Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10608


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I


11
ARITO XLi. ROMERO 51
?#r furtel pagt dentro de 10 das do i. mez ...::.. 5 J000
Idea deooi dos 1." 10 dias do comecoe dentro do qnartel. 68000
Porto to crrelo oor tres mezes............: # 750
DIARIO
ff r nli c
. th
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. eraldo Antonio Alves &
Filos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudina Falrio Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins Aires; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafos da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas fe iras-
San lo Aniao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar
Altinho, Garanhnns, Buiqoe, S. Bento, BomCon
selho, Aguas Bellas eTacarar, as tercas felras
Pao d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Onricury.Salgneiro e Ex.nas quartas felras.
SEXTA FE1BA 3 DE MARCO DE 1868.
Por anoo pago dentro de 10 lias do i. nuez ,,,... 19J000
Porte ao correio por un anno........,.,.,, 3J000
Serinhem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrel
ros,Agua Preta ePimenteiras, nasquintasfeiras.
liba de Fernando todas as vezes que para alisahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE MARCO.
4 Quarto crsc. as 9 b., 59 m. e 16 s. da m.
12 La chela as 8 h., 22 m. e 10 s. da m.
20 Quarto ming. as 10 h., 16 m. e 22 s. da m.
27 La nova as 3 li., 8 m. e 22 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Jaizo do commercio: segundases H horas.
Dito de orphos : tergas e sextas s 10 horas.
Priraeira vara do civel: terca* e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
27. Segunda. Ss. Antigono, Curso eBessas. mm.
28." Terca. S. Rono ab.; S. Cereal m.
1. Quartade cinza. S. Eodocio e Antonina mm
2. Quinta. Ss. Jovioo, Basilio e Januaha mm.
3. Sexta. Ss. Hemeterio e Asterio mm.
i. Sabbado. S. Casemiro rei; S. Lucio p,
5. Domingo. Ss. Focas e Palatino mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as;9hora e 18 m. da manhaa.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
.PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30 para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos dias 14 dos mezes de janeire, ruaren maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livjaria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Maneen Figueira di
Faria fc Fjlho.
PARTE OFFICIAL
Relatarie can qne o fcxm. Sr. Dr. Antonio Borgea
Leal Castello Branca, abri a presente sessiin da
assembla legislativa provincial.
Senhores membros da assembla provincial.
Nomeado presidente desta provincia por decreto
de 19 de novembro do anno lindo, tomei conta de
sna adminislragao a '25 de Janeiro passado, e tendo
o prazer de achar-me hoje entre vos, permiUi que
antes de tudo vos informe de que S. M. o Impera-
dor e sua augusta familia gozara sade, tendo-se
electuado o casamento da serenissima princeza
imperial a Sra. D. Isabel a lo de outubro do anno
passado com S. A. o Sr. conde d'Eu, que seguio
para a Europa com sua augusta consorte, partind >
deste porto no vapor Maddalena no dia 17 de Ja-
neiro pretrito ; e o da serenissima princeza a Sra.
D. Leopoldina com S. A. o Sr. duque de Saxe a 8
de dezembro do anno prximo passado.
A Providencia que tao visivclmente vela sobre os
destinos do Brasil, bera-fadar aliangas que tanto
Ihe interessam, e que contribuirn poderosamente,
como de esperar, para a felicidade de toda a fa-
milia imperial, caro objecto do nosso amor e reeo-
ohecimento, e garanta mais segura e indispensa-
vel de nossa unio e prosperidade.
RELATORIO.
Nao merece este nome o trabalho que vos apr-
senlo : selle encontrareis Japenas urna exposigo
muito incompleta dos actos de minha curta admi-
nislracao, que se tem limitado ao expediente dia-
rio, augmentando excessivamente cora o servico
urgente, e pesado das necessidades da guerra om
que actualmente se acha empenhado o paiz, e s
quaes tenho quasi que exclusivamente dedicado
tola a minha attencao, sendo que por isso tem por
tal modo crescido o scrvigo da secretaria que era
bem lempo houve para colligir os fados e docu-
mentos que vos deverao ser apresentados.
Nao pude, pols, ainda estudar a erganisaco e
estado das diversas repartieses, e dos servigos to
variados e importantes nesta provincia ; c sem co-
tihecer o que existe, irapossivel dizer sensata-
mente quaes as alteracoes a fazer, quaes os melho-
ramenios a promover.
Talvez devesse eu ter por iaao adiado a vossa
reumao ; mas pnvar-rae-hia por mais algura tem-
po do auxilio de vossas luzes, conhecimento dos
negocios pblicos e patriotismo, que pcrfeitamcnle
suprirao a deficiencia deste trabalho, e me habli-
taro para algumas medidas que julgueis proficuas
e redamadas pelo estado actual do paiz, que, sem
duvida, vos inspirar, como a mim, o raaior inte-
rs.-e e sollcitude.
Alm disso, seria presumpgo mal cabida espe-
rar eu relatar-vos mais tarde os negocios da pro-
vincia meHior do qae o tem feito meus illuyes
antecessores em seus ltimos relatnos; e, p...... 4
elles me remeti, contando com vossa indulgencia,
de que muito preciso, e assegurando-vos que pro-
curarei estndar com vosco os recursos desta bella
e rica provincia, e os meios de melhor aproveita-
los para o seu engrandeciraento, que de todo o
oracao applicarei sem repous todas as minhas
fracas torgas.
Novo na adminislracao e na poltica offlcial, em
bora velho nos annos, todos passados na obscorl-
dade e em vas sempre coutrariadasaspiragoes mui
sinceras e vehementes, de servir o meu paiz, nada
poderei fazer sem a rossa benevolencia e apoio.
Contarei semprecom aquella ; mas, este s pre-
tendo, quando me julgardes no bom camioho, para
o qua com vossos cooselhos e cora a critica justa
e moderada me chamareis dos neus desvos, que
espero em Deus sejam sempre involuntarios.
POLTICA.
Grandes transformares tem os partidos solfrdo
entre vos, e isso necossanamente deve acontecer, e
tem acontecido era todos os paizes, sempre que a
rcalisaco de suas ideas, ou a impossibidade deltas
acaba com a missao que Ihes dava vida e nexo.
Com abdicago dividie-se o partido liberal em
moderado e exaltado, por que tioha conseguido
um dos seus fins principaes ; cora a morte do fun-
dador do imperio, morreu o partido restaurador,
pela inposibildade do seu fim ; e os membros
esse partido vieram engrossar as tileiras dos mo-
derados, constituindo juntos, depois de algum tera-
po, e de veacidas as repugnancias e desconfianzas,
um partido perfeitamente homogneo e forte.
Um fado anlogo acaba de darse agora O par-
tido conservador subindo ao poder em 1848, achou-
se logo depois a bracos com um revoluco ameaga-
dora nesta provincia consegua sufloca-la depois
de muito sangue derramado, e de militas calami-
dades que por duros anuos continuaran] ainda
apesar sobre sens habitantes.
Em todas as nutras soffreram os liberaos as con-
sequencas do erro de seus amigos desta e che-
garam todos a con vieran de que diziam abandonar
jnleiramente o terreno ofllciai e poltico aos ven-
cedores.
Ste annos correram sem a menor luta : as pai-
x5es se arrefeceram, e na calma dellas. a activida-
de brasileira, nao podendo exercer-se nos campos
eleitoraes e nos clnbs partidarios, dirigise para
as industrias e emprezas.
Essa tendencia foi favorecida pela abolicao do
trafico que abservia grosssos capitaes, os quaes
poderlo desde ento tomar urna direceo mais til.
A navegado a vapor, estradas de ferro, de roda-
gem, estabelecmostos bancarios, de colonisacao, o
outros, deram urna nova face a sociedade brasi-
leira.
Os espintos se convenceram praticamente da
inutilidade, da calamidade dos recursos violentos ;
di necessidade, da proficuidade da paz, condigo
indispensavel a todos os progressos e dos gozos da
fiberdade.
Desde ento os liberaos foram de fado ordeiros.
Os conservadores comecarain lambem a sentir que
Ihes fallecan) motivos para continuarem no syste-
ma de compressao e exclusivismo, e urna voz ge-
nerosa, d'entre elles seergaeu, annnnciando a con-
ciliario, consequencia necessaria e legitima do ar-
refecmento das paixoes, dos pacficos sentimentos
e novas aspirarles, qne dominavam a sociedade,
e nao de transacoes ignobeis de que foi calum-
niada.
Essa idea grandiosa e fecnnda fol geral mente
abracada; mas, na pratica devia necessariamente
encontrar difflculdades, porque, nao sendo possi-
vel esquecer completa e rpidamente os ressenti-
mentos e offensas passadas, a desconfianza e rc-
pnlsao natural veio collocar-se entre certas indi-
vidualidades.que alias adoptavam a conciliacaoera
principio, dizendo at um dos mais eminentes es-
tadistas conservadores que tmha mais afflnida-
des para os seus antigos adversarios, do que para
mullos dos seus velhos amigos polticos.
Por outro lado era diffleil que se flzesse a parti-
lha do poder e dos seas gozos de modo a contentar
as partes; ama nao queria se despojar do que con-
siderava sen, e so como favor o conceda; oatra
pretendia-se com direito, como consequencia da
conciliaeao, a ama partilha igual; mas, se fosse
possivel fac-la, allegando talez, para obter maior
iiuiulio, sua longa privaco.
Apear, porra, destas dtffiealdades, a cencilia-
eio aproximon os horneas, e foi um primeiro e
prudente passo para a transformacao dos partidos.
Se nenhuma duvida mais existia sobre o carc-
ter pacifico dos liberaes, se at certas ideas por al-
guns professadas, deixaram de ter curso ; os con-
servadores seu turno comecaram a mostrar-se
liberaes.
Lase os discursos das duas cmaras desde
1857, e vr-se-ha que do lado conservador tem par-
tido diversas propostas liberaes para a descentra-
lisaeo, reforma da lei de 3 de dezembro e ontras,
que francamente reconheceu lels de occasio, e
compressoras, sendo at hoja o maior empenho dos
oradores desse lado provar que os programmas li-
beraes nenhuma idea mais contm do que as suas
proprias, e sao una verdadeira copia, ou arreme-
do destes. Ha ver nisto todava poltica, falta de
sinceridade? Nao creio ; e estou persuadido que
os Brasileiros sao todos liberaes, e todos conserva-
dores ; que o equilibrio, o consorcio da liberdade
com a autoridade, fim poltico a que tendem as so-
ciedades civilisadas, existe as ideas, no pensa-
raento de todos os Brasileiros; faltando, porm,
compltalo em nossa legislacao, alias das mais li-
beraes e sabias, que conhece o mundo.
Eis a origem legitima do actual partido Progres-
ststa, e assigoala-la equivale a dizar e provar que
esse partido nao urna creacao arbitraria e capri-
chosa dos homens, nao o resultado de inleresses
eveotualraente colligados, nao urna sombra que
o vento das paixdes pode em breve dissipar; e sim
nm partido que passou por"todas as gradarles de
urna longa formacao.e nasceu com todas as enndi-
coes de urna longa vitalidade, embora como parti-
do novo, anda ntio esteja bem consolidado, ainda
nao tenha todo o vigor e compacidade, ainda lute
cora preconceitos, divergencias e imprudencias,
que podero occasionar desharmonia entre seas
membros, afrouxar temporariamente os lagos que
os devem ligar, mas nunca desorganlsar, aniquilar
o partido, por qne nao est no poder do homem
matar as ideas, interromper sua flliaco necessaria.
O que fica dito demonstra tambera que o partido
progressista "nao um aggregado de elementos he-
terogneos, nm monstro Horaciano. Com mais razo
podera ser assim chamado o partido Conservador
em sua composifao primitiva de liberaes modera-
dos, absolutistas e restauradores, o que o nao em-
peceu de consolidar-se.
O partido Progressista, pois, representante no
paiz das ideas liberaes moderadas, se consolidar
tambera.
Nao a divergencia de ideas qne o pode preju-
dicar, esim a de nteresses mal calculados. Aquel-
la^ divergencia nao substancial, mas accidental;
nao versa sobre os principios,' mas sobre os seus
desenvolvimentos, e applicacoe's de detalue : ella
neyitavel entre os proprios membros do partido o
mais bem organisado, e se notar maior entre cer-
tos membros do amigo partido liberal, ou conser-
vador, do que entre outros de procedeacia opposla
do moderno partido progressista. Permitti que a
proposito vos cite as palavras de um dos escrito-
res mais liberaes, mais eminentes, mais paros da
Fraaca : t O partido liberal, diz elle, que se forma
pouco a pouco, mais engrossa diariamente, nao
< urna pequea seita adstricta lettra de nm
t symbolo, mas urna greja universal, onde ha lu-
gar para todos os crentes da liberdade, que que-
rem della gozar.
Julguei dever oceupar-vos por tanto tempo com
esta questo, porque, considerando a importante
as actoaes circumstancas polticas da provincia,
sinto a necessidade de fazer bem conhecdo o mo-
do por que a encaro ; e ainda nesse intuito con-
sentiris qne vos diga algumas palavras.
Face jusrtca a todos os partidos, Julgo-os noces-
arios a conservaco e progressoda civilisago mo-
derna ; reconheco que muitos servicos teem elles
prestado ao paiz, mas tambera grandes males teem
occasionado "por sua exaggeracao, intolerancia, e
falla de escrpulo na cscolha dos meios.
cima dos partidos estao a moral j> a Justina,
nica forca real que reconheco no mundo : aquel-
es que recorrem meios tortuosos, perseguicao
e violencias, que amparam criminosos, empregam
e exaltam instrumentos vis, favorecen] ambigoes il-
legliraas, podero vencer em urna lata dada ; mas
abrem as portas exigencias sem fim, inadmissi-
veis e insaciaveis, criam complicacdes infinitas no
sea proprio mo, armara e fortifican) traiadores,
perdera toda a forca moral e debllitam-se para nao
mais vencer.
E' porque todos os partMos tem empregado em
vasta escala um systema to desastroso, que
nenhura delles confia na forga propria, e sempre a
procura no poder; erro fatal que habita os ho-
mens a dependencia e servilismo, que aniquilla as
frgas scciaes, e converte a autoridade, instituida
para proteger e inspirar confianga a todos, em
inimigo odioso e perseguidor, collocando assim a
sociedade em um estado de guerra permanente, ou
pelo menos destruindo o elemento essencial sua
conservaco e prosperidade, porque, vale quasi
tanto nao ter autoridade, como t-la caprichosa,
parcial, odiosa, e dedicada somente aos inleresses
legtimos ou Ilegtimos de urna parte da popu-
lacho.
Inspiremse pois os partidos em melhores senti-
mentos, colloque-se a autoridade no centro delles,
sejam todos justos, modendos e tolerantes, e con-
vengarase de que tas instituig5cs livres tem por
nico objecto o accordo dos sentimentos e das
vontades entre os cidados, erigir o governo em
orgo de nraa sociedade honesta, industriosa,
esclarecida e pacfica. Para consegu lo ha um
nico meio, to velho como o mundo, o qual
conslste.em fazer reinar a verdade em todos os
esplritos, e a justlga em todos os coragoes.
VOLUNTARIOS DA PATRIA.
O governo imperial, para atiender as necessida-
des da guerra, em que se acha o Imperio com as
repblicas do Uruguay e Paraguay, fez baixar o
decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro ultimo, creando
corpos com a denomitacao de Voluntarios da
Patria.
Tendo sido recebido por meu antecessor o aviso
de 10 de Janeiro ultimo, recomniendando a execu-
go daqnelle decreto, apenas assumi a administra-
gao desta provincia, procure dar-lhe pleno cum-
pr i ment.
Para este fim dirig me a todos os funcionarios
pblicos da provincia e aos de mais cidados pres-
tantes, e influentes, de todas as localidades, solici-
tando o concurso de seu patripismo; e iovoquei
ao mesmo tempo os bros tradicionaes desta heroi-
ca provincia em urna proclamagao aos seus habi-
tantes.
Alm destas medidas, e em vista das duvidas
que parecia offerecer o decreto citado acerca do
alistamento de guardas nacionaes e outros pontos,
julguei conveniente expedir a portarla de 6 do
mez prximo findo, na qual procurei remover
aquellas duvidas, firmando a intelligencia do refe-
rido decreto.
Tenho hoje a satisfacao de annunciar-vos que as
tileiras dos Voluntarios da Patria, se augmentan)
de da em dia; do; lugares mais prximos desta
capital, onde jl tem chegado as providencias expe-
didas pelo governo, muitos cidados tem acudido
ao reclamo da patria, e espero que o mesmo acon-
tecer a respeito das de mais localidades do centro
da provincia.
O mais nobre enthusiasmo pela defeza da honra
e dignidade nacional se desenvolve entre todas as
classes da populacho. Cidados, notaveis por sua
posigo social, e por seus haveres, tem viudo alis-
tarse nessa pnalange de bravos com a mais louva-
vel abnegaco, que tanto os honra ; e aquellos, que -tida aos commandantes superiores dos
por conslderagoes valiosas nao podem fazer o sa- por ondejassa a estrada de ferro.
municipios
uno *ssa a estrada de rerro.
i pessoas no altar da patria, orTere-1 Dito a director do arsenal de guerra.Mande
gratuitos nesta fVtnc. recojher nesse arsenal 1,179 balas soltas do
cem o auxilie de seus serviros
provincia, ou de seus donativos para as despezas
da* guerra.
Entre os primeiros citare!, alm de outros, un
dos fllhos do deputado geral Dr. Antonio Vicente
do Nascimento Feitosa; o Dr. promotor publico
desta capital, Jos Paulino da Cmara; o proprie-
tario Hermelino Peregrino David Madeira e muitos
jovens de familias dlstnctas.
Entre os segundos mencionare! os Drs. Alexao-
dre de Souza Pereira do Carmo, Pedro de Athayde
Lobo Moscoso, Joo da Silva Ramos, Joao Pedro
Maduro da Fonseca, Joo Nepomuceno Dias Fer-
nandes, alm de varios officiaes da guarda nacio-
nal e empregados pblicos, aquellos fazendo
renuncia dos seas sidos quando vierem a aquar-
lellar, e estes de ama parte de seas venci-
raentos.
GOVERNO DA nOVIrlGU.
--"" '""'"' IJrW |l/i7 UdlAS 3UIUI3 uu
adarme 17 provenientes de eartuxos que se arrui-
aaram, as quaes sero nara ahi remettidas por
parte do coronel coawrumdante das armas.Com-
muaicou-se ao commandante das armas.
mo ao juiz de direito interino deNazareth.Em
reaposta ae offlcio de Vme. de 23 do correte,
tenho a duer-lhe que efectivamente se me apre-
sealou o individuo de nome Joaquim Cypriano
Bezerra de Mello, a quem mandei alistar no corpo
de Voluntarios da Patria.
Dito aojuiz de paz mais votado do Io distndo do
actual qaadriennio da freguezia do Flores.-Cons-
tando de offlcio da cmara municipal da villa de
Flores, datado de 8 do corrente, nlo se ter reunida
ate essa data a junta revlsora de qualificago desso
freguezia recommendo a Vmc. que guardado o
praso e mais formalidades da lei convoque os res-
pectivos eleitores e rena a referida junta no dia
30 de abril prximo vindouro que para isso fija
designado e prosganos demas trabalhos da quali-
ficago tendo era vista o disposto no decreto
n. 2,863 de 21 de dezembro de 1861 e mais dispo-
sigoes em vigor.Offlriou-se a cmara municipal I
de Flores. y |
Portara.-O presidente da provincia, tomando
em coosideracao o que expoz Antonio Eugenio
mes, arrematante dos reparos do embarreamento:
do 2 e 3o langos da estrada do sul entre os mar-1
eos de 4 a 8 mil bragas, resolve eooceder-lhe mais I
i mez de prorogago para a concluso daquelles
reparos, a contar do dia em que se findou a que
ebteve por portara de 23 de dezembro do anno
prximo passado. Fizeram-se as necessarias com-
rouolcagdes.
Continuaf de expediente do dia 27 de ferereiro
de <16(m
Offlcio ao coronel commandante das arma3.
Srva-se V. S. de mandar alistar no corno do vo-
luntarios da patria o soldado ao corpo de polica
Manoel Correa da Silva, se for para isso julgado
apto.
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife.Tenho presente o offlcio de
V. S. n. 48 de 21 deste mez, acompanhado de outro
de 20 do tenente-coronel commandante do batalho
n. 1 de artilharia da guarda nacional deste mu- i
cipio Joaquim Jos Silveira, em que este renuncia
em favor das despezas da guerra em que est em-
peonado o imperio, todos os vencmentos que por-,ipediente do secretario do governo do dia 28 de
ventara Ihe possara caber se e referido batalho tnwrrirn dr ISfiS
aquartellar; e declara que o mesmoolfereciraenta nm(.in ,rt A '", 'i.,JZj,' A B '
fazem os capitaes Man*oel Naseiraeato de Araujo, B^'sVr3nL 7w? S!K I
Jos Gomes Leal, Caetano Cyriaco da Costa Morel- 5**Jif' n'ef den* 122S25 ?rd,eMn. Pr
ra, Jeronymo Emiliano de Miranda Castro, teen- Sfi.:,J,\V.orTiTntodosobjec,osl
tes Jos de S Leitao Jnior, Francisco Gomes de Sffi* P^Lf esc^a r8lmen,al do *#>$> fa"
Olive.raSobrinho, JosLuiz Innocencio Poggi,Leo- Ss'taTI SS?2"5n2^ a V; -ern
poldo Ferreira Marlins Ribeiro e o major Alexan- "?** a seu offlc, de 2> do corren,e' S0D
dre Augusto de Frias Villar, este se nao for para v i m^ ~ .^.11'.-.. ......__... .
otheatroda guerra, como seofferecou, o penalti- Jva nroSn^ia WrJS, J*""
mo se forera aceitos os servigos compativeis com ffif,Pr?Ki"nhimi, u^^tt6 da piS'
as suas molestias e o auti-penullimo aoeoas se R?*AriSaSaiaaaJS ^TJSfZ
restabeleeerdo grave incommodo qu"e soffre. I ^ W?Ja*5 1 ,h0je SOb ,n- !i manda d?"
Em resoostacabe-me dizer-lhe nne am-idecn f*^1."6 *m de 1ue ,aca constar a assembla
tac,5,3?'offeeciS nto To^rl"off^^^^^^LTM ^l
mente aproveitado, e levado ao conhecimento do *V^rTleS do, sSeto?lo '
coronel Silveira Commnriicnn-w ihesnurarh dn x Sr" Presidet da provincia, manda
fazenda <-ommuntcou-se a thesourarfa de acensar recebido com o offlcio de V. S. de 24 do
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.- eZ^t^^'tll^8"11'8
Teado incumbido as pessoas constantes da inclusa S"'f,T' LfTPS?.! T 11-^ ?***}*
relrgo de receberemTos termos de suos residen- K cooanhia W ** CC,oois,as da
cias todos os voluntarios qae se Ihes apresenu- > compannia.
rem, poderem obter ou Ihes forera enviados por Despachas do dia 28 de ferereiro de 186o
quaesquer cidados, e de os remetieren) esta: ^ RHiummniai
presidencia ou ao commandante das armas, fazen- \ ikmn^in iSninir i i
do-os acompanhar das competentes guias'e abo-1 Jf^lTlt??? .^T &n5??f..Li,~nS?
A mes da Silva, Antonio Marques da Silva, Antonio
Bento da Costa e Garda 4 C, a expensas snas.
mandaran) vr urna banda de msica, e percorre-
ram muitas ras da cidae, dando vivas consti-
tuigo do paiz, nago brasileira, aos vencedores
de Paysand, ao exercito e armada nacionaes,
S. M. o Imperador e sua dynastia, aos Srs. presi-
dente da provincia e Dr. chefe de polica, era cujas
casas pararam, tocando a msica o hyrano nacio-
nal. Foi urna bella festa popular.
O vapor Paran que tocn neste porto 2
do corrente, rouxe ordem do ministerio da gnerra
para receber, com destino corte a ftmpanhla de
cagadores desla provincia.
Deixando os soldados desta companhia quarenta
e tantas esposas, e cento e tantos fllhos, lembrou
S^Exc. o Sr. Olyntho Meira ao Dr. Moreira Bran-
! de a idea de organsar nma commrsso patritica
para o fim de promover urna subscripeo para as-
segurar s familias desses bravos da'patria urna
sustentago.mdica, porm decente, que as acober-
lasse dos ataques da miseria e privag5es. O Sr.
Dr. Moreira Brando, aceitou essa humanitaria
idea, e procurou desenvolve-la, para qae pedio o
concurso dos distinctos cavalleiros Dr. Vicente
as suas da cidade, dando sempre os vivas do cos-
tume, que eram correspondidos estripitosamente.
As nove horas e alguns mnntos ebegou S. Exc.
a porta de seu palacio, e repetindo os vivas de que
ja occupel-me, ordenon aforga qae se retirasse pa-
ra seu quartel, convidando alguns cavalheros a
entraren) em seu palacio.
O Sr. Dr. Antonio Aogusto, chefe de polica, con-
vidou alguns amigos tomarem urna chavena de
cha em sua casa.
Foi urna das mais bellas e patriticas passeaias
que tenho assistido aqu.
Neste mesmo da, na villa do Cear-meirim, o
ur. Jeronymo Cmara, coronel Varellae major Mi-
guel ItluCiro Dantas Jlinior nrnmnmrsm nna ron.
guel Ribeiro Dantas Jnior, promovern) urna reu-
mao popular, na qual o Dr. Jeronymo produzio,
segundo sou informado, um patritico discurso,
cheio de ardente imag;nago. em o qual convidava
o povo alistar-sevoluntario da patria.
Desoito individuos, repassados de enthusiasmo,
alistaram-se voluntariamente.
O Sr. coronel Varella declaron que perdoava to-
das as dividas dos iodividnosqueolferecessem seus
servigos a patria.
Ferreira Gomes, Dr. Amorim"do Valle! Dr Albu- ,Sr' maJ0I Miguel Ribeiro olfereceu um cont
querqae, Dr. Viceote Pereira, Dr. Hermogenes Ti- fei? Paradpz individuos que se ofTerecessem vo-
nouco, major Pelinca, tenente-coronel Bonifacio UDIari0\; alm do premio e vantagens do governo:
e capit Jos Alexandre S. de Mello. aceitaram e receberam incontinente o premio
Organisada assim a commsso, encetou seus, PromelI'd''-
trabalhos, consegrando na primeira tarde de seu A e lodos.os Pon,s da provincia chegam noticias
empenho, assignaturas mensaes qae prefizessem a de que mu,los Tp.lantarios eem-se apresentado pa-
importancia de cento e tantos mil ris, que na ran serv.'. 'P1 'ar autoridades policiaes.
verdade pequea, mas compatvel com as forgas do "t!_D.rinciP"). ? Janeiro al a presente data a
acanhado commercio desta cidade.
A commisso nocessa de envidar esforcos.para
desempenhar seu desidertum.
Do principio de Janeiro at
provincia tem dado :
Voluntarios da patria existentes.
remedidos
71
10
Paja todas as fregoezias foram nomeadas com-
missoes flliaes, encarregadas desse to philantro
pico dever.
A' convite, pela imprensa, da commisso pa-
tritica, houve no dia 19 do corrente, no paleo do
quartel da companhia de cagadores, urna bem con-
corrida reunan popular, para o fim de convida-
rem-se cidados alistaren) se voluntarios da pa-
tria. Para esse mesmo dia, hora e lugar, havia
o tenente-coronel Bonifacio marcado urna revista
para o batalho de sea commando.
Total.
.......... 81
Voluntarios do exercito......... 20
Recrutas existentes............ 33
Remettidos................... 27
Total.
60
Entre recrulas, voluntarios do exercito e da pa-
tria, do principio de Janeiro at esta data tem sen-
tado praga 161.
Pela cifra apresentada, pode-se ver que a pro-
vincia do Rio Grande do Norte, em relacao a sua
nando-os sendo preciso, dos venc mentos corres- vi a.
pondentes aos das de viagera, tudo na forma
prescripta nos artigos 1 a 4 da portara de 6 deste
mez, da qual remetto-lho 20 exemplares : assim
o declaro V. S. para seu conhecimento, e afim de
que expega suas ordens s collectorias da provin-
cia no sentido de serem pagas taes despezas em
vista dos competentes documentos
-28-
As 5 boras da tarde o pateo do quartel eslava
apinhado de cidados de todas as classes e cores
polticas.
A gitarda nacional em numero de setenta e pou- PPula5ao .lem concorrido para a guerra com urna
eos soltados eslava estendida, tendo em forma orna c C0DSiaeravel, gragas as providencias tomadas
baoda de msica qtie tocava algumas pecas. pe ?s. 8I* Presiden'e da provincia e Dr. chefe de
Os voluntarios da patria, essa fila de cidados Rolim, em quera nao tem faltado dedicago e ac-
benemeritos formavam esquerda. i 5! ,pa[a deseraPenho de lo arduos deveres.
Prximamente a estes estavam em forma os sol-', resul.tado estatistico que ah deixo, o protes-
dados da companhia, os voluntarios do exercito, e l0 ma,s v,vo 1ae s Pde fazer>contra 0(iue escre-
os recrutas : todos dlslioguiara-se por seas esgares, venom correspondente desta provincia para o lor-
io denodo e bravura 2! Commerc,o i em cuja correspondencia de
recrutas
dest'arte
Eduardo Frederico Bankos.Em vista da infor-
magao, junte o supplicante a guia de passagera,
com que retirou-se para o municipio, sugeilo ao
commando superior da guarda nacional de Pal-
, mares.
Joao Antonio Marques do Espirito Santo. Diri-
Ija-se ao sen commandante
Offlcio ao Exra. Dr. vigario paular desta dio- Jg Soares Goelho.-Informe o Sr. Dr.- chefe de
cese.-peyendo ter lugar no da i. de marco pro- F Ma|."a da Assumnro de Andnde I una niri
ximo vindouro urna hora da urde a abertura da **[SSSrovinrial
sesso ordinaria da assembla legislativa provin- J f^n^^ ?SS;n,n ,nf,rmo
cial, assim o commun.co V. Exc. para que se DrP*Q ["iJSeSa? do termo di ^TannS
sirva de providenciar afim de que seja celebrada r",QIZ munic,Pal d0 Iermo de wlanna.
na igreja matriz .da freguezia do Recife a rotssa !
votiva do Divino Espirito Santo.Fez-se o demas
expediento a este respeito.
Dito ao coronel commandante das armas. i
Queira V. S. mandar postar urna guarda de honra
em frente do pago da assembia provincial no dia rnHnr.VPnvnvcriiK nn >
1. de margo prximo vindouro, ao meio dia, afim ^*SJ?i **C_I.Mi?_ DIA
de fazer as honras do estylo por occasio da aber-
tura da sesso ordinaria da roesma assembla,
oSr.
INTERIOR.
providenciando V. S. ao mesmo tempo, para que a
fortaleza do Brum d a salva do costme.
Dito ao mesmo.Srva-se V. S. de mandar alis-
tar como voluntario da patria no mesmo posto o
segundo sargento do batalho n. 26 da guarda na-
cional do Bonito Joaquim Cvpriano Bezerra de
Mello.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S- de mandar alis-
tar como voluntario da patria a Jos Salvador dos
Santos, Antonio Jos Firmno e Antonio Jos do
Nascimento.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento Fran-
cisco Paula da Silva.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.-O
coronel commandante das armas declara-me em
BO DE PER*AM1U7CO.
RIO 4.R V\li: DO \ORTK.
Natal, 2i de feereiro de 186o.
A morte arrancou as columnas de seu importan-
te jornal, urna peona do correspondente mais que
nunca precisa, por sua illustragoe patriotismo.
Todas as provincias oceupam em seu conceitua-
do jornal o lugar que Ihe compete ; o Ro Grande
do Norte, depois dessa lamentavel morte, parece
que nao existe, porque delle se nao ralla.
E', pois, nao no Interesse de ostentar erndigo
que nao a tenbo ; mas no do amor que consagro
esta provincia, to nobre de sentimentos, e to
grande de aspiragSes, como suas irmas, que ve-
nho solicitar espago em seu jornal, para a rese-
nha de fados que se succederem, em toda quinze-
za-, prometiendo fallar-lhe com sinceridade do cos-
offlcio de 25 do corrente, sob n. 381, que com o turne ; apreciando os actos de verdadeiro patriotis
Um de substituir no servico do hospital mil i tai a mo, de quem querque seja, sem distinegode cren-
um dos mediros militares que embarcaran) para a gas ou principios.
erte no vapor Paran, fura chamado o Dr. Joio1 No interesseda cansa commum, dessa patria que
Pedro Maduro da Fonseca, que se havia offerecido : tanto amamos esqueci a adversarios, depuz resen-
esta presidencia para servir gratuitamente ; assim tmenlos ; e,em torno de mim, nao vejo seno arai-
o communico V. S. para seu conheciraonto e di-' gos, que fallara a mesma linguagem, que teem os
rergo. mesmos sentimentos; que pensam, que cogitan)
Dtoao mesmo.Transmiti V. S. para o fim nos negocios do paiz cora o mesmo ardor de pa-
conveniente a inclusa relago da qual consta quo triolismo, que ea, as difflceis circomslancias em
Jos Qiiirino Ribeiro se alistou voluntariamente que elle se acha.
em 28 de Janeiro ultimo no corpo de guarnice Ha, porm, urna idea grande, edificante e palrlo-
desta praca estacionado na villa de Tacarata'. tica que nos deve congressar, que nos deve unir,
Dito ao mesmo.Em vista da inclusa guia man- estrellar em om s pensamento; e vem a ser na
de V. S. pagar ao coronel commandante superior guerra contra a repblica oriental, na guerra con-
da guarda naciooal de Santo Anto, Jos Cavalcan- ira o Paragnay.
le Ferraz de Azevedo, ou a pessoa por elle corape-' E emquanto a nago brasileira nao conseguir hu-
tenlemente habilitada, a qaanta de 21^000 prove- milhar, abaier o insolente orgnlho dosselvagens
niente de adiantamento de vencimentos feitos a, do prata, os partidos devem conservar enroladas
alguns dos voluntarios de que trata a mencionada j suas baodeiras, esquecer seus odios, depor seus
guia, os quaes se apresentaram no mesmo coronel desgostos, lembrando-se de qne da unio que re
a > n. aiia ram*u;A*c .... = ._i.i ..... sulla a forca, to precisa qaanto "* -
e foram por elle remettidos para esta capital para
servirem no cerpo de Voluntarios da Patria.Com-
municou-se ao coronel Ferraz de Azevedo.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Nos
termos da inforraago do director geral da iostruc-
gao publia de 23 do corrente, sob n 63 inclusa
por copia e nao havendo inconveniente, mande V.
S. pagar a professora publica de inslruccao prima-
ria da 3* cadeira da freguezia de S. Antonio desta
cidade Maria d'Assumpco de Andrade Luna, o que I
se Ihe estiver a dever de alugael de casa e expe-
diente de sua escola.
necessaria, na
emergencia actual, ao governo.
O contrario sacrificar peqnenos resentiraen-
tos a grande causa da nagio
Nao digo qne se nao faga ama censara regular :
moderada, quando o governo nao empregar neces-
saria actividade nos recursos e medidas qae deve
deseuvolver, tendentes a vingar os bros, e honra
naeionaes.
O que nao quero, nao desojo, ver hoje a im-
prensa convertida em instrumento de vinganca,
maldizendo defeitos que seriam padres de gloria,
As 3 horas |da tarde ponco mais ou menos che- 20 do Passado d que quast todos os
gou s. Exc. o Sr. presidente, 08r. Dr. chele de po- emm .so."os, W. molestias, emprestando
licia e varios oalros cavalleiros de distincco. nm,a ,!DJuri a mspecgao de sade.
S. Exc. tomando a palavra, em um bem comb-' "'"ente a verdade esta na eoosciencia do Ro-
ado discurse, repassado das mais doces effusoes verno e de lpd0 Pnblico que sabem a maneira dig-
de patriotismo, expoz ao silencioso auditorio a his- m' peJ,a 1-^^ Portado esses mdicos,
tora de nossos soffrmentos; as injusligase cora-! 7", dia ^J0 C0"_eMe constituio-se o tribu-
metitimentos indignos de nossos inimigos: a ion-; nai ao Jur''s$nd0 Prftsidenle o juiz de direito da
ganimidade de nossa heroica paciencia; as tortu- comarca. Dr. Vicente Ferreira Gomes, e promotor
ras, por que passaram muitos de nossos concida-
daos, residentes na repblica oriental; assasslna-1
tos, roubos e espoliagSes de propriedades brasilei-
ras ; o escarneo, e irriso com que nos respon
diam.
Tratou das ncessantes reclamacSes do governo
brasileiro perante o da repblica, e do menospreso
e vilipendio com que nos escarneca o ministerio
de Aguirre.
Disse que nessa conjectura, o governo imperial,
coso da justga de nossa causa, c zeloso de nossos
direitos, enviara e digno conselheiro o Sr. Saraiva,
no carcter de ministro plenipotenciario tratar
de nossas questoes, pendentes naquelleestado ; que,
nao obstante os esforgos, illustragao e patriotismo,
do Ilustre couselhelro, ludo fra de balde.
Que o Brasil, ento, no intuito de chamar nossos
ingratos inmigos ao cumpriraento de to sagrados,
quo nviolaveis deveres, exercera contra a rep-
blica o direito de represalias.
Que todos os recursos, assim esgotados, desde a
paciencia at as ameagas, foram inuteis ou bal-
dados.
Que, em 'ao diflicies circumstancas, s nos cum-
pria appellar para a sorte da guerra, lavando no
sangue de nossos inmigos os insultos e injurias re-
cebdas, ou preferindo suecumbir na luta, o que
era mais digno de urna nagao livre, que tanto sabe
zelar o legado glorioso de nossos antepassados
sua independencia, honra e digmdade.
S. Exc. nao esqueceu o lgubre e sorprehende-
dor espectculo que se deram os paraguayos, ala-
cando falsa f, urna fortaleza nossa, no territorio
deMatlo Grosso : tratou da bravura c resistencia de
cento e flote de nossos soldados, opposta contra
seis mil inimigo, em cujo porfiado combate tive-
ram elles mcalculaveis perds : disse que os ha-
bitantes das pequeas povoagoes brasileiras teem
sido atacadas de sorp.reza, talando nossos campos,
roubando, saqueando nossas propriedades, violando
o que ha desoais?sagrado no mundoa honra das
casadas, e o pudor das donzellas I
Disse mais qae as orelbas dos brasileiros que
eram feitos prisloneiros, eram cenadas e levadas
como Inumpho de barbaros, enfiadas em corda pa-
ra celebrarera-se como trophos, na cidade de As-
sumpgo !...
O discurso de S. Exc. produzio tanta indignago
nos oovintes, que ros de lagrimas homedeciam as
faces de todos, dispertados pela dr da mais justa
reprovago.
S. Exc. terminou, fazendo um appello s armas,
em face das graves circumstancas em que acha-se
o paiz, e convidando todos os Brasileiros alista-
rem-se voluntarios da patria, para vingar nos cam-
pos da batalha, nossa honra e dignidade da nagao.
Ento, doze individuos, sahidos do meio do povo
e das flleiras da guarda nacional, deram passo
frente e tomaran) o lugar em que se proceda o
alistamento dos defensores da patria.
Dito ao commandante do corpo de polica.Ao se fossem praticados por correligionarios, elevando
guarda da secgo urbana dq corpo sob seu com-' s nuvens actos de verdadeira censura, porque sao
mando Joo Antonio Marques do Espirito Santo,' smente de amigos.
que concluio e sea engajamento, como consta de I Feita minha profisso de f, e conhecidas minhas
seu offlcio n. 117 de 23 deste mez pode V. S. man-1 ideas e principios vou entrar na resenhados fados,
dar dar a baixa qae pedio. A victoria de Paysand, esse atrevido feito de
Dito ao tenente coronel recrutador.Remetiendo armas das torgas brasileiras produzio aqui o mais
por copia a V. S. as inclusas relagoes dos trabalha- ardente enthusiasmo que se pode imaginar.
dores da estrada de ferro dos termos de Allegados
e Maribeca, recommendo-lhe a expedigo das
necessarias ordens afira de que de cooformidado
com a 9* das condiges que baixaram com o de-
creto n. 1,030 de 7 de agosto de 1852 sejam elles
isenios do recrutamento. Igual relago foi remet-
A' noite muilas casas illuminaram-se, em signa!
de completo rigosije.
A populacho inteira parecia dominada de urna
forca elctrica.
Nessa mesma noile alguns negociantes desta pra-
ca, os Srs. Miguel Ferreira de Mello, Franciseo Gc-
S. Exc. e os Srs. Dr. chefe de polica, Dr. juiz
de direito e oulros muitos cavalheiros* abragaram
esses coragoes generosos, que sooberara esquecer
as mais doces legagSes de familia pelo ardor e de-
votamento da causa do paiz.
Durante esta scena a mais pathetiea e arrebata-
dora que hei presenciado, a banda de msica to-
cava o bymno nacional.
Terminado este, o Sr. presidente den vivas
coastituigo do paiz, nago brasileira, Sna Ma-
gestade o Imperador, sua augusta familia, ao
exercito e armada naeionaes, aos voluntarios da
patria e ao povo Riograndense.
O Sr. Dr. chefe de polica S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia. O Sr. tenente Caldas ao Sr.
Dr. chefe de polica.
O Sr. Dr. Doria aos bravos defensores que as-
sgnalaram seas nomes as balalhas e victoria de
Paysand.
Deram-se mais ootros vivas que fra por de mais
enumerar.
A noute S. Exc, o Dr. chefe de polida, Dr. jaiz
> direito, todo funecionalismo publico e o povo,
precedidos de urna banda de msica, dos volunta-
rios da patria, da companhia de- eacadores, dos vo-
luntarlos do exercito e recrutas. pefeorreram todas
Os reos foram
Dia 21.-Josepha Maria da Trindade, aecusada
por crime de ferimentos graves, advogado, Ubal-
dino Jos da CruzAbsolvida.
Da 22.-Antonio Novo, ferimentos leves, con-
demnado no medio do art. 201 do cdigo criminal,
advogado, Dr. Francisco Gomes da Silva Jnior.
O reo havia sido pronunciado em ferimentos gra-
ves, a esforgos di seu illustre advogado, o tri-
bunal mudou a qualificago para ferimentos leves.
Da 23.Jos Machado de Oliveira e Sebastio
Honorio de Oliveira, ferimentos leves : advogado,
o Dr. Jos Moreira Brando Castello Branco : o 1
foi condemnado no mnimo do art. 201, e o 2* ab-
solviao.
Foi a primeira vez qae presidio o tribunal do
jury nesta -capital, o Sr. Dr. Vicente Ferreira
Gomes.
O resumo dos debales, feito por S. S. no tribu-
nal foi sempre claro, preciso e revelador deconhe-
cimentos nao vulgares.
No vapor Paran que tocou neste porto 21 do
corrente, chegou o juiz de direito, ltimamente no-
meado para a comarca de S. Jos de Mipib, o Sr.
Dr. Caetano Stellita Cavalcanti Pessoa, cora sua ex-
cellentUsima familia.
O Sr. Dr. Caetano Stellita um magistrado ho-
nesto e intelltgente : no um homem novo; mas
um juiz conhecido por seus importantissimos ser-
vigos, prestados a provincia do Amazonas, e o paiz,
por sete annos no cargo de che/e de polica da mes-
ma provincia.
Felicitamos aos Mpiboenses por terem a felici-
dade de caber-lhe um juiz Ilustrado e jostceiro,
como o Sr. Dr. Caetano Stellita, mui digno snc-
cessor do mui digno Sr. Dr. Ferreira Gomes.
Basta.
PERNAMRUCO,
ASSEMBLA PROVINCIAL.
2.' SESSO EM 2 DE MARCO DE 1863.
PRESIDENCIA DO SR. DI). CAETANO BR1T0.
s 11 e3/4 achando-se presentes osSr*. : Brto,
Ribeiro, Ramos, Reg Barros, Aquino Fonseca, Ja-
cobina, Buarque, Ribeiro, Rochad, Drummond,
Braulio, Francisco Pedro, Nabor, Avres Gama.
Arantas, S Pereira, D. Ulpiano, Maranho, G.
Campello, S. Olegario, J. Reg Barros, conselheiro
Loureiro, Bandeira e Araujo Barros. O Sr. presi-
dente declaron aberta a sesso.
Procedeu-se leitura da acta da sesso ante-
rior, a qual depois de urna ligeira observago do
Sr. 2o secretario, foi approvada
Comparecerara depois de aberta a sesso os Srs.
Jos Ferreira, Sonto Lima e Arminio^-
0 Sr. Io secretario leu o expediente que cons-
lou de urna representado da cmara municipal do
Brejo da Madre de Dos, pediodo a esta assembla
que tome em considerago a representago aanexa
dos moradores do distndo de Garrapatos, em que
reclaraam sobre a inconveniencia do projecto que
manda jnntar aquelle distndo freguezia e trra
de Caroar.A commisso de estatistca.
foram julgados objecto de deliberago os dous
projedos hontem publicados no resumo das ses-
soes, sendo dispensada a impresso.
Foi lida e remittida commisso de polica a in-
dicago do Sr. Jos Teixeira j publicada.
Leu-se e foi a imprimir o seguinte projecto :
A assembla legMallva provincial resolveu :
Art.-1. Fica erecta em matriz a capellada
Senhora Santa Anna na povoago do Sacco na co-
marca de Cabrob com a invocagio da mesma Se-
nbora.
< Art. 2.* A nova freguezia se limitar pela for-
ma seguinte : Pelo lado de sul comprehender da
freguezia de Cabrob o territorio desde as fazen-
das denominadas Boa-Esperanga at Terra-Nova e
l'mans, e d'ahi desde Santo Antonio, Embaraa,
Bora-Jardim e Boa-Sorte, subindo pelo riacho da
Brgida e do Poco do Fumo at a Onca, tudo Inclu-
sive ; pela parte de leste comprehender da fre-






.
.
lafl I
ii a r\
M



--------------


'

Diario de Ptrnanifeuco *e\a letra 3 de Mareo de ISO.
guezia do *algueiro toda ajan? dedQ as [azeudas
do riachiBho Sanguisuga, Serrote, at Cacimba-No-
va e Aiigico, llcando dentro destes limites as fazen-
Jos Gome*, Pinguella, e eutros lugares que se
oomprehendem rfesta dreoco; pelo norte se limi-
tara' com a freguezia do Ex, cuja parte Ihe licara
pertertcendo pelas fazendas da Laga Groad?, Boa-
Vista, Jac, Mucambo e Vanea, todas com as sHas
-
4 Foram recomidos a casa do dete'ngao no da 1."
do corrente:
A' ordem do lilm. Sr. Dr. chefe de polica, Fe-
lippe Josa dos Santos, Jos Bernardo rifes f*os-
Joaquim Rodrigues Carlos de Sani'Anna, Manoel
Felippe Figneiredo dos Santos, Manoel Antonio
Bonifacio, Manoel Francisco EsUnlslo e Pedro
Ferreira, para recruus; e Julio, escravo do Dr.
Eduardo de Barros Falcas Lacerda, requeriinen-
adherenclas; pelo poente, na freguezia do Ouricu- to d,esle.-
rv, comprehender todo o terreno desde a fazenda A ordem do subdelegado do Recife, Vieente Jos
totenda Caldeirao A'ordem do de Santo Antonio, Jos dos Santos
' Art. 3. Fica"todo o territorio da nova fregu- Neves> e Antonio, escravo de Jos Francisco Car-
neiro, para correccao.
A' ordem do de S. Jos, Thomat Barbo da .Con-
ceigo, por furto.
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel Joao da Costa,
Jos Francisco Pereira., para correccao.
O chefe da 2* secgao,
J. G. de Mesquitu.
Gasa de detenc>o.
Movimeuto da casa de deteogao do dia i.' de
marc,o de 1865.
Exisliara presos 391; entraran) Id ; sahiram 16
exislem 391.
A saber : nacionaes 309 estrangeiros 19 ; mu-
lheres 2 ; estrangeiras 2; escravos 54;
ta pertencendo- ao termo do E-
Art. 4. Revogadas as disposiges em contra-
rio.
c Paco da assenbla legislativa provincial, 2 de
marco de 1865. Francisco Pedro. Bmarque.
hechael.Joao Braulio.Soares Brand.
O Sn. Buarque, pela ordem, pedio dispensa da
commissio de que se aoha encarregade para a ac-
quisicao da mobilia destinada salla das sessoes,
e pronos para o substituir o Sr. Io secretario.
Depois de urna ligeira discussao, foi concedida a
dispensa pedida e approvada a proposta.
O Su. Aquino Fonceca reclamou contra um
aparte, que Ihe foi altrihuido no peridico ollicial,
escravas
quando o'rava oSr. los Teixeira, qual respondeu S.Total 391. mmm^m .mimm mu
Alimentados a cusa dos cofres pblicos loo.
Movimento da enfermarla do dia 2 de marco
de 1865.
Tiveram baua :
Jos Florentino AI ves de Souza ; gastrite.
ordem do da, comecando-se pela' Jellarmino Jos de Lima ; febre.
misso de coostituigo e poderes, Thomaz Barbosa da Conceigao; nevraJg.a.
tcbar-se tal qual o aparte oas notas do tachigra-;
pho.
O Sr. Jos TerxEiRA mandou mesa para ser li-
da baje urna indicacao de censura a mesa traos-
acta.
Passou-se
eleicao da comm
Adioo-se o julgamento a requeriroento de um
dos sonliores depulados.
Appellante, Thomaz Teixeir* Batios ; appella-
dos, os administradores da massa -fallida de a.-]
quim Jos Sil veira.
Adion-se o julgamento a requerimenio jteflp
o s senhores depulados.
PASSAGBNS
Appellante, Antonio Joaquim de Meflo ; appella-
dos, Manoel Joaquim Baptista e D. Joanoa Mara
das Dores.
Do Sr. desembargador Silv Guiraaraes ao Sr.
desembargador Aocjoli.
Appellante, Manoel Ribejro Baatos; appdltdos,
a embargante 3' D. ihooiora Mari a Quitenhtitoo-
irog.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Silva Gulmares.
Appellante, Salvador Leite Vidigal ; appellado,
H. George Denis.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Doria.
CARTA TESTEMUNHAVEL VINDA DO JUIZO ESPECIAL
DO COMMERCIO.
Aggravante, D. Mara Magdalena de Almeida
Catanho ; aggravado, o juizo.
O Exm. Sr. presdeme deu provimenlo.
' AGGRAVO DE PETigiO INTERPOSTO DO MESMO
JUIZO.
Aggravante, Francisco Santiago Ramos ; aggra-
vado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
O Exm. Sr presidente negou provimenlo.
Nada mais ha vendo a tratar o Ezm. Sr. prcsi
dente encerrou a sessio urna hora da tarde.
forem mutilados ou Ocarem inhabilitados para o recompensado, a moral njjpeftada,1el observada,
--------------
iraballio, nao obstante quaesquer reuiunerao ou
pensoeo do estado que por lei Ibes compilara.
a uuio brasileira reatada. Sao estes os preciosos
dons soqiaes que o meu corafSo ambiciona para i
Art. No terapo que decorrer de seis me- felicidade commum des brasitotros. Se a obra
es depoia de terminada de todo a actual goer- difflcil, nao impossivel a sua consummaco, depen-
ra, at* flm de ontros seis mezes, ser disHlrida de da nossa unio e .da .boa f dos oernaoles ;
a.assoeacao, e as quarjtias que existirem perten-, estes dous elementos compactos, e em accao ao
^.2"leHma, e-rao *"**? Me' faMta4os mesmo lempo prodniro o ofleilo desojado, como
volupiarios da patria, que eetiverem as ciraanis- Qm dia veremos.
para a qnal foram nomeados os Srs. conselheiro
Loureiro, 22 votos; Barros, 20; e Jos Teixeira, 12.
Estes dous ltimos senhores pediram ao Sr. pre-
sidente dispensa, a qual nao foi concedida.
Passou-se eleigao das seguinles. commissoes,
para as quaes foram nomeados os senhores :
Orcamento e fazenda policial.
Gervasio Campello, 1.7 votos; Buarque, 14; e
Reg Barros, 12.
Gontas e despachos proviociaes.
Deodorio Ulpiano, 14 votos ; Andrade Lima, 14;
Aquino, 13.
Commercio, agriculluia, artes, navegago e obras
publicas.
Gervasio Campello, 14 votos: Sonto Lima, 11;
Brandio, 17.
Redaccao de leis.
Goncalves da Silva, 17 votos; Ayres Gama, 16;
Branda". 15.
Iastruccao publica.
Rochael, 17 votos; Arminio, 16; e Gongalves
da Silva, 12.
Estatistica edivisao civil e ecclesiaslica.
Francisco Pedro, 13 votos; Maranho, 12; e P.
Baptista, 12.
Justica civil e criminal.
Silveira Lobo, 19 votos; P. Baptista, 19; e S
Pereira, 18.
Negocios ecclesiasticos.
Francisco Pedro, 19 votos; Ferreira de Mello,
16; e Maranho, 16.
Exame de posturas e negocios de cmaras.
Nabor, 13; Lopes, 14; Souto Lima, 11.
Ornamento municipal.
Ayres Gama, 19 votos; Reg Barros, 19; e
Amintas, 16.
Sade publica.
Sabino Olegario, 13 votos; Aquino Fonseca, 11;
e Lopes, 9.
Pctic5es.
Netto, 18 votos; Jacobina, 17; e Drummond,
13.
Legislacao.
J. Reg, 17 votos; Ribeiro, 16; e S Pereira,
Ordenados.
Silva Barros, 20 votos; Braulio, 18: e Amintas,
12.
Forca policial.
Ramos, 16 votos; S. Olegario, 14; e Araujo
Barros, 14.
Finda a eleico das commissoes, o Sr. presidente
Jevantou a sessao as 3 boras da tarde, dando pira
ordem do dia hoje:
Primeira discussao dos projectos ns. 1 e 2 deste
anno, postoras das cmaras municipaes Agua-Preta,
Recife, Rio-Formoso, e Regulamentos dos ceinite-
rio?, Poco da Panella, S. Lourenco, Caruar, e Pao
d'AJno.
Casemiro Marinlio Falcao.
Tiveram alta:
Jeronymo Ferreira de Albuquerque.
Pedro Antonio de Mara.
BelUriiiino Alves de Carvalho.
OftlTUABIO DO DA 28 DE FKVEREIRO NO CEMI-
terio i'i ui.k:u :
Manoel Martins Lopes. Portugal, 65 annos, solteiro,
Santo Antonio ; febre cerebral.
Leopoldina, Pernambuco, 12 das, Boa-Vista ; ab-
cesso.
Antonio Liiz dos Santos, Portugal, 43 annos, viuvo,
Boa-Vista; congestao pulmonar,
Clemenlina Amelia r\rreira Cost, Pernambuco,
29 annos, solteira, Santo Antonio ; phlysica pul-
monar.
Maibias, Pernambuco, 68 annos, solteiro, escravo,
Boa-Vista ; phtysica.
Luiza, Pernambuco, 20 mezes, Recife; espasmo.
Eleuleno, Pernambuco, 9 das, S. Jos ; espasmo.
Manoel, Pernambuco, 6 dias, Recife/; convulcoes.
1." de marco -
Joaquiro Pernambuco, 14 uwzes, Boa-Vista; con-
vulcoes.
Januario, frica, 45 annos, solteiro, escravo, Boa-
Vista ; ferimenlos.
Mara, Pernambuco, 21 dias, S. Jos; espasmo.
Cosmo, Pernambuco, 13 mezes, Santo Antonio;
pulmona.
Furtnesa, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio;
diarrha.
Emilia Carolina da Silva, Pernambuco, 30 annos,
casada, S. Jos; erysipella.
Carlos, Pernambuco, 2 annos, Recife j gastro in-
lerie.
Adelayde, Pernambuco, 1 hora, Santo Antonio;
espasmo.
Catbarina, frica, 40 annos, solteira, escrara,
Santo Antonio ; gastro interino.
COMMNICADGS.
CHRONICA JUDICMRI4
O que se acaba de dar na assembla provincial
em relaeao a eleige da respectiva mesa, a no-
meacao de diversos cidados escolhidos, d'entre
as diversas parcialidades polticas, pelo Exm. Sr.
Castello-Braaco para tratarem d'acqnisigo de vo-
luntarios da patna em as suas localidades, reve-
lando da parte de S. Exc. o proposito, em qne es-
t, ou eslava, de concorrer para a extiuccao dos
odios polticos alimentados por um governo, qne
s pode tirar vaolagem da roysiiflcaco dos ho-
rnese doj principios, orna medida que, senti-
mos dizlo, nao produzir o desejado effeito.
tauc4njl43guradas no artigo precedente.
Aaj.^0.Ser feita, porm, aquella jdivisao de
aaotlo, ^pue s familias dos voluntarios da patria
fallaoMs, como fica dito, caioa mais u uarui^u
que taos simplesmente mutilados, ou inhabilita-
dos j*at o trabalho, tomando-se (tara base da pro-
porcap*s pensoes que asmesmasrecebtm, seun-
do oajt.5."
Art II. Todava se os fundos da assocjaco,jja-1
quella oceasiao forem taes, que as familias de vo-
luntarios da paliia a qumenos tocar,possa caber
mais de 4004, ser-lhes-ha esta quantia arbitrada,
e tomada cerno base para a proporcao das outras
a quem mais deva caber, segundo o artigo prece-
dente, e o que restar ser dividido igualmente en-
tre os mais voluntarios .da patria, embora sem fa-
milia, que houverem sido mutilados ou inutilisados
para o trabalho, e qne dentro do prazo de tres me-
zes qne ser para esse fim marcado, reclamarem
sua parte, tomando-se not de seus nones para a
diviso no dito prazo.
Art. 12. A assocaeao pujas informagoes dos vo-
luntarios sobre suas familias, e pelas que por si
ti ver ou obtiver ahonde, marcar as pensoes qne
coropitam s mesmas, eiar laucar seus nomes em
K' este um appello ao Exm. pratidente da pro-
vincia, e s mais autoridades para que, harsoni-
sando a lei com as necessidades do momento, to-
mem medidas conciliadora- e protectoras dos di-
reitos do cidadas, exequiveis e ellectivas nos dous
referidos lugares, tornapdo-aao sea estado normal
pelo inieiro comprioaeoto da lei, como aguarda-
mos das autoridades superiores.
S. Jos de Mipib, 23 de fevereiro de 1865.
Jos Thomaz de Magalh&es Fontoura.
laja s auxilio cuidado com as af-
fecces dos Brmenlos.
Seus progressos sao rpidos e assustdores. Ata-
lliem se pois os primeiros symptomas mediante
doses regulares do Peitaral de Anacakuita de
Kemp, o qual para logo far parar os progressos
da molestia ou inflammago local : impedir que
a mucosidade se agglomere nos tubos bronchiaes,
| fortificar es orgos da voz, e finalmente restabe-
um livro, com declaraco das ditas pensSes, logar; {orun.c
de residencia de cada familia, e as mais que forera lecer? a siu4e e v'BBr de todo s>slma r
i i
CMMJBCIj).
Moro banco de Pernambuco.
O baoeo detcont letras na pMsHote semana a
12 por cento ao anno at oprazo de seis metes, e
toma dinhelro a juros a praao nunca menor de
tres mezes.
41fa~M*ga
i\endimenio do dia i.......... 18:780Jj485
dem do dia 2............... 29.036922
47:817*407
tlovlmento da allandega
660
Volumesentradoscomf azendas... 30
com gneros... 350
Volumessahidoscora fazendas.. 54
com gneros ... 501
----- 585
Desarregam no dia 2 de mareo de 1865.
Lugre inglez-flrittan<=fariDha de trigo.
Escuna hollaodetaJacobodem.
BrigueinglezHuntressemercadoras.
Vapor loglez Saiadtnmercadoras.
Brigue portuguez Bella Figuerenciaiem.
Brigue inzlezNevabacalho.
Brigne oglezRunymedecarvo de pedra.
Barca ingleza-AmofcstV-idem.
Barca inglezaContad idem.
Importacao.
aiono. etnoor ,ua Barca ingleza John Matheut, entrada de Paila-
V^&SSPJS^SS^^> ^ a tfKS ^"to avaugada, proporcionara felpta consignada a Matheus AusUn & C, man-
medio dos socios das resiwvas loulladku nnp considerjvel alhvio, o em muitos casos eUectuara : ,8S'05 seKQ,n,e
^i^^S^^J^S!^tV. u,na Prom',la cura- Portaul ^victmas datsse- K2,2?21barri,Las ia,riDha *<> ,ri> 30 bar"i"i-
trosTmelhoes meios quaesquer.ou- constipaseePj catarrn0Si feore5 Dflamraalorias dos' nnas bolachinha,00 calzas oleo de kerosene, e 13
Art. 13. Solicitar-se-ha para auxilio desta associa- 5ul"loe!. d" qualquer urna outra eoferroidade I machinas para trabalhar em massas ; aos
cao, em to patritico fim o valioso e esne/Mal enn- aos rgaos da respiragao, nao devem nem por isso i mesraos.
urm^da generoSac^^1cermSl desesperar por um s momento, de sua final enra: I Vapor nacional Persinunga, entrado dos portos
desta eJur^m^l^!S^^ Que tenbam mo este admiravel e ma- do norte, man.festou o seRuinte :
ravjliioso medicamento, verdadeiro restaurador da uo Natal,
vida e saude, qualqier p^ssoa que o use, deve ter 'S00 pranchoes de pinho ; a Manoel Fernandes
perfeita f e confianga, mesrao nos indicios os .r,0?13* .
mais pronunciado da molestia. | lubarrs manteiga de vacca, 5 caixas vermouth,
1 dita ligos seceos, 1 dita amendoas, 15 ditas azei-
Vende se as ptiarmacias de Caors & Barbosa e te de oliveira, 6 ditas licores, 3 arras lioKuica -
J. L Bravo & C. a ordem. v
cidados que possam contribuir para o mesmo, em
toda a provincia, por sua posigo, fortuna e dedi-
cago a causa nacional.
Art. 14. A associagao se encarreg.ir tambem de
promover o alislamenlo de oinntarlos da patria ;
mas sendo nesta parte urgente a suamisao, ser na
Comprelienda d'uma vez o digno administrador, primeira reunio dos socios fundadores da mesma,
la nn n -\ nnt\ nhanaMnn* na nn.H.:_ ^ _^t.!____tinmalH1) llm dKAAaan----------- 1. .- O.
que no p qne chegaram as negocios polticos
nesta maifadada provincia cumpre, antes de tudo,
que se d outra diraegao poltica interna, sem o
que neohura bomera sensato e liberal de cenvic-
go, victima, como lem sido, da mais completa
llusao, prestara o seu contingente ainda em nego-
cio de tanta gravidade, como sem duvida a de-
safronta dos bros nacionaes.
Nao v S. Exc, que esses homens, aos quaes ne-
nhuma confianca inspira o governo, nao fario o
sacrificio de seus recentimentos para verem depois
mal aquilatados os seus servicos, e confiscada por
outros a gloria, qne smente leem dlreito, por-
que, preciso diz-le, o prestigio, a influencia
nao sao predicados de meia duzia de reguos, qne
as freguezias do interior smente podera dominar
pelo Jerror e por um recrutamento, que se nes
antolha prenbe de funestas consequencias ?
Quer S. Exc. oexemplof (Jm pequeo circulo
lembrou-se na comarca de Nazareth d'organisar
urna guarda cvica e nma companhia de volunta-
rios, para o que convidou a alguns liberaes pres-
trnosos. Estes respondern), que tudo fariara por
si, e nada cora elles. O resoltado foi, qne nao te-
ve lugar a reunio, e se vier-d'ali algura volunta-'
rio se-lo-ha i wmne, e com o receio do reernta-
mentarma que. se soccorrem autoridades sem :
prestigio.
Nestos circumstncias atienda S. Exc. para o
estado dos negocios polticos da provincia, lance
as vistas para aquella comarca, em que foi demit-
tido um subdelegado por nao votar com o gover-
no e substituido por um pseudo-progressist.
Sem algiima concessao ao elemento liberal Per-
nomeada usa direecao provisoria, que at a for-
magae de dita associaco, segundo a nitima parte
do art. 2, trate desde j de por em pralica todas
as medidas que forera necessarias para aquello fim.
Art. lo. Tratar-se-ha quanjo antes de confeccio-
nar, em termos simples eTroves, os estatutos da
associagao ; e nelles se crear a sua direcgo e
commssSes necessarias ao manejo de seus nego-
cios, sendo pelas mesmas reguladas as funcefies
daquella e destas.
Recife, 28 de fevereiro de 1865.
o>
"5"
~ t
h. I Numetes.
%
:

,


r
f
s.a.
REVISTA DIARIA.
A assembla provinciai, em sua sessao de non-
tem, procedeu eleigo das diversas commissoes.
flo fugar competente vai o resumo dos trabamos.
Solicitamos a attencao dos nossos leitores para
o primeiro artigo que damos no Pouco de 2Wo,vj>to
moito imponar a sua leitura a todos nos pela ma-
teria cnpa.
A Ilustrada redaccao do Doze de Agosto com o
criterio que a distingue, nao poda deixar de enca-
rar a nossa questao cora as repblicas do Uruguay
e Paraguay sob a apreciagao de urna lula da civi-
lisagao com a selvageria, que all demina brutal e
ferozmente ; e assim invocando o concurso dos po-
vos vres, cede influencia benigna que exerce a
civilisago Iluminada pela liberdade as almas ge-
nerosas.
Como Brasileiros, somos grates aos collegas, que
esto a testa daquelle importantisslmo semanario
pelas suas apreciages e boa vonladepelo imperio; e
mais ainda hes somos reconhecidos pela esponia-
neidade de taes sentimentos, que mais robusterem
a fraiernidade dos dous povos, que reciprocamente
reprentam o tronco e os galhos.
De nevo instamos pela providencia fiscal, que
faga cessar o abuso de vender-se lene com agua.
Venda se o genero mais caro, porm que esleja
em seu estado natural; porque s o comprar
quem poder, havendo no entretanto certeza de que
se o tem bom.
Com a medida de inutilisar-se a todo o leite que
reconhecer-se bapthado, fecha-se a porta a este
abuso de lucros desmedidos com falsifiracao do ge-
nero vendido ; pois que longe de serem estes aufe-
rdos eflVctivamenie, do um resultado opporto de
prejmzo certo.
E' preciso que se atienda ao estado de deteriora-
cao em qne se achao calgamento da ra do Monde-
go,bem como o seu seguimentepara estrada da Pas-
sagem; visto que, a continuar o abandono, a dam-
nificagSo ser completa com prejuizo dos cofres.
Ao Sr. director das obras publicas recommenda-
roos esle objecio, ptm naveudo nma cooservacao
contrtaada. segundo no-lo informara, deve esta ser
effectiva e nao presumida sement.
De Pao d'Alho nos escrevem em dat de 26
do passado o segrale :
< Alguns horneas do povo amigos e devotados
ao tenante coronel Luiz de Albuquerque Maranho
estavam reunidos em um ponto da Teirahontem.e
se resolvern oflerecer-*e ao dito lente coronel
para que, se elle se disposesse a marchar para o
sul, o aeompaobarem, e at organisarem um cerpo
de voluniarios que o seguiese. Comparecendo na
oceasiao em que isto se passava o Sr. Alexandre
da Silva, que empregado das suas fazendas pu-
blicas, proc o roo dissuadir os homens desse pro-
posito, dizoiido que o tlieatro da guerra nao era
mais que um matadooro, e que s quem fosee
tolo, l irla'!
Foram testemuuhas, o Srs. Antonio Francisco
<1e Abren, Jos Ferreira de Giweira e outros cida-
dos que reprovaram semelbante procedimeato d
referido senhor.
Tnilll Y A L DO COnHEBClU
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 2 DE
MARCO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOS
ANSELMO FRANCISCO PBBETT1.
s 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
S* cRosa> C. Alcoforado, Basto e Leal e. nambuco nao pode ser aecusado d'iodifferente em
presente o Sr. desembargador hscal, o Exm. Sr.; face das actuaes emergencias do paiz
presidente declama aberu a sessao. .MeBosprsado, esquecido,, velipendiado, resen-
^Lida, foi approvada a acta da sessao aniece- j tido, verdadeiro paria da sociedade brasilera elle
responde ao indifferentismo com o isdifferenlismo,
ao despreso com o despreso. Nada mais, nada
menos.
EXPEDIENTE.
Um oiBcio da directora central da secretaria de
estado dos negocios da agricultura, commercio e
obras publicas, de 11 do prximo passado, acen-
sando o recebimenio do oilicio dirigido pelo Exm.
Sr. presidepte do tribunal ao Exm. Sr. ministro da-
quella repartgao, em 26 de Janeiro do corrente an-
no, acompaobado de duas roiages dos negociantes
que falliram, do. que se rehabihtarara no decurso
do anuo prximo passado.Arcbive-se.
Outro do Exm. Sr. presidente da provincia, do
1 do corrente, aecusando a recepeo do que Ihe
foi dirigido em 9 do passado, acompaobado de co-
pia da acta da eleicao de um supplente de deputa-
do deste tribunal, a que se procedeu em 7 de feve-
reiro ultimo.Archive-se.
Outro do Dr. Jacintho Pereira do Reg, de 28 do
mez prximo passado, commoncando ter prestado
1. de margo de 1865.
P.P.
PUBLICARES 1 PEDIDO
Cn
(* V.
P3
LO .Q
II
Honlem, 1 de margo, s 6 horas da tarde, re- .
uniram-se, ra da Aurora, em casa do Exm. Sr. -S,s
Dr. Luiz Philippe de Souza Lelo, varias pessoas P S
com o fim de tratarem de auxiliar o alistamenio de B
Voluntarios da Patria por meio de esforoos com- g'
rauns, bem como de estbelecerem meos e fondos o.
para soccorro e protecgo as f.rnilias dos mesmos.
Foram convidados
I
a
o

s
a
5
t
-I
o.
o
c
a
o
m
a
S
a
a
"i
a
para a dita reunio os Srs.
juramento e entrado no exercicio do cargo de pro- Domingos de Souza Lelo, Abilio Jos Tavares da
motor publico desta cdade. Accuse-se a recep- Silva, Francisco Carlos Brando, Joao Silveira de
gao.
Foi distribuido o livro Diario do commerciante
Manoel Pedro de Mello.
DESPACHOS.
No reqiiermeoto de Franklin de Alleluia Mal-
veira, pedindo que os livros Diario e Copiador que
ltimamente fez sellar e rubricar para ti, sejam
transferidos para a firma de Malveira & Primo, vis-
to os mesmos livros estrem em brauco : Como
requer, iavrando-se novos termos nos livros res-
pectivos.
No de Thomaz Jefferies, pedindo uue seja regis-
trada a nomeagao de seu caixeiro Manoel de Arau-
jo Alcoforado .Regislre-se
No de Jos Baptista do Nascimento, pedindo que
seja registrada a sua nomeagao de caixeiro de An-
gelo Baptista do Nascimento :Registre-se.
N'outro do mesmo, pedindo cerlido de ser ou
nao matriculado o commerciante Angeio Baptista
do Nascimento :D^e.
No de Antonio Valectim da Silva Barroca, apre-
sentndo, para ser registrada, a nomeagao de Pe-
dro Januario de Paiva Das, caixeiro de Manoel
Antonio da Rocha Jnior, do Cear : Como re-
quer.
No de Jos Joaquim Fernandes, pedindo o regis-
tro da sua nomeagao de caixeiro de Antonio Luiz
de Oliveira Azevedoque apresenlam:Registre-se.
Com informagao do Sr. desembargador fiscal:
No de Domingos da Silva Campos, pedindo o re-
gistro do seu contrato de sociedade sob a firma de
Campos & Sobrinho : Registre-se e publique-se.
No de Rodrigo Pinto Moreira & C, pedindo tam-
bem o regi.-tro do contrato de sua sociedade :
O mesmo despacho.
No de i'heodosio de Lago & Filbo, pedindo igual-
mente o registro do seu contrato de sociedade:O
mo despacho.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao as onze horas da manhaa.
SESSAO
Souza, Antonio Vicente do Nascimento Feitosa, An-
tonio Epaininondas de Mello, Innocencio Serfico
de Assiz Carvalho, Caetano Xavier Pereira de Bri-
to, Francisco de Araujo Barros, Silvino Cavalcnti
de Albuquerque, Luiz Jos Pereira Simes, Fran-
cisco Rochael Pereira de Brito Medeiros, Manoel
Buarque de Macedo, Jlo da Silva Ramos, vigarie
Francisco Pedro da Silva, Antonio Herculano de
Souza Bandeira, Manoel do Nascimento da Costa
Monleiro, vigario capitular Joaquim Francisco de
Farias, Feliciano Joaquim dos Sanios, Jos Joaquim
de Moraes. Sarment, Thoihaz de Aquino Fonceca
e Fiorano Correa de Brhto.
Discutido o objecio, tomou-se a resolugao de for-
mar urna associagao que se empregasse exclusiva-
mente n'aquelle fim, foram considerados socios
fundadores os cidados aeima referidos, e adopia-
ram-se as seguintes :
BASES GERAES PARA A FORMACXo DE UMA ASSOCIA-
CO PROTECTOIIA DAS FAMILIAS DOS VOLUNTARIOS
DA rAHUA.

i
te
o

TABELLA DO RENDIMENTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBUCO NO MEZ DE FEVEREIRO DO
CORRENTE ANNO FINANCEIRO COMPARADO COM 0, DE IGUAES MEZES DOS DOUS ANNOS
LIjII.uUo.
ImpertarSo.
Direitos de consumo.".......
Ditos addicionaes de 5 %......
Ditos addicionaes de i %......
Ditos de baldcagao c reexportagao .
Ditos de ditos e reexportagao para a Cost.
d'Afrca...........
Expediente dos gneros estrangeiros nave-
gados por cabotagem ........
Ditos dos gneros do paiz......
Ditos dos gneros livres.......
Armazenagens..........
Premio dos assignados ..'..,.
Despache martimo.
Ancoragem...........
Direitos de 15 % das einbarcacSesestrangei
ras que passam a nacionaes ....
Ditos de o % na compra e venda das einbar-
cacoes ............
Exportara*).
Direitos de 15%do pao Brasil ....
ST i Direitos de 7 % de exportagao
. Ditos de 2 /oidein
Ditos de 1 % de ouro em barra
1' i Ditos de ''/ dos diamantes. .
Expediente das capatazias. .
Interior.
Multas.........
: Sello do papel fixo ....
' i Dito do papel proporcional. .
Emolumentos......
! Imposto dos despachantes .
, Extraordinaria.
Receita eventual.....
C
o.
o
n
u
sr
9
13
5
s,
a
S
5
c
a
C
o-

c
*>
a.
a
n
B
5T
8Q
C
09
a
c
N M w

'~ o '
Cb O. a.
CD a o
S O
"^ a o
c- F'

33
i
H
> a.
3
a;
I
Dizimos da provincia das Alagiias.....
Ditos da provincia da Parahybu.....
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Coutribuigo de cardade........
18Ci 18C5
1863 1864
477:6905343
60:795*684
123*713
8*996

887J
3:788j
479
1:569
39
622
505
419
2:603*790
300*000
.110*000
165:476*525
*
2:051*920
2:400*758
495*020
192*150
49*000
12*500
*
718*35*514
26*586
14:239*610
2:881*213
532*955
741:415*878
484:642*430
62:623*969
26*996
518*876
i
716043
2:992*800
444*435
1:271*609
3:188*550
13*068
.4*000
197:137*509
*
J
2:416*420
888*538
529*400
248*810
69*800
87*500
I
1802 1863
353:026*090
45:776*229
87*756
22*910
580*252
2:183*999
507*633
6:023*126
I
2:818*950
*
105*000
*
123:029*900
757:825*755
6:066*443
9:731*348
1:893*814
833*875
776:351*235
1:211*610
681*155
638*200
229*970
29*800
81*250
537:033*830
5:817*330
3:752*852
2:239*963
256*630
549:100*625
Alfandega de Pernambuco, 28 de fevereiro de 1865.
O 3 escripiurario,
Joao Bernardo Diniz Pessoa.
Recebedorla de rendas Inter-
na geraes de Pernambuco.
Mappa doe doenles tratados so hospital por-
tuguez, no mez de fevereiro, sob a direecao do Dr.
Pitunga:
Existiam 27, entraran) 14, sahiram 12, merre-
ram.3, existen) 26.
l)os fallecidos foi 1 de varilas confluentes, 1 de
tnberculos pulmonares, 1 de escorbuto.
Mappa demonstrativo do hospicio de aliena-
dos na Misericordia de Olinda do 1. ao ultimo de
fevereiro de 1865.
Existan 15 homens e 29 mulberes, entraran)
3 homens e l mulher, sabio 1 mulher, morreu 1
hornera, existera 16 homens e 29 mulheres.To-
tal 45.
Existem 8 empregados oeste estbelecimento,
6 homens e 2 mulheres* sendo medico, porleiro
saebristo, enfermeiro, cosinheiro, Jbarbciro, en-
fermeira e rodeira. 3 serventes, sendo 1 hornera
e duas mulheres.
Foi visitado o mesmo estabelecimaoto pelo res-
pectivo medico nos dias 15. 21 e 24 s 12 horas da
manhaa, 5 e 5 3/4 da tarde.
O mordomo do mez, A. J. Gomes do Correio.
O regente, Luiz d Reg Barros.
REPARTGAO DA POLICA
Extracto das partes do dia 2 de margo de 1863. lleuda.
JUD1CIARIA EM 2 DE MARCO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As onze iioras e meia da manhaa o Exm. Sr.
presidente abri a sessao, estando reunidos os se-
nhores deseubargadores Res e Silva, Silva Guima-
raes, Accioli e Doria, e os Srs. depulados Rosa, Can-
dido Alcoforado, Basto e Leal.
Lida, foi approvada a acta da cesso antece-
dente.
Foram assignados os accordos proferidos na ul-
tima sessao entre partes :
Appellanu* o coronel Jos Pedro Velloso da Sil
weira ; appellados, os herdeiros de Francisco Car-
neiro da > i I va por sea tutor
Appellante, Francseo Antonio Ponina!; appel-
lado, Antonio Gomes da Conha e Silva.
JULG AMENTOS
Appellante?, o presidente e directores da caixa
filial do banco do Brasil nesta cidade; appellado,
Joaquim Juvenci da Silva.
Adiado na ultima sessao
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, John A. Thom ; appellados, os cura-
dores flscae6 da massa fallida de Amorini, Fragoso,
Santos Si C.
Adiado na sessao anterior.
Desprezarara-se os embargos.
Appellante, o Dr. Prxedes Gomes de Souza Pi-
tnga; appellados, os administradores da massa
fallida de Joaquim Jos Silveira.
Adiou-se o julgamento a requerimento de um
dos senhores depulados.
Appellante, o presidente e directores da eaixa
filial do banco do Brasil nesta cidade; appellados,
Manoel Alves Guerra e o curador fiscal de sua fal-
No podendo ser Indifferente aos males que pe-
sam sobre os habitantes de S. Jos de Mipib e
Goianninha do Rio Grande do Norte, de cujos effei-
tos comparilho nao pequea parte, como morador
em S. Jos de Mipib, levanto hoje, a minha frca
Art. 1. Organisar-se-ha nesta provincia urna as- voz em favoi dessas paragens, dignas de melhor
sociago cora o fim dp proteger e amparar as fami- wrle, para que os altos funcionarios do Estado,
lias dos cidados, pragas do corpo de polica e da encarregados da execugo da lei e da defeza des
guarda nacional, na mesma residentes, e que nella: direitos do cldado, tornera Ra devida considera
se alistarem, ou j se tiverem alistado nos corpos cao o estado anormal das cousas publicas e parti-
de Voluntarios da Patria. culares nesses dous cantes, que fazem parte da
ArL 2.c Essa associagao ser composta de todas commuohao brasilera para gozar das garantias e
as pessoas generosas e patriticas, que quizerera; favores consttucionaes, conferidos pela le funda-
contribuir para aquelle fira, pelo modo abaixo de- j mental do Imperio. Esta arca santa, a guarda do
clarado, com as quantias qne julgarera couvenien- primeiro magistrado do paiz at o ultimo funecio-
tes; e conslderarse-ha formada a mesma associa- nario- publico, pareca estar salvo de qualquer
gao, logo que tenha 100 socios, e que as contribni- vio'agao ; mas, nao podendo o nosso Augusto Mo-
ges mensaes subscriptas raontem a 1:500*900, ou narcha estar presente em todas as provincias des-
que se oblenham quaesquer outros fondos que pi- te vasto imperio, nem ver, com os seus proprios
raisso se reputera sufflcientes. olhos, todas as necessidades publicas, os ltimos
Art. 3.* Os socios contribuirao, on de urna vez fonccionarios do paiz sao menos zelosos e fiis ao
com a quantia que Ibes aprouvr, ou com nma deposito da arca santa, qne guarda a felicidade da
quantia lisa por mez, ou com uraaporcentgem naeo brasileira, que Ihe promelte um '
mensal de ordenado, se forera empregados publi- grandioso, qae, como o iris da paz, une e congra-
cos. Nao havendo declarago em outro sentido, as tula, por um vinculo de amizade e fraternidade
mensalidades comegaro a correr do mez em que todos os brasileiros, formando urna s familia sob
ra s,ubscr'P1*8- I o paternal poder do nosso excelso monarcha, sen-
Art. 4 Todas as quantias arrecadadas, salvo as do de-te brago omnipotente que agoardao os bra-
que tiverem de ser lego applicadas, serio recolhi- silelros a fiel execugo das lei a inteira garanta
das a nm estbelecimento bancarfo, vencendoju- dos seos direitos cootra os tenebrosos planoj poll-
os, | rao capitahsados nos menores prazos ticos de homens menos patriotas, que aproveitan-
do-se das occases do lempo, transpoem as extre-
Rendimento do dia l
idem do dia 2
Consalado
Rendimento do da 1
dem do dia 2......
1-646*991
2:532*234
4:179*225
orovlncial.
......... 3:465:233
......... 1.645*999
5:111*232
MQYIMEHTO HO PORTO
Navios sahidos no da 2.
Parahybabrigue inglez Jura, capito James Dey,
carga parte da que trouxe de Terra-Nova.
Havre pelo Rio-Grande do Norte-barca franceza
Jean Baptista, cpitao Bejean, carga couros- e
algodo.
Rio Grande do Nortelancha brasileira Flor do
Rio Grande, capito Francisco Jos da Cost,
carga farmha de mandioca.
Observagao.
Nao houveram entradas.
EDITiES.
serao
que fr posieL
Art. 5." As familias dos Voluntarios da Patria, mas legaes, para exercer ura'pder^fort
sobre o
terao direito a urna pensio, desde o dia em que cidado pacifico, honesto e laborioso, sem temerem
sahirem da provineia em servico da goerra actual, as lamentaveis congruencias da consummagaode
e as dos qne ja tiverem sahido antes da formacio planos desta ordem. Homens taes podem qualifi-
da associagao, ne&de o da era que sta se couside- car-se tehristos do credo, e hereges dos manda-
rar formada, segundo a ultima parte do art 2. meutosi homens taes deshabililam-so para oslu-
Aqueila penso ser de 12*000 mensaes, e de mais ares da governaoca ; homens taes aggravSo e
J* a 12*, conforme o prudente arbitrio da asso-; eomplicam as delicadas circumstncias actuaes do
ciagao, tendo em vista o maior ou menor numero paiz, que Intando cora barbaros iuimigos externos
de membros das ditas familias. devia apenar -os lagos de fraternidade d'entre os
a r*ferida Pensao de 12* ser porm brasileiros, e nao armar-se do entelo da poltica
augmentada eom mais metade, por mais cada mera- para ceifarem os seas adversarios, e nao levar-se
bre da mesma familia, que alm de um se alistar o susto e terror elasse laboriosa, exerceodo-se
como voluntario da Patria, sem que por isso fique um recrutamento afTlictivo e enderanisador de re-
prejudicada qualquer parte da pensao que dita sentimentos polticos, recitando o esmorecimeoto
lamilla catba, ou tenha sido-marcada, na forma do da agricultura, nica fonle de riqueza
artigo precedente. pafe, renaseendo odios e intrigas na mesma familia
Art. 7. Por membros da familia do voluntario abatendo se o brio e patriotismo dos brasileiros
da patri?, entende-se, para aquello fim, sua mu- que por mais de nma vez, tem dado provas de san-
iner, pai, mal, avo ou a, filho ou irmo, ou neto gue no campo da batalba em desafronta da patria
menores de 18 annos, filhas, irraaas ou netas sol- como de presente o fario espontaneam-nte com
teiras ou quaesquer outros prenles oo pessoas plena confianga no Munarcha e esperanca na le;
menores da sobredita idade, que estejam sob seu Cesse o systema do terr>r, suspeoda-se a execu-
unico amparo ; nao tendo qnalqner dos menciona- gao de planos polticos, restabeleca se o imperio
dos, bens da fortuna -
associaco.
Art 8. As referidas
O lllm. Sr. inspector da ihesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 23 do crreme, manda fa-
zer publico, que no dia 16 de margo prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria se ha de arrematar quem por menos fi-
zer, os reparos de que precisa a ponte dos Carva-
'-ro ,hos sobre ri0 Jaboatao, avallados em 550*000.
A arrematago ser feita na forma da lei provin-
cial o. 343 de 15 de raaio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao conn>aregam na sala das sessoes da referida
Junta no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de fovereiro de 1865.O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
Clausulas especiaes para a arrematago.
1.' Os reparos da ponte dos Caminos serao fei-
tos de conformidade cora o orgamento junto na im-
portancia d 550*000.
2.* As obras devero ser principiadas no prazo
de 10 dias, e concluidas no de 3 mezes, ambos con-
tados da dala da arrematago.
3.' O pagamento ser reaiisado em urna s pres
tago, quando o arrematante tiver concluido todas
as obras e entregue definitivamente.
4." Para tudo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o
no nosso: regulamento de 9 de julho, que rege esta repar-
tgao *^
Conforme,
Antonio Ferreira d'Annuncacao.
O Dr. Trlsto de Alencar Araripe, offlciai da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direlo especial
do commercio da cdade do Recife e seu termo
por S. M. o Imperador, que Dos guarde etc.
qne d^sera'o a^Tda das HgSM=WS 5^^l^t&
As referidas pensoes dnrarao at seis dqu^^^^
raezes depois de terminada de lodo a actual guerra, sem triumho, como os memoraveis Athenienses falnniiL^ji*'*$i,e?'
e at um anno depois da mesma, se antes nao se Nao a minha mtengo levantar barricada Tac- nomearera os SSVi^LM^l'Jt^
dissolver a associagao na forma da artigo seguinte, gao dos governantes, nem tolher-lhes os meiosde -<'-"- lsrafl?re.sda1iU massa fallida.
??" a?. f*in'!1"-0* voluntarios da patria, que em bem goyernar. Todo o meu desidertum ver
Alencar Araripe.
Recife 22 de fevereiro de 1865.-Eu Manoel Ma-
combate oa das consequenc.as delfe'nOmAn, msi'abeTedds'a igVaWaSeSstKn^ JeZ' BdrgaeS d NaSCmen, escrlv5 e
O lllm. Sr. Inspector da ihesonraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Eim. Sr. pre-
sidente da provincia de 20 do corrente, manda fa-
zer publico que no dia 16 de marco prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, se ha de arrematar quem por menos fi-
zer, os reparos indispensaveis da cadeia da villa do
Cabo, avahados em 345*.
A arrematago ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas qne se propozerem a esta arremata-
cao comparegara na sala das sessoes da referida
junta, no da cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de fevereiro de 1865.O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
Clausulas especiaes para a arremataras.
1.' As obras dos reparos urgentes da cadeia da
villa do Cabo, sere feitas de conformidade com o
orgamento junto na importancia de 3458060.
2.* O arrematante dever principiar as ditas
obras no prazo de 10 dias, e conclu-las no de 60
ambos contados da data da arrematago.
3." O pagamento sera' realisado era urna s
preslagao quando o arrematante tiver concluido to-
das as obras e entregue definitivamente.
4 Para tudo mais que nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamento de 9 de julho de 1864.
Conforme,
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
O lllm, Sr. Inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm Sr presi-
dente da provincia de 23 do corrente, manda fazer
publico que no da 16 de margo prximo vindonro
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria
se ha de arrematar quem por menos fker os re-
paros de que precisa a estrada do Porto de Galli-
nha> avahados era 748*000.
A arremaiacao ser feita na forma da
vincial d. 343 de 15 de maio de 1854
clausas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremat-
gao comparegam na sala das sessoes a referida
junta, no da cima mencionado, pelo rado-dia e
competentemente habilitados.
E para constar se mandn publicar o presente
iJ!*?-)*/'*.*1 lnesoarari* Provincial de Pernam-
buco, 27 de fevereiro de 1863.
O secretorio,
Antonio Ferreira d'AntMocaeo.
Clasulas especiaes para a anemacao.
1' As obras dos reparos da estrada doPorto de
baliinhas serao feitas de conformidade com o or-
gamento junto na importancia de 748*008.
2" O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso do 10 das, e conclu-las no
de 3 mezes, ambos contados da dat d'arramata-
gao.
3* O pagamento ser realsado em duas presta-
cues iguaes, a primeira quando tiver o arrema-
tante feito metade das obras, e a segunda quando-
tiver concluido todas as obras e entregue difiuiva-
raente.
4' Para tudo mais qne nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamento de 9 de julho de 1864 que re-
ge esta repartgao.
Conforme.
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
Rodolfo Joao Barat de Ahneida, commendador da
imperial ordem da Rosa, cavalteiro da de Chris-
lo, tenente-coronel commandante do t> batifcio
de infamara da guarda nacional do municipio
do Recife por S. M. o Imperador qne Dens
guardo etc.
Fago saber que em comprimento de ordens su-
lei pro-
e sob as
4


L
mu Annf
~_r~
-


I
MMb ',*' perlores tenho ewrwedo o cwselho de qualiflca
fio pura qa se roana o da 34o corrento pelas
I nove horas do da, no consistorio da ntKrtz de S.
Jos, a8m de designar de eotrformidade cero o art.
1M da lei n, 69*d* 19 de-seterabro de 1830, Tin-
te cinco pravas ara formar o contingenta para o
batalho qoe lem de destacar segando o decreto
3383 de 21 de jaueiro do correte auno.
E para que chegae a ootieia aos ialeressado?,
mandei publicar o presente.Recite; l* uV marco
de W6ow-Eu Miguel-Bernardo Quinterna, eapito
Jlewtarto o escrevf.
R. J. Barata de- A Imeida.
O Dr. Tristao de A tancar Aranpp, offlciat da im-
perial orden da Rosa, e juiz de direito especial
do commercio, nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernarabuco, por Saa Magestade
imperial e eonstitucional o Sr. D. Pedro II,
quem Deas guarde- te.
Paco saber aos que o presente edilal virera e
delle noticia tiverem, quo no da6 do mez demar-
co do corrente anno, se ha de arrematar por ven-
da a quem mais der em praca publica deste juizo,
depois da audiencia respectiva, o seguiole : 4gi
gos, conteudo, 1,700 canudos da vidro, para can-
dieiros a gaz e azeile, avahado cada um vidro em1
100 res, 170^, os quaes vio apraca, por execacao
de Antonio Joo Ramos, contra Justino Antonio
Pioto, e na falta d licitantes ser arremataban fri-
ta pala proco da adjudicago com o abatimeoto res-
pectivo da lei.
E para que clieguc ao conhecimento de todos
mandet fazer o presente edita!, que ser afu*xado
no lugar do co*turne e poblicarto pela imprensa.
Dado e passario nesta cidade do Recife de Per.
nambuf o, aos 18 die fevereiro de 18*5.
Cu Maaoel de Carvalno Paes de Audrade, es-
crivao o subscrevi.
Trisfao de Atencar ATaripe,
O Dr. Hermogeaea Scrates lavares de Yascon-
concellos, juiz municipal da primeira vara des-
ta cidade do Recife dePernambeco, por Sua Ma-
gestade Imperial a Constitnrioual o Sr. D. Pedro
II, quo Dos guarde, etc.
Faco saber aos que a presente carta de editos
virem e dalla ootieia tiverem, que a jnnta admi-
nistrativa da irmandade da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recita eacaminha acejio ordinaria contra
os herdeiros das finados Francisco Antonio Duro
e sua mulher, e tendo sido ofTerecido o libello con-
tra os reos, e por parte de Jos Epiphanio Durao e
ootroe offerecida ama eseepeae de litis pendencia,
me fui pela mesma junta administrativa dirigida
por escripia a pelicao do Iheor seguinte :
Illin. Sr. Dr. iuiz municipal da primeira vara.
Diz a junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, que tendo proposto por este
juizo (escrivao Baptista) urna accao ordinaria con-
tra Jos Epiphanio Durao, Francisco Antonio Du-
rao, Ignacio Eustaquio Durao, I). Henriqueta Ma-
thilde Durao. D. Delphina Candida Duro e Fran-
cisco Antonio Duro, aqueiles Glhos, e este neto
dos fallecidos Francisco Antonio Duro e sua rao-
Iher D. Joanna Mathilde da Natividade, para rei-
vindicar o sobrado de dous andares e soto, boje
n. 35, sito na rna da Crnz, fregnezla de S. Frei P-
dro oncalves desta cidade, com todos ossus ren-
dimeatos, visto tero fallecido Jos Bento Fernan-
das deixado o mesmo, sobrado ao hospital, entao
dos pobres, hoje Pedro II, a cargo ua supplicaote,;
como melhormente se se expressou nessa accao, a
qual sobrado do fado da leste, e limita ao norte
com o sobrado u. 33 de Domingos Rodrigues de
Andrade, e ao sul, com o sobrado n. 57, pertencen-
te aos bens do mesmo fallecido Jos Bento Fer-
nandes ; agora depois de ofTerecido o respectivo
bello, consta supplicante, qne alm daquelles B-
Ihos, e neto dos ditos fallecidos Francisco Antonio
Durao e sna nulher, ha outras a saber : Joao Jo-
nuario Duro, Thiago Delphino Duro, D. Josephi-
ua Adelaide Duro e Luiz Eloy Duro, todos Glhos
dos memas fallecidos, estando o primeiro e se-
gundo ausentes, em lugar nao sabida, como prova
o documento junto, a lejceira em juizo, represen-
tada por seus procuradores nos autos desta accao,
e o quarto fallecido, sendo por isso elle representa-
do por sna mulher D. Mara Theodora Pereira Du-
ro e seusfijhos, D. Hermelina Josephina Carolina
'ereira Duro, casada com Joao Antonio Pinheiro,
e Francisco Antonio Durao, j citado por editos
como ausente.
Assim requer a suppHcante V. S. que se sir-
va mandar citar a D, Mara Theodora Pereira Du-
ro, e Joao Antonio Piuheiro e sua mulher D. Her-
melioa Josephina Carolina Pereira Duro, aquella
viuva e estes genro e iiha do fallecido Luiz Eloy
Duro, para fallan-m aos termos da referida accao,
e contrariaren! o libelto dentro de duas audiencias,
que Ihes sero assignadas na primeira deste juizo,
sob pena de revelia, neaedo logo citados para os
demais termos da causa. Que se passe cartas de
editos com o prazo de 60 dias para serem citados
os supplicados ausentes Joao Janaario Duro e
Thiago Delphino Duro, para o lim cima indicado,']
e com o thor da presente.
Nestes termos pede V. S. assim lhe detira.
Espera receber merc.Como procurador, Jos
Theodoro Gomes.
Citem-se. Recife, 9 do novembro de 1864.Ta-
vares de Vasconcetlos.
Nada mais se continha em dita peticao e meu
despacho, em eumprimento do qual o escrivao,
flue esta subsereveu, fez passar a presente carta de
ditos com o prazo de 60 dias, pelo theor da qual
chamo, cito a hei por eiados os reos ausentes Joao
lanuario Duro c Thiago Delphino Durao para res-
ponderem perant* este juizo aos termos do libello
e sua execacao, constantes da peticao supra trans-
cripta.
Pelo que toda e qualquer pessoa, prenles, ami-
gos e coahecidos des dos reos ausentes Joao Ja-
nuano Duro e Thiago Delphino Duro Ihes pode-
ro fazer scientes do que cima tica exposto, para
-que por si ou por seus procuradores se apreseotem
neste juizo dentro do referido i razo com a defeza
-que tiverem, sob pena de se proceder em todos os
ulteriores termos as suas revelias.
E o parleiro de juizo publicar a presente no lu-
gar de costume e mais publico, depois de ha ver
transitado pela chancellara.
Dada e passada nesta cidade do Recife de Per-
nambuca, aos 28 de novembro de 1861.
Eu Manuel Joaquim Baptista, escrivao que a
subscrevi.Hermogenes Scrates Tavares de Vas-
concellos.
Vai pagar de sello 800 rs. Recife, 28 de novem-
bro de 1864.Baptisla.Armas iraperiaes.Nu-
mero 299.Reis 80.-Pagou 800 rs.-Recife, 29
de novembro de 1864.Chaves.Sena.
Val pagar 250 rs. de direitos de chancellara.
Recife, 28 de novembro de 1864.Baptista.Nu-
mero 488.-Res 250.Pagou 250 rs. de direitos
de chancellara.Recife, 29 de novembro de 1864.
Chaves.Almeida.
Eslava o sello das armas de chancellara Fir-
mino Antonio de Souza, presidente.
Transitou pela chancellara. Recife, 3 de de-
zembre de 1864-.O esenvo, Francisco dos Reis
N'unes Campello Jnior.
toncada a folhas 83 do competente livro n. 13.
Recife, 13 de dezembro de 1864.Campello
Jnior.
Nada mais se continha em dita carta de editos
aqui fielmente copiada da original, qual me re
porto : esta vai senwousa que duvida faga, con-
ferida concertada, por mim subscripta e assig-
nada nesta cidade do Rocile de Peroarabdco, aos 5
de d-zemhro de 1864.
Em f de verdade.Manoal Joaquim Baptista.
Wwaj anftgem.
2,300 varas da a%odMafc.
3,000 ditas da brim-branco.
000 botes grandes" da metal amarello.
2,800ditos pequeos ndito dito.
Para provirnento dos armazens.
7,300 varas de brim. branco,
7.SUditac de brim da Russia.
SOOmeios desoa.
6 ehapas de lalo de n. 15.
6 arrobas de rame de latan de n. 7.
6 ditas d dito dito de n. 8.
6 ditas de dito dito de n. 12.
Para a aula dos menores do mesmo
arsenal.
7 Simios de Nantua.
40 Economas da Vida Humana.
WO cartas de A B C.
50 tabeadas.
100 caetas.
20 traslados de bastardinho.
30 ditos de bastardo.
50 ditos de A B C.
As pessoas qne qnizerem vender taes artigos
apresentem suas propostas em carta fechada na
sala das sessSes do conselho, as 11 horas da ma-
nha do dia 8 do corrente.
Sala das sessoes do conseHio de compras do ar-
senal de guerra 1 de marco de 1865. O en-
carregado da escriptoracao,
Manoel Ja de Azevedo Santos.
COMPANHfA PEHNAMBUCANA,
De ordem do conselho de direceo sao convi-
dados os Srs. accionistas a reunirem se era assera-
bla geral no dia 9 de margo prximo, ao meio
dia, no segundo andar da casa n. II, na praca do
Corpo Santo. Pernambuco, 24 de fevereiro de
1865.
O gerente,
F. F. Borges.
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data dea
registrado o contrato de soeledade de Joo Fran-
cisco Otero, Hespanhol, e Joo Ignacio de Naza-
reth, Portuguez, estabelecidos nesta cidade sob a
firma de Joo Francisco Otero 4 C, cujo usa com-
pete ao socio Otero ; a mesma sociedade estipu-
lada por tempo de tres annos, contados de 12 de
Janeiro ultimo, e o sen capital da importancia de
68962, para o qual entra o socio Otero com
4:896^ existentes no estabelenimento e deduzidos
do prego da armago, utencilios, gneros, dividas
activas, movis e dinheiro ; o o socio Nazareth
com 2:0005 em dinheiro.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 28 de fevereiro de 1865.
O oflieial-raaior,
Julio Guimare?.
Tribuna! do commercio.
Pela secretaria do tribunal dacommercio de Per-
nambuco se faz publico que nesta data fica regis-
trado o contrato de sociedade de Julio da Costa
Ribciro e a firma de Goes & Bastas coraposta de
Francisco Antonio de Assis Goes e Jos Joaquim
Goncalves Bastos, estabelecidos nesta cidade sob a
firma de Goes. Bastos & C, que comegou a vigo-
rar de 17 do correte mez e anno ; devendo dita
Ayso
fofa lisio
i
pretende sahtr em poneos das o patacho portugnez
inretrportera maioT parte da carga tratada, e pa
ra- o pouco qne lhe falt* trata-se cera os consigna
tarft Palorelra- & Beltro, largo do Corpo Santo
n. i, primeiro andar.
aos navegante.
Pela capitana do porto de Pernarabaco tm fM
publico para conhecimento do navegantes, que a
boia do extremo do sul do banco dniuglez que ha-
via sidolangada praia por Ihnhaarer arrebenU-
do aamarrago, foi novamente coilbcada, demar-
cando-Ule o eharol do pico ao 1/2 N O, e a tor-j
redo seminario de Olinda ao N 1/2 N O, rumos
porto de Pernambuco 4 de lrala.se ,, 0 respectivo consIgnaUro Antonio *
.'Sanie (iada a todo mdo
Ctlsulaoda Sissn.
Deseja-se faUlr nesjn com 1 orno Hovelli de>PallaBza (Italia), ou ax quem ieile |'e,os f*ta*** mediaraeatos del Srs. (rimanl(
'' tiver not||s. 1 C, hacaacentiets de S. A. I. o principe Na-
poleo, raa de la Fenillade 7 em Pars.
Para
Begue brevemenle oara.o indicado porto o Male
No da 4 do corrente, depois da audiencia i
do Sr. yi\i de paz de 1 disir iotu da ite-Vuta s Porqueos Srs. medico.- e o publico u< am de pre-
? oras aa tanfe, tem de serem arrematados por fereneia dos medicamentos csperla.s dos Sr= Gri-
execugao de Francisco Lopes da Silva.ora Tlw- mault k C, pharmaecuticos em Paris, com os'quaes
?lZlt?e,2tSQU)S ?<*???'*'*>**'>*: el.les tem sempre obtido as curas as'maTs eV.'raor-
12 cadeirae I borgo d angico, 1 banco damarc- dinarias-T
ngilez. Capitana do
fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
Aviso aos navegantes
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que no
dia 18 do corrate fui novamente calJocada, ana
mesma poslco, a boia que marca o termo do
baixos de Olinda ; e a qual havla sido arrojada
praia por lhe haver faltado a amarra.
Capitana do porto de Pernarabaco 18 de feve-
reiro de 1865.O secratario,
Decio de Aqaino Fonseca.
Correio geral
Pela administrago do correio desta cidade se
neiro, 4 bancas,
para jantar.
i camas da. armago, e 1 mew i 1.
Ataeida Gomes,
andar.
ra da Cruz n. 23, primeiro
Pwl* t Lisboa
A galera Nova Fama, de primeira classe, sene
pera os portos indicados are o dta 15 de marco,
por ter a maior parte de sencarregamento promp-
to : para o resto da carga a passageiros paraos
quaes tem excelentes commodos, trata-se com Cu-
nha, Irmaos & c., ou com o eapito na praga.
Rio de Janeiro.
Perqu esta casa sendo sea coniradita a
_ mais imprtante de Pars, honrada com a clicntella
Alugase o primeiro andar da cas* da ra de_ unta parte da curte, pateateada por S. A. I. o
de S.Francisco n. 68, de prego de 184, cuja chave Prncipe Napoleo s vende productos de nma efll-
I se acha na ra do Crespo n. 20, esquina. cacia reconhec!*.
IEILIS.
to
carga eeicravos a frete: a tratar com Marques,
faz publico para fins convenientes que era virtude Barros A C.
i do dlposto no art. 138 do regulamento geral dos j ^MMi^^^_^^^^m
correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
I decreto n. 785 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
gao oertencentes ao mez de fevereiro de 1864, no .... _,.
dia 6 de margo prximo, as il horas do dia, na LeilaOUe lima casa terrea I) 33 II I'lia
porta do memo correio, a a respectiva lista se Vplha
acha desde j exposta aosinteressados. ,.,_. -.- ,',u**
Administracao de correio de Pernambuco 2*a\: J,^ 9"B0 "IJW**<'|1'"<' tof'ado
fevereiro de 1865.-0 administrador, T, v*? teriea 33 aa-rua V?,t>a freueiia
Domingos dos Passos Miranda. L.^')"*, de "2J* moderna, propra
IrtfMfll dA norra para se levantar um sobrado por tere as pare-
nr^cndi m Jert^. de* eapacidade para isso, a, qual faz espina para
De ordem do Sr. director da mesmo arsenal se a travessa da Campia
- RidWge Pinto .\fnwira, subdito portognez.
vai a Portugal, e deixa.por seus procuradores Jos
Egidiode Albujuerque, Sebastio Jos a Silva e
Tugo Jos dos Santos.
Contra ra de .V H. dtF^ivra-
meat*.
De ordem da mesa regedora convido- a todos o
irraaes testa coofraria aflm de se renntrem em
Pretende sahircom brevidade para aquelle por- mesa geral, dwwngo 5 do corralo, as 10 horas
o brigue Cruzeiro do Stif, ainda recebe alguma da manha, a negocio de alta importancia oeuden-
convida aos operarios de espingardeiros, latoeiros,
correeiros, coronbairos e tanoeiros, psra trabalba-
rem por empreadas nesta eatabelecimento : os
interessados comparegam ao referido arsenal, das
9 horas as 3 da tarde, a eulenderem-se com o
mesrao senhor director.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco |
10 de marco de 1865.O escripturario,
Jos Alfredo de Carvalho.
TIIEt TltO
DE
S. ISABEL
Programma
do concert vocal e
iio.ii;
a porta da associagao Commercial, as 11 horas do
da._____________
Leilao da elefante casa .ie taipa assobradada
coa coeheira e estribara fra, banheiro
de tijolo e cal forrado de cimento, jardira,
cercado e baixa de capim, em Gaxaog,
na estrada real de Pao d'Alho.
MOJE
O agente Pinto far leilao precedida a comp-
lante autorisago da casa de campo cima men-
cionada, a qual se torna recsmmendada por ser
alm de mui fresca, perlo da ponte pencil, e da
estaco dos mnibus; o leilao ser eflectuado as
11 horas do da cima dito na praga do Commer-
cio, era frente a Assoeiaco Commercial.
mport
te mesma confraria.
Secretarla da confraria do N. S. do I.ivrameiilo
2 de margo de 1805.O secratario,
Ge raido da Paula Medeiros.
iiiii i ii mu
p Ii t Francelma Maunnwda Silva Albnquer- %tf.
S que, professora particular de insiruc.gao H
jK primaria, continua a ler sua aula na ra
|S estreita do Rosario n. 38, segundo, andar,
g admitte alumnas interaaae extenas As
JR materias do encino s# as-seguintes ; lei-
Mj tura, calligraphla, noi;o--s de ariihinetica.
5 grammatica portug-ueza cot appllcaces
| pratlcas, doutrina evanaefica, tostn'ras,
^? marcas e bordadas dt> toda asqualidades.
?i *3t< *s^ v2 >^ 1
MfWMl.1. Jad. .. s.la. U the.tr. *^tSSLT25> .'l,.'"""'1-
Leilo de movis, crystaes e pianos.
iioji:
u
IMLtOES.
Calxa filial do banco do Brasil
em Pe raa moneo,
14 de neiro t/el866'.
De ordem da directora desta caixa, se convida,
ios t'.redor9 do ^ebasUo Jos da Silva a viren
rece'Der So thesoureiro da mesma caixa o que em
raalo Ihes toca da venda de urna das proprieda-
desj qne segundo a ooncordata.lhe foram entregues
ptMefen vendidas.Ognarda-Hvros,
^ Tgnacio Sanes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro esta aulorisado a pagar o 22.* di-
videndo de 10 por aego.
O guarda livros,
Ignacio Nones Correa.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o corpo de volnntarios da patria
2,000 covados de panno azul.
2,800 capotes de di lo.
1,400 covados de baeta* verde.
50 covados de casemira verde.
25 ditos de dita amarella.
sociedade durar por espago de tres annos, conta-
dos de 23 de abril do anno prximo passado, cera
o capital de 10:9005 consistentes era fazendas,
utencilios e dividas activas constantes do balango
dado por occasio da liquidago da massa do so-
cio .1 tiliu.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 28 de fevereiro da 1865.
O Qlcial-maior,
Julio Gulmares.
Ceoselho de compras oavaes
Contrata o conselho no dia 6 do corrente mez,
sob as condignos do estylo e por tempo de tres rae-
zes Gados em juabo prximo, lavagem de roupa
dos estabeleciraentos'de raarinba, e o fornecimento
a estes e aos navios da armada de arroz do Mara-
nho, agurdente branca de 26 graos, assucar
branco grosso, araruta, alema, assucar branca re-
finado, azeile inferior, azeit^ doce de Lisboa, baca-
Ibo, bolacha, bolachioha americana, carnauba em
velas, cevadinha, cal preta e branca, carne verde,
cha bysson, carne secca, caf em grao, cangica ou
milho pilado, feijo, farinha de mandioca da trra,
galinhas, lenha, manteiga ingleja e fraoceza, mate,
pao, sal, sabo, tijolo de alvenaria grossa, toucinho
de Lisboa, tapioca, vinagre de Lisboa, velas estea-
rinas e vinagre de Lisboa.
E convida o conselho aos pretendentes a esses
contratos apresentarem suas propostas no refe-
rido dia 6 do corrente mez, at s 11 hora da
manha.
Sala do conselho de compras navaes, 2 de mar-
go de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
O administrador da recebedona de rendas
internas geraes, em eumprimento do disposto na
portara n 130 de 28 de dezembro ultimo, do lllra.
Sr. inspector da tbesourana de fazenda, avisa aos
devedores abaixo declarados, da dizima de chan-
cellara averbada, relativa a causas, cujas senten-
cas passaram em julgado no juizo especial do com-
mercio desta cidade no trimestre de outubro a de-
zembro do anno prximo Ando, que venham pagar
os seus dbitos dentro do prazo de oito dias, conta-
dos da publicago deste, fiado o qual, se proceder
a cobrangaexecutiva ; a saber :
Octaviano de Souza Franga, Francisco Antonio
de Oliveira e Manoel Gonveia de Souza, a quantia
de 265I8, contra quem foi julgada a acgo de le
de Santa Isabel,
Sabbado 4 do corrente.
POR
Jos Ooelho Barbosa.
Com a coadjaTario dos I luis. Srs. lellantes.
PRIMEIRA PARTE.
De'raiei bollenti spiriti, aria de tenor da ope-
1.
ra La Traviata del M. G. Verdi, cantada por Jos
Coetbo Barbosa.
2. Sulla Poppa del mi Brtk, barcarola dell'
opera Le Prigioae d'Ediraburgo, do maestro Ricci,
cantado pelo artista Guiseppe M. llamn la.
3." Dal piu remoto esilio, cavatina de tenor da
opera I Due Foscari, del maestro G. Verdi, canta-
da por Jos Coetho Barbosa.
4 Grande phantasia por Eorico Callieri, sobre
motivos da opera Marco Visconti, de M. E. Petrel-
la, exeeutada na flauta pelo Sr. Salustiano Liba-
nio Tenorio, e acompanhada no piano pelo Sr.
Claudio Ideburque Carneiro Leal.
SEGUNDA PARTE.
5. Come rujiada al cespide, cavatina de tenor
da opera Ernani de G Verdi, cantada por Jos
Coelho Barbosa.
"6." Phantasia da opera Lucrecia Brgia, de G.
Donizetli, exeeutada no piano pelo >r. Claudio
Ideburque Carneiro Leal.
7 Ar dir Ha forsa il Cielo, scena a dueto da
opera L'Ehsire d'Amore, del maestro Donlzetti,
pelos artistas G. M. Ramonda e Jos Coelho liar-
bftM
Quinla-feira 9 de margo, em frente a
Cordeiro Slmoea far leilao de 1 mobitia nova de
Jacaranda, 1 dita uada, 1 dita de faia, 1 dita de
amarello, 1 machina para costura, marqoeza, ca-
deiras, conunodas, aparadores, cadeiras de balan
gs aspelhos, candelabros, serpentinas e ourros ob-
jeetos
Leilao de um sitio na estrada de Jo;U
de Barres.
Sabbado 4 do corrente as 11 horas.
Cordeiro sirnSes far leilao de am sitio na es-
trada de Joao de Barros junto do sitio da viuva do
Rufino, do lado do nascente, tem excedente terre-
no para plantagSes com mais 600 palmos de fon-
do e oatros tantos ou mais de frente com boa casa
de vlvenda com 6 quartos, 2 salas, eosinha, senza
la fora, estribara para 2 cavallos e boa agua. Os
preleadentes podro examinar e qualquer infor-
raago dirija-se ao mesmo agente.
No armazem da ra da Cruz rt. 58.
LeMao de fWMM dividas
Martina lavar, novamente a leilao as dividas
activas da massa fallida de Joaquim Vi eir Coelho
4 C, na importancia de 81:661^324 rs., sendo
! 50:581,896o rs. em contas de livro e 31:079^339
em letras.
Segundan te ira 6 do. corrente.
! Em seu esoriptorio ra da Cadaia do Recife n.
, 9, as 11 horas. ______________________________
Leilao de daas machinas a vapor
Seodo:
Urna portavel, forga da li cavallos, sobre rodas,
para
Osbilliete.polenser procurados
rio do theatro no dia do concert.
no esenpto-
com
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
J>R
%aveaac5o costelra por vapor.
lha de Fernando de oronlia.
No dia 14 de margo prximo,
as 10 horas da manha seguir
um dos vapores da companhia,
,para o presidio de Fernando. Re-
:eber carga at o dia 13. Encom-
tra de Antonio Correia de Vasncello5 &"C, como! mendas, passageiros e dinheiro a frete at 9 horas
arrematantes das dividas da massa fallida de Joo I da manha do dia da sahida : escriptorio no For-
jse de Figueiredo. I te do Mallos n. 1.
Francisco Jos Silveira a de S0$, contra quem
foi julgada igual acgo de Luiz Antonio Vieira.
Hanrique Luiz de Barros Wanderley a de ris
.)'3i5o.j7, contra quem foi julgada igual acgo de
Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Jos Victorino de Paiva e Theotonio da Silva
Vieira a de 200020, contra quera foi julgada igual I
acgo de Kaikraan, Irraes & C.
Os raesmos a de 7ij'il7, contra quera foi jalga-
da igual accao de Lidea Wild & C.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque Mello a de
S63936, contra quera foi julgada igual acgo de
Jos Mara Ferreira da Cuoha.
Antonio Bao a de 22239'.to, contra quem foi jul-
gada igual acgo do Manoel Carpinteiro da Silva.
A viuva e hardeiros de Joo de Santa Rosa Mu-
mz a de 60?159, contra quem foi julgada da acgo
ordinaria de Joaquim Baptista de Souza.
Miguel Vieira de Mello e Joaquim Jos Silveira |
a de 39,5116, contra quem foi julgada igual acgo
do Novo Banco de Pernambuco.
Joaquim Silvino de Souza e Joaqun Jos Silvei-
ra a de o'.i-I li). contra quem foi julgada igual ac-
go da direegao do Novo Banco de Pernambuco.
Antonio Jos Pereira de Miranda a de 20-5200,
contra quem foi julgada execugo que proraiveu [
contra Manoel Peres Campello d Almeida e Boa-!
jamim Peres Campello, sendo embargante 3*- Jos
Peres Campello de Almeida.
Recebedoria de Pernambuco, 2 de marco de
1863.Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz pu-
blico que no dia 4 do corrate moz, a 1 hora da
tarde, estar era hasta publica peraate a mesma
thesouraria para ser arrematado a quera por me-
nos fizer o fornecimento de agua pota ve I fortale-
za do Buracoe do laboratorio de fojos: as pessoas
a quem convier o sobredito fornecimento deverao
comparecer na sobredita thesouraria hora indi-
cada.
Secretaria da thesooiaria de fazenda de Pernam-
buco em 2 de margo d 1865. Ser viudo de ofll-
cial-maior, Mauoel Jos Piulo.
COMPANHIA PEHNAMBUCANA
DE
\':ive5;i^.lo easteira por vapor.
Paranyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
Acarac e Granja.
No dia 7 de margo corrate se-
gu para os portos indicados um
dos vapores da companhia. Rece-
be carga at o dia 6. Eocommen-
_ das passageiros o dinheiro a frete
at 2 horas da tarde do dia da sabida : escriptorio
no Forte lo Mattos a. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A. VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o da 3 de margo o va-
por locantins, coramaadante Pe-
lro Hypolho Duarte, o qnal de-
'pols da demora do eostume segui-
r para os portos do sul.
Desde j recebera-se passageiros e enga>a-sea
carga que o vapor poder condnzir, a qnal deveriJ
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, rna da Crnz n. 1, escriptorio de An-
-onio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Porto pela Ilha de S.
Miguel.
O velleiro e bera eonhecido brigue nacional A-
melta pretende seguir cora muita brevidade, lea
parte do sea earregamento engajado, para o resto
que lhe falta e passageiros, para os quaes tem es-
collantes commodos : irala-se com os seus consig-
natarios A. Luiz de Q. Azevedo & C. no seu escrip-
torio na ra da Cruz n. I.
De ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica
se fez publico por esta repartigo, para conhec-'
f ment de quera interessar possa, que se acha pre :
so na cadeia da villa de Piracoruca da provincia \
do Piauhy, o crioalo de nome Paulino, que diz ser
escravo de Joaquim Severiano Leite, morador nes-
ta provinciano lugar denominado Barra do Libe-
ral, segundo consta da communicago do respec-
tivo Dr. chefe de polica de 12 de Janeiro ultimo.' pretende seguir com mutta brevidade o brigue es-
Para Lisboa.
Pretende seguir com muita brevidade a barca
portugueza M>>nriifut, tem parte de seu earrega-
mento prompto : para o resto Irata-so com os seus
consignatarios Antonio Lalz de Oliveira Azevedo rj
C, no sen escriptorio ruada Cruz b. I.
Para o Rio de Janeiro
Secretaria de polica de Pernambuco 1 de mar- cuna Jov*f Artnitr, tem parte de seu carregaraon-
go de 1883.-0 secretarlo,
Eduardo de Barros Falco de Lacerda.
ATTENQhO.
to engajado : para o resto que lhe falta frata-se
com os seas consignatarios Antonio Luis de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1
'i
Pela delegada de polica do termo de Pao d'A-
lho foi preso no dia 24 do corrente o maleque
crioulo de nome Bibiano, que declarou ser escra-
vo de um senhor morador na Capunga, tendo sido
anteriormente do Sr. Plinio Csvalcanti : quem se
julgar com direito ao mesmo comparega compe-
tentemente habilitado.O delgalo de polica em
exercicio, Luiz Candida Carneiro da Cunha.
Para
-
Segu nestes dias era direitura ao indicado por-
to o veleiro brigue escuna brasileiro Graciosa, ca-
pito Jacintho N'unes da Costa, por ter quasi prom-
pto o seu earregamento ; para o p^uco que anda
pode admettir, trata-se com o seu consignatario
Antonio de Almeida Come?, roa da Cruz o. 23,
primeiro andar.
Associacao Commercial.
O agente Pinto fara leilao por coala de quem
perteocer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engenho, as quaes se tornara
recommendadas pula sua perfeigo a par serem
dos melhores fabricantes de Inglaterra, os preten-
dentes poderao desde ja' examinarem ditas ma-
chinas para o que podero entenderem-se cera o
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
AVISOS PITEMOS.
LOTERA
Aos t0;OO0*0O0 e 3;'>0#0O0.
Sexta-fe ra 10 de marco tr lugar ex-
traeco da 2a parte da 4a lotera da Santa
Casa da Misericordia (8*) no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da fre-
guezia de Santo Aotonio.
Os bilhetes.meios e quartos esto a ven-
da na respectwa thesouraria ra do Cres-
po n. 15.
Os premios de 10-OOOiJOOO ate 20#0O0
serao pagos una hora depois da extracto
ate as 4 horas da tarde, e o outros depois
da distribuiC;o das listas.
As encominendas s se guardarao at a
noite da vespera da extraccao como de cos-
tume.
O hhesoureiro,.
____ Antonio Jos Rodrigues de Sooza.
O Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de
Druratnond, antigo advogado neste foro, contina
no exercicio da sua proflsso, podendo para isso
ser procurado todos os dias nteis das 10horas da
manha as 4 dji tarda, em seu escriptorio ra do
Imperador n 43, primeiro and ir ; bem como para
casos argentes a qualquer oulra hora do da, em
sea domicilio rna da Aurora o. 26.
CASA DA FORTaT
Aos 10000i000.
Btlhetes garantidos.
A* ba do Crespo .n. 23 e casas-do costvme.
O'abaiX assignado vendeu nos satis muilo feli-
zasbiiaetes garantidos da lotera que se aeabou
de extranir a benellc.io do patrimonio de orphos,
os segulotes premio*:
Um quarto n. 989com a sorle de 6:0065000.
Um quarto n. 241 con a serte de 1:4"04000.
i m quarto n. 1942 com a soite de 500000.
E outras multas sorles de 2Q0JL 1004, 404 e
OjlOOO. '
Os pdssaidores podem vir receher seas respec-
tivos premios sera os desconios das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo.. 23.
Achara-se a venda os da* parle da 4a lotera
beneQeo da Sania Casa de Misericordia que se i
extratuc nwdia 10 demarco.
PRJifO.
Bilhetes.....124000
feios......64000
Quartos.....34000
as pessoas qne cimurarem de 100A0o
para cinta*
Bilhetes.....114000
Maior......34500
Quartos. .... 24750
Manoel Martins Filza.
*?*Observaba* astroaomica.
O invern custou a cahir e observa-se nos as-
tros urna serie de tpmpesiades das quaes os ho-
rneas do mundo martimo raoilo devana temer;
porque os tempes procellosos sempre trazem chu-
vas gelladas que com toda a certeza podem fura-
rem os olhos dos pilotos que olharem para cima.
Assim, pois, o piloto que foi feito atraz da porta
ou que tal titulo teve por iraca de Deos.tenha ore-1.
eaocoem todo caso, que sem a qual nao aceitar ':tomTO ***** P01" exce
nen* com o porto da casa. Ha um exemplo destes i
pilotos a'a#ua doce acerca de urna viagem que \
pretenda fazer, cujo annuncio era : No dia tal
segu para ima de tal o hiate tal, contratase car-
ga con o eapito a bordo e nada de apparecer o
nome, spude juljfur que ou o deu a aitrum letra-
do que por isto enlend3sse nao polj usar delle ou '
metteu-o no puro. O que se segu e, que ou o !
letrado 04J o puro deixou piloto reducido a nada.
Capito sena no'ne oque Vulgarmonla 6 a<|uel-
la cousinha l da camarinha
Venerayel ordem lerceira de i\. S do
Carme.
Tendo a mesa deliberado fazer, como do costu-
me, os serraow qaaresrame as sextas- feras,
scientifica-so a todos os i rifan que lera ellos prn-.
cipio hoje, e que portaoto deverao comparecer a '
noite paramentados com seus habijos.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro
Secretario.
Daoiel Tavares Coelho, subdito porluguez,
retira-se para Portugal a tratar de sua saule.
A LEGITIMA
SALSAFAKBILH1
cela
2. Porque esa medicamentos- representara as
mais recentes conquistas da nwdlcina e da ebi-
mica.
3. Porque tem todos um gosto agradavel, satis-
fazem a vista, e pdam ser adminietrados sem pe-
I rio, tanto s criancas c*mo s pessoas adultas.
4. Porque elles di Harem inieiramenle dessesre-
i medios inglezes e araericaaos, preparados por in-
dustriaes estranhos, tanto a medicina como a pliar-
macia, dos quaes nao tem aem a scincia era os
litlos.
"). Porwie estes inedicamei:fos s se applcam a
um nc...ero limitado da doencas, e nao as curara
todas,eorao os remedios de que acabamos de fal-
lar ; emfim cada produelo tem sua applicaeao par-
ticular.
Por isso pencamos prestar um servico a todo o-
mundo, indicandi aqui as importantes proprieda-
des dos principaos medicamentos dos -rs. Gri-
raault 4 C
s^Xirope de ralfort 'odado.
""fimpeegado con successo mrta em lugar do oleo
de liglo de baraino, lo desagradavsl, to difli-
cil a digerir. K oespecifleo o mais ceto contra,
as escrophlas, o lymphatismo. a moler- das car-
nes, os humores das manyas, a papeira, os rheu-
inalismos, oiescorbuto, as alfticoes da pelle, as
molestias dd peito.
'Aldosio/mec!ieos de Paris o umpregam como o
dejtrrarrvo o mais poderoso, e o recommendam em
lodosos casos que precisa-sa corrigir a acrimonia
do sngue, e dar lhe todos os principios vilacs qne
perdn, seja pelos excessos, pelas allecces lym-
phaticas, cscrophulosas, a venreas.
Xatrope de rogiooso.
Ou associaco dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro ota dos princl-
paes elementos de nosso-sangue e a quina que o
encia.
Este delicioso medicamento a adavcl ao paladar
le a vista, tem um resultado admiravel as flores
brancas, dures de estomago, falta de appelite, po-
breza de sangue. Elle sobretudo til as seoho-
. ras e as mogas delicadas, para desenvolver e re '
golarisar a menstnacio' e suspender os effettos
i perniciosos das flores bram:as, iytm sao a causa de
I Hutas doengas. Elle soberano depois das con-
I valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forcas e da san le para os doentes enfraqueci-
dos pelo traballio, os excesses-, as aHeccSes escro-
pliulosas ou veRereas.
As mais de familia acharan neste xarope um raer
dicameulo sem igual, para foriiticar e deseuvolvns
a sysleina osseo das criancas a os preservar da-
olfecgoes escrophulosas.
Klixlr digestivo ie pepsina.
Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
tre as novas conquistas-da scincia, a pepsina pos-
sue com effeito a propriedade importante do (azar
diferir os alimentos quasi sem yoceorro do esto-
mago, o remedio soberana das gaslriles, gastraK
.'a das inflammacoes do estomago, dos ligados
dos intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas
as piluites, o desgosto dos alimentaste presta uria-
cipalmentc um immenso servico as senhoras n'uma
poslco interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, vero sua vida prolngate
pelo uso do elixir de pepsina, e os vellios e canva-
lecenleso sustento de sua saud* e o reparador de
suas forcas; porque com una boa digesto sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de diorge.
Novo especilico, sem opio, recouhecido como e
melhor medicamento para curar a tesse. defluxo,
catarrbo, grippa, irrilacao do paito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa, etc.
sie delicioso xaropa popular em toda a Franga
foi descoberto pelos mondes da abbad de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
Crimault & C, nicos propietarios dn verdadeira
receita. Hecommenda-se aos doentes qae usem ao
mesmo tempo das deliciosas pasttlharf peUoraes a
sueco de alface de lourewo-cereja dos Srs. Gri-
mault & C, este excedente remedio composta
com as duas substancias as mais calmantes e a
mesmo tempo as mais inofensivas da materia me-
dica, e nao coBtm opio.
lajeceo e capalas matico.
Estes dous producios que constituem a mais re-
cente a a mais inioortante mediago para curar os
oorrmentos e as molestias veneraos do boraem e
da mulher, sao exclusivamente vegetaes nao con-
tera mercurio, e sao preparados com at folhas do
matico arvore do Perou. Nao ha molestia conta-
5osa amiga ou recente que resista ao uso dessea
dous meios. Sua rapidez de acgo superior a
ludo qoaojo se tem feito at hoje. As capsulas
nunca caosam o estomago nem os intes-Mnos como
DE BRISTOL.
PREPARADA. HICAMEHTE POR
waua & keip,
NOVA YOEK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina; usada nS-principaes hospitaeS.Ci- as-capsulas de copahyha, cubeba e outras ; a in-
vis militares e da marinha as Atitilhase]J,>cSoni''nca pr"duz o estreamento como aconte-
no continente americano; receitada pelos j JJJ ^njecg5es combaM ta'ica.aconsellia-
facultativos OS mais istiactOS do imperio do Todos estes productos vendera.se ua* principaes
Brasil e da America hespanhola
GUSA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes dum estado-vieioso do sangue.
Emquanto oxistem varias imitaces e
falsificaQoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima sais* de Bristol vende-se per
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Joo da C. Brava & C.
*

OV.EO 07 ,
FIGADQof BACALHAU
Para
r- Precisa-se de urna ama forra ou captiva
tamben se compra sendo por coraraodo nreco : na
tua do Rangel n. 38, primeiro andtir.
Peo processo de herner, pharmaceuliee em
Paris, ra de Fauliounj Monlmarte 24.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um sabor assucarado o nico que nao tem
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
jecto de numerosos relatnos scienliflcos e
mdicos, este mdicamente que goza era
Franga de um successo to raro como bem
merecido, neeitada diariamente pelos
princifaes mdicos dos hospitaes de Par.
OLEO'D FIGADO DE BACALHAO DESINFECTA-
DO rtutu 1.t.Mtu emprega-se cota os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quando sao acompanhadas de debili-
daste a atona.
GRAGEASozCUBEBINA
comCOPAIBAdeLABLONTI
Estes confettos que tem por base u prin.
cipio activo da rvneira cubeba juulo com
a cupahijba pura, nao nauseo o estomaga.
Elles fzem parar immediatamente asmis
rebeldes gonorrtias, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a cupaayba isoladamente.
IN.IECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnoirbeas
antigs e receates, nico deposito iabo-
ica fraaceza, ra da Cruz n. 22
C0 35
pre-
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, li. Uievolet, em Pernam-
buco, Caors & Barbosa, na ra da (roa n. 28. na
Baha, Lima & Irraos em todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre i assi^natura-Griinault &
C, por que ha falsifica(;)s perigosas.
Vende-se na botica trancen ra do- Imperador
n. 38.
Approvada per ravia* Aemltmias e atlas
sxtiimiilaita medicas.
O 48 occauoiu cni g-n is hmiIcais ahaixoL,
designadas* aesta^iiayas do sangue em certas
partes do cono, a qual produiida polos resTria-
menlos e muilas unirs camas, cnUo declarao-se
os liheumasmos. Gola, Paralysia, Fraqucza.
iot membrvs, Conslipacits, Elcphanliasis vu
Peritas bichadas, el Dores .V-rrosiu.
a uto da escora KLECTUO-MAGNE
TICA lem socetse corlo para a cura de I das
estos BwlmiiBs.stii) rcorri'r sea Bculiuma oulra
raedica^oo. Ella teu urna forma mui maucjatel
c produi,av8iiladc de quera d'ella usa, seos mais
uteis e bliics resultados. Seo empirgo presena
das molestias cima. Para maisinCormocoescon-
sul-e-*e a aolitia. ^e atcorapanha cedo Ksoow
DEFOSITO CH4X
Moulevarl iu Princc Eu$ne, 18fc Paiit.


Vende-se na ra do
franjea n. 38.
Imperador botica
pi iiii mmmmi
Procin-aitoria,
Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
cede Len, coma solicitador, se oucarra-
ga das causas crimes, civew, commar-
ttg ciaes e ecclesiaslioas. Elle ainda reoaba
1 algnmas oasas de partido, mediante a
SJS um ajaste razoavel. Pode ser procura- -
1& do as sals das audiencias ou na ra
9 Imperial sobrado n- *4- W
Manoel de Almeida, subdito portuf uez, reti-
ra-se para Lisboa.


m
i
Diarto de rerBambuco ... sexta elra 9 e Mareo e 1S*.


A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Cma flanea era dinheira, depositado hos cofres do estado, garante a boa ad
ministracao da companhia.
Na fabrica de calcado do paleo da ribeira de
S. Jos o. 25 precisa-te de artistas tamaaqueiros.
eOMUEHCIO
Joaquim Gomes Doorado & lrmo faiera sciente
aorespeitavelcorpo docommercio quejulgamnada "~ Lon,lon ^"W" Uank> s*0* pw lods
dever, as se alguem se jalgar credor aprsente ;* P*9u*Mofrre
as saas contas no praso de oito diai para serem
promptamente pagas.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Baaco de llespauha
DIRECCAO GERAL
Madrid: Ra do Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
stbre a vida.
Nella pode se lazer a subscripto de raaneira que em nenbum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL,que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzide em recentes liquida-
res e corabinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a 19 annos, ama imporsicoannual
de 1001 produz em efectivo metlico:
No flm de S annos.......1:1194300
. de 10........3:948*600
. de 15 >.......11:2081200
de 20 .......30:256*000
de 25 .......80:331*000
Xas idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informaron serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia,
mo Joaquim Fiuz deOliveira, ruadaCadeia n. 52,oua Boa-Vista roa da Imperalriz n. 12, estabele-
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
silva Ramos, medico pela US'
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 is 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serlo soccorrdos em qaal-
quer occasio. D consaltas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
onde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500 t
Terceira dita 2*008 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conflanca de que sem-
pre tem gozado.
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbfa.
Amarante.
Consultorio medico-eirurgjeo na ra larga 4o
Rotarlo 20.
O Dr. Juo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sna profissao
nao su na parte medica como tambem na cirur-
gica.
O Sr. Leopoldo Gadauli tenha a bondade de
vir a ra do Imperador n. 83, segundo andar, a
negocio que n.lo ignora.
Salitre
banco unuo
SEGUROS DE VIDA EM MTALIDADE,
A direccao do BANCO UNIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisagSo
para estabelecer o seguro de vidas em rautualidade, faz publico que desde j toma subs-
cripcoes artnuaes por urna s vez, debaixo das segumtes condices:
Com perda de capital e lucros;
Dito de capital somenle;
Dito de lucros somente ;
devenJo a primeira liquidacao ter lugar no Io de Janeiro de 1869.
As vantagens do emprego de capitaes em mutualidade, saw obvias, porque nao so-
meut'i se collie o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-
ohum resultado; mas alm d'isso, este rendimenlo augmentade pelo capital ou lucros,
ou ambas as cousas, conforme as condices da subscripto, dos que fallecem. Tambem
0 partido pelos socios sobrevlventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga-
minios, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem
pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companhias hespanholas, tutelar e outras; e
para se pxlcr fircer urna idea do que pode produzir urna entrada annua de 10f>000, pu-
blica-se a seguinle tabella bascada sobre a experiencia de muitos annos de companhias
tiesta natureza.
a roa do Queimado n. 37, leja de ferragens, de
Domingos Jos Ferreira Guimares, vende-se sali-
tre refinado por 25* a barrica de 4 arrobas, ou a
6*400 a arroba s a dinheiro.______________
Os Srs. academices que vo matricular-se
| no terceiro anno da Faculdade de Direito, podem
|dirigir-sea ruada Saudade n. 9, fronteira a do
Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
. direito civil at as 9 horas da manhaa, e das 4 at
as 6 horas da tarde.
Alugam-se o segundo e terceiro andares da
casa da ra do Trapiche n. 46, com capacidade pa-
ra grande familia : a fallar na ra de Apollo n.
35, primeiro andar._______
Precisa-se de urna pessoa habilitada
para escrevente de um tachygrapho ; quem
estiver no caso de bem preencher o lugar
dirija-se ao escriplorio desta folha ou ao
hotel de l'Univers.
Tinturara
Na roa Direitan. 116 conlinua-se a tingir para
qualquer cor, e o mais baralo possivel.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e lina de
S. Miguel, na ra do Apollo n. 20, escrip-
Em ii annos 10 annos lo annos 20 annos 2o annos
Por uta menino de I dia a 1 anno 1103 4003 9003 2:0003 4:7003
i de 1 anno a 2 90 3000 7503 1:7003 3:7003
de 2 a 3 864 2903 7203 1:6003 3:5003
de 3 a 1 86fl( 2703 7103 1:5603 3:4003
i de 3 a 15 863 2703 7003 1:5503 3:3503
Por urna pessoa de lo a 20 863 2703 7003 1:5403 3:3303
de 20 a 30 863 2703 7103 1:5603 3:4003
de 30 a 40 863 2703 7203 1:6003 3:7003
i de 40 a 5*0 903 3093 7503 1:8003 5:0003
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos ulensis e os maisempregados
e usados na pharmacia,pialura,photograpbia, tin-
turara, pyrotechinia(fogosdeariiflcio) eera outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamentenas principaes drogaras de Paris, Lon- .
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, podeoffereceer' torio de Carvalhop NaanPtra
productos de plena conflanca e satisfazer qualquer "*? W %anmm>fi nOgeOtl?.
encommenda a grosso trato e aretalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptldo qualquer pedido de tintas moidas!
a oleo,cuja qaalidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que i
nao fcil fazercom aquellas qne sao importadas,!
e que se enconlram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collecco de vidros de diferentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidade; de vidros para vidracas ediamantes
para corta-Ios; depinceis para fingir madeira com
propriedadee outros; de papis dourados epra-
teadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrullio, para forro de casa, para desenho i
com fundo j feito; de papel albuminado e Bristol,
R
Companhia OdcIIdade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGBNTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Lniz de Oliveira A:evedo A C,
competentemente antorisados pela direc-
toria da companhia de seguros Fidelida-
de, toraam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
mmmmmmmmmmmm
Rogase ao Sr, bacharel Gezario
a
s
SlaVrtt
O bacharel
S| francisco Augusto da Cesta *
ADVfcGADO
Ra do Imperador numero 69.
Aulonio-Luiz deOliveira AzcvedoJ&C
Agentes do banco Uni5o do Porto.
Competentemente antorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo banco para o Porto e
Lisboa e para as seguimos agencias :
Londres sobre Bank of London.
Paris Frdric S. Ballin & C.
Hamborgo > Joo Gabe & Filho.
Barcellona > Francisco Rbala 4 Ballesta.
Madrid > Jaime Merie
Cadis > Crdito Commcrcial.
Sevilba > Gonzalo Segoria.
Valencia r M. Pereira y Em Portugal. Hijos.
Amarantes. Angra Terceira. Figneira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello'Branco. Gulmaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilho. Larcego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. MoBco.
Braganra. Evora.
Faro Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Penna Gel. Thoniar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova de t.- lio.
Villa do Conde. Portimao. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
Para todos.
O abao assignado fas sciente ao respeilave
publico que mudou a sua oficina de palbinba da
ra do Imperador n. 24 para a i ua das Cruzes d.
23, igualmente tem para vender palha e jone
mais barato qne em ouira qualquer parir.
Manoel da Cosa Azevedo aple ao.
THESORO DAS MaTs~~~~
Providencia das criawcas
COLLARES KOVIIl
Electromagaeticos.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS LE LEMlf/O
Contra as convolso>s e para faciliai a'
denticae das criancas'preparados einvenla-
dos por Royer, pharmacentico da esco-
la superior do Paris, successor de Chereao,
membro da academia de medicina
antiga casa de Bonillon-Lagrange.pbarmaceulice
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja de
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Precisa-se de um padeiro perfeilo em sen
trabalho para ir para a villa do Cabo : a iratar ao
pateo do Terco n. 141.
No imperio.
Baha. Maranh ao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
mesmo Banco a razo de 4 por cento ao anno a
ratar na ruada Cruz n. 1.
O solicitador Pedro Aiexandr-
no da Costa Hachado
se encarregaante o foro destacidadedetudo que
fortendenteasua profissao,aceita departido an-
nualas pendencias judiciaes de qualquer casa
commercialmediante razoavel ajuste. Contina
a seencarregardecobrancasnosterraos doCabo
elpojucaaondecontinuaa trabalhar como d'ao-
verdadeiro' saze para phtographia e parYfil'tVar' de Azetedo JUZ municipal de Garan- 'les,ft encarrega-se dedefezasperante o jury nos
e outros; vernizes de senda para qaadros, de !,. fln(k:ra diriffia-SP nrara d In- Jermo^roximosa.via frrea,offerecendo gratui-
espinto para madeira, copal para o interior e ex-iUBS 4uc*ru u" 'o'" sc lri.< a ni- lamnteseos servicos aos desvalidos, pode ser
leior ; oleograxo, oleo seccativo,oleo de linhaga dependencia US. 6 e 8, annunciar procu-adotodososdias uteisdas9 horas da ma-
clarificado, oleode oieiet.secativode Harlim.ouro' m verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo- 8>M A quem inleressar
As entradas por uma s vez do resultados muite superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 55000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO UNIA'O, Jos da Silva
Machado.F. M. van der Niepoort.
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, ra da Cruz
numero 1.
19 RA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgiHo dentista.
De volla de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descolarlas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparaces empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se acha de novo prompt ao seu dispor para todos os misteres da sua pro-
iso, advertindo que trouxe um immenso sortimento de dentaduras artifkiaes; caout-
chou galvanisado, ouro, platina, massas diversas muito aperfeicoadas para chumbagem-
instrumenlos novos, ferramenta moderna, cadeirade operaces, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabrcenles de Paris, Londres e New-York, e por isso estando mais que nunca
no caso de servir do modo o mais satisfatorio possivel, espera continuar a merecer toda
a conflanca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manh al ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da tarde quando nao tiver de ir em casas particulares.
Precisa-se alugar urna ama portuguezaque
saiba engommar bem e coser, para uma casa de
duas pessoas : na ra da Imperatriz n. 3i, pri-
mtiro andar.
i
Saques sobrePortugal.
O abano assignado.autorizado pelo!
iianco Mercantil Portuei^e. e naaasencia i
lo Sr. Joaquim da Silva Castro,saca ef- ]
lectivamente por todos o- paquelessobre i
is pracas de Lisboa e Por.o, e mais luga- i
res do reino, por qualquei somma vis- J
ta, e a praso; podendo, os que temarem
ista,no mes-
no Banco, descontando 4 0|0 aoanno: na j
'oja de chapos da roa do Crtno n.6, oa
aa ra do Imperador n. 63, s.gundo an-
|ar.Jos Joaquim da Costa M%ia.
Aluga-se um sitie na ra do Cabral da
cidade de Olinda. com casa terrea.com co-
piar nfrente, bota os fundos para a estra-
da e raargem do rio Beberibe, com com-
modos para Familia, estribara para ca vallo
e capina para sustenta-los, arvoredos de
fructos, sera visinho defroale nem pelo
funlo.com ptimos passeoe,sala e gabi-
nete aa frente, muito propria parapassara
festa,e tambem sealugarporanno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 dapraca
da Independencia, e em Oliodanacasacon-
tigua:ota o capito Antonio BernardoFer-
reira.___________________________
Furtaraa da povoaco do Cachang, na noi-
te de 19 do eorrente, pelas 10 horas da noite, um
cavado rodado elaro com cunase cauda brancas,
tendo uma peqafta belirle no olno direito, an
dador de baixa a meio, um poneo abenas as per-
itas : qaem o apprehender leve-o a rna dos Pires
.a. 3-), que ser gonerosamente recompensado.
SOCIEOADE PAHTICULAR
TMALIA rlSKAMBDCANA.
fie ordem do conselho administrativo da secie-
it Thalia Peraambueana aviso a todo os senho-
re socios instaladores para qne ee reuoam no dia
5 do mez de margo praximo futuro, pelas 10 horas
da manhaa, na Capunga, na sede da mesma socie-
dade, afim de ser cumpridooart 28dos estatutos;
assim eomo tralar-se da inauguracao da mesma.
Outro sim o mesmo conselho pede com instancia
que os senjores socios, expectadores e represen-
tantes tambem eomparecam, para que (estemu-
fihando o estado da sociedade, arredem de t qnal-
iaer idea que injustamente tenham feito.
Secretaria da sociedade particular Thalia Per-
nsuiLucana 1 de marco de 865.
I" secretarlo,
____^^ ThomazB.Lins de Barros.
Criada,
Preelsa-se da qm criado para arvifo de casa de
homem sjlteiro ; a tratar 03 'oa da roa do Qnef-
mado B. 11
Perfumara e sabonetes de
Toilet
da casa Violet, perfumista com privilegio,
fornecedor das casas de S. M. impera-
triz dos Francezes e da rauha Isabel II
de Hespanha.
As lluros as mais esquisitas, as plantas as mais
ricas em aroma, os blsamos os mais odorficos,
servem a composlco dos productos exclusivos da
rainha das Abelhas.
Sabo real de Tridaco.
O nico recommendado pelas celebridades me-
dicas como hygieoica da pelle.
Balsamo de Violeta.
Pomada fluidificada pelos oleo virgens para o
servieo dos cabeleireiros.
Gotas de Violetas.
Extracto da flor natural, perfume de S. M. a ra
nha Victoria.
Sabo de balsamo de Vilelas.
Homeaagem a S. M. a Imperatriz.
Agua da belleza de Sua Magestade a
Imperatriz.
Lcelo benfica para o toilet das damas.
Flor e arroz rosada.
De S. M. a Imperatriz Eugenia.
Perfume de nctar.
Este p refrigerante preserva a pelle de todas s
affeccoes dormaes.
Rosado das abelhas.
Locgo refrigerante para o loilete e os banhos.
Cierne poupador.
Da belleza da pelle.
Para prevenir as rasgas e refrescar o rosto.
Ceme Sevip.
ComposiQao especial, para lustrar e fixar os ban-
dos (cabellos.)
Creme fri espumse.
' Segredo da belleza.
Para refrescar o tessido dermal.
Perfumes das brisas de malo.
Delicias dos lencos e saldes.
Dicado a S. M. a Imperatriz da Rossia.
Caixa de Juveacio.
Cofre mysterioso.
Encerrando talismn?, segredo para biieza.
Vermelho da China, preto indio e branco
de Lys.
Para passeios e soires.
P horisoBtal
Pas as nnhas o brilho de nacarregado.
Perfumes horisoalaes.
Para perfumar as cartas, toalhas e os quarlos.
Vende-se na ra do Imperador n. 38, botica
-nrfceza.
~ Precisase de uma ama para fazer trio o se
vico de casa de uma ? pessea : no becco tas Ba
j-eira?, casa d. 3.
lhas de varias cores; tintas vegetaes, inoffensi- i
vas proprias para confeitarias; la de cores, e'
,IuS^erI,dr.0S,para.m.aKens; u.B,,as em ,ubos ei O abaixo"assignado solicita pela polica em ge-
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa- ral qualquer pretenco como : passaporles, porta-
ra aquarella essencia de rosa superfina, de ne- rias, apprehencoes de quaesquer obiectos; pela
roly, jasm.m,bergamota, aspice, patchouly, mbar, presidencia portaras, passaporles, patentes de of-
bouquet.l.mao, alcaraiva, raelissa, ortelaa pimenla, flciacs da guarda nacional e outras quaesquer in-
louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero, cumbencias ; pelas reparlices fiscaes 'desembara-
anis da Russia, canella, cravo e mu.tos outros ob- co de terrenos de marmita e de estabelecimentos
jectos que s com a vista poderao ser mostrados. que por engao ou ignorancia de seas proprieta-
Joao Pedro das Une, nos estejam sujeitos ao rigor do fisci; pela capi-
_________________________Gerente._______ (taa do porto matricalas de carpinteiros, calafa-
Jos Soares d'Azevedo, | rofe ssor de les- DOtes> canas etc. Pode ser proourado no Re-
lingua elitteratura nacional no Gynnasio S?FSfSL&S&iS! SSMP?
ZTr". ... .-.. -. ,__. J Braga, ra da Cruz n. 36; em S. Antonio loja de
Provii.cial do Recife. tem aberto em sua livraria popular, ra do Collegion.o7 do Sr An-
casa, ra Bella n. 37, um curso especial tomo Domingues Ferreira, e em S. Jos ra Birei-
| ara cada uma das seguinles disciplinas: 'a botica n. 88doSr. Jos da Rocha Paranhos.
LINGUA FRANCEZA, '__________Joaquim Jos dos Santos Barraca
GEOGRAPHIA E H1ST0RIA, A W (1
PHILOSOPHIA RACINALE MORAL, D A
niiPTnniPA v datip Precisa-se de uma para o servieo de uma pes-
Kli&lUKlLA L PULULA. Ma Do becco largo do Recife n. 1. esquina que
As pessoas que d' sejarem estudar qual- vira para da Senzaza Velha, primeiro andar.
quer destes preparatorios podem dirigir-se a fabrica ae sabo da ra de S. Miguel, nos
indicada residedeia, de manhaa at s 8 Afogados, precisa se de quatro trabalhadores for-
horas e de tarde a qualqu r hora.
A luga-se
uma casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quarlos para feitore
escravos.com banho na porta, no lugar do Poco
da Panella, ra do Rio : a tratar com Tasso ir-
maos, na ra do Amonm n. 35.
ros ou captivos
hora.
a tratar na mesma a qualquer
Joaquim Lopes Machado, cidado brasileiro
vaia America iogleza pela Europa. .
Precsa-se de um criado : na ra do Quei-
mado n. 12, terceiro andar.
A1IA.
Na ra do Queimado, sobrado n. 29. precisa-se
de uma ama para casa de homem solteiro.
Aluga-se a casa n. 199 da ra Imperial pa.
ra padaria, com forno e todos os utencilios : a
tratar no largo do Carmo, esquiua da rna de Hor-1 Na tabrica de charutos e cigarros, sita na
1 n- ra de Hortas n. 1, precisa-se de um menino para
Est para alugar-se uma casa terrea na ra caixeiro, Brasileiro ou Portuguez, s se exige boa
da Glora n. 14, um 1 e 2 andar de um sobrade conducta.
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da I-------------___._________________________
Santa Cruz, e uma mei agua na estrada de Joo [ llollil iits de alUHIiel.
de Barros, com arvoredos, agua de beber,e porto Alugam-se mobilias completes de toda a quali-
: quem pretender falle dade oa qualquer traste separado e por preco cora-1 cedendo pe* juizo de orphos desta cidade, es'cri
se de sua reidencia.
Na praca da Independencia loja de ourlves
n. 33, compram-se obras de ouro e prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qualquer concert.
*K O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
I tos,contina a residir na ra do Impe- | rador n. 17,2 indar,onde pode ser pro- jjr
H curado aqualquerhoradodiae da noite a
J? para o exercicio de sna profissao de me- jj|
jL dico ; sendo queos chamados, depois de zjf
S meio diaat 4 horas da tarde, devem ser g
R deixados 'por escripto. O referido Dr. W,
Mk nao abandonando*nunca o estudo das >
S molestias do interior, prosegue, com o S
SE maoralBnco. no das maisdiflQceise deli- fm
ffi cadas operaces. como sejamdos orgos ^
^ourinarios,dos olhos, partos,etc.
mmmmm mmmm mmmmm
Alugam-se dous grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e aceiados-
comjardim,cocheira,estribara e outras commo-
didades. na travesa de Joo Fernandos Viejra : a
tratar na ra daSenzala Nova n. 42.
Aluga-ne
o terceiro andar do sobrado da ra larga do
Rosario que Tolla para a do Cabug, com
grandes commodos para familia: trata se no
segundo andar do mesmo.
Na padaria da Torre precisa-se de um
amassador que saiba entregar pao.
Arrenda-se a propriedade_denomiada Barra
de Sennhaem, sita na freguezia do mesmo nome,
com grande coqueiral disfructar, e rauilos foros
cobrar annualmente : a tratar na ra da Aurora
numero 26.
. 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2 andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sSo medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o depeito:
3 dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
r5o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d I
S 6 as 10 da manhaa, -menos nos do-
mingos.
g Pratcar toda e qualquer opera-
I cao que julgar conveniente para o
I prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Cozinbeiro ou eozinheira eama.
Na praca da Independencia ns. 23 e 25 ao p
do funileiro, precisa-s6 de quem cozinhe, escravo
oa forro, quer iicmem ou mulher, assim cemo se
precisa de quem engorme, preferindo-sc algoma
Portugoeza, garante-se bom tralaraento, e a casa
de pequea familia.
A commisso encarregada da liquidacao da
casa do finado Manoel de Gouveia e Seuza, convida
aos credores do mesmo a apresentarem seus lia-
los no escriptorio do mesmo finado, ra do Apol-
lo, e os senhores de engenho a apresenianm suas
contas correntes, afim de facilitar a liquidacao Das
tercas e sextas-feiras, das 2 as 3 horas da tarde.
(0 bacharel Jos Baptista Giliraua)
| advoga nos termos do Bonito e Caruar.
5 Pode ser procurado na villa do Bonito,
I ra Direiia n. It, defronte da cadeia.
Francelina Alexandrina da Silva Marques, viu-
va e inventarame dos bens deixados por morle de
seu marido Diniz Antonio Ferreira Marques, faz
sciente a todas as pessoas que se julgarem credo-
res do mesmo casal que trateni de provar os seus
crditos, nos autos do inventario quu se est pro
na ra das Cruzes, sobrado" n. 9, das 9 horas da
manhaa at ae meio dia.
Emprestase 900$ a iuros sob hypotheca :
no segundo andar do n. 2 da ra Angosta.
O Sr. Sebastio Accioli Santiago Ramos,
quera vir a ra do Imperador n. 83, segnndo an-
dar, para concluir o negocio que nao ignora.
VIUVA LECO^T !
7Ra da Imperalriz7
Madame Lecont participa aos seus- freguezes,
que recebeu pelo ultimo vapor um completo e va-
riado sortimento de perfumaras as mais finas pos-
sveis, como sejam : Nonveau Rgnerateur de
Gell, nica para conservaco dos cabellos ; rece-
ben tambem correntes de Plaqu, muito finas e do
ultime gosto para relogio, p de brilhante e de
ouro para perneados de bailes, 1,000 varas de bico
preto proprio para enfeites de vestido, e diversas
outras cousas. Avisa tambem qoe na saa casa
contina a fazer todo o trabalho que diz respeito
a cabellos, como cabelleiras para homens e senho-
ras assim como perneados para fra.
Precisa-se de um menino de 14 a 15 annos
de idade com alguma pratica de taberna : na ra
do Padre Floriano n. 41.
Ama de fctle.
Na ra do Sebo n. 29, tem ama com novo e
abundame leile._____________
Na ra da Praia n. 62, precisase de um cai-
xeiro de menor idade e que tenha praliea da ta-
berna, d-se bom ordenado e d inlorra.-icao de
sna conducta. -
CAlXElrt.'
Precisa-se de um caixeiro que tenha bastante
pratica de miudeza para lomar cnta d ama loja
por bataneo : na ra da Cadeia do Recife n. 45.
Precisa-se de um eitor que seja portaguez
para um engenho : a tratar na roa Velha n. 77,
das 4 horas da tarde em diante.
modo : na ra Nova armazem de mobilia do Pinto
Precisa se alugar nm escravo para; todo o
servieo de uma casa de familia : na ra da Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar.______________
Joo Antonio da Silva, subdito portuguez,
vai a Europa tratar de sua saude.
Precisa-se de um criado estrangeiro bom co-
peiro, e qoe afiance a sna boa conducta : na ra
do Imperador n. 29.
vo Brito, os que assim nao lizerem nao sero at-
tendidos no acto da partilha, nao obstante serem
declarados na deseripcio feila pela mesma inven-
tariante. Recife 28 de fevereiro de 1865.
Vcnd>se ou trocase por casa nesta praca
um sitio no lugar denominado Curcuranas, com
1,000 ps de coqueiros, casa de vivenda, uma boa
hortacom muitos ps de arvores fructferas, baixa
para capim, boa agua de beber, e grande acude
para lavar aniraaes, trras de lavouras para tra-
balharem at dez captivos, podendo ter-se
Livro do Poyo.
O livro do povo, obraornada cemestampas.con-
tendoa vida deNosso Senhor JessChrislo, e mui-
tos artigos uteis. Este livro das familias recom-
mendado eapprovado pelos Exms. Srs. D. Luis
bispo do Maranho e D. Manoel arcebij.o da Ba-
ha, vende-se a 1^000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira deSouza, ra do Crespo n. 2
COMPRAS.
Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhctes da Pra^a da Inde-
dendencan. 22.
Compra-se um csciavo de idade que
sirva para trabalho de sitio: nesta tvpc-
graphia se dir quem quer.
Algodao emearoco.
Compra-se qualquer quanlidade por maior pre-
co do que se paga no mato : na fabrica da travs-
sa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
Comprase effectivamente ouro e prala em
onras velhas, pagndose bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se um negro de rxeia idade : na ra
do Queimado n. 34.
Attencao.
Compra-se um bravo de batanea grande com
e nnr nan;conchas e pesosat 4 arrobas ou sera elles em
nuom pete" I Dom.estado :.a nl rua Direi,a D- 76> oa na
poder o seu dono continuar nelle
der dirjase a ruado Rangel a. 6. ou no dito sitio!
a Manoel Jos Nunes de Medeires.
bom estado:
rua Imperial n. 162.
,Compra-sc um escravo cozinheiro que seja
[ moco, robusto e sem vicios: a tratar no sobrado
D. Mara Candida da Conceico e seus fi-
laos, agradecom cordialraente a irmandade
de N. S. do Terco e contraria do patriarcha
S. Jos d'Agonia e bem assim a todas as pes-
soas que se dignaram acompauhar ao cemi-
terio o corpo de seu presado e chorado ma-
rido Jos Pinto, especialmente aquelles de
seus amigos que sabendo de nossas -tristes
circunstancias a expensas saas fizeram as
despeas do enterro. Nao cessaro de ro-
gar a Deas pela vida e felicidades de almas
to bem fazejas.
A directora da sociedade benaficente dos
artistas alfaiales, convida a lodos os socios a com-
parecerem na casa de suas sessoes.no da 3 docor-
rente pelas 6 horas da urde, afim de assislirem a
ama sesso de assembla geral.
Anselmo A. H. Azevedo,
1 secretario.
Aluga-se uma casa na Passagem da Magda-' n. 32 da rna da Aurora.
lena com 2 salas, 8 quartos, soto, quintal mura- '-------p-----------------------
do e banho no fundo : as pessoas quo pretende-'
rem, dirijam-se a rua Direita numero 3, primeiro
andar.
- Aluga-se o segundo andar e sato com bas-
tantes commodos para grande familia, na rua da
Penha n. o : a tratar na rua larga do Rosario, ar-
raazera de louca. ______
O portuguez Albino Baptista da
Rocha,- relojoeiro e dou rador, na
praca da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogio e
dourado por preco mais commodo
do que outro qualquer e responsa-
bilisa-se pelo seu trabalho e espera
proieccao de seus compatriotas.
ura preto mogo que saiba cozi-
nhar e tenha boa conducta, e outro que tenha 18 a
20 annos e de bonita figura : a fallar na rua lar-
ga do Rosario n. 34, botica.
VENDAS.
Gratificafito de 100$
Attenco.
Descado.
Perdeu-se nesta praca da rua do Imperador at
a praca da Independencia o moleque Raymundo,
escravo do Sr. Feliciano do Reg Barros Araujo,
. do engenho Montevideo, que tendo seguido com
rrecisa-se de urna ama para todo o servigo uma pessoa qae-o encaminhava at a rua da Pal-
sa de pouea familia : uo pateo da matriz de nja n. 41, aconleceu (supponho) acompanhar um
outro. elle crioulo, muito amatutado, um pooco
calca no raes-
Precisase alugar uma prela para todo o ser-
vico de uma casa "de familia : na rua do Trapiche
numero 4.
Santo Antonio n. 8.
- Joo Fortunato Soavedra vai a Lisboa, e nao 'iJ*Wn Ja tendo lempo para despedr-se pessoalmente de to- moestado. ct"P? de palha velho,conduzindo uma
dos os seus amigos pela distancias em que alguns calca e uma camisa nova de algodo de l-stra, o
morara, pelo presente Ibes faz suas despedidas meSm eMrT na0 sabe d,le.r ,,Uem.c c0"daz,a- e
Ibes offerece seu fraco presumo. 5emJp!ra onde Ia' representa ter 16 a 18 annos
------jr-==rjr-----~-i ......---------- de Idade : roga-se a quem delle der noticia de o
- O Sr. Dr. Pempiho Numa Pessoa. negado levar a casa indicada da roa da Palma, onnoes-
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
uma duzia : em casa de Johnston Pater & C rua
do Vgaro n. 3.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
Fugio dos abaixo assignados no da 8 de janero ]-, -. .*
deste anno o sen escravo crioulo de nome Jos,' IOS Qe llOSSa iTPOSTaPlllft O
com os signaes seguintes : cabra escuro, cabel- 1 a j i
los carapinhes, estatura baixa, cheio do corpo, ps; AlmaiiaK AamilllStratlVO e
largos, e faz um geito as pernas quando anda, '-.,- ... T .,
muito pooco barbado, e tem uma cicatriz bem vi-' MerCailtll Q ladUSlTial flCSta
sivel em um lado do queixo; qnauto a roupa nao n -
ha signaes por ter levado mais do que a do corpo, DrOVUlCia. COneClO 8te 1
mas o chapeo do Chile a Ganbaldi ; cojo esora- j -. ,
vo compramos junto com outro ao Sr. capitao Sil- (IA flAZftmhrO ft -Velllfi Rfi a
vino Guiherme de Barros, e este senhor os havia ^ uc/o1^1"j VC11UCOC a
comprado aj Sr. Joo Cabral, .morador em Naza- 1^ Tl livranft US l) fih
relh. Consta-nos que o referido escravo antes de I ^ li0 llvl pertencer ao Sr. Cahral, fra de um senhor major, da Drafift Oft TndfineTldeilCia.
morador no Brejo d'Areia, onde o dito escravo ; a FiaV u 1UUO|I.uuxv
casado e tem filhos, tendo ltimamente morrido
no vapor do norte, queira ir a rua do Imperador criptorio da rua da Cruz n. 30.
numero 21. i __._________________
Mara d'Assumpco de Andrade Lana, pro-' PreCO diminuto,
fessora publica da terceira cadeira d freguezia de Alugam-se duas casas, ama terrea e outra so-
S. Antonio desta cidade tu saber a qaem. inters- bradada, com bastantes commodos para grande
sar que tem aberto a sua aula roa da Florentina familia, sito na cidade nova de Santo Amaro, cn-
ftjsa n.6. fronte ao hospital ioglez; qaem pretender, dirija-
se a rua da Mangueira n. SO._________________
Joo Autonie toftes sbtJ'o portiiguez reti-
a mulber. Sabemos com certeza de ter passade
este nosso escravo era Pao d'Albo com direccao
aquelles lugares : roga-se portante, s autoridades
policiaes e a qualqner particular a captura do
mesmo escravo, t trazerem-no aos seus senhores
nesla praca, ra da Imperatriz n. 46, refinaco,
que se gratificar com 1005-
Luiz da Silva Ferreira & C.
Vende-se per commodo preco o sobrade de
tres andares e soto da rua do Amorim n. 19 para
cumprlr ordens de sea proprietario que se acha
ausente: qnem pretender dlnja-se a rua do Vi-
gario n. 19, primeiro ander.
O abaixo assignado, proprietario de ama sor-
] te de trras de 1/2 legoa de frente e uma de fun-
. | do, a margem do rio Taquara, cojas se acham le-
Precisa-se de orna criada que saiba engom' gaisadas e capaz de toda agricultura, faz sciente
mar e cosinhar para uma casa de pouea familia que a vende; e as pessoas qoe pretenderem diri-
ma villa de Cabo : a tratar ua estaco das Cinco jam-se a casa de saa residencia, na roa Nova nu-
Pontas com o sea chefe da estaco. ; mero 27.
Jos Egidio do Albuqoerqne.
Precisa-se de urna ama secca para casi
pouea famiija paga-s? bem : a tratar
Cruz n. 02, segando andr.
a rua
de!
dal
ja-se para Lispea,
Precisa-se alugar ama negriuha, mesmo pe-
quena, para andar por casa com um menino que
ainda nao anda : quera tiver an&uucie oa dirja-
Vendem-se dous balcSes de amarelle de mo-
- del lo de consolo, sola para* pu de taco, e giz
se a raa do Bartholomeu (ees segnimento o Pooi- para bilhar, e ama commoda de motno ; na rua
nho a ca de detengao) d. 4S. Pagase bem. d Roda d. .
i
'/
/




ai
- Diario de Pet-naiubuco -Sexta feira 3 Je Mareo de i*tt5.

PRUDUOTON ADMIRAREIS
DO
HNSIGNE CHIMIGO a
Ielil
DO
RIO DE JANEIRO.
i Y 1
$000 40*000
l,9o00 12,51000
2-3000 -18^000
3000 2i0G0
2#000
500
18*000
Bi^ooo
i 000 !)000
3*000 3i*000
3*000 24#000
1*000 90000;
\ Um Duzia.
Chumbador IehI.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicac5o para cbumbar os denles por s mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeila-
mente efficaz. 0 chumbador Iehl torna-se na bocea branco co-
'mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
/ cimento ehluez
para concertar com a maior perfeicao iouca, porcellana, crystaes,
vidros, marmore e qualquer objecte precioso ......
Cimento de giitta percha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia.......... > ;
cosmtico Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac urna guia. .
jElexir odontalglco vegetal
para curar instantneamente as dores dos denles mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservaco dos mesmos, o en-
durecimenlo das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Encrlvore
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.....
llelsteln
pedra austraca para curar os tumores, inchaces e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim, cangalha e oulros arreios
* dos burros ecavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Alllanca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada. e que nao
exista mais inchacao. Acompanha urna guia......
Linas chiinicas
extraccao dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. O par ............
Jlassa dentaria Sauakol
esta masa, pouce temp> depois de sua introduccao na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou denticias. Acompa-
nha urna guia................
Massa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. uina guia .
' Papel cheiroso
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensaces agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondeslcus
confra piolhos e lendeas; afiancada sem mercurio.....
pos de pi ata
para pratear instantaaeamenle o cobre, o lato, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigos prateados, como faqueiros, salvas,
casticaes, apparelhos de cha e oulros objectos semelhantes, af-
flancados sem mercurio, para uso dos joalheiros, relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidros de2otavas. 1*500 12*000
dem le urna onca. 3*0C0 28*000;
Pos para limpar a prata lavrada
sao affiancados infalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. urna guia:
Caiteira. 500 40000
dem 1*000 7*000
Sabo oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia...........
Tinta Azul indelevei para marcar a ronpa
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de una ,
hora no sol, torna-se preta e nunca mas sabe do panno as la-.
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom- j
mado. AQanca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres tica. 1*000 7,5000
dem de urna onca. 500 4*000
Tinta enea nada indelevei superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia onca...... 2*000 18*0001
Unguent" Iehl
remedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, fistolas, frieiras, hernor- i
rodas, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras, i
reumatismos, supuraces putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. 4*000 30*000
dem. '. 20000 17*000
nico deposito em Pernambco em grosso e a retalho
EM CASA DE MANOEL & C.
8 Bul DO CABUC1 8
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queiinado, n. 19 e So. E' tara admirar.
Carretela de linha com 130 jardas...... 00
Ditos com 200 lardas de Alexandre de
12 a60 ............................. 120
Dito dito de 60 a 200.................. 100
Novellos de liaba grandes com 400 jar-
das................................. 80
Id-m idem brancos e de cores de 100
jard.s............................... 30
Livros para assento de roupa hvada... 100
Cordao branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de botdes de punho todos de cores 120
Tinteiros de barro cora tinta........... 100
Tesoutas para costuras finase unlias 400
Ditas para costuras com loque d'avaria 200
Escovas para limpar denles inuio finas
160, 200e.............................. 320
Caixas com 100 euvelopes das melbores
qualidades........................... 6M)
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso................................... 600
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho)............................. 20
Heiadas de linha frouxa para bordar... 20
Pares de sapatos de tranca........ 1*':>00
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............ 30
Frascos de macaca perola muito suerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 300
Ditos c garrafinhas de agua de Colonia
muilo lina....................... 400
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............g........... 900
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade.................. 240
Pares de ligas para senhora as melbo-
res ..... ........................ 320
Pecas de bicos franceses e renaas..... 320
Frascos de acua dentifrice muiloOupe-
rior.............................. 800
Caixas com 4 papis de agulhas a balao
e Victoria i..................... 200
Libras de la sendo de todas as cores... 6*000
Bonecos vestidos e tambem de choro... 160
Caixas com superiores obreias........ 40
Ditas de linha de gaz com SO novellos.. 800
Eofiadeiras de fita para espartilhos..... 60
Carretis de linha de cores con 100 jar-
das ............................. 20
Pecas de cordo imperial............ 40
500 4*000
1*000 7*000
1*500 10*000
20000 20*000
500 4*000
FAZENDAS PRETAS PAR\ A Q!AKESMA.
N. 11Ra do QueimadoN. 11
Chegou a este estabelecimento pelo ultimo paquete vindo da Europa um bello sortimento de
fazendas proprias para a quaresma como sejam : faconn de*seda preta lavrada finos desenhos, fa-
zenda completamente nova, chegou o mais lindo sortimento de moir preto lavrado o mais superior,
ricos vestidos de facon de seda preto lavrado com barras todas estas fazendas sao proprias para ves-
tidos o que ha de mais moderno ; assim como um lindo sortimento de bournus de renda pretas limi-
to superiores e chales preto de croch de seda o que ha de melhor ; chapelinas e chapeos de palha de
Italia para senhoras ; pannos e casemiras pretas e i-utras muilas fazendas que se vendem por mdicos
precos.
LOJA
DO
BALAO
DE
AZEVEDO & FLORES.
Ra da Cadeia de Recite u. 47, esquina que rolla para a Madre de Dos.
Atten^ao.
Paletos de casimira (saceos)
10* e.........
Ditos de alpaca 5* e......
Ditos de alpaca branca i* 'e .
Sobrecasacos de panno fino francez
Calcas de brim pardo 2*300, 34, 3*500
Di tas de brim branco 4*, 4*300 e
Ditas de casimira de coro*, 7*. 8* e
Cortes de casimira preta fina 7* e. .
Seroulas francezas finas.....
CilleteJ de casimira prelos e de cores
3*500, 4*........
Baldes de 20 e 40 arcos dos melhores
qae lem vindo ao mercado .
Camisas francezas a 2*, 2*300, 34 e
Madapoles francezes (peja) 13*, 14*,
Pelos seguales precos
12*. II*,
. 8*000
. 4*000
4*300
225000
45000
35000
105000
3*000
1*600
4*300
5
55000
13*000
Chitas para coberta (covado) '
Laas lisas de todas as cores .
Vestidos de la Mara Pia muito finos
Lencos brancos muito finos (duzia) .
Um completo sortimento de chitas lar-
gas de 300 a........
Cambraias lisas brancas muito finas
(peca) ............
Um variado e lindo sortimenle de cha-
les de merino estampados de 5* a
Seroulas de linho muito finas ;
Abortaras de linho pregas largas .
Bramante de urna largara ....
Camisas de llanella bonitas, cores eco-
nmicas.........
Lencos de esguiam.......
320
*
18*000
2*800
500
5*000
8*000
UVUlItlll'
Laas lisas de todas as cores muito finasa
Os dono da loja do BALAO encarregam-se de mandar fazer qualquer obra de brim
etc., para hornese meninos, alada que a fazenda nao seja comprada na dita loja do
ou casimira
DE PEPSINA
llWBDIGESTtVAslljSSil
BEB
DE WASMAN
As pastilltas digestivas com a pepsina i Wat-
man, empregao se com successo hi j alguns
anno pelas celebridades medicaes de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as ineommodi-
dadei em as quaes a di gesta o difticil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curil as
Gantraljila*.
Mapcpslaa.
Enibararon gstrica*.
A aatrite.
Aa afleeeoea orgni-
cas do estmago.
Dlarrheaa e a consti-
pars prodaKldas
acias elaborases*
defectuosas das ali-
mentos.
Fazenda* pretas para a qua-
resma.
Na loja do Pavo.
Adiase este estabelecimentocomplelamentesor-
tido de fazendas pretas proprias para a quaresma,
a saber :
Grosdensples prelo largo e muitissimo encorpa-
do, oulros mais estrenos tendo dos precos de
1*280,1#600,1*800, 2*, 2*400 e 3*, superior
moreaalique preto a 3*, superior sarja preta hes-
paahola, superior setim preto raacao, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques muilo bem enfei-
ladds, ricas vasquioas e casacos dos mais moder-
nos que lem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para luto e ricos
chales prelos de rede, ludo isto se vende mais ba-
rato do que em uuir.i qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama di Silva.
As roupas do Pav5o.
Acha-se neste estibelecimento um grande sorti-
mento de roupas feilas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 22*, 23* e 30*,
ditos forrados de alpaca a 14*, 16* e 20*, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, selins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres nacionaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida: na loja do Pavo ra da
Imperatriz n.0'0, de Gama & Silva.
Chilas ena\C9rtes coaa 10, 11 e 12 covaios
Na loja do Pavo vende-se urna grande porco
de cortes de chitas nncezas sendo claras e escu-
ras todas de cores!', xas cora 10 covados a 3*200.
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
pechincba para se apurar dinheiro : na loja do
avo, de Gama Grande llquldaco.
Uua da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimentocompletamente sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porco, e de todas as fazendas do-se amastras,
deixando flcar penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caizeiros da loja do Pavo.
Gamisinliasa i$.
Vendera-se camisinhas com manguitos, sende
muilo bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
urna : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa-a 30.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratsimo preco de 3*0CO o corte : s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo Dreeo de
i 4* tendo 8 112 varas cada peca, ditas muito finas
! a 7*, 8* e 9* a peca, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 7*, 9* e 10, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pe-
, ca : isto na loja do Pavo ra da Impoaalriz n 60,
! de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechincha a 3*500.
Vendera-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaco de tarlatana cora mallos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne :t*500cadaum,
COMPENDIO D0L0E0S0
que coatm o olflcio de Nossa Senbora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rta, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmandade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinlios italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que eusguarde;
dado luz por devocao do muito reve-
rendo padre Fr. Placido de.Missina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia. ________
Em todas as moles lias empregio-se a miude at
aguas alcalinas, especialmente a aguo de Vichy,
e igualmente aspastilhas de Vichy. Esse meio 4 t
efficaz quando se trate de dispepsias de curia du-
racao, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
ie Vichy, lem grandes inconvenientes, por quinto
es alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal sendo "fazenda qu sempreWvendeu'a 7*, na loj
maneira que lhcs arreblhao a parte vivificante, ,j0 pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
nutritiva e reparalriz. Com a pepsina, a contrario, ; siva.
Vestidos a -10 e a 7#
Na loja do Pavo vendem-se ricos corlas de vesti-
i dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
; pelo barato preco de 4* e 7*. sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
como ella uma substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
transformacSo dos alimentos assimilhando-se
como ellos e ajudo tabcm como ellos a nutricio
ge ral. Sua acco vivifica o sangue e os ergios
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 55 lojas de iniode-
zas de Jos & Aevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por precos mais barato do que em
outra qualquer parta, quem quizer ver o que ha
bora e barato venia a loja do llival.
Latas com superiores banha............
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito finas....
Cnfeiles do melhor posto que lem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do meibor gosto e modernas.
Volta para pes'oco do molhor gosto ...
Baralhos para voltarete, linas a 200 e..
Varas de franja branca de linha que
lem muita serventa................
Duzia de peanas d'aco muito superiores
Frascos de oleo boza muito linos.....
Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muito linas
para cha...............:........
Grosas de botoes de osso para calca...
Grosas de botoes madreperula para ca-
rniza ..............................
Gro?as de botoes de Iouca prateados
muito finos......................
Varas de babada do Porto sonido.....
Duzias de lapes diferentes qualidade a
240..............................
Quadernos de papel de peso muito fino.
Kesuia do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo muito boas-----
Sabonete de espuma muito superior.
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa...........'.................
Creio para dezenho de tedas as qua-
lidades...........................
Cartas de alfioetes francezes muilo su-
periores ..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................
Carreteis de retros com qualro oitavas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.............................
200
240
:i20
2*500
1j280
500
500
240
OoO
060
200
210
500
2*400
1*300
200
500
200
000
100
030
2*000
2*400
OiO
500
2*00
lioo
500
020
100
360
800
200
com cadeados de netal
l'ti-
de tal sorle que, ath as pessoas que sem soffrer as i .-.-' i-j-T-'pj^u, Vna nneratriz n 60
affcccScs gstricas cima mencionadas sio nica- | S?l!.ni,0j?r0 Fava0 raa lmPerairiz n" '
500 4*000;
mente fracas ou d'um temperamento um poueo
dbil, e necessito substancial alimento para for-
tificar se, achao no emprego das pastilhas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a Uso
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhas
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
silicacdes c imitacoes d'esse producto que os
mulos se quercm desfazer. Pois por falta u'uma
boa prepara^ao a pepsina que n'clla entra, ju
alterada. Seremos ao abrigo a'este inconveniente,
exigendo os compradores que as pastilhas tenhSo
as iniciaos B. P. e saao da pharmaciaChevrier.
Depsitogeralem Pars, pharmaciaChovrier,
SI, Faubourg-Montmartre, e em todas u bou
pharmacias de Franca dos paizes estrangeiroi.
8 ?.S3
O-
g.8
llilliifiil
Ilpliillf1
* fui
s y a.
m P
s>
e
o
o
3
T
I
I
l
s
a
tr
m
I
3.
ff
8
a*
-i
3
m
s
w
o.
c
o
o
w
w
3.
o
de Gama & Silva.
Os eafeites do Pavo.
Vendem-se os maismodernosenfeites para cabera
[ de senhora : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As caias do PavJn
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinbos e grados, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porco : na loja do Pavo,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As lazinhas transparentes a 100 rs.
Na loja do Pavao vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imitaco das sedihhas, pelo barato preco de 400
rs. o covado; ditas entestadas de urna s cor e
, ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-1 co*m Y p'amos "de Targafa ais o covado',"panno fi
Grande liquidagao de fazen-
das finas, ra da Impe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. oQ, de Louren^o P.
Mendes Guimara.es.
Fazendas para o carnaval.
Vende-se velbutina de todas as cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a 160 o covado, sarjtlim
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria
para vestuarios a 320 e 360 o covado,tafel de seda
de todas as cores a 600 rs. o covado: ra da Impe-
ratriz, loja da Arara n. 56.
Chitas baratas a 240 rs
Vendem-se chitas finas a 2iG e 280 o covado,
chitas francezas finas a 320, 360 c 400 rs., cassas
finas de cores a 320 e 400 rs. o covado, percalas
finas para vestidos o 500 e 560 o covado : ra da
Imperatriz, loja da Arara n. 36.
Caries de rain lindas, a Arara vende a 3<5.
Vendem-se cortes de cambraias linas brancas a
3*500, 4* e 55, cortes de cassas francezas finas a
3*, cortes de chita de 10 covados a 2*400, ditas
finas a 3*200 : na loja da Arara, ra da Impera-
triz, n. 50.
dos a 3* e 3*500 o covado, grodenaple preto fino
a 1*600, 1*800 e 2*, dito superior a 2*000, dito
??
XARPE
deLABELONYE
^Ea^
Kmprtcado com invariavel succeno detd* 30 auuoi
eli Mdicos i* toisi ot ptitai contra a* molestiai
orfsniew ou sto orgnica do eoraet, as diierau ky-
drapisiai a maior sari* daa raoleatiai do paito t dos
hronchio (*m*e*4ai, essrrAo puhnenarts, aitkmi.
w/am*acon MrfsMI W^fMcMot, ctarr*'rM, O IARHFI de LABELOIVYB no II Teade stnlo >
KTafa com rotulas de cor fechadas com ama chapa
ando a firma do invoitor.
laa FARU, raa oarfcon-Vlllea.Te, la.
Deposito geral em Pernambuc* rna da
Craz n.22 em casa de Caros A Barbo
Papel para llores
Vende-se a folha a 160 rs., de todas as cores .
na ra da Cadeia do Recite n. 59, segundo andar.
Zihco c cobre em folha, csladuo, azareio e alvaia-
de inglez.
Em casa de Rothe & Iiidoulac, ra do Trapiche
n. 18, vendem-se os gneros cima por precos ra-
zoaveis.
Farelo
era saceos de mais de 100 libras : nos armazens
de Tasso Irmaos.
Vende-se calgado francez da barra franceza
S. lodo da Luz, na ra do Livramento n. 21.
Borzoguins de lustre (Nantes) 6*000.
Ditos de bezerro de tres solas (Nantes) 6*000. .
Ditos de bezerro de duas solas 6*000.
Sapatos de tapete 640 rs._______________
Milbo novo em saceos grandes; no trapiche
de Cuoha, a tratar com Tasso IrmSos.
pas de crancas i na loja do Pavo ra da Impera
tnz n 60. de Gama & Silva.
Ricos soulambarqoes do Pavo.
Acaba de chegar un) rico sortimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato preco de
20*, 22*, 25*, 30*. Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em canta: na loja do Pa-
, vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezas a 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para calcas, colletes, paletots, roupas para
mangas : na loja do Pav5o, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Aos viole mil eovadbs de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com listras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo pre?o de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminha
de seda Maria Pa, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porco : na ra da Imperatriz b. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mara pia,
Grande pechincha a 10*000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, -eodo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
| e vendem-se pelo baratissimo preco de 10* o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e eafeites,
com 19 cavados cada um a 10*, dilos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo gosto, po-
! lo barajo preco de 6* : na loja do Pavo, ra da
I Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 3GO rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para crancas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo,-ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
bSazInhas Usas.
Vendem-se as mais linas lazinhas de urna s
cor, tendo grande sortimento : nalqja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama>& Silva.
diales argentinos de renda.
Chegram ltimamente para a loja do Pavo os
mais riejs chales d renda com tres pootas, seado
iodos pret >s, e tamberacom assentos de cores, sen-
do neste artig os mais ricos que lem vindo a este
mercido, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico prelo de mais de palmo de largura \
estes modernissimos chales no s sao proprios
para passeio por fazerem urna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama A Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavao.
Soir^imbarques de cor na loja
V do Pavo.
Chegaram p^elo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarijues de cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a este mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadeiro apreco a esta fazenda,
vende-se por differentes precos conforme a quali-
dade : -na loja do Pavo de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
no preto a 2*. 2*800, 3*300 e 3* o covado, case-
mira preta lina a 2*, 2,5500 e 3* o covado, alpaca
preta a 300, 600 e 800 rs. o covado : ra da Im-
peratriz, loja da Arara n. 36.
Arara vende cortes de casemira pela a 3300.
Vendem-se cortes de casemira preta a 3*300,
4*, 5*e 6*, ditas de cores a 3*, 4*. 5* e 7*. cor-
tes de brim e ganga para calca a 1*600, 1*800 e
2* : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 36.
Panno de linho a 610 rs.
Vende-se panno de linho para lences e toalhas
a 640 e 7:20, haraburgo a 300 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 3* e 2j>500 : ra da Impe-
ratriz n. 36.
Arara vende os baldes a 3# c madapolo a 1$.
Vendem-se baldea americanos a 3*.3*300 e 4*.
ditos de musselina a 4*500, pecas de madapolo
entestado a 4* dito de 24 jardas, largo, a 6*000,
6*500, 7*. 8*i 9*, 10* e 12*, finos, algodo pe-
cas a 5*, 6*, 7* e 8* : ra da Imperetriz, loja
da Arara n. 56.
Soulambarques pretos a 20)
Vende-se soutambarque preto de grosdenaple a
26* e 23*, capas pretas de grosdenaple finas a
20*, 25* e 30*, soutambarque de laazmha a 7* e
8*, ditos de alpaca brances a 8* e 10*, ricos ves-
tidos Mara Pa de novo gosto a 8*, 12*, 11*,
16* e 20* : ra da Imperatriz, loja e armazem da
Arara n. 56.
Grande sortimento de roupa
felta.
Vendem-se paletots de casemira de cores a 5*,
6*, 8* e 10*, ditos pretos de panno lino, sobreca-
sacas a 12*. 14, 16* e 25*, paletots saceos pretos
de panno a 5*, 6*. 8* e 10*, calcas de casemira
preta a 4*. 65 e 8*, ditos de casemira de cor a
4*, 6* e 8*, ditos de meia casemira a 3* e 35500,
ditos de brim e ganga a 2* e 25300, ditos de brim
branco a 3*500 e 4*, colletes de todas as qualida-
des, camisas francezas a 2* e 2*500, ditas inglezaa
de linho de pregas largas a 3* e 3*500, ceroulasl
a 1*280,1*600 e 2*, paletots de brim de cor a 2*
e 3*, ditos de alpaca preta a 3* e 3*500, ditos de
alpaca branca a 4*500, ditos de alpaca de cordo
a 4*, colarinhos de linho a 640, ditos de ppela
640 a duzia : naruada Imperatriz, loja da Arara
numero 56. O proprielaroda loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas se vende
em perfeilo oslado, como os compradores poder-
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da
noite : ra da Imperatriz,loja da Arara n. 56, de
Mendes Gurmares.
Vende se a propriedade e sitio n. 24, sita-
de as ra do Mondego e Trempo, pertencenle
aos herdeiros do fillecido Feliciano Aaguslo de
Vascoucellos : quem pretender dirija-se ao mes-
mo sitio, das 6 as 8 1|2 horas da manhaa : a tra-
tar com um dos herdeiros.___________________
Lepines novos a 6,400 rs. a arroba*
Na padaria atraz da fuudicao do Sr. Starr ven-
de se ervilhas verdes, ditas amarellas e descasca-
das, lentilhas e sevadnha pelo preco em sortimen-
to de 6*400 s e conforme fr a porco *
gum abatiraento.
0 VIGILANTE
Rna do Crespo n.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo [ poso Dallisa, na sua ordem do da, c pela I :; i c
Aguia,apesar de que, para eale* o Galloeijn.tcn
agudesesporoes nuncaos offender, anks oa^ia-
ciarnamesina conformidade, para qut c baliza,
possa marchar era frente, a Branca Agnla cssa
levantarseu vo,|levando nobicoas palinbas a seo
ninho;e o Gallo ficar em seu-espacoso caapo
dando de novo o seu canto annunciando a seus
bunsfreg.iez'is e aorespeitavel publico
0 grande sorlimenlo de objectos de muilo gosto que
acaba de recetar.
Ricas caixinhas com msica ricamente entena-
llas para costura, proprio para um delicado me-
nino.
Riqaissimos cofresinhos
para guardar oas.
Ricascauas com estojo, contendo todos c
lencos para homem.
Riquissimas voltas fingndo perola.
Ditas cora laciaho de lita.
Ditas do liadas edres e preta, de todas as gras-
uras.
Lindosaderefos com pedrinhos flngirdc iiri-
lliantes.
Ricasfivellas para cinto, de todas as qualidades
e bom gesto.
Ricos cintos de ultimo posto de Pars.
Grande sortimento de lindo? enfriies j-nr; r-jto-
ca, sendo do ultimo gosto c de lodos os preco.
Flores muito linas para lionas.
Loras enfeitadas e meias de seda pas Roivas.
Touq'jinlias sapatlnhos e mei::s de sida tan.
baptisado.
Uiquissimas fitas de todas as (inalidadfs rii i-
eo, cintos e cinteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Riquissirnosjarros c figuras paia ar;n (tic de
sala.
Grande sortimentode gravatichasianlc j ;.n se-
nhora como |iara homem.
Luvas de pelic.a branca e decores.
Cascarrhasde bontascCies.
Trancinlias.galo e maravillas para enfrias.
Transelins de cabello.- e de retro? pranle (lis.
Papel amisadee de outras qualidades.
Bolsas para viapen..
linlremeios e babadnhos de lindos padi?rs.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, rr.uiu.' < ntu-
nas,
Fitas de vellido lisas e cen ir alan e do tu';
larguras.
Thesouras c caivetes de todas as qnalidadtr.
Grande sorlimento de .abneles.
Lindos vasos corn banha para o!Terccii.(r:(.
Caixnhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grand(?.
frascos quadrados o garrafinhas.
Pomadafina de todas as qualidades.
Superior banha nn frascos e ropos de ttfftt
la mandos.
Sabaoin.alez em paos grandes e pequenr?;
Escovas o cali de madreperola, marfiii. e de
osso, para dentes.
Pentes para desembarazar, com friso ilenc.it
sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnilas outras qcaljd-
des.
Pentes de tarlaruga para senhora. /
Ligas de seda e de algodlo,assim 'anu nuiles
tures objectos de gosto que?ra ijfepofMVfluti-
oinar.que a vista far fe, s no Gallo Vigilar,k,
cuc do Crespo n. 7.
I o lionas.
Lindas voltinbas de perolasfalsas comcrnzii lias
uogindo Brilhantes, assim cerro cruzii I; ea
evoltinhas, pelo barato preeo de I* e !*((>, as
cruzes avus -isa 00 rs. s no Vigilante, ru. ao
Crespo n. 7.
Leqties.
Rlquissmosleques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato inre
de 12* e 14*; s no Vigilante, ra do Cresro
n. 7.
Filas de laa.
Fitas de laa de todas as qualidades, propria; pa-
ra debruui de vestido a 70 rs. a peca; s n< vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riqussimos espelhos rom moldura drnrada'
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como ton
columnas de differentes tamanhos a 2*, 3*. 4,5. I *
e 6* ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riqussimos jarros e figuras de porcelana f:nr.,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra doCresio
n. 7.
Para pus de arroz.
Riqussimos vasos com bonecla para pos do arroz
cousa de multo gosto a 1*500 e 2*, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; se u<-
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, a'sim como fie lindos copos ou vasos rom dis-
tinctivos e offerecimentus as sinhasinhas des n -
Ihores e rnais afamados autores de Pars clrc\>-
ra, assim como os grandes ropos de banha ja|;
a 2* e a 1*, assim como outros objectos f|uf:tiS< t
possivel por boje acnunciar, e vista dusw>gtt>-
zes se far todo negocio; na ioja do Gallo Vignnti.
rna do Crespo n. 7.
n
Vende-se a meaco da casa terrea da ra do
Nogueiran. 41, lvre e desembaracada : a tratar
na ra das Flores n. 93, das 3. horas da tarde em
diante.
faz-se al-
Vende-se a casa terrea na ra do Padre Flo-
riano n. 62 : na ra da Imperador p. 14._______
Vende-se doce seco de caj em Santo Amaro,
junto ao ceraiterio primeiro sitio ao lado do norte.
Attenc&o.
Vende-se em casa de Linden Wild & C, eslei-
rs para forrar salas de boa qualidade e diversas
larguras.
Vende-se a taberna da ra dos Acouguinhos
n 20 : a tratar na mesma.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natu:,i'
dos rabcllos.
A agu florida nao uma tintura, facto esstc-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor prun-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
desubstanciasinoffensvas, ella lem a propriedade
derestituir aos cabellos o principio corante que r-
les tem perdido. D'uma salubridade incon!ost-
vei, a Agua Florida entretem a limpieza da cabrea
destroe as caspas e mpede os cabelles de cahir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, ene
constitiie poderosamsE'.o, com a Agua Florida, a
torca, a belleza e a conservaco dos cabe:'...:..
Em Paris, casa de Qaislaur n. 12, ra de Rirho-
lien, e 21, bonlevard MoBtmar're,
Todos os frascos, nao 'endo intacto e clare, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Denosite. ra do imperador,pharmacia n. 3S.
Goke do gnz.
Piten do gaz.
.Vlealrao do gaz.
Coke, tonelada lOftdOO.
Piten, arroba 3*000.
Alcatrao, caada 560.
O cok reconhecidatnente o carvao mais eri no-
mico, torna-se por isso recommendvel, bem co-
mo pelo aceio que se nota as casnhas aonde '<
elle usado. Pitch e alcatrao, alem s aidlrrrapt-
Qoes diversas a que se prestao, como para calar a
tar embarcares, alcatroar madeiras, etc., ?
estes a propriedade de preservar do cnpim, tor-
migas, etc. entregue na fabrica do gaz, ou man-
dado prcm qualquer ponto da cidade, segundo a
vontadedo comprador e previo ajuste.__________
~Azeite de carrapato
Vende-se por atacado ou a retalho mais barm
do que vendem os malulos as cargas : na fabri-
ca da travessa do Cariaca n. cees do Ramos.



P
-*
r._ f


:: ^'
Diarlo de Peroaaabuco Sexta felra 3 de Marco de f S6ft

PIULAS CATHARTIAS BE AYER.
Estas pilulas vegetaes sc a-
daptadas a todos es usos de um
arfante as familias, pois saa
'porfeitamente innocentes, e en
quaitfe railhares de pessoas co%-
fessam coai gratidao que foram
curadas por ellas de molestias
sereras a fatigosas;nao ha
ura s casa era que ha ja suspei-
tas Jo mais Teve resaltado inju-
rio por seu uso.
Publicamos aqu algnns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavl de
Para 1865
Acham-se veuda oalivraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumento dos tribu-
naos do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIHA contendo o
Laboratorio enologa) e chimico de F-.P. Lebeuf e C.
. Eua MoBtmartre, 3-1, em Park
Fabrica eaa Argenten!!, prs Parla (Frasea).
BOMHCACiO E FABtICACAO
Bos ?ralos, agurdenles e ficorcs.
wyft
nsm coroas mm mftra
Aiiecfa* chronica do ufado.
Illm. Sr.
Miz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
feanidades do ligado e baco, con o uso
das pilulas posso Ihe assegurar que estira i
aoin, pos ten lo desapparecido um granda |
e^gorg lamento que soffria, muitas dores I
sobre a regiao do ligado e costas, dores de
ibera, inchaco do ventre, nao podendo
dcitar-me senao do lado direito, isso ms-
alo procurando posicao para ter- socego, ho-
j me acho livre d'esse padecimento : como
por aqui ainda as nao naja, eu como tenhe
este proprio que de casa, Ihe rogo man*
tar-me alguns vtdros, e o cusi elle Me sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasiio de experimentar;
em um ataque de guellas que teve urna
Jpreta que com elle curei, faco uso d'elles
as tosses em minha familia sempre em
Com resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasqainhos, e mesmo as pi-
llas pude montar a doze, 'porque tenhe
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
burnos pessoas, ia d i ,mt e g e
t sultado ; sou btdoorojoandeoda
De V. s. attensgPs.ar
Francisco Faaaaaraaait
mesmo que aquella e mais urna nova' vivhas i,.>.s a ^
Salve Rainha em versos, o Stabat Mater [ ^S^mtSmtmTSmt JSA
em verso, devoc5o ao agonisanle, coragao litros, i f. 25,de Borde<, 2 f., de Pomara, 3
de Jess, cntico em louvor do Sant8S- f-'~ie Lisboa, f.,-de Cataln, 2 f.,de Porto,
mo Rosario, cntico aVirgem Maria No*! 5*4 f **''Ma,aga'dose para m 8U w "*
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero de m-
ximas e pensamenfos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.
Substancia para fabricar com o alcoot e
os vinhos cima e lodos os outres. A dose
500 litros, 50 f.
CLACIFICACOPos Inglezesr, pos dos vinhos
da HBspanha, da Franca, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
colorear os
duas libras
&
Itencao
AGUARDENTES.-Essenca de cognac par? dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cosrnac. A parrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH EABslXTHO.-Essencia de kirsch e
de ahsintho7 para os farer com alcool e agua. A
garrafa para rOO litros, 5 f.
agua LICORES.-Extractos para fabricar se todos os
para licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicarse os que se dcseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabrirar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 mi 25 litro*, 1 f. 25.
TODOS os ontros productos para o trabalho dos
vinhos, agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
imitado no*sas preparares, e engaado nossos
I
PaWAl
/
Hk
GRAMOS
dfARM;1ZEI
/
Klieumatismo e ataques beiaorruoidacs.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de margo de 1864.
Posso certificar-ITie que as pilulas ca-
(naiticas do Da, Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
wippunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j Itavia soffrido ha annos) e soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
.llei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
indo eu o almanack do mesmo doulor,
mprei em sua casa um vidrinho das mes-
taas pilulas e por minha conta principiei a
na-las, e sera as finalisar acho-me sem as
i es pelo corpo; e sem sentir, sarei do
vi.lo, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
Caes : portanto sao para mim as taes pilu-
i is as melhores que tenho experimentado
- em abono da verade. Son
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Joao Rodrigues Feu de Cartalho.
Aova loja de Cazeodas e ronpa
feita nacional, na da Impe-
ratriz, loja de 4 portas n. 5*.
Chitas da leja n. 72.
Vendem-sechitas finas a 240 e 280 o covado,
ditas francezas finas a 320, 3C0 e 400 rs. o covado,
cassa franceza Una a 320,360 e 400 rs. o covado,
lazinhas para vestidos a 360, 400, 500 e 560 e
covado, pegas de madapolao fino a 6, "i, 8e
95, pegas de algodSo a 5, 65 e.85 : ra da lm-
peratriz n. 72.
Roupa feita nacional
Vendem-se paletots de panno fino a 145, M>5
185, ditos sacsos a 65,85 c 105, ditos dccasemira
de cores a 65, 85 105, ditos de brim de cores a
25500, 35 e 4?, caigas de casemira prela e de co-
res, Rolletes e caigas de brim decores a 25000 e
25500: ra da (mperatrlz n. 72.
Soiitamliarqiif a 8*5.
Vende-se soutambarque de laasinha a 75 o 85,
ditos de alpaca branca a 85 e <05, ditos de groe-
rtenaple prelo a 205 e 2i5, capas pretasde gros-
denaple finas a. 205 e 255, panno fino proto a 25,
35, 45 ft 55 o cavado, casemira preta a 25. 25300
e !i|| grosdenaple pretopara vestido a 15600, 25e
25500 o covado^: ra da Imperatriz n. 72.
Corle de la Mara Pa a 10:)
Vendem-se cortes de vestidos a Maria Pa a 105.
45 e 165, cortes de cassa franceza a 35, cortes
de lirim para caiga a 15600 e 25, ditos de case-
tira de cor a 35, ditos de dita preta a 35500, 45.
35 e 65 : roa da Imperatriz a. 72. Este novo es-
ibclecimento vende barato para obter freguezia :
1 a rna da Imperatrrz, loja n. 72.
DROGARA.
3Itua'Urga do Rosario 34
Bartholomea Francisco deSooza A C.
Vendem:
\ 'i'h> acettep puro p^ra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
^uarnigoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paes.
COLORAgAO.Purpirigine pana
vinhos brancos e v.uhos ciaros. As
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendu falsioado e ...
freguezes. deve-se exigir sobre as rolhas e rotulo as inlciaes F. V. L. Pars,
0 raed d m-so das preparares aeha-se indicado no rotnlo.
As encommendas devem ser acompanhadas por urna letra sobre Pars 011 qualqu
ae de franca, ou garantidas por ama casa conhecida.Diriglr-se aasSrs. Lebeuf & C. chimicos,
sionimartre, a. 31, em Paris, ou aMal /abrlc* em Argenteuil, prs Paris.
\ ende-se na botica, franceza, rna do Imperador n. 38.
RA DO mPEBADOR X. 40 i
Jinto ae selmido em qae mora eSr. Oseme,
l>narte AlmeMa A. C, receberan de sua propria encoaamen-
da o mala linde e variado soi-Uaien de mol hados, preprlaa
da presente estaca.
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo tapor a l,ooo para sopa a melhor qae se pode deseiar,
rs. alihra Am harril'a Uno r .An_-x. _ii.__:_ 1 _?!_ ,> S.
er outra cida-
rua
DE
DE
J. YIGNES.
n. A. RIJA DO IMPERADOR 3K. .
US puos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para qae saja nooessario insistir sobre
sua supenoridade, vantagens e garantas que efferecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
Tais que elles teni definitivamente- conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta prag ; odo-
sumdo-ura teclado e machimsm que obedocem todas- as watedes e capricho da p*aniias, sem-
nunca falhar, por serem fabricados de proposite, e ter-se ffet-oltmamenTe melrtoTamentos iraportan-
tissimoi para o clima deste paiz ; qaanto as voses sao melodiosasflaotadae, apar isto mutto arada-
veis aos ouvdos dos apreciadores. !;!:
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fcrtirica conan n-da Sr. Blonda!; db Paris, socia
correspondente de J. Vigiles, em cuja capital foram sempre prerniair ear. todas a expssigoes.
ISa mesmo esiabelecimento se acha sempre um eplendldo-e variado sornmento de msicas do
memores autores da Europa, assim como harmnicos- e Dianas Harmnicos, sendo tudo vendido por
pregas commodos e razoaveis.
CONSULTORIO MEWCO-CIKIJKGICO
DO
baslrile.
Ouro-Preto, 29" de marro de 18fii.
Attesto que tendo feito us, aconselhado
\ i um amigo, das pilulas do Dr. A ver,
[ooi perfeilamente" bom de urna gastrite
(/je soffria c que privava-me de andar aper-
ta '<>. hoje felizmente nada sinlo.
AlGUSTO GOLI.ATINO DE RELLO.
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 2i de fecereiro de I8Gi.
Sendo eu alectado do ligado ha maitos
-ios, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gracasaDeus por achar-me sao
< perfeito com o uso das pilulas catharticas
< Dr. Ayer.
Amonio Bemo Vieiba.
Constiparo, dores de caneca.
Ottro-Preto, 28 de margo de 1864,
Atiesto que achatido-me atacado de urna
f te constipado que trouxe-me dores por
.do o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
meote por espado de quatro dias; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
I as catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
duei sao e completamente" restabelecido em
tes dias, de sorte que estou no firme prG-
psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que fotem affectadas de
constipacoes.
AnosnNHO Josi da Silva, negociante de fa-
zendas.
Irrilaco do eslemage.
Ouro-Preto, 29 de marco de 186i.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
T tido ha muito tempo excessiva irritace
de estomago, ponco apetite e diihcil diges-
i 5..', d'ella tenho experimentado sensiveis
i lelhoras depois que tenho feito uso das pi-
li las catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hkhmogenes Peueira Rosa.
0 GASTELLO DE GRASVILLE
Traduzido do fraacez per A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romanee em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 25500 :
ua praca da Independencia, livraria ns.
> e 8.
Xoarmazemde azendas ba-
ratas de Santos & Colho
Roa do Qneimndo n. 19.
Vende-se o seguate:
Lencesde panno de linho
pelo baratissimo preco de 24G0.
Lences de bramante de linho
de um so panno a 35500.
Coberta de chita da India,
pelo baratissimo prego de 25300.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 2 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 4-
Pecas de cambraia de forro, a 2^600.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-
gura, por menos prego do que em oulra qualquer
parte. '
Toalhas alcochoadas para rnos
i$ a duzia.
Lazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 ris o co-
vado.
Lazinhas de cSres finas
do melhor gosto que ha no mercado, a 360 ris a
covado, neste armazem de fazendas se encontrar
um grande sorlimento de roupa feita e por medida
Rinniintiitii
Fabrica Conceicao da
Bahia. *
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
MEDICO, IMRTIvIHO E OPERADOR.
3 Eua da Gloria, caaa do Fiindao 3
O Dr. Lobo Moscoso di consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s t
oras da manbla, e das 6 e meia s 8 horas da noUe, excepco dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesnwr conultorio aa. jempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos a-vaisos, assim como tinturas de varias dymnajmisac5es e pelos preces seguales
Carteiras de 12 tubos grandes. t2i|000
de 24 tubos grandes. 18)5000
de 36 tubos fraudes: 24|J000
de 48 tubos graades. 30)5060
de 60 tubos grande. 354000
Prepara-se qualquer carteira conforme o podido que se fizer, e com os remed
que se pedir.
Um tubo avalso ou fraseo de tfntura de meia eoca t#*tfe
Sonde para cima de 12, custaros precos estafeelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada om a 500 ris.
LIVROft.
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Haotelga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra. e em barril
3560 rs.
Amendoas
afeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1)5300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1)5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a. 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Qiieijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Oueljos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
lueljo
londnno o mais fresco que se pode esperar
e de excellaate maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1^20o!
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
falqnae*rrnn0 pde vef,derPor menos de
d$ a 20000.
dem pecla
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600. so
Massas amarellas
para sopa, macarro, alharim e aletria a
480rs. alibra.
COGNAC
o muito afamado cognac Pal Brandv a I 8oo
rs. a garrafa e de outras maltas quaida-
aesa l,ooo e 8oo rs. a garrafa
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5 ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
j PAPEL
maco, greye, peso e de outras muitas qua-
'dades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
Ma^as brancas
rs. a
A melhor obra da horneopathta, o Manualde Modiciaa Hanwopatrico do r hht
ioas grandes voumes cora diccionario.......... 203000
Medicina domestica do Dr. Hering, -'-. ".*"' oSooQ
Repertorio de l>r. MelteMoraes.......... .' 600001
Diccionario de termos de medicina......., '. 300601 a l**pel de botica
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-' excel,en'e qualidade a 20200 a resma
to de serem novamente recommendados aspessms que qoizerem usar de remedios ver-.L PAPEL
dadeiros,energicos e duradores: ha tudo do melhor qae se pde desejar, globos de ver-! ^ 6 pardo Para embrulho de 1 4oo a 2 "00
dadeiro issucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acrettedos
1
m
Andrade k Reg, recebem consUnte-
mente e tem venda no seu armazem n.
M 34 da ruado Imperador,algodao d'aqael-
-jS la rabrica, proprio sara saceos de assu-
s car, embalar aitfodo em pluma etc. etc
^ pelo preco mais razoavel.
estabelecimentos europeas, a mais exacta e aecurada preparafio, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus efleUos.
Casa de sakde para escravos.
Recebe-seescraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operado, para o que o annunciantejulga-se sufrkientemeate habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por acuelles que deseiarem maadar seos
deentes.
Paga-se20000 por dia durante 60 dias e d'afciem diante 10500.
As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quierem sujeitar aos preces
azoareis que costuma pedir o annunciante.
rs. a resma.
Corinthias
Fumo
macarrSo, talharim e aleiria a 400 re. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas atareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
ideal de Lisboa
e de outras marcas a 40O rs. a garrafa, e
2080 a cacada.
Idean do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas s3o asseguintes: Chamisso Filbo,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoa.
Latas
com 10 Libras de feaRha a 44O0Q.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaaue
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a f20r* .* bra.
Cerrejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai,
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 10500.
a x, L- Arroa
do Maranhaoa *00 re. alibra, e da IndSa
a 80 rs. a hbra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
aLil sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a iibr
arrafoes
com I /i garrafas com vinagre a 10000 um
o garramo.
GE^BRA DE LARAKJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa. ^^
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada ama.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2ors. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs a
libra.
Pregunto
riibar?r PreZDDt0 deLame8 a 52 n.
ARROZ
MaranhJo, Java e India, a loe rs. a libra e
I de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba
VELAS
de esperraacete de diversas marcas a 5o rs
a libra e em caixa ter abatmento. '
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9 3nn p
caixa e 34o rs. a libra. TWMay"OOB
Batatas novas
0 BSSr.SEamericaD0 em '^ Kttr 2S.T55--. .
Uabrlfu.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas) fo-
. ni empreadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos, que
.offria de vermes intestinas, notando-so
que os symptomas que ento apresentava
am de molestia bastante perigosa.
\ wmcndo Nonato de S. Thiago, pliarma-
ceulico.
Nerralgia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco Alva*-
i .-nga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
; hombro e as rostas, tomei uma infini-
C:ide de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sSo palavras for-
-3, porm nao exprimem que tenho stof-
f: ido: ltimamente tomei as pilulas ca-
iharticaa do Dr. Ayer. S faz oilo dias, e os-
.u completamente restabelecido ; ha tres
dias que nlo snto a mais leve dr no hom-
!.,io nem as costas.
Estas pillas acham-se venda as prln-
cipaes boticas e dragaras do imperio, e no
Rio do Janeiro,, ra Diroilan. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER i C
RA NOVA N. 18.
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, emeasa de S. P. Johnston & C,
sellins e silh5esinglezescandieiros e casti-
?aesbronzeadps, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos.Je relogios de
ouro patente inglez.
TESTiMEVNlS.
'H*ra absolutamente propria para ea-
treteninenlo.
Acham-se venda, na rus do Imperador n. 15,
rtefrontede S. Francisco, os eeguintes testamentos:
da Gallinha, do Gallo, do Cachorro, do Porco, de
Per, da Onea Tigre, do Vigario e do Leao ; a Pe-
leja da Atma, S. Miguel e o Diabo, 160 rs. cada
um ; aproreitem em qnanto tempo. Igualmente
ha avena cartas de A B C, taboadas, pautas, e
tros objectos proprios para as escolas.
, Vende-se uma taberna bem afrogoezada pa-
ra a trra :^ tratar na rna das Calcadas n. 9.
Vende-se feijo mulatinho novo a 800 rs. a
cuia
Vioacre
asma
e
iChales de renda preta e b^miis de guipii preto^
A'leja de ra de Cresta*. 47,
DE

alOS. I-O tI l> VIJLLIR
Vende a loi,O$, 30?, 40J, 50J e^03, capas e casacoes de gros pedos chapeos
e chapelmas de palhae outras muitas fazendas propris para a. aiuresiaa.
Jos Gomes- Villar pretendendo ir a Europa tratar de oa saude espera que seos
devedores tanto do mato como desta praca saldem sol dbitos qttaat ttes
Cekllas
Alpista o bdiuw
1 a 140 rs. a libra,
CEBLAS
0 ma'f nvo do mercado a 14u n
e 40400 a arroba. a,*ors-
FABRICA
eijao mulatinho
no pateo do Carmo n. 1.
VENDE-SE
nm rico vestuario a .ai/, de Carnees e uma rabel-
leira inteira, tudo quasi novo e por preco com-
modo :_no berco dos Pecaios Morlafl^ n. 4.
Lia para bordar
A loja da Aarora na ra larga do Rosario n. 38
recebeu nm grande sortimento de lita para bor-
dar das maihores cores que tem chegado, a qnal
se vende barata, tanto em libra como a retalho.
cimente romate de PoHIanl
nos atui.c:,s de Tasso Irmaos.
Farinha de milho.
Vendem-se barricas de farinha de roilhoameri-
cana de 6 arrobas : na rna do Rangel n. 3.
Vende se n taberna da ra da Conceeao n.
II, defronte do rancho, a dinheiro on a praso.
fat-fe t"do o negocio ainda mearan s com arma-
ci, a casa tem bons commodos para familia : a
1 tratar na mesma.
RE CHPEOS de m
m"mlTi SR? ocenl 4oQa.:.
oro de meo
Imperador ^?0Ue;Tardo ?' Jj ^o-
orre/ra Lar do Carmo n. 9.
muito fresco a 00 re ik
OueimatfonJ r^ hbn *)
l^go do Ca^mnT,UPPad(>FD-40e
a libra.
Passas miiim oras
eni quartos e inteiros a U o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
sejar a 800 rs a bra e 140rs. o pao.
rutas em calda
chegadas ltimamente, pera, necetro ainis, a
outros muitos a 640Vs a lata g g J
a600ei/o8carda90>bi
. GOMMA MUITO NOVA
rjuaei4urs. a hbra na roa do ftwi
BOLACHINHAS
em latas de defferentes oualidades a 12
Os

W. 3 Rna Xova esquina da Canaboa do Carmo e rna do
Cabng n. 9.
A directora desse estaboleciment o mais iraportante Que asiste neste getero-
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico det* provincia goae das
vantagens que proporciona a fabricacao em grande escala e directa relafo com,as mais
importantes, fabricas da Europa, faz sciente qu resolveu-se a vender ind mais barato
chegadosneste ultimo vaa^ iSsoe a ra.
0 etdo r" 7' rS d0 I^raorT
freguezes eP/mPre,arOS do ^^ V<^4toSL.nk 9",
r^uS i;** e ao publico em geral, que para Tcilitar a2 ? ,0* Mm
.pniaram os mesmos procos eos segaintei lagares: a coramd'dade de todos ea-
0 Verdadeire Priacieai roa do imperador n 40
FARELLO DE LISBOA
1 jl ^l^r STS C ^^ a 3*: -do imperador n. 40
Descont em duzia.
20 'o
10
n
15
15
o'
0',,
do que do eostume como demonstra a segunte tabella
II!*'*"
Chapeos de sol do panno a 2S000.........
' armacao de baleia a 2550O ....
" de seda armacao de ac inglez de 20 pollegadas
U, de 24 W, de 26 55500 e de 28 W ......
Chapeos de sol inglezes abalo 12 varetas, cabos murto ricos e
seda superior de 24 pollegadas 8^, de 26 95. e de 28 10$.
dem, idora a balao de 10 varetas pat'ent paragon de fox de 24
pollegadas H#, de2612,5, e de 28 13J ....... is o0
Alm de muitas outras qualidades de chapos de sol que existem na mesma casa
como sejara de alpaka, ditos de brim de linho, etc., etc. ka tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos efeitios, os qnaes sSo t*o vantajososeomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilarla fina e ar-
mas de. flaca, 03 quaes vendem-se igualmente em porctfb e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre nm descont rafcoafel, 'aflra de poder reta-
mar pelo preco que o estabejefintento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de tima duzia srao considerados como
a retalho.
NOVIDADES.
Queijos do \lentejo. ditos das ilhas n mac /-,.-, ,, .
Imperador n. 4. rmazem Verdadero principal, ra do
4 0AZ6AZ OAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
116 a lata : nos armazens da ruado Im-
aerador n. 16 e rna dn Trapiche Noto n.$
Vende-se"
maehlna oara descarocar algodao, com rnotoTe=
para animaos : na rna da Senzala Nova n. 4?.
barricas com geaso
mos.
Gesso
nosarmaafns de
Tass Ir-
Frljao.
Vende-sa uma ppre3o de feijo mnlatinh muito
ti a cuta, dito preto a 880 rs.. dito rajado
noroa
do Porlo a 520 rs.
na roa Direita n. 8,




i\/r-i


I
1

Warl de Pej-BMabiiCA -- 8(a fclra 3 de Mmr^o de 1S&
$ NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram es modernos vestidos de dentelle de seda, com barra, ioteiramente novos
etn gosto e qualidade : loja das columnas.naruado Crespo n. 13, deAotonio Correia
de Vasconceilos & C, successores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos desenlela
Superiores corles de seda de cor, de morante, de gorguro e de setim imperial.
Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
Dites de laa com barra e grande variedade em cores e padrSes.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escosspza e miudas.
Superiores las lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpico?, com dores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandy<
Grande variedade de chita de cores, de percalia eoulras muitas fazendas dla-
Para hombros de senhora
A 48 0 CORTE
Pechincha aem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cret
claras c escuras com grande variedade de padrees
pelo baratissimo prego de 4$ o corte : na loja das
columnasdra do Crespn. 13, de Antonio Cor-
reia de Vasconceilos A C.
Piano
Irritado dos pukaes. augi-
Vende-se um plano em bom estado e proprio' nna fneca nD(M11ni/ jA
para quem so propSe a aprender : quera preten- Ha?, lOlSkt, e5ClT(fS UO
, der dirija-se ra larga do Rosario n. 37, que alli' cono-no />iim/v ^~ ~
encontrar pessoa habilitada para tratar do ajuste | oduglie, Cl UpO OU gillTO-
'poa""'""","r! tilho, catarro, ronquidflo
? %t l?f | ;e_ todas as innumernvei molestias que alec-
o exiguo preco do objecto nao
muitos pretndanles.
jto aos orgos da respiraran
PARIi
da balsmica e irresistivel
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 18f a 401.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados Anos, de cachiraira eora listrasde
seda e de nlo preto.
Camizinhas_ modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
lionas com punhos e outros muitos artigos. *
Para cabera de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Ililia enfeitades para senhora
Ditos de feltro entenados para senhora.
Ditos de paiba enfeitados para menino.
n.r.fc-.h*;,0rliinent0 de enfe'es modernos de retroz, de froco, decabello e de flores,
los 4 c!0* daS COlumDas da rna d0 Crespo ,3> de AntoniCorreia de Vasconcel-
GERATU IiEC4KUUIL\JPA< O
gBag
a 3,8000 : na ra larga do Rosario n. 60, taberna' >. fnrva
la esquina que volla para a ra estreita do Ro-'moA:~nt" ',jl,fl
swio. i meatanie a accao
Vndese a qoarla parte da propriedade de-
nominada Pona de Passambi. e urna parle do en-
genho Boacica, ambas na freguezia de Ipojuca : os
pretendentes emendante com o propietario do
engeuho Cailhe na mesma freguezia.
Bilis hamburgne/as.
Vende-sena ra Nova n. 61.
CHEGARAM OS HOBEBNOS CHALES DE
FILO PRETO.
MACHINAS HLPATEM
de rabalhar & i. u nati
fars
trabalhar a i. io
desearoear algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OIDAil
ANACAHUITE
Superiores chales de fll preto cliegados pelo -ultimo vapor
H loja das'luuinas ra do'respon. 13, de Antonio Corroa de
5? los & C.
Mmmmmm
fr. n ez, i
Vas o cel-
\mm %
MWM CONSERVATIVO
XAROPE DEPURATIVO
LiE GOUX
BROMO-SULPHO-IODURADO
1
23Largo do Ter^o23.
Joaquim Simio dos Santos, done deste bem sortido armazem de melbados faz setenta mo
recoinmenuacao aos seus amigos, freguezes e a lodos em geral, que esta resoivido a venderos seus
km cjuuee.Jos gneros de pnmeira qualidade.por menosde 10 a 20 por cento, menos doue em ou*
uaqualquar pacte a tnheiro contado.e lodo o comprador que comprai de MU a Mi unao^San.
to de o a iO por cento pelo seu promoto oaeamento : e or isso se faz annnnTin a 7.^' ""!."
para com este mtllJ ff^tSiT pagamen,' e p0rlSS0 Se "'" annncio *3*mmmZ
jiassas para sopa raacarro, talbarim e aletria a
a 10 rs. a libra e em caixi a 5Jt.
Fonciano de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
a liora e 8800 a arroba.
Dale do Rio de primeira e segundasorte a 260.280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8# e
84500. i
Choaricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a i-3.
Passas rindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a %$.
3atatas era trigos de 35 a 40 libras por 24400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
>.a hysson miudinho superior qualidade a 14200,
24000, 24500 e 34 a libra.
Vinho le Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem proprio para neeocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 24400 e 24700.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 44400 e 4*200.
Phosphros do gaz vendos por conta propria a 18
rs. o mago e a 24 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o n
lo a 24800 e a caDada a 44500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs a
garrafa e a duzia a 54800.
(^igos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
Arroz do Maranliao e Java a 100 e 80 rs. a libr
e a arroba a 248OO, 24e 24400.
Assim como ha um grande sortimenlo de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos-como
em botijas, bolacbinhas de soda, conservas choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eontro mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los. e se al-
guera duvidar verlia v6r.
Este novo producto resultado de urna trplice comtnc> de ir* jneUUoJoes cujas .preprie-
dades sao mu conhecidas, o Bromo, o Encofre e 0 Iodo, oceupa hoie a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso
As experiencias dos mdicos ruis notaras nos hosprUes de Paris, os sentores Cazenave,
Puche, Bazm, Hache, Cuibout, Barosehet, Danet, Legroux, Vasse e Aubry, etc., demonstrarlo
sua poderosa elucacia as affecedes seguientes:
PEITORfiL
Docnfas de pella,
Darlroa e borbulhas de (oda m eapacle,
Piara mucoaaa,
Obatmeroea l;raphatlcsn.
Papel raa,
Eaerafalaa,
Abeeaaaa, pa.leataa,
Caacra,
OlMTW,
Tlnba,
Eaearbata,
Plaa ou Baubaa ( Frambaeaia,
Humor. frlaa,
Racalll.Ma,
OphlbalHila r^eruriilaaa carale a.
Tinte eaerarulaaa,
Alfeefoca aypklllllraa.
Elephantla.l. da. Grey*,
E toda* aa doeufat occajionad por um ticio do
sangue, e j tratadas sem neutum succasso pelas
wmmgm iodust iM 4, nd.
de bacalbio.
O Xarpe de Le Goox, de urna fcil digesto e de gosto delicioso, se empreca Umbem
com mmu vantagem aconsejado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninSs, para as
enancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario' t mui
superior neete emprego ao oleo de figado de bacalho e aos xardpes depurativos e anii-esoor-
buucos que se admimstravo t agora. ^^
Beposito geral, em Porw, naitica Bonllay, membro da Academia imperial de Medicina de
Fans, official da Leaxo i Honra, e era todas as botica d Franca e dos paizes estrangeiros.
Cassas
para
vestidos.
Tal pechinclia s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cures miudiuhas, de quadros, lisas, e de ramagens, cem grande
variedade de padrSes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baratissimo preco de
300 rs. o cavado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconceilos
& uomp.
0

Assim como machinas para serem movidas poi
animae-s, que descarocam 18 arrobas de algodi
limpe, por da; e motores para mover urna, dua<
entras dessas machinas. '
nn?nnDpeSraS.,ef? Para Vender um bel'i.mo va-
por que pode fazer mover seis desias machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srl
agricultores a v.rem ver 1 exam.na-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders rolbersAC.
N, II, prava do Corpo auto
n IIEC1FE.
Os tmeos agentes neste paiz.
Estas machina?
podem descaronar
qualquer especia 1
de algodao sen a anacalmita mexicana queda o nomo es-
seudogar bastaSu |recial t "^mparavel remedio, urna
duaspessoaspan ij"N"re' CUJ'1 mndeira por muito lempo se
otrabalbo; pdf ;,ia usado no Tampieo para a cura das en-
decarocar; ums fermidades cima mencionadas. Foi tam-
oe algc-|bem ensaiada e appt ovada pela academia
t medica de Berlim O peitoral de Kemp
,11111 xarope delicioso inleiramenle lino do
opio, acido hydrocyanico e outros
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bai -
Loza, Bravo C. e em todos os eitabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Vendem-se no Recite em casa de Catre &
Barboza e Joao da C. Bravo d C.
do em earoet
em 40 minutos
ou 18 arroba.1
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.


.<*
2 -^ 33 V
!|fl
fn*ii
o 3 s; 3 *
a
CE o o -t Tr"-'. 5T o
o H o. su g g ~r o
ce
12
-5
M
5
-
a
9 -*=?
ASTHME
irmieni fie inolliaio
ASTHMA ASTHMA ASTHMAIt
SUFFOCQO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio effieaz para combatr esUs raolslMe, acalmar am atUque d'asma impedir
volta o Xar.ope aromatice de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Oaaeoberta inteirameat*
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez eracas aos admiraveis resul-
tado! que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 5i, ra do Comercio, ?aris-Grenelle, e ea todas u
boiicas de Franca e do eslrangeiro.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Scieacias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legio de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paria.
Este xarpe coinposto mais de vinte anne pelo sabio lente Boullay, consume a melhor
maneira de administrar o Elher. He empregado com suecesso em todas as doencas qHe tirio sua
origcm de um erithismo nervoso, como sao as:
-BaO
S1---HUA DO IMPERDOR-81
Segunda casado lado direito indo do pateo do tollepio.'
Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e acrespeitavel
publico que, estaQdo restabelecido de seus incommodos de saude, acba-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molbados primorosamente escolbidot;
como sempre caprichou terdas meihores qualidades, efrancamente t-ffiancas pessoasque
se dignarem comprar em seuestabelecmento,que all de preferencia outra qualquerpar-
tesero mais bem servidos, em qualidade e preces, como em pesos e medidas, no que
sempreo aununciante foi escropuloso, em summa, nao illude a pessoj alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo queiram honrar como seu comitertilhes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado do merca-
do desta praca, para o que sejulga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois dese-
rem fielmente cumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negociantesque lhe merecam coBfianca, fa-
zendo um abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da i
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commissao, entregando de'1 S
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem, I
prescindir da commissao.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera oannuncianle sua valiosa proteceo, fre-
quentando como outr'orasua casa, e peloreconhecimento quelhestributa offerece espon-
tneamente seus servicos.
Julga desnecesariopublicar a tabella dos presos de seus gneros: sao seus recursos
garanta sufficiente de poder accompanhar os menores precos de idnticos e mesmo de!
miis apparatosos estabelecimeolos, tendo somente em vista o augmento de suas vendas;
diarias.
PrevencSo aecessarta.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio ni mesma ra, julga prudente advertir que s affirma e ^e responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
Emaqarra,
Nen-alslaa,
E p avala*,
Allaqura de nrrvoa,
Verllceaia,
S)BfrC,
Calmbra. 4c ral ama go,
lia1lteca,
Ceatvulaea,
Acceaaea hyatcrlcea e hipo-
condriaco,
Collcaa cnteaaa ou aerva-
a, hepticas Hatulentaa,
Aeeeaaea Ue cela e de racu-
niallaano,
Caaoa ata cnvcDralrnaeala
ale, etc., etc.
Deposito geral, em Paru, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro l Academia
imperial de Mtdieina de Pars, official da Legiao de Honra, raa des Fosss-Montmartre, 47, e
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
fia <-v c: ti O J
a" "I O B ^B i 0
Sa-,9o3Jfta!
OT_a-ij(o_atj'E2o
l' T w -* 3
o o
2 P 6
a a g
ca.ee
ji
c
re
5
2.
ai'
a
"I
BJ rs
a. s>
a |
h
- rs
O O)
O B>
ce e '
3
srs
LE-*
Zu w
as g y s
ro
o 2 o a
2 ** *. O
2. ce
o o o
Z SI 3
5 ST 0
1 ce
-O
B
Su "3
s-ss
llf
n u o
5
5
o
s"
en
va
a

ftgS:
q
B
"i
3
09
03 O
o
g o
O =?
N
C-D

03
T3
i3
OS
| 5'
a bt
03 03
e
e
s
e
i
Deposito geral emPernambuco ra da Cruz n. 22. em casa de Caros & Barbosa.
Pregos que admira.
Sapalos de tranca superiores pelo barato preco
de 1-3 o par, c duzia 105 : no vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as larguras, peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, rna do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de urna e duas carreiras
perfeitas, pelo barato preco de 40 e GO rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Rentes para atar cabello, a duzia a 15200, 1,5600.
25,35,45 e oi.
Balaios propriamente para costura e para fruc-
ta*.epara menina trazer no braco a 15500,15600.
15800, 25 e 25500.
Perfumara, macaca perola a 25, 25200, .15 e
45 a duzia, oleo de mozinha a 55 e 65 a dnzia.
banha a 35, 45 e 55 a duzia. Estes objectos se
vendem por admiraveis precos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affam;a-se a pouca a va na e a bna qua-
lidade : s no galo vigilante, roa do Crespo n. 7.
4GENCIA
FTODICO IOW-H001.
Rna da Stnulla boti d. 42.
Neste estabelecimento contina a nave*
um completo sortimento de moendas e meia
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido coado, de lodos o
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinaT~paia
lavar rospa: em casa de S. P. Johnston & C.
ma da Senzalla Nova n. 42.
Precisa-se de urna ama de leite sem fili,
devendo ser orna mulher hern morigerada, e qttt
pense cnidado.amente de urna enanca : qnem :
julgar em taes condicoes dirija se a ra da Solnda-
de n. 36, ou a ra dos Pires n. 39.
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
la Rila : na roa da Aurora n. 36.
ESCBAYos "rcaos. ~~
Esctavo. .
Desde o dia 21 de fevereiro" do crreme, anuo
ansentou-.-e da basa de seu senhor o mulathlm
Vicente, cor nm tanto clara, sem deleito no corno
tendo nicamente os dous denles da frente orr
tanto podres, idade pouco mais ou mecos 16 a l
annos e bem fallante, levou calca de casemira c;r>
tanto escura e camisa de algodao roga-se aqu;:i
souber da sua existencia em lujtar certo ou ue o
tenha appreliendido o faca conduzr a ra da M>
dre de Dos n. 27, que ser recompensado.
Aos opiaes de campo.
Fugio no dia 27 de fevereiro ateste anno, de ta-
sa de seu senhor o escravo Sebastiao, crioulo. ta-
lo, cora idade de 22 a 24 annos, foi escravo do
senhor do engenho Quandus da comarca de Santo
Anlao, d'onde tinha vindo para esla cidade a 8
dias, de presumir que seguisse para Taqaaritin-
ga aonde tem mi e irmos, levou calca e camisa
branca bastante snja, altura regular, cabello a es-
covinha, cabeca pequea e redonda, testa grande o
bem cantuda, olhos pretos e regulares, nariz cha
to, bocea regular, beicos regulares, dentes todos u
limados, uenlmma barba.apenas um pequeo bigo-
I de, corpo bem limpo, ps regulares e potreo lar-
gos : roga-se portanto aos Srs. capitaes de campa
a apprehensao do mesmo a entrgalo Imperador n. 8.1, secundo andar, defronte do Bor-
ren, que se gratificar com 505.
3 a 3 ^. .o
~ = O COQ '
a a o5
nsll?i
i re c a g ?i
** S. fi w re "
g' 3 o
gil''?
*a r S s 2
2 3 re 2 os
03 25
re =r ^O
w 8 o,
1^3 o re^_
re
-r
i
c
-:
03
i;
B


-
a

H
a
C3
r
B
-
ai
e
= s
C < o
3^-3
- c o
SU 03 O
re t .
o isam icmurTti
81-nirA no IMPERAHOK-H1
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio
AO *
ESCR4V\
Vende-se ama negrota de 12 annos, boa figura e j
sadia, propria para casa de familia : qaem a pre-
tender dirija-se a ra Imperial n. 36.
Vende-se a casa de molhados na ra da Im-
peratriz a. 34, por seu dono ter de retirar se para
tratar de ana sande, fsz-se lodo o negocio : a fal-
lar na mesma cima.
P0T4SSA
Vende-se patassa em barris a commodo prego o
na rna da Crnz n. 23, primeiro andtr. eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Vende-se um sobrado de um
rna Imperial, nma casa terrea na
mais outra na ra da Mangaeira,
modo : a tratar na rna da Praia
Bibeiro da Cunba e Oliveira, no seu armazem de
carne.
Potassa da Russia
Acaba de chegar a mais nova e verddeira po-
---------:------ tassa da Bussia, e vende-se a preco com modo: no
andar, ito na escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Fi'ho,
mesma roa, e largo do Corpo Santn. 19.
por preco com- ( ------------- ------;------------------------------
com Lourenco Manelecimeiito.
Vende-se o armazem da Aurora Brilhante ao
largo da Sauta Cruz um oes meihores estabeleci-
- Na ma dos Coelhos d. 10, sobrado, vende-se me^l9S a Boa-vita : a tratar no mesmo ou com
tima excellente escrava com afabilidades wgnlo- os Srs- Rosas Srmaos.
tes : lavar, engommar, cozinhar e cose, todo com
alguma perfeicao, muito fiel, 26 annos de idade,
caora, mnito sadia e robnsta, tndo se garante na
venda ao comprador por ser rial.
Bal cao
Voode-se a taberoa da rna
des Vieira n. 6i, aa freguezia da Boa-Vista.
Vende-se nm baleo de amarello muito bom :
__naruada Cadeia n. 50, assim como 2 teip-s pa-
de Joio Fernn- ra amostras e um grande feito armario todo envi-
drando-
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
N. 18Rna do Cahugd. 18,
Dcfroute da matriz de Santo Autonio,
DE
Lima & C.
O pioprielario deste novo estabelecimento avisa ao respeitavel publico, que adia-
se prvido de um completo sortimenlo de molhados e seceos, lodos novos e por precos
commodos.
O proprietario nunca quiz annunciar pelo jornal a existencia de seu estabeleci-
mento ; porm, como faz-se noeessaria a noticia aos senhores de engenho e agricultores,
que mandam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os pro-
pietarios o fazem agora
Aproveitam a occasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
mento se achara sempre completo de um variado sortimenlo de molhados. seceos e ou-
tros objectos pertencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos sero menos.5 por cento do que em outra qualquer parte, e para
este fim chama-se a attengo de todos em geral.
Os pesos e medidas, e qualquer engao dado na casa, serao garantidos pelo dono
em favor do consumidor, em qualquer occasio que reclamar.
Os proprietarios deste novo estabelecimento esperam dos seus freguezes, e do
publico em geral toda a protecc5o, prometiendo os proprietarios da Flor dos Progre-
sos tirar t5o stnente um lusro razoavel do laborioso, trabalho, com que possam dar
cumprimento a esta ardua missao.
Adiando desnecessaria a publicaco dos precos minuciosamente explicados de
seus gneros, com o que geralmente todos fogem, pdo motivo nao somente de ser enfa-
donho, como tamoem por nada valer, os proprietarios tm somente em vista entreter es
s"eus consumidores com gneros novo*, e precos mais razoaveis do que em outra qual-
quer parte, pois sero as garantas para a proleccao ao Novo Armazem de Molhados.
FLOR DOS PROGRESSOS.
BOTICA E DROGARA
Bartholomea Francssco- de Sooza A C.
34Ra larga de RosarioM
Vendem:
Pilulns Holloway.
Plalas do Dr. Laville.
Plalas do Dr. Alian.
l'ilulas do l'oLre-homem.
Pillas americanas.
Plalas vegetaes. :
l'ilulas vegetaes assacaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimanlt.
Vinho de Salsaparrilba deCh Alberu"1
Injeceao Feaugas.
Agua dentifica de Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos antl-epileticos de Brest.
Bob L'Affecteur.
.Tarop do Bosque.
Ungento Holloway.________
Rna da SeozaHa Nova n. 42.
Neste estabelecimento'vendem-setachas d<
ferro coado libra aJUO rs., idem de Lo
Vfoor libra al20rs. ______________
FHJSo
Na rna da Madre de Dos n. 9 vende-se fefjao
mulatinho. dito raneo, e dito preto, mais barato
do qne era ontra qualquer parte, approveitem a
pechincha que a quaresma bate porta.
Negro fugdo
Esl fgido desde o dia 27 de fevereiro desie
anno o preto Joaquim, de nacao Angola, que fr
escravo do Sr. capilao Franrisco Joaquim Caval-
eanli Galvao, morador em Mara Farinha (Prai;:),
o qual venden-o nesta eidnde em dezembro do an-
no passado ao Sr. Manoel Francisco Marques cem
armazem de assucar ra de Apollo ; levou ca-
mi>a e caiga de aljtodao braneo, representa ter d?
45 a 'O annos de idade, alio e de grossura regu-
lar, cor fula, cabeca comprlda, queaos largos,
olhos amortecidos, beicos grossos, sendo o supe-
rior um tanto defeiinoso, bastante barba, porm
raspada, lioalmente tem nma grande costura entr?
os peitos proveniente de queimadura, e suppe-td
terse dirigido para o norte, d'onde veio : gratiti-
ca-sea qnem o apprehender ou denunciar o coito
em que estiver : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 51
Aviso
aos capitaes de campo e a polica.
Desappareceu em pjincipio do mez de ootahro
do anne pastado, de bordo do palhabote nacional
Araujo Malo, dous escravos de nomes Roberto
(por apellido Macei), e Miguel; o Io de idade 15
annos, pouco mais ou mecos, crianlo, cor fula,
estatura baixa, barha serrada, um penco torio das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tamo na
barba.comona rabeca ; o 2 alto, ebeio do corpo,
sem barba e falla grossa, representa ter de 25 a
30 annos, cujos escravos desconfia-se andarm pe-
los arrabaldes desta cidade : qnem os apprehen-
der queiram levar a roa do Trapiche n. 4, que
ser generesamente gratificado.
Escravo fgido.
Desde o da 12 do corrente que se ansentou da
casa de seu senhor, ra da Alegra n. 9, o escra-
vo pardo de nomo Andr, idade de 4/) annos, pou-
co mais ou menos, baixo ecbeio do corpo, com
marcas de bexigas, barbado, com passa pirlho, e
quando olha parece querer fechar um olho, quan-
do anda inclina a cabeca para om lado, tem ca-
bello caxiado e osa de banha : este escravo veio
cerca de dous annos da provincia do Cear em-
barcado: muito ladino, tem a falla mnito des-
camada, e falla sempre com muita moderacao e
humildade, consta que anda pelo bairro da Boa-
Vista para a Soledade, cana d'agoa, e roa do Cis-
co, tambera tem sido visto no Recife e Santo An-
tonio, mas poucas vezes : quem o pegar pode le-
va-lo casa cima mencionada, que ser fenero-
samente recompensado por seu senhor Jos Anto-
nio Bastos.
Vende-se a casa terrea n. 25 da rna de Ma-
ihias Ferreira da cidade de Olinda : qnem a pre-
tender dirija-se a tratar nesta cidade na ra Au-
gusta n.59.
Molque
No dia <8 do corrente ausentou-se da casa de
seu senhor o moleque Crubiano, de 14 annos,
tem o rosto do lado esqnerdo com pequeas man-
chas amarellas, levou calca de casemira asol, e- ca-
misa de chita cor de rosa, o cabello cortado ren-
te, e foi comprado no da 16 do corrente ao Sr. ra-
pitao P. Augusto Cavalcante fie Albnquerqu?, se-
nhor do engenho Albuqnerqnena comarca de Na-
zareth, de soppor qoe seajoisse para aquellas pa-
ragens, e por isso se recommenda s autoridades
polinaesa sua apprehensao, e lvalo na Capunga,
padaria do Sr. Bastos, que generosamente se re-
compensar toda despza.
-




-



w
----------
"Marte e Permaitenco exa felfa s de Mareo de 195.
LITTERATRA.
O que Tac pelo mundo
Anda em seguida damos as respostas dos bispos
t Dentro ero poaco, publicando o jubileo, da-
rei ao clero e aos flels da minha diocese, as de-
ntis instraccdes que jalgar necessarlas para os
tempos difflceis que estamos atravessando,
Lendo nos tantos jernaes impios, que o gover-
no sem du vida sent contar entre os seas mais en-
de Mendo, de Nantes e de Macn, ao ministro oos thusilstas apprevadores, as injurias prodigalisadas
cultos da Franca : a egreja, e a esperanza, que novas e profandas fe-
t Meado, 10 de Janeiro da 186*;.Sr. ministro- ridas Ihe estao reservadas, notara, Sr. ministro,
-E' eom o coracao transpassado que dirijo a V que manifestara urna dupla esperanca : a primeira,
Exc as minhas queixas respetosas a respeito da que o episcopado francez nao permanecer unido;
creular do I de Janeiro. segundo, que o clero nos nao seguir Da nossa de-
. Nao surprehendeici a V. Exc. duendo, que a d'cacao inalteravel santa s.
prohibicao que nos ntima, feriu profundamente o Anda que V. Exc. Sr. ministro, nao csteja ha
meu coracao, e magoou a consciencia do clero e muito tempo cncarregado das funccoes importantes
duS fleis_ qne Ihe esto confiadas, ninguera sabe melhor do
___. que V. Exc., estou disso bem certo que nao baja
Que o chefe da egre,a nao possa communicar um bjspo em ^^ ^ ^ ^ ^^ Aq |-
erectamente pelo raeio ordinario com o episcopa- g MMo ^ dev(j aQ e ao
do. e por intervencflo deste com os neis; que naja ,reuanl)0
urna lei no mundo que Ih'o possa prohibir; um | g QuanU) a0 clero colaborador dos. nossos tra-
p*jz catholico onde a sua voz nao possa fazer-se bal(]0S Qo jn(UJ1 saber.g(}j qU(J lodos os nogsos
ouvir senao por melos Indirectos, haveis de con- esforgos devem leDder mais a moderar do que a
r, Sr. ministro, urna cousa muito triste e afilien- exciUr qs seag padreg R(i^ e Q admirave|menle
va para os filhos da egreja, e bem injurioso para dedicados Estas a|mas geQerosas nao tratara,
cora aquelle que sen pae, e que lhes falla em no- prncpalmentenascircumstanclas presentes, seno
me do cu. de Armar a sua f, e amauha, se fr necessario,
t Que os bispos, que sao os interpretes^ natos lere, em meu poder Q prolesto dos meas 0jlocenlos
do sea pensaraento e dos seus preceitos. nao pos- padres que juram de jamis se separarem da direc-
sam, segundo urna le humana, manifesta-los e ^0 do papa e dos seUj bpo_
transmilli-los quelles, cojo cuidado lhes foi con-
as vantagens qne n'esU lata tem estabelecdo para L-se no Commercio do Porto o seguinle :
os sens voloatarios. Nao obstante os progressos da civllisacio moder-
0 Brasil recusara nobremente os favores que na, que como tufo Irresistivel tem avassaliado o
mundo, derrubando no sen caroinho a barbarla de
portassom apoio real e moral ero o Brasil pode tantos povos incultos, ainda boje, e onde nao eraro
recusa-los, e era nos, segundo pensamos, deve- muito de esperar, se do scenas repugnantes, qoe
mos dellar de presur-lh'os. accusam a selvageria dos usos de certas popula-
E bom seria qne o nosso governo se pozesse <5es, para quem o sol benfico da llustraeao nao
desde j de accordo com os governos inglez e chegou ainda a raiar.
naturaes, um povo como nos, porque nosso ir- francez sobre toda a possivel proieecao ao Brasil Els como se expressou um jornal francez, do
mo, dcil, mas generoso e valente, um povo del Sera esta al urna excellenle occasiao para se|lQal extrahimos a seguinte noticia de urna das
imraensos recursos, e de um incalculavel futuro,' acabarem as desintelligencias entre a Inglaterra e' mais hediondas pratcas de superstico gen-
til POCB DE TUDO.
L-se no Doze de Agosto :
ao sn. ministro nos estrangeiros. qestXo brasi- jigniflcM^n, flinheiro. Os offerecimentos qoe im
I.E1UA. GUERRA COM MONTEVIDEO E URUGUAY. 0
QUE NOS CON VIRA FAZER.
Preste momento nm povo a quem demos a civi-
lisaco, um povo que herdara, como nos borda-
mos, as tradicoes dos gloriosos portuguezes, que
assombraram o mundo cora seus fetos quasi sobre
fiado, nao ser collocar esics n'uma alternativa,
da qual sabem que nao podem sahir sem desobe-
decer a Deus, mas que nao menos penosa, por
isso qne, subordinando os seus deveres um ao ou-
tro, se julgavam lelizes de poder sempre conclla-
las,
t Que elles nao possam publicar, para os vin-
Aceitae, Srs. ministro, a seguranza de minha
alta consideracao.Alexandre, pispo de Nantes.
Macou, 21 de Janeiro de 1863.
Senhor ministro.Chegando de liorna, recebo
com a carta de V. Exc., datado do Io deste mez, a
deciso do conselho de estado e o decreto que pro-
acha-se a bracos com grandes difJQculdades, e faz o Brasil, facuitando-se a Inglaterra a toda a pessi-
os maiores sacrificios para sustentar os seus brios, vel proteccao ao Brasil na situaeao critica, emque
o seu puodouor, e sua digoidade, a sua honra, e a hoje se acha este imperio,
integridade dos seus territorios. Pedimos aos nossos collegas n imprensa portu-
0 Brasil, ainda ha pouco atormentado por urna gueza o sen voto sobre to importante assumpto, e
terrivel cnse flnanceira, ost hoje em lucta com as' promettemos. voltar a elle,
repblicas limitrophes, que tal vez invejosas da
marcha regular do governo imperial, da par e do
progresso sempre crescenle do Brasil, tenham ju-
rado empregar todos os esforcos para Ihe causar
enmararos I
O governo imperial trata va de desaffrontar-se de .
Montevideo, quando o Uruguay, sem previa deca- l { I-* ZSEBT
rajao de guerra, aprisiona um navio do imperio, o aojo nuizeraque fosses. virgem,
aprisiona a guarnicao, aprisiona os seus passagei- Me vendo em vertigem comtigo a sonhar.
ros, e se apodera de dinheiro, vveres, e tudo o que' lia
II. _j i Se brando meu somno tu visses que era,
elle conduza I S de||e quizera-que tu me tirasses,
A este acto da mais pronunciada piratera se- De leve em meu corpo depondo leus bracos
gur-se-liia, segundo as ultimas noticias do paque- Cora temos abracos a mim dispertasses.
te, a invaso das provincias de Matto Grosso e Rio I,
Grande do Sul.
E' do Sr. Lycurco J. H. de Paixa os segulntes
varsos :
SUSPIROS.
as margens do cPrata bavia j corrido san-
gue brasileiro e parece que tambero sangue portu-
guez I
O Brasil, povo essencialmente pacifico, em paz
Depois, acordado, se tu me attemlesses,
Dos beijos um desses d'amor eu pedir,
Se acaso cedesses n'acco d'imprimi-lo
Quizara senti-lo mais quente que a pyra.
defender no caso de necessidade, os precei- lliue a 'odos os bispos de Franca o direilo de com- com lodo mundo, e principalmente com os seus f$0 ^q amorosos-quaes vagas na praia.
tas fundados no Kvangelho, quando a impiedade mumcarao clero e aos fleis da sua diocese, a prin-
c a ignorancia os ataca por toda a parte; que nao fipal parte da encyclica de 8 de dezembro, e os
possam expr para Iho fixar o sentido e alcance, Ji'zos pronunciados, em materia doutrinal, pelo
a<,palavras augustas que o brao da imprensa chefe da egreja universal,
quotediana desvirta e desfigura para os deshon- E para mim, Sr. ministro, um dever de cons-
rar o haveis de convir, um tanto extraordinario, ciencia de me lamentar- dos embaracos que urna
e a'historia offerece-nos disto poucos exemplos. tal medida poe liberdade do ensino catholico.
.,..,. ... Associo-me, pois, aos protestos dos meus collegas
. Que n'uma poca de publ.c.dade sem medida nQ episcopa(j0i e pos que QS conselneiros que se
e semXreio, quando tudo se discute, at as verda- (imp5em e Q proprjo govern0) tomam 0 cuida(Jo de
des mais fundamentaos, quando tudo audaciosa- uos |embrar Qs exemp|os do aDtjg0 clero franceZi
mente negado at ueus, nao podem elles os depo- ^ m ^ per|nUMdo Q tmar CQmo minhas es(as
sitarlos e guardas das saas doutrinas elevar a sua M|as pa|ams dos bjspos membros da ^^
voz como um ecco da do vigario de Jess uinsio, de ^^
O ensino que oprimeiro dever dos pontfices
tambera o primeiro objecto da independencia
Quizera vestido teu corpo mimoso.
Em veo precioso de lina cambraia,
S' eu visse ondeiantes dous globos formosos,
o
oara prevenir os fiis contra as seduccoes do erro,
.'. vos mesmo o haveis de reconhecer, um signal
dos tempos, e de tempos desgranadas; e eu nao
iosso deixar de o dizer um mu sioistro.
E todava a santa egreja catliolica est decla-
rada livre e por espaco de muitos annos tem ella
eirriclivameutj gosado em Franca dos beneficios de
orna liberdade, pelo que era reconheeida. Mas
ser ella livre, essa egreja onde tudo se runda no
|,receito, porque tudo all se funda na lei, se v
a palavra do seu doutor supremo e universal, lo-
|hida e abafada nos seus beicos ; se quelles a
quem, depois delle, Jess Cbrlsto disse: Ide e
ensinae nao podem reproduzir os seus precei-
tos?
Ousarei eu dize-lo a V. Exc. ? as exigencias
do poder civil, relativas publiracao dos actos
emanados da cadeira apostlica, essas exigencias
qne a egreja tem sempre considerado contrarias |
aos direitos qne ella adquiriu do seu divino funda-
dor, tem nos nossos das menos rasao de ser, e de
nresistir do que nunca. Os seus graves inconve:
sientes, segundo urna politica mal inspirada, por-
que nao era christo, sao cada vez mais uVwemba-
visinhos, nao esta va preparada para a guerra; po-.
rra, tem desenvolvido a maior energa, a fim de! As trancas to negras quUera que envoltas,
. .-, .. s .' Deseando ja solas nos hombros pousassem,
sustentar a integridade e a dlgnldade do imperio, DirJo amJoro30 nossa a|raa sentlsse,
atacadas por algumas pequeas repblicas, que Aps-a meiguice,teus olhos mo^rassem.
passam o tempo a despedaearem-se mutuamente, .
ou a incommodarem os seus vismhos. Entao, convulsiva, nadando em desejos;...
Quizera mil beijos sentir que me davas,
E' difflcil a siluacao do Brasil, e cora qnanto se- M| phrases tocantes que amor s ferissem,
ja opinio nossa, que este paiz, nosso co-irmao, te- Q os anjos ouvissem a f que jnravas
nlia elementos de sobejo para vencer as difflculda-
de que o cercam, nao seria de bons irmaos pres-
tarmos-lhe n'esta critica occasiSo todos os possiveis
auxilios :'
Portuguezes e brasileiros tudo urna e a mesma
familia ; quasi confundidos se acham os Interesses
dos dous povos irmaos.
Ha separaco de administrar ao ; mas ainda nes-
do seu ministerio. Podem elles ser carregados de la os principios por que se regem os dous povos
ferros pelos horaens, mas a palavra de Deus nao irmaos sao perfeitamente eguaes.
pode ser agrilhoada. A egreja perseguida nos; Os proprios inmlgos do Brasil nos confunden)
pnmeiros seculos, nunca cessoa de ser livre no com os brasileiros, estendendo at nos os odios que
meio dos ferros e dos tormentos, e esta libar- juraram contra os nossos irmaos : deveremes, re-
dade que tem sab:do defender contra a violencia' petlmos, Bear de bracos cruzados nesta dura pro-
vacio para o Brasil ?
Entendemos que nao.
Estamos a algumas mil leguas do Brasil, e, paiz
de terceiro ordem, nao temas meios de mais para,
offerecermos aos nossos irmaos americanos ; mas,
Mas, ali que os desejos fallecem no berco 1.. .
Se quer nem um terco me dado gosar I
J quero smente viver com effeito
Na paz de teu peitoconstante morar 1
L-se na Bracarense o seguinte :
Um correspondente de Hespanha conta que em
Salas Bajas, povo da provincia de Huesca, perpe-
trou se o seguinte crime :
Na madrugada de 5 do corrente, pelos montes do
dislricto de Huesca, um pae procurava, com o co-
racSo ebeio de dr e angustia, seu filho nico,
creanca de 10 annos e que tinha desapparecido
desde o dia anterior.
Junto da preza de um regato encontrou elle pe-
dras e trra movidas, e sobre a trra algumas
dos perseguidores nao pode ser-lhe roubada pe-
la converso dos principes: tornndose seus fi-
llios, elles nao se tornaro seus senhores. Os
Constantinos, os Clovissubmettendo-se f chis-
ta nao adquirirn) o direilo de cscravisar o en-
sino. Nao se pode impar silencio aquellas que
t Deus tem estabelecdo para serem seus orgaos. offerecer atfWasil toda a coadjuvacao que poder-
t A verJade nao conhece maior deshonra de que a' mos prestar-H. por 0| tr-ate presenlimento ceraecou por cavar a
de ser escrava; na j a anuunciar lvremenie O Sr presidente do conselho de ministros, e mi-1 i_err
< trahi-la, ella nao pode soffreruem as t re vas nem rostro dos estrangeiros, respondeu a urna interpel-1 Apenas deu algumas enchadadas encontrn urna
as composieoes. aco na cmara dos dignos pares, feita sobre oca- \ creanca morta ao que parece com urna acha ; as
Esta independencia da nossa palavra e do nos- so -(le 909 H"*1*00 Pel Sr- C0BB de Thomar, | pernas separadas do corpo todo crivado de feridas,
so ministerio que nos pertence, em virtude de urna V1.os aav|os daesqMdrilna qoe haviara segm- hombros e epadoas esmlgalhados; nao se encon-
mlssao divina, nos a reclamamos anda em norae
temos alguns, e parece nos que do nosso dever, manchas de sangue.
Estremeceu o coracao do afflicto pae, e movido
da concordata de 1801, da qual o primeiro artigo
garante o livre exerciciodareligiocatholiea, apos-
tados do que tinha parecido ser um bem e urna | lo|jca ( roma em nQme ^ cnQS(tu -0 nQS
O seu nico effoito nos nossos dias,
rege e reconhece a liberdade dos cultos, em nome
do para os mares do Brasil tiuham levado instrnc-
ces para gnardareui a mais stricia neutralidade
as questoes bellicosas cora o Brasil. >
Respectamos inuito a opioio do Sr. presidente
do conselho, cora que o Sr. conde de Thomar pare-
vantagem
contristar e olender o clero,'pelo contraste de si-:
. ... mesmo da egualdade de todos perante a le.
iencio que se Ihe quena impor, com a liberdade
absoluta que se delxa a todos, mesmo aquellos que | Na ' a ultrajara. i i6'0- nao ura favor loe nos pedimos ; mas' ^ e"Souza, eommandante da eequadnlha, deve-'
. Alm disso, Sr. ministro, vossa tao elevada <">"*iente 0 direito commnm, o direilo de fazer o riam ser exaclameme em contrario,
intelligenca nao necessario fazer observar que o: 1ue Iodos- ba um mez-,eera Podldo &*** impune-; parece-nos que o governo devera ter dado ins-
sanlo padre, condemnaado o erro, conservou-se e;meQte- menor Jornalista, seja elle Judeu, proles- trucc5es eS5e benemrito offlcial para qoe ellf,
manteve-se no dominio espiritual; que se limitoH :ante,_ Incrdula, e plenamente livre para traduzr, j m casQ de apuro para og mA jrm5os braS,|e.
a proclamar principios, consequencias naturaes da para imDrim'r' Para "iverter, para calumniar os ro ihes prestasse os servicos que podesse, com a
f, e que sao por isso mesma principios conserva-! ac,os e as Pa,ams do vigari de Jesns Christo, e dv5a0 naval sob 0 seu COmmando.
Nao consta j ah que foram assassinados as
trando a cabeca por estar separada do corpo
Este repugnante espectculo prendeu a attencao
do afflicto pae.
Aquelle corpo tao horrivelmente mutilado era
impussivel conhecerse ; porm, de involta com a
dores. Nao desceu da ordem immutavel e absolu- jsera prohibida aos bispos, irmaos do soberano pon-
a, ordem contingente e relativa, mudas vezes flce no episcopado, pastores como elle, juizes da
subordinada a necessidades que algumas vezes se! f como elle> mas n'uma gerarchia inferior e de-
podem Iludir, mas que mais de urna vez tambem baixo da sna dependencia de lbe servir de mter-
legislador obrigado a soffrer. | medlarios junto dos povos, de publicar as suas ns-
truccSes, as suas decisoes, de Ihe explicar o senti-
Digne-se acceitar, Sr. ministro- a seguraaca
da minha alia e respeitosa cousideraco.Joao A.
Man, bispo de Mende.
do, a extenso, a autoridade ?
c Nantes, 18 de Janeiro de 186o.Sr. ministro
Kecebi a carta circular que V Exc. me fez a
honra de me dirigir com data de 1 de Janeiro, e
t u nao insisto, Sr. ministro, sobre a estranha
desigualdade que resulta para nos da prohibicao
que nos tem ferido. E' de sobra evidente que se
nos priva de urna liberdade que.se nos deve a titu-
lo de justica tanto diante dos homens como diante
de Deus.
Que vantagens pode o governo esperar de taes
pouco depois, a caria datada de 9, que cootinha, medidas? A legislacao ciduca a que as vae buscar
com autorisaco de a publicar, urna pagina corta- tem sido sempre to funesta a sociedade como passavamos a entender-nos com o governo do Bra-
da da encyclica do nosso santo padre, o papa. egreja. Tambera, na hora presente quelles que' sil. offerecendo-lhe todo o apoia real e maral de
t Depois destas duas remessas, os das tem de- mais se regosijam com os obstculos impostos U-'qae podessemos dlspr, qoe, senao pode ser mui-
corrido, sem diminuir a nossa dr, nem a nossa berdade da nossa palavra, sao os inimigos secre- to, pode ser algum.
admiraco. Ksta admiraeao nao pdc deixar de tos ou declarados de toda a ordem e de todos os i Vimos, nao ha moito, o governo de nm estado
admirar, quaiuU sabemos pelas folhas publicas, governos. Nao por ventura para elles ura grande de terceira ordena, em urna grand e crise para a
que excepeo Ja Itussia e da Italia, entregue a successo, o veremassim acreditar-senaopinio pu-;Europa, tomar urna resolucao arrojada,mandando
todos os etcessos da febre revolucionaria, as car blica e at ns regioes elevadas do poder, estas in- ura exercito Crimea combater ao lado do grande
las pontificias ebegam pacificamente, a toda a par. sinuc6es prfidas pelas quaes tentara fazer crer exercito francez e bem disciplinado exercito in-
te, s raaos dos bispos, e estes as transraittem s que a autoridade ecclesiastica pode tornarse los- glez ; e, quem sabe se a esse acto arrojado dever
suas dioceses. i,l a autoridade civil; ella que o mais solido apoio' hoje Italia a sua unidade ?
ceu conformar-se; mas, pedimos para1 apreseotar ierra, vieram alguns fragmentos dos vestidos da
aqui o nosso franco djssenmento. victima e vista dalles conQrmaram-se os funestos
Parece-no que as nstruccoe* dadas ao Sr, Ser-irecej0s do desgrafado pae.
D'este facto deu-se parte pulida e dias depois
foi encontrada pelo juiz de Barbastro, a cabega
pertencente aquelle cadver, entre uns mallos e
envolta na propria carniza da victima.
Era urna cabeca ruiva, bem formada, tinha os
olhos abortos : um golpe de acha na frente e ou-
tro na boca.
Este espectculo horrorisou todos que o presen-
ciaran), mas quando o pae da desgranada creanca
tomou dos seus bracos a ensanguentada cabeca de
: seu fllho e a beijou com delirante frenezim, as
lagrimas cahiram a jorros e o pranto e a dr foi
estrema e indiscriptivel.
O assassino que foi descoberto e confessou o seu
trras de Mantevidu alguns portuguezes, de en-
volta com brasileiros f .
Nao est ameagada de ser invadida a provincia 1
do Rio Grande do Sul, aonde temos railhares de por-
tuguezes, representando muitos e importantes in-
teresses ?
Ente, se os fcandoleiros assassinarem os subdi-
tos portuguezes, e destruirem as suas proprieda-1 crime, um rapaz de 18 annos, feio impassivel,
j j ._..-. n k.c .,c,Hnc apparentando um cvnismo revoltante.
des, deveremos conservar-nos de bracos crusados, K*i ....
a a ,...,i.sn j,. oo a na Ao*** Quando passou pelas roas da cidade para a ca-
presenciando a deslruicao dos nossos, e os desas- J* r .
, .__- *.,__,^ f.ccm ,,.,. dea, o povo cheio de indignacao vociferava contra
tres dos nossos irmaos, como todos nos tessem mais. ,' K ... *
. a miseravel, e pedindo para elle os horrores do pa-
do que estranhos i ... ,. ,.,..
' tibulo-: o preso voltou-se para a multidao e res-
Nao concorda*, nutra, vez o dizemos. pondeu-lhe com urna gargalhada !
Nao concordamos, e ao caso do nosso governo, gste caso tem horrbrisado todo o paiz !
tilica :
Recebemos urna carta de Wbydah, na qual se
nos relatara alguns promenores sobre a festa dos
sacrificios humanos, que recentemente teve lugar
em Momey, capital do Dahomey, e a que assistiu
o-rei com toda a sua corlo e grandes dignatarios
do estado.
As scenas horriveis que vamos referir, passa-
ram-se n'ura paiz que tem relai;oes muito estrel-
las com os europeus, e apezar dos continuos pro-
testos da Franga, da Inglaterra e de muius outras
potencias.
O Dahomey, situado na Nigricia martima, na
costa dos Escravos, a ste do reino de Beuin, um
dos mais vastos e ricos estados da frica. Fran-
cezes, Inglezes, Portuguezes e umitas outras na-
Coes ali tern agencia quasi todas estabelecidas
em Wbydab, que o porto mais considerave! do
reino.
O rei, tendo feilo annunciar ao povo que breve-
mente, para honrar os manes de Agugoro, seu an-
tepassado, e do rei Geza, seu pae, qaarenta prisio-
neros, provenientes da tribu rebelde dos Akankas,
seriam inmolados na praca do mercado, em Abo-
mey, com o ceremonial do coftume, tres dias de-
pois resolveu que este brbaro acto tivesse lugar
urna hora antes do nascer do sol. Muitos europeus
que se achavam na cidade, tiveram urna audiencia
do monarcha, em que Ihe pediram que renunciasse
a to hediondo sacrificio.
O re declarou que nao podia supprimir esta
fesia nacional, mas que, em respeito aos estrangei-
ros, consenta que se reduzisse a doze o numero
das victimas.
No dia que preceden o horroroso espectculo, di-
rigu o rei a um alpendre onde os quarenta prisio-
neros se achavam acorrentados a diversos postes,
e mandando desprender vinte e ato, deu ordem
para que os conduzissem priso ; em seguida,
dirigiu aos outros doze urna allocucao, annuncian-
do-lhes que no dia seguinte, em expiaco dos cri-
raes commeltidos pelo chefe da sua tribu e para
salisfazer a sombra de seu pae e do seu ascenden-
le, lhes seriam cortadas as cabecas perante o povo
reunido. Os infelizes escutaram o discurso real
com a mais ccmpleta indifferenca. O rei aceres-
centou que dous delles seriam executados pela sua
propria mo, retirando-se em seguida.
Decorrido pouco tempo, chegou o principe Bocu-
So, irmo do rei. Escolheu deus des prisioneiros
participeu-ihes que os designava para serem exe-
cutados por seu irmao. mas que para serem ad-
mitidos a tamanha honra, era mister que purifi-
cassem o corpo manchado pelo crime, para o que
passanam a nonle no grande templo dos fetiches,
prostrados ante os dolos.
Ao outro dia, foram conduzdos os prisioneiros
para a praca do mercado, com as maos ligadas
atraz das costas ; o rei, sentado n'um throno de
marlim, rodeado da sua corte c dos grandes digni-
tarios do reino, presidia ceremonia. No meio da
praca acluva-se urna grande bacia de prata desti-
nada a receber o sangne das victimas.
Apenas soou a hora marcada, o rei levantou-se,
pegou n'um sabr de fiuissmo ac e cortou a cabe-
Ca aos dous prisioneiros que resolver immolar. Os
desgranados, segundo a ordem que lhes foi dada,
haviam-se collocado junto do tanque que devia re-
ceber-lhes o sangue.
Em virtude desta primeira execugo, a multidao
fez onvir phrenecos applausos, que duraram ainda
cinco minutos depois qne o rei tornou a tomar lu-
gar no seu throno.
Os outros dez prisioneiros foram execotados pelo
grao pettehe. on sacerdoie, o qual toraava as mos
a cabeca de cada suppliciado, o mostrava-a ao po-
vo, que soltava uivos ferozes.
Terminando tudo, a multidao precipitou-se para
onde se achavam os corpos das infelizes victimas,
que certou em pedatos, bebendo-lhe ao mesmo
tempo o sangue.
U rei retirou-se cora grande pompa, e mandeu
pregar as doze cabecas as paredes do seu pa-
lacio.
Estas scenas monstruosas reproduzemse tres
ou quatro vezes por anno, e isto no meie do secu-
to XIX.
Destacadamente os sacrificios humanos nao se
circumscrevem ao reino de Dahomey. Tem tam-
bem frequentemente lugar nos reinos de Abbeo-
kuta, de Ashautee e de Benin, egualmente situados
na frica e na mesma regio que o Dahomey.
Diz a Correspondencia de Hespanha :
No dia 20 do corrente (Janeiro ullimo) atraves-
saram, com toda a felcidade, as locomotivas a
ponte do Guadiana, na linha frrea de Ciudad-
Real a Badajoz.
Continua com toda a actvidade o assentamenlo
da va e para meadas do mez prximo chegarao
os trens at Vllanueva de l Serena.
Terei eu necessidade de ihe fazer saber, Sr e auxi,,ar ma,s dedicado 1 A historia atiesta em
ministro, que adheri aos protestos dos meus vene lt,das ** saas Pa81Das 1ao mos da egreja
raveis cellegas no episcopado? Nao podemos dei- a "berdade, bem longe de ser para temer, nunca
xar de repetir que da essencia da religio catho- jlem s'do seuo salutar.
lica que as communicac5es sejam livres entre o | Quanlo mais a egreja independente, tanto
chefe e os membros, entre o papa e os fiis. Aquel- mais ella tra ffleazmeote para a felicidade mesmo
le que embaraca estas communicacSes, suspende, temporal das sociedades, firmando o respeito e o
quanlo em si cabe, o andamento da egreja. Mas amor da autoridade na consciencia dos povos, e' exercitos pelos mares da China, desembarca-los, gados,
a palavra de Deus nao poderia por muito tempo ( dingindo os proprios povas pelas vas do verdadei- \ vencerem com elles o exercito imperial, e ameaca- Em vista d'isto, parece que farae a troca com-
permanecer captiva, e quando os grandes cami- ro progresso, da verdadeira civilisaco, da verda- j rem Pekn, e abnrem as portas do celeste imaerio mercial entre si dos productos que necessitsm.
nhos hierarchicos Ihe esto vedados, Deus abre-lhe deira liberdade, esquivando as lntelligencias e os ao commercio europu. ______ ______
uns caminhos, pelos quaes chega aos filhos da f i coracoes tyrannias destes erros e destas paixoes i Nossos avs nao houve arrojo que nao tentassem ".....
Vimos a Franca mandar expedic&es a toda par-.
le do mundo, desfazendo repblicas/ e fundando '"
imperios. Assegura-se que entre os federaes e confedera-
Vimos a Hespanha levar ura poderoso exerci- dog) na America do Norte, ba negociacoos para
to s trras africanas para fazer pagar caro um in- (r0ca de productos,
sulto. As fabricas de Nova loglaterra precisam de al-
Vimos a Franca e a Inglaterra levaren) os seus godo, aopasso que no Sul ha grande falta de
Em presenca do duplo despacho de V. Eics j que preparara e dispoem, com antecedencia, as na-
a lealdade ebriga-rae a dizer-lhe, Sr. ministro, a C5es para todos os gneros de serviddes e de abat-
que a minha consciencia de bispo, esclarecida pela; rentos.
luz do Evangelho, dirig da pela consumiese, divina j Cfae polS) Sr ministro, que se a nossa cons-
da egreja, pelas tradiccoes e exemplos dos gran- ciencia de bispo est feridaj 0 nosso palrotismo a
des bispes de todos os lempos, me leva a fazer as | seU turno tem direilo a estar melanclico e assus-
circunstancias presentes. Julgaria perder algu- tado
cm todas as partes do mundo ; e deveremos nos
hesitar nm momento, vendo os nossos irmaos ame-
ricanos envolvidos em urna guerra seria, vendo os
nossos proprios conciJados ameacados, em levar
-i-^
No dia 26 do mez passado deu-se um terrivel
desastre na sala das escolas catholicas, em West-
minster.
Havia pouco que a capella de Santa Maria tinha Fr.ilas ,a Dnflsia dedicada
ao Brasil, ou, ao roenos, offerecer ao governo .- ^ d(Jcorada de novo PKR^tuco-wATm.^ de
Mr. Cremieux, antigo membro do governo pro-
visorio, em urna carta dirigida ao Avenir national,
aprecia a legislacao nova que rege a imprensa na
Turqua, dlzendo que aprsenla um progresso do
tavel relativamente antiga legi'laco, e mostra
que o governo oltomano soube exceder, no cami-
nho da liberdade, os governos que se dizem mais
liberaes.
Nem o indiflerentismo
Dase em troca do cynisrao
Desse srdido Lpez I
Qne tratou a sens eguaes
Como a feros animaes,
Como se trata urna rez.
Ah! nlo dorma, esperava...
Longe a vista Ihe alcancava
Aguardando a occasiao...
At que a hora soou
Qnando, gloria, se bradan,
Aes bravas de Jaguaro.
Elle serriu de alegra,
E em seu reste se va
O transperie qoe o enlevou I
E disse cem voz tremente,
Elevando o calla ingente:
c Eu agora tambem van. >
Erapunhando sna espada
Sem brilho, d'enferrujada,
Pernarabnco ha de vencer :
Seus olhos laucars chamma,
E seus pes tero por cama
Inimigos que abater.
Com o peito descoberto
O seu golye ser certo,
Que dado sera ter temor :
A vanea sempre, e avanca
Sem tremer, com a esperanca
De ser sempre vencedor 1
Esperava... e j chegou
Quando mais nao snpportou
Essa fera estupidez,
Das catervas canibaes,
Selvagens, irracionaes,
Que lem por chefe Lpez.
Ha veremos, pois, vinganca.
E nem mais una esperanca
Lpez deve alimentar :
Ah vae leo do norte,
Terrivel, laucando a morte,
Valente sem recoar.
Pernambuca nao dorma..
Que as veas lbe corra
O sangue de Camaro ;
E lia na sua historia
To grandes fenos de gloria,
Como os feitos delle sao.
L-se no Jornal do Havre :
O dansarioo solipede, que actualmente faz os
seus curiosos exercieios no theatro Beaumarchais,
tem, quando muito, lo annos de edade.
Filho do mestre de baile do theatro imperial de
Vienna, o joven Donato perdeo em creanca urna
perna.
Isto nao o impedin de se dedicar aos exercieios
gyronasticos, de que actualmente tira partido.
A sua cabeca graciosa e iotelligenie.
Algumas pessoas chegam a acreditar qne orna
rapariga que se disfama debaixo do nome de Do-
nato.
Na ra anda com nma mulela. mas quando en-
tra era s.eena (anca para o lado este apoio e com ?
sua nica perna faz maravilhas de equilibrio, taes
como a de saltar, com urna destreza incrivel, por
cima de doze cadeiras era circulo.
l-se no Jornal do Commercio, de Lisboa o so-
gninte sob o titulo de
TCTICA MILITAR PERNAMBUCANA.
Na ordem do da n. 24, de 8 de Janeiro ultimo,
expedida pelo quartel general das armas em Per-
nambuco acerca da recepeodo Sr.cond* e da Sra.
condessa d'Eu, aquella cidade, o general eomman-
dante da guarnicao determinou, que a companhia
de cavallaria, era sua maior forca, formasse na di-
reita da brigada, em attttude a acotnpanhar suas
altezas no caso que queiram per correr a cidade e os
seus suburbios.
Esta altitud das tropas acompanharem alguem
qual ser?
A dos soldados estarera a cavallo e no caso con-
trario a p?
Os regulamentos das tropas de Pernambuco de-
terminado que os soldados de cavallaria formen) a
p com es cavallos mo quando a atlilude de
ficar, e a cavallo quando a atlilude a acompa-
nharl
Provavelmente em Pernamboco inventou-se isto
para distinguir a attitude de aeompanhar, da afft-
lude de no aeompanhar.
Iniroduza-se tambem este melhoramento nos nos-
sos regulamentos militares, porque estas dnas es-
pecies de attitude teem immensa graca.
Gregorio e Francisco viviam na penuria. Faltos
de todos os recursos pecuniarios foram veudendo
ludo quanlo tinham vendvel para salisfazer as es-
tupidas e tyrannicas necessidades do estomago.
Ira dia levarara ao adelelro da roa, o ultim ob-
jecto de que podiau) dispor e receberam 7JJ000.
Gregorio- lembrou-se entao de perguntar :
Que taremos depois de gastos estes 70000.
A persunta altamente phiiosophica, res-
pondeu Francisco. V se te lembra de algum espe-
diente...
Vou meditar.
E meidtarara durante esse dia e metade do ou-
tro.
Gregorio exclamou ento:
Tenho urna idea.
Antes tivesse urna libra I
O melhor que podemos fazer negociar eom
os nossos 70000. Sou da voto que compremos um
pipo de vinho do Porto, raetlemo-lo no mercado,
furtando-o aos direitos, misturamos-lhe nm pipo
d'agua, e vendemos os dns pipos de vinho com a
agua por preco dobrado daquelle porque tivermos
comprado o pipo do vinho. Por esta forma quadru-
pliramos o nosso capital.
Nao podia ser melhor a idea de Gregorio.
Um raio de esperanca luzu no horizonte dos
dous bemios, que marcharam para o Doure.com-
prarara e pipo e zeram-'se de volta com elle as
costas.
Logo no principio da jornada, Gregorio disse a
Francisco que trazia ento o pipo :
Tenho sede, deixa-me beber um trago, e to-
ma l um toslo, que anda aqu tenho no boleo.
Bebeu e carregou com o pipo.
Momentos depois observou Francisco que quera
tirar o p da Roella, e pagou o toslo qoe recebera
pelo prazer de se refrigerar.
Em seguida beben Gregorio eutra vez e pagou
como de direilo era.
No fim do primeiro dia de viagem o pipo eslava
vasio.
Os dous associados repartirn) o dinheiro que ti-
nha comsigo: iocou meio tosto a cada nm!
O augmento da receita dos correios era Inglater-
ra toma proporc5es sorprehendentes, desde qne o
governo inglez adopteu medidas para facilitar a
correspondencia pela rednecao dos portes.
Era Berraingham o movimento annual do cor-
reio de 12 milhes de cartas, em Liverpool de 16
railhoes e em Manchester de 19 milhes.
Porm estas cifras sao insignificantes, compara-
tivamente do movimento do correio de Londres,
que no anno de 1863 foi de 151,619:000.
Nos amamos a egreja romana do fnndo das nos-
penal todos os soccorros, de que oossamos dispor? Nq .aUm ( coslear as degpMja degta decora.
Na0- cao, organiseu-se urna lotera, a que assistiam para
Quanto a nos nao devemos hesitar um momento d pessoas. De repente, a trave qae
sas entranhas, mas nos amamos tambero a prospe- em m,nif68tar ao Brasil que, era uraa occasiao crl-1 sas,enlava cePDtro do soalho ;uehr'e esle ^
ridade e a gloria da Franca mais do que nenhuma tira para 0 mperio que fundamos, e com qoera! nm de Damero e cahu do se.
0 oulra cousa no mundo, e para nos nao era urna for-1 enlretemos as mais estrellas rebles de toda a or- \ andar as ,0,a$
Parece-nos, pois, que o nosso governo devera
roa cousa na sua estima, se me affastasse desta
vereda.
Depois de ter recebido a encyclica do papa
com o respeito e obediencia qoe nm bispo deve ao
chefe dos bispos e ao supremo douter, vou fazer, mnll v5a pa,avras da dec|araco assgnada' dem devem os nossos bons irmaos americanos con
eom que ellachegoe, integralmente, aos pastores em Rom&i ha dous ann0S) por mais de cincoenta Ur om todo o apoio que possamos ievar-lbe.
das parochias 4a m.nha diocese. Se, pelo amor' b| francezes e qnal adherirn) todas os on-
da paz, e per nma prudencia que de certo muito lrog.
nos conven, esperar lempos mais tranquillos para
llie dar a nublteidade solemne que Ihe devida,
ne deisaro elles ignorar aos deis e qoe o cathe-
cisrao Ibes ensinou desde a infancia, que um pre-
ceto doutrinal emanado do pontfice supremo de-
ve ter a regra da sua crenca, asslm como da sua
conducta mora!, e tero recorrido a este monumen-
to veneravel para resolver as questdes que lhes
forera subjeilas sobre estas materias.
No desentulho a que inmediatamente se proce-
deu, acharam-se cincoenta e seis pessoas grave-
fazer censtar ao governe do Brasil, que nao s pu- men,e ferldas' das 1uaes deeseis foram ,ransPr-
nha sua dsposicao a diviso naval que ha pooco tda8 M hosPiul de Westrainster.
< Pastores, nos vigiamos sobre a egreja, cida-
dos nos procuramos na justica o bem da nossa sahtu para ali, mas que lbe mandara a forca mi
patria; nos nao queremos nem trahlr os deveres litar de trra de qu pedesse dispor.
de pastores nem os deveres de cidados. j *0 Brasil tem iramensos recursos pecuniarios, e
f Aceitae, etc. Frederico, bispo de Anturo, Cha-' 5o neceSsita dos nossos favores de dinheiro.
Ion e Macn. Facultar-se-hia de bom grado a pagar-nos todas
M 0 s despezas com a expedicu, e nem poderamos
I levar a mal qne elle estendesse ao nosso exercito
Os cirurgdes declararan) que quatro das victi-
mas nao poderiam sobreviver aos ferimentos mais
do que duas ou tres horas.
Tres dos que mais padecern) as consequencias
deste desastre, iam soffrer a arapulaco que o seu
estada exiga.
MS>--sa
ENTHUSIASMO QUE DEU, POR OCCASIAO DAS ULTIMAS
NOTICIAS VINDAS DO SUL.
Pernambuco nao dorma...
8oe as vetas Ihe corra
sangue de Camaro;
E lia na sua historia
To grandes feitos de glora,
Como os feitos d'elle sao.
Os bracos cruzados, vendo
Suas irmas eombatendo,
Selle sem se mover I...
Mas qu'elle esperava...
O sangne se Ihe esquentava,
Ja vendo sangue correr.
Pernamboco nao r'ormia...
O sangue Ihe refervia
as veias de pedra e cal :
Elle esperava... chegou
Quando mais nao snpportou
Ver tranquillo lamo mal,
O doulor Descaine, de Anvers, descobrio urna
nova e singular propriedade do oleo de petrleo.
Annuncia que esle liquido destroe Instantnea-
mente o insecto parsita qne se chama acarus e
que cansa da molestia de palle conbeeida com
o nome de sarna
A maneira de applicar este remedio a mais
simples. Hasta tintar a parte deente, sem mesmo
se esfregar.
O vapor do oleo snfflciente para desinfectar es
vestidos.
Se isto verdade, acrescenta o Beulder, ae d
esta noticia, fra de, du vida que a mesmo reme-
dio pode ser applicado a onlras molestias de pelle
provenientes de cansas anlogas, e pode presumir-
se que aos jardineiros e lavradores seja possivel ti-
rar partida da applicaca do oleo de petrleo na
sua proflsso.
Como fallamos d'este lquido, curiosa a seguin-
te noticia :
Dizem de Philadelphia. em data de 30 de desam-
oro ultimo :
Nev-York, Philadelphia e Boston esto em ebul-
lioao por causa do olea
S em New-York ha mais de 200 companbias
para a explorac) do petrleo e em Philadelphia
ainda ha mais.
Naseentes de petrleo, projectos de petrleo e
provisoes de petrleo sao por toda a parte o ob-
jecto das conversaces, e as damas esqneeem as
modas e do tregoas sua natural inclnacao
maledicencia para discutir os planos de nma nova
companhia de oleo ou os precos correntes do ultimo
mercado de petrleo.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHO
t
i.



-
*|
i
*
" .
- --------!---------------------------------------


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHSMXV9PY_CKON3I INGEST_TIME 2013-08-27T21:35:44Z PACKAGE AA00011611_10608
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES