Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10616


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANUO XU NUMERO 59
<'

t
Ptr qiartel pag* eitro de 40 das dem depois dos i.M 10 das da corneo e deitro da qaartel.
Parta aacarreia par tresnales...........
6J0
00
00
750
SEGUNDA FEIRA 13 DE MARCO DE 1865.
DIARIO DE PERNA
Par ansa pago den t re de i Odias dai.me ,,,.,,. 191000
Parte ao corre. par na anno............., sjQOO
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTEi
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, ol
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivein; Maranhao, o Sr. J'iaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. GerahJo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTEJ
Alabas, o Sr. Claudino Falcao Das Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Encada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Alliho, Garanhuns,, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quarias
feiras.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
quartas e sabbades a i
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Plmeotelras, as quinta.'
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 La cheia as 8 h., 22 m. e 10 s. de m.
20 Quarto ming as 10 h., 16 ra. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jolzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos.: tercas e sextas s 10 horas.
Primoira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Sancha princeza v.; S. Rogerio
,1 er5a" S' Malhi,de rainha de Allemanha.
15. Qujrta. S. Zacharias p. S. Longulnbo s.
lo. Quinta. Ss. Cyriaco e Taciano diac. mm.
17. Sexta. S. Patricio b. ap. da Irlanda.
18. Sabbado. S. Gabriel arch.; S. Narciso are.
19. Domingo. S. Jos esposo de N. Senhora.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manha.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro,.margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprielarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
Uruguay e Paraguay, assim o commonico a V. S.
para "que opportuoamente mande proceder a arre-
cadalso de semelhaote offerta, aflm de ter a con-
vientei applicagao. Communicou-se ao coronel
comm.iDdate das armas.
Dito\ ao inspector da thesouraria provincial.
Transmuto a V. S. as duas inclusas contas, que me
foram remedidas pelo chefe de polica com olcio
de honti\m sob n. 329, na importancia de 78jOOO
proveniente do aluguel vencido desde 6 de everei-
ro do anno prximo passado, at 6 do crrenle
mez, da casa que serve de quartel ao destacamen-
to do corno de polica, estacionado no dislncto do
Peres, afim de que mandando pagar ao respectivo
subdelegado ou a pessoa por elle autorisada a par-
te d'aqueHa quantia pentencenle ao corrente exer-
cicio, facaiprocessar aquedisser rspeilo ao ex-
ercicio j encerrado de 1863 a 1864, para ser sa-
tisfeila quando houver crdito. Communicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Para satisfazer a deliberago
da assembla legislativa provincial, comida em of-
flcio do seu secretario datado de 8 do corrente, sob
n. 15, remllame V. S. um quadro demostrativo
das quantas pagas a empreza Mamede, suas datas
e descontos fetos, e o valor de todas as obras re-
recebidas com as datas em que comecaram a ven-
cer os juros de 9 por cento, ludo al o Bm do pri-
meiro semestre do crreme anno.
Dito ao mesmo.-Para satisfazer a exigencia da
assembla legislativa provincial, preste V. S. as in-'
formaces solicitadas no ofOcio do respectivo pri-1
raeiro secretario, datado de 8 do corrente sob n.
16, e Incluso por copia.
Dito ao mesmo. -Transmiti a V. S. para o flm
conveniente a inclusa copia do termo de contrato!
PARTE 0FF1GIAL
GOVERNO DA PR01IM1A.
Continuarlo do expediente do dia 8 de marro
de ISfi.
Offlcio ao director do arsenal de guerra.Tendo
tne requisiladeo commandanle das armas, em ofli-
cio de 2 do corrente, sob n. 409, 400 armas a Mi-
ni para o corno de Voluntario da Patria, e nao
sendo possivel esse fornecimento em vista da rea-
53o do armamento existente nesse arsenal, que
acompanhou o offlcio de Vmc. de 21 de fevereiro
ultimo, recommendo Ihe que das armas, cujos cun-
enos aotorise por offlcio de 27 do mesmo mez,
mande Vmc entregar ao predito commandanle o
numero que for por elle requislladas.
9 __
Offlcio ao Exm. desembargador provedor da San-
ta Casa de Misericordia.Podendo acontecer que
o guarda nacional Hermogenes Jos dos Anjos, ac-
tualmente em tratamento no hospital militar nao se
ache de todo restabelecido ao lempo de ser desa-
quartellada a forga a que elle pertence, nao tendo
assim mais dlreilo a ser conservado n'aquelle esta-
belecimeoto, recommendo a V. Exc. a expedidlo de
suas ordens para que caso se verifique a hypothese
figurada, seja o dito guarda receido no hospital
Pedro II.Cmmunicou-se ao coronel commandan-
te das armas.
Dito ao mesmo.Dando nesta dala sciencia ao
vice-eoasnl de sua magestade catholica de haver
V. Exc. como communicoa-me, em offlcio de hoo-
tem datado, sob n. 108, dado as convenientes or-
dens para ser recebidoe tratrdo no hospital Pedro
II, o hespanhol Manoel Gomales, cabe-me Ipuvar
essa philanrropica djsposigo da Santa Casa de Mi-
sericordia, e agradecer a V. Exc. como seu prove-
dor o inleresse que toma pela sorte dos indigentes
que preisam dos recursos d'aquelle eslabelecimen-
io.Communicou-se ao vice-consul de Hespanha.
Dito ao coronel commandanle das armas interi-
no.A V. S. faeo apresentar o cidado Francisco
Gongalves Velloso daSilveira, fllho do coronel Jos
Pedro Velloso da Silveira, que se offereceo para
servir no corpo de Voluntarios da Patria, aflm de
que V. S. Ihe d o conveniente destino depois de
inspeccionado.
Dito ao mesmo.Srvase V. S. de mandar alis-
tar como Voluntarios da Patria a Antonio Jos Bi-
tancourt e Francisco Antonio dos Santos.Com-
munico.n-se ao delegado do districto do Abreu.
Dito ao mesmoCom este Ihe sero apresenia-
tados os eidadios Daniel Jos dos Santos e Manoel
Luiz do Nascimento, afim de que os mande alistar
no corpo de Voluntarios da Patria, se forem julga-
dos aptos para isso, vislo que para terem este des-
tine me foram apresentad >*, o primeiro por Jos
de Muraes Gomes Ferreira e o segundo pelo dele-
gado do termo do Cabo bacharel Joo Gonzaga Ba-
cellar, com oficios de hontem.
Dito ao mesmo.Mande V. S alistar no corpo
de Voluntarios da Puna, se para Isso forem julga-
dos aptos os eidadios Pedro lgaacio Francisco do
Nascimento, Jos Tiburclo Alves Falcao, Joo Fran
cisco_ Ribeiro, Jos Ignacio Jorge, Manoel Pedro da
Paixo, Joo Manoel de Touza e Luciano Pinto
Vieira, que com este Ihes serao apresentados e se-
gundo consta de offlcio de Thom Leo de Castro,
datado de hontem, offereceram-.se para esse flm.
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar como Vo-
luntarios da Patria, os 19 aprendizes menores do
arsenal de marinha que para esse flm Ihe sero
apresentados pelo respectivo inspector, os quaes se
olfereceram para servir na guerra, em que esl o
imperio com as repblicas do Uruguay e Paraguay;
devendo elles depois de juramentados voltarem para
aquello arsenal, onde permanecern, at que em-1 zenda".
barquem para o Ro de Janeiro, aQm de seguirem Dilo ao mesmo.Coocedo a autorisago que so-
seu destino. licita Vmc. em offlcio desta data, sob n. 205, para
Dito ao mesmo. -Sirva-se V. s. de maodar alis- mandar manufacturar 1,400 bonets redondos, 1,000
tar no corpo de Voluntarios da Patria a Joaquim camisas, 1,000 calcas de brim, 1,000 frdelas e
Ribeiro de Aguiar Montarroyos Jnior, que para 1,000 caigas de panno azul, afim de poder em tero-
esse fim me foi apreseniado por seu av o lente-: po satisfazer os pediJos continuados e sempre ur-
coronel Fernando Francisco de Aguiar Montar- gsnles nao s para os recrutas desta provincia,
o meu offlcio do Io do corrente, nao oblante ter sido
para isso augmentada a guarda da casa de deten-
co, desde o dia 5 desle me, como Vmc. soliritou
em data de 3 do mesmo, recommendo-lho que logo
que este receber faga efectiva aquella minha
ordem.
Dito ao delegado do Pao d'Albo.Tenho presente
o seu offlcio de 7 deste mez, a que respondo di-
zendo-lhe que se dirija ao commandante superior
da guarda nacional desse municipio, ao qual desde
27 do mez passado recommendei que aproveitasse
o patritico offerecimeoto que fez o alferes Manoel
a* eilCial 2 de nSl 13, 2l a 2i Pr serera menores cendo ao termo de Caruar u
de 14 a 10 ancos.
- ama parle do termo do jaiada mais nos garanlido pe|a proveroal obser.
---------- Depois de orar o Sr. J. Reg Barros aDorova-'' S?i! de SCUS co"}Ptom>s*os, que caracterstica
*.,. m "' requerimenta do Sr Busque para que o no- S aJS^SSL"^ a qoem ia E",atas.f?a,? *">"">* 1" deram na publicado jec.o seja reraet.ido a commisso de esSica.P f,te*e DeSses U""D0S ,emPs elevagodo nosso
So reialorto, com que o Exm. Sr. desembarga-
dor Anselmo Francisco Peretlt entregar a presi-
dencia da provincia, e que se acha estampada
nos Diarios de 18, 20 e 21 de fevereiro de cor-
rente anno.
Diano n. 40 de 18 de fevereiro de 1865 :
Na !. pag., 3.' col
* ***W Qrtmg* tmmu JnT | SeguranCanndiv"du7Uem,da XtXta-StSZ
taroente o destacamento dessa villa, no caso de as- de-Da indicada relaco
sim julgarconveniente. indicada relaco consta
Dito ao delegado do Pao d'Alho.-Inleirado do
quanlo me communicou Vmc. em offlcio de 7 desle
mez, approvo a reaneira branda e imparcial com
que est disposto a proceder no recrulamento e no
desempeoho de seus deveres, louvando-o mono
pelas justas e conciliadoras inlencoes que man-,
resta : as quaes desejo ver realisadas praticamenle
nao s por Vmc. como por todas as autoridades da
provincia, sendo que disso depende em grande par-
te a prosperldade da mesma.
Portara.O presidente da provincia, resolve
conceder a demissao que pedio o lente reformado
do exercito, Manoel Carneiro Machado Freir, do
lugar de ajudante interino da colonia militar de
Pimenteiras.Flzeram-se as necessarias commu-
nicagoes.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
ta o que ioformon o commandante superior da
guarda nacional de Santo Antao, em dala de 2 do
mez passado, sobre o requerimenlo do tenente da
Ia companhia do batalho n. 3 da guarda nacional
conta leia-se Da
linha sguiate em vez de sacerleia-se
celebrado pelo ebefe iolerino da reparticio das; do municipio do Cear-mirim da 'provincia do Rio-
obras publicas, com Amerlco Coelho da Silva, re- Grande do Norte, Antonio Manoel Xavier Biiten-
lativamente aos reparos da iwnte do Timbt court, resolve, que seja esle aggregado ae batalho
Dito ao mesmo.-Ao engenbeiro Henrique Au- n. 23 de infantana da referida- gwda nacional de
gasto Milet, encarregado do reesnhecimento geial Santo Antao, nos Wrmos do art. 4a do decreto n
da actual zona de aciividade da estrada de ferro 1,130 de It de margo de 1853.
nesta provincia, mande V. S. entregar mediante Dita.-0 Sr. gerente da companhia Pernambuca-
nanga idnea, at que se reconheca a boa execupao na, mande dar transporte at o Aracaty no vapor
do seu contrato, a quantia de 1:600*0.0, a que se do dia 12 do corrente, em lugares de r, destinados
lireito em vista da quarta condigao do a passageiros de estado, ao promotor publico da-
mesmo contrato.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Goianna. Haja V. S. de expedir suas or-
dens para que dns dos batalhoes da guarda nacio-
nal sob seu commando superior, acompanhe a ima-
gen) do Senhor Bom Jess dos Passos, que tem de
sahir era procisjo da confraria do mesmo Senhor
nessa cldade, na tarde do dia 7 de abril prximo
vindouro.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal d Santo Antao. Reslituo a V. S. a gnia e
patento ja apostilada, do lente Antonio Manoel
Xavier Bitteocourt, de que trata o seu offlcio de 2
do mez passado.
Dito ao director das obras militares. Recom-
mendo novaraente a V. S., que entendendo-se com
os empresarios da illuminagao a gaz, mande fazer
com toda a urgencia os concerlos precisos no en- ordem
canamente e nos bicos da illuminagao do quartel
das Cinco Ponas, onde se acha o corpo de volun-
tarios da patria.
Dito ao director do arsenal de guerra. Alten-
dendo as raz5es expostas por Vmc. em seu offlcio
de hontem datado, sob n. 294, relativamente ao
trabalho extraordinario de que as actuaes cir-
cunstancias do paiz se acha sobrecarregado a offl-
cina de alfaiate desse arsenal, com a prompliflca-
go de fardamento para a tropa, concedo a aulori
sago que Vmc. solicita em dito offlcio, para ad-
roiuir mais dous flfaiates que coadjuvera a respec-
tiva offleina, vencendo o jornal da tabella era vigor
durante o lempo em que forem precisos os seus
servigos. Communicou-se thesouraria de fa-
quella cidade bacharel Manoel Lopes da Cuuha Ma-
ciel e a sua mi e de proa a urna sua escrava.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
cana, mande dar transporte-para o presidio de Fer-
nando, por conta do ministerio da.guerra, no vapor
qoe para all deve seguir no dia 14 dq crreme,ao
cab) de esquadra Gaspar Henrique Jos dos Re e
ao soldado Hygino Nunes Pereira, arabos do 4 ba-
talho de arnlharia a p. -Cemmunicou-se ao coro-
nel commandanle das armas. .
Eipedieate do secretario do governo de dia 9 de
marco de 186:.
N. 47.-Offlcio ao 1" secretario da assembla le-
gislativa provincial.-Passo as roaos de V. S., de
de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia para ser apresentad o a assembla legisla-
tiva provincial, o incluso orgamento que remeiteu
a cmara muoicipal do Ouricury, com offlcio de 10
de Janeiro ultimo, da despeza que tem de fazer a
Na 2.
saber.
Na i. linha do S. periodo do mesmo trecho
leia-se valhacoutos, era vez de valhaceitos.
Ka penltima liuha do 9. periodo do mesmo
trecho lea se comtudo em vez de con-
tudo.
Na S.' columna, 3/ linha do 16.' periodo do tre-
cho Obras Publicas Geraes e Provinciaes, Ca-
deas eleleia sustada em vez ae susten-
tada.
Diario a. 41 de 20 de fevereiro :
Na 1.- pag 3 columna, 3.' linha do ultimo pe-
riodo do trecho Insirucyo publica leia-se -
e em geral sobre a instruccao etc., em vez de
e em geni sobro instruegao
Na 4.' Imga do 2." periodo do trecho Estrada
de ferro leia-se de que trato em vez de
deque trata
Na 5.' columna, 6.' linha do 4. periodo do mes-
mo trecho lea se expedido por preco infe-
rior em vez de expedido pelo por prego in
Na ultima linha do trecho Contrato do En-
genheiro Mllet leia-se antecessor em vez
de antesser..........
Na 3.' liaba do 4.: periodo do trecho Forca
pubica, fortalezas e quarleis leia-se a guarda
nacional em vez da guarda nacional.
Dwrto n. 42 de21 de fevereiro;
Na 2. columna, 1. periodo, 4. linha do trecho-
Agua potavel em Olioda leia se seccam
em vez de secgo.
Na mesra columna,' S. "periodo, 5." linha do di-
to trecho leia-se submettendo ste negocio
ero vez de sobraellende negocio.
Na 3.* colnmna, 1. periodo,, ultima linha, tre-
cho, Recrutamento lease de exercito e da
armada -em vez d exercito da armada.
Na mesma-columna, 4: periodo, 19. linha do
trecho Voluntarios, Corpo de Voluntarios da Pa-
tria leia-seformados em suas paradas em vez
deformado em suas paradas.
Entra em primeira discusso o oroiecte n. 12 n ronar
desle anno, relativo aos voluntarios da atrh rep",0r10 1ae a empreza orgamsou para este
Ha urna'pequea0 SsoSSode"ordem na'aual TZ efu ,cne'de Pr"oresda litteratura dramati-
zara p.r os Srs. SS^aAo^SX- MSS T^'T^ Comp,e,ameQle Dovas
Posto a votos o proiecto aoDrovado Dumero.d.es,as a que amanha sobe a sce-
EMnieJsemZaSaoSSti 4 do an-! S A, comPoslCao do dis,ic< Dr. Agrario, desse
no passado, creandon?^f nY^Llta fl' i,ent0,a.1uem orto arrancou ao futuro das iet-
Gamelleira no termo de Serinhem i l?S ""'1^ -0S fseraTs> d"n>a escollado pa-
1 ra a inlciagao dos trabalhos da empreza ; e por
certo esta nao podia ser roelhor inspirada na es-
colha.
De bellos incidentes, retratando em muitos pon-
tos a vida pralica da sociedade, os Miseraveis sus-
tenta o fim da composigo era toda a sua altura
superabundando n'elle a ligo moral, e sobresa-
nado de. ludo a verdade dos caracteres piulados
nesse contraste dos que se pavonaro nos carros,
nos saloes, nos altos cargas, dos especuladores das
circnmstancias do paiz chrismados de polticos
O Sr. Si.va Ramos manda a mesa o seguinte re-
querimenlo :
Requeiro que seja remettido o projecto ao
Exm. Sr. vigario capitular, aflm de dar o sea as-
senlimenio.
Vera lambem a mesa a seguinte emenda :
Sem prejuizo da primeira discusso.Arayn
thas.Drummond.
Tomaram parte na discusso os Srs. Silva Ra-
mos, Drummond e Loureiro.
Finda
FfMa esta, requereu o Sr. Drummond auea! v l -""""aaos ae polticos
vo,agao seja noroL, o queo ARf Z^SJStT^, SKR
m Enira Analmente em d.scuskf o projecto n. 7 Sena'de saPs f,Za h iS.Wt2 em pr8"
do anno passado, sobre a factura de urna estrada SL i- ^ g hediondas, que representam
de Trombetas ao Bonito. 5a Comed,a d.a corr1PSap social, por ootro expan-
Oraram os Srs. Nabor e Gervasio Campello. gj nue'at^ iLI'-Th S hDra.e pr0b-
Foram aposentadas diversas emendas, e o se-. Srannr?i t ^2rDhlpa'm?te D,esse
guinte requerimenlo: typographo Severo, para quem a honra um dos,
Requeiro oadiamenlo do projecto at que che- ?$? SSJfSfSl 22 a"rda
guem as infurmagoes do eogenheiro Millet-Silva a v?,'* i ,"ado ^ um amor,D0Dre e santo.
Ramos. v si" '"i. ww. Estamos certos, portanlo, que lal drama obter
Nu ha vendo mais casa, o Sr, presidente deca- ?.ftvores do *** P>llco, como tem obtido em
ra a
13 :
diS6^S;a^^la^dero^^ f^*+-*M*>* W. *&&
i esperar, que a sua representagao seja concorrida,
tenlinuago da amenormenle dada; mn^fSX^dtJpJlSSS^'^!^41^
discusso do projecto. n. 68 e segunda dos de as KSAKii s^u ?ece?to *> ede ser pro,
i, todos d anno passado. lamema a Jaula? drama,lca DOSsa> cuJa raor
Tendo a guarda nacional de concorrer com
o seu contingente para formago dos corpos da
mesma guarda, que devem seguir para as frontei-
ras, seria conveniente que se nao recrtasse ; vis-
to qoe lera de contribuir assim com a sua parte
REVISTA DIARIA.
0511,.43iDO DAS ARIAS.
Quwiel do tmmmk da amas dr Pernambueo
a cuate 4aRecife, 11 de narro de 486o.
Ordrm do dia n. 41.
Tendo o Sr. capito do 4* batalho de artilharia
a p Tiburcio Hilario da Silva Tavares de seguir
Em sesso de sabbado, a assembla provincial
approvou, ero !. discusso, o projecto acerca de' para WWCP.da.guerra.
Voluntarios da Patria. I ma [embranga que nos occorre oflerecer i
Fui exonerado, sea pedido, o ajudante in- CI>siderag5o da autoridade superior, que a apre
teriuo da colonia militar de Proenteiras, tenente ciara con, entender conveniente.
Manoel Cameiro Machado Freir. ~ P Sr- capilao Joo Carlos de Mendonga Vas-
O vapor Mumanguape fot portador de noti-, eoncellos conduzio sabbado do eogenbo Car-ass,
cas do Cear al 3, do Ro Grande at 10 e da do te,rmo de Barreiros, quinze cidados volunla-
Parabyba at 11 do corrente. ] "os a patria, qne foram apresentados ao Exm.
As cbuvs rate g"ers em toda a provincia do fr. presidente da provincia, aos quaes foram man-
tear, inclusive a capital. 'dados f"** Pfaca. To louvavel procedimento do
Sr. Jeao Carlos dicno de Imitacn. iaiw <<
At o du. 1 achavam-se
ros da Patria.
royos.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar como Voluntarios da Patria a Jos Pedro de As-
ss Campos e lonocencio Jos Gomes.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
como de algumas do norte.
Dilo ao inspector interino do arsenal de mari-
nha.Tendo resolvido que os menores apreudizes
desse arsenal, Guilhermino de Souza Ramos, Ana-
nias Mizael Lobo, Antonio Francisco Pereira, Jos
lar no corpo de Voluntarios da Patria, o cidado Pedro Alexandre Bezerra e Manoel Joaquim Alves
Antonio Jos Joaquim que se offereceu para ser- da Silva, mencionados na relaca/-' que acompanhou
yir n'aquelle corpo, e foi apresentado pelo coronel o seu offlcio de hontem, sob n. 861, uo sejam com-
Jos Pedro Velloso da Silveira. I prehendidos no numero dos que tem de seguir
Dito ao mesmo.-Mande V. S. alistar cora desti- como Voluntarios da Patria, por serem menores de
no ao corpo de Voluntarios da Patria, da provincia 14 16 anuos de idade, embora pelo seu desenvol-
do Cear, como pedem, e se para isso forem julga- vimento physco paregaa Vmc. que se podem pres-
aos aptos os cidados Antonio Augusto da Frota tar ao servigo da guerra ; assim o declaro a Vmc.
Menezes e Miguel Leopoldo Lima, os quaes V. S para o fazer constar aos referidos menores, aos
so fara seguir para a corte quando por aqui pas- quaes de minha parte louvar pelo sentimento pa-
sar aquelle corpo. (triotico, de que se acharo animados, devendo Vmc.
Dito ao mesmoSirva-se V. S. de mandar alis- fazer apresentar ao commandante das armas os
tar no corpo de Voluntarios da Patria, o cidado demais aprendizes, a que se refere a supracitada
Lupecino Francisco das Chagas que se offereceu relago, afim de jurarem bandeira ; depois do qoe
para aquelle corpo aflm de que V. S. Ihe d o con- voliaro para esse arsenal, onde permanecero at
Teniente destioo, se para isso fur julgado apio. que embarquem para o sul.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda. Dito ao mesmo.Mande Vmc. recolher a esse
Deferindo o requerimenlo do bacharel Amaro Car- arsenal o menor que a esle acompanha, de Borne
neiro Bezerra Cavalcanti, sobre que versa a sua Manoel Peres Quintas, al que esta presidencia de-
inrormacao de boje, sob n. 149, autoriso V. S. a libere sobre o seu destino.
mandar pagar ao supplicante sob minha responsa- Dito ao mesmo.-faga Vmc. apresentar ae capi-
bilidade nos termos do decreto n. 2884 do Io de fe- tao de porto para o servigo da armada, o menor
vereiro do anno de 1862, a quantia de 630j}000 reis Joaquim Narcizo dos Santos, a que allude o sen
correspondente a ajuda de custo que Ihe compelo offlcio de 23 de fevereiro ultimo, sob n. 849.
como deputado assembla geral legislativa pela pro- Dito ao superintendente da estrada de ferro.-
vincia do Rio Grande do Norte. Conslando-me que os empnegados da estrada de
Dito ao mesmo.Deferindo o incluso requer- ferro tem entendido que ospassesde ida e volla
menio do Voluntario da Patria Antonio Paes de S concedidos pelo governo s do direito a volla so-
Barreto, expega V. S. suas ordens para que seja mente dentro de 24 horas, ou 48 horas se houver dia
paga pela collectoria do Cabo desde j a prestagao feriado, como soccede com os bilheles vendidos
mensal de 10000 reis, que de sea sold pretende pela companhia da mesma estrada, e como e3sa
consignar o supplicante a menor sua filha natural intelligencia pode trazer embarazos ao servigo pu-
de nome Norberta Felicia de S Brrelo moradora blico, declaro ao Sr. superintendente que as pes-
n'aquella villa. soas que apresentarem os referidospassesse
Dilo ao mesmo. Deferindo o requerimenlo do deve dar passagem de volla, qnalquer que seja o
major de estado maior de primeira classe Apolono da cm que esta se verifique.
PeresJacorae da Gama, recommendo a V. s. a ex- t>ito ao capito do porto.Respendendo ao offl-
pedicao de suas ordens, para que nao havendo in- ci que Vmc. me dirigi hontem, sob n. 43, tenho
conveniente a indemnisagao da quantia de 200, a dizer que se julgar indispensavel os servigos de
3ue em observancia do aviso d 20 de dezembro sea ajudante, que foi sorteado para servir na pre-
o anno passado, tem de ser (eita pelo mesmo ma* sent sesso do tribunal do jury, como juiz de fac-
jor que a recebera iodevidamente para compra de to, dirija-se a esse rspeilo ao presidente daquelle
cavallo, se effeclue pela quima parte dos seus ven- tribunal, que tomar em considerago a sua re-
cnenlos. quisigo.
Dito ao raesmo.Offerecendo o capito do corpa Dito ao vigario da freguezia de Agua-Preta.
de estado maior de segunda classe Salvador Coelho Informe Vmc. a que municipio pertence o engenho
de Drumond e AlbuqUerque, 10c000 mensaes de- Bora-Destino, e particularmente o sitio Alvo, ou o
duzidos de seus vencimenios, cuino commandanle lugar em que foi contestado o direito do proprieta-
da fortaleza de Pao Amarello, para auxilio da gner- rio do dito engenho, cidado Joo Pereira Mattoso
ra, emquanio durar esta, e a contar do primeiro pe'os co-proprietarios do engenho Camama.Igual
do corrente mez em diante; assim o commonico a ao vigario da freguezia do Bonito.
V. S. para seu conhecimeoto, e, aflm de que oppor- i Dito ao Dr. juiz de direito do Bonito.Procure
tunamente mande proceder a arrecadago de se- Vmc. e informe se ha ahi quem se quelra encarre-
melhante offerta para dar-lhe a conveniente appli- gar de fazer por menor prego do que o orgado, os
ago.Communicou-se ao coronel commandante concerlos de que precisa a cadea da villa do Bo-
das armas. nlo, de cooforroidade com a planta junta em ori-
Dito ao mesmo. Offerecendo o secretario do ginal, qne me devolver, e orgamento e clausulas
commandante das armas desta provincia, teuente aqui annexas por copia.Communicou-se ao Dr.
coronel do corpo de estado maior de segunda cas- chefe de polica.
se Francisco Camello Pessoa de Lacerda, quinta Dito ao juiz municipal da primeira vara desta
parte do total de seus rencimentos, dedazidos meo- cidade.Sendo informado pelo commandante das
salmele a contar de abril prximo viodooro em armas de que ainda nao foram diariamente apre-
diante, para auxilio das despezas da guerra em qne sentados na fortaleza das Ciac Ponas, para o ser-
se acha eapenhado o paiz com as repblicas do vico de fachina, os dvas sentenciado? de qac trata
alistados 183 Volonta-1Br J9ao. Carls digno de imitago, e talvez seja
I o primeiro proprietario que das trras de sua pro-
Agenciava-se una subscripgo ero favor das fa- Pr'eda^e apresebtasse ta grande numero de vo-
milias dos Voluntarios da Patria, que j oroava ero, lun.ta"e -devido a seas esforgos, influencia e
dez sontos de ris. amisades, tanto mais quanlo nos coasta que es-
loaugurra-se, em 2, a casa de caridade de "Mis- se P.roP"etano tomou a seu cargo nao t a pro-
sao-Velha, construida esforgos do Revm. Ibia ,ectao das lamilias de lodos esses que vo mar-
, pina. i char em defeza do paiz, como lhes pagou de sua
moma cmara, inclusive a receita do Io de janei-, para opresidiodeFeroando.no dia 14 do corrente I Do 1." 10 do corrente alstaram-se no corpo' Dolsa as dividas que lioham : honra e louvor
ro,ao ultimo de dezembro do correte anno. a tomar o commando do destacamento que faz a' de Voluntarios da Patria do Rio Grande, 53 indi-] a n. 48.uno ao mesmo.De ordem de s. Exc. o guarnigo do mesmo presidio, o coronel comroan-! viduos. I amigo de sua patria.
>r. presidente da provincia transmiti a V. S., para ; dante das armas tem por conveniente exonera-lo, A alfandega rendeu, do 1- do mez passado 9 ~ Remetlem nos o seguinte, pedindo sua publi-
ser presente a assembla legislativa provincial, as; nesla data do emprrgo de ajudante de ordens que'do corrente 20:8535563 rs. cacao :
Inclusas contas, competentemente documentadas da, interinamente exerce, e emquanlo nao substitu-1 Achavam se ali carga barca franceza Jean Pede-sc a auUridade competente para fazer
receita e despeza do anno de 1863 a 1864 que a; do no dito emprego Oca encarregado do detalhe o **Wfc e brigue inglez Mina, e descarga o cessar o escndalo que as pauulhas rondantes
cmara municipal da cidade da Victoria, remetteu Sr. tenente do corpo de guarnigo desta provincia brigue francez Cear. ao recolher-se de madrugada a quarteis, praticam
em lo de Janeiro ultimo e bem assim os orgamen- Jos do Reg Barros. A alfandega da Parahyba rendeu no mez passa- Pe'* ra de Aguas Verdes, daudo bayonetadas
los de receita e despeza do anno de 1865 a 1866, O mesmo coronel agradere ao Sr. capito Silva'do27:186*249 eo consulado 17:8155161. Pelas Por,as> balangando as mesmas e fazendo
as relaeoes des devedores e dos foreiro que ora Tavares a coadjuvago que Ihe prestou durantes! A entrada do algodo elevou-se, at o dia 8 do 8rande algazarra com palavras indecentes ; se na-
exislem as Ierras do patrimonio daquella munici- r lempo que servio junto sua pessoa, desempe-' corrente, a 3,427 saecas. latorio que a referida ca- nhando satisfactoriamente suas obrigagoes. | O as'sucar bruto vendia-se a t200^ o branco a ram familias honestas; por isso leva-se ao conhe-
(Assignado.) os Hara Ildefonso Jacome da 45500 por arroba ; o algodo de 1." mte
mar dirige a raesma assembla.
: j ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. Vetos Pessoa e Mello.
presidente da provincia, passo as mos de V. S., (Confurme) Jos do Reg Barros
aflm de ser presente a assembla legislativa provin- carregado do detalhe.
cial, o incluso projecto de postura que foi transmil-'________
tido pela cmara municipal da villa de Floresta,
com offlcio de 18 de Janeiro ultimo.
N. 50.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, transmiti a \'. S.,!
para ser presente a assembla legislativa provin-
cial, o incluso projecto de posturas que remtleu a
cmara muoicipal da villa de Cimbres, com offlcio !
de 10 de Janeiro ultimo.
N. 51.Dito ao mesmo.Passo por copia as
maos de-V. S., de ordem de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia, para ser presente a assembla le- se presentes os Srs.deputados Pereira .
gislaliva provincial a inclusa ioformago ministra- to, NeUo, Maranhao, Reg Barros, Joaquim do Re-:
o,de 2. a 15-000 e o de 3." 13>000 por arroba,
tenente en-' Eslavam carga : para Liverpool os brigues
i Elizabeth Fatham e Jura.
Sahiram : para Liverpool o brigue Chance e pa-
tacho Amazon; e para o Canal o brigue Brovking ;
PERNAIWRUCQa
ASSEMBLA PROVINCIAL.
10" SESSAO EM 11 DEMARQO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR PEREIRA DE BR!T0.
as ii e i/ da manhaa, feta a chamada, acham- pamos em urna Revista da semana passada. Nalu-
a 17JO00, cimento da auloridade para dar providencias, afim
de por lermo a semelhante desaforo que a uns
poucos de dias se pralica. >
Na lisia dos subscriptores daAssociago Pro-
tectora dos Voluntarios da Patria, publicoda hon-
tem, vem o nome de Joaquim Francisco Ferrei-
da pela reparugao das obras publicas, acerca do 18. barros, Silveira Lobo. Jacobina, Ribeiro, Amin-
melhor ponto de partida, para a estrada projectada ,nas, Braudio, Arminio, Gongalves da Silva, Arau-
para Beberibe a que se refere o seu offlcio de 6 do m 1w'n- *' !.....-
. jo Barros, Loureiro, Slmto "Lima, Silva Barros,
corrente, sob n. 11. ; Braulio, Teixeira de Mello, Ramos, G. Campellc,
N. o2.Dito ao mesmo.Transmillo aV-S., de e Nabor.
ordem de S. Etc. o Sr. presidente da provincia,! O Sn. Presidente abre a sesso.
para serem presentes a assembla legislativa pro-! Lida a acta da sesso anterior approvada.
viudal, 40 exemplares irapressos do orgamento da O Su. Io Secretario d conta do seguinte
rereila e despeza provincial, do exercicio de 1865 a expediente.
r r. ^ma Pe,lcao dd raesa regedora da irmandade de
i\ oJ.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Nossa Senhora da Paz da freguezia dos Afogados,
Sr. presdeme da provincia, transmuto por copia a pedindo preferencia para a extraego de suas lote-
V. S., para ser prsenle a assembla legislativa pro- ras.A' commisso de orgamento provincial,
vincial, a informago ministrada pela repartigo Outro do raestre dos novgos da Ordem Terceira
das obras publicas, acerca da caoalisago d'agua^de Nossa Seahora do Carino, pedindo a coocluso
potavel para a cidade da Victoria. Fica assim sa-! de urna lotera para fazer os reparos da mesma
sfeita a requislcao da mesma assembla, contida capella. -A' commisso de petigoes.
em offleio de 6 do correnle, sob o. 10. Outra do Dr. Joaquim Fraucisco de Faria, viga-
N. 54.Dilo ao mesmo.Remeti por copia a rio-capitular, pedindo a esta assembla que Ihe
V. S., de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro- proporcione meios para pagar o dficit da quantia
vmcia, para ser presente a assembla legislativa de 14:9595720 havido na conclusao das obras da
provincial, a informago prestada pela repartigo matriz de S. Jos.A' commisso de petgSes.
das obras publicas, relativamente aos estudos fetos E\ lida e approvada a redaego das posturas da
para a contnuago da estrada de Trombetas ao Bo- cmara muoicipal d'Agua Preta.
ni,o- Fica assim salisfeilo o 3o quisilo do sea offl-' Sao approvados es seguloles requerimentos :
dV do,crrenle, sob o. 7. Requeiro que pelos meios legaes se pega da the-
w. 5a,Dito ao mesmo.Para ser presente a souraria provincial, ou da respectiva procuradoria
assembla legislativa provincial, em satisfago a sua flseal ama relago dos objectos pertenceates re-
requisicao constante do offlcio que me dirigi V. S.! finago do Monteiro, vendidos por autorisago do
em 4 da correnle, sob n. 6 e de ordem de S. Exc. 'juiz dos fetos da fazeoda, cora deelaragaodos pil-
o Sr. presidente da provincia, transmuto a inclusa eos e nomes dos compradores.Silveira Lobo.
relagSo nominal dos recrutas remettidos do termo Requeiro que se pega ao Exm. vigario capitular
de Caruar e aparados para o servigo do exercito sea assenlimeoto acerca do prejeclo n. 79 de 1864.
todos inlezes. '\ri Ramos> f-om 505000,quando o nome veradeiro
I Por ser sabbado o dia do 43. aniversario do contribuiote -Joaquim Ferreira Ramos,
natalicio de S. A. aSra.' D. Januaria.estiveram em- At sabbado cncava presidencia terem
bandeirados as fortalezas e.navio de guerra, sal van- lirado bandeira no corpo de Voluntarios da Pa-
o o Brum urna hora da "tarde. na> os ?rs.:
Contra a determinago da Relago do dislricto 260 ^se Candido de Souza, 25 annos, Rio de Ja-
no foram sabbado apresenladas nesse tribunal as a.ne-
mulheres Manoella e Lourenga, de que nos occu- 261 Manoel Firmino da Costa Campello, 22 ideni,
pamos em urna Revista da semana passada. Nalu-' Pernambueo.
de Bri- ramente por acto ainda de perseguico das aoto- 26r Symphronio Olympio dos Santos, 18 idero,
ridades de Tres Ladeiras, se deu semelhante falla, a.ide'n-
para a qual nao podemos deixar de chamar a al- 263 Fabriciano Napoleao do Reg Barros, 19 idero,
tengo do Exm. Sr. presidente e chefe de polica, .ide,m-
lamo mais que esse lugar disla apenas cinco leguas 264 Miguel Joaquim do Reg Barros Jnior, 23
desta cidade, e que a ordem de corapareclmenlo 'deIn'. 'dem.
no tribunal foi expedida terga-feira passada. 2Go Quinliliano Paes Brrelo, 28 idem, idera.
A confraria do Livramento expoz hontem em 2>6 joaquim Correa de Lima, 23idem, idem.
procisso, que perrorreu diversas ras desta cida-
de, a imagen) da Senhora da Soledade. Apezar da
exiguidadede meios, essa irmandade apresenlou
declarando a V. S. que aquelle termo oo corrente
exercicio, deve dar 25 recrutas divididos pelas fre-
guezias respectivas e que at o presente, s tem da-
do 20, seguodo se v pela relago a que cima al-
ludo, mioistrada pelo Dr. ebefe de polica.
N. 56. Uito ao mesmo.Ministrando as infor-
magoes exigidas pela assembla legislativa provin-
cial, segando consta do offlcio de V S., de 3 do
corrente, sob n. 4, as quaes respondo, de ordem d
S. Exc. o Sr. presidente da provincia declaro :
1-* Qoe es menores do arsenal de marinha que
se offereceram a presidencia, para marcharem para
a guerra em que se acha o imperio com as rep-
blicas do Uruguay e Paraguay, constam da relaco
annexa, sob n. 1.
2. Que destes foram eliminados a reclamadlo
de seus pais e tutores os de ns. 8, 27 e 33.
3. Que tendo S. Exc. declarado ao inspector da-
quelle arsenal qne s podia ser ceito o offereci-
meoto Jaquel I es menores qoe por sua idade oudeseo-
S. R. Ferreira Jacobina.
Vem raesa o seguinte requerimenlo :
Requeiro que se pega do Exm. Sr. presidente da
provincia urna informago sobre os motivos pelos
quaes as sobras das consignagdes do orgamento do
exercicio lindo, nao foram applicadas as estradas
da provincia, como determina o art. 2o da lei n.
575 de 5 do abril de 1864.-Campello.
Posto em discusso, pede a palavra o Sr. Araujo
Barros, e justifica a seguinte emenda:
Em vez do que est no requerimenlo, que j foi
lido, dgase :
Requeiro que se pega ao presidente da provincia
as seguintes informages :
Quaes as sobras das consignages do orgamento
do 6xercicio findo que nao foram applicadas s es-
trada* da provincia, como determina o art. 2 de lei
n. 57 de 5 de abril de 1864. S. R. Araujo Bar-
ros.
Depois de orarem os Srs. Campello, Araujo Bar-
volvimenlo physico se podessera prestar ao ser vico, ros e Buarque, Oca a discusso adiada por ter pas-
da guerra, remetteu aquelle funecionario a relaco sado a hora destinada ao expediente,
sob n. 2, contando o numero de 24 menores que ORDEM DO DIA.
Ihe pareeeram naquellas coadices. Contioa a primeira discusso adiada do projec
Vo Finalmente, que destes, S. Exc. mandou aio-, to n 87 do anuo passado, qoe manda licar pertea-
sua procisso, com a decencia e regularidade que
caracterisam os actos religiosos do Livramento, e
abri, por assim dizer, as portas quaresma, vislo
nao o ter feito a ordem terceira franciscana, nao
obstante a abundancia de meios, ser a procis-
so de cioza determinada no seu compromisso e
existir quantia no orgamento para ella.
Lembramos aos Srs. fiscaes, e quem com-
petir, um exame no leileque por ahi se vende, que
poder-se-ha chamar de preferencia agua leitosa,
pois que regula essa mistura por duas garrafas
d'agua para urna ou talvez. raeia de leiie.
Sabado vieram portadores de Macei, tra-
zendo a infausta nova da perda do vapor francez
Bearn, sessenla mi Ibas distante da capital da
Baha.
Eis o que a semelhante rspeilo diz o Jornal da
Bahia de 3 do corrente :
t Com a chegada, hontem s 2 1|2 horas da tar-
de, da barca russa Helias, procedente de Santos,
leve-se, pelo capilo do referido navio, a desagra-
davel noticia de ter-e perdido 20 milhas mais
ou menos do morro deS. Paulo (ao sul) o vapor
francez Bearn, que aqui era esperado do Rio de
Janeiro, no dia 28 do passado.
< Nao se sabe mais nada,
t Parliram no vapor Goncalves Martins, fretado
pela agencia das Messagenes Imperiales, os Srs.
agentes, Leonce Aubr, consol da Franga e Carlos
Vianna, guarda-mr da alfandega, para o lugar do
sinistro.i
A' essa noticia, enviada a um amigo nosso, jun-
tamos o seguiote trecho da carta dos Srs. W. A.
Bieber & C, da Bahia, aos Srs. N. O. Bieber & C.
de ooss praga, na mesma data :
c Temos a dar-lhe a desagradavel noticia de
que o vapor francez Bearn encalhou 60 milhas ao
sul desta cidade. Esto-se salvando passageiros
e carga ; mas duvidoso por ora o salvamento do
casco. >
O prximo vapor do sal trar-nos ha os porme-
nores.
Amanha, anniversario natalicio de S. M. a
Imperatriz, abrem-se os saldes do Santa Isabel
concurrencia publica, estreando a empreza Coim-
bra os seus trabalhovdramaiieos no corrente anno.
Organizada convenientemente como so acba a
companhia de um pessoal capaz de desempenhar
qnalquer drama, devenios ler bellos serSw ; o que
267 Joaquim Ribeiro de Aguiar Moutarroyos J-
nior, 20 idem, idem.
268 Joaquim Thomaz Ribeiro Varejao, 22 dem,
idera.
269 Jos Pedro de Assiz Campos, 18 idem, idem.
270 lonocencio Jos Gomes, 22 dem, idera.
271 Joo Francisco Ribeiro, 25 idem, dem.
272 Pedro lgaacio Francisco do Nascimento, 30
idem, dem.
273 Jos Ignacio Jorge, 20 idem, idem.
274 Manoel Luiz do Kascimento, 38 dem, idem.
275 Lupercino Francisco das Chagas, 18 idem,
idem.
276 Francisco Antonio dos Santos, 18 dem, idem,
277 Luciano ?into Vieira, 20 idem, idera.
278 Manoel Pedro da Paixo, 18 idem, idem.
279 Jos Tiburcio Alves Falcao, l9idem, idem.
280 Daniel Jos dos Sanios, 22 idem, idem.
281 Joo Manoel de Souza, 20 idero, idem.
282 Antonio Jos Bitlencourt, 18 idem, idem.
No sabbado ultimo devia entrar em jolga-
memo o reo Alpieri, roas, ero consequencia do im-
pedimento da promolorla, foi adiado este para
amaoha, sendo nomeado promotor publico ad hoc
o Sr. Dr. Joo Alfredo Correa de Aodrade.
Em seguida a este incidente, foi trazido a barra
o reo Bento Alves da Cruz, prononciado as penas
do art. 264 do cdigo criminal, seodo a aecusaco
feila pelp Sr. Dr. Diodoro Ulplano Coelho Catando,
e a defeza inenmbida ao acadmico Antonio de
Souza Martins
O reo foi absolvido, vista da decisao do con-
selho de senlenga.
A sociedade recreitiva Corj/uan/ina d a sua
partida do corrente mez no dia 25.
BEPARTigAO DA POLICA !
Extracto da parte do dia 11 de margo de
1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 9
do correte:
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Ig-
nacio Pedro da Silva, para correceo.
O chele da 2* secgo,
J. G. deMesquita.
Passageiros do vapor brasileiro Mamanguape,
vindo do Acarac e portos intermedios :
Paulino Nogueira Borges da Fonseca, Joo F. de
Lima, Francisco Gongalves da Justa, Samuel Fe-
lippe de Souza Ucboa e 1 escravo, Antonio Augus-
to Araujo Lima,! criadoe 1 criada, Theodureto Car-
los de Faria Souto, Antonio Candido Antunes Uhvei-
ra, sua senbora, 1 fitha e 2 escravo?, Luiz Goota-

'V


a r v ,
<*.
i
l la rio de Pernm
ibuco -
b_____
Segunda feira i a de Marco de 1SO&.
ga M. Lyra e 1 fimo, Bemvinda Gurgtl do Ania-
ni e 1 criado, Antonio Saboya S Leito, Francis*
* TertQttMMfe Albuquerque e l criado, Kelnaldo
Gomes HfQMMn, Joa- Thotnaz Arooado 1M-
cho Rib4ft(Mrpo de Sooza Thenorio^ Manoel Ko-
driguesua ulnna Vlanfia, D. 'Auna Ferreira "Li-
ma Albuquerque, Pedro Tinoco, Lanrindo Pereira
buquerque Mello, Maooel GoMes Carneiroe sen fr-
ito), capilao Domingos H. 4S Oliveira, pa#e Jas
M. Mello, Francisco Abreu Salva o, Fortunato JdBt
4a Cunha e I eseravo, EurtKhs Decoleciano Alt*-
pjerque, Manoei David, JoawHhi Jos Vianna, Sa
muel H. Karmand, Joao HoHanda Cunha e 1 escr>
vo, Jos da Silva, Franciso Goncatves Seixas J-
nior, Domingos Nones* Soares, Alberto B. Gheioy,
Jos F. Soota, Joaquim Jos" C. M., Tose Mendes e
2 escravos a entregar.
Passsfeiro do brigue escuna braiiieiro Ns
Se, vmda do Rio de Janeiro :
Joao Maria Barbosa.
OMTt'ARIO D DIA 10 DK MARCO DB 1865, NO
CEMFRMO PUBLICO -
Arisiides Barboza Cordeiro Feitoza, Pernambuco,
31 annos, casado, Redfe ; hemorragia.
Maria, Pernambuco, 13 das, Kecife convulsdes.
Manod, Pernambuco, o mezes, Santo Antonio; es-
pasmo.
Manoel Jeaquim de Sant'Anna, Pernambuco, 20 an
nws, soltetro, Sanio Antonio; ttano.
Cirios, Pemambaco, 43 dias, Santo Antonio ; de-
feito orgnico.
1
CHROMVA JUDICIARIA
f BI11ILV1X n\ REIiACiO.
SESSAO EM 11 DE MARCO DE 1865
MtSIDEfCTA Vi EXM. SR. COJfSELHEIRO
SOUZA.
As 10 oras da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitirana, Lourenco San-
tiago, Almeida e Albuquerque, Assls, Doria, Molla,
Guerra, proenracW da corOa, Domingues da Silva
e Barros Vawoncellos, abrio-se a sessao. .
Fassados os feilos e entregues os distribuidos,
enrat-so os seguimes
JULGAMENTOS
Aggravo de petico.
Apgravante,.Rozendo Alves da Silva ; aggraVado
Juo.
Relator o Sr. deserabaxgador Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Almeida
'Aggravanl, Be'larmiho Atves de Arucna ;
gravado, o juizo.
ftasator-srr. dMMBkMador Domingoes da
finja.
Usadas as sMforcs deserabargadores Dona,
e Santiago.
Mandaran escrever o aggravo.
Recurso erimt.
Recorren, Francisco Antonio das Chagas; re-
corrido, o juizo.
Relator o Sr. deserobargador Loarenco Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Doria,
I Domingues da Silva e Guerra.
Reformaran) o despacho.
Appeliacbe* orimei.
Appellante, o promotor ; appellado, Joo Dias
Montenegro.
Perempta a accosaoao.
Appellante, Manoel do Valle Pedrosa; appellada,
a justica.
A novo jorj.
ApptUacr civeis.
Appellante, Amonio Ferreira da Poste; appella-
do, Manoel Ferreira da Ponte.
Confirmada a sentebea.
Appellante, Uno Ferreira la Silva; appellado,
Jos Mendes Carneiro Rodrigues Campello.
Reformada a sentenca.
Appellante, Vicente Antonio do Espirito Santo ;
appellado, Caetano Lenidas Duarte Gama.
Reformada a sentenca.
Appellante, a fazenda ; appellada, Joaquina Eloy
Vicencia Goiito da Silva.
Confirmada a sentenca.
Dia de apparecer.
Appellado, Dr. Jos Lourenco Meira de Vascon-
celos ; appellante, Francisco Lins Caldas.
Julgaram a desercao por sentenc^.
Julgaram receber os artigos de habilitadlo na
Appellacao civel.
Appellaflie, Heory Gibson ; appellado, Antonio
Jes Pires sua mlher.
DESICNAQAO DB DA.
Assigoou-se dia para julgamento dos seguinles
feitos !
As appellacoes civeis.
Appellante, Joao Ferreira da Costa Imbuzeiro;
appellados, Joao Jos da Silva e outros.
Appellante, Dr. Bernardo Duarfc Braodio -, ap-
pellado, Manoel Francisco Ribeirwj
Appellante, Joo Vasco Cabral; ppeirtaaos, Tu-
so & Irmo.
Appellante, Maria Magdalena 8* Coaceicatt;
appellada, Cypriana Maria de Mattos
Appellante, D. Mana Sancha "
^
ADD
lante.D. Mana Sancha da Conceiga Caval-
appdfeMo, Dr. 'Joao Francisco de Arrnda
A apoeBagio flfme.
Awellintet, Antonio AI vas 4e Afde e eutro ;
pomada, a jottica.
rASCAGBNS.
Do Sr.desailfcafgador Santiago aSr. desembtr-
gader Gitira* -.
As appelfagoM crlmiK
' Apr>mimteV Alexa*dre o Teixeira de WW ?
appeilada, a jusUoa.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Bezerra An-
tunea,
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Francisca
Xavier.
As appellagoes civeis.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Maxttnlano
Soares de Avellar.
Appellante, Jos Joaquim Gongalves Bastos; ap-
pellado, Jostino Pereira de Farias.
A* Sr. desembargader Almeida e Albuquerque
As appellagoes civeis.
Appellante, a cmara municipal; appellada, D.
Francisca Maria da Justa.
Appellante, D.Joaquina de Jess Neves Qnaresma;
appellado, Joaquim Francisco Duarte.
Ao Sr. desembargad Motta
A appellacao civel.
Appellante, Dr. Felippe Carneiro de Olila Cam-
pello ; appellados, los Duarte Rangel outros.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellacao crime.
Appellante, o promotor ; appellados, FeliB Jos
Diae e outros*.
A appellacao vel
Appellante, Antonio Francisco Anastacie ; ap-
pellado, Jos Francisco oa Costa.
Ao Se desembargador Almeida Albuquerque
A appellacao eifel.
Appellante, Luiz Jos da. Costa Amorim ; appel-
lada a fazenda.
Ao Sr. desembargador Motta
A appellagao civel.
Appellante, a azenda; appellados, D. Maria Vic-
torina Vieira da uunha.
DaSr. deseiibargadorLourencp Santiago ao Sr. Rvm. padre Primo Feliciano Tavares.
Wmlwgador Almeida e Albuquerque, nn flMente Luiz Juvancio dos Sant#s>.n f
A appellacao crime. w. Francisco de faula Sales..
AppeHanie, o juizo ; appellado, Francisco Fal* nplto Joaquim.dr4fbt Cardoso. Or. Jos Tiburcio de Magalhaes.
DoSr. desembargador Almeida e Albuquerque a r. C. Itburcie Pinto*.
Sr. desembargador Assis tnnnin*nTnTl Antonio da Silva llego, ,.. ^
As appellagoes.flrhnm. Jlas proteclorW.
AfpcfMMI, o juizo ; appelflro; VMNiel Prnwffc As Ex mas. Sne.
13 nuawnw ui POTA
co de SaMN;
AppellMMt, o juizo; appellMs^ Jos-Mix M
Lima.
A appellag5o civel.
AppelUiWs, Joao Marinho Paet BarMtoeots-
tros; appsHado, Jos dos Santos Neres.
O conele de jurisdigao entre- os juizes de or-
phaos do Rwife o o de Ipojuca.
.:

D. Maria Augusta da R9B Batioi.
p. Joanna CoelhndiSilva.
D. Guilhermina Coelho da Silva, Clha do Illm. sr.
Jos Coelho da Silva.
D. Calharina Coelho da Silva.
|). Thercsa Josepbina da Silva Sales.
V. Maria Joaquina deOfiveira Campos, esiwsn do
Illm. Sr. Bernardlno de Souza Campos.
Do-Sr. desembargador Assts atrSr. desembarga- D: Anua rsula dus 9a utos.
dor Doria
A appellacao civel.
Appellante, o juizo ; appellado, Jes Francisco
Pereira da Silva.
Ao Sr. desembarpador Motta
A appellagao civel.
Appellante, Manoel Ribeiro da Cunha Oliveira ;
appellado, Joao Evangelista Bello.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gada r Domiognes da Sita
As apptllacoes civeis. '
Appellante, Antonio. Correia Pessoa de Mello;
appellado, Antonio da Costa Mello Lima.
Appellante, Manoel Flix fle Mello ; appellado,
Manoel Carneiro de Freitas.
Appellante, D. Mara Cordeiro ; appellado, Pau-
lino Manoel de Souza Oliveira.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
As appellagfles eximes.
Appellante, o juizo ; appellados, Maooel Caval-
canti de Albuquerque.
Appetlanie, Antonio Haalino de Moara | appella-
do, Manoel Luiz do Nasolmente.
As appellagws oitel!,.
Appellante, Francisco Perreira de Andrade ; ap-
pellado, Manoel Jos Tabora.
Appellante, Jos Vicente le Almeida Valenga ;
appellado, Bento Jos Alves de Oliveira.
Appellante, Joaquim Antonio da Silveira ; appel-
lado, Antonio Martins Saldanba.
O di* de appareeer.
Appellado, Jos Vietortno Garvalho Cavateanti:
appellante, Antonio Marques de Araojo Caval-
canti.
MAPPA DO MOVIMENTO DAS ENFERMARAS CIRURGICAS DO HOSPITAL PEDRO II DESDE 31
DE DEZEMBRO DE 1863 A 31 DE DEZEMBRO DE 1864.
Remettido Illm,' Junta Aministratita da Santa Casa da Misericordia, conforme o disposto no Regulamento
para os Estabeleciinentos de Caridade, pelo Cirurgiao do referido Hospital
Dr. Luciano Xavier de Moraes Sarment.
CLASSIFICACAO DAS MOLESTIAS.

Ahcessos-----.................
Adenite.......................
Amaurose.....................
Angina tonsillar............
Aneurisma da sub-clavea.........
Anlrazes......................
Arlritc ...............
Ankihjis......................
Ascite........................
Blepharite.....................
Blennorrhagtas-----.............
Bnb&es..................
Calentes vesicaes...............
Cataratas lenticolares............
capsulo lenticulares......
Cancros venreos...............
Cancroides....................
Cancros da tero...............
da man..................
da cxa..................
do penis.................
24
4
i.
K
l
2
2
1
1
2
H
1o
2
9
4
1
18
2
2
i
^
4
Cancros da mama................
Capsulite......................
ContusSes......................
CoDJunctivite...................
Cicatriz viciosa..................
Choroidite......................
Dartros........................
Degenerescencia do tegua10 do penis.
Eczema........................
ElepbaDtiasis das extremidades
a do escroto...........
dos grandes labios
Erystoel......................
Estreitamento da uretra...........
Exostose.......................
Excrescencias syphiliticas.........
Feridas contusas................
> incisas..................
penetrantes do peito......
Fstulas do anus.................
urinarias................
Fractura comminutiva do braco....
2
1
5
6
1
1
1
1
5
12
a
i
2
i
1
4
12
7
2
i
7
1
_
Fractura do terco medio do fmur..
do terco superior da perna.
Gangrena L....................
Glaucoma.............. u .*.....
Hernias ingumaes...............
estranguladas.....
umbelical estrangulada.....
IlypertrophSa e degenerescencia do
clytoris.
Hydrocele.
keratite.......................
Kfsto seroso
Larifigrte n leeros a......
Loucorrheai.............
Lipomas............. ..
Lux ac o c sea psu-h nmera I
> 4o cobitus........
ileo-femural.......
Necrose..........'.....
Nodus ou gottma.......
Obliteracao da uretra....
Orchites...............
.
i v/Stei te...... ........
ran......,........
6 i'himosis.......................
1 Palypo das fossas nasaes.........
2 Phleogmao diffoso...............
2 Prolapsos do recto. ...,.........
1 do ulero..................
Pstulas malignas................
1 Queimadoras....................
2 Stapbyloma.....................
2 Ttano traumtico............
1 Tnmores brosos................
1 bemorrhoidaes.............
2 Ulceracjio do eolio do ulero........
2 Ulceras ationicas.................
1 escrofulosas................
1 pbagedenicas...............
1 psoncas......... *.........
3 simples...................
18 syphiliticas................
1 varicosas..................
i
3
4
1
2
3
1
2
3
I
3
4
3
4
25
6
3
9
47
40
3
342
D. Ephigenia, esposa do Illm Sr. Dr. Joao Pedro
Maduro. '
D. Isabel Archanja Avillar, fllha do Illm. Sr. Joo
Ignacio Avillar.
Juizes bemfeitores.
Os Rvms. padres :
Fr. Nicolao do Bomfiin.
Dr. Maooel da Costa HonoTalo.
Juizas Bemfeitoras.
As Exmas. Sras. :
D. Mara Annnntiada Fefeira PereMi.
u Antonia Lucia Aires.
Julz perprtuo.
U Rvm. padre raestre Fr. Antonio de Santo ADge-
lica Pioenlel.
Juiza perpetua.
A Exma. Sra. D. Claudina MarHnha do Saera-
mento.
Mordomos.
Os Illms. Srs. :
Antonio UemetrioA. da Silva.
Jos Antonio Vierta.
Candido Jo Lisboa.
Benjamim M. dos Anjos.
Marcelino Cleto Ribeiro.
Manee! Antomo de Porci*ncula.
Jadntho Lesbab.
Antonio Calisio.
Mordonas.
As Etmas. Sras. :
D. Ennina Isabel Ferreira.
D. Ofympia Maria Goncalves Castello Braneo.
D. Thereza de Jess Saatos.
D. J. Amalia Ja Silta.
D. Lnlza Ignez da Costa Ferreira.
0. Olindina Leopoldina de Sonta Aguiar.
D. Joanna Francisca de Almeida.
O. Todes tuedes de Mello, tllha do Illn. Sr. Bar-
tnolomeo Guedes de Mello.
Procuradores.
Os Illn. Srs.:
Joao C. Beterra.
Manoel Ramos da Cunta.
fi. Francisco RibMro da-Silva.
Thesoureiro.
Fr. Antonio do Espirito SSnto.
Fr. J. Bapttta do Espirite Santo, goardio.
HXJ3VC
caso Mira
dtiia
Molestia Ulcerosa
Curada.
i- 11
Dos 342 floenles existiam em tratamento 66, entraram 218, sahiram curados 493, melhorados 40, incuravels 22. Pallecerara 29. Existem 58. Foram indicadas
pelas referidas molestias as seguintes
OIKRA^OES,
RESULTADOS
Ablano da Glanndula mamaria.........................
de ara tumor elephantiaco dos grandes labios (4).
do clytoris................................
Am-tacSes.
fd cxa no terco medio......
da perna no terco superior (i).
inferior.....
do penis.................
da m56...................
4
2
2
4
4
do grande artelho.......................... 2
Desarticulagao scapulo humeral (3)
> do grande artelho....
Dilatado de abeessos profundos do perhnerji............>...
>



da coxa..................... 2
da axla............................ 5
do pescoco......................... 4
do escrotb........................... i
do braco........................... 4
da mo............................. I
tan Keratrtenr superior (4)............... 4
R. DA CATARATA* Keratonyxls ^ ,..................._ t
Ectomia de escroto (6),
o
1
RESULTADOS
Talha laleralisada (7).
bilateral.....
Operaco da fistuia do anus.
Reducto delxapesJ^^^;^
lierniotomia........................
I
I
Extirpado d tumores Gbrosos............................ 4
de kistos...........-.............-............ i
de lipomas......-............................. 2
de tumores cancerosos.....................'.----- !
OpracSe da hydrocele.................................. 2
retrotomia............................................ I
Catheterismo.......................................... 7

OperacSo da Phiraosis................................... 4
Paracenthese abdominal................................ .. 4
da cornea.................................. *
K
O
Ligadura da arteria axillar (8).
To^..................
2
73
69
8
fe
oisi>rv \<;oi:*. a
(1) Tumor de 6 libras l.j%.
(4) Falleceu de infeceo purulenta.
(3) Falleceu de ttano traumtico. -, ,
(4) Aba-se contal leseen te e ultimo operado, com a vista perfeitatnente restabelecida.
(5) Apparicae de accidentes secundarios. Todos os meios prodigalisades sao infructuosos. Mo resultado.
(6) 4" Tumor de 6 libras. I'erfeito estado dos testculos que s5o conservados. 2 Tumor de 12 libras. Alteracae dos lesticnlos. Castracao dupla. 3 Tomor de
7 libras %. Os testculos s5o encontradrs em bom e tado, apenas os cordOes aebam-ae alongados. Em todos os casos hatia hydrocele. Nem on accidente semani-
feslou, nem durante nem depois da operaco, curando os tres doentes sem deformidade.
(7) Io Calculo de urna polegada de dimetro e 6 oiiavas. 2o Calculo de polegada emeia de dimetro, circular e deonca emeia.
(8) 1* Operarao reclamada pelas intimas adherencias de um tumor fibroso, que se peria na axilla, e-expunha a referida arteria. 2* Ligadura indicada pela
gravvdade das leses que indicaram posterior mente aamputacSo scapulo-humeral.
A chlorotormisaeio eoosUntemente empregada ainda nao du lugar a accidentealgum.

Ora isto, na verdide, revolta I
k Mida***, ato > mpdrianei*' alguraa :
o sea autor gue quiz principalmente fot prestar
B' BMii< bfnMar m jmso d4eqp|ae esto
por partilhar ha cinco annos, sem que o respectivo
inveatano se imj poda Muir, apezar de
haverem orpholTferdlfo, cmmiem estado o Sr.
Thojfcd on sua aofra na eluposse e usufruc-
to do ioteiro espolio do falleca teu sogro, locu-
plevaodo-se cora o que Ibes *<>erlence por di-
re ; e pretender absmer a fteranca dos mais
n**,'', por trnsacgHi reM-por elle com seu
ciMado com garanta de setUfllro, que j tinha
mate de cera aaoos de idade, ao tempo dessas.
rfBsacgoes.
Bem se v que para isto, .coaxiabaul- esur
sempre bem com o amigo Duarte, que quando
oa* possa ser juiz ero taes pendencias, mflue fa-
voravelmente a ellas, e faz jogo com mitras cou-
sas para se obter bom resultado e, pelo menos,
deile tem medo o escrivo : o l dteo ditado que a
boa ou m demanda, escrivo de tua banda 77.
Est assirn explicada a razio da denuncia que
deu o Sr. Tnom, que iatou pense ter praticado
com isso urna assignalada e celebre proeza, e qne
lodo o mundo o procure connecer para saber quem
seja o oorajoao dwnnneiante do Dr. Derftno ; por
que o Sr. Trime tem dessas velleidades; tanto
que no tempo em que foi nesta cidade simples
inspector de quarteirSo, (quanto mais agora ^oe
chegou a ser subdelegado pof um grande puxo do
progresm,) andava snprando de orgulho, e desva-
necido de sua autoridade. A quadra disto mes-
rao : arredam-se as cadeiras e cbamam-se ai tra-
peras.
Deixe-se de pataratas, Thom : a trra peque-
a e nos nos conhecemos. Mais adianto, vote mes-
mo vai denunciar do Dr:. Doarte, se fr preciso.
Aguarda a sua resposta o
inimigo dos espoletas.
raa.^ >
fllm.. Etms. Srs. depntados provinciaas. O
abano assigrrado conscio dos patriticos sentimen-
tos, que animam e encorajam a Vs Eses, como os
escolhidos d provincia, das dajiberacoes qaevo-
tarem ; coirscio tambem de que nao navera pro-
posito por parte da respectiva commissao da mesa
da assambl'a provincial en matar aspbixiada
qualqner petigo, ou pretenglb as pastas da se-
cretaria, mormente qnando essa pretencio affecta
interesses de utilidade publica e flagrante infrac-
cao da lei, da qual sao Vs. Excs. a mais activa o
vigilante sentinella, vem pedir-Ibes o honroso ob-
sequio de darem deferimento apeticSo, que oabai-
xo assignado dirigi no comego da sesso pausada
a assembla regisatlva provincial a cerca do Ile-
gal c irricte contrato das afericoes deste termo,,
sanecionado pelo Exm. Sr. presidenle Dr. Silveira
de Sobza:
O facto argido merece ser attendido, como es-
pera o abaixo asslgaado e sede aos Exms. Srs.
representantes da provincia.
Recre, tO de margo de 1865.
Joao Bapiista Gomes Penna.
COM MI ICIO.

nrmcigSES a wm
Eleic^o dos devotos que 1io de festejar
Nossa Sen hora das Dor-, no convento
de Santo ABtoaio desta cidade, no anno
.de 1865.
Jaizes por erei?Ie.
Os nhns. Sr. :
Dr. Jorje Dorne*B8 Ribeiro Pssa.
Francisco Jos Cdmpos P mplona.
Juizes por devoco.



Os Itlms. Sr. :
Bento Eleioteriu de Souza.
lieajamin da Cunha Sales,
Wlzas pdr elelclo.
As Exma?. Sras. :
D. 6rri>h>rrorra da Costa Albnqnerqne.
D. Tbereza, lha do Illm. Sr. Flix de Contalfce.
Jnizas por devocio
As Exma. Sras.:
D. Francisca Candida Pereira da Silva, tuba do
Hlrr. Sr. eommendador Jos Franelsco Perefra
da Silva.
l). Maria Isabel Barreto de Barros, esposa de Illm
Sr. alferes Joao de Barros Araojo.
. Escrivaes.
Os Illms. Srs.:
Cosmo Antonio Fnrtado.
Hay mundo Pereira de Siqueira.
Escrivaas por devocao.
Os Illms. Srs. :
Amonio Marques Favtal.
Claudtao Antonio Vieira da^CQfllA.
Escrivies per leiet.
As Exmas. Sras.:
D. Maria Eugenia Mala, espose do Illm. Sr. Anto-
aio Ferreira Maia.
D. Amarinha Amalia da Silva.
Escrivaas por devocao.
As Exmas. Sras. :
D. Amelia Pulquera Pereira do Canto, Alba do
Illm. Sr. Manoel Pereira do Canto.
D. Alexandriua Maria da Cooceicao Monteiro.fllba
do Htm. Sr. Jos de Souza Munteiro.
Jaizes protectores.
Os Illms. Srs. :
Rvm. padre Lino do Monte Carmello.
Rvm. padre Lourengo de Albuquerque Loyola.
Todoe qoelles -qae se achio eujeitos & of-
frer melestias scrofulosas, ulcerosas, ou syphl-
liticae, ainda memo as reputada de peior
atoKoa, apenas neceeaitao de 16r o seguinte
caso maravllhoso. para que se sintSo inteira-
mente couTeneido <]e a sua propria oot,
nBb i 3 merametrte pOBivel mas 0lm absolu-
tamente certa.
JoZo Josfc PntHzatA Barboza, Tesiflente
na Cidade.de Maranbao, tinha todo o mu
eorpo coberto t chagS nlCcTOMg, e durante
algunos annos se acbava debaizo do tratamento
de medico oa maia afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medeoinas que em taes casos empregada
pela faouldade medica, porm debalde sem
obter o menor beneficio oa alivie: achando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolven-
ee, depois de repetidos e baldados esforcos
faaer uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apena* ehegou a tomar Oineo
Oarrants de SaltaparrUha e quatro frascos das
Pfala* VegeUxe* A**uearaia, e o resultado
fci elle obter ma eompieta e perfeifca Cura.
Os Seis. Fkrbkira & Cia., Droguistas de
ManmhHo, foro quem irapprirae os medica-
mentos, e achao-se perfectamente ao facto
d'este caso, e os meemos Senhores, nao s se
ashlo promptos confirmar o mesmo, como
tambem em fomecer o actual adresso do Ser.
Bahboza, toda e qualqner pessoa .< qae por
rentnra se desej informar da verdade.
Becommenda-so mui particularmente aos
Doentes que tenhSo o maior cuidado na escolha
deste excellente remedio, nao usando outro
alo ser a Osnniaa Salsaparrilha de BrfstcJ,
a qual exclusivamente'preparada por
LANMAN&KEMP,
De \OVi YORK,
pois que todas as mais sao inefllcaacs e de non
hum pratioao
Vende-se as boticas de Caors ; Barbse
e C. Bravo & C.
Ao pnMico.
O Sr. ITlom Leab de Castro convenfa-se de que
mui pequeo para nhegar ao que pretende : a
reputacSo do Sr. Dr. Delflno Augusto Cavalcanti
de Alboquetque, como magistrado, nao est a mcr-
c de suas. inveclivas. O Sr. Thom,, lalvez nao
saiba o qne est fazendo, visando smente a satis-
fagaodo seo despeo e o de?ejo de comprazer al-
gnem com sen procedimento : creia que, por este
caminho, val muito mal.
O Sr. Thom apresentou ao trlbunald relacao
uraa'denunria contra aquello magistrado ; por ha-
ver este recebido anteriormente urna otnra denoo-
cia on queixa, qne peraute o seo juizo foi dada
centra elle, por arbitrariedades que commelteu na
, freguezia da Luz, em exercicio do cargo de subde-
legado. Por Isto, e para agradar ao Julz munici-
pal de Pao d'Alho, bacharel Maximtniano Francis-
co Duarte, que ltimamente fui pronunciado e
suspenso, em vlrtnde de processo de responsabin-
dxdo julyado pelo Sr Dr. Delfiua, e de qiem o Sr.
Thom ha collado alguns favores,. apresentoo-se'
esse peito d'aco, que e>tava mettido cm Santa Ro-
za sem ningoem saber-lbe o prestfmo, iovestindo
contra o Sr. Dr. Delflno, a quem, entretanto, o pu-
blico conhece, assim como o Sr. Thom, e su
amigo.
cotaedes offlclaes.
PKAQA DO RECiFE.
11 de mar^ode 186S.
Cambios sobre Londres 90 di vijja S&3/4 i
por 1J0O. '
Jubourcq Jniorpresidente.
Guimaraessecretario.
\ oro banco de Pernam-
buce.
O banco paga o 14 dividendo na razio de 8
por aivao.
\ovo banro de Pernambuco.
O banco descoma letras na presente semana a
12 por cbtoro ao arrnb ar o prazo de seis mezes.c
loma diuheiro a juros a praso nunca, menor da
tres mezes.
Alfandega
Rendimento do dia i a 10....... 71;6*7Jj405
Idemdodia l............... 38.018*415
303:685*829
HovInrrKo da alfandega
Volumesentradoscomfazendas... !m3
(rotn genero'...
954
----- 1:517
Volumessabidoscom fazendas... 173
> > com gneros ... 1,814
-----1,989=
Dosarregam no dia 13 de mar$o de 1865.
Galera fwncezaAficrlia mercadorias.
Galera inglezaHrMionemercadorias.
Brigue inglezBellote Crestmercadorias.
Lugre inglez Lavintaidtm.
Barca ingleia7. O.-ldem.
Barca iegleza-SropAihadem.
Patacho portuguez-Flor de Marta diversos g-
neros.
Patacho inglezErabacalho.
Barca in^leza- Gracefarinha de trigo.
Brigue inglez -Carrie-objectos de ferro.
Barca inglezaJron Gnudem.
Brigue hespanholAgui'/tnocouros seceos.
Barca inglezaContadcarvao de pedra.
Brieue InglezJames Sttcartdem."
Brigue inglezEliziadem.
Patacho inglez Undauniedem.
ALFANDEGA DE PEWMMBL'CO,
Al TA DOS PRECO BOS GNEROS SrWlTOS A DIRIIT0 DK
KXPOIITAr.AO. SEMANA DI 13 A 18 00 HEZ DE
M\BCn DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos.........cente 1*300
Agurdente de cana .... caada 800
dem restilada ou do reino 800
dem caraca.......__ 400
dem genebra......* 890
dem alcoolau espirito de agoa- 900
ardente ........
Algodao em caroco .... arroba 4#375
dem era rama on em la .
Arroz com casca.....
Idera descascado ou pilado a
Assucar mascavado ....
dem braneo.......
dem refinado...... ,
Azeite de amendoim on mende-
bim ........ caada
dem de edeb ..:... >
dem de mamona .... >
Batatal alimenticias .... arroba
Bolacha oidinaria, propria para
embarque ......
dem fina ....... *
Caf bom ....... .
dem escolha on restolho. >
dem torrado...... libra
Caibros........ nm
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarqne) ...
Carneiros ....... nm
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sirnpira rana
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ....
Cha ......... i
Charutos ..."....- cento
Ccvados (porcos)..... nm
Cocos (seceos)...... cento
CDlla......... Kbra
Gouros de boi,. salgadosx.
dem idem seceos espichados
dem idem verdes ....
Mem dem cabra corridos um
dem idem de onca.....
Doces seceos ...... libra
dem cm golea ou massa
, dem em calda .....
Espanadores grandes nm
| dem pequeos ....... >
i Esteiras nara forro de estivas
de rravio.'....... cento
; Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de mandioca
dem de araruta ....
Feijao de qualquer quddade
Frechaes ......
Fumo em tolba, bom .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom '.
dem ordinario ou restolho. .
GalliHhas ......
17*500
1*500
2*600
1*900
3*200
5*120
2*000
1*60
4*600
1*200
3*000
7*000
7*400
6*000
440
360
280
500
3*300
4*006
1*080
8*000
300
300
1*500
2*500
15*000
6*008
600
150
240
10>
350
10*600
1*000
320
500
4*000
2*000
15*000
1*600
alqueire 2*500
arroba
i
nm
arroba

orna
4*000
2*800
5*000
14*000
8*000
8*080
5*000
600
:;

J
..-
i


Alarlo d* rernaftt>ft --* lHr'*MiW*r******&.
Gomma ...
Ipecaeuanha (raz)
Lenha era achas
Toros ....
Lionas e esteios .
Mel ou melago
arroka
>
cento
>
um
caada
oaS
aoFr#cscoTjfercio.
brofft
m
"-:
I

**ooo
- 1000
120
500
20,5000
104000
12000
120
Milho.........mi
Papagaios .......um
Pao Brasil .......quintal
dem de jaagada......um
Pedras de amolar .... urna
Idem.de fiittr-......
dem de raboto .......
Piassava........molho
Ponas, oo chifres de vaccas ou
novilhos.......cento
Pranchoes de amarello de dous
costados .......um
dem de louro......
Rap.........libra
Sabio -.......
Sal...........alqueire
Salsa parrilha.......arroba
Sebo om rama...... *
dem era velas......
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello. .... duza
dem diversas....... *
Tapiocas.........arroba
Tatajuba........quintal
Travs ........urna
Unbasdeboi ......Cento
Vassouras de piassava ... >
Bitas de timb........
Ditas de carnauba..... >
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco, 11 de marco de 1865
(Aisignados):
O 1." conferente, Manoel Celdas Brrelo.
O 2." conferente, Jos Baptisla de Castro e Silva.
Approvo. -Alfandega de Peraamuco, Ude mar-
vererro Je 1865. A. EuUto.
Conforme.0 3. escripturario, Joo dos Santos
Porto.
Hccebedorla de rendas inter-
na* gerae de Pernambuco.
2*500.14 B dita.
J5H000 18 5" dita.
t*000 16 dita.llieardo de Abre Kego, (voluHa
114000 17 6* dita, Geciliaio Germiro Gonftives.
84000 18 6" dita, francisco Bomo de Sene. V.
240 19 7" dita, Antonio Juvencioda Costa.
900 20 7' dita, Joo Floriano Jos de Sant'Anna.
34000 91 7 dita, Manoel Joi Aires Baptista.
5*000 122 7* ditia, Franceli.no Jos Ferretea.
>4000 23 7' dita, Joao Leoncio Teixeira.
800 24 8* dita, Felippe Lourengo Santiago.
' 25 8 dita, Lino Jos de Sant'Anna.
Em 2 lugar :
1 2a companhia, Claudino de Jess Bandeira. .
2 2' dita, Antonio Jos Pereira.
3 2a dita, Lucio Jos Ferreira.
4 2a dita, Joaqaim Jos Ferreira.
5 3* dita, Fraacelrao Marques Damasceno Ferreira
6 3a dita, Miguel Francisco da Hora.
7 3a dita, Manoel Francisco de Mello.
8 3a dita, Angelo Roberto da Paixao.
400 i 9 3* dita, Luiz de Franca Valerio.
54000;io
5*000 <
7*000|2
24W0
1405000
874000
34000
64000
200
104000
85000
65000
500
Rendimento do da 1 a 10.
Jim da 4ia.il..........
21-2525491
1:535*508
Arroz..
22:7875999
PRAQA DO RECIFE
11 DE MARCO DE 1865.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.......Sobre Londres saeceu-se a 27
Vi d. por 14000 sobre Paris a
350 rs. por fr. e sobro Lisboa
de 95 a 98 por cento; montando
os saques effectuados durante a
semana a S 30,000.
Algodao........Vendeu-se o de Pernambuco de
18*000 a 194000 por arroba, o
de Macai, posto a bordo, de
185500 a 194000, e o da Pana-
hvba, tambera posto a bordo, de
194500 a 205000.
Assncar........ Vendeu-se o branco de 35300
a 35800 por arroba, o somenos
de 25800 a 25900, o mascavado
purgado de 25050 a :>*i00 e o
bruto de 14700 a 14900.
Agurdente.....Vendeu-se de 70J000 a 755000
a pipa.
Couros.........Os seceos e salgados venderam-
se a 145 rs. a libra.
.. O pilado da India vendeu-se de
25400 a 25500 a arroba; c o do
Maranho a 35000.
Azeite-dce.....Vendeu-se o de Lisboa a 25400
o galo, e o do Estreilo a 5000
Dacalho.......Vendeu-se em atacado a 135000
a barrica, e a tetalho a 164000;
licando em deposito 11,000 bar-
ricas.
Batatas.........Venderam-se a 24000 a arroba.
iJolaxinhas.....dem a 44000 a barriquinha.
Carne secca___A do Rio-Grande do Sul,"Velha,
vendeu-se de 300 rs. a 25000
per arroba e a nova de 45500 a
55000; e a do Rio da Prata, ve-
Iha, de 14000 25500 e a nova de
45J00 a 4-5500; ieando em de-
posito 27,000 arrobas da primei-
ra, e 2,Oi0 da segunda.
.. dem de 75200 a 85000 a arroba.
,.. Vendeu-se de 4*80(j a 65200 a
duzia de garrafas.
.. A ingiera vendeu-se com 320
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Manteiga.......Vendeu se a ingleza a 880 rs. a
libra, e a franceza a 760 rs. a
dita.
Masas......... Venderam-se de 55000 a 65000
a caixa.
Passas.........dem de 35000 a 43000 a dita.
ueiios........Os flamengos venderam-se a
14400 cada um.
Sabio.......... O inglez veorteu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 120
rs. a dita.
Toucinho....... Vendeu-se a 75803 a arroba, do
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 1005
a 1155 apipa.
Vinhos......... Venderam-se os de Lisboa de
2005000 a 2155 a P'Pa e os de
outros paizes de 1605 a 200*.
Velas.......... As de composicao venderam-se
a 530 rs. o pacote de 6 velas.
Descontos.......O rebate de letras regulou de
12 a 15 por cento ao anno.
Freles..........P*ra Liverpool pelo algodao, V
a T/s por bta 5 %; para o Ca-
nal inglez 40-5 %
dita, Antonio Simplicio Adorno.
dita, Juvencio Francisco Leite.
dita, Justinianno Manoel de Barcellos.
dita, Pedro Jos de Sant'Anna.
dita, Flix Jos de Mello,
dita, Joao Gualberlo Ramos Xavier,
dita, Joao Joaquim do Espirito Santo,
dita, Joao Evangelista Gomes da Silva.
Santa Casa da Misericordia do
E porque todos oaupplicado se acham ausen*
te em lugar nao jabido, sendofiatural que algum
dalles iMha faUido, quor # suppiicanie justifl-
cara aatencia, t faze-los citar, e aos que inters-
sar posea por edjrtos para o#m da ser a prescrip-
gao das referidas letras interrompida nos termos da
primeira parte do 2o do art. 453 do odigo do
commercio.
Pede V. S. Ihe deflra adraittindo a justillcacao
e mandando depois de justificado passar os ediln
seguiodo-se os demais termos de direito.E. R.
MO procurador Manoel Raymundo Penaforte.
Nada mais se continha em dita peticao aqui mu
beni e Belmente copiada, na qual dei o despacho
qne do theor seguiule Justifique no dia 4 do
corrente mez as 11 horas da manha.
Recife 2 de marco de 1865. -Alencar Aranpe. ldil9 gobrado no praso de oito jg^g coudos do
no navegantes.
Pela capitana de porto de Pernamboet) se fax
publico para conhecinrenlo dos navegantes, qne a
boia do extremo do sul do banco do inglez que a-1 reir Azevedo
via sido Janeada praia per Ihe havor arre) rila- Cruz a. 1.
do a amarrago, oi novamente collocada, demar-
cando-lho o pbarol do pico ao O 1/2 N O, e a lor-
Caf ....
Cerveja ..
Louca....
MOYIMENTO DO PORTO
Georgo
Navio sahido no da 11.
LiverpoolBrigue inlez Firsha, capito
Dursiale, carga assucar e algodo.
UbservaQao.
Nio houveram entradas.
Navios entrados no da 12.
Acarac e portos intermedios.8 das, vapor bra-
sileiro Mamanguape, de 337 toneladas, comman-
dante Manoel Rodrigues dos Santos Moura, equl-
pagem 20.
Rio de Janeiro3 dias, brigue-escuna brasilelro
Nao Sci.de 218 toneladas, capilo Francisco de
Souza Velho, equipagem 10, carga fannha de
mandioca e outros gneros; Antonio Luiz de
Olivelra Azeredo & C.
Observarlo.
Nao houveram sabidas.
X9IT1ES.
O coBselho de quallficago da guarda nacional
-da parochia do santissimo Sacramento do bairro
de Santo Antonio do Recife, era observancia das
ordens superiores, tera designado couforme dispSe
os arts. 120, 121 e 122 da lei n. 602 de 19 de se-
tembro de 1850 os guardas nacionaes abaixo men-
cionados para fazerem parle dos corpos destacarlos,
mandados crear pelo decreto n. 3383 de 21 de Ja-
neiro desle anno, o que faz publico para conhect-
mente dos referidos guardas, licando lodos na in-
telligencia de que deverao comparecer no dia e
hora que se Ihes marcar para terem o conveniente
destino e pela falta de compareciracnto iocorrero
as penas do art. 133, podendo os designados dar
ni seu lugar um substituto oas coodicoes do art.
126. E' permitlido ao guarda nacional designado
fazer saas reclamacoes perante este conselho, den-
tro do praso de tres dias, que finalisar no dia 14
do corrente, se porrenlura alguetn julgar prejudl-
cado sea direito.
Sao designados em 1" logar os gaardas nacionaes
do batalhSo de infantana da guarda nacional:
I 1* companhia, Manoel Severiano Duarte.
i Ia dita, Ignacio Manoel de Olivelra.
: 2" dita, Olegario Mililo da Silva,
4 2* dita, Bi-nto Jos da Luz.
5 2a dita, Manoel da Circumsiso Freitas.
6 2* dita, Manoel Florentino Sobral.
7 3a dita, Manoel Agoslinbo Fernandes Vieira.
8 3a dita, Mareolino Jos de Silveira.
9 4a dita, Zacaras Soares de Brlto.
10 4* dita, Joaquim Malaquias Pacheco Jnior.
II 4a dita, Jos Rogerlo Marcelino.
12 4a dita, Joao Baptista de Almeida Penha.
3 4a dita, Eleodorio Acacio Barreiro Rangel.
l:J
14
IB
16
17
18 5" dita, Jos Joaquim de Carvalho..
19 6a dita, Manoel Francisco da Trindade.
20 6a dita, Isidorio Loureoco do Naecimento.
21 7a dita, Manoel da llora do Espirito Santo.
22 8a dita, Eugenio Luiz Jos.
23 8a dita, Torqualo Faustino dos Prazores.
24 8' dita, Jos Faustino Pereira de Camino.
25 8a dita, Antonio Jos Marques da Silva.
Sala das sesses do conselho de qualilicaga, 11
de marco de 1865.
Clautltno Bemeio Machado,
Major presidente.
Jos La Pereira,
Capitao vogal.
Joao Henriques da Silva,
Teen te vogal.
ilanoel Antonio Gonrakcs,
Tenenle vogal.
Manoel Gomes de Su',
Tenenle secretario interino.
A cmara municipal desta cidade, convidada
por S. Exc. o Sr. presidente da provincia para, pe-
los meios ao seu alcance promover o alistamento
do maior numero possWel de cidadaos nos corpos
de voluntarios da patria, dirige-se aos seus muid-
pes neste seutido, certa de que a ninguem cedem
em valor e patriotismo.
Descendentes dos Vieiras, Dias e Camarao, esses
hroes que tanto se ennobreceram pelo seu valor,
amor a patria e a religiao, elles nao desmentirlo
certamente de tao gloriosos ascendentes e correrao
apressados a vingar a injuria feita a honrada na-
;o, nao sement pelo governo do Uruguay, sendo
lambem pelo novo despota do Paraguay.
Este tyrano, sem neuhuma provocaban da parte]
do Brasil, nao s tem aprisionado os notsos vasos
que francamente subiam o rio confiados na f dos
tratados, seuao tambem enviou as suas hordas sel-
vagens para devastaren) os campos e as povoacoes
indefezas da nossa proviacia de Matto-Grosso.
ET a prirasira vez que, depois da nossa indepen-
dencia, urna bandeira estrangeira arvorada em
territorio brasileiro ; e cmo urna lalaffronta nao
pode ser perdoada por nenhutn povo que presa a
sua independencia e soberana; confia a mesma c-
mara qne os Pernambucanos, serapre celebrados
pelo seu valor e patriotismo, correrao a alistar-se
nos batalhes de voluntarlos da patria para repel-
lirem a razao cslraogeira, autoando com enrliu-
siasmo, viva anacao brailelra, viva S. M. imperial
o Sr. D. Pedro II, vivam os Pernambucanos, viram
os voluntarios'da patria.
Paco da enmara inuioidpal do Recife, t* de mar-
de de 1865.Luiz Jos Pereira Simoes, pro-presi-
gonte.Francisco Canuto da Boaviagem, secre-
tarl.o
O Illm, Sr. inspector da thesouraria provin-
dal em cumprhnientu da ordem do Exm Sr. presi-
dente da provincia de 23 do corrente, manda fazer
publico que no da 16 de margo prximo vindouro
perante a junta da razenda da mesma thesouraria,
se ha de arrematar quem por menos Qxer os re-
paros de que precisa a estrada do Porto .de Galli-
nha.-. avahados lera 7485000.
A arrematad ser feila na forma da lei pro-
vincial n. 343* de 15 de maio de 1854, e sob as
clausas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia arima mencionado, pelo meio-dia e
competentemente hal>iliiados.
E para constar se mandou publicar o presente
pdo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de fevereiro de 1865.
O secretario,.
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Clasulas especiaes para a arremacao.
1* As obras dos reparos da estrada do Porto de
Gallinbas sero feitas de confurmidade com o or-
gamento Junto na importancia de 7485000.
2a O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso do 10 das, e conclui-las no
de 3 mezes, ambos contados da data d'arremata-
gao.
3" O pagamento ser realisado em duas presta-
ges ignaes, a primeira quando tiver o arrema-,
lante feilo metade das obras, e a segunda quando
tiver concluido todas as obras c entregue dilinitiva-
menle.
4a Para ludo mais que nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamento de 9 de julho de 1864 que re-
ge esta repargao.
Conforme.
* Antonio Ferreira d'Annunciago.
A cmara municipal desta cidade nao poden-
do ser Indifferenteagrave sluagao em que seacha
o paz, proveniente dos ultrages fetos pelos assas-
sinos de Montevideo e selvagensdo Paraguay, con-
vida a todos os seus municipes para comparecerem
no dia 12 do corrente, pelas 10 horas da manhaa,
no pago da mesma cmara, afim de tratar-se do
alistamento de voluntarios da patria, c cstabeiece-
rem-se os meios e fundos necessarios para soccor-
ro e protecgo das familias dos mesmos, auxlian-
do-se por este modo ao governo no patritico e
iouvavel empenbo de defender a honra e integri-
dade da nago brasileira.
Pago da cmara municipal de Olinda em sessao
de 4 de margo de 1865.
Jeaquim Cavalcanti de Albuquerque
Presidente.
Mareolino Dias de Araujo
Secretario.
O Dr. Tristo de Alencar Aranpe, oBcial da im-
perial ordem da Bosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, per S. M.
I.eo Sanhor D. Pedro II quem Dos
guarde.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que por parte de Joaquim
Rodrigues Tavares -de Mello me foi dirigida a pe-
tigao do theor, forma, moda e maoeira seguirte :
Illm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio.Diz
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, negociante
estabellecido com loja de fazendas na ra d* Quei-
made n. 39, que para o fim de mterromper a pres-
cripcao contra seus sejfuintes devedores; a saber :
Jos Lourengo de Medciros Muniz da quantia de
605410 por letra vencida em 15 de Janeiro de
1861, Alberto Jacintho de Souza da quantia de
2560295 por letra vencida em 2 de julhe de 1857,
Jos Joaquim de Ollveira da quantia de 1495540
por letra vencida em 15 de dezembro de 1860, An-
tonio Manoel Lages da quantia de 3464820 por le-
tra vencida em 1 de maio de 1860. Antonio Fran-
cisco Vieira da quantia t 1:0694i90 por letra
vencid em 26 de anril de 1861, Joao Antonio Pe-
reira Ramos da quantia de 6V25930 por letra ven-
cida em 13 de julho de 1860, Antonio Lobo Alber-
tina da quantia do 1614500 por letra vencida em 2
de Janeiro de 1861, Manoel AfTonco de Azeredo
Albuquerque da quantia de 5:2789450 por 5 letras
da importancia de 1:0555690, vencida a primeira
em 22 de novembro de 1861, e as outras subse-
Suentemente de 4 era 4 mpzes, Manoel Jos de
ouza Lima da quantia de 3865778 por letra ven-
cida em 10 de julho de 1860, o sobredito Alberto
Jacintho de Souza da quantia de 1965280 por letra
vencida em 10 do margo do-1857, Joaquim Baptis-
ta da Silveira da quantia de 3275900 por letra
vencida era 14 de dezembro de 1861, Jos Duarte
Correia de Bulhes da quantia de 36O4000 por le-
tra vencida em 14 de margo de 1862, e o mesmo
Manee! Jos de Souza Lima por outra letra da
quantia de 3865788 vencida no de fevereiro de
1861. sommando tudo a importancia de res
9:4624901.
Aviso
Recife
IllraJ junta administrativa da Santa Casa'de
Misericordia io Recife manda fazer publico, de
conformidade com as ordens do Exm. sr. presiden-
te da pruviucia, %ae no dia 16 do corrate, pelas
4 horas da tard, na sala de suas st*sft;s, tem de
ir a praga por tayo de iave aoaos o arraada-
mento do sobrado n. 63 publico e 15 particular, redoseauoario de Olinda ao ir 1/2 A O, rumos
sito na ra da Cadeia do bairro de 9. Frei-ffedro i magnticos, e em fundo de 5 braeas, exactamente
Gongalves.e pertencente ao patrimonio de orpoSos, aoe termina pelo snl o Recife qne lrma o banco
servindo de base para a arrematagao a quantia de ngilez. Capitana do porto de Pernambuco 4 de
1:0005 pela renda annual, oferecida por Olfmpio. fevereiro de 1865.O secretar,
Ferreira da Silva e Antonio da Silva Ferrehra Ju- Decio de Aquino Fonseca.
mor, licando o arrematante obrigado a fazer no | ArvetnatO.c/0
, dils sobrado no praso de oito mezes, contados do i ._, ,. ,. M .
E mais se nao continha em dito meu de5pacho ^ da arrematagao, e sem prejmzo da respectiva! Fnda a agencia do da 13 do corrente, do jui-
aqui transcripto, depois do qual se va a replica rreada( OT untxa a que sob" estas condicoes se zo de ornaos, escrivo Gmmaraes, a requerimen-
do theor seguinte : SUJtila 0 offerente Ferreira Jnior, e que consta'Xo Jnta administrativa da Santa Casa da Mise-
Illra. Sr. Dr. juiz do commercio.O snppllcante da clausula especial abaixo transcripta icor(j,a ao Recife, sera arrematada de renda, ser-
vara requerer a V. -S. se digne raaadar que o es- j 0. p^o,,^^ devem comparecer acompanha- ?*> lebase a quantia de 4034412, urna parte do
envao Manoel Marta tome por termo o protesto do d0J de S(JUS fladores ou mUnidos de cartas destes ^"a''0 ae u andar e sotao, silo na ra de ilor-
suppcante para a p-escripcao que trata a presen-: (jue flcam res,)0nsav'es nelo inleiro cuinnrimeaio i las> freguezla de Santo Antonio desta cidade, ava-
le pego : pelo oue espera E.R. M.-Oprocurador, Jo contrato? cumpnraenio |jada du pme em mm9 dedUzida esta de
Manoel Raymundo Penaforte. Clausula especial 4:0005 por quanto foi avahado o dito sobrado, a
Nada mais se via em dita replica aqni transcrip-. pcar reooear e guarnecer toda a Trente e oitao ^na' par,e petencente a Anna Rosa das Mercs
la na qual dei o seguinte despacho. I substitu'indo por cornija o telhado, que cobre a va- !1 zeres, que se cha recothida ao hospicio dos
Sira.Recife 3 de margo de 1865. Alencar randa da frente alienados, e ra a praga a referida parte para sa-
Araripe. i ,,or varaB(Ja de ferro na frente da casa em lu- *,*C* dos amentos da mesma aleada.
Nada mais se va e mostrava em dito despacho da de J0 nhXeDXe cortando os cachorros de Arrematada.
SrUWraca'dSeamuae.foer^ImS^^SbS- ^V^ efinnm "3'8 CUrl0S'- Na praga do ju.ze de orphaos do draHdocer-
da ao escrivo rtl P'hiifo K Maril fues Fecl,a. uma P0"3 cx,stBnIe n oila. JunlS aes* rente. dePois daaudiencia, tera de se arrematarem
SSfJSSSffiara^^Qiodfro* ^,na. a,Jllo outra com portadas de pedra no dous escrarcs.sendo uma escrava de todo servigo
in ,t?n!nr JlLff P mesmo oftao P0F ba,x0 da varanda do P"me'ro e com habilidades, c o escravo perito refinador de
Aos 3 de marco de 1865 em meu cartorio com- ""!& iassoc,r- e Ia*tem e'lado al Presente en>P"fe'a
aos j oe margo at 1B05, .em meu cariorio com Abnr ^^ t prime ro andar e no fue o do, anhamto 255 por menjus nuaes vao praea a
pareceu o suppl.cante por seu bastante procura- do e|tSocom {'aranda fmo> igual as dnas qne re^erim(>nt0 (,e Narciso SS da Costa PerdraW
existem, e qne corresponda oulra pona do pavi- seu procurador bastante Flix Francisco de Souza
ment terro^fechando no mesmo correr dessa Magalhes, como tutor dos menores fllhos do falle-
perta do primeiro andar ama janella. cido Jos Francisco de Lima.
Collocar varanda de ferro err. uma porta do so-' _
Par o Rio de JamJi o
pretende seguir com muita brevdade o brigue es-
cuna Jopen Arihnr, tem parte de seu rarregamon-
to eagajatiP : para o resto .que Ibe falta trata se
comossens consitrnaiarlos Antonio Lui de Oli-
C., no seu escriptorib ra da

dor Manoel Raymundo Penaforte, e por este foi
dito perante raim e as testemunhas infra assigna-
das que reduzia a protesto o contedo de sua peti-
gao retro, a qual ottreceu como parte do presente
que Oca sendo, no qual depois de litio se assignou
com as Indicadas testemunhas: en Manoel Silvino
de Barros Falco, escreveole juramentado, o es-
crerieu Manoel Mara Rodrigues doDfascimsnto,
escrivo o subscrevi.Manoel Raymundo Pena-
forteJoao Caetano de AbrenManoel do Nasci-
menlo Paiva.
E mais se nao continha e nem alguma oatra
cousa mais se declarara em dito termo de protesto
aqui mu bem e fielmente copiado e transcripto.
E tendo o supplicant produsido suas testemu-
nhas, sellados e preparados os authos
minha conclusao, e nelles dei, profer e publiquei
a sentenga do theor, forma, modo e maneira se- j
gointe.
Proceda a justificagao ; e havendo por justifica-
da a ausencia dos supplicados, mando, que sejam !
citados por editos de 30 das para o fim requerido
a Tolhas 2.
Recife 4 de margo de 1865 Tristo de Alencar '
Aranpe.
tao que Oca no oito, pondo os cacharros qne Tal-
tam, encartando os que existem, e detnoliudo o
telhado que cobre esta varanda.
Collocar eaixilhos reitos de madeira do amarello
em (odas as portas e janellas de andar e sotao,
que os nao tiverem, concertar os existentes e re-
! parar todas as portas, pondo-fhe boas forragens e
fechad uras.
Reparar o soalho do primeiro andar e sotao on-
de for preciso.
Rebocar internamente o predio onde se tornar
" ; neoessario, e ladriihar de novo o pavimento terreo
TIIEA.TKO
i"
com alvenaria batida na parte qne no de pedra.
Concertar a coberta do toda a casa, e a escada,
finalmente caiar e pintar o predio.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife. 10 de marco de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Ceeselho do compras navaes
Contrata o conselho no da 1S do correte mez,
E mais se nao continha e nem alguma outra |
cousa mais se declarava e mostrava em dita sen- sob as condiroes do eslylo, e por lempo de tres
tenga aqui transcripta, por forga da qual, o refer-': mezes, lindos em junho prximamente vindouro
do escrivo fez passar a presente, pele qoal cha-
mo, intimo e hei por intimados os referidos sup-
plicados, para que dentro do indicado'praso com-
paregam neste juizo, alim d allegarem o que fer
de justiga.
Portanto qualqtrer pessoa, prente, amigo ou
conhecido dos mencionados supplicados podera fa-
zer-lhes sciente de ludo quanto fica dito.
lavagem de roupa dos estabelecimentos de marnha,
e o forneci ment a' estes e aos navios da armada
dos segulntes objectes de fardamento :
Para os aprendizes artilices.
Bonets de uniforme, bonets para o servigo, Mu-
sas de brim branco, blosas de algodao azul, caigas
de brim braned, ditas de algodao azul, ditas de
panno azul, camisas de algodozinho, cobertores
E para que chegue ao" conhecimento de todos de laa, colchas de algodao, colcbes de linho cheios
mandei passar editaes que sero publicados pela de palha, fronhas de algodozmho, frdelas de pan-
imprensa o afiliados nos lugares do costume.Re- no azul, lengos de seda preta para grvalas, len-
cife 8 de manjo de l86. ges de algodaozinho, sapatoes feitos no paiz,sac-
Eu .Minad Maria Rodrigues do Nascimcnio, es- eos de guardar roupa.e travesseiros de linho cheios
crivo o subscrevi. de palha.
Tristao de Alencar Aranpe. Para os lmperiaes marinheiros e aprendizes dilos.
O Ilhn. Sr. inspector da thesouraria provn- | JioneU de paaao azul, camisas de brim braBeo,
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre- | caigas de algodao azul, ditas de brim branca, dilas
sidente da provincia de 4 do oorreute, manda f izer de panno azul, camisas de algodao azul, fardetas
publico que no dia 12 de abril prximo vindouro, de panno azul, lengos de seda preta para grvalas,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria sapatoes feilos no paiz, e saceos de lona de mari-
nhagem.
Par* os fusileiros navaes.
Buffets de chapa e palla, caigas de brim branco,
ditas de panno azul, camisas de brim branco, fr-
delas de panno azul, Tardas de brim branco, gr-
valas de coare de lustre, polainas de panno pretc,
e sapatoes fetos no paiz.
E convida o conselho aos qne pretenderem esses
contratos a' a presenta reaa-se com snas propeslas
em cartas fechadas no referido da 18 de corrente
mez ate as 11 horas da manha.
Salado conselho de compras navaes, 11 de mar-
go de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos \njos.
No dia 15 do corrente mez, a 1 hora da tar-
de, na sala das audiencias, se ha de arrematar em
Os reparos da ponte de Guianna na importan- praga publica do Sr. Dr. juiz municipal da 2a vara,
3 2:2005000 sero feitos de conformidade com escrivo Baptista, por arrendaraento, o trapiche
orgamento approvado pela presiden- denominado do Cuoha, na ra da Moeda, com
frente para o largo da Assembla no bairro do Re-
s ha de arrematar a quem por menos fuer os re-
paros de que ppeojsa a pantisd.-i lijtanna, avahados
em 2:2005000.
A arrematagao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausula especiaos abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
tjao compaTecam na sala das sessoes da referida
junta nodia cima mencionado pelo mino dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de margo de 1865.
Q secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Clausulas espedaes para a arrematagao.
1
cia de
o respectivo
cia.
2a O arrematante dar comego aos trabalbos no **>. avahada por 1:1005 por'anno, por lempo de
praxo de 15 das, e os coucloir.Bo de tres mezes, ,res anuos, que importa 3:3005, licaado o aunun
contados ambos na forma da lei. ciante obrigado a prestar flanea idnea e a pagar
3a Os pagamentos sero feitos em duas presla-te" qoartel TdaeMos; a jreqderlinntg
roes e iguaes, a pn
Ude da obra, e asegnndaOepois de concluidos to-, ""? JTO."ifu"l.a- .. .. .
dos os trabalbos ~ HoJc as li horas dod,a' Ba sala Publica "as
4a Na execugo dos Irabalhos o arrematante se-! audiencias, logo que Andar a audiencia do Sr. Dr.
gur restrictamente as Instrucgoes do eogenhero luiz do commercio, serao arrematados 4 gigoscon-
encarregado da flscalisaco dos trabalhos. i eodo 1,700 canudos de vidro, avallados a 100 rs.
5a O arrematante farentrega ao engenheiro dedada um, penhoradosA Justino Antonio Pinto por
toda a madeira velha que ficar da ponte e pelos ex- ecucao de Antonio Joao Ramos, esenvao Paes de
travios ser o respoasavel at que elTecluc a dita! Andrade ; seno que dita arrematagao deixou de
j ter lugar no da b do corrente mez por nao ter
sido citado o execatado na qualidade de deposi-
ta> io.
Pela subdelegada da Varzea foram appre-
hendido< dous cavados, sendo un alaso escuro e
outro castanho : quem se achar com direito a el-
les eompareca neste juizo munido de seus docu-
mentes pira Uw sena ontregues; O subdelega-
do Io supplente em exercicio.
Para o Porto pela llha de S.
O veFMro e bem eonhecido brigoe nacional A-
nulia prebende seguir com omita brevidae, tem
parte do sea carregamenlo engajado, para o resto
que Ihe falta e passagelros, para os quaes tem ex-
cellentes comraodos : trata-se eom os seus consig-
natarios A. Luiz de O. Azevedo 4 C. no seuesenp-
orio na ra da Cruz n. 1,
COMPAN/tfA PELN'AMBl'CANA
DE
Navegaco costeira por vapor.
Aracaj 6 e "escalas.
O ;vapor Parahyba, comman-
dante Martins, segu no dia 1% do
crreme as 6-hora < da tarde. Re-
Icebe carga at o dra 1S ao meio
'dia. Encommendas, passageiros
s dinheiro a frete at 2 horas da tarde do da da
aahiila : esrriplorio no Forte do Mattos n. I.
Para Lislm
S. ISABEL
EMPREZA COIMBRA.
O emprerario tem a honra de fazer publico, que
vai comegar os seus trabalbos do corrente anno,
tendo organizado urna companhia dramtica, espe-
rando augmenta-la de maior pessoal, que para isto
deu j todas as providencias necessarias.
. As pessoas que quizerem ser assigoantes tanto
de camarotes como de cadeiras, tenham a bondade
de sedirigirem ao escriplorio do theatro.
As assignaturas sero feilas sob as mesmas
condices do anno passado.
I Uci'itn.
TERCA-FEFRA 44 DE MARCO DE 1865.
Da de grande, galla.
Em soleiiiuidade ao natalicio de Siu Mageslade
a Imperatriz.
Logo que o Exm. Sr. presidente da provincia,
tiver chegado tribuna, a orchestra executar o
hvniQo marcial de
PAYSAXDl"
depois ahrir-se-ha a scena e perante as efllgies
de SS. M.M. II. a companhia cmara
mm saciosal.
Seguindo-se pela primeira vez neste theatro a
representagao do excellente drama em 5 actos,
producgfio brasileira do Dr. Agrario de Souza Me-
nezes, denominado :
OS 1ISER kVEIS.
Pretende seguir com muita brevidade a barra
portugueza Hennqueta, tem parle de seu carrpga-
mento prompto : para o resto rrafa-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Olivelra Azevedo &
C, no_sc_u escriptorio rea da Croz b. .
Rio de Janeiro. -
O brigue Trovador segu com brerdhdt! e rece-
be alguma carga a frete e escravos : ir..a-.-e con
os consignatarios Margues, Barros & C._____
Para Lisboa
pretende seguir com toda a brevidada o patacho
portoguez flor de Mana por ter a maior parte da
carga prompta : para o resto e passageiros trata-
se com o consignatario T. de Aquino Fonseca ta-
nior, na travessa da Madre de Dos d. b, primevo
andar.
LEUOES.
Leilo
PEOSONAGFAS.
Fausta. .
Christina. .
Eugenio Alvares.
Severo, typographo.
ACTOflES-
D. Eugenia.
D. Camilla.
Lisboa.
Coimbra.
Vicente Ferrer.....Porto.
Prxedes.......Germano.
Gonzaga.......Guimares.
Macrobio Curvello.....Santa Rosa.
Afra. .....D. Jesuina.
O padre Salyro. .... Coelho.
Braulio.......Teixeira.
Damas, convidados, criados*etc.
No intervallo do 1" ao 2o acto a orche-stra exe-
cutar a nova schotischAS FLORES D'ALMA
composicao do mestre Colas Filho.
Cs bilhates achara-se a venda no lugar de cos-
tume.
De diversos ojeos de dislHago, bem cotn
pipas, qoartolas, ancoras, tinas grandes, l>:,tija:..
garrafas, frascos de bocea larga e estreita, garra-
fes, mesas grandes e pequea?, papel de filtrar,
armago, e niuitas outras cousas que se veudero
em um ou mais lotes a vontade dos compradores
e por todo e qualquer prego.
Martins far leilo por conta e risco de quem
penencer dos objectos cima, na ra do Aragao-
n. 21, segnnrta-feira 13 do corrente as II horas.
Lei lito
De 10 barricas com manteiga ingleza e3 potesMe
salames.
Terga-feira 14 do corrente, as 10 horas.
Cordeiro Simoes far leilo por conta e risco da
quem pertencer dos gneros cima mencionados
cuja manteiga propna para padaria: lellaoae-
r elTectuado no armazem do Annes.
Leilo de uma taberna.
Cordeiro Simoes requerimento dos cura
fisraes da massa fallida de Antonio Alves Vi
e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
mercio, far leilo dos genero?, armago e ut
lios da taberna, ra da Gloria n. em um
mais lutos, a vontade dos prelendentes.
Qoarta-feira, 15 do corrente, s W horas
manha.
de Maria
mais herdeiros
respoasavel ate que
entrega.
6a O arrematante nao ter direito indemni.-a-
go alguma, qualquer que seja a natureza da alle-
gago, para esse ttra fizer.
Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 4 do corrente," manda fazer
Francisco Solter de Figueiredo Castro.
Manta Casa da Misericordia do
Recife.
A Illm." junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia-do Recife manda fazer publico que
no dia 16 do corrente pelas 4 horas da tarde na
sala de suas sesadas tem de ser arrematado o for-
nucimento dos gneros que houvor de consumir,
nao s os estabelecimentos de caridade como tam-
bem os collegios de orphos no trimosirc de abril
a junho prximo futuro :
Estabelecimentos de caridade.
Manteiga franceza. libra ; tapioca, idem: caf
em grao, dem ; assucar branco em torro, arro-
ba ; assucar refinado, idem ; assncar refinado se-
gunda serle, dem; arroz pilado do Maranho,
idem; bacalho, idem; toucinho de Lisboa, idem;
sabo amarello, idem ; velas do carnauba, idem ;
velas de spermacete, masso do 1 libra ; farinha
Ia Os reparos da ponte de Bojary na importan- de mandioca da ierra, alqueire ; feijo mulalinoo,
ca de 3305000, serao feitos de confonni Jad* com alqueire ; vinbo tinto de Lisboa, caada; dito
o respectivo orgameuto approvado pela presiden-. ^anc0( caada; agurdente branca, caada ; vi-
da, nagre de Lisboa, caada ; azeita doce, caada ;
2a O arrematante dar comeco aos trabalhos no i[a prazo de 8 dias e as condmr no de 30 das, con-' ca carne verde, libra ; pao e bolacha, libra.
lados arabos na forma le. I Collegios de |orphos.
3a O pagamento ser feitoem uma s prestagao | Assncar refinado, libra ; caf em gr. dem
publico, que no dia 23 do mesmo, perante a junta
da fazenda da raesma thesouraria, se' ha de arre-
malar quem por menos fizer os reparos de qno
precisa a ponte de Rujan sobre o rio Tracunhem
avahados em 3305000.
A arrematagao sr feita na formada lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas qua se propozerem a essa arremata-
gao comparegara na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado, pelo raeio dia e
competentemente habituadas.
E para constar se mandou publicar o presento
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de margo de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Clausulas especiaes para arremaiaco.
depois dos trabalhos concluidos.
4a Na exeeogos dos trabalhos o arrematante se-
guir restrictamente os instrucgSes do engenheiro
encarregado da fiscalisago dos mesmos tra-
balhos.
5a O arrematanle nao ter direito a indemnisa-
g8o alguma, qualquer que seja a natureza da alle-
gago, que para esse fin fizer.
Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
DECLigOES.
Leilo
De 2 mobilias de Jacaranda, 1 dila de amarello, t
guarda vestido do amarello, i do de moguo, t
cofre de ferro, 1 mesa elstica, 1 machina para,
costura, 2 cadeiras de balango, 1 sof, 12 cadei-
ras de faia, 1 marqueza, 1 cama franceza de
amarello, 1 dita de mogoo, 2 aparadores, 1 cora-
moda, 1 bergo, 2 cabides, e de oulros muitos
objectos.
Quarta-feira 15 do corrente, s II horas.
Cordeiro Simoes far leilo dos objectos cima
mencionados por tonta e risco de quem perlencer.
Ser effectuado o leilo ra da Cruz n. 57.
Leilo de doas machinas a vapor
Sendo:
Uma portavel, forca de 14 cavallos, sobre rodas
com caldeira patente e todos seus pertences.
Outra flxa e orisontal, forca de 12 cavallos con
caldeira e mais pertences.
Terga-feira 21 de margo, em frente a
Associago Commercial.
O agente Pinto fara leilo por conta de quera
perlencer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engenho, as quaesse tornam
recommendadaspela sua perfi-igao e par serero,
dos melhores fabricantes de Inglaterra, os preten-
dentes podero desde ja" examinarem ditas ma-
chinas para o que podero entendei cm-?c rom o
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
AOS 6:0001000.
Sabliado 18 do corrente mez, se extrahi-
ra a Ia parte da Ia lotera (9a) a beneficio
das obras da igreja de Nossa Sonnora do
Amparo de Nossa Senhora do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilbetes, meios e quarles estn tren-
da na respectiva thesouraria ra do Cres-
po n. 15.
Os premios de 6-0000000 at 10*000
serao pagos urna hora depois da extracr/o
Calva filial do banco do Brasil
en Peroawbueo,
ii'c neiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredores de sebastlao Jos da Silva a virera
receber do thesoureiro da mesma caixs o que em
raleio Ihes toca da venda de uma das propieda-
des, quesegundo aconcordata.lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nones Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respee
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22.* di*
videndo de 10 por aegio.
O guarda livros,
Ignacio Nuncs Correa.
manteiga franceza, idem ; arroz pilado do Mara-
nho, dem ; batatas, dem ; aletria, idem; pao
bolacha, idem ; toucinho de Lisboa^ dem ; fari-
nha de mandioca,alqueire; feijo, dem ; azeitc
dore, garrafa ; vinagre de Lisboa, idem ; sal, cuia-,
lenha em achas, cento.
As propostas devem ser apresentadas em cartas
fechadas, devendo ser especiaes ja para os estabe
lecimentos de caridade e j para os collegios de
j orphos; sao Umbem aceitas propostas somente
' para a carne verde e para o pao e bolacha.
Os prebndenles po-iem dirigir-se a esta secre-
tarla as horas de seu expediente, adra de colhe-
'rem as infermagoes, que julgarem precisas e no
i acto da arrematagao devem comparecer acompa-
nhados de seus fiadores ou munidos de cartas
desles que (Icario respoasaveis pelo inteiro cum-
primento dos respectivos contratos.
Secretaria da .Santa Casa da Misericordia do
Recife 10 de margo de 1805.
O escrivo.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Aviso aos navegantes.
l'ela capitana do porto de l'emambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que no
da 18 do corrente foi novamenle cclloeada, e ua
mesma posigo, a boia que marca o termo des
batios de Olinda ; e a qual havia sido arrojada a
praia por Ibe haver tallado a amarra.
Capitana da porto de Pernambuco 18 de feve-
reiro de 1865.O secratario,
Decio de Aquino Foaseca.
AVISOS MARTIMOS.
Maranho
O palhabote Garibaldi segu para Maranho por
estes dias, recebe carga : a tratar com Tasso Ir-
raos^______________________^_________
Cooopaahli das Mensageries
Imperialis.
At o da 16! mesmo agente era seu escriptorio ra ua Lruz nu-
do corrente Bel mero 38.
esperase da Eu-
ropa o vapor fran-
cez Navarre, o
qual depois da
demora do cos-
tume seguir pa-
ra Bahia e.Rio
de Janeiro
Paracondigoes, freles e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.____________
"PARA O
Rio de Janeiro
segu com muita brevidade o patacho brasileiro
Pluto, o qual recebe alguma carga e escravos a
frete : a tratar no escriptori* de Amorira Irmos,
ra da Cruz n. 3, ou com o capito Joaquim Jos
da Motta, na praga do commercio.____________
~~^^BHSA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
At%dommaaaaCa0erSlos 2K at asVhoras da tarde/e os outros depois
da distribuicaodas lisias.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespe-ra da extraeco
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CASA DAFORTOi
Aos 6:000^000.
Iiiihctes garantidos.
A' UA DO COKSPO N. 23 E CASAS DO COSTt ME.
O abaixo assjnado vendeu nos seus muito feli-
zesbilhetes garantidos da lotera que. se acaboa
de extrahir a beneHcro da Santa Casa de Miseri-
cordia, os seguimos premh59 :
Dous quartos n. 3227 com a sorte de MtOQOfOOO
Um quarto n. 1383 com a sorte de fchOOfiOO.
m bilhele inteiro n. 2299 com a -sorle de 800*.
S outras muitas sortes de 200*, 100*, 40* e
203000.
Os possuldores podem vir recebe* seos respec-
livos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna rha do Crespo o. 23.
Acham-se a venda os da 1- parte da Ia lotera
beaefieio das obras da igreja de Xossa Senhora
de Amparo de Olinda, que se exlrahira no dia 18
do crtente.
PREGO.
Bilhelos. ". 7*000
Meios......3*500
Qnartos.....1*900
Para as pessoas que compraren* de 100?>000
para cima.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Martins PlDZA.
no Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde jrecebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete atoo dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, roa da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.__________
"companhia brasileira
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do snl esperado
at o dia 14 do corrente um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desdo ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete atoo diada sahidas 2
horas, agencia rea da Cruz n. 1 escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
na
Navega^o cosleira por vapor.
Iria de Fernando de Noronha.
No dia N de margo prximo,
as tO horas da manhaa seguir
um dos vapores da companhia,
,para o presidio do Fernatdo. Re-
'ceber carga at o dia 13. Encom-
mendas. passageiros e dinheiro a frete at 9 horas
da manha do dia da sahida : escriptorio no For-
te do Mattos n. 1.
Para Lisboa
pretende sahir em poneos dias o patacho portuguez
Jareo por ter a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouco quo Ihe falta trata-se cera os consigna-
tarios Palmo-ira & Bellro. larga do orpo Santo
o. 4, primeiro andar. -



Deseja-se saber onde mora
da Silva ou suas filhas a negocio
deve ialerossat.
Antonio Xavier
que muito toes
-s~;
[li r,#%i #r-
i


Diarlo de rernaMbueo .- segunda fcira 1S tfe Mareo de I8tt&.
Encanamento d'agua. Salitre
Precisa-Se de uma pesSOU que Saiba i -Na roa do Queiraadqn. 37, Jeja de ferragens, de
concertar caca na mente Tapa de ca- H!?!igos.,Jos F,eIrei", Guiu,ar>s. venden sai-
tas particulares; a tratar na livraria
ds. 6 e 8 da piac da Indepeideocia*
O conselheiro Francisco dePaula Bap-
tista continua em sua protissao de advoga-
do em sea escriptorio na ra d, s Trinchei
ras. primeirq andar da casa n. 49, aonde
poder >er procurado desde as 10 horas
do dia at as 3 horas da tarde.
Vende-se os compendios de herme-
nutica juridica, e de theoria do processo
civil reunidos emum s lhro, na loja de
livros de Nogueira, e na casa de residencia
do autor dos ditos compendios, o conselhei-
ro Paula Baptista-na ra do Hospicio n. 31,
ou em seu escritorio na ruadasTrinchei-
ras n. 19.
GJiOO a arruba s a diuheiro.
OsSrs. acadmicas que vo matricularse
no terceiro atino da Faculdade de Direite, podem
dirigir-se a ruada Saudade o. 9, frooteira a do
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil aias 9 horas da raanha, e das 4 al
as horas da larde. t
Tinturara
Na roa Direita n. 116 conlinua-se a Ungir para
qualquer cor, e o mais barato possivel.
Uraude armazeni de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos uleosis e os maisempregados
e usados na pharmacia,pistura,photographia.tln
turara, pyrotechinia(fogosdeartificie) e em outras
industrias.
Mentado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente :ias principaes drogaras de Pars, Lon
dres, Uamburgo, Anvers e Lisboa, pdeofTereceer
producosle plena conQancae salisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e aretalho, por presos
razoaveis.
Prvidos de machinas pappropriadas satisfar
eom promptldao qualqnsr pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidade e. pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazercom aquellas que sao importadas,
e que se enconlram no mercado emlatasfechadas.
Tem grande nollecco de vidros de differentes
formatos, desde uma oitava at dezeseison^as de
capacidade ; de vidros para vic-ra^as e diamantes
para corta-Ios; depinceis para fingir madeiracom
propriedade e outros; de papis dourados epra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo ja feito; de papel alburr.inado e Brisul
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
clarificado, oleo de oielet, secativode Harlim.ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lbas de varias cores; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em lubos e
telas para retratos; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim,bergamota, aspice, patchouly,mbar,
boiiquet.limo, alearaiva, melissa, ortela pimenta,
lonro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que scom a vista poderaoser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e liba de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escri|)-
torio de Carvalho e Negueira.
A ttengo,
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico e a todos os senhores offlciaes do exer-
cito e da marinha que contina a ter sua casa sor-
tida de fazendas e roupas feitas, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
[ti bachurel Jos Baptista (iiiirauaj
" advoga nos termos do Bonito e Caroar.
Pode ser procurado na villa do Bonito,
ra Direita n. 16, defronte da cadeia.
Precisa-se alugar um escrvo para todo o
servieo de nma casa de familia : na ra da Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar.
Precisase de um criado estrangeiro, borneo
peiro, e que afiance a sna boa conducta : na ra
do Imperador n. 29.
Precisase alugar uma ama que saibabem
cozinhar.e sirva para comprar para uma casa de
duas pessoas : na ra da Irnperatriz n. 34, primei-
oo andar.
A ttenco.
Na curtnme da ra Imperta! n. 191 precisa-se
de trabaihadores forros ou escravos, com tanto que
sejam pessoas robustas. ___________
RIJA LBtCiA DO
Rosario n. 3 9.
O proprietario do hotel Traviala, achando-se de
novo em seu estabeleciment, e tendo feito nelle
muitos melhoramentos, convida a seus mui disiinc-
tosfnguezes, qoesedfgnem de honra lo comsuas
presentas ; offerecendo-selhes para remetter co-
mida as suas casas com leda promplido e asseio
pelo preco mais commodopossivel: no mesmo es-
tabclecimento ha buhares, sorvtee refrescos.
Consultorio aedico-eirurgic na ra larf a ie.
(osario i. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, continua em o exercicio de sna irofisso
nao s na parte medica como tambero nacirur-
****** ********
m O bacharel
francisco Augusto da Costa M
ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
*
8
Aulonio-Luiz de Oliveira Ameno &C
Agentes do banco Uniao do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo bancopara o i'orto e
Lisboa e para as seguintes agencias :
Londres sobre Bank ofLondon.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cadis
Sevilha
Valencia
FrdricS. Ballin & C
> Joo Gabe & Pilho.
Francisco Rohala & Ballesta.
> Jaime Merie.
Crdito Commercial.
> GonzaloSegona.
t M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira.
Amarantes.
Arcos de Valde Caminha.
Vez. Castello'Branco.
Aveiro. Chaves.
Barcellos. Coimbra.
Bastos. Covilho.
Beja. Elvas.
Braga. Extremos.
Braganca. Evora.
Faro Fafe.
Oliveira 4* Al- Piohal.
meis. Porto-alegre.
Penna fiel. Thomir.
Tavira. Villa Nova de
Villa do Conde. Portimao.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
'!''! lirniio.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
mesmo Banco a razo de 4 por cento ao anno a
ratar na ruada Cruz n. 1.
Figueira.
Guarda.
Gulmares.
Lagoa.
Lagos.
Larxego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vanna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
8. Mignel.
Cas-
ANACIONAL
Coinpanhia geral "hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Uma Sanca en dnheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Baaco de Hespanha
DIRECCO GERAL
Madrid : Roa do Prado u. io
sobre svtadmpanllia liga Pel svslema mutuo odasas combinares de supervivencia dos seguros
mHOlPde U-ef subscr'P* de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os joros correspondentes a estes.
Sao taosuprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
k,qiie anda mesmo dimlnulndo nma terca parte do interesse produzdo em recentes iiquida-
coe combinando-ooea a mortalHada da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
is clculos e liquidacfies, em segurados de idade de 3 a 19 annos, orna imporsicaoannual
de 100J produz em effectivo metalizo:
No fim de S annos
de 10 >
de 15 >
de 20 >
de 25
.....1:119*300
.....3:9425600
...... 11:208*200
.....30:256*000
v .. -.......80:331*000
.vas idaaes menores de d annos e maiores de 30, os productes sao mais consideravei?.
Prospect se mais informales serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Mm-W" o'UzaDde W** n!a daCade,'.a ? *.on Boa-Vista rna da Irnperatriz n. 12, eslabel
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irm5o.
Jeorge Patchet manda para Europa sna mu-
Iher e orna fllha acompanhada de nma criada do
nome Eliza Steel. ______
0 Sr. Jos .Vendes Carneiro Leao se-
nhor do engrnho deTaquari, queiraappa-
recernaruado Crespo b. IR, primeiro
andar, a negoc'o de seuinteresse.
Joao Pereira do Lago Braga, cordialmente
agradece a todos os seus amigos e mais pes-
soas que se dignaram acompanhar ao cemi-
terio publico no da 9 do corrente, us restos
mora.-s de sua mui presada filha D. Adelai-
de Cesina do Lago Braga, mifessando-se
eternamente gr^to a to raridoso obsequio.
!
Ao interessado.
ATTENAO.
Precisa-se
de uma mulher qne nao tenha fillios e nem pessoa
algiinia sob sua responsabilidad?, u que seja capaz
de fazer com zelo todo servieo interno da casa de
um padre, inclusive engommado : quem estiver
nestas condigoes dirija-se a ra do Imperador nu-
mero 35._________________
libtrucco particular.
Urna pessoa com todos os ttulos de babitaco
propoe-se a aceitar em sua casa alguns meninos
menores de 12 annos por preco muito razoavel ;
3uen se quizer utilisar de seu presumo pdese
irigr ra da matriz da Boa-Vista n. 26, pri-
meiro andar, que achara com quem tratar.
Aluga-se
Urna boa casa na ilha do Reiiro (Passagem da
Magdalena) com 2 salas, 6 qoartos, 1 gabinete,
cosinha t ra, quintal murado, sumidouro para as
a?uas servidas e na porta : quem pretender diri-
ja-se a ra da matriz da Bca-Vista n. 26, primeiro
andar.
No engenho Goiabeira junto a Santo Amaro
de Jaboatao, necessita-se de um feitorque tenha
pouca familia : a fallar no mesmo engenho, ou
na ra da Irnperatriz n. 22, segundo andar.
ALUGUELl
Aluga-se uma casa terrea do lado da sombra,
no principio da ra do Varadouro, em Olinda, com
cornmo.los para grande familia, por muito barato
prego : quem pretender, dirjase a ra do Livra-
mento n. 31, segundo andar.
Precisa-se de um menino de idade de li a
16 annos, para caixeiro de urna taberna e que d
fiador a sua conducta : na ra das Cruzes n. 22.
Attencao.
No dia 7 do corrente veio do Poco da Panella
para esla cidade, onde est, a Begrinha Ponci?.na,
de |U annos de idade, com ps bichentos e dous
dedus dos mesrnos sobrepostos, tem sido vista na
ra larga do Rosario e no ehafariz da rna da Con-
cordia : quem a vir pode Uva-la ao Sr. Maciel,
com taberna do porta larga na ra larga do Rosa-
rio, que se recompensar.______^^
Attencao.
Henrique Amis, reiojciro, faz sciente ao res-
peiUvel publico que acaba de eslabeler-se na ra
da Cadeia do Recife n. II, onde se encarrega de
concertar qualquer qualidade de relegio por es
cang^lnado que esteja, com brevidade e multa ba-
rat^za e alianza por 6 mezes ou um anno.
O portuguez Albino Baptista da
Rocha, relojoeiro e dourador, da
praca da Independencia luja n. 12,
faz qualquer concert de relogio e
douradopor preco mais commodo
i do que outro qualquer e responsa-
jilisa-se pelo .-eu trahalho e espera
proteijo de seas amigos e compatriotas.
Precisase de uma ama para casa de familia
de duas pessoas : na ra da Viracho n. 39. Na
mesma loja comprase uma Sscrava com habilida-
des ou sem ellas.
Al uga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Offerece-se urna ama para tratar de ineui-
nos, lavar e engommar para os mesrnos : na ra
da Scnzala Novan. 19.
Aluga-se uma ca=a na Passgem da Magda-
lena unto a ponte grande, com 6 qaarios, sotao,
cozmha fra, despensa e 1 quarto no quintal, pti-
mo banho no fundo : as pessoas que pretenderen)
___diri|am-se a rna Direita n. 3, primeiro andar.
Aluga-se um sitio na i na do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, com
cupiar na f ente, buta os fundos para a es-
trada a raargem d> rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
ecapim para sustenta-lo, arvoredos de ruc-
tos, sem visinho defronte nem pelo fundo,
com ptimos passeios, sala e gabinete na
frente, muito propria para passar a fesla, e
liinhem se alugar por anno: a fallar no Re-
cife, n Recife, na livrria ns. 6 e 8 da pra-
<;i da Independencia e em Olinda na casa
contigua com o capitao Antonio Bernardo
Ferreira.___________________
Na ra Angusta n. 7, sobrado, compra-se
uma escrava que seja cesinheira e engommadeira
ou um moleque de 12 a 15 annos de idade.
Fmca e Bra>il
J. Morder, alfaiate francez, precisa de bons
offkiaes e boas coslureiras : a tratar atraz do
Corno *anto n. 27.
O proprietario da ofilcina de encadernacao da
ra do Imperador n. 15, defronte de S. Francisco,
acaba de entregar a direc;ao da dita oflkina ao
Sr. Heracho Constantino de Paula Monteiro, enea-
dernador.que fol da livraria Acadmica, onde pro-
vou hahllidade e pericia na arte, tanto em enca-
dernaedes em bsame, comoem couro, veludo.etc,
o qual se acha munido de todos os utencilios e
aprestos necessarios para bem servir aos fregue-
zes
pe
bruteo para borrador e mesmo para repartigoes,
livros de litteratura e sciencia, e tudo quanto ne-
cessariq para as escolas primarias como : cartas
de A B C, taboadas, cathecismos, grammaticas de
Castro Nunes, pautas, procuragoes bstanles, espe-
ciaes e geraas, despachos da alfandega, papel pin-
tado e marbrados de diversos tamanhos e precos,
papel almaco e pintado, etc.
Precisase alugar uma preta paraiodo o ser-
vico de uma casa de familia : na ra do Trapiche
numero 4.
A quem inieressar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer prelencao como : passaporles, porta-
rlas, apprehencoes de quaesquer objectos; pela
piesidencia portaras, passaportes, patentes de of-
flciaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ; pelas repartieres fiscaes desembara-
zo de terrenos de marinha e de ostabelecimentos
que por engao ou ignorancia de seus propieta-
rios eslejam sujeilos ao rigor d flsc; pela capi-
tana do porto matriculas de carpinteiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser procurado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Braga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ra do Collegio n. 7 do Sr An-
tonio Domiogues Ferreira, e em S. Jos ra Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Paranhos.
_________Joaquim Jos dos Santos Barraca.
Claudio Dubeux, proprietario das finitas de
omnibu-i, faz sciente ao publico que no dia 15 des-
te corrente mez de marco tira do Cachang o m-
nibus que p*rte daquella povoacao as 7 horas da
manhaa e as 5 1|2 na tarde do Recife ; assim co-
mo tira tambem no mesmo dis o mnibus de Api-
pocos que parle daqueile lugar as 6 horas da ma-
nhaa, e do Recife as 6 da larde.
Precisa-se de uma ama que cosinhe e en-
gemme : na ra do Imperador n. 17, segundo
andar.
Aluga se o segundo e terceiro andares^do-
brado n. 62 da ra da Guia com commodos cada
um delles para grande familia, os qua^s se acham
pintados de novo por acabar de ser dito sobrado
concertado : e a tratar no primeiro andar com o
prfprielario hachare! Francisco Luiz Curreia de
A adrado.
Pede-se ao se.nhor que levou em confianza a
chave da casa da ra da Ponte Velha n. 23, o fa-
vor de entrega la na loja da ra do Crespo n. 17,
alias soffrera as consequencias de seu procei-
mento.
O solicitador Pedro Aiexaudrl-
no da Costa Machado
se encarregaante ofdrodestacidadedetudo que
fortendenleasuaproflssao,aceita departido an-
nualas pendencias judiciaes de qualquer casa
commercialmediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobrangas nosterreof do Cabo
elpojucaaondecontinuaatrabalhar como d'an-
tes,> encarrega-se de defezasperante o jury nos
termosproximosa va frrea,offerecendo gratui-
tamente seus servidos aos desvalidos, pode ser
procu-ado todos os dias uteisdas9horas da ma-
nhaa asSdatardena ruaestreita do Rosario n.
34,eforadessashorasna rnalmperialn.36.ca-
SBdesaa reidencia.
Na pragada Independencia loja de ourives
s e por mais barato prego do que qualquer ouira J* 3^' compram-se obras de ouro e pratae pedras
ssoa. Namesma ofilcina ha a venda : livros em dr.eciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qualqner concert.
MMmwmmmwnm
O Dr. Carolinc Francisco de LimaSan- H
los.contina a residir narua do Impe-W
radorn. 17,2 indar,onde pode ser pro-
curado aqnalquerhoradodfae da noiteg
para o exercicio de sna profissao dme- W,
dico ; sendo queos chamacos, depois de Hf
raeio dia at 4 horas da taRe.devem er H
deixados 'por escripto. O referido Dr..|
nao abandonando nunca o estndo dasj
molestias dointerior, prosegue, com o ^
maior aflBnco, no das mais diffieeise deli- sP
cadas operarles, como sejamdos oreaos 2&f
onrinarios.dos olhos, partos.etc. Z
m
BAIVCO UNIAO
SEGUROS DE VIDA EM MTALIDADE,
A directo do BANCO UNIA'0 tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacao
para estabelecer o seguro de vidas em mutualidade, faz publico que desda i toma subs-
cripcoes annuaes por uma s vez, debaixo das seguintes condicSes :
Com perda de capital e lucros;
Dito de capital somenle;
Dito de lucros somente ;
devendo a primeira liquidado ter lugar no Io de Janeiro de 1869.
As vantagensdo emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao so-
mente se colhe o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-
nhum resultado; mas alem d'tsso, este rendimenlo augmentade pelo capital ou lucros
ou ambas as cousas, conforme as condicoes da subscripto, dos que fallecem. Tambem
e partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga-
mentos sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem
peja falta de cumprtmento do compromisso social.
- As liquidaces sao pelo systema das companhias hespanholas, tutelar e outras e
para se poder fazer uma idea do que pode produzir uma entrada annua de 10A000 u-
blica-se a segumte tabella baseada sobre a experiencia de muitos annos de companhias
desta natureza. F
Em 5 onnos 10 annoj
IIO 400,?
900 3000
860 900
860
860
860
860
860
900
As entradas por uma s vez dao resultados mui te superiores s annuaes
Mnimo das entradas 50000.
u FV' ',? dIe/8stoJde 1863- -Os directores do BANCO UNIAO, Jos da Suva
Machado.F. M. van der Ntepoort.
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz
Na ra Direita n. 32, segundo andar, existe nma
trooxa de um chales de laa, contendo artigos dt
roupa de hemem e senhora, e objecto do euro que
da estacao da Cinco Ponas veio por engao em
urna bagagem no da posterior ao da fes da Boa-
Viagem : quem for sen doBO dirija? a casa ci-
ma indicada, que, dando os signaes e pagando o
irritarle deste annumio, Ihe ser entrepue.
i. 7, 2^S?.0,i a'tence do Exm. Sr. presiden-
,i^V|ea' da lllm* caroara muficipVC ou a
W*2S P"a as fa'Cas correspondentes
o novo calamento que se den comeco narua
Nov
pois a que Oca de lado da Cooceicao des
Multare, segundo parece, fica com dupla argua
fe oaa bellKa i, perianto co "een-
te, para belleza da referida roa, evitar-se este er-
ro ou falta de pratica daquelle a quem taes melho-
ramentos se acham incumbidos.
ldante do curso jurdico na academia desta caoi-
tal, participa 3orespeitavel publico qoe por certas
circumstanrias que pouco interessam ao mesmo
a '^' Kt"rra,.Daum!r.dar seu anIi nome para
Amphilophio Bolelho Freir de Carvalho a oue
como tal pretende de hoje em diante assignar-se.
Precisa-se de um caixeiro portuguez para a
loja de calcadas na roa do Livramento n. 7.
Por um menino de
de
de
de
de
dia a
anno a
a
1 anno
2
Por uma pessoa de 15
de 20
de 30
de 40
3
a i
a 15
a 20
a 30
a 40
a 50
2700
2700
2700
2700
2700
3030
15* annos
9000
7500
7200
7100
7000
7000
7100
7200
7500
20 annos
2:0000
1:7000
i:6OO0
1:5600
1:5500
1:5400
1:5600
1:6000
1:8000
25 annos
4:7000
3:7000
3:5000
3:4000
3:3500
3:3300
3:4000
3:7000
5:0000
-Desaparecern, da ra Imperial dous boiFiln-
o?,a^,CaDgad0S' seDd0 um de cr amarella afo-
lda; f.ou'r? araarello com algumas manchas :
quem delles der noticia certa, ou os levar a supra-
(ilada roa d. 62 ser gratificado e pagar-se-ha a
desoeza feila com elles. '
*00
mmmmm wwwmmm mwm
AIngam-se dous grandes sobrados com com'
modos para numerosa familia, novos e aceiados-
comjardim.cochelra,estribara e outras commo-
didades,natravessade Joao Fernandes Vieira : a
tratar na ra daSnnzala Nova n. 42.
Precisa-se de uma ama para se encarrega
somente do servieo de cozinha : na rr-a da Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar.
numero 1.
Precisase alugar om primeiro ou segundo
andar que esteja aceiado e tenha commodos para
pequea familia, as seguintes ras : Imperador,
Queimado, pateo do Livramento, roa Direita at o
pateo do Terc.o, pateo do Carmo, Cabug e ra
Nova ^paga-se bom aluguel : a quem coovier ap
pareca na ra da Cadeia do Recife n. 30, segundo
andar.
Prepara-se com asseio.
Na ra da Florentina n. 36, forne-se comidas em
casa ou fora della notando-se a bemfeitoria, asseio
Club comnierela!.
A partida do club commercial no correle mez
lera lugar na noite do da 25, aaniversario do ju-
ramento da constituido do imperio.
O secretario,
Francisco Lucio de Castro.
Frecisa-se de dma ama para iodo o servido
.de orna casa : na ra do Rangel o. 31.
e baraleza.
Henriqoe
ropa.
Otto, subdito allemao, vai a Eu-
Na ra dos Pires n. 54 ha para se alugar
uma excedente escrava, muito fiel, com 20 annos
de idade e muito robusta, a qual sabe bem fazer
todo ervico de uma casa de familia.
O abaixo assignado participa ao respeita vel
publico que nao se responsabiliza por ordem algu-
ma que falsamente for pedido em seu nome.
Francisco Rodrigo dos Santos.
Precisase de urna ama de leite : na ra No-
va n. 7, primeiro andar.
i tugase
umacasa acabada agora, com commodos para fa-
milia,estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos,com banho na porta, no lugar do Poco
da Panella, roa do Rio : a tratar com Tassoir-
maos.oa ra do Amorim n. 35.
ESCRAVO.
Precisa-se de um escravo para o servieo de casa
de pouca familia: a tratar Da loja n. 18 da ra
do Queimado.
OSr. J. M. S. V. qmira mandar pagar a
subscripto deste Diario, desde o Io de outubro
prximo passado a razio do preco que na frente
de nsso Diario est estipulado.
Nos abaixo assignados fazemos sciente ao
respeitavel publico e .com especalidade ao corpo
docommerei), que no da 7 do corrente dissoke-
mos amigavelmente a sociedade que tinhamos na
taberna da ra Angusta n. 114, que gyrava sob a
razao de Silva, Souza & C, ficando o activo e pas-
sivo a cargo do socio Soma.
Bernardino da Silva Maia.
Antonio de Souza Pereira.
Jos Ribeiro da Silva
Antonio Soares de Oliveira, Portuguez, ret
ram-se Kara Europa.
Mmmmm
Companhia adeudadle de ||
segaros martimos e ter- g
restres estabelecfda no 5
Rio de Janeiro. *
Wt AGENTES EM PEPNAMBl'CO
m* Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, m
competentemente autorisados pela direc- S
| toria da companhia de seguros Fidelida- w
en de, tomam seguros de navios, mercado- S
3 rias e predios no sea escriptorio ra da 2^
BCrnzD.l. M
liiiiimniii
Rogare ao Sr, bacharel Cezario
de Azevedo juiz municipal de (iaian-
liims, queira dirigase praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, ou annanciar
sna mtroda para ser procurado.
O London 4 Brazillan Bank, saca por todos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimarles.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparares empregadas enm muitas vantagens. tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fissao, advertmdo que trouxe um immenso sortirnento de dentaduras artificiaes- caout-
chou galvanisado, ouro, .platina, massas diversas muito aperfeigoadas para chumba^era-
inslrumentes novos, ferramenta moderna, cadeira de operacoes, etc., etc., dos mais acre
ditados fabncentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca'
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianza.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas .la manh al ao meio dia eom cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nao tver de ir em casas particulares.
Fugio na madrugada de domingo, o preto
crioulo de nome Antonio, com os signaes spgQjn.
tes : idade vinte annos, pouco mais ou menos, sen
barba, tendo um dos dedos da mao direita corlado
junto a uuha, um pchelo de cravos secos com a
cor um lano fula, procedido de frialdade, levando
vesl.do roupa azul com uma carniza de baela encar-
nada, chapeo de palha pintada : quem o pegar le-
ve a ra do Pilar em Fra de Portas n. 127, so-
brado de um andar, que ser recompensado.
, Zu*a alguma familla uma raulala mo.
a qual lava, engomo, cozinha, e lera mais habi-
lidades : quem a pretender dirija $e a ra da Au-
rora n. 10, segundo andar.
Associaco protectora doT^olun-
tarios.
A associaco protectora das familias dos volunta-
rios da patria, leudo de proceder a inseripcao das
familias dos mesraes que devam receber pensSes
pede aos sobreditos voluntarios que tenbam fami-
lias, que comparecam no escriptorio do Dr. Anto-
nioi fc,pa.T.mondas de Mello, na ra do Queimado
p.8, primeiro andar, aflm de Ihe darern ahi as
informales que para aquelle Om sao necesarias
a respeito do lugar de suas residencias, e numero
e qualidade dos membros das mesmas familia
e,c- > 'odos os dias das 10 horas ao meio dia. *'
- Manoei joaquim do Paiva, subdito portuguez"
retirase para Europa. *"""'
ae uma ama : na roa larga do
Precisase
Rosario n. 35.
COMPRAS.
- Comprase ouru e prata em obras velhas, pa.
dendenc?a:n.D2-j0JSdeb'beleSdaPra^a da Ind-
Compra-se um escravo de idede
siiMa para trabalbo de .-itio : nesta
graphia sedii quemquer.
que
u po-
Comprase effci livamente uuro e prata ?m
ooras velhas, pagndose bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives. 8
O Sr. Joo Francisco de Ponles, ex-secio da
firma de Carvalho & Pontes, estabelecido com pa-
dara em Caruar, tenha a bondade de mandar
pagar a sua letra vencida a 2 para 3 annos, da
quaotia de 100$, na ra da Pecha n. 23, primeiro
andar.
Saques a>ooreft*ortugal.
10 abaixo assignado. autoraao pelo S
Banco vlercantil Portueuse. e naausencia
|do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- |
Ifectivamente por todos o paquetes sobre
aspracas de Lisboa e Poi.o, e mais luga- 2
|resdo reino, por qualquei somma vis g
ta,e a praso; podendo, o que temaren-3
saquesa praso,receberem%ista.no mes- 2
|mo Banco, descontando 4 0|0 aoanno: na ]
loja de chapos da ra do Crtpo n.6, oa I
[na ra do Imperador n. 63, segando an- i
|dar.-r-Jos Joaquim da Costa MVia.
Anda est para ser vendido o sitio da fa-
vessa do Remedio na freguezia dos Afogados n.
21 : qnem o pretender dirija-se a ra de S. Fran-
cisco, sobrado n. 10.
AfTonso Jos de Oliveira, professor jubilado
da cadeira de geographia e historia do exlyco
desta cidade e competentemente autorisado pela
directora geral da mstruccSo publica para ensi-
nar primeiras letras, latim", francez, rhetorica e
geographia, contina rom aula aberla destas mes-
Est para alugar-se uma casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um i^e 2 andar de um sobrado i masjmaterias na ra larga do Rosario n. 28, se-
e recebe alumnos internos e ex-
na ra do Rosario da Boa-Vista, qnasi no pateo da
Santa Cruz, e uma mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agna de beber.e porto
para o becco do Pombal : qnem pretender falle
oa ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manha at as meio dia
gundo andar,
temos.
Aluga-se a casa n. 53 da ra Augusta, nova,
com 3 quartos, despensa, cozinha grande, 2 quar-
tnhos no quintal, e porto para a ra do Dique; 'Moendas e meias moendas ,
iTi^Sii^SS^Tri^ *de rerro coado e balid0 para ene-
Samuel Power Johnston k Companhia
Ra da .-en/ala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FnndleSo deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
para engenho.
f O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgos geniti |
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se- g
rao examinados na ordem de suas i
entradas comecando o trabalho pelos I
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias ds m
6 as 10 da manha, menos nos do- 8
mingos. jij
Praticar toda e qualquer opera- !
?o que julgar conveniente para o J
prompto restabelecimento dos seus m
doentes.
Compra-sc um ecravo cozmheiro que reja
mo?o, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. At da rna da Aurora.
Com ir*-se cobre, bronze e f.rro ruado ve-
ino : na fundido da Aurora, em Sanio Amaro.
Comprase uma casa terrea que Fel nova o
em boa ra, e qne seja r.a freguezia da Boa-Visia:
quem tiver e quizer vender, pode dir gir-se a i ra-
fa da Santa Cruz, padafla n, 6, que se dir quem
compra. *
VENDAS.
I
nho,
Arreios do carro para um e dous cavallos.
Precisa-se alagar nma escrava para cozlnhar
e fazer mais algum servieo para casa de familia :
a tratar na ra da Irnperatriz n. 4, primeiro andar
-Aluga se a sala da frente do terceiro andar i **elog,os de ?''ro Puente inglez.
do sobrado da ra do Imperador n. 52 : a tratar,1 Arados americanos,
na livraria de Guimaraes & Oliveira, na mes- Machinas para descarofar algodo.
ma rua-_______________________.________ Motores para ditos.
Aluga-se ama preta escrava para o servicn Machinas de costura.
de casa: a tratrr na rua do Imperador,
livros da esquina n. 51.
loja de
. Attenffto.
Precisa-se de nm caixeiro com aleama pratica
de miudezas e ferragens para um estabelecimento: pra da lab(!rna. 5l,a na r"a da Concordia n. 33,
na cidade da Areia, provincia da Parahiba : ira-! Ptrlencenl a {os& Joaquim Alves, e outr'ora
Precisa-se de nma ama para comprar e co-
zinhar : na rua de Aguas Verdes n. 6.
Nos abaixo assignados scientiflcamos ao cor-
po do coinmercio, que temos justa e realisada com
ta-se na rua da
Lingoeta.
Cruz n. 36 defronte do becco da
Aviase aes pretndanles que vo ser arre-
matadas pelo jniz do commercio da villa do Cabo
oilo moradas de casas na mesma villa, seis de ti-
jlo, estando doas em caixao, ama de taipa, e a
iritima de lijlo e taipa, n das em boas localidades,
e por barato preco : os pretendentrs podem ir
examinar antes qne chegue o dia da arremajaco,
podendo all se entendern com o Sr. Joo Jos
Pinto de Oliveira, e nesta praga eom Joaquim
Francisco.dos Santos, na rua do Queimado em sua
loja.
Florencio Francisco Alves; e por considerarmos,
dita taveroa quite at esta data, fizemos o presente
aviso. j
. Recife, 8 de Marjo de 1865.
____________ Villarld, C.
Joao da silva fiamos, medico pela l'ni'
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer oceasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sp.a casa de sadde regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella
tica qualquer operac,aocjrurgca.
Para a casa oe sade.
Primeira classe 3000diarios.
Segunda dita.... 2500 >
Terceira dita.... 2*000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conflanca de que sem-
pre tem gozado.
ALMANAK.
Acaba de ^ahir dos pe-
los de no&a typographia o
fAlmanah Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vndese a
lli; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
A ttenco.
Vende-se superior vioho do Pono era caixas de
uma duza : em casa de Johnston Pater & C rua
do Vtgario n. 3.
Que i jos
o melhor que ha neste genero a i cada um
bolas a 13 o cento : no amigo e acreditado
bejecimenio junto a esta typographia n. 42.
e co-
esta-
pra-
Vende-se uma benita escrava de idade de 18
annos, ensromma e cozinha bem, I dita de meia
idade, cozinha bem, e vende-se por 300& oa tra-
vessa do Carino a. 1.
Alnga-se ama casa Cura bom sitio, na Ca-
pung Velha, que fol do Sr. sebastio Penna, com
bastantes commodos, tendo cocheira, estribarla,
quartos para pretos, e mailas fiucleiras : a tratar, ao Kosarl0 D- 'ja de ouro.
na rua do Imperador n. 46.
Caixeiro.
Precisase de om caixeiro de 14 a 16 annos que
a sna conducta : a tratar na rna larga
d dador
Alnga-se nma casa terrea na roa da Concor-
Na rua das Cruzes o. 18, lia para vender-ie 13
escravas pretas, entre ellas algumas que engom-
mam, cozinham e lavan bem, e fazem todo servi-
| ;o de uma casa : a tratar na mesma casa.
Vendem-se duas meradas de casas na ma-
i Iriz da Varzea, com graades commodos para fami-
lia e proprias para qnalquer negocio, quintal bem
plantado, uma cacimba rom excellente agua ae
! beber, em uma das ditas casas exisic ama taberna
{leudo de fundo de 50 para cima, excede do
l:000de dividas, tudo se vende por 1:000$ ; as
, casas teem 45 palmo* de frente e 280 de fundo, o
terreno foreiro do patrimonio do S. S. C, paga
i de foro 9 annuaes : quera protender tal negocio,
pode dirigirse a rua Direila, padaria d. 40, ru
da Praia n. 49, que ahi a.-har rom quem tratar ;
expondo a razo por que se d por este preco
INJECCAO BROWe
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito 'rabo-
- bina mulher cora bastante pratica de ama se dia, tendo salas, 2 quartos e qoraial com cacim- .
ofTerece para casa de horaem solleiro ou de pouca, ba : a tratr na rua Nova, loja de ferraeens con-,,ca franceza' raa da Cruzo. 22 pre-
I familia : a tratar na travessa de 8. Jos n. 39, fronte a botica franceza. J po 3(5

\




Diario de Pernambiice ~ Segunda le Ira 13 de Barco de 1S*.
Vende-se
om sitia no Caminho Novo, ra da Esperan?, que
val para o Manguinho, com grande casa muito
fresca, tendo 4 salas, 6 quartos, coxinha e doas ter-
racoo na frente e fundo di casa, e grande solio
com 3 salas bastantes frescas por ter 11 janel-
las, estribara, quarto par criad?, i cacimbas
com agua de beber, tanque e casa para banbos, o
sRio todo morado e cora 1,000 palmos de fondo,
portan de ferro, boas laraogeiras de urnblgo, sapo-
lis e ootros arvoredos : a tratar na ra do Desti-
no D. 16. ________
Vende-se ara moleque de
idade, bem preto e muito bonita
de Apollo n. 19, primeiro andac
9 a 10 aonos de
figura : na rna
Vendem-se !res partes de um sobrado na ra
A molkstia ou infeccSo pec-
lial conhecia pelo nome de Es-
crfula um dos males mais
prevaleoentes e 'universaes que1
ha era toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o'
genero humano : disse um cela-
bre escriptor da medicina que
mais de urna terca parte de;
todos aquelles que morrem antes,
da velhice sao victimas, ou dir-
ta ou indirectamente da Escrofu-\
ja *:por si nao tao des-!
tiva, porm a principal causa de muitas
acba encarregado deeffectuar a vmda.
Feljo.
Vende-se urna porco de feijao malatinbo muito
novo a 1* a cuia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 3J0 rs. : na ra Direita n. 8.
do Trapiche: quem pretender dirija-se a roesma ? """ 'Ppai causa oe muitas
roa, escriptorio do corretor geral Alfonso, que se outras enfermidades que na0 |j,e s3o geral-
mente attribuidas.
E' ama causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecces do cerebro: Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
Vende-se a taberna da ra dos Aoouguinhos
n. 20 : a tratar na mesma.
Vendem-se diversas obras de direito como
sejam : direito natural por D'Azeglio, Autran,
Ahren ; direito publico ecclesiastico pelo Dr. Vi-
lella Tavaros, direito publico universal pelo Dr.
Autran, e direito remano por Heinecioytodos estes
livros esto em perf ito estado e vende-se por
proco muito commodo : na taberna dos Quatro
Cantos da Boa-Vista ra da Gloria n. 95.
Vende se a casa de molhados na ra da Impera-
iriz n. 31 por seu dono ter de retirarse para a
Europa a tratar do sua saude, tem commodos para
LOJA
BALAO
Na es|uiua da Madre Deas,
Vende-se algodao da Bahia o melhor que ha no
mercado.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
LOJA
DO
DE
BALAO
AZEVEO FLORES.
Os elementos que compocm esta preparado, o
familia, efaz-se todo o negocio: a tratar na mesma. P^ecem irequentemente erupcoes na pene
------------ ,)A -------------------- da cabeca e outras partes do corpo, silo pre-
CSWpa.a -*> rs. dispostas s affecces dos pulmdes, do figa-
a jarda : na loja da ra da Madre de Deo n. 16 do. dos rins o rins nront Hinostivna o na.
a jarda : na loja da ra da Madre de Dos n.
defronle da alfandega.
Vende-se por commodo preco o sobrado de
tres andares e soto da ra do Amorim n. 19 para
cnmprtrordens de sea proprietario que se acha
ausente: qnem o pretender Slrija-se a ra do Vi-
gario n. 19, primeiro ander.
Va cea
Na Piranga, defronte ao sitio do Sr. Millet, ven-
de-se una vacca muito boa leiteira cern cria.
Vende-se urna negra de meia idade sem vi-
cios, muito sadia, que sabe ensaboar e cozinhar
com perfeico o diario de urna casa : na ra da
GlonVnJ. ____________
CEBLAS E BATATAS.
Vende-so ceblas alio cento e batatas a 60
rs. a libra muito nova : no armazem Garanta ra
4o Imperador n. 14.
Sintos ftaissimos.
A laja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu riquissimos sintos largos tanto de fita co-
mo de galao douradoscom fivelas, estes sintos sao
os demais posto que tem chegado a esta praga, e
enfeites muito modernos para cabeca.
barricas com gesso
maos.
Gesso
nos armazens
de Tasso Ir-
DROGARIA.
34Rna j larga do Rosario34
ilarlliolameu Francisco dcSeuza & G.
Vendcm:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas,
uarntcoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paes.
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, s vezes de urna
altura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea; fraquea e
molleza nos msculos: disgesto fraca t
appetite irregular, falta de energa, venlre
inchado e evacuaco irregular; quando o
mal tem seu assento Sobre OS ptllmoes, uma [erro, o iode e a guia, a collociio no primeiro
Cr azulada mostra-se em roda dos olhOS ; grao das preparaedes ferruginosas. Basta attestar
quando ataca os orgaos digestivos, osolhos ff "Tf? J^&*!!fX.T!fif3t
,__ ii* i t/. e,,-j taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
tornam-se avermelhados :o hlito ftido, \ qHe confirmrao saa poderosa efficacidade as
a Ungua carregada, dores de cabeca, ton- j seguintes affecces:
leiras etc. *inio> *>.
as pessoas de disposicl escrofulosa ap-, JJJjJJJ*'
parecem frequentemente erupcoes na pelle; oMmNwMMitia,
Herminio.
Affecces da ulrrt.
Supprcsses da* re-
graa e doorde na
menslmaema.
Afleera pulmonar e
ahlhlslc.
Moteadas d'entAmags.
Gastralgias.
rerda d'aaaetlte, tte.
Veje se es bulletim dt tkerapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre t SoO; a Gaxela
dos hospaes de 2* dejulho 1860, etc., etc.
Arem das pilulas de iodureto duplo de {erro e de
quinina de nebuln, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
Canvaleoeeaea de le-
t;aa analeallaa.
Malesilaa eaerafale-
aa.
Pnprlra.
Obilrurrao daa alan-
dal
Humaren frloa.
Humares krucoa.
Kaebl llamo.
Affecrea raaeeroaaa
o a;i>hllllleaa.
Felirra l;|ihaldr>.
Variles, ele., ele.
A LEGITIMA
MLSAFAMMA
dos rins e dos org3os digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teceo conlra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) eslao exposlos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
.4 phthysica, ulceraedes do figado, do es-
tomago e dos rins: erupcoes e enfermida-i tTo e de quinina do mesmo author para as
Aa <,>-..*, .-.. jn ...... -i pessoas que n5o eosto de medicamentos son tor-
desetuptivas da cutis ; rosa ou erysipela ; gjpanlar e os meninos. Este xarope no tea
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-\ como o xarope 'iedure de ferro, o inconveniente
cumacarbunculos. ulceras e chaga, rheu- d* alterar-se e de se nao poder conservar.
matismo, dores nos ossos, as costas e na' *** fo'.hMl?J!Lde*^* UU
*nh* j.ui;ia t a L dos pbarmaceuticos depositarios.
cabeca, debilidades femintnas, flores bran-\ p. evitarem falsificac5es, exija o com-
eas causada pela ulceraco interior, e en-; prador em cada frasco de Pilulas on Xarope a aa-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges- ignatorado inventor.
toenfraguecimento e debilidade oeral. | i^J^SSSS^^SSi
A0> pulmoes a escrfula produz tubercu- de Franca a dos puires estrangeiros, etc.
los e finalmente consumpcao pulmonar :
as glanulas ella produz inchaces e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigestao, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
. A salsa parrllha de Ayer
composta dos antdotos mais eflicazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males
Ra da Cadeia do Recif n. 47, esquina qae volt* para a a4re 4e Ocos.
Atten$o.
Madapoloes franceses (;>ecaj 13, lid e lo$.
Chitas para coberta a :|0 rs. o covado.
Uas lisas um completo e variado sortimento.
Lencos brancos muito finos a 2c00 a duza.
Ditos de esguiao.
Um completo sortimeato de chitas largas de 300 a 300 rs. o covado.
Cambraias lipas brancas muito finas a '5 a peca.
Aberturas de linho pregas largas.
Ditas de algodao muito finas.
Bramante de uma largura.
Algode da Bahia para sacco.
O BALIO VENDE
Paletots de casemira pretos e de cores saceos a 94, 10j, II j> e 143.
Ditos de alpaca branca e preta a 14. 5J>300 e 54.
Calcas de casemira preta de 84 a 134.
Ditas de casemira de cor a 34,84 o 104-
Calcas de brim branco a 34, 44 e 54-
Colletes de dito dito de 24 a 34300."
Ditos de casemira pretos e de cores a 15, i-5300 e 34.
Caigas de princeza para luto a 44 e 54-
Ceroulas francezas a 14600.
Ditas de linho com duas costuras saperiore.
Camisas francezas de diversas qualidades de 24 a 54.
Ditas verdadeicas Inglazas.
Colarinhs de linho muito finos.
Ditos de papel a 40 rs. cada um.
Cortes de casemira de cores por nrecos commodos.
Ditos de casemira preta lina de 74 e 34.
Mtias cruas inglezas o melhor qne ha a duzia 84-
Baldes de 20, -25 e 30 arcos a 3$ e 34300.
Cambas de Haoella de cores de 3450j a 74.
Os donos deste estabelecimento encarregara-se de mandar fazer qualquer obra de brim e ca-
semira etc., para homens e meuinespor precos que admira ; aproveitem que o Balo est disoasto a
queimar, squer inheiro I I
rica m en le etfeila*
proprio para um delirado ne-
GRANULOS
Ide BISMTHJ
DE CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
DlarrfceM aranleaa.
Drasenlerlaa.
Dores d'esl4mago-
Dyapenalaa.
Ms dlseslea.
Gaslrlteo.
GallralBlaa, ele.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
4 i* ti v* v"i'iviiwo oiui uuuiaj u caotta j1
Provenientes d ella que affecoSes se nanifeslio ordinariamente por diges-
COntem Virtudes verdadeiramente extraordi- toes laboriosas, azidumes, falta d'appetite, pesos
nanas provado inconlestavelmenle pelas 'estmago depois de cada comida, caimbras es-
curas nolaveis e bem conhecidas que tem tmofae^e, muitas vezes, por espasmes nervosos
feito de tumores, erup<;oes cutneas, erisi-
pelas, borbulhas, nasudas, chayas antigs,
uiceras, rheunrn, sarna, parebas, hydrope-
sta, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes.
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuida, traz ine-
vitavelmente, que soja:
PREPARADA UMICHENTE POR
LAMIAR & KEIf,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina ; usada nos principaes hospitaes, ei-
vis. militares e da marinha as Antilbas e
no continente americano ; reeditada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhola
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumalismo, escorbuto* en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existera varias imitaces
alsificacos, preciso a maior cautela para
' vitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS A BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Joao da C. 3ra ve & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Jo5o da C. Bravo : C.
Debilidade ge-
ral :Indigestao, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceracoes do ulero, a nevralgia e con-
vul.;es epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as cerlidoes no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se venden os remedios.
Este remedio o fruclo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes pravas
.das suas virtudes: posto que offerecido
[ao publico sob o nome de Salsa pamlha,
composlo de diversas plantas, algumas das1
qaaes s3o superiores a melhor salsa parri-1
Iba no seu poder alterante.
PEITURAL DE CEREJA DE AVEft.
Cura promptamenle a asthma, bronchie,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares
Allivia os etlicos declarados.
Todas as nslestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas era pou-
co tempo pelo peitoral de ceiieja do dr
AYER.
Moleallaa de Dgads.
A IcU-r.-la.
ralpliaio de rorarao
Dores non ria.
Oppressoea.
Diires de cubera.
rrilaeoca de bi-xlga a
da uiatrla, ele.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sSo tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de i francos.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 2$600, 341, 3500, 4#, 55,6,
7)51 e 85 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor lazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a %} o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sorlimentode grosdenaple preto a 14500, MSOO, 20, $:iOO, 30,
30500, If, 40500 e 50.
Pannos pretos de saperhr qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na lija das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Morei a Lopes.
L0J\ DO PRINCIPAL BARMEIRO
DE
l.trt
Joaquim da Silva Boa-Vista.
Roa do Crespo n. io.
ATT
Paletotsee casemira de cor a
Ditos de alpaca branco a
Calcas de casemira preta a .
Baloes de 15, 20, 5, 30 e 40
Lencos de cambraia branco a
Casemira preta fina.
Panno fino preto
arcos.
duzia.
7*300
4fi50)
8o00
*
UoOO
' Lencos de esgoiao.
Chitas para coberla covado.
Laas lisas.........
Vestidos de laa a Maria Pia. .
Um completo sortimeato de chita larga a
280 a.........
Bramante de linho......
Grosdeoap'e preto. ,.....
Ricas capas de ros preto bordada che
t gadas pelo ultimo vapor.....
Na ra do Crespo numero 17.
Loja do principal barateiro.
320
i
17S0O0
601
i
FIGADOde bacalhau
em
P eo processo de Cherricr, pharmaceulice
Paris, na du Faaboarg Monlmaite 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um saborassucaradoho nico que nao tem
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
jectq de numerosos relatorios scienlificos e
mdicos, esle medicamenie que goza era
Franca de um successo (5o raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principaes mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os raaiores
successos as molestias em que se ernprega
CIMENTO
A venda as principaes boticas e droga- jo 'eo quando sao acompanhdas de debii-
nas do imperio, e na agenda central do dae e aloma.
Rio de Janeiro ra Direita n. 15. Denosito ae.r
Vende-se em Pernambuco:
na pharutacia franceza de
P.MAURER & C.
_^_ RA NOVA N. 18.
sPs = ^S'?^f?^:232

SJ
"i
O" -
j>
o- c
_. a>
=
O a
0.a, ca *
BEINZINA
\uva pssencia para tirar nodoas sera ata-
car es tedios era alterar as cores
Mancha algurna produzida por gorduras,
cera, etc., resiste a este famoso dis-
solvente, qne pode sem receio arjpti-
ear-se sobre vestidos de seda, la,
tapecaria, panos de bilhar etc.
Restaura perfeitamenle as tovas de peli-
ea asadas..
Cada fraseo lgooo.
Um impresso que acompanha cada fras-
co ensina a maneira de usar-se, assim
como indica ontras muitas applicac.5es
qne esta nova essencia pjo ter as
artes.
PHARMACIA RIBEIRO
KM PKRVAMBUCO
22Praca da Boa-Vista22
M 5 3 -, 2 -.1*9 B clZ.o-5
2. .
,
a.
Deposito geral em Pernambuce roa da
Cruz d.22 em casa de Caros & Rarboza
Francez barrica fj000.
Purtland barrica 8^500.
No trapiche barao do Livramente aoces
d'Apollo.______________________________
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Coiho
RHa d Queimade n. 19.
Veule-sc o segnlnte:
Lences de panno de. linho
pelo ijaratissimo preco de 2J400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 3^500.
Coberla de chita da India
pelo baratissimo preco de 2o0.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a i> a duzia.
Pecas de brelanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 3800.
Pecas de cambraia
1*200.
V3 CD
CD
09
a. o
Q.
cd F a o a> o

?! tt> S""
M

M

= B
K 3. g a. a_
,f- 3"l
o??
_ 5 2 na S
5-adSg =i=l23 ""
M S bj cd a> O
v> a.
"a M o cd
T2=?a>c> Q.cba
3 2 2 s
a S t 2. 3 CD
CD
'i*
Vendem-se seis terrenos para edirlcar, chaos
proprios, todos com frentes para osul; quatro del-
les cora 30 palmos de frente, dous com 40, e todos
com 150 de fundo ; a loealidade a melhor possi-,
vel, entre a ponte do Chora-menino e a da Magda- para forro com 8 f|2 varas a 2 J.-O.
lena, no mesmo ponto em que a companhia de He-1 Guardanapos
berit-e acaba de collocar um chafari/, agua de be- de "nho finos duzia 3*300.
ber ao p, to peno da i idade, para onde e d'onde
se pode fazer o trajecto a p, a beira de uma es-.
Irada frequentadissima, dous porlos, o do rio e o
da eamboa. para embarque e desembarque, e para com 15 covados a 6*.
banhos, coja ni'cessiJade to reclamada em nos-1 Cambraia adamascada
so clima qtR'ntp, e cidade ediiicada com tantas des- icom 2 varas propria para cortinado pega 11#.
conviiiitucias hygienica;., sao commodidades mu I Fil de linho
vantajosas e apreciaveis. Um dos ditos terrenos, iliso flno vara 8'0 rs.
oda esquina ao nasoente, tem duas frentes livres! Atoalhadoadamascado de algodao
e uma grande mangueira da mais bella e attrativa coa> 8 palmos de largura vara 2*200.
sombra, e de fructos, cuja encellencia nao cede ao | Atoalhado adamascado de linho
de nenhuma outra mangueira da provincia ; dos com ^ palmos de Urgura vara 3*200.
ontros terrenos, um tem boa cacimba e os outros
Algodao entestado
com 7 1|2 palmos de largura vara
Cortes de .lia
.
o
09 M
Vi
a>
Q.
O
Fazendas baratas.
Madapoloes com 24 iardas a 5*. 6 e 7* a peca,
diio< dos e largos a 7*.W0. 8*300, 9* 9J500,
aliddes a pe^a a 3, 6$, 6*300. 7*, 74500 e 83,
chitas ingUzas 200 rs. o covado, cfles de laa
com 15 covados por 4* : na loja do verdadeiro c
principal harateiro, roa da Madre de Deqs n. 1*,
defronte da guarda da alfandega.
Cemento romano
de Portlaud : no armazem de Tasso Irmos.
a'
'L
3
B*
o
a.
CD

CD.
CD
s
3
3
as >
a
O
a a
g
X
e
algumas arvoree fructferas, cajueiro, romeiras e
sapotlzeiros que do ptimos sapotis : na ra do
Imperador n. 14.
Potassa da Itussla.
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira po-
tassa da Itussia, e vende-se a preco commodo: no
escriptorio de Maooel Ignacio de Oliveira Filho,
largo do Corpo Sanio n. 19.
Laazinhas cannezim miudinhas
propria para vestido de menina, covado 600 rs.
Laazinhas
de cores Anas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantique e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de
largura, por menos preco do que em oulfa qaal.
. quer parte.
Nesle armazem de fazendas. e encontrar am
grande sortiment de roupa feta e por medida.
MCIIINASDEPOTT
de Ir il>:ill!ar a w"'n para
descaroear algodSo
FABRICADAS
Por Plant tirothers & C.
OLDAI
Estas machina.'
podem descaroear
/iiialquer especi
de algodao sea
estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas pars
o trabalho; pdt
descaroear unu
arroba de algo
dao em earocc
em 40 minutos
oa 18 arroba.'
por dia oa 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas po
animaes, que descaroam 18 arrobas de algoda
limpo, uor dia; e motores para mover uma, dua>
eulrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina*
mencionadas; para o qae convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.i7.
SiiQilers Brolhers&G.
X. II, praea do Corpo anto
RECIFE.
Os aicos agentes oeste paiz.
0 VIGILANTE
Hiia do Crespo a.
O gallo vigilante tendo sidoagraciao telorcm-
poso Uallisa, oa sna ordem do da, e ptla Dianca
Aguia.apesar de qne, para este.- i. Gaili na, teua
agudasespordes nunca os offender>,ates agra-
ciar oa mesma conformidade, paia tjtie i Baliza,
possamarchar em frente, a Branca f Dia pssa
levantar.eu voo,|levando nobicoas pallnhas sta
ninho;e o Gallo fijar em seu espajost. canp
dando Je novo o seo canto annnnciando a seus
bonsfreguezes e aorespeitave publico
0 jrande sortimenlo deobjeetos de muito puta (t:a
acaba de reeeber.
Ricas caixiahas com msica
Jas ara costura,
nio.
Hiq issimos cofresiuhos com cadeados d tr.elal
para guardar oas.
Ricas-.i M$cj:ri estejo, contendo todos os per-
tencesparahomein.
ili luissmas voltas tlngindo perola.
Ditas com lacinho de lila.
Ollas de lindase Ares e preta, de todas as groe-
Lindos tlerecDs com pedrinhos flngindo bri-
Ihantes.
Ricasiivellas para cinto, de todas as calidades
e bom gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Paric.
Grande sortimenlo de lindos enlejes para cabe-
ca, sendo do ultime gosto e de lodos ospiics*.
{lores muito finas para noivas.
Luvascnfeitadas e meias de seda para portas.
Touquinhas sapatinbos e Beiai de -('a prri
baptisado.
Riquissimas litas de todas as qualidades raala-
50, cintos ecinteiros.
Camisinhas e gollnhas para senhora.
Riqaissimosjarros e figuras para omnecf t!
Grande sortimentode gravatinhas lano para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cres.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancinhas,gal3o e maravilhas par i Ufte.
Transelins de cabellos e de relio \in nU^lc.
Papel amisadee de ontras qualidade.
Bolsas para viagem.
Entremeiose babadinhos de lindos peurs.
Lencinhos de linho bordados.
Me!ai para homem, senhoras, nrm-rts e ir.fci-
as.
Fitas de veludo lisas e cem n Mifn e
larguras.
Thesouras e caivetes de todas a; qcilidfdes.
Grande sortimento de saboBf tes.
Lindos vasos com banha para eferrrimntrs.
Caixinhascom seis frasquinbos.
Essencias de todas as qnalidades.
Agua verdadeira Florida.
1 Agoa da Colonia, em garrafas prair'is, ib
frascos qoadrados egarrafinhas.
Pomadaflna de todas as qoalldadf s.
Superior banha em frascos e copes (t icfsos
tamanhos.
Saboinglez em paos grandes e pr^fi i<-.
Escovasde cabo de madrepirola, n;ifn. ( f,t
osso, para denles.
Pentes para desembarazar, cem friso t ntuH
sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnilas eolias f-nslida-
'"
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de algodao, as.*. < utrosobjecKs de gosto queslia in \%ii\\* r r-
oinar.que a vista far ti, s no Gallo TicJ!ii te,
cue do Crespo n. 7.
Voluntas.
Lindas voltinhas de pendas falsas ti n ntiil ss
tlngindobrilhantes, aseimeaee m ji I :> ;m i-ts
e voltinhas, pelo barato preco de i t l.;.s
cruzesavulsasa tOO rs. s no Vigilarle, t ce
Cropo'n. 7.
Leqnes.
Rlqaissimoslaquea de madreperola taita prra
senhoras como para meninas, pelo r-aitc preco
de 12* e 14|; s To Vigilante, ra do Cmn
n. 7. *
f't r< ff *
0 GASTELLO DE GRASVILLE
Traduzido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance era uuatro
lomos pelO_ baratissimo preco de 20500 : jconstifde poderosamere, coro a Apa Florja.
Filas de lia.
Fitas de laa de todas as qualidades, prrrrs pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; 6 ti Vi.
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhes.
Riquissimos espelhos rem iroldrra ieraa1
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assi ., a f,m
eslumnasde differentes lanaahne a ?*, 3* i* i,
e 6* ; s no Vigilante, ra do Crcsj o n. 7.'
Lindos jarros e finuras.
Riquissimos jarros e figuras de perre'ra fra
para enfeite^de sala, sendo o tcelhor resto r^cesq^
tem apparecido; s no Vigilante, rea dt-fmr-a
n. 7. *
Para pos de arroi.
Riquissimos vasos combooeclaparaai6$dEai;-c-i
cousa de muito gosto a 1*500 e 2*. assim ron 9
pacotes s com os pos a 320 rs. cada otr-; f m
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfnmari.
Grande sortimenlo de extractos e Util ri ira-
das, assim como de lindo; copes on van ei' (>i$.
tlnctivos e offereciincntos as sinhawhss itm r.'t-
mores e mais afamados autores de Paris-'; rj -, T.
ra. assim como os grandes copos defai l, ',.h,'., j
a 3*1 e a I*,assim como outros objeriM ijh ejoe
possivel por hoje annunciar, e vista i f,,.-i _
zes se far todo negocio; na loja do Gaita Vk-ilacu.
rna do Crespo n. 7. ** ,m*
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar aeftr natural
dos cabello?.
A agua florida nao umaiintnra.fctr f-srr-
eial acontestar, a mesma agua dando a rftr prr.h
ti va ao cabello. Composta de plaas noticae
desubstancias inoffensivas, ella tem a pn>pridada
derestituir aos cabellos o principio coract qne el-
les tem perdido. D'ama salnhridade ncontesta-
vel, aAgua Florida entretem a liropp? ithen
deslroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florifla
aa praca
6 e 8.'
la Independencia, livraria
Vende-se a taberna n. 12 no largo da Penha:
a tratar na mesma,
Vende se uma casa terrea bem construida,
nos Afogaro, ra do Motocolomb n. 2 : a tratar
na roa dns Quarteis, taherna 18.
Aos seohores padres.
Xa ruada Cadeia n. 59 vendem-se superiores b-
eos da ierra proprios para roquetes.
COMPENDIO D0L0E0S0
que contm o oflicio de Nossa Senbora das.
Dores; o modo de resar e offerecer a co- f..,hl la .I!f ,??"*rOT: ,
rU, uro setenario e mais outros eserciJ deirot, $S^
CIOS UC pienade e devoco; ordenado pe- tequalMaie de vinho toroa-se re?ommendavcl por
la rmanlade dosservos da mesma Se- i n.3C0Qler espiritoet^r agt-a nhora aue se acha erecta na arpia H N i r.i0.r ? melnor Borbeaux; sendo aquella partcula-
SI Ponh Ha i mISui hS^J i 'ridade **>T<:c[*l til na prsente estacao calmo-
S. (la I enha do imperial hospicio dos re- sa, em queos vinhos agnaMeniaos se toraam pre-
verendos padres missionarios apostlicos! juaiciaes : vende-se no depo.iM, ra da Clela,
CapueflinllOS italianos de Pftrnamhiiiw, i escrlpuriu da Leal Res._______________________
, approvado por S. H. I., qae Deusguarde; Legnies noves a 6,40 rs. a arroba-
dado luz por devocao do multo rere- Na padaria atraz da fuedicao do Sr. Starr ven-
rendo padre Ff Placido de Minina. e w ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8 f^m'IlTase sevadinha pelo preco emsortimen-
da praCa da Independencia. \mSSSl!mHm "'' Pra ****
Presos que admira.
Sapatos de irauca superiores pelo barate prec
de l* o par, c duzia 10* : no vigilante, ra d<
Crespo n. 7
Bico adamascado de todas as larguras, i peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 800 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Colchlos om carto de uma e duas carreiras
perfeilas, pelo barato preco de 40 c 60 rs. cada
cartao, e duzia a 400 e oO rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a 1**00,1*600.
2*, :)*, 4* e o*.
Composto de substancias vegeta? *>j. firag, pf|a
_ e, coro a Agua Fh r
Ug^ j forja,a belleza e a conservaban dos rnht'.'...z.
' I Em Pars, casa de Qnislanr n. 12, rna de Rii-be
,lieo, el, boalevard Moatmarr?
- Todos os frascos, nao tendo intacto > vh re 0
timbre prateado da C3s, sae repotados falsi s.
Deposite, rna do Iroperador.oharmacia n. 38.
Coke 4o gaz.
PUchdogaz.
Aleatro do gs*
Coke, tonelada lOsOOO.
Pitch, arroba 3*000.
A Icatrao, caada 500.
O cok reconhecidamente
o rarvan rrf is, frene-
mico, tomase por isso recfimmerwtvsl, ictv ro-
mo pelo aceio que se nota as castoras a< rd 2
lialaios propnamente para costora e para frac-1 elle u>ado. Pitch e alcatrSo, al. m s aifVr 1 sr*-
t,eoara menina trazer no brajba 1*500,1*600, ?oes diversas a que se prestao, rrir.o pa.? r:.!af a
l*80O,2*e-2*50O. i tar embarcacSes, alcatroar madelras. tr.. *ft.
Perfumara, macar perola a 2*, 2*200, 3* e jstes a propriedade de preservar r?o rin. r-
4* a duzia, oleo de maozinha a o* e 6* a duzia, 1 migas, etc. 1
banha a 3*, 4* e 3* a duzia. Estes objectos se '
vendem por adrairaveis precos em eonseqoencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s no gala vigilante, rna do Grespo n. 7.
"~ Milho novo era saceos grandes: no irapichi
la Cunha, a tratar com Tasso trmaos.
entregue na fabrica do sai, (n ros.
dadop.">rem qnalquer pnntod fixte, si pende a
vontadedo comprador e previo ajuste.
Azeie de carrapato
Vende-se por atacado ca a realho rr.js t.rtto
co que vendem os matutes as carpas: T.a f..bri-
iaida.travessa do Cariara 5. 8. paes do rarros.
:-------=_-_---------------------------r^-r
^^ 1 ------------ ---------------------
T


,i.
Diarlo de Peroa-ibuco ****** lelr. 13 de Mareo de I H
OS
AURORA BRILHARTE
GRANDES ARM.4ZENS
DE
MOLHADOS
15 Largo da Santa^K
ijgCruz qs. 12 e84,~
{esquina da ra do,
#
Cebo.
ESPECIAES 1
Largo da Santa
Cruzns. 12e84,
esquina da ra do
Cebo.
Mmmgm
O dono dos ja muilo acreditados arraazens de molhados denominados Aurora
Rrithante, acaba de receber de sua propria encomraenda, muitos gneros delicados
prepfios da presente eslacao, e tendo grandesortimento comprado aqui, alianza que to-
do os seus gneros sao de primeira qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores.
Nenhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, ja pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono seachar encom-
nuidadn em sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para se comprar
barat.
{Latas con 8 libras de chourigas muito novas,
a 74500.
kDiias grandes con peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 15000, 15280 e
liOO.
Ditas com ostras, exceUeute petisco para fri-
gidrtira, a 720 rs.
'Dias com i'rvillias novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com avas, a 640 r*.
{Ditas com ameixas a l00, 15800 e 35500.
i Ditas com marmelada do afamado fabricante
Abren, a 880 rs.
'.; Ditas cun massa de tomate, a 500 rs.
St- Ditas com (Iros de comadre, novos, a 15500,
2$ e 25500.
[Ditas com bolachinha do soda muito novas, a
25000.
', Ditas cora biscoitinhos inglszos de muitas qua-
lidade*, a 15400.
Chocolate.
[Chocolate superior muilo novo, a libra a
15200.
i Macarras, talliariam e albina amarella, a libra
a 480 rs.
Dito dito dita branca., a .libra a 400 rs.
L Canas com estrelinna, pe vi de, e ontras mas-
sa, a caixa 35500.
' Ditas Jila em libras a GiO r.
vSa.'d, libra a 360 rs.
* Se vad mili para sopa a libra, a 240 rs.
Emilias si'ccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
v ra.nn m muito nova, a, libra a 280 rs.
. I'.irina de ai arma verdadeira, a libra a
500 rs.
Arnu d) Maranhao, em sacco, a arroba a
25't00ea libra a 80 rs.
> da India e Java, a arroba a 300 e a li-
bra a 100 rs.
'Touciniu de Lisboa a 9p300 a arroba e a 320
-Ar rs" a ,lra#
-H)diuy de Santos, a arroba 75000 e a libra a
W 260 rs.
M dhos com 125 ceblas grandes, a 13280.
Moslarla franceza, caita com 2 duzias a
8..000.
(Frascos com mostarda preparada em vinagre,
a 400 rs.
? Ditos rom conservas inglozas e franceza, a
% 25
r^Dito
$ bn
'-'T.iin.
^V CO e 800 rs.
rMDiios
i tos
13000.
quitos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
('JJJitoscoma verdadeira genebra de laranja, a
Ditos de 2 garrafas de Hollando-verdadeira, a
40 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
i Garra ($89 com 2 galoes com dita, a
Vinho rde superior.
A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
Gsmtna.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
engommar, a arroba a 35000 e a libra
Sabo massa, a libra a 200, 240 e S80 rs.
r'arioa. i
Saccas grandes com ferino* de Goiann* Bui-^
to nova, a 5*000.
Cafe. ,
Caf do Bio multo jnperifr, a arroba a 85,'.
8*500 e 95000.
(Ibi.
Gb, temos nestes gneros o melhor possivel,{
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito tino a S5S00.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25-jOO.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Krva mate.
Eicellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, jj
640 e 720 rs. S
Passas. i
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-1
prias para mimos a 45 c 25500-
Noxes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Aljiisla e pataco.
Alpista e painro. a arroba 4*000 e a libra &A
160 rs.
Cartas.
Cartas Unas par jogar, a duzia a 255'0.
Casianhas.
CasUnhas novas vinJa* neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Aiei tonas.
Barris cora azeitonas novas a 15500.
Manleiga.
Manteiga superior, a libra a 1IOOO.
Dita mais abnxo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita raoceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita era barris e mcios ditos, a libra.
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijo novos viudos ueste vapor a 3*200 e{
35500.
Ditos .londrincs muito novos, a libra
15000.
Papel.
S-rvcj 1 boa, marca, a 500 re. a garrafa, e a 1 |,ape| a|(iaio paulado, a resma a 45800.
i..,., o r.-,\m ..... ..,._ lj70 de |nn0) a re-,im a 45.500.
iiuza a 6;000.
'Vinh.i muscatel de Setubal. a garrafa a 15-
fMarras'iuinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 15200.
Chvnpagno, a duzia 20*000, e a garrafa a
ft) Wooo
PJMbAwi- reinado portuguez e francez, a garrafa
lg a 15)00.
Caica do vinho Bordeaux muito superior, a
75. 85, 95 o 105 a caixa.
'Dita, com dito branco, a 7* a eaixi.
Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro,
fitf a 205.
SpiUs con duque do Porto verdadeiro *a
1*5000.
.Ditas con chamisso suporior, a 145-

JDiUs co:n l'orto velln e outras mullas mar
125.
orto da pipa, a garrafa a 040, 720
*, cas, a 125.
<>Vinli i do Porto
'^? e800rs.
"ir.Di 10 de Lisboa
muito bom, a caada a 3*200,
'. 35500 o. 43, o a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Fidiieira. das seguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
, 4*3J0, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
> que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
'Ditos de marcas mais descoflhecidas, a eana-
I da a 3*500 e 4*000, e a garrafa a 480 e
520 r.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
[Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Dito dito
Dito de peso
2*500.
Dito de embrulho, bm a 1* e 15206.
lizo e pautado, a resma
Vinho Hadcira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 1*500 e 3*000.
Temperos.
l'olhas de louro, pimenta do reino, COtnioho
o cravo, a libra a 400 rs. I
Velas de carnauba. (
Massos com 6 velas de carnauba refinada a,
480 rs.
Amendoas.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a-1*400
e pequeos a 640 rs.
fijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
traa.
Duzias da boioes de graxa n. 97 a 2*000, e |
de latas a 1*000, e os boioes a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 rs.
Chara tos fiaos.
Charutos Anos dos melhores fabricantes da,
Bahia por diversos presos, caixai e meias,
caixas.
grande quantidade de gneros tendentes
estes estabeleeimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Laboratotio fnotogko e diimico de F. P. lebeirf e C.:
ra Hontmartre, 31, em Paris.
Fabrica cih Argenteull, pri raris (Franca).
BONIFICADO E FABIC\(J\0
Dos vinhos, agurdenles e licores.
NEM CORO AS NEM MtTKAS
VLN'HOS.Imitagao dos vinhos de todas as
qualidades, Extracto de Mednc, dose para 230
tros, 1 f. 25,de Bordeax, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Lisboa, 2 f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 25 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFIGACAOPos Ingieres, pos dos vinhos
da Hespanha, ta Franca, etc. A libra para 500
litros, 8 f.
COLOBACO.Purpirfglne para colorear os
vinhos brancos e vinhos claroi. As duas libras
AGr.ABDENTEiEssencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, b t.
KIRSCH EABlNTHO.-Essenoia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 3 f.
LICOBES.Extractos para fabricar se lodos os
licores conhecidos sem fogo nom alambique, (in-
dicar-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 25 litros, 1 f. 23.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encemmeuda.
I'TENCIHOS de laboratorio e de culmica.
c engaad j nossos
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparares
freguozes, deve-se oxigir sobre as rolhase rtulos as inlciaes F. V. L. a Paris,
0 modo d*asar-so das preparares aeha-seindicado no roalo. i-, \
A eneoromadas devem ser acoaipanhalis por unu letra sobro Paris ou qualquer outra cida-. -*'
de de Fraoija, ou garantidas por ama cisa conhecila.Diriglr-se aosSrs. Lebeuf & G. chimicos, ra\
i
GRAIOE
1RH1KE1H
RA DO IMPERADOR M* O
Jinto a o sbrad em que mora Sr. O^btrne,
Duarte Al me ida *t C, receberam de sua propria cneca a: to-
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, |>c ko
da presente estapio
Manteiga ingleza
da safra novavinda no nltimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Haatclga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
Monlmartre,n. 31, em Paris, oaa su fabric en Ar^enteuil, pr Paris.
Vende-se ua botiisa franceza, ra do imperador n. 33.
CONSULTORIO MEDICO-tMJRGHlO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HBIUCO, PARTE1RO K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas graluitas aos ppbrcs lodos os dias das 7 s 1
Horas da raanliaa, e das 6 e meias 8 horas da noile, exceptu dos dias saoiicados
Pk No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos a.?ais#s, assir comoainturas de varias dymnamrsacftes e pelos preces seuivites
Cai;teicas de l tubos grandes. I 000
de 24 tubos grandes. 1 000
de,36itubos grandes. 24)500
de 48 tubosgrandes. 30000
i .faeOttebos grawta, ,. 33*000
Prepara-se qualquerajKera vconformo o ^p*ido qe so--fiser, e o os remedi
l'.e se pedir.
Um.tubo avulso ou frasco.deHfnturad,i6aiQna W00.
Sendo para oima de 12, oustaroos precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 596 **>.
LIVHON.
A melhor obra da homeopathia, o Mitjual de Medicina Horaeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumescam diccionario............ 205000
.Medicina domestica do Dr. to'ring, ......... 103000
Repertorio do Dr. Mello Moraes...... ....... 65000
Diccionario de termos de medicina ..,.,.,..,.. 3J00G
Os remedios dete estbeleciment sao por dmais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamento recommeodados aspessoas que qui/.rera usar de remedios ver-
dadeiros^nergicos e duradores: ha tbdo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabeleeimentos europeos, a mais exacta e acharada preparado, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-seescravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operado, para o que o anaunciant Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
frmecionando a casa a mais de quatreanns, ha militas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se20000 por da durante 60 dias ed'ahi era diante 10500.
As operagoes ser3o previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.
F4BRIGV 01 CHVPOS BE SOL
Amendoas
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2^400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1-5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
tem>s velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados naste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
chegados no ultimo yapor a 2600 cada um.
lueijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pdc esperar a 700 rs.
o frasco.
figos
em libras e caixinlias ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20000.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a Ut'ra.
Id ai hvssou
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarelas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
COC.JV4C
omuito afamadocognacPalBrandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botiea
de escolente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
V 93 uni \:i'.i c!|uiui di cumboa do CUrmo e rea do
Cabng n. 8.
A lirectctria de;e fisUbjle^tftiiUio o miis importante que existe neste genero!
as provincias do norte do imperio, qu^rea lo que o publico dosta provincia goze dasj*2 _ne P_ Para embrulho de l,4oo a 2,2oo
vantageQS que proporciona a fabriociocm grande, escala e directa relaco com as mais
importantes fabricas da Europa, fez scienle que relveu-se a vender ainda mais barato
do que do costtime como demonstra a seguinte tabela :
Descont em duzia.
20
10 %
ATTEN(\0
Chapeos de sol de panno a 20000 .......
armaco de baleia a 20500 ....
> de seda armaclo deago inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28. 6.0......
Chapeos de sol inglezes a balito 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 80, de 2G 90, e de 28 100.
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130...... 15 o u
Alera de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
'como sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambera de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao to vantajososcomoosannunciados, ha
! sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
|mas de caga, os quaes vendem-se igualmente em porc3o e a retalho, notando porra
que o comprador por atacado, ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
|lhar pelo prego que o estabelcimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serao considerados como
a retalho.
^Chales de renda preta e bournus deguip preto|
A' leja da roa do Crespo n. 17,
DE
AO
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
M. 18Ra do Cabug n. 18>
Deronte a matriz de Santo Antonio,
DE
Lima & C.
i nroDrieUnos de^te noy estabelcimento avisa ao respeitavel publico, que acha-
n p-^vido do um coraploto sortimento de molhados o soceos, todos novos e por precos
>raraodos quizeramannunciar pelo jornali a existencia de seu estabe-
(doiTtnto ; porm, como az-se necessaria a noticia aos senhores de engenho e agrtcul-
Tes.que mandara seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os
D.-jorictarios o fazem agora. .
' Aproveitam a occasiao para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
ri snto se achara sempre completo de um variado st rtimenio de molhados, seceos e ou-
iros obiectos pertencentcs ao mesmo-ramo de negocio.
Seus precos serlo menos 5 por cento do que em outra qualquer parte, e para
este Jim chama-se a attenco de todos.em geral. _
Os pesos c medidas, e qualquer engao dado na casa, serao garantidos pelo dono
>>-n f ivor do consumidor, em qualquer occasio que reclamar.
Os proprietarios deste novo estabelcimento espejam dos seus freguezes, e do
.Mico oa geral toda a proteccjio, promettendo os proprietarios da Fiar dos Progr'S-
Ss tirar tao smente um lu^ra razoavel do laborioso trabalho, com que possam dar
enraprimento a esta ardua miss. \ .. .
A^hando desnecessaria a ptibli ^eneros com o que geralnionte todos fogem, polo motivo n5o somenle de ser enfa- j
- cuno'tambem pomada valer, os proprietarios tin smente em vista entreter es!
Jicos unidores com gneros novos, e precos mais razoaveis do que em mitra qual-'
Sf 'parte, pois sero as garantas para a proteccio ao Nevo Armazem de Molhados.
FLOR DOS PROGRESOS.
cfOSE 103IES VILLAR
Vende a i'S>, 0&, 30S, 405, 30$ e 60$, capas e casaedes de gros pretos, chapeos
e chapelinas de^alhae outras murtas fazendas proprias para a quaresma.
Jos Gomes Villar pretendeodo ir a Europa tratar de sua saudo espera que seus
devedqres tanto do mato como desta pra^a saldem seus dbitos quanlo antes.
V&B&
4%.&
!.). "* S*- ^}.^^! .i^ ).$ %.<$ ~-J.& IbM $M ''^
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16d rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento oa rua do Imperador n. 40.
-ora ga^affl ag 5>-@, 98 gMBgBQp 99 3nSa'@ SBS 9" 3' ^" ^^ ^M
CHEGARAM OS MODERNOS CHILES DE
FIL PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo uliimo vapor fran;ez, a
loja das columnas rua doOespon. 13, de An!onio Crrela de Vasconce-
los & C
rs. a resma.
Coriuthias
passas coriathias muito oras proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fum americano em chapa a
l,4oo rs. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,000 rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista o hliueo
o mais novo do mercado a 140 rs, a libra,
e 4#4O0 a arroba.
CEBLAS
muitonovasa 1000 ocento naruadoQoe:-
mado n. 7, rua dolniperador n. 46 elar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 30400a arroba e 140rs. a li-
bra na rua doQueimrdo n. 7, rua do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUKUO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na raa do
Quetraadon. 7, raa do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
Masas brancas
para sopa a melhor qaese pode deejar,
macarro, talharim e aleiria a 4C0 rs. a
libra e 4&00 a caixa. /
Vinht)
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 480 rs. a garrafa, e
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 12G0
a garrafa e de 100 a 12#a caixa, js mar
cas s5o as seguintes: Chamisso Filbo,
F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas doDonro e outros muito*.
Latas
cora 10 libras de baha a 4)5000.
Bolachinha ingleza
al 800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 2$400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* a bra.
'Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar
cas de 4,5500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thera Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e ,da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 803f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafee
com 4 V garrafas com vinagre a 10000 ten
ogarrafo.
GENEBRA PE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 co
. 12 frascos.
GENE&RA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada una.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixiBha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a ciixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9.3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs
a libra.
Passas muilo eras
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 0eo
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se rede de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pSo
a^., frutas em calda
cnegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
, BDsee d*e,M" da
a 600 e 10 o caixc.
. GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 3(f00 a ar-
roba el 40 rs. alibra na rua do
mado a. 7, ruadoImperadorn^'efago
do Carmo n. 9 6
BOLACHINHAS
em latas de deflerentes qualidades a 1C0
a lata
QUEIJOS FLAMENCOS
chegadosneste ultimo vapor a 28CO na rea
do Quemado n. 7, rna do Imperador r.
40 e largo do Carmo b. 9.
os sen
todos es-
t^^*0* prPrletars do grande armazem o Verdaderro"p7incDard^lar!im ,,
zz jsz?"" m eer.a1' rpara facuiur 32Etes
upuididiu os mesmosprecos nos seguintes logares:
0 Verdadeiro Principal taa do Imperador o 40
FARELLO DE LISBOA
Marea N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na rua do Imperador, n. 40.
DE
DE
J. VIGNES. $,
II. 35. RUA DO IMPERADOR M. &ft.
Os piano> desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre t
saa supcriondade, vantagens e garantas que offrecem aos compradores, ^natidades esfcs incontesta-
Teis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praea : odo-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as Toatades e caprichos das pianistas, seo-
aunca lalhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ultimameBte melhoramentos importan-
tissimos para o clima desto pa ; quanto s vozes sao melodiosas e tontadas, o por isto muito rada-
res aos oaviaos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabriea como na do Sr. Btonel, de Parts, soefo
correspondente de J. Tigms, em enja capital foram sempre premiatos em todas as axpesicoes.
No mesmo estabelcimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de musioas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianc harmnicos, sendo ludo vendido por
preces commodos e raioaveis.
.

^
T
i\/r-i


MmU de PerMMfcne efmU Itlra 13 Je
/
Fose** jutUs par flua-
mma.
Xa loja do Pa^io.
Acha-se este eslaMlecimentocompletamente sor-
Udt-de fiwmttsflrefM1 proptiafpara a qoaresoa,
Grosdeuaples pjetQ Ujtgjoe maitieaimo enewpa-
do, outros mais estrenos tendo dos pregos de
13280, 1600,1J800,13, *3**>- ? 3*. superior
moreaaliqae preto a 33, superior sarja preta hes-
panhola, superior setim preto maco, ricas oapas
pretas bordadas, sotembarqoes muito bem enfei-
tadas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
aos que lem viudo, superiores manteletes, camisi-
has com manguitos proprias para lulo e ricos
chaJes pretos de rede, lodo islo se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na lja do Pavao ra da rmperatriz. a. 60
de Gama & Silva.
As roupas* do Pav5o.
Acha-se este estabelecimento uin grande sorti-
raento de roupas fetas para homeni como se)*m :
superiores paiciou sobrecasacoe de panno preto
maito fino e (ornados de seda a 223. 253 c 303,
ditos forrados de alpaca a 1*4, 164 *03> SUDe"
riores paletots de caseraira tanto saceos como so-
breeamco, dttos de meia easemira pretos e de co-
res, ditos de bnm de todas as qualidades, colletes
deoaseaiira pretos e de cores, velludos, setins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
metnoree nwstres nacionaes, manda-se faier anal-
quer obra por medida : na loja do Pavao ra d
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas wd cortes coa 40, 14 e 12 covados
Na loja do Pavo vndese urna grande poreo
de cortes de chitas -ancezas sendo claras e escu-
ras todas de cres /as com 10 covados a 34200,
com 11 covados a 34800 e com 12 covades a 14,
pecbineha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo( detian <& Silva, roa da Imperatriz n. 60.
raade liquidaos
Roa da Imperatriz
do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimeotocompletamente sor-
Grande liquidado de ftzen-
das finas, ra da Impe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara m 56*, de Lourenco P.
Mendes Guimar&es.
Fzendas para e carnaval.
A'ende-se vt ibuna de todas as cores a 800 rs. o
eovado, ganga encamada a '60 o corado, sarjelim
de cores a 280 o eovado, alpaca de cores propria
para vestuarios a 380 e 360 o eovado, tafet de seda
de todas as cores a GOOts. o eovado: roa da Impe-
ratriz, loja da Arar o. 56.
Chitas barata a 240 rs.
Vendem-se chitas finas a 240 e 280 o eovado,
hitas francezas finas a 320, 300 e 400 rs., cassas
finas de cores a 320 e 400 rs. o eovado, percalas
[finas para vestido* o 500 e 560 o eovado : ra da
Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Cartes de eambraias, a Arara vende a 3$.
Yendem-se rrtes de eambraias linas brancas a
34300, 44 e 35, corle? de cassas francezas finas a
34, corles de chita de 10 covados a 24400, ditas
finas a 34200 : na loja da Arara, roa da Impera-
triz, n. 56.
Arara vende crtes de easemira preta a 3#i00.
Vendem-se corles de easemira preta a 34500,
i4, 54e64, ditas de cores a 34,44, 54 e 74, cor-
tes de brim c ganga para raiga a 14600, 14800 e
24 : ruada Imperatri?, loja da Arara n. 56.
Panno de linlio a G40 rs.
Vende-se panno do hnho para lences e toalhas
a 610 e 720, hamburgo a 500 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 34 c 2#500 : ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende os balits a 3> e madapalo a 4$.
Vendem-se balea americanos a 34.34500 e44,
de madapolo

:
Si) t*V'.'Kl' ,&
; I, i. .
AO PUBUCO
em o menor eonstran-
glmento se entregar o
Importe do genero qne
n3o agradar.
" >? ./ th oavlqpw
flTTENC&O
Os nreeos da segnlnte
tabella para todos, pe-
deudo asslm servir de ba-
se para o ajnste de eontas
com os portadores.
ARMAZEM UNIO MERCANTIL
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concclcao)
PARA BEM DE TODOS.
lOLHIMIA
Para 1865
Acham-se.aoaiMif raiia ns, 6 e 8 da
praca da Independencia: .
A FOLHINIIA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas ,
de feriados, de emolumentas dos irit-
naes do commereio, etc. a leo rs.
A FOLHINIIA DE ALGIBEIRA conlcndb o
mesmo que aquella e mais .ma nova. ,
Salve Rainha em versos, o Stabat Water
em verso, deuoco ae agonisante, c< racSor K
de Jess, cntico em Iquvor do SantisSi-j t
mo Rosario, cntico a Virgen Mara Nos- (
sa Senhora, trinta e tres chistosas anee-, ,
dotas, um indito poema sobr as SyeB-j
turas de um cozinheiro, o canto de uma^ %
solteira (poesa), crescido numero de ma-(" ,
ximas e pensamentos, urna historia cmo, ,
muitas (romance), e vinte cinco novas et ;
nilhericas charadas a 320 rs. s
Farinlia de milho.
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e_mais que todo a promptido e inlei-' Vendem-se barricas de tarinha de milboaue
reza com que serao tratados', convida a urna visita ao mesmo, certos d que sem duvida me darao a ptoteceo e preferencia na com-'cana de c arrobas: na ra do Ranpe n
3. -
pra dos generes que prec sarem,
, e quando nao possam \r podero' mandar seus portadores, anda que estes tejam pouco praticos,;
pois serao to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaia'o, afim de qnen5ov3oem.
outra parte.
*3MJW<* *i*^B
ditos de musselina a 44500, pecas
n~6t) loca deJfSzetldas,l,nfoslado a 44, dito de 24 jardas.largo, a 64000,
i 64500, 74, 84, 94, 104 e 124, fm<*. algtdao pe-
cas a 54, 64, 74 e 84 : ra da Imperetriz, loja
da Arara n. 56.
Udo de fajendas inglezas. rranceaas, aHeaiM e Sontambarqaes pretTs a 205
SBt&s&Bjm&Bsmss
84, ditos de alpaca brances a 84 e 104, ricos ves-
porcSOj e de' toda* as fzendas do-se amastras,
deixando (lcar penhor, ou mandam-se levar em ca
sa pelos eaiHeiro* da loja do PavSo.
Camisiulias a \$. ,
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pele barate pcef o de dez lusuies cada
nma : na loja do l'avo, raa da toperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 35.
Vendem-se muito besitos cortes d cassa, tendo
7 varas cada corte, com dgse&hos maito delicados
pelo baratissimo pre^o loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambriias lisas, na loja do Pfcvo.
Vendem-se pe^as de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo barariSsirtio Dre$o de
45 tendo 81|2 varas cada peca, ditas muito finas
a 75, 85 e 94 a pe(ja, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo pref d8 1$, '9$ e 10>, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara oa S4600 a pe-
ca : isto na loja do Pavao ra da Impojatriz n. 60,
de Gama* Silva.
Os vede> do Pavo.
Grande pechweba a 34500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente mitaca de urlaiana cora mnitos
delicados desenloa, mnko proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo preco ne 34500 cada oro,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 7A, sa loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 4/) e a 7*
Na loja do Pavao venden-se ricos cortos de vesti-
dos Mara Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato preco de 44 e J4, sedo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porcao, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Os eafeits de Pavo.
Vendem-se os mafs modernos ettfeltes para cabeca
de senhora : na loja doPavSo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos barates presos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porcao : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
As lazinhas transparentes a 400 rs.
Na loja do Pawo vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de Kslas mindinhas
a imitaco das sedinhas, pelo barato pre^o de 400
rs. o eovado ; ditas entestadas de urna s cor e
ditas de salpiquinhos proprias par* vestidos e rou-
pas de criangas : na Lija do Pavo ra da Impera-
triz q 60. de Gama & Silva.
Ricos soutainbarques do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortlmento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato preco de
204, 225, 254, 304- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em conta: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n.-60, de Gama & Silva.
Casimiras eseosseusa 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para calcas, cotletes, paletots, roupas para
enancas : na loja do Pavio, ra da Imperatriz
D. 60, de Gama & Silva.
Aos viole mil cavados de lia.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com llstras e quadriohos miudintios, e
lisas, lendo de todas as cores, assira con pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo preco de 240
rs. o eovado ; ditas transparentes com palminhas
de soda Mara Pia, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada eovado, isto por haver urna grande
porco : na ra da Imperatriz b. 60, de Gama
Silta.
Vestidos Maria pia,
Grande pechincha a 105000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de laa Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo preco de 104 o cor-
te, ditos deprcala com lindas barras e enfeites,
cora 19 covados cada um a 104, ditos de cambraia
cora barras bordadas acrox no ultimo gosto, pe-
lo barato prec0 de 64 : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n.ft, de Gama & Silva.
Cassas de liaho a 860 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para enancas, com
muito delicadas cores, a moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o eovado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
LSazlahas Haas
tldos Mara Pia de novo gostoa 84, 124. **>
164 e 204 : ra da Imperatriz, loja e armazem da
Arara n. 56.
Grande sortlmento de rsnpa
feita.
Vendem-se paletots de easemira de cores a 55,
64,84 e 104, ditos pretos de panno Uno, sobreca-
Sacas a 124,14, f64 e 254, paletots saceos pretos
de panno a 54, 64, 84 e 105, calcas de easemira
preta a 44. 64 e 84, ditos de easemira de cor a
44,64 e 84, ditos de meia easemira a 34 631600,
ditos de brim e ganga a 24 e 24560, ditos de brim
branco a 34500 e 44, colletes de todas as qualida-
des,camisas francezas a 24 e 24500, ditasinglezas
de linho de pffegas largas a 34 e 34500, ceroulas
a 14280,14600 e 24, paletots de brim de cor a 24
e 34, ditos de alpaca prela a 35 e 34500, ditos de
alpaca branca a 44500, ditos de alpaca de cordSo
a 44, colariohos de linho a 640, ditos de papel a
640 a duzia : na roa da Imperatriz, loja da Arara
numero 56. O proprietarioda loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fzendas se vende
em perfeitoestado, como os compradores peder"
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da
noite : ra da imperatriz, loja da Arara n. 56, de
Mendes Guimares.
Arara vende baldes de arcos a 3,000.
Venoe-se baloes de arcos a 34, 34500 e 44, lin-
das golinhas para meninas e senhoras a 240e 320,
camisinhas a 14,24, 34 e 44300 : na ra da Im-
peratriz loja da Arara n. 56.
Grande liquidar5o de roupa feita t seroulas
a 10606.
Vende-se paletots de casemras de cores e pretos
a 54,64,84 e 104, ditos sobrecesacos a 124, 144,
164,184 c 204, calcas de caseraira preta a 54,
64, 84, calcas de easemira de cor a 54, 6a e 74,
calcas de brim de cor a 24 e 25500, paletots de
brim de eflr a 25.25300 e 34, paletots de alpaca
preta a 35, 44 e 54, col leles de easemira preta e
brim de cora 14500 e 24, camisas francezas a
24 e 24500, ditas inglezas de pregas largas de li-
nho a 34 e 38500 e outras umitas roupas fetas
que se vende barato : na ra da Imperatrii nu-
mero 56.
Liquidagao de madapolo a peca a 40.
Vendem-se pecas de madapolo entestado de 12
jardas a 45, madapolo inglez de 24 jardas a 65,
75,85, 104 e 124, pecas de algodo a 54, 64, 74
e 84000.
Arara vende cobertas a 20.
Vend-se cobertas de chita a 24, ditas de da-
masco a 44 : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara rende cortes de easemira preto a 33.
Vende-se cortes de easemira preta a 34, 34500,
44, 54,64 e 74, dita de caseraira de cor para cal-
ca a 34, 44, 54 e 64- panno preto para calca e
palewt a 24,24500,34,34500, 44, 54 e 64 o eo-
vado, easemira preta fina setim a 24, 24500 e 34
o eovado : na ra da Imperatriz n. 56.
Arara \ ende chitas finas a 240 e 280 rs.
Vonde-se cbitas finas a 240 e 280 o eovado, di-
las largas a 300, 320, 360 e 400 rs. o eovado, cas-
sas francezas finas a 320, 360 e 400 o eovado, per-
calas linas para vestidos a 500 e 560 o eovado :
na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Vede-se na Arara cortes de brim a 10600
Vende-se cortes de bnm de cor a 14600 e 24,
ditos de meia easemira a 25500 e 34, ganga para
calca e palltots a 500 e 400 rs. o eovado : na rna
da Imperatriz n. 56.
Arara vend 1 chitas para coberta a 320.
Vende-se chitas para coberta a 320 9 eovado,
ditas francezas a 360 e 400, chapeos de sol de se-
da a 64500, 74 e 84, chapeos de panninho a 24 e
23500, e outras multas fazends qtft se vende por
baratissimo preco paraapuraT dinheiro a loja est
aberta at 9 horas da noite : na ra da Imperatriz
n. 56, loja da Arara de Lourenco Perelra Mendes
Guimares.
Grande sorliraento de fzendas baratas na rna da
Imperatriz loja e armazem do Arara n. 06, de
Lourenco IVreir Mendes Guimares.
O proprietario deste estabelecimento retira-se
para a Europa a tratar de sua sade, por isso vai
fazer de novo urna liquidaco para feixar eontas.
Aproveitem a occasio freguezes.
Cortes de chita a 20100.
Vendem-se cortes de chita fina a 23*00,24800 e
35200, ditos de cassa franceza a 34000, ditos de
cambraia de babados a 3:000, pecas de cambraia
branca a 34500, 4)500 e 65000. Ra da Impera-
trie loja do Arara n. 56.
Fzendas pretas par a qoaresma. Grosdenaple
a 10600.
Vendem-se grosdenaple preto a 1*600, 14800,
22000 e 2500, dito de 5 palmos de lar*o a 3O00.
Moranlique preto fino para vestidos a 34000 o eo-
vado, sarja hespanhola a 2)500 o eovado. Roa da
Manteiga ingleza especialaiente escclhida a
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem frauceza a mais nova do mercado a 9 jo
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a \ ,60o rs.
Aletria, macarrio e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nlia branca ou amar ella a 64o rs. a libra e
:i,uo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de G caadas a
3,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e..5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,50o, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 400 e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e J,5oo.
dem preto o que se pode desojar neste ge- Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, erw
para temperar panella ou para fiambre^
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de veila a
2,000 rs.
Idemlondrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato? 800 rs. a libra, e.inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 640.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e u,5eo
rs. a duzia.
dem dem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez bespanbol e suisso a 9oo,
i,ooo e 1,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e om caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa c 64o o 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque'genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,000 e 1 o,ooo- a-caixa com 1 duzia c 9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
Viotio Cherexde superior qualidade a 16,000
a duzia e l.yoo-rs. agarrafa-.
Sard mitas de Na utos a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 6,000 a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachiriiia8 de soda em latas de diversas
qualidades-a 1.3oo rs.
Cartcs oombol francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
I'assas muito novas em caixinbas enfeitadas
para mimo a 3,noo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de Gasea mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Blachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a !f$5oo.
Ameixas franc zas em oaixinhas de diversos
tamanlios com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, i,600, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez
a 9op rs. a garrafa e 10:000 a caixa
conta certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos, o gigo com 36 libras.
a 75o rs. o frasco e
Caf"
grandes a 1,000 eH,ooors. a frasqueira. Conser|as inglezas
f do Bjo de 1* qualidade a 28o rs. ali-' 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oors. a arroba.
Arroz do MaranhSo de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a lgo rs.
arroba.
Vassouras de escora para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo. a 16o rs.
a libra e 2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino" de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, I.> a garrafae 11,000 a duzia.
loe. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Ceneja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fui la-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Ha vana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte,Ma
nilhasde Ha vana, intervallos. Vencedores,
Panalellas-e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caisa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinlia de aramia verdadeira a 32o rs.
libra.
Matte. excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sbollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a gro6a.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra '8i5oo a arroba.
Barrha de porco refinada a 50o rs. a libra.
Bofechinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2;ooo
a lata.
Fariiiba do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e 4,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanbos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Roibos, excellente peixe portuguez, em
Larris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasera ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
t,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o g'fgo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
* nos, per diversos preces.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego
damasco, rainha Claudia e-cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
ESCRITOS FGIDOS.
Fugio na noite do da 4 do^crranle da aua
de Jos Pedro do Reg o pretoManoel, e^eravode
Manoel Gomes da Cunha, senhor do engeabo Ma-
raco do termo de Nazareth, o qual tem o> sign.-r*
seguintes : rosto redondo, barbao, cheio do cor-
po, com falla de denles no lado superior, <|u tidj
do umbigo, tem cicatrizas as ndela moUnJ^
ter sido cestigado, levou vestido camisa do alpxid2o
ricadoazul e caiga da mesma fazenda : i;iii hr.u
apprehender leve-o a cjsa do mesmo Jos Pcdn
do Rgo, na ru das Crozes o. '8. ou a ra da
Cadeia do Recife u. t&, de Leal & Iranio, can
pondenle do senhor do dito escravo._________
Aos capilar* de cania.
Fugio no dia 27 de levereiro deste anna, de m-
sa de seu senhor o escravo Sebasiio, cribulo, fu-
lo, com id ^le de 22 a 2i anno, foi escravo c*o
senhor do engenho Quandus da comarca de Sanio-
Antao, d'onde liaba vindo para e.-la i-idade '
das, de presumir que sepnisse |>ara TaquaritiB-
ga aonde tem mi e irmos, levou caiga -omisa
branca bastante soja altera regular, cbello a e
covinha, cabeca pequea e redonda, testa grande e
bem cantuda, olhos pretos e regolarps, nariz cha-
to, bocea regular, beigos regulares, denles todo e
limados, nenhuma fcara,apetias um pequeo lif 0-
i, corpo bem tirapo, ps regulares e pvuco lar-
gos: roga-se portante aos Srs. capitacs de cao=p.o
a apprenenso do mesmo a entrega lo ra &?
Imperador n. 83, segundo andar, defronte do'cr-
relo, qne se gralifleara com BOJ._____________
Negro fugnio
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro deste
anno o preto Joaquina, de sagae Angola, que loi .
escravo do Sr. capitao Francisco Joaqun Caval-
eanti Galvao, morador em Maria Familia (Praij%
o qual vendeu-o nesta ciade em dezemliro do au-
no passado ao Sr. Maioel Praocisvn Maiqnes eetn
armazem de assucar a ra de Apollo ; levou ca-
misa e caiga de algodao branco, reprsenla ter de
4o a 50 annos de Idade, alto e de gros>ura regu-
lar, cor fula, cabe1?* eomprlda, qoeiios largos,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe- 1
rior um tanto defeituoso, bstanle barba, poira
raspada, finalmente tem urna grand* roMiira entro
os peitos proveniente de queimadnra, e scppo>-ae '
terse dirigido para o norte, d'onde veio : gratt-
ca-se a quem o apprehender ou denunciar o coito
era que esliver : na roa da Cadeia do Hcrife so-
mero 52.
Avise
aos capites de campo e a polica.
Desappareceu em pjineipio do mea de outuhrt
do anno passado, de bordo do painabcte racional
A-juio lalo, dons escraves de non es lii hrkr
(p'or apellido Macelo), e Miguel \ o Io de idade hX
annos, pouco mais ou menos, cri-nlo, cor fula,
estatura baixa, barba serrada, um peuro turto das
pernas, e com alguns cabellos branrr., tarto ca
barba como na cabega ; o alto. 'cheio dn rorpd,
sem barba o falla grossa, representa ter de 2-5 .
30 annos, cujos escravos desconfin-se andarf b> pe- t
los arrabaldes desta cidade : quem os apprehrn-
der qneiram levar a rna do Trapiche n. 4, qne
ser generesaraente gratificado. ____
Negra fgida.
Ausenlou-se no dia 5 de marco de casa de feo ,
senhor roa do Mondego n. 2, a escrava ce m>iC6'
Therea, preta tola, alia e cheia do ci.rp, vlur-sa -
e despachada, natnral do sertao e consta que ain-<
da est na praca, levou bastante rouiia : quen a* .
prender e entrega-la ser bem recompensad.
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queimado, n. 49 e SS. E' para admirar.
Garretis de lintia com 150 jardas...... 60
Ditos cora 200 jardas de Alejandre de
12 a60.............................. 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
Novellos de Imita grandes com 400 jar-
das ..................:.............. 80
dem dem brancos e fle cores de 100
jard.s..................-............. 30
Livros para assento de roupa lavada... 100
Cordo branco para esparlilue (vara)
Varas de franja branca larga.......... 100
Pares de botoes de punho todos de cores 120
Tioteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costuras tinase nabas 400
Ditas para costuras com loque d'avaria 200
Kscovas para limpar denles muito unas
160,200e.............................. 320
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas eom 20 caderuos, raptl pauudo e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
Vendera-se as mais finas lazinhas de nina s I Imperatriz loja do Arara n. 56.
cor, tendo grande sortimento : na Iqja do Pavo>
raa da Imperatriz n.0, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pawao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretas, etambemoom asientos decores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercido, ricamente bordados e eercotados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura -,
estes mo'lernissimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem orna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, aesim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da im-
peratriz n. 60, loja do Pavao.
Soutrabarquesde coe na oja
doPavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarqnes oe cores, sendo es mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, eom
adornos di velludo, seda e setim, renda, ele. s
viMa do grande ortTmento e" qne os fregnezes
podem dar o venrafletro apreco a eM fauenda, e
vende-se pr diffewrrtes-'precos eonferme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, ruada
Imperatriz n. 60.
Bramanle de linho a 2H00.
Vende-sc bramante de linho para lengoes, de 10
parnos a 2a00 a vara, brim liso a 500, 560 e
640 a vara, sarja de laa preta para calcas e pali-
tos a 640 e 800 o eovado, alpaca preta a 50, 600
e 800 o eovado. Ra da Imperatriz loja do Arara
n. 36.
Sutambarqiies a 8000 c 10*100.
Vendem-se sutambarques de laazinha a 7,5000,
83OOO e 105000, ditos de grosdenaple prete a
-2O5OOO, 2530^0 e 303000, capas pretas a 203000,
SJJJjOOO e 30;000, vestidos de barra de mussulina
a i**a0, 14*000, 163000 e 183000. Roa da
Imperatriz leja do Arara n. 56._______________
Vndese a casa de molhados na rna da Im
peratriz u. 34, por seu dono ter de retirar se para
tratar de sua saode,~faz-se todo o negocio : a fal-
lar na mesma cima.
ATTENQnO.
Iho)....
Meadas de linha frooxa para bordar...
Pares de sapatos de tranca........
Massos com superiores grampas para
senhora.............o...........
Fraseos de macaga perola mnito saerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e......................-.-
Ditos e garrafiohas de agua de Colonia
mnio lina.......................
Ditos de banba a Ganbaldi e da familia
imperial........................
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qnahdade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pegas de bicos francezes e renaas.....
Frascos de agua demtfriee nmmIo supe-
rior..............................
Caixas eom 4 papis de agulhas a balo
e Victoria..........>........,....
Libras de la sendo de todas as cores...
Bonecos vertidos e tambera de choro...
Caixas com superiores obreas........
Ditas de linha de gaz eom 50 novellos..
Enfiadfiras de fita para espanilhos.....
Carretis de linha de cores com 100 Jar-.
das.............................
Pegas de cordo imperial............
20
20
13500
30
200
500
400
900
240
320
320
800
200
G3000
160
40
00
60
20
40
Bixas hamlMirgaeas.
fe Vende-se na raa Novan. 61.
Vende-se chita franceza larga a 260 rs. o eova-
do : na loja do passeio publico n. 5, sobrado do
Sr. Maa.__________________________ .
Vcade-se calcado francez da barca franceza
S. Joao ifa l.uz, na rna do Livramento n. 21."
Borzoguins de lustre (fiantes) 63000. '
Ditos de hezerro de tres solas (Nanfes) 63000.
Ditos de bezerra de dnas solas 63OOO.
Sapatos de tapete 640 rs.
PRELO
a 33500 : na ra larga do Rosario n. 50, taberna
da esquina que volta para a ra estreita do Ro-
sario.
lilao a 4,000.
Na rna larga do Rosario n. 50, taberna da es-
quina que volta para a da estreita do Rosario.
BOTICA E DROGARA
Bartholomeu Fraacssco deSoaza&C.
31 Rna larga de Roaarie34
Vendem:
PitnlnsHolloway.
Pitlas do Dr. Laville.
Pilulas do Dr. Alian.
Pillas do Pobre-homem.
Pilutas americanas.
Plalas vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas d Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
VinhodeSalsaparrilnadeCb Albert.'
InjecgoFeaugas.
Agua dentiScade Desirabode.
Papelchiraico, para tainos,
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anli-epileticos deBrest.
RobL'AVecleor.
Xarope do Bosque.
Ungento Hotloway.
pechincha na nova loja de fzendas
roupa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n. 72.
Peckineha a 240 rs. o corado de chita.
Vendem-se chitas de cores flxas a 240,280 rs. o
eovado, dMas francezas tergas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o eovado : pecas de madapolo fino a 63,
73, 83, 93 e 103; pegas de algodo a 5& 63, 7
e 83 : roa da Imperatriz n. 72.
Ronpa feita nacional.
Vendem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 53, 63, 83 e 103, ditos sobrecazaros a 12, 14
e 163 Palitos de brim de cor a 23500, 33 e 33300
rs., caigas de cazemira preta a 6, 7 e 8, ditas
de cazemira de cor a 5, 63 7, e 83 ; eoletes de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 15500,
e 23500 rs.,; caigas de brim de cor a 23, 23300 :
ra da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores a 7, 84 e 10.
Vendem-se soutambarque de la e seda para se-
nhoras a 7, 83 e 103 ; ditos de grosdenaple pre-
to a 20 e 253 ; capas pretas a 20 e 253 ; vesti-
dos de la a Maria Pa a 123, li o 1G3 : ra da
Imperatriz 0. 72.
Caries de cazemira preta a 3$.
Vendem-se cortas de cazemira preta para caiga
a 33, 33500, 63 63 e 63, ditos de cazemira de
cor a 33, 43,31, e 73, ditos de brim de cores a
15600, e 25, ditos de chitas finas a 23100 e 33200,
ditos de cassas franceza a 33 : ruada Imperatriz
loja do barateiro u. 72.
FIJ5o
Na rna da Madre de Dos n. 9 vende-se feijao
mulatinho,dito branco,edito preto, mis barato
do que em ontra qualquer parte, approveitem a
peehincbaqoe a quaresma bate porta.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na raa do Queimado n. 49 e 55 lejas de miude-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parle, quem qolzer ver o que ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito finas....
Enfeites do melhor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do moibor gosie e modernas.
Volta para pescogo do melbor gosto....
Baralhos para vltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de liaba que
lem muita serventa.................
Duzia de pennas d"ago mnito superiores
Frascos de oleo Bboza muito finos.....
Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa........................... 23400
Duzia de colheres de.metal muito finas
. para eh........................
Grosas de botoes, de oseo para calca...
Grosas de botoes madrepcrula para ca-
rniza..............................
Groas de botdes de longa prateados
mmto fines:.....................
Varas de babada do Porto sonido.....
Duzias de lapes differenles qualidade a
240..............................
Quadernos de papel de peso muito fino.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e garro muito boas....
Sa bonete de espuma muito superior...
Capachos compridos a redondos muito
bots.............................
Di tos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Esencia oriental para tirar nodoas de
roupa...................... .....
Creiao para dezenho de todas as qua-
lidades...........................
Cartas de affinetes francezes mnito su-
periores..........................
Caixas de colchetes francezes a 40 ris
Duzia............................
Carretis de retros com qualro oitavas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.........................
No dia 5 de margo aosentou-se da casa de sef
senhor, Jos dos Santos Ramos de Olveira rea feo
Mondego n. 2, a escrava de oome Thereza, prctan
fula, anda moga, alta, cheia do corpo, vistosa'"
despachada, levou bastante ronpa. consta qne W
para casa de seo ex senhor Manoel Joaquim
veira em Caruarn', e por Isso pede-se a qwm M
encontrar qae a prenda e remeta para esta pragat
a seu senhor, que recompensar bem a quem lho
a entregar.________________________ .
de margo prximo
nome Malhias, <$f
300
240
320
25500
15280
500
500
240
060
060
200
240
300
13500
200
500
2r
06
400
030
23000
234O0
040
500
23000
[10
500
020
100
360
800
200
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidsde a
I a lata : nos armazensda raa do Im-
perador n.1'6 e ra do Trapiche Novon. 8.
Fugio no dia 18
passado, um cabra de
engenho Pontal termo de Sefinhaem. jufcj
ga-se elle andar para as bandas de 1'oifA 'f
Calvo, a titulo de ferro, com os signaes *e-^
guintes: cor cabra, corpe grosso, carelFS?
carapiRliados, com bigode e peqirena barba*
no queixo, tem urna das pernas ma s gro-
sa que a outra motivado de urna f ridacreh^
que anda conserva, temum dedo do p'por'
cima do outro encostado ao d-do grande tf.
tem falta de um dente na frente no qnvixrj*
decima.carrein) etrabalha de sapateTro:'
quem o pegar ou delle d'r nntiri cerls t-'
r lOO^dejfratifkac*) no mesmo engento
Pontal ou em casa doSr. Manoel AI ve- Per-*
reir, nesta praca, assim como o AMtefri
cravo madou o nome de Matbias para o dOJ
^Joaquim Antonio,
Escravo fgido.
Fngio da casa do abaixo assignado um moleqoe
de nome Euzebio, cotilos signaes siguiles : ida-
de de 12 annos, secco do corpo, ps *.rros, i Ibos*
regatares e arnmaeados, cabega nm pouco grand
e meia chata, muito pelo, o qual diziin andar ptl9i
Campo Verde e Santo Amarioho : quem o ai prn-
hender leve-o a ra da Mangueira, sobrado u. 5,
que se gratificar o sea trabalho.
Pedro Affemo de Mello.
Gratificado de lOOf
Fugio dos abaixo assignado no dia 8 de Janeiro
deste anno o seu escravo erioulo de mmie J-^,
com os signaos seguales : eabta esrnrn, cabil-
los carapinho?, estatura baixa, cheio do corp, pt
largos, e faz ura geito as pernas quando anua, ,
muito pouco barbado, e tem urna cicatriz bem vi-
slvel em um lado do queixo; qoaiit. a roui a lio*
ha signaes por ter levado neis do <> a do c< rp,,
mas o chapeo do Chile GarbaMi ; euj eM-ia^
vo compramos junto cpm outro ao Sr. capitao Sil-,
vino Guliherme de Barros, e este seifh-r os navia
comprado ao Sr. Joao Cahral, morador erp Nar-'
reth. Consta-nos qae o eferido scravo antes de
pertencerao Sr. Cabral, tora -de o senhor m> r-
morador no Brejo d'Areia, onde o dito escravfh,
casado e tem filhos, tendo nltimarr.enie iwrri.'o
a mulher. Sabemos com tetrnf a
esle nosso seravo em Bao dHiUbo com dirrc^a*
quelles lugares : roga-w poManU s auicndad*,
policises e a qualqner particular a captura daL
mesmo escravo, e trazerem-no aos ens serbores-
nesta praca, roa d Imperatriz n. 46, refinagao,
que se gralifleara eem 1003. '
Luiz da Silva Ferretra & C
[
\l

171
, I A mmmm m





Diarlo de rrr.ambnco ... Nrcunda letra 13 de Wareo ie 1KU5.
LTTERATORA.
O baptismo de ar. Senhor lesas
Chrtsto.
Trinta annos poaco roais ou menos depois do
nascimento de Jess Christo a Judea nao era roais
aro reino; Roma, extinguindo seu nome a tinba
devidido ero provincias do imperio. Ha quinze an-
nos, Tiberio reinava. Poncio Pilato governava a
A prostitu?**.
t. i extremo da aldeia em que pousamos, dormi
m ca humilde choupani. Havla defronte urna ca-
A* ** 1*2 Es abas de serra coroada de j^Jj^ZZ S^
IM-oros negros e solitar.os. All, apartad, de toda ch0Dda. LysinaS) da prov|cJa de A Anna
ai banana cmversio, habitava a pobre Mirla, cuja e cp,,,, eram pon,flces 0Q dQS sacer_
histeria depois me conlaram. Ao romper do sol sa- J oles. Eofi0f di, 0 evange|sla s. Lucas; Deus
I..u. olla do aumado tugurio, e veiu sentar-se em ,eI ouvir sua palavra a Joo, fllho de Zacharias, no
* 'i pe Ira encostada ao limiar da porta :vioha deserto.
fcaber algim consolo na lu beneBcente do astro ja0) educado em silencio, nao se (inba anda re
das, mnitas rezes bem rades, que temos de percor-
rer, antes de entrarmos no valle das sombras da
morte, e rcpousarmos sobre a re va onde descan-
sara os nossos antepassados,
E' em seus bracos que vemos cablr o vn qne
nos rooba a vista do mundo dos vivos; mas antes
que sua doce mo nOs feche os olhos, ella nos mos-
tra anda no afastamento e por Ibbre o borisonte
estreito do tmulo, sua radiante e pacifica estrella,
a nica que nao se apaga nunca.
A esperanga participa da natureza dos tonhos,
e nos colloca como alies as regios dos encantos;
porm, durante os sonhos da noute, nossa imagina.
Sao vagabunda erra ao acaso como ura batel sera
voz, ero nossa poca disherdada de milagres, e
multo digna de o ser.
Citare! para prova um Tacto :
Uro brigue americano naufragou sobre urna cos-
ta inhspita da frica, onde a equfpagem nao linha
outra perspectiva se nao a morte.
U eaplto e seus compaoheiros se preparara a
E' do C. A. Hachado esla poesa :
PEBXAMBCO.
(Aqs meus comprovincianos).
razer-se ao alto mar em um pequeo batel.; jo-..................
Espada pernambucana
uesembainha-te e vae.
(T. B.de Menezes).
fodi; do nico ente do universo que ainda ama- velado ao mundo. Como osNaxareus; nio beba! e Dao temos P0(,erio sobre os quadros iu-
e aae ainda Ihe era benigno. Via-se-Ihe no ros- aam vinhn nam irn ,.inU i.J.,a.__*.-,. I constantes e alguraas vezes lgubres que ella nos
, e que ainda Ihe era benigno. Via-se-Ihe no ros-
to j ie raais dissolujes do que annos haviam en-
v h.'Cido, c no corpo curvado, e no arraslar das
gtss-las, q'i'' a doenga e a ddr de largo lempo se
nem vinno, era outra qualquer bebida embria
gante; se nutria com locusta e mel silvestre, e co-
ma tao pouco, que o fllho de eus dizia delle :
Joo appareceu no meio dos homens, nao co-
representa.
Era nossos sonhos do dia, somos nos que temos
a varinlia mgica e que creamos, nos espagos do
futuro, scenas encantadoras e conforme nossos gos,
tos.
O pobre marinheiro, este lilho do pergo, esse
alumno da tempestado, iilude as horas do quarto-
quando ludo dorme sobre o mar, e que a sombra
da la brinca sobre as vagas,considerando na hora
desejada do regresso. Elle v sua mullier, seus ti
lhos, seus honrados visinhos, correndo a seu en-
contr, e sacudlndo com um gesto ingenuo e meio
- uu iiiciu uu uuiiiens, nao co-
I:-haviam apossado dos membros, para nnnca mendo e nao bebendo. Vestia-se com urna pelle de
rali a dosacorapanharem. A justiga de Deus Ihe (camello ciBgida com um cintfJrio de couro Obede-
nfuara no corago abundancia de remorsos, e a cendo as ordens de seu eus Joo se transportou
flus boroeos ll>* eotoroava sobre a front- ampio para as margens do Jourdam, chamando os ho-
iraso farto de ignominia. Nenhum habitante da al- mens a penitencia, e annunciando a vinda do Mes-
ir h se chegava mulher do opprobrio : s o tro-: ias.
pal dos mocos quando sahiam a Mgar por essas Aos accentos desla voz propbetca e>angelsan-
campias, passando pela amaldigoada do povo, a do a hora nova da redsmpgo tantas veses predila
scaroedaia, e os raais velhos ensinavam aos in-! to ardentemente esperada, Israel se moveu a Jo-
t ites palavras vituperiosas; e de boceas innocea- dea mteira, a cdade sania, as regies que avisi-
s sahia o nome de prostitua, que vinha travar nham as bordas do ro sagrado.se abalaram e cor-
fio coracao da deslitosa, e Ih'o lacerava ; porque (rerara para ouvir a palavra do prophela o cerca-
rla bom sabia que tal nome era para sempre o vam com taola soffreguido quanta era a esperar
4.41. Calada soffria as injurias, porque ninuem de um povo, quera desde longos annos Deus nao
este mundo se doeria della, e aos queixumes Ihe tinha deixado cabir sobre hornera algum de Israel
respMderitm os que a ouvissem recordando-lhe Ura raio desta sciencia divina que patenleia os se- Maria' a ePeranfa do marinheiro.
i das da sua dissoluta mocidade. Os vicios Ihe nrpdn An imnm a mm.^j.j. *~ n-
Cih apagado noseiotodasas ,das *peranco- *!S,^lA,"f^ MWS?5 L D,mim a Tm^hi ^ canho o tira
... ... v a s"npiicidade de suas vestimentas, a paidez de do seu ertase, e as cores espa hadas do nuadrn n5n
su da religo, e na desventura nao quena era suas fe.fSes. a sant.dade de sua vida arastavaro I se desfarera imaedlnu^Tlta .J^i
, M soccorrer.se a D.us. Mor.a a contrad.cao as massas> davam a sua pa,ara Uffla au[oridade |ham confundir como urna
V Z \ *?T re5,aVa/ C,erH C"ea dC graDd"a e de P0der- Paisaem desapparece S^'*SSZ
fo ca Bea os remordimientos ah Ihe geravam seoao tsaias iiuvnriinBrii.AH,....n___ I .
fl sebero raudo. O Senhor tinha esgo.ado no cora-!. os Iminhos do ZZ JllZ .' P I 5r 8T PreSeD,eS S de Ordinario l5 in-
tZ dapobre Maria oda a furia da ving.nca celeste.: ^^Z^^i SSinh I? I ""*"? ^^ ^ ^^ ^"^^
6 v oao valle sera aterrado, toda montanha, toda col- mais pobre em felicidade que o ultimo dos mend-
i ilha de ptet aoastados, educada nos miraos e,' "|na' fa aP'amada as estradas tortuosas serao gos em fortuna, se elle nao tivesse sua disposi
aalw da ed-i... saboreara cedo na juventude es inna al suaves enanos do amor. De forraosa a gaba-1 aba'"do- e ,oda sera o Salvador enviado
'v a galantera dos mancebos, e inveja a diziam |" s'* ,. .
niiHro vioo da vida. Eutre os mogos que Ihe cor- f" Publ,canos Oue l^ Pergunlam o que devem
i java a belleza am foi o d.lecto de s.us carinhos.' J L? ?^ dever elie; e nada mais-'
f^cao e affavel, Ihe engodou os affectos, e breve l" Sldad : "M eXer^es mleoc,as Para
amor a fez desgracada. Os signaos do sua queda'^v 11T* m"*" \ f" **
l'.odH.pertarara. pudor e arrependimento, que j! *?". Cm V0SS0 soldo- Alados: Fazei pe-
wiolAi urdios. Cuidou esquivar o opprobrio, e,; l,enc'*' Pr qUe remo de DtUS esta prox.mo.
^couflslhada deseu corruptor, ugio da casa na- Que nmem 1e ^m duas vestimentas d urna a
r-ioa; roas precipitou-se em maior profundeza de Seu ,rmao que es,nui 1ue aquelle que tem o
Cejventuras, porque o mancebo vario nao tardou que comer devida com 0(*ae ,em forae
2desampara-la deixandoana miseria e no des-1 JfJWaM.Phariseus que vnham tambera a ,
A^ de Da a humana consolagao. A forae e a. elle, arrutados pela muh.dao: Haca de vboras ,rigos verdes que comecam a ondular sobre a bri-
"*,se asse'"fram Junf d0 sea umbral solilario' quera Pi$ vos lera chamad a 'ir diante da co- sa, mudam-se em Honradas searas, a cabana com o
; aff-ila aos deleites, nao ousou affrontar-se com lera que vos araeaca? Produzi dignos fructos de seu telhado de colmo em herdade opulenta o barco
O oros contrarios. \ endeu-se pelo bolo da in; penitencia e nao digaes em vosso coracao: Nos do pescador em navio mercante, e a modesta caa
fiaau, a c.la Moa pedlu ao que passava Ihe es. temos Abraham por pae. Por que vos declaro que do deputado novamente eleito em palacio de mi-
* kaiiiasM na fronte o ferrete do aviltament. Era- i Deus pode distas mesmas pedras fazer nascer 11- nistro
|>ran i d, t -do o ponto o seu coracao no treme- lhos de Abrabam. A ouce esta j ao p da arvore, I Ceslr dvdia por seus partidarios os ltimos res-
Cal do., vicos, da mente se he varrerara todos os | o toda a arvore que nao produz bons fructos sei tos da fortuna dos Julios, erapenhada outr'ora em
f^s^eiios do ceu e do mundo, tocando a meta da cortada e lancada ao fogo. i nra milho de ouro
f. ouituica, e descaro. Enl, transbordou a raedi-; Muitos dos discpulos se tinhara ligado a elle,; Que reservas, pos, para ti ? perguntou-lhe um
ft'. di colera de Deu*. e os dias da punicao chega- quando chegou o momento em que Jess quiz se cavalleiro romano
raa. A brmoora destruiraralh'a as d.ssolufes,; manifestar e apparecer aos olhos de Israel. Jess I A esperanca respondeu-lhe Cesar
llV'',h'?,.Pre llUra SC aPdeT dt"a I"' a dlSSe, a Mar3*SUa me : E'chegad0 ,emP de ^ esperanca era o imperio do mundo, e ella
t-a'.regar a doenca, sua inseparavel companheira. vos de.xar para glorificar meu Pae celeste e faz-lo se realisou
A pobre Mana viu-se por flm offerecida miseria, conhecer ao mundo, devo pois, apparecer em Is-! n
que por crimes fugira, e foi esconder para longe: rael e trabalhar para a salvaco das almas i por''
firaargurase vituperio: mas l chegou a fama de que tal minhamissinsohrp a irr m5J1 A e5Peran?a humana meiga, mas algumas
.r.as.,.,s,L.m~ ZS.SSSSSST!;3KZ!xsxisijsr""" ln*
fli, todos se afastavam della, e apenas as raras es- para junto de vos. Urna o meteoro que nos trabe por vezes em
iuus do e*trau!io, que por all caminhava, Ihe mi-' E com as heneaos e os abracos de sua terna 'j***0' Paues> e 1e se extingue sobre sua.-- hu-
ttZlTZ^T' Te iu!Z2Kqae e,,He dfixala s em Nazareth-se w~l^^t^'^^'SS^^
*und,.ute> da affl.ccao-mu.tos a aguardavam as margens do Jourdam, onde Joo Baptista o an- da trra da escravdo, e que nunca os abandonou
JMala desacompanhados de esperancae o cora- nunciava Por mim, dizia elle, eu vos baptiso se D? a visIa do lugar promeltido e sobre o solo
fc3o Ihe repena incessante estas palavras tremen- com agua afira de levar penitencia Mas ha nm Id "herdade.
e.s:-assiraa,asePu,tura, | outro no raeio de,vs; e.le est muito mZ\iZ^&%^?SlZ*i
qoaado despena, por larga noute de affrontosa vi- suas sandalias. Elle era antes de mim, e vim bap-! Ma? es,a esPeranca era mais servil e muito me-
gilia, voivesse o espirito paia o passado f Como as ,isar' a0ra de que elle seja conhecido em Israel *"?S desinteresada do que a nos^a ; elles espera-
a vordagaes das pompas da juventude Ihe azeda- E' no meio da mu.tido dos povos que Jeus Ks.lSd^do0 'SSSZSSJSX
riam a miseria da edade grave que tinha presente vem ao baptismo de Joo. Elle ahi veio, diz Bor- e que concebiam grande medo; era a esperanga
m rlaro amortecido de candeia lgubre, mal re- nardo, como um hornera peccador, elle que nico escravo Postrado aos ps do senhor, humilhan-
Caclido por e.-sas paredes hmidas e verdoengas,' era sem macula entre os homens Ouem reconhe vlp.ara obter perda'u
ror esse lecto afumado, como a iraagera das vastas eeria nelle o fllho de Deus 1 Quera acreditadme terao"?^T%fig!ftT.^ *
q la Iras dos pagos paternos, alumiadas por can- era este o Deus de toda magestade ? E' muita hu-' A esperanga chnstaa urna flor da Paixo, as-
Cairos espen lentes, espalliando seus lumes por mildade, Senhor! Mas o veo impenetravel que vos cida no san8ue do Christo e nutrida as tepidas
enrose raatizes, Ihe viria despedazar as entranhas I cobre, nao vos oceultou vista de Joo 22 da ngraca; a espe^nC3 do.filho querido
,ssa enxerga iraraunda c rota, thea.ro de angus- Foi o que teve lugar. Joo que nunca fiaba vis-' daqueVe que S^W* ifi" PreCS
rm a coragem est prxima a abandnalos vis
ta dos escollios que, por um vento contrario, pare-
ca nnpossivel qualquer navegagao.
Persuadido que tocavamos o ultimo momento da
existaqcia, reere o capitao Rilev na relacao desse
naufragio, dirigi-mc aos meus cmpanlieiros de in-
fortunio e disse-lhes :
77 Camaradas, descubrmonos
Obedecern) immediatamente.
Eoto elevando meus olhos ao cu e minha alma
Deus, exclaroei :
Creador e conservador do universo, que vs
neste momento a affliccao a que eslavamos reduzl-
dos, supplicamos-te de salvar-nos a vidae de per-
mittir que penetremos, atravez desta vaga medo-
nha at um mar plano.
Mas se estamos condemnados a morrer. cum-
pra-se a toa vontade ; nos encommendamos meu
Leus, a tua piedade as almas que nos destes. Pae
do universo, proiegei e conaervae nossas mullieres
e fllhos I
Neste mesmo instante, o vento como a ura ace-
no divino deixou de soprar.
Nos alamos o bote ao longo do bordo, e trans-
portarmo-nos ao largo. As ondas que se quebra-
vamquasi sobreos de um modo espantoso, se acal-
m?ram de Improviso, franqueando a nosso batel
urna especie de canal de vinte varas de largura.
vergonbosoagrossa lagriraa de alegra m^nW^ii^ASSU^l
a saa vista; elle ouve os ruidos daaldeia natal no sobre ura rio em tempo calmo, entretanto qne
agitamento do mar que embala os flancos do navio alumas va',as de nos, as ondas continuaran) a ele-
jas ;areeccernas veiias,e ?ue sibiia nas! ^Sist^jsBs
enxarcias, parece-lhe o murmurio longinquo dos convencida que fdramos salvos nesta ocrasio pela
sinos da tarde de ngelus, a doce prece de intervengao '
O desgosto qne consom surdamente as molas da
molas da alma, e que entorpece em nos as mais
santas affeigoes e as mais nobres faculdades, nao
expellldo seno pela esperanga.
Esta hbil mgica, tornando-nos a vida agrada-
vel, reanima-nos com os mais doces perfumes que
o odor da rosa ao despontar da aurora, e derrama
em nossa alma nma luz resplandecente^qoe desee
em chuvas de esmeraldas, de saphyras e de dia-
mantes, como a que cahe das vidracas das cathe-
draes gothicas.
Sob o encanto da sua presenga todo toma um
aspecto mais rico; um colorido mais ardente : os
!.ii e de lagrimas, como a raalfadada so lembrara
flos somnos iuoocentes, dormidos em brando leilo
irrogado de telas cuslosas e ntidos como a pure-
c* virginal que nesse tempo a adornava L, ao
ttMer aceno de leve mal, paes, irmaos, servos, ro-
dMVam-a de canuhos e cuidados : aqui, os gemi
Cis de punirente dor em oinguem despertara som-
fcra de compaixo. L, o ruido dos saraos, o su-
surro de luzidos banquetes, sumiam-lhe as horas
da vida em mar de deleites : aqui o silencio e a
ledade Ihe avultam os instantes do existir em ura
riundo pe amarguras. E, atada columna do pa-
C'cer, ahi jaz a fllha do opprobrio, e suas noutes
eternas sao como um pesadelo continuo, e encer-
ffam em si um myiterio cujo horror s plenamente
C$teaderia o inferno. Deus para raaior castigo, eu-
fcvou-a desesperagaoe o futuro alora da cam-
I tambera para a mulher que er e nao pode
Car ura tenebroso myslero.
E o que a seduziu ?o que a preciptiou nesse
fcaralhro?Kolga porventura no turbilho do m-
elo. Magistrado ou guerreiro, de juste ou generoso
se gaba : e as turbas tal vez o applaudem e cele-
COam seu nome. Oh I que se a dextra da Provi-
eucia o tran porlasse de sbito a esta humilde
guinda, e se voi moribunda sumida o chamasse,
'e a mo descarnada e trmula travasse da sua
#ara a ach-gar a esse leito tormentoso, onde visse
completa a obra da sua niquidade, os cabellos se Ihe
rngariam de horror e de susto, e os joelhos Ihe
?ateriam um contra o outro, porque uas ancias do
eu corago sentina que ha remorsos e que ha
l)us. Se depois, voltaodo o tumulto das cidades,
elle soubesse recontar o qne nesse momento pas-
sar, nenhum dos traneebos queoonvisse seria
{torcerlo ura corruptor.
Desventurada IQuero a consolar ao approxi-
^nar-se a hora do passamento ? Para quem esten-
t:ti enlo os bragos frios e mirrados ? Os suspi-
ros fliiaes on fraternos nao serlo para ella ; nem
^solugar cnnfusn, ouvido por entre o chamar da
^sepultura, Pie affapar estes ltimos momentos. A
yinulher perdida passari por flm : suas dores ador-
jiriecero ; mas, esquecida em breve no adro deser-
yto da aldea, sem sigoal dejazlda, nibgnem com
degrlmas Ihe aqueceri as cinzas ; ninguem Ihas
cArir de flores; ninguem orar por ella a Deus.
E de que serviran) preces ?-Quando estas su-
bi-sem aos rns, j no livro da eternidade estara
es?ripta a KRteata da mulher transviada e disso-
fcta.
Albxandbe Herculano.
(Do Portuguez.)
lo a Jess, o distinguiu entre a multido e excla- Elias- arrebatado em um carro de foge, lancou,
mou: c&a o Cordato de Doste* o que tira o: 2S.*2S22 n,OS aT.es' ,seu man.t0 de propheta ao
* n0nnin Anm a x. .. seu discpulo favorito; Jess, subindo ao cu.d'on-
o peccado do mundo. Mas neste da elle nao foi de o lizera descer o grande amor que nos tem, dei-
comprehendido. I xou-nos melhor cousa do que a manto de Elias:
Quando Jess pedio o baptismo o santo Drecur-' deixou-nos a esperanga de ora dia reunir e dividir
sJf se nenm a uin ai.a I Icomnosco.no re,no de seu Pae, a sua gloriosa im-
sor se negou a isto dizendo: c eu sou que lenho mortahdade.
?e"idadeidf..!e.rub-ap-t'sado.Pr voi- e vs v't>des Nao ponhaes vossa esperanca nos principes,
a mira! Jess Ihe respondeu. t Fazei agora o
que vos pego, por que convm que nos cumpraraos
todajustiga. v
aoao baptisou pois o Senhor, e quando este sa-
hiu d'agua, os cus se abriram. e Joo viu o Es-
pirito Santo descer sob a forma de urna pomba, e
se posar sobre Jess; ao mesmo tempo urna voz'se
fez ouvir dos cus Este o meu fllho bem ama-
do, nelle eu me contemplo.
Segundo a crenga da egreja o baptismo de Nes-
so Senhor teve lugar no mesmo dia em que, trinta
annos antes, houve a adoragao dos Magos. A egre-
ja festeja estes dous acontecimentos a 6 de Janeiro,
e a elles reuae o milagre de Cana, que foi orna'
terceira manifestarlo.
Nosso Senhor institoiu depois um baptismo que
o prraeiro dos nossos sacramentos que extingue
o sigoal do peccado original, e que imprime na
nem nos fllhos dos homens, dlzaEscriptura. Aquel
le que p5e a sua esperanga nos homeus ser se-
melhanle tamargueira do deserto ; enterrar
suas rabea eu urna trra salgada e innabitavel.
Que ensino I
E quantoelle justo I
Vede que recompensa receberam esses fiis ca-
valleiros inglezes.que perderam ludo por causa dos
Stuarts.
Carlos II, cuja ingratdo tornou-se proverbial
encontrou-os na roais hornvel miseria e os deixou.
Carlos Eduardo, ronfrme o Dr. Kio?, seu acr-
rimo partidista, nunca derraraou urna lagrima,
nunca manifestou o menor sentimento a tantos bra-
vos lords escossezes, cujas frontes embranqueceram
durante annos, sobre os muros de Carlisle e a Tor-
re de Londres.
Ah se eu pozesse a minha esperanca em
Deus, como a puz no meu re, dizia o illostre" Albu-
querque, elle certamente nao pagara os meus ser-
vicos com a indifferenga, e nem me deixara mor-
rer, como morro, nesta India que eu conquistei.
Ser melhor e mais conveniente por a sua espe-
ranga nos povos antes do que nos reis t
O pae de Themistocle
immediata da Providencia ; e lodos
pozeram-se a dar gragas a eus por este acio de
sua misericordia. Logo que ganhmos o alto mar e
que deixmos o navio eucalnado a alguma distan-
cia, as ondas comegaram a estender-se alraz de
nos com a mesma violencia que ostentavam mo-
mentos antes ao lado do batel (I).
A vida abunda era silugSes tao desesperada,
como a destes pobres marinheiros batidos pela
tempestade.
ila momentos de solameBto solemne, em que
toda a natureza sena incapaz de soccorrer-nos, e
todas as amlsades humanas de nos consolar ; mo-
mentos em que estamos sos, desarmados, sem for-
gas era frente dor que nos mala; era que nos
ajoelhamos espontneamente ante a nossa propria
desolagao para Ihe exclamar soccorro I
VJe urna me junio ao leito em que agonisa o
seu pnmeiro filho ; urna pobre e infeliz mulher
carregada de fllhos e de miseria, cravando sua
vista sobre as ondas que quebram o navio de seu
esposo ; ura amigo ouvindo ao longe o estampido
d9 canhao que dispara contra o seu amigo ; um
prncipe perdendo ludo, excepto a honra, em um
combate em que foi vencido pela traigo ; um jus-
to, um innocente, alrado ao fundo de urna priso
de envolto com a escoria dos scelerados....
Em quem quererieis vos que elles esperassem,
se nao houvesse nm Deus ?
IV
As esperangas e os temores que se ligam a vida
futura refreiam o hornera em sua carreira e forta-
lecem-o em sua peregrinacao.
Tirae-lhe estes incentivos gloriosos para bem
obrar, estes terrores salutares, que o dominara e
v lo eis sahir do alio de seu orgulho na classe dos
brutos cujos instinctos os mais desordenados e fe-
rozes adoptara' para peior.
Dizei-lhe que a scenlelha vital que o anima nao
vemdosoprodeeus, mas que urna chamma ign-
fera sabida da corrupgo como os fogos errantes
que correm sobre as aguas estagnadas; que a mor-
te romo o raio, cuja queda, apz alguns minutos
de ruido, seguida de urna noute espessa e um
profundo silencio; dizei-lhe que alm das nuvens
nada mais ha a esperar, e vos veris se elle nao
ronclue immediatamente qne o homem pode pee-
car em paz.
Benunciada a esperanca de urna vida melhor, a
ierra tornar-se-ha um antro de anmaes ferozes,
rea tinta de sangue humano ser calcada por fi
lhos de Satn ; homens de odio, de morticinio, de
rapia e de violencia qm faro dobrar em todo o
sentido as leis em suas raaos como tenros sal-
gueiros.
Entao se passar sobre a trra do Deus cousas
estranhas, taes como os sonhos de nm homem em
delirio ; cousas que se nao poderia narrar sem co-
rar de vergonha ou empallidecer de medo 1 Cou-
sas.. .. como se passaram em 93.
Nao sempre pelo orgulho que os materialistas
abjurara a esperanga ; o desespero concorre tam-
ben) para isso.
Como elles seutem em'si mesmos ter merecida
qne Deus os abandone, tomam enlo insolente-
mente a iniciativa e repellen) a Deus; fazem-se
bravos por vaidade e por agucin, o que os nao ira-
pede comludo, diz sarcaslicamenle Montaigne, de
levantar as raaos para o co, quando Ihes enter-
raes no peilo uro1 adaga.
Elles buscara persuadir os outros, qne de nada
se arreceiaro, sem cumtudo persuadir disto a si
mesmos.
Elles sao, verdadeiramente fallando, pobres mi
seraveis que se esforgam por parecer peiores do
que podem se-lo.
Vede, Lacenaire ao p do cadafalso I
O passado com seus ternveis phantasmas, eis o
qne tem feito seccar era muitos a ultima raz da
esperanga.
Se Deus podesse tirar-vos a lembranga do pas-
sado, dissenra aulor moderno, que infelizmente
nao ganhou as suas esporas na liga da moral, nao
haveria nem atheus, nem materialistas.
Os extremos se tocam : o abuso da esperanga
ni menos reprehensivel que a falta della, era
a presumpgo menos conderanavel que o deses-
pero.
Encontrase todos os diaschristaos que vivem
mal, e que nem mesmo pensara em corrigir-se,
persuadidos de que Deus nao ter animo de pri-
var-se de sua presenga no panizo.
Estes presumidos acreditan) que Deus Ihes dar
por mera liberalidade, e sem que nada tenham
feito para os obter da sua justiga, estes bens eter-
nos que os escolhidos s poderao arrebatar com
urna santa violencia,
Entre as feras nao se curva
Sacde a juba o leo.
(E. CtbraoJ.
Valentes pernambucanos
Honra e gloria do Brasil,
lde acabar com os tyrannos
De Lpez cobarde e vil I
lde briosos do norfe
Soltae ura grito de morte
Que soe nas amplidoes,
Dae um castigo severo
Ao Paraguay, essezro
Que ha no mappa das nagdes 1
J nJo tens valor nopeito ?
Teus brios aonde esio T
Pernambuco I oque tens feito
Das glorias de Carnario I
Queres roja-las por trra 7
Tu que nasceste na guerra
Dos canhdes ao trovejar,
SotTres que infames, audaces
Teiosultem, cuspara teas faces
Que ninguem ousou tocar 1
T que um poema glorioso
Tens nos annaes do Brasil,
Fogos agora medroso
De um povo abjecto e vil t
Que do leu patriotismo ?
Qne desse grande herosmo
Que nm nome honroso te deu ?
Que da robusta phalange
Que dos principes deOrange
O orgulho, a forga abaleu ?
Nas veas nao te circula
O sangue de Carnario 7
Dentro do paito nao pula
De raiva, leu corago?
Como I tu ouves o grito
Do brasileiro que aflelo
A's mios do malvado cahe,
E nao vas, leio do norte
Vinganca t bradando e morte
A' cata do Paraguay ?
Nao : Pernambuco valente
Jamis da luta fugiu,
A historia esta bem patente
A Hollanda j o seutiu,
O tigre pernambucano
Nunca ao jugo de um tyranno
Seu eolio altivo entregou,
Sempre na guerra -o prraeiro
Fez pasmar ao mundo inteiro
Cora as aegoes que praticau I I
Disperta, pois. Deixa o somno,
Que o Brasil chama por nos,
Queres deixar no abandono,
Teus irmos vencerem sos... ?
Nao queres, nio, queres glorias,
Mais louros, novas victorias,
Mais fama para o porvir,
E que a patria erguendo a fronte
Divise em novo horisonte
Nova aurora refulgir I
Eia 1 pois, pernambucanos
Honra gloria do Brasil,
Guerra de morte aos tyrannos
De Lpez, cobarde e vil,
lde mostrar aos estultos
Que o Brasil nao soffre insultos
Sem ser vingado por nos,
Que o Brasil, paz de bravos
Nao teme ura povo de escravos
Nem deshonra seus avs 11
re^ong-
DoJonyn-iI Musir traduzimos os segrales tre-
chos:
Atinan da vida de urna soltura qne ficou para tia,
Aos IS annos.Arde em desej.o de crescer, e de
Sxar a attengo dos homens.
Aos t6.Comega a formar ama idea vaga do
que se chama urna paixie.
Aos 17,Falla de amor era urna choupana, e de
urna terna affeigao despida de todo pensamento de
interesse.
Aos 18 Sonha urna terna uuiao de amor, com
bonito siogoj que Ihe faz alguns comprimentos po-
ndos.
Aos 19.Torna-se um pouco mais diflkil, e mui-
to menos amavel, porque comega a ser um pouco
mais festejada.
Aos %).Como pouco mais ou menos o que se
chama a belleza da moda, julga-se obrigada a sej
muito roais soberba de si e de seus encantos.
quelles a quem conferido um carcter pelo qual
se tornara membros do corpo da egreja. A Santa' menin0> uma ve'ha galera quebrada e abandonada
Virgem nio o recebeu das mos de seu Filho se- sobre pra!a' fllzivlhe :
Eis all como o .povo recompensa
Virgem nio o recebeu das mios de sen Filho se-
no nos neste ultimo flm. Ella nunca soflreu a me-
nor macula do peccado original. S. Pedro tendo ^u*.. w...,
recebido tambem o baptismo das mos do Senhor < ^m da roanhaa
Esses homens, tao frios e tio polidos como os
. seus fiis
servidores, quando.deiie* ma*s nao necessila.
Contar com o favor dos grandes, confiar no
, e apoz urna longa serie de
provas, de austeridades e muitas vezes de tortu-
ras ; alguns de entre estes creles estravagantes
que quereriam solar a f e a esperanga das obras
que as vivifican), pensara que saa posigao elevada,
o nobre sangue que Ihes corre ns veias, orenome
adquerido nas armas, sciencias ou lettras Ibes ser-
vir de passaporte para o cu ; por isso que Deus
deve ter certas atteucoes, dizem elles, e nao pode
praticar com elles como se tratasse cora vis ple-
beus,
Eu tenho esperanga, dizia um certo fldalgote
inglez, que l ser enforcado por suas boas aegoes,
eu tenho esperanga que apezar desta merte ignobil,
Deus me tratar l em cima como um fidalgo.
Antes de expulsar um Moriemart, dizia de
seu lado a abbadessade Fontevrault, Deus a olha-
mostraodo-lhe. quando ra duas vezes.
Esta Mortemart, que Deus nao quiz condemnar
seno depois de ter pesado as consequencias disto,
era-., madame de Montespan.
Aos SI.Acredita anda raais firmemente no im-
perio de seus bell > olhos, e soohaj um brilhante
casamento.
Aos ?i.-Recusa um excelenre partido por que
o pretndeme nao um hemem inteiramenie da
moda.
Aos 23.Namora com todos os rapazes.
Aos Si.Admira-se de uao estar anda casada.
Aos 25. Torna-se ura pouco roais reservada em
suas raaneiras.
Aos 26.Comega a pensar, que se pode em ri-
gor, dispensar uma grande fortuna.
Aos 27.Prefere a sociedadte dos homens serios
aos encantos da faceirice.
Aos 28. -Se limita a fazer votos por uma mo-
desta uoio, cora uma honesta e pequea fortuna.
Aos 29.Perde pouco a pouco a esperanga de
entrar na vida conjugal.
Aos 30.Comega a tomar para st o nome de
Tia.
Aos 31.Redobra os peqnenos cuidados de seus
adornos.
Aos 32.-Affecta um profundo desprezo pelo
baile, e se lastima de nao encontrar ahi bons dan-
sadores.
Aos 33.So admira que os homens possam dei-
xar de parte urna mulher respeitavel para ir vol-
tear a roda de uma pequea boneca.
Aos 34.Afleela o melhor eo mais alegre genio
do mundo em sua convorsago com os homens.
Aos 3ft Torna-se ciosa de todas as mullieres
que se louvam em sua presenga.
Aos 36.Brig com sua amiga, porque esta aca-
ba de se casar.
Aos 49.Recebe em sua companhta ama pobre
prenla, para cuidar nos arranjos de soa casa, e
para sopportar todo o*peso do seu mu bumor.
Aos 50 asnos eroflm. Ella se relira in-
teiramenie do mundo, e morra alguns annos de-
pois, sem ser lamentada por ningoem, nem mesmo
por aquelles a quem deixa orna boa fortuna.
Os jornaes protestantes annunciam a influencia
catholica na Inglaterra, que elles altnbuem ema-
nando toda da l'niversidade.
O collegio de Rallie", que passa pelo melhor es-
(abelecimento de Oxford, resalveo admitlir alum-
nos calholicos romanos. Nio obstante, a propa-
ganda anglicana prosegne na sua obra de perver-
sio por todos os meios imagfnaveis.
O modo de polos em pralica varia segundo as
localidades e os climas; na" Manda por exeroplo
tratam de formar proselytos pelo meio da forga e
os emissarios do inferno recebem uma paga mais
ou menos grande, conforme a edade e a condigao
dos apostatas; na Inglaterra applicam-se sobre
tudo a corromper a iostrnego religiosa nas esco-
las proflsslonaes, como tambem nos estabelecimen-
tos collegiaes da cldade de Londres, e ero Hon-
won.
Todava, embora lio grande Iota, o catholicismo
ganha terreno nestas paragens como provam a
Asociaco das mes chrislas estabelecida em
Cbester, nlial da archiconfraria de Pars, e a pre-
fissio do seis religiosas ero Ipsvich, diocese de Nor-
thampton, promptas a auxiliaren) o clero nos seus
afanosos encargos.
O eonselho municipal de Madrid, diz nm-tiiario
d aquella capital, resolveu fazer elevar uma esta-
tua ao i inmortal pintor de Sevilha, Bartbolomeu
Munllo, no centro dos jardins que se principiaran)
a plantar na praga do Progresso.
Aos 37.Acha-se ura pouco isolada no mundo.
-.....-----------_wU.UoKUw. Aos 38.Gosta de criticar das amigas que Dze-
Aralm o em barago seria sraente para o povo ram mus casamentos e suas infelicidades Ihe dio
miudo ser condemnado. I ___ ,
ura poueo de consolagao.
Aos 39.Seu mu humor redobra.
Era assim que enlendia Aquelle que collocou
Lzaro no seio de Abraho, e o rico no meio das
o administrou aos outros apostlos, com o noder' s homens' & frio? e la? P^dos como os Lzaro no seio de Ab
rf n...h ,, *^ i marmores de seus palacios, deixam-se incensar chammas nfermes f
E f seussuccessores a roesma como dolos, entendem que nao vale a pena real.- E^ssim qne comprehenderam os escolhidos1 Aos 40.-Torna-se curiosa e intrigante, duas
8a^a!!*Pe,aD5as 1ue e,les disputara. %_ qne possuero hoje no cu o que elles santamente virtudes
(COLLIN DB PLANCT.)
(Journal Ilustr.)
?--*<
OH POLCO DB TI 1)0.
Transcrevemos do Cruzeiro do Brasil o se
guite :
A ESPERANCA.
I
Os Gregos tinham para a esperanga uma enge- .
nhosa allegoria. Foi o nico bem que ficon, diz naquelle cujas promessas sao verdadeiras,' e que
HnHn nt> fna a. fi.i v.__.. j- n..j.....' declara elle mesmo na escri
Quanto aos pequeos, esses se reujiem de ordi-
nario na sua baixeza natural, para ao menor slg-
nal de tempestade langarem o anaiheraa a seus
defensores, e renegados a face dos homen-.
Toda a esperanga fundada sobre esta base per-
niciosa engao, miseria, extravagancia; e o ca-
nigo quebrado da escriptura, sobre o qual o in-
sensato se arrima e cuja lasca ihe dilacera as mes.
III
Se a esperanga fundada sobre o homem a mais
louca das vaidades, como dissa o rei Salomao, a
esperanga que se dirige a Deus lio solida como a
virtude ; ninguem se arrependeu de ter esperado
Hesiodo, no fundo da fatal boceta de Pandora, pa
ra consolar o homem de todos os males que se ti-
nham espalhado sobre a ierra.
A esperanca nos com effeito, a mais constante
amigas; ella nos toma, anda meninos, das
_.. rptura que jamis ser
fruslada a esperanga do pobre.
Quantas vezes seu sopro, como uma fagueira
brisa, nio correu por sobre as vagas, para aplai
nar as rudes veredas a uma frgil barca cuja equi-
pagem e invocava como a sua ultima esperanga I
Nio ha necessldade de remontar para este fim
esperaram sobre a Ierra 7
Nio o creio.
O'Correio dos Estados Unidos descreve assim
a arma inventada por Mr. Gilbert:
E' um sabr de cavallena, cujo punho contm
nm rewolver de seis liros, a que a pona da folha lhoso e prfido
que nao fazem ordinariamente senio
I crescer dia a dia.
Aos 41.Se rica, Ihe resta ainda a esperanga
[ de atirahir a si algum bello rapaz que nio tiver
fortuna.
Aos 42.sla mesma esperanga desapparece.
principia entio a declarar conira um sexo orgu-
0 nosso comprovinciano o Sr. Amonio Joaqnim
de Mello acaba de compr o segointe hymno," e
offereceu brilhante mocidade do batalhao de vo-
luntarios da patria, desta provincia :
Se, falta de obra melhor, poder
servir, os compositores meslres
que Ihe fagio a msica.
Caros Filhos valorosos
(Brada a Patria) guerra guerra :
O E-.trangeiro estrue, e mala,
Selvagem em nessa Terra.
Soe a trombeta,
Rule o tambor :
A espada um raio
Base onde fr.
Vingue se a Patria ;
Honra, e valor I
Sim, Patria, taes ultrajes
Castigados vio a ser :
Voluntarios Filhos roarcho :
Ou triumpbar, ou morrer.
Soe a trombeta,
Rufe o tambor:
A esdada um raio
Rase onde fr.
Vingne-se a Pa'ria ;
Honra, e valor 1
Ouvls l dos altos Cos
As Sombras dos Ascendentes 7
Sede Hroes (troo) quaes devem
Ser os nossos Descendentes.
Soe a trombeta,
Rufe o tambor :
A espada um raio
Rase onde fr.
Vingue-se a Patria :
Honra, e^vllor I
Qual o Filio que as oflensas
Da mi nao corre a vingar 7
Sus I Marchmos, bravos Jovens I
Seja a desforra exemplar.
Soe a trombeta,
Rufe o tambor :
A espada um raio
Rase onde fr.
Vingne-se a Patria;
Honra, e valor I
O Bravo, que em rubo lago,
Defendendo a Patria, expira,
Da Patria vive no peito,
Batalba ainda na Lyra.
Soe a (jorobeta,
Bufe o Mnbor :
A espada ura raio
Rase onde fr.
Vingue-se a Patria ;
Honra, e valor !
Sanguinarios, mos, e ingratos,
Ouvs eclarim que soa ?
E' da celeste justiga,
Que a punicao vos pregoa.
Soe o trombeta,
Rufe o tambor :
A espada um raio
Rase onde fr.
Vingue-se a Patria;
Honra, e valor I
Tecei louros, Olmdanas,
Cultivai alegres flores,
Para ufunas receberdes
Os Patricios vencedores.
Soe a trombeta,
Rufe o tambor :
A espada um raio
Rase ende fr.
Vingue-se a Patria;
Honra, e valor I ^
SA. /. de M
Ura particular que tinha perdido o seu empre-
go, disse em publico que isto poderia costar a vida
a mais de quiohenlas pessoas; este dito chega aos
ouvidos do subdelegado, que o faz prender.
Que pretendis dizer com esla ameaga ?
Eu, replicou elle, nao ameaeei pessoa al-
guma : quiz smente dizer que ia ser medico-
Era um jantar em que se acbavam alguns Ingle-
zes e muitos Francezes, fize/am a sade das se-
nhoras. Milord B... disse :
Bebo ao bello sexo dos dous hemlspherfes.
E eu, respondeu o marquez de la Vriliere,
hebo aos dous hemispberios do beHo sexo.
,- a. ,... _* i,,, "" necessiuaue ue remontar para esie nm
..... ae no8sas mM*> e nos acompanha para onde aos lempos da virtude perfoita, aos dias.de S. Pau-
futiuutf, laucando flores odorfera? sobre as ver-,lo i esses prodigios se veem anda uma ou ouira
r
do sabr serve de mira.
A cavallena pode simultneamente atacar ou
defenderse com arma branca e fazer fogo sem per-
der tempo.
A forma difiere muito pouco do sabr regula-
mentar.
K' elegante e commoda, e presta-se a todos os
adornos que a tornera arma de luxo, assim como
uma simples arma da ordenanga.
Nio peza mais que o sabr ordinario e for-
ma n'uma s pega o armamento completo do ca-
valleiro.
muito severa para os
(I) Le naofrage et le Desert, par Cruese de
Lesser.
Aos 43. Toma goslo s cartas e maledi-
cencia.
Aos 44. Se mostra
coslumes de seu lempo.
Aos 45.Se apaixona sbitamente por um bello
alferes que quasl seu sobrinho.
Aos 46.O abandono e o casamento deste novo
favorito a poe em furor.
Aos 47.-Principia a desesperar de seu futuro,
e a tomar tabaco.
Aos 48.Todas as suas aflelcSes se concentrara
em ama mcia diuia de caas e de gatos,
Um matuto dizia que quera conhecer nra paz
onde nunca se morresse, porque qneria ahi acabar
seus dias.
Testamento deixado por um senhor de engenho
em 1792 :Era nome do Padre, do Filho, e do
Espirito Sanfo; nada tenho, devo multo, doo o
resto aos pobres.
Um sugeito tendo pedida emprestado a difieren-
tes Judeus somroas consideraveis, contava com a
heranga de um de seus tios, para pagar as suas
dividas. Este tocasou-se e leve nm fllho; sabendo
desse nascimenta, diz elle : E' o Messias este me-
nino, vei ao mundo para ruina dos Jadeas.
PERNAMBUCO.-TYPDE M.. F. DE f. a\ FILHO
f
i
I
.
'\
T
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ4DKT1FH_O2X8GW INGEST_TIME 2013-08-28T03:21:37Z PACKAGE AA00011611_10616
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES