Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10612


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-


--
AMO XU HUMERO 55
Por fitrel pago dentro de 10 das do 1. mez : :
dem depois dos 1.' 10 dias do comeco e dentro do qoartel. .
Porte ao correio por tres mezes .,,,.,....
DIARIO
NCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
mtal, o sr. Antonio Marques da Silva: Aracatv, o
o',i;, deemos Braga; Cear, o Sr. J.Jos de
Ulneira, Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves A
niaos; Amazonas, o Sr. Jerooymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPGAO NO SL
Alagoa, oSr. Claudine Falrao Dias; Babia, o
Sr. Jos Martin* Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. ,
Olinda, Cabo, Escada e estagoesfda via frrea at
Agua Preta, todos ostias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas eiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns.Buique, S. Bento, BomCon
selho, Aguas Bellas eTacarat, astergasfeiras
Pod'Alho.Nazareth, Limoeiro,Brejo,Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Vi lia Bella, Cabrob.Boa Vls-
ta.Ouricury.Salgueiroe Ei,as quartaseiras.
OABTA FEIRA 8 DE MARCO DE 1865.
------- _______ ____
for anno pago dentro de 10 dias do 1. mez ,,,.,.. 191000
Porte ao correio por nm anno..........' 3S000
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei.
ros, Agua Preta ePimeoteiras, asquintasfelra's.
Ilha de Fernando todas as vezes que para alisahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto cresc. as 9 h., S9 m. e 16 s.' da m.
12 La cbeiaas 8 h., 2i m. e 10 s". da m.
20 Quarto ming. as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
127 La nova as 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundases H horas.
Dito dcorphaos: tercas e sextas s 10horas.
Priraeira Tara do civel: tergas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde.
_DIAS DA SEMANA.
6. Segunda. Ss. Vctor e Victoriano mm.
7. Terga. S. Thomaz de Aquino dout. anglico.
8. Quarta. S. Quinltllo b.; S. Poncio diac.
9. Quinta. S. Francisca Romana viuv.
10. Sexta. S. Mililo m.; S. Drothoveo ab.
H.'Sabbado. Ss. Candido e Heracliomm.
12. Domingo. S. Gregorio Magno dout. da egr.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 bora e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manha.
PARTE OFFICIAL
Documentos relativos aoassalto
e tomada de Paysand
Comando em chefe da forca naval do Brasil, no
Rio da Prata.Bordo da corveta Nitherohy, em
Montevideo, 2 de fevereiro de 186a.
lllm. e Exm. Sr.Aproveito a partida do paque-
te nacional Oyapock para dar conta detalhada a
V. Exc.das operagoes feitas contra Paysand pelas
nossas forjas combinadas de mar e trra, alliadas
com as do general D. Venancio Flores, comman-
dante em chefe do exercito oriental, as quaes ter-
minaran pela tomada daquella importante [iraca
militar no dia 2 do mez Gndo.
Pego desculpa a V. Exc. por nao ter logo dado
parte deste glorioso feito de armas. Para escrever
esia brilhante pagina da historia precisava o co-
nhecimeoto da verdade em toda a sua extensao.
Desejava-o fazer com criterio e justica; porque,
se ella interessa honra do paiz, nao importa me-
nos ao crdito dos valentes offlciaes. marraheiros e
terreno e tomaram posiges vantajosas pari in- interino da referida caohoneira e a direceo da
commodar o inimigo. iNesta carga de infamara o batera que se la estabelecer em trra com aaue lias
capitao Peixoto foi fondo em um dedo, tendo, alm pegas; os tres 2- cirurgi5es alumnos pensionistas
disso, outra bala Ihe partido a espada Nao obstan-, Lu.z da Silva Fires, Justinlano de Castro RabcHo
te, este offlcial permaneceu sempre a frente de sua e Felippe Perelra Caldas que vieram servir na
forca. Era tempo de comecar o bombardeamento esquadra e foram logo empreados no hosnital de
da praga, para obngar a calar-se sua arlilharia, sangue, em Paysand, oodeprestararo bons ser-
que fazia um ternvel fogo sobre os nossos. vicos. ^rain nons ser
Porlanio, s 7 horas e 3 minutos da manha Ao mesmo tempo nao se passava um so da em
cHTrh/r CHn50nei,ra nragmHi onde me achava Te nao ""os partir coreios para o con maT-
com o chefe de diviso Perejra Pjnto, a tirar bom- danle em chefe do exercito e para o general Netto
SiA^5 ?8 fu?iafDa?5es sendo logo seguida com comrouocacSes, chamando-os a toda a pre sa
^LJ,StABe'm0nle-Pafrna',yb,e Icahy' quft aPaysand, eando-lhes informacoes certas da
tomado posigao favoravel no dia ante- marcha do exercito do general Saa que vinha em
momento determinei ao Io tenente soccorro da praga. '
Antunes, secretario e ajudante de No dia 14 chegpu pela manha ao acampamento
ns. que assumisse o commando interino da o major do segundo regiment de cavallaria Jos
rior. Nesle
Eus-bio Jos
canhoneira Parnahyba durante o bombardeamento,
* que dingisse o fogo, findo o qual este offlcial
veio continuar a desempenbar a meu lado os de-
veres de seu cargo.
Nao pode V. Exc. calcular o effeito prodigioso
causado pela arlilharia destes quatro navios, que
d ahi a pouco razia calar todas as pegas do inimi-
go. As pontanas foram dirigidas com urna preci-
soldados que expuzeram suas vidas para salvar a sao adrairavel, que honram aos nossos artilheiros
dignidade nacional offendida e que por isso teem i navaes, e aos offlciaes de bordo, de tal sorle que
direito a urna meoco que os asslgnale pelo seu as bombas iam stourar exactamente nos fortes,
comportamento na acgo, a qual deve ser baseada ou .no centre da praca, espalhando a morte e'a des-
na certeza dos fados occorridos, e nao fundada tru'co por toda a parte onde chegavam seus esti-
smente as informacoes do momento, que nao jnagos. Conforme minha recommendacao s se
podem ser averiguadas, e que ordinariamente tra- 'azia ,0 sbre os edificios que o inimigo tinba
zem o cunho da afl .gao pessoal, ou de outras sym- convertido em fortificagoes e onde tinha seus mais! esta commisso ao sebredito major Cmara e
patinas e affloidades, e produzem injusta aprecia- temiveis baluartes. Os outros edificios eram pou- providenciar de prompto sobre qualquer aconteci-
do do mereciraento relativo. | Pados o mais possivel, e pouco soffreram, como ment, estive sempre da e noute no acampamento
Hoje com mais calma e reflexo posso referir os deP?ls se veriflcoa. Coostou depois, que este bom- [ com os offlciaes do meo estado maior Era preciso
acontei-lmentos, e dizer ao meu governo o* noraes bardeamento pz fra do combate a mais de 150 conserva-Io na mais activa vigilancia para rrustar
daquelles que mais se oistmguiram, que concorre- homens, e que tinha atacado bastante a guarnigao qualquer sorpreza do inimigo,"com que eu contava
rain para o triumpho de nossas armas por servigos!da Praca e desmoralisadoa; porque a fez compre-' todos os momentos.
ds toda a especie, para que os contempla na des- bender que nos canhoes dos navios encontrava um Elle nao se animou a isso nem urna s vez nor-
tribuigao do premies merecidos pelas virtudes mi- adversario com que nao cootava. I que ja tinha reconhecido
Antonio Correia da Cmara, com offlcios do gene
ral em chefe e informagSes verbaes, que me orien-
tavam da posigao em que se achsva o exercito e o
da provavel em que elle estara comnosco. A' es-
sa hora j eu sabia que o general Netto na manhaa
seguipte chegaria com 1,200 homens, mas todos d
cavallaria ; o que, se nos collocava era urna posigao
vantajosa para se offerecer combate ao general Saa
com certeza de triumpho, nao mudou a nossa atti-
tude de especlativa em relacao praga. Reallsou-
se, com effeito, a incorporagao desta forga na occa-
siao esperada, e foi ella acampar ao norte de Pay-
sand, do lado de S. Francisco.
Como era necessario ter toda a forga desembar-
ada sob o commando de um offlcial superior, dei
bandeiras
ral em chefe do
lL?risl.ODe'ros, entre elles 97 offlciaes, mais de rcontos e trezentos e quarenta e sete mil e oitocen-
2,uuo espingardas, 7 pegas de arlilharia, munigoes, | tos reis (23:347,8800), ao empreileiro do calgamen-
c. o que tado foi entregue ao gene- l desta cidade, por haver feito no mez de Janeiro
exercito oriental. Encontramos! ultimo servigo correspondente a esa quantia ; e
tarriDem na praga mtritos mortos e feridos. t>em assim mandel pagar as prestagoes a que ti-
aivez parega extraordinaria a generosidade dos nl>am direito, nao s o empreileiro das obras da
vencedores, concedendo a liherdade a um tao eres-; Parle do edificio do collegio
cido numero de prisioneiros. Revela, porm, no-; thesouraria provincial; mas
lar que procedemos assim com reflexo. Cnsul- 'antes das seguintes
lados os offlciaes pelo coronel Acosla, chefe do es-
tado-maior do general Flores, se estavam promptos
litares que manifestaram, e para
monde estima publica.
que a peito descoberto,
que os recora- Pouco ai>'es de comegar o fogo dos navios, e logo fra das trincheiras com que se Drotesia nao no-
que appareceu no porto urna forga de eavallaria : dia resistir ao arrojo dos nossos. '
Julgando opportuno, por consideragoes polticas. colorada, conforme estava combinado com o gene- Portanto, nao nos facilitn o ensejo de entrar
de que V. Exc. est ao fado, a occasio de reunir, ral Flores, desembarque! frente dos 100 impe- com elle de envolta na praga, desejando ardente-
a forgas de desembarque da esquadra de meu naes marinheiros da reserva, e de 1 pega de 12, os mente urna tentativa deste genero que nos dara
commando s do general Flores, que e=tava acam-1 Qiaes seguiam para a linha de combate comman- mais um triumpho.
a dar sua palavra de honra de que nao serviriam
mais na presente guerra contra o Brasil, nem con-
tra aquelle general, respondern) promptamente
que sim, edecam repetidos viras a elle e a mim,
por que nao esperavam tao humano procedimento
dos seus adversarios. Querlam al assignar rm
compromisso por escripto, que de nada vaieria para
quem nao soubesse respeitar sua palavra, e que por
isso rejeitamos.
Quao_f aos soldados foram quasi que em totali-
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ni at Alagoas a 14 e 30; para o or lo
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
julho, selembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns.6e8, dos propietarios Maneel Figue/rda e
Fana & Filho.
Cimbres.-Hepresenta
sua freifnerii. ^ViT"^"* (,Ufi sendo a matriz de
ollocada na chapada da Serra Ara-
9
inMnP.erd3,Sa.e lI ,Drirae. ^e no invern
mi es or es,/ i^ 'Hficand0 os ha">'an'es dos Ii-
mus por esse lado distantes 12 e mais letrnas p
assim privados de alguns soccrrorespSaes!
de serra Ded?e^g.a-r 'em de subir 4 leuas
aua.Mnir/n ?,Sa,e Lao ,Drime. Que no invern
>i lalrans avel, fieando os habiantes dos li
nuir ndo^s mXP0SS'V,01 ao parocno' ainda mftsm
FxfstmS,^r 0ej08 cadi-losem tempo.
n m h f, a.capella da Vllla P da serra e no
em que funeciona
tambem os arrema-
- obras : estrada do Bujary a
cidade de Goianna; muralhas necessarias a segu-
rang dos predios existentes na ra da Praia da-
quella cidade; reparos do empedrando da estra- rpnlrn ,
1 \ LZd f 'n eDtre'. marco de dez mil bracas SrettS?. Wl Inconveniente desap-
e a bomba do Pimentel conservago do terceiro i P'e^ac(om a d'^ao da reguezia do modo por
termo da estrada do sul, e concert feito na cadeia qp aaono Passao ja pedio a assembla.
da villa de Barreiros. i-k i-qt:e restitua quando menos as aguas do
Estando concluidos de conformidade com os res-: L'*,x?n? para a villa. o terreno que Ihe perten-
pectivos coniratos asoLras da ponte de ferro sobre *,r e qur canonico, visto que os povo
oVr0,A,^,bT'be,.PS.Iugar denominado S. Joo na Sod^F"?0 ,em de lr Va Garanhuns 14 leguas,
estrada de Pao d'Alho, e bem assim as dos reparos H5JLZS &* ^ V'"a SmenIe a 6 e 8 de
" da PD.lez'fll'a do Timbi, aulorisei o recebimento "pl'?! can''nho.
dade engrossar as Oleiras do general Flores, que definitivo de taes obras, a cujos arrematantes man- *d^*lda.a divisa ds distridos de Paz cola
desla forma tem procedido sempre, converlendo os dei pagar o que se Ibes devia. i n.ecejsidade ja representou, bem como e reedica-
seus prisioneiros nos mais fiis e dedicados com-1 Da exposigo feila pelo engonheiro Henrique Au- i da velna cadeia de Cimbres.
panheiros detrabalho. Com esta [r'',!',, ** u.l< pnr^^ a .-.:___:_____
vado alcance, poderemos encontrar
agora, em Montevideo, urna viniena
tenham sido perjuros e que como taes sero traa- i" resuaaao ao trabalho incumbido aquelle enge-
dos; mas desarmamos muitos odios, e forgamos ao nheiro, em virtude do contrato que celebrou com ,
respeito os nossos propnos antagonistas, que nao um dt) 'neus antecessores em 26 de agosto do anno m?aidades
acharao mais um pretexto para transformar em ; prximo passado. I ex!se. e apenas um pequeo quano'cm" i la s
urna queslao de raga um assumpto de reparago A ** exposigo vao annexos alm do orgamen- pripao-
nacional, e cora elle levantarnos mais inimigos. t0 Da importancia de oiio ceios e selenta e quatro; s/a ?eeJnan,e obra P.ede a cmara a consiena-
NaooM(toca descrever a V. Exc. esta brilhante contos quinhentjs e quareBta e tres mil seiscen- Cd0 de :000.
operagao do nossas forgas de mar e trra, reun- tos e quarenta ris (874:545640), de urna estra-
das as tropas briosas do exercito alliado, embora da de rodagem a construir-se da estagao de Fre-
testemunha occulai dell.. "iras a povoagao dt Giavat pelo valle "dorio
O dislindo marechal commandante era chefe de Jpojuca, os mappas comprehendendo o nivelamen-
ercito. ter naturalmente referido a V. dessa estrada, na exlengae de vinle e cinco mil
JgaS'Sgg* n"cadefa, que teste s cora-
s precisas, visto que a que actualmente
..---------------., ,, uaiuidiiiicuie reieriuu a v. -"ouo, nd tiieugao OC vinie e cinco mil
K-xc. os acios de herosmo e de bravura praticados t;racas> e o plano de edificago para o povoado de
pado com perto d 3,000 homens as immediages dos Pe'o o Io tenente Joo Baplista de Oliveira
daquella cidade, pelo lado do Arroyo Secco, para' Montaury, meu ajudante de ordens, prorompendo
alaca-la, aproveitando o effeito moral da rendigo!em vivas enthusiasticos. Esta forga oceupou a
da Villa do Salto, qe se tinha entregue fcilmente' posigao que.lhe foi determinada pelo general, e ahi
jut-lle general alguns dias antes, decid esse des- permaneceu ata a noute, ba?ndo-se sempre cora o
embarque, que se effectuou no da 4 com toda a canto que Ihejicava em frente. Marchou com
commodidade, a urna legua de distancia dos inimi- e!'a 2o cirurgio Dr. Balduino Alhanasio do Nas-
gos. Dspunha o general Flores as suas tropas de cimento, o pratico Eichebarne,
800 infantes, e de 7 pegas de arlilharia, 3 das quaes Para tomar um fusil, e portou-se com valor,
eram raiadas. Pela minha parle apresentava um voluntarlo Joaquim Marques Lisboa Jnior,
conlingente de 400 pracas tirado dos vapores Re-' As 2 oras da tarde o inimigo estava reduzido
Cifc Belmonle, Parnahyba, Araguay e Icahy, alm ao recinlbo da praga; mas nossos marinheiros e
de urna reserva de cera homens, que devia desem- soldados estavam fatigados por tantas horas segu-
barcar. ) das de fogo debaixo de nm sol ardente, e nao lnha-
" Aquella forga se cempunha de 200 pragas do Io i mos tropas frescas para proseguir as vaotagens
balalho de infamara, que tinha vindo da corte re- 1ue. podamos alcangar nem reserva para
forgar as gnarnigoes da esquadra, de 100 soldados apoia-las.
do batalhao naval e 100 imperiaes marinheiros. Conservamo-nos por conseguinte al noute nos
Acompanhava-a urna batera de tres pegas de pontos tomados. Entao resolveu o general abando-
Eotretanto, o general Flores teve parte de que o
general Saa, commandante do exercito em opera-
goes do governo de Montevideo, havia
Rio-Negro com perto de 2,000 homens.
mos logo le'
Reembarquei promptamente
que estava em ierra, os
que se offereceu I que havia no acampamento, e nessa forga
e o offlciaes iBdispensaveis, seguio o exercito alliado
ate o Rabau, cinco leguas distante de P.iy onde elle parou, por terem chegado noticias poste-
nores, que refenara que aquelle exercito havia re-
passado o Rio-Negro para o sul.
Uous dias apenas respiraram os defensores de
Gameleira.
por nossos soldados e marinheiros e pelos valentes
companheiros de cruzada que acompanham o ge- Pelo relatorio do chefe interino da repartigo das
neral Flores, nosso bravo alliado, attacando a san-, ."ras Publicas, que sera submetlido a vossa con-
gue fro posgSes bem defendidas, ganhando terre- siderago, e no qual encontrareis mais esclareci-
no pao a passo, de casa em casa, debaixo de ora montos sobre esse ramo do servigo publico, veris
chuveiro de balas que nao os eslacava. ; Qnaes as obras novas, que convm emprehender, e
Marrana e exercito, bem como orientaes alliados, -ue sao estimadas na quaulia de duzentos e qua-
lodos porfiavam em ajudar-se mutuamente, em rct"a cinco contos de ris.
goes do governo de Montevideo" 'rCTn' SS para -m commum ~ 1 era a posse COMPANHIA PERN'AMBCANA DE NAVEGA-
" eero com nertn Wn hmln- Pn fhir, I daq.aeIla prac*' Ja refada por ,ant0 san2ue Precios-1 CA0 COSTEIRA POR VAPOR.
i oggo Slar otio'Tmarchar ohrllE" 7 a-rte ,mporlanl? 1Uft no^ oube nesle trium- EsU empreza continua a prestar os mais irapor-
ttmMto mSLS^lSu ^M5'?'po competente do mesmo ma- tan es serv.gos ao commercio desta provincia, de
frridn pffi mE, I eChal' qa- 5m lu:a me diri8' offlcio Jun" mu,,as 0alri*' 8 ao publ.co em geni,
feridos, e todo o material l0 por copia n. 2. 8 I Seus contratos cora o governo provi
,l0' e )s 1 Declarando, pois, a V, Exc. que todos os offlciaes sid flel e reslricUraente -?*-
e pragas que tomaram parte na> operages cum- dos-
priram o seu dever, mantendo illosa, e robustecen- As viagens para os portos por onde escalam os
do anda a repulagSo de gloria que a armada e o seus vapores foram regularmente feitas e sem in-
exercito imperial tem sabido conqnstar, repito o terrupgao comprehendidas as viagens a Ilha de
que publico e notorio, o que exige a mais severa Fernando de Noronha.
Paysand livres < FfetaunmuM'/r ^^1^T^^' J^05 elles sao d'nos de receber a remo-! A companhia trata de devassar novos ros na
rJcom as u tiraas 5&SSsf so e seus"' S- ^T^ sua ma8eslade impert,lor ^ T' de-s,nf- MveCw, o que deva trazer resulta-
n,c,~ .." s I costuma distr'bmr semore com generosidade aos d0i mu felizes para as rendas publicas e para o
commercio, e deseja igualmente supprimir a esca-
alguns que se tor-' 'a de alguns porlos qne a experiencia tem moslra-
live- do nenhuroa
provincial, tem
observados, e cumpri-
passos, e veio oceupar as mesmas posigoes, que
aquelles abandonaran! logo que nos avistaran).
" 28 chegou tambem o marechal Menna
e sua
sempre com
seus leaes soldados.
Entretanto devo especialisar
campan! de calibre 12, com sua compleme do- nar alguns para nao enfraquecer a nossa forga, Brrelo com urna div.sao de nosso^xerc lo de one : TSblEommendaveis ainda, por qu.
tagao, coramandada pelo 1 lenle Antonio da Sil- espalhando-a por urna linha tao extensa a guarne- rages, forte, de mais de 6 000 homnV Pnir" ^ m -L de serem encarregados de com- Pendem de solugao do governo imperial e as-
,e--Jtieestoucerto seriara desempenhadas por ffoM* geral legislativa alguns favores a que a
vantagem offerecerem.
oir Lo n t P Ta ''?,na 0 e,xlensa a guarne- race-S frte, de mais de 6,000 homens, entre os
va Teixeira de Freitas, secretario ajudante de or- cer. no que concordei. Por isso fez convergir par- quaes 2,000 raanles pouco raals ou meos e um
dens deste commando. Esti batera tinha lambem 'e della Para o porto, onde acarapou, e outra parle parque de arlilharia de 12 pegas
urna estativa para langar fogueles a Congreve, a flCU guarneceodo a arlilharia, que permaneceu A posigao do inimigo tornou-se a mais critica
cargo do 2 lente Miguel Antonio Pestaa. Com- no campo em que operou. possivel.
mandava toda esta forga o caplo do Io balalho Desde esse da trabamos um p na cidade. Se o Ainda assim nae quiz capitular auando recebeu
coronel D Leandro Gmez tivesse o menor sent
de infautaria Francisco Mara dos Guimaraes Pei-
xoto
Para completar sua org'anisago seguiam-a os
2o' cirurgies Drs. Luiz Alves do Banho e Joaquim
da Costa Antunes, com ambulancias, caxa de ins-
trumentos e tudo quanto era neeessario para o pri-
meiro curativo d> A relagao n. 1, contm o nome de todos os ofii- tulago honrosa. Nao obstante, elle proseguio na
cises e pragas que enio sallaram, e que manifes- sua 'u'a infruclifera e homicida,
taram o maior enthusiasmo, principalmente quan- E-tava feito o reconliecimenlo que projeetemos,
do, formando-os em quadrado, fiz-lhe urna enrgica o qual livemos perdas raui pequeas relativanien-
allocugo, lembrando-lh s a missao de honra que !e as do inimigo, e a desproporgo de nossas forcas
vinham desempenhar no Estado Oriental, tendo o as delle. Estas perdas limitaram-se 6 horae'ns
prazer de ouvir nessa occasao minhas ultimas pa- morios, e 23 feridos.
lavras serem coberias dos mais vivos applausos a
S. M. o Imperador, familia imperial, nagaobra-
sileira, ao exercito e armade.
Devo francamente declarar a' V. Exc. que a
niaor difflYuldade que encontrei na organisago
desla forga foi conter o ardor com que lodos que-
nam fazer parte della.
Assim que, para salisfazer o mais possivel tao pragas do 1 batalhao de infamara, commandado
noures desejos, que me enrhiam de orgulho por P.el tenente Eduardo Emiliano da Fonseca, foi
me ver a' frente de jovens to briosos, tive que vivamente incommodado pelo fogo de fusilara e de
desembarcar alguns commadantes de navi)s, offl- arlilharia do inimigo, a que nao respondemos, e
claes de fazenda e todo o meu estado-maior, Ocan-11Qe nenhum mal causou. Na manha do dia 8
do s no momento da aego. rompa esta batera, protegida por saceos de ara,
Tinharaos infanlaria e arlilharia, e apenas nos; um magnifico fogo sobre o forte de Sebastopol; a
faltava cavallaria. A' vista disto, o estancielro bra- raatriz e a commandancia era acompauhada -pelas
sileiro Jo? Braifacio Machado, que commandava canboneiras Belmonle o Parnahyba, que de espago
um esquadro de 16 i compatriotas que formaron ] e.m espago atiravara alguraas bombas. Entretanto
no exercito liberiador, pedo-mo urna b.mdeira na- j tinha marchado toda a nossa forga para emprehen-
cional e veio iraraediatament: reunir-se nossa! der um acoiqmeltraenlo era ura ponto mais vulne
intimagao para isso. Reparou-se tudo para rom-
raen o de humanidade para com os desgragados per novaraente as hostilidades. O exercito montou
namiantes que anda exisliam ali dentro, e um suas baleras em posigao bem escomida, a esqua-
S0rfoeM!m0,rpatri0paral,p0JupJar a se-u paiz a dra Pralcou o mesmo, asseolaodo as duas pegas
ruma delle, tena coraprehendido que nao Ihe res- de Whitworlh de 30, de que j fiz meado e que
uva senao a alternativa ou de tentar romper a linha ] eram commandadas pelo pnraeiro tenente' Henri-
que Jos Mariins, alera das duas de 32, do comman
do do primeiro lenle Barros.
A arlilharia volante da esquadra compunha-se de
duas pegas de W'hitwortli de seis, commandadas
pelo primeiro tenente Antonio da Silva Teixeira de
Frenas, e de algumas de 12, de brouze, quese-
guiam os pelotoes confiados a varios offlciaes de
manaba.
No da 31 de dezembro, pela madrugada^ a dous
tiros de pega do forte Sebastopol, nossas bateras
comegaram um fogo nutrido incessantemenle, que
nao deixou mais os tillados descancar nem parar
em suas bateras.
Nesle dia a marraba chorou a morle do bravo e
:livo primeiro tenente Mariins, que levou urna
i\o dia 7 mandei desembarcar duas pegas de
calibre 32, e urna de 68 de 6- classe, para eolio-
calas em batera na eminencia da Boa-Vista, que
domina a praga pelo lado do norte. Esta operagao,
executada durante a noute pelo 1 lente com-
mandante do Recife, Amonio Carlos de Mariz e
Barios, e apoiada por- um destacamento de 100
gente.
Antes de tentar se o alajue da praga foi intima-
do o commandante della, que era o coronel D
ravel, porque o inimigo acaban de sorprender e
de degollar brbaramente urna partida Je 40
orientaes nossos alliados; e fijuei no posto com
Leandro Gomes, para render-se com as honras da j o meu estado-maior e urna guarda de 30 imperiaes
guerra, e previni aos commandanles dos navios de marinheiros, commandada pelo Io lenle Amonio
guerra estraogeiros que se achavam no porto, que, Severiano Nones, que servia de defeza aos infelizes
este ataque teria lugar depois de 48 horas, que feridos, que jadam no hospital de Sangue, que
marcava para evacuagao da praga pelas familias estabeleci na capana do porto, e que erara assis-
que nao se quizessem expr as tristes eventualida-! tidos, nao s pelos tres mdicos cima mencionados
des da guerra. que entraram em cmbate, como pelo chefe de
Aquelle coronel, que tinha dentro de suas bem i sade Dr. Claudio Jos Perera da Silva e 2o cirur-
organisadas trincheiras perto de 1,400 homens, co- giao Dr. Joo Adro Chaves,, e Io pharmaceulico
mo finalmente se soube quando se tomou a praga, 1 tenente Albino Gongalves de Carvalho, os quaes
numerosos offlciaes, e entre elles alguns de reco- todos merecem os maiores elogios pela humanida-
nhecido valor, como o coronel Lucas Pires, que, de, zelo e pericia cora que cumpriram o seu dever
con>ti!uio-se a alma da defeza, abundancia de mu- sagrado.
nigoes de guerra e de bocea, algumas forlificagoes: O grande effeito moral que queramos conseguir
bem collocadas, guarnecidas cora' 7 pegas de arli- estava alcangado. Nossas tropas reconheceram sua
Iharia de 18 e 12, e que contava com o exercito do superiorldade sobre o inimigo, e mostraram-se
partido blanco, que etava em campanha, e que se dispostas a maiores eraprezas. Podamos, porlan-
dizia em marcha, assim como com a vinda dos Pa-! to, l^niar o assalto com esperanga de completo
raguayos, e de alguns bandos de Enlre-Rios, re-
pelho a inlimagao com arrogancia, atirando sobre
o parlamentario dous Uros, que declaroii ser sua
vnica resposta-
Sabia elle, alm dissso, que o iriain accommelter
apenas 1,300 a 1,400 infantes a peito descoberto;
triumpho, porque nos constava que os sitiados at
tinham falta de espoletas fulminantes, e que usa-
vara de phosphoros de cera. Mas era preciso con-
tar com grandes perdas e nao quiz ex|lr os nossos
marinheiros, que com tanta difflculdade se substi-
luem, e sao necessaros para a contnacao da
pois que a cavallaria nao poda entrar em acgo, e que anda agora principia.
nao pensava que o fogo das canhoneiros alcangas-1 Alm disso nao havia nos navios seno o nume-
se suas forlificages situadas a mais de duas mi
varas hespanholas da posigao mais prxima que
podiam oocupar no rio.
No dia 6 pela madrugada moveu-se nossa forga
com a do general Flores, para inveir os pontos
avangados do inimigo, o arrojou logo para o inte-
rior da prags todas as partidas e goerrilhas que
arada permaneciam fra; tal foi o denodo. da car-
ga com que os accommetleram. as partes em de-
talhe que junto remeti por copia a V. Exc, esto
mencionados os fados occorridos era cada um dos
pontos atacados, e da llnguagem sincera e franca
dellas traduz os esforgos de valor e bizarria que
foram praticados neste combate merooravel por
nossas forgas de mar e ierra. A artilharia de cam-
panha desmontou se tola depois de algum fogo pe-
la fragoeza de seus reparo?, e a estativa de langar
foguetes a Congreve ficou inutilisada, porque nmi
tala a entorlou.
Nao obstante a resistencia dos sitiados, nossos
gofdados e os alliados ganhavara visivelmeate
ro suffleienles de bombas para alirar quando resol-
vessemos o assallo, e tambem o general Flores
careca de projedis para sua artilharia raiada, e
de pelvora e cartuxame. Nesta emergencia resol-
vemos entreter o lempo para aguardar o exercito
imperial quHa estava em marcha no estado orien-
tal, e fiz partir o secretario e ajudante de ordens 1
tenente Antunes, na Parnahyba, para Buenos-Ayres,
aliin de prover-se naquelle porto dos navios que
ali linhamos, de tudo quanto precisavamos No fim
de 72 horas aquelle offlcial se achava de volta ao
acampamento, trazendo muitos recursos bellicos,
grande* parle do armamento e munigoes que a cor-
veta Bahiana conduzio da corte, a qual, por urna
feliz coincidencia, chegou aquelle porto no mesmo
da que aquella canhoneira, 100 pragas do batalhao
naval e de imperiaes marioheiros tirados de sua
gdarngo, do Paraense e da Nilhorohy, duas pegas
raiadas de calibre 30 deste navio outras duas de
seis de desembarque, o 1 tenente Heoriques Fran-
cisco Mariins a quem pa dostinava o commando
bala de artilharia na cabega, na occasio em que
venllcava a pontaria de urna das suas pegas. Foi
urna perda bastante sensivel para-nV; e eu ouso
recommendar a familia deste valente offlcial pro-
teegao de S. Magestade o Imperador e do governo
imperial.
Continua o fogo quasi sem raterrupgo em todo
p da 31 de dezembro e no Io de Janeiro. Ao ama-
nhecer do dia 2 sahio da praga um individu cha
mado Moreira que nos inforraou ter aiorrdo no dia
anterior o general Lucas Pires, que era o susten-
tculo da defeza, e nos apresentou urna ola do
commandante della pedindo, era nome da humani-
dade, urna suspenso de hostilidades por 8 horas
para enterrar os morios e cuidar dos feridos. Es-
lavamds respondendo a esta nota, declarando-lhe
que mesmo em nome da huraanidade, Ihe devia-
mos recusar esta coucessao, porque ella Ihe dara
tempo de reparar os estragos soffndos e prolongar
urna resistencia intil que provocara novo depra-
mamentc de sangue, accrescendo que antes das 8
horas estaramos senhores da praga, quando appa-
receu AtanasildoSaldana, que era seu prsieneiro
ha mais de um anno, querendo saber, em nome do
seus companheiros com ignal dedicago e valor, compantna parece ter direito, a vista do relatorio
commissoes que muto influram para a victoria do respectivo gereute em que mostrou a exiguida-
que alcanzamos. i de da subvengao que percebe em comparago das
Tratare em primeiro lugar de meu estado-maior. oulras do imperio.
O chefe de diflsSo Francisco Pereira Pinto, chefe A coacesso de taes favores a habilitar a dar a
de estado maior e commandante da terceira divi- seus associados um lucro rasoavel.
sao da forga de meu commando, que servio no rio Possue actualmente a comoanhia qualro vapo-
Uruguay, dirigi todo o trabalho de desembarque res e acha-se um outro em conclusao na Ingla-
da arlilharia, munigoes de guerra e de bocea, fez Ierra-
o supprimento de "cartuxame, armas e tudo qne Sao dignos de louvores os esforgos que esta com-
amiudadas vezes era reqnisitado pelas nossas for- Panhia tem feilc, e teem elles sido coroados de fe-
gas em ierra, com ordem o aclividade. Durante o ,IZ resultado pelo que diz respeilo ao commer-
combate ordenou o fogo do navio em que linha a tio-
sua insignia. Pernoitou muilas vezes no acampa- seu raovmento no anno que fiudou foi sats-
rainto, e esteve sempre prompte para o servigo tra- factorlo, sendo o numero das viagens trinta e urna
balhando rom vonlade e dedicago. Para o norte, e viole e quatro para o sul, e o de
O primeiro tenente Eusebio Jos Antunes, secre- Pasageiros 4,10o.
tario e ajudante de ordens do commando da se- Os gneros de produegao do paiz importados por
guoda divisao, encarregado de minha correspon- seus vapores subi a 986:147200 rs., isto mais
dencia directa com V. Exc. e os Srs. ministros de 129:8320700 rs., do que no anno anterior,
estrangeiros e da guerra, presidencia e autoridades A exportagao que em 1863 foi de 3,443:168,5751
militares do Ro Grande, agentes diplomticos nos- rs> tambem elevou-se a 4,377:182^021 rs. ou mais
sos e estrangeiro?, e commandanles das forgas na- 934:013**70.
vaes, estrangeiras, houve-se com a maior adivida- .1>0r esses algarisraos podis bem avaliar o ser-
de e criterio na expedigo das ordens e requisigoes viC 1ae presta a companhia ao commercio, e as
que precisava fazer em meu nome, tanlo quando vantagens que della provem as rendas publicas,
se preparava o combate como durante e aps elle. No entretanto, os seus accionistas anda nao per-
Dirigi com proveito o fogo da canhoneira Pama- cebem lucro algum dos capitaes empregados, visto
hyba, durante o bombardeamento ; foi incansavel como o balango fechado em 31 de dezembro pre-
a vigilancia e seguranga do acampamento durante terilo demonstra um saldo contra de 7,72895
o tempo em que foi por nos occopado, addlcionan- ris-
do a estes os importantes servigos que junto a mlm A companhia Pernambucana sem duvida dig-
tem feilo como meu secretario da correspondencia na.de allengao do governo pelos bons servigos que
em que cima fallo, em que lem sempre mostrado vae prestando e prometie prestar, apezar das diffl-
muita mtelligenda, gosto, zelo e inleresse vivo culdades com que lem luctado, e cora que luctaro
pelo bem do nosso paiz. i emprezas taes em um paiz como o nosso arada bal-
0 primeiro lenle Antonio da Silva Teixeira de do de certos recursos.
Freilas, meu secretario no expediente da forga na-! RECEITA E DESPEZA.
val, portou-se com muto valor e denodo na direc- ^ relatorio do digno inspector da thesouraria
gao das bateras que commandou, merecendo lou- da provincia encontrareis todos os esclarecimentos
m Algreia matriz precisa de ornatos, e de concer-
tada ne.CIYpar.a U|as despezas pede que seja vo-
lada a quantia de 2:000*.
i.n ? ~Pede a crea'ao de uma cadeira de la-
, 1 au8mento em que vai a populago, e
que se mande concluir as obras da casa que havia
principiado para as suas sessoes e as do jury, e
oin. ? -*e recursos necessarios para coa-
ciui-ia linha offerecido ao governo que aceilou com
arondigao de servir tambera para cadeia e quar-
Declara que a matriz da villa necessita de auxi-
lio dos cofres provinciaes, porquanto tendo sido
euracaaa pelo povo, poucos recursos tem recebido
do governo.
Bjm-Conselho. Declaro que o seu municipio
resenie-se de muilas necessidades, e entre ellas
juiga que as mais palpitantes sao : a creago de
uma collectoria geral, a construego de uma ca-
deia, viste ser o termo grande e distar da sede da
comarca 10 leguas.
Que tendo esta assembla concedido o anno pas-
sado uma lotera para a construego do cenjiterio
villa, era mister para se effectuar essa obra qne
vores pelas boas pontarias que fez, do tcoente-co-
ronel Andr Alves Leite de Oliveira Bello, sob cu-
jas ordens estove no combate, o qual exalta o seu
ardor militar.
O primeiro tenente Joao Baptlsta de Oliveira Mon-
taury, meu ajudante de ordens, portou-se com
muito valor e sangue fro no attaqne do dia 6 de
dezembro, dirigndo convenientemente a forga que pblicos, que estou certo nao applicareis a aug-
commandava. mentos de ordenados e a servigos que tenham por
dito general, nossa de'ciso Nessa resDMta dss'e i a, prq,eir? tenentei Jos LaraPg0 Co?,a' meu aJu" flm beDiB9iar antes Particulares do que a provin-
_.. aa..uc aajssemos dante de ordens, pode apenas servir no primeiro! ca, convmdo pelo contrario '......
1 dia por ler feito a marcha j multo
necessarios sobre esle assumpto, assim como ob-
servagoes muilo importantes, que sem duvida me-
recrao vossa esclarecida allengao.
Nao podendo expr ideas minhas pelas razoes
ponderadas no comego deste relatorio, limito-me a
recommendar-vos a mais seria medilagao sobre a
materia, e a mais severa economa dos dinhelros
discrigao seria
tambem que se elle se rendesse
tratado bem pelos alliados.
Entretanto o fogo contnuava por toda a parle, e
nossas tropas foran avangando, e chegaram ao in-
terior da praga quando o general Leandro Gomes
escrevia sua resposta a esta ultima concesso, que
nao ple concluir, porque foi apresranado pelo co
ronel Bello, que o entregouao coronel oriental Govo
Soarez. em virlude de reclama-lo este em nome do
general em cuefe, e preferir aquelle segui-lo. D'ahi
a poucos momentos eramos informados daquelle
tacto, e de que o geBeral Leaudro Gmez, com
mais dous ou tres offlciaes, tinhara sido fuzila-
dosl- i
Nao pude conter a Indignagao que se apoderou
de mim por ver manchar assim uma to esplendida
victoria I
Grande era a affronta que tinharaos a vingar,
innmeros os insultos que o Brasil e os Brasileiros
soffreram deste homem. Comtudo, eu queria que
sua vida fosse respeilada como bavia positivamente
reconrmendado com uma solicitude que nao disfar-
ga, para mostrar a nossa religio e os principios da s
,a mto encommodado
de uma perna, em que tinha um tumor que o fr-
gou a recolher-se a bordo no fim da jornada, ten-
do-se comportado bem dorante o fogo.
O primeiro tenente Helvecio de Souza Pimentel,
secretario ajudante de ordens do commando da ter-
ceira diviso, houve-se com actividade e zelo na
transmisso das minhas ordens no combate do dia
31, tanto para bordo como para nossos pontos avan-
gados.
( Continua!-se-ha )
civilisago moderna.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Relatorio com que o Exm. Sr. Dr. Antonio Borges
Leal Castello Uran -o abri a prese ule sesso da
assembla legislativa provincial.
(Conclusao.)
OBRAS PUBLICAS.
Aeham-se em hasta "publica os reparos indlspen-
da cadeia da villa do Cabo, avallados em
trezentos e quarenta e cinco mil ris (3455000; e
Mas a fatalidade impellio-o a seu destino, fazen- os do empedramento do lugar denomlnado-Area*
do^> deixar pelo seu orgulho a prolecgo da ban- do Gyulna estrada da Victoria, orgados em tre-
sileira sem se recordar que os odios zenlos e noventa e sete mil e quinhentos ris
rao sempre mais crueis que os nacio-
poliiicos
naes
Cumpro um aelo de rigorosa justiga regislrando
que nosso distineto alliado, o general Flores, mos-
trou-se igualmenle mu sentido por este desagrada-
vel faci, e tratou de proceder a* um inquerito so-
bre elle, por qne, a par desta vecsao, corra a de
que aquelle chefe inimigo bavia sido raorlo em
combate.
Assim concluio-se a batalha, na qual lomamos
(3975004
Mandei por novaraente em praga a obra da pon-
te de ferro de Motocolomb servindo de hase a es-
sa arrematagao o abale de 7 por cento offerecido
por Jos Augusto de Araujo.
Acba-se arrematada a execugo da obra do raio
central da casa de deleogao por Jos Aogosto-de
Araujo, cora o abate de 21 por ceoto sobre o res-
pectivo orgamenlo.
Ordene o pagamento da qaantia de viole e tres
> fazer as reduegoes jmcagao ara
possiveis neslas verbas e em algumas outras. calorosa dis
Os servigos mais urgentes e productivos, para
que nunca daris de mais, sao: a educaco popu-
lar, feila como convem, e nao de um modo inepto
e absurdo; vias de communicagao e lavoura.
Sobre estes assumptos apresentar-vos-hei por
qualquer modo algumas ideas a tempo de as to-
mardes na considerago que merecerem.
CMARAS MUNICIPAES
Iguarass.Corao uma de suas necessidades in-
dica esta cmara a construego de uma ponte que
ligue o continente do seu municipio a populosa e
productiva ilha de Iiamarac, no lugar da povoa-
gao de Itapissuraa, onde a companhia Pernambu-
cana consiruio espagoso armazem e solido trapi-
che, o que deve concorrer nao s para o engran-
decimento industrial d'aquella rftia, mas tambem
para o incremento j bem coiavel da referida po-
voagao.
A construego dessa ponte, reclamada a mais de
dezoito annos, segundo assevera a cmara, deman-
da nao pequeo capital, mas suppe a qual muni-
cipalidade que as vantagens de sua construego
sao superiores as respectivas despezas estabelecen-
do-se um pedagio rasoavel.
A abertura do no que travessa a villa, e cuja
foz forma com a do que passa por Itapissuma a
bem franca barra de Iwmarac que demora duas
leguas se lauto da mesma villa, onde ha uma larga
e profunda bacia que offerece commodo para an-
coradouro, outra necessidade daquelle muni-
cipio. ,
Alm destes melhoramentos. a eamara pede ain-
da uma coadjuvago para concluir o seu cemilerio,
e uma subvengao para o coaeerto do predio urba
aquella lotera fosse contemplada entre as que de
preferencia tiverem de ser exirahidas esle anno.
Agua-preta.Esta cmara pede a construego
de uma estrada, que, principiando nos limites desta
provincia com a de Alagoas as mmediages da
povoagao de Jacuipe, v terminar na estagao da
va frrea denominada Agua-Prela, passando pela
villa deste nome.
A construego de duas ponles sobre o rio Una
sendo uma no lugar denominadoGravai-poni
muilo importante, visto como por elle que se faz
o crescido transito daquella villa para a referida
esiagao de Agua Preta, e outra na povoagao dos
Montes, emporio boje de lodo o commercio do
centro da provincia.
Um auxilio pecuniario para a construego de
um cemitcrio na villa, e para as obras da matriz
que all se est edifiando, sendo que a igreja que
serve de matriz, alm de ser uma velha e pequea
capella de taipa, edificada em poca remota e es-
tragada pelo tempo, est em estado qasi de ruina.
Quanto s necessidades dos outros municipios,
anda nao foram recebidas as informagSes que se
exigiram a semelhante respeilo.
A exposigo que tenho feito, senhores, tao in-
completa que eu nao vola apresenlaria se nao ti-
vera o dever de o fazer; mas, apezar de reconhe-
cer que ella nada contm que possa esclarecer-vos,
e guiar em voseos trabalhos, sou forgado a prlhe'
termo, na certeza de que vossas luzes, e os impor-
tantes relalorios, que vos sero apresenlados, das
differenles repartieses da provincia, supprirao tudo
o que omitto.
Pego-vos de novo desculpa de minhas faltas, as-
segurando-vos que sao involuntarias, do que vos
convencereis se quizerdes observar o emprego que
dou ao tempo, e experimeolar a soliclude com que
me preslarei a t ido o que de mim exigirdes para o
bom cumprimenlo dos deveres.
Estes exigem de vos muita clemencia, reflexo
e patriotismo : destas qualidades daris sempre
prova no decurso de toda a sesso, mostrando-vos
em tudo superiores rivalidades ou divergencias
polticas, e fortemente unidos e concordes em nm
s pensamento : de fazer bem a provincia e dar-
lhe o nobre exemplo do poder da voutade dirigida
pelo sentimento do dever.
Senhores I A circunstancias do paiz e da pro-
vincia sao melindrosas : ellas pedem loda a vossa
allengao, que a nao dislrahiaes para objectos que
podem aggrava-las, e a appliqueis toda cura dos
males existentes.
Os mdicos, pharmaceuticos e enfermeiros que
por largos terapos intervieram no tratamenlo de
um enfermo poderoso, se reunirn) quando o mal
j adiantado, para consultar sobre os meios de o
salvarem.
Comegaram pela invesligago das causas, e dos
erros passados : acharara todas as recetas ms,
todos os medicamentos mal preparados, e sua ap-
hcago ainda peior : travou-se em consequencia
alorosa discussao entre lodos, defendendo-se cada
qual das impulagSes que soffria, e laucando as ac-
crimoniosamenle sobre os outros. Bem compre-
hendeis que o doente morreu-antes de comegarem
os doutores e seus auxiliares a segunda parte da
discussao que devia ter por fim achar os remedios
apropriades ao mal.
Eis o que frequentemente vem s era nossas as-
semblas, e o que espero evitareis, emquanto a mo-
lestia cura vel.
Proteste-vos qne como enfermeiro, fiel, paciente
e dedicado, velarei a cabeceira do doeote ainda
muito forte e robusto.
Palacio do governo de Pernambnco, Io de margo
de 1865.-Antonio Borges' Leal Castello Bronco. '
...
Expediente do dia i de margo de ISCo.
.Offlcio ao Exm. desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.Concedo, de confor-
midade com o seu offlcio de 27 de fevereiro ulti-
mo, sob n. 92, a autorisago que V. Exc. solicitou
para ser posto em hasta publica, o arrendamenlo
da casa n. 63 da ra da Cadeia do Recife, perten-
dda por Antonio da Silva Ferreira Joniore Olvm-
pio Ferreira da Silva.
Dito ao coronel commandante das armas interi-
no. Sirva-se V. S. de mandar alistar no exercito,
se Tor para isso considerado apto em inspeegao de
saude, o guarda nacional do 9 batalbo de infan-
laria Marcelino Jos de Santa Anna, o qual para
esse fim me foi remettldo pelo coronel comman-
dante superior de Olinda.



Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio de V. S.
no pertencenle ao seu patrimonio, e que desde de 27 de fevereiro-ultimo, sob n. 1388, tenho a di-
1846 tem servido de quam aos destacamentos, I ier-!he que o servigo actualmente cargo d i cap-
\




\
1
SI
Diarlo de Perttmbiico Qliarta felfa 8 de Marco de i 865.
'.'.
'
* *
.;:
"to pncarregado do deposito de voluntarios da pa-
tria, podendo brevemente cessbr pela nomeago de
offleiaes para o dito corpo, nao julgo conveniente
disirahir do eoBimaudoda fortaleza, de Tatnandarc
o alferes reformado do exer'cito Jorge Rodrigues
Sidreira, para vir utfiliaT aquello capitao," mas
procurarei ter em attengo o patritico offereci-
nstragao oesto mez.-Communcou-se ao ch'efe in-
terino da repartigo das obras publicas.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Mande V. S. apresentar ao coronel commandante
das armas, e desligar do corpo sob sen commando,
no caso de serem julgados aptos para o corpo de
voluntarios da patria, como se offerecera, os sida-
ment do mesmo alteres, qwodo tiver de noraear l dos Raymnndo Pereira Duarte e Jos Francisco Pe-
offieiaes para o corpo de voluntarios da patria.
Dito ao mesmo.Approvo a deliberacao que. se-
gundo o stu officio de nootem datado, sob n. 423,
tomou V. S. de autorisar a compra da agua pre-
cisa para o consumo dos voluntarios da patria
aquartellados na fortaleza das Cinco Ponas, na
razo de um balde para cinco pravas.Communi-
cou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Fago apresentar a V. S. o cida-
do Jos Antonio Seifert, que se oTfereceu para
servir no corpo de voluntarios da patri-, adra de
que Ihe de conveniente destino, depois de ins-
peccionado.
Dito ao esmo.Fago apresentar a V. S. o clda-
dao Maoeel Ferreira Lima Jnior, que so olfere-
ceu par* ervir no corpo de voluntarlos da patria,
afim de que V. S. Ine de o conveniente destino, de-
pois de inspeccionado.
Dito ao mesmo.Faco apresentar a V. S. os ci-
dadaos Laurentino Alves Coelbo, Francisco Anto-
nio Socueira e Marliniaao Jos da Silva, que se
offereceraui para servir o corpo de volntenos da
patria, afim de que V. S.lbes de o conveniente des-
tino, se para isso frem julgados aptos.
Diloao mesmo.-Srrva-se de mandar alistar co-
mo voluntario da patria a Hermindo Deocleciano
Loyolla, se para isso or considerado apto.este
sentido offlciouseao pai do predito voluntario.
Dito ao mesmoEx pega V. *. suas ordens pa-
ra a guardada casa de detengao ser augmentada
com untas pracas quantas forem necessanas para
acompanhar diariamente a dous sentenciados que
vo fazer servido de fachina no quartel de volun-
tarios da patria, na fortaleza das Cinco Ponas.
Coromunicou-se ao juiz municipal da 1* vara desla
Btio ?.o Dr.-c-hete de polica.Declaro a v, S,
em resposta ao seu officio n. 269. de 27 do raez
passado, com referencia a outro do delegado do
termo de Serinhem, que cidadaos destinados ao
corpo de voluntarios da patria tero passagens pela
via frrea, por estarem expedidas para esse um as
convenientes ordens, mas a remessa dos recrutas
de ve ser teita como al o presente.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Constando de participago offlcial que o bacharel
Jos Joaquim de Souto Lima, em 21 do mez pas-
sado deixou o ^xe cicio do cargo de promotor pu-
blico da comarca do Limoeiro, para tomar assento
na assembla legislativa desta provincia : assim o
commuoico a V. S. para seu coohecimento.
Dito au mesmo.Constando de participacoes oUl-
ciaes que o bacharel Francisco de Araujo Barros
deixou no 1" do corrente o exercicio do cargo de
juiz municipal da 2 van desta cidade, e tomou
assento na assembla legislativa desta provincia,
e que o bacharel Virgilio de Gusmo Coelbo, na
qualidade de 2- supplenle assumio o referido exer-
cicio no mesmo dia cima indicado : o que a V. S.
communico para seu conhecunento.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S., para os flns
convenientes, o incluso nappa nominal do movi-
mento havido no pessoal do hospital militar na se-
gunda qumzena do mez de evereiro pretrito.
Dito ao mesmo. -Deferindo o incluso requen-
mento do voluntario d* patria Firmino Jos Taya-
re-, recommendo a V. S. que, de conformidadecom
a sa informago de 2 do corrente sob n. 139, ex-
peca as suas ordens para que opportunamente se-
ja pago a Jos Tertuliano Correa de Almeida, pro-
curador do mesmo voluntario, a metade de seu
sold niensal, que pretende elle deixar nesta pro-
vincia em favor de sua familia.
Dito ao mesmo.Transmiti a V.S., para os tras
convenientes, a inclusa copia do termo lavrado no
hospital militar do exame a que se procedeu das
nove fundas do lado direito, e urna machina de fa-
zer unturas, que recoHieu pharmacia do mesmo
hospital o Dr. Joo Pedro Maduro da Fonseca para
o completo fornecimento com elle contralado pelo
xtincto conselho administrativo em Janeiro A
deste
anno.
Dito ao mesmo.O bacharel Hisbello Florentino
Correa de Mello participou que em 15 de fevereiro
prximo findo deixou o exercicio do cargo de juiz
municipal e de orphaos do termo do Brejo, por ha-
ver terminado naqoelle da o seu quadriennio : o
Dito ao mesmo.De participaco do respectivo
commandante superior consta que em 28 do mez
passado entraram em effectivo servico o inferior e
-a pracas da guarda nacional qne mandei destacar
na villa de Ipojuca : o que a V. S. communico pa-
- ra sju conheclmento.
Dita ao mesmo. Nao havendo inconveniente
mande V. S. pagar ao alferes do corpo de guarn-
cao desta provincia Joaquim Pedro do Reg Barros,
como pede no incluso requerimento documentado,
que me foi remellido pelo coronel commandante
das armas com officio do Io do corrente, sob n.
402, a quanlia de 445 despendida pelo mesmo al-
feres na viagem que fez delacarat a esta capital
com escala pelas Alagoas.Communicou-se ao co-
ronel commandante das armas.
Dito ao mesmo.-O juiz de direito de Santo An-
tao participou em 3 do mez passado, que por
ter concedido ao advogado Tiburtlno Pinto de
Almeida a exoneracao que pedio do cargo de pro-
motor publico daquella comarca, nomeara para o
substituir o cidado Jos Perelra Borges: o que a
V. S. eomrr.onico para seo conhecimenlo.
Dito ao mesmo.-Transmitto a V. S. o incluso
pret em duplcala, afim deque nao havendo incon-
veniente, mande pagar os vencimeatos a que tem di-
reito os soldados recrutas com deslino a corte ad-
didos ao% batalhao de artilharia a p, relativamen-
te ao tempo decorndo de 1 a 22 de fevereiro ultimo,
como se v do mencionado pret que me foi remeitido
pelo coronel commandante das armas com officio de
hoje sob n. 426.Commuoicou-se ao coronel com-
mandante das armas.
Dito ao mesmo. Ao cabo do corpe de polica,
Miguel Archanjo Ferreira Pinto, mande V. S. pa
itar, se nao houver inconveniente, a quantia de
6J>, importancia das diarias abonadas pelo dele-
gado do termo do Buiqoe aos recrutas enviados
para esta capital Manoel Izidro Bezerra, Manoel
joaquim de Sam'Anna, Manoel da Silva Camello e
Antonio Luiz da-Graga, constantes da relacSo junta
em duplicara, os qoaes, se evidencia do fflcio do
chefe de polica, datado de 2 do correte, sob n.
293, forara postos disposigo do coronel comman-
dante das armas, atim de terem o conveniente des-
tino. CommuBicou se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Participando Caetano de Ol
veira Mello, que em 16 de fevereiro prximo findo,
e na quslidade de 2" supplente assumio o exerci-
cio do cargo de juiz municipal e de orphaos do
termo do Brejo por ter o respectivo prc pnetario
terminado o seu quadrisnukt : asslm o communi-
co a V. S. para seu conhecimenlo.
Dito ao inspector da thosouraria provincial.
Nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar aos
empresarios da illuminacao a gaz nesta capital,
conforme solleitou o chefe de polica, em officio de
28.de fevereiro ultimo, sob n. 275,-a quanlia de
468 A, proveniente da despeta feita com Ilumina-
ran da casa de detengao, nos mezes de ootubro a
dezembro do auno prximo ovssado, como se v
dos inclusos documentos.Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao mesmo.Constando de officio do chefein-
jerino da repartigaodas obras puWizas, datado do i
do corrente, e sob n. 54, haver o arrematante dos
reparos da rampa do caes do Ramos, execirtado de
conformidade com o seu contrato mais de metade
daquella obra,assim o communico a V. S. para sen
conhecimenlo, e afim de que em vista do compe-
tente certificado, mande pajar ao mencionado ar-
rematante a quanlia de 5315:100 correspondente a
l' prestagao a que elle tem direito.Communicou-
se ao chefe interino da reparligao das obras pu-
sucas.
Pite ao mesmo.Em vista do jjue T. S. expoz
em sua informa co do 1 de correle, sob n. 83, o
autoriso a mandar por em hasta publica os repa-
ros de que precisara, as pontos do Bujary sobre o
rio Tracunbem e de Geianna, servindo de base
essa arremalagao os dous inclusos orcameolos que
para esse fin me foram remellidos pelo chefe in-
terino da reparligao das obras publicas com officio
de 8 de fevereiro nltimo n. 31.Comniuoicou se
ao chefe inleriao da repartigo das obras pu-
blicas.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicilou o
chefe interino da repartigo das 'obras publicas
em officio de hontem, sob n. 56, recommendo V.
S. qne mande adiantar ao agenle-Oel pagador da>
. quella repartigo, em preslagSes semanaes a quan-
lia de 7:910Jt, constante do incluso pedido para
occorrer-se as despezas com as obras por admi-
reira, de que tratam os seus offlclos n. 140 e 1411
desla data.-Communicouse ao coronel comman-
dante das armas.
Dito ao director das obras militares,Recom-
mendo V. S. qne, entendendo-se com os empre-
zarios da illuminagao a gaz, irale de mandar fazer
os coBcertos de qne precisara o encanamento e as |
bicas da illuminacao do quartel das Cinco Pautas,
onde se acha o corpo de voluntarios da patria.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.-O
Exm. Sr. ministro da marinha dando sologad ao
officio n. 165 e dala do 20 de Janeiro ultimo, era
que essa inspectora expoe a difRculdade de en-
contrar-se navio, que possa transportar armada a
caldeira mandada preparar nesse arsenal por aviso
de 19 de agosto do anno passado, para a barca de
excavagao do porto do Maranho, dotermina que a
dita caldeira seja condozidaao seu destino em pegas
separadas: o queconmunico V. S. para a devida
execugao.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo.Pelo officio de V. S. de 28 do mez
passado, fiquei sciente de haverem destacado, na
villa de Ipojuca, como determinei, 1 Inferior e 5
pragas.
Dito ao tenente-coronel Coriolano Velloso da
Silveira, commandante do batalhao 43 de guardas-
nacionaes de Serinhem. Recebi o officio que
V. S. me dirigi era data de 3 do corrente, apo-
sentando para servir no corpo de voluntarios da
patria os cidadaos Laurentino Alves Cselho, Fran-
cisco Antonio Nogueira, e Martioiano Jos da
Silva.
Agradecendo e applaudindo lo patritico proce-
dimento de V. S., acabo de mandar alistar os mes-
mos voluntarios no predito corpo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Em vis-
ta do que informa Vmc. em seu officio de 2 do
correte, sob n. 208, autonso-o a mandar dar bai-
xa da companhia de aprendices desse arsenal, ao
menor de norae Jos Francisco Nones, urna vez
que soffre elle peridicamente ataques astlimaticos,
conforme afflrma Vmc. em dito officio.
Dito ao mesmo.Mande Vmc. fornecer ao capi-
tao commandante do corpo de voluntarios da pa-
tria, os utensis que se fazem-precisos para o ser-
vico dos mesmos voluntarios constantes do pedido
incluso, que veio annexo ao officio do coronel
commandante das armas da 3 ds corrente, sob
n. 421.Communicou-se ao coronel commandante
das armas.
Dito ao capitao do porto.Em resposta ao ofB-
oiode 2 doeorrente, sob n. 40, em que Vmc. trou-
xe ao meu conhecimeoto o patritico offerecimen-
to que fez o secretario dessa capitana Decio de
Aqumo Fonceca de 2o por cento do seu ordenado
para auxilio das despezas da guerra em que se
acha empenhado o paiz, cabe-me dizer a Vmc. para
o fazer constar ao mesmo secretario que aceito e
applaudo muito o seu oflerecimento digno de lou-
vor, e que thesouraria de fazenda expego ordem
para oppertunamente mandar effectuar a respecti-
va arrecadacao.Offlciou-se nes'e sentido thesou-
raria de fazenda.
Dito ao capitao lente Salustiano Caetano dos
Santos.-0 Exm. Sr. ministro da marinha decla-
rou em aviso de 16 de fevereiro" ultimo, que o go-
verno imperial fica inleirado do offerecimento que
fez Vmc. para ir servir no Rio da Prata, na guerra
em que all se acha empenhado o paiz.
Dito ao escrivo do subdelegado e do juiz de paz
da freguezia de Grvala, Firraioo Jos de Oliveira.
-Estando dependente de decisao do governo im-
perial as eleicoes de juizes de paz e vereadores
dessa freguezia, e nao tendo esta presidencia toma
do rasoiugao alguma acerca ella-, nao pode deli-
berar sobre a consulla que Vmc. faz em sen offi-
cio de 20 de fevereiro ultimo, que tica assim res-
pondido.
Dito ao delegado de Ingateira.Inteirado do
cometido do seu officio de 21 de Janeiro desi- au-
no, tenho a dizer-lhe em resposta, que peta or-
dens expedidas, para todos os destacamentos do
corpo de polica serem recolhldos esta capital, e
substituidos por outros da guarda nacional, e.-lao
dadas as providencias que o caso exiga.
Dito ao juiz de orphaos do Recife.Para satisfa-
zer ao que solicilou o cnsul de "Portugal emoffl-
cio de hontem datado, ministre Vmc. os possiveis
esclarecimeatos acerca da lieranca deixada pelo
subdito porluguez Roberto de Araujo, fallecido ha
10 ou 12 annos em S. Loorengc da Malla, onde
era residente.
Dito ao major da guarda nacional, Bernardo
Loiz Ferreira Cesar Loureiro. Respondendo ao
officio datado de 2 do corrente, em que Vmc. pe-
de-me que, aceitando positivamente o seu offereei-
memo de servir ao paiz na guerra em que se acha
empenhado, e no seu posto, Ihe facilite os meios
de transportar-se acorte; tenho a dizer-lhe que
nenhuma autorisacao tendo para isso. nao o posso
fazer, c estou certo de que o governo imperial
aguarda opportunidade em que possa aproveilar
os seus servigos, que mandou agradecer como
commuoiquei em officio de 14 de fevereiro ultimo.
Dito a Jos Francisco Thomaz do Nascimento.
O governo imperial a quem foi presente o offere-
cimento que fez Vmt! para commandar urna em-
barcago pequea, que seja empregada na guerra
de sul, acaba de declarar-roe em aviso da repar-
tigo da marinha de 18 de fevereiro ultimo que,
sendo alias muito louvavel o procedimento de Vmc.
nao todava possivel ser aceito o seu offerecimen-
to, que muito agradece, por quanto os navios de
guerra spodem ser commandados por offleiaes de
marinha e tripulados por pragas da mesma eorpo-
rago.
Portara.Os rs. agentes da Companhia Drasi-
leira de Paquetes a Vapor mandem dar passagem
para a corle no vapor Tocanlint, por conta do mi-
nisterio da guerra, ao 2 sargento Antonio Herme-
negildo Barbosa de Ges, que se destina ao 9* ba-
talhao de infamara.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes a Vapor mandem dar transporte para
a corte no vapor Tocanlins, por conta do ministe-
rio da guerra, a 20 pragas, inclusive 2 disertores,
sendo 15 soldados e 1 diserlor do 2o, 1 cabo 5 sol-
dados e 1 disertor do 7o, e 2 soldados do 9o todas
de infamara, e bem assim a 25 recrutas. Com-
municou-se ao commandante das armas.
Eipetieute do secretario do governo do dia i de
margo de 186o.
N. 13.Officio ao Io secretario da assembla le-
gislativa provincial.S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, manda transmittir a V. S., para serem
presentes assembla legislativa provincial,. 40
exemplares impressos do relatorio do inspector da
thesouraria provincial, e outros tamos do batane-
te do i semestre do corrente exercicio, nao indo
os do balango do exercicio prximo findo, e do or-
ramento da receita e despeza do prximo vindouro
por nao estar anda concluida a sua impressao, se-
gundo declarou o mesmo inspector em officio de
3 do corrente.
N. 14.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, transmiti por copia
a V. S., para ser presente a assembla legislativa,
a informago que ministrou a cmara municipal
de Goianna, acerca do requerimento que incluso
devolvo de Domingo Nolasco do Espirito Santo,
arrematante do imposto mensal de 80 ris sobre
carga de gneros alimenticios, e a que se refere o
officio de V. S. de 8 de abril do anno passado sob
a. 80.
N. 15. Dito ao mesmo. Passo as mos de V."
S., de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, para ser presente a assembla legislativa pro-
vincial, a informago inclusa por copia, ministrada
pelo director geral dainstruego publica, acerca do
requerimento que devolvo do professor publico
de instrueco primaria Alejandrino Ayres da Pai-
xao, a que se refere o officio de V. S. de 30 de
abril do anno passado sob n. 98.
N. 16.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presiden-
fie da provincia manda remetter a V. S., para seren
presentes a assombla legislativa provincial, as in-
clusas copias dos actos, pelos quaes a presidencia
autorisou a companhia de Beberibe a construir 4
chafarizes nos lugares seguinles : um no largo da
igreja de S. Gongalo da Boa-Vista, outro no Cam-
po-Verde, outro na Capunga e outro finalmente no
Pateo do Terco. .^
N. 17. Dito ao mesmo. Passo por copia as
maos de V. S., de ordem de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia, para ser presente a assembla le-
gislativa provincial o incluso officio datado de 30
de Janeiro Ultimo em que acamara municipal da
villa de Agua Preta expondo as necessldades mais
urgentes de seu municipio solicita a conslrucgo
de urna estrada que tendo principio nos lmites des-
ta provincia com a das Alagas as immediagoes
da povoagi de J^cmpe, v terminar na estagao da '
va frrea denominada Agua Prea,.lando passa-
gem para aquella villa, a factura de 2 pontes so-
bre o rio Una, sendo urna no lugar denominado
Gravat e outra na povoago dos -Montes, fcera co-
mo um auxilio "pecuniario para aconstruegao de
ura ceraiterio e para prosiguigo dos trabamos da
matriz que se est edificando.
N. 18 Dilo ao mesmo.S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia manda transmittir por copia a V.
S., para serem presentes a assembla legislativa
provincial, as inclusas copias das portaras de 16
de maio, 4, 10 e 48 de junbo, 2, 9, 18, 22, 23,26,
27e30 dejulho, 20 e 27 de agosto, 2, 16, 19, e
24 de setembro, 12 de novembro, 5 e 24 de de-
zembro, tudo do anno passado, abrindo-se diversos
crditos suppiememares.
N. 19.tiilo ao mesmo. -S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia manda transmittir a V. S., para ser
presente a assembla legislativa provincial, o inclu-
so orgamento da receita e despeza para o exercicio
de 186o a 1866, que remellen a cmara municipal
da villa de Ipojuca com o officio de 18 de fevereiro
ultimo, junto por copia, no qual expoe a mesma
cmara as necessidades mais urgentes de seu mu-
nicipio.
N. 20. Dito ao mesmo.Remello a V. S. de or-
dem de S. Exc. o Sr.'presidente da provincia, pa-
ra serem presentes a assembla legislativa provin-
cial as inclusas contas e orgamentos que envin a
cmara municipal da cidade de Caruar com offi-
cio de 13 de fevereiro ultimo.
N. 21. Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia passo as raaos de V. S.,
para serem presentes a assembla legislativa pro-
vincial, as inclusas contas, batneos e orgamentos
perteocentes ao exerciciode 1862 a 1863 ede 1863
a 1864, que foram remellidos pela cmara munici-
pal da villa da Boa-vista com o officio de 26 de ou-
tubro ultimo junto por copia.
N. 22. Dito ao mesmo.Passo por copia as maos
de V. S., de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, para serem presentes a assembla legis-
lativa provincial, os inclusos offlcios em que a c-
mara municipal da villa da Floresta, communican-
do achar-se installada a nova villa e nomeados
seas emprugados, pede seja automada a despeza e
receita do seu muoicipio Inclusive a assignatura
do Diario.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mittir a V. S. as 10 inclusas ordens, sendo 8 do
ihesouro nacional sob ns. 14 e 22, e 2 em duplica-
la expedidas pela repartigo do ajudante general
ns. 434 e 435, e bem assim a 2* via datada de 11
de fevereiro ultimo, da primeira daquellas repar-
ligSes.
CORRESPONDENCIAS WO DIA
RIO DE PERNAHBUCO.
PARA.
Uelem, 23 de fevereiro de 1865.
Por muito tempo oceupado pouco posso dizer-
lhe seno que ao contrario do que succede pelo
sul est o norte do imperio em plana paz.
Continua por aqui enlhusiasmo militar em favor
da guerra que sustentamos nao obstante infeliz-
mente os tristes acontecimentos na invaso na pro-
vincia de Mato-Grosso pelos Paraguayos.
Proparam-se novas festas para o embarque do
11 batalhao de infamara que segundo consta se-
guir brevemente para a corte do imperio.
Enganei-me redontamenle quando Ihe disse que
ao embarque do 3" batalhao de artilharia, compa-
receu o general commandante das armas ; elle ahi
nao estovo por ler ldo nesse dia um ataque. Quem
compareceu a dirigir o embarque foram o presi-
dente da provincia, chefe de polica e commandan-
te superior da guarda nacional.
Eis aqui a noticia delalhada do referido embar-
que como Ihe promelli exirahida do Jornal do Ama-
zonas.
O dia 13 do corrente mez deve ler ficado
gravado na memoria dos paraense, pelas gratas de-
monslragoes de aprego ao brioso 3 batalhao de
artilharia a p, na occasio do seu embarque para
o snl, reunirse aos valenles bravos que susten-
tan] a diguidade nacional, e a honra do pavilho
brasileiro, contra os dspotas de Montevideo, e o
tyranno enfatuado do Paraguay.
Nos, que fornos espectadores desses expontaneos
signaes de considerago aos denodados soldados do
3 de artilharia, vamos relatar o que observamos,
para que nossos irmos das provincias do sui co-
nhegam os enthusiarao dos paraenses pela justa
guerra em que o imperio foi envolvido, para levar
a liberdade aquellas duas repblicas do Prata.
Ao amanbecer do dia 13, viram-se gallardamen-
te embandeirados todos os navios mercantes surtos
no porto, bem como as barcas da alfandega, e a
; guardamoria desta reprrtigo.
A' 1 hora da tarde, reuniu-se no palacio do go-
verno da provincia a briosa officialidade da guar-
da nacional, activa e reserva, com rarissimas ex-
cepgoes, e os empregados pblicos das diversas
reparligoe?, civis e militares, tendo seus dignos
chefes afrente ; e d'alli seguram todos encorpo-
rados para o quartel do 3 batalhao de artilharia a
p que eniao j se achava formado em linha, e
ordem de marcha; tendo reunido o contingente do
5 batalhao do Maranho ; e" vendo-se ao peito de
toda officialidade, e as boceas das armas de todas
as pragas, ramos de folbas de independencia ou
brasileira, que appresenlavam as cores nacionaes
verde e amarella I
A' 1 1|2 hora da larde, compareceram em fren
te do mesmo batalhao, o Exm. Sr. presidente da
provincia, chefe de polica e commandante supe-
rior da guarda uacional da capital; fallando o
Exm. Sr. commandante das armas, por estar gra-
vemente doente, mas achava-se representado pelos,
seus ajudantes de ordens, e pessoa.
Antes de chegar o Exm. Sr. presdeme da pro-
vincia, o artista portuguez Costa Lima, distribua a
poesa que dedicou ao 3 batalhao de artilharia, e
na qual mostrando o seu mimoso estro, e o amor
da patria que pulsa no seu animado corago, dea
pro vas sinceras da amisade que vota causa do
Brasil, em lo justa guerra. A brilhame e anima-
dora tuba soou assim por entre a viva exalta-
gao que inspirava
Bravos soldados do norte,
Ide a patria defender ;
N'esse duello de morte,
Hade-vos eus proteger I I
as murallias do estraogeiro,
O estandarte brasileiro,
lde, bravos, ide algar ;
Depois coberlos de gloria,
Com as palmas da victoria,
Vinde doce paz gozar.
Quando.a patria clamorasa
Chama ao campo os bravos seus,
Nao ba Glhos, nao ha esposa :
Ha o mor da patria e Deus I
Deus immenso que ao soldado,
Had'agloria conceder I....
Ide, bravosartllheiros,
Que a misso de bons guerreiros;
E' pela patria morrer I I I
Entre o fogo e as metralbas
A o r i bombo do canho----
Ide gauhar as medalhas,
Que vos prepara a Bago I
Pendura-as sobre o peno----
Se taes honras,por despeito,
Vos disseremque sao viz ;
P'ra vos mesmos aponiai-lhe,
Abr a farda e mosirai-lhe.
De urna chaga a cicatriz 1.1 I
E' O mais nobre attestado,
De quem o sangoe verteu,
Sao as honras do soldado,
Que na lucia nao tremen I
Eia poisleoes do notte....
Encara! de frente a morte,
Vomitada do fuzil___
Entre o fogo e as metralbas,
Ide ganhar as medalhas,
Que vos prepara o-Brasil I
E, em verdade, .estamos intimamente convenci-
dos que o punbado de bravos all reunidos, promp-
tos e alegres ao reclama da patria offendida,
nao envergonharo os valentes de Pa'ysandu e
Coimbra ; e algardo o estandarte brasileiro, por
fflir* -o fogo e a metralha, as murathas etlran-
geirat, ganhando assim as medalhas que Ihe prepa-
ra a nagao agradecida I
Depois da chegada do Exm. Sr. presidente da
provincia, o tendo este saudado a briosanfficialida-
de e pragas do 3 de artilharia e 5 de infantera,
sua magestade o imperador, constituigo e in-
tegridade do imperio, o muito digno coronel Car-
valho deu vivas ao brioso povo paraense, ao Exm.
presidente da provincia e guarda nacional da
provincia ; sendo todas saudagoes applaudidas fre-
nticamente pelo povo em massa, que se reunir
no largo dos qua[teis.
Era seguida marchou o 3a de artilharia, levando
ao lado do seu valente commandante os Exms.
presidente da provincia, chefa de polica,comman-
dante superior da guarda nacloaaJ, e os tenenles-
coroneis dos.batalhoes da mesma.goarda ejos lado
dos offleiaes do 3, dous oflicies da guarda nacio-
nal, enoaminhando-se aquello batalhao para o pon-
to do embarque, pela travessa de Pelourinho e
ras da Boa-Vista e do Imperador, sendo saudado
calorosamente durante a sua marcha e recebendo
de muitas janellas grande porgao de flores.
* No ponto do embarque, ponte da companhia do
Amazonas, embarcou-se o 3 para os vapores da
companhia, Explorador e Tabatinga, gratuitamen-
te offerecdos pelo Sr. Pimeota Bueno, que dirigi
aquello embarque com o cavallelrismo, que Ihe
especial, e seguio para o vapor Paran, que o de-
ve levar i corte, indo no Explorador o Exm. Sr.
presidente da provincia e mais autoridades, empre-
gados e pessoas-de considerago, sendo tambem os i
dous pequeos vapores, acompanhados por mnitos j
escaleres com os amigos e admiradores da officia-
lidade que embarcava.
Ao desferrar da ponte aquelles vapores, ouvi- }
ram-se repetidas acclamagoes aos bravos leoes do
norte, por todo o moral da cidade fronteiro ao
ancoradouro da carga 4 e era imponente observar,
do rio, a animagao de mais de dez mil pessoas, sol-
lando um saudoso, mas patritico, grito aos bravos
artilheiros, proraplos a pela patria morrer ; e
qne,
t Disparando morte, vomitada do fusil,
Entre o fogo e as metralbas,
iro ganhar as medalhas,
t que lhes prepara o Brasil 1
t Voltando cheios de gloria,
1 com as palmas da victoria,
branda e doce paz, goiar I
Esquecia-nos dizer que, desde a ra da Boa-Vis-
ta, foi o 3 batalhao acompanbado pelos operarios
da companhia do Amazonas formadas em corpos ;
levando em frente a bandeira nacional, ricamente
enfeitada e a msica do corpo de polica.
A's 6 horas da tarde o Exm. Sr. presidente da
provincia, foi abordo do Paran despedir-se da
officialidade do 3 e 5, sendo tambem a mesma
comprimenlada por urna depulago da assembla
provincial, pelo digno chefe de orcas navaes, o of-
Ocaes da armada, e pelos chefes de diversas repar-
tigoes ; recebendo ainda o brioso commandante do
3o, o Sr. coronel Camino urna rica espada, que
Ihe entregoa o Sr tenente-coronel Dr. Paes, em
nome de alguns cidadaos nacionaes e estrangeiros.
A's 7 horas da noite era bella ver-se o ancora-
douro da nossa amena Belm, pois se lluminaram
primorosamente as barbas da alfandega, e entre es
navios mercantes a barca Linda e o brigue JHar-
quez de Santa Cruz.
A's 8 horas da noite, os dignos chefe de polica,
inspectores da thesouraria de fazenda e alfandega,
seu guarda-mr, admLnislrador da recedoria pro-
vincial, alguns offleiaes da guarda nacional, e mul-
los cidadaos respeitaveis, dingiram-se em escaleres
com ama banda de msica, ao vapor Paran, e
gyrando em torno dello, deram sinceros e anima-
dos vivas, que foram correspondidos"com vivas por
quantos se achavam no Paran, aos valentes do 3
e 5, ao digno commandante deste corpo, ao exer-
cito e armada, aos bravos dePaysand e Coimbra,
aos voluntarios da patria, img-ridade do impe-
rio, sua constituigo, familia imperial, e ao
i mais magnnimo de todos os monarcuas, S. M. o
I Imperador.
Com esta ultima manifestago aos denodados
soldados do 3o e 5o tindaram os signaes do vivo
' aprego e considerago, que os Paraenses lhes dedi-
; cavam, e do quanto reconheciam o importante ser-
vigo que vo prestar ao imperio.
Pela 1 hora da noite, deixou o Paran osle por-
to, conduzindo com os bravos do 3o, muitos entes
que nos sao caros a patria chamando-os apressura-
da, tudo deviam deixar para a Hender ao seu re-
clamo ; porque, felizmente, o paraense, assim como
qualquer brasileiro, sempre :
c O coragj, a vida, a paz, tudo Ihe deu,
1 A' patria, liberdade.de tudo que foi seu I
Fagamos, portanto, volos pela prosperidade da
guerra, contra os miseraveis der'Montevido e do
Paraguay ; e preparemo-Bos para coroar, com os
louros da victoria, aquelles que defenderem nossos
. direitos, e que vetaro triumphanles, por isso que
' a nossa causa justa e altamente humanitaria.
Terminando esta noticia, nlo podemos como pa-
1 raense, deixar de mauifestar nosso reconhecimenio
ao respeitavel corpo do coramercio desta praga,
1 pelo vivo interesse que tem patenteado, conside-
rando como sua a justa causa porque pugna o im-
perio; e unindo-se sinceramente aos filhos do paiz,
as suas demonstrag5es de patriotismo, e regosijo
1 pelo triumpho das armas brasileiras.
A das fez se aqu a experiencia perto da forta-
leza da Barra do quebramenlo de podras no fundo
do rio por meio de machinas, que sao collocadas
por um mergulhador viudo ltimamente de Ingla-
terra.
Nao Ihe posso dar urna noticia delalhada desta
novidade, porque nao assisli ao acto, nem anda
1 appareceu em publico ; o que sei que houve
concorrencia de convidados que seguiram bordo
I do vapor -Belem, estando tambem presente o Exm.
presidente da provincia e mais autoridades da pro-
vincia.
Acaba de chegar a este porto o Exm. Sr. hispo
diocesano, entre o regosijo do seu rebaoho.
O Exm. presidente Dr. Coulo de Magalhes aca-
ba de ser condecorado pelo governo imperial em
1 consequencia dos servigos relevantes prestados a
provincia de Matto-Grosso, quando all aadmi-
nistrou.
Do coramercio nada tenho a dizer, se nao que
ainda nao grande a animagao do mercado, nao
obstante nao serem de todo mo o prego dos gene-
ros na Europa, cuja noticia tem aquichegado pelos
1 dous ltimos vapores.
O estado do porto o seguinle :
Navios descarga.
Ferdenand, brigue francez.
Lady llilaa, barca ingleza.
Los Amigos, patacho inglez.
Novaes, hiate nacional.
Mrquez de Sania Cruz, brigue portuguez.
Navios carga.
Linda, barca portugueza.
Marta Nicola, barca franceza.
Hontem sahio para Londres a barca Nova Cintra.
A' meia noite parte o Tocanlins para os portos
do sul, devenda ir receber o batalhao 5* de fuzi-
leiros era Maranho.
Outro do mesmo. remetiendo quarenta exem-
plares'impressos do relatorio do inspector da. the-
souraria provincial, e outros tantos do batanete
do semestre do correle eaercicia. A' distri-
buir.
Outro do mesmo, remetiendo officio datado de 30
de Janeiro ultimo, emque a cmara municipal de
Agua Preta expoe as necessidades mais urgentes
de seu municipio. A' comraissao de negocios de
cmaras.
Outro do mesmo, remetiendo copias de algumas
portaras do governo abrindo diversos crditos
suppiememares.A' coramisso de orgamento pro-
vincial.
Outro do mesmo, remetiendo um officio da c-
mara municipal da Floresta, communicaodo achar-
se installada a nova villa, nomeados os seus empre-
gados.A' commisso de orgamento municipal.
Outro do mesmo, transmitlindj o orgamento da
receita e despeza da cmara municipal de Ipojuca
no exercicio de 186) a 1866.A' mesma commis-
so.
Outro do mesmo, remetiendo o balango da re-
ceita e despeza da cmara municipal da villa da
Boa-Vista.A' mesma coramisso.
Outro do mesmo, remettendo o balango da recei-
ta e despeza da cmara municipal da cidade de
Caruar.A' mesma coramisso.
Um requerimento dairmandade de Nossa Senho-
ra do Rosario do bairro da Boa-Vista, pedindo pre-
ferencia na extraegao de suas loteras. A' cora-
misso de orgamento provincial.
Outro do agente dos irapostos sobre o fumo, ta-
baco, charutos, cigarros, e sabo, pedindo a graga
de ser elevada a dez por cento a porcenlagem da
sua commisso.A' mesma coramisso.
Outro de Basilio Alves de Miranda Varejo, se-
n.hor do terreno sitio na freguezia da Boa-Vista,
onde a cmara municipal d'esta cidade edificou o
agougue e ribeira da mesma freguezia, pedindo au-
torlsago afim de que a mesma cmara possa pa-
gar-lhe por accordo amigavel a quanlia de......
48:938586, marcando para o mesmo fim quota da
iei do orgamento municipal.A' commisso de or-
gamento municipal.
Urna representago dos habitantes da povoago
da Baixa-Verde, pedindo aelevagao desla povoago
villa.A' commisso de estatitlica.
Um requerimento da irmandade de Nossa Se-
nhora da Assumpgo das fronteiras da Estancia pe-
dindo preferencia para a extraego de suas lote-
rias^A' commisso de orgamento provincial.
Sao em seguida lidas e approvadas as redaegoes
dos projeclos ns. 69 e 17 do anno passado.
E' apresentado e approvado o segrate requeri-
mento :
Requeiro que o projecto n. 3 deste anno, que
crea a freguezia de Santa Auna na povoago do
Sacco, v ao Exm. Sr. vigario capitular, para dar
0 seu parecer.S. R.Francisco Pedro.
ORDEM DO DIA.
Continua a d6cusso do regulamento do ceraite-
rio do Caruar e do requerimento pedindo que o
mesmo regulanieuto v as commissoes de saude
publica e negocios ecclesiasticos.
Encerrada a discusso, o requerimento appro-
vado.
Entra era primeira discusso o projecto n. 4 des
te anno.
Os Srs. Francisco Pedro e Maraaho apresentam
o seguinle requerimento, que approvado :
t Requeiremos que seja ouvido o Sr. vigario ca
pituar, regente do bispado.
Entra depois era segunda discusso o projecto n
23 do anno passado, creando a freguezia da Ca-
punga.
Apresentam se os seguinles requenmentos :
Requeiremos que seja previamente ouvido o
Sr. vigario capitular.A. Barros.-Maranho.Ja-
cobina.Rocbael.
Acerescentese : sendo igualmente ouvido o res-
pectivo vigario da freguezia.Reg Barros. _
Tomam parte na discusso os Srs. Marauho.Sa-
; bino Olegario, Rochael, Gervasio Campello, Jacobi-
na, Reg Barros e Nabor.
E/ approvado o priraeirj requerimento, sendo o
secundo rejeitado.
Entra finalmente em primeira discusso o pro-
jecto n. 88 do anno passado.
O Sr. Boarque ( pela ordem ) diz que, vendo seu
1 Borne assignado no projecto em discusso, tem ;
1 declarar que nao o assignou, nem fez parte da com
misso que o apresentou.
Nao havendo numero sufflcienle de senhores de-
putados, o Sr. presidente manda fazer a chamada e
levanta a sesso a 11|3 horas, dando para a ordem
do dia 8 :
Continuago da anteriormente dada ; segunda
discusso dos projeclos n. 64 c 68 do anno passa
do ; primeira da dos de n. 212 do anno passado: e
43 de 1860 ; e segunda discusso do de n. 4 de
1861.
PERNAMRUCO,
ASSEMBLA PROVINCIAL.
6.' SESSAO EM 7 DE MARCO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. CAETANO BRITO.
O Sr. Presidente abre a sessao.
As 11 e 3/4 da manha. feita a chamada, acham-
se presentes os Srs. deputados Araujo Barros,
Buarque, Gervasio Campello, Gongalves da Silva,
Rochael, Francisco Pedro, J. do Reg Barros, S
Pereira, Costa Ribeiro, Sabino, Pereira de Brito,
Jos Joaquim do Reg Barros, Soares Brando,
Jacobina, Maranho, Teixeira de Mello, Manoel
Netto, Silveira Lobo, Aquino Fonseca, Arminio,
Nabor, conselheiro Loureiro, Silva Barros e Ra-
mos.
O Sr. presidente abre a sesso.
Procedeu-se leitora da acta da sessao ante-
rior, a qual depois de pequea discusso appro-
vada.
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario do governo, remettendo
a informago ministrada pela cmara municipal
de Goianna, acerca do fequeriraento de Domingos
Nolasco do Espirito Santo.A' quem fez a requsi-
cao.
Outro do ^mesmo, remettendo para serem pre-
sentes assembla legislativa provincial as in-
clusas copias dos actos pelos quaes a presidencia
autorisou a companhia de Beberibe a construir
quatro chafarses nesta cidade.A arehivar-se.
Ontro do mesmo," remetiendo as InforraagSes
ministradas pelo director geral da instruego pu-
blica, acerca do requerimento do professor publico
de instrueco primaria, Alexandrino Ayres da
Paixo.-A commisso de instruego publica.
REVISTA D5ARIA.
A assembla provincial, em a sesso de hontem,
discuti o regulamento do cemiteno de Caruar.
os projectos ns. 4 do corrente anoo, 23 do anno
passado, creando a freguezia da Capunga ; cando
todos adiados, por motivos diversos.
O projecto apresentado sabbado na assembla
provincial, para a construego de um agude na
freguezia da Gloria, est tambera assigmdo pelos
Srs. Cosa Ribeiro e Aquino Fonseca.
Entrou hontem para o tribunal da relagao
deste districto, um requerimento dehabeascorpus,
de Manoella Mana da Ceoceigo e sua irma Lou-
renga Mathildes doLivramento, moradoras emTres
Ladeiras, do termo de Iguarass, que veio instruido
com seis documentos.
Estas iufelizes mulheres vivem conjuntamente
com seus filhos e sobrinhos de seu trabalho de
cachada.
O subdelegado do lugar, por implicancia, recru-
tou o nico varo dessa familia, filho de Lourenca,
aqui para o Recife e foi posto a disposigao do com-
mando das armas.
Lourenga, sua irmaa e mais familia vieram ao
Recife e apresentando ao Exm. >r. presidente da
provincia as razoes que isentaram seu nico filho
do recrutamonto mandou o mesmo Exm. Sr. presi-
dente per em liberdade o recruta, que obteve pelo
commando das armas a competente escusa.
Voltando a familia para as Tres Ladeiras, foi
toda prza e posta no tronco por algumas horas o
ex recruta, que foi finalmente solt, ficando por
sua mi e ta em custodia, at a deciso de um
processo que lhes armou o subdelegado pr um
supposto crime de ameagas um inspector, simples
e dcil manvella daquella autordade.
Este faoto, praticado com duas pobres mulheres,
maiores de quarenta annos, por si s demanstra a
tyrania do subdelegado, que nao trepidar nessa
carreira de perseguigoes, pois que nao poupa at
miseras mulheret inofensivas.
Fomos obsequiados com ujn volume de poe-
sas, que sob denomiaagSo de Mosaico acaba de pu-
blicar o Sr. Dr. Joaquim Serra na provincia do
norte, de cuja presidencia S. S. o secretario.
E' o Mosaico um livro que enriquece a nossa
litteratura ; e bem que "se componha elle de pro-
duegoes tradnzidas de Vctor Hogo, Lamartine, lo-
zllla, Byron.Deschamps, Barthelemye outros poe-
tas celebrisados pela torga da inspiraran, toda-
va um mimo para as lettras patrias pela lidelda-
de com que as bellezas originaes de saa lngua sao
reproduzdas por bellos versos na outra em sua
forga nativa.
A traduego quando interpreta o pensamemo em
toda a sua extenso ; a traduego quando trans-
porta a este em toda a sua vida, por exemplo, das
margeos do Sena ou do Guadiana para as bordas
do Amazonas-a traduego finalmente quando as-
sim se manifesla, mais que urna conversode
lincuas urna composigo quasi.
Neste caso, pois, o traductor merece as mesmas
attengoes que aquello que produz, visto que apro-
priaBdo-se da idea, trnsforma-a e veste-a com as
cores oaturaes da lngua em que cscreve.
Assim, portanto, felicitamos ao Sr. Dr. Joaquim
Serra pela feliz estra em campo nao mallo acces-
sivel todos quantos o trilham ; e Ihe agradece-
mos a attengo que dignou-se de ter para com-
nosco.
Communicam-nos o segninte :
c Era sesso da cmara municipal de 4 de cor-
rente foi apresentado o segninte requerimento :
Requeiro que sejam convocados em nome da c-
mara todos os seus municipes para urna reunio
que dever ter lugar o mais breve possivel pac* o
fim de promover se ao alistamento de voluntarios
da patna e de nma subscripgo em favor das fa-
milias dos mesmos.
c Pago da cmara municipal de Olinda, 4 de
margo de 1865.Aureliano de Cmalho.
Posto em discusso esse requerimento foi una-
nimemente approwdo, determinando a cmara que
' a reunio tivesse lugar no dia 12,do corrate, e
. que ne?se sentido $9 offlciasw a (odas as pessoas
gradas o de influencia no municipio, convidndo-
os paraassistirem a olla, e que or editaes e pela
imprensa se convidasse aos demais cidadaos. >
Foram encontradas a 28 do passado na lal.
N, 2* e loog. O. 8." a galera inglesa Kameameka',
procedente de Liverpool para Valparaizo j com
vinte o quatro das de viagem ; e a barca da mes-
ma nago Gipsy Queen de igual procedencia com
destino a S. Francisco, tendo trinta dias de nave-
gago.
O mogo do brigue brasileiro Pallas, de nome
Jos Henrique, o natural de Portugal no Lavradio,
indo ferrar no dia 22 do proiiovo passado. na lat.
S. 19 40' e long. O. 34* 40', ojoanete de proa com
mais outro, cabio do mastro ao descer, batendo so-
bre aborda do navio e indo afina] ao mar, onde
desap,>areceu, sem que fosss possivel salva-lo, ape-
zar das diligencias feltas para isto.
Depois de amanha se extrabir a 2a parte
da 4' loteria da Santa Casa de Misericordia (8.1),
sendo os dous maiores premios 10:0004000 e
3:000000.
RKPARTigAO DA POLICA :
Extracto das parte: dos dias 3, 4, 5, 6 e 7 de
margo de 1865.
Foram recolbidos a casa de detengao no dia 2
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Fran-
cisco Jos de 6'ant'Anna, Belarmino de Almeida,
Francisco Jos Ignacio, Luciano Ramos Pereira,
Joo Francisco dos Santos, Genuino Francisco Go-
mes, Manoel Silvestre Correa, Joaquim Gomes da
Silva Barbosa, Cordolino Antonio dos Santos, Ma-
noel Duarte de Moura, Jjs Antonio do Nascimen-
to, para recrutas ; e Francisco, escravo de Joo
de Almeida Monteiro, por fgido.
A' ordem do delegado da capital, Francisco Da-
niel Secundino de Souza, por furto ; Joanua, es-
crava de Felippe Benico da Fonseca Galvo, a
disposigo do Illm. Sr. Dr. chefe de polica; e
Raymundo, escravo de Joo Uimaco, por infraego
do regulamento da via frrea.
A' ordem do da Varzea, Jos Marinho dos San-
tos, para recruta.
3
A' ordem do Illm. Sr. Vn. chefe de polica, Joo
Baptisla Mu?, e Joaquim Jos de Sanl'Anna, como
senlenciados.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
Augusto Fernandes Vieira, para correcgo ; e Ig-
nacio Pedro da Silva, por embriaguez e offeosas a
moral publica.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Francisco
Jos Ribeiro, para correcgo ; e Francisco Jos dos
Reis, por disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Marcolno Jos Bap-
tisui, por insultos.
!- 4-
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Anto-
nio Francisco Rodrigues dos Santos, Casimiro Fer-
reira da Silva, Epiphano Flix da Silva, Joaquim
Jos de Sanl'Anna, Jos Joaquim de Sam'Anna,
Manoel Elias, Manoel Felippe do Nascimento, Ma-
noel Lopes de Souza, Manoel Joo Valentim, Se-
baslio Jos de Sam'Anna, Vicente Flix Ferreira,
Manoel Gomes Emiliano, Luiz Antonio da Costa e
Cupertino Martins de Araujo, todos para recrutas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Geerge
Clark, inglez, a requisigo do respectivo cnsul ;
esold, por briga; e Leonardo Mlveira da Silva,
para correcgo.
A' ordem do de S. Jos, Pedro Manoel e Ado
Fernandes da Cruz, para correcgo.
A' ordem do da Capunga, Manoel Benedicto do
Espirito Santo, a disposigo do tenente-coronel re-
.crutador ; Felippa Romana Mara de Oliveira, Re-
gina Mara Carolina do Sacramento, e Anna Joa-
quina Marta do Carmo, para correcgo.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonio-
Mendes, por ferimentos e offensas physicas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Jos Fer-
nandes da Cunta, portuguez, para correcgo.
A' ordem do de S. Jos, Angelo Seraphim da
Silva Santos, por infraego de posturas.
6
A' ordem do subdelegado do Recife, Beplo Jos
da Rosa e Joo, escravo de Bernardo Jos dos
Santos Valentes, por disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos Alexaadrc da
Coya, por ferimentos.
O chefe da 2* secgo,
J. G. deMesqutta.
Casa de detekqao.Movimento da casa de
detengao do dia 6 de margo de 1865. Existiam
presos 388, entraram 5, sahiram 12,existem 381;
a saber: nacionaes 301, estrangeiros 17, mulheres
5 ; esrrang'eiras 2, escravos 51; escravls 5.To-
tal 381.
Alimentados a custados cofres pblicos 160.
Movimeoto da enfermara do dia 7 de margo de
1865.
Te ve iiaixa:
Maria, escrava de Lourengo Jos de Souza;
dyarrhea.
Alexandre "Marinho da Costa : olite.
Passaseiios do hiate brasileiro Sergipano, sa-
hdo para a Ilha de Fernaedo :
Claudino Jos Correa, Luiz do Carmo, Joo Gon-
galves de Macedo, e Amancia Maria de Araujo.
Passageiros do vapor brasileiro Persinunga,
sabido para os partos do norte :
Manoel Rodrigues de Oliveira, Tessier, Alfredo
Wiber, Antonio Dias, da Cunta, e Joo da Silva
Aotunes.
C1IR0\ICA_JIDICIARIA
Tlll lf l'.YAL 1><> C09HIERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 6 DE
MARQ0 DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEHBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Arcoforado, Basto e Leal, e
presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
presidente declarou aberta a sesso.
Lida, foi a pprovada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um officio do Dr. Virgilio de Gusmo Coelho, do
Io do corrente, participando ter assumido o exer
cicio da segunda vara municipal por ter o respec-
lido juiz tomado assento na assembla provincial.
Accuse-se o recebmento.
Outro da junta dos corretores, remettendo a co-
tago da praga na semana linda. Mandeu-se ar-
chivar.
Foi distribuido ao Sr. deputado Leal o livro Dia-
rio de Silva Guimares & C.
DESPACHOS.
No requerimento de Manoel Joaquim Ramos e
Silva & Genros, pedindo o registro do distracto de
sua sociedade, que liodou o prazo de sua duraco :
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Francisco Jos Gongalves da Silva e Joo
Jos dos Santos Lima, pedindo o registro do con-
trato de sua sociedade :-0 mesmo despacho.
No de Francisco Jos Gongalves da Silva, Duarte
Antonio de Miranda e Manoel Joaquim Gongalves,
pedindo tambem o registro do seu contrato de so-
ciedade :O mesmo despacho.
No do Visconde de Camaragibe, pedindo que se
laga no registro da escriptura que ajuma a com-
petente nota para salvar o engao do tabellio do
registro geral, no reconhecimenfo do tabellio que
lavrou a tnu.-ma escriptura, engao quj aquelle ta-
bellio do registro j salvou por urna declarago
feita na referida escriptura :Como requer.
No de Joo Carlos Mendes da Cunha Azevedo,
pedindo certido de ser ou nao matriculado o com-
merciante Jos Augusto de Araujo :D-se.
No de Manoel Mendes Guimares, de 40 annos
de idade, natural e residente no Cear, pedindo ser
prvido no officio de agente de leiloes daquella
praga :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Joo Jos Ribeiro Guimares, Pedro Tino-
co e Joaquim Ferreira Diniz, pedindo o registro do
seu contrato de sociedade :O mesmo despacho.
No deVicente Ferreira Nunes Campello o Jos
Francisco Coelho da Paz, declarando terem dissol-
vido a sociedade que tinham sob a firma de Nunes
& Coelho, e aehar-se liquidado todo o passivo so-
cial, e pedindo que se d baixa no registro do con-
trato, ou que se considere a mesmo requerimento
como distrato :O mesmo despacho.
No de Thomaz Jefleres, pedindo certido de ser
commerciante matriculado :Como requer.
No de Singlehurst, Abren & C, do Cear, pedin-
do o registro da nomeago de seu caixejro Antonio
Gongalves Valente :Reglstre-se.'
No de Francisco Jos Gongalves da Silva, pedin-
do o registro de urna procurago que aprsenla :
Rcgstre-se.
Sendo conclusos pelo offlcial-maior da secretaria
os processos instaurados contra os administradores
dos trapiches alfandegados Barbosa e Machado,*
jBarao do LWramemo, do largo da Assembla, Cm-
Si
.
1



*


-
i
A


I
tarto e P>ttftftfi!>Mo *>< /fra t Mar* fe ig&
3
)
Panfila Peroambueana, Baro do Livrameto. do ]
caes de Apollo, Forte do Mallos, Companhia, Alian-! Appellaote, o juitb
dega Velba e Pelourinho, cam os artgos de accu-, Pereira da Silva.
As appell^goes eireis.
appellado, Jos Francisco
sago oflerecidos pelo Sr. desembaifador Bical, ti-
veram o segal ote despacho: Recebidos os artigoj,
o accusado responda no termo de cinco das.
Nada mais havendo a tratar, o Cxm. Sr. pre-
Appellante,
Vasco Cabral.
'asso & Irraao ; appellado, Joo
dM aeerrou a sesso as ooze horas e um qoarlo Monteoegro.
A appellacao crime.
Appellaote, o promotor ; appellado, Jos Das
da maoha.
SESSO JUDIUIABIA EM 6 DE MARCO
DE 1865.
PHKSIMWCIA DO EXM. SR. DE3BMB&RGAD0R
ANSELMO FRANCISCO H5RETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr.
presidente abri a sesso, estando reunidos os se-
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
A sopellago cival.
Appellaote, a fazeoda ; appellada, Joaquina Eloy
da Silva Cauto. '
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gad, r Domiogues da Silva
As appel lajees crimes.
Appellante, o juizo ; appellados, Manoel Caval-
nhores desembargado^ Reis e Silva, Silva Guima- canti de Albuqnerque e ootros.
res,eAccieli, e ossenhoresdeputados Rosa, Can-' Do Sr. desembargador Doraingues da Silva ao
dido Alcoforado, Basto e Leal. Sr. desembargador Barros Vascoocellos
appellacSes crimes.
proferido na ul-
appellado,
Lida, foi approvada a acta da essao antece-
dente.
Foi assignado o accordo
tima sesso entre partes :
Appellante, Manoel Alves Ferreira
Francisco Santiago Ramos.
JULGAM8NT0S
Appellante, o Dr. Prxedes Gomes de Spuza Pi-
tanga; appellados, os administradores da massa
fallida de Joaquim Jos Silveira.
Adiado na sesso anterior.
Foi confirmada a seateoea appellada.
Appellante, o presidente e directores da caixa
filial do banco do Brasil nesta cidade ; appellados,
Manoel Alves Guerra e o curador fiscal de sua [at-
ienda.
Adiado na ultima sesso
Annullou-se o processado da primeira concorda-
ta em diante.
Appellante, Thomaz Teixeira Bastos ; appella-
dos, os adioinistradcres da massa fallida de Joa-
quim Jos Silveira.
Adiado na precedente sesso
Dsprezaran)se os embargos. "
Appellante, Antooio Juaqujm de Mello ; appella-
dos, Manoel Joaquim Baptiita o D. Joanna Mara
das Dores.
Adiou-se o )ulgamonto a requerimento de um
dos.senhores, deputados.
Appellante, Antonio Germano Alves da Silva :
appellado, Domingos Nogueira dos Santos Cabnl.
Adiou-se o julgamento a requerimento de um
dos senhores deputados.
PASSAGENS
Do S,r. desembargador Reis o Silva ao Sr. des-
embargador Silva Gujuiares:
Appellante, Jos Francisco Barrote ; appellados,
os administradores da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos & C.
AGGRAVO INrEOROSTO DO JL1ZO ESPECIAL DO
COMMEnClO.
Aggravante, D. Maria Magdalena de Almeida
Catanho ; aggravada, D. Anua Josepha Pereira dos
Santos.
O Exra, Sr Residente negoii provimento.
Nada mais have.o.do a tratar o Exm. Sr. presi -
dente encerrou a sesso urna hora da tarde.
As
Appellaate, o juiz; appellado, Manoel do Valle
Pedrosa.
Do Sr. desembargador Barros Vascoocellos ao
Sr. desembargador Caetano Santiago
A appellacao civel.
Appellante, Maria Magdalena da Conceicao :
appellada, Cypriana Hara de Mattos.
As appellacoes crimes. .
Appellante, Joo Jos de Mello ; appellado, Joo
Chrysostomo Correa de Farias.
As 2 horas encen-rc ae a sesso.
Wmm banco de PernaMbnco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por canto ao auno at o prazo de seis mezes, e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor da
tres raezes.
Vpvo bauto.
Convoco os senhores accionistas do novo banco
de Pernambuco para no di* II do correte ao
meio dia na casa do banco, constituirem a assem-
blageral.na qual tera de dar-se cumprimento ao
artigo 23 dos estatutos. Rocife 6 de marco de
1865. Visconde de Camaragibe, presidente da
assembla geral.
lfaudega
Rendimento do dia 1 a 6....... 133 674J604
dem do di 7............... 42.901*869
176:576*473
tforlmentodaalfandega
volumesenirad&s'corofazendas... 241
* compaeros... 377
COMMUNISADOS.
TKIHIV lli DA. BEL U :10.
SESSA'O EM 7 DE MAR(;0 DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIUO
SOZA.
As 10 horas da- manha, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitirana, Lourenco San-!
Dominguesda Silva e Barros Vasconcellos, faltando
o Sr. desembargador Guerra, procurador da cora,
abrio-se a sesso.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
derain-se os seguintes '
JLGAMENTOS
Aggravo de pcticao.
Aggravanle, Manoel de Souza Pereira ;. aggra-
vado, o ja 17.o.
Relator o Sr. desembargador Gitirana.
Sorteados os senhores desembargadores Motta,
e Barros Vascoocellos.
Deram provimento.
Aggravanle, Manoel Firmino Ferreira ; aggra-
vado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Lourenco Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e DomlBgues da Silva.
Deram provimento.
Aggravanle, Elias Baptisla da Silva ; aggravado,
o juizo.
Relator o Sr. desembargador Alnelda e Albu-
quenjue.
Sorteados os senhores desembargadores Gitirana,
o Motta.
Nao tomaram conhecimento por no"ser caso de
aggravo.
Aggravanle, Manoel Francisco de Souza Leo ;
aggravado, o juzo.
Relator o Sr. desembargador Assis.
Sorteados os senhores desembargadores Motta,
e Lourenco Santiago.
Negarara provimento.
Prorogacao de inventario.
Concedeu-se a prorogago para inventario pedi-
do por Francisco Ferreira Bailar.
Carta teslemunliavel.
.Agaravante, Daniel Jos Gomes; aggravado,
Jos Antonio de-Arruda.
Relator o Sr. desembargador Motta.
Sorteados os senhores desembargadores Gitirana,
e Assis.
Nao tomaram conhecimento.
Habeos-corpus.
Concederam ordem de habeas-corpus pedida por
Lourenca, Maria da Conceicao, eoutra para a ses-
so-de 11 do corrente.
Appellacoes civeis.
Appellante, Felippe Gomes da Frota; appellado,
Dqrajngos Gomes da Frota.
Confirmada a seoteoca.
Appellante, a escrava Hermogenes ; appellado,
Manoel Martins de Araujo Castro.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Antonio Jos de Medeiros Bitteo-
court; appellada, D. Anna Felicia de Macedo e
outra.
Julgaram aulla a aeco.
Appellante, Urbano Egydio Guedes Gondim ;
appellado, Thomaz Jos de Sena.
Nullo o processo.
Appellante, Jacintho Alfonso Botelho ; appellado,
Manoel Elias de Moura. -
Nullo o processo.
Appellacoes crines.
Appellante, Joaquim Jos da Silva; appellada,
a justica.
A novo jury.
Appellante,"o juizo -. appellado. Manoel do Reg
Barros.
A novo jury.
Appellante, Benedicto Soares Pereira ; appella-
da, a ju-tica.
A novo jury. .
DESIGNACO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
(eitos :
As 'appellacoes civeL.
"Appellante, Manoel Jorge de Souza; appellado,
Francisco de As9is Pereira Freir.
Appellante, Lino Ferreira da Silva ; appellado,
Jos Mendes Carneiro Rodrigues Campello.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana .
As appellacoes i veis. .
Appellantes, D. Anna Maria da Concefco e ou-
tros ; appellado, Francisco Joaquim Dantas.
Appellante, Luiz Jos da Costa Amorim ; appel-
lada a fazenda.
Appellante, a razenda; appellados, os herdeiros
de Joo Vieira da Lunha.
Appellante, D. Tbemote Josepka Maciel da Sil-
va ; appellada, a fazenda.
A appellacao crime.
Appellaote, o"promotor ; appellados, Flix Jos
Dias e outros.
" Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Flix
Cofdeiro.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque,
Aappillacaocrime.
Appellante, o uizo ; appellado, Jos Flix de
Lima.
O conflicto de jurisdiao entre os julzes de or-
pho do Recite e o de Ipojuca. ,
Ao Sr. desembargador Assis
A appellacao civel.
Appellante, Manoel Ribeiro Lima ; appellado,
Joo Evangelista Bello.
DolSr. desembargador Almeidae-Albuquerque ao
Sr.desembargador Assis >'
Quando na actualidade todas as provincias do
imperio tralam de se conciliar, para de commum
accord conseguir o triumpho do nosso exerci-
to; pelo contrario esta provincia sempre digna das
glorias de seus antepassados, parece viver no indi-
ferentismo que tem apresentado, isto devido aos
influentes das parcialidades polticas, muito prin-
cipalmente da que se acba no poder, que nao se
anima fallar publicamente ao povo, como fizera
quando .pretenda a deputaco.
Um farto digno de censura acaba elle de praticar
na reunio do dia 1 do corrente, com o flm de
soccorrer-se as familias dos Voluntarios da Patria,
que desses soccorros precisassem.
Nao descouhecemos- o alcance dessa reuniao,
porm oo podemos deixar de censurar a manaira
porque foi ella orgauisada, visto que para ella s
foram convidados membros do partido que se acha
no poder, excepgq do Rvm. Sr. Dr. vigario ca-
pitular, sem duvida por morar na cidade de Olin-
da e ter-se como certeza o seu nao comparecimen-
lo, e do Sr. commendador Thomaz d'Aquino Fonse
ca por deferencia, gem duvida, ao Sr. Decio; de-
xaudo-se no esquecimeoto o partido conser-
vador.
Nao serla mais concentaneo com o bom senso, e
mesmo de interesse geral, que essa reunio fosse
composta, e representaa> em parle guaesdas tres
parcialidades, de que se compoa ,a poltica da pro-
vincia.
Isto nao Ihes convioha porque querem persuadir
de nao existir na provincia outro partido, e da-
mos-lhes razo, porque a barriga custosa de
salisfazer-se.
Pois bem elles que tratem. de realisar to smen-
te o fian da reuniao, visto o esquecimento om que
deixaram muites membros das outras duas parcia-
lidades, que muito podiam fazer por si, e por suas
Voluntessahidoscom azendas...
* > com gneros ...
- 618
149
499
-----648
Desarregam no dia 8 de mar^o de 1865.
Galera inglezaHermionemercaduras.
Bnguenglez Hunlressemercaduras.
Barca ingleza/. O.dem.
Hiate inglezSea Breezediversos gneros.
Barca mjIeza-Grai*farinha de trigo.
Patacho inglez-G/n/uobacalho.
Brigue inglezRunymedecarv'ao de pedra.
Briu'ue ingle? James stwart -id?m.
Galera francezaAmeliamercaderas.
Barca ingleza ron Gem taboado.
Recebedorla de rendas inter-
nas geraes dePernantbneo.
Rendimento do da 1 a 6........ 16-584,5719
idem do dia 7 ................. 1:3814793
prestagao quando o arrematante .'rer concluido to<
das as obras e entregue definitivamente.
Para ludo mais que nao estiver espejeado
om prenotes cbusulas seguir-se-ha oque deter-
mina o relmanlo de 9 de julho de 1864.
Conforme,
Antonio Ferreira d'Anounciaco.
. O lllm, Sr. Iqspflctor da thesourana provin
40 Economas da Viia Humana.
100 cartas de ABC.
50 laboadas.
100 caetas.
2o traslados do bastardinho.
30 difos de bastardo.
50 ditos de A B C.
As pessoas rjue quizaren) vender laes artigas
Dubr n.K ? ifi l CQrrM,e' ma"-a,&zcr|saLacas*soes do conselho, as 11 horas da fla-
puoiieo que oo da 16 de marco prximo vmdouro nha do dia 8 do corrale,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria,
se ha de arrematar quem por meaos fizer os re-
paros de que precisa a estrada do Porto de Galli-
nhas avallados em 7484000.
_ A arremaiago ser feita na formA da )i pro-
Jincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esla arremata-
?ao comparepam na sala das sessoes da reerida
junta, no dia cima ojiicionado, pelo meio-dia e
competentemente habilitados. .
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de fevereiro de 1865.
O secretario,
Antooio Ferreira d'Annunciaco.
Clasulat especiaes para a arremacao.
1" As obras dos reparos da estrada do Porto de
Gamonas sero feilas de cpnformidade com oor-
gamenlo Junto na importancia de 7484000.
2* O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obra uo praso do 10. das, e conciui-las no
de J mezes, ambos contados da data d'arremata-
gao.
Jl' Q pagamento ser realisado em duas presta-
res iguaes, a primeira quando liver o arrema-1
tante feito melado das obras,
Sala das sessSes do conselho de compras da air-
senal de guerra Io de margo de 1865. O en-
carregado da escriniurago,
Manoel Jjs de Azevedo Santos.
O secretario da cmara municipal da cidade
de Olinda, abaixo assignado, faz sciente que a ar
rematago annunciada para o 'dia 4 do corrente
mez, ficou transferida para o dia 11 deste mesmo
mez. secretaria da cmara municipal de Olinda
6 de margo de 1865.
Marcolino Dias de Araujo.
O administrador da recebedoria de rendas
Internas ^raes, em cumprmnto do disposto na
portara n. 130 de 28 de dezempro ultimo, do Im.
Sr. inspector da thesouraria de fazenda, avisa ao
devedor. abaixo declarado, da dizima de chancel-
lara averbada, relativa a causas, cujas sentengas
Masaran em julgado no superior tribunal da re-
lago desta provincia, no semestre de julho a de-
zembro do anuo prximo fiado, segundo consta da
relago do escrivo de appellag5es Antonio Igna-
cio de Toares Bandera, de 10 do referido mez de
dezembro, que venh pagar o seu debito dentro do
praso de oiio dias, contados da publicaco deste,
nodo o qual se prageder a cobraoga ex'ecutiva, a
S3l)6r l
Antonio Gongalvos da Siha a quantia de 304
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.\aregacai; costeara por vapor.
lllia de Feriando de Noronlia
No dii i de margo prximo,
as 10 horas i manha seguir
um d:s vaporas uZ coropnhia,
para o presidio de Fernatifc. Re-
'cebera carga aa.o u 13. Eoconv
metrdas, passageiros e dinheiro a hele at 9nora*
da manha do dia da sahida : escriptorio ne For-
te do Mallos n. 1,
-, e a segunda quando contra quem foi julgada a appellaglo do.juizo mu-
"vr cuocluido todas as obras e eotregua dihuitiva-, nicipal desia cidade, sendo appellante Paulina Ma-
ria Bastes
4* Para ludo mais que nao estver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
18:1664512
Consulado provincial.
Rendimento do dial a 6....... 13:0581931
dem do dia 7............... 6.5624334
20:2214265
grandes influencias nesta provincia.
O mparcial.
PUBLIGAGOES A PEDIDO
BIOVMENTO DO PORTO
mina o regulamento de 9 de julho de 1864 que re-
: ge esta repartigo.
Conforme.
_ Antonio Ferreira d'Annunciago.
O r. Tnstao de Alencar Araripe, ofOcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial docommer-
codesla cidade do Recife capital da provincia
de Pernambuco e seu termo por Sua Magestade
Imperial e Constitucional o Sr. D. Pedro II a
quem Dos guarde, ele.
Fago saber pelo presente, que perante este juizo
ecartorio do escrivo que este subscreveu, corre
urna execugo de sentenga por mandado de pre-
dilo, ordenadas entre" partes, a saber: como ex e-
quente o bacharel Gabriel Soares Raposo da Cma-
ra, e como exeeutados os herdeiros de Marcelino
Antonio Fereira, e pro;eguindo dita excugao os
seus devidos termos, procedeu-se a penhora em
contimiago a primeira que nao chegou para o pa-
de
Navios entrados no dia 7
Havre-39 dias, galera fraoceza Amelia, de 310
toneladas, capito Chlellier, equipagera 13. car-
ga mercadorias ; a E. Burle 4 C.
Londoil35 dias, barca ingleza ron Queen, de 349
rla niZio P"a a de err ; a Rolhe ilia de 3:05i-5'3i, existente no deposito geral desta
i.rii ii j-.- u i n n cidade, pertencentes aos referidos exeeutados, pelo
rf/K7;3li "' Paa.cn(LID?,ez BellowCmt, que em audiencia publica do dia 20 do corrente
o Ar J r 1S' Cap,la D" Umm' "&SWm mez- I>el solicitador Antonio Carlos Pereira de
9 carga fazendas e outros gneros ; a Milis La- Burgos Ponce de Len, procurador do exequente,
RiITi,i, ae a- i k i m. fra feit0 requerimento do theor seguinte :
i n22S lT^ d,a?'nba,rea brasileira Thereza \ Aos 20 de fevereiro de 1865, nesta cidade do Re-
S! T SK PeSta0a" CaT, arilhande c,fe de p">anbuco, em publica audiencia que aos
mandioca e outros gneros j a Bailar & OH- Wtos e as partes faza o r. juiz de direito espe-
v,.f,~ .i,,j ^. j- cial Bm a, oJ? o < \ *m ,; nella Pel sol'C'tador Antonio Carlos Pereira d
?S VieZ~SXLaTr'mi Jiam' CaP" ?-UrgS Pn?e dt W SKr do exequente,
i2Hi nMi"?i; .- i, Iura accusada a penhora feita em djnheiro na
,trP0?inr gQe ,0gleZ Mem' C3pila CnneJly' 1uaDlia de 3:0544631, existente no deposito publi-
co desta cidade, perlencentes aos exeeutados os her-
deiros de Marcelino Antonio Pereira, requerendo
A cmara municipal da Victoria, em virtude da
falta da maior parte dos vereadores effectivos, fo-
ram chamados os supplenles, em cujo numero se
achara es Sfg. Dr.Coelao Biiencourt, Joo de Mou-
ra Florencio e ou-os, que, dotados de conheci-
mentos,_bom conceito e influeocia oo pago muoi-
cpal, oo se teem poupado em promover o bem
do municipio, e o que Ibe diz respeito.
Neste prpposito, os referidos senhores, do accor-
d com as suas reconhecidas iotelligencias, apre-
sentaram ara prejecto que tem por firn mudar a fei-
ra do lugar em que se acha, para outro mais- con-
veoieote a seos ioteresses: mas, haveudo diver-
gencias de opinioes entre elles. relativamente ao
lugar para o qual deve ella ser mudada, Moura
Florencio pcopoz que fosse collocada entre o pateo
do Rosario e o da matriz, perlo da sua casa ; Biien-
court porm, de opinio contraria, quer que seja
na ra do Meio, em cujo centro est o seu escrip-
torio ; outros finalmenteesforgam-se para lvala
ao pateo dos curras ; e neslas circumstancias lu-
tam os nobres influentes vereadores com a grande
difBculdade de removerem a feira, de modo que
tal projecto tem causado geral sensago oo com-
mercio desta cidade, e em algaraas pes-
soas mais, que tem suas propriedades no pa-
teo em que ella existe-actualmente, assim como
tem despertado a curiosidade dos talladores da
trra, a tal ponto que em quatquer lugar, as
tabernas, boticas, et Segundo a opinio do nosso amigo Zez, (ere-
mos de ver os habitantes desta cidade em maio-
res apuros, do que se viram os blancos ncrataque
de Paysand, se por ventura levarem a effeito a
sabia e bem lembrada mudanga da feira, pois que
conforme nos afirma o referido |incoroparave!
Zez, isto stem por fim vioganga, qoe querem
tomar os senhores do projecto com o corpo do
commercio, e os propnetarios que nao pertencera
a grey poltica dos mesmos Ilustres senhores. As
ms linguas, porm, ao contrario, dizera que ca-
da um Ilustre pe>ca para seu sambur, dito que
se basa no querer o Moura Florencio a feira
junio de sua porta,para ahicollocar nm armazem
de baoanas e laranjas, e urna botica bomeopalhi-
ca : o Dr. Biltenceurt tuer junto ao seu escripto*
rio como meio de provocar a concurrencia, e as-
sim conquistar a clientella do velho Jos Severi-
no, que de feito, ojo querido dos matulos, que nos
dias de feira a affluem esta cidade e dest'arte ad-.
querir osmeios de nao incom.modr -o commer-
cio com fiadose emprestimos de dinheiro. Final-
mente dizem tantas cousas acerca dos motivos que
influem para tai remogo da feira, que eu descon-
fio que, se isto acontecer, a intriga, a violencia, e
os fados mais reprovados ho de apparecer na
mais alta escala, como coosequencias. peiores tai-
vez, do que as que tem resultado das exacerbagoes
dos aoimos, as mais calamitosas cnses polticas,
por quanto ira ellas aflectar at o direito de pro-
priedade.
A imnha opinio que esta mudanga nao se ef-
fectua, porque nao s isto um acto de estupidez
e discordia, comq,porque as pessoa* mais gradas
desta cidade, e mesmo a maioria dos vereadores
effectivos se oppdera a tal idea, alm de que a au-
loridede a quera compete sanecionar esle acto nao
o farasem primeramente ouvir e attenderas con-
veniencias publicas para o bem estar de urna ci-
dade, que se achaem paze mais livre das intri-
gas polticas.
Portanio lico descansado, renunciando a tarefa
de mostrar os inconvenientes que ha no projectq,
da fallada mudanga da, feira ; mais logo que es
senhores do tal projecto o submetterem ao pcdei
competente, eu direi ento o que for justo e.rasoa-
vel, em sentido de orientar o poder oroplente
acerca da questo, descutindo as vantagens que
resultara da estada da feira oo lugar em que actu-
almente existe, e a desvaotagem da remogo para
outro qualquer; acooselhaodo aos que preteidem
iraoseii-la tenham em'vislas as coosequencias
qu; de laes medidas tem resultado em algn lu-
carga asspc.ar.
Liverpool Barca ingleza Chaoza, capito R. B.
Fenloy, carga assucar e algodo.
Ilha de Fernando Hiate brasileiro Smjipano,
que nao s beassem assignados os seis dias da le,
penhora, como os dez dias aos credores iocerlos
EDITAES.
capioJulio Gomes da Silva, carga diles V^SS^^SSS^^iTR'SX:
Ponos ?oortt.-V.iWrbrulleiroiVr^at1iae4lJfto- qae uvid pel juiz
commandante Ras. Extrahi o presente do nrotocvllo de audiencias e
judio o respectivo mandado de penhora. Eu Faus-
tino Jos da Fonseca, escrevente juramentado o es-
crevi.
^Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Segundo o que assim se cootinha em dito reque-
rimento de audiencia, depois do que o respectivo
escrivo Manoel de Carvalho Paes de Aodrade, que
esto subscreveu e fez passar o presente, pelo qual
eseu theor chamo, cito e hei por citado a todos os
credores incertos dos mencionados exeeutados, pa-
ra-nnft,58.lf,:l!ll.Dan8 e^MaS 'iudoqua'n'to
Recebedoria de Pernambuce 7 de margo
1865.Maooel Carneiro de Souza Lacerda.
O cooselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o deposito de recrulas.
133 booets redondos.
132 esteiras.
133 mantas de la.
672 1|2 varas de brim branco.
320 varas de algodozinho.
Para o corpo de volutanos da patria.
400 gorros com as eores oacionaes.
500 mantas de la.
200 bonels redondos.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas proposlas em carta lechada, na
sala do conselho, as 10 horas da manha do dia 8
do corrente.
Sala das sessoes do conseiho de compras do ar-
senal de guerra 3 de margo de 1865.-0 epcarre-
gado da escrijituraco,.
Manoel Jos de Azevedo Sanios.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se faz publico pa-
ra conhecimento dos interessados, que o tribunal
do thesoure em ordem n. 17 de 11 de fevereiro
ultimo, mandou proceder na forma da circular do
J> de agosto de 1847 a liquidado das dividas do
exercicio de 1862 a 1863, de "que sao credores os
abaixo declarados, os quaps devero apresentar
thesouraria os seus re|uerimentos para a referida
liquidago.
' Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco em 7 de margo de 1865.
Thomaz Tavares de Moraes.
Fre Joo Baptisla do Espi/ito Santo,
| Raymundo de Araujo Lima.
I Antonio Cabral de Mello Leoncio.
Fraocisco das-chagas Cordeiro Campos.
Raymundo de Araujo Lima.
Joanna Anglica Fernandes Bastos.
Manoel Jos Pinto
Serviuiio de ofllcial maior.
Kara o Porto pela llliale S.
Miguel.
O velleiro e bem conhecido brigue oariouaf A-
melia pretende seguir oom muita brevidade, tem
parte do seu earregamento engajado, para o resto
que loe falta e pajsageiros, para os quaes tem ex-
celleotes commodos : tratase rom os seos eonsig--
nalanos A. Luiz de O. Azevedo & C. no seupsenp-
-orlo na ruada Cruz n. 1.
COMPANHIA PEBNAMBllASA
DE
Navegacao cosleira per vapor.
Aracaj e escalas.
0|vapor Paraln/ba, comman-
daBte^larlios, segu oo dia 14 do
correle as 6 horas da larde. Re-
jcebe carga al o da 13 ao meio
_ 'da. Ent'ommendas, passageiros
s dinheiro a frele al 2 horas da tarde do da da
aahiiia : c.-cripiorio no Forte do Mallos o. I.
Para Iisbo.
Pretende seguir cam muita brevidade a barca
poriugueza knngneta, tem parle de seq carrega-
mento prompto : para o resto trata-se rom os seus
coosjjjnatai ios Antonio Luiz'e Oliveira Azevedo &
C, uojseu escrptorio ra da Cruz d. 1.
Para o Rio de Janeiro "
pretende seguir com muila brevidade o brigue es-
cuna Joven Arihur, tem parte de seu carregamon-
te engajado : para o resto que Ihe ralla trata se
cornos seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevodo & C, no seu escriptorio roa da
Cruz o. 1.
Para Lisboa
pretende sahir era poucos dias o patacho portustoei
Jareo por tera maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouco que ihe falta trata-se cem os consinav
tarios Palmeira Beltro, largo do Corpo S3ni
o. 4, primeiro andar.
A cmara municipal desta cidade, convidada
por S. Exc. o Sr. presidente da provincia para, pe-
los raeios .ao seu alcance promover o alistamenlo
do maior numero possivel de cldadaos nos corpos
de voluntarios da patria, dirige-se aos seus muoici-
*""" "","" niido., certa de que a oioguem cedem
em valor e patriotismo.
LEIIES.
"-
Leilao de fazendas araadas.
iio.j;;
Mills Lalham & C. faro ieilo por inlerveDg
do agente i'into e por couta-e risco de quem per-
teocer de differentes fa.eodas ioglezas, laes co
madapolses, algodfies, chitas e saceos vazlos ag-
riados a bordo do* cavos ioglezes tChaoce e
ElizahethBarter as 10 horas do dia cima dito.
em s.'u armazem a ra da Cruz o. 38.
Leilfio de um carro de i rodas com 2 ca-
vallos.
iio.ii:
Quarla-feira 8 as 11 horas oapraga do Commercio,
OLYMPIO,
veodera em leilo um carro de 4 rodas
com a
- De ordem do lllm. Sr. .ospector da Ihesou- compeleote parelha de cavallos, seodo o mesmo
na de fazenda desta provincia se faz publico mui0 ,eve e pro no alugueis
dos interessados, que o tribu-
Descendentes dos Vieiras, Dias o Camaro, esses ale'
hroes que tanto se ennobreceram pelo seu valor,' for a bem de seu direito e jusiiga
amor a patria e a religio, elles nao desmenliro' proceder as suas revelias.
quanto
sob pena de se
certamente de lo gloriosos ascendentes e correro
apressados a vingar a injuria feita a honra da n*-
go, nao sement pelo governc do Uruguay, seno"
tambem pelo novo despota do Paraguay.
Este tyrano, sem nenhuraa provocaco da parte
do Brasil, no-s tem aprisionado os nossps vasos
qoe francamente subiam o rio confiados na f dos
tratados, seno tambem envin as snas hordas sel-
vagens para devastaren) os campos e as povoagoos
iodefezasda oossa provincia de Matto-Grosso.
E'a prim?ira vez que, depois da nossa indepen-
dencia, urna bandera estraogeira arvorada em
territorio brasileiro ; e cmo urna tal affronta r.o
pode ser perdoada por nenhum povo que presa a
sua iodepeodencia e soberaoia; confia a mesma c-
mara que os Pernarabucanos, seinpce celebrados
pelo seu valore patriotismo, correro a alistar-se
nos batalhoes de voluntarlos da patria para repel-
lirem a invazo estraogeira, auloaodo com enlhu-
siasrao, viva a oago brasilelra, viva S. M. imperial
o Sr. D. Pedro II, vivara os Peroambucaoos, vivara
os voluntarios da pali a.
Pago da cmara muioicipal do Becife, 1 de mar
go de 1865.Luiz Jos Pereira SimSes, pro-presi-
deote.Fraocisco Caouto da Boaviagem, secre-
tario.
E para que chegue ao oohecimento maodei passar e preseote que ser publicado pela
imprensa e afflxado no lugar do costme.
Dado e passado nesia cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 28 de fevereiro de 1863.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.'
Tristo de Aleocar Araripe.
BEGL1BA0ES.
Caixa filial do b^jico do Brasil
em Peraamoneo,
14/c neiro de 1865.
" De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredores de >ebastio Jos da Silva a virem
recebar do thesoureiro da mesma caixa o que em
rafoo Ibes loca da venda de urna das proprieda-
des, quesegundo a concordata,Ihe foram entregues
para seren vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
De onle.ni da directora desta mesma caixa se
O lllm. Sr. inspector da thesouraria 'provin- f" publico ads senhores accionistas que orespec-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre- n>o thesoureiro est autorisado a pagar o 22. di-
sideote da proviocia de 23 do corceote, maoda fa-; videodo de 10.J por aegao. .
zer publico, que no dia 16 de margo prximo vin-1 O guarda livros,
douro, perante a junta da fazenda da mesma the- j Ignacio Nnnes Correa,
souraria se ha de arrematar quem por meos U- COMPANHIA PERNAMBUCANA,
zer, os reparos deque precisa a poote dos Carva- De ordem do conselho de direcgo sao convi-
Ihos sobre o rio Jaboato, avalados em 550^000. dados os Srs. accieolstas a reunirenVse em assem-
A arrematago ser feita na forma da le provin-
cial n. 343 de lo de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerera a'esta arremata-
go comfaregam na sala das sessoes da referida
junta oo dia cima meocionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para coostar se maodou publicar o preseote
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de-fevereiro de 1865.O secretario,
Antooio Ferreira d'Anounciago.
Clausulas especiaes para a arrematando.
bla geral no dia 9 de margo prximo, ao meio
dia, no segando andar da casa n. II, na praga do
Corpo Santo. Pernambuco, 24 de fevereiro de
1865.
. O gerente,
F. F.Borges.
Manta Casa de Misericordia do
Reeife.
A lllm' junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Becife n)anda fazer publico, que
no dia 9 do corrente, pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessoes continua aira praga por
1.* Os repares da ponte dos Car val tos sero fei-' lempo de 1 a 3 anuos as rendas das casas 'abaixt
tos de cooformidade com oorcaraento junto naim- declaradas : os pretndanles devera comparecer
portancia de 5505000. acorapanhados do seus fiadores ou munidos de
2.a As obras devero ser principiadas oo prazo cartas destes.
de 10 dias, e concluidas oo de 3 mezes, arabos coo- Patrimonio de orphos.
tados da dala da arrematago. Ba do Vigario sobrado de '2 andares
3." O pagameoto ser realisado em urna s pre- u. 27.........603jJ0O0
tago, quando o arrematante tiver coocluido todas Ba da Senzala Velha sobrado de- 2 an-
as obras e entregue definitivamente. dares n. 132.......4505000
4" Para ludo o que oo estiver especificado oas Becco das Boias, dem o. 39. .5005000
presentes clausulas, segmr-se-ha o que dispoe o Ba do Amorim, casa terrea n. 26.. 805000
regulamento de 9 de julho, que rege esta repar- Ra de S. Googalo, idem n,. 22. 1835000
tigo Caridi.de.
Conforme, Ba da Gloria casa terrea n. 65. 1445000
Antonio Ferreira d'Annuociago. Trave.-sa do Carcereiro idem o. 11. .1205000
O lllm. Sr. Inspector da thesouraria provin-, Secretaria da Santa Ca*a de Misericordia do Re-
cial, em comprimento da ordera do Exm. Sr: pre- cife 9 de margo de 1865.
sidente da provincia de 20 do corrente, manda fa- i O escrivo,
garas desta provincia e nestas ci'rcumstaocias zer publico que no dia 16 de margo prximo vin-j Francisco Antonio Cavalcanti Cousseire.
son do parecer do nosso amigo Filippe em suas'douro, perante a junta da fazenda da mesma the-. .conselbo de compras do arsenal de guerra
mximas quando diz que o velhor da vida o | souraria, se ba de arrematar quem por menos li-
socego do espirito, era a araisade que 'nev reinar zer, os reparos indispensaveis da cadeia da villa do
entre as aves de arribago que pousam nos terri-1 Cabo, avahados em 3455.
torios estranhos ao seu domicilio com aquellas que A arrematago ser feita oa forma da lei provio-
vivem em suas preprias localidades; assim como cial o. 343 de 13 de maio de 1854, e sob as clau-
aqnella que nao corara de sna honra e devores da ; sulas especiaes abaixo copiadas.
sua familia nao podem, nem tem mrito para cu- As pessoas que se propozerera a esta arremata-
rarera ao bem publico, aqui pois fleo meditando ; cao comparegam na sala das sessdes da referida
oesta mxima applicaodo-a a quera se julgar com
direito a ella.
. Victoria, 3 de marg de 1865.
0 consenador.
COMMERCIO.
Cotaees olficae.
PKACA do BECFE.
7 de margo de 1865.
Assucar masca vado Canal-\ 5730 por arroba.
Dabourcq Jniorpresidente.
Guimaraessecretario.
junta, oo da cima meociooado, pelo meio da e!
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernara-1
buco, 27 de fevereiro de 1865.O secretario,
Antonio Ferreira d'AoDoociago.
Ctiisuiu especules para a arremataeo.
1." *As obras dos reparos urgootes da cadeia da
villa do Cabo, sere feitas de cooformidade com o
orcameofo juoto oa importancia de 345;000.
2." O arrematante devei principiar as ditas
obras no prazo de 10 dias, e concloi-las no de 60,
amtx contados da data da arrematago..
3.* O pagamento- sera* realisado era urna s.
precisa comprar o seguinte
Para o corpo de voluntarios da patria
2,000 coyados de panno azul.
2,800 eapotes de dito.
1,400 covados de baela Verde.
50 covados de casemira verde.
25 ditos de dita amarella.
133 varas da aoiagem.
2,300 varas de algouaozinho.
3,000 ditas de brim branco.
4,000 botoes/grandes de metal amarello.
2,800 ditos peqoenos de dito dito.
rafa provimento dos arrmeos.
7,500 varas de brim branco,
7,5u0 ditas de brim da Russia.
500 meios.de sola.
6 chapas de lalo de n. 13.
6 arrobas de rame de lato de n. 7.
6 ditas de dito dito de n: 8.
6 ditas-de dito dito de n. 12.
Para-a aula dos menores do mesmo
arsenal.
7 Simaos de Nantua.
rana
para cooheermeoto
nal do thesouro em ordem n. 14 de 6 de fevereiro
fio correte aono, autorisou o pagamento de divi-
das de exercicios findos aos credores abaixo de-
clarados, os quaes devero requerer thesouraria
a liquidago de suas dividas.
Licinio Persino Nestroo de Adrade.
Ojyropo Theodore da Silva.
Antonio Braz da Silva.
Joauuim Jos Botelho.
Antelo Uaplisia.
Antonio de Souza.
Malaquias de Souza.
Antonio Francisco.
Francisco i'-
Manoel Paulo.
Josa Mana.
Joaquim Vetolio.
jgnacio Jos Machado.
Francisco Gomes Simes do Amaral.
Joaquim Bgolino da Silva Fragoso.
Joaquim Teixeira Peixeto.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam
buco era 6 de margo de 1865.
Maaoel Jos Pinto
Servindo de offlcial-raaior.
Fmda a audiencia do" Sr. Dr. provedor dos
residuos se arrematara um cavallo russo sujo,
grande talhado e capado : hoje 8 de margo de
U863.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que a
boia doexlremo do sul do banco do uglez que ha-
via sidolaogada praia por Ihe haver arrebenta-
do aamarrago, foi novameote collocada, demar-
caodo-lhe o pharol do pico ao O 1/2 N 0, e a tor-
redosemioario de Olinda ao N 1/2, KO, rumos
magnticos, e em fundo de 5 bragas, exactamente
node termina pelo sul ogilez. Capitana do porto de Pernambuco 4 de
fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
. Aviso aos navegantes.
Pela capitaoia do ponto de Pernamboco se faz
publico para coohecimeoto dos ovegaotes, que oo
dia 18 do correte foi oovameote collocada, e oa
mesma posigo, a bola que marca o termo dos
baixos de Olinda ; e a qual bavia sido arrojada
praia por Ihe-haver faltado a amarra.
Capitana do porto de Peroambuco 18 de feve-
reiro de 1865.O secratario,
Decio de Aquino Fonseca.
rrm
Pela admnistrago do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes que em virlude
do dieposto no art. 138 do regulamento geral dos
correios de 21 de deiemibro de 1844, e artigo 9 do
decreto n. 785 de 15 de maio de 1831, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
cao pertencenles ao mez de fevereiro de 1864, no
dia 6 de margo prximo, as 11 horas do dia, na
porta do mesrao correio, e a respectiva, lista se
acha desde j exposta aos inleressados.
Admnistrago do correio de Pernamboco 20. ie
fevereiro de 1865.O administrador,
Domingos des Passos Miranda.
Nao tendo sido contratada, como fra abano-
iado, a impressao e puWica5o dos trabalhos da
cmara municipal desta cidade, a mesma cmara
de novo convida" quelles que quizerem contratar
aprsentarera as suas propostas no dia 7 do cor-
rente, no seu p"aco, as 12 horas da manha.
Pago da cmara municipal do Recife 1 de mar-
co de 1865.
Luiz Jos Pereira Siraes,
Presidente.
Francisco Canuto da Bcaviagem,
Secretario.
AVISOS MARTIMOS.
Para o Kio de Janeiro
segu em poucos dias o-brigue nacional Marques
04 OUnda por ter o seu carregameolo quasi com-
pleto : para o resto que Ihe falla e escravos a fre-
te, tratase com-Maooel Ignacio de Oliveira & Fi
loo, largo do Corpo Santo n. 19.
PARA O
Rio de Janeiro
segu cora muita brevidade o patacho brasileiro
Piulo, o qoal recebe alguma carga e escravos a
freto : a tratar no escriptori de Amorim Irmos,
ra da Cruz n. 3, ou cem o capito Joaquim Jos
da Motta, na praga do commercio.
ilugueis
Leilao de 60 latas com gpi kerosene.
HOJE.
O agente Pestaa far leilao por conta e risc
de quem pertencer de 60 latas cora gaz kerosene
em um ou mais lotes a vontado dos compradores:
quarla-feira 8 do correle pelas 10 horas da ma-
nha no armazem do Aooes.
Leilao de duas machinas a vapor
Sendo:
L'ma portavel, forga de 14 cavallos, sobre roda*,
cora caldera palele e todos seus peiteuces.
^Qlra flT.-ft.qtsoniaL.forca de 12 cavallos ees
Quiota-feira 9 de margo, em freole a
Associagao Commercial.
O agente Pinto fara leilao por conta de quenr
pertencer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engeoho, as quaes se loman
recomwendadaspela sua perfeigo e par sererav
dos nielhores fabriraotes de Inglaterra, os preten-
dentes podero desde ja' exarainarem ditas ma-
chinas para o que podero entenderem-se rom '
mesmo ageota em seu escriptorio ra da Cruz ou-
mejujg.______
Leilao rjuinta-feira 9 do crreme a ra da
(Cadeia do Uesifen. 53, armazem.
Pelo agente Euz< bio
se far leilao de doas casas terreas em chaos pro-
prios silas oa Capuoga ra das Cnoulas ns. 39 e
41, os pretendenles sao convidados ao previo exa-
me e comparecerera ii" acto do leilao.
Leilao de 50 barris cora figos.
Quiota-feira 9 do corrente.
O agente Pestaa far leilao de 50 barris rom
flgos desembarcados ltimamente em um ou mais-
lotes : quintafeira 9 do corrente as 10 horas da
manha no armazem do Sr. Aunes defronle da al-
fandega. ________, __^^_
Leitio e 150 barris e 21 cu i \ as coi.
figos.
Quiota-feira 9 do- correle.
O- agente Pestaa far luilo por conta e risco
de quem pertencer de 130 barris e 21 ca xas com.
figos desembarcados ltimamente em um ou mal:-
Iwtes a vootade : quiota-feira 9 do corrente pela*
lOhoras da manha no armazem do Aones.
avisos aimsos.
LOTERA
Aesl0;000000e 3;'>00O(k
Corre depois Tamanba.
Sexla-feira 10 de marco't r lugac i e.\-
traccao da 2a paite da i' lotera da> Santa
Casa da Misericordia (8a) no consistorio da
igreja de Nossa Senliora do Rosario da fre-
guezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, m'os e quartos cst.To a ren-
da na respectiva thesouraria ruad Cres-
po n. 15.
Os premios de 10-0000000 ai 20,-OOO
sero pagos una hora depois da extraegao
at as 4 horas da tarde, e os oulros depois.
da distribuicSodas listas.
As encommeadas s se gnardarao at a
noite da vesQera da extraccao como- de cos-
tume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Eneanmento (Tagua.
Precisa-se de urna pessea que saiba
concertar cacanaacHte d'a&ua de ca-
sas partiealares; a tratar na tarara
ns, 6e 8 da nraca da Independencia^
Claudio Dubeux, propietario das Hrihas de
mnibus, faz sciente ao publico que no dia 15 des-
te correle mez de marro tira do Cacbaog o m-
nibus que parte daquella povoagao as 7 horas da.
manha e as 3 i\% na tarda do Recife ; assim co-
me tira' tambera no mesmo os o oiooibus de Api-
pucos que parte daqueile lugar as 6 horas da ma-
nha, e do Recife as 6 da tarde.____________

Precisa-se de urna ama que
gomme na fu do Imperador
andar,
oosinhe e en-
n. 17, segundo
Tu r-*
i\ #r-i


Diario de rrr.anilmco .- 4arta fclra S e Mareo de !&
Salitre
Superiores cortes de moirs preto cora barra, o qne ba de melhor gosto em
Peroambuco. ", .
dem de gorgurSo prelo adamascado com barra a imperatnz Lugenta.
dem idem de seda bordados com barra e superiores moirs pretos e largos
2,5400, 2600, 30, 3500, 40, U, U, 70 e U o covado.
Superior gorgueo de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior. ,., um m miaa -
Completo sortimento de grosdenaple preto a I0oOO, 1A80O, _#,-03UO, i>,
30500, II, 4500 e 50.
Pannos pretos de soperivr qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de filo prelo.
Mantas pretes de fil e los pretos. -
E militas outras fazcndas de superior qualidade na 1< ja das Columuas
na ra do Crespo n. 43 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Morera Lopes.
Preparare com asseio.
Xa ruada Florentina n. 36, forne-secomidas em
caa ou fora dclla nuUndo-se a bemfeitona, asseio
e baraleza. /_________
.Na roa do Queimadon. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimaraes, vende-so sali-
tre refinado por 25$ a barrica de 4 arroba*, ou a
| 65400 a arroba s a dinheiro.______________ _
orSrs. acadmicas que vo matricular-se jj
no terceiro anno da Eacoldade de Direito, podem
dirigirse a ra da Saudade b. 9, fronteira a do.
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil at as 9 horas da manha, e das 4 at
as 6 horas da tarde. ___________________
Csnssltorio medico-cirurgico na na larga do
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o ejercicio de sua profissao
nao s na parte medica como tambem na cirur-
gica.
Tinturara
Na ra Direitan. 116 conlinua-se a tingir para
qualquer cor, e o mais barato possive'
m
m
O bacharel
francisco Augusto da Cosa
ADV6GAD0
Saca-se sobre Lisboa, Porto e Ilha de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escri-
torio de CarvalhoeI"guera.
Ra do Imperador numero
__m
69.
Perfumara e sabonetes de
Toilet
da casa Violet, perfumista com privilegio,
fomecedor das casas de'S. M. impera-
triz dos Francezes e da rainha Isabel II
de Hespanha.
As flores as mais esquisitas, as plantas as mais
ricas em aroma, os blsamos os mais odorficos,
servem a composl?o dos productos exclusivos da
rainha das Abelbas.
Sabo real de Tndacee.
O nico recommendado pelas celebridades me-
dicas como hygienica da pelle.
Balsamo de Moleta.
Pomada fluidificada pelos oleo virgen para o
servico dos cabeleireiros.
Golas de Vilelas.
Extracto da flor natural, perfume de S. M. a rai
nha Victoria. '
Salio de balsamo de \ielelas.
Homenagem a S. M. a Imperatriz.
Agua da belleza de Sua Magestade a
Emperatriz.
Locca benefira para o toilet das damas.
Flor de arroz rosada.
De S. M. a Imperatriz Eugenia.
Perfume de nctar.
Este p refrigerante preserva a pelle de todas as
afeccoes dormaes.
Kosado das abelhas.
Locero refrigerante para o toilete o os banhos.
Creme poupador.
Da belleza da pelle.
Para prevenir as rusgas e refrescar o rosto.
Creme Sevign.
Coroposicao especial, para lustrar e xar os ban-
dos (cabellos.)
Creme fri espumoso.
Segredo da belleza.
Para refrescar o tessido dermal.
Perfumes das brisas de roa.d.
Delicias dos lencos e saloes.
Dicado a S. M. a Imperatriz da Russia.
Caia de Juvencio.
Cofre mysterioso.
Encerrando talismn, segredo para toiieza.
Vermelho da China, preto indio e branco
de Lys.
Para passebs e soires.
P horisoatal
Pas as unhas o brilho de nacarregado.
Perfumes liorisontaes.
RwA-o'wf"HWTaa aofmp'era'or n. 38, Botica
.nrfceza.
Joo da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda raesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 33000diarios.
Segunda dita.....2,8300 .
Terceira dita.... 2$000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que'sera-
pre tem gozado.
Precica-se de urna ama forra ou cap-
tiva que saiba cosinhar e engommar, isto
para urna s pessoa: na ra da Senzala Ve-
lhan. 8, das 9 as 4 da tarde.
Aulonio Moreira de Mendonca, Joo Moreira de
Mendonca, Joaquim Moreira de Mendonca, Henri-
I queta Guadalupe Mereira de Mendonca, Guilher-
' mina Honoria Moreira de Mendonca, Francisca
Domingas de Albuquerque Mendonca, Euthimio
Erasmo Moreira de Mendonca, Antonio Arthur Mo-
reira de Mendonca, Tude Tullio Moreira de Mea-
doea, Donatilla Doroihea Moreira de Mendonca, |
Nahum Nasiauzeno Moreira de Mendonca, Antonio
Fortunata
'-,_
Francisco Lucio de Castro e Joaquim da
Fonseca e Silva tendo de mandar celebrar
urna missa pelo repouso eterno do finado
Manoel Francisco da Silva Carrico na igre-
ia do Corpo Santo no da 9 do corrente as 6
horas da manha, convdameos amigos do
mesmo CarrivO para assistirem a esse acto
de religio.agradeccndo desde ja aos que se
dignarem comparecer.
Anlenio-Luiz deOliveira Aleudo &C
Agentes do banco Uni5odo Porto.
Competentemejite autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesroo-trancopara o fono e
Lisboa e para as seguinlcs agencias :
Londres sobre Bank ofLondon.
Frdric S. Balun & C.
JooGabe i Filho.
Francisco Kohala 4 Ballesta.
Jaime Merie.
Crdito Commercial.
Gonzalo Segona.
M- Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira. Figueira.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuas
sobre a vida
ATORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma flanea em d'iaheiro, depositado bos cofres do estado, garante a boa ad
ministraco da companhia.
DIRECQO GERAL
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
Madrid : Rua. do Prado n. I
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cadis
Sevilha
Valencia
Amarantes,
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganea.
,Faro
Oliveira
meis.
Sttencao.
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeltt- tal *
vel publico e a todos os senhores offlc.aes do ter- 1
cito e da marinha que centina a ter sua casa sor-
tida de fazendas e roupas feitas, e por medida : no
largo do Livramento n. 3i. _^_.......ttm
i* As*
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lartego.
Leiria.
10 bacharel Jos Baplista tirana
advoga nos termos do Bonito e Caroaru.
Pode ser procurado na villa do Bonito,
ma Direita a. 16, defronte dacadea-
Caminba.
Castello'Branco.
Chaves.
Coimbra. -
Covilho.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
,Thomar.
Villa Nova de
Villa do Conde.' Portimao.
Villa Real de Vizen.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
Bah'w. .lii'in'o.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer sorama a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
mesmo Banco a razo de t por cento ao anno a
ratar na ruada Cruz n. 1.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
S Nela pode se tazer a subscripto de raaneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentesos resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL que ainda mesmo dimlnuindo urna terc,a parte do interesse prcdozde tm urecles liquida-
coesecombinando-ocomamortalidade da tabellado Depareieux que e adoptada tela ecmraLhia
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna imporsi^aoartual
de 100$ produz em effectivo metlico: ......
No fim de 5 annos.......IKSS '
. de 10 .......3:9425660
, de 15 .......11:208*200
, de 20 .......30:256000
. de 25 .......80:331*000
Xas idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideravei?..
Prospecta e mais informacSes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
mo Joaquim Fiuz de Oliveira, ra daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, Miste!
cimento dos Sr?. Raymundo, Carlos, Lcite & Irmo.
Cas-
Monco.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Viaunado
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Alfredo Moreira de Mendonca, Anna
Moreira de Mendonca, Antonio Francisco Moreira ^.^^.^ ,--------_... 1PrfPi,.ao
l de Mendonca e Leocadia Clementind Moreira de Lava.se e engomma-se cora toda a peneii^u
Mendonca, Dlhos, ora e netos, agradecem a todas na rua dos Pires n. 21._______________
as P^.^Ka*S!SS isacc Esnaty, subdito francs, I Baha e forlendenleasuaproGssao,aceila departido an-
ao ^jg^J^S^S^fS doixa S filho cncarregado da sua fabrica de rape lll!U,,enci;is udiciaes de qualquer ca a
ia ZSSf^&i-SSii nordS! impera comraercialmediante razoavel ajuste
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Machado
se encarregaante o foro deslacidadede tudo que
ss
terceira do Carmo, allin de assistirem a.nnssa no
stimo lija; s 5 horas da manhia; ,^^-_-,
O conselheiro Fran isco de Paula Bap-
tista conlinua em sua proiso de advrga-
Coutinua
no Gymnasio a"seencarregar de cbranos o0*1"!*05 doC,abo
elpojucaaondecontinuaatrdbalhar corno a
Precisa-se de um coznheiro
^ek^e-^aln^h^ encarrega-se de defezasperante^o jory oo
do em seu escriptorio n *y!JJ- "1. A|uga-se urna escrava d7
ras, pnmeiro andar da casa n. 19, aonde | bnJs ou meD0S, nao para
poder ser procurado desde as 10 horas; j:uado pa(]re Fiorlaoo n. 34, a tratar com Leonar
"* K,ci'r 'Z m,"ni'.iVVir a Portufialem com- termosproximosa via frrea, offerecendo gratui-
^SS^SSSSvSSrm mez de tamenteseu serv icos aos desvalidos, pode ser
PkD fX na ra dos Pires n 62. procu-adolodosos dias oteisdas 9 horas da ma-
abr.l : a fallar na rj -iI^T^rTiTmT, nhaa as3datardena ruaestreita do Rosario n.
rihlrarui-S 34, eforadessashorasna tqa Imperial n.36,ca-
,NC0 UNUO
SEGUROS DE VIDA EM MTALIDADE.
A directo do BANCO UNIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisaco
para estabelecer o seguro de vidas em mutualidade, faz publico que desde j toma subs-
cripcoes annuaes por urna s vez, debaixo das seguintes condices :
Com parda de capital e lucros;
Dito de capital somenle;
Dito de lucros somente ;
devendo a primeira liquidaco ter lugar no Io de Janeiro de 1869.
As vantagensdo emprego de capitaes era mutualidade, sao obvias, porque nao so-
mente se collie o juro de quanlias diminutas, de que avulsas se nao pederk tirar ne-
nhum resultado; mas alm d'isso, este rendimenlo augmentade pelo capital ou lucros,
ou ambas as cousas, conforme as condices da subscripgao, dos que fallecem. Tambem
partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos dos seus paga-
mentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem
pela falta de cumprimento do compromisso social.
As Hquidacoes .sao pelo systema das companhia-s hespanholas, tutelar e outras ; e
para se poder fazer urna idea do que pode produzir urna entrada annua de 10^000, pu-
blica-se a seguinte tabella baseada sobre a experiencia de muitos annos de companhias
do dia atrs 3 hoi as da tarde.
Vende-se os compodios de herme-
nutica jurdica, e de theoria do processo
civil reunidos emnm 50 litro, na loja de
livrosdeNcgueira, enacasa de residencia
do autor dos ditos compendios, o conselhei-
ro Paula Baptista na rua do Hospicio n. 31,
ou era seu escr ptorio na rua das Trinche-i-
ras n. 19.
do Rufino de Freitas.
todo o
- Pr'eci.a-se alugar uro escravo para
servico de urna casa de familia : na rua da Cadea
do Recri n. 52, terceiro andar.
ama de lette.
Xa rua dos Pires n. 54, ha urna excellente
bom leite e muito >adi>.
cera
(iranile armazeni de tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
Preci=a- peiro, e que afiance a sua boa conducta : na rua
do Imperador n. 29.___________,------
Casas para alugar.
No prlraeiro becco da camboa do Carmo existe
para e alugar urna pequea casa ierres.de1 #
mensaes o seu luguel: quem a pretender dir.ja-
"I, gs do Imperador n. 38, segundo andar.___
""_ Precisa-se alugar urna escrava para carregar
fazendasj na rua do Hospicio n. 51__________
"ITEta definitivamente vasia a casa assobrada-
da da rua do Progresso n. 14 : quera a pretender
_ Prprisa-se de um menino para caixeiro com
ALUGUEL.
Aluga-se urna ca>a terrea do lado da sombra,
no principio da rua do Varadouro-, em Olinda, com
commodos para grande familia, por muito barato
prego : qnem prett-nder, dirjase a rua do Livra-
mento n. 31, segundo andar.
Oarmaxem dVt.nU aTgrande deposito de I dirija sea rua da^Praia armazem de carne secca
productoscliimicos utensis e os moicomprp^dnslnJHuinjo a ribeira do peixe.
e usados ua uharmana.nBtura.ol)o.to!rahia.tin-
turara, pyrolechinia(fgosdearliffcioreeiB-Cras
industrias. ._. Ai
Montado engrande escala, e suppnndo-se II-
rectamenteuas principaes drogaras ^ P"V^
airua, podeoffereceer
se de saa reidencia.
^~Na prar;a da Independencia leja de ouriveg
n. 33, compram-se obras de ouro e praiae pedra
dreciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qualquer concert.
mmmmmmmmmmmmmm
O Dr. Caroline Francisco de LimaSan-
los,contina a residir narua do Impe-
radorn. 17,2 indar,onde pode ser Pr-SK
curado aqualquerhoradodiae da noite-^
para o exercicio de suaprofissao de me- dico ; sendo queos chamados, depois de \M
meio dia at 4 horas da tarde.devem ser ^
deixados por escripto. O referido Dr. Wl
nao abandonando nunca o estudo >'as^
molestias dointerior, prosegne, com o tmt
maiorafflnco,nodasmaisdifficei5e deli- ?'
cadas operarles, como sejarrdos orgaos pg
ourinarios,dos olhos, partos,etc. ym
' Em 5 annos 10 annos lo annos iO-annos 2o annos
Por um menino de 1 dia a 1 anno 110$ 400$ 900$ 2:000$ 4:700$
de 1 anno a 2 90 3003 750$ 1:700$ 3:700$
de 2 a 3 860 290$ 720$ 1:600$ 3:500$
< de 3 a 4 860 270$ 710$ 1:560$ 3:400$
< c de 3 a 15 865 270$ 700$ 1:550$ 3:350$
Por urna pessoa de 15 a 20 i i de 20 a 30 < 86d 270$ 700$ 1:540$ 3:330$
86:$ 270$ 710$ 1:560$ 3:400$
de 30 a 40 863 270$ 720$ 1:600$ 3:700$
de 40 a 50 < 90$ 303$ 750$ 1:800$ 5:000$
pratica oe Bw
r, nn An AlpITim g_
^TTuea-se urna sala de frente, propna para
escriptorio, na rua das Cruzes: a tratar na mesma
rua .n. 41 A.
Aluga->c a rasa n. 53 da rua Augusta, nova,
com 3 quartos, despensa, cozinha grande, 2 quar-
tinhos no quintal, e porto para a rua do Dique;
urna boa casioha para trazer-se com asseio e gos-
to : a tratar na rua do Mondego, otaria n. 13.
Claudio Dubeux, autorisado por Antonio De-
metrio da Silva Laranja, vende a casa n. 67 sita
na rua do Pillar, em Fra de Portas, propriedade
do mesmo Laranja : quem pretender dirjase a
rua do imperador n. 43, escriptorio doannunciao
te, para tratar.________________________
Pessoa que deseja fallar ao Sr. Jo- Mathias
Lopes da Fonseca negocio de seu particular m-
teresse, roga-lhe que aiinuncie a sua morada.
THESOURO DAS MAIS
Pmvidencia das crian cas
COLLARES ROYER
electromagnticos.
CHAMACOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICC
Contra as convulsoes e para facilitara
deulicae das enancas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceutico da esco-
ta superior do Paris, successor de Chereau,
membro da academia de medicina
antiga casa de Bouillon-Lagrnge,pharmaceutico
do imperador
chefe dos trabalhoschimicos da escola po-
lyteehnica, director da escola de pharmacia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Cilio- Vigilante rua do Crespo n. 7.
Livro 3o Povo.
O livro do povo, ebraornada comestampas.con-
tendo a vida deNosso Senhor JesnsChristo, e mui-
tos artigos uteis. Este livro das familias recom-
mendado eapprovado pelos Exms. srs. D. Luiz
bispo do Maranho e D. Manoel arcebipo da Ba-
bia, vende-se a 15000 cartoriaBo, na livraria de
los Nogaeira de Souza, roa do Crespo n. 2.
productos de plena conlianca e satisfo^ qc
encommenda agrosso trato e aretalho, porprecos
razoavois.
Prvidos de machinas -appropriadas satisfar
com promptldao qualqusr pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o qae
nao fcil fazercom aquellas queso importadas,
e que se enconlram no mercado emlatasfcchadas.
Tem grande collecgao de vidros de differentes
formatos, desde urna oitava at dezeseisongas de I
capacidade ; do vidros para vidra^as e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de papis curados epra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para rieseoho
com fundo j feito; de papel albun inadoe BrisiJ
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para uiadeira, copal para o interior e ex-
tei ior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
clarificado, oleode oielet, secativode Harlim.ouro
verdadeiro em p ; prata, enro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
telas para retratos t tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim,bergamota, aspice, patchouly,mbar,
bouquet.lUnao, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anisda Bussia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que scom a vista poderaoser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
_________________________Cerentr.______
Precisa-se
de urna mulher que nao leona filhos e nem pessoa
alguuia sob sua respomabilidade, e que seja capaz
de fazer com zelo todo servico interno da casa de
um padre, inclusive enpommado : qnem rstiver
nestas condices dirija-se a rua do Imperador nu-
mero 35.
O director e tentes da Faculdade de Di-
reito desta cidade, tendo de mandar celebrar
nma missa, no dia 8 do corrente, as 10 ho-
ras da manha, na matriz da Boa-Vista, pelo
repouso d'alma do finado conselheiro Lou-
renco Jos Ribeiro, instalador e primeiro di-
rector do curso jurdico de Olinda, convidam
os estudantes da mesma Faculdade e a to-
dos quantos quizerem prestar homenagem as
virtudes servicos d'aquelle preclaro cida-
do, a assistir a esse acto de caridade.
mmw0m MHMI
Alugam-se dous grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e aceiados-
comjardim,cochelra,estnbaria eoutras comrao-
didades.natravessade Joo Fernandes Vieira : a
tratar na rua daSenzala Nova n. .
1 mmmmmm m wm mmr
^ bducaco B Francelina Maunnada Silva Albuquer-
B que, professora particular de instruegao
| K primaria, conlinua a ter sua aula na rua
j*" estreita do Bosario n. 38, segundo andar,
H admille alumnas internas o externas As
^ materias do ensino sao as seguintes : lei-
ja& tura, calligraphla, nocoes de arithmetica,
^5 grammatica portugueza cora applicacoes
1 praticas, doutrina evanglica, costuras,
marcas e bordados de todas asqualidades.
As entradas por urna s vez do resultados muits superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 5$000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO UNTA O, Jos da Silva
Machada.F. M. tan der Mepoort.
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz
numero 1. ,
19 RUA NOVA 19
Frederico Gautier, cirupgio dentista.
i
Instrncco particalar.
Urna pesjoa com todos os ttulos de habihicao
propde-se a aceitar em sua casa alguns meninos
menores do 12 annos por preoo muito razoavel:
queu se quizer otilisar de sr presumo pdese
dirigir rua da matriz da Boa-Vista n. 26, pri-
meiro andar, que achara com quem tratar.
Fugio na noite do dia 4 do -corrente da casa
de Jos Pedro do Bego o preto Manoel, escravo de
Manoel Gomes da Cunha, senhor do engenho Ma-,
caco do termo de Nazareth, o qual lera os signaes \
seguintes : rosto redondo, barbado, cheio do cor-
po, com falta de denles no lado superior, quebrado
do umbigo, tem cicatrizes as nadegas denotando
ter sido cesligado, levou vestido camisa de algodo
riscado azul e caiga da mesma fazenda : quem o
apprehender leve-o a casa do mesmo Jos Pedro
do Reg, na rua das Cruzes n. "8, ou a rua da
Cadea do Becife n. 86, de Leal & Irmo, corres-1 i
pondento do senhor do. dito escravo._________ |
Precisa-sede urna ama para casa de pouca;
familia : na rua larga do Rosario n 18.
Offerece-se um mogo para roptirode alguma
; casa ingleza ou portugueza do que tem bastante
: pratica ou para outro qualquer emprego de portas
la dentro : a tratar na r.oa da Cadea n. 52, loja.
Precisa-se de urna ama para se encarregar
somente do servico de cozinha : na roa da Cadea
de Becife n. 32, terceiro andar.
m
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feitp na arte dentaria, alm de corn-
il prar o segredo de diversas preparares empregadas com militas vantagens, tem a hon-
I ra de participar <.o respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fissao, advertindo que trouxe um immenso sortimento de deniadurasartifuiaes; caout-
chou galvanizado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeiroadas para chumbagem-
instrumenlos novos, ferramenta moderna, cadeirade operagoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabrcenles de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer'toda
a confianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh at b meio dia com cer-
teza e as 4 huras da tarde quando naotiver de ir em casas particulares.
u
Companhia Qdefi seguros martimos e ter-
restres estafoelcclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no sea escriptorro rua da j
Crn? n. 1.
Precisa-se alugar urna negrinha mesmo pe-
quena, para andar por casa com um menino que
anda nao anda : quem ti ver annuncie eu dirija-
se a rua do Bartholomen (em seguimento do Poci-
nho casa de detengo) n. 4o ; paga-se bem.
Aluga-se
Urna boa casa na ilha do Betiro (Passagem da
Maprtalena) com 2 salas, 6 qoartos, 1 gabinete,
eosinha fe ra, quintfll murado, sumidouro para as
aguas servidas e na pona : quem pretender diri-
ja-se a rua da matriz da Bca-Vista n. 26,"primeiro
andar.
Aluga-se urna preta para casa de urna s
pessoa ou pequea familia sabendo fazer lodo e
qnalquer servico tanto para casa com fora dclla :
a fallar na rua do Crespo loja n. 18.
Prensase da quantia de 2:000 sobre hy-
pothca em nm sitio perto da orara estrada de
Joo de Barros : qnem (pretender dirija-se a rua
estreita do Rosario n. 36 ou na mesma rua no pri-
meiro andar do sobrado n. 11.
Precisase de um amassador : na rua larga
de Rosario n. 16, padaria.
Aluga-se o primeiro andar, loja e grande
quintal com duas cacimbas, arvores e fructo e
comroedn para grande familia da casa da rna da
matriz n 33 : a tratar com d Sr. Antonio Joaquim
Ferreia Porto oo enm Miguel Joaquim da Costa ia
rua da Cadeia n. 12.
Os abaixo assignades fazom sciente a todos
os seus freguezes e ao dissolveram amigavelmente a soCledade que ti-
nham na cncheira da rua do Apollo a. 3, fleando o
socio Antonio Jos Teiteira com a mesma cochei-
ri e responsavel olo activo e passia Recife 7
de marco de 186.S.
Antonio Jos Teiieira.
Jos Pinto Tavares.
Feitor.
Na rua do Hospicio n. 34, precisase de um
feitor._______________________________
"^"iuga-se a casa n. 36 na rua da Matriz da
Boa-Vista ee Io andar n. 9 na rua Direita ero
frente para a rua da Penha : a tratar no segundo
andar_______
Precisase de uro menino para eaiseiro,-de
It a 14 annos, que seja portnguez: na rua do
Rangel n. 27.___________________________
a ttenedo
Ne curtume da rua Irapertal n. 191 precisa-se
de trabalbadores forros .ou escravos, com tanto que
sejam pessoas robustas.____________________
uj i uTIhc i do
Hosarlo n. 39.
O proprietario do hotel Traviata, achando-se de
novo em seu estabelecimenlo, e tendo feito nelle
muitos raelhoramentos, convida a seus mui distinc-
tos fregueses, qne se dlgnem de hnralo, com suas
presentas ; offerecendose-lhes para remet'ter co-
mida as suas casas com toda promptido e asseio
[pelo preco mai> commodo possivel: no mesmo es-
labeleciraento ha buhare?, sorvele e refrescos.
Attenc&Q.
Adverte.-se a quem quizer arrendar a proprie-
dade da Barra de Serinhem, que toda essa pro-
priedade nao do Sr. Dr Drummond, que dentro
della est encravada mitra onde existe a capella,
cuja propriedade pertence ao convento da villa de
Serinhem dos religiosos franciscanos, e que jus-
tamente aonde tem a maior pane das coqueiros.
Fre Mano.1 do Amor Divino.
______Guardiao. ______'
Aluga-e urr.a meia asna na puado Alecrim
entre as casas,do as. ol e ii'l ; a tratar na rua Di-
reita o. 24.
Rogare ao Sr. bacharel lozano
de Uew'do juiz municipal deGaran-
Iiiihs, queira dirigiase praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, ou annunciar
sua moroda para ser procurado.
Na rua do Crespo n. li, primeiro andar, pre-
cisa-se de costureiras que trabalhem de alfaiate e
com perfeicao, com machina ou sem ella.______
O London Bmillan Bank, saca por lodos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga. -
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
VIIVA LECT-
7Rua da Impra(riz7
Madame Lecont participa aos seus freguezes,
qne receben pelo nltimo vapor uro completo e va-
riado sortimento de perfumaras as mais oas pos-
siveis, como sejam : Nouveaa Bgnerateur de
Gell, nica para conservacao dos cabellos ; rece-
ben tambem correntes de Plaqu, muito finas e do
ultimo gosto para relogio, p de brilhante e de
onro para perneados de-bailes, 1,000 varas de bico
prete proprio para enfeiles de vestido, e diversas
outras coosas. Avisa tambem que na sua casa
contina a fazer tolo o trabalbo qtle diz respeito
a cabellos, como cabelleiras para horneo- e senhe-
ras. assim como perneados para fra._________
OSr. Joo Francisco de Pontes, es-secio da
firma de Carvalho & PonteSj estabelecido com pa-
daria em Caruar, tenha a bondade de- mandar
pagar a sua letra vencida a 2 para 3 annos, da
quamia de 1005f na rua da Penha n. 23, primeiro
andar. _________________
Preeisa-se alngar nma preta para- lodo o ser-
vico de urna casa de familia : narua do Trapiche
numero 4. '
CASA DA FORTOfi
Aos 10:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' ii ca do Crespo n. 23 k casas do costume.
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de eztrahir a beneficio do patrimonio de orphos,
os seguintes premios :
Um quarto n. 989 com a sd>te de 6:0005000.
Um quarto o. 2469 com a sorte de l:4o05000.
um qarto n. 1942 com a sorte de 500,5000.
E outras'muitas sortes de 200$, 100$, 40$ e
205000.
Os possuidorespodera vir receber seos respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo o. 23.
O Sr. Domingos Gomes Fernandes tem urna
caria vinda da ilha de S. Miguel : na- rua da Pe-
nha n. 29, primeirt andar.
'recisase fallar aos herdeiros do flna-
33 nado Cesarlo Marianno de Albuquerque
*fg Cavalcanti sobre urna- pequea heranca
y2 que Ihes pertence existente no termo de
S Sant'Anna comarca do Acarac provin-
JS5 cia do Cear, na rua estreita do Rosario JRi
yi, n. 23, primeiro andar, escriptorio do Dr. vi*
t Feitosa. mmmm mmmmmm mmmm
Samuel Power Johnstoa & Companhia.
R.a da .''erzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndlcao de Low Hoor.
Acharare a venda os da S- parte da 4- lotera a Machnas a vapor ,ie 4 e 6 cavallOS.
meficio da Santa Casa de Misericordia que se ___... __t_____i _- .
beneficio da Santa (^asa de Misericordia que
extrahir no dia 10 de marco.
PRECO.
Bilhetes.....125000 -
Meios......65000
Qoartos. 3$000
Para as pessoas que compraren! de 100>000
para cima*
Bilhetes.....1I$000
Meios......o$oOO
Quartos. ...... 2$ 750
Manoel Martins Fiuza.
Precisarse alugar urna ama portugueza que
saiba engommar bem e coser, para urna casa de
duas pessoas : na rua da Imperatriz n. 34, pri-
meiro andar.
m saques sourePortugal. j
O abano'assignado. autorizado pelo i
Illanco .le-cantil Portuei.se. e na ausencia
fMdo Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- j
fectivamente por tudos o paquetes sobre i
aspraeas de Lisboa e Por .o, e maisluga-
Bresdo reino, por qualqnei somma vis-j
ta,e a praso; podendo, o; que tomaren-
saques a praSo.receberem alista,no mes-
([to Banco, descontando 4 0|0 aoanno: na j
loja de chapos da rna do Crespo n.6, ou j
"naroa do Imperador n. 63, s [(ar.Jos Joaquim da Oosta MVia.
Precisa se de urna ama para fazer todo o se-
vico de casa de urna s pessoa : no becco das Ba-
reiras, casa n. 3. ,
Alusa-se urna caa terrea na rua da Senzala
Nova n. 36, ratificada de novo com tres grandes
quaftos, quntale cacimba, com porto que delta
para a rua de Apollo,propria para urna familia :
quem a pretender dirija-se a rna Nova botica nu-
mero 51.
Ama
Precisa-e na rua da Cadeia do Recife o. o, loja,
de urna ama para cozinhr, engommar e fazer to-
do o serviQo de urna casa de -pooca familia.
Mocndas e meias moendas para engenho.
Taixas'xle ferro coado e balido para enge-
nbo,
Arreios di1 cirro para um'e d.ous cavallos.
Relogios de oito patente isglez.
Arados americanos.
Machinas para descaroga'r algndo.
Motores para ditos..
Machinas de costura.________________
Fazem-se comidas para fr* com asseei o
promptido, por preco commodo : na rua |dos Pi-
res n, 32.
Aluga-se o segundo e terceiro andares do so
brado n. 62 da rua da Guia cora commodos -cada
um delles para grande familia, os qua s se acham
pintados de noto por acabar de ser dito sobrado
concertado : e a tratar no primeiro andar com o
prrprietario bacharel Francisco Luiz Correia de
Andrade.
. Procuraaoria.
Antonio Carlo's Pereira de Burgos Pon-
cede Len, como solicitador, se encarre-
ga das causas crimes, civeis, commer-
ciacs e ecclesiasticas. Elle ainda recebe
~* algumas casas de partido, mediante a
Mg ura ajuste razoavel. Pode ser procura-
ndo as salas das audiencias ou na rua
SS Imperial sobrado n. 64.
Francisco Jos Goncalves da Silva faz scien-
te ao respeitavel publico e cora especialidade ao
corpo do commercio, que se retira temporariamen-
te para fra do imperio, e durante sua ausencia
dexa- por seus procuradores em Io lugar o Sr.
Jos Joaquim da Silva Gomes, o os seus socios Joo
Jos-ojos Santos Lima e Duarte Antonio de Mi-
randa^__________
Precisase alugar urna ama qne saiba bem
cozinhr, e sirva para comprar para urna casa de
dnas pessoas :na rua da Imperatriz n. 34, primei-
oo andar.


_-% \ ir-i



Diario de Pemaiubuco marta felra 8 Je Mareo de 1*85.
Despedida. Furtoa-se.na Raixa-Verde, de poder do abai- Vn ormo7nm la ivarulna Kn
O-abauo assignado nao podendo depedir-se *o assignado, no da 28 do correte, am relogio -" u (U 'i"*->CIi_ U.tJ IdZcllUilS Ocl-
ae seas,amigos por falta de saude, espera qae. to- de prata horlsontal, de 5139, e urna corrate ou rafa o t\a QanAo AV P/_All_._
uos a desculparo de tal.falta involuntaria; e ao, cadeia de prata : quera apreheoder esses objectos,' IrtWlS Uu kJall.Uo V* vUclflO
mesmo lempo pe a dlsposicao o sea limitado levando-os casa do abaxo assignado, ra da Guia ; Rna da ftiiAmu^n n _Q
n. 43, ser generosamente gratificado, assim como; *"* VUeiUIdUO H. \f.
o mesmo abaixo assignado previne que pessoa al- enoe-se o seguate : I
gama faga negocio cora dito relogio. | Lences de panno de linho
________________Henrigae Leonardo.____ pelo baratissirr.o prego de 25400.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva que' Lences de bramante de linho
presumo era qaalquer parte "que a sorte o leve,
Antonio Barbosa de Barros.
o commercio.
O abaixo assignaco deixa por seas procuradores
LOJA
DO
DE
BALAO
pes Corval.-Antonio Barbosa de Barros. ,0 a0, segundo a,,dir
Arada est para ser vendido o sitio da tra-
vessa do Remedio na fregueiia dos Afogados n.
31 : quem o pretender dirija-se a raa de S. Fran-
cisco, sobrado n. 10.

Aloga-se um sitio na ra do Cabral
da cidade de Olinda com casa terrea, cora
cupiar na frente, bota os fundos para a es-
trada ft margomdo.rio Bebc-iibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
AITraso Jos de Oliveira, professor jubilado
directora geral da
nar priraeiras letra
da instruccSo publica para eosi-, los sem vi.mho defronte nem pelo fundo,
letras, latim, francez, rhetorica e com ptimos passcios, sala e gabinete na
geographia, continua com aula aberta dess mes- frente, muito DrODria nara MMar a ft^la <
temos. ____________________________ cile, no Recife, na livr-ria ns. G e 8 da pra-
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 67 ca J.a '"dependencia em Olinda na casa
da ra do Rangel defronte da botica : a tratar na contigua com o capitao Antonio Bernardo
ra do Queimado n. 71. ______ Ferreira.
Precisa-se de um bom cozinhelro e de um i TTT Z----------------------
opciro : no sobrado n. 32 da ra da Aurora. i AttGllQlO.
D-se a quantia de 6005 a juros a dous por : Precisase de um caxeiro com pratica de mo-
cento sobre hypotheca de urna casa terrea, ou 'hados e que d Banca sua conducta : no arma-
raesrao sobre hypotheca de um escravo ou escrava zera Garanta, ra do Imperador n. 14.
que sejara sadios : na roa Nova n. 69, segundo I Muf_a-se urna rasa com hnm sitio na fg
andar, esquina do por,o das canoas, dir ,em mm^JSlSSCU^SSS
da a dita quantia._________________________ Dastantes comraoJos, teodo cocheira, estribara,
Fugio um papagaio da ra da Penha n. quartos para pretos e muitas frueteira's : a tratar
sendo grande e tola verde, levou um pedaco de na rua do Imperador n. i6.
crreme em um p : rogase a quera o pegou de
entregar na masan, qae se gratilica bera. .
Aluga-se um grande .-itio cora suifliiiencia
l quem hiferessar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
to arvorcdo. de fructo : na ra larga do Rosario, flcaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
oja n. i.______^________________________ cambencas ; pelas repartig.es flscaes desembara-
James Eustace e Willam King, subditos in- 8o Je 'Teos de marmha e de ostabelecimentos
glezes, retirara-separa a Europa. que por engao ou ignorancia de seus proprieta-
7- nos estejam sujeitos ao rigor do flsc_; pela capi-
5 tama do porto matriculas de carpinteiros, calafa-
A viuva de Jos Castao
para fra aos assignantes particulares, por preco !__"ti'_p<
cnmmniln a n, cain _.___ '/, ,,", K ,e*- bote, canoas etc. Podo ser procurado no Re
cire armazcm de molhados do Sr. Antonio Lopes
coramodo e com asseio : na travesa da ra d'a
Cruz becco do Abreu n. I.
Na rna do Imperador n. 28, vende-se linguas
salprezas novas e superiores, em barril e a retalho,
ceblas novas em restias e em porches.
Aluga-se o andar do sobrado da ra Di-
reita n. 88, com commodos para familia : a tratar
na padaria n. 81.
Braga, ra da Cruz n."36; em S. Antonio loja de
livraria popular, ruado Collegio n. _7 do Sr An-
tonia Domingues Ferreira, e em S. Jos ra Direi-
la botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Paranhos.
Joaquim Jos dos Santos Barraca.
Joo Antonio da Silva, subdiio portuguez,
vai a Europa tratar de sua saude.
ATTJSNAO.
O proprietario da olllcina de encadernacao da j
raa do Imperador n. lo, dejronte de S. Francisco,' Precisa-se de urna ama secca para Casa de poaca
acaba de entregar a direccao da dita ollcina ao familia: a trat_r na praga do Corpo Santo n. 17,
sr. iteradlo Constantino de Paula Monteiro, enea- terceiro andar,
dernador que foi da livraria Acadmica, onde pro-
Pelos seguales preces :
Paletos de casimira (saceos) 12^1, 113
10 e
Coberta de chita da india.
pelo baralissimo prego de 22500.
Lengos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 2,5 a duzia.
Pegas de brelanha de rolo com 10 varas
propria para saia.a 43-
PeC'is de cambraia de forro, a 20600.
Esleir da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-
gura, por menos preco do que em outra qualquer
parte.
Toalhas alcochoadas para mos
52 a duzia.
Lazinhas carraezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 606 riso co-
vado.
Lazinhas de cores finas
do melhar gosto que ha no mercado, a 560 ris o
covado, neste armazem de fazendas se encontrar
um grande sortimento de ronpa feitae por medida Camisas francezas a 23, 23300, 3& e
Madapoloes fraocezes (pega) 133, 143,
AZEVEDO t FLORES.
Ra da Cadeia Jo Recite n. 17, squina que volla para a Madre de Dos.
Attenc&o.
Ditos de alpaca 53 e......
Ditos de alpaca branca 53 e .
Sobrecasacos de panno fino francez
Calcas de brira pardo 23500, :)$, 33500
Ditas de brim branca 43, 44500 e .
Ditas de casimira de cor 53, 73, 83 e
Cortes de casimira prela fina 73 e. .
Seroulas francezas finas. \
Cnlletes de cisiraira pretos e de cores
33300, 15.......
Baloes d^20 a lOaitt dos melh'ores
que tem viudo ao mercado .
83000
5000
43300
22-3000
43000
33000
103000
33000
13600
43300
53000
153000
Chitas para coberta (covado) .
Las lisas de todas as cores .
Vestidos de laa Mara Pa muito finos
Lencos brancos muito finos (duzia) .
Umcomqjeto sortimento de chitas lar-
gas de 300 a ........
Cambraias lisas brancas muito finas
(pe?a) ...........
Um variado e lindo sortimenl de cha-
les de merino eslampados de 55 a
Seroulas de linho muito linas .
Aberturas de linho pregas largas .
Bramante de urna largura ....
Camisas de tlaneila bonitas, cores eco-
nmicas........ .
Lencos de esguiam.......
18-3000
25800
55000
PASTILHAS 1
IGESTrYAS
DEPEPSINAI
DE WASMAN
As pastilhas digestivas com a pepsina de Wat-
man, emprego se com successo h j alguns
a&nos pelas celebridades medices de Parie,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quaes a digesto 6 difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
DlarrheaB e consti-
pars produzidaa
pelas elaborases
defertossas dos au-
mentos.
iDniREH r
n5 Hnnn a, i a d. .3as ,M8 de to3' ascores raDl 1nasa
etc naraTrLJLJ 1^ ^AL AO eacarrega ni -se da mandar fazer qualquer obra' de brim
etc., para horneas e meninos, aluda qu a fazenda nao seja comprada na dita loja do
ilua do Crespo n.
1 ru.?ng,,.rVig,,ante haMto Joasracdo ttcpm-
uimn P0.Ua11". Da sua orden do da, r mVbmm
85000 Aguia.apesar de que, para este o'ca.Kt 32
agudesespordes nunca os ofTender, anits trrr--
ciaranamesma conformidade. para oo of:ai*9
possamarchar em frente, a Branca Actiif tfli
m-I"'".^* *0?.',llr.vando Woai palinbas seo
cfnro
a sers
ou casimira
vou habllidade e pericia na arte, tanto em enca-
JernacSes em bsame, como era couro, veludo, etc,
o qual se acha munido de todos os utencilios e
aprestos necessarios para bem servir aos fregue-
zes e por mais barato prego do que qualquer outra
pessoa. Na mesma offleina ha a venda : livros era
branco para borrador e raesmo para repartieres,
livros de litteratura e ciencia, e tudo qoanlo ne- uraacasaacabada agora, com commodos para fa-
riopara as escola primarias como : cartas milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
Aluga-se o segnndo andar e soto da casa n.
33 da ra da Matriz, tem muitos commodos para
familia : a tratar com o Sr. Antonio Joaquim Fer-
reira Porto, ou com Miguel Joaquim da Costa, na
ra da Cadeia n. 12.
A tugase
Gastralgias.
Mspepslas.
Embararas gstricas.
A gastrlte.
Aa affeeces orgni-
cas do esldmsgo.
Em todas as molestias empregio-se a miude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
t igualmente as pastilhas de Vichy. Esse meio so
efficaz quando se trate de dispepsias de curta du-
raco, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
4e Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
es alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal
mane ira que Ibes arreblhSo a parte vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
transformacao dos alimentos assimilhando-se
como clles c ajudo tabcm como elles a nutricio
geral. Sua accao vivifica o sangue e os drgaos
de tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer as
affeeces gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessitao substancial alimento para for-
tificar se, acho no empreo das pastilhas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a Uso
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhas
a pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
sificaces e imilaeoes d'esse producto qne os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
boa ----------*--------'--
^PilP^W-
CHEGARAM OS MODERAOS CH\LES DE i
FILO PRETO. i
5iiperioreS chales de fil |-reto chegados pelo ..limo vapor frnnez, a T
loja das columnas ra dofrespon. 13, de An'onio Coneia de Vas o:cel- &
IOS q L. j^S
immmm
FAZE\DAS PRETAS PAR4 4 OIARESIIA.
N. 11Ra do QueimadoN. 11
fazenda?nTnarLeSn,ecS.tabeleCmenl pel ^timo pa1uete vin,]o da EuT0Pa o bello sortiraento
razenuas proprtas para a qaaresraa como sejam : fagonne de seda preta lavrada fin
SSSSTS!, S? Ch/gU "!aS lind SOrl'mento de -"oir preto lavrado o
Zcl. a ir2?K.ei*^n? de 9* pret0 '.avradocora b0rras todas e,tas fazendas sao pi
ninho;,3 o Gallo licara em seu espaecri
dndole novo o sea canto aununeiando
oonsfregnezes e aorespeitavel publico
0 arande sortimeulo deobjeelos demuilogcscqie
acaba de receber.
dasl,Cfra?'X.nhas '*0!" ,nusica "'menie (tfeita-
nino "' prl)ri0 Para uru delicado n e-
JSil!!!ffZSPr"1*9* com ""dos t'e nelal
paia guardar joias.
aica.s,-..ixas cora estejo,.contendo todos rs rr-
tences parahomem. '
K"juissfliasrolta3 n!?indo neroia.
Ditas com lacinhode lila.
sor?8 deliadas c'",r3 e Pre,a d todas a Bfos-
Lindosalerecos
Ihanles.
om pedrnhos fingicc'o bn-
tidos
preta lavrada finos deseohos, fa
o mais superior
proprias para ves
nsriE! 5a de,mais moderno ;ssim como um lindo sortiraento de bournus de renda pretas mni-
SalKnhnS 6S Sln de Cr0Ch9-de Seda ha de melhor chapelinas e chapeos de paha "ce
Ipara senhoraa ; pannos e casera.ras pretas e eutras muitas fazendas que se vendem narK
rt^ v',i?0ada' calhecismo.s. Rrammaticas de escravos.com banho na porta, no lugar do Poco B,oa P,reP?/aca pepsina que ri'clla entra, iaz
Saip S PS' Procuraoes bastantes, espe- da Panella, raa do Rio :. a tratar com Tasso ir- alt.erada- Seremos ao abrigo 3'este inconveniente,
ciaes e geraa, despachos da alfandega, papel pin- maos.oa ra do Amorim n. 35.
tado e marbrados de diversos lmannos e precos, '
papel almaco e pintado, etc.
Fugio do sitio Riachao, distrlcto fe Panellas,
pertencente a Manoel de Souza Silva Serodio, o
moleque de nome Antonio, idade de 18 a 20 an-
DOs, cur fula, cabellos crespos, rosto pequeo e re-
dondo, olhos pequeos, bocea regular, corpo secco,
toado as costas algumas cicutrizes de castigo,
conduzio um cavallo rugo pedrez; anda baixo e
esquipa, tendo no peito um4obinho, ferrado no
quarto e na p com o ferro MJ : quem o pegar
B levar a seu senhor ser recompensado com
Pede-se ao Sr. thesoureiro das loteras que
nao pague o quarto garantido de n. 2637 da lotera
que ha de correr no da 10 desle mez, visto terem
roubado Jo- Antonio Martins.
Os senhores estudantes da ra da Aurora
que alugaram os tres vestuarios no sobrado con-
Ironte a igr trario verfio seus nomes neste jornal; assim como
o Sr. F. A. C G. que tambem alngou tres vestua-
rios e deis)u seu nome por. um bilhete venha tra-
zer o dinheiro do aluguel senao quizer soffrer o
mesmo, e em iguaes circunstancias se acha o da
ra do Livramento.
Xo sobrado confronte a igreja do Paraizo, se-
gundo andar o. 29, fazera-se Dores para enfeites
de igreja, festoes, rosas, palmas, arcos e capellas
para magens, caixos e pajinas para enfeites de
andores, sipo de flores para saiotes de anjos e ea-
feitara se peitos e capacetes para os mesinos, tudo
de flores decanotilho, aljfar e llores de panuo e
papel, com perfeicao o presteza, e a preco muio
coramodo : na mesma casa apromptam-se vestidos
pretos. para a qaaresna feitos pebs ltimos figu-
rinos ; enfeitam-se tambem velas com flores de
era proprias para baplisado, pelo preco de 105,
tudo de muito bom gosto.
Precisase de un bora cozinheiro no holei
Trovador, ra larga do Rosario n. li, e paga-se
bem.
-_________________________________________
Na raa do Lobato n. 3, outr'ora ra dos Co-
piares, se precisa de urna ama para compras e
servico interno de urca casa de pouca familia.
Pede-se ao Sr. subdelegado da Capunga que
lance suas visis para urna espelunca (casa de
jogo) que existe na ra da Ventura entre Cunha e
Cala, aonde se esta desgranando pas e filjios fa-
milias, voltarei a declarar os notnes dos frequen-
tadores rada um de per si se continuaren).
krmwM
Aluga-se urna boa sala com casa de entrada,
muito propria para esrriptorio, na ra do Impera-
dor : trata-se na mesma ra D. 14, armazem Ga-
ranta.
exigendo os compradores que as past./uw tenhio'
i asiniciaesB. P. e santo da pharmaciaCheviier.
Depsito geral em Pars, pharmaciaChevrier!
Jl, Faubourg-Montmartre, e era todas as bou
pkarmacias de Franca dos paites estrangeiros.
I 2-8 3 S-
ffflifll
n -5 ( a1* a o* 5
%z ****%%<*%
2 3 Os'? !.o-'3
presos.
que se vendem por mdicos
'^&:S?P*
GOMMA NOVA*
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e IQo rs. a libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
DENTISTA DE PARS
-9Raa Nova .9
Frederico Gantier, cirnrgiao dentist.
faz todas as operarles de sua arte, ect I-
lca dentes artificiaes, tudo com supe-
rioridade e perfeicao, que as pessoas en-
teadidas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
AMi,
Precisa-se de urna ama para cozinhar :
vessa do arsenal de guerra n. 13.
na tra
Jos Soares d'Azetedo, | rof' ssor de
lingua e litteratura nacional no Gyn nasio
Previ" cial do Recife. tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um curso especial
para cada urna das seguintes disciplinas:
LINGUA FRANCEZA,
GEOGRAPHIA E HiSTORIA,
FIHLOSOPHI A. RACIONAL E MORAL,
RHETORICAE POTICA.
As pessoas quo d'sejareni estudar qual-
quer destes preparatorios podem dirigir-se
indicada residedeia, de manhaa at as 8
horas, e de tarde a quakju r hora.
Protestos de letras.'
O escrivio Faria Torres est de.semana e per-
manece d;sde as 9 horas da manhaa at o por do
sol, na casa da ra estrena do Rosario, em qae
tem escriptorio o Sr. Dr. Jos Teixeira.
Precisa se alugar urna ama fiara o servico
de urna casa de pouca familia : na ra da -Palma
n. 41, taberna.
C0MP1AS.
Comprase ouru e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praca da Inde-
dendencian. 22.
Compra-se um csciavo de idade que
sin a para trabalho de ;itio: nesla Ivpo-
graphia- se dir quem quer.
Comprase effectivamente ouro e prata em
odras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
losario n. 2i, loja de ourives.
Compra-se um escravo cozinheiro que eja
mogo, robusto e sem vicios: a tratar no sobrado
n. 32 da ruada Aurora.
_________________^__________
Compra-se cobre, bronze e ferro cuado ve-.
Iho : na fuodiciio da Aurora, em Santo Amaro.
" Compra-se um preto mogo, de boa
conduca, para fazer algum servico de ma-
nhaa e depois ir para o ganho, e um mo!e
que ou cabrinha, que possa servir para co-
peiro, "paga-se bem agradando : tratar na
Capunga porto do Lasserre, sitio do portao
piulado de verde, do lado direito.
Gassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
ri._d1Piriorei asss fralcezas de cres miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
1 SnePd.adAde Padr3es-1fazen'la qof ^ tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo bar.tis.imo preco de
...r__-_ covado: na ,nJa das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
DEPATENT
tr.ibalhar mo para
descarocar a.godo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
__B_K-_J?'ffi:?..S_
V1ASSA E XAROPE
DE
YENDAS.
No engenho Goiabeira junto a Santo Amaro
de Jaboatao, neccssita-.se de am feitor qae tenha
pouca familia : a fallar no mesmo engenho, ou
na ra da Imperatriz n. __, segundo andar.
Quera precisar de ura rao^o habilitado para
ensinar gramraatica po/tagneza, latim efrancz
nesta cidade ou fra, pode dirigir-se a ra-do Im-
perador n. 77, ?egnndo andar, que achara com
quem tratar*
J. J. Loppacher, cidado suso, retira-se pa-
ra Europa._________.___________
Est para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n- 14, um 1" e andar de um sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasrno pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agna de beber.e portao
para o becco do Pombal : quem pretender faile
na ra das Crazes, sobrado n. 9, das 9 horas'da
manhaa at ao meio da. _____
"Tfm sitio.
Aluga-se am excedente sitio na estrada dos
Ahjelos, tendo.casa terrea e sotJo, cora capacida-
de para morada de grande familia, diversos arvo-
redos de frnctos, e moit?s outras commodid-des
qae com a vista se.recnnhecer*: a tratar na ra
da Cadeia do Recife n. 57.
Attenco.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C. ra
do Vigario n. 3. _____
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-'
los de nossa typographia o
Alraanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
Vende se ama casa terrea bem construida,
nos Afogados, roa to Motocolomb n. i : a tratar
na. rna nos Quarteis, taberna _. 18.
Vende-se ou hypolheca-se por 3:0005 um
sobrado de um andar e soto na freguezia de San-
to Antonio cujo ronde __ mensaes: quera quizer
annuncie.
Vende-se um cravo crioulo com 25 annos
de idade, bem feito e sem vicios : quem o preten-
der diri;a-se a ra da Roda n. 47, segundo andar,
que achara com quem tratar.
Milho a 4,000.
Na roa larga do Rosario n. 50, tatema* da es-
quina qne volta para a da estreita do Rosarlo.
Cabriole! e cavallo.
Vende se um bom cabrioiet em muito bom es-
tado e cora cavallo arreiado por 160, de graca :
oa raa do Crespo a. 1.
1ERTHE
COH CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as Irritacoes
do peito.
. AVISO
Falsifieacdes reprebensiveis excitadas pelos
succossos do Jarope e da Mana de Berth,
nos obrigao a recordar que esses productos
t5o justamente
nomeados nao se
cntregao sono em
.hcelas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqu indicada. I*"-*-,UmmimUpItm
151, ru Saint-Honor, na Pharmacia no |
L'vn>:, p em todas as pharmacias.
Deposito -feral em I'ernambac ra da
Cruz d.22 em' casa de Caros A Barboza
Vende-se una linda mnlatiaba, a qual tem
todas as habilidades : na ra da Praia n. 47, ter-
ceiro andar.
Estas machina.
podem descansar
'qualquer especii
"tde algodao sem
;' estragar o fio,
"-* sendo bastanU
duas pessoas para
o trabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo
dao em earooo
era 40 "minuto.,
oa 18 arroba'
por dia oa o ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
aniones, que descarocatn 18 arrobas de algodat ,
lunpo, uor da; e motores para mover um.i dua< L i
eulr;s dessas machinas. "' Groas de boioes de louga prateados
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-!
RIVAL
i SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 53 lojas de miude-
zas de Jos & A/.evedo Maia e Silva contina a
vender tudo por precos mais barato do qae em
outra-qualquer parte, quem quizer ver oque ha
, bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............ 200
, Frascos de vdro com superior baulia.. 240
Pares de lavas de seda muito finas___ 320
Enfeites do melhor gosto que tem vindo. 25500
, Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 1;280
Pulceiras do melhor gosto e modernas. 300
Volla para pescoco do melhor gosto.... 300
Baralhos para voltarete, linas a 200 e.. 240
Varas de franja branca de linha que
tem milita serventa................ 060
Duzia de pennas d'acp muito superiores O60
Frascos de oleo Bhoza muito finos..... 200
Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................ 240
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200..................... .......... .' 500
Duzia do colheres de metal muito finas
para sopa..........,................
Duzia de colheres de metal muito finas
para cha......................,.
Grosas de boioes de osso para calca...
Grosas de boioes madreperula' para ca-
I i a !
por que pode faer mover seis destas machina-
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.4'7.
Sauuilers Brolhers & C.
X. II, pra?a do Corpo santo
RECIFE.
Os nicos agentes nest paiz.
o" as a o o t ': ST o o. "
_3
3-3
S -i=-____<_ S
SS2<_e-3B_r.2
a c_
_=
W5
VIS
O a o
-i x s
o-u
o X
a a
3) 3
M
S. 2?*
ri _>
Q.
-3
_?r__ o 3
2!Ej-_.
c_ ya co _,^a ra ft> ^
08 ? 5-o c o-
a. S o g-g-o-a ? 5?
_.-_. a a, _; a % B _a
-i -l

__:
_:_?
C -ji _? ->
Vrnde-se urna casa nova ainda sem caleada,
na ra do Socego (Campo Verde) n. 19 : a tratar
na na ta Imperatriz n. 80._________________
Lina laberna.
Vende-se a taberna sita, na ra da Concordia-!
(sobrado do Sr. Bartholomeu) bem afreguezada
para a trra, tambem se tirara os gneros que nao
quzerem ou mesmo qu^renlo so a armacao : a
tratar na ra Nova n 69.
Vende-se a casa terrea na ra do Padre Fio-
oriau n. 62 : na raa do Imperador o. 14.
' Vende-se urna armaoiio de amarello teda en-
vidracada, propria para loia de calcados, tendo t
balcao a frente um grande fiteiro : a tratar na
ra da Imperatriz n. 6.
Cemento rtftMM
e de Portland : no armazem de Tasso Irmaos.
Va cea
Na Piranga, defronte ao sitio do Sr. Millet, ven-
de-se urna vacca muito boa loiteira com cria.
Vende-se
1 armacao da lnja da rna Direila o. 31, de tres
ponta?, propria paraqnalquer estabelecimento, por
preco.miiito barato : a tratar na ra da impera-
Iri. n. ->.
* a O" ='-_ '-3
-3 _; ^ a a
-i o o -> a>
o o oq "
? -. _L "O
ya a> _,
O O. '_
i

'y-
" & _
=> ", -
__ fQ _
as ^ _7
__--r -i
- ~i '5 o
a O -
g aa S a
. -i ya a.
a o
_* 3
aj O
_B2
a>
_, aj n as ^P'
8 2 OT _M
-* as as ___k
--. tana
as o
O
e
i-;
S
s
-o
30
2L
as
_s
3
-->
as
2--
O as
^ _
II
_ _3
as
Varas de babado do Porto sortido.....
Duzias de lapes differentes qualidade a
Quadernos de papel de peso muito lino.
ttesiua do mesmo papel............. 2_.000
Duzia de facca e garfo' rauto boas___ 25400
I ..abnete de espuma muito superior... 040
Capachos compridos e redondos muito
boas............................. 300
Ditos para sof...................... 24000
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar........................... |0
Essenca oriental para tirar nodoas de
, roupa.......................:.... 500
Creio para dezenbo de tedas as qua-
lidades........................... 026
Carlas de altinetes francezes rauto su-
periores .......................... oo
Caixas de colchetes francezes a 40 ris
Duzia...:........................ 360
Carreteis de retros com'quatro oitavas.. 800
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade............................. 200
Vende-se urna escrava preta com urna cria
de 3 mezes : os pretendentes dirijara-se a raa No-
va, casa dos Srs. Novae* k Filho.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S. Jotio da Luz, na" roa do Livramento o. 21.
Borzqcuins de lustre (Nantes) 65000.
Ditos de hezerro de tres solas (Nantes) 65000.
Ditos de bezerro de duas solas 65090.
Sapatos de tapete 640 rs.
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
U Cunha, a tratar com Tassd Irmaos.
Vendes a taberna-si;, na raa de Bemflca n.
29 : a tratar na mesma.
Lesumes novo, a 6,400 rs. a arroba-
a padaria atraz da fuodicao do Sr. Starr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e sevadijha pelo preco em sortimen-
to de 63400 rs,.; conforme fr a prgao faz-se al-
gum abatimento.
Potasas da Rnssla.
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira po-
tassa da Rssia, e vende-se apreso commdo: no
escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
. Estopa a 4 rs.
a jarda : na loja da ra da Madre de Dos n. 16
defnonle da alfandega.
Vende-se por commodo preco o sobrado de
tres andares e soto da ra do Amorim n. 19 para
cumplir prdens de seu proprietario qae se acha
apsente : qnem o prelender dirija-se a roa do Vi-
gario o. 19, primeiro and.r.
Vendem-se saceos de feTjao mulatinho de 26
cuias por prego com modo,: no Forte do Mallo, ar-
mazem da Companhia Pernamtucana.
Fare
em saceos de mais de 100 libras: nos arniaiens
de Tasso IrraSo?.
Ricaslivellas para cinto, de todas as qr.8l?_d(s
e Dora gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Par
Orandesortimento de lindos enfeites r.jia rate-
?a sendo do ultimo gosto e de todcs- o trice*
rlores muito finas para noivas.
Luvasenfeitadas e meias de seda pata rtnw
bapSo 5apalinhos e -* f^ Pra
Riquissimas fitas de todas as qualldades i na la-
to, tintse cmteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
ttiqn.s8.n_08 jarros e figuras j hra ci r; n 11 u dt
Sala.
Grande sortimentode gravatir.hsstanto
ohora como para hornera.
Luvasdepelica branca e de reres.
(.ascarrilhasde bonitacres.
Trancnhas,gal_o e maraTilbaf para ff\U*
Transelins de cabellos e de relrc |arrrlffl.<
Kapelamisadee de outras qcalic'ad.s
oolsas para viagem.
Entremeiose babadinhos de lindos ttiitis
i.encinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras; nrcfrof < n oas.
Fitas de veludo lisas e ctm nat;n e Ce n,V i-,
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as .u.lidcV
Grande sortimento de jabonetes.
Lindos vasos com banba para offereciim..s
Caixinhas com seis frasqunhos.
t.ssencias de todas as qualidades.
Aguaverd.deira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandfs t ir.
frascos quadrados egarrainhas.
Pomadafina de todas as qualid.des.
Superior banha em frascos e crios de tuV- r*
lamanhos.
Sahaoinglez em paos grandes e pqnecrs
EscovasJccabo de madreperola, n at fm f> ifr
osso, para dentes.
Pentes para desembarcar, cora friso de mtile
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas outra; qijlia-
des.
Pentes de tartaruga para seobcia.
Ligas de seda e de algodao,aspira- cene nuitc
otros ohjcctu.vgj g^td.riu^jjjfcl_ig.-1.rr', _.
o nar qne vista.far fe, so no Gallo VifiUrte,
cue do Crespo n. 7. '
Volitabas.
Lindas voltinhas de potlas falsas COff.crMitbis
lingmdobrilhantes, a^-im cerro croiinlf a\i Iffs
e voltinhas, pelo barato prego fe \& e 15.(0, ts
erares avols asa 400 rs. s no Vigilante, na do
Crespo n. 7.
Lrques.
Riquissmosleques de madrepexob ian!o f-ra
senhoras como para meninas, pelo barala f-rrro
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Ctift'p
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidadrs, proprias ta-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s re Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espedios.
Riquissimos espelhos am nol.ura- i'ujr.'a'
sem ella de 85, 105, 1*5 e 145, min nno ftn
columnas de differentes tamanhns a ?5, ^5,45, f
e 65 ; s no Vigilante, ra do Cresro d. 7.
Lidos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras .de porcelana fra,
para enfeite de sala, sendo omeljior posio qne .*< ri
tem apparecido; s no Vigilante, rna do Crispo
a. 7.
Para pos de arroz.
500 Riquissimos vasos-com bonecla para pos de arre
cousa de muito gosto a 15300 e 25, assim ci n.o
pacotes s com os pos a 320 rs. cada un;; ; co
Vigilante, ra do Crespo d. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas. pt n a
das, assim como de lindos copos ou vasos ci ni (s-
tioctivos e offerecimentos as siobasinhas dos n^e
Ihores e mais afamados autores d;; Pars e I114;'; ti >-
ra, assim como os grandes copos de banha jaj 11 era
a 25 e a 15, assim como outros objectot que ujio a
possivel por hoje annaoeiar, e vista dos fifgne-
zes se far todo negocio: na loja do Gallo Vgil.nto,
rna do Crespo-n. 7.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor caural
dos cabello?.
A agua, lorlda nao amantura. fcto eso c-
cial acoatesu,-, a mesma agua dando a cor prin i
tiva ao cabello. Composta de plantas exnlK.'.'
desubstancias nolTensivas, ella tem a prnprifdfda
dereslituiraos cabellos o principio corante que fi-
les tem perdido. D'uma saluhridade inconlesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cab-a
destroe as caspas e impede os cabellos de eafer
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, el'e
constite poderosa_-8t!'1, cora a Agua Florida, a
forca.a belleza e a conservaban dos cabe".:..
Em Pars, casa de Qaislau'r n. 12, ra de Rirbe
lien, e 21, boulevard Montmar'.'p.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro,o
timbre pratea'do da casa, sao reputados falsos.
Deposito, raa do Imperador.pharniaria n. ."8.
Coke do g.
I'ilchdo,;)/.
llctro do saz.
Coke, tonelada 10000.
Pitch, arroba 35000.
Alcatrao, caada 800.
O cok reconhecidamente o carv-io mais cerno-
mico, torna-se por isso recommrntlve!, boa ro-
o pelo aceio que se nota as rasinhas aonde h
elle usado. Pilche lloatrlo, alem s aidlmrape-
goes diversas a.que se prestao, ermo para ralaf a
tar erabarcag5es, alcatroar madeiras, etc., tire-
estes a propriedade de preservar do rnpim. fer-
migas, etc. entregue na fabrica do gaz, cu man-
dado por em qualquer ponto da cidade, segando a
vontade do comprador e previo ajnstp._____ -
Azeite d carra pato
Vende-se por atacado ou a retalho oais banto
do qae vendem os matotos as cargas : na fabri-
ca da travessa do Canaca caes do Rnrr.nj.
25400
15300
200
200
060
400
030


\
11 r-_#%% t-
r


Diario de Pernamfouco Quara lelra 8 de Marco de 18415
Salsa pardilla de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes dekla

todas a molestias da
pelle
eherjsipflUs, tnmores, ulceras, .
sanas,
ascuas, empingrns,
REUMATISMO
SVPIIIL1S
em todas as saas formas, aSsim como todo
0 mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
Ulceraco do ligado
e era summa todos os males que tem sua
engem na
MPUREZA DO SANGUE
V. um alterante poderoso para a
RENDVACAO DO SANGUE
para dar nova forca e vigor ao corpo j
Silraquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direita ns. 12 e 76 e
H lanicio n."40.
Vende-se em Pernambuco:
aa pharmaeia franeeza de
?Mnu & c.
_________RA NOVA N. 18._______
Siude dida a todo o inundo.
P*(*s pre;iss mdieatneato. dos Srs. firimaull
., paarnneeulieos de S. A. I. o principe Na.
Blait, ra de la Feuillade 7 em Pars.
Porque es Srs. mdicos e o publico usara de pre-
f caria dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
tnmil i C pbartnaceuiicos em Paris, com os ijoaes
lies tem sempre obtido as curas as mais extraor-
dinarias 1
. Porque esta casa sendo sera contradita a
Mil importante de Pars, honrada com a clientella
iie Uina parla da corte, pateafeada por S. A. I. o
principe Napoleao s vende productos de urna effl-
i tcia recontiecida.
. Porque esses medicamentos representarlas
mis recentes conquistas da medicina e da chi-
(Uica.
i.' Porque tem todos um gosto agradavel, satis-
f.tzem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
rno, tauto s crianzas cerno as pessoas adultas.
i. Porque elle* diffcrem inteiramente desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por ln-
itaatritaa estranhos, tanto a mediana como a phar-
maeia, dos quaes nao tem era a scincia nem os
iitulos.
i Ponme estes medicamentos s se applicam a
maseare limitado de doeneas, e nao as curam
todas, cono os remedios de qne acabamos de fal-
lir ; emfim cada producto lera sua applicagao par-
ticular.
Por isso pensamos prestar uta servico a todo o
inundo, indicando aqui as importantes proprieda-
d dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
maall & C.
Karope de ralffort lodado.
''-ipregado com successo certo em lugar do oleo
fltade de bacalho, to desagradavel, tao diffl-
:il a digerir. E' o especifico a mais certo contra
as o niH,.es humores das mancas, a papeira. os rheu-
matismos, o escorbuto, as affercoes da pelle, as
.i festiaa do peito.
!'n loa os mdicos de Paris o empregam como o
'V';rrattvo o mais poderoso, e a rerommendam em
-. os casos que precisase corrigir a acrimonia
: i mgue, e dar Ihe todos os principios vitaes que
i -iili'i, si'ja pelos excessos, pelas affecces lym-
(i'iaticas, escrophulosas, e venreas.
Xarope de quina vermelha fer-
roglnoso.
Ou associacao dos dots poderosos remedios da
materia mcdiea que sao : o ferro um dos princt-
uaM elementos de nosso sangue e a quina que o
tontea e o febrfugo por excellencia.
fitta delicioso medicamento ag'adavel ao paladar
a :i vista, tem um resultado admiravel as flores
trancas, Aires de estomago, falta de appelite, po-
1;-t;t da sanguc. Elle sobretudo til as senho-
reu nio^as delicadas, para desenvolver e re
ri! irisar a menstnaco e suspender os effeitos
Perniciosos da< flores brancas, que sao a causa de
t mUS doeneas. Elle soberano depois das con-
valecencias do molestias graves, elle o reparador
'js fqrcas e da san le para os doentes enfraqueci-
dos pe'" trabadlo, os excessos, as afTecc5es escro-
1 Hulosas ou vea^reas.
As mais de familia ach'arao neste xarope um mer
Jican,ento sem igual, para fortificar e desenvolves
3 systaaUi ossen das crianzas c os preservar da-
jII'tcos escrophuloras.
i;it\lr digestivo de pepsina.
'Micioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
tre as novas conquistas da scincia, a pepsina pos-
Me om efleito a propriedade importante de fazer
mr os alimentos quasi sera soccorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrites, gastral-
gias, das inflammaeoes do estomago, dos figados e
11 lalesBaos. Elle supprime os gazes, as'nauseas,
'a* pituites, o desgosto dos alimentos, e presta nrm-
mpatnMfttte um imrnenso servigo as senhoras n'uma
|i i~icao iiiieressante da qual supprime os vomitas.
ks pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, verao saa vida prolongada
p ii uso do elixir de pepsina, e os velhos e conva-
1 i-enteso sastento de sua saude e o reparador de
suas forcas; porque com urna boa digestao sempre
se josa de boa saude.
Xarope pelloral de 8. Jorge.
Novo especifico, sem opio, recemhecido como o
'ninlhor medicamento para enrar a tosse, deflaxo,
itarrJio, grippa, irrilaeo do peito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa, ete.
Rst? delicioso xarope popular em toda a-Franca
(ii descoberto pvlos monges da abbadia de S. Jor-
i\ no Anjou. e actualmente preparado pelos Srs.
ijrluaull iS C, nicos proprielarios da verdadeira
receita. Recommenda-se aos doentes que usefli ao
mesrao lempo das deliciosas pasthas peitoraes ao
.. a de alface de oureiro-cereja dos Srs. Gri-
miull 4 C, este excellente remedio coroposto
co:n as duas substancias as mais calmantes e ao
rombo tempo as mais inoffensivas da materia me-
as ra, e nao rontm opio.
'ujeeeo e capsulas matieo.
listes dous productos que constituem a mais re-
ntfl e a mais iniqortante mediacao para curar os
Rrfiitte&tOS e as molestias veneraes do homem e
na mulher, sao exclusivamente yegetaesnao con-
Uffl mercurio, e sao pteparados com as folhas do
:;. ico arvore do Peroa. Nao ha molestia conta-
gosa aatiga on recente que resista ao uso desses
flan meios. Sua rapidez de acr;o superior a
tildo quanlo se tem feito al hoja. As capsulas
n'inca cansam o estomago nam es Intestinos como
as capsulas de eopahyba, cubaba a outras ; a in-
fACflio nunca proiiuz o pstreitamento como aconte-
9 com as Inje-coes com base metlica aconselha-
Oai athoje.
Todos estes productos vendem-se as prinnipaes
i.iiarmacias doBrasil, agente para vender por ala-
lo, no Rio de Janeiro, E. Chavte!, em Pernam-
Jmeo, Caors 4 liarbosa, na raa da Cruz n. 2, na
Hihia, Lima it Innaos i em todas as boas phar-
:iacias do Brasil. '
.a-so exigir sempre i assignatura Grimauli S
C.. or que ha faisiOeacSos pingosas.
vende-se n> botica fraateza ra do Imperador
n. 38. ...
DROGARA.
31Ra larga do Rosario3-1
V, irl'iolinueu Francisco dcSeaza k C.
Vendem :
Acido actico pare para retratistas.
Esmaltes oara ourives.
- Papel para forrar casas.
aarni$5es avelludadas.
Tiota brancasnperiorem.lata. w
Alvaiade Veneza, fino, em pacs.________^__
Bixas hafflbor?;Re?8. .
V<;ade-sena ra Nova n. 61.
azendas pretas para a qua-
. resma.
*a loja do Pari.
Acha-se este estabeleciraentocompletamente sor-
tido de fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber":
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros mais estrenos tendo dos precos de
1*280, 1&600,1*800, 2*, 2*400 e 3*. superior
moreaatique preto a 3*, superior sarja preta hes-
lianhola, superior setim preto maco, ricas capas
pretas bordadas, soutombarques muito bem enfei-
tadas, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos qne tem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para luto e ricos
chales prelos de rede, ludo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser adi-
nheira : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As ronpas do Pav5o.
Acha-se neste estabeleciment um glande sort-
mento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito Uno e forrados de seda a 22*. 23* e 30*,
ditos forrados de alpaca a 11*, 16* e 20*, supe-
riores palerots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos o de eo-
res, ditos de bnm de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, setins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres nacionaes, manda-se fazer qual-
quer obra.por medida : na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
hilas em curies coa 10, 11 e 12 covados
Na loja do Pavao vende se urna grande porco
de cortes de chitas f'ancezas sendo claras e escu-
ras todas de coresC as com 10 covados a 3*200,
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
pecuincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Ciraude liqnida^o.
Ra da Imperatriz n. GO, loga de fazendas
do Pavao de Gama & Silva.
Acha-se este eslabelecimentocompletamente sur-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porco, e de todas as fazendas dao-se amastras,
deixando flcar peuhor, ou mandam-s levar em ca-
sa pelos caixeiros da luja do Pavao.
Camisinhasa 1$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato preeo de dez tustSes cada
urna : na loja do Pavao, ra da imperatriz n. 60,
pe Gama & S:lva.
Cortes de cassa a 3$.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratsimo proco de 3*f.C0 o corle : s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 0, do Gama
& Silva.
Cambraias lisas, na leja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo Dreco de
4* tendo 8 l|2 varas cada peca, ditas muito -finas
a 7*, 8* e 9* a peca, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preeo de 7*, 9* e 109, ditas
Garrar.es fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a" vara ou 2*600 a pe-
ga : isto na loja do Pavao ra da Impojatriz n. 60,
de Gama de Silva.
Os vestidos do Pavo. '
Grande pechincha a 3*500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaeo de tarlatana com muitos
delicados desenhos, mnlit proprios para partidas e
passeios pelo baratissrmo preeo. na 3*o00cada oro,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 7*, a loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, do Gama &
Silva.
Vestidos a l e a 7$
Na loja do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prec de 4* e 7*, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porco, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama& Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabera
de>senhora- na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pava).
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes miudinhjs e raudos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por haver grande [>orco *: na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
is lazinhas transparentes a 40 rs.
Na loja do Pavao vendem-se as mais modernas
laaziohas. transparentes, sendo de lisias miudjnhas
a imitago das sedinlias, pelo barato prego de 400
rs. o covado; ditas enfestadas de urna s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de chancas : aa loja do Pavo ra da Impera-
lri| n 60. de Gama & Silva.
Ricos soulauliarques do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeilados, que se vendem pelo barato prego-de
20*, 22*. 2o*, 30*. Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em cenia: n luja do Pa-
vo-ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezas 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para algas, colletes, oaletots, Foupas para
cnangas : na loja do Pava, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama de Silva.
Aos vinte mil colados de lfm.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com Hstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes coro palmrnhas
de seda Maria Pia, tendo de todas as cures, e
alsrnmas proprias para inte, pelo barato prego de
320 rs. cada covado. isto por haver urna grande
porco : na ra da Imperatriz a. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Maria pia,
Grande pechincha a 10000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia cora as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, >endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 10* o cor-
te, ditos de preGala com lindas barras a enfeites,
com 19 cavados cada um tO*, ditos de cambraia
com barras bordadas acro& ne ultimo gosto, pe-
lo barato prega da 6* : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de llnho a 3GO rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa.de Itnho
propria para vesitds e roupas para crjangas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato prego de 360 rs. o covado : na toja do Pa-
vo, ra da Imperatriz*t. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem-se as mais finas ISazinhas de nma s
cor, tendo grande sortimento : ni Iqja do Pavao,
ra da Imperajriz n. 60, #e Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
lodos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercado, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura ;
estes moderaisslmos chales nio s sao proprios
para passeio por fazerem ama elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim edmo muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
(Vperatriz b. 60. loja do Pavao.
Soutambarqiiesdeeor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
os soutambarques ne cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
aaoroos de velludo, seda e setim, renda,' etc.. s-'
avista do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadeiro aprego a esta fazenda, a
vende-sepordiffereates precos conforme a quali-
dade-: na loja do Pavo de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Laboratorio- enologico e chimico de F. P. Lebeiif e G.
ra Montmartre, 31, em Paris.
Fabrica em Argenteuil, pri Pars (Franca).
BONIFICADO E FABHICAClO
Ds vinhos, agnardentes e licores.
V1XH05.Imitago dos vinhos de todas
qualidades,Extracto de Medie, adose para 2(0
litros, 1 f. 23,de Bordeax, 2 f., de Poraard, 3
f.,de Lisboa, 2 f.,de Cataln, 2 f.,>-de Por|o,
Xerez, MuscateU Malaga, dose para 2o ou 30 li-
tros, 4 L
Substancia para fabricar com o alcool agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
300 litros, 50 r. .
CLACIPICACO.-Ps Inglezes, pos dos vinhos
da Hespapha, da Franca, etc. A libra para 600
litros, S f.
COLORACO.Purpiriglne para colorear os
viahos brancos e viches claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
AGUARDENTES.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABINTHO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua.
garrafa para 100 litros, o f.
LICORES.-Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicar-so os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f. ~
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
commuos a dose para 20 ou 2o litros, 1 f. 2a.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encemmenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
Alguns de nossos agentes tendo falsificado e imitado nossas preparaces, e engaado nossos
freguezes, deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Paris,
0 modo de asar-so das preparaeSes acha-se indicado no rotulo. ...,(
As encommendas devera ser acompanhadas por urna lotra sobro Paris ou qualquer _outra cida- w<,ou "S.

NEM COROAS NEM MITRAS
E
GRAIOE
AKMAKE9I
DE
RA DO IMPERADORA. 4
Junto ao sebrado em qoe mora Sr. Osborne,
Duarte Alnteida A C, receberam de sua propria cdcokbb-
da o mais lindo c variado sortimento de mol hados, prcprlos
da presente estac&o.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra Qovavinda o ullimo vapor a 1,000 para sopa a melhor que-se pode
rs. a libra eem barril a 800 rs.
Manteiga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
de de Franga, ou garantidas por urna casa conhocida.Dirigir-so aesSrs. Lebeuf & C. chimicos, ra
Montmartre, n. 31, em Paris, ou a sua fabrica em Argenteuil, prs Paris.
Vende-se na botica franceza, ra do Imperador n. 38.
DE
DE
J. VIGNES.
W. S5. RA DO IMPERADOR N. &
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para me seja necessario insistir sobre
sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que ellas tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praca ; odo-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
nunca falhar, por serem fabricador de proposito, eer-se feito ltimamente melhoramentos importan*
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis-aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes.
No mesmo estabeleeiawnlo se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
memores autores da Europa, assim como, harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendldc por
preces commodos e razoaveis.
desejar,
400 rs. a
CONSULTORIO UMUGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
MEDICO, PART:IRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, easa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas grataitas aos pobres lodos os das das 7 s 1
acras da manhSa, e das 6 e meia s 8 horas da Qoa. Oicapgao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o iaaii aopropriado sortimento de carteiras
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos pre^s sagaintes
Garteiras de 12 tubos grandes. 120000
> de 24 tnbos grandes. ./: 18$000
de 36 tubos graadea. .v 240000
de 48 tubos.graa*es. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
que se pedir.
Um tubo avulsQ ou frasco de tintura de meia'onca 10" 00.
Sende para cima de 12, custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
Papel de botica
A melhor obra da homeopalhia, o.Manual de Medicina .Homeopathico do Dr. Jahr,
ious graades volumes com diccionario .'......... 200000
Medicina domestica-do Dr. Bering,........... 190000
Repertorio da Dr. Melle Moras............. 60000
Diccionario de termos de medicina *. ..,...,.'.. 80000 tt
Os remedios deste estabelecimento sao per demais conhecidos e dispensam portan- oxteente qualidade a 20200 a resma,
to de serem novamfnte recommendados as pessoas que qoizerem usar de remedios' ver- PAPEL
dadeiros,energicos e duradores: ha-tudo do BWftor que se pode desejar, globos de ver- rs fH*1 eabrulhode l,4oo a 2,2oo
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacSo, tintura dos mais acreditados
stabelecimentos europeos, a mais exacta e acornada preparaclo, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para esefavs*
Recebe-seescraves para tratar de qualquer-enfeanidade ou faaer-se-lhe-qualquer
operacSo, para o que o annunciantejulga-se suffideteiente habttdo.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se n5o
pode duvidar, que*pdem ser consultados por aquelles que desejarem. mandar ses
doentes. .
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500. -J .
As operaces serSo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preces
azoaVeisquecostuma pedir o annunciante. *
#W9l)W
IWK
'-. *5
halea d^ reada preta e bournus de guip preto8
4' leja da roa do Crespo u. 17,
DE
JOS CiOHES VILLAR
Vende a 13J, 205, 30$, 405, 305 e 605, capas e casacoes de gros pretos, chapeos
e chapelinas de palhae outras muitas fazendas proprias para a quaresma.
Jos Gomes Villar pretendeado ir a Europa tratar de sua sao.de espera
devedores tanto do mato como'desta praga saldem seus dbitos quantq autes.
FAIIKICV DE
m
CHPEOS
v. 93 Rna A"ova esquina da Camboa do Carme e rn do
C'abiig n. 8.
A directora desse estabelecimenlo o mais importante que existe neste ger.ero
as provincias do norte do imperio, querendo que o pHblico desta provincia goze das
vantagens que proporciona a fabricado cm grande escala e directa relapso com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a'vender ainda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte Jabella:
Descont em da.
20
10
ta.
/
lo
Id
o
/o
15 o/o'
.Farinha d milho,
Vendem-se'barricas de'farinha de rotlho ameri-
cana de 6 arrobas: na ra do Rangel n. 3.
Chapeos de sol de panno a 20000......".
> armago de baleia a 20500....'.
> de seda armago de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 24 5, de 26 50500 e de 28 60......
Chapeos de sol inglezes abalo 12 varetas, cabos muito 'ricos e
seda superior- de. 24 pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100.
dem idom a balao de 16 varetas patent paragon de fox de 24
. pollegadas 110, de26120, e de28 130 ./ *. .
- Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mosraa casa'
como sejam dealpaka, itos debrim de linho. etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os lmannos e/eitios, os quaes sao to vantajososcomoQsannunciados, ha
Sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria ftna e ar-
I mas de caca, os quaes vendem-se igualmente em .porco e a re'talho, notando porm
qae o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim d poder reta-
lhar pelo preeo que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia ser5o considerados como
a retalho.
macarra, talharim e aleiria a
libra e 40500 a caixa.
Vinko
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Chamisso Filho,
F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* .4 Ira.
Oervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mar
cas de 40500 a 60500 a duzia. .
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1. e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rsV a libr
Garrafea
com 4 !/a garrafas com vinagre a 10000 tea
ogarrafao.
GENEBRA DE LARANJA '
verdadeira a 10OOO o frasco, ede i 10000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA"
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.-
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo"a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as'qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisbda, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezulo de Lamego a 52o rs.
. a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,poo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abalimento.
-VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 605QO
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o. mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra-e f40rs. o pao.
Frotas ene calda
chegadas ltimamente, pera, pedego, gicia e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsee ti casca da qoiaba-
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 3500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Coei-
mado d. 7, ruadolmperador n. 40 e largo
do Carino a. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 1209
a lata
QUEIJS. FLAMENCOS
chegadosneste ultimo vapor a 20800 na roa
doQueimado o-T, ruado Imperadorc.
Os nPn 7" 40 e larg0 do Garmo n- 9-
freruezfis flv2 ar,os do grande arma?flm Verdadeiro Principal rTeclaram aos seca
tipularam m mSle ao publico- em gera1' quepara faci,itar a cmmodidade de todos es-
F "*os sesmos precos nos seguintes lugares:
. 0 Verdadeiro Principal rna do Imperador n. 40
Marca n w, FARELLO DE LISBOA
& verdadero era saccas novas e grandes a 40500: na ra do Imperador n. 4. "
Ameudoas
ooufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos;
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presantos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
teans velhos para 500 rs.
Qaeijos flaniengos .
chegados neste ultimo vapor a 206oe.
Qneljos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Uiieijo
londrino^o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim -
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n3o pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria
480 rs. alibra.
(0(.M(
o muito afamado cognacPal Brandy a 1 8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4-,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
rs. a
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de2,2oo,a4,5ooa resma do me-
lhor.
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
. Eumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1.4oo rs. alibra.
Vinagre
PRRem ancorlas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o mlho.
Ui A1Ps^ o Hinco
) tl^^ t> mais novo do mercado a 14o rs, a libra,
e 40400 a arroba. *
CEBLAS
muito novas a L0OOO ocento na ruado Qoei-
T r rua doIa*perador n. 40 elar-
go do Carmo n.9
GftiO DE BICO
muito novo a 30400a arrob'a e 140 rs. a li-
bra na rua do Queimrdo n. 7, rua do-
Imperador n 40 e largo do Carme n. 9.
QUEJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na roa do
A 4 8 0 CORTE
Pechincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cref
ciaras e escuras com. grande variedade de padroes
pelo baratissimo prego de $ o corte: na loja das
columnas rua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
r eia de Vas concello s &.C, *



Diario de PeranniUwc uarta telM 8 de llardo de i5
3
==
RIVAL
Sem segundo,
Hoa fe Qaeimado, 49 e 8S. E" rara admirar.
Garretis de lintia eom 180 jardas......
Diles com W0 jardas de Alexandre de
II a 60..............................
Dito dito de 60 a 200........... .
Noyellos de linha grandes com 460 jar-
das '.............'..............."
dem idem brancos e de cres de 100
jards ................................
Livros para assento de roupa hvada...
Cordao branco para espartilho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botoes de punho todos de cores
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costaras finase unhas
Ditas para costuras com toque d'avaria
Ksrovas para limpar denles muilo tinas
i60,200e..............................
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades......................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso..................................
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
IhQ)................................
Meiadasde linha frouxa para bordar..
Pares de sapatos de trampa......... 1*500
Wassos cora superiores grampas para
senhora.............o.........
Frascos de macaca perola muite suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e......................
Ditos o garraflnhas de agua de Colonia
maito Una.....................
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial............."...........
Pecas de litas elsticas para vestidos a
. melhor quahdade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pegas de bicos franceses e renaas.....
Frascos de agua dentfrico muito supe-
rior..............................
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
e Victoria........................
Libras de la sendo de todas as cores...
Bonecos vestidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 novellos..
Enfladciras de Gta para espartilhos.-----
Carretis de linha de cores com 100 jar-
das .............................
Pegas de cordao imperial............
60
120
100
30
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
20
20
30
200
300
400
900
240
32
32Q
800
200
60000
160.
40
800
60
20
40
AO PUBLICO
AGUA FLORIDA
Grande liquidado de fazen-
das finas, ruadalmpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 56, de Louren^o P.
Mendes GuimarSes.
Fazendas para o carnaval.
, Vende-se velbutina de todas as cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a 360 o covado, sarjelim
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria
para vestuarios a 320 e 360 o covado.tafetdeseda
de todas as cores a 600 rs. o covado : ra da Impe-
ratnz, loja da Arara n. 36. -
Chitas baratas a 2 50 rs.
Vendem-se chitas finas a 249 e 280 o covado,
chitas francezas linas a 320, 360 e 400 rs., cassas
finas de cores a 320 e 400 rs. o cevado, percalas
finas para vestidos o 500 e 560 o covado : ra da
Imperalriz, loja da Arara n. 56.
Caries de canibraias, a Arara vende a 3$.
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas a
3,8300, 45 e 55, cortes de cassas francezas finas a
3, corles de chita de 10 covados a 25400, ditas
finas a 35200 : na loja da Arara, ra da Impera-
triz, n. 6.
Arara vende corles de- easemira prela a 35'00.
Vendem-se cortes de easemira preta a 35500,
45, 55 e 65, ditas de cores a 35,45, 35 t 75, cor-
tes de brlm e ganga para calera 10600, 15800 e
25 : ruada Imperalriz, loja da Arara n. 56.
Panno de liuuo a 640 rs.
Vende-se panno de Imho para lences e toalBas Manteiga ingleza especialmente escclhida a
a 640 e 720, hamburgo a 500 e 560, branjanle de. v, ... f
10 palmos de largo a 35 e 2#>00 : ra da Impe- >000 e 00 rs- a uura e em Dai r" se Iaz
rairizn. 56. abatimento.
Arara vende os baloes a 34 e madapelo a 4<$. dem franceza a mais nova do mercado a 9 lo
Vendem-se baloes americanos a 35.35300 e 45, rs. a libra e 900 rs. em barril OU meios.
ditosde musselina a45500, pecas de madapolo Cn hysson de superior qualidade a 2,600
entestado a 45 dito de 24 jardas, largo, a 65000, ; ,;,,., r *
65500, 75, 85, 5, 105 e 125, finos, algodope-l ". a uura.
cas a 55, 65,75 e 85 : ma da Imperetriz, loja Cha perola o mais superior do mercado a
da Arara n. 56. 2,8oo rs. a libra. .
Sontambarquesprh)s a 20$ dem hysson muito superior em latas de lo
Vende-se soutambarque preto de grosdenaple a libras muito proprio para negocio a 2,000
205 e 235, capas pretas de grosdenaple finas a iihra
205, 255 e 305, sootambarq'ue de lazinha a 75 e' rs- *? uul*' ,.
85, ditos de alpaca brancas a 85 e 105, ricos ves-, dem bysson nacional em latas de 1 e 2 li-
tidos a Mara Pa de novo gosto a 85, 125, M,\ bras a t Goo rs.
165 e 205: ra da Imperalriz, loja e armazem da i,]em preto o'que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo.rs. a libra.
ITTENCto
O precos da seguate
tabella para todas, pu-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de coalas
com os portadores.
em o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZ
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
- (Logo passando o areo da ConcelcSo)
PARA BEM DE TQDOS.
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabeleciraento, e mais que tudo a promptidao e inlei-
reza com que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a prutecfo e preferencia na com-
pra dos generes que prec sarem, e quando nao possam vir podera mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pois sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommenda.o, afim de quenovoem
outra parte.
Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
MURRAY & LANMAN
A agu florida de Murray & Lanman,
olbada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais custosas: conserva seu aroma,como
se formasse parte da prenda a que ella se
applica. Sua eficacia to delicada, como
elegantes sao seus multiplicados usos, quer
seja empregada como artigo de touader,
quer no uso do banho, ou como suavisador
da pellft, depois que se tenhafeito a barba;
j para limpar as gengivas eu aromaCsar o
balito.
D soavidade, brilho e elasticidade as
compleicoes, depois de se baver lavado; al-
livia a irritaco de erupcoes ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso appli-
ca-la como estimulante e antisptico, nos
concursos e assemblas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como tira antidoto excel-
lente para os desmaios causados por cansa-
co ou suffocacao. Preparada tnicamente
por Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda
por Cao;s Vendem-se no Recife em casa de Caors &
Barboza e Joo da C. Bravo & C.
COMPENDIO DOLOROSO
que contm o offlcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rea, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devoco; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se aoha erecta na egreja de N.
S. da I'enha do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S.M. I., que Deusguarde;
dado luz por. devoco do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Pe-hie ha na aova luja de fazendas e
roupa feila nacional, na da Impe*
ratriz b 72.
Pecbincba a 240 rs. o corado de chita.
Vendem-se chitas de cores Cxas a 240,280 rs. o
covado, dilas francezas largas a 300, 320, 360, OO
e 410 rs. o covado : pegas de madapolo fino a 65,
75, 85, 95 e 105 ; pegas de algodo a 59, 65, 7
e 85 : ra da Imperalriz n. 72.
Roupa feila nacional.
Vendem-se patils de cazemira preta e de cores
a 55, 65, 85 e 105, ditos sobrecazacos a 12;, 14-s
e 165 Palitos de brim de cor a 25500, 35 e 35500
rs., caigas d cazemira preia.a 6jj, 7# e 8#, ditas
de cazemira de cor a 59, 65 7, e 85 ; coleles de
cazemira de cores e pretos e ditos de brim a 15500,
e 25500 rs.,; caigas de brim de cor a 25, 25500 :
ra da Imperatriz n. 72*
Soutambarque de cores a 7$, 8> e 10#.
Vendem-se souiambarque de la e seda para se-
nhoras a 7$, 85 e 105; ditos de grosdenaple pre-
to a 20 e 255 ; capas pretas a 20J e 255 ; vesti-
dos de La a Hara Pa a 125, 14 e 165 ma da
Imperalriz n. 72.
Corles de cazemira preta a 3.
Vendem-se corles de cazemira preta para caiga
a 35, 35500, 55 65 e 65, ditos de cazemira de
cor a .35, 45,3% e 75, ditos de brim de cores a
15600, e 25, dilos de chitas finas a 25406 e 35200,
ditos de cassas franceza a 35 : ra da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Arara n. 56.
Grande sortintento de roupa
felta.
Vendem-se patetots de easemira de cores a 55, n.
65,85 e 105, ditos pretos de panno fino, sobreca-, CllOuriCJlS e paiOS a 800 rs. a libra,
sacas a 125, 14, 165 e 255, paletots saceos pretos Coslelletas inglezas a 64o rs. libra, serve
de panno a 55,65,85 e 105, cajgas de easemira i para temperar panella, ou para fiambre.
EuE kh *?,**$ iSTJ^SSTuaSa ueiios do reino ebegados neste ultimo va-
45, b5 e 85, ditos de meia caspmira a ^ pSfSWL v n n ,.
ditos de brim e ganga a 25 e 25560, ditos de brim [ por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
branco a 35500 e 45, celletes de lodas as qaalida- ( 2,000 rs.
des.camisas francezas a 25 e 25500, ditas ingleza idem londrinos muito frescos e de superior
de Unho de pregas largas a 35 e 35500, ceroulas niialidaf1ft a ftnn rs a libra
a 15280,15600 e 25, paletots de brim de cor a 25'.. quanaaae L800 rs" a1"D"- n rn f
e 35, ditos de alpaca prela a 35 a 35500, ditos de; dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
alpaca branca a 45500, ditos de alpaca de cordao < abatimento.
a 45, colarinhos de linho a 640, ditos de papel a \em suisso o mais superior que tem vindo
640 a duzla : na ra da Imperalriz, loja da Arara ,n morr!,/in a fiAn rs a lihra
numero 66. O propietario da loja e armazem da _, ao mercaao a MO rs. a ora.
Arara declara qae todas as suas fazendas se vende Ervilhas e lavas portuguezas ja preparadas
em perfeitoestado, como os compradores poderao em latas hermticamente lacradas a 64o.
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da FeijSo verde muito superior a 040 rs. a lata.
noite: roa da Imperatriz, loja da Arara n. 56, de Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,5oo
Mendos Goimaraes. 1 T B
Arara vende baloes de reos a o00.\UT^ adedm ra vinho a 24o rs.;e 2>4oo rs.
Venoe-se baloes de arcos a 35, 35500 e 45, Un- r
das golinbas para meninas esenhor.s a 240 e 320,' a quza. .
camisinhas a 15,25,35 e 45500: na ra da im- Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
peratriz loja da Arara n. 56. i)0oo e 1,200 rs. a libra.
Grande liquidaco de roupa feila e seroulas Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
a 1(5600. j)ra e em caxa se faz abatimento.
Zi!hIm> ^SS^JUTiS^tS Peixe em posta em latas hermticamente la-
o5, 65, 85 e. 1O5, dilos sobrecasacos a 125, Wfc ri u ,- ,__.
eradas e das melhores qualidades jJe pei-
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melher qaalida de a
19 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Nevn.8.
Gesso
barricas com gesso ; nosarmazens de Tasso Ir-
maos.
FeljSe. '
Vende-se nma porgo-de feijo mnlatinho multo
novo a 15 a eula, dito preto-a 880 rs., dito rajado
do Porto a 510 rs. : na ra Direila n. 8.
165,185 e 205, caigas de easemira preta a
65, 85, caigas de easemira de cor a 55, 69 e 75,
caigas de brim de cor a 25 e 25500, paletots de
brim de cor a 25.25500 e 35, paletots de alpaca
preta a 35, 45 a 55, colletes de easemira preta e
brim de cora 1550 e 25, camisas francezas a
25 e 25500, dilas inglezas de pregas largas de li-
nho a 35 e 3:5(0 e outras muitas roupas fetas
(jlic se v%nde barato : na ra da Imperatriz nu-
mero 56.
LiquidacTio de madapolo a peca a i|.'
Vendem-se pegas de madapolo enfestado de 12
jardas a 45, madapolo inglez de 24 jardas a 65,
75, S5, 105 e 125, pegas de algodo a-65, 65, 75
e 85000.
Arara vende cobertas a 2$.
Vend-se coberlas de chita a 25, -ditas de.da-
masco a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende cortes de easemira preto-a 33.
Vende-se cortes de easemira preta a 35, 35500,
45, 55,65 e 75, dita de easemira de cor para cai-
ga a 35, 45, 55 e 65, panno preto para caiga e
paletot a 25,25500,35, 35500, 45, 55 e 65 o co-
vado, easemira preta fina setim a 25, 25500 e 35
o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
Arara \ ende chitas finas a 240 e 280 rs.
Vonde-se chilasfinasa 240 e 280 o covado, di-
tas largas a 300, 320, 360 e 400 rs. o covado, cas-
sas francezas finas a 320, 360 e 400 o covado, per-
calas finas para vestidos a 300 e 560 o covade :
na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Vende-se na Arara cortes de brim a 1#600
Vende-se cortes de brim de cor a 15600 e 25,
ditos de meia easemira a 25500 e 35. ganga para
caiga e palltois a 500 e 400 rs. o covado : na ra
da Imperalriz n.56.
Arara vend chitas para coberta a 320".
Vende-se chilas para cobe'rta a 320 9 covado.
ditas francezas a 360 e 400, chapeos de sol de se-
da a 65500, 75 e 85, chapeos de panninho a 25 e
25500, e outras multas fazendas que se vende por
baratissimo prego para apurar dinheiro a loja est
aberta at 9 horas da noite : na ra da Imperatriz
n. 56, loja da Arara de Lourengo Pereira Mendes:
Guimares.
Grande sorlimento de fazendas baratas na ra da
Imperatriz loja e armazem do Arara n. Lonrenco Pereira Mendes Gnimares.
O proprietario deste estabele,cimento retira-se'
para a Europa a tratar de sua sade, por isso vai
fazer de novo urna liquidago fiara feixar contas.
Aproveilem a occasio freguezes.
Corles de chita a 2,-> 00.
Vendem-se cortes de chita fina a 25400,25800 e
3^200, ditos de cassa franceza a 35000, dilos de
cambraia de baados a 33000, pegas de cambraia
branca a 35500, 4:500 e 65000. Ra da Impera-
triz loja do Arara n. 56.
Fazendas preUs para a uuaresma. Grosdenaple
a 1,5000.
Vendem-se grosdenaple preto a 1J*600, 15800,
2j000 e 2*500, dito de 5 palmos de largo a 3j000.
Moranlique preto fino para vestidos a 35000 o co-
vado, sarja hespanhola a 2^500 o covado. Ra da
Imperalriz loja do Arara n. 56.
Bramante de linho a 2500.
Vende-se bramante de linho para lengoes, de 10
palmos a -2:500 a vana, brim liso a 500, 560 e
640 a vara, sarja de la preta para raigas e pali-
tos a 640 e 800 o covado, alpaca preta a 500, 600
e 800 o cavado. Ra da Imperatriz loja do Arara
n.56.
Sulamharques a 80000 e 10:000.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e 04o e 7oo ris a'gar-
rala.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
con la certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e ll.ooors. a frasqueira.: Conservas inglezas a
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-! 8,ooo a duzia.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a carea.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras. *
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo 3,800.
Vinho branco de Lisboa de excorente quali-
dade % 4uo e 5oo rs. a garrafa e em cni-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que I
vem ao mercado como, sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a I6,ooo, lo.ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l,ooo e 1,000 rs. a garrafa.
Vinho Cherex de superior qualidade a 16,000
a duzia e i,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra,
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal,' da fabrica de Joo
"de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francez is em f asco de vidro com
tampa do mesmo, a l#5oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamaitos com bonitas estampas na cai-
xa exterior, a 1,4o), l,6oo, l,8oo e 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra--.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas i
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o,
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Gevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de H ivana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,ooo, 5,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em u eias.
Charutos finos de diversa* marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
ndilas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panalellas e Suspiros, 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
Cognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras..
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, escolente cha" para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a 1,80oo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
ToucinhodeLisboa molto novo a 32ors. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 56o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez,* em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o preco.
Azeitona.s de Rivas em ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 8uo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
i ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
j Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
1 o iii\ir%*
fura 18(55
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangend o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabell.is
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais tima nova
Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
em verso, devocSo ao agonisante, corar:*
de Jess, cntico em louvor do Snniis^i-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas arc-
dots, um indito poema sobre as hven-
turas de um cozinheiro, o canto de unta
snlteira (poesia), crescido numero de m-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.
0 GASTELLO DE GRASVILLE
Tradazido do francez por A. J. C. da Crui:
Vende-se este bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 24500 :
ua praca da Independencia, livraria n*.
6 e 8.___________
Presos que admira.
Sapatos de tranca superiores pelo barato prtco
de 15 o par, e duzia 105 : no vigilante, iua do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as larguras,; pec!i
com 10 varas, eada peca a 400, 480, 500 e CfO
rs. : no vigilante, roa do Crespo n. 7.
Colchetes em cartab de una e duas rarreirns
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
carlao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a 15200, UGfiO,
25,35,45 e 55.
Balaios propriainente para costura c para frus-
tas, e para menina trazer no braco a 15^00,15600.
15800, 25 e 25500.
Perfumarla, macaca perola a 25, 25200, 35 e
45 a duzia, oleo de maozinfaa a 55 f 65 a dnzia.
banha a 35, 45 c 55 a duzia. Estes ohjcctos n:
vendeja por admirareis precos em eonseqoeireia
de seren arrematados dos salvados da barra fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a hoatjii*-
lidade : so no.galo vigilante, ru do Crespo n. 7.
Piano
Vende-se por metade de seu valor un pisno (i
Jacaranda qaasi nevo: na ra da Ccnceico nu-
mero 20.
ESCBAVOS rSlBCS.
Fugio o escravo lodorio, alto, cor preto, pouca
barba e rapada, cabello cortada reme.'nucos mul-
to grossos, tem todos os denles, cilio.- de piomba.
ps grossos e apalbeUdos, tem no [n lo de um de;
ps urna costura de um talho, levou calcas de gan-
ga de quadrinho miudinho, jaqoela de pnga lis-
trada, camisas branca e chapeo do Cliili velho :
quem o prender e o lesar a ra das Calcadas n.
(J, que ser gralifirade.
bra e8,5oo rs. a arroba. 1 Va^souras de escova para esfregar ca.*a a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-' 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. I Nozes muito novas a IGo rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8o a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco. .
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a.ar- Mostarda -franceza em potes j preparada a
roba. *oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lenlilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 6 io Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra c56o rs. a reta- 1$ a garrafa e 11,000 a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
700 rs. o frasco e, a libra.
, Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grades e peque-
os, per diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
te as oe
3*3
w c: o
2. 3 ?T Sf *-"
I"M 3 3 3
u-goa b
Eoo"o
S; re t o s
ig B>
CP


* g H
J*ltf.
fii O O -J
a

9
B
9
a
o
Escravo fgido.
No dia 24 de dezembro prximo passado fogic
o preto Braz, com os signaes seguin'.es : baixo, "le
corpo regular, sem barba, cara larga, erm muir.?
verrugas em cima do olho direiio, levou camis-a
de algodozinho e caiga de azulao, e oulra de lime-
ta verde, chapeo de palha, o qual lalvtz j tenl a
mudado, costuma andar muito de vagar e rmxa
pelaperna esquerda por causa de soffrer do dorrs
rheumaticas, e foi escravo do Dr. Oliuda Camiif-l-
lo : quem o pegar sirva-se leva-lo a ra das Cru-
zes n. 32, padaria, qne ser bem recompensado.
Aos capiles de campo.
Fugio no dia 27 de fevereiro deste auno, de ra-
sa de seu senhor o escravo Sebastio, crioolo, fu-
lo, com idifle de 22 a 24 anuos, foi* estrave do
senhor do engenhoQuandus da comarca de Satn
Antao, d'onde linha vindo para'e.-ia cidade al-'
dias, de presumir qne seguisse para Taquiiim-
ga aonde tem mi e irmaos, levou caiga e camisa
branca bastante suja, altura regular, cabello a es-
covinha, cabeca pequea e redonda, testa yiande e
bem cantuda, olhos pretos e regulares, nariz cha-
to, bocea regular, beicos regulares, dentes. todos-e
limados, nenhuma barba,apebas um pequeo Ligo-
de, corpo bem limpo, ps regulares e pouco lar-
gos: roga-se portante aos Srs. capitaes de campo
a apprenensao do mesmo a entrgalo a ra do
Imperador n. 83, segundo andar, defroute do cr-
relo, que se gratificar com 505-
Gratificaco de 1007?
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de Janeiro
deste anno o seu escravo crioulo de nome Je,
com os signaes seguintes : cabra escuro, cabel-
los caraplnhos, estatura baixa, cheio do corpo, ps
largos, e faz um geito as pernas quando anda, o
muito pouco barbado, e tem urna cicatriz bem vi
sivel em um lado do qneixo; quanto a roupa no
ha signaes por ter levado mais do que a do corpo,
mas o chapeo do Chile Garibaltli -. cujo escra-
vo compramos junto com ontro ao Sr. capitao Sil-
vino Guilherme de Barros, e esle senhor os navia
comprado ao Sr. Joao Cabral, morador em Naza-
reth. Consta-nos que o referido escravo antes de
pertencerao Sr. Cabral, fura de. um senhor majer,
morador no Brejo d'Areia, onde o dito escravo
casado e tem rilhos, tendo ltimamente morrio'o
a mulber. Sabemos com certeza de ter passado
este nosso escravo em Pao d'Alho com direccSo
quelles lugares : roga-se portanto s autoridades
policiaes e a qualqner particular a captura do
mesmo escravo, e trazerem-no aos seus senhores
nesta praca, ra da Imperalriz n. 46, refinacao
que se gratiGcar com I005-
Luiz da Silva Ferretra & C.
ATTENGM
AO
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
IV. IS lina do Cabngn. 18,
De fronte da matriz de Santo Antonio,
DE
Lima & C.
0 proprietario deste novo estabeleciment avisa ao respeitavel publico, que adia-
se prvido de um completo sortimento de moJhados e seceos, todos novos e por precos
commodos, .
O proprietario nunca oraiz annunciar pelo jornal a existencia de seu estabeleci-
mento ; porm, como faz-se necessaria a noticia aos senhores deengenho e agricultores,
POTASSa
Vende-se potaessem barris acommedoprecoo
na ra da Cruz n. 23, primeiro andir. eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
Vende-se a casa de molhados na ra da Im
peratriz n. 34, por seu dono ter de retirar se para
tratar de snasaode, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na me?ma cima.
ATTEHQO.
Vende-se-chita franceza larga a 260 rs. o cova-
do : na loja ? passeio publico n. 3, sobrado do
Sr. Maia.
Vendem-se sumbarques de lazinha 75000. que mandam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qualospro-
63000 e IO5OOO, diles de grosdenaple preta a prielarios O fazem agora
205000, 255060 e 3*5000, capas pretas a 205000, Aproveitam a occasi5o para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
rSoo^lSUrSoo beari8sooraURaUaIda mento se achar semPre comPlQto de um variado sortimento de molhados, seceos e ou-
mperatriz loja do Arara n. 56. trps objectos pertencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos serao menos 5 por cento do que em oulra qualquer parte, e para
esle fim chama-se a attencSo de todos em geral.
Os pesos e medidas, e qualquer engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
em favor do consumidor, em qualquer occasio que reclamar.
Os proprietarios deste nov estabelocimento esperam dos seus freguezes, e do
publico em geral toda a proteccao, promettendo os proprietarios da Flor dos Progre-
sos tirar to smente um lucro razoavel do laborioso trabalho,-com que possam dar
cumprimento a esta ardua misso.
Achando desnecessaria a pirbcaco dos precos minuciosamente explicados de
seus gneros, com o que geralmente todos fogem, peto motivo* nao .somente de serenfa-
donho, como tambem por nada valer, os proprietarios tm smente em vista entreter es
seus onsumidores com gneros novos, e precos mais razoaveis do'queem utra qual-
quer parte, pois sero as .garantas para a proteccao ao Novo Armazem de Molhados.
FLOR DOS PROGRESOS.
BOTICA E DROGARA
Bartholomeu Franessco de Souza i C.
3Kualarja do Rosario31
Vendem: # .
PilulusHolloway.
Pilulas do Dr. Laville. '
Pilulasdq Dr. Alian.
Plalas d Pobre-homem.
Pilulas americanas.
PUulas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Gnmaalt.
Vinhodc Salsaparrilba deCh Albert."
Injeccao Feaugas.
AguMentiGca de Desirabode.
Papel chimico, para tainos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
RobL'Affeclour.
Xarope d Bosque.
Ungento Holloway. ____*
F*ija
Na ra da Madre de Dos n. 9 vende-se feij3o
mulatinho, dito branco, e dito preto, mais barato
do qne em ontra qualquer parte, approveitem a
peehincba-qae a quaresm&bate porta.
Vende-se a casa terrea n. 25 da ra de Ma-
thlas Ferreira da cidade de Olinda : quem a pre-
tender dirjase a tratar nesta cidade na ma Au-
gusta n. 89.
* Negro fug dn
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro deste
anno o preto Joaqtim, de nacjie Angola, que ti
escravo do Sr. capitao Francisco Joaqoim Caval
eanti Galvo, morador em Mara Farinha (Praia).
o qual venden-o nesta cidade em dezembro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques coro
armazem de assncar ra de Apollo v levou ca-
misa e caiga de algodo branco, ropresenta ter de
45 a 50 annos de idade, alto e de grossura rega-
lar, cor fula, cabega comprlda, qoeixos largos,
olhos amortecidos, beigo grossos, sendo o supe-
rior um tanto defettuoso, bastante barba, porm
raspada, finalmente tem urna grande costura entre
os peitos proveniente de queimadura, e snpp5e-se
ter-se dirigido para o norte, d'onde veio : gratifi-
care a qoetn o apprehender ou denunciar o coito
em que estiver : na roa da Cadeia do Recife nu-
mero 52.
Aviso
aos capitaes de campo e a polica.
Desappareceo em pjincipio do mez de outuhrc
do anno passade, de bordo do palhabote nacional
Araujo Malo, dous escravos de nomes Roberto
(por apellido Macei), e Miguel; o 1 de idade 5
annos, pouco mais ou menos, criaulo, cor fula",
estatura baixa, barba serrada, nm penco torio das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tanto m
barba como na cabega ; o 2o alio, cheio do corpo,
sem barba e falla grossa, representa ter de 25 a
30 annos, cojos escravos desconfia-se andarem pr-
los arrabaldes desta cidade : qnem os apprehen-
der queiram levar a ra do Trapiche n. 4, que
ser generosamente graflcado. _____ -
' Negra fgida. \
Ansentou-se no dia 5 de margo de casa de sen
senhor ra do Mondego n. 2, a escrava de nomc
Thereza, preta tala, alta e chen do curpo, vistosa
F ARELO
a 3*500 : na ra larga do Rosario n. 50, laberna e despachada, natural do sertao consta que ain
da esquina que volta para a ra estreita do Ro-. da est na praga, Uvou bastante roupa1: quem 4
sario. "I prender e entrega-la sej. bem recompensado.


8
Diarlo de Pernambnpo Uarla fe Ira H e Har* de i 85.
-
LITTERATDRA.
O que rae pelo mundo.
Neste pair (Inglaterra) do Plulagentts; Uve- Iho de homens apenas dezeseis mil chegaram
rano freqaentos questdes cora a Santa S sobre na- Polonia.
gocios lemporaes, mas em geral tinha deferencia t Conta o cardeal Gonsalvi a insolencia com que
cadeira de S. Pedro e as perturbages do conti- foi (raudo as Tailhenas qnando oi enviado pelo
neotetomaram em geral o lado |da santa s. Foi papa, e o contraste que apresenton o sen encontr'
FUrah.mos de neehly Repste,- jornal catholico s depois da accesso da casa Tudor, que quebra-1 cora o imperador, quando o cardea! acompanhado '
PubUcado em Londres o segrate artigo : ram com o papa o o proprio tyraono Henrique aeiropas france^ enlrava com pompa em ParSj
. Allud.mos brevemente no nosso nllimo nume-1VM no comego do seu reinado tomn armas-em e o imperador guardado pela mesma tropa ia em-
Abengoada filba, que alimentas fio candidos
sentimentos.
Misericordioso Dens, que inspiras nos corages
bomanos tao acrisolado amor.
IV
Hymnos accesos qne nos transportes d'alma;
Voem de mundo em mundo, d'astro em astro
depois de exforcos inauditos e perigosos; mas che-
garam quasi mortos de fri.
A chegada d'estes generosos salvadores reanl-
mon a coragem des viajantes. Escalaran) como
pnderam as montanhas de nve, e apesar da fome
No Brasil, porm, contra a praxe de todas as na-
coe catholicas, contra o espirito da egreja e contra
as leis ecclesiastlcas, os bispados fleam vagos por
lempos esquecidos, at que algum ministro mais
zeloso se lembre de prove-los de pastores.
Sete annos esteve neste estado o bispado do Rio
ro a dreular de M. Barocbe, qne rene na sua pes- defeza de Roma. Depois^rnou-se seu inimigo por barcar para se affastar para sempre da Europa
Roa os cargos de guarda sellos, ministro da justiga
e jr.inistros dos coitos em Franga aos bispos fran-
cezes prohiblndo-lhes a publicagao da eneyelica
papa*, com cxcepgao da parle que di* respeito ao
bileu, e sofgerindo-lhes a absteBgo do clero de
todos os commeutarios i que pudessem dar lugar
a iiiierpreUgSos lasilmaveis.
* E-la prohigo arbitraria, offensiva santa
te, irritante para os catholicos de toda a parte, e
i iiprudente em reiagao actual dynaslia, mas nao
I ole haver duvida da sua legalidade absolutamen-
te fallando, e mesmo da sua couformdade com am
iuccedeute do tempo da resUurago.
t i'elas leis orgnicas feitas logo depois da con-
cordata entre a santa s e Napoleao I est provi-
denciado que nenbuma bulla, breve, reescripto ou
outro documento proveniente da santa s.qualquer
tjuc seja a sua nalureza, possa ser recebido, im-
|ie=so,ou publicado em Fraoga sem a sanegao do
governo.
Mas o que aqu ha de mais eslranho em quan-
to a eneyelica prohibida de 8 de dezembro de 1864,
que ja eslava recebida, impressa, publicada e dis-
cutida per todos os Jornaes de Franga, sem a au-
torisago do governo e que s ao episcopado se
uega o privilegio de a publicar, e s ao clero
jirohibido. que a commenlera..
i A este respeilo ainda que se copie servilmen-
te o precedente da restauragao de prohibir a re-
cepgo e publicagao de urna eneyelica papal pelos
tiispos de Kranga, ha urna grande dilTerenga na
conducta dos dous governos. Em I89 a publica-
gao da eneyelica de Po VIII a respeito da instruc-
gao publica e do casamento civil fui absolutamente
prohibido em Franca, e se se ligaran) as linguas
dos bispos, egualmente se ligaram as pennas dos
j^rualistas, agora o privilegio de a publicar e com-
ineniar se nega to smente aos bispos e ao clero.
t Dissemos que o precedente dos Bourbons ti-
:l.a sido servilmente imitado por M. Baroche, sen-
timos terde dizer que M. Baroche srvese quasi
das mesmas palavras que Mgr. Fetctrico, bispo de
li-auvais, ministro dos negocios ecclesiasticos no
ministerio do principe Polignac.
t Era de suppor que a mesma dala da circular
do 1829 servisse de modelo ao ministro dos cultos
em 1864. A cariado bispo de Beauvais datada de
30 de junho de 1829. Daquelle dia a um anno
< o de eslava o hispo df Beauvais 1 Onde estava o
principe de I'olignac ? Carlos X ? A cora, o
l'ironu e a monarchia franceza ? Tudo era arreba-
.ido pela correnle sanguinaria da revolugo de ju-
I lio, que completou a sna obra no dia 30 de julho
do 1S30, romo a ioscripgo na columna da praga
da Ba-lilha pode informar ao ministro dos cultos,
be ja estiver esquecida da data.
uanjo em anjo, at que elles se harmonisem que cenlo e cincoenta homens nao linham podido
Ztn .va I conga de corame.ter ara Assim ,em aeonlecjdo ,
neceado {assim como boje todos os poderes da thollcaS) que tem o(TtDdldo a sanU s e ,n8nado 0
ierra e todos os maus atacam o Santo Padre, por vigario de Chrisl sim conlinaara a acnle_
que elle reprehende as suas faltas, condemna os cer ,
seus crimes, censura o seu orgulho e a sua arro-
gancia, e denuncia es seus erros para salvar as
suas almas) e qual foi a consequencia ? qual foi o
destino dos Tudors f Aeabaram completamente
na geragao seguinte.
O castigo do crime do pae recahiu egualmen-
te sobre a fllha legitima e catholica da virtuosa fi
Catharina, o fllho tambera legitimo de Jone Sey-
monrafllha bastarda de Aona Bolena.
iranspor.
Seria demasiado longa a descripglo dos tormen-
tos, que o fri Ins fez soffrer durante o trajecto.
Ao chegarem a Lesignan, muitos se achavam
DI POUCO DE TUDO.
No Grand Journal, d'onde traduzimos, l-se o se.
deste mez (dezemhro de 1861). O rapaz, o conhe-
Em 1843 conuvam-se em Franga cerca de 7,000 ces' "' : '' cora en*oiio um bello par que se
Com machinas a vapor, mas agora ha mais de 82,000.
E dignos sejam, ob Senhor, que os ougas.
Suspiros poticos.
A mesma scena se repeliu dez annos.
Eulinda, orpha s dezeseis primaveras, reitera-
va todos os das o mesmo acto de extrema pieda-!em msero estado.
de lilial. Sua me boje octogenaria, e eslabeleceu Um emPregado da companhia morrera sepultado
sua felicidade e arrimo futuro. debaixo da nev.
ir ,[. n__a i ... O hispo d'Avignon, que se achava em o nume-
um amigo, morador da mesma a Je a, era cara j. ,
..,:.,' ;m T ro dos agentes, tinha os ps gelados; um con-
Sin^ ,TTT ",T : .. selheiro municiPal d Tolosa e a condessa de
Eul.nda, a fada desta aldeia, casou-se A 24 C.cujo marido deputa.Io, chegaram em lastimoso
uniu.
Stuarts s As raacninas a vaPr Dao se consideram mais' Querendo ella em urna das noutes passadas.
fol tal que como eocommodas ou insalubres; e urna sim- depois do casamento, continuar na sua anliga de.
i sympathia. pleS declara5a-0 na prefeitnra, qalquer pessoa p' '"f50. e como nao podesse sem commqnicar ao es-
i>^-l8*-
esta acabou a linha dos Tudors. Dos
temos a dizer que a sua carreira toda
nao pode merecer nem respeito nem sympathL.
Guilherme III, anda que auli-calholico por nasci- deeslabeler urna dessas machinas em sua casa.
ment e educagao e succedendo na cora de In-
glaterra por s'er protstame, nao s estava do lado
do papa na resistencia que oppunha arrogante
poltica de Luiz XIV, mas foi o instrumento do Ai-
tisslmo na humilhacao profunda aesse rei. Quan-
do em 1682 os bispos francezes se esqueceram do
seu dever, a ponto de formar a sua declarago co-
mo um acto de opposigo ao Santo Padre, Luiz
XIV era de fado le grand monarque. Mas prati'
cado esse grande escndalo, ainda que depois se
retirou a declarago e a ordounan$e que a encor-
porava as leis do eslado, va abater a sua grande-
za e tremer os alicerces de seu throno. As vic-
torias de Guilbeme III e de Malborongh foram um
terrivel castigo para o rei, em quanto que para o
gallicanismo da egreja mais tremenda retribuigao
estava preparada.
Devemos-nos regosijar que a egreja franceza
actual esta penetrada do seu dever para com a
religio e a santa si. O erro fatal de 1862 nao
se repittr em 1863. O gallicismo gragas a Deus
desappareceu da egreja de Franga. O episcopado
fraacez boje completamente catholico e papal e
eremos que todos admittem que ainda nao houve
episcopado mais exemplar. A forga de Bossuet e
mansidSo de Fenelon encontraram-se n'uma poca
de mais fldelidade santa s e curiosa que a
primeira voz que protestqu contra a prohibigao
mperial, sahin da cathedral de Cambrai.
Do Echo da Juventude transcrevemos o se-
guinte :
CEHITERIO D'ALDEIA.
I
Scenas aqui nao ba que aprazer posssam
Aos sentidos daquelles que, embebidos
as illusoes do mondo, a morte lemem ;
Como o completo termo da existencia.
Suspiros poticos.
Era urna noute de agosto.
Ja se tinham escoado as mgicas horas do cre-
psculo, e as primeiras da noute iam bem longe.
O principal sino do .presbyterio soava lnguida e
compassadamente onze horas.
Tudo dormia na aldeia. O silencio reiaava com
seu fatdico cortejo de trevas, e do piar tristonho do
agourelro mocho. A sororlna, com sen gemebun-
do canto, indicava prestes o novo tanger do bronze.
Desprendem-se, afinal, do campanario doze tar-
das badaladas. Meia noute! E' esta a mais terri-
vel hora. Ninguem vagneia pelas mas. Todos
entregues ao pesado somno repousam para, ao
amanhecer, entregar-se aos labores do dia.
Se alguma pessoa, porm, fosse acostumada a
nocturnas excursdes, e passeasse pela mais tortuo-
sa ra d'aldeia, distinguirla multas vezes, sempre
noute, e essas horas sinistras, um vulto que j
afeito a esses lugares vagava impvido e corajoso.
Quera ser ? Pelos contornos urna mulher. Ex-
poso, cheia de lagrimas e vergonha, revolou o que
ninguem sabia.
Como sou intimo da casa sei. O marido nao
se oppoz : hoje sao dous que oram....
Oh! como nao sera ardente aquella suppliea,
sahida de dous corages tao puros I
Felizes esposos, eus fade-vos. Eu vos desejo
do fundo da alma venturoso porvir. A vossa uniSo
seja perduravel. Sede sempre como boje.
Nao esta a nica admoestagao solemne que ,ar PaPa das mas de seus inimigos em todas as
os principes catholicos leem recebido para conhe-! ef ^s nao expiou o crime, talvez at essa blas-
cerem bem os resultados de um insulto ao vigario
< Estupendo exemplo para es soberanos, que in-
sullam e alacam os direiio- da santa s, mostra a
vida de Carlos V. Foi na sua mocidade monarcha j tensos cabellos, desgrnbados"^ longo"vestido' Para
quasi universal. A Allemanha, a Hespanha e to- onde Ir ? E.s que, internando-se mais por essa via
das as suas; conquistes; os Paizes-Baixos, tudo Ihe solitaria e barrancosa, chega e transpon o cemlte-
rio da aldeia.
II
Estas ras de tmulos, estes templos,
Que cidade figurara,
s corruptos cadveres habitara,
Poelras, nomes e ossos descarnados.
Suspiros poticos.
Um cemiterio I
Aquella pompa fnebre do cemiterio horrorisa.
estava sujeito em quanto a Italia lhe obedeca e a
Franga o tema.
Nao contente com este immenso poder quiz sn-
eilar tambera a egreja. Os seus exerctos alaca-
rara Boma e aprisionaran) o papa. A ordem hy-
pocrita que elle deu para f azer orages para liber-
a Era todas as antigs cortes da Europa est es-
crplo era caracteres bem viziveis: t Lde a histo-
ria dos Bourbons de Franga, que tremenda ligao
jijs nao ensina. > Comparae a sua posigo de ou-
<'ora com a de hoje nao esquecendo o modo com
que por vezes trataran) a santa s, e vede se pos-
siivel ha ver una retribuigao mais tremenda. Os
jiroprios principios gallicanos, que os apologistas
do governu imperial julgam incompativeis cejn a
cueychra, foram proclamados pelos bispos france-
zes era 1682 para sustentar a Luiz XIV na sua ar-
loganle ppo^igo s romana. /.'. Grand Monar-
que mesmo antes da sua morte viu abater profun.
damente seu orgulho. Ainda durante a sua vida
viu desvanecer a sua gloria, derrotar os seus exer-
Cos em todas as campanhas, dissipar as suas con-
quistas, murchar os louros e semear-se o germen
daquelia tremenda revolugo, que baniu de Fran-
ga o seu nraie. Talvez se os seus successores ti-
vessem frito penitencia e se livessm mostrado fi-
Hios obedientes e Deis da egreja, se teria affastado
dclles a vinganga do cu. Mas elles segulram um
caminho differeute, e acabamos de ver que o ulli-
burgo.
Nesta ultima temos um exemplo bem claro do
perigo da opposigo independencia e com os di-
reitos da santa s.
Os dous filhos de Mara- Thereza, Jos e Leo-
poldo, foram talvez os mais inslenles despresado-
res dos deveres de calholicos para com a santa s
que jamis gozassem da auloridade temporal.
Ambos professavam o catholicisrao pela- ne-
cessidades de sua ambigo, mas pelos seus actos
parecan) incrdulos. De certo nenhum incrdulo
poderia ser mais hostil egreja ou inimigo mais
declarado da santa s.
t Esquecidos da sua orgem como soberanos,
conforme as palavras de nscrpgao > Deus Pelro
mi da linha legitima, principe alias religioso, as- dedilPeirus autem Budolpho e dos principios
signalou o ullimo anno do seu reinado por um tiisulto sania s, fondado n'um direito ad-' 4Qe Leopoldo estabeleceram despticamente leis na
quirido pela mesma revo'.ugao, que tinha enva- Allemanha e na Toscana que eram um ultraje
do ao cadafalso o seu irmao. Os bispos que fizeram saot s e que feriam radicalmenle a religio e a
a celebre declarago de 1682 nao vveram para ver jnfluenca legitima da egreja nos seus respectivos
o Qnal, mas muitos dos seus successores que sus- estados.
Untaran) esses perniciosos principios expiaran) no-! As infames lels Leopoldinas estavara em vigor
tremente pelo marlvrio essa Taita. Toda a linha d; nn rscana lluando Cavou'> e Buoncompagai tra-
Orleans era hostil egreja e inimiga da santa s lnaram a revolac5o> 1ue desthronou o benvolo e
e o seu destino est bem patente a todo o mundo' ^amaVel eraodu1ue e den '"torio a Vctor
i Emmanuel.
O mesmo se pode dizer do ramo de Conde e a t Na Austria as leis. Josephloas foram dero-
sj t linha acabou pelo assasslnato do infeliz duque gadas pela concordata do actual imperador com o
de Eoghein nos fossos de Vincennes e pelo ainda papa.
mais alroz do seu velho pae no sou caslello de I Mas durante o longo reinado
Chaotlly. O grande Conde tinha conduzido um Francisco ullimo de Allemanha
exercito contra o papa, os eleitos da saaartilheria
ain la este visiveis nos templos sagrados em Rema:
e o ultimo da ra raga foi victima d'um assassina-
to dentro de seu proprio palacio.
phemia augmeniasse o castigo. Deus ooviu as f
orEgoes, o papa fo, libertado e os seus Iniraigos fo-! j?T* ria descarDada mor' > a* ^ paredes,
ram severamente punidos. '"ff8. ^ a,guas do ,nverno 5 a* negras grade,
i estaladas pela ferrugem; as catacumbas, ennegre-
t E' de esperar que o arrependimento do impe- c,das Pel lampo; os mausulus, plantados em di.
rador alcangasse para elle o perdo do seu pecca- reegoes diversas, nos inspiran) pavor e susto,
do, mas a sua poderosa casa e o seu quasi "illim- Essas cruzes aqui e ali semeadas; esses epita.
tado imperio aeabaram n'uma geragao. -Em parte phlos vanos; esses montes de carcomidos ossos:
dos seus dominios succederam os Hollandezes, em essas caveiras, ao passo que nos representara ao
parte os Bourbons, n'outra parle a casa de Hops- vivo os irrefragaveis monumentos do nosso nada,
A historia dos Bourbons de aples cBeia de
episodios contrarios Santa S ; e mesmo o reina-
oado de Fernando que na hora de attribulago do feit0 imPei"ador dos Francezes.
do imperador
e primeiro de
Aastriaestiveram em pleno vigor. Que reinado
haveria mais perturbado 1 Que soberano haver
que tenha sofTrido mais revezes e humilhages ?
Sendo talvez maior ainda do que a perda da sua
capital duas vezes, obrgagao de dar a sua fllha
ao seu vencedor, ao soldado corso, que se tinha
papa em 1818 se mostrou fitho lambom da egreja
e hospeden com taol valor e affeicao ao pontfice
exilado nao deixou de ter Incidentes desagradaveis
ateste sentido. E' de esperar que o tremendo cas-
tigo que cahiu sobre um innocente (os peccados
dos paes castigados at a tereeira e quarta gera-
gao) expiar as culpas passadas, e que o fllho de
Fernando ainda recupera os dominios e dirtUos
de que to infamemente foi despojado.
Os Bourbons de Hespanha, com todos os seus
erros que nao foram nem poucos nem pequeos,
tem-se geralmenle abatido *de mostrar arrogancia
c de insultar directamente santa s e ser meio
de destrogo universal dos thronos da sua raga, tem
conservado a cora. E' de esperar que a actual
rainha nao ceda aos conselhos e influencias que a
ebriguem a dar algum passo ou sanecionar os pro-
cedimentos d'oulros em sentido hostil santa s,
ou aos seus direitos lemporaes ou espirituaes. De-
pois da guerra da succe sae alguns actos se pra-
ticaram hoslis a egreja e contrarios aos principios
de justiga ; mas depois que a raala Izabel assu-
mio o governo, Santa S nao teve {eremos> qne
je quelxar das tendencias e sentimentos do gover-
no hespanhol as alias transaeges com a corte de
liorna. E qual a nagao que se tem levantado de
um estado tao lastimoso como a Hespanha o tem
fjilo durante este periodo ? Esperamos sincera-
mente que a sua carreira futura seja tal qne livre
a dynastia dos crimes contra a Santa S e da ter-
rivel retribuigao qne tem pesado cora tamanh?
lorga sobre os ootros membros de familia de Boo:
ton. i
t Talvez o exemplo mais frisante desta retribui-
gao seja a vida desle mesmo Napoleao. Foi urna
das suas raaiores glorias a restauragao do culto de
Deus em Franga e urna fortuna sem egual o levon
de trumpho em trlumpho al se tornar senhor da
Europa e o maior hroe do mundo.
A embriaguez da fonuuaperturbou-lhe a intelli-
gencla e nao pode supportar a supremaca ainda
mesmo do vigario de Jess Christo. Todos deviam
curvar o joelho diaale delle, o que nao quera ser
escravo tornava-se victima. Como o papa nao quiz
abandonar o seu dever, para oengrandecimento do
imperador, este o arrancn da cadeira de S. Pedro
Escusado enumerar a serie de ultrajes que^offreu
o summo-pontiflee, ultrajes que todo o mundo co-
nhece, que comegaram com a priso e exilio do
papa, que continuaram com a annexago de Boma>
dos estados da egreja e do patrimonio de S. Pedro
ao imperio francez e a proclamagao do fllho do es-
poliador como rei de Roma, e que tiverm por re-
mate a abdicago do Fontainebleau, o captlveiro de
Santa Helena, e a morte n'um longiquo rochedo no
Ocano, que poz termo mais terrivel humilhagao
de que ha notieia. Desde o dia em qne Napoleao
poz mos vi lientas no papa a sua sentenga estava
lavrada.
Qnando o pontfice fulminou a excommunho,
o infatuado conquistador escarneceu dalla. < Far,
pergnntava elle, cahlr as espingardas das mos dos
h soldados T Mal pensavaque nessas palavras
nnctava o decreto da Providencia. De feito
: -im das maos dos soldados as espingardas na
retirada de Moscow, qnando de perto de meio mi-
da nossa epheraera e fugaz existencia, vao plantar
na mais recndita dobra da alma um temor inex-
plicavel.
Um cemiterio I
Ahi vae quebrar-se, na fra lage de um sepol-
chro, o orgulho do hornera : ahi nivelam-se as ge-
ragoes.
A sabedoria, pouco valem suas galas a riqueza,
pouco pesam seus thesouros; a aristocracia, sao
ephemeros seus ouropeis;-tudo, pelas leisirrec
saveis de Deus, tudo, vae de tropel sumirse na
profundeza do tmulo I
Como varia e infeliz a sorte humana ; como
louco aquello que se alimenta de distincges; que
cobre seu peito de filas; muda seu nome por um
tilulo; amlrfciona brasoes; procura tetas e ve-
neras.
Loucos 1 ah vem o vento rijo da morte, vos ar-
remessa no sepukhro : e que vos resta? Trabalhao
por cultivar a virlude, por o labor da intelllgencla-
amanhae-a ; eis o deslino do ente racional: sede
bora pae, estremoso consorte, fllho obediente.
E se fordes assra, tereis orna esposa, urna fllha,
um rmo, que sobre o vosso tmulo, s horas mor-
as da noute, venlia derramar urna lagrima; que
sobre o vosso sepulcro, e aos pes dessa cruz, seu
melbor epitaphio, dirija uim suppliea frvente ao
cu.
La na estancia celeste vossa alma se regosijar :
ser um prazer santo o verdes subir ae throno de
Deus a prece candida e humilde, sahida de um co-
ragao aperlado pela saudade, e cheio de gratido_
Feliz pae, se tiveres urna fllha to shta, que te
offerega urna oragao; feliz esposo, se tiveres urna
esposa- que ore por ti; feliz irmo, se tiveres um
irmao, que faga subir ae escabello do solio divino
os echos de sua alma.
III
Nada temas, minba alma;
Preconceltos de infancia nao te gelem;
Nao; sem susto vagueia;
Mal nao fazem os mortos.....
Suspiros poticos.
Ella enlrou e orou I....
A mulher de quem fallamos era a formosa Eu-
linda, que, aproveiundo o silencio da noute, ia, to-
dos os dias, pressurosa ao tmulo de seu pae re-
ga-lo com lagrimas, e, ah prostrada, orar a Deus
pelo seu bemfeitOr.
E' do Sr. J. de Freitas esta poesia :
AOS DEZOITO ANNOS.
Mentira son sus amores.
Mentira son sus victorias,
Y mentira su ilwion.
(ESPRONCEDA.)
I
Porque chorando, desgostoso, triste,
A triste vida percorrendo vou?..
E' que suspiro por ditosa infancia,
Que, como um sonho, j por mira passou.
Hoje, que cont j dezoito annos,
Urna triste idea s era mm pousou...
E' que jamis eu terei to doces
Meus doces dias, que o pezar crestou.
II
Dos frescos annos d'uma infancia lindaj
Inda me lembro com saudade e dr;
Pois que meus gosos, singelez d'entiSo,
Ho se trocado s por tedio... horror 1..
No mundo torpe, sem experiencia ainda,
Linda esperanga me sorriu distante,
Mas foi illnsao de nm mortal bisonho,
Sonho dourado, que durou um instante.
D'antes prazeres, innocencia, amores,
Flores virentes, que vigora a crenga;
Hoje s dores, s malicia infesta
Rstame n'alma, que soprou descrenga
Hoje em pezares s meu ser se abysma
Scisma era tormentos, em pungentes dores *
Meus verdes annos esperanga raorU,
Horta deserta de pizadas flores.
Hoje s magoas, a chorar praqujo S
Pojo d'infante j nao tenho mais ;
S soffriraentos buscan) me em tropel,
Fel que libando me desfogo em ais 11.
Adeusl infancia, que nao mais revejo,
Bjo innocente d'um ameno encanto,
Que fueiu-me breve e n'amplido somiu-se...
Ru-se o meu fado d'um saudoso pranto.
estado.
Para ella aquella sepultura era suas delicias e
prazeres : folgava em cobri-la de flores, e orva-
Iba-la de lagrimas.
O roci da manha vivifica as rosas dos j.rdins :
o pranto de Eulinda fazia as rosas da sepultura
nao emmurchecerem
Benovava diariamente essa devogao. era os
preconceitos, nem os horrores de urna noote som-
bra a tolhem. A lerabranga e pavor dos mortos
escapam-lbe. S lhe veda a estago Invernosa.
Auimosa, vae sera timidez a esse lugar de fun-
reo apparato, de sombras e luto, e de-joelhos bolja
o symbolo da Redempgo, a cruz, e o tmulo de
seu pae.
Seus labios entreabren), sua bocea profere essa.
milagrosa oragao, saluda dos labios divinos, oragao' dedicago ficara sem resultado,
sublime, capaz de operar portentos:Padre Nosso.' S um crescido numero de trabajadores, podia
Para ellas sao illusoes.tmulos; pavor e susto, vencer as difflculdades que era mlster sobre-
quimeras : Arde-lhe no juvenil peto a chaaima pujar para percorrer os cinco kilmetros que
abrasadora do amor filial, que someote altenua-se separavam Lesignan do lugar em gue o trem
om essas lagrimas brotadas dos cilios. parara.
Deixeuios Eulinda no doc colloquio, qne Unto Foi s na manha do qparla-feira, que a polica
ama ; deixemos esse aojo do Senhor nessa conver- pode reunir cento e cincoenta homens, encami-
sa myslica com Deus, intercedeBdo por seti pae. nbado-os em tres columnas em auxilio dos via-
Fehz velho, que na bemaventuranga teos a dita jantes,
de ver essa scena locante. : Apenas doze homens conseguiram o desejado Am
O comboio expresso n. 116, que parliu de To.
louso*em 26 de dezembro, foi obrigado, s sete
horas da noute a parar em vista dos obstcu-
los que lhe oppunham, sobre a via, monta-
nhas de nev que ia amontoando um terrivel
furago.
A machina abandonou o comboio a meia dis-
tancia de Lesignan e Mons, dirigindo-se a to-
da a pressa a esta ultima estago para dar
aviso do perigo a que o comboio ficara ex-
po-to.
O telegrapho partecipou o occorrido eslagao
de Narbonne, que man Ion sabir em soccorro tres
poderosas locomotivas.
Chegaram estas algumas horas depois; porm
foram baldados todos os exforgos para remover o
comboio alulhado em nev, sobre um aterro de d >us
metros.
A resignagao tornou-se urna necessidade; a po-
sigo que o comb io oceupava sobre um aterro nao
fazia suppor o perigo de que podesse liear sepul-
tado sob a nev, o que seria inevitavel se se achas*
e n'um desaterr.
Mas o furago occasionou um desastre
ninguem era dado prever.
Durante a noute de segunda para lerga-feira, a
nev coninou a cahir com abundancia, assopran-
do o vento com egual violencia.
Ao romper do dia, os viajantes, que haviam pas-
sado a aoute na maior nciedade e regalados pelo
fro, esperavara que o comboio podesse seguir ca-
minfio, mas a sua decepgo e desanimo nao se po-
dem descrever, quando viram erguer-se de arabos
os lados do trem, urna espessa muralha de nev
que exceda a altura dos wagons.
Eslavam cortadas todas as coramunicagoes entre
as carruagens, sem vveres e sem fogo, viam-se
condemnados a ndrrer de fro ou de fome se um
auxilio intsperad.0 lardasse.em chegar. Espera-
ram-no durante o dia todo de terga-feira, que foi
para elles nm seculo de torturas.
A noute chegou, mais terrivel que o dia que
acabava; no meio das trevas, a fome fazia-se sen.
tir e o fri entorpeca Ihes pouco a pouco os mem-
bros.
que
Sobre o evangelho de S. Joo, cap. 2 v. 1 a 11
Celebrronse urnas nupcias'em Canaan da Galilea
e ahi se arhavam Jess Christo, sua Santissima
Mae e seus discpulos a convite dos esposos escreve
o Cruzeiro do Brasil o seguale :
SEGUNDA DOMINGA DEPOIS DA EPIPHANIA.
Nao bom que o hornera esteja s, disse o Se-
nhor quando concluiu a obra da creago do mun-
do, e collocou o horaem no Paraizo terrestre, e des-
de ento deu-lhe a mulher pira sua companhelra,
participante de todos os seus prazeres e venturas,
assim como tocia de todas as suas desgragas e infe-
licidades; e por isso que recebendo-a o nosso
primeiro pae da modo Seuhor exclamjo por urna
mspirago divina :
Eis aqui agora o osso de meus ossos, e a car-
ne de minlia carne; por amor desla deixara o ho-
rnera seu pae e sua me, e se unir a sua mulher e
sero dous em urna mesma carne.
Eis pois o proprio Deus estabelecendo no mundo
esta socedade domestica entre o primeiro ho-
rnera e a primeiro mulher sahidos, ou formados
por suas proprias mos ; e por esse motivo que
desde todos os tempos- em todos os povos aiuda os
mais selvagens, foi esta unlo soleranisada com as
mais festivas demonstragSes de regosijo, quer no
tempo em que s os povos se governavara segundo
os dictames da lei nalnral; quer no da lei escripia,
e quer ainda hoje no da le evanglica, em que Je-
ss Christo se dignou eleva-lo a calhegoria do Sa-
cramento.
Nao admira pois que o Salvador fosse convidado
por esse pae de familia de Canaan de Galilea para
tomar parte as festividades das nupcias queenio
celebravara, e que, dignndose Jess Christo acce-
der a este convite, aproveilasse esfo occaso so-
lemnissjma para manifestar o seu poder oi vino ope-
rando a vista de todos o seu primeiro milagre da
conversaode agua em generoso vinho, por satsfa-
fazer os desejos de sua Santissima Me, que, to-
mando parte na afllicgo dosdonos da casa pela de-
ficiencia de vinbo no maior ardor do banquete, lhe
rogara para dar algum remedio a to sensivel
falta I
Foi desta maneira que Jess Christo quiz santifi-
car a unio matrimonial, comparecendo pessoal-
raenle com sua santissima me e seus discpulos,
demonstrando assim com quanta benignidade se
digoava lomar sol sua divina protecgo os esposos
que, como estes, o convidassein para as suas nup-
cias que Elle destnava elevar ao gru de Sacra-
mento, celebrando-as com as devdas disposi-
goes.
Essa benignidade que bem se manifesta pela
promptido em livrar os esposos do vexame pela
falla, que se deu de vinho durante o banquete, con-
vertendo as seis grandes pias de agua em genero-
so vinho, nao mais do que a repetigo de eguaes
manifeslagoss de que eslo cheios os livros santos
a favor daquelles esposos, que antes de contrahirem
to Importanteallianga consultara pela oragao a sua
vocago e convidara pela recepgo dos Sacramen-
tos da penitencia e da eucharistia a Jess Christo
para assislir as suas nupcias.
Com estas predisposigoes nao deixar Deus de
nos proporcionar o melhor dos presentes, dando-nos
urna prudente e virtuosa esposa, digna da plena
conflanga de seu esposo e a providencia de sua fa-
milia ; mulher que ser a nossa consolago nos
trabalhos da vida, e nao a perturbadora da paz do-
mestica ; mulher capaz de dirigir a edacago de
nossos filhos no santo temor do Senhor, dando a
egreja blhos abengoados, e ao estado cidados dig-
nos por sua dedicago e probdade; e emfim mu-
lher que nao seja o escndalo de nossa familia, nem
to pouco sua curruptora pelo seu reprehensivel
procedimento e mus exemplos.
O matrimonio um estado santo, cootrahido cora
as devidas disposiges determinadas por Jess
Christo e por sua egreja, como diz S. Paulo ; po
rm uestes desgragados tempos do indfferentismo
e do fro, qne os aportara dorante qnarenta e oo de Janeiro por morte de D. Jos Coutinho ; o
horas, tomaram a perigosa subida de Lesignan, J?nJ aoonteceu ao de Marianna por fallecimento
ae u. b re Jos ; quatr" anuos o de S. Paulo no
passamento-do Sr.O). Manuel Joaquim ; tres o do
Maranhao por morte de Fr. Carlos; igual lapso de
lempo correu na vaga do de Goyaz ; e as dioceses
novamente creadas da Diamantina e Cear Ulvez
que anda hoje estivessem acephalas, se os depota-
dos daquelles lugares na cmara nao tivessem in-
terpelado o ministerio de enio, por motivo de to
grande demora.
Ha quasi dous annos que deixou de existir o vir-
tuoso Sr. D. Manoei do Monte Rodrigues de Arau-
jo, e muito tempo ba decorrido depois do falleci-
mento do bispo de Pernambnco.
E um s passo nao se tem dado para novas apre-
sentages. r
Ha urna incuria inqualifieavel nestes nossos ho-
mens para tudo o qne diz respeilo religio 1
E era vale a escusa de ser a nomeagao de um
bispo negocio mnito melindroso, e por Isso de gran-
de ponderago, a que nao coovin apressar.
Mas o governo, pergunlaremo's nos, nao devia
ter previsto tudo isto 1
A saude arruinada do bispo de Rio de Janeiro,
fazia recear que sua vida nao seria duradoura, e
a idade avangada do bispo de Pernambuco devia
causar as mesmas suspeitas.
Quant i mais se forera tardando estas nomeagoes,
tantas raaiores difflculdades se iro creando para
os bispos das dioceses vagas.
Sobre tudo, o Rio de Janeiro lera necessidades
que de mlster serem sanadas desde ja, por nm
horaem que comprehendendo a sua misso, se de-
dique em corpo e alma ae servigo desta diocese.
A creago de nm ncleo onde o clero se possa
moralisar e instruir mais, a pregago aos domin-
gos, o eosino do cathecismo, a visita do bispado,
sao meios indeclinaveis que quanto antes se devem
por em pratica, meios que s pode levar a effeito
um hispo animado do espirito de Deus, um verda-
deiro apostlo.
Estas e outras consideragoes ha muito que o
governo devia ter feto.
Quando a Santa S, em outros tempos, concedeu
aos piedosos raonarchas o to decantado direito do
padroado, foi debaixo da clausula de que seriara
as dioceses vagas para lo?o suppridas de pastores ;
por que foi sempre com vistas de melhoras que
taes privilegios foram dados.
E por isso que o concilio ordena aos prelados,
que todos es annos visitem por si as suas dioceses,
convencido do mal qne pode provir pela falu da
assisteocia de um zeloso chefe.
ltimamente o summo pontfice tanto conhecen
ser grave esse mal, que sem imprtar-se com as
furias de Vctor Maauei, nomeou prelados para al-
gumas dioceses vagas das provincias usurpadas ao
eslado da egreja.
E os nossos homens dormindo o somno da in -
diff^renga, pouco se abalara que o paiz tenha oo nao
bispos.
Se fosse algum presidente de provincia ou mes-
mo algum empregado de segunda ordem, ha muito
lempo que o lugar estara oceupado.
Ainda mesmo qne honvesse a Idea de mandar
vir um bispo de paiz eslrangeiro, anda assim ha-
va tempo de sobr?.
O catholicismo na Polonia voltoq aos lempos pri-
mitivos da egreja, em que os chrstos oceultos no
fundo das catacumbas offereciam a Deus suas ora-
ges e seus sacrificios.
U acto que a Russta acaba de praticar suppri-
mindo os conventos, acto comegado por Catharina
H e cootinuado pelo imperador Nicolan, far da
Polonia urna nagSo de marlyres.
Dentro de alguns annos, ulvez, os sacerdotes ca-
tholico*, perseguidos e ameagados de morte, escon-
der-se-nao as florestas para adorar e servir a
Deus, nesta trra onde partirn) os guerreiro* que
salvaran) a oropa calholica do furor dos musul-
manos.
E esta mesma Europa salvada por ella, perma-
nece de bragos cruzados, olhando com a maior in-
di fferenga para as crueldades do ero do norte,
como se exprime urna gazela franceza.
No mundo inteiro urna s voz se elevou em fa-
vor dos polacos, a voz do pontfice Pi IX ; voz
prophetica, qne previa os soffrimenlos desse povo
martyr, quando fazia ver aos bispos a obngago
que tiuham de se opporim aos desvahos dessa na-
gao, que os collocava entre a apostazia e a morte.
Cenlo e vinte e cinco conventos foram suppri-
midos e 600 rrades arrancados bruscamente de
seus mosteiros por urna soldadesca desenfrena a
hora da meia nouto : e assim sao arremegados a
climas extranhos, aos geios da Sberia, privados de
- tudo e esmolando o pao da caridade.
O Cesar oriental, diz o Monde, marcha snhr ns
religioso, qual a importancia que no geral observa- passos de ero e Deocleciano, nada lhe serve de
mi llM..A l Mi* tan tnUmnn a imnnrtintis< mn' Ti.......i.. .____j ... """> uaua nie serv OO
mos darse a este to solemne e mportantissimo
acto de vida Jo homem nesle mundo 1
A quem se consulta antes de contrahir-seto im-
portante allianga, seno a paixo sempre cega e as
conveniencias da fortuna, sem se pedir primeiro a
Deus a graga de nnc proporcionar urna esposa dig-
na pelas suas virluiit. dcil, cuidadosa, teraente a
Deus?...
Varaos mudar de estado, verdade ; porm que
dsposcoes fazeraos para a mudanga de vida ?
Varaos receber um Sacramento de titos; mas
estes Sacramentos pedem antes o estado de graga,
porque elles s communcam a graga propria do
Sacramento, ou um augraent; de graga para vive-
rem santamente aquelles que o receberem com as
devidas disposigoes.
E queremos ser felizes com alhanas contrahidas
fra dos tins e de.-ignios com que D lis e labeleceu
o matrimonio, e s por vistas e prazeres brutaes, e
alliangas que devem durar por toda a vida?!
Alliangas assim ccnlrahidas nao podem merecer
as bengos de Deus; N. S. Jess Christo nao aspo-
de assislir como assistiu as de Canaan; a paz e a
concordia nao pode reinar entre estes esposos, e o
lar domestico onde s devia reinar a paz e a tran-
quillidade, que produz a. boa harmona dos cora-
ges qne devem viver para sempre unidos, se con-
verter inevitavelraente era um insuporlavel infer-
no, pelas suas constantes riras, desordens e escn-
dalos.
Esposos e esposas I 0 evangelho de hoje falla com
todos vos.
Antes de vos nnkdes em raalrimoniaes alliangas,
nao vos deixeis cejar pela paixo amorosa, nem
pelas riquezas que' uos ollscam, consas to preca-
rias como sao estas.
obstculo ; o cadafalso e o socialismo sao os dous
limites do seu governo.
A Polonia volven ao tempo de Juliano apostata,
e < summo pontilice por um breve autorisou aos
sacerdotes exilados na Siberia a celebraren) a mis-
e sem ornamentos, sem ministro e sera vasos es-
collados como no tempo das perseguigoes.
Pi IX vae protestar enrgicamente contra esta
suppresso de conventos, ordenada emiviolaco da
concordata que a corte de Roma concluiu em 1847
eom o imperador Nicolu.
Este protesto lera um grande effeito : se a per-
seguigao nao se abraodar, os martyres senliro
redobrar a sua coragem. Alm disto, a experien-
cia tem mostrado que a Russia teme o poder mvs-
lenoso da santa s apostlica ; ella finge desde-
nha-lo, mas interiormente o teme.
Possa tambem este inabalavel amor do summo
pontfice para com seus filhos da Polonia, fazer en-
vergonhar aquelles, que oosadamenle chamaran)
fraqueza a essas sympalhicas affeigoes dos Polacos
para com o seu nico defensor I
-----------------m^wij r ----------
Ao passo que na Russia o catholicismo soffre tao
terrivel contra-tempo, na Inglaterra elle florece de
urna maneira admiravel :
Segundo referera as folhas inglezas, na Irlanda
a contar de 1834 as escolhas protestantes lera di-
minuido de 93 a 60, emquantoque a dos catholicos
augmentaran) de 23 a 86.
O numero dos alumnos tem diminuido de 4,240
a 2.073 para os protestantes, e augmenlado' de
1,484 a 4,962 para os catholicos ; sendo de noUr
O temporal continuava com o mesmo furor, e a
humidade penetrava no interior dos wagons.
Na manha do da seguinte, a impaciencia e o
desespero levaram os viajantes a abrir passagem
airavez da nev, para se reunirem n'um s wagn
afim de melhor poderem resistir ao fri, e para
combinaren) um plano de salvago.
Ainda se achavam pelo meio dia n'esta critica
silago, quando viram apparecer, ao cirao da ele-
vada muralha de nev que Ihes embargava o ca-
minho, alguns guardas da polica, que acabavam
de ebegar em seu auxilio acompanhades por alguns
camponezes.
A brigada de polica de Lesiguan flzera, duran-
te dous dias, os mais enrgicos esforgos para pe-
netrar junto do comboio em perigo, porm a sua
Consullae vosso coraco; consultae a vossos que os primeiros tem a sua disposigo esbeleci-
paes ; consultae antes que tudo a Deus pela oragao memos dotados pelo estado, e que os ltimos os
para que vos inspire o melhor, e depois convdae a mantm sua custa : accrescendo outro motivo
N. S Jess Christo, pela recepgo dos Sacramentos que o nao serem recoobecidos pelo estado o
da penmtenciaeeucharistia, para que se digne as-grus conferidos pelas universidades catholicas
sistir pela vossa f, como ootr ora se dignou assislir estando deste modo obngados 930 jovens catholi-
as nupcias de Canaan as vossas; porque s assim
sero do cu confirmadas as bengos que o minis-
tro do Sennor sobre vos langar c na trra, e tereis bter os seus diploma?,
urna uniao proficua e venturosa corao as de Jacob
Isaac e Thobias.
eos a se submetterem todos os annos aos corsos
das escolas de direito ou medicina para poderem
A demora da nomeagao do bispo para o Rio de
Janeiro ia vai cansando serios cuidados.
u povo cada vez mais se capacita que os nossos
ministros s sabem pronunciar bellos discursos
quando aspiram o poder, e desprezar tudo quando
nella se veem collocados.
Entre nos tudo assim.
Esta morosidade por varias vezes tem compro-
irietiido a nago, e nem por isso as cousas teem
tomado melbor caminbo.
Na Europa apenas vaga qalquer diocese, o go-
verno cuida logo em lhe dar prelados idneos, por
que encherga as funestas consequencias que pro-
veo) de urna viuvez desta ordem.
Sobretudo em Franca, onde a egreja se acha
to bem regulada, onde centenas de ptimos paro-
chos tanlo auxiliara aos seus superiores, onde em-
flm um clero Ilustradsimo o bispados prximos
poderiam ulvez demorar Ues nomeagoes, nem por
isso o imperante se descuida; e apenas morre um
bispo immediatamente substituido por outro.
Quando aqui se fallou do projecto do governo
brasileiro de mandar virtrapisUs para cultivaren)
as nossas trras, ouviu-se logo urna costumada ce-
leuma dos peridicos da corte censurando nma to
til e to proveitosa idea.
K' costume velho da nossa gente criticaren) tudo
o que bora e imitaren) tudo o que pessimo dos
estrangeiros ; para esses bem aproveitavel a se-
guinte noticia que se 16 nos jornaes francezes :
. Os trapistas alcangaram na Cochinchina-um
importantsimo terreno, na provincia de Mylho,
onde vo fundar uro vasto esUbelecimento agr-
cola. >
E que melhores colonos queramos nos do que
estes, que nos vinham trazer o amor ao trabalhe e
ao mesmo lempo roelhorar nossos costumes ?
A Franga que v mais longo do que nos, sabe
apr.oveitar esses bons religiosos para as suas no-
vas colonias na India. -
Mas os nosso* homens s se lembram da patria
em pocas eleitoraes.
Nao era melhor que essas centenas de legnas
Foi assim que aconteceu com o governo da re- 1ue ahi temos despovoadas, fossem .oceupadas e
publica em 1848 no assassioato do rasnsenhor
Affre, arcebispo de Paris no alleciidento do seu
successor, e ltimamente por occaso do passa-
raento do caideal Morral.
Isto mesmo se pratica as demais dioceses da
Franga, segurado o seo exemplo a Hespanha, .a
Austria, Portugal e a propria-Italia antes dessa
malfadsda revolugo.
trabalhadas por esses bons religiosos, iraiiagao
da Franga e dos Estados-Unidos ?
Nao bastante cokmtear um paiz, eonvtm que
o coloni'sem bem, e esta medida preencheria es-
te flra.
PERNAMBUCO.-TYPDE M, F. DE F. & FILMO
* '
V
i



V




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKJ1MTIKW_V64A6Y INGEST_TIME 2013-08-28T03:14:33Z PACKAGE AA00011611_10612
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES