Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10615


This item is only available as the following downloads:


Full Text


.
1U0 XU. HUMERO 58
SABBiD FEIRA 11 DE ARCO DE 1865.
Ptr qoartel pago dentro de 10 dios do i. mez ... ;
dem depois dos i.* i 0 das do comee e dentro do qoartel.
Porte ao correio por tres utits....... ,
5JQ00
750
191000
3|000
DIARIO DE
EXCARR8GADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrinu de Lima;
Natal o Sr.'Amonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A*, de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranlio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS A SUBSCRIPCAO DO NORTE
Alaloas, o Sr. Claodino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estag5es da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas foiras.
Santo Antao, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselbok Aguas Bellas e Tacaral, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a i
bora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da ro.
12 La cheia as 8 h., 22 m. e 10 s. de m.
20 Quarto ming as 10 h., 16 ra. e 22 s. da ra.
27 La nova as 3 ti., 8 ra. e 22 s. da m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAP1TAI
Tribual do commercio : segundas e quintas.
lielacao : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Ditole orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao raeio
di*.
SegoStda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
____________________________________
DAS DA SEMANA.
6. Segunda. Ss. Vctor e Victoriano mm.
7. Terca. S. Thomaz de Aqoino dout. anglico.
8. Quarta. S. Quinttllo b.; S. Poncio diac.
9. Quinta. S. Francisca Romana viuv.
10. Sexta. S. Milito m.; S. Droihoveo ab.
I i. Sabbado. Ss. Candido e Heraclio mm.
12. Domingo. S. Gregorio Magno dout. da egr.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 hora e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEWOS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos raezes de Janeiro, marco, maio,
julho, sctembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
Dito ao coramandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Sciente pelo oficio Junto ao de V.
S., n. 60, do Io do correte, de que o alferes da 5"
compaohia do Io batalho de reserva da guarda na-
cional deste municipio Joo de Castro de Oliveira
Guimares, declara estar disposto a prestarse ao
servico activo da mesma guarda nacional nesta ca-
pital, renunciando qualquer remuneracao a que
por ventura possa ter direito, tenho a dizer em
respo^ta ao sen citado efflcio que aceito e louvo o
patritico offerecimente do referido alferes e recora-
mendu a V. S. que opportunameole o aproveite.
Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao coramandante superior da gaarda nacio-
nal de Olinda e IguarassTenho presente o ofi-
cio de 25 do mez passado, em quo V. S. trouxe ao
meu conhecimento, que o commandinte interino do
9 batalho de infamara da guarda nacional sob
, seu coramandante superior se offerece cora o mes-
habeas-corpus requerido a esse tribunal por Ma-, mo batalho para destacar em qualquer ponto des-
noela Mana da Conceicao, sua irmaa Lourenga Ma- u provincia, onde os seus servicos possam ser ne-
thilde do Livramento presas no termo de Iguaras-, cessarjes.
s, remetindome copia da sentenca de mesmo, E"jn resposla, [enho a dizer-lhe que agradcgo e
tribunal, e das pecas que a motivaram, ou que |OUvo tao patritico offerecimento que opportuna-
possam provar abuso de autondade. | menle sera0 aproveitados.
Dito ao coronel commandante das armas.Fago | Dil0 ao commaaJante do corno de polica.Pode
apresenlar V. S. os cidados Ernesto CyDriauo y g mani|ar a|isiar para o servigo do corpo sob
da Silva e Francisco Machado dos Santos, que se, seu comman,j0 0 paisano Balbino Pereira de Bar-
otlerecerara para servir no Corpo de Volntanos ( r05i de que lrata 0 seu o01l.0 ^ desta data,
da Patria, afira de que Ihes d o conveniente des-( Dito a* mesuraAulonso V. S. a mandar dar
Uno depois de inspeccionados. baixa ao corneta do corpo sob seu coramando An-
PAUTE QFFieiAL
mmm da provincia.
Eipedienie do dia 8 de marco de 1865.
Oficio ao Exm. Dr. vigario capitular desta dio-
cese. Sirva-se V. Exc. de informar acerca do que
cxpoe no oficio incluso da irraandade do Santissi-
mo Sacramento da freguezia de Papacara.
Dito ao mesmo. Para satisfazer a exigencia da
assembla legislativa provincial, couda em ofi-
cio do respectivo secretario desta data sob n. 14,
fax se mister que V. Exc. informe acerca dos in-
clusos projeclos ns. 33 do anno passado e 4 deste.
Dito ao Exm. cooseiheiro presidente da relaco.
Sirva-se V. Exc. de informar-me do resultado do |
N. 43.Dito ao mesmo.O Exra. Sr. presidente nari* una prova do apreco em que tenho o zelo mini
provincia, manda transmiltir V. S. para ser religioso que os anima, conced a licenga pedida Diz r.
para(tediliearem a capella, antes mesmo de consti- '
da.
presente assembla legislativa provincial, o in
cluso projecto de posturas que enviou a cmara
municipal do Buique, cora oficio de 13 de Janeiro
ultimo.
N. 44,-Dito ao mesmo.Transraitto a V. S. de
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
para ser presente a assembla legislativa provin-
cial, o incluso quadro da receita arrecadada nos
tres ltimos exercicios liados, que reraetteu a ca-
inisterio sacerdotal dentro e fora do imperio, i Trabalhada por urna crise extraordinaria a re-
mis V Rvma que, deixando por essa causa puDlica do Peru tem visto os seus poem aba|a.
de ser coadjuclor da freguezia do Poxirn, e icando dos profundamente. O patriotismo em delirio tem
luido competente patrimonio, o qual estou certo por conseguinle sem provisao de confessor, pedo feto oscillar descompasadamente
que Mi do realisar com brevidade. que Ihe mande passar nova proviso, aQm de po- ca|_ u,na perturbaco geral
o pndulo so-
nos espraos tem ir-
Espero que V. Rvma. continuar a trabalhar na der preencher as funcgoes do seu ministerio sacer- rilado os nimos transtornado as deliberacdW
casajdo senlior, animando cora a sua dedicacoe dotal. enfraquecido as reselucoes, desnorteado as intell'i'
coma sua actividade aquelles queja confiarn assas
uo be-nem inlluxe de to digno pastor.
D*o ao padre Gil Braz de Mara Santissiraa.
Nesti data encarrego o Rvd. vigario de Patos de
mar municipal de Caruar, com oficio de 5 de rege* essa freguezia de Santa Luzia, emquanto nao
chejar o respeeiivo parodio encommendado.
Fica assim respondido o seu oficio de 8 do pro-
xiina passado.
Dito ao vigario de Patos.Autoriso a V. Rvma.
paral roger a freguezia de Santa Luzia, emquanto
nao chegar o Rvd. Marcolino Rogerio dos Santos
Freir, por mim nomeado parocho encommendado
para a mesma.
3
Dito ao mesmo. Respoudendo ao oficio que tonio gstevo dos Santos, visto haver-se tornado in- S. Exc. o S
V. S. me dirigi em 2 do corrente sob n. 403, te- corrjjVt| como consta do oficio n. 149, de hootem clarar a V.
nho a dizer que em 27 de fevereiro ultimo recom- datado corrente, q
Janeiro ultimo.
N. 45,Dito ao mesmo.e crdem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia transmuto a V. S.
para ser presente assembla legislativa provin-
cial o incluso orcamento e tabella explicativa da
receita e despeza do exereicio de 1864 a 1865, que
remellen a cmara municipal da villa de Agua-
Preta, com oficio de 30 de Janeiro ultimo.
N. 46. Dito ao mesmo.De ordem de S. Exr.
o Sr. presidente da provincia transmiti V. *.,
para ser presente a assembla legislativa provin-
cial, o incluso balanco da receita e despeza do an-
no fioanceiro de 1863 a 1864, bem como o orca-
mento quo tem de regular no anno de 186o a
1866, os quaes foram remedidos pela cmara mu-
nicipal da villa de Pofl'Alho, com oficio de 7 de
Janeiro ultimo.
Dito ao administrador da contraria do Senlior
Bom Jess dos Passos da cidade de Goyanna.
Sr. presidente da provincia manda de-
Luuvando a picdade e abnegacao patritica com
I que V. Rvma., acudindo ao reclamo da patria, se
dedica ao caritativo e santo ministerio de ir levar
j os soccorros da nossa religio quelles que no cam-
po da batalha do a vida pela mesma patria, nao
s approvo esse acto de verdadeiro zelo e piedade
gencias e provocado conflictos de graves conse-
quencias.
Como, porm, o sentimento nacional robusto,
como a despeito de todas essas vicissitudes ge-
ral e profunda a consciencia que tem o Per da
justica da sua causa e do direilo que Ihe assiste.
chnstaa, e dou a V. Rvma. permissao para sabir da nutrimos a grata esperanca de ver em breve illa-
d.ocese e mesmo para sahir do imperio, como Ihe minados por inspiracoes salvadoras, que tragara a
CT12 Para' e"l f>T!Mur.ar guerra, a accordo commum, todos os espirito obliterados.
I ;or e5paco de um anno depois della terminada, po- ja fizemos ver de quantos embaracos ha rodea-
do o governo dessa repblica a influencia do par-
exaltado que, dispondo de maioria no parlamento
OIBcio a Exm. cr. presidente da provincia.
Tenho a honra de passar s maos de V. Exc. o or-
camento da obra do ralo do sul, no seminario epis-
copal desta cidade, o qual orcamento me foi apre-
sentado pelo 2o teneote do corpo de engenheiros,
Jos Tiburcio Pereira de Magalhes, encarregado
por V. Exc. de proceder a esse trabalho.
Rogo a V. Exc. que se digne de, com a brevida-
de que Ihe fr possivel, transmiltir ao governo im-
perial o mencionado orcamento, signiflcando-lhe ao
mesmo lempo a necessidade que ha de proceder-se
mendei ao director do arsenal..de guerra, que fara
apromptar 600 fardamentos completos para os Vo-
luntarios da Patria, bem como 5:000 equipamen-
tos ; o hoje se expede ordem ao mesmo direct ir
sobre o armamento por V. S. requisilado.
Quanto nomeaco do alferes reformado Jorge
Rodrigues Sidreira para servir no deposito do Cor-
po de Voluntarios, j declare p:r occasiao de res-
ponder a oulro seu oficio sob n. 3S8, que nao rae
parece ella conveniente. kExpedio se a ordem de
que se trata.
Dito ao mesmo. Fago apresenlar a V. S. os ci-
dados Ignacio Francisco dos Santos Oiton Jos de
Barros, Olegario Jos da Costa, Joo Chinaco dos
Anjos, Miguel Justino dos Santos, e Manoel Gual-
berto Alves de Mendonca, q ie se ouVrecerara para
servir no Corpo de Voluntarios da Patria, am de
que Ihes d o conveniente destino depois de ins-
peccionados.
Dito ao mesmo. Fico interado pelo oficio que
V. S. me dirigi hoje sob n. 460, de trem sido jul-
gados incapazes do servico do corpo de Voluntarios
da Patria, os eidados Jos Lopes Cabral e Joaquim
Jos Parahybano, vindos do termo da Escada para
alistarem-se no mesmo corpo, bem corno de have-
rera sido considerados no caso de nao a-sentarera
praca antes de seren curados os de noraes Jos
Antonio dos Santos e Manoel Nacer Peixoto, que
com o raesmo destino vieram daquella freguezia.
Dito ao mesmo. Faco apresenlar V. S. os ci-
dados Luiz de Franca Gonzaga, Lucas Evangelista
de Alcance, Manoel Nacor Peixoto, Jos Francisco,
Jos Lopes Cabral, Flix Jos de Sant'Anna, Fran-
cisco Luiz da Silva, Manoel Martins de Paula e An-
tonio Severino de Oliveira dos Santos, que s<- offe-
receram para servir no corpo de Voluntarios da
Patria, afira de que Ihes d o conveniente destino
depois de inspeccionados.Communicou-se quanto
ao primeiro ao tenent-coronel.
Dito ao mesmo.Mande V. S. inspeccionar o i'
sargento do corpo de polica Cladino Faustino da
Paz, em deferimento ao que este me requereu. -
Communicou-se ao commandante do corpo de po-
lica.
Dito ao mesmo.Faco apresenlar a V. s. o cida-
dao Francisco Procopio Ferreira, que se offereceu
para servir no corpo de Voluntarios da Patria, afim
de que V. S. Ihe d o conveniente destino depois
de inspeccionado.Communicou-se ao subdelegado
de asarctb.
Dito ao Inspector da thesouraria de fazenda.
Tendo sido alistado como alferes no corpo de Vo-
luntarios da Patria o alferes da guarda nacional
Tiburtino Pinto de Almeida Jnior, em virtude de
ordem desta presidencia de 28 de fovereiro ultimo,
e de cenformidade cora a 2-' parte do art. 5o da
postura de 6 daquelle mez, ordene V. S. o paga
ment da inclusa folba, tirando veuciraeato a que
elle tem direito.
Dito ao mesmo. Transmiti V. S. as 9 inclu-
S, em resposta ao seu oficio do Io do i quanto antes a essa obra, visto achar-se desapru-
ue nesta data Acara expedidas as ordens; mada a parede musir, e ameagar eminente ruina.
Dito ao chefe do estado-malor do commando su- solicitadas no seu citado oficio,
perior da guarda nacional do Bonito Manoel Go- \ Pela secretaria do governo se declara que, se
raes da Cunha Pedrosa. Pelo seu oficio de 21 do gundo consta do oficio do commandante das ar
mez passado, tljuei sciente de ter V. *. assumido o mas de 8 do corrente, sob n. 460, Jos Antonio dos Manoel do Nascimento da Silva, sendo parochiano
exercirio interino do cargo de commandante supe- Santos Nacor Peixoto, foi julgado incapaz para da mesma freguezia, e estando cerrendo proclamas
Dito ao Dr. chefe de polica."Tendo cu recebi-
do a participaco que remello por copia, em que o
Rvd. vigario da fregezia de S. Jos declara que
rior da guarda nacional dessa comarca por se
achar enfermo o respectivo proprietario.
Dito ao lenente-coronel Coriolano Velloso da Sil-
vera. Accusando o recebiraenlo do seu oficio de
as matrizes do Recife para se casar com Francis
ca Guilhermina do Espirito Sanio, ao mesma lem-
po corra proclamas as freguezias do Cabo e da
alistar-so como voluntario da patria.
Despachos do dia 7 de marco de 186o.
Requerimentos.
Antonio Augusto de Lima.Passe portara con- Munbeca para se casar com Mismina Ludovina de
hontem datado era que V. S trouxe a minha pre- cendu a hcenca na forma da nforrnaco do Sr. ca- ,e3US> e iudindo o Rvd. vigario de Muribeca obte-
senca para serem alistados no corpo de voluntarios! pjtao do porto, de 6 do corrente, n. 42. | vera 'cenca para se casar com esta ultima, a qual,
Alfredo de Albuquerque Martins Pereira & C P0it0 seJa natural da mesma freguezia da Muribe-
da paira os cidadus Ernesto Cypriano da Silva e
Francisco Machado dos Santos, agradeco muito e
louvo esse procediraento que acaba de ter V. S.
Dito ao capito Miguel Joaquim do Reg Barros.
Accusando a receuco do oficio que V. S. me
dirigi em data de 7 do corrente offerecendo para
servirera no corpo de voluntarios da patria os seus
Qlhos Miguel Joarpiim do Reg Barros Jnior e Fa-
briciano Napoleo do Reg Barros, devo declarar-
Ih; que esse offerecimento patritico aceito como
um importante servico a patria e merece por isso
todo o louvor, e que acabo de expedir as ordens
necessarlas afim do que os ditos seus filhos sejam
alistados no predi lo corpo e nos postos que Ihes
corapetirem. Oficiou-se ao coronel commandante
das armas.
Dito a Joaquim Antonio Carneiro.Louvando e
agradecendo cordialmenle em nome do governo
imperial a senoroBa off*rla, quo, por nffipio de
henlem, fez V. S. da quantia de 400 sendo 300*
para as despejas da guerra em que se acha empe
nhado este imperio com as repblicas do Uruguay
e Paraguay, e 1005 para a caixa de soccorro das
familias necessitadas dos bravos voluntarios da pa-
Dr-
Informe o Sr. lenele-coronel recrulador.
Casimiro Mendos da Penha.Informe o Sr.
chefe de polica.
Chaves f Vianna.Nao pode ser concedida a li-
: cenca que pedera os supplicantes para venderem
os gneros de que tratan), nos mercados pblicos
em vista do que informa a cmara munical ; po-
dendo entretanto faze-lo no seu
ca, actualmente p^rochiana da freguezia de S.
Jos, como se v dos atteslados dos inspectores de
quarteiro, que declaram serem ambos esses con-
trahentes desde longo lempo moradores na fregue-
zia de S. Jos, e tendo eu passado a verificar cui-
dadosamente o que se havia dado a tal respeito e
reconhecendo que o vigario da Muribeca foi com
estabelecimento effeito Iludido, e que o casamento de Manoel do
Nascimento da Silva com Felismina Ludovina de
der confessar feralmente
que se concedem nesta diocese, c que estao exara
das as suas anteriores provisSes.
peruano, chegou a avassalar o governo e a tornar
a PSSSSL^JS e.XerC"0S ?be?gar CSSe a,Cl %*wJ realisacao do um plano seguro
c ?^ac 1, dlTerda^'") Patriotismo, auxiliar fclbl dessa afluencia, a le de 9 de miembro au-
'r?S.,e a ab,h!Sa de V. Rvma., e faier que lorisou ao governo Perua bem con) ,
as suas palavras repassadas de onecao, de canda- restriccoesT a fazer a paz ou a guerra. Em uso
de_e de amor, leven o balsamo consolador da rel- dessa autorisaco procurou o gabinete de Lima
giao ao coracao desses hroes que se saenheam chef,ar por meios decorosos soluco pacifica do
por urna causa justa e santa, como felizmente tem conflicto,
sido todas aquellas que o imperio da Santa Cruz
al hoje lera sustentado.
Dito ao vigario da Boa-Vista.Constando-se que
em urna casa da ra da Esperanga nt'ssa freguezia,
existo urna imagera do Senlior, de vulto grande,
que outr'ora eslava em um nicho da ra do Seiihor
Bom Jess dos Pobres Afiiclos, cumpre que V.
Rvma. se dirija quanto antes a essa casa, e fazendo
ver s pessoas que ah morara que os sagrados ca-
0 exaltaraenio, porm, veio em breve embargar
essas disposicoes e fondado nessa le, saneconou o
congresso Peruano a 26 de novembro ultimo a se-
grate resolucao :
t Altendendo a que al hoje nao se tem dado
cumpnmcnto lei de 9 de setembro ultimo, resel-
ve-se :
Art. Io. O poder executivo proceder inme-
diatamente a dictar as ordens necessarias para que
nones prohiben expresamente que se conservera sejam desocupadas as ilhas de Chincha pelas breas
imagens de vullo em casas particulares, Ihes per- hespanholas, com obngaco de dar conta ao cen-
suada com bons modos que devem consentir na ,tiv,, nn nraTn ^ nim m
commercial.
Claudio Dubeux.-Dirja-se o supplicante a as- JeSQS> e nulio Por clande6tnidade, cumpre-me le-
serabla provincial a quera compete a inlerpretacao y1*.0 occorrido ao conhecimento de V. S., envan
da le, visto dar-se divergencia fundada a respeito
della.
do inclusa a participaco por copia, do vigario de
S. Jos, e os atteslados dos inspectores de quartei-
Padre Francisco Verissimo Bandeira.Informe
o Sr. Dr. director geral da iostruccao publica.
Francisco Alves Ferreira, Manoel Rodrigues de
Souza, intho Roque da Cunha, Manoel Francisco
daj C .4 Corrim a outros. Iufurino u om municipal do Recife.
Joaquim Flix Machado.Informe o Sr. juiz mu-
nicipal de Goianna.
Joaquim Raphael de Mello Jnior.Informe o
Sr. Dr. juiz municipal de Goianna.
Joo Antonio Guimares.Remedido ao Sr. ins-
rlo, afim de que se digne dar as providencias que
o caso exige, e a moralidade publica requer, alira
de que esse individuo seja severamente punido.
Dito ao vigario da Muribeca. -Tenho presente o
uiiioio datado do 1 do corrente, em resposiaao
Ihe ingi em 24 do prximo passado. Diz V.
na. qne passou urna hcenca ao Rvd coadjuclor
' da freguezia de S. Jos do Recife para assislir ao
ca menlo de Manoel do Nascimento da Silva com
I Felismina Ludovina de Jess, por que na boa f os
reputava seus parochianos; e para prova me re-
melle os proclamas em que se declara ser o ou-
I bente natural da villa do Cabo, a nubeote natural
morade-
iste res- Joaquim Mauricio Goncalves Rosas.-Indo a pra- [ dessa fregnezu, o ambos os contrarenles mot
esta ca-; Qa 0 arrendamento da casa de que se trata, pode o """ mesma freguezia da Muribeca.
Emilias supplicante conceder a ella se Ihe convier. AP*sar da seguranga com que \. Rvma. di
Bom Conselho. Communicou-se ao Dr. chefe de
polica.
Dito ao Dr. Joao Diuz Ribeiro da Cunha.Ten-
do sido Vmc, ha qnasi um anno, segundo me cons-
ta, nomeado juiz municipal da capital do Para, e
achando-se actualmente servindo o lugar de secre-
tario da instruccao publica, convm que me decla-
re se tem renunciado aquella nomeaco, e no caso
contrario compre que quanto antes siga para all,
afim de entrar no exereicio do referido cargo de
juiz municipal.
>to ao juiz de paz mas volado do primeiro dis-
diz ter
nao levo
que primeiro se certifique de que sao com effeito
seus parochianos. E nao obsta que lies tenham
tria que desta provincia marcharem para a mes-
ma guerra, resta-me rogar-llie que se sirva de re-' pector da thesouraria defazeoda para mandar pas
colher a primeira de taes quantias a thesouraria sar 0 titulo, fazendo-se a declaracao pedida,
de fazenda, a cojo inspector me dirij) a este -
peito, e a segunda sociedade instituida ne
pital com a denominado Protectora das Familias supplicante .
dos Voluntarios da Palria.-Comrauuicou-se the-, Tenente Jos Rodopiano dos Santos.-Informe o procedido, eompre-me declarar-lhe que
souraria de fazenda. Sr. commandante superior da guarda nacional des- j ?do o cuidado que era para desejar em materia
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande ie municipio !,ao melindrosa. Ira parocho nao deve dar licen-
Vrac. fornecer ao Dr. chefe de polica, como este; j0s Polycarpo de Freitas.-Informe o Sr. Dr. j* Para casarem nubentes que nao conhece, st
solicitou em oficio n. 281, de 28 do mez findo, 12 chefe de polica.
granadeiras para oservco de polica no termo do joao Cardozt da Silva, praga do i." batalho de
artilharia.Passe portara concedendo a licenga
pedida de conformidade com a informago do Sr.
coronel commandante das armas de 6 do corrente,
sob n. 434.
Leoncio Pinto de Mello.Como pede.
Manoel Jos Correa.O primeiro requeriraente
do supplicante nao foi despachado logo, por que a
mai do menor concordou em que elle se alistasse
como Voluntario da Patria, no entretanto conti-
nuando o supplicante a oppor-se a resolucao do seu
tutelado e tendo este pouco mas de 16 annos, seja
eliminado do alistameoto dos voluntarios.
Mathias Jos da Paz.Concedo o prazo de 8 das.
8
Alfredo de Albuquerque Martins Pereira & C,
Informe o Sr. tanente-coronel recrulador.
Dr. Amaro Carneiro Bezerra Cavalrante.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
-1 David William Bowman.- Informe o Sr. inspec-
Anua, Francisco Luiz da Silva, Mauoei martins ae dajo de abril prximo vindouro, que para isso lor da thesouraria provincial
Paula, Antonio Severino de Oliveira e Manoel buai- fic& designado. Igual foi dirigido ao de S. Vi- Capito Eduardo Frederico Bancks. Informe o
berto Alves Mondonga, que com esse destino toram ceQle Sr comraandantB superior da guarda nacional do
remettidos pelos juizes de paz do Io e 2o distnctos ----- I R f
que devem consentir,
trasladago dessa imagera para a matriz dessa fre-
guezia : trasladago que V. Rvma. dever fazer
quanto antes e com toda a pompa que for possivel.
no caso de haver resistencia, dirija-se V. Rvma.
polica, pedindo o auxilio desta, atlra de que sem
perda de lempo seja transferida a imagem para
lugar decente, como convm.
Espero que V. Rvma. me participar quanto an-
tes esta mudanga e o logar em que na sua matriz
fica collocada essa imagem.
Dito au vigario de Salgueiro.Accuso recebido
o seu oficio de 15 do prximo passado, em que me
diz que chegando a essa freguezia o Rvd. misio-
nario apostlico fre Casemiro de Militello, no es-
pago de 10 dias, em que raissionou nesse logar,
conclu) o cemiterio que a caiidade dos seus paro-
chianos ah procurava erigir, e o benzeu coma
pompa possivel: diz raais V. Rvma. que o digno
raissionario foi incansasel em promover o bem
dessa villa, que fica debaixo do benfico mfluxo da
elO'ju-nie voz de to digno raissionario.
Nada do que V. Rvma. diz a tal respeito me sor-
prende, pois essa a marcha ordinaria desses ver-
daderos cultivadores da vinha rtn Son"*-<-------
dcUdin icrapic unta un menos assigoalados os
lugares por onde passam evangelisando os povos.
Certo do zelo e soliritude de V. Rvma. para com
os seus parochianos, espero que se ha de esforcar,
afim de conservar entre elles os sentimentos de
piedade e de iciigio que Ihes inspirou esse digno
missionario de Deus vivo.
8 -
ufflcio ao Dr. chee de polica.Tenho a honra
de passar s maos de V. S. todos os documentos
em original relativos s cerlidoes de baptismo dos
pardos Bellannrao e Antonio, como V. S. requsi-
tou nos seus oficios de 23 de Janeiro e 8 de fove -
reiro do eorreute anno.
Reitero a V. S. os meus protestos de estima e
gresso no prazo de oito dias.
Art. 2*. O governo nopoder celebrar trata-
dos de nenhum genero com o governo de Madrid,
se nao quando a desoenparo das mencionadas
ilhas teoha lugar espontneamente ou pormeiodas
forras da repblica.
Nao se tinha publicado anda esta resolucao,
quando os representantes do Congresso Americano
adoptaram em 29 do mesmo mez a seguinte decla-
rago dividida em 8 artigos, dos quaes s copia-
mos o Io, 5o, 6o, e 7o, porque os demais sao de pu-
ra forma :
a 1. Que os governos representados no congres-
so, acreditem com a brevidade possivel ministros,
que pegm conjuntamente ao geverno de Hespa-
nha a reparago da offensa feita ao Per e as re-
publicas Americanas, com a oceupaego das ilhas
de Chincha, e Ihe fagam saber que a continuago
deste faci, colloca os estados Americanos na obn-
gaco de repellir a agresso, seyundo os principios
ou os pactos que os ligam entre st, na forma e
com as explicacoes expressas no protocollo de 21
novembro.
5. Que se nar.i.a roetjlufan ai\Pr das ilh-'
ue ^niera oceupadas pela Hespanna, eligir o go-
verno hespanhol a previa declarago de que o gover-
no do Per nao tem lido parle nos fados que se diz
praticados contra o Sr. Salazar e Mazarredo, res-
ponda-se-lhe que os plenipotenciarios nao eslo
autorisados pelo governo peruano a fazer seme-
Ihanie declarago, fazendo-se-lhe sentir ao mesmo
tempo a offensa feita a este governo por tal exi-
gencia, muito roals depois qne se manifestou na
circular do ministro das relagoes exteriores do Pe
r, 23 de agosto ultimo, do exposto na nota colec-
tiva de 31 de outubro dirigida ao almirante Pin-
zn, e do resultado do inquerilo instaurado pelo
mesmo governo do Per'.
c 6." Se o governo de Hespanha ordenar a en-
trega das ilhas, da maneira correspondente a dig-
considerago. nidade desta repblica, os plenipotenciarios pode-
to ao juiz da irraandade do Santissimo Sacra-: rao garantir, era nome dos seus respectivos gover-
meuto do Bom Coaselho.Perlicipando-me o Rvd. :n0S) que 0 Per', imraediatamente, depois de lo-
. a trido da freguezia do Limoeiro.Interado do que
sas guias, afira de que, nos termos da portara de 6 Vmc me COmmunicou em seu oficio de 27 de fe-
de fevereiro ultimo, a que se refere o meu ollicio j vereiro U|Umo, tonho a dizer-lhe que aguardado o
de 27 daquelle mez, mande pagar os vencimentos: pmo e mais formalidades; da lei, proceda a convo-
que corapetirem aos Voluntarios da t alna, Manoel, 0 dos eleitores e supplentes que devem concor-
Nacor Peixoto, Lucas Evangelista de Alcance, Jos | rer pkra a organisago da junta revisora da quali
Francisco, Jos Lopes Cabral, Flix Jos dbanla |cacaodeSsa freguezia, a qual dever reonir-se nol
mm* Dmi,iwp/ I.H7 da iIwi \1;iii i,1! Marti I j,_ >>a j- -i._:i ,i<- H:MJ..A mm i,;\r[\ [><>)
de S. Vi-1
e 2o districtos
da freguezia da Escada. I Espediente do secretario do governo do dia 8 de
Dito ao mesmo.-Mande \. S. abonar era os de-1 j
vidos tempos a consignago que, seguudo o reque-1 l"'rvO ____
rimento incluso, pretende dcixar do respectivo soi- Oficio ao coronel commandante das arma.-e
do ueMa provincia para alimentos de sua familia I ordem de S. Exc, o Sr. presidente da provincia,,
o caiiuo do 10 batalho de infamara Theotonio' transmiti a V. S. a inclusa copla da relagao dos,
Joauuim de Almeida Fortuna. i guardas naconaes do stimo baUlhao de in anta-
Dito ao inspector da thesouraria paovincial.-In-1 ria deste municipio, que deixou de acorapaniiar o
teirado do conteudo do seu oficio de bontem, sob. oficio do raesrao Exra. Sr. psesideote de 6 do cor-
n 91 tenho a dizer em resposta, que pode V. Sr. rente, e de que trata o oficio de V. S. n. 44*, de
conforme ndica era seu citado oficio, maudar pa- hontem datado. .
uar oelo saldo das sobras das consigoagSes da le. N. 38-Oficio ao primeiro secretario da assem
do orcamento prximo find, a quantia de 10:000$ blea legislativa provlocial.-e ordem de S. Exc. o
rorovenienle da ultima prsiago a que tem direito Sr. presidente da provincia, passo as raaos de V.
o empreiteiro da ponte de ferro denominada de S.; s- para serem presentes a assembla legislativa
Jora na estrada de Pao d'Alho, como se v do cer- provincianas inclusas conlase orcamenlo da receij
tlflcado crac devolvo, visto achar-se extlncta a quota, ta e despeza para o uturo anno fiuanceiro de 186a
votada no 8 8* do art. 14 da le do orgamedto vi- a 1866, que forara remettidos [jela cmara mull-
cente como se ev.dencia do prdito oficio. cipal da villa do Cabo, com o oficio datado do l.
Dito ao mesmo.-A Antonio Domingues de Al-(de fevereiro ull.ra*. junto por copia,
meida Pocas mande V. S. pagar, se nao houvcr in- N..39.-Dito ao mesrao.-De ordem de S. Exc. o
^QvenieVte a quantia de 24500, despendida com Sr. presidente da provincia transmiti a V. S.
o sustento dos presos pobres da cadea da cidade para serempresentes a assembla legislativa pro-
deSantoi Antao, durante o mez de Janeiro ultimo,! v.nc.al, os inclusos Mancos, orgamenlo o tabella
rr.a^^?S?ndto. Xr^JStft [ STiSlf". ^SJa^n^S'S | recruta enviado c
! e despeza d exereicio de 1804 a 1865, e o mappa [ superior, e nao sendo isengao
Francisca Joaquina de Mello.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Joaquim Thomaz Ribeiro Varejo.D-se.
Jos Maria Pestaa Jnior. Em vista das or-
dens do governo, nao pode ser por ora cceito o olfe-
reclmeoto do supplicante que agradego.
Joaquina Maria dos Anjos. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Joaquim Thomaz Ribeiro Varejo. Aprescnle-
se o supplicante ao Sr. commandante das armas
para o fazer alistar como 2acadete no corpo de Vo-
luntarios da Patria, como deseja, pelo que muito
louvo.
Jos Pjlycarpo de Freitas.Informe o Sr. teoen-
te-corohel recrulador.
Jos Francisco Thomaz do Nascimento.Informe
o Sr. capito do porto.
Joaquim Gomos Pessoa. Informe o Sr. Dr. juiz
municipal de Goyanna.
Marlinho Jos de Je>us. Indeferido em vista da
Informago.
Miguel Luiz da Purificago. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Romualda Alexandrraa Tavares. Tendo sido o
freguezia distante, muito fcil passarem desaper- que V. S. digno juiz), de cruz aleada toraaram a, de attender com boa vontade a todas quanlas
cbidos os seus proclamas. conta do cadver de nm prvulo, sem ser encom- sejam justas.
Quando pois um parocho nao conhece algum dos mondado por elle na ausencia do Rvd. vigario, sem < 7. Que se a Hespanha para a devolugo das
nubentes, no qual possa confiar, deve certificarse se ter tomado o assento de bito da mesmo par-; ilhas Chinchas manifestar alguma outra exigen-
primeiro se sao com effeilo seus paiochianos, ou vulo; e que sem a competente guia o depositara Cia, que nao esleja em contradicgo com o espirit
pelo menos se a nubente sua parochana, e se ^m urna catacumba do cemilerio, queira Informar- geral destas resolugSes, os plenipotenciarios requi-
nte, circumstanciadamenle o que houve a tal res-. staro do governo hespauhol a nomeago de um
nao tiver outro mera de certificarse, os obngar a
apresentar-lhe urna pessoa capaz e conhecida, que peito afim de providenciarse convenientoraente.
Ihe possa afirmar que os conhece a elles, e que sao
com elTeito seus parochianos. Deste modo se li-
vrar um parocho de concorrer para que se fagam
casamentos nullos com grave prejuizo das almas e .
da sociedade, como agora infelizmente acaba de
acontecer.
observar que o Rvd. vi-
em V. Rvma. nem
INTERIOR.
Cumpre-me igualmente
gario de S. Jos nao cnchergou
ma f, nem dolo : o vigario de S. Jos, dando-me
parle do ccorrido, cumprio o seu dever. E nem
de outro modo elle podia proceder sem que mcor-
resse em grave censura. Apenas se tem conheci-
mento de um casamento nullo, necassario dar
parte a autondade competente, para providenciar
de prompto, como o caso exige.
Confiado no zelo e as boas intengoes de V. Rvm.
espero que proceder d'ora em diante cora mais
circumspecgao e cautella em materia de casamen-
tos.
representante que se entenda com o ministro pe-
ruano, em Londres, ou os mesmos plenipotencia-
rios pegam a este ministro sua opinio segundo
as instrucgoes que tenha do seu governo, i
Os plenipotenciarios, tendo presntenle que o
objecto principal de sua commisso obter a en-
trega das ilhas, deixando aos governos peruaano
e hespanhol discutir e arranjar suas divergencias
diplomticamente, e que naquelle acto devem-se
consultar os direitos e dignidade do Per', peiin
sem esquecer que a tranquillidade e paz da Ame.-.
Por mais de urna vez temos feito sentir a alta : rjea comprometidas neste assumpto nao devem
importancia que se liga assembla internacional | sacrificar-.-e por cousideragoes subalternas, obra-
americana, boje installada na capital da repblica rao segundo os casos que occorram, j acoose-
do Pei. Hundo ao plenipotenciario peruano, j procurando
Formada seb a presso dos acontecimentos ex- moderar as pretengSes da Hespanha.
traordinarios que to profundamente commoveram Depois desta sanegao, chegou ao conhecimento
as repblicas americanas, o congresso que hoje se do congresso americano, o do congresso Haco-
HIO DE JANEIRO
li de fevereiro de i86o.
Congresso americano.
acha reunido na cidade de Lima, tem urna larga
esleir a percorrer. E da sua misso podem pro-
vir fructos benficos, garantas efflcazes aos gran-
Offlcio ao vigario de S. Jos. Tendo-me deca- des principios do direito internacional moderno e
sobretudo s nacionalidades americanas.
rado o Rvd. vigario da Muribeca, em data do 1 do
correle, que com effeitofra Iludido a respeito da
licenga que passara para se casar Manoel do Nas-
cimento da Silva com r ejismina Ludovina de Jess,
pois qne esses nubentes all haviam sido proclama-
dos, bem como na freguezia do Cabo, como mora-
dores daquella freguezia, j me dirigi ao ur. chefe
de polica pedindo-lbe providencias a tal respeito.
Cumpre agora que V. Rvma., procurando esses
contrllenles, Ihes declare que o seu casamento
nullo por clandestinidade.
Dito ao vigario de Ouncnry.Pelo seu oficio de
5 do prximo passado fico sciente de haver V.
Rvma. encarregado a regencia dessa freguezia ao
padre Manoel da Silva e Sonta em quanto durar o
enviado com m nota pelo commandante seu impedimento, visto ter de comparecer as ses-
bontem, sob n. 320.
Dito ao raesmo.Em
legal o que allega a
indica-
duplcala e nao havendo inconveniente, mande V.! gao das diversas verbas as quaes foram enviadas
pagar a quantia de 35;O00, despendida desde julho pela cmara municipal de Barreiros, com oficio
do anno prximo passado at Janeiro ultimo, com o de 14 de Janeiro ultimo.
N. 40,Dito ao mesrao.-De ordem de S. Exc. o
:
da assembla geral.
Dito ao raesmoMande V. S. pagar a Barlolo- N. 41. Dito ao mesmo.-De ordem de S. Exc.
meu Francisco de Souxa & C., a quantia de...... Sr. presidente da prov.nc.a, transmiti. ai V. S.
tsrailO nrovenientes de objedos constantes da para serem prsenles assembla legislativa pro-
ndsi po'nta mandados vr da Europa, para o ser-1 vincial os inclusos balancetes da receita e despeza
v co do museu era virtude de autorisago de nm \ do 1." de outubro de 1863, ao ultimo de setembro
de meas antecessores segando consta di oficio do de 1864, que me foram remettidos pela cmara
nrofessor da t1 cadeira de sciencias naturaes do municipal da villa do Bom-Conselho, com oficio de
ovmnisia nrovncial a'dae se refere o do director 15 de outubro do anno passado.
SK rjuccao nubllca de 6 do corrente, sob ] N. 42.-Dito ao raesmo. Passo por copia s
5 69Ucora Soa-Sao director geral da ins.ruc maos de V. S.,.de ordem de S. Exc. o Sr. presiden-
pilo nubllca te d* provincia, para serem presentes a assem-
^Dito ao mesmo-particlpando o delegado de po-1 blea legislativa ^ovlcial, os^ inclusos termo, de
licia do Ex, em data de 29 do Janeiro ultimo que contrato, que era virtude do art 38 da le. n. 506
*Xi da villa damielle nome nao havia preso; do orgamento vigente, foram celobrados com os
atu^fass m o comSco a V! S para a crave- Drs. fUcsco d*e Paula Sajes ^Jeaquim Pires
nSfiscalisago do fornecimeato dos presos po- ^^^S-pS* ^0^l e cla3Slfioacaa
bres.
supplicante, nao pode ser atlendida.
Thora Rodrigues da Cunha.Declarando the-
souraria de fazenda, que se- vai passar ttulo so-
mente da parte do terreno n. 23 A correspondente
a' casa arrematad
s5es da assembla provincial, como digno memoro
que da mesma assembla.
- 6 -
Oficio ?o vigario da Vanea.Accuso recebido o
seu oficio do Io do corrente, pelo qual V. Rvma.
I das lets provlnclae?.
a por Joaquim Francisco de Reg, solicita a sua exoneragao de vigario encommenda-
nada ha que deferir ao quo requereram os suppli- Kdo da freguezia da Vanea, peis que os seus mcom-
canies ... modos phwcos o impossibilium de continuar nesse
cargo, sendo-lhe mosmo necessane ir reslabelecer-
~--------s*-^-**------------, senesertao.
Altendendo a to justos motivos por \. Rvma.
apresentados, eu o exonero da regencia dessa fre-
guezia, e nesta data passo a nomear vigario encom
mendado da mesma ao Rvd. Jos Avelino Monteiro
de Lima, o qne Ihe communico para sua ratelligen-
UOVKKXO DO HISPADO l
l'lltWvllll CO
SEDE VACANTE
Expediente do dia l de margo de1863.
Oficio ao vigario do Pissabugd. Sendo-me eia e para que d posse aojravamente nomeauo.
apresonudo nmabaixo assigoado dos moradores( n,^' pu|0no da SilvaLes-
dos povoados BoniU. Frecheiras e Peba, pedindo-! Oficio ao par^Pr^80s Fulgrao d J^Les
rdeSK^ferd^1^
? Rvma etns rulo um magnifico templo dedicado seu olerewaw.to nw pede quo appra^jese sea
a NoaSeBbora da Concedo, eu me regosijei so- aoto, bem eop.io Ihe d luenga por escripiai para
breroodo com esta noticia ; e para dar ros peticio-. ausentar,-s da diocese
Temos procurado fazer conhecidas as peripecias
da magna questo que ha sete mezes traz agitados
o espirito publico e os gabinetes dos estados occi-
dentaes da America Meridional.
Tomados da nobre indignagao que sempre irrita
os nimos conscieociosos ante atlentados que pos-
tergan) o direito e a justica dos povos, cumprimos
nal, e por este motivo passsou ao governo pereua-
no a nota seguinte :
t 5 de dezembro de 1864.
c O ataque minediato das forcas hespanholas
resolvido pelo governo do Per e annnnciado pelo
ministro Caldern, na conferencia anterior, atten-
didos os nicos meios de que o geverno pode dis-
por, segando se acham declarados na acta dos
chefes de marraha, e na nota do contra almirante
da esqnadra peruana, per agora, no entender
dos plenipotenciarios, um acto funesto e prejudi-
com o nosso deveri demos expansao' a ura senti-. cial para o Per, e qne affectar gravemente as
ment sincero protestando contra os actos barba-1 demais repblicas, que tem lomado lao decidido
rescos que atropellaram os mais sagrados direitos. interesse nesta qnesto. Ao emitlir os plenipoten-
de ama nagao soberana. ciarios esta opinio comprem com o qne devem
E no empenho de estudar a questao e de escla-: ao Per e aos seus proprios governos. Se o Per
recer a respeito della o espirito dos nossos leito- cuja acgo nao se propoem de neahuma maneira
res, buscamos ajuizar com criterio dos factos qne embaragar, resolve obrar por si s neste assumpto
hio occorrido no Per. os plenipotenciarios se vm do penoso dever de
Anda nesse empenho vamos hoje fornecer aos expor qne os governes qne representam se acharao
nossos leilores algnmas DOticas sobre a actual si- na necessidade de abster-se de continuar a o:cu-
tuagao do grave conflicto Hispano-Peruano, e so- par-se com este assompto.
bre as disposigoes reveladas pelo congresso amo- A vista disso e consultando a diffleuldade de es-
ricano desde as suas primeiras sessSes. tar em operaees superiores aos meios de delesa
Esto representadas nelle, alm do Per; os se- martima com qne actualmente conta o Per, o
guintps estados: Confederaoao Argeaina, Esta- governo desta repblica lornou a diriglr-se ao
dos-Unidos da Colombia e Veeinela, Bolivia, Chi-, congresso nacional.
le, Eqador.
Dos representantes das repblicas da America
central que eram esperados em Lima a lodo o mo-
mento, j chegou o representante da Guatemala,
segando as ultimas noticias de Lima, qne alean-
gara at 14 de dezembro.
Da adhesao destas repblicas nao se pode mais
De um momento a ontro era esperado o almiran-
te hespanhol Pareja. Da sua misso presnmia-se
que resultasse o arranjo paeifico do conflicto que
lanu perlurbago veio causar economa social
das repoblicas americanas. Se o contrario, porm
se realisar, se em vez de propostas d paz o almi-
rante hespanhol persistir na iotengao de hostthsar
duvidar. Sao solemnes e corajosas as nobres ma-, ao per, eslava o congresso americano reiolvido a
nifestagoes que dellas ho partido- fechar todos os porios das suas respectivas nages
Em sesso de 21 de novembro prximo passado, aos naviose ao commercio hespanhol, marcand)
o congresso declarou coostilnirem urna offensa um praso rasoavel aos subditos da Hespanha nellas
commum aos estados da America os atlentados; residentes para qne se retrem eom suas familias
praticados pela Hespanha contra o Per; e tratou e proprledades.
de combinar sobre os meios de defesa. Como quer qne seja, porm, as ultimas noticias
Devemos, porm, para esclarecer os leilores re- do como prxima do seu termo essa fatigante e
cordar o que dissemos em, nm recente artigo cer- ociosa pendencia provocada pelo iresioueado com-
ea da attitude reciproca em que se achavam o con- missario hespanhol e pelo nao mais assixado al-
gresso americano, tcoageesso peruano e o goTBT-, mirante Pinzn, com offeosa do direito das gentes
e exirter os actos do sea no nacional. e grave insulto honra e soberana ao rau.
r
4\ II
-------,


i
'



Tu r-**
II # I
I



V*
r
....

*r

- **. .

Diarlo de Pernambueo Sabfcado 11 de Xarco de 1865.
'


No poni ern que boje se acha tollocada essa-|-den-,e dt companJikdfl. navegagao do Alto Para-
questo ella pode terminar pacificamente sem que-18u*y>cuja leituraouvio eslava conforme, respon-
bra da diguiade dessa repblica. deu
Desle que de peruana tornoo-se americana, uOe o eonrniava ern todas as suas parles, at
desdeiqge o iccordo de todas as repblicas olTere- porque ludo quaolo nelie se eonlioba, esUva ja, no
rdominio do ptlblieo ; qde no momento nao se lem-
ce urna barreira moral s pretengoes dearrasoa-
das da Hespanha, desde que, como fe diz que j
aconieceu, as ilhas de Chmelia esli em poder do
Per, e energia moral e patriotismo, a corajr e
a firmeza do rovo peruano se demonstraran) por
modo to brilhante, crensoe que pode o corigrcsso
americano resolver o litigio, ficando salvas a honra
e a dienidade do Per.
As ultimas noticias do Per confirmara, em par-
te, as e.-perancas manifestadas neste artigo, escrip-
lo antes da enejada do paquete.
Dizem ellas que no da 7 o almiranto Pareja
asstimira o oominando da esquadrilha hespa
nhola.
Que i'ioroo regressra i Hespanlia.
Que tm sua passagem pelo Chile o novo almi- ellaria do consulado geral do Brasil, fiz compare-
rante pronunciara expresses o revelara sentlmen-! cer aDle mim, Joo Carlos Pereira Pinto, con-
loa conciliadores. !su! ?eral do imperio na repblica argentina, oes-
Entretanto tinba-se feito a experiencia dos He-! crivo, contra-mestre, guardiio, 2 machinisia, 32
MtGres peruanos que foram julgados bous, pessoas datripolagoe 4 passageiros do vapor Mar-
0 governo peruano tratava de operar varias re- 1,HfZ <*e Ofenda, abaixo assignados, e seodo-lhes li
brava de nenhuoi outro incidente a relatar nem ti
osa maia declaraeo a fmer.
Nada ais consta do presente interrogatorio
qae fiz lr o interrogado na presenta das teste-
monhas, as quaes arhaodo-o conforme em todas as-
suas paites o asslgnaram comigo Jlo Cartoa Pe-
reira Pinto, cnsul geral do Braril na Repblica
Argentina.
Assignados Joo Carlos Pereira /'in/a, consn.
geral, Andr Ribeiro ; como lestemunhas Pedro J\
Rodrigue, Pedro Jos de Azevedo Ramos.
Aos vintee circo dias do mez de Janeiro do
acno do nascimtralo de Wosso Senhor Jess Chris-
to de 1865, nesta cidade de Buenos-Avres, echan-
Paco da assembla legislativa provincial, 10 d
marco de l863.-Marauhlo.
t A assembla legislativa provincial de Penara-
buco, resolve :
Art. Fiea creada urna segunda cadeira da ins-
trucao elementar para o sexo remani na cidade
de Goianna.
Art. 2 Ffcam revagadas as uposiees em con-
trario.
ao termo de Caruaru' a parte do termo da Madre Foram recolhidos a casa de delengo no dia 9
/il c nS' comPrehendida nos limites da freguezia, do correte: .
de S. Caetano da Rapoza, e todas as agoas do ra- A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jo5o
ctio Carapatos, desde sua nascenca at sua fox o! Antonio Rodrigues Bemaeo. Joaanlm las deSan-
5 Capibaribe, assim como deste ponto pelo dito fAnna e Joaquim Bernardo dos Aojos, para recru-
no abano, todo o terreno ao lado do su!, que ae- \ tas, Saturnino Pereira dos-Anjos, como desertor;
tuajmeoiejiertence ao referido termo do Brejo. e Jos Francisco das Neves, at que prove senco
arque declara que o projecto em dis- legal do recrulamento.
OSa. Bu
mandou cascar na cadeia, e que o Dr. Emiliano
levoa muito a bera este sea lelo; tanto que o dou-
tor requereo habeas-corpus, e elle s lhe appare-
ceu depois de seis dias ; etnflm, diz que os nego-
cios do Progre* vao bem.
Recife, 10 de marco de 1865.
Jtmda CunhaPtntra Beltrao.
formas-nos difieren les ramos daadministracao pu-
blica.
As bases indicadas para o arranjo pacifico das
divergencias entre o Per a Hespanha, sao as
seguiutes :
! Mutua e simultanea salva dos pavilhSes hes-
panhil e peruano.
2' Desoccnpacao das litas de Chincha pela es-
quadrilha hespanhola.
3* Sugeigo das reclamacoes pecuniarias a urna
commisso mixta.
4* Nomcago de um ministro peruano, junto ao
fioverne da'Hespanha, para ventilar os conheci- j
mentos de Talambo.
5* Olvido de todas as quesloes edivergencias:
qoe, com cutras repblicas americanas, tenham i
urgido ou possam surgir por motivo do mesmo
conflicto hispano peruano.
Sendo assim pdese, felizmente, dar por conclui-
do este conflicto e oxala que a repblica do Per
voltando paz e ao cuidado dos seas negocios in-
ternos, trate de fecundar os elementos da sua pro-
priedade por meio de urna poltica sabia, gene-
rosa e literal, que eleve rapidamen/e o nivel de
sua grandeza moral e material.
16
APB1SI0NAMKKTO DO VAPOR t.MARQCEZ DB
0L1NDA.
Por motivo do roubo escandaloso do paquete Mar-
quez de Olmda, perpetrado pelo cacique do Para-
guay, instaorouse no consulado brasileiro em
do os interrogatorios feilos'ao subdito brilannico
GuiInerme Stepbons, Io macbinista do dito vapor a
20 do mez de dezembro do anno prximo pissado,
ao subdito brasileiro Antonio Maria Pereira Leite,
passageiro do referido vapor a 21 do mesmo mez e
anuo, e ao italiano Andr Barbieri, carpinteiro do
mencionado vapor a 3 desto mez, formulei as se-
guintes perguntas, sobre as quaes fiz declarar sob
juramento a cada urna das pessoas da mesma tri
polaco e pasageiros :
t l. Se verdade quanto declararn! os citados
interrogados ou se o fueram com dalo e malicia.
2.* Que declarassem o que tinham de accres-
centar aos ditos interrogatorios ou que corngir-
Ihes, para estabelecer a verdade dos fados.
i E depois de tomado o competente juramento,
responderm :
1." O escrlvao Antonio Fernandes l'ovoas ;
rogatorios, rom especlalidade o do subdito brasilei-
ro Antonio Maria Pereira Leite, com excepco do
que dis-e o macbinista Stephens sobre haver-se
aberto os saceos cora dinheiro, facto que nao se
effectaou ; nem to pouco se reclamou o medico
inglez, o qual foi offerecide pelas autoridades do
paz para tratar dos enfermos ; que em continua-
cao das informacoes do capito, Barbieri, tem a de-
clarar que no 1* do correnle foi um oflkial pri-
sao e leu um decreto do presidente da repblica
pondo em liberdade todos os prisioneiros, .que se-
guiriam para onde quizessem, com excepeo do
Buenos-Avres, um interrogatorio aos prisioneiros i presidente de Matto-Grosso, o commandanle Souto,
postos em "liberdade pelo tvranno Lpez. 'enente Mangabeira, o Dr. Luz, os pilotos Arouca
Convm registrar os documentos relativos a esse i e KraPa. e.-rrivao da esquadra Joo Coelho de
acto de pirataria, para que a historia possa ajuizar Alm.eida, Fiel Paula Reis, e o escrivao de descar-
ga da alfandega de Albuquerque, Jos Vicente Bue-
no, a quem se impoz a condico de ficar na rep-
blica residindo na rapella de S. Joaquim, distante
da infamia do procedimento do governo para-
guayo.
Ei-los:
t Aos cinco das do mez de Janeiro, do anno do; 6" leguas da capital, percebendo o meio sold de
nascimeuto de Nasao Senhor Jetus Coriseo de 1863, isuas. Pa'entes ou honorarias, que niio fui por elles
ne^ta cidade de Buenos-Avres chancellara do a^miltido ; que ao mesmo lempo o official para-
consulado do Brasil, fiz comparecer ante mim a! Kuay entregou a csus 9 pessoas um officio para
Andr Barbieri, subdito italiano, matriculado como j 1ue ass'gnasfe, o que recusaran), sem que elle in-
carpinteiro, a bordo do vapor Mrquez de Olmda e i arrogado, nem pessoa alguma da tripolacao ou
na presenta das tcstemunhas abaixo assignadas,! PJfsagafos, possam saber o contedo do dito
passe a interrogar ao dito Barbieri, sobre o que
soubesse relativamente ao aprisionamento desse
vapor pelo governo da repblica de Paraguay, nos
. ^, if pl?e merecer osenaaBeatiraento, <*H A ordem do subdelegado do Recife, Joaquim,
n.^?m!^gltta|BW,llcJ?,dePBr" bw,es* signado pordous moito iUaalres re-' escravo de Reg ftlrmla, a requerimentos d'es-
namfcuco IOdemarcedet.-4feranhao. preaentates do 4 districto. Serta convencido de tes. '
Sfelidos e approvados os seguiates requer- que oa dgaos signatarios foram fevados naapre-| A'ordem do de Santo Antoaio, Ignacio, escra-
15St:.. r, .. seataco a semelhante projecto parmotlvos muito vo, de Andr Blanco, requerimento d'este.
Wqueiro qoe sa pecara do Exm. presidente da poderoso!: esta convencido de que elles procura- A' ordem do da Boa-Vista, Pedro Pewlra do Re
provincia seguiotes informacoes : rara atteoier da maneira a maia conveniente os go, para correcto.
V Se ja se tlrou a planta e foi oreada a despeta iuteresses da localidade que representam, mas nao O chefe da 2- seccao
da estrada qae cometa do rio Lb Bujary, na sabe se procuraram aquilatar os Interesses de on-' J G de Mosquita '
W*" t T!V3l_.i_ "9*P^?9-d* Pwineteqtte-frptojecto-ewdiseus-i omTBAnm no ma m marco de tm,
2* Se, no caso afflrmativo, foi contratada a fac- s5o vai fenr. ckmiterio plulico
tura dessa estrada e sob que condicoes. Goocal- O orador est cario de quo se os illuslres signa- Claudino, Pernambueo, 2 das, S Jo^: espasmo
ves da bilva.o tarios do projecto tivessem obtido todas as informa- Theodora Constanlina, Pernambueo, 48 anuos, sol-
Requeiro qoe se peca a segrate informado: coes relavamento ao assumpio, nao o apresenta- teira, Boa-Vista ; pneumona.
Copia da deraonstracao da necessidade do credi- riam, e assnn pede a paiavra para fornecer casa Antonio dos Passos, frica, 80 anuos solteiro S
to supplementar aberto por portara de S de de- essas informacoes. Tratando se do 5 districto, o Jos : encrelinencia da urina
zembro do anno passado para o armamento eequi- orador, embora um dos mais humildes e menos Victoriano, Pernambueo, 53 aunos, solteiro Bca-
pamento do corpo de polica. -Buarque.Catupel- dignos representantes (oo apoiados), nao poda1 Vista apopiexia
lo. -llego Barros.. ,___ conservar-se silencioso. Joanna, 'Pernombuco, 5 mezes, Recife; espasmo.
Hequeiro que se solicite do Exm. Sr. presiden- Diz o orador que em questSes semelhantes s de Maria da Concelcao dos Santos, Pernambueo 40
te da provincia a segrate informagao : | que se trata o nico movei principal, a causa quo aunos, solleira, S. Jos; erysipella.
r.w.ra!rr...J"^,Cr"!as re.'nei,li(l3 do ler_rao deve determinar a assembla a adoptar ou regeitar Jos Joaquim de Araujo, Pernamcuco, 42 anuos,
solleira, Boa-Vista: anazarca.
rsula de Siqneira Ribeiro Campos, Alagoas, 33
de Caruaru e apurados at o dia 8 do correte, os projectos, o Interesse dos povos; e havendo
cuja relacao nominal foi enviada a esta assembla, na c isa urna representago da cmara municipal
conorme havia ella pedido, se acham incluidos os do Brejo acompanhada de um ahaixo-assiguado de
que daquelle termo cnegaram nesta capital no dia 300 pessoas daquella localidade, entre as quaes
annos, casada, Boa-Vista; tubrculos.
existem pessoas de alta cathegoria, mostrando-se
nesse documento a iuconveniencla da medida em
queslao, ella nao pode ser approvada.
_ O fundamento principal desta representaco
lao plausivel que o orador nio pode comprohender,
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.Achando-me muito incommo
i ou 3 deste mez.Joaquim do Reg Barros.
Sao lulos os seguinles pareceres :
A commisso de petigoes leu com o devi lo
cuidado a petico de Francisco Carlos da Fonseca,
um dos fiadores da arrematacao do imposto de
25500 por cada cabeca de gado vaceum consum- que os seus honrados coliegas deixeni de alten- dado desde antes de honu-ro, nao "me* permiiido
mWmS nalnn!ln0Jae(,0,aDDr'n0lrenDre **& ^., eMar sen,ado- e Por > de.xo de responder de
1857 a 1800, na qual pede o supplicante o perdao, O termo de Carnar eompoe-se de qoatro fre- prompto ao communicado do Illm. Sr. Dr. Antonio
da ultima lettra vencida e nao paga ; considerando guezias : a do AlUnho.a da Raposa, a de Qnipap Jos da Costa Ribeiro, publicado no Diario de Per-
qu essa arreinatacao Taz parte da receita provra-; e 3 de Laruar. Quer-so destacar quasi metade nam&Mco de hoie 3 ; mas o farei logo
mi, e esta commisso de parecer que a mesma pe- do termo do Brejo para ser annexada a do Carua-
ticao seja reinetlida commisso do orcamenlo r, quando o Brejo tem simplesmente urna fregu-
provincial para dizer o que for de juslica. zia I Aim disso o termo de Caruaru rico e p-
sala das commissoes 10 de marco de 1865. puloso, nao esundo as mesmas condicoes o do
Ferreira Jacobina. Manoel Netto. Brejo.
Posto emdiscuso o appro vado. Accresce, diz o orador, qoe a ponco creouse a;
A commisso de peticoes tomou na devida con- freguezia da Raposa, e desannexouse urna parte
sideracao a materia exposta na petico do com- consideravel da freguezia do Brejo para essa crea-
raendador Manoel Camillo Pires Falco, que pede gao. Este argumento para o orador de grande
a restituico de 1:560,5 proveniente de sobras de peso.
tres por cento destinados para o sello dos bilhetes O orador passa a ler a represenlacSo e o abaixo
de loteras: attendendo que o jupplicante invoca assignado, dizendo ao depois que, se estes docu-
a favor de seo pretendido direito diversas leis vi-1 cumenlos nao sao suficientes para actuar no espi-
gentes, considerando que as materias de restitu- rilo da assembla, afim de nao consentir ella na
Agua florMa de Hiirray k. La-
aran.
Se o simples preco de um genero qualquer, fos-
se sempre reputado como a medida de seu exacto
valor ; nos suasoriamos que este exquesito e de-
licado perfuma e eostemetico .era inferior a algn-
rrras perfumaras estrangelras, as quaes sao ven-
ido fdidas por um-preco qoatro veres mais daquelle
outro, emquanto que, sua quantidde no chega a
prefazer urna qnarta parte contida n'uma das gar-
rafas da agua florida. Porm, felizmente, como pos-
soimos urna maneira livre e indepenijente de for-
mar juizos produzidos das evidencias dos nossos
proprios sentidos; a nossa conclusao pois, neste
particular, urna inteiramentc rnuidifferente. Temos
por varias formas examinado esta rara prepara-
gao, e sem o mais leve escrpulo ou hesitaco,
pronunciamos a sna fragancia nao s inextingui-
vel, como tambem fresca e suave como a das pro-
prias flores, e ora todos os respeitos lo agradavel
em seu delicado aroma como qualquer oulra esseR-
cia que jamis nos tenha sido fornecida, quer da
Colonia, Paris ou Londres. Esta pos a senlenga
passada por toda a America hespanhola, e nos de
todo bom grado a confirmamos.
Tendo o cuidado de examinar e ver que os no-
mes de Murray & Miman se achera inscriptos
sob cada euvoltorio, letreiro e mesmo mpresssos
as propnas garrafas, sem o que neohuma ver-
dadeira.
que possa.
Sou com a mais distincta considerago etc.
Dr. Joaquim d'Aqumo Fonceca.
10 de marco de 1863.
JPPBLKAgto A PEDIDO
Ao publico.
O Sr. Dr. Pergenilo Saraiva d'Araujo Galvo,
vencendo o seu natural acanhamento, e sahindo de
sua obscuridade. apresentor.-se;no Uiarie de 18 do
' prximo passado mez, tomando a defeza de seu
gao devem ser sugeitaa commisso de orgamenta desannexaco, nao'sabe o q"ue7er n"ece7sarlo paa SZerqV^afdeTeito^TSo ShoTeS!'
* ffiSd!"* Pr0,eC' ^ d'SCUS8 "5 d6Ve Sef I ^w&ohSSjito qual seAahc0hatdenSn:
^ o orador a fater latgas coos.deragoes so-1 S"'^!^^110 perRDtt iUperOr irbQ-
Como autor da denuncia, que dei-a por amor da
oficio.
No mesmo dia tiveram ordem de aposentar-
se polica do paiz, e, feto isso, o chefe poltico
Ihes ordeoou que se relirassem, dando-lhes a cida-
sua idade, profisso, natu-:de Pr prisao at segunda ordem. e dizendo, que
quando tomassem alojamento dssem aviso poli-
segointes termos
Interrogado sobre
ralidade e quaes os motivos porque se achava
actualmente nesta cidade ;
t Respondeu qne tem 30 anno?, que carpintei-
ro martimo, natural de Genova,: que desdo 1861
eslava empregado a bordo do vapor Mrquez de 'lu.e iileS oi concedido
Oiinrfr no exercicio de sua profisso; que seguio ?"e .interrogado entregou,
no dito vapornaviagem de novembro doanno passa-
do rom destino provincia de Matto-Grosso e que
tendo i-ido o referido vapor a prisionado pelo go.-
o referido vapor a _
vemo do Paraguay no dia 12 de novembro proxi
mo passado, esleve preso at o da 24 de dezembro
prximo passado, dia em qoe sendo posto era liber-
dade pelo governo dessa repblica, veio para esta
cidade para dirigirse a Montevideo afim de tratar
de obter meios de subsistencia para sua fa-
milia.
Interrogado sobre como se efTectuou o aconte-
amento alludido, respondeu:
Que tendo o dito vapor chegado Assumpgao
no dia 11 de novemijro, seguio para seu destino
10 horas da manhaa, avistou-sc o vapor de guerra
paraguayo Taquary que suba rio cima; que al-
canenndo este ao vapor Mrquez de Olinda dispa-
rou-lhe om tiro de plvora secca, parando logo o
Olinda por ordem do commandante Souto; que, em
seguida, o commandante do Taquary mandou um
despacho, ordenando que o dito vapor voltasse
quantfl antes para a Assumpgao, sob pena de ser
compe lido pela torga, caso se recnsasse a obede-
cer ; que depois o commandante Souto foi cma-
ra, e que escreveu um papel que mandou ao Ta-
quary pelo o escrivao do vapor, o aual nao foi
recebido por nao lerem consentido queatracasse o
bote em que ia, ntimando-se novamente ao vapor
Mrquez de Olinda que regressasse para a Assump-
cao; que durante esta nova inlimago descobriose
a batera do Taquary, carregando-se urna pega a
vista de todos os passageiros e tripolago do Olin-
da ; que nio podendo este resistir a essa inliraa-
cao, regresson para Asumpgao, onde chegararam
na Doute do mencionado da, sendo logo o vapor
cercado por navios de guerra, e ficando incommu-
nicavel.
Perguntado sobre as oceurrencias que ao depois
se deram a ln-rdo, respondeu :
. Que depois de alguns dias de estada no porto,
veto ordem para desembarcar o Io machinista,
subditc ingtez, um negociante italiano e outro bra-
sileiro; que o capito do porto mandoo pergunlar
a bordo se necessitavam de prvis5es, ao que res-
pondeu o commandante Souto que de nada neces-
sitava, qne rnente desejava saber porque motivo
se detinha o vapor de seu coromando; que ao de-
pois reclamoo-se provi-oes qne foram mandadas
pelo cnsul brasileiro; que no dia seguinle ao da
chegada do Mrquez de Olinda poz-se-lbe urna
guarda de 8 homense om official, a qual foi depois
augmentada com mais 6 homens; que mais tarde
vieram empregados civls e militares examinar tudo
quanto havia a bordo, inclusive a caTga e o carvo
e qoe depois de abertos todos os fardos, fecha-
ram-nos bem como as escotith&s e o camarote das
malas e s H da noute desse mesmo dia foram
aviso a .
ca ; que no dia seguale foram polica dizer que
viviam em casa do cnsul brasileiro, e pedram
licenga para irein buscar os sus haveres prisao,
que ao mesmo lempo
, por ordem do cnsul
brasileiro, mil patac5es ao presidente de Matto-
Grosso, para seus gastos e de seus companhelm?.
_ No dia 6, leudo conseguido transporte pr> por-
cionado pelo cnsul brasileiro, na galeota oriental
Dos Hermanos, embarcou-se com toda a iripolagao
do vapor e mais quatro passageiros de estado, em
nmero de 40 pessoas, inclusive um menor, ser-
vente do lente Mangabeira, tendo chegado a esu
cidade no dia 23 do corrente ; que nada mais tem
a dizer a semelhante respeito, pedindo que entasua
derlaragao fosse tambem Iida s outras pessoas da
tripolacao e ditos passageiros, que cada um por se-
parado confirmou.
Nada mais contera a presente declarago, que
fiz. ler aos interrogados, em uresenca das testemu-
nT;;'""'"t- miaa, arhandn- con-
orme em todas as suas partes, assignaram comigo
Jo.1o Carlos Pereira Pinto, consol -geral do Brasil
na repblica Argentina. Joao Carlos Pereira
Pinto, cnsul geral. Sepuem-se 41 assignaturas,
das quaes anco sao arotnlinaxl'-mo eoiemu-
nhas, Carlos Augusto da Silva.-Joaquim Pedro da
Rocha.
(Diario do Rio.)
PERNAMRUCO,
... turas da cmara municipal de Cimbres. A" mes
buscar as matas, detxando o calite com o dinhei- ma commisso.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
9.* SESSAO EM lODEMARgO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SB. DR. CABTAKO BHITO.
As 11 e 1/i da manhaa. feita a chamada, achara-
se presentes os Srs. deputados Joaquim do Reg
Barros, Jacobina, Maranho, Brando,Francisco Pe-
oro, Aminthas, Pereira de Brito, Teixeira de Mello,
Braulio, Gongalves da Silva, Netlo, Ramos, Ayres
Gama, G. Campello, Arminio, Loureiro, Araujo
Barros, Ribeiro, Soulo Lima, Buarque, Paula Bap-
tisia, Reg Barros, Silveira Lobo, Silva Barros, Na-
bor e Cunta IVixeira. ,
O Sr. Presidente abre a sesso.
I.ida a acia da sesso antecedente approvada.
O Sr. i Secretario d conla do segrate
EXPEDIENTE.
Um (flicio do secretario do governo, remetiendo
oorgamenio da cmara municipal de Ouricury.
A' commissio de orgamento municipal.
Outro do mesmo remetiendo as contas da receita
e despeza da amara municipal da Victoria de 1863
a 1864, e de 1865 a 1866.A mesma commis-
so.
Outro do mesmo remetiendo um projecto de pos-
turas da cmara municipal de Floresta.A' eom-
misso de posturas municipaes.
Outro do mesmo remetiendo um projecto de pos-
rA< da rrimnra muninii.il Hn CImI.. >
provincial, esta a commisso de parecer que a
mesma petigo seja remettida commisso de le-
gislago e de orgamento provincial para dar o seu
parecer conforme or de direite.
Sala da commisso 10 de margo de 1865.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.Manoel Nelte.
Pede a paiavra sobre o parecer supra do Sr.
Buarque, por consequencia adiado.
a commisso de petigoes examinou cuidado-
samente a materia contida na peligo de Felippe
Bencio Cavalcanti d9 Albuquirque, arrematante
do pedagio da barreira de Santo Amaro Jaboalo,
ua qual pede mu abate de quinta parle no prego
da arrematago, considerando esta commisso que
o supplrcaule quer esse abate no preco porque ar-
rematou o citado pedagio ; considerando que a
somm dessas arrematagdes fazem parte da recei-
ta provincial, de parecer que a peligo seja sub-
inettida commisso de orgamento provincial para
dizer conforme a justiga.
Sala das commissoes, 10 de margo de 1865.
F. Jacobina.Manoel Netto.
Por ter pedido a paiavra o Sr. Barros, lica
adiado.
A commisso de fazenda e orgamento, tendo
examioado os crditos sopplementarcs abertos por
portaras da presidencia da provincia de 16 de
maia, 4, 10 e 18 de jenho, 29,18, 22, 83, 26, 27 e
30 de jullto, 20 e 27 de agosto, 2, 16, 19 e 24 de
setembro, 12 de novembro, 5 e 24 de dezembro,
ludo do anno prximo frado, de 1864, de parecer
que se adopte a
observar a casa que as portaras
panhadas de lodos os documentos exigidos pelo
art. 3o da lei n. 575.
Art. 1. Ficaa approvados, e como taes fazen-
de parte da le do orgamento do exerccie prximo
lindo de 1863 a 1864, os crditos suppleraeniares
oLcrios dentro do trimestre addicionai da
ejercicio, por portaras do presidente da provine!
de 4, 10e 18 de junho, 2,9, 18, 22, 23, 26, 27 e
de juiho, 27 de agosto, 16 19 e 24 de setembro,
tudo do anno oassado. destinados a occorrer s
despezas com as verbas especificadas nos segrales
paragrapbo:
% l. Expediente e aceio da secretaria da
inslrucgo publica, 166272.
2." Dito e servente do Gymnasio, 10*575.
g 3." Mensalidades dos alumnos pobres do
Gymnasio, 153000.
S 4- Aluguel da casa e expediente da Biblio-
teca Provincial, 23*580.
c s <" Reparos de poniese estradas, 24:840*190.
6." Expediente e aceio da thesouraria pro-
vincial, 122*183
da cobraoca judcicial,
bre os Ibjos e distancias, e conclue mandando
o projecto va a justjca e ,je mu(0 Doa vontade para ser punido o
ros, Francisco Pedro e Silva Barros.
A discusso ca adiada pela ora.
O Sr. Presidente levanta a sesso s tres horas
e meia da tarde, e d para a ordem do da 11:
continuago da anteriormente dada e discusso do
projecto n. 47 do anno passado.
REVISTA DIAIIA.
A assembla provincial appravou. hontera, em
mesa um requerimento para que
TnStSSlCt li. -m h n R,r Icrime, emendo nao delxar correr o communicado
Orara em seguida os Srs. Joaquim do Reg Bar- do Sr. Dr Saraiva> sem uma exp,icaca0 muit0 ne.
cessaria, e pela qual se v que nao se pode ad-
: miltir o mero equivoco, que diz ler praticado o seu
amigo, quando lavrou a senlenga de que se trata.
Disse o Sr. Dr. Pergeo uo, que o Sr. Del fino,
vendo o toda a sessdo do jury na cadeira da pro-
motoria publica, e suppondo o o promotor do da
. antecedente, e nao o aecusador particular, julgou
a accusaco perempta, e pnblicou sua sentenca. Se-
ria aceiiavel a desculpa dada em favor do seu
amigo, se o Sr. Dr. Delflno julgasse a aecusagao
perempia para todos os reos; mas assim nao foi :
_ o Sr. Dr. Dellino, aceitou adecisdo do jury para o
segunda discusso o projecto n. 64 do anno passa- reo Paulino, que absolveu-o, c julgou a accusaco
do, sobre construgo de agudes. perempta para os outros dotis reos II E' facto vir-
Com a presenga de 43 joizes de facto foihon- gem IO Sr. Dr. Pergenlino de proposito disse
tem aberta a sesso de jury, sendo no entretanto apenas que por engao o Sr. Delfino havia julga-
sorteados tantos senhores quantos faltavam para do perempta a aecusacao, mas nao declarou que
completar o numero legal. em um, e mesmo processo, reos pelo mesmo cn-
Em seguida comparecendo o Sr. Dr. Virgilio me, fosse um dos reos absolvido, e para os dous
Coelho, juiz municipal supplente da segunda vara, julgada perempta a aecusago.Consintadizer-lhe,
faz apresentagio dequatorze processos devldameu- Sr. Dr. Pergenlino, que o seu constituinte nao lera
te preparados para entrarem em julgamento. desculpa, fez o que anda ninguem f<-z, e que nao
At honlem haviara jurado bandeira no corpo oceultando-se a verdade que se deu, que se de-
ei 2Lvo'un,ar.io,d* Patria os seguintes senhores: fende a inteligencia e probidade do Sr. Dr. Del-
la as norS & ta^n 2J8 Manoel de Carvalno Paes d'Andradc Gouvim, fino. Como autor da denuncia, o que sei o que
37 annos, Pernambueo. fica dito, e que se acha provado com a propra sen-
239 Antonio Carlos de Mesquia, 22 annos, Per- tenga do Sr. Delfino, que a parte nao appellou del
nambuco. la, porque receben a quantia de cen mil ris, e
240 Joo Pedro de Souza, 19 annos, Pernambueo. que o Sr. Dr. Maximiano Francisco Duarte, ento
2il Manoel Alexandre do Na*ciment>, i'Vannos, advogado, notando o erro commetudo pplo Sr. Br.
Pernsmboco. Delfino, e a elle dirigrado-se em sentido de ver se
jse Auioaio da silva, lo anno., s, ..uam- aind or. pussive refonnar aquella sentenga,
,.u0- cl,e respondeu-lhe que nao, porque aquillo jamis
zw januario Antonio dos Santos, 30 annos, Ala- apparereria. Nada mais direi ao Sr. Dr. Pergenti-
af i f .v ., no, que querendo defender o seu amigo, mostrou-o
-i Manoel bualberto Alves de SIendonca, 24 an- criminoso em face da lei, pois o nosso cdigo
nos Pernambueo. bem claro, e ainda assim a sua defeza nesse senti-
24j Antonio Severino de Oliveira Santos, 30 an- do pouco o honra.
nos, Pernambueo. Ao poder competente fiz chegar o facto de que
24b oion Jos de Barros, 24 annos, Pernambueo. se trata, e delle s espero lustica.
7. PorcenUgem
1:150*060.
i 8.* Empregados
t s9. Porcentagem
ro e fechando e sellando novamente o cama-
rote.
P.Tguntande sobre o traiaraento que se dra
aos prisioneiros e sobre os seus padecimentos du-
rante o lempo em que esleve na mesma condico
e sobre o mais qoe soubesse, responden :
Que por causa da pessima agua que bebiam,
do calor e de outras cirenmstancias, adoereram
quasi todos os passageiros, e que s depois de se
haverem queixado, con^entio-se qne viesge a agua
de ierra ; qoe o exame ftiio as provisdes era to
minucioso e de tal modo as delerioravam que re-
pugBava osar dellas; que estando es prasos enfer-
mos ibes foi concedida a visla de ua medico in-
glez. o qual nao fallava aos passageiros seno so-
bre as suas enfermidades j que quando desembar-
con alguns dos enfermos ja estafara restabelecendo-
se, para o qoe provavelmenle >bI1uo a malhor agua
qoe bebiam ; que todos esuvam impressionados
pelos veaoies que siJTrianj; que no. ia3 de de-
zembro foraai a bordo buscar os dous pralicose
os transladarara.para o vapor Paraguary, e no dia
13 s 9 boras da -aoue foram os presos transpor-
tados para ierra e encerrados em uma pnsao, cha-
mada o Arsenal Velho ; que.&tesa prieao-foram os
prisioneiros divididos era tres classes, ficando o
presidente, o cooimandante e os olBoiaes em um
quarlo fechado com sentmeHa port; n'outro
quarto 11 brasileiro* entre passageiros e tripula-
cao eosestrangeiros, passageiros tambem e da tri-
f15.0:,f,ad,*a"0,9 nr!.-q BeMa *rwao "lca sitoaeo dos
prisioneiros se tornoa ais aensivel palo! mim
Outro do mesmo transmitlindo a informaco da
reparligo das obras publicas, acerca do melhcr
ponto de partida para a estrada projeclada a Bebe-
ribe.A' quem fez a requisigo.
Outro do mesmo remetiendo 40 exemplares do
orgamento da receita e despeza da provincia de
1865 a 1866.-A' distribuir.
Oatro do mesmo remetiendo a informaco minis-
trada pela reparligo das obras publicas, acercada
canalisago d'agua potavel para a cidade da Victo-
riaA' quem fez a requisigo.
Outro do mesmo remetiendo a informacio pres-
tada pela reparligo das obras publicas, relativa-
mente aos estudos fetos para a construego da es-
trada de Trombetas ao Bonito.A' quem fez a re-
qoitMM.
Ouiro do mesmo enviando a relacao nominal dos
recruias remeltidos do lermo de Caruaru' e apura-
do.A' quem fez a requisigo.
Outro do mesmo em resposta ao desta assembla
n. 4, de 3 do correle.A' quem fez a requisi-
go. M
Onlro do mesmo remetiendo 40 exemplares da
reiago das causas executivas da fazenda provin-
cial.A* distribuir.
do consulado, 13:961*739.
dos promotores liseaes,
collee.tores e escrives, 1:161*708.
10. Porcentagem do agente dos liquides es-
pirituosos 805>995.
S II. Aposentados 3:782*529.
| 12. Res titinges, 728)717.
Art. 2. Fcam igualmente approvados, e fazen-
do parte do orgamento vigente os crditos supple-
menlares abertos por portara da mesma presiden-
cia de 20 de agosto, 2 de setembro, l de novem-
bro, 5 e 24 de dezembro do anno passado, desti-
nados a occorrer as verbas de despezas dos se-
grales paragraphos:
| 1." Expediente, movis e asseio do Gymna-
sio Provincial, 742*957.
2." Aluguel de casa e expediente para as
escolas primarias, 2:679*350.
3. Concert e pintura do theatro de Santa
Isabel, 1:630*.
< S Expediente da casa de delencao, 300*.
v I 6.* Despezas judiciaes, 2:000*.
< i 7.a Bestituiges, 2:1(6*.
Art. 3." Ficam revogadas dsposicoes em con-
trario.
8 de margo de 1865.-Buarque.-Rego Barros
Campello.
Vai a imprimir.
O Sr. S Pereira fundamenta e manda mesa
o seguinte requerimento:
Requeiro que se pecara peles canaes compe-
tentes que sejam apresentados a esta assembla os
livros donde consta a arrematago das apolices on
seus vencimentos, bem como o pagamento dos seus
respectivos juros.
Depois de algumas observages do Sr. Jacobina,
o requerimento rgeitado.
Contina a discusso do seguinte requerimento
do Sr. Buarque, cuja discusso fieou honlem a-
diada.
t Requeiro qne se nomeie uma commisso de 3
membroi, que, examinando as reparliges fiscaes
da provincia exisiewes nesta cidade, e tendo em
considerago os rea torios dos respectivos ebefes
poponha as medidas que jolgar acertadas.
Orn a Sr. Ramos. Posto a volos o requerimen-
to approvado, sendo regeilada a segrate emen-
247 Manoel Martins de Paula, 18 annos, Pernam-
bueo.
248 Joo Climaco dos Santos, 21 annos, Pernam-
bueo.
24 Olegario Jos da Costa, 21 annos, Pernam-
bueo.
256 Lucas Evangelista de Alcntara, 23
Pernambueo.
Engenho Santa Rosa, 8 de marco de 1865.
77on LeBo de Castro.
Chegando a esta cidade, para continuar os meus
estudos, conslou-me que se havia transcripto em
annos, urna das folhas da mesma um artigo dos jornaes
25,uMigoe, Justino dos Santos, ,8 annos, Femara- Wf&S^atSTJi SSSL Z
252 Ernesto chryspiauo da Suva, 20 annos, Per- CSaSSr
tos que se lera dado oaquella provincia, no lugar
denominadovilla de S. Joo, onde elle residen-
te ha dous annos se me nao faina a memoria.
Tendo, porm, a felicidade de deparar no Jornal
da Parahyba ns. 275 e 279, com dous escriptus
que contrariara o que foi aqu transcripto, ped-
namboco.
253 Francisco Machado dos Sanios, 18 annos, Per-
nambueo.
254 Flix Jos de Sant'Anna, 40 annos, Pernam-
bueo.
255 Francisco Luiz da Silva, 25 aonos, Pernanj'
buco.
t Em vez de urna commisso de 3 membro?
diga-sea commisso nomeada na sesso natuii
Outro do mesmo remetiendo o orgamento, balan-1 para proP6r as reformas que julgar convenTentes
go, copia do officio em que acamara municipal da a respeilo.-G. Campelk). "^memes
cada eipw sna mais urgentes necesidades.- A' O Sr. Sabino pronoe que o Sr. presidente fique
encarregado de nomeaY a supradita commisso.
Resolvendo a casa afirmativamente, o Sr. presi-
denta nomeia os Srs. Drs. 8 Pereira, Silveira Lo-
bo e Jacobina.
Sn. -ILTEBA Lobo pede dispensa, qoe nao
sem
provisoes i
sol, prohibib-se-lbea de a*
urnas nem coberturas e qnasi sem
que as que, fwara mandadas pelo ron-
B-loea de as recebere; nue ao
mesmo cnsul sa prohibi que tomiuua* a man-
da-la. ; que desde ento a al.meoiacao mandada
pelo governo reduiio-se a um pedeo de earne*
duas vezes ao dia, da qual nao tooava nma osea a
cada pessoa ; finalmente que no dia 24, corno la
disse, consegujosua liberdade por soppicade nm
compatriota seu* que no dia l de janeira carre-
te, tendo a muito cusi obtido o sea passaporie
retirou-se para asta cidade a bordo do vapor ar-
gentino Sallo.
' PergotlatJo sobre o protegi feito pelo proai-
commisso da orgamento municipal.
Sao ldos e julgados objectog de detiberacao os
seguintes projectos : i
t A assembla legislativa provincial de Pernam-
| buco, resolve:
Art. i. Fica o presidente da provincia autori- concedida pela casa,
sado a mandar construir uma paute no logar de-' ORDEM DO DIA.
nominado Pona de Pedra, junto a villa* ie 8ert-' Contina a segaoda discusso do projeeto n. 64
""?- ,. sobra a constrnrgSo dos acodes da povoacao do
Pago da assembla legislativa provincial oM Salgnelre-e illa do Granito.
i emambuco, 10 d margo de 1865.-8V R.Sirva Encerrada a discusso, approvado o art. 2.
liamos. j gj0 appmvartas as segoiutes emendas :
hnl^.3S i 'ea legislativa provincial dePerntm- Dgale 8:00*, sendo 3Hm para a villa de
buco, resove : ^ Gran |0 e S:000i| ^ra a pOTO5ao ) SalgQeiro._
Jj"1' V re,,abe|edoB os guisameMoa e Campello. -' P '
A^ 2- Para ZZIJLTV Dro,vLncia- I Propomos que SO consigne igualmente a quantia
lia Hada'-tnati A^Ja^i *,P*Hf <***'**' Qo existe *jo ornamento vigente para o agude de
S*d0 respectivo paro- Flores, e quo" se aotorse novamente a eonstrc-
256 naci -Francisco dos Sanios, 30 annos, Per-' mffiff*""redactores ^^ de "*'
JTffl Franca Gonzaga, 40 annos, Pernara-1 ^SH&SSUSS!^^ aa
"LSfiSAn,0Di0 d0SADi0S'18 aDD0S- ^i?^^^1^^;&!^
259 Manoel' Antonio das Neves, 18 annos, Pernara- t^SS^%^rSf%lZ
a mk-i nno n U^^^*L^^?^f$Z liar, deitando suas arias ao som de v.olo, e que
t<^rlL. i2522 i1"? ilT dodls,incl all chegando o dontor reinara ailencio : pelo que
desembargador Lourengo Jos Ribeiro, leve por retirou-seelle despeitado, e de sua caaa man-
celebranle Sr. monseohor Pinto de Campos, sao dar uns versos Aaoteiimis ao7dito7 eS
so porconvite^daCongregago da Faculdad'e de owJSt^VS&Z^?i&
Direito, como em lestemunho da amisade, que vo- gao do Dr Beliro
lava ae .Ilustre Ooado. 0ra, vistos e lido's os versos, .o subdelegado de
- Esla publicado e acha-se a venda o excellen- accordo com.... mandou por 5ma escoK dos!
te discurso pronunciado peloRvm. conego Joaqu.m tacamenlo agarrar o donlor elle reiste 5tt a
Ferreira.dos Santos, em a nova matriz de S. Jos, escolta, que vein segunda vez com mandadai Seto
desta cidade por occasiap da solemne inauguragio mesmo subdelegado, a quem o douregou-se
SSaVg^a',ura "fTu? br0ChUra' o escravo vendo* sen lenhor preso, resisto com
de 46 paginas, qoe, alera desse trabalho, contera a uma faca ; mas, depois de bem apannado o na-
discripgao do novo templo e a daquella solemni- ra a cadeia escoltado com seu senhor? NoleV o
O pensaraento capita, que domina nessa orago, VJSSSi nKv^r^aTpSo
K SVS&SL0 TSSffTSSi I ednetrDrios d0 secul- *"en,rc wlffiZ
o producto de lo bello trabalho pelo seu proprlo ^^.WX^m^^M^^!
autor para a conclusao das obras da referida ma- sem violar a lei, obrar como obron ; porque ffi
Felicitamos ao Sr. conego Santos por essa prova me'do rr^dVc^rgo^Tm^n^'S SenS
de seus sentimentos piedosos; qoe seremos sen- a moral publica
pre o prime.ro em reconhecer, assim como lhe reco- Em que mundo estamos ? Que eooca e>ta ?
pr,mor l,,lerari de sua racncionada Oh p?ogresso di. JlcoTieo.0?^!^ augraen-
J^kXT1^^^ tenento'rarnW^aTr/u?0' ^ ^ ^^
Sl^^l!&tt^^'^ debaixodapresso do ra,
nesta provincia, offerecen-se a S. Exc. o Sr. presi-l Nao admira que eu lenha sido victima or tan-
dente da provincia para ftter parte do exercito em' tas vetes desle furor satnico oraue^ou hl P
operacoes ao sul do Imperio, destinando viole e cin- alera de frade vermelho mais vermelho nue' A
de praticar
o que nao
.. ----------o ~*vv~* w una
i familia distincta na sua provipcia, em Pernam-
factos buco.
cbo, au/miaiia de 50*000.
Art 3 F*aro revogada as diipoaigoOs em con^
gao- do mesmo acode.Boarqin.P. Pedro.
Eirtra, finalmente, em dfscnssio o projecto n.
81 do anco paisado, que manda 8ear prtencendef' 1865.
r no corpo de voluntarlos alagoanos.
E' sempre com prazer que registramos
^..uw, ovexdadeiro: .Mas.nan foiello o prlmeiro que sofTreo : de-se
r- -eASA ou DETurto irn^i *. ^-.. Sk' v'!'a *la en?. Campia succedeu. M estra lera
detonco do^lKw2S5**^^-:'d*oIoudJfes oeste anno de 18651
Eis a oulra transcrlpgSo :
O subdelegado de S. Joo tambqm manda-lhe
dizer que o Dr. Joaqninj Gomes da Cunha Beltro
conlieceu jugo para nao andar a requerer pelos
desvalidos, e me^mo para nao vir advogar. e,n sua
trra onde ha advogados de chupeu eparlombeti'
que fazem um requerimento de liaqca para um
pobre por 8o*. que o Dr. Beltrao nao deve gozar
?0r CL h CowUiu.cao, isto .transitar no
ton tono do Brasil sera passaporte, porque este
favor nao foi dado aos rheumaticos, como ello ,
a
3 ; estrangelras*, escr'avos 53"; escravVs'7.To-
tal 380.
Alimentados a costa dos eofrw pufrtlcos Wl
Movimento da enfermara do dfa 10de marco de
18oo.
Teve baixa:
Andr Ferreira da Sirva, intermitente.
Foi removido para a casa da sadde d Dr. Ra-
mos :
Manoel Fr?neico Pereira, varilas.
RBPARTICAO DA POUCLA :
racto da parte do dl 10 de margo de
que por isso depois de o chamar para assigna
lermo de bera viver, e exigir delle passaporte,
Continuago das pessoas que tem subscripto
para a Assocfago Protectora das Familias dos-
Voluntarios da Patria.
308 Antonio Correa de Vasconcel-
os, memsalidade durante a guer-
ra ...........................
309 Antonio Jos do Castro, por
nma vez.....................
310 Joo Falque, dem.......
311 Bernardino Jos Mooleiro &
Irmo, idem.................
312 Ensebio Raphael Rabello, idem.
313 Francisco Alves Monteiro J-
nior, idem....................
311 Gamma & Silva, idem........
315 Francisco de Carvalno Soares
Brando, dem.................
316 Major Manoel Jos da Silva
Guimares, idem..............
317 Candido Jos da Silva Guima-
rae*, idem....................
318 Francisco Jos da Silva Guima-
res, idem...................
319 Francisco Joaquim Ribeiro de
Drito, idem...................
320 Francisco Guedes de Araujo,
idem........................
321 Antonio Fernandes Velloso,
idem.........................
322 Lourengo Pereira Mendes Gui-
mares, idem..................
323 Adriano Xavier Pereira de Bri-
to, idem....................
324 Moreira & Costa, idem.......
323 Jos Gomes da Fonseca, idem..
326 Joo Francisco Paredes Parto,
idem.........................
327 Antonio da Silva Pinto Guima-
res, idem....................
328 Antonio de Paula Mello, idem.
329 Dr. Jos Bonifacio de S Perei-
ra, idem......................
330 Dr. Francisco de Araujo Barros,
do ordenado, durante a guerra..
331 Antonio Pereira de Faria, men-
salidade durante a guerra.......
332 Caetano Pinto de Veras, dem.
333 Guilberrae Augusto de Atahyde,
dem.................
334 Urbano Mamede de Almeida,
idem..................
335 Andrade & Reg, donativo----
336 Souza Andrado & C, idem___
337 Domiogos da Silva Campos,
mensalidade..............
338 J. J. dos Santos.por urna vez..
339 Feliciano Joaquim dos Santos,
mensalidade..............
340 Manoel do Nascimento da Cos-
ta Monteiro, donativo..........
341 Antonio Herculano de Sonta
Bandeira, mensalidade.....
342 Innocencio Seraco de Assis
Carvalno, dem..........
343 Thomaz de Aquine Fonseca, do-
nativo........................
Mensalidade..............
344 Francisco Xavier Carneiro Lins,
do ordenado, durante a guerra..
345 Jos Paulino da Silva, dem...
340 Pedro Paulo dos Santos, dem.
347 Francisco Xavier da Mlva Mon-
donga, idem................
348 Joaquim Clemente dos Santos,
idem..................
349 Arylino de Hollanda Chacn,
idem........................
350 Antonio Vicente do Nascimento
Feitosa Filho, dem...........
351 Jos Austregesilo Rodrigues Li-
ma, mensalidade..............
352 Narcizo Jos da Silva, dona-
tivo.....................
353 Joaquim Francisco Ferreira Ra-
mos, ilem..............
351 Custodio Jos Alves Guimares,
idem.........................
355 Francisco Gomes de Mallos J-
nior, idem....................
356 Manoel Jos Machado, idem...
357 Francisco Tavares da Silva,
idem.........................
358 Alvaro Jos Teixeira, idem
359 Joo Antonio de Macedo, idem.
360 Manoel Pedro de Melio, idem.
361 Anselmo de Jess Carvalbo,
dem.........................
362 Jos Luiz de Mello, idem.....
363 Antonio Jos dos Res, idem...
364 A. J. Vaz de Miranda, idem...
365 Francisco Pereira da Cosa,
dem.........................
366 Pedro Alexandrino do Amparo,
idem.................
3i7 Virissimo Gomes Goimbra, idem
368 Antonio Jos Ribeiro da Silva
Guimares, idem..............
369 Heliodoro Acacio R. Rangel,
idem,........................
370 Manoel Jos Gongalves, idera..
371 Manoel Rodrigues da Costa Ma-
galhes, idem.................
372 Jos Dias da Silva Guimares,
idem....................
373 Joaquim Jos da Costa fajozes,
dem..............___
374 Joaquim Ferreira de Araujo
Guimares, idem...............
375 Jos dos Reis de Maia e Silva,
idem ......;..'..............
376 Joaquim Rodrigues Tavares de
Mello, dem...................
377 Camino & Basto, dem.......
378 Custodio Carvalbo & C, Idem.
379 Augusto Frederico dos Santos
Porto, idem................
380 Miguel Jos Barbosa Guima-
res, dem...............
381 Duarte Pereira ^ C, idera___
382 Carlos Jos de Medeiros & C.,
idem......'...'...........
383 Jos Joaquim Pereira de Mon-
donga, idem...............
384 Francisco Pereira ce Mendooga,
idem....................
385 Jos Manoel Perelr,a de Menda-
oba, idem...............
386 Antonio Joaquim de Mello,
idera....................
387 Manoel Antonio .de Alcntara,
dem.....................
388 Antonio Jos Barbosa Vianna,
dem......................
389 Manoel Ribeiro de Carvalbo,
idem........................
390 Jyaquim Pereira Arantes, idem
391 Jos Nogoelra de Souza, dem.
'392 Joaqufnf Martins de C. Carva-
lbo, idem..................... 10*000
10*000
ffjne
10*000
200*000
100*000
100*000
100*000
30*000
50*000
50*000
50*000
30*000
30*000
50*000
30*000
50*000
38*000
30*000
30*000
30*000
30*000
20*000
10 por %
8*000
8*000
5*000
5*000
30*000
30*000
6*000
5*000
12*000
100*000
10*000
5*000
1 O 000
20*000
0 por v
idem
idem
idem
idem
idem
idem
10*000
30*003
30*000
50*000
40*000
50*000
30*000
5*000
3*000
3*000
5*000
5*000
3*000
5*000
3*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
20*000
20*000
20*000
25*000
20*000
20*008
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
10*000
10*0 0
10*000
28*0t0
10*000
10*000
10*000
10*000





**
mmm^mmmmmmm
A m a

I P" ^^. m mmmmm


Mario de f rrnnmhm-t **hkad<$ 11 e nave a t 1 S.
393 Irineo Januarlo de Oliveira,
id*m.........................
394 Jos Gomes Villar, dem......
395 Joo Jos Lopes Moreira, dem.
396 Antonio da Silva Ferreira J-
nior, dem....................
397 Joao tia Conha Neves, dem...
398 Dr. Jos Joaquim de Moraes
Sarment, durante a guerra, por
mez.........................
399 Vicente Ferreira da Costa, do-
nativo.......................
4C0 Mondes k Coelho, idem.......
401 Manoel da Silva Pontes, idem..
402 Bernardino d.i Silva Lopes, idem
403 Joo Pereira Moatinho, idem...
404 Vidar Raymundo & C, dem..
403 Domingos Ribeiro da Cunha Oli-
veira, idem...................
406 Silva 4 Al ves, idem..........
407 Thomaz Fernandos da Cunha,
idem.........................
408 Antonio Lopes Rodrigues, idem
40 Jos Maria Palmeira, dem....
410 Jos Fortunato dos Santos Por-
to, idem......................
411 Jos Goncalves Beltro & Irraao,
idem.........................
412 Antonio da Silva Campos, idem
413 Rocha Lima & C, Idem.......
414 Jeao da Cruz Macedo, idem...
413 Domingos Joaquim Ferreira,
idem.,.......................
416 Amonio Lopes Braga, idem___
417 Jos Miguel dos Santos, idem..
318 Manoel M. Machado, dem.....
19 Manoel de Almeida Bastos, idem
420 Jos Joaquim Dias Fernandes,
idem.........................
421 M i noel Fernandes da Costa &
C, dem......................
422 Jos Cardoso da Silva Pinto,
idem.................-.......
423 Jos de Souza Braz, idem.....
424 Christianl 425 Antonio Alberto de Souza Aguiar
idem.........................
426 Manoel Martins Pires, idem... s
427 AlfredoHenriques Garca, idem'
428 Joaquim Luiz Vieira, idem-----
429 Joao da S.lva Leite, idem.....
430 Joao Jos da Gunha Lagos,
idem.........................
431 Dr. Luiz Felippe de Souza Leo,
donativo.....................
O mesroo, meusalidade...........
432 Bento de Freitas Guimares, do-
nativo ......................
433 Justino da Silva Boa-Vista,dcm
53 Joao Goncalves & Cunha, idem
433 Joaquim Fernandes da Costa,
idem.........................
436 Luiz Freir de Andrade, idera
437 Antonio Pereira de Miranda,
idem.........................
438 Azevedo <& Floro, idem........
439 Jos Francisco Barrote, idem..
440 Luiz Antonio Anncs Jacome,
dem........................
441 Jos Mana Pestaa, idem.....
442 Antonio de Azevedo Ramos,
dem........................
443 Jos Faustino de Lemos.......
444 Antonio Pedro de Mello, dem..
445 Victorino de Almeida Ribeiro,
idem.........................
446 Domingos Jos da Cunha, idem
108000
. 101000
10^000
505000
1005000
205000
1005000
100500)
1005000
de 10 dias, econcluidas no de 3 mezes, ambos oon- Ferreira da Silva e Antonio da Silva Ferreira Ju-
lados da datada arrematadlo. mor, fican* o arrebatante obligado a frzer no
3." O pagamento ser realisado em urna s prea- dita sobrado no praso de oito mezes, contados do
tagao, quando o arrematante tiver concluido todas di da arreroalago, e sem prejnizo da respectiva
as obra* entregue definitivamente. reada, o concerlos a que sob estas condiedes se
4* Para ludo o que nao estiver especificado as sujeita o olironte Ferreira Jnior, e que consta
presentes clausulas, segur-se-ha o que dispOe o da clansqla especial abaiio transcripta,
refrularaooto de 9 de julho, que rege esta repar- Os pretendemos de'vem comparecer acompanha-1
''Co i dos de seus Dadores, ou munidos de cartas destes, i
Conforme, que Ocam responsaveis pelo inleiro cumprimenlo '
Antonio Ferreira d'Annunciacao. do contrato.
O Iilra. Sr. inspector da thesouraria provin- Clausula especial,
cial, em comprimento da ordem do Exra. Sr. pre- Picar, rebocar e guarnecer toda a frente e oitao,
sidente da provincia de 20 do correte, manda fa- substituindo por cornija o telhado, que cobre a va-
Companhia das Mensagerles
Imperlalls.
At o da 16
do crreme mez
espera-se da Eu-
ropa o vaporfran-
coz Novarte,. o
qual depois da
demora do eos
5050001 zer publico que no dia 16 do margo prximo vin- randa da frente.
505000
505000
505000
505000
505000
203000
205000
douro, perante a junta da fazenda' da mesma the-! Por varanda de ferro na frente da casaem lu-
souraria, se ha de arrematar quem por menos li- gar da de pao existente, cortando os cachorros de
ra Baha e Rio
de Janeiro
Paracondigoes, fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
LOTERA
AOS 6;000#000.
Sabbado i 8 do orrente moz, se extrnhi-
r a I* parte da Ia foteria (9a) abenelicio
das obras da igreja de Nossa Sennora do
tume seguir *a- Amparo de O'inda, no consistorio da igreja
205000
205000
208000
305000
zer, os reparos indisponsavcis da cadeia da villa do
Cabo, avallados em 3455.
A arrematarlo ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de raaio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaos abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
dlo comparegam na sala das sessOes da referida
junta, no da cima mencionado, pelo mel dia e
competentemente habilitadas.
pedra aflm de flearem mais curtos.
Fechar urna porta existente no oitao junto a es-
quina, abnndo outra com portadas de pedra ne
mesmo oito por baixo da varanda do primeiro
andar. m
Abrir urna porta no primeiro andar e no meio
do oitao com varanda de ferro, igual as duas que
existem, e que corresponda outra porta do pavi-
mento terreo, fechando no mesmo correr dessa
de Nossa Senhora do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilbetes, meios e quartos esto a ren-
da na respectiva tnesouraria roa do Cres-
po n. ^f.
Os premios de 6-000)5000 at 10^000
depois da extraeco
E para constar se mandn publicar o presente Prta do primeiro andar urna janella.
pelo jornal. | Collocar varanda de ferro em urna perla do so-
Secretaria da thesouraria provincial de|Pernam- Ufo que fica no oitAo, pondo os cacharros que fal-
PARAO
Rio de Janeiro
segu com muitn brovidade o patacho brasflelro
Pinto, o qnal recebe alguma carga e escravos a Ser3o pagos una hora
frete : a tratar no esoripiori de Amorim Irmos, at as i horas da tarde, e os outros depois
ra da Cruz n. 3, ou com o capitao Joaquim Jos ,ia distrihniriri rlis liiA=
da Motta, na praca do commercio. i a ,,JUIVdo as usas.
~rQMP A TJgT a~kr A stt vin a As en.commeri*,s s rao guardadas so-
LumrAMiiA JlJiA&lLEIJJA mente ate a noile da vespera da extraccao
como de costume.
PAQUETES A VAPOR.
O thesoureiro,
buco. 27 de
I tam, encunando os que existem, e demolindo o
. telhado que cobre esta varanda.
Cotlocar caixilhos feitos de mideira de amarello
, em todas as portas e janellas do andar e solao,
que os nao tiverem, concertar os existentes e re-
! parar todas as portas, pondo-lhe boas forragens e
fechaduras.
205000
205OOO
203000
fevereiro de 1865.O secretario,
Antonio Ferreira d'Aonunciagao.
Clausulas especiaes para a arrematagao.
205000 *" As obras dos reparos urgentes da cadeia da
203000 villa do Cabo, sero feitas de conformidade com o
203000 orcamento junto na importancia de 343s000.
205000 ** O arrematante dever principiar as ditas
2050OO 0Dras no prazo de 10 dias, e conclui-las no de 60,! Reparar o soalho do primeiro
1 ambos contados da data da arrematagao. i de for preciso.
3.a O pagamento sera' realisado em urna s Rebocar internamente o predio onde se tornar
prestacao quando o arrematante tiver concluido lo-. necessario, e Udrilhar de novo o pavimento terreo
das as obras e entregue definitivamente. com alvonarla batida na parlo que nao de pedra.
4 Para ludo mais que nao estiver especificado Concertar a coberta do toda a casa, e a escada,
2050OO' nas presentes clausulas seguir-se-ha o que deter- i finalmente caiar e pintar o predio.
203000 mina o regulamento de 9 de julho de 1864. Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Conforme, Recife. 10 de marco de 1865.
Antonio Ferreira d'Annuneiago. O escrrvo,
105000 _A cmara municipal desta cidade, convidada: F. A. Cavalcaoti Cousseiro.
IO50OO: Pr S. Exc. o Sr. presidente da provincia para, pe-1 VlTCHlUlcao
105000 l()s meios ao seu alcance promover o alistamento
103000! do maior numero possivel de cidadaos nos cornos
105000 de voluntarios da
pes nesle sentido
em valor e patriota
Descendentes dos Vieiras. Dias e Camaro. m*\T*&S?J&***J* JJ^e em.rT horas, agencia ra
E' esperado dos portos do norte
at o da 20 do crreme o vapor
Apa, commandante Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde jrecebem-se passageiros e engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir,
SALSA PRUILHl DE HK.
TllANSCHKVEMOS aqu algUPS
dos muitos atteslados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilba do Dr. Ayer.
Rheuuiailsmn.
GASA DA FORTitl
Na praca do juizo de orphfios do dia 14 do cor-
a qual dever1
lar e on- aZ eba[c*d ao, dia de sua chegada, encommen-!
das edmheiro a frete ateo da da sabida as 2 ho- zesbilhetes garantidos da lotera on
ras: agencia, ra da Cruz n. I, escriptorio de An- i de extrahir a beneficio da Santa Ca.-
tmio Laz de_Oliveira Azevedo & C. __________
~ OOMPNHIA 7BEASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR
, pos portos do sul esperado
0Bn*JSk a'^ o dia 14 do correte um dos
,-.i3*4kjr^. vapores da companhia o qual de-
Vljj^^^fijCJ pois da demora do costume se-
^SmSSBBF guir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
105000
105000
105000
105000
hroes que tanto se ennobreSram %toZS,''****>Strae,^ ' amorapatriae a reiigiao, s ^e,meali^^^^^^^i^^^i^
Magalhes, como tutor dos menores filhos do falle-
cido Jos Francisco de Lima.
Nauta Casa da Misericordia do
Recife.
Alllm.'junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 16 do correte pelas 4 horas da larde na
sala de suas sessoes lera de ser arrematado o for-
necimento dos gneros que houver de consumir,
nao s os estabelecimentos de candado como tam-
bem os collegios de orphos no trimestre de abril
a junho prximo futuro :
Estabelecimentos de caridade.
Manteiga franceza, libra ; tapioca, idem; caf
em grao, dem ; assucar branco em torro, arro-
ba ; assucar refinado, idem ; assucar refinado se-
gunda sorte,
5005000
2O5OOO
certamente de to gloriosos ascendentes e correrao |
105000 apressados a vingar a injuria feita a honrada na
105000 Qao, nao sement pelo governo do Uruguay, seno
105000 tambem pelo uovo despota do Paraguay.
Este tyrano, sem nenhuma provocagao da parte
105000 do Brasil, nao s tem aprisionado os nossos vasos
IO50OO! 1ue francamente subiam o rio confiados na f dos
; tratados, senao tambera enviou a.suas hordas sel-
IO5OOO vagens para devastaren! os campos e as povoapoes
10500q ndefezas da nossa provincia de Matlo-Grosso.
105000! a prim?ira vez que, depois da nossa indepen-
! dencia, orna bandeira eslrangeira arv irada em
105000 territorio brasileiro ; e cmo urna tal affronta nao
IO5OOO Pde ser perdoada por nenhum povo que presa a
sua independencia e soberana; confia a mesma ca-
103000 raara que os Pernambucanos, sempre celebrados
pelo seu valor e patriotismo, correrlo a alistar-se
da Cruz n. 1, escriptorio de j
Antonio Luiz de, Oliveira Azevedo A C.
nos balalhoes de voluntarios da patria para repel-
lirem a-invazo eslrangeira, autoando com enthu-
siasmo, viva a nagao brasilelra, viva S. M. imperial
{.Continuar se-ha)
105000 ^r D- Pedro II, vivara os Pernambucanos, vivam
MMERCIO.
C'otaccs ofilciaes.
PRA^A DO RECiFE.
10 de marco de 1865.
Assucar bruto (do Rio Grande do -\orto)25100
por arroba posto a bordo.
Cambios sobre Londres 90 di vista 27 1/8 d.
por 15000.
frete de algodao para Liverpool 5/8 e 5 0|0
por libra.
Freies de algodao para Liverpool (do Rio Grande
do Norte) -3ji d| e 5 OjO por libra.
Dubourcq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
os voluntarios da patria.
Paco da cmara muinicipal do Recife, Io de mar
de de I860.Luiz Jos Pereira Simes, pro-presi-
Qonte.Francisco Canuto da Boaviagem, secre-
tario
O Illm, Sr. Inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm Sr. presi-
dente da provincia de 23 do crreme, manda fazer
publico que no da 16 de margo prximo vindouro
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria,
se ha de arrematar quem por menos fizer os re-
paros de que precisa a eMrada do Porto de Galli-
nha avahados |em 7485000.
A arrematadlo ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio-dia e
! competentemente habilitados.
E para constar se raandoa publicar o presente
ppln jornal
\vo bauco de Pernaubuco.
O banco desconta letras na presente semana *
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes, e Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
oraa dinheiro a juros a praso nunca menor da i DUC0> 27 d fevereiro de 1865.
tres mezes. O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Atfandega
Readimento do dia 1 a 9....... 246:6925057
dem do dia 10.............. 24:9753348
Voiumessahidoscom (azendas.
com gneros ..
271:6675405
tf oriniento da alfandega
Volumesentradoscomfazendas.. 312
com gneros.. 693
------ 1:005
61
1,442
------ 1,803
Desarregaro ao dia II de margo de 1865.
l llera ingleza tlermwnn m^rcadorias.
Uarca inifleza Seraphina idem.
ilirca ingleza/. 0 Idem.
Patah) pirtuguz -Fiar de Mina diversos ge
eros.
Lugre inglezLacinia idem.
Rrixue inglez -Carne-objecios de ferro.
Barca ingleza ron Gem idem.
'Barca innleza-Gracefarinha de trigo.
Barca ingiezaCon'adcarvao de pedra.
Briffue inglez Jamos Stwartiem.
rigue inglez-EUziaidem.
Paticho inglezUndaunteidem.
tarca inglezaJofcn Matheus farinha de trigo.
rigue inglezBellow Cretl mercaduras.
Stecebedorla de rendas Inter-
nas geraes dePernambneo.
lindimento do dia 1 a 9........ 20:3235140
dem do dia 10................. 9293360
21-2525500
Consulado nrovincin).
l?indimento do da 1 a 9....... 30:5655019
idam do dia .10............... 2.861J0s6
33:4265105
MOf IMENO SO PORTO
Navio entrado no da 10.
Assu'10 dias, patacho brasileiro Bom Jess, de
170 toneladas, capito Joo Googalves Reis,
equipagem 10, carga sal, em Bartholomeu Lou-
reogo, receben ordens e seguio por o Rio Grande
do Sul.
Observagao.
Xo houverara sabidas.
EDITIS.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 23 do crreme, manda fa-
zer publico, que no dia 16 de margo prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria se ha de arrematar quem por menos ti-
'.r, os reparos de que precisa a ponte dos Carva-
IMs sobre o rio Jaboato, avaliados em 3505000.
A arrematagao ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
do comparegam na sala das sessoes da referida
una no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da tliesonraria provincial de Pernam-
bco, 27 de fevereiro de 1865.O secretario,
Antonio Ferreira d'Annoociagao.
Clausulas especiaos para a arremataba.
l. Os repsros da ponte dos Carvalhos sero fei-
tos de eeaformidade com o orcamento junto na im
nrtancia de 5505000.
.* Ai obras devero ser principiadas no prazo
Clasulas especiaes para a arremaco.
1" As obras dos reparos da estrada do Porto de
Gallinhas sero feitas de confurmidade com o or-
gamento junto na importancia de 7485000.
2* O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras ao praso do 10 das, e conclui-las no
de 3 mezes, ambos contados da data d'arremala-
gao.
3' O pagamento ser realisado em duas presta-
goes iguaes, a primeira quando tiver o arrema-
tante feito metade das obras, e a segunda quando
tiver concluido todas as obras e entregue dinitiva-
mente.
4' Para tudo mais que nao esliver especificado
nas presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamento de 9 de julho de 1864 que re-
ge esla repartirn.
Cooforme.
Antonio Ferreira d'Annunciago.
A cmara municipal desta cidade nao poden-
do ser indifferente grave sitoago em que se acna
o paiz, proveniente dos ullrages feitos pelos assas-
sinos de Montevideo e selvagens do Paraguay, con-
vida a lodos os seos munieipes para comparecerem
no dia 12 do corrente, pelas 10 horas da manha,
no pago da mesma cmara, afim de tratar-se do
alistamenio de voluntarios da patria, e estabelece-
rem-se os meios e fundos necessarios para soccor-
ro e protecgo das familias dos mesmos, auxlian-
do-se por este modo ao governo no patritico e
louvavel empenho de defender a honra e integri-
dade da nago brasileira.
Pago da cmara municipal de Olinda em sessao
de 4 de margo de 1865.
Jeaquim Cavalcanti de Albuquerque
Presidente.
Marcolino Dias de Araujo
Secretario.
COMPANHIA. PERNAMBUCANA
DE
Mavegaco costeira por vapor.
Illia de Fernando de oronlia.
No dia 14 de margo prximo,
C3?^<$\ as 10 horas da manha seguir
um d?s vapores da companhia,
ipara o presidio de Fernando. Re-
___'cebera carga at o dia 13. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at 9lioras
da manha do dia da sahida : escriptorio ne For-
te do Maitos n. 1.
Para
Para o Porto pela llhade ^"S^^i^^^^^^
Miguel.
daPanella.ruado Rio : a tratar
loosla ra do Amorim n. 35.
O velleiro e bem conhecido brigue nacional A-\- Ahma p
- seguir com muita brevidade, tem ;
ni-iia pretende
um sitio na roa do Cabral
dem; arroz pilado do Maranho,
1&mf#&S&t&i aS^^&S eVgaradorparaor^to^acidade-de Olinda com casa terrea, com
velas de spermacete, masso de 1 libra : farinha qTh? falta e Pafageiros, para os quaes tem ex-cupiar na frente, bota os fundos para a es-
de mandioca da trra, alqueire ; feijo mulatinho, 2SS?aT2?ff V2LVVH22&. trata c nr-gem Oo rio Beberibe, com com-
alqueire; v.nbo uto m Lisboa, caada; dito;^K L^Jt*^vedo & a no senesmp-'modos para familia, estribara para cavallo
branco, caada; agurdente branca, caada ; vi-
nagre de Lisboa, caada ; azeile doce, caada ;
dilo de carrapato, caada ; farello de Lisboa, sac-
ca ; carne verde, libra ; pao e bolacha, libra.
Collegios de |ori>ho?.
Assucar reinado, libra ; caf em gre, idem ;
manteiga franceza, idem ; arroz pilado do Mara-
nho, dem ; batatas, dem ; aletria, idem; pao e
bolacha, idem ; toucinho de Lisboa, idem ; fari-
nha de mandioca, alqueire; feijao, idem; azoite!
doce, garrafa ; vinagre de Lisboa, idem ; sal, cuia;
lenlia em adas, cento.
As propostas devem ser apresentadas em cartas
fechadas, devendo ser especiaes ja para os estabe-
lecimentos de caridade e jjjara os collegios de
orpbos ; sao tambem aeeitas propostas somente
para a carne verde e para o pao e bolacha.
Os pretendenies poJem dirigir-se a esla secre-
CMPAMHA PERNAMBUCANA
DE
IVavegacao costeira por vapor.
Aracaj e escalas.
O ;vapor Parahyba, comman-
dante Martins, spgue no dia 14 do
corrente as 6 hora< da tarde. Re-
eebe carga at o dia 13 ao meio
"a. Eneommendas, passageiros
s dinheiro a frete at 2 horas da tarde do da da
oahida : e?rriptorio no Forte do Mallos n. I.
Para Lisboa.
DE JOAO JOS DOS SANTOS.
Oirro Preo.
Soffri rbewnatismo por mili-
tas vezes, c vendo annunciado
em um jornal 'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer nso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, acbei-me forte e sem sentir a mais leve
dor nos joelhos ; a parte do corpo que es-
lava alectada d'esse terrivd entflimmodo
que roubou-me tantas noiles de somno.
Antonio Jos oIrgues7c"souza. K|,|i,ices, borbuiha pustn^as,
ulceras, e todas as molestia
da pelle.
DO Sil. JOO PAULA DE AO E SOCZA.
Ra de S. Pedro.Ith de. Janeiro.
Soflria mais de dotis annos de urna
erupcao sypbililica em todo 0 corpo, mos-
trndose sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consulte*
minios mdicos, e eslava quasi desanimado-
quando vi os anmincios da Salsa parrilha
do Dr. Atjer: cooecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porm antes de acalar o segundo frasco ti-
nlia o mal desapparecido completamente d
todo o corpo.
Doctor Don Jos Vitases Herrsra, profes-
SOU DE MEDICINA V CHURJIA, SUBDELEGA
EM AMBAS AS FACULTADES DEL 8ESTO D1S-
tricto.Habana.
Certifico que he usado la zarzaparril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados n
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sido mv
eficaz en el tratamenlo e las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y no
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los lines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de seteinbro de
1860.
Dr. iosk V. Herrera.
Escrophnla.
attestado do illm. sr, francisco feroaz.
dos santos.Otiro Preo.
Me acho ha quasi doi s annos affectado
de escrfulas, e tendo solTridu tanto que ai-
guias vezes quasi que ohego a destnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mediros d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-
Aos 6:000#000.
Dilhetes garantidos.
A' roa do Crespo n. T.i e casas 00 costi me.
O abaixo assignado venden nos seus muilo feli-
e se acabou
.a de Miseri-
cordia, os seguintes premios :
Dous quartos n. 3i7 com a sorte de 10:00031)00
Umquarton. 1383 com a sorte de 3:1100*000
Um bilhele inleiro n. tWfl com a sorte de 800*.
E outras muitas sorles de 0O, 100, 105 e
aoooo.
Os possuidores podern vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra >i Crespo o. 23.
Acham-se a venda os da p parte da i> lotera
beneficio das obras da igreja de Nossa Snihora
do Amparo de Oliuda, .pie se exlrahira no-dia 18
do corrente.
PKECO.
Biihetes.
Meios. .
Quartos.
as pessoas
Biihetes.
Meios. .
Quartos.
73000
35500
.... 15000
que compraren! de 100000
para cima.
.... 65500
.... 35^50
.... 15700
Manoel Martins Kilza.
Precisa-se de urca ama de leite : na ra No-
va n. 7, primeiro andar.
A luga-se
umacasaacabada agora, com commodos para fa-
coni Tassoir-
e capim para suslenta-lo, arvoredos de ruc-
tos, sem visinho defronte nein pelo fundo, rangas de recobrar a minha sande~; quando
com ptimos passeos, sala e gabinete na ullimamente resolv fazer uso da salsa par-
frente,muito propria para pausar a fesla, c\rIM do Dr. Ayer. Completan-se boje
tambem se alugar por anno: a fallar no Re-1 trinta e sete diasque comecei com este
cite, no Recife, na livraria ns. 0 e 8 da pra-jsanto remedio, e tantas melhi-ras tenh
ca da Independencia e em Olinda na casa sentido que tenho convicciio de em breve
contigua
Ferreira.
com o capitao Antonio Bernardo
Aluga-se urna casa com bom sitio, na Ca-
punga Vellia, que foi do Sr. Sebastian Fenna, com
bastantes commodos, tendo cocheira. estribara,
brevidade a barca quartos para pretos e muitas frucleiras : a tratar
Pretende segnlr com muita
portuguesa Hfnnqueta, tem parte de seu carrega-1 na ra do Imperador n. 40.
ment prompto
urna escrava que Se cosinheira e engommadeira
|ou um moleque de H a 13 annos de dade.
franca e Brasil
Isa da Misericordia do to engajado : para o resto que I he falta tratase c < ,:
de bons
atraz do
DECUBACOES.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernainfeueo,
lide netro rfl865.
De ordem da directora desla caixa, se convida
aoscredores de >ebastio /os da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ibes loca da venda de urna das propieda-
des, quesegundo a concordata,Ihe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
De ordem da directora desla mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est antorisado a pagar o 22." di-
videndo de 105 por aeco.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Faculdade de DJrelto.
De ordem do Exm. Sr. director fica publico qne
no di sexta-feira, 17 do corrente, as 2 horas da
tarde, se dever encerrar o praso marcado ins-
cripfao dos concurrentes cadeira de latim, de
conformidade com o edital publicado no Diario de
Pemambuco de 18 de novembro do anno passado.
Secretarla da Faculdade de Direito do Recife 10
de marco de 1865.
O secretario,
Jos Honorio Bczerra de Menezes
para o resto trala-se com os seus i __ Na rna Ancnsta n 7 iiir-iHn nnmnM u
lana nas horas de seu expediente, afim de colhe- consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & "' 7' SObl
rem as informacoes, que julgarem precisas e no \ C, ao seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
aeio da arrematajoflevem comparecer acompa-i m : 'i ~------
abados de seus nadares oa munidos do carias, T tacetr
destes queficaro responsaveis pelo inleiro Cum- Preten,deseguir com muita brevidade o bnguees-: j Mercier rrinc nri.r
"sSS? uS^iSS^- 'BSSL --- ff srasisIJ-S HS-SaT^. ?
Recife 10 de margo de 18(>5.
O escrivao.
P. A. Cavalcanti Cousseiro.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pemambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que a
com os seus consignatarios Antonio Luii de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. i.
Para Lisboa
AGUA FLORIDA
pretende sahir em poucos dias o patacho portuguez
Jareo por ler a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouco que I lio falla trata-se cem os consigna-
boia do extremo do sol do banco do inglez que ha- tarios Palmeira & Bellro, largo do Corpo Santo
via sidolancada praia por I he haver arrebenta-| n. 4, primeiro andar.
do aamarra.ao, foi novamente collocada. demar-| ---------------------------:---------------------
cando-lhe o pharol do picao ao O 1/2 N O, e a lor- j KlO de Janeiro.
redo seminario de Olinda ao 1/2 N O, rumos O briguo Trovador segu com brevidade e rece-
magnticos, e em fundo de 8 brabas, exactamente be alguma carga a frete e escravos : tratase com
LEILOES.
node termina pelo sul o Recife que forma o banco os consignatarios Marques,
ngilez. Capitana do porto de Pemambuco 4 do mmBmj^mma^mma.mmKim^
fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
Aviso aos navegantes
Pela capitana do porto de Pemambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que no
dia 18 do corrente foi novamente collocada, e na
mesma posicao, a boia qne marca o termo dos
baixos de Olinda ; e a qual havia sido arrojada
praia por lhe haver faltado a amarra.
Capitana do porto de Pemambuco 18 de feve-
reiro de 1865.O secratario,
Decio de Aqano Fonseca.
Barros & C.
THK1TKO
S
Leiio de batatas e ceblas.
HOJE.
O agente Pestaa continua lioje o leilo de ba-
tatas e ceblas em caixas e em lotes a vontade :
hoje as 40horas da manha no armazem do A nnes.
x>:i2
MURRAY&LANMAN
A agu florida de Murray A- Lanman,
o litada como um artigo de perfume, n5o
I tem podido ser igualada pelas preparaces
as maiscustosas: conserva seu aroma,como
e disolacao, bem como i &Q ronmsse parte da prenda a que ella se
De diversosobjecos
pipas, quarlolas, ancoras, tinas grandes, botijas,
garrafas, frascos de bocea larga e estrella, garra-; apphca. Sua elbcacia e tao delicada, como
fes, mesas grandes e pequeas, papel de filtrar, i elegantes sao seus multiplicados usos, quer
armaeao, e muitas outras cousas que se vendero I seja empregada como artigo de toucador,
rpoModoem5uUpr%recade ^ compradores|quer no uso dobanbo, ou como suavisador
Martins fara leilao por conta e risco de quem da pellft, depois que se tenha feito a barba:
perlencer dos objectos cima, na ra do Arago j para limpar as gengivas ou aromatlsar o
n. 21, segunda-feira 13 do corrente as 11 horas.
vapor
EMPREZA COIMBRA.
Leilo de duas machinas a
Sendo:
Urna portavel, for^a de 11 cava I los, sobre rodas,
O emprezario tem a honra de fazer publico, que com caldeira patente e todos seus pnenos.
-WKi
vai comt-car os sens tral.alhes do corrente anno,
tendo organisado urna companhia dramaiica, espe-
rando augmenta-la de maior pessoal, que para isto
deu j todas as providencias necessarias.
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleiebes, depois de se haver lavado; al-
livia a irritaco de erupcoes ordinarias; faz
Outra fixa eorisontai.forca de ti caMos com desapparecer o desagradayel aspecto dos
caldeira emais pertences. pannos, das sardas do rosto, rugas c toda a
Ter$a-feira 21 de margo, em frente a i casta de ebulitoes, e da vigor e frescura a
Assomsao Commercial. (parte onde quer que se applique. Sua effi-
iSSaSRj&rJTJSJB'^^ e ^^m s-ao igualmente infalli-
TERCA-FEIRA* 14 DE MARGO DE 1868.
Da de grande galla.
Em solemnidade ao natalicio de Sua Magestade
a Imperatriz.
Logo qne o Exm. Sr. presidente da provincia,
tiver chegado tribuna, a orchestra executar urna
breve inlroducco, depois abrir-se-ba a scena e
perante as efugios de SS. MM. II. a companhia
cantar o
HYMNO NACIONAL.
Seguindo-se pela primeira vez neste theatro a
representaco do excellente drama em 8 actos,
prodncciio brasileira do Dr. Agraria de Souza Me-
nezes ; denominado:
Os Miserayeis.
O repertorio da empreza para fsle anno acha-sc
... enrequecido com excellentes dramas comoAs
oant'l L asa aa Misericordia UO Aves de Rapia, Braseiros e Portuguezes, Lsbla,
Hprifp Aristocracia e dinheiros, Mulheres terriveis, Histo-
As pessoas que quizerem ser assignantes tanto
de camarotes como de cadeiras, tenham a bondade, perlencer das duas machinas a vapor cima des .
de sedirigirem ao escriptorio do theatro. I criptas proprias para engenho, as quaes se tornam 1 ve,f >s casos era que seja preciso appli-
As assignatnras serao feitas sob as mesmasirecommendadaspela sua perfeicao e par serem ca-la como estimulante e antisptico, nos
condlcoesdo anno passado. dos melhores^fabricantes de Inglaterra, os preien-concursose assemblas numerosas, nas lo-
A Illm1 junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico, de
conformidade cem as ordens do Exra. Sr. presiden-
te da provincia, que no dia 16 do corrente, pelas
4 horas da tarde, na sala de sus sess5.s, tem de
ir a prac,a por lempo de nove annos o arrenda-
roento do sobrado n. 63 publico e l'i particular,
sito na ra da Cadeia do bairro de S. Frei Pedro
Goncalves.e pertencente ao patrimonio de orphaos,
servindo de base para a arrematagao a quantia de
1:0005 pela renda anouar, offerecida p.or Otymmo
ria de urna moga rica, Domino verde, e outros de
gual mereciraento.
AVISOS MARTIMOS.
Maranho
O palhabote Ganbaldi segae para Maranho por
estes dias, recebe carga : a tratar com Tasso l-
maos.
denles podero desde ja' examinarem ditas ma-
chinas para o que poderio entenderem-se com o
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
atoos grogs.
Aluga-se a sala da frente do terreiro andar
do sobrado da ra do Imperador n. 82 : a tratar
na livraria de Guimares & Oliveira, na mes-
ma ra.
Aluga-se urna prela escrava para o servio
de casa : a tratrr na ra do Imperador, loja de
livros da esquina n. 5i.
Atten$o.
Precisa-se de um caixeiro com aliruma pratica
de miudezas e ferra?ens para um estabelecimento
na cidade da.Areia, provincia da P-arahiba : tra-
ta-se na ra da Cruz n. 36 defronte do beceo da
Lingoeta.
Avilase aos pretndanles qne vio ser arre-
matadas peto jniz do commercio da villa dn Cabo
oito moradas de casas na mesma villa, seis de li-
jlo, estando duas pm caixao, urna de taipa, e a
ultima de lijlo e taipa, t das em boas localidades,
e por barato prego : os prelendentes podem ir
examinar antes que chegue o dia da arremajago,
podendo all se entenderlo) com o Sr. Joo Jos
Pinto de Oliveira, e nesta praca com Joaquiov
Francisco dos Santos, na ra do Quetmado em aa
loja.
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como um antidoto excel-
lente para os desmaios causados por cansa-
do ou suffocaco. Preparada nicamente
por Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda
por Cao;s 4 Barbosa.
Vendem-se no Recife em casa de Caors
Barboza e Joao da C. Bravo A C.
0
No dia 8 de margo a usen ton-se da rasa de sen
senhor, Josdos Santos Ramos de Oliveira ra do
Mondego n. 2, a escrava de oome Thereza, preta
fula, ainda moga, alta, ebeia do corpo, vistosa e
despachada, levou bastante mnpa. consta' que foi
para casa de seu ex senhor Manoel Joaquim Sil-
veira em Caroaru', e por isso pede-se a quem a
encontrar que a preBda e remeta para esta praga
a sen senhor, qo recompensar bem a qne lhe
a entregar.
Precisa-se de urna ama para comprar a co-
zinhar : na ra de Aguas-Verdes n. 6.
Nos ahaixo assignados scienlilic-amos ao cor-
po do comraercio, que temos justa e realisada com-
pra da taberna, sita na ra da Concordia n. 33,
perteacente a Jos Joaquim Altes, e outr'ora
Florencio Francisco Alves; e por considerarmos
dita taverna quite al esla dala, fizemos o presente
aviso.
Recife, R de Margo de. 1863.
Yittar|& C.
recobrar a minba saude, perdida ha tanto
lempo.
ttyphis e molestias iu >r. ni-iaes.
Do Illm. Sn. 1)r. Jackso;'.
Medico mnito conhecido nas provincias do
sul do Hrasil.
Tenho receitado a Satsa panilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Sypliilis constitucional e-sempre com os
mais felizes resultados; o inellioi alteran-
te que conlieco.
Leneorrha e Odres bramcas.
Temos cartas em que nos conlam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos-d'esla Salsa par-
rilha.
O .espaco nao nos per-roitte trauscrever
todos os atlestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composto oe Salsa
parrilba do Dr. Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido empreado ha mais
de vinte annos pela proftssao med a tanto
das Americas como da Europa, sevQ nunca
desmentir a sua alta reputaeo.
Para a cura radical de escrfulas e iffeccQes
escrofulos, sypliilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, cliagas,
empeoes- cutneas e todo e
qualquer incomn-ddo que
provm d'um estado
impuro de sangne,
TO.MBM A
\t-SA PARRILHA DE AYER.
A' venda na ra Direita, ns. 12 20 e 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
30 e Hospicio, n. 40. E na-
pharmacias e drogaras do im-
tuico, n.
principaes
perio.
Vende-se era Pemambuco:
na pharmaeta franceza de
P.MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
DA
Procisso da irmandade de N. S. da Soledade- )rtc-
ta na igreja de N. S. do Livraaicuto.
A mesa regedora da irmandaile de N. S> da so-
ledade, tendo da expor vista dos Seis deuatos, no>
dia 12 do correle, pm solemne procisso a sua
divina padrueira a Senhora da Soledade e a Senhor
Bom Jess da Agona, tem de pen-orrer as ras
seguinles : ao sabir, rna da Penha, Dirai-ta, |>ateo
do Lvramento, ra dnQuWmado, praja de Pedro
II, ra do Imperador, traversa de S. Praacisco, roa
da Cruzes, pracinha dalndepcndencio, ra do 8a-
buga, Nova, do Sol, Flores, c-amboa du Carmo, pa-
teo do mesao, ra de Honas, Aii>ta, travessa
de S. Joo, patee do Tergo, ra Direita, travessa
da Penha, paleo do mesmo, ra do ftangel a xeco-
Iher-sc. A mesma mesa convida, a todos os seus
irmos para comparecerem no referido dia em
nosso consistorio, pelas 2 hojas da tarde, para,
mais bnlhaniismo do acto, asska como pede ao
moradores das mas cima, que iiiapera as testa-
das de suas casas.
esSavo!
Precisa-se de nm escravo para o servigo de pasa,
de prnira familia : a tratar na loja n. 18 da ra.
do Queimado.
OSr. J. M. S.V. qu-ira mandar pagar a
subscripgao deste Ikano, desde o i" de nuiubro
prximo passado razio do prego que na renle
de nosso Diario est estipulado.
Nos abaixo assignados fazemos seiente ao
respeitavel publico e com especialidade ao corpo
docommerc'w, que no dia 7 do correle dissolve-
mos amigavelraento a socirda.ie que tinhamos na
taberna da ra Augusta n. 114, que gyrava sob a
raziio. de Silva, Souza A C. flcando o activo e pas-
sivo a cargo do socio Souza.
Bernardino da Silva Maia.
Antonio de Souza Pereira.
Jos Ribeiro da Silva


Antonio Soares d9 Uliveira, Porluguez, reti-
ram-se Eara Europa,


Diarto de rernauboco .- abfeado 11 tfe Marco de iStt.
Encanamento d'agua.
Precisa-se de urna pessea que saiba
concertar encauamente d'agua de ca-
sas particulares; a tratar na livraria
ns. 6 e 8 da praca da Independencia-
O conselheiro Francisco dePaulaBap-
tista conlinua em sua profissSo de advoga-
do em sea escriptorio na ra d.isTrinchei-
ras, primeiro andar da casa n. 19, aonde
poder >er procurado desde as 10 horas
do dia ato as 3 horas da tarde.
Salitre
.Na roa do Queimado n. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimaros, vende-se sali-
tre relioado por 255 a barrica de 4 arrobas, ou a
65400 a arroba s a dioheiro._____________
Os Srs. acadmicas que vo malrlcular-se
no tereeiro anno da Faculdade de Direite, podem
dirigir-se a ra da Saudade n. 9, frooteira a do
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil ai as 9 boras da manha, e das 4 at
as 6 horas da tarde.
Tin turara
Vonde-se os compendios de herme-
nutica jurdica, e de theoria do processo
civil reunidos emum s l'nro, na loja de
livros de Nogueira, e na casa d< residencia
do autor dos ditos compendios, o conselhei-
ro Paula Baptista na ra do Hospicio n. 31,
ou em seu escr.ptorio na ruadasTrinchei-
ras n. 19. ________^^_____
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de Hutas un grande deposito de
productos chimicos utensis e os maisempregados
e usados na pharmacia,pistura,photographia, tin-
turara, pyrotecbinia(fogosdearticie) e era outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as prioclpaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo,Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianca e satisfaier qnalquer
encommenda a grosso trato e aretalho, por presos
razoaveis.
Prvidos de machinas *appropriadas satisfar
com promplldo qualqnsr pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado emlatasfechadas.
Tem grande collecco de vidros de diilerentes
formatos, desde urna oitava at deteseisonc.as de
capacidade; de vidros para vidra^ase diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeiracom
propriedadee outros; de papis dourados epra-
teadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
paraembrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feito; de papel albuminadoe Brisiol
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleograxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
clarificado, oleode oielet, secativode Harlim.ouro
verdadeiro em p ; prata, oro, e
Na ra Direita n. 116 conlinaa-se a Ungir para
qualquercor, e o mais barato possve
Saca-se sobre Lisboa, Porto e Ilha de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escrip-
torio de Carvalho e Negueii a.__________
ttenQo.
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel publico e a todos os senhores ofllciaes do exer-
cito e da marinha que contina a tersua casa sor-
lida de fazendas e roupas feiUs, e por medida : no
largo do Livramento n. 34.
mmmmmm mmmm mmmm
ft bacbarel Jos Baptista Gitiranajg
advoga nos termos da Bonito e Caruar. 95
H Pode ser procurado na villa do Bonito, *
| na Direita b. 16, dcfronl.-, da cadeia.
Consultorio inedieo-ciruryieo na rwa larya do
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua profisso
nao s na parte medica como tambem na cirur-
ica. .
-mmmmmm^
O bachare
m
Francisco Augusto da Costa **
ADV6GADO
Ra do Imperador numero 69.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOIUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Orna (anca em dioheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad
ministraro da companhia.
Jeorge Patchet manda para Europa sna niu-
Iber e urna (ilha acompahada de urna criada de
nome Eliza Steel.
-
C0MPB1S.
Precis-s alugar uro escravo para todo o
servico de urna casa de familia : na ra da Cadeia
do Recife n. 52, tereeiro andar.___________
Precisase deum criado estrangeiro, borneo
peiro, e que afiance a sua boa conducta : na ra
do Imperador n. 29._______________________
Precisase alugar urna ama que saiba bem
cozinliar, e sirva para comprar para urna casa de
duaspessoas : na ra da Iraperatnz n. 34, primei-
oo andar._____________________________
Attencdo.
No curtume da ra Impertal n. 191 precisa-se
de trabajadores forros ou escravos, com tanto que
sejam pessoas robustas.____________________
Anloniu-Luiz de UliYeira Azevedo &C
Agentes do banco Uniode Porto.
Competentemente autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo bancopara o fono e
Lisboa e para as seguintes agencias :
Londres sobre Bank ofLondon.
Paris Frdric S. Ballin di C.
Hamburgo > JooGabe & Filho.
Barcellona > Francisco Rbala & Ballesta.
Madrid > Jaime Merie
Cadis Crdito Commercial.
Sevilha Gonzalo Segc na.
Valencia M. Pereira y Em Portugal. Hijos.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello'Branco. Gulmares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Govlho. Laitego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. Moncao.
BraganQa. Evora.
Faro Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinh.il. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Penna fiel. Thomar. Vianna do Cas
Tavira. Villa Nova de tallo.
Villa do Conde. Portimao. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
BANQl EIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripeo de raaneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capttal nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL, que anda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
c5es ecorabinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a 19 anuos, umaimporsicoannual
de 1005 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119*300
de 10 .......3:9425600
de 15 .......11:2085200
de 20 .......30:2565000
de 25 >.......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideravei?.
No imperio,
tii'i. CifintiSo.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo seren descontados no
mesmo Banco a razode 4 por cento ao anno a
Ibas de varias cores ; tintas vegetaes, inofensi-
vas proprlas para eonfeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens Unas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim.bergamota, aspice, palchnuly.ambar,
bou'quet,limao, alcaraiva, melissa. ortela pimenta,
looro, eereja, alfazema, Portugal, lima, Junpero,
anis da Russia, canda, cravoe muilos outros ob-
jectos que s rom a vista poderoser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
________Gerente.
Precisa-se
do urna mulher que nao tenha filhos e nem pessoa
alguma soh sua responsabilidades que seja capaz
de fazer com zelo todo servico interno da casa de
um padre, inrlusive engommado : quem estiver
nestas eondieSes dirlja-se a ra do Imperador nu-
mero 35.___________________
Invinieran particular.
Urna pessoa com todos os tlulos de habitaclo
propSe-se a aceitar em sua casa alguns meninos
menores de 12 annos por preco muito razoavel:
que.n se quizer utilisar de seu prestimo pode se
dirigir ra da matriz da Boa-Vista n. 26, pri-
meiro andar, que achara com qnrm tratar.
Aluga-se
l"m boa casa na ilha do Retiro (Passagem da
Magdalena) com 2 salas, 6 quartos, 1 gabinete,
cosinlia f ra, quintal murado, sumidonro para as
aguas servidas e na porta : quem pretender diri-
ja-se a ra da matriz da Bca-Vista n. 26, primeiro
andar.
RA IiARGA DO
Rosario' n. 39.
O propietario do hotel Traviata, achando-se de ratar na ruada Cruz n. 1.
novo em seu estabelecimento, e lendo feito nelle
muitos melhoramentos, convida a seus mui dislinc-
tos freguezf s, qoe se dignem de hnralo com suas
estanho em fo-1 presencas; offerecendo-se-lhes para
Alagase o primeiro andar, lo;a e grande
quintal rom duas carimbas, arvores o frocto e
commodos para grande familia da casa da ra da
matriz n. 33 : a tratar com o Sr. Antonio Joaquim
Ferreia Porto ou rom Miguel Joaquim da Costa na
ra da Cadeia n.12. ___
No engenho Goiabeira junto a Santo Amaro
de Jaboatao, necessita-se de nm feitor que tenha
pouca familia : a fallar no mesmo engenho, ou
na ra da Imperatriz n. 22, segundo andar.
ALUGUEL.
Aluga-se uma casa terrea do lado da sombra,
no principio da ra do Varadouro, em Olinda, com
commodos para grande familia, por"muito barato
prego : quem pretender, dirija se a ra do Livra-
mento n. 31, segundo andar.________________
Precisa-t-e de um menino de idade de 14 a
10 annos, para caixeirode urna taberna e que d
iia 1 ir a sua conducta : na ra das Cruzes n. 22.
remeller co-
mida as" suas casas com toda promptidao e asseio
pelo preco mais commodo possivel: no mesmo es-
tabelecimento ha buhares, sorvetee refrescos.
TTENAO.
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Hachado
se encarregaante ofrodeslacidadedetudoque
fortendenteasuaprofisso,aceita departido an-
malas pendencias judiciaes de qualquer casa
commercialmediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobranzas nosterreos do Cabo
elpojucaaondecontinua a trabalhar como d'an-
0 proprietario da ofllcina de encadernacao da tes,") encarrega-sededefezasperante o jury nos
ra do Imperador n. 15, defronte de S. Francisco,; termosproximosa va frrea,offerecendo gratoi-
acaha de entregar a direccao da dita ofcioa ao lamnteseos servicos aos desvalidos, pode ser
Sr. Heraclio Constantino de Paula Monteiro, enea- procu-adotodososdias uteisdas9horas da ma-
dernador que foi da livraria Acadmica, onde pro- nhaa as3 datardena ruaestreita do Rosario n.
vou habilidade e pericia na arte, tanto em enea- 34, eforadessashorasna ra Imperial n.30,oa-
dernacoes em bsame, comoem couro, veludo.etc,! sb de sua reidencia.
o qual seacha munido dei todos os BtoMlUose ZTapracada Independencia loja de ourive*
aprestos necessanos para bem ervr fregu- \ compi*m.se obTfs de ouro e pJralae pedras
zese por ma.s barato^preco do que WWr oulra d ,' ;,, se fM ,J ^ de
VJZ*S&^P& encommenda et0d0 e 1'nerconcqer.o.
livros de litteratura e sciencia, e ludo quanto ne-
cessaro para as escolas primarias como : cartas
de A B C, taboadas, cathecismos, grammaticas de
Castro Nunes, pautas, procuracoes bastantes, espe-
ciaes e geraas, despachos da alfandega, papel pin-
lado e marbrados de diversos tamauhos e pre?os,
papel almaco e pintado, etc.
Precisase alugar urna preta para todo o ser-
vido de urna casa de familia : na ra do Trapiche
numero i.
.4
nteressar
Ama
Prcrisa-se de una ama que saiba" engommar e
dirigir o servco interno de urna casa de pouca fa-
milia : na ra da Aurora n. 86, primeiro andar.
Na loja de livros desle iarto, praca da In*
dependencia, tera urna carta para o Sr. Dr. Anto-
nio Jos Lopes Filho.______________________
Attencao.
No dia 7 do corrente veio do Poco da Panella
para esta cidade, onde est, a negnnha Ponciana,
dr 10 annos de idade, com ns bichentos e dous
dedos dos mesmos sobrepostos, tem sido vista na
roa larga do Rosario e no chafariz da ra da Con-
TOrdia : quem a vir pode leva-la ao Sr. Maciel,
com taberna de porta larga na ra larga do Rosa-
rio, que se recompensar.__________________
%Ucnco
quem
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer pretencao como : passaportes, porta-
ras, apprehencoes de quaesquer objectos; pela
presidencia portaras-, passaportes, patentes de of-
llciaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ; pelas repartirles fiscaes desembara-
zo de terrenos de marinha e de ustabelecimentos
que por engao ou ignorancia de seus proprieta-
ries estejam sujeitos ao rigor do lisc,: pela capi-
tana da porto matriculas de carpinleiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser proourado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Braga, rna da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ra do Collegio n. tonio Domingues Ferreira, o em S. Jos ra Direi-
ta botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Prannos.
Joaquim Jos dos Santos Barraca.
Claudio Dubeux, proprietario das linhas de
mnibus, faz sciente ao publico que no dia 15 dcs-
te corrente mez dfi marco tira do Cachang o m-
nibus que parte daquella povoacao as 7 horas da
manha e as 5 rf Ba tarde do Recife ; assim co-
me tira tambem no mesmo dia o mnibus de Api-
pucos que parte daquelle tugar as 6 horas da ma-
nha, e do Recife as 6 da tarde."___________
Precisa-se de urna ama que cosinhe e en-
gomme : na ra do Imperador n. 17, segundo
andar.
mmm mmm &** iii
( O Dr.Carolino Francisco de LimaSan-
] tos,contina a residir narua do Impe- Jjf
Mrador n. 17,2* Andar,onde pode ser P<"o->l
K curado aqualquerhoradodiae da noiteS
& para1 o exercicio de snaprofisso de me- 91
ug dico ; sendo queos chamados, depois de M
S meio dia at 4 horas da tarde.devem ser 9
I deixados 'por escripto. O referido Dr. ff
|K nao abandonando nunca o estudo das Mj
v molestias deinterior, prosegue, com o S
jR maioraffinco.nodasmaisdifflceise deli-1
jj cadas opera^Ses. como sejamdos orgos W
oorinarios,dos olhos, partos,etc.
Alugam-se dous grandes sobrados com com"
modos para numerosa familia, novos e aeeiado&:
comjardm,cobbelra,estriban* coutras commo-
didades.natravessade Joo Fernandes Vieira: a
tratar na ra daSenzala Nova n. 42._______
Precisa-se de urna ama para se encarregar
somente do servlco de cozinha : na roa da Cadeia
do Recife n. 52, tereeiro andar.
Prospectas e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direclor nesia provincia,
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
12, eslabel
Compra-se ouro e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilbetes da Praca da Inde-
dendencian. 22.
Compra-se um escravo de idade que
sirva para trabalho de sitio : nesla Upo-
graphia se dir quem quer.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagndose bem : na ra larga do
Rosario n. 2i, loja de ouiives.
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e sein vicios: a tratar no sobrado
n. 32 da na da Aurora. -*
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve-
Iho : na fund cao da Aurora, em Santo Amaro.
BANCO UNMO
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisaco
para estabelecer o seguro de vidas em mutualidade, faz publico que desd j toma subs-
cripcoes annuaes por urna s vez, debaixo das seguintes condicoes:
Com perda de capital e lucros;
Dito de capital somente;
Dito de lucros somente ;
devendo a primeira liquidaco ter lugar no Io de Janeiro de 1869.
As vantagensdo emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao so-
mente se collie o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-
nhum resultado; mas alm d'isso, este rendimento augmentade pelo capital ou lucros,
ou ambas as cousas, conforme as condicoes da subscripeo, dos que fallecem. Tambem
partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga-
mentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem
pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companbias hespanholas, tutelar e outras; e
para se poder fazer ama idea do que pode produzir urna entrada annua de 10#000, pu-
blica-se a seguate tabella baseada sobre a experiencia de muitos annos de companbias
desta natureza.
Em 5 annos
110$
90$
861
8(,->
860
86$
86$
86$
90$
As entradas por urna s vez do resultados muito superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 5$000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO UNIA'O, Jos da Silva
Machado.F, M. van der Niepoort.
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C, ra da Cruz
numero 1.
Compra-se um preto moco, de boa
conducta, para fazer algum servco de ma-
nha e depois ir para o ganho, e um mole-
que ou cabrinha, que possa servir para co-
peiro, p3ga-se bem agradando: tratar na
Capunga porto do Lasserrc, sitio do porto
piotado de verde, do lado direito.
Compra-se urna escrava com habilidades e
que tenha urna cria : na ra da Cadeia do Recife
n. 64, segundo andar._____________________
Compra-se urna casa terrea qoe seja nova e
em boa ra, e qae seja na freguezia da Boa-Vista:
quem tiver e quizer vender, pode dirigir-se a pra-
ca da Sania Cruz, padaria n, 6, que se dir quem
compra.
VENDAS.
Por um menino de 1 dia a 1 anno
a de i anno a i
a de 2 a 3 -
de 3 a 4
c de 3 a 15
Por urna pessoa de 15 a 20
a de 20 i a 30
de 30 a 40
de 40 a 50 c
10 annos 15 annos 20 annos 25 annos
400$ 900$ 2:000$ 4:700$
300$ 750$ 1:700$ 3:700$
290$ 720$ 1:600$ 3:500$
270$ 710$ 1:560$ 3:400$
270$ 700$ 1:550$ 3:350$
270$ 700$ 1:540$ 3:330$
270$ 710$ 1:560$ 3:400$
270$ 720$ 1:600$ 3:700$
309$ 750$ 1:800$ 5:000$
Companhia udelIdade de
seguros martimos e ter-1
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, H|
competentemente autorisados pela direc- S
I toria da companhia de seguros Fidelida- SS
8 de, tomam seguros de navios, mercado- &
rias e predios no seu escriptorio ra da ^
Cruz n.l.
mmm mm m mmmmm
Rogare ao Sr, bacharel Cezario
de Azevedo joiz municipal de Garan-
hoas, queira dirigase praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, en annnnciar
cwihaTpar! sna mToda para ser procurado.
____________i Na ra do Crespo n. 14, primeiro andar, pre-
Joaquim Fernandes da Silva Campos deixa cisase de costureiras que trabalhem de allaiate e
por seus procuradores os Srs. Jos Joaquim da Cos- com perfico, com machina ou sem ella._______
ta Maia, Manoel Jos de Souza e Joo Harta Cor- o London & Urazillan Bank, saca por todos
deiro Lima. os paquetes,sobre
Aluga se o segundo e tereeiro andares do so
brado n. 62 da ra da Guia com commodos cada
um delles para grande familia, os quars se acham
pintados de novo por acabar de ser dito sobrado
concertado : e a tratar no primeiro andar com o
pn.prietaro bacharel Francisco Luiz Correia de
Andrade.
~ Offerece se urna mulher para
ticular : na ra da Cenceicon. 62.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgilo dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conbecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparaces empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se aclia de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fisso, advertindo quetrouxc um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem-
inslrumenlos novos, ferramenta moderna, cadeira de operacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso de servir do modo o mais satisfalorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da larde quando nao liver de ir em casas particulares.
O abaixo assignado, socio que foi da extinc- j
ta lirma de Campos & Lima, declara que as divi-
das pertencentes a mesma Ihe fcaro pertencondo,
e que para a sua cohranca deu procuraco ao Sr.
Ivo Marlinsde Almeida, com quem os devederes
se devero entender.
Joaquim Fernandes da Silva Campos.
Pede-se ao senhor que levou em confianca a
chave da casa da ra da Ponte Velha d. 23, o fa-
vor de entrega-la na loja da ra do Crespo n. 17,
alias sofTrera as consoquencias de seu procei-
Di^appareceu da ra do Queiruado um cavallo
caslanhu amarello, estando ripado, sem signal
branco, estradeiro baixo e passo curto, inteiro,
levou urna cangalha sem capa, e no cabegote um n)entl
preso feito parafuso, encastoado em ura pao; o di-----'-------------------------------------------------
to cavallo j foi de cocheira, de carro, e tem sig- Precisase alugar um primeiro ou segundo
nal nos peitos dos arreios, e debaixo dos queixos andar Qu *> acetado e tenha commodos para
estoraram cinco fstulas: quem o apprehender di- j pequena familia, as seguintes ras ^Imperador,
rija se a ra dos Martvrios em casa do Sr. Anto- i Queimado, pateo do Livramento,
seu dono pagar as oateo do Terco- Pa,eo
nio Joaquim de Almeida, que
dt^pezas ou o achado.
Atten#io.
Henriqae Atnis. relojoeiro, faz sciente ao res-
peitavel publico que acaba de estabeler-se na ra
l-i i'.-id; i a do Recife n. II, onde se encarrega de
concertar qualquer qualidade de relogio por es
cangalnado que esteja, com brevidade e multa ba-
rabiza e afianca por 6 mezes ou ura anno.
O portuguez Albino Baptista da
Rocha, relojoeiro e doorador, da
praca da Independencia loja n. 12,
faz qnalquer concert de relogio e
dourado por preco mais commodo
i do qoe outro qnalquer e responsa-
'oilisa-se pelo seu trabalho e espera
protei cao de seus amigos e compatriotas.
Precisa-se de urna ama para casa de familia
de duas pessoas : na ra da Viraco n. 39. Na
mesma loja compra-se urna escrava com habilida-
des ou sem ellas.
Deseja-se saber onde mora Antonio Xavier
da Silva ou suas tilhas a negocio que muito Ins
deve interessar.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
Offereee-se urna ama para tratar de meni-
nos, lavar e engommar para os mesmos : na ra
da Senzala Novan. 19._____________________
Aloga-se urna caa na Passagem da Magda-
lena junio a ponte grande, com 6 qoarios, sotan,
cozinha fra, despensa e 1 quarto no quintal, pti-
mo banho no fundo : as pessoas que pretenderen)
dirijam-se a ra Direita n. 3, primeiro andar.
ra Direita at o
do Carmo, Cabug e ra
Nova ; pagare bom aluguel : a quem convier ap-
pareca na ra da Cadeia do Recife n. 30, segundo
andar.
Prepara-se com asseio.
Na ra da Florentina n. 36, forne-se comidas em
casa ou fora della notando-se a bemfeitoria, asseio
e barateza.
Henriqoe
ropa.
Otlo, subdito allemo, vai a Eu-
Quem tiver para vender um taparelli em
meio uso, dirija-se a ra das Cruzes n. 11, segn
do andar, que achara com quem tratar._______
Na ra dos Pires n. 54 ha para se alugar
urna excedente escrava, muito fiel, com 20 annos
de idade e muito robusta, a qual sabe bem fazer
todo servico de urna casa de lamilia.
Precisa-se alugar urna escrava para cozinhar
e fazer mais algum servico para casa de familia :
a tratar na ra da Imperatriz n. 4, primeiro andar.
O abaixo assignado participa ao respeitavel
publico que nao se respoosabilisa por ordera algu-
ma que falsamente for pedido em seo nome.
Francisco Rodrigo dos Santos.
Para a Europa.
Offerece-se um moco portuguez fallando algu-
ma cousa francez para criado de qualquer pessoa
que se destine a Europa : quem do sou prestimo
precisar queira deixar carta oeste escriptorio coa
as iniciaes A. B. C.
Li.-boa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
?VIIVA LECONT
7Roa di Imperatriz7
MaqueoorePorlugal. g
| O abano assignado; autoritao peloS
UancoMercantiI l'ortueuse. e naausencia V
do Sr. Joaquim da Silva Castro,saca ef-
lectivamente por todos o- paquetessobre
aspraps de Lisboa e Por .o, e mais luga- g
Hresdo reino, por qualquer somma vis |
Sta,e a praso; podendo, o que temaren. I
Ksaques a praso,receberem > ista,no mes- 5
Bmo Raneo, descontando 4 0(0 aeanno: na |
Hgloja de chapos da ra do Crt;ipo n.6, ou I
na ra do Imperador n. 63, segundo an- S
Bdar.Jos Joaquim.da Costa Hila.
mmmmm se
Anda est para ser vendido o sitio da t"a-
vessa do Remedio na freguezia dos Afogados n.
21 : quem o pretender dirija-se a roa de S. FraQ-
cisco, sobrado n. 10-_____________________
Alfonso Jos de Oliveira, professor jubilado
da cadeira de geographia e historia do ex-lyco
desta cidade e competentemente antorisado pela
directora geral da iostrurco publica para ensi-
nar primeiras letras, latim, francez, rhetorica e
geographia, contina com aula aborta destas mes-
; mas materias na ra larga do Rosario n. 28, se-
e ex-
Madame Leeont participa aos seus freguezes, gundo andar, e recebe alumnos internos
que recebeu pelo ultimo vapor nm completo e va-1 temos.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
1* e t* andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias
2o
3o
ALMANAK.
Acaba de &ahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak AdministratiTO e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
Vndese
a armago da loja da ra Dlreila n. 31, de tres
ponUs, propria para qnalquer estabelecimento, por
preco muito barato : a tratar na ra da Impera-
iriz n. f<:>.___________________
Cemento romano
e de Portland : no armazem de Tasso Irmos.
Attencao.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C. ra
doVigario n. 3.__________
Lej&nmes novos a 6,400 rs. a arroba-
Na padaria atraz da fuLdico do Sr. Starr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e sevadinha pelo preco em sortimen-
to de (1$ 400 rs, e conforme fr a porco faz-se al-
gum abatimento.
Yende-se
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias ds
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
nado sortimento de perfumaras as mais finas pos- Sfimoel Power Johnston Companhia
siveis, como sejam : Nouveau Rgnerateur de 1""'i| "" """"" u,MUr
Gell, nica para conservacao dos cabellos ; rece- *a da enzala nova n. 4.
bea tambem correles de Plaqu, muito finas e do agencia da
ultimo gosto para relogio, p de nrilhante e de I'uariu de JLOW HoOf.
ouro para perneados de bailes, 1,009 varas de blco Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
preto propriopara enfeites de vestido, e diversas;Mrf f MtmtMHU. Avisa tamhem nne na sna casa MoenadS e melas moenu4S Para engenilfl.
Taixas de ferro coado
nho.
e batido para enge-
outras cousas. Avisa tambem quena sua casa
contina a fazer todo o trabalho que diz respeito |
a cabellos, como cabelleiras para homens e senho-
ras, assim como penleados para fra._________
O Sr. Joao Francisco de Pontes, ex-secio da Arreios de carro para um e dous cavallos.
firma de Carvalho & Pontes, estabelecido com pa- Re!ogos e ouro palente nglez.
dara em Caruar, tenha a bondade de mandar.. ,s e
pagar a sua letra vencida a 3 para 3 annos, da Araaos americanos,
quantia de 1005, na ra da Penha n. 23, primeiro Machinas para descarocar algodao.
andar._________________________________ Motores para ditos.
Est para alogar-se urna casa terrea na ra Machinas de costura,
da (loria n. 14, um Ia e 2 andar de nm sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Sania Cruz, e urna mei agua na estrada de Joo
de Barros, com arvoredos, agua de beber, e porto
para o becco do l'ombal : quem pretender faile
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manha at aa meio dia.___________________
Calxelro.
Na roa da Senzala Nova n. 39, offerece-se um
menino de idtde de 13 annos, o qual jtem algu-
ma ortica de taberna.
D-se tira sitio,
tiver pouca familia :
triz n. 64.
para botar sentido, a quem
a tratar na roa da I npera-
Aloga-se a casa n. 53 da ra Augusta, nova,
com 3 quartos, despensa, cozinha grande, 2 quar- j horas da manha, afim
tinhos no quintal, e porto para a roa do Dique;
urna boa easinha para trazer-se com asseio e gos-
to : a tratar na ra do Mondego, olaria n. 13.
A pessoa que quer vender urna casa de um
Bar e soto na freguezia de Santo Antonio, se a
casa est em bom estado, e em boa ra, procure
no largo do Corpe Santo n. 19, escriptorio.
Quem precisar de nm moco habilitado para
ensinar grammatica pnrtugneza, latim e francez
nesta cidade ou fra, pode dirigir-se a ra do Im-
perador n. 77, segundo andar, que achara com
quera tratar.
SOCIEIIAE
Recreativa Juventude.
De ordem do Illm. Sr. presidente convido todos
os socios da sociedade para se rennirem em sesso
extraordinaria domjngo 12 do corrente, pelas 10
de serem approvados os
estatutos que devem reger a mesma sociedade.
Sala das sessdes em 8 de marco de 1865.
A. F, Pereira
1 secretario.
Manoel Jos Martins
tuguez, vai a Europa.
da Silva, subdito por
-O Sr. Jos Mendes Carneiro Leo, senhor do
engento e Taquari, queira apparecer na ra do
Crespo n. ifi.nrimeiro andar.
O abaixo assignado tem justo comprar a ta-
berna da ra da Senzala Nov ao Sr. Bernardido Jos da Silva Braga ; se alguem
se julgar com direito dita taberna, reclame no
praso de tres dias para ser pelo annunciante al-
ternlo. Recife 8 de marco de 1865.
Joaquim Manoel Lopes da Silva.
Joo da Silva Ramos, medico pela Uni-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero socoorridos era qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sr.a casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 34000 diarios.
Segunda dita.... 25500 i
Terceira dita.... 2008
Este estabelecimento j bem acredi- :
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que ello conti-
nuo a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
um sitio no Caminho Novo, ra da Esperanza, que
vai para o Manguinho, com grande casa muito
fresca, tendo 4 salas, 6 quartos, cozinha e dous ter-
rados na frente e fundo da casa, e grande soto
com 3 salas bastantes frescas por ter 11 janel-
las, estribara, quarto para cradus, 2 cacimbas
com agua de beber, tanque e casa para banhos, o
siliotodo murado e com 1,000 palmos de fondo,
nnrtfi i> forro, bous lsrangeiras de umblgo, sapo-
tis e outros arvoredos : a tralar na roa do Desti-
no n. 16.
Vndese um moleque de 9 a 10 annos de
idade, bem preto e muito bonita figura : na ra
de Apollo n. 19, primeiro andar.
Vinho collare*.
Acaba de chegar de Lisboa a superior e verda-
deiro vinho de Collares em caixas : esta excelien-
te_ qualidade de vinho torna-se recommendavcl por
nao conter espirito e ter agradavel paladar, supe-
rior ao melhorBorbeaux; sendo aquella particula-
ridade apreciavel e til na presente estaco calmo-
sa, em queos vinhos aguardenlados se tomam pre-
judiciaes : vende-se no deposito, ra da Cadeia,
escriptorio de Leal Res.
CIMENTO
Francez barrica 5#<>0Q
Portland barrica 8#5Q0.
No trapiche baro do Livramente ao caes
d'Apollo._________________________
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
{[na do Queiruado n. 19.
%'ende-se o seguinte:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo preco de 24400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 35500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 25500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 25 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para sai, a 35800.
Pecas de cambraia
para forro com 8 1|2 varas a 256:0.
Guardanapos
de linho finos duzia 35500.
Algodao entestado
com 7 l|2 palmos de largura vara 15200.
Cortes de la
com 15 covados a 65-
Cambraia adamascada
com 2# varas propria para cortinado peea lia.
Fil de linho
liso fino vara 8(0 rs.
Atoalhado adamascado de algodo
com 8 palmos de largura vara 25200.
Atoalhado adamascado de linho
com 8 palmos de largura vara 35200.
Lazinhas carmezim miudinhas
propria para vestido de menina, covado 600 rs.
Lazinhas
de cores finas covado 560 rs.
Fazendas para a quaresma.
Grosdenaple, moreantlque e ricas capas de gros-
denaple bordadas.
Esleir da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos da
largura, por menos preco do que em outra qual.
quer parte.
Neste armazem de faz>.ndas se encontrar um
grande sortimento de roupa feta e por medida.
CEBLAS E B iTATAS.
Vende-se ceblas a 15 o cento e batatas a 60
rs. a libra muito nova : no armazem Garanta ra
di Imperador n. 14.
Livro do Povo.
O livro do povo, obraornada com estampas, con-
tendo a vida deNosso Senbor JessChristo, e mui-
tos artigos uteis. Este livro das familias rerom-
mendado eapprovado pelos Exms. Srs. D. Lua
bispo do Maranho e D. Manoel arcebispo da Ba-
bia, vende-so a 15000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira de Souza, roa do Crespn. 2





i





Otarle de Pernaiabaco abbado 11 4c aeree de !&&.
Fazendas tretas para a qua-
resma.
Me leje de Pavo.
Acha-s este estabelecimento completamente sor-
lido de azeadas pretas proprias para a quaresraa,
a saber :
Grosdeoaples preto largo e muitissimo eocorpa-
do, oulros mais estrenos tendo dos precos de
1*280, 1*600,1*800, 2*, 2*400 e 3*. superior
moreaalique preto a 3*, superior sarja preta lies
Grande liquidadlo de fazen-
das finas, ruadalmpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 56, de Louren^o P.
Mendes Guimaraes.
panhola, superior setim preto maco, ricas capas' JX I,. m
pretas bordadas, soutembarques muito bem eotei- I ?e**?*?n|* en"
Fazendas para o carnaTal.
Vende-so velbutina do todas as cores a 800
rs. o
AO PUBLICO
tadas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos que lera vindo, superiores manteletes, camisi-
has com manguitos proprias para luto e neos
chales pretos de rede, ludo Isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As ronpas do Pav5o.
Aera-se ueste esUbeleciraentoura grande sortl- CyBifc*KTV!E! e u
memo de roupas feitas para hornera como sejam : ,mPeralri*> Joja da Araran. 56.
superiores paetots sobrecasacos de panno preto ,.t,nes fle camoratas, a irira vende a 30.
muito lino e forrados de seda a 22*. 25* e 30*, I, ,:dem-s cortes de cambraias finas brancas a
ditos forrados de alpaca a 1 *, 16* e 20$, supe- ^*500> e 5*, cortes de cassas francezas finas a
ores paetots de casemira tanto saceos como so-! > corles de chita de 10 covados a 2*400, ditas
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co- jflnas a 3*200 : na loja da Arara, ra da Impera-
res, ditos de brim de todas as qualidades, colletes |rlz n. 56.
de casemira pretos e de cores, velludos, setins Arara vende corles de casemira pela a 30500.
etc., sendo todas estas obras corladas por ura dos
melhores mestres nacionaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, de (ama & Silva.
Chitas em caries coa 40, i i e (2 covades
Na loja do Pavo vndese urna grande porgo
de cortes de chitasf '^ncezas sendo claras e escu
em o menor coustran-
glmento s entregar o
Importe do genero que
%Vn*VJp.a.? Jf _cr.e?."proprja B*oagradar.
covado, ganga encarnada a 360 o covado, sarjelim
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria *
para vestuarios a 320 e 360 o covado, fela de seda
de todas as cores a 600 rs. o covado : ra da Impe-
ratriz, loja da Arara n. 56.
Chitas Lanas a 240 rs
Vendem-se cliilas finas a 240 e 280 o covado,
chitas francezas linas a 320, 3C0 e 400 rs., cassas,
finas de cores a 326 e 400 rs. o covado, percalas!
unas para vestidos o 00 e 360 o covado : ra da
ATTENCAO
Os precos da segnlnte
tabella para todos, pe-
dendo asslin servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
RA DA CADIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da ConcelcSo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos desle novo estabeleciniento, e mais que tudo a promptido e htjaranameso confo'aiiaa?, lai'a ?**8Baliza
0 VIGILANTE
Una do Crespo n.
Ogallo vigilante tendo sido agraciado pelo icm-
poso Uallisa, na sua ordem do da, t Lela Eiinea
: Aguia.apesar de que, para este.- D Caiiou^ ^ets
Venilpm 1 ItNnn --------------------- "*" |w> ("-"iu ouo m i anjuo ucoic nuvu csmui.iuim.ILmu, K Ulitis l|U(! lUO 3 DrOI
4*, 5*eo* ditas do corefa^ri* r5*\a7* cor-' ?m qUe &e tiatados' convida a Ta vsjla ao mesmo' cerlos de tes'de bnra'e ganga para caica a f*6W), 1*800 e Pra dos generes que prec sarem, e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam nn, ?lZ '^tarseu vo,|iev.lndo no bicoas paiinhas i
2*
ras todas de cres xas com 10 covados a 3*200, \ 10 palmos de largo a 3* e 2j500 : 'ra da Impe-
cora 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*, ralriz n. ."i(i.
pechiucha para se apurar dinheiro : na loja do Arara vende os balees a 3! e nadauelao a -15.
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Grande llquldacao.
ra da Imperatriz, loja da Arara n. o.
Panno de liubo a 640 rs.
Vende-se panno de hnho para lences e toalbas f.,;. ;__. ,
a 640 e 720, hamburgo a 500 e 360, bramante de Manleiga ingleza especialmente escellnda a
i.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
poisserao 15obem servidos como se viessem pessbalmcnte, bavendo para com. ests^lr^l^trfa^^al^llMte, queSooem '
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas;
do PavSo de Gama & Silva.
dem franceza a mais nova do mercado a 9o
Vendem-se bales americanos a 3*.3*o00 e 4*, rs a |Dra p qa() _, h mo;na
ditos de musselina a 4*500, pecas de madapolo rK. "ra.e ywu r?" em ou eis-
enfesladoa-4* dilo de 24 jardas, largo, a 6*000, La ''^SOn de superior qualldade a 2,600
| 6*500, 7*. 8*. 9*, 10* e 12*, finos, algodao pe- rs. a libra.
Acha-se este estabeleciinentocompletmente sor-|5as a ^ 6*''* e 8 rua a Imperelriz, loja Cha perola o mais superior do mercado a
tido de fazendas inglezas. francezas, allemaas e.aa Arara 2,800 rs. a libra,
suissas, proprias unto para a praca como para o iontambarquesprelos a 20? iem |,vsson rn-jio sl]Dp,.ftr pm iatac fiP tK
mato, prometiendo vender-se mais barato do que, Vende-se soutambarque preto de grosdenaple a, ,ur' 'i("j' em lataS ? io
era oulra qualquer parte, principalmente sondo em i %W e 25*, capas pretas de grosdenaple flnas a ,IUIdS muiiu prapiw paia negocio a 2,000
porcao, e de todas as fazendas dao-se amastras,' -'5, .25* e 30*, soutambarque de lazmha a 7* e I rs. a libra.
deixando flcar penbor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
Camisinlmsa \$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato proco de dez tusioes cada
urna : na loja do Pavo, rua da Imperatriz o. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 3.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratissim preco de WAO o corle : so aa
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
di Silva.
Canbnias lisas, na loja do Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapadae transparente, pelo baratissimo Dreco de
4* tendo 8 1|2 varas cada peca, ditas muito finas
a 7*, 8* e 9* a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 7*, 9* e 109, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pe-
ca : isto na loja do Pavao rua da Impojatriz n 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pee hincha a 3*500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente i, imitacao de larlataoa com mnitos
delicados desenhos, mniio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo preco ne 3*500cadaum,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 7*, na loja
do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 4A c a 7)5
Na loja do Pavao vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Mara Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato preco de 4* e 7*, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porcao, na loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60,
de Gama Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendera-fe os maismodernosenfeitesparacabeca
de senhora : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padrdes raludinuos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porcao : na loja do Pavo,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laaziutias transparentes a 400 rs.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
laziohas transparentes, sendo de lisias miudinhas
a imitacao das sedlnhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado ; ditas entestadas de urna s cor e
dilas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de enancas : na loja do Pavo rua da Impera-
triz n 60. de Gama & Silva.
Ricos soutambarques do Pavo.
Acaba de chegar um rico sorlimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
entenados, que se vendem pelo barato preco de
20*, 225, 25*, 30*. Capas e casacos de glace pre-
los que se vendem muito era conta: na loja do Pa-
vo rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezasa 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para caigas, colletes, paetots, roupas para
mangas : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com listras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como prelas
e roxas para lulo, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Marra Pia, tendo de todas as cores, e
aleuraas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porcao : na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Hara pia,
OraRde prrbinclia a 10^000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, ira-
zendo os competentes enfeites para o corpo, iendo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 10* o cor-
te, ditos de precala cora lindas barras o enfeites,
com 19 cavados cada um a 10*, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo gosto, pe-
to baralo prego de 6* : na loja do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de Un lio a S60 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
LSazInhas Usas.
Vendem-sc as mais finas lazinhas de urna s
cor, tend-i grande sorlimento : na Iqja do Pavo,
raa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva,
diales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavo os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeora assentos de cores, sen-
do oeste artigo os mais ricos qoe tem vindo a este
mere ido, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernsimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
tnicamente na loja de Gama & Silva, rua da Im-
peratriz o. 60, loja do Pavo.
Soutambarques de cor na loja
do Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor franeez os mais ri-
cos sontamharqoes ae cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadclro aprego a esta fazenda, e
vende-se por diferentes precos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, rua da
Imperatriz n. 60.
Bixas hamburguezas.
; Veaie-seaa roa Nova n. Gl.
ditos de alpaca brances a 8* e io*, ricos ves- dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
fia?u5r. a!Vei D0V0 .g?sl? 8*' 12*' "f I bras a i >6o ra-
lo* e 20* : rua da Imperatriz, 4oja e armazem da' ,., np.,'. _. .,.
Arara n. 56. i1(lem Pret0 Que se pode desejar nesle ge-
Grande sortimento de ronpa | nero a -'0l, c 22o a libra.
f cita. Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
Vendem-se paetots de casemira de cores a 5*,; barril se faz abatimento.
6*, 8* e 10*, ditos pretos de panno fino, sobreca-; Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
^^1^9^^7^^^S^^ a jfors. > libra, serve
preta a 4*. 6* e S/ditos de casemira de cor a Para tenWar panella ou para fiambre.
4*, 6* e 8*, ditos de meia casemira a 3* e 3$500,: Queijos do reino chegados nesle ultimo va-
ditos de brim e ganga a 2* e 2*560, ditos de brim I por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
branco a 3*500 e 4*, colletes de todas as qualida- -) 0no rs
des.camisas francezas a 2* e 2*500, ditas Inglezas 'ij~ i.'; '., .
de l.nho de pregas largas a 3* e 3*500, ceroulas:Idem V?ndnn0S muito frescos e de superior
a 1*280,1*600 e 2*, paetots de brim de cor a 2* I qualldade a 8oo rs. a libra.
e 3*, ditos de alpaca preta a 3* e 3*500, ditos de i dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
alpaca branca a 4*500, ditos de alpaca de cordo! abatimento
640*a dz,a-"na^Vp^WaTal Mem SUSS0 meais SUPeri0r tem viodo
numero 56. O proprietarioda loja e armazem da I a? mercado a 64o rs. a libia.
Arara declara que todas as suas fazendas se vende Ervilhas e favas portguezas j preparadas
em perfeiioestado, como os compradores poder* em latas hermticamente lacradas a 64o.
examinar; aloja esta aberta at as 9 horas da Fpiian vphIp mniln snnprinr a AiAri .lata
noite : rua da Imperatriz, loja da Arara n. 56, de i ,e Jd0 ).? ,l suPenor a a lata.
Mendes Guimaraes. i Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
Arara vende baldes de arcos a 3,000.1 rs- a^uzia.
Venae-se baldes de arcos a 3*, 3*500 e 4*, lin-
das golinhas para meninas e senhorts a 240 e 320,
camisinhas a 1*, 2*, 3* e 4*500 : na rua da Im-
peratriz loja da Arara n. 56.
Grande liquidar!) de ronpa feita e seroulas
a 1)5600.
Vende-se paetots de casemiras de cores e pretos
a 5, ti, 8* e 0*, ditos sobrecasacos a 12*, 14*,
16*, 18* e 20*, caigas de casemira preta a 5*,
6*, 8*, caigas de casemira de cr a 5*, C# e 7*,
caigas de brim de cor a 2* e 2*500, paetots de
brim de cor a 2*. 2*500 e 3*, paetots de alpaca
preta a 3*, 4* e 5*, colletes de casemira preta e
brim de cora 1*500 e 2*, camisas francezas a
2* e 25500, dilas inglezas de pregas largas de li-
nho a 3* e 35500 e outras omitas roupas fetas
que se vende barato : na rua da Imperatriz nu-
mero 56.
Liquidacao de madapolo a peca a 4$.
Vendem-se pegas de madapolo enfestado de 12
jardas a 4*, madapolo inglez de 24 jardas a 6*.
7*, 8*, 10* e 12*, pegas de algodo a 5*, 6*, 7*
e 8*000.
Arara vende coberlas a 2$.
Vend-se coberlas de chita a 2*, ditas de da-
masco a 4* : na rua da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende corles de casemira preto a 3*.
Vende-se cortes de casemira preta a 3*, 3*500,
4*, 5*, 6* e 7*, dita de casemira de cor para cai-
ga a 3*, 45, 5* e 6*, panno preto para caiga e
palelot a 25, 2*500,3*, 3*500, 4*, 5* e 6* o co-
vado, casemira preta lina selim a 2*, 2*500 e 3*
o covado : na rua da Imperatriz n. 56.
Arara \ ende chitas finas a 240 e 280 rs.
Vonde-se chitas finas a 240 e 280 o covado, di-
tas largas a 300, 320, 360 e 400 rs. o covado, cas-
sas francezas finas a 320, 360 e 400 o covado, per-
calas finas para vestidos a 500 e 560 o covado :
na rua da Imperatriz loja da Arara n 56.
Vende-se na Arara cortes de brim a 10600
Vende-se cortes de brim de cor a 1*600 e 2*,
ditos de meia casemira a 25500 e 3*, ganga para
caiga e palltols a 500.e 400 rs. o covado : na rua
da Imperatriz n. 56.
Arara vend chitas para coberta a 320.
Vende-se chitas para coberta a 320 9 covado,
ditas francezas a 360 e 400, chapeos de sol de se-
da a 6*500, 7* e 8*, chapeos de panninho a 2* e
2*500, e outras muitas fazendas que se vende por
baratissimo prego para apurar dinheiro a loja esl
aberta at 9 horas da noite : na rua da Imperatriz
n. 56, loja da Arara de Lourengo Pereira Mendes
Guimaraes.
Grande sorlinifiito de fazendas baratas na rna da
Imperatriz loja e armazem do Arara n. 56, de
Loureneo Pereira Mendes Guimaraes.
O propietario deste estabelecimento retira-se
para a Europa a tratar de sua sade, por isso vai
fazer de novo urna liquidago para feixar contas.
Aproveitem a occasio freguezes.
Corles de ebita a 2,5400.
Vendem-se cortes de chita fina a 2*400,25800 e
3^200, ditos de cassa franceza a 3*000, ditos de
cambraia de babados a 3000, pegas de cambraia
branca a 3*500, 4}500 e 6*000. Rua da Impera-
triz loja do Arara n. 56.
Fazendas prelas para a qaaresma. Grosdenaple
a 4)5600.
Vendem-se grosdenaple preto a 1600, 1*800,
2:000 e 29500, dito de 5 palmos de largo a 39000.
Morantique preto fino para vestidos a 3*000 o co-
vado, sarja hespaohola a 2?500 o covado. llua da
Imperatriz loja do Arara n. 56.
Bramante de linho a 2M0.
Vende-se bramante de linhvj para lengoes, de 10
palmos a 2*500 a vara, brim liso a 500, 560 e
640 a vara, sarja de la preta para calcas e pali-
tos a 640 e 800 o covado, alpaca preta a 3U0, 600
e 800 o covado. Rua da Imperatriz loja do Arara
n. 56.
Sutanibarques a 8,5000 e 10:000.
Vendem-se suiambarques de lazinha a 75000,
83000 e 10*000, dilas de grosdenaple preto a
205000, 25*0S0 e 305000, capas pretas a 205000,
25j000 e 3O3OOO, vestidos de barra de mussulina
a <2*000, 14*000, 16*000 e 185000. Ruada
Imperatriz loja do Arara n. 56.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate franeez hespanhol e suisso a 9oo,
l.oooe l,2oo rs. a libra.
Espermacele superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
Aletria, macarr5o e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrellaba, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e Soo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que |
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
.e o Gallo ficar em seu espagosc cnirpo
dando de novo o seu cauto annunciando asis
bonsfreguezes e aorespeitavel publico
0 grande sortimento deobjeetos de uinito gosto acaba de reeeber.
Ricas caixinhas com msica ricamente ecfeila-
aas para costura, proprio para um delicado nie-
*em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o >no.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que
a gar-
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, uque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,10,000,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l,ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cberexde superior qualidade al 6,000
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 0,000 a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo franeez muilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas franeezis era fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
a garrafa, e 0,800, 6,o'oo e 6,000 a du-
zia.
Gevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charulos do aflamado fabricante JoseFurta-
do de Simas; das seguinles qualidades:
Exposicao Normal de Havaoa, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,ooo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charulos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
ndilas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
tamanhes com bonitas estampas na cai-
xa exterior,-a l,io^, l,6oo, l,8ooe2,ooo
cada nma.
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris
rala.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,800 a 9oo rs. a garrafa el 0:000 a "caixaT
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos j o gigo com 36 libra?.
grandes a l.oooell.ooors. a frasqueira.'Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de V qualidade a 28o rs. ali-1 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. j Vassouras de escova para esfregar casa a
Cate do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. j pfozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Moldo inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8o a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 800 rs. 0 frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roDa- 4oo rs. o frasco.
Paincoe alpista alio rs. a libra e i,ooo a Lentilhas francezas. excellente legume para
a,T0Da- I sopa, a 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesuperiorqualidadea64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
- lata de urna libra e 56o rs. a reta- i U a garrafa e 11,00o a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Cognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Malte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 060 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e oheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhs, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,3oo cada urna.
Ruibos, excellente pejx,e portuguez, em
barris pequeos ou arelalho, a vista se
tara o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
rs. a
lho.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez | Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sexlinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fruclas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha ClauoM e eereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,ioo e 2,000 rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
RIVAL
Sein segundo,
Rua do Queimado, n. 19 e oo. E' para admirar.
POTASSA
Vende-se potass em barris a commado prego o
na rua da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Vende-se a casa de molhados na rua da Im
peratriz n. 34, por seu dono ler de retirar se para
tratar de sua saode, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na mesma cima.
ATTENQaO.
Vende-se chita franceza larga a 260 rs. o cova-
do : na loja do passeio publico n. S, sobrado do
Sr. Mala.
Carretels de 11 nlia cora 150 jardas...... 60
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................. 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das ................................. 80
dem idem brancas e ae cores de 100
jard.s............................... 30
Livros para assento de roupa lavada... 100
Cordao branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de bot5es de punho todos de cores 120
Tinteiros de barro com tinta........... 100
Tesouras para costuras Uase unhas 400
Ditas para costuras com toque d'avaria 200
Escovas para liinnar denles muilo finas
16O,2O0e.............................. 320
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades........................... 640
Dilas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso................................... 600
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
Iho)............................. 20
Meladas de linha frouxa para bordar... 20
Pares de sapatos de tranca........ 1*500
Massos cora superiores grampas para
senhora.............o........z... 30
Frascos de macaga perola muito suerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 500
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
muilo lina....................... 400
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............5........... 900
Pegas de lilas elsticas para vestidos a
melhor qualidade.................. 240
Pares de ligas para senhora as melho-
res .............................. 320
Pegas de bico francezes e renaas..... 320
Frascos de aeua deniifrice muito supe-
rior.............................. 800
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
Victoria........................ 200
Libras de la sendo de todas as cures... 6*000
Bonecos vestidos e tambera de choro... 160
Caixas com superiores obrejas........ 40
Ditas de linha de gaz com 50 novellos.. 800
Eoiladeiras de Illa para espartilhos..... 60
Carretis de linha de efires com 100 Jar-
das ............................. 20
Pegas de cordo imperial............ 40
PRELO
a 3*500 : na rna larga do Rosario n. 30, taberna
da esquina que volta para a rua eslreita do Ro-
sario.
BOTICA E DROGARA
Bartbolouieu i rancheo de Souza C.
31llua larga do RosarioII
Vendem:
Pilulusilolloway.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert."
Injecgo Feaugas.
Agua dentificade Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable. ^
Licor aromaticade Raspail. 9
Pos anli-epilelicos deBrest.
RobL'Affecteur.
IlIVAL
SEM SEGUNDO
Hilho 4,000.
Na rua larga do Rosario n. 30, la'erna da es-
quina que volta para a da eslreita do Rosario.
Yarope do Bosque.
Ungento Holloway.
Pechincha na nova loja de fazen
ronpa feila nacional, roa da Impe
ratriz n 72.
Peebincha a 240 rs. o covado de coila.
Vendem-se. chitas de cores fixas a 240,280 rs. o
covado, ditas francezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs. o covado : pecas de madapolo uno a 6*.
'*.*. 95 9 10*; pee de algodo a 5& 6*, 7
e 8* : rna da Imperatriz n. 72.
Roupa feila nacional.
Vendem-e patitos de cazemira preta o de cores
a >*, 6*, 8* e 10*, ditos sobrecazacos a 12, 14
e 16* Palitos de brim de cor a 2*500, 3* e 3*500
rs., caigas de cazemira preta a 6#% 7 e 8, ditas
de cazemira de cor a S, 6* 7, e 8* ; coletes de
cazemira de cores e pretos a ditos de brim a 1*500,
e 2*500 rs.,; caiga? de brim de cor a 25, 25500 :
rua da Imperatriz n. 72.
Sonlamliarquc de cores a 70, 80 e 10$.
Vendem-se souiambarque de la e seda para se-
nhoras a 7>, 8* e 10* ; ditos de grosdenaple pre-
to a 20-5 e 23* ; capas pretas a 20 e 25* : vesti-
dos de la* a Maria Pa a 12*, 14 e 16* : rua da
Imperatriz n. 72.
Cortes de cazemira preta a 30.
Vndem-se corles de cazemira preta para calca
a 3*, 3*500, o* 6* e 6*, ditos de cazemira de
..2J,*'l5'3*'e 7* ditos de brim de cores a
l*f>00, c. 2*. ditos de chitas flnas a 2*100 e 3*200,
ditos de cassas franceza a 3* : rua da Imperalriz
loja do baratelro n. 72.
Na rna do Qocimado n. 49 e 55 tojas d* minde
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por pregos mais barato do que em
outra qualquer parte, quera quizer ver o que ha
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores bao lia............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito finas___
Enfeites do melhor Rosto que lem vindo.
j Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
I Pulceiras do melhor goslo e modernas.
1 Volta para pescogo do melhor gosto....
Baralhos para vollarete, flnas a 200 e..
Varas de franja branca de liBha que
lera muita servenlia.................
Duzia de peonas dago muito superiores
Frascos de oleoBboza muito finos.....
Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito linas
para sopa...........................
j Duzia de colheres de metal muito finas
para cha........................
Grosas de botoes de osso para caiga...
Grosas de botoes madreperula para ca-
rniza..............................
Gro-as de botoes de louga prateado<
muilo finos......................
Varas de babada do Porto sonido.....
Duzias de lapes differentes qualidade a
240..............................
Quadernos de papel de peso muito finu.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo muilo boas___
Saboncte de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muilo bons e para
acabar...........................
Esencia oriental para tirar nodoas d*
roupa............................
Creiao para dezenho de todas as qua-
^ lidades........................-...
Cartas de alfinetes francez.s mnito su-
periores..........................
; Caixas de clcheles francezes a 40 ri*
Duzia............................
Carretis de reros com quatro oir vas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade...............,
200
240
320
2*500
19280
500
300
240
060
060
200
240
500
2*400
1*500
200
300
200
060
400
030
2*000
->*400
040
500
2*000
Riquissimoscofresinhos com cadeados de metal
para guardar joias.
Ricascaixascom estejo, contendo todos os per-
leucesparahomem.
Riquissiinas voltas fingindo perola.
Ditas com lacinho de lita.
Ditas delindas cores e preta, de todas as cjci-
suras. 7
Lindosaderegos com pedrinbos fingindo l>ii-
Ihantes.
Ricasflvellas para cinto, de lodas as qua&es
e bqm gesto.
Ricos cintos de ultimo gosto de Paris.
Grandesorlimento de lindos enfeites para c.L-
5a< sendo do ultimo gosto e de todos os pnces.
r lores muito finas para noivas.
Luvasenfeitadas e meias de seda para coftas.
Touqtiinhas sapatinhos e meias de seda rtra
baptisado.
Riquissimas filas de lodas as qualidades mal,
go, cintosecinteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Hiquissimosjarros e figuras para oran ette d
S3 I .
Grande sonimentode gravatinhastanto car t*~
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancinhas.galo e maravilhas para ezifnies.
franselins de cabellos e de retro; rara relcxl*.
Papel amisadee de oulras qualidades
Bolsas para viagem.
ntremelos e babadinhos delindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e n ti-1-
Fitas de veludo lisas e com natrn c te Ifti ?*
largura?.
Thesouras e caivetes de todas as qcalidadis.
Grandesorlimento desabneles.
Lindos vasos com banha para titertfUtUn
Caixinhas com seis frasquinhes.
Essencias de lodas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua daColonia, em garrafas grandes. irascos quadrados e garrafinhas.
Pomadafina de todas as qualidades.
Superior banha em frasese copos de irc es
tamanhs.
Sabaoinglez em paos grandes e peqneres.
Escovasdecabo de madreperola, marfm e de
osso, para dentes.
Pentes paradesembaragar, com friso dr n-cLr
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas onlras qcaltfa-
Penles de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de algodo, assim ecvt Bifes
utrosohjectos de gosto quesera impertir!B<*-
omar,qne a visia far f, s no Gallo Vkliante
cue do Crespo n. 7.
Vollinbas.
Lindas vollinbas de perolas falsas torr.ciczEl..>
ingindo brilhantes, assim cerno rraiiirtai mokas
voltinhas, pelo barato prego de 1* e l*S(f *ts
mizesavulsasa 400 rs. s no Vigilante. itVc
Crespo n. 7. .
leones. f.
Rlquissiniosieques de madre^rola laro r;ra
senhoras como para meninas,~peIo barate |iei
de 12* e 145; s no Vigilante, rua do frer
Fitas de lia.
Fitas de la de todas as qualidades, profri ra-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pera; s tt Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espejes.
Riquissimos espelhos c sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*. sssim nnr rfE
celumnas de differentes tamanhs a 2*, 3*,4* ,'J
e 6*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarres e ligaras.
Riquissimos jarros e figuras de porcetera fra,
para enfeite de sala, sendo o melhor pesio ci crec
tem apparecido; s no Vigilante, rea do' Cicfto
n. 7.
Para pos de arrox.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de auca
cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim ((reo
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um ; si so
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos; c banbi.% 1 fina-
das, assim como de lindos copos ou vasos ef-m dis-
tinciivos e offerecimcnlos as siuliasinhas dos nie-
Ihorcs e mais afamados autores de Paris elglater-
(10
500
020
100
- tce-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilarte
rna do Crespo n. 7. '
Agua Florida.
Para reslabelecer c conservar acor Datci)
dos cabello*.
A agua florida nao urna tintura, faci esw-
eial aeontesur, a mesma agna dando a rfir primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas
de substancias inorTensivas, ella tem a proprirV'o
de restituir aos cabellos o principio corante qoe ti-
les tem perdido. D'oma salubridad? inerntesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpe da rabee
destroe as caspas e impede os cabellos do rafcir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, f-l
constite poderosamex'0. rom a Agua Florida a
forca.a belleza e a conservagaodos eafatLt.
Em Paris, casa de Quislanr n. 12, rua du RirLe-
lieo, e 21, boulevard Montmjr'.'f.
Todos os frascos, nao tendo intacto e el:re, o
timbre praleado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, roa do Imperador,nharmaeia n. 38.
FIJS
Na rua da Madre de Dos n. 9 vende-se feijo
mulatlnho, dito I raneo, e dito preto, mais barato
do que em oulra qualquer parte, approveitem a
peehincha que a quaresma bate porta.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidade a
iSt aata : nos armaxensda ruado Im-
perador n.16 e rna do Trapiche Nevn. 8.
(lokc do gaz.
Pitcb da gaz.
Ifcatro do gaz.
Coke, tonelada 10000.
Pitch, arroba 3*000.
AIcatran, caada 500.
O cok rrccnliecidamente o rar.viio maixrtM-
mieo,torna-ae por isso recomn.endvel, hmef-
3601 mo pelo aceio que se nota as rasfntia ararte %
00 jelle usado. Pitch e sleatrao, .il : ges diversas a que sp prfslo, rrmo paracalafa
lar embarcagoes, alcatroar roarieiras. etc., Inf-
estes a propriedade de preservar do ruplir, ter-
migas, etc. E entregue na fabrica do gaz, en man-
dado pdrem qnalqner ponfo da ridade, scfotdoa
vontadedo comprador t previo 'inste.
500
Azeite de earropato
Vende-se por atacado ou a relalbo mais UtI
o que vendem os matulos as cargas : na falri-
ea da travesa do Cariara 5. 2, ;ces io Pairos.
Tu r-4*fi #r-i


Diario de Pernamlmco abbado II de Marco de I 85
AURORA BRILHAHTE
GRANDES ARNAZENS
PE
MOLHADOS
Largo da SantaHI
Cruz ns. 12e8iJ
[esquinada ra do
ESPECIAES
Largo da Santal
jCruzns. 42 e 84,f
ssquina da ra do]
Cebo.
r
O dono dos ja multo acreditados armazens de molhados denominados Aurora
Brilhante, acaba de receber de sua propria encommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente estacao, e tendo grande sortimento comprado aqu, alianza que to-
dos os seus gneros sao de primeira qualidade.
A seguate tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores.
Nenhum armatem vender mais barato, e melbores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono seacuar encora-
uiudado em sua saude e ter de vender um de seas armazens agora, e u outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para se comprar
barato.
Latas com 8 libras de chouricas muito novas,
l a 7300.
kDitas grandes cora peixe em postas inteiras,
mais de 12 luaiidades, a i$000, 1,9280 e
lJiOO.
Ditas-cora ostras, excedente petisco para fri
| gideira, a 720 rs.
Diuis coro ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 040 rs.
Ditas com ameixas a 15200, 15800 e 35300.
Ditas com marmelada do afamado fabricante
gtri Abreu. a 880 rs.
o t Ditas com massa de tmate, a 500 rs.
^pF Ditas com figos de comadre, novos, a 15500,
A Me 2*300.
'.4*3Ditas i'oni bolachinha de soda muito novas, a
f 25000.
.Ditas coro biscoiiinhos nglezes de muitas qua-
hdades, a 15400.
Chocolate.
Chocolate superior muito novo, a libra a
15200.
MacarrSo, talhariam e aletria amarella, a libra
a 480 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estreliuha, pevide, e ontras mas-
sas, a caixa 35500.
Ditas dita em libras a 040 rs.
Saj, s libra a 360 rs.
Sevadinhn para sopa a libra, a 240 rs.
Ervilhas Mecas, a libra a 160 rs.
descascadas, a libra a 200 rs.
piona muito nova, a libra a 280 rs.
HViulia de aramia verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranho, em sacco, a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
Touciuho de Lisboa a 99300 a arroba e a 320
^ Eral
; b Ditas
i)j Tapio
** li'jrin

.'& rs. a libra.
3 Dito de
n uno u<] Santos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
tMolho* com 125 ceblas grandes, a 1$280.
Moslarda franceza, caixa com 2 duzias a
8:000.
cit) Fraseos com mostarda preparada em vinagre,
Dicos com i-on-ervas inglezas e francezas, a
640 e 800 rs.
f Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.
i Ditos com a verdadeira genebra de laranja, a
19000.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira, a
440 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
Vino verde superior.
A caada a 35300 e a garrafa a 480 rs.
omiaa.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sev
engommar, a arroba a 39000 e a libra
120 rs. ;
Sabio massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. |
Fariha. 1
Saccas grandes com farinha de Goianna mui-;
to nova, a 59000.
Caf. 1
Gaf do Rio muito superior, a arroba a 89,.
89500 e 99000. l
Cha.
Cha, temos nestes gneros o roelhor possivel,;
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 29700.
Dito hvson muito Uno a 25800.
Dito-redondo a 29500.
Dito prelo de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Una mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaeete.
O masso com 6 vellas de espermaeete a 600,
640 e 720 rs. <
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25500.
N'oies.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 49O0O.
Alpista e paineo.
Alpista e paino. a arroba 49000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas tinas para jogar, a duzia a 255 0.
Caslaohas.
Caslanias novas viudas neste vapor, a arro-
ba 49000 e a libra a 200 rs.
Azeilonas.
Barris com azeitonas novas a 15500.
Mantciga.
Manteiga superior, a libra a 14000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 Ift,
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos, a libra ai
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijw.
Queijo; novos vindos .ueste vapor a 39200 eij
39500.
Ditos londrinos muito novos, a libra
19000.
Papel.
(pGarraoes com 2 galVs com dita, a 65-
. -y) Srveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a 1 PaneI almaco paula(j0" a r05ma a 49800.
' Dito dito lira de lioho, a resma a 45300.
N J dozia a 6;000.
iv^ Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 15.
tMarrusquiiiho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 15200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
,ff) 25000.
&fi>Azeile retinado portuguez e francez, a garrafa
si?3 a 15000.
Caixa a.! vinho Bordeaax muito superior, a
75, 85,95 e 109 a caixa.
'Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
1 a 205.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro *a
185000.
Ditas com chamisso superior, a 145-
'Ditas com Porto velho o outras muitas mar-
cas, a 125.
Violto do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 800 rs.'
'Dito de Lisboa muito bom, a canuda a 35200,
35500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45300, o a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
'Ditos de marcas mais desconhecidas, acana-
( da a 35300 c 45000, c a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
jDito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15209.
YinhMhdeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1)
deira a 15500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 19100
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
lijlos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Dozias de boioes de graxa n. 97 a 25000, e 1
de latas a 19000, e os boioos a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos fiaos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da.
Bahia por diversos preeos, caixa! e meias:
caixas.
grande quantidade de gneros tendentes
i estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
ATTENQaO
AO *
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
W. IS-Rna do Calmean. 18,
DefroRle da matriz de Santo Antonio,'
DE
Lima & C
Os proprielarios deste novo estabelecimento avisa ao respeilavel publico, que adia-
se, prvido de um completo sortimento de molhados e seceos, todos novos e por preeos
iiommodos ....... ,
Os proprielarios nunca quizeram annunciar pelo jornal a existencia de seu estabe-
h'-imento ; porm, como faz-se necessaria a noticia aos senhores de engenho e agricul-
U e*,que raandam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os
proprielarios o fazem agora.
Aproveitam a occasiio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
111 jnto se achara sempre completo de um variado sortimento de molhados. seceos e ou-
irjs objectos pertencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus preeos serao menos 5 por cento do que em 011 Ira qualquer parte, e para
este fim cltama-se a attenco de todos em gcral.
Os posos e medidas, e qualquer engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
em favor, do consumidor, em qualquer occasiao que reclamar.
Os proprielarios deste novo estabelecimento esperam dos seus freguezes, e do
p'Jblico em geral toda a protecc5o, prometiendo os proprielarios da Flor dos Progr-s-
, )i tirar tao rnente um lucro razoavel do laborioso trabalho, com que possam dar
cimprimetito a esta ardua missao.
Ai;hando desnecessaria a pnblicaco dos preeos minuciosamente explicados de
soas gneros, com o que geralmcnte todos fogem, pelo motivo nao somente de serenfa-
seu* consumidores com gneros novos, e presos mais razoaveis do que em oulra qual-
quer parle, pois sero as garantas para a proteceo ao Noto Armazem de Molhados.
fi&r dos pro;ri;**on
Laboratorio enologico e cliimico de F. P. Lebeuf e C,
ra Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenten!!, pres Pars (Franca)

E FABMC4C10
Dos vinhos, agurdenles e licores.
VIXHOS.IiDitaeSo dos vinhos de todas as
qualiades. Extracto de Med.se, dose para 230
j litros, 1 f. 23,-ide Bordeux, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Li.-boa, t f.,de Catalad, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 25 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
GLACIFICACOPos toglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franja, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
AGUARDENTES.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor eo aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABslMTIIO. -Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se desoja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 ou o litros 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, aguardantes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
e~ engauado nossos
COLORACAO.Purpirigjne para colorear os
viuhos brancos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
Alguus de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparaeees
freguezes, devj-se exigir sobre as ruinas e rtulos as iniciaes F. V. L. Paris,
0 modo de usar-so das preparares aeha-se indicado no rotulo.
A en<:>:Tiiiuihi d jvem s>r aoi n^anlial5 por ua letra sobre Pars ou qualquer outra cida
de de Franca, ou 'mui.Ik pr um i c is.i cjnhscila.Dirigir-se aes Srs. Lebeuf & C. chimicos, ra '.
Montmartre,n.31, em Paria, oasui fa-iric em Ar^nteuil, prs Paris.
Veude-se na botica frauce;.a, ra doInp;rador a.33.

NEM COROAS NEM MITRAS

GUILDE ARMAZEM
Rl V DO IMPERADOR IV. 40
Junto ao sebrade em que ora Sr. Osbome,
Duartc A3suelda A C, receberam de sua propria cbcokuci-
da o mal* lindo e variado sortimento de molhados, proprio
da p resente estaca.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a t,ooopara sopa a melhor que se pode desejar,
CONSULTORIO MEDIG0-C1RURG1C0
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO 12 OPERADOR.
3 Ba da Gloria, casa do Fundio 3 ^
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gramitas aos pobres lodos os dias das 7 s i
uoras da manhaa, e das (ie meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio na sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tobos arulsos, assim como tinlnras de varias dymnamisacoes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 lobos grandes. 12^000
> de 24 tubos grandes. 184000
de 36 tobos grandes. .. 240000
de 48 tubosgrandes. 30^000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
i:ie se pedir.
Um tubo a valso ou frasco de tfntora de meia onca 10000.
Sende para cima de 12, costarSoos preeos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais peqoenos cada nm a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o .Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
totu grandes volumes cs>m diccionario............ 20W'>
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 100000
Repertorio da Dr. Mello Moraes............. 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 30000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados as pessoas qoe quizerem osar de remedies ver-
dadeiros,energicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode desojar, globos de ver-
dadeiro assucar deleite, notaveis pela sua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e portan to a maior ener-
va e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-seescravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Ihe qualquer
operacSo, para o que o annunciantejulga-sesufficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fonecionando a casa-a mais de quatreannos, ha muitas pessoas de cujo conceit se nao
pie duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
loentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahiem diante 10500.
As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preeos
azoaveis que costuraa pedir o annunciante.
F.VBRICV 02 CHIPAOS DE SOL
X. 8 Rila la va e*!|ii$ui da Catnboa do Carino e rna do
Cabng n. 8.
A lir.tirii diise ilabsleciouinto o miis importante que existe neste genero?
as provincias do norte do hnpmo. qoirenJo que o pablico desla provincia goze das,32"1 e Pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
vantagens que proporciona a filjeaeo em grande escala e directa relaco com as mais
i
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Hantei^a franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
.,<560rs.
Amendoas
libra.
Ameixas
em frascos de vidro cem 3 libras liquido a
20400, moito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qoa-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas asqualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste oltimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no oltimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco qoe se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o Ira. co.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qnalqoer nao pode veaderpor menos de
d# a 0OUU.
dem perola
;special qualidade a 20700 rs. a libra.
dem Iivssoh
o mais aromtico que tem vindo ao nosse
marcado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
o muito afamado cognacPal Brandy a l,8oo
' rs. a garrafa e de outras muitas quaida-
desa 1,000 e 8oo rs. a garrafa.
coro*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
rs. a
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
.a----.,v ,...,,,..., .. ,.,..,. iv.y.v ^... n.u.... U^UU. ^ .......,i., i uiu^iu wiu as nidia
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender anda mais barato
do que do costme como demonstra a seguinte tabe'la :
Descont em duzia.
%
20
10
15
15
15 o/o
Chapos de sol de panno a 20000.......
> > > armaco de baleia a 20500 .
de seda armaco de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28 60......
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 80, de 26 90, e de 28 400.
dem idem a balao de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas U0, de 26120, e de 28 130......
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de lnho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios-, os quaes sao tio vantajosos como os annunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-se igualmente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
lhar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia sero considerados como
a retalho.
Chilles de renda preta e bournus deguip pretoj
A' loja da rna do Crespo n. 17,
DE
JOS2 ttOMES VILLIU
Vende a 15, 20g, 30, 405, 50$ c 605, capas e casacoes de gros pretos, chairos
e chapelioas de palhae outras muitas fazendas proprias para a quaresma.
, Jos Gomes Villar preteudendo ir a Europa tratar de sua saude espera
i devedores unto do malo como desla praca saldem seus dbitos quanlo antes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito Iva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimenlo na ra do Imperador n. 40.

CIIEfi\R.\MOSMOI)EII\'O.S CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chuls de fil preto chegados pelo tiliimo vapor fran ez, a^
loja das columnas ra do Crespn. 13, de An'onio CorreUt de Vas'o:?cel-
los & C.
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podtm a 8oo rs. a libra. .
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRRem ancorlas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cekllas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista o taiuco
0 "MK* d0 l?er.cad0 a I40rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 ocento na ruado Qoe:-
mado n 7, ra dolniperador n. 40 elar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
mu.te novo a 30400a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador l 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEJO SUISSO
Sf'20 a ?00 rs. a libra na ra do
SSSS' 'rua d0 "aperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
macarro, talharim e aleiria a 4CO rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinh
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
ldeai de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
Ideni do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 102CO
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas s5o as seguintes: Chamisso dFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Dour e outres muito.
Latas
com 10 libras de baeha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr< bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar -
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e ootres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 304OO.
CAF
de I. e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 803*
e 808OO#a arreba, e 280 a 300 rs. a libr
-arrafes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 10000 coa
ogarrafao.
. GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos dogaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo acixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loe rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermaeete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arreba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra. -.
Passas muito oras
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60.GO
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
,k i finas em calda
Ajadas ltimamente, pera, pecego, giEja .
outros muitos a 640>s. a lata. g J
a ou e 10 o caixae.
. GOMMA MUITO NOVA
mJSTSfi l e 2 arrobas a 3*500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na rua do Coe-
BOLACHINHAS
eDa lata8 defferents calidades a IrfSOO
oh^H^c ^"OS FLAMENCOS
chegadosneste ultimo vapor a 20800 na roa
40 e largo do Carmo n. 9.
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na rua do Imperador n. 40.
DE
DE
J. VIGNES.
QiiliiiLLA**' Tu RlA DO IMPERADOR N. 55.
,na mffiSuSri ga fabr,ca "? h(^e assu cHhecidos para que seja necessario tnsisir sobre t
?s Z^ enes tmVfW$ 6 garanaS qUB 0fferecem aos compradores, qualidades estas Lmiu-
, rinm ,,2 definitivamente conquistado sobre todos os que tem aparecido nesla 2
nnra fXr nnr ^rafK "'T SUe bedeCem a todas as VMtoaes eIkprichos das piHaY
SoLPZr f>ncados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos SoS-
Ss ^to.BZLvm* M vozes ^ me,odiosas e flautadas> e por ^-^SSSL
nnl^^fi cnf?eas encwnmeadas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blonda de Pars socio
Ko 6 de J. Vlgnes, em eua capital foram.sempre premiados em todas askpesJjL '
,o,hlaeSra0 ^Mecinjento se acha sempre nm esplendido e variado sortimatoamsiseos
uelhores autores d Europa, assim como harmonices e pianos harmnicos sentado veSon
preces comraodos razoaveis. ^^ aivu, am hnq vesawc por
-



\


Diarla de
Sbado 11 de H*rc* de 185
LOJA
DO
BALAO
DE
AZEVEDO & FLORES.
Ra da Gadeia de Reeife n. 47, esquina que volla para a Madre de Dos.
Attengao.
MACHINAS DEPATENT
de trabalhar mSo para
escarolar algodio
FABRICADAS
Por'Plant Brothers & C.

Pelo
Paleis de casimira (saceos 12*, 115,
10* e.........
Ditos de alpaca o* e......
Ditos de alpaca branca 5'4 e .
Sobrecasacos de panno Ano francez
Calsas de brira pardo 2*300, 3*. 3*300
Ditas de brira branco 43, 44300 e .
Ditas de casimira de cor 3*, 75, 8* e
Cortes de casimira preta fina 7* e.
Seroulas francezas Anas.....
Colletes de casimira pretos e de cores
3*300, 4*........
Bal5es de 20 e 40 arcos dos melhores
que tem viudo ao mercado .
Camisas francezas a 2*, 25300, 35 e
.seguales preeos :
Chitas para coberta (corado) .
85000 Las lisas de todas as cores .
45000 Vestidos de la Maria Pia rauilo finos
45300 Lencos brancas muito fiaos (duzia) .
225000 Um completo sortunento de cbltas lar-
45000 gas de 300 a........
35000 Cambraias lisas brancas muito finas
103000 (peca)...........
55000 Um variado e lindo sortimente de cha-
1*600 les de merino estampados de 3* a
Seroalas de linho muito linas .
45300 Aberturas do linho pregas largas .
Bramante de urna largura ....
Camisas de llanella bonitas, cores eco-
nmicas".........
55000
320
f
185000
25800
500
5*000
85000
MadapolSes fraocezes (peca) 13*, 145, 155000, Lencos de esguiara......
ADfllREM ?
Las lisas de todas as cores muito finasa
Os donos da loja do BALAO encarregam-se de mandar fazer qnalquer obra de brira
etc., para homens e meninos, anda que a fazenda nao seja comprada na dita, loja do
ou casimira
Estas machina.-
podemdescaroca'
qualquer especie
de algodao sea
estragar o fie.
sendo bastante
duaspessoas para
otrabalho; pdt
descarolar un
arroba- de algo
dao em earoct
em 40 minutos.
on 18 arroba*
por da ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
0 GASTELLO BE (RASTILLE
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 205GO :
praca dt Independencia, livraria ns.
LOJ1
DO
ua
6 e
8.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurrto preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30300, 40, 50, 60,
70 c 80 o covado.
Superior gorguro de seda preto, a mellior fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta lies>anhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20, 20500, 30,
30300, 4-i, 40500 e 50.
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lidos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na K ja das Golumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos de Jos Moro i a Lopes.
LOJA DO PRINCIPAL BARiTEIRO
DE
Joaquim da Silva Boa-Vista.
Ra do Crespa n. 10.
Paletots de casemirade cor a 75500
Ditos de alpaca branco a 4*300
Caigas de casemira preta a 85500
Baloesde 18, 20, 23, 30 e 40 arcos. 5
Lencos de cambraia branco a duzia. 25300
Casemira preta fina...... 5
Panno fino preto....... 5
Lencos de esgniao.....! 5
Chitas para cubera covado. .
Las lisas.........
Vestidos de la a Hara Pia.
Um completo sortimenlo de chita larga a
280 a.........
Bramante de linho......
Grosdenaple preto. ,.....
Ricas capas de gros preto bordada- che
gadas pelo ultimo vapor.....
320
5
175000
600
5
Na ra do Crespo numero 17.
Loja do principal barateiro.
Assiib como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodar
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina;
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers & C.
N. II, |>raca do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
COMPENDIO DOLOROSO
que contm o officio de Nossa Senbora das
Dores; o modo de rflsar e offerecer a co-
ra, um setenario eimais outros exerci-
cios de piedade e devoco; ordenado pe-
la irraanlade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capuchinhos italianos de- Pernambuco,
approvado por S. M. L, que Deusguarde;
dado luz por devoro do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Presos que admira.
Sapatos de trauea superiores pelo barato prego
de 15 o par, e duzia 105 no vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as largaras, a pega
com 10 varas, cada peca a 400, 480, SCO e 600
rs. : no vigilante, roa do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de urna e dnas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
carto, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a 15200,l*G0O,
2*,3*,4*eo*.
Balaios propriamente para costura e para frue-
tas.epara menina trazer no braco a 13500,1*G00.
15800, 25 e i>*300.
Perfumara, macaca perola a 25, 25200, 35 e
45 a duzia, oleo de maozinha a 55 e 65 a duzia,
banhaa 3, 45 e 55 a duzia. Estes objectos se
veudem por admiraveis preeos em eonsequeneia
de serem arrematados dos sa'lvados da barra fran-
ceza, pois afTanga-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, rna do Crespo n. 7.
XARPE
deLABELONYE
Impregado coa inTariatel successo desde 30 annoi
peUi Mdicos de t oaos os paites contra as molestias
erganicas en nao orgnicas 4o eoracaa, as di tersas hj-
dropisias e a maior parta das raoleslias do peito a do*
hronchios (pn jajtaaimacSet nervosas dosfironchios, catarrhtirtu,etc...)
O x AR6P1 de l abel'onye ule s* vende sena* ca
garrafas com rotulu de cor (echada* com urna chapa
tarando a firma do inventor.
Bbb PARII, rna Bnrhn-Ylllone-iiv<-. X9.
Deposito geral em Pernamboce ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
(BALAO
Na esquina d* Madre Deas.
Vendem-se baldes de 20, 25 e ;36 arcos a 35 e
35500._________________________________
Vendem-se tres partes de um sobrado na ra
do Trapiche : quem pretender dlrija-se a roesma
ra, escriptorio do corretor geral Alfonso, que se
acha encarre gado de effecluar a venda.
j'in'_u ua iiiuouDiiut/Uuia.
cfton<;C2S550->-rj_ccTi

_ S Co
. ~' O.'
a ""2 3 S1" 5_
oasis;;;

ce o o
* Ci a
c/j
01
= nr
e w
1*5
le

b> >a
u2 c o ? a. a. n t>
B o, =: 8 & 8 _
5 m o o._ S.
6<
m -^- _>.CD U
O O ~J m
O as -o
CO CD 65
3
os
fm
B
s
O BS
I N
OS -
3 B 5-
o c
u o
=?0-0
a s s
. -i en
ss *-
C
as
1
O
fi>

O

a. -f
5 g-
M fi>

a>
c
s
e
se
&c.
DROGARA.
31Ruallarga do Rosario34
Biii'tholomcu Francisco deSooza
Vcndcm :
Acido actico puro psra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em
Alvaiade Veneza, fino, em paes.
lata.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S. Joao da Luz, na roa do Livramento n. 2i.
Borzoguins de lustre (Nanles) 65000.
Ditos de hezerro de tres solas (Nantes) 65000.
Dilosde bezerro de duas solas 650UO.
Sapatosde tapete 640 rs.________________
Feijo.
Vende-se urna por^ao de feijo mulatinho mnito
novo a 15 a cnia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 520 rs. : na ra Direita n. 8.______
Orise commercial de 10 de
setembro de 1864.
Acaba de publicarse um interesante esrripto
sobre a crise commercial do Rio de Janeiro O Dr.
Ferreira Soares, autor de diversas obras sobre
sciencias positivas applicadas ao Brasil, acaba de
dar-nos com est publicacao mais urna exuberante
prova da sua dedica^ao* pelo progresso do paiz.
Tratase no ultimo escripto do Dr. Ferreira Soares
de demonstrar cera os factos verdadeiros a origem
da crise commercial de 10 de setembro de 1864, e
por tal forma consegue o autor os fins que leve
em vista que anda em resumido esiocn, cmo elle
o diz, ja se conhece a origem verdadeira dessa
catastrophe. Chamamos, pois, a attencao dos es-
tudiosos para a leitura do esbozo da crise commer-
cial do Rio de Janeiro, qoe se acha venda na li-
vraria econmica, ra do Crespo n. 2 defronte do
arco de Santo Antonio.________________
Vende-se a taberna da ra dos Acouguinhos
n. 20 : a tratar na mesma.
seguintes : rosto redondo, barbado, cheio do cor-
po, com falta de deoles no lado superior, quebn.do
do umbigo, tem cicatrizes as nadega denotando
ter sido cesligado. levou vestido camisa de algodao
ritcadoazul e caifa da mesma fazenda : quem o
apprehender leve- a casa do mesmo Jos Pedro
do Rogo, na ra das Cruzes n. '8. ou a ra da
Cadeia do Reeife n. 86, de Leal & Irmao, corres-
pondente do senhor do dito escravo.
Aos c;>piiaes de campo.
Fugio no dia 27 de fevereiro deste anno, de ca-
sa de seu senhor o escravo Sebastian, criiml. fu-
lo, com id;|le de 22 a 24 anno?, foi escravo do
senhor do engenho Quandus da comarca de Sai lo
Antao, d'onde tinha virido para eMa cidade ;: 8
dias, de presumir qne segulsse paia TitfnriiiR.
ga aonde tem mi e irmos, levou calca < c;inisa
branca bastante suja, altura regular, cabello es-
covinha, cabera pequea e redonda,'irMa grant'e e
bem cantada, olhos pretos e regalare*, r>ar> < l ,i-
to, bocea regular, beigos regalares, denlo u,, s
limados, nenhuma barba.apenas um ptqieno I g-
de, corpo bem limpo, ps regulares e ponto lar-
gos: roga-se portanto aos Srs. capiiies de ean>po
a apprenensao do mesmo a entrega lo ,i rna ifc
Imperador n. 83, segundo andar, defronte do cr-
relo, que se gratificar com 505-
Vendem-se seis terrenos para edificar, chaos
proprios, todos com frentes paraosul; quatro del-
les com 30 palmos de frente, dous com 40, e todos
com 150 de fundo ; a localidade a melhor possi-
vel, entre a pont&do Chora-menino e a da Magda-
lena, no mesmo ponto em qne a companhi*de Be-
beribe acaba de, collocar um chafariz, agua de be-
ber ao p, tao perto da cidade, para onde ed'onde
se pode fazer o trajelo a p, a beira de urna es-
trada freqoentadissima, dous portes, o do rio e o
da camlwa, para embarque e desembarque, e para
banhos, cuja necessidade tao reclamada em nos-
so clima queme, e cidade edificada com tantas des-
conveniencias hvgienica:-, sao commodidades mui
vantajosas e apreciaveis. Um, dos ditos terrenos, | vendem.se barricas de farmha de milbo ameri-
o da esquina ao scente, tem duas rentes livres ^n* de 6 arrobas : na ra do Rangel n. 3.
e ama grande mangueira da mais bella e attrativa
No pateo do Larmo n. i, vende-se feijo a
800 rs. a caa. _
Vendem-se diversas obras de direito como
sejam : direito natnral por D'Azeglio, Autran,
Ahren direito pub'ico ecclesiastico pelo Dr. Vi-
lella Tavaros, direito publico universal pelo Dr.
Autran, e direito romano por Heinecio, lodos estes
livros esto em perftito estado e vende-se por
preco muito commodo : na taberna dos Quatro
Cantos da Boa-Vista roa da Gloria n. 95.____
Farin/ia de milho.
sombra, e de froctos, coja excellencia nao cede ao
de nenhuma outra manrucira da provincia ; dos
outros terrenos, um tem boa cacimba e os outros
algumas arvores fructferas, cajueiro, roraeiras e
sapotizeiros que dao ptimos sapotis : na ra do
Imperador n. 14.
M
Vende se a casa de molhados na rna da Impida-
trrz n. 34 por seu dono ter de retirarse para a
Europa a tratar do sua sande, tem commodos para
familia, e faz-se todo o negocio : a tratar na mesma.
Aos scuhores pudres.
Na ruada Cadeia n. 59 vendem-se superiores bi-
cos da trra proprios para roquetes.
Vende-se a taberna n. 12 no largo da Penha:
a tratar na mesma,____________________
Vende-se urna armacao e seos pertences de
ama taberna livre e desembarazada de todos os
impostas : qnem a pretender dirija-e a ra das
Cinco Ponas n. 63._____________________
Vettfe-se ama casa terrea bem construida,
nos Afosados, ra do Motocolemb n. 2 : a tratar
na roa dos Quarleis, taberna a. 18.
Vende-se urna negra de meia idade sem vi-
cios, muito sadla, que sabe ensaboar c cozinhar
com perfeico o diario de ama casa : na ra i da
Gloria n. 80._________ _____
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
da Cunta, a tratar com Tasso Irmiios._________
Sintos finissimos.
A loja da Aurora na roa larga do Rosario n. 38,
recebeuriquissimos sintos largos tanto de fita co-
mo de galio douradoscom fivelas, estes sintos sao
os demais gosto que tem chegado a esta praca, e
enfeites maito modernos para cabera.
Vende-se a casa terrea n. 25 da ra de Ma-
thias Ferreira da cidade de Olinda: qnem a pre-
tender dirjase a tratar nesta cidade na rna Au-
gusta n. 59. __________ ________
fimiT
barricas com gesso : nos armazens de Tasso Ir-
maos.__________________________
Farinha da trra
Vende-se farinha da trra muito superior a 85
o alqueire com 32 cuias : na roa de Santa Rila
D._3^_________________________________
Potassa da Rnssla.
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira po-
tassa da Russia, e vende-se apreeo commdo: no
escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira (SFilbo,
largo do Corpo Santo n. 19.________________
Estopan 24 rs.
a jarda : na loja da ra da Madre de Dos n. 16
defronte da alfandega.
Vende-se por commodo preco o sobrado de
tres andares e sotao da ra do Araorim n. 19 para
cuaiprirordens de seu proprietario que se acha
ausente : qnem o prelender dlrija-se a ra de Vi-
gario n. 19, primeiro ander.
Negro fug da
Esta fgido desde o dia 27 de fevereiro fcffe
anno o preto Joaquim, de naca Angola, que hi
escravo do Sr. capitao Francisco Joaquim C.v.-.i-
eanli Galvao, morador em Maria Farinha (l'iair.),
o qual vendeu-o nesta cidade em de7( mi ro do li-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques rom
armazem de assucar ra de Apollo ; li-von ca-
misa ecal^a de algodao branco, ropmeMa ler c>
45 a 50 annos de idade, alto e de gros;uiarepi>-
lar, cor fula, cabera comprlda, qutixus largas,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeituosi, bastante barh?. pfirm
raspada, finalmente tem urna grande costara enfre
os peitos proveniente de qneimadura, e sonpSi -.-c
terse dirigido para o norte, d'onde veio : gratili-
ca-se a quem o apprehender ou denunciar o r< o
em que estiver : na ra da Cadeia do Reeife cti-
mero 52._______ .......
Aviso
aos capitaes de campo e a polica.
Desappareceu em pjincipio do mez- de oflttrht
do anno passade, de bordo do palhabote racicia,
Araujo Malo, dous eseravos de nones 1Uteifr
(por apellido Macei), e Miguel; o Io de idade 45
annos, pouco mais ou menos, crisolo, cor Mi,
estatura baixa, barba serrada, um ppnro torio a
pernas, e com alguns cabellos brames, latte na
barba como na cabera ; o 2o alto, chuo do corpo.
sem barba e falla grossa, reprsenla ter de 25 a
30 annos, cujos eseravos desconfia-se andarm ve-
los arrabaldes desta'cUlade : quem os apprehen-
der queiram levar a rna do Trapiche n. 4, qne
ser generosamente gratificado.
Negra fgida.
Va cea
Na Piranga, defronte ao sitio do Sr. Millet, ven-
de-se ama vacca maito boa leiteira com cria.
ESQUIVOS PUMPOS.
Fagio na noite do da 4 do corrente da casa
de Jos Pedro do Reg o preto Manoel, escravo de
I Manoel Gomes da Cunta, senhor do engenho Ma-
i caco do termo de Nazaretb, o qual tem os sigoaes
Ausentou-se no dia 5 de marco de casa de sen
senhor ra do Mondego n. 2, a escrava oe non.e
Thereza, preta fula, alta e cheia do corpo, fetos*
e despachada, natural do sertio econsia qoe an-
da est na praca, levou bastante roupa : quem a
prender e entrega-la sera bem recompensado.
Fugio no dia 48 de marco prxima
passado, um cabra de nome Mathias, do
engenho Pontal termo de Serinhaem, jo**
ga-se elle andar para as bandas de Porto
Calvo, a titulo de ferro, com os signaes se-
guintes: cor cabra, corpe grosso, cabello?
carapidiados, eombigode e pequea barba
no queixo, tem urna das pernas ma s gre&-
sa que a outra motivado de urna ftida creio
que anda conserva, tem um dedo do p por
cima do outro encostado ao dedo grande e-
tem falta de um dente na frente no queixo
de cima, carreiro e trabalba de sapateiro :
quem o pegar ou delle d r noticia certa te-
r 100(5 de ^ratificacSo no mesmo engenho
Ponlal ouem casa doSr. Manoel Alves Fer-
reira. nesta praca, assim como o dito es-
cravo mudou o nome de Mathias para o de
Joaquim Antonio,
Escravo fgido.
Fugio da casa do abaixo assigoado um moleqne
de nome Euzebio, com os signaes seguintes : ida-
de de 12 annos, secco do corpo, ps seceos, olhos
regalares e arnmaeados, cabeca um pouco grande
e meia chata, muito preto, o qual dizem andar pelo
Campo Verde e Santo Amarinho : quem o appre-
hender leve-o a ra da Mangueira, sohFado n. 6,
qne se gratificar o sea trahalho.
Pedro Alfonso de Mello.
DOS PREMIOS DA
.
PARTE DA
4"
LISTA GERAL
8'
LOTERA, A BENEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537 DE 21 DE JUNHO DE 1862, PARA PAGAMENTO DE DESPEZAS J FEITAS GOM O
TRATAMENTO DE ENFERMOS POBRES REMETTIDOS PELA POLICA, EXTRAHDDA EM 10 DE MARgO DE 1865.__________________________

*S. PREMS. NS. PREMS. NS. P i EMS. NS. P ElEMS. NS. Pl EMS. NS. PI IEMS. NS. PI IEMS. NS. PR EMS. NS. i REMS. NS. Pl
2 10* 134 10* 312 10 482 10* 605 10* 802 10* 985 10* 1166 10* 1329 400* 1490
3 - 36 17 _ 83 6 20* 7 87 69 31 10* 92
6 39 18 w 85 8 10* 16 89 75 33 94
9 _ 41 20 19 100* 88 9 17 1001 76 431- 95
11 46 20* 24 io 89 17 24 3 80 48 1507
14 49 10* 25 _ 91 _ 23 33 13 87 56 10
16 52 27 aa_ 92 _ 24 38 15 88 57 | 11
18 35 28 95 _ 30 44 16 20* 91 62 40* 12
83 61 20* 39 - 503 34 45 17 10* 92 65 10* 13
26 _ 64 10 41 _ 4 __ 37 46 26 94 71 _ 21
30 68 48 a 5 38 47 33 95 71 23
32 69 _ 50 7 45 50 38 __ 98 73 m 25
39 72 51 aaa 11 55 53 42 99 75 40* 27-
40 _ 81 55 a. 13 76 60 49 _ 1206 78 10* 29
44 86 61 BU 26 79 64 54 _ 7 83 3:000* . 30
48 __ 87 _ 63 ... 27 84 67 57 8 84 10* 32
47 _ 89 _ 64 _ 36 88 72 61 _ 9 86 41
48 93 _ 66 _ 39 99 76 62 _ 10 88 42
49 95 61 m^m 41 708 20* 76 * 66 12 91 44
50 97 70 43 12 10* 77 67 14 99 46
31 20* 99 73 _ 49 40* 18 78 73 15 1408 ^_ 55
52 10* 205 80 __ 50 10* 22 80 75 ^22 H mm- 59
54 14 83 _ 52 28 , 82 76 24 15 62
56 15 85 -- .54 V , 30 20* 97 82 26 17 mm 72
60 16 89 40* 58 34 10* 904 84 28 21 40* 77
61 17 96 105 59 38 _ 3 85 31 2 10* 84
65 18 99 _ 60 mm 40 8 ^_ 87 M 32 a 85
69 20 401 63 _ 41 ml 15 ^M 89 mt^ 36 29 __ 87
71 21 __ 7 65 __ 44 _, 17 mi 92 _ 40 fe
73 22 12 66 _ 47 mmm 18 '_ 98 20* 44 mm. 94
80 30 - 15 68 48 _. 19 __ 1101 10* 65 20* 30 mM 96
86 30 20 69 51 _ 25 _ 3 68 10* 32 mm 99
89 45 40* 21 73 62 _ 26. m 6 mm 70 '33 __ 1600
9 50 10* 22 75 63 _ 36 7 _ 71 39 __ 4
97 51 24 76 65 20* l 37 20* 11 __ 74 4
99 36 _ 26 78 67 10* ' 38 10* 24 _ 78 57 7
102 *. 60 _ 32 79 69 .. 39 39 mm 93 O 8
9 _ 66 33 84 74 M 42 - 44 MtJ 1300 61 II
11 ^_ 71 39 86 100* 76 - 43 46 _. 1 67 12
12 _ 77 43 87 10* 80 44 - 50 -^ ; 68 17
13 _ 79 47 88 82 _ 49 51 _ 4 69 -- 24
15 _ 82 _ 51 91 83 _ 51 . 53 mM 6 71 25
19 _ 87 _ 58 93 91 20* 58 54 10 77 40* 31
21 M 90 _ 60 94 *> 92 10* 66 56 13 78 10* 32
23 _ 97 _ 69 600 94 73 58 mm 15 mml a 34
26 . 99 _ 72 1 96 ______- 75 60 18 3
27 305 __ 71 2 97 77 62 - 20 ' 84 43
29 11 81 3 - 98 79 ~~ 6f 27 ' - 85 50
10*
O escrivJo, Jos Pedro das Neves.
V
100*
10*
20*
10*
20*
20*
10*
40*
20*
10*
1651
52
59
62
66
69
72
74
80
81
88
93
94
96
98
1704
7
10
14
17
23
29
32
33
34
36
39
41
43
50
51
55
60
62
63
66
70
71
84
90
93
99
1801
3
17
M
30

1834
40
43 ,
45
46
47
49
53
54
55
56
57
58
69
70
73
77
85
88
91
93
95
%
1900
4
7
23
25
27
33
36
38
39
42
47
48
55
56
65
67
68
7t
73
75
77
78
80
20*
10*
40*
10* 1986
90
91
95
2006
9
14
15
17
35
39
40
41
43
45
50
57
60
61
64
65
66
69
77
86
88
89
90
91
94
96
99
2103
6
9
10
12
15
22
24
27
32
43
44
45
50
60
10*
40*
10*
26*
10*
20*
10*
20*
10*
2170
76
81
86
91
92
97
98
2201
2
8
12
13
r18
19
21
25
27
28
30
32
33
37
46
4f
48
51
52
35
56
65
67
69
70
73
76
78
80
83
86
87
88
94
99
2302
5
6
10*
20*
10*
800*
10*
2309
11
12
18
19
20
21
22
32
38
43
44
47
52
36
60
63
66
67
72
78
80
81
89
90
92
98
2400
1
9
11
12
14
16
17
18
29
30
31
33
37
38
39
40
42
41
44
10*
40*
100*
10*
20
20*
10*
244o
48
50
58
67
69
75
77
88
91
93
97
2507
8
9
11
18
35
37
41
47
51
58
59
60
62
63
71
74
75
82
83
84
85
86
87
88
90
91
95
99
2009
12
18
24
27
29
10*
40*
10*
2632
39
42
43
45
48
52
55
58
59
67
68
69
70
10*
100* 72
20* 74 20*
10* 75 10*
81
40* 91
10* 94
9
67
99
2703
1 9 _ i
20
25 t
2
30 _
20* 33
10* 34 20*
37 10*
40
42
44
47
48
6 20*
60 w*
63
64
67
72
77
79
81
a 86 a*
2795
96
2802
8
14
16
18
22
32
34
38
31
53
54
57
61
67
70
72
76
78
82
85
87
2902
9
14
17
19
20
23
27
28
30
32
35
38
40
46
50
58
59
60
62
63
65
10*
20*
10*
40*
10*
10*
-3100
4
10
15-
17
18
27
28
35
Pern.=-Typ. de Manoel Fujuna d# Paria 6 /t[Ao=1865.
40*
10*
100*
10*
2966
69
70
73
76
87
92
93
95
97
3006
10
11
14
22
25
27
28
31
36
37
40
45
48
49
51
54
55
59
63
65
68
69
73
78
82
93
20*
10*
20*
10*
100*
10*
3136
38
40
48
50
52
58
59
62
64
66
68
69
7
80
81
88
89
3200
1
7
11
12
14
19
20
22
23 -
25
27 10:000*
29 10*
32
36 -
44
46
47 -
59 -
62
63 -
64
73 -
77 -
78 -.
83 -
87
'91
99 -
20*
10*
i
IV


8
Diarlo de rernambuco Safctad* 11 de Mareo de 18S5.
1
LITTERATRA.
Chr latina.
Dorante esse tempo madamosella Teurnel pre-
p irava-se com prudencia para a operago qae de-
tos apenas chegavara par as precis5es de soa lia de de nomos illusires, desses hroes, que lano se
e as suas proprias ; ella eonsiderava-se feliz nes- exaltaran] por sea saber e virtudes, e que tantas
ta posigao e nada mais pedia Piovidencia ; tinha ovagoes receberam do verdadeiro apreciador das
recuperado a saa jovialidade natural, rindo como sciencias. emOm, de summa importancia, pa-
uma crianga pela menor bagatella, e acbando pra- tontear a memoria desses homens eminentes, que
urna ma.s simples dislracco; um passeio m e*m conquistado das nagSes civ.lisadas, preitos de
a soUrer, conservando urna couaoga de bom caP. u ^po de le.ie tomado erouma herdade, estima, aureolas de gloria.
*Rouro e conformndole exactamente com todas Ti *"*, "^ *"*".!! "" T "m kS~ I Aqnelle' qD8 se der a um lrabalho desla ordem>
a? prescripgdes do medico. |,a Dri,haDt Para uma molner do mundo- pode ter o desvaneclmento de que pelos seus es-
*- i Nao o eslrondo ou o excesso dos divertimen-' criPt0S aprendem-se multas cousas, conservam-se
'!!!!^^*'!!!^ ma* a*"a raridade e at muitos feitos, c per^iam-se multas acgoes.
mesmo a disposigo de espirito daquelles qne a
eiles se enlregam as pessos laboriosas, de cora-
facilmente ; os
"'"", homens ociosos e estragados pelo uso dos prazeres
d:spoz-5e para o que podesse acontecer, encarando ,-..." ^ v
.' mundano., sao difllceis na sua esco ha e eofastiam-
se por mais que se Ihes faca. A alegra de Cnris.
lina linha alguma cousa de to communicativo que
transmittia-se quelles que cercavam-na.
Uma noute em que conversavamos reunidas na
offlcina de desenbo, o carteiro trouxe uma carta
com lacre prete que nos dava parte da mor te de
ni adama Boissier.
l ova, ella fez vir um notario e dictou-lhe o seu
testamento para que Chrislina podesse bardar sem
conteslagoes a sua modesta mobilia o a pouca rou- ^
pa que ella possuia; depois dirigiu-se a egreja e
que ella julgava affrontar.
No dia seguiote, pela roanha, a (ia e a sobri-
nha commungaram e ficaram por muito tempo
^rostradas ao p do altar, depois voltaram em si-
lencio para casa, onde o cirurgio cbegou, passa-
ilos poucos instaules.
Ea eslava presente operacao, e esse da nunca
IB riscara da mila lembranga. Madamosella
'f ;uroel conservava-se calma e recolhida, uma re-
:.:nacao chrisla divisava-se om todas as suas fei-
goes, ella tinha feito a Deus o sacrificio da sua vi-
da, at mesmo o de suas esperangas tumultuosas,
CTompta a aceitar da vontade divina a cegueira
Pobre Ernesto I me disse mademoasella Du-
lac com lagrimas nos olhos; deve ser bem infeliz,
elle cujo coragao tao terno.
Est casado, Ihe perguntei I
Nada sei, me respondeu ella roeia voz, nao
tive mais novas suas desde o dia que vos sabis;
oti a luz, a cura ou a morle. Chnstioa eslava ex- possa elle achar ama companbeira digna de si I
tremaraente paluda, porm e seu amavel semblan-
te exprima uma resolugao inhabalavel. A' pro-
pasta que Ihe flzemos de retirar-se para o seu
(ruarlo, ella respondeu por um nao accenluado de
tal sorte que nenhum de nos ousou insistir.
Collocouse a cega n'uma grande poltrona de
;" .ate da janella. Christina, ajoelhada junto della
pegava-lhd as mos.
Coragem, cara tia! murmurou-lhe ao ouvi-
do, ajara tenho confiaoga em que Deus se compa-
decer de nos.
O cirurgio tirou o estojo e dispoz o apparelho, _
__. i i passeio e custou-lhe muiio a
iiTn dos seus discpulos ajudava-o oestes preparati-
vos. Immediatamente vi o ferro l.nlhar nos seus
dedos, e tomada de uma perlurbago indizivel, oc-
cnltei o rosto as mos para nao presenciar o que
c ia passar.
louve um momento de inexprmivel angustia,
depois um grande grito se fez ouvir.
Vejo, meu Deus vejo I Oh grasas, mil
gracas, meu Deus I
Christina preeipitou-se nos bracos da tia e co-
briu-a de beijos e lagrimas.
E' ella I ella! OMlamava madamosella I ranga prestava-lhe novas torgas e terna alegra
'jurnel, reconhego o seu amavel rosto, ei-lo ia! brilhava-lhe nos olhos. Se outr'ora soffrera muito
qual Gcara gravado na minha memoria. por causa da recusa de sua desposada, jamis a ti-
O cirurgio empregava todos os seus esforgos nha aecusado de inconstancia ou de capricho ; o
para acalmar esta commogo vivissima que com- seu corago generoso adevinhara o nobre sacrificio
promettia o resultado definitivo da operacao. Com-! da rapariga, e sua affeicao por ella tornou-se
prebendi o seu pensaraeqto, e tomando Christina maior-
pelo brago : Mademoasella Christina, disse elle com ama-
Em norne do cu, relirae-vos, disse-lhe, ou vel C0DfiaDCa voss tia est restabelecida, e sou
botana tudo a perder. ieu 1aem son"re presentemente, porque a morte de
Ella oncarou-me com ar espantado e refugiou- 'minha mae desPeda5u meu corago : venho pe-
so no seu quarto. Collocou-se ento uma venda ; dir"vos a f Ponida.
nos olhos da diente puzemola na cama e se Ihe! Por nica resposta Christina estendeu-lhe a mo,
fez tomar uma pocao calmante; algum tempo de- que elle apertou com transporte. O commandante,
tre no quar- alegre por ver seu filho tornar a ter gosto vida'
abracou ambas as faces de mademoasella Dulac)
ao passo que a boa tia enxugou furtivamente la-
grimas de alegra e ternura.
Ella sahiu logo depois e dirigiu-se egreja, ia
rogar a Deus por essa pobre me e por quelles
que choravama.
Algumas semanas mais tarde, um joven de lulo
fechado chegava a Dragugnan casa de uma sua
prenla, vinha tomar ares afim de restabelecer-se.
Este joven era Ernesto Bo'ssier ; elle eslava ma-
gro e paludo, e sua saude causava serios cuidados
depois da morte de sua mae.
Sou pae tinha-o acompanhado, e o pobre com-
mandante tambero eslava bem mudado e triste.
Mademoasella Tournl encontrou-o um dia no
conhece-lo; cheia de
piedade, ella dirigu-se a elle para dar-lhe os pe-
zames.
Nao estaes mais cega, mademoasella I excla-
mou o velbo sorprendido de v-la caminhar s,
porque ignorava a sua cura.
Ella referiu tudo quanto tinha acontecido desde
a sua ultima entrevista, fallou-lne dos seus peza-
res, e rec eios passados; depois, separaram-se.
D'ahi uma hora, Ernesto, que eslava de cama
desde muitos dias, chegou casa de mademoatel-
la Tournel, sustentado por seu velho pae ; a espe-
litteralos (disse o Ilustrado autor dosVaroes II-
luslres do Brasil -t- na biographia do monsenhor
Pizarro toni. 2). Sao como os monumentos toscos,
que transmiltem todava aos seclos vindouros os
feitos e glorias dos passados. De engenho modesto
nao procuram renome para si ; pretendem nica-
mente salvar do olvido aquellas accoes que Ihes
parecem dignas de memoria e lembranga perpetua.
E' o historiador como a aguia, que de alto paira, e
se revolve na sna grandeza e magnificencia. E' o
chronista a ave de vdo rasteiro, que descama os
seus amores vista de todos, nessa linguagem de
lodos, e sem a menor pretengao de elevar-se e en.
grandecer-se... J.............................
Nao se desprezem no entanlo os chronistas. Nao
se pode conhecer a historia do paiz nem um, sem
ler-se os seus esprptos. Da combinago e confe-
rencia delles resulta o esclarecimento da razo.
Sao os chronistas como os arebotes nos conterr-
neos profundos, o raio de luz no seio das florestas
emmaranhadas, e o crepitar do relmpago durante
a negrido da tempeslade. >
consumada de D. Francisco de Lemos Paria Perei-
ra Coutinho, reitor e reformador da universidade
de Coimbra, doutor em caones, bispe titular de
Zempoli, e depois da diocese de Coimbra; D. Jos
Joaquim da Cunba de Azevedo Couliuho, bispo de
Pernambuco, doulor em caones, e depois bispo
de Elvs, inquizidor geral do reino e presidente da
junta do estado e melhoramento temporal das or-
dens religiosas I
Quantos louros conquislaram na mesma Lusita
u|a quando subiam a cadeira sagrada : fre Manoej
Universal estima merece toda esta ramilia do de Macedo, eximio pregador, e capello da duqaeza
Mantua; Manoel de Macedo, jesuta litlerato, poe.
ta, e pregador distincto, professor de theologia em
Lisboa e Coimbra; D. Luiz Antonio Furtado de
Mendonga, deo provincial de Braga, pregador su-
blime ; frei Francisco Xavier de Santa Therezai
que, percorrendo Londres, Franga, Hollanda, e
parle da Allemanha, adquerio tanta e tao profunda
erudigSo sagrada e profana, e perfeito conhecimen-
to das linguas, que oceupara sempre lugares asss
importantes, sendo acadmico da academia da his-
toria portugueza, e dos arcades de Roma, bem
versado na poesa religiosa latina, e at na orato-
ria ; padre Antonio Pereira de Souza Caldas, dou-
tor era theologia, pela universidade de Coimbra, e
que tantos louros recebeu que no pulpito, onde
espalhara sempre flores dt elaquencia, e quer na
poesa sacra onde primavam o esiylo, a rima, e e
apurado gosto!
Quantas aureolas brilhantes receberam na ma-
gistratura ecclesiastica o Dr. Joo Velloso Barreto
do Reg, desembargador do pago e chanceler do
reino, secretario do re de Portugal, D. Pedro II; o
Efectivamente, de que aprego, e com que ac- j Dr- Joo Borges de Barros grande poeta, e melhor
lhimento lem sido recebidas as obras noticiosas as i theologo, vigario geral em Lisboa, desembargador
Revistas trimensaes do utilssimo e respeilavel da relagao ecclesiastica; o Dr. Joao Calraon, de-
sembargador da relago ecclesiastica, e promotor
synodo; Dr. Joo Ribeiro Pessoa, conselbeiro,
Instituto histrico e geographico do Brasil 1
Desempenhando elle sempre sua nobre misso,
ha sido incessante em derramar por lodo o rape- i mon^hor mitrajto da santa egreja patriarcbal;
______L...II.___._;___.,.,.. ,___ Pedro Jos Augusto Flavio de Fana Lemos, Dr. ca.
pois ella dormiu profundamente.
to de Christina, que achei ajoelhada e lavada em
lagrimas.
Nada temaes, Ihe disse eu, tudo ir bem, se
sois rasoavel.
Ella me apertou a mo com effusae, um doce
sorriso llluminou o seu semblante, elle brilbava
entre as suas lagrimas como um raio de sol suc-
rcdeuo tempestade ; nao a deixei o resto do
dia, e at mesmo fiquei de viga com ella durante
a noute.
k a aurora aclarava o horizonte e deixava pe-
mirar a sua branda luz airavs das cortinas azues
lo quarto de dormir, quando a doente agitou-se no
seu leito; ella linha um mu somno, pareca Ihe
qne a operagao mallograra-se completamente, e
qae estava cega para sempre; a terna voz de
Clirislina, perguntando-lbe o que senta, fez cessar
;te pesadelo; a doente desperlou de lodo, as suas
Inmbrangas acodiram-lhe de tropel, e ella nao pe-
de resistir teniago de levantar a venda que co-
Ijria-lhe os olhos. O' felicidade! nao era uma il'
Ijsao, todos os objectos ihe appareciam distinctos
A amavel Chri3toa, hoje madama Boissier, vive
em Toulon entre seu marido e seu sogre.
Ernesto recuperou a saude; mas o pobre com-
mandante, que reformou-se, soffre croelmente de
rheuraatismo gotoso, e qaanda os accessos se fa-
zem sentir, de um humor detestavel; jura como
um possesso contra o mal, contra a chuva, contra
o vento e contra a sua joven enfermeira, a qua|
comtudo elle ama de todo o ceragao, e a quem faz
jusliga no fundo da sua alma. A boa Christina tra-
ta-o noute e dia com essa dedicago sem limites,
essa ternura intelligenle de que deu provas duran-
te a enfermidade de sua tia ; porm est longe de
achar no velho lobo marlnho a dogura e paciencia
de mademoasella Touruel; comtudo ella suppor-
ta sem queixajgafadigas e grosserias que sao o
reverso da meHWa da sua feliz unio; sabe que
nao entra nos designios da Providencia o conca-
der-nos ama tranquilidade perfeita nesta vida, que
como nos mais bellos das da sua juventude: ella .
.tendea os bragos n'um impulso de reconheci- T? S ha Pr' ,Sent0 de lemPesIads.
nento apaixonado para a Em*!2ZE ^"T T^ ^ S'' qUal'"
decorava a sna alcova, e recolheu-se um instan e ff S"a 'UZ Sbre a SV" a ella nuaca
depois abragou-nos alunadamente, contemplando I *?7 ^ 3Slr d dia'- *" ^ a-
a sua amavel Chrisiina com ineffav I ternura exa-l nDven,--po""n a minando um ai.< niZ^7mT.! ^ T sabe que sacriQcaDa0 alo ao dever, estamos cer-
inioanuo um apos outro todo os movis do quarto ,j _i. .......
como amigos velhos que ihe erara restituidos, e: %, h "^ 1 'C'dade qe CD'
gomando ioexprimivelprazer por encontra-losqua-i ld'daa0fib0memDeSta "?" -* *
como t.nba-os visto outr'ora "m paSS0 flrume, e *# elevado Para cu
c. -;,-. i, ue.-tecaminho de dedicago e sacrificio, de oaz in-
te a meslra de desenho tinha recobrado a vista.' Mademoasella Touroel na da ais ligoes de de-
Este aconlecimento fez grande ruido na cidade, i 'ella passa a maior Parle do ,emP Jun, da
fallou-se delle quinze dias consecutivos o cirur-! SUa qaerida sobrinha- ajudando-a, tanto quanto Ihe
giao, meu amigo, foi elevado s nuvens o jornal poss,vel- em seus desvelos para com um encan-
da localidade consagrou-lhe um artigo em daas!tador raenino-o^mo e alegra do toda a familia
columnas, e todos os cegos do deparlamento vie-''ainda lira relralos> e com um notavel talento, o
rara consulta-lo.
Entretanto madamosella Tournel expenmentava
qual em outro theatro, sem
reputagao de grande artista ;
duvida lbe valeria a
e o dinheiro queelles
uma alegra de crianga ao passear na rica campi- lhe rendem' pennim-lhe satisfazer largamente a
oa dos arrebaldes de Dragugnan; encostada no\"M inexKolavel aridade, nica paixo que domi-
brago de sua sobrinha, ella percorria os sitios
agrestes que o seu pincel eutr'ora tinha reprodusi-
do, e elles Ihe pareciam mais bellos; assim como
o convalescente longo tempo privado de alimentos
iubstanciaes acha um sabor estranho quelles que
se Ihe apresentara, as arvores lhe pareciam mais
verdes, o seu sombro mais frondoso, as estrellas
mais brilhantes; era como uma nova iniciagao
as maravillas da natureza.
Qcando os seus transportes acalmaram se um
pouco, a mestra de desenho cuidou em continuar
oa sua arte; Christina nao era deste parecer, te-
jiendo uma recahida e dizendo que nao se devia
tentar a Deus; mas o doutor, sendo consultado
nao achou nenhum inconvenienle n'ura trabalho
moderado; portanto madamosella Tournel pode
Cornar a abrir sem apprehensoes a sua pequea
offleina, 2, pouco tempo depois, as discipulas af-
ber as ligoes de uma to boa mestra. Ao mesmo
tempo renascia a abastanga na familia, e os celiba-
(arios do paiz eoraecavam a notar de novo as ama-
veis fei..5es de Chnslina, que possuia uns trinta
mil francos, sem contar cora as economas que
madamosella Tournel, instruida pela experiencia,
nao deixaria de laier de entao em ajante, segun-
do a opiniio delles.
Cbegaram os pretendentes em multidao, e com-
4>raz-me acreditar em honra desses senhores, que
os trinta mil francos nao eram o nico Imn que
tirana os sens coragoes. Com effeito, era impos-
sivel qne se nao admi#rasse a nobre conducta e as
brandas virtudes de mademoasella Dulac.
Todava a rapariga recusava pondamente todos
os pedidos de casamento e coutiouava a virer reti-
rada, como no tempo em que os seas poneos redi-
na o seu nobre coragao.
COHDESSA DE La ROCIIEBE.
( Trad. de A. de Mendonga.)
rio os conhecimentos uteis, noticias interessantes,
memorias e documentos curiosos, inapreciavels,
que, a nao ser o zelo, illustragao, e aparado gosto
pelas ledras dos distinctos merabros dessa associa-
go scientifica, os quaes a dirigem sob a immediata
protecgo do magnnimo Imperador do Brasil, os
Albos do vasto imperio do Cruzeiro, estariam por
sem duvida, inscientes da existencia de fados me-
morareis e de notaveis especialidades, especialida-
des que se nao encontrara na historia patria.
Hoje, porm que cont a fortuna de tambem per.
lencer esse conspicuo e Ilustrado Instituto, dse-
jo, como outros, concorrer cora minhas debis for-
gas, para que em seus archivos se conserve a
Galena dos bispos brasileiros apresentados por
cada uma as provincias a que pertenceram.
Nao vae apparecer nella biographias perfeitas
desses antistetes sagrados, porque nao foi este o
p'ano, que adoptel, (e que sempre julgnei superior
ao meu acanhado engenho) e mesmo. se essa idea
aventurasse, nao teria certamente resultado feliz,
alienta a deficiencia de obras congruentas, a escas-
sez de escriptos noticiosos neste genero, e sobretu-
do a difficuldade garndiosa de se obter das proprias
familias apontamentos biographicos, d'ende se co-
lhesse o necessario material para sua confeego.
Tive apenas, impedido pelo amor classe a que
me glorio de pertencer, o desejo de apresentar
pelas respectivas provincias os prelados, que cada
uma dellas, tem dado para differentes dioceses do
Brasil, e at mesmo para as da Europa ; mencio-
nando cada qual os factos mais notaveis, os servi-
ros mais importantes, quer no governo da egreja e
do estado, quer no santuario das sciencias, e algu-
mas outras circomstancias assignaladas qne os tor-
naran: recomnendaveis posferidade.
O leitor, pois, nao vae encontrar neste escripte
linguagem fluida e eloquente, belleza de phrases,
essa torrente de pensamentos sublimes qne soem
apresentar pennas habis ; estes dotes nao rae con-
fiou a Providencia; porm elle vae achar uma
narragao simples, a linguagem da verdade, despida
das flores da lisonja.
Se este imperfeito trabalho, que comtudo custou-
me algumas vigilias, e a leitura de obras, que me
foi possivel alcangar, merecer a adopgao e aprego
do Ilustrado Instituto histrico e geographico bra-
sleiro, a quem ouso de offerecer em tesiemunho
de meu ecrisolado reconhecimento, e verdadeira
gralido, sere contente, porque contare! mais uma
prova de sua benevolencia.
E' urna divida que pago, um preito, que rendo
alta considerago do respeitavel Instituto ; mas
um preilo, que me nao parece condigne grande
deferencia manifestada em minba admissibilidade
em seu gremio ; porque, como diz o immortal S-
neca : quem recebe beneficios e favores, encontra
prisSes que Ihe captivam a liberdade : Qui benefi-
cium invenil, compedes invenil.
U Brasil contando pouco mais de tres seculos
de seu descobrimento, e 40 anuos de existencia
como nagao, fra de duvida, que de pouco tempo
comegou a sua [literatura.
Os Olhos deste grande continente, aquellos que
tanto almejavam possuir o conhecimento das leitras
haviam de com sacrificios grandiosos, deixar o seu
solo natal entregar-se merc das ondas procelosas
para receberera era regloe longiquas o favor-de
admissibilidade em algum ncleo de sciencias, em
algumas academias da tiuropa.
E comtudo, houve homens que, aniepondo o
amor das lettras ao amor patrio, as fadigas escol.
res s caricias familiares vidos correram Luvi-
tania, I Italia, a velha Rema, e j nos claustros, e
j as universidades, poderam com apurado gosto,
cultivar o seu engenho, aperfeigoar sua intelligen.
ca, e adquirir conseguintemenle grande somma de
illustragao e saber.
Reconhecidos depois esses homens como orna-
mentos da litteratura, alguns dos quaes foram
chamados pelos poderes do estado, a oceupar luga-
res importantes, j na gerarchia da egreja, j as
armas, na magistratura, e j finalmente, em outros
muitos ramos de admioistrago.
Esses ttulos, essa Imstragao consumada, e outras
qualidades pessoas, elevaram effectivamente esses
homens distinctos a grande altura dos grandes
Galera dos hispes brasileiros elaborada e tffere-
eida no anno de 1862, ao Instituto histrico e
geographico brasileiro, pelo padre Lino do
Monte Camello Luna, socio do nifsmo ins-
tituto.
A bisloria em todos os tempos, e em todos os
paizes foi, e ser sempre a meslra fiel de acontec-
mentos grandiosos.
Ella que transmitte posteridade o conheci-
mente de feitos honrosos, de nomes celebres, que, i
fazendo timbre de seu herosmo e saber, sobreraa-.val,os da sociedade, e Ihes deram um lugar subido
neira se distinguiram ne mando poltico, e na re- na rePUD,ica das le'""as-
publica das lettras, concorrendo grandemente para Deixando, portante, a referencia de tantos, e tao
o progresso da patria, para o esplendor da re- Ilustres capacidades brasileiras, as quaes recebe-
Hglao. ram na velha Europa to merecidos laureis; fia-
A historia tem o primeiro logar na lilteratura e reraos nosso Pasamento par quelles que,
sem a noticia della o bomem se v baldo de saber, abracando o estado ecclesiastico, foram eleva-
do conhecimento de s, e de sua posigao no mnndo, dos cathegoras eminentes na classe a que per-
porque, segundo Cicero, a historia 6 o testemunbo t enciam.
dos tempos a luz da verdade, a escola da vida, e a Que norae pois, nao gosaram na cr.e de Roma,
pregoetra fiel da ant.gu.dade; em summa, a l- D. frei Joo de Salxas da Fonsec3i bUpo mu,ar J
gao eterna dos povos. Arcopols; os jesutas AnteniodeS, afamadijsfmo
Nao deixar, pois, jazer no completo olvido a lit- pregador, secretarlo geral de sua corporago, ape-
teratura amiga da patria, trazer lembranga dos Hdado em seu terapo-o principe da oratoria ccle-
contemporanecs as glorias de cada uma das pro- siastica-o pregador gerai em Portugal; Martinho
vlncias, os grandes vultos que contaran aellas o
sen bergo, por certo, um dos servlgos asss va-
liosos, que cada um dos Brasileiros deve sua
trra.
de Mosquita, formado nos sagrados caones, e ju-
risprudencia nivel na univerdade de Roma, cujo
saber o elevara a secretario do oardial Barberini;
Domingos Barbosa, procurador geral dos jesutas
Cumpre, pois, nao arrefecer no empenho nobre! em Roma, poeta latino de grande fama I
de esmingar, juntar, colher e dar vida a plaralida- J Quanto nao admirou em Portugal a illustragao
nonisla, oppositor as cadeiras da univerdo de Coim-
bra, deo da S do Rie de Janeiro, e depois monse-
nhor de santa egreja patriarchal de Lisboa; Dr
Francisco Jos de Arantes, lente jubilado de theo-
logia na universidade de Coimbra, actual deo da
cathedral do mesmo nome I
Ainda podemos apresentar os nomes de outros
muitos respeitaveis ecclesiaslicos como o Dr. Fran-
cisco Correa Vidigal, e do Dr. Francisco Muniz Ta-
vares, ambos monsenhores dacapella imperial),
ministros plenipotenciarios enviados extraordina-
rios, que foram do Brasil junto corte de Roma
sendo que o primeiro obieve de S. S. prdre Leo
XII, o reconhecimento da independencia do Bra-
sil! Seria para enfadar, seriamos laxados de
prolixos, se quizessemos dar a enumeradlo de no-
mes de tantos outros ecclesiaslicos que harraonisa-
rara o Crasil no desempenbo das funcgdes impor-
tantsimas, que Ihes foram confiadas pelos poderes
do estado.
Contando pois, com agrandiloqua benevolencia
do respeitavel Instituto Histrico e Geographico
Brasileira, e a tolencia do pi ieitor em pc/doar os
muitos, e graves defeitos de que necessariamente
se ha de resentir o nosso trabalho vamos dar come-
go Galera dos Bispos brasileiros; pelo norte do
imperio; e
Provincia do Par,
D. Romualdo de Souza Colho.
A villa Vigosa de Santa Cruz, hoje cidade de Ca-
mela, da provincia do Par, foi lesmunha do najer
ment de D. Romualdo de Souza Colho, aos 7 de
everero de 1762, sendo seus progenitores, o eapr
tao de melicias.Alberto de Souza Colho, e D. Mara
de Gusmo.
Na pia baptismal di egreja de S. Joo Baptista
daquella villa, recebeu elle a regenerago, que lhe
ministrou o respectivo parocho Manoel Laudan da
Cruz.
Recebida a educagao primaria, passou o joven
Romualdo de Souza Colho, a tomar ligoes de
grammatica latina do doulo padre Antonio Fran-
cisco Furtado, vigarnda vara daquella villa de
Camet.
Os rpidos progressos, que fazia em seus estu-
dos, o ardor e asslduidadj que raistrava nelles, tu-
do revelava o talento, que possuia, o qual se havia;
de desenvolver proporgao de suas fadigas ilite-
rarias.
Do lugar de seu mscimento passra Romualdo
para a capital do Par, em companhia do padre-
mestrefrel Angelo, religioso da ordena das fanal
e no respectivo convento, durante o tempo de sua
residencia, deu elle nao equivocas provas de sua
intelligeneia esclarecida. Cora a propensa*, que
tinha para o ministerio sacerdotal, preparou-se de-
vidamente, e foi receber as ordens sacras das mos
do immortal bispo do Par frei Caetano Bran-
do, sendo a de subdiacono, como dicono nos dias
22 e 29 de dezombro de I78i,e a de presbtero no
dia 19 de fevereiro de 1785. Na parochlal igreja
da villa de Camet cantou a sua primera mlssa
no dia o de abril desse anno.
Constituido sacerdote, foi-lhe commettida a ju-
risticao de vigario interino interino da freguezia de
S. Jos do Rio Arac, e depois passou a reger a
cadeira de latinidade do seminario episcopal do
Para ; a qual lhe foi confiada no anno de 1789, e
cujas funocSes desempenhou sempre cem a acei-
tagao, applauso e grande aproveilamento de seus
discpulos.
Succedondo mitra paraense D. Manoel de Al-
raeida do Carvalho, o conhecendo este as qualida-
dades, e merecimentos pessoaes do padre Romualdo
de Souza Colho, o nomeou no dia 4 de agosto de
1794 seu secretario, thesonreiro dos pontifleaes, e
vice-reitor do seminario episcopal. Neste exerceu
tambem o magisterio na cadeira de theologia espe-
culativa moral, e depois passou a oceupar os lu-
gares dedremotor do juizo ecclesiastico, de exa-
minador synodal e de mostr de ceremonia do so-
leo episcopal, o de vigario geral da primera co-
marca do Par. Todos estes empregos elle exer-
ceu com a maior inteireza, dando sempre copia de
sua capacidade Iliteraria.
Admittido na cathedral do Para no numero dos
beneficiados 17 de Janeiro de 1798, succedeu ao
lugar de arcipreste da mesma cathedral no dia 18
de abril de 1805.
Por occasio de haver o prncipe D. Joo toma-
do as redeas do governo por morte da rainha Del-
laria I, e subido ao ihrono do reino unido de Por-
tugal, do Brasil e dos Algarves, o Rvd. arcipreste
Romualdo de Souza Colho, parta para a corte do
Rio de Janeiro, e na audiencia de 22 de maio de
1817, comprunentou ao Ilustre monarcha em no-
roe do cabido, clero, e diocesanos do Grao Par.
O porte e dignidade com que elle desempenhou
uma to importante e honrosa commisslo, foi bem
conhecido pelo
Manoel d'Almetda de Carvalho, no anno de 1818,
o senado canonical proceder a eleicao do respec
tivo vigario capitular, e por uoanimidade de suf-
ragios recahiu ella no arcipreste da cathedral, que
que ha pouco iavia chegado da corte do Rio de
Janeiro.
Entretanto feita a devida participago do passa
se quer archivou to
o nome des hroes, nem
grande feito.
Nao importa. L est no canto da ra dos Oa-
rives ama estaca de pao qae ha de fallar para o
futuro mais alto do que todas as gazelas.
Nella ainda ha vestigios de sangue de uma
ment daquello prelado ao augusto monarcha o Sr. KS' ^if^f ^- am a,bys"
D Joo vi. este nao vacllou de apresentar no da S''o"S,fd? jS rK. rm '%'&!? T
22 de Janeiro de 1819, para substituir na mitra do mesmo Zl,,f lT-hOIT0 de Almeida, do
Gro-Par uo vigario 'eapitular, Rvd Romualdo de Sg? ?. ? ?* 0fb'te^8^,IDSSr ^f
Souza CoelUo AmJS assim a prediego -.'32 SffStXS^t"^
quelle fallecido bispo, o qual dizia. depois de o ter
enviado a saudar ao soberano principe, que, o ar-
cipreste Romualdo de Souza Colho, ia ser conhe-
cido na corte, e que seria o seu successor I
Em viride desta elego impetrou o novo bispo
da Santa S, as bulas de conflrmago do episcopa-
do, as quaes lhe foram expedidas no dia 29 de
agosto de 1820, no pontificado do Santo Padre Po
Vil.
Achando-se no Rio de Janeiro o Sr. D. Romualdo
recobeu a devida sagragao no dia 1 de abril do
anno seguiote, na capella da Conceigo, sendo ella
ministrada pelo bispo do Rio de Janeiro e capelio-
mr da casa real, o Sr. D. Jos Caetano da Silva
Coutinho.
Partiu o novo aulistete para o seu bispado, e
JNessa estaca nao ha hieroglvphos, mas ha san-
gue I -" '
Gragas ella, a posteridade ha de fazer-rae ius-
liga. *
Descrever tao arriscado eperigoso itinerario
tarea por demais ardua e superior s minhas tor-
gas ; porm o-dever de cidadao m'o tmpelle e
mais que tudo a considerago de encontrar aq'ui
a historia dos apontamentos do meu histrico feito
rauu u uuvu auusieie para o seu ospaao, u c,i, j, i,.. ,i s i?,.. ,> n i
chegou no Par no dia 18 de funho de 1821 aonde horas da man^/tnm ISSAlt ** "
os seus comprovincianos o esperavavam chelos de Z52EfrSE&2 raa,aionde Pr
contentamenio e de jubilo. IB l fde r0l?pa' doas Rar-
Tomou posse da diocese por seu procurador o a* fj^l KSUP'JM n\T0' T *nnle
Rvd. arcediago Antonio da Cunha, e fez sua entra-1 EWftLJKLS. iSA SP|iba7e,e e
da solemne a 5 de julho do referido anno. | g* *%,chJa,r a rua da Val,a' l,vre de
Pouco tempo havia que o Exm. Sr. D. Romualdo ER.2J5. a P .' P ** m- qaart de
de Souza Colho, achava-se na posse do bculo "a ?a '"|.d.e WPel, onde escrevi uma carta
episcopal, quando appareceu em Portugal a reper- "2^a, ara,i,,a- xcasado d.zer que por
cusso de nevas ideas, quo comegaram a gras-ar 5*gf nha"me cenfessado e sacramentado
no mundo poltico : o resultado foi a proclamago b nies-
do rgimen constitucional. Em virtude de que!
achando-se o Sr. D. Joo VI no Brasil, obrigaio! Da rua da Valla rua dos Latoeiros comecei a
pela invasao dos Francezes na corte de Lisboa, ex- 'otar com difficuldades; ora era uma grande pe-
pedio elle no mez de evereiro de 1821, o decreto dra que tinha de mover para abrir passagem, ora
era que acceda sera reserva a futura constituigo,. m rio caudaloso ; aqu um ffrupo de gente' que
que confeccionassem as cortes portuguezas. ensaiava pulos, ali outro grupo que voltava banha-
Enviadas, por tanto, as instrucgSes para a res- do em sansue para a botica do Blanc As vezes
era um duello de carrogas, outras vezes uma sa-
tisfagao de dous lilburys.
As doas horas menos um quarto, chegue Cre-
ten. abr a mala, e mudei do camisa.
Da roa dos Ltoeiros roa dos Ourives o meu
itinerario foi-se complicando : comecei a Intar
com montanhas de lijlos, e com talSes. Salve
da morte um velho que pedia soccorro entalado
entre uraa roda de carroga de aguas ser idas e
um monte de areia.
O homem j estava quasl asphxiado. O meu
primeiro impeto foi dar-lhe uma encapellacao at
ao nariz, do que resultou no flm de contas dar elle
o cavaco comigo por ter-lhe amarrotado o Paco-
Hihi,
Eis-me na rua dos Ourives !
Ao contemplar o abysmo medonho, a vista se
me esenreceu ; qniz recnar, e nao estara hoje por
ceno n um feito, envolvido era ataduras, guisa
de mae benta em folhas de bananeira, se nao visse
como qne passarem por diante de mim as figuras
radiantes deX.ipoleao e Hannibal que me acena-
vam o porvlr.
Os vultos venerandos d'esses hroes fizeram-mp
o effeito de duas pilhas elctricas : saltei imme-
diatamente como uma mola por cima de tijolos,
mas com tanta ofelicidade que esraaguei o callo
de um viajante ainda mais intrpido do que eu,
pois que media o abismo com um riso de escar-
nen no campo entomagado de nra pince-nez. Que
homem extraordinario Que hroe III
Parece-me ve-lo ainda com um par de luvas da
cor dos canos da endiabrada companhia de esgotos,
que, segundo dizem os entendedores, sao de cor de
Havan, com orna caiga de quadrados, uro collete
fdem, e um chapeo que provocava | um oh com
tres pontos de admirago.
A vista d'aquelle prodigio de luvas de Joovin
animou-me ainda mais do que as sombras de Ja-
poleao o Hannibal; saltei sobre a ponte que com-
municava o alto da montanha de areia com o ame-
no e pittoresco valle de lijlos, e tomei a ultima re-
solugo de aearrar-me abas da sobrecasaea do
prodigio, de fechar os olhos, e pular com elle o
abysmo.
Esta resolugao tinha eu lomado, quando dizia o
homem tal vez comsigo um, dous, tres, para dar o
pulo, de modo que, quando apanhei-lhe as abas da
sohreeasaca, j estava elle de jaqueta no ar, e do
ar foi direito ao precipicio como uma givota que
cahe n'agua para engolr sardinhas.
Imagine-se a minha figura com uma aba de so-
hreeasaca em cada mao, immovel como um solda-
do petrificado pela disciplina, e abstracto como
uma pagina de metatriUca da critica da Razao
Critica de Kant. Dous minulos depois eu estava
dentro do abysmo impellido por um homrico pon-
lape que o quadrado bico de uraa bota ingleza fi-
zera o favor de applcar-me no lugar onde a esoi-
nha dorsal muda de nome, e fui eocootrar o pro-
digio de luvas, j sem luvas e sem chapeo, agar-
rado a um cano. O homem, por inslmcto de ron-
servagao, anda tinha o pmet-uez enfumagado
montado a ca vallo no nriz Descrever enlo a
scena que se passou um irapossivei.
Vendo as abas da sobrecasaca ainda em minhas
maos, o Sr. Jos Veira (vim depois a saber que es-
sa victima indefesa chamava-se Jos Vieira) arran-
clas com um puxo, e ja se dispunha a enfor-
car-me com uma dellas, quando uma enorme mas-
sa de areia despejada por tres carros esfriou-lhe o
entbusiasmo, e o obrigou a enar-se por um cano.
O inslinclo levou-me a imur-lhe ainda desta vez
oexemplo ; e enlao, nobojo de om cano da compa-
nhiade esgotos, passou-se um verdadeiro drama da
escola classica.Senhor diz-meo Sr. Jos Vietra
cora a voz abafada e os olhos tapados pela areia'
Aquelle-senhor proferido dentro de um cano
as 4 horas da Urde, por um homem vermelho de'
colera, aterrou-me por tal sorte, que at boje ainda
nao me sahio do ouvido.
pectiva eleigao de deputados aquella corte, cada
provincia tratou do processo eleitoral, e o Par,
que se orgulhava de ter um filho elevado a' digni-
dade de pastor sagrado, nao via quera melhor ad-
vogasse a causa de tanta trancendencia e magnilu-
de, que o Sr. D. Romualdo de Souza Colho.
Recebendo elle a pluralidade de suffragios, foi
effectivamente eleito deputado asserabla consti-
tuinte na corte de Lisboa, no anno de 1822, sendo
que nesse respeitavel congresso, nao desraentio o
Ilustre bispo a dupla contianga de seus compro-
vincianos.
Voltando de Lisboa, e recolhido sua diocese,
foi logo eleito em agosto de 1823, presidente da
junta governativa do Par no acto de adherir essa
provincia independencia do imperio : neste lu-
gar relevantes servigos prestou, j propoodo-se a
pacificar os nimos, e a por de accordo os partidos
que se exaltavain, c j tomando seu cargo a di-
recgo e expediente da pomposa acclamagao do Sr.
D. Pedro I.
Entretanto, nesse anno a ordem publica achava-
se terrivelraente perturbada por convolsoes popu-
lares em alguns pontos da provincia do Par, e lo-
go que o governo respectivo lhe fez sentir taes dis-
tubios, o Sr. D. Romualdo, apezar da alterago de
sade, partiu para a villa de Camela, epode, pelas
suas maneiras affaveis, e conselhos saudaveis res-
tituir a paz, e socego da populagao.
Depois de terraioada a expontanea missao, de
que resultou beneficios immensos religio e
patria, o virtuoso prelado, quiz ter pleno conheci-
mentde suas ovelhas, e por isso se dispoz a visitar
as freguezias de sua diocese. Bem poucos foram
os lugares em que elle deixou de percorrer, e os
povos de ouvirem as salutares praticas de tao Ilus-
trado pastor ; e se faltas houveram foram estas oc-
casonadas pelas defnciencia de transportes, e de
provmeutos precisos, e nao pela indisposigo de
vontade do virtuoso bispado.
Grandes e importantes beneficios prodigalisou D.
Romualdo de Souza Colho, sua diocese, ja impe-
trando do governo de sua raageslade imperial, a
tagao de 2009000 res, para a casa de educandas
fundada em 1801 pelo seu antecessor, e j conse-
guindo do mesmo governo imperial para o semina-
rio episcopal, um terreno contiguo ao dito edificio,
o que fora da antiga alfandega, afim de que afora-
do constiluisse uma renda vantajosa para necorrer
as despezas do mesmo seminario. Com este teve
sempre o maior desvelo e solieitude, e era na ver-
dade o objeclo para elle de sua attengo a educa-
gao do clero, sendo que visitava frequentemente
este ncleo de instruccao, e assistia as conferen-
cias de moral, que ali se effectuavam.
Foi um prelado asss caridoso. A mesma con-
grua, tirada a parle suffioiente para afrugalidade
de seu trato, era applicada a suavisar a penuria
de suas ovelhas. As ofTrendas pecuniarias linham
o mesmo fin.
Foi testemunha das scenas deploraveis que se
deram na provincia do Par, no anno de 1835, o
Sr. bispo D. Romualdo, e seu coragao se contris-
tava por de mais, quando via faego revolucionaria
empregar todos os seus ardiz, o desejo infernal de
declarar o Par, chegando a ponto de duas priraei
ras autoridades serem immotadas ao furor embru-
tecido de homens degenerados, surgindo ento um
governo intruzo. qne os revolucionarios queriam
que ficasse indc,"';i -ute do da regencia, durante
a menordade de sua magestade o Imperador.
Perturbada assim a ordem publica, alterado o
socego, e espalhado o terror por toda provincia, o
virtuoso prelado D. Romualdo nao cessou de fallar
a esses rebeldes, pelas suas eloquentes pasloraes, e
at pessoalmente se dirigi elles admoestaodo, e
pediodo-llws commum crucifixo as roaos, e lagri-
mas nos olhos, que largassem as armas, e submet-
tessem-se as ordens do presidente enviado pelo go-
verno geral I
A pacificago, pois, da provincia se deveu em
grande parte aos esforgos, e exhortagoes do Sr. D.
Romualdo.
Sua voz foi sempre ouvida na tribuna sagrada
pelos vultos preeminentes da litteratura, e lodos
faziarajustga ao mrito luterano e scientfleo do
virtuoso prelado.
Dos escriptos, que delle correm impressos sin-
gularisam-so os seguintes : o cathecismo civil, ou
insiruego familiar sobre a conducta do hornera, of-
ferecido ao principe regente no anno de 1812 ; dis-
sertago litrgica em defeza da rubrica do brevia-
rio lusitano : outra sobre a intelligeneia da rubrica
do missal : orago fnebre pregada as exequias de
fidelissima rainha de Portugal a Sra. D. Mara 1,
em 1817 : as rauitas hurailias e sermoes, que pre-
go u ; o crescido numero de pasloraes dirigidas aos
s;us diocesanos, e alera de outros discursos sobre
diversos assumptos ; sendo que rudo firmava seu
crdito litterario, o dava cabal conhecimento de seu
talento e illustragao.
D. Romualdo de Souza Colho gozava em sua
diocese o nome de prelado zeloso, de pastor cari-
doso, ornado de qualidades iminentes a par de uma
nao vulgar instruego.
Suas ovelhas rendara preitos sinceros de estima
as suas virtudes, e veneravam de corago ao pre-
lado sagrado que tantos beneficios prodigalisou a
egreja, e que tantos soccorros preslou a humarada-
de soffredora da miseria.
Caberlo de bencaos de suas ovelhas D. Romual-
do de Souza Colho, entregou o seu espirito ao
Creador no dia 15 de fevereiro de 1841, tendo 79
anos de idade. Sen corpo foi inhumado no pres-
byierio da s do Par ao lado do Evangelho. Na
pedra, que cobre as suas cinzas se depara a se-
grate inscripgo:
A' memoria
Do virtuoso D. Romualdo de Souza Colho VIII
, bispo do Par.
Nascido na mesma provincia a 7 de fevereiro de
1762, e fallecido a 15 de fevereiro de 18*1. '
Dedicago.
Os Paraonses seus diocesanos e patricios.
( Conltnuar-se-ha )
Eu via naquellesenho
poema de sangue.
o prenuncio de um
*
DI POLCO DE TUDO.
Transcrevemos do Bazar Volante o seguinle
ITINERAMO PELA Rl'A DO Ol'VIDOR.
augusto monarcha, que o coodeco
ron com o habito de cavalletro da ordem de Nossa Napoleo, o homem do seculo, o genio das bata
Senhora da Conceigo de Villa Vigosa, tendo elle Ihas que com a pona do seu gladio, no dizer do
anteriormente recebido o da ordem de Christo em poeta de Waterloo, no mappa das nagdes tragava
que era professo. as raias, atravessou um dia os Alpes e a historia
A contemplagio daquelle monarcha a respeito registrn logo o facto.
do mrito litterario e qualidades distinctas do ar- Oodc est a facanha ? onde est o busilis?
cipreste da cathedral do Para, chegou ao ponto de ; Eu, Joo Chichorro de Almeida, capito de arli-
ordenar-lhea pregar em suapresenga, escutando-o Ihe.ria reformado, morador na Pedra do Sal, atra-
cn attengo e gosto, dando-ihe publica deroons-1 vessei nontem a rua do Ouvidor desde o largo de
tracSes de sua rega benevolencia. S. Francisco at a rua Direita, e no entretanto a. .
Havendo fallecido o respeitavel diocesano, Mmprensa, onde a historia mais larde vera bascar j PERNAMBUCO.TYPDE M.. F. DE F. & FILHO
E nao me tinha engaado ; o homem quiz encu-
lir-me mesmo ali.
E que morte ingloria meestavareservada I Mor-
rer dentro de um cano de esgotos I Que gloria
para os meus inimigos t Sahir da Pedra do Sol-
as 9 horas da manha, para vir exhalar o aerra-
deiro suspiro n'ura lugar....... Oh 1 I (
Ento appellei para a historia e vi que suas pa-
ginas estao cheias de sacrificios de hroes. Lem-
brei-rae que Colombo linha jogado os sopapos com
a tripolago, que Regulo rolara dentro de um bar-
ril cravejado de pregos, que Scrates bebracicuta
que Chaiterton hypothecara o corpo aos credores
e vender a alma ao dabo, e lactei com o Sr. Jos
Vieira al desfallecer.
Quando tomei a mim, era puxado pela ora de
uma bomba no beccodas Cancel las, e vlm a saber
depois que o meu amigo morrera distillado com o
seu inseparavel pince-nez pela grande machina do
caes da Gloria. Os trabajadores, quando virara
apparecer na bocea da bomba a minha cabega pal-
uda e desfigurada, soltaram um grito de horror, e
desappareceram, Jo que resultou fiear este qne es-
creve estes apontamentos com o corpo suspenso,
preso apenas pela cabeoa, a gritar soccorro com
toda torga dos pulmoes. A muito custo fui tirado
d'ahi pelos caixeiros de uma loja de objeclos de
borracha, que deram minha custa boas gargalha-
das, mas que se condoram ao depois quando vi-
na o meu estado deploravel.
A minba cabega era um sudario ; na lucia que
Uvera cora o prodigio de luvas esborrachei o na-
riz, perd dous denles da frente, e destronque!
uma perna.
Duas horas depois era eu levado n'uma rede para
casa, onde minha familia de luto j chorava a mi-
nha morte.
Eis o que me communicou o Sr. Joao Chichorro
de Almeida n'nm leito de dores.
A posteridade hado fazer-lhe jusiiga.


-.


r



1^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENNES10RU_1XFYQ5 INGEST_TIME 2013-08-27T20:34:03Z PACKAGE AA00011611_10615
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES