Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10603


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ARIO ILI. NUMERO 46
*jm >
Por qnartel pago deatrt de i O das do i. mez ... ;
dem deoois dos i." 10 das do conecoe dentro do qnartel.
Porte ao eorreio por tres Bezcs...........
5$000
6JO0O
780
DIARIO
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima ;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva-, Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira-, Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Futios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Gosta.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alaftoan, o Sr. Clandine Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Mariins Alv-s; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribero Gasparinho.
SABBAD0 25 DE FEVEREIR0 DE 1865.
Por auno pago dentro dolO lias do 1. mez ,,,.,.. 191000
Porte ao correio por un auno............. 3J000
PARTIDA DOSETAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas eiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caroar,
Altinho, Garanhuns, Buiqu*, S. Bento, BomCon.
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brajo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury.Salgueiro eEx.nas qoartas eiras.
Serinhem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, nasquintaseiras
Una de Fernando todas as vezes que para alisahir
navio. .
Todos os estafetas partera ao meio dia.
EPHEMER1DE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h., 48 m. e 58 s. dat.
10 La chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
19 Quarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 Loa nova as 5 h., 43 m. e 22 s. da t.
AUDIENCIA QS TRIBCNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relagao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do eoinmercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
bora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. Ss. Eleuterio e Nilo bb.
21. Terga. Ss. Maximiano e Fortunato bb.
22. Quarta. Ss. Papias, Abio e Pascado bb.
23. Quinta. S. Margarda de Cortona f.
24. Sexta. S. Matheus ap.; S. Pretxtalo b.
25. Sabbado. Ss. Cesario e Dionisio rom.
26. Domingo. S. Pedro Damiao b. c. e dout.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 hora e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30 para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos dias 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
julho, setembro e noverabro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da.praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Maneel Figueira de
Faria & Filho.
PARTE 0FFIC1AL
ti0YERri0 DA PR0YMA.
Expediente do dia 22 de fevereiro de 186o.
Ulicio ao Exm. desembargadar provedor da San-
ta Casa de Misericordia Respondendo ao offleio
de 27 do correle, sob n. 82,em que V. Exc. trouxe
ao meu conhecimento e decsao o requerimento,
em que Olympio Ferreira da Silva, oflereceu a
quantia de 1:000,5000 rs. pelo arrendamento, que
por despacho de 9 deste mez, se concedeu a An-
tonio da Silva Ferreira Jnior, do sobrado da ra
da Caaeia do Recife, n. 63, cabe-me dizer-lhe, que,
em vista da ponderacao feta por um dos membros
da junta administrativa, e a que alludc Y. Exc. no
dual do seu citado offleiu. emita taaibcm seu pa-
recer sobre a conveniencia de nao ser por ora ac-
ceila nenhuma d'aquellas offertas e sim posto em
hasta publica o arrendamento de qoe se trata com
as condicSes qne mais vanlajosas forem.
Dito ae commandanle das armas interino. Em
resposla ao offleio de V. S. de 16 do cor-
rente, sob n. 321, tenlio a dizerlhe que nao
sendo o favor concedido pelo decreto de 4
de tevereiro de 182^ para o reconhecimento de
soldado particular, restricto aos filhos legtimos,
pois que no dito decreto nao se destingne a espe-
cie de flliaeo, e somente se exige qoe o individuo
pe tenga a familia digna de consideragao por qual-
quer titulo, e vedando por outro lado o avuo de
11 de outubro de 1860 somente que nao sejam
considerados 2.* cadetes os perfllhados, alludindo
no entretanto a um soldado particular nestas con-
digos nenhuma razo ha para que o voluntario
da patria Salusliano Gomes de Andrade, que
aprsenla escriptnra de perilhago pelo tenentc
retomado do exercito Francisco de Paula S Pe-
xoto, deixe de ser considerado como soldado par-
ticular no corpo dos voluntarios da patria, tan-
to mais que o decreto n. 3371, de 7 de Janeiro ul-
timo, recommenda que se facilite essas concessoes,
que sendo provisorias e dependentes de um pro-
cesso ulterior, nenhum inconveniente tem.
Dito ao raesmo.Tendo por despacho desta data,
'de conformidade com a nformacao de V. S. de
non tem datada sob n. 349, concedido nos termos
do arl. 106 do regulamento de 27 de outubro ae
1860, 3 mezes de Ijcenca ao soldado do 4. bata-
lhao de artilharia a p Vicente Ferrer da Silva
Albuquerque para tratar de sua sade ; assim o
cotnmunico V. para seu conhecimento e di-
recc-ao.
Dito ao mesmo. Em vista do que informou o
cafitao commandanle da companhia de artfices
cm offleio de hornera datado, sob n. 33 com refe-
rencia ao desse commando de armas, de 15 do
correute, sob n. 313, tenho resolvido que sejam
transferidos para o 4." batalhao "de artilharia, que
tem de seguir para a corte somente dez pragas da
sobredita companhia, e nao cincoenta, segundo
propoz o antecessor de V. 8. em sea citado offleio,
atientas as razes ponderadas pelo referido ca-
pitao.
O que declaro V. S. para seu conhecimento
e execueao. Comtnonicou-so ao commandante da
compannia de artfices.
Dito ao mesmoTendo em considerado as ra-
zoes ponderada* por V. S. em seu ofDcio de 18 do
corrente, sob n. 318, aulonso-o a mandar transferir
a comnanhia de artfices para o quartel da solida-
de, onde eslivera o 9." batalhao de Infamara, de-
sando-se apenas no arsenal de guerra as pragas
empregadas na secgo de bombeiros e mais algu-
mas indispensaveis ao servigo do mesmo arsenal,
convindo outro sim que as pragas dus diversos cor-
pos ora addidas ao 4. batalhao de artilharia a p
passem a se-lo predila companhia, a cargo da
qual dever tambera ficar o deposito de re-
crutas.
Flca assm respondido seu citado officio.Fez-se
neste sentido o necessario expediente.
Dito ao Dr. chefe de polica.Attendendoao que
poliriiou-me o engenheiro fiscal da estrada de fer-
ro, em offleio de 21 do corrente, sob n. 32, reeom-
mendo V. S. a expedigao de suas ordens, afim
de que as autoridades policiaes aos diverso? ds-
trictos atravessados pela mesma estrada, prestem
aos guardas da conservago da linha lodo o apoio
qnando porveotura sejam est^s forgados a prender na
forma do regulamento que baixou com o decreto
n. I93J de 26 de abril de 1857, as pessoas que cir-
cularen) na linba e que nao aeudirem aos avisos e
aitmnestagoes dos msmos guardas, declarando as
referidas autoridades que lornem efectivo o citado
regulamento qur na parte relativa s mullas qor
quanlo prisao Communicou-se ao engenheiro
fiscal da estrada de ferro.
Dito ao inspector da hesouraria de lazenda. -
Tomando em consideragao o que expz o conse-
Iheiro presdeme da relacao, em offleio de hontem,
recommendo V. S. que' mande pagar a impor-
tancia das 13 Ihesouras de que trata o seu offleio
de 13 do corrente, sob n. 109, caso igual torneo-
mento se lenha feto como allega o mesmo ronse-
lheiro para o expediente d*aquelle tribunal em an-
nos anteriores, sem attengao a cirenmstancia de
serem ellas grandes ou pequeas.Communicou-
se ao Exm. conselheiro presidente da relagao.
Dito ao mesmo. Transmuto V. S. para seu
conhecimento e fins convenientes o in-loso termo
do qual consta haver o boticario Joaquim Martinho
da Cruz recolhido a pharmaca do 'hospital militar
onze vidros com klptol, onze ditos de kriosoto, e
urna libra de balsamo de conicina, para o comple-
to dos medicamentos que contratou com o exlincto
coiiselho administrativo a vender com destino a
prodita pharmaca.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offleio de 16
do corrente, sob n. 113, tenho a dizer V. S. que
mande effertuar o pagamento da quantia de..
105800 rs. de que trata o offleio desta presidencia
de 23 de Janeiro ultimo, despendida com o torne-
cimenlo de elapa aos 2 recrutas remeiiidos pelo
delegado do termo de Ingazeira para esta capital,
nao podendo ter lugar a deduego do que foi abo-
nada a un dos referidos recrutas, visto como nao
se provou que aquelle delegado no fado do recro-
lamenlo preleno algomas das formalidades pres-
criptas no regulamento do 1. de maio de 1858.
Dito ao inspector da hesouraria provincial
Recommendo a V. S. que, nao liavcndo inconve-
niente, mande entregar ao regedor interino do Gym-
nasio Provincial a quantia de600$O00 reis, em que
Importam u inensalidades relativas ao quartel de
Janeiro a margo desle anoo dos alumnos internos
e meios pensionistas gratuitos d'aqjieile eslabeleci-
mento constantes da inclusa relagao que me foi re-
mettida pelo director geral da instruegao publica,
rom offleio de 20 do corrale, sob n. 55.Commu-
nicou-se ao director geral da in-truego publica.
D.lo ao mesmo.-MedianlP (langa idnea mande
V. S. entregar ao procurador do padre Jos Porfi-
rio Gomes, Miguel Jos Barbosa Gumaracs, como
pede no incluso requerimento, a quantia de 500,5000
res, votada pelo 6. artigo 14 da le do orgamen-
to vigente para reparos da capella de S. Jos de
Tamendarc.
Dito ao mesmo. Tomando em consideragao o
que no inclu-o requerinjento expoz o professor in-
terino da cadera de intruegao primaria da villa do
Ingazeira, Joao Baptsta do Amara!, e bem assim o
que a esse respello informou o director geral da
instruegao publica, em offleio de hontem, sob n. 57, sigo firmada pelo Exm. bispo fallecido, e me re-
mette urna publica forma, a qual passarei s maos
do Ilustrado jnlz municipal da segunda vara do
Recife, pedindo-lhe crae, na qualidade de juiz de
recommendo a V. S. que mande pagar os venci-
menlos do supplicaole independente da falta do
cumpra-se do mesmo director no titulo d'aqaella
professor, fazendo' registrar o mesmo titulo nessa! capellas, proceda como forde direito.
hesouraria.Communicon-se ao director geral de I 20
instruegao publica. Offleio ao vigario de Barreiros.Techo presente
Dito ao commandanle superior da guarda naci- o offleio em que V. Rvma. me expde o estado de
nal de Garanhuns.Expega V. S. suas ordens para ruina em que se acha a capellinha de S. Joao Bap-
qu>; destaquem na villa de Garanhuns um Inferior tista situada em um povoado de 430 fogos. deno-
e 12 pragas da guarda nacional sob seu commando minado o Abreu. Diz mais V. Rvma. que essa
superior para guarnecer a respectiva cadeia, com- capellinha ahi moito til para acudir s necessi-
I municando-me o dia em que esse destacamento en- dades espirituaes dos fiis ahi residentes, visto
l trar em elfeciivo servigo.Fizeram-se as necessa-; como a povoagao fica duas leguas distante da ma-
I rias commnnicagoes. trz, cujo caminho de pessimo transito, princi-
Diio ao inspector do arsenal de marinha.Em plmente pelo invern. Diz V.Rvma. que nao tem
solugao ao offleio de V. S. de 15 do corrente, sob mais esperangas de ver reparada essa capella e que
D. 83o, tenho a dizer-lbe que em vista da disposi-1 o nico remedio que julga conveniente fecha-la
gao do aviso da reparligao da marinha de 29 de de urna vez ; pois se por um lado essa povoagao
Janeiro ultimo, devera ser parausadas as obras da tem necessidade real de possuir urna capella para
muralha da Una do Nogueira,sendoquearespeito da I a aduinstragao dos sacramentos, por outro lado
va-o pelo motivo que o induzio a dar parte de
prompio, nao estando ainda perfeilamente resiabe-
lecido dos seus encommodos de saude.
(Assignado.) Jos Mana Ildefonso Jacome da
Veipa Pessoa de Mello.
(Conforme.) Tiburcio Hilario da Silva Tavares.
capitao ajudanle de ordens interino.
rama agenciar urna subscripgo entre varios ci-
dadaos, para com seu producto comprar arma-
os ; era poucas horas essa subscripgo ele-
INTERIOR.
casa em conslrucgo para residencia do inspector
desse arsenal, bastar que se colioquem uns ante-
paros as janellas, aflm deevilar que as aguas das
chavas arruinem o assoalho.
Das barcas de escavagao a que allude o citado
offleio dere somente urna continuar a trabalbar
para a conservago do fundo do porto, podendo V.
S. tambera em vista do que pondera mandar con-
tinuar os concertos do caes do norte.
summamente indecente e raesmo perigoso o exer
cicio das funegoes religiosas na que existe.
Ora pois, eu espero que nao ha de ser necessa-
rio langar mao deste ultimo expediente. Eu no
creio que o povo pernambucano tenha menos espi
rito religioso do que o povo das Alagdas; e se
nesta ultima provincia poderam reconstruir-se seis
capellas esforgos do vigario Ja Vara do Penedo,
que em meu norne se dirigi a diversas pessoas
BIO DE JANEIRO
9 de fevereiro de 186.
Enlrou hontem dos portos do sul o vapor Geren-
te, com datas de Porto-Alegre at 30 do passado,
Rio Glande 2 e Santa Camarina 5 do corrente.
Confirma-se a noticia que demos no dia 5 da in-
vaso da frooteira do Jaguan) por urna partida de
blancos, commandada por Bazilio Munhoz, cuja
missao assolar no territorio brasileiro as povoa-
goes indefezas ou que apenas Iba possam oferecer
urna dbil resistencia. Considerando neste caso a
cidade de Jaguaro, atacou-a Munhoz no dia 27 do
passado cora 1,500 homens de cavallaria, que fo-
ram repellidos com galhardia.
Eis o que encontramos as Mhas do Rio Grande
sobre este acontecimento :
O Diario de 31 de Janeiro diz :
Infelizmente vao se realisaudo as ms novas
eslragavara e reduziam a ruinas. As casas de Hvp-
polito Passos e Joo de Farias Santos soffreram
prejuizo ao valor de mais de 16:0005; e a algumas
casas prendiam fogo. Roubaram cavalhada em nu-
mero de mais de
do que fizeram em
mas sim os seus proprios compatriotas.
Nao linal.so sem render umjributo de ho- sos ESJt0 ras* de patriotismo de nos-
menagem aos estrangeiros aqu residentes, e com
especialidade os Portuguezes, que se portaram
1 emfimT^uTd s o o VO^arSSodn,on0iS > S deri ^ ,
. Paysand, nao a nossa geni, uSSSSA mS CmPrad' CDS,a
Um cidadao dislincto de nossa sociedade agen-
go
que chegasse, c a fazerem fogo com vontade de
brigar. Esies homens estavam como leoes, e em
seus semblantes se notava o dselo ardento que ti-
nham de destrogar o inimigo.
Hoje (29) consta que o inimigo seguio com d-
reegao ao Herval, onde pretende continuar na sua
cruzada de devastago e pilhagem I
t E' preciso, meu amigo, providencias de nosso
governo, que se tem tornado pouco previdenle.para
evitar que estes malvados nao se approx.mem de I \^JZST7HiSl gal auim <*a
nossas fronteiras; e, se de prompto nao forem to- TAS JiZT qUe afaC0U
das. acredito mm .t nrnvin^ mn.in lDrd no I6?*6 "do um encontr com a forga
que se assig-
essas pessoas
Quanlo as obras do caes que est sendo constru- que o podessem ajudar, tenho f em Deus que na
do pelo Barao do Llvramenlo, nao podem ser para-; provincia de Pernambuco tambem alguma cousa
Usados, visto que para ellas houve contrato com se ha de fazer em favor da religiao e dos povos.
prazo determinado, e acham-se por isso compre- Para isto convm que V. Rvma. se dirija em mea
hendidas na excepgo marcada pelo predicto aviso. | nome a algumas pessoas mais influentes dessa po-! guaro. | de guerra de Pelotas com 50 tercerolas, algumas
de se As ultimas noticias recebidas em Pelotas por langas e munigoes; o mais neceisariOj-que eram
lo e, uoi segundo proprio sao datadas de 28, e confir- espingardas, no veio.
tantos assassinos pelo
icavam em frente a cidade
madas, acredito quo esla provincia muito ter que
soTrer.
De mito nos serviram aqu as duas canhonei-
ras que, collocadas nos flaneas da cidade, a defen- -
de, no caso de ser atacada.
Grande o numero de pessoas
naram para esse fim, sendo para
que se comprou esse armamento.
Sendo anda mais para louvar-se que, logo que
cesse o motivo que ac.tnou para a compra de tal ar-
mamento, ser elle offertado pelos subscriptores
secgao de batalhao da guarda nacional desta ci-
dade.
Felizmente nos garantem que nao exac-
Jaguaro li-
.. forga do major Fi-
delis; consequenie, falsa a noticia de ter elle
sido ferldo e de se achar em Bag tratando-se ;
pelo contrario, agora que Fidelis soube dessas
tro em Artigas, e muito concorreram para, afugeu- -..-.i,
1 tar o inimi"o t-arauajal, chefe colorado, era tambem espe-
! E,tano"s espera de recursos do presidente "f f. m?.; ,evendoveiS"s ,,'he(fs-' a
que desde sabbado corriam com referencia ap-: da provincia, e at esta hora (61 ainda nada dah a ,1' '' > mais a|Rmas forca. brasileiras
proximagao das forgas blancas frenteira de Ja-1 veio ; apenas hontem tarde chegou um lanchao J |? "'
em perseguigao
""" "-" "" ^m"" >mwi ^uw pi-iw fHHWV m i iov | v. "quiln.. [/oo^Vi'O 1IU13 JIIUCUICO UCO
Dito ao raesmo.Com este offleio ser aprsenla-1 voagao, fagalhes ver a necessidade que ha di
do a V. S. o menor Joaquim, aflm de ser alistado conservar essa capella em um lugar tao povoad
j porto cm offleio de hontem datado, sob n. 36, a ne-1 Rvd. Manoel Joaquim Ferreira de Sepuleda, que
I cessidade de ser acabada a obra do ladrllho e al- j V. Rvma. diz residir no povoado : emflm faga ver
guns reparos indispensaveis no pavimento terreo a esses povos a conveniencia, a necessidade mesmo
no edificio, em que funeciona aquella capitana, re-
commendo a V. S. a expedigao de suas ordens para
a concluso da obra de que se trata.Coramuni-
cou-se ao capitao do porlo
Dito ao direelor do arsenal de guerra.Mande
Vmc. recolber nesse arsenal, como dispoe o aviso
de I i de margo de 1858, os medicamentos, drogas
e utencilios constantes do incluso termo de incapa-
cidade, os quaes foram dados em consumo, segundo
declarou-me o coronel commandanle das armas in-
terino, em offleio de honlem datado, sob n. 350.
Communicou-se ao coronel commandante das ar-
mas interino.
Dilo ao chefe interino da reparligao das obras
publicas.Fiea approvada a proposta que segundo
de se reedificar essa capella para o bem temporal e
espiritual das suas familias.
Certo do zelo com que V. Rvma. cura dos inte-
resses da igreja e dos seus parochianos, nenhuma
dovida tenho de que nao poupar esfergos e envi-
dar todos os meios ao seu alcance para que a re-
ferida capella se reconstra ese possam conliouar
a celebrar nella com toda a decencia os offleos di-
vinos.
Aguardo a sua resposta, e as informagSes que
me poder dar a tal respeito aflm de que eu tenha
occaslo de louvar o patriotismo ertliglosidade
daquellas pessoas que o coadjuvarem em to lou-
I vavel empreza.
21 -
consta de seu offleio de hontem, sob o. 45, "fez o I Offleio ao vigario de Jaboalao.Respondendo ao
agente fiel dessa reparligao "Pesiandro Augusto de seu offleio de 23 de novembro ultimo, tenho a di-
zer-lhe que, visto ter-se recusado o denunciante a
assignar termo de impedimento, nao obslante ser
por V. Rvma. chamado por muitas vezes; visto ter
V. Rvma., depois de passados qualro mezes, feto
novas denunciacoes, sem que apparecesse impedi-
mento algum : "attendendo a estas
tancias, pode. V. Rvraa. assistir ao
Uchoa Gusmo, para guarda ajudanle do" mesmo
agente.
O que declaro a Vmc. para sea conhecimento e
fim conveniente.Coinawiaicou-so a tbesouraaia
provincial. *
Portara.O Sr. gerente da companhia Prnam-
bucana, mande dar transpone at a Parahiba no
vapor que segu hoje para o oorle, em lugar de
proa destinado a passagelro de estado a Lucinda
Mara da Conceigao que consta ser desvalida.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na, mande dar transporte at o Cear no vapor de
7 de margo prximo vndouro, em lugares de r
destinado a passageiros de estado ao inspector da !
alfandega daquella provindia Dr. Livino Pinto de
Barros e a sua senhora e a proa a urna creada.
Expediente do secretario do yoverno do dii 22 de Manoel Gongalves com a esmolla de 25000 cada
ffverriro de 186 u,na> como declarci no offleio que em data de 26
Offleio a cmara municipal de linda.-S. Exc.! do Proximo passado dirig a V. paternidado Rvma.
oSr. presidente da provincia, manda declarar a Ju"tame.nIe rom a importancia^ total das missas.
Vv. Ss. que estando prxima a abertura da assem- Agradecendo a V. palernidade Rvma. o zelo com
do algum tiroteio.
O inimigo acampara-sc nos arrabildes da ci-
dade, enlre os cemiterios, tendo horas autes des-
ligado urna forga de 400 sicarios, talvez que para
assaltarem os pequeos povoados do Arroio Gran
de ou Herval, que esto completamente abandona-
dos de forgas imperiaes.
Jaguaro, porm, julgava-se forte, capaz de
resistir e repellr o vil inimigo.
Alera da forga do 600" homens que all se
Conservam-se fura e em distancia da cidade
piquetes de avancada para descobrir o inimigo, e
; todos neste pequeo Sebastopol esto promptos
| resistir.
i O estafeta est prximo a partir e nao me so-
bra lempo para ser mais minucioso as peripecias
deste ataque.
At esta dala uo consta que se tenha movido
lerga alguma do general Flores em perseguigo
desses assftssinos.
j Antes deste ataque expedir Munhoz, que se in-
. titula general em chefe do exercito da vangarda,
acham, c do 10 batalhao de infantaria, esperado urna proclamagao declarando que vinha recooquis-
a todos os momentos de Bag, aggregaram-se a ella tar o territorio que o imperio bavia usurpado,
todos os guardas nacionaes da reserva, e muitos' A forca invasora acompanhada por um ngel
estrangeiros, comofossem Portuguezes, Orientaes; Muniz, chefe do departamento do Serr-Largo, se-
colorados, Allemaes e Francezes, ollerecendo-se es-1 gundo declara, o qual tambem proclama chaman-
timos para tomar conta das pegas dos vapo- do s armas todos os que poderem empuuha-las
res Apa e Cachoeira e a do lanchao da mesa de
rendas, que foram immediatamente postas em tr-
ra e a elles entregues.
Alera desses recursos, que os julgamos suffl
cenles para rechagar o inimigo, o Sr. presidente
da provincia fez seguir para all domingo, pelas 7
horas.da manhaa, no vapor lio Gratlense, 50
guirdas nacionaes da secgio da cidade de Pellas,!
commaudados pelo Sr. ten'ente Julio Jos Tavares; j
e hontum embarcaram tambem para aquella cida-
duas circums- de, no vapor Expeculacao, duas pegas com todos
casamento de seus petrechos e munices.
Francisco Ignacio de Lira e Anna Antonia de Sou- Ainda que um pouco tarde, as providencias se
za, se aliunde nao constar a V. Rvma. algum outro; vao tomando ; mas muito melhor teria sido se j
impedimento.
De.volvo-lhe os dous documentos.
para acompanhar aquelle caudilho na sua obra de
roubo e de devastago.
Na previsao de uovos ataques no mesmo ou em
oulros pontos, tomava o presidente da provincia
todas as medidas para que os invasores recebos-
sem urna boa lico.
Por sua parie'as pojulagoea desenvolvan! gran-
de enthusiasmo.
Os Srs. tenente-coronel Zeferino Amaral (diz
o Diario de 2) e capites reformados da guarda na-
cional, residentes no dislricto de Povo Novo e Ta-
him, tambem Uvera ni ordem da presidencia a reu-
nir gente.
O capitao Marcelino reuni em dous dias 60
Dito ao guardao do convento de S. Francisco da
cidade do Recife.Tenho presente o seu offleio de
18 do corrente, aeompanhando a cerlido das qua-
torze missas que na igreja desse convento se cele-
braran! pela alma da finada mulher de Custodio
se_ hoovcsse tomado, porque enlao esses bandidos' voluntarios, e j passou anlehonlem por erdem
nao teriam tido o arrojo de invadir nosso terri- superior para os Canudos ; o Sr. lenente-coronel
Zeferinocoadjuvalo pelos Sr.capitao Leonidio e Dr.
Silva, tambera reuni em 30 hora
Ser para estimar que a elelgo aprovete, c
nesta conviego pedimos a S. Exc. o Sr. presiden-
Pio Angelo da
para mais de 80
cidados, e devena ter passado
bla legislativa provincial vao ser a ella transmiti-
dos os arligos de postura addicionacs que acom-
panharam ao offleio que Vv. Ss. Ihe dirigiram, em
18 do corrente.
CiOVERXO DO HISPA DO DE
PERX4.HBICO
SEHE VACASTE
Expediente do dia 17 de fevereiro de 1865.
Oflieio ao Dr. juiz municipal da segunda vara.
que desempenha os encargos do sen ministerio,
aproveito a occasiao para mais urna vez significar-
llie a miaba estima e consideragao.
Dito ao Sr. Custodio Manoel Gongalves.Inclusa
achara V. S. a cqjtido das quatorze missas, que
foram celebradas na igreja do convento de 8. Fran-
cisco pela alma da sua fallecida mulher, D. Marta
Joaquina deBlello, cujos suffragios (iran assim sa-
tsfeitos. segundo as inlencoes de V. S.
-22'-
Officio ao Exm. Sr. presidente da provincia.
Tenho presente o offleio de V. Exc, datado de 15
do corrente, partieipando-me que por decreto de
O fcxm. bispo D. Joao de gloriosa memoria, no, 28 de Janeiro Ondo, foi apresentado na igreja paro-
anno de 1859 depositou em poder do Rvd. Jos
Autonio dos Santos Lessa a quantia de 3:O0OJO00
para por sua merlo serem distribuidos; sendo
1:0005000 pa-a a nova matriz de S. Jos. 1:0005
para a igreja do Espirilo-Santo, e 1:0005000 para
os pobres da cidade do lieeife. Fez de todo isto
urna declaragao (abaixo da qual o Rvd. Lessa pas-
sou recibo do deposito), e a enlregou ao negocianto
Amonio Ramo*, para prevenir (diz a declaragao)
algum acontecimento que podesse occorrer por
morle prematura do Rvd. Lessa.
Eu ignorava inleiramente queexistisse qualqner
disposigo escripia ou assignada pelo fallecido pre-
lado, e s Uve noticia desla no da 9 do corrente,
por urna das pessoas que na vespera tinham asss
chial de Nossa Senhora das Monianhas de Cim-
bres, nesta provincia, o padre Domingos"Leopoldi
no da Costa Espinoza, o qual foi o nico oppositor
que appareceu no concurso que leve
12 de dezembro ultimo.
teda provincia que quaoto antes mande engrossar, l honlem para Pelotas, a receber ordens do Sr. pre-
uao s as guarnieses das fronteiras como as das sidente da provincia.
Das reunios do Sr. capitao Faria, que sao em
Tahim, nao t vemos ainda noticias ; mas acredita-
importantes cidades do Rio Gran le e Pololas.
A mesma folha de 1 do crrenle accrescenta
O estafeta de Jaguaro chegou hontem de lar- mos sera bem suci-edido, nao s por ser um offl-
de, com cartas de 29 s 7 horas da noito. j cial preslinioso e bem relacionado, como mesmo
i Os blancos ataram de ficto aquella cidade, I por sabermos que as aetuaes circunstancias em
mas nao a penetraram, e foram repellidos com'toJa que nos achamos ha muito boa vontade da parte
a energa, apezar da falla de recursos que se fazia' desses cidados em presiarem-se ao servigo.
s"n,ir I O Noltaador de Pelotas de 31 diz a' ultima
t A carta que cm seguida apresentamos, que hora :
escripia por pessoa fidedigna e dirigida a um Sr. O subedelegado de Herval communicou que
commerciante desta praga, orientar plenamente o no dia 28 do correnle os blancos, que tentaram in-
leitor do que all houve. vadir a cidade de Jaguaro, foram valerosamente
i O inimigo relirou-se com direcgiio a Bag, de- balidos desde o Telho at alm do passo da Arma-
pos de 30 horas de resistencia, arrebanhado para da, por diversas forgas de guardas nacionaes que
mais de tres mil cavallos e muitos escravos, e sa- se tinham reunido com a noticia da invaso dos
queando todas as casas quo cncontravam. blancjs, e com a chegada do 10 batalhao, que de
Urna carta, porm, do Arrojo Grande, noticia Bag sahio no dia 27 a cavallo e que chegou quel-
que o numero de escravos arrebatados pelos van- le lugar a tempo de fazer esses vndalos pagar ca-
dalos subia a cem.
A' Jaguaro deveriam ter chegado hontem
1,600 homens, sob o commando do Sr. coronel ba-
1 rao de Serro-Alegre, sendo 1,200 de cavallaia e
ugar no da 400 infantes do 10 batalhao, com ordem de per-
seguir o inimigo at Taquary, no Estado Oriental.
ro o alrevimenlo que tiveram de pisar o territorio
da nossa provincia.
Dito ao mesmo. Accuso recebido o offleio de V | Eis a carta a que nos referimos :
Exc, firmado em 15 do corrente, declarando-me Sobre a madrugada do dia 27 prinr.ipiou a
haver designado o engenheiro Jos Tibureo Pere- forga blanca ao mando do general Bazilio Munhoz
ra Magalhaes, afim de que, entendendo-se comigo, com 1,500 homens de cavallaria a-lranspor a nossa
proceda ao orgamento das obras de qae ainda ne- fronleira pelo passo denominado da Armada. Os
cessiia o Seminario de Olinda. '. nossos dous corpos de cavallaria da guarda nado-
Dito ao Exm. Sr. pre-ideule da Parahiba. -Ac- ual com 300 e tanlos homens quo estavam de ob-1 gio, e nos confirma na vanlajxsa opinifio que sem
cuso recebido o offleio de V. Exc.- firmado em 10 servagao prximo s fronteiras vieram fazendo: pre lizemos do carcter sermanico, e da utilidade
do corrente, traosmiltindo-me por copia para ser guerrillus com o iuimigo, at que se virain forga- que o Brasil anferira' se continuar a attrahir ao
tomada na consideragao que merecer, a represen-1 dos a entrar para dentro da cidade a galope, dei- seu solo a colonisago allemaa.
i Em seguida cncoatrar.,0 os lelores a pro- YZPZ u" "
lamagao que a seus compatriotas fazem algn< r ntJ,n a0 a.
obditos allemaes resideutes nesta cidade, e que se '' ?' ,,"- "' ~
r andar
vndalos.
Os Srs. tenentes-coroneis Porfirio Ferreira
Nanea e Francisco da Silva Flores e oulros cava-
Iheiros da cidade do Rio Grande Iratavam de or-
ganisar um corpo de voluntarios, composto de
offleiaes e pragas da reserva da guarda nacional,
para acudir a qualquer emergencia que se flsse
na cidade. Este corpo, que j conlava 100 pragas.
ser commandado pelo Sr. coronel Jos Joaquim
Candido de MaceJo.
A cmara municipal da mesma cidade approvou
| unnimemente um projecto para que se conviden!
as de todos os municipios da provincia a romove-
rem a abertura de urna subscripgo, cuj) producto
ser applicado organisago de um corpo de zua-
vos, composto de homens remidos da escravido,
que ser posto disposigo do governo.
O Diario do Rio Grande de 31 do passado d a
segrate noticia :
Ha qualro ou cinco dias andaram nesta cida-
de varios ^dividnos orientaes, ora a p ora a ca-
vallo, completamente desconhecidos, mas que pelo
seu todo camponeo pareciam tropeiros.
Por indagages particulares que fizemos, io-
nios sabedor que eram elles em numero de doze,
entre os quaes um ofliciat blanco ; que entraram
cinco e que es oulros ffcaram fora das trincheiras
com os cavallos, mas que se reliraram todos sab-
bado tarde.
O qne elles c vieram fazer cousa que nn-
guem sabe ; e visitas desta ordem, salvo nm ou
outro iropelro do -r. Antonio Martins, que rauilo
poucas vezes apparecem, mas que logo sahem,
coasa que nunca se vio, e actualmente nao nos
consta que a xarqueada do Sr. Martins tenha rece-
bido gado.
t Mas a verdade que andaram esses homens
impunemente na cidade, e na noile de sabbado
para domingo dous individuos a cavallo e empon-
chados, tambem castelhanos, approximaram-se
alfandega pela 1 1|2 hora da noite, e ahi parando
disse um delles/mc casa grande !ao que Ihe
respondeu o outro -ha de ser a cadeia; e per-
gnntaudo a elles por duas vezes a senlinella da-
quella reparligaoquem vem l ?-nada respon-
dern! e dobraram pela ra fra, sempre no tran-
co do cavallo.
Se a cidade fosse patrulhada, nao se daara
destes casos; mas como haver patrulhas se aguar-
nigo nao chega nem para as guarda ? Augmente
o governo o numero das pracas, faga como em 1851
fez o Sr. marquez de Caxias, que a cidade ter
quem a guarnega de dia e de noile. '
Da maneira que nos adiamos, sem tropa para
o servigo, e cora as trincheiras coberlas de ara.
estamos expostos a tudo, porque de um insulto ou
violencia, niuguem se livra ; a prova est no que
acabamos de referir.
t Augmente-se e guarnigao, limpe-se as trin-
cheiras, coiloque-se all pegas, e feche-se noite
os porloes, que estaremos garantidos de ludo.
Sr. general Caldwell negara no da 1 ao Rio
Grande, vindo de Pelotas, e devia partir a 2 para
c
sobd
propem coadjuvaros nacionaes nadefeza de nossa
cidade, caso veste ella a ser atacada.
c Consta-nos qoe ja se acham inscriptos cerca
de 200 cidados desga nacionlidade, os quaes se
propem prestar seus servigos sem retribuigo de
sold ou oulras vaotagens.
a Um procedimeiito tal est cima de todo oelo-
tido reunio dos creaores convocados pelo Rvd. I tago que com esse fim foi dirigida V. Exc. pela xando apenas um espago de 10.) passos do inimigo
A Ia secgao
batalhao de infamara da
la em u-
os cons-
desta ci-
xado as maos do mesmo a referida quanla de para que se digne communica-lo cmara mu- i bre o inimigo urna vivissima descarga, que o obri-
3:000000, para serem cumpridas integralmente 'cipal de Bodocong, quo o padre Renovato Pereira gou a retir: r-se, ficando nessa occasiao alguos! da guarda nacional do 21 oorpo e d'o 3o esqnad
as disposiges do finado prelado. Nesse raesmo dia Tejo vigafio da frsguczia de Cabaceiras, a qual morios e peno de vinte feridos do inimigo. Esta du Boqaeirao, constando-nos queja' se acha r
9 me dirig por um offleio ao negociante Antonio freguezia ignoro se perfence a Bodoc.ong. E aln- forga que esperou o inimigo guarneca a nica boc- nido grande numero de pracas.
Acha-se tambem reunida a forga de cavallaria
rao
reu-
Ramos, perguntando-lhe se com effeito existia em i da assim tem elle de deixar em breve essa fregu- ca da ra que eslava sem trincheira, em frente
sen poder aquella quanla, e tve em resposta, que *ia, pois nao tardara a lomar conta della o Rvd. casa de Polydoro A Cosa.
exista em peder delle a declaragao do Exm. bispo! Jos Fidelis da Silva Rosas, que lia poucos dias foi O canto immediatu, junto casa do major
collado na dita freguezia de Cabaceiras. i Simplicio, foi igualmente atacado pelos blancos o
Dito ao vigario de Itamarac.Tenho presente com energa repellidos.
o seu offleio de 20 do corrente, pelo qual me con-! Cumpre observar que quando esles malvados
sulla V. Rvm. se cabivel a tnudanga de azelte vieram de marcha batida sobre a cidade foi na cor-
tamente memoria do venerando bispo fallecido e para gaz na alampada do aliar do Sanlissimo Sa-1 teza de nao a eneontrarem com trincheiras; estas
foram comegadas na tarde do dia 25 e terminadas
ao escurecer do dia 26, e, so hoje estamos com
fallecido, porm nao a quantia mencionada.
A' vista pois do exposte cabe-me recorrer a V.
S., em cujo zelo e dedicagao pelo bem publio
muito confio, rogando-lhe que, em altengao e aca-
natureza da doagao por elle fela, se digne de, na I cramento nessa freguezin.
qualidade de juiz de capellas, diligenciar a arreca-] Esiranhando que V.Rvma. me. faga urna tal
dagao das quantias consignadas nova matriz de i consulta, quando devia saber que na alampada que
S. Jos, igreja do Espirilo-Santo, bem como do! allumia o Sanlissimo Sacramento s so deve deitar j nenie da armada Pedro Mana Amaro da Silveira,
que pertence aes pobres dessa cidade, em cujo be- azeite de Oliveira, declaro-lhe que tal substluigao que de motu proprio tomou sobre si essa tarefa,
vida, devemos a inaudia activdade doex-lte-
no admissivel de modo algum.
COMMANDO DAS ARMAS.
nefico espero quo V. S. se ha de inieressar com
aquella candade que merecem esses desvalidos,
que nao tem quem seja por elles, e que ha tante
tempo se acham privados do que Ihes foi legado
pelo seu pai, pelo seu caritativo prelado.
Tenho a honra de pastar s maos de V. S. para' Quartel do enramando das armas de Pernambuco
os (tas convenientes a publica forma da declara- i nl cd,de do Recf0 j de |fet?rer0 de 18Co.
gao do finado bispo, a qual me foi agora remetlida
pelo negociante Antonio Ramos (em cujo poder se : Ordem do da n. 37.
acha o original) bem como o n. 34 do Diario de Havendo o Sr. capitao do 7o batalhao de Infanta-
Pernambuco de 11 do corrente, em que vem a re-1 ria, Antonio Pedro Heitor, que por doente deixra
velago fela pelo Rvd. Jos Antonio ; e por copia j de acompanhar o seo batalhao para a corte, dado I
envo o offleio que dirig ao j mencionado neg- parte de promtpo no dia 10 de Janeiro ultimo, com i frente a cidade, e a noite relirou-se para fra, ie-
rante, e a resposla desle. oflm de partilliar da sorte de seus companheiros' vando os feridos em carretilhas, depois de nave-
Dito ao Sr. Antonio Ramos.Pelo seu offleio da- d'arma, na guerra aleada as fronteiras do sul; e rem enterrado os morios.
tado de 14 do corrente, em resposta ao qne Ihe di-' tendo o meu antecessor, em quanlo o mesmo Sr.' De nossa gente apenas perdemos um homem
rigi em data de 9 do mesmo, fico selente de nao capitao nao segua para o seu destino, aproveil.in- velho que nasguerrlhas cabio do cavallo, ao qual,
existirem em poder de V. S. os 3:0005000, de que' do os serte servigos no commando do deposito dos depois de o Inocearem, Ihe tiraram os olhos, castra- i
trata o meu citada offleio ; sendo que os negocios Voluntarips da Patria, que satisfactoriamente exer-' raovo e o estrangularan!! Veja que humanidaJe !
que V. S. tem tido al agora com o Rvd. Jos An- i ceu do da 24 do referido mez a 17 do corrente:; Tivemos dous feridos inclusive o major Ana-
tono dos Santos Lessa e os pagamentos que delle o eoronel commandante das armas interino, faaen- cielo Porlo, que sapponho nao escapar. Dos arra-
tem recebido, dzem respeilo somente a deblosi do justiga s excellentes qualidades do menciona- *
particulares. '. do Sr. capitao Heitor. nem s Ihe agradece os ser-
Declara sim V. S. existir em seu poder a tspo-' vicos, que prestou no sobredito deposito, eorao to-
contra a vontade de muita gente, e com especiali
dade das nossas autoridades militares, que diziam
que os blancos c nao vinham.
Ao meio dia do dia 27 mandou o chefe dessa
horda-de cambaes um parlamentar com offleio ao
coronel commandante desta guaroigao, intimando-
o a que rendessemos e entregassemos a cidade,
sob pena de ser este responsavel com sua vida pe-
las desgragas que sobreviessera no caso de nao ac-
ceder a esa inlimago : a resposla foi enrgica e
ondigna com os bros da nago brasileira.
O inimigo durante todo o da conservou-se em
Consta nos que destas pragas vai o Sr. presi-
i dente crear mais um corpo provisorio.
A' tesla desta reunio acham-se offleiaes de
reconhecido valija e pericia militar, como sejam o
tenente-coronel Seraphim, o commandante do cor-
po, o major Pereira, capitao Jos Qurino e oulros,
cujas notnes nos escapam.
Este eorpo, orgauisado que seja, provavel
que tenha de marchar para algum ponto da froB-
teira.
Temos a lamentar um acontecimento de-
sastroso com respeito a forga de nosso exerclio :
elle que, tendo havido denuncia dd terem deserta-
do alguns guardas nacionaes, o general em chefe
mandou duas partidas ao alcance dos fugitivos, e,
como ellas se ensootrassem, e se desconnecessem
iravou-se entre ellas sanguinolento combate, resul-
tando a morte, segundo nos dizem, de dous capuae
s de algumas pragas.
Amanha nos informaremos melhor destas
importantes noticias, para mais detalladamente
da-las aos nossos Icitores.
baldes da cidade saquearam horrivel e desapiedr.-
damente. no exceptuando 3 mais insignificante
cboopan ; o que nao podiam levar quebwair-.,.
t Consta-nos qne alguns subditos portugua-
zes agenctam assignaturas entre seus patricios, re-
sidentes entro nos, para o fim de prestarem seus
servigos em defeza da nossa cidade, no caso de
necessidade.
Gonsia-oos qne o numero dos inscriptos so-
be a mais de 400 homens.
Em tal emergencia nao podamos esperar ou-
tro procedimento de nossos irmaos em Idiama, cos-
tumos e religiao os Portuguezes.
Na mesma tolha de 2, l-se :
t Na persuisao da possibilidade de ser a nossa
eidade atacada pela horda de vndalos que alacou
a cidade de Jaguaro, aiguns cidados se presta-
anJo noticias da Uruguaxana
cora data de 27 do passado, diz :
Os valentes tenentcs coronis da cvica Joa-
quim Guedes da Luz e Vasco Alves olIere:eramsc
como simples soldados ao Sr. coronel Fernandes
Lima, para fazerem parto di guarnigao da fron-
leira de Misses.
Fallava-se all muito que os Paraguayos se
encamnhavam em numero de 8,000 homens para
Corrientes, cora o fim de nvadirem nosso territo-
rio ; mas esta noticia parece nao ter fundamento,
porque o Mercuntil de Porto-Alegre, aecusando
datas de S. Borja de 6 de Janeiro, a deslroe com-
pletamente.
O artigo do Mercantil a que se refere esta noti-
cia o seguuie :
Tendo o governo do Paraguay mandado re-
forcar a guarnigao das trincheiras e Tronquera do
Loreto com 800 hourms das tres armas, e, liavcn-
do alguns delles desertado para Corrientes, satu-
rara em seguimcnio delles algumas partidas de
cavallaria at S. Alonso, lugar que o Paraguav
pretende pertencer-lhe, mas de que Corrientes
est de posse ha muitos annos. Como, porm, esse
lugar dista apenas dez leguas da margem do Uru-
guay fronleira a esta villa, espalhou se no dia 3 da
corrente a noticia de urna Invaso, a qual foi
mesmo confirmada por cartas de patricios nossos
residentes do outro lado do Uruguay, que eleva-
vam a forga invasora a mais de 2,000 homens.
Como era de esperar, urna lal noticia prndu-
zio ura terror quasi geral, especialmente as fa-
milias, muitas das quaes se reliraram precipitada-
mente desta villa o das proximidades do Uruguay,
conduzindo o que poderam, de sorte que quando
honlem (5) se verilieon ser inexacta a noticia da
invaso, e que os nossos vsinhos estao por ora a
espera de urna occasiao propicia para provar seu
valor, ja avia emigrado quasi melado da popula-
gao desla villa e suburbios.
a mesma folha com dala de 21 do passado
diz sob a rubricaVoluntarios de Missoes :
t Organisa-se rpidamente o corpo de volunta-
rios que oflereceu o Sr. major Pilar, da Cruz-
Alta.
O prestigioso, chefe ja tem em torno a si o nu-
mero quasi completo de 300 pracas. Sao todos
mogos, vigorosos, animados do mais bello espirito
de guerra, e em extremo confiados no seu com-
mandante.
t Este nao se tem poupado a formar um corpo
de flor.
De sua propra algibeira tem despendido com
suppnmentos aos mais necessitados.
< O enihusiasmo tambem grande c conta-
gioso.- Os chapeos desses bravos mogos tem to-
dos ama faxa .colorada cpm este dstico, bordado
em letras vsiveis, Volntanos de Missoes.


V





=
____.-------------
Diario de rernambnco Kabhado t5 de Fevereiro de 85.
~
^
tfm jn<, .onma vai wr Me um dos roo- "clas que icem soffrido os Brasileiros estabeleeidos praticados durante o sitio de Payssundii por este i com direito de occultar ao pal?. A nossa torga de
UUMUA dlgUllia m .w ____ r,l .,. ,.i,h. ,1.. f .,.,.4 Orion. hnm..m n,u hn> tlo.L Jj nnk>. I... U> i m grande numero na campanha do Estado Orien-, hornera, que fazia alarde de zontear das leis da
tal que o governo imperial, para por termo a esta I guerra, lao solemnemente observadas pelos seus
situarlo, ja ntoleravet, fio-se obrlgado a mandar adversarios, cujo procedimento humano e com-
uma missao especial para fazer um ultimo appello passlvo forraava perfeito contraste com o ten. Bas-
amtgavel ao govtJfW) rlente!.
.Inores corpos da guarda nacional etn campanha, ja
pelo vistoso da tropa, com; osla de bellos e vigoro-
sos iwjos, ja pelo moral e garbo que reina em
.-uasfiteiras.
vjommandante e tomraandadas pedem a nma
voz para nao serem condemnados a Inaccao do des-
(acmenlo.
a Ardem em nobres desejos de entestar com o
inimigo em campo raso, onde quer que elle surja, cosa a ella como aos neutros,
Seja as coxiltaas orientees, seja na barranca do Brasil, pelas circurastancias di
Uruguay mandem-os ao campo mais prximo, on- limitrophe, e ler esparcido no solo da repblica
de se debater com as armas a honra de paiz. valiosos interesses unidos a urna grande e rica po-
Aquella lenda que Ihes cinge as nobres cabe- pulacao.
cas Voluntarios de Mittiet, querera-ua elles levan- Assegurando esta paz, seria racil chegar a urna
tar'bem alto e ioserevd-fa nos graciosos annaes da solucao, na questo internacional que nos vimos
oatria depois de ensinar ao inimigo a tmela com obligados a suscitar, honrosa e digna para os Jons em que se achava aquella batera dos poitos avan-
infantera all, a uulea que pode dar assalio a' pra
oa, nio passa de 4 600 e Untos bomens, um terco
dos quaes esta' constantemente nos hospitaes, gra-
pas em parte ao fornecimenlo dos gneros alunen
Esta missao, como pubico e notorio, esfor-
cou-se para restabelecer a paz na sociedade orien-
tal, que se dilacerava n'uma luta civil, to perni-
principalmente ao
de ser esta nma naci
la citar um, queda a medida de todos os ootros, e' (icios. A ca vallara orga por 8,000 homens, mas
que revella sorte que teriam tido os sitiadores se nao tendo exercicios regulares, impossivel apea-
por fatalidade a victoria tivesse favorecido um ad-! te para leva-la ao assalto.
versario tao cruel. Comto diminua torga seria loucura testar o
t Um tambor da caolionheira hahy que fazia ataque* praga eeffectivamente sabemos que elle
parte da guartifcao da batera de marinha estebe-
lecids em Bella-Viste perdeu-se eeahio em poder
dos sitiados. No da seguinte vto-se na batera
a cabega daquelle infeliz collocada em cima de
um poste e n'uma posico qne permitlia reco-
nhece-lo perfeitamente pela pequea distancia
terror de suas langas. paizes, cujo interesse cultivar as mais estreitas
i O -r. presidente nao deve deixar em ocio tao retacees, pela reciproca vantagem qne deltas resul-
nobros estimulo?. Deve mandar ao commandante W para ambos.
do corno ordem condicional de reunir-se ao exer-
cito do Uruguay, ou ao exeruito em campanha, on-
de e mais travado da luta exigir mais alentado es-
forz.
i Seria essa urna medida de muito acert, em
vista das distancias para fazer ebegar ordens.
As vistas da presidencia devem estar aplica
das sobre a fronteira le Corrientes.
Em caso de um ataque dos Paraguayos o
Todo o nobre empenho do Ilustrado enviado
brasileiro foi inuiil contra a obstinago e cegueira
do presidente da repblica e seu governo, que nao
queriam seno e triumpho exclusivo das suas ideas
e das dos seus partidarios, negando toda a allen-
go s justas reclamacoes de um governo amigo,
que, se de alguraa cousa pode ser acensado, de
longanimidade e paciencia, por nao ter querido in-
mediatamente lancar mao de medidas extremas, a
gados do inimigo. Difflc descrever e horror e
nao sata' tentado em quanto nao chegarem novas
tropas algentemente reclamadas do governo. Os
1,500 homens da ultima expedido nio bastario
por cerne.
Alm disto lavra o desgosto no exereito e a dis-
cordia entre os offlciaes. O general em ebefe esta'
por molestia iropossibilitado de commandar e o
seu ajudante nao gota da estima nern da confianga
corpcTdo 0| JuwMm"am um imprtente re-'que o obngavam para salvar a na honra e digni
forc, > dade offeadidas.
0 Correio do Svl de 29 noticia qne o presiden- Desengaado por flm de chegar a nm accorde
te da provincia maudou pagar sob soa responsabi- com aquelle governo, o enviado trasileire apresen-
lidadei e independeote de fianga, e meio sold das; tiu o seo ultimtum, emque declarava
viuvas e orphias d, emquauto se nao habilitaren) devidamente.
L-se no Jornal do Commcrcio de Porto-Alegre
de 24:
t Grabas a briosa offlcialidade da guarda na-
cional e algtros cidados mais, o glorioso feilo
de Paysand nao passou desapercebdo nesta ci-
dade.
Urna demonstrarlo patritica que se achava
preparada para sabbado, e que a chuva impedio,
realisou-se'domingo a noile.
t Reunidos em frente ao quarlel da praga da In-
dependencia os offlciaes da guarda nacional e gran-
de numero de cidados de diversas classes, segui-
rn) d'ahi a percorrar differentes ras, levando em
sua frente a banda de#musca do i batalho da
guarda nacional.
Na porte do quartel, depois de ter tocado o
bymno nacional, o Sr. commandante do destaca-
mento deu vivas aos bravos da tomada de Paysan
d, a naco brasileira, a Sua Magestade o Impera-
dor, sendo ellts cn'huusiaslicamente correspond
dos, no meio Oo troar de innmeros fugeles.
D'ahi seguiram pela ra da Igreja, parando a
porta da casa do Sr. Francisco Barreto Leite, gen-
ro do Sr. tenente-coroncl Rsin, e a da Exma. es-
posa do Sr. lenente-coronel Bello, sendo ambos es-
tes briosos chefes victoriados, beni como a offlcia-
lidade dos balalhes do que sao cemmandantes e
mais corpos que deram o assalto a praga.
Shindo tfahi pela ra da Igreja, Arroio,
Praia e Santa Calharioa, recolheu-se ao quartel de-
pois de ler comprimeutado o Exm. general Lima,
commandante superior da guarda nacional e coro-
nel Tolla, commandante da guarnigao.
Durante esse irajecto foram victoriados os no-
mes dos Srs. vicealmirante baro de Tamandar,
generaes Propicio, Osono e Netto, bem como o
exereito e marinha e a guarda nacional em cam-
panha.
t Muitos vivas patriticos fizeram-se ouvir, mas
urna pequea e sentida allocucao pronunciada pelo
Sr. cadete Marcellino, quando a reuniao parava oa
praga da Alfandega, provocou enthusiasticos e pro-
longados applausos.
f Nessa demonstraco lao puramente nacional
e patritica relnou o maior enthusiasmo e ordem.>
O Oyapock, entrado boje do Rio da Prala, traz
dates de Bueuos-Ayres at 6, de Montevideo at 7
do correte, e as do Paraguay alcaocam a 28 do
mez passado.
Temos, pois, noticias mais explcitas do esiado
paraguayo.
O governo de Assumpgao caula urna nova vic-
toria com a tomada da Villa Miranda, onde semen-
t enconlrou dous eslrangeiros e um prelo velho :
lamenta entretanto, a perda de um sargento e seis
soldados, devida a urna exploso que se deu quan-
do se arrecadavam os artigos bellicos em momen-
tos que Anota a cantaros.
Do que diz, porm, o coronel Rasquin sobre a
sua marcha para aquelle poni, deve concluirse
que, em vez de exploso, a perda daquella gente
foi resollado de um combate. O mesmo se pode
dizer acerca da oulra explo.-ao nos Dourados, de
que j demos noticia, do que resultou a morte de
dous ofliciaes e quatorze soldados. A contra-mar-
cha do commandante Herreros, que, depois de ler
tomado o Anhambahy, devia ter seguido al Cuia-
ba, rombioada com o envo de novas forcas da As-
sumpcao para engrossar a expedicao d coronel
Barrios, parece agora justificar a suspeita de que.
como transpirou, os Paraguayos, atacando Villa
Maria, foram repellidos, e nao se acham cora re-
cursos para atacar a capital de Malto-Grosso.
Anda um facto vem confirmar aquella suspeita,
e vera a ser que toda a esquadrilba paraguaya bai-
xou, e acha-se reunida em Coimbra. Seni embar-
go, diz o ultimo Semanario que as forcas expedi-
cionarias ao norte conseguiram desviar um dos re-
volvers que o Brasil tinha apootado ao coracao do
Paraguay, e agora toca ao governo fazer guerra ao
Brasil por outra parte, resologo que ser levada a
effeiio semquedifficuldadesdenenhum genero pos
sam contrariar a sua marcha. Resulta desta ex-
plicHa declarago que Lpez pretende combater
as campias do Uruguay, e ao mesmo lempo
ameaga-se o general Mitre de que o exereito pa-
raguayo transitar pelo territorio argentino, ainda
contra vonlade delle.
Lpez j fez passar o Paran mais de 0,000 bo-
mens, muita cavalhada, e numerosas carretas com
trem bellico.
Esta torga est acampada em S. Carlos, distante
dez leguas do rio Uruguay. Assim, dizia-se em
Buenos-Ayres que brevemente um exereito de vio-
le mil homens, sob o commando o mesmo presi-
dente Lpez, invadira a provincia do Rio Grande
ou atravesara as provincias de Corrientes e En-
tre-Kios, para ir em auxilio ao gdVerno de Monte-
video.
No vapor argentino Salto chegaram o Dr. Sagas-
tume, ministro cnental na Asumpgo, e o para-
guayo Caminos, encarregadopelo presidente Lpez
de entregar ao governo argentino urna importante
nota. Ignorava-se qoai o objecto desta missao, que
era todo o caso deve ser liost'l ao Brasil. Seas
tropas paraguayas efectivamente passarem pelo
terriiorio argentino qual ser o procedimento do
presidente Mitre ?
Pelas declaragoes anteriores de diario offlcial do
governo argentino, semelhante fado deve produ-
zir a guerra enlre as duas repblicas. Veremos.
Por decreto de 27 do mez passado foi cassado o
exequtur patente do nosso cnsul na Assump-
co. O Smanar.o, ebservando que houve demora
na tomada desta medida, diz que assim proceden)
as nagoes civilisadas.
Resta saber qual a sorte reservada aquelle Bra-
sileiro se ficar na Assumpgao, e tanto mais isto
nos deve inquietar quanto sabido que o tyraono
aborrece pessoalmentc ao Sr. Barbosa.
O Sr. Carneiro de Campos com os oulros prisio
neiros seguiro para o desterro de S. Joaqnim,
donde quasi impossivel saber-se qualquer noticia
a seu respeto. O segundo commandante da Anliam-
bahy e mais cinco marioheiros acham-se presos,
com ferros aos ps, na Assumpgao, e alm disto lera
sido expostos a irriso publica.
Quanto a Montevideo, confirmase a noticia que
desde o da 2 do correle se acha bloqueada e si-
tiada pelas nossas torgas de mar e ierra e do nosso
alliado o general Flores, o qual oceupou o porto do
Boceo, habilitando-o para ocomaiercio exterior.
Segundo a nlimacjio feita por circular do Sr.
bare de Tamandar aos almirantes eslrangeiros,
no da 0 expira o prazo concedido para a sahida
das embarcacoes que te acharem no porto, e prin-
cipiaro a fizer-se effectias as annunciadas hosti-
lidades contra a praca.
A circular concebida nos segointes termos :
i Commando em chefeda torga naval do Brasil
no Rio da Prala, a bordo da corveta Nitheroby, 2
de fevereiro de 1863.Transmittindo V. xc.
copia cas notas que o enviado extraordinario de
S. M. o Imperador do Brasil, meu augusto sobera-
no, em missao especial junto ao governo da rep-
blica Argentina, acaba de dirigir ao mesmo gover-
no e aos seus collegas do corpo diplomtico resi-
dentes em Buenos-Ayres, julgo do meu dever oc-
cupar a attencao de V. Exc. por alguns momentos
com a exposigo franca e succinla dos factos qne
rearam a situagao em que actualmente se acha o
solemne-
1 mente jue, se o Brasil nao recebia as satisfagoes a
que tinha incontestavel direito, faria justica por
suas proprias raaos, encarregando as suas torgas
do mar e ierra de fazer reprezalias, e mesmo aug-
mentando a gravidadedas medidas que se iam au-
lorisar, se a atlitude que assumio tosse insuficien-
te para alcangar tudo o que em norae della solici-
tava na sua nota de 18 de maio.
Nem a discussao nem a ameaga produziram
effeito aigum no animo apaixonado do governo de
a indignagao dos companheiros daquelle desgraga- dos outros chefes.
do, que prolestaram vingarse.dos assassinos que Atienda bem o governo para todas estas circums-
tioham em frente. lancias e poupe ao paiz qualquer vergonha. Nao
t Comtudo, apezar disto, eram tao ardentes os impossivel que os Paraguayos desgam aos cara-
desejos de evitar maior effuso de sangue e dimi- pes do Uruguay, e indlspensavel que antes que
nuir as desgragas da guerra, que todas as tentali | elles tenham lempo para isso, Montevideo esieja
vas de mediago que surgirn) encontraram sem-, tomado. Nem queremos imaginar o que poderia
pre benvolo acolhlmento por parte dos chefes das acontecer se assim nao tosse.
forcas adiadas.
Estes esforcos generosos nao aproveiteram
todavia-a guarnigao ele Paysund por causa da
tenacidade criminosa dos seos chefes, nicos res-
ponsaveis por todos os males que ella soffreu. Por |
conseguinte, foi preciso tmala a togo esangue,
com [lerdas bastante dolorosas para os sitiadores, \
------ n ii Si "-
Entrou hontera de Buenos-Ayres com dalas at 4
do corrente o vapor inglez Newton, que nio com-
municou com Montevideo por ter achado aquelle
porto j bloqueado pelas nossas forcas navaes.
A nica folha que podemos obter toi o Standard,
que at neste momento supremo de exasperago peridico inglez mteiramente dedicado aos inte-
mostraram a grandeza dos principios porque com- resses das homens de Montevideo. Segundo elle
batiam e a nobreza do seu carcter. | foi o bloqueio intimado a marcando-se o praso
c Numerosos offlciaes e muitos soldados, toma-
dos com as armas na mao no ardor do combate,
foram generosamente postos em liberdade pelos
vencedores, que tiveram um momento de vivo
prazer qtiando ouviram as exclamagSes de arden-
te reconhecimento e graiido que os vencidos pu-
blicamente dirigan) a seus magnnimos adversa-
ros e dasi quaes muitos j se esqueceram calum
Montevideo, que tomou a grave resoluco de de-1 niando-os em partes offlciaes, que correm impres-
volver aquelle ultimtum com urna nota atrevida; sas, para vergonha dos seus autores, ou tomando
razo por que o enviado brasileiro se retlrou, ex- j novamenleas armas contra aquelles.
pedindo as ordens a que acabo de alludir esqna-1 < Entre anto o governo de Montevideo, que
dra e ao exereito, encarregados da ardua missao' abandonava sua sorie estes seus defensores, en
de empregar medidas coercitivas contra o dito go-1 iresava-se na capital aos raaiores excessos contra
verno; e conhecendo o pensamento do meu gover-1 o Brasil eos Brasileiros nella residentes, aos quaes
no, que desejava que smente elle soffresse as con-1 at pertendjeu obrigar a tomar armas contra a sua
equencias penosas destas medidas, exigi primeiro patria *
que o vapor de guerra General Artigas, que eslava
nesse porto, e que se empregava na condugao de
tropas e artigos bellicos, flcasse nelle immobilisa-
do. Levada esta exigencia ao conhecimento do pre-
sidente Aguirre pelo ministro residente do Brasil,
annuio S. Exc. promptaraente a ella, cheganda at
a agradecer benevolencia de qne eu dava prova.
t Animido por esta acquiescencia, que me pa-
reca indicar um movimento approximativo e um
Todos osados justiBcam as hostilidades que o
imperio fa actualmente ao mesmo governo, que
alliando-se com a repblica do Paraguay e impel-
lindo-aa declarar-nos a guerra rcsponsavel pela
barbara invasao que as torgas daquella provincia
acaban) de1 praticar contra a indefeza provincia de
Matio-Grosso, que repousava tranquilla na f dos
tratados existentes entre os dous paizes.
Taes sao, Sr. contra-almirante, as razes for-
desejo de proceder razoavelmente, exigi que se ex-1 tes e ponderosas que obrigam o governo imperial
pedisse ordem a todas as autoridades para dar aos a vir tomar um desaggravo digno de urna nagao
Brasileiros a protecgo que Ihes garantem as leis: civilisada, ^le um governo que assim o tem provo-
da repblica, reclamando ao mesmo tempo que se | cado constjantemente, e que se tem constituido
dsse baixa a todos aquelles que estivessem vio-'n'uma ameaga permanente para todos os interesses
lentados no servigo do exereito oriental. (testes paizes pela alhanga que celebrou cora to-
t Prometteu se-me que estas medidas seriara j dos os elerpentos do crime e da barbaria de que
sem demora tomadas; mas tive o desgosto de co- se rodeia, e com os quaes conta para a sua defeza.
dous jaizes de direito immediatos em antiguidade
ao 15 da lista qne a pouco fram-lhe enviada para
eseolher-se nm deserabargador para a relagao da
Baha.
Esses juizes sao os Srs. Dr. Francisco Mariani e
Dr. ErraanaDomingnes de Cooto.
- 13
O Sr, conselheiro Henriqae de Beaarepaire Bo-
ban pedio e obteve demiaso do cargo de ministre
e secretario de estado dos negocios da guerra, pa-
ra o qual foi nomeado o Sr. marechal de campo
visconde de Caroam.
nhecer uue eram Iludidas com prelextos futeis,
que revelavam a intengao de ganhar tempo am de
desmoralisar a aeco do Brasil, que se nao fazia
sentir com o vigor" necessario. E tanto era este o
empenho que a mesma imprensa oficial o revela-
va, declarando que nao nos atreveramos a por em
execugao as nossas ameagas.
t Era conveniente obrar com mais vigor, e en-
to declarei que tamben) quera que o vapor Villa
del Salto, que esteva no rio Uruguay, fretado para
o servigo do governo, ficasse inulilisado n'um dos
seus portos. Esta exigencia foi recusada, e enlo
vi-rae na forgosa obrigacao de manda-Io apprehen-
der, na contormidade do aviso que previamente
mandei fazer ao mesmo presidente Aguirre.
.-Sabe-se perfeitamente qual foi a causa desta
recusa, projectada expresamente pelo circulo
Nao smente urna reparago nacioual o que
hoje exigimos com as armas na mao, mas tam-
ben) um acto de humanidade o de civilisagao a
guerra que sustentamos contra um governo que
queima tratados pblicos, manda bandas de sal-
teadores paira incendiar, saquear e assassinar po-
voag5es brasileiras da fronteira. e que publica-
mente rouba os estabelccimentos bancarios, assim
como a popplagao nacional e estrangeira.
A misaao, portento, do exereito e da marinha
imperial, unidos ao exereito libertador, apresenten-
do-se em frente de Montevideo, nico ponto da
repblica qriental que nao se submelteu por em-
quauto a antondade do distincto chele da revolu-
gao oriental, que representa os principios da or-
deme liberdade para sua patria, est definida.
No exrcicio dos dlreitos da guerra que a lei
exaltado, que se ia apoderando da direegao do go-1 das nagoes nos concede, tencionamos fazer o me-
verno, para ver-sepor meio della edo conflin i que l or mal possivel aos Interesses particulares, tanto
resultarla com a nossa esquadra se manifestavao jdos nacionaes eomo dos neutros, sem prejuizo en-
pronunciamento das provincias argeatiuas de Cor- tretanto das operagoes neressarias qne bao de ef-
riontes e Enlre Ros, que oceultamente se promo
via, e o da Repblica do Paraguay.
t Sem embargo, apezar do desnecessario incen-
dio deste vapor e da deliberago do governo de
Montevideo, de dar os passaportes ao ministro re-
sidente do Brazi I, cassar o exequtur aos agentes
consolares, e fechar os portos da repblica aos
navios brazileiros, nem o Parguay se mo^eu en-
lao, limitando-se a renovar as suas amegas, nem o
zeram as referidas provincias, qne se conserva-
ran) fiis aatoridade nacional. Entretanto, cada
vez mais se complicava a siluacao, e exiga que
as medidas coercitivas se fossem aggravando, co-
mo liuha annunciado o governo imperial.
Al ento o governo de Montevideo pouco
tinha solfrido com as reprezalias, e, alm das mes-
mas offensas que nos fazia, provocava-nos inimi-
gos por todas as partes, perturbando a paz deste
continente de urna maneira deploravel, e prepa-
rando por meio das suas tenebrosas maehinagoes
urna conflagragao gerl que envolvera qualro dos
principaes Estados da America do Sul; j se nao
poda nutrir a esperanga de chamar a razo e a
justiga este governo, inleiramente hallucinado, e
lornava-se, portante, indispensavel o recurso das
armas.
Em vislude destas conslderagoes, resolveu-se o
ataque das pragas de Sallo e l'aysandt, para des-
alojar dellas as autoridades dependentes do dito
governo.
c desejando evitar que nestes pontos se aecu-
mulassem recursos de guerra que tornassera esta
operario mais difficil, causando tarabem um in-
til derrammenlo de sangue, tive a honra de diri-
fectnar-se para causar o maior daino possivel ao
inimigo nos pontos que escolher para sua defeza
no centro da cidade : o que julgo conveniente levar
com antecipagao ao conhecimento de V. Evc, am
de que adopte a resolugSo que" Ihe parecer mais
ntil em re'agao aos seus compatriotas residentes^
na praga, que nao pode resistir s torgas superio-
res que vo ataca-la por trra o por mar.
t Conjunctamente devo prevenir a V. Exc. que
de hojeeni diante fica bloqueado o porto de Mon-
tevideo, e marcado o prazo de 7 das, que serao
I contados desde j, para que os navios se retirera
[ do ancoradouro interior e se ponhain em franqua,
I em posigao qne nSo embarace as operagoes, po-
1 dendo permanecer no porto o tempo de que eare-
gam para completar os seus carregamentos se ti-
verem de recbelos fra da praga.
Saiisfeito o fim que me proponho dirigindo a
V. Exc. esta communicagaS, que se dignar fazer
chegar o conhecimento do seu governo, aprovei-
to a opportunidade para apresentar a V. Exc. os
pretestos da minha mais alta consideraga5 e esti
ma.Bardo de Tamandar, vice-almlrante, com
mandante em chefe da torga naval do Brasil no
Rio da Prala.A S. Exc. o Sr. contra-almirante
commandante em chefe das torgas navaes de___
Ainda Itevia quem tivesse esperanga em um ar-
ranjo de paz, geralmente considerad; impossivel
em presenga dos desvarios do governo de Monte-
video e das ultimas noticias viudas do Paraguay.
Ha comtudo quem d'alli nos asseguro que estao
muito desanimados os sitiados, sendo certo que de-
pois do silio e bloqueio tem desertado muita gente
da guarnigao, que conta 4,000 homens, com 30
gir aos Srs. agentes diplomticos residentes em boceas de'fogo pouco mais ou menos.
Montevideo, com coja imparcialidade deviacon-J No centro e nos extremos da linha fortificada
lar, urna circular confidencial, pedindo a cada um por onde se teme o ataque preparavam-se ires rai-
delles que no interesse de todos prohibisse o traos-) as com 123 libras de plvora cada urna, s quaes
pone de artigos bellicos nos navios mercantes da, se deve langar togo no momento de dar-se o as-
sua respectiva bandeira, assm cerno o de tropas, salto.
viMo serem enlao os nicos que se oceupavam
neste servigo.
< Na mesma occasiao Ihes arnunciei a resolu-
go do governo imperial. Mal comprehendido
por elles o meu pensamenlo, talvez porque nao fui
asss explcito na minha nota, tive o desgosto de
rec-iber urna resposte negativa, em que se me at-
i nimia a intengao de querer arregar-me o direito
de visita, e por conseguinte vi-rae obrigado a era-
pregar um meio f irte para chegar ao mesmo re-
sultado.
c Este meio foi o bloqueio dos porios de Salto e
Paysand, nulificado na circular de 26 ee outubro i familia, cujas mulheres foram violadas, com ex-
ultimo. cepeo de urna crianga de 12 annos, porque pode
Todos conhecem os effeitos benignos deste fugr a lempo,
bloqueio, em que se nao fez urna nica preza, e em [ O bloqueio c sitio foram reconhecidos pelos al-
que houva da parle da esquadra brazileira toda a mirantes eslraBgeiros, havendo sido vencidas al-
indulgencia e contemplago para os neutros, cerno guraas difficuidades que surgiram. O ministro
podem testemunha-Io os navios de guerra das dif- italiano reclamou per nota ao Sr. conselheiro Pa-
ferentes estagoes que se achavam no centro da ranhos, que sobr'estasse no andamento das opera-
aegao, por convlr-lhe precisamente esterera pre- goes militares, at qne nodiat7 do corrente se
6entes.
i Chegada opportunidade de tomar a praga <
da Paysand, todos sabem qual foi o procedimen
Depois da intimscao do sitio e bloqueio tem ha-
vido algum liroteio sem resultado significativo.
Affirmra-se em Montevideo que o general Netto
tinha batido o coronel Appancio, nao havendo po-
dido conseguir agarrar o general Munhoz, que com
aquelle chefe foram encarregados pelo governo de
Aguirre da expedigao vandlica que ja sabemos
contra a populago ao Rio-Grande do Sul.
Entretanto corra a noticia de que anteriormen-
te Apparicio havia eDlrado na estancia do Brasi-
leiro Davi&Fernandes, no departamento de Duras-
nos, e assassinado o mesmo Fernandes e toda a sua
to das torgas imperiaes ailiadas com as do general
Flores,, que partindo de ponto mu dilferente, se
acaava pelo correr dos acontecinientos ligado com-
nosco no fim commuro de hostilisar o governo de
Montevideo.
Antes de disparar um s tiro contra aquella
praga. o general D. Leandro Gmez, que a eom-
mandava e contra a qual tinhamos ento as mais
vivas queixas, nao s por teralli mandado agou-
tar publicamente um Brazileiro que forgou ao ser
procedesse eleigo de novo presidente.
S. Exc. aparou no ar este golpe, e, dme nstran-
do a inconveniencia de semelhante suggestao, com
energa e habilidade repellio a proposla.
O partido de aegao em Buenos-Ayres sustenta
pela imprensa calorosamente o procedimento do
Brasil na actual conjunctura e estygmatisa a in-
quieta velleidade do general Urquiza, que busca
ao mesmo tempo fazer-se necessario aos Blancos e
aos Paraguayos, e mostrar-se amigo leal do presi-
dente Mitre.
O Nacional censura o governo argentino por
acreditar em Urquiza, observando que este gene-
meu governo era relaco ao de Montevideo. Teem tido a desgraga de cahir-ihes as mos.
sido tantos e lao suceesslvos os insultos e violen- Longo seria enumerar os actos de
vigo das armas, mas tambem por ser o mesmo que; ra' n* e mais Qoe um commandante de micilia
ca'pianeava os bandos qoe vinham ao porto quasi em Entre-Ros sem influencia na administrago
todas as noutes insultar nos com urna msica interior da repblica, nem represeatago para
frente, receben urna notificaco do geueral em '"ter de negocios externos,
chefe do exereito libertador, propondo-lhe a en-1 caudillio de Entre-Bios faz sustentar pelos
entrega com a condigao de conceder-lhe a elle e a ?eus diarlos que a allianga com o Brasil um acto
todos os seus offlciaes as honras da guerra. A indigno, esquecendo-se que em 1831 elle proprio
resposte que aquelle general deu a esta Humana commetleu essa monstruosa iadignidade.
e digna proposta toi mandar disparar dous tiros Chegou a Buenos-Ayres o ministro chileno Dr.
contra o inoffensivo parlamentario. Findo o pra- Lastarna.e.com quanto sen discurso de apresente-
zo que se concedeu s familias para evacuagao da Cao ao general Mitre esteja perfumado das elegan-
praca, principiaran) as operagoes da guerra, as: tes.phrases com que a diplomacia sabe exprimir-
quaes todo o meu empenho e o do general em ; se> dizia-se que saa missao tinha por objeclo recla-
chefe do exereito libertador foi causar o menor! mjr.a Patagonia do Rio-Negro para o Cabo como
mal possivel a povoago. territorio perteneente repblica do Chile.
> Depois fle reforgadas. as tropas ailiadas com Na Bolivia rebentra urna revolugao, e o presi-
um:i divisao de 7,000 homens do exereito imperial dente Acha' fra ftida gravemente no combate,
novas propostas com as mesmas honrosas condi- O nosso cnsul geral em Buenos-Ayres foi en-
coes se apresentaram ao chefe orgulhoso e per- viado pelo Sr. Paranhos era commissao ao presi-
iinaz que commandava em Paysand, e que se nao; dente do Rio-Grande do Sol. O Oyapock deixou o
envergonhava de confessar as suas partes-offl-! Sr. Pereira Pinto na barra daquella provincia no
caos que tinha recebido a tiros o parlamentario, j dia 8 do correte, e seguio inmediatamente para
e passado pelas armas os prisionelros que nham esta corte.
Do nosso exereito oante de Montevideo chegam-
barbaria Inos noticias desagradaveis r/ue nao nos reputamos
de seis dias para os-navios sahirem do porto. Ac
crescenta o noticiador que os navios de guerra
estrangelros formaran) umcordao diante da cida-
de, alini de impedirem o bombardeamento. A este
ultimo respeto devemos aguardar ulteriores e mais
sesuras Intormag5es.
No dia Io tinham sahido de Buenos-Ayres para
Montevideo dous navios de guerra argentinos sob
o commando do almirante Muralure para proteger
os interesses da sua naco, e o Sr. Paranhos, nosso
enviado extraordinario, fleava a partir para o
exereito que sitia a capital, e do qual apenas se
refere *u.e todas as manhaa? e tardes tinha tiroteios
com a guarnigao da praga.
Inculcando como boato que corra, o que segu-
ramente nao passa de desejo delle e dos seus, diz
o Standard que o presidente Mitre eslava a ponto
de offerecer os seus servicos como mediador entre
o Brasil e o Paraguay. Os vapores Oyapock e
Cruzeiro do Sul fleavam em Buenos-Ayres a met-
ter carvo para seguirem para aqu, e o capito
do Newton diz que um destes barcos sahira efecti-
vamente no mesmo dia que elle. Nao tardar
pois, e assim teremos noticias mais positivas do
que se passa era Buenos-Ayres e diante do Monte-
video.
Entretanto, recordando sempre a pouca f que
merece esta folga, transcreveremos do mesmo
Standard o seguinte a respeto do Paraguay :
O Corrientes, ha tanto esperado, chegou final-
mente jio dia 2 com folhas da Assumpgao at 21 de
Janeiro.
As ultimas datas do theatro da guerra chegara
ate 12 n'um offlcio docammandante da expedicao,
o coronel Barrios. As torgas estao ainda estacio-
nadas era Corumb, sendo a nica operago depois
da oceupago daquelle porto urna expedicao com-
mandada pelo teneote Herreros para recoohecer
os ros S. Loureogo e Cuiab. Compunha-se ella
do vapor Apa e da canhoneira Anhambahy.
t A' 7 do passado, tendo chegado ao acampa-
mento de Sara fas 7 '/z horas da tarde), Herreros
adlou o ataque contra a guarnigao, que elle pelos
seus prisioneiros soube que se compunha do meio
batalbo s ordens do ex-commaodante de Corum-
b. Ao araanhecer do dia 8 achou elle a praga
deserte, tendo apenas ficado um soldado que se
renden.
t Depois encontraram ?e algumas mulheres que
mostraran) onde a guarnigao tinha deixado a sua
bagagem, e Herreros, tendo tomado o que Ihe ser-
via, atirou o mais ao rio. Aqu leve elle de deixar
a Anhambahy por falta de lenba e seguir no Apa
at S. Bento, onde encontrn algumas familias que
metteu em duas candas apanhadas em caminho.
t Sabendo que os vapores brasileiros se tinham
refugiado em Cuiab, segundo se va dos papis
deixados pelos fugitivos de Sara', e que as suas
proprias embarcagoes calavam demasiado para os
seguir, Herreros voltou rio abaixo, encontrando o
Tacuari na toz de S. Louaengo a 10 do passa-
do. Os quatro vapores fundearain nos Dourados
para melter a bordo as municSes etc., do arma
zem ali tomado. O lente Herreros e o alferes
Garay com um piquete de soldados dirigan) o em-
barque da plvora, que por precaugao tinha sido
previamente molhada, sendo o calor excessivo. A's
3 da tarde daquelle dia um dos barns fez exploso
matando Herreros, Garay, 9 marnheros e 7 sol-
dados e ferrado mais 9. A morte destes bravos
ofliciaes nma grande perda; mais o diario do
tenenle Herreros fornece-nos a respeito da exped-
gao preciosas informagocs que alias teriam sido
perdidas. A canhoneira Anhambahy tomada aos
Brasileiros digno tropho da memoria deste ga-
Ihardo offlcial. A altura das margens prolegeu os
vapores contra os effeitos da exploso. O coronel
Barrios transmut a repar'igao da guerra na
Assumpgao una lista dos gneros tomados nos
Dourados.
Nao temos noticias sobre as projectadas operagoes
das torgas, mas mais que provavel que o coronel
Barrios equipar os vapores mais pequeos, c os
far subir al Cuiab, de coja captura deesperar
que o prximo correio nos diga algumas cousa.
Fallecen com 79 annos de idade o Rvm. Dr.
Joao Gregorio Urbieta, bispo do Paraguay.
ponde Nacin Argentina, qup, em vez de 40,000
homens, pode o Paraguay dispr do dobro ou do
triplo, para fazer face a qualquer exereito que o
imperador do Brasil e o presidente Mitre possam
enviar para invadir o paiz. Afirma que os ataques
contra o presidente Lpez sao escriptos pelo minis-
tro argentino dos negocios eslrangeiros, e queexis-
le urna allianga secreta entre Buenos-Avres e o
Brasil.
Nada se dk arespeitoda inculcada marcha so-
bre o Rio-Grande, mas tornase suspeito nao se fa-
zer mengo alguma do indubitavel movimenlo de
tropas sobre a fronteira de MissSes. A 19 parti
um regiment de artilharla para os fortes de Hu-
mayt nos vapores Jrnr, e canhoneiras Humay-
t Serr Teao e Coimera.
t No memento em qne o Corrientes largava da
Assumpgao, chegava um correio por ierra annuu-
ciando a tomada de mais urna cidade brasileira
(cujo nome nao recordamos). O Sr. Lanuz soube
algumas particularidades importantes. Os Brasi-
leiros tinham abondonado o lugar tres das antes,
e os indios sobrevindo apoderaram-se das armas,
etc., que tinham sido deixadas, e tom ellas-oppuze-
ram aos invasores urna resistencia teraivel. A lu-
ta foi tonga e sangrenta, soffrendo muito os Para-
guayos, que afinal porm retalharam os sclvagens
e os puzeram em fuga.
A mesma folha publica urna caria de Montevideo
que em resumo diz que a cidade se est fortifican
do, nao com urna linha continua de fortes, mas
sim com trincheiras abertas entrada das ras,
formando-se parapeitos cora a ierra tirada Algu-
mas, porm, devem offerecer formidavel obstculo
ao inimigo.
As familias quasi lodos abandonaran) a cidade, e
pelas ras apenas se v algum gaucho que pede
cigarros e dinheiro a quem encontra- U governo
faz dinheiro de tudo, e apanhou ltimamente
36,000 patacoes adiaotados sobre as loteras. Ao
mesmo tempo ameaga fazer voar a cidade antes do
que entrega-la. Flores, senhor de toda a campa-
nha, a est organisando cora autoridades snas.
Por portaras de 8 do corrente foram exonerados
o capito Francisco Antonio Aranha Chacn e o
baeharcl Jos Evaristo da Cruz Gomes, dos lugares
de recrutador : este do distrlcto de Aras, e aquel-
le do da capital, tudo na provincia da Parahyba.
Por portara de igual data foram nomeados re-
criadores da referida provincia o bacharel Ger-
vasio Pires Campello, do districto da capital; e
bacharel Epaminondas de Souza Gouva, do de
Ara ; Jos de Brilo Jurema, do do Pilar ;
charel Antonio Joaouim do Canto Cartecho,
Souza, e o bacharel Jos Marques Garnacha
Teixeira.
O geverno para nreencher estas vagas requisi-jgj.ge 6m todas as physionomias as mais sympathi-
tou daquelle tribunal a indicagao dos Jiomes dos, Cii demonslracoes de patriotismo e ardor. Cada
" dia que elles aprender mais um passo, mais urna
estrategia de guerra, retniraam-se, e como qne
ibes crosce o euthusiasmo.
0 corpo de Voluntarios da -Patriaja' se
acha com suas divisas no nombro esquerdo, e con-
ta diversos offlciaes, cadetes e sargentos.
Seu numero conste ja' de 116 cidados at hon-
tem.
Ja' g(o honra muito a provincia das Alagas.
Temos f que elle subir' ha muo mais.
Em todas as classes sociaat vae dispertando o
amor da patria : alm de dtwrses offerecimentos
individuaes j appareeeu o dos empregados das
thesoorarias geral, provincial e do consulado, olfe-
recendo urna quota parte de seos vencimentos,
nao s para soccerro das familias dos voluntarios
que lera de derramar sea precioso sangue, nos
combates, como em auxilio as urgencias actnaes
do estado.
O presidente da provincia assiste diariamente
aos exercicios militares da polica e dos volunta-
rios ; visita com frequencia o quartel militar, onde
ouve a todos, anima os, e dirige saudagoes benvo-
las. No edificio do quartel lem S. Exc. ordenado
a execuciio de diversas obras necessarias para
comraodidade dos bravos da patria, e mandado fa-
zer grandes concertos que a rauilo se tornavam in-
dispensaveis n'aquelle quasi abandonado estebele-
cimento publico.
Estando suspenso o reerntamento S. Exc.
acaba de nomear coinmisses em todas as comar-
cas para grangearem maior numero de volunte
nos. Estas commisses compoe-se do juiz de di-
reito, commandante superior, presidente da cama-
' ra municipal e dos commandantes dos batalbdes.
Desde 10 do corrente retorga m os Alagoanos
l as li lei ras dos voluntarios da patria, e nao ha um
| dia que nao cheguem 4 at 10 e mais voluntarios.
A raoderagao e lino com que vo procedendo o
Tendo o Sr. marechal de campo Joo Procopio
de Menna Barrete pedido licenca para tratar di
sua saude, consta qne j o governo imperial expe-
dio ordem para o Sr. brtgadeiro Manoel Lniz Ozo-
rio assumir interinamente o commando do nosso
exereito no Estado Oriental do Uruguay.
CORRESPONDENCIAS DO RA
RIO RE PER*AMBltO.
AliAfiOAS.
Maeei, 22 de fevereiro de IMS.
E' muito natural que o Brasileiro, verdadera-
mente amador de sua palri?, digno Bino deste paiz
abengoado, oceupe-se de preferencia & outros as-
suraptos com esse graude acontecimento que hoje
tem lugar ao sul do imperio, onde jorra o sangue
dos bravos da Santa Cruz.
Anathema sobre o filho d'Araerica brasileira que
permanece impassivel ante os successos da actua-
lidade.
Reprobo seja o descendente da heroica raga de
Negreiros e Camares, dos Andradas e Evaristos,
aos insul-
que ousa, mudo licar, e ser indiffercnte
los sem nome, que povos ridiculos assacara a non-1 presidente e chefe de polica da previncia, que
ra da nagao, a civilisagao do secuto I ; se deve ess, brilhanle resultado. Devo dizer que
Maldito quem ri-se da infamia dos autores de no nume|0 dos volanIarios da patria nao se con.
Quinteros, esse massacre sanguinolento, affronta os volaQtrios da p0|jcia onde ja se acham
ao progresso americano I
Hoje o santo e a lenha dos Brasileiros urna s
ao Uruguay, ao Paraguay
mais do cincoenta cidados.
Ha autoridades que entendem ser a severidade
u urumiay, ao raraguay i inflexibilidade, os meios mais proprlos de se
Cumpre-nos repellir enrgicamente a provoca- razerern resDeitar
gao inslita do hroe das bravatas do Quichotedo ; 0. s apertados casos de salvacao
novo mundo desse famoso salteador que parva- b|j deve ^tema vexatorjo ser d
mente se intitulou o equilibrista das nagoes amen-, ^ *, assjm dl/reza f os ouvjdos a.
cacas, e que a opiniSo publica denomina, o pirata,'
o selvagem d'Assumpgo.
Verdadeiro cavalheiro da triste figura elle encar-
regou-se de provar que nao phantastica a
' de Cervantes creando um here de basofias, um
' Napoleao do ridiculo Ei-lo atrevido e jactancioso
' ao mesmo tempo ; ei-lo selvagem e audaz a' face
do mundo I
Justificada a preferencia do assumpto que esco-
' Iho para minha correspondencia de hoje, vou prin-
cipiar.
O Tocanlms aqui chegado pela manha do
dia 13 do corrente, em que escievi minha segunda
| correspondencia para seu Diario, espalhou por
esta capital, e dentro em pouco, pela provincia in-
teira, a mais negra conslernago pelas noticias
luctuosas da indefeza e remotisma provincia de
Matto Grosso, victima da feroridade e d*>predagoes
das hordas selvagens que a panthera do Paraguay
raandou com o fim de roubar, violar e matlar, a
1 ferro e togo, o que tosse encontrando por aquellas
| paragens invias, faltas de meios de resistencia.
As cohortes numerosas de vis escravos de L-
pez, o Quichote por excellencia d'America invadi-
rn) as margens esquerda e direita do Paraguay,
' territorio nosso e parte da vaslissima provincia de
Matto Grosso. Nao encontrando torgas, nao tendo
resistencia alguma, os cruzados da selvageria mo-
I derna atacavam de sorpreza pequeas popolagoes
inermes, com as quaes exercia toda casta de rapi-
a, toda sorte de atrocidades I
Nessas propriedades all sao roubadas, as vidas
arrancadas, as mulheres violadas, a selvageria era-
fim no requinte da malvadeza.
Tudo isto clama vnganga e esta chegara', por-
que, Brasileiros sabem reparar ultrages, lavar no-
doas que Ihe imprimen) os barbaros.
A guerra um mal, e as circunstancias ac-
tuaos tornou-se um mal inevitavel, principio at
de um grande bem futuro.
O Bras/I triumphara' por certo : seu nome
echoara' ento acompanhado de respeito por todas
as nagoes civilisadas e perante os povos aquellas
republiquetas mal agradecidas, e tresloucadas
' elle ha de ser venerado e exprimir' o come de
um paiz rico de bros e cheio de pundonor.
Esta guerra portando um mal de hoje, e bem
i de amanhaa, e talvez que a nossa salvago.
Nosso governo ha de ser mais digno de seu paiz
e o bem geral da nagao, talvez oceupe mais seria
chmeres da humanidade.
O Sr. Dr. chefe de poiicia nao fez do recruta-
toYa raenI arma deiniquidade contra os infelizes op-
primidos, victimas ja' de soa sorte, ja' das intrigas
mesquinhas de localidades. Honra, pois aos dous
primeiros funecionarios pblicos da provincia.
Pede a justiga que Ihes fagamos essa devida
mengo.
E' difficil, n'uma quadra anormal como esta,
que a autondade harmonise O direito imprescen-
divel da necessidade com o dever sagrado da hu-
manidade.
Esse consorcio sublime ha sido, ao menos ate o
presente, bem comprehendido pela actual admi-
nistrarlo.
Desejo de corago aos Pemambucanos Igual sor-
te. Provincia que passou pelas mesmas vicissitu-
des que esta, que foi varrida como as Alagoas, de-
ve j.e lempo de ser considerada como ere-
dora.
Que importa que o leo do norte tenba sido me-
oosprezado por governos Imbeceis; quando apre-
senta-se-lhe hoje urna quadra opportuna de elle se
levantar e exhiir, como em gloriosas pocas passa-
das, provas irrefragaveis de seu denodo nunca
igualado, de sua fidelidade sem par T
Nos, que nos orgulhamos de ser irmos dos
Pemambucanos, esperamos ainda que nesla deplo-
ravel emergencia, elles nao desminlam o vantejoso
conceilo em que sao tidos pelos seus concidados.
A' heroica provincia da Baha, a briosa Mi-
nas Geraes, a trra dos Andradas e do dellssimo
Amador Bueno, o Rio Grande do Sul e o Rio de
! Janeiro sao as cinco provincias brasileiras qne
! presentemente mais se lemvantajadonas demons-
! trago;s de patriotismo. A guarda nacional forma-
1 se alli regularmente, levanta-se e parte a soccor-
re dos infelizes massacrados pela tyrannia de sel-
vagem de Assumpgao.
Os corpos de voluntarlos, de zuavos, a polica,
tudo se aprsente garboso a' servigo da patria. E
por que o Brasil inteiro nao fara' o mesmo?
Comprehendam isto as 9 provincias do norle e as
outras pequeas do sul, e veremos como a tora se-
ra' esmagada, e os assassinos castigados.
Alagoas pequea: mas nao cede a' oulra
qualquer em amor, fidelidade e patriotismo. Vai
fazendo o que possivel. La vai em breve o corpo
de polica que era de 180 pragas augmentado e
pragas
c u una Rciai ua- i a>; nraPos IjIvm
mente a attengo de ministerios que s subiara ao:-^f:P>^;Ln!,Ha i,- ,, 0,tP,
noder nara farer eleiee* e connnUiar urnas a'! Organisase o corpo de voluntarios da patria,
povo com polmicas esteris de urna poltica de
aldea, sera resoltado e sera e perangas.
Basta de consideragoes geraes.
As Alagoas vai dando felizmente accordo de
j si, e o valor de seus fllhos tem dse medir no
campo da batalha com o denodo de seus irmos do
sul.
Beaccende-se, pois, o patriotismo que tem, bre-
' ve, de nos ensoberbecer: forte, dobrado seria
elle, se a gana das polticas reaccionarias que s
liveram por fim fazer eleigSes a' bacamarte, nao
' tivesse plantado o scepticismo era todas as classes
edividdo em grandes retadlos a pacifica popula-
gao desta parte do imperio.
Nao obstante : as Alagoas comprehende que a
1 guerra nao de partidos : nao se encherga aqui
governos nem ministerios : s se divisa a honra
da nago, a causa do imperio. Sejamos unidos, e
seremos vingados at a ultura do ultraje. A
30, e al o dia de hontem ja se achavam alistados,
e trabalhaodo em comraum 126 patriotas.
Merece especial mengo o offerecimento ul-
ira-palriotico' do digno sacerdote alagoano, Bvd.
Domingos Fulmino da Silva Lessa, morador era
Coruripe. Esse Brasileiro apreciavei nao se con-
lentou com o enlhusiasmar seus co-parochiaoos
para auxiliaron a patria e voarem a soccerr-la.
Foi incansavel em promover o alistamento de vo-
luntarios.
Nao pode resistir aos impulsos elevados de seu
corago : cada noticia de urna affronta, de um in-
sulto que chegava-lhe aos ouvidos, pralicado pelo
indmito salteador do Paraguay, e pelo audacioso
t\ ramete de Montevideo, era urna punhalada que
o" feria, um golpe que recebia. f ffereceu-se com a
mais patritica esponlaoeidade, am de seguir pa-
ra o theatro da guerra e prestar seus servigos pes-
uniao faz a torga, e s a torCa destrocara' a'petu- I" <|a ff BftJjftM:
lancia, responder' ao velinendio e vihgara' a na-' c?mo ,D,n s,ro de De,us Para ser \^a<* da na"
->n h gao o servir de capellao ao corpo de voluntarios da
polica. Offereceu auxilios, trouxe ao governo 14
voluntarios, c recusou os favores do decreto de 7
gao
Felizmente temos nm administrador que,
vai-se collocando tao alto que nao conhece regu-;
' letesde aldea, estadistas de meia cara, e patriotas;
| a's pressas. O templo sagrado de Themis desde
0 meiado de dezembro prximo passado que nao
: conspuscado : ha dous mezes gozam os Alagoanos j
1 dos effeitos saudaveis de orna adminislragao de
paz e moderaco. Possa ella continuar como
vai, e restaure aqui o leinado da justiga Nada
mais desejamos.
Muito tem ella ainda qoe fazer, chagas que fe- '
char, feridas que curar. Todos esperam.
A quadra de guerra e de patriotismo. E i
a adminislragao nao se esquece de accender este
ultimo em todos os nobres
o ba-
do de
do de
?oe
Ha actualmente na relagao do Rio de Janeiro
duas ragas de desembargadores, em consequencia
da promogo do Sr. conselheiro Antonio Rodrigues
Fernandes Braga ao supremo tribunal de justiga e
do fallecimento do Sr. conselheiro Lourengo Jos
Ribeiro.
ciar para que nao seja penoso
pode resultar daquella.
O recrutamento tornou-se infelizmente
de |aneir).
Chegou a esla capitel no dia 16 (>u 17 do cor-
rente, e declarou que acompanharia o corpo de po-
lica e seguira logo para a corte, donde, quer
partir sera demora para as invadidas regios de
Mato-Grosso, Iheatro das rapias e das infamias
que praticam as hordas barbaras do pirata para-
guayo.
O digno Sr. padre Lessa mostrou o quanto pode
no peito humano o senlimentimento do patriotismo,
e de quanto capaz um corago americano.
Longe de imitar a cerlos patriotas do tempo de
coragoes e providen- P-az /&" in9ulcam laes nomei de ^r'a PP"-
so de mais o mal oue au lllud,(la e ct'Sa- a<> Pa*so que elles vao desfruc-
ao ue. mais o mal que ma,ni ,mti<-fio o mirando amonio ^
lando as manas posiges, e mirando smente o
nreciso 'lnlerese e a porm se fez sem vexame. Para que tosse traV D!"ovoa efTectivamente que nao hypocrita, que
quillisado o espirito da populago e esta melhor i ab^rrec!, ?fo n0' que gsll^,f"?Ta l,eal"
ossa apr_oveitar.se d,vWgons do **ro a | *t .tSS" .^ 22S' fC
dever
patria no memento do pe-
rigo; dever de sacerdote em apresentar-se ao mo-
ribundo soldado, gravemente ferido no campo da
possa aproveilar-se das vantagens do decreto n. "2 3 aime?JU seu mn^ "' 1Ud' # Z00
3,371 de 7 de Janeiro do corrente anno, que creou !cendo a ^^la^ as grandezas, as va.dades I
os corpos de Voluntarios da Patria, resolveu o manas. Cumpno um duplo devor sagrado:-de'
R,m r a0c0mh,.,^r r.rac,ian. h, ^1.^^ de cidadao era dever da patria no memento do
Exm. Sr. desembargador presidente da provincia,
por portara de 13 do corrente, suspender em toda
ella o rocrutamento al o dia 23 de abril prximo
vindouro.
Foi urna medida de prudencia e digna de Ion-
vor. Espera-se que at a expirago do prazo!
formem-se os corpos dos Voluntarios, de modo que '
nao seja misler langar mao daquelle meio deplo- i
ravel de se conseguir gente para o exereito e ma-
nha.
A guarda cvica de que Ihe fallei acha-se de-
finitivamente organisada com 265 pessoas em Ma-
eei e 100 em Jaragua'.
Por acto de 13 do corrente o presidente da pro-
vincia approvou o regulamento organizado pelo
chefe de poiicia, o qual assenta as bases que Ihe
communiquei com pequeas modificagoes, bem
como esta : Art. 8." A guarda cvica tera'
por disiinctivo una fita verde a tiracolTo e usara'
de tergados, pistolas e apitos. A guarda (cara'
subordioada ao presidente da provincia e ao chefe
de polica.
A de Jaguara' tem por chefe o Dr. J. A. de
Magalhes Bastos, inspector d'alfandega.
O corpo de polica engrossa snas fileiras com
a attracco de voluntarios qoe se ahstam sob suas
bandeiras. Todas as raanhcs, e tardes o seu dig-
no commandante niajor u. C. de Castro o instrue
nos exercicios da guerra. O lugar dos exercicios
tanto da polica, como dos voluntarios a praga do
quartel militar, edificio esse em que se acha aloja-
do o referido corpo e a companhia do Voluntarios
d Patria, cujo numero augmente diariamente.
Sent se aqui muito a falta de armamento, diffl
batalha. Seu grito que retumben) por todo o
imperio as bellas palavras do sacro bymno nacio-
nal: ou ver a patria livre ou morrer pelo-
Brasil I
O Sr. Antonio Procopio Galvo um Ala-
goano pobre, artista, mas de seulimentes muito
patriotices. Elle o ha demonstrado rouite vezes. E'
onrves : e acaba de offerecer ao governo da pro-
vincia 40 chapas de metal douradas com o emble-
ma do cruzeiro, e a inscripgao de Voluntarios da
Patria -(no valor de 80#000) para serem distribui-
das petos primeiros 40 voluntarios que se alista-
ren).
A continuar a affluencia de Voluntarios da
Patria como at aqu, provavel que.as Ala-
goas d um corpo nao menos de 200 cidados, os
quaes tero de uuir a outra torga de bravos para
torraarem os batalhes. E nao sera' maior o nu-
mero dos espontneos, porque parle pretorio incor-
porar-se a' polica.
No exercicio da tarde de hontem (21) e que
na praga do qoartel militar costuma todos os das
fazer o corpo de polica, e o de voluntarios houvo
muita concorrencia de povo e um acto solem-
ne. S. Exc. o Sr. presidente da provincia, que
costuma eom sua presenga animar os bravos da
patria, visita-Ios com solicitude, dirigise em com-
panhia de seu secretario, do Dr. chefe de polica
ajudante de ordens, senador do Imperio o conse-
lheiro Cansango do Sinimb, commandante supe-
rior baro de Atalaia, e outros cidados impertan-
culdade que o governo da provincia com os limite-1 te?) ao lugar dos exercicios, onde teve de nasar
dos recursos de que dispe, tem'procurado remo- i revista as tropas e examinar seus trabalhos ''
ver, mais que esta longe de desapparecer de todo.] Nessa occasiao fra apresentado ao corno de,
Faz goslo ver trabalhar o punhado de bravos qne I polica, na qnalidade de seu canellao o Uo/unr(o
como voluntarios da patria vao dentro em pouco da Patria Rvm. padre Lessa
exigir com as armas em punho a reparago de I esquerdo S. Exc. pregou a
enorme aggravo feito a dignidade nacional. Divi- j sigaal dos bravos da nagao.
*

'4


V

em cujo hombro
divisa de seu corpo,
O mesmo Sr. padre









Ularlorferernasnbnco--
otWereTmlrdl95
Lessa pronuocioa ama enthviastica allosa^o-qua
foi bem oada e applaadija. Os Ilustres sitan-
tes eiamioaram to Jo o e Mielo do qaal em cajos
alojamento se achata os 120 0 tantos voluntarlos,
os quaes foram saudados pelo presideate e seca-
dor, sendo os vivas corre-ipondlJ^s e retribuidos
pelos meamos voluntarles. Esses braYos eslao
contentes e cada vez mals desejos de derramarem
o sangue pela patria, que juraram defender ale
raorrer.
Os voluntarlos, e o corpo de polica ulvez
que nao possam anda seguir no Pavana.
Preparam-se arcos e festejes pelas ras do tra-
jelo at o embarque em Jaragua', daquelles bravos
quaodo partirem para o sul.
Estando esta ja' um pouco longa, aqu fago
ponto por hoje.
P. S. O Pavahyba que hontem a noute aqui
entrou, de regresso de sua viagem a Penedo e
Sergipe, trouxe noticias dessa ultima provincia,
que multo abonara os senlimentos patriticos dos
Sergipanos. Ja' siguiram para o sul duas compa-
uhias de Voluntarios a Patria, corapostas de 70
pracas, e em Aracajd continuava o allstamento. O
corpo de polica que ahi de 5J pracas sera'
talvez elevads a 200. Tara havido ali tambem,
diversos offerecimentos patriticos: e o entusias-
mo grande e crescido I
Honra e gloria aos Brasileiros !
lavemos de nos viogar, depois de termos domes-
ticados aquellas hordas de selvagens t E' preciso
qne fagamos visinbos dignos de nos I
HtK.tMl.iO.
Rea torio da direeloria do gabinete portuguez de
leitura, lido em sessao da assembla geral no
dia A de ferereiro de I.S)..'>.
Sbs. accionistas. Cumprindo o que o dispe o
5 do art. 26 dos nossos estatutos, vimos hoje,
cora a raaior satisfoco, dar-vos conta da nossa ad-
minislrago durante o anno prximo Ando, pedin-
do-vos desculpa de o nao termos feito no inez de
Janeiro, como marcara os mesmos estatutos, visto
nao ter podido o nosso 2o secretario dar a escripia
prompla seno no dia 28 do referido mez.
Pessoal.
Durante a nossa adminislrago foi o pessoal do
.gabinete augmentado cora 10 accionistas, devidos
principalmente aos esforgos do nosso vicepresi-
uenle.
Compe-se portanto o nosso quadro actual de 87
socio* com 198 acedes.
As passadas directoras ja per differentes vezes
lamentaran?, e mesmo censurara, o iudiflereotismo
cora que a maior parte dos nossos compatriotas
aqui residentes olham, infelizmente, para um esla-
belecimenlo de tanta utilidade, com este.
No*, lamentan lo igualmente o mesmo mal, con-
fiamos, comludo, que elle va desapparecendo gra-
dualmente, e que dias raais prsperos e felizes des-
punten) afraal para o nosso gabinete.
Anda assim, alguns progressos tem elle feito
desde a sua fundacao por 28 mocos porluguezes,
em 9 de ouiubro de 1853, al hoje, em que ja cen-
ia II aonos de existencia, mas, doloroso dize-lo,
isso mais devido aos esforcos de alguns dos seus
benemritos socios, do que ao faci de terem cala-
do no espirito dos nosso scompatriotas as vanlagens
desta utilissima associago.
Damos em seguida uma deriionstrago do seu
capital nos referidos t annos, para nielhor se
aquilatar o que dizemos :
1834 (considerado o 1*). rs. 1:9354231
1833..................... 2.4S854
1856................... 3:3570729
1837.................. 3:4995089
1838................... < 4:0630697
1859.................... 4:5660259
1860................... 4:9810u8l
1861................ 5:1900145
1862................. 4:9790518
1863.................. 5:8400980
1864.................. 6:i760349
Na mesma escala progressiva tem tambem mar-
chado o seu moviraento litlerario, ou leitura exter-
na, que sempre tem sido, e ser, a raais cooside-
ravd. visto que a interna se limita apenas aos pe-
ridico?, e a urna ou outra obra das que nao po-
dem sabir do gabiuele.
No lu anno sahiram 2:122 volumes.
2 ........... 2:414
3o........... 4:106
4 ........... 7:733
5........... 7:993
6........... 7:480
Soeioi tonormos f Foi decretado para o minisierio da guerra i
Alea dos soeos honorarios, que o gabinete j am crdito extraordinario de ris 8,192:0000.
uona no Brasil e Portugal, expedimos diplomas Por aviso de 4 de fevereiro mandou-se que'
aaranie a nossa adninsiracao aos mu dislmclos os inspectores dos arsenaes recebara sos jospitaes
ntteratos : e enfermaras os cadveres, que de bordo de qual-'
uraseineiro Jos Feliciano de Castilho, Antonio quer navio forem reraettidos, procedendo-sa a cor-
Augusto Teixeira de Vasconcellos, Manoel Prahei- po de delicio se j nao tiver sido feito
ro ijhagas, Theophilo Braga, Raymondo Antonio de O cambio sobre Londres era 25 SA K 3|4 e
Bulhao Pato, Antonio Freir de Serpa Pimentel, 23 7|8 d. or 10000.
Joaqun) Pinto Ribeiro Junir, Jos Ramos Coelho, Sahiram para Pernambuco: 9, os brigues
Jos Mana Latino Coelbo, Jos Maria de Andrade Pallas e Irts e 10, a barca Thereza 1.
Ferreira, Ernesto Biester, Arnaldo Gama, e D. Ma- Chegou, procedente de Pernambuco, 13, a
ra Peregrina de Souza. Esta distrete escriptora barca Nova Carolina, com 15 das de viagem.
mi moseou-nos logo com o sen romance Madamanto, Baha.Nos ultimes dias vendiam-se a notas do
e a raaior parte dos socios por nos Borneados j nos governo e moedas de prata cora 1, 2,2 Ii2 e 3 /
agradecern) em termos os mais delicados e lson- de premio, para exporlaco
gelros para o nosso estabeleclmenlo. 1 O rio Paraguass leve uma to grande en-
e alguns dos socios honorarios, nomeados pelos cliente, que a cldadu da Cacboelra esteve alargada,
nossos antecessores, tambera nos coube a satisfa- em sua maior parle.
cao de recbennos as resposlas, avaluado eqtre S. Exc, depois de ler mandado sufragar as
enas as de l nomaz Ribeiro, e Innocencio Francis- almas dos bravos, que perecern) em Pavsand,
co da Silva, o rnavoso cantor do D. Jaynu, e o eru- ordenou preces na seguinle circular,
dito autor do Diccionario Bibliographico de Porta- Quando Deus, bo rgimen do universo, para
gal e Brasil, verdadeiros monumentos de lilteratu- punico dos nossos delictos, permitte que os fia-
ra contempornea. O primeiro mimoseou-nos com gellos, dos quaes a guerra o maior, opprimam a 11 escravo, Floroncio Jos Chavante? Joao Almeida
um exemplar do seu immorlal poema, 2' ediego, um povo, caho, comq nos, no lethargo da odilfe- Lopes, Manoel Jos Menezes Prado' e I escravo
ricamente encaderaado, e com o seu retrato, e o renca religiosa, coma para lembrar-lhe o seu San- Joo Nepomuceno
segundo tambera aos brindou cora duas importan- to Nome, costuraa a igreja, entre gemidos e saspt-
tes obras por elle anotadas. ros = implorar a Clemencia do mesmo Senher,
mu de proposito nos demoramos em partcula- para que, retirando o braco de sua Justiga, faca
risar estes factos, para tornar mais salientes a con- resplandecer sua Misericordia e achando-se o im-
sideracao e apreco, dados pelos horneas de leltras
A' ordem do daCapunga, Paulina Serra do Nas-
cira?0to, por crime de furto.
O chefe da segunda secgo,
/. G. de Mesquita.
Casa de detkscu.
Uovimento da cata de detenco do da 23 de
fevereiro de 1865.
Existan) presos 371 ; entraram 18 : sahiram 11
exigiera 378.
A saber : nacionaes 299 ; estrangeiros 21 ; nju-
Iheres 3 ; estrangeiras 2 ; escravos 48 ; escravas
5.Total 378.
Alimeoudos acustados cofres pblicos 138.
, Movimento da enferraaria do dia 25 de fevereiro
de 1865.
Teve aiu :
Jos Rufino da Silva.
Passageiros do vapor brasileiro Parahiba,
entrado do Araeatv e portos intermedios :
Joo Theophilo Marcilaque, Dr. Esperidio Za-
miro Souza Lopes, Angelo Pires Ramos e 1 escra-
vo, Ernesto Rodrigos Vieira. Dr. Antonio Dias Pi-
na Jnior, Joo Moreira L. Tavares e 1 escravo,
Elias Raphael Alkaim, Jos Correa DanUs Serra e
Arauio e l criado, Ignacia Ma
na da Conceico, Dr. Sebastio do Reg Barros de
Lacerda, alteres Pedro de Alcntara T. Capistano,
dito Joaquim Pedro do Reg Barros, 20 pracas do
exercito e 1 mulher mal de am soldado, Joo Alves
peno em guerra com as repblicas do Uruguay e 1 Saldanha, Luiz P. de Barros, P. P de Barros Be-
ao nosso eslabeleciment,e Umhera como mais uma do Paraguay, em jusU defeza dos nossos direilos.,'zerra, Joo Firmo C. Pires da Costa J A Almeida
prova do quanto elle honroso para o Borne portu- conspurcados por aquelles povos, que parecem ter Guimares, Guilberme Baptista dos Sanios Livino
guez, e merecedor por isso da proteccao e sympa- at esquecido a civilisaco plaalada all pela Cruz, Vieira e 1 criado,
inias de todos os compatriotas aqui residentes, que nica que pode araenisar o carcter e os costumes
presara devras a trra que os vio nascer. dos povos e faz-ios irmaos, Mandamos que oas
Reformas de estatutos. igrejas malrizes e nos conventos dos religiosos e
Tendo os nossos antecessores comeado uma com- religiosas desta capiul se facam as preces, que
raissao, compostados accionistas Dr.Carvalho, Del- vem no Bitual Romano, para se dizerem as ladai-
flra e Oliveira Santo, para dar o-seu parecer sobre nhas in tempore belli, eem quanto durarem as
algumas dsposicoes dos nossos estatutos, que ca- preces so dara as missas, nos dias que Da fo-
reciam do reforma, e cabendo actual directora sub- rera de priineira e segunda classe, asoracoesda
metter esse parecer vossa approvacp, sabis que, raissa tempore belli, oaservando-se a ordem' da ta-
bella annexa.
> Baha, 8 de Janeiro de 865.
i + Manoel, arcebispo da Bahia.
L-se ao Jornal: m
A crvela Berenice, que em viagem de ios-
Adiado na precedente sessio
'O outro Sr. jaiz requoru o adiameato, e foi de-
ferido.
Appellaflte, Aotooo de Souza Reg; appellados,
os curadores da raassa fallida de Joaquim Vieira
Coelho.
Foi confirmada a setrteuca appellada.
Appellaate, o corooel Jos Pedro Velloso da Sil
veira ; appellados, os nerdeiros de Francisco Car-
neiro da Mlva por seu lulor o Dr. Angelo Ilenri-
qnes da Silva.
Adiou-se o julgamento a requerimento de um
dos senhores depuudos.
De acoordo com o citado avise aa ultima pagi-
M dos mappas, a das observaces, quecumore dc-
clarar o lempo da duraco das sesses do tu
esta condico satisfago eu sempre. Execuubdo a
determinagao-do aviso cilado me parseea, (e com
rundameolo nao serrn contestado,) que tinha eum-
pndo o meo dever, e que o offlcio da copia sob n.
2 era uuilo regular e sufflciente para acompanhar
o> mappas, onde se encontrara todas as informa-
goes necessarias.
Se os mappas estatisticos. e o efflcio de 9 de de-
; zembro osse consuludos, talvez V. Exc. nao fos-
Apellantes, Joo AntoBio de Magalhes e Joao JSfiTSSr^, 3?,.^ ^".S CU*Lr?s-arWade
Luiz Vianna; appellados, os administradores da '. ""'!" 1U.yWoAurl d0Jerm&d HJW-
massa lallida de Jos Antonio da Silva Araujo.
tendo apparecido nesta occasio varias propostas
para leformas importantes, Ues como a troca das
aegoes por diplomas, acquisigo do casa propra
para o gabinete, e outras, voltaram os estatutos
mesma commissao para os reformar neste sentido,
Passageiros do vapor brasileiro Paran, sa-
ludo para o Rio de Janeiro e portos intermedios;
Venore Giovane, coronel Joaquim Jos Gongal-
ves Fontes e 3 escravos, Isidora Gomes de Souza,
Saturnino de Jess Bezerra, Francisco do Reg
Branda, Domingos Jos Gongalves, D. Engracia
Mana Petra de Barros Bruce, 4 filtras meoores e 1
escrava, Joo Guaberto Deschampes, capito do 7."
batalhao ABtonio Pedro Heilor, I soldado do mes-
mo baulhao, Silvino G. de Barros e 2 escravos,Ber-
nardo Jos Gongalves, Ludivico Correa de Oliveira
e criado, Augusto Trajano de Hollanda Chacom e
escravo, Jemeniano da Costa Barbosa, Antonio
Luiz dos Santos Penha, Francisco Teixeira, es-
Adiou-se o julgamento a requerimento de um
dos senhores deputados.
rASSACBNS
Appeliantes, o presidente e directores da eaixa
filial do banco do Brasil nesta cidade; appellado,
Joaquim Juvencio da Silva.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Silva Guimares.
Appeliantes, Sam Mendel de Manchester e os
curadores tiscaes da massa fallida de Rostron Roo-
ker di C.; appellados, Kalkman Irraos & G
Appellante, Antonio Germano Alves da Silva
Anda na mesma data de 23 de demmfaro remet-
ti a reparticao da polica os mappas das dwKoes
do jury de Ipojiica, organisado de conformidad
com o artigo 179 do regulamento n. ti de 34 de
Janeiro de 842, o desses documentos eooMa. a da-
ta da insuilacao e eocerraueut-J dessa sussao de
jurados.
Fis nos devidos lempos sobre a especie varenle
as participagoes oiciaes do meu dever, e sempre
de accordo com as prescripgoes do governo e dis-
posigous do regularaenlo que citei. Nenlium falta:
pois tendo commoiiido assiste-me razo para sus- .
tentar ,que a iaformago, que V. Exc. recebeu a
appellado, Domingos Noguoira dos Santos Cabr.l. i ^JEfft*** CoafoFn"> m fact". eo-
Do Sr. desembargador Acciol ao Sr. de?embar- Z ffaf&?* merecida a censura
ou antes refundir era un3 novos, o que tendo-se ve- truego de aspirantes a guardas-mannhas, nao ten-1 cravo de Basiliano Bandeira de
rilicado, e sendo depois os novos estatutos discut- do podido aleangar Pernambuco depois de 18 dias, Antonio Vieira Caldas, Jos Duarte Ribeiro Jos de
dos e approvados por vos, era sessao da assembla de viagem, aqu eatrou arribado no dia 13 tarde, i Hollanda Cavalcanli de Albuquerque Antonio Bor-
geral de 10 dejunho ultimo, Acarnos nos encarre- seguio no da 15 para o Rio de Janeiro, dando as- ges da Silva Lobo, Silvino M. Muir,'Severino Sa-
nanos de obier para elles a approvagao do go- sira por terminada sua viagem. raiva da Cuaba, Firraiao Leocadio Lima, Joo Pes-
ven?-. "I Por sentenca do jaiz cemmercial de 11 do soa Cavalcanli, Augusto Morreau, D. Maria Mor-
fois Dera, essa approvagao, tendo lido lugar em corrente, e edital de 13 foi, requerimento do bao- reau Deschampes, Francisco Pereira Camello Ma-
Ji de dezerabro ultimo, polo Exm. Sr. Dr. Leitao co da Bahia, aborta e declarada a fallencia do ne- noel Joaquim Augusto da Cunha Dr^ do corpo de
aa cuaba, pre.-Idente da provincia, acharase elles goclanie allem) F. W. Hermano, desde o dia 28' saude do exercito Sevenno de B Varrella e Cicero
a imprimir na typographia do nosso socio, o Sr. de Janeiro, em que furtivamente sahio desta ci-
r ras, para_ serem, pelos nossos successores, postos dade.
em execugao ; sendo de esperar que, das excellen- i Foi nomeado para curador fiscal o Dr. Antonio
les disposigSes dos mesmos estatutos, provenham a Euzebio Gongalves de Almeida.
7-.......... 7:938
8 ............ 8:153
9o........... 7":020
0............. 8:634 t
il ........., .. 9:929
Rendimento.
Foi o rendimenio do gabinete, no anno de 864,
de 1:6720000, sendo 7870500 das mensalidades
dos accionistas, e 8840500, das dos subscrip-
tores.
Despeza.
No anno da nossa gerencia gastamos 1:570297,
sendo 6000 de ordenado ao guarda e seu ajudaote,
esles estabelecimenlos grandes mellioramentos.
A acquisigo de uma casa, por compra ou edd-
cago, para collocaco do gabinete, e para que a di-
rectora se acha devidamente autorisada nos novos
estatuios, na nossa opinio, medida da maior
transcendencia, e urna necessidade reclamada de
ha n,u i lo pelo nosso estabelecimento, que se acha
aqui mal collocado, nao s pelas acanhadas propor-
goes desta casa, como pelo seu rao local.
A directora, pois, que conseguir to importante
melhoramento, pode contar com a gratido de todos
os socios,e temos tambem como certo quo nenhura
delles Ihe negar, para tao nobre intuito, o seu
raais decidido apoio.
A troca das aegoes por diplomas tambem, a '
nosso ver, oulra reforma de muito alcance para a
marcha deste estabelecimento, o qual j se via se-
riamente embaragado com o graode numero de ae-
goes pertencentes a socios fallecidos
Alves dos Santos, Joo Luiz Tavares da Silva, ca-
piiao Domingos de Souza Barros, piloto Jos Can-
dido de Freitas Para ass,^ cadetes voluntarios da
palrta, Antonio da Costa e silva, 2 escravos de Joao
Foram convocados os credores para no dia 15 Cancio B. Sampaio, Luiz Pereira de Almeida Arci-
que rae foi
! Termino, rogando V. Exc que me conceda li-
, conga para publicar este elikio.
Deus guarde a V. Exc.-Illm. e Exnt. Sr. pre-
| dente da provincia de Pernambuco. -O juiz de di-
i relio Manoel Clmentim Canten da cunha.
de Amorira, FragosoT^ & 1 l^^o \ COffi~^TS^ib SSt
Exm. Sr.Em observancia do aviso mpoiHn pelo
"""jstero^los negocios da ju.-tiga, em 17 de margo
gador Res e Silva.
Appellante, o Dr. Prxedes Gomes de Souza Pi-
tanga appellados, os administradores da ma*sa
fallida do Joaquim Jos Silveira.
Do Sr. desembargador Silva Guimaies ao Sr.
desembargador Acciol.
Appeliantes, os administradores da massa fallida
_- Amorira, Fragoso, Santos & C.;
Dr. Gabriel Soares Raposo da Cmara.
Sendo relator ejuiz cria o Sr. desembargador
Res
Reis e s.lva, o S desembargador Silva Colma- 2TSESSSStoKv V ^ ^.^
raes passou-lbe ditos autos. : ? tT ,,UP J- ***. o segrate.
AOGllAVO INTERPSTO Dn 111.70 KSPT,-,... m> -^ "?UOd.a Bi*^ JUrados du '^1110 de
na sala da associago Commercal nomearem os
depositarios provisorios.
O cambio sobre Londres regulava 26 e 26 1/4
d. por 0, sobre Pars 362 rs., sobre Hamburgo
675 rs., e sobre Portugal de 98 a 02 por cento.
Estavam a carga para Pernambuco : o bri-
gue Damao e a escuna Elisa.
Chegaram, procedentes de Pemambnco :
14, o patacho Inglez Nova Crema, com 4 dias; a
15, a escuna Elisa, com 4 ; e a 18, a escuna ingle-
za Margareth com 3.
PERNAMBUCO.
ISSVSSTA DIARIA.
Percorreram hontem noite as ras desta ci-
e ausentes.
" Estes diplomas tambem se eslo a imprimir na rercorrerara nontem a noite as ras desta
referida typographia do Sr. Frias, o qual nada nos dQadf, 1^Ld*^Hulf. ??- mnorfuudo
quiz levar
seal de marrana, dp 4o batalbo de artilharia e
do 2* da guarda nacional, acorapanhadas de im-
menso concurso de po|vo, que razia ouvir estrepi-
tosos e enthusiasticos vivas ao exercito da campa
na Mxima, 1 escravo de Lourengo Alves Feloza
castro em sua companhia, Leandro Lopes Dias,
Jos F. da Silva Fragozo, padre Manoel da Vera
Cruz, capito de mar e guerra II. A. Barbosa de
Aimeida, sua senhora, suasogra e I sobrinho, An-
tonio F. de Abreu Luna, Mauoel P. Pontes Grillo,
Luiz Jos Teixeira, praga de polica, 1 lente,
94 pragas de pret, Antonio Mendes dos Santos e
13 recrutas para armada.
Passageiros do hiale brasileiro Voto Invenci-
vel, entrado Aracaty :
D. Mariana Gertrudes Pereira, Antonio Gomes
Pereira Jnior, Joao Ferreira Gomes.
- Passageiros do vapor inglez Newton, entrado
do Rio de Janeiro e Bahia :
Bowmaker e Buiodige.
ar. JUCA JUD1CIAKIA
por este seu irabalho.
Seguro da bibliotheca.
Em 19 de julho ultimo resolvemos segurar cun-
ta o risco de fogo a nossa bibliotheca, o que effec-
tuamos por um anno, que termina em 19 do julho ?ha do sul- e,m &V pelas noc,a' ,ra,,das *"-
prximo futuro, na companhia Garanta, da cidade ,0iyapol ,ngleI Newl0-
do Porto, a 1/5 por cento sobre o valor de rs...... IIumlnaram-se o palacio presidencial, o arse-
6:0000000. nal "e marinha e diversas casas particulares: e o
Sendo esto seguro de ndeclinavel necessidade, reSosiJ nue iransluzia de todos os semblantes d
para preservar o capital deste estabelecimento de prova exuberan de1 que vai-se desenvolvendo o
qualquer incendio. qie fcilmente se pode dar, nao amor.palno> ^ue Pareca como que adormecido
hesitamos em tomar a liberdade de recommendar D0-Pe,to de nossos comprovincianos,
aos nossos successores a sua reoovago na occasio ^ le.mf") 1"e os P^rnarabucanos dessem pro-
opportuna, com altencao ao augmento que tiver ti- Ias de Sl' Qe desmentissein a pecha que preten-
do o capital. es dem assacar-lhes.
Crdito em Lisboa A coragera, que sempre foi a flor mais mimosa
Sendo geralmente sabido que as frequentes re- 1ue.. desdt 'empos iramemoriaes, orna a cora de
cepgoesde livres novos, emirra era remessas pe- glona que singe a fronte dos Pernambucanos, nao
quenas, prodnzem sempre um augmento conside- P011'3 daixar de despertar vinosa e altaieira, al-
ravel na renda dos subscriptores, demos ordem ao tesland8 que n<* Peitos pernambucanos pulsara co-
nosso excellente correspondente em Lisboa, o Sr. ra*5e,s dlRn,-s d"."1"" brasileiro.
Antonio Maria Pereira, para que remettesse ao ga- ~ Amanhaa da a sociedade recreativa Coryban-
bnete todas as obras, de reconhecido mrito, que ""V8? Par"da mensal, que se annuncia apra-
em Portugal fossem sahindo luz. Mas, como para ?lvel Pel esmer0 ^ue semPre Preside as sas
islo era necessario abrir um crdito em favor do lancc>'-s> e pela eseolba dos seus convidados,
dito correspondente, conseguimos obte-lo de rs. Gomegam hoje os bailes de mascaras no thea-
3000000 fortes pela casa dos Srs. Joo de Oliveira 'hro de saQla iaa.bel *eb a direcco do Sr. Miguel
Landido de Medraros Pinto, que ha euvidado todos
diente.
Dedosindo porra da sommagasla, 2910666, que
recebemos at 16 de dezerabro pela parte da casa
i|ue ^ublocamos, lea aquella redusida a......
1:2530631, havendo portanto um saldo a favor da
receita de 4460369, que foram capitalisados.
Capital.
Teve o capital do gabinete, no auno prximo
passado, um augmento de 6460369, seodo 2000000
de 10 aegoes eraitttidas, e 4460369 de lucros capi-
talisados.
Era portanto o mesrao capital, era 31 de dezera-
bro prximo passado, como j dissemos bo princi-
pio de 6:4760349, representado do segrate
modo :
Movis e utensilios................. 6410480
Thesoureiro dmheiro era caixa 3630222
Bibliothecavalor da livraria. _____ 5:O80706
Subscripterespelo que devem,dedu-
zidos 480000, reputados incobra-
veis............................ 600300
Accionistas mensalidades por co-
brar........................... 2320500
Antonio Maria Pereira, de Lisboa, sal-
do de conlas.................... 96094t
or importancia, porm mais prompias e repetidas, A ordera e a mora(i,sa5^ que o referido Sr. Me-
que o que raais convm ao estabelecimeoto, como deiros 'into ,em !abu, imPrim"" a essas fuocgoes
dissemos. nos anuos precedentes, garantem a conlfnuagao
Supplemento ao catalogo. d?sras *Qdr8es necessarias para nao excluirem
Havendo em 31 de julho ultimo perlo de 400 dal,a Prese.nca de 'amibas honestas, que por cer-
bras fra do catalogo, resolvemos organisar um l0 CODl,nuarao a frequtotar tambem esse diverli-
supplemento at aquella data, o qual foi Impresso e men,,' em(lue enconlrarao horas de distraegao li-
distribuido cita naiiuelle tumultuar de caracteres diversos.
E' este um trabalho asss enfadonho, e que ab- : Fa'ta,n apenas quatro dias para visitar-nos a
sorve bastante lempo, mas a agglomerago de ta- 3uarla eira de Ciaz2> e alnda P"b''co nao esta
manha porgo de livros fra do catalogo, alera de informado /e seu ellectua ou nao a procisso que,
ser nociva renda do estabelecimento, preiudica Pr assira dize,r abre as portas a quaresraa.
muito a boa erdem e regularidade no servico da : Ha I"6"1 aflance qQe a ca"sa da falta desse acto,
bibliotheca, tornando-se por isso muito necessaria mar.cad5 no compromisso, e o estar oceupada a
a organisaco de suppleraentos annuaes para se- lgreja dos rel,K|0S0S franciscanos com andaimes;
rem oppor'tunamente refundidos em um catalogo lste ra0tlV0J* capcioso, porquaolo sabemos que o
geral. Rvm- guardiao le constar ordem terceira que
O que organisamos ainda o primeiro depois do a,ntes do dia aPropriado estara a igreja desoecupa-
catalogo geral que so publicou no principio do an- da^ com eeUo ass'm,se venflcou.
no de 863. pnmeiro dever de uma ordem religiosa, mui-
Empregados. ,0 recommendado nos respectivos coraprorassos,
Tanto o actual guarda, o Sr. Germrno Marlins cumPrmento exacto de que esse mesmo compro-
d'Assumpgo, como o seu ajudante, tem cumpndo miss determina relalivamente aos actos religiosos,
bem os seus deveres.
Rs.
Aqu tendes, Srs. accionistas, resumidas as prin-
cipaes oceurreocias, que tiveram lugar durante a
no sa adminislrago.
Esforgamo-nos quanto podemos pelo augmento e
prosperidade deste bello estabelecimento. Se nao
conseguimos tanto, quanto era para desejar, nao
Ricardo Jmnnirn culpa DOsSa senSo da Puca disposigo, qne ainda
TZTnr I desgragadamentese observa da parte de muitos dos
nossos compatriotas, em prestaren) o seu apoio a
esta associago, to digna delle a todos os res-
6:4760349
Donativos.
Foi o gabinete mimoseado, no anno de 1864, j
cora 86 volumes, offertados pelos segrales Illms.
Srs. :
Dr. Antonio Hennques Leal 33.
Teixeira Domingos Gongalves Branco 8, Dr.
Antonio Marques Rodrigues 7, onocencie Francis-
co da Silva (de Portugal) 4, Manoel Victorino Jos "',? "
Xogueira 4, Guilherine Fernandes de Oliveira Gui- p .. fnirQmc io
maraes 4, Germano Martins de Assumpgo 3, Jos: "Sfm S.?-Ti'.^ ^JSST! SQCCeSS"
da Rocha Filgueiras Sobrinho 2, Tboraaz Ribeiro, S^.T* ?^S e aD,?ta-nlJ esperaraos
U Maria Perbrrina de Snuri tambo* c P.irmixah que' depols de ouv,da a comm'ssao de exames, a
KSnSXgo! Sr!S'^dCoPrS!gS ^ Sa'aonSacf DSSS aC,S' mereCam e"6S *
Maria de Jess Laraaro Fragoso, Antonio de Soa- '
za Pinto (de Pernambuco), Antonio Augusto Ro-
drigues, c Antonio Gongalves Lamaro 1 cada um.
O Illm. Sr. Dr. Luiz Antonio Vieira da Silva tam-
bera nos olfertou urna planta da estrada de ferro*
Maranho, 31 de Janeiro de 1865.
Joo itodngues de Oliveira Santos.-?.
Domingos Goncalves Branco.V. P.
Guilherme F. Oliveira Guimares.1 S.
Jos F. de Brilo Upton.2 S.
Agostinho Coelho Fragozo.Thesoureiro.
DIARIO DE PERNAMBUCO
de Pedro II.
Por intermedio do nosso 1* secretarlo j agrade-
cemos tao delicados brindes, comludo, julgamos do
nosso dever testemunbar aqui de novo a nossa
gratido s pessoas que no-Ios fizerara.
Iguaes agradecimntos devenios tambera s re-
daegoes do Paiz e Pubhcador Maranhense : pri-! Pelos vapores inglez Neivton e brasileiro Persi-
raeira nao s pelo mimo que nos lera feito d'aquel- nanga, aquelle entrado do Rio e Bahia, e este de
le peridico, como por haver inserido gratuitamen- Sergipe e Alagoas, recebemos cartas e jornaes do
(e, as columoas do mesmo, os relatnos e avisos Rio at 14, da Baha at 21, do Sergipe at 20 e de
d'esta associago, e segunda por ler, no noticia- Alagoas al 22 do corrente.
rio daquella gaseta, e j por mais de uma vez, lem- Re de Janeiro.a noticia de maior mportan-
firado a utilidade do uosso estabelicimento. cia a segrate, quo extrahiraos do Jornal da Ba-
e nao conheceraos autoridade alguma que possa
dispnsalos da execugao desse dever, tanto mais
quanto sabemos que no orgamento da ordem ter-
ceira franciscana se acha consignada a quantia ne-
cessaria as despezas da procisso.
Dos jornaes do Rio de Janeiro, chegados hon-
tem copiamos o seguinte :
t O supremo tribunal de justiga concedeu revis
ta dos accordos proferidos no tribunal do cora-
mercio de Pernambuco contra Bieberci C, succes-
sores de J. Keler & C. na causa que propuzerara
directora da caixa filial do banco do Brasil na-
quella provincia.
t Revendo e julgando novaraente a causa o Iri-
bunal do commercio do Rio julgou provada a ac-
go, e cindemBou a referida direeloria da caixa a
pagar aos recorrentes os juros da lei desde o le-
vanlamento da quantia opositada, com os juros da
mora desde a conteslago da lide.
i No julgamento nao houve opinioes divergen-
, les.
Embarcou hontam para a corte o Exm. Sr.
general Joaquim Jos Gongalves da Fonte, que foi
| acompanhado at bordo por crescido numero de
oiciaes do exercito.
Hoje se extrahir a quinta parle da segunda
lotera do patrimonio dos orphos (7.a).
Hontem alistou-se, no corpo de Vo'untarios
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 23 DE
FEVEREIRO DE 1865.
PBK3IDR.NCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO!!
ALSH.MO FRANCISCO PERETTI.
As 0 horas da manba, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Ak-oforado, Basto e Leal, e
presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
presidente declarou abena a sessao.
Lida, foi a pprovada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEDIENTE.
l'm officio do Extn. Sr. presidente do tribunal do
commercio do Maranho, de 0 do corrente, par-
ticipando ficar inteirado de ter o Exm. Sr. presi-
dente deste tribunal reassumido o seu lugar.Ar-
chive-se.
Outro do secretario do mesmo tribunal, de 0 do
correte, aecusando o recebimeoto dos que Ihe fo-
ram dirigidos em 5 de dezembro do anno passado,
e 5 de Janeiro ultimo, acorapanhando relaces de
commercianles matriculados nesie tribunal'.Ar-
chive-se.
Distribuirn) se aos senhores deputados os livros
Diarios das casas coramerciaes de Antonio de Mou-
ra Rolim, Bernardino da Silva Lopes e Augusto
Frederico de Oliveira.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo, era que pede cerlido do theor de sua
matricula de cojomercianles :Como requer.
No de Manoel Marques Camacho, presentando
a nomeagao de seu aixeiro Antonio Marques Ca-
macho, para ser registrada : Regstrese.
No de Amonio Domingos Pinto, pedindo cerlido
de estar mairiculado :Como requer.
No de Antonio da Silva Ferreira Jnior e Jos
Matheus Ferreira, pediudo tambera certdo de es-
tarem matriculados :Como requeren).
N'outro de Antonio Domingos Pinto, pedindo que
se annote no registro competente a exoneraco de
seu caixeiro Joaquim Jos Ferreira de Abru :
Como requer.
No de i heodosio de Lago & Filho, pedindo o re-
gistro do contrato de sua sociedade, que apresen-
lam :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Rodrigo Pinto Moreira dt C, pedindo tam-
bem o registro do contrato de sua sociedade :
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Andr Henrque Willara e Francisco Jos
da Silva, pedindo igualmente que se registre o con-
trato de sua sociedade : Vista ao Sr. desembar-
gador fiscal.
iio de Prenle Vianna & C, pedindo o registro
da nomeagao de seu caixeiro Jos Lucas Ferreira :
Regislre-se.
No do Visconde de Camaragbe, pedindo o regis-
tro de urna escriptura de hypotheca que aprsen-
la :Registre-se.
Cora informagao do Sr. desembargador fiscal:
No de Antonio Leite de Magalhes Bastos e Joa-
quim Antonio de Oliveira Luzo, pedindo o registro
do seu contrato de sociedade :Regislre-se.
No de Joo Francisco Otero e Joo Ignacio de
Nazareth, pedindo tambera o registro do seu con-
trato social :Registre-se.
Ns de Julio da Cosa Ribeiro, Francisco Antonio
de Assis Ges e Jos Joaquim Gongalves Bastos,
pedindo igualmente que se registre o contrato de
sua sociedade :Na forma do parecer fiscal.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao as onze horas e meia da
raanha.
AGGUAVO INTERPOSTO DO JU1ZP ESPECIAL DO
COMMERCIO.
Aggravante, Francisco Antonio de Oliveira ;
gravado, Silvino Guilherme de Barros.
O Exm. Sr. presdeme jurou saspeigao, e foram
os autos apresentados ao Sr. desembargador Res e
Silva.
Aggravante, D. Maria Rila da Cruz Noves .
gravado, o Dr. Joo Pedro Maduro da Fooseca.
Aggravante, Francisco das Chagas Cavalcante de
Albuquerque ; aggravado, Maooel Alves Fer-
reira.
Aggravante, o Dr. Joo Pedro Maduro da
seca; aggravado, Antonio da Costa Silva
(taita.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
DiSTRIBUICES.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares :
Appellante, Antonio da Costa Villar ; appella-
dos, a viuva D. Alexaudrina t.hacon de Loo e seus
filhns.
Nada mais havendo a tratar o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao duas horas da tarde.
ag-
at;-
Fsn
Ma-
Ipoju-
a 6, e
ca convocada para 5 do corrente iostalou-se
undou a 8.
Presid a todo o trabalbo do jury.
O promotor publico hacha;el Paulo Maitios de
Almeida servio em (oda a Wtsie,
Funccionou-interinamente como escrivo do ju-
ry o labellio e escrivo do civel e crime Miguel
Joaquim da Espirito Santo Moraes. Neste lermo nao
ha quera qaeira ocrupar este oflicio de jlttina pe-
la exiguidade de seu rendimenlo.
Deus guarde V. Exc.-Illm. eExm. Sr. presi-
dente da provincia de Pernambuco.O juiz de di-
reilo Manoel Clementino Carneiro da Cunlia.
Esta conforme.Manoel Clemeulino Carneiro da
Lunba.
N. 2.
Provincia de Pernambuco. Juizo de direilo da
comarca do Caoo, 23 de dezembro de 864.-Ira.
i e Exm. Sr.-Passo as raaos de V. Exc. para o fin
i couveniente os mappas e.-tatisiicus das decuwies do
jury do termo de Ipojuca na segunda sessao deste
] anno organisados de accordo com o aviso do rainis-
! ^o dos negocios da justiga de 8 de Janeiro de
i 1855.
Deus guarde V. ExcIllm. e Exm. Sr. presi-
: dente da provincia de Pernambuco.O juiz de di-
ireito Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Esta conforme.Manoel Clementino Carneiro da
Agua de
Florida de
1.anuan.
Hiinij e
CORRESPONDENCIAS
,_---------------------_
Srs. Redactores. Eu, abaixo assignado, venho I
declarar solemnemente do alto da tribuna univer- Cunha.
sal, que os aranzeis relativos questoes de pada- ;
na, que salgaram as paginas deste conceiluado;
Diario de 14 o 23 do corrente mez, sao de minha
salgada invenco, posto que aliohavadns por um ;
orangotango, pobre diabo/jue a troco de quatro vin-
tins pingados pr6sta-se a dar pasto s minhas sal- v ,
gadas brutalidades; bem assim, que nao temo o a verae e cousa estranha e para admirar,
Tolonio Joaquim, o qual, segundo me consta, pre-!quft e, e dcl,cado e precioso perfume, tendo :-do>
tende atanazar-me pela imprensa. manufacturado a raais de vinte annos exclusiva-
Estou firme, salgado em meu posto : nao me re-' me"!: para o*, mercados d'America do Sul, e das
traio palavras, que nao adubara sopa. ; Anilinas, e estimado por toda a populago d'Ame-
E demais, Srs. redactores, o que pretende Tolo-' nea .^Panhola em preferencia todas as raais-
nio Joaquim ? Demover-me do proposito em que e8seBC'*s e aguas de cheiro, s ha pouco vi esse
me acho, sombra do estropeado e cadavrico'a \er 'talmente iniroduzido pela vez priineira
orangotango ? Ensana-se completa e saltadamente! nys,c Paw depois de tao largos anuos de existen-
Nao observa o Tolonlo Joaquim o sainado corpo- c,a ,iallinco e louvavel promptide-que as nos-
reo com que me aprsenlo? Esta minha cara, ex-1 sas !llas Palric|as mostrarara na adoptaco da
iremamente larga e cheia de carne, nao expressa mesma Prova que as senhoras hespanholas, as-
que eu sou falto de brio e de vergonha ? i q,uaes a. Prerem a propria Eau de Cologne, nao-
Para que, pois, ameagarmecom os prlos ? Se!*|aoraa!s que ara justo a prego a delicada pureza
elle me fallasse, por exemplo, em escovadella de ao arll\ (Como um meio preventivo contra
pitia (o que muito preciso e estou procurando, seja
dito em homenagem vurdade !)ento eu mudaria
de rumo; porm, l esse negocio de palanfronos
nao rae altera, uem diminue. Seguirei tranquillo
o meu camioho, montando sempre o velho orango-
tango, tanto mais quanto eu sou o proprio a rec.o-
nhecer-rae os segrales predicados: pelinlra, de-
vasso, bajulador, infame, velhaco, tralautemr, ju-
bilado oa estribara Nauzer e em o lugar das Cia-
co-Pootas, oode outr'ora, sendo caixeiro de uma
taberna, a divid em duas, deixando o infeliz Oli-
veira salgadamcntc depenado. Em ultima analyse,
Srs. redactores, o celebrrimo e decantadoante-
riormente depois (que estupido!)nao se me avan-
taja, qur na embri guoz, qur na velhacada.
Eis ahi abreviado o meu auto de fe.
Dse agora o Totooio Joaquim ao trabalho de
repetir essas frioleiras, estas cousas e estas lousas.;
Eu nao Ihe responden-i.
Mrvam-se, Srs. redactores, de dar publcidade a
estas linhas, certos de qus muito me pe-nhorarao.
Ra da Praia, 24 de fevereiro de 1865.
O salpreso.
ca
sas bellas
mesma, prova que as senhoras
quaes a preferem propria Eau
do raais que um justo aprego a delicada"
do artigo. (Como um mio preventivo
quaesquer imposicoes e fraudes, tornase necessa-
rio o pedirse a agua genuina de Munau e Lamuuu
tendo-s o cuidado de examinar e ver que ditos
nomes se achera inscriptos sob cada envoltorio, le-
treiro e garrafa, pois a falta dos mjsmos prova
evidente de sua falsidade.)
*H
C0HHE1CI0.
\ovo banco de Pernambuco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno al o prazo de seis saetee, e
toma dinheiro a juros a praso nunca meoor d,
ires mezes.
PUBLICARES 1 PEDIDO
SESSAO JUD1CIARIA EM 23 DE FEVEREIRO
DE 865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As onze horas e meia da manliaa o Exm. Sr.
presidente abri a sessao, estando reunidos os se-
Devemos ainda, finalmente, ao lira. Sr. Dr. An-
tonio Henriques Leal, o favor de continuar a mi-
mosear-nos cem o peridico a Coalico.
Bibliotheca.
Em 3 de deiembro de 861, cumpunha-se a li-
vraria do gabinete de 3:400 volumes em 1:713'
obrai, nao compreheudendo as depositadas, que j;
sao mu poucas.
Movimento litlerario.
No anno de 1864 sahiram para leltnra externa,
como j no principio mencionamos, 9:929 vola- j
raes, o que d um augmeoto de 1:295 sobre o do
anno anterior; e muito maior seria este augmen-
to se a importante factura de livros, que de Lisboa
recebemos oo lim da dezembro, nos chegasse mais
cedo. O gosto pelos romances contina, como
la da ultima hora
t De uma carta de um distincto ofjicial de ma-
rmita, no Rio da Prata, foi nos permittido copiar o
seguinte :
t 7 de fevereiro em frente de Montevideo.
% Mantevido vai se tomar sem um tiro.
' O almirante hoje recebeu propostas de rendi-
c.o. o
Alm desta e do que deixamos sob a rubrica
Interior, apenas encontramos o seguinte
Foi prorogada por tres mezes a liceuga con- como criminoso de morte.
l1i.Ii n n n A m in i i->tatn rlnn .1-> K^ausafa I_ IV___i___ 4* ._ 1____i- X\ J I. I
da Patria, o Sr. Dr. Jos Paulino da Cmara, pro- nhores desembargadores Res e Silva, Silva Guima-
motor publico da comarca do Reclfe.
No Santa Isabel tem hoje lugar o primeiro
baile de mascaras. O salo acha-se bem decora-
do, e de esperar que a concurrencia coroe os cs-
forgos do emprezario.
REPARTICAO DA POLICA :
Extracto das partos do dia 24 de fevereiro de
1865.
Foram recolhidos casa de detengo ae da 23
do correle :
A' ordm do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Joa-
quim Pereira da Silva, Manoel Gomes de Oliveira, Manoel Antonio de Fana.
Joo Maria, Casemiro Mendes da Silva Penha, ej Adiado na sessao anterior.
Sebastio Soares de Mesquila, como recrutas; Ro- Mandon-se descer os anlus
berto Gongalves doNascimenlo e Bento Jos da Sil- de proceder uma diligencia,
va, como desertores ; e Jos dos Sautos Cumaru,
raes e "Accioli, e os senhores deputados Rosa, Can-
dido Alcoforado, Basto e Leal.
Lida, foi approvada a acta da esso antece-
dente.
Foi assignado o accordo proferido na ultima
sessao enlre partes : T
Appellante, Francisco Santiago Ramos: appella*
do, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Provincia de Pernambuco.Juizo de direito da
comarca do Cabo, 21 de fevereiro de 1865.Illm.
e Exm. Sr. No relatorio, com que o Exm. Sr. des-
embargador Anselmo Francisco Peretti entregou
V. Exc. a adminislrago desta provincia no artigo
sob a inscripgo Sesses do Jury se le o se-
guinle :
i Dos papis existentes na secretaria consta que
< a segunda sessao do jury do termo do Bonito foi
< aberta a 5, e encerrada a 0 de dezembro ul
timo.
Por offlcio de 23 do mesrao mez soube a pre-
sidencia ler funeciooado o jury no termo de Ipo-
< juca nao havendo declarago do dia em que prin-
< cipiou, e daquelle em que findou all esse tribu-
nal as suas sesses : igual falta se nota quanto
< a segunda sessao do jury do lermo de Sanio Ao-
c to, nao tendo o Dr. juiz de direilo respectivo
< communicado quando principiou, e era quando
c acabou esta sessao.
< No sobredito mez de dezembro reuoio-se a sex-
f ta sessao do jury nesta cidade.
O Exm. Sr. desembargador Anselmo Francisco
Peretti nota que foi irregular a parlicipaco que
recebeu a presidencia da provincia em 23 de de-
zembro do anno passado sobre a sessao do jury do
termo de Ipojuca, de que se trata naquella parlici-
paco, e torna bem saliente esta falta. Fazendo del-
la especial mengo parece dar-lhe valor. Se gra-
ve, e procedente esse defeito, cumpre que seja lau-
cado a conta do juiz de direilo da comarca do Ca-
bo, sob cuja jurisdiego est o termo de Ipcjuca.
Sendo laxado de irregular o meu procedimento
na informagao que V. Exc. receben, natural que
me defenda. E' para usar desse direilo que pego
perraisso para dirigir esto ofDcio V. Exc, do
qual sustento que nao commelli a falta notada, e
dou as provas de minha asseverago.
O relatorio apresenlado V. Exc. julgou to in-
dispensavel indicar as datas em que coraegaram e
findaram as sesses do jury dos termos de Ipojuca
e Santo Anto, que mencianou os ombaragos que
encontrn para chegar a esse lira, e fez sentir as
faltas commetlidas pelos respectivos juizes de di-
reilo, entretanto nao procedeu do mesmo modo
acerca da sexta sessao do jury da capital, nao in-
dica com precisao o lempo em que ella comegou
.llfandega
Rendimenio do dia 1 a 23....... 893-9861210
dem do dia 24.............. 16.04U544
610.027*754
Hovlinento da alfandega
Volamesentradoscomfazeudas...
167
------167
28
574
------662
lOosarregam nodia 25defeverero de!865.
Barca americana Anacondadiversos gneros.
Lugre inglez -flni7ian/=farinha de trigo.
Barca inglezaChanzacarvo.
Barca inglezaAmbleside-idem.
Barca ingleza Wilhamdem.
Barca ingleza-Contad-idem.
Vapor nacional Paran, entrado do Para, mam
festou :
2 caixas com 337 chapeos do Chile; ordem.
Recebedorla de rendas Inter-
nas ge raes de Pernambneo.
cora gneros..,
Volumessahidoscom azeedas..
com gneros ..
Reodiraento do dia I a 23.
idem do dia 24..........
29:3165737
1:0805884
303975621
Consulado provincial.
Rendimento do da 1 a 23.......100:6175711
[dero do dia-24............... 3.8485044
104:465575.>
cedida ao administrador do correio do Piauhy,
Joo Fernandes de Moraes Jnior.
Por aviso do ministerio da fazenda, de 23 do
passado, foi prorogada por raais einco mezes a
substituido sem descont das notas de 2005000
sempre, a predominar na leitura externa, comtu- da 2." e 3.* estampas,deveodocomegai no da de
do, as obras Iliterarias e instructivas, tiveram boa raalo o descont na razo progressiva de 0 % era
jiiocura. i cada mez.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos Tava-
res de Arruda, para correcge.
A'ordem do subdelegado do Recife^Athanazio,
escravo de Henrique Bernardo de Oliveira, a leqoe-
rmenlo d'este; e Gaspar Albino de Magalhes, por
crime de injurias.
A' ordem do de Santo Antonio, Luiz, escravo de
Rita Maria da Conceieo, para correccao.
JULGAMENTOS. e findou, era especifcou a falta do juiz de direilo,
Appellante,- Ignacio Jos da Silva ; appelladas se acaso a sua participago nao deu a seraelhanle
Maria Joaquina e Rita Maria, viuva e herdeira de respelo todas as informages.
Neste modo de proceder ha dierenga, que eu
podera tornar bem patente, mas considerando que
ao juizo a quo afim o.-ta questo pouco importara para o que me diz
i respeit, della nao me oceupo, e passo adianto.
Appellanle, Jos Antonio Pereira e sua mulher ; I A 9 de dezembro de 864 participei a presiden-
appellados, a viuva e herdeiros de Joo Ferreira cia desta provincia em observancia do aviso do mi- i
dos Santos.
Adion-se o julgamento
dos senhores de pujados.
Appellante, Mauoel Alves Ferreira
Francisco Santiago Ramos.
Adiado na sessao anterior
Conderauou-se o reo no pedido, de conlorafdade
com a coala corrente de Os. ti*.
MOVIMENTO DO POETO
Navios entrados no dia 2i.
Aracaj e partos intermedios4 dias, vapor bra-
sileiro Parahiba, de 104 toneladas, commandante
J. J. Martins, equipagem 20, carga algodo e
outros gneros.
Aracaty0 dias, hiato brasileiro .Voro fnrenci-
vel, de 45 toneladas, capito Jos Joaquim Al-
ves da Silva, equipagem 5, carga algodo e ou-
tros gneros; ao mesmo capito.
Macei8 dias, barca frara eza Gvitltrme Tell,
equipaeem 6, de 396 toneladas, capito Euge-
ne Le Bnnrgeois, carga algodo e outros gene-
ros ; a Tisset frere.
Araealy-9 dia, hiate brasileiro Sonta Cruz, de
101 toneladas, capito Jos Victorino das Neves,
equipagem i0, carga algodo e outros gneros ;
a C. C. da C. Moreira.
Rio de Janeiro e Babia9 dias, vapor inglez .Vew-
ton, de 673 toneladas, commandanle E. R. Peol,
equipagem 31, carga varios gneros a Saun-
ders Brothers & C.
a requerimenio de um
appellado,
Navtoj sahulos no mesma dia.
nisterio dos negocios da justiga de 17 de marco.de-1
1855, que a segunda sessao do jury do termo de f
pojuca installou-se a 6 daquelle mez, e eocerrou-' Rio de Jaueiro e portos intermediosvapor naci-
se a 8. Esta participago consta da copia, que sob nal Paran, cDnimandante capito" de fragata
o n. I submello ao conhecimento de V. Exs. Santa Barbara.
A i23 do sobredito fmez de deiemhro dirig' Buenos-Avrespolaca brasileira Mannho, capito
ao Exm. Sr. desembargador Peret em cumpri- An,tonio" Jos dos Santos Pereira, carga as-
meato do aviso do ministerio doe, negocios da jos-! sacar.



Diarto de rernamtoH <-- *4M>ado f & e Fevereiro de i&tt.
EDIT1ES.
O Dr.Tristo de Alencar Araripe, oillclal da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
comraercio desta cidado da Ueoife capital da
provincia de Peroambuco e sea termo por S. M.
I, e C. o Sr. D. Pedro II, a qaem Dos guarde
etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delta noticia tiverem qae por pal de Antonio j
Laiz de Oliveira Aievedo me foi dirigida a petigao!
ma de Andrade & Maia, deveado dita sociedade
durar por espago de dous annos, cantados do i* do
referido mee, com o capital de 23:0004, para o
qual entra e socio Aadrade com 22:5003 enra-
zendas e dividas, e o socio Maia com 2:500$ em
dinheiro.
Secretaria do tribunal do eoraraercio de Per-
nambuco 17 de fevereiro de 1865.
O offlcial-maior,
Julio Guimaraes.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de Per
Para o Porto pela Llhaxfo S.
Miguel.
O velleiro e bem conhecido bngue nacional A-
melta pretende seguir com moita brevidade, tem
parte do seu carregamento engajado, para o resto
quelhe falta e passageiros, para os quaes tem ex-
' cellentes commodos : trata-se com os seos consig-
natarios A. Lulz de O. Azevedo & C. no seaescrip-
torio na ra da Cruz n. 1.
I i
Hio de Janeiro.
A sumaca Aguia recebe carga raiuda e escra-
vos a frete : trata-se com os consignatario* Mar-
ques, Barros & largo do Corpo Santo n. 1.
do thoer, ferma, modo e maneira seguinte : nambuco se faz publico que nesla data tica regs
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio. Diz Antonio lrad0 0 istrato celebrado entre Marcelino Jerony-
Luiz de Oliveira Azevedo quo sendo credor de Ma- mo ,je Azevedo e Guilherme da Silva Guimaraes,
noel Jos Ferreira Gusmo de ama letra mercan- 0U[r'0ra estabelecidos sob a firma de Marcelino &
til da quantia de 1:800$ sacada a 16 de acost de rj#> cuj0 contrato findou por ter expirado o praso
1859 tom o prazo de 5 mezes e de Adeline Gandido ,je SUaduracao. Est solvido o passivo, e o activo
Garneiro da Gunha por outra letra mercantil da pica a carg0 da firma quantia de 727#938 rs., sacada no l4 de sefmbro q_j qae os substitue no eiabelecimenlo social.; Lindo Paquete, capito Henrique AotOBi* do Ama-
de 1859 com o pnzo de 5 mezes, nao toado os, Secretaria do tribunal do commercio de Per- ral, para alguma carga que pode ainda receber
supplicados pago as ditas letras no devido tempo nambueo 21 de fevereiro de 1865. trata-se como respectivo consignatario Antonio de
e estando a veocer-se o prazo fatal para a pres- t o offlcial-maior, | Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23, primeiro
Oulra fixa e orisontal, forja de 12 cavados com
caldeira e mais pertences.
Quinta-feira 9 de margo, em frente a
Associago Commercial.
O agente Pinto far leilo por conta de quem
perteucer das duas machinas a vapor cima des-
criptas proprias para engenho, as qaaes se tornam
i recommendadas pela sua perfeigSo e par serem
dos melhores fabricantes de Inglaterra, os preten-
dentes poderlo desde ja' examinarem ditas ma-
chinas para o que podero entenderem-se cora o
mesmo agente em seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 38.
AO CARNAVAL!
BA NOVA N. 37.
Para
cripco das mesmas, vem o supplicante para reser-
va de seu direito futuro interpor o seu protesto,
afim.de ser interrompida a prescripcao como dis-
poe a lei, requer a V. S. se digne mandar tomar
por termo o dito protesto e intmalo aos supplica-
dos, e porque estes nao esteiam nesta cidade nem
se saiba o lugar certo do seu domicilio, requer o
supplicante a V. S. se digne admitti-lo a justificar
a ausencia dos supplicados para que julgada por
sentenga sejam elles citados por carta edital que
requer o supplicante se passe com o prazo da lei.
Pede a V. S. deferiraento.Espera receber merc.
Alcoforado.
E mais se nao continha e nem alguma outra
coasa mais se declara va o mostrava em tal petigao
aqui mu bem e fielmente copiada e transcripta,na
qual dei 6 profer o despacho que do thcor, for-
ma, modo e maneira seguinte :
Sim ; justificando depois da primeira audiencia.
Recite 13 de Janeiro de 1865.Alencar Araripe.
alguma outra
Julio Guimaraes.
COMPANH1A PERNAMBCANA,
De ordem do conselho de direcco sao convi-
dados os Srs. accionistas a reunrem se em assera-
bla geral no dia 9 de marco prxima, ao meio
da, do segundo andar da casa n. 11, na praga do
Corpo Santo. Pernambuco, 2i do fevereiro de
1865.
O gerente,
F. F.Borges.
(orreio geral.
ttelaco das cartas seguras nudas do norte pelo
vapor Paran para os sennorcs atao decla-
rados :
D. Anna Candida da Cunha Freir.
Antonio Marques da Costa Soares.
Freaerica Cesar Burlamaque.
Henrique Antonio F. Dornellas.
Julio Cesar Gomes de Castro.
andar.
LSILOES.
TIIE,t.TltO
S
E mais se nao continha e nem
coasa mais se declarava e mostrava em tal des- Justino Jos de Souza Lampos,
pacho aqui mu bem o fielmente copiada e trans- Jos Antonio Ernesto,
cripto, por forga do qual fura a mesma petigao dis- Jos Antonio S.
tribuida ao escrivao deste juizo Manoel Mana Ro- Jos Rodrigues de Souza.
dngues do Nascimeuto que lavrou o termo de pro- Miguel dos Santos Costa,
testo do theor, forma, modo e maneira seguale : Manoel Firmino Ferreira.
Aos li de Janeiro de 1865, nesta cidade do Re- Manoel Alves Guerra,
cite em meu cartorio appareceu o supplicante An- Vicente Francisco de Oliveira.
tonio Luiz de Oliveira Azevedo por seu bastante Franeiseo Henrique da Luz (Lisboa). .
procurador o solicitador Rodolpho Joo Barata de i D. Margarida Rosa de Jeeus Ferreira (Portugal). |
Almeida, e disse perante mim e as Icstemunhas ;
inl'ra assignadas que reduzia a protesto o conleudo
de cua petigao retro, a qual olferecem como parte
do presente, no qual depois de lido se assignou,
com as indicadas testemunbas. Do que para cons- j
tar liz este termo. Eu Manoel Maria Rodrigues
do Nascimento, escrivao o escrevi.-Joaquim Jor-
ge de Mello.Manoel Silvino de Barros falco.
E mais se nao continha e nem alguma outra
cousa mais se declarava e mostrava em tal termo
de protesto aqui mui bem e fielmente copiado e
transcripto. E tendo o supplicante produzido suas'
testeraunhas que ustillcaram a ausencia dos sup- j
plicados em lugar inci-rto e nao sabido, sellados e
preparados os autos subiram a minha concluso e i
nelles dei, profer e publiquei a minha sentenga, |
cojo theor o da forma, modo e maneira seguinte: i
Proceda a justificaco e assim mando que se-!
jam os supplicados diado? como :-e requer a fo-1
ihas 2, pagas as cusas ex causa. Recife 10 de fe-
vereiro de 1865.Tristao de Alencar Araripe.
E mais se nao continha e nem alguma uutra
cousa mais se declarava e mostrava em tal sen- i
tenga aqui mui bem e fielmente copiada e trans- Branco, dignissmo presidente da provincia, con-
cripta dos proprios aulos. Em cumprimento o re- cesso para dar bailes mascarados nos dias cima
ferido escrivao Manoel Maria Rodrigues do Nasci- j mencionados, vem scientificar ao respeitavol pu-
mento fez passar-se o presente com o prazo de 30 blico, que tem envidado todos seus esforgos, mes-
dias, pelo qual chamo, intimo e hei por intimados | mo nao tem poupado despezas para abrilhantar o
os ditos sn>plcados de todo o conleudo do pre- theatro.
senie edital ; portando toda e qualquer pessoa pa- As 8 horas das noites dos dias indicados est
rente, amigo on conhecido dos mencionados tup- aberto o theatro, e as 9 em ponto principiar o
plicados os podera' scieniillcar de ludo quanto tica baile com a execugo de urna das melhores ouver-
acima dito. turas, pela banda de msica do Io balalho de in-
E para quecheguc aoconhccimcnto de lodos se- antaria da guarda nacional do Recife sob a dire-
ra' o presante publicado pela imprensa e affixados gao do insigne professor o Sr. Theotonio Jos de
aos logaren do costme. Souza.
Dado e passado oesta cidade do Recife aos i't Precos dos camarotes e entrada geral.
de fevereiro de 1865,4V da Independencia e do i a I* e 3* orden Serio pelo preco da casa,
imuerio do Brasil. En Manoel Maria Rodrigues
Leilo da armacao, trastes, garrafas
com licores, papel, frascos con agua
de colonii, ditos com extractos, gar-
rafas razias e mais objectos pe;-teii-
ceotes a antiga deslilaco de Soares
& Irmao.
HO*E
Sabbado s 10 horas em ponto.
O agente Pinto far leilo requerimento de D.
Josepha Maria dos Prazeres e por despacho do
lllm. Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara, dos
objectos cima mencionados existentes na luja do
sobrado da praga da Boa-Vista n. 19 principio da
ra do Arago, aonde se efiectuar o leilo no dia
e hora supra.
Leilo do palnabote Artista de 289 to-
nelladas.
iioji:
Sabbado 2o de fovereiro 1 hora em pomo na
praga do Commercio.
O agente Pinto, far leilo precedida a compe-
i tente autdrlsacao do palhabote Artista., tal qual
! seaclia ancorado nesle porto em frente ao trapi-
che do algodo o qual est prompto a seguir qual-
quer deslino, os pretendentes poderao desde j
cxamina-loecomparecerem no dia e hora cima
ditos na praga do Commercio em frente a oasa dos
Srs. Palmeira 4 Bellro.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
Aos10;000000e 3; Sexta-feira 10 de marco t r lugar ex-
tractad da 2a parte da 4a lotera da Santa
Casa da Misericordia (8a) no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da fre-
gnezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 10-000^000 at 20;>000
! sero pagos una hora depois da extraegito
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuico das listas.
As encommendas s se guardaro at a
noite da vespera da extraccao como de cos-
tume.
O thesoureiro,
_______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
GASA DA FORTdli
Aos 6:000$000.
BilheAes garantidos.
A' ba do Crespo .n. 2"J e casas do costume.
O abaixo assignado venden nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da Santa Casa de Misericor-
dir, os seguinles premios :
m quarto n. 155 com a sorle de 1:1005000.
Um meio n. 100 com a sortc de 500$00O.
JOS' RICARDO COELHO, acaba de receber de Paris, pelo paquete francez Barn, ebegado
14 do crrante, um rico e variado sortimentode vestuarios todos a carcter e gosto moderno, qur
i para homens, qur para senhoras, proprios para os grandes bailes dos Clubs Commercial e Pernam-
bucano, sociedade Corybantina, e finalmente para muitas recreagSes, que se preparam para os dias
i 26, 27 e 28 do andante; por tanto, chama a attencao do respeitavol publico, para sea estabelecimento,
| preparado o meihor posslvel para bem servir qaaquer fregaez. Nao qaerendo o annnnciante tornar-
i se protixo, lima-se apenas a fazer mengo de alguns costumes masques, de sua variada galera,
saber : Bretn, Muletier, Pirrot, Lonis XV, Vivandeira dos ZoHaves.Coslume Italien, Bisayen, Chic des
Chics, Navarai, Principe Caucasien, Rigolblche, Nouveanx Pailasse, Pierrot Loustlr, Pierrelte, Megi-
cienne, La Reclame, Prince d'Araucani. Tem igualmente o mais completo e abundante sortlmento
de cabelleiras, raeias ditas e barbas, qur pretas, brancas on grisalhas e oulras cores; tudo novo ao
carcter que se queira.
Era seu estabelecimeato, se encontrar o que existe na actualidade em Paris e Allemanha de
raelhor em mascaras, sendo de rame com mola e sem ella, de cera, com caberlos e barbas, narires,
mascaras a domin; e finalmente de papelao de todas as qualidades. Tambem tem a.< mais frescas
e afamadas lavas de pellica de Jouvin, de todas as cores chegadas pelo JJarii.
Na ra da Gloria n. 40
pessoa que saiba engommar.
sortes de 200J, 100l, 40$ e
Cill.lXnK BAILE
DE
Nos dias do iainaval
Sabbado 2o, domingo 26, segunda-fe-
ra 27, terca-feira 28,
Miguel Candido de Medeiro? Pinto, tendo oblido
do Exm Sr. Dr. Antonio orges Leal Castello
do Nascimento, escrivao o subserevi.
Tri-tao de Alencar Araripe.
fi-
que
m
IV
t.iixa filial do banco do Brasil
ettj l'eriiaubueo,
14 de miro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de -ebastio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ihes toca da venda de una das propieda-
des, quesegundo aconeordata.lho forameuiregues
para serem vendidas.O guarda-livrof,
Ignacio Nanos Corrcia.
Ue ordem da directora desla mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22." di-
videndo de 10$ por accSo.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conliecimenlo dos navegamos, que a
boia do extremo do sul do banco do iuglezque ha-
via sido langada praia por Ihe haver arrebenta-
do a amarrago, foi novamente collocada, demar-
cando-HM o pharol do pico ao O 1/2 N O, e a lor-
redo seminario de Olinda ao N 1/2 N O, rumos
magnticos, e em fundo de 5 bracas, exactamente
ode termina pelo sul o Recife que forma .) banco
nglez. Capitana do porlo de Pernambuco i de
fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
De ordem do Illm Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia, se faz publico que
tica novamente marrado o da i de margo prxi-
mo futuro, as 2 horas da tarde, para ser arrema-
tada a quem por menos lizer a obra de um pe-
queo lango de caes que tem di: ligar o encontr
la poale de ferro do Recife ao caes do pa publico. Aspessaasa quem convfer a sobredita
arrematado, deverao comparecer na mesma the-
souraria no dia e hora indicados.
Secretarla da lliosoorara de fazenda de Per-
namharo cin 23 de fevereiro de 1865. Manoel
Jo.- Pinto, servindo de olflcal-maior.
O conselho de compras do arsenal de gueira
precisa comprar o seguinte :
Para a aula dos menores do ar.-onal de guerra.
Simo de Nantua 7.
Cconomia da vida humana 10.
Carlas de A. B. C. 100.
Taboadas 50.
Caetas 100.
Traslados de bastardinbo 20.
Ditos de baslardo 30.
Ditos de A. B. C. 50.
Para o rancho dos mesmo semnore* no; mezes de
marco e abril.
Pao de 4 oncas.
Bolachas.
Assucar segunda sorte.
Caf em grao.
Cha' da India.
Manteiga franceza.
Toueiho.
Parlona da trra.
Frijao.
Arroz pilado.
Azeite doce.
Vinagre.
Carne verde.
Dita seca.
Baealbao.
As pessoas que quzerem vender taes arligos
apreseolem snas propostas em carta fechada na
-ala do cunselho as 10 horas da manbaa do dia 27
do corrente.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra 23 de fevereiro de 1865.
O encarregado da escripturacao
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesja dala Oca Jns-
erpiono competente livro o eoolrato de sociedade
eito a>s 10 do corrente entro Jos Francisco de,
1 cando alterado somenle quanto as entradas
' ter 2 para heraem e i para senhora.
A 1" e 4* ordem serio consideradas galeras pa-
, ra as scuhoras que nao dansarcm, medanle a pa-
' ga de 2$ de entrada.
Enlrada geral para cavalheiro2 e as senhoras
que cstiverem miscaradas, tero enlrada gratis,
asstra como os mascaras vesiidos de senhora pa-
ga rao 2-3 por sua entrada.
O director dos bailes jtilga desnecessaro dizer
ao respeitavel publico a ordem e rnoraldade,
vista de seu lestemuoho no anno prximo passado
o qual continuar a envidar seus esforgos para que
continu.
Serao finalmente observados os regulamenlos
quer de polica qner do mesmo theatro.
Terminar s. 2 horas em ponto.
Leilo de urna taberna.
(Arniazem Fronleiro,)
Pateo do Terco numero 21.
Meirelles J Cardoso farao leilo por intervengao
do agente Cordeiro Simoes dos gneros, armagao,
utencilios de sua taberna cima referida, em um
ou mais lotes a vontade dos pretendentes; o balan-
go esl em poder do mesmo agente cujo leilo se-
r cffectuadono dia
Sabbado 25 do corrente s 10 horas,
na mesma taberna cima dita.
Leilo de 119 arrobas de sebo eiu jics
Martins fara' leilo por conta e risco de qu.'in
pertencer de 119 arrobas de sebo em paes.
Seguuda-feira 27 do corrente
a portado armazera do Aanes, as 11 horas do da.
Leio de mobilia.
Terga-feira 28 as 10 1|2 horas da manha
na casa terrea sita na ra da Concordia junto ao
sobrado do lado direito que tem 3 estrellas
defronto da casa n. 57.
OLYMPIO
COMPANHJ V PERNAMBCANA
DE
Xavegaeo eosteira por vapor.
Macei e escalas.
No dia 28 do corrente, segu as
5 horas da tarde um dos vapores
para os [-.ortos indicados. Recebe-
so carga al o da 27. Eneoinmen-
'das, passagens e dinheiro a frete
at 2 horas da larde do dia da sabida : escriptorio
no Forte jo Mallos n. 1.
Para o Para.
Seguir nesles dias para o mencionado porlo a
escuna brasiieira lirnestina, para o reto da carga
que Ihe falta, trata-se no escriptorio da largo do
Corpo Santo n. 1, prinv jro andar.__________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Havegaeo eosteira por vapor.
\alal em dimitir.
Expcde-se o vapor Persinunya, commndante
Ralis, para Natal em direitura no dia 22 do cor-
ren!: s S horas da manha ; recebe carga at o
dia 21 s 11 horas da rnanha, encammendas, pas-
sageiros e dinheirq Frete at s 4 horas da larde.
Escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
lo
Segu brevemente a barca portugueza Swnpa-
thi* por ter seu carregamenlo completo : quem
quizer ir de passagem, para o que tern excedentes
commodos, entenda-se com Baltar >5 Oliveira, ra
da Cadeia n. 26.
Para Lisboa.
Prelende seguir com muita brevidade a barca
porlugueza Henriqueta, tem parle do seu carrega-
mento prompto : para o resto trata-se com os seas
consignatarios Antonio Lulz de Oliveira Azevedo &
C, uo seu escriptorio ruada Cruz n. I.
Para
vender' em leilo os objectos seguintes: 1 mobi-
lia de amarello composta de caaeiras de guarni-
go, cadelras de braco, sof, consolos e mesa de
meio de sala, jarros para lio res, figuras de porce-
lana, pares de lanternas, guarda ronpa, cama fran-
ceza, bidet, lavatorio, mesa de* jamar, aparelhos
de loiiga para jamar e alraogo, porta-licor, cadei-
ras depara, bergo, marqaeza larga, candieros a
gaz, aparador, trens de cosinha e mais objectos
existentes na referida casa.________________
Leilo das duas toreas parles da casa de sobrado
e sitio da Passiijem da Magdalena, ra do Beni-
ta u. 32, com bastante terreno plantado at a
Mfa do Capiharilic.
Quai la-feira Ia de margo.
O agente Pinto far leilo por aulorisacao da di-
rectora da caixa filial do banco do Brasil nesta ci-
dade, das duas tercas partes do predio cima dito,
as 11 huras do di supramencionado, em seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 38._________
Leilodac salerrea n 12 da ruado
loidego freguezia da Boa-Vista.
Quarta-lfeira Io de marco.
O agento Pinto fara' leilo a requerimento de
DomiDgos da Silva Ferreira Jnior e mais herdei-
ros do finado Miguel Archanjo Fernandos Vianna,
e por mandado do Iilm. Sr. Dr. juiz de orpho;,
da casa terrea da ra do Mondego n. 12, servindo
de base a quantia de 2:0005, as 11 1(2 horas em
ponto do dia cima dito em seu escriptorio ra da
Crnzn 38._____________________________
Leilo de 18 c mas de ferro novas.
Quintafeira 2 de marco
a 1 hora da tarde, por intervengao do agente Pinto-
no armazem da ra da Cadeia n. 38, onde havera'
leilo de movis no mesmo dia.______________
LellSo
De um piano forte de Wm. Sassenhoff, 1 mobi-
bia de Jacaranda' com tampo de pedra, 1 dita 6\e
faia, 2 candieros, 4 espedios, 4 jarros, ricos qua-
dros com finas gravuras, 1 guardaroupa com es-
pelho, 2 ditos sem cspelho, I guarda vestido, 1 lo-
cador com espelho, 1 rica secrelaria do mogno, I
estante envidracada, 1 aparador de Jacaranda', 2
dilos de mogno, 2 ditos de amarello, 1 mesa els-
tica de amarello, 1 dita de mogno, diversas mesas
de abrir, 1 cama franceza, 1 dila de amarello, I
quariiilieira, marquezas, cadeiras de diversas
qualidades, ditas de balanco, 1 oculo de alcance,
1 prensa de copiar cartas e muitos oatrosobjectus
nue estarlo a vista dos compradores na vespera a
dia do leilo.
Quiota-feira 2 Ra da Cadeia n. 36.
O agente Pinto fara' leilo por ooata e ordem
de diversos dos objectos cima mencionados exis
lentes no armazem n. 36, onde se efiVtuara' o leilo devendo princi-
piar as 10 horas em ponto.
Desde ja' previne-se aos concorrenles que de-
verao mmar conta de seus lotes em 24 horas,
visto ter-se de entregar as chaves do dito arma-
zem no dia posterior ao leilo.
E oulras muitas
203000. '
Os possuidorespodem vr receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das les na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 5" parte da 2a lotera
beneficio do patrimonio dos orphos que se exlra-
hir no dia 25 do corrente.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pessoas que compraren! de 100&000
para cima*
Bilhetes.....65500
Meios.....-. 35250
Quartos.....15700
_______________Manoel Martins Fiza.
Na noite de terga para qaarta-feira 22 do
corrente roubaram da casa do abaixo assignado,
morador na ra do Arago n. 25, os objectos cons-
tantes da relaco abaixo transcripta; assim roga-
se a todo e qualqaer legista, ourives, ou mesmo
particular a quem for offerecida qualquer das pe-
gas roubadas, a bondade de a apprehender e dar
parte ao annuncianle, que gratificar generosa-
mente.
1 redoma de ouro feixada por um parafu=o por
baixo, cheia de agnns-Dei.
1 cruz de 2 1|2 polegadas de ouro macisso.
1 dita de pedras brancas, circulada de aljofares
de ouro.
1 par de rosetas de topasio.
1 dito de ditas de chrisolitas.
I pontero de ouro para menina, enfiado era 4
palmos de trancelim grosso com possador lavrado.
1 raedalha grande com 2 diamantes, enflada em
2 varas de traacelim de oitava o palmo.
1 medalna pequea com 1 diamante de um lado
e 1 pedra branca de outro, enliada era 2 varas de
cordo fino.
1 par de botoes de ouro cortados.
1 volta do corrente de ouro bastante grossa.
1 trancelim de ouro inglez para hornero com
passador lavrado e mola de segurar relogio.
1 trancelim chalo para senhora cora passador o
1 cassoleta redonda lavrada com 1 retrato dentro.
1 par de rselas com 1 diamante granJo cada
um.
1 antico de ouro esmaltado com 1 diamante
grande.
1 dito com 9 diamantes, seadoo do meio maior.
1 par de brincos co:n 2 diamantes cada um.
1 anaelo com 1 brilhante seguro por agarras.
1 pulseira de ouro de gomos e 1 alftnete todo
lavrado.
1 alfinete para senhora com 1 diamante grande
no meio, circulado de folhas de ouro ao redor do
diamante.
1 par de botoes para punho de ouro falso.
1 lonea de ouro.
2 duzias de garfos, 2 ditas de colheres de sopa,
2 ditas de ditas para cha, e 1 concha para assucar,
tudo de prata lisa e obra antiga.
t lago para pescogo e 1 par de brincos grandes
(obra antiga) tendo os brincos 12 diamantes cada
um, e o lago mais de 20 diamantes, seudo o do
meio bastante grande.
I coroa e I cruz de prata para santo.
1 habito para farda decavalheiro da Rosa.
ROUPA.
3 lences de bnm e 5 de bramante de urna s
largura com as iniciaes J. A. B.
(j camisas de senhora, de bretanha, com labyrin-
llio e renda, com as iniciaes M. P. D. B
2 pegas de madapolo fino.
2 ditas encetadas de dito entrefino.
3 varas de esguio.
1 duzia de peitos de hubo para camisas.
1 calca de casemiracor de vnho.
1 chapeo de pello de seda novo para cabeca.
1 balaio com 1405.
1 revolver com 6 tiros.
1 punhal com cabo de marfira com annel e cas-
lo de prata.
1 caivete de mola.
3 lengos novos para tabaco (roxo com pintas
brancas) e as iniciaes J. A. B.
2 corles de chila escura de 14 covados cada um.
i- Aluga-se o terceiro andar e soto do sobrado
da ma das Cruzes n. 20 : a tratar na ra da Ma-
triz da Boa-Vista n. 24.
O Sr. Sebastio Accioli Santiago Ramos quei-
ra vir a ra do Imperador o. 83, segundo andar,
para concluir o negocio que nao Ignora._______
Deor !em do Illm. Sr. Dr, presidente
faco sciente aos Srs. socios, que a | artilla
deste mez t r 1 gar no dia _t; na qual
permittido aos mesmos socios e aos mais
convidados apresentarem-se trajados de
phanta^ia, so!) a reserva de serem reconhe-
cidos pela cem etente comini sao antes do
ingresso no alto*
Secretaria da sociedade recreiativa Cory-
bantina, 14 de fevereiro de 1865.
O t secretario,
________Faustino Jos da Fonseca.____
Precisa-se de urna ama para engommados,
para casa de pouca familia : na ra Direita n.
112, primeiro andar.______________________
Precisa-se de urna ama para o servico inter.
no e externo de urna casa : na ra larga do Ro-
sario n. 39. ____________
Offerece-SB para caixeiro um pequeo che-
gado ha pouco, de idade de 13 a 14 annos, sabe
bem ler e escrever, e tem pratica de taberna, e d
fiador de sua conducta : a fallar no pateo do Ter-
go n. 38.
Aluga-se nma escrava de boa conducta : na
ra do Imperador n. 54, loja de livros.
T. de Aquino Fonseca Jnior saca sobre Lis-
boa* e Porto : a tratar na travessa da Madre de
Dos n.5, primeiro andar.___________________
No escriptorio de E. R. Rabello, ra da Ca-
deia do Recife n. 55, primeiro andar, existe urna
carta vinda de Lisboa para Joaquim Jos Pereira
Na ra da Aurora n. 86, primeiro andar,
ha para alagar urna escrava que eugomma c cosi-
nha soirriveiiiienle.
Precisa-se de dous trabalhadores de padaria
na ra do Ranhel n. 9 : d-se bom ordenado.
Jos dos Sanios Furnias retira-se para Portu-
g^____________________________________
Antonio Fernandes de Azevedo, subdito por-
tuguez, vai a' Europa.
Agencia de passaporte.
Claudino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, tira-os para deolro e fra do imperio por
commodo prego e presteza : na ra da Praia, pri-
meiro andar n. 47.
Maques sobrePortugal.
I* O abaixo assignado, autorisado peloS
dancoMercantil PortueLse. c naausencia 8
[ lo Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- __j
[fectivamente por todos o' paquetes sobre g
lis pragas de Lisboa e Por .o, e mais luga- g
fres do reino, por qualquer somma vis-ggj
i'.a, e a praso; podendo, os que tomaren) i_g
[saques a praso,recehenm>ista.no mes- *2
(mo Banco, descontando 4 0|0 -.(anno: na 3_
loja de chapos da ra do Grupo n.6, ou S
na ra do Imperador n. 63, si-gundo an-
l.lar.Jos Joaqnim da Costa Maia.
precsa-se de urna Na casa da residencia do Dr. Lourengo Tri-
go de Loureiro, ra da Saudade a. 9, fronleira
a do Hospicio, precisa-se de nm criado livre, li-
berto ou escravo, de idade de 10 at 13 aunos, so-
mente para fazer as compras do uso diario, reca-
dos e servigo interno da casa, menos cosinhar : a
quemconvier comparega ateas 9 horas da ma-
nhae de tarde das 4 al as 6 ou das 8 at as 10
da noite.
Nodial3do corrente desappareceu da po-
I voago de Tracunhem, da casa do abaixo assig-
, nado, o menor Joo, cor acaboclada, idade de 10 a
112 annos,pouco maisou menos : portanto rogase
I pessoa que o liver ou delle tenha noticia, laca o
: favor de parlicipar em Tracunhem, em casa do
; mesmo abaixo assignado.
_______Antonio Jos Lopes de Albuqucrqae.
AMA
Offerece-se urna senhora branca de bons costu-
mes e j de meia idade para comprar e cozinhar,
{ prelere-se casa de homem soltciro ou de poaca ja-
milia: na ra da Penha n. 1.
Precisa-se alugar nm sitio perto da cidade,
[ em lugar fresco, preferindo-se nm que tenha pe-
quena baixa de capim e se,a perto do rio : a tra-
tar, quem o tiver, no armazem n. 42, na ra do
Trapiche Novo
Na ra do Queimado n. 9 deseja-se fallar
cora o Sr. Dr. Jos Mana Moscoso da Veiga.
Criado
Precisa-se de um criado fiel, intelligente e lim-
po para servigo de casa e recados, tambem serve
um moleque de 12 a 15 annos, sendo aceiado : a
quem convier dinja-se a ra Nova n. 19, primeiro
andar.
Precisa-se de urna pessoa com habilitagoes
necessarias para ensinar primeiras letras a dous
meninos em um engenho perto desta cidade, e
perto da via frrea : quem se julgar habilitado,
dirija-sc a ra da Cruz do Recife n. 15, primeiro
andar,que se dir a< vantagens que se faz.
lili.
Precisa-se de urna ama para .cozinhar, livre ou-
escrava, para casa de familia r na ra larga do
Rosario n. 12, segundo andar. .
Offerece-se urna ama de leitc : a tratar na
ra da Gloria n. 92.
Precisa-se de um caixeiro rom pratica de
taberna : a traiar na ra da Matriz da Boa-Vista
numero'27.
Aluga-se um sobrado de dous andares e to
to na ruada Penha n. 6 : a tratar na ra larga
do Rosario, arnuzem de longa da torta laiga.
O London & Brazillan Bank, saca por lodos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Precisase de um menino de 14 a 16annos
de idade, dndose preferencia a Portuguez : de-
fronte ao porto do gazomelro. ____________
Precisa-se alugar urna ama para todo o ser-
vigo de urna casa de urna pessoa : no becco das
Ba'rreras, casa n. 3. ____'
Leilo de urna casa lenca n 33 na ra
Velha.
Martins fara' leilo ompetentemenle autorisado
o Blio de laiiciro
pretende seguir com muita brevidade o brigue es-
cuna Joven \nhiir, tem parte de seu carregamon-
to engajado : para o resto que Ihe falla trata se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli- de urna casa terrea n. 33 na ra Velha freguezia
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da da Boa-Vista, e do con>trucgo moderna, propria
Cruz n. 1 para se levantar um sobrado por terem as pare-
---------------------------------._-----------------: des capacdade para isso, a qual faz esquina para
Para o Hio de Jamiro^**^*^^****
a porta da associago Commercial, as 11 horas do
dia.
Precisase de urna ama de meia idade. que
saiba cozinhar, engommar e cusaboar : no paleo
de S. Pedro n. 12.
Sahir com brevidade o paiacho nacional Via-
mo, recebe carga a frete commodo e escravos:
irata-se com Manoel Ignacio de Oliveira & Filho
no largo do Corpo Santo escriptorio n. 19 ou com
o capitn a bordo.
Na obra do Hospicio, de Vicente Ferreira da
Costa, precisa-se de sorventes : a tratar na taber-
na do Peiioto.___________________________
Alnga-se nmaeserava para todo o servico de
casa, muito fiel : na ra do Imperador n. 50, ter-
ceiro andar.
Pjr
Segu nestes dias em direitura ao indicado por-
to o veteiro brigue escuna brasileiro Graciosa, ca-
pitn Jacinlho Nunes da Costa, por ter quasi prom-
pto o seu carregamento ; para o pouco que ainda
pode admettir, trata-se com o seu consignatario
Antonio lie Almeida Come?, ra da Cruz h. 23,
primeiro andar.
Fara Lisboa
pretende sabir em poucos dias o patacho portuguez
Jareo portier a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouco que w; falta tratase em os consigna--
Anlrale Jnior e Antonio Joaquim Vi-nhas Maia, torios Palmeira Porliiguezes, oslabolecidos nesla cidade sob .a Ur- la. 4, primeiro andar.
Leiiao da elegante casa de taipa assobradada
com cochear* e estribara fra, banlieiro
de tijolo e cal forrado de cimento, jardim,
cercado e baixa de capim," ern Casanga,
na estrada real de Pod'Alho.
Sexia-teira 3 de fevereiro de 1865.
O agente Pinto far leilo precedida a compe-
tente autorisago da casa de campo cima men-
cionada, a qual so lorna reeommendada por ser
alm de mui fresca, perlo da ponto peneil, o da
eslago dos mnibus', o leilo ser eflectuado as
11 horas do da cima dito na praga do ComukT-
cio, em frente a Associago Commercial.
Leilo de duas machinas a vapor
Sendo:
L'maparlavel, orga de 14 cavallos, sobre rodas,
cora caldira patele e todos seus pertences.
Os Srs. acadmicos que vo matricular-se
no terceiro anno da Facoldade de Direito, podem
dirigirse a ra da Saudade n. 9, fronteira a do
' Hospiio, onde se Ihes vender o compendio de
direito civil at as 9 horas da manha, e das 4 at
as 6 horas da tarde.
Curso de preparatorios.
Obacharel Ezequel Franco de S\ professor au
lorisado pela directora geral da instruegao publi-
ca, tem aberto nm curso de preparatorios, onde
ensina latim, francez e geographa, podendo para
sso ser procurado no pateo do S. Podro n. 2. De-
clara que tambem se presta a ir tomar lic5es em
casas particulares, e que ensina somente historia
e geographia do Brasil a aquelles que quizerem
se dediear a este til esludo.
Ama ou escrava.
Precisa se alagar ama ama que saiba bem cozi-
niar, ou um. escrava, paga se bem : na ra da
mperatriz a. 47, secundo andar.
Aluga-se um sitio na roa do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea.com co-
piar nfrente, botaos fundos para aestra-
da e margem do rio Beberibe, com com-
modos parafamilia, estribara para cavallo
e capim )ara sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
funlo.com ptimos passeios..sala e gabi-
nete na frente, muito propria p;ir;ipassara
festa.eainbera se alagarporanno: a fal-
lar no Recife, nalivraria n. Gc8 dapraca
da Independencia, eem Olinda nacasacon-
tigua:om o capito AntonioBernardoFer-
reira^____________________________
Fabrica de chapeos de sol de J.
Falque, ra do Crespo
n. 4.
Nesle estabelecimeato se encontra sempre um
completo e variado sortimento de chapeos de sol
de seda, alpaca e pannos de todas as cores e qua-
lidades, tanto para homens como para senhoras e
meninas, dos primeiros de i500 para cima e dos
outros de 15500 para cima. Bita fabrica acaba de
receber um esplendido sortimento de sedas em
peca,das melhores cores e qualidades para apromp-
tar e cobrir os chapeos de sol a vontade dos fre
guezes, assim como alpaca e pannos de todas as
qualidades, tndo por preoos razoaveis e perfeico
no trabalho. Concerta-se toda e qualquer qoali-
dade de chapeos de sol com presteza e commodo
prego : na ra do Crespo n. 4.______________
Albuas
i. Falque participa a seus numerosos freguezes
que elle acaba de receber pelo vapor francez Bearn
o mais completo e variado sortimento de albuns
para retratos que se podo ver nesta cidade, vindos
directamente de um dos melhores fabricantes de
Paris, e por isto pode vender por mu'to menos
preco que em outra qualquer parte, sendo albuns
finos de 12 at 200 n iraios e de 1-3 at 605, ha-
vendo entre elles riquissimos albuns de velludo
de seda, madeirn, etc., muito proprios para pro
sentes, slbereoscopos com 12 vista?, pelo barato
prego de 45 ; restam poucos, por isso devem-sc
apDroveitar: na ra do Crespo D. 4.
_| bacoarl Antuuio Aunes Jacome
j Pires reside na ra do imperador
I n. 81, segundo andar, onde pjde
ser procurado e alvoa
O Sr. Leopoldo Cadault tenh? a bondade de
vir a ra do Imperador n. 83, segundo andar, a
negocio que nao ignora.
Precisase alugar urn prelo para servigo
| desta lypographia, ao qual dar-se-ha sustento, e se
j pagar per semana ou p< r mez, segundo convenha
: ao senbor : a tratar na praca da Independencia
ns. 6 e 8._______________.___________
Os abaixo assignados agradecem cordiamenle
as autoridades poliriaes, officiaes da guarda nacio-
nal e de polica, assim como a todas as pessoas que
tomaram nteresse na eztlngo do iccendiu havido
na noute de 20 do corrente", em seu armazem do
Forte do Matto, em que tinham rccelhidas 26 sac-
cas com algodo, enjos exforgos e boas medidas
deveram os abaixo assignados a salvago de 25
saccas.
Recife, 22 de fevereiro de 1865.
_____________________ooo ,& Filho.
Rapa, eu da
O Julio est na ra de Santa Isabel n. 9 com ri-
I eos e novos vestuarios, tanto a carcter como a
' phanlazia, vende e aluga por pouco dinheiro.
Aluga-se a casa n. 199 da ra Imperial pa-
; ra padaria, com forno e todos os utencilios : a
, tratar no largo do Carmo, esqniaa da rna de Hor-
[ tas n. 1___________________________
Quem precisar de urna ama para lodo o w r-
i vigo de ama casa que seja de familia cu de ho-
| mem solteiro : dirija-se a ra do Jardim n. 29,
1 que achara com quem Iratar.
Alugam-se o soguudo e terceiro andares da
casada ra do Trapiche n. 46, com capacidade pa-
ra grande familia : a fallar na ra de Apollo n.
35, primeiro andar.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e liba de
S. Migue', na ra do Apollo D. O, escii; -
i torio de Carvalhoe Nogue ra.
m

ra#
No dia 14 do corrente perdea-se do tribunal do
commercio em segal ment a ra do Imperador
praga de Pedro II, nm pequen.) auto de aeeao or-
dinaria em que sao partes, como autor o Dr. Jos
Joaquim de Spuza, reo Manoel da Silva Nevos :
roga-se pessoa que os c,Iidu que tenha a honda-
do de o levar rita nova do Santa Rita n. 59, ou
no cartorio do escrivao Paes de Andrade, na ra
do Imperador junto a secretaria de polica, que
ser generosamente gratificado.
G'ompaahia fldelidade de
segnros martimos e ter-
restres estabcleeEda no
ISio de <9a_elro.
AOENTES F.M rEPNAMBl'CO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
do, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e prodios nc seu escriptorio ra da
Cruz n. I.
__*
E-l para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um Io e 2* andar de nm sobrado
na ma do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Jno
de Barros, com arvoredos, agua de beber, c portao
para o becco do Pombal : qaem pretender faite
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 hor/s da
manha at ao meio dia. ________________
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 24
do ra da Cadeia do Recife, entrada pelo becco
Largo : a Iratar no armazem do mesmo sobrado,
Tin tur aria,
Precisa-se ulugar nina ecrava que seja fiel
e de boa conducta, para comprar e cozinhar para
casa de pequea familia : na ra das Cruzes n. 21.
Na mesma casa compra-se urna negrinha de 4 a 6
annos de idade.
Precisase de um rapaz portuguez de 16a 18
aunos, que saiba ler e escrever, para administrar
urna casa de rancho perto desta praga : a pessoa
que quizer, dirija-se a ra do Livramento n. 24,
taberna.
Na ra Direlan. 116 conlinua-se a Ungir para
qualquer cor, e o mais barato possivel.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, que lave, engomme, cozuhe e compre
na rita do Caldeireiro n. 70.
Precisa-se de am caixeiro para taberna, de
10 a 12 aunos : na ra da Guia n. 42.
Augusto Ferreira P.nto retira-se parTportu-
gal a tratar de sua san Jo.___________
Precisa-se de um bomem para trabaihar en
um silo com planta de capim, eiu Beberibe : a
tratarma ra Direita u 69.
Domingos Rodrigues de Andrade, na roa da
Cruz n. 33, saca contra a praca do Rio de Janei-
ro, vista ou a praso.
V

i
s


%
Diario de Pcrnaoibuco Safefeado 5 Je Feverelro de la.
Attenco
0 abaixo assif nado em virtada de urna carta
dos Srs. mbelino & Irmo. cemmerciantes esta-
belecldos na povoacao de Timbaba, doclara por
parte dos mesraos senbores, que tendo el les aceito
urna letra proveniente de fazendas que compraran
para sea comraercio, era 12 de setembro do anno
prximo passado ao Sr. Joo iartins do Rio, da
quaolia de rs. 2:8815656, a qual foi paga era 31
de Janeiro do correte anoo ; e como tivesse o
mesmo Sr. Rio remettido a em urna carta e esta
Ibes nao fosse entregue, assim, pois, previnem ao
pnblico, e especialmente pessoa que por ventura
a tenha achado, e ao mesmo portador que a cm- '
dazio, cujo aome se ignora, que querendo restitu-
la, visto someote ulilisar este documento aos Srs.'
mbelino & Irmo, entrega-la ao abaixo assigoa-
do em seu estabelecimento na ra do Queimado
n. S, toja de fazendas.
__________ Irloo Januario de Oliveira.
Aluga-se o segundo andar e soto com bas-
tantes commodos para grande familia, na ra da
Penha n. 3 : a tratar na ra larga do Rosario, ar-
mazem de louca. ____________
0 GASTELLG DE GRASVILLE
Traduzido do franeei per A. J. C. da Cruz.
Yende-se esle bello romance em quatro
tomos pelo baratissimo preco de 24500:
oa praca da Independencia, livraria' ns.i
6 e8.
PASTILH S 3
IGESTfVAS
EPEiW I
1
DE WASMAW
As pastilhas digestivas com a pepsina ie Was-
man, empregao se com succcsso h j algn
annos pelas celebridades medicaes de Par,
; Londres, Vienna, etc., cm todas as ineommodi-
dades era as quaes a digeslo difficil, penosa,
FOLIUXUAS
Para 1865.
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da | imperfecta ou" mesmo inpossivel: eis b melhor
praca da Independencia: i '"dio para cural as
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o ^^J'-
Kalendarin civil e ecclesiasticc tabellas Embarace"'cairicoa.
de feriados, de emolumentos dos tribu- *____
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contando o
mesmo que aqueHa e mais orna nova
Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
Aa ffcccr orgunl-
raa do ealdmago.
Dlarrhraa e a ronatl-
pnrao aroduklaaa
peina elaboraeoea
dcrrrluoiaa daa all-
lIlCIltOH.
Previnese ao thesoureiro das loteras que nao
Sague, caso sai premiado, o meio bilhete garaoti-
o n. 2526, o qual foi perdido no dia 23 do corren-
te pertencente a Marcelino Guedes dos Santos J-
nior.
Na ra do Imperador n. 16, primelro andar,
preci3a-se de urna anu para cozinhar.
Joaquira Jos de Aadra le, subdito portugae,
vai Portugal, e deixa por seos procuradores bas-
tantes era 1 lugar o Sr. Jos Crrela Braga, em
2o Domingos Jos de Araorim, e em 3o Joo Cus-
todio da Silva._________' _____
Escravo fgido.
Desde o da 12 do correte que se ausentou da
casa de seu senhor, ra da Alegra n. 9, o escra-
vo pardo de nome Andr, idade de 10 annos, pou-
co mais ou menos, baixo e cheio do corpo, com
marcas de bexigas, barbado; com passa piolho, e
quando olha parece querer fechar um olho, quan-
do anda inclina a cabeca para um lado, tera ca-
bello cariado e asa de banlia : este escravo veio
cerca de dous annos da provincia do Cear em-
barcado: muito ladino, tem a falla muito des-
candada, e falla sempre com muita moderado e
humildade, consta que anda pelo bairro da Roa-
Vista para a Soledade, caixa d'agua, e ra do Cis-
co, tambera tem sido visto no Rccife e Santo An-
tonio, mas poucas vezes : quera o pegar pode le-
va-lo casa cima mencionada, que ser genero-
samente recompensado por seu senhor Jos Anto-
nio Bastos._______________________
Charles Daumerie, alfaiate francez, participa
ao respeitavel publico e a seus freguezes em par-
ticular, que mudou a sua casa que tinha na ra
da Cadeia n. 11 para a mesma ra n. 26, esquina
do becco Largo.___
Perdeu-se desde o sitio do Sr. Manoel Igna-
cio de Oliveira, na Passagem al a casa do falle-
cido Luiz Gomes Ferreira, no Mondego, urna cai-
ra de tartaruga parda que tera na lampa as ini-
ciaes J. J. M. S. com a insignia da legio da honra
entre as quatro letras : quem as qui/er restituir,
dever dirigir-se ao Dr. Sarment pai, no campo
das Princezas.
Em todas as molestias cmpregSo-se a minde as
aguas alcalinas, especialmente o agua de Vichy,
e igualmente as pastilhas de Vichy. Esse meio i s
em verso, devocao ae agonisante corac3o; fer^oSSotS^^Safi
de Jess, cntico em louvor dO SantlSSl-, de Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
mo Rosario, canCO a Virgem Maria NOS-, alcalinos empobreccm o sangue e isso de tal
sa Senhora, trinta e tres chistosas anee- \ ""i\fe* ues nebaiho a parte vivificante,
i ,.. i utritiva c reparatnz. Com a pepsina, a contrario,
dotas, um indito poema sobre as aven- c ellauria substancia orgnica, albuminosa,
turas de um COzinheirO, O canto de uma ( transforma-se ao mesmo lempo que se effectua a
SOlteira (poesa), crescido numero dema-, transformacito_ dos alimentos assimilhando-se
virrias nontamonlns lima hietnrii rnmft como clles e aJudo la6bem como ellcs a nutricio
ximas e pensamentos, urna historia como Sua aC),5o vivifica 0 fl e o_
multas (romance), e vinteCinco novase; o\italsorteque,aihaspcssoasquesemsoffreras
pilhericas Charadas a 320 rs,. affecedes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente fracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessilo substancial alimento para for-
tificar se, acho no emprego das pastilhas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhas
pepsina de IVastnan diu causa a se fazerem fal-
siheaces c imilacocs d'esse producto que os
mulos se quercm desfazer. Pois por falta d'umi
boa preparacSo a pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradoras que as pastilhas tenho
asiniciaesB. P. e saio da pharmaciaGhevrier.
Depsitogeralem Pars, pharmaciaGhevrier,
l, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrtngeiros.
COMPRAS.
Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na lojs. de bilhetes da Praga da Inde-
pendencia n. '12._____________________________
Compram-se diarios velaos a i3 a arroba :
na ra dos Quarteis n 15.___________________
Algodao em carolo.
Compra-se qualqaer quantidade por maior pre-
ro do que se paga no mato : na fabrica da traves-
ea^doCarioca^S^caes^oIiamcs._____________
RIVAL
SEM SEGN 00
Na ra do Queimado n. 49 e' 55 tojas de miude-
zas de Jos Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por precos mais barato do que era
outra qualquer parte, quem quizer ver o que a
bom e barato venha a loja do Rival.
Latas com superiores banha............
i Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito tinas___
Enfeites do melhor gosto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
Pulceiras do melhor gosto e modernas.
Volia para pescoco do melhor gosto....
Baralhos para voltarete, linas a 200 e..
Varas de franja branca de linha que
tem muila serventa.................
Duzia de pennas d'aco muito superiores
Frascos de oleo Bhoza muito finos.....
Talheres para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.....................;...........
Duzia de colheres d metal muito finas
para sopa...........................
Duzia de colheres de metal muito finas
para cha.,......................
Grosas de botoes de osso para caiga...
Grosas de botoes madrepcrula para ca-
rniza..............................
Gro=as de boles de looca prateados
muito finos...........'...........
Varas de bahado do Porto sonido.....
Duzias de lapes dilterentes qualidade a
240......:.............!.........
Quadernos de papel de peso muito lino.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo muito boas-----
Sabonete de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................
Crelao para dezenho de todas as qua-
lidades...........................
Cartas de alfineles francezes muito su-
periores..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................
Carreteis de retros com quatro citavas..
Golinhas para seuhora a melhor quali-
200
240
:J20
25500'
19280 I
500
500
2401
060
060:
200
2401
500
25400 \
I i500'
200
500
200
060
400
030
25000
25400
040
500
25010
[10C
500
020
ICO
:60
' 800

8 S.8 3
Sffsffiiiif
ls.as9'SSfa,l
2o > m a> 23 "=S <

- 3 "" S. "
O 3 n 5 I
5'
iiQ&t?: B-s-i'i.
S-1-l8S|S.I.fI!
5 ^5 =."0
n
B
2.D.cT5.!>
-a g-o
a
H
o
O
p a

s.
m
I
O.
E
s
<
o
A
O
3
a

a
<*
a.
o
"S-
I h i i-
3" -I o ?
a
o
Compra-se um escravo de idatte que
sirva para trabalho de >itio: nesta tvpo-
graphia se dir quem quer.
Compra-se uma escrava de nieia idade : na
ra do Santa Rita n. 13, priuieiro andar.
Compra-?e uma escrava de cor preta que sai-
ba cozinhar e engomraar : quem tiver dirija-se a
Ilha dos Ratos, ra do Seve n. 3._______________
Na ra do Livramenio n. 21, compra-se um'
violao pequeo para menino.
200
Noarmazemde fazendas ba-
ratas de Santos & CoOlho
[ua do Queimado n. 19.
Vender o seguate:
Lences de panno de linlio
pele baratissimo preco de 25400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 35500.
Coberta de chita da India.
I "
8
S
3
3"
*>
CA
3.
|
gil
S. S.H
9 3 S
c s n
p
"es 1% 2
* i 3 S' o 5
silllS
3 -i p a. 9
P' B Z
sfsrf K
1*11*-
C0MPEND10 D0L0E0S0
que contm o Cifficio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de rsar e offerecer a co-
rfia, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se ada erecta na egreja de N.
S. da Peoha do imperial hospicio dos re-
verendos padres misionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pecnambuco,
approvado por S. M. I., que Deus guarde;
dad luz .por devocao do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vndese a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
la praga da Independencia._____________
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natural
dos cabellos.
A agua florida nao ama tintura, fcto esseo-
c al aceatestar, a mesma aguadando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas *
de substancias inofensivas, ella tera a propnedade
ie restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tea perdido. D'uraa salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabega
lestroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
eonstite poderosamete, com a Agua Florida, a
torga, a belleza e a conservagao dos cabe ji.
Em Paria, casa de Qaislaur n. 12, ra de Riche-
lien, e 21, boulevard Montmar're.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, >
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
r \ aposito, roa do Imperador, pharmacia h. 38.
cBcrsusoaiooT "-i o o J

J
5 "o
M
o-* s.a.g'-'Ss:^.
=. ce O
S
= T3
-a -j
5 g w 5
O) T3 "
-^ rr. OS
O. c
a ,*srs g s 3-5"?
1 % 3?-2",2Bo.2.cr-
Bi
SJ

O)
.

s* rr w ffj o co
B?g-O.S a>
"1 O
* 3. S
* 3 o. s."w 2 o 5 =;
a a a> o a,
2 3 > s
3 ft f I
O 1A
1
SJ Saro,
- 8fKH
o.-o
=j
2

o
II
S"SS
o =: o. r ~
en se o S"
3
3
o

j>
2.

fi*
3
19
3:b
2 & *
Cu tD *3
o* 2 3 2
S as a> >>
. "1 w CU
03 o
3
o
o S
2
CU
O OS
-i O en
t3 te
o -
2
M 03
si
3 5*
13 03
3" "
03
c
m
-S
es
s
i
i*
BHI
c
CO
o *
a-i
na
ll
S 3 O o
Ni!
|*ra
_ S o-ora
3 c o
a
o
? 2 B
-3 2?g
w I en
*E
i"-
i|i
i
'I
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J.LEPINE
Resulta petas experiencias fcitas as Indias e em
Franca pelos mais afamados mdicos que as GRANU-
LAS e O XAROPE de nydrocotvi.a ASITICA t
J. lpixe sao o ptimo remedio contra todas as espe-
cies de imi'h.vs ou herpes e outras molestias d
Copra-e urna balanga grande romana
quem ti ver dirija-se a' ra Bireita n. 3o.
VENDAS,
Attenco.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
uma duzia : em casa de Johnslon Patcr & C. ra
do Yigario n. 3. ______
LMANAK,
Acaba de sahir dos.pr-
los de nossa typographia o
Almaiiak Administiativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$;; n livraria ns. 6 e 8
Para, a carnaval
Os dminos de nova inveneSo, a ingleta, falo
flr.e alm de servir para o brinqivdo do carnaval,
ambem proprio para mjar por casa a frasala,
fjelo diminuto prwo de 105 : na ra doQnei-
mad'j n. r7.
Yetide-sci uma taberna bem afr^sue/ada pa-
ra a trra : a tratar na ra das.Calcadas n. 0.
Vende-se calcado francez da barra francza
S. j -o da Luz, na'ra do Livramenl3 n. Si.
I! irzaguins delustrte (Xantes) 65000.
Ditos de bezerro de tres solas (ames) 65000.
Ditos de bezerro de duas solas 65000,
Sapato de tapete 640 rs.
Milbo novo cm saceos grandes: no trapiche
d* Cunha, a tratar eom Tasso Irmo?.___________
VESDESE
um rico vestuario a Luiz de Camdes c uma eabel-
leira inteira, tado quasi novo e por preco eom-
nodo : no hecea dos Pecados Morlaes n. .______
__ Os elementos de din>il ,ik\to (2* edigao), compostis pelo Dr. Vicente Pe-
reira do Reg, e definitivamente approvados por
;v erem adoptados como compendio as Faculdades
de Direito, acham-se venda na livraria econmi-
ca ra do Crespo n. 2, ou no escriptorio do au-
tor a raa do Queimado n. 46, primeiro andar.
Salitre
\a roa do Queimado n. 37, leja de ferrasen^ de
Domingos Jos Ferreira Guimara-ss, vende-su sali-
tre refinado por 235 a barrica de i arrobas ou a
65400 a arroba ?6 a dinheiro.________________
Papel para flores
Vende-se a toma a 169 r.-\, de tolas as cores :
na ra da Cadeia do Recife n. SO, segundo andar.
Vende-se uma taoern7 em Olinda, na ra
dos Quatro Cantos d. i, com poneos fundos, e em
um dos melhorcs local; o motivo da venda o
dono retirar-se para tratar de ?ua saude : a tra-
tar na mesma. ___________
pelle, at as mais inveteradas, assim como a lepra
OU MOltrHE \, a SIPIIILIS, as MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS, os RHEL'MATISMOS chronicos, etc.
Deposito geral em Part, cm casa de FOURNHR
LABELONYE, ra BourboH-VMeneuve, 18.
Deposito ral em Pernambnce ra da
Cruz a.22 em casa de Caros & Harboza
Camas de ferro proprias para;
collegio.
chase a venda grande sortimento destas ca-
mas, assim como de utras : a ra Novan. 33.
M4CHIMSBEATENT
de irabalhar a mo para
descarocar aigodSo
FABRICADAS
Por Plant Brotbers & C.
OIDAH
Estas machinas
podem descarocar
jqualquer espe'cii
'/de algodao sen
estragar o o.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pd
descarocarj uns
arroba de algo-
dao era carocc
em 40 minuto's.
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
fcpelo baratissimo preco de 95800.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 25 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para Pecas de cambraia de forro, a 2>G0O.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, o e 6 palmos de lar-
gura, por menos preco do que em outra qualquer
parte.
Toalbas al.codioadas para mos
o5aduzia. com 10 varas cada peca a 400, 480, 300 e 600 i mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
Laazinnas caroiezim mtunmnas ; rs n0 g||ante roa j0 Crespo n. 7. agricultones a virem ver e examma-lo, no arma-
proprias para vestido de menina, a bOO res o co-; ct|chotes em cartio de uma e duas carreiras zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Precos que admira.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descaroyam 18 arrobas de algodc
Balos de tranca superiores pelo barato prego limpo, uor dia; e motores para mover uma, duas,
I de 1-3 o par, e dzia 105 : no vigilante, ra doeatr;s dessas machinas.
Crespo n. 7 O mesmos tem para vender um bellisslmo va-
luco adamascado de todas as largaras, a pega por que pode fazer mover seis destas machinas
vado.
60 rs. cada
._.,,._ perita?, pelo barato preco de 40 e
Laazinhas Ge cores unas < cartiio, e duzia a 400 e 'OO rs.
do melhor gosto que ha no mercado, a 360 ris e j feotes para alar cabello, aduca a 15200, 15600,
covado, neste armazcm de fazendas se encontrar 25,35,4-5 e 3$.
um grande sortimento de roupa fcitae por medida | Balaios propriamente para costura e para frue-
------------------t=t-------------.-----------------------I tas,epara menina trazer no bra^o a 15-300,15600,
Piano torte. '15800,25625300.
Vet^feum muito bom e I '^fumaria, m.cae perola aA5, 25200, Me
rf==b
Nova n. 11.
lindo piano forte de armario
e 3 cordas verticaes, fabrica-
da cpeeialmente po: encom-
menda e desembarcado a 8
das : na leja franceza da ma
Bolacliinlia de soda.
Gr xa 97 em potes.
Qtieijo de pinha.
Conservas.
Serve ja prela e branca de Bass.
Ditos francezes.
Vinho Bordeaux em eaixas.
Ameixas em vidros.
Vende-se barato para lechar conta -. no arma-
zem deThomazTeixeira Basto?, na ra da Cadeia
do Recife n. 60.
a dusia, oleo de maozinha a e 65 a duzia,
banha a 35, 43 e 55 a duzia. Estes objectos se
vendem por admicaveis preeos em consequencia
de serem arrematados dossa'lvados da barca fran-
ceza, pois atfanca-se a Donoa avana p a boa qua-
lidade} s ko galo vigilante, ra d^ Crespo n. 7.
A zeite de carntpato
Vende-se por atacado oa a retalho, mais barato
do que vendem o matulos as cargas : na fabri-
ca ia travessa do Carioca 0. 2, caes do llamos.
CliegucHi Borzegoias gaepiadoa para senhora a 25^00.
Ditos ditos para menina .i 15500.
Ditos de duraqae s para senhora a l$'i')0.
Ditos de dito para menina a 15.
Camisas franeecas de cores a 15-
Ditas ditas brancas a 15600.
Chapeos de seda muito linos a 65-
Ditos de Miro finos a 23.
Perfeitos e bonitos cortes de casemira a 65-
Pecas de algodaozinho a >">.
Una dos Onarieis, luja de sapatos n. 22.______
Prelo
em saceos de mais de 100 libras
de Tasso Irmo?.
nos armazens
/iTTENgao.
Estopa larga
superior a 360 rs. a jarda e a vara a 460, estrel-
la a 240 rs.'a jarda : na loja da ma da Madre de
Dos n. 16 defronte da guarda da alfandega.
VenJe-se uma taberna bem afreguezada para a
trra, sita na travessa do Pocnho n. 37 : a tratar
cora Jos Joaquim Alves, na na Nova n. 69.
Vende-se ou hyp-jtheea-e pela quantia de
um cont do ri?. um sitio no lugar do sfamjnioho,
na esquina da ni i Ueal para a da Anaisade, o qual
est sem morador : na ra da Sauu Cruz a,S se
dir quem faz taes negocios.
DBOGAHIA.
3 iRa Urja Jo Uosario3
Bartholoiuea Francisco deSouza & C.
Veudeta:
Acido actico puro pira retratista.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em lat.i.
Alvaiade Veneza, lino, em pies. _____
Ovas do sertao.
TE
\U
j
Sauoders Brothers &. C
X. II, pra$a do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz. _____
4UBNC11.
FUNDICiO LOW-M001.
Rita da Senzalls uota n. i2.
Neste estabelecimento contina a iiaver
m completo sortimento de moendas e meiai
noendas para engenho, machinas de vapor
a tachas de ferro balido e coado, de todos o
;amanhos para ditos.__________________
Arados americanos e machinas para
iavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
ma da Senzalla Nova n. 12.
Fazendas preta s para aquu\
resma.
Xa loja do Pave.
Acha-sa esle estabelecimento completamente sor-
lido de fazendas pretas proprias para a quaresrsa,
a saber :
Grosdenaples" preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros mais estratos tendo dos precos de
15280, lj-600,15800, 25, 25400 e 35, superior!
moreaBtique preto a 35, superior sarja preta bes-'
panhola, superior setnn preto maro, ricas capa?
pretas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
ladjs, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos que tem viudo, superiores manteletes, cannsi-
Khas com manguitos proprias para loto e ricos
chales pretos de rede, indo isto ?e vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavao ra da Itnperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavao.
Acha-se neste estabelecimento um grande sorti-
mento de roupas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos da panno preto
muito lino e forrados de seda a 225, 235 305,
ditos forrados de alpaca a l5, 165 e 205, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de bnm de !oJ.is as qualidade?, collete?
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, setins
ele, sendo todas estas obras corladas por um dos
melhores mestres naciouae?, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavao ra da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva. ..
Chitas em caries coa 10, 11 e 12 covado a,[gaeM?.e >remeiuipnMfto
Na loja do Pavao vende-se uma grande porgao iriau *tmU de abjecoa de muito gosle |a
de cortes do chitas nncezas sondo claras e escu- acaba de recebr.
ras todas de cres xas com 10 covados a 33200, Ricas caixiahaa com msica ricamente enfeia-
com I covados a 33W) e com 13 covados a 45,' das ,ara -ostura, proprlo .ara u,n leli ado e-
pechtncha para se apurar dinheiro : na loja do : uni. ""4UU "
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperalriz n. 60. ftiqjissimos cofiresinhos com cadeados de rrel;)
Cirande liquidado. para guardar joias.
0 VIGIL.4ME
ttua do Crespo n.
O gallo vigilante tendo sido ag aciao peiOjcni-
poso Raliisa, na sua urdetii du da, e pela Liu.ca
Aguia. apesar de que, para este; o Galle re seus
agudusespores uuncaos uffender, antes o^aila-
ciara na mesma couformidade, para qut o Eaiua,
sa
sen
possamarchar em frente, a Branca A-guia ir s
levaotar-eu vo,|levando no bico as paliDhas se
ninho; -. o Gallo licara em seu espa^osu
Jando de novo o sea csnlo annunciaudo
eitcao
A
\ova loja de fazendas e roupa
Celta nacional, rita da empe-
ratriz, loja de 4 portas n. 99.
Chitas da loja n. 72.
Vcndem-sc chitas linas a 240 e 280 o covado,
ditas francezas finas a 320, 360 e 400 rs. o covado,
cas?3 franceza tina a 380,360 e 400 rs. o covado.
ai.. .[.. ;...i.,(Q ,...,..;., .,... An laazinhas para vestidos a 360, 400. 500e560e
Obra absolula-ieflle propria para eo-!(.i)vail0)|ie(,as(lenia(lannlSolh;0 a 6r5j Ui 8&e
IreleaiaeaUr.
95, pe<'as de algodao a'55, 65 e 85 : ra da Im-
peralriz n. 72.
!!'iii;i:i Mil nacional
Vendem-se paletots de panno lino a 145, 165 e
185. ditos sacaos a 65,85 e 105, ditos de casemira
deeorosa ti,5, 85 105, ditos de brim de cores a
25-I00, 35 e f, Caigas de casemira prela e de co-
res, rolletes a caifas" de brim de cores a 25000 e
25300: ra da Imperalriz 0. 72.
Sonlatnbarqiie a S;>.
Vende-se soutambarque de lasinha a 75 c 85,
ditos de ilpaeabranca a 85 o 105, ditos de gros-
doque em outra qual ,,ier part-, approT.'it peehinchaque a .|aare.mabate porta. IllcnaP,e nnasa ^e 2^> "anno fino Wl***,
Acham-se venda, na ra do Imperador n. lo,
defron'ode S. Francisco, os seguimos testunentos-:
da Gallinba, do Gallo, do Cachorro, do Porco, do
Per, da iki a Tifre, do Vigario e do I.'Mo ; a Pe-
leja da Alrn.-i*. S. .Miguel e o Diabo, 1<>0 rs. cada
um ; aprovekemem quanto tempo. Igualmente
ha ven Ja sartas de A C, laboada-, pauta*, e
utrofiobjectoa proprios para as escolas.
Na ra da Madr de I) os v. 0 vende-se feijio
mu itinho.dio branco, e dito preto, mais b-jralo
Vende se
machina para dettarocar a'godp, com motores
para animaos : na ra da Sentis Nova u. 42.
Vende se a barraca Paraguast, de lotacao de
20 caitas, qua-i nova, bem construida : a tratar
na rua do Crespo n. 7 A, cuja barraca se ac.ha
fuudeadadofrOBte do trapiche do Sr. Machado.
fonaVse p calo restaarante do com-
merci'! na na do Trapiche Novo n. 22:
qaenr precisar pode dirigir-se a dia casa
que acha com quem tratar. ^^^
Vende se ovas do soriao n uito fresca., na roa I tlHMlO-i-OillilQO t C Port'aH
da Santa Cnir n. o, junto a ribeira. i goj artnatesi de Tasso (nrief,
1, 45 e 35 o carado, eacmira preta a 25, 25300
e 35, rosienaple preto para vestido a 15600, 25 e
25-500 o ovado : rua da Impe;atriz n. 72.
Corles de la Hara l'ia a 10.--
Vendem-so corles de vestidos a Mara Piaa 105,
1 i-5 o 165, cortes de cassa franreza a 35, cortes
do brim para ralea a 15600 e 25, ditos de case-
mira de cor a 35, ditos de dila prela a 35500, 45,
35 e 65 : rua da Imperalriz n. 72. Esle novo es-
abfleeimento vende barato para obter freguezia :
na roa dnlmporatriz, loja n. 72. __________
r Lia pnra bordar
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38
receben nm grande, sortimento de laa para bor-
dar das m'ihores cores que tem chegado, a qual
m vend barato, tanto em libra como a realh",
Rua da Imperattiz n. 60, loga de fazendas
do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se esle estabelecimentocompletamente sor-
tldo de fazendas inglezas. franceza?, alleuias e
suissas, proprias tanio para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
era outra qualquer parte, principalmente sondo em
porgio, e de todas as fazendas dfio-se amastras,
deixando flcar penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
Camisinhas a I $.
Vendem-se camisinhas com manguito?, sende
I muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato preco de dez tusioes cada
uma : na loja do Pavao, rua da Imperalriz n. 60,
pe Gama & Silva.
Cortes de cassa a 3.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassn, tendo
7 varas cada corte, com desenlias muito delicados
pelo baratissimo preco de 35<0 o corte : s na
loja do Pavao, rua da' Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito Fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo nreco de
5 tendo 81|2 varas cada pega, ditas muito finas
a 75, 85 e 95 a pega, ditas victoria com 10 va-:
ras pelo baratissimo precede 75, 05 e 10jj, ditas'
Garrazes fazenda mii'to 'encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 r?. a vara ou 25600 a pe-
ga : isto na loja do Pavao rua da impojatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos du Pavo.
Grande pechincha a 35300.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitaeao de tarlalana com moitos
delirados desenlio?, muiio proprios para panillas e
passeios pelo baratissimo preco ne 35500cadaum,
sendo fazenda que sempre se'vendeu a 75, na loja
do Pavao, rua da Imperalriz u. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos a 1 o a 7$
Na loja do Pavao vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pa, sendo bordados e com barra?,
pelo barato preco de 45 e 75, sendo (aterida que
val muito mais dinheiro, isto por iiaver grande
porcao, na loja do Pavao rua da Imperalriz n. 60,
de Gama & Silva.
Ilicos soutambaniues do Pa\o.
Acaba do chegar um rico sortimento do sou-
tambarques do grosdenaple preto muito bem
entenados, que se vendem pelo barato preco de
205, 225, 235, 305- Capas e easacos de glace pre-
tos que se vendem muito era cenia: na loja do Pa-
vo rua da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os enfeites do Pava.
Vendem-se os maismodernosenfeitesparacabera
de senhora : na loja do Pavao, rua da lmperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
is laazinhas transparentes a 100 rs.
_ Xa loja do Pavao vendem-se as mais modernas
laazinhas transparente?, sendo de listas miodinhas
a imitaeao das sedinhas, pelo barato preco de 400 i
rs. o covado; ditas entestadas de uma s cor e|
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou- i
pas de rriancas : na loja do Pavo raa da lmpera-
triz n. 60. de' Gama & Silva.
As cassas do Pavi).
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de
padroes mlndinbos e grado*, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
rs., por Iiaver grande porc.". na loja do I'avo,
rua da lmperatriz n. 60, de Gama i Silva.
Casimiras escossezasa 1,1100 rs.
Vende-se as mais modernas casimira? escosseza?
proprias para caiga?, rolletes, paletn, roupas para
enancas : na loja do Pava, rua da lmperatriz
n. 60, de Gama t Silva.
los vinle mil covados de ia.
Grande pechineha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transparen-
tes, sendo com llstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, tendo de tudas as core?, assim como pretas
e roxas para luto, pelo baratissimo preco de 240
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de seda Maria Pa, tendo de todas as cores, e
aleumas proprias para lulo, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, isto por haver uma grande
porgao : na rua da lmperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Mara pa,
Grande pecbiucha a 10-3000 rs.
Chegaram o? mais bonitos curies de ia Maria
Pia com as barras primorosamente bordada?, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, sendo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 105 o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 covados cada un a 105, ditos de cambraia
cora barras bordadas acrox na ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 65 : na loja do Pavo, rua da
imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a SCO es.
Chegou esta nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas p3ra crianzas, com
muito delicadas cores, moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vao, rua da Imperalriz n. 60, de Gama A Silva.
Laazinhas Usas.
Vendem-se as mais linas laazinhas de uma s
cor, ton l-i grande sortimento : nalqja do Pavo,
roa da lmperatriz n. 60, de Gama Si Silva.
diales argenln is de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com Iros ponas, sendo
todos preti?. e lamhomcom assostos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercvlo, 1 icameute bordados o oercolados de um
elegante bico preto de mais de palmo de largura;
estes modernsimos chajes nS 1 vi sao proprios
para passeio por fazerm Dina elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresrna : vendem-se
um menle na luja de Gama & Silva, rua da lm-
peratriz 11.60. loja do Pavo.
Soutambarquesdeoor na loja
do Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapar Iraacoz os mais ri-
cos sontambarqnes e cores, sendo os mais bem
enfeitados que tem vindo a asta mercado, com
adornos da velludo, seda e setim, renda, etc., ^
avista do grande soriimeuto que os freguezes
podem dar o veidadeiro apreco a esta fazenda, e
vende-se pordillerenles preros conforme a qoali-
dade : na loja do Pavo de Gana e Silva, rua da
lmperatriz n. 60.
Micas .ivas com estejo, ciiendo lotlc os per
tences para homem.
li llssimas voltas Qngindo parola.
Ditas com lacinlio de lita.
OUas doliadas cores e preta, de todas as gios-
tdndosalertjeos com pedrinhes Qngindo bri
Ihantes.
Ricasfi-.vllas pararinto.de todas as qualidades
o bom gesto.
Ricos rii.tos do ultimo costo de Paris.
Grande sortimento de lindos enfeiie? para r.te-
ga, sendo do ultimo gosto e de lodos os prtei
Plores muito tinas para noiTas.
Luvas enfeitadas e metas de seda pata n;\.v
Toiiquinhas sapatinhos e meias de da tit
bapti.-ado.
Rlqaissimas litas de lodas as anaHdadi tita la-
go, cintose cinleiros.
Camisinhas e nollnhas para sensor.
Hiquissimos jarros e Dgoras para omm ttto t-
* fm
:!'('
sala.
Grande sortimento'!c gravatin! ; para se
nhora como para homem.
Luvas de peliea branca e dec-jres.
Cascarrhasde bonitascres.
Trancinhas.galo e maravillas par. nf..
Transellns de cabellos e de retroz para rtl
Papel.tmisadee de outras qoalidade!
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadinhes de lindos paditr:
Lcncinbos de linbo bordados.
Meias para homem, senhora?, menlnc ie (Bi-
nas.
Filas de veludo lisas e com matan de '
larguras.
Thesooras e caivetes de todas as gaalidades.
Grande sorlimento de sabonete?.
Lindos vasos rom banha para offerecio r li
Gaixinhascom seis frasquinbos.
Essencias de todas as qualidade-.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grr.no'
frascos qnadrado egarrafinha?.
Pomada fina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos fft
laman los.
. Sabaoingle em paos grande? .- pennec.
fc-scovasdecabo de madrepenla, marf u-e de
osso, para dentes.
Pentes para desembaraza t, com friso ,'< 1 .'.o
sem elle.
Ditos de tartaruga e de maltas ouir: ; lida-
des.
Peales de tartaruga para senhera
Ligas de seda <: .!, .-Igodao, assim ITO I
airoso ijecti s de goslo que seria a .'>(!-
oioar.que a vista farl, s 110 Sal ai ;
ene do Crespo 11. 7.
Veltiabas.
Lindas Toltinhas de pe I.'. tichss
Qngindo brilhantes, assim como ernrinhas \\.Uas
a voltinha, pelo barato prejo de 15 a I500 ss
cruze; avuls asa 100 r?. <6 no nad
Crespo n. 7.
Lequcs.
Rbiaiss.imosIeqaes de madr< perola tanto pj=ra
senhoras como para meninas,pelo barato preco
de 125 e I'-; s no Vigilante, rua do "r.rr'o
n. 7.
Titas de Ia.
Fitas de laa de todas as qualidades, propri; ....
ra debrum de vestido a 700 rs. a pera: ic no Vi
gllante, rua o Crespo n. 7
Ricos espellics.
Biqnissimos espelhos rom moldura cit-.v
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim roso erm
Mlumnas de differentes tamanhos a 25, .75,45 .j
e 6.5 ; s uo Vigilante, rua do Crespo a. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riqusimos jarros e ('guras da porcelana Cea,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto qt ti 1 i
tem apnarecido; s no Vigilante, raa do C;>
n. 7.
Para as de arroz.
Ri |aissimos vasos com .oneca para psdeam /
cousa de muito ?osto a I5-"'00 e 25, assim corsa
pacotas s eom os nos a 320 rs. cava nm
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banlls, pona
das, assim como de lindos copos cti vasos eom !
tinctivos o oiTerecimentes as slnhasinbas dos n e
Ihores e mais afamados autores de Parla e Inpl
ra, assim como os grandes ropos de;.- 1, .
a 25 e a 15, assim como outros objectos qne na a
possivel por hojo annunciar, e vista dbs fregne-
zes se far todo negocio: na loja do alio .
rua do Crespo n. 7.
Vende--;! .1 casa terna n. J.'i'da rua
thias Ferreira da cidade de Olinrtp. :
tender dirija-se a tratar rusta cidade na 1
gusta n. 39.
de Ma-
juem a .
.
kttencao.
Vi
endem-se excellenles enfeites para os nafra-
ras a 1-3. s as litas valem 25 ou 35, nao te fal-
lando das bellas llores que lem. a-.-in con o ii .
existem algtunas gangas amarellas eorn teqoe de
avaria a'MO r?., e brins escuros proprios |-aia ra-
bricas de engenho tambera a 240 a ido : na
na do [mpi r.-ii.i.- n. 0,1, ja.
Vitiiio to Poiio neperier
em barris de oitavo a dcimo, vende i\ : 1 n Luz
de Oliveira Aievedo A C. : no seu as :i Inoi o rea
da Croi o. 1j
fu da jenzaiia Ntva n. if,
, Neste estabeiecimento vendetn-setatfias
"ierro coado libra \U0 rs., idera t?e ?
Vende-se um piano de j-car^nd. cm muilo
bom estado, e por preco commodc : na rua do
Alecrim n. 2.
d.
09
loor bra a i 20 rs.
Bisas hihurgue os.
Vende-sena na Nova n. 61.
tlokc o i;;;?.
i*Jcli dog.iz.
AlaCrSo (o gaz
1 ie,.-, tonelada 10*000.
Piteh, arroba 35000,
A, callao, caad a 300.
Qeclc recenhecidamenle o carvo u:_.-. .;(;-,
mico,tornase por isso rccommendvel, bem co-
mo pelo aceio que se ola as easinhtis aonfl '.i
elle usado. Piten e alcatro, alfm s airili; 1. !-*.'-
coes diversas a que se prestSc, rr-o-n para rataa
tar embarraeocs, nk-atroar madtiia?, etc., rvre-
esles a propriedade de preservar do ruplm, ff.r-
migas. etc. entregue na fabrica do gaz, ou man
dado pr. m qualquer por.tod.i cidade, egnr '
vontadedo comprador e previo ajuste.







CHEG.4R4H OS MOMOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de filo reto cagados pelo ultimo vapor fr.;n loja dascoliiiHnas rua do Crespo n. 13, de An'onio Correia de Vas o:;cel-
los & C.
S4LS.4 PllRIUU BE AYER.
Thanscrevemos aqui alguns
dos muitos atteslados que temos
recebido das virtudes da salsa
'parrilha do Dr. Ayer.
Rliciimatisuio.
LOJA
BALO
DE
AZEVEDO A FLORES.
Ra da Cadfia da Reeife n. 47, esquina aM Talla aara a Madre de Reas.
Atten$o.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
O uro Preto.
t Soflri rheumatismo por umi-
tas vezcs, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
*dlri-me a comprar um frasco e fazer uso
' ella ; e an.es de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
flor nos joelhos; a parte do corpo que es-
tiva affectada d'esse terrivel oncommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
ESrnpedes, borbulhas pustiilas,
ulceran, e (odas as molestias
da pelle.
00 SR. JOO PAULA DK ABREU E S0UZA.
Ra de S Pedro.Rio de Janeiro.
So&Viaj rnais de dous annos de ama
upco sypliilitica em todo o corpo, mos
v;,-ndo-se sempre com mais violencia na ca-
I1, prove muitos medicamentos e consultei
tmiitos mdicos, e esta va quasi desanimado
qando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer : comecei a fazer uso d'ella e
aoa primeiros dias a empeo nggravou-se,
jiorm antes de acabar o segundo frasco ti-
rina o mal desappaiecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Vai.des Herrera, profes-
ar DE MEDICINA Y CIRITUIA, SUBDELEGADA
M AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
iiiicroHabana.
t Certifico que he usado Ir zarza parril-
l- d>'l Dr. Ayer, y Como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
i casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuy;
acin ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidade>^
Que exsigeu el uso de los purgantes, y no
tilo en recomendar estas preparaciones.
oir los fines que puedan convenir do)
I presente en Regla a 7 de selemhro de
I 50.
Dr. jos V- Herrera.
Escrophula.
i\ TESTADO DO ILLM. SR. FRANCISCO FERRAZ
dos santos.Ouro Pelo.
Me acho ha qua i escrfulas, e tendo solrido tanto q>.e al-
nas vezes quasi que diego a desfnimar
'! vida e maldizer da minha infeliz sor te;
. dio sido tratado por muitos mdicos d'es-
u cidade, e neuhum pode vencer x tenaci-
clade de minha molestia, eslava sem espe-
i ocas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da "aba par-
rilka do Dr. Ayer. Completa n-se hoje
trifila e sete diasque comecei com este
santo remedio, e tantas melhuras tenho
sentido- que tenho conviccao de em breve
recobrara minha saude, perdida ha tanto
tempe.
yphll Is e molestias mermriaes.
Do Ii.lm. Sr. Dr. Jackso;'.
i1''Jico mnito conlircido as provincias do
sal do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
>. Ayer nos casos mais inveterados de
Siyphits constitucional e sempre com os
uutis felizes resultados: o melhor alleran-
te que conheco.
Lencorrlia e (flores brancas.
Temos cartas em que nos contam casos
> iveterados que foram, radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
i ha.
O espaco nao nos permilte trauscrever
(jilos os attestados que possuimos ias vir-
tudes d'este extracto composto ae Salsa
.parrilha do Dr. Ayer. Basta dec tarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela profissao med ,a tanto
das Americas como da Europa, sej) nunca
desmentir a sua alta repuiacao.
Grande liquidaco de fazen-
das finas, ruadalmpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 56, de Lourengo P.
Mendes Guimaraes.
Pateadas para o carnaval.
Vende-so velbutina de todas as cores a 800 rs. e
covado, ganga encarnada a 360 o covado, s
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria
para vestuarios a 320 e 360 o covado.tafetdeseda
de todas as cores a 600 rs. o covado : ra da Impe-
ralriz, loja da Arara n. 56.
Cuitas baratas a 240 rs
Vendem-se chitas finas a 2i8 e 280 o covado,
chitas francezas finas a 320, 360 e 400 rs., cassas
linas de cores a 329 e 400 rs. o covado, percatas
finas para vestido o 500 e 560 o covado : ra da
Iraperalriz, loja da Arara n. 56.
Cartea de eanbraias, a Arara vendo a 30.
Vendem-se cortes de carabraias finas brancas a
34300, i e oi, cortes de cassas francezas finas a
3$, cortes de chita de 10 covados.a 2400, ditas
finas a 35200 : na loja da Arara, ra da Impera-
trlz, n. 56. y
dos a 3 e 35O0 o covado, prodenaple preto fino
a 1600,1*800 e 2, dito superior a 2*600, dito
com 5 palmos de largura a 3j> o covado, panno 8-
no preto a 2*. 2*800, 3*500 e 5* o covado, case-
raira preta fina a 2*, 2*500 e 3* o covado, alpaca
preta a 500, 600 e 800 rs. o covado : ra da Im-
peratriz, loja da Arara n. 56.
Arara vende cortes de casemira preta a 3;>00.
Vendem-se cortes de casemira preta a 3*500,
4*, 5*e 6*, ditas de cores a 3*, 4*. 5* e 7*, cor-
tes de bnm e ganga para caiga a 1*600, 1*800 e
2* : roa da Imperatriz, loja da Arara n. 56.
I'anuo de linlio a 640 rs.
Vende-se panno de hnbo para leuges e toalhas
a 640 e 70, hamburgo a 500 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 3* e 2*500 : ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende es baldes i3j e madapalo a 40
Vendem-se bales americanos a 3*.3*300 e 4*,
ditos de musselina a 4*500, pecas de madapolo
entestado a 4*. dito de 24 jardas, largo, a 6*000,
6*500, 7*. 8*, 9*. 10* e 12*. finos, algodo pe-
gas a 5*, 6*. 7* e 8* : ra da Imperelriz, loja
Ja Arara n. 56.
SiHtambarques pratos a 20
Vende-se soutambarque, preto de grosdenaple a
20* e 18*, capas pretas de grosdenaple finas a
20*, 25* p 30*, soutambarque <1 laazinha a 7* e
8*, ditos de alpaca brances a 8* e 10*, ricos ves-
tidos Mara Pa de novo gostoa8*, 12*. l*,
16* e 205 : roa da Emperatriz, loja e armazem da
Arar* n. 36.
Cirande sortimento de ronpa
felta.
Vendem-se paletots de casemira de cores a 5*,
6*, 8* e 10*, ditos pretos de panno fino, sobreca-
mas a 12*, 14*. 16* e 25*. paletots saceos pretos
de panno a 5*, C*, 8* e 10*, calcas de casemira
preta a 4*. 6* e 8*, ditos de casemira de cor a
4*, 6* n 8*, ditos de meia casemira a 3* e 3?500
rtiios de brim e gam?a a 2* e 2*500, ditos de bnm
branco a 3*500 e 4*r cohetes de todas as qaalida-
des, camisas francezas a 2* e 2*500, ditas inglezas
de Imho de pregas largas a 3* e 3*500, ceronlas
a 1*280,1*600 e 2*. paletots de brim decora 2*
e 3*, ditos de alpaca prela a 3* e 3*500, ditos de
alpaca branca a 4*500, ditos de alpaca de eordao
a 4*, colarinbos de linho a 640, ditos de papel a
640 a duzia : na ra da Imperatriz, loja da Arara
numero 56. O proprielarioda loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas se vende
em perfeito estado, como os compradores poderao
examinar; a loja est a berta at as 9 horas da
noile : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56, de
Mendes Gnimaraes.
Peles segua les preces
f Paletots de fusto sabr..... 3*500
Ditos de casimira (saceos! 12*, 11*,
10* e........ 8*000
Ditos de alpaca 5* e .... 4*000
Ditos de alpaca branca 5* e 4*500
Ditos de dita branca 5* e 4*300
Sobrecasacos de panno fino francuz 21*000
Ja que toes de brim pardo..... *
Caigas de brim pardo 2*500,3*, 3*500
arjem Ditas debrim branco 4*. 4*500 e .
' Ditas de casimira de cor 5*, 7*, 8* e
Cprtes de casimira preta fina 7* e .
Chapos finos altos......
Chapeos de sol de seda 6* e .
Ditos de feltro a Garibaldi ....
Seroulas francezas finas.....
4*000
8*000
10*000
5*000
7*000
Golletes de casimira pretos e de cores
3*500, 4*........ 4*500
Baloes de 20 e 40 arcos dos melhores
que tem vindo o :n'ivil > ... 4
Camisas francezas a 2*, 2*500, 3* e
MadapolBes rancezes (pega) 13*, 14*,
Chitas para coberta (covado) .
Lias lisas de todas as cores .
Vestidos de laa Mara Pa muito finos
Lengos brancos multo linos (duzia) .
Um completo sortuaento de chitas lar-
gas de 300 a ........
Cambraias francezas (covado) .
Cambraias lisas brancas muito finas
(peca) ...........
Ui variado e lindo sortiment de cha-
les de merino estampados de 5* a
NEM COROAS NEM MITRAS


GRMOE
ARMAZEM
5*000
15*000
330
*
18*000
2*800
500
RITA. DO IMPERADOR 40
Junio a sebrado em que mera eSr. Osbne,
Duarte Almeida tfc c reeeberam de sua propria enconmeB-
da e mais linde e variado sortimeoto de molhados, proprles
da p reseate estacie.
Manteiga ingleza Maeas brancas
da safra nova viuda no ultimo vapor a l.ooo para sopa a melhor que se pode desejar,
rs. a libra eem barril a 8oo rs. macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
8*000
Os donos da loja do BAMO eacarregara-ss de mandar faaer qnalqi^r obra de brim ou casimira
etc., para homens e meninos, anda que a fazenda nao seja comprada na dita loja do
antelga frauceza
^ pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
,]?560 rs. s jgj
Amendoas.
<*feitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Anieixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos,
% Cartees
com bolos francezes a S00 rs. cada um.
Latas
J. VIGNES.
M. &ft. RA JDO IMPERADOR !. 5.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz coahecidos para que seja necessario insistir sobre t
saa supenondade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
Teis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; oda-
snindoum teclado e macbimsmo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
nunca ralhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importa*-
tissimos para o clima deste patz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
vis aos ouvidos dos apreciadores. ~
Fazem-se conforme as encommeB^as, tonto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars socio
correspondente de J. Vignes, ejo cuja capital foram sempre premiados em todas as expesices.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um expiendido e variado sortimento de msicas dos
memores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
preces commodos e razoaveis.
CONSULTORIO MEWC-C1RLRGIC0
DO
RIVAL
Sem seguudo,
Rna do Qiieiinado, n. 19 e So. E" para admirar.
'ra a cura radical de escrfulas e iffecces
escrofulos, sjphils e molestas sypbi-
liticas, ulceras, feridas, cliagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer incommddo que
provm d'ura estado
impuro de saftgue,
TOMEM A
M K.S \ VUltH.ll A BE AYER.
V venda na ra Direita, ns. 12 2G e 70;
,i da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
po, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
> : ncipaes pharmacias c drogaras do im-
| ;f.:0.
Vende-se em Pernambuco:
aa pharuaeia t'raneeza de
P.fflWREB & C.
RA NOVA N. 18.
Una da Seozalia u. 42.
Vende-se, emeasa de S. P. Johnston C,
wilios e silhoesinglezes, candieiros e casti-
bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
icotes para carros e montara, arreios para
trios de um e dous cavallos,{e relogios de
iro patente inglez.
t. Fabrica Oonceicao da W
Bahia. S
Andrade A Reg, receben! constante- S
mente e tem venda no sen armazem n.
Carretis de hnha com 150 jardas
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.............................
Dito dito de 60 a 200..................
Novellos de buha grandes com 500 jar-
das .................................
Idi-m idem brancos e de cores de 100
jard.s ...............................
Livros para assento de roupa lavada...
Cordo branco para espartilho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares de botes de punho todos de cores
Tioteiros de barro com tinla...........
Tesouras para costuras finase unhas
Oitas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpar dentes muito finas
160,200e..............................
Caixas com 100 envelopes das melhores
-qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso...................................
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
Ibo)............................
Meiadas de liona frouxa para bordar...
Pares de sapatos de tranca.......... 1*500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaga perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................
Ditos o garrafinhas de agna de Colonia
muito fina.......................
Ditos de banha a Garibaldi e da familia
imperial.............?...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pecas de biio.- francezes e rendas.....
Frascos de agua dentifrice muito supe-
rior..............................
Caixas com 4 papis de agalhas a balo
e Victoria........................
Libras de laa sendo de todas as cores...
Bonecos vestidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
Dilas de Hnha de gaz com 50 novellos..
Kuliadeiras de fila para espanilhos.....
Carretis de linha de cures com 100 jar-
das ............................. 20
Pegas de eordao imperial............ 40
VENDE-SE BARATISSIMO.
Urna partero sitio Parnameirim, que foi do fal-
lecido cirurgifi Manoel Joaquim : qoem o preten-
der dirija-se a' rua da Cadeia n. 64, escriptorio de
Guilherme dr Silva Guimares.
CASAE> OE POMBOS E BORRACHOS.
Vendem-se trinta casaes de pombos bons bate-
dores e por barato preco, dando-se gratis todos os
ntensis pertencentes ao pombal : a tratar na rua
Larga do Rosario o. 26. das 6 s 9 horas da ma-
nhaa.
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
20
20
30
200
500
400
900
240
320
320
800
200
6*000
160
40
800
60
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO. PABTEIRO E OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 fe l
boras da manhSa, e das 6 e meias 8 horas da aoite, excepto dos dias santificados
Pharmacia especial iiomeopatldca
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado soriiiaeuto de cartoirav
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymoamisaces e pelos preces soguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. l;5000
de 24 tubos grandes. 1800O
de 36 tubos grandes. 240006
de 48 tubos grande. 80,KKK)
de 60 tubos grandes. 39*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 1#''00.
Sendo para cima de 12, custarao os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
*


com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1*000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 5Q0 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2*6oo.
OUCijOM
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
luc jo
londnno o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinbas ricamente douradas,
preprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
OMIAO
o muito afamado cognacPal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO**
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
bra.
rs. a
A melhor obra da homeopathia, o Manual de "Medicina Homeopathico do Dr. Jab, ,|ma(v, PAPEL
ions grandes volumes com diccionario............ 200080 j I Peso e de outras m"'tas qua-
Medicina domestica do Dr. Hering,..........'. 100000' n- es de 2,2oo, a4,5oo a resma dome-
Repertorio do Dr. Mello Moraes............' 60000
Ihor.
Diccionario de termos de medicina
30000
Papel de botica
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara portan-1 exceIleD,e qualidade a 20200 a resma,
t de serem aovamente recommendados aspessoas que quiz^rem usar de remedios ver- 'a7Ui o PAPEL
dadeiros,enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver- rs p para enibrulho de l,4oo a 2,2oo
dadeiro assucar deleite, notaveis pela sua boa conservaco, tinturados mais acreditados1
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacSo, para o que o annuociantejulga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes ser5o previamente ajustadas, se no se quizerem sujeitar aos precos
azoaveis que costuma pedir o anounciante.

rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRcadamuaBCretaS de 9 Canadas a ,5'000 rs-
as
Ohales de renda preta e bournus deguipit preto tg
A'leja da rua do Crespn. 17,
DE
TO^fi CiO^IEN TILLAR
Vende a 15*. 20*, 30*. 40*, 50* e 60*. capas c casacoes de gros pretos, chapeos
e chapelinas de palhae outras nanitas fazendas proprias para a quaresma.
Jos Gome Villar pretendendo ir a Europa tratar de sna saude espera que seus 'M
devedores tanto do mato como desta praca saldem seus dbitos quanto ante
r-~*.
>M 34 da rua do Imperador, algodao d'aqnel- J i
;S !a fabrica, proprio para saceos de assu-
"^ car, embalar aipodao empluma etc., etc., fu
bIo preco mais razoavel.
Vendem-se para liquidar contas duas casas
; de taipa bem construidas, na povoacao de Muribe-
ca, com bons commodos : a tratar nesta praca na
leja de cera, pateo do Terco n. 133, ou na mesma
povoac&o com Germano Jos de Farlas.

Feijo.
Vetde-at urna porcao le feo mulalinlio
l a <* a cuia, dito prem a 880 rs., dito f
uo l'orto a 320 rs. : na rna Direita n. 8.
No armazem de molhados no pateo do Carmo,
esquina da rus de lionas n. -i, vende-se doce de
caj secco por preco commodo.
_____^_
Sa l '/o A ssu
"A bordo do hiatebrasileiro indo Paquete : tra-
sena rua da Cruz. n. 23, primeiro andar, escrlp-
o ii Antonio de Almeida Gomes.
i^Zihfo e cobre em follia, estadho, azareao e alvaia-
de inglez.
.-o e bom rejrulador
>. loja de calcado.
na rua da Imperatriz n
Vende-se nm relogio de ouro patente snisso Em casa de Rothe & Bidoulae, rua do Trapiche
n. 18, vendem-se os gneros cima por precos ra-
zoaveis.
FABRICA DE CHPEOS DE SOL
vas Roa Vova esqaiaa da Camboa do Carme e rua do
Cabug a. 9.
A directora desse estabelecimento o mais importante que existe neste cerero
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goze das
vantagens que proporciona a fabricado cm grande escala e directa relaco com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender a inda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella :
,..,, ,, Descont em duzia.
Chapeos de sol de panno a 20000.......
armacao de baleia a 20500 .
de seda armado de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28 60......
Chapeos de sol inglezes a balSo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 2* pollegadas 80, de 26 90, e de 28 O0.
dem idem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26120, e de 28 130......
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que esistem n mesma casa
como sejam de alpaka, ditos de brim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao tao vantajosos como os annunciados ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-se igualmente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado teta sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
Ihar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia seria considerados como
a retalho.
Cebollas
mais novasdo mercado a 7,ooo rs.a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpisfca e Paiuco
r4yoovaalrcadoai4ors-aiibra'
CEBLAS
^malTV lM!t Cent0 naruad0 &*<
gTddrcJmoT.9OlraperadrD-40elai--
GRAO DE BICO
mu. o novo a 30400a arroba e 140 rs. a li-
bra na rua do Queimrdo n. 7, ruado-
Imperador n 40 e largo do Carmo B. 9.
m.tnf QUEfJO suisso
OueiSn n3 87 rS- a libra na rna d0
S r 'rua d0 aperador n. 40*e
targo do Carmo n. 9
freguezeSgt1 ari0s d---grMde armazem ^SSi
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10280
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as asar
cas s2o asseguintes: Chamisso AFilho,
F. 4 M., Nctar ou vinho des Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de baoha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Cr* ,
Cervejas
dos melhores fabrieantesfe de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranh5o a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
C.arrafes
com 4 /s garrafas com vinagre a 10OOOtm
o garrafao.
GENBBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de U0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2ors. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs
a libra.
L ARROZ
Maranhao, Java e india, a loa rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo i
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o imais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
k a Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginia e
outros mu tos a iua~ i-.- glDjae
outros muitos a 640 rs.a lata.
a 6OOel0ocaix5e.
GOMMA MUITO NOVA
"ISSS' e 2 arrobas a 3<800 a ar-
maLni47rS- llibra na roa doQoe-
doCa?mo'nrDr0l,Bperad0rD-40ela^
, BOLACHINHAS
empatas de defferentes qualidades a 10200
OUEIJOS FLAMENGOS
d?0Sm!.n,t1^vapor a280e"a roa
do Quemado n. 7, ruado Imperadorn.
40jjargo do Carmo n. 9.
Principal declaram aos seus
m oS 25*^ s ^&cili,ar' *sS .
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n 40
FARELLO DE LISBOA
arca N verdadero em saccas novas e grandes a 40500: na rua do Imperador n 40
f
20 /o
10
15 /,
15 %,
15 o.o
NOVIDADES,
ji2lSJrK Klme>0' dtos.das Mas o mais fresco que so pode dese-
jar a 10200 a .bra, esendointe.ro ter algum abatimento, ricas caixinha,
redondas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato prf co de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 10500
cada ama. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, rua do
Imperador n. 4.

GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade ~a
10 a lata : nos armazens da rua do Im-
perador n. 16 e rua do Trapiche Novo n.-g
Vendem-se charutos da Rahiade varias qoa
Hdades: em casa de Monhard 4 C, rua do Tra-
piche n. 48.
Gessn
barricas com gesso : nos armazens de Tasso Ir-
tnlos,
Vfnhe da Madeira e % PerJ
Yende-seosnperiorvioho da Madeirae do Por-
to,em caixas de urna daas duzias: s na loja
'doVifilante.rua do Cresy n. 7.
':>

Tu cr^rv/n



.

Diarlo de Pcrnain!>nco Sabbad ti de Fcvcrclro de 1 S
iV^
NO VOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chutaran es moderaos vestidos de dentelle de seda com barra, inteirameate novos
ero.gostoe-qaalidade : atoja das columnas,amado Crespo b. 13, deAntonlo Correia
de Vasconcelos k C, sacceasores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidas de senliera
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorguro e de selim imperial.
Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de laa com barra e grande variedade em cores e padro"es.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escosseza e miadas.
Superiores laas lisas com grande variedade-de cores.
Ditas com salpico;, com llores e de quadros.
Lindas pampolinas de qoadros e do flores, fazenda inteiramenle nova.
Superiores cassas de cores, e lindas carabraias ergandy
Grande variedade de cbita de cores, de percalia eoutras muitas fazendas deja.
Para hombres de senfaora
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de lia e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 18$ a 40.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados fios, de cachimira com listrasde
seda e do filo preto.
Caraizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
liabas com pannos e outros mnitos artigos.
Para cabera de seuliora e menina
Superiores chapeos e chapellinas de palba de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltro enfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na toja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
os A C. *
CE RAL KECOJUIL \JIA< AO
ZEM (MSERVATI
23~Largo do Terco-23.
ioaquim Siutat dos Santos, dono deste bem sonido armazem de melbados faz sciente erag
rtcoin^naudago aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esta resolvido a veuderos seus
cun canhecidos gneros de primeira qualidade.por menosde 10 a 20 por cento, menos doque em ou"
ira qualquer parte a iuheiro contado,e todo o comprador que comprar de iH)& a IWj, terso descon-
t de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; e por isso se faz annuncio de alguus gneros*
para com este melhor se certificar em.
*a*sas para sopa raacarro, talharim e aletria a
i rs. a libra e em caixa a Si.
roaciaho de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
a libra e 8J800 a arroba.
Zul doRiode primeira esegundasorte a 260.380
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8 e
8J500.
Choaricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 125.
Passas rindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 85. .,
Batatas emgigos de 3o a 40 libras por2J4O0a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cha hysson miadinho superior qualidade a 15200,
25000, 25508 e 3* a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa era pipa a o60,
500, 40H e 640 rs. a garrafa,
dem proprio pan neirocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 25400 e 25700.
Milho alpista e painco muito limpo a 146 rs. a li-
bra e a arroba a 45400 e 4&200.
Phosphros do gaz viudos por conta propria a 180
rs. o maco e a 25 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lo a 25800 e a caada a 45500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs.a
garrafa e a duzia a 55800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
arroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 25800, 25e 25400.
Assim como ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollando, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conserva? choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al-
guem duvidar venha ver.
FRANCISCO J. GERMANN
1 RA NOVA UM* SI
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de melhoi qualida
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronometros martimos e de algibeira, relopios de ouro
e prata, douradose foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, alleroaes e americanos,
reguladores de compeasaco, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol montados ccm pecas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos lmannos, caixas com msicas, igual sorti-
mento de oculos e lunetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, ajo, c varios metaes, oculos o
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprlos para os que fofTrem de inflammacSes
nos olhos tabricados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Luropa e igualmente os de
Pernambco, os quaes s se vendem por consulta dos mdicos, vidros de crystal branca e de cores,
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observares astronmica,*, oitantes e sextantes,
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros calxas de instrumentos mathematicos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro, dou-
rados e Meadas, ludo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encommenda dos
objectos mencionados, e responsabilisa-se durante um anno por qualquer relogio vendido ou concerlo
aeito, era seu estabelecimento; e vende por menos que pode fazer ontro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudiohas, de qoadros, lisas, e de ramagens,
variedade de padroes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara
300 rs. o covado
& uomp.
ua loja das columnas da ra do Crespo n. 13,
com grande
pelo baralissimo prego de
de Amonio Correa de Vasconcellos
0
AO PUBLICO
Sem menor eoostran-
glmento se estregar* o
importe do genero que
io agradar.
ATTENcao AGUA FLORIDA
Os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo assim serrlr de ba
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
ARMAZEM UNIO
DE
MURRAY & LANMAN
A agu florida ue Murray A- Lann?n,
o I hada como um rtigo de perfume, no
lem podido ser igualada pelas preprameos
as maiscustosas: conserva seu arima^ciro
se formasse parte da prenda a que efla se
applica. Sua eflicacia tao delicada, temo
elegantes sao seus multiplicados usos, mer
l A .! soja empregada como arligo de tentador,
ColIegas.-NIo posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga, ingleza a i.ooors. a libra, bem assim o de outros mlu> doban.l0 0ll Conjo Slav.:(!l,
amitos objectofe, etc., dando com isto ocasro a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gntarem em ^ ,|p (lepjs que se teul.afeiio alai-La
alta voz, qne todem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e recetoso em adoptar o mesmo .. a ^ 'r a^t,nf!vas M a,.( m9Mt 0
systhema que/ vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducto de precos, como veris jajlo
pela seguinte/tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uni5o Mercantil nao.
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a n5o ser o de l,4oe a 4,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducto a que'COini>lecoes denuis de se haver lavado -A-
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores lvia'a rrita'ra0\je erui>c>s ordinal i.i* U*
al informado deste novo estabelecimento. para lhe vender gneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu nm i ,jesai)parece. 0 desagradare! aspecto dos
pannos, das sardas do rosto, rugas e U)d; ;i
casia de ebulicoes, e d vigor e frescura a
RVA DA CADEIA DO RECIFE I. *3.
(Logo passaudo are d Ceneeieie)
Grande rednceSo de precos, equivalente a dea por cento menos d*o qne ontro qnalqner
annnnclante.
tutar o preco da man...,
to, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gntarem em ga ||p d g
que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e recetoso em adoptar o mesmo .. *
D suavidade, brilho e elasticidadfl as
15o smente obter a concurrencia de seos freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois
serSto t5o bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vao em outra parte
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
escolbida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem viudo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopatbico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
-para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,Soo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado la l,6oo e l,8oo rs.
meato.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, a 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse fim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
co ou suTocacao. Preparada tnicamente
porLanman & Kemp, Nova-York, o a venda
por Cao,"s & Barbosa.
Joo da C. 3ravi & C.
Vendem-se no Recife em casa Barboza e Joo da C. Bravo i- C.
Farinka de milho,
Vendem-se barricas de farinha de milho am*>-
eana de 6 arrobas : na ra do Rangel n. 3.
dem londrinos os mais superiores qoe tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lem
81MU A DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfago de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidjdes, efrancamente affianras pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sampreo annuociante foi escropuloso, em summa, nao Ilude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenlio e lavradoresqueo queiram honrar como seu comitenltlhes
assegura que o producto deseu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadoresdespachadoscom presteza, depois de se-
rem fielmente cumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negeciantesque lhe merecam confianca, fa-
zendo um abate vantajoso aos quepagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero dopaiz, mediante urna mdica commissSo, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commisso.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera oannuncianle sua valiosa protecc3o,fre-
quemando como outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhertributa offerece expon-
taneamente seos servicos.
Julga deinecesariopublicar a tabella dos precos de seus gneros: sao seus recursos
garanta suficiente de poder accompanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estabelecimenlos, tendo somente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Preveiico necessarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio ni mesmara, julga prudente advertir que saffirma ese responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
Sl-RUA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Ajlentejo o que se pode desejar de
fresco e( superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o r,s. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a guaa 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e'de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeanx das marcas mais acredita-
das quf tem vindo ao uosso mercado a _
6,ooo, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser Je qualidade superior, que outro
qualqu 3r nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de aranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a l.ooors. o fiasco, e
11 ,ooo| rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes loo
parle onde quer que se applique. Sua t tfi-
ciencia e elegancia sao igualmente infelli-
veis nos casos em que seja preciso ;-ppii-
ca-l'a como estimulante e antisptico, nos
concursose assemblas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de uta
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes- \ enfermo, assim como um antidoto escal-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas I lente para os desmaios causados por ; ansa-
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas emlatas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas n caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oo re.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com um duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casaao2o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de
colua do mesma 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafa*
grandes a l.ooors. e ll,ooo a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com r olba do
mesmo a 5oo rs.
Potassa daRussia
Araba de chegar a mais nova e verdadeira
tassa da Russia, e vende-se a prpen rommodo: ni
eseriplnrio de Manoel Ignacio de liveira & Pt'f'o,
vidro COm 'ar60 do Corpo Sanio n. 19.
ESCEAYS FGIDOS.
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Yinho depipaPorto, Figueira, e Lisboa a32o, i Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo eaoo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo, creditadas que vem ao mercado a5,ooo
3,ooo e 3,8oo rs. | 5,000 a duzia e 48o rs. a garrafa.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali- gag muito novo e alvo a 24o rs. a libra,
dade a 4oo e 5oo rs.a garrafa, em caada Sevadinha de Franca maito nova a2oors.
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Doaro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fettoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melborconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.^,
Amendoas de casca mole a 32o re/ libra.
Bolachinhasd'agua em sal da faferica do Boato
CharutosdetodososfabricantesdaBahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oso rs. a garrafa. *
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,000; ditoemcaixoesa6oors-
cada' um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por .libra a
32o rs. a libra eio,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba;
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
libra efCebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas pori,2oors.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oors. libras.
No dia 22 de janpiro prximo passado fujio
ama escrava oe nome Mara, de idado de 30 i ''
annos pouco mais ou menos, com os secuu.'
sipnaes: altura regular, cor negra a>a
braihada, cabellos um pouco sollos, bonia de car.-:,
com falla de dous denles na fniite, ps um tanto
apalhetados.bebe multa agurdente, Mi na daifa
nha de nm cabra de nome Jacinto,que d . forra, altura regular, cor bem fechada, esbeltos
bem carapinhados, hem barbado, poliroso ou pare-
eendo ser quebrado ; rosroma por Onde arda tea-
balliar alnpado : roga-se s autoridades pohriaes,
como a qualquer capitn de canino, ou outra qo 1
quer pessoa a captura di s ditos; e sendo Mndo-
zidos a' casa de seu dono, no sitio da Fio.i-Y: ':\
junto s trras do oiteiro Torio peito da cldo/c rh
Victoria, de Santo Antao, que sera*, generosariifirto
recompensados de seo trabalho.
AVISO.
O abaixo assigoado apressa-se a rogar r>~ ai fcj
ridades policiaes e mais pessoas, e bem assim rs
empreados das barcas de vigas 8 da^ eflae/fen
oa estrada de ferro de pegaren) ao meu escr&ro
Ernesto, com os signaos abaixo declaradas, i,. >
fazedc-me um crime fuglo de minba olaria a i!
de fevereiro de 1863 :
Ernesto, idade 20 anno5, muito preto, enoub,
feifocs bonitas, baixo, seco, tijolero, lem mai *3
nome Felicia, minha escrava, colunia jugar, \f-
tido de caigas de quadros amarellos e camisa 4)
algodaozinho branco e rhapo de-feltro usado s"
zento. Protesto proceder contra quem o i
azulado : quem o pegar peder' levar ao me fi-
lio na estrada do Arraial ou na.miuia ol.iria i.
53 na ra do Mondego da fre^uzia da Bua-f; h
da cidade do Recife, qoe pagarei o trabalho e des-
pezas.
Marcelino Jos Lopes.
No\idade
Roupoes de sucim de linho para senhora, pelo
barato prego do 9$ cada um, laazinhas econmi-
cas para vestidos a 360 o covado, chapos de pa-
lha da Italia de aparado gosto a 14 : na roa do
Queimado n. 17,
P0T4SS4
Vende-se potassa am barris a commedo prego o
na roa da Cruz a. 23, primeiro andar, eseriptori:
' de Antonio de Almeida Gomes.
a. a w os
e S 95'" -
1 Sm
o o
B
t; O ce t
A 4 8 O CORTE.
Pechiacha sem igual.
Lindo* cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padroes
pelo baratissimo prego de 4$ o corte : na loja das
columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
dela de Vasconcellos A C,
BOTICA E DROGARA
:.'* Bartholomeu Francisco deSooza&C.
31Ra larga do Ro8ari--3-l
Vendem:
PilulusHolloway.
Pillas do Dr. LavHle.
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobre-hornera.
Pilulas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimanlt.
Vinho do Salsaparrilha de Ch Alberi.
Injecgo Feaugas.
Agua dentiflea de Desirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
Rob L'Affecteu r.
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway.___________________
- Ainda contina a estar fgida a escr.va
Joanna.pertencenie ao ahaixo assignado, tendo le-
vado comsigo urna Bibiana de nome Flora, d>- ida-
de de dous annos. A rrferida escrava mo'-.:.\
oscura, e tem 33 annos de idade, estatura regalar,
secca do corpo, falla de deutes na frente, cabelles
carai'iuhos e grandes, olhos grandes, bocea gran-
de, foi escrava de Jos Lopes Dias, morador r.r-M
praca. A referida escrava lem prente na ciU-
de de Goianna, e por isso de .-uppor que ,-.-.;.\
alli tenha ido : rogase, pois, s autoridades da-
quella e de.la cidade, visto como pode acont- r
que aqu esteja horaisiada, assim como aos.c-;i
taes de campo ou s pessoas que da mesma -*i i-
vatenham noticia, o favor de apprehendela o ir*-
ze-la ao abaixo assignad.i, em sua casa na pevoa-
cao do Mnnteiro, ou na ra Direita em casa do
Antonio Honriques de Miranda, comproraetn^'j-
se o abaixo assisnado a recompensar genero-
monte.Francisco Rodrigues dos Passos.
Do engenho Pindobal sahio o preto Maiv ;l
Baca, de idade 26 annos. estatura regular,' snn
deleito algum nem no ro>to e nem no corpo, rr i.i-
to bonita flgura, gosta de trazer o cabello alio na
frente.e todo pachola. Em 62 fez elle orna fj
gida, e foi ter ae engenh > Mariano, no snl, procu-
rando o Sr. Antonio Bandeira de Mello pira*
comprar, de crer que elle teoha tomado o mes
mo deslino : roga-se aos senhores capilYs do
campo que o capturem e o remettam ao mesmo
engenho Pindobal, que serao generosamente pa^s
do seu trabalho.
No mez de Janeiro prximo pa.-sado, lugio
urna escrava parda, de nome Thereza. representa
43 annos de idade, alta, magra, com falla de den-
tes na frente, tem cabellos brancos: c,on>ta ter
sido encontrada na Passagem da Magdalena e no
Rosarinho, dizendo que anda em procura d quero-
a compre : quem a pegar leve-a a ra Direita casa
n. 25. a viuva de Francisco Jos do Reg, ou c.i
ra de Santa Rita n. 5, que ser recompensad^.
Fugio esta madrugada 21 do correrte, o es-
cravo Liberato, cabra escuro, representa ler 28 an-
nos, com marca de bexigas no rosto, cabellos eara-
pinhos, com falta de dentes, levou caiga e Mmisa
de algodao azul, levou um bahuznho com vinte o
tantos mil ris em cobre e igual qoantia em ^.da-
las que furton na occasiao de fogir, pode ser que.
tenha mudado de roupa visto ter levado dinheiro
e ser mnilo ladino, desconfia-se que segnio i es-
trada de Pao d'Alho : quem o pegar leve-o a Api-
pucos a seu seu senhorSimfronioOlympiodepuei-
roga ou na ra do Imperador n. 45, terceiro an-
dar, que ser recompensado generosamente.
Aviso
aos (pilaos de("in-no e a policio.
Desapparereu em pjinc.ipio do met de ottfuhro
do anm passade, de bordo do palbabote nacioDal
raujo Malo, dous escravos deslomes Btfcerlo
ior apellido Marei), c Mipuf I ; o 1" de idade 45
annos, pouco mais ou meros, criaulo, ror *fnla,
estatura baixa, barba serrada, nm perno torfo das
pernas, e com alguns cabellos bracees, tanjo na
barba como na cabtga ; o 2o alto, ebeio do $orio,
"'Fuello superior de Lisboa a OjJ sacco. \ wm barba e falla grossa representa ter de 25a
t j j rvi- 30 anno cnios escraves dfseonfia-sc andarftn pe-
Tem para vender AntOnie LuiZ de Olive- f0Var?abaldes desta cidade : quem os atipreh'n-
raAzevedo no S^li escriptorio ruada Cruz er qoeiram levar a ra do Traj.iclc n. i, qua
D. i. I ser genere smente gratificado.





,
TTi rjuri Mfi 1





Diarlo de rcm.imImito ftabbftdo 9& de Fererelr de I*5.
O loi-iira.
AS DELOXGAS FOnENSBS.
E digna do alio clamor a demora que solfre o
an-Jamenlo de certas causas pendeotes da deciso
d. j lgadore-- conectivos e siugulares.
Comprehende-se bero que a afllucncia de proccs-
e a importancia de algn* que cxigem mais
ido exame, possam empecer at certo ponto
.: celeridade desejavel nos julgamentos.
tas o que a razao condemaa certa.. .vagare-
ea q ic se nota muitas vezes no preparo e dislri-
ifia dis feitos, nos despachos e sentencas. mes-
..< mlerloculora, sobre objectos de simples in-
' .icao, ou por sua natureza summarissimos.
*.:nJa ha pouco. certo juiz, teodo em sua con-
cmsia urna destas quesloes, de alcance facillimo,
K r.orou os autos dous mezes em seu poder para
dar o segrate despacho : Vista s partes.
huberantes pro vas, se digne dar a providencia ao
seu alcance para ser decidida, com a brevidade
posslvel, ama questao em que a prepotencia con-
tende com o desvalioento.
F.J.
Recife, 24 de fevereiro de 1865.
LITTER ATURA.
Virgilio e Castilho
A correspondencia do joven Sr. Julio de Castilho,
de Lisboa, que o Diario Oficial do Imperio do
Brasil costama publicar aos domingos um traba-
I lio que, pela escolha, e utilidade das materias, pela
vanedade das nocoes Iliterarias, scienlificas, in-
dustriaes, artsticas ou curiosas que trata, e pelo
mimo, e elegancia do estylo, oceupa lugar na pri-
meira plana de quanto sae luz na imprensa
brasileira.
Longo seria o enumerar os magnficos arligos,
Luzeiros do universo
que desllsaes dos cus o anno entre si diverso
Baccho, alma Geres; vos, por quem a trra amiga
mudoa chaonia glande em substancial espiga,
e aos copos de Achelo uni do mosto o achado
(rma dubitativa, proponaos algumas duvidas que
ora nos suscitou o attento estado deste magnifico
poema
Nao tora elle seas defeitos ou despriraores, e
atjmesmo aqui no introito? Nao ter contri-
buido para oftascar a vista desles sondes o prest- *unoa bom, aor quera lempre o agreste i deapachadoi
gio do nome do auctor, e urna fama de dousmilan- corro, Faunos I correi, Dryades donzellas :
nos, que na carreira os faz escapar, at aos leito- os vossos dons celebro.
res mais perspicazes ? 4.k.,,.j
; Arbitro das procedas,
Exemphflquemos : cujo tridente enorme o incgnito cavado
A preposico das Gergicas nao sabemos se est fez do chao rebotar aos riachos e a escarva-lo,
na melhor ordem, nem se completa ; mas a la- Nepiuno! O' morador das maltas la nos cerros,'
dalnha dos deuses, logo depois invocados, essa tal- para quem toza em Cela armenio do bezerros '
vez podesse, o devesse ser destribuida mais me- tresenius cor de nev as sareas como relva I
Ibodicamente. Os bosques do Lyceu deixando, e a patria selva,
A invocacao a Usar parece-nos laisa, exaggera- ta, de ovelhas pastor, se os Mnalos amenos
da, o nao do melhor gesto. E* evidentemente donde te importara, Pan Tegeu, assiste-me nao menos I
Lucano se inspirou para a sua despropositada, e Minerva, me da oliva I O' moco aulor do arado!
estirada invocado ao bystrio coroado. Silvano, que em punho ostentas arvorado,
Na contextura da versificaco de Virgilio d-se co'a raiz toda o escol dos juvenis cyprestes l'
urna liberdade, qae hoje tomaramos por desprl- Quan i ha'hi deus, emfim, quanta ha'bi deusa, preate,
mor, e qne era menos indispensavel em idioma sempre ao campo a acudir, crear-lho sem sement.
que naquella excellente correspondencia se tem mais locenico, sem artigos, e cujos hexmetros tm o esparzlr na lavoira as chuvas largamente
i\:io basta que o desditoso litgame, arrastado jaintla distinguido., nem foi esse o nosso impulso,
i ira dos tribunaes, soffra todas as torturas que!a0 Tacarmos estas linhas Nesse pensamento foi
as deiBttaai originara. E' aioda necessario que j "lamente chamar a attencao para ama estupenda
8 -le a paciencia, e perca muito lempo, roubados tentativa potica deque nos d noticia essa corres-
:...;> obrigac's diarias, talvcz imprescindiveis ; e
l astjfl alm disto por um novo supplicio como a
i i loza prolongada em que pJe estar um pobre
pendencia, insera no Diario Oficial, de 22 de
Janeiro do corrente.
Aos Srs. Castilhos, irmos, sao as lettras latinas
mea acerca de sua sorle e- do futuro da familia, devedoras dos mais honrosos tribuios de sabia ad-
Nm causas crimes torna-se mais lamentavei a \ "r*{*0- Entre as applicaQoes profanas do elevado
mora. Nao se trata ah somenle da proprieda-1 'alentdo Sr. Castilho Augusta, segundo consta da
sua blographia, figurou urna versao da Thebaida
de Slacio, e alguma parte da Pliarsalia, de Luca-
le lrala-se da honra, da liberdade, e at da pro-
i >ia vida.
Que assumplo etle lao proprio para oceupar de
preferencia a altenco dos homens a quema socie-
' lamo: a rigorosa obrigaco de velar com
'- L tes 1 A jusiira tem por dever evitar o soffrimeoto
tt onde Dio chepa a necessidade dolorosa de exe-
eolar a vindicia da lei.
Qaando oulros motivos nao houvesse para acn-
.-.'.'larem apromptidao dos julgamentos, bastara
no; o que tudo, como todos os sens preciosos
manuscriptos, foi hora de sua lamentavei morte,
e por sua ordem, condemnado s chammas.
O Sr. Castilho Jos, de cuja fronte altiva pendeui
ramadas de louro, colhido as mais arrojadas
facanhas Iliterarias, taes comoa par de tantas
oulras que em toda a parte fundariam reputarles,
e celebridadesas Gnnaldas Outdtanas, a Memo-
ria sobre Virgilio, esses dons milagres de esforz,
e erudiccao.......o Sr. Castilho Jos, anda nao
oasidenr que c pleiteante pode ser urna victima saciado de gloria, ahi ven po.Uar-se ante o presen-
. ucente quo os depositarios do poder publio te e o Lauro, a disputar os votos da posteridade,
lvemlogodesaffronlar, restiturado-lhe a tranquil- sobradando, como valioso diploma de becemeren-
l ae arrebatada pela m f ou pela prepoten- j cia, a Pharsalia de Lucano, por elle traduzida em
'..... i primoroso verso poriuguez, cujos prmeiros cantos
Neste momento seja-nos licito ainda obserrar correm Ja mpressos, iidos, e admirados por todos
qae vista da termname dsposicao doart. 100 da os apreciadores da boa iatmidade classlca.
I i o. 261 de 3 de d<>zembro de 18 i I, corroborada! Tal, e tamanha emprtza estiva requerendo
i 1 aiso n. SI de 27 de fevereiro de 1849, nao se hombros, que, como aquelles, se lhe nao vergassem
deve paralysar e andamento dos processos crimes ao pezo !
i or falta de pagamento das despezas do preparo,' O Sr. Castilho Antonio, o ceg mestre de seas
iuc podero ser salisfeilas depois. proprios irmos, o grande escriptor, que. desde a
Liinilamo-nos por ora a estas simples couside- Puericia compunha admiraveis versos latinos, ver-
^js.epraza a Ueus que ellas sejam bem acei- ver,cn com a saa dlfflcilmente egualada, e nunca
'...., c que nunca tenhamos occasiSo de registrar excedida superioridade, varias Odes de Horacio, a
maior capacidade mtrica.
Verbigratia : Logo do 1. versopassapara o 2
o verter.
No 2. vem intalado, e intempestivo o vocativo
Mecenas, cujo lugar proprio era no principio, ou
no fim. o 2." para o 3. a sobra convena!. Do
3. para o 4. a sobra sil pecori.
Por viade regra, o verso bem feto deve comsiRO
mesmo completar o pensamento, ou pelo menos no
Numes de tanto amar, nao me sejaes adversos :
as vossas glorias canto; auxilia! meus versos!
E tu, Cesar, tambem; tu s tamhem deidade;
o que s por omquanto ignora a nossa idade,
de quaes has de entrar no eterno ajuntamento:
Preferirs da trra o vasto regiment 1
e dj orbe a immensidade accorde em conferir-t'o,
cingindote o materno o glorioso myriho,
, ter-teha por inlluidor dos frutos e das quadras ?
final do primeiro hemislichio; e ha desprimor,
quade a idea, nao cabendo no metro inteiro, vae On, deus do inundo mar, nos transes das esquadras
pedir ao verso segrate aigum lugar para collocar sers o s chamado ? abraogers no mando
urna palavra. \ t longinqua Thule? e Thetis, proclamando
Nao ha duvida de qae esta irapereijao se pode' Podero teu, por suas vagas todas
converter em grande belleza, mas quando pela comprar-le ha para genro, ufana com laes bodas 1
figura que os rhetoricos chamara aporia, se alean- 0u, constellacao nova, eleges aggregar-le
ca um part.c-olar effe.to pela dependencia que o l. s dos Im>zes io est enchendo aquella parte
verso tenha do 2,-, o que, hbilmente combinado,
gera um dizer de muita graca, ou valenta.
que enlre Erygone se abre e o scorplao que a segu?
Teu des jo sem cusi o xito consegra*,
que o ptoprio monslro ardente os bracos de improviso
encolhe a le alargar mais campo que o preciso.
Seja qaal fer teu reino (o Trtaro excepta:
In nova fert animus mualas dicere formaz reinar l, fra atroz, nao seja ambicao tua,
Assira disse Stacio
vrogentem.
E Ovidio :
formitamque Tmnti*
afpiala que curru
t-cHB abusivo?, por amor do espinhoso encargo
;ue lomamos em nossos debis hombros.
'.S COTAS NOS ALTOS.
O procurador que puzer nos processos cotas
..a.-ginacs indignas tem suspensao por dous me-
--, 0,d. L I. lit. 48.
azeai parle do poder oficial do juizo direilo
i o itaer de reprimir todos os ommm indecentes,
^Ji l injuriosos incompativeis com adigm-
' das lei c de cus ministros. Ord. L. III lit.
de Ovidio o Moreto de Virgi-
maioria das obras
lio etc.
Virgilio, o iotraductve! cem vezes traduzido,
nao poderia ter se nao um interprete em lingua
portugueza. A noticia dada no Diario Oficial
faz-nos conceber a lisongeira esperanca de que o
aclual principe dos poetas porluguezes irar para
a jiossa lilteralura ao menos urna das mais afama-
das obras do principe dos poetas romanos.
As Gergicas teem sido traduzdas
por mais que a Grecia admire a elysia amendade,
Proserpina iiiuda a maternal saudade);
facilita-me o passo; annue-me audaz empreza;
comigo ao campoBez que da ignorancia preza
d compaixao, poe luz; s guia aos leus devotos.
Principia j boje a acostumar-te a votos.
corpora.
E Claadlapo :
stdera.
E Sillo :
Ordior arma, quibus calo se gloria tollil
JEneadum, patitur que feroxwnotria jura
Carthago.
E Lucano :
En I adsum, Vctor trra que marique,
Cesar
E Lucrecio : Noticia sobre a comarca de Bra-
Mneadum genitriz, hominum devumque toluptas, ganc na pro vinel; do Para.
Alma Venus
E Virgilio : (Continuaeao)
Fornosum pastor Corudon ardebat Alexin, do vafeum avahado em&UUO cabegas, e
Delicia* domini o cavallar nao exceder de l,06f>. A pouca sulli-
uencias aomim. ciencia dos campos, aunde pasta o gado, o sobre
^ | tado a falta de nielhoraraentonas aguadas no tem-
Extinctum Nimphw crudeli (unere Daphmin po do vorao sao causas, que fazem o gado nao
flebah( prosperar, pooendo alias ser numerse.
c. *j_ i A creaco de gado pode vira ser imporlanle lo-
Em todos < sses, e milheiros de outros lugares, g0 que os creadures com industria abran) espacosus
ha manifesta ntenco, ou pelo menos claro resul- pastos, onde o gado se apasceota menos persegui-
tado de cfTeit )s, por motivos em cada caso obvios ; ^ da momea, inorii;oca on carapanan, e outros iu-
paizageas como o afeites de Anaanciacao,-tao re-
cheados de maravilhosas descripfoes, de casos es-
tupendos, e de desastres assasladores como as Pe
regrmacoes de Ferno Mendes Pinto, oo o Itinera-
rio da India por ierra de Fr. Gaspar de S. Ber-
nardino, que tive, oo foihetim passado, a honra de
ihes apresentar.
Hoje esses vinte volumes tm de se condensar
de se resumir nos estreitos limites de dous ou tres
folhetins.
O Cea hura cela de Vctor Hugo a formula
eterna do progresso.
A diligencia matou a carruagem de posta, o ca-
rainho de ferro matou a diligencia; o lelegrapho,
inventado por Claudio Chappe, matou os correiosi
qae arrebontavam os-cavallos para levarem d am
a autro poni noticias interessantes, o fio elctrico
matou as taboas telegraphicas ; a lei de liberdade
do tabaco matou o comracio. o regularaento matou
a lei de liberdade, o senso cmraura matou o regu-
lamento, o forro elegante dos modernos romeiros
matou o infolio das classicas peregrinacoes, o fo-
ihetim de viagein matou o livro do viajante.
Contemporneo do caminho de ferro, e do lele-
grapho elctrico, o folbetim nao pode, nao deve ser
menos rpido do que elles.
De Liftoa ao Porto dez horas !
De Lisboa ao Porto um foihetim !
Presto, presto.
Era quanjo escrevi estes periodos, accendeu-se a
machina, a pluma branca da locomotiva ondea ja
por entre as sombras da atmosphera nocturna; a
longa fila dos wagons comeca lentamente a pr-se
em movimento n'aquella especie de infernal sub-
terrneo de Sania Apolonia, para onde eu, Novo
Dante% sou conduzido por um Virgilio de bonete
agaloado.
Os visinhos comecam a procurar posicao com-
moda no fundo da carruagem; uns abrem as por-
linholas, e metiera o naariz as trevas; oolros fe-
chara as e mellem o nariz no cache-nez I
E o comboy vae pouco e pouce apressando sua
marcha, os outros negros wagons, que nos ficam
ao lado, parececem despedir-se gravemente dos
seas cempanheiros, e o comboy simula abrir de
vagarlnho as azas sombras, sacud-las. espaneja-
las; afinal solta um grito, e disfere o vOo rapidis-
Estava sombra a paisagem, sombra e tormen-
tosa ; surga e bello astro, e a serenidade e a paz
espalharam-se na natureza, como se ama ootra
Norma Ih'o implorasse
simo.
mas nos luga/es a que alludimosdas Georgicas.es-
sectos.
A abertura desses pastos ou prados nao s me-
I t-se manifestando que a palavra do 2. verso foi lUorariaiu'a creaco do gado" por ese lado, como
-------........ em nosso! uma simples superfelaejio, orna reconheeida, com ; tambem porque o* gado no lempo mvernoso'encon-
. i', ., ,. ,. Ul0ma. po[ fllTersos: Leonel da Costa, Pina Leito : quanto mentirosa, impotencia de aecommodar o; fa refugio, deixando os campe* naturaes, que
l.sle precoilo, que ale elido nos compendios da Lima Leitao, F. Freir de Carvalho, P. Francisco pensamento Jos seus limites nalurac entao alagara, e buscariara (erreuos enxuios. Ai-
ra do mocesSo: tem sido infringido Fur.ado, e outros tentaran, esse impossivel, todos Os versos pWtuguezes, apesar de rimados, e com Spit5m^SVSSS ZfEESt
Entreunto nem era preciso que rom raa.s ou raenos icaria sorte. Nao este ojluxo, e quali sempre hexmetro poriuguez ^?^^^\Z^^^^tS
hexmetro laiino, sao (ao menos para o gosto ho- ca5d corem-se de abundante pasto.
com frcqu'ncia.
' HUUSSe consagrado em lei para ser tomado lugar de justificar a these de que o mais traduzido
paalaoeamente como urna norma consiante de e menos traduzido dos poetas latinos.
1 roeeer entre homens que sabem prezaras regas
fia motila cortezia e do respeito que se deve aos
i Igadores.
i!..i.: palavra cu phrase incivil, urna recrimina-
cscusada pira a dilucidario da malena jur-
dica, provoca
''.lyasaa Irava
Com effeito. aquelle portentoso genio fra desti-
nado a ficar perpetuamente primeiro em todos os
assumptos que creasse:-No genero buclico, a
obra mais perfeita sao as glogas, de Virgilio.-No
genero pico, a obra mais perfeita a Eneida, de
de ordinario represalias, e a final Virgilio.-No genert didatico, a obra mais perfei-
ar nos autos, moilas vezes, um jogo la sao as Gergicas, de Virgilio I Nao ama co-
. .romas, allusde* e doestos que devra ser bani- r3, uma tiara; nao am triumpbo, sao os tres
Jo do rocoto venerando da just.ca. t.iumphos daquelle Pompeo litlerario I
J.Taiiler o melindre razoavel de am collega, os-
<...:u- um certo tom de superioridade,quando so- Tra'a,ido porn smenle aqui das Gergicas,
(Aran por ah pessoas iu,uspeila3 e competentes ta'vez que, altentamenlo confrontado, seja esse o
qae a reconheram, sao faltas em que cerlamente mas admiravel livro dollanluano, o primeiro que
lilla hao de iucorrer os que, alm da cousciencia 'erdadeiramenle pode dizer : cecini rura. Havia'
i) seu valor proprio, e da ju i dem, Uverom aquella modestia e comedmento,em rela5 ao grego tornou-?e, nao assombra do
Hue i'o tanto realce ainda aos mais elevados ca- corP' mas corP da sombra.
,- lares. Sao incommensuraveis as difficuldades que Vr-
fts raaoeiras reknaosas nao produziriara sur- gi,. levc de "?*' Cmo fi p0isivcl alevanlar
preza lio ds*gradavel nos homens cordatos, quan- ass,m a a'l,ssima poe?ia assPtos tao
(7) proeodossem de eertos espiriios reconhpcda-
i: rale mesquinhos que por meio dellas procuras-
::.;i supprir a carencia de recursos mais gene-
roaoi c mais potentes.
A follias 9, II, 43 e 9o de uns autos civeis vin
dos por appellacao da villa do Cabo, entro partes
Vaaoel Ignacio de Albuquerque Maranho e Joao
l es arrelo de Laccrda, no!am-se (alm de ou-
V...5 um pouco menos speras) as seguintes cotas
prosai-
cos? abracar toda a sciencia, as theorias e as
praticas contiendas, para a formular harmnica-
mente ? escolher entre os preceitos agronmicos,
romanos, hellenico's, os acceitaves, reppellindo os
inadmissiveis? atravessar seguro alm dos prejm-
?' e tradieces campestres? fazer caber esponta-
nea, e suavemente no verso o que delle parece an-
tipoda? rodear os preceitos domsticos, e plebeos
diento) prefehvels, em nao estenderem uma cau- So D0 ",UU,C'PW; de Braganca lia creaco de ga-
. mA, u a wu d0 vaC(.um 0 cava^ar por,1U(. Su ^jui tia caipS
da de um mitro para cima do segrate, quando de pastagens, e sao coobeeldos por campos de u-
ne ha razo forte para se fazer tal. tipur.
Esses campos laem de extenso de f> a 6 leguas
Confronten) se, por templo, os quatro primei- em coniprimenioe de 1 a 2 de largura. Sao bai-
ros versos porluguezes, eom os quatro primeiros X05> e no lempo invernoso ficam debaixo d'agua,
.alios nao; acharemos reproduzidas as citadas ^^t^^J^^fc
imperfeieoes, se que o sao. O mesmo se mostra- do pasta o capim, hervas e juncos, que crescem
r em inuitos outros lugares, se se continuar o nos lugares alagados, e descancam nessas llhas.
examepor diante, apesar de serem os versos em Esta circu/ustauciaihi inuudaco-dos campos da
ii;m-k,___.. i lugar ao singular phenomeno de vaqueiiar-se o ca-
laura sollos, e era portoguez rimados eom opukn- d7eni ca6a* 0.|ue alias 6 facil J| ropere^n.
ca, e de que o romano ia cora o pensamento, e a der-se, quando se conhece a disposieau desses ter-
linguagem por onde loe agradava, e o poriuguez renos. Quando querem apanhar alguma rez ou
leve de o acompanhar por forca par o passo. ajuniar o gado, entrara as canoas aos lugares ala-
,.,.___. gados, e tangendo-o para as iltias, ah sao as ve-
Retrahimos a peno, pelo temor de interpreta- ,; apanhadas, e depois de lacadas condolidas pa-
coes, ou de que se nos attribua preteodermos bai- ra o ponto, quedesejam os condnctorss.
mente portentoso, mas que todava obra de ho- "*r^,V;rVn mw ".".u"1" ^ST^ "gl?0ii'
c rab 11 do municipio, e entao com inteiro condec-
xar do seu pelestal de 19 scalos ca poema real- A amara muuicipal de Bragaoca acaba de dar
m.nt nnrunmen ma= n. i4.u i.r, de ho- iflf'jrmacoes ao govemo acerca do esudo agrcola
poderia
mem, e que portanto, uma ou oatna vez,
ser mais esmerada em outros pormenores.
ment das cousas locaes diz
I" Emquanto a importancia dos-trabalhos pre-
. cisos para preparar cem bracas era quadro de ler-
Formamos votos para que o Sr. Castilho comple- reno coberIO dc inalt0 vlgem de modo p0jsa
te a sua empreza tao brilliantemeote encelada, o ser plantado com milho, fejo, manOioca.caf, ele.
que ser novo rubi para ser engastado na sua pri- julgamos, qu um tal terreno pode aqu preparar
meira cora dp poela.
Eis aqui o principio do poema das Gergicas, ao
original, e na
versao de que temes fallado :
Joaquim Pmto de Campos.
Quid faciat latas segotes : quo sidere terram
Venere, Maicenas, ulmisque adjungere vites
da mais aristocrtica, e opulenta linguagem ? S
co'as, a uma inspiraCo daquella esphera fra dado ousar I AZZ2..TT: "'""V OUJua8C,I" ""T. ,
dignas desercancelladas:-Foriasnr-o/- leDla.l0) c SJbretudo chegar a meta da perfeico:?aVeDial: ^ T ^m- H"'cultas habend
f c mesmo de laboreo ou tapiqnea o.Outro of- humana. I ""** pecori; atque apibus quanta experientia parcis:
f-n, comanda, eitho oficio.- Que jogo de dispa-' Poesas assim sao geralmente feitas para ficarem HDC canere inciP'am- Vos. clarissima roundi
rc!:s. .Qae balburdia !..-C...c...c.-Est eternas, e mmutaves no seu lugar; nao se tradu-1^mina' '.aueniem ca3, 1 ducitis annum>
f .ndo ospirUo...
Vencemos a repugnancia
quissimo nao tem segredos, nem difficulda-
de reparo que cima aventuramos, embora em
termos g"nerico?, por fados que as pessoas estra-
r.'.is ao foro poderiam julgar imaginarios. E con-
ctaiflMfS fazendo votos para qao as discusoes fo-
i sea offerecara sempre bons modelos de polidez
a gravidade mantendo-se ass.m na altura emque ^ "nao'lnfermrT "orm
lleve er sustentada, sem o aduho desses ditos pi '
cunles que pelo menos revelam ura amor proprio |
eXcesslFO, ou a tendencia decidida para a mor !
dacidade.
se com o dispendio de 260o sendo 60 para a
broca do raatto, I50i para a derrubada do mesmo
e 505 para a limpeza do et.o e abertura das
covas.
2. O sobredito terreno de 100 bracas, sendo
plantado com mandioca, produzr 'OO alqueres
de farinlia ; sendo de milbo produzr 80 alque-
res-; sendo de fejo, produzr tOO ditos ; sendo
de mamona ou carrapato, produzr 50 ditos } sen-
do de caf, produzr 200 arrobas; e sendo de al-
0 i godo, produzira 100 aitos. Sao esses os gneros,
que commamente aqui se plantam c dc que- pode-
i mos ter algum coa heci ment.
3. O valor dos sobrdaos gneros prodtizidos
: as cem bragas de terreno pode ser cab-urado na
forma segrate : 200 arrobas de caf 1:0005 ; 100
arrobas de algodao 8005 ; 500 alqueres de fari-
: nha 500j ; 100ditos de ftijo 2005 ; 80 ditos de
Et ves, agrestam pnesentla numina, Faunl: mi,lho ** 30 dil* *e mamona ou carrapato 505
cas, e lao magislralrnente se sabio dessa tentativa.
zem, sob pena de ficarem por tornadas no terreno!
de trazer a lame um alheio. E todava esta audaciosa empreza foi com-
Llber et alma Ceres; vestro si muere tellus
Chaoniam pingui glandem mutavit arista,
irlst. exemplo. S assim justificaramos a especie mettida por aquelle para quem o n)sso idioma ri-! PoCla(iue mv'Dl,s Acl,elola mlSC^,l UV1S :
A* > i-xm .. ama i, ,.,,., ,, n .. .a... ^ ^. ___I.___ CI t'. .' Ortrochim T .r >nenn! i Neptune : et ct Itor nemorura, cu pingaia Ca.';e
o poriuguez de ura cealum B, e| londeQt dunie,a *Jm.
milagre de que ipse nemus linitaens patrium, sallusque Lvcc,
.: nenhura ou.ro idioma jaraais se podera gabar. Pan ovium ca^ lM Ibi'MieQa|aq cur
No lira deste art.go, damos, para que sejam Adsis, o Tegeaw favens I olea3que Minerva
comparados pelos intendidos, os textos latina e Inventrix; uncique puer monslratoraratri!
I MA nECLAMAQAO.
bragas
5." O salario porque sealuga aqui um simples
trabalhador do 500 rs. diarios, e qualquer ofi-
cial rieofflcios mechanic-us 15.
6." Um trabalhador dos do paiz pode aqui ser
alimeutado com 200 rs. diarios; e em vosluario
sa dispender por anno 165- Emuuaoto a alu-
guel de casas, com difflculdade se achara estas pa.
ra alugar nos dous povoados deslc municipio (esta
Lourenco Jos de Aranjo, hornera pobre, labo-
i. )SO, c carreado de familia, intentou contra o
jjor Manoei da Cunha Lima Ribeiro uma accSo
cr: a > por damno que este lhe causara mandando
I r escravos, acompanhados de feilor, arrancar e
Aeslruir, na tarde de 28 de abril de 1863, as plan-
Cedes de feijao, milho, mandioca e algodao que^l-
rha Aranjo no sitio de sna propriedade, denomi-
cido-Gruta d' Ulingano termo do Pilar, pro-
vitiia das Alagoas. #
l'.i-i obstante a proteco eem que conlava, foi
I iboiro pronunciado, e a final absolvido pelo
fpry. Alm de njustica notoria, deu-se nojulga-
ar.ento prelerigo de formalidades exposta em
r::zoado por parle de Aranjo, que interpoz ap-
liellacao para o tribunal superior.
i!a maitos mezes que o processo se ada na re-
I ->, onde coasta que j passou pelas mos nos
oizes revisores, decorrendo porera desde entao um
longo periodo sem qae se tivesse proferido o jul-
gmento.
C di esperar que o Ilustrado presidente do tri-
liuaal, de coja inlegndade e zelo temos tido ex-
portaguez do principio das Gergicas. Et teneram ab radice ferens, Sylvaoe, cupressum.
tiver conhecimento experimental das Dique Defeque omnes, studium quibus arva tuer:! cidade"e Niseo) ; roas urna casa, que accommode
j doze trabalhadores dos do paiz, nao se obter por
: menos de 4 a 55 mensat-s.
O estado de atrazo em que ainda est este mu-
(;.io podemos urtar-nos ao dever de publicar ierrlmas dlfllcaldades d temvvZr Za7S,J n TT^T^r?""
' agrrimas auncuiaaaes ae bem verter poetas lat- Quique novas alitis nonnullo semine fruees,
empentaran, a segrate reclamacao que nos nos (e sobre todos Virgilio), quem primeiro exa- Quique satis largara cuo demitlits .rabrem.
icroscopica paciencia o trecho origi-1 Tuque aae, qdem mox qua; siut habitara Deorum I niciplo s pode desappareccr cora'alguma''colonS-
st, urbisne invisere, Caasar, saco. (.apitaes mu limitados, a populagao ainda
nal, antes de o concertar cora o seu correspondente Conciiia, incertUm est
em poriuguez :-reconhecer que esfervilhavam: Terrarumque vjelis curam; et te maxiraus orbs
ali difflcoldades meadas, e grossas, e de toda a' Auctnrem frugiim, tempesutuinque potentem
especie, capazes de desanimar logo ao primeiro
introito os mais atrevidos.
,D'ahi dever passar-se a acariar com egual ma-
deza com o que Gzera o meudssimo, e esmera-
dsimo poeta de Mantua, com o que, de ps,
mos presas, execulou o poela de Lisboa, e aca-
Accipial, cingens malern tmpora myrto :
Ao Deus immeas venias maris, ac tua nauUr-
Numina sola colant, tibi serviat ultima Thule,
Teque sibi generura Tethys emat mnibus undis
Aune novum Urds sidus te mensibus addas,
na maior parte sem a devida iostruccao, e viven
do dos proprios recursos do paiz, nao podem dei-
xar de ser as das causas prini'ipaes do atrazo
da jnduslria deste municipio. Os propietarios
principaes nao podem arriscar rapitaes com em-
prezas em ponto grande, e a gente, menos abas-
tada pouco precisa de trabalhar para satisfazer ss
: suas necessidades; pelo que as cousas vo tendo
I orna marcha lenla de progresso,e parece que qual-
Qu locos Erlgonen inter, Chelasqne seqiientes'gucrprovldePcia-do.8overne, quo nao tenha por
bar-se-ha confessando ter este achado o segredo Pandilur rase tibi iam hrichK Mnrnhti 9r,i0n- b e a '"'roduegao do colonos afeitas ao trabalho,
da photographla colorida ranoiiur. pse tb. jara brach.a contrahit arden5 que vendara aproveilar a fertilidad* das nossas
oa puoiograpnia coioriua. Scorpius, et coali jusla plus parte reliquit. Ierras, e ensinar meihodos aperfeicoados, quer na
Procedemos a esse esludo, embora nos fallera Quicquideris: (nara te neesperent Trtara regem industria gricola quer na fabril.
habll.tacSes para tac elevada apreciaclo; e, se nos' Nec tibi regoand venial lam dlra cupido : (Cou/iniiar-s ha,)
defeso exprimir ideas desaoctorisadas, permita- Quamvis Elysod mretar Gracia campos
se-nos arriscar algumas ponderarles.
Nec repetta sequi curet Proserpina matrera)
A' completa fidelidade da tradac$ao, s innume- Da facilem cursum. atque audacibus aonue cceptis:
ras difflculdades, que para isso era preciso affron- 'gnaros1"e v rnecum miseratus agrestes,
lar, junctoa-se no porlugaez a condigao da rima,
sendo esta sempre elegante, rica, approprlada.
Comparadas as duas poesas, julgamos haver na
portagueza melhor economa, e dlstribuico mars
harmnica das varias parcellas de que os versos
se compoem E pedimos licenca para, na dqvida
Ingredero, et vcjtisjam nunc assuesce vocari.
O que as messes alegre : o astro que mais convide
a revolver o sli. e unir ao olraj a vide :
creagao de bois, de falo; esmeros e sciencia
que a abclha sobria pede e ensina a experiencia,
Mecenas, vu cantar,
UM P0UC6 DE TUPO.
E' do Sr. Pinheiro Chaves este foihetim :
Ei-lo ahi vae o sinistro hyppogrypho, vomitando
fumo, e fazeno scititillar as irevs a sua esfera-
zeada pupilla I
Ei-lo ah vae devora o espaol ne ha meio de
distinguir a paizagem.
Envolve-a o denso vu da noute; nao assomou
ainda no horisonte o rosto paludo da loa ; resigne-
monos, e voWemos as vistas para os nossos compa"
nheiros.
Ha um que se conserva solado, c meditabundo;
oceupa-se durante o caminho- todo em abrir e fe-
char a portinhola.
Este decididamente nao leu Alfredo de Musset.
II (aut q' une portire soit oitverte ou ferme, esti.
ve per mais de uma vez para Ih'o dizer, quando a
aragem, que soprava do lado esquerdo, vioha
atravessando o wagn, comprtmentar a que sopra-
va do lado direito, recebendo de mlm a saudaco
de dons espirros.
Mais adianto eatnpeia am grepo de velhos fofga-
zos.
Kiem todos em. coro, sorvem ama pitada volup-
tuosamente, e troeam, a' maneira de balas de arti-
Iharia, cilacoes latinas. Cicero croza-se com Ovi-
dio, Virgilio esbarra com Horacio.
Ha um classico perfume na atmosphera do wa-
gn.
Oucamos :
Poco do Bispo Poco do-Blspo bradam os
conduciores.
Poco do Bispo I Poco do Bispo repetem do
outrolado.
Quousque tndem, Catihna, abutere pattetUia
nostra 1 exclama um dos velhos) sorvendo a pitada
complementar.
Gargalbada geral.
Hem I o qne foi qae elle disse? pergunta
um dos que se haviam rido, confiando provavel
mente no bom gosto dos outros. Tenho j o ouv-
do duro.
Senectus estmorbus, responde um terceiro.
Repele a citacao, Anacleto, acode um eulro-
Faze esse sacrificio a amizade.
Amtcus cettus m re incerta cernitur ?
Quem te vin p qoem te v Anastacio, d'an
tes Olivias melho:' que um phthysico. Pde-se di-
zer de t o que Eneas dizla de Heitor : Quantum
mututus ab tilo-!
Nisto o raeu vizinho abriu a portinhola.
Surda rrilacao no grupo dos latinos I
Abafam-se as citacoes nos cache-nez, que se er-
guem ameacadores !
Cobrem todos a cabera, em signal de estar fe-
chada a sesso, a qual, segundo se v-, andava ao
invez da pooliehola.
O wagn continuava a devorar o espco I A la
come?a a surgir tibiamente ao longo no horsonte.
iNuvens carregadas parecem querer obstar a sua
apparigo, e ella, a ntega scismadora, franja de
prata as suas proprias ioimigas, symbolo do mego
fundador do Christianismo, que, aos mesraos que
o offendiam, affagav&e salvava cora o seu immes-
so amor.
Na ser isto tambem o syrabokt do genio e dos
zoilos ?
Como saberiamos nos da existencia dessas su-
vens no horisonte ?
Como as distinguiramos nos no fundo aza-es-
curo do cu ? As treva?. que nos rodeiam sio lao
espessas, que nao poderiamos de certo desorlinar
essa massa negra e longinqua, se a la nao des-
pontasse, marcando-as com o seu estigma lumi.
noso.'
E ellas porfiara em se oppr ao surgir do astr0
sereno, e julgam que os seus escuros bojos serao
anteparo sufficiente ao branco fulgor do astro noc-
turno I
Baldadas tentativas; a la nasce, e generosa,
mente nos revela a existencia das suas adversa-
rias.
Assim os invejosos e os detractares procuram
empanar a luz do genio, vibrara a calumnia, o in-
sulto, a zorabana contra esso fulgor, que reflexo
da Diviodade, como a loa da la o reflexo do
sol.
Mas e genio surge sempre no horisonte dos lem-
pos, e tal o seu esplendor, que illumina c revela
a posteridade os raesmos qae procaravara dene-
gri-lo, e que passariam desapercebidos, se o genio
Ihes nao eslarapasse na fronte um raio de sua luz.
Emquanio eu fiz essas rellexdes, a la cominuou
subindo, subiado no azul ferrete do firmamento.
A natureza desembuea-se do seu manto de tre-
vas para saudar a rainha da noute, o Tejo ao Ion-
ge surge ostentando no azul das suas ondazinhas o
esplendido arminho, com que Diana o presntela
As arvares despojadas fazem sahir das sombras
os seus bracos de esqueletos, os innuneraveis pan-
tanos, que cortara o terreno, apparecem cora as
suas aguas tranquillas, onde parecem doodejar mil
sylphos laminosos.
Se esiivessemos no verao
Que de murmurios, que de aromas, que esvoa-
Jd ia vae o tempo em que se poda escrever li-] car de fadas, que espanejar de flores, que delirar
vros de vlagem em que um escriptor, que fosso de rouxinss escondidos na ramaria Mas ainda
de Lisboa ao Porto, por trra, tinlia obrigacao mo- ^"l* natureza invernosa r#gosija-se com a ap-
ral de publicar vinte volumes,to ebeus de petipe- SZnl I '" d'S ^' SU3Ve ***** **
cias interessantes.como o mais inteiessanteromance O velho enregelado sente-se rejuvenecer quando
do Alexandre Dumas, tao abundante em formosas o envolve a luz de uns lindos oihos!
Casta Diva, che tnargent
Queste sacre antiche piante,
A noi votgt il bel sembtunte
Senza nube, e sema vl,
Tempra tu d con ardenh,
Tempra ancor lo zelo audace,
Sparg in trra quelLi pace
Che regnar tu fai vel ael.
A casta diva soltou-se finalmente de todo das nu-
vens que se lhe oppunham ; campeia pura e es-
plendida no cu.
Mira o candido rosto as aguas do Tejo.
A paizagem mostra-se emfim.
Os campos, as arvores, os montes, vistas pelo
viajante do caminho de ferro, tomara um aspecto
verdadeiramente legendario.
Fazem lembrar as corridas vertiginosas das bai-
ladas allemaes.
As arvores desfolhadas fogem rpidamente, agi-
tando no ar os seus ramos ns, como os espectros
da lenda de Burger. At aonde a vista pode al-
cancar, apparecem e somem-se es troncos, ora dis-
seminados, ora reunidos era arvoredo. Os mais
prximos correm com a rapidez do relmpago, os
oatros parecem avancar solemnemeoie, como os
descendentes de Banqno na caverna das feiticeiras
de Machelh ; depois, seguem-se os roetiedos escal-
vados, que parecem querer introduzir a sna face
austera pela portinhola do wagn; depois, es-
praiam-se os campos, onde se desdobram o branco
vu da la ; e ludo islo va, escapa incessante-
mente, mostrando-se inesperadamente, suraindo-se
como as apparicoes trgicas.
A procisso do arvoredo desfila em turbiraao,
a laga scinlilia e foge, immenso perylampo, qae
am instante divisamos, e que logo apoz se esconda
na espessura.
E a la, immovel e melanclica, contempla eom
um sorriso o rpido perpassar desses esquadroes
sem fim de ramos, de rochedos, de casas, todos ert-
voltos no manto alvejanle qae Ihes lanca aos hom-
bros, as arvores curvadas pelo vent, como se
fossem debrucadas sobre invisiveis coreis, qae as
arrastam no frvido galopar, os rochedos hirtos e
sombros I
Dir-se-hia o vulto melanclico do Napoleo da
Revista Nocturna, de Sedhlz, contemplando pas-
sagom do seu exercilo vaporoso: primeiro os ve-
lles cavalleiros curvados toan os cavados phan-
tasmas, cujas crinas solta teme o vento acontar,
depois os innumeraveis bitaHies espectros, pas-
sando intiricados com a feroeidade impressa nos
rostos sepulchraes.
Este espectculo prende a atteBf So, mais do que
se suppoe.
Quando se atravessa uma povoacao, eorao nos
atravessamos Sanlarm, parece que os tethados das
casas se atropellam, que saltara uns por cima dos
outros, que vo era fuga debanhada, com se ti-
vesseni noticia de qne ia algum tufo correado
atraz delles.
Tem a gente vontade de encontrar um indicio
que nos possa dizer que trra aquella, mas nao
ha meio de o conseguir.
O terror asseBboreou-se das casas, das ras-, das
eg rejas.
Os campanarios fogem a bom fugir, gritando de
passagem pela voz dos sinos, que nem se dio ao
trabalho de nos completar a conta das horas. Di-
zem-nos a prraipira badalada ; da ultima j ouvi-
mos apenas o eco.
As casas impellem-se urnas as outras, e parecem
aecusar o vagaroso passo das qae vao na frente.
Nao possivel apanha-las em flagrante delicio
de indiscipco. Desafio quem fj capaz de por
um nome a esse monlo de habitacSes, a esse tro-
pel de tenas, a esse turbilho de pedra, que pas-
sam o'um steeplc citase desenfreado.
Depois o wagn affrouxa pouco e pouco o passo,
as ultimas casas vao-se demorando tambem.
Afioal para o comboyo.
A estacao do camrahb de ferro apparece1:om o
nome da ierra escripio na parede.
Os conductores correm ao longo dos wagons.
repelindo esse nome era altos gritos.
Desfez-se o mysterio.
Devemos- confessar que o nosso seculo tem as
mais visivois tendencias- para a uniformidade, e,
por mai> que tememos rebellar-nos contra essa
idea, devemos confessar que s. nossa poca pro-
saica.
A rasoira da civiligaej passa por tudo, deoe-
pando sem piedade as aspiracSes da. arte para sa-
bir da monotona.
O realismo introduz-se na litteratara, e exige a
reproducoao pura e simples daNsociedade. Apaga,
o colorido, obsta efilorescenci do estylo, arran-
ca o delirio da folbagera, em que se desata a selva
da imagiuacao do escriptor.
A pholographia lenta desthronisar a pintura.
O trage adopta ama severidade e uma moaolo-
nia, que do a multido que se agita as ras das
cidades o aspecto menos ptoresco deste mundo.
A archuectura, outr'ora to florida, to brinca-
da, to abundante em finos lavores e em delioadas
cinzeladuras, tende cada voz mais- prosaica sim-
plicidaoe de linhas, mas simplicidade deselenaate.
singelesa impotente, simplicdade de quem caop-
de ou nao sabe ser variado, siogelesa que nao
estylo, mas a ausencia dflle. Oarchitecto d'anles
era um. poeta, agora ura inp.-tre d'obras.
A que veem todas estas-reesoes?
A proposito das estaeSes dos caminhos de ferro.
Cada poca lem os monumentos que a s-ymboli-
sara ; a edade media lem asegrejas eos-mostei-
ros: o seculo passado os- pacos dos rcis e os pala-
cios diis corlezos; a nossa poca as estacoes do
caminho de ferro e os palacios das legislaturas: o
templo do progresso material, o templo do pro-
gresso moral.
Nora uns nem oulros teem a magestade conve-
niente ; reina em ambos a uniformidade, a seve-
ridade tola.
Dorante o trajelo de Lisboa para o Porto nunca
vi uma esiacTio, que nao jolgasse ser a anteceden-
te. Chegnei a suppor que nos tinhaai pregado a
mssraa peca qne Potemkio pregn a Gataariaa II.
Polemkln, segundo sabem, quando a sua irape-
rial ama e amante viajou de *. Petersburgo para a
Crimea, mandou fazer no meio dos campos aldeias
de casas de papelao, que davam de tange zari-
na a mais lisongeira idea da prosperidade da, Rus-
sia; depois, quando passava, os aWeaos carrega-
vam com a aldoia iz costas, e iam mais adiante
renovar o seductor panorama, iulguei, ronfesso,
que os conduciores raeltiam a estacao nocombovo,
e a iam armando ao longo da estrada; s. assira
se podia explicar a desesperados uniformidade
d aquelles edificios.
A noute avancava ; os meus. companaeiros eita-
dores de laii. uns resonava, oulros. eseabecea-
vam, outros dorman) d'olbos abortos. Trahtf sua
quemque toluptas.
O solitario da portinhola sarprehendra-o o som-
no, felizmente para nos, quando ia para a abrir
pea quinquagesima quarla vez.
l'm hespanhol, que vioaa de Madrid, e que e,
nosso companheiro desde o Eotroncamento, ew-
brulhava-se em tres maatas e cinco casacos, e re-
sonava eom uma harmona to eslrondosa, qoc-lho
seria invejada pelo seo compatriota Sancho Panga,
A loa avancava rpidamente para o ocaso.
Um rio, que eu suppuz seria o Mondego, orria.
a pouca distancia do rmlway,
D'alli a.pouco, divisei ao longe urna porcao de
terreno Iluminada, o coraboyo aproximoursar-
pidamente dessas iuzes, afiaalparou, e os conduc-
tores bradarara :Combra I
Coimbra Era all que eslava, mvsteriosa e in-
visivel para roim, a inspiradora cidado. o nndo de
tantos poetas, a formosa Olha do Mondego, que em.
tantas endeixas decantada !
Coimbra, a mimosa dos nossos primeiros reiste
predilecta dos nossos vates, a fllha primognita da
primavera, a
tena 'encanto
Do Mondego amena flor
E eu tinha de passar, sem lhe respirar o perfu-
mo; e a formosa esquiva escondia-se de mim, oc-
cullava os sensfeiticos as pregas da mantilla noc-
lurna, e o comboyo, prosaico insensivel, como o se-
culo era que nasceu, depois de parar cinco minu-
tjs, prosegua implacavel no seu rpido caminhar.
Os lvidos clarSes da madrugada comecavam a
fingir a paizagem. a la desmatada resvalava no
horisonte. Cahia essa chava lgubre e fra das
raanhaas d'inverno, essa chova triste, que fez pen-
sar a Viclor Hugo.
Que le jour tramble et donte incerlain
Et, qu'amsi que fenfanl, l'aube phure de naitre
0 comboyo parou; eis-nos no Porto.
PINHEIRO CHAGAS.
PERNAMBICO.-TVP. DE M. F. DE F. & FII.HO


I
.
\

L
U


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWXEG9BGO_QHSPBR INGEST_TIME 2013-08-28T03:10:46Z PACKAGE AA00011611_10603
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES