Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10609


This item is only available as the following downloads:


Full Text
">
ANUO UL NUMERO 52
m
Pr fiartel agt dentrt de 10 das de i. mez
dem lepis s i.0- 10 das do comece e dentro do qnartel. .
Porte ao eorreio por tres mezes ,..... ,
s$ooo
61080
780
SAMADO 4 DE MARCO DE 1865.
Per amo pago dentro de 10 lias
Porte ao correio por nm anno .
l.Bez ,,,.,.. 191000
........... 3J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRlPgO NO NORTE
Parahyba, oSr. Antonio Alexaqdrino de Lima ;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, e
Sr. A. de Lemos Braga Coar, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraoho, o Sr. Joaqulm Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves d
Filnos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPf.O NO SUL
Alagoas.-oSr. Claudine Falco Dias; Baha, o
Sr. los Martins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho. '
PAHT1DA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras-
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caroar
Altinho, Gamboas, Buiqoe, S. Bento, BomCon
selho, Aguas Bellas eTacarat, as tercas feiras
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo,Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
la, Ouricury.Salgueiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta ePimenteiras, nasquintasfelras.
liba de Fernando todas as vezes que para alisahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARQO.
4 Quarto cresc. as 9 h., 59 m. e 16 s. da m.
12 La chela as 8 h., 22 m. e 10 s. da m.
20 Quarto ming. as 10 b., 16 m. e 22 s. da m.
27 Lna nova aS 3 h., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commereio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas
Primeira vara do ctvel: tercas e sextas ao'meio
dia.
Segunda vara docive
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
27. Segunda. Ss. Anligono, CursoeBessas. ntm.
28. Terja. S. Romo ab.; S. Cereal m.
1. Quartade cinza. S. Eudocio o Antonlna mm
2. Quinta. Ss. Jovino," Basilio e Januaria mm.
3. Sexta. Ss. Hemeterio e Asterio mm.
*. Sabbado. S. Casemiro rei; S. Lucio p,
o. Domingo. Ss. Focas e Palatino mm.
PREAMAR DE HOJE.
quartas e sabbades a l|Prmira as JO hora e 6 m. da manhaa.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da tarde.
PARTE OFFIfilAL
MINISTERIO DO IMPERIO
Tendo em consideracio os relevantes servidos
prestados na actual campanha do Estado Orienta)
do Uruguay pelo barao de Tamandar, hei por
bem fazer-lhe merc de elvalo a visconde do
mesmo Ululo.
Palacio do Rio de Janeiro, em '8 de fevereiro
de 1865, 44" da independencia e do imperio.Com
a rubrica de S. M. o Imperador Jos Liberato
Barroso.
Tendo em consideradlo os relevantes servigos
. prestados na actual campanhia do Estado Oriental
do Uruguay pelo marechal de campo Joo Propi-
cio Menoa Brrelo, e querendo distingui-lo e ele-
va-lo, hei por bem fazer-lbe merc do titulo de
baro de S. Gabriel, em sua vida, com as honras
de grandeza.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro
de 1865, 44 da independencia e do imperio.Com
a rubrica de Sua Mageslade o Imperador.Joe
Liberato Barroso.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, marco, maio
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na ararla da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneira dC
Faria *
Atleodendo aos relevantes servigos prestados na
actual campanba do Estado Oriental do Uruguay
pelo 1 lente da armada imperial e nacin?!
Henrique Francisco Mariins, morto no ataque de
Paysand, hei por bem conceder viuva e lilhos.
do mesmo 1 teneote a penso annual de 72
repartidamenle, sem prejuizo do meio sold que
competir ; ficaodo, porm, esta merc dependente
da appnmco da assembla geral legislativa.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro
de 1865, 44* da independencia e do imperio.Com
a rubrica de S. M. o Imperador. Jos Liberato
Bai roso.
Dito Manoel Jos de Oli veira
Dito Julio Cesar da Silva.
Dito Silverlo de Andrade Silva.
Tenenle Joo Nepomuceno de Medeiros Mallet.
Dito Frederico Christiauo Buys.
Dito Sebastio Machado da Silveira.
Dito Franklin Luiz de Vasconcellos Carreira.
Dito Antonio JoaquimBacellar.
Dito Eduardo Emiliano da Fenseca.
Dito Joo Antonio de Oliveira Valporto.
Dito Joo Goocalves Pimenta.
Dito Ludgero Braulio da Cruz.
Dito Manoel Jos de Magalhaes Leal,
Dito Castao da Cosa Araujo e Mello.
Dito Joo de Arruda Moreira.
Dito Felicio Doroingue..
Dito Pedro Alves de Alencar.
Di lo Manoel Verissimo da Silva.
Dito Jos Joaquim Cesar de Mello.
Dilo Seraim Flix de Paiva.
Dito Joo Antonio de Magalhaes Leal.
.Dito Francisco Vctor de Mello Albuquerque.
Dito Francisco Jos Rodrigues.
Dito Alfonso Jos de Almeida Corte-Real.
Dito Placido Fialho de Oliveira Ramos.
2 cirurgio Jayme de Almeida Couto.
Dito Alcibiades Jos de Azevedo Pedra.
Dito Manoel Cardoso da Cosa Lobo.
Dito J Dito Antonio Pereira da Silva Guimares.
Cavatleiros.
Primeiro tenente Fernando Xavier de Castro.
Dito Helvecio de Souza Plmentel.
Dito Jos Lamego Cosa.
Dito Miguel Antonio Pestaa.
Dito Miguel Joaquim Pederneira.
Dito Antonio Severiano Nunes.
Dito Francisco Goularte Rolim.
Segundo-tenente Jos Antonio Correa de Mello.
Dito Tell Jos Ferro.
Dito Julio Cesar de Noronha.
Guarda-marinha Alfonso Henrique da fonceca.
Primeiro cirurgio Dr. Tristo Henriques da
Costa.
Segundo dilo Joo Adrio Chaves.
Alumno pensionista Justiniano de Castro Ra-
bello.
Dito Luiz da Silva Flores.
Dito Felippe Pereira Caldas.
Imperial marinheiro Alexandre Jos da Silva.
Medico civil Dr. Adolfo Deroseaux.
Dito Dr. Joao Jos Montes d'Occa.
Dito Dr. Leopoldo Montes d'Occa.
Dito Dr. Manoel Augusto Montes d'Occa.
Dito Dr. Joo Antonio Argerich.
Cidado Joaquim Marques Lisboa.
Placi do Rio de Janeiro, em 18 de Janeiro de
1865.Jos Liberato Barroso.
O governo procura as mformacoes necessarias
Resin,
e determina qne pelo mesmo motivo Vrac. louve
aos seus 1 e 2 ajudantes major Jos Joaquim de
Lima e Silva e capito Jos Francisco Coelho, as-
sim como aos mais empregados que o coadiuva-
ram.
Deus guarde a Vmc.-Fscon i>r. Antonio Pinlo de Figoeiredo Mendes Anlas.
lente da guarda nacional Salvador Correa de para conceder as pensos que forem merecidas.
uOSOb
Alteres Jusiino da Siiveira.
Senhor.Pelas informales chegadas ao meu
conhecimento, por intermedio do ministerio da
guerra, tornam-se dignos de re.nunergao os rele-
vantes servicos prestados na actual campanha do
"Estado Oriental do Uruguay pelos offlciaes, offlciaes
inferiores e pracas de diversos corpos do exercito
e da guarda nacional, cujos nomes constam da
relaco junta. E achando-se coraprehendidos estes
servicos entre os de qne tratam os 1 e 3- do
art. 9 de decreto n. 2,853 de 7 de dezembro de
1861, tenho a honra de propor a Vossa Magestade
Imperial qne se digne conferia-llies as condecora-
res qne se acham designadas na mesma re aguo.
Son, com o mais profundo respeitoDe V. M.
Imperial, subdito fiel e reverente.Jos Liberato
Barroso.
Attendendo aos relevantes servicos prestados
aa actual campanha do Estado Oriental do Uru-
guay pelos offlciaes, offlciaes-ioferiores e pragas
de diversos corpos do exercito e da guarda nacio-
nal, cojos nones constam da relago que com este
baixa, assignada por Jos Liberato Barroso, do
meu conselho, ministro e secretario de estado dos
negocios do imperio, e de conformidade com os S
1 e 3 do art. 9 do decreto n. f 853 de 7 de dezem-
bro de 1861, hei por bem conferir-lhes as conde-
corares qu* se acham designadas na mesma re-
laco.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro
de 1885, 44 da Independencia e do imperio. Com
a rubrica de S. M. o Imperador.Jos Librate
Barroso.
Relaeie des oficiaes, offidaes-inferiores e pracas
de diversos corpos do exercito e da guarda na-
rin>l, qee aio condecorados per
data.
ORDEM DO CHEZEIRO.
Offictaes.
Coronel Antonio de Sampaio.
O cavaileiro da mesma ordem tencnlc-coronel
Luiz Antonio Ferraz.
O cavaileiro da mesma ordem, tenente-coronel
Carlos Resin.
Tenente-coronel Andr Alves Le te de Oliveira
Bello.
Cacalleirvs.
Major Jos Antonio Correia da Cmara.
Capito Joaquim Crrela de Farla.
Dito Francisco Maria dos Gumares Peixolo.
Tenente Antonio de Campos Mello.
Dito Ernesto Augusto da Cunta Mattos.
Alferes Antonio Pedro d Silva.
Furriel Procopio Antonio Rodrigues.
Soldado Jacob Jo< dos Sanios.
ORDEM DE CHRISTO.
Commendador.
O cavaileiro da mesma ordem, major Antonio
da Silva Paranhos.
Cavatleiros.
Capillo Isidoro Fernandes de Oliveira.
Dito Joa > Nepomuceno da Silva.
Dito Francisco Frederico Figuera de Mello.
Dito Augusto Cesar da Silva.
Tenente da guarda nacional Jos Apparicio
Nunes.
Dilo Joo Baptista Brrelo Leite.
Dito Antonio Augusto Sirmenlo e Mello.
Alferes Sebasiio Ravmondo Ewerlon.
Dilo Joaquim Pantaleo Telles de Queiroz.
ORDEM DA ROSA.
Dignitarios.
O commendador da mesma ordem. o brigadeiro
Jos Luiz Menna Brrelo.
O commendador da mesma ordem, o coronel
Victorino JosCarneiro Monteiro.
O commendador da mesma ordem, comman-
dante superior da guarda nacional Jos Gomes
Portinho.
Commendadores,
O offlcial da mesma ordem, commandante supe-
rior da guarda nacional Jos Alves Valenga.
O offlcial da mesma ordem. tenenle-coronei
Emilio Luiz Mallet.
O offlcial da mesma ordetn, dito Sal usliano Jero-
nymo dos Reis.
O offlcial da mesma ordem, crorgio-mor de
brigada Joao Pires Farinha.
Tenente-coronel da guarda nacional Aslrogildo
Pereira da Costa.
Offictaes.
Tenente-coronel da guarda nacional Gamillo
Mercio Pereira
O cavaileiro da mesma ordem, major Joo Sabi
no de Sampaio Menna Brrelo.
. Dito Pedro Flix de Medeiros Mallet.
Dito Antonio Julio de Medeiros Mallet.
Dito Raphael Gernandes Lima.
Dito Jos Maria de Moraes.
Dito Manoel Alfares de Azevedo Macedo.
Dito Jos Manoel Teixeira Rios.
Dito Fortunato Melchiades Kerreira Lobo.
Dilo Francisco Carlos Pereira Caldas.
Dito Frederico Carlos Cesar Burlamaquc.
Dito Ignacio de souza Gouveia.
Dito Jos Thomaz Tneedorico Gongalves.
Dito Francisco Galdino Nepomuceno da Silva.
Dilo Joo Marinho Kalco.
Dito Luiz dos Reis Falco.
Dito Jos Machado de Souza.
Dita Antonio Rodrigues Portugal.
Dilo Manoel Mariins Vianna de Paiva.
Dito Coiatino Teixeira de Azevedo.
Dito Cyprianno Augusto dos Aojos.
Dilo Jos Francisco Avelino Xavier.
Difo Jos Theraaz Ferreira Neves.
Dito Antonio Braz Soares da Cmara.
Dito Jos Roberto de Carvalho.
Dito Justino Pessoa de Andrade.
Dilo Onotre Jos Antonio dos Santos.
Dito Pedro de Alcntara da Silva Monclaro.
Dilo Francisco de Paula Pereira.
Dilo Francisco Carlos da Costa Aguiar.
Dito Jos Francisco da Silva.
Dito Fortunato Machad-i da Rosa.
Dilo Tude Soares Neiva.
Capello-alferes padre Seraphira Goncalves da
Silva Passos Miranda.
Dito dilo Ludgero Braulio do Reg Monteiro.
Dito dito Jos da Costa Pereira.
Msico Ismael da Silva Araujo.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro de
1865 Jos Liberato Barroso.
Senhor.Pelas nformagoes chegadas ao meu co-
nhecimento, por inlermedio do ministerio da mari-
nba, tornam-se dignos de remunerago os relevan-
tes servigos prestados na actual campanha do Es-
guama ua tado Oneoial do Uruguay pelos offlciaes e pracas
decreto desta do corpo da armada nacional e imperial e dans
annexas, e mais pessoas, cujos nomes constam da
relago junta. E achando-se comprehendidos esles
servigos entre os de
MINISTERIO OA GUERRRA.
Hei por bem promover para os diferentes corpos
e armas do exercito os individuos mencionados na
relacao, que com este baixa, assignada pelo viscon-
de de Camam, do meu conselho, ministro e se-
cretario d'estado dos negocios da guerra, que as-
sim o lenha entendido e faga executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro
de 18B5, 44 da independencia e do imperio.-Com
a rubrica de Sua Magestade o Imperador. Viscon
de de Camam.
Relacao dos individuos que gao promovidos por
decreto desta data.
KSTADO-MAIOR-GENERAL.
Para brigadeiro.
O coronel do 6* balalho de infantaria Antonio
de sampaio.
CORPO DB ENGENHEIROS.
Para coronel.
O tenente-coronel Ernesto Antonio Lassance Cu-
nha, por merecimento.
Para tenentes coronis
? majores Sebastio Jos Basilio Pyrrho e Jos
Basilio Neves Gonzaga, por merecimento, e Vi-
cente Antonio de Oliveira, por antlguidadc.
Paro majores.-
Os capiiaes Rufino Eneas Gustavo Galvao e Joo
Mariins-da Silva Coutinho, por merecimento; Pe-
dro Das Paes Leme, por antigmdade.
_ Para capilaes. ,
Os capilaes aggregados Conrado Jacob de Nie-
meyer, Antonio Augusto Monteiro de Barros e Do-
mings Jos Martins, o capilo graduado Miguel An-
tonio da Mi va.
Pnra primeiro tenente.
O segundo-tenle Antonio Jos Ramos.
,ESTAD0-MAI0R DE PK1MEIRA CLASSE.
Para coronel.
O tenente-coronel Sebaslij Francisco de Olivei-
ra Cnagas, por aniiguidade.
Para tenenles-coroneis.
O tenente-coronel graduado Gastao Luiz Henri-
que de Escrapnote, por aniiguidade.
O major Manoel Francisco Collio de Oliveira
| Soares, por merecimento.
Para majores.
ARMA DE INFANTARIA.
1 BATALHAO.
Para capilaes.
O tenenle do 4 balalho Joo Antonio de Olivei-
ra Valpori, para a 1* companbia, por actos de bra-
vura.
O tenente do 12* batalho Manoel Jos de Maga-
lhaes Leal, para a 7* compaahia, idem.
3 BATALHO.
Para coronel.
O tenente-coronel commandante Carlos
por actos de bravura.
Para capao.
O tenente do balalho de cacadores da Babia
Joao Adolphode Souza Brrelo, para a 6* comoa-
nhia. v
4* BATALHO.
Para capilao.
O tenente do 13 balalho Joo Baplisla Lopes de
Carvalho, para a 6 companhia.
6 BATALHO.
Para major.
O capilo do 4 balalho Antonio Juliano Correa
de rana, por aniiguidade.
Para capilao.
O tenente do mesmo batalho
Paiva para a 4 companhia
8* BATALH
O tenente-ajodanto do" corpo de Baaroicao de S ; nLLatX!1,e apeas uma vaBa que lem de
Paulo Joaquim Antonio Dias, para S*SS. Preenct"da ^r ant.guidade.
9* BATALHAO.
Para captto.
tenente do mesmo balalho Henrique Eduardo
da Usa Gama, para a 5* companhia.
10 BATALHO.
Para major.
O capuao do 6* batalho Joaquim Correa de Fa-
rra, por *ctos de. bravura.
* 12* BABALHO.
Para coronel.
O lenenle-corooel commandante Luiz Antonio
Ferraz, por actos de bravura.
Para capilao.'
O tenente do mesmo batalho Antonio de Cam-
pos Mello, jiara a 2* companhia, por actos de bra-
BATALHO DE CACADORKS DE MATO OROSSO.
Para tenente-coronel commandante.
secgao.-Rio de JaneiroMinisterio dos negocios j0S(S, amhnp, .
da ffuerra, em 18 de fevereiro de 1865. e annia.S" ,-Paes Ba"-elo.-Agradecendo muito
Sua Mageslade o Imperador manda loavar a tfTH,l j P-'notico procedimenlo de V. S.
Vmc. pelo zelo que manifestoa no desempenho de h, r. andar a,,s,ar mesmo seu fllho no pre-
seus deveres fazendo apromptar c preparar com n,^" ,
brevidade todos os objectos necessarios para o em- CS a2,i",z municipal da primeira vara desta
barque hoje e partida das torgas destinadas ao Sul, LZ**^ Vm("- as suas ordens para que
P lutormin-i nn l _^____.___.;__.. UaU liavellflO liiniiu-,.n;,mi.> __:___.. r
inconveniente, seiam
diariamente na foruleza das Cinco
SilXISTERIO IAMARI\HA
COEVO DA ARMADA.
Segundo tenenle.
O pillo Francisco de Paula Samando.
Segundo teneMe graduado.
O pratico Francisco Etehbarne. a sania
O sargento de batalho naval Francisso Borges Dito ao Dr Mannoi
de Souza foi promovido ao posto de alferes para remido ? 3,Te'/anu'm Ja S.lveira.-Tendo
um dos. corpos do exercito. P i ['Zr't ll'^J'IT^. PT'!? "s P
apresentados
acVam2p<,si0,os:0,Un,anOS ** flUe "
Dito ao juiz municipal de Olinda.Declarando.
KericnH?bargadm pr0vedor ^ Sant Ssa de
m dn n,' efn offlcio d9 27 d8 'v"eiro prxi-
mo lindo, que para se conhecer se est as condi-
1 ,h!Sa e/"e* par,sfr admi,tid0 "o c"Sg"o dS or-
naianomfDr Ida ,Da de I06 ,ra,a seu offlcio de
smnV> Ier Wa' faZ-fe misler a cerlidio de bap
tismo da referida menor, cumpre que Vrac exhi-
?Ia d"a.cert.do e remeta aquella provedonl-
, SSttS? a Exm- --tarin&or proveedor
GOVERNO DA PROYUGM.
Expediente do dia 1 de marro de 186o.
; corpo de voluntarios, renunciando todo e qualquer
| venclmento que bravease de perceber dos cofres
genes e provmciaes em favor das familias de qua-
SLgJfe T *b essa condigo se qnjzesen.
alistar n aquelle corpo, tenbo a dizer-lhe em res-
poeta que louvo e agradeco essa manifesiaco de
sen patriotismo, v
Dl\?rr. ia'~ de.paz Presente da junta revisora
'reguezia de Muribeca. -Nao
a lista dos cidados qualiflca-
pfflcioao Exm. presidente da provincia da Pa- de qualificago da freguezia de Muribeca-\o
ranjna..ttemetto a V. Exc. a guia do sentenciado lendo acompanhado a lisia dos cidados nulifica-
^S da CS,a' .que peJdi para ser re- irS VolaD,es nessa ,reeuezia no crreme anno, que
inoviao para essa provincia, e d* mm iri m vrac. me renmtipn n, o c=., ^m- a. a .
meu offlcio de 18 do mez passado.
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia.-Respondendo ao seu offlcio
de 27 de fevereiro prximo (iodo sob n. 91, tenho
a dizer que nesta data rucommendei ao coronel
commandante das armas a expedigo de suas or-
dens, alim de que ao alienado Antonio Jos dos
Santos e Silva, acompanhe uma nota de sua ida-
u major do 6 baulho Antonio da Silva Para- de, naturalidade, qualidade, estado e proflsso.
Olllciou-se nesle sentido
nhos, por actos de bravura.
BATALHO DE DEPOSITO.
Para capilao.
Ujeaento quartel-meslre do baulho de cagado-
res da Baha Antonio Hermido dos Santos Coelho,
para a 4* companhia.
COnrO BE GLABNigO DK S.PAULO.
Para major commandante.
O capitao do l<- batalho Francisco Maria dos
buimares Peixoto, por actos de bravura.
CORPO DE CL'ABNigO DE PBHNAHBUCO.
Para capilao.
O tenante do mesmo corpo Joao Antonio da Sil-
va, para 4> eooBeahia.
CORPO BfcGl'ARNigO DO MARAXHO. '
Pa(i capildo.
O tenente do 2 balalho Antonio Cardse Perei-
ra de Mello, para a 2* companhia.
Para tenentes. d'arma.
Os alferes:
Antonio Pedro da Silva, por actos de bravura.
Collatino Teixeira de Azevedo, idem.
Pedro de Alcaolara da Silva Monclaro, porestudos
Francisco Carlos da Costa Aguiar, idem.
Manoel Francisco Soares, idem.
Krederico Carlos Cesar Burlamaque, idem.
Feliciano Ignacio de Andrade Maia, idem.
Jos Raymundo de Andrade, por antiguidade.
Francisco Xavier Brrelo, idem.
| Laurentino de S. Pedro Neves, idem.
O major graduado Umbelino Alberto de Campo! ?s F"r,unalo Alves de Oliveira, idem.
servigos entre os deque tratam os H e 3. do Llmoo tor antiBiildade
Imperial que se digne conferir-Ibes as condecera-
goes que se acham designadas na mesma relago.
Sou, com o m-is profundo respeito De Vossa I
Magestade Imperial subdito fiel e reverente.Jos
Liberato Barroso.
Attendendo aos relevantes servigos prestado* na
actual campanha do Estado Oriental do Uruguay,
pelos offlciaes e pragas do corpo da armada nacio-
nal e imperial, classes annexas e mais pessoas, cu
jos nomes constam da relago que com este baixa,
assignada por Jos Liberato Barroso, do meu con-
selho, ministro e secretario de estado dos negocios
do imperio, e de conformidade com os lc e 3o do
art. 9 do decreto n. 2,853 de 7 de dezembro de
1861, hei por bem coaferir-ihes as condecorag5es
| que se acham designadas na mesma relaco.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de' fevereiro
de 1865,14' da independencia e do imperio.-Com
, a rubrica de S. M. o Imperador. Jos Liberato
< Barroso.
Relaco dos ofliciaes e pracas do corpo da armada
uacional e imperial, classes annexas, e mais
pessoas agraciadas pelos servigos prestados na
actual campanha do Estado Oriental de Uru-
tfuaj.
ORDEM IMPERIAL DO CRUZEIRO.
Cf(i/''ros.
Primeiro lente Antonio Carlos de Mariz e Bar-
ros.
Dito Antonio da Silva Teixeira de Freitas.
Dito Guilherme Jos Pereira dos Santos.
Guarda-marinha Joaquim Ravmundo de Lamare
Sobrinho.
OIIDEM DE CHRIsTO.
Nuno Anastacio Monteiro de Mendonga, idem.
Jos Ferreira de Campos Juoior. idem.
Antonio Flix de Figueiredo, Idem.
Manoel Fernandes dos Santos Franco, idem.
Luiz Castilho de Aguiar, idem.
Joo Francisco da Cosa Estrella, idem.
Vctor Modesto Braga, idem:
Para alferes arma.
O 2 cadete I* sargento do balalho de cagado-
res de Goyaz Francisco Vctor Baptista.
O Io sargento do batalho de cagadores de Mato-
Grosso Virgilio Procopio Paes de Barros.
O particular 1- sargento do Io batalho Antonio
Carlos Franode S.
Para capito.
O lente Julio Adelo Falco da Frola.
flora tenente.
O alferes Eduardo Jos Barbosa.
CORPO DE SAUDE.
Pata primeos cirurgies.
O segundo-cirurglo Jos Antonio de Freitas J-
nior.
Dito Trajano de Souza Velho.
ARMA DE ARTILHARIA.
4o BATALHO.
Para capilo
O 1 tenente do 1 regithento de anudara a ca-
vailo Ernesto Augusto da Cunha Mallos, por actos Manoel Climaro dos Sanos'Serra'.
de bravura, para a 5 companhia. 0 2 sargento do mesmo corpo Joaquim Maria
corpo de matto-grosso. | Seabra.
n i ,00,0 *JYaa:afl2?- a L. sarKnto do balajho de eagaderes de Govaz
O 1 tenente do 1 batalho de artilhana a p Clementino Pereira dos Passos Cavalcanti.
francisco v Helia de Castro Tavares, para a V O particular 1 sargento do corpo de guarnico
comPaDhia- do Cear Mario Serra da Rocha.
n,, j ? pnme"'os tttrnteitarma. 0 1 sargento do 6 balalho Ravmundo Pedro
O segundo lente Jorge Das de Santiago. da Conceigo.
Jilo Amphryso Fialho. 0 1 cadete 1" sargento do 13 batalho Anacle-
Joaquim leixeir? Peixoto de Abreu Lima, to Ramos de Ahreu Carvalho Conlreiras. '
. ao coronel commandante
das armas.
Dito ao Exm. desembargador presidente do tri-
bunal do commereio.Com o offlcio de V. Exc.
de 9 do mez passado, recebi a copia da eleigao a
que se procedeu de um supplente de depulado
desse tribunal pela vaga deixada por Jos Antonio
Baslos.
Dito ao coronel commandante das armas.Sr-
vase V. S. de mandar alistar no corpo de volun-
tarios da patita, se fr julgado apto para esse fim,
o paisano Antonio Francisco, dos Santos, que com
esse destino me foi mandado apresentar pelo dele-
gado de polica do terceiro districlo desta cldade
Dito ao mesmo.Eaco aprsenlar V. S. os ci-
dadaos Jos Lamberto Paes Barretd, Manoel Fer-
reira da Silva, Joo Francisco Tenorio e Pedro
Jos de Carvalho, que se ofTereceram para servir
no corpo de voluntarios da patria, aQm de que
mande abrir-lhes assentamentos de praca, se para
isso ferem julgados aptos.
Dito ao mesmo.Sirva-se V- S. de maudar alis-
tar como voluntario da patria nos mesmos poslos
os segundos sargentos do batalho n. 9 da guarda
nacional, Antoaio Deoclecio Gonzaga e Jos Igna-
cio Hibeiro Roma.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. a expedi-
go de suas ordens com urgencia, afim de que os
voluntarios da patria sejam removidos do quartel
do Hospicio para o das Cinco Pantas, onde devem
encontrar todo o material necessario para o seu
alojamenlo.
Logo que se effectue essa transferencia, servir-
se-ha decommuuicar-me.
Dito ao inspector da thesourana de fazenda.
Antoriso V. S. a manjar pagar, nao havendo in-
conveniente, ao gerente da Companhia Peroambu-
cana, que assim o solicilou em offlcio de 28 de fe-
vereiro ultimo, a presiago de 7:0005 relativa
quelle mez, com que o governo imperial auxilia
mensalmenle a prediia Companhia.
Ditoao mesmo.Em vista do pret junto em du-
plcala, e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar ao cabo de esquadra Joo Mendes da Costa,
conforme solicilou o enefe de polica em offlcio de
Dito
CowwflcndVirfor.
Chefe de divisan Francisco Pereira Pinto.
Cavatleiros.
Capilo-lenenle Francisco Freir de Borja Sale-
ma Gargo.
Primeiro lenle Augusto Netto do Mendonga.
Dito Joaquim Francisco de Abreu.
Dito Francisco Jo* de Frenas.
Segundo tenente Francisco Flix da Fonceca Pe-
reira Pinlo.
Segundo cirurgio Dr. Baldulno Athanasio do
Nascimenlo.
Dilo Dr. Luiz Alves do Banho.
Dito Dr. Joaquim da Costa Antunes.
Guarda-marinha Eliezer Coutinho Tavares.
Dito Luiz Felippe Saldanha da Gama.
u Dito Gregorio Ferreira de Paiva.
Dito Jos Vicior de Uamare.
O cavaileiro da mesma oidem, dito Jos Antonio Commissario de 2" classe Antonio Joaquim da
da Silva Lopes.
O cavaileiro da mesma ordem, dito Joaquim Joo
de Meoezes Doria.
Cavatleiros.
Capito Manoel Antonio da Cruz Brilhante.
Dilo Manoel de Almeida Gama Lobo de Ega.
Dilo de Antonio Carlos de Magalhaes.
Dito Francisco Raymnndo de souza.
Dito Jone da Couha Mereira Alves.
Dito Jos Antonio Alves.
Dito Pehzardo Antonio Cabral
Dito Gabriel de Souza Guedes.
DilO Antonio Pedro de Oliveira.
Dito Joaquim Nery da Ponseca.
Dito Francisco Manoel de Oliveira.
Dito Jos Augusto Cardoso da Gama.
1* cirurgio Jos Muniz Cordeiro Gitahy.
Dito Jacintho Machado de Bittancoun.
Dito Jos Maria dos Anjos Esposel Jnior.
Dito Honorio Jos Teixeira.
Eilo Francisco Jos dos Santos.
Dito Joo da Gama Lobo Benlis Juvenis.
Dito Adriana Xavier de Oliveira Pimentcl.
Dite Joo Baptisla Marques da Cruz.
ARMA DE ARTILHARIA.
1 REGIMENT. -
Part lente coronel.
O major do 2 regiment Jes Antonio Correa da
Cmara, por actos de bravura.
2 REGIMENT.
O 1 sargento do mesmo batalho Quintino Viei-
ra da Silva.
i O 2 cadete 2 sargento do 3 batalho Ulysses
Augusto de Albuquerque Salles.
O 2 sargento do 10 batalho Joo do Reg Bar-
ros.
O 1 sargento do mesmo balalho Francisco Bor-
ges de Souza.
O 1 sargento do 3 batalho Augusto Zeydler.
O l sargento do 13 batalho Jos Correa Telles.
O 2, cadete 1 sargento do 1 batalho Helvecio
Moniz Telles ae Menezes.
O sargento-ajudante do 4 balalho Joo Severia-
Pma ior : n0 Manel da Costa.
O capito do corpo de Ma'to Grosso Joo Antonio '< de^liveira^10 d '* bataM AUrelaD VtogM
de Magalhaes ^mg^mgmm. ^ sargento do 4 batalho Tristo Manoel de
?.,enen.,e d0o.5! r5.in,?nt0 *"* kWWv* Vieira o I ama* do mesmo batalho Trislao Floren-
O 2 cadete sargentoajudante do mesmo balalho hontem, sob n. 282, a quantia'do 132*300 rs. re-
Jof Vicente Luiz da Silva. lativa aos vi-ncimentos de. uma escolla de guardas
_Jfo,^a.r.e"10 do corpo de guarnico de S. Paulo nacionaes que veio du le'rmo de Papacaga condu-
zindo para esta capital os recrulas Francisco Anto-
nio Vaz, Alexandre Lino Bezerra, Joo Correa da
Rocha, Manoel Paulo do Nascimenlo; que segundo
consta do cilade offlcio, foram enlregues ao coronel
commandante das armas para o servlgo do exer-
cito.
Dito ao mesmo.Em vista da inclusa folha em
duplcala, e nao havendo inconveniente, mande
V. S. pagar os vencimenios relativos ao mez de fe-
vereiro ultimo, dos olliciaes empregados no recru-
tamento nesle municipio e no de Olinda.
Dito ao mesmo. Ao delegado de Papacaca ou
pessoa por elle aulorisada, mande V. S.'pagar,
conforme solicilou o chefe de polica em offlcio d
hontem sob n. 277, e nao havendo Inconveniente,
a quantia de 55250 rs., proveniente da etapa abo-
nada ao voluntario da patria Jos Feliciano, re-
medido por aquelle delegado, como se v do in-
cluso pretCommunlcou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dilo ao inspector da thusouraria provincial.
Constando de offlcio do secretario da escola Nor-
mal, Dr. Maximiano Lopes Machado, haver elle
nesla data assumido o exercicio interino de direc-
tor da mesma escola, por ler o respectivo director
conego Francisco Rochael Pereira de Brilo Medei-
reiro ultimo as retag5es de que trata o art. 3 do
decreto n. 2865 de 21 de dezembro de 1861 cum-
pre que a junta revisora em sua segunda re'unio,
guando houver de resolver sobre as reclamagdes
dos mleressados organise as referidas relacoes, em
facei da doutnna do aviso n. 106 de i3 de maio de
1862 e m as remella opporiunamente.
Dito ao juiz de paz presidente da junta de quali-
ficacao da freguezia da Gloria de Goit. Tendo
ueixado de acompanhar a lisia da qualificaco dos
votantes nessa freguezia no corrente anno, que
vmc. me remetleu com o seu offlcio de 24 de fe-
vereiro ultimo, as relagSes de que trata o art. 3
do decreto n. 2865 de 21 de dezembro de 1861
cumpre que m'as envi nos termos da segunda
pane do citado anigo.
Di,l> a0 lente aggregado ao segnndo bata-
lho de reserva da guarda nacional "deste mu-
nicipio Manoel Luiz da Veiga.-Recebi com aera-
do o offlcio em que Vmc. se offerece para prestar
servicos na guarnigo desta capital independenle
de quaesquer vencimentos, os qoaes renuncia em
favor'das despeas da guerra do imperio com as
repblicas do Lragnay e Pangoay, e em re*posta
enho a dizer-lhe que agradege o seu patritico of-
ferecimenio, que opportonameole ser aproveita-
do.Communiceu-se ao commandante superior in-
terino da guarda nacional do Recife.
Portara.Os Srs, agentes da companhia Brasi-
lera de paquetes vapor, mandem dar passagem
para a corte por conla do ministerio da guerra no
vapor que se espera do norte ao voluntario da pa-
tria Jos de Alenear Araripe.Communicou-se ao
coronel commandante das armas.
Bipedienle Ao seerelario do aoverno de dia Io de
marga de 186o.
Offlcio ao primeiro secretario da assembla le-
gislativa provincial, Dr. Antonio Jos da Costa Ri-
beiro.-N. 2.S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia a qnem foi prsenle o offlcio de V. S. de hoje
datado sob n. 2, manda declarar V. S. que Oca
inleirado de ler sido eleita mesa que deve reger
os irabalhos da assembla legislativa provincial du-
rante a sesso tetoal.
Dilo ao engenheiro Eugenio Adriano Pereira da
Costa Mello.S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, manda declarar V. S que pelo seu ocio de
boje licou inteirado de haver V. S. entrado no ex-
ercicio interino de engenheiro fiscal da estrada de
ferro.
Silva Castro.
dem de 3* classe Joo Jos dos Santos e Al-
meida.
Imperial-marinheiro Guilherme Manoel dos Pas-
sos Ramos.
Medico civil Dr. Nicolao Tolentino de Gouva
Portugal.
ORDEM DA ROSA.
Commendadores.
Cirorgio de esquadra Dr. Carlos Frederico dos
Santos Xavier de Azevedo.
1 leBenle Joo Baptisla de Oliveira Montaury.
Offictaes.
Capito-tenente Luiz Maria Piquet.
1 tenente Euzebio Jos Antunes.
Cirurgio da divisan Claudio Jos Pereira da
Silva.
Sonto, para a 8' companhia
3 REGIMENT.
Para capilo.
O lente 5 regiment Cesar Augusto Brando,
para a 5* companhia.
4 REGIMENT.
Para coronel commandante.
O tenente-coronel do 1 regiment Joo Menna
Brrelo, por merecimento.
CORPO DE MATO CROSSO:
Para capilo.
O tenente da companhia do Paran Francisco
Xavier de Godoy, para a 3" companbia.
Para lenles d'arma.
Os alferes Rodrigo Nunes Galvao e Germano Jo-
s da Rosa, por antigiiidade; Melchlades Lourengo
dos Sanios, por e.-iudos.
Para alfere d'arma.
O 1 sargento do 2 regiment Juvencio Jos
Fraga.
O l- cadete sargento quartel-meslre do mesmo
regiment Antonio Jos Pereira Juoior.
O 1 cadete 1 sargento do 3 regiment Fran-
cisco de Paula Antunes Hudson.
O t cadete 2 sargento do 4 regiment Antonio
Adolpho da Fontoura Menna Brrelo.
O 2 cadete do 3 regiment Fructuoso Saturni-
no de Abreu.
sargento do 1 batalho Antonio Carlos da
ci dos Santos.
O 2 sargento do 13 batalho Luiz Borges Mon-
teiro.
0 1
Silva.
G 2 sargento do 12 batalho Joo Ribeiro de
Carvalho.
Palacio do Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro de
1865. Visconde de Camam.
Despachos do dia 1 de margo de 186o.
Requertmentos.
Bacharel Joo Gonzaga Bicellar.Passe porla-
ria conceJendo licenga requerida.
Jos de Alencar Araripe. Ficam expedidas as
convenientes ordens no seniido que requer o sun-
pilcante. '
Manoel do Livramento Ferrera.-
-Como pede.
INTERIOR.
RIO DE J A -MIHU
15 de fevereiro.
Por decreto de 16 de Janeiro ultimo foram trans-
feridos para a arma de artilhara os alferes Au-
gusto Jos de Abreu, Guilherme Greenhalgk e Jo-
s Clarindo de Queiroz, este do 4. balalho de in-
famara e aquelles do 4. regiment de cavallaria
hgeira.
Por outro decreto da mesma data foram promo-
vidos a segundos teoentes da arma de ariilharia os
alferes alumnos do exercito: Filinlo Gomes de
Araujo, Vicente Polydoro Ferreira, Benjamn
Franklin de Albuquerque Lima, Gustavo Adolpho
Kerreira Fortes, Francisco Raymundo "
_ Ewerton
guadros, Antonio Francisco de Paula Hollanda Ca-
Por decreto de 17 do corrente :
Concedeu-se demissao do servigo do exercito ao
cirorgio do corpo de sade Dr. Joo Damasceno
Pecanha da Silva.
Foi nomeado 2o cirurgio do corpo de sade do
exercito o Dr. em medicina Jos Carlos Mariani.
Foram transferidos para a 2* companhia do 2
batalho de infaataria o capilo do 9 da mesma
arma Joo Antonio Cardo, e para a 3* companhia
desse balalho o capito daquelle Antonio Maria
de Castro Delgado.
Por aviso de 12 do corrente foi transferida para
o 1 batalho de infantaria o 1 sargento da bala-
lho naval Francisco Borges de Souza.
N. 13.Primeira directoria gaJ. Primeira
vincial; assim o communico V. S. para seu co-
nhecimento.
Dito ao mesmo.Constando de offlcio do enge-
nheiro Eugenio Adriano Pereira da Cunha e Mello,
haver nesla data entrado no exercicio interino do
eafeaaeiro Bacal da esirada de ferro ; assim o
communico V. S. para seu conhecimento.
Dilo ao commandante superior da guarda naci-'
v' Cn?J Ti3 I*urass.-Receblos officios que, Por portaras da mesma data foram nomeados :
nittl iES e"! dM"s de ?5 e 27 de fev.ereiro maJr Manoel Cabra|. commandante do deslacV
fiSEE ?,,and0 PE Semr nJocorpo dev2" ment0 d0 'aboratorio do Campinho; o capilo do
unanosjla pair.a os dons segundos sargentos do estado-malor de !. classe Firmino Hercutano de
da guarda nacional sob Moraes Ancora, ajudante do director d'aquelle es-
, -ntomo Dioclecio Gonza- tabelecimento: n iui.ni. r-*-
ga
Pierre-leve.
Por ponarias de 11 do correBte foram exonera-
dos : o major reformado Manoel Cabral, do lugar
de adjunto do arsenal de guerra da corte; os le-
neates Jos Leite Pacheco e Joo Jos Basilio Pyr-
rho, este do de commandante do destacamento,
e aquelle do de agente do laboratorio do Campi-
nho.
9 batalho de infantaria
seo commando superior, Antonio Dioclecio Gonza- tabelecimento; o tenente Joo"JoslBas"iHrPvrrBo
e Jos Ignacio Ribe.ro Roma. Agradecendo agente do mesmo estaDelec.mento; o eneme Jos'
rvV.SLtUdHnd ,a" ftico Pedimento Le.le Pacheco, adjunto do a4ena de guerra da
dev.s, acabo de mandar alistar os mesmos se- corte
gundos sargentos do predito corpo. Circular. -!. directora ceral -I scelo-
Dito ao commandante do corpo de polica.! -Rio de Janeiro.-Minstenodo^'negociad.
Mande V. S. apresentar ao commandante das ar- guerra em 13 de fevereiro de i8T-II me Exm
mas e excluir do corpo sobseucommando.se fo- Sr.-Faca V. Exc recolner nnato^n eT a cune
narti01;,? .aP'a "^ "'t ^""WLda ,odos s offlciaes docor^ Kgenh ros? edos
P^'l?.0 T, fffreM. ? a"50 d* qnadra Ma- do estado-raaior de !. e 2/classes, que nessa pro-
e o guarda urbano vincia nao estiverem empregados em servigo do
noel Ignacio d'Aquino Regis
Manoel Luiz da Silva, a que alludo o seu oft>
132 desta data. -^ Offlciou-se ao coronel c-
danle das armas para mandar assentarpra.
Dito Jos Gorgonlo Paes Brrelo. P
offlcio que.V. S. me dirigi era data de 24
i n.
o
leve-
ministerio da guerra.
Dos guarde a V. ExcVisconde de Camom.
Sr. presidente da provincia do Rio de Janeiro.
Da ordem do dia n. 434 publicada a 11 do cor-
rete pela repartigo do Sr. ajudante general con-

reiro ultimo, apresentando-me para servir no cor- la o segnlnte :
pe- de voluntarios da palria a seu 6lho de nome Nomeag5es.-l. tenente do corpo de artfices da
ITi r-d**T% #i


-
__.------' ', .', I" ', II
Diarlo de rernanibiico abitado 4 de Mar^o de 8&.
corte, Felippe Hermes Fernandos Trigo 4c Lourci-
para ajedante de ordens da inspeegao de que <
lo*e53S5S"eti"dmoLarKobr8 I"rario Joan Aftonso deCarv.iho.
n,0,^AlOT,0KrpJde^de,Dr.Seraflm Guarda-mr da alfandega de Sergipe, Joao An-
se acha encarregado" o xm. Sr. brigadero Solide-1 Chefe de seccao do thesouro nacional, o i escrip-
2. cirurgio do corpo _
Luiz d Amo, psTa.T:irnrglao-doliospiial min-
iar desta corle. I
Alteres do esquadrao de cavallana da provincia
da Baha, Anacido Ventura Paraizo, para ajudan-
te de ordens da inspeccio de que se acha encarre-
gado na mesma provincia o Sr. coronel Jos Vi-
cente de Amorim Bezerra.
2. tenente do i. balalhao de artilhana a pe,
Carlos Nones de Aguiar e alferes do 4." batalhao
de infantaria Jos Clarindo de Queiroz, este para
secretario e aquelle para ajudante de ordens do
commando das armas da provincia do Para.
Kxoncracoes.Dos Srs. oronel do corpo de en-
enheiros, Federico Carneiro de Campos, do lu-
$>ar de cmmaudante das armas da provincia de
Matto-Grosso, como pedio.Decreto de l* de Ja-
neiro lindo.
Capitao do corpc de estado-maior de I.' ciasse,
Lmz Eduardo de Garvalho, da commissao de que
oi encarrcgado pelo ministerio da agricultura,
commercio e obras publicas.-Avislo mesmo mi-
nisterio de 27 de Janeiro findo.
1." tenente docorpo de engenneires, \ cente re*
reir Dias, da eeramissai que Ihe oi incumbida
elo ministerio dos negocios estrangeiros.Aviso
do mesmo ministerio de 25 de Janeiro lindo.
Tran.-ferencias.-Dos Srs. i tenente do 3.
-batalhao de artilharla a p, Floriano,Vieira Peixo-
to, para o I." batalhao da mesma arma, como re-
^"llferes do batalhao de caladores da Bahia, An-
tonio Leopoldo Pereira da Cnnha, para o 2. bata-
lhao de infantaria.Em 4 do corrente mez.
Luengas concedidas.-Aes Srs.: major do corpo
do estado-maior de i. classe, Antonio Pedro Le-
cr, tres mezes, com sold e etapa, para tratar
dr Cogoy Jonior.
Tem occupado a altencao da polica dm Tacto re-
cente, que parece envolver urna lamentavel desgra-
na e sobre o qual temos colligido os esclareciraen-
tos segnlnles:
No domingo proxtmo passado apresentaram-se
ao Sr. Dr. chefe de polica da corte dous inglezes,
que tendo ido passear ao corcovado, all haviara en-
contrado um paletot e neste urna carteira com al-
guns papis.
Nao descobrindo pessoa ou cousa que Ins indi-
carse o dono de taes objectos, tinham resolvido en-
tregar-los a polica.
O Sr. Dr.ctiefe de polica, recebendo os objectos
tratou lego de proceder a averguages, cujo resul-
tado dieetn nos ser o seguinle :
Ha tinco mezes apparecen as Tres-Caixa?. no
morro de Santa Thereza, um allemSo de nome Fre-
dwico Procelger, e ahi travou conversa com o con-
tra-mestre da obra, mostrando estar n'nm vivo es
lado de desespero, e querendo a todo o transe subir
ao Corcovado.
Nesta occasiao chegou o Sr. Lorena, guarda do
eucanamento, qye dlssuadio Frederico do seu in-
tento, e levou-o para sua casa, onde den Ihe caf,
acompanhando-o depois al o mnibus das Laran
do 2 batalhao "de infantaria Joaqun Miguel do defesa do patrimonio commum 1
Amaral se mandn contar como lempo de servieo Nao o acreditar os abaixo assigoados
militar o decorrido de 21 de julho de 1850 a 19 de
maiodel857, que j havia servido no exerclto,
visto achar-se compreliendido as disposigoes da
provisao de 7 de dezembro de 1835.
DesigmcSes de reformas.A do Sr. capitao do
batalhao de caeadores de Matto-Grosso Theetonio
Jos Ferreira de Castro no posto de major gra-
duado, vencendo o sold de capitao, na conforrai-
1841 elide
Bovembro do
favor do inimigo, como tambem a residencia de V.
Exc, pondo su* dispaifio, aso deseje deixar a
cidade, um navio ta e>qaaflra do meu com-
mando.
i Emm, lenlio a hoora da dizer a V. Exc. que
o general Flores abri e pz disposlclo dos nacio-
de
de
dade das leis do 1 de dezembro
jumo de 1855.-Patente de 14
anno prximo pasudo.
A do Sr. capitao do 13* batalhao de infantaria
Vicente de Paula Ros de Oliveiea 4 do mesmo pos-
to, vencendo 23 vigesimas-quntas partes do res-
pectivo sold, pela tabella do Io de dezembro de
1841 e lei de 14 de julho de 1835.Patente de 31
de outubro do anno prximo passado.
A do Sr. alferes do corpo de estado-manr de 2*
classe Joao Antonio Pereira do Lago no mesmo
posto, vencendo 22 vigesimas-qnintas partes do
respectivo sold, pela tabella e lei cima citadas.
Patente de 10 de outubro do anno prximo pas-
sado.
19 -
Por decreto de 13 do corrente foi exonerado Se-
gismundo Antonio Pinto do lugar de Del do paga-
algurna,
noico
pesar
sobre ella : como eaeral era chefe do exercito con-
pelo cedo, sem distineco de pessoas,aos chefes, offlciaes
contrario, estao persuadidos de que o"i negociantes, e soldadas on empegados que abandonarem as 11-
capitalistas o proprietarios desta rica e illustrada leiras do governo de facto da capital e se apresen- naes e estrangeiros o porto Boceo, onde se estabe-
metropole nao cedem em abnegacao e patriotismo tarem as autoridades civis e militares do /xercito |eCer um mercado.
a seus Irmaos das provincias, e estarao promptos libertador ampio e geral indulto, tirando exonera-
a pagar patria, patria, o tributo de sua bolas dos do servigo das armas se assim Ihes convier, e
logo que se a pelle para o seu patriotismo. respeados em suas pessoas e iateresses onde quer
E fundados nesta conviccao e confitados no que se achem.
patriotlsms de que tantas" provas tm dado o corpo Quartel-general no Cerrito, 8 de fevereiro de
do commercio desta praga, que os abaixo assigna- 186a.Venancio Flores.los Candido Bustaman-
dos requerum que a commissao da praga do com- te, secretario.
merciofaga convocar urna reunio geral de todos E' tambem notavel a carta qne era,dezembro ul-
os negociantes, capitalistas e proprietarios naci- \ limo o general Flores dirigi ao chefe correntino
naes, afiui de que udia disculam e adoptara omeio i Caceres, manifestando seu juizo sobre as intences
o mais conveniente do concorrerem para as neces- do Brasil. Damos em seguida este documento,
sidades da patria na cnso actual. Sr. general D. Nicanor Caceres.Costa de S.
Bio de Janeiro, 23 de Janeiro de 1865.-Ceeta- Francisco, 28 do dezembro de 1864.Meu pani-
no Forqum de AlmeidaJ. J. de Lima e Silva colar amigo.A triste circumstancia de que nessa
heroica provincia se explora de modo maligno o
altrbuindo ao Brasil pretenges
j dor da marinha, como pedir.
Por decreto da mesma data foram promovidos ao
geiras, onde o vio embarcar, mstrando-se Frederi-, posto de 2 tenente os pilotos Affonso Henriques de
co muito penhorado pelo acolhimento que recebera j Albuquerque e Mello e Joo Jos Lopes Ferraz e
e pedindo ao sen hospede que quando viesse a ci-, Castro ; e reformados, com sold por inteiro, na
dade o procurasse na ra do Ouvidor n. 133, onde conforradade do final do art. 3o do plano annexo
morava, ou'na ra de S. Pedro n. 88, onde traba- j ao decreto de II de dezembro de 1813, e o art. 6o
cor, tres mezes, rom suia r. m*p, j>-;--. nv,~- roannarereu
sua sade em qualquer lugar da provincia do Rio, Siendo &e fllf p
lhava como guarda litros.
Desde nio nao se dera novo encontr.
No da 8 do corrente, porm, s 10 horas da ma-
Frederlco em casa de Lorena,
de Janeiro.
3o corpo de engenneir-
Sido, um mez com sold para vir ao Rio
neiro tratar de negocios de sua familia.-Aviso de
que all passaria o dia e a noite, afim de
da lei n, 534 de 3 de naio de 1850, os imperiaes
marinheiros Manoel Benevenuto e Luiz Jos Pinto,
aquelle da 1* classe e este da 2", visto terem-se
invalidado no servigo.
Por Donarlas de 16 do corrente foram nomeados
i Janeiro. -__. -.__,.. subir ao Corcovado na manhaa seguinte. Todo o Francisco Barbosa Ferreira e Jos Francisco de
Capitao do corpo de engenheiros. l'ear/'l.d". dia conservou-se de bom humor, brincando com -Asis Valle, o primeiro para o lugar de agente do
urna menina, filha de Lorena, a quem deu doces correio.da villa da Uniao, na provincia do Piauhy, |
Na manhaa seguinte pedio o Jornal percorreu a vago por nao haver querido acetalo Joaquim Gon-
lista da lotera, e, verificando que de quinze quar- [ calves Merelles, e o segundo para o de ajudante |
tos que possuia tinham quatro o mesmo dinheiro e
dizendo-lhe que era seu
cavallaria ligeira,
mezes para conti-
31 de Janeiro findo.
Capitao do 1." regiment de
Joo Jos de Bruce, mais dous
nuar a tratar de sua sade. .
Q Sr. capitao de 3. regiment do cavallana n-
Cira, Leopoldo Augusto Ferreira, apresenlou-se
em 30 ue Janeiro findo desistindo do reto da li-
cenca, em cujo goso se achava nesta curte, para
tratar de sua sade, pelo que S. Exc. o Sr. minis-
tro o manda elogiar.
E' approvada a licenga de 60 das, com sold
simples, concedida pela presidencia da provincia
de Pernambuco ao Sr. 2. lente do fe batalhao
de artilharia a p, Jos Antonio Ribeiro de treitas,
um 40,5, deu-os a menina,
dote.
A' tarde foram Frederico e Lorena com sua filha
at o Corcovado. Alli demorou-se o primeiro, de-
brucado sobre a muralha, e, tao preoecupado se
mosirava contemplando o pricipico que Lorena,
tendo vaga intuigao de seus designios, nao se affas-
tou do seu lado.
Frederico assentou-se depois; despio o paletot,
tirou do bolso desle um vdro, derramou parte do
conteudo em um lengo e chirou-o. Minutos passa-
dos comegou a proferir desacertos declarava que
da agencia da villa de Braganga, na provincia de
S. Paulo, vago por fallecimiento e Francisco Emi-
liano de Almeida Leme.
--------. -.81,
Sobrlnho.Jos Machado Coelho.-Francisco An-
tonio Gongalves.Fernando Augusto da Rocha.
Jos Franeisco Alves Malveiro.Henrique Lah-
meyer.Hygino Jos Goulart.Candido Rodrigues
Ferreira.Jos Ferreira Porto.Joao Batista Vian-
nr Drummond. Gabriel Pedro Baptlsta de Assis
Silva.Jacinlho Alves Barbosa Junior.Antonio
Tertuliano dos Santos. >
20
Por decretos do 15, 16 e 18 do corrente foram
nomeados :
Os juizes de direito Antonio Francisco de Aze-
vedo e Joao Bonifacio Gomes de Siqueira, para
desembargadores da relago do Rio de Janeiro.
O juiz de direito FrancUco Vieira da Costa, para
desembargador da relago do Maranho.
Foram removidos a pedido :
O desembargador Luiz Antonio Barbosa de Al-
meida, da relago do Maranho para a da Baha.
Ojuiz de direito Julio Cesar Berenguer de B.t-
lencourt, da comarca de branles para a de San-
to Amaro, ambas de 3* entrancia na provincia da
Baha.
O juiz de direito Jos Luiz da Silva Moura, da
comarca de Pastos Bons, na provincia do Mara-
nho p*ra a de Oeiras,na do Piauhy, ambas de 1'
entrancia.
Foi concedida a Angelo Frazo da Costa a de-
misso que pedio do lugar de official escripturario
da secretaria do tribunal do commercio da capital
da provincia do Maranho.
Foi desannexado do termo de Castro o de Ponta-
para tratar de sua sade. Anr.Mlne Ao 7 Via luzes e grupos de individuos passar por sua fren-
- Ministerio-da usTifjA.Por decretos de 7 e^etc > 1
II do correte : .. ., Vi. 'Lorena reporou ento no rotulo do vldro, vio que
Foi removido a sea pedido o juiz de atreuo w ^ co|1,jnha cn|oroformio, e, langando-o fora, ex-
ginio Henriqnes Costa, da comarca da tranca [ |1)r(JU Frederico 0 sea procediment, que de
raadoPar.hybuna ambas de 1." en|rancia-Da a|um modo poderla coropromette-lo.
provincia de S. Paulo. Uu- Ento mostrou Frederico um papel, e disse que
Foi nomeade o bacharel Cario> Augusto naj iot a vontade, pela qual s elle era res-
de orphaos dotermodeS.l'ide-jponsaveL
0 guarda Lorena logrou anda fazo-lo descer, e
encontrando algumas pessoas, cora ellas dirigio-se
ao inspector de quarteiro, a quem nao achou em
casa.
Foi, pois, Frederico para casa do Sr. Joaquim
Correa da Silva, onde ficou s, comendo e bebendo
: cerveja.
Por nnrtaria de 2 do correle foi designado o | Pouco depois rttlrou se e desde ento nao houve
chefe de sSo da direc oria da secretaria da notieia delle. Sabe-se porm que per.enc.am-lhe o
riculturTjo' Man ns Pereira de Alencastro pa- paletot e a carteira e que era do seu punho a le-
S substituir-o respectivo director as suas faltas tra das segrales l.nhas encontradas emsua car-
e impedimentos na nfnrmiriarii rtn disnosto ni ""a.
Expedlram-se os avisos seguintes :
Circular.Illra. e Exm. Sr Convindo as ac
tuaes circumsuncias facilitar aos offlciaes do exer-! Grossa, na provincia do Parana,e creado neste um
cito os meios de proverem a sustentagao de suas lugar de juiz municipal que accumular as fnne-
familias, expega V. Exc. ordera thesouraria de | {Oes de juiz de orphaos.
fazenda, para quo aceite consignagoes para aquelle
fim, at ao sold por inteiro das respectivas paten-
tes ; devendo em taes casos recahir os descontos
dos que liverem dividas ou adiaotamentos as van-
tagens geraes.
Deus guarde a V. ExcHenriques de Beaure-
paire Rohon.-Sr. presidente da provincia de
Circular.Illm. e Exm. Sr.-Faca V. Exc. cons
lar thesouraria de fazenda que, em virtude do
21
Consta-nos que o Sr. chefe de esquadra Guilher-
me Parker, commandanle da divisan do l6 distric-
to naval, est ncmeado, e partir' brevemente para
o Rio Grande do Sul, adra de alli organisar urna
esquadrilha fluvial.
------------ mu B i_ii
Entrou esta manhaa do Bio da Prata o paquete
francez Samtonge, cujas dalas alcangam, as de
jniz municipal e
lis, na provincia do Rio de Janeiro.
Foi dispensado do exercicio por lempo indeter-
minado, na forma da lei, o coronel ommandante-
snperior da guarda nacional dos municipios de La-
rangeiras e Sanio Amaro, na provincia de Sergipc,
Antonio Diniz de Siqueira e Mello.
M--
disposto no art ludo regulamento n. 119 de 29 de, Mon,evido allSdo corrente e as de Buenos
Janeiro de 1842, nao deve exigir apresentagao de ^.,res al ^
conformidade do disposto no
1."do art. 34'do regulamenlo que baixou com o
decreto n. 2,748 de 16 de fevereiro de 1861.
Falleceu hontem o Sr. conde de S. Simo e gen-
til-homem da imperial cmara, Paulo Fernandes
Carneiro Vianna.
- 16
O primeiro teneDte da armada Lourengo Luiz me toma
Pereira de Souza foi por decreto de 8 do correle, dora crenga de
certidoes de vida para abonos de consignag5es dei
xadas s familias dos offlciaes qne estiverem em
servigo de campaaha.
Deus guarde a V.Exc Henrique. de Beaure-
paire ltohan.Sr. presidente da provincia de...
Circular.! directora geral.1* secgo.Rio
de Janeiro.Ministerio dos negocios da guerra, em
19 de Janeiro de 1863.
Illm. e Exm. Sr. -Tendo os corpos policiaes de
algumas provincias ofTerecido os seus servigos as
circumstancas extraordinarias em que nos adia-
mos, e sendo provavel que o'exemplo seja imitado
pelo corpo de polica desde j o governo aceita os
s&rvigos do mesmo, no caso de serem offerecidos,
ficando V. Exc. prevenido de que o ministerio da
guerra indemnisar os cofres dessa provincia de
qualquer adiantamento que fizerem.
Deus guarde a V. ExcHenrique de Beaure-
Os quarlos de lotera foram entregues a polica.
1 Mais vale morrer do que viver despragado I
Feliz aquelle que no corago um seguro pi-
ficio se construio, em que possa refugiar-se nos
lempos da tempestade; elle descansa tranquillo no paire Roian. Sr. presidente da provincia de.....
seio da existencia. A mim, todo este edificio ca- (Expedio-so a lodas as presidencias, com excepgo
hio em rumas ; as recordagoes roendo como re as da Bahia, Rio-Grande do Sol e S. Paulo.)
morsos, esperanga mais nenhuma; o prasMe se | ,......
Morro, pois, na ounsota-
0 estado da nnesto oriental era cada vez mais
favoravel aos bons de6ejos do Brasil, posto qtre nao
houvesse fundada esperanga de que o nosso feroz
inimigo se rendesse sem efluso de sangue. Se o
ataque de Montevideo for inevitavel.aresponsabili-
dade deste recurso forca ser culpa dos energ-
menos que se apoderaram do governo daquella ci-
dade.
Come demonstrarlo de nossos bons intentos, e
por comprazer tx>m'os agentes eslrangeiros. o nosso
almirante, o Sr. visconde de Tamandar, concedeu
urna prorogaeo de prazo, at ao dia 1& do cor-
rente, para a retirada dos navios surtos no porlo
bloqueado, correspondencia postal com a praga, e
livre communicagao dos agentes estrangeiros. Do
lado de ierra, o general Flores concedeu maior
franqueza, podendo entrar e sahir as pessoas ino-
fensivas, nacionaes ou eslrangeiros.
A generosidade do geneial Flores e dos seus aj-
ilados nao tem agradado aos furiosos de Montevi-
deo ; e com effeilo, alm da cegueira de suas ambi-
goes e 1 ancores, tem clles para esta irritago o es-
insupportavel. Morro pois na ronso. | N dja ,6 d correnle as 6 J|S horas da Ur. pectaculo da co'nfianga com que muitas' familias
que deixando a vida apenas ispo | de> foj re(.ebido -
KM
. ypothese ,---------r
13 de maio do anno prximo pretrito. a existencia; dou-lhe, pois, pouca importancia : a
ic. j^jb________ i bondade e clemencia do Ente Supremo formam mi-
'*H&'eKC=' nha firme esperanga.
Foi nomeado membro da commissao revsora do < Para garanta aos urubs que Ihes fago do meu
cdigo civil do imperio o conselheiro senador An- cadver, nao deiuo nada que pague a pena de dar-
gelo Iuniz da Silva Ferraz. Ihe sepultura; A Cesar o que de Cesar. Um bo-
mem cujo direito de dispr procedeu de muito a
vontade.
-18-
Ezpediram-se os avisos seguintes :
Circular aos presidentes de todas as provincias,
! com excepgo das de Malto Grosso, Rio-Grande do
Sul e Rio de Janeiro.Ia directora geral.1* sec-
go.Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 9 de Janeiro de 1865.-Illm. e Exm.
Sr.Convindo que 05 cirurgioes docorpo de sade
do exerciio existentes nessa provincia se recoihain
a esta corte, proporgo que a forga de liaha se
for d'ah retirando, cumpre que V. Exc. expega
suas ordens nesse sentido, ficando entretanto auto-
Fo nomeado ministro do supremo tribunal de
justiga o desembargador da relago Antonio Rodri-
gues Fernandes Braga.
------ ----------
O conselho de investigago a que leve de res-
ponder o capitao de mar e guerra Gervasio Man-
cebo, reronbeceu qne sobre elle, na qualidade de
chefe do segundo districto naval, pesava responsa-
bilidade pelo alternado soffrido no porto da Baha
.pelo vapor confederado Florida da parte do vapor
federal Wassuchet.
Respondendo a conselho de guerra decidi este, i risado a conlralar os medicos que forem indispen-
que a culpa do Sr. capitao | savejs para 0 servigo da guarnca0.
Sor maioria de votos,
e mar e guerra Mancebo eslava sufficieotemenle
provada e o reo dola convencido, pelo que con-
demnou-o a ser suspenso do commando e do exer-
cicio delle, e a ser preterido as promogoes futu-
ras por espago de um anno, ponenlender o mesmo
-conselho que o reo incorrera na sanego penal
da.parte final do artigo 11 dos de guerra da ar-
mada.
Tendo subido o processo, na forma da lei, su-
perior instam-ia, o conselho supremo militar refor-
mou a sentenga do conselho de .guerra para con-
demoar o supracilado capilo de mar e guerra
Mancebo a um anno de suspenso de qualquer
commando.
17 -
Por carta imperial datada de -i do corrente foi
naturalisado cidado brasileiro o subdito portuguez
Manoel Antonio Supardo.
Deus guarde a V. ExcHenrique Beaurepaire
RoanSr. presidente da provincia de...
Por decretos de 13, 14 e 13 do corrente foram
orneados:
O desembargador da relago do.Rio de Janeiro
conselheiro Antonio Rodrigues Feroandes Braga,
para um lugar de ministro do me.-mo tribunal de
justiga;
O conselheiro Angelo Munz da Silva Ferraz, para
membro da commissao que tem de examinar o pro-
jecto do cdigo civil do imperio ;
Francisco Jos da Costa Barros, para coronel com-
mandanle superior da guarda nacional do munici-
Da ordem do da n. 433 publicada ante-hontem
pela repartigo do ajudante-general consta o se-
guinte :
NomearSes.- Do Sr. lenente-general Joo Frede-
rico Caldwell, para exercer interinamente o com-
mando das armas da provincia do Rio-Grande do
Sul.Aviso de 10 do corrente mez.
Do Sr. lente-coronel do Io regiment de ca-
vallana ligeira Joo Manoel Menna Barreto, para
commandanle interino do Io corpo de voluntarios
da patria.Aviso de 10 do corrente mez.
Exonerares.Dos Srs : major do corpo de en-
genheiros Candido Januano Passos, da commissao
de que se acha incumbido na provincia do Rio-
Grande do -ul, pelo ministerio da agricultura,
commercio e-obras publicas.Aviso do mesmo mi-
nisterio de 27 de Janeiro findo.
Capitao do corpo de estado-maior de primeira
elasse Antonio Alvares dos Santos Souza, dos tra-
| balhos de que se achava encarregado na commis-
| sao de melhorameBlos do material do exercito.
Aviso de 11 do correte mez.
Transferencias.Dos Srs. altere:. Augusto Jos
! de Abreu, Guilherme Greenhalg e Jos Clarindo de
Queiroz, este do 4 batalhao de infantaria, e aquel-
los do 4 regiment de cavallana ligeira, para a
; arma de artilharia. Decreto de l de Janeiro
vao abrigar-se sob as bandeiras alliadas, e as con
erg5es que soffrem as suas Dleiras.
erosidade ou prudente moderago dos
pecador do Mxico. sitiadores* nao durar muito.
Apresntando suas credenciaes a S. M. o Impe-! Os generaes alliados tem tratado de estrellar o
rador, o Sr. D. Pedro Escondon, proferio as segum- sino por mar e por trra, para as guerrilhas que o
tes palavras : inimigo anda se animara a langar contra as nossas
a V. M. Imperial era nome de meu augusto sobe- cisivo contra a praga. Sraente se esperava refor-
rado Maximiliano I, e notificar a V. M. Imperial go de infantaria, e o primeiro que parti ha dias
por meo destas cartas, a sna elevagao ao throBo desta corteja Acara vista do acampamento, onde
do Mxico, para ondeochamou o voto solemne da se Ihe.preparava urna recepgo cordial e enlhu-
nago, que leve o acert de confiar-lhe seus desti- siastica.
los e a fortuna de receber era troca a ordem e a O Sr. conselheiro Paranhos transferio-se com os
paz, fundamentos indispensaveis da liberdade hera empregados da legago para o thealro das nossas
entendida. operag5es militares em Montevideo. S. Exc. foi
Alm disso, para que os vincijlos da amisade chamado pelo nosso almirante para ouvir as pro-
e dos recprocos interesses que derra unir ambos postas da paz que se annunciavam como provaves,
os imperios, sejam lo estreitos e sinceros como os segundo confidencias de um dos mais respeitaveis
que felizmente ligam os das duas familias reinan- agentes estrangeiros alli residentes,
tes, Sua Magestade. meu augusto soberano, se dig- Nesta expectativa pareca o nosso ministro ds-
nou de nomear-me seu enviado extraordinario e posto a permanecer na villa da Unio, onde o Sr.
ministro plenipotenciario junto de V. M. Imperial, marechal Menna Barreto tinha o seu quartelgene-
como o declaram as credenciaes que igualmente ral, ou a collocar-se em outro ponto das circumvi-
tenho a honra de por as imperiaes mos de Vos- sinhangas de Montevideo, prximo ao porto desle
sa Magestade. j nome, logo que a praga fosse definitivamente inves-
Considerar-me-hei feliz, senhor, se poder con- lida.
tribuir para conservar inalteraveis as preciosas re- j Assim como nos quei xamo6 do procediment de
lagoes que devem sempre existir entre dous povos alguns agentes diplomticos residentes era Monte-
Irmes, identificados era origem, raga, crengas e video, pela animago que indirectamente presta-
governo ; fallando lngua diversas, porm compre-
hendendo-se fcilmente, porque a cordialidade ex-
pressa seus pensamentos e suas sympatbias.
t Digne-se V. M. Imperial de aceitar com hon-
da Je os ardentes votos que fago pela feltcidade de
Vossa Mageslado, da augusta familia imperial e
deste formoso e extenso imperio, que com sua pros-
peridade e bem estar prova ao mundo interior que
a excedencia das instiluigdes nao depende do he-
mispherio nem da latitude em que se achara collo-
cadas.
Os desejos, senhor, do meu soberano serilo
cumpridos, minha ambigo satisfeita, e fcil a mi-
nha tarefa, se conseguir', durante a minha perma-
nencia nesta corte, merecer a inapreciavel benevo-
lencia de V. M. Imperial. >
Sua Magestade o Imperador se dignou
pender
po do Aracaty, da provincia do Cear .
Joaquim Perfirio de Fana, para tenente-coronel 1 fiado,
commandante de batalhao de infantaria n. 38 da Segundos cadetes do batalhao de cagadores da
guarda nacional da mesma prouracia ; Baha Antonio Augusto Texeira de Freitas, para o
O capitao Jos ifelippe Ribeiro Campos, para te-; Io batalhao de infamara ; e do 8o batalhao Vers-
nente^coronel commandante do batalhao n. 39 da simo Jos Leite Sampaio, para o 6* da mesma ar-
mesma guarda ; i ma.Aviso de 10 do orrente mez.
O tenente-coronel Antonio Luiz Alves Pequeo,! Do Io sargento do 8 balalhao de infamara Ve-
para coronel commandante superior da guarda na-! rano da Rocha Wanderiey, para o asylo de ra-
cional do municipio do Crato, na mesma provinr j validos da corte, a que se acha addido, como re-
cia -, quereu.
O coronel Francisco Tavares Quintal, para com- Licencas concedidas.Aos Srs. capitao commao-
mandante superior da guarda nacional do rauoici- dante da compaohia de cavallana do Paran, Jos
po do Jardim, na mesma provincia; Maria Barreto Falcan, 15 dias para vir a esta corte,
O rapitao BeJarmino Gomes de S Rodrigues, devendo entrar no gozo desta licenga depois que
chegar de S. Paulo.Aviso de 10 do corrente
mez.
Tenente do 1 regiment de cavallaria lUgera,
alumno da escola central, Luiz Manoel das Cha-
gas, 3-mezes com sold e etar-e, para tratar de sua
sade onde Ihe convier.Aviso de 11 do cemente
mez.
Tenente do corpo de guarnigo do Amazonas
ram aos nossos nmigos, devemos boje dar teste-
munho de terem elles entrado na verdadeira linha
de potencias neutras e amigas do Brasil, j aco-
Ihendo amigavelmente os manifestos do governo
imperial.-feilos pelo orgo do seu enviado extraor-
dinario, j reconheceodo e respeitando o nosso blo-
queio e sitio.
A presenca da legago imperial as mmediagoes
de Montevideo inspirou maiorconfianga aos que ti-
nham emigrado ou se dispunham a emigrar para
aquelle lado. Este faetc* como era natural, signi-
fica va para muitos que se pode viver em paz o se-
guranga entre os sitiadores, e que o termo da lula
se aproximava.
Reinava perfeila harmona entre osgeceraes bra-
; sileiros e o seu alijado. Este publicou em frente
res-1 de Montevideo a proclamago que abaixo traduzi-
mos
Sr. Ministro.Agradego muito a meu irmo e| t O generalgem chefe do exercito libertador aos
primo o imperador do Mxico esta prova de sua exerc'tos alliados.
amisade. Estou certo, Sr. ministro dejjue, fiel Orientaos e Brasileiros Completara boje
interprete dos sentimentos que raotivaram vos- treze annos que as bandeiras oriental e brasleira
sa missao, contribuiris sempre para manter as unidas argentina tremularam triumphantes nos
melhores relagoes entre o Brasil e o Mxico.
Tomando conhecimento hontem da represenla-
0 que abaixo publicamos, a commissao da praga
resolven convidar todos os negociantes, capitalistas
e proprietarios, assignanies ou nao da praga, para
se reunirem no salo da mesma no dia 25 do cr-
reme, ao meio-dia.
c illm. e Exm. Sr. presidente e mais dignos,
membros da commissao da praga do commercio.
Echa hoje por todos os ngulos do imperto um
brado unisono de guerra contra nossos selvagens
inimigos, das margens do Paraguay e do Prata ;
fim nao s desaflrontar-nos
campos de Caseros, obtendo a mais explendida vic-
toria sobre o lyranno oppressor de duas rep-
blicas.
t O despota suecumbio, porm o seu fatdico sys-
tema, tinha deixado e seu germen malfico entre
aquelles que, prostrando-se ante a sua autordade
usurpada, se uniram ao seu pendo sanguinolento
para trazer ao solo oriental a ortica da vil apren-
dizagem que tinham ensaiado as desgranadas co-
marcas argentinas.
Nove annos de heroica resistencia detiveram os
modernos Atilas s portas da- cidade sagrada qne
hoje psam com os seas infames ps ; porm collo-
dos no poder por effeitos das desgragas rfue em to
senlimenlo patrio
que nao abriga a respeito desta repblica, por mo-
tivo da inviso de forgas que se vio forgado a reali-
sar pela tenaz negativa da faego que, escalando o
poder, legou posteridade a pagina mais luctuosa
que registnm os annaes da nossa historia, era dar
as devidas satisfagoes pelos ultrages infringidos ao
pavilho brasileiro, e pelas oifeosas e insolencias
de que por muito lempo ha sido objecto a immensa
populago da mesma nacionalidad?, estabelecida
no territorio oriental, me leva a dirigirme a Vmc.
para instrui-lo das causas que irouxerara a aclua-
lidade, que nieguem lamenta mais do que en, .que
protesto a Vmc com a lealdade propria do meu
carcter, que tenho feto quanto me ha sido dado
para evita-la, porque considero qne a sua voz auto-
risada nao ha de ser desattendida pelos Iludidos
que, de boa f, se hajam deixado arraslar pelos
que, ostentando um patriotismo de que jamis de-
ram testemunho com feitos eloquentes, sao os pri-
meiros a explorar todas as situagoes para tirar
dellas mais ou menos proveito.
t Quanto a mim, apreciado general e amigo^
tendo esgotado desde Buenos-Ayres todos os meios
aconselhados pela razo e a justiga, para que o go-
verno oriental abrisse os portos da patria im-
mensa emigrago que devorava no ostracismo o
amargo pao do peregrino, sem outro crime mais do
que a divergencia em poltica com que por 20
annos se tinham distinguido os partidos que rega-
ram de sangue as duas margens do formoso Praia,
vi-me obrigado, por sua recusa a toda a idea de libe-
ralidade que salvasse a repblica dos lamentaveis
estragos da guerra civil, a langar-me nella para
reconquistar nossos direitos, arrebatados com tanta
audacia como insensatez pelos homens que nao
trepidaram em projtar-se as plantas do lyranno
argentino, para assassinar os seus irmaos e devas-
tar por nove annos a riqueza publica da ierra do
seu nascimento; e aos que com nossa resistencia
abominavel dominagao do despota Rosas, podemos
dizer com verdade que Ihes demos patria; porm
ao lanear-nos a urna empreza to ardua e arrisca-
da, o lz com verdadeiro e desinteressado patriotis-
mo, porque acreditei enlao, e com mais vigor acre-
dito hoje mesmo, que a repblica necessita sr
arrancada das maos desse odioso partido, antes
que seus desacertos e perversidades a fago
desapparecer do mappa dos povos livres e civili-
sados.
c A mais palpitante prova da justiga que todos
os homens amantes da liberdade dos povos ameri-
canos teem feto cruzada que dirijo, encontrara
o heroico povo correntino no progresso da revolu-
go, que comegada por qnatro homens, sera dinhei-
ro, nem nenhuma ouira classe de elementos, redu-
zio impotencia o colossal poder dos seus soberbos
e jactanciosos adversarios, que dentro de mui pou-
cos dias cahiram vencidos para sempre exerrados
pela opinio publica.
t Quanto ao Brasil, general e amigo, preciso
ser justo. Nao s nao abriga nenhuma idea sinis-
tra a respeito da repblica Oriental, nem de
nenhum outro povo banhado pelo Prata, como mui-
to a seu pesar entrou na liga, para vingar_como
disse, as enormes offensas que Ihe foram infligi-
das. Entre elle e o exercito do meu commando
nao existe outro pacto nem outra allianga seno a
que resulta da .communidade de interesses e de
vistas, isto conspirando ambos a dar em trra
com o que por sarcasmo se intitula governo, ope-
ramos de accordo para consegui-lo quanto antes;
bem entendido que antes de tudo temos assegura-
do e salvado a ntegridade do nosso' territorio e da
independencia e soberana da repblica.
f Se desgragadamoBte surgiram complicagoes
com o governo "to Paraguay, a colpa 6 deste e nao
do imperial; pois convert'eado-se em tutor dos
demais governos do Rio da Prata, deslumhrado
pela poltica astuta dos assassnos de Quinteros,
acreditou ver na intervengo de forgas brasileiras
nesta repblica o desequilibrio dos demais estados
do Prata.
As mesmas causas que ohrigaram ao Brasil a
empunhar as armas em 1831, para dar em trra
com D. Joo Manoel Rosas, sao as que o levaram
hoje a combaier o intruso governo de Monte-
video.
Assim como nao perigou enlao a independen-
cia de nenhum governo republicano dos que se
ligaram com o Brasil para aquella humanitaria
cruzada libertadora, assim tao pouco agora periga
a independencia de nossos povos democrticos.
Estendi-me demasiado; nao porque considere
que Vmc. necessile das minhas observagoes para
persuadir-se de que nao ha razo de assustar-se
contra o Brasil pela intervengo ou atlilude assu-
mida naquesto oriental; mas porque, persuadido,
como estou, de que faz a devida jnsiiga ao patrio-
tismo, do que tantas provas tenho dado, Julgo do
meu dever fallar ao amigo com a franqueza do
soldado, afim do que com maior seguranga exerci-
te sua influencia no intuito de evitar, quanto Ihe
seja possivel, que o buligoso espirito do povo cor-
rentino se extravie pelos exploradores profico-
naes, que por desgraga abundara em todas as
partes.
t Com este motivo aproveito a occasiao, etc.,
etc.Venancio Flores.
O Sr. risconde de Tamandar, tendo intimado
aos chefes das forgas navaes estrangeiras o bloqueio
de Montevideo pela nota que j publicamos, fez
igual intimago ao corpo diplomtico nos termos
seguintes :
t Bordo da corveta Silherou, Montevideo, 2 de
fevereiro de 1865.Sr. ministro. Tenho a honra
de informar a V. Exc, para que se digne avisar os
seus nacionaes, que por ordem de S. M. Imperial
est o porto de Montevideo em estado de bloqueio
desde esta dala.
t Segundo a notificaco que acabo de faer aos
commandantes dos navios de guerra das estagoes
navaes estrangeiras, o motivo que justifica esle
acto de guerra, bem como os que se bao de seguir,
acha-se exposto no extenso manifest que o enviado
extraordinario do Imperio, o Sr. conselheiro Para-
nhos, dirigi aos senhores do corpo diplomtico
residentes em Buenos-Ayres, rogando-lhes que
communicassem a seus respectivos collegas resi-
dentes em Montevideo, afim de que tenliam conhe-
cimento delle, bem como da circular dirigida aos
referidos commandantes.
para tenente-coronel 00 estado-maior do mesmo
commando snperier;
Joo Tavares de Castro Filgu jiras, para tenente-
coronel commandante docorpo de cavallaria n. 3
da guarda nacional da mesma provincia;
Jos Raymnndo dos Santo*, para riiajor comman-
dante da secgo do batalhao de reserva n. 12 da
mesma guarda.
Foi concedida ao bacharel Urbano Sabino Pe6soa Carlos Magno da Silva, 4 mezes de favor para ira-
de Mello a exonerara que pedio de membro da
commissao encarregada de examinar o projecto do
cdigo civil do imperio.
Teve merc Joo Pi ato de OHveira Costa da ser-
venta vitalicia dos offlcios de 1 tabellio do pu
bllco, judicial e notas e escrlvo do civel, crine,
capellas e residuos do termo de Curral de Pedras,
na provincia de Sergipe.
Foram creados
lar de sua sade em outra qaalquer provincia.
2o tenente do corpo de engeuheiros Autonio Jos
Ramos, 3 mezes com sold e eiape, para o mesmo
fim.Aviso de II do correnle mez.
2* lente de artilharia Albino Rosiere, 2 me-
zes em prorogago da com que se acha.Em 14
do corrente mez.
Ao Io sargento do asylo de invlidos da corte
Verano da Rocha Wanderiey, 4 mezes com sold
guerra, que tem por um nao s .
dos pungentes insultos e affrontas que tm elles ar-1 dos os lempos perseguiram o partido da liberdade,
remessado a nossos bros nacionaes, como expellir chegaram at a galgar por cima dos cadveres das
do solo da patria hordas barbaras, que falsa f e, generosas victimas immoladas ao seu capricho e a
com o mais cynico despreso das treviaes regras sua sede de saogue.
do direito internacional, capturaram um paquete! A causa que hoje sustentamos por eonse-
brasileiro com todos os passageiros e valores que guite, a mesma que em 1852 nos levou unidos a
exisliam a bordo, e em seguida invadiram a pro- combater em Caseros contra Rosas, por que com-
Cm commando superior de guardas nacionaes nos imples, para tratar de sua sade na provincia das
municipios do Jardtai e Milagres, da provincia do Alagoas.
Cear;
Um corpo de cavallana e urna secgo do batslho
do servigo da reserva no municipio do Jardim da
mesma provincia.
Foi Cesligada do commando superior dos muni-
cipios do Sobral e annexos da mesma provincia, a
guarda nacional pertencente ao districto de Santa
Quiteria, e incorporada ao commando do munici-
pio do Ip.
Foram approvadas :
A de 30 dias, com sold simple, concedida pela
presidencia da provincia da Parahyba, ao Sr. Io
cadete du corpo de guarnicao da mesma proviacia
Aristdes do Reg Barros Cavaleanti de Albuquer-
que, para tratar de sna saude.
As de 3 mezes, cenceoidas pela presidencia da
provincia d
Benjamini
vincia de Ma(o-Grosso, roubando, saqueando, tru-
cidando brbaramente, e assassinando seus inoffen-
sivos habitantes.
Por toda a parto se sent a offensa feita ao
bro nacional. Brasileiros de todas as provincias,
de todas as classes da sociedade, de todos os par-
tidos, estremecen), e enchem-se de nobre indigna-
do ao ouvirera ou lerem a narrago das injurias
batemes o partido blanco.
t Companheiros todos, felicitemo-nos neste dia
em que, solemnisando um dos maiores aniversa-
rios da causa da liberdade. nos vemos alistados as
mesmas fileiras a' sombra da mesma bandeira, que,
fluctuando brevemente por nossos communs esfor-
cos sobre os muros da captiva Montevideo, annun-
eara' ao mundo que a causa dos vetdadeiros prin
eitas a nossa dignidade, das atrocidades inauditas cipios e da paz interna e externa da Repblica esta'
commeltidas contra nossos compatriotas, e dos ala- segura para sempre,
qoes realisados contra nosso territorio. Correm
todos pressorosos a ofierecer seus servigos pa-
tria, j como voluntarios, j eemo membros da mi-
licia eiviea, ja com sua bolsa.
1 Quando por toda a parle os Brasileiros se dei-
xam possnir de to nobre e patritico enthusias-
mo, e proeuram expontaneamente pagar patria o
tributo de sangue e de dinheiro, a que ninguem se
Viv? a Repblica Oriental I
< Viva a nago brasleira I
t Vivam os exercitos alliados I
Quartel-general do Cerrito, 3 de fevereiro de
1865. Venancio Flores.
O general em chefe do exercito libertador :
Desejando demonstrar ao meu paiz os senti-
t Consequentemente concelo o praso de 7 dias,
contados da sobredita data, para que os navios
mercantes se ponbam a distancia que nao embara-
cen) as operagoes da esquadra do meu commando
que tenho de dirigir contra esla cidade, e tamhem
para que nao tenham de sofferer o fogo da artilha-
ria, sendo-lhes permittido permanecer o tempo
necessark) para completar os seus carregamentos,
ficando bem entendido que nao o recebero da cida-
de nem to pouco de outros pontos oceupados pelo
inimigo, vistj estar inteira e absolutamente prohibi-
da toda a communicago com a cidade.
c A minha intengo de lio.-tilisar nicamente
as posiges oceupadas pelo inimigo ou aquellas
donde partir fogo contra as nossas forgas.
< C .tntudo; pode dar-seo caso de que o inimigo
se veja forgado a refugiarle ou fazer resistencia
no centro da cidade, e eu me verei na necessidade
de o desalojar deste refugio, empregande todos os
meios que a guerra permute.
t Tendo em vista esta probabilidade, rogo a V.
Exc. assim o communique aos subditos de sua
nago, e considero prudente aconselhar-lhes que
saiam da cidade o mais breve possivel, sendo-me
irr.possivel determinar um praso, pela razo de ser
ha muito tempo conhecida dos habitantes desta
cidade a situaco actual; e porque as hostilidades
deve esquivar, em um paiz livre, sobretudo quan- compatriotas, e de conformidade com os actos bu
do se traa de defend-lo de ama invasao inimiga, I manitarios de que tantas proras tem dado repu-
os capitalistas e negociantes da capital do impeno, j blica o partido que represento ; e desejando evitar
principal emperio do commocio e riqueza do paiz,.' a efluso de sangue e estender at ao ultimo rao-
ge conservarlo indifferentes e surdos aos reclamos,' ment mo amiga a todos os homens de patria e de
mentos deque me acho possuido para cora os meus I nao se podem demorar por mais lempo.
< Em todas as cidades ou pragas que esto em
poder dos alliados encontraro elles protecgo e
o Tenho a honra de saudar aV. Exc, etc.Bario
de Tamandar.
O Sr. Lamas, com 'o talento e actividade, que
tanto o disiinguem, propoz-se no seu carcter par-
ticular, trazer o Sr. Aguirre a urna solugo pacifi-
ca da crise que levanten ao seu paiz. Mas estes
esforcos de pacificago nanrragaram ante o roche-
do da obsii naci.
O Sr. Aguirre aeolheu o Sr. Lamas e deu-lhe
esperangas, sem outro fim que ganhar lempo. E
islo o que revelara os documentos que o mesrao
Sr. Lamas fez publicar em Buenos-Ayres. Em ou-
tra occasiao daremos conhecimento, ou pelo menos
sem assenlitnento dos agentes brasileiros, que de
certo nao podcrlam approvar tal qual a base rela-
tiva ao Brasil.
O presidente do Paraguay solicilou offlcialmen-
le ao governo argentino licenga para que os seus
exercitos podessem mover-se livremenle sobre o
territorio de Corrientes, para invadir a provincia
do Rio Grande do Sul. O governo argentino respon-
deu negativamente, estranhando o pedido como of-
feusivo de sua neutralidade e relagoes amigaveis
com o Brasil.
Apparecero os exercitos do novo Xerxes as
margens do Uruguay ? Parece que nao, porque fo-
ram contraminados os trabalbos que para esse fira
se fizeram as provincias de Entre-Ros e Corrien-
tes. Em todo o caso certo que a provincia do
Rio Grande dara urna ligio severa ao invasor, e
que aiuda quando os exercitos paraguayos transi-
ten! directamente para o Estado Oriental, alli en-
contraro a coofusao e a derrota.
Os salteadores e facinorosos que foram ao Ja-
gnaro procuravam escapar s forgas do general
N'elto, e s que o general Flores expedio por outra
direceo no alcance desles bandidos, qne roubam e
assassinam em nome do chamado governo oriental,
que hoje domina em Montevideo.
O Saintonge demorou-se at a tarde do dia 15
diante de Montevideo para trazer o resaltado de
um simulacro de eleigo que alli queriam fazer
para substituir o presidente Aguirre, que abandona
o leme da desarvorada n?o.
Os passageiros do Saintonge afiangam qne o se-
nado uscolheu Tnomaz Villanos, hornera da frac-
go moderada do partido blanco, inclinada a en-
tregar urna praga ja' impossivel de sustentar. O
nosso correspondente, porm, que anda bem infor-
mado, diz-nos, eomo vero os leilores, que esta no-
ticia, que ao principio correu, falsa, que tal elei-
go se nao fez, nao tendo o senado' chegado a reu-
nirse com medo dos exaltados, e qne, pelo contra-
rio, Carreras assumio a dictadura, o qne significa
resistencia at a ultima. Assim ao canhoneio prin-
cipiar no dia segninte.
Da Repblica Argentina nada ha de impor-
tancia.
No escndalo da captura do Mrquez de Olinda
offereceu-se um nevo incidente, que revela o ca-
rcter do governo que a praticon : c papel moeda
do Brasil que ia a bordo deste vapor, como remes-
sa do governo imperial, entrou para os cofres p-
blicos do presidente Lpez e estar sendo passado
nos mercados do Prata : qae governo e qne fa-
ganha 1
O nesso vice-consul em Buenos-Ayres dennnciou
o facto, e deelarou sem valor os bilhetes que nos
foram roubados.
O Progresso ae Corrientes diz ter-se alli espa-
Ihado o boato de haverera os Paraguayos tomado
Cuiba' em Malto-Grosso, mas a mesma folba a
primeira a reputar incerta e inverosmil semelhan-
te noticia, que seguramente nao passa de urna h-
lela sem o menor fundamento.
Relativamente as repblicas do Pacifico noticia
o Pueblo de Buenos-Ayres que por Mendoza se sa-
bia terem sido assentadas pazes entre a Hespanha
e o Per, mediante reconhecimento da parte deste
da divida hespanhola, a datar da guerra da inde-
pendencia, e das despezas da actual expedigo, e
satisfcelo completa' pelos successos de Talambo e
injurias fetas ao pavilho hespaobol.
No Chile contava-se que o almirante hespanhol
Parejas, concluido o negocio com o Per, viesse
pedir satisfagoes por ler o governo permillido o
embarque du voluntarios e pe trechos bellicos para
a repblica vizinha, ao passo que negava carvo e
vitualhas aos va, ores de guerra hespanhes, e
deixava do sandar o pavilho da Hespanha, quan-
do um navio de guerra desta nago veio fundear
as suas aguas.
E' intil accrescenlar que todas estas noticias
carecem ser confirmadas.
- 22
Depois do que hontem escrevemos sebre as no-
ticias do Rio Prata, continuamos a averiguar por
todos os meios ao nosso alcance o que por diversas
fontes se podia saber ao certD sobre o que a' ulti-
ma hora se passara em Montevideo relativamente
a' eleigo de novo presidente.
Em resultado final parece-nos que o que diz o
nosso correspondente em posl-scriptum com data
de 15 se rcere a urna tentativa que na vespera se
fizera, de reunir o senado para a referida eleigo,
podendo esta terse feto no mesmo da 15, como
narram os passageiros do Saintgnge, e com o re-
sultado por elles referido, e que j' indicamos.
Accresce assererarem-nos que o ministro de Por-
tugal, encarregado do consalado brasileiro, com-
municara ao commissario do Saintonge a eleigo de
Villalba, era cujo bom sensodevemos leras melho-
res esperangas, assim elle consiga fazer obedecer-
se dos furiosos que, nao tendo pessoalraente nada
que perder, querern reduzir a ruinas a infeliz ci-
dade que tem subjugada pelo terror.
O primeiro vapor, que provavelmente sera' o
Brasil, deixado pelo Samtonge em Montevideo, nos
tirara' dessas duvidas.
Em todo o caso agradavel saber que o estado
sanitario do nosso exercito tinha melhorado mnio.
Nao menos agradavel a noticia que de Matto-
Grosso nos traz o Sr. baro de Villa-Mara, de
achar-se em Culaba' o Sr. Leverger, desmentido
assim quanto ha tempo correu sobre a sua pnso
pelos Paraguayos.
O Sr. baro ebegou hontem de Sanios no vapor
Presidente, tendo gasto no trajelo de Albuquerque
at esta corle, acompauhado de sua seohora e um
ti I lio menor de oilo annos, 29 das, sem contar 21
de parada por mao tempo e ncommodos de fami-
lia, aotodo, por tanto 30. Sahindode Albuquerque
apressadamente para vir a' corte deixar sua se-
ohora e vollar para a provincia com alguns soccor-
ros, teve eife de atravessar pantanos e malas sem
caminho, auxiliado apenas de urna agulba, al vir
s> hir ao Coxim, d'onde ganhou a villa de Sant'An-
ua de Parnahyba e Campias at Santos.
Refere o Sr. baro que quando soube que Com-
bra traha sido abandonada, formou os seus escra-
vos, declarando-lhes que seriara livres todos os que
quizessem pegar em armas em defeza da provin-
cia, ao que se prestaran) 12, que com um lilho e 3
sobnnhos seus, e mais 16 cantaradas fez marchar
para Corumba' ao mando do capilo Antonio Jos
Augusto Conrado, nao tendo mais sabido desta
gente. Os restantes escravose camaradas interna-
ram-se pelas matas e montes.
Acere-renta que, cbegando a Sani'Anna de Pa-
rauahyba, encontrara parada nove malas do cor-
reio, o nao podendo por'faltade meios de conduc-
go encarregar-se de todas, trouxe duas que ti-
nham o rotulo Corumba', d'onde, segando aqu se
veio a saber, haviam sabido em principios de de-
zembro.
Sobre os successos de Villa-Mara, diz o Sr. ba-
ro que nada pode narrar por achar-se ja' a ca-
minho quando os Paragyaos la' poderam ter che-
gado, mas que achando-se tambem desguarnecido
aquelle ponto, a resistencia s podia ser feita por
paisanos e indios borors, nossos aliados.
Contanto certo com a morosidade do presidente
da provincia e dos que o coadjuvam, o Sr. bario
julgou mais acertado partir sem demora para esta
corte, prevenir o governo, ao qual ja' se offereceu
para, conhecendo como conhece os caminos e o
meio de defeza da fronteira, auxiliar a remessa de
forgas e munigoes de guerra.
Na parte exterior publicamos boje os documen-
tos a que hontem nos referimos sobre a tentativa
feita pelo Sr. Audr Lamas para chamar a' razio o
governo d Montevideo. Damos tambem na integra
as netas trocadas entre o enviado de Montevideo e
o governo do Paraguay, sobre o auxiliopedido por
aquelle a este, cuja rspesta foi em Substancia in-
dicada pelo nosso correspondenio.
lo Maranho ao 2o sargento Frankln da patria, que chama enren auxilio todos os seus toracao qae desejam a tranqoillidade, o evitar as- para qae sejam respetadas^ as vidas dos one
Fernandes ae Moraes e ao oJdado Joo Albos sem exeapcao ? Quaiido todo se move em' sim o castigo de que se faro merecedores os que I e dos estraneiros que nao estejam armados
seguranga para suas pessoas e bens.
E' intil declarar a V. Exc. qae as forgas
alliadas teem recebido ordens as mais positivas
dos onentaes
em
Foram chamados para servrem de offlciaes de
gabinete do Sr. ministro da guerra os Srs. conse-
lheiro Libanio Augusto da Cunha Mallos e Dr.
Candido Pereira Monleiro.

_ '


<




'f
(


^
m
"
UL^a**.** mn\. li t i i ti fltM) Malt
vnriflnf tvFWnamhutw ftabb.ido #
de ffarVfi d? 1905


DIARIDEtfEHHWBUCO
-----------------------1* ii
Pelos vapwes /pd e Tocdnrtl, c*egaDS
hontem dos portos do sal e norte do imperio'
recebemos jornaes do Rio de Janfiro at'23, da
Babia ata 28 do passado, dis Alagoas e Parahyba
al 2, do Rio Grande al 1 do correlo, do Gear
al 28, do Maranhe at 26 e do Para at 33 do
passado.
A noticia roais importante, alm das que publi-
camos sob as rubricas Parle oficial e Interior,
a seguale que extrahimos do Jornal da Btiia :
t Escrevem-nos da corte em 23 do correntc :
A's 8 horas da manhaa.
Acaba de chegar do Ro da Prata o paquete
Primeen de Joinville, e trar-nos a importante noti-
que o referido commaidante fo levado a majof
efTeoflvo de eavallarte.
* *?o da assembla provincial, 3 do margo de
ISbffcAQuino Foweca.
fleqaeiro que pelos canaes competentes se pe-
?am as seguintes informagoes :
l* Quantas vagas de pragas de pret esslem
nt corpo de polica, quer na secgSo Urbana quer
na volante.
2 Desde quando existen) estas vagas.
e S* Finalmente, se em poca anterior as exis-
teacias das mesmas vagas eram ou nao os lugares
'.de pragas daquelle corpo procurados insiante-
' menle.
Paco da assembla provincial aos 3 de marco
! de J865. Araojo Barros.
Requeiro que pelos canaes competentes se soli-
inforniagoes
qae o tizerani no paquete irimu'samimge, moti
yo este porque este vapor se communicoa com u
SvfJta 2rtW/r<5Sde0,,e ?" ^Publica0nrie: I de ma^rreSVara'""uR 1 erE"
ul \ ilhalba da todas as satisfaces que o Brasil 2 Quaes aquelles a respeito de cojos oiTereci-
Felicito, pois, ao nassopaizporsemelhan.ee SSfSdo deSSd?,PPareCd reClamaaes' e cotao
grandioso aconlecimeato, que poupon-nos muilo
angue que se ia derramar. Temos agora so
ajusfar contas com o moderno Attila da America
do Sal, o incomparwrel Lpez. Elle deve de estar
ura tanto assombrado com o desfech da questo
oriental.
Rio de Janeiro.Foi Horneado o capito-teoente I
acerca0 i^S^utr^
t i Quaes os menores dacompanhiadb arsenal
de marinha que se offereceram presidencia aQm
Casa dk CTwcKo. __ i offld/o gue'dlrgio a presidenta da provincia a 23
Movimenlo d caa de detencao do dia 2 de de dezembro do anno passado.
margo de 1865. Logo^oe ciogoo a meo cohecimento a referida
axisiian presos 391; entraran 19 ; sahiram 31 erposicao apressei-me em fazer constar ao Eira.
eiisiea 379. Sr. Dr. Caslello Branco que nao commettera a falla
A saber : nacionaes 296; oslraogciro; 18 ; mu- qoe me era Imputada.
Iherss 3 esirangeiras 2 ; escravos 33 scravas Argido de menos exacto no cumprimento de
~7r meus deve,,eS procorei defenderme, mostrando
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 163. que acerca da segunda sessio de jurados do termo
,uciJlent0 da enfermara do dia 3 de marco de Ipojuca lzera as devidas i/nrttelpagyes. Juntei
e 186o. ao offlelo dirigido a presidencia e publicado no Da-
,"v ba,xa : no ** rernambuco de 2o de fevereiro Bltimo, copia
Jos Marnho dos Santos, pananco. dos offlcios, que eoderecei a presidencia da pro-
liveram alia : nncia sobre a mencionada sesso de jurados, ex-
tnomaz Barbosa da Conceigao. traMda do registro de mnha correspondencia, e
Unz Francisco do Sacramento. desses documentos consta que taibrm'ei, con me
Jos, escravo da Jernimo. cumpra, o da om que comegou o findou essa ses-
Passageros do vapor Apa, vindos do sul : sao de jurados.
Lino Jos Rodrigues, Joo Fernandos de Moaaes, I Pareceu-me fra de duvda que havia provado
Eugenio Lariineiro, Jos Matheus Evaristo Lopes, nao ter praticado a Irregularidade que me era al-
, Augusto Klein, Mauricio Weill, Veill Meyer, M. tribuida, sendo a rainha exposigo fundada nos do-
I Vite, Jos Joaqulm Mendes, Luiz Pereira de Arau- cumentos. com que o instru. Ella nao poda ser
jo e ara escravo Ltcinio Alfredo da Silva, Joaqaim recusada-sern ser posta em questo a verdade des-
Claudio Padilha e sua senhora, Jos C.irdoso da ses documentos.
i Cunha, Demetrio Jos Teixera, capiao Theolonio Descansando na procedencia de minha defeza
tagoaa assembla, 3 de margo de 1863.Cu- Joaquim de Almeida Fortuna sua senhora el es- tive mafs ama sorpreza quando li no Diario de
p. el*fra. cravo, Antonio Alves Caminal, Mathilde Mana da Pernambuco o offieio que a 23 de fevereiro dirigi
1 lambem lido e foi a imprimir o segrale pro- Conceigao, Amero Pereira deAraujo, Herculano a presidencia da provincia o Exm. Sr. desembar-
co d| f/t(a 27, 27 1/8 e
Cambios sobre Londres-
27 I/i d- por 15U00.
Dubourcq Junlof--presidente.
Guimaraessecretario.
E
jclo
A assembla legislativa provincial de Pemam-
bueo resolve:
Manait Franco, Jos Vai de Carvalho Sodr e 1 gador Peretii. Nelle expoequeoseu rclalono foi
escravo, Pedro Carneiro da Silva, Anstide* Augus- feito vista de notas ministradas pela secretaria da
to Milln, Luiz Caetano Muniz Barrete, Joio Bap- presidencia, as quaes se encontra o mesmo qoe
\oro banco de Pernambnco.
O banco descoma letras na prsenle semana a
12 por eenfo ao anno al o prazo de seis mezes, e
toma dinbeiroa juros a praso nunca menor da
tres mezes.
iudega
Rendimento do dia 1 a 2....... 47 8174407
Idemdodu 3............... 30;519681
68:337088
Uovlmentoda alfandrga
Volamesentradosconifazendas... 274
com gneros... 453
VoJumessahidoscom fazendas... 7o
cora gneros ... 78o
727
Rocha sua senhora e 1 escravo. Antouio Jos Lo- supponlw, que fossem i'ncomplelos ou menos verda-
des Filho. Joo Pedro Borges e 1 escravo, Anto-; denos.
nio Domlngues, Mariano Andr, Victorino Anto-1 Eslas palavras depois do que dlssc em mea fa-
vai da Lapa por Itamb at encontrar com a pro
vincia da Parahyba ; pelo poente se limitara' com
a mesma provincia al a estrada di engenho Pa-
quevira, pelo lado do norte pegara' na passagem nio do sacramento e sua senhora e 1 escravo, vor, e que o Exm. Sr. desembargador Pereiti leu,
do ro Capibaribe na estrada que vai da Lapa por Aliino Pimenla, Josefa Mara do Espirito Santo, importa de sua parte a recusa de minha defeza
Ramb pela Camutanga, dividndo com a freguezia Joaquina Maria daConceicao, Luiz Caetano Pereira dos documento*, em que ella se bi>a, eaconlir-
de Itamb at encontrar com a provincia da Para- Guimaraes, Jos Pedro d'e Paiva Barracho e 1 es-' maguo pensada da arguigao que me fez'.
1 hyba. Pelo poente divide com a provincia da Para- cravo, Alarico Jos Furtado e 1 escravo, Antonio '
------862
D sarregam no dia 4 de margo de 1865.
Brigue iniflez llantressenercadorias.
Barca ingleza John Matheus diversos gneros
Brigue prtuguez-BcHi Figuerenan-item.
Brigue inglezRum/medecarvo de pedra.
Barca inglezaCoji-dd-idem.
accebedorla de rendas Inter-
nan seraes de Pernamhnc*.
Rendimento do dia I a 2........ 4:17932*5
idem do dia 3.................
m Jos de Azevedo titos os nf>j?clos siguiles :
I i cadeJras, I beico de angieo, i J>anco de marei-
neiro, 4 bancas, 2 camas de annacao, e 1 mesa
para jantar.
C'alxa filial do banco do Brasil
em FernamiHieoj
14 de narodciUS.
De ordem da directora desia caijr, se convida
aoscredoresde .sebasllao Jos da Silva a virero
receber do thesoareiro da mesma caixa o que era
raleio Ins toca da venda de ama das propieda-
des, qnesegundo aconcordata.he foram eniresuea
para seren vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes orreia.
De ordem da directora desia mesma raixa se?
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo ihesoureiro est aulorisado a pagar o 22 di-
videndo de 105 por aegao.
O gn.irda livros,
Ignacio Vunrs Corra.
COMPANFIIA l'EHNA.MBUCANA,
Do ordem do conselho de dircegao so convi-
dados os Srs. accionistas a reunirem se ern assem-
blj geral no da 9 <'c margo prximo, ao meio
da, no segundo andar da rasa n. H, na praea do
C>rpo Santo. Pernambuco, 21 de fevereiro d
1863.
mez.
O assucar branco fino e 2.' de Pernambuco
vendia-se 43400 e 43600, a 3. a 43200 e 13300,
a 4.- 43000 e 45IOO, o somenos 2?400 e
2f300 res por $.
Achavam-se a carga para Ptrnambuco :
barca Rio de Janeiro e o patacho Valente.
UKmimV^m^^n%eV!n7mt^^'hri ^a- p?loPeolJ divide com a provincia da Para- cravo, Alarico Jos Furtado e 1 escravo, Antonio Para mim iornou-se entao mais grave a
ene Damao o patacho I) Iui' l aTrnna Fhin '^a ale a estrada nova do engenho Paquivira. Pe Jos de Souza Frellas, Jos de-Barros uarte, Jo3o Julguei indispensavel vir a impreosa para sosten-
^O^to^Xs!'- ^^^v!^ i I,0 d ?"'Jrvide pela serra do Uruc e riacho Pereira da Silveira, Joao Garca da Silveira Ja- lar oque dwlarei a presidencia da provincia, e ra-
1/4 or laOOO reh sobre Frinca U* Su \Lrl do,MuluD8u al o rio Capibaribe, div.dndo com mor, Bernardo de Souza Franco, Luiz Gomes Ama- tincar a verdade de minha exposico.
mSmmniZirpSia^9i\S^S n fre?uia d0 ^nangy : e d'ahi subir' a serrada do Aguiar el escravo, Eduardo Thompsoln, Cy- Nao argumento com a autenticidad* do registro
S!!ff-Fal& Escalvada, Cordilheira de Mocos, Aguas Pendentes, nlloNunes Facundps, Manoel Gomes da Cunda, de minha correspondencia, e soccorro-me de urna
nel pXBarrelnXvMSSrifaartSr^ fhind< para no Ca),bar'be al a Cruz do Tam": Adelo Jo- dos Santos, Antonio Joaquim de Se- certidao dada pela secretara da presidencia para
Al\go\s -O numero dos V, InniaVins f Patru bor> Pel nascenle, e d ahi seguir' pelas estradas na e 1 escravo, Ignacto Rodrigues da Silva, Fabn- asseverar mais urna vez que nao commetti a falla
=obia" ultima riatVi i ImSmT o rnmnd : ds.Palos ate .ri Capibaribe e descera' por esto ci Gomes Pedroso 1 neto e 1 criado, Joo Ignacio que me imputou o relatorto do Exm. Sr. desembar-
policia mciu.ive o corpo de abaixo at o pruneiro ponto departida, dividindo Teixera, Jos Cardoso da Silva, Germano Fran- gador Pereiti. Inforraei, segundo consta da certi-
Paritba-0 akodo do 1 sorle vendia-se a' n fre^Qezia de cCuangy e Nossa Senhora das cisco de Olveira, Pedro llanins Maury sua senho-, do transcripta abaixo, presidencia da provin-|
17^000 o de i fs-OOfi e n p ? a f<0(i n Uore- ra criado, Jayme Romaguera, 2 escravos a en- cia, como ja o assevere no offieio que se publicou
asquear bruto m^tamMUiiirA i P'cam revogadas as disposcoes em contraro, tregar, Alfonso Du Moni, N. G. Broadley, Luiz no Diario de Pernamlinco, que a segunda sessao do
O GanUaTaobn Load^i rn^an ffi*. .JPa^d.*^?e,l!l!b,* Provincial, 1 de margo de Pingitou da Costa, Angelo Baril o 2 albos, Paulo jury de Ipojuca comegou a 6 e flndou a 8 de de- ,
.,*. .rUL8??: L0Dares rculava 27 V e 1865. _js Bonifacio de Sa' Pereira. Antonio Franquilello, Francellina de Mello Calhel- zembro do anno passado.
"i- do mssadn' Sn' ABmo fncbca nao assistio honlem elei- ros, Jos Pedro da Costa, Jos Ramal lio Jdos Res, | A certidao contm os offlcios de 9 e 23 de de-
". gao das commissoes, o 8* boja soube ter sido ele- Antonio Borges da Silveira Lobo, Candido Boren-1 zembro, a que me refer na defeza levada ao co-!
M VORTO
27 1/2 por IjOdO reis.
A alfandega rendeu, de 1
20:4923188; o consulado 13:9313733.
uuranle o mesmo periodo enlraram 2,866
saccas de algodao.
Rio Grande.Nada occorreu, api a carta, que
hontem publicamos.
to para algumas. Declara que as nao pode ac- gel Pegi, Antonio Carneiro Antunos, Francisca nhecimento da presidencia da provincia, e por esta
Virginio forma (lea fra de duvida a sua verdade.
lar, pednJo dispensa nos mesmos termos em que Balbina da Silva, Luiz, D. Coelho, Jos
pedio o Sr. JosTeixeira. Teixera de Araujo, Jos Joaquim Maia, Candido
O Io sbcrbtario declara que nao faz a lertura da Jos do Reg, Francisco Libanio Colas, Jos Antu-
ilimeniicios-tchivamspnr1rlLnd'ca5a0mandadah0D,em a mesa PeU) Sr- Joi ni9 d"s Santos Porto, Antonio Teixeira de Carva-
prJSi'teStfoTo 5"o TreStoo "cu taPvar l^ Pr"Ue lre0 a ^ seahr om COn"; 'Vamara Tr^'V S^Jg"in[a,"e
a' ,6:000 o dilo, o fe-, *jt Jos, TmMm {pp|a ordpm) observa qQ8! L^aeFSSb~ ^n&'Tord.^S
com elTiito pedir a indicagao emeonfianga, e qnei Peixoto, Petrono Nstor Souza, Manoel Gomes
j a entregara ao Sr. Drummond^ que a havia solici- Manhoso, Antonio Jos Peixoto Gulmares sua mu-
j lado delle orador. O fado de nao ler comparecido Iher o 2 Qlhos, Jos Joaquim de Oliveira, Manoel
; o Sr. Drummond at a hora em que o orador falla, Ribeiro de Mouezes, Joao Nepomuceno Ferrelra da
, o inhibe de apresentar a indicagao, mas o far lo- j Costa, Manoel de Vasconcellos Jnior, Francisco
, go que o mesmo senhor Ih'a reverla. de Vasconcellos e 1 escravo, Antomo Lourengo
O orador v-se toreado a fazer esta declaragao j Teixeira Marques, Henrique da Cunha Rodrigues,
! para que se nao enlenda que houve um recuar de ionizio Rodrigues Mello da Costa, Luiz Fernan-
| sua parte. Nao, esl ainda no firme proposito I des de BolhSes, Antonio da Silva Reg. Aurelio
de mandar a mesa a indicagao, embora nao a pre- Pontes do Silva, Jos Guedes Nogueira, Antonio
tenda discutir, qualquer que se]a o im, a que es- Fernandes da Silva, Flix Pereira de Souza, Luiz
I teja destinada. Lucas Correia.
Passa-se ordem do da e sao approvados sem Passageiros do vapor Tocanttns, vino
e portos intermedios : Peterna Lourengo
Era vista da cerltdao, que publico, sera receto
de contelagao pos.-ivel posso asseverar que o rea-'
tofio do Exm. Sr. rfesembargador Perettt, no que Portos do sul7 das, vapor nacional Apa, com
iVai'ios entrados no dia 3.
New-York33 das, barca ingleza Gr'ace, de 330
, toneladas, capita Bladiford, eqnipagera 13, car-
ca 2,860. Iiarricas com fannha delrigo;a
Phepps Brothers & C.
Liverpool40 das, brigue roglez Jamn Sterart,
de 189 toneladas, capito John Craig; cquipagem
12, carga carvao; a Saunders Brothers & C.
New-York 38 di**, hiato inglez Sen Breez, de 102
toneladas, capito Dagget, equipagem 6, carga
100 barricas com farinha de trigo e outros g-
neros; altonry Foster& C.
Para e portos intermedios7 das, vapor nacional
Tocantins. de 700 tone'adas, equipagem 51,
commaodante o Io tenente Pedro Hypolito
Duarle.
jo 128 paiaeas o dito, o arroz 16jOOi5 o dito o a
carne verde 16 patacas i.
Arhava-se aberta urna subscripgao para soc-
correr as familias pobres dos voluntarios da pa-
tria.
M.uunho.0 resultado da eleicao senatorial
era o seguate :
Dr. Antonio Marcelino.
Coronel Isidoro JanseD.
Dr. FabtoReis........
A caixa filial do Banco do Brasil resolver
464
461
438
votos
acceltar, como iroco, as notas do Banco e caixas
filiaes das provincias.
bHgadaao mando do coronel DrLMar a Bar 2 desle aDno' 1ue Ia fram publicados. Kelly e 1 fllha, Augusto de Mello Rocha e 1 escr-
r "5 imJo defllattSSfs o rime.rocomman' I En,ra em discuss5 ar" l das P5tnras da ca-' vo> Manoel da 8ilva Maia Jun'or. D--- Bruno Jansen
dado neto tenento" SnS^lBttS?K; niara munic,Pal de Agua-Preta. Bepois de uraa Pereira e 1 escrava, Joio Pedro Collares Moroira e
?o ^ pelo dito intono Au-^ pela ordem, na qual tomaran parle; I escravo, Dr. Antonio Raymundo Tavares Belforl
'as' os Srs. Nabor e Diodoro, o mesmo artigo appro-' e 1 escravo, Emiliano Jos Rodrigues, Segismundo
j vado. Antonio Gongalves e 2 oseravos, Antonio Marti
Sao em seguida approvados taes quaes os se- nlano Lapemburg n 1 escravo, Joo Pedro Belforl
I guntes ariigos : 2o al 7, 9o at 19, 21 al 32, 3o Vieira e 1 escravo, Jos Bernardes Serra Belforl e
; e 36, 38 a 43. 11 escravo, Joaqulm Lopes Lobo, Alfredo Nuoes da
O arl. 8o approvadocom a seguinte emenda : C*sta Lavor e I escravo, Amonio Pedro de Miran-
t Suppriinindo o seguinte : e guarnecidos de da, Francisco Xavier dos Reis Lisboa, Horacio da
calcadas em toda a sua extenso.Campello.
O arl. 20 com a seguinte : Os infractores pa-
. S. Exc. Revm. dir logo pelas 6 horas uma;Baro a millla de >.-Ribeiro.
missa solemne com sermo pregado pelo conego
magistral Dr. Tavares, a qae assistir o batalhao
conceltos.
L-se no Publicador :
Amanlia (26) as 8 horas da manhaa parti-
r no Tocantins com destino ao tbeatro da guerra
o bravo e briosocorpo de infamara d'esta provin-
cia, que tem par si um passado glorioso, contan-
do-se em suas fileiras muitos d'aquelles, que sob
o mando do fallecido Falcao, cobriram-sedcioavo-
res em Morn e Monte-Caseros.
acompanhando-o depais S. Exc. lVjvm. com tpdo o
cabido at praia.
A cmara municipal encorporada assistir a
csse acto religioso, indo lambem assislir ao em-
barque do corpo, que ser feito com grandes hon-
ras e demonstrac5as publicas, nao s por parte da
primeira auloridade, que tem sido incancavel em
prover a ludo quanto necessaro para que o 5.
marche com luzimento e abaslanga,como de varios
cidadans patrilos.
Para.Continuava, com enthusiasmo a inscrp-
cao de voluntarios da patria.
Toda a provincia gosava de paz.
PERNAMBUCO,
O art. 33 com a seguinte
Em vez de um mez de prso, dgase, 8 dias.
Buarqne.Brando.
O art. 3i com as seguintes :
c Em lugar de 43 rs., diga-se 105 rs.Amin- i
tas.
Accrescente-se e mais 3
Jacobina.S Pereira.
E' tambem approvada a seguinte emenda :
>upprima-se o art. 37.Souto Lima.i
Apresentaram se alm destas diversas emendas,
Silva Rahello e 1 e>cravo, Frocluoso Lins Caval-
canti d'Albuquerque, Luiz Mesquita L. Maraes,
Pedro Antonio de Olveira Sobreiro, Francisco
Antonio Argemiro da -Iva, Dr. Francisco d Pau-
la Pessoa e 1 esmvo, Bento Jos Esteves Dias,
Joo Rodrigues de Oliveira Santos, Jos de Villa
Flor e 2 criado, Joo Pereira da Motta Oliveira,
Francisco Soters dos Res, Jos Terra dos Pastos e
i Silva, Joao Lopes Pessoa da Cost, Joao Alves da
dias de prlso. Silveira, Jos Lopes Pessoa da Cosa Juoior, Rvm.
fr.-Alberto de Sanio Augusto Cabral.
Seguem para o sul:
Augusto Ramos Prohenga, 5o batalhao de infan-
taria (438 pragas), Dr. Mariano Alves de Vasco-
ASSEMBLA PROVINCIAL.
3.' SESSAO EM 3 DE MARQO DE 1865.
I'KRSIDBNCIA DO SR. DR. CAETANO BRITO.
As 11 e 3/4 da manhaa, eita a chamada, acham-
se presentes os Srs. deputados Rochael, Amintas,
Soares Brando, Maranbo, Costa Ribeiro, J. do
Reg Barros, Teixeira de Mello, Aquino Fonseca,
Francisco Pedro, Cunha Teixeira, S Pereira, Ma-
noel Netto Jacobtoa, G-rvasio Campello, Diodoro,
Ayres Gama, Jos Joaquim do Reg Barros, Ra-
mos, Buarque, Arminio, conselheiro Loureiro, Sa-
bino e Nabor.
O Sr. Presidente abre a sessao.
Procedeu-se a leitura da aela da sessao anteca-
dente.
O Sa. J. Teixeira observa que ha nella urna
omissao, e esta a segninte : quando'o orador foi
hontem eleito para a com'missao de
as quaes foram urnas reradas por seus autotcs, e cellos e 1 criado, Francisco Parahibuoa dos Reis,
oulras regeitadas, havendo dscusso. j Alfredo Pompilio da Silva Goncalves, Dr. Augusto
Passa-se finalmente a discutir o art. 44, ao qual' Teixeira Belfort Rocho e 1 escravo, Thereza de
se offereceram emendas. Indo-se votar, reconhe- Jess Passos, Dr. Torquato Teixeira Menezss e 1
ce o Sr- presdeme nao haver casa, o declara en-' escravo, Vicente Pontes de Oliveira, Jos Tavares
cerrada a discusso. Ribeiro de Campos, Vicncia Mara da Conceigao,
Levanl-se a sessao s 3 horas e 1 quarlo, sendo Miguel Benevides Seabra de Mello e sua familia,
a ordem do dia 4 : Pedro Lopes Rodrigues e sua familia, Dr. Antonio
1' discusso do projecto n. 68, 2" do de n. 36, 1" Jos Pnheiro Tupinamb e 4 lilhos, 2 lente de
do de n. 61, 2a do de n. 7, e cjntinuagao da mesma : arlilharia Augusto Cesar da Silva, alferes da mes-
do da 3.
REVISTA MASA.
A assembla oceupou-se hontem cora a discus-
so de posturas nonieipaes. O resumo da assem-
bla vai em lugar competente.
Faz-se preciso que se trate de concertar a
pontezinha do Rozarinho, porque o estado emque
se ella acha, impede quasi o transito publico n'a-
quella paragem.
. No decurso da presente qcaresma ha predi-
ca em Santa Rita de Cassia todas as quintas feiras
j Jendo ellas comegado na quinta-feira ultima.
ma arma Francisco Antonio C rneiro da Cunha,
1 cadete Io sargento, 1 furriel, 5 prag is, 53 recru-
las para o exercito e armada, e 2 escravss
entregar.
Obituario do da 2 de siarqo no ckmiteiuo
publico :
i Jos Pinto, Portugal, oi annos, casado, Santo Anto-
nio -. vmica.
i Cesario, Pernambuco, 5 das, anto Antonio; espas-
mo fescravoJ.
Joo da Molla, 3 mezes, Sanio Antonio ; convul-
goes.
David de Sam'Anna, Pernambuco, 30 annos, soltei-
ro, Boa-Vista ; bexigas.
rae diz respeito, nao conforme a verdade dos
factos.
Parlicipei, como devia, ao governo da provincia,
que a segunda sessao do jurados de Ipojuca come-
gou a 6 e flndou a 8 de dezembro.
Os dados, em que se- fonda o relaiorio do Exm.
Sr. desemhargador Peretii na parte concernente
especie vertente, sao incompletos e menos verdadei
ros, e a suppostcao, que ainda em 25 de fevereiro
fez o tnesmo Sr. desembirgudor sobre a verdade
delles, depois de minha contestaciio, nao tambem
fundada, e me parece qoe essa supposigao nao de-
via ser recebida sem examc previo dos documentos
offlciaes.
0 que, pois, conforme aos factos, como elles
se passaram, que nenhnma falta commetti, e qne
a censura, qne contra mim se pode deiuzir do re-
latorio apresentado ao Exm. Sr. Dr. Caslello Bran-
co immerecida.
Contestando os* documentos apresentados ao
Exm. Sr. desembargador Peretti, pelo meu collega
Dr. Annes, nao tenft > por Um accusa-lo, e fazer-lhe
a mais leve censura. Tenho-o, como o Sr. desem-
bargador Peretti, na melhor conta. Engauou-se no
apanhamento dos dados que Ihe foram pedidos, e
dando-se e.-se angano em boi f, como correcgo
minha, nao ha motivo para que soTra quebra no
seu bom conceito.
Como qur que seja, nao devia en carregar com
a impntago inexacta, que me fez o relaiorio do'
mandante Io tenente Carlos A. Gomes, eq'uigem
57, toneladas 917.
Observagiio.
Nao houveram sabidas.
Fundeou no lamaro um palacho inglez, mas
nao leve coranunicago com a ierra.
FACLDADE EE DIREITO.
De ordem do hxm. Sr. director se faz publico
que em sessao da Congregago de hontem, foi re-
gulado e distribuido o servic'j das aulas pela forma
seguinte:
Primjiro anno.
Ia cadeira das II horas ao meio dia, lerceira
sala, pelo Dr. Figueiredo.
2* cadeira de 12 a urna hora, terceira sala, pelo
Dr. Jos Bento.
Segundo anno.
1' cadeira das 9 as 10, terceira sala, pelo Dr.
Silveira de Souza.
2a cadeira das 8 as 9, segunda sala, peto Dr. Vi
leila.
Terceiro anno.
Ia cadeira das 10 as 11, pnmeira sala, pelo Dr.
Pinto Jnior.
2a cadeira das 9 as 10, segunda sala, pelo Dr.
Exm. Sr. desembargador Peretti, baseado em dados Aguiar.
Oltv.sr.padro Antonio de Mello Albuqerque Mait ^,r.e-raSfr5"nbUC' 8 aan0,, S"era'
esl incumbido desle trabalho, no qual se haver
Boa-vista; cancro.
Antonia Mara dos Prazeres, Pernambuco, 33 an-
nos, solteira, Boa-Vista ; phthysica pulmonar.
.Manoel Luna, Pernambuco, 8 anno?, S. Jos ; t-
tano ,
Manoel, Pernambuco, 1 hora, S. Jos ; congestao.
Ismena, Pernambuco, 30 annes, solteira, Boa-Vis-
ta ; dearrhea (escrava).
coma proflciencia qne Ihe reconheeida, e do que
poderes, nao ja deu prova n'aquella primeira predica,
pedio simplesmente dispensa, e sim deelarou que' .Segu hoje para acorte o Sr. conde Jasienski,
de maneira nenhoma poda fazer parte da dita que all vai em commisso da associaco promo-
commissao, e qne diversas causas cooperavam pa-: tora na colomsaro polaca no Brasil, 'afim de tra-
ra'ss0- I M 1 tar da approvac'o dos respectivos estatutos e de
O orador deseja que s raga esta declarado na mais negocios tendentes a mesma associaco. i u^,
- Chegou hontem do Maranbo e deve seguir Fr^'^^uaC'? V;:"?!10.'..?er.Qambuco' 20 aa"
hoje para o sul o lenente-coronel Joaquim Rodri-
gues Coelho Kelly.
Official dislinct'o e valette vai, no comraando do
seu batalhao, quinto de fuzileiro, colher louros
com que possa abrilhanlar a cora que orna
fronte.
acta,_para que no futuro, se elle continuar na cm-
missao e nao prestar servigos, se Ihe nao altribua
-sta falla.
O Sr. Presidente declara que o orador ser' sa-
tisteto, e approvada a acta,
O Su. I" Secretario da/ conta do seguinte
excediente.
Um offieio do secretario da presidencia, com-
municando que o Exnt Sr. presidente da provin-
cia se acha inteirado de que fui eleita a mesa que
tem de servir este anno.Inteirado.
Outro da cmara municipal da villa de Ouricu-
ry, remetiendo diversos artigos additivos de pos-
turas, alim de serem snbmettidos a' approvago
da assemola.A' commisso de posturas.
Outro da mesma caara, remetiendo o balango
da sua receita e despeza do corrente anno.A'
commisso de orgamenlo.
Urna petig'j da mesa regedora da confraria de
Nossa Senhora do Livramento, pedindo preferen-
cir na extraego de loteras.A' commisso de or-
gamenlo.
Urna dita de Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos,
tenente secretario do corpo de polica, pedindo a
mesma gralifkago que tem o ajodante o quartel
uiestre do me mo corpo.A' commisso de fixa-
uao da torga policial.
Urna representacSo de diversos proprielaros e
habitantes desla cidade, pedindo a publicago da
lei, n. 592 de 20 de abril do anno passado, na par-
te qne trnoja obrigatoria a adopgao dos appare-
Ihos delatrioas da empreza Cimbronne.A' com-
misso de consiiiuicio e poderes.
Em seguida sao I idos e approvados os segnintes
requerimenlos :
Requeiro que por intermedio do Exm prest-
dente da provincia se pegam informagoes acerca
\. Quanios sidos ou gralificacoes percebe o
nos, soltero, Boa-Vista, tubrculos..
Flonano, Pernambuco, 2 annoe, Boa-Vista 1 bron-
cbile-cbronico.
-<8r-
sua
Os voluntarios da patria foram transferidos
do quartel do Hospicio para o das Cinco-Pcntas,
ond sem duvida licam melhor arranchados.
Tendo sido distribuido o fardamento aos mes-
mos voluntnos, J hontem vimos differenles delles
trajados uniformemente, componde-se esse farda-
ment d'e caiga e bruza azul escuro o gorro, era
que secombinam as cores nacionaes, com as ini-
ciaes de V. P. douradas, collocadas na frente do
mesmo gorro.
E'um uniforme ligeiro, que noexclue a ele-
gancia em seu todo.
Embarca hoje para o Rio de Janeiro o pri-
meiro tenente da armada Manoel Marlios d'Araujo
Castro.
O nosso conprovinciano vai renunciar o resto
da licenca, em cujo gozo se achava, para partici-
par dosprigos, que ameagam a patria.
E" um acto digno do louvor do jovem official
pernambucauo, cujo prestlmo militar j foi alias
demonstrado debaxo das bateras do Tonelero.
Que va o primeiro tenente Castro augmentar o
numero dos bravos pernambucanos, que l illus-
tram a nossa provincia ; e qne Deus o proteja por
bem de sua joven esposa e de seus tenros lilhi-
ohos.
a patria le>va sempre afinal em conta os sacrifi-
cios de seas Albos; e qaatldo os nao levasse, nada
importara, por que Deus gratifica a nobres e ge-
norosas dedicagoes.
Acaba de chegar do Maranho, em viagem
para a Europa, o Sr. Joao Rodrigues d'Oliveira
London Braslllan Bank ( Li-
mited).
Capital do banco 15,000 aegoes
a 100.......13,333:333*130
Aegoes emiltidas 13,000 a 100 11,553:5.'i5")50
Capital pago a S 40 por accao. 4,622:222,3220
BALAXCO DA CAIXA FILIAL EM PERNWMBUCO,
EM 28 DE FEVEREIRO DE 186o.
I ACTIVO.
Lelras descontadas ....
Crditos sobre diversos, outros
bancos e cairas filiaes, .
Caixa :
Em moeda corrente. .
2,019:5575710
1,658:6985100
167:2275340
3,843:4835150
enmmandante do corpo de polica Sebasiio Lopes ] Santos, negociante e poeta, de quera lanas vezes
Guimaraes, com designago de cada um desses
.odos on. gralilicagOes e das respectivas quan-
tias.
e 2. Qual foi o fundamento em que o mesmo
commanJante baseou o seu pedido de reforma no
posto de major de cavallaria, e o que disse a com-
misso medica encarregada da sna Inspecgo de
fade.
-3.0 Se o pedido de reforma teve lugar depois
temos iralado. S. S. acba-so hospedado casa do
seu amigo o Sr. Coelho da Silva, ra da Cruz
n. 13.
Informam-nos que se agencia entre o com-
mercio a formago deum corpo de voluntarios,
sob o titulo de voluntarios do commercio.
Desde o 1 do corrente acha-se no exercicio
de juiz municipal da segunda vara, o Sr. Dr. Vir-
gilio de Gusmo Coelho.
PASSIVO.
Capital fornecido pela caixa ma-
triz ........
Depsitos.......
Crditos diversos, oulros ban-
cos e eaixas (iliaes. .
888:8885890
incon>i>lr1os emenos virdaJeiros. Assiste-roe razo
para nao d*Kar correr sem justa causa, que fui
menos exacto no cumprimento de meus deveres, e
tanto mai- a-sim devo faze-lo, porque a arguigao
assignada por urna pessoa, que goza do conceito
do Exm. Sr. desembargador Peretti.Manoel Cle-
mentino Carneiro da Cunha.
Era cumprimento do despacho retro certifico,
que os oflk'ios de que (rala o supplicante bacharcl
Manoel Cleiaentino Carneiro da Cunlu, sao do
llieor seguinte :
Provincia de lVrnambaco. Juizo de direto da
comarcad) Cabo, 9 de dezembro de 1864.Illm e
Exm. senhor.Em observancia do aviso expedido
pelo ministerio dos negocias da justira a 17 de
muirode I83>, partleipj V. Exc. o seguinte :
A segunda sessao de jaradm do termo de Ipoju-
ca, convocada p>ra 5 (Jocomnf.inst-iifo'i-se a (>
e findou a 8. Presid todo o trabalho do jury. O
promotor publico, bicbarel Paulo Marti OS d'Almei-
da, servio e;n lodaa sess), Funccionou interina-
mente cjmo eserivo do jury o tabullio e escri-
vo ds civel o crine Miguel Joaquim U Espirito
Santo Moraes Neste termo nao ha quem queira
aceitar esle offi-io de justiea pela exiguidade de
seu rcndmenlo.
Dos guarde V. Exe. Illm. e Exra. Sr. presi-
dente da provincia de Pernambuco.
O juiz de direijo, Manoel Clementino Carneiro
da Cunha.
Juizo de direito da comarca do Cabo, 23 de
dezembro de 1864. -Illm. e Exm. senhor. Passo
smaos de V. Exc. pira o lim conveniente, os
mippas eslalisticos das decisoes do jury do termo
de Ipojuca na segunda sessao desle anno, organi-
sados de accordo com o aviso expedido pelo minis-
terio da justira de$ de Janeiro de 1835.
O gerente,
F. F. Borges.
Coitsellio tic compras navaes
Cmlrala o conselho no dia .6 do correle
5:644*468 I #l,u ?s eondicoes do esljlo e por lempo de Ires rne-
--------------- zes (indos em junho prximo, lavagern de. roupa
9-8235693 ; dos e.Nlabelecunenlos de marinha, e o forneciinento
===== a estes e aos navios da armada de arroz do M.ra
C'nasnlado orOTlncIal. !nh:'"' aS"ar Rendimento do da I a 2....... 5:1125552 i r ",'' gro*so: ararula. al-'na, assucar branca re-
idero do dia 3............... 3 3371688 !"a ','ze'le ,nlTr,*"> az" doCt de Lisboa, baca-
I '*-', bolacha, boiachinha americana, carnauba em
8-67020 : *' cevadin"na' ca' prela e branca, carne verde,
; cha hysson, carne serea, caf em grao, cangica ou
milho pilado, feijo, r-.iriulia de mandioca da Ierra,
galinhas, leoha, naateiga ingiera u fraocaaa, mate,
pao, sal, sabio, jolo de atronara grossa, toucinho
de Lisboa, tapioca, vinagre de Li.sboa, velas estea-
rinas e vinho da Lisboa.
E convida o comedio aos pretendenies a esses
contratos apresentarem suas piopostas no refe-
rido da 6 do crreme mez, a/ as U hora da
manhaa. '
Sala dn conselho de compras navaes, 2 de mar-
co de 18S5.
O secretario,
Alexamfre hodrignesdos Anfos.
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz pu-
blico que no dia 4 do corrente inoz, a I hora da
tarde, estar em hasta publica peranle a mesma
thesooraria para ser arrematado a quem por me-
nos lizer o fornecimento de agua polavel a fortale-
za do uracoedo lahoratorio de toiros : as pessoas
a quera convier o sobredilo fornecimento devero
comparecer na sobredta thesouraria hora inai-
cada.
Secretaria da thesoujaria ile fazenda de Pernam-
buco em 2 de margo de 1800. Servindo de of-
cal-maior, Manoel Jos Piulo.
Correio geral.
Pela administrago do correio desta cidade se
faz publico que as malas que tem de conduzir o
vapor Tocantins para os portos do sul, serio fe-
chadas hoje (i) as 3 horas da tarde; os jornaes-
at i hora da tarde, e as carias admettidas a se-
guro ato 2 horas da tarde.
Crrelo geral.
As malas que tem de conduzir o vapor nacional
Apa parao-- portos do norte, .serao fechadas tfft
(i) as 3 horas da larde ; os jornaes at meio dia,
e as cartas admettidas a seguro at 2 horas.
O conselbo"de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o deposito de recrutas.
133 bonets redondos.
132 esleirs.
133 mantas de la.
672 1|2 varas de bnm branco.
320 varas de algodozinho.
Para o corpo de volulanos da patria.
400 gorros com as cores naconaes.
500 mantas de la.
200 bonets redondos.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas proposlae em caria lechada, na
sala do conselho, as 10 horas da manhaa do dia 8
do corrente.
Sala das sessoes do conseiho de compras do ar-
senal de guerra 3 de marco- de 1865.-O encarre-
gado da escripiuraco,
Manuel Jos-de Azevedo Santos.
Relarao das carias seguras vndas do sul e norte
pelos vapores Apa eToeanlins para os senho-
res abaho declarados:
Capito Antonio Jos de Souza Cousseiro.
Baroneza do Livramento.
Claudio Dubenx.
Carlos Miguel lsagson.
Francisco Guilherme Austreberlo Macha lo (2).
Francisco de Paula de Alhuqucrque Maranbo.
Gregorio Ferreira de Mirandi.
Dr. Honorio Domingues Menees Doria.
Julio Cesar Carnes de Castro.
Jos Rodrigues de Souza.
Joao Francisco Silvestre M.
Joo Gualberlo de Souza Go'iveia.
Maria Carolina Borges Leal.
Manoel Joveneio Saboia.
Mana Josephina de Jess.
Quarto anno.
I* cadtfra das 8 as 9, primeica sala, pelo Dr.
Bandeira Filho.
2" cadeira das 9 as 10, primeira sala, pelo Dr.
Porlella.
Quinto anno.
l Ia cadeira das 8 as 9, terceira sala, peto Dr.
Baptisla.
i' cadeira das 11 as 12, terceira sala, peto Dr.
Autran.
3> cadeira das 10 as 11, tercira sala, pelo Dr.
Reg.
A respeito das horas das aulas da segunda e ter-
ceira cadeira do quinto anno, resolveu a Congre-
gago que se manlivesse entre ellas o inlervallo
de urna hora, rnenle em quanto eslver tima das
salas oecupadas com exames preparatorio*, e que
depois da conctosao destes paseara a fur.ccionar a
terceira cadeira das 9 as 10, e a segunda das 10
as II. fc
secretaria da Faculdade de Direito do Recife, 3
de margo de 185.
O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
O Dr. Tfistao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do coaimer-
co desta cidade do Recife capital da provincia
de Pernambuco e seu termo por Sua Magestade
Imperial e Constitucional o Sr. Pedro II a
quera Dos guarde, ele.
Fago saber pelo presente, que peranle este juizo
e carlorio do escri vo que este subscreveu, corre
urna execugo de senlenga por mandado de pre-
dilo, ordenadas entre partes, a saber : como exe-
queme o bacharel Gabriel Soares Raposo da Cma-
ra, e como executados os herdeiros de Marcelino
Antonio Pereira, e proseguindo dita execugo os
Dos guarde V. ExcIllm. e Exm, Sr. presi-1 seus devidos termos, procedeu-se a penhora em
dente da provincia di Pernambuco.O juiz de di- continuaco a primeira que nao chegoo para o pa-
reito. Mano -.1 Clementino Carneiro da Cunha. j gamento da mesma execugo, em dinheiro na quan-
Nada mais se eontinha no offieio, a que se refe- j lia de 3:ii53l.')l, existente no deposito geral desta
re o supplicane, o de cujos ongnaes, que se achara cidade, pertencentes aos referidos execulados, pelo
nos archivos desla repartico, extrah a presente que em audiencia publica do dia 20 do corrente
certidao.
Secretaria do governo de Pernambuco, aos 2 de
margo de 1863, quadragesirao quarto da indepen-
dencia o do imperio.
No imepdiraento do official archivistaO es-
criplurano Firmino Herculano Baptista Ribeiro.
"J3LIGACQES A 1PJEDIDQ
Aa;ua de
Murray e
Recito, 3 de margo de 1863.
W. J. Haynes,
Acountant.
GOMMUNICADOS,
0 Exm. Sr. desembargador Peretii e o juiz de
direito do Cal.
Na exposigo con que o Exm. Sr. desembarga-
dor Anselmo Francisco Peretti entregou ao Exm.
Sr. Dr. Antonio Borges Leal Caslello Branco a ad-
ministrago desla provincia, iuformou que o juiz,
de direito da comarca do Cabo nao havia parlici-1
Florida de
Lanman.
Em consequencia da sua graode e vasta popala-
ridade e justa celebridade en todos os nercados
d'America do Sul e das Antilhas, para o uso de
cujos paizes ella foi exclusivamente imnufaclura-
da, ha nais de violo anuos ; a mesma lem sido
extensivamente imitada e contrafeila neste paiz.
Porm presentemente o anigo original foi introdu-
zido, e em virlude do mesnn apresentar a distinc-
liva marca commercal dos proprietarios, pOde f-
cilmente ser dislioguida pela sua apparencia exte-
rior dessas |oulras simuladas e fraudulentas com-
posigoes: u* slgoaes internos de perfeira ingenui-
dade sao muilo menos fcil de engao, porquanlo
a Agua Florida de Murray e Lanman, tem o des-
envolve o arona proprio das frescas e Horescentes
1,'27:7855700 I llores e plantas do trpico, das quaes ella deriva a
sua bella e exquisita composigio, o a exposico ao
1,828:8085560 ar, em lugar da dininuir, augment a delicadez*
-------------------1 de seu floo aroma, em lugar de produzir urna
3,813:4835150 emanacao aere 00 urna certa efljvla desagradavel,
como acontece, cowij esses perfumes e aguas de
clieiro as quaes sao preparadas e compostas com
leos baratos e forlissimos de ossencias. (Tenha-se
pois todoocuidtdo de exanuaare ver, que os no-
raes de-afc*rr< Lanman, se acliam inscriptos n
grava-Ios sob cada envoltorio, letreiro e garrafa,
e na falta dos mesmos, fcil sosueltar da sua
falsidade.)
Vendo se as ptiarmacias de Caors A Barbasa e
J. C. Bravo & C. -______________
mez, pelo solicitador Antonio Carlos Pereira de
Burgos Ponce de Len, procurador do exequente,
tora feito o requerimento do mear seguinte :
Aos 20 de fevereiro de 1863, nesta cidade do Re-
cife de Pernambuco, em publica audiencia que aos
feitos e as partes fazia o Dr. juiz de direito espe-
cial do commercio Trislao de Alencar Araripe,
nella pelo solicitador Antonio Carlos Pereira de
Burgos Ponce de Leo, procuador do exequente,
tora aecusada a penhora feila em dinheiro na
s
THGITRO
Programo^ do concert vocal e
instrumenta', o"at no salad do Iheatro
de Saula Isabel,
ftabbado -4 do corrente.
pon
Jos Coelho Barbosa.
Com a coadjuvar-! das Illa. Srs. dilellantes.
PRIMEIRA PAUTE.
1." De'raiei bollenii spirili, aria de tenor da ope-
ra La Travat del M. G. Verdi, cavilada pjr Jos
Coelho Rarbosa.
2. Sulla Poppa del mi Bnk, barcarola dell'
opera Le Prisiones d'E iiuiburgo, do inae.-tro Uicci,
quantia de 3:0355631, existente no deposito publi
co desla cidade, pertencentes aos executados os bar-1 cantado peto artista Guisppe M. Raraonda.
deiros_ de Marcelino Antonio Pereira, requerendo 3." Dal pa remolo esilio, cavatina de tenor da
que nao so licassem assignados os seis dias da lei, opera I Due Foscari, del maestro G. Verdi, canta-
penhora, como os dez dias aos credores incertos | da por Jos Coelho Barbosa.
dos referidos exei-utados, para cujo lira se Ihe des-
se os ediiaes do estylo. O que ouvido pelo juiz
cima o deferio.
Extrah o presente do protocollo de audiencias c
jumo o respectivo mandado de penhora. Eu Faus-
tino Jos da Fonseca, escrevente juramentado o es-
crev.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andradc, cscri-
vo o subscrevi.
Segundo o que ass se eontinha em dito reque-
rimento de audiencia, depois do que o respectivo
escri vo Manoel de Carvalho Paes de Andrad, aueLdrtour(|ue (iareiro Lea i.
este subscreveu e fea passar o presente, pelo qual| 7 Ar dir Ito forsa il Cielov
e seu theor chamo, cilo e hei por eitado a lodos os opera L'Elisire d'Amoro, credores incerlos dos mencionados execulados, pa- j pelos artistas G. M. R un onda
ra qne dentro do- prazo oe dez dhs comparegnm
ante eslo juizo, aJIeganilo e provaudo ludo (jnanto
for a bem de sen direito e justiga, sob pena de se
proceder as suas revelias.
E para qiie cliegne ao cmhecimento de tolos
mandei passar prsenle qae sera publicado pela
iraprensa e aliado no lugar do costuine. *
Dado, e passado nesia cidade do Rocife de Per-
nambuco, aos 28 de fevereiro de 1865.
Ea Mnnoel de Carvalho Paes de Andrade, eseri-
vaoi subscrevi.
Trislo de Alencar Araripe.
4. Grande phai>t>ia por Eorico Callieri, sobre
motivos da opera Marco ViscootI, de Jf, K. Petrel-
la, externada na flauta peto Sr. Silusjkino Lba-
no Tenorio, e acompanhada no piano, pelo Sr.
Claudio uleburque Carneiro Leal.
SEGUNDA PARTE.
3." Come rugiada al cespide, cavatina de lenor
da opera Ernaui de G Verdi, castada por Jos
Coelho Barbosa.
6.* Pantasia da opera Locrecla Brgia. do G.
Donizetli, exeeulada no piano pelo :r. Claudio
sceiw e duelo da
maestro IKjnizetti,
0 J is Coelho Bar-
bosa.
O piano ser oceupado. peto maostro I. Smolti,
para o aconpanhamento das totas.
Os bilhetes poJeii ser >r.x:uraios no escrito-
rio do theatro no da do concerlo.
AVISOS MAIIT1M65.
Para o Porto pela Ilha de S.
CQMBRCIQ.

Cotaeoe* offlciaes.
PRAQ.A DO RECiFE.
3 de margo de 1305.
pado o da em qoe comegou e findou a sessao 4>! Assucar mascavado Caaal (boaa.V--15?oO por ar-
jury do termo de Ipojuca, de quefex mousSo- no. roba.
Miguel.
O velleiro e bem conhecido bnguo sacional A-
melia pretende seguir com mu la erevidade, tem
parte do seu oarregameuio engajado, para o resto
No 13ia 4 do corrente, depois da audiencia que Ihe falla e passageiros, para os quaes tora ex-
do Sr. juiz de pai do 1 dislriclo da Boa-Vista, s 1 cellentes commodos : tratase com os seus conslg-
4 horas da lard^ tem de serem arrematados por natanos A. Lolz de O. Azovo^o.^ C, ao seuescrip-
execugo de. Francisco Lopes da Silva contra Tlio- i torio na ra da Cruz n. 1.


DUrU de r eriambuM .- aMtado 4 e Marco de 1S&.
19

COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
Xavegaco costelra por vapor.
IIha de Fernando de oronha.
No di 14 de marco prximo,
as 10 horas da manhaa seguir
om ios vapores da companhia, i
para o presidio de FernaLdo. Re-
_________cebera carga at o dia 13. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at 9 horas
da manta do dia da sahida : escriptorio na For-
te do Mallos n. 1.________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA r
DS
-\'avega\?o costelra por vapor.
Parabyba, Natal, Macio, Aracaty, Cear
Acaracu e Granja.
No dia 7 de margo crrante se-
gu para os portos indicados um
dos vapores da companhia. Rece-
che carga at o dia 6. Encommen-
_^ldas passageiros e dinheiro a frete
at 2 horas da larde do dia da sahida : escriptorio
no Forte Jo Mallos h. 1.______a_____________
Para Lisboa.
Pretende seguir com muila brevidade a barca
portugueza Henrtqueta, tem parte de seu carrega-1
ment prompto : para o resto trata-se com os seus |
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & I
C, no seu escriptorio ruada Cruz a. 1._______
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muila brevidade o brigue es-
cuna Joven AriAur, tem parte de seu carregamon-
to engajado : para o resto quo Ihe falta trata se
com os seus consignatarios Antonio Luii de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1
COMMERCIO
Joaquim Gomes Dourado & Irmo fazem sciente
ao respeitavel corpo do commercio que julgam nada
dever, mas se algoem se julgar credor aprsenle,
as snas contas no praso de oilo das para serem
promptamente pagas.
Joao da ilvaRams, medico pela Uni'
versidade de Coimbra, d consullas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, qne serao soceerridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o qne
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 30O0 diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira dita.... 2*006 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
Na fabrica de calcado do pateo 4a ribeira de
S. Jos n. 25 preetsa-se de artistas larnaaqueiros.
O Loados & Brazillan Baik, saca por todos
os paquetes, sofere
Hubo*.
Porto.
Braga.
Vianna.
Gulraares.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante.
O Sr. Leopoldo Gadault tenha a bondade de
vir a roa do Imperador n. 83, segundo andar, a
negocio que nao ignora.
Salitre
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
| productos uhimicos ulensis o os maisempregados
Dnvn n Rit\ lio- lflY)fi\v(\ ousados na l'harmacia,|iitura,pholographia.tin-
rlllil U rlU U,C >JiA,ii'isir "iturara,pyrotechinia(fogosdearliflcie) eeraoutras
segu em poucos das o briguo nacional Morgues I industrias.
de Olinda por ter o seu carregamento quasicom-| Montado era grande escala, e supprindo-se di-
pleto : para o resto que Ihe falta e escravos a fre- reclmentelas principaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer:
producios de plena confianca e sasfazer qualquer!
; encommenda a grosso trato e aretalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
jNa rna do Queimadon. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Gnimaros, vende-sc sali-
tre refinado por 25* a barrica de 4 arrobas, ou a
6*400 a arroba s a dinheiro. _______
Os Srs. academices que vo matricular-se
no terceiro anno da Faculdade de Direito, podem
dirigir-se a ruada Saudade n. 9, fronleira a do
Hospiio, onde se Ihes "vender o compendio de
direito civil at as 9 horas da manhaa, e das 4 at
as 6 horas da larde. ____________
Alugam-se o segundo e terceiro andares da
casada ra do Trapiche n. 46, eom capacidade pa-
; ra grande familia : a fallar na ra de Apollo n.
' 35, primeiro andar._______________________
Precisa-se de urna pessoa habilitada
pana escrevente de um tachygrapho : quem
esliverno caso de bem preencher o lugar
dirija-se ao escriptorio desta folha ou ao
hotel de l'Univers.
Tinturara
Na ra Direita n. 116 conlinua-se a Ungir para
qualquer cor, e o mais baralo possivel._______
te, tratase com Manoel Ignacio de Oliveira & Fi
lho, largo do Corpo Santo n. 19.____
"Para Lisboa
nretende sahir em ooucos dias o patacho porluguez I
Jareo por ter a maior parte da canta tratada, e pa- com promplldao qualquer pedido de un as moldas!
ra opouconu* Ihe falta trata-se com os consigna- a oleo coja qualidadee pureza de seus ingredien-
tarios Palmeira & Beltro, largo do Corpo Santo les podar ser examinada pelo consumidor, o que
ir... nao e fcil fazercom aquellas que sao Importadas,
n. 4, primeiro andar.
Para
e que se enconlram no mercado emlatasfechadas.
Tem grande colleccjio de vidros de differentes
formatos, desde urna otava at dezeseisoncas de
Segu brevemente para o indicado porto o hiato capacidade; de vidros para vidracas ediamantes1
Lindo Paquete, capitao llenrique Antonio do Ama- para corta-Ios; de pinceis parafiugir madeira com
ral, paraalguma carga que pode ainda receber propriedadee outros; de papis dourados e pra-
trata-se como respectivo consignaiario Antonio de teadose folhas do gelatina para ornamento; de
Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23, primeiro papel grande e pequeo formato de vanas cores
andar._________________________________ paraembrulho, para forro de casa, para desenho I
DapIa i I Ulift'i corn fundoa feiIi de papel albuminadoe Bri
verdadeiro sane para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de cssencia para qnadros, de
espirito para madeira, copal para o intprior e ex-
tei ior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaja
clarificado, oleode oielet, secativode Harlim.ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fa-
llas de varias cores ; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e;
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim,bergamota, aspice, patchouly,mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenla,
lonro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
Gerente.
A galera Nova Fama, de primeira rlassp, segu
para os portos indicados at o da lo de margo,
por ter a maior parte de seu carregamento promp-
to : para o reslo da carga e passageiros para os
quaes tem excellentcs commodos, trata-se rom Cu-
nha,Irmos & C, ou com o capilo na praga.
"Rio de Janeiro.
Pretende sahircom brevidade para aquelle por-
to o brigue Cruzeiro do Su!, ainda recebe alguna
cargaee Barros & C.
LEILOES.
Leilo de um sitio na estrada de Joao
de Barros.
H04E
Sabbado 4 do corrente as 11 horas.
Cordeiro simoes far leilo de um lio na es-
trada de Joao de Barros junio do sitio da viuva do
Rufino, do lado do nascente, tem excellente terre-
no para plantacoes com mais 600 palmos de fun-
do e outros tantos ou mais de frenle erm boa casa
de vivenda com 6 quartos, 2 salas, cosinha, senza
la fora, estribara para 2 cavallos e boa agua. Os
prelendenles poderao examinar e qualquer infor-
macao dirija-seao mesmo agente.
No armazem da ra da Cruz n. 58.
Jos Soares d'Azevedo, iroftssor lingua e ilteratura nacional no Gyn nasio
Provi cial do Recife tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um curso especial
para cada urna das seguinles disciplinas:
LINGUA FRANCEZA.
GEOGRAPHIA E HISTORIA,
PHILOSOPIIIA RACIONAL E MORAL,
RHETORICA E POTICA.
As pessoas que d sejaren; esludar qual-
quer destes preparatorios podem dirigir-se
indicada resi'dedcia, de manhaa at s 8
horas e de tard a qualqu r hora.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e Ilha de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escrip-
torio de CarvalhoeNtgueira.
Companhia Odelldade de g
seguro martimos e ter- a
rostros os (a boleo Ida no!
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBDCO
m Antonio Lniz de Olivrira Azevedo & C, *&
S competentemente autorisados pela direc- >ag
| toria da companhia de seguros Fidelida- 9
8 de, tomam seguros de navios, mercado- r^
ras e predios no sen escriptorio rna da y*
Crnzn. i. jfe
mmm mmm mmmmm
Rogase ao Sr, bacbarel Cezario
de zevedo juiz municipal de Garan-
hutts, qneira dirigiase piara da In-
dependencia ns. 6 e 8, ou annnnciar
sua moroda para ser procurado.
.4 quem inferessar
O abaixo assignado solicita pela polica em ge-
ral qualquer pretendo como : passaporles, porta-
ras, apprehencoes de quaesquer objectos; pela
presidencia portaras, passaportes, patentes de of-
flciaes da guarda nacional e outras quaesquer in-
cumbencias ; pelas repartieres scaes desembara-
zo de terrenos de marinha e de estabelecimentos
que por engao ou ignorancia de seus propieta-
rios estejam sujeitos ao rigor do fisc; pela capi-
tana do porto matriculas de carpioteiros, calafa-
tes, botes, canoas etc. Pode ser-pronurado no Re-
cife armazem de molhados do Sr. Antonio Lopes
Rraga, ra da Cruz n. 36; em S. Anlenio loja de
livraria popular, ra do Collegio n. 07 do Sr An-
tonio Domingues Ferreira, e em S. Jos ra Brei-
la botica n. 88 do Sr. Jos da Rocha Prannos.
Joaquim Jos dos Sanios Barraca
Consultorio medico-cirurgico a raa larga do
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua proflsso
nao s na parte medica como tambem na cirur-
gica.
ttf O hachare
s
francisco Aupsto da Costa
ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
Anlonio-Luiz de Oliveira Azevedo &C
Agentes do banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo banco para o Forlo e
Lisboa e para as seguintes agencias :
Londres sobre Bank o( London.
Paris > Frdric S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Gabe & Filho.
Barcellona Francisco Rohala & Ballesta.
Madrid Jaime Merie.
Cadis > Crdito. Commercial.
Sevilha > Gonzalo Segoria.
Valencia M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Amarantes. Angra Terceira.
Arcos de Val de Caminha.
Vez. Castello'Branco.
Aveiro. Chaves.
Barcellos. Coimbra.
Bastos. Covilhao.
Beja. El vas.
Braga. Extremos.
Braganca. Evora.
Faro Fafe.
Oliveira d'Aze- Pinhal.
meis. Porto-alegre.
Penna fiel. Thomar.
Tavira. Villa Nova
Villa do Conde. Poriimao.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
lo imperio.
Baha. Maranh
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
mejmo Banco a razao de 'i por cento ao anno a
ratar na ruada Cruz n. 1.
de
Guarda.
Gulmaraes.
Lagoa.
Lagos.
Larcego.
Leiria.
Moni; 5 o.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
o.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1889
Orna flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante boa ad
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECgO GERAL
Madrid : Rna do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao lo suprehendenles os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL,que ainda mesmo diminuindo urna te,rca parte do mteresse produzido em r< rentes liquida-
edes ecqrabinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela cempanhia
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna imporsi^ao annna)
de i<>0 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:942*600
de 15 .......11:208*200
de 20........30:2565000
de 25........80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os producios sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
mo Joaquim Fioza de Oliveira, ra daCadeia n. 52, on a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, estabele-
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmiio.
Cas-
A luga-se
Leilo de imponanlesdividas
Martios levar novamente a leilo as dividas
activas da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho
4 C, na importancia de 81:6615321 rs., sendo
o0:o815965rs. em contas de livro e 31:0795339
em letras.
Segundateira 6 do corrente.
Em seu escriptorio ra da Cadeia do Recife n.
9, as 11 horas;___________________________
Leilo
Mena limte.
De 2 mobilias de Jacaranda com tampo de pe-
dra, 1 cama franceza, 1 mesa elstica, 2 marque-
zas, 1 machina para costura, 1 guarda roupa, 2 Esla para alugar-se urna casa terrea na ra
commodas, 1 cabide, 2 cadeiras de bataneo, 2 apa- da Gloria n. 14, om e 2 andar de um sobrado
radores, 1 lavatorio com pedra, 1 candelabro, 2 na roa do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
duzas de calixes, 2 ditas de copos, 2 garrafas, 2 Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
candieiros a gaz, 2 redomas, 1 relogio de prata de Barros, com arvoredos, agua de beber,e portao |
patente suisso, 1 bomba de Japy para regrar fio- P^ra o beceo do l'ombal : qnem pretender faile
res e capim, diversos quadros e outros objectos na ra das Crnzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
urna casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos,com banho na porta, no lugar do P050
da Panella.ruado Rio : a tratar com Tasso ir-
mos, na ra do Amorim n. 35.
Aluga-se a casa n. 199 da ra Imperafpa
ra padaria, com forno e todos os ulencilios : a
traiar no largo do Carmo, esquiua da rna de Hor-
tas n. 2.
Ama
Precsa-se de urna para o servico de orna pes-
soa : no becco largo do Recife n. i. esquina que
vira para da Senzaza Velha, primettojindar.
Na fabrica ae sabio da ra de S. Miguel, nos
Afogados, precisa se de quatro trabajadores for-
ros ou captivos : a tratar na mesma a qualquer
hora._______________
Joaquim Lopes Machado, cidado brasileiro
vaia America ingleza pela Europa.
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Machado
se encarregaante oforodestacidadede tudoque
fortendenteasuaprosso,aceita departido an-
malas pendencias judiciaes de qualquer casa
commercialmediante razoavel ajuste. Contina
a seencarregar de cobranzas nostermos do Cabo
elpojuca aondecontinna a trabalhar como d'an-
tes.e encarrega-se de defezasperante o, jury nos
termosproximosa via frrea,offerecendo gratui-
taraenteseus servicos aos desvalidos, pode ser
procu-adotodososdias uteisdas9horas da ma-
nhaa as3 datardena rnaestreita do Kosario n.
34, eforadessas horas na ra Imperial n.36,ca-
se de sua reidencia^____________________
~Na pra^a da~Independencia loja de ourive
n. 33, compram-se obras de ouro e pratae pedra;
dreciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qualqner concert.
mmm mmm mmm mmmmm
\ 0 Dr. Carolino Francisco de LimaSan-"*
3 Krador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- m
K curado aqualquerhoradodia.e da noiu-g
JR para o exercicio de suaprolissao de. me- J|
yg dico ; sendo queos chamados, depois de M
25 meiodiaat 4 herasdatarde,devem ser g
W deixados 'por escripto. O referido Dr. 1
|S nao abandonando nunca o estudo das ^
3 molestias dointerior, prosegue, com o m
I maiorafflnco,nodasmaisdifficeise deli-1
^ cadas operares, como sejarrdos orgos f
onrinarios,dos olhos, partos, etc. m
'sw.-'sm ^Kwm-nwsm tmimumim
Alugam-se dons grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e aceiados-
comjardim,cocheira, estribara e outras commo-
didades,natravessade Joo Fernandes Vieira : a
tratar na ra daSenzala Nova n. 42.
Precisa-se de um criado
mado n. 12, terceiro andar.
na rna do Quei-
AMl.
10 bacharel Jos Baptista (lilirain
advoga nos termos do Bonito e Caruar.
Pode ser procurado na villa do Bonito,
roa Direita n. 16, defronte da cadeia.
de gosto.
Terra-feirr 7 do terrete as 10 horas, a ruada
Cruz n. 21, primeiro andar.
Cordeiro Simesautorisado por urna pessoa que
se retira para fora da provincia far leilo dos
objectos cima mencionados.
manhaa al ae meio dia
Empresta se 9005 a juros sob hypolheca :
no segundo andar do n. 2 da rna Augusta.
- O Sr. Sebasbao Accioli Santiago Ramos,;
\ queira vir a ra do Imperador n. 83, segundo an-
dar, para concluir o negocio que rto ignora.
VIUVA LICIVT
Leilo de duas machinas a vapor
Sendo:
Urna porlavel, forca de 14 cavallos, sobre rodas,
com caldeira patente e todos seus pertences. 7Ra da Imperatriz7
Outra lisa e orisonlal, forga de 12 cavallos com j Mdame Lecont participa aos seus freguezes,
caldeira e mais pertences. que recebeu pelo ultimo vapor um completo e va-
Quinta-feira 9 de marco, em frente a nado sortimsnto de perfumaras as mais finas pos-
Associaco Commercial. siveis, como sejam : Non vean Rgnerateur de
O agente Pinto fara leilo por conta de quem Gell, nnica para conservacao dos cabellos; rece-
pertencer das duas machinas a vapor cima des- beu tambem correntes de Plaqu, muito finas e do
criptas proprias para engenho, as quaes se tornam ultimo gosto para relogio, p de brlhanie e de
recommendadas pela sua perfeicao e por serem ouro para perneados de bailes, 1,000 varas de bico
dos melhores fabricantes de Inglaterra, os preten-1 preta proprio para enfetes de vestido, e diversas
denles poderao desde ja' examinaren) ditas ma- j outras cousas. Avisa tambem que na sua casa
chinas para o que poderao entenderem-se cora o : contina a fazer todo o trabalho que diz respeito
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
Leilao quinta-feira 9 do corrente a ra da
Cadeia do Resife n. 53, armazem.
Pelo agente Euzebio
se far leilo de dnas casas terreas em chaos pro-
prios sitas na Capunga ra das Crioulas ns. 39 e
41, os pretendenles sao convidados ao previo exa-
me e comparecerem n acto do leilo.
ATOOj BlfllSOS.
LOTERA
as.0;OO80O0e 3;O00^0O0.
Sexta-fe ra 10 de marco t r lugar ex-
tracto da 2a parte da 4a lotera da Santa
Casa da Misericordia (8a) no consistorio da
a cabellos, como cabelleiras para horneo* e senho-
ras, assim como perneados para fra.
Precisa-se de um menino de 14 a lo anuos
de idade com alguma pratica de taberna : na ra
do Padre Floriano n. 41.
Ama de lette.
Na ra do Sebo n. 29, tem urna com novo e
abundante leite. _______________
Na ra da Praia n. 62, precisa-se de um cai-
xeiro de menor idade e que tenha prattea de ta-
| berna, d-se bom ordenado e d informacao de
sna conducta.
CAIXEIRO.
Precisa-se de nm caixeiro que tenha bastante
pratica de miudeza para tomar conta de nma loja'
por bataneo : na ra da Cadeia do Recife n. 43.
Precisa-se alugar urna preta para lodo o ser-1
vico de urna casa de familia : na ra do Trapiche
numero 4.
Precisa-se de urna ama pira todo o servico
igreja de Nossa Senhora do Rosario da fre- 2e?" df p?aca ,an)i,ia : no Pateo da ma,rlz de
gueziade Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos esto a Ten-
da na respectiva thesouraria ra do Cres-
po n. 15.
Os premios de 10-0000000 at 20000
serio pagos unta hora depois da extracto
at a 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As> encommendas s se guardarlo at a
noite da vespera da extraeco como de cos-
tume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
O cartono He appellaces, aggravos e protes-
tos i letra % cvgo do escrivo interino Parias
Torres, icha se m? primeiro andar do sobrado n.
12 da rna sireita jr Rosario, na sala posterior a
a qne ten ecf^p|o^io, fl Sr. Dr. Jos Teixeira.
Joao Fortnalo Suavedra vai a Lisboa, e nao
tendo lempo para despedir-se pessoalmenle de lo-'
dos os seus amigos pela* distancias em que alguns
moram, pelo presente Ihes faz suas despedidas e
Ihe offerece seu raco presumo.
O Sr. Dr. Pempilio nma Pesoa, chegado!
no vapor do norte, qneira ir a ra do imperador
numero 21.
Mara d'Assumpco de Andrade Luna, pro-
fessora publica da terceira cadeira da fregueziade
6. Antonio desta cidade faz saber a quem inters-
sar que lem aberto a sua aula roa da Florentina!
caa n. 6.
~ de
da
Precisa se de urna ama secea para casa
pouca familia e paga-se bem : a tratar a ra
Crui n. 6f,eegnndo andar.
Aluga se o primeiro andar da easa da ra
de S.franciseo a. 68, de preco de 184, cuja chave
se ana oa raa do Crespo n. 20, esquina.
Na ra do Queimado, sobrado n. 29. precisa-se
de urna ama para casa de hornera solteiro.
Na fabrica de charutos e cigarros, sita na
ra de Hortas n. I, precisa-se de uro menino para
caixeiro, Brasileiro ou Portnguez, s se exige boa
conducta.
Mobilias de alngoel.
Alugam-se mobilias completas de toda a quali-
dade ou qualquer traste separado e por preco com-
modo : na rna Nova armazem de mobilia do Pinto
Precisa se alugar um escravo para: todo o
servico de urna casa de familia : na rna da Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar.
Joo Aotonio da Silva, subdito portuguez,
vai a Europa tratar de sua saude.
Precisa-se de um criado estrangeiro bom co"
peiro, e que afiance a sua boa conducta : na rna
do Imperador n. 29.
Precisase de urna ama de leite sem filbo,
devendo ser nma mnlher bem morigerada, e que
pense cuidadosamente de nma enanca : qnem se
julgar em taes condic,oes dirija se a ra da Soleda-
de n. 36, oa a roa dos Pires n. 39.
Aluga-se a casa terrea o. 105 da ra de San-
la Rita : na rna da Aurora n. 36.
Descuido.
Perdeu-se nesta praga da ra do Imperador at
a praga da Independencia o moleque Raymnndo,
escravo do Sr. Feliciano do Reg Barros Araujo,
do engenho Montevideo, que tendo seguido com
urna pessoa que o encaminhava at a ra da Pal-
ma n. 41, aconteceu (supponho) acompanhar nm
outro. elle crioulo, muito matatado, nm pouco
feio, trajava jaquela branca velha, caiga no mes-
mo estado, chapeo de palha velho,conduzindo nma
caiga e urna camisa novs de algodo de listra, o
mesmo escravo nao sabe dizer qnem o condnzia, e
nem para onde ta, representa ter 16 a 18 annos
de idade : roga-se a quem delle der noticia de o
levar a casa indicada da ra da Palma, on no es-
criptorio da ra da Cruz n. 30.
Preco diminuto.
Alugam-se duas casas, nma terrea e outra so-
bradada, com bastantes commodos para grande
familia, sito na cidade nova de Santo Amaro, con-
fronte ao hospital inglez : qnem pretender, dirija-
se a ra da Mangoeira n. 20.
Joo Antonio Torres subdito portuguez reti-
ra-se para Lisboa.
Prectsa-se de urna criada que salba engom-
rar e cosinhar para urna casa de pouca familia
na villa do Cabo : a tratar na estacao das Cinco
Ponas com o seu chefe da estago.
Precisa-fe alugar ama negrinha, mesmo pe-
quena, para andar por casa com nm menino que
ainda nao anda : qnem tiver anonncie on dirija-
se a ra do Bartholomeu (era sega i ment do Poci-
nho casa dedeteogo) n. 45. Pagase bem.
Rodrigo Pinto Moreira,' subdito portuguez,
vai a Portugal, e deita por seas procuradores Jos
Egidio de Albuquerque, Sebastio Jos da Silva e
Tiago Jos dos Santos.______________
Contraria de \". 8. do i.lvra-
memtm.
De ordem da mesa regadora eonvido a todos os
irmao desta contraria aflm de se rennirem em
mesa geral, domingo 5 do corrate, as 10 horas
da manlia, a negocio de alta importancia tenden-
te mesma coufraria.
Secretaria da contraria de N. S. do Livroienlo
2 de marco de J865.-0 secretario,
Geraldo de Paula Medeiros.
Francelina Alejandrina da Silva Marques, viu-
va e inventarame dos bens deixados por morte de
sea marido Diniz Antonio Ferreira Marqnes, faz
sciente a todas as pessoas que se jnlgarem credo-
res do mesmo casal que tratem de provar os seus
crditos, nos autos do inventario que se esl pro-
cedendo peU juizo de orphos desta cidade. e-n i-
vo Brito, os que assim nao fizerem nao sero ai-
tendidos no acto da partilha, nao obstante serem
declarados na descripgo feita pela mesma inven-
tariante. Recife 28 de fevereiro de 1865.______
Venda-se ou trocase por casa nesta praga,
um sitio no lugar denominado Curcuranas, com
1,000 ps de coqueiros, casa de vive-nda, urna boa
hortacom muitos ps de arvores fructferas, baixa
para capim, boa agua de beber, e grande acude
para lavar aniraaes, trras de lavoura* para tra-
balharem at dez captivos, podendo ter-se cinco a
oiio vaccas de leite amarradas; vende-se por nao
poder o seu dono continuar nelle : quom preten-
der dirjase a ruado Rangel a. 6. ou no dito sitio
a Manoel Jos Nunes de Medeires.___________
Aluga-se urna casa na Passagem da Magda-
lena com 2 salas, 8 quartos, soto, quintal mura-
do e banho no fundo : as pessoas quo pretende-
ren), dirijam-se a ra Direita numero 3, primeiro
andar._________________________________
O portugnez Albino Baptista da
Rocha, relojoeiro e dourador, na
praga da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogio e
dourado por prego mais commodo
do que outro qualquer e responsa-
'bilisa-se pelo sea trabalho e espera
proteegao de seus compatriotas.
tsmaa
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE,
A direcco do BANCO UNIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisaco
para estabelecer o seguro de vidas em mutualidade, faz publico que desde j toma subs-
cripces annuaes por urna s vez, debaixo das seguintes condicoes:
Com perda de capital e lucros;
Dito de capital somenle;
Dito de lucros somente ;
devendo a primeira LiqnkUcSo ter lugar no 1 de Janeiro de 1869.
As vantagensdo emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao so-
menta se collie o juro de quantias diminuas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-
nhum resultado; mas alm d'isso, este rendimento augmentade pelo capital ou lucros,
ou ambas as cousas, conforme as condices da subscripto, dos que fallecer. Tambem
partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga-
mentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem
pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidagoes sao pelo systema das companhias hespanholas, tutelar e outras; e
para se poder fazer urna idea do que pode produzir urna entrada annua de 100000, pu-
blica-se a seguinte tabella baseada sobre a experiencia de muitps annos de companhias
desta natureza.
Em 5 annos 10 annos lo annos


c
c
Por um menino de I dia a
de 1 anno a
(i de 2
de 3
1 de 3
Por urna pessoa de lo
i de 20
de 30
de 40
1 anno
2
3 -
1
a 15
a 20
a 30
a 40
a 50
1105
90-?
80,51
86j
863
863
86^
863
903
4003
3003
290)
2703
2703
2703
2703
2703
3033
9003
7503
7203
7103
7003
7003
7103
7203
7503
20 annos
2:0003
1:7003
1:6003
1:5603
1:5503
1:5403
1:5603
1:6003
1:8003
4:7003
3:7003
3:5003
3:4003
3:3503
3:3303
3:4003
3:7003
5:0003
As entradas por urna s vez d5o resultados muito superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 53000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO UNIA'O, Jos da Silva
Machado.F. M. van der Niepoort.
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz
numero 1.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ullimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparadles empregadas com militas vantagens, tem a hon-
ra de participar o respeitavel publiccem geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se ada de novo prompto ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
fissao, advertindo que trouxe um immenso sortimento de dentaduras artificiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem-
instrumentos novos, ferramenta moderna, cadeira de operacoes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso deservir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a confianca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da mantiS al ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da larde quantlo nao tiver de ir em casas particulares.
GASA DA FORTfl
Educaco de meninas.
Francelina Maurina da 'Silva Albuquer-
que, professora particular de nstruccao
primarla, continua a ter sua aula na ra
estreita do Rosario n. 38, segundo andar,
admitle alumnas internas e externas As
materias do ensino sao as seguintes: tri-
tura, calligraphia, nocoes de arithmetica,
grammalica portugueza com applicacdes
praticas, doutrina evanglica, costuras,
marcas e bordados de todas asqualidades.
Daniel Tavares Coelho, subdito portuguez,
retira-se para Portugal a tratar de sua saude.
Manoel de Almeida, subdito portuguez, reti-
ra-se para Lisboa.
Consulado da Saissa.
Deseja-se fallar neste consulado com o Sr. Gia-
como Rovelli de Pallanza (Italia), ou a quem delle
tiver noticias.____________________________
Precisa-se de urna ama forra ou captiva e
tambem se compra sendo por commodo prego : na
roa do Rangel n. 38, primeiro andar._________
O Dr. Antonio de Vasconcellos Menozes de '
Drammood,antigoadvogado neste loro, contina
no exercicio ca sua profissao, podendo para isso
ser procurado todos os dias atis das 10 horas da
manhaa as 4 da tarde, em sea escriptorio ra do
Imperador n 43, primeiro andar ; bem como para
casos argentes a qualquer outra har do dia, em
sea domicilio i ra da Aurora n. 26.__________
Offerece-se um mogo para copeirode alguma
casa Ingleza oa portugueza do que tem bastante
pratica ou para oulro qualquer emprego de portas
a dentro : a tratar na roa da Cadeia n. 52, fojaf
Aos 10:000^000.
Bilheteg garantidos.
A' ROA do Crespo h. 23 e casas do costtme.
0 abaixo assignado venden nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio do patrimonio de orphos,
os seguintes premios :
Um qnarto n. 989 com a sorte de 6:0005000.
Um quarto n. 2169 com a serte de 1:4<>0000.
um quarto n. 1942 com a sorte de 'OOjOOO.
E outras muitas sorles de 200, 1005, 405 e
20000.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 2" parte da 4" lotera
beneficio da Sania Casa de Misericordia que se
extrabir no dia 10 de marco.
PRECO.
Bilhetes. '. 125000
Meios......65000
Quartos.....35000
Para as pessoas que eemprarem de -100,-jOOO
para rima*
Bilhetes.....115000
Meios......35300
Quartos.....25750
Manon Marti.ns Fiuza.
Precisa-se alugar urna ama portugueza que
saiba engommar bem e coser, para urna casa de
duas pessoas : na ra da Imperatriz n. 31, pri-
meiro andar.
mmmmm mmmm mmmmm
Saques uobrePortugal. fi|
1 O abaixo assignado. aulorisado pelo 5
Banco Mercantil Portueuse. e naausencia M
Ulo Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- 1
feclivamente por todos o paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Poi.o, e mais luga-
(pesdo reino, por qualquer somma vis-
la.e a praso; podendo, o que temaren
8saques a praso.reccberem ista.no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 aoanno: na 1
loja de chapos da rna do Crtspo n.6, ou Wt
oa raa do Imperador n. 63, segundo an- S
(piar.Jos Joaquim da Costa M-*ia.
mw*m*amm mmmmm
Furtaram da povoacao do Cachang, na noi-
te de 19 do corrente, pelas 10 horas da noite, um
cavallo rodado claro com dinas e canda brancas,
tendo urna pequea belide no olno direito, an-
dador de baixa a meio, um pouco abenas as per-
nas : quem o apprehender leve-o a ra dos Pires
n. 35, que ser gonerosarnente- recompensado.
Precisa-se de nma ama para fazer todo o se-
vico de casa de nma s pessoa : no becco das Ba-
reiras, casa n. 3.
Ama
Precisa-; e de urna ama para comprar e cozinhar
e fazer o servico interno de ama easa de familia,
paga-se bem : na rea do Queimado o. 33 A, loja.
SOCIEDADE PARTICULAR
f II A MI PERNAMBUCANA.
De ordem do conselho administrativo da secie-
dade Thalia Pernambucana aviso a todos os senho-
res socios instaladores para que se reunam no da
3 do mez de marco prximo futuro, pelas 10 horas
da manhaa, na"Capunga, na sede da mesma socie-
dade, afim de ser cumpridooart 28 dos esiatutos;
assim como traiar-se da inangurar,ao da mesma.
Outro sim o mesmo conselho pede com instancia
que os senhor^s socios, ex pectadores e represen-
tantes tambem comparecam, para que testemu-
nnando o estado da sociedade, arredem de si qual-
quer idea que injustamente tenham feito.
Secretaria da sociedade particular Thalia Per-
nambucana de margo de 1865.
1* secretarlo,
______________Thomaz B. Lins de Barros.____
O Sr. Domingos Gomes Fernandes tem urna
carta vinda da ilha de S. Miguel ; na ra da l'e-
nha n. 29, primeiro andar.
MmmmmmM mmmmmm
K| Precisase fallar aos herdeiros do fina- &
5 nado Cosario Marianno de Albuquerque >S
JVg Cavalcanii sobre urna pequea heranca 1$
2SS qus Ihes perlence existento no termo de ag
^5 Sant'Anna comarca do Aearac provin- ~?
|R cia do Cear, na ra estreita do Rosario jf|
n. 23, primeiro andar, escriptorio do Dr. ^
Fe i tosa. g
mmmm mmmmmm mmmm
Samuel Power Johnston Companhia.
Rna da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
l'nadivw de Low tloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios do carro para um e dous cavallos.
Relogios de o:.ro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Na ra dos Pires n. 3i, aluga-se urna excel-
lente escrava de boa conducta a qual faz lodo ser-
vico de urna casa de familia,Interno externo.
Escravo fgido.
"No dia 2fc de dezembro prximo passado fogio
o preto Braz, com os signaes seguinles : bailo, de
corpo regular, sera barba, cara larga, cora muitas
verrugas em rima do olho direito, levou camisa
de algodozinho e calca de aznlo, e outra de bae-
ta verde, chapeo de palha, e qual tal vez j tenia
mudado, costuma andar muito de vagar e puxa
pela perna esquerda por causa de soffrer de dores
rheumalicas, e fol escravo do Dr. Olinda Campel-
lo : qnem o pegar sirva-se lvalo a ra das Cru-
zes n. 32, padaria, que ser bem recompensado.
Alian Paterson, subdito inglez, retirase do
imperio.
.

1


Diaria de Pcmaibuco abfoado 4 Je Mart?o tle !&.

Para todo.
0 abaixo assignado fax sciente ao reepeiuvel
publico que uiudou a sua offlcina de paltanha da
ra do Imperador n. 34 para roa das Cruzes n.
23, igualmente tero para vender palha e junco
mais barato qne em onlra qualquer parle.
Maooel da Cosa Azevedo Napoleao.
Precisa-se de um padeiro perfeito em seu
trabalho para ir para a villa do Cabo : a tratar no
paleo, do Terco n. 141.__________________
Alaga-se
o terceiro andar do sobrado da ra larga do
Rosario qae volla para a do Cabug, com
grandes commodos para familia: trata seno
segundo andar do mesmo.
Na padaria da Torre precisa-se de um
amassador que saiba entregar p3o._______
Arrendase a propriedade denominada Barra
de Serinbem, sita na freguezia do mesmo nome,
com grande coqueiral disfructar, e rauitos foros
cobrar annualmento : a tratar na ra da Aurora
numero 26.
.HffiM MM WM M 9HRS91S8M8
O Dr. Cosme de S Pereira conti-1
na a residir na ra da Cruz n. 53,1
e 2 andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre w seguinte
1 molestias de olhos; -
2o de peito :
3 > dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d sjj
6 as i 0 da manbaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
rio que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
YENDAS.
Cozinheiro oh eozinheua e am.
Na praca da Independencia ns. 23 e 2o ao p
do fnnileiro, precisa-se de quem cozinhe, escravo
ou forro, quer bomem ou mulher, assim como se
precisa de quem eugomme, preferindo-se alguma
Portugaeza, garante-se bom tratamento, e a casa
de pequea familia.
A commisso encarregada da liquidado da
casa do Tinado Manoel de Gouveia e Souza, convida
aos credores do mesmo a apresentarem seus tilo
- los no escriptorio do mesmo finado, ra do Apol-
lo, e os senhores de engenho a apresentarem suas
contas correntes, alini de facilitar a liquidacao as
,ercas e sextas:feiras, das 2 as 3 horas da larde.
Livro do Povo.
O livro do povo, obraornada comestampas.con-
tendo a vida deNosso Senhor JesusChrislo, e mui-
tos artigos nteis. Este livro das familiasrecom-
mendado eapprovado pelos Exms. Srs. D. Luiz
bispo do Maranho e D. Manoel arcebispo da Ba-
bia, vende-se a 14000 cartoriado, na livrariade
Jos Nogueira de Souza, rna do Crespo n. 2
Precisa-se alugar urna escrava que saiba la
var, cozinbar e engommar : na ra da Manguei-
ra,sobrado n. 6._________________________
Aluga-se um escravo cozinheiro : quem o"
pretender dirija-se a ra da Mangueira, sobrado
numero 6.
Aluga-se urna escrava de idade de 14 aonos,
pouco mais ou menos,nao para sabir a ra : na
ra do Padre Fioriano n. 31, a tratar com Leonar-
do Buflno de Freitas.
Precisa-se alagar urna escrava para todo o
ser vico de ama casa, e que saiba engommar, para
urna s pessoa : na ra larga do Rosario 31,
gemido andar.
Attencao.
Vende-sc superior vinbo do Porto em caixas de
ama duzia : em casa de Johnston Paier & C. ra
do Vigario o. 3.
ALMANAK.
Acaba de f^ahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almauak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Fardo
em saceos de mais de 100 libras : nos armazens
de Tasso IrmSos.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S. Joao da Luz, na ra do Livramento n. 21.
Borz'oguins de lustre (Nanles) 64000.
Ditos de hezerro de tres solas (Nanles) 64000.
Ditos de bezerro de duas solas 64000.
Sapatos de tapete 840 rs.___________
Milho novo em saceos grandes : no trapiche
du Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.
GRANULOS E XAROPE
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Remit pelu experiencias fritas as Indias e em
Franca pelos mais afamados mdicos qne as granu-
las 6 O XAROPE di IIYDROCOTYLA ASITICA
J. LriNE sio o ptimo remedio contra todas as esp*-
eic Je im r-rGENS ou herpes e outras molestias da
pelle, at as mais inveteradas, assim como a lepra
OU MORPHEA, a SIPHILI8, as MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS, os RHEUMATISMOS chronicos, ete.
Deposito geral em Parit, em casa de fourmir
LABELONYE, ra Bourbon-Villeneuve, 19.
Deposito geral em Pernambuce rna da
Cruz n.22 em casa de Caros & Rarboza
Noarmazemde fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Rea do Queimado a. 19.
Vende-se o seguinte:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo preco de 24400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 3,8500.
Coberta de chita da india,
pelo baratissimo prego de 24500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a i& a duzia.
Pecis de bretanha de rolo cora 10 varas
propria para saia.a 45-
Pecas de cambraia de forro, a 2>600.
Esteira da India
propria para forrar salas, de i, 5 e 6 palmos de lar-
gura, por menos prego do que em oulra qualquer
parle.
Toalhas alcochoadas para maos
"5 a duzia.
Lazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 ris o co-
vado.
COMPENDIO DOLOROSO
que coatm o ofcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devov3o; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-(
verendos padres missionarios apostlicos,
capuchinhos italianos de Pernambuco, |
approvado por S. M. I., que Deusguarde;
dado luz por devocSo do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praga da Independencia.______________
FOLUI\lIV
Para 1865
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLH1NHA DE PORTA, abrangendo o
Knlendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
em verso, devocao ae agonisanle, coraclo
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
sa Sonhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesia), crescido numero de m-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vintecinco novase
pilhericas charadas a 320 rs.
DO
DE
BALAD
AZEVEDO i FLORES.
Rna da Cadeia do Recife n. 17, esquina que volla para a Madre de Dos.
Attencjlo.
Pelos sega i ules preces
Paletos de casimira (saceos) 124, 114,
10* e........,i 84000
Ditos dealpaca 5S e...... 44000
Ditos de alpaca branca 54 e 44500
Sobrecasacos de panno lino francez 224000
Calcas de brira pardo 24500, 34, 34300 44000
Ditas de brim branco 44, 44300 c 34000
Ditas de casimira de cor 54, 74, 84 e 104000
Cortes de casimira prela fina 74 e 54000
Seroulas franeczas Anas..... 14600
Colletes de casimira pretos e de cores
34300. 44........
Baldes de 20 e 40 arcos dos melhores
que tem vindo ao mercado .
Camisas francezas a 24, 24300, 34 e
Madapoloes francezes (peca) 134, 144,
44500
54000
134000
Chitas para coberta (covado) .
Las lisas de todas as cores .
Vestidos de laa Maria Pia muito linos
Lencos brancos muilo linos (duzia) .
Um completo sortimento de chitas lar-
gas de 300 a ........
Cambraias lisas brancas muito tinas
(peca) ...........
Um variado e lindo sorlimente de cha-
les de merino estampados de 54 a
Seroulas de linho muito finas .
Aberturas de linho pregas largas .
Bramante de una largura ....
Camisas de tlanella bonitas, cores eco- -
nominas.........
Lencos de esguiam.......
320
4
184000
24800
500
34000
84000
0 GASTELLO DE GBASYILLE
Traduzido do fraueei por A. J. C. da Cruz.
Vende-se -este bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 26500 :
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queimado, n. 49 e 35. E' para admirar.
Carrelis de liana com 150 jardas...... 60
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................. 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
Novellos de linha grandes com 400 jar-
das ................................. 80
dem idem brancos e de cores de 100
jard.s............................... 30
Livros para assenlo de roupa hvada... 100
Cordao branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de botoes de punho todos de cores 120
Tinteiros de barro cora tinta........... 100
Tesouras para costuras finase unhas 400
Ditas para costuras com toque d'avaria 200
Escovas para linipar denles muilo linas
160,200e..............................
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
Iho).. ..........................
Meiadas de linha fronxa para bordar..
Pares de sapatos de tranca........
Massos com superiores grampas para
senhora.............o.............
Frascos de macaca perola muito suerior
verdadeiro oleo de babosa a
320
640
600
POTASSA
Precisa-se de urna ama secca para casa de pouca
familia: a tratar na praca do Corpo Santo n. 17,
terceiro andar. ^^^^
Alaga-se o segnndo andar e solio da casa n.
33 da ra da Matriz, tem muitos commodos para
familia : a tratar com o Sr. Antonio Joaquim Fer-
reira Porto, ou com Miguel Joaquim da Costa, na
roa da Cadeia n. 12.
O abaixo assignado. commerciantc nesta pra-
ca, declara que nao se entende com elle a priso
para correccao, etTectuada no da 2 do corrente
mez no individuo de igual nome, ordem do sob-
delegado da freguezia de Santo Antonio, como se
v aparte da polica publicada no Diario de hoje.
Jos dos Santos Neves.
Na rado Trapiche Novo n 22, precisa-se
de urna ama para urna familia estrangeira._____
O Sr. Joao Francisco de Pontes, ex-secio da
firma de Carvalho Si Pontes, estabelecido com pa-
daria em Caruar, tenha a bondade de mandar
pagar a sna letra vencida a 2 para 3 annos, da
quanlia de 1004, na roa da Penba n. 23, primeire
andar.
na rna da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Lazinhas de cores finas ; Ditos de
do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris o I .400 rs. e........................
covado, nesle armazem de fazendas se enconlrar ; Ditos e garraliuhas de agua de Coloaia
um grande sorlimento de ronpa feita e por medida muilo fina.......................
Dilos de buha a Ganbaldi e da familia
imperial.............;...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
Vender potas sm barra a commedo preco o b"J!| 'ual"la'le..............
nd*r orintn""! Pares de U3S Para senhora as melho-
Pecas de biro.- francezes e renaas.....
Potassa da Kussia FrAocr.s. .de.a2?.den,.ifrice.mai!0.sa.pe"
Acaba de chegar a mais nova e verddeira po-', Caixas com 4 papis de agtilhas a balo
tassa da Rossia, e vende-se a preco com modo:, no i Victoria.......................
escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Fi'ho, Libras de laa sendo de todas as cores...
largo do Corpo Santo n. 19. Bonecos vestidos e tambera de choro...
; Caixas com superiores obrejas........
Ditas de linha de gaz com 50 novellos..
Enliadeiras de lita para espanilhos.....
Carrelis de linha de cores com 100 jar-
das .............................
Pecas de cordao imperial............
20
20
14300
30
200
ADMIREH!
LSas lisas de todas as cores muito finasa
Os donos da loja do BALAOencarregamse de mandar fazer qualquer obra de biim
etc., para horneas e meninos, anda que a fazenda nao seja comprada na dita loja do
ou casimira
^
CIIEGARAH OS MODERNOS CHILES m
FILO PRETO.
Superieres chales de fil prelo chegados pelo ultimo vapor fran ez.
)ja das 1
los & C.
FAZENDAS PRETAS PAR\ A 'AKESMA.
N. 11Ra do Queimado]f. 11
Chegou a este eslabelecimento pelo ultimo paquete vindo da Europa nra bollo sortimento de
fazendas proprias para a quaresma como sejam : faijonn de se.la prela lavrada linos deseuhos, fa-
zenda completamente nova, chegou o mais lindo sortimenio de moir preto lavrado o mais superior,
ricos vestidos de facon de seda preto lavrado com barras todas estas fazendas sao proprias para ves:
tidos o que ha de mais moderno ; assim como um lindo sortimento do bournus de renda pretas mui-
to superiores e chales preto de croch de seda o que ha de melhor ; chapelinas e chapeos de palha de
Italia para senhoras ; pannos e casemiras pretas e eutras muitas fazendas que se vendem por mdicos
precos.
0 VIGILTE
Ra do Crespo n.
O gallo vigilante teudu sido agraciado puo {.cm-
puso Uallisa, na sua ordi-m do da. < pela biaura
Aguia, apesar de que, cara ene* c Galle r in u
agudesespores nunca os offender, antes c: agra-
ciara na mesma conformidade. para (jut o Caliza,
possamarchar em frente, a Branca guia p#f
levanlarieu \'6o,|levando no bico as palinbas sf
niohoje o Gallo licara era seu espacoso campo
dandede novo o seu canto annunciando a set?
bonsfreguezes e aorespeilavel publico
0 grande sarliaeaU deoujectos demuiugKtoct
acaba de reeeber.
Ricas caixinhas com msica ricamenle Hifeirv
das para costura, proprio para um delicado me-
BiOO.
Riqaissimos cofresinhos
l>ara faardar joias.
Ricascaixas com estojo, contendo ioc tences parahomem.
Ili luissimas voltas fingindo perola.
Ditas com laclnhode lita.
Ditas J.ilindas ;:*ires e prela, de tod;.i a; ros-
suras.
Liodos.iJerecos com pedrinhos fiepindo bn-
Ihantes.
Ricaslivellas para cinto, de todas as qualidades
e bom gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Pars.
com cadeadt- de metal
Estafrelecimento.
Vende-se o armazem da Aurora Brilhante ao
largo da Santa Cruz um-oos melhores estabeleci
| mentas na Boa-Vista : a tratar uo mesmo ou com
os Srs. Rosas Irmaos.
300
400
900
240
.120
320
800
200
40
800
60
20
40
loja dascolumnas ra do Crespo n. 13, de Anonio Crrela'de Vas o: cel- Ifca^en d^S^^
Flores muito finas para noivas.
Lavasenfeitadas e meias de seda para runas.
Touquinhas sapalinhos e nieiasde >>'i'- para
baptisado.
Iliqnissimas filas de todas as qualidadt: r;:ra Ja-
co, ciise cinteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para i-m-v. mo de
sala.
Grande sortimenloe gravatiohastacu para se-
nhora como para honim. '
Luvasde pelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancinhas,gal3o e maravilhaspara ni.'t .;e... '
Transelins de cabellos e de reiroz part rekcu s.
Papel amisadee de outras qualidades.
Bolsas para viapem.
Entremeios e bahadinhos delindos padfe?.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para hornero, senhoras, meninos e nmi-
as.
Fitas de veludo lisas e cem ir alan e di n das a?
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as qnalidader.
Grande sortimento de abneles.
Lindos vasos com banha para ollerecin rntcs.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verddeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas graiicV, c (m
frascos qnadrados e garrafinhas.
Pomadafina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e coros de Udoso
la manilos.
Saliaoinglez em paos grandes e neqotr.o.
i Escovas-1e cabo de madreperol. maifmede
,osso, para denles. i
Pentes paradesembaracar.com friso de tretal e
| sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnilas onlra? qcalida-
RIVAL
SEM SEGUNDO
do Queimado n. 49 e 33 lojas de miude-
200
240
320
24500
fa i'cao
Vende-se nm balcao de amare lio muito bom :
na ra da Cadeia n. 30, assim como i Gleirns pa-
ra amostras e um gande feito armario todo envi-
drando'
------------------------------------------------------|
1
AGUA FLORIDA
Na ra
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por precos mais barato do que era
outra qualquer parte, quem qoizer ver o que ha
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito tinas___
Enfeites do melhor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verddeira.
Pulceiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescoco do melhor gosto....
Baralhos para voltarete, linas a 200 e..
Varas de franja branca de linha que
tero muita serventa ................
Duzia de peanas d'aco muito superiores
Frascos de oleo Bboza muito fiuos.....
Tallseces para meninos a melhor quali-
dade.....................!......
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muilo finas
, para cha........................
ifin' '*rosas ^ botoes de osso para caiga...
J Grpsas de botoes madreperula para ca-
rniza..............................
Grosas de botoes de louca prateados
muito finos..........."...........
Varas de baado do Porto sortido.....
Duzias de lapes differeates qualidade a
240..............................
Quadernos de papel de peso muito lioo.
Grande liquidacao de fazen-
das finas, ruadalmpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 66, de Lourengo P.
Mendes Gui maraes.
ci n t n Hite?
Fazendas para o carnaval.
v"ende-se velbutina de todas as cores a 800 rs. o
1-5280 covado, ganga encarnada a "160 o covado, sarjelim
300 de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria
500 para vestuarios a 320 e 360 o covado, tafet de seda
240 de todas as cores a 600 rs. o covado : ra da Impe-
ratnz, loja da Arara n. 36.
Chitas baratas a 210 rs
Vendem-se chitas finas a 20 e 280 o covado,
chitas francezas finas a 320, 360 e 400 rs., cassas! j^'
tioas de cores a 320 e 400 rs. o covado, percalas ,
Moas para vestidos o 508 e 360 o covado : ra da i fentea de tartaruga para senhora.
Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Caries de cambraias, a Arara vende a 3.
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas a, c
34300, 44 e o&, cortes de cassas francezas finas a,
34, corles de chita de 10 covados a 24400, ditas; ... ,_ toninnai.
finas a 34200 : na loja da Arara, ra da Impera-., Lindas voltnhas de peroles falsas comernzinna,
trlz,n. 56. :nngindo branles, assim corro entintas crisis
-^ dos a 34 e 34300 o covado, grodenaplc preto fino ]e ^oltinh.is, pelo barato preco de 14 e 142C0, (S
a 14600, 14800 e 24, dito superior a 24600, dito; "a7-ef asa 400 rs. s no Vigilante, ra do
2qq com o palmos de largura a 3l> o covado, panno ti-' Crespo n. 7.
06e no preto a 24, 24800, 34300 e oi o covado, case- j Leques.
mira prela fina a 24,24500 e 34 o covado, alpaca | Rlqaissimos leques de madreperola Unte para
400 Pre,a a 300, G00 e. 800 rs. o covado : ra da
03Q peratriz,loja da Arara n. 36.
060
060
200
240
300
24400
14500
200
i utrosobjectos de posto quesera tapcmrelufn-
oinar.qne a vista far f, s no Gallo Vigilaste,
1 cue do Crespo n. 7.
Resma do mesmo papel............. 24000 Ar*ra >*u .i* .. MH1UI.-.1IHIV." iciji^pa uc iiiaui e|'<.-i uta inu.v fula
Im-1 senhoras como para meninas, pelo barato j rece
'de 124 e 144; s no Vigilante, ra do Crespo
AMA
Precisa se alugar urna prela escreva ou mesmo
forra, que cozmhe e engomme, para casa de duas
pessoas: na ra das Cruzes n. 5, casa terrea.
Precisa-se de urna ama para se encarregar
somente do servlco de cozinha : na roa da Cadeia
do Recife n. 32, terceiro andar.
Precisa-se alugar nina ama que saiba bem
cozinhar, e sirva para comprar para urna casa de
duas pessoas : na ra da Imperatriz o. 34, primei-
oo andar_________________
Fazera-se comidas para fr* com asseio e
promptldao, por preco coramodo : na ruados Pi-
res n, 22._______________________________
Vndese caixees vaziosproprios
para tahaleiros e fu ni le i ros a i $760
cada a i; nesta typographia.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas, pa-
ga-te bem : na loja de bilhetes da Praca da Inde-
pendencia n. 22.
Compra-se um escravo de idade que
rva para trabalho de sitio: nesta tvpo-
graphia se dir quem quer.
Algodo emearoco.
Coaapra-se qaalqaer quaulidade por raaior pre-
co do qae se paga no mato : na fabrica da traves-
sa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
3Z>__
Vende-se urna negrota de 12 annos, boa figura e
sadia, propria para casa de familia : quem a pre-
lender dirija se a ra Imperial n. 36.
Vende-se a casa de moinados ua ra da Im-
peratriz.n. 34, por seu dono ter de retirar se para
tralar de sua saude, faz-se todo o negocio : a fal-
lar na mesma cima.
Vende-se urn sobrado de um andar, .-lo na
rna Imperial, urna casa terrea na mesma ra, e
mais outra na ra da Mangueira, por preco com-1
modo: a tratar na roa da i'raia com diurtico
Ribeiro da Cunha e Oliveira, no seu armazem de
carne. A agu florida de Murray & Lanman,
Na ra dos Coelhos n. 10, sobrado, vende-se olha(la Como um rtigo de perfume, nae
uma cxceiiente escrava com as habilidades seguin- i tem podido ser igualada pelas preparaces
tea; Iwar,engommar,eoitohar eeoae, tudocom as maiscustosas: conserva seu aroma.como
n
nao
MURRAY & LANMAN
alguma perfeicao, muilo del, 26 annos de idade, se formaoSP nartP a* nrPn(ia a rrnft Alia
canra, muito sadia e robusta, tudo se garante na he __*** Pf^ .prnaa, ?.qu? 6lia
venda ao comprador por ser riai. applica. ba ellicacia e tao delicada, CO
- Vende-se ,.or commodo preco o sobrado de elegantes sao seus multiplicados usos, quer
tres andares e sotao da ra do Amorim n. 19 para seja empregada C.omo artigo de touaador,
cumprirordeos deseu proprietario que se acba quer no uso douauho, ou como suavisador
K:iHn^K,ted,r,i*"searaadoV" dapellMepoisquesc tenha feito a barba;
gario n. 19, primeiro andar.
j para limpar as gengivas ou aromatlsar o
* Comprase effectivamenie ouro e prata em
oDras velfaac, pagaodo-se bem : na rna larga do
Rosario n. 14, loja de ourlves._______________
(.ompra-.se am negro de irea idade : na rna
do Queimado n. 34.
Attencio.
Compra-se um brazo de balaoga grande com
ranchas e pesos at i arrobas ou sem elles em
boa osudo : a lrUr ni ra Direila n. 76, ou na
rna Imperial n. 162._______________________
Compra-se ura e*ewo cozinheiro que seja
rooee, robusta e sem vicios; a tratar no sobrado
a. 32 da ra da Aurora.____________________
Comara-se nm prelo moco que saiba cozi-
nhar e tenha boa conducta, e oalro qae tenha 18 a
20 annos e de bonita ligara : a fallar na ra lar-
gado Rosario n. 34, botica. _________
Compra-se ebre, bronze e ferro cuado ve-
jho : na fund cao da Aurora, em 8anto Amaro.
Compram-se diarios na fabrica de cigarros
de Joao Goncalve Hespachof, na ra larga do Re-
aarjfBS 4e8. I
O abaixo assignado, proprietario de uma sor- ha|itn
te de Ierras de 1/2 legoa de frente e uma de fon- 5*" .. .,_ ,. .. ,
do.amargem do rio Taquara, cujas seacham le- Da suavidade, brilno e elastlCidade as
galisadas e capaz de toda agricultura, faz sciente COmpleices, depois de se haver lavado; al-
que a vende; e as pessoas que prelendercra dlr- |Va) a irritacao de erupcoes ordinarias; fai
me^"*."8* SUa reS "' "a rU 'a DU' i desapparecer o desagradafel aspecto dos
JosEgidio de Aibuqoerque. pannos, das sardas do rosto, rugas e toda a
"^^VeTd"envse"doul balcoer'delmTrelle delo- casla de ebulices, e d vigor e frescura a
del lo de consolo, solapara posta de taco, e giz parte onde quer que se applique. Sua effi-
para bilhar. o uma commoda de mogno : na ra ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
da Roda n. 6.
Duzia de facca e garfo muito boas-----
Sabonete de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muilo
nons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Eisencia oriental para tirar nodoas de
ronpa............................
Creio para dezeoho de ledas as qua-
lidades...........................
Carlas de allinetes francezes muito su-
periores ..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................
Carrelis de retros com qualro oilavas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.........................___
24400
040
500
24000
[io:>
500
020
100
360
800
200
D"2aaoOT rr'-i o o tt 0
fe-
as
3 _
QJ
o a
v.

-ESg
O
u
a
g 1 S-g 0,8 58 11,31,
|"3 S- &9 S_b &5"8 5 ? o~^2
_ c STB al~y So 2o,ail
* 3 o. s: 2- o g- sr -Pc
o. w 21
O. c a 3
a>
Vende-se nm sobrado de um andar na tra-
vessa do Veras n. 13, em chaos proprios: na ra
da Alegra n. 3 se dir quem vende.
Estopa a *0 rs
a jarda : na loja da ra da Madre de Dos n. 16
defronte da alfandega.
veis nos casos em que seja preciso appli-
ca-la como estimulante e antisptico, nos
concursos e assemblas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como um antidoto excel-
ente para os desmaios causados por canaa-
go mi sulTocacao. Preparada nicamente
-Vende-se um cabrinba de 13 a 16 annos, por Lanman de Kemp, Nova- York, e a venda
muito lindo, proprio para pagem : na ra do Im- por Cao 'S 4 Barbosa.
perador_n145, terceiro andar._______________Vendem-se no Recife em casa de Caors &
- Vende-se melada.da propriedade Qaemevon, Barboza e Jo3o da C. Bravo 4 C.
sita na cemarca do Benito, uma legua distante da
tstacio da Gamelcira, a qual tem uma legua da
trra, reberta de matas e pela qual passa um rio
crranle. As ierras sao excellenies para a cultu-
ra de canna, algodao etc., sa all ronhecidas pelas
Ierras do fallecido senador Jos Carlos Mayrinck
da Silva Ferrao : quem as quizer comprar dii-
ja-se a ra do Rrutn n. 56 a tralar com Mauricio
Praacisco de Lima.
- S ^ 2-3
T-O O S
CD om w en S
SOW
_ e "O
eo _
l l
_ to a.
r -
o sa o. '
M p
I

a

m
9
o a*_.
o- 5 5 _
.^=3 2 3
en 3 S
S a a _
r i > o.
aj o
O
"8
o.-
_ a>
a> -,
O
15
i:
^5'
B
a, o
Fabnca Coiiceicao da m
Baha.- 5
Andrade k Reg, recebem constante- S
mente e tem venda no sen armazem n. 1
34 tft ruado Imperador,algodao d'aqnel-
w !a fabrica, proprio para saceos de assu-
?B car, embalar algodao emploma etc., etc.,
W_ pelo preco mais razoavel.
Vendem-se duas casas sitas na Capanga ama
na ra da Amizade com 22 palmos de frente o
oulra na ra das Pernambueanas ao voltar para a
ra da Amizade, onde tem o eslabelecimento de g
taberna e refinaeSo no fundo dai mesmas caas e VW^JRIWll SI?R! Jlk^SJPWW
nm terreno morado junto a mesma proprio para Vendeja a casa terrea na roa da Padre Fio-
edificar; a tratar o. ra da Gloria a, 99, taberna, rano n. 63 : na roa de Imperador a. 14.
Vende-se a oropriedade e sillo n. 24, situa-
do as roa do Mondego e Trempo, pertencente
aos herdeiros do fallecido Feliciano Augusto de
Vascoacellos : quem pretender dirija-se ao mes-
mo sitio, das 6 as 8 1|2 horas da manha : a tra-
tar cora um dos berdeiros.
Llames novos a 6",40' rs. a arroba-
Na padaria atraz da fuodicao do Sr. Starr ven-
de se ervllhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e seradinha pelo preco em sortimen-
to de 64400 rs e conforme fr a porcao faz-se al-
gum abatimento.
Vende-se a taberna da roa da Conceico n-
II, de fronte do rancho, a dinbeiro ou a praso
faz^e tdo o negocio anda mesmo s com arma-
cao, a casa tem bons commodos para familia: a
iralar na mesma.________________________
~ Vende-sa doce seco de caj em Santo Amaro,
junto o cemiterio primeiro sitio ao lado do norte.
Vendem-se cortes de casuraira prela a 34500.
44, 54 e 64, ditas de cores a 34, 44, 54 c 74, cor-
tes de brlm e ganga para calca a 14600, 14800 e
24 : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Panno de linho a 610 rs.
Vende-se panno de linho para lences e toalhas
a 640 e 7:20, hambargo a 500 e 560," bramante de
10 palmos de largo a 34 e 2$5O0 : ra da Impe-
ratriz n. 56.
1 Arara vende os balees a 35 c madapelo a
I Vendem-se balees americanos a 34.34500 e 44,
dilos de musselina a 44500, pecas de madannli.
enfestado a 44 dito de 24 jardas, largo, a 64000,
64500, 74, 84.' 94, 104 c 124, Tinos, algodao pe-
cas a 54, 64, 74 e 84 : ra da Imperelriz, loja
da Arara n. 56.
Sonlambarques preles a 2.->
Vende-se soutambarque prelo de grosdenaple a
204 e 254, capas pretas de grosdenaple finas a
204, 254 e 304, soutambarque de lazinha a 74 e
84, ditos de alpaca brancos a 84 e 104, ricos ves-
tidos Mara Pa de novo gosto a 84, 124, H4,
164 e 204 : rna da Imperatriz, loja e armazem da
Arara n. 56.
Grande sortimento de ronpa
feita.
Vendem-se palelots de casemira de cores a 54,
64,84 e 104, ditos prelos de panno fino, sobreca-
sacas a 124, 149,164 e 254, paletots saceos pretns
de panno a 54, 64, 84 e 104, calcas de casemira
prela a 44. 65 e 84, ditos de casemira de cor a
44,64 e 84, dilos de meia casemira a 34 e 3$500,
dilos de brim e ganga a 24 a 24500, ditos de brim
branco a 34500 e 44, colletes de tolas as qualida-
des,camisas francezas a 24 e 24500, ditas inglezas
de linho de pregas largas a 34 e 34900, ceroulas
a 14280,14600 e 24, paletots de brim de.cora 24
e 34, ditos de alpaca prela a 34 e 34500" ditos de
alpaca branca a 44500, dilos de alpaca de cordao
a 44, colarinhos de linho a 640, ditos de papel a
640 a duzia : na ra da Imperatriz, loja da Arara
numero 56. O proprietario da loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas se vende
em perfeitoeslado, como os compradores podera"
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da
noite : ra da Imperatriz,loja da Arara n. 56, de
Mendes Guimares.
Filas de lia.
Filas de lia de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelbos.
Riquissimos espelfios nm moldura Mgjga'-
sem ella de 84, 104, 124,e 144, assim cTrWiir m
columnas de dfferentes lmannos a 24, 34, ;4, 64
e 64 ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor posto qae aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Cresro
n. 7.
Tara pos de arroz.
Riquissimos vases com bonecla para pos de rroz
cousa de multo gosto a 14500 e ?4, assim cerno
pacotes s com os pos a 320 rs. cada urr ; nc
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pcrfnmarias.
Grande sortimento de extractos e banhas, trina-
das, assim como de lindos copos on vasos cem dis-
Unctivos a otTerecimente as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars elnpliier-
ra, assim como os grandes copos de banha jar.i-p.eza
a 24 e a 14, assim corro outros objeclos que nao e
possivel por hoje anuunriar, e vista dos frrgue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rna iffua Florida.
Presos que admira.
Sapalos de irauca supwriores pelo barata preco
de 14 o par, o duzia 104 :' no vigilante, ra do
Crespo n. 7
Bico adamascado de todas as larguras, a peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, roa do Crespo n. 7.
Clcheles era carto de uma e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e 60 rs. cada
carlao, e dnzla a 400 e 500 rs.
Pentes para alar cabello, a duzia a 14*00, 14600,
24,34,44 e 54-
Balaios propramenle para costara e para frur-
tas, e para menina trazer no braco a I 4-j00, 14600.
14800, 24 e 4500.
Perfumara, macaca perola a 24, 24200, 34 e
44 a duzia, oleo de maozioha a 54 e 64 a dnzia,
banha a 34, 44 e 54 a duzia. Estes objeclos se
vendem por admiraveis procos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanga-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : s no galo vigilante, ra do Crespo a. 7.
BM9 hambargneas.
Vende-sena roa Novan. 61,
Para restabelecer e conservar acor naurai'
dos cabellos.
A aga 'lorida nao uma tintura, fc'o e.'sei-
cial ac,ontesur, a mesma agua dando a cor prinri-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias i noffensvas, ella tem a proprirdace
de restituir aos cabellos o principio corante que ti-
les tem perdido. D'uma salubridad? incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a liropeza da cabrea
destroe as caspas e impede os cabellos de rabir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, 111
constitue poderosatner.?. com a Agua Florida, g
torca, a belleza e a conservacao dos cabe!:.:.
Km Pars, casa de Quislaur n. 12, ra de Riche.-
lien, e -21, boulevard Montmar'rr.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro,
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, roa do Imperador.pharmacia n. 38.
Cake lo saz.
Pltch do gaz.
Alca* 1 o do gaz.
Cok?, tonelada lOOOO.
Piten, arroba 340OO.
AlcatrSo, caada 500.
' O cok reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendvcl, I im ro-
mo pelo aceio que se ola as rasinhas aon,dc e
*lle usado. Ptch e alcatrao, alem _s aidlniai *
^5es diversas a qne se prestan, como" para calata
tar embarcares, alralroar madeiras, ele, tree-
^stes a propriedade de preservar do ropim, ler-
mgas, ele. entregue na fabrica do gaz, en mau-
lado por em qualquer ponto da cidade, segundo a
rontadedo comprador previo ajuste._________
A zile de carrapato
Vende-se por atacado ou a relalho mais bar;. 10
* qae vendem os malulos as cargas : na fabri-
c| altravessa do Canaca n. i, caes do Ramo.


Diario de Fernniafeuco Sabhado 4 de Marco de 8S&
a molestia ou infeccso pecu- Fazendat pretos para a qua-
lia! conbecida pelo nome de Es- ''
regma.
crofula um dos males mais
prevalecentes e universaes que
ha era toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre (o
genero humano : disse um cela-
Ere escrptor da medicina que
mais de urna terga parte de
todos aqoelles que morrem antes
Ka leja do Pavo.
Acha-se ste estaDelecimeot completamente sor-
tidodt) fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muitissimo eneorp*.
do, outros mais estrenos tendo dos procos de
1*280,1*600,1*800, U, 3*400 e 3*, superior
moreaBtique preto a 3*, superior sarja preta he>-
panhola, superior selim preto macao, ricas capas
da velhice silo victimas, OU dir- pretas bordadas, soutombarques muito bera eufei-
ta 00 indirectamente da Escrofu-! ladS> ricas vasqulnas e casacos dos mais moder-
ul _np ei nao lft Hps- i nos 1lie ,em vindo> superiores manteletes, camisi-
t por si nao e uo aes has con. manguitos .proprias para lulo e ricos
tiva, porm a principal causa de muitas chales, Pre,0! de ieile> '"do isto se vende mis ba-
outras enfermidades que n5olhe sao geral-
inente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecedes do cerebro: Entre os ses
numerosos symptomas acliam-se os seguin-
'oc?: falta de appvtilc ; o semblante pal-
' lo e s vezes inchado, s vezes de urna
aivura transparente e oittras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fraqueta e
tnolleza nos msculos: dhgesto fraca e
"Ppetite irregular, falta de energa, ventre
inchado c evacuacao irregular; quaodo o
u il tem seu assento sobre os pulracs, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se averraelhados:o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposigo escrofulosa ap-
parecem frequentcmente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affecedes dos pttlinOes, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
tecc-ao contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
Jitario) est3o expostos tambem a soffrer das
eafermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ulceraedes do figado, do es-
tonngo e dos rins: empees e enfermeda-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
c'imacarbunculos, ulceras e chagat, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costase na
cabera, debilidades femininas, flores bran-
cas >:ausada pela nlceracao interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
ta'), rnfraquecimento e debilidade geral.
Aos'pulmoesa escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consnmpcao pulmonar :
as glanulas ella produz incliacoes e tornam-
rato do que em outra qualquer parle por ser a di
nheira : na Idja do PaVo ra da Imperatrii n. 60
de Gama & Silva.
As ronpas do Pavita.
Acha-se nesie estabelecimento um grande sorti-
raento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots soforeeasacos de panno preto
muito lino e forrados de seda a 22*. 25* e 30*,
ditos torrados de alpaca a 14*, 16* e 20*, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brira de todas as qaalidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, setins
etc., sendo todas estas obras corladas por um dos
mehores mestres nacionaes, manda-so fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavo ra da
tmperatriz n.60, de Gama & Silva
Chitas em cortes cob 10, 11 e 1'2 covados
Na loja do Pavao vndese urna grande porco
de cortes de chitasf**iicezas sendo claras e escu-
ras todas de eresi'.xas com 10 covados a 3*200,
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
peciiini'ba para se apurar dinheiro : na loja do i
Pavao, de Gama cV Silva, ra da Imperairiz n. 60.'
Grande liqiidaco.
Ra da Imperati iz n. 60, loga de fazendas
do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este eslabeleciinenlocompletamente sor-
tldo de fazendas inglezas. francezas, alleinaas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais" barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porgo, e de todas as fazendas dao-se amastras,
deixando ftcar penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
(]aiuisinhasal$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato preco de dez tustSes cada
urna : na loja do Pavao, ra da tmperatriz n. 60,
pe Gama Cortes de cassa a 3/ji.
7endem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, cora desenos muito delicados
pelo har ti.-simo prego de 3*'-( 0 o corle : s na
loja do Pavo, ra da tmperatriz o. 60, do Gama
& Silva.
Garabraias lisas, na leja do Pavo.
Vendem-se peca* de cambraia lisa muito Ana,
tapada e transparente, pelo baraiissimo Dreco de
* tendo 8 1|2 varas cada pega, ditas muito Anas
a 7*, 8* e 9* a pega, ditas Victoria eom 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 7*, 9* e 10, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pe-
Laboratorio fbokgioo e chimico de F. P. Lebeuf e C.
ria lo|tg^|Te, 31, em Paris.
Fabrica em Argenten!!, prs Pars (Franca).
BONIFICADO I F4BHICA(!iO
Dos vinhos, aguardentes e licores.
VIXHOS.Imitago dos vinhos de todas a$ AGUARDENTES.Essencia de cognac para dar
qualidades, Eitracto de Medsc, dose para 230 as agurdenles ordinarias o sabor o o aroma de
litros, 1 f. 23,de Bordea!, 2 f., de Poraard, 8 cognac. A garrafa para 100 litros, o f.
f-,de Lisboa, f.,-de Cataln, 2 f.,-de Porto. I KIRSCH E ABl.VTHO.-Essencia de
I
NEM COROAS NEJtf JIITRAS

GRMDE
1RNAZEM
DE
PortqJ
30 lr
agua
para
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e
os vinhos cima e lodos os outros. A dose
500 litros, SO f.
CLACIFICACOPs inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 500
litros. 5 f.
GOLORACO.Purpiriglne para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
de kirsch e
agua. A
de ahsinttio, para os azer com alcool e
garrafa para 100 litros, 5'f.
LICORES.-Extractos para fabricar se lodos 03
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicarse os que se'deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores Unos ou
communs a dose para 20 ou 23 litros, 1 f. 23.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, ele, sao
fabricados de enceramenda.
UTENGILIOS de laboratorio e de chiraica.
RITA DO IMPERADOR *. 40
Jinto ae sebrad* en qoe ora oSr. Osberne,
Duarte Almeida ct c:.. receberam de sua propria cncuniBicB-
da o mala lindo e variado sortimento de mol hados, prenrloa
da presente es tcito.
Alguns de nossos agentes tondo falsificado e imitado nossas preparagoes, e engaado nossos
freguezes, deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Pars,
0 modo de usar-so das areparactes acha-se Indicado no rotulo.
As encommeHdas devem ser acompanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer ontra cida-,
de de Franca, ou garantidas por urna casa conhecida.-Dirigir.se aas Srs. Lebeuf & C. chiraicos, ra \
Monlmartre, n. 31, em Paris, ou a sua fabrica em Argenleuil, pros Paris.
Vende-se na botica franceza, ra do Imperador n. 38.
DE
DE
3. VIGNES.
W. 55. RA DO IMPERADOR ...
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz. coHhecidos para que seja necessario insistir sobre t
sua superioridade, vaniagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
visque elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecio nesta praca ;'odo-
suindo um teclado e machinismo que obedeoem todas as vontades e caprichos das pianistas, sera-
nunca lalnar, por serem fabricados.de proposito; e ter-se feito ltimamente melboramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommeadas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exptssicSes.
No mesrao estabeleciaento ae acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas do:
nelhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
preces commodos e razoaveis.
CONSULTORIO MDKMIRURGICO
se ulceras: nos orgaOS digestivos causa ca: sto na toja do Pavao ra da Impo'jatriz n '60,
desarranjos que produzem indigestao, dis- de Gama & Silva.
pepsia, molestias do figado e nos rins: Osvcsiidos do Pavio.
na pelle produz erupces e affecces cuta- ,. Grande pechincha a 3*300.
qbjij. veMem.se os mais bonitos vestidos de cambraia
t^i. ., ,^i j iransparenle imiiaeao de tarlatana com rauitos
Todos estes males tendo a mesma or- delicados desenlies, rauiio proprios para partidas e
jem, carecem do mesmo remedio: asa- iiasseio* pelo baratissimo preco ne 3*500 cada um,
!:(! : purificar e fortalecer o sangue. send0 fJ*enda qoe sempre se venfleu a 7*. na loja
A salsa parrilha de Ayer sdv?va' rUa da Impera,riz D- 60, de Gama &
' juiposta dos antdotos mais effieazes que Vestidos a 4ea7
S seiencia medica tem podido descubrir, Xa toja do Pavao vendem-aericoscorlesde vesti-
a esta m lestia assoladora e para a cura de todos os males provenientes d'etta aue pe' bara, Prec!) de 4*e 7&seudo fazenda que
m virtudes verdaderamente extraordi- ^1 g*--^ ^^ ^a^
naftas B provado inconlestavelmciite pelas de Gama X Silva.
yiras notaveis e bem conhecidas que tem Os afeites do Pavo.
fettO de tumores, erupces cutneas, erysi- Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabeQa
f""av. borbulhas, nascidas, chagas antigs, *J5B5?r2j na loja do Pavo, roa da Imperatriz
DO
ulceras, rlieuma, sarna, paj-cbas, hydrope-
. tosse quando causada por depsitos iu-
Ik'icuIosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral : Indigestao, Sypliilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do utern, a nevralgia e con-
vulfes epilpticas e em summa, toda serie
de. eafermidades que nascem da impureza
do singue. Vede as certides no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer qoe
so distribue gratuitamente nos lugares onde
w ndein os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes pravas
'i; suas virtules: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composto de diversas plantas, algumas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
1.],! no seu poder altrame.
PEIT0R.U DE CEREJA DE AVER.
Gara promptamenle a astuma, bronebite,
tosse, dcfiuxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
AHivia os etlicos declarados.
' Todas as molestias da garganta, do peito
c dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co tempo pelo peitoii.vl de ceiieja do dr.
AVKi!.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
llio de Janeiro ra Direila n. i'.
Vende-se em Pernambuco:
oa pharmaeia franceza de
PJHURER & C.
UUA NOVA N. 18.
de senhora
n. 60, de Gama & Silva.
As eassas de PaTi.
Vendem-~e as mais bonitas eassas francezas, de
padroes miudinhos e grailos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos preces de 300, 320, 360
rs., por haver grande porco : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
is laziuhas transparentes a 40 rs.
Xa loja do Pavo veadem se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de lisias miudinhas
a iuiiacodas sediobas, pelobanle prego de 400
rs. o covado ; ditas eofesiadas de urna s cor e
dilas de saiitiguiihos proprias para vestidos e rou-
pas de friticas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n 60. de Gama & Silva.
Ricos sonlamliarijues do Pavo.
Araba de chegar um rico
tambarques de grosdenaple preto muito bem j-jI-"'
eilfeitadOS, vonaam nnlnk-alnui>il l
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO 12 OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias sanUflcados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacSes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 18#00
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tuborgrandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepra.-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
pie se pedir.
Um tubo a val so oa frasco de tfntBra *e meia onca 10"OO.
Sende para cima de 12, custarao os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.

>
LIVRON.
A melhor obra da homeopathla, o.Manual de Medicina Homeopathicodo Dr. Jahr,
ions grandes volumes com diccionario ...'....'..... 200000
Medicina domestica do Dr. Hering,1........'.'.'. 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes........... .' 600001
Diccionario de termos de medicina ........... 30000ij **apel de botica
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara portan-' excellente qualidade a 20200 a resma,
to de serem noyamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-.'.,i. PAPEL
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a l,ooo
"rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Raatelga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a]")60 rs.
Amendoas
ooufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
9$46&, muttopropiorBaramimos,
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
detodasasqnalidadesal0OOO alibra.
Presuntos inglezes
dos mehores fabricantes a 800 rs., tambem
tetnis velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cadaum.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n3o pode vender por menos dp
30 a 20600. e
dem perela
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem ltysson
o mais aromtico que tem vindo ao nnssn
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COC XA C
o muito afamado cognacPal Brandy a 1 8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa"
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a.440 e 5oo rs. cada um.
rs. a
r PAPEL
. aJ greve' Peso e de oulras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4-,5oo a resma do me-
fr0eriommuitodebem dader0S',,,ier8icc,s e duraderos: ha tudo d'o melhor que se pode desejar, g"obos"d"e ver- azurIce Papara embrufode I
entallados, .|Ue se vendem pelo barato preco de,^dadeiro ^sucar de leite, notaveis. pela sua boa conservaco, tintura dos mais acreditados
05,225, 2o,;0i5. Capas e casacos de glace pre- estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecuradapreparado, e portanto a maior enei-
tos que se vendem muito em conta: na tajado Pa-
vao ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezasa 1,000 rs.
\'ende-se as mais modernas casimiras escossezas
propas para caigas, colletes, palelots, roupas para
enancas : na loja do Pavaj, ra da Imperatriz
n. (0, de Gama & Silva.
Aos vinle mil corados de 12a.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com listras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, teado de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; dilas transparentes com palminhas i
de seda Mara Pia, tendo de toJas as cores, e
1CHN4SDEPOTT
de traballrar a nao para
descarocar algodao
FABRICADAS
Par Plant Brothers & C.
OLDAI
Estas machina."
podemdescarocar
ualquer espe'ci
de algodao sea
estragar o- fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descarocarj urna
arroba de algo-
dio em caroot
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodac
limpo.
\<-tm como machinas para serem movidas por
mes, que desearocam 18 arrobas de al?oii<
i io, oor dia; e motores para mover urna, dua?
' 58 dessas machinas.
'i mesmos tem para vender um bellsimo va-
pirque pvle fazer mover seis dcstas machinas
;n nicionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
t?ii le algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saoaders Brolbeps&C.
N. II, pra*a do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agenUg neste paiz.
Vende-se a taberna da na dos Aeonguinhs i
n 20 : a tratar na mesma.
algaiOK proprias para luto, pelo barato preco'de I azoaveis que costuma pedir o annunciante.
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande ^f^, -=,.r^,^..Jvev ,.,...,->^r m
porco: na ra da Imperatriz h. '60, de Gama' Wr- vf^ 's.MV-W&MfJMMW.'MS *
Silva.
i isliilos Hara fia,
Grande pechincha a 100000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de laa Mara
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, i>endo | %
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 10 o cor-'
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 covados cada um a 103, ditos de cambraia
issucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
imentos europeos, a i
giae certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-seescraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaclo, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que deseiarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
rs. a resma.
Corinthias
P^iim0rn?ia8 muit0 novas PrPrias Pa"
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
M^rmericaDoemchapaa
Vinagre
as
com barras bordadas acrox no ultimo gosto, pe
lo barato prego de 6 : na loja do Pavao, ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassa de liaho a 3(iO rs.
Chegou esu nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vosUdos e roupas para enancas, com
muito delicadas tores, moderna, c vende-se pelo
barato prego da 360 rs. o covado na loja do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem-se as mais fioas Razinhas de urna s
cor, tendo grande sorlimento : na Iqja do Pavao,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que lera vindo a este
mercido, ricamente bordados e cercalados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largara;
estes iHodernissimos chals nao s sSo proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da qaaresma : vendem-se
uniramente na loja de Gama & Silva, rna da Im-
pi'rsiriz n. 60, loja do PavSo.
Soutambarquesdecor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos sontambarqnes e cores, sendo os mais bem
entallados que lena vindo a este mercado, com
a |rnos de velludo, seda e setim, renda, etc., s
Chales de renda preta & bojinms de guip preto|j|
A' loja ila na to -Crespo n. 17,
DE
FOS GOMES VILLAR
Vende a 15J 205, 30*. 40Jl, 50$ e 605, capas e casacoes de gros pretos, chapeos
e chapelinas de palhae outras muitas toendas proprias para a qaaresma.
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de sua saude espera que seus
devedores lanto do malo como dejta praea salden seus dbitos quanto antes.
m
FABRICA DE
m
CHPEOS DE
m m
K. 83 Ra :\"ova esquina da Camboa do Carino c rna do
Cabiig n. 8.
A directora desse estabelecimento o mais importante que existe neste genero
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goze -das
vanlagens que proporciona a fabrcac5o em grande escala e directa relacao com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender ainda mais barato
rio que do costume como demonstra a seguinte tabe'la :
Chapeos de sol de panno a 2#000 ....
. armacao de baleia a 2^500
de seda armaco de ac ingles de 20 pollegadas
4>, de 245#, de 26 5J500 e de 28 65......
Chapeos de sol inglezes abatSo 12 varetas, cabos milito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 8$, de 26 9>. e de 28 10(?.
dem idem a balao de 16 varetas patent paragoa de fox de 24
pollegadas 41& de 26130, e de 28 13,5
Descont em duzia.
20 /o
10 'o
15 /0
13 o/0
15 o'0
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
mdemte^^ dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambera de seda e de panno
E!ff.riett e feitios, os quaes sao. lio vantajosos como os annunciados. ha
dad0 Gama e SHva, ruada sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina c ar-
mas de caca, os quaes vehdem-se ijualraerite eal- porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado tora sempre um descont raaoavel, afim de poder reta-
lhar pelo prego que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos eompradw em menos de urna duzia serao considerados como
a retalho.
Fttrinha demillio.
Vendem-se barricas de farinha de milho ameri-
cana de 6 arrobas : na ra do Rangel n. 3.
Cebollas
Alpista e tamco
CEBLAS
mmadnonVa7a im! 0cent0 "do Qnel-
go10ocJmorUn.90lmperadorn-40el-
RiO DE BICO
J? auad0ueimrdo n. 7, ra do-
Imperador^ n 40 e largo do c'armo n 9
"O eimaSdCon 87 V^ na rua do
0n-7.ruadomperadorn.40e
Ma^as brancas
para sopa a melhor que se pode desejir,
macarr3o, talharim e aleiria a 400 n. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2-J800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des mehores fabri-
cantes da cidade do Porto aije f 960
a garrafa ede 10& a 120a caixa, asmar
cas sao as seguintes: Chamisso AFilbe,
F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoa.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma ue
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* .i bra.
Cervejas
dos mehores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a 10500.
a *, L Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
22 2,t sorte doRio de J^eiro a 8f5f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Carrafes
com 4 y garrafas com vinagre a 10000 toa
ogarraf5o.
GENEBRA DE LARAXJA
verdadeira a 10000 o frasco;"e de IdfiOOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos de gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos mehores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
. libra.
Presunto
o verdadeiro prezunto deLamegoa 52o rs
a libra.
w L ARROZ
Maranhlo, Java e India, a loo rs. a libra e
de ,ooo, a 3,2oo rs. a arroba
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arreba a 9 3oo i
caixa e 34o rs. a libra. *?*.
Batatas oras
emaCiabra d6 2 arrbaS 3 ^ "^ e 60 rs'
Passas muio novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
PSaZ800mrf efPKedal qtte se Pde de-
sejar a 800 rs. a ltbra e I40rs. o pao
, frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, giniae
outros mu.tos a 640 rs. a lata J
a 600 e 10 o caixae.
. GOAIMA MUITO NOVA
enroPbaa e uaV ?u>nobas a 3^00 a *
roba el 40 rs. alibra na roa do Ooei-
BOLACHINHAS
"a la8 defferentes saudades a 10200
QEJOS FLAMENCOS
VCZm VaPr a WOO rea
4Sa%VmVr9d0lmper^D-
e)sSePamPretarios do ^ande'armazem o Verdadiiro prin,
*= :,a astas 'is-ss: ,=a -^=^STsro!
largo do Carmo n. 9
0s proprie
Iff .?,ue_zes e aJigos
precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal na do Imperador o 40
w FARELLO DE LISBOA
Marca^ve^eir^em^ccas novas e grandes a 40500: na ra do Imperador
es-
n. 40.
NOVIDADES.
ar a iPiS0.8.-? UenteJH dt0.S-das ilhas mais frfSco que se pde dese-
ffii fl!f I*/*' esendo,nte,ro te'* a'gm abatimento, ricas cahiobaa
1, ^0tada*' P^praS Paraumino da festa pelo barato preco de 40
r' vi/31"35 -e gS,tambemP^prias para mimo de 800 10500
I arador n *** armazem Verdadeiro principal, ruVdo

GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
l0 alata : nos armazens da ruado Im-
perador n. 16 e ruado Trapiche Navo n.*g
tinenta ramaaa e deTartland
dos armazess de Tasso Irmaos.
Gessa
barricascom gesso : nos armarais de Tasso fr-
otaos.
" Feljio. -------*
Vende-s* nma pernio de fetlSo rntratnho rmrtto
tfovo a a cuia, dito prelo a 880 rs., 16 rajado
do Porto a 520 rs. : na rea Direita d. 8.
/


Fi. r
1% #l


IItorio de Pwnwitmo Safebad* 4 de litigo de IM&.
f
NOVOS YESTiDOS DE PHANTASIA
Chejrarain es modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramente novos
embosto e qualidade : aloja das columnas, na ra do Crespo n. 1?, deAntonio Crrela
de vasconcellos 4 C, successores de Jos Moreira Lepes. -
Fazendas de bom gosto
Para vestidos desenliara
Superiores cortes de seda de cor, de moranle, de gorgurao e de sethn imperial.
Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de laa cora barra e grande variedadeem cores e padroes.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escosseza e miudas.
Superiores laas lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpico?, com flores e de quadros.
Liadas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandy<
Grande variedade de chita de cores, de percalia eoutras muilas fazendas de]8.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda.
Grande variedade de sout embarques de seda de I8 a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados fino?, de cacbimira com listrasde
seda e de fil prelo.
Caraizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-,
lialias com punhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltro enfeitades para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de AntonieCorreia de Vasconeel-
. los 4 C.
CONSERVA!!
23-Largo do Teroo-23.
Juaquiin Siuw) dos Santos, dono deste bem sonido armazem de melnados faz sciente erag
reco n.iiadaio aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esta resolvido a venderos seus
tn.a juieeius gneros de prnneira qualidade,por menos de 10 a 20 por cento, menos doqueem ou-
ira qjalqaer parte a dinheiro contado.e todo o comprador que comprar de bO& a 10L terao descon-
iu de o a 10 por cento pelo-sea prompto pagamento; e por isso se faz annuncio de Iguns gneros-
para cora este melhor se certiticareni.
iiaisas jara sopa tnacarro, talharim e aletria a
IJ n. a libra e era caixa a 5$.
Toaciao de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
n
:;i> ^
ATTENQAO
Os precfM da seguate
tabella para todes, po-
dendo asstm servir de ba-
se para o ajaste de coatas
com os portadores.
\ tiene
\ova loja de fazendas e ronpa
Celta nacional, rna da Impe-
ratrlz,. loja de 4 portas n. 92.
Chitas da loja n. 72.
Vendem-se chitas finas a 240 e 80 o covado,
ditas francezas Anas a 320, 360 e 400 rs. o covado.
cassa franceza fina a 320.360 e 400 rs. o covado,
laazinhas para vestidos a'360, 400, 500 c 5601,
covado, pecas de madapolao fino a G&, 7$, 8
9, pecas de algodo a 5$, 6,5 e 8$ : ra da lin-
peratrizji. 72.
Roupa feita nacional
Vendem-se palelols de panno fino a 145, lf>"
18,5, ditos saesos a 65,85 e IOS, dito? de casemira
de cores a 65. 85 105, ditos de brim oV km.- a
25500, 35 e 4J, calcas de casemira prela e ne co-
ree colletes 9 calcas de brim decores a 2G0(> c
25500: ra da Imperatrlz n. 72.
Sonlambarquc a 8$.
Vende-se sootamb'arque de laasinha a 75 c P5.
ditos de alpaca branca a 85 e !05, ditos c gros-
denaple preto a 205 e 255, capas preasde gros
denaple finas a 205 e 2o, panno fino pretn a 25.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concclco)
PARA BEM DE TODOS.
Saibores e senioras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e raais que tudo a promplido e intei- e^^csenaSr^
reza com que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteceo e preferencia na com- 25:100 o covado: na da imperatnz n. 72.
pra dos gneros que prec sarem, e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pois serao to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendao, afim de quenaovaoem
outra parte.
libra
a ora e 85800 a arroba.
Dita do Rio de primeira e segunda sorte a 260.28C
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8
85500.
Coouricas as mais novas do mercado a 560 rs
libra e em barril a 125.
Passas iodas pelo uUimo vapor a 400 rs. a
Batatas'emelgas de 35 a 40 libras por 25400 a ar.
roba e a 80 rs. a libra.
Cha hysson miudinho sope Mor qualidade a 15200,
25000, 2>00 e 3 a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2SIOQ e 25700.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 45400 e 4{2U0.
Phospbros do gaz viudos por conta propria a 18u
rs. o maco e a 25 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga,
lao a 25800 e a caada a 45500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs.a
garrafa e a duzia a 55800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
arroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 25800, 25e 25400.
Assim como ba um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frasco.-como
em botija?, bolachinhas de soda, conservas choco-
late, marmelada, vinho engarrafado e outros mui-
tos gneros que enfadonho raenciona-los, e se al-
guem duvidarvenha ver.
vestidos.
Cassas para
Tal pecliincha so a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
variedad? padrSes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baratsimo prego de
300 rs. o.covado '" -"i'"* <*a ra do Gresoo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcelos
& comp.
na loja das columnas da ra do Crespo n. 13,
0
Manleiga ingleza especialmente eseelliida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 9 o
rs. a libra e 900 rs. em barril oumeios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muilo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,60o rs.
dem preto o que se pode desejar ueste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo re a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Coste-lletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panel la oa paca fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato ? 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a t>4o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas]
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 3,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e tamo a 9oo,
I,oooc 4,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 o 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,1,000 e t,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vena ao nosso mercado a 7,ooo e
8,oeo a caixa e6o e 7oo ris agr-
rala.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueiras de genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.oooell.ooors. a frasqueira.
iiin
aae
Aletria, macarro e tallwrim a ioe rs. a li-
bra e G,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caita com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
3u,ooo rs.
Vinho ein pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32, iu e doo rs. a garrafa, c em caada
a 2,000, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de xcelente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3.000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinh do Porto das melhores marcas qne
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Doura, Duque do Porto, Ratnlia de Por-
tugal Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSeccaj Malvazia fina a I6,ooo, 13,ooo,
i2,ooo e 10^00 a caa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherex de superior qualidade a 16Jooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
,6io rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda era latas de diversas
qualidades a l,3oo rs.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas cnfe'rtadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoes de casca mel a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joan
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francez te em Tasco de vidro cora
tatnpa do mesmo, a l#5oo.
Corles de la .Varia lia alO
Vcndpm-se cortes de vestidos 1. Mara Paa UC-
145 e 165, cortes do cassa franceza a :i{, corles
1 de brim para cal?a a 1^600 e 25, ditos de ease-
Sal refinado em frascos de vidro com tampa mira de cor a 35, ditos de dita prea a .'uto. 15.
do mesmo a aOO rs W 65 : rna da Imperatriz n. 72. Estf novo es-
gerveja branca das marcas mais acreditadas; ^^S^tpSn lo^!':" 0b,r ****** :
que vem ao mercado, a 5oo, 060 e 64o;
a garrafa, e 3,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevaditiha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
, do de Simas, das seguintes qualidades :
Exposicao Normal de Hivana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,ooo, 0,000,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
Cognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte, excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhoe Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco relinada a ofio rs. a libra.
Borachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,oco
a lata.
Farinha do Maranhao muito a Iva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos lamanhos, muito proprias para
mimo, a i,600, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Buibos, excellenle peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o preco.
DROGARA.
35ltua]larga do itosario 31
Bartliolomcu Francisco deSouza k Vendem:
Acidoncetico puro para retratistas.
Esmaltes para oorives. .
Papel para forrar casas.
Guarnicoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, cm pacs.
Vcnde-se feijo mulatinho novo a 8C0 rs a
cuia : no pateo do Carmon. 1.
n'^ee.ajmKMBMflapuiBjnf
mut r-EBry.iBUMmam
ESGBATOS F&IBOS.
Eseravo.
Desde o dia 21 de fevereiro do corrente snno
ansentou-.-'e da casa de sea senhor o mulatinho
Vicente, cor um tanto clara, sem defeito no corpo,
tendo nicamente os dous dentes da frente um
tanto podres, idade pouco mais ou menos 16 a 18
annos e bem fallante, levou ral^a de casemira un
tanto escura e camisa de algodao roga-se aquem
souber da sna existencia em lugar, certo ou que o
tenha apprehendido o faga condnxir 'a ra da Ma-
dre de Dos n. 27, que ser recompensado.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Bivas em aneoretas grandes de
tamaihos com bonitas esta pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,-8oo e 2,000
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9ao rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
BataUs muito uovasa 80 rs. a libra e2,Soo
o gigo com 36 libra*.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
81-MJJl DO IMPERADOR 81 .
SeA'imda casa do lado direito mdo do pateo go Collegio.
francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e acrespeitavel
publico que, estando restablecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sonido armazem de seceos e molhados primorosamente escolh.doi;
como sempre caprichou lerdas melhores qualidades, efrancamente flanCas pessoasque
se di-^narem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia a outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e preces,-como- em pesos e medidas, no que
sampreo aanuaciante foi escrupuloso, em summa, n5o illude a pesso.. alguma.
AosSrs deengenhoe lavradoresqueo queiram honrar como seu comilentilhes
asse^ura que'o producto deseu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
da desta praea. para oquesejuiga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachadoscom presteza, depois de se-
rena fielmente cumprido as suas ordens.
Fornecer seeros aos Srs. agricultorese negociantesque lhe merecam confianca, fa-
zendoum abate vantajoso aos quepagarem a vista suas mercadonas, e encarrega-se da
venda de qualquer genero dopaiz, mediante urna mdica commissao, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commissao.
Dos seus antigos ebenignos freguezes espera nannunciante sna valiosa proteccao,fre-
qaentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento quelhestributa offerece expon-
taneamente seus servidos. "
Julia desaecesario publicar a tabella dos presos de seus gneros: sao seus recursos
carantia sufQciente de poder accempanhar os menores presos de idnticos e mesmo de
nnis apparatosos estabelecimenlos, tendo somente em vista o augmento de suasvendas
nas* Preveii Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o raesme ramo de nego-
cio ni mesmarua, julga prudente advertir que s afirma e^e responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
1 mm wmmm
|-RUV DO IMPRRADOR-81
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Caf do Bio de 1" qualidade a 28o rs. ali-' 8,3oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. | Va>souras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rf.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro coinrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. I do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. 1 a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentillias francezas. cxcellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra o56o rs. a reta-, H a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa e
l,3oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa,
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muitoalvaa I2o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes c peque-
nos, por diversos prefos:
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
.damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
' fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeile doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Aos cpitaes de campo.
Fugio no dia 27 de fevereiro deste auno, de ca-
sa de seu senhor o escravo Sehasliao, crionlo, fu-
lo, com id;|le de 22 a 2i annos, foi escravo do
senhor do engenho Quandus da comarca de Santo
Antao, d'onde tinha vindo para esia cWade a 8
dias, de presumir qoe seguisse para Taqoaritin-
ga aonde tem mi e irmaos, levou cal^a e camisa
branca bastante suja, altura regular, cabello a es-
covinha, cabeca pequea e redonda, testa grande e
bem cantuda, olhos pretos e regulares, Barir, cha-
to, bocea regular, be(-os regulares, dentes uxk>s e
lunado?, neuhtima b3rl>a,apeas um pequeo bigo-
de, corpo bem lirrpo, ps regulares e pouco lar-
gos: roga-se portanto aos Sr?. capites de campo
a apprehensao do mesmo a/entrega-lo a ra do
Imperador n. 83, segundo andar, defronle do cr-
relo, que se gratificar com 50i.
Gratificacao de 100,?
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de janeim
deste anno o seu escravo crioulo de nomeJc-<'.
com os signaes seguintes : cabra escuro, cabel-
los carapinhos, estatura baixa, cheio do corpo, vv
largos, e faz um geito nas pernas quando anda, o
muito pouco barbado, e tem urna cicatriz bem vi-
sivel em um lado do queixo; quanto a roupa nao
ha signues por ter levado mais do que a do corpo,
mas o chapeo do Chile Garibaldi ; cujo escra-
vo compramos junio com outro ao Sr. capitSo Sil-
vino Guhherme de Barros, e este senhor os Mm
comprado ao Sr. Joo Cabral, morador em Naza-
reth. Consta-nos que o referido escravo antes do
perlencer ao Sr. Cabral, fura de um senhor major,
morador no Brejo d'Arela, onde o dito escravo
casado e tem filhos, tendo ltimamente morrido
a mulher. Sabemos com certeza de ter (Besado
este nosso escravo em Pao d'Alho com direccSo
quelles lugares : roga-se portanto s autoridades
policises e a qualqner particular a captura do
mesmo escravo, c traierem-no aos seus senheres
nesta praga, ra da Imi eratrlz n. 46, refinado,
que se gratificar com 100,8.
Luiz da Silva Ferretra & C.
ATTEN(!H
O CORTE
Pechincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padroes
pelo baratissimo prego de $ o corte : na loja' das
columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
reta de Vasconcellos A C.
AO
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
H. 18Ra do Cabngn. 18,
Defronte da matriz de Santo ntonio,
DE
Lima & C.
O proprietario deste novo estabelecimento avisa ao respeitavel publico, que acha-
se prvido de um completo sortimento de molhados e seceos, todos novos e por procos
commo as. elario QUOca quz annuuciar pelo jornal a existencia de seu estabeleci-
mento ; porm, como faz-se necessaria a noticia aos senhores de engenho e agricultores,
que mndam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os pro-
pietarios o fazem agora .
Aproveitam aoccasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
mento se adiar sempre completo de um variado sertimento de molhados. seceos e ou-
tros objectos perlencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos sero menos 5 por cento do que em outra qualquer parte, e para
este Qm chama-se a attenco de lodos em geral.
Os pesos e medidas, e qualquer engao dado na casa, serao garantidos pelo dono
em favor do consumidor, em qualquer occasiSo que reclamar.
Os propietarios deste novo estabelecimento esperam dos seus freguezes, e do
publico em geral toda a proteceo, prometiendo os propietarios da Flor dos Progre-
sos tirar to smente um lucro razoavel do laborioso trabalho, com que'possam dar
cumprimento a esta ardua misso.
Adiando desnecessaria a publicaco dos precos minuciosamente explicados de
seus gneros, com o que geralmente todos fogem, pelo motivo nao somente de ser enfa-
donho, como tambem por nada valer, os proprietarios tm smente em vis
BOTICA E DROGARA
Barlholomeu Francssco de Souza & C.
3 iRa larga do Rosario3 i
Vendem :
PilulusHolloway. v--S
Plalas do Dr. Laville. .
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobrehomem.
Ptalas americanas.
Pilulasvegetaes.
Pilulasvegelaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
VinhodeSalsaparrilhadeCh Albert.""
Injeccao Feauga*.
Agua dentifica de Desirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticoe de Brest.
RobL'Affecieur.
.arope do Bosque.
Ungento Holloway.__________________._
rcijo
" Na ra da Madre de Dos d. 9 vende-se feijao
mulatinho, dito branco, e dito preto, mais barato
do qne em ontra qualquer parte, approveitem a
peehincha que a quaresma bate porta.
Vende-se a casa terrea n. 25 da rna de Ma-
thias Ferreira da cidade de Olinda : quem a pre-
tender di rija-se a tratar nesta ctdade na ra Au-
gusta n. SO.
Negro fugdo
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro deste
3nno o preto Joa^uim, de nacao Angola, que foi
escravo do Sr. capitao Francisco Juaquim Caval-
eanti Galvo, morador em Mara Farinha (Praia),
o qual vendeu-o nesta cidade cm dezembro do au-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques cem
armazem de as-sucar ra de Apollo ; levou ca-
misa e calca de algodo braneo, ropresenla ter de
45 a 30 annos de idade, alto e de grossura regu-
lar, cor fula, cabeca comprida, qucixos latgos,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeituoso, bastante barba, porm
raspada, finalmente tem urna grande costura eatre
ospeilos proveniente dequeimadura, e suppe-so
terse dirigido para o norte, d'onde veio : gratili-
ca-sea quem o apprehender ou denunciar o coito
em que estiver : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 5.
Aviso
aos capites de campo e a polica.
Desappareceu em pjincipio do mez de outohro
do aono assadc, de bordo do palhabote nacional
Aramio Mulo, dous escravos de nomes Roberto
(por apellido Macei), e Miguel; o Io de idade 45
annos, pouco mais ou meuos, crisulo, cor fula,
estatura baixa, barba serrada, um peuro torio das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tanto, na
barba como na cabeca ; o 2o alto, cheio do corpo,
sem barba e falla grossa, representa ter de 25 a
30 annos, cujos escravos desconfia-se andar pe-
los arrabaldes desta cidade : quem os apprehen-
der queiram levar a ra do Trapiche n. 4, que
ser generosamente gratificado.__________^
Escravo futido.
Desde o da 12 do torrente que se ausenten da
casa de seu senhor, ra da Alegra n. 9, o escra-
vo pardo de nome Andr, idade de 40 annos, pou-
co mais ou menos, baixo e cheio do corpo, com
marcas de bexigas, barbado, com passa pir lho. e
quando olha parece querer fechar um olho, quan-
do anda inclina a cabeca para cm lado, tem' ca-
bello caxiado e osa de banha : este eravo veio
cerca de dous annos da provincia do Ce ar em-
barcado : jnuio ladino, tem a falla muito des-
cansada, e falla sempre com muita moderac.ao e
hnmildade, consta que anda pelo bairro da Boa-
Vista para a Soledade, caixa d'agua, e rna do Cis-
co, tambem tem sido visto no Recife e Santo An-
tonio, mas poucas veies : quem o pegar pode le-
va-lo casa cima mencionada, qae ser genero-
samente recompensado por seu senhor Jos Anto-
nio Bastos.
.
Moleque
No da 18 do corrente ausentou-se da casado
seu senhor o moleque Crubiano, de 14 annos,
tem o rosto do lado esquerdo com pequeas man-
chas amarellas, levou caiga de casemira aznl, e ca-
misa de chita cor de rosa, o cabello cortado ren-
te, e foi comprado no dia 16 do corrente ao Sr. ca-
pitao P. Augusto Cavalcanle fie Albuquerque, se-
nhor do engenho Albuquerqnena comarca de Na-
zareth, de suppor que seguisse para aquellas pa-
ragens, e por isso se recommpnda s autoridades
seus consumidores com gneros novos, e precos mais razoaveis do que em outra qual- a m M rM. do Rosari0 n. 30, taberna policiaesa sua apprebeosao, e lvalo na Capunga,
quer parte, pois sero as garantas para_a_protec^to u> Novo Armazem de Molhados. da esquina que volta para a ra estreita do Ro-ipada
flRELO
-
;
FLOR DO PROftBESSOS.
sario.
I compensar toda despeza.



8
Mari* de reriianibiico Sabbad* 4 de Har* de 185.
JURISPRUDENCIA
O Fornm
GRANDE 01KSrXO DO DA.
O Foruw jnlpa-se obrigadn a dizer duas palavras
sobre ama grave questao que o governo imperial
anab de resolver sobre consulla da secco dos ne-
gocios do imperio do concilio de estado, de 27 de
dezembre do annopnssado, e que se l na primara
columna do Diario de. Pemambuco de 23 do cor
rente.
A solugo do governo : que os desembargado-
res d relajao metropolitana nao sao juizes perpe-
tuos ; mas que a sna destituicao nao pode ter lu-
gar durante a vacancia da s.
O parecer aa seeeao do conselho de estado con-
fjrmou-je com o do conselhelro procarador da co-
ra, aue para justificar concluso consagrada na
lesoluco do governo opinou :
1." Que o poder de jurisdiccao, de que se acham
uvuslidos lano os bisposcomo os arcebispos, Ihes
delegado pelos papas, em quem reside a plenilude
de todos os poderes da fociedade ecclesiastica ; visto
corno nao podendo os mesmos papas exercerem
por si mesmo a plenilude do seu poder, em razao
ta exleoso do ebristianismo, viranV-M obrigados a
delega-lo aos bispos para as causas de primeira
instancia, e aos arcebispos para as de segunda, que
por appellacao DSSBJ interposlas dos bispos sutlra-
ganeos para o metropolita.
2. Que os bispos sulTraganeos pela mesma razao
de impossibilidade de exercerem por si mesmo a
jurisdiccao delegada pelos papas, delegou-a, a seu
turno, aos seus offlciaes, a saberprovisor e viga-
rio geral.
3. Quejjorlanto os desembargadores, que julgam
com o arcebispo em segunda instancia, nao tem
maior somma de poder, jurisdiccao e independen-
cia do que os juizes da primeira ; porque, romo
aquelles, nao o exercem por direito propno quo
Ihes fosso delegado pelos papas ; mas sim como
meros adjuntos ou coadjutores, ou antes, na phrase
de direito, como offlciaes dos arcebispos.
4. E que por isso que o titulo ou nomearao
dos vigarios dos bispos, o por eonsequencia dos
olliciaes dos arcebispos, e seiupre revogavel a von-
4ade dos mesmos; sendo a magistratura ecclesias-
lica delegada dependente nicamente davontade
do delegante, que se pode restringir ou am-
pliar.
o." Eotende o procurador da cora que estes
principios, que enunciara, se acham establecidos
j>or todos os cscriptores de direito publico eccle-
. iastico, que unnimemente consideram precaria a
jurisdiccao destes juizes : e chama afinal em seu
abono o Sr. Dr. Villela lavares o o fallecido bispo
-do Rio de Janeiro, conde de raj.
O Forum tomar a liberdade de entrar no ligeiro
eim destas proposic-oes, para, quando houver ti-
rado as conclus5es que dimanarem de urna lgica
argumentacn, voltar-se ento para as uliimascon-
ideracoe feilas pelo douto procurador da cora,
ua segunda pane do seu parecer ; protestando o
Forum, desde ja, que nao leva em vista senao escla-
recer-se sobre urna especie, que parecendo-lhe do
inuita gravidade, nao deve passar desapercibida e
correr livremente sern a menor objeeeio.
O poder de jurisdiccao ou de rgimen, deque
e acham revestidos os bispos e arcebispos, em
tuas respectivas oioceses, parece nao ser, como
pensa o procurador da cora, urna delegacao do-
papas. Esta doutrina mais do que ultramontana^*
d visos de hertica. Por quanto a idea mais sa,
qne resultado direito divino cecclesiastico : que
os bispos e arcebispos, como prelados das egrejas"
entregues ao seu governo, obram com jurisdiccao
propria ordinaria, e nao delegada. O poder de
ligar e desligar, que constilue o rgimen externo,
ou o governo e polica exterior da egreja, foi con-
ferido por Jess Christo a lodos os apostlos com
cgvaldade : quwcumque alligaverilis... qua-cnm-
que solvetis..., S Math. c. 18 v. 18. Spirilus
Sanctus posuit episcopus regere ecclesiam Dei, diz
S. Paulo.
Pois mui bem : desla missao divina que re
sulta o poder que os bispos e arcebispos teem de
instituir tribunal propno,-islo : de jtilgar por au-
toridade ordinaria, e nao delegada pelos papas.
E* verdade que os papas, como representando o
primado, tem o direito de suprema iospercao sobre
toda egreja, e por conseguiute superintende os
bispos pro bono unil.itis ; mas este poder nao vac
senao at onde chega a necessidade demanter essa
unidade, sem quebra todava do poder episcopal
ordinario.
E' por isso que os papas receben) toda
pellafes dos bispos e arcebispos; recebem-nas i
d~?J?iWCer,*,eMI ,ar,sdlci0 Ia camulativa, do senao com a questao da delegacao, que julga-. revolvido pela igpja que tem o poder de ligar e
ja repartida, que forma o maior baluarte dogo- roos ter combatido, senao com a raaior eTidencla,ao' //par. (i)
verno harmnico e iofllive! da egreja de Christo. meos para por em duvida, mui serla, as proposi- Deas qoeira que o nosso virtuoso metropolita
O que feria d'essa grande obra de Deus, o que <<5es do Procurador da cora, que, acreditamos, nao nao se arrepenta de submelter materia, to mella-
sen* da egreja universal, se os poderes divinos es- nos Poder desmentir com a aatorldade do fallec-, droaa, decisio dogoveroo, embora elle, desta
tivessem concentrados em urna s cabeja hu- do bispo Monte e do Sr. Villela Tavares, desde qae, Tez, tenha sido favoravel aos de?ejos de S. Ere
mana por maior qae ella fosse, e que essa cabeca elles forem ,ldos com a necessarla attenco e de- Rvm.'..... Titneo Donaos et dona ferentes. '
humana se desvairasse 7 Jesas Christo quiz quo
a sua egreja fosse extensa ; e esse facto qae elle
previa serve ainda para explicar a instiluicao de
mais de um apostlo. Nao se deve pois bascar e
principio cognoscitivo da jurisdiega dos bispos e
arcebispos na mera impossibilidade physica de
exercer o papa a plenilude de poderes; porque isso
seria urna circumstancia lio accidental, qae por si
s nao crea poder: o principio cognoscitivo da na-
tureza da jurisdiccao dos bispos acha-se positiva-
mente na vontade do instituidor supremo da egre-
ja ; o esta vontade esta manifestada as sagradas
paginas, e provada na opinio dos Santos Padres e
disciplina geral da egreja.
A jurisdiccao qae por direito propno, e nao de
legado, exerce o bispo quando julga na sua diocese
era primeira instancia, a mesraa que tem o arce-
bispo na sua egreja a respeito dos seus diocesanos:
com a notavel difTereoca, dejque este, como estando
em hyerarchia superior, recebe as appellacjJes ria-
da dos bispados sulTraganeos : e ainda neste caso
nao meramente por $er delegado do papa ; mas
porque por mlUuicao ecclesiaslica, juiz supe-
rior entre o papa e o bispo as ditas causas de ap-
pelacao, sera com ludo poler, em quanto ao mais,
intrometter-se no que dlsser respeito ao governo
particular da diocese sutfraganea : nisi ea tantum,
quee ad suam Deoscesim pertinent, cin. 9 conc'
Anthioc.
J val mu longo este artigo : gnardamo-nos pa.
vida reflexao.
Se o que acabamos de dizer nlo exacto.seremos .
impellidos tirar do raciocinio do procurador da "ou,roccasiaooconcluirmos as nossas observa-
qois sobre o parecer do procurador da cora.
Recife, 23 de fevereiro do 1865.
cora concluses contrarias s proprias Ineses do
seu parecer : vejamos.
Se o pofler de julgar, qae exercem os bispos e
arcebispos, nao senao delegado, segHe-se qae os
papas o podem cassar quando quizerem. Segae-se
ainda que, morrendo o papa, Sea interrompido o
rgimen da egreja universal, e conseqnentemente
as delegaces pontificias ; porque da natoreza da
delegacao expirar ou cessar com a niorle do dele-
gante : no entretanto qae nao acontece o mesmo
com a jurisdiccao ordinaria, que com a morte do
C. F.
como vindo a minore judice superiorem. O qt!"
nao importa dizerque os seus subalternos, bis-
pos e arcebispos, recebara do papa por delegacao
o poder de julgar as suas respectivas dioceses :
podem receber sim a correcco necessarla por
rneio da reforma das sentencas appplladas ex vi da
necessidade de manler-se a unidade. Mas desta
doulrina aquella que adepta o procurador da
cora, vae immensa distancia. Ninguem dir que
os juizes de direito, cujas sentencas podem ser re-
formadas pela relacao, deixem por isso de julgar
por direito propno, e nao delegado por aquelle tri-
bunal, ou pelo imperador, que os noma e sus-
pende.
Nao basta dizer, em sentida absoluto, que os pa-
pas exercem a plenitude do poder pontificio, para
concluir de tal aphorismo a errnea dootrina-de
que os bispos e arcebispos exercem jurisdiccao de-
lgada pelos papas. Sem se estar senhor do me-
chanismo do poder da egreja, nao se pode com se-
guranza conhecer o que se deve entender por ju-
risdiccao propria ou ordinaria, e delegada.
Jurisdiccao ordinaria on propria d se, quando
o poder de julgar naere do cargo qne se oceupa ;
e delegada, quando nasce da concesso arbitraria,
ou discricionaiia de otrem.
J dlssemos que os bispos e i rcebispos tem jn
risdieco ordinaria de julgar as causas ecclesiasli-
cas em virtude de seu proprio cargo : quando, po-
rm, elles exercem o poder privativo dos papa?,
como ex. gr. visitar quaesquer egrejas seculares
nullius diaceses.e em outro?, de que positivamente
fallam es^agrados caones, obram ento como de-
legados da santa s. Mas esses casos, necessario
dizelo mai alto, nao entrara na especie de qae tra-
tamos.
Ja se v, pois, que a /orca'da jurisdiccao dos bis-
pos e arcebispos, em materia de julgamento, nao
provm para e simplesmente de ser impossivel ao
papa, pelo accrescimo do christianismo, exercer por
i mesmo a plenitude de poder : provem mui par-
ticularmente deqae nao foi somente a S. Pedro,
C aos seas successores, mas tambera a todos os
apstelos e seus saccessores, qae Jesas Christo
communicou o poder de jalgar ; regere Ecclesiam
Dei.
Se fosse como entende o procarador da corda,
ento nao seria necessaria a insiitaicio de dote
apostlos; bastarla nm s com o direito delegatorio;
O que em rigor se podi dizer. : que o poner
propnamente metropolitico urna fraeco da j'u-
nsdictao do Primado, qae a disciplina da egreja,
attondendo a extenso do grande rebanho, ju'gou
conveniente destacar para ser exercido por um
dos bispos da provincia ecclesiastica, velando so-
bre os seas sulTraganeos : um diroito j radica-
do, segundo a disciplina geral, na ustiluigo ar-
chicplscopal ; e por isso poder ordinario, poder
ex lege, qae nao est sugeito a s vontade e arbi-
trio do papa, que certamenle nao superior au-
toridade ecumnica.
D'aqui decorre necessariamenle que o poder do
metropolita, julgando com sua caria as causas de
appellago, sem duvida algoma superior aodos
hispes, julgando por si. eu por seus offlciaes, cons-
tituindo a primeira instancia : e esta a differenca
que ha entre a primeira e segunda instancia
Por tanto consideramos inteiramenteinadmissivel
a assercao do procurador da cora, quando acredita
que os desembargadores, que julgam com o arce-
bispo em segunda instancia, nao teem maior somma
de poder e jurisdiccao que os bispos e seus offl
ciaes julgando em primeira instancia. E tanto mais
inadmissivel nos parece tal opinio, quanto a razo,
com que a sustenta o procurador da cora, con-
traproducente, pata nao dizer esdruxula: pois que,
aj elle-que os desembargadores e vigarios geraes
nao exercem o poder por direito propiio, que Ihes
fosse delegado pelos papas, mas como offlciaes dos
arcebispos e bispos; sem alias lembrar-se o Ilus-
tre opinante de que os proprios tabeilies, que
tambera sao chamados offlciaes de justica, exer-
cem poder ordinario.
Pois se os offlciaes dos bispes e arcebispos nao
exercem a jurisdiccao por direito propno que Ihes
fosse delegado pelos papas, com que direito a exer-
cero ? Se tambera nao exercem por delegagao
dos bispos c arcebispos, visto que nSo a tem para
dar, exerceriara por direito proprio: e se a exercem
jumamente com os bispos, fazendo corpo ou tribu-
nal com elles, ento fa-lo-hao par direito propno,
isto : com jurisdiccao ordinaria, seja cumula-
tiva, ou coilectiva, seja individual.
Mas ni quid perditio est T Para que tanta rae-
taphysica ?
A jurisdiccao n5o deixa u e ser ortfinarta pelo
facto de ser exercida por urna pessoa physica ou
moral por um ou por muitos individuos : a ju-
risdiccao tem seus grus, c poje ser dividida se-
gundo as necessidades sociaes, comtanto que seja
confiada a pessoas competentes: esta divisao e
exercicio por diversas pessoas nao altera a nature-
za da jurisdiccao. Quer os bispos e arcebispos jul-
guem as causas por si sos, quer com seus adjunctos
ou offlciaes, ou por pessoas chamadas pela le para
coadjuva-los, a jurisdiccao nao dena de ser ordi-
naria ; do mesmo modo que o a jurisdiccao do
parocho, asslm como a dos juizes de paz, munici-
paes, juizes de direito e desembargadores, que di
vidida e fraccionada fica sempre jurisdiccao pro-
pria e ordinaria, nao obstante ter cada juiz a sua
' I aleada e altribuigoes conforme a somma de poder
I que a lei Ihe confere.
L IHE R ATURA
O fue vae pelo mundo.
O Japn Herald publica o segninte a respeito do
assassinato de dous offlciaes inglezes commettido
no Japo :
papa, bispos ou arcebispos, continua passando im-' J "'i^'. de 21 de novembr Jr GeoVge
mediatamente para quem o direito determina. ^"a lT'M- lfete Roert Nicols Bird,
assim que o cabido, morto o bispo, assurae logo to- an,bS "S d 5 regmeD, de S" M" B '
da a jurisdiccao ordinaria qae elle exercia ?S, qaif linhmos conseguido a estima e at-
ura, passando logo toda a jurisdiccao ordinaria r^.^^^,l^*^M,^r'
ao cabido pela morte do bispo e arcTbispo ; com ggS'SS^^SSJT'"' *"" ""
qae se pode sustentarque as suas carias, lsto
,-os cabidos nao podem destituir nomear desem- Pelas 6 ,oras e meia cneBram a Enosima, d'on-
bargaddres e vigarios geraes ? Si a jurisdiccao de saoir*ni ao e'o dia, depois de se despedirera
delegada, expira com a morte dos bispos e arce
bispos, e nao podem os seas offlciaes continuar no
exercicio dos seus empregos ; ficam tcitamente
demittidos. Porm esta concluso diametralmen-
te contraria opinio do procurador da cora, que
diz com seguridade qae nao podem ser destitui-
dos em S vaga. Accresce que, se os bispos e arce-
bispos obram como delegados dos papas, nao po-
dem estes subdelegar,e nem aquelles resubdele
,. de alguraas pessoas que trabara encontrado : ten-
cionavam dirigir-se a' Daibonts. De noute, as au
tondades locaes foram informar o governador do
Yokohama, que dous estrangeiros trabara sido ata-
cados em Kamakura, on prximo d'alli que um
estava morto, e outro ferido gravemente.
Esta noticia foi logo communicaaa s duas horas
da manba do dia 22, aos cnsules estrangeiros.
O Dr. Lindan, consol suisso; Mr. Von Brandt,
gar; porque se o fizessem l cahia por trra o cnsul da Prussia, e outros residentes estrangeiros,
principio da conflanca, e aquella regra de direito partiram s Jqualro horas pouco mais ou menos,
que nao admitte delegacao de delegacao, quanto para o lagar indicado. O lente Words, com um
mais de re-subdelegaco. Fallemos claro : I destacamento de cavallaria, e Mr. Lachland-Fiet-
Todas estas incoherencias sao engendradas para' cher, interprete da legacao britannica, receberam
dizer-se que offlciaes dos bispos e arcebispos, nao ordem de partir tambem a toda a pressa. Pouco
sendo perpetuos, podem ser destituidos ad nutum : depois de romper o dia, chegaram estrada que
e com estes mesmissimos (III) principios quer-se conduz ao grande templo Hatchuma, na direccao
por outro lado sustentar,que elles ne podem ser j em qae se dividem tres pequeas estradas: urna
deinillidos e consequentemente nomeados pelo ca- conduz a Daiboutz, direita ; a segunda conduz
bido em S vaga... Preso por ter cao, e preso por: ao mar, 9 a lerceira ao paiz da esquerda.
nao ter cao I Eis o que acontece, quando se que-
rem torcer principios inconcussos paraageitar urna' Prox,raojdes,e P>" entre urna miseravel resi-
pretenco da quadra. idenc,a* onde se toma cha> e ou,ra destinado a re-
TnAnc .. .... colher os cavallos; encontraram-se os cadveres
xuna1 J M V P ',DaiS Pr"' "<"'e 'ads *<* dous infelixes offlciaes
xima aos apostlos, os arcediagos gozavam de im-. A sU)la de um delIes eslava a seu lado, e pareca
penantes prerogativas no governo da egreja ; cor- Jsido descarregada de pouco tempo a pistola
rendo como certa a doutrina, de que as suas altn- do oalro nao 1nha sido tirda do CD,0.
buicoes nnham carcter de jurisdiccao ordinaria. .. .
Mas os bispos ti verara zelos dos arcediagos, e entao T^ aS Sf fe"as Pr Mr Flet^" (e
trocaram o nomes cousas : inventaram o nome D.0S Sabem^ td09.Cora qDe PerseveMDa e ded,ca"
de vigarios geraes eprovinciaes, para cercearera 5ao 'er.ficon) nao prodaziram resultado algum.
o poder dos amigos arcediagos, e ficarem as func- Nln8nemisabe c<>* a|Ka. a *" 1e os cor-
pos se achavam all, e qne um dos que estavam
< O general commandante de artilharia fez logo
ama dercarga, que Ihes Impeda a execocio do seu
projecto. Foi entao que nos atravesamos o fosso
com a nossa infamarla e cavallaria, e attacando-6
vivamente, forcamo-los a recoar para os seos in-
trincheiramentos. Nao obstante a posicao roriifl-
cada dos turcomanos, as altaras e as entradas
das florestas, attacamos os iotrincheirarnentos, to-
mindo-os de assalto.
Nao podendo os turcomanos de infamara e
cavallaria resistir a impetuosidade dos nossos sol-
dados, dispersaram, deixando no campo nns mi|
dos seus. Mil e oitocentas barracas com tudo
quanto conlinBam, horneas, mulheres, creabas, e
todas as suas riquezas cahiram em nosso poder.
Os fugitivos devem provavelrnente encontrar
o contigenle do general Djahan-Souz-Mirza, e nao
podem escapar. Os generaes que tomaram parte
n'esta aeco, foram : Sahau-Doulet Heidar-Koull-
Kihan, Saleiman-Kam dos ATenars; Monstapha-
Kouh-Kham-Kagoeas-Hou ; Safar-Ali-Khan-Chah
Sevan, c Hab be-Ocllab-Khan.
Segunao recontro. Quandos os turcomanos sou-
beram que o general em chefe Sepah-Salar, tinha
derrotado a maior parte das suas Torcas, julgaram
poder attaca-lo com bom xito, 500 cavalleiros re-
solutos, tomando pelo deserto um caraioho, muj
pouco frequentado, cahiram de improviso sobre as
tropas do geueral em chefe; mas este ultimo ja ti-
nha sido previnido pelos vigias. Deu pois as or
dens necessarias para repelar este attaque. a ca.
vallara persa tez frente ao inimigo. Depois de
um cuno combate, os turcomanos foram completa-
mente derrotados, e perseguidos at as florestas
Ali furam obrigados a abandonar os seus cavallos
para encontrar um refugio nos bosques. Deixaram
por tanto no campe um certo numero dos seus sol-
dados. A cavailana persa voltou, trazendo doze
prisioneiros e duzentos cavallos.
Depois d'essa aeco, o Sepah-Salar dispoz-se a
^vanear para o centro da provincia de Gurgan.
t S. M. I. o Shah para testemunhar ao exercito
a satisfaco que senta por estes resultados, man-
dou um anneh de brilhantes ao Sepah, e recompen.
sas para os offlciaes e soldados que se distingui-
rn).
Nao quero concluir este despacho sem annun.
ciar que a linha telegraphica de Bouschir, porto do
golfo prsico, ja funeciona. E' nma excellente no-
ticia n'este paiz, por haver correspondencia com
Bombaim era quatro horas, quando outr'ora um
cerrera gastava vinte dias, e as caravanas tres mezes
para percorrerem a distancia que separa a capital
da persia, da cidade indo-ingleza. No espaco de
dojis mezes poderemos corresponder-nos com Pa-
rs, na mesraa rpida proporcao. At ent>, faco
votos para reconquistarmos na Persia a posicao
commercial que tivemos no tempo d Luiz XIV.
Quem vende aos persas, todas as mercadorias fran-
cezas que estio aqui era voga ? os Inglezes e os
Allemes.
ama
Inventou-se ltimamente em New-York,
estarapilha postal de ama especie neva.
E' de tripa, moito resistente, e ao mesmo tempo
to fina, que deixa ver a impressao dos dous lados.
E' sobre o lado impresso que se applica a gora-
raa, e a materia colorante escolhida e preparada
de modo qae, rando-se a estampilba, sabe nica-
mente a pelcula, ficindo a impressao fixada na
gomma.
Comprebende-se, diz o Avenir National, que nma
estampilha postal desta especie, s pode servir
urna vez, e tem portanto esta vantagem sobre as
que actualmente se usara; pois, sabido que ha
}DDis' M- Jban, inspector do musen industrial
de Bruxellas, enviou ao director geral dos crrelos
de Londres, urna estampilha postal ingleza, que
elle mesmo linhs. feito servir mais de vinte vezes,
sem que a admiuistracao postar desse por isso.
^- coes dos novos vigarios com mascara de delegacao,
a lim de poder ter lagar a destituicao ad libitum,
Desde ento levantou-se controversia entre os
canonistas a respeito da natureza de poder dos of-
flciaes dos bispos ;e assim devra ser ; porque
neste mundo de vaidade e de interesse tudo se con-
moverle, e al com facilidade se traca o elogio da
mortos, isto o mais joven, tinha dito chamar-se
Bird, e tinha vivido mnitas horas depois do atten-
tado. Mandou-se proceder logo a um |inquerilo,
enjo resultado o seguinte :
O major Goorges WulterBaldoin,eo lente Ro-
ben Nicols Bird foram cruelmente assassinados
prximo da cidade de Kamakura, a 21 deste mez,
propria loucura. Abena que fosse a polmica sus- P^33 4 boras da ,arde- Segundo os depoimentos
temaram alguns canonistas qne o poder dos offl-
ciaes do bispo era delegado ; e ontros que nao. Er-
gueram pois a altura de questao ama especie en-
to mu crreme. Mas quid quid sil, o certo que
ella nao est resolvida de um modo tranckanl, pa
feilos perante o jury, nao ha duvida de que este
crime atroz nao foi commettido por japonezes des-
conhecidos.
O jury declara tambera que, segundo todas as
apparencias, o ataqae deve ter sida simultaoea-
Appareceu ltimamente em Franca e capltao
Bruxel, do regiment n. 20 de linha, que tendo si-
do pnsioneiro em 1831, em Argel, foi pelos ara-
bes conduzido a 300 legua para o interior, onde
leve captivo 33 annos, empregados a guardar re-
banhos.
Sendo menos vigiado, no tempo da ultima re-
volta, consegua fugir sobre um camello, at a
costa occidental de frica, onde embarcoa a bor-
do de um navio maltez, qae segua viagem para
Carthagena (Hespanha.)
E' provavel que no seu rigimento de guarnlcao
em Dijoo, nao encontrarse ninguem do sen tempo.
L-se na Independencia Belga de 20, o segninte :
Os sinos das egrejas da capital (Braxellas) to-
caran) hontem al as 10 boras da noute para reme-
morar, segundo o costme secular, o famoso epi-
sodio do tempo das cruzadas, chamado a Vigilia
das Damas de Bruxellas (19 de Janeiro de 1107.)
Recordaremos o celebre acoatecimento de qae
hontem era o 758 anniversario, e qae os chronis-
las contara do seguinte modo :
No auno de 1100, diz Eryee Putean, quando
Godefredo, o Barbudo, duque de Brabante, parta
para a expedraoda Terra Saula, muitos burgue-
zes de Bruxellas, dedicados a ama empreza to
louvavel, o seguiram abandonando snas mulheres.
O duque e os seus companheiros tiveram a infe-
licidade de ficar prisioneiros dos inflis, na Syrla,
e como del les mais nao houve noticias, todos os
julgaram mortos.
Porm, cora grande conieoiamento das mulhe-
res afflictas e ha lano tempo abandonadas, Godo-
fredo voltou e chegou a Bruxellas a 19 de Janeiro
de 1107, com os seus fiis burguezes, sete annos
depois da sua sahida desta cidade.
A alegra foi to grande e to geral, que pareca
que Bruxellas estava naquella occasiao cheia de
bodas e esposorios.
As burguezas para testemunhar a seas maridos
a que ponto Ibes era grato o seu regresso, condu-
ziara-nos nos bracos a descancar.
Celebrase anoualraente a memoria deste dia
chamado a Migiha das Damas, em flamengo Vrow-
kens-Avond.
ra que possa o procurador da coroa dizer ex-ca. mente contra as duas victimas, e foi posto em pra-
tliedra, que o poder ou jurisdiccao dos offlciaes do tica por cinco on seis scelleratos; se nao foram
bispo delegada : e o que mais doloroso lancou mais-
elle a barra adiante, afflrraando qae a jurisdiccao O jary egualmente de opinio que os depoi-
dos bispos e arcebispos nos julgamentos tambem mentos japonezes lidos no tribunai sao completa-
delegada pelos papas. mente indignos, de crdito, e necessario autori-
No entretanto se lancarmos as vistas para a car- dades japonezas obteaham provas ampias, ou tra-
t* roa a ik H mn a. n7fl tara de as conseguir, de maneira que se possam
1 fh soberano absoluto, porm cathohco^iao se dedig- |en,a catastrophe.
nou recoohecer nos vigarios geraes e desembar-
gadores ecclesiastico jurisdiccao ordinaria com a
garanta da perpetuidade. Oucamos a voz fle D. Jo-
s pela bocea do marquez de Pombal. dirigiodo-se
ao arcebispo da Baha :
Nao se deve confundir a jurisdiccao em si mes
raa, isto in potencia com a nomfaco ou indica-
Cao da pessoa que a tem de exercer. O facto da
nomeace, em regra, nao significa mais do que-
confianca pessoal que em certo individuo pSe
aquelle que o noma, por ser o primeiro interessa-
do pela marcha social, e bom desempenho das
funecoes de que vae ser o candidato encarregado
Uto porm vera a ser questao mui dtstincta da de
jurisdiccao como poder ; porque a primeira vae
reflectir no direito de destituir, quando o nomeado
aberrar; mas nada tem com a natureza do poder
que por ventura exercer o provisionado. At
aqui sobre os tres primeiros nmfit'os do procurador
da cora. Agora sobre o quarto e quinto.
Considerando os desembargadores da relaco
metropolitana e vigarios geraes sulTraganeos co
rao offlciaes dos bispos e arcebispos, quiz o procu-
rador da cora tirar de sua doutrina a concluso
deque-elles nao sao perpetuos, podendo portanto
ser destitoidos ad nutum ; visto que a magis-
tratoaa ecclesiastica (triste magistratura 1) dele-
gada e depende nicamente da vontade duendo-
naria do delegante, que se pode restringir ou am-
pliar.
Nesta concluso o qae mais escandalla re-
montarse o procurador da cora a principios to
incongruentes para sustentar ama these, alias mui
estranba questao da jurisdiccao propria ou ordi-
naria ; a qual pode existir independente de serem
(Seguem as assignaturas.)
O mesmo jornal publica o seguinte a respeito
do funeral das victimas deste feroz assassinato:
Os caixes collocados sbreos carros de artilhe-
ria, tirados por soldados deste corpo, eram acom-
t Exm. e Revm. Sr. El-rei meu senhor,vendo a panhados pelo tenente-coronel Browoe,que levava
peticao da copia inclusa, que sua real presenca o signal de luto.
fez chegar pelo meu expediente Goncalo de Son- O piquete, que devia prestar as honras militares
za Falco, em que representa a notoria violen- aos dafuntos, compunha-se de 40 homens do regi-
cia, que V. Exc. Ihe fez, depondo o do* lugares de ment 20, s ordens do capitao Rochfort. Aecres-
ministro da mesa archiepiscopal de V. Exc, que ceamos que a esta ceremonia fnebre assistiram
a havia oceupado por mais de trila annos, e de os ministros, consoles e offlciaes de servico de ter-
viganogeral desse arcebispado por mais de vin- rae mar de todas as potencias estrangeiras, assim
te e sete annos, havendo-o V. Exc. confirmado COmo om destacamento de 150 homens do navio de
nos ditos lugares, e lendo-osservido como mes- s. M. Imperial, Semiramis, s ordens do tenente
mo zelo e prestirno al o tempo que o suspen- Mct.
deu ; sem que V. Exc. para esse procedimiento!
t lhe fizesse, como devia, eulpa, e sobre ella o ou- ---------- j, g j ______
< visse, e lhe admillisse a sua defeza ; para que no
caso de nao ser esta relevante, Iwesse entao lu-\ O Uomteur francez publicou as seguinte noti-
UM POUCO DE TUPO.
L-se no Jornal do Commercto :
O Sr. Youle, de Londres, fez a blbliotheca na-
cional de Lisboa urna valiosa doaco de obras,
que a mesma bibliotheca nao possua.
Consta a doacao do Sr. Youle das seguintes
obras :
O Antigo Testamento, conforme o cdice alexan-
drino, manuscripto grego do VII seculo, existente
na bibliotheca do musen de Londres, 6 vol. em
foi. mximo, pablicado por diligencias de Heori-
que Horvei Baber, bibliolhecaiio da mesma biblio-
theca.
E' urna obra de grande valor bibliographico,
por que o livro imita o manuscripto, isto o typo
foi fundido expressamente conforme a letra do
manuscripto, imitando at a cor e a deterioraco
das folhas.
O cdice alexandrino o mais amigo do que ha
noticia do amigo testamento.
Antiguidade arbica da Hespanha, de James Ca-
vanah Murphy, 1 vol. foi. mximo, edico ntida.
E' urna obra de grande valia e com preciosas
gravuras. E' rara e parece que nao cusa menos
de 140 a 1603.
O Novo Testamento, era inglez, 4o, edieao nitida-
bellissimo papel, com gravuras dos dilferentes
passos da vida d- J.sus, larjas e viohetas grava-
das, rica encadernacao.
As gravuras sao copiadas dos quadros de Ra-
phael, Guid-Reni, N. Poussin, P. Veroueso, Van-
ick, Leonardo de Venci, Pmtasichico e outros
pintores celebres.
A Cyclopedia Britannica, 23 vol.
O Sr. Youle, na carta que dirige aoSr. Silva Tu-
lio, diz que, desejando patentear a sua satisfaco
pelo bom acolhimentoque recebeu, quando vizitou
a bibliotheca nacional, lhe faz doaco daquellas
obras, como testemunbo do seu reconhecimenlo.
E' urna doaco de niuita valia e das mais pre
ciosas que a bibliotheca tem registrado.
Os jesutas na China ora representara o que real-
mente sao, queremos dizer, pregadores da f ca-
tholica, ora se arvoram em generaes de exercito, e
o mais que se sahem bem da transformacao A
este respeito, l-se no Monilir do Exercito o se-
guinte :
O pequeo exercito formado pelos padres jesu-
tas para defender o Seu estabelscimento de Tuha-
kiotchuan, poz era fgida urna quadriiha de rebel-
des da seita de Pai lieun-Kiao, que assolam o Tbi-
ly oriental, a duzenlos kilmetros de Pekin, dando
a liberdade ao sub-prefeito, autoridades e pessoas
notaveis da cidade de Tchien-tchien, a qnem os
rebeldes tencionavam dar a morte do dia se-
guinte :
O exercitosnho dos padres jesutas corap5e-se
de setecentos chins chrlstaos, a quem serve de
commandante o padre Leboucq, procurador da
raisso.
Segundo refere a Gazela de Portugal, o livro
t Ja sabis que para vinear a derrota do exer- f^'P10 Pel imperador Napoleo acerca da vida
x- de Cesar aPParecer a luz, dizem, em principio de
gar a referida deposicao : e nao podendo deixar cias, escriptas de Tehern :
t de se fazer mmto reparavel i indefectivel Justi- Ja sabis qae para vinb_.
ca do mesmo senhor a celendade e ultrage, que cito persa em 1862, por occasiao de urna expedido I fevereiro.
V. Exc. (usando de poder absoluto) fez ao obre- contra os turcomanos, a nova eipedicao que se re- j Putlicar-se-ha ao mesmo tempe era Pars e
dito vigrio geral : manda S. M. significar a V. solveu este aano teve os mais deploraveis resulta-! Vienna, em francez e em allemo.
Exc, que deve logo restituir o referido vigario dos. O governo de Shah quer afinal justificar1 A iradueco alleraa fe tpelo Sr. Dr. Ricls-
. geral aos sobrdaos logares, de qae nao podia as suas bordes, que, contando cpra a sua audacia ^'rac^
t ser deposto, se nao depois de haver sido citado e cora a rapidez dos seus cavallos ; que sao os me'; promptas no fim de fevereiro.
e ouvido, e de se guardar no seu livramenlo os Ihores da Asia, caho de improvisos as povoaces O producto da venda sera applicado a soccorrer
c termos, que o direito natural e divino flzeram e as proprias cidade do Khorassan, levando tudo osPbres-
sempre impreteriveis, resultando da falta de ob quanto encontrara, despojos, mulheres e crean-
' servancia del la urna clara violencia... ?as.
O fallecido conde de Irai, reconhecendo a mag-' A D0Ta P*1'^0 W dirigida por S. Exc. o
nitude da questao de jurisdiccao ordinana e dele- SePah Salar ( ministro da guerra ) segundo as ul-
gada, nao teve animo de resolv-la na sua obra de timas no,icias do theatro da guerra, o exercilo
Direito Ecclesiastico, tomo l' 388 sch. uepois de f** teve cora sea iniraiE dous oncontros mui.
reconher que os vigarios geraes, ou offlciaes dos ,s srios' dos 1uaes sanio *'c'orioso. Ha pouco tempo um amador de quadros resi
bispos, obram por mandato geral, e tambem por' Sobre o primeiro encontr Duhlicamns a roa d8D,e ?m Lisboa moslrava a sua galera a um ita
XdMT Te,,e decliD0Q modes,arnen,e a ,orio rei,ao Sepah Sa,ar pel80Vernador "*! ^^mSCffSTSTm^m.
difflculdade dizendo : que essa controversia fica nourd (.provincia persa contigua ao territorio dos "
boje sem interesse 'desde que todos os canonistas turcomanos), o qual commandava a diviso de tro-
controvertores de ama e outra escola assentam ao pas que tomoa parte n"esre encontr. Reduzo este
direito que tem os bispos de nomear e destuir os reiatorio a sua ultima expresso.
taes offlciaes.
I No domingo 3 rab ellaval (8 de agosto) mar-
Aqai nao se resol ve a questao pela raz, respon chavamos para attcar as tribus de Ghai os offl.
pobres
Consta-nos que no Porto tambem apparecer urna
tradueco era portuguez, feita por um babilissimo
traductor.
Esta publicacao dever apparecor pouco tempo
depois de publicada em fraucez, e por um preco
muito econmico.

Na ultima sessao da sociedade geographica do
Loudres, o cajiiio Sherard Osborn propoz urna
nova expedico s regies rticas.
O temerario capitao, a quem nao intimida a sor-
te de John Franklin, poe toda a sna ambicao em
chegar ao polo norte, do qual ainda at agora nin-
guem se aproximou, se nao a urna distancia de 435
ulnas.
Pede para a expedico doos vapores de hlice e
120 homens, compromettendo-se a chegar com esta
gente ao eixo da trra.
Partir na primavera de 1866, passar os annos
de 1807 e de 1868 em comprir a sua roisso com
o auxilio de embarcacoes pequeas e trenos, e vol-
tar em 1869, depois de ter permanecido dous in-
vernos e tres veros na zona glacial.
Seguir a derrota do cabo Parry na Groelandia.
Esta proposta deu orlgem a urna acalorada po-
lmica nos jornaes e nos circuios scientificos.
Na noute de 23 para 24 do mez que findou ar-
deu completamente em Nova-York, onde se acha-
va ancorado e em vesneras de principiar a descar-
gado paquete City of Washington, da linha de No-
va-York para a Nova Orleaos, pertencente a MM.
H. B. Cromwel & C.
O fogo rebentou s 9 horas e meia propagou-se
com tal rapidez, que s 11 j nao bavia esperancas
de slvalo.
As 2 horas da noule o paquete estava totalmente
conuummidoat' linha de fluetnacio.
O seu valor calcula-se em 300:000 dollars, e com
quanto se ignore anda de que natureza era o car-
regamento do City of Washington, sopp5e-se que o
valor d'elle nao ser inferior mesma quantia.
Tanto o navio como o carregamento achavam-se se-
guros.
um
ciaes do nosso estado maior, mandados fazer
| reconhecimenlo, encontraram o inimigo na deten.
os desembargadores e vigarios geraes perpetuos ou (de-se por nm argumento de compensacao.
nao. Pode convir administradlo da jostra que'
os juizes sejam ou nao perpetuos, sem que por isso : ^uem PeDSiT Porra seriamente na mawr
deixem de exercer uma^uLiccao ordinaria. Os >nhecera oe a Jurisdl^ ordinana dos vigarios '"l TnlT ,n,r,nch;irado Rbem for"
monicpaes sero perpeinos ? Nao; mas eraes e desembargadores nao est combatid, vic- *?*V TT?^3S! P?M
' en! tori.samente pelos canonistas que a Impugnara- ** Na frenle do '"nncheiramentos, ha-
janea
eiercem jorisdieco ordinaria. Os vigarios en- or'"Samente pelos canonistas que a Impognam-
commeod dos sero perpetuos ? Nao ; mas exer- Assim qne, a concluso da resolucao do governo v.a ora fosse largo e Drofundo e que paraca ser
MJM.J!!! annJ'J?. J!. nao se acba de harraonia cora a doutrina raais or- bra a qne os europeos chamara a vaneada, e que
nos separava dos mtrlncbeiramentos. Apenas os
turcomaoos nos virara tomar posicao, 2,000 dos
nao se acba de harmona com a doutrina mais or-
nem tambem com os principios de ar-
cera jurisdiccao ordinaria. A questao pois de per-
petuidade questao de conveniencia, que nao al- thodoxa.
lera a tssencta ou naturexa das juridieces; por- gnmentacao exhibidos pelo procurador da cora
tanto pouco ou nada importa para ella saber se
o titulo oa nomeaco dos desembargadores e vi-
garios geraes ifaz a clausulaem quanto nao
mandar se p contrario.
Todos esses torcicollos, com que se quer propa-
gar a doutrina da delegacao, teem por fim mni visi-
vel eslabelecer o arbitrio da destituicao proscre-
vendo a perpetuidade, qae alias nao queremos
e milagrosamente abracados pela seccao do eonse'
lhe de estado.
A gravidade da materia seria mol bastante para
qae o procurador da cora nao opinasse to cate-
gricamente, e o governo nao se inlromeliesse em
seusmelhores cavalleiros verificaran! urna sortida
e quizeram, por meio de urna carga, atravessar o
fosso para nos attacar.
L
1 no provoca va a admiraco do vizitante! dizen-
do-lhe :
Olhe para este Velasquez autbentico, nao acha
bello ?
Bellissmo, signor.
E esta virgem de Corregi nao to suave ?
Soavissima, signor.
E assim por diante.
O dono da casa desconfen por fim de tanto su-
perlativo, e querendo fazer urna nitima experien-
cia, cooduzio-o para ao p de um quadro escond
do na sombra e assignado por um discpulo de
Coarbet e disse-lhe :
E que tal acha esta nympha, nao deliciosa?
Deliciosissiraa, signor I
Diga-me c, ter-me -ha porvenlura o senhor
em conta de tolo ?
Tolissirao, signor I
I- se no Jornal do Havre :
Trata-se ja no ministerio do commercio, agri-
cultura e trabalhos pblicos, da grande exposicao
universal, que'deve realisar-se era Paris de 1867.
Um projecto de lei ser apresenlado ao corpo le-
a|om impugnar ou sustentar ; nao nos impertan- ordinana ou delegada, assumpto que s dere ser
(1) O que mais admira que o copselheiro Sou-1
za Franco, lao sabedor como subscrevesse o pa- gislativo, no decurso da prxima sessao
proferir deriso sobre ama questao qae nao ab- K d^rP^QPradoLlllCOra l auere,ra Sr.conse- Assegura-se que esta exposico far nos Campos
i a* .... Ibeiro ior a egreja no mesmo bom esudo de w-dw E ys os, e oue na esolanada dos invlidos havori
solutamente nao de sua corapetencia. D.cilr se em que se acha o systeraa monetario II... Santa aJiUl'^iel.^^SK.,^
a jurisdiccao dos muios dos bispos e arcebispos Barbara I Bm de ligar as dnas margeos para este effeito
HUa Msjfe. ____- ,
Bisneta de Luiz Pelippe.A duqueza de Cbar-
ters deu luz no dia 13 de Janeiro ultimo, em
Ham Common, perro de Richmond (Inglaterra >,
urna princeza, que a primeira neta de Luiz Pe-
lippe.
A duqueza de Charters filha do principe de
Joinvlle e da princeza do Brasil (irra do actual
imperador) D. Francisca.
a duqueza de Charters D. Francisca Mara Ame-
lia de Orleans casada cora seu primo Roberto,
duque de Charters, segundo filho do duque de Or-
leans, morto de desastre em 13 de juoho de H42.
A recem-nascida princeza tambem bisneta de
D. Pedro IV de Portugal e I do Brasil.
A viuva do ultsmo doge de Veneza vi ve era Pre;.
burgo do producto das ligoes de italiano que ali da-
Sua filh e governante na casa de urna rica fami-
lia hngara.
Falleceram no decurso do anno de 1864, os se-
guotesjsoberanos, principes e princezas :
Luiza Mara Thereza de Bourbon, ex-regente da
Prussia.
A princeza Isabel de Hesse-Horaborg. filha
segunda do fallecido land grave Gustavo de Hesse-
Horaburg.
Antonieta Gislaine Mrode, princeza do Mo-
naco.
Maximiliano II, re de Baviera.
A princeza Carlota de, land gravo de Hesse, me
da rainha da Dinamarca.
Hildegarda, filha do rei de Baviera, inulher do
archiduque Alberto d'Austria.
D. Filippe Ramn Mana, infante de Hespanha,
filho do duque de Montpensier e da infama Mara
Luiza Fernanda, irmaa da rainha de Hespanha.
Anna Amelia Mana Saxe-Weinur, filha do fal-
lecido duqoe Carlos Bernardo e de ama princeza
de Saxe-Meningen.
Guilherme de Aohalt, irmo terceiro do duque
regente de Aohalt.
O archiduque Lmz Jos, Irmo mais novo do fal-
lecido imperador Francisco I.
A priceza Anna Gzatoryska, viuva do principe
Ado Czatoryska.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FflttO
-

.
k1-
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGE7E4V3D_67MPX2 INGEST_TIME 2013-08-28T01:02:45Z PACKAGE AA00011611_10609
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES