mello, se fo-
reni julgados aptos para serem alistados no corpo
de voluntarios da patria, como se offereceram,
sendo para isso apresentados ao coronel comman-
dante das armas. Communicou-se ao comman-
dante das armas.
Dito ao mesmo.Expeca V. S. suasordens, para
que de boje em diante, e em quanto esliver cm i
tratamento na casa de sade do Dr. Joo da Silva
Ramos, o crimino^) de marte Manoel Francisco.
Per.ira, all baja urna guarda do corpo sob sen
commando, para ter em seguraba o referido en-,
ficiodo 16 de janeiro ultimo, tenlio a dizcr-lhe que
guardado o prazo e mais formalidades da lei pro-
ceda a convocagao dos eleitores e supplentes que
devem concorrer para a organisaco da junta re-
visora e qualificaco dessa fregnezia e a faca reu-
nir no dia 21 de maio prximo vindouro que para
isso fica designado, devendo Vmc. para a organisa-
Co das listas da qualifleacao terem vista o dispos-
to no decreto n. 2,865 de 21 de dezembro de 1861
e mais dUposicoes em vigor. _
Dito ao subdelegado do 2 districto de Pao d Albo
Luiz Candido Carneiro da Cunha.Accusando a
recepcao do oficio de 14 do mez passado em que
Vmc. me cumprimenta o assegura estar prompio a
prestar servico* e com dedicaco a esta administra-
cao, j como empregado da polica e j como parti-
cular, lenbo a dlzer-lhe em resposla que agradece
sinceramente as benvolas expressoes que me pro-
digalisa, bem como o offerecimento que faz de seas
servigos, os quaes opportunamenle aprovelarei.
Dito ao gerente da Companhia Pernambucaoa.
Recommendo a Vmc. a expedigo de suas or-
deos para que na portara de 9 do correte, em
que se mandou dar transporte para o presidio de
Fernando, por conta do ministerio da guerra, ao
cabo de esquadra do 4 batalho de arlilharia a p,
Gaspar Hennque Jos dos Reis, se comprehenda a
mulher e urna filha menor do referido cabo.
ao meu offlcio de 11 do correte, recommendo a V. i bre negocios eleltoraes o mcu offlcio relativo a Vo- tem nesta data exonerado do lugar de ajudante de
S. que faga seguir igualmente, com seguranca, para lunlanos da Patria dirigido ao Io juiz de paz des- ordens encarregado do detalhe, de que o havia in-
o presidio de Fernando o sentenciado Manoel Vi-, sa freguezia, eonfurme me coramunicou Vmc. no cumbido provisurismente, e notnoia o Sr. segundo
cente de Araojo, que o juiz municipal da 1* vara seu citado offlcio.
pz a dsposico de V. S. para esse fim.Commu- Dito ao gerente da companhia Pernarabucana.
con-se ao juiz municipal da 1" vara desta ci- Pode Vmc. fazer seguir para os portos- do sul o
dado. vapor Parahyba no dia e hora indicado em seu ofl
Dito ao inspector da thesourana de fazenda.Em ci de 10 do correte,
vista da inclusa guia, recommendo a V. S., que Portarla.-O presidente da provincia, attendendo
maode pagar ao negociante Antonio Goncalves de ao tue requereram Cunha Irmaos & C, consigna-
Azevedo, procurador do commandante superior da tarlos da galera porlugoeza Nova-Fama, resolve
conceder-lhes liceoga para a mesma galera ultimar .
no Lamaro, aonde deve Bear i
tunete da companhia do arliflees Antonio Fran-
cisco Duarte, para exorce-lo tambem interina-
mente.
(Assignado.) Jos? Mana Ildefonso Jacome da
Veiaa Pessoa e Mello.
(Coufurme)Anono Francisco Duarte, tenente
ajudante de ordens interino, encarregado do de-
talhe.
guarda nacional de Santo Anto, coronel Jos Ca
valcante Ferraz de Azevedo, a quanlia de 508003,
importancia de abonos de venclmentos por elle fol-
ios aos Voluntarios constantes da mencionada guia,
vindos d'ali para esta capital, aflm de servirem no
corpo de Voluntarios da Patria, cumprindo que V.
S. mande tambem pagar ao mesmo negociante a
quanlia de 218000, que por igual motivo se est a
dever ao mesmo coronel, segundo se v da guia
que remetti a essa thesourarie, com o offlcio de 28
de fevereiro ultimo. Communicou se ao mencio-
nado commandante superior.
Dito ao inspector da thesoorarla provincial.
Communico a V. S. para seu conhecimento e flm
o seu carregamento
ao alcance das bateras da fortaleza do Bruin, de-
vendo esta ser apresentada as reparticoes couipe-
lentes.
Dita.O Sr. gerente da companhia IVrnambuca-
na, mande dar transporte para o presidio de Fer-1
nando, no vapor que para ali largar amanha, a
oito volumes contendo tres ambulancias e cinco,
arligos de fardamento que com destino ao mesmo
presidio, serao apresentados por parlo do coronel;
I commandante das armas.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte at o presidio de Fer-
EXTERIOR.
COBUESPOSDEXCIAS 1>0 VIA
KIO VE PERXAAUfUCO.
POHIltAL
Lisboa, 28 de fevereiro de 186o.
No dia 14 do correte, pelo meio dia, dignou-
se S. M. el-rei dar, no paco da Ajuda, a primeira
conveniente, que segundo consta de offlcio do 1 I nando, no primeiro vapor que segoe para "ali" em I t"1Jcncj?rf ?; Dl!" Pf ,bol de Quesada> eQ"
secretario da assembla legislativa provincial, de ; lugar de proa destinado a passeiro de estado a Ma- i i"*> extraordinario e ministro plenipotenciario de
hoje datado e sob n. 2i, a mesma assembla no-
meou urna commisso composta dos Srs. Drs. Jos
Portara. O Sr. gerente da Companhia Pernam .
bacana mande dar transporte at o presidio de Eustaquio Ferreira Jacobina Jos Bonifacio de Sa
Fernando, no primeiro vapor que seguir par all,, Pereira, e Demosthenes da Silvelra Lobo, para pro-
em logar de proa destinado a passageiros de esta- ceder a ex;
ra Felippa
valida.
ramoso.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Ii.m macmn Faca Y S anreSPntar ao COm- I em ,u"ar ue Proa uesnuauo a ^)as^a^;ellus uo coia- .------ -
de Rosa Mara da Conceicao.
_ 13 i rente, remello
nia__.
Sacramento, Manoel Eleoterio de Oliveira e Fran-
cisco Crios Jos Teixeira, que se offereceram para
servir no corpo de voluntarios da patria, exclua-1
do-s do corpo sob seu commando, se forem julga- j
dos aptos para aquello servico. Cominunicou-sc
ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Pode V. S. engajar para o ser-
vico do corpo sob seu commando, o paisano Joo
Jos de Sant'Anua, que para isso fol julgado apto,
como cjnsta de seu officio o. 158 desta data.
Ditoao director do arsenal de guerra. -Median-
te recibo, mande Vmc. entregar frdamenos ao<
Dito ao commandante do presidio de Fernan-
da Conceicao, que consta ser des-! S. M. Calholica, achando-se presentes a este acto
" os offlciaes-mores da real casa, os genlis homens
. j da real cmara, os miuistros e conselheiros de es-
! tado, os ministros de estado honorarios c mais pes-
i soas que costumam ser convidadadas para taes so-
j lemnidades.
O Sr. D Diogo, ao depositar as reaes mos de
Continuar.o do expediente do secretario do
goreHO do lia 11 de mareo _____
N. 61.-Offlci#
ao Io secretario da assembla
do -Em addilamento ao meu offlcio de 11 do cor-1 legislativa prov*eial.-S. Exc. o Sr. presidente da j S. M. a sua credencial, pronanciou o seguinle dis-
V 8. a guia do sentenciado Ma- provincia, a qnep foi presente o offlcio de V. S. car* em lingua franceza :
^^^Xm!^S^VSST!S I Ditoaocomm'andante superior interino da guarda -assembla a dem.onstncao^de qn. trata o sen fr sotfera.ne, .a re.n
pecivo. 1 secretario de hr.je datado sob n. 22. in-: nacional do Recife.Annuindo ao que sohciton o
forme V. Exc. acerca do incluso projecto n. 4 do coronel commandante das armas, em offlcios ns.
anno passado, que crea urna freguezia na capelln* 885, de 28 de fevereiro ultimo, recommmdo
" Gamelleira no ternu de Seri- a V. S. a-expedicao de suas ordens p
Je No*sa Senbora de
nhem.
Dito ao coronel commandante das armas.Infor-
derley Francisco Antonio Wanderley e Antonio
Paes'de S Barreto.
Dito ao mesmo.-Mediante recibo, mande Vmc.
entregar fardamenlos aos voluntarios da patria Lu-
mia i Peregrino de Oliveira, Antonio Hermenegildo
Cavalcaot, Joaqnim Toomaz Ribeirj Varejao, Joa-
quim Cypriano Bezerra de Mello, Francisco Gon-
Calves Velloso da Silveira, Joaquim Mariano de
Albuquerque e Francisco das Chavas Rodrigues
Franca.
Dito ao Dr. juiz de direito de Santo Antao.Com
referencia ao relatorio apresenlado por mcu ante-
cessor ao passar-me a administracao desta provin-
cia, diz Vine, em officio n. 13 de 28 de fevereiro
prximo fiado, que na ultima pagina (as observa-
dles) dos mappas estatisticos da segunda sessao or-
dinaria do jury da cidade de Santo Anto, relativa
ao anno passado, juntos ao seu offlcio de 11 do Ja-
neiro desle anno, designou os dias da mesma ses-
sao, e em outro officio de 14 do mesmo mez, de-
ciaron te-la aberto no dia 28 do novembro : assim
como que em 11 do referido mez de Janeiro no-
meou o advogado Tiburlino Pinto de Almeida para
exercer interinamente ahi o cargo de promotor pu-
blict), e nesse mesmo da communicou ter feito
essa nomeaeao, sendo que por isso nao se deu a
falta a que alinde o relatorio.
Em resposla cabe-me dizer-lbe, que, sendo os
esclareciraentos em que se baseou o relatorio mi
Distraaos pela secretaria do governo, como esta
informa na ausencia daquelles mappas, por terem
sido remettidos secretaria de estado dos negocios
da justica, nao era possivel saber-se em que dia
abri Vmc. e encerrou a sobredila sessao do jury;
e referindo o seu officio de 14 de Janeiro ao aviso
de 23 de marco do 1858, que nao exige declarado
dos dias de duracao das sessSos do jury, e somon-
te a quaes dellas presidio o juiz de direito, nao era
de suppor que nelle tize.-se Vmc. mencao do dia
em que abri a sessao de que se trata, e ainda as-
sim nao declarou nesse offlcio o dia cm que a en-
cerrou.
Quinto a nomeaeao do promotor publico interi-
no, nu lia da vida que Vino, a communicou, e nem
o contrario se l no relatorio de meu antecessor,
porm sem declarar o dia em que ella 'eveluaar,
como se v do seu citado offi.'io de 11 de Ja-
neiro.
vereiro ultimo, sirva-se V. S. de ioformsr-me cora
argencia quaes os officiaes do corpo de engenhei
para que db'l"
do offloio, da nedessidade do crdito supplementar
aborto em 5 de dezembro ultimo, para augmento e
cquipamento do corpo de polieia.
N. 62.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presidente
da provincia, msBda transmitir por copia a V. S.,a
(Ira de ser lomadf em consideracao por essa assem-
bla, o officio que em 8 do corronte e sob n. 15,
dirigi a cmara municipal desta capital, ao mesmo
Exm. Sr. pedia! autorisacao para continuar a
pagar pela respectiva verba que j se acha extinrta
as cusas criminaos que ainda existem por satisfa-
zer e pelas quaes est sondo executada a mesma
cmara. *
N. 63. Dito ao mesmo. Em solaceo ao sen
batalho de arlilharia da guarda nacional desta
capital destaquera mais para e servico da fortaleza
do Brum, um inferior, ura cabo e 12 soldados, e
para o do Forte do Buraco, nm official subalterno,
um cabo e um tamborCommunicou-se ao coro
nel commandante das armas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Lunoeiro.Offerecendo-se o alferes da
ros e"dos do e5tado-mTiorda"^7'2*Va"sse"qe se;guarda nacional sebseu commando superior, Jero-
acham nesta provincia, declarando Igualmente nymo Cesar de Vasconcelos, para marchar com a
quaes os servicos cargo de cada ura delles e os forca que por ordern do governo imperial tem de
ministerios a que sao relativos. I destacar era defeza do Imperio, haja V. S. de o con-
Dito ao mesmo. Sirva-sa V. S. de mandar alia-, templar na relacao dos officiaes exigida por esta
tar como Voluntarios da Patria a Viriato Luiz de presidencia em 20 do mez passado.
Sou, Clandino Mathias do Nascimento, Valdano! Dito ao mesrao.-Para poder tomar em conoide-; pelo thosoureiro d,s loteras, relativamente as par-
Alves Carteante, Maiimi.no da Silva Nogueira, | ra?o a proposta para officiaes do batalho n. 21 da tes de loteras consignadas na le do 8;mento y.-
Antonio Alves Fieueira, Jo.- de Barros Cavalcante, guarda nacional desse munieipio, apresentada com gente, que deixaram de ser extrahidas no anual
Flix Francisco Cardoso, Joo de Barros Coelho, i o seu officio de 2J de Janeiro ultimo, faz-se neces- .exerelcio, e as concedidas aos estabeleeiraentosi de
Lourenco Jos da Silva, Verdiano Jos de Moraes, ;sarlo, que V. S. rae envi com a soa inormaco a candade e a. theatro da provincia, qae existem
Manoel Felippe, Jos Gabriel de Sant'Anna, Este- que fez o tenente ceronel Commandante Sevenno por extranir. _
vo da Silva Nogueira, Joaquim de Sant'Anua e Alexanlre Vellanm, como oxigi em meu officio de N. 64.-Dito ao mesmo Passo as maos de V.
lisses de Mendon?a e.Vasconcellos,cs quaes.me (o- 10 do corrate. | S-, de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provie-
ram apresentados pelo caoitao Joo Carlos de Men- Dito ao lente coronel Mariano de S e Albu- ca, para ser presente a assembla legislativa pro-
done Vasconcellos, podendo V. S consentir que o querque.-Agradeco muio a apresenUgo que fez vincial, o incluso projecto de postura confecciona
ultimo desses individuos use do distinctivo de sol- V. S. com o seu officio de hoje datado, de Manoel do e remetudo i??la cmara municipal da villa de
dado particular, caso nao Ihe compita o do 2 cade- Marcellino de Deus, que se otTereceu para servir Saigueiro.
le como parece no corpo de Voluntarios da Patria, no qual mandei-o. N. b>.Ditoao mesmo.-S. Exc. o Sr. presiden-
Dito ao mesmo. Inteirslo de quanto V. S. ex- alistar. te da provincia, a quem foi presente o seu officio
poz em seu offloio de 11 do correule sob n. 478,! Ditoao commandante do corpo de polica.Man- de hojo, sob n. 21, manda cemmunicar a V b.
communicandome haver approvado a proposta de V. S. per a disposjcao do chefe interino da re- para fazer scionte a assembla legislativa provn
e d'Espagne, qui m'accrditent
en qualit de son envoy extraordinaire et ministre
pluipoteutiaire auprs de Votre Magest.
t Mou auguste souverain^ ue pouvait n'lronorer
d'une misslon plus fhte^e que celle de maintenir
et de resserrer les liens cutre deux peuples, dont le
rsped loyal de leur iudpendance, est la base la
plus su.re de leur fecoude amili.
Je suis sur que ees sentiineuts de profunde es-
time se developperont, de plus en plus, entre les
deux pays, mesure que des Communications pas
fciles e des rapports plus intimes feront connaitre
au Portugal, comino a l'Espagne, les avantages so-
lides d'une alliance digue, sincere el luylo.
Ce sera pour moi, sire, un grand bonheur si,
offlcio de 6 do crreme, sob n. 9, transmuto V. | comptant sor la bont de Votre Magest etde son
S. da ordem de S. Exc o Sr. presidente da pro-1 gouvernement et de mon pays, l'egard de Votre
vincia, para serm presentes assembla legislan-1 Magest, de son auguste fainille et de la noble na-
va provincial as duas inclusas felaroes ministradas lion portuguaise.
Foi um remate digno desta sumptuosa festa, por
que nao se pode, sem se verem, imaginar tantas
bollezas como as que all se encontrara.
A primeira sala forrada de sJa azul mexico
com cortinas e movis irmos, elegantemente ar-
mada de quadros, como que fazendo curto a ama
bellissima estatua de tamanbo natural e do mais
Dno marmore de Carrara, que urna das cidades de
Italia otTereceu aS. M. a rainha por occasio do
seu consorcio; a posico meio recostada desja fi-
gura lindissima, observa-se e admira-sj tanto nes-
ta sala como na inmediata, porque sao divididas
por oii enorme vidro em vez do parede. Esia se-
gunda sala de menores dimensdes quo a primeira.
igualmente guarnecida de sJa verde, sobresahin-
do uai armario tambem de carva'ho, primorosa-
mente enlalhado com emblemas de caca, destinado
a conter armas e outros objectos venatorios do S.
M. el-rei. Toda esta mobilia foi feita por artistas
porluguezes.
Segu sea sala de marmore. E' aqui que a des-
cripeo fica quem derealidade. E' quasi quadra-
da, as paredes, o pavimento eo tecto sao de mar-
more de cor; o pavimento, para que se aproveita-
ram as cures differentes que o m ir more apreseota,
forma um lindo mosaico; as paredes, de laminas
da mesma pedra, esto por tal mulo unidas que
parecem de urna s peca, e o tecto, em comparti-
mentos lavradus, cmplela esle prodigio de bom
gosto e urigiiialidade. Urnas redes de metal doura-
do, nos vaos das jauellas, dostinadas a servirem de
apnio s hastes de plantas e flores, sendo cortado
um dos cantos por urna rede igual com assentos
nos lados. No centro, maueira oriental, eleva se
um repudio cahindo a agua em urna baca de mar-
more branco, que contrasta com o das paredes e
tecto, send este de um poli lo to brilhanto que
semclha agalha, e aquello de urna alvura sem par
mas sem brilho ajgum. A esta sala, segue-se outra
forrada de velludo cor de rosae em que os movis
sao de louca de saxonia, assim como o fogo, as
placas, os tocheiros, serpentinas, e mil outros or-
natos, aps esta seguem ainda outras salas, que
do entrada para osquartosmaisintohores.
Em fins de maio, on comeco do junhoj deve
estar concluida a lavandaria a vapor da Santa Casa
da Misericordia. Chegaram os apparelhos, e ma-
chinas ; acabou-sc a casa era que teom de ser mon-
tadas ; d'aqui ao remate pouco vai.
Com esta lavandaria se alcancam mu proficuos
resultados, taes como a lavagem mais regular; nao
se araonluarem roupas sojas em lugar, que deve
ser salubrrimo ; ser o servico mais barato; ne
haver necessidade de ter to abundantemente for-
necida a rouparia.
Principiou ja a construeco dos annexos ao
palacio de crystal. Chegaram os para-raios, que
nao de resguardar o edificio. Esta assoalhada e
Sua Magestade dignou-se responder :
Monsiiur le ministre.-J'ai entendu avec plai-! ofeoria nave centra.% coTlocads os fidtos de
slr l'expression des seutiments que vous venez de. cares do arco opposto a entrada.
me manifester au nom de se Magest Calolique. Cobrio-se completamente a nave oriental, como a
Je me ferai un agrable devoir d'y repondr,. occidental, que tambera foi soalbada e prorapta de
en cultivant el en re.-serrant do plus en plus, s il t 0i,ra e fa|
est pissible. l'avantage des deux nations, les liens
d'amiti et de bonne inteliience, que subsistent si
beureusement entre le Portugal e l'Espagne.
En faisant done des vujux, les plus sinceres,
Assoalharam-se e envidracaram se as salas des-
tinadas as duas classes de restaurantes. Eslccuu-
se o salo do concert, cujo tecto sera' pintado de
azul, com estrellas. No recinto denominado salo
pour le bonheur de votre auguste souveraine, et j0 concert ha, em altura conveniente, urna galena
celui de sa familia royale, ansi que pour la pros- desunida' para as senhoras,* um tablado, onde es-
pirit des peuples dont les deslioes lui sont con- tara' a orchestra, sob elle urna pequea sala espe-
lies, et bien convaincu que vous saurez correspon-
da la confiance dunt la raine vous a honor, en
vous nommant sont reprsenlant ma cour, je me
piis vour assurcz de mon estime et de toute ma
bienveilhance.
cialmente destinada para senhoras. Assoalharam-
se as duas salas do museu e galera de pintura-
Esta' completamente assente a varanda de ft-rru
na frontaria do edificio. No poente, c ao Anacer
, para a ra da Restauraran, se v urna ampia gru-
- \ erilicou-sc na nonte de 13 do crrente o u formada e podras tosca>, e que sera' forrada de
de enviar
ter sido ainda
ci n. 13 de 2S di mez pa-sado, a que rospondo.
Dito ao Dr. Manoel Niculo Regucira Pinto de
Suuza, delega lo do polieia do Sorinhcn.Accu-
sando a recepcao do offlcio do 8 do corronte, em
quo Vmc. communicando-me a vinda para esta ca-
pital, d> eidadao N'apoleo Antonio Montorte que se
offereceu para servir u> Cirpo de voluntarios da
|i .tria, agradoC'' rauito a solicitle e interesse com
que Vmc. procura anxtl ir o govorno na aeqojsicio
de voluntarios.
Dito a Antonio Perejrtno Cavalcante de Albu-
qu-rqne, delegad) de polieia de Ijiojnca.Foi alis-
tad i no corpo de voluntarios, o eidadao Benedicto ,
pelo governo imperial a dar organisaC" ~ wv. *-
eorpo, s o posso fazer sob minha responsabilidade, Dito ao mesmo.-Expec* \. S. as suas ordens sidenle da provincia, as infortnacoss ministradas
e em quanto eu a nao tomar, fazendo a nomeaeao' para que pelo corpo sob seu commando sejam da- pela thesourana provincial e polo ceronel cora-
do commandante do corpo, bem como dos das eum-! das as rondas desta cidade c bem assim a guarda mandante das armas, acerca do tener
panhias quo sao os competeofes para nomearem os; da casa de deteoc.io em quanto aqui estiver o mes- | Sebastiao Lopes bium .raes, deixando
inferiores, nao podem estes ser regularmente no- mo corpo Communicou-se ao coronel comman-. da thesourana do fazenda, por nao
meados dante das armas. ministrada.
Dito ai mesmo.Sirva-se V. S. de mandar as- Dito ao mesmo.Expeca V. S. as suas ordens Dito ao juiz de paz mais votado do quadriennio
tar no corpo de Voluntarios da Patria a Joaquim para quo amanhaa s 7 horas do dia se apresen- findo da freguezia do Altinho.S. Exc. o Sr. pn-
Marques di Souza e Olegario Jos da Costa. tem na casa de det-ncao urna forca de trinta pra- sidente da provlnca, manda aecusar rccebida
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-1 cas desse corpo, afim de escoltar at e caes do For- com o seu offlcio de 26 do Janeiro ultimo, a lista
Ur como Voluntario da Patria o 2o sargento da te do Mallos os sentenciados que se destinara ao dos eidados qualibados nessa freguezia no cor-
suarda nacional de Seriobom, Joo Sebastio da presidio de Fernando, hindo dessa forca dezeseis; rente anno.
' prar-as promptas para os conduzr aquelle presidio,
conforme solicitou o chefe de polica em offlcio de
neje, sob n. 351.Communicou-se ao Dr. Chefe de'
polica.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmc. dar tardamente mediante recibos aos volun-1 pector da thesotiiaria do fazenda.
larios Francisco Antonio de Oliveira Sobrinhoc. Alfredo de Albuquerque Martins Ferreira.Em
Mullas Carlos de Araujo Maciel. I vista aa informacu do tenenle-coronol recrutador,
Dito ao mesmo.Declaro a Vmc. que o Volun-! e do subdelegado da Boa-Vista, nao pode ter lugar
tario da Patria a qnem mandei entregar fardamon- o que requer o supplicantn. que alera disso nao
to por offlcio decta data chama-se Elias Jos C- provou ser recruiado sen caixeiro.
bral e nao Jos Elias Cabra!, como se disse no dilo! Antonio Cypriano da Silva Fragoso. -Informe o
oto. Sr. director eral da instruc?So publica.
Dilo ao mesmo.Mande Vmc. entregar farda-; Antonio Joaquim de Barros Lima.D se.
ment aos Voluntarios da Patria Joaqnim Amancio Basilio Baptisia Furlado.-Informe o Sr. inspec-
de Frailas Castro e Joo Emiliano Pereira. passan-; tor da ihesonraria de fazenda.
do elles o competente recibo. Calharina Felicia de Gouveia.-Informe o br.
Dito au mesmo. Em addilamento ao meu offi- Dr. chefe de polieia.
Costa, Vicente Ferreiro da Costa, Francisco Jos
Leal Castel Leo e Antonio Monteiro dos Sintos.
Dito ao mesmo.Srvase V. S. de mandar alis-
tar no corpo de Voluntarios da Patria a J -aqunn
Thomaz de Araujo, Antonio Francisco ferreira,
Marcolino Barbosa dos Santos, Antonio Jos da
Entreumo podo Vmc, publicar quorendo, o offl- Cruz, Manoel Polycarpo da Luz, Lino Jos de San-
ta Auna, Miguel Ferreira Campos e Jos Bstevae
da Silva.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar no corpo de Voluntarios da Patria a Joaquim
PWix da Silva, Elesbo Innocencio Gomes, Vicente
Ferreira Lima e Jucundino de Queiroz Monteiro
Regadas.
Dito ao mesmo.Sirva se V. S. de mandar alis-
tar no corpo de Voluntarios da Patria ao pratican-
te da thesoararia de fazenda Mrlchisedoc Aarao
de Albuquerque Lima, que para isso se offereceu.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar no rorpo de Voluntarios da Patria a Manoel
Despachos do dia 13 de marco de 1865.
Requerimentos.
Antonio da Silva Gusmao.Atieste,
ilva.-infirn
Adolpho Ferreira da Silv
rme o Sr. ins-
ci de... do corrente, declaro a Vmc. que o Vo-
luntario da Patria, a quem mandoi dar fardamento
Offlcio do respectivo 1 secretario datado de hontera, tria a Aitredo Martins racneco, que para isso me ; '-'
e sob n. 20, faz-se preciso que Vmc. me informe l foi apresentado por seu pai Joao Pacheco Alves. 1 SeOM
se ja se lirou a planta e foi oreada a despoza da ; Ditoao mesmo.-Recommendo a \ S. que man-, pnMo
estrada que comeca dorio Ub a Bujary naco-; de alistar no corpo de Voluntarios da Patria, se .t
nos.
Dito ao chefe interino da repartiera das obras
publicas.Para que en possa tatfsfzer a requisi-
ci da assembla legislativa provinoi.il contila em
offloio do respectivo Io secretario datado de hontera,
e
se
estrada que comeca do rio Ub a Bujary ..
marca de Goianna e se no caso alirmativo foi con- para isso forem julgados aptos os cidadaos Joao
tratada a factura dessa estrada esob que condic-; Antunes da Silva, Joaquim Alexaodnno Raoello
fe! ; Caneca, Pedro los Ferreira de Araujo, e ao furriel
' Dito ao thesoureiro das loteras.-OITerecendo o da guarda nacional Juo Rodrigues de Suuza, que
ridadao Severiano Jus de Maura, 5 % do ordena- off rocerarn-se para esse fim.
do de 2003000 que vonce mensalmeute como flel'
dessa Ihesouraria, para a
guerra, emquanlo esta d
a Vmc. paia que arrecadando .
a importancia de semelbante offorta, a remetta na' Policarpo de Aguiar. Josa meira
Cicero Brasileiro de Mello.Informe o Sr. ins-
pector da tnesouraria de fazenda.
Candido Loodoro de Souza Miranda Coulo.Io-
commandante superior da guarda na-
muniripio do Recife.
& Mathous.Informe o Sr. comman-
penor da guarda nacional do municipio
) Araujo Lima. I mes Porto, Jos Lotiren'co Lavor, G-rcino Barfios Flix Cavalcanti de Alhnqiierqup M-lb.-Infor-
D.to ao mesmo.-Sirva-se V. S do mandar alis- de Oliveira Cruz. Polycarpo Domingnes da Silva, me o Sr. Dr jmz municipal de Go.anna.
tar como 2 cadete no c-rpo de Voluntarios da Pa-! Jos Esteves M.ireira da Costa. Jos Antonio de Irnacia Mana da Conce.jao.-Concedo o prazo
tria a Alfredo Martins Pacheco, que para isso me Hullanda e Mello, S.lverio Honorato dos Santos, de 8 das para provar isoncao.
' Sebastio Antonio de Rezende Leal c Miguel Leo-' Jos Soares PintoCorn-ia Junmr.- Infnrrne o Sr.
Lima, se ainda o nao receberam. I chefo interino da repartico das obras publicas.
Ditoao mesmo.-Mediante recibo, mande Vmc.! Joao Ca los Augusto dFigueiredoIoorme o
fornecer fardamentos aos Voluntarios da Patria Sr. inspector da thesnuraria de fazen.la.
Floriano Osario Coelho e Jos Elias Cabral. Jos Eustaquio Pernandes Gama.-Informe o Sr.
Ditoao mesmo.Ao capito da guarda nacional | Dr. directorgeral da iustroccao publica.
Jos Vicente de Brito Galvo, e ao Voluntario da
Patria joaquim Gabriel 'erclra de Lyra, mande
Vmc. entregar mediante os competentes recibos a
este um, e aquelle vinle fardamentos.
Dito ao mesmo.Mediante recibo, mande Vmc.
entregar um fardamento ao Voluntario da Patria
baile de mascaras qne SS. MM. tinliam resolvido
dar no real paco da Ajuda, e para o qual tiveram
a honra deser convidadas manas pessoas da cor-
te, e todo o corpo diplomtico Senara 70 as senho-
ras, c talvcz mais de 100 os cav.lheiros.
A mascara era de rigur, sendo os tragos das se-
nhoras cm geral mui ricos e elegantes, nao deixan-
do de o ser tambera os que vestan) muitos dos ca-
valheiros, cuja idade juvenil nao comporta a seve-
ridadu du domin, que licou por isso pertencendo
aos mais voltios, bem como a capa veneziaua.
Pouco antes das II horas da noute, estava esta
escolhida sociedade toda reunida, ej na magnifica
sala do throno SS. MM.. deposta toda a etiqueta, e
igualmente mascarados, se confuudiam com as
pessoas a quo haviam feito a honra de
esta explendida festa.
Na sala contigua do throno, via-se no topo urna
mesa para as augustas personagens, aos lados cor-
riam outras a que mdi>linctamonte se aproxima- |
vam senhoras e cavalhoiros. Subre estas mesas t
viam-se as nquissinias pecas de ouro e prata, que
constituem um dos m.-.is ricos adornos de mesa,
dos quaes se podo dizer que o preep do lavor exce-
do o valor do metal. Na primeira parte da nooto
foram aqui servidos os golados, c mais tarde urna
delicadsima ccia.
Quand) ebeguu a hora de se tirarem as masca-
ras, deixados os primeiros disfarces, apparereram
S. M. a rainha no mais correcto custume de Maria
Antometa no Trianon, c el-rei o Sr. D. Luiz com
um CHStum militar rico e elegante que pareca ser
de Mousquetaire de la raine. S. M. o Sr. D. Fer-
nando nao doixou nunca o seu uniforme de mare-
chal general, o Sr. infante D. Augusto, ura bonito
cosame da corle de Franca.
Como se tiraram enlao as mascara?, pode conhe-
cer-se as senhoras, e noiarei os custumes que SS.
Excs. iraziam e que pareciam mais bonitos, entre
os bonitos.
As senhoras condensa da Torre v
e mensalmeute como flel Dito ao mesmo.Mande \. s. ansiar no corpo
auxilio das despozas da I de Voluntarios da Patria, se para isso forem julga-
Jurar, assim o communico dos aptos, os eidados Joao da Fonseca Luna, Joao
lando nos devidos lempos Baplista Fottosa, Emigdio da Costa Foitosa, Jos
Jos PedroInforme o Sr. inspector da thesou-
rana de fazenda.
Jo Hygino dos Santos.Informe o Sr. com-
mandante do corpo d* polica.
Jos Francisco de Menezes Amorim.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
plantas irepadeiras, grato recinto para abrigar da
calma, que havera' no lempo da abertura da expo-
siQo.
Agora que o sol anima e parece applaudir a-
quellas obras, o trabalho corre mais effloaz. Para
1 dar ideada vastido dellas, eis-ah a lista des ope-
rarios, que ainda ha poucas semanas ali havia, e
os quo ha agora.
Trabajadores 146 a 165 rapazes e mulheres
312 a 356 pedreiros e trolhas 174 a 18S car-
pinleiros 73 a 76 lerreiros 26 picueleiros e
pintores 5 a 21 vidraceiros 9 a 11 total 77o
a 839.
Do estrangeiro teem continuado a vir pedidos de
, espaco para varios productos. Os nossos cnsules
'' portuguezes teein-se havido com louvavel amor da
trra que represenlam.
A magniludeda queslo doalojamenlo para es-
irangeiros lo.vou o governador civil do Porto a
mandar inquirir o numero de Hospedaras e casas
de dormida. Disseram as investigares qne ha ac-
tualmente 54 hospedaras, que podem rereber '038
hospedes, e 45 casas de dormida para 465 pessoas.
As cumnii-sOes de ras que vo ser nomcadas
ho de trabal liar para que seja maor o numero de
casas que recebara hospedes. E note-sc que i.a-
quelles nmeros uao vo coinprehendidas habita-
Ces que do quarto e comida, sem s- fazerem an-
nunciar como hospedaras.
Consta que no da 3 do correte, fra pelo mi-
nistro dos negocios estrangeiros feita aos differen-
tes governos a nolibeaco offloial da exposicao in-
ternacional, que deve inaugurarse no Porto em
agosto prximo.
A notideaco foi dirigida por intermedio dos
nossos ministros as differentes cortes, e tambem
comraunicada aos ministros estrangeiros residen-
tes m Lisboa.
O Sr. Bernardo Jeaquim da Rosa acaba de
,estia napoli- ann,uriatr11ue ** aborta a subscripeo para a So-
tana, a duqueza de Palmel'a, de duqueza de Moni-! ^0 Ahmen icia do Porto.que se destina a .for-
penVier D Mara da Conceicao Casal Ribeiro, de; n''cer ao municipio.os pnrae.ros alimentos na vida
rainha de Saba, a condesa de Azambuja represen- \ f*J ""S* '
tava o j"go de billiar. a condessa de IVnallel, de;
de Lima, LnizGraciano da Cnnha Machado Pcdroza.
mesma'o"cea*iao"; Yhesoura'ria de "fazenda afim de Antonio de Souza, Manoel de MouraSilva e Aguiar, Dito ao mosmoAnnuindo ao que solicilou o
mesma occa>iao a inesourana ne wzej na,mmiuc da Vera-Cruz Andr Pereira de Luna, corone commandante das armas interino em offl-
te'rnUt' a SnurariTInSenn FrandLo' B^Mo de BarS fcnigi bem como o ci de 11 do crrente, sob n. 475, recommendo a
Diw ao U,z d TZ"m votd \f d districto da guarda nacional Manoel Marcell.no de Deus, que Vmc. que d suas ordns para que sojam roeollu-
fregnezia d^Atua Pre-C mSando do eu offlcio Jara esse fira foram apresentados, este pelo tenente dos a esse arsenalI qnatro coohetes cora 4,000 car-
delfid*ilri?rf ultimo nao se ter rallado na 3- coronel Mariano de Sa e Albuquerque, com officio luxos embalados do adarme 17 que se irijmw-
Sfii gggaa Bel so^de qualifica- de hoj^ aquel.es por Graciano da Cunha aiacha- ^^lJS^t^^
pareci STS%?'i%5JKiS ? n ocado por dDito ao mesrao.-Sirva se V. S. de mandar alis- pmgardas do mesmo adarme, que nao sao .IH pra-
^^T^S^&^i^Sm^ Ur no corpo de Vo.unUrios fitoffi** \ e^-Cn,an.non-M ao corone, commandante
rj^^'^T^lX^^ SsOT ^-senalde mari-
ri ais1 not1 n, mroximo vi. u^ <* ^ ^ ** I tstsss ns ssstsssfz
donrp quejara isso designo devendo Vrac.no caso crtpara iwo^^ ^^^^ ft ^ jnformar ^^ do resppPtivo repu,amen,0, 0 mt,nor ja.
quim Jos de Sant'Anna, que cora este offlcio Ihe
ser apresentado.
Dito ao juiz de paz mais votado do i"
do naueompareriinento daqorltas eleitores e sup- Dito ao mesmo.-Sirva-je V. S de informar
penles proced-r de confurmidade com o disposlo qual a idade que tem o Voluntario da Patria, Mo-
nos avlM n. 113 d 15 de marco de 1856 e 40 de desto Ju> Carlos, filho de Gerlrudes Mana da
25 de janeiro de 861 e aris. 8,10 e 14 das instruc- Conceicao, o qual era guarda nacional do batalho
cds armexas ao decreto n. 1,812 de 23 do agosto de Mnnbera.
de 1856.
Dito ao juiz de paz mais votado do 1 districto
do actual quadriennio da freguezia de Cabrob.
Inioirado do que Vine, me commonicou em sen of-
Dit'i ao mesmo.Queira V. S. informar sobre o
districto
do quadrionio lindo da freguezia do Altinho.Em
resposla ao seu offlcio de 20 de fevereiro ultimo,
declaro-lhe que nenham inconveniente houve por
condessa do Cumiares, representando Hocos de ne-
vo, a condessa de Alimida. de Amazona no reina-
do de Honrique IV, a condossa dasGolvas de ma-
dama de Pompadour, a Sra. D. Thoreza de Salda-
nha da Gama, de Mara Antonielte no Louvre, a
conde
Mell
sards, D. Eugenia do Almeida Mello e Castro de
Leopuldino Antonio da Fonceca. -Requeira ao vivandie're du dinble, D. Maria Joaquina da Cunha
governo imperial. de Escosseza, D. Margarida Berque de dama de
Manoel da Silva Camello.Informe o Sr. Dr. espadas, D.Thereza da Cmara de soubretle no
chefe de polioia. reinado de Luiz XV.
Baoharel Manoel Galdino da Cruz.Informe o Outros cuslumos de phanlasias, ricos e elegantes,
Sr. Dr. juiz de direito do Brejo. j assim como dminos, entre os quaes se di-tnguiam
Manoel Joaquim da Silva.D-se. o da formosa madama L- bzeltern, cuja filha vesta
Patricio Heurique de Messias.Inlorme o Sr. um lindo costume hungaro.
commanndate superior do Recife. j Nao deixarei tambem de fallar nos custumes dos
Virtorina Mana da Conceicao.Informe o Sr. cavalheiros Os senhores marquez de Castel lo Me-
comparativos s differentes
pocas que estamo atravessando. A carne verde
prioctzYde Lamballe, a condessa de Ficalho de da- \ o primeiro alimento de que vai tratare em se-
ma da corte de Franca na idade media, Madama f"'?^ os ?' As accSessaode 59000 res. So
Pyke, de urna mulher de um quadro de Rubens, a
dado aos chefes de familia suhscreverem semen-
t de urna atdez acedes. A importancia da subs-
cripcao entregue no acto de assignar. >
Sao estas a palavras com que se dirige ao pu-
blico aquelle cavalleiro.
A cmara do Porto mandou para o governo
lessa de Ro Maor, de Bohemia, D. Thereza de f*[ projeeie de empresiirao de 300 contos para
a dP cizaa v sua irmai do vivandeira de hus- ser apresentado ao conselho de districto.
^ KM S."a SS5 !... p? L Entendeu o governador civil quo. negocio tal re-
Dr. chefe de polieia.
COMMANDO DAS ARMAS.
Ojiarle! do eommau'lo das armas ic Pernaiubuco
na cidade do Recife, 15 de mirto de 1865.
OrdVm do dia n. 43.
Tendo a presidenria deliberado que o Sr. len-
le do corpo de guarnieo desia provincia, Jos do
Reg Barros fosse servir no corpo de voluntarios
me tiede no incluso reqiierimento documentado, declaro-lhe que ne....
Antonio Ferreira de Barros! Cmpello. y ter Vmc. aberto como juiz de paz mais volado do da patria, a cujo Sr. commandanle hoje seapresen-
Dilo ao Dt. chefe de poljcia.-Em additamnto' quadriennio passado e na supposlsao de versar so- ton, o coronel commandante da^ armas interino o
Ihor vestia de Ataguan, duque de Palmella deGre-
go, conde de Penarie.l de Albancz, baro de Rega-
leira de official no reinado de Lu a XV, conde de
1 uir.iares, do puritano, conde das Galvas de ami-
go venezano, e o marquez de Monfallm, de aniigo
cavalhriro de Malta.
Todos estes cusamos eram de sedas ou veludos,
e profusamente enfilados com ouro e brilhanles.
Succedam-se as daifas, quasi sem interrupeo
at que, pelas 4 horas da noute, Suas Mageslades,
qnerendo ainda tornar mais aprasivel esia festa,
determinaran! que a todos fosse permiltida a en-
trada nos quartos particulares de S. M. a rainha
nos quaes qulzorara .ue fdSS0 servido o chocolate.
governador civil quo negocio
clamsva a mais prompta deciso. Por isso convo-
cou extraordinariamente o conselho de districto
para votar essa operaco projeclada pelo Ihesouro
municipal.
Reunio-se edeu consulta favoravel ao pensamen-
lo da cmara.
O conselheiro Januario Correa de Almeida sen-
satamente observou que era covenienle e neces-
sano distinguir entre as obras que nao eram to
urgentes e as que por causa da exposicao, se tor-
navam de absoluta preciso ; n'esta classo claro
que se comprehendem j as roas que avesinhara
do palacio de crystal, j as que do entrada para a
cidade.
Tanto as cmaras como o governo, de certo se
lembraram que a proximidade da festa internacio-
nal obriga a uo ter delongas. por serem aqui as
demoras o mosin kiuo o prejuiz grave para o real-
ce d'ella. Igual observaco se applica a propusta
de snhsjdio para a exposicao.
O ministro das obras publicas apresentou.
como cima disse, tres propostas de lei, na cmara
dos deputados. Urna sobre o coramercio dos vi-
nbos do Duuro.



*ft.0
ni/F
n r n ?
---------
livre a
todos os viohos
A barra do Douro Oca
uacionaes.
Estabelece-se urna deroarcagao na agricultura
vincola de Doaro, mas de modg que nao contrari
o prtonpw4l%.liberdade sobre que a lei se basea.
O onjameuto do astado consignara' todos os fln-
nos urna verba de 60 contos de reis, para melho-
ramentos municipaes, e o governo compromelte-se,
liara mais larga indemnisafo dos (avradores do
Dooro, promover a fundagao de ora estabelec i mea-
to de tredilo para aquella provincia viohaleir, e
de outro estabclecnnento do eseMa agrcola.
A outra proposta, a da Hberdade dos cereaes.
Completa liberdade de importadlo com um im-
posto mdico sbreos cereaes,imposto quede dous
em dous annos sera diminuido de quatro lustes a
dous, e de dous a um, creio que em cada cem hec-
loliiros; isto creio eu na cevada e cenleio.
O imposlo em oulros cereaes segundo creio de
seis tortees, sugeitos mesma diminuigio bienal.
A terceto proposta para o governo ser autori-
sado a dispender 7a:bOOjOoO res, com a exposigao
intrraartooai do Porto.
Os pitJuctos que vierem do estrangeiro expo-
sice pagam direitos se ficarem no paz e a exposi-
cao fio a considerada como deposite dependente da
alfandega do Porto.
O general Jos Gerardo Ferreira de Passos
ministro da guerra, pedio a sua exoneracao, sendo
interinamente encarregado da pasta o ministro das
obras publicas ; um por tanto este ministro a seu
cargo tres pastas.
Ha pote duas pastas a preencher ; julgase que
nao lardara' muito que haja mais outra, a da jus-
tiga.
Diz-se que o duque de Saldanha esta' aomea
do ministro de Portugal na corte de Londres.
O Sr. Caetano Alexandre de Almeida e Altiu-
querque, eapito lentela armada e commandan-
te do vapor Mmdelto, foi agraciado por sua alteza
real o bey de Tunes, com a commenda da ordero
la Turqua, Nichani Iftihai.
Como se sabe, para sua alteza real o bey de Tu-
nes poder agraciar com esta merc qoalquer dos
seus subditos ou qualquer estrangeiro, carece de
urna previa aotorlsago do imperador da Turqua.
U Sr. Almeida e Albuquerque foi agraciado com
esta commenda em consequencla de ltimamente
ha ver ido a Tunes, commandando o vapor iSindello,
assira como foi agraciado por sua santidade o papa
cora o grao de carvalleiro da ordem de Pi IX,
quando o Mindetlo e.-teve as ordens de sua santi-
dade as aguas do Civitta Vechia.
Teve, pois, o Sr. Albuquerque, como distinctivo
honroso, a Cruz e o Crescenle, dous symbolos de
religioes diversas, que to cruas guerras tiveram,
e que ainda hoje se odeiam, mas cujas insignias se
reunt-m em paz como premio de bons servicos no
peilo de um honrado militar.
No dia 23 do corrente, pelas 10 horas da ma-
nha rhegou a esta cldadc o conde de forres-o-
vas, que ha nove annos se ausentara para gover-
nar a India, era cujo governo permaneceu todo
aquelle lempo.
Foram esperar o conde, seu irmo, eoromandan-
te da guarda municipal, oulros prenles e amigos,
com a msica da guarda municipal.
O conde foi hospedar-se em casa da Sra. baro-
nesa de Noronha.
O conde de Torres Novas foi muito obsequiado,
durante a sua estada em Gibraltar, pelas autorida-
des britannicas.
No dia 11 foi o conde convidado jamar em
casa do governador, o general sir William Co-
dringion ; na noite de 13 assistio a um baile dado
em seu obsequio pelo general Frome, do real corpo
de engenheiros, e no dia 14 assislio tambem a um
baile dado pelo coronel Daulton, e pelos oflkiaes
do real corpo de engenheiros.
O governador daquella praca offereceu ao conde
pedir pelo lelegrapho autorisaco ao almiraniado
inglez, para por a sua dlsposgo um vapor da ma-
ntilla briannica. Porm nesla occaslao ehegou o
vapor Argus, mandado porluguez, e nao pode rea-
lisar-se o offerecmento do governador de Gi-
braltar.
Na noixe do dia 24 do corrente, pouco depois
das 10 horas, manifestou-se um violento incendio
as cavallaricas e officinas que a companhia dos
ommbus linha na ra do Crucifixo.
N'o se sabe ainda como o fogo prlncipiou.
certo, porm, que cinco minutos depois de se ou-
virem os primeiros apitos, appareceram as cavalla-
ricas todas incendiadas, vomitando fogo por todos
os lados, e ameagando inmediatamente os piedios
siluados de lado de trazdas officinas.
Quando os primeiros soccorros appareceram, j
algumas pessoas, quehaviam acudido com etles, e
parte dos mogos, cocheiros e solas dos mnibus,
tinham salvado alguns cavados e muars, e tres
on quatrocarruagens. Segundo eonstt, morreram
27cavallos e salvaram-se 21. Dos trens, consta
que .-. quatro foram consumidos pelas chammas.
O figo ir.antfeston se com um carcter assusla-
dor. Compunga ouvir os relinchos dos cavailos
presos s mangedouras e ouva-se distinctamente o
ruido que os pobres animaes faiiam as suas des-
esperadas tentativas de fugirem do fogo.
A confuso, por alguns momentos foi muito
grande e nem todas as pessoas que se reuniram
primeramente na roa do Croeifixe se atrevern) a
-r

-
do seu
Diarlo Je rernatabnco Quima felra i de Marco de 18G5.
&
do os foros do seu cargo, e recebe a" espada da
ordem.
O plenipotenciario e o re d'armas collocam nos
Parece loe muttos artigos da pauta serio refor-
mados no sentido mais liberal.

I MI
__ B acabada a c
**o os que esto indicados, entregando el-rei ao
plenipotenciario a procuraco passada a um caval-
leiro da ordem, para o representar no capitulo que
customa celebrar-sc na capella de S. Jorge, no pa-
co de Windsor.
Dma salva tas fortalezas e navios de guerra an-
nuncia que est concluida a cerimonia da investi-
dura.
A" noile ha jantar de corte, para que sao convi-
dados o plenipotenciario e a sua comitiva, o minis-
tra e os empregados da legago britanoica, o mi-
nisterio, e alguns altos funcionarios.
Ha bastantes das que corre a noticia de que
s. M. a rainha desejava ir visitar seu augusto oae:
Requeiro que se pega ao Exm. Sr. presidente
n* e ds pe^as; e em ver o brilho dos galoes e
do doorado de metaes dos uniformes militares, e o
nobre funcionalismo da primeira ordem.
Mas desta vez mais urna circumslancia os lavou
E"esu mal que o governo quer alabar noinin'nnJ"a E00"113..0."6 indicava esa esperanea,
leudo j tomado posse daqnelle comSo K' 2 e 3^ dVifant r f JiT-i -dM bata'h5eS DS-
mediatamente foi comprimentado por toda aulkia- resoect.'Va h&? de ""^ores com a sua.
lidade da guarnicao da capital. ^ "" ""** \ XTL^oZ ^Z^TT^^'^ ida preOV,ncia a *WM "formacao
. -Fo.nomeadovogal dolsupremo conselho de commandada ni o oSnl n i "wi^ SJ.-'.i86 ^c,,dadSo Augusto deV Bai
-----------K_, justica minar, o general de brieada o Sr Jlo a dirfi coronel o br. L. A. Alves, dando anda snbde egado do disiricto de H
confirmare agera que no dia 17 do corrente se Carlos de Siqueira ">"*< o &r. Joaoa direita a ra quo do mesmo caes se dirige ao -
reuni o conselho de estado para deliberar acerca I O general d diU3 har3 a. u.- n.,_ I :Tl0J? Bom JtfUS- O concurso era de mais de
da vlagem de S. M. a rainha a lulia, a que o con- sil foi comeado
e correr em defeza da honra e dignidade nacional
legrade-do Imperio na
selho, .por maioria de dous votos, foi de parecer \ litar,
contrario a sahida de S. M.
O duque de Loul encarregou c
- 6 general de divido baro do Monte Bra- cinco mil pessoas toMn^g^ SSe^
commandante da 7* divisao mi-
reglSes, casias e sexos.
As tres horas S. Exc.
cil e conveniente para remediar essa necessidade
publica.. Antonio Lopes da Iva Barros. .
- Requeiro que se peca pelo* caoaes competen-
ranea-, tes urna relacfio das datas en. qne foram com vista
ao Sr. l)r. procurador nVal as 33 causas mencio-
nadas no quadro apresentado pela thesourana pro-
y'"c'a|. relativo ao semestre de Janeiro jonho de
looi. S. R.Campello.
O Sr. J.Rego Barros fundamenta e manda o se-
guinterequerimento, que flea adiado pela hora :
Requeiro que se solicite do Exm. presidente
w>:
Barros Gorreia
Bebedouro, ter-
S. R.J. d'i Reg Barros.
(Continuar-seha.)
- O Ultra-mar, da India, do dia 29 de dezem- Jos Ferreto P.JLf""' Em-.':nselheiro Sr.
---------v-----D*u Srs. Geral- bro prximo passado publica o se-uinle dens a^mnLhf, ^a com seus aJudaD,es de or-
do Jos Braarocamp, Jaouario Correa da Almeida, | s. Exc. o Sr Jos Ferreira ?C desemhar-1 L ,2i pan5ad9 do Dobre coaie e seas aJudan-
e D. Joao da Cmara, de elaborar um projecto pa- con em G^S^ffl^S^Sffffn i no rt?' 1**"** da a'eota do governo
ra se estabelecer a polica em todo o reino. do corrente. e foi rVreh'.d ci Z 2? tJ>e _fo1 lo *>** com urna salva de
mo de Caruar.
Foi inomeado governador
Sr. Geraldo Jos Braarocamp.
crreme, e foi recebido com todas as solemni-
civil de Lispoa, o dades, que em taes casos costuma naver. O con-
curso do povo foi exiraordinario, cerca de yes mil
osa cMrrMTZJtZIT-1!? dC adq.UrI* ? ?' peSSOaS S*ropni no liitoralde Mandovi, para
ma" SS. SOS?1 docum/DlOS edipl" Ve[e saudar a1uelle' dePis de 7 a""* de Pa'er-
"ult L mP Sd'C0 advogado e juriacoo- nal governo, se retirara entre as lagrimas dos po-
.isuito Joaqutm Jos Pereira e Souza, e seu filbo vos que oidolatravara
Joaquim Pereira e Souza, que foi conservador da
bibliotheca nacional.
Eta collecgo multo preciosa e abrange diplo-
mas de tra melhor. Hojo est em poder dos herdeiros do
fallecido conservador.
Por sentenga do tribunal do commercio, de
9 do corrente, foi declarado fallido desde o da 8 o
commerciante da praca do Porto Jos Ferreira
Barbn Leal, sendo nomeado curador fiscal pro-
visorio Jos Leile Ferreira Guimarae, e joiz com-
missano Joao Guerreiro de Figaeirdo Almeida.
O Sr. Thornaz Ribeiro apresenlou a represen-
tacao do cabido do Porto coiXra a redueco dos
ladennos quarentena.
v Sr. Adriano Machado foi nomeado director
geral de mstruccio publica, lugar vago pela no-.
meacao do Sr Magalhaej Coutinho para secretario
de el-rei.
O
O povo miudo tem tanta confianga em S. Exc,
que quando apenas o canho annunciava a sua
chegada, alguns jperarios grilavam de prazer :
Chegou quero nos ha de trazer a abundancia e ba-
rateza.
Em Bombaim, diz Bombay Cazett, foi o Sr.
Pestaa recebido por urna guarda de honra, e por
um numeroso concurso de portuguezes, que, pelas
7 horas da manha do dia 12, se agruparam no
caes para o saudarem.
Pelas 3 horas da tarde do dia 24, teve lugar a
solemnidade da posse.
(.r o povo miudo, cujas esperanzas todas se
resumem na abundancia e barateza do mantimn-
to, que a careza dos gneros era devida ao gover-
no que cessou, quando elle nenhuma culpa linha
disso.
E pensa ainda o povo que a ebegada do novo
21 tiros e ao passar pela roa rececebeu a conti-
nencia da tropa.
Foi recebido na igreja do Bom Jess pela cama-!
REVISTA DIARIA.
Teve ante-hontem o comeco dos trabalhos
scenicos do Santa Isabel, no corrente, com o drama
Os Miseravets, do Dr. Agrario. A execuco corren
regularmente^agradando ao publico.
a Oitava pagina vai urn juizo crtico,
inonaaoes. lomada a posse do governo com as
formalidades do estilo, repetio-se mais orna salva
ae 2t tiros e tres descargas de mosquetana e de-
ram-se tres vivas de estilo,
ii -9 ar*enal falvu assim na vinda como na reco-
mida de S. Exc. com 21 liros, e Qndo o acto da
BSSfxSf&f salva 1ue foi correspondida pelo
forte des Res e praca de Aguada. ,.
de^frt-f Srs-,Js Kerreira Ps'a"a ~"de SSiSS? am,gS P6la PrVa
de Torres Novas, da igreja dirigiram-se -......... '
video e Paraguay,
gradeco essa honra, e
para satisfazer a sua
expectativa.
Se davo ser justo, zelosa e intaressado pelo bem
estar de todos os meus commawlados, a estes cor-
re lambem o dever de *e cornportarem como ver-
dadeiros defensores da patria; isto subordina-
dos, deis e pontuaes exeeaioras das ordens de seus
superiores.
Eu espero que todos se daro as roaos, para que
o ser vico se faca de boa vontade e com a regula-
ridade que de mister, convencidos do que so-
mente unidos podem ser fortes e respeitados.
Viva S. M. o Imperador.
Viva a nacao brasileira.
Viva o Exm. Sr. presidenle da provincia.
Viva o Eira. Sr. commandante das armas.
Vivam os bravos Voluntarios da Palria.
Antonio Gomes Leal,
Coronel commandante interino.
Acabam de ser designados, para organisar o
corpo ae Voluntarios da Patria, os Srs. coronel
Antonio Gomes Leal, para nominante, e capiio
Manoel Porfirio de Castro Araojo, para major.
A escolha da presidencia da provincia nao po-
da ser melher, qner pelas habilitacoes, qoer pelos
precedentes honrosos desses dous briosos milita-
[??: .Damos-lhes.pois, nossos emboras, e felicita-
de eonfianga que
conego Soares Franco acaba de escrever
nm drama, sacro intitulado a ratnha Snta lzabel,
que deve subir scena no theatro do Gymnasio na
prxima quaresma.
7 Sr. Ernesto Biester, tambero, araba de
traduzir urna comeda em um acto intitulada Fur-
to abencoado.
Foi despachada na alfandega nma bomba e
mangueira para acudir aos incendios, para ser es-
tabelecida nos canos da agua das ras, com urna
torneir propria.
Esta bomba foi dada de presente .
nicipal de Lisboa pela companhia de seguros or-
wich Lniao, que a mandou vir de Inglaterra.
Reunio-se n'um destes dias a assembla ge-
ral dos accionislas da companhia de lanificios de
Lordello, na casa dos seus directores caixas, os
Srs. Ribeiro 4 Lima, na ra do Laranjal.
Foi lulo o -
governador basta para os precos mudarem de for-1 abrandad^o furVnsn vandal. ^f' ^T ,ulha
ca. A coincidencia de, no mesmo di do desembar- erara ja basUntes wndaTa,: mas as esgragas
que do Sr. Pestaa, ler descdo o preco do arroz, Tres erabarcares fe i. ua ,
concorreu para a crenca popular se robustecer ; e | quella ilha era a no^te rt, S ^ra ^ V** iDa"
o casoe que tambera o trigo nesta comarca soffreu S- 1ITJ? ?-D0?1.,e ds. Rara 6 navendo a !
urna baixa de mais de 25 Ojo : e se o prego do
arroz diminuir na mesma proporcao, nao haver
quem possa desfazer a crenga popular.
to de S. CaetanJ; IS^ZS^S^SS I, SSSff T d,,a ,dve laar a wsse- CWD as
para Pangim. iruagtrn vouaram | formalidades do estrilo, prenunciando o Exm. Sr.
Ha noticias de Macau que alcangam a 30 de de- presldeD,ft e coronel commandante allocugoes ana-
lZh\To2^t^
grande incendio que SSS^ku^S%S\!St^^ Jnior, alferes do corpo de vo-
gao de Colavano, ao sal da Taina N5o havia ner- 'W08',raiendo en> sa companhia mais sete
das de vidas a lamentar c,ldadaos> 1ue se veem alistar naquelle corpo. Ao
Houve um foriissirao temporal na cidadede Pon- 11' alf T,burlino damos os nossos emboras pe-
ta Delgada nos dias 3 e 6 dei corrent.A hora L^.rGS EL*6" emPrue8ado "a acqnisigao de
- as columnas dos
de se fechar
tunar a perda de vidas de alguns dos tripolantes
dos mesmos navios.
Os dous ltimos langos da plataforma que pela
. ------ -yww uta ptatoiui nial UUC LCf Bem pode ser que i^ inflo."os especula- SS&^BSLd'SS S25 ?
dores gemios, quejfaoaticos corao sao a maior par- Poma De cada Lam %*%*&*&**
te, recelosos de que os pregos baixem muito em ^^ffda fora^ completamente obstruidos pe-
consequencia da chegada do Sr. Pestaa, comecera
a cmara mu- a dar extracao aos seus depsitos, diminuindo a ta-
xa que haviam fixado. Multo pode a crenga, mes-
mo quando errnea. Antes assira, do que roono-
polisarem o manlimento esperando a alta.
Seguem-se as proclaroagoes seguintes :
Habitantes da ludia portugueza. Tendo sido
| f>. M. servido aceitar a escusa, que lhe ped, do pe-
rentorio da direccao, do qual consU, sado encargo do governo desl estado fiz hi
)or cenmtiUCr de FeS M8*m- ou mais "rmesm BO'erno ao Llm e Exm. S coS-
n wtv>, n selne'ro Jos Ferreira Pestaa, a quem o soberano
Hr. ? JK0SC V'ctor,no Damas">, d'rector geral t se dignou de nomear por meu successor
dos telegraphos do reino, parte brevemente para BMoS^^miJSSk^^m,-
5 TOfSSSfSSSSSEZ l.e'^raph- ,ra' Crre-rae r8r0Sa SSS^! roamfesta'r-
co O m ^l? ~f feS. U0 de- "" T.qu! me ausent0 com a cousciencia tranquilla
go. nm daste congresso a transroissao dos de ter durante o largo esoaco de nova annns am
oXcouuopdai6ei9ndamAm^hia; 5servif *rido-vmpregado!S!25BfiiWMSK
uKhn *Jr\ lh *n m,Dlmo deJcada ^P^110 responder a honrosa confianca da corda, e dirigir
auiographo sera de 40 re.s em quadrade. o leme do estado pela bussola da justiga da equi-
O governo mandou remelter ao reitor da mu- dade. .... ^ui
iXhnca d'e nhnara;,m,a0ndr-Ct0; ** e\CIa p- Fiel aos 9"W 'I"e vos expu na minha
rhZi > n!r uma por?ao da ctncn(">" ve- Pcociamago de 6 de novembro de 1833 forcegei
'""? ng* M eBsae ns *r btameos quanto ero miro coube por integralmente uardar
Xtattr?B SSf geDer d e faz-er|uardar vossosPdreSrae riToro-sam n"
-RflOT medicina. exigir de cada uro o cumprimento di seus deve-
-Zi 'jeDn,-sf n? d,a i do corrente a assembla res. Sio da India corno entrei comnleamente
se desd^I l^L -,0ram : QUe Se re?ueres-: Parl,dos> Das rivalidades e competencias das cas-
man.nit J overno iue propozesse a lei per- las, nos anUgonismos das religides Levo norm
notave,TcrhPe,ann-e0qae' atlendeDd0 "f?" f ""'" 'lB.enio da SSffito eJte Z e'
9^^smL^smu^! devoa adhesao a nacaporiugueza'a quera ta"t0
KSaa?olS5"taSB*; eposilando-sef Levo alm disso o animo penhorado de tantas
,,a 1.u.eo governo julgar necessana para ga- e tao continuas provas de benevolencia aue todas
^lte^S'*^ aS'aSeS d0pvo ndiano feTSesSSii
awilM*7wfcfeT^?*? cS resl0sC0lu a minJha Pessa em todas as vicissiludes por-
Jos Perrelr armada For,0Dat0 ?ue !s,ado > Pa^ado durante. o periodo que
ju.t rerreira. Uve a honra de govtrna-lo
il da armada nacional. Seu Quaesqoer dissabores, que algum vei ou a
temporal
O resto daquebraroar nao soffreu estrago algam
devido de certo a sua solidez e boa conslrucgo?
A consternagao e susto dos habitantes da cidade
era immenso e eis tambem o motivo porque a
pessoa que escreveu dando esta noticia nao pode
dar mais ampios esclarecimeoios acerca de ootros
desastres occorridos.
. J se insullou ao Aljube, no Porto a casa de
correccao para recoher as merelrlzes, que va-
gueiam pelas ras. Ja all se aeham algumas des-
sas mfelizes, tendo sido mandadas para as suas
naturalidades as que sao de fora do districlo.
O governador civil lula com a falta de meios,, n.
pois, como se sabe, o cofre do districto nao Iheu JE?fla'!f"5eOU aex,s,e0
permute o por em pratica| a sua vontade o que re,ha -e51Qerda e os r
deseja, no que respeiu a melhoramentos.
No enlamo ordenou para que a cada umadessas
desgragadas se dsse roupa nova apenas entras-
sem na casa de correcgo ; e aos domingos lerio
missa dita por um capllo.
Teem ellas j horas certas de reza.
O visconde da Trindade, approvando eapoiando
a idea do governador civil, enviou-lhe a quanlia
homens que venham abrilhanlar
nossos velumtanos,
De noticias ltimamente viodas da Europa,
consta que o paquete a vapor jnglez Armenian que
de Liverpool sahlra a 24 de Janeiro o I timo com
as malas para a costa occidental "frica, naufra-
gou-pela noute de 24 do prximo passado, perden-
dc-se toda a mala da correspondencia franceza e
ingleza.
DaAlagsa novado-nos as segninles noticias
em data de o do correle :
O invern ia bem, tendo sido abundantes as
chuvas.
Appareceram varios casos de febres malig-
l gnas, e grassavam as cambras de sangue e a dvsen-
leria. l
No lugar do Tun^ fra a 16 de
mona Barbara Mara da Conceigo, senj -.
ostensiva o ter cahldo sobre ella um
! parede do taipada casa de Uaba, aon
lava ella com o marido Jos Pereira de .
.que.
Outra causa, porm, assiena a voz n
este respeito.
O subdelegado proaedeno a vestoria no
da finada, verificou a existencia de uma fen
. naq,
circunferencia, de modo quejparecia ler sido i
ofenmento coro o olho de algum machado, e i
mais avullava pbrque as demais partes sobre que
cabiram os torrdes, nao aprsenlavam contusoes.
Entraram em julgamento hontem no tribu-
nal do jory os reos Antonio Jss de Sanl'Anna,
Jos Luiz da Silva e Anion|o Rodrigues Chaves,
pronunciados no art. 269 do cdigo criminal, por
CHRONICAJIDICIARIA
TUinr\AL DA HKLACiO.
SESSAO EM 14 DE MARCO DE 1863
PUESIOESCIA DO EXM. SR. C0NSELHE1RO
i mi, SOUZA.
As 10 horas da raanha, presentes os senhores
desembargadores Gitiana, Assls, Doria, Molla,
uuerra, procurador da coroa, Doraingnes da Silva
e barros Vasconcellos, falundo os Srs. desenroar-
gaoores Saniiago, Lourengo Santiago, e Almeida
Albuquerque, abrio-se a sessao.
Pausados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JLLCAMENTOS
Recurtot crimen.
Recrreme, o hachare! Franci?co Luz Correa
de Andrada ^recorrido, Antonio dos Santos Rosa.
Relator o Sr. desembargador Assis.
Sorteados os Srs. desembargadores Barros de
Vasconcellos, Gitirana e Dona.
Despronunciaram o recrreme.
Recrreme, Joao Tlieinoteo de Andrade : recor-
rido, Manoel de Fanas Leroos.
Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados os Srs. desembargadores Domingues
da Silva, Assis e Barros Vasconcellos.
Improcedente.
Recurrente, Gustavo Gurgolno de Souza ; re-
corrido, o bacharel Manoel da Cunha e Figuei-
redo.
Relator o Sr. desembargador Motla.
Sorteados os senhores desembargadores Doria,
Vasconcellos e Gitirana.
Improcedente.
BILIGENCIAS CIVEIS.
Com vista ao promotor de capellas e ao Sr. des-
embargador procurador da cera
A appellago civel.
Appellante, a mesa da irmandade da Soledade ;
appellados, os herdeiros de Jos Maria da Costa
Larvalho.
Com
-tiga
DILIGENCIAS CHIBES.
vista ao Sr. desembargador promotor da
de cem mitris, espontaneo donaivo que S Exc rfubT?^, aLdo1USIPim4eirtos a ai
offereceu nara aiiT.iin h nr,nir..;n L .,7.C.. r.?.ubo na. taberna de Joao Antonic
offereceu para auxilio da organisago do eslabele-
cimento. Esta acgo elogia-se por si mesma.
PERNAMRUCO,
ASSEURLEA PROVINCIAL.
12" SESSAO EM 15 DE MARCO DE 1865.
PRESIDENCIA DO Sil. DR. PEREIRA DE BRITO.
As 11 e 1/2 da manha, feita a chamada, acham- i
-_io Carpinteiro da
^ilva, no Manguinho.e ao ultimo a compiicidade no
mesmo crime.
A aecusago foi agitada pel ministerio publico,
e a defeza desenvolvida pelo Sr. Dr. Araerico Netto
de Meodonga.
Convem que se mande limpar o cano do
beeco do Oovidor, cujo respiradouro est exhalan-
do ora horrivel ftido, que alm do incommodar
aos moradores das proximidades, nao deve deixar
de damnificar a sade publ;a com a viciago
doar.
REPARTICAO DA POLICU
Extracto das partes dos dias 14 e 15 de margo de
1865.
A appellago crime.
'liante, Jos Sancho Bezerra Cavalcanti; ap-
a jusilga.
DESIGNAgO DE DIA.
se dia para julgamento dos segurles
f-itos : .
As appellagSes crimes.
.e, o juizo ; appellados, Manoel Caval-
vibnquerque.
ante, Antonio Raolino de Moura ; appella-
(i, Janoel Luiz do Nascimenlo.
Appellante, o juizo ; appeilado, Jos Flix de
Lima
As appellagoes cveis.
Appellante, o juizo ; appeilado, Jos Maximiano
boares deAvellar.
da ebegon de Gibraltar, no vapor Argos, do seu
commando, quando entrn em casa, teve o deseos-
to de ja nao ver seu pao, cojo cadver se achava
depositado na igreja, para ser conduzido ao cerai-
terio.
Foram recolhidos a ca,sa do detengao no dia 13
do corrente:
A divisao naval composta das crvelas Bar-
entrar as cavallangas. Um cavallo deven a sua ll""ome^ ''"', Estephania e Infante D. Joao che-
salvagao a ter conseguido quebrar as prisdes que farm a ilha de S. Vicente dezanove dias depois
o liga vara mangedoura. "Sahio da cocheira fu-
rioso, escouceando, e sujeitarara-no com difflculda-
de na ra.
Por fataHdade, qnebrou-se a corda do sino da
igreja da'Conceiglo-Nova, e qnando as outras tor-
res principiaran) a tocar, j o fogo se hava com-
mnnicadoas trazeiras dos dous predios, que tem
frente para a roa Nova do Almada.
Os socoenw, que primeiro chegaram, foram
mandados para esla roa, e postas logo em linha
todas as bombas.
Logo que o fogo se commonloen aes predios da
ra Nova do Almada, a confuso al foi immensa
e de quasi-todas as janellas do predio contiguo
casa da Assembla Porlugueza, se pnneipiaram a
Jangar roupa ra. Sahio tambera a maior parte
das mobiliw pelas escadas, com mcrtvel rapidez.
A's H horas e meia principiou o fogo a ser do-
minado e meia hora depois ds meia noite, eslava
quasi exlincto.
Os predios da ra Novado Almada pouco soffre-
ram, porque a chegada das bomtas de vapor nao
deu tempo ao tgo para se desenvolver all.
O escriptorio que a companhia dos mnibus li-
nha na ra do Crucifixo arden, com do quanto
tiuha dentro.
Assistio ao fogo uma mullidao consideravel c,
nao consta que triiesse sido victima ou ferida pes-
soa alguma.
Oulrofogo muite violento se verificou bontem
na iravessa da Palma, ao p da calgada de Santa
Anna. Ninguem morreu.
Em breve deve<:hegar a este porto unta nao
ingleza, conduzindo seu bordo um enviado ex-
traordinario o ministro lenipotenciario de S. M
britanmra, com a sna comitiva, para apressour a
el-rei o Sr. D. Lm'z as insignias de cavalleiro da
ordem de Jarreteifa. Diz-se que a nao ser a
hdgard, e o plenipotenciario o conde Seton mas
por ora nada consta officialmenle.
A ordem da Jarreteira nobiiissima, e neohnma
oulra, lalvez, se lera conservado com mais rigor
na observancia dos seus estatutos, e menos se nro-
digaLsa. e
A sua origem harmonisa-se com o espirito ca-
valieM-eso da poca era <*te foi instituida. A cere-
monia da investidura sao ae seguintes :
O plenipotenciario antes recebido por el-rei em
audiencia publica de formalidad*. Depois apra-
za-se o dia para a solemne investidura do rea! ca-
valleiro. Nesse dia o plenipotenciario conduzido
ao pago, com a sua comitiva, em coches da ca*a
real, e era ala, seguido por um esuuadro de ca-
vallaria.
Acompanham o plenipotenciario, o rei d'armas
Jarreleua, eos arautos Sommerset e Rouge-(rom
que tem de desempenhar as suas respectivas unc-
goes no acto da investidura.
no deuo
de haverem largado do Tejo.
Logo sahida de Lisboa, uro temporal violento
obngou as corvetas a fazerem uso do vapor por
espago de dous dias, para se afastare.n da costa.
Apagaram depois as caldeiras, e como o lempo
conunuou muito tempestuoso, conservaram oilo
das de capa. Em um dia de espesso nevoeiro a
corveta Infante D. Joao perdeu de vista as outras
duas e precedeu-as na ilha de S. Vicente onde clie-
gou com nm ou dous das de antecedencia. A
Hartholomeu Das e a Estephania navegaram sem-
pre em conserva. 6
As ultimas noticias dao as corvetas recebendo
carvao na .Iba de S. Vicente e preparando-se para
seguirem para o Rio de Janeiro.
Publicou-se nma
conversoes em titnlos de divida fundada interi
que forem solicitadas da jnnla do crdito publico;
2 teUena paixa0 de algUQS naJam causado, Ihas, Gongalves da Silva, Jac
&$TSg?22lK52;SeSSr Lb- T SStSSl bS A' ordem do na, Sr. Dr. c^ de po.icia, Loo-
maioria do povoTndlano em odas as' occasilcs me L^imnT.0* B arQUe'rDeodoro' A,uino: feD5a Ma"a da ?nceifI e Manoela Matnildes do
as occasioes me fon>eca, Ramos, Silva Barros, Loureiro, Braulio, Livramento, vmdas delgoarass, para serem apre-
se nao appro-| ibeiro, Cunha Teixeira, Druraroond e S Pe-1 sentadas ao tribunal da relaco ; Francisco Alves
da Fonseca, vindo do termo de Caruar, como de-
, serlor do 7o batalho de infamara, e Francisco Ja-
u bR. T secretario faz a letura da acta, a qual "
approvada. '
tria,
i^"7rr""1'" ""v". i"" Kiauue, u. impeli, Arminio, uuan
i do povo indiano em tedas
diriga. Pelo que seria eu ingrato, .
h'f,^..c*,a_PP/lunidade de patentear a todos os \ reir.
O Sr. Presidente abre a sessao.
habitantes da India portugueza, que me ausento
d entre elles com verdadeira saudade, e que em to-
da a parle onde me achar serei sempre seu amigo,
e seu procurador.
_ Oflkiaes e soldados do exercilo da India.A
os. que acompanhasies o povo indiano as lisongei-
EXPEDIENTE.
Lm offlcio do secretario do governo da provin-
cia, remetiendo a informago ministrada pelo che-
portara ordenando que as
acerca do lente-coronel Sehas-
liao Lopes Guimar3es. A quem fez a requisi-
marada o valioso auxilio, que sempre me prestas ,
tes na mariuiengao da ordem interna, e na altitude < gao.
res e agradecimentos dos servigos que lhe prestos-
O res, co- que era sua alta sabedorla entender que merecis,
minba boa vontade neste justo ein-
ciolho Alves, por nzo de armas prohibidas.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
Francisco da Trindade, como indiciado em crime
de morte.
A' ordem do subdelegado do Recife, Joaquim
Lopes de Carvalho e Feliciano Jos da Costa, por
desobediencia ; e Manoel Antonio de Azevedo Pon-
tes e Antonio Francisco dos Santos, para <<"-
reegao.
A' ordem do de Santo Antonio, Andr Manoel e
Rodrigues, escravos, o Io de Alexandre de Barros,
o 2o de Manoela de tal, e o ultimo de Antonio de
Olrveira, todos por suspeitas de estorem fgidos.
A' ordem do de S. Jote, Justina Maria dos Pra-
zeres, Roza Maria Joaquina, e Joaquim, africano
livre, o 1 sultimo por disturbios e o 2o por em-
quera fez a requisigao.
Urna petigao da mesa regedora da irmandade de I briaguez.
INossa Senhora da Conceigo da povoago de Ala-' A' ordem do da Boa-Vista, Alexandre e Cosme,
goinha na freguezia d* Cimbres, pedindo a appro-: escravos, este de Joao Jos de Carvalho Moraes, e
vagao de sen compromiso. A' commsso de ne- aquelle de Luiz Antonio de Siqueira, o 1 a reque-
- achava ^do^r^^^ ?KS Antonio Ramos Zanv, ex-se ^ -^ C ^^
margo de 1853, alterada pela de" 26 de dezembro' penbo. 'nba ba V0D'ade neste Just eu)- "Ti da anU*a reparIio das obras-publicas,! 14 -
de 1860, cojas disposigdes ticam suspensas. Habitantes da India nrfnmw. p., a p.edm1do a sua aPOsentadoria com ordenado propor- A, ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Pau-
- Consta que sub.raro ao ministerio das obras' vos para diHafr os LlSCS?^?i n""e ?0MJ a0S anD0S que serv0A? commissao de or- 'o Jprdao Felippe, Alexandre Gomes dV Silva, Mi-
publicase.foram j remet.idos ao conselho dfs WneX^ k guel do Nascimenlo Manaia, Manoel Cabral Bor-
bras pdicas os projectos definitivos da h-nna fer tanto.annK FlS^lah'Tfm^ ufL"00" com D Sl do bacharel Antonio Rangel de Torres es pu Cunha, para recrulas.
rtJln?*V AlgaroVe' da ,inna de Bq/w roraperfeicoaroqueS ^f *^W e hislra no A'ordem do Dr. delegado da capital, Gongalo,
iP?nlc0rme SrJos Vlc,orino arnasio o paizaquelle'gru de prosSadeX^a^-Al^^^0^^^^11^^^^^^ escravo de Senhorinha Maria Siraes, para eor-
tern de se retirar para Paris nestes ltimos das E' nara mm ., ET-5G1 -qu/ dlgno-1 deAua saude ~A commissao de pelicoes. tecqao.
1ZX Crih d seu V^S^SAt ^r^^&T^^i^S^!tSSff "'"rW -* o prmei-i A' ordem do subdelegado de S. Jos, Jos Go-
ta brevidade sobre aquelles dous projectos, e as- tai governador como o ETZrJLSSS9** i aPProvado e seKundo adiado por haver pedido mes Pereira, para correcgo.
s,m venham a comegar denlro em pouco os raba- ni si-o de esS &!^j0s F^reira'P?an'"'3 P4alaVra S-r" *?* Texeira- '. A' Ldem do da Ba"Vista> Dami5. cravo de
Ihos da construegao. F "" (^mi\T^mhm^^r^T^\mAmmmam de peIicSe3 ^considerando o seu ^ao Carlos Augusto da Silva, requeriraento
- Por nolicias de Ponto IM-A ck .....I Torres oZ ^^^ de 186*.-Co]e de parecer emnenda relat, vos representaco do oeMe. ^.
ordem do da Vanea, Antonio Loureiro de Le-
por crime de furto de cavallos.
O chefe da 2* secgo,
i. G. deMesquita.
Casa de drtenqao.Movimenio da casa de
detengao do dia 14 de margo de 1865. Exisliam :
presos389, entraram 8, sahiram 33, existem 361 ;
do crreme para'os porlos VArTcTocTideniaT TOSsa terral "s'ai de'lla "com'a conviccT afS ZZSS^JSlFSK a"endeDdo a dec levou 47 degradados. ae0,al'!cumprido o mandara^7JS!??jSL!!f s:Se.ra.bla..ac!^aJd0 Prime,ro crecer desta cora- i eslrangeiras2, escravos 48; escravas 6.-To-
limentados a custa dos cofres pblicos 168.
Movimento da enfermara do dia 15 de margo de
A' ceremonia assiste a corte e o corpo diplom-
tico, e as sennoras de suas familia*.
As vestes e decoracSes da ordem, isto o livro
dos.estatutos, a espada, o manto comocordao o
collar, o chapee com a plomas e a estrella; sao
apresentados ao monarcha em almofadas de vel-
ludo.
O arauto Rouge-Croix leva a Jarreteira, a fita e
a medalha de s. Jorge, e o arauto Sommerset por-
tador do diploma. #
O plenipotenciario e o rei d'armas dingem-se
eolio a elre, e o primeiro pronuncia um discurso,
a que S. M. responde. Depois entrega as suas ere-
deneiaes, e aprsenla o livro dos estatutos.
Na occaslao em que se aflvela a Jarreteira, e se
faz a investidura da fita e da medalha de 8. Jorge,
o re d armas faz nma pequea pratica em latim.
uepois, el-rei entrega ao plenipotenciario a sua
Foi feita merc do titulo de visconde de Bru-
ge a Jacome de Bmges, filho primognito do conde
a rauada Victoria Antonio de <^^ ^ Sj^^j^. ^^ a^ Campos" Parapiona ; considerando Peverara ba.xa :-An,onio Feiix de Moraes, Jo-
dam, 222S co(n,cedido1 ti,ol de visconde An-' BSSSSh^SSf'MlA rtim & 6SSe ad,anlament0 de ser pago com brevi-, s Felippe da Silva, Francisco Barboza Camello,
daluz ao bacharel formado em dreito Antonio Ju- cultoso .guiar"o S e JSr? rLSS Ir m' d?d-5: co.ns,dfando a "nde util.dade de ser con- Teve alia : -Andr Ferreira da Suva,
lio de Santa Martha Vadre de Mesquita e Mello. I iToiaTuneJ^SS?TLSELhSZZ-' U'd -'e-mp^ eMa comm'sso de parecer que Cemiterio publico.-Obituario do dia 14 de
ro concedido o Ululo de baro do Salguelro a mover a>rvili*ac5n l Jr Dh -el em. P^, a commissao de orgament provincial marque na margo de 1865.
*5*g,*S P'no Soares de AlbergaraTero duraiioSSe^ Por pagamento ao Jos, Pernambuco, 86
MSWaASSffrflK eSaS*3Ssa^ de i86s-f *-
>o da 11 noite houve conselho de minis-
matSi"moraae/rsZ0ne0d S me"!oraratntos A1 comraisso de polica lo! presente a indica- i rhea
tros. Consto ler tratado de varios e importantes
annos, solteiro, Boa-Vista,
preferencia de uma col|ie chronica ; escravo.
Lourengo, Pernambuco, 2 1|2 mezes, S.Jos, es-
1 pasm.
Bonifacio, frica, 70 annos, viuvo, Boa-Vist, diar-
escravo.
Appellante, Francisco Ferreira de Andrade; ap-
peilado, Manoel Jos Taboca.
Appeilado, Jos Victorino Carvalho Cavalcanti -r
appellante, Antonio Marques de Araujo Caval-
canti.
passace.ns.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo ; appeilado, Jos Bezerra An-
tones.
Appellante, o juizo ; appeilado, Jos Francisco
Xavier.
A appellago civel.
Appellante, o prelo Aleixo ; appeilado, Joaquim
Barbosa da Silva.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque
A appellago civel.
Appellante, Jos Joaquim Gongalves Bastos ; ap-
peilado, Justino Pereira de Farias.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
As appellagoes crimes.
Appellanle, Maria Joaqura de Souza Rolim ;
appellada, a justiga.
Appellante, o juizo ; appeilado, Manoel Francis-
co de Saboia.
A appellago civel.
Appellantes, Joao Marinho Paes Barreto e on-
tros; appeilado, Jos dos Santos Neves.
O conflicto dejurisdigo entre os julzes de or-
pliaos do Recife e o de Ipojuca.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gada r Domingues da Silva
A appellago civel.
Appellanle, a azenda; appellados, D. Maria Vic-
torina Vieira da uinha.
Ao Sr. desembarga or Guerra
A appellago civel.
Appellante, Manoel Ribeiro da Cunha Oliveira -
appeilado, Joao Evangelista Bello.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellago civel.
Appellantes, a parda Cordula e seus filhos ; an-
pellado, Jos Vicenle Ferreira dos Santos.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
A appellago crime.
Appellante, o juizo ; appeilado, Manoel Jos de
Oliveira.
As appellagoes cive,.
Appellanle, Manoel Flix de Mello : appeilado
Manoel (.arneiro de Freitas.
Appellanle, D. Maria Cordeiro ; appeilado, Pau-
lino Manoel de Souza Oliveira.
Appellante, Antonio Correia Pessoa de Mello
appeilado, Autooio da Costa Mello Lima. '
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao-
Sr. desembargador Caetano Santiago
Aappe'lacocriroe.
Appellante, o promotor ; appeilado, Flix es-
cravo. '
As appellacoes civeis.
Appellante, Joaquim Antonio da Silveira; appei-
lado, Antonio Marlns Saldauha.
Appellanle, Jas Vicente de Almeida Valenca -
appeilado, Bento Jos Alves de Oliveira. *
A's 2 horas encec-cu < a s GOMMNICABOS.
i- i ~'"e a aumissao perraa- Festona.
nenie de cereaes estrangeiros mediante um dreito No dia 24
mdico, mas que ainda nao est fixado.
docente dezerabro,. 0 l- i ""* *$?&&%> ^niZtt 5i
Pernambuco,
escravo.
6 annos, S. Jos, paralizia ;
-hS>-
. fazenda, pos^
sua totalidade.
Qnarlel de corpo dos Volnntarios da Patria, as
Cinco Pon tas, iI de mateo de 1863.
h-uico, mas que anda nao est fixado. tramar) anenas n astro a da Li^ ao Pair,0,|smo que anima a cada uro dos
Tratou.se tamben, da alia do prego da carne era iSararos, gfupos ce no o 12 T odemeoPUta,d0S considerrad(> em assump.o Jl
i^boa, e sapne-ee que o ministro da fazenda. nos- remes nnnine .i,,TihP2*?' J"??. 6.".1"6- ordem act0 deVfl ser filho da espontaneidade de
Lisboa, e suppde-se que
do_genero, sero que. o consumidor IncrasseN per- da India S LcfsVxSr. SS^iffiS fefe^JH!! *T n? f a"isado nesto proviSKsSu S i'SS. S ? 3*2?. f?. J??.
^ooihe^^i^^Tp^^'u'malWn. ImZ" fittCM9 Xavier' e0 Circu,t0 dest Brado-dever dt ^d"er7honrt "e mt'egr"^^ d
gao no dreito tendente a incitar a eDgorda do ga- E" curiosidade trivial nn vn* a. r. !lmDer'0' a commissao absteve-se de fazer o convite
proporgo do peso.
Quanto ao direito que paga o carneiro, o porco,
!?:.s!ra diminuido, a diminuido ser tambem o di-
esnada de u^a7eZ^0JTJ^Tt"m SUa re.10 qUe pafara ,odasascarnes verdesimportadas
1 '"" ue u*' le pertence ao rei d'armas, segn- 'pela raa secca.
sias reaes e oulros actos-pomposos mesma archivada.
ul Tpm nT. Da C,dade vell,a e M de Nuvai Sa,a' das cororoissSes, 15 de marco de 1865 -
h^i. neVcomo ra pa88a temP eni ouvir Dr. Pereira de Brito.-Silva Ramos-r^toRi
as bellas pegas das harmonosas msicas militares' beiro. LSla Rl'
heril-o^mt^jyf" das P^ de ai-,! Sao ldos e approvados osjseguinles requeri-
inenao estampido das descarga de mosqueta-! menlos: juen
(como auxiliar do exercito em
teiras ao sul do imperio.
Subida para mim a honra, que
acabo de receber da Ia aotoridade
para a forte,
operagoes as fron- g
Oh! Srs, insistentes as pergnitas
que nao olTendem.
Se Vmcs. em seu primeiro exposto no Diario de
10 do corrente eoneluem dlzendo qne o Sr. Jos
i Luiz de Souza Ferreira incapaz de ler feito o
j que dizem nesse publicado, para que lhe fizeram
i essas perguntas, para que insistem nelia T
Essa evasiva de esclarecer o publico de um pas-
sado que lhe nao interessa, vista por todos como
uma maneira indigna de depdr.
Apreseniem-se de face, aecusem-no e ser isto,
alm de leal e digno, proveitoso, como querem in-
culcar a essa senhora, vinva de Manoel Joa-
quim Soares, merecedora de um servigo de tal or-
dem. A nao fazerem isto ficar o publico saben-
do, que Vmcs. s querem atos.-alhar a repuiaga
Sr. Jos Luiz de Souza Ferreira. caja hones-
e maldi-
rorte, zentes, que a ma' voniade ou oveja possa profe-
Ninguem se pode dizer isenio da maledicencia
seo.esperar, e assim resigese o Sr. Jos Lai^cYrte, S Ste*
-mmetiendo-roe a commissao de organisar e com! lt ^ ""**""* iWm "^ *SUa pTObHi-
^^x^^szz ProDv^rrcsrnt -*
S^^eSaram^^ P^-^fc^



'

.
I




mmmm
^i

Diario de FernambucA tHifufa fefM *e Mareo f il4.
4...

PBIIGICIES 1 PEDIDO
At lllm. Sr. inspector da thesiararia
de fasen a.
O abaixo assignado em nnme de lodos os rendel
ros da exiiucta aldeia da Baixa-Verde de Paje de
Flores em numero de i'i, (at scienle ao lllm. Sr.
inspector da ihesourana de fazenda, que tendo pa-
go lodos as rendas vencidas de 1859 a 1864 deixa- i6'r''T,V '- T^' 7Clelo
rara de tirar aovo arreodameoto, pelas razoes de ter *
o respectivo collector exigido nao s as rendas
adiaHiadas (o que nao de costurae nem mesmo
nos arrendamentos de trras particulares), como
por ter o me-mo collector, a seu arbitrio, sera in
dagar as proporgoes de cada ierren, levantado os
459 Guilberme Jos deSouza, dem.
460 Mearon & C, dem..........
461 Sitod & Suuza, dem.........
46J Manoel Coelho Plnheiro, idem.
463 Antonio Ramos, idem........
464 Joo Jos de Carvalho, idem..
465 Joaqulm Manoel Ferreira de
Souza........................
466 Jo Joaquim da Silva, idem.,
467 Joo Baplista Rodrigo de Al-
ie ida, idem.
Braoco, idem.................
469 Francisco Moreira Pialo Bar-
bosa, idem...................
'"_; 470 Villaga & Irmo. idem.......
'471 Joaquim Aniones da Silva,
idem.
Ferreira dos Santos,
pregos dos arrendamentos em tres dobros do que .-, "j *
esUvam pagando : e conscios de que o governo, ^m ,
Ihes mandar arrematar essas trras como se lem m Fr^cisco Jos ^ Passos Gui.
feto em diflerenles partes, aguardara pagar as ren-, mar3 dem
das do crreme oxercicio quando Ihes for oo nao, joailira Sokre Neve's,'i'dem. 1
concedido o que pretenden! exigir. Isto e reque- .-- .. r,mm,r5(lv. '..,.
! iq idem.........................
477 Joao Jos da Silveira, idem-..
478 Jenuino Jos da Rosa, idem...
achara apossadas pelos respectivos arrendamentos
desde 1812, e por compras das bemfeiiorias que
posteriormente teem precedido a seus anteces-
sores.
A oppresso em que se acliam os roesmos ren-
deiros, a exorbitancia a que esto sujeitos a vonia-
de de um qualquer procurador, faz com que os
rendeiros deera um brado de soccorro a quem
competir, alira de melherarem a sua situacau liu-
milbadal
O governo tem concedido para aldeiamento de
inos, Ierras devolatas, ou avulsa ; mas o mesmo
nao se da as que fui destinada para esta sesma-
ria : pois (oram otferecidas voluntariamente por
proprietarius, nao obstante constar a doacao como
que a data teoha sido em ierras avulsas como pre-
lendem em t*mpo competente levar ao alto conhe-
cimento dn Exm. Sr. presidente da provincia.
Baixa-Verde, 4 de margo de 1865.
Antonio Gomes de Cimpos Petico.
HUMA VIDA SALVA 2
479 Joao Ferreira da Silva, idem..
480 Manoel Pacheco da Silveira,
dem.........................
481 Antonio da Costa Almeida,
dem........................
482 Antonio dos Santos Oliveira,
dem........................
483 Motta & Ribelro, idem.......
484 Jos Martins Dias, idem......
485 Joaquim Antonio Rodrigo So-
brinho, idem..................
486 Pedro Tavares da Costa, dem.
487 Henrique de Castro Guimares,
idem........................
488 Jos do Reg Pacheco, idem..
489 Martins A Lebre, idem.......
490 Manoel Ribeiro Fernandes,
idem........................
491 Francisco Jos Leite, idem
20*00$
1(03000
504000
500000
5040(10
50*000
304000
204000
2O4OOO
204OOO
204000
204000
204000
204000
204000
104000
IO4OOO
104000
104000
104000
IO4OOO
104000
IO4OOO
104000
IO4OOO
104000
IO4OOO
105000
2 caldeiroes de ferro para a cozinha, iguaes aos
que actualmente servem no mesmo estabeloci-
menio.
1 dito de dilo forrado de porcellana de 23 ga-
I5es.
.A qoem conver ralar semellranle fornecimeato
compareca na mesma thesouraria, no da 23 do
correte, pelo meio dia, com sua proposla em caria
fechad.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernain-
buco, 11 de margo de 1863.
O secretario,
fl. F. tt'Annuncia o.
O lllm, Sr. Inspector da thesaurana provin-
Sr. presi-
15............... 2-4584497 tiente da provincia de 23 do correte, manda fazer
publico que do da 16 de margo prximo viodouro
perante a junta da (azenda da mesma thssouraria,
4 calas doce, 2 ditas Medianas,- 200 aucoretas
azeitonas, M fardos alhos, 4 larrll viaho ; a or-
dera.
100 caitas ceblas ; a Amortm Irmio.
127 ditas azulejos; a Duarte, Perelra & C
Aecebedorla de rendas inter-
nas gerae dePernambuco.
Rendimentodo dia 1 a 14........ 29:1124834
idem do dia 15................. 2:3244839
314374693
Consulado oroTlnclal.
Rendimento do da i a 14....... 50:4274159. cial em cumprimento da ordem do Eim
dem do dia
52:885565(1
MOVIMENT DO PORTO
Navios sabidos no dia 14.
Rio da Pratapatacho ioglez Europa, capitao (uc-
rania Tasso ; carga assncar.
Navto entrado no da 15.
Babia15 dias, escuna brasileira Elizia, capitao
B 'Imiro Baptista de Souza, equipagem 10, carga I
farinha de mandioca e outros gneros -, a Joa-
quim Jos Gongalves Bltro.
Navio saludo no mesmo dia.
Maranho-hiate brasileiro Lindo Paquete, capiie
Antonio Henrique dx Amaral, carga assucar o;
outros gneros.
Clausulas especiaos para HrrerfjalagSo. .
! Os repnros da ponte de Hujary na importan
cia de 3304000, sarao fritos de confonni iade com
o respectivo ornamento approvado pela presiden-
cia.
2* O arrematante dar comego aos trabamos no
prazo de 8 dras e as concluir no de 30 dias, con-
tados mbos na forma lei.
As proposUS devem ser apreeCitadas eh carias-
fechadas, devendoaer especiaes ja para os eslabe-
lecimenlos de caridade e j para os eotteplos de
orphos ; sao lambem aeeias proposias soments
para a carne verde e para o pito e bolacha.
Os pretenden!?* po lem dlrigir-se a esta secre-
taria as horas de seu expediente, afim de coihe-
EDITiES.
Nao temos conhecimento algum de nenhum
caso que tSo perfeitamente mostr d'uma ma-
ne ira a mais clara c persuasiva o poder da
ScUna Medica sobre a molestia ; qual seja o
de Antonio Joaquim Pekeiba, da Baha.
Este konieui infeliz liavia mais d' um armo que
snffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Temveis (!iajs Abortas
espalliadas por sobre difierentes partes de seu
eorpo, sendo urna da quaes sobre o peito do p
una funda e maligna chaga, a qual o privava
de andur, luzando-llie as dores as mais agoni-
sontes quer de dia quer de nouta*; continuada-
mente atormentado por tace afllicgoes e dores,
e quasi que aborrecido da continuacao de sim-
illiante vida, tendo posto de parte toda a ft e
oniinnea emmedecinas, e na realidade pareca
qu para elle nao lhc restava mais esperanca
alguma ; asshn pois resignado esperava corji-
pacirncia o termo final de seus mutiplicados
soflVimentoe, eis que milagrosamente por for-
tuna sua lhe receitarSo o grande purificador
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
mediante a sua grande eficacia e exceUenci
elle se achou dentro de pouco tempo, lvre do
suu irremediavol estado de desespero, e a doce
a risonlia esperanca tornou de novo reviven
em seu cora^So; sob a poderoza e benvola in-
fluencia deste ilmimv.-l medicamento, as sua
chagas em breve principiarao assumir um ca-
rcter favoravel diminuindo o aspecto de sua
maligndade. A massa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir urna
apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixaro, e urna docu
p suave tranquillidade principiou precorrer
todo o seu systema, restaurando-lbe a desejada
,iaz e aocego d'espirito; as chagas urna urna
se forao fechando at que finalmente se cica-
trizara d*um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente sao, gosando d'um perfeito estado de
saude, depois de se ter visto privado d'eete
randi- gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
J) .../ >i <". garrafas da Genuina Salsaparrilha
de Brisiol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Bacammenda-ee mui particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautetln na epcolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtcnliSo outra com-
posi<;ao qnalqucr. que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
mais preparates e imitaoes d'esta natureza
sao falsas nao possuindo virtude alguma.
Veade-se as boticas de Caors & Barbse
e C. Bravo 4 C.
a ii %i 'i "'
isssciaco srstertora ds familias dos
'vuluularios da patria.
Montero 14 de margo, houve sessao nagual oram
approvados os estatuios da assoeiagao. Lra noose-
quencia disto lem de se fazer i eleigao de urna di-
recgo de cinco membros, para o que se marcou o
dia do quiu-feira 16 de correnle, as C horas da
tarde em casa do Exm. Sr. Dr. Domingos de Souza
Leo.
Sao convidados a comparecer para esse lm to
dos os socios votantes, que segundo prescrevem os
referidos estatutos sao os seguiutes:
1.a Os socios fundadores.
2. Os que tiverem subscripto, anles da appro-
vago dos estatutos, cem mil ris, ou mais por urna
vez.
3." Os que, anles da appruvagi das estatutos,
assignaram dez mil ris mensaes para cima, por
ni anoo ao menos, ou durante a guerra, ou o equi-
valente.
Todos estes senhores, todos quantos em suas as-
sif naturas se acharem dentro das condigo<*s qne
fic.im supra mencionadas, e que sao as impostas
pelos estatutos,'deveni comparecer, e tomar parte
na eleigao dos roebros directoras.
Becife, lo de margo de 1865.
192 Manoel Jos da Silva Filgueiras,
idem.........................
493 Joaquim Francisco da Silva J-,
idem.........................
494 Firmino Herculano Baptista
Bibeiro, meusalidade durante a
guerra.......................
49o Manoel Jos Dantas, donativo..
495 Joaquim Filippu da Costa, do-
nativo.......................
497 Joaquim Dias dos Santos, raen-
salidade durante a goerr-a.......
498 Joo Maria de Albuquerqae O-
liveira, idem..................
499 Bodolpho Joao Barata de Al-
meida, idem..................
500 Policarpo Jos Layne, idem...
501 Antonio Adolpho G. do Uego,
idem, o por cento sobre........
502 Dr. Luciano de Moraes Sar-
se ha de arrematar quem por menos lizer os re
paros de que precisa a estrada do Porto de Galli-
nhas avahados |em 7484000.
A arrematacao ser eila na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio-dia e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco, 27 de fevereiro de 1865.
O secrelario,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Clasulas especiaes para a arremacao.
1* As obras dos reparus da estrada do Porto de
Galliniias sero feitas de confurmidade com o or- i
carnelo junto na importancia de 7484000.
2' O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso do 10 das, e conclm-las no
de 3 mezes, ambos contados da data d'arrcmata-
gao.
3a O pagamento ser realisado em duas presta-
roes iguaes, a primeira quando tiver o arrema-
tante feilo metade das obras, e a segunda quando
tiver concluido todas as obras e entregue dilim uva-
mente.
4* Para ludo mais que nao estiver especificado
24000
504000
1004000
54000
44000
54OOO
A cmara municipal desta cidade, convidada
IO4OOO por S. Exc. o Sr. presidente da provincia para, pe-
IO4OOO los meios ao seu alcance promoverlo alistamento
104000 do maior numero nossivel de cldados nos corpos
de voluotarios da patria, dirige-se aos seus munici-
IO4OOO pes oeste sentido, certa de que a ninguem cedem
204OOO, em valor e patriotismo.
Desceodeotes dos Vieira?, Das c Carnario, esses
105000 hroes que tanto se ennobreceram pelo seu valor, as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
I amor a patria e a religio, elles nao desmentiro mina o regularaenio de 9 de julho de 1864 que re-
IO4OOO! certamente de to gloriosos ascendentes e correro ge esta repartigo.
apressados a vingar a injuria feita a honra da na- Conforme.
gao, nao somente pelo governo do Uruguay, seno Antonio Ferreira d Annunciagao.
tambera pelo novo despota do Paraguav. r* ll,m- Sr. inspector da thesouraria provin-
Esle tyrano, sem nenhuma provocago da parte cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr.pre-
do Brasil, nao s tem aprisionado os nossos vasos sidente da provincia de 23 do crreme, manda fa-
que francamente subiam o rio confiados na f dos r publico, que no da 16 de margo prximo vin-
tratados, senao tambera enviou as suas hordas sel- "'uur0>. peranle a junta da faz.rada da mesma the-
vaeens para devastarem os campos e as povoag5es sourana se ha de arrematar a quem por menos -
indefezasda nossa provincia de Matto-Grosso. jer, os reparos de qne precisa a ponte dos (.arva-
E' a prira3ira vez que, depois da nossa indepen- los S0Dre "'o Jaboalao, avahados em ao04000.
dencia, urna bandeira estrangelra arvorada em .A ari;e,maiae2 sera Teita na forma da le proyin-
territorio brasileiro ; e erno urna tal affronta nao cial n. 343 de 1 de maio de 1834, e sob as clau-
54000! Dode ser perdoada por nenhntn povo que presa a su'as especiaes abaixo copiadas.
I sua independencia e soberana confia a mesma ca-: As pessoas que se propozerem a esta arremata.
U64666 mar que os Pernambucanos, sempre celebrados gao comparegam na sala das sessoes da referida
I pelo mu valore patriotismo, orrero a a|islar.se Junta no d,a acma mencionado, pelo me.od.a.e
menta Vdem wat oar 3ooo! nos batalhoes de voluntarlos da patria para repel- competentemente habilitadas.
50?Siu'in^LopeV da Cosi Mala I *m a invazao estrangeirn anteando com entho- PJJ. onaur se raaudou publ.car o presente
103000 sasmo, viva a nagao brasileira, viva S. M. imperial puo jornal.
! o Sr. D. Pedro II, viv:.m os Pernambucanos, vivara Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
104000' os voluntarios da patria. i buC' de rtVe,rero de 186o.-0 secretario,
204000: Paco da cmara rauinicipal do Recire, 1 de mar- Antonio Ferreira d Auumiciagao.
504000 de de 1865.-Luiz Jos Pereira Simdes, pro-presi- Clausulas especiaes para a arrematacao.^
501000! cont.-Francisco Canuto da Boaviagem, secre- O repares da ponte do Caminos serao fe-
------ j *ar( Q I tos de conforinnlade com o orcamento junto na im-
2004000 0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da lm portaocia de 5504000.
perial ordem da Bosa e juil de direito especial M l'A oras deyerao ser principiadas
do comaiercio desU cidade do Recite capital da de 10 das, e concluidas no de 3 mezes
provincia de Pernambuco e seu termo, per S. M. ^dos da data da arrernatagao.
I. e C. o Sjnhor D. Pedro II quem Dos > pagamento sera realisado em urna so pres-
guarde.
Fago saber aos que apresante edilal virem e
delle noticia tiverem, que por esto juizo peodem
uns autos de execugo de sentenga de Francisco
da Silva Cardoso coutra Justino da Silva Cardoso,
e tendo-se feilo penhora em dinlieiro tora pelo pro-
curador do supplicanle feito o requerimenlo do se-
raiote termo. Aos 3 de margo de 1865, nesla ci-
54r00 dade do Becife em audiencia do Dr. juiz especia
3* O pagamento ser feito em urna so prestagao
depois das trabalbos concluidos.
4* Ka execugaos dostrabalhos o arrematante se-
guir restrictamente os inslrucroes doengenhero
encarregado da liscalrsagio dos mesmos tra-
balhos.
5a 0 arrematante nao ter direito a indemoisa-
gSo alguma, qualquer i|ue seja a natureza da alie
agio, que para esse Ora fizer.
Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
O Dr. Tristao de Alencar Ararjpe, offlcial da im-
perial ordem da Bnsa e juiz especial do eom-
merco desla cidade do Recite de Pernambuco e
seu termo, por Sua Magestade imperial, que
Dos guarde,etc.
Fago aber aos que o presente edital virem, e
delle noticia tiverem, que no dia 27 do correte
mez, ter logar a-arrernatagao do escravo de no-
me Amaro, crioulo, de deseseis annos de i dade
o presente | pouco mais ou menos, penhorado ao tenente coro-
nel Francisco Santiago Ramos por exerugao de
Joaquim Elviro Alves da Silva, avahado em um
cont e quiohentos mil ris ; e caso nao apparega
langador, que cubra o prego da avallacao, ser a
arrernatagao feita pelo prego da adjudicagao cora
) o abate da lei.
E para que o presente chegue ao conhdcimeoto
de todos, ser publicado pelo imprensa, e afllxado
na forma da le.
Becife, II de margo de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascirnento, es-
criviio. osubscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
. rem as informagoes, que juigarem precisas e o>
donativo
504 Heurique Jos Alves Ferreira,
idem.........................
503 Jos Paulo da Fonceca, idem..
506 Vicente Jos de Brito, idem...
507 Jos Fraocisco Bibeiro, idem..
308 Joo Carlos Bastos de Oliveira,
idem........................
309 Joo da Cunha Magalhes,
dem.........................
510 Joo da Cunha Magalhes J.,
idem........................
511 Dr. Joo Maria Seve, idem....
312 Joaquim Antonio Pereira i So-
brinho, idem...................
513 Ignacio Luiz de Brito Taborda,
idem........................
514 Joaquim Francisco Lavra,
dem.........................
515 Jos (Jarneiro da Rocha, meu-
salidade durante a guerra......
516 Mrquez de Olinda.por umas
vez
DEGL1RAC0ES.
5040001
50400o1
304000
304000
504000
204000
Caixa Qliai do baraeo do lBraii
em PernanBiieo,
14 de netro de 18*5.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredores de -ebastlo Jos da Silva a virem
receber dothesoureiro da me>ma caixa o que em
rateio Ihes toca da venda de urna das propieda-
des, quesegundo a concordata,lhe foram entregues
para serem vendidas.Oguarda-vros,
Ignacio Nunes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22." di-
videndo de 104 por acgSo.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Santa Casa da Misericordia do
ficcife
A lllm* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recite manda fJzer publico, de
confurmidade comasordens do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, que. no dia 16 do corrento, pelas
4 horas da tarde, na sala de suas sessoos, tem de
ir a praga por lempo de nove annos o arrenda-
meoto do sobrado n. 63 publico c 15 particular,
sito na ra da Cadcia do bairro de S. Frei Pedro
no prazo < Googalves.o pertencente ao patrimonio de orphaos,
arabos con- servindo de base para 1 arrernatagao a quantia de
1:0004 pela renda annual, oflerecida por Olympio
Ferreira da Silva o Antonio da Silva Ferreira Ju-
tagao, quando o arrematante tiver concluido todas1 mor, cando o arrematante obrigado a fuzer no
' as obras e entregue definitivamente. dita sobrado no praso de oilo mezes, contados do
4 Para tudo o que nao estiver especificado as: da da arrernatagao, e sem prpjuizo da respectiva
presentes clausulas, segu-r-se-ha o que dispoe o
acto da arrernatagao devem comparecer acompa-
ntados de seus (adores on munido.- de cartas
destes que ftcarao responsaveis pelo Inteiro cum-
primento dos respectivos contratos.
Secretaria na asa Casa *a Misericordia do
Recife 10 de margo de 1865.
Oescrvo.
F. A. ravalcanti Cousseiro.
De ordem db Wlm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fatenda desta provincia se faz publico que
no dia 18 do correMe mez, a 1 hora da tarde, es-
tar em hasta publica1 peranle a mesma tnesonra-
ria para ser arrematada a quem por menos fizer,
a obra de um pequeo rango de caes que tem de
ligar o encontr da ponte de ferro do Rerfc ao
caes do passeio publico, e o fornecimento d*agoa
potavel ao forte do Buraco e ao laboratorio de ro-
gos : as pessoas a quem conver a mesma arrerna-
tagao, deverao comparecer na sobredita thesonra-
ric no dia e hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco era 13 de margo de 1865.Manoel Jos
Pinto, servindo de ofllcial-maior.
Pela repartigo das obras publicas se faz
publico que os propietarios da ra Nova teem o
pras de 30 dias, a contar de hoje, para a cens-
trneco dos passeios em frente de anas propne-
dades.
Repartigo das obras publicas 14 de margo de
1864.O secretario interino,
Manoel Lourengo de Mallos.
Aviso aos navegantes
Pela capitana do porto de Pernambtint se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que a
boia do extremo do sul do banco do inglez, que
havia sido langada praia por lhe haver arrecen-
tado a amarrago, foi novamentn rolloca-la>deinar-
cando-lhc o pharol do pico aoO 1/3 X O, e a tor-
re do seminario de Olioda ao N 1/2 N O, rumos
magnticos, e em fundo de 3 bracas, exactamente
onde termina pelo sul o recife. que forma o hin-
co inglez. Capitana do porto de Pernambcro
do fevereiro de 1805.O secretario,
Di-riode Aqnino Fonsera.
Arrematuc
Finda a audiencia do-da 17 docorrente, do jti-
zo do orphaos, escrivo Guimares, a requenmen-
to da junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife. ser arrematada de venda, ser-
vindo de base a quantia de 403;412, urna parte do-
sobrado de um andar e soto ti. 66, sito na ra de
Hortas, freguezia de Santo Antonio desta cidade,
avahada dita parto em 6304329, deduzida ota da
quantia de 4:ti004, por quanto foi avahado o dito
sobrado, a qual parle perseaceate a Anua l-a
das Mercs, ou Prazeres, que se acha rceoftidu.
ao hospicio dos alienados, e vai a praga a referida
parle para satisfago aos aiimmtos da mewia
alienada.
ARREMATACAO.
Per impedimento do juizo nao leve lugar a ar-
rernatagao dos escravos pertencentes aos menores
Ulhos do fallecido Jop Francisco de Urna, a qeal
ter lugar no di-a 17 do cerrunie, na sala das au-
diencias.
regulamento de 9 de julho, que rege esta repar-
tigo
Cooformp,
Antonio Ferreira d'Annnnciago.
O lllm. Sr. Inspector da thesouraria provin-
(Conbnuar se-ka.)
9
CGMME&CIO.
Vovo banco de Pernam-
buco.
O banco paga o 14 dividendo na razo e
por aivfu.
\ i>vo banco de Pernambaco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,e
toma Jinheiro a juros a praso nuuca menor da
tres mezes.
Alfandega
Kendimenio do dia 1 a 14.......
Idem do dia 15...............
.ffOTlmentoda alfandega
Volnmesentradoscom'azendas..
com gneros..
Volumessahidoscora fazendas.
* 1 com gneros ..
do commerclo Tri>tlo de Alencar Ararii*, pelo so- cal, era cumprimento da ordem do hxm. Sr pre-
5004000 licitador Ivo Martins de Almeida, procurador do sidente da provincia de 20 do corrente, manda ra-
exequenle, foi aecusada a penhora era dinheiro 1er publico qne no da 16 do marco prximo vin-
pertencente ao execntado, e requerendo que ficas- douro, peranle a junta da fazenda da mesma the-
sem assignados os seis das da lei, e dez aos ere- sourana, se ha de arrematar a quera por menos fl-1
dores incertos, passando-se os respectivos editaes zf, os reparos indispensaveis da cade.a da villa do.
o que foi deferido. Fiz o prosete do prolorollo das Cabo, avahados era 3 w4- ___
audiencias a que junte! a precaloria, termo de pe-: A arre.nalar^o sera feita na forma d. le. nrovn-1
uhora e procuragao quesegnem; eu Manuel Silvi- cial n. 343 de. 15 de maio de l8oi, e sob as clau-
no de Barros Falco, escrevente Juramentado o es- snlas especiaes abaixo copiadas.
vi As pessoas que se propozerem a esta arreraata-
Eu Manoel Maria Bodrigues do Nascirnento, es- cao comparegam na sala das sessoes da referida
crivo o subscrevi. junta, no da acuna mencionado, pelo mel da e
E mais se nao continua era dito termo aqui co-' competentemente habilitadas,
piado. Por forga do mcu despacho o referido es-1 E para constar se mandou publicar o presente
crivo fez passar o presente, pelo qual chamo, sito j P6],0,!"1","*':
e hei por intimados os credoros incertos do dito
execntado, para que comparegam neste juizo den-
tro do dito praso munidos de seus documentos,
afim de allegaren! o que fr da justiga.
E para que chegue ao conhecimunla de todos,
mandei passar o prosete que sera publicado pela
is 94/Wisk imprensa, e afllxado no lugar do costume.
jo.zw.jw5 Reci(e 13 d(j mar?() dtJ 1863 Eu Mini)e, Marja
Rodrigues do Kascirento, escrivo, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe
O conselho dequaliticaco da guarda nacional da
parochia de Santo Antn
para conhccimeuto.dos guard
declarados, que nesla data roan
o que deler
renda, os concert* a que sob estas condigoes se
ujeita o offerente Ferreira Jnior, e que consta
da clausula especial abaixo transcripta.
0.< prelendentes devem comparecer acompanha-
dos de seus fiadores, ou munidos de cartas destes,
que licam responsavuis pelo inteiro cumprimento
: do contrato.
Clausula especial.
Picar, rebocar e guarnecer toda a frente e oito,
402:3094761
437:5504749
- rtmitvi neranie a uinta da (a?enda da mesma the- substituiudo por cornija o telhado, que cobre a va-
oertencente ao execntado, e requerendo que ficas- aouro, peranie ajuma na iazt,uua ua uu.iii.i me ,,, '
. j.' j_?_ -.. onnrari* n ha Ac- arrematar a miera or menos fl-1 randa da frente.
Por varanda de ferro na frente da casaem lu-
gar da de pao existente, cortando os cachorros de
pedra afim de ficareni mais curtos.
Fechar urna porta existente no oitiio junio a es-
quina, abrindo outra rom portadas de pedra no
mesmo oito por baixo da varanda do priraeiro
andar.
Abrir urna porta no primeiro andar e no meio
do eilo com varanda de ferro, igual as duas que
existem, a que corresponda oulra porta do pavi-
mento terreo, fechando no mesmo correr dessa
perla do primen,) andar una janclla.
Collocar varanda de ferro err. urna porta do so-
tao que ftca no oito, pondo os cacharros que fal-
tam, encunando os que existem, e demolindo o
telhado que cobre esta varanda.
Collocar caixilhos feitos de madeira de amareUo
em todas as portas e janellas do andar e solo,
que os nao tiverem, concertar os existentes e re-
parar todas as portas, pondo-lhe boas forragens e
fechaduras.
Reparar o soalho do primeiro andar e soto on-
329
787
------ 1:116
248
758
------1,006
Secretaria da thesouraria provincial deiPernam-
I buco, 27 de fevereiro do 1863.O secrelario,
Antraie Ferreira d'Annunciago.
Clausulas especules para a arrentalact.
I.* As obras dos reparos urgentes da cadeia da
villa do Cabo, serd feitas de confurmidade com 0
orgaraento junto na Importancia de 345:09o.
2.* O arrematante dever principiar as ditas
obras no prazo de. 10 dias, e concluidas no de 60,
ambos contados da data da arremaiago.
3.* O pagamento sera' realisado era urna s
THGITRO
S
EMPREZA COIMBRA.
9.a recita da asslgnatnra.
QUINTA-FEIIU 16 DF. M\HC.O DE 1865.
Representar-se ha pela segunda vez o applau-
dido drama em S actos
os misek vi;is.
Dar fira ao espectculo o sempre applaudiio
vaudeville etn 1 acto
A corda seneivel.
Tomam parte as Sras. D. Eugenia e D. Camilla,
e os Srs. Lisboa e Guimares.
Comegar as 8 horas.
no do Recife faz constar prestagao quaudoo arrematante tiver concluido to-, de ror preciso,
cuardas nacoiaes abaixo das as obras e entregue definitivamente. Rebocar internamente
ua oram d o chados os 4 Para tudo mais que nao estiver especificado necessario, e ladnltar de
lia oram ui.-p^Liiauos ua _________,..,.........' ____;. K. notar. I rom a venarla halida na I
Continuagao da pei*as qne tea subscripto para
a Associ.go Protectora da/Paratlias dos-Volun-
tarios da Patria. ---------
447 Aot-n d* Silva, denavo.... 504000
U Dr. Ahilio Juwi Tavares da Sil-
va, durante a assoeiagao e por
niez
mez.......'f '...........i -.
449 Jos flhufeio P. de Magalnaes,
durante a assoeiagao e-por mez..
450 Eugenio Adriano Perelra da
Cunta Merlo, dorante a assoeia,-
gao e pur mez.................
\:>\ Southao Mellors fJcC, dona-
tivo ........................
432 Adenson Howie, idem........
433 mifoer A Barroso, Idem.....
454 J. J' ffreri-*, dem............
453 Jo-o da Silva Regadas, den)..
i.'ili Viuva Maetiado i Filho, idem.
4-"i7 Bernardo Jos da Costa Valen-
le, dem......................
458 Oese JoaUtra da Cunla, dem.
104000
3400
55000
3004000
30H4W00
204000
004000
1004000
304OOO
304000
504000
Dosarregam no dia 16 de marco de 1865.
Galera injlezaHermione mercadorias.
Brigue inglezBei/otc Crestmercadorias.
Birca inglezaI. 0.idem.
Barca ingleza Seraphtnaidem.
Lusre inglezLavinia idem.
Patacho portuguezFlor de Mara arversos g-
neros.
Brigue portngaezCoiwfante fdem.
Galera franeeza Amelia farinha de trigo.
Barca inglezaJroi Gem -objectos para a estrada.
Brigue inglez Carne -idem
Barca inglezaD. Mana carvo.
Briuue inglezJames Stwartidem.
Brigue inglezEliziaidem.
Patacho inglez Undaunte idem.
mportaeo.
Brigue portuguez Constante l, chegado hontem
de Lisboa, manife.-tou o seguinle :
60 barra azeite doce, 70 ditos toucinho, 49 ditos
e 20 pipas vinho, 29 ditos e 20 barris vinagre, 30
sacros semeas, 200 caixas ceblas, 100 ditas bata-
las, 20 ditas azulejos, 116 aacoretas azeitonas, 50
ditas cavada; a M. I. de Oliveira & Filho.
50 saceos farello ; a viuva de Manoel Gongalves
da Silva.
30 pipas, 30 barris e 8 ancoretas vinho, 20 cai-
xas, 68 metas e 132 quartos passas, 6 snrroes co-
minhos, 120 barris loucinbo ; a Euzebio Baphael'
Rabello.
50 caixas velas de cira ; a Domingos Rodrigues
de nndrade.
23 pipas, 10 barris e 20 ancoretas vinho, 20 di-
tas, 1 barris, 5 pipas e 6 meias vinagre ; a Tho-
maz de Aquino Fonseca Jnior.
1 barril vinho ; a Jos de Azevedo Maia e Silva.
41 pipas e 35 barris vinho, 25 ditos e 6 pipas
vinagre; a Thoniaz de Aquino Fonseca.
44 ancoretas peixe, 12 pipas e 15 barris vinho; a
Palmeira & Bellro.
t caixa mercurio ; a Francisco J0S0 de Barros
Jnior.
71 ditas velas de cera, 50 barricas sardinhas ; a
14. J. Ramos e Silva & Genros.
5 voluntes drogas ; a Joaquim Martlnho da Cruz
Corra- ~ r,
2 ditos oleo de araendoas ; a Denckcr & Uar-
roso.
f artos fJJres meJicinaes; a Gailherme da Silva
Guimares.
10 ttarris vinbo ; a Joao Licio Marques.
8 voluntes drogas; a Caurs & Barbosa.
Ai caixas velas de cara, i dita drogas; a Tilo-
ma/. Fernandes da Cunha.
1 ancoerta vinho -, a Antonio Jos Leal Retj.
13 caheas vinho ; a B. de S. Barros.
4 dit*s bolaxinhas 200 ancoretas azeitonas; a
Man >el Pedro de Mello.
toditas vinho, 4 caitas bolaxinhas; aunarle
& C
504 varas de lagarto ; a* barao do Livramento.
100 saceos semeas ; a Passos A lrmao.
-Wbarrls azeite
&C.
seus rrquerimentos pela maneira seiuiute:
Despachados favoravelmenle.
2.' companhia, Antonio Jos Pereira.
2.* dita, Joaquim Jos Pereira. I
2.* dita, Maoo-1 Florentino Sobral.
2.a dita, Terquato Faustino do Prajetes.
Indefendos.
I." companhia, Severiano Duarte Viesa.
4.a dita, Eleodoro Acacio Barreiro Bangel.
4." dita, Pedro Jos de Sint'Anna.
7." dita. Fraocelino Jos Ferreira.
Prove o que allega.
1.a companhia, Ignacio Manoel e Oliveira.
7." dita, Joo Floriano Jos de Sanl'Anna.
Lo foi designado.
3.a companhia, Manoel Francisco Paula M-llo.
Sero inspeccionados no da 16 do corrente.
2.* companhia, Olegario Milito Silva.
5.* dita, Joo Francisco Tiburcio.
Sala da* sesses do conselho de qualiflcago, 15
margo de 1865.
Claudtno Benuio Machado,
Major presidente.
Jos Luiz Btrttra,
Capitao vogal.
Manoel Antonio Goncalves,
Tene.nte vogal.
Joao emiques da Silva,
Teueute vogal.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin
o predio onde se tornar
de nos'O o pavimento terreo
as prsenles clausulas seguir-se-ha o que deter- com alvenrla batida na parte que nao de pedra.
mina o regulamento de 9 de julho de 1864. Concertar a coberta do toda a casa, e a escada,
Conforme, I Analmente caiar e piolar-o predio.
Antonio Ferreira d'Annunciago. i Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-! Recife. 10 de margo de 1865. _
cial era cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre- j O escrivo,
sidente da provincia de 4 do correle, manda fazer F. A. Uvalcanli Lousseiro.
publico que no dia 12 de abril prximo vindouro, \ O hospital militar contrata, em vista das pro-
perante a junta da fazenda da mesma thesourarie postas que lhe deverao ser apresenlados no da 20
se ha de arrematar a quera por menos flzer os re- do corrente, pelas 10 horas da mauhaa, e sob as
paros de qui precisa a ponte de Goianoa, avahados ,condicoes ja e-.iipuladas, nao s a lavagem e cos-
em 9-SflQSflflfl tura da roupa do estabeleciment, como tambem o
em 2:2004000.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sobas
clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao comparegam na saia das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia e
i competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
> pelo jornal.
SecreUria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de margo de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d*Annunciago.
Clausulas especiaes para a arretnataco.
1* Os reparos da ponte de Goianoa na importan-
cia de 2:2004000 sero feitos de confurmidade com
o respectivo orgaraento approvado pela presiden-
cia, y V
2a O arrematante dar comego aos trabalhos no
mOS MARTIMOS.
COMPANHU PERNAMBUCANA
liK
Xavegaco costelra por vapor.
Parauyba, Natal, Maco,.Aracaty, Cear
e Acaracii".
O vapor tJiguaribe, com-
mandanle Lobato, segu no dia 22
do corrente as J horas da tarde,
para os portos indicados. Recebe
carga at o da 21. Encoramendas,
passageiros e dinheiro a frete at 2 horas da tarde
do dia da sahida : escriptorio no Forte lo Mat-
tos n. \.
Para o Itera.
cial, era cumpriment da ordem do Exm. Sr. pre-1 pral0 de 45 ,j,.lSi e uS concluir no de tres mezes,
sidente da provincia de 10 d-> corrente, manda fa- conlad0s ambos na forma da lei.
zer publico qne no da 14 de juntio prximo vin-| -. Os pagamentos sero feitos em duas presta-
douro. perante a junta da fazenaa da mesma the- 5es e jgUae!> a pnincira quando estiver feita rae-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos taJe ,ja onr>j e t sa,jUnda depois de concluidos lo-
fizer, a obra da cadei da cidade de Nazaretb, ava- jj080S trabalhos.
liada em 18:0934900 rs. | 4. Xa execugo dos trabalhos o arrematante se-
A arrernatagao ser feita na forma da lei pro- gmra restrictamente as inslrucgoes do engenheiro
vlueial n. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau- enearregado da Bscalisago dos trabalhos.
sulas especiaos abaixo declaradas. | g. o arrematante tara entrega ao engenheiro de
As pessoas que se propozerem essa arremata-, to(ja a madeira velha que Qcar da ponte e pelos ex-
go, comparegam na sala das sesses da referida n^vjo ser o respousavel al que effectue a dita
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e cora- eatr(.ga.
petentemente habilitados. 6a O arremitanto nao ter direito indemnisa-
E para constar, se mandou publicar o presente n;.0 a|j[Una> qualquer que seja a natureza da alie-
pelo jornal. gagSo, para esse flm flzer.
Secretaria da thesouraria provincul de Per- ; Conforme,
nambuco, 14 de margo de 1865.0 secreUrio, A. Antonio Ferreira d'Annunciago.
F.d'Annuociago.
Clausulas especiaes para a arsematago. Olllm.Sr. Inspector-da thesouraria prnwui-
1." O eblkio para a cadeia de Nazareih, ser cial em cumprimento da ordem do Esm. Sr. presi-
feito de confurmidade com a planta e orgamento dente da provincia de 4 do crrenle, manda faite
junio, na importancia da 18:093400 rs. I publico, que no dia 23 do mesmo, perante a junta
2' O arrematante ser obligado a dar principio da fazenda da mesma thesouraria, se ha de arre-
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluios matar qiwm por menus llzer os reparos de que
no.de mu aooo, ambos a fioular da data da,.assigr. precisa z. ponte de Ihijary sobre o rio Tracunhaam
natura do contrato. avahados em 3304U00.
3' Os pajomentus sero Jeitos em 3 prostagoes \ A arrernatagao sera feita na forma da le provm-
igoaes corrospondeotos a cada tergo daebra 6m1a. [ cial n. 343 de 13 do maio do 1854, e sob as elan-
*.' Nao sr ai lempo algum allendidn qnalqner sulas especiaes abaixo declaradas,
reclamagao por parle do arremtame lendn- A uessoas que se prop.'Zereui a es-a arremta-
te indejnnisago, quaesqiier que sejam as allega- gao comparegam na sala das seseos da.referid
goes em que so hajam para esse Ora, anda mes- junia no dia arima meannnado, pelu meio da e
! mo por prajuizos pi ovados.
3.a Para ludo o que nao ostiwer especificado oas
! presentes clausula*, s^gqir-ao-ha o qua -dipe o re-
1 Luiz Jos da Costa Amorim gulamento de 6 de janeirpne 1864.
Conforme.A F.-d'AnoandH^ao.
5 ditos e 4 meias pipas vinagre
Amaral.
a Joo aeedo i A lUesourana (?roMneial eewpfft para a casa
I de detengan o seguala :
cwiipetenteiuenlc. Iiabihudas.
E para1* rooslar su mandou
pelo jornal
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 9 de marco de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d'AnnuBlafao.
oupa
forneciraento de vivares e outros gneros abaixo
declarados, no trimestre de abril a junho do cor-
rente :
Para as dietas e ragoes.
Azeite doce, arroz pilado, assucar refinado, ale-
tria, bananas, bolachas, biscoilos, bolachinhas in-
glezas e de aramia, caf moido e de carogo, cha
hysson, carvo em saceos, carne verde, de porco
e salgada, chocolate, doce de goiaba e de banana,
frangos, farinha de mandioca, de araruta e de tri-
go, feijao preto, gallinhas, lene, lenha em achas,
laranjas, manteiga ingleza e franeeza, marmelada,
inararro, ovos, pes de 2, 4 e 6 ongas, rap* sal,
toucinho de Lisboa, vinagre, vinho branco do Por-
to e de Lisboa, velas de carnauba e de esparma-
cele.
Para o expediente e ootros servigos.
Areia preta, caBtas, lapis, papel almago pauta-
do em resmas, ditos de Holianda em folhas, pennas
de ago, unta prela, e hvros de cincoenta, cem e
dozenlas folhas, velas de cera branca, de meia li-
bra e vassouras de piagaba.
Hospital militar do Pernambuco, 14 de marco de
186.
O escrivo,
Jos Marcelina Alves da Fonceca.
Santa Casa da misericordia do
Recife.
A Illm.a junta administrativa da Si-nta Casa de
Misericjrdia do Recife manda fazer publico que
no dia 16 do crreme pelas 4 horas da larde na
sata de suas se'ssoes lera de ser arrematado o for-
neeimeiilu dos gneros que bouver de consumir,
nao s os estabelecimentos de candada Mino tam-
bera os coliegios de orphos- no trimestre de abril
a junho prximo futuro :
Estahel amentos de caridade.
Maqtqiga fraoceza. liba; tapioca dem; caf
em grao, dem ; assucar branco em lorro, arro
ba; assucar refinado, idem ; assucar refinado se-
gunda surte, dem: arroz pilado do Maranho,
dem; bacalho, idem; toucinho de Lisboa, idem;!
sabio amarello, MM r velas do carnauba, idem ;
velas da spermacete, maso de ? libra ; farinha
de man Boca da ierra, alqueire ; feijao mulatinh,
aljueire ; vinho tinto de Lisboa, caada; dito
branco, caada; agurdenle branca, caada ; vi-
nagre de Lisboa, caada ; azeile doce,' ranada i
lito de carrapat), caada ; farello de Lisboa, sac-
es ; carne veid'i, libra ; pwe bolacha, libra,
('ollegios de |orphos.
Assucar retn ido, libra ; caf em gr?u, Idem ;
publicar o presente' manaisfrancesa, idm ; arroz pilada do Mura-
nho, dem ; btalas, dem ; altria, io>m; po e
bolacha, id-.n ; toucinho de Lisboa, idem
nba de mandioca, alqueire; feijao, idem ;
vai seguir com muita brevidade o palhabote Pa-
raense-, tem a maior parte da carga prompta, e
para o resto que lhe faila tra-se com o consigna-
tario Joaquim Jos Gongalves Beltrao, na ra do
Vicario n. 10, ou no largo do Corpo Santo n. 6,
armazem.
PARA O
Rio de Janeiro
segu com muila brevidade o patacho brasileiro
Plitto, o qual recebe alguma carga e escravos a
frete a tratar no esenptori* de Amorim Irnios,
ra da Cruz n. 3, ou com o capitao Joaquim Jos-
da Motta, na praga do comme/cio.
Marankao
O palhabote Gartbatdt- segu para Maranho por
estes dias, recebe carga : a tratar cun Tasso Ir-
maos.
"companhia brasileira
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
al odia SU do corrente o vapor
Apa, commandanle Canios Anto-
nio Goiaes, o qual depsis da de-
__ 'mata, do costuae seguir para
os portos do sul.
Desde jrecetiem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever.
ser embarcada no dia de sua chegada, encoramen-
das e dinheiro a frele ateo dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, esfiptorlo de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Para Lisboa
doce, garrafa ; vinagre de Lisfcoa idem \ jal, cala:,
lenha em achas, cento.
pretende sahr em pouooe dias cpalacho portogue*
Jareo por ter a maior parte da sarga tratad., e pa-
ra o pouco que lhe falla trata-se cem os con si g na-
tarios Palmeira & Bellro, largo do Corpo Sant
n. 4, pfimeiro andar.
~Para o Ulo le Janeiro
pretende seguir com muila brevidade o brigue, es-
cuna JMn Artftnr, tem'parte de sen rarrcpamoB-
lo engajado : para o ?esleque lhe falta trnla se
com os seus consignatarios Antonia Loix de Oli
veira Azevedo & C no seu escripU1 rio ra da
Cruz n. 1________ ...________
Para o Pqirto pela liba de S.
Mi^el.
O velleiro e bem conliecido-brigao nacional A-
malta pretende seguir om muita brevidade, ten
1 parle do sea carregamento engajado, para o resto
fari- queihe-faltaepassageiros, para os quaes tem ex-
azeite calentes cbmmbdos : trafn-*e com os seus consig-
natarios A. Luiz de O. Azevedo 4 C. na s-accnp.
-orlo na ra da Cruz n. 1.
.


Diarlo de
buco .- talaba felfa tt de Har* de !&,
Para Lisboa.
Pretende seguir com rouita bretidade a barca
porlugueza Henriquela, tem parte de seu carrega-
mento prompto : para o resto (rata-se com os seas
consignatarios Antonio Luiz de Oliveh-a Azetedo &
C., do sea escriptorio roa da Cruz n. t.______
Kio de Janeiro.
O brigue Trovador segu com bretidade e rece-
be alguma carga a frete e escravos : trata-se com
os consignatarios Marques, Barros k C.______
Para Lisboa
pretende seguir com toda a brevidade o patacho
portuguei Flor de Marta por ter a maior parte da
carga prompta : para o resto e passageiros trata-
se com o consignatario T. de Aquino Fonseca J-
nior, na travessa da Madre de Dos n. 5, prlmeiro
andar.________
Para e Penedo
Ohiate Amelia a sahlr nestestres dias, ainda re-
cebe alguma carga a frete para completar o sen
carregamento : a tratar na ra do Brum n. 6 com
o sea proprietario Bernardo Jos Rodrigues Pi-
nhtiro.
IEIL0ES.
Leilo
De 2 mobilias de Jacaranda, 1 dita de amarillo, {
guarda vestido de aman-llo, l dito de mogno, 1
cofre do ferro, 1 mesa elstica, 1 machina para
costura, 2 cadeiras de bataneo, 1 sof, 12 cadei-
ras de faia, i marqueza, 1 cama franceza de
amarello, 1 dita de mogno, 2 aparadores, i com-
moda, 1 bergo, 2 cabides, e de outros muitos
objectos.
va o-b
Quinta-feira 16 do correte, s 11 horas.
Cordeiro Simes far leilo dos objectos cima
mencionados por tonta e risco de quera pertencer.
Ser effectuado o leilo ra da Cruz n. 57.
GASA DA FORTOR
Aos 6:000$000.
Bilhetes garantidos.
A' ra oo Crespo n. 23 e casas do oostlme.
O abaizo assignado rendeu nos seus muito foli-
zesbilhetes garantidos da lotera qne se acabou
de extrahir a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia, os segulntes premios :
Dous quartos n. 3227 com a sorte de 10:0005000
Umquarton. 1383 com a sorte de 3:000*000.
Um bilhete inteiro n. 2299 com a sorte de 800$.
B outras umitas sortes de 2002, 1002, 402 e
20*000. '
Os pessuidores podem vir receber seos respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
! Acham-se a venda os da parte da 1 lotera
beneficio das obras da igreja de Nossa Senhora
' do Amparo de Olinda, que se extrahir no da 18
! do corrate.
PREGO.
Blhetcs.....72000
Meios......32500
Quartos. ..... 12900
Para as pessoas que compraren! de 100$000
para cima.
Bilhetes.....62500
Meios......3jJso
Quartos.....1J700
Manoel Martins Fiuza.
Padaria.
Leilo de familia de Higo.
A 16 do corrente.
Malheus, Austiu & C. faro leilo por conta e
risco de quem pertencer e por intervengao do
agente Oliveira, de, sob diversas marcas, cerca
700 barricas de farinha de trigo e 10J barnqui-
nhas de bolachinhas avariadas a bordo da barca
ingieza John Matheus na sua recente viagem
de Pbiladelphia para este porto:
HOtfK
as 11 horas da manha, em seu armazem, ra da
Senzala Veiha.
Lel5o de escravos mor gerados.
Sexta-feira 17 do corrente no armazem da ra da
-"adeia do Recife n. 36.
OLYMPIO,
Vender era leilo diversos escravos de ambos
os sexos com habilidades e sem ellas, os quaes es-
la rao patentes no dia do leilo.
Leilo de mobilias comple-
tas, pianos, guarda rou-
pa, relogios e outros r-
ticos de gesto.
Sexta-feira 17 do corrente s II horas,
no armazem da ra da Cadeia do Recife
n. 36.
OLYMPIO*
Vender em leilo 1 mobilia de Jacaranda com
lampo de pedra marmore, 1 dita de amarclle,
guarda roupa, mesa elstica, aparadores com pe-
dra marmore, marquezas largas, guarda vestido,
quadros diversos, camas francezas, apparelhos de
looea para jamar e al mogo, pianos de armario
quasi novos, camas de ferro, berros, duzias de ca-
deiras avulsas, santuarios e outros muitos objecto-
que se torna enfadotiho mencionar, desde ja pos
dem ser examinados ditos objectos.
Precisase de urna ama para casa de pouca
'amiba : a tratar na travessa da ra das Cruzes
n. 12, segundo andar.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral
; da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada margem do rio Beberibe, com com-
modos pata familia, estribara para cavallo
ecapim para sustenta-lp, arvoredos de inic-
ios, sem visinbo defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a fesla, e
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, no Recife, na livraria ns. 6 e 8 da pra-
?a da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capitao Antonio Bernardo
Ferreira.
Encanamento d'agua.
Precisa-se de urna pessea que saina
concertar encanamento d'agua de ca-
sas particulares; a tratar na livraria
ns. 6e8 da piaca da Independencia*
O conselheiro Francisco de Paula Bap-
tista continua em sua proSsSo de advoga-
dn em selTescriptorio na ruad sTrinchi-
ras. primeiro andar da casa n. 19, aonde
poder ser procurado desde as 10 horas
do dia at- as 3 horas da larde.
Vende-se os compendios de herme-
nutica jurdica, e de theoria doprocesso
civil reunidos em um so lhro, na foja de
livrosde Nogueira, e na casa de residencia
doautordos ditos compendios, oconselhei-
ro Paula Baptista na ra do Hospicio n. 31,
ou em seu eserptorio na ruadasTrinchei-
ras n. 19.
Na padaria de Bomlngos Antonio da Silva Bei-
ris, na ra da lmperatriz n. 66, precisa-se de am
amassador que saiba bem desempenhar o seu Ju-
gar e que satha cortar massas.
reilor
Precisa-se de um eitor, no primeiro sitio da ra
do Hospicio o. 34.
Aluga-se um pardo escravo muito fiel para
criado : na ra larga do Rosario n. 20.
A. W, Reman, sua senhora e sua fllha, reti-
ram-se para Europa.
Antonio Pereira dos Santos, subdito portu-
guez, retira se para Lisboa, levando em sua cora-
panhia sua criada Anna Rita Vleira, tambem por-
tugueza.
urna pessoa bastante habilitada propoe-se a
leccionar preparatorios em algum engenho do in-
terior desta provincia : quera sa quizer utilisar,
dirjase a livraria ns. 6 e 8 da praga da Indepen-
dencia, que se dir com quem tratar.
Aluga-se urna casa nova muito fresca, caiada
e pintada, e de varios comraodos, na Capunga, ra
das Crioulas n. 19 : a tratar no mesrao lugar no-
mero 30 A.
&m
Leilo de um cava lo com andares
Sexta-feira 17 do corrente ao raeio dia
na porta do armazem da ra da Cadeia do Recife
numero 36.
OLYMPIO
vender em leilo um cavallo novo andador de
baixo a meio.
Leilo de urna casa terrea na ra dos
Prazcres n. 12.
Freguezia da Boa-Vista.
Martins far leilo de urna casa terrea edificada
em terreno proprio nos Coelhos a ra dos Praze-
res com 2 salas, 3 quartos, cosinha, quintal com
cacimba e miis um quarto no quintal.
seguudafeira 20do corrente.
Em seu escriptorio ruada Cadeia n. 9, primei-
ro andar, s 11 horas do di*.
Pechincha
O abaixo assignado desejando retirarse de Pao
d'Alho em virtude dos grandes encommodos de
sua familia, se v na dura precisao de venders
suas casas situadas no melhor local, seudo urna
bonita casa de morada na ra do Livramento,
urna oulra ao p, propria para hotel ou outro esta-
belecimeiito, urna outra com a frente para a es-
trada nova, tendo ao p urna grande cocheira pa-
ra iOcavallos pascando o rio na porta, tendocom-
modos para carros e estando muito acreditada :
quem quizer comprar dirija-se ao mencionado lu-
gar para tratar.
_____________Accurciu Jos de Mc.leiros.
Fugio do sitio Tabocas comarca do Brejo da
Madre de Dos o escravo Athanazio, de idade de
25 airaos pouco mais ou menos, um pouco baixn,
cara bexigosa, nariz chato, dentadura perfeita, usa
de bigode, levou vestido camisa de madapolSo e
caifa de ca emira parda e seguio em destino a
capital: roga-se as autoridades policiaes a cap-
tura de dito escravo e a qualquer capitao de cam
po qualquer pessoa pois que o aprehender o po-
derem entregar no. Recife ao Sr. Jos Luiz Guiaco
ou Irazer ao seu senhor no Brejo, que ser bem
recompensado.
Julio Cesar Pinto de Oliveira declara que i s
Srs. BAZH.IO DA ROCHA OLIVEIRA e Augusto
Jos de.Azevedodeixaram arabos de ser seuscai-
xeiros.
Leilo de duas machinas a vapor
Sendo:
Urna porlavel, forga de 14 cavallos, sobre rodas
com caldeira patente e todos seus pertences.
Outra lixa e orisontal, forga de 12 cavallos com
caldeira e mais pertences.
Tergs-feira 21 de marco, em frente a
As.sociac.So Commercial.
O agente Pinto fara leilo por conta de quem
pertencer das duas machinas a vapor cima des-
criptas propnas para engenho, as quaes se tornaro
recommendadas pela sua perfoigo e par serem
dos melhores_fabricantes de Inglaterra, os preten-
denles podero desde ja' examinaren) ditas ma-
chinas para o que poderao entenderem-se cora o
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
ATOO PITEMOS.
*" Precise-se de um distribuidor para
distribuir este Diario, do Mondego a Api-
pucos, que saiba 1er e escrever : na livra-
ria n. 6 e 8 da praca da Independencia,
LOTERA
AOS 6:000$000.
Corre depois d'amanhaa.
Sabbado 18 do corrente mez, se extrahi-
r a Ia parte da 1* lotera (9a) a beneficio
das obras da igreja de Nossa Sennora do
Amparo de O in la, no consistorio da igreja
de Nossa Senhora do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes.meiose quartosestSo a ren-
da na respectiva thegouraria ra do Cres-
po n. 15.
Os premios de tVOOO000 at 10^(000
serio pagos una hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuirlo das listas.
As encommendas s-r5o guardadas so-
ment at a noite da vespera da extraccao
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
D. Mara Rosa da Silva Ayres, Luiz Jos
da Silva Gnmares, Joo Pereira Reg e fl-
Ihos, agradecem cordialmente a todas as
pessoas que se dlgnaram de assislir as exe-
| quias celebradas na igreja da ordem terceira
no Carmo pelo seu finado marido, sogro e
pai Joo Cardoso Ayres, e cenvida-os a ou-
vir a missa do setime dia que se celebrar
na capella do rrniiterio publico segunda-
feira 20 do corrente "pelas 8 horas da ma-
nba, protestando-lhes eterno reconheci-
mento.
Precisa-se de urna ama
Rosariofn. 35.
na ra larga do
esappareceu no dia quarta fera de mar-
co do corrente anno, da ra Direita, nm cavallo
alaso, inteiro, os dous ps calcados, e arrasta
muiio, frente pouca aberta, e urna bellide no olho:
quem delle tiver noticia participe a ra Direita n.
8, ou no engenho Jussara ao dono do mesmo ca-
vallo Manoel Rufino da Costa Cordeiro, qne ser
recompensado.
Atten$o.
Pergunta-se aos senhores entendedoros da li,
se o offlcial de justica no principio da estrada des
Afilelos, junio ao Manguiuho, por urna intimado
lemlstada, dizem nns que nao, outros que sim,
1*000 ; e rogase o esclarecimento a respeito.
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 18 annos
de idade, que tenha pratioa de molhados : na ra
do Imperador n. 83,
Precisa-se de um criado qne faga todo o scr-
vico de urna casa de homem sol tetro,' inclusive eo-
zinbar, prefere se escravo : na ra da Imperalriz
n. 26, primeiro andar.
Quem quizer possufr um bonito mulatmho
de 12 a 14 annos, muito bom para qualquer ser-
tico de casa e mesmo de rea, dirjase a ra Nova
a. 38, loja, que ah o verlo, e i tratar da venda.
Em Sant'Anna de dentro
aloga-se urna boa casa rniilo fresca, e por proco
minio coraraodo : a tratar com o solicitador Ma-
noel Lnli dt Velga na roa da Gloria n. 94.
Esa fgida ha tres mezes a mulata Beoedic-
ta, idade 2o annos, altura regular, secea do corpo,
com falta de dentes na frente, .cabellos caxiados,
consta andar aqu mesmo na cidade, ribeirae Aro-
gados : quem a pegar leve-a a ra do Hospicio
numere 46.
Alugam-se dous andares de urna casa cora
commodos para gn nde familia: quem pretender
diri;asearna do Crespo n. 8 B.
Escravo fgido.
pessoa que annuncioo dar dinhiro a pre-
mio sobre hypotheca queira ter a bondade de
deixar o seu nome e lugar onde pode ser procura-
do em carta reclua com as iniciaes A. A. V, oes-
te lypographia.
Lr^ullu /",M passad0 m"i0 Jo Peres a ae-
ra Marta, cor fula, estatura baila e faia, awito
***f* "*?*'tem uma dor em am P* 1"*
eusta andar, e anda eomo pegando-se. beicos grV
os.olnos unwcados rocommenda-se a qom a
encontrar que Jeye,a a /W de HorUi a. 68, ue
jralifleado. 'T
Os abaixos assignados declaran) que pessoa al
mima faga negocio com as partes do engenho
Timb, pertencente a Francisco Virissimo do Reg
Barros, porque o mesmo senhor ainda nao pagou
aosabaixo assignados; e para ninguem se chamar
a ignorancia previnem em lempo.
Antonio da Rocha Accioll Lins.
Joaguim Luiz Viraes.
Quem perdeu um boto de ouro para punho
com ura topasio queira procura-lo ra da Cruz
n. 57. _____
Precisa-se por aiuguel de uma preta escrava
que nao beba agurdenle, ou forra de boa conduc-
ta, para fazer todo o servico de uma casa de fami-
lia : quem assim o queira, dirija-so a ra de S.
Francisco, como quem vai para a ra Bella, sobra-
do n. 10, para tratar do ajuste.
Phosphoros.
Na loja do rival sem segando, ra do Queimado
ns. 49 e 55, chegou uma pechincha ; duza de
phosphoros de seguranca a 120 rs, caixas de pen-
nas inglezas muito finas a 00 rs.; estes dous ar-
tigos sao pechinchas por serem de qualidades su-
periores.
Saude dada a todo o mundo.
Peles preciosos medicamentos des Srs. GrimauK
G., pnarmiceulieos de S. A. I. o principe Na.
poleo, na de la Keuillade 7 em Pars.
Porque es Srs. mdicos e o publico usara de pre-
ferencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
aull & C pharmaceuticos em Paris, com os quaes
elles tem sempre oblido as coras as mais extraor-
dinarias ?
1." Porque esta casa sendo sem contradita a
mais importante de Pars, honrada com a clientella
de uma parle da corle, patenfeada por S. A. I. o
principe Napoleao s vende productos de uma effl-
cacia reronhecida.
2. Porque esses medicamentos representara as
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
mica.
3. Porque tora todos um gosto agradavel, sals-
fazem a vista, o pdera ser administrados sem pe-
rign, tanto s criancas cerno s pessoas adultas.
i. Porque elles differem nteramente desses re-
medios inglczes e americanos, preparados por In-
dnstriaes estranhos, tanlo a medicina como a phar-
macia, dos quaes nao lera nem a sclncia nem os
ttulos.
5. Porque estes medicamentos s se applicam a
um nu:.>ero limitado de doencas, e nao as curam
todas, como os remedios de que acabamos de fal-
lar ; emfim cada produelo lem sua applicagao par-
licular.
Por isso pensamos prestar um servico a todo o
mundo, indicando aqu as importantes proprieda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault & C.
Xarope c raifort lodado.
Empregado com successo certo em lugar do oleo
de figado de baralho, Uo desagradavel, to difll-
cil a digerir. E'o especifico o mais certo contra
as escrophulas, o lymphatismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rheu-
matismos, o escorbuto, as affec^oes da pelle, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregsm como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
lodosos casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lhe lodos os principios vitaes que
perdeu, seja pelos excessos, pelas affecc,5es lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
Xarope de qnlrfa vermelha fer-
roglaoo.
Ou associajao dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro um dos princl-
paes elementos de nosso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excellencia.
Este delicioso medicamento ag'adavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admravel as flores
brancas, dores de estomago, falta de appelite, po-
breza de sangue. Elle sobretud til as senho-
ras e as mogas delicadas, para desenvolver e re
gularisar a menstuacao e suspender os effeitos
perniciosos das flores brancas, que sao a causa de
tantas doengas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forcas e da saude para os doentes enfraqueci-
dos pelo trabalho, os excessos, as aflecs5es escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharo neste xarope nm mer
dicamenlo sera igual, para fortificar e desenvolves
a systema osseo das criancas e os preservar da-
ofTeccoes escrophulosas.
lltxlr digestivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
tre as novas conquistas da sciencia, a pepsina pos-
sue com effeito a propriedade importante de fazer
digerir os alimentos quasi sem soccorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrtes, gastral-
gias, das inflammaeSes do estomago, dos ligados e
dos intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas,
as pituitcs, o desgosto dos alimentos, e presta prin-
cipalmente um immenso servico as senhoras n'uma
pstelo interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, verao sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e conva-
lecenteso sustento de sua saude e o reparador de
suas forcas; porque com uma boa digesiao sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peltnral de H. Jorge.
Novo especifleo, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamento para curar a tosse, defluxo
catarrho, grippa, irritado do peito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa, etc.
Este delicioso xaropa popular em toda a Franca
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
Grlraanlt & C, nicos proprietarios da verdadeira
receila. Recommenda-se aos doentes que usem ao
mesmo lempo das deliciosas pasltlhas peilraes ao
sueco de alface de loureiro-cerfja dos Srs. Gri-
mault 4 C, -este excellente remedio composto
com as duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais inoflenslvas da materia me-
dica, e nao rontm opio.
InjeeeSo e capsulas matlco.
Estes dous productos que constiloem a mais re-
cente e a mais amortante raediacao para curar os
oorrimentos e as molestias veneraes do homem e
da mulher, sao exclusivamente tegetaes nao con-
ten) mercurio, c sio preparados com as folhas do
raatico arvore do Peroa. Nao ha molestia conta-
giosa aotiga ou recente que resista ao aso desses
dous meios. Sua rapidez de ac$o superior a
tudo quanto se tem feito al hoje. As capsulas
nunca cansam o estomago nem os inlestinos como
as capsulas de eopahyba, cubeba e outras; a in-
joccao nunca produz o eslreitamento como aconte-
ce com as lojeccdes com base metlica aconsel ha-
das at hoje.
Todos estes productos vendem-se as principies
pharraac.is do Brasil, agente para vender por ata- i
rado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pernam-
huco, Caors & Barbosa, na ra da Crux n. 28, na
Baha, Lima k Irmaos i em todas as boas phar-
roacias do Brasil.
Deve-se exigir sempre \ assignatura Grimaoll &
C, por que ha faisilicacoes perigosae.
Vende-se na boi.'ca fraaeeza ra do Imperador
n. 38.
CLUB PERMMBIIC^O
A reunio familiar do corrente mez, lera lugar
I'na noite do dia 24.
.4 quem nter es sar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer preteneao rlas, apprehenc6>s de quaesquer objectos; pela
Sresidencia portaras, passaportes, patentes de of-
ciaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ; pelas repartieres liscaes desembara-
ce de terrenos de marraba e de ostabelecimentos
que por engao ou ignorancia de seus proprieta-
rios estejam sujeitos ao rigor Aa flse; pela capi-
tana do porto matrculas de carpinteiros, calara-
tes, botes, canoas ele. Pode ser proourado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
raga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ra do Collegio n. i7 do Sr An-
tonio Domingues Ferreira, e em S. Jos ra Direi-
la botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Paranhos.
_____ Joaqoira Jos dos Santos Barraca.
Caixeiro.
-44 fl'sa'se de um caixeiro de i* annos que
d Oidor a sua conducta : a tratar na ra larga
do Rosario o. 21. loja do ouro.
Aluga-se uma casa terrea na rna da Concor-
dia, lendo 2 salas, 2 quartos e quintal com cacim-
ba : a tratar na ra Nova, loja de forragens con-
fronte a botica franceza.
Aluga-se uma casa com bom sitio, na Ca-
pung Velba, que foi do Sr. Sebastiao Penna, com
bastantes commodos, lendo cocheira, estribara,
quartos para pretos. e muitas rructeiras : a tratar
na ra do Imperador n. 46.
Salitre
M ra do Queimado n. 37, leja de forragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimaracs, vende-so sali-
tre retinado por 2o a barrica de -4 arrobas, ou a
6400 a arroba s a dinhiro.
Os Srs. acadmicos que vo matricular-se
noterceiro annoda Faculdade de Direito, podem
dirigir-se a ra da Saudade n. 3, fronteira a do
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil aias 9 horas da manha, e das 4 at
as 6 horas da tarde.
Tinturara
Na ra Direita n. 116 conlnua-se a tingtr para
qualquer cor, e o mais barato possitel.
-Saca-se sobre Lisboa, Porto e liba de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escri|i-
torio de Camino eNtgue ra.__________
Mtengao,
Jos Joaquim do Novaes faz scienle ao respeita-
vel publico e a todos os senhores offlciaes do exer-
cto e da marrana qne contina a ter sua casa sor-
lida de fazendas e roupas feitas, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
AMA
Na ra do Crespo o. 14, primeiro andar, preci-
a-se de uma ama que saiba cozohar que faca
o servico de casa e ra.
0 hatharel Jos Baptista iraMJ
" advoga nos termos do Bonito e Carnar.
Pode ser procurado na villa do Bonito, \
rna Direita n. 16, defronte da cadeia.
ALUGUEL.
Aluga-se uma casa terrea do lado da sombra,
no principio da roa do Varadouro, em Olinda, com
commodos para grande ramilla, por muito barato
preco : quem pretender, dirija-se a ra do Livra-
mento n. 31, segundo andar.________
Instrucco particular.
Urna pessoa com todos os ttulos de habitaco
propoe-se a aceitar era sua casa alguns meninos
menoros de 12 annos por prego muito razoavel :
quem se quizer utilisar de seu presumo pode se
dirigir ra da matriz da Boa-Vista n. 26, pri-
meiro_aodar, que achara com quera tratar.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na rna da Aurora n. 36.
Frecisa-se de uma ama para todo o servico
dejima casa : na ra do Rangel n. 31.
Precisa-se de ura criado estrangeiro, bom co
peiro, e que afiance a sua boa conducta : na ra
do Imperador n. 29.
Attenco.
vt *
rsocurtume da ra Imperial n. 191 precisa-se
de irabalhadores forros ou escravos, com tanto que
sejam pessoas robustas.
RIJA JLJLK&A llO
Rosarlo u. 3 9.
O proprietario do hotel Traviata, achando-se de
novo em seu eslabelecimeoto, e lendo feito nelle
mullos melhoramentos, convida a seus mui distinc-
tos fn-guezes, qne se dlgnem de honra lo com suas
preseneas; offerecendoselhes para remeller co-
mida as suas casas com toda promptido e asseio
pelo prego maii commodo possitel: no mesmo es-
tabuleciraento ha buhares, sorvetee refrescos.
~TTENI0~
Aabaixo assignada.casada com Jos Nnnes de
i aula, faz publico que sofriendo infelizmente dito
seu mando desarranjos em sna facoldade ioleUec-
tuat, roiassim julgado por senlenca o Illm. Sr. Dr.
juiz de orphaos deste termo a 2 do corrente mez
Lmn'.c ?,Tme!:dV ahaixo asignada curadora
T1 I!lldl,OFenmr,d0 e heos do sea
1 eV"af0Hd?rarorefe",lo estado de alie-
nacao. Dando disto sciencia ao publico, previne
1- que com o mencionado se rnatelado enhama"
transaceao facam : 2- eonvioa aos credo-es de" ua
casa para que entendam-sp cora a abaixo a.sin?
da afim de que no in.eresse de iodos SoVta'e o
melhor acerca da liquidado do passivo della .
quando o nao facam a tal respeito pedir a me aba.xo signada as providencias legaes dex dias
fia2'* n*.PUM,rai0 de;,e- "n,la 8de mar de
186o.Rila Manados Aojos Paula.
Hudauca.
EuzebioRaphaetRabellomudoo o seo escrirlo-
rio da ra da Cadeia n. 53 para a ra do Trapicha
n. \i, segundo andar.
Precisase de uma ama forra ou escrava qne
cozrahe eengomme : na ruado Livramento n 20
segundo andar. '
Collegio de S. Joaquim.
Acha-se abana a matricula do corso de medect-
a. "*' ass,m co,mo de todas as oolras materias
n? h" col,leB, de S" Joaquim; as pessoas
annoPESS?22T2*&' durante co"
anno lectivo, queiram vir inscrever sen nome at
o lim do eorrenta mex.
hni^r^lu.8a'se uma Sfrava mD,t0 boa coiiheira,
boleira, doce.rae engommadeira : quem a preten-
S*5f" aPaIeo da Saa Cruz, sobrado aU-
Samucl Power Johnston & Companiia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuadlco deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas nara engenho uea.ses c csame como erai couro,veiuao,eic,
Taivao ,la eZl\1 i asu ['.,d t"8I,uw- o qual se acha munido de todos os utenciliose
tatxas ae ierro coadO e batido para enge-aprestos necessarios para bem servir aos fregue-
R"0, zes e por mais barato prego do que qualquer outra
____ I pessoa. Na mesma oficina ha a venda : livros em
Arreins rlp vm non nm a ,nS n,\\ I hranco para borrador e mesmo para repartieses,
DT:.Ui;.C?rr0 Para nm.e -d0n3 cavallos. | iiVros de litteraiura e sciencia, e tudo quanto ne-
0 proprietario da offlcina de encadernago da
ra do Imperador n. 15, defronte de S. Francisco,
acaba de entregar a direccao da dita offlcina ao
Sr. Heraclio Constantino de Paula Monteiro, enea-
dernador que foi da livraria Acadmica, onde pro-
vou habilidade e pericia na arte, tanto em enca-
dernagoes em bsame, comoem couro, veludo,etc
i niVll CU -wilvi mnni i., >ln ti. m .-< .,,,.- i
m7, teSi*5S,,wr de uraa Pessoa competenle-
mente habilitada para cobranga de dividas no ser-
Uo de Car.ry Velho, qur amigavel, qur judicial-
mente, dinja-se ao escriptorio do Dr. Joaquim Jo=
de Campos, praga de Pedro II, ou ao collegio de S
Joaquim, ra dos Coelhos n. 8, onde recebera mii
nuciosas informagoes do zelo e actividade de dita
pessoa em negocios dessa ordera.
- Precisa-se de um bom jardmero, e pagare
bem: naruado Queimado n. 31.
Relogios de oirro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura._______
Alfonso Jos de Oliveira, profossor jubilado
da cadeira de geographia e historia do ex-Iyco
desta cidade e competentemente autorisado pela
directora geral da inslrucc3o publica para ensi-
nar.primeiras letras, latim^ francez, rhelorica e
geographia, contina com aula aberta destas mes-
mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se-
gundo andar, e recebe alumnos internos e ex-
ternos.
cessario para as escolas primarias como : cartas
de A R C, taboadas, calhecismos, grammaticas de
Castro Nunes, pautas, procuragoes bstanles, espe-
ciaes e geraos, despachos da airandega, papel pin-
tado o marbrados de diversos tamanhos e procos,
papd almagoe pintado, ele.
Precisa-so alugar uma preta para lodooser-
vigo de uma casa de familia : na ra do Trapiche
numero 4. ____________
Claudio Dubeux, proprietario das tinhas de
mnibus, foz sciente ao publico que no dia 15 des-
te corrente mez de margo tira do Cachang o om-
nibus que parte daquella povoacao as 7 horas da
manha e as 5 1|2 na larde do Recife ; assim co-
mo tira tambem no mesmo dia o mnibus de Api-
pucos que parle daqueile lugar as 6 horas da ma-
nha, e do Recife as 6 da larde.
Aloga se o segundo e lerceiro andares do so-
brado n. 62 da ra da Guia cora comraodos cada
na cabeca, foi de p no chao : rogase portante a
ittenco
quem o encontrar ou delle der noticias' levar i
ra da Cruz do Recife n. 28, que ser recompen-
sado.
Pede-se providencia*
O morador da ra das Cruzes n. 5, pede ao Sr.
inspector da mesma ra para que providencie aos
insultos que diariamente iras meninos e moleques
Ihc fazem a porta, a ver se sao mandados ou de
sua livre voniade, pois estamos em uma ra pu-
hiiea desta cidade.
i Deseja-se saber onde reside Antonio Jos
Gomes natural de Lisboa, filho de Jos Gomes, e
, de Vicncia Rosa, aquel le teio de Lisboa para Per-
nambuco em 1813 recomraendado aos Srs. Mo-
A luga-se
umacasaacabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos,com banho na porta, no lugar do Poce
daPanella.ruado Rio : a tratar com Tassoi'r-
mos.na ra do Amonm n. 35.
Franca c Brasil"
J. Mercier, alfaiat francez, precisa de bons
offlciaes e boas costureiras : a tratar alraz do
Corpo Santo n. 27.
0 abaixo assiguado declara que no da 13 do
corrente, tendo desapparecido de seu paletot a
na. mu- quautia de 8005, do porto da escadinha al o
raes togistas de lerragans no Recife, depois cons- becco do Amorim, pede a qualquer pesoa qu>-
lou ter ido para o mato empregando-se em com- lhe der noticia ou por ventura o tenha achado
memo e lavoura, ignorase o logar e se vivo ou queira restituir ao mesmo abaixo assigoado na I
, morto e se leve aqu herdeiros : roga-se qualquer ra do Queimado n. 17, que ser generosamente
| esclarecimento a respeito na ra do Caldeireiro gratificado.
Joao Pereira de Ma'los Oliveira.
felS?-P alua/-seauraa casa lerrea na ra
i\ rlJ\ ?,' ,4,u !'e 2'andar d ura sobrado
Santa rrn,H0oSan da B.--ViaU,qnasi no pateo da
Santa Cruz, e uraa met agua na estrada de Joao
n!r^rrlOS'COm,arvoredos- aB Jebeber.e poria'0
S a ? d0 ^om^al : 1Qem Pretender falle
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manha ate ao meio dia.
- Aluga-se a casa'n. 53 da rna Auco'la nova"
con,3quarloSi despensa, cozinha grande, S
?nS SLSSffie por,lp3ra a 'ua d( D'-ie;
e uma boa casinha para trazer-se com asseioe os-
lo_^a_tratar na ra do Mondego, piara n. 13. "
. ZjJ^*'*?"0*" Qma wcraw fara oilnr
l 1,1 a,,un> svico para casa de familia :
a tratar na ra da lmperatriz n. i, primeiro andar,
- Avisa-se aos pretendentes qne vao ser "arre-
matadas pelo juiz do commereio da villa do Cabo
oito moradas de casas na mema villa, seis de ti-
Shb& ,uas e,n caixao' uma de la'Pa. e a
ultima de lijlo e laipa, t-das em boas localidades
e por barato prego : os pretendentes pedem ir
SSEaff1" que ci,PFUe dia da rremaiacio,
m.J a,Lan.-se eDlenderBm com o Sr. Joo Jos*
Fn,le 0llVo,ra' e neMa P"?a ctm Vquira
Francisco dos Sanios, na ra de Queimado em sua
- Aluga-se um sitio com caTa~boa cacimba e
nrlln -rC,10S : quem Preieoder *SK a
ladodo norte JUD, 3 Cfm"en'0' prDldro i,io ao
mmmmmmmmmm^m
m Procuradura. m
Antonio Carlos Pereira de Rorgos Pon- m
ce de Len, como solicitador, se encarre- 55
ga das causas crimes, civeis, eommer- M
ciaes e ecclesiasticas. Elle ainda recebe M
algumas casas de partido, medanle a W
nm ajuste razoavel. Pode ser procura-
do as salas das audiencias ou na ra
Imperial sobrado n. 64.
m
W.S3R
- Roga-se aos Srs. Luiz Alves Vilella eBarlbo-
loraeu Tavares de, Oliveira o obsequio de upara-
cerem na praga da Independencia n. 22, alin. de
darem alguns esclareeimeolos sobre a pe.oa a
quemderamnrn meio b.lhele prrmiado, rme =e
achou na referida [..ja.
%i7-F"8jtno d'a '' d0 OD"'o da travetTda
ni ,r J m pap::Sai0 : I"?" o pegn leve ao
dito sobrado, que sera recompensado.
Caixeiro. .
Na taberna da ra Augusta n. f 14 precisase de
o^caiietraiellaieanaos, que tenha alguraa
A segunda escola primaria da fregue-
zia de Sanio Antonio desta cidade
continuar aberta a concurrencia publica do dia
16 do corrente em diante, na mesma casa da ra
! da Palma n 23.
1 Por occasiao de fazer o presente aanuncio o
abaixo assignado, professor pnblico da referida es-
cola, faz ver aos Srs. pais de familia, e a quem
mais interessar, que, como d'antes, continua a
, leccionar tanto por casas particulares cmo na de
j sua residencia nao s as materias de soa profls-
so como o latim e o francez, para o que se acha
! devidamente titulado.
I Joao Jos Rodrigues.
| o sello desappareceu um saque da Parahi-
ba da quanlia do i5& sobre a casa dos Srs. San-
| dres Rrothers & C, roga-se a quem por engao o
levou queira fezer o favor de o entregar loja de
Silva Guimares & C. ra do Cabug a quem per-
tence. E ao mesmo tempo pede-se ao Sr. Sandres
Rrothers o nao aceite visto ter-se desencaminado
Aluga-se uma escrava, a qual cozinha e faz
o mais servigo de uma casa, assim como uma ne-
grinha de 12 annos que j entende de cozinha, e
muito diligente para o servico de casa: na ra do
Sebo o. 35.
4 ma
Oabaivo assignado lendo do retirar-se para
Europa, julga nada deter a pessoa alguma, mas
se alguem se julgar seu credor, dirija-se a ra do
Livramento n, 2, loja de Andrade & Maia, que ser
immediatamente pago.
_____ Jos Francisco de Andrade Jnior.
L'ma mulher branca de bons costumes se offerc-
ce para ama, cozinha e compra : na ra da Penha
n. 1, primeiro andar.
Viuta Machado 4 Filho.na ausencia do socio
gerente Joaquim Lopes Machado, constiluem como
seus bastantes procuradores, em Io lugar ao Sr.
Jos Jerony.ro da Silta, em 2o ao Sr. Henry Fors-
ter Hith, e em 3o ao Sr. Joo Querino de Agoilar.
Precisa-se de uTraixelro
- .\a praga da Independencia loja de oTives
n. 33, compram-se obras de ouro e prata e pedias
dLaSHSSmcJomo se faz 1ua'Vr obra, d"
encoraraenda e lodo e qnalqner concerin.
- Alugara-se dous grandes sobrados cea. rom
modos para numerosa familia, novos e aceiad-
ffiard'm,.C0Cheira'eslr,bl rla outras e,n c-
didades.natravessade Joo Fernandes Vleira -a
tratar na ra daSenzala Nova n. 42
Precisa-se de um caixeiro menor de 18 an-
nos para o mato : a tratar na ra de Livramento
numero 16.
Precisa-sc de uma ama que saiba cozinhar e
engoemar para casa de pouca familia : a tratar
na ra do Crespo n. 18, primeiro andar.
O abaixo assignado tendo por este Diario
convidado a seus credores para uma reunio no
dia 28 de fetereiro prximo passado com o lim de
pagar Ihes eom o producto da venda que fez do
nico bem que possuia, as partes do engenho Tim-
,b, e como quer que dita reunio ao livesse lu-
gar por diversas cansas independenie da vontade
do abaixo asignado, por isso. de novo os convida
para o dia 17 do corrente mez, em a ra de Apol-
lo n. 20, as 11 horas da manha, esperando que
todos comparegam por si ou por seus procurado-
res, tisto que o abaixo assignado nada mais dese-
ja do que pagar a qaem deve, ainda mesmo, como i
lhe sucede, licando sem remorso algum para poder L u g ,Sfr-M collf(!,or de 0linda eomo cobra
conlinnar a vitar como sempre ti veo. de Man8e.1 io$e p,UIa Lima treS la'hos, qoando o
mesmo so tem um era Apipucos, como publico e
, para taberna : a
tratar na ra Direita dos Afogados n. 32, ou nesta
cidade na ra do Alecrim n. 2.
Ainda preci9a-se de uma ama para cozinhar
e engommar : na ra do Livramento n. 20, se-
gundo andar.
Dase dinhiro a premio sobre hvpotheca :
quera precisar annuncie. ^^^^^
Aluga-se uraa pequea casa terrea com quin-
tal, cacimba, etc., prego de 12 : na ra do Gazo-
metro confronto a fabrica.
r Manoel Lopes da Silva, subdito portuguez,
retira-se para o Rio do Jaoeiro. ____________
Os administradores da massa faliida de Amo-
rim, Fragoso, Santos 4 C. declaram que o paga-
mento do dividendo de 5 0/0 j annunriado por
vezes, ter lugar somente at o dia 31 do corren-
te, e depois desse dia depositario as quanlias per-
tencentes quelles senhores credores qne nao se
apresentarera no praso marcado. ^^___
Offereee-3e uma moga solteira que entende
bem de costur*, prefere alguma casa de modista :
ao p da fondigo, taberna de Jos Jacintho de
Carvalho, ou annuncie. ____________
Lata se com perfeigo tanto de barella como
de ensaboado e engorama-se por prego commodo:
no becco da Romba n. 3.
m
CompaRhia fldelldadc de
segaros martimos c ter-
restres estabeleelda no
Rio de ffanelro.
AGENTES EM PEPNAMBCCO
Antonio laiz de Oliveira Azevedo C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelda-
de, tomam seguros de natos, mercado-
ras e predios no sen escriptorio ra da
Cruz d.I.
Espanto terriveljjj
Francisco Verissimo do Reg Barros.
. i notorio; que procedimento infame!!!
A8V0GACIA. __________
Os hachareis Jos Ladislao Pereira da Silva Pe-1 .7 Manoel Joaquim de Paiva, subdito portugoez
n Aff.men a uii.. i i j- c......._.'___i retira-se para Europa.
dro Alfonso de Mello e A.J. de Souza transfonram
o sea escriptorio nara a rna das Cruzes n. 41, pri
meiro andar,
gueiroa.
Deseja-se alugar uma ama forra ou captiva
defronte da typographla do Sr. Pi-: Pra servio de casa, paga-se bem, mais fra
da cidade: quem quizer dirija-se a ra das Aguas-
-. Verdes em casa do Dr. Rangel n. 46.
Jos Alves da Silva Guimares e sua senho-
ra tao a Enropa.
! Precisa-se de uma ama que saiba bem cozi
nhar e comprar : na ra Direita a. 112, primeiro
andar._______________
Antonio Fernandes de Azevedo tai a Europa Precisa ee de uma pessoa com as habilita-
c deixa encarregado de sens negocios em prime!- coos necessanas para ensinar a4 meninos em um
j-o lugar os Srs. Antonio Martins de Carvalho Ale- engenho perto desta praga: quem se ialgar habi-
tedoem segundo J- e m terceiro Anlonlo Ferreira Altes. aodar, quo se dir as vantageBs qne se Val
Serveleiro.
reeisa-ac de uma pessoa qne saiba fazer muito
beas aaraata : a tratar roa Nova a. l|.
Casa para alugar.
Na ra do Rangel, o segundo aadar n. 43 : a
i tratar oa mesma.
O solicitador Pedro Alexandrl-
o da Costa Hachado
se encarrega ante o t6ro desta cidade t tudo qne
fortendenteasuaprolisso,aceiia departido an-
nualas pendencias judiciaes de qualquer ca^a
commercialraediante razoavel ajuste. Conlinta
a seencarregar de cobrangas no temos do Cabo
elpojucaaondecontinuaatrabalhar como d^ar-
tes.e encarrega-sededefozasperanteo inrvnos
terraosproximos a tia frrea. offerecendo eralai.
tamenteseusservigos aos desvalidos prde ser
procu-adotodososdiasoteidas9hora< da ma-
nha as3dataraena rnaestreita do nosarfo a
34 .eroradessas hora sna rna Imperial n.36 ca-
se de soa reidencU^^^^^ >n-Jo,ca
. -"Rofta-fe aoSr.baebarelCfzario
de Azevedo juiz mnnicipal deGaran-
hnns, queira diriga se a prara da In-
dependencia ns. 6 e 8, on annnciar
soa moroda para ser proenrado.
C0MPH1S.
' Compra-se ouru e prala em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praga da.Indr"
dendencia n. 2-2.________________
Compra-se um escravo de idade que
sirva para trabalho de sitio: nesla Ivpo-
^raphia se dir quem quer.
Compra-se effertivamnte ouro e prala em
oDras velhas, pagando-se. bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de onrive.
Compra-so ura escravo cozinheiro que seja
mogo, robusto e sem vicios : a traiar no sobrado
n. 32 da rus da Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro rnado te'
Iho : na fondigo da Aurora, em Santo Amaro.
Compra-se uma escrata moca que saiba eo"
ser e cozinhar: na rna larga do Rosario a 20.

.


Diario de Pernambuco Q.iiuta felra tt Je Mareo de l*&.
Compra-se ou alagase um escravo que sirva
para todo o servio : a tratar na ra da Concor-
dia o. 61, padaria do gaz. '
SALSA
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
PARRILl DE AYE.
Thanschevkmos aqui alguns
dos amitos aitestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rheumatlsmo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Otiro Prelo.
LOJA
BALO
Na esquina da M.-hIic Dcds,
Vende-se algodao da Baha o melhor que
mercado.
LOJ A ,,o BALAO
DE
AZEVE00 & FLORES.
ha no
Attenco.
Vende-se superior vinho do Porto era caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater 4 C. ra
do Vigario n. 3.____
DE PEPSINA!
DIGESTIVAsIlfflWI
DE WASMAN
arnios pelas celebridades medicaes de Pars,
Londres, Vicnna, etc., om todas as incommodi-
dades em as quaes a digesto e difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: ei o melhor
remedio para curl as
t Sofli rheumatismo por mili-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salm parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella; e ames de concluir o primeiro (Vas- As pasthat digestivas am a pepsina de Was-
CO, achei-me forte e sem sentir a maS leve man, emprego se com successo h j alguns
dr nos joelhos ; a parte do corpo que cs-
tava affectada d'essc terrivel encommodo
que roubou-me tantas noiles de somno.
Erupcoes, borbulbas pastillas.
nlceras, e todas as molestias
da pello.
DO SR. JOO PAULA DE AUBE E SOl'ZA.
Ra de S. Pedro.liio de Janeiro.
i Soffria mais de dous annos de tima
erupcao Syplnlilica em todo O COrpO, mos aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
o melhor que ha neste genero a 25 cada um e ce- lrando-se sempre com mais violencia na ca- e igualmente spastilhas de Vichy. Esse meio i sd
bolas a 1# o cento : no antgo e acreditado esta- ra, nrorei muitos moflicnmonlnq p rnnsnltpi eficaz quando se trate de dispepsias de curta du-
belecimento junto a esta typographia n. 42. MwlS^^-taST-f ju^S^Si raSo' mas Prolongado uso das aguas e pastilhat
- Vende-se urna ca>a terrea nos Afogados, roa ZnSnT? S ,* qJS desanimado e Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
do Motocolomb n. 2 : a tratar na ra larga do 3Ua"d V1 0S Muncios da Salsa parrilha os alcalinos empobrecem o sanguc c isso de tal
Rosario n. 18, taberna. I *"". Ayer : COmecei a fazer USO d'ella e maneira que lhes arrebalho a parte vivificante,
---------------Acedes do navo banco.------------ aos primeiros das a erupcao aggravon-se, '
Manoel Ignacio deOliveira & Filh'o vendem 100 porm antes de acabar o segundo frasco ti-
Q mijos
Ganlralglaa.
BJapcpalaa.
Emba ron gatrleoa.
A gaalrlte.
Aa affcecoea oranl-
caa do eatdniago.
Diarrhcaa e consti-
pars producida*
peina rluhoraror
difrr luaau do* all-
uit-nloiv.
arques.
AcgSes da caita filial.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho
aces.
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
i>vi em ames ue acaoar O Segundo irasco U- transforma-se ao mesmo lempo que se efectua a
j nha O mal desapparecidO completamente do transformacao dos alimentos assimilhando-se
todo O corpo. como e,lcs c aJud labbcm como ellcs a nutricio
20 Docxon Don Jos Valdes Heurera, prokes- tSSSSS^Ugi
escrava crim i mi 21 *nni I MED,C,NA Y awaiu., SUBDELEGADO affecefies gstricas cima mencionadas sao unica-
UuS^^S^e^^^tl -"-DAS AS FACLTADES DEL SESTO D.S- gata *g g ^ **--** P*.
serviCo:paraverefr,UrnarnaPBellaPn.6. wcro-Habana g ^naToSSttSWjf:
(1r.A ql lp 10 t\a Lm,r'co (\UQ netlado la zarzaparril- ,ina de Wasman, um poderoso mcio para a uso
KJllbV CUlilUieiUUl Ue W Ue:/fl del Dr. Ayen, y como depurativo he ob- chegar.
SetembrO de 1864 leni(Jo de ella los ,nas felices resultados en fj*J imPTante- saccesso das pastiihu
ovwiumu un iuux ^ i.. i a pepsina de Wasman din causa a se fazerem fal-
Acaba de publicarse um interesante escriptoj, ue Y oera comea, asi mismo au- siticac5es e imitacSes d'esse producto que o
sobre a crise comraercial do Rio de Janeiro O Dr. | tor.y las considero como um porgante, cuya mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
Pamir Soares, autor de diversas obras sobre accin ademas de ser egura, ha sido muy boa preparacio a pepsina que n'ella entra, jai
sciencias positivas applicadas ao Brasil, acaba de eficaz en el tratamento de las eufermidades a,t.erada- Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradoras que as paslUhas tenho
as iniciaos B. P. e saio da pharmacia Chevrier.
Depsito geralem Pars, pharmacia Chevrier,
24, Faubourg-Hontmartre, e em todas ai boas
pharmacias de Franca e dos paizts estrangeiros.
Ra da Caleta do Recife n. 17, esquina que rolla pira a Madre de Dos.
ttencao.
Hadapoldes fiancezes (pe^aj l'-\&, 145 e 15#.
Chitas para coberta a .'(0 rs. o corado.
Lias Haas am completo e variado sortimento.
Lencos brincos muito Anos a 25'00 a duna.
Ditos de e'gui'io.
Um completo sortimento de chitas largas de 300 a iOO rs. o covado.
Cambraias lisas brancas muito Anas a }$ a pe$a.
Aberturas de linho pregas largas.
Ditas de algodao muito finas.
Bramante de urna largura.
Algodu da Bahia para sacco.
S t*C9S Si -^?
Paletots de casemira pretal e de cores saceos a 95, 10,5, H o 125.
Ditos de alpaca branca e preta a 45,55500 c 55-
Caigas de casemira preta de 85 a ld'5-
Ditas de casemira de cor a 55.85 o 10$.
Caigas de brim I.raneo a 35, 45 e 55-
Golletes de dito dito de 25 a 35-500.
Ditos de casemira pretos o de coras a 15, 15500 e -55-
Caigas de princeza para luto a 45 e '5-
Ceroulas francesas a 15600.
Ditas de linho com duas costuras saperiore-.
Camisas franceras do diversas qualidades de 25 a 55-
Ditas verdadeiras Inglezas.
Colariohos de linho muito linos.
Ditos de papel a 10 rs. cada um.
Cortes de casemira de cores por precos commodos.
Ditos de casemira preta fina de 7-5 e* "5.
Meia^ cruas inalezas o m-lhor que ha a duzia 85
Baldes de 20, 2o e 30 arcos a 35 e 35500.
Camisas de ti mella de coros d- 3550: a 75 -
Os donos deste estabeleciraento encarregara-se de mindar fazer qualiiaer obra do r;m ca-
semira etc., para horaens e meninos por procos que admira ; aprovellem que u Bailo e?ta dis.josto a
queimar, so quer dinheiro I
--SO |*>T'"* --O cft*4i
dar-nos com est publicaco mais urna exuberante r
prova dasua dedicago'pelo progresso do paiz.; Que exbigeu el uso de los porgantes, y no
Trau-se no ultimo escripto do Dr. Ferreira Soares i vaci'o en recomendar estas preparaciones..
iptodoDr. FerreiraSoaresi v,,u|o en recomenaar estas prepa
de demonstrar com os fados verdadeiros a origem I Y para los fines que puedan convenit
da crise commercial de 10 de setembro de 186, e ]a prsenle en Recia a 7 de
por tal forma consepue o autor os fins que teve iqKq
era vista que anda em resumido esbogo, cmo elle
o diz, j se conhece a origem verdadeira dessa
catastrophe.
doy
setembro de
origem
Chamamos, pois, a attengo dos es-
tudiosos para a leilura do esbogo da crise commer-
cial do Rio de Janeiro, que se acha venda na li-
vraria econmica, ra do Crespo n. 2 defroDte do
arco de Santo Antonio.
niGfiA
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN k KEIP,
NOVA YORK.
de substancias, gozando
Dr. ios V. Herrera.
Uscropliula.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO EERRAZ
dos santos. Ouro Preta,
< Me acho ha quasi do:s annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desf/mnar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte; i
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-i
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-'
dade de minha molestia, eslava som espe-,
raneas de recobrar a minha saude ; quando!
ultimamenle resolv fazer uso da 'Salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se hojel
trinia e sete dias que comecei com este'
santo remedio, e tantas mellaras tenho
sentido que tenho convierto de em breve
recobrar a minha saude, perdida lia tanto
lempo.
Syphllls e molestias uicn u i-iaes.
Do Ii.lm. Sr. Dr. Jackso'.
Medico muito conhectdo as provincias do
mi do Brasil.
Tenho roceitado a Salta panilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o melliov alteran-
te que conheco.
L.eucorrha e llores brancas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveterados que foram radicalmente curados
rJ|!|7l
3g"
gS.2
B.i. P
ta Su
aBsflii-gii.
B ^ fS S-.g =
2
D3
2.= 9

S
D t R. re
Wll
I 5*1
*8
en
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao prelo adamascado cora barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 2#i00, 2'>ii00. 3#, 3->5()0, 4/f, 53, ti,
7$ e S& o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hes;>anhola.
dem idem lavrada a 2$ o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10300, I.SSOO, 2#, -2-v>O, W,
3^500, U, IfaOQeU.
Pannos pretos de saperi r qualidade de 3# a I2r> o covado.
Casemira preta de lr>600 a o,-$ o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras faiendas de superior qualidade na 1< ja das Columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. soccessores
de Jos Morera Lopes..
-&JD ;y.W ^^5 Ws
Composla de substancias, gozando de co.m "m ou dous frascos d'esla Salsa par-
propriedades eminentemente depurativas; rtl1-
approvada pelas juntase academias de me- Y eSDaC? "a? nos Permil,e fscrever
dicina ; usada nos principaes hospitaes, ci- i01*08 % at.lestudos 1ue P vis. militares e da marinha as Anlilhas e!tU(,e?.. d e,,,e *?* imposto de Salsa
no continente americano; receitada pelos i S5r yei"- lasta de,arar 30
f icultativos os mais distinctos do imperio do; Publ!c? ^ue tem. sldo "Pregado ha mais
de vinte annos pela profissao med a tanto
das Americas como da Europa, s&n nunca
g'Slfi.
e. j- f*
SI r?
" I-I 2.
el 8
lfi
B g o o
i 6 2 8
liH
O ta 3
< re
_ 5 o-sra
3 Q o
B
O
>
S g.g
< 8 I 2"
? a
iti
o
5
I
e
GRANULOS e XAROPE
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Brasil e da America hespanhola
CURA RADICALMENTE
escrophtilas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermedades venreas e mercuriaes, cbagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacoes e
falsificarnos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS RARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors
Harbuza e Joo da C. Bravo &<].
barriag com gesso
mos.
Gesso
nos armazens de
Tasso Ir-
Vacca
Na Piranga, defronte ao sitio do Sr. Millet, ven-
de-se urna vacca muito boa leiteira com cria.
Veo de-6e ura moleqne de 9 a 10 annos de
dade, bem preto e muito bonita figura : na ra
de Apollo a. 19, primeiro andar.
FOLIIIAIIAN
Para 1865
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
$*raca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e eclesistico, tabellas
4e feriados, de emolumentos dos tribu-
aaes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais orna nova
Salve Rainha em versos, o StabatMater
em verso, devoco ao agonisante, coracao
de Jess, cntico em louvor doSantissi-
rao Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosa? anc-
dotas, am indito poema sobre as aven-
turas de am cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero dema-
ximas e pensamentos, urna historiacomo
muitas (romanee), e vintecinco novase
pilhericas charadas a 320 rs.
Salsa parrilha de
Bristol.
Plalas de Kep.
Venda-s aa pharmacia de Pinto, ro larga do
Rosario n. 10^_________
^TVende- nma mobilla d amarello urna
cama franeexa, e algans objectos de cozinha e da
casa : natravAssadoQuemadoTi. 7, segundo an-
dar. oqtr'ora becco do Pene Frito.
Vende-se urna vacca boa leiteira com nma
eria negrada ha poaco de Goianna : a tratar na
roa das Laraogeiras n. 5, primeiro andar.
Resulta pelas experiencias feitas as Indias esa
Franca pelos mais afamados mdicos que as granu-
las e O XAROrB d IIVDROCOTYI.A ASITICA da
I. C.PINE sio o ptimo remedio contra todas as esa*-
ies de imi'JGens ou herpes e outras molestias da
pelle, al as mais inveteradas, assim como a letra
OU MORPHEA, a SIPHILIS. as MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS. OS RHEUMATISMOS chronicos, ele.
Deposito geral em Parit, em casa de FouR.Mif -J
LADLONYE, ra Bourbon-Vicneutt. 19.
Deposito ^eral em Pernambace ra da
ququer incomnido "que, CrQz Q-^2 em casa de Caros & Barboza
provm d'um estado Ve"dem-se seis terrenos para edificar, cilios
impuro de aairann proprios, todos com frentes para osnl; f|iiatro del-
TOMEM A
Presos que admira.
Sapalos de trauca superiores pelo barate preco
de 1 o par, e diia 10J : no vigilante, ra do i
Crespn. 7
Bico adamascado de todas as larguras, peca i
com 10 varas, cada pega a 100, i80, j'00 e 6001
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Colchetes em cartao de urna e duas carreiras
perfeilas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzia a i<>0 .; "io rs.
Pc-ntes para atar cabello, a duzia a 1,3200, 1600,
2,3, ieo.
Balaios propriamente para costura e para fruc-
tas.e para menina trazer no braco a i500,1,3600,
14800, 25 e ->4500.
Perfumara, macara perola a z,5, 5200, 35 e
13 a duzia, oleo de mo;.inha a '5 e_63 a duzu,
banha a 35, 45 c 55 a duzia. KslJs objectos se
vendem por admiraveis precos em consequencia
de screm arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Milho novo em saceos grandes : no trapiche
da Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.
MIINAS DEPATENT
de traba I bar mo para
descaroear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
Ot.DAM

desmentir a sua alta repula<-o.
Para a cura radical de escrfulas e iffeccocs
escroftilos, syphilis e molestias syphi-
ltieas, ulceras, ftidas, cliagas,
erapcoes cutneas e lodo e
sangue,
es com .'(0 palmos de frente, dous com 40, e todos
com 150 de fundo ; a localidade a melhor possi-
WAEiSIA l A Hit ll.ll \ DE Al i:R. vel, entre a ponte do Chora-menino ea da Magda-
ponto em que a companhia de iie-
ocar um chafariz, agua de he-
ps HAcnioin* ucr ilu Va' lilu lJer,u da eitlaile. Para un(le e ti'oncle
tuicao, n. 3U e Hospicio, n. 40. E na- se pode fazer o trajelo 9, a beira de. urna es-
pnncipaes pharmacias e drogaras do im- rada requentadissima, dous partos, o do rio e o
-*mmjc&rm m iiimi.H.i nam, ,m a .; n. vei, entre a ponte uo
A' venda na ra Direila, ns. 12 26 e 76- ieH*- no mesmo ponu
roa da Quitanda n. I praca da Consti- ft^'t?
tlllPn n 5I a llACnlmn IA F.-. *F > M, UQ POTO
peno.
Vende-se era Pernambuco:
aa pharmaela franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
Livraria eencaIern>(o academicade
Joo W. re Medeifos, (ex catseira
da livraria econmica) ra da Im-
perad. T D. 79
O proprietano deste estabelocimento participa
ao illuttrado corpo acadmico, qoe se acha esta-
beleeido na muito conherida livraria acadmica,
com um grande sortimento de obras de direito e
de litteratura, onde encontrar-se-ha as principaes
obras, assim como todos os compendios da Pacul-
dade de Direit e dos preparatorios. Tambero
prepara em sua offlcina quaesquer encadernacoes
aom aparado go-to e li.npeti. Tudo p^lo menor
prego possivel, bem como relacdes de Economa
Poltica pelo Sr. ccnfelheiro Aniran por:3 I vo-
lme encadernado ; ligSes Acadmicas sobre arti-
6is do Cdigo Criminal por Januario llezerra
onteoegro 1 volame encadernado 55, Waldock,
Direito Romano, obra completa. 1 volme enca-
dernado em couro 55, e outras muitas obras que
rom a vista se verificara.
Vende-se ura sitio com casa de morad*, ter-
reno proprio, j com alguns arvoredos e boa ca-
cimba para a goa, na povoacaodoCachanjf, sitio
aonde tem a padaria : a tratar na roa da Impera-
triz, taberna n. 42.
Vende se urna excHIeoie negra Mossambi-
qu, deidade, nouco mais oa menos, 32 annos,
muito sadia e fiel, cozinha e lava muito bem, as-
sim como faz com perfeico todo o arranjo de ama
casa de familia, e excelenle quitandeira que pa-
ga 800 rs. por dia : a tratar na roa do Principe
n. 32.
Milho e feijio ehegade agora.
Saces com feijo mnlatioho novo a 125. ditos
eora milho novo a 48300 : na ra dos Qnarteis n.
22 junio a loja de funileiro.
Vndese ama casa lerrea bem constroida,
nos Afogados. roa do Motocolemb n. 2 : a tratar
na roa dos Qnarteis, taberna a. 13.
Vende-se urna mei-agua em Fra de Portas,
na roa do Pbarol n. 66 : a tratar com Vicente
Ferj-f ira da Costa na primeira barca de vfga.
| da canrtioa. para embarque e desembarque, e para
. banhos, coja necessidade to reclamada em nos-
j so clima queme, e cidadr edicada com tantas des-
convenieKcias hygienicaj, sao commodidailes mu
vantajosas e apreciaveis. Um dos ditos terrenos,
o da esquita ao nasoente, tem duas frentes livres
o urna graade mangueira da mais bella e attrativa
sombra, e Ae fructos, cuja excellencia nao cede ao
de nenhunu outra mangueira da provincia ; dos
outros terresos, um tem boa cacimba e os outros
alguraas trveres fructferas, cajueiio, roiuciras e
sapotizeiros que do ptimos sapolis :,na ra do
Imperador n. 14.
Feiasaa da RoiaU
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira po-
tassa da It mi, e vnnde-se a proco comm^ilo:auo
escriptorio .le tftnoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo d i C >rpo Santo n. 19. ________^___^
COMPENDIO DOLOKUS
que contm o olBcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de retar e olerecer a co-
rea, ura setenario o mais outros ex ret-
elos de piedade e devoco; ordenado pe-
la irmantade dosservos da mesraa Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Panda do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S..M. I., que Pensguarde;
dado luz por devoc5o do multo reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Vende-se a taberna n. 12 do largo da Penha:
a tratar na uiesma,
Vende-se urna vacca crioula, parida de pou-
co, mirlo bu de leite : para ver e tratar, na ta-
berna dofronte da capella de S. Jos do Man-
giiinho.
Feijo.
Vende-se urna porcao de feijo mulatinho muito
novo a 15 a ma, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 520 rs. : na ra Direila n. 8.
Farinha de milho,
Vendem-se barricas de farinha de milho ameri-
cana de 6 arrobas: na roa do Rangel d. 3,
Francez barrica F^i'CO.
P-rand barrica 8$5'0.
No trapicVbarao do Livramente aoces
d'Apollo._________________________
Violto collares. ~
Acaba de cheaar deiro vinho de Collares em caixas : esta excellen-
te qualidade de vinho torna-so reeommendavel por
naoconter ospiritoter agi-adavel paladar, supe-
rior ao melhor Borbeaux; sendo aquella partcula-
ridade apreciavcl e til na presente estacao calmo-
sa, em que os vinhos aguardeniados se tornam pre-
judiciaes : vende-se no depo;ito, ra da Cadeia,
escriptorio d^ Leal Res.___________
Legumes novos a 6,400 rs. a arroba*
Na padaria atraz da uodicao do Sr. Starr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e sevadinha pelo preco em sortimen-
to de 65400 rs, e conforme fr a porcao faz-se al-
gum abatimento. ________________________
< b-b a, a o o--t srM a o o a g"
a B> ai
i .
3
3


13
" S? 3
9.3"-?2 3
a
s f ct.

si
v
33a, a9ri5j_
o > _^ aaal
ga
3
ce
o ^
Q. c ">
a
S"2 n23>=?n a. j _
332* ~o ?
i rs o te
OfS 2
-a
e
2 o

Lt|3
o a. rM
aa 3 ^
i
o sr?
_ M
T3 (O
a -i
n
o
a a ai
ai 0
e *
a>
-i
-i
3
2
3 3-
u ai
f
ii^fsK5?n
^*4
\=&

Estas machina;
nodemdescarojaf
.qualqner especi*
(de algodo sex
estragar o 8"
sendo bastante
i dnaspessoaspar
o trabalho; pdr
desrarpc.ar nm?.
arroba "de algo-,
dao em caroj:
era 40 minuto;
on 18 arroba
por dia ou o ar
robas de algoda
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
aoimaes, que descarocain 18 arrobas de algodat
limpo, oor dia; u mjtores para mover um, duas,
eutr;s dessas machinas.
Os raesmos tom para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina'
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virera ver e cxamina-lo, no arma-
zemde algodo, no largo da ponte novan. 47.
Sauuders Brolliers&t.
.\. II, praca do Corpu Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
OGASTELLO TeTbISYLLE
Traduzido do francez per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 25300 :
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e_8:___________________________
No armazera de azendas ba-
ratas de Santos & Colho
|{H1 I QU'MHlH-iti 11. 10.
Vende-se o seguate:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo prego de 25400.
Lences de bramante de linho
de ura s panno a 3j.>00.
Coberta de chita da india
pelo baratissimo preco de 25300.
Lencos decarnbraia branoos
proprios oara algibeira, a 25 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 35800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 I|2 varas a '25G50.
liiiardanapos
de linho finos duzia :l,3S0O.
AlgodSo enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 15*00.
Cortes de la
com 1S covados a (\$.
Cambraia adamascada
com 20 varas propria pira cortinado peca
Pilo de linho
liso lino vara 800 rs.
Atoalhado adamascado de algod-io
com 8 palmos de largura vara 25200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Uaxinhai carmezim miudtnhas
prpria para vestido de menina, covado 600 rs.
Llsfakas
de cores Anas covado 360 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantlque e ricas capas de sros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, S e C palmos de
Vende-se a casa de molhados na roa da Impela- \ ,ar*ura. P" menos preco do que em ontra qnal.
trlz n. U por sen dono ter de retirar se para a I qQv l!ar e# .
Burooa a traUr do sua saude, tem eommodos para i ^e|le a"?azem de fazendas se encontrar am
famil.e faz-se todo o negocio : a Iralar na meinin gra 30rt""ento de roupa feita e por medids.
Ra do *. re*|io d.
Ogallo vigilante tendo sido agraciado pelo rcm-
poso Ualiisa, na sua ordera do da, e pela Bianea
Agoia,apesar de que, para esle o Galloct) mus
agudesiisporoes nunca os olfender, antes os acra-
ciar na raesma conformidade, [ara c,i:e o Balii,
possamarchar em frente, a Branca Ajenra^rssa
levantar.ou vo.jlevando no bico as paliabas m
ninhoje o ilallo ficar ora sen espacest- esmpe
dandode novo o sea canto anounciando a tu.
bonsfregaezes e aorespeitavel publiro
0 grande sorlimanio de objectos di auilo gosto (n
aciba de receber.
Ricascaixinhas com msica ricamente ftfeitf
das para costara, proprio para um delicado rr;e-
ii i no.
Ui|jssiinoscofresiihos com cadeadosde n.ela)
para guardar joias.
RcasMivas cjm estejo, contendo todos os per-
tences parahomem.
!ti piissimas voltas flogindo parola.
Ditas com lacinho de fita.
Olas I'-1 indas coros e preta, de todas ai ti le-
suras. V '
LodosaJereeoj cora pedrinhos IlDcindo tr
Ihantes.
Kicastivellaspara -iato, de todas as nntlii'tCes
e bom gesto.
Ricos cintos de ultimo gosto de Pai is.
Grande sortimento de lindos enfeiu f pai* c tt--
;a, sendo do ultimo gosto e de lodos c; \ nii:
Flores muito finas para nonas.
Luvasenfeitadase meias de feria para ti,'. .-
Touquinhas sapatinhos e meia de nTc* iii
baptisado.
liiquissimas Illas de todas as qualidade |.ia i^-
ejo, cintos e cinteiros.
Camisinhas e gollnhas para senhora.
Kiqnissimosjarros e lignras para orse n jala.
Grande sortimento de gravalinhas tanto para se-
nhora como para homem.
I-uvas de pelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitascores.
Tiancinhas,galao e maravilba.' para ratnir.
Transelns de cabellos e de reirr.z jais Mlitks.
I'apelamisadee de outras qualidade?.
Bolsas para viagem.
ntremelos e babadinhos de I ledos tc'r's.
l-encinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras. irimi! i ntu-
nas.
Fitas do veludo lisas e com iratfire i hu ai
larguras.
Thesouras c caivetes de lodas a? etjalld; .
Grande sortimento de sabonete?.
Lindos vasos com banha par.-i 'f- .-; .u i l:<
Caixinhas com seis frasquirl.es.
Essencias de todas as qualidariis.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas crsrc't?, e
frascos qnadrados egarrafinbas.
Pomadafina de todas ns qualio'ades.
Superior banha em frasese cr|H t teft-ses
tamanhos.
Sabaoinglez em paos grandes e peqnfCf*.
Escovasdeeabo de madreperela. ir-frfireCe
osso, para denles.
Pentes para desembarrar, com frise i't n sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas entras nralda-
des.
Pentes de tartaruga para seabora
Ligas de.-da e de alcodSo.asMn: hu i nii(
utro objectos de gosto quesera in fssh* i -
oinar.qne a vista far t, s no Gallo VicjIiUt
cu i: do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de peclas falsas corren rfca
nngindobrilbantes, assim edmo crozirt \\!?
e voltinhas, pelo barato prec* de l t l(.0 ea
cruzes avnls asa 400 rs. s/no Vigilante rea'do
Crespo n. 7. *
Lcques.
ftlqaissimosteqaea de madreperoia tanto psra
senhoras como para meninas, pele barato rrfro
de 125 e 145; s no Vigilante, ma do ("rete
n. 7. '
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, prcr i -ae
i >
cm
ia debrum de vestido a 700 rs. a peca : s co Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espellios.
Riquissimos espelhos erm moldura trrscV
,sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim cfrc cm
columnas de differentes tamanhos a 25, .,;. \ ,< }
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de parcelara fir;.
para enfeite de sala, sendo o melhor gesto qreacii
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crtfio
n. 7.
Para aos de arroz.
Riquissimosvasoscomboneclapara pt de arrea-
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim ccn"<
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um ; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfomarias.
Grande sortimento de extractos e bancas, crrrA-
das, a-sim como de lindos copos ou vasos c tinctivos e offerecimeutes as sinhasinhas dc-s me-
Ihores e mais afamados autores de Pars elrclatf-i-
ra, assim como os grandes copos de banca ja^cneza
a 25 o a 15, asim como ontros nhjecics que naoe
possivel por hoje annanciar, e visla dii fregu-
r.es se faritodo negocio; na loja do Callo vcilanie
ra do Graspo n. 7.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, farto esset-
cial acontesta-, a mesma agna dando a cor [ rin i-
tiva ao cabello. Composta de plantas exeticas ?
desubstancias inoffensivas, ella tem a propritrisc'e
derestituir aos cabellos o prineipio corante qn- n
les tem perdido. D'uma salubridade inrortesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cutera-
. sr
destroe as
II.
s
9
8
AOTil^^AO
Vende-se a casa da pasto da ra uo
rador n. 1: a tratar na mesma.
til*" r
I e de Portland
Ceneala remano
oo arraazem de Tasso irnios.
caspas e impede ns cabellos de .
Oleo de Florida
Gomposto de substancias vegetaes exoli<*j>s. eirB
constite poderosame'. com a Agua F-' rida a
forja,a belleza e a conservacao dos cabe'...;
Em Pars, casa de Qoislaar n. 12, rnr. de Richf.
liea, e 31, boulevard Montmar're
Todos os frascos, nao tendo intacto e rl?re, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsas
Deposito, roa do Imperador.pharmacia n. 38.
Coke do gaz.
Plteb do gaz.
Vicatro do ca.
Coke, tonelada 10000.
Pitch, arroba 35C00.
Alcatro.eanadaSdO.
O cok reconhecidamente o carvSo mais erenc-
mico, torna-se por isso reeommendavel, brute-
me pelo aceio que se nota as casinhas acede A
elle asado. Pilche alcatrio, alfm ? aidln rare-
Qdes diversas a qae se prestao, como paracilafa
tar embarcacoes, alcatroar madeiras, etc., tercw
estes a proprledade de preservar do roplpt, ler-
nugas, etc. entregue na fabrica do gaz, ou man-
dado por em qnalquer ponto da cidade, segundo a
vontadedo comprador e previo ajuste.
Azeite de carra poto"
Vende-se por atacado oa a retalho mal* bar.-v,
eo que vendem os matulos as cargas : na fabri-
ca- da iravessa do Cariara n. 2. fces do Ramos,


aaaai
TV- m-~.


Ufarlo de Pernamfeneo Qninta Ir Ir* te de Marco de I S05


AURORA BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS
E
MOLHADOS
VINHOS
ESPECIAES
! Largo daSanta;
Cruzns. 12e84j|{j
esquina da ra do]
Cebo.
Largo da Santa
.gCruz ns. 12e84,
sqnina da ra do
Cebo.
. dono dos ja mu lo acreditados armaxens de molhados denominados Aurora
Mimte, acaba de receber do sua propriaencoramenda, muitos gneros delicados
proprios da presente estacao, e tendo grande sortimento comprado aqui, afianza que lo-
dos os seus gneros 9S0 do primeira qualidade.
A seguate tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores^
Nenhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por sen dono seachar encom-
modado era sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveilar urna q:iadra destas para se comprar
barato.
Vinho verde snperiar.
..ata rom 8 libras de chouricas muito novas.
a 74300.
Ditas grandes cora peixe em postas inteiras,
mus de 12 qualidades, a 1,5000, 1280 e
1>W)0.
Ditas com ostras, excellente pelisco para fri-
gid-ira, a 720 rs.
' Diua curn ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Dms com favas, a 640 rs.
}l).tas c -m ameixas a 5200, 15800 e 33500.
I Ditas com marmelada do afamado fabricante
1 Abran, a 880 rs.
i Ditas com massade tomate, a 300 rs.
i^iuscom Hitos ae comadre, noves, a 15500,
23 e 255 [Ditas com bolachinha de soda muito novas, a
' 23000.
Ditas cora biscoitinhos ingieres de maitas Dua-
lidades a 13100.
Checolate.
[Charlate superior muito novo, a libra a
15200.
1 MacarrSo, talhariam e alelria amarella, a libra
' a 48) rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
OaiM< com estrellaba, pevide, e ontras tnas-
, sas, a ral xa 34300.
Ditas Jila em libras a 640 rs.
;.%>a.:d, < libra a 360 rs.
C|I>4eva s Rrnlhas seecas, a libra a 160 rs.
JjQDitas descascadas, a libra a 200 rs.
'..) ru.no-.a maito nova, a libra a 280 rs.
I'irin'u do aramia verdadeira, a libra a
% 500 rs.
.5 Arroz dj Maranliao, ern sacco, a arroba a
2510J e a libra a 80 rs.
BjDito 'la India e Java, a arroba a 35300 e a II-
"VW bra a 100 rs. .
L^TouciQh i de Lisb'oa a 9j00 .1 arroba e a 320
-\'/2. rs, a libra.
'fjDiio il Santos, a arroba 75000 e a libra a
W 200 rs.
j'^kM Naos coa 12) ceblas grandes, a 18280.
TOftfislarla franceza, caixa com 2 duzias a
8;000.
'Priscos c>m mostarda preparadaom vinagre,
a 400 rs.
Ditos rom conservas ioglezas c francezas, a
61') o 800 rs.
>ttos cim sal refinado fino, a 610 e a 300 rs.
1 Jitoscoma verdadeira genebra de laranja, a
IJOOO.
)iia* de 2 garrafas de Hollanda verdadeira, a
i40 rs.
kB iijas com dita propria para negocio, a
40i) rs.
A caada a 35300 e a garrafa a 480 rs.
Comma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs. i
Sabo massa. a libra a 200, 240 e 280 rs. ]
Familia. (
Saccas grandes com farinbade Goianna mai-,
to nova, a 33000.
Caf. ,
Caf do Rio mnito superior, a arroba a 8,
85300 e 95000. <
Cha. (
Cha, temos nestes gneros o melhor possivel.C
hyson, a libra a 23600.
Dito parola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito livson muito Uno a 25*300.
Dito redondo a 23500.
Dito prelo de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a UOO,
640 e 720 rs. *
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-1
prias para mimos a 43 e 23300.
Nasas.
Notes, a libra IliO rs. e arroba a 45000.
tpula t paioco.
Alpislae punco, a arroba 15000 e a libra a
160 rs.
Carlas.
Cartas linas para jogar, a dnzia a 253 !0.
Caslanhas.
Caslanhas novas vn.las neste vapor, a arro-
ba 43000 e a libra a 200 rs.
Aieilonas.
Barris com azeitonas novas a 15300.
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 15000-
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita monos superior a 640 rs.
Dita francpza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
6S0 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Qoeijos nevos vindos neste vapor a 35200 e\
33500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a!
13000.
Papel.
l}irrifo.s com 2 aloes com dita, a
,S rvoj, boa, marea, a 500 rs. a garrafa, e a Pipe| a|maco pauta,lo', a rosrna a48800.
iiizia a :000. Dito dito lico de linho, a resma a 48300.
Ti 1I1 > moscatel de Setubal, a garrafa a 15.
Mrrasrj niilio verdadeiro, frascos a 801 rs. e
J a (5200.
lCha npigoe, a duzia 205000, e a garrafa a
23U;>
Uttrf refinado portugucz e francez, a garrafa
1 a 18)00.
Chxi d* vinho Rordenux muito superior, a
73. 83.93 e 105 a raixa.
Vas rn-n lito branco, a 75 a caixi.
Dius i-o-n dito lagrimas do Donro verdadeiro,
a 203.
i)ins on duque do Porto verdadeiro,*a
MI*.
Ditas con clumisso suportar, a 145-
)ita; ccn l'irto volli) o ontras muitas mar-
cas, a H5.
cS>Vinh 1 da Corto da pipa, a garrafa a 610, 720
$3? e. 8 JO rs.
""'Bit > 1- Lisboa muito bom, a caada a 33200,
. 33''lO e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs. _
>Din da Pigueira, das seguintes marcas (X.)
(I. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
1 4 Vi K>, h a garrafa a 560 e 610 rs., desle
' i| m j est engarrafado e lacrado com o
roiuli do armazem.
'Ditos d mceas mais desconhecidas, acana-
I 'la h 35300 e I5OOO, e a garrafa a 480 e
320 rs.
.Vmho branco fino, a garrafa a 640 rs.
11)1 tu de caj muito superior, a garrafa a
1 800 rs.
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
25500.
Dito de erabrulho, bom a 15 e 1800.
Vinho Madr-ira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 13500 o 28000.
Temperos.
Folhas de loaro, pimenta do reino, cominbo
e cravo, a libra a 400 rs. di
Velas de carnauba. ^
Massos com 6 velas de carnauba refinada a .#
480 rs.
Aoicndsas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixSes de doce de goiaba, grandes a 13400
e pequeos a 640 rs.
Fijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25000, e 1
de tatas a 15000, e os boKes a 240 rs. ca-|
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos liaos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da.
Baha por diversos precos, eaixat c raeias,
caixas.
grande quantidade de gneros tendentes
e^tes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
ATTENCAO
AO *
NOVO AMAZEit DE MOLHADOS
X. 1HUna do Cabalgan. 18.
Defronte da matriz de Snto otoTo,
de /
Lima & C.
Os proprietarios tiesta novo etabolecimento avisa ao respeitavel publico, que acha*
se prvido do u;n corrt[ileto sortimento de molhados e seceos, lodos novos e por precos
cummodos
Os proprietarios nunca quizerara annunciar pelo jornal a existencia de seu esUibe-
1"; meato ; porua, como az-se necessaria a noticia aos senhores de engenho e agrcul-
ict es,que mandam seos portadores direetos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os
(i.- (prtetarios o fatem agora,
Aprovuitam a occasro para declarar aos Srs. consumidores, que Seu estabeleci-
iiteoto se achara sarajire completo de um variado st rtimenio de moltiados, seceos e ou-
ti'js objeclos pertencentes ao mesmo ramo do'negocio.
Seus procos sern menos 5 por cento do que em 011 ira qnalquer parte, e para
tc (ira chtim-se a attenco de lodos emgeral.
Os posos e-medidas, e qnalquer engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
'!Oi fiTOr d') consumidor, em quatquer occasiio que reclamar.
O iro|)rietaros deste iiqvo estabelocimenio esperam des sus freguezes, e do
puMico em itera! toda a protecc5o, prometiendo os proprietarios vtw tirar lo sitiente um lucro razoavel do laborioso trabalho, con> que possam dar
onmprituer4oaestaftfv/a|niss3o. .,
\ liaivlo desncessaria a puWieafo dos precos minuciosamentfl explicados de
seus gneros, com o qrre geralmontc torjos fogem, pelo motivo nito somente de serenfa-
do'tiio, cmo uinnem por irada valer, o proprietarios tm smente em vista enireler s
rs civis unid ires com gneros novos, e procos mais razoaveis do que em outra qnal-
quer parte^ poi$ sero as garantas para a' protecejo ao Notto ArfmtHn de Molhados.
PL8B DOS PROOREM61
Laboratorio enologico e cliimico de F. P. Lebeuf e C.
ra Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenten!!, prs Pars (Franea).
BOMFICAClO E FABiilCAClO
Dos vinhos, agurdenles e licores.
0
NEM COROAS NEM MITRAS
E
AGUARDEXTE5.Essencia de cognac para dar
as agurdenles urdioarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 F.
KIRSCH E AUslNTHO.-Essencia de kirsch e
de absintlio, para os Fazcr com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.-Extractospara Fabricarse lodos os
licores conhecidos sem Fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 2o
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricarse os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 23 litros, 1 f. 2o.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, aguardentes, licores, vinagres, etc., Sao
fabricados de encemmenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
VINHOS.Imitacao dos vinhos de todas as
(jiialidades,Extracto d Med-sc, adose para 230
litros, 1 f. 23,de Rordeax, 2 f., de Pomard, 3
F.,de Lisboa, 2 F.,de Cataln, 2 F.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para Fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outres. A dose para
500 litros, 50 F.
CLACIFICACOPos Inglezes, pos dos vinhos
da Hespanba, da Franca, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
COLORACO.Purpirigine para colorear os
vinhos braucos o vinhos claros. As duas libras
para 500 litro?, 16 F.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparacoe
freguezes, deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as iolciaes F. V. L. Paris,
0 mudo de asar-so das preparafoes aena-se indicado no rotulo. I
As eneomm ndas devem ser acoupanhal is por urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-
de de Franca, ou ^araatidas pjr umi casa conhecidaDirigir-se aes Srs. Lebeuf & C. chimicos, ra'/
Montmartre, n. 31, em Paris, ou a sui fabric eai Argenteuil, prs Paris. ^g|
Vende-se na botica franceza, ra do Imperador n. 38.
GRANDE ARMAZEM
RA DO IMPERADOR Y. 40
JibU m sebrado em que mora eSr. Osbome,
Bnarte Almelda <& C, reeeberam de sna propria enccBmcB-
da o mala lindo e variado sortimento de molhados,. prcprloa
da presente estaeSo.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra uovavinda no ultimo vapor a i ,ooo i para sopa a melbor que se pede derejar,
C-ii
CONSULTORIO MEWCO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 fiua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
floras da raanbaa, e das 6 e meia s 8 boras da uoite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopahica
No mesme consultorio ha serapre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamUaces e pelos precos seguintes
Carteiras de i2 tubos grandes. 42i|000
de 24 tubosgrandes. B#000
de 36 tubosgrandes. 245000
de 48 tubosgrandes. 30/5000
de 60 tubos grandes. 35^000
Prepara-se qualqnercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
a pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia on$a i^OO.
Sendo para cima de 12, custario is precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
LITROS.
A meliior obra da bomeopathia, o Manual de Medicina .Homeopathico do Dr. Jahr
dons grandes volumes com diccionario ............ 20*oo
Meiicina domestica do Dr. Hering,........... 10^000
Repertorio do Dr. Mefo Moraes............. 6^000
Diccionario de termos de medicina ........... 3j5000
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensara portan-
to de serem novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
iadeiros.energicos e duradores: ba tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europes, a mais exacta e accaradapreparaclo, e portanto a maior ener-
va e certeza em seus effeitos.
Casa de saide pira escravos.
Recebe-seeseravos para tratar de pialquer eafermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operafo, para o que o annunciantejnlga-se suficientemente habitado.
Otratamento o melhor possive, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatreannns, ha mnitas pessoas de cujo conceito sa nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarera mandar seus
lenles.
Paga-se2 As operaces serlo previamente ajustadas, e n3e se quizerem sujeitar aos precos
azoaveisquecostuma pedir o annunciante.
Fvimicv m cirjfios de sol
H 31 R ii tra cinniiai x (Mmoa do Carao e na do
Cabula n. 0.
A lireUoria da^se eUabsIecimento o ntiis importante que existe neste ger.nro
as provincias '
vantagens que .
importantes fabricas da Europa, faz scieate qufl reolveu-se a veader ainda mais barato
do que do costante como demonstra a .seguinto tabella :
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Hanteiga franceza
pn afra nova a 60o rs. alibra, e em barril
I360 rs. cm
Amendoas
&ufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro cem 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos.
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a l300.
Chocolates
detodasasquadadesaltfOOO a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
teons ve'bos para 500 rs.
Queijos flamengos
ebegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Qneljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se podo esperar a 760 rs.
o ira co.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1,5200.
Cha uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
>:> a 2/>OUO.
dem perola
ispecial qualidade a 20700 rs. a libia.
dem hvsson
) mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amnrp'Ias
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. abra.
o muito afamado cognacPalBrandv a 1 8oo
rs. a garrafa e de outras moitas quaida-
desa i,ooo e 8oo rs. a garrafa
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
dades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
[de excallente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
macarrao, talharim e aleiria a 410 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem de Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 1S00
agarrafa e de 100 a 120 a caixa, afear
cas s5o as seguintes: Chamisso Filho,
F. M., Nctar ou vinho dos Beuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de baBba a 40OCO.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* .4 bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantesfe de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
!\e 2/ sorte*oRio de Janeiro a 805f
e 80800 a arreba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarraffdes
com 4 V* garrafas com vinagre a 10OOOt
ogarrafao.
m GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqHeira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeirospalitos do gaz a 2,2oo a groza
e2ors. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a iiora.
Descont em duzia.
20
%
ARROZ
)ru ujsse ciiaujiuriiUiui o uns rapwnnrue que existe neste genero" PAPEL f de 3 000 3*11' a fS" '*ra e
do norte do imparto, queren h qua o pablico desta provincia goie das,azuI e Pardo para embrulho de l,4oo a 2 2oo wf ac8 arroba-
proporciona a fabricaco em graad ejcala e diroela relacao com as mais rs- a resma. dp (.snprma^in a j-
rftnivwi- n w.nrior anria mie Kr,i PopinthinQ kk" oe diversas marcas a 5(?o rs.
passas corinthias muito novas proprias Dar
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
I.4oo rs. alibra.
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novasdo mercado a 7,000 rs. a caixa"
10 /
15 o e
15 %
15 o'0
Chapeos de sol de panno a 25000 ........
armaco de baleia a 2$500 ....
de seda armago de.ac ingleide 20 pollegadas
40, de 24 55, de 26 50500 e de 28 60 ......
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 21 pollegadas 80, 'de 26 90. e de 28 100.
dem idem a balo de 16 varetas palent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 135......
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho. etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os lamanbos e feitios, os quaes so to vantajosos como os annunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se i ?ualmente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
lhar pelo preco que o estabelecimento relalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia sero considerados como
a retalho.
ales de renda preta e bournus deguin preto**&
1 Mm*
#>
A- leja da na do Crespo n. V
DE ,
JOS CHIMES TILLAR
Vende a 15*, S04, 303, 403, 503 e 603, capas e easacoes de gros pretos, chapeos _
e chapelinas de iwlhao nutras minias farendas proprias para a quaresma. ;S*
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de sua saude espera que seus tflG
devedores tanto do mato como desta pra^a saldem seus dbitos quanlo antes. ^
ni

GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva t 4,ooo rs. arroba e 16j r-'s. a libra e.compran-
do de um paneiro para cima se far abatimenlo na ra do Imperador n. 40.
CEGmlWMOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil prelo clegados pelo uLimovapor franfez, a
lojf dasrolumnasraa do ''respo n. 13, deAn:onio Corroa de Vastonel-
[Js-AC

e 1,000 rs. o molbo.
. Alpisfca o Rimco
o mais novo do mercado a UO rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEROLAS
cro de bico
muito novo a 30400a arroba e 140 rs. a Ii-
braaaruadoOeimrdo n. 7 rua d
imperador o e largo do Carmo n. 9.
QfJMJfO SU1SSO
isss: t rs\a ,ibra na "a d*
0 Verdadeira Prineipa! roa di Imperador n 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas oras e grandes a 40500: na ru. do Imperador n. 40.'
a libra e em caixa ter abatimento.
. t VELAS
de carnauba em caixas de arreba a 9,3oo
caixa e 34o rs. a libra.
Btalas novas
emaCbraS ^ *nh a H 8 *** e 60 "'
Passas muito noias
em quartos e inteiros a U o quarto e um
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
SUaZ80nmr? efteCal que se P(,e de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao
k 3 FpMtas en calda
a oO el^ ocaix5e.
. GOMMA MUITO NOVA
ZSTiLt1 e ?,""" a 8WC0 a ar-
minn 7 2'lbra na rua d0 Crei-
rca?mhr9dln,perad0rn-40e^o
em lataa de defierentes quHdades a 1200
. an -A. QUIJOS FLAMENGOS
chegadosneste ultimo vapor a 280O na roa
doQueimado o. 7, rDado perador"
40 e largo do Carmen. 9. F
8-
-----


OE
J. VIGNES.
W. 55. RU DO IMPERADOR &*.
\ >-,

tela que Bes tem definitivamente coniistado sobretodos os Se temaffi^!f^inenm2!:
miado um teclado e machinismo que bedecanT iL2 aiPatotaTe E f ^ pfa* *"
aunca falhar, por serem fabricados de propasito e ter-KTfolto Sl^S das P*n,3Us-e-
iissirao* para o clima deste pai*; quanto\Tvuk Jl Z\S pT^^.melho^",*.l,BpBW^
reis aos oavidos dos apreciadores. ** meLoLosas e flautaas, e por iste muHo agrada.
Eazem-se conforme as encommeadas, tanto nesta fabril mmm j! -' t>^_, ^
correspondente de J. Vignes,em ^^^\^^Sm^^S^^!SiS^''Wa*
nelhore antoras da Knrrjpa, assim cetn taira^dMoal 2?har
'
T
1
i\/r-i

-
ti


f
Mari* de Pernaaiknc QaleHa ff Ira is de Marco de i65.

;-
i

Attentfao.
Fazendas pretas para a quaresma pop
par baratissimo preca, na leja e ar-
auiB da Arara, ra da linperariz
n. 56.
Lourenfo Pereira Mendes Guimares.
O proprietario desla estabelecimealo retira-se
para a Europa a tratar de saa saade, porro antes
de reiirar-se pretenda lazer urna liquidago de ba-
baratisslmo prego p'ara fechar contas : agora fre-
guezes veode-se grosdenaples preio muilo bom
para vestidos, a 13600, 23 e 23o00, dito de 5 pal-
mos de largo, a 33 : na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Heuraatique preto a 3#.
Vende-se meuriuiiijue preto para vertido a 33 o
covado, grosdenaple inuito largo e encorpado a ;!,
23-500, 23 e 15800 o covado, alpaca pre para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., bombaziua preta para vestidos a liH o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara o. 56.
Ricos vestidos a Maria Piaa 1%
Veodera-se ricos vestidos a Maria Pia a 103,
123, 143,163 : roa da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende pecas de panninho a 5,5 e de
madapolo a 40.
Vendem-se pecas de pauniuho muilo lino de 12
jardas a 53, vendem-se pecas de madapolo inces-
tado a 43 e 43500, vendem-se pegas de madapolo
de 24 jardas bom a 63, 73, 73300, 83, 93, 103 e
123, vendem-se pecas de algoosiulio a 53, 63,
73, e 83 : ra da Imperatriz n 5i.
Arara vend os balSes a 20500.
Vendem-se baldes de arcos de todos os laman tos
a 23500, 33. 3350O e43: ra da Imperatriz
n.56.
Laziahasda Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se laziuhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 506 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
linas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Veudem se chitas de cores fizas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas anas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova -
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidacao de soutambaqu.es e lazinhas a
75, 80 e 100.
Vendem-se soutauabaques de lazinhas para se-
nhoras a 73, 83, dita de> alpaca branca a 103, ditas
muito Unas degroodeuaote preto a 203, 253 8 303,
capas pretas de grosdeaaple lino a 203,253 e 303,
manteletes pretos de grosdenaple a 203 e 223, go-
linhas para senhora, a 240, 320 e500 rs., mangui-
tos com gola a 13 eamuiulias para senhora, 23,
e 33, ditas muilo Unas bordadas a 43500 : na loja
do harateiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes da ditas finas a 20400.
Vendem-se cortea de ditas cotn 10 ovados por
23400, ditos de dita frauceza a 33200, cortes de
cassa franceza Ana com 11 eovados, por 33, ven-
dem-se pecas de cambraia branca lisa a 33300,
435OO, 53300, 63 e 83: ra da Imperatriz n. 56.
Liquidacao de roupas feitas palitos a 20.
Venem-se palitos de bnra de cor a 23, 235(0 e
33, jaquetoes de brim pardo a 33 e 33500, palitos
de casimira bem feito a 53, 63, 73, 83 e 103, di-
tos de panno preto bom a 83 e 103, ditos sobreca-
sacos de cajimira.de cor e preta e de panno a 123,
143,163 e 203, calca de bnni decr a 23 e 23500,
ditas brancas de liulio a 33500 e 43, ditas de ca
simlrade cor 43,63 e 83, pretas a 53, 63 e 83
col leles de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 133OO, brancos a-23* 206\0, ceroulas feitas a
132*0. ditas linas a 13600 e 23. camisas france
zas a 23 e 23500, ditas inglezas de pregas largas a
33, de linho a 33 e 33500, colerinhos econmicos
a 640 rs. a dozia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz toja da Anua n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Vendem-se cobertas de chita finas a 23 e 23500,
ditas da damasco a 4-5 : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e ven le cortes de casimira
preta a 30.
Vendem-se cortes de casimira preta para caiga a
33, 33500, 43500, 63 e 83, ditos de cor a 33,
435OO e 63 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vndese panno preto para caiga e palito a 23,
33, 2-3500, 43,43500 e 63 o covado, casimira pre-
ta Una a 23,23500 e 33 o covado e oulras muitas
fazeadas para liquidar : na loja e armazem do
Arara, ra da Imperalriz n. 56.
Navidades
Na nova loja de fazendas e
roupa feita nacional
Ra da Imperatriz m. 72
Pechiacha
Cortes de chita a 2* KM
Veade-se corles de chita com 10 eovados a
2400 a 332OO, ditos de cassa a 33. ditos de lazi-
nhas para vestido a 33600 e 43, ditos fiaos de bar-
ras a Maria Piaa 123, 143 e 169, ricos snuteam-
barques de lazinha em fantasa a 83. 73 e 103,
ditos de grosdeaaple pretos finos a 203, 223 e 253,
capas pretas de grosdeaaple a 203, 233, e 253,
na ra da Imperatriz n. 72.
Fazendas prelas para a quaresma.
Vndese grosdenapie preto fino a 13600, 23, e
25-550 o covado, panno fino para caigas e paletots
a 23,33, 335OO, 43500 e 53 o covado, casimira
preto lina a 23, 25500, e 33, alpaca preta para
saias e vestidos a 500, 600 e 800 rs., sarjas de la
para caigas e paletots a 040 e 800 rs. o covado.
Lazinhas a 320 e 380 rs. o covado.
Voade-se lazinhas para vestidos a 360, 400,
500, e 340 o covado. chitas finas para vestidos a
240 o 280 o covado, ditas francezas linas 320,
360 e 400 rs. o covado, capas francezas Unas a
320, 360 e 400 rs. o covado:
Roupa feita.
Vende-se paletots de cor e preto a 35, 63, 85 e
103, caigas pretas de casimira a 35, 65 e 85, cor-
tes de cohetes e paletots de brim a 23, 25500 e
39 : aa ra da Imperatriz o. 72.
Madapolo eafestado a 40.
Vende se pegas de madapolo eufestado a 45,
dito em panainho a 53, pegas de madapolo de 24
jardas bom a 85,75 e 103, ditas de algodo a 53,
65, 7 e 85, cortes de caigas de brim a 13600 e
"', ditos de casimira pela a 33, 33500 43 e 55 :
F&zenat pretas para a qua-
resma.
Xa loja do Pavo.
Acha-se este estabelecimeutocompletamente sor-
tido de fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber t
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros mais estrenos tendo dos preces de
13280,15600,15800, 23, 25400 e 35, superior
moreaatique preto a 33, superior sarja preta he-
pauhola, superior setim preto raaco, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques muilo bem enfei-
tadas, ricas vasquioas e casacos dos mais moder-
aos que lem viudo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, ludo islo se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavao.
Acha-se neste estabelecimeuto um grande sorti-
raento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 225, 255 e 305,
ditos forrados de alpaca a 115, 165 e 205, supe-
riores paletots de casemira tanto sacces eomo so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, velludos, setins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres nacionaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas em caries com 10, H e 12 covades
Na loja do Pavo vende se urna grande porgo
de cortes de chitas nncezas sendo claras e escu-
ras todas de cores!", xas com 10 eovados a 33200,
com 11 eovados a 35600 e com 12 eovados a 45,
pechineha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama <& Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Grande llquidaeSo.
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
do Pav5o de Gama Si Silva.
Acha-se este esiabelecimentocompletamente sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
malo, prometiendo vender-se mais barato do que
era oulra qualquer parte, principalmente sondo em
porgo, e de todas as fazendas do-se araastras,
deixando flear penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
Camisinhasa 1$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
urna : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes da cassa a 30.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 raras cada corto, com desenhos muito delicados
pelo baratistimo prego de 35' (0 o corte : s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambraia* lisas, na laja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito Una,
tapadae transparente, pelo baratissimo orego de
45 tendo 8 1|2 varas cada pega, ditas muito finas
a 73, 85 e 95 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 75, 95 e 10J>, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 25600 a pe-
ga : isto na loja do Pavo ra da Impojalriz n 60,
de Gama*Silva.
Os vestidos de Pavio.
Grande pechineha a 35500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente a imitago de tarlatana com mnitos
delicados desenhos, maiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 35506cada nm,
sendo fazenda que sompre se vendeu a 75, na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 40 e a 70
Na loja do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 45 e 75, sende fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porgo, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Os enfeites do Pav3o.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabega
de senhora: na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padrocs mludinhos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
As laziuhas transparentes a OU rs.
_ Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de listas miudlnhas
a imitago das sediohas, pelo barato prego de 400
rs. o covado -, ditas eofestadas de ama s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de eriangas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
Rices soatambar^ues de Pavo.
Acaba de chegar nm rico sortimento de son-
tambarques de grosdenaple preto muilo bem
afeitados, que se vendem pelo barato prego de
205,225, 255, 305- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em cenia: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezas a 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para caigas, colletes, paletots, roupas para
eriangas : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Aos vate mil eovados de la.
Grande pechineha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas TSaziahas transparen-
tes, sendo com llstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de loda3 as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Maria Pa, tendo de todas as cores
AO PUBLICO
Sem o menor eonstran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
n5o agradar.
ATTENCao
Os preco da aegnlnte
tabella para todos, pe-
dendo assim servir de ba-
se para o ajaste de contas
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Coneeieo)
PARA BEM DE TODOS.
i Sintos fioissimos.
A loja da Aorora na rna larga do Rosario n. 38,
recebeu riquissimos sinlos largos tamo re fiu co-
mo de galo douradoscom velas, Mas siuios ao
os domis gosto que lem chegado a esta praga, e
enfeites mnito modernos para cabega.
DROGAllX
34Rua]larga do Rosario 31
Bartliolomeu Francisco deSeaza k .
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar rasas.
Guarnigoes avelludadas.
Tinta branca superior om lata.
Alvaiarle Veneza, Une, em pues.
Vende-se ealgado franr-ez da barra franceza
S. Joao aa Luz, na roa do Livramenio n. 21.
Borzoguins de lustre (Xantes) 63000.
Ditos de hezerro de tres solas (Nantcs) C50OO.
Hitos de bezerro de dnassolas 63000.
Sipatosde tapete 640 r?.
ESCBAVOS FGIDOS,
Senbores
reza com que sero
es e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptidao e inlei-
5o tratados, convida a urna visita ao mesrao, certos de que sem duvida me daro a proteccSo e preferencia na com-
pra dos generes que prec sarem, e quando n3o possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pois serao tao bera servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaiao, afim de que n5o vao em
outra parte.
Manleiga ingleza especialmente escollada a
1,00o e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 9 'o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I.Ooors.
dem preto o que se.pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Lioguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas c paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o r3. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo I
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
I,oooei,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e i,2oo rs.
Vinho Rordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa c 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos;
grandes a i,000 e 1 l.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de l1 qualidade a 28o rs. ali-|
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-j
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Aletria, macarrSo e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sjam : Lagrimas
doDouro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000, l.ooo,
i2,ooo e 10,000 a caixa com i duzia e 9oo,
1,000 e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherex de superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica.e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes cora bolo francez muilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
i Ameixas francez is em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixasfranc zas em caixinhas de diversos
tamarillas com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4o3, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cadS urna.
Azeitedoce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo |
o gigo com 36 libras. .
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escora para esfregar casa a
4oo rs.
No7.es muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de 1* qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8o a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 400 rs. o frasco.
Paineo e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a, Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba.
sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra c56o rs. a reta-j $ a garrafa e 11,000 a duzia.
'D0- Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro cora tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
2ia.
Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante JosFurta-
do de Simas, das seguinles qualidades:
Exposicao Normal de Muvana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes", como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,000.a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Dooe da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachmha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
^ qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a visla se
far o preco.
Azeitonas de Rivas era ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,eoo o gigo.
Gomma de engommar mnito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para ropa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,8oo f s. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Aos capilfs de aupo.
Fogio no da 27 de everelro desie ann. rie ra-
sa de seu senhor o escravo Sebastian, ciionio, lu-
lo, com idade de 22 a 24 annos, fui pfrravo de
senhor do engenho Quandus da eon.arra de Santo
Antao, d'onde linha vindo para et-ia idade a 8
i das, de presumir que seguisse paia Taquaritis-
ga aonde tem mi e irmos, levou alga i canisa
branca bastante snja, altura regular, eatello a es-
covinha, cabega pequea e redonda,'irsia grande f
bem carnuda, olhos pretos e regalares, naris < ba-
lo, bocea regular, beicos regulares, denles lude s e
limado?, nenhuma barba.apeas nm penueoo ligo
de, corpo bem limpo, ps regulares e peni o lar-
gos : roga-se portanto aos Srs. capitSes de rtitio
a apprenensao do mesmo a entrega-lo a ra do
Imperador n. 83, segando andar, defronie do er-
reio, que se gratificar com 503.
Escravo fgido.
Fugio no dia 3 de Janeiro doeorreniejanno a es-
crava Catharina, de nago Congo, oe idade de 45
annos, pouco mais ou menos, estatura regular, ie
quem a levar a ruada Guia a. 31 srr grailicad*i
Negro fug do
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro deste
anno o preto Joaquim, de nacae Angola, que toi
escravo do Sr. eapilo Francisco Jnaquini Cava!-
eanli Galvao, morador em Mara Fannla (Pi*a),
o qual venden-o nesta eidade em ck. u.i iu de au-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marque* coro
armazem de assucar ra de Apollo ; levou ca-
misa e caiga de algodao braneo, ropresenta ler de
45 a SO annos de Idade, alio e de grns.uraregu-
lar, cor fula, cabega comprida, qu< ixt s largos,
olhos amortecidos, beigos grossos, snfio o soae-
rior um tanto defeituoso, bstanle barba, pon-m
raspada, finalmente tem urna grande restora entre
os peitos proveniente de queimadura, r suppfie-ee
terse dirigido para o norte, d'onde veio : jraltfi-
ca-sea quem o apprehender ou denunciar o coiti
em que estiver : na ra da Cadeia do Hecife nn-
mero 52.___________
Aviso
aos capites de campo e a paiicia.
Desappareceu em pjincipio do me* de < utihrt
do anno passade, de bordo do palliabeie rariora.
i4ra;o Malo, dous escravos de nones Retirle
(por apellido Macei), e Miguel; o Io re idade 4
annos, pouco mais ou menos, rrionlo, rnr fofa,
estatura baixa, barba serrada, um pouco turto das
pernas, e com algn? cabellos blancos, m.ie aa
barba como na cabeea ; o 2o alio, etieio do cerpo,
sem barba e falla grossa, reprsenla ler de 25 a
30 annos, cujos escravos desconfia-se andarm pil-
los arrabaldes desta cldade : qnrm os appreher-
der queiram levar a ra do Trapiche d. 4^ qae
ser generosamente gratificado.
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Qiicimado, n. 49 e 55. E' para admirar.
aa ra da Imperatriz n. 72.
i
i
s
BENZINA
Xovaesseiicia para tirar nodoss sem ata-
car os tecklos nem alterar as teres
Mancha alguraa produrida por gorduras,
cera, etc., resiste a este famoso ds-
solvente, que pode sem receio appli-
car-se sobre vestidos de seda, la,
[apegaras, panos de bilhar etc.
Restaura perfeitamente as lavas depeli-
ca asadas.
Cada fraseo 10OOO.
Um impresso que acorapanha cada fras-
eo ensioa a maueira de usar-se, assim
como indica oalras militas appiicagoes
que esta nova esseaci* aode ler as
artes.
PHARMACIA RIBEIRO
EM PEftnAMBUCO
22Praca da Boa-Vista
mmmmm mmmmm
Fazendas baratas.
Madapoloes com 2i ardas a 53. 6 e 73 a pega,
ditos fidos a largos a 73r>00, 83500, 93 93300,
alg.dSes a pega a 5, 63, 63500, 73, 73500 e 83,
chitas inglecas a 200 rs. o corado, corles de lia
com 15 eovados .por 43 ; oa loj* do verdadeiro c
principal harateiro, ra da Madre de Dos n. H.
defronte da guarda da alfandega.
Vende se a oasa de mamados na ra da Im
peratrii n. 34, por seu dono ter de retirar se para
tratar de sua saude, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na mesma aeima.
algumas proprias para lato, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porgo : na ra da Imperatriz a. 60, de Gama
Silva.
Vestaos Maria pia,*
Grande pechineha a 10(5000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, :-endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 103 o cor-
te, ditos de precala cora lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada um a 103, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo jjosto, po-
lo barato prego de 63 na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esla nova fazenda, sendo cassa de linho
.propria para veslidos e roupas para eriangas, com
muito delicadas cores, moderna, e veade-se pelo
barato prego de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
LSazlnhas lisas.
Vendem-se as mais finas lazinhas de urna s
cor, tend9 grande sortimento : na Iqja do Pavo
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavo os
mais ricos chales de renda com tres ponas, seado
lodos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do oeste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mere ulo, riearaeote bordados e cercnlados de om
elegante bico preto de mais de palmo de largura \
estes modernissimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem nma elegante visla sobre
ana vestido de qualquer cer, assim comft muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavao.
Soutarabarquesdecor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques e cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento que os fregueses
podera dar o verdadeiro apreco a esta fazenda, e
vende-se pordifrerentes pregos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Bixas himbnrgaezas.
Vende-sena ra Nova n. 61.
Garretis de linna com 150 jardas...... 60
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................. 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das ................................. 80
Idros idem brancos e de cores de 100
jardis......-......................... 30
Livrospara assento de roupa lavada... 100
Cordo branco para espartllho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de boiSes de punho todos de cores 120
Tinteiros de barro com tima........... 100>
Tesouras para costuras finase unhas 400
Ditas para costuras com toque d'avaria 200
Escovas para limpar dentes muilo finas
160, 200e.............................. 320
Caixas com 160 envelopes das melhores
qualidades........................... 640
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso................................... 600
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
Iho)........................-...... 20
Meladas de linha frouxa para bordar... 20
Pares de sapatos de tranga........ 13500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............ 30
Frascos de macaga perola muito suerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 500
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
muito lina....................... 400
Ditos ile banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2........... 900
Pegas de fitas elsticas para vestidos a
melbor qualidade.................. 240
Pares de ligas para senhora as melho-
res .............................. 320
Pegas de bicos francezes e rendas..... 320
Frascos de aeua deuiifrce muito supe-
rior.............................. 800
Caixas com 4 papis de agalhas a balo
e Yfctoria......................*. 200
Libras de la sendo de todas as cores... 63000
Bonecos veslidos e tambera de choro... 160
Caixas cora superiores obreias........ 40
Ditas de linha de gaz cora 50 novellos.. 800
Eofiadeiras de fita para espartilhos..... 60
Carrelis de linha de cores com 100 lar-
das ............................. 20
Pegas de cordo imperial............ 40
PRELO
a 33300 : na ros larga do Rosarlo n. 50, ttberna
da esquina que volta para a ra estreita 'do Ro-
sario.
Nilht a 4,000.
Na rna larga do Rosario n. 50, tatema da es-
quina que volta para a da estreita do Rosarlo.
BOTICA E DROGARA
Bartholomeu Francisco de Souza i C.
31Rna larga do Rosario34
Vendem:
PilulasHollowxy.
Pillas do Dr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulasdo Pobre-hornera.
Pilulas americanas.
Pilulasvegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Uristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir dePepsina de Grimault.
Viuhode Salsaparrilha deCh Albert.?
Injecgo Feaugas.
Aguadentifieade Desirabode.
Papelchiraico, para tainos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epiretlcos deRrest.
RobL'AlTecteur.
JTarope do Bosque.
Ungento Holloway.______________________
Pechineha na ova loj a de fazendas
roupa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n 72.
Pechineha a 240 rs. o covado de chita.
Vendem-se chitas de cores fizas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado ; pecas de madapolo fino a 63,
73, 83, 93 e 103; pegas de algodo a Sft 63, 7
e 83 : roa da Imperatriz a. 72.
Roupa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 53, 63, 83 e 103, ditos sobrecazacos a 12a, 14a
e 163 Palitos de brim de cor a 23500, 33 e 333O0
rs., caigas de casemira preta a 6j, 79 e 8$, ditas
de casemira-de cor a ojf, 63 7, e 83 ; coletos de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 13500,
e 235OO rs.,; caigas de brim de cor a 23, 23500 :
ra da Imperatriz n. 72.
Soutaabarqoe de cares a 7, 8# e 10$.
Vendem-se souiambarque de la e seda para se-
nhoras a 7#, 83 e 103; ditos de grosdenaple pre-
to a 20* e 253 ; capas pretas a 20 e 253 ; vesti-
dos de la a Maria Pa a 123, 14o e 163 : ra da
Imperatriz n. 72.
Cortea de cazemira preta a 3$.
Vendem-se ertes de cazemira preta para calca
a 33, 33500, 53 63 e 63, ditos de cazemira de
cor a 33, 43,5jJ,.e 73, ditos de brim de cores a
13600, e 23, dilos de chitas finas a 23109 e 33200,
ditos de cassas franceza a 33 : ra da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
FIJSo
Na rna da Madre de Dos n. 9 vende-se feijao
mulatinho, dito tranco, e dito preto, mais barato
do que em ontra qualquer parte, approveitenv
peehincha que a quaresma bale porta.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 55 lejas de miode-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva continua a
vender tudo por pregos mais barato do que em
oulra qualqoer parte, qoem qnizer ver o que ha
bom e barato venha a leja do Rival.
Latas com superiores banha............ 200
Frascos de vidro com superior banha.. 240
Pares de lavas de seda muito finas___ 320
Enfeites do melhor gosto que tem vindo. 23500
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 1$280
Palceiras do melhor gosto e modernas. 500
Volta para pescoco do melhor gosto.,.. 500
Baralhos para votarete, finas a 200 e.. 240
Varas de franja branca de linMt qae
tem muita serventa................. 060
Duzia de penaas d'ago muilo superiores 060
Frascos de oleo Bboza muito finos..... 200
Talheres para meninos a melbor quali-
dade............................ 240
Diversos livros, todos retteieses a 100,
200................................. 300
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa........................... 23IOO
Duzia de colheres de metal muito finas
P*ra en........................ 13300
Grosas de botdes de osso para caiga... 200
Grosas de botoes madreperula para ca-
misa.............................. 300
Grosas de botoes de louga prateados
muito finos...................... JOO
Varas de babada do Porto sonido..... 060
Duzias de lapes dilferentes qualidade a
240....................1......... 400
Quadernos de papel de peso mnito fino. 030
Resma do mesmo papel............. 23000
Duzia de faeca e garfo muito boas.... 23400
Sabonete de espuma muilo superior... 040
Capachos compridos e redondos muilo
bons............................. 500
Ditos para sof...........'........... 230O
Pares de suspensorio mnito bons e para
acabar..........7................ [loe
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa...-......................... 500
Creio para dezenbo de todas as qua-
lidades........................... 020
Cartas de altioetes francezes muito su-
periores.......................... 100
Caizas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................
Carreteis de retros com quairo oitavas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.............................
360
800
No dia 5 de margo ausentoo-se da casa de seu
senhor, Jos dos Santos Ramos de ORvtira roa tV
Mondego n. 2, a escrava de Dome Thereza, prete
fnla, ainda moga, alta, cheia do corpo, vistes *
despachada, levou bastante roupa. rm.-ia para casa de seu ex scnbor Manoel Joaqnim Sil-
veira em Caruarn', e por isso pede-se a qnem a
encontrar que a prenda e remeta para esta prs$a
a seu senhor, que recompensar bem a quem Ihe
a entregar.
Fugio no dia 18 de marco prximo
passado, um cabra de nooie Mntbias, dn
engenho Pontal termo de Serinliaem. jul-
ga-se elle andar para as bandas de Porto
Calvo, a titulo de ferro, com os signaes si-
guiles: cor cabra, corpe groso, cabellos
carapiRhados, com bigode e pequea barba
no queixo, tem urna das pernas na s gtr-
sa que a outra motivado de urna Andancio
que ainda conserva, tem um dedo do p per
cima do outro encostado ao dedo grande e
tem falta de um dente Da frente no queixo
decima,carreiro etrabalba de sapateito :
quem o pegar ou delle d r notici certi le-
ra 100#defirati6cac5o do mesmo engenho
Ponlal ou em casa do Sr. Manoel AI ve Fer-
reira. nesta praca, assim como o dito es-
cravo mudou o nome de Mathias para o de
Joaquim Antonio,
f
Quem apprehender e levar no palacete do Vis-
conde da Boa-Vista, ra da Aurora, 00 no erigen ao
Trapiche do Cabo, a escrava Joaquina, fula, alia,
falla de dentes na frente, mnito eonherida nesta
eidade, anda as vezes de timo ou saia de balo, e
se diz que est em companhia de um pardo ft
nome Jacob, que mora em Itamarac, recel.er "a
gratificagao cima de 1003- Esta escrava est f-
gida desde setembro do anno prximo passado, a
desde j se protesta contra qnem a tiver em sta
cempanhia.____________________
Gratificado de 100$ ,
Fugio dos abaizo assignados no dia 8 de Janeiro
deste anno o seu escravo erioulo de mme Jos,
com os signaes seguintes : cabra esrnro, cabal-
los carapfnhes, estatura itaita, rheio do eerpo, ps
largos, e fas um geito as pernas qnando anda,
muito pouco barbado, e tera urna cicatriz besn vi-
slvel em um lado do queixo; qnanto a rcupa alo
ha signaes por ter levado mais do que a do coreo,
mas o chapeo do Chile Garibaldi ; cujn estra-
ve- compramos junto com ontro ae Sr. rabila Sil-
vino Guilherme de Barros, e este senhnr os tiawa
comprado ao Sr. Joo Cabra I, morador em Naza-
relh. Consta-nos que o referido escravo antes 4e
pertencer ao Sr. Cderal, fra de nm senhor aajlr,
morador no Brejo d'Areia, onde o dito escravo
casado e tem Albos, tendo ltimamente men ule
a mulher. Sabemos com .^certeza de ter passaie
este nosso escravo em Pi d'Alho com direr^W)
aquellos lugares : roga-se perianto s autoridades
policises e a qualqner particular a captura a>
mesmo escravo, trazerem-no aos seus senbores
nesta praga, roa da Imperatriz a. 46, refiaacfa,
que se gratificar rom 1003.
Lo* da- Silva Ferrewa 4 C. f
No da 8 de outnbro do anno prximo pasi4-
do fugio a escrava de nome Margarida, de nacfo
Cosa, cora os signaes seguintes ; haixa, pross,
preta, beiguda, tem nma peladura sobre nm hoea-
urha perd, tem alcudias mareas fa
200
1
bro, puxa por
cabega, foi vista a" eidade de blinda vndenlo
agua aos Qaatro Cantos eom am hlde cor de M-
zouro, marcado eom tres letras F. M. O., cuje ba)-
de ella o carregou na occasio de sua fgida, da-
se ella i abrumas pessoas que a eonhecen que fi-
tava alagada a um doctor, depcis W presa por om
soldado no mez de dewn.hfo, e o mesmo snladdJt,
sollou: portanto roga-se a todos os e a pitaes de
Vende-se gaz da melhor qualidade i campo eautoridadesInoliciaes a raptara da d
._ _____ escrava e leva-la a roa do areat das Cir.ce Pont a1
f Sff a Mta : DOS annazeriSda ra 00 Im- largo do Forte n. 43, a sua senhora Feliciana .__
ftrarlnr n ifi0,,j Tp,n;,i,fl B "* O'""?3. Q ser bem recomaensado, tambem
peraaor n.ie e ruado Trapicne Nevon.B.ipNtesfc.s.corjrr, qoem a tiver ecculta.
GAZ GAZ GAZ
i% # i


Diarlo de rernambneo Qnlnta felra de Mareo de iS5.
LITTER ATORA.
O que vae pelo anudo.
Cf)
mente abstracta e doutrinal, semelhante
que, se observa na expsito destas propo-
sites.
t Por estes motivos, fra dednvida que
tartando-se destas proposito, nao se deve-
Em seguida publicmns o decreto de 6 rao fazer commentaripse discursos que pos-
de nneiro aut riendo a puklicaco da en- sam implicar a critica das leis e das institui-
cyc'ica e do Syllabus : roes do estado, ex pondo os delinquentes s
a' Vctor Manuel II, pela graca de Deuvapplicacods penaes em.vigor.
3 pela vontade (lunacSo, ei d'Italia : As reverendsimas autoridades eccle-
Visto o artigo 18 do estatuto: siasticas darfio seguramente lugar publica-
< Visto o nosso decreto de 5 de marco gao da eiuyclica pontificia e do Syllabus no
je jgg3 : momento em que annunciarom aos fiis o
6 Sobre a apresen'.arlio que, nos termos jubileu, que, segundo as doulrinas da egre-
do artigo 3 do citado real decreto, se fez ao ja catholica, deve ser ura periodo consagr-
nosso ministro guarda sello, de uma circu- do manifestaco dos sentimentos mais es-
I imoressa, assignada pelo eminentissime poniancqs e sinceros da concordi i e da fra-
iudeal Antoneli. com a qual foram envia- ternidade. E, na verdade, junto aos alta-
da egualmente im ressas, aos ordinarios, res nao se pode tratar seno dosentimento
a eneyelica pontificia de 8 de dezem' ro de da caridade o do desejo da paz.
1801' a cartas apostlicas de 20 de novem- c Por estes motivos, o governo de el-re
lio de 1340, relativamente ao jubileu pres-, tem a confi roca de que as reverendissimas
cinto para este anno, e o Syllabus, que; autoridades ecelesiaslicas se bao de abster
comprebende os princpaes erros d'esta'de tudo o que pudor ser contrario a esta
poja |c ridade, de que devem . -. Visto a opinio emitlida a este respei- j tores, ou de perturbar a paz, cujo desejo e
to pelo consllio tl'estado na reunio de 3 necessidade sao mais vivos boje do queja-
dle mez : ais e ^r*m. Deste modo convir qu
Sobrea proposta do nosso guarda sel-; honrem, debaixo da vi la de todos, a sua
los minstro e secretario de esta !o dos ne-; elevada miss >, que conciliaro o respeito
cocios da graca e ju-lica e des cultos te-' universal, e que, pela sua moderaejo. sero
mos decretada ede relamo: o seguirte: elles os primeiros a impor moderar-Oes a to-
* Art. Io. Dar-se-ha curso ordinario cir- das as opraioes.
rular docardeal Antoneli, a eneyeica ponti-
perado; de Austria e o rei da Prussia e o
rei da Dinamarca chegaram a uma conclu-
sao, por uro tratado de paz, e as communi-
cafes que a rainlia recebe das potenciis
Quando a mulher, coberta de pejo, reco.|em J853 e a celebre novella Fabiola ou
Iheu ao lar conjungal, achou em cima do|3S catacumbas, limadas suas ultimas obras,
velador um magnifico chale que ha mais de e qae f0 tradazida em quasi todas as lin-
< Diversas providencias de utilidade pu-
blica sero submettida ao vosso exame.
t Ser-vos-ho oresentes leis para a con-
centraco de todos os tribunaes de iliraito e
estrangeiras, fazem-lbe conceberae"speranca'de jus i;a, com suas dependencias n'um lo-
bero fundida de que nao ha a receiar novas cal adaptado. Sin Magstade tem a confian-
perturbices da paz na Europa ca dequ- esta resobifo s- prestar eco-
* A guerra civil na America do norte nomia e a rapidez na administraco da jus-
continua infelizmente. A rainha persiste tici.
firmemente em se conservar neutral entre O importante trabalho da revisfio da,. __,_
es partidos belligeraites; efogaria de sa- lei estatu .le, ja muito adimtada pelos re- lo, onde, rifado, produzu o duplo aoseu edade.
ber de uma reconc liaco amigavel entre centes actos do parlamento, ser completa- valor em beneficio do? pobres.
ellcs du por uma lei que deve ser-vos apresen- Ab3ncoados caprichos, se todos tivessem
f Um daiuiiojap nez, em revolta contra lada. este remate'
o seu soberano, violou os direitos conced- j A rainh i espera q-e este trab dha po-
dos por um tratado Ingla erra e a mais al- der servir decaminho redaccao de
oito dias eslava comprado. ^ guas.
Mas o marido tinha querido ver. A sua morto foi uma grande perda para
O que nao farao mulheres I... a egreja catholica, de que era uma das co-
Esta, porm, fez mais. lumnas mais firmes, e difficilmente poder
Compreliendendo bem o alcance da hco preencher-se o vacuo produzido pela sua
que tinha recebido, em vez de se cobrir com morle no seio do clero cathotico inglez.
o esplendido adorno, offereceu-o a um asy- o cardeal Wiseman centava 63 anuos de
licia e ao Syllabus, salvo os direit s do es-
tajo c da coia, e sem admittir nenhuma
das proposites que se conten naquelles
dooui non tos, que sao contrarios aos princi-
pos das insluicoes e da legislaco do
para.
j Art. 2o. Tero egualmente curso as
Airtiis apostlicas de 20 de novembro de
1840, que j tiveram execuco com o con-
w.iiimenlo do estado.
Icj encarregado da execueo deste decreto,
QUfl ser communicado aosonlinarios dioce-
m.os e aos procuradores geraesjunto dos
tribunaes de appellaco do reino.
<, Dado em Florenca, 6 de fovereiro de
i;os.
Vctor Manuel.=G. Vacca.
l'or occasio da publicacao do decreto
gupra foram expedidas pelo minislio dos
cultos, da Italia, a < seguite> circulares aos
procuradores geraes junio dos tribunaes
de appellaro eao i erfeito do reino es au-
toridades ecelesiaslicas italianas :
O abaixo assignado julga dever trans-
mittir-lhp a cipia do decreto, de 0 deste
4nez, pelo qual foi concedido o exequtur
ved aencvclici pontificia, datada de 8 de
flezemb o "de 180 i, e aos de nais actos an-
icxos
O goveino de el-re lem a confianca de
q\.> todas a? reverendissimas authoridades
ecctesiastcs do reino, ho de apreciar a
Idnganimidade com que se proceden nesta
c/uesio, teodo-W uuicamente maotido a
execuco das leis que, nesta materia esto
ea vigor no estado.
o Espera que as reverendissimas aathori-
dades ecclesiajticfi verio nesta maneira de
proceder uma nova e solemne prova da in-
tenclo sincera, p r diversos modosmanife -
t la pelo overno, de deixar plena liberda-
Ce egreja naordem espiritual e em tudo
qje diz respeilo consciencia dos liis.
a Ao mesmo lempo tem o governo de
el-rei a confianca de que as autoridades ec-
clesiisticas f^rao sabiamente uso da liberda-
d; q ie Ibes concedida de publicar a eney-
cie pontiQcia, e o Syllabus a ella annexo.
A este re-peito corta com a sua pru-
dencia, e com a sua modcraeao, e tem acer-
tesa de que elles sabero manter-se, e que
luostraro a >s curas e ab clero a necessida-
de .'.e se absterem, quando communicarem
aos ieis as prnposicoos enuacadas na en-
eyclica e o Syllabus, a uma maneira pura-
Acceilac, etc.
O guarda-sellos, ministro e secretario
na repaiticio dos negocios da grao e justi-
ra, c dos cultos,
Assignado, G. Vacca.
t Turin, 8 de f vereirode 1865.
O abaixo assignad > apres^a-se a trans-
mittir-lhe uma copia do real decreto, datado
de 6 do correrte mez, pelo qual foi conce-
dido o regio exequtur eneyelica pontificia
com data de 8 de dezembro de 1864, e aos
demais actos annexos.
O governo de el-rci ju'gou convenien-
te, na conjunctura actual, marter-se nos
grandes principios da liberdade religiosa,
que, na conformidade com o esperito do
estatuto, se honra de professsar,estatuto
em virtude do qual o e tado nao deve invol-
ver-se no que diz respeilo ordena espiri-
tual e a consciencia dos fiis. Alm d'isso
con;iderou, pelo que toca s proposices
enunciadas na eneyelica e no Syllabus, seu
corolario, sao contrarios aos principios das
instiluicoes e da.legislaco do paiz, q e o
seu carcter exorbitmle nito escapou ao
bom senso dos povos que j lem visto em
um
gumas potencias, en5o"havendo o governo' dige?to da lei.
japonez obrigado esse rebelde a retratar-se, Se -vos-h5o presentes algumas propos-
dosseus actos illegaes, os agentes diploma- ta para a raodificaco das leis relativas aos
ticos e os almirantes das esq aadras da Ingla- prev legios de invenco, e com o fim de se
trra, da Franca, dos Pai'.es Baixos e dos conferir aos tribuna s de condado uma ju-
Estados-Unidos da America do Norte em-risdifio equitativa nos processos de pouca
prehenderam uma operaco combinada, a importancia.
fim de fazer respeitar os direitos que os seus Ser tambem sol Hada a vossa coope-
respectivo? governos linham oblido | or racao para a execuco de certas propostas
tratados. Estas operado foi coroada de leilas ramara dos deputados, depois do
um xito completo, e o resultado deu ga- exame ordenado p r esta cmara, acerca
rantias ao < ommercio estrangeiro e uma no- dos effeitos das leis que regulam a seguran-
va forra ao governo do Japo, com o qual ca publica.
as relaces de sua magstade sao amiga- Ser-vos-ha presente uma proposta de
veis- lei sobre o .parecer da commisso deinque-
Os documentos relativos a este neg- rito quanlo s esolas publicas, car inha
ci ho de ser-vos submettid 's. ordenou que se constiiuisse uma commisso
Sua migestade serte que o conflicto para fazer um inquerito sobre as escolas
que se levantou com algumas das tribus da subsidiadas e oulras escolas em Inglaterra,
Nova Zel ndia nao tinha terminado ; mas os nao comprehendidas nos recentes inqueri-
triumphos alcanzados reto exercito regular tos acerca da educaco popular,
de sua magstade, reforcado pelas tropas da f Sua magstade confi! afuitamente os
c lonia, obrigaram um certo numero de re- grandes interrasses.do paiz vossa sabe
beldes a pensaren no seu dever, e os que doria e a vossa 'solicitado, e pede fervoro-
estao agora em armas foram j informados sement que as b nefas do Deus omnipo-
das equitativas condices com que a sua tente pivsidam aos vossos conselhos e s
submissao aceita. vossa deliberacoes, para se che.^ar ao fim
t Sua magstade sentiu verdadeiro jubi- constante da sua solicitude, que O o bem es-
lo em dar a sua saneco reunio dos de- tar e a ventura do seu povo.
legados das suas provincias da America do
Norle.que a c uvite do governo geral de sua
magstade, concorrreram a Quebec. Esses
O monumento fnebre elevado no parqu-
de Frogmore memoria do principe Albero
to, acha-se quasi concluido. Por cima de
porlico pode ler-se esta inscripeo :
Alberti Piincipes quod morale erat
Hoc m sepulchro deponi voluit
Viuda moerens Victoria Regina
A. DMCCCLXII
Vale Desideratissiine 1 hic demum
onquiescam tecum
Tecum in Christo consurgam.
O que traduzido em porluguez quer di-
zer :
Do principe Alberto o que era mortal
Neste sepulchro mandou depositar
Sua alllicia viuva, a rainha Victoria,
No anno do Senhor de 1862.
Adeus, meu muito amado! Aqui, comtigo.
Reposarei finalmente
E comtigo em Christo resuscitarei.
E" do Sr. F. M. T. este hymno oferecido
aos bravos voluntarios da patria.
Duke, el decorum est pro patria mor.
(Horal. I. 3. od. 2. v. 13.)
delegados adoptaram resoluces tenientes a
uma unio mais intima das mesa>as provin-
UM POUCB DE TUDO.
Conta qm jornal francez que a mulher de
lodos osjornaes do reino, publicados os as pessoas e as proprieJades do jeussubm-
documentos, em que esto cons gnades, de
maneira que nao resulla damno lgum d3
sua promulgago. Todava julgou dever
prevenir todas as auto idades ecclesiasticas
do reino, afim de que, communicando aos
fie s as sobreditas propostas, nao se entre-
gassem, e impedissem os curas e o clero de
se entregarem a commentarios ou a discur-
sos que possam implicar a critica das insli-
tuices das leis do estado, expondo-se s pe-
nalidades establecidas pelas leis em vigor.
Com este proposito dirigiu o abaixo assigna-
do uma cir ular, de que lhe enviu uma co-
pia para seu c mhecimento.
O abaixo assignado nao duvida que v.
se confirmar com as intenroesacima espa-
cificadas do governo de el-rei, e que dar
as instruccoes convenientes aos seus s bor-
d i nados.
ministro, Vacca.
E' confirmada pelo telegrapho, diz um
diario hespanhol, a triste noticia do fallec-'
menlo em Londres do cardeal Wiseman, oc-.
corrido no (lia 10, pelas oito horas da ma-
Eis o discurso real da abertura do parla-
mento ingl z, lido pelos commissarios re-
gios:
Dignos mem'iros dd* parlamento.A
rainha ordena-n'is que vos asseguremos que
ella sent uma grande satisfaco e n recor-
rer novamente opiniao e ao auxilio do seu
parlamento.
As negociacoes entaboladas entre o ini-
cias sobum governo central. Se essa reso- certo tabellio declarou lerminaniemente a
luces forem approvadas pelas cmaras le- seu marido que se matara, ^e elle lhe nao
gisla ivas das provincias, ser-vos-ha presen: comprasse'um rico chale de cachemira que
te um projecto de lei, a fim de por essa im- eslava Tenda na lija do'Sr....
portarte resolaco em execuco. Que importa saber de quem era a loja ?
Suamagestadevcomgrandeprazeratran-, Como o tabellio nao se desse grande
quillidade de que gozam das suas possesses pressa em acceder aos desejos da sua cara
das Indias, lastimando porm que nmeros metade, levantou-se esta uma noute, acor-
ultrajes perpetrados por tanto tempo contra don-o c d;sse-lhe :
as pessoas eas proprieJades do seussubdi- Vou matar I
tos, ul rajes pelos quaes nenhuma compen- ~ Pois vae, responden fleugmalicamenle
saco podia ser obtida, tornassem necessario o tabellio ; mas peco-te que nao facas mui-
o emprego da forca, a fim de se obter re- to baru ho.
paraco pelo- passado e seguranca para o Vou descer ao quint 1: pe-te a ja-
futuro nella e vers. _
t Sua magstade deplora sinceramente a Effectivamente, a mulher do tabellio rtes-
catastrophe que ltimamente em Calcuta e ceu e elle foi pr-se janella.
em oulras muins cidades di India, causou Chegada ao quintal, bradou-lhe de la :
tantas perdas e fez tantas victimas. Promp- Enlo compras-o ?
tos socorros foram dados pelos officiaes do; Veremos, responden o tabehao.
governo, e offereceram-se em varias partes A mulher aproximou se do poc, e, de-
contribicSes voluntarias para auxilio dos ne- brucada sobre o bocal, bradon anda :
cessitados, *- Compras-o ?
lllustres membros da cmara dos re- Veremos
presentantes. Sua magstade ordenou que Ella, fazendb ento um gesto heroico, pre-
o orcamento para o correrte anno fosse cipilou-se no poco,
apresentado ao vosso exame. Foi elle pre- Elerno opprobrio daquelle coracao de pe-
parado co ii toda a att nco devida s eco- dra, daquella alma impiedosa,
nomias possiveis, e sem perder de vista as Em vez de saltar pela janctla, para ir
necessidades do sem'co publi o. mais depressa impedir, se anda fosse tempo
Dignos e Ilustres membros de ambas aquelle acto de de-esperacao feminina, que
as casas do parlamento Sua magstade cuidara que fez o tabellio ?
n>s encarregou de vos i dbrmarmos que a Soltou uma grande gargalhada, que dc-
situacao geral do paiz satisfat ra, equeas via pungir dolorosamente a sua victima, no
receitas as cendem as sommas calculadas. A fundo do poro, onde provavelmetite se de-
crise que reinou em alguns districtos raanu- bata as ancias da morte.
factureiros, tem diminuido considerave- Mas, <-h f inerivel previdencia de mudier
mente, e a lei adoptada para o desenvolv- ca iricliosa o poco achava-se tapado a dous
ment das obras publicas nesses districtos pes abaixo do slo, e.em vez de caliirn agua
tem dado os melhores resultados. a victima cabra em cima de um fiando col-
No anno passado a Irlanda leve excel- chao, que previamente all macara col-
lentes colheitas, a industria e as manufactu- locar.
ras prosperam nessa parte do reino. O tabellio sabia o.
FOLHETIM
Ucvlsta dramtica.
14 f marco de 1865.
OS MISEHAVKIS.
A' denominada escola realista veio fil-
liar-se a elegante composiro do finado e
disliuctissimo |)oela bahiano, o Dr. Agrario
de Souza Menees. os Miseraveis.
A' escola realista pertence toda essa in-
terminavel cadeia de dramas, comedias, pro-
verbios e ent eaclos, que invadem os ar-
cliivos do nosso thealro conlem|)oraneo.
fechar.im-sfi as portas sobre o idealismo da
arte c do sentimenlo, a vaga aspirarlo da
alma partiu-sc contra o episodio de todas
as horas e de todos os d'ns, o desconhecido
cedeu o campo verdade, realidade da
existencia mundana ; o espirito afogado na
luz dos poticos idaes, quebrou os heos
magnticos que o prendiam ao indescrepti-
%e!. ao bello, ao que de Deus, e trocou a
p.lbeta do pintor pela machina do photo-
grapho. O ideal romntico chorava porque
tinha lagrimas, o ideal realista dura por-
que lhe emprestam lagrimas.
Desde as allegorias gregas, desde o tempo
primitivo em que a vestal da arte aticava o
turne com os dedos eloquenles de Soptiocles
e Eur pides al s ultimas agonas da escola
flos primeiros tempos, o thealro abra espa-
do ao coraco: imn do imn o ideal
aitrahia o ideal, a alma sorprehendia a
Uma.
Nrs mais intrincadasevolucesdopalcoan-
iigo, n'aquellas encantadoras scenas presidi-
das pela maginaco, e nicamente a im igi-
nnco do poeta, os quadros symholicos,
}>atenteando a<> olhar curioso d'um p vo sof-
reg de distracOesa phaniasia arderte d'uma
alma apaixonada, prendiam o espirito do
espectador nica e verdadeira mola do
tlieatro o ideal. A rivilisaco nao viera
anda lancar o guante sobre os sonhos do
poea. os voos arrojados do genio encontra-
wam teneiro suficiente para as suas bri-
Ihantes excurses e arroubos, o salo ni
Cliegra a oceupar o campo da idea, a yellia
e entupida realidade de boje, se exista j
ti'aquelle tempo, deixou de existir alguma
tez a realidade? era moca, era arderte, en-
tusiasta e febril.
Lyda, perseguida pelos olbos delirantes de
nha. .
Saa eminencia o cardeal Nicolao W se-
man (Wiseman em inglez quer dizerho-!
mem sabio) nasceu em Sevilba a 2 de agos-
to de 1802 e pertence a uma familia rlan-
deza aparentada com distinctas familias hes-
panlvolas. (>)iiduzido de tenra edade a In-
glaterra, foi educado no collegio oatholico
de S. Culhbert, em shaw, prximo a Du-
rhum, e fez os seus estudos theologicos em
Roma, onde, depois de ordenado, permane-,
ceu largos annos dedicado ao easino-univer-
sitario. !
Em 183 encarregou-se do collegio de
Ushaw e intercedeu com todo o seu poder
junio do pipa Gregorio XVI. par fazer
augmentar o numero dos dignatarios do alto
clero caihoc) na Inglatorra ; este numero
duplicou e elle mesrao recebeu as fuocces
de coadjutor do Dr Walsh e de pnnevpal
do collegio de Santa Mai-ia em Oscott.
Gozando de grande crdito em Roma, fez
em!847 novos esforc, afim de resolver
Po IX a um* restaurarlo completa da ge-
rarchia religiosa na Inglaterra, medida que,
retardada pelns acontec Bienios de 1848, se
realisnu em t95Q', causando extrema irrifa-
ro na Ingbterra.
Ntmado pelo papa, ero 1849 pro vga-
rio apostlico em subslilirico do Sr. Watsh,
toi elevado no consistorio- de 30 de setenv-
bro de 1850 >dignidade de cardeal e no-l
meado ao mesnv> tempo arcebispo de We-
ransler. Este ultimo cargo deu-lhe a alta
direceo dos assumplos catholicos do reino.
Ao cardeal Wiseman se deve um grande
numero de livros de devoco-, instrueco re-
ligiosa e litteratura recreativa, e em outros,
os seguintes : Discurso _sobre i s relacoes
entre a sciencia ea religiao revelada, de que
se fizeram tres edices, sendo a ultima em
t84> e que foi traduzido em francez em
(841.Conferencias sobre o protestantis-
mo, impressas no anno do-18 i), e vertidas
em francez por Mr. A Nestement.Doutri
as e praticas da egreja catholica, impressas
em 1850.Em-h<>-. sobre varios assumptos,
Octavio, a virgem paga arremecando nos
bracos da voluptuosidade as ramagens,
o myrtlo, o pmpano dos feslins rcaes.
De cadeia em cadeia, de lo em lo com
o tempo a arte modificou-se, a imauinaco
seguiu as aspirares niateriaes d'uma poca
gelada, e as mesmas taboas quesuslmta-
r:m principio os perfis allegoi icos do ge-
nio, assistindo ao combale e s dorias, dos
faunos v teando em derredor das nyades,
da inspiraco rasgando a alma do poeta,cor
da por corda, para arrancar-lhes a seiva, a
luz, a meloda, sentiram-se calcadas pelos
vultos de Phedra, de Judith, de Eslher, de
Cornelia.
O sonho mudou de trilha, mas era an-
da o ideal. Nao a sacerdotisa adornndo-
se de verbena e de frescas rosas, mas Adria-
na Lecouvreur, mas Ganssin. mas Sophia
Arnould e aquella fronte paluda de emo-
coes e de ciume, aquella fronte da Judia,
Itachel fazendo correr em massi o povo
para ver animada a estatua de Galatha,
para sentir passarem vivas no quadro lumi-
noso da arle as mgicas concepces de Raci-
ne, os sybillantes arrojos de Corncille.
Onde'est a urna em que ferviam as la-
grimas de Eslher, as lagrimas de Poedra, as
lagrimas de Cornelia?
Adriana Lecouvreur foi o sorriso de glo-
riosa agona que acompanliou a decadencia
do divino ideal da arte.
Com a morle da artista o thealro enlutou-
se para passar novas batalhas. Elle que
f6ra o gladiador romano atirando-se n ao
combate, n de armaduras e de couracas,
mas Iluminado pelo genio que vence pela
espada que nao quebra, refez o rosto severo
da tragedia, o momo espirituoso da come-
dia, o esiyllo. impetuoso da allegoria histo-
ria, e quebrando a plstica das formas, a
verdadeira philosophia artiga, envergou as
vestes do arlequn), cobriu a mrj com a lu-
va, que oceulta nodoas, pizou a clamyde
grega e bapiisou com um titulo pomposo
um ramo de litt ratura dramtica, que nao
durara muito se seguisse sempre o trilho
incon*equente que sem tomar os escrito-
res contemporneos.
Quem faz o thealro o povo, o artista
copia na face do espectador as sensaces que
titulo verdade, mas a sociedade moderna prnprio, acomando de calumniadora so-
A's armas, bravos da patria,
A's armas, leo feroz,
A' cara patria aecudi,
Que afilela chama por vos.
Marchemos afoutos,
Ao campo da gloria,
Marchemos patricios,
Que certa a victoria.
Temer nao devemos
Do imigo o canho,
Morrer pela patria
E' gosto, braso.
A' ferro e fogo dos cumpre
Os Paraguiyos levar.
De tartas barbaridades
Seja o castigo exemplar.
Marchemos afoutos
Ao campo da gloria.
Marchemos, patricios.
Que certa a victoria.
Temer nao devemos
Do imigo o canho,
Morrer pela patria
E' gosto, braso,
Aos nossos golpes certeiros
Caa* Assumpeo e o Lpez,
Lave o sangue Paraguayo
As affrontas, que nos fez.
Marchemos afoutos
Ao campo da glora
Marchemos, patricios.
Que 6 certa a victoria.
Temer nao devemos
Do imigo o canho,
Morrer pela patria
E' gosto, braso.
Este seja o juramento.
Que todos devemos dar:
O deixar vingada a patria,
Ou pela patria expirar. >
Marchemos afoutos
A o campo da gloria.
Marchemos, patriaos.
Que certa a victoria.
Temer nao devemos
Do imigo o caflhio,
Morrer pela patria
W gpslo, braso.
Sobre a situaco da Lithuaaia escreve o
Diario de S. Petersbnrgo o seguirte :
A Lilhuania offerece o mais friste espec-
tculo.
Os camiihos esto deserto, e n'alguns
nao se encontram um nico viajante.
S se scnie o assobiar do vento ; s se
vem, de vez em quando, mores quasi sec-
cas ; se ouvem os lgubres gritos das aves
de rapia....
Se se entra em qualquer cidade, nao se
encontram habitantes as ras ; parece que
existe uma combinacao para se nao mostra-
rem aos viajantes, suffocando. a sua dr
den ro em casa, que em geral asto arrui-
nadas.
O effe'rto egual ao que sentira se se en-
trasse n'um cemiterio, e cemkerios ha onde
se nota mais movinierto, mais vida, do que
as cidades de Litlnimiinia.
ga, que cura" matando. | no typo, o concedo esla no personagem.
Nao me abrevo a analysar escolas, nem a Prxedes ... um baro, mas uuu baro
proclamar a superioridade d'uma ou a in- sem barouato, um baio msiiinificante, ar-
ferioridade d'outra. A que veio todo esse rastando com a pompa affectada d'um tri-
pantafassudo exordio sem sa^or e sem con- \yn0 desconceituado a mascara da socieda-
sequencia? Nem sei eu mesmo. je, as liabas duvidosas d'um carcter
O drama do Sr. Dr. Agrario de Souza mesquinho e inconsequenle. Todava o
Menezes pertence, pois, s legies realistas. aut0r arranea-lhe do instinclo um re'ampa-
Do titulo evoose a Idea. O autor quiz g0 e acatado sentimento, ponno-o s pro-
rasgar a sociedade para patentear o. vicio e Nas Cora uma boa aeco. Ura relmpago
a luxuria, a maledicencia o cynism. 80, confessol um relarapanto de Tartuffo.
As carnadas sociaes offertaram-loe perfis praxed-s anda por ah em quasi todas as
mais que bastantes pjra a confccco do seu reunies; onde houver uma cadeir vaga
edificio. ao p do cynism<>, mas do cynismo encober-
A imprensa degrada la, que fez da penna l0 e Cm preiencoes protudade, o Sr.
o punhal assassino, a rehgio enxovathada. pfaxedes oceupar e-sa cadeira.
os sentimentos repisados e mnrtos na som-
bra, o amor, a amisade, a gratidao e a oh -
Gonzaga a sombra inseparavel d'esse
combales da imprensa. Tem um deslino :
a honra, tero uma esperanca, Christina.
) espectador abenc&a baixinho as lagrimas
desse velho.
E Eugenio Alvares? perguntar a leito-
ra. Saiba V. Exc. que Eugenio Alvares
o gallan do drama, o amor. Por essa
palavra expoe-se lodas as angustias que
soffre um peitode virtee cinco annos, e que
s pode dar ao amof esses vrate e cinco
annos de aspiracoes e de desejos, de glo-
ria e de afflices. Os pobres vendem a mo-
cidade por uma lagrima de amor...., por
um beijo de felieklade.
Restam para complemento dos typos
Brau'io e Afra,um caixeiro, um poeta
uma criada e uma professora; quatro qua-
lidades distinctas.. em duas pessoas pouco
verdadeira s.
Foi feliz o autor na co ifecco dos perso-
nagens ? Foi e nao foi. Fausta n3o poder
explicar nunca o amor pelo cynismo, a de-
di. acao pela vinganca. Podia ser mais claro
esse typo ; o amor illuminava-o. Ha mo-
melos todava em q c ella tem lagrimas na
voz euos olbos, ba raomen os em que ella
se eleva Deus em agonas e em desespe-
raco. E'sempre gran e a do d> misera-
Vel que passa peloCdvario : temdech rar
l morrer, lem desolrerat cair. Assim
ella.
Severo osla bem desenliai "; os outros
perfis destaca < -se mais ou menos insinan
te; no quadro luminoso de um apaixonado
estylo.
No enlan'o o drama ro.iahe ii'umdefeito
quasi imperdoavel.- o elemento cmico
procura conduzi-lo s vezes ao terreno es-
tril da farca e do entremez. A penna po-
derla mostrar o ridicu'o, sem iropecar na
caricatura.
Os cin :o actos sao com lelamente ricos
de p lavras fasrinadnras e eloquentes : para
mim ha n >s Miseraveis luxo deroasido de
esty o talvez.
A ar ista D. Eugenia Cmara distingua-
se, pate teando um bullante talento, um
tilent iprovad) nesse ge ero de papis e
feliz na maor part delles. Posso sauda-la
mow em 'scn7"Bo"ba"cuh.a po.tarton'"el- Idade de bontem, da sociedade de boje, da Christina a nirnoWile na peca, porque com to ;a a inceridade, e o que mais vale
.., ------1.*. ....:------- Hivar, a don-ella na sociedade
Sen-a o q^a i "p a' Jourar e,e rpode bao Gon.aga 6 como os io-
bem e od?!ma em cada acto repassa uma ^ca prompl- sem,>rea censurar o mundo
nnr nma\s v rissit.ldPS -'a vid. COITe Um e a fuS,,-ai' S llCU'0 a",e,0S ("m0 t0"
o um o ^ ha UgrimaTe sel J? as ^. *> K?. i Al
6 omenredo6oenredo de lodos os dias, o calculo, a astucia, a degradar^ o acco-
a hisS que se conta de l.omem para ho- metumento do braco que esbofete.a as
mem, que passa de bocea para bocea, entre trevas-
os disturbios e pequiee< rio mundo social. Macrobio Curvello o r.diculo. Vale o
Fau-ta, Vicente Kerrer, Prxedes, Gonza- que .
ga. Macrobio .urvello, Satyro gitam no pri- Q d,e Sa| e um sacerJote a im-
meiro plano, sao os verdaderos misera- prensa UQW lrombela da 0|into publica.
dae da tri una para decorar as mximas
veis.
Christina, Severo, Eugenio Abares cor- de Louvel ^c Couvav, enxovalh. o altar e
rem no segundo plano, -enconiram a mise- a re|RQo empregaiido a mao venal no in-
!:?!!?1?0.-!?:1"!?.^?*;:!lTm sulu. que lhe cmnpraram e que fere um
peito porvenlura indefeso.
O padre Satyro deve ser uma monstruosa
lo vicile as 'paixoes d'um orgulho des- excep.o para bem nosso. para bem da ci-
presivel. vilisaco, t'ara bem da consciencia.
Vicente Ferrer a formapassiva da socie-! Deseamos ao segundo plano.
da riqueza, o sentment ca honra.
Fau;ta o pe fil incompreliensivel da
mulher que empiega no Mnor as tramas
Ama e marty-.com toda aimparciiiidade.de que me acuso.
A Sra. D. liami'la tem im defeito, pelo
-'q na i nao se lhe p le lancar uma peda:
fraqueza de orgarasagao. Tmlava com mais
esludo poderia comprehender melhor o pa-
pel : Christina foi fia demais em algumas.
scenas com Eugenio Alv res ; fra e pouco.
tmida. No convenion e esquei'cr a ndole
de uma donzella que tem adiante de si o-
homtm que soube pelo amor apagar as ul-
timas sombras de virgindade...
Trabalhou no entanto, e eu que j a cm
primentei pela ultima scena do 4o acto, ar-
vo aqui os meus paiab**ns.
Lisboa talentoso e artista, mas esque-
ce-se por veze da escola em que traaalha,
elevando a dkco altura dos m lodcamas-
antigos. Houive m mientos, porm, em que
esforcousee deu a entender que dispoe o>
sympathcas e briba les q aiidadespara a
arte. E' do meu dever fallar-lhe com a
franqueza de quem sabe admirar a inWli-
gencia e acatar o mrito. *
O Sr. Coimbra desenhou o carcter phan-
tasiado pelo dramaturgo com os estocas de
um trablho acurado, fazendo com que a
plaia o victoriasse s v zes. O esforco o
verdadeiro brazo do artisia : vence tudo.
Se eu nao tivesse a certeza do pouco
lempo, disposto pelo Sr. G imano para oes-
tu lodo seu papel, di-lo-hei f Nao lhe per-
doaria a menor falta, tanto mais por s r
esse- artista um artista de inelligencia reco-
hecida e festejada. No enlamo curvo-me
s eircumslancas, e dou-me por vencido.
O Sr. Santa Rosa exagerou o caracleris-.
tico ; nao sei se vero do autor alguma rubri-
ca respeilo disso ; se vem, nao perdoo ao
autor. O Sr. Sania Rosa intelligente e lem
boas qu lidades para o cmico.
OSr.Teixeia esleve txcellente n-> t>po.
Estudou e trabalhou com gosto. Os. outros
artistas, eu o sei, fi/eram tudo para agradar
e gradaram a platea-
E o que mais ?
Ah I temos urnas flores d'ahm.... urnas
delicadas flores (Taima. OSr. Colas Fimo,
compositor nacional, festejado e intelligen-
tissmo artista, soube dar o mais vivo e fa -
cinador realce sua encllente c rapos cao.
E' um genio orignal.c/>m omimo sentimen-
talista de Ravina e o arroubos somnambo-
lieos de Goria, expressivo, insinuante, Ilu-
minando nota por nota as melodas da arte
e as melodas da alma. E uma grande
vantagem a originalidade na arte mu cal :
grande vantagem encontrar-se um a tisia
brasileiro que nao faca da escola italiana o
seu ponto de partida e o seu ponto de para-
daa escola italiana.
- Luciano de Atfiayde.



f
^
{
PERNAMBUGO.-TYPDE M. .' F. OE F. & Kil.UO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EINTDVTGB_CJQ20O INGEST_TIME 2013-08-27T20:39:32Z PACKAGE AA00011611_10619
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES