Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10604


This item is only available as the following downloads:


Full Text

!<
w
ANUO XLI. NUMERO 4f
.a
Por fartel pag* dentro de 10 das do 1. mez .,. : :
dem depois dos 1. 10 diasdo comeco e dentro do quartel.
Parte a ctrreia por tres mezeg.....,.,.,,,
DIARIO
NCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Aolooio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraoho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves fi
Filnos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. -
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandine Falro Dias; Babia, o
Sr. los Martias Alws; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho. '
% PARTIDA DOS EsTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estados da via frrea at
Agua Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buique, S. Bento, BomCon.
selho, Aguas Bellas eTacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Rrejo, Pesqaeira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex.nas quartasfeicas
SEGUNDA FEIRA 27 DE FEVEREIRO DE 1865.
Par anno pago dentro de 10 lias fc f.Mf ,,-,.,,. 191000
Porte ao correo par no aaa.............. S|000
Serinhem, Rio Formoso, Ta mandar, Una, llar re-
ros, Agua Preta ePimenteiras, nasquinlasfeiras
(Iba de Fernando todas as vezos que para alisabir
navio.
Todos os estafetas!partem ao meio da.
EPHEMERIDE& DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h., 48 m. e 58 s. dat.
10 La cheia as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 La nova aso h., 43 m. e 11 s. da t.
il'DffiNGA-DGS TRfBUNAES DA CAPITAL.
T Ibunil do commercio: segundas e quintas.
R aco: tercas e sabbados s 10 hora.
F zenda*. quintas s 10 horas.
Ji zo do commercio: segundas s 1.1 horas.
D o de-orphios: tercas e sextas s 10 horas.
Pftlraeira vara do civel: ierras e sextas ao meio
din. 9
S*ooda vara do civel: quartas e sabbades a 1
liora da tarde.
DAS DA SEMANA..
27. Segunda. Ss. Anligono, Curso eBessas. mra.
28. Ter?a. S. llono ab.;S. Cereal m.
1. Qu ra de. pinza. S. Eudocio e Antonina mm
2. Quinta. Se. Jovino, Basilio e Januaria mm.
3. Sexta. Ss. Hemcterio e Asterio mm.
4. Sabbado. S. Casemiro rei; S. Lucio p,
5. Domingo. Ss. Focas e Palatino mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 4 hora e 30 m. da tarde. y
'Segunda as 4 horas e 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sol at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, marco, maio,
julho, setemoro e nevembro.
ASSIGNA-SE
too Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8 e 8, dos propietarios Manoel Figueira de
Faria PARTE OFFIGIAL
MINISTERIO DA Jl STI A.
DECRETO N. 3,384 DE i DE FEVEREIRO DE 1865.
Declara de 1* entrancia a comarca do Acarac'
creada na provincia do Cear.
Hei por bem decretar o seguiote :
Artigo nico. Fica declarada de 1* entrancia a
comarca do Acarac, ltimamente creado na pro-
vincia do Cear pela resoluco da respectiva as-
sembla legislativa provincial n. 1,115 de 27 de
outubro do anno prximo passado.
Francisco Jos Fuado, do raeu conseibo, presi-
dente do conselho de ministros, ministro e secrla-
rio de estado das negocios da jusiiga, assim o te-
nha entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 1 de fevereiro de
1865, 44o da independencia e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Imperador.Francisco Jos
Furtado.
m t
Exm. Sr.Conformando-me como parecer do con-
selho naval, exarado na consulta n. 944 de janeiro
prximo passado, tenho a declarar V. Exc, em
resposta ao offlcio deste quarlelgeneral n. 1,114
de 14 de dezembro ultimo, que nos hespitaes e en- nha existentes no sul.
fermarias da marinha devem ser recebidos os ca- se trata,
daveres das pravas da armada, sempre que forem I Dito ao mesmo.Pode V. S. remetter a presi-
enviados de bordo dos navios do guerra para ah! dencia das Alagas o junco-da bomba da cisterna
proceder-se ao corpo de deliclo.se j nao estiver fei- do quarlel militar daqnella provincia que dalli fora
to, e dar-se-lhe sepultura. ; enviado para ser concertada nesse arsenal.Fica
Deus guarde a V. Etc.Francisco Xavier Pin- assim respondido o seu offlcio de hornera datado,
to Lima.Sr. chefe de divisao encarregado do sob n; 847.Communicou-se ao Exm., presidente
gao do governo imperial, para o que expelo erdem l
a companhia de paquetes a vaper urna vez que d
pretende elle, como declarou em dito reqaerimeoto Rifde Janeiro, m'npoTpltm' nTuMaTe "ri
servir como voluntario em ara dos corpos de 1' li destinado a passageiro de estado' ao caoello do
nha existentes no snl.Expedio-se a ordem de qae <- "---- "- "
DECJU5TO N. 3,385 DE 3 DE FEVEIBO DE 1865.
Marca 4 ordenado do pronTotor publico da comar-
ca do Acarar, ltimamente creada na provincia
do Cear.
Hei por bem decretar o seguinle :
Artigo nico. O promotor publico da comarca do
Acarac, creada ltimamente na provincia do Cea-
r pela reolugo da respectiva assembla legisla-
tiva provincial n. 1,115 de 27 de outubro do anno
prximo passado vencer o ordenado annual de
600,5000.
Francisco Jos Furtado, do meu conselho, presi-
dente do conselho de ministros, ministro e secre-
tario de estado dos negocios da jusiiga, assim o te-
nha entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 3 de fevereiro de
1865, 44 da independencia e do imperioCom a
rubrica de Sua Magestade o Imperador.Francis-
co Jos Furtado.
2* seccao -Ministerio dos negocios da justicia.
Kio de Janeiro, em 6 de fevereiro de 1865.Illm.
e'Exm. Sr.S. M. o Imperador, a cujo conhecimen-
to levei o offlcio dessa presidencia n. 55 de 25 de
maio do anno passado, e papis que o acompalo,
versando sobre a solugo do faci exposto pelo juiz
de direilo da comarca Panntins, de ter o escrivao
interino no jury do termo de Maus, Joo Antonio
de Vercosa, que ao mesmo tempo collector das
mesas de rendas provinciaes e agente do correio,
se recusado a continuar no exercicio daquelle offl-
cio ; ba por bem mandar aprovar o proced ment
dessa presidencia, declarando aquella juiz que sao
incompativeis taes cargos, visto resultar da aecu-
inulacao de suas fuucges impossibilidade deserem
desempernadas satisfactoriamente ; e por isso nao
deve elle coatinoar por mais tempo na serventa in-
terina do offlcio de escrivao do jury, por noser tal
cilicio da cUsse dos que a lei declara obrigatorios,
e conseguinteraente nao poder ser compellido a
servi-lu; cumprindo apenas ao mesmo juiz formar-
Ibe culpa, se recoohecer que outra falta commet-
teu. O que communico a V. Exe. para seu conhe-
cimento e o fazer constar ao-sobredito juiz de di-
reito.
Deus guarde a V. Exc. Francisco Jos Furtado.
Sr. presidente da provincia do Amazonas.
2' seceo.Ministerio dos negocios da justica.
Rio de Janeiro, em 6 de fevereiro de 1865Illm.
e Exm. Sr. Foi presente a Sua Magestade o Impe-
rador o offlcio do antecessor de V. Exc, de 31 de de-
zemoro de 1863, sob n. 231. transmittindo odojuiz
muninicipal de Villa Vicosa de 28 de novembro
anterior, em que pedio iustrueges a essa presiden-
cia sobre a execugo do aviso circular de 17 de
setembro daquelle" anno, visto serem omissos os
avisos de 4 de fevereiro de 1839 e 8 de margo de
de 1850, quanto aos escrivos que devem prestar a
ianga de que trata, e sobre a quanlia que a esta
deve servir de base. E tendo V. Exc. respondido:
1, que smente aos escrivos de orphos se refe-
re a citada circular de 17 de setembro, sendo os
nicos que devera prestar a fianga ; 2% que esta ,
depois do alvara de 13 de maio de 1813, 600$ as
cidades e villas principaes, e de 450, ou de 3005
as outras, compelindo aos respectivos juizes de-
termina-la, segundo a populago e grandeza do lu-
gar : 3, que deve ser tomada perante os ditos jui-
zes por escriptura publica, contendo esta acerlido
negativa de nypotheca dos bens sujeitos flaBga,' juntos por copia,
sendo devidamenle registrada em livro proprio do cn^ interine da reparligo das obras publicas com
juizo : honve o mesmo augusto senhor por bem : ofcio de boje n. 46, sendo o 1 na importancia de
1IOI an rvnt n_______
quartel general da marinha.
GOYMtflO DA PROYWCIA.
Expediente do da 23 de fevereiro de 1865.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia da Pa-
rahyba.Communico a-V. Exc.'que no vepor Ma-
manguapp que iargou hootam para o norte, foram
embarcados pelo arsenal de guerra, com destino
essa provincia, os objectos constantes da relaro
inclua.
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa da Misericordia.Sirva-se V. Exc. de infor-
mar-me se effeciivamenie foi recolhido ao hospicio
dos alienados de Olinda, o de nome Antonio Jos
dos Santos e Silva, de que trata o meu offlcio de 18
do corrente, e neste caso, o como pode elle evadir-
se do mesmo hospicio, visto constar-me achar-se
preso na comarca de Santo Anto o predilo aliena-
do, o qual declarqu que tendo voltado aquelle esta-
belecimenlo depois de haver-se delle ausentado
nao o quizeram aili tornar a receber.
Dito ao coronel commandante das armas interi-
no.Sirva-se V. S. de informar acerca do que
pede no incluso offlcio o juiz de ornhaos deste
termo.
Dito ao mesmo.Pode V. S. mandar transferir
para a companhia de artfices, conforme propde
em seu offlcio de 18 do correte, sob. n. 338, o cabo
de esquadra do 4 batalhao de artilharia a p
Adriano Francisco da Silva.
- Dito ao mesmo.Por falta deaccommodacSes no
vapor Paran, segundo declara o respectivo com-
mandante, nao pode nelle seguir o 4 batalhao de
artilharia a p, podendo tao smenle serem trans-
portadas as pragas aqui .existentes, pertencentes
aos batalhoes 2, 7-e 9'de infantaria, as quaes nao
deverao exceder o numero de 100. O que commu-
nico a V. S. para o seu conhecimento c inlelli-
gencia.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pedera nos inclusos requerimentos,
Luiz Ferreira Bandeira de Mello e Monca Ignez da
Silva.
Dito ao mesmo.Faga V. S. alistar para o servi-
go do corpo de voluntario como se offerece, se para
isso for julgado apio, o saldado do corpo de polica
Manoel do Livramento Ferreira, quando Ihe fr
apresentado.
Dito ao Dr. chefe de polica.Uecommende V.
S. as autoridades policiaes que nao recrulem os
individuos que se acharem erapregados na empre-
za da illurainago a gaz desta cidade.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazeoda. -
Transmiti a V. S. para os flns convennles as in-
clusas contas em duplcala da despeza feita no
hospital militar no mez de janeiro prximo lindo
Dito ao mesmo.Deferindo a ultima parte dos
inclusos reaperimentos de major Carlos Felippe da
Silva MuniT e Abreu e 2 lente Manoel Gongal-
ves Rodrigues Franca, ambos do 4o batalhao de
artilharia a p, reeoramendo a V. S. a expedigao
de suas ordens para serem abonados s familias
dos referidos offkiaes nesta provincia os seus si-
dos por nteirj a contar da poca a que liver era
direilo aos mesmos sidos.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. para os con-
venientes exames as inclusas copias das actas das
sesioes do conselho de compras do arsenal de guer-
ra, datadas de 15 e 20 do corrente.
Dito ao mesmo.Em vista do incluso altestado
e nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar
a Benedicto Jos da Silva, conforme solicitou oche-
fe de polica, em ofcio de 2 do corrente sob n.
242, a quanlia de 155, proveniente do aluguel de
3 mezes vencidos era 2 do corrente, da casa que
serve de quarlel ao destacamento da villa de Ipo
juca
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. por em hasta publica os reparos de
que precisara a estrada do Porto de Galinhas e a
ponte dos Carvalbos solire o rio Jaboatao, servindo
de base a essa arremataco os dous orgaraentos
que m foram remedidos pelo
ila.Os Srs. agentes da. companhia Brasileira em que pisam. Consta ja que na fronielra de Ba-1 ih. I ~~----------------------
a vapor mandem dar transporte at o g solfreram urna corrida qne os desmoralisou Jwrt' chesaram at elle por sobre os cadveres
muito. Parece que o flm principal destes sujeitos i oTc,.Der'sai VICIIfI>as Immoladas a seu capricho
e sustentarem-se em posigao conveniente para for- i
approvar a decisao dada por essa presidencia. O
que communico a V. Ex* para sua inteligencia.
Deus guarde V. ExcFrancisco Jos Furta-
do.Sr. presidente da provincia do Cear. '
7483 e o 2o na de 5505. Communicou se ao che-
fe interino da reparligo das obras publicas.
Djto ao mesmo.Em vista do incluso atteslado
e nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar
a Benedicto Jos da Silva, conforme solicilou o che
fe de polica em offlcio de 21 do corrente, sob n.
242, a quanta de 403, proveniente do aluguel de
8 mezes, vencidos em 2 do corrente mez, da casa
que serve de cadea na villa de Ipojuca.
Dito ao commandante superior interino da guar-
MIXISTKHIO DA FAZEXDA.
Circulares s thesourarias de fazenda.Ministe-
10 dos negocios da fazenda.Rio de Janeiro, -em
25 de janeiro de 1865.Carlos Carnciro de Cam-! da nacional do Recife.Pelo seu offlcio n. 46 de 20
pos presideute do tribunal do thesouro nacional, i deste mez, Aquel sciente de haverem-se alistado no
declara, em conformidade do aviso do ministerio, corpo de voluntarios da palrja, os guardas nacio-
do imperio de 21 do corrente, aos Srs. inspectores naes do 3o batalhao de infantaria deste municipio,
da thesourarias de fazenda, para a devida intelli- Manoel de Bella Cruz Duarte e Arsenio Manoel d
gencia e execugo, que para o pagamento das con-: Nascimento.
gras dos vigarios das fregoezias novas necessa-! Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o
rias que a respectiva despezas seja incluida no or-, inspector da alfandega dcsta capital em offlcio de
camento ou autorisada pelo ministerio competen- i hontera sob n. 148, reeoramendo a V S. a expe-
te. Carlos Curnetros de Campos. digo de suas ordens para que seja dispensado do
servigo da guarda nacional, o patro dos escaleres
daqnella reparligo, Joo Antonio Rodrigues.
Ministerio dos negocios da fazenda.Ro de Ja- Communlcou-se ao inspecror da alfandega.
neirc, 25 de Janeiro de 1865. -Carlos Carneiro de Oito ao mesmo.Recommendo a V. S. que logo
Campos, presidente do tribunal do Ihesouro naci- Que forero aprovetados os servigos dos offle3es da
nal, declara aos Srs. inspectores das thesourarias guarda nacional deste municipio, que se tem offe-
de fazeDda, para a devida intelligencla e execugo, recido para presta-Ios gratuitamente e a proporgo
que a atlribuigSo de ordenar a restituigode impos- 1ue e,les forem entrando em effectivo exercicio va
tos e rendas arrecadadas, nos casos em que tal V. S. dispensando do servigo do destacamento os
resliluiglo se deve effectuar, s compele ao minis- Q1'0 se acham a sold.
terio da fazenda e aos inspectorees das ihesoura-! Dito ao commandante superior de Olinda.In-
rias e das alfandegas, e aos administradores das teirado pelo seu offlcio de 18 do corrente de have-
recebedorias, na conformidade dos respectivos re- rem destacado na cidade de Olinda, e naquelle dia
gulamentos.'dao aos collectores e administradores um inferior e 12 pragas da guarda nacional, como
das mesas de rendas ; e que tralande-se de resll- deierminei, tenho a dizer em resposta a outro offl-
tuigo de impostos e rendas percebidas pelos ditos ci de V. S. de 20 do mesmo mez, que mande for-
coliectores e administradores de mesas de rendas, necer agua e luz ao mesmo destacamento, aprsen-
se deve requerer ao ministerio da fazenda na cor- lando a conta para ser opportunamente paga pela
te e provincia do Rio de Janeiro, e aos inspectores thesouraria de fazenda. Coramunicou-se a thesou
das thesourarias as provincias, podendo os recia- rria de fazenda.
mants entregar os requerimentos as colleclorias Oilo ao commandante do corpo de polica. Man-
e mesas de rendas para serem por ellas remettidas do V. S. apresentar ao commandante das armas, e
autoridade superior com as infermagdes preci-. excluir do corpo sob seu commando, se for julga-
apto para o corpo de voluntarios da patria, como
sas.Curios Carneiro de Compos.
se offerece, o soldado Manoel do LivrraenloFer-
; reir, a que allude o seu offlcio n. 118 desta data.
Dito ao mesmo.Pode V. S. fazer engajar para
o servigo do corpo sob seu commando, o paisano
Jos Gongalves Reg, apresentado com o seu offlcio
n. 116 desta data.
Dito ao Inspector do arsenal de marinha.Defe-
aUWISTERIO DAMA 111*11 A
AVISO DE 4 DE FEVEREIRO DE 1865.
Declara que os inspectores dos wsenaes devem
mandar receber nos hespitaes e enfermaras os
cadveres que de bordo de qualquer navio de rindo o requerimentodomestre dearmasdacompa-
guerra forem remettidos, procedendose a corpo nhiadeaprendizesmarinheirosVicente AtilioRegule
de drlvto, se j nao ttver sido fetlo. i autoriso V.S. de conformidade comasua informago
1' scelo.Ministerio dos negocios da marinha. de 18 do cerrenle, sob n. 842, a passar-lhe guia de
- Rio de Janeiro, 4ueTevereiro de 1865.Illm. e desembarque, e remetle-lo para a corte a disposi-
das Alagoas.
Dito ao mesmo.Nao podendo ser aceito o offe-
reciraento que fez o aprendiz artifleas desse arse-
nal Gamillo Francisco dos Santos,- para servir vo-
luntariamente na guerra do sul, atienta a sua ida-'
de inferior a 14 aunas, cumpre todava que V. S. o'
louve peto ardente desejo que j nutre de servir a
patria.
Tenho neste sentido deferido o reduerimente de
Mara Joaquina do Espirito Santo, mai do dito me-
nor, sobre qne versa a intormaco de V. S. de boa-
lera datado, sobn. 40.
Dito ao chefe interino da reparligo das obras '
publicas.Estando e.o informado de que pelas ul-
timas enchenles havidas no rio Capibaribe, as obras
do aterro da ponte de ferro, no lugar denominado
S. Joao na estrada do Po-d'Alho, foram muito
damoiQcadas, assim como da necessidade qae ha
in
to padre Manoel da Vera-Cruz.
.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
tquetes vapor mandem dar passagem para
te por conta do ministerio da guerra, no va-
Parana ao volootirie da patria Antonio de
ira Jamacar.Communicou-se ao comman-
le das armas.
.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
fuetes mandem dar transporte para a crte
conta do ministerio da marinha, no vapor Pa-
"i, ao pillo Jos Candido de Fretas Par-asst
se offereceu para servir como voluntario na ar-
a.
-----
EXTERIOR.
MO.VTKVIDRO .
Cerrito de la Victoria, 7 de fevereiro de 1865.
em que lenham decorrido mu poucos dias de-
pois da sahida do paquete Saintonge, sao oe tal
sorte importantes as noticias
ha que aproveito o aviso que live da sahida do vaor
de urna estacada ou caes era urna das margens do Omock para lhe dirigir a prsenle carta P
dtono, sobre a qual com maior peso carregam as No meu desejo de acompanhar de perto a mar-
aguas, recommendo a Vmc que, com o engenhei -- *~ -----------
ro Gervasio Rodrigues Campello, a quera nesla da-
la offlcio, se dirija ao lugar indicado, e procedendo
a um minucioso exariie sobre o estado da mesma
ponte, das obras a ella concernentes, e das que sao
necessarias a sua boa conservago, indique quaes
as que obrigado a fazer o empreiteiro da predita
ponte, em virtude do seu contrato e quaes as que
nao se achando comprehenddas no contrato devem
todava ser feitas para segoranga da mesma ponie,
Neste sentido offlciou-se ao engenheiro Gervasio
Rodrigues Campello.
Dito ao mesmo.Concedo a autorisagao pedida,
em seu offlcio de JO do corrente, sob n. 3i, para
lavrar o termo de recebimento definitivo da obra
cha dos aconlecimentos, para observ'a-la e irans-
miilir ao Jornal' do Commercio noticias as mais
exactas possiveis, vim para este acampamento do
Cefrito, onde se goza da maior seguranga iodm-
dual, e do bello espectculo do enlhusiasmo dos
noawsiralentes soldados unidos aos Onentaes co-
loridos.
mar a vanguarda do exercilo paraguavo, que deve
passar em S. Borja, estando j 9,000 homens em
8. Cario. Apparicio foi vaqueano de nosso exer-
cito em I8b>, e o Sr. marquez de Caxias o conhe-
ce mu bem.
Ligava-se a este movimento combinado entre o
governo blanco e o do Paraguay, e talvez mesmo
com o partido federal e L'rquiza, a da de Telmo
Lopes para o Uruguay com nomeagao de comman-
dante militar ao norte do Rio Negro, em substitu-
gao ao fallecido Leandro Gomes, levando varios
offlcios para personagens mui conhecidos.
este chefe blanco no porto de
ordem do governo argentino, e obrigado "a votar
para Montevideo com toda a sua correspondencia !
intacta, achou meios de escapar-so para aquelle
desuno, embarcando em-ma baieeira no porto de
Montevideo.
A esta hora estar elle machinando alguma cou-
s?i p.or nrecaugao, e em consequencia de ter des-
ciao de Paysandii a esquadra argentina, fot esta-
cionar em frente aquella povoagao a nossa canbo-
neiralfar, com-bastante pezar de seu com-
mandante o oliciaes, que nao poderam tomar par-
te na lomada da dfa praga, por estarem presos
no Salto por falta d'agua, e desejavam assistr e
entrar na festa de Montevideo, que prometle ser
tao boa ou rnelhor do que aquella.
A nossa esquadra chegou ao porlo de Montevideo
no da Io do corrente, e do alto desta colna enso-
berbeep-me por ver a leugana com que a Nttlte-
rony e as canhoneiras se balangam no porto.
O Sr. bar) de Taraandar logo comprimenlado
pelos coramandantas das estaces estrangeiras, que
se demoraram mais do que d costume em seme-
jantes vMtas. O que se passou enire elles nao se
sangne.
A causa que hoje sustentamos, por conseguin-
mhtie!m,pque em 1852 nos levoa UDid0S a
combater em Caseros contra Rosas, por combater-
mos contra o partido blanco. ">""<"
amZiICi,.emonos?)mPanheil'ostodos neste dia,
em que, solemnisando um dos maiores anniversa-
jios da causa da liberdade, nos vemos alistados as
mesmas Bleiras a sombra de urna mesma bandei-
ra que bem cedo, flammeando por nosso commum
estorgo sobre os muros da captiva Montevideo, an-
nunciar ao mundo que a causa dos verdadeiros
Preso ; Prmc,,P'1os e da P" interna e externa da repblica
Viva a nagao brasileira f
\ ivo os exerctos alliados I
Venancio Flores, b
Ha outro importante documente do mesmo geue-
rai. E_ o seu manifest assumindo o poder, al que
a nagao possa eleger quem deva encarregar-se le-
gtimamente delle.
Do meu
bt?,AI t0,,mareh0U dfi Santa Luzia no dia
al t? nr. LT^ ** se8uln,es Psicoes, abe ; o que publico que o bloquelo foi intiraa-
IX? w-Bl S 3. qUe a i5'/ que-na8 d n d,a-2' e come?oa l0 a ser executado sem a
3. n? mi ??n Uit temp0- A lnfanlaria se menur objeccao, teDdo sido marcado o prazo de 7
SSfeiHM r..im t*' ?Ue S? =on;,mQ?,ca com a d|as para a sahida dos navios qne se acham no an-
S3K?, acilmenl? Pflo Porto to Buceo; a arli- coradouro, aos quaes foi permitido concluir seus
Iharia estaciona mu prximo a ella, e a cavallaria carregamentos em franouia
mmmmmmmmmmmB
servago, Acando
intelligencia
legua distante das li- lhardamente costeou a praia da cidade, pass'ando
nesta data recommendo ao inspector
.- requeriraento bem nao tem neHe toda a confianca que fora oara
daraldllLf^vi^h10' arrtmata"i' a'froi desolar A ooinio dos offlciaes mais cempelenls
seja feto com callea enSo com barro, como pedem ; ca*, de ra,Tirn vaiento militar, mas que nao
os moradores daquella ra, urna vez que essa alte-1 tem as qualidades necessarias para exercer um
ragao nao traga augmento de despeza a fazenda commando em chefe
provincial. que exigem muito vigor e energa para debellar os
il > ao director do arsenal de guerra.Conce- mimigos, que por loda a parte se levaotam a ea-
do a aulonsacao que solicita Vmc. em seu offlcio nhar o tempo que perdemos!
de 21 do corrente, sob n. 187, para contratar nos! Por melhor vonlade que o general tenha para
termos da tabella em vigor, cora o mestre dj hiate, desempenhar sua alta missao, encontra obstculos
nacional Sergipano, Jnlio Gomes da Silva, o trans- \ insuperaveis na sua quebrantada sade e na des-
porle para o presidio de Fernando de 4 > arrobas moralisagao em qne ocollocou a imprensa dessa
de plvora edaquelles objectos, cuja remessa nao' corte aos olhos de seus subordinados
possa ser demorada at a sabida do vapor da com-! Sao duas cousas que nao comprebendo : a per-
panhia Pernambucana em margo prximo vin- f manenca delle frente do exercto, e a do Sr. Dr. ]
! Gonzaga a frente da adminisirago da provincia d'
termina-se, portanto, no dia 9: por trra acaba-se
hoje, segundo est fixado em urna circular o-
neral FWV>a. o poe em sitio rigoroso.
A emigrago tem sido espantosa, para Buenos-
Ayres principalmente. Mais de 12,000 almas tcem
as circumslandas actuaes, abandonado a inreliz cidade de Montevideo, e s ah
Ac quem nao pode absolutamente sahir. Nao ha
seguranga individual ahi.
Os soldados do general Sa, verdadeiros selva-
gens trazidos ao centro da civlisacao com todos os
seus inslinctos ferozes, e deixades" sem freio, ac-
commettem indistinclamenle a quem enconlram
noute, para roubar e assassinar. Ninguem ousa,
portanto, sahir a ra depois das 8 horas da noute,
porque as desordens sao frequentes entre elles, e
os attentados ficam impunes.
O corpo diplomtico talvez culpado da situacao
Communico
resta
ulli
as
rui
da
Pernambuco.
Dito a mesma.Pelo offlcio que me dirigi a
cmara municipal da villa da Floresta em 20 de
janeiro ultimo, fiquei inuirado de ter sido nao s
installada essa villa, mas larabem empossados e
uramenlados os respectivos vereadores.
villa da Escada m 7 do corrente, fijuei inorado
de se acharem juramentados e empossados os no-
vos vereadores desse municipio.
Dito ao inspccior da saue publica.Informe
Vmc. qual o resultado da commissao de que foi
encarregado na villa de Iguarass, por motivo da
epidemia que all se desenvolveu ltimamente, e
se anda sao precisos os seus servigos naquelle !
lugar,
Ditoao capitaoaggregado ao Io batalhao de re-
serva da guarda nacional do Recife, Flix
Francisco de Souza Magalhes.Accusando a re-
cepgao dooffl:b de 20 do corrente, em que Vmc.
se offerece para gralutamenfe prestar servigos
na gdarngao e de rondas noturnas, tenho a dizer-
Iheem resposta que agradeco o seu patritico offe-;
recimento, e que opporluna'menle sero os seus
servigos aproveitados.Nesle sentido offlciou-se!
ao commandante superior da guarda nacional do;
Recife. j
Dito ae juiz d direilo da t" vara desta cidade.;
Pelo seu offlcio de 22 do corrente fiquei inteira-
do de ter Vmc. convocado a primeira sessao do
jury deste termo para o da 9 de margo vindouro.
Dito ao Dr. Virginio Carneiro da Cunha Albu-
querque
sou de parecer que e bem publico exige a remocao dem e do crime, pode melhor denominarse incli-
ac amos. naSo a favor desle par[|d0
Chegamos a urna
m
t ,--------- wjroi.ouKfo iuiic o uc^pusius d ii3- a pmuruagao ao urasn, e a crise commercial q
cnperar o que perdemos. As nossas forgas com- urna guerra prolongada pode trazer-nos, prejudi-
nl homens, e entre ellas s con- cando principalmente aos interesses da numerosa
nacionalidades que vive em
gene- nossas provincias? K entretanto aquelles cavallei-
um total de sele mil homens. A ros nao atlendem a isso, e vo dando alimento a
> pode anda addicionar uas seisceBlos ln- ludo que pode concorrer para demorar a solugo
de nossos negocios aqui.
Chegamos a urna poca muito critica pela nossa; Porventura perder a Franca, Italia e Portugal
nprevidencia para o Rio da Prata e Paraguay, lano com a queda desse partido infame, como cora
preciso qae despertemos fortes e dlspostos a re- a perturbado do Brasil, e a crise commercial que
aperar o que perdemos. As nossas forgas com- urna guerra prolongat
, j-oem-so. de seis mil homens, e entre ellas s con- cando principalmente
Dito a cmara municipal da villa da Escada. tamos com pouco mais de dous mil homens de in- populacho da-mellas
elq offlcio que me dirigi a cmara municipal da ; fantaria, as quaes reunidas a mil homens do sene- nossas nrovincias' K
ral Flores, do
fantes, marioheiros e soldados.
O inlmigo conta dentro da praga com 3,560 ho-
mens dos seguintes corpos :
1. de guardas nacionaes... 500
2. dilo dito............... 189
3. dito dito............... 180
4. dito dito............... 180
Guarda nacional de marinha. 250
dem passiva............. 150
Corpo urbano............. 200
Cagadorcs................ 200
Batalhao L'no............ 80
Dito Independencia........ 15')
Dito Trnta eTres......... 150
Voluntarlos vdanles....... 100
Corpo de artilharia_______ 200
Estado-maior passivo....... 150
Serenos................. 209
Polica.................. 150
Cavallaria,de campanha.... 600
3,560
Por mais qne se diga que na occasiao do ataque
juiz municipal nomeado para o termo de muita gente dessa nao combate, nao devemos per-
Santo Antao.-Pelo seu offlcio do Io do corrente der de vista que a nossa infantaria, nica com que
fiquei seiente de ter Vmc. naquella data entrado! se pode contar para um assalto, insufflciente pa-
cojixereicio do cargo de juiz municipal e de or- i ra fazer face forga igual ou superior que vai en-
pliaos do lermo de Santo Anto, para o qual foi; contrar, preterida por trincheiras, fossos e oulras
nomeado.Fizeram-se as necessarias communi- defesas improvisadas nestes ltimos tempos, como
cagues. i minas, etc.
Dito aojuiz de paz mais votado do 2 districto E' de teda a necessidade, portanto, que novas
da freguezia dos A rogados, Jos Bernardino Pereira; tropas venham j e j desembarcar em Montevideo,
ae bniolenne presente o offlcio com o qnal, e se irouxerem um general prestigioso afrente,
\ me. apresentou os cidadaos Nemesio Ramos da melhor. O espirito de partido anda est mui so-
Paixao, Joao de Souza Boros, Sebastio Ribeiro branceiro no campo, c necesario retirar do
m Xf^*aT tereggo de Ol.veira, para se- exercilo quera tem tido a infelicidade de alimenla-
i-S? P de v;llantarios da Palr,a. l0- Dl o-qoe ougo, e o que me repetem geral-
nn^m^S !m^-i,agr'dee",he a solici,ad.e me",e que o tenente-coronel Peixolo est deslo-
2i 2fS LtVSHSf g0VerD0 na acquisl" f*d/? nde 9e acha- e 1 de'e marchar para Mat-
5 nito aS aTP, ni >m?- u- x, J ^Grosso, theatro onde podo prestar servigos, pe-
rnio ao agentes da companhia Brasileira de lo conhecimento especial que tem da provincia
K,PrT f,em ZSP-u com ,urgen' Se DWUiS dez dia8 Kverno "nperlil pozer aqui
ca, se no vapor Paran, que hoje chegou do or- -
te, pode ser transportado para a corte o 4o bata-
lhao de arlilharia a p.
Dilo aos mesmos.Declaro a Vmcs. era respos-
ta ao seu offlcio de hoje datado, que o vapor Pa- flcio de saBgiie, e pm huTracTos 20,000 para'-
rana so pode seguir para o c"' '" ~- l v.> "- -------------- -.-
sul
este reforjo (2,080 homens nelo menfl) e este ge-
neral, que a opinio publica" indica ha muilo, col-
loca-no era urna magnifica siiuaglo para nos apo-
derarnos logo de Montevideo com o menor sacri-
horas da tarde.
Portaria.-O presidente da provincia, atienden-
do ao que requnren Joao Garlos Baptista dos San-
ios, guarda do 1 batalhao de infantaria da guarda
nacional deste municipio, resol ve conceder-lhe 6
mezes de licenga para tratar de sua saude.Com-
municoa-se ao commandante superior interino do
Recife.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de oaquetes a vapor mandem dar transporte para
a corte por conta do m misten o da guerra no va-
por Paran, aos voluntarios da patria cadetes Ma-
noel Rodrigues de Camino Boreos. Lonrengo
guayos que parece querem vir experimentar snas
armas comnosco as campias do Urugaay.
A necessidade de perseguir Monhoz e Apparicio,
que se dirigiram fronteira com 700 a 800 ho-
mens, e que entraram em Durazno, Taquaremb
e Cerro Largo, commettendo as maiores violencias
contra os Brasileiros inermes que encontraram em
suas propriedades, dbrigou o general Flores a
mandar no encalco destes assassinos tres fortes
divises commandadas por Goyo Snarez, Mayano
e Fidelis, tres dos raelhores chefes colorados. Goyo
Suarez opera pela costa aeima do Uruguay e os
outros dous pela nos-a fronteira. Tambnm o nos-
so general Menna Brrelo desprendeu-se da dtvi-
Alves Feltosa e Castro. Del fino Jos Pereira Para, sao do general Netto, que segu de perto aquelles
Gustavo Antonio de Brito, Jos Pialo de Souza e
Antonio de Oliveira Jamacar, que vo all ter
destino.
barbaros.
E' quasi impnssivel escaparen) rede que os
cerca, nao obstante serem mai pratteps (Jo, terreno
Consta que ltimamente quizeram ainda fazer
um formidavel pastel, mas que desistirn), porque
reconhecerara que os Srs. Paranhos e Tamandar
nao sao os homens com quem calculavam, e que
sabem collocar-se na posigao competente.
Deus os inspire melhor, para bem ser-virem aos
verdadeiros interesses de seus compatriotas, que
nao foram al agora comprehendidos como devra
ser; porque os cegam as affeiges pessoaes e as
relagoes que cullivam com as principaes familias
do partido blanco.
Os chefes estrangeiTos teem-se portado melhor
que os agentes respectivos, e procurara raanter-se
na posigao de neulraes que lhes compete.
Conlaram-me um facte praticado pelo comman-
dante da canhoneira ingleza Docterel que muito
honra este dislincto offlcial inglez.
Quando em Paysand as tropas alliadas levanta-
ran! o sitio por dous lias para irem procurar o ge-
neral Sa e bal-lo, Leandro Gomes convidou para
um lunch aos commandantes das canhoneiras in-
gleza, franceza, hespanhola e italiana que se acha-
vam no porto. Todos aceitaram e entraram na ca-
sa daquelle general, que estava adornada com va-
rias bandeiras.
Achando-se a ceuniao completa, o dono da casa
disse a seus convivas que passassem para a sala
amigo Bustamente, secretario do dilo
general, pude conseguir urna copia do manifest
enrgico que o nosso almirante dirigi aos chees
Mo 3o estrangeiras> liando lhes notiflcou o
Nao se pode fallar cmi maif franqueza era
aigmdade. E um documento que revela o homcm
bravo e verdadeiro que est frente de nossa ma-
rinha. '
Anda nestes das appareceu oulro documento o-
hcial brasileira E' o manifest do Sr. conselheiro
Paranhos relativamente ao Paraguav. Que liofua-
gerr, 1 que lgica de ferro !
Quando um paz possue homens lo nolaveis
como aquelle conselheiro, nao pJe ser vencido no
terreno do direito. A diplomacia moderna nao tem
a registrar papel mais digno e elevado do que este
A justiga do Brasil, e a repugnante mgratido do
Paraguay, que se levantou contra um estado a quera
deve tamos beneficios, ahi fica patente, bem grava-
da, indiscniivel.
Agora decidam as armas esta qoestao da cvilisa-
gao contra a barbaria, e marchem os homens do
progresso a debellar os selvagen que avangam con-
0 assassino Carreras dirigi ao corpo diplomti-
co urna circular refutando o manifest de guerra
dobr. conselheiro Paranhos. Nao clas'siflco esta
estupenda pega diplomtica.
O governo contina a accumular meios de defe-
za. Qulz apoderar-se de lodos os fardos de l exis-
tentes as barracas, e os negociaotes estrngeiro1-
proteslaram, exigindo primeiro serem pagos do seu
valor. Pret<1n'l'', ? r.^.i uai i icdua^ e iuui-
os ja estao empregados neste mister.
Ao experimentarse hontem urna pega fundida
em Montevideo, arrebentou ella e matou dous ho-
mens, ferrado a outros dous.
Urna partida blanca sorprendeu outra colorada
que se descuidou e estava jogaodo. O resultado foi
serem agarrados oito de nossos amigos, que inme-
diatamente foram degolados. Pela manhaa encon-
tramos os cadveres destes infelizes neste estado
horroroso I Eis como se pratica a guerra aqui, e
falla-se era humanidade I
Alguns infelizes guardas nacionaes que tentaran)
rugir, e foram aguarrados.tiveram inmediatamente
o mesmo castigo. E ha ainda quem mostr sympa-
tluas por semeltiantes monslros I
O porto de Bucese acha aberto ao commerrio
nacional e eslrangeiro, pe'o general Flores, e nelle
se cobra smente metade dos direilos estabelecidos
para a alfandega de Montevideo.
O pharol do Cerro, ocenpado pelos blancos, nao
se acende desde que a esquadra brasileira este ve
em Santa Luzia.
Acaba de ser preso em nosso acampamento um
tal Sr. Vaccaro, hespanliol de origem, que fugio de
Montevideo com 50 ongas que recebeu do governo
para alistar voluntarios.
Morreu o jornal Mercantil Uespanhol, redigido
pelo Sr. Alfageme de Oliva, que se tornou tao
celebre pelas suas manifestagoes contra os Brasi-
leiros. Os blancos deram-lhe um pontap depois
de o taran convertido em instrumento dcil de seos
desejos.
Acaba de expedir Carreras mais um decreto odio-
so, prohibindo a emigrago de nacionaes e estran-
geiros para o interior do paiz e arredores da pra-
ga. Consta que o ministro inglez est furioso cora
esta disposigo.
As noticias de Buenos-Ayres e da Confederagao
sao sem importancia. O governo permanece na sua
posigao especiante, por mais que os acontec menlos
se precipiten), e que a opinio publica se /gite ex-
traordinariamente. Na capital unnime o dese-
jo de urna allianga cora o Brasil com o Paraguav, e
o general Mitre mais cedo ou mais tarde tem de
ser arraslado a isso
as provincias menos adianiadas, onde o parido
federal tem alguma influencia, como em Enlrc-Rios
e Corrientes, falla-se contra o Brasil, e pretndese
que esla allianga monstruosa. Os successos era
breve diro a sua palavra sobre estes graves as-
sumpios da aclualidade.
No vapor Salto acabava de chegar alli um mi-
nistro do Paraguay acreditado junto ao governo da
Confederagao, o qual desembarcou junto com o mi-
nistro oriental Vasques Lagastume, que volta da
Assumpgo, e pretende ir para Montevideo, se nao
lhe for isso obstado pela esquadra brasileira blo-
queadora.
A curiosidade se despena nicamente com a
chegada destes dous personagens. Correram varios
rumores, cada qual mais extravagante.
de jamar, que eslava adornada do mesmo m^V^^^^^^Xtot^wnm
tralla por tapete a bandeira brasileira. Ninguem | 222X n^LTeI-.-faL'"e
nesiiou pisar nesle emblema sagrado de nossa na-
cionalidade ; s o commandante inglez, offlcial de
bro e de honra, comprehendeu o que hava de ig-
nominioso em semelhante procedimento. Estacn
na porta e com toda a fleugraa britannica pergun-
tou o que significava aquillo. Leandro Gomes, que
comprehendeu aquella pergunta e mais ainda o
modo por que era feita, desculpouse, declarando
qnepor descuido o criado a tinha collocado alli.
Enlo o commandante abaixou-se, levanlou-a e
collocou-a por sobre urna cadeira com toda a atten-
go. Que bella ligo I
O general Flores dirigi aos soldados brasileiros
e orieniaes, no dia 3 do corrate, anniversario da
batalha de Caseros, que foi bem festejado neste
acampamento, aseguinte proclamago:.
t O general em chefe do exercilo libertador.
c Orieniaes e Brasileiros I /
c Treze annos se cumprem hoje, neste dia em
que as bandeiras oriental e brasileira unidas ar-
gentina tremularam nos campos deCaseros, obten-
do a mais esplendida victoria sobre o lyranno op-
pressor de duas repblicas.
t O despota succombio, porm seu fatdico sys-
lema tinha deixado seu germen malfico entre
aquelles que, prostrando-se ante sua autoridade
usurpada, se uniram a seu pendo ensanguentado
para trazer sobre o solo oriental a pratica da vii
aprendizagem que tinham en-aiado as desoraca-
das comarcas argentinas. ^
t Nove annos de heroica resistencia deliveram
aos modernos Attilas as portas da cidade sagrada
que hoje manchara com sua infame planta; porm,
collocados no poder por effeito das desgragas que
em todos os tempos h5o perseguido ao partido da
fosse embargada a passagem da esquadra brasi-
leira pelo rio Paran, ou cousa semelhante.
Por cartas de Corrientes se soobe que o exercilo
paraguayo soffreu um revez em Villa-Maria. E'
ceno que o Semanario publica urna parte offlcial,
dando a noticia de ter sido morto nos Dourados o
tenenle Herreros e o alferes Garay, com mais 20
soldados e marinheiros, por effeito da exploso de
plvora que alli erabarcavam. Nao ser estaparte
a confisio daquelle revez ? Aquelles offlciaes
eram os hroes da faganha de tomarem o Anham-
bahtj e de cortarem as orelhas guarnigo. J pa-
garam seos crlmes.
Contam-se horrores deste successo. O Dr. Jos
Candido foi degolado, nao obstante declarar er
medico I Que genle civilisada I
Os nicos seis homens da guarnigo que escapa-
ran) nnham chegado Assumpgo, e eram o im-
mediato, o comraissario e quatro marinheiros. Os
dous offlciaes estavam em exposigaoe em lugar
publico daquella capital.
Os prisioneros do Marquez de Olinda j haviam
sido internados para a capella de S. Joaquim, dis-
unte 60 leguas. Sao, alm do Sr. Carneiro de
Campos, o commandante Souto, o Io lente Man-
gabeira, o Dr. Antunes da Luz, os pillos Arouca e
Braga, o escrivao da armada Joao Coelho de Al-
meida. o fiel Paolo Reis, eo escrivao de descarga
Jos Vicente Bueno.
Noticias fidedignas dizem que o exercilo para-
guayo de 20,000 homens est prestes a vir ao Rio
Grande ou Estado Oriental, que 9,000 ja se
acham em S. Carlos.
O tempo urge e preciso que os voluntarios da
patria corrara ao campo da honra. Venham para
/I




A
1
-------- -
^ ^Bh. ana





Diario de Pernambiico Segunda lelra 8 9 de Fevereiro de 18tt5.



o Rio' da Prata os corpos de guardas nacion.es e a
polica, organcese ja aqui um eXeTClto de 25,000
honie os, cora um Gaxias na frente, e todo esta |
sa,vot i. m I
O Brasil violar as affrontas qae tem receido,
redimir mais um povo da Amenea, asumir a-
sua verdadeira posicao perante o mundo, que o
omtempla com esperanza de que nao minte a sua
misso nesle continente.
(Jornal do Commercio do Rio)
DIARIO DE PERtUMBUCO
Hontem tarde ehegoo de Liverpool por Lisboa
o vapor inglez Saladin, com datas at 7 do corren-
te. De alguos nmeros do Commercio de Lisboa,
que temos a vista, manimos apenas o segoin,
era conseqoencia da hora ein que dea a mala, e
mesmo pe falla de artistas:
*"banqa.O balanco do banco apresentava ura
augmento de numerario de 4 milhoes de francos,
urna diminuido de 9 milhoes de nota*, e urna di-
minuido em c: isa de 24 milkocs do frascos. Ape-
lar, porm, disso o banco suslenlava o prego do
descorito.
Em Pars ia abrirse nra inquento sobre o sys-
tema actifai dos bancos, e as vantagens e inconve- i
nieotds qae aprsenla, seodo encarregado delle o!
conselho superior de agricultura, comm*rc;o e;
obras puMica*.
O nuncio.do papa felicitou entusisticamente |
Mr. Dupanoups, pelo seu folhelo sobre o convenio;
ranco-tialian-j e a ultima eneyelica.
As noticias do Japao diiem ler sido assassi-
nados diversos offlciaes mglezes, na cidade de Ka-
manna, por ordem do Daime, afim de suscitar dilB-
dades ao Taicouncul com as potencias estrangeiras.
Itaua.O re Vctor Ernmanuel chegara
Florenga, onde foi km acoln do.
Reunira-se um constlho Je gaerra para jol-
gar alguns i Alicia es que, em os aconlecimenios de
30 de setembro, excederam as raas da legilima
defeza ; o qual declarou encontrar motivos para
abrir um summano a 58 militares.
Diversos offlciaes do exercito italiaoo, sobre-
sahifido os generaes Rolland, Mollcrd e Jaiilet,
nascidos na Sabaya, pediram e obtiveram liceoca
para entrar no cxtciIo francez.
Em (apoles tem sido muito repetidos os ter-
remotos, sobre o promontorio e a vertenle do lago
Lo>ina, com alguns ruidos subterrneos. A maior
parte das casas de S. Nicandro achavara-se abala-
das e a emigracao comecava a desenvolver-se.
Turqua. Segundo noticias de Ruoharest, o
principe Couza pretenda fazer-se acciamar re da
Romana.
Prussia.Esperava-se que a resposta do discur-
so da cora, se chegasse a ser redigida, s-lo hia
em termos muito explcitos. Entreunto dizia-se
ser possivel urna traiisacgao, na discussao do or-
camento, e alguns estadistas traiavam de conven-
cer a cmara de que o systema constitucional de-
ve receiar tudo de um coufliclo com Mr. de Bis-
mark
A dieta germnica e os estados secundarios,
a excepcao de Bade, ainda nao reconheceram o
reino da Italia, apezar da corte de Turirn ter ja
mandado plenipotenciarios Francfort e Dresde.
A pnmoira cmara da Dinamarca approvara
em segunda discussao o projecio de cna>tiluicao,
openas modificando o final do artigo 47, que de-
clara flearem prejudicados todos os crditos que,
ama vez apreseniados ao rei, nao forem sancio-
nados.
Em V'ienna o govereo declarou que faria fi-
lar i importaucia das despezas, se a commissao
de fazeuda o autorisasse a inverler certa ordem no
orcarnento do 1865 a 1866. A commissao nao *e
confurmou com is>o, e propoz a reduccao das des-
pezas.
Achavam-se adiadas as negociacoes entre a
Austria e a Prussia, para determinar definitiva-
mente a questio dos ducados, em consequencia da
prematura publicacao dos despachos trocados en-
tre a< duas potencias.
Russia. O imperador ordenou a deslribuicao
de uiua md*Mia, para os militares e os paisanos
qae combaieram a iosurreieao polaca.
Hespanha. O governo peruano commuoicou ao
hespaolioi e-iar pr >mpto a tratar da paz, com con-
diee. i' r nsn letaui hllOiilhanteS.
Hollanda. O banco uaixou o aescomu
por ceulo.
Estados Unidos.A escravidao
estado do Mi>s 'Uri.
Dizia-.>e ter- m sido nomeados, pelo congresse
confederado era sessao secreta, cinco comiuissa-
rios para tratarem da paz com o Norte ; e que Mr.
Davis enviara urna carta authographa Mr. Liu-
coln, p r Mr. Blair.
Pouti gal.Continuavam os boatos de roodifi-
cacio ministerial, aros as inlerpeliacoes que se
annunciavam na cmara dos pares
O banco de Portugal, em sua sessao de i do
corrate, approvou as contas da direccao, e deler-
minou o dividendo de 205 por cada titulo de cin-
co acedes.
A nova direccao compoe-se dos Srs.:
Presidente, Jov Lourenco da Luz.
Directores : Joaquim Baptista de Miranda, Jos
Antonio Ferreira Vianna Jnior, Libanio Ribeiro
da Silva, Jos JJanoel Leitao, Duarte Sergio de
Oiiveira, Joaquim Caelano Lapes da -ilva, Joo
Ribeiro Franco e Antonio Jos Pereira Serzedello.
E.*tav. re carga para Pernambuco : o pata
cho brasileiro Beberibe,e o brigue portuguez Com-
anle.
1 1|S
fci abolida no
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Hoje tem logar a sessao preparatoria da sssem-
bla provincial, cuja iostallacio est fixada para
quaria-ffira 1 de marco.
O vapor costeiro Jaguanhe, Chegaf" honlem
dos portos do norte de sua escala, nao foi portador
de noticia alguma de importancia.
i .llamamos a .ttencao do Sr. fiscal de Santo
Antonio para o despejo, que mandara fazer alguns
moradores das ras adjacentes, na praca da Inde-
pendencia.
Ghamaaos a atlencao dos Sr?. fiscaes para
o cumprimento dos artigos das posturas munici-
paes, que dizem respeito ao jogo de limas e
nagua ; ainda hontem livrmos oeraslao de nolar
esse inconveniente diertimento em urna casa da
ra Direita, prxima ao largo do Terco. Toda a
actividad? das autoridades policiaes e fiscaes, na
reprosao desse abuso, pouca ; e todo o deMxo
na fiel execucao das leis, qae o previnem, nm
crime, uelo qual devem ser responsabilisadas essas
auronrJades.
O vapor Parahyba da companhia Pernambuca-
na, na sua recente viagem ao A'tacaj, encontrou
varada em trra, entre o Pba e a embocadura do
Rio de S. Francisco, a barca ingleza Guayacan de
Swaosea, aproando a ella o commandante fez ar-
rear um escaller, e n'elle se embarcou o Sr. eoge-
nbeirn, que sendo natural do Reino Unido, estava
habilitado a se entender com a guarmcao, qae se
achava a bordo.
D'ella soube quo proceda de Valparaizo, com
carga de cobre e la, que o capiao se havia em-
barcado em um bote para Macei.
Chegado aquello porto, o commandante do Para-
hyba commtmicon o occorrido as autoridades de
Macei, e nao leudo ainda alli chegado o capito
da barca, o cnsul inglez naquella provinc, seguio
logo para o lugar do naufragio, em urna barcaca,
com gente da capitana e aifandefa.
Pede-i-e a quera possa competir a providen-
cia, que lance suas vistas para as rampas da ponte
Velha.
Achando-se completamente arruinadas, chega is-
to ao ponto do nao se poder alli desembarcar, nem
niesmo desean egar quaesquer roateriaes; e lado
por causa da lavaren de cavaMo, que alli tem la-
gar, resultando estarem arrancada tudas as pe-
dras. r
Alm do que para este ponto concorrem cavallos
at da roa Nova, e de outros lugares, em tao gran-
de escalla que militas vezes, nio podetn embarcar,
e nem desembarcar familias; e perianto convrn
fazer-se nao s a reparacao das rampas, como tam-
ben que cisse a dita lavagern naquelle lugar.
Informa-nos o Sr. Francisco Valerio dos San-
tos, offlcial de pedriro em servido do raJcamento
da cidade, que seus lilhos Ovidio, Apostinho e Sa-
ln-ti.ino foram despedidos pel profossor pniilico
da l.' cadeira de Santo Antonio.depois de freqoen-
tarem a aula por mais de um anno, declarando era
pleno tiabalho que nao ensinava pardos nem
prctos.
Nao havendo semelhante destinceo, na le rega-
Jamenlar da insiraceao publica,chamamos a atlen-
cao do Sr. Dr. director geral, para que nao sejam
privados da inslrucco os lilhos desse artista.
Segu amanha para Liverpool, com escala
por Lisboa, o-vapor Nnotm. A' sea Mrto vrann
dos portos do sul 22 passageiros, com destino
Europa.
Tendo a galera americana J. O. Baker, em
viagem do Pacifico para a Inglaterra, encamado na
altura de Goyanna, confronte ae balxo da libelas,
enviou eoinmunicagao ao respectivo consai nesta
cidade, sexta-feira por noute. Segaisdo para o
lagar do sinii-tro o vapor Camaragibe, cora os soc-
corros precisos, j nao encontrou mais o navioy
qae, podendo safar-se, seguio seu deslino.
Segundo os joroaes da eorte chegara alli o
9 baialhao de infautaria, sb o commando do Sr.
lente coronel Guimares. A' respeito deile la-se
o seguate no Jornal do Commtrcw de 11 :
o O ajadante do corpo policial da provincia do
Rio de Janeiro conduzio hontem ao respectivo
quartel os offlciaes do 9. balalho de infamara,
recem-chegado de Pernambuco, qae alli foram re-
cbidos cora animado* vivas ao Imperador, ao exer-
cito e marraha imperial, e ao sora do hymno na-
cional.
< Reunidos depois os offlciaes dos dous corpos
sahiram precedidos pela banda, a percorrer algu-
mas ras de Nitheroby,onde o povo saudou-os com
enthusiasmo. >
Remettem-nos o segrate :
Perguntamos com que ordem se corta a escra-
v< s alheios de chbalas, como fizeram dous soldados
da G. N. as 10 horas da uoute de 24 do corrate, a
duas escravas que iam a praca de Pedro II deitar
anua fura, julgamos que nao existem ordens n'e.-te
sentida, crendo que isto pelo contrario manda-
do por alguem que se queira vingar, como estamos
certo ser, pois ja tem sido promettido por um ven-
delho da ra larga do Rosario. E unto assim
foi, que os dous soldados, em consequencia de vir
ura outro da guarda do correio para raber do facto,
pozeram-se ao fresco; voliando porm depois para
o mesmo lugar como se outros fossera, de sorte que
tendo as escravas dito serem elles os autores, ne-
garam, a ps firmes.
* Devemos soffrer.e consentir que se pratiqaem
accoes d'esta ordem pois horneas que devem ser
os primeiros a raanter a lei 1 Nao por certo, por-
tanto esperamos providencias.
Hoje d o Club Pernambucano a sua partida
pertencente ao torrente mez
Passageiros da escuna brasileira Georgeana,
viuda do Rio Grande do Sul:
Pedro Goncalves Torres, Bartholomeu Pedro da
Cruz, Joao Gervailo de Queroga e Maooel Teixeira
.!e Andradc.
Passageiros do brigue brasileiro Trovador,
vindo do Ro de Janeiro :
Joanna Ferreira Belera e 5 Blhos menores e 1
escrava de rsula Maria Rodrigue?.
Passageiros do brigue portuguez Bella Fi-
gueirense, vrado de Lisboa.
Jos Antonio Das Larangeira, Francisco Perei-
ra Curado.
REPARTIQAO DA POLICA :
Extracto das partes do dia 25 de fevereiro de
1865.
Foram recolhidos casa de detencSo ae dia 24
do corrate:
A' ordem do Dr. jaz especial do commercio, Jos
Soares Leile da Costa, por nao ler cumpndo os de-
veres de fiel depositario.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos Fer-
reira d'Almeida, para correceao; e Maooel, escra-
vo de Frederico Gaulier, a requennieBto d'esle.
A' ordem do subdelegado do Recife, llaymuodo,
oscravo de Mauricio Francisco de Lima, tambem,
a requenmeuto d'esle.
A' ordem do de Santo Antonio, Manoel Marques
da Silva, para corrsccao.
chefe da segunda seceo,
l. G. de desquita.
Passageiros do vapor inglez Saladin, fiado
de Liverpool : Eduardo Thom, Pbipp James, Mars-
deo, Abraham Israel.
Passageiros do vapor nacion-1 Jaguaribe en-
trado do Acarar e portos iotermedios : Dr.
Jos Gomes da Frota, Francisco Gomes Prenle
Jnior e 1 criado, Dr. Vicente Ferreira Gomes Dr.
Virgilio Augusto de Moraes, Joao Firmino de Ol-
veira Cavalcanle, Dr. Simplicio C. de Ranada Fi-
Iho, Dr. Joo Thom da Silva e i escravo, Dr. Ig-
nacio Fernandes de Almeida Gulmaraes, Jos Cle-
Bentino do Monte e 3 escravos, Dr. Joao Jos do
onle juniui, Di.juwTtimirfjt Ailya. Dr. Joo
Adolpho Ribeiro da Silva, Dr. Pompilio Numa l'es-
soa, Amonio Francisco de Paula Queixada, Jo>
Ignacio Fernandes Barros, Jos Thomaz de Maga-
Ihes Fontoura, Manoei Varella da Nascimento J-
nior e 1 ocravo, Jos Joaquim de Castro Barros,
Lniz Soares, Joaquim Manoel de Souzi, Estevao
Olympio de Oiiveira Pinlo.AntonioHenio de Moraes,
Sympbronio Cesar Paes Barretlo, Joaquim Rodri-
gues da Silva, Marcos Jo da Silva, Claudino Jos
Correa, padre Francisco Xavier da Rocha, Joao
Juvenal Barbosa Tinoco, Adolpho Eibsler, Jos
Luz de Souza, sua senhora, i criada e 1 escravo,
Isidorio Bender e sua stnhora, Jos Antonio da
Silva Vianna, Luiz Antonio da Silva Vianna, Dr.
Gongalo do Lapo Fernandes Bastos e_ i escravo,
Dr. Joaquim Pereira da Silva Guimares e 1 cria-
do, Manoel Ambrozio da Silveira Torres, Dr. Au-
gusto G. do Amaral e i criado, Joaquim Yiegas,
Joaquim Mesquita, Antonio Joaquim, Francisco de
Paula Souza Leo e 1 escravo, Jos de Albuquer-
que Hollanda Cavalcanti, Antonio Joaquim de
Oiiveira Costa, Dr. Theopbilo Domingos Alves
Ribeiro, Luiz Maooel Filgueira, Luiz Alves de
Paiva, Ras mundo Nonato de Freas, Antonio Au-
gusto de Souza e i criado, 3 nufragos do brigue
portuguez Vencedor, Francbco de Assis Correa
Lima, Dr. Francisco Autooio Fernandes, Dr Er-
nesto Chaves, Manoel Simplicio Cuneadas Neves,
Paulioo de Lemos, Joo Framsco'da Costa, Jos
Antunos Guimares, Primo Pacheco Borges, 1 pre-
so de justica, 4 pracas e 8 escravos a entregar, Dr.
Joao Dori'iogues da Silva Jnior.
Obituario do da 22 de feterero de 1865,
yO GEMITER10 PUBL1P0 :
Euzebio, Pernambuco, 7 mezes, Recife ; convul-
soes.
Antonio Francisco de Lacerda, Pernambuco, 51
annos, casado, Recife ; nazarea.
Marcelina Monteira, frica, 'Jo aBnos, solteira,
Boa-Vista ; velhice.
Anna Candida Cesar, Pernambuco, 73 anoos, viu-
va, S deOliuda ; inflamma;ao.
Manoel Joaquim da Silva, Pernambuco, 45 anno?,
solteiro, Recife ; tubrculos pulmonares.
Joanna, escrava, frica, 75 annos, solteira, Reci-
fe ; ascite.
Manoel, Pernambuco, 1 mez, Recife ; espasmo.
Jos, escravo, Pernambuco, 22 annos, solteiro,
Boa-vista ; hepatite.
Vicenria Ferreira da Conceicao, Pernambuco, 58
annos, viuva, S. Jos ; gastro intente.
Maria, Pernambuco, 1 dia, Santo Abiodo ; fra-
queza.
Ignez Valeria do Espirito San'o, Pernambuco, 48
annos, solteira, Santo Antonio ; angina.
Maria, Pernambuco, 10 dias, S. Jos ; espasmo.
Maria, Pernambuco, 10-das, Boa-Vista ; idem.
Gaspar Beanrhy I'.nli, Hespanha, 18 annos, soltei-
ro, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
- 23 =
Mara, Pernambuco, 1 anno, S. Jos, oiarrha.
Carolina Maria Amalla, Pernambuco, 40 annos, sol
teifa, Poco da Panella, cnngesto cerebral.
Luiz, Pernambuco, 1 dia, Boa-Vista, congesto.
Rita, escrava, frica, 40 annos, solteira, Boa-Vista,
dilatagao do crano da orle.
Anna Pastora, Prrnambuco, 21 annos, solteira, San-
to Antonio, febre maligna.
Mara, Pernambuco, 3 mezes, Boa Vista, espasmo.
24
Maria, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ; es-
pasmo.
JosForlunato, Baha, 25 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta; diarrhea.
Manoel, Pernambuco, 3 dias, S. Jos ; hemerrho-
gia.
Seohorinlia Maria da Conceicio, Pernambuco, 35
annos, casada, S. Jos ; cancro no tero.
Jeronymo, escravo, frica, 40 annos, solteiro, Boa-
Vista ; congesto cerebral.
Passados os fetos e entregues os distribaios.
deram-se os seguinles
JULGAMENTOS
Appeltacao crimt.
Appellante, o juizo; appellado, Vvgiato Batana
Vnderley.
A novo jury.
BILIGENCIAS C1VBIS.
Com vleta ao promotor da eapeilas e ao Sr. des-
embargador procurador da euroa
Appellante, Br. Beato Jos da Costa Jnior; ap-
pellada, a irraandae de Saata Aana.
aiUGENCIAS CRIMK.
Com vista ao Sr. desembargador promator da
justica
Aaaellante, o ja ; appellado, Braz Lopes da
Silvaira.
PASSAtE-NS.
Do Sr. desembargador Louremjo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Alboquerque,
A appellacao civel.
Appellante, Joao Vasco Caaral appellados, Tas-
so & Irmo.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
As appeilacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Ferreira,
escravo
Appellantes, Antoalo Alves de Alhayde e outro ;
appellada, a justica.
As apnellacoes c i veis.
Appellante, Jos Narciso Camello; appellados
Antonio Pereira de Freitas e outro*.
Appellante, a fazenda ; appellada, Joaquina Vi-
cencia da Silva Couto.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molla
As appeliacoes crimes.
Appellanie, o juizo ; appellado, Jos da Costa
Oiiveira e Silva.
AppeHante, Manoel Lins de Aranjo ; appellada,
a jaslica.
As appellac3es civeis.
Appellante, Joaquim Francisco de Albuqoerque
Santiago; ap(N>Hada, D. Francisca Thoraazia da
Conceicao Cunha.
Appellante, Manoel Pereira Caldas ; appellado,
Francisco Jos Regal Braga.
Appellaete. Dr. Jos Loureoco Meira de Vascon-
celos ; appellado, Francisco Los Caldas.
Ao Sr. desembargador Santiago
A appellaQao civel.
Appellante, Dr. Felippe. Ca-nero da OUoda Cam-
pello ; appellados, los Duarte Raogel e outros.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gad r Domingues da Silva
As appeliacoes crimes.
Appellante, Joaquim Manoel Borges Macaco ; ap-
pellado, Joaquim da Cnoha Freir.
Anpellaote, Antonio Raulino de Moura ; appella-
do, Manoel Luiz do Nascimento.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Custodio
de Souza Trindade
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
As appellac5es civel1...
Appellante, Maria Magdalena da Conceicao;
appellada. Cvpriana Mara de Mattns.
Apnol|nti>. AnmninFprreira da Ponte; appella-
do, Manoel Fprreira da Ponte.
Annilam>. a fazenda; appellado, Ignacio Luiz de
Britn T'borda.
Anpelbnt*. Luiz Jos da Costa Amorim ; appel-
lada, a fazenda.
Apnellanm. o )nizo ; appellado, Jos Maxmiano
Soares de Avellar.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Caetano Santiago
As appeliacoes crimes.
Appellante, ojuizo ; appellado, Manoel do Reg
Barros.
Appellante, Benedicto Soares Pereira ; appella-
da, a justica.
A appel'aco civel.
Appellante, Mannel Jorge dn Souza ; appellado,
Francisco de Assis Pereira Freir.
Ae meie-dia encerrou-se a sessao.
COMMERCIO.
Cetaces offlciaes.
PttACA 00 RECiFE.
25 de fevereiro de 1865.
Caatbiee sobre Londres JH> f de vista 38 d*
por 1JO00.
Dubourcq Jniorpresidente.
Guimaressetaalario.
Cera de carnauba em bruto.
dem idem era velas .
ha ........
Charutos ......
Cevados (porcos)
Mt banco de Pernambnco.
O baaao descoma letras na praseoie. semaaaa
12 por aento ao anno al o prazv de sato meaes, e
toma dtabeiro a juros a araao aocca aataar o
tres okaaes.
Alfandega
Rendimentododia 1 a 24....... 6*0:027,5754
dem do dia 25............... 27.091*720
637:119*474
"*
PBLIC100ES A PEDIDO
:ttac
CASO HDRRIVEL
D'lXl
Molestia Ulcerosa
Curada.
UiHMU ^JLDICIAISIA
TRlBVMAli DA RELAflO.
SESSAO EM 23 DE FEVEREIRO DE 18C5.
Presidencia Interina do Exm. Sr. desembargador
Gitlrana.
As 10 horas da manha, preseates os senhores
desefnbargadores Gitiraoa, Lourengo Sauiago, Al-
meida e Albuquerque, Doria, Motta, Domin-
gues da Silva e Barros Vasconcellos, faltando os
Srs. desembargadores Caetano Santiago, o Guerra,
procurador da corOa, abrio-se a sessao.
Todos aquelles que Be achSo snjuitoe sof-
frer melestiaa scrofulosas, ulcerosas, ou svphi-
liticae, aind mesmo as reputadas de peior
natureza, nponas neccssitSo de 1er o seguinte
caso maravilhoeo, para que se sinti inteira-
mente convendoe que a sua propria cura,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Jos Feuheira Babboza, residente
na Cidade de Maranhao, tinba todo o seu
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achava debaixo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tando usado
durante todo este tempo quaei toda a especie
de medecinas que em taee casos empregada
pela faculdade medica, porm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: acliando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolvea-
se, depois de repetidos e baldados esforcoa
fazer uso da]
Salsaparrilha
DEBRISTOL
No todo elle apena chegou a tomar Cinco
Garrafas de Salsaparrilha e quairo frascos das
Pilulas Vegetaes Azucarada, e o resultado
foi elle obter una completa e perfelta cura.
Os Seilrs. FEnREiBA & Cia., Droguistas de
Maranhao, forto quem supprirSo os medica-
mentos, e acliao-ee perfeitamente ao facto
d'este caso, e os meemos Senhores, nao s se
achSo promptoe confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Seflr.
Barboza, toda e qualquer pessoa que por
ventura so desej informar da verdade.
Recommenda-so mui particularmente aos
Doentes que tenho o maior cuidado na escolha
diste escolente remedio, nio usando outro a
nffo ser a Qenntna Salsaparrilha de Bristol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN &KEMP,
De NOTA YORK,
i
pois que todas as mais sio inefficaBes e de neo-
hum prietimo
Vende-se as boticas de CaorsA Barbosa
e C. Bravo & C.
HoTlmentoda alfandega
Volamesentradosoonifazendas...
com gneros... 25
-----as
Volumessahidoscora faxendas... 10
> com gneros ... 145
-----155
lOosarregam no dia 27de fevereiro de 1865.
Barca americanaAnacondadiversos gneros.
Lugre inglez -flrittfin/,=farinha de trigo.
Escuna holtandera Jacobo idem.
Barca ingleza CArinzacarvao.
Barca ingleza AmMestde idem.
Barca inglezaWillmndem.
Barca ingleza Conrad idem.
Barca ingleza Jurabaealho.
lmportaco.
Hiate nacional JVodo Invensivel, entrado do Ara-
caty, consignado ao capitao e proprietai io Jos Joa-
quim Alves da Silva, manlfestou o seguinte :
37 saccas com 201 arrobas e 6 libras de algodlo,
116 ditos com 448 arrobas de carnauba; a Prente
Vianna & C.
5 caixas com 18 arrobas de-velas de carnauba ;
a Silva & Alves,
30 caixas com 31 arrobas de velas de carnauba;
a Antonio da -uva Leite.
6 molhos com lO esleirs depalba de carnauba
a Jos da S Lettao Jnior.
1,252 meos de sola, i embrulho com 8 1/2
libras de pencas de ema, 6 saccs com 3alqueires
de feijSo, 8< saceos com 360 arrobas e 25 libras de
carnauba e 2% caixas com 296 arrobas e 23 3/4
libras de velas de carnauba ; a ordem.
Vapor nacional Parahyba, entrado dos portos do
norte, manifestou o seguate :
De Jaraga.
71 saccas com 253 arrobas e 8 libras dealgodao
e 5 barris com maoleiga ; a ordem.
De Penedo.
38 saetas com algodao, e 60 latas com 105 cana-
das de oleo de ricino; a Jtose Goncalves Torres.
3 saceos com fariuba de maudioca ; a B. M. C
Dona..
39 saceos feijiio ; a Joaquim Jos Martins.
16 ditos dito ; a C C. da Costa Moreira.
52 ditos dito; a ordem.
16 ditos algodao; a Joaquim Jos C. Beltrao.
Bo Aracahi.
89 saceos com 445 arrobas de assucar branco e
252 ditos rom 1,260 arrobas de dito mascavado ; a
Tasso Irinos.
Escuna hollandeza Jacoba, entrada de Trieste,
consignada a N. O. Bieber & C, manifeslou o se-
guinte :
1,740 barricas farinhade trigo; aos mesmos.
Brigue portuguez Bella Figuetrense, chegado
saobado de Lisboa, manifestoa o seguinte :
14 pipas, 8 meias, e 55 barris vnho, 50 ditos
azeite, 178 ditos loucinho, 60 ditos carne ensacca-
da, 10 ditos e 3 pipas vinagre, 100 caixas ceblas,
38 barricas milho, 40 ditos sardinhas, 50 ditas al
pista, 719 pedras de lagdo, 100 saceos farelo, 57
ditos feijo ; a Euzebio Rapharl Rabello.
149 pedras delagedo ; a Jos Pereira Vianna.
4j barris carne ensaccada; a Carvalho & No-
gueira.
11 pipas e 15 barris vinho a Palmeira &
Beltrao.
1 i.di.\.i dito ; a Francisca M Pinto Barbosa.
50 barris toucinho; a Jjs Marcelino da Rosa.
4 ditos dito : al,. Pereira Lima & C.
10 ditos vinho, 100 saceos semeas; a Guilher-
me da Silva Guimares.
6 pedras de lagedo -, a Bernardino J. Monteiro
& irmo.
3 saceos cominhos; a M. J. Ramos e Silva &
Ge iros.
4 pipas e 30 barris vinho, 15 ditos e 15 pipas, e
i meios vinagre, 2i caixas cera em velas, 5 barri-
cas dita em grumo ; a Tiloma: d'Aouino Fonceca.
54 pipas, 2 meias e 44 barris vinho, 25 caixas
ceblas, 8 barricas cera em grumo, 200 saceos se-
meas ; a Thomaz d'Aquino Funceca Jnior.
11 volumes drogas e pintis, 50caixas batatas ;
ordem.
50 ditas vinho ; "a A. J. Leal Reis.
2 pipas e 15 barris vinho, 5 ditos e 2 pipas vi-
nagre *, a Joao Macedo do Amaral.
22 ancor .-tas vinho ; a J A. da Silva Jnior.
12 molnhos e 150 pedras para os mesmos; a
Antonio Joau Furtado.
40 caixas azuli-jos, 12 ditas pexe ; a M. J. de
Oiiveira & Filho.
25 ditas cera em velas ; a Domingos Rodrigues
d'Andrade.
6 ditas figos, 1 dita mercurio; a Custodio Jos
Alves Guimares.
25 ancoreas azeilonas, 5 caixos azeile doce ; a
Andrade & Mello.
15 fardos albos, 50 ancoretas feijao, 25 ditase
12 barricas cevada, 40 saceos alpisia,. 3 caixas
fructas seccas : a J. J. da Costa Ferreira.
Hiate nacional Santa Cruz, ecirado do Aracaty,
con.Mgoado a C. C da Costa Moreira, manifesteu o
segninle :
431 saceos rom 2,077 arrobas e 18 libras de al-
godao, 38 caixas com 53 arrobas e 21 libras de ve-
las de carnauba, 18 sarcos rom 53 arrobas e 5 li-
bras de cera de carnauba, 160 meios de sola, 9
uiolhbs com 225 pelles de cabra, 23 ditos com 575
esleirs; a ordem.
Brigue inglez Jjtra, entrado de Terra Nova, con-
signado a Saunders Brothers & C, manifeslou o
seguinte :
228 tabeas com 3,951 p*s de pmho, 3,806 barri-
cas de bacalbo ; aos mesmos
Exporfaco. ,
Patacho iDglez Amuzona, carregbu para o Ca-
nal, pela Parahyoa :
1,000 saceos cora 5,000 arrobas de assucar mas-
cavado.
Patacho brasileiro larinho, earregou para o Rio
da Prata :
1,029 barricas cqm 7,397 arrobas e 7 libras de
assucar branco e 80 cascos com 14,720 medidas de
agurdente.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
AUTA DOS PREQ0 DOS GNEROS SIUE1T0S A DIRE1T0DB
EXPOBTAQAO.SEMANA DE 27 DE FEVEREIRO, A 4
DO MEZ DE MARCO DE 1865.
Mercaduras. Unidades. Valores.
Abanos......... eenlo 1S500
Agurdente de cana .... caada 800
dem restilada ou do reino 800
dem caxaca....... > 400
dem geacbra...... 860
dem alcool ou espirito de agua- 900
ai dente ........ >
Algodao em caroco .... arroba 4250
dem em rama ou em lila c 170n0
Arroz com casca..... c i500
dem descascado ou pilado 256U0
Assucar mascavado .... < 1900
dem branco....... t 35200
dem refinado...... c 5#i20
Azeite de amondom ou mende-
bira ........ casada 25000
dem de coco...... 15600
dem de mamona 15000
Batatas alimenticias .... arroba 15200
Bolacha o diara, propria para
embarque ...... 35000
dem lina ........ 75000
Cafbom ....... 75400
dem escolha ou restolho. 65000
dem torrado...... libra 440
Cabros........ um 360
Cal .... ...... arroba 280
Idem branca .... 500
Carne secca (xarqae) ... 35200
Carneiros ....... un 45000
Carvao vegetal ..... aiToha 15000
Cavernas de sicupira una 850001
libra 300
300
(900
oeajo Um
um 155000
Cocos (seccas) '. -. eento 6JW0B
Colla i .....libra 600
Couros de boi, salgados.. > 1^0
dem idem soeces espichados > 240
dem idem verdes..... j05
dem idem cabra eoios uta
dem idem de anea .... > tt$000
Doces seceos ......liara IJO00
dem em gcla au massa > 320
dem em caida ..... 300
Espanadores grandes um 4J000
dem pequeos....... 2000
Eserras para forro de estivas
de navio........cento 155000
Estopa nacional .....arroba 13600
Farinha de de mandioca alqueire 25500
dem de araruta .... arroba 45000
Feijae de qualquer qudlidade 25800
Frechaes .......um 55000
Fumo em tolha, bom arroba 145000
dem ordinario ou restolho 85000
Wem era rolo bom...... IpBOQ
dem ordinario ou restolho. > 550(10
Gallinhas .......urna 600
Gomma........arroba 25500
Ipecacuanha (raiz)..... > 255000
Lenha em achas.....cento 25000
Toros......... 115000
Linhas e esteios.......um 85000
Mel ou melaco......caada 240
Milho.........arroba 900
Papagaies .......um 35000
Pao Brasil .......quintal 55000
dem de jangada......um 55000
Pedras d amolar .... urna 800
dem de filtrar ...... 45000
dem de rebolo ..... 15000
Piassava........ molho 120
Pontas, ou chifres de vaecas ou
novilhos.......cento 35500
Prancuoes de amarello de dous
costados.......um 205000
dem de louro...... 1U-000
Rap.........libra 15000
Sabao.......... 1^0
Sal...........alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 255000
Sebo em rama...... $5000
dem em velas...... 75000
Sola em vaqueta......ama 25*0
Taboas de amarello.....duzia 1405000
dem diversas....... 875000
Tapiocas.........airaba. 35000
Tatajuba........quintal 25BW
Travs ........urna 65000
L'nhas de boi ......Cento 200
Vassooras do piassava ... 105000
Dilas de timb........ 85000
Ditas de carnauba..... 65000
Vinagre.........caada 500
Alandega de Peraambueo, 25 de fevereiro de
1865. .
(Assignados):
O 1." conferente, Francisco de Paula Goncalves
da Silva.
O 2. conferente, Jos Thomaz de Aginar.
Approvo. Alfaadega de Pernamuco, 18 de fe-
vereiro de 1865.A. Eulalio.
Conforme.-O 3." escriplurario, Joo dos Santos
Porto.
Recebedorla de rendas Inter-
nas geraes de Pernambuco.
Rendimenlo do dia 1 a 24....... 30 3975621
idemdo dia 25................. 9065125
Goncalves Torre?, equipagem 10, carga 5,979
arrutas do cacne secca ; a lso Irmo.
Rio de Janeiro-22 das, brigue brasileiro Trota-
thr, de 220 tonelada, npio Jalo F. Belem,
equipagem 13, carga (anota da mandioca e ou-
tros gneros -, a Marques, Barros & C.
Likboa 36 dias, brigua pertaguez Bella Figuei-
rente, de 244 toneladas, eaaHo Jos < orrea de
Carvalho -obrinho, aquipaaaai 12, carga vinho e
ontras genaros ; a E. Itapfcaal Ribello.
Naws saludos no wrsme dia.
Bneaos-Avres-Patseao inglei W. Dodge, capi-
tao W. H. Peifoy carpa aa-mcar.
B*t.-tte-BriBttr haaaburgaaa Palma, capitao Ko-
Ihtuu, carga a su car.
Smwsenrmmmdiaifj
Acaract e portos Intermedios6 das e 20 horas,
vapor nacional Jagttartbe, xde 488 toneladas,
commandante Manoel Joaquim Lobato, equipa-
gem 30, carga tabeado, algodao e ootros g-
neros.
Rio Grande do Sul -40 dias, patacho nacional
Patota, de 175 toneladas, capitao Manoel Anto-
nio Canario, equipagem i, carga 8,480 arrobas
de carne secca; a Maia 4 Espirito Santo.
Rio Grande do Sul -26 dias, barca nacional Ami-
sade, de 332 toneladas, capitao Jos Ferreira
Pinto, equipagem 11, carga 9,845 arrobas do-
carne ; a Bailar 6. Oiiveira.
Liverpool38 dias, hrlgne inglez Runnymedes, de
IkI toneladas, capitn Peter Hair>en, equipagem
12, carga carvao ; a Saunders Brothers 4 C.
Terra-Nova34 dias, hrigne inglez Nevo, de 261
toneladas, eapiiao J. JeDkins, equipagem 41,
carga 3750 bairicas com baealho : a Saunders
Brothers & C.
Navios saltidot no mesmo da.
Rio Grande do SalPatacho nacional Arroto Gran-
de, callao Antonio Alves Dia*, carga sal.
Rio Grande do Sul Polaca nacional Marta Jos,
capitao Isidoro Serro, carga assucar.
Porto Barra portngueza Despique II, capitao
Faustino Jos Carvalho, carga assucar.
Para Brigne-e6euna nacional Graciosa, capitao
Jacintho Nunes da Costa, carga assucar e outros
geteros.
Liverpool por Lisboa20 dias do primeiro e 8do
segundo, vapor inglez Saladin, de 346 toneladas,
commandante Roberlo Godsoe, equipagem 24,
carga faz-odas; a Saunders Brothers & C.
Observagao.
Sasaendeu do laaiarao para a Babia o patacho
inglez Harriet, capitn G. Gelberd, com a mesma
carga qae troaxe de Terra-Nova.
EDIT1ES.
31:3035746
Consulado orovinclal.
Senditnento do da 1 a i4.......104:4655755
dem do dia 5............... 6.597J099
111:0625854
PRAQA LO RECITE
95 DE FKVKRGIBO DE 1SQ5.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio.......Saccou-se sobre Londres de 27'/i
a 28 '/i d. por 15000, sobre Pa-
rs a 350 rs. por fr. e sotire Lis-
boa a 98 por cento de premio;
montando os saques elTectuado-
duranle a semana a S 80,000.
Algodao........O de Pernambuco vendeu-se de
175000 al85i00 por arroba, o
de Macei, posto a bordo, a
195000, e o da Parahyba. tam-
bera posto a bordo, a 205400.
Assucar........O branco vendeu-sende 35400
a 35800 por arroba, o somenos
de 25800 a 35000, o roa-cavado
purgado de 25050 a 25400, e o
bruto de 15700 a 15900.
Agurdente.....Vendeu-^e de 705000 a 755000
a pipa.
Arroz.........O pilado da India vendeu-se
. de 25200 a 5300 por arroba,
e o do Maranhao a 35000.
Ar.eite doce.....Vendeu-se o de Lisboa a 25'i00
a canuda.e o do E.-treitoa 2000
Bacalbo.......Vendeu-se em atacado a 135000
por barrica, e a retalho de ri>
I35OOO a 155000; ficando em
deposito 12,000 barricas.
Batatas........ Venderam-se a 15500 rs. a ar-
roba.
Bolacliinha......dem a 4JO0O a barrlqninha.
Carne secca.....A do Ri'-Grande do Sul, nova,
vendeu-se de 35500 a 45200 por
arroba, e a velha de 300 rs. a
15500; fleando em deposito
25,060 arrobas daqnella e 26,0u0
desla ; e a do Rio da Prata ven-
deu-se de 15500 a 35000; fican-
do em deposito 23.000 anvhas
Caf...........Vendeu-se de 75000 a 85000 a
arroba.
Cha............dem de 15600 a 25400 a libra.
Cerveja.........Vendeu-se a 55000 a duzia de
garrafas.
Farinha de trigo. A de Philadelphia retalhou-se
de 175000 a 205000 por barri-
ca, a de New-York de 175000 a
195000, a de Trieste a 215, e
a do Chile a 850OO a sacra com
100 libras; fleando em deposito
1,500 barricas da primeira,
12,500 da segunda, 10,000 da
terceira e 3,000 saceos, inclusive
um carregameato chegado de
Trieste.
Lour^a..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 320 por ceuto de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se de 700 a
800 rs. a libra, e a franceza de
700 a 720 rs. a dita.
Massas.........Venderam-se a 35000 a caixa.
Passas..........dem de 35 a 45 a dita.
Queijos.........Os flamengos venderam se a
15650 cada um.
Sabao..........O inglez vei\deu-se a 130 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 12
rs. a dia.
Toucinho.......Vendeu-se a 75800 a arroba do
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 1005
a 1105 a pipa.
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
2005000 a 2105000 a pipa, e os
de outros paizes de 1605 a 1955
a dita.
Velas..........As de compesico venderam-se
a 540 rs. o pacote de seis velas.
Descontos.......O rebate de lettras regulou de
12 a 18 por cento ao anno.
Fretes.........Para o Canal inglez a 40- 5 %,'
para Liverpool pelo lastro 12/6 .
5 %, e pelo algodao > a *h d.
5 por cento.
A cmara municipal desta cidade, tendo de
contratar a impresso dos seus trabalhos, e dos-
que por forra da lei obrigada a mandar fazer,
coa vida aos propnetarios dos jornaes mais lidos
nesta cidade que quizerem contratar, se apresen-
tem para esse fim no dia l. d marco futuro as
dez horas da manhaa no paco municipal, munidos
de snas proposias em carta fechada, indicando cel-
ias o menor preco.
As Impressoes a contratar sao as seguintes :Pu-
blicarao das actas d/.s sessoes da mesma cmara,
editaes, annuncios, posturas, regulamentos, baln-
cetes da receHa e despeza municipal inclusive os
do cemiterio, editaes para a convocado do jury e
os avulsos para o mesmo fim, ditos para a coovo-
eacao da junta de qualificago e para as eleic,oes,
que forem mandados pelos joizes de paz deste
municipio, ditos e annuncios dos fiscaes relativos
ao cumprimento de seus deveres ; e finalmente a
impresso do relami e balaceo que annnalmente
sao prestados pela cmara assembla provincial,
dando o contratante eincoenta impresos destes.
As cundices para garanta de contrato, que dura-
ra de um a tres annos, sere apresentadas aos con-
currentes no dia indicado, e antes de serem aber-
tas as propostas.
Pago da cmara municipal do Recife, 22 de fe-
vereiro de 1865.Luiz Jos Pereira Staioes, pro-
presidente Francisco Canuto da Boa-Viagem, se-
cretario.
BECLA11CQES.
MQYIMENTO BO PORTO
Navtos entrados no dia 25.
Terra Nova34 das, brigoe inglez Jura, de 280
toneladas, .apilo James Day, equipagem 13,
carga 3,806 barricas com baealho ; a Saunders
Brothers & C.
Rio Grande do Sul 45 dias, escuna brsrsflelra
Georgeana, de 110 toneladas, capilao Antonio
Caixa filial do banco do Biasil
cm Peruamouco,
14 de ciro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredores de -ebastio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma eaixa o que em
raleio Ihes toca da venda de urna das propieda-
des, que segundo a concordata.lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nasal Correia.
De ordem da directora desla mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22. di-
videndo de 105 por accao.
0 guarda lvros,
Ignacio Nones Correa.
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data fica re-
gistrado o papel de distrato feito entre Jos Luu
Goncalves Ferreira, Joao Alves da Cruz e Manoel
Alve Goncalves Ferreira, (issolvendo a socieda-
de que tinham sob a firma de Goncalves & Cruz,
somente quanto ao socio Cruz que se retira da
mesma, emholcadodo seu capital e lucros adque-
ridos, e desonerado do passivo, coja responsobili-
dade fica pertencendo exclusivamente ao socio
Jos L. G. Ferreira.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 21 de fevereiro de 1865.
O offlcial-maior,
Julio GimarSes.
Tribunal do commercio.
Pela secretara do tribunal de commercio de Per
nambuco se fai publico qae Desla data fica regis-
trado o disiralo da soeicdade que tinham Joao
Baptista Goncalves Bastos e Amonio Leite Mapa-
lhe.s Bastos sob a Arma dj Bastos & Magalhes,
em vir lude do qual tica o ex-socio Joo Baptista
de posse do activo e responsavel pelo passivo da
exiincta firma, e o-ex-socio Magalhaes desonera-
do de qualqaer responsablidade pela quitaba
plena que mutuamente se deram.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 21 de fevereiro de 1865.
O official-maior,
Julio Gulmaraes.
COMPANHIA PERNAMBUCANA,
De ordem do conselho de direccao sao convi-
dados os Srs. accionistas a reunirem se em assem-
bla geral no dia 9 de marco prximo, ao meio
dia, no segundo andar da casa n. 11, na praca do
Corpo Sanio. Pernambuco, 24 de fevereiro de
1863.
O gerente,
F. F. Borges.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conhecmeulo dos navegantes, que a
boia do extremo do sul do banco do iuglezque ha-
via sido laucada praia por Ihe haver arrebenta-
do aamarragao, foi novamente collocada. demar-
cando Ihe o pharol do picao ao O 1/2 N O, e a lor-
redo seminario de Olmda ao N 1/2 N O, rumos
magnticos, e em fundo de a bracas, exactamente
node termina pelo sul o Recife que forma o banco
ngilez. Capitana do porto de Pernambuco 4 de
fevereiro de 1863.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
Con po geral.
Itelaro das carias seguras vindas do sol pelo
vapor inglez edas existentes na adninisirico
de corren para os se libares baiio ((aclaradas :
Antonio Joaqnim de Pontes .Mariano.
Antomo Lopes Rodrigues.
Claudino de Hollanda Cavalcanti.
Cantlido Viera da Cuoha.
Felippe Nery dos Santos.
Dr. Fraocisco Car lu Brando.
Franvisco de MeTto Brrelo.
Jaciniho Feoronio Esmeraldo.
Df. Jos Candido Marinho de S.
Joa Flrrnino Ribeiro.
Dr. Jos Leandro de Godoy Vasconcellos.
Jos Porfirio Teixeira de Mendonfa.
Miguel dos Santos Costa.
Manoel Antones Correia Gomes.
Manoel Ignacio da Silva Braga.
Vicente Francisco de Oiiveira.
'

-;
?
r
11



mhtrtm t Peraambnct ** eg*i letra I t Fererelr t8H5.
De rdem do Uto Sr. iaspeclor 4a thesaora-
ria de fazenda desta provincia, se faz publico que
floa novamente marcado o da 4 de margo prxi-
mo futuro, as S horas da tarde, para ser arrema-
tada a quem por nenes fcer a obra de ora pe-
queo lauco de caes que tera de ligar o encontr
da poste de ferro do Kecif' ao caes do passeio
publico. Aspessiasi qwm cenvier a sobredita
arrematagao, Severao comparecer na mesma tbe-
sooraria uo da e hora indicados.
Secretarla da thosouraria de fazenda de Per-
nambuco em 13 de fevereiro de 1863. Manoel
Jos Pinto, servindo de offirial-maior.
O couselhode compras Jo arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para a aula dos menores do arsenal de guerra.
Simo de Nanlua 7. .
Economa da vida humana 40.
Cartas de A. 0. C. 100.
Taboadas 50.
Caetas 100.
Traslados de bastardinbo20.
Ditos de ba-tardo 30.
Ditos dn A. B. C. 50.
Para'o rancha dos mesmo sem ores no3 mezes de
margo e abril.
Pao de 4 oncas.
Bolachas.
Assuear segunda sorte.
Caf em grao.
Cha' da India.
Manteiga franceza.
Touctnh*.
Farinha da larra.
Ffijie.
Arroz pilado.
Azeite doce.
Vinagre.
Carne verde
Dita seca.
Bacalhao.
As pessoas qtre qnzerem vender taes artlgos
apreseniem suas propostas em carta fechada na
sala do conselb as 10 hora* da manhaa do dia 27
do correte.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra 23 de fevereiro de 18t5.
O encarregado da escripturagao
Manoel J^s de Aaevedo Santos.
Para o Rio de alandro
pretende seguir com molla brevidade o brigue es-
cuna Joven Arrtwr, tem parte de sen carregaroon-
to engajado : para o resto qne Ihe falta trata se
cornos seus consignatarios Antonio Luii de Oli-
velra Azevedo & C, no seu escriptorio roa da
Cruz n. 1
para se levantar om sobrado por terem as pare-
des capacidad'' para isso, a qual faz esquina para
a traviesa la Campia
Si'.xta-ferra, 2 demarco
a porta da aasoeiaOao Comrae'rcial, s 11 horas do
dia.
Precisa-ce de urna ama para agoaamados
ara casa de pouca familia : a ra Dkeita n.
12, prfmelro andar.
Har o h%q de Janeiro
cahir* csra brevidade o patacho nacional Via-
iw*, recebe twga a frete commfrdo e escravos:
irata-se com Manoel {mam de Oliveira & Filbo-
no largo do Corpo Santo escriptorio n. 19 ou com
o cnpio a bordo.
fcjr
Segu nestes das em reitura ao indicado por-
to* veteiro brigue escuna brasileiro Graciosa, ca-
pito JaiSnilio Nanas da Cesta, por ler quasi prom-
pto o sea carregamenio ; para o pouco que ainda
pode admeltir, trala-se com o seu consignatario
AatoBio de Almeida Carnes, ra da Cruz n. 23,
pfimeiro andar. _
Para Lisboa
pretende sabir em poneos dias o patacho portoguez
Jareo por ter a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouce qae Ihe falta tratase cem os consigna-
tarios Palmeira & Beltro, largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
Para o Porto pela Ilha de S.
Miguel.
O velleirce bem conhecido bngue nacional A-
meltn pretende seguir com muita brevidade, tem
parte do seu carregamento engajado, para o resto
que Ihe falta e passageios, para os quaes tem ex-
pelientes commodos : trata-se com os seus consig-
natarios A. Ltiz de O. Ase vedo & C. no seu escrip-
torio na ra da Cruz n. I.
TlIATKO
Lei'o da elefante casa le taip? assobradada
com cocheira e estribara f&ra, banheiro
de tijolo e cal forrado de cimento, jardim,
cercado e baixa de capim, em Caxang,
na estrada real de Prjd'Alho.
.sexta-teira 3 de fevereiro de 1855.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente autorisacao da casa de campo cima men-
cionada, a qual se torna recommendada por ser
alm de mu fresca, perto da ponte pend, o da
estacSo dos mnibus; o leilao ser eflectuado as
11 horas do da cima dito na praga do Contraer-
ci, em frente a Associago Commercial. ____
Leilao de duas machinas a vapor
Sendo:
Urna portavel, forca da 11 cavados, sobre rodas,
com caldeira patente e todos seus nertences.
Ootra (Ixa e orisontal, torga de 12 cvallos com
caldeira e mais perlpoces.
Quinta-feira 9 de marco, em frente a
Associago Cotnmercial.
O ajenie Pinto fara leilao por conta de quem
pertencer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engenho, as quaes se tornam
recommendadas pela sua perfegao e pjr serefn
dos melhores fahrieanies do Inglaterra, os prcten-
dentes poiero desde ja' examinarem ditas ma-
chinas para o que podero entoodercm-se cora o
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
ko de Janeiro.
A sumaca Aguia recebe carga miuda e escra-
vos a frete : lr,i!a-se com os consignatario* Mar-
ques, Barros 4 C, largo do Corpo Santo n. 1.
Para
GRANDE BAILE
MASCARAS,
Nos dias do arnaval
Sbbado 25, domingo 26, segunda fe-
ra 27, ercfeira 28,
Miguel Candido de Medeiros Pinto, tendo obtido
do Exm Sr. Dr. Antonio aorges Leal Castello
Branco, dignissimo presidente da provincia, con-
cesso para dar bailes mascaradas nos das cima
mencionados, vem screntificar ao respeitavol pu-
blico, que tera envidado todos seus esforgns, mes-
mo nao tem poupado despezas para abrilhantar o
theatro.
As 8 horas das noites dos dias indicados est
aberto o theatro, e as 9 em ponto principiar o
baile cora a execucao de urna das melhores ouver-
iuras, pela banda de msica do i balalhao de in-
fantana da guarda nacional do Recife sob a dire-
eo do insigne professor o Sr. Theotonio Jos de
Souza.
Pregas dos camarotes e entrada geral.
A 2o e 3" ordem sero pelo prego da rasa, f-
cando alterado somente qnanto as entradas que
ter 2 para humem e 4 para senhora.
A 1* e 4* ordem sero consideradas galeras pa-
ra as senhoras que nao daasarem, mediante a pa-
ga de -25 de entrada.
Entrada geral para ravalheiro 5 e as senhoras
que estiverem raiscaradas, tero entrada gratis,
assirn como os mascaras vestidos de senhora pa-
garo 2} por sua entrada.
O director dos bailes julga desnpeessario dizer
ao re vista de seu lestemunho o asno prximo passado
o qual continuar a envidar seus esforgos para que
continu.
Serao finalmente observados os regulamentos
rjiuT de policia quer do mesmo theatro.
Terminar s 2 horas em ponto.
Segu brevemente para o indicado porto o hiate
Lindo Paquete, capito Ifenrique Antonio do Ama-
ral, paraalguma carga que pode ainda receher
traia-sc como respectivo consignatario Antonio de
Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23, primeiro
| andar.______
ppt e Lisboa
A gatera Nova Fuma, do pnmeira classe, segu
para os portos indiclos at o da 15 de marco,
por ler a maior parte de seu carregamento prom'p-
to : para o-resto da carga e passaeeiros para os
fuaes t-m excetlentes commodos, trata-se com Cu-
nha,IrHios & C, ou com o capito na praga.
Rio de Jane ro.
Pretende sahircom brevidade para aquello por-
to o brigue Cruzeiro do Sal, ainda recebe alguma
cargaee>cravos afrete: a tratar com Marques,
Barros & C.
LEILOES.
Lftilo del 19 arrobas de sftho em paet
Martins fara' leilao por conta e risco de quem
pertencer de 119 arrobas de sebo em pes.
a portado armazem do Aones, as 11 horas do dia
Leilao de mbilia.
Terga-fe'ira 28 as 10 t|2 horas da manhia
na casa terrea sita na ra da Concordia junto ao
sobrado do lado direito que tem 3 estrellas
defronto da casa n. 37.
OLYMPIO
avisos martimos.
COMPANIU i PERNAMBUCANA
DE
!avega^3o costelra por vapor.
Macei e escalas.
No dia 28 do corrate, segu as
5 horas da tarde nm dos vapores
'l^SK para os portos indicados. Recebe-
~^ie carga at o da 27. Encommen-
_ Mas, passagens e dioheiro a frete
ate 2 horas da urde do dia da sahida : escriptorio
no Forte Jo Mattos n. 1.
Para o Para.
Seguir nestes dias para o mencionado porto a
escuna brasiteira Ernestina, para o resto da carga
que Ihe falta, tratase no escriptorio da largo do
Corpo Santo n. 4, primpjro andar.______
torio.
Segu hreveraente a barca porlugueza Sympa-
llti* por ter sen carregamento completo : quera
quizer ir de passagem, para o que tem expelientes
commodos, enteoda-secom Baltar & Oliveira, raa
da Cadeia n. 26.
COMPANHIA PKRNAMBUCANA
. DE
Xavesaco costelra por vapor.
[Iba de Fernando de Noronha.
No dia 14 de margo prximo,
as 10 horas da manhaa seguir
um d?s vapores da companhia,
para o presidio de Fernando. Re-
"ceher carga at odia 13. Encom-
menda, passaeeiros e ilinheiro a frete at 9 horas
da manhaa do "dia da sahida : escriptorio no For-
te do Mattos n. !.
COMPANHIA BKASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do u\ esperado
at o dia 2 de margo um dos
vapores da compantiia o qual dc-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Oesue ja receDein-se passageiros e engaia-se a
p.arga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encna-
me odas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Laiz de Oliveira Azeredo 4 C.
COMPANHIA B&ASILIBA ~~
____DE
'PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do nocle espera-
do at o da 3 de margo o va-
por orantins. commandante Pe-
Idro Hypoliio Uuarte, o qual de-
Ppois da demora do costume segui-
r para os portus do onl.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poler conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sna chegada, encomraen-
as e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
_)aio Lniz de Oliveira Azevedo & C.
Para Lisboa.
Pretende seguir com muita brevidade a barca
porlugueza Henriqutta, tem parte de seu carrega-
mento prompto : para o resto trata-se com os seus
RoaaffMtarie* Antonio Lulz de Oliveira Azevedo &
C, uo sea escriptorio ra da Cruz a. i.
veuiiera' mn leilao os olijectos seituinte : 1 niobi-
lia de amarello composta de caneiras de guarn-
gao, cadeiras de brago, sof, contlos e mesa de
meio de sala, jarros para llores, figuras de porce-
lana, pares delaoternas, guarda ronpa, cama fran-
ceza, l,i.l-1, lavatorio, mesa de jamar, aparclhos
de louga para amar e almogo, porta-licor, cadei-
ras de pat"a, b^r^o, minn '"(ja, csndieiros a
gaz, aparador, trens de cosinha e mais onjectos
existent'-s na referida casa._______________
Leilao das duas ierras partes da casa de sobrado
e sitio da Passsqem da Magdalena, ra do liem-
lira n. 32, mu bastante terreno plantado at a
margem du Capibaribe.
Qurta-feira Io de margo.
O agente Pinto far leilao por autorisagao da di-
rectora da caixa lilial do banco do Brasil nesta ci-
dade, das duas torgas partes do predio cima dito
as 11 horas do dia su>ramencionado, em seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 38.
Leilaodac sa Ierre* n II da ruado
Mndeg' frettMM da Bua-Visla.
Qoarta-feira 1 de margo.
O agente Pinto fara' leilao a requerimento de
| Domingos da Silva Ferreira Jnior e mais herdei-
ros do tinado Miguel Archanjo Fernandes Vianna,
e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos,
da casa terrea da ra do Mondego n. 12, servindo
de base a qoantia de 2:0005, as 11 1|2 horas em
ponto do da cima dito era seu escriptorio ra da
Cruz u. 38.____________________________
Leiio 5,3fi8;42rs, seudo 5,84;5i2 rs
em letras e 283,9 m rs. em vales.
Quarta-feira 1 de maryO as 10 horas em ponto.
O agente Pinto levar novamente a leiio as di-
vidas cima /mencionadas pertencentes a massa
fallida ue Antoaio Pereira da Silva, as 10 huras
em ponto do dia cima dito em sea escriptorio
ra da Crui n. 38.______________________
Leilao do palhabote Artista de
289 toneladas.
Quarla-feira 1 de margo as 10 1|2 horas em ponto
na ra da Cruz n. 38.
O agente Pinlo far leilao no dia e ora cima
dito do palhabote Artista i, tal qual se acna anco-
rado neste porto era frente ao trapiche do algo-
dio, o qual est prompto a seguir viagem para
qualquer lugar ;ospretendentes p*dero desdeja
examinaren! dito palhabote e entenderem-se com
0 mesmo agente acerca do inventario do mesmo,
fecha-se qualquer negocio ndependente de ir a
leilao.
Leilao de 18 c mas de ferro novas.
Quinla-feira 2 de margo
a 1 hora da tarde, por intervenga do agente finto
no armazem da ra da Cadeia n. 38, onde havera'
leilao de movis no mesmo da.__________.
Lello
De nm piano forte de Wm. Sassenhoff, 1 mobi-
bia de Jacaranda' com lampo de pedra, 1 dita de
faia, 2 candieiros, 4 espelho?, 4 jarros, ricos qua-
dros com linas gravuras, 1 guarda-mupa com es-
pelho, 2 ditos sem espelho, 1 guarda ve-tido, 1 lo-
cador cora espelho, 1 rica secretaria de moguo, i
estante envidragada, 1 aparador de Jacaranda', 2
ditos de mogno, 2 ditos de amarello, 1 mesa elas- I
tica de amarello, 1 dita d mogno, diversas me^as
de abrir, 1 cama franceza, 1 dita de amarello, 1
qoarlinheira, marquezas, cadeiras de diversas
qualidades, ditas de balango, 1 oculo de alcance,
1 prensa de copiar cartas e muitos outros objectos
uue e-taro avista dos compradores na vespera e
dia do leilao. ,
Quinla-feira 2 nc marco.
Ra da Cadeia n. 36. i
O agente Pinto fara' leitio por conta e ordem
do diversos dos objectos cima mencionados exis
lentes Po -armazem do sobrado da ra da Cadeia
n. 36, onde se eff.sctnara' o leilao devendo princi-
piar as 10 horas era pona
Desde ja' previne-se aos concurrentes que de-
voran tomar conta de seus lotos em 24 horas,
visto ter-se de entregar as chaves do dito arma-
zem no dia posterior ao leilao.
.... i ....... II.' i. '
Leilao de orna casa terrea n 33 na ra
Velha.
Martins fara' leilao c )mpp.terrtemenle autorlsado
de urna casa terrea n. 33 na rna Velha frepuetia
da Boa-Vista, e de construego moderna, propria
AVISOS OTEMOS.
LOTERA
Aost0;Om)s00tte 3;M*0$0.
Sext-fe ra 10 de marco tr lugar ex-
traegao da 2a parte da 4a lotera da Santa
Casa da Misericordia (S'1) no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da fre-
guezia de Santo Antonio.
Os biHieles, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-j
po n. 15.
Os premios de 10000^000 at 20>OO01
serao pagos unta hora depois da extracto ilho. er,rend*' com ,n.ici?es M- p- D- B
ate as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distrihuiclo das listas.
As encommendas s se guardaro at a
noite da vespera da extraccio como de cos-
tume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Na nolle de terca -para quarta-feira 22 do
cBrrente rtmbatam d.i Casa do abaixo assignado,
morador na ra do ragao a. 25, os oijeotes cons-
tantes da relacao abaixo trameripla ; assim roga-
se a todo e qualquer loniaa, otirives. ou roosmo
particular a quem fo- offerecida qualquer das pe-
ga reubauas, a Jwwdade de a appretoearf* dar
parte ao anouncianle, que gralillcaf generosa-
mente.
1 redoma deonre feixada per nm prate* por
baxo, ebeia de agous-Dei.
1 ero* fle 2 1]2 polegadas le otrro rMCHfco.
1 ditae pedraa brtatm, c4rcladh de ouro.
1 p>r de rosetas de opaso.
1 dito de drtas de ciirisolllao.
1 ponteiro de ouro para menina, enriado em 4
palmos de traocehm grosso com possador lavrado.
1 medalha grande com 2 diamantes, eoflada em
2 varas de traocelim d itava o pKne.
1 medalna pequea com 1 diamante de um lado
e i pedra bcaMa do ostro, cufiada em 2 varas de
cordo fino.
1 par de boloes de oWo cortados.
1 volta de currante de euro bastante gressa.
i tranceln de ouro iuglez para hornera com
passador lavrado e mola de segurar relogio.
1 trancelim dale para sentiora cora passador e
1 oassoh-u roonfti lavrada om 1 retrato dentro.:
1 par de rosetas cem 1 amante grande cada
om.
1 anieliio de ouro esmaltad* cam 1 diamante
grande.
1 duo com 9 diamantes, sendo o do meio maior.
I par de brincos eom 2 diamantes cada lira.
1 annelo com 1 brilltanle seguro por agarras.
I pulsoira de ouro de goraos e i aHineto todo
lavrado.
1 allinete para senhora com 1 diamante grande
oo meio, circulado de folhas de ouro ao redor do
diamante.
1 par de botoes para pwilio de ouro falso.
- 1 lonea de ouro.
2 duzias de garfos, 2 Afas de collares de sopa,
2 Atas de dita* para ch, e 1 concha para assucar,
lodo de pran lisa e obra anflga.
I lago para pescoco e 1 par de brincos graWdes
(obra anligaj tendo os brincos 12 diamantes cada
um, e o lago mais de. 20 diamantes, sendo o do
ineiu bastante grande.
I coroa e 1 cruz de prata para santo
1 habito para farda de cavalheiro da Rosa.
ROPA.
3 lenges de bnm e 5 de tiramante de urna s
largura com as iniciacs J. A. B.
6 camisas de senbora, de bretanha, com labyrin-
! Ama ou efCi*va
i Precisa-smiugar unta ama yUc riba W* *-
nhar, ou urna eserava, pga w bem : na Ma da
Imperatriz a. 47, seguodo anrMK.
Ja casa da residencia do Dr. Loorengo Tri-
go de Loureiro, ra da Saudade n. 9, frotiteira
a do Hospicio, preciase do um ctiado livrs, li-
berto eu escravo, de idade de 10 at 13 annos, o-
mele paraajer as compras do oso diarlo, reca-
dos e servico interno da casa, menos ooslnar : a
quemeonviercomparega ateas 9 horas da ma-
nhaa ede tarda das 4 at as 6 ou das 8 at as 10
da uoile.
AMA
OTferece-se urna senhora branca de bons costu-
mesej de meia idade para comprar e cozinhr,
prelere-se rasa de homem solteiro ou de pouca ja-
miha: na roa da Penba n. 1.
Precisa-se atogar um sitio perto da cidade,
em lugar fresco, preferiodo-se um qu tenha pe-
quena baixa de capim e so,a perto do rio : a tra-
tar, quem o livor, no armazem n. 4, na ra do
Trapiche Novo
Na ra do Queimado n. 9 deseja-se fallar
com o Sr. Ur. Jas Mara Moscoso da Veiga.
Criado
Precisa-so de um criado fiel, intelhgente e lim-
po para servigo de casa e recados, tambem serve
um moreqne de 12 a 15 annos, sendo aceiado : a
quem convier dinja-se a ra Nova n. 19, primeiro
andar.
Pretisa-se de urna pMBVi com haliililigoes
necessarias partt ensinar primeiras letras a dous
meninos em um engerrho perto de>ia cidade, e
perto da via frrea : quem so jolgar habilitado,
dirija-se a ra da Cruz do Itecite n. 15, primeiro
andar, que se (tira as vanvagpns que. se faz.
\m\.
GASA DA FORIJiU.
Aos 10:000^000.
pegas de madapolo fino.
2 ditas enceladas de dito entrelio.
3 varas de esguiao.
1 duzia de peiios de Imho para camisas.
1 caiga de ca^emiracor de vinho.
1 chapeo de peTIo de seda novo para cabega.
i balaio com 140 ovos.
I revolver com 6 liros.
1 punhal com cabo de marllm com an'nel e cas-
tao de prata.
1 caivete de mola.
3 lengos novos para tabaco (fxo com pintas
brancas) e as intciaes J. A. B.
2 cortes de chita escura do 14 covados cada um.
Bilhetes jcarantldos.
A' ba do Crespo n. 23 e casas uo costi me.
O abaixo assignado vendeu nos seus itiuilo feli-
zes hilhetes garntalos da rotera que se acabou
de ettrahir a beneficio do patrimonio do orpho,
os segulntes premios :
lira quarto n. 989 com a sorle de 6:000*000.
U n quarto n. 2469 ora a s*rte de 1:4 OJ000.
ura quarto n. 1912 com a sorte de 500400Q.
E omras muitas serles de 200*, 100*. 40* e
20t000.
Os possuidores podem vir receher seus respec-
tivos premios sera os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra t Crespo n. 23.
Achain-se a venda os da 2' parte da 41 lotera
benecio da Santa Casa de Misericordia que se
extrahir no dia 10 de margo.
PRECO.
Bilhetcs.....12*000
Meios......6*000
Quartos.....3*000
Para as pessoas que compraren de 100000
para cima'
Dillietes. .... tijmoo Y*:;-
Meios. ..... SflOO
Quartos.....2*730
Manoel Martins Ficza.
Augusto Ferreira Pinto relira-se para Portu-
gal a tratar de sua saude.
Ama
Precisa-se de orna ama para casa d um mogo;
solteiro : na ra de Apollo n. 47, primeiro andar, j
Preci-s alugar urna ama que saiba cozl-:
nhar e engommar : na iravessa da Madre de Dos
n. 7, primeiro audar____________________
"^"Furtaram da pevo icao do Cacbang, na nm-'
te de 19 do corrente, pelas 10 horas da noite, um
cavaflo r Hlado claro com dinas e canda branca*,'
tendo urna pequea belide no oho direito, an
dador de baixa a meio, um pouco abenas as per-'
ns : quem O apprehendeC leve-o a ra dos Pires
n. 35, que ser gonerosamente recompensado. i
Precisa-se de nma ama para cozlohar, Krre on
escrav, para casa de familia : na ra larga do
Rosario n. 12, segundo andar.__________^
OITerece se urna ama do leite : a tratar na
ru da Gloria n. 92. __________
Precisa-sede um caixeiru toni platica de
taberna : a tratar na ra da Matriz da Boa-Vista
numero 27.
Aluga^gc um sobrado de dous andares e so-
tona ruada-Peoha n. 6 : a tratar na ra larga
do Rosario, armizera de louga da porta larga.
O Loudon & liraziltaa Bank, saca por todos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
______ Amarante.
O Sr. Leopoldo Cadault tenlp a Sondada de
vir a ra do Imperador n. 83, segundo andar, a
negocio qne nao ignora.
Precisa-se alugar um preto para o servigo
desu typogiapliia, ao qual dar-se-ha sustento, e se
paga por semana ou por mez, segundo ronvenha
ao senhor : a tratar na praca da Independencia
ns._6 e 8.______________________
Aluga-se a c:isa n. 199 da ra Imperial pa-
ra padaria, com forno e todos os utenftnos : a
tratar no largo do Carmo, esque a da rna de Hor-
tas n. 2.________________________________
Quem precisar de nma ama para todo o ser-
vigo de urna casa que seja de familia ou de ho-
rnera solteiro : dirija-so a ra do Jardim n. 29,
que achara com quera trtajj__________
Saca-se sobre Lisboa, Porto e Ilha de
S. Migue na ra du Apollo n. 20, escri-
torio de CarvalhoeNuc ra.
Attenc&o.
Prepisa-se de ura leitor que d fiador a sua con-
duca : tratase comE. Caroll-na Poste de l'cha,
e 9 at 10 horas.
Joaquim Gomes Dourado A Irmao fazera sciente
ao T'-speiiavel corpo docommercio que juljjam nada
dever, mas se algaem se julgar credor aprsente
as suas comas no praso de orto dias para serem
Precisa-se ulugar urna eserava que seja fiel
e de boa conducta, para comprar e cozinhr para promptaraente pagas.
casa de pequea familia : na rna das Cruzcs n. 21 j precisase de um rapaz de 13 a 14 annos,
.Na mesjma casa comprase urna negruna de 4 a 6 ou nm hompm de ,n a 40 anno sa|ba |er
annos '
nos de idade.
Precisa-e 1
de um rapaz portugnez de 16 a 18
aunos, que saiba ler e escrever, para admioivirar
urna casa de ralada perra de qoe qulaer, dinja-se a raa de Livramenlo a. 2i,
taberna.
1 tratar na ra da Concordia, casa n. 38
Precisa-se de una ama
lerno e externo de urna casa
na ra de Borlas n. 46.
para o servigi m-
de pouca familia:
Salitre
No paleo do P raizo, confronte a igreja, no
sobrado n. 29, segundo andar, alngam-se ricos
vestuarios para mascaras, ttade novo e de muito
bom gisto, dminos de 8>da e velludo, e outros
muitos vestuarios para horhens c meninos, pelo
diminuto prego de 5e lO.
Dase a quanua de -Y)05 sobre hypothrca de
ura escravo que seja mogo e sadio, Orando os ju-
ros pelo servigo do dito escravo : a tratar na ra
Nova n. 69, segundo andar, esquina do porto das
canoas. '______________________
Escriptura$io
---------------------- ] Um mogo que exerre o cargo de escriptnrar os
Alugam-sc o segundo e terceiro andares da |jvros ^ comrnerclo, pelos raeihodos mais adopta-
casa da ra do Trapiche n. 46, com capacidade pa- dos e de fecil comprehensao, encarreg .-se, as ho-
ra grande, familia : a fallar na ra de Apollo n. ras vagas do seu emprego, de qualquer trahalno de
33, primpjro andar.______^_________________escripluragao mereanlil : quem de seu peestimo
Joaquim Francisco Uasios repassado de dor necessitar, e o queira honrar no seu servigo, diri-
pelo golpe que acabou de soffrer, agradece cor- a-se uor carta fechada a ra larpa do Rosario n.
cealmente atlos aquelles que se dign-atam acora- 37, com as inieiaes J. A. R., e indique o local onde
pastar at o ceraiterio ao calever do sua mui (deve ser procurado.
praavta mi Vicencia Ferreira da C-nceigo Bas-;
to.Si u na divida de gralido que se perpetuar
em sua lembra >ga, e pela
eterno reconhecimento.
isa roa do Quemado n 37, leja de ferratens. de |
Dominjros Jo^ Ferreira Gui-nares, vende-se sali-
tre refinado por 235 a barrica de 4 arrobas, ou a !
63V 0 a arroba s a dinheiro.
Os Srs. academices que vo matricular-se
ooterceiro annoda Faculdade de Direito, podem
dirigir-se a ra da Saudade n. 9, fronteira a do
Ho direit > civil at as 9 horas da manhaa, e das 4 al
ai 6 horas da tarde.
qual hjvollieca seu
D. Mariada Concelgo d Moraes Cnaves,
loo l)net.-io de Mirles Chaves, France-
lina Mina Chavs Ventura, Francisca Ma-
na Cnaves de Almeida, Joo Juvrao de Al-
meida, 1 esario Arrellano Ventura, vuiva,
tilnos e genros do tloado Joito Pereira Da
masceno Cavcs, agradecem cordialmrnte
a todas as pessoas que s^ dignaram tomar
parte era sua dr com esppciah^ade ao seu
cunhado e compadre Francisco Jo> de Cam-
pos Pamplona, e -e novo rogara o candoso
obsequio de assistirem a nma atlssa que s.
tem de celeTar na matriz da Boa-Vista
pelo descango eterno da alma do mesmo ti-
nado, na quinta feira 2 do futuro pelas 5
horas da manhaa.
a Itencao,
Ao Srs. quo leve em sua casa a preta Anna, e a
mandn entregar no dia 18 do crrente sea se-
nhor, roga-selhe o especial obsequio, no caso que
ella apparega de novo era casa de sua senhona, a
bondade de a mandar em casa de seu senhor na
Soledade, certo de que, dahi mesmo sera ven-
dida.
m
m
m
i
Compaobia fldclldade de
segares martimos c ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PKPNAMBUCO
Aatoniu !. ii> de Otiveira Aiacdo h C,
compelcntemente auth'sados pela direc-
torta da companhia de seguros Fidelida- |P
de, tomam seguros de navios, mercado- 9
fias e predios no seu escriptorio rna da S
,rnzn. 1. S
Est para aiugar-se nma casa terrea na ra
da Glora n. 14, um 1 e 2 andar de um sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cru, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos. agua de beber,e portao
para o heceo do Pombal : quem pretender faite
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at ao meio dia.
!
Piecisa-se de urna pessoa habilitada
para escrevenle de um tacliygraplto : quem
eslverno caso de bem preencher o lugar
dinja-se an escripiurio desta folha ou ao
botel del'Univeis.
A viuva liihos e genros do finado Joo Pe-
reira Dam^se no Chaves aurad-cem do intimo
d'alma aos lllms. Srs. Dr-. Jo- Seraio Ferretra e
Silvio Tarquinio Villas Boa e pharmaeeutieo Joa-
qntm Ignacio Rlheir<* Jnnior, as raannirae urbanas
e desinterese &m qae se prestaram com espe-
cialidad-i o Sr. Dr Villas Boas, que acull a todos
os cnamados. Mores estes que jamis sero es-
quecidos e se conservarlo eternamente.
_ O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
de olbos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olbos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. i
do ra da Cadeia do Rccife, entrada pelo becco
Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado,
Tinturara
Na ra Direitan. 116 conlinua-se a tingir para
qualquprcor, e o mais barato possivel.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, que lave, engorante, cozmhe e compre
na ra do Caldeireiro n. 70.________________
Precisa-se de um orae-m para traba:har em
um siti 1 com planta de capim, eui Bobcribe : a
tratar na ra Di re la u. 69.__________
Domingos Rodrigues de AnJrade, na ra da
Cruz n. 33, saca contra a praca do Rio de Janei-
ro, vista ou a praso.______________________
Attenco
O abaixo assignado em virtude de urna carta
des Srs. Urabelino & trmo, cmnmercianies MU-
belecidos na povoagao de Timbaba, dudara por
parte dos mesmos senhores, que tendo elles aceito
uina letra proveniente de fazendas que compraram
para sen comraerrio, em 12 de setetnbro do anno
prximo passado ao Sr. Joo Martins do Rio, da
quantia de rs. 2:881*636, a qual fui paga em 31
de Janeiro do correte anno; e como tivesse o
mesmo Sr. Rio remettido a err urna carta e esta
Ihes nao fosse entregue, assim, poi*, previnem ao
publico, e especialmente pessoa que por ventura
a tenha adiado, e ao mesmo portador que a c duzio, cujo nome se ignora, que querendo restitui-
la, visto somenle ii'ilisar psIp documento aos Srs.
Umbelino A Irmao, entrgala ao abaixo assigna^
do em seu estabelecim-nio na ra do Queimado
n. 5, loja de fazendas.
Irlno Janaario de Oliveira.
Aluga-se o segundo andar e soto com bas-
tantes commodos para grande familia, na ra da
Penha n. 5 : a tratar na ra larga do Rosario ar-
mazem de louga.
Fugio na noite do dia 23 do correnle o escra-
vo Jos Res, com os segrales signaes: bem
preto e bert barbado, muit. ladino, leo o queixo
un pouco1 sahido Tora do commura, a nadega es-
tufada para fra, rom as pernas pouco arqueadas,
multo locador de viola, julga-se ter vindo aqu
para o Recife sentar praga : pede-se a todas as
aiitoridad'is pollclaae e ca 'ites de campo a appre-
hensad do dito escravo e leva-lo an edgdnho Me-
reiies, comarca de Golaona, que serSo recompen-
sados.
Quem liver pare arrendar nma olrte de
obra grossa ou fina pprto do porto de embarqne,
dirija-se a rna da Palma n. til, tbera*, se dir
quem precisa.
Moleqae
Nd dia 18 do eorrente au>entou-se da casa de
sen senhor o molrque Crsuliano, da 14 annos,
tem o-roto do Irtdo e>;t|tierdo com pequeas man-
chas amarillas, levou caiga decapmtra azul, c ca-
misa d chita Por de rosa, o cabello cortado ren-
te,^ f 'i eompr.ido no da 16 do correte ao Sr. ca-
r*t*o l>. Aiwnsto Cavalrante lie Afhnqo>*rqnp, se-
nhoC do engenho Alborge, nacomarea de Nazare*.
de sappor que segnisn para aquetlas paragnus,
e por isso se reeummenda s autoridades poiaas
a sua. apprehensao, e leva 11 na Gapunga, padaria
a\x r. Ba.-h>s, que geaerosjiinenle s# receopensai
t toda despeja.
Previne-se ao thenrnireiro das loteras qie nio
pague, ra-o saia premiado, o meio bilheta garanti-
do n. 2320, o qual foi perdido no dia 23 do corren-
te pertencenle a Marcelino Guedes dos Sent&s Ju-
Jar.
Joaquina Jos de Ajpvedo. subdito-portugupz,
vai a Portugal e deixa fP seus profiMdores bas-
tantes em Io lugar o Sr. Jos Correr* Braga, em
2 DominHK Jo> de Amorira, e em 3o Joio Cus-
todio da Silva. _________________________
Charles Daumerie, alfaiato francez, participa
ao respeilHVi I imlmco e a seuo (regu-ze* em par-
ticular, que mudou a sua rasa qiie linha na ra
na Cadeia n. II para a mesma. ru n. 26, esquina
do becco Largo.
Perrlen-se dese o sitio, do Sr. Manoel lea-
do de Oliveira, na Passagem al a casa do falle-
cido Luit Gomes Ferreira, no Mondego. urna cai-
xa de tartaruga parda (pie tem na lanpa as ini-
eiaes J. J. M. S. com a insignia da legiao da honra
entre as qnalro letras: qnem as qoi-er restituir,
dever dirigirse ae*\ 5-arm.eul pai, no campo
das Princezas.
Saude dada a todo o inundo.
Pelos aretiosos medicamentos des Srs. (Jrimault*
., pnarmaceutieos de S. A. 1. o principeKa-
porrSo, rna de la r'riiDade 7 em Pars.
Porque os Srs. mdicos e o publico usara de pre-
ferenriados medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
mault A C, pharma'iuiiicos em Pars, com os quaes
elle ten sempre obMo as otras as mais extraor-
dinarias ?
!. PorqHe esta casa sondo sem coniradita a
mais importante do Pars, honrada com a rlientella
d ma parte da corte, patenvuda por S. A. I. o
prwcrpe Napoieo vende prodeass de urna ellt-
cacia reeonhecida.
2. Porque esses mttficanffntrrs representam as
inais recemes conquisias da aw^diema e da cbi-
II) ira.
3." Porque tora lodos ura gosto agradavel, salis-
fazem a visia, e pdem ser administrados sem pe-
ngo, tanto s criangas cerno as pessoas adultas.
4. Porque ellos dilf.-rem inleirampnie desse re-
medios inglezes e americanos, preparadas por tn-
dustriaes estranhos-, tanto a med-ina tamo a phar-
ma<-ia, dos quaes nao tera nem a sciDcia nem os
ttulos.
5. Porane estes medicamentos s se applicam a
nm nevero limitado de doengas, e nao as curara
todas.cemoos remedios de que acabamos de fal-
lar ; emlini cada preduce tem sua applicagao par-
ticular.
Por isso pensamos prestar um servigo a todo o
mundo, indicando aqu as importantes proprleda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Sr-
iivuili & C.
Xarope de raioi t lodado.
Emiiregado com saccesso cvrto em lugar do olea
de tigaoo de bacalh, ifro desagradavel, tao diftt-
cil a digerir, t' oespecideo o ruis certo contra
as escrorrfinlJts, o lyrophalismn, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rhen-
malismos, o escorbuto, as' affei cocs da pello, as
midesiias v peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o maisi>odero9o,- e o recominendam era
lodosos casos que precisa-se eorrigic a aeiimonia
do sangue, e dar-ihe lodos os principios ftbos que
(erdeti, seja pelos excessos. pelas affecgois lym-
pbaiicas, escrophulosas, e venreas.
Yarope de qnina vciutclha fer-
roginoso.
Ou assoria'gao dos dous poderosos remedios da
materia mediea que sao : o ferro um dos princt-
paes elementos de nosso sangue e a quina que t' o
tnico e o febrfugo por excedencia.
Este delicioso medicamento ag adavel ao paladar
e a vista, lera um resoltado admravel as flores
brancas, dores de estomago, falla da appelile, po-
breza de sangue. Elle sobretudo otii as senho-
ras e as mogas deliradas, para desenvolver e re
gul.irisar a menstuagao e suspender os efletto
perniciosos das flores branca, que sao a cansa de
tantas doengas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forgas e d saude para os doentes enfraqneci-
dos pelo trabalho, os excesos, as alTeegoes escro-
pbuli'sas 011 venreas.
As mais de familia acharan neste xarope ummer
dicamenlo sem igual, para fornlicar e deseovettftt
a systeraa osseo das criangas e os preservar da-
offeegoes escrophulosas.
i:is\r digeslivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o pnnieiru lugar en-
tre as novas conquistas da setnela, a pepsina pos-
ue eom elleito a propried^de importante de faaor
digerir os alimentos quasi srm ,-ocrorro to esto-
mago, o remedio soberano das gastriles, gastral-
gias, das tillammages do estomago, dos ligados
dos intestinos. Elle supprime os gatas, as nauseaa>
as pifuites, o desgosto dos alunemos, e presta nrla>-
cipalmente um imnwnso servigo as senhoras nema
posigo interessante da qual supprime os vomitoe
A* pessoas que paderein de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, verio sua vida prolongad'
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e rnva
lcenles o sustento de sua saude o o reparador da
suas forgas; porque cera urna boa digeslo semprr
se go-a de boa saude.
Xarope peitoraldeK forge.
Novo especifico, sem opio, reeonhecido como
melhor medicamento para curar a tosse, deflux%
catarrho, grippa, irritago do peilo, anginas, dore
de garganta, coqiielux.>,etc.
Este delicioso jarope popular em, toda a rranga,
foi descoberlo pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
OrimdUll Ci C, unirii. pr"|>riottrir.i ita vor.luileirx.
receila. Rccommenda-se aos doentes que usem ao
mesmo lempo das deliciosas pasttlhas peitoraes ao
surco de atface de louretro-cereja dos Srs. Gr-
mault & C, este excellenie remedio composta
com as duas substancias as mais calmantes e a
mesmo tempo as mais inoffensivas da materia me-
dica, e nao contm opio.
Injeeeo e capsulas maico.
Estes dous producios que coristituein a mais re-
cente e a mais importante mediaco para curar os
corrimenlos e as n.oleslias veneraes do homem e
da mulher, sao exclusivamente vegelaes nao con-
tm mercurio, e sao preparados rom as folhas do
matico arvore do Pern. Nao ha molestia conta-
giosa antiga wi recente qae resista ao uso desses
dous meios. Sna rapidez de aegao .superior a
tudo quanlo se tem feto al hoje. As capsulas
nunca cansan) o estomago nem os interinos como
as capsulas de copahyba, rubeba e outras ; a in-
jeegao nunca prnduz o eslreitainenio como aconte-
re com as Injecgots com base metlica aronselha-
das at hoje.
Todo* e?tes productos vendem-se as principies
pharmacias do Brasil, agento para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, era Pernam-
huco, Caors Barbosa, na ra da Crol n. 28, na
Rahia, Lima & Irmos cm todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre assignatura Griniault &
C, por qoe ha falsitieagoes pnrigosas.
Vender na botica franceza ra do Imperador
n. 38.______________________________
Quem tiver acudo duas chaves de pona,
que amarradas por um eurdel, forara perdidas
honlem a noule em Olinda, desde a subida da la-
deira da Misericordia at oembarqne no Varadou-
ro, vindo pelos Qnalro Cantns e mas adjacentes.
qneira levar ou mandar as ditas chaves ra da
Aurora 11. 26, onde ser gratificado.
A. Schaffter, tendo de retirar so para a Eu-
ropa, deixa como seus procuradores e na geren-
cia de soa casa commerdal A. rhaffier & C...
durante sua ausencia, os Srs. Ilyppolito Schaffter
e Benrlqnp Oetli.
Quem precisar de apa para engommar
por prego commodo, e juntamente orna ama para
servigo de casa : dirija-se rna [)irit n i4tt.
No passeio publico n. II ha para te alugar
um preto era vicios e miiiio fiel. %
Na fabrica de calgado do pateo da ribeira de
S. Jos n. 23 precisa-so de artistas taiuanqueinxs.
Livro
O livro do povo, ofcraornada con estampas, con-
tendoa vida deNosse SuhorJesusChristo, e mui-
tos ar^gos nteis. Este Uvro das familias recom-
mendado oapprovado pelos Mua. ~rs.D. Lnia
bispo do Maranhan e D. Manoel arcebispo da Ba-
bih>eflde Jos Nogneira deSnuz. roa do Crespo n. 2.
INJECCAO I5HOW-
Remedio itlfallivel contra as gnoi cheaa
antigs e recentes, nico deposito a be-
ica franceza, ra da Cruz n. 9fc pre-
CO 35
/
-- Aliiga-so urna eserava ^ara lado o servico de
casa, multo lid na ra do imperador n. 50, ter-
ceiro andar. r
Na obra do Hospicio, de Vicente Ferreira da
Cosa, precisa-se do scrvcnle: a tratar ^ia taber-
na do Poildto,
[ 11 rm^^\ w-




Diario de rernambueo .-- Segunda felra 3 9 ale Fevereiro de 1S5.
AO CARNAVAL!
RA NOVA N. 37.
CLUB PfiRNAttBl'CANO
A reuniao familiar do mez de fe?ereixp
_ter lugar no dia 27. A directora scienli-j
fica que terao igualmente ingresso 08 Srs.;
socios que vierem mascarados sendo pre-:
viamente reconhecidos por urna cemm!ss$o.
se ao Sr, bacbarel Gezario
de Azocdo jaiz municipal de Gaian-
huas, queira dirigase praca da ln-
JOSE' RICARDO COELHO, acaba de receber de Paris, pelo paquete francez Qearn, chegado
14 do crrante, um rico e variado sortimento de vestuarios todos a carcter e gosto moderno, qur
para homens, qur para senhoras, proprios para os grandes bailes dos Clabs Coramercial e Pernam-
bucano, sociedade Corybantina, e finalmente para martas recreaeSes, que se preparam para os diss .
26, 27 e 28 do andante; por tanto, chama a attencao do respeitavel publico, para seu estabelecimento, annoaIn,. ,,o w .. .1.-V...
preparado o melhor posslvel para bem servir qualquer freguez. Nao querendo o annunciante tornar- "CpentieilUd OS. O e o, OU ailDUIIliar
se prolixo, liraita-sepenasa fazer meneo de alguns costumes masques, de sua variada galera, SU3 DOroda Dar ser OrOCIirado
saber : Bretn, Muletier, Pirrot, Louis XV, Vivandeira dos Zouaves.Coslume Itlico, Bisayen, Chic des'
Chics, Navarai, Principe Caucasien, Rigolblche, Houveaux Pailasse, Pierrot Loustie, Pierrette, Megi-
cienne, La Reclame, Prince d'Araucani. Tem igualmente o mais completo e abundante sortlmnto
de cabelleiras, meias ditas e barbas, qur pretas, brancas ou grisalhas e outras cores ; tudo novo ao
carcter que se queira.
Em seu estabelecimento, se encontrar o que existe na actualidade cm Paris e Allemanha de
raelhor em mascaras, sendo de rame com mola o sem ella, de cera, com cabellos e barba, narizes,
mascaras a domin; e finalmente de papelao de todas as qualidades. Tambem tem as mais frescas
e afamadas luvas de pellica de Jouvin, de todas as cores chegadas pelo Bearn.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna fiauca em dinheiro, depositado ros cofres do estado, garanto, a boa ad
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECCO GERAL
Madrld: Roa do Prado a. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segaros
sobre a vida. -
Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL,que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do mteresse produzido em recentes liquida-
goes ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a 19 annos, umaimporsicaoannual
de 10J produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:9425660
de 15 .......11:2085200
de 20........30:2365000
de 23 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informacSes serao prestadas pelo snb-direclor nesta provincia,
mo Joaquim Fiuza-de Oliveira, ra da Cadeia n. 32, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, estabele-
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
Jos Soares d'Azeyedo, | rof ssor <'e
lingua elitteratura nacional no Gynnasio!
Provicial do Recife. tem aberto em sua,
casa, ra Bella n. 37, um curso especial j
para cada ujjia das seguintes disciplina*: i
LINGUA FRANCEZA,
GEOGRAPHIA E HISTORIA,
PHILDSOPfKA RACIONAL E MORAL,
HETORICA E POTICA.
As pessoas que d sejarem estudar qual-
querde$tes preparatorios podem dirigir-sel Na pracada Independencia lo]a de ourives
indicada residedcia, de manhaa at S 8 n. 33, compram-se obras deouro c pratae pedras
horas e de tardp a rmalnn r hnra preciosas, assim como se faz qualquer obra de
ao encommenda e lodo e qualquer concert.
i da Silva Ramos, medico pea Un
versidade de Coimbra, d consulas em
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da Urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, qne serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren no hospital Pedro I!,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 25008
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons serv eos que tem pres-
tado.
O proprietario espera qne elle conti-
nu a merecer a conlianca de que sem-
pre tem gozado.
ajT1TM(Q1D |ip"""m"*bm|
. .. \ O Dr. Carolina Francisco de Lima San JS
Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita
vehpublico e a todos os senhores offlciaes do exer-
cito e da. marinha, que contina a ter sua casa
sortida dle fazendas e roupas feitas e por medida :
no largoido Livramento n. 34.
A luga-se
urna casa acabada agora, com commodos para a-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.com banho na porta, no lugar do P050
daPanella,ruado Rio : a tratar com Taeso ir-
maos, na ra do Amorim n. 33.
tos,contina a residir na ra do Impe- ]
rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- \
curado aqualquerhoradodiae da noile
para o exercicio de suaproflsso de me-
dico ; sendo queos chamados, depois de
meio diaat 4 herasda tarde, devem ser:
deixados 'por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior a (finco, no das mais diffieeise deli-
| cadas operares, como sejarr.dos orgaos
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
r'>js< ss^w-^rss* as'
Alugam-se dous grandes sobrados com com,
Manual do gnarda nacional.
Acham-se impressas quatro formas com 84 pa-
ginas etn oitavo francez do segundo volame do lia- \
nual do guarda nacional, ou collecgao de todas as modos para numerosa familia, novos e aceiados-
leis, decretos, avisos e ordens concernentes ames- comjardim,cochelra, estribara e outras commo-
ma guarda. didades, na travessa de Joo Fernandes Veira: a
Ha nestas quatro formas, importantes deds5esdo ralar na rua daSenzala Nova n. 42.
governo, esplicaodo as duvidas, que tem apparect- '-----r:--------:-----------------------.. .,
do na execuco da le da ffuarda. nacional a seus Prewsa-se alagar urna prtta [.ara todo o ser-
ucao da lei da guarda, nacional e seus .,
regulamentos, como sejam : o modo de se fazer as VIS de u,aa casa e familia
propostas para offlciaes dos cornos, quando estes nQI"e''o 4.
estao organlsados, ou em organlsaco : forntacab
da junta medica : reforma dos offlciaes e inferiores:
soluco das duvidas respeito das despensas do
na rua do Trapiche
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE,
A direccao do BANCO UNIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacao
Aula particular.
O abaixe assignado,professor particular.provi-
servQo activo :tempo dos'offlcTaeTseTclarem fa'r- sionado peladirectoriageralda insirucjopublica
dados e data do juramento : se offlcial da imperial Para eusinar primeiras lettras, latim e francez,
ordem da Rosa est isento de prestar servico como participa ao respeitavel publico e igualmente aos
simples guarda : seos inferiores dos corpos de- senhores pais de seusdiscipulosque seguoda-feira
vera seguir a ordem gradual do accesso para ser do correntetem de continuar no ensino das su-
promovido offlcial : quem substitue o commandan- praditay'materias.admittindo matricula alumnos
te superior as suas faltas, ou impedimentos : qual externos, pensionistas e meie-pensionstas. A pra-
deve serla pena imposta aos inferiores que nao se tica de 19 annos consecutivos no exercicio de seu
apresentarem fardados no prazo ado : se os instrumentos importados da Europa sao garantas que offerece aos senhores pais de fa-
para estabelecer o seguro de vidas em mutualidade, faz publico que desde j toma subs-i para as rnusicas dos corpos da guarda nacional, es- milias.quedesejam a sa e til educado a seus
eripcoes annuaes por urna so vez, debaixo das seguintes condicoes: lao lentos dos direitos da aifandega : quaes os filnos.
Com perda de capital e lucros vencimentos dos offlciaes e guardas em servico de Quem perianto quizer confiar ao mesmo abaixo
destacamento : se tem direito continencia e com- assignadoa educaejiode seusfilhos, pode dirigir- se
mandante superior, passando pela frente de urna a qualquer hora do diaaoterceiro andar do sobra-
brigada de linha : se o empregado de fazenda des- do n. 38 da rua Nova, onde ha muito lempo est
tacado como offlcial da guarda nacional deve accu- estahelecido.
mular o seu ordenado : se offlcial da guarda naci-; Jos Maria\Machado de Figuehedo.
nal suspenso, por crime de responsabilidade do
cargo de delegado, ou de juiz de paz fica tambem-
suspenso do exercicio da guarda nacional : que
honras cofapetem aos capites da guarda nacional
Dito de capital somente;
Dito de lucros somente ;
devendo a primeira liquid^cao ter lugar no Io de Janeiro de 1869.
As vantagens do emprego de capites em mutualidade, sao obvias, porque nao so-
ment se collie o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-
nhum resultado; mas alm d'isso, este reudimento augmentade pelo capital ou lucros,
ou ambas as cousas, conforme as condicoes da subscripcao, dos que fallecem. Tambem
partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga- !!f!nfi,-?P-,II,^ores dos ,nefm2s crPs: "a la-
mentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorArem 12K W^
pela falta de eumpnmento do compromisso social. tanteo, com o posto da guarda nacional ha incom-
As liquidaeoes sao pelo systema. das companhias hespanholas, tutelar e outras; e' patibiiidade na accumuiacjio do posto da guarda
para se pjder fa/.er urna idea do que pode producir urna entrada annua de lOOOO, pu- i !2fLR!, ^carg?de ,juiI rJ" oofflcial
Mfea^asegomie tabella baseada sobre a experiencia de muitos annos de companhias^Z^^Si^!!^^
(Iho de qualificacao : em que prisao devem os offl-
lo annos 20 annos 23 annos ciaes da guarda nacional cumprir as penas, con-
1-anno .HO.l 100j$ 90041 2:000^ 1:700$ demnado no foro commum : seos guardas na-
9 004 30O 7505 1:700a 3:7O0>91 c,onae| pau5 P nao iseoloe do recrutameoto : 720 'v V.Knnu! .s ve.ndedores seII. "os crrelos esiao despensa-
desta natureza.
Por um menino de
dp
de
de
t de
Por urna pessoa de 15
de 20
de 30
de 10
dia a
anno a
a
3
a 1
alo
a 20
a 30
a 40
a 50
Em 3 annos
lio>
005
860
m
860
86.JI
86,51
SU
903
10 annos
30O5
290^
270,?
2703
2700
2703
.2703
3093
7103
7003
7003
7103
7200
7503
20 annos
2:0003
1:7005
1:6000
1:5603
1:5503
1:5403
1:5600
1:6003
1:8003
Belouche avisa ao respeitavel publico que
comprou o estabelecimento de banhos, sito no pa-
teo do Carino, que contina a dar banhos como de
1 costume, declarando que os cartSes assignados pe-
io Sr. Cancanas terao vigor para tomar banhos s
at o da 28 de fevereiro de 1865. O mesmo convi-
da o respectivo publico que comprela no mesmo
estabelecimento, que vero executado com todo o
esmero o systema e asseio que deve ter tal estabe-
lecimento.
Preco dos banhos.
Banho fri on quente, tomando 10 car-
toes, pelo prego de......4000
Um banho avulso on s..... 300
Para todos.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que mudou a sua offleina de palbioba da
rt do Imperador n. 24 para a rua das Cruzes a.
23, igualmente tem para vender palba e junco
mais barato que em outra qualquer parle.
Manoel da Costa Azevedo Napoleao.
THESOURO DAS MAIS" ~
Providencia das enancas.
COLLARES ROVER
Electro--- magnetices.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICO
Contra as convulsoes e para faciliiara
dentico das crianzas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceutico da esco-
la superior do Pars, successor de Chereao,
membro da academia de medicina
amiga casa de Bouillon-LagraDge,pharmaceutico
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Pars,e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na luja do
Gallo Vigilante rua doCrespo n.,7. _____
Rosa da Cunha Miranda, tendo de Ir a' Ma-
cei tratar de sua sade, faz sciente ao publico
que o casal nada deve a pra^a, e durante a saa au-
sencia nao acceita divida alguma feita por seu
marido Arsenio Antonio Carneiro da Cunha Mi-
randa.
Preeisa-se de um menino de 12 a 16 annos
para urna taberna na Capunga, preferindo-se Por-
tuguez, e que j tenha alguma pratica : a tratar
na rua larga do Rosario n. 8, fabrica de cigarros
do hespanhol.
OPSCULO
DE
MORAL !!i:i.I.IOS %,
POR MR. HUIDO PAUA LEIIUI1A AS ESCOLAS DE 1XS-
TRIT.C.AO PRIMARIA.
Esta obrioha que mereceu do conselho director
da instrucQao publica o parecer, queadiante trans-
crevemos, acha-se a venda pelo diminuto preco de
300 reis em brochura, e 100 reis encardenada, as
livrarias dos Srs. Guimaraes e Oliveira, rua do Im-
perador n. e do Sr. Nogueira (junto ao arco de
Santo Antonio.
ApproYaco do conselho director da instrneclo
publica.
A commissao encarregada de dar o seu parecer
acerca do Opa-calo de Moral Religiosa para lei-
tura as escolas primarias, por M. Ambrosio
Rendu, autorisado pelo conselho de instruego pu-
blica em Franca, e traduzido em vulgar por **,
leu acuradamente e>te formoso livrinho, que 'tanto
tem de pequeo como de interessante ; e quando,
pela doutnna que cncerra, e pelo primoroso da
verso elle se nao fizesse desde logo recommenda-
vel, bastara o nome do auto do Cdigo Universita-
rio, e a respeitavel saneco da autoridade do ensi-
no em Franca, para que a commissao o propozesse
aopcao do conselho. Mas, alm disso, quizera
ella que as nossas mais de familia em todo o Brasil
tivessem sempre miio ests pa?inasnhas de amor
pelas quaes fizesfem ler, e ensinassem seus filhos
no regaco, par da historia do povo do Dos, e
dos mysterio do ehristianismo.
E por isso a commissao de parecer que nao s
o Opsculo seja adoptado as escolas primarias,
mas que se procure vulgari.-a-lo em todo o imperio.
Sala do conselho director da instruccao publica
de Pernambuco, 18 de setembro de 1863. Jos
Soares de Azevedo.Dr.Aprigio Justiano da Silva
Guimaraes.
Aluga-se nma escrava de boa conducta : na
rua do Imperador n. 54. loja de livr'os.
T. de Aquino Fonseca Jnior saca sobre Lis-
boa e Porto : a tratar na travessa da Madre d-
beos n.3, primeiroandar.
Chegaram do Aracaty os afamados bicos da
As entradas por urna s vez dao resultados muite superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 53000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores
Machado.F. M. van der yiepoort.
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz
numero l.
de Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz
ATTEN(!AO
AO
j os vendedores de sello
o:oU0 dos deservir na guarda nacional: se os offlciaes re-1
3:4000! formados da guarda nacional pndemser aggregados
commodo : na rua da Cadeia do Recife n. o9.
Para escriploiio
Aluga-se o primeiro andar da rua do Crespo n.
23 : a tratar na loja.
Consultorio medico-cirurgico na rua larga do .
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua profissao
nao s na parte medica como tambem na cirur-
gica.__________________________________
O Sr. Aon liano C. da Rocha Wander-
ley, queira mandar buscar urna carta na
lhraria n. 6 e 8 da praca da Independen-
cia.
o.oonfl os commandantes interinos dos corpos fazerem
,',*"? propostas para offlciaes : etc., etc.,etc., etc.
.WV& Quem quizer desde j possuir estes esclarec-
3:7000 mentos, mediante um diminuto estipendio antes de
5:0003'se "'ma'" este segundo volume, dirija-se ao segn-
do andar do sobrado da rua do Livramento n. 31,
e ahi os encontrar em broxura, assim como enca-
i hWa., dernad o brimeiro volume do Manual do guarda
do BANCO UNA O, Jos da Sika nacional, i
No escriptorio de E. R. Rabello, rua da Ca
deia do Recife n. 33, primeiro andar, existe nma
carta vinda de Lisboa para Joaquim Jo- Pereira
Na rua da Aurora n. 86, primeiro andar,
ha para alujar urna escrara que enqomma e cosi-
nlia solTrivfiniente.
Jos dos Sanios Furnias relira-se para Portu-
gl___________________________________
Antonio Fernandes de Azevedo, subdito por-
tuguez, vai a Europa._________ '
Agcntia de passaporte.
Claudino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, lira-os para dentro e fra do imperio por
commodo preco e prstela : Da rua da Praia, pri-
meiro anJarn. 17. ,
tsr fiBMU oso ose
Algo dao emearoco.
Compra-se qualquer qaaolidade por maior pre-
co do que se paga no mato : na fabrica da traves-
sa do Carioca n. -2, caes do Ramos.
VENDAS.
Attencao.
Vende-se superior vinho do Porto cm caixas de
urna duzia: em casa de Johnston Pater & C. rua
do Vigario n. 3.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typograplria o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
ljjl; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
O GASTELL DE GBSYILLE
Traduzido do francez per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo prego de 2)5500:
na praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8. ___________________
FOLHINHAS
rara 1865
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLIIINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALG1BEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais nma nova
Salve Rainha em versos, o Slabat Mater
em verso, devocao ae agonisanle, cora?o
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero de m-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.__________
Rna da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento'vendem-setachas de
ferro coado libra a{110 rs., idemde Loi
tfoor libra a420 rs.
NOVO AMAZEM DE MOLHADOS
Delouche, relojoeiro, avisa ao respeita-
vel publico e a seus freguezes que mu- -
dou a sua loja de relojoeiro da rua Nova
para a mesma rua n. 30 esquina do bec-
5 co de Santo Amaro, continua a fazer to-
gR dos os concertos pertencenles a sua arte
: 2|| com muita brevjdade e prego commodo.
Na mesma casa acaba de receber mui- ;
i gR tos bons relogios de sua propria encom- j
iggf menda, de prata dourados e ouro patente, i
g tambem relogios americanos para cima !
, H de mesae parede, tem tambem insiru-
g|S mentos de msica, candieiros para gaz e ]
35 muitos outros objectos todos por presos
R muito commodos. f
O bacharel
Francisco dugosto da Cosa
ADV6GAD0
Rua do Imperador numero 69.
m
X. 18 Rna do C'afongn. t8,
Defrontc da matriz de Santo Antonio,
DE
Lima Si C.
O proprietario desle novo"eslabeleciment avisa ao respeitavel publico, que acha-
se prvido de um completo sortmeato de molhados e seceos, lodos novos e por procos
ommodos. ^^nSaf^T^^^^n^X Aul0B1-iU,z Oliveira Azevedo.
O proprietario nanea quiz annunciar pelo jornal a existencia de seu estabeleci- testamentado finado Antonio JosfrXTOnJ Agentes do banco Unio do Porto."
ment ; porm, como faz-se necessaria a noticia aos senhores de enRenho e agriculto es, Silva, faz publico a quem convier. que o dito Una-' Competentemente autonsados sacam por todos
que niandam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os pro-1 deixouemseu testamento 235 para cada um
prietaries 0 fazem agora de se.1s anlhado?, com a condifao de apresentar,
Aproveitam a occasio para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci- ^m*JX^^&Tto W
ment se achara sempre completo de um vanado se rtimento de molhados. seceos e ou-1 apresentar-se a elle testamenteiro muidos da!
tros objectos j)erlencentes ao mesmo ramo de negocio. competente certido de baptismo para recebrem
Seus precos sero menos o por cento do que em ou Ira qualquer parte, e para i?l!qu?",.!ai.._
5S
os paquetes sobre o mesmo banco para e Porto e
Lisboa e para as seguinles agencias :
Londres sobre Bank of London.
este fim chama-se a atlencao de todos em gera
Os pesos e medidas, e qualquer engao dado na casa, serao garantidos pe!o dono
em favor do consumidor, em qualquer occasio que reclamar.
Os propietarios deste novo estabelecimento esperam dos seus freguezes, e do:
publico em geral toda a proteceSo, prometiendo os proprietarios da Flor dos Progre-
sos tirar tao smente um lucro razoavel do laborioso trabalho, com que possam dar:
cumprimento a esta ardua misso.
Adiando desnecessaria a publicagao dos precos minuciosamente explicados de
sena gneros, com o que geralmente todos fogem, pelo motivo nao somente de ser enfa-
donho, como tamnem por nada valer, os proprietarios tm somente em vista entreter es
seus consumidores com gneros novos, e precos mais razoaveis do que em outra qual-
quer parte, pois sero as garantas para a proteccao ao Novo Armazem de Molhados.
FLOR DOS PROGRESSOi.
DE PARS
9j Procuradori.
>M Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
S| ce de Lsoo, como solicitador, se encarre-
\m ga das causas crimes, civeis, commer-
^| ciaes e ecclesiastcas. Elle ainda recebe
J* algumas caas de partido, mediante a
|K um ajuste razoavel. Pode ser procura-
fK do as salas das audiencias ou na rua
Imperial sobrado n. 64.
mmmmwmmwmwi
CHEGARAM
os ferros|de encrespar babados de vestidos e rou-
pas de senhoras, de diversos tamanhos, assim co-
mo ferros de recortar de diverses modelos
4RIJA DO CRESPO-4
Paris
Hamburgo
liarcellona
Madrid
Cadis
Scvilha
Valencia
Precisa-se de urna
do Imperador n. 14.'
engommadeira : na rua
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barccllos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
.Faro
Oliveira d'Aze-
meis.
I Penna fiel.
,Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real de Vizea.
.Antonio. Faial.
Frdric S. Ballin & C.
JoaoGabe & Filho.
Francisco Rotula & Ballesta.
Jaime Merie.
Crdito Commercial.
Gonzalo Segona.
M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Figucira.
Saques tobrePoi'tngal.
O abaixo asignado. sutcrhdc- prh
iBancoMercautil PortueLse. e naausencia. i
[do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- jg
ifectivamente por todos o paqu^a/sobre m
as pracas de Lisboa e Poi<|>M*luga- fl
Tes do reino, por qualqueijl Ei "' M
ta,e a praso; poiendo, om ^^rrarcmttj
saque? a praso.re 11 < n.ftj9|B.r!o me?- *
mo Banco,-defrriifnr'f 4 0jpi loja de chapos da ruadiUpt.ipo n.fi, ou gg
na rua do Imperador n. o5, s.gnndo an- ^
dar.Jos Joaquim da Cosa MVia. JH{
una w mmmm mmmmm
Aluga-se om sitie na rua do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea.com co
piar nfrente, botaos fundos para aestra-,
daemargem do rio Beberibe, com com-
modosparafamilia,estribariapara cavallo
e capim .jara sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo,cora ptimos passeios.sala e fiabi-
Vende-se urna taberna bem afregnezada pa-
ra a trra : a tratar na rua das Calcadas n. 9.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S. Joao da Luz, na rua do Livramento n. 21.
Borzoguins de lustre (Nantes) 65000.
Ditos de hezerro de tres solas (Nantes) 6^000.
Ditos de hezerro de duas solas 6J000.
Sapatos de_tapete_6i0 rs.__________.
Milho novo em saceos grandes: no trap,
da Cunha, a tratar com Tasso Irmaos. ^ ;
Os Elementos de Direito Administrativo Bri-
sileiro (2* edico), compostos pelo Dr. Vicente Pe-
reira do Reg, e definitivamente approvados por
aviso imperial de 13 de agosto de 1864, atim de
serem adoptados como compendio as Faculdades
de Direito, acham-se venda na livraria econmi-
ca rua do Crespo n. 2, ou no escriptorio do au-
tor a rua do Queimado n. 46, primeiro andar.
Vende-se o caf restaurante do com-
inera > na rua do Trapiche Novo n. 22:
quem precisar pode dirigir-se a di a cas3
que nena com quem tratar,
Rmente romano e de Poi tlaml
nos armaze:-.s de Tasso Irmaos.
Estopa larga
uperior a 360 rs. a jarda e a vara a 460, e estrel-
la a 240 rs. a jarda : na loja da rua da Madre de
eos n. 16 defronte da guarda da alfandega.
Camas de ferro proprias para
collegio.
Acha-se a venda grande sortimento destas ca-
mas, assim como de ulras : a rua Nova n. 33.
Vende-se a casa terna n. 23 da rua de Ma-
lillas Ferreira da cidade de Olinda : qoem a pre-
tender dirija-se a tratar nesta cidade na rua Au-
gusta n.39.
Goke do gaz.
Pitchdogaz.
Alcatrao do gaz.
Coke, tonelada 18G00.
Pitch, arroba 35000.
Alcatrao, caada 500.
O cok reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, lomase por isso rccommendavel, bem co-
mo pelo aceio que se nota as -casinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatrao, alem s aidlmpape-
c5es diversas a que se prestao.
y^,v...,....,..., ov p,v,o, como paracalafa
netenafrente, muito propria parapassara tar embarcares, aicatroar madeiras, ele., tecc-
festa.e tambem se alugarpoianno : afal- estes a propriedade de preservar do copim, ter-
__ -**-*_ .i__*__ / r- J_______^' mirr^c ol l* anlrarrno ni fihriAO ii\ n nn, *< _
lar no Recife, na livraria n. C e8 da pra da Independencia, e em Olindanacasacon- X*?c2SS2Z gSKgjS?^ SPgDDd *
Farinha de milho.
tigua;om o capito AntonioBernardoFer-
reira.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chave?.
Coimbra.
Covilhao.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porlo-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
de
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lanego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianca do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
19 RUA NOVA 19
Erederico Gautier, cirurgiao dentiita. > ^
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes'
No imperio.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
U DCnarelJASe baptlSia Olliranag Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
advoga nos termos do Bonito e Caruar. ffi I logo os saques a prazo serem descontados no
Pode ser procurado na. villa do Bonito, i I memo Banco a razao de i por cento ao anno a
rua Direita n. 16, defronte da cadeia. 'ralar na ruada Cruz n. 1.
0 baJiarcl Antonio AnnesJacome
Pires reside na rua do 'mperador i
n. 81, segundo andar, onde pode l
ser precurado e advoga I
O solicitador Pedro Atexaadrl-
.Cma pesssa que entende perfeita'mente del uo da ('osla Machado
descobertas e ltimos aperfeicoamejltos aue se tem frito na artP ^nUria aZm fomm f Por partidas dobradae se encarrega ante o foro desta cidade de tudo que
nrar o searedo de diversas nrPnaui^A.!- ? den(ana, alem de com- simBie6. se offerece aos senhores commerciantca.for tendente a sua profissao, aceita departido an-
!. ,i na..iJ..n,n .1 ? preparacoes empregadas com militas vantagens, tem a hon- para encarregar se de algumas escripias por qual- nual as pendencias j
m ue patycipai ao respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par- 1aer ""^l06 Sl!ilemasLJ lratar na ru* da 'mpe- commercial mediante
^ar'J"l:l,af,!i^'!0.?. P^mPt0 ao *eu dispor para todos os misteres da sua pro- "
ratriz n. 30, terceiro andar.
judiciacs de qualquer casa
razoavel ajaste. Contina
a se encarregar de cobranzas nos termos do Cabo
fissao, advertmdo qne trouie um immenso sortimento de dentaduras artificiaps rJnnt Aluga-se a casa de sobrado n. 33 da rua da, elpojuca aonde continua a tntbalhar como d'an-
Chou galfanisado, ouro, platina, massas diversas mnitn anprfpi^na ae n-r VhKm Matriz-em que mcrou o despachante Franco, tem tes.e encarrega-se de defezasperante o jury nos
instrumentos novos ferramenta modprna rHlr. T aPefe'Coadas para chumbagem- gria quint| eom arvores de tacto, 2 cacimbas termos prximos a va frrea, ofterecendo gralor-
iX??2r?^ 'rlfparU WS~. w cadeira de operagoes, etc., etc., dos mais acre, e grandes commodos para familia : a lratar combamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
altanos wpncenies ae faris, sonares e New-York, e por isso estando mais que nunca Sr- Antonio JSwquIm Ferreira Porto, oa cora Mi- jproen-ado todos os dias otis das 9 horas da ma-
. nn caso de servir do modo O mais satisfatorio possivel, espera continuar a merprpr indi uel Joaquim da f^U na ruada Cadean. 12. ,nh5as3datardena ruaestreita do Rosario n.
a COitfanca. | Antonio IJeTeTra" TCavalcanfl tendo efacontra- 34. eforadessaa horas na rua Imperial n.36,ca-
Acha-se empre no sep gabinete das 8 horas da manh al ao mpin da r/im ppV do 0Dlr*de lUfll nome- P01* iS8 fif" d,t,ra m
. Jtfe e as 4 horas da tard quando nSo tirer de ir em casas particulares!
No dia 14 do correte perdeu-se do tribunal do
commercio em seguimento a rua do Impender
praca de Pedro II, um pequeo auto de aeco or
(linaria em que sao partes, como autor o Dr. Jos
Joaquim de Souza, reo Manoel da Silva Neves :
r'ga-se pessoa qne os ehon que tenha a honda-
de de o levar rua nova de Sanfa Rita n. 49, ou
no rartorio do esrrivo Paos de Andrade, na rua
do Imperador Junto a secretarla de polica, que
ser generosamente gratificado.
Empreslase 9005 a juros seb hyplheca :
no segundo andar do n. 2 da rna Augusta.
COMPRAS.
Compra-se ouru e praia em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praca da Inde-
dendencian. 22.
Compram-se diarios velhos a 4$ a arroba :
na rua dos Quarteis n. lo.
Compra-se um escravo de idade que
sin a para trabalho de itio: nesla tvpo-
graphia se dir quem quer.
Vendem-se barricas de farinha de miiho ameri-
cana de 6 arrobas : na rua do Rangel n. 3.
Potassa da Russia
Acaba de chegar a mais nova e verddeira po-
tassa da Russia, e vende-se a preco commrdo: no
| escriplorio de Xlanoel Ignacio de Oliveira di Fi'ho,
largo do Corpo Santo n. 19.
llVSBAKA-
TAS
Luvas baratas na loja da Aurora.
Luvas baratas na loja da Aurora.
Luvas baratas na loja da Aurora.
Na loja da Aurora, rua larga do Rosario n. 38,
vendem-se luvas de seda a 210 rs. o par, ditas de
Jouvin prelas e de cores para homem a 15 o par,
lantijolas de todas as cores e diversos tamanhos,
panel dourado e pratiado, lavrado e liso, latra
branca e amareila ; tudostose vende barato.
Vende-se a taberna da rua da Conceicao n.
II, defronte do rancho, a dinheiro ou a praso
faz-se todo o negocio ainda mesmo s com arraa-
cfio, a casa lem bons commodcs para familia : a
tratar na mesma.
Vende se a propriedade e sit|o n. 24, siloa-
do as rua do Mondego e Trempo, pertencente
aos herdeiros do fallecido Feliciano Angosto de
Vasconcellos : quem pretender dirija-se ao mes-
mo sitio, das 6 as 8 1|2 horas da manhaa tra-
tar cora um dos herdeiros.
I
^




\
Compra-se urna escrava de meia idade
rna de Santa Rita n. 13, primeiro andar.
na
i de Albuquerque.
/se de saa reidenefa.
Precisa-so de um caixeiro para taberna, de
JO a 12 .Minos: na rna da Gala n. 4?.
Compra-se urna escrava de cor preta que sai-
ba cozinhar e engommar : quem tiver dirija-se a
Illia dos Ratos, rua do Seve n. 3.
Na rua do Livramento
violao pequeo para menino.
n. 21.
compra-se um
Con>prare urna halanca grande romana
qneni ver dirija-'e a' roa Pireita n. 38.
Piano
Vende-se um piano em bom estado e proprio
para quem se propde a aprender : qnem preten-
der dirija-se roa larga do Rosario n. 37, que all
encontrar pessoa habilitadapara tratar do ajuste:
o exiguo preco do objeclo no pode deixar de ter
muitos pretndanles.___________________
Vende-se nm excelletile braco Romao, com
todos os pertences de balanca, tudo eaj hora uso :
a tratar na padana da rua Dreita n. 84;
Vende-se a taberna da rua dos Ae niguinhos
n. 20 : a tratar na mesma.

ll ^awam im.


Paal
l'A
Alario de Pernambuco Secunda felra JJe Fevereiro de i6.



^ NO VOS VESTIDOS DE PH AMASIA
Cnegaram es modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiraraenta novos
em gosio e qaalidade : aloja das columna?, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de VascouceMos & C, successores de Jos Horeira Lopes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de seiihera
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorgurao e de setin? imperial.
Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de lia com barra e grande variedade em cores e padrees.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escosseza e miadas.
Superiores lias lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpicos, com Qores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiramenle nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandy*
Grande variedade de chita de cores, de percalia eontras muitas fazendas delia.
Para hombros de senuora
Lindas capas e bournoui de casemira de cor.
Ditas de lia e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 18f a i0.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores, chales de seda, de merino eslampados finos.de cachimira com listrasde
seda e de fil preto.
Caminabas modernas, zuavos brancos e de cores, rolletes de cambraia, lindas gol-
hnhas com punhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltro entenados para senhora.
Ditos de palha eneilados para menine.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los 4 C.
<-i:H lfl ItECOllHI \1>A{ lo


AO PUBLICO
em menor constran-
glmeto se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENC60
Os precos da seguintc
tabelja para todos, po-1
deudo assim servir de ba ;
se para o ajuste de coutas
eom os portadores.
A LEGITIMA
M DA AGI1 DO RECIFE I. M.
(Loga aassando o are* da Concrirao)
4.mude redcelo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annnnciante.
Collegas.N5o posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a I.ooors. a libra, bem assim o de oulros
PREPARADA HICAMENTE POi
LAMAN k KEIP,
NOVA YORK.
muitos objectos, etc., dando "com 'istoocasiao atodasi asespeluncas acabarem por bom prego a manteiga de tempero, egritaremem Composta de substancias, gozando de
alta voz, que podem vender pelo preco que en vendo 1! i Ora,, eu offendid com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo proprieacles eminer.lemcRSe depuramos;
*--------------a-----1.*~ a~ ..----* como vecis approvada pelas juntas e academias de me-
MWM C01VSERVATI
23Largo do Terco23.
Joaqun Simio dos Santos, dono deste bem sonido armazem de molhados faz sciente era
recommendacao aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que est resolvido a venderos seu*
i,o caatiecidos gneros de primeira qualidade,por menos de tO a 20 por cento, menos doque em ou"
ira qualquer pafte a dinbeiro contado.e iodo o comprador que comprar de 50 a 100$ lerao descon"
u ae ai tu por cento pelo seu prompto pagamento; e por isso se faz anuuncio de algunsgneros*
para com este melhor se certiDcarem.
iasas para sopa inacarro, talharim e aletria a
iil) rs. a libra e em caixa a o>.
roucinbo de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
a libra e 8J800 a arroba.
: af do Rio de primeira e segunda sorte a 260.280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 80 e
8*500.
Chonricts as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 125.
?assas viudas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 84.
Batatas em (jigos de 35 a 40 libras por 24400 a ar.
robas a 80 rs. a libra.
'h hysson miudinho superior qualidade a 14200,
24000, 24500 e 3 a libra.
Vinho de Pigueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
filena oropria para negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 24400 e 24700.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 44400 e 4J200.
Phosphros do gaz viudos por coma propria a 180
rs. o maco e a 24 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lao a 24800 e a caada a 44500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs.a
garrafa e a duzia a 54800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
Arroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 24800, 2e 24400.
Assim como ha nm grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascoscomo
em botijas, bolachinhas de soda, conservas.choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
tos gneros que enfadonho 6 menciona-los, e se al-
gnem duvidar venha ver.
FRANCISCO J. GERMANN
SI RA NOTA tf* 1
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de melhoi qualida
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronomttros martimos e de algibeira, rtlogios [de ouro
e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, snissos, allemaes e americanos,
reguladores de corapensacao, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol montados com pegas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos tamaitos, caixas cora msicas, igual sorti-
mcuto de oculos e lunetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, ace, e varios metaes, oculos c
lunetas cspeciaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que offrem de inammacoes
nos olhos, fabricados segundo os preceilos dos mais acreditados mdicos da Europa c igualmente os de
Pernambuco, os quaes s se vendm por consulta dos mdicos, vdros de cryslal branco e de cores,
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observacoes astronmicas, oitantes e sextantes,
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros, caixas de instrumentos malhematicos, correntes e chaves, sinetes e irancelins de ouro, dou-
rados e Meadas, tudo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encommenda dos
objectos moncionados, e responsabilisa-se durante um auno por qualquer relogio vendido ou concert
aeito, em seu estabelecimento; e vende por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
variedade de padrees, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baratissimo prego de
300 rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
A Uomp.
ho
81---KUA DO IMPERA DOR-81
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collcgio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfacSo de avisar aos seus freguezes e aorespeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
cora um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidades, efrancamente aGancas pessoasque
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
ssmpreo annuoctaute foi escropuloso, em summa, nao Ilude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo queiram honrar como seu con.itentdhes
assegura que o producto de seu laborioso traballio ser o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
raorcial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
ren fielmente cumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negociantesque lhe merecam coBfianca.fa-
zendo um abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commissao, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commissao.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera oannuncianle sua valiosa proteceo, fre
qaentando como outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhe.'tributa offerece expon-
taneamente seas servicos.
Julga desaecesariopublicar a tabella dos precos de seus gneros: s5o seus recursos
garanta suficiente de poder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
miis apparatosos estabelecimenlos, tendo somente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Prevenco necessaria.
Tendo sido o proprietario est,abeleedo muitos annos com o mesmo ramo de nego-
n i mesma ra, julga prudentesadvertir que s affirma e *e respensabilisa pelo que
co ni
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
mmm
81-RITA RO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegto
Ntviie

RoupSes de sncim de linho para senhora, pelo
barato prego de 94 cada um, lazinhas econmi-
cas para vestidos a 360 o covado, chapos de pa-
lha da Italia de aparado gosto a 144 : na ra do
Queinudon. 17, _,_j ^ ^MHPItfc
POTASSA
Vende-se potas em barris a commedo prego o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes. J
t5o smente obter a concorrencia de seas freguezes.
: Brasil e da America hespanliola
CUBA RADICALMENTE
Para (bem de todos. escrophulas, rlieumalismo, escorbuto, cb-
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo stabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei-' fermidades venreas e mercuriaes. chagas
reza com que serfio tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra antigs, morphea e todas as molestias pro-
ios gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois venientes dum estado vicioso do sangro.
sero to bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vao em outra parte
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abatt-
Emquanto existem varias imilacoes e
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
ueste genero 2,6oo rs.
dem preto homeupatilico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, ,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao quese vende emoutra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,ooe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e 1,5oo e Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oors. edo vapor
passado a l,6oo e i,8oo rs.
dem londrinos as mais superiores que tem
viudo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar.de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes queseacabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a Coo rs. a libra.
Presunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a o,ooo e 5,5oo a
duzia, .
Choculate francez, suisso e bespanol a 9oo
i.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, lambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe !,ooo rs. cada orna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a l .ooo rs. o Irasco, e
H,ooors. a duzia.
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8o
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a ooo
rs. a libra.
Aletria, macarrlo e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propr i ament
feitas para esse nm.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar era ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo ri
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinbo branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa era caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Port das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuioo,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o,ooo rs. ea9oo e i,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinbasde Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bo achinhas inglezas as mais novasdo mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de Hollanda em botijas grandes 'ioo I Bolachinhas d'agua era sal da fabrica do Beato
. a -- falsificacos, preciso a maior cautela pata
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra evtar 0" engaB0S)
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAOBS A BARBOZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Vendem-se no Becife em casa de Caors *
B S i( B OS
? O ^ c? ^ r i<
: ; tt m p o
CC B 03
q g 3 "9
o o. o
C "1
CE
S "2
Sr
r.
03-g .O
^ o C
03 3" CD
os- &**:
i w co b a S
S Si a
"O mb O B
os c^3 P
X cr
g cp o, 0 os =
3 3 xu co S. *
B ir. S o: 03
S 5S-oT u
B 2 B "o
w CC Bit & CL
" o w Ci. o? a
- C C (6 1
a. ,

D
3 o
as
C
c
03
Os elementos que compoem esla prepa;acao,o
ferro, o iodc e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Bast altcstar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hosp-
taes, e osrclaloriosdos prclicos maiscmir.enies,
que confirmrao sua poderosa efficacidaJo as
seguintes affecces:
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditasimperiaes emlatas
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixasfrancezas emlatas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos Bar'b07Je'Joio'd C. Bravo d C.
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, I,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
, rolhado mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooors. e fl,ooo a duzia-
Palitos para den tes a 14o e 16o rs. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca epreta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. alibra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos detodos osfabricantes daBahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,506, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a cajxa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
Loso rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 -li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixesa6oors-
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra elo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6io rs. a garrafa
e 4,8ooa caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
6iors. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito aito e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a I,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas porI,2oors.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
csnvalcaeenea d lon-
go* molomlu
MoIrftuH earrofula-
.
Puprlra.
Obittrucra* s.e glno-
dulun-
llumorcs fra*.
Uiiiuarra braucc.
ItarhltlNuio.
Affeccm raaerreaa*
c yphlllllcaa.
: Fettrca typhaidm.
I Varile*, etc., v(r.
Mingo no aangue.
Fraquesa.
Anemia.
Cblorone ou Ictericia.
Menntrno.
Affccroc* le ulero.
SupprcsBOea da* re-
gra* e denorde* na
menstruaco.
AfTecrao pulmonar e
phlhlwle.
Mole*tla* d'rtdmaa;n.
Gaotralslaa.
Perda d'appctltc. etc.
Vejae se os bulletins de therapeutica medica
e cirurgicu de 30 de novembre 1S60; a Gazeta
dos hospilaes de 28 ilejulho 1860, etc.. etc.
Alm das pilulas de iodurelo duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconsellio
igualmente o Xarope cViodure duplo de
crro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Este xarope nSo tero
como o xarojic d'/odure de ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o folheto que se d de graea em casa
dos phartnaceutico depositarios.
Para-se evitarcm falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas on Xarope a as-
signatura do inventor. _
Depsito geral em Paris, pharmaciaReDillon,
442, ru du Bac, e n todas as boas pharmacia*
de Franca a dos puies estrangeiros, etc.______
GRANULOS
DE BISMUTHJ
DE^HEVRIEIt

Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as oulras preparacocs dt
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir
curar as
Ma dlgcatoea.
Gaatrltca.
A 48 O CORTE.
Pechincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padroes
pelo baratissimo prego de 4$ o corte: na loja das
columnas ra do Crespn, id, de Antonio Cor-
reia de Vasconcellos A C,
BOTICA E DROGARA
Barlholomeu Fraucssco de Souza & C.
31Rna larga do Rosario31
Vendem:
PilulusHolloway.
Pilulas do Dr. La vil le.
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
. Pilulas vegetaes.
Pilulas vegelaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Urisiol.
Remedios do Dr. Challe.
Elexir de Pepsina de Grimauii.
Vinho de Salsaparrilha deCh Altcrt.'1
Iujeccao Feaugas.
Agua dentifica de Desirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
RobL'AITeclear.
.Yarope do Bosque.
Ungento Holloway.
Farello superior de Lisboa a 5 o sacco.
Tem para vender Antonie Luiz de Olivei-
ra Azevedo no sen escriptorio ra da Cruz
n. i.
Dlarrhca* rlironlrn*.
D}'a*enterla*.
Dore* d'eatoiuago. Galtrala;laa, ele.
Dyapcpalaa.
Os primeiros symplomas d'essas forondaveis
affeccoes se manifestao ordinariamente por diges-
toes laboriosas, a&idumes, falta a"appetite, pesos
a"estmago depois de cada comida, caimbras es-
lomatae.*, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o dcscuidJo, traz ne-
vitavelmente, que seja:
OpprcHaoea.
Dore de caneca.
IrrllacOc* de bezlca c
da matrla, etc.
Os granulos Chevrier sSo ordenados pelas
sommidades meJicaes para prevenir essas diver-
sas molestias c cural as quando sSo tomados a
tempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmaciaChevrie,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
MotcHlla* fie ligado.
A IcU-ri.-ln.
Palplloco dr roracuo
Ildre* no* rln*.
^
te*
FIGADOdeBACALHAU
Peo processo de Cherrier, pharmaceuiiro ero
Paris, rna do Fanboorg Montmirtc 21.
Este oleo de um cheiro agrdate!, c de
um sabor assucarado o nico que nao tem
nem o gosto, nem o cheiro do peue. Ob-
jecto de numerosos relatnos scientificos e
mdicos, este mdicamente que poza em
Franca de um successo to raro como bem
merecido, recetiado diariamente pelos
principaes mdicos dos hospifaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BACAI-llAO DCSnpfcCTA-
do ferruginoso empiega-s com os maiores
stceessos as molestias cm que se emprega
o oleo quando sao acompanhadas de dcbili-
dade e atonta.
Deposito geral em Per^ambuce ra d*
Crnt n.22 em casa de Caros & Rar-hoza
Papel para fiares
Vende>fijlha a 160 rs., desdas 3- ort-s:
na ra da Cadeia do Recife n. 59, segando ardar.


Mara de Pemalaeo Segunda tetra 99 de Fe verelro de 18<
5

CHEGARAN OS MODERNOS H\LES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto c'iegados pelo tdiimo vapor
loja das columnas ra do Crespo n. 13, de An:onio Correia de
los & C.
sus ptiMLHi de ayer. 'Grande liqnidacao de fazen-
doJrrr^tetS das finas ruada W
recebido das virtudes da salsa ratriz, loja e armazem da A-
parrilha do Dr. Ayer.
LOJA t BALAO
DE
AZEVEDO FLORES.
Hu da Cadeia d Recite n. 47, esquina qie volta para a Madre de Dos.
Attencjio.
Rhenmatisnu.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
O uro Preto.
t Soffri rheumatismopormui-
tas vezes, e vendo annuociado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
olvi-me a comprar um frasco e fazer uso
CTcita ; e aoies de concluir o primeiro fras-
eo...acnei-me forte e sem sentir a mais leve
Cor nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tova affectada d'esse terrivel encommodo
flue roubou-me tantas nortes de somno.
k' upQ'es. borbullias pstulas.
ulceras, e todas as molestias
da pelle.
DO SU. JOO PAULA DE ABREU E SOCZA.
Ra de S. Pedro.^fi'o de Janeiro.
t S-)ffriaj mais de dous annos de urna
e:jp;5> syp'iilitica em todo o corpo, mos
4rj :ido-se sempre com mais violencia na ca-
i, prove muitos medicamentos e consultei
ni tosmdicos, e eslava quasi desanimado
GUaado vi os annuncios da Salsa parrilha
Dr. Ayer: comenei a fazer uso d'ella e
ras primeiros das a erupeo aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
ltil i o mal desapparecido completamente da
todo o corpo.
Ojctor Don Jos Valdes Herrera, profes-
;or de medicina y cirt'luia, subdelegado
rm ambas as facultades del sesto dis-
faiCTO.Habana.
c Certifico qua he usado la zarza parril-
ftt del Dr. Ayer, y cinvi depurativo bu ob-
teii le do ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, coya
acjwt ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el tratameato de las enfermidade-
Que oxsigeu el uso de los pnjante^, y no
vacilo en recomendar estas preparaciones
V pira los fines que puedan convenir do\
IB presente en Regla a 7 de setembro de
isgo.
Dr. jos V. Herrera.
Escrophula.
M'TliSTADO DO ILLM. SR. FRANCISCO FERRAZ
dos santos.Ouro Preto.
He acuo tu quasi dous annos affectado
d3 escrfulas, e tendo soffi ido tanto q..e al-
Kinnas vezes quasi que diego a des/nimar
fl vida e maldizer da minha infeliz sorte;
teno sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tennei-
ffle de mintia molestia, estava s-em espe-
rars de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da salsa par-
riza do Dr. Ayer. Completa n-se boje
trnla e sete das que comecei com este
auto remedio, e tantas melbcras tenho
fcwtido que tenho convieco de em breve
pecotinr a minha saude, perdida ha tanto
famjta.
ttyphilis e molestias meivuriaes.
Do Illm. Sr. Dr. Jackso;'.
teiki mnito conheado as provincias do
sul do Brasil.
a Tenho receitado a Salsa pwrilha do
9t Ayer nos casos mais inveterados de
SjHjbitit constitucional e sempre com os
anaia felizes resultados; o melhov alteran-
( neconlieco.
JLeucorrha e flores lira.cas.
Tetaos cartas em que nos contam casos
fev aerados que foram radicalmente curados
epm um cu dous frascos d'esta Salsa par-
rV>a.
O espato nao nos permitte trajscrevcr
ted sos atlestados que possuimos Jas vir-
ales d'este extracto composto e Salsa
firrrlha do Dr Ayer. Basta decarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
das Americas como da Europa, setn nunca
desmentir a sua alta rcpuiacad.
raraj^56, de Lourenco P.
Hedes Gimarles.
Caltas de brim pardo M.">00, 35, 3*O
Fazendas para o carnaval.
\Tende-se velbulina de todas as cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a 360 o covado, sarjelim uuasdebnm branco 44. 4*a00 o
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria ^lla,s d casimira de cor U, 7J,
Pelos seguintes precos
il'alelols de fusto safare..... 3.3300
Ditos de casimira (saceos) 120, 110,
400 e......... 85000
Ditos de a I paca 85 e...... 45000
Ditos de alpaca branca 55 e 45300
Ditos de dita branca 30 e 45500
Sobrecasacos de panno fino francez 225000
Jaijuetes de brim pardo. .... f
para vestuarios a 320 e 360 o covado, tafet de seda
de todas as cores a 600 rs. o covado: ra da Impe-
rairiz, loja da Arara n. 56.
Chitas baratas a 240 rs
Veodcm-se chitas finas a 2,9 e 280 o covado,
chitas franceas finas a 320, 360 e 400 rs., cassas
finas de cores a 320 e 400 rs. o covado, percalas
finas para vestido o 500 e 560 o covado : ra da
Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Caries de ranbraias, a arara vende a 30.
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas a
35300, 45 e 55, cortes de cassas francezas finas a
35, cortes de chita de 10 covados a 25400, ditas
tinas a 35200 : na loja da Arara, ra da Impera-
triz, n. 56.
dos a 35 e 35500 o covado. grodenaple preto fino
a 15600, 15800 e 25, dito superior a 25600, dito
com 5 palmos de largura a 39 o covado, panno fi-
no preto a 25, 25800. 35500 e 55 o covado, case-
mira preta Una a 25,25500 e 35 o covado, alpaca
preta a 500, 000 e 800 rs. o covado : ra da Im-
ptratriz, loja da Arara n. 56.
Arara vende cortes de casemira preta a 3Sh00.
Vendera-se cortes de casemira preta a 35500,
45, 55 e 65, ditas de cores a 35,45, 55 e 75. cor-
tes de brim e ganga para calca a 15600, 15800 e
25 ruada Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Panno de liuho a GiO rs.
Vende-se panno de linho para lenfes e toalhas
a 640 e 720, harabnrgo a 500 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 35 e 2^500 : roa da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende os bales a 3> e madapoln a i
Vendem-se bales americanos a 35.35500 e 45,
ditos de musselina a 45500, pocas de madapolo
en restado a 45. dito de 24 jardas, largo, ia 65000,
65500, 75. 85, 95, 105 e 125, finos, algodo pe-
tas a S$. 65, 75 e 85 : ra da Imperetriz, loja
da Arara n. 56.
Stntambaripies pretos a 20,-)
Vende-se soutarabarque preto de grosdenaple a
205 e 235, capas pretas de grosdenaple finas a
03, 255 e 305, soutambarque de laazinha a 75 e
85, ditos de alpaca brancas a 85 e 105. rios ves-
tidos Mara Pa de novo gostoa85, 125, H5,
165 e 205 : rna da Imperatriz, loja e armazem da
Arara n. 56.
Grande sortimento de roupa
fclta.
Vendem-se paletots de casemira de cores a 55,
65,85 e 105, ditos pretos de panno fino, sobreca-
ma cas a 125,14*. 165 e 255, paletots saceos pretos
de panno a 55, 65, 85 e 105, calcas de casemira
preta a 45. 65 e 85, ditos de casemira de cor a
45,65 e 85, ditos de nwia casemira a 35 e 3j500.
ditos de brim e ganga a 25 e 23500. ditos de brim
'iraneo a 35500 e 45, cellelcs de lodas asqualida-
des, camisas francezas a 25 e 25500, ditas Inglesas
de linho de pregas largas a 35 e 35500, ceroalas
a 15280,15600 e 23. paletots de brim decora 25
e 35, ditos de alpaca preta a 35 e 35500, ditos de
alpaca branca a 45500, ditos de alpaca de c.ord3o
a 45, colarinhos de linho a 640, ditos de papel a
640 a daiia : n;. ra da Imperatriz, loja da Arara
numero 50. O propietario da loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas se vende
em perfeito estado., como os compradores poder"
examinar; a loja est skerta at as 9 horas da
noite : rna da Imperatriz, loja da Arara d. 56, de
tiendes Guimaraes.
Corles de casimira preta fina 75 e .
Chapeos finos altos.....
Chapeos de sol de seda 65 e .
Ditos de feltro a Garibaldi .
Seroulas francezas finas. .
45000
55000
105000
55000
73000
85000
35000
pretos e de cores
melhores
Coilcte* de casimira
33300, 45 .
Baldes de 20 e 40 arcos dos
que tem y indo 11 n vn il i
Camisas francezas a 25, 25500, 35 e
Madapoldes francezes (pega) 135, 113,
Chitas para coberta (covado) .
Las lisas Aa todas as coros .
Vestidos de la Maria Pia muito finos
Lencos brancos muito finos (dazia)
Um completo sortimento de chitas lar-
gas de 305 a ........
Cambraias francezas (covado) .
Cambraias lisas brancas muito finas
(Pta) ...........
Um variado e lindo sortiment de cha-
les de merino estampados de 55 a
NEM COROAS NEM MITRAS
0
E
-1
GIllIDE
ARfAZEUI
DE
45500
53000
155000
320
5
183000
25800
500
360
55000
8
.VA
RUI DO IMPERADOR 4
Jante) a sobrado em que mora oSr. Osbarne, ,
Duarte Almelda 4fc C, reeeberam de sua propria eacommcu-
da o mais. lindo e variado sortimento de molhados. proprlos
da p resente estacSo.
Manteiga ingleza Matjas brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a l.oooTpara sopa a melhor qne se pode
15600
Os donos da loja do BALAO encarregam-se de mandar fazer qnalqner obra de brim
etc., para horneas e meninos, aiada que a fazenda nao seja comprada na dita loja do
85000
oa casimira
J^XaJ^
DE
DE
J. VIGNES.
X. &A. RA DO IMPERADOR \. ftft.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre t
$ua supenoridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem -definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca; odo-
Miindo um teclado e machinismo que obedecem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
aanca falhar, por serena fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
ssimo para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encemmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
eorrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicSes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
nelhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tude vendido por
arecos commodos e razoaveis.
.tetra i cura radical de escrfulas e ffeccoes
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas. ulceras, feridas, chagas,
erupcoes cutneas e todo e
qualquer ncomrr.odo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM A
4\Ii, PARRII.II4 DE AYER.
A' venda na ra ireita, ns. 12 26 e 76;
r;ia da Quitanda n. 51 ; prar^a da Gonsti-
fU'fSo, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
fjiincipaes pharmacias e drogaras do im-
parto.
Vende-se em Pernambuco:
eia pharmaeia franceza de
P.fflIUBER & C.
RA NOVA N. 18.
Raa da Seazalta o. 42.
Veade-se, era casa de S. P. Johnston A C,
Kellios e silhoesinglezes, candieiros e cast-
C is bronzeados, lonas inglezas, 6o de vela,
< '.icoles para carros e montara,arreios para
carros de um e dous cavaHos,|e relogios de
nuro patente inglez.
sm'** mrnmmmmwm
I Fabrica Conceicao da W
Babia. J
Andrade te Rege, recebem constante- S
*l| mente e tem venda no sen armazem u. t
ytf 34 da ruado Imperador,algodaod'aqael- %i
^ *i fabrica, propro.para saceos de assu- S
Wt cae, embalar aigodo empluma etc., etc., H
M pelo preco mais razoavel. SK
*mm*m m m m&xm
Feljih.
Vende-se nma porcao de feiamulalieh
nove a 15 a cun, dito nreio a 8R0 rs., dit Sajado
da Porto a 520 rs. : na ron Direit n. R.
Vende si> um Mogio de ouro patnie$Bis>o
nwn bom regulador : na ra da Imperalfiz n
aa.-Wa de cacadt.
RIVAL
Sem segundo, .
lina do Qiicimado. n. lil e 55. !.' para admirar.
Garretis de linna com 130 jardas...... 60
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
2 a60............................. 12
Dito dito de 60 a 200............... 100
Novellos de liuha grandes com 400 jar-
das ......../......,................. 80
Id-m idern brancos e de cores de 100
jard-s............................... 30
Livros para ausento de roupa lavada... 100
Cordao branco para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de botoes de punho todos de cores 120
Tmteiros de barro cora tinta........... 100
Toouras para costuras finase unhas 400
Ditas para costaras com tque d'avaria 200
Escovas para iimpar denles multo tinas
i60,200e.............................. 320
Caim com 100 envelopes das melhores
qualidades........................... 640
Ditas com 20 cadernos, rapel paulado e
liso................................. 600
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
Iho)............................ 20
Meiadas de iinha frouxa para bordar... 20
Pares de sapatos de tranca..........* 15500
Masan com superiores graropas para
senhora.............o............ 30
Frascos de macaca perola muito suerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 500
Ditos e garrafinhas- de agua de Colunia
muito fina....................... 400
Ditos de banha a Garibaldi e da familia
imperial.............2..........., 900
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade.................. 240
Pares de ligas para senhora as melho-
res .......................,...... 320
Pecas de blco- franeczes e renaas..... 320
Frascos de asua dentifriee muito supe-
rior.............................. 800
Caixascom 4 papis de aguihas a balo
e Victoria....................... 200
Libras de la sendo de todas as cores... 65000
Bonecos vestidos e tambem de choro... 160
Caixas com superiores brelas........ 40
Ditas delinha de az com 50 novellos.. 800
Enfiadciras de fita para espartilhos..... 60
Carrek'is de Iinha de cres cos 100 jar-
das ............................. 20
Pecas de cordao imperial............ 40
vende-s^aratissmo;
Urna parte do sitio Parnameirim, qne foi do fal-
lecido ctrurgiao M a noel Joaqnim : quem o preten
der dirija-se a' ra da Cadeia n 64, esenptorio de
Guilherme dr Silva Guimaraes.
CASAES E POMBOS E BORRACHOS.
Vendem-se tnnta casaes de pomhos bons bate-
dores e por barato prego, dando-se gratis todos os
ntensis perlencentes ao pomhal : a tratar na ra
Larga do Rosario n. 26. das 6 s 9 horas da ma-
nha.
CONSULTORIO MEDICO-CIHMGICG
do
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, P 111 1 II nO JE OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do FundSo 3
O Dr. Lobo Moseoso di consultas graturtas aos pobres lodos os das das 7 s 1
horas da manla, e das 6 o meias 8 horas da noite, excepcao dos das santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio na sempre o mais approprado sortimento de carteira;
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Carteiras de 42 tubos grandes. i 20000
de 24 tubos grandes. 48000
> de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e cora os remed
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 40" 00.
Senda para cima de 42, custaro os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
lons grandes volumes com diccionario............ 205000
........ 40000
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Haatelga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
]560 rs.
Aiaeadoas
<*ufeitadas de Iindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Oartes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 40300.
Chocolates
de todas as qualidades a 40000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
tenns velaos para 500 rs.
Queijos flameugos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Qneljog
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
lueijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 40200.
Cha uxim
o melhor que se pode desojar, que outro
qualquer n3o pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2#700 rs. a libra.
Mein hvsson
o mais aromtico que tem vndo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrSo, talharim e aletra a
480 rs. alibra.
COCV4C
omuto afamadocognacPalBrandy a 4,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a 4,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO**
lapidados para agua a 4,ooo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
desejar,
400 re. a
Papel de botica
Medicina domestica do Dr. Hering,........., .
Repertorio do Dr. Mello Moraes.........". 65000 i
Diccionario de termos de medicina ...........
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan
to de serem novaraente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver- i a7ui a PAPEL
dadeiros,enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver- X ? para emDrumo de *>* a 2>2e
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acreditados aa'
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacSo, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seas effetos.
Cam de sade para escravos.
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacio, para o que o annunciantejulga-se suficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se n5o
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
ioentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 das ed'ahi em diante 10500.
As operaces serSo previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos precos
aeeaveis que costama pedir o annanciante.
TKonn i a pe c >ruiii-a
Dorhn-lde "* qualidade a 20200 a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
4,4oors. alibra.
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 45,ooo rs.
cada urna.

.^Chales de renda preta e bournus deguip preto|
V leja da rna do Crespo u. 17,
DE
JOS GOMES TILLAR
itr
Vendem-se para liquidar cootas duas casas
de taipa bem construidas, na povoaQao de Muribe-
ra, com boas commodos : a tratar nesta praca na
leja de cera, pat<"o do Toreo n. 133, ou na mesma
povoaco com Germano Jfl de Farias.
No armazem de molhados no pateo do Carmo,
esquina da rna de Horta n. 2, vende-se doce de
caj secco por prego commodo.
Zibco e cobre em folha. estadho, azareo e alvaia-
de inglez.
Em casa de Rnthe & Bidonlac, rna do Trapiche
n. 48, vendem-se os gneros cima por precos ra-
zoaveis.
nmrco vestuario a Lura dp Cmnii*!> e ama cahel-
Irira inteira, tndo qnasi novo e por prego com-
modo : uo beeco dos Pecadss Mortaes n. 4.
\ ende a 154, 204, 30$. 403, 50J e 604, capas e casacSes de gros pretos,
e chapellnas de palhae outras muitas faiendas proprias para-a quaresma.
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de sna saude espera que
devedores tanto do mato como desta praca salden seas dbitos quanto antes.
FABRICA DE CU lK0S DE
N. 93 Raa Xora esquina da ramboa do Carmo e rna do
Cabug n. H.
A directora desse estabelecimento o mais importante que existe neste genero
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goze das
vantagens que -proporciona a fabricado em grande escala e directa rclacao com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender ainda mais barato
do que do costme como demonstra a seguinte tabeda :
Descont em duzia.
20%
40 /
Chapeos de sol de panno a 20000........
armafSo de balea a 20500 ....
de seda armado de ac inglez de 20 pollegadas
4& de 24 50, de 26 50500 e de 28 60...... 15 %
Chapeos de sol inglezes a balao 42 varetas, cabos muito ricos e
seda superior dn 24 pollegadas 80, de 26 90. e de 28 400. 15 /0
dem dem a balSo de 46 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 4 40. de 26 420, e de 28 430...... 4 o/o
Alm de muitas outras qmlidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos de brim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sSo t5o ventajosos como os annnnciados, lw
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cacbinAo9, entilara fina e ar-
mas de -ac, os quaes vendem-se ualraente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter semprft um descont razoavel, afim e toder reta-
Ihar peo prec que o etabele-nento retafta.
K. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serSo considerados como
a retalho,
Cekllas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,oo rs. o molho.
Alpsta o Painco
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 ocento na ruado Qne!-
an r rua d0aperador n. 40 elar-
go do Carmo n. 9
CRAO DE BICO
muito novo a 30400a arroba e 440rs. a li-
bra na rua doQueimrdo n. 7, rua do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
. OUEIJO SUISSO
gyjgy; a m* na rQa do
&r^.-7:r^^Peradorn.40e
macarrao, talharim ealeiria
libra e 40500 a caixa.
Tinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garra/a, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
. a garrafa e de 400 a 420 a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Chamisso drFilho,
F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Doure eoutros muitos.
Latas
com 40 libras de baBha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 40800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* .4 bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 40500.
Arroz
do Maranhio a 400 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 4.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 803f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a Hbr
Ciarrafes
com 4 */ garrafas com vinagre a 10000 c
ogarrafao.
, GENEBRA DE LARAXJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 140000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
42 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada nma.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o'rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a 4o,ooo a caixa
com urna duzia e a 4,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a 6oe rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a 4oo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimnnto
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs
a libra.
I'assas mnito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sojar a 800rs. a libra e 140 rs. o pao
Frotas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, cniae
outros muitos a 640 rs. a lata g' J
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na roa do Qoei-
rCarmo>nU9d0,fflperadorn-40eI^
, BOLACHINHAS
a tato defferenles q^J'dades a 1*200
QUEIJOS FLAMENCOS
chegadoneste.ultimovapor a20800na rua
do Quemado n. 7, ruado Imperadorn.
4e.,ar*odo Carmo n. 9.
aos seus
es-
Al
largo do Carmo n. 9
frana,?S PrPn'etarios do grande armazem o VevSS^ftSSLiSi---
0 Vtriladeira Principal rna do Inpenitr i 40
FARELLO DE LISBOA
ara N verdadeiro era saccas -ovas e graades a 4*500: na roa do Iraperador 40
NOVIDADES. $
Queijos do Alentejo, ditos das ilhas o mais fresco que se pode dse- A
jar a 10200 alibra, e sendo.nteiro ter algum abatimento. ricas caixiMia* W
redondas afeitadas-, prepfias ptra mimo da feeta polo barato prf*o dt tf
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 405O(>
cada ama. Voade-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, rua dn j
Imperador n. 4. e F uo GAZ GAZ GAZ
Vende-se iraz da melhor qualidade
{H a lata : nos armazens da rua do Im-
perador o. 46 n rna dnTrapiche Navo n.*ft
v^n1m-se charntos Hilaaes: m casa de Monfcard A (I., raa do Tra-
piche n. 18.
barricas com gesso
mos.
Gessa
bos armaiens
de Tasso Ir-
V''alio 4 Madeira r da Parla
Veade-aens-nperiorvinho da Madrina drjfPflr-
to,rn caiTas d* ttma n duas Oozlas : s inaloja
do Vigilanle.raa do Crespa a. 7.





Mari de PernaBibnco SegmJa ielra 13 de Feverelro de ISttft.

t.

Fazendas pretos para a qua-
resma.
Xa loja do Pava*.
Acha-se este estabelecimentocomplelamente sor-
tino de fazendas pretas propriaspara a quaresma,
a saber:
Grosdtnaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, ouiros mais estrenos "tepdo dos presos de
1*180, 1600,1*800, 2*, 2*400 e 3*, superior
raoreaaiique preto a 3*, superior sarja preta hea-
pannola, superior setim preto maco, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
tadjs, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos que lem vindo, superiores manteletes, camisi-
abas com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, ludo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavo ra da Imperalriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavao.
Acba-se ueste esUbeleci ment um grande sorti-
mento de roupas feus para bomem como sejam :
superiores paietots sobrecasacos de panno proto
muito fino e forrados de seda a 22*. 25* e 30*,
ditos tarridos de alpaca a 14*, 16* e 20*, supe-
riores paietots de casemira tanto saeces como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de bnm de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, setins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres. nacionaes, maoda-se (azor qual-
aer obra por medida : na loja do Pavao ra da
nperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chilas em curtes coa 10, 11 e 12 covados
Na loja do Pavo vende-se urna grande porgio
de cortes de chitasf'^ncezas sendo claras e escu-
ras todas de cresf. *as com 10 covados a 3*200,
com 11 covados a 3*600 e com 12 covados a 4*,
pechincha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama & Silva, ra da Imperalriz n. 60.
Qraade liquidadlo.
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
do Pavao de Gama & Silva.
Acba-se este eslabeleciinentocompleamente sor-
tldo de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porcao, e de todas as fazendas do-se araastras,
deixandoflcar penbor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos eaixeiros da loja do Pavo.
(amisiulias a \$.
Vendem-se camisinbas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato prego de dez tusioes cada
nma : na loja do flavio, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 3.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo .
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados |
pelo baraiitsimo preeo de 3*U0 o curte : s na,
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambriias lisas, na loja da Pavo.
Vendem-se pecas tte cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo Dreco de
4* tendo 81|2 varas cada peca, dilas muito finas
a 7*, 8* e 9* a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo prego de 7*, 9* e 10, ditas
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-
pria para torro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pe-
ca : isto na loja do Pavo ra da Impojatriz n. 60, |
de Gama Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pcebincba a 3*300.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia'
transparente imiuigo de tarlatana com muitos I
delicados desenhos, raniio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 3*300cada um,
sendo fazenda que 68mpre se vendeu a 7*. na loja j
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & ,
Silva.
Vestidos a -JA e a 70
Na loja do Pavo vendem-se ricos corles de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato prego de 4* e 7*, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porco, na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os enfeites do Pave.
Vendem-se os maismodernosenfeltespara cabega
de senhora : na loja do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cassas do Pava..
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhos e (raudos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
r., por haver grande porgao : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Is Uatinhas transparentes a 400 -re.
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas
lazinhas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imitago das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado; ditas eafestadas de urna s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pai de mancas : na foja do Pavo ra da Impera-
triz u 60. de Gama <_ Silva. .
Ricos soulanibaruues do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeilados, que se vendem pelo barato prego de
20*, 22*, 23*, 30*. Capas e casacos (Je glace pre-
tus que se vendem muito em coma: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras eseesseus a 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para caigas, colletes, paietots, roupas para
cnangas : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Ans vinte mil covados de la.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinbas transparen-
tes, sendo com llstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; dirs transparentes com palminhas
de seda Maria Pa, tendo de todas as cores, e
alsumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por haver urna grande
porcao : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva. %
Vestidos Mari a pia, I
Grande pechincha a 105000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, beodo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 10* o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada um a 10*, ditos de cambraia
com barras bordadas a crox no ultimo gosto, po-
lo barato prego de 6* : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama*<_ Silva.
Cassas de linho a SOU rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazlnhas lisas.
Vendem-se as mais Anas lazinhas de urna s
cor, tendo grande soetimento : na Iqja do Pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavo os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeom assentos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercado, ricamente bordados e cerculados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernsimos chales nao s sao proprios
para passeio por fazerem nma elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama & Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
Soutambarques de cor na loja
do Pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais ri-
cos soutambarques de cores, sendo os mais bem
enfetados que lem vindo a este mercado, com
adornos de velludo, seda e setim, renda, etc., s
avista do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadeiro aprego a esta fazenda, e
vende-se por differentes pregos conforme a quali-
dade : na loja do Pavo de Gama e Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
AI4CH1MS DEPATENT
de trabalhar mo para
desearocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brotiers & 0.
OLDAM
COMPENDIO DOLOROSO
que coatm o officio de Nossa Senhora das
Doces; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que Deusguarde;
dado luz por devocao do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Estas machina:
podem desearocar
qualquer especit
de algodao sen
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas pan
otrabalbo; pdt
desearocar,! um*
arroba de algo-
dao em earoge
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia; o motores para mover urna, duas,
eutr;s dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinat
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sannders Brothers i C.
N. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz.
A ttenco
o
Xova foja de fazendas e ronpa
fe la nacional, roa da Impe-
ratriz, loja de 4 portas a. 3.
Chitas da loja n. 72.
Vendem-se chitas finas a40 e 280 o covado,
ditas francezas finas a 320, 360 e 400 rs. o covado,
cassa franceza fina a 320.360 e 400 rs. o covado,
lazinhas para vestidos a 360, 400, 600 e 560 e
covado, pegas de madapnlo fino a 6*, 7*, 8*e
9*, pegas de algodao a 3*, 6* e 8* : ra da im-
peratriz n. 72.
Roupa frita nacional
Vendem-se paietots de panno fino a 14*, 16* e
18*. ditos saesos a 6*, 8* e 10*, ditos de casemira
de cores a 6*, 8* 10*, ditos de brim de cores a
2*500, 3* e i?, caigas de casemira preta e de co-
res, colletese calcaste brim de cores a 2*000 e
25300: ra da Imperatriz a. 72.
Sontambarqne a 8 Vende-se soutaraharque de llasiaha a 7* e 8*,
ditos de alpaca branca a 8* e 10*, ditos de gros-
denaple preto a 20* e 2~>*, capas pretas de gros-
denaple finas a 20* e -2o*, panno fino preto a 2*,
3*, 4* e 5* o covado, casemira preta a 2*. 25300
e 35, grosdenaple preto para vestido a 1*600, 2* e
25300 o covado : ra da Imperatriz n. 72.
Cortes de lia i laria Pia a 105
Vendem-se cortes de vestidos a Maria Pia a 10*,
14* e 16*, cortes de cassa franceza a 3*, cortes
de brim para caiga a 1*600 e 2*, ditos de case-
mira de cor a 3*, ditos de dita preta a 3*500, 4*,
5* e 6* : roa da Imperatriz n. 72. Este novo es-
abelecimento vende barato para obter freguezia :
na roa da imperatriz, loja n. 72.
Lia para bardar
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38
recebeu um grande sortimento de lia para bor-
dar das raeihores cores que tem ebegado, a qual
se vende barato, lano em libra como a retalh".
I AGENCIA
I FUNDICiO I0W-M001.
Ra da SenuUa Hova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engento, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e Coado, de todos o
i tamanhos para ditos.
Noarmazemde fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Ra do Quemado h. 19.
Vende-se o seguate:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo prego de 2*400.
Lences de bramante de linho
de una s panno*9*500.
Coberta de chita da India.
pelo baralissimo prego de 2*500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 2* a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia,a 4*.
Pegas de cambraia de forro, a 2#600.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-;
gura, por menos prego d que em outra qualquer
parte.
Toalhas alcochadas para maos
5* a duzia.
Lazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 ris o co-
vado.
Lazinbas de cores finas
do meihor gosto que ha no mercado, a 360 ris e
covado, neste armazem de fazendas se encontrar
um grande sortimento de ronpa feitae por medida

u
S g P
CflOf5 g S D.O.
o o B o
3-si
" o
o." 85
a erg
2 a>
es
2
09
ce
O
ce
a o
a.
O M cb o
sil 3
r 2 8
O te "O
Cfi erg j 3
ii
V> ftj O
. S
fr*ts*tt si i"
to
3 f o
as o
cu
Si*
O.
05 -1
" 5?
S I
5 a
c

o
s
I
o.
co

a>
B
s
a
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 55 lojas de raiude-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por pregos mai6 barato do que em
outra qualquer parle, quem qoizer ver o que ha
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores- banha............
Frascos de vidro com superior banba..
Pares de luvas de seda minio linas___
Enfeites do meihor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do meihor gosio e modernas.
Volta para pescogo do meihor gosto....
Baralbos para voltarete, finas a 200 e..
Varas de franja branca de linha que
tem mu la serventa ...............
Duzia de pennas d'ago muito superiores
Frascos de oleo Bahoza muito finos.....
Talheres para meninos a meihor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa...........................*
Duzia de colheres de metal muito finas
para cha........................
Grosas de bot5es de osso para caiga...
Grosas de bot5es madreperula para ca-
rniza..............................
Gro*as de toldes de looca prateados
muilo Onos......................
Varas de babado do Porto sonido----.
Duzias de lapes differentes qualidade a
240..............................
Quaderoos de papel de peso muito fino.
Itesina do mesmo papel.............
Duzia de facca e parlo muito boas
Sahonele de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................
Creiao para dezenho de todas as qua-
lidades...........................
Ganas de alfineles franeezes muito su-
periores ..........................
Caixas de clcheles franeezes a 40 ris
Duzia............................
Carreteis de retros com qua tro oitavas..
Golinhas para senhora a meihor quali-
dade.............................
200
240
320
2*500
15280
50U
500
240
060
060
200
240
500
2*400
1*500
200
500
200
060
400
030
2*001
2*401
040
500
2*000
|100
500
020
100
360
800
200
BVlJo
Na ra da Madre de Dos n. 9 vende-: feijao
raulatinho, dito branro, e dito prelo, mais >
do que em outra qualquer parte, approvt'u.i;i a
peehinr-liague a quaresma bate pona.________
Vende-se
machina para descarogar algodao, com motores
para animaes : na rus da Senzala Nova n. 42.
Presos que admira.
Sapalosde trauga superiores pelo barate ptteo
de I* o par, c duzia 10* : no vigilaule, TU 00
Crespo n. 7.
Bico adamascado de todas as lareuras, 1 peca
com 10 varas, cada pega a 400, 480, 30C JuO
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em cartao de urna e duas earreiras
perfritas, pelo barato prpgo de 40 e 60 i -. caJa
carlao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para alar cabello, aduza a 1*200, l*CU),
2*,3*,4*e5*.
Ba!aios propriamente para costura e para (roe-
tas,epara menina irazer no braco a 1*300, .-,,,.>
1*800, 2* e 2*500.
Perfumara, macag perola a 2*, 2*200, 3* :
4* a duzia, oleo de maozinha a 5* e 6* a duzia,
banha a 3*, 4* o 5* a duzia. Estes stijSCtOi i
vendem por admiraveis precos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca han-
fz. pois affanga-se a pouca a vana e a boa ,ua-
lidade: s no ale vgilanie,_rua do Graspo n. I.
Farcl
em saceos le mais de 100 libras
de Tasso IrmSos.
nos armozeeri
ATTENCiO.
Piano forte.
Nova n. 11.
Vende-se um muito bom e
lindo piano forte de armario
e 3 cordas verticaes, fabrica-
do especialmente por encom-
menda e desembarcado a 8
dias : na loja franceza da ra
Arados americanos e machinas par
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston 4 C.
na da Senzaila Nova n. 42. __________
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, fctoessen-
cial acontesur, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inoffensivas, ella tem a propnedade
derestituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'umasalubridade incontesta-
vel, a Agua Florida entretem alimpeza da cabega
deitroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constite poderosameT^, cora a Agua Florida, a
forca, a belleza e a consefvagao dos cabe'.^t.
Em Paria, casa de Qnislanr n. 12, ra de Ricbe-
lien, e 21, boulevard Montrnafre.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, e
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador.pnarmacia a. 38.
" Violto do Porto superior
| am barris de oitavo e dcimo, vende Antonio Lniz
i de Oliveira Azevedo is. C.: no seu escriptorj^ roa
daCrozn^lj________________________'
Bixas hambargaezas.
1 Vende-se na ra Nova n. 61.
Vende-se una taberna bem afreguezada para a
trra, sita na travessa do Poroho n. 37 : a tra!nr
com Jos Joaquim Alves, na ra Nova n. 00.
DROGARA.
3 iUna larga do Rosario34
Gartliolonieu Francisco deSonza Al!.
Vendem:
Acido actico puro pra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnigoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paes.
Ovas do sertao.
Vende se ovas do sertfto muito frescas, n.', ni5
da Santa Cruz n. 9, junto a ribeira.
Vende-se um piano de Jacaranda, em muito
bom estado, e por prego corumodo : na ra 0)
Alecrn) n. 2.
GtS INGLMS
Bolachinha <'e soda.
Gr xa 97 em potes.
Queijo de pinha.
Conservas.
Serveja preta e branca de Bass.
Ditos franeezes.
Vinho Bordeaux cm caixas.
Ameixas em vidros.
Vende-se barato para fechar conta : no arma-
zem deThomazTeixeira Bastos, na ra daCadeia
ao Recife n. 60.
A zeite de carrapato
Vende-se por atacado ou a retlhOj mais barato
do que vendem os matulos as cargas : na fabri-
ca da travessa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
ESCBAVOS rUGIDQS.
Aviso
aos capites de campo e a polica.
Desappareceu em pjincipio do mez de outubro
do aune passade, de bordo do palhabole nacional
Araujo Malo, dous eseravos de nomes Rcbcrlo
(por apellido Macei), e Miguel ; o 1* de idade 41
anuos, pouco mais ou menos, criaulo, ror fnla,
estatura balsa, barba serrada, nm peuro torio das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tanto na
barba como na cabega ; o 2* alio, cheio do corpo,
sera barba c falla grossa, representa ter de 25 a
30 annos, rujos eseravos desconfla-se andarem pe-
los arrabaldes desta cldade : qnem os apprehm-
der queiram levar a ra do Trapiche n. 4, que
ser generosamente gratificado._____________
Escravo fgido.
Desde o da 12 do corrate que se ausenten c.i
casa de seu senhor, ra da Alegra n. 9, o escra-
vo pardo de nome Andr, idade de 40 annos, pou-
co mais ou menos, baixn e clieo do corpo. con
marcas de bexigas, barbado, com passa piclto.u
quando olha parece querer fechar um olho, qu:m
do anda inclina a cabega para um lado, tem ca-
bello caxiado e asa de banha : este escravo velo
cerca de dous annos da provincia do Cear em
barcado: muito ladino, tem a falla muito des-
cangada, e falla sempre com muita moderado 0
humildade, consia que anda pelo bairro da Ba
Vista para a Soledadc, caixa d'agua, e roa do Os-
eo, tambem tem sido visto no Recife e Santo An-
tonio, mas poucas vezes : quem o pegar pode le
va-lo casa cima mencionada, qae ser gener-
TESTAMENTOS.
Obra absolutamente propria para en-
tretenimento.
Achara-se venda, na ra do Imperador n. 15,
defroniede S. Francisco, os seguintes testamentos:
daGallinha,do Gallo-do Cachorro, do Porco, de
Per, da Onga Tigrero Vigario e do Leo ; a Pe-
leja da Alma, S. Miguel e o Diabo, 160 rs. cada
um ; aproveitem em quanto tempo. Igualmente
ha a venda cartas de A B C, taboadas, pautas, e smente recompensado por seu senhor Jos An'o -
outros objectos proprios para as escolas. nio Bastos. ''
s:
_:
LISTA GERAL
DOS PREMIOS DA O. PARTE DA 2. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 330, A BENEFICIO DO PATRIMONIO DOS ORPHOS EXTRAHIDA EM 25 DE FEVEREIRO DE 1865.
NS. PREMS.
2 6*
4 -
o
7
8 -
9
10 -
16
17
26 -
31*
32
34 -
36
43 -
44
46
49 _
53 -
73
74
73 _
76 -
78
82
83 -
85
89 _
90
92
97 _
99 20_
104
7
8
10
23
25
100*
6*
6*
39
33
34
39
44
47
51
52
38
63
66
68
71
81
82
83
10*
6*
0*

NS. PREMS.
188 6*
92
93 -
97 -
201 -
2 -
3 -
6 -
10 -
13 -
16
21 -
23
26 -
27 -
31 -
32 -
34 -
36 -
38
39
47
49
53
61
62
67
69
71
74
77
78
80
81
83
84
93
304
9
11
12
13
ti
19
20
21
22
23
24
25
28
31
33
42
46
10*
6*
200*
6*
10*
6*
10*
6*
NS. PREMS.
350 6*
52
53
57
62
63
69
7o
77
79
80
82
83
84
92
93
96
405
14
19
23
36
38
42
47
48
51
54
55
58
59
60
62
67
68
69
70
72
76
77
83
86
94
99
500
i
2
3
7
8
9
14
18
19
10*
6*
i
10*
6*
iNS. PREMS.
523 6*
24 -
28 -
29 -
30
31
32
34
35
39
40
42
47
49
53
55
58
60
62
66
72
76
78
80
90
91
92
93
98
600
14
15
19
21
*28
30
32
33
37
45
51
53
55
56
60
68
78
80
83
87
90
91
95
10*
100*
6*
10*
10*
6*
20*
6*
S. PREMS. NS. PREMS. NS.
701 6* 881 6* 1034
1 84 36
5 87 38
7 10* 90 39
16 10* 94 44
19 6* 95 20* 45
24 98 6* 48
30 100* 902 54
33 6* 8 55
34 9 38
40 __ 15 59
44 _ 19 64
45 ___ 20 66
46 _ 21 __ 67
48 m^ 26 _ 69
49 ___, 27 _ 81
54 __ 31 _ 82
35 i 32 _ 83
57 t_ _ 40 _ 84
58 _ 44 _ 86
59 43 87
63 , 46 _. 88
63 __ 50 _ 98
67 _ 52 1102
68 _ 53 9
69 _ 54 10
77 _ 55 13
78 _ 64 16
84 -. 65 19
86 66 25
87 _ 73 29
89 10* 80 40* 31
90 6* 81 6* 33
96 _ 82 38
811 83 41
14 _ 88 44
16 __ 89 6:000* 45
18 92 6* 53
19 20* 93 57
34 6* 94 60
35 95 63
41 _ 96 64
43 __ 1000 _ 65
44 _ 1 73
51 __ 2 _ 77
57 4 90
61 10* 0 91
67 6* 7 92
70 8 93
71 13 96
72 19 97
74 10* 23 20* 98
76 20* 27 6* 1200
79 6* 31 1
80 32 2
PREMS.
NS. PREMS. NS. PREMS.
1204 6*
16
17 -
21
24 -
10*
6*
40*
6*
10*
10*
6*1
27
38
40
42
43
45
46
50
52
61
64
67
68
69
82
83
86
87
88
90
99
1300
1
11
17
20
,31
4
6
37
38
40
41
42
46
62
53
58
63
64
67
72
74
75
80
82
20*
10*
6*
20*
6*
100*
6*
10*
6*
94 -
1397
1406
9
11
14
15
26
28
32
37
38
48
53
61
66
70
73
79
80
89
91
95
97
1501
3
5
7
8
10
11
16
24
27
29
30
39
42
43
49
51
56
57
58
59
61
62
66
67
73
73
74
81
82
84
89
0
10*
05
40*
6*
10*
10*
6*
NS.
1594
98
1601
2
3
6
10
12
13
20
21
24
26
29
33
3*
35
35
40
44
51
59
63
67
77
78
82
86
93
96
97
1700
2
7
10
11
24
26
31
33
39
40
42
49
50
5t
53
55
60
63
65
79
80
84
86
PREMS. |i>S. PtUMUS.
6*!l788 6*
91 -
40*
6*
6*
10*
10*
6*
93
94
98
1805
7
12
14
16
20
24
26
29
42
43
47
48
49
50
54
56
60
61
63
66
68
69
78
80
85
89
94
95
97
98
1900
1
6
8
14
18
24
26
37
40
42
43
45
47
51
52
54
56
59
40*
20*
6*
10*
10*
6*
10*
6*
10*
6*
500*
6*
AS. PREMS
1960
61
03
70
71
74
76
78
79
8.)
85
88
93
2000
2
6
8
9
10
12
18
19
21
23
25
30
3-1
37
M
U
48
49
oi
55
58
61
03
73
79
80
82
8 i
90
90
97
2113
16
19
20
21
23
28
30
31
34
NS. PUMS.
6*213
20*
20*
6*
40*
6*
10*
20*
6*
10*
6*
NS. PRbMS.
13 00
36
39
42
48 -
49
50 -
51
52 -
53 -
59
60
64
74 -
81 -
82 -
83 -
86 -
87 -
89
94 -
95 -
2206
10
13
19 -
22 -
24 -
27
30
31
34
37
36
39
40
42
43
44
47
49
52
53
54
57
61
63
67
74
77
78
82
85
90
95
10*
6*
10*
6*
2300
6
11
12
17
18
19
20
21
23
29
30
33
39
41
49
50
55
56
58
59
60
62
63
64
68
71
74
79
81
83
90
96
98
2403
6
9
16
18
22-
23
24
25
26
29
31
33
34
36
40
42
46
60
61
63
6*
10*
6*
10*
10*
6*
NS. PRIiMS.
2469 1:400*
72 6*
73
85
87
20*
6*
10*
10*
6*
40*
6*
10*
6*
O eserWIo, Jos Pedr das Nevet.
90
95
2502
5
6
7
13
14
16
17
18
19
22
27
29
30
31
32
41
43
46
53
54
56
63
69
73
78
79
80
82
83
85
86
88
90
92
93
2611
19
'20
25
26
28
32
36
38
41 40*
Pern.Typ. d M. F,
2645
47
50
33
55
58
59
64
75
79
80
81
87
92
2701
7
11
16
17
20
27
30
32
37
43
47
48
49
51
52
53
61
65
66
68
78
81
84
85
88
92
94
95
2603
16
18
22
24
26
34
37
40
42
43
44
EMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. 1 PREMS
6* 2847 6* 8027 6* 3165 6* 3342 6*
49 29 69 45
51 10* 30 73 46 50 Rtt _-.
52 6* 34 10* 79
54 35 6* 81 54 58 59 63 66 71 74 75 77 78
59 w 38 87 ~~
60 61 63 39 40 43 ~" 88 90 95 _
_ 64 _ 44 98
65 66 70 -_ 45 47 48 3200 6 7 10* 6*
72 49 11
79 51 12 79
86 53 16 80
91 55 20* 24 82
97 56 6* 26 86
2901 63 10* 31 91
2 65 6* 32 20* 92
10* 8 67 34 6* 96
6* 10 12 77 85 36 39 98
__ 17 _ 86 ^am 42 3402
22 87 mm 46 3
24 88 __ 47 4
25 89 __ 50 5 ~"
38 92 53 6
41 95 _ 65 9
i 45 96 69 11
46 3100 74 40* 14
10* 48 2 10* 82 6* 16
6* 30 3 6* 85 22
__ 53 4 88 23
^_ . 55 7 94 25
___ 63 9 _ 96 29 35
.^ 64 14 . 98
_ 66 13 __ 99 42 .
_ 76 24 __, 3302 44
__ 88 26 ___, 4 45
_ 91 31 _ 12 46
98 35 B_W 13 20* 47 20*
__ 3002 38 10* 16 6* 49 6*
__ 5 39 6* 17 52
-, 7 __ 41 18 55
a_ 8 10* 43 19 . 64
_ 9 6* 45 _ 20 63
- 11 46 100* 22 73
12 - 48 10* 24 79
13 20* 49 10* 25 81 M
19 6* 51 6* 32 8b
-- 20 _ 53 33 . 88 "*"
10* 21 20* 54 34 . 92
6* 22, 6* 5$ 37 95
25 56 40 %
de Faria & Filh:4865






Diarlo ile reraamlraco Segunda letra t de Feverero de 18S5.

J
LITTSEiTUSA.
noticia sobre a comarca de Bra-
ganc na provincia do Para.
(Concls.)
Clima e aspecto do piz.
Esta comarca, simada perto do Equador, distan-
do deste a sua orla raarilim.i nao ni ais de 6 leguas,
tem um clima saudavel e ameno. No lempo do
mvrno, que principia em Janeiro, e termina era
O rio Aturiahi de pequeo curso e habitado
at 2 leguas da fez.
Urumaj, tarabem de pequeo curso, entra com
o precedente em urna baha prxima bocea do
Caite. Tem babilagoes at 3 leguas da saa embo-
cadura, que sae em lugar vistoso, e o ponto nico,
que nesta costa se eleva cima da chan geral dos
terrenos adjacentes.
O rio Caite nasce das matas a leste de Ourem,
passa por Tentugai.banha a cidade de Braganga, e
langa-se no mar 3 leguas abaixo d'esta em 41'de
junlio aempre cora chavas copiosas, vc-se fnqueu- lall,ude Lsul-e 46 3i de 'ngitude occidental de
temente os ares toldados de expessas nuvens ; mas Grenw.ch, segundo a corographia paraense do co-
na estago do vero de julho a dezembro o ar est ?e'Joac, Accio,L E1 navegavel para canoas
coetemente lmpido e puro ; raras sao as chu- '" l*** ; e.at" ac,dade cne8am snmacas- A
v K_ mare sobe a mais 7 leguas,
vas que entao apparecem. Durante o invern-ha
fortes trovoadas. i rio perica pequeo, e langa-se no mar ao
norte do Caite.
O rio Pirabas tambem pequeo, e entra no mar
seculo passado se formaram para a catechese dos
indgenas, j desappareceram, vendo-se apenas ra-
ros vestigios de sna existencia.
Braganga, elevada a cidade pela le provincial
de 2 de oatubro de 1854, est assentada na mar-
gem esqaerda ou occidental d rio Caite, em ter-
reno pouco levantado, (res leguas cima da embo-
cadura! do mesmo rio.
do tabaco, do arroz, do milho, da mandioca do
feijo, das batatas, etc. Todos esses gneros sao
de excedente.qualidade, como tenho observado
quasi em todos os lagares.
Ambos os territorios, que eslao medidos sao co-
bertds de mato virgem, cojo aspecto s basta para
dar idea da fertilidade do solo. Muitas madeiras
de construegao se encontrara nella, como seja o
no dito anne contava apenas seis palhocas epara
all havia sido trasladada em 1664 do rio Guropi,
onde (ora fundada em 1528, e o seu territorio
constituido capitana, e donatario de Gaspar de
Souza, cujo appellido servia para a denominado
da mesma villa. A pedimento deste governador o
ministerio portuguez mandou povoar a nova villa
de Braganoa com familias e horneas soltelrosilhos
U solo da comarca, coitado por varios ros, que
correra em direccao costa, e por innmeros ri-
eros, que aos mesmos rios vo ler, plano e co- Jem Af Japerlca. Separa o termo desta cidade do prenses e m.chaelenses. .
, .,,... _j da villa de Cintra. A essas familias deu-se em sesmana ama legua
berto de frondoz.ss.mo arvoredo, encoo rando-se | !de terra lav a fo medjda e*de.
para o lado do Qurupi na sua parte superior a ser-! u r' u_Mm" airavessa o municipio de Oarem marcada. Hojo^ esIa divldida por d|versos ,.
radaCathariaa.edojutalu, ambas de mu peque- na direegao de L. O. com algumas voltas ; corre dores. A'villa nao se dea patrimonio, nem Ihe foi
Diz ^onteiro Baena no tinsaio Corographico do cedro, a jarana, a broca, o ananim, o camino, e
Para : e O governador e capillo general Francis- j bacury, o louro de diversas qualdades, a carahi-
c Xavjer de Mendoza Furtado creoa esta villa | peraaa, a massaranduba, o pu-rxo, o maranhoto,
em 1753 sobre as ruinas da villa de Souza, a qaal e outras muitas, que seria longo enumerar.
O no Quatipar, que passa pelos campos do mes-
mo uome, eatra pelo segundo e primelro territo-
rio. Este rio navegavel at o secundo territorio,
em grande parte do anno, de Janeiro a outabro, e
mesmo at o primeiro, se for desobstruido. E' um
meio fcil de transporte para a-capital. Do segun-
do territorio podem descer os barcos carregados
at a foz do rio era dia e meio, e d'ahi a capital em
dous dias.
O Quatipur muito piscoso ; de suas margeos
destendem-se grandes campos, que posto nao se
prestera neje mui bem a creago, com tudo tornar-
ua elevado e do lado occidental do rio Caito al- por en,re densa Qoresla> e ,em auas pequeas ca- concedida como propriedade para seu rendimento' se-hao importantissimos mais para dante, e quan-
guos campos, que, alagando uo Invern pela maior; enoeiras iveis ** no vero, ama defronte.. t>rov,raento do ou- a ,, .__i*_ .
parte, cobrem-se do eapiiu no vero.
O sereno no decurso das ncutes abundaute, e.
no verao tanto, que ao amanhecer acha-se a re-
va perfeilamente orvalhaJa, como se houvera ca-1
Mdo iiolsslma chuva.
da povoagao da Cachoeira, e outra em frente a vil-
a de Ourem.
A cachoeira fronteira a Ourem pelo verao offe-
i rece pela parte direita am canal de urna braga de
largura, por onde passam pequeas canoas. Este
no rene se ao rio Capim, cujas aguas confundem-
As manhas dos mezes de julho c agosto sao pre- se com as do Tocantins passando pela cidade de
didas de urna rara neblina, que se dissipa, apenas Belm.
ergue-se o sol. O rio Irituia estreito, porm extenso, e desa-
Costa. gua no Guarnan pouco cima da Cachoeira, e algu-
A costa desde a foz do Qurupi corre no rumo mas leguas abaixo de Ourem.
de O 1|4 NO, c ao 0X0 por espago de 25 lega m consU>.que na comarca najam ,
1 manales. Durante a estaco invernosa porm
quasi todos os,campos do lado do oeste ficam sub-
vidor Joo InS^^T^^*?. ?> <"' a induslria seaPer'
^ fegoa ra necessariamente.
...;e bahas. Navegase ao longo d'esta costa por
fundo limpo de 7 a 8 bracas, na distancia de 3 a 4
leguas de trra.
Da barra lo Caite corre a costa a O l|4 NO por
espaco de 13 leguas, devendo navegar-se n'essa
extenso de 2 a 3 leguas de terra por fundo de 7
a 8 bracas.
Em frente barra do Caite exstem bancos de
arcia, que na haxa-mar'ficam a descoberto na ex-
tenso de 2 a 3 leguas, no entretanto que as ma-
res cheias podem sobre esses bancos passar na-
vios de alto calado ; por quanto sobem as aguas
entao a mais de 20 ps nesses lugares.
A costa raza, e caberla de arvoredo: penetran:
do asagnas da preamar por grandes>extensoes de
terrenos paludosos, c cheios de mangue e outras
arvores proprias de trras alagadizas.
A orla martima forma urna inextricavel rede
de canaes, que se comraunicam era todos os sen-
tidos.
Serrat e campos.
Como j dissemos, na mxima parte plano o
terreno d'esta comarca : s junto a embocadura do
mergidos, formando grandes lagos temporarios,
que no verao desapparecem.
Mineraloga.
E' sabido que at agora poucos mineraes se nao
i descoberto no territorio do Para. Nesta comarca se
: tem doscoberto minas aurferas, cujos jazigos tem
j sido explorados. Vejamos o que a tal respeito
diz a corographia paranhense de Ignacio Ac-
coli.
Em 1818 veriflcou-se o descofcrimento das mi-
nas de ouro do Pirocaua e Toromahi districto da
cidade de Braganga (hoje do Turiass.)
O desembargador Miguel Joaquim de Cerqueira
Silva foi o encarragado desta deligencia para a qual
parta da capital era feverero do raesmo anno, e
era diversas amostras de varios lagares, exlrahi-
ram-se 892 oitavas daquelle metal, entre o qual se
achou urna folheta de 37 oitavas e 3[4, tocando o
curo 24 25 quilates.
Todo o terreno desde a vizinhanca de Braganga
at o ro Redondo aurfero em maior ou menor
Pena e na parle superor^do Qurupi se veem as quantidade, e sempre na direccao de L. O.: gran-
serras denominadas da Catharina e do Jutahi, as de parte delle se acha escavado desde 1800, se-
quaes se enxergam do mar ao longe, e sao pelos
navegantes conhecidas com os nomos de serras do
Perla, ou serras Qurupi.A sua elevago mui pou-
ca, posto que longe represenlem maior altura por
so levantaren] em terreno plano.
gundo se dlzia, e era crivel vista da antigudade
das escavacoes. Alm das ruinas do Pirocaua e
Toromahi acham-se outras cima da foz do rio Gu-
rupi, nos seus afuenus conhecidos por Mano e
Sumauma : no centro, na margem occidental, sa-
no anno de 1778, achei o seguinte :
c Consta-me que na prjmeira creago da villa
se assignara chaos para habitacao dos povoadores;
mandou-se que fabricassem casas em breve termo,
e o mesmo fez o senado, prevenindo o de seis me-
zes para levantarem casas: nada, porm, se poz
em execugao. as casas se usar de telhas, e nao
de palha. >
Bem til fra que se dsse era patrimonio a c-
mara da cidade o terreno, em que ella est edifi-
cada, para lucrar os foros e augmentar os rditos
municipaes.
O terreno em que est situada a cidade, pois,
devolulo e de propriedade nacional; e j por offl-
co do presidente da provincia de 18 de oatubro'
de 1843, mandou-se observar o segulcte parecer
dado pelo procurador fiscal da thesouraria de fa-
zenda :
t Parece-me que a cmara nenhnra dreito tem
aos terrenos devolutos, que Ibe nao foram doados
para seu patrimonio ; o que pode qualquer edifi-
car nesses terrenos indepenente de concesso da
cmara, quanto propriedade, que smente os po-
deres do estado podem dar *. mas nao quanto ao
alinhamento, seguranga, elegancia e regularidade'.
dos edicios e ras, que Ihe pertence fiscalisar. >
Em 1833 constava esta cidade de tres ras para-
lellas ao rio; hoje est bastante augmentada em
relago ao que era n'esse tempo.
Actualmente ella consta de 225 casas de tena,
formando 2 largos, 5 ras paralellas ao rio e 6 tra-
vessas. As roas e travessas cortam-se em ngulos
rectos, constituindo quarteires regulares de 30
bragas de cada lado.
Tem urna egreja matriz, a qaal nao est acaba-
da ; mas permute a celebrago dos officios divinos.
Ha cen.iterio, e foi feito pela munielpalidade, que
delle percebe ama taxa por cada sepultura, que se
abre. Est collocada na parte occidental da cida-
de, e de fraca construegao por ser cercado de pa-
redes de madeira e barro, e conclaiu-se em 3 de
feverero de 1853.
Eistia casa de cmara ; mas, sendo peqnena e
achand-se arruinada, foi demolida para ser reedi-
ficada, iangando-se os alicerces do novo edificio em
feverero de 1855. Se fr a obra concluida, lera o
municipio urna boa casa de cmara.
Oaren^. Est situada em terreno plano mar-
gem direita do rio Guarnan em frente da segunda
cachoeira do mesmo rio, chamada amigamente da
casa forte. Fui fundada a villa em 1753 com 150
Indios e algumas familias agoriaoas.
da villa
Sao dous phenomenos,
qae caminham paripassu, que nao podem nunca
separar-se.
Da cidade de Braganga segu ama boa estrada
no ramo d'O. mais ou menos, qae vae passar pr-
ximo do segundo territorio, terminando em frente
da iinha media N. S. A estrada nos terrenos me-
didos ter, quando muito, 500 bragas. E' portanto
fcil tambem a commaolcagao com Braganga, cen-
tro do commercio da comarca.
Os futuros moradores do priraeiro territorio man-
darlo seus gneros nao s pela estrada de Oarem,
que passa prximo della, como tambem pelo rio
Caite.
Alm do Quatipar, banham os dous territorios
o Anoir, que corre no primeiro poligno do pri-
meiro ; o Cassacura no segundo ; dous bragos do
Quatipur' no terceiro, Traquatina no segundo do
segundo territorio, o Assahitina no quarto do pri-
meiro ; rios que pelo invern se prestam a peque-
a navegago, podendo alm disso servir suas
aguas como motores de machinas bydraulicas.
Send3 o solo ferlilisslmo, prestndose om van-
tagera a tantos e to importantes gneros de cultu-
ra, e havendo facllidade de transportes para os
centros commerciaes, s resta que apparega o tra-
balho bem dirigido para que anqueza se desenvol-
va. E qual ser o lavrador intelligente honesto,
que nessas circumstanclas nao faga fortuna em
ponco tempo ? L'm exemplo convencer melhor o
qaejevo dito.
Mappa descriptivo.
4
0>
fe
<

fiS
a
4
y
si
3
s
e
<
Z
3
<
ca
Q
O
S
3
z

i
DISTItiCTOS.
Braganga.
Viseu.
CABEC\S DE DISTKICTO.
Cidade de Bragaaga.
Povoagaode Viteu.
OBSERV.VQOES.
i
Fica esta cidade ua margem esquerda do rio
Caite, 3 leguas cima da sua foz no Atlntico.'
Est esta povoagao assentada na margem es
querda do rio Gurupi, a leste da cidade de Bra-
ganga em distancia de 10 leguas pelo caminho de
trra. Por mar faz-se a viagem em 3 dias.
o
w
o
i

g
..o
Ourem.
Cachoeira.
Iriluia.
Villa de Ourem.
Povoagao de Cachoeira.
Povoagao de Irituia.
Acha se esta villa na margem direita do rio
Guarnan, ao sudoeste da cidade de Braganga, da
qual dista 14 leguas. Faz-se a communicagao por
terra, e ba estrada soffrivel por ser um terreno
plano : fallam porm pontes mui necessarias na
estago invernosa.
Madama G. apresentou-se com seas doas Albos,
o vigario de Jess Chnsto para, como para repre-
senta-lo mais vivamente acariciando como Elle os
meninos. Pergunta pelos seas nomes, d a cada
am um rosario, e pondo suas sagradas mos sobre
a cabega dos dous meninos ao raesmo tempo, pare,
ce querer enche-los de urna bengo particular.
A ditosa raae eslava ebria de alegra, e muito
principalmente por ver anda a miracnlosa imagem
da Virgem Santissima.
E' este o simples e fiel resumo de muitas con-
versages que ti vemos com madama G.', que desde
a primeira e segunda apparlgao senta se vivamen-
te inclinada a abandonar a sua religio ; porm
depeis da tercelra conheceu que Ihe serla muito
duro reagir contra o aguilbo da graga.
Entre suspiros e solugos passou a noute, at qae
nao podendo por mais lempo supportar o enorme
peso de seu segredo, reselveu por fim dzer a sea
marido que quera abjurar o protestantismo.
Kncontrou neste todo o apoio, secundando mara-
villosamente o sea pledoso designio.
No da 17 de maio teve lugar a abjaragao com
todas as ceremonias proscriptas na capella interior
da Trindade do Monte, e na quinta-felra da sema,
na seguinte toda a familia commangoa em ama
outra capella da mesma egreja, das maos de S. Ex.
o cardeal vigario, que tambem conflrmou a fervo-
rosa neopbyta.
Est a povoagao na margem direita do rio Gua-
uao, abaixo de Ourem cerca de 10 leguas no ru-
mo de oeste. A communicagao com esta cidade
faz-se por va de Ourem, descendo d'ahi embar-
cado pelo Guarnan.
Flca a povoagao margem do rio do mesmo
nome, o qual desembocca no Guarnan pouco ci-
ma da povoagao da Cachoeira. A communicagao
enlre esta cidade e Irituia effectua-se por va de
Ourem, descendo d'ahi pelo Guarnan, e depois
subindo pelo rio Irituia. Se se abrisse caminho
por terra de Oarem para a povoagao do Irituia,
far-se-hia a viagem desta cidade para a mesma
povoagao era 3 dias, quando hoje gastam-se 6
!) PO0C6 DE TUDO.
L-se na Estrella do Sul o seguinte :
PODER DA MSICA RELIGIOSA.
Em urna cidade catholica de Allemnha viva
Para centro urna familia virtuosa que consagrava parte de sua
No lado occidental da cidade de Braganga exis- i hindo da sua foz existe a serra da Catharina, aan-
tem alguns campos em que se cria o gado vaceum.
Elles ficam entre o no Caite e o rio Culpur :
alagam no invern, formando varias ilhas, onde
os gados se refugiam : no verao secao, e cobrem-
be de pasto. Grande quantidade de insectos in-
commodam bastante a gente e o gado.
de consta haver abundancia de ouro.
Os outros lugares ariferos mais noiaveis por esta
parte da provincia sao a serra do Jutahi, e a ba-
ha do Peri, Emburahi, Pichuma, Oiteirapu, Iri-
ri e Redondo.
Nesta cidade de Braganga j v ouro (1854) ex-
0 terreno d'esscs campos de formagao recente,!lrahido desses laares margem esquerda do Gu
e as excavages, que se fazem para abrir pogos, ruP'- P
ou cacimbas para aguada do gado no tempo do ve- i Esses jazigos mineraes, segundo se er, esten-
ro, acham-se bem desenhadas as arvores, que all | dem-se desde o no Maracassume, no territorio da
ficaram sol3rradas, e que se hao convertido em ; villa do Turiass, at o rio Curuga pelo litoral, m-
terra, ou tamul, e com tal perfegao se acham ternando-se talvaz at as cabeceiras do rio Moj,
esses desenhos, que se reconhecem as diversas i que em 1847 mandou o vicepresidente Joao Ma-
qualidades de arvores. Eu tive occasiao de obser- ria de Moraes explorar por um mineralogista,
var esse phenomeno reconhecendo em um tomo, SegUQdo, memopia hislorja da
de 2 palmos quadrados as folhas, ramos da arvere do Maranho> mandada
denomiuada saraniba, que abunda naquellas para-
gens.
Rios e lagos.
A comarca tem pelo lado oriental o rio Qurupi,
e pelo occidental o rio Pirabas.
Alm desses rios correra
e quasi paralellos uns aos outros, os rios Japerica
Cutipur, Caite, Urumaj, Aturiahi, Emburahi)
Bacanga, Peroba, Buranonga, e Peri, os quaesse
acham nomeados na ordem-.-em que entrara no
mar vindo do occidente.
Entre os rios da comarca o maior o Qurupi
depois d'elle o Peri e o Caite o qual divido a co-
marca em duas porgues, una oriental at o Quru-
pi e outra occidental at o Pirabas.
O rio Qurupi caudaloso, largo e profundo.
Traz suas cabeceiras das Ierras de Grajah e vem
desaguar no Atlntico em 48' de latitude sul, e 45
50' de longtude occidental de Grenwich, (segundo
os clculos do coronel Ignacio Accioli em 40' lati-
tude e 45 22' longitude) onde forma urna baha
de 3 leguas de largura. Segundo as observages
do lente Joaquim Alves Castlho feilas era 1837,
elle corre at apona deVizeu aos 15 SO, NE.
Al o lugar Simao o seu curso limpo, e navega,
vel por embarcagOes pequeas, como sumacas e
brigues ; d'ahi por diante encontrara-se cachoeras
que vo al a de Pedras de Amolar em distancia
de perto de 40 leguas.
E' habitado da sua foz at 18 leguas Suas aguas
sao doces, e de verso chega a mar at 8 leguas
cima da povoagao de Cerzeello; d'aqui para
diante contina com cachoeiras, recebe pela sua
direita o rio Paraci cujas verlentes 'sao as que
comraunicam com o rio Capim, continuando sem-
pre o Qurupi ao occidente, procurando o centro de-,
Pastos-bons, onde tem nascment; as suas cabe-
----------, .._.. publicar pela academia
real das sciencias de Lisoa consta, que quando os
Francezes oceuparam o Maranho sob o mando de
La Bavardiere, viera urna expedigao ao rio Guru-
pi, chamado pelos mesmos fraucezes Zonarpi,
i a qual obtivera enxofre mineral, que s se en-
costa conlra> onde ha mnas de ouro e prata, e pescara
na emboccadura do dito rio perolas de grande
valor.
Ha as margeos do Caite barro de louga e cari
(barro de tiogir,) e as abas das serras do Jutahi
e Catharina esmeril.
Pedras de amolar ha no Gurupi na cachoeira
Pedras de Amolar.
Tabatioga alva, azul e roxa, (especie de greda
liuissima) acha-seno Caite, assim como tahua ama-
relio e vermelho.
Com alguma industria poder-se-ham em muitos
pontos da costa formar vantajosas salinas. Algu-
mas salinas naturaes sao aproveiladas, e taes sao
as que exstem em Camarauass adiante da ponta
do Urumaj, na ponta de Japerica, e as vlznhan-
gas de Braganga um distancia de legua e meia.
Titiologia.
Ha nesta comarca muitas qualdades de madei-
ras, quer de construegao civil e naval, quer de
marceneria ; nio ha porm de tinturara.
in
ta-se a andiroba, angeliin, araracangura, bacuri,
cedro, curaar, jarana, jatobaou jutahi, itauba,
masiaranduba, pu d'arco, pu d'oleo, pequi, se-
cupira, tatajuba (difireme da de tinluraria.)
Entre as de marceneria, macauba, maracatiua-
ra, marapiniraa, marapiraDga
roxo, pau santo.
das, e JZSStt^wSr&St! If?a 6 de SCU ,emp0 em SOCCOrrer e CODSOlar S
no qual flca a pequea egreja matriz e 5 pequeas' '
casas mal construidas e acanhadas formam a villa
que conta presentemente 83 casas de telba. Tra-
ta-se de fazer urna casa de cmara.
Cachoeira, tambera conhecida pelo nome de S.
Miguel do Guarnan. Esta margem do rio Gua-
rnan em terreno baixo, plano, em frente da primei-
ra cachoeira do mesmo rio. Para a fundago da
freguezia foi doado por um individuo um terreno ncebo.
de 60 bragas quadradas. Est-se edificando urna
pequea egreja para matriz. Consta o povoado de
Ludovics BJum o mais velho dos filhos, posto em
ama casa de ommercio cumpria seu dever com
zeloe intelligencia ; mas esta conduela irreprehen-
sivel aos olhos do mundo, dava piedosa familia
alguma cousa a ddsejar : o contacto perigoso de
alguns camaradas tinha abalado a f deste pobre
Bemdizei o Dlho prodigo I acrescentou o
cura que enlrava no raesmo tempo.
Consternada e cheia de alegra, madama Blum
misturou suas lagrimas as de filho e do bom pas-
tor ; a felicidade tinha tornado a entrar nesta pie-
dosa familia.
Muzart sabedor desta conversao, agradecen a
Deus ter-lhe concedido ser causa indirecta da mes-
ma, e apressou-se a enviar ao bom cura a collec-
go de suas obras sagradas, supplcando que Ihe
preparasse por ellas um lugar no cu no meio do
choro seraphico que canta o eterno hosanna.
l^asas apenas.
^lrituia.-Fica margem do rio do mesmo nome :
CHA CONVERSAO.
O dia da commqnho pasca, a sagrada mesa nao a soperstigo sem duvida urna fraqueza; po-
fra visitada se nao por tres membros da familia ; rm a incredulidade um crime. Julgamos evitar
pordetrzdVsVo'c"^ liaha faltado .ao appello anoual que a urna e outra communicando aos nossos irmaos ca-
do flca umiterreno alto e plano. Tera urna peque-1 egreja faz seus filhos. j tholicos a narrago seguinte :
na e mal edificada egreja, que serve de matriz. r- i. > j-
Braganga maio de 1856. "*" fa"a Poz com iPdo Sr- "lam em grande | ISos das em que tudo se dispanha era Roma
A constfcgo das casas geralmente de taipa; affliccao ; mas nem as^xhortagoes do enra amigo para a recepgao do sanlissimo padre Po IX em sua
fra as casas sao rebocadas e caiadas; por da familia, uem as lacrimas de urna mae. nem o capital, M. G., official
por
. por da familia, uem as lagrimas de urna mae, nem o
dentro, pori'm, muitas o nao sao. As casas amigas: pio slleDC,0 de am pae nem as doces palams de
sao assas
edificando
mos. Ha
bem de taipa. Havendo pedra perto desta cidade,
e podendotse fazer o tijollo de alvenaria dentro
della, preferem comtudo os seus habitantes a fraca
edificago da taipa. Nao ha calgadas as ras para
passeio, como tao necessario se faz, principalmente
no invern.
Ha boa agua potavel de dous ribeiros, que cor-
rem junto cidade, e vo unidos cahir no Caite.
N'esses ribeiros tomam-se excellentes banhos, so-
bretudo no verao, quando as aguas esto mais II-
vres das partculas vegetaes. que no invernse
misturara in'essas aguas que, sahindo do leito dos
rios, alagam as suas margens, e prodnzem a de-
composigo de grande quantidade de hervas e ar-
bustos
A populago da cidade de 819 habitantes, se-
gundo o arrolamenio feito em junho do anno pr-
ximo lindo de 1854.
Na parte do norte da cidade est o lugar chama-
do Aldea, que foi onde, anteriormente fundago
da cidade, existiu o aldeiamento de Indios chama-
do Vimiozo : hoje consiste em 10 ou 12 misera veis
choupanas, e 3 casas de telba, inclusive o estabele-
cimento de olaria do tenentecoronel Francisco Es-
tado de Queiroz.
Vizu.Povoagao anda pequea (), est assen-
tada em terreno pouco alto na margem esquerda
do Gurupi 5 leguas cima da sua foz no Atlntico.
Consta actualmente de 73 casas, sendo 22 de telha,
e asdemais de palha, occopadas por cerca de 300
habitantes.
TERRENOS DEVOLUTOS.
A mxima parte do territorio da comarca se
compite de terrenos devolutos. Por ordem do go-
Enlre as princpaes madeiras de construegao no- verno imperial foram medidos dous territorios na
forma recommendada pelo regulamento expedido
para a execugao da lei das trras publicas de 18
de selembro de 1850.
Em 1855 comegaram-se os irabalnos da medicao,
que foram incumbidos ao enr enheiro Dr. Joao Mar-
tins da Silva Coutinho, mediante cuja aptidao e ze-
lo foi a commissao desempenhada com economa
pu amarello, pa [ e perfeila regularidade. A medigao coroegou no
lugar Caasscnra entre Braganga e o porto de Ten-
tugal, na estrada de Ourem.
Em informagao offlcial assim sao expostas as
capital,
franceza, passeava
do exercito de expedigo
Bas visinhangas do Vaticano
baixas ; as que modernamente se vo
tem na frente a altura de 18 a 20 pal- uma "raa muito amada poderara coramover sua cpm sua esposa e agOg hlhos, um de doze annos a
9 pegenos sobrados construidos tara- {a'ma j endurecida na incredulidade. o outro de dez.
A exemplo decanta Monica, o modelo das raaes Mma. G. leve a infeliciaaae de nascer entre os
christes, madama Blam recorrea a oragao, espe- protestantes da Allemanba ; porm sua mae a sou-
rando que Deus se dignasse tocar com sna graga 0 be educar em todas as virtudes moraes que ella em
coragao deste outro Agostinho. ; grau eminente pnssnia.
O cura da cidade, homem, cujo gosto igualava Nesla Parte sua consciencia eslava tranquilla, e
piedade, era muito amante da msica, e linha or- lhe M**r "m prejuizo tanto mais funesto quan-
ganisado sua casta am enero de vozes e>colh- ,0 ma,s un'versalisado, sem ontro apoio mais do
das. 11ue indifferentismo.
Cada um deve viver e morrer na religio em que
nasceu, dizia muitas vezes Mma G. Quanto a mim
digo que nada de mais poderia fazer sendo catho-
' lica.
Corrja o anno de 1778 ; Muzart estava entao em j Entre tanto ou por natural curiosidade, ou por
sua maior gloria, e uma ultima composigo deste. algum odelinivol presentimenlo declaroa a sea
bello genio, o Ave verum, excilava a admiragao de | marido, que tinha um vivo desejo de ver os apo-
Depois das ultimas feslas da paschos, installou- ,
se a msica na parochia, e os fiis ah viam seu
numero crescer emeada solemnidade.
Zoologa e ornitologa.
A creaglo de gado vaceum e cavallar nao de | cooS^'eleiircaBttndas sUm tartU>r<$
grande considerago ; comtudo talvez na comarca marcados :
ceiras se encontram com abundancia cravo (pao), i se eleve de 10 a 12,000 o numero de rezes do pri- j lerreno destes territorios da mesma qoali-
olo de copahiba, baunilba e breu ; pela margem meiro genero : o cavallar muilo menos numero- j V3 de JJS,. penSeTtererim bnniei^
Muito conviria a creago do muar, que aqui de argilo-arenosa e fenilissimo. Urna carnada
esquerda, subindo, se prolonga a serra da Catha-
rina, onde ha minas de ouro.
O rio Peri vem do centro das mattas do lado
do sul, e entra no mar 4 a 5 leguas distante da
foz do Qurupi, formando na sua embocadura ama
baha, que demora na latitude meridional de 41',
segundo a corographia paraense do coronel-Ignacio
Accioli. E' habitado at 8 leguas cima da sua
foz.
O rio Buranonga, que procede das mesraas mat-
tas, de pequeo curso, e entra n'outra habla pr-
xima a precedente. Tem habitantes at 4 leguas
da sua embocadura.
O rio Peroba pequeo, corre paralello ao pre-
cedente, e tem habilagoes at 3 leguas da foz.
O rio Bacanga de egual curso ao precedente,
habitado at 2 leguas da foz.
O rio Emburahi tem o mesmo corso, e dlrecgo
dos 3 rios atteriores, e habitado at 3 leguas ci-
ma da saa embocadura.
Estes 4 ltimos rios nos desagaam n'uma babia
a pouca distancia aos dos eatros.
so.
desconhecido.
As ovelhas e cabras nao prosperara bem, por
isso diminalissiraa a creago dessas especies.
Entre os animaos silvestres notam-se muitas va-
riedades : a anta, o veado, o porco, a paca, a cu-
lia, as orgas, os jabotis, os tats. Os porcos abun-
dam e encontram-se muitas vezes em manadas de
100,200 e 400.
As aves domesticas criara se com facilidade :
de folhas seccas tapisa o solo por toda a parte, va-
riando de espessura conforme as localidades. Os
cidos de ferro entram sempre na composigo das
argilas, sendo esta corada de amarello ao verme-
lho. O fund, onde assenta a terra vegetal, mes-
mo a argila. que de 8 palmos para baixo o ele-
mento predominante, e formado em grande parle
de pedras ferruginosas e selxos rolados. Nos la-
gares altos esles mineraes chegam a' flor da ierra,
e tem as vezes grandes dimensoes.
A vegetago, porm, n'esses lagares tao gran-
, diosa, como por toda parte. A mandioca, o caf e
abundara as galllnhas, patos e penis. As pr.mei- J a|godfo princFDa|mente) crescem com muita forga
ras formara um ramo importante do commercio do t nos lugares altos. A cidade de Braganga tem nos
municipio de Braganga.
Em 1855 nao aadou por menos de 12:0009 o va-
lor das galliohas vendidas para a capital.
Vanadissimas sao as aves quer silvestres, quer
paludaes. Enlre aquellas notam-se os jacamins
muluns e corcovados, e entre estas as marrecas,
patos e jaburs.
Povoadot.
Nesta comarca existem somente dous povoado?,
a villa de Braganga, e a povoagao de Vizu. As
amigas povoagSes, do Perla e Cerzedelo, que ao
fundos tres pedreiras dessa qualidade, d'onde ti
ram-se pedras para as construcgdes.
O caulim eocentra-se tambem em grande quan-
tidade, mrmenle no rio Curihy, brago do Caite,
que baoha o seeundo e primeiro territorio S. da
primeira fileira O.
O terreno ligeiramente ondulado, isto em con-
sequencia dos inuumeros igaraps, que correm em
odas as direegoes; prestase maravillosamente t
plantago do algodao, do caf, da canna, do cacao,
(*) Elevada categora de villa por le provin-
cial de 22 de dezembro de 1856.
toda a Allemanba cathollca.
Esta suave composigo sublime foi estndada com
o maior cuidado pelos cantores do cura, e a pri
meira execugao foi flxada para a festa do Santissi-
mo Sacramento.
Neste dia o Sr. Blum se achando em viagem, Lu-
dovics acompanhou egreja sua raae que se senta
levemente indisposla.
Depois das vesperas, o mancebo ouvio com no-
tavel impaciencia a allocugo paternal que o cura
dirigi aos fiis, e ia pretextar um rendez-vous para
poder dispear-se de saa mae, qnando o orgo fez
ouvir o retornello da obra prima de Muzart.
Os soos do instrumento sagrado detiveram
principio Ludovics como pela mi; depois, logo
que as vozes harmoniosas dos cantores se compl"
caram com as vozes multplices do orgo senta elle
jnternerer-se seu pelto, e debaixo do peso de uma
agtago que nao tinha experimentado, se nao no
dia de spa primeira communho, desfez-se em la
grimas e se prostrou em trra, onde ficou como
desfallecido.
O bymno do Santissimo Sacramento nao tinha
ainda acabado, e a graga Divina j tinha penetra-
do neste coragao contricto.
Sempre ajoelbado e era ama profunda medita-
gao, Ludovics nao vio a retirada de saa mae que o
linha deixado intelraraente no combale interior
que elle experimentava em sua alma; a egreja
mesma tornou-se logo deserta, e elle, qae quera
dexa-la antes de todos os fiis, ahi ficra por ul-
timo. fc
O cura sahindo d sacrista, para voltar ao pres-
byterio, observou pela sombra uma pessoa qae jal-
gou adormecida. Elle aproximou-se, reconheceu
Ludovics e lhe disse.
Que razis, mea filho, nesie lugar f j tempo
de sabir.
Eu vos esperava, respondeu o begnino mancebo
levantando para o sacerdote os olhos banhados em
lagrimas; quero que rae ougaes no santo tribu-
nal.
Sahindo da egreja cora sea veneravel amigo, Lu-
dovics correa casa de sua mi e se langou a seus
ps exclamando :
Perdoae-me todo o encommodo que vos tenho
cansado e....
sentos do papa.
Dianle da dragonas francezas todas as portas se
abrir ni.
Percorreram sueessivaraente as princpaes pegas
do palacio e finalmente a capella particular do so-
berano pontfice.
Logo entrada os olhos de Mma. G. se fixaram
sobre um geaufiexorio coberto de encarnado. Jul-
gando ser este o lugar onde o ebefe da egreja im-
plora cada dia as bengaos do cu sobre seu povo,
ella promptamente ajoelha-se.
Sua oragao foi curia, mas fervorosa, e, por n m
costume, opposto aos principios de seus correligio"
narios, ella encommenda seus filhos a santa vir-
gem.
Levantando depois os olhos vo urna imagem de
Nossa Senhora tendo seus dous filhos pela rao, e o
papa no altar voltado para ella.
Sensibillsada vista deste espectculo to eslnr
nho comega a chorar e procura certiflcar-se se seus
filhos eslavam com ella.
Sua emogo foi to forle que obrigou ao seu ma-
rido perguntar-lhe o que senlia, perm ella descul-
pou-se com uma Indisposigo.
Com ludo o raaravlhoso painel eslava tao viva-
mente gravado em seu espirito que nao podia af-
fastar-se delle um instante. .
No dia 13 de abril, dia da entrada do Santo Pa
dre em Roma, madama G. apresentou-se com mui-
tas outras senhoras de ofllcia francezes, na tribu-
na, que Ihes estava reservada na baslica de S. Joo
de Lalro.
Madama G. vendo o papa que acabava de adorar
o Sanlissimo Sacramento, logo reconheceu todos os
tragos de Pio IX.
Apparecendo Ihe' na mesma posigo- e com os
mesmos fulgores a imagem extraordinaria qae vira
no Vaticano, foi to grande a emogo que pareca
soffrer algum iacoraraodo.
Todavia, como a primeira vez, soabe tranquilli
sar-se e guardar silencio ; porm ainda um novo
assalto a esperava.
No da aprazado para a recepgo das senhoras
dos militares por Sua Santidade, madama G. foi
ama das primeiras comparecer.
O povoformava duas alas deixando iivre o cen-
tro por onde passou o Santo Padre laucando sua
bengo direita e esquerda.
Do Diario do Rio Grande transcrevemos o se-
guate :
Hontem ao anoutecer adornou nosso firmamento
ara dos maiores e mais bellos cometas de qae te-
mos memoria.
Calculamos approximadameote a saa extenso
m 17 a 19 graos de nosso horizonte visual, e sua
carreira mu rpida, pois qae as 8 e meia horas da
noute j linha desapparecido.
Comparativamente a extenso da canda o seu
ncleo mui diminuto, e aquella de ama forma mui-
to bella, mas pouco luminosa.
Este cometa vem annunclado nos ltimos jor-
naes da Europa, onde tambem causn bastante ad-
miragao por sua extenso, e era Portugal attribuia
o povo as ultimas grandes seccas passagem desle
astro errante.
Crcmos que aqu, se algom crdulo lhe dr al-
guma importancia, ser para presagiar grande
mortandade no nosso presente conflicto com o Pa-
raguay e o Prata.
E' provavel que ainda seja visivel por mais 3 ou
4 aoutes.
**- E' do Sr. Yoamale esta poesa:
NAO ; PERNAMBDCO NAO TREME !
Ai I que nao! Pernambuco nao treme,
Nem treraeu ame os brados de guerra;
Ouga embuia o troar do canho,
Chovara raios em roda na trra.
Que surda voz do trovo,
O filho de Camaro,t
De Veira, Henrlque Dias,
Sabe o sangue patria dar;
Corra elle a espadaar,
Se estremece de alegras.
Ai I que nao 1 Pernambuco nao treme
Dessas hordas do Lpez Bandido :
Aos reclamos da patria tem sempre
Extremoso e valeote corrido.
Fallem campos do Para,
Outros muitos, Piraj:
Pernambuco, o desvalido,
Extremoso e sempre ardente,
Co seu brago to valente
Tem todas soccorrido.
Nessas mesmas campias do sul
J c'os gauchos suas armas cruzou;
Delle fogem as hordas imigas,
J mil c'roas seu brago ganbou.
Que o valor, a heroicidade,
Sempre e sempre, em toda edade,
Lhe tem sido o seu quinho;
Muito embora espestohado,
Mesmo as vezes maltratado,
Tem leal o coragao.
Pernambuco seas bros exalta,
Rufem caixas nos campos de guerra :
Mal que ouve seu brado possante,
Treme o fraco, o valente se atierra.
Pois das balas o zuido
E do bronze o uitampido
Faz pular-lhc o coragao
De alegra e de prazer;
Fiquem muitos morrer...
Oh 1 que importa I... l no chao.
Ai I que nao I Pernambuco nao treme,
era tremeu anteos brados de guerra;
Ouga embora o troar do canho,
Cbovam raios em roda na trra.
Que surda voz do trovo,
O filho de Camaro,
De Veira, Henrique Dias,
Sabe o saugue patria dar ;
Corra elle espadaar,
Se estremece de alegras. *
Ai I que nao I Pernambuco nao treme;
E' mentira o leu louco dizer :
Se agoniza, que culpa lhe cabe
Quando cusi mal pode se erguer ? 1...
Se algures ha cobarda,
Que se diga valenta,
E' de certo o rocinante
A cabega levantar
E querer escoqcear
O leo agonisanle.
El Pueblo d a seguinle noticia do famoso
Gibraltar paraguayo :
A fortaleza de Humayt tem 200 canhes de
ferro, systema antigo e varios calibres.
10 pegas de 36.
5 ditas de 40
20 canhes do bronze modernos e de grande
alcance.
65 ditos de ferro dos que foram comprados em
Bucnos-Ayres, e que eram do tempo da indepen-
dencia.
Total 304 canhoes, sendo a maior parte da
pODlaria (xa.
Segundo se nos informa, posteriormente alguns
destes canbes foram conduzidos para o acampa-
mento de Serr Len, onde actualmente se acha o
presidente Lpez.
Pois com falta desses, ou com elles todos, nao
est longe o dia em que o generallto veja escala-
vrada a sua obra.
Nao ha forle que nao sucumba; porque o me
Ihor del les nao pode mais que demorar o inimigo,
e difficuliar as operagoes da guerra; mas o de Hu-
mayt nem tanto ha de fazer talvez, a vista do
material que mais antes que o arma, eofeita-o.
O que ho de fazer de fado esses velh s~canhoes
de antiga fundlgo hespanhola, restos perdidos dos
arsenaes da metropole na poca da independencia,
contra as terriveis machinas de guerra de que
dispocm a armada, e vae sendo dotado actualmen-
te o exercito ?
Aponas as 20 pegas modernas poderlo lutar em
alcance com a poderosa artilharia da esquadra;
mas as outras, temiveis para um assalto a peilo
descoberto, nao vemos que possam prestar ao dia-
dor Lopex mais que um servigo illusorio, faiendo
uma decoraglo grandiosa ao sea Sebastopol do
farga.
PERNAMBUCO. -TYP. DE M. F. DE F. & FILMO
1
.

i.
l.

~.
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF8XAB3KC_TADQZG INGEST_TIME 2013-08-27T22:21:20Z PACKAGE AA00011611_10604
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES