Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10601


This item is only available as the following downloads:


Full Text
amo xli. humero u
.** i *l
Por qiartel pago dentro de 10 diasti.nei ...::.. 5$000
dem depois dos l.os 1 Odias do comccoe dentro do quarlel. 6JJ000
Port aoctrfeit ptr tres mezes............ 750
DIARIO DE
QUINTA FEIRA 23 DE fEVEREIRO DE 1865.
Por auno pago dentro de 10 as do i.mez ,,,,,.. 191000
Porte ao correi por um anne..........*' 3000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima ;
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Leaos Braga Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fillios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Gosta.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcio Dias; Babia, ol
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos[
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anlao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buiqne, S. Bento, BotnCon-
seibo, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, BrejotPesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob,.Boa Vis-
ta, Ouricury,Salgaelro e Ex.nas qnartas feiras.
Serinbem, RioFormoso, Tamandarc, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras
Ilha de Fernando todas as vezes que para alisabir
navio.
Todos os estafetas parten) ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h., 48 na. e 58 s. dat.
10 La chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 La nova as o h., 43 ra. e 22 s. da t.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Paienda. quintas s 10 boras.
Jazo do commerrio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. Ss. Eleuterio e Nilo bb.
21. Terga. Ss. Maximiano e Fortunato bb.
22. Quarta. Ss. Papias, Abio e Pascacio bb.
23. Quinta. S. Margarida de Cortona f.
24. Sexta. S. Matheos ap.; S. Pretextato b.
2a. Sabbado. Ss. Cesario e Dionisio mm.
26. Domingo. S. Pedro Damio b. c. e dout.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 hora e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEUROS.
Para o sul at Alagoas a 11 e 30; para o norte
at a GraBja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
juliio, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Maneel Figueira de
Faria & Filho.
PARTE QFFICIAL
MINISTERIO I0 IMPERIO
6.* secgiio.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do imperio, 3 de fevereiro de 1863.
Exin. e Revm. Sr. Foi ouvida a secgao dos ne-
gocios do imperio do conselho de estado, sobre se
a condicao deperpetuidadeest annexa ao car-
go de dezembargador da relago metropolitana, e,
no caso negativo, se privativa do metropolita e
nao pode ser exercida, durante a vacancia da s,
a attribuigo de destituir os que occupam o dito
cargo.
E Sua Magestade o Imperador, tendo-se confor-
ni ule por sua immediala resolugao de 28 do mez
lindo com o parecer da dita secgao, exarado na
consulta junta de 27 de dezembro ultimo, manda
aeclarar a V. Exe. Revma., para os Tos convenien-
tes, que os dezembargadores da relago metropo-
litana nao sao juizes perpetuos, mas que a sua
destiuigo nao pode ter lugr durante a vacancia
da s.
Dos guarde a V. Exc. Revtna.Jos Liberato
Barroso Sr. arcebispo da Baha.
Consulta a que se refere o aviso cima.
S?nbor. Vossa Magestade Imperial foi servido
ordenar que a secgao dos negocios do imperio do
conseiho de estado consultasse com seu parecer,
tendo diaote dos olhos os papis que acompanham
o aviso, sobre se a eondigo deperpetuidade
est annexa ao cargo de dezembargador da relago
metropolitana, e, no caso negativo, se privativa
do netropolita e nao pode ser exercida durante a
vacancia da s, a attribuigo de destituir os que
occupam o dito cargo.
Sendo ouvido sobre este objecto o conselheiro
procurador da cora, deu elle seu parecer do mo
do segrale:
Nao me parecem procedentes as razds em
que sa fundara os dezembargadores da relacao ec-
clesiaslica da Bahia para sustentaren) a perpetui-
dade do seu cargo em contrario do que entende-
ram o conselho de estado e o governo imperial, na
resolugao de consulta de 12 de dezembro do anno
passado, que com o offlcio do reverendo arcebispo
metropolitano de 19-de abril do cocrente anno me
foi por V. Exc. remettida para dar sobre esta quos-
to o raeu parecer.
Para fundamentar esta miaa opioio, come-
carei por estabelecer que semelhante pretengo
vai raanifestaraente de encontr ao que est esla-
belecido no direlto publico ecclesiastico, pelo qual
se regen) todos os paizes cailulicos.
poder de jurisdicgo de que se achara re-
vestidos, tanto os bispos como os arcebispos, nos
ensina o direito que Ins foi delegado pelos papas,
em quem resido a plenitule de todos os poderes
da sociedade ecclesiaslica, visto nao ser possivel
que com o espantoso augmento do christianismo
os exercitassem por si mesrao. Foi por tanto este
poder delegado aos bispos nos seus bispados para
julgaram em 1" instancia as cau as ecclesiasticas
que se interpuzessem no respectivo foro, e aos ar-
cebispos para que julgassem em 2* as que Ihe su-
bissem por appellagao das decises dos bispos seus
sufragneos.
A estes, pelo progressivo augmento do chris-
tianisrao, veio a acontecer o mesmo que aos papas,
iste a impossibilidadc de julgarem tambem por
si mesmos todas as causas; e d'aqui nasceu a
creaco dos viganos geraes e provisores que as
julgassem, nao por jurisdicgo e autoridade pro-
pria, mas sim como substitutos, e em vez dos his-
po5, da maneira que indica o proprio nome com
que sao designados: c d'aqui tambem nasceu a
creago de relages que com os arcebispos julgas-
sem em 2a instancia as causas que da 1" subissem
por appellagao.
t A estes juizes por tanto, que assira julgam com
os arcebispos cm 2-' instancia, nao possivel que
compita maior somma de poder, jurisdicgo c in-
dependencia do que compele aos de Ia, porque,
como aquelles, nao o exercem por direito proprio
que Ihes fosse delegados pelos papas, mas sim co-
mo meros adjuntos, coadjutores, ou antes, na phra-
se de direito, como offlciaes dos arcebispos; e
d'aqni que diraanam as seguintes regras jurdicas
o titulo ou nomeago dos viganos dos bispos, e
por consequencia dos offlciaes do arcebispo sem-
pre revogavel vontadc dos mesmosa magistra-
tura ecclesiaslica dlegada depende nicamente
da vontade do delegante, que se pode restringir
ou ampliare finalmente que ella se perde ou por
vontad propria ou pola disposigoou degradaeo.
Sao estes os principios que se acham esla'be-
lecidos por todos os escriptores do direito publico
ecclesiastico, os quies unanimemeute consideram
precaria a jurisdicgo destes juizes; principios que
se achara resumidos za pelo Dr. Vilella Tavares no seu compendio do
dito direito (parte 2* cap. 14, que se Inscreve
dos vigarios do bispo e relago metropolitana),
principios que nao foram rcprovados uem comba-
tidos pelo sabio e virtuoso bispo do Rio de Janeiro,
u mmente fallecido, no precioso tratado que pos-
teriormente escreveu, e que foram pelo governo
imperial approvados quando, pelo avi,o de 17 de
agosto de 1838, tnandou que se ensinasse as aca-
demias do imperio.
t Ora, sendo isto assim, muito fracos devem
ser os argumentos em que se fundam aquelles de-
zembargadores para eslabelecerem, como estabcle-
cem, nma doutrina contraria, e o sao sera a me-
nor duvida como passo a mostrar.
Invocan) em Io lugar o concilio tridentino,
sesso 2o, cap. 10, De reformatione, onde se orde-
na que os juizes synodaes sejam substituidos por
outros quando os nomeados tenham fallecido; e
d'aqui conclaem que representando elles boje
aquelles juizes, nao podem igaalmente ser substi-
tuidos seno por morte. O sophisma deste argu
ment salta a ;s olhos; por que o que ordena o
concilio que esteja sempre completo o numero
delles, mas nao que nao possam ser destituidos se-
no por fallecimento, anda que inhabilitados este-
jam physica ou moralmente, e era anda quando
deixem seus lugares para habitaren) em diversas
regioes com estabelecimentos de carcter perma-
nente, como no caso de que se trata : isto, quan-
do fossem representantes d'aquelles juizes; mas
esta qualidade Ihes nega formalmente o prelado
em seu offlcio. Nada vale por tanto semelhante
argamnto.
Em t lugar recorren) s leis da creagao e refor-
ma da relago ecclesiaslica e argumentan) com
seu silencio a respeito da perpetuidade dos seus
cargos, dizendo ( incrivel so nao estivesse es-
cripto) que deste mesmo silencio se cnnclue que a
tlnham e que fofa por ellas respeitada.
c E' justamente em sentido contrario a conclu-
ao que em boa lgica se deve tirar; porque to-
dos sabera que, nao sendo a perpetuidade urna
qualidade essencial e inseparavel do offlcio do jul-
gador, nao pelo silencio que se deve ella reco-
nhecer, mas sim por ama le clara, expressa e po-
sitiva que a estabelega. Nao procede por tanto
semelhante argumento, qne at por si mesmo#a-
hiria independente de refutago alguma.
< Appellam em 3 lugar para a conslituigo do
Imperio, pretendendo qae Ihes seja applicavel em
quanlo estabelece a vitaliciedade dos juizes de di-
reito em 1* e 2* instancia : porqae, reconhecendo-
a necessaria para firmar a independencia delles.
esta razad milita tambera a seu respeito; c por
isso estad nellacomprehendidos; isto s os da
segunda, porque, nos da primeira (vig-rlos geraes
e provisores) nao fallara.
Semelhante argumento porra nao pode con-
vencer a pessoa alguma ; porque em primeiro lu-
gar, nao entendo que urna sociedade qualquer te-
nha o direito de outorgar aos juizes de outra, to
vendo inconveniente, ao coronel graduado com-
mandante do quarto batalho de animara a p, a
quantia de 5:000 para o lim indicad no offlcio
junto por copia, assignado pelo mesmo comman-
daote, e a que se refere o do commandante das
armas, datado de 18 do corrate, sob n. 337Com-
municou-se ao coramandaute das armas.
modo porque devera ser feitas semelhantes indem-
nisages.
Dito ao mesmo.Reraettendo por copia a V. S.
a informagao ministrada em 15 do corrente, sob n.
307, acerca do que ao corpo sob sen commando,
flcou a dever o guarda da secgao urbana Firmino
Jos Tavares, de que trata o seu offlcio n. 82 de
10 do mesmo mez e que passou a servir no corpo
de voluntarios da patria, reflro-me ao que consta
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar, em os de-
independente como ella, qualidade que esta ihes vidos tenpos, as consignagoes que, segundo os re-
denega : juizes que a nao representara, que nao querimeutos ioclasos, pretenden) deixar dos res-1 do meu offlcio de 18 do andante, sobre o'modo por
sao por ella nomeados, e que della nao receberam pectivos soldrs nesta provincia, para alimentos de i que devem ser feitas lacs indemnisagoes.
jurisdicgo alguma; muito raais quando esta outra suas familias, o coronel grtdaado tiygiao Jos Dito ao mesmo. Autoriso V. S. a dar baixa aos
sociedade inteiramente diversa em quanto a sua Coelho, os capitos Jos Angelo de Moraes Reg, ] soldados do corpo sob seu commando Mariano Jos
natureza e seus fins, como urna sociedade religio- Antonio Luiz Duarle Nunes, segundos tenentes do Sacr ment c Manoel Thomaz Candido, visto te-
sa que at se rege por differeute forma de go- Assencio Minervino Meira, Hygino Jos de Ovivei '
verno. ; ra Coelho, e Zefenno Jos Teixeira Campos, todos
t Em segundo lugar entendo que sendo o poder do quarto batalho de artilharia a p.Communi-
judicial civil entre nos urna delegago da nago I con-se ao commandante das armas.
e exercendo as suas funegoes em nome della inde- Dito ao mesmo.Recomraendo V. S. que, pela' commando, se fr julgado apto para o servigo no
pendente dos outros poderes conslituclonaes, nada [ verbaeveotuaes do mioisterio da guerra, e em de voluntarios da patria, como se offereceipip;guar-
rem sido julgados incapazes do servigo, cmo cons
ta do seu offlcio n. 107. de 18 do crreme.
Dito ao mesmo.Mande V.S. apresentar ao com-
mandante das armas, e excluir do corpo sob seu regulamento das mercez de 19 de Janeiro de 1861
se portara concedendo a licenga com vencimentos
na forma da le.
Ignacia Vicencia do Rosario.-Junte a sapplican-
te prova authententica de ser easada com o re-
crutado.
Innocencio Rodrigues Lima.-Informe o Sr. Dr.
juiz de orpnos ouvindo o respectivo tutor, nao s
a respeito da entrega do orphao ao supplicante
como sobre a continuago de sua educago.
Joao Tburtino Nunes Soares Falco.-Informe
o Sr. director do arsenal de guerra.
Joaquim Francisco de Mello Cahu'. Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Jos Ferreira de S e Anna Ferreira de S.
Concedo a lieenga pedida pagos os dlreitos nacio-
naes, devendo porm os supplentes juntar procu-
ragoes em orlginaes nos termos do capitulo 6." do
implica, antes urna cousequencia necessaria, que I vista da inclusa coma, mande pagar Manoel Fi-
no possam os juizes serdemiltidos pelo poder que gueira de Faria S Filho a quantia de 120, pro-
apenas os designa e nomea, fleando assim delle
independentes apenas nomeados.
Outro tanto porm nilo acontece cora os juizes
ecclesiasticos, que nao havendo recebdj poder al-
gura era da sociedade civil era da ecclesiastica,
apenas o exercem como vigarios e offlciaes dos
bispos e arcebispos de quera nicamente depen-
den) tanto para a sua nomeago como para a sua
destituigo.
veniente de Impressos que se raandou fazer para o
alitamento de volntanos da patria.
Dito ao mesmo.Transmilto V. S. para es fins
convenientes as inclusas copias das actas do conse-
lho administrativo datadas do Io, 11 e 13 do cor-
rente.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Ac-
cusando recebido o offlcio de 10 do correle, sob
59, em quo V. S. me participou haver Jos Au
I!.
Sao empregados de conanga, e esta a nature-. gusto de Araujo, dando por dadores os proprieta-
za de semelhantes empregos. | ros teneotc-corooel Joo Valenlim Villela e Jos
Ignacio d'Avila, arrematado com o abate de 21
por cento no prego do respectivo orgamento, a obra
do raio central da casa de detengo, tenho a dizer
em resposta que approvo essa arrematagao.
_ t Accrescentam aida dous outros argumentos
to fracos que nao vale a pena sepralos.
Dizera que o fado de nao ter sido at hoje des-
tituido deserabargador algum da relago ecclesias-
lica, constiiue um direito que chamara consuetu-
dinario, na falta de direito escripto : e que nao
da da secgao urbana ManoekPorfirio LoBd^de que
trata o seu offlcio n. 112 desta dSTsr"^
Dito camara municipal do Buique.Tomando
em considerago o que expoz a camara municipal
do Buique, em seu offlcio de 13 de Janeiro ultimo,
relativamente a arremago a que se procedeu dos
impostos de seo municipio, cabe-me dizer-lhe em
resposta que tendo a camara do quadrlennio Ande,
toma Jo por engao urna base falsa para a arrema-
tagao dos referidos impostos, nao pode essa arrema-
tagao ser approvada, como anda o nao foi, decla-
ro-a portanto aulla e recommendo a raesma cama-
ra que proceda nova arrematagao.
Dito camara municipal de Oiinda.Respondendo
ao offlcio da cmara municipal da cidade de Oiinda
e nao em publicas formas.
Joaquim Antonio de Brillo.Indeferido por cons-
tar da informagao que o supplicante foi escuso por
molestia, a qual alias se verificara na inspec-
go.
Jos Joaquim Marcelino.Em vista da informa-
gao nao ha que providenciar.
Joaquim Antonio de Caslro Nunes. Informe o! bosa.
Coronel Leandro Bezerra Cavalcanti.
Major Pantaleo de Siqueira Cavalcantl.
Garanhuns.
Commandante superior Jos de Carvalho Arau-
jo Cavalcanii.
Vigario Nemesio de S. Joo Gualberlo.
Antonio Baplista de Mello Peixoto. .
Bom Conselho.
Tenente-coronel Manoel Cavalcanti de Albuquer-
que eco.
Pedro Cavalcanti de Albuquerque.
Professor Vicente Ferreira da Cruz.
Buique.
Coronel Thomaz de Aquino Cavalcanti.
Chefe de estado-maior Manoel Camello Pessoa
Cavalcanti.
Manoel Vicente Monteiro.
Aguas-Bellas.
Tenente-coronel Jos Afro de Albuquerque Ma-
ranhao.
Flix Alves Machado.
Vigario Antonio Eustaquio Alves da Silva.
Flores.
\igario Pedro Manoel da Silva Burgos.
Tenente-coronel Antonio Jos de Campos Bar-
Sr. Dr. director geral da instruegao publica.
Padre Juvencio Verissimo dos Anjos.
supplicante relevado da multa.
Anjos.Fica o
Lniz Ramos da Silva.o pode ser admiltida a raes.
Antonio Jos deSonza.
Villa-Bella.
Commandante superior Antonio Xavier de
Mo-
substituigo do supplicante por ser contraria ao
art. 14 do regulamento de 28 de setembro de
1859.
Mara Joaquina do Espirito Santo. Informe o
^r. inspector do arsenal de marinha.
Tiburtino Pinto do Almelda Jnior.Nao com-
datado de 28 de Janeiro ultimo, tenho a dizer que
approvo a arrematagao do imposto de gado suino j pete a presidencia conceder o prazo que requer o
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., nos termos de de que trata o termo de arrematagao aonexo ao ci- supplicante que polo lodavia continuar no exer-
sua informagao de 18 do corrente, sob n. 69, a lado offlcio, devendo a mesma camara mandar por cicio em.quanto o governo imperial nao resolver o
faltam escriptores degrande nota, como o padre! mandar pagar a Flix Gomes da Silva, conforme novamenteem praga as do capim de planta e do gado! cootrario.
Manoel Themude da Fonseca, o qual entendo que solicitou o chefe de polica em offlcio n. 145 de 23 ovelhum que por falta de licitantes dei\aram de ser
os juizes ecclesiasticos nao s devem ser perpetuos i de Janeiro ultimo, a qnantia de 42$, proveniente arrematados.
como ainda mesmo immorlaes.
Era quaota ao primeiro argumento s tenho a
1" secgao.Palacio do governo de Pernambuco.
era 21 de fevereiro de 1865.0 presidente da pro-
lacia, para raelhor execugo do decreto n. 3,371, |
de 7 de Janeiro deste anno, resolve designar as
pessoas constantes da relago, para nos lugares de
sua residencia, e como se acha indicado na- mesma
relago, se incumbirera
do aluguel de seis mezes vencidos em dezembro do Dito ao director do arsenal de guerra.Remedo
anno prximo passado, da casa que serve de ca- a Vmc. para seu conhecimento a inclusa copia do
dizer que o nao exercicio de um direito por falta j deia no dlstricto de S. Lourenga da Malta, como se termo de examc. procedido nos caixes que esse
de occasio, nao pode trazer comsigo a prescripgo v da conta junta em duplicata. arsenal enviou a provincia da Parahyba, contendo
desse direito, nem criar outro novo, como ensinan' Dito ao mesmo.Tendo o professor removido da objectos para o corpo de guarnigo, enfermara ro-
as regras da jurisprudencia universal; e emquan-1 cadeira de instruegao publica do Bom-Jardim para litar e fortaleza do Cabedello da mesma protin-
to ao segundo que, por mais razoaveis que sejam a de Nossa Senhora do O' de Ipojuca, Torquato cia.
as opines de nra escriptor, apenas podem ser at-; Laureotuo Ferreira de Mello, a quera se refere o Dito ao mesmo.Ao Io batalho de iofanlaria da e por si s, de receber todos os voluatarios que s I
tendidas quando se traa de constituir direito, mas requ rimenn e mais papis inclusos,obtidoperreis- guarda nacional deste municipio, como solicitou o Ihes apresentarem, poderem obter, ou IhesJorem
nunca quando, como no caso presente, ha direito 'sao para continuar a leccionar na segunda daquel- \ respectivo commandante superior em offlcio n. 36 enviados por quaesquer cidados e de as remetter
constituido. j las c?aeiras at que entrassem as ferias, bero como '. de 15 do corrente, mande Vmc. fornecer o arma-
E'este o meu parecer, e sao estas as razes tomado posse e comegado o sea exercicio na escola 'ment e corrame constante do pedido por copia
em que me fundo para considerar improcedentes de Ipojuca, para onde foi removido smente em 7 tocIuso. Fizeram-se as necessarlas communicagoes
as razes daquelles deserabargadores, em susien-, de Janeiro ultimo, Io dia do corrate anno lectivo, I a este respeito.
tago do que era virtude de coasulta do couseibo' deve at esse dia ser pago dos seus vencimentos Dito ao Dr. juiz de direito de Pao d'Alho. Accu-
de estado resolveu o governo imperial. como professor daquella primeira cadeira, pois : so a recepgo do offlcio de 10 do corrente em qae
t Devo porm concluir, adveriindo que so estes que nao eslava ainda empossado na segunda, nenr j Vmc. eominuoicou ler pronunciado o juiz munici-
argumentos se drigissora nicamente a dislruir; praticou acto algum pelo qual, como professor de pal e delegado desse termo, o Io bacharel Maxi-
essa pretengo exagerada do cabido e do vigario primeira, perdosse as vantagens concedidas aos' miao Francisco Duarte, como iocnrso as penas
capitular, de que (alia o prelado, era quanlo pre- ] professores era lempo de ferias : o que communi-; dos arto. 139 e 145 do cdigo penal, e o 2 Carlos
tendero, distribuir e nomear desembargadores em, co Y- S. para seu conheciinento, o afim de que Jos Gomes de Oliveira como incurso as penas de
s vaga, ento teriam no meu conceito todo o va- aesse sentido mande effectuar esse pagamento. j ultimo daquelles arligos.Fizeram-se as necessarias
Dito ao mesmo.Tendo em 27 de Janeiro ultimo, communicages.
declarado ao chefe interino da repartigo das obras Dito ao lenle do 1 batalho de reserva do mu-
publicas que considere sem eT-ito aordero do meu nicipio do Recife Pedro Alexandrino Rodrigues
antecessor, de 24 daquelle mez, sraente na parte Lins.Accusando a recepgo do offlcio de 1/ do
relativa ao abate de 10 por cento no valor da obra corrente, em que Vmc se offerece para prestar
contratada com Bruno Gomes da Silva, dos reparos! servigos nesta capital e na campanha contra a re-
da parte do edillco denominadoCollegiooccu- publica do Paraguay, se o governo imperial assim
lor, porque a estes s compete as vacancias o go-
verno econmico da mesma s, como de di-
reito.
Sao portanto delles indepenlentes, mas nao dos
arcebispos, a quera compete nicamente este direi-
to, como fica demonstrado.
A secgao conformase com este parecer em am-
bas as questes, tendo s de observar que da ap-
provago de um compendio para ser adoptado as
aulas publicas nao se pode inferir que o go/erno
adopte todas as opinies desse compendio.
Vossa Magestade Imperial resolver como me-
Ihor parecer.
Vigario Manoel Lopes Rodrigues de Barros.
Dr. Joaquim Gongalves Lima.
Ingazeira.
Lanrentino de Vasconcellos Callaga Bnto.
Tenente-coronel Isidro da Cruz Siqueira.
Coronel Francisco Miguel de Siqueira.
Tenente Vicente Ferreira Lima.
Tacarat.
Commandante superior interino Manoel Pires de
oarvalho Belfort.
Major Jos Rodrigues de Moraes.
Capilo David Bezerra de Souza Ferraz.
Floresta.
Coronel Seraphira de Souza Ferraz.
TeBente Francisco Antonio Gomes de Novaes.
Vigario Felippe Benicio de Moura.
Boa-Vista.
Commandante superior Luiz de Carvalho Bran-
cada um particularmente, do.
Tenenie coronel Joo Jos Rodrigues Coelho.
Major Andr Nunes Braulio.
Ouncury.
Tencnte-corenel Dimas Lopes de Siqueira.
Major Antonio Cesario de Caslro.
Delegado Agoslinbo Correa de Mello.
Cabrob.
Tenente-coronel Jos Victorino da Silva.
Major Alexandre Gomes de S.
Capito Jos -oares de Mello Avelins.
Capilo Pedro Euphrasio da Silva.
Ex.
Commaudante superior Roque Carlos de Alencar
Peixoto.
Tenente Gualter Martiniano de Alencar Ara-
ripe.
Jos Modesto Pereira de Brito.
pado por essa thesouraria; assim o comrounico a I
V. S. para seu eonheeimento e era aditamento ao;
primeiro dos citados offlcios.
Dito ao mesmo.Constando de offlcio do chefe '
interino da repartigo das obras publicas, datado |
de hoje e sob n. 43, haver o einpreiteiro dos repa
Sala das conferencias da secgao dos negocios do ros da parte do edillcio denominado-Collegio-oc-
imperlo do conselho de estado, em 27 de dezembro cupada por essa thesouraria, feto o segundo torgo
de 1864. Visconde de Sapvcahy. Bernardo de
Souza Franco. Foi relator o Sr. raarquez de Olla-
da. Visconde de Sapucahy, como parece.
Pago, 28 de Janeiro de 1865.Com a rubrica de
Sua Magestade o Imperador. Jos Liberato Bar-
roso.
das^ obras do seu contrato, assim o communico a
V. S. para seu eonheeimento e a flu de que em
vista do competente certificado mande pagar a
quanlia de 300,5666 rs. a que tem direito o
clonado empreiteiro.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em hasta pu
Trecho do offlcio do reverendo arcebispo da Bahia, blica os reparos indespensaveis na cadeia da villa
de 19 de abril de 1864, a que se refere o pare-1 do Cabo, servindo de ba>e a essa arrematagao o
cer do conselheiro procurador da corda.
Nao se pode admittir que sejam os desembarga-
dores da relago metropolitana o mesmo que os
juizes synodaes : a relago metropolitana foi erca-
da pela provlso regia de 30 de margo de 1678, e
os nico; juizes synodaes, que o Brasil tem conhe-
cido se elegerara no primeiro e ultimo synxlo dio-
cesano, que ne.ta cid; de da Bahia se celebrou no
da 13 de junho de 1707, em numero de 13, entre
os quaes figuram os tres desembargadores de que
enlo se corapunha a relago ecclesiaslica sendo
esses juizes synodaes nomeados para as delega-
goes, cnireanto que a* funrges de desembargador
tem outro carcter, e em qualquer bispado suffra-
ganeo que se celebre o synodo diocesano, se ho de
eleger juizes synodaes, que por sem duvid nao sao
desembargadores.
GOOIW DA PROVINCIA.
orgamento junio por copia na importancia de
345000 rs., o qual para esse flm me foi remedido
com offlcio do chefe interino das obras publicas,
datado de 16 do corrente, e sob n. 39.Communi-
cou-se ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.
Oito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
chefe de polica era offlcio de 31 de Janeiro ultimo.
sob n. 161, recomraendo a V. S. que em vista da
inclusa conta, c nohivendo inconveniente, mande
pagar ao, delegado do termo de Barreiros, Felisbi-
no de Mendonga Vasconcellos, ou ao seu procura-
dor, a quantia de 2iz40 por elle despendida com i
o concert de que precisou a respectiva cadeia
depois do arrombaroento quo nella se deu.
Dito ao mesmo.Se nao houver inconveniente
mande V. S. pagar a quantia de 90^560 rs. em que
imponaram as despezas feitas com o expediente da
Bibliolheca Provincial durante o semestre de julho
a dezembro do anno prximo passado, como se v
da inclusa conta qne para esse flm me remeden o
director geral da instruegao publica com offlcio de
18 do correle, sob n. 53.
Dito ao mesmo.Constando de offlcio do che'6
interino da repartigo das obras publicas, datado
i de 17 do corrente, sob n. 42, que o arrematante
dos reparos do empedramento da estrada de Pao
I d'Alho, entre o marco de dez mil bragas Bomba
o exigir, tenho a dizer-lhe em resposta que aceito
e com muito louvor o seu patrlouco offerecimento]
que ser levado ao eonheeimento do mesmogover-
no imperial.
Portara.O. presidente da provincia, em cum-
plimento do aviso expedido pela repartigo da jus-
liga em 3 do corrente determina que o numero de
2,424 guardas nacionaes'que esta provincia nos (er-
raos do decreto n. 3,383 de 21 de Janeiro ullim*
deve fornecer para a defeza das pragas, fronleiras
o costas do imperio hem como para o servigo
raen-! da guerra nos estados do Uruguay e Paraguay, s-
ja prestado pela torga da guarda nacional de todos
os municipios da provincia e pela forma abaixo de
signada.
Municipio do Recife .
Oiinda e Luarass .
> Goyanna .....
Pao d'Alho ....
Nazarelh.....
Limoeiro.....
Santo Anio e Escada
Bonito e Caruar .
Garanhuns, S. Bento,
Bom-Conselho e Bui-
que .......
Flores, Ingazeira e
Villa-Bella ....
> Tacarat.....
Brejo e Cimbres .
Cabo e Ipojuca .
Rio.Formoso e S e r i-
nhem......
Barreiros e Agua-
Preta......
Boa-Vista e Ourcury
Cabrob e Ex. .
Expediente do dia 20 de fevereiro de 186o.
Offlcio ao coronel commandante das armas interi"
no.Sirva-se V. S. de informar acerca do que pe-
dem Romualdo Antonio do Sacramento, Vicente
Ferreira da Silva Albuquerque, e Antonio Henri-
ques de Miranda, nos inclusos requerimentos.
Dito ao mesmo-Respondendo ao seu offlcio de do praente|f tem executado mais da te'rga parte da
19 do corrente, sob n. 340 a que vieram annexos obra do seu conlrato rtCOmmendo a y. S. que em
os requeriraenlos que devolvo, nos quaes o major vi|a do competente certificado, mande pagar ao
Carlos Mippei da .Iva Muniz e Abren o capilo reftrido arrematante a importancia da primeira
Antonio Luiz Duarte Nunes e o segundo teneute. prestacao a que Iem direilo.-Commucicoa-se ao
Manoel Gongalves Rodrigues Franca, todos do quar-1 chefe in,erino da repartigo das obras publi-
to batalho de artilharia a p pedem o abono por cas '
adiantaraeulo de tres mezes de sold para serem i
descontados pelo liquido de seus vencimentos, te-
nho a dizer-lhe que, segurado para a corte o men-
cionado batalho, nao pode ser adiantado aquelles
offlciaes mais de nm raez de seus sidos, nos ter-
mos do art. 10 das insirueges de 24 de julho
de 1857.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. abonar em os devidos tempos a con
signago, que, segundo o requerimenlo in-
cluso, pretende deixar do respectivo sold nesta
provincia, para alimentos de sua familia, o Dr.
Jos Zachanas de Carvalho,
corpo de sade do exercito.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar em os de-
vidos tempos as consignagoes, que segundo os re-
querimentos inclusos, pretenden) deixar dos res-
Dito ao director geral da instruegao publicaEm
vista da sua informagao de 16 do corrente, sob
n. 47, dada cora referencia ao requerimenlo de
Eduardo Frederico Baocks, autoriso a V. S. a
mandar admiltir no Gymnasio Provincial, como
alumno externo gratuito o filho do supplicante de
268
110
192
126
145
82
112
165
200
122
173
18J
111
138
80
136
82
Somma 2:424
Offlciou-se neste sentido a todos os commandan-
tes superiores
Dita.O presidente da provioca, tendo em vista
o resultado do concurso, a que se procedeu nos
dias 20 e 21 de Janeiro ultimo, para preenchimen-
to do lugar vago de 2C escripturario da thesoura-
ria provincial, resolve nomear para esse lugar a
Joo Carnero Monteiro da Silva Santos, que leve
preferencia aos dentis oppositores, e ordena que
se Ihe passo o competente titulo.Communicou-se
thesouraria provincial.
Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana mande dar transporte para o presidio de Fer-
nando por conta do ministerio da guerra, no pri-
meiro vapor que para ali seguir, ao capilo do 4
batalho de artilharia a p Tiburco Hilario da Sil-
va Tavares, e sua familia composta de mulher e
tres llhos menores-
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasilera
igual nome, quando honver vaga e sem prejuizo de j de paquetes mandem dar transporte para a corte
outros que esto a espera della. por conta do ministerio da guerra, no vapor Poro-
Dito ao mesmaEra vista de sua informagao n que se espera do norte, a mulher e tres tilhos
pectivos sidos nesta provincia, para alimentos de
suas familias, os segundos teoentes Jos Urbano
Pacheco de Mello, Jos Antonio Ribeiro de Freilas,
Felippe Marques dos Santos Jnior e Antonio Luiz
Teixeira de Campos, todos do quarto batalho de
artilharia a p.-Communicou-se ao coronel com-
mandante das armas.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens,
afim de que pela alfandega desta cidade seja en-
viado para a provioca da Parahyba disposico
do respectivo Exm. presidente o espolio do Dr.
Manoel de Brito Machado o Paiva, que segundo
de 16 do corrente, sob n. 49, sm relacao ao reque-
(rimento do padre Juvencio Virisslmo dos Anjos,
primeiro cirurgio do! resolv nesta data relevar o snpplicante da mulla
que Ihe foi imposta pela falta de apresenlago de
mappas de alumnos, visto haver provado nao se ter
utilisado da licenga que obteve dessa directora
para .abrir aula particular.Coromunicou se a
thesouraria pro/incia
Dito ao commandante do corpo de polica.Au-
toriso V. S. a dar baixa ao guarda da secgao urba-
na do corpo sob seu commando, Antonio Zeferiao
Monteiro de Mello, mediante substituigo do paisa-
no Antonio de Panla Madureira, que para isso foi
julgado apto, como consta de seu offlcio n. 86, de 11
do crreme.
Dito ao mesmo.Remetiendo por copia a V. S. a
informagao ministrada em 15 do corrente, sob
n. 312, pelo commandante das armas, relativamen-
te ao que flcou a dever ao corpo sob seu comman
consta de offlcio do mesmo presidente, foi remet-. do, o guarda da secgao urbana Manoel Ferreira da
tido para aquella repartigo pelo consalado geral do! Silva, de que trata o seu offlcio n. 81, de '0 do
imperio ero Portugal.Communicou-se ao pre?i- j mesmo mez, e qae como voluntario passou a servir
dente da provincia da Parahyba.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar,
no 4 batalho de artilharia a p, reflro-me ao qne
nao ha-' consta do qae Ihe dirig em 19 do andante sobre o
menores do 2 cad le 2 sargento do 4 batalho
de artilharia a p, Francisco Folegoaio de Souza
Magalhes.
Despachos de dia 20 de fevereiro de i86.
Requerimentos.
Antonio Cavalcante de Albuquerque Pimenlel.=
Nao pode ser aberto o concurso como requer, em
quanlo nao fdr resolvida a consulta dirigida ao
governo imperial a semelhante respeito.
Aadr do Abrea Porto. Informe o Sr. chefe in-
terino da repartigo das obras publicas.
Antonio Zeferino Monteiro de Mello. Ex pedio se
ordem no sentido que requer.
Bento Joaquim de Carvalho.Prove o supplican-
te que o seu filho nao tem a idade legal.
Caixa fllial de London Brasilian Bank nesta pro-
vincia. Informn com urgencia o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Eduardo Frederico Baocks.-Dirija-se ao Sr. di-
rector geral da instruegao publica.
Francisco Sebastio de Barros. Concedo 10
dias.
Francisca das Chagas Ribeiro de Oliveira.-Pas-
a esta presidencia, ou ao commaadante das armas,
fazeodo-os acompanhar das competentes guias, e
abouando-as, sendo preciso, dos vencimentos cor-
respondentes aos dias de viagem, ludo na forma
presenpta nos arts. 1 a 4 da portara de 6 deste
mez Antonio Borges Leal Castello Bronco.
RELACAO QUE SE REFERE A PORTARA SUFRA.
Oiinda.
Commandante superior Joaquim Cavalcante de
Albuquerque.
Chefe de estado-maior Manoel Antonio dos Pas-
sos e Silva.
Major Dr. Jos Cardoso de Queiroz Fonseca.
Dito Joo Baptista da -ilva Manguinho.
Iguarass.
Or. Antonio Tristao ie Serpa Brando.
Baro da Vera Cruz.
Tenente-coronel Epaminondas Vieira da Cu-
nta.
Cabo.
Tenente-coronel Jos de Moraes Gomes Fer-
reira.
Baro dos Guararapes.
Tenente-coronel Jao Paulo de Souza Ban-
deira.
Ipojuca
Commandante] superior Joo Jos Flix da C-
mara Pimentel.
Coronel Manoel Jos da Costa.
Tenente-coronel Joo de e Albuquerque.
Pao d'Alho
Commandante superior Lourengo Cavalcante de
Albuquerque.
Tenente-coronel Luiz de Albuquerque
nho.
Capitj Jacinto Borges Ucha.
Sanio Anto.
Tenente-coronel Pedro Bezerra Pereira de Arau-
jo Bellrao.
Major Manoel Cavalcante de Albuquerque S.
Capilo Anstides Carneiro da Cunha Albuquer-
que.
Escada.
Commandante superior Baro de Ulinga.
Joo Flix dos Santos.
Or. Jos Candido Dias.
Jos Pedro Velloso da Sflveira.
Nazareth.
Commandante superior Jos Francisco Lopes
Lima.
Dr. Joaquim Francisco de Mello Cavalcante.
Dr. Jos Ignacio de Andrade.
Dr Jos Jeronymo de Albuquerque Maranhao.
Goyanna.
Coronel Bento Jos Ferreira Rabello.
Tenente-coronel Dr. Jos Joaquim Firmlno.
Dr. Antonio Barroso Pereira de Moraes.
Tenento-coronel Jos de S Albuquerque Mello
Gadelha.
Capito Rayroundo de Araujo Lima.
Tenente-coronel Mariano Ramos de Mendonga.
Rio-Formoso.
Commandante superior Jos Antonio Lopes.
Major Leandro Francisco Saotiago.
Dr. Joo Coimbra.
Scrinhem.
Tenente-coronel Coriolano Velloso da Silveira.
Coronel Gaspar Cavalcante de Albuquerque
Ucha.
Major Ignacto de Barros Wanderley.
Barreiros. *
Commandante superior Paulo de Amorim Sal-
gado.
Joo Uarlos de Mendonga Vasconcellos.
Francisco Antonio Pereira dos Santos.
Agua Preta.
Coronel Bernardo Jos da Camara.
Zeferioho da Cunha Bastos.
Major Francisco da Cunha Machado Pedrosa.
Alipio Camerino dos Santos.
Limoeiro.
Commandante superior Antonio Gomes da Silva
Curoar.
Vigario Manoel Ignacio de Lima.
Juiz de direito Dr. Jos Quintino de Castro
I.eo.
Tenente-coronel Joo Barbosa da Silva.
Coronel Correia de Mello.
Bonito.
Tenente-coronel Jos Joaquim Bezerra de Mello.
Flix Fernandes Portella.
Tenente-coronel Zeferino Velloso da Silveira.
Amonto Correa Pessoa de Mello.
Caruar.
Tenente-coronel Joo Vieira de Mello e Silva.
Jos Isidro dos Santos.
Major Joo Salvador dos Santos.
Brejo.
Vigario Pedro Marrano Falcad.
Capito Antonio Alves Campos.
Tenente-coronel Caetano de Oliveira Mello.
Cimbros.
Commandante superior Candido Xavier Pereira
de Brito.
DE
CiOVI-:II\o DO RISPADO
PHHWHBKO
SEDE VACASTE
Expediente do dia 15 de fevereiro de 1865.
Offlcio a camara municipal do Buique.Tenho
presente o offlcio datado de 13 do prximo passa-
do, no qual a illustrissma camara municipal do
Buique, atiendendo as justas representagoes feitas
pelos habitantes da freguezia de Nossa Senhora da
Conceigo da Pedra, me pede para eu prover de
parocho aquella freguezia, a qual, sendo creada ha
dous annes, ainda nao teve parocho; com o que
estam os habitantes sofrendo graves prejuizos.
Em resposta cabe-me dizer a illustrissiroa cama-
ra, para que se digne communica lo aos habiantes
Mar- da nova freguezia, que se essa parochia ainda nao
, foi provida, porque a capella que lem de servir
, de mairiz se acha baslante arruinada, *e nao tem
paramentos, nem mesmo para celebrar o santo
sacrificio da missa, pois os que existem esto em
pessimo estado.
Estas razes, que obslaram ao Exm. bispo de
gloriosa memoria de prover cannicamente a nova
freguezia, ainda hoje existem, como essa illustris-
sima camara ver do offlcio que em data de 20 de
julho do anno lindo, dirig ao Exm. presidente da
provincia, e que agora remeti por copia, no qual
vai citado nao s o offlcio do fallecido diocesano,
como a propria informagao do parocho.
A' vista pois do exposto e do que consta do offlcio
que vai por copia, espero que essa illustrissima
camara se convencer de que eu nao posso prover
de parocho urna freguezia que nao tem urna matriz
decente, e nem est abastecida dos necessarios
paramentos: sendo que nenhuma duvida terei em
nomear vigario logo que estes obstculos forem
removidos.
uito ao vigario da villa da Palmera.Tenho
presente o seu offlcio de 19 do prximo passado,
no qual me diz que mandara fechar ao corto-publi-
co a capella de Nossa Senhora do Bosario e S. F-
lix da povoago da Canna Fstula dessa freguezia,
visto estar incapaz de nella celebrarem-se os actos
divinos, nao s pelo seu estado de ruina, como por
nao ter paramentos nem alfaias, sendo que j nao
relirou della as imageos por esperar prra so
autorisago minha.
Tendo-se desenvolvido notavelmenle nessa pro-
vincia o espirito religioso, tal ve* que se possa con-
seguir a reedificaco dessa capella, aflra de nao
presenciarmos o deploravel espectculo de inra
desapparecend os templos quando vai augmen-
tando a populago.
Em agosto do anno irado, me offlciou o Rv. viga-
rio da vara do Penodo, dizendo que o ex-vigario
geral dessa provincia ordenara que fossem facha-
das ao curto publico seis capellas quo se achavam
cahindo em ruinas.
Eu disse ao vigario da vara qae appellasse, em
meu nome para os senlimentos religiosos das
pessoas que o podessem coadjuvar na reparago
desses templos; marquei-lho o mez de dezembro
Ando, para me dar contas do que havia conse-
guido.
Ancioso como en eslava, apeuas chegou o dia
ultimo de dezembro, perguntei-lhe o que se liaba
feito, e ei3 que me vem ama relago das capellas
que se havjam recooslruido, das alfaias que j se
tioham obtldo, e os nomes das pessoas que mais se
haviam interessado por taes melhoramentos.
Eia pois ; em V. Rvraa. nao reconhego menos
zelo nem menos interesse pelo bem da igreja e dos
liis ; e por isso confio, que ha de conseguir qae
essa capella sexepare, e continu a ser um ponto
de reuino em qae os fleis de tempos a tempos vo
assistir aos actos divaos, e receber os sacramen-
tos, sera percorrerem os longos caminos que os
separan) da matriz.
Remedo-lhe a relago das capellas que foram ou
eslao sendo reparadas pelos esforgos dos prest-
rnosos cidados, a quem o Rvd. vigario da vara do
Peoedo se dirigi ; estou certo que V. Rvma. inca-
tira no corago de alguns seus parochianos, igual
animaglo e sollcitude.
Dito a vigario do Altinho.Existindo nesta se-
cretaria dons livros que tem de servir para os as-




___







Diario de Pernambuco <- tilinta elra ** e Fevereiro de i 84*.

de baptizados bitos dessa frogf.o- -B plantas seculares na mmediagSes
que V. Rvma. de as nec ssarias pro- Nestes bosques acha-so em abundancia
seniamcntoe
a, vdeacias, afim de que seja pago o sello respectivo,
sem o que nao pnetn taes livros ser rowr'adoi
paras* atjrirem 05 competentes termos.
Dito ao vigario da AlagOa de Baixo.Tendo sido
publicada em o n. 34 do Diario de Pernambuco,
que incluso Ihe remeti, urna correspondencia as-
signada, na qual v. Rvma. aecusado de fallas
gravissimas, nao s como sacerdote, mas princi-
palmente como parodio, e nao podendo deixar
pas>ar desapercibidas essas arguigbes, e sobreludo
a falta de caridade coin que se dlt na mesma cor-
respondencia qu V. Rvma. abandona osseus pa-
rochianos aas occasioes em que cries raais neces-
sitam dus soccorros espiritoaes, urge que V. Rvma.
sem pera de lempo, se jasMfqae de tito graves
fallas, de tantas omisses no cumprimeoto dos
seus deveres.
-16-
Oflicio ao vigario do Fono Real. Por muilas
vezes tenhn declarado, que jamis darci autorisa-
e a um parodio, para numerar e rubricar os li-
aros da propria freguezia, os liwos em que elle
mesmo tem de tangar os assedamentos da sua
matriz.
Continuarei sempre nesle firme proposito, sem
que hajam rz5es nem exemplos, que me facam
apartar delle. Tenho declarado que este meu pro-
cedimeflto, nao prevm de'faltas de conflanca nos
parochos que soticitam essa aulorisacao; nao :
longe de mim tal pensamenlo : V. Rvma., bem
como muilos outros parochos, merece-me toda a
coatianca ; porm esta autorisago envolvera um
absurdo ; pois teado por m a Bumorago, rubri-
ca e termos de abertura eencerramento dos livros
evitar que se arranque ou substlta alguma folha,
ou mesmo se substlta om livro inleiro por outn,
claro est que seria de nenhum effeilo esta provi-
dencia, se aquelle que tem de escrever os langa-
meutosouassigna-los.'osse o mesmo que rubri-
caste os livros em que sao feitos taes langa-
mentos. m
IfiO pode pois ter lugar o que V. Rvm. pede no
seu offlcio de o de detembro ultimo, que Dea assim
respondido.
Dito ao vigario da cidade do Suuza.Quando
recebi o seu eflkio de 26 de Janeiro prximo pas-
sado, reiterando a eommunicago que me fizera do
alleciiiHiito do Rvd. Joiquim Theophilo da Guer-
ra, parodio eneommendado da nova freguezia de
Nossa Snihora do Rosario da povoagao de S. Joo,
e indicaudo a requisicao minha, os scenteles que
ahi havia desempregados, ja u havia eneommen-
dado a regencia da mencionada freguezia ao Rvd.
Amaneto Leite da Silva, cuja proviso foi passada
na dala deste, e a quem V. Rvm. dar a posse do
estyllo.
Quanto consulta que me faz na segunda parte
do seu ri'ado officio, opportunamente resolverei.
Uito a regento do recolhimenlo de Olinda.Te-
nho peseme o seu oflDcio datado de 14 do corre-
le, e em respu.-ta cabe-me estranhar a Vmc. o ter
deixado sahir desse recolhimenlo sem licenca mi-
nha, e -eto que eu fosse sabedor, a recolliida Chris-
piniana ; eniiiora houvessem todas as razoa que
Vmc. &ilega uo seu offlcio, embora essa recolliida
sahisseem coinpanhia do urna seohora capaz, e
osse residir em urna casa tambera capaz, era-
quauto se iratava da realisar o seu casamento.
Nenhuma dessas razoes obstavam a que Vmc.
me iiesse parle do occorrldo e esperarse a minha
decisao. Espero pois que se nao reproduzam ac-
tos destes, nem conlinuem a actuar no animo de
Vmc. temores infuudados, nem receios chimericos.
Cumiire que eu seja avisado Jequaiquer cousa ex-
traordinaria que se passar nesse recolhimenlo,
pois de mim devem partir as providencias : oque
alm do ser expresso nos estatuios agora conimu-
nieo a Vmc. para sua intelligencia.
vando-se at apresentar varias cadae de monta
nhas, nao mui destacadas, e que se denominan] d*
Insua, Chainez e dos Dourado. Por entre essas
serras existem tres lagoas que se denominara Ube-
raba, Gahiba e Mandior.
Essas serranas sao entrecortadas e apresentam,
em seu seio, valles formosissimos.
O goverdb brasilelro tem nos Donrados nm pe
HTERIOR.
.paraguay--llaa-Gra'sso.
ni
Summariu.Navegacao do rio Paraguay at Coim-
bra.- na desta nosicao militar do Brasil.Gloriosa
historia do forte de Coimbra.Episodio guerrei-
ro.A povoagao fronteira de Miranda.Albu-
querque.Corumba.Sua povoagao sua impor-
tancia econmica, seu porto.- Companhia actual
de navegagao do alto Paraguay.
Ue>de o forte Olympo a navegagr contina sem-
pre pelo rio Paraguay ; mas a poucas leguas co
meca o dominio brasileiro. As rosta por espago
de mullas leguas, baixamconsideravalmentee am-
bas as margeos apresentam o aspecto de terrenos
alagadizos. A' medida que a navegacao avanra
para o forte de Coimbra as cosas vo de novo ele-
vando-so e na lalilude 19 55' sul e longitude 60
*' o.-ste, a< ha-se o mencionado forte, imperfeita-
.----------.- i. i. *
do Cerro
o pao santo
e oulras maiietras curiosas. Ha nesle ponto um
destacamento ao mando de um caplio.
O vapor demora-ee um momento para receber e
entregar a correspondencia.
O territorio Insondavel do Ctaco se mostra aos
nossos olhos. Rompe-se a espessa cortina de bos-
ques emaranhados que o escanda s vistas do lio- queno destacamento e alguns utencis de trabalno,
mem, edeseobrem-se immensor e verdes prados e propoesea estabelecer ah um estaleiro para a
qoe, pela uniformidad e verdor de sua superficie, reparago e fabrico dos navios. Com excepcao
parecem productos da arte humana. Por leguas e desta pequea forca militar, as margens sao de-
leguas dilata se esse panorama. MilliSes de pal- sertas.
mas elevadissimas, de orna forma especial, apre- Na latitude 17 W syl e longitud* o9 45' oeste,
sentam-se ora esparsas collocadas em ordem syme- desemboca o caudaloso S. Lourenco. rio Para-
lr,Ma*i ...... ?ai1 conlimu sempre na direceo Norte ; o S.
wa latituae sul 19 41 e longitude oeste 59 5t Lourengo deseo do nordeste a fazer a sua confluen-
acha-se o morro do Conselho. Nos lempos da sec- eia com o Parngnay. E' mister deixar este rio que
ra este o Ingar onde menos agua se encontra.' nos presin suas aguas em tao longo trajelo e
i m pouco mais ao sul esireita-se o rio por causa entrar pelo S. Lourengo para ir a Cuyab. Entre
de urna ilha e um banco que se achara no centro e os espagos comprebendidos entre ocurso dos dous
por ah azem os indios a soa passagem, de urna nos, encontra-se nm vasto territorio em forma de
costa a. outra. pennsula. As pessoas qoe se dignaren ler estas
i\a lalilude 19 25 sul, sobre a costa occidental noticias, devem prestar urna atlengo especial a esta
esta situada a villa de Albuquerqoe, ao p de nm pennsula, que, sob lodos os aspectos da riqueza,
morro e distante da margen, do rio cousa de urna aregwomtns imprtante da provincia de Malta
legua. O porto esta situado tambem ao p de um {rosto e sobre a qual lornarei a fallar,
morro denominado do retiro. Prxima villa ba O S. Lourenco um no forte, aprazivel e ame-
uma aldea de Indios Guanas que presiam povoa- no. Corre, como ja o disse, ao nordeste, por es-
gao toda aserte de servigos, j na agricultura, e pago de 40 leguas, variando depols a este e deixan-
ja em oulras necessidades e pequeas industrias, do continuar o corso primitivo at o rio Cuyab
hm frenie desemboca o no Mondego que conduz com o qual conflue na distancia indicada. O Cuya-
Miranda, povoagao regular, com um destacamento b e o S. Lourengo, por sua belleza e cabedal. e
militar, por achar-se mui prxima da fronteira do por outros accidentes, sao idnticos. O S. Louren-
araguay. Esta pequea povoagao possue terrenos Co pode ser navegado em todas as pocas, mesmo
fertihssimos edeve ter um llsongeiro futuro. Em as as maiores vasantes, por navios de quatro
sua origem foi um presidio estabelcido em 1777, ps de calado
duas milhas distantes dj rio Anliambahv. | A tribu dos Guatos visita nestas alturas ambas
:xa latitude 19 1 sul e longitude 59 96 oeste as margens do S. Lourengo e habita as suas im-
na margem occidental esta situad* Corumb. As raediagSes. E' urna tribu ieoffensva que vive da
campias intermedias, sobre ambas as costas, sao c. ga e da pesca. Seu pequeo comniercio limita-
; e os terrenos, especie de pampas ver- se a algumas peles de tigre e de outros anima*?,
OPA
des e infinitas, poderiam alimentar milhdes de ca-
beras de gado. Com efieito, na costa occidental co-
mega a apparecer algum gado que pasta nestes
campes privilegiados.
Corurrtb, povoagao nova que mal comega for-
que elies vendem aos viajantes. Uomestiram a
aula, o veado, e numerosas especies de aves curio-
sas, como y'acit', o mutum, a arara, e muilas espe-
cies de papagaios.
Esta tribu costuma ser atacada pelos ferozes Co-
ga esta situada sobre a barranca, seu porto sin- roados. Sao estes os indios que frequenlementeata
guiar; possue um quartel excellente, edificio onde cavam as caravanas e os viajantes que costuma-
ha urna forga de cetito e tantos arlilheiros. Essa vam transitar por esses penosissime caminhos, en-
posigao mtirtar domina o porto e o rio. Um pouco tre o Rio de Janeiro e Mallo Grosso e que anda
mais abaixo tka a alandega, enorme rancho que boje costumam apparecelr vindos da provincia de
contera todas as reparligoes necessarias. Progres- Goyaz.
sivamenie augraentam os edificios de conslrucgao Ueixeroos que o S. Lobrengo sipa o eu desvi a
modesta. A populagao orga por mil almas, raais' este e continuemos o rumo NNE as aguas do
ou menos, e tende a desenvolver-se. | Cuyab. Seu leito menos profundo, por se des-
he o governo e as emprezas faeilitarem a nave- viarem as suas aguas por muilas ramificag5es. To-
gagao a vapor, poqdo-a ao alcance das classes m- memos o que se denomina Banana! que o mais
dnstnaes; se a propaganda do seculo fizer conhecer propicio navegagao, apezar das suas inlerroina-
essas regioes venturosas nos grandes emporios de veis voltas. Este rio fo^ma propriameoto um ca-
popula^ao e de commercio; se se estimular a co- racol e lio estreno que o vapor precisa auxlliar-
lonisagao; se chegar, emfim, a hora de dar vida se com espeques para fazer as voltas. E' embara-
social a estas regioes, onde se ostenta urna nature
za robusta, estes povos internados devem esperar
urna saudavel revolugao no seu destino. Essa re-
vofugao comega ja a iniciar-se, como um creps-
culo da civilisagao do seculo em meio das trevas
da sua precoz existencia.
O governo do Brasil, Ilustrado como deve era-
coso o encontr com alguma outra embarcagao.
Sahindo do Bananal apresenia-se de novo o
Cuyab em um s corpo mas largo e assim con-
linua al que torna a dvidir-se em varios bracos,
dos quaes os mais fundos sao o Piraime, o Acuru-
tuba, sendo este prefenvel pela sua limpeza. Este
braco um fac simile do Banana! e sahindo delle
1
mente construido, ameia subida de um cerro que
domina o no. A fortaleza brasileira de Coimbra
parece disposta nicamente para bater o rio e de-
fenderse pela frente e pelos lados. Mas sua parte
posterior completamente indefeza e bastara ati-
rar sobre ella pedras de cima do morro para inu-
tisa-la. O rio r.esia altura estreita muto e apr-
senla mais bello aspecto.
A fundagao do forte de Coimbra data de 177o e
alm de comer um presidio, foi calculada e'ssa po-
sigao militar para por
acoberto a navegagao dos pouco lempo se pode obter a creagao e cooservacao
paulistas e para conler as numerosas incursoes dos1 das aves domesticas. Os vampiros dos bosques
indios Guayc.urs que subiam at a Villa Maria,
onde assassinaram urna vez, varas pessoas e cap-
tlvaram outras. A ultima occasiao em que foram
os portugueses victimas de urna iraigSo infame por
parle dos indios fci em 1778, em frente de Coim-
bra. Quando os chrislaos incautos, trocavam al-
guns objectos com os selvagens, estes que preme-
diiavam o crime, cahiram em grande numero so-
bre os soldados desarmados e assassinaram covar-
demenle a 50 delles.
O forle de Coimbra recorda tambem um feito
glorioso para a bravura e hombridade portugueza.
No comego doste seculo foi elle atacado pelos hes-
panhes que levavam quatro goletas de guerra e
viole canoas. Pela primeira vez, no corago da
America Meridional rctumbou o estampido do ca-
niao. As tribus bellicosas dos payagus e dos
guaycurs deveram ser surprehendidas pelo terror
e pelo espanto ao formidavel estrondo da arti-
lhana.
Em um dos intervalos do combate, o chefe da
frotilha hespanhola dirigi ao commandantedo for-
te urna intimagao concebida nos seguintes termos :
Bordo da goleta Nossa Senhora do Carmo, 17
de setembro de 1801.
Montera tarde tive a honra de responder ao
ogo que V. S. rae dirigi desse forte : e tendo re-
conhecido qoe as forras cora que von imraediaia-
mente atlaca-lo sao mui superiores sde V. S. nao
osso deixar de valicinar-lhe o ultimo infortunio.
as como os vassallos de Soa Magestade Catholica
sabem respeilar as leis da humanidade, mesmo
em meio da guerra, pego a V. S. que se renda s
armas d'el-rei meu amo, pois qoe do contrario a
tiro e a espada decidirei da son de Coimbra, sof-
rendo sua desgragada guarnigao todas as extre-
midades da guerra, de cujos estragos se ver livre
V. S. se acceder minha proposta, respondendo-
me cathegoricamente no praso de urna hora.
D. Lzaro de Rivera.
O mesmo.mensageiro portador desta intimagao
oosada e terminante voltou com esta galharda res-
posla do commandante de Coimbra ;
t Coimbra, ti de setembro de 1801.
Teoho a honra de responder V. Esc. cathe-
goricamente que a desigualdade de fbrgas foi sem-
pre um estimulo qae moito animou aos porlugue-
zes para nao desampararem seu posto e para de-
fend-lo, autes, at a ultima extremidade, para re-
pellirem e inimigo e finalmente para sepullarem-
se debaixo das ruinas dos fortes que Ihes foram
confiados. Nesta resolucao estao todos os indivi-
duos flete presidio, qoe tem a distincta honra de
ver defronte de si a excelsa pessea de V. Exc. a
quem Deas guarde. Ricardo Franco de Al-
iada.
Os filhos do Cid puderam ver que nao eram os
nicos dignos de Numancia e que, anda bem que
em menor theatro, se anticipava um Palafox nos
desertes. Paderam ver como o herosmo portu-
goez comprehendia a honra da sua bandeira e do
seu posto.
Depois de nove das de sitio a frota hespanhola
retirou-se tota algumas perdas.
A' disiangia de urna legua de Coimbra existe
urna celebre gruta, que por singulandade e belleza
se torna celebre. Nao a visitei, mas pude colber
sobre ella algumas informagoes.
Com bastante Irabalho desceseuroa profundida-
de de 100 ps pouco mais ou menos. Dentro conlem
urna luxuosa variedade de caprichosas crystallisa-
goes, de raras formas e perspectivas ; bem como
se acbam varias pedra com incrustagSe de raizes
prohender quanto importa aosvvastos dominios do toma 0 Cuyab a apresentar-se n'um s corpo.
imperio inlroduzr a aegao da vida moderna pelos a vegetago das suas margens robustsima ;
diversos flancos desse territorio colossal, para que ha nellas superabundancia de vida animal. Estes '
a luz do prbgrcsso convirja de todos os pontos ao rios sao 0 paraizo das ives abunda assombrosa-'
centro de urna Dacao, em grande parte anda por meote a caga. Eotre as aves mais coloridas, mais'
explorar e que sob todos os aspectos contcm the- canoras e mas atlractiVas, distingese o j'apii'. E'
souros infinitos. : do lamanho de ura melro, sua cor, de nm negro
beu joven e sabio monanha parece ter compre- ondeado ; o bico e o encontr das zas amarellos.
hendido a nobre m^ssao que Ihe coube em sorte Quando canta pendura-se dos ramos com a cabega
para_beneficio da nagao brasileira. A nobre pro- para baixo e errica toda a sua bella plumacem.
teegao que consagra ao espirito de invesligagao e Tem a pr0priedade delimitar todas as outras aves,
de empreza, bem o_ mamfesta E esta iniciativa 0 japu' possue um inslincto muito aperfeigoado.
Z.tl a mfnlfesla5ao de sus designios, nao pode Sua arle para C0USerVar a prole chega mais fina
deixar de traduzr-se em beneficios praticos e fe- perspicacia
cu,D.dof P?ra P^ovir. ^oine as arvores mais allas e nos ramos mas
n, ^. '-nde n0S acham0S Df llraomnt"' e ?alientes P^dura o seu ninho, especie de bolsa de
quem sorri um brilhante fiuuro. dUS a lres pa|m0S) jormajo de um fino tecido que
o vento balancea e sacode sem conseguir despren
d lo. Outra ave formosissima aqu se eacontra a
qual os naturaes do o nome de Joao Pinto, cojo"
canto e cores sao lindissimos. Os macacos de di-
versos taranhos e de diversas formas saltam entre
as arvores, osteutando a sua agilidade. Sao tam-
bera muito abundantes os mosquitos e as pocas
de cheias muito mortificara aos viajantes. Desap-
parecem, logo que comega a vasante dos nos.
Sahindo-se do Arurutuba, o Cuyab aprescBta
em suas margens urna immensa superficie de cam-
pos fonnosos e ricos de vegetago. A vista dilata-
se por essas longas campias, que costumam ala-
garse. Mas no lempo seceo cobrem-se de mana-
das de gado, pertencentes s fazendas visinhas.
Tambem por este tempo concorrem todas as fe-
ras dos bosques, que procuran) cevar-se no gado.
Os tigres atrave.-sam o rio desde a costa occidental.
Eu propno presencie* urna scena curiosa. Dous
tigres de grande tamanho crusavam as aguas do
Cuyab de modo a nao terem lempo de evitar o va-
por. A' aproximago deste redobraram de esforgos
e nadarara violentamente. Nao trabamos a mo
armas carregadas, mas esperavamps submerg-los.
Com elleilo um delles foi golpeado pelas rodas do
vapor, mas ambos Iograram escapar, alcangando a
margem e internndose pelos matagaes da costa.
Dahi por diante comega-se a encontrar hatita-
goes e campos cultivados. Preponderam entre as
plantagoes a da canna de assucar, a da mandioca,
as bananeiras e os laraojaes. Como o vapor vai
tomando lenha de espago em espago desde que sahe
de Curumb, tem o viajante occasiao para ir saltar
em trra duas ou tres vezes ao di e de visitar
essas pequeas liabitagoes que nada offerecem de
iSTJSssx 2i~ yj-tf! BK* aS t;z it cS^ar^S
e direccao, ser brevemente a mais populosa e
commercial. As outras ras da cidade sao mais
ou menos estreilas, em saa maior parle irregulares
e tortuosas. Cuyab 6 um verdadeiro labyrinmo e
ser difScil corrigi-la pelanatureza mootanhosado
terreno, razao por que de suppr-se que a popu-
lagao se estenda para o rio, o que sera urna for-
tuna para essa importante cidade. As ras sao to-
das bem-calcad as.
' viajante nao pode deixar de sorprenderse
Servmos era ura dos corpos da amiga milicia,
e, se bem. qab cora pouca aptdo, commandamos
um desses corpe* ; portant, nao tendo degenera-
do o amor patrio, de entao para c, eremos que
nao erramos, aCDrmando qae qualqaer comman-
dante de corapanbia pode apresentar duas das!
pragas de seu commando que, seu primeiro cha-!
mado, corram com as armas as raaos a defender
a patria dos insultos qae Ihe pretendem assacar o
tyranoetc do Paraguay e esse infeliz Lpez, que
agradxvelmente encontrando na latitude de 15* 37' tao brbaramente governa a repblica do Uruguay,
sul e longitude 58 25' oeste, no proprio coragao da E se algum dos comraandantes de corapanbia, nao
Amencmeridional urna cidade de 12 a lo mtl apresentar as pragas requeridis pelo governo,
habitantag; cidade que se nao absolutamente acreditaremos antes que o pouco prestigio de que
commoda, pelo menos pittoresca por soa elevada goza para com seus commandados, e a falta de
posigao econsideravel a despeito da sua ettencla emprego dos meios necesarios e convincentes fo-
1 S0/i j-n -ir rara as causas desse desanimo, do que pensare-
is edificios da cidade, mais ou menos uniformes, mos que nao existe moito amor da patria, muita
nao offerecem outras excepg5es, mais do que as coragem e dedicago nos peitos dos bravos que
que tenho assi-nalado entre as suas modernas formara as phalaoges de nossa guarda nacional,
constroegoes; mas rem garantida urna progresso
favoravel pelo desenvolvimento notavel que se vai
operando. Possue urna igreja parochial dedicada
ao Bom Jess e tres capellas sob a invocago do
Bom Despacho, d< s Pasos e de Nossa Senhora do
Rosario. E' sede de um bispado; possue um semi-
narlo, orna casa de misericordia, um hospital de \
Lazan, outro militar e alguns outros estabeleci- \
mentos de caridade.
O palacio, assim chamado, divide-se
REVISTA DIARIA.
em
O Exm. Sr. presidente, para cumprimpnto do
dous av'S0 e ** do correQ,e mez' acaoa Pr act0 de 20
lances ; s reoartico'es offlciaes urro na- e disn.buir n- dt 2-*24 guardas naciooaes, que
ra residenK presideoto;^f provincia de Malo- J?!lg sla Provincia. V*> 17 ualCipte que a
SS ^SroJX^'o^^ Bgiff %TW^ u ef m?0CPao
sSXSd-acSSeTedX-
S'SSS ^ eSPaC" qUarle' Cm Um CrP So'TSl. S orBoSo' eaCdaeruSaarnua16A5n;
Nao ha hote.6. V.rdade seja que nao ha WMKy2& ^T^k'I0 eJ/me
seuntes; mas existem duas citas de pasto. Para 25 S/^ '5daze'" e ." abel,.a. 22 "
hospedar-se necessita o viajante levar cartas de SJna"nhr25iM o c.abo.,PJuc111 i \ do
recommeodacao para os particulares. H ?S,n5re2.1?' ao de Rl? FoT0i. LSerh
A irregulandade que se nota na conslrucgao da ^"v.L n Barre,ro* Agua Preta 80; ao
cidade de Cuyab esta denunciando a sua origen. E. g Y '' 3 '
Prevalecem para com ella as cirenmstancias de .Si -____-
todo o paiz explorad., pela cubiga da m.neragao. A n?r Xtbl'da hP"a c^sadislr!bui?a0
Cada qual levanta um "ancho ode mais Ihe con- 1." de 4 m Cent0 SObre -elTectlv0 de cada
vm. Quando muito consulta a sua conveniencia,
batalhao.
-* O Sr. commandante do I. esquadrao de ca-
vallaria da gaarda nacional deste municipio reuni
no da 3 do correte a respectiva ofllcialidade em
sua residencia ; e depois de dirigir-lfce a palavra,
assenlaram todos era se oterecerem ao Sr. com-
mandante superior para fazerera o servigo do ron-
xo Garca fot o primeiro que com urna numerosa {Lf 3d da lel n- 62 de ,9 de setembr de
escolta de Indios reducidos passou o Paraguay e
penelrou at a proximidade dos Andes, em meia-'
sera preoceupar-se cim o futuro destino das gera-
gdes que devem succeder-lhe. As casas vo en-
chendo se sem delineagao nem ordem e insensivel-
mente leuanta-se um labyrintho. Assim se formoa
Cuyab.
Tendo oe Vicentistasrednzido as tribus Guanha-
uma povoagao a quem sorri um brilhaote fi
A Miranda, Villa-Maria, Cuyab, Albuquerque e
onlrs povoagoes da provincia, sao ellas distribui-
das, mandando-lhe de retorno os seus pro I notos
para serem exportados por esso mercado com-
mura. Tem alm dsso em perspectiva o coniMier-
cio futuro da Bolivia. Se este estado nao abrir um
porto seu pelos nos assignalados, indubitavel
que a regiao sul dessa repblica se ha de prover
de Curumba'.
Ha, alm dsso, urna razilo capital. Bem que oj
rio Paraguay em suas grandes cheias seja navega^
vel por navios de grande calado, em seu estado
Bormal_ s perrailte chegar al Curumba' navios
que nao demandem mais de nove ps inglezes, e
cinco ps em sua maior vasante, o que torna esse
porto indispensavel e nico para os navios empre-
gados no comniercio.
Os terrenos prximos desta povoagao prestara-se
pouco a' agricultura por serem demasiado calca-
reos. Apenas tm dous pes de trra vegetal, e as
arvores eaenlem horisonlalmente as suas raizes
por nao poderera crava-las. A cal acha-se em
abundancia, pura e a' flor do solo. Alm desta cir-
cumferencia os terrenos sao fertilissimos,
Curumba na sua situaco actual recorda um
pouco os primeiros lempos da California. Tudo
all suininameote caro : eos passageiros difficil-
mente achain onde alojarse. Urna m habitago,
contendo duas pegas, casta raensalmente de 30 a
40 pezos. A comida igualmente cara. S de ha
dos do secuto XVI e foi tambem o primeiro que
descobrio a parto meridional desta provincia.
Varias outras expedigdes em busca de Indios fo
rara accommettidas, mas nio se teve noticia certa
dellas, se nao de 1718 por diante, qoando Antonio
Campos, Paulista, subi pelo rio Cnyab em busca
da tribu Cuxlp quehabilava una aldea no lugar
onde hoje se acha a capella de S. Gongalo.
No anno segrate chegou Pascoal Moreira Ca-
bral e penetreu al o lugar denominado Forqailha.
Observo que alguns Indios ptissuiam pepitas de
ouro. Investigou a terreno e com effeito manifes-
lou-se a existencia di rico mineral, e que o deter-
minou a voltar aldeia que fura visitada por Cam-
pos para provr-se de alimentos. Nesse pi-nto com-
binaran seas meios de trabalhe e o emprehende
ram com xito favoravel. Pouco tempo depois che-
gou outra companhia que veio eogrossar a recen-
te povoagao, e achando-se rearado j um grande
numero, determinaran! darse um chefe, sendo
eleito Pascoal Moreira Cabral, com a condigno de
ser essa escolha sanecionada pela capitana geral
de S. Paulo.
A' noticia do descobnmento, muilas foram as
caravanas que paniram de S. Paulo, mas a maior
parte dellas perecen no caminho. Nesse mesmo an-
no mudouse a povoagao para o lugar denominado
Forquilha.
: Sutil que cultivava um terreno na margem esquer
da de Cuyab, mandn dous Indios do seu servigo
procurar me I nos bosques visinbos. Quando re-
Cora o fim de tornarse exequivelaprestacaod'es-
se servigo, j foi submetlido a apreciago do me-
mo Sr. commandante superior o meio mais promp-
to de ser preenchidoo numero cffectivo do referido
esquadrao.
Sendo expressamente pronibidos, pelas pos-
turas municipaes, reparos nos telhados e frentes
das casas, sem que sejam as fachadas feitas mo-
derna, chamamos a attengao do Sr. fiscal do Santo
Antonio, para algumas nessas circumstancias, den-
tro de sua freguezia.
No dia 21 amanheceu aborta urna das portas
do armazem n. 20 da roa de Apollo, sem vestigios
de violencia na mesma e smente em duas cartei-
ras existentes em dito armazem, das quaes nada
levaram, os roubadores, se mais de um houve.
Segundo declaragao dos donos do dito armazem
fallou no mesmo urna pega de algodaozinho e vinte
saceos para assucar.
O subdelegado fez a competente vistora e est
na dehgencia de descobrir o autor de semelhante
facto.
Mais de urna vez se tem repetido casos idnticos
devidos a iocaria dos donos ou caixeiros dos esta-
bele"imeni05, aos quaes mais que a ninguem, cor-
re o dever de ter todo o devido cuidado afim de
evitarem prejuizos.
Anda nao ha mutos das que dito subdelegado
encontrou, a noute, um outro armazem aberto, por
descuido de quem eslava incumbido de feixa-io.
No da 16 do correte, pelas 8 horas da ma-
nhiia, no engenho Pererecas, da comarca do Rio
Formoso, foi brbaramente assassinado, com 4 fo-
cadas sobre o peito, Manoel Jos do Couto, por seu
gres^ram, na mesma noute, entregaran a sea se- escravo c A evadr-se.
?Br?n f '! iaD TI* Vf dG .Ur fmh.K.\ No eommunicado publicado no Diario de Per-
fer.ndo-o pouco irabalho com que o irahara achado mmbuc de 21 do crreme, deu-se o seguinle en-
era um s.l.o onde abundava o prec.oso metal. Sub- mt0 as,m ( ,Jm leUag
bosque
immediatos as perseguiam e as proprias pessoas
tinham de precaverse coiilra esses enormes raor-
cegos que lem ido desapparecendo medida que
se derrubam as florestas.
o sangue que extrahera quelles a quem o somno
pesado dessas regiSes abafadoras deixa quasi in-
sensiveis
A povoagao compoe-se principalmente de com-
mercanles, seguem-se os embregados, alguns art-
fices, indios pedos que fazera o servigo da alfande-
ga e os mariuheiros dos navios mercantes. Ha
oella cinco buhares, e este jogo o recreo favorito
da populagao.
A viagem de Montevideo a Curumb em vapor
az-se uo espago de doze dias, os navios de vela
gastam tres a quatro mezes.
A corapanbia de navegagao do Alto Paraguay
presta grande servigo a provincia de Matlo Grosso.
Sem a existencia dessa linha de vapores, at hoje
vivira ignorada.
A companhia possue o formoso vapor Mrquez
de Olinda que faz a carreira entre Montevideo e
Curumb ; e mais tres, com varios lanchoes que
navegam de Curumb e Cuyab. Cbamam-se os
dous maiores Conselheiro ParanJios e Visconde de
que
longitude 58? 20' oeste
Junto a este serr existe urna pequea aldea.
As canoas que conduzem mercadorias de Curumb
a Cuyab fazem urna penosa viagem de 30 a 40
dias. Na poca das enchentes a viagem muito
raais curta por que as canoas navegam sobre os
campos allagados e em rumo quasi directo. O va-
por faz a mesma viagem em oito dias e regressa em
cinco, favorecido pela correte.
V
precioso
til aprovaitou-se deste acaso providencial, tomou
o bastao e dirigio-secora seus guias ao lugar indi-
cado, convidando para acompanha-lo a um Joo
Francisco, appeilidado o Barbado. Breve chegaram
ao sitio descoberlo e esse o lugar onde hoje est
edificada a cidade de Cuyab. O ponto em que os
Indios descobriram o ouro o em que se acha le-
vantada a capella de Nossa Senhora do Rozario.
A' noticia dos novos descobriraentos nao tar-
dou a povoagao da Forquilha em trasladarse
para o nevo estabelecimento e ahi se foi agglome-
merando em desordem, s preoecupada e estimu-
lada pela sua avidez. Todas as noticias que hei ro-
ce, etc. deve-se dizer : tanto assim que postas de-
pois em leilao por ordem do proprio Sr. D. Jos
Antonio, algumas casas etc.; foram as da Solida^
e Cinco Pontas vendidas ;o Sr. Antonio Ramos.
Belagao dos baptlsados e casamentes havidos
uesta freguezia em Janeiro de 1865 :
Mana, parda, com 4 mezes de nascida, filha natu-
ral de Antonia Maria da Conceigo.
Amelia, parda, com 5 mezes de uascida, filha
legitima de Hyppolito Antonio da Silva e Antonia
Francisca da Conceigo.
Maria, parda, com 5 mezes, filha natural de Silve-
no da Silva Coelho e Maria Luiza dos Santos.
passado, fillio legitime do Dr. Jos Leandro de
Godoy Vasooncellos e Maria Augusto Lins de
Godey.
Joaquira, branco. nascido em 15 de roaio do anno
passado, fllho legitimo de Bstevo Jos Ferraz
e Beravinda de Vasconcelos Ferraz.
Casamentos f
Manoel Domingues Januario eem Ricarda Maria
da LonceicSo, pardos.
Jos Antonio do Nascimento cera Vicenca Maria
da Loneeigao, pardos.
Joo Chaves Ribeiro de Andrade com Maria Ar-
gemfra Dutra, brancos.
Francisco de Paula GongaJves da Silva com Can-
dida Amelia Lins .-oriano, braBcos.
Manoel Maniz de Alraelda, com Isabel Alexandrina
Gonealves da Silva, brancos.
Passageiros do vapor brasileiro Mamanguape,
sahido para o Acaracn' e portos intermedios:
Raymundo da Silva, Antonio da Cunta Camello
Jnior, padre Manoel Cjrreia de Souza Lima, Jos
F. ao liveira Pelisco, Carlos Avelino Pires, Lu-
cinda Maria da Conceigo e 1 Ulna, Frederico Be-
zerra da Silva, Biau Agoto, Cicero Franklin de
Lima, Procopio Senna santiago, Lourengo Pinto
Brando, saa senhora e 1 escravo, 1 preso, 2 pra-
gas, Alipio Luz Pereira da Silva, Dr. Brae Camino
do Reg Barros.
Movimento da casa de detengao do dia 21 de
fevereiro ds 1865.
Existiam presos 381; entraran! 11 ;sahiram 18;
existem 374.
A saber : nacionaes 296; estrangeiros 20; ma-
Iheres 2; estrangeiras 2 ; escravos 49 ; escravas 5.
Total 374.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 158.
Movimento da enfermara.
Teve baixa :
Jos Rufino da Silva;
Teve alta :
Manoel Vicente da Silva.
Jo Silvestre da Silva.
Thomaz Barh.
GMMEEGIO.
i/ovo banco de Pernambuco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno al o prazo de seis mezes, e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor de
tres nezes.
Cotacdes offlciaes.
PIUCA DO RECiFE.
22 de fevereiro de 1865.
Assucar raascavado purgado2J050 por arroba.
Algodao de Macei 1900 por arroba posto a
bordo.
Cambios sobre Londres90 di de vista 27 3/4 d.
por 15000.
Frele de assacar para Liverpool22/6 e 5 0/0 por
tonelada,
Dubourcq Janior-pre'sidente.
Guiarlessecretario.
Alandega
Rendimenio dr. dia la 21.......
Idemdodi 22..............,
546:513^659
30:640*735
577:154*394
Hovlmentoda alfandega
Volamesentradosconifazendas...
com gneros... 120
Voiumes sabidos com fazendas.
com gneros ..
latado sao conformes com a tradiegoque reza que ,(injm branro nasPdo p
esses exploradores sem ferrameutas e sem os con- Joa
hecimentos necessarios para pralicar trabalhos
profundos as enlranhas da trra, chegaram a re-
col her, n'um mez, e na superficie da trra 400 ar-
robas de ouro.
O testemunho desses esforgos sem arte revelase
no proprio terreno. Notase que as ramadas su-
periores da ierra foram revolvidas, delendo-se o
trabalho onde se encontrou rocha viva. O tempo
e as chuvas nao teem podido arrastar essa carnada
de ierra j endurecida e que se v aqu e ali, como
testerannho da passagem do hornero e dos esforgos
da cubica.
Assim se levantaram os primeiros alicerces de
Cuyab, sobre ouro I
m lo de setenbro do
anno passado, filbo legitino de Joaqun Fran-
cisco das Chagase Zeferina Ljpes da Silva.
\ Thereza, branca, com 2 mezes, filha legitima de
Jos Joaquim Ferreira e Senhorinha Candida
Ferreira. .
Mana, parda.com 13 mezes, filha legitima de Joao
Francisco de Souza e Mana Joaquina da Sole-
tle.
Alfredo, branco, nascido em 6 de settVnbro do
anno passado, lilho de Joaquim Jos Ferreira
Gama e Clara Maria dos Passos Gama.
Manoel, branco. nascido II annos, filho legitimo
de Anacleto Alves da Silva, e Francisca de Mi-
randa Castro e Silva.
Carlos, branco, com 6 mezes, lilao legitimo do
Durante a minha residencia em Cuyab tive oc-! r WfS ^S ,! Maria Joa''Una Krouse-
c.so ,.-----:------r m;------.- .m.uita..i. I Graciano, pardo, com 5 mezes,
A cidade de Cuyab : sua
histrica.A povoagao do porto
governoDo porto capital.Descripgo de
varios estabelecimentos.Importancia de Cuya-
b em relago ao seu commercio e populagao.
Edificios pblicos.Casas de cardade.Outros
assumptos.
Depois de oito dias de navegagao a mais amena
e pittoresca, ch'gamos a Cuyab! O vapor fundeia
em frente ao arsenal de marraha e immedatainen-
casio de apreciar por mim mesmo a amabilidade |
caracterstica dos habitantes e de tratar cora pes-
soas de alia distinego e notaveis dotes. Entre
ellas farei raensao especial do Exm. hispo da dio-
cese, homem de luzes e de virtudes, profundamen-
te instruido e de ideas liberaes adiantadas. Sum-
isamente protector e amigo dos estrangeiros, o Sr.
bispo um modelo de piedade, um typo do verda-
deiro sacerdote do christaoisrao.
Mas um dos homens que por sua sciencia e pelos
dcscripcao e iradiccao I serv'cs que ha prestado torna-se verdaderamente
lo porto Estaleiro do nolave' eo Sr. Augusto Leverger, francez de ori-
\panema. O terceiro anda de menor calado, cha- te chegam o captto do porto o muitas pessoas da
raa-se Cuyab e reservado para as grandes va- cidade em bnsca de noticias do Rio de Janeiro. Em
santes do rio. su* maior parte, sao empregados, filhos de outras
Lomo se v, a navegagao desde Montevideo nao provincias,
aprsenla* obstculo algum. E' aprazivel e s ve- -, O porto de Cuyab tem nm bonito aspecto e sua
zes deliciosa. O viajante descobre a cada paseo populagao eleva se a 2,000 almas. Sobre a barranca
espectculos variados que Ihe apresenta urna nata- est situado o arsenal de marinha.
reza magestosa e primitiva, onde os olhos da civi- Nelle trabalham mutos filhos desses bosques,
lsago vo descobnndo tbesouros escondidos que, para quem, um dia, ser sorpreza o espectculo do
n'um da, sero patrimonio seu. ocano.
A alguma distancia de Curomb acba-se urna Ha um estaleiro para a reparagao dos vapores e
povoagao boliviana. A distancia entre as duas
avahada por alguns em 70 leguas. Toda esta cos-
ta elevada e desde ahi se divisara, nao mui ds-
actualmente acha-se um ero conslrucgao.
Possue tambem urna fabrica de fundigo para as
machinas. O edificio nao mo e est prvido de
todos os auxiliares indispensaveis.
A provincia possue cinco-pequenos vapores de
guerra, os quaes fazem servigo em diversos pontos
militares.
A subida do porto umaladera connoda e cal-
cada.
A cidade de Cayab fica tres quartos de legua
distante do porto, mas vai-se ligando a este por
ama serie de edificios e estabelecinentos interme-
dios, sendo de esperar que brevemente formem
um s corpo. Nesse espago intermediario et si-
tuado o arenal de guerra, grandioso edificio levan-
tado sobre urna esplanada Conim todos os utensis
necessarios e funeciona regularmente. Na sua
frente, dando para urna formosa praga, est em ter-
mos de concluirse urna cadeia, edificio de primei-
ra ordem, onde foram devidamente consultados o
bom goslo e a architectura, a segaranga, a coramo-
didade e a hygienne.
Desde a barranca do rio o terreno vai sempre
elevando se e accidentando-se : sobre este terreno
irregular e socavado est edificada a cidade de
i Cayab.
A navegacao continua sempre pelo rio Paraguay A ra Bella, ospagosa e recta, a qae serve de
em um trajete de 34 leguas, al que se encontra a' entrada desde o arsenal de guerra, que d'onde .se
bocea dorio S. Lourengo. O espago percorrido at pode dzer que cemega a cidade. E' a nica que
este ponto offerece pouca novidade, e pdc julgar- est nestas condignas, mas anda pouco povoada,
se urna contiouago do aspecto physico do paiz que porque quasi todas as casas oceupam muito terre-
temos vjndo descreyendo, com a nica dilTerenga
de que a cosa occidental val successivamente ele-
tantes, as serras da Bolivia, que seguem a direegao
noroeste.
IV
Navegagao de Curumb bocea de S. Lourengo.
Confluencia desteji com o Paraguay e curso de
ambos. Navegagao de S. Lourengo al sua con-
fluencia com o Cuyab.Curso de" ambos os rios.
Observages sobre as costas e sobre o terreno.
Propriedades deste.A tribu dos Guatos.Seu
carcter aprazivel, seu typo, seu pequeo com-
mercio, O rio Cayab, suas ramiflcagoes. O
Bananal, o Piraim.o Acurutuba.Navegagao por
essf s bracos e continuago do Cuyab em um s
corpo.Considerago sobre o territorio e apre-
ciago do varios ramos da historia natural.
O viajante que se dispSe a continuar a navega-
gao, mas para o interior, tem de despedirse das
commodidades do Mrquez de Olinda e lomar pas-
sagem n'um vapor de menor tamanho, o qual, com-
mumenle, leva a reboque alguns saveiros at a ci-
dade de Cuyab.
Era minha intenc.au seguir essa derrota. Apro
veitei, por tanto, um desses vapores.
gem, chefe de esquadra hoje reformado, condecora-
do em varias ordens honorficas, e que, por duas
vezes, tem desempeBhado com applauso publico o
cargo de presidente da provincia. Este cavalleiro
ten realisado trabalhos hydrographicos e geogra-
phicos da maior importancia, e que honraro o
seu nome no mundo scientifico. Varios dos seus
trabalhos sao j conhecldos vantajosamente, prin-
cipalmente as suas minuciosas explorages no rio
Paraguay e seus affluentes.
filho natural, es-
cravo.
Francisco, branco, com 2 annos e 8 mezes, filho le-
gitimo do lente Manod Marcellino P.ies Bar-
reto e Eulalia do t.armo Paes Barrete.
Martniano, branco, com 2 mezes e meio, filho le-
gitimo dos mesmos.
Maria, branca, com 2 mezes, filha legitima de
Antonio Ignacio Brando e Ilcrmina Ursina de
Castro Brando.
Antonia, branca, com 2 annos, filha legitima dos
mesmos.
Jos, pardo, cora 3 mezes, filho legitimo de Jos
Ignacio de Carvalho Mondonga e Francisca Ma-
ria de Carvalho Mendonga.
Joo, branco, nascido em 10 de marco do anno
passado, lilho legitimo de Francisco Luccio de
Castro e Maria Arlioda de Castro Fonseca.
Maria, branca, nasclda em 10 de margo de 1863,
lilli legitima do lente Antonio Raymundo Lins
Caldas e Francellina Brasilina "de Araorim
Caldas.
natural
isla.
de
Actualmente oceupa- ,. ,
se com a delineagao de una carta, que compre-1 Laetani bra."co' nas?!do em 22 de Bosto do anno
hende a navegagao desde Curunb at Cuyab e ?.assad0' f'lHhorl?"im do /ranc ?.ro. JJn'm
com a formago de um plano geographico de toda ^ncalves do Cabo, e Ahna Francellina de Mi-
a provincia. r.anaa ''aD0- .
O Sr. Leverger possue conhecinentos profundos Jos, bra?hco- c?m f mxe.s .e mei0> Glno natural
as sciencias exactas e os tem mui valiosos acerca' n,d,e Gu'lnerm>a Senhorinha.
do paiz en que reside. Vive retirado con sua es- d!lon' brac0> com ,7, ze?' ,aiho Intimo, de
posa, urna respeltavel senhora do paiz, e habita! Antonio Fraucisco d Avilla e Jesuraa Francisca
urna chcara, as margens do ro Coxip, a urna', aiqueira.
legua da capital, aproveilando esse aprazivel silen Jc,a/laioa. brIanf(:om 6 m,ezes fil',a '
ci para dar a ultima de mo aos grandes traba- Joaqu,m ,os Rlbe,.ro e J?anna BaP''?
Ihos qae o preoccopam e que sero um rico pre- Jenu.no branco nascido a 13 de junho do anno
sent s sciencias humanas e um bello servigo 5f id 5J?'$!'timodohDrT^aquimTaJ?rf
sua patria adoptiva. J*^J M,randa e JoePha Tavares da ^>^
Amelia, branca, nascidaera 9 de abril do anno
passado, fiiha legitima de Jcsuino Tavares de
Souza Jnior e Rufiua de Freitas Tavares de
Souza.
Adelaide, branca, com 3 mezes, filha legitima de
Clemente Ferreira da Silva e Thoraazia Joa-
quina.
Maria, branca, nascda em 16 de abril do anno
passado, filha legitima do capila Amaro de
Barros Cerreia e Carolina Thereza de Barros
Correia.
Alfredo, branco, nascido em 4 de Janeiro deste
anno, filho legitimo de Manoel Jos de Carvalho
e Mariaona Carolina de Carvalho.
Ma-
-----120
65
508
-----57J
Descarregam nodia23defevereircdel865.
Brigue inglezPhantonhacalho.
Barca americana Anacondadiversos gneros.
Brigue dinamarquezCardinefarinha de trigo.
Barca inglezaChanzacarvo.
Barca inglezaAmblestde-iem.
Barca ingleza Willtamdem.
Patacho inglez -Pertlle dem.
ImportacSo.
_ Barca americana Anaconda, entradada de New-
York, consignada a Henry Forster A C, manifes-
tou o seguinle :
1525 barricas farmh de trigo, 38 caixas machi-
nas de algodao, 2 ditas cora 24 cadeiras, 2 ditas
drogas, 6 carriuhos de raao, 1 carro arreio e per-
tences, 8 barricas presuntos, 1000 resmas de papel
de embrulho, 100 saceos aveia, 400 saceos farello,
1:200 caixinhas fogoda China, 393 barriqoinhas bo-
laxinha, 20 remos de faia, 400 saceos milho, 2 bar-
ricas sementes de algodao, 49 caixas cb hyson,
300 barricas banha de porco, 8 fardos palha de
ferro, 152 feixes de rotim, 53 caixas tinta branca, 1
dita urna figura, machinas para apenar ronpa, 1
embrulho crrelos ; aos mesmos-
Sumaca hespanhola Chronometro, entrada de
Montevideo, consignada a Amorira & Irmos, raa-
nlfestou o seguinte :
2866 quintaes de charque, e 50 couros seceos -, a
ordem.
Brigue nacional Mondego, entrado do Ro Gran-
de do Sul, consignado a Maia & Espirito Santo,
manifestou o seguinte:
11,370 arrobas de charque, 366 arrobas de gra-
xa bexigas, 65 couros vaccuos e 10 barricas com
2.0JO talnhas: a ordem.
Expertaeo.
Brigue hespanhol Viageir^, carregou para o Rio
da Prata.
925 barricas com 6,794 arrobas e 26 libras de
assucar branco, 350 barricas com 2,754 arrobas
e 24 libras de dilo mascavado e 100 cascos com
18,350 medidas de agurdente.
Barca ingleza Mimosa, carregou para Liver-
pool :
2,800 saceos com 14,0#0 de assucar mascavado
e 1,912 ditos com 1 ,469 ditas e 27 libras de al-
godao.
aiecebedoria de rendas Inter-
nas geraesde Pernambuco.
Rendimento dodia 1 a 21........ 26:6212525
dem do di 2................ 1:210091
27:831*616
Consulado provincial.
Rendimento do da 1 a 21....... 93:5745116
dem do di;. >2............... 4:545*092
98:119^208
DIARIO DE PERNAMRUCO
A chamada s armas de 2,400 homens da guar-
da nacional de nossa provincia, para seguirem era
defeza da patria nos campos do sul, pode e deve
ser effectuada sem constrangiment.
Segundo a diviso feita pelo Exm. Sr. presidente
da provincia, apenas de quatro por cento o con-
tingente que deve dar cada corpo, ou dous homens
por cada companhia. Ora, por menor que seja a
importancia de um commandante de companhia ou ,
do chefe de nm corpo de guardas nacionaes para :Ma7ia."p'a7d7,"com^rraezes7fih"a'natural de
com seus commandados, fora de duvida qae, en-1 ra, scrava.
tre clncoenta homens, dous ao menos sentiro pal- Laura, branca, com 2 mezes, filha legitima de
sar-lne no peito corages dedicados patria e pres- Manoel Jos da Silva Guimares e Jovina Paras
tes a seguir as deterrainages de seu chefe. E co-! Tavares.
rao duvidar que se faga sem constrangimento, sem Lydia, parda, com 3 semanas, filha legitima de
MOVIMENTO BO POETO
Vatio entrado no dia 22.
Trieste97 dias, patacho hollandez Jacobu, de 170
toneladas, capito I. Zoaneubeg, equipagem 8,
carga 1740 barricas cora farinha de trigo ; a N.
O. Bieber & C.
Navios saludos na mesmo dia.
Rio Grande do NorteVapor brasileiro Persinun-
ga, commandante Bates.
Acarac e portos intermedios Vapor nacional
Mamanguape, commandante Moura.
ParahybaPatacho inglez Amazon, capitao Brans-
combe, em lastro de assucar.
EDII1ES.
sacrificios
verno 7
o ressenceamento exigido pelo go-
no com as suas quintas. A ra Bella pela elegan-
cia dos edificios que se levau'am, por sua extenso I prelado de Cuyab e ao Sr- Leverger.
(*) Supprimimos urna parte em que o Sr. Bossi
agradece os servigos que recebeu de varias pes-
soas, e exalga os ltalos de algumas dellas. Limi-
tarao-nos a transcrewr o que diz em relago ae
Lino Jos Martics e Francisca da Silva Martins.
Maria, branca, nascda em 28 de setembro do
anno passado, filha legitima de Joao Francisco
dos San.os e rsula Maria do Carmo.
Rosalina, branca, com 4 annos, filha legtima de
Agostinlio Jos Alves e Senhorinha Gnilhermi-
na Alves.
Alberto, branco, nascido em 24 de malo do anno
O Dr. Francisca de Araujo Barros, cavalleiro da
imperial ordem da Rosa e juiz municipal da se-
gunda vara da comarca do Recito por S. M. o-
Imperador que Dos guarde etc.
Fago saber que pelo Dr. Joao Antonio de Araa-
jo Frenas Henriques, juiz de direilo da primeira
vara criminal desta comarca me foi eommunicado
ter designado o dia 9 de margo vindouro, pelas
10 horas da manba para abrir a primeira sesso
do jury que trabalhar em dias consecutivos e ha-
vendo hoje procedido ao sorleio dos 48 jurados
que tem de servir na mesma sesso, em eonformi-
dade do art. 328 do regulamento n. 129 de 31 de
Janeiro de 1842, foram sorteados e designados os
cidados seguintes :
Freguezia de S. Frei Pedro Gongalves.
Evaristo Ignacio Cardim.
Manoel Francisco Marques.
Freguezia de Santo Antonio.
s das Trevas Teixeira.
Caelano Jos Mondes.
Dr. CaroliBO Francisco de Lima Santos.
Claudiao Be ni co Machado.
Dr. Filippe Nery Collago.
Dr. Antonio Vicente do Nascimento reiloza J-
nior.

'

1
/
L






fcrift*tffl*1itrtitf4 *i Qtihtt felr? 99 4 Pertrel** 4e i.
Manoel Ignacio de Torres Bandelra.
Dr. Eiidio Francisco das Chag'as.
Dr. Francisco Teixelra de Si.
Jos Barbosa de Miranda Santiago.
Eliodoro Peroandes da Cror.
Dr. Amento Wiiravio Pialo BaoJeira. e Accioli de
YasceoeeHo?.
Frguexia de S. Jos.
Tiburcio Valeriano Rapiista.
Jos Xavier Faustino Ramos.
Matunno Barrozo de Mello.
Joaquim Pedro dos Santos Bezerra.
Joaquim Jos de Souza Serrano.
Antonio Goncalves Pereira Lima.
Marcomiro Pancracio Pereira dos Santos.
Freguezia da Boa-Vista.
Dr. Vicente Pereira do Reg.
Bernardo Caroeiro Moateiro da.Silva Saatos.
Augusto Genuino de Figueiredo.
Thoin Carlos Peretti.
Dr. Bento Jos da Costa.
Bernardo Luiz Ferreira Cesar Lonreiro.
Dr. Clemente Jos Ferreira da Costa.
Joaquim de Gusmo Coelho.
Manoel Pollcarpo Moreira de Azevedo.
Antonio Jos Ribeiro de Moraes.
Manoel Antonio Goncalve;.
Manoel Antonio Cardozo.
Dr. Luiz de Carvalho Paes de Aadrade.
Luiz Melanio Franco.
Dr. Silvio Tarquinfo Villas Boas.
Candido de Sosia Miranda CoOto
Dr. Amaro Joaiuim Fonseca de Albuquerqae.
Miguel Archanjo de Figueiredo.
Dr. Francisco Ferreira Martins Ribeiro.
Freguezia dos Afogados.
Bllannino do Reg Barros.
Antonio Caldas da Silva.
Freguezia do Poco.
Jos Cosario de Mello.
Freguezh da Varzea.
Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
Freguezia de Jaboato.
Dr. Francisco do Rege Barros Brrelo
Miguel Germano dos Santos Pereira Bastos.
Francisco Antonio Pereira da Silva.
Freguezia de S. Loureoro.
Bernardino Zeforiuo oe Miranda Albuqoerque.
A iodos os quaes e a cada um de per si bem co-
mo a todos os interessades em geral se convida
para comparercrem no primeiro andar da casa
-que fui oadda a sala do jury, tanto no referido da
e hora como nos demals dias seguintes em qaanto
.-dorar a sesso, sob as penas da lei se faltarem.
E para qoe chegue a noticia a todos mandel
passar o presente edital, que ser lido e afixado
nos lugares mais panucos e pnblicado pela im-
prensa, e tarobem remoller iguaes aos respectivos
subdelegados para publica-los e mandarem fazer
as notitleacdes necessarias aos jurados, aos culpa-
dos e as testemnnbas que seacbarem em seus dis-
tritos.
Recife 22 de fevereiro de 1863. Eu Jaaquim
Francisco de Paula Esteves Clemente, escrivo do
jury-o subscrevi.
Francisco de Araujo Barros..
O Dr. Eduardo augusto Pinto de Oliveira, juiz mu-
nicipal e provedor do termo do Ollnda, por Su
Magestade Imperial e Constitucional, a quem
Dos guarde.
Faeo sabrr aosqnc o presente virem, que, tendo
o finado Exm. bispo conde capello-mr, D Ma-
noel do Monto Rodrigues de Araujo, em seu tesla-
mento, deixado a terca parte de seus bens, sitos
ueste termo, na imponancia de 4:4I6#666, sojeita
ao sello nacional, para ser distribuido pe'as pes-
soas pobres, a quem a mi do me uno testador cos-
tumava soccorrer ncsta provincia, mandei passar
este, pelo que sao chamadas as pessoas, quo direilo
tiverem a dito legado, a se habilitarcm perante este
juizo, e provarem sua identidade no prazo de irin-
ta dias, por 'nao ter o mesmo testador declarado
os seus nomes, afim de que possam receber o dilo
legado, na conformidade do mesmo testamento
visto ter side deprecado o seu cumprimeoto nesla
parte a este juizn, pelo respectivo juizo da prove-
doria do Rio de Janeiro.
E para que chegue noticia de todos, mande!
passar o presente, que ser aunado no lugar pu-
blico deste termo, e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, aos
dezele dias do raez de fevereiro de 1865.
Eu Francisco das Chagas Cavalcante Pesssoa,
escrivo da provedoria, o suhscrevi.
Eduardo Auyuslo Pinto de Ohceira.
Capitana do port de Pernambflc*. 14' 7 N? i)u ;, AhQCK .audiencia dojuiro de orphnos do termo de" Olinda,
Ue Janeiro flC 1 oOO .se ha de arrematar per venda, um eserava de ,
Em vistadasclrcamstancias melindrosasemqu-twme Antonia, crioula, com Idnde de t5 anuot'
so acha o paiz, sendo nacessarlo qoe lodos os bra- potteo mais oa meaos, a qaal sab> lavar, engom-1
si lei ros, concorram para a sostentaco dos bros e mar e eoeinhar o diario de irmn cisi do fa iritis, a |
Leilio de generoi de estiva.
mmt
Antonio Barbosa de Barras, tendo de rirar-se
para,a Europa afim de tratar de sua
elo por intermedio do agente Pestaa, da'iodos l,er"'H a3 esmos SOCIOS e aOS rrttis
De oT.im do Illm. Sr. Dr, presidate
faco scente aos SVs. socios, oj:ie a partid;!
deste mez t r I gar im> dia 26; na qual nhar, ou na .
Pre<'/i-i
Ama ou escrava
- alagar nma ama que saiha bem cozi-
na'.'df'uSo! I)ern?*li,1(> as mesmos todos'
THE1TRO
com as repablicas do Uruguay e Paraguay, manda 800,506 rs., por quaoto se acha em praca. perten-
o Illm. Sr. capito do porto, era virtude do que Ihe cente dita escrava aos consenhores Jos Joaquim
oi determinado por S. Exc o Sr. ministro e secre- Fernandes, e a orptia "Mam, fliha do Joaquim
lario e estado dos negocios da marinha, convidar. Goncalves da Silva.
nao so- aos matriculados, como a todos os ridados "
qoe se queiram alistar na qualidade de voluolarios:
para armada, a se apresentarem nesta capitana
nos das uteis das 9 as 3 J|2 horas da tarde.
Outro slm, sao igualmente convidados os indivi-
duos que tiveram baixa do servico naval, a alista-1
rem-se por um asno ou mais, garantindo-se-lhe
nao s as respectivas escusas, logo que terminem
os seus contratos, mais anda os premios Asados na'
le, para os que voluntariamente procurara o ser-
vico da armada, e bem assim urna gratiflcagao
mensal, igual a raetade dos sidos, que percebiam '
DE
S. ISABEL
na occasiao em que obtiveram baixa.
As vanlageas ecoodiffdes para o alistamento se-
rae as estabelecidas pelas instruefoes que baixa-
ram com o decreto n. !S91 de 14 de abril de 18oo
que sao as segulntes:
ArL 12. Distinguir-se-hao seis classes de volun-
tarios :
1/ Dos individuos quo quizerem servir na ma-
rinhagem sera lempo determinado ;
2.* Dos que se qazcrem contratar para servir
na mannhagem por tempo determinado :
3/ Dos que se presiarem servir na marinha-
ihamu; raii.i:
DE
Nos dias do carnaval
San-bailo 2o, donigo 26, sojiiikIii fe 1-
ra 27, efcafeiri 28,
Miguel Candido de Medciros Pinto, tendo obiido
do Exm Sr. Dr. Antonio oorges Leal Caslello
Branco, dignissimo presidente da provincia, con-
r-is, papel de ptto e a\m*qa, palillos .de iogo egu-
ranca, charuto de mares eonlieetdas no mercado,
Utetoas, pasos b &rgtov*>]M rao-iino, o qoe' tudo sera vendido sem reserva :
Suida-felra Ti to cotrente pelas fO horas da ma-
bia em seo atmatem m t-aa do Cedoroiz n. 12
A>
........' M 'fc* *-.....- ii -**
LEILAO
de um etceflerfle sobrado de um andar e solio;
com accommodacSes para granda familia, por
ter sotao, 4 salas, e 26 qpartos no pavimento supe-
rior e no terreo, alm das lujas, pateo, quioial com
) a reserva de sereta reoonlw-
indo andar.
na ra da
cidos pela com etente commi-sao antedo!1
ingresso no alo-
Secretaria da sociedade rerreiativa Corv-
baotina, 14 defevereiri de 1865.
O Io secretario,
Faustino Jos da Fonseca.
Imperafri n. 47. *v
11 ni -"iir n solao do sobrado
- MugMe o terwiM ir oa rua ,ia Ma-
da raa das Cruzcs n. 20 : .1 *?.
OPSCULO
DE
MORA!. Itl.l 4.IOW
arvoredos, jardim, coxeira.telh^iro, poco e deposi- 'on jir. bendu para leitlra as escolas de i.ns-
gem os prazos eslabelecidos no artigo 3. do decre- \ cesso para dar bailes raascarados nos das cima
DECLABACOES.
c>.I\;i filial do banco do Brasil
em Peraauabneo,
14 de nnro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de ebastio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
raleio I lies loca da venda de uina das proprieda-
des, que segundo a concordata.lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nansa Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est aulorsado a pagar o 22. di-
videndo de 10# por accao.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para couhecinieuto dos navegantes, que a
twia do extremo do sul do banco do iuglez que ha-
via sido lancada praia por Ihe haver arrebenta-
do aamarracao, fui novamente collocada, demar-
cando Ihe o pliarol do pieo ao O i '2 N O, e a tor-
redo seminario de Olinda ao N 1/2 N O, rumos
magntico?, e em fundo de 5 bracas, exactamente
node termina pelo sul o Recife que forma o banco
ngilez. Capitana do porto de Pernambuco 4 de
fevereiro de 186o.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
1.' secc3o. Secretaria da polica dePeroambu-
co, 1 de fevereiro de 1865.O Illm. Sr. Dr. chee
do polica, manda renovar a publicaco da postura
a-idicional de 12 de fevereiro de 1863 abaxo trans-
cripta, alm de que nnguem allegue ignorancia de
suas disposces.
Posturas.
Art. 1." Fca prohibido neste municipio o brin-
quedo de inirudo com agua por qualquer raaneira
que se empregue ; os infractores pagarlo a multa
de 15)000 res, e 8 das de priso.
Art. 2. Fica prohibida a venda de limas de ato-
ro ; os infractores alm de as perderem, pagarao
45000 de mulla.-O secretario, Eduardo de Barros
Falco de Lacerda.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinle :
Para o corpo de voluntarios da patria-
1.100 covados de panno azul para capoles.
600 covados de baeta verde.
As pessoas que quizerem vender taes arllgos
apresentera suas propostas em carta fechada as 10
horas da manha do dia 24 do crreme, na sala
das sessSes do conselho.
Sala das sess5s do conselho de compras do ar-
senal de guerra 21 de fevereiro de 1865. O en-
carregado da escripluraco,
Manoel Jes de Azevedo Santos.
O conseibo de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguate:
Para os voluntarios da patria.
25 covados de casemira verde.
25 di;os d dita amarella.
300 aras de algodaozinho.
Para o arsenal de guerra.
50 raeos de sola garrotala.
6 arrobas de fio de vela?.
6 duzias de pelles de lastre.
20 meios de sola de Instre.
As pessoas que quizerem vender taes artigos
aprsentela suas propostas em carta fechada as 10
Ooras da manha do dia 24 do corrale, na sala
das sessSes de eeseio.
Sala das sessoes do conseiho de compras do ar-
senal d gaerra W de fevereiro de 1865.O encar-
regado da escrlptaracflo,
Maooel Jos de Azevedo Santos.
Aviso aos navegantes
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para cunhecimento dos navegantes, que no
dia 18 do correte foi novamente collocada, e na
ftaixvw de Olinda : e a qnal havia sido arrojada
prala por Ihe nam faltado a amarra.
Capitana de porto de Pernambuco 18 de fete-
relro de 1865.O secratario,
Decio de Aquioe Fonseca.
to n. 1466 de 25 de oulubro de 1834, e que escu-
sam o nacional do servico mililar ;
4.* Dos que quizerem'ter praca no corpo de im-
periaes marinheiros.
5.* Dos quo se destnarem para o batalho naval.
6." Dos aprendlzes marnheiros.
Art. 13. Os voluntarios das differentes classse
defluidas no artigo antecedente devero ter os re
qnisiios seguintes :
1." Classe.Os que se alistarem para a raannha-
gem sem lempo determiuado, devem ser fortes,
saos, acostumados a vida do mar, ou pelo menos
capazes de servir na praca de grumete.
2.' Classe.Os que se contratarem por prazos de-
terminados, de um a tres annos, devem ser fortes'
saos, e acostumados a vida do mar.
3." Classe.Os que se contratarem para servir
na marinhagem o prazo de seis ou de oito anuos,
em conformidade do artigo 3." do decreto n. 1466
de 25 de oatubro, devem ter os requisitos dos da
segunda classe, excepto a pralica da vida martima
que poder ser despensada com a clausula qoe
adiante ( artigo 16) se expressa.
4.* Classe.Os alistados para o rorpo de impe-
riaes marirmeiros devem ser cidados brasileiros
de 18 33 annos de idade, ou at 40. sendo homens
do mar; fortes, saos, e capazes de todo o servico.
5.* Classe.Os alistados para o batalho naval
devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os on-
tros requisitos da quarta classe.
Todava poder-se-ha admittir alguus estraogei-
ros mediante previa aulorisaco do governo.
6." Classe.Os aprendizes marnheiros devem
ser cidados brasileiros, de 10 a 17 annos de ida-
de, de constituicao robusta, e apropriada vida do
mar.
Poder-se-ha tambem admittir menores de 10 an-
nos, que tenham suficiente desenvolvimento phy-
sico para os exercicios do aprendisado.
Art. 14. Os voluntarios da primeira classe perce-
bero os sidos concedidos pelo artigo 1 "do decre-
to n. 1466 de 25 de oulubro, mas nada recebero
a titulo de premio ou gralificacao.
Ser-lbes-ha declarado, e expressado nos seus as-
sentamentos, que nao obterao guia de desembarque
sem previnir ao commandante respectivo doos
mezes antes, salvo se nisso nao houver inconve-
niente para o servico, por que ento sero inme-
diatamente attendidos.
Urna resalva, que Ihes dever ser entregue com
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa dala os sobreditos voluntarios, se forera na-
cionaes, fleam isentos do reerntamento por um an-
uo, ou por lempo igual ao que liverem servido nos
navios do estado, se ete prazo for menor ; salvo,
Sorm, o caso de crcumstancias extraordinarias
urante s qoaes ficar suspensa a isencao.
Art. 15. Os da segunda classe receberos os pre-
mios seguintes :
Se ferem grumetes; dez, vinte e dous, ou trnta
e qualro mil res, segundo se contratarem por um,
dous, ou tres annos.
Se forem marnheiros : vinte, quarenta e cinco,
ou setenta rail reis, segundo o prazo de seu contra-
to for de um, dous, ou tres annos.
Alm do premio recebero mais os referidos vo-
lntanos se directamente se apresentarem, a gra-
lificaco de quatro mil reis sendo estrangeiros, e
de cinco mil reis sendo nacionaes.
Esta gratiBcaco, porm nao se abonar repeti-
damente ao mesmo individuo por cada novo con-
trato successivo que izer, se este for de prazo me-
nor de tres annos.
Ari. 16. Os da terceira classe recebero mais
urna quarta parte do maior premio que poderiara
obter contratndose como os da segunda classse
na praea de grumete ou de marnheiro, que Ihes
eompetir^e a mesma gralilicacao apresentando-se
directamente.
Exceptuam-se os qoe nao forem homens do mar,
e tiverem mais de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alistar-se com as condiecoes dos da terceira
classe, mas sem augmento de premio.
Art. 17. Os da quarta classe recebero como pre-
mio cen mil res, se forem marnheiros,e sessenta
mil reis se forem grumetes.
Art. 18. Os da quinta classe recebero o premio
decent e cincoenta mil res, se nao forem maiores
de quarenta annos e o de cera rail reis, se liverem
mais daquella idade.
Arl. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as corapanhias de aprendizes mar-
nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pais, tutores, ou quera suas vezes fizer :
Art. 20. Os premios de que tratam os artigos ao-
tecedeotes sero pagos pela maneira segulnte :
| I." Os dos voluntarios da segunda classe, se o
alistamento for por um anno, Ihes serao pagos in-
tegralmente no acto de assentarem praca; se por
dous ou tres annos, recebero era tres preslacoes
iguaes, sendo primeira paga como no primeiro
caso, segunda quando vencida melada do prazo
do contrato, e a terceira linda o dito prazo.
_| 2." Os voluntarios da terceira ciasse recebe-
ro urna terca parte do premio respectivo logo qoe
! tenham assentado praca, outra terca parte no flm
do primeiro anno de servigo, e o restante findo o
prazo de seu alistamento.
3." Os premios dos imperiaes marinheros e os
das pracas do batalho naval serao abonadas como
os dos voluntarios da terceira classe.
4.* Os premios devidos pelo alistamento de
menores paras as corapanhias de aprendizes mar-
nheiros sero pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos dilos menores.
Arl. 21. As gratificacoes que competem aos vo-
luntarios que directamente se alistarem no servico
da armada, sero pagas conjuntamente com a pri-
meira prestaco do premio respectivo.
O secretario da capilania.
Uecto de Aquino Fonceta-
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
8 cornetas com pontos, bocal e vollas.
As pessoas que quizerem vender dito artigo,
apresentem suas propostas em carta lechada, na
sala do conselho, as 10 horas da manha do dia 24
do correnle.O encarregado da escripturacao,
Manoel Jos de Azevedo Sanfos.
Cerreio
mencionados, vem scenliflear ao respeilavol pu-
blico, que tem envidado todos seus esforcos, mes-
mo nao tem poupado despezas para abrilhanlar o
theairo.
As 8 horas das noiles dos dias indicados i -la I ai a do iliiiit.i. u
aberto o iheatro, e as 9 em ponto principiar o '
baile com a execugao de ama das melhores ouver-
turas, pela banda dc msica do 1 batalho de in-
famara da guarda nacional do Recife sob a dire-
cto do insigne professor o Sr. Theolonlo Jos de
Souza.
Procos dos cmaro les e entrada geral.
A 2o e 3' ordem sero pelo proco da casa
cando alterado somente quanto as entradas que |
lera 2 para hsmem e 4 para senhora.
to d'agua, na rua Imperial n. 67.
Urna casa terrea cora 2 salas, 4 guarios, quintal,
e cacimba, oa mesma rua o. 66, junto ao sobrado
supra.
L'm sobrado de dous andares na rua do Livra-
meato n. 0, o qVa se turoa recommendado per ser
edificado era urna rua de graude coannereio.
Duas tercas partes da casa de sobrado e sitio da
Passageln 8 Magdalena, rua do Bomflm n. 44, com ApproTaro
bastante terreno plantado al a margem do Capi-
baribe.
Sexta-eira. 24 de fevereiro de 1865.
O agente Pint far leflo por autorisacJo da di-
rectora da caisa filial do banee do Brasil nesta ci-
dade, dos predios cima mencionados, s 11 horas
do dia cima dito, em seu serfetnri*-, rua da Cruz
n. 38, onde >odero os pretendemos obterem desde
ja qualquer informaco acerca dos mesmos pre-
dios.
A 1* e 4' ordem sero consideradas galeras pa-
ra as senhoras quo nao dansarem, mediante a pa-
ga de 2 de entrada.
Entrada geral para cavatheiro 23 e as senhoras
que estiverem ra iscaradas, tero entrada gratis,
assim como os mascaras vestidos de senhora pa-
garao 2$ por sua entrada.
*0 direclor'dos bailes jalga desnecessario dzer
ao respeitavel publico a ordem c moralidade,
vista de seu testemuaho no anno prximo passado
o qual continuar a envidar seus esforcos para que
continu.
Sero finalmente observados os regulamenies
quer de polica quer do mesmo theairo.
Terminar s 2 horas em ponto.
imiHrlancia de
5,368;442 rs seodo 5,084;o32 rs
em letras e 283,9 Ht rs. em vales.
Sexiafeira 24 de fevereiro.
0 agente Pinto (ara* leilao a requerimento dos
admioisttadores da massa fallida ;de Autonio Pe- _
. reir da Silva, e por mandado do Illm. Sr. Dr juiz 2 "*"* ?" Q&E'
especial das dividas activas da referida massa, as %ft* ES3S&
III horas do da cima dito em seu escriptorio rua
i da Cruz n. 38.
tRt'CCXo PRIMARA.
Esia obrnha que mereceu do conselho director
da instrneco publica o parecer, qoe adiante trans-
crevemos, acha-se a venda pelo diminuto prego de
300 reis em broctinra, e 400 reis encardenada, as
livrarias dos Srs. Gnimares e Oliveira, rua do Im-
perador n. e do Sr. Nogueira |junto ao arco de
Santo Antonio.
do roiiseHro director da instrucca
publica.
A commisso encarregada de dar o seu parecer
acerca do Opa-culo de Moral Religiosa para lei-
tura as escolas primaras, por M. Ambrosio
Reodu, aulorsado pelo conselho de instrueco pu-
blica em Franca, e traduzido em vulgar por *,
leu acuradamente este formoso livrinho, que lanto
tem de pequeo como de intercssanle ; e quando,
pela doatrina que eneerfa, e pele- primoroso da
versao elle se nao fizesse desde logv reeommenda-
vel, bastara o nome do Hule do Colige Universa-
rio, e a respeitavel saoccSo ta autofdade do ensi-
llo em Fraoga, para que a commisso o propozesse
aopeo do conselho. Mas, alm disso, qukera
ella que as Dossas mis lie familia em todo o Brasil
tivessem sempre mo ests painasinhas de amor
pelas qaaes fizessem ler, e enstoassem seus filhos
historia do povo de Dos, e
*e urna
Na rua da Gloria n. 40 preelsai-s
pessoa que salba eagommar.___________
-*- Alugam-se tres grandes cabel/etnrs par* &
carnaval : a tratar na* Cinco Pontas n^O'.
-^ Precisase de um menino de H a f anuos
de idade, dndose preferencia a PortugueZ : de-
fronte ao porlo do gazoraelro.
Corso de preparatorios.
O bacharel Ezequiel Pranco de Srprofessor au-
torisado pela directora geral da insfruceao publi-
ca, lem aberto um curso de preparatorios, onde
eosina latim, francez e geographa, podendo para
isso ser procurado no pateo de S. Pedro n. 2. De-
clara que tambera se presta a ir tomar licoes ent
casas particulares, e qoe ensna somente hwloria
e geographia do Brasil a aqueiles que quizerem
se dedicar a este mil esWdo.
Francisco Verissm do Reg Barros convida
a seus credores para urna reunio no da 28 do
correnle em a rna de Apollo n. 20, afim de tratar-
se de, cora o produeto da venda que fez das partes
que possuis no engenho Timb, fizer eOeCtivo o-
pagamento do que Ibes dever, ped a do 6 especial
favor de todos comparererem, oa por si ou por
seus procuradores, do maneira que o annnnciante
possa icar desatorad* para eehv ditos senhoras.
Um moco chegado na HWMO'e Portugal pre-
tende arnimar-se aqui ou fra da eidade, em al-
gorra taberna ou padaria, de caixerm, o pril tem
pratica das duas rousas : quem pratendor dirja-
se a rua do Amorim n. 23, lerreiro amlar.
Precisase alagar uina ama para lodo o ser-
vico de urna casa de uuia pi'*sa : no kocco das
Barreiras, casa a. 3.
Precisase de urna ama ile meia Made. ijue
salba cozinhar. engommar e ensaboar : no paleo
!de S. Pedro n. 12.________________
Vicente PrrniV.1 da
: a tralar na laber-
avisos martimos.
COMPANHl V PSANAMBUCANA
DE
%'avega^o costeira por vapor.
Macei e scalas.
No dia 23 do crreme, sogue as
5 horas da tarde um dos vapores
para os portos indicados. Recebe-
re arga al o da 2?. EncOuimen-
M, passagetis e dintieire a frete
at 2 horas da tarde do dia da sahida : cscriplorio
no Forte do Mallos n. 1.
Leilao de urna casa terrea n 33 na rua
Velha.
Manas fara' leilao ompeleatemeole autorlsado
de ama casa terrea o. 33 na raa Velha fregaezia
da Boa-Vista, e de con>trucco moderna, propria
para se levantar um sobrado por terem as pare-
mo.
E por isso a commisso de parecer que nao s Na obra do Hospicio, de
o Opsculo seja adoptado as escolas primarias.! Cosa, precisa-se de sorventes
mas que se procure vulgari^a-lo em todo o imperio. I na do Peixoto._________
Sala do conseibo director da inslrurco publica
de Pernambuco, 18 de selembro de 18C3. Jos
Soares de Azevedo.Dr. Aprigio Jusliano da Silva
Guimares.
Aos senhores pais de familias.
Urna pessoa capa? offerece se para leccionar
des capacdade para isso, a qual faz esquina para francez e priraeiras letras por casas particulares a
a travessa da Campia
Sexiafeira 3 de margo
a porta da associago Commercial, as 11 horas do
dia.
algumas seiihoras ou meninas que a isto se quei-
ram dedicar: na rua do Hospicio a. 28, ou na rua
Augusta n. 35 se poder tratar.
Para o Pani.
Seguir oestes dias para o mencionado porte a
escuna brasieira Ernestina, para o resto da carga
que Ihe falta, tratase no escriplorio da largo -do
Corpo Sanio n. 4, prinvjro andar._______
COMPANHIA PERNAMBCANA
DK
Xavcgai^o cosieira por vapor.
Natal em direitara.
Expede-se o vapor Persinunga, commandanle
Ralis, para Nalal em direlura no dia 22 do i^u
Leilo de m ibilias, escravos, pianos, joias
de ouro e prata. machina para costura,
candela'>ro e serpentinas.
Sexta-feira 24 do correnle as 11 horas ao arma-
zen a rua da Gnu numero 37.
(Sem limites)
Cordeiro im6es
far leilo por conta de diversos-de urna mobilia
de Jacaranda nova o moderna, I dita usada, 1 dita
defaia, 1 dita de amarello, 1 machina de costura,
1 par de serpentinas, 3 candelabros de vidro, 1
secretaria, 1 mesa elstica de amarillo e oatra de
faia, cadeiras usadas, cimi pira casal, estaales,
bercos, cibides, carleris, relogios de ouro u cor-
renloes e outros objnclos de gosto.
EsGravos :
1 escrava perfeita co>loheira de idade 3o annos.
1 diia 30 annos, lava soaeote.
1 dita sem habilidades.
1 escravo crjouto de 25 annos de lodo servico
Leild da armaca, trastes, garrafas
c# licores, pipe, frasres com agua
de eeloni", ditos com extractos, gar- Para
rafas vazias e mus objectos perten-
centesa antiga deslilacaode Soares
k Irma*.
GASA DA FORTOil
Aos 6:000#(X)0.
t
Sahbado s 10 horas em ponto.
O agente Pinto far leilo requerimento de D.
rente s 8 horas da manha ; recebe carga at o i Josepha Mara dos Prazeres e por despacho do
dia 21 s 11 horas da manha, encommendas, pas- (Um. Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara, dos J7,,/iim>/i /p rlm ntrnv rio en/ rio I
objectos cima mencionados existentes na lojado I1 llul llj l ur' i''"-//'" **r' Sl UL J.
Ullhetes garautidos.
A' RiA do Crespo n. 23 e casas do costlme.
O abaxo assignado vendeu nos seus muito feli-
zesbilhetes garann'ilos da Icieria que se acabou
de exlraliir a beneficio da Santa Casa de Misericor-
dir, os segiiiutes premios :
Um quario n. 45J' com a sorle de l:'tu0000.
Um mel n. 400 com a sorle de 500JOOO.
E ouiras moilas sones de 200$, 1005, 405 o
20*000.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descmilos das leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Achara-se a venda os da o* parle da 2* lotera
beneficio do patrimonio dos orphos que se extra-
hua no dia io do crrente.
PRECO.
Rilheles. '. 75000
Meios. .' 35500
Quartos.....15900
as pessoas qup comprarem de 100-SOO
para tima*
Rlhetes.....Gfi.iOO
Meios......35250
Quartos.....15700
_______________Maxoki. Martiss Firzv.
Precisa-se. de um copeiro e deummoleque
para alugar : na rua das LsraBgeirift n. 10.
Aluga-se umaeserava para iodo o servjco de
casa, muito liel : oa rua do Imperador n ty ier-
ceiro andar.
sageiros e dinheiro frele at s 4 horas da larde.
Escriptono no Forte do Mallos n. 1.
Porto
Segu brevemente a barca porlugueza Sympa-
thia por ter seu carregamenlo completo : quem
quizer ir de passagem, para o que lem expelientes
commodos.entenda-secom Bailar & Oliveira, rua
da Cadeia n. 26.
Para Lisboa,
Pretende seguir com muila brevidade a barca
porlugueza Henru/ueta, tem parte de seu carrega-
menlo promplo : para o resto trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, uo seu escriptorio ruada Cruz n. 1.
Para o Ro de Janeiro
pretende seguir com muila brevidade o brigue es-
cuna Joven Annur, tem parte do seu carregaraon-
to engajado : para o resto que Ihe falta trata se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu eseriptorio rua da
Cruz n. 1
Para o t Sahir com brevidade o patacho nacional Va-
nao, recebe carga a frele commedo e escravos:
irata-se com Manoel Ignacio de Oliveira & Filho
no largo do Corpo Santo escriptorio n. 19 ou cora
o capito a bordo._________________
Para
Segu oestes dias em direilura ao indicado por-
to o veleiro brigue escuna brasileiro Graciosa, ca-
pilao Jacntho Nuoes da Costa, por ter quasi prom-
pto o seu carregamenlo ; para o pouco que anda
pode admettir, trata-ss com seu consignatario:
Antonio de Almeida Cuines, rua da Cruz o. 23,
sobrado da praca da Boa-Vista u. 19 principio da
rua do Arago, aoode se effecluar o leilo oo dia
e hora supra.
Leilao do palhabote Artista de 289 to-
nelladas.
Sabbado 25 de fevereiro 1 hora em ponto oa
praca do Commercio.
O agente Piulo, far leilo precedida a compe-
leute anlorUaco do palhabote Anisiai. tal qual
se acha ancorado neste porto em frente ao trapi-
che doalgodo o qual est prorapto a seguir qual-
quer destino, os uretendenies polero desde j
exaraina-lo ecomparecerem no dia e hora cima
ditos na praca do omtiercio em frente a aasa dos
Srs. Palmeira A B-llro.
Leilo de ana taberna.
(Armazem Fronleiro,)
Pateo do Terco nu 11*10 21.
Meirellesd,- Cardoso Lirio leilo por intervengo nil-7KXa>
do geme Cordeiro SiukS.-s dos gneros, arraaco, o raais comu eto (
utencil.os de sua taberna acim 1 referida, em um C
ou mais lotes a vontade dos preten lentes; o balan-
50 est em poder do mesmo agento cujo leilo se-
r effecluado no dia
Sabbado 25 do correte s 10 horas,
oa mesma taberna cima dita.
Falque, rua do Crespo
n. 4.
Neste pitabelecimento se enconira sempre um
completo e variado sortimento de chapeos de sol
de seda, alpaca e pannos dc todas as cores e qua-
hdades, lanto para homens como para senhoras e
meninas, dos pruneiros de IJ500 para cima e dos
outros de 15500 para cima. Esta fabrica acaba de
reeeber um espleudido sortimento de solas em
pecadas melhores cores e qualidades para apromp-
tar e cobrir os chapeos de sol a vontade dos fre-
gueses, assim como alpaca e pannos de todas as
qualidades, indo por preeos razoaveis e perfeko
no irabalho. Cmcerta-se toda e qualquer quali-
dade de chapeos de sol com presteza e commodo
preeo : na roa do Crespo n. 4.
i buns
i. Falque participa a seus numerosos
usaba de rec
mplelo e variada sortimento de albuns
freguezes
receber pelo vapor francez Bearn
primeiro andar.
Para o Porto pelalfia de S.
Miguel.
O velleiro e bem coohecido brigue nacional A-
melia pretende seguir com muila brevidade, tem
parte do sea carregemenlo engajado, para o resto
quelhe falla.o passageiros, para os quaes tem ex-
celentes commodos : lrata-se com os seus consig-
natarios A. Luiz d O. Azevedo & C no seu escrip-
torio na rua da Cruz n.-1.
Leode duas machinas a vapor
Sendo :
Urna portavel, forga de 14 cavallos, sobre rodas,
com caldeira patente e todos seus pertences.
Outra Hxa e orisoatal, forca de 12 cavallos com
caldeira e mais pertences.
Qttiuia-felra 9 de marco, em frente a
Associacio Commercial.
O agente Pinto far leilo por conta de quem
! perlencer das duas machinas a vapor cima des-
; criptas proprias para eugoolio, as quaes se tornara
I recommendadas pela sa perfeieao e par serem
dos molhore< fabricantes de loglaterra, os preten-
para retratos que se pode ver nesta cidade, viudos
> directamente de um dos melhores fabricantes de
Pars, e por isto pode vender por mu'to menos
preeo que em outra qualquer parte, sendo albuns
finos de 12 at 200 retratos e de 15 al 605, ha-
vendo entre elles riquissimos albuns de velludo
de seda, madeira, etc., muito proprios para prc
sentes, sthereoseopos com 12 vistas, pelo barato
pceo de 45 ; restam poucos, por isso devem-se
approveilar : na rua do Crespo n. 4.
Caetano Pereira de Brilo, solicitador de cau
sas no civel, commercio e ecclesiastico no foro
desta cidade do Recife, tend) o seu escriptorio na
rua da Praia no primeiro andar do soorado n. 49,
ah estar sempre das 6 horas as 10 da manha e
das 7 da tarde as 7 da noite. Eucarrega-se de
toda nqualnuer causa que Ihe queiram confiar,
ohrigando-se a adaotar todas as despesas.e mesmo
a assumir a responsaailidade, quando qualquer
deotos podero desde ja' examinare! ditas ma- parte nao tiver animo de propr a sua accao, ou
chinas para o que poderj eutealerein-se com o
mesmo agente em sea escriptorio rua da Cruz nu-
mero 38.
Kio de Janeiro.
A sumaca Aguia recebe carga raiuda e escra-
res a frete : trata-se com os consignatario* Mar-
ines, Barros & C, largo do Corpo Santo n. 1.
Para Lisboa
geral
Pela adrainistraco do correio desta cidade se
faz publico para os convenientes que em virtude
do denosto no art. 138 do regulamento geral dos
corretos dc 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
decreto n. 785 de i de raaio de 1861, se procede-
r o consumo das cartas existentes oa adminisfra-
caopertencenlesao mez de fevereiro de 1864, 00
dia 6 de marco prximo, as 11 horas do dia, na
porta do mesmo correio, e a respectiva lista se
acha desde j exposta aos ioteressados.
Administrarlo do correio de Pernambuco 20 de
fevereiro de 1865.O administrador,
Domingos dos Pasaos Miraoda.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da cenvenco postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez sero
expedidas malas para Europa no da 30 do corren-
te pelo vapor francez Bearn. As canas serao re-
cebdas ali tres horas antes da qne for marcada
para a sabida dos vapores, e os jornaes at qualro
horas aotes.
Administraco do correio de Pernambuco 20 de
ferereirode 1885.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
pretende sahir em poucos dias o patacho (Jortuguez
Jareo por ter a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o poaco qae ihe falta tratase cem os consigna-
tarios Palmeira & Beltro, largo do Corpo Santo
o. 4, primeiro andar.
Para
Segu brevemente para o indicado porto o hfate
Lindo Paquete, capito llenrique Aatonw do Ama-
ral, para alguna carga que pede* ainda receber
trata-se com o respectivo consignatario Aotonio de
Almeida Gomos, rua da Cruz o. ti, primeiro
aadar.
LEILOES.
Leilo do grande predio, era que se acha!
montada a grande fabrica de saba da |
rua I iperial, e juntamente os pertences!
na mesma fabrica
IIOJE.
O agente Pinto levara' de novamente a leilo
AVISOS MiTOSOS.
LOTERA
AOS 6:000#000.
Corre depols d'amanha.
Sabbado 25 do correnle mez se exlralii-
r a 5a parte da 2* lotera do collegio dos
orphaos no consistorio da igreja de Noa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilnetes, meios e quartos estao a ren-
da na respectiva thesouraria raa do Cres-
po n. t>.
Os premios de 6-000^000 at 10,5000
ser u pagos una hora depois da extraerlo
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da dlstrlbuicao das liste*.
As encommondas serao guardadas
mente at a noite da vespera da extracc3o
como de cosiume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
de prosegu-la.
Alugam-se o segundo e terceiro andares di
casada rua do Trapiche n. 46, eora capacdade pa-
ra grande familia : a fallar na rua de Apollo n.
35, primeiro andar. --9
mmmmmm mmmmmmmm
O ba harel Antonio \nnesJacome ffi
sm Pires reside na rua do Imperador 1
M n. 81, segundo andar, onde p>de i
ser procurado e alvoga. -f^
mmmmmmmm mmmmmm
Precisa-e de urna perita coznheira escrava
on forra, sendo de boa conducta, e que alem da
cozlnha se encarreffHe de algum servico em nma
casa d pequea familia : trata-se n rua da Au-
rora n. 60.
No dia 14 dMrtredte'pWden-se do tribunal do
commercio em^rilirnnt) a rua do fmperador
praca de Pairo H, dkr peq dez dias em que sao partes, como autor o D^. Jos
Joaquim de S>uza, reo Mainel i Silva rfcves :
roga se pessoa que os chou qae tenha a honda
de de o levar rua nova de Santa Rita n. 49, ou
S0. no cartorio do escrivfl Pam de Andrade, na nm
do Imperador junto a secretaria de polica, que
ser generosamente gratitteado.
Leudonm anirmciO no Otilio do da 11 do
correte, chamando anSr. tenante Brito do segun-
do balalho. ao armazem da rua da, Praia u. 60, e
com > pertfnea ao mesm 1 hatalhli e tenha Igual
Osabatxoassignados agradecem cordialmente nome, emfiora nio seja tenent e sim altere, mais
as autoridades poheiaes, offleiaes da guarda naci- Pr evitar qualquer supoosico a minha pessoa.
Os Srs. acadmicas que vo inatrii no terceiro anno da Facnldade de Direilo, podem
dirigir-se a ruada Saudade n. 9, frontera do
Hosiiiio, onde se Ihes vender o compendio- te
direilo civil at as 9 horas da manha, e das tal
as 6 horas da larde.
- Na casa da rtsideaej do Dr. boHM(vVNp
go de Loureiro, rua da Saudade n. 9, frontera
a do Hospicio, preci-a-se de um criado livre, lf-
berlo ou escravo, de idade de 10 at 13 annos sa-
nente para fazer as compras do uso diario, reca-
dos e servigo interno da casa, menos eo.-inhar : a
quem convier compareca at as 9 liras da tna-
nhaae de larde das 4 at as 6 ou das 8 at as if>
da noite.
No mez de Janeiro prximo passado, fugio-
uraa escrava parda, de nonra Theieza. represetiia-
43 anuos de idade, alta, ma?ra, com filia de dea-
es na frente, tem cabellos branco*; rnmlMcr
sido encontrada na Passagem da Magdalena o-
Kosarinho, dizendo que anda em procura de qnertr
a compre : quem a pgar leve-a a rua Direita casa
n. 25. a viuva de Francisco Jos do Reg, on ai
rua de Santa Hila n. o, que ser recompensado.
Fugio esta madrugada 21 do correte, o es-
cravo Liberato, cabra escuro, representa ter -28 an-
nos, com marca de bexigas no rost. cabellos cara-
pinhos, com falta de dente, levoo caiga e camisa
de algoilo azul, levou um bahuzno'com violen
tantos mil ris em cobre e igual quantia om sedu-
las que fun na occasio de fugir, pode ser qoe
lenha mudado de roupa visto ter levado dinheir*
e ser mnilo ladino, desconlia-se (|ue seguio a es-
trada de Pao d'Alho : quem o pegar leve-o a Api-
pucos a seu seu senhor Simfronio Olympio dc Qnei-
roga uu na rua do Imperador n. 4o, terceiro an-
dar, que ser recompensado generosamente.
_Nodia 13 do correte desappareceu da po-
voaco de Tracunhem, da ca do abaixo asig-
nado, o menor Joo, cor acaboclada, i lado d;.- 10 a
12 annos, pouco inaisou menos: portaolo roga-sa
pessoa que o tiver ou dalle tenha noticia, laca o
favor de participar em Tracuobein, em casa do
mesmo abaixo assignado.
Antonio Jos Lopes de Albuquerque.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica,. e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
de olhos;
de peito :
dos orgaos gen i ti
urinarios.
Em seu escriptono os doentes se-
rio examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos 1
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d sjjj|
6 as 10 da manha, menos nos do- |j3
mingos. jg|
Praticar toda e qualquer opera- S
cao que julgar conveniente para o jg
prompto restabelecimento dos seus m
doentes.
Grande armazem de, tintas.
RL'A DO IMPERADOR X. 22.
O arraasora d tintas um grande deposito de
productos cliimicos utensis e os maisempregados-
e usados na pliarraacia,(iiatura,pboto^raphia. tin-
turara, pyrotechinia 1 fogos de artificio) cem outra*
industrias.
Montado em grande escala, e supprmdo-se di-
rectamente as principaes drogaras de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Aovors e Lisboa, pdeoffereceer
productos de pleoa confianga e salisfazer qualquer
encomraendaa grosso trato e aretalho, por preeo
razoaveis.
Prvidos de machinas -appropriadas satisfari
com proraptldo qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, caja qualidade e pareza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas qneso importadas,
e que se encatram no mercado em latas fechadas.
Tem gr*nd9 collecco de vidros de differentes
formatos, desde ama oitava at dezeseis onc_as de
capacdade; de Idrfts para vidracas ediamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira cooi
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teadose folha< de gelatina para ornamento; da
papel grande e pequeo formato de vanas cores
paraemhrulhn, para forro de caa, para desenlio
com fundo j feito; de papel alhnminado e Brisiol,
verdadeiro saxe para photographia c para filtrar,
e oudros ; Vernltes de esSeficla paa qaadros, de
espifito para madeira, copal |>ara o iafrior e ex-
teir ; leo ralo, oleo seccatTO,'bleo de linhaca
clarificado, oleo de tele, secativode Harlim, ouro
veraeiro en pd ; |iralB. auto, o*stapho em fo-
Ihas de varias cores ; timas vegetaes, inoffensi-
vas proprias par confeitarias ; la de cores, a
ojhos de vtdros para iraagens ; liotas em tubos e
telas para retratos tintas em pastis e"Hn pd pa-
ra aquareUa; essencia fle rosd superfina, de ne-
rbfy, jasmfm,bergamota, aspice", palchouly, mbar.
ix)'.iqueJ,liino, aloaraiva, melissa, nrtela pimenta,
louio.coreja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anis da Russi, Canda, cravo e mullos outros ob-
jectos qu scam a vista poderaoser mostrados.
Joo Peilro da Nnts,
GereaM.
O Sr. Sebastio Accioli Sanliage Ramos quei-
andar.
de Rosiron Rooker & C., o por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio .a fabriea de
sabo da rua Imperial e inclusive! o eJuicio e mais
objectos pertencentes a mesma massa, as 10 horas
em ponto, do dia cima dito na referida fabrica.
nal e de polica, assim como a todas as pessoas que faeo o presente declarando que nenhum negocio ra vir a rua do Imperador n. 83. segando
I lomaram interesse na eztlncao do iccendio hatido tenho em dita casa e nem em outra qualquer. Re- i para concluir o negocio qua nao Ignora.
o na noute de 30 do correnle, em seu armaze/a do clfe 3 de fevereiro de ISfip. ^ 1VT 1?^/"'4 A Ul-i'VlV
requerimento dos administradores da masa fallida Forte do Mallo, em que tlnham recelhidas 6 sao-
Frnrlsr-o Fanstino de Brito.
cas com algodSo, cujos exfor^os o boas medidas Precisa-se ulugar urna escrava que seja ffel
a salvacao de 2a e de boa conducta, para comprar e coziohar part
saccas.
Recife, 2S de fevWelro de *893.
Loto k Wo.
casa de pequea familia : na raa das Gruzes n.il.
Na mesma casa coropra-se urna aeariah da K a 6
annos dc idade.
Remedio infallivet contra as gnoi rheat
antigs e recentes, nico deposito 1 a bo-
jea francs, rfia da Crttz n. pre-
C0 3#

111 c^r\/cri





Diaria de rerumbuc* .- Quinta teira 98 4c Fevereiro de *&.
A NACIONAL.
Oonipanhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Una Banca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad
ministra cao da companhia.
CLUB PEWMBHHNO
Para todos. | Na praga da Independencia loja de ourlves
G abaixo assignado faz sciente ao respeitavel n. 33, compram-se obras de ouro e prata e pedras
publico que mudou a sua oficina de palhieha da preciosas, assim cerco se faz qualquer obra de
A reumao familiar do mez de ferereiro fita do Imperador n. 2 para a ra das Cruzes n. encommenda c todo e qualquer conceMo.
ter lugar no da 27. A directora SCen!-.^!i_uJen tero para vender palha e junco
BANQEIROS DA COMPANHIA
O Baneo de Hespanha
DIRECCO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. i
sobre
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinagoes de supervivencia dos segn
Nella pode se tazer a subscripgao de maneira que em nenhura caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL,que ainda mesmo dimlnuindo uma terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coes e corabinando-o rom a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
P*r* *eug clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna imporsicaoannual
de 100$ produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:942600
de 15 ...".....11:208*200
de 20 ........ 30:256*000
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informarles serao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
mo Joaquim Fiuz de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, estabele-
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
mais barato que em ouira qualquer parte.
Manoel da Costa Azevedo Napoleao.
Gca que terao igualmente iogresso os Srs.
socios que vierem mascarados sendo pre-
viamente reconhecidos por uma comm'sslo.
5*5 ao Sr, hachare! Cezario
de Azevedo juiz municipal de fiaran-
kuas, qneira diriga se praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, on anunciar
sHa moroda para ser procurado.
Jos Soares d'Azevedo, t rof ssor de
lingua e litteratura -nacional no Gymnasioj '* superior do Pars, successor de Chereau,
Provi cial do Recife. tem aberto em sua' n.09 membro da academia de medicina
casa, ra Bella n. 37, um curso especial aD"ga ""deBou.ilon^range^harmaceut.co1
THESORO DAS MAIS
Providencia das enancas
COLLARES ROYER
Electromagnetices.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTIQO
Contraasconvulsoes e para facilitara
dentina das enancas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceulico da esco-
la superior do
m mmm mm mmm&m
O Dr. Carolina Francisco de Lima San- J
tos,contina a residir na ra do Impe- S
rador n. 17,2a indar, onde pode ser pro- 2tf
curado aqualquerhoradodiae da neite ^
para o exercicio de sua prolissao de me- SR
i dico ; sendo que os chamados, depois de U
mcio dia at 4 eras da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estarlo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior afinco, no das mais diffieeise deli-
i cadas operares, como sejairdos orgos
ourinarios,dosolhos, partos, etc.
para cada uma das seguintes disciplinas:
LINGUA FRANCEZA,
GEOGRAPHIA E HISTORIA,
PHILOSOPHIA RACIONAL E MORAL,
RHETORICA E POTICA.
As pessoas que d sejare estudar qual- Aulouio-Luiz MiheTrT med
querdestes preparatorios podem dirigir-se Vr" r. k VTV I .' L
Agentes do banco Umao do Porto:
lyte?hnLd0d^^b,nlh^^ChSaS A* S^l a Alugam-se dous grandes sobrados com com-
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
BANCO UMAO
SEGUROS DE VIDA EM MTALIDADE.
A direccao do BANCO NIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacao
para estabelecer o seguro de vidas em mutualidade, faz publico que desde j toma subs-
eripces annuaes por uma s vez, debaixo das seguintes condices :
Com parda de capital e lucros;
Dito de capital somente;
Dito de lucros somente; .
devendo a primeira liquidarao ter logar no i de Janeiro de 1869.
As vantagens do emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao so-
mente se colhe o juro de quantias diminutas, de que avulsas
indicada residedeia, de manhaa at s 8
horas e de tarde a qualqu r hora.
TOiBfl Jos Joaquim de Novaes faz sciente ao respeita-
vei'publico e a todos os senhores offlciaes do exer-
cito e da marinha, que contina a ter sua casa
soriida de fazendas e roupas feitas e por medida :
no largo do Livramento n. 34.
A luga-se
Amarantes.
.Arcos de Val de
uma casa acabada agora, com commodos para fa- Vez.
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore Aveiro.
escravos.com banho na porta, no lugar do Poco Barcelos.'
daPanella,ruado Rio : a tratar com Tasso ir-'Bastos.
raaos, na ra do Amorim n. 35. _______ Beja.
Offerece-se uma mulher porlugueza para o ; BraB*-
servigo interno de uma casa, inclusivamente en- Braganga.
gommado : a tratar na rna da Cruz n 18, ar- Faro
mazem.__________________^___^_ Oliveira d'Aze-
Maaual do guarda naclooalT- PeSa'fiei.
Acham-se impressas qnatro formas com 61 pa- Tavira.
do Conde.
Competentemente autorizados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo banco para o t'orlo e
Lisboa e para as seguintes agencias :
Londres sobre Bank of London.
Pars Frcdric S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Gabe & Filho.
Barcellona Francisco Rohala 4 Ballesta.
Madrid Jaime Merie.
Cadis Crdito Commercial.
Sevilha Gonzalo Segona.
Valencia M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
se n3o poderia tirar ne-
nhum resultado; mas alm d'isso, este rendimenlo augmentade pelo capital ou lucros, ginas era oiUvo frncez'do segundo volume do Ma- vi"
ou ambas as cousas, conforme as condices da subscripto, dos que fallecem. Tambem! ^lJSXSS'iS. coiLe^ df todaL"as Villa- Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhao.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fare.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
de
a mes-
partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus paga-l n%ard' 3VSS' rdeDS COBCerneD,es
melos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem Ha nestas qnatro formas, importantes decisoes do
pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companbias hespanholas, tutelar e outras; e
para se p)der fa'.er urna idea do que pode produzir uma entrada annua de 10#0O0, pu-
blica-se a seguate tabella b3seada sobre a experiencia di muitos annos de companhias
desta natureza.
Em o annos 10 annos lo annos
Guarda.
Gulmares.
Lagoa.
Lagos.
Lanego.
Leiria.
Morigao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
comjardim,cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira : a
tratar na ra daSenzla Nova n. 42.__________
Precisa-se alugar uma preta para todo o ser-
vico de urca casa de familia : na ra do Trapiche
numero 4.
Aula particular.
O abaixe assignado, professor particular,provi-
sionado peladirectoriageralda instrucciopublica
para ensinar primeiras lettras, latim e (rancez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos
senheret pas de seus discpulos que segunda-feira
9 do correntetem de continuar no ensino das su-
praditas materias, admillindo matricula alumnos
CHEGARAM
os ferros de encrespar babados de vestidos e rou-
pas de senhoras, de diversos lmannos, assim co-
mo ferros de recortar de diverses modelos.
41RA DO CHEIPO-4
Antonio Jos de Figueiredc, natural da cemarr
de Goianna, e actual morador,'lendo a Rmsta Dia-
ria de seu conceitnado jornal de 7 do correnter
deparei com o nome de um passageiro do vapor
Parahiba que parta desta provincia para a de
Alagoas, cojo nome igual ao mto ; avista do que
levo dlt<\ resolvdo lenho *-muda-lo, e de hoje ero
(liante assigar-me-hf I por Antonio Jos de Fogis.
Achare justo para compra com o Sr Anto-
nio Baibosa de Barros, a rasa terrea n. 2 do beco
co do Tocolomb ou Becco Tapado na freguezia do
Recife, o que faz-se publico para que no caso de
hsver algum impedimento ser annuneiado nestes
3 dias.
Joaquim Jos de Azevedo, subdito porluguez.
vai a Portugal, e deixa por seus bastantes procura-
dores em i- lugar o Sr. J)s Correia Braga, em 2*
Domingos Jos de Amorim e em 3* Joo Custodio
da Silva.
Uma pessea que entende perfeitamente de
escripturacao mercantil por partidas dobradas e
simples, se offerece aos senhores eommerriantes
para encarregar se de algumas escripias por qual-
quer um dos sistemas : a tratar na rna da Impe-
ratriz n. 39, tercero andar.
Precisa-se de orna ama iivre que compre e
cozinhe para casa de peuca familia : a tratar na
ra da Cadeia do Recife n. 47, loja do balao.
Precisa-se alugar um preto para o servido
externos,pensionistas e meio-pensionistas. A pra- desla typographia, aoquaTdaV-se'-h' sustento,' ese
tica de 19 annos consecutivos no exercicio de seu pagara por semana ou pcr mei> segQndo convenha
Por um menino de 1 dia a 1 anno Un- 4005
a de 1 anno a 2 90:jl 3005
de 2 a 3 . 861 2905
de 3 a 4 863 2705
de 3 a 15 865 2705
Por uma pessoa de lo a 20 86 2705
de 20 a 30 86 2705
< de 30 a 40 865 2705
de 40 a 50 t 905 3095
9005
7505
7205
7105
7005
7005
7105,
7205
7505
20 annos
2:0005
1:7005
1:6005
1:5605
1:5505
1:5405
1:5605
1:6005
1:8005
25 annos
4:7005
3:7005
3:5005
3:4005
3:3505
3:3305
3:4005
3;7005
5:0005
Soverno, esplicando as duvdas, que tem appareci
o na execuco da lei da guarda nacional e seus
regulamentos, como sejam : o modo de se fazer as
propostas para officiaes dos corpos, quando estes
estao organisados, ou em organisaeao : formacao ratar'neniada r^rnTn'<
da junta medica : reforma dos offlciaes e inferiores: "ada Utu n' ._________________
solugo das duvidas respeito das despensas do O solicitador Pedro Alexandrl-
servico activo lempo dos offlciaes se acharem far-1 do da Costa Hachado
_ imperio.
Rahia. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
mesmo Bauco a razao de 4"por cento ao anno a
magisterio, sua inteiradedicaejio e sua moralidad?
sao garantas que offerece aos senhores pais de fa-
milias, que desojaiu a saa e til educara, a seus
ilhos.
Quem porlantoquizer confiar ao mesmo abaixo
assignadoa educagaode seusfilhos, pdedirigir-se
a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
do n. 08 da ra Nova, onde ha muito lempo est
estabelccido.
__________Jos ilarialMachado de Ftgueiredo.
Delouche avisa ao sespeitavel publico que
comprou o estabelecimentifde banhos, sito no pa-
teo do Carmo, que contina a dar banhos como de
cestume, declarando que os cartoes assignados pe-
\ io Sr. Caucanas terao vigor para tomar banhos s
at o dia 28 de fevereiro de 186o. O mesmo convi-
da o respectivo publico C[ue compareca no mesmo
estabelecimento, que veno executado com todo o
esmero o systema e asseio que deve ter tal estabe-
lecimento.
Prego dos banhos.
Banho fri on quente, tomando 10 car-
toes, pelo prego de 40O0
Um banho avulso ou s..... 500
ao senhor
ns. 6 e 8.
a tratar na praca da Independencia
Precisa-se de uma preta engommadeira o
ensaboadeira, escrava ou forra, que seja de boa
conducta : tratase na ra da Aurora n. 60.
Aluga-se um moleque com 12 annos de ida-
de, snbmisso e fiel : na ra do Nogueira n. 39, so-
brado.
Chegaram do Aracaty os afamados bicos da
trra sortimento de todas as larguras e por prego
commodo : na ra da Cadeia do Recife n. 59.
As entradas por uma s vez do resultados muite superiores s annuaes.
Mnimo das entradas 55000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO NIA'O, Jos da Silva
Machado.F. M. van der Niepoorl
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz
numero I.
4 T T 1 N (1 \ 0
AO
NOVO ARMAZEM DE MOLHADOS
X. ISRa do Calingan. 18,
Defronte da matriz de Sauto Antonio,
DE
Lima & C.
O proprietario desle novo estabelecimento avisa ao respeitavel publico, que adia-
se prvido de um completo sortimento de moldados e saceos, lodos novos e por precos
commodos.
O proprietario nunca quiz anunciar pelo jornal a existencia de seu estabeleci-
mento ; porm, como faz-se necessaria a noticia aos senhores de engenho e agricultores,
que mandam seus portadores directos a esta ou aquella casa, motivo pelo qual os pro-
pietarios o fazem agora
Aproveitam a occasiao para declarar aos Srs. consumidores, que seu estabeleci-
mento se achara sempre completo de um variado se rtimenlo de molbados. seceos e ou-
tros objectos perlencentes ao mesmo ramo de negocio.
Seus precos sero menos 5 por cento do que em ouira qualquer parte, e para
este fim chama-se a attencao de todos em geral.
Os pesos e medidas, e qualquer engao dado na casa, sero garantidos pelo dono
em favor do consumidor, em qualquer occasiao que reclamar.
Os propietarios deste novo estabelecimento esperam dos seus freguezes, e do
publico em geral toda a prolecco, prometiendo os proprielarios da Flor dos Progre-
sos tirar tao somente um lucro razoavel do laborioso trabalho, com que possam dar
cumprimento a esta ardua misso.
Adiando desnecessaria a publcacao dos precos minuciosamente explicados de
seus gneros, com o que geralmente todos fogem, pelo motivo nao somente de ser enfa-
donho, como tambem por nada valer, os proprietarios tm somente em vista entreter s
seus consumidores com gneros novos, e precos mais razoaveis do que em oqtra qual-
quer parte, pois sero as garantas para a prolecco ao Novo Armazem de Molhados.
FLOR DOS PROCRESSOS.
ttl^u^H^T'k Se 0flcial da imperial se "carregaante o foro desta cidadede tudo que
t"* "rs,a, esta isento de prestar serv.go como for tendente a sua profissao, aceita departido n-
simples guarda : se os inferiores dos corpos de- nualas pendencias indiries de nnalmier rasa
vem seguir a ordera gradual do accesso para ser commer5lrnedS2t rSl aiuste CoStfoS
t^^iS'S^i^ifiS^'Bio tl!TZlZiVmTf? lrabalhacomo *'"' AU*se, *Wandar da rua d0 Crespo n-
apresentarem fardados no prazo que Ihes for mar- 2KS!?a"se -e defezasP"an,e Jury ,nos; 23 : a tralarnaloja^______________________
cado se os instrumento-! imnnnartn.! m Rnmna lermsProximos a va frrea, offerecendo gratoi-1---------r:------j;-----------------------r------
caao se o? insirumenios importados da huropa tamenteseus servicos aos desvalidos nade ser i Consultorio medico-eirnraico na rua larga de
para as msicas dos corpos da guarda nacional, es- nr^n.^^.! V .oe.sva'1os' D2e ser
tao isentos dos direitos da aifandega : quaes os S!? a1todososdias otis das 9 horas da ma-
venclmentos dos offlciaes e guardas em servico de ??","3 d,llirdetM maestreita do Rosario n.
desucamento : se tem direito continencia e com- :*'/fora de.s.sas horas na rna Imperial n.36, ca-
mandante superior, passando pela frente de uma
brigada de linha
Precisa-se de urna engommadeira : na rua
do Imperador n. 14.
mmmmmmmmmmmmmi
bacnarel Jes Iiaptista Gitiranaj
advoga nos termos do Bonito e Caruar.
Pode ser procurado na villa do Bonito,
rua Direila n. 16, defronte da cadeia.
Precisase de um criado para o servico de
um bomem oltciro : na rua da Aurora n. 74, se-
gundo andar.
retirase para
esenp-
se o empregado de fazenda des-1 Saca-se sobre Lisboa, Porto e
tacado como offlcial da guarda nacional deve accu-' S. Mitrtie' na rna n Anlln n 90
mular o seu ordenado : se offlcial da guarda naci- traKZv P !
nal suspenso, por crime de resnonsabilidade do lori de Carvalnoe Negu ra.
cargo de delegado, ou de juiz de paz lica tambera
suspenso do exercicio da guarda nacional : que
honras competera aos capitaes da guarda nacional
designados majores dos mesmos corpos : se ha b-
compatibildade na accumulagao do cargo de juiz
de paz presidente da junta de qualieacao dos vo-
tantes, com o posto da guarda nacional: ha incom-
palibilidade na accumulagao do posto da guarda
nacional com o do cargo de juiz de paz : o offlcial
que exerce interinamente o lugar de ajudnte dos
corpos est ou nao despensado de servir no conse-
Ihodequaliflcagao : em que prisao devem os offl-
ciaes da guarda nacional cumprir as penas, con-
demnado no foro commum : se os guardas na-
cionaes eslao ou nao isentos do recrutamento : se
os vendedores de sello dos correios estao despensa-'
dos deservir na guarda nacional: se os offlciaes re-' .
formados da guarda nacional podem ser aggregados da Cior? n 14,um V 2 andar de um sobrado
ao serrigo activo : em que circunstancias podem 5a "Vo Rosano da B.oa-^'sta.quasi no pateo da
os commandantes interinos dos corpos fazerera 5an^a Cruz' e uma meJl a^ua na lraU de (oao
propostas para offlciaes : etc., etc., etc.; etc. de Barros> com arvoredos, agua de beber,e portao
Quera quizer desde j possuir estes esclarec- P*r, ab,ecccrrndcFom^1 j qaemn p:elennd,cr fa!,le
raemos, mediante ura diminuto estipendio antes de Da ru? das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
se ultimar este segundo volume, dirija-se ao segn- manhaa alc M me' dia;___________________
do andar do sobrado da ruado Livramento n. 31,| Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 24
e ah os encontrar em broxura, assim como enea- do rua da Cadeia do Recife, entrada pelo becco
dernado o primeiro volume do Manual do guarda Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado,
nacional.
Rosario ii. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua prolissao
nao s na parte medica como tambem na cirur-
ilbTdefe
Companhia fldelldade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de lanelro.
AGENTES EM PBPNAMBITCO
Antonio Lnii de Oliyeira Azevedo A C, j
competentemente autorisados pela direc- :
toria da companhia de seguros Fidelida- j
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1.
- O Sr. Aur.liano C. da Rocha Wander-
Icy, queira mandar buscar uma carta na
livraria n. 6 e 8 da praca da Independen-
ca.
- Troca-so um bom escravo por uma escrava,
que sirva para cosinha, tambem troca-se por di-
nhairo : na rua dos Pires n. 54.
I
mmmmm m-h
Est para alugar-se uma casa terrea na rua
m
O bacnarel
Francisco Angu&lc da Cosa
ADVf.'GADO
m
Rua do Imperador numero
wm
Precisase alugar uma ama que saiba cozi-
nhare queira comprar para urna casa de duas
pessoas : na rua da Irapejatriz n n. 34, primeiro
andar.
Aluga-se um sobrado de dous andares e so-
to na rua da Penha n. 6 : a tratar na rua larga
do Rosario, arm: zem de louga da porta larga.
\jAntonio Barbosa de Rarros
Portugal a tratar de sua saude.
Raposeada
O Julio est na rua de Santa Isabel n. 9 com ri-
cos e novos vestuarios, tanto a carcter como a
phantazia, vende e aluga por pouco dinbeiro.
Precisa-se de um caixeiro para taberna que
d fiador a sua conducta : na rua Augusta n. 76
se dir onde ha de tratar..
O London & Brazillan Bank, saca por todos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante.______ ^^
Aluga-se um sitio na estrada de Joao de Bar-
ros, prximo Soledade, com boa casa, estribara
e bastantes arvoredos de fructo : a tratar na rua
larga do Rosario n. 32, ioja.
O Sr. Leopoldo Cadault taoha a bondade de
vir a rna do Imperador n. 83, segundo andar a
negocio que nao ignora.
Precisa se alugar uma escrava para serrigo
de casa de familia : na rua do Arago n. 10.
___se
AO CARNAVAL!
RUA NOVA N. 37.
tuve
Delouche, relojoeiro, avisa ao respeita-
vel publico e a seus freguezes que mu-
dou a sua loja de relojoeiro da rua Nova
para a mesma rua n. 50 esqnina do bec-
co de Santo Amaro, continua a fazer to-
dos os concertos pertencentes a sua arte
com muta brevidade e prego commodo.
Na mesma casa acaba de receber mni-
tos bons relogios de sua propria encom-
menda, de prata dourados e ouro patente,
tambem relogios americanos para cima
de mesaeparede, tem tamttm instru-
mentos de msica, candieiros para gaz e
muitos outros objectos lodos por precos
muito commodos.
Q
bacliarel
Antonio Joaquim Ayres do Nascimento
tem o seu escrptoriodeadvogaciana rua
estreita do Rosario n. 8, onde pode ser
procurado das 9 horas da manhaa as 4
da tarde.
s
*m
Aluga-se um sitio na rua do Cabra] da!
cidade de Olinda, com casa terrea.com co-
piar nfrente, bota os fundos para a estra-
da emargem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavalle
e capim para sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinno defronte nem pelo
fundo.com ptimos passeios,sala e gabi-
nete nfrente, mnito propria parapassara
festa.e tambem se alugar poranno : a fal-
.ar no Recife., na livraria n. 6e8 da praca
Furtaram hontem as 5 horas da tarde da Independencia, e em Olindanacasacon-
3Tii Cam2* Carmo tigua;om o capitao AntonioBernardoFer-
esquina que volia para a rua das Flores, um rera# v
embrulho de papel conlendo 8 covadosde ^Miinnmi trotara ttwmiw
?rli ,?A r0 C0EL."?' ar\ba ^ceber de Paris, pelo paquele francez Bearn, chegado damasre de seda verde, suppoe-se ter sido lliiii HI
mote, nm rtco e vanado sortimento de vestuarios todos a carcter e gosto moderno, qur um preto de mangas de camisa que entrara 9 aques 8(1 fortUfial
na occasiao em que se pesava fio de ouro : fl|
14 do crrante, um rico e variado sortimento de vestuarios todos a carcter e gosto moderno, qur
para homens, qur para senhoras, proprios para os grandes bailes dos Clubs Commercial e Pernam-
bucano, sociedade Corybanlina.e finalmente para muitas recreagoes, que se preparara para os dias
96, 27 e 28 do andante; por tanto, chama a attengao do respeitavel publico, para seu estabelecimento,
preparado o melhor possivel para bem servir qualquer freguez. Nao querendo o annunciante tornar-
se prolixo, limita-se apenas a fazer mengo de alguns costumes masques, de sua variada galera,
saber : Bretn, Muletier, Pirrot, Louis XV, Vivandeira des Zonaves.Costume Itahen, Bisayen, Chic des
Cliics, Navarai, Principe Caucasien, Rigolblche, Nouveaux Pailasse, Pierrot Loustir, Pierrette, Megi-
oienne, La Reclame, Prince d'Araucani. Tem igualmente o mais completo e abundante sortimento
de cabelleras, meias ditas e barbas, qur pretas, brancas ou grisalhas e outras cores; tudo novo ao
carcter que se queira.
Em seu estabelecimento, se encontrar o que existe na actualidade em Paris e Allemanha de
melhor em mascaras, sendo de rame com mola e sem ella, de cera, com cabellos e barbas, narir.es,
.mascaras a domin; e finalmente de papelSo de todas as quahdades. Tambem tem as mais frescas'
e afamadas luvas de pellica de Jouvin, de tedas as cores llegadas pelo Bearn.
19 RUA NOVA 19
Frederico Gautier, cirurgio dentista.
De volta de sua viagem a Europa, aonde tomou conhecimento das mais recentes
descobertas e ltimos aperfeicoamentos que se tem feito na arte dentaria, alm de com-
prar o segredo de diversas preparaces empregadas com muitas vantagens, tem a hon-
ra de participar o respeitavel publico em geral e aos seus numerosos clientes em par-
ticular, que se ada de novo proropto ao seu dispor para todos os msteres da sua pro-
lissao, advertindo que Irouxe um mmenso sortimento de dealadurasartiliciaes; caout-
diou galvanisado, ouro, platina, mas'.sas diversas muito aperfeigoadas para chumbagem-
instrumenlos novo, ferramenta modern.a, cadeira de operacbes, etc., etc., dos mais acre,
ditados fabricentes de Paris, Londres e M-w-York, e por isso estando mais que nunca
no caso de servir do modo o mais satisfalori'o possirel, espera continuar a merecer toda
a confanca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 81)0?" d manh3 at ao meio dia com cer-
teza e as 4 horas da Urde quando nao tiver e.ir era casas particulares.
roga-se a quem for offerecido ou souber
dirija-se a esla typographia que se dar a
quantia de 405, valor maior que a do da-
masco.
Francisco Maciel de Sousa, na qualidade de
testamenteiro do finado Antonio Jos Pacheco e
Silva, faz publico a quem convier. que o dito fina-
do deixou em seu testamento 2o para cada um
de seus alunados, com a condigo de apresentar
cerlido de baptisrao : portanto, aquelles que se
julgarera comprehendidos nessa deixa podem
apresentar-se a elle testamenteiro mnnidos da
Maques sobre Portng:
O abaixo assignado.antorisado pelo'
Banco Mercantil PortueLse. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por, todos o paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Por.o, e mais luga- g
I res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso; podendo, os qne temarerr
saques a praso.receberemsista.no mes-
| mo Banco, descontando 4 0)0 aoanno: na 1
loja de chapos da rua do Crtpo n.6, ou l
m na rua do Imperador n. 63, segundo an- I
| dar.Jos Joaquim da Costa Mia.
mus wmmm mmmmm
.certidaodebaptismo para receberem j^^^^V^S^'l^^nti
l no exercicio de sai prolissao, rua do Irupera-
I dor n. 43, primeiro andar, todos os dias uteis, das
Joao da Silva Ramos, medico pera Uni
rersidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doento.s
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operagao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3S0O0 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 2^006
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianga de que sem-
pre tem gozado.
AMA
Precisa-se de uma ama para cozinhar e com-
prar : na rua da Cadeia Velha n. 45.
Charles Danmerie, alfaiate francez, parlicipa ao
respeitavel publico e a seus freguezes em particu-
lar, que mudou a sua loja que tinha na rua da
Cadeia n. 11 para a mesma rua n. 26, esquina do
becco Largo.
Beaze Antonio Florenciano e Michaele Mazzie
de Biagio, subditos italianos, retiram-se para Eu-
ropa.
COHPHAS.
Compra-se ouru e prata em obras velbas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praga da Inde-
:dendencian. 22.
Compra-se elfeclivamenie ouro e prata en
obras velhas, pagando-se bem : na roa larga
Rosara n. 24, loja de ourives.
AlrodoO
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
travessa de S. Pedro : a tratar na rua do Cabug
n. 11, segundo andar.___________________
No becco do Padre n. 18, segundo andar,
precisa-se de urna ama para cozinhar e comprar
na rua : quem estiver nesta c-ircomstanna pode
dirigir-se a mesma rasa a qualquer hora do dia.
.&vuv em carolo.
Compra-se qualquer quantidade por maior pre-
go do que se paga no mato : na fabrica da trares-
| sa do Carioca b. 2, caes do Ramos.
Cempra-se um escravo mogo, sendo bom co-
zinheiro nao se duvida pagar bem : na rua da Ca-
deia n. 28.
Compra-se um escrave de idade que
Sirva para trabalho de sitio: nesta tvpo-
graphia se dir quem quer._____
Compra-se uma escrava de meia idade : na
O abaixo assignado agradece ao Illm. Sr. C.
de C. R. a entrega da quantia que o abaixo assig-1 rua de Sabia Rita n. 13, primeiro andar,
nado tinha perdido na estagao das Cinco Pontas,
no dia 9 do corrente.
Carlos Augusto de Oliveira.
dita quantia.
IMHfi
Procuradoria.
Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ce de L.on, como solicitader, se encarre-
ga das causas crimes, civeis, commer-
ciaes e eclesisticas. Elle ainda recebe
algumas ca-as de partido, mediante a
K um ajaste razoavel. Pode ser procura- %&
S de as salas das audiencias ou na rua 5
X Imperial sobrado n. 64. jf|
mmmmmmmmmmmmmm
Tbeodoelo do Lago e Joao do I.ago Freitas e
Silva fazem publico que uniram-se em sociedade
commercial em om estabelecimento de molhados
na novoago de Beberibe, lermo da cidade de 0-
'inda, ob a razio social de Theodosio do Lago &
Filho.___________
Quem tiver um menino empedido para cnaj
ou mesmo nao sendo, querendo, dirija-se a rua do
Jasralm n. 17.___________^_^^^
Domingos Hodrigues de Andrade, nrua da
Cruz o, 33, saca eon/ra a praca do Rio de Janei-
ro, a Tifia ou a praso.
10 horas da manhaa as 4 da tarde.
Arrenda se a excellenie propriedade deno-
minada Barra deSerinhem, na fregnezia do mes-
rao nome, com grande coqueiral e muitos foros a
cobrar annualmente : a tratar rna do Impera-
dor n. 43, primeiro andar, das 10 horas da ma-
nhaa as 4 da tarde.
Perdeu-se uma pulseira de coral engastada
em ouro, no domingo 19 do correte, pelas 7 no-
ras do dia, do collegio de Santa rsula, na rua da
Saudade : quem a tiver achado e quizer restituir,
dirija-se ao mesmo collegio, ou a casa n. 21 da
mesma rua da Saudade, que ser recompensado.
Desappareccu da povoago do Cachang, na
noite de 19 do corrente, pelas 10 horas da noile,
um cava lio rodado, cimas e cauda brancas, sella-
do e enfreiado : quem o apprehender queira lva-
lo a rua dos Pires n. 3o, que ser generosamente
recompensado.
Na rua do Livramento n.
um excellenie molequinho.
19 ha para alugar
Tin tur aria
Na rua Direitan. 116 conlinua-se a tingir para compeusara
qualquer cor, e o mais barato possivel.
Furiaram no da 20 do corrente, das 11 ho-
ras al as 2 da larde, da rua Forraosa n. 7, duas
calcas urna de brim branco, ouira de caseroira
preta, um collete com "i botos dourados, um
bahuzinbo enfeilado com mariscos e conchas pela
parte externa, um lenco de seda e uma camisa de
pafos com bolees de punho dourados, suppfie-se
ser negro da costa o autor do roubo e ainda mais
qu* marcineiro : roga-se a quem forem offere-
cidos para comprar esses objectos ou a quem del-
les tirer noticia communica-la ou apprehender os
objectos, que entregando na casa cima se Ihe re-
j Compra-se uma escrava de cor preta que sai-
. ba cozinhar e engommar : quem tiver dirija-se a
Ilha dos Ratos, rua do Seve n. 3.
VEND1S.
ttenco
Vende-se superior vinho do Porto em
urna duzia: em casa de Jobnston Pater
do Vigario n. 3.
caixas de
4 C. rua
ttaixa
Urna pessoa que servio no exercito, tendo per-
dido a sua baixa na noite de 18 do corrente, roga
encarecidamente pessoa que achar dita baixa,
lere-a no primeiro andar do sobrado novo do Maia,
na rua do Imperador, que ser gratificado.
Marcelino Jeronymo de Azevedo, subdito
porluguez vai a Europa.
Na rua do Imperador n. 4o, primeiro andar
prftija-s de tuna ama para cozinhar'
Urna parda com bastante pratica de ama se
offerece para casa de horhem solteirn on de poura
familia : na rua Imperial confronte a fbrica de
vinagre.
Precisa-se de uma ama para comprar e ce-
zinhar para tres pessoas
segundo andar.
na rua da Cruz n. 62,
Precisa-se de uma ama forra ou captiva para
comprar e cozinhar, para casa de rapaz solteiro :
a tratar na rua do Quelmado n. 7.
Precisase do uma ama para cosinhar e com-
prir: na rua do Livramento n. 14.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almaaak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praga da Independencia.
Vendo-se uma taberna bem afreguezada pa-
ra a trra : a tratar na rua das Calcadas n. 9.
Ovas do serto.
Vende se ovas do serllo muito frescas, na rua
'da Santa Cruz n. 9, junto a ribeira.
Vende-se on hypolheca ?e pela quantia de
um eonto e ris, um sitio no lagar de Maogoinho,
na esquina da rua Real para a da Amisade, o qnal
est sem morador : na rna da Santa Cruz n. 9 se
dir quem tu Ues negocio?.






Diarlo de Pernaiubuco Quinta elra 3 Je Fe ver Ir o de lt8&.
5

y*
0 GASTELLO DE GBASYILLE
Tradnzido de francs per A. J. C. da Cruz.
Venderse este bello romance em quatro
tomo* pelo baratissimo preco de 2^500:
oa praca di Independencia, livraria ns.
6 e8._______'____________________
FOLUI\UlN
rara 1805
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e eco les ias l ico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commerco, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contando o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
em verso, devocio ao agonisanle, coraejio
de Jess, cntico em louvor do Sanlissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero dema-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs. ______
Agua de Ylctaj a l0tOO.
A loja da Aurora na ra larca do Rosario n. 38
recebeu agua de Vichy a 15200 a garrafa, a qual
o uuico remedio para molestia do pedras as
ourlnas, pois algumas pessoas que soffre da dita
molestia, e tera usado desta agua tem lirado per-
feiiaraente boas; e cuja agua applicada pelos
mdicos.______________________________
Vende-ss um bonito cavallo gordo, alaso'
dos quatro ps calcados, frente aberta, andador de
baixo at meio, novo e sem achaques, elegante
para um cabriolet : na ra do Cotovelo n. 25.
Grande liquidadlo de fazen-
das finas, ruadalmpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n, 56, de Lourenco P.
Mendes Guiniares.
PASTILHAS]
IGESTIVAsjMWl
DE WASMAN
Blnrrhra e renill-
pxr* arsdurldaa
pelas claboraers
dcrrrlaaaas im all-
niraCon.
As pasthas digestivas tom a pepsina de Was-
man, emprrgo se rom successo hi j alguna
Fazendas para 0 carnaval. anuos pela* celebridades medicaes de Pars,
Vende-se velbotina de todas as cores a 800 rs. o Londres, Vienna, ele, em todas as ineommodi-
covado, ganga encarnada a "160 o covado, sarjelim de em as quaes a digestio difficil, peno,
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria 'perfecta ou mesmo impossivel: eit o melhor
para vestuarios a 320 e 360 o covado, tafet de seda remedio para cnrl as
de todas as cores a 600 rs. o covado : ra da Impe-
ratnz, loja da Arara n. 56.
Chitas baratas a 210 rs
Vendem-se chitas finas a 240 e 280 o covado,
chitas francezas finas a 320, 360 e 400 rs., cassas
til .er.ir.f i386 "_? CVad5' perCa'S' Em tod" as raoIeslias empregio-se a miude a
mas para vestido*, o 300 e o60o covado : ra da aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
Imperatriz, loja da Arara n. 06. e igualmente aspastilhas de Vichyi/fesse meio 6 id
Caries de rambraias, a irara vende a 30. efficaz quando se trate de dispepsia de curta du-
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas a racio, mas o prolongado uso das aguas e pastKts
35500, 45 e 55, cortes de cassas francezas finas a de Vichy, tem grandes inconveniente, por quanto
35, cortes de chita de 10 covados a 25400, ditas alcalinos empobrecem o singue e isto de tal
finas a 35200 : na loja da Arara, ra da Impera- maneira que lhes arreblhio a parte vivificante,
trlz, n. 56. utriliva e reparatriz. Com a pepsina, a contraro,
dos a 35 e 35500 o covado, grodenaple preto fino como ella uma substancia orgnica, albuminosa,
a 15600, 15800 e 25, dito superior a 25600, dito transforma-se ao mesmo lempo que se effectua a
Gastralgia*.
Mspcpslaa.
Kmbararos gstricas.
A gaslrlte.
As afri'ccra orgAnl-
ca do rslemago.
FraSCOS COmgOmma arbica Fazendas pretos para aqua-
com 5 palmos de largura a 3jf o covado, panuo fi-
Xovidadc
Roupoes de sucim delinho para senhora, pelo
barato prego de 95 cada um, lazinhas econmi-
cas para vestidos a 360 o covado, cbapoos de pa
Iha da Italia de apurado goslo a 145 na ruado
Queimadon. 17,_________________________
Farelo
em saceos de mais de 100 libras : nos armazens
de Tasso Irmos.
105 e 1?5. finos, algodo pe-
85 : ra da Imperetriz, loja
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Qiieiuiado, n. 19 e 55. E' para admirar.
Vende-se urna taberna com poneos fundos,
sita na ra Direila dos Afogados, e tambem duas
carroas, urna de veader agua e outra dita de cai-
xo : quem quizer dirija-se a padaria n. 66, que
avista do comprador se far todo o negocio.
Vende-se urna vacca novaegorda paraagou-
gue, e um quarto para carga : em Santo Amaro,
sobrado junto do cemiterio publico.
Zihee e cobre em follia, esladho, azareo e alvaia-
de inglez.
Era casa de Rothe < Bidoulac, ra do Trapiche
n. 18, vendem-se os gneros cima por pregos ra-
zoa vei s.________________________________
Sal do Assil'
A bordo do hiate brasileiro Lindo Paquete : tra-
ta-sena ra da Cruz n. 23, primeiro andar,'escrip-
torio Je Antonio de Almeida Gomes.__________
"Vende-se
nina boa mobilia de oleo com uso: na ra das
Flores n. 25.____________________________
Para o carnaval
Os dminos de nova invencao, a ingleza, fato
qne alm de servir para o brioquedo do carnaval,
tambem proprio para trajar por casa a frasala,
pelo diminuto preco de 105 : s na ra do Qnei-
mado n. 17._____________________________
Dminos
Vendem-se muito bonitos dminos para os bai-
les e passeios pelo carnaval: na loja do Pavo ra
da Imperatriz n.6Q, de Gama & Silva._________
Leja de modas fraucozas
Madama Buessard Millochau, recebeu pelo ulti-
mo vapor francez boruus, capas e chales de renda
preta, ludo de muito bora gosto. Assim como lu-
vas de pellica de 2 boiSes como se usa em Paris,
flores para cabeca eum grande sortimento de es-
partilhos hygiepicos, tanto para senhora como pa- I ares de botoes de punho todos de cores
ra meninas, cintos largos "velas grandes para jTinteiros de barro com tinta...........
ditos.enfeites para cabega. leques etc. Tesoiiras para costuras linas e unha
- Ditas para costuras com toque d'avaria
Escovas para limpar dentes muilo tinas
160,200e..............................
Caixas com 100 envelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas cora 20 cadernos, rape I pautado e
liso..................................
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
lho)............................
Meiadas de linha froux para bordar...
Pares de sapalos de tranca e tapete...
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaca perola muito suerior
Dilos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................
Dilos e garranhas de agua de Colonia
muilo fina.......................
Dilos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial............._...........
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade..................
Pares de ligas para senhora as melho-
res ..............................
Pegas de bicos francezes e rendas.....
Frascos de aaua deniifrice-muilo supe-
rior.............................
Caixas com 4 papis de agnlhas a balo
e Victoria........................
Libras de la sendo de todas as cores...
Bonecos vestidos e tambem de choro...
Caixas com superiores obreias........
Ditas de linha de gaz com 50 novellos..
EnCiadeiras de fila para espanilhos.....
Carrelis de linha de cores com 100 Jar-
das .............................
Pegas de cordo imperial............
arrei&i
;a.*iH_(N
3 ~
transformaco dos alimentos ssimilhando-se
no preto a 25, 25800, 35500 e 55 o covado, case- como elle e ajudo tabcm como elles a nutricio
mira preta fina a 25,25500 e 35 o covado, alpaca feral. Sua accSo vivifica o sangue e os rgios
preta^500, 600 e 800 rs. o covado : ra da Im- de tal sorte que, ath as pessoas que semsoffrer as
peralriz, loja da Arara n. 06. affecges gstricas cima mencionadas sao unica-
Arara vende cortes de casemira preta a 35500. m"l(1 ,racas ?u_ d'um temperamento um poueo
Vendem-se cortes de casemira preta a 35500, ?'i"_25_;_*__? a,,me" *? for"
45, 55e65, ditas de cores a 35,45 55 < 7 cor- S?_^rW Ttt?V ,""','*a* tt
tes de brira e ganga para calca a 15600, 15800 e ___} Waman' um Poroso meio para a 11
25 : ra da Impera.riz, loja da Arara n. 56. /vg f ante. 0 _UCCCM0 _M ^
Panno de linho a 640 rs. I wepana de Wasman diu causa a se fuereniS
vende-se panno de linho para lences e toalhas ificac5es e imitacSe d'esse producto que o
a oto e 7.0, hamburgo a 500 e 560, bramante de mulos se querem desfazer. Poi por faltad'um
t palmos de largo a 35 e 2J500 : ra da Impe- boa preparacio pepsina que n'ella entra, jaz
ralriz n. 56. j tlterada. Seremos ao abrigo d'este nconvenienu,
Arara vende os baldes a 3! e madapelao a 4^. exigendo os compradores que as pastilhas tenhio
Vendem-se balcs americanos a 35,35500 e 45, niciae B. P. e saio da pharmaciaChevritr.
ditos do musselina a 45500, pecas de madapolo Depsitogeralem Paris, pharmaciaChvrir,
enfestado a 45. dilo de 24 jardas, largo, a 65000, s< Faubourg-Montmartre, e em todas as bou
65500.75, n, 5. -
cas a 5, 65, 75 e
da Arara n. 56.
Soulambarqiifsprelosa 20.->
Vende-se soutambarque preto de grosdenaple a
265 e 255, capas prelas de grosdenaple finas a
205, 255 e 305, soulambarque de lazinha a 75 e
85, ditos de alpaca brances a 85 e 105, ricos ves-
tidos a Mara Pa de novo gosto a 85, 125, 115,
165 e 205 : ra da Imperatriz, loja e armazem da
Arara n. 56.
Grajide soiliuiento de ronpa
.'cita.
Vendem-se paletots de casemira de cores a 55,'
65, 85 e 105, ditos pretos de panno fino, sobreca-
sacas a 125, 14, 165 e 255, paletots saceos pretos
de panno a 35, 65, 85 e 105, caigas de casemira
preta a 45. 65 e 85, ditos de casemira de cor a I
45,65 e 85, ditos de meia casemira a 35 e 3500,
ditosde brim e ganga a 25 e 25500, dilos de brim
braneo a 35500 e 45, colleles de todas as qualida-
des, camisas francezas a 25 e 25500, ditas inglezas!
de linho de pregas largas a 35 e 35500, ceroulas
a 15280,1-3600 e 25, palelots de brim de cor a 25 ;
e 35, ditos de alpaca preta a 35 e 35500, dilos de
alpaca branca a 45500, ditos de alpaca de cordao
45, colarinhos de linho a 640, ditos de papel a
640 a duzia : na ra da Imperalriz, loja da Arara
atunero 56. O proprielario da loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas se vende
en perfeito estado, como os compradores poderaoj
examinar; a loja est abena at as 9 horas da'
noite : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56, de
Hondea Guimares.
dissolvida e pincel.
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
N vos lbum.
A agulabranca acaba de receber ontra encom-
menda de bonitos e bem eiicadernadosalbuns de
capas de velludo, niassa, tartaruga e marfim, al-
guns dos quaes com microscopio para augmentar
o tamaito dos retratos,conlinuando a serem veu-
didos pr|precos coramodos: na ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8.
Galanterias para fes tas
l A a_aia branca nao cessa de encommendar do
I que ha de melhor e mai sagrada ve I, e porissoaca-
ua de receber di versas figuras e vasos de pede
peJra>:om fina banha, assim como bonitos frascos
deixcalientes ;xtr_ciose lindascaixinhas de ma-
deira envdroisada com finas perfumaras, tudo
muiproprionara presentesde festas etc., havendo
dinhe roJirija-se > pretendentea ra do Queima-
do a. 8, loja da aguia branca.
\nil fino para engom-
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
j bea ?lobubs de ail fino e frasquiuhos com es-
sencia de dito para engommados.
0 utros enfeites.
pkannaciu de Franca e do paim estrangeiro.
ffir
~- !. P .--... a -1
1! m
S"!i!oot = :''l6
< P3 i =cT2 2.0.
.0 3 ^.g-ai
;_> b

c r" ^
3.P.
a.

ES. i
resma.
\;\ loja do Pavo.
Acha-se este estabelecimenlocomplelamente sor-
tido de fazendas prttas proprias para a qoarcsrca,
a saber :
Grosdenaples pelo largo e muilissimo encorpa-
do, otilros mais estrenos trndo dos precos de
15280, 1J600,15800, 25,' 25400 e 35, superior
uioreautique preto a 35, superior sarja preta he*-
panhola, superior setun preto maco, ricas capas
prelas bordadas, soutemlarques muilo bem eufei-
tadjs, ricas vasquinas e casacos dos mais moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
uhas com manguios proprias para luto e ncof
chales pretos de rede, tudo isto se vende mais ba-
rato do que em ouira qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavw ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavao.
Acha-se nesteesiabelecimenlo um grande sorti-
raento de roupas felas para homem como sejam :
superiores paletots sobrocasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 225, 235 e 305,
ditos trridos de alpaca a 115, 165 c 205, supe-
riores palelots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, dilos de brim de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, setios
etc., sendo todas estas obras corladas por um dos
melhores meslres nacionaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida: na loja do Pavao ra da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitos em cartea cok 10, II e 1-2 covades
Na loja do Pavao vende-se urna grande porcao
0 VIGILTE
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapr um novo sortimento de bonitos e delica- de corte's de chitas' '.oeezas sendo "claras e escu-
dos snieites le mol lesinteiramente novse de um ras todas de crcsC -as com 10 covaJos a 15200
aparadogouo,assim poiscomparegam os preten- coro 11 covados a 35600 e com 12 covado-a 45
S
Carrelis de linha com 130 jardas......
Ditos com 200 jardas de Alexandre de
12 a60.........................
Dito di 10 de 60 a 200..................
Novillos de liuha grandes com 100 jar-
das .................................
Id-m dem brancos e Oe cores de 100
jard s ...............................
Livros para assento de roupa lavada...
Cordao braneo para espartilho (vara)
Varas de franja branca larga
Queijos frescos a 25. farello lino a 45200 o
sacco : no armazem da Estrella largo do Paraizo
D.J14._________________________________
Camas de ferro proprias para
collegio.
Acha-se a venda grande sorlimento destas ca-
mas, assim como de ulras : a ra Nova n. 33.
Potassa da Russia
Acaba de chegar a mais nova e verddeira po-
tassa da Russia, e vende-se a preco cemraedo: no
escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Fi'ho,
largo do Corpo Santo n. 19._________________
FeijSo.
Vende-se urna porcaode feijao mulatinho muito
novo a 15 a cuia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porlo a 320 rs. : na ra Direila n. 8.
barricas com gesso
raaos.
Gesso
nos armazens
de Tasso Ir-
(.imentft romano e de Portlan4
nos armazess de Tasso Irmos.
Farinka de milho.
Vendem-se barricas de farinha de milho ameri-
cana de 6 arrobas : na rna do Rangel n. 3.
MSICAS.
Existe venda no armazem da roa do Vigario
n. 8 um escolhido e mui variado sortimento das
melhores msicas para piano : quem quizer sor-
tir-se das mimosas composices dos mais insignes
maestros, no referido armazem achara o que ha
de preferivel, por precos mui mdicos.
ATTENQiO.
Vende-se orna taberna bem afreguezada para a
trra, sita na travessa do Pocinho n. 37 : a tratar
com Jos Joaquim Alves, na rna Nova n. 69.
Vende-se urna escrava de meia idade e p-
tima quitandeira : na ra de Horias n. 92.
Vende-se um piano de Jacaranda, em muito
\,.m estado, e por preco commodo : na ra do
Alecrim n. .
Chales argentinos de renda.
Chegaram ltimamente para a loja do Pavao os
mais ricos chales de renda com tres ponas, sendo
todos pretos, e tambemeom asientos de cores, sen-
do neste artigo os mais ricos que tem vindo a este
mercto, ricamente bordados e cerculados de um
legante bico preto de mais de palmo de largura;
es moderoissimos chales nao s sao proprios
para passeto por fazerem orna elegante vista sobre
um vestido de qualquer cor, assim como muito
proprios para os actos da quaresma : vendem-se
nicamente na loja de Gama A Silva, ra da Im-
peratriz n. 60, loja do Pavo.
80utambarqu.es de cor na loja
do Pavilo,
601
120
100,
80
30'
100
20
160
120
100
400
200
320
640
600
20
20
500
30
200
300
400
900
240
320
320
800
200
65000
160
40
890
60
20
40
XAROPE
deLABELONYE
denlesuuaidosdeJinheiroe cora'disposico de
gastar: na loja la aguia branca ra do Queima-
do n. S.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A aguia branca na ra do Queimado n. |8, rece-
ceb 1a 110vaxienle esses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tantaestima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellaspessoas que os
haviam encommendado e a quem mais queira
aproveitar a-iccasiio de os comprar continuando
aserem veadidos pelo mesmo preco de 4$ cada
um.
Estando brancos ficam pretos.
"O bora resultado e o rpido effeilo que produz
a tintura de chromacoma, e mesmo o facillimo
modo de apphcartem se tornado rauiconhecido e
apreciada por todos que usamdella e por conse-
guinte ugmeatadoa eilraco.pelo que a aguia
branca mandouvir mais o novo sorlimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromacoma para tingir os cabellos.
Frascos com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos com hydrocallethrichina para limpar ditos
Ditos comirychromantina para limparas unhas
Sabonetesbrancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a.preparacofeita.
Sapatos de marroquim dou-
radopara bailes.
Esses sapatosdo grande tom venda 11-se nica-
mente na ra do Qj Minado loja da aguia braia n
8 a 65 o par.
Meias finas para senhoras
gordas
Vendem-se naruado Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra doQueimado loja da aguia
branca n. 8._______________________
MACHINAS DEPATENT
de trabalhar uio para
deacarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAU
ricamente enleia-
uid dehcdo ine-
com psdrinhos fingiodc bri-
Chegaram pelo ultimo vapor fraocez os mais ri-
cos soutambarques ae cores, sendo os mais bem
eneittdos que tem vindo a eite mercado, com
adornos de velludo, seda e setim, renda, etc.. s
avista do grande sortimento que os freguezes
podem dar o verdadeiro apreco a esta /azenda, e
rende-se por diferentes precos conforme a quali-
dade : na loja do Pavio de Gama o Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Vende-se o caf restaurante do com-
mercio na ra do Trapiche Novo n. t:
quem pr cisar pode dirigr-se a di'a casa
qoe acha con quem tratar.
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e Codas as Molestias
provenientes de.la
2'fi>5_2
todas as molestias da
pe le
ehensipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
nascidas, cnipiuyeiis,
REUMATISMO
SYPHILIS
em todas as suas formas, assim como lodo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
UlceracSo do ligado
e em summa todos os males que tem sua
origem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
REN0VAC0 DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direila ns. 12 e 7 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharnaaela franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
Kmprcctdo com inririitel successo desde 30 annoi
el Medico de todos o pases contra i molestias
rganieu eu nao orgnicas do eorafit, as dirersu hj-
ropisias a mainr parta das molestias do peito e das
kronchios (pneumonas, caturrhos pulmonares, atlhmas.
infamma^ies nervosas doi bronchioi, catarrheiras,etc...)
O XAR6PK de LABELONVE nao st rende seneo sai
KTalas com rotlas de cor e fechadas com ama chapa
ando a firma da inventor.
Baa rARIS, raa Banrban-Vllleneuve, 19.
Deposito >;eral em Pernambuce ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
Precos que admira.
Sapalos de irauca sunoriores pelo barato preco
de l& o par, e duzia 10,5 : no vigilante, ra do
Crespo n. 7. i
Bico adamascado de todas ns larguras, i peca
com 10 varas, cada peca a 400, 180, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Clcheles em cartito de urna e duas carreiras
perfeilas, pelo barato preco de 40 e GO rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 300 rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a I^iOO, 1,5600,
25,35,45 e o*?.
Balaios propriamente para costura e para fruc-
tas.epara menina trazer no braco a 15500,15600, agricultores a virem ver e examina-lo, no arma
15800, 25 e 25300. zem de algodo, no largo da ponte nova d.47.
Perfumara, macaca perola a 25, 25200, 35 e
45 a duzia, oleo de maozioha a 55 e 65 a duzia,
buba a 35, 45 e 35 a duzia. Estes objectos se i
vendem por admiraveis precos em consequencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a boa qua-
Estas maebinai
podem descarocar
(jualquer especie
de algodo sea
estragar o e,
sendo bastante
duas pessoas par
o trabalho pode
descarocar urna
arroba de algo-
do em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algoda
limpo, oor dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina."
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
Sauaders Brothers k G.
\. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
AGENCIA
PUNDICO L0W-M00E.
Rna da Senulla nota n. 42.
Neste estabelecimento contina a bave
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
, e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
lamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas pan
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalia Nova n. 42.
Attenco
Xova lo|a de fazendas e ronpa
felta nacional, ra da Impe-
ratriz, loja de 4 portas n. 19.
Chitas da loja 72.
Vendem-se chitas linas a 240 e 280 o covado,
ditas francezas finas a 320, 360 e 400 rs. o covado,
cassa franceza fina a 320, 360 e 400 rs. o covado,
leja da Alma", S. Miguel e o'Diabo, 160 rs. cada lazinhas para vestidos a 360, 400, 300 e 560 o
ura ; aproveilem em quanto lempo. Igualmente covado, pecas de madapolo fino a 65, 75, 85 e
ha venda cartas de A II C, taboada*, pautas, e 95, pecas de algodo a 5$, 65 e 85 : ra da Im-
eutros objectos proprios para as escolas. peralriz n. 72.
Br>|jSo i Roupa feita nacioaal
Na rna da Madre de Dos d. 9 vende-se feijao, Jeadera-se paletots de panno fino a !45, I65e
mulatinho, dito braneo, e dito preto, mais barato Mitos esos,a 65,85c 105, ditos de casemira
lidade : s no gale vigilante, ra do Grespo n. 7.
PECHINCHA
Clicguem tlopressa porque se acaba.
Borzeguins gaspiados para senhora a 25500.
Ditos dilos para menina a 15500.
Ditos de duraque s para senhora a 15500.
Ditos de dilo para menina a 15-
Caraisas francezas de cores a 15.
Ditas ditas brancas a 15600.
Chapeos de seda muito finos a 65-
Ditos de feltro finos a 25.
Perfeilos e bonitos cortes de casemira a 65-
Pecas de algodozinho a 55-
Ra dos Quarleis, loja de sapatos n. 22.______
TESMEWOS.
Obra absolulameDlc propi-ia para cn-
trelenimeato.
Acham-se venda, na ra do Imperador n. 13,
defron ede S. Francisco, os seguinles testamentos:
da Gallinha, do Gallo, do Cachorro, do Porco, de
Per, da Onca Tigre, do Vigario e do Leo ; a Pe-
Una do Crespo n.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelocctt-
poso Ballisa, na sua arden do da, e pela Biaiita
Aguia, apesar de que, para estet o Galle ct n, teos
agudssesporoesnuncaos olfender, nies osagra-
efari na raesma conformidade, para que o Baliza
possa marchar em frente, c a Branca Aguia possa
levantarseu voo,|levando no bico as paliabas a sea
ninhoje o Gallo Acara em seu espagoso campo
laudo de novo o seu canto anuunciando a scus
bousfregiezes e aorespeitavel publico
0 gratule sorliinenlo deobjeclos denDioaoslo^ie
acaba de receber.
Rica, .'.xiahas com msica
das,iara costara, proprio para
mno.
Ri luissimos cofresinbos com cadeadosdi melai
para guardar joias.
Rica.scaix.ts com estejo, conlendo U-iio* (! per-
(enees para homem.
Iti juissimas voltas llngindo perola.
Ditas com lacinhodc lita.
Ditas Jo lidas edrds e tirela, de toda* s cros-
suras.
Lindos a terecos
Ihantes.
Ricas flvellas para cinto, de todas as cualidades
e bom gesto.
Ricos cintos do ultimo rosto da Par!?.
Grande sorlimento de lindos enfeite.- para ole-
ra,, sendo do ullimo goslo e delodcs os preces
Flores muilo finas para noivas.
Lavas entenadas e meias de seda para Don
Touqumhas sapatinhos c meia; de ith par
baptisado.
Riquissiraas fitas de lodasas qualiac'es iii-
co, ciise cinleiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para crr;n sa la.
Grande sortiraenlode gravatinbastaiiio it se-
nhora como para homem.
Luvasde pelica branca e decres.
Cascarrilhasde bonitascores.
Trantinbas,galao e maravillas para enfeitrs.
Transelins de cabellos e de retroz para re i os
Papel araisadee de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras. menlnts e iier.i-
nas.
Filas de veludo lisas e cem mtame de ledas as
larguras.
Tuesouras e caivetes de todas as qnalidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para orTerecimef.t?.
Caixinhas cora seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verddeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grande, t err
, frascos quadrados egarrafinhas.
Pomadallna de todas as qualidades.
oupenor banha em frascos e coro? de Ifcs c
lamanhos.
Sahoinglez em paos grandes e pequeos.
bscovasdecabo de madreperola, marf-m e oo
osso, para denles.
Pentes para desembarazar, cem fn?c di n -i i
sem elle.
Ditos de tartaruga
pechincba para se apurar dinheiro : na loj.i do
Pavao, de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Ciraude liquida^o.
Ra da Imprat iz n. 00, loga de fazendas
d i Pavao de Gama & Silva.
Acha-se este estaheleciincntocompletam^Dt-; sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais baralo do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porcAo, e de todas as fazendas dao-se amastras,
deixando flear penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
Camisinhas a 1$.
Vendem-se camisinhas com manguitos, sinde
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato preco de dez tostoes cada
urna : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
pe Gama Silva.
- Cortes de cassa a 3.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenlio muito delicados
pelo baratissimo preco de 35(0 o corte : s na
loja do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cambrtias lisas, na laja de Pavo.
Vendem-se pecas de rambraia lisa mui'.o fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo Droco de
45 tendo 8 1|2 varas cada peca, ditas muito 'finas
a 75, 85 e 95 a peca, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 75, 95 e 10, ditas
Garrazes (atetada mu'to encorpada fazenda pro-
pria para forroa 360 rs. a vara ou 25600 a pe-
Sa: isto na loja do Pavao ra da Impojatriz n. 60,
e Gama & Silva.
Os vestidos do Pavao.
Grande pechincha a 35300.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitacao de tarlataua cora muitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo preco ne 35500cadaom,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 75, na loja
do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama &
Silva. |
Vestidos a -JA e a 7->
Na loja do Pavao vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo baralo preco de 45 e 75, sendo fazenda que
val muito mais dinheiro, isto por haver grande
porcao, na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Ricos soutamliarqnes do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato preco de des.
205, 225, 255, 305. Capas e casacos de glace pre-'. Pentes de tartaruna rara enhora
tos que se vendem muito em cenia: na loja do Pa- Ligas de seda e de alVodo assim Uu i o uilo<
vao ra da Imperatriz n. 60, de Gama & S.lva. ; ulrosobjectos de ^^^_#Tr
Os enfeites do Pavao. 'oinar.qne a vista far f,
Vendem-se os maismodernosenfeilesparacabefacue do Crcpo n. 7.
de senhora: na Joja do Pavo, ra da Imperatriz Voluntas.
e de n.uilas entras ( l;.i.-
5 no Gajfo Vifi;ante,
n. 60, de Gama & Silva.
is lazinhas transparentes a -iOo rs.
Lindas voltinbas de parolas falsas eomcrczmiiar
tingindo brilhantes, assim como crozinhas \tm
_.>atoja do ravao vendem-se as mais modernas e voltinhas, pelo barato preco de II e 15200 as
lazinhas transparentes, sendo do listas mindinhas 'cruzes avtils asa 400 r;. =6 no ViKilantf rtia'dc
a imitacao das sedinhas, pelo barato preco de 400 : Crespo n. 7. '
pr
rs. o covado; ditas enfesladas de umi so cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos e rou-
pas de mancas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
As cassas do Pars.
Vendem-se as mbis bonitas cassas francezas, de
padroes mludinhos e raudos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos precos de 300, 320, 360
Leqaes.
Riquissimos loques de madreperola lani para
senhoras como para meninas, pelo barau precj
de 125 e 115; s no Vigilante, roa de Cresje
n. 7.
Filas de li.
Filas de la de todas as qualidades, propria? na-
i >_>** 5_tS,'S!S.,J?,B-*'* ",v'-
do qne em outra qualquer parte, approveitem a
peehincha que a quaresma bate porta.________
Vende-se
machina para descansar algodo, com motores
para animaes : na ra da Senzala Nova n. 42.
decores a 65, 85 105, ditos de brim de cores a
25500,35 e 4?, calcas de casemira preta e de co-
res, colletese calcas de brim de cores a 25000 e
25300: ra da Imperatriz o. 72.
Sontatnbaique a 8<5.
Vende-se soulambarque de laasinba a 75 e 85,
- Vende se a barcaca ParagtHUL de lolacao de ditos de ilpacabranca a 85 e 105, ditos de gros-
20 callas quasi nova, e bem construida : a tratar ____* Pre^ a |* e *jf faPas fiDretas df "*"
na ra d Crespo n. 7 A, cuja barcaca se acha'^"fi6.'1^? l\* S--KJIT.PiT_
tundeada defronte do trapicha do Sr. fachado. ^^^i^A^!^lil^\\i^
----------------------------' e a5, rosdenaple prelopara vestido a 15600, 25 e
Vndese orna malalinha'peca com todas a- 25500 o covado : roa da Imperatriz n. 7.
habilidades na ra da Praia, primeiro andar us Cor(ei) i( ia j Ilra pa a i0(
raero 4_______- i Vendem-se cortes de vestidos i Maria Pa a 105,
145 e 165, cortes de cassa franceza a 35. cortes
de brim para calca a I5G00 e 25, ditos de case-
' mira de cor a 35, ditos de dita prela a 35500, 55,
Veade-se potas sm barris a comraedo prego o, 55 e 65 : rna da Imperatriz n. 72. Este nevo es-
na ra da Cruz 23, primeiro ajdir, eseriptori:, abelecimento vende barato para obler fregaezia :
de Antonio de Almeida Gomes. I na rna da Imperatriz, loja n. 71
P0T4SSA
ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escossezasa 1,600 rs.
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para calcas, colletes, paletots, roupas para
enancas : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil covados de la.
Grande pecJiincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen
tes, sendo com llstras e quadrinhos miudinhos, e
lisas, lendo de todas as cores, assim como pretas
c roxas para lulo, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; dirs transparentes com palminhas
de seda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
algumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado. isto por haver urna grande
porcao : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Maria pa,
Grande pechincha a lO^OOl1 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, ira-
zendo os competentes enfeites para o corpo, i-endo
todos com as cores mais delicadas que tem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo preco de 105 o cor-
le, ditos de precala cora lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada um a 105, ditos de carabrala
com barras bordadas a crox no ullimo gosto, pe-
lo barato preco de 65 : na loja do Pavo, ra da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 3CO rs.
Cbegou esla nova fazenda, sendo cassa de linho
propria para vestidos e roupas para criancas, cora
muito delicadas cores, a moderna, e vende-se pelo
barato preco de 360 rs. o covado : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas.
Vendem se as mais finas lazinhas de urna s
cor, tendo grande sorlimento : na Iqja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ovas do seriad
Vendem-se ovas do serlo moito frescaes, e por
prego commodo : na rna do Queimado n. 14.
A zeite de carrapato
Vende-se por atacado ou a relalho, mais barato
do que veudem os matutos as cargas : na fabri-
ca da travessa do Carioca 11. 2, caes do Ramos.
Gita a 11$500 a lata.
Vende-se gaz liquido denrimeira qualidade, la-
tas de 26 garrafas por 115300, era garrafa a 480:
na ra da Cruz n. 68.
No paleo do Paraizo confronte a igreja do
sobrado n. 29, segundo andar, alngam-se ricos
vestuarios para mascaras, todo novo e de multo
bom gosto, dminos de seda e velludo, o outros
muitos vestuarios para homens e meninos, pelo di-
minuto prego de 5 e 10$.
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos rom moldura denrada*
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim come com
celumnas de diderentes lamanhos a 25, 35,4^. 5
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarres e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendoonielhorgosio qneaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra tc Crespo
n. 7.
Para ios de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para psdearra
pusa de multo gosto a 15500 e 25, assim 1011 o
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um o so
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sorlimento de extractos e banba pono*
das, assim como de lindos copos ou vasos com lis-
tinctivos e offerecimentns as siiWrasinhafcA^ rne-
Ihorcs e mais afamados aiiinrpsiln Pa>a|fe.-.:....
ra, assim como os grandes i'OfcQJI lP''f'
a 25 e a 15, assim romo ootrolfl HgPqtie tac e
possivel por hoje annunciar, e vffflt' dos fregue-
ses se far todo nepocio; na loja do Gallo Vicinte
rna do Crespo n. 7.
Vende-se a casa terrea n. 23 da rna de Ma-
thias Ferreira da cidade de Olinda : quem a pre-
tender dirjase a tratar nesta cidade na ra Au-
gusta n.59.
kllengao.
Lia para bordar
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38
recebeu um grande sortimento de la para bor-
dar das meibores cores que tem ebegado, a qual
se vende barato, tanto em libra como a retara".
Vendem-se excelienles enfeites para os masca-
ras a 15, s as fitas valem 25 on 35, nao se fal-
lando das bellas flores que tem, assim cemo anda
existera algumas gangas amarellas com toquo tk-.
avaria a 240 rs., e brins escaros proprios para 1-
bricas de engenho lambem a 240 o covado : na
ra do Imperador d. 20, loja.
Viiilio do Porte superior
em barris deoitavo e dcimo, vende Antosie Ion
de Oliveira Azevedo di C.: no seu escriptor.o ra
da Cruz d. I.-________
Rua da Senzalia Xova n. 42.
Neste estabelecimento'vendem-setacfif.s de
ferro coado libra a|(10 rs., dem de Lo*
lioor libra ai20rs.
Bixas itamburpe/as.
Vende-se na rua Nova n. 61.
Coke do gaz.
Pltchdogaz.
.1 lcatro do gaz.
Coke, tonelada m.-fiOO.
Pitch, arroba 35000.
AlcatrSo, caada 300.
O cok recoonecidamente o carvo mais'eono-
mico, torna-se por isso recommendvel, bem co-
mo pelo accio que se nota as casinhas sonde* t)
elle asado. Pitch e alcatro, alera s aidlmpape-
poes diversas a que se prestao, como para cata f a
tar embarcacSes, alcatroar madeiras, etc., teee-
estes a propriedade de preservar do rupim, tur-
migas, etc. E entregue na fabrica do gaz, ou man-
dado porem qualquer ponto da cidade, segCLtfc a
vontade do comprador e previo ajuste.
4

i i


L
T,----------------------------jj-
II l-^Ml
/I I


--I
^^^^^^^
Diario ie PeraaBabuco Quinta lelra *3 de Feverelro de i 5
PRODUCIOS ADNIR1VI
DO
ENSIGNE CHIMICO
Zelxl
DO
RIO DE JANEIRO.
Um
Duzia.
2*000
50J)
Chunibador IehI.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicacSo para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chambo nem dor, meio prompto e perfeila-
mente eficaz. 0 chumbador IehI torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
Cimento cbinez
para concertar com a maior perfeicao iouca, porcellana, crystaes,
vidros, marmore e qualquer objecto precioso......
Cimento de guita pereha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia..........., .
Cosmtico indiano epilatorio
i i a destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
le do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac urna guia. .
i:iexir odontalgieo vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservaco dos mesmos, o en-
durecimenlo das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Encrlvore
para tirar a tinta do papel elimpar as pennas de ac. .
Uelsteln
podra austraca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes de rocadui a de coleira, sellim, cangalha e outros arreios
dos burros ecavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Afflanca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada. e que nao
e\ista mais inchaco. Acompanha urna guia.......
Limas cblmlcas
exiracco dos callos e cura garantida sem dor nem perigo. em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourlh.
Acompanha urna guia. 0 par...........
Massa dentarla Samakol
s,i mas a, pouce temp depois de sua introduccao na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao (' atacada por
nenhunia das substancias alimenticias ou dentihxias. Acompa-
naa urna guia............... 3*000
.Wassa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
maces de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, cando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel chelroso
i;fammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensaces agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondesicus .
o na piolhos e lendeas; afiancada sem mercurio.....
pos de prata
.:: pratear instantneamente o cnbre. o latao, o bronze, etc., e
.eparar os objeclos antigos pralealos, como f.iquciios, salvas.
istiiMes, apparelhos do cha e onlros ohjectos seraelliautes, af-
incados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relnjoeiros,
, 'ticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidros de 2 oitavas. .
dem ie una onca. .
POs para limpar a prata laVrada
.liancados infalliveis. Acompanha u;na guia, vidro ....
pos purgativos .
i curar e prevenir as molestias dos raes. Acomp. orna guia:
Carteira. .
dem .
Sabo oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
iecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
uordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia...........
Tinta Azul indelevei para marear a roupa
anul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de una
hora no sol, loinn-si! preta e nunca ma's salie do panno as !a-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Afiianca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tre onca .
dem de urna onca. .
T>nta enea nada indelevei superfina
- marcar a roupa, em vidros de meia onca.......
Ungtieiit Ielil
romedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e anfigprs, ulserosas e saniosas, fstulas, frieiras, hernor-
o'das, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras.
reumatismos, supuracoes putredas, canecas de prego, abeessos
-c-i) das Beatonas, tumores e ulceras em qualquer parte :
Rolos. .
dem. .
LOJA m BALAO
DE
AZEVEDO i FLORES.
Ru da Cadfii da Reeife I. 47, esquina qae Tolla para < Madre de Deas.
Atteii$U>.
m& wmnTA
Pelos segulntoe preros :
NEM CORO AS NEM MITRAS
50000 40,5000
1*500 12*000
2*000
3*000 24*000
jPaleiots de ustao sabr.
'Ditos de casimira (saceos) 12$, 110,
100 e........
Ditos de alpaca -H e......
Ditos de alpaca branca o e .
Ditos de dita branca He. .
Sobrecasacos de panno lino francez
Jaqueloes de brim pardo.....
Calcas de brim pardo 2*500,35, 35500
Ditas de brim branco 45, 45300 e .
I8^UW Ditas de casimira de cor 55, 75, 85 e
Cortes de casimira preta Boa 75 e .
Chapeos liaos altos ........ 70OU
Chapeos de sol de seda 60 e ~. 85000
Ditos defeltro a Garibaldi .... 35000
Seronlas fraocezas fljias..... 10600
18*000
4*000
1*000 )*000
3*000 34*000
35500
85000
45000
45300
45300
215000
f
45OOO
35OOO
IO5OOO
55000
pretos e de cores
melbores
Colletes de casimira
30300, 45
Balites de 20 e 40 arcos dos
que tem vindo n mi-vil
Camisas fraocezas a 25, 25500, 35 e
Midapoloes trncele* (pega) 135, 110,
Chitas para coberta (covado) .
Laas lisas da todas as cores .
Vertidos de la Mara Pia milito fiaos
Lencos brancos muito fiaos (duzia)
Um completo sarlimento de chitas lar-
gas de 300 a ........
Carabraias francezas (covado) .
Cambraias lisas brancas muito finas
.(peca)...........
Um variado e lindo sortiment de cha-
les de marin estampados de 55 a
45500
5
55000
155000
320
5
185000
25800
500
360
55000
85000
GR1IOE ARMiZEilI
RUI DO IMPERADOR "V. 4
Jinto ao sfhrado em tjne mora eSr. Os borne,
Duarte Al melda A C, receberam de sua propria cncoi
o mala lindo e variado sortlnaento de molhados, proprios
da presente estaco.
da
Os donos da loja do BALAO eocarregam-se de mandar fazer qnalqner obra de brim ou casimira
etc., para borneas e aieniaos, alada que a rateada nao saja comprada na lita loja do
------------
'
_ _
i fe
DE
DE
J. VIGNES.
24*000
1*000 9*000
1*C
1*509
4AO0O
7*000
10*000
X. 55.
RA DO IMPERADOR M. 55.
Os aianos desta aotiga fabrica sao aoje assaz coafcecidos para que seja necessario insistir sobre ?
sna snperioridade, vantagens e garantas que offerecen aos compradores, qualidades estas incontesta-
eis que elles tem deflnitivaniente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; odo-
iuindo am teclado e maeftinismo que obedeeem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
ranea fathar, por serem fabricados de proposito, e ter-ss feito ltimamente melhoramentos importaa-
tissimos para o clima deste paiz ; quaato s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eacommesdas, tanto nesta fabriea como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram seaipre premiados em todas as exposieoes.
Na mesmo estabelecimento se aeha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
aelhores autores da Europa, assim como harmonices e pianos harmnicos, sendo tuda vendido por
preces eommodos e moaveis.
2*000 20*000
CONSULTORIO MEIHCO-CIRURGICO
-DO
Manteiga ingleza
da safra nova vinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 800 rs.
Hantelga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
3560 rs.
Amendoas
^afeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro cm 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
1*500
3*0. O
500
500
1*000
12*000
28:>000
4r>000
4*000
"000
500 44000
1*000
500
7*000
4*000
2*000 18*000
4*000
2*000
30*000
17*000
Luco deposito em Pernambuco em grosso e a retalho
EM CASA DE MANGEL & C.
RA DO (ABlfci
CORTE.
DR. PEDRO DE ATTAHYBE LOBO HOSCOSO,
MEDICO, PAIIT1SIRO K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os Tas das 7 s 1
toras da manuaa, e das 6 e meia s 8 Loras da aoite, eicepcao dos das santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio na sempre o mais appropria'lo sortimento de carteras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dyajoamisacoes e pelos preces seeuiates
Carteiras de 42 tubos grandes. 12*000
de 24 tubos grandes. 18*008
\ de 30 tubos grandes. 24*00$
de 48 tubos grandes. 901090
de 60 tubos grandes. 35,1000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e tosa os remed
qae se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca l^'OO.
Sendo para cima de 12, custar5o os precos estabelecdos para as carteiras. ,
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopatbia, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr. Jab, .
ions grandes volumes com diccionario.......'..... 2o5G9(j ^vo, greve, peso e de outras muitas qua-
Medioina domestica do Dr. Hering,........... 10*000' ,hc,ades de 2.2oo, a 4,5oo a resma dome-
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 6*0001 _
Diccionario de termos de medicina ...,...,,.. 3*000 a ape! de botica
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conbecidos e dispensam portan-1 exC8"ente qualidade a 2*200 a resma,
t de serem novamente recommendados as pessoas que qnizerem usar de remedios ver-L i PAPEL
dadeiros,enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver- P_ Para wnbrulbo de 1,4oo a 2,2o
cem bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1*300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1*000 a libra.
Presuntos iaglezes
dos melhoresfabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 590 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2*6oo.
Queijos
cnegades na ultim vapor a 2*600 Gada um.
OHlJo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1*200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n5o pode vender por menos de
3* a 2*600.
Ident perola
especial qualidade a 2*700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que tem vindo ao_nosso
mercado a 2*600.
Massas amarellas
para sopa, macarrSo, talharim e aletria a
480rs. alibra.
(Oft\4(
o muito afamado cognacPal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacSO, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e acenrada preparacao, e portanto a maior ener-
va e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para cscravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
Otratameoto eo melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
ranecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo enneeit se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 2*000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1*500.
As operaces serSo previamente ajustadas, se no se quizerem sujeitar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.

rMm

Pechincha sem igual
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com ij rande variedade de padres
pele baratissimo prego de $ o corte: na loja das
columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
reim de Vasconcellos & C.
wmm^Mmmm k i
Chales de renda preta e bournus deguip pretol
i loja da roa do Crespo u. 17,
DE
JOS OJIES VILLAR
Vende a 155, OJ, 30J, 405, SOfi e 603, capas e casacoes de gros preto?, chapeos
e chapelinas de palhae outras niaitas faiendas proprias para a quaresraa.
Jos Gomes Villar pretenden do ir a Europa traar de sua saude espera que seus
devedores tanto do mato como desta praga saldem seus dbitos quanlo antes.
CIIEG\R\MOSMOI)ER.\OSfill\LESBE
FIL PRETO.
Superiores chales de fil [reto c' egados j.elo nluo vaper franiez, a
loja das columnas ra do Oes; o n. 13, de An'onio Coneia de Vas o: cel-
los & C.
FABRICA DE ClhPOS DE SOL
\. *3 Ra Xova esquina da Camboa do Carino e ra do
Cabng n. 8.
A directora desse estabelecimento o mais importante que existe neste gecero
as provincias do norte do imperio, querendo que o pablico desta provincia goze das
vantagens que proporciona a fabrieacao em grande escala e directa relacao com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender inda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella :
Maeas brancas
para sopa a melhor qae se pode desejar,
macarrSo, talharim e aleiria a 460 rs. a
libra e 4 Vinka
Figueira J A A e outras muitas ars acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de owtras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2#800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos Baelaores fabri-
cantes da cidade do Pwte a 15 e 1#200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas s5o asseguintes: Chamisse dFilho,
F. 4 M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito?.
Latas
com 10 libras de banha a 4)5000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 2*000 e 25400.
Nozes
as mars novas do mercado a 120r* .4 bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesfe de todas as maj
cas de 40500 a 6#i00 a duzia.
C-ARTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 1,0500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.1 serte do Rio de Janeiro a 803f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafoes
com 4 2 garrafas com vinagre a 10OOOt#
o garrafao.
GENEBRA DE LABASJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezonlo de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,00o, a 3,2o rs. a arroba
VELAS
de espermaeete de diversas marcas a 56o rs
a libra e em caixa ter abatimecto
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 *&
a libra.
Passas muito aovas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e *40 rs. o pao
, f ,ntas em ealda
chegadas ull.mamente, pera, pecego, ginja e
outros mnitos a 640 rs. a lata.
, taa *see .a eMe jouba
a 6OOel0ocaix5e.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 &2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. allibra na ra do Ooei-
mauon. 7, ruadolraperadorn. 40 clareo
do Carmo n. %J
BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 10200
3 1313
muito freses "a 8O0~r 2n ?*a Z- 7' rna d* aperador n.
PAPEL
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumu americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
as mais novasd mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o momo.
Alpista e Hinco
TuEP d Trcad0 a l^ rs- a Hbra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muuonovasa 10000 ocento na ruado Qoel-
nado n. 7, ra dolmperador n. 40 elar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
maito novo a 30400a arroba e 140rs. ali-
bra na ra doQueimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9
QCTEIJO SUISSO
Ja 800 r
hr^r"- 7'rua d0 aperador .. 40 e
largo da Carmo n. 9
#^ prufnSI
freguefes e amigos
40 e largo do Carmo n. 9.
aos seus
es-
y
/X> \J-%J /->Jf'\& % %
m
m
PARA 0 CARNAVAL.
Gnu le sortiuito de nanearas re VlluJo, aMfti csra. aratas e papelillo c ex-
catlrrtis bitas de pellica para homsns e.seihjras d) afraila fabricaale Jouvio, vnde-
se e n rrm a aresi maito comaDdo parase fechar coatas: no graade arraazem da
ExposicSs de Londrss roa da Cadeia do Reeife o. 60.
Descont em duzia.
20 %
10 /
%
Chapeos de sol de panno a 20000.......
armacao de baleia a 20500 .
de seda armacSo de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28 60 i; o
Chapeos de sol inglezes a bal5o 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 80, de 26 90. e de 28 100. 15
dem idem a balao de 46 varetas patcnt paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26120, e de 28 130...... 15 o/0
Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos do-brim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios. os qoaes sao lo vantajosos como os annunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilarla fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se ismalmente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os obyectos comprados en menos de urna duzia serlo considerados como
a retalho.
0 Verdadeiro Principal na do Inperador 40
FARELLO DE LISBOA
arca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500:
na rua do Imperador a. 4ft.
NOVIDADES.
. ?JLTS, u Uetlei, iltos das loas mais fresco que se pede dse. 4k
jar a 10itO alibra, e sendo inteiro lera algum abatimento, ricas caixinhas V
redoadas enfeitadas, preprias para mimo dafesta pelo barato proo de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mkao de 8M l#5Co
cada urna. Vende-se nicamente no armaiem Verdadeiro principal, rua do
Imperador 1. 4. F r
GAZ GAZ GAZ
Veade-se faz 4a melhor qualidade a
0 a lata : ias araaaxeas da raads Im-
peradsr b. it emaHf^pifeho lloTon. 9
Vendern-se tralos da Fhhiada virias qoa
lidades: eai easa de Mansar* & C, ra doTra-
airh n. 4S.
Superior cal de Lisboa.
Veode-se soaarwr cal i it*-* a mmuh
fjnp ha ar. siMaa4. lano porcia come a rea- .
Ih, por barata ap>yA-aflkDvnda-sa aos roirpra-
ore aparior qnaliade : a trata* ia* aecSKif a
rsaV : Crespo a. 7, llorador a.tSV Fa. #0 if.
tas.aramen de Sr. AvUla, defroaa o jatrpiefca
> algasia.
-


Bforl* de Peraatabac* QvIaU fotra 4e Fe^trelr* de INI.
1
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Cbefaram os aoierios vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramente nevos
em rosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcelos le C, saccessores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vesliitos de seuhora
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorgurao e de' setim imperial.
Ditesde blond, e de cambria branca bordados.
Ditas de la com barra e grande variedade em cores e padrees.
Ditos de organdys com barra
Liadas sedas de oaadros escossea e miadas.
Superiores lias lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpieos, com Sores e de cuadros.
Liadas pampolinas de qaadros e de flores, fazenda inleiramente nova.
Superiores cassas decores, e lindas cambraias ergandy
Grande variedade de chita de cores, de percalia eonlras muitas fazendas detfa.
Para hombres de seihora
Liadas eapas e bourooux de casemira de cor.
Ditas de laa e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 18$ a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados Anos, de cachimira com listrasde
seda e de fil preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas col-
lunas com ponhos e outros mnitos artigos.
Para cabera de senhora e ieui
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltro enfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los & G.
eaij ite:< AO PUBLICO
em neoor coustraa-
glmeato se estregar o
Importe de genero que
ie agradar.
ATTENQAO
8 preeee da aegalnte
tabella para todos, po-
diendo aslm servir de fea
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
A LEGITIMA
ARMAZEM UNIO M
Rll DA C AKEIA DO RECIPE Me 53.
Grande rednceSo de procos.
(Logo sassande o arce da Conceieie)
equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annttnclante.
PREPARADA BHICAIIENTE POR
AMAN & KEMP,
NOVA YORK.
Composla de substancias, gozando de
'systhema que vim encontrar, de s se vender com un por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reducto de precos, como veris
'pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meubairro,. at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a n5o ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje pore, resentidos da reduccSo a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamaco de precos, e qualidades, vingam-se de om e outro portadores
al informado deste novo estabelecimenlo. para Ibe vender goneros ne proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
to smente obter a concorrencia de seas freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senioras o aceio que presidi*. aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptidSo e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certas de que sem duvida rae darao a proteccao e preferencia na compra
des gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
ser5o tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao v5o em outra parte
rs. e em barricas de 4 dazias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
23Largo do Terco23.
Joaquim Shii dos Santos, dono deste bem sonido armazem de molhados faz sciente erag
reeonainoiidacao aos seus amigos, freguezes e a todos em gerai, que esta resolvi a venderos seus
oen c janeados gneros de priraeira qualidade.por menos de 10 a 20 por cento, menos doque em ou-
ira qualquer parle a dmaetro contado,e todo o comprador que comprar de '0 a 100$ terlo descon-
j de 5 a l por cenlo pelo seu prompto pagamento: e por Isso se faz annuncio de alguna gneros,
para com este melhor se certificaren!. bsbohcio,
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4$400 e 4)200.
Phesphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 2$ a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lo a 2$800 e a caada a 4$300.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs.a
garrafa e a duzia a 5$800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
arroz do Maranhao e Java 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 2$800, 2$e 2$40O.
Assim romo ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mu-
tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al
guem duvidar venha ver.
jia*sas para sopa macarro, talharim e aletria a
iO rs. a libra e em caixa a 5$.
Toicinho de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
a libra e 8$800 a arroba.
'jaf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 85 e
SfMfc
Chonricas as mais novas do mercado a 360 rs. a
libra e em barril a 12$.
,'assas viadas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 8$.
Batatas emgigos de 35 a 40 libras por 2$i00a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cha hysson miudinho supe Mor qualidade a 1$200,
2*000, 2*506 e :(S a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
300, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2$4O0 e 2$70O.
FRANCISCO J. GERMANN
*1 RA MOVA N *1
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de melhc qnalida
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronometros martimos e de algibeira, relogios Ideouro
e prata, douradose foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allemes e americanos,
reguladores de corapeosacao, relogios grandes rom msica e sem ella, dito de sol monlados com pegas
para disparar em cenas horas, despertadores de diversos lamanhos, caixas com msicas, igual sorti-
mento de oculos e lunetas de ouro e prala dourada e tartaruga, bfalo, ac, e varios metaes, ocolos o
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo goslo, ditos proprios para os que soffrem de innammacoes
nos olhos, labricados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pernambuco, os quaes s se vendem por consulta dos mdicos, vldros de cryslal branca e de cores,
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observaces astronmicas, oitantes e sextantes,
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros, cadas de instrumentos mathematicos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro, dou-
rados e fojeidas, tudo dos melhores fabricantes. Eocarrega-se de qualquer concert e encommenda dos
objectoTCmencionados, e responsahilisa-se durante um anno por qualquer relogio vendido ou concert
aeito, em seu estabelecimento; e veade por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
variedade de padres, fazenda que se tera sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baralissimo prego de
300 rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
& Comp.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a i ,000 rs. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com sto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 1!! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo proprie'dades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina ; usada nos principaes hospitae?, ei-
vis. militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; reeditarla pelo*
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanliola
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumaiistno, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, rhagM
antigs, morphea e lodas as molestias 'in-
venientes d'um estado vicioso do sangos.
Emquanto existem varias iniiiages o
falsificacos, preciso a maior cntela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS A BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
vendem-se no Recite em casa de Caors A
Barboza e Joao da C. Bravo A C.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que lem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo-rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,Goe rs.
a libra,
dem per ola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,600 rs.
dem preto homeopatbico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a !ira.
dem hysson, huxim e perola mais propino
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao quese vende emoutra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chourigas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oors. edo vapor
passado a I,600 e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra,
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, & 9,oeo rs. a arroba.
dem do Cear1 de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba;
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,oeo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barrrl muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrSo e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
fe i tas para esse Om.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 4S,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa- Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Prezunto do reino vindos de casa particular, Vinho do Porto das melhores marcas, que
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
ua do Queimado n. 19.
vcinle-.se o seguate:
Lences de panno de linho
pelo baratsimo preco de 25400.
Lenges de bramante de linho
de um s panno a 3o'00.
Coberta de chita da India,
pelo baralissimo prego de 24500.
Lengos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 2,5 a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas
propria para saia,a 45-
Pegas de cambraia de forro, a 2AJ600.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, S e 6 palmos de lar-
gura, por menos prego do que em ouira qualquer
parte.
Toalhas alcochoadas para mos
oi a duzia.
Lazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 000 ris o co-
vado.
Lazinhas de cores finas
do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris o
covado, neste armazem de fazendas se encontrar
um grande sortimento de roopa feitae por median
Bom vinho verde.
Davym <& Cavalcanti recefoeram o bom vinho do
Alto Douro, o qual esto vendendo a 4> a caada,
por garrafa a 560 r.. na ra da Cruz n. 68.
i TINTA PRETA COMMERC1AL.
Vende-se tinta com esta denoromacao prepara-
da por Joao Gancio Gomes da Silva, a ra do Qho-
mado n. 32.
01 ORES
para machinas de algodo.
Acabam de chegar agora novos motores para
um e dous cavallos para mover machinas para
descarocar algodao, cylindros de padaria, e outra?
quaesquer machinas para agricultura, os quaes se
vendem por prego muito em conta. Tambera se
(vende um motor americano para 2 e 4 cavallos pa-
ra o mesmo fim, que trsbalha muito bem; elles
se acham montados para o comprador ver o seu
trabalho : na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.
Farello snperinr de Lisboa a oq o sacco.
Tero para vender A tonie Luiz de Olivei-
ra Azevedo no smi escriptorio ra da Cruz
n.1.
Milho novo em saceos grandes: no -trapiche
do f.nnba, a tratar com Tasso I raos.
Viks da ladeira e do Porto
Vende-9eosnperior vinho da Madelrae do Por-
to, em caixas de urna e duas dnzias : s na loja
do VigUante.ma do Crespo n. 7.________________
DROGARA.
34Ra }lar|a de Rosario34
Dartholomeo Francisca deSouza A C.
Vendem:
Acide actico puro para retratistas.
Esmaltes para oorives. _
Papel para forrar casas.
flarnc8es avelludadas.
Tmta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paos.
Roa da Scnzalla d. 42.
Vende-se, emeasa de S. P. Johnston 4 C,
sellins e silhesmglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos,e relogios de
ouro patente inglez.__________________
BOTICA EDROGAHIA
Bartholomen Francesco de Soaza i C.
34Ra larga do Rosario34
Vendem: #
PilulusHolloway.
Plalas do Dr. Lavilie.
Pilulasdo Dr. Alian.
Plalas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Plalas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho do Salsaparrilha deCh Albert.''
Injecco Feaugas.
Agua dentifica de Desirabode.
Papel ehimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos deBrest.
RobL'Affeciear.
.Tarop do Bosque:
Ungento Holloway.
a 56o rs. a libra, e a Soo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gaaa S.ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermaceti em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe-S,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeanx das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1 .ooo rs. e frasco, e
H.ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes loo
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fettoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinl.as de Nantesem quartos e meiaslatas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bclachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolacliinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamaitos com bonitas estampas na caixa
exterior a 1,2oo, 1,5oo, e 1,8oo rs.
Azeite doce refinado Penanol oa do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5 rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolba do mesmo a Soo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sepa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafa*
grandes a l.ooors. e 11,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e I6ors. o maco-
Sal refinado em frasco de vidre com r olha do
mesmo a ooo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. alibra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos detodos osfabricantes da Babi a e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,ooo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba era latas de 4 li-
bras por 2,ooo; diloem caixoes a 600 rs-
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
I Banha de porco refinada a loo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,000 a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
O
1
Fabrica Concec&o da
Bahia.
Andrade A Reg, recebem constante-
mente e tem venda no sen armazem a.
34 da ruado Imperador,algodo d'aquel-
!a fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavol.
i
Vende se panno fino preto de boa qualidade
pelo diminuto preco de $ o covado : no caes de
32 de Novembro foja n. 7.
iiiMiem de otoHm
85-RIJA DO IMPERADOR 81
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collogio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfac5o de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escomidos;
como sempre caprichouterdas melhores qualidades, e francamente fffiancas pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escropuloso, em summa, n5o illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo qaeiram honrar como seu comilenttlhes
assegura que o producto deseu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
de desta praga, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadoresdespachadoscom presteza, depois de se-
rem fielmente cumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negocianlesque lhe merecam confiaba, fa-
zendoum abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero dopatz, mediante urna mdica commiss5o, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commiss3o.
Dos seus antigos ebenignos freguezes espera o annunciante saa valiosa proteccSo, fre-
quentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhestributa offerece expon-
taneamente seus servicos.
Julga desnecesariopablicar a tabella dos precos de seus gneros: sao seus recursos
garanta suficiente dppoder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
maisapparatososestabelecimentos, tendosomente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Freveii?o necessarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesme ramo de nego-
cio na mesmarua, julga prudente advertir que s afirma ese respansabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
o mam wssmm
Sl-RUA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio
&
o c CA
a. o c: -=; c. se sc> > ft
a cr k ce c a >~-.
5*0.3 g f* 2
7 B a o 2 o*
fe C= T. -i
U C C fit
_ O "> S
P-B = c P
C P n-- W c c*
ai C
rP>g*B o
o
a g
2 3
T3 ftJ
Ib
v c o
o a,
(6 O O
i 2. ~*
" ST o
O ffi M
ge*
ce ce f os
3 = oj
Sol -*
oso* r -
bo s-
I
o.
o- 2. os "'
= S y
.o>
c
a
cT c-
2 c
s
o, 3-
2 S o
& a
-1

HE
o
.
B
in
00 r*u
CB

2
?lis
5Po2
g w os trs o- ;
Wf |apg
a:
c

3
O "O "3 O
OJ OS B 05
03 O
03
"1
1
O
s
II
9
09
I
?
e
e
ft
RIVAL
SEM SEGUNDO
Na ra do Queimado n. 49 e 5a lojas de miude-
zas de Joi- & Azevedo Maia e Silva couNna a
vender tudo por presos mais barato do que em
outra qualquer parte, quem qoirer ver o que I*
bom e barato venha loja do Rival.
Latas com superiores banha........... SCO
Fraseos de vidro com superior basta. 240
Pares de luvas de seda muito finas 320
Enfeites do melhor gosto que tem vindo. 3J500
Garrafas d'agua de Florida, verdadeira. 1;2SQ
Pulceiras do melhor gosto e modernas. SCO
Volta para pescoco do melhor gosto. .. SCO
Baralhos para voltarete, finas a 200 e.. 240
Varas de franja branca de linha que
tem muila serventa................. MO
Duzia de pencas d'aco muito superiores 060
Frascos de oleo Bhoza muito finos..... 2J0
Talheres para n.eninos ajrelhor quali-
dade...............H.......... 9A6
Diversos livrcs, todos religiosos a 100,
800................................. 500
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa.......................... 2,8400
Duzia de rolheres de metal muito finas
para en........................ iSGQ
Grosas de botoes de osso para calca... 200
Grosas de botoes madreperula para ca-
rniza.............................. SCO
Grojas de botoes de looca prateades
muito finos...................... 2C0
Varas de bahado do Porto sortido..... (.Cf)
Duzias de lapes differectes qualidade a
240.............................. (0
Quadernos de papel de peso muito fino. I'9
Resma do mesmo papel............. 2CC0
Duzia de facca e gario muito boas___ .'',00
Sabonete de espuma muito superior... 040
Capachos compridos c redondos muito
bons............................. 5(0
Ditos para sof...................... 2CtO
Pares de saspessorie muito lons e para
acabar........................... [100
E.-sencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................ 500
Creiao para dezenho de ttdss as qua-
lidades........................... 020
Cartas de alfineles francezes muito su-
periores.......................... ICO
Caixas de clcheles francezes a 40 ris
Duzia............................ 3(0
Carreteis de retros com quairo pita vas.. fci.O
Golinlias para senhora a melhor qcali-
dade............ ....... SCO
COMPENDIO DOLOROSO
que contm o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a to-
rca, um setenario e mais outros exeici-
cios de piedade e devofao; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na enreja de N.
S. da Penha do imperial hospkio dos re-
verendos padres missionarios apostolices
capuchinhos italianos de Pernamtuco,
approvado por S. M. I., que Deas guarde;
dado luz por devopSo do muc reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. C e 8
da praca da Independencia.________
Vende-se calcado francez da barra franceza
S. Joao da Luz, na ra do Livramenlo d. 21.
Rorzoguins de lustre (Nantes) 65000.
Ditos de hezerro de tres solas (Nantes) 6^000.
Ditos de bezerro de duas solas 6^000.
Sapalos de tapete 640 rs.
RAPE7
Duarle, Pereira & C. continan) a vender o afa-
mado e fresco rap Princeza de Petropoles em sea
grande armazem de Iones e vidros : ra o
Crespo n. 16.
Vgnde-se um escravo criaulo de 30 annos do
idade, robusto, sadio e sem vicio, sabe destilar
agurdente e ferreiro: a fallar no escriptorio
do agente Oliveira, ra da Cadeia do Reeife> Ha-
rnero 62.
Vende-se um relogio de ouro patente so isso
novo e bom regulador : na rna da Imperatriz n-
38, loja.de calcado.
ESCRITOS FGIDOS.
Aviso
aos capites de campo e a polica.
Desappareceu em principio do nrez de outehro
do anne lassade, de bordo do paihabote r.ationat
Armjo Malo, dous escravos de nemes Rilirlo
(por apellido Macei), e Miguel ; o 1 de idade 4S
annos, pouco mais oa mecos, criaulo. ror fula,
estatura baixa, barba serrada, om peuco torio das
Affllft, JulOrifla. pernas, e com alg_uns cabellos blancos, lanto na
l i barba como na cabeca ; o 2o alio, ebeio do cerno.
Para resUbelecer e conservar acdr natural sem barba e falla grossa, representa ter de 25
d8 cabelwS. 30 annos, cojos escravos defconfta-se andrem pe-
A agua florida sao ana tintura, factoessen- los arratialdes desta cldade : qoem os appr.ehea-
cial acontestar, a mesma agua dando a cor primi- \ der queiram levar a roa do Trapiche n. quo
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e ser generosamente gratificado. _________
desubstancias inorTensivas, ella tem a propriedade
derestituir aos cabellos o principio coraste que el-
les ten perdido. D'umasalubridade ineontesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de casir
Oleo de Florida.
ATTENCAO.
No dia 24 de dezembro prximo passado fugio
o preto Braz com os signaos seonintes : baixo, re-
gular do corpo, sem barca, cara larga, cero mol-
las verrugas pm cima do olho drrefto, leven ca-
Composto de substancias vegetaes exticas, elle! misa de algodozinho e calca de artilo c ocira de
constile poderosamerf cena a Agna Florida, a baeta verde, chapeo de palha, o qnal tr.lvez j ie-
forca.a belleza o a conservcao doscab;:s. nha mudado, costuma andar muito de vagar o
Em Pars, casa de finislaur n. 12, rna de Riche-: poxa pela perna esq-jerda por causa de srTrer
lien, e 21, bonlevard MoBtBiar're, de dores rheumaticas, rol escravo flo Dr. Olinda
Todos os frascos, nao lendo intacto e claro, t ,Campello : quera o pegar sirva se leva-lo 4 rna
timbre prateado da ca, sao reputados fttsos. das Crazes n. 32, padaria, que sera wth rcem-
Deposito, roa do Imperador, pharmacia a. 38. pensado.


-?






Marte de rernamfenco Quinta letra f S de Feverclio de iftS5
LITTER ATURA.
UM POUCO DE TUPO.
-No Jornal de Usboa l-se o seguinte sob o Ululo repoasa dos trabalhos polticos e administrativos
no colla de urna Eva britannica.
Miss Lpez bonita, dizem dos ; feia, ducm
ootros.
Eu acho que ella inglezaest dito tudo.
Aqnelie rei, que rene o estado era si, nao podia
caracteres sionicos ou chinezes.
Pelos annos 270 a 220 antes da era christaa,
ainda nao havia na China tinta, pincel e papel. Pe-
queas laminas de bamb' laes como usara Siang-
OShd de 14 de Janeiro daos segn.ntes porme- kie quando fez os primeiros caracteres, faziam o
ores da destruido completa do theatro real de Offlciode papel, e um ponteiro ponte agudo e um deixar ditar a sua Maiotenon.
Edimburgo (capital da Escossia :) p^o de verniz serviam de pincel e tinta. Quando | E' nreciso mitar os K^ndes homens,
t Edimburgo 13, as li horas da nule.As um assumpto occupava muitas laminas de bamb',
ijuatro horas da larde appareceu fogo no thea- enflavam-nas por ama corda, e ellas, assim juntas,
tro real, e duas horas depois estava tudo destruido, formavam um volume ou um livro.
Parece que o gaz pegou fogo ao proscenio, e co. Mong lien grande general de Chi Zoangtl, ho-
mo eram materias rauilo Iflammaves, as charamas mem o mais valorse como tambera o mais esda-
galgaram logo a toda a parto superior do theatro, recido do seu lempo, buscava, havia muio tcmpo,
lavrando-com urna rapidez espantosa. As bombas desembaracar-sedas voluraosas laminas de bamb',
acudiram e irabalharam, mas sem resultado. adoptando algura outro modo do escrever; as con-
Algans minutos depois do comeco do incendio, tinuas guerras Ihe tinham distrahido a attencao,
o texto abrasado desabou. As chammas- subiram porm sobrevivendo a paz, e sendo mandado a
eolao a urna altura prodigiosa. commandar as torcas, que defendiam as fronteiras
A parte da cidade viziBha do theatro estava cons-, do imperio contra a invaso dos trtaros, aprovei-
teruada. A multido era immensa as immedia-' tou-se deste ensejo, que Ihe dava momentos de
coes do lugar do sinislro, e apezar dos multiplica- descaogo, e applicouse a buscar algum raeio mais
dos esforcos da polica, nao foi possivel preveniros commodo do que as laminas de bamb' : conse-
Tolosa de 23 annos, casada, que se suspeia fura a
que assassinou a joven Rivera.
Seria o mor;ifero alfloele, guiado pela terrivel
paixo, que levou contra o pelto da infeliz Desde-
mona o punhal de Otbelo ?
K=*-<^*-
desastres.
Os bombeiros consegalram salvar as casas vizi-
nbas.
As cinco boras foram derribados dous hemeus
pela queda de urna chamin. Um delles morreu
logo, e oulro s Ihe sobreviveu alguns momentos-
limquanto que numerosas pessoas procuravam soc-
correr o ferido, urna grande parte da parede do
theatro, do lado do norte, e sete ou oitopessoas, in-
durado o decano da corporaco municipal, Mr
Georges Lorimer, ficaram sepultados debaixo das
rumas.
Traoscrevemos do Troido o seguinte :
VEM O DIABO E CARREGA.
Aquelle tolo que mostra
Pela amanle paixo cga
Pode contar que esse amor
Vem o diabo e carrega.
O que recebe quantias
Cujo embolgo depois nega,
Pode contar que seu lucro
Vem o dlabo e carrega.
O que compra, bem servido
Ao credor calote prega
entro em breve somraa e juros
Vem o diabo e carrega.
Aqnelie que diznao bebo,
Mas vae oreulto na adega,
Mentira tito sem vergonha
Vem o diabo e carrega..
u que bom e bem pratica
Mas tem um mu por collega,
Toda a virtude do bom
Vera o diabo e carrega.
Demandista sem justiga
Que as inaos do juiz esfrega
Demanda, juiz e cliente
Vem o diabo e carrega.
Oque terijmulhermoga
Com velha feia se emprega,
Seu gesto quasi sem gosto
Vem o diabo e carrega.

O casal qne se quer bem,
Mas que as vezes se. arrenega
Pode contar que esse arrufo
Vem o diabo e carrega.
Que quer os ares que voam
E a que tem cerlo nao pega,
Seos desejos, esperanzas
Vem o diabo e carrega.
Taverneiro que namora
Sem se importar da bodega
Namoro, venda e juizo
Vem o diabo e carrega.
OfBcial que prometi
A obra que nunca chega,
Toda sua freguezia
Vem o diabo e carrega.
Menina que as escondidas
Carlinhas ou bilhete entrega,
Cuidado I porque a virtude
Vem o diabo e carrega.
Sujeito que juBto s damas
Os olhos nunca desprega,
melro, sua innocencia
Vem o diabo e carrega.
Moribundo que roubou
Aeslranhos o bem que
A alma e cavalherismo
Vem o dlabo e carrega.
eg,
guia o seu intento muito mais do que esperava ;
fez urna especie de papel, grosseiro na verdade,
mais flexivel e maneavel, que era o que buscava.
Tendo alcanzado o papel, quiz experimentar se
podia escrever cora o antigo pincel e tinta ; mas o! presidencial amanle.
pinsel rasga va o papel, e a tinta estendia-se rauilo;'
os grandes homens, at nos
seus caprichos mais insignificantes.
Miss Lpez aceitn o lugar da viuva Scawon.
Dizem qne miss Lpez entretem sua araiodada
correspondencia com lord Palmerston, o que nao *
deve ser gradavel ao dictador; pois que lord Pal-
merston, o lord Cupido de oulros tempos, um dos
mais amantes do sexo que tem vindo a este
mundo.
Nao ha muilo tempo, apesar dos seus 80 annos,
introduzio elle a desordem n'um casal.
Mas Lpez fara nesse caso vista grossa, e certo
de que a tantas leguas de distancia s pode haver
urna uniao mystica, nao dara cavaco com a cor-
respondencia.
Tudo isto supposicao que veio ao correr da
fama.
Sabe-se que miss Lpez e lord Palmerston nao
se fallara se nao de poltica; isto ainda urna pro-
va de amor que a interessante ingleza d ao seu
Sujeito que coma historias,
Anda, vira e nao socega,
Seu abono em probidade
Vem o diabo e carrega.
Finalmente o triste enfermo
Qne o leito da marte rega,
Doutor escusa, que breve
Vem o diabo e carrega.
Todo aquelle mal casado
Que logro na mulher prega,
Sem remisso do peccado
Vem o diabo e carrega.
D'um jornal o assignanle
Que o coco nao escorrega
Sem appello nem aggravo
Vera o diabo e carrega. ()
E' do Sr. J. J. F. A. esta poesa :
VM SONHO.
Sonhei:que as tuas lindas raaos pousavas
Na trmula ramagem.
Ouvindo : o murmurio das aguas ;
Na mansido d'aragem.
Que a la a sua luz espargindo
Com dogurae bella :
Esmallava as loaras madeixas toas,
Bem como a estrella 1
Lepois, teus olhos p'ra o cu ergnias
Como que suspirando :
Qual anjo divino ante o seu Deus ;
A crenga implorando...
Foi assim qu'en te vi l'nda, formosa,
Da la no esplendor.
Tendo sollos os cabellos sobre o eolio.
De nouie era seu frescor.
Na crenga a minh'almaentao viva
Em um sonho de amor...
E lu qne de risos minha vida enches,
Colhest-me urna flor.
Como respondes : este sonho qu'escutas
Ao verle, oh I donzella?
Dirs :amor qne com ardor eu sinto,
E que raeu peito gella I...
Mas de repente fugiu este encanto,
Qu'embalava a vida :
Na illuso a minh'alma acordou :
No real desmentida I
Acordel I E quando o sol ja sargia
B as aves trinaran :
Eu foi recordar mil cantos de amor,
Qoa leus mimos lembrarara.
(*) Se assim fosse qaanlos assigoantes teriarr..,-
l no inferno I
foi-lhe, pois, necessano bu:car um oulro pincel e
tinta; para esta diluiu urna pouca de fuligem em
agua, e para piucel arraojou alguns cabellos, quasi
do mesrao modo corad sao huje os pinceis : esta in-
vencao, era si boa, nao teve o xito que queria,
porque os tragos do pincel eram mu grossos, e a
tinta estendia-se demasiadamente pelo papel; mas
usando depois da agua gotnmada. e servindo-se de
pincel mais delgado, conseguiu o firaque tinba em
vista.
Esta maneira de escrever era muito mais fcil
do que a antiga, e por isso teve voga logo, princi-
palmente nos tribuoaes, mas nao dispensava anda
de todo as laminas de bamb', porque nellas esta-
vam estavam escripias muitas cousas, que seria
um immenso trabalho transcrever no novo papel,
pois os caracteres SiSo-tcbueneram, era si mesmos,
mu difflceis para escrever.
Foi ento que Tching-nual, um dos que La-sse
(ministro de Chi-hoang-l') erapregra no trabalho
dos caracteres Sie-tchaen, se olTereceu a formar
outros caracteres, mais facis, e que nao differi-
riara dos Sio-tcbuen quauto ao numero e combi-
nacao dos traeos, mas que esses em lugar de cur-
vas e tortuosos, seriatu rectos e sem curvatura.
Elle trabalhou e formou os caracteres, que boje se
charaam l.i-chau, e que actualmente se usam s
nos prefacios dos livros, e as inscnpgoes e ou-
tros monumentos.
Estes novos caracteres foram ganhando terreno;
e os empregados dos iribunaes, para raaior faclli-
dade, (otroduziram algumas alterares, e os carac-
teres assim alterados foram chamados Kie-chu, e |
sao estes os que hoje sao usados ordinariamente em
todo o imperio.
Como ludo ento j demonstrava que os caracte-
res Slao-tchuen iam desapparecendo da face do
mundo, da mesma maneira como os seus predeces
D'aqui vm que attribue a lord Cupido sua
parte na declaracao de guerra ao Brasil.
A Inglaterra nao esquece as injurias; a victoria
moral alcanzada pelo Brasil foi nma injuria infligi-
da ao orguiho inglez.
E' preciso lirar desforra.
Qual ser a desforra? disse comsigo o ministro
br tannico. Urna lula com o Paraguay; posso au-
xilia-lo s occultas, e vingo-me dos outros. Mui-
to bem I Depressa urna caria a Miss Lpez.
Eis ah como a nova Helena acende a guerra
entre os estados.
Em que mos esto os destinos dos imperios I
DO*-
EPIGRAMHAS.
J ga-se agora no Prata
Um jogo dos menos mos:
O Lpez o rei de copas,
O Aguirre o dous de paos.
O ministro Las Carreras
No nome a sina ter;
Quando Ihe entrarmos por casi,
Que carreira elle dar I .
PHTSICAJIENTE IMPOSSIVEL.
Baro, como pode ler clumes.e acreditar que
naja no corago de urna moca lugar para mais
alguem, quando j est preenchido por Vossa ro-
tunda Excellencla 1
Urna caria da India dirigida ao Tunes, em data
de 7 de dezembro, conta o seguinte facto :
M. Gilbert, joven oficial de guarnido em Se-
sores Ta-chuen, ura zeloso partidista daquelles ca-! cunderabad, sahiu um d'estes das pela manhaa
ractere&iomou a sua defeza mas as suas queixas' a dar ura passeio a cavallo as cercanas da c-
e lamentos foram baldados, e tendo elle a inutili. dade.
dade de seus esforcos para fazer revi ver os Siao-! O lempo estava bom, e o mancebo, atravessan-
tebuen poz-se a comporo diccionario Choueven, no do os campos, levou a sua excnrso mais longe
qual reuma todos os caracteres de Siao-tchuen em ao que costumava.
numero de 9:333. Chegando ao p de urna collina deliciosamente
O espirito do hornera se conlenta difflcilmento assombrada, M. Gilbert deseen do cavallo e sen*
cora o que possue. Os caracleres Li-chu e Kic-chu tou-se ao p de urna arvore.
erara bellos e facis, mas pelos annos 80 da era J Mal liaba tomado esta posico, ouvia alraz de
christaa, sob a grande dynastia Han, 3 doutores si um terrivel rugido.
desse tempo lembrram-se de fazer outros novos, Era um ligre de grande especie conhecida pelo
aos quaes chamarara Teo-chu. Nao conseguiram nome genrico de tigre real
faze-los receber pelo publico entao, porm na dy-1 De um salto o tigre cahfu sobre o joven offl-
nastia subsequente, estes caracteres novos flzerara cial.
fortuna, e oblveram voga entre os litteratos, que j Este, sem perder a sua presenca de espirito, in.
se esforcavam por faze-los adoptar : isto durou at' troduzu o rewolver na guela da fera e desfechou
o comeco da actual dynastia Ta-ching, quando prin-1 0s oito liros.
cipiaram a cahir em decadencia, e hojo s se usam n
no commerclo, e mui raras vezes entre os littera-1 ,,gre rolou peI chao> 80l,*ndo um ru8ido 'ro-
tos. | mendo; porm, excitado pela dor, levanton-se,
Temos assim n'um relance de vista, atravessan-! aarrando o joven offlcial pelo meio do corpo, dis.
do todo este longo espago de tempo, pelo qual pas-
saram os caracteres snicos, e coniemplamos o seu
comeco, progresso e suas mudaocas, ludo fondado
em documentos os mais respeitaveis na China, se-
gurado principalmente o diccionario Choue-ven,
que e primeiro diccionario, que se publicou, e
que de urna autoridade iuconlestavel neste ge-
nero.
O numero destes caracteres nao conhecido ao
certo quanio seja do que cima se disse, parece
que estes caracleres nao excedem o numero de no-
ve mil trezentos e cincoedta e tres, ou quando mui-
tn dez mil e tantos; outros elevara o numero a
muta e quarenla mil, e alguns julgam qne devem
ser 80 mil
punha-se a leva-lo, e perdido estava o mancebo
se mullos trabajadores indios, que andavam nos
campos, nao acudissem a soccorre-lo no combate
desigual que elle sustentava contra o seu temivel
' ni migo.
O tigre, vendo se perseguido, abandonou a pre-
za e entranhou-se na floresta.
M. Gilberl foi transportado ao hospital militar
de Secunderabad, porem as suas feridas sao gra-
ves e fazem receiar pela sua vida.
M- Este alraanach para 1863 appareceu era Boma-
As sedes de dioceses oceupadas sao em numero
neste prodigioso numera e claro que de m e ha (|g mas im)
entrara os caracteres ant.quados e obsoletos, im- As sdes s m JeTo
mensas alveviacoes, contraccoes e pequeas alte ,~
racoes das mesmas letras, e por isso que tanto
avulta o catalogo. Porm, o que certo e admitli.
do per todos, que os mais habis litteratos chinas
nao conbecem, geralmente, mais do oito a dez mi]
caracleres, que sao mais que sufflcientes, para to-
dos os fins, e para o uso ordinario, basta s saber
4 a 5 mil letras asmis usuae.v
Os vicariatos, delegares e perfeituras apostli-
cas sao em numero de 127, inclulndo 13 vagas.
Do Jornal de Lisboa extrahiraos o seguinte :
O padre Ctharsis, de Zengy, na Hungra, termi-
nou um espcimen de arte e paciencia.
Urna carta de Varsovia annuncia a morte de M-
Lasorki, sobrinho do conde Walewski, antigo mi-
nistro de estado. M. Lasorki, rico proprietario
era horaem em extremo moderado e adversario del
clarado da insurreicao. Todava, no eorrer do
'nverno passado, como nao poupasse occasio de
mostrar que. no seu entender, a pelicia abusa va do
direito de fazer Iluminar as casas em cada anni.
Gravou em um caroco de cereja, e no termo de, versario ou festa russa, e recusando-se um da a
nove dias, as trezentas e noventa e tres palavras de Iluminar a sua, porque Ihe repugnava associar-se
que constam o Padre Nosso, a Ave Maria e o Cre- [ a semelhantes manifeslagoes, quando tantas fami-
do, com letras imperceptiveis simples vista, po- lias polacas estavam de luto, oi immediatamente
i se observarem com micros- chamado presenga do intendente geral da polica,
! e por este facto condemnado a desterro para os
{ conflns da Russia, assignando-se-lhe para residen-
cia urna pequea aldeia do governo de Peoza-
Ha tempos, M. Lasorki escreveu a sua me fa.
zendo-lhe um tal quadro do que estava soffrendo
no seu duro exilio, que a pobre e idosa senhora
desmaiou com a leitura da carta, e todos os soccor
ros que se Ihe prestaran), no intuito de chama-la
foram baldados. Seu filho, M. Lasock
E' do Sr. A. F. Duarle esta poesia :
AO NOSSO KEITO D'ARMAS DE rAYSANDt.
Somos todos irmSos? Todos nascemos
Da mesma trra de fulgor de luz I
Somos todos irmos I A' guerra, guerra 11
Bravos ilhos, hroes de Santa Cruz.
Lvese a nodoa, q'ennegrecc a historia,
A nossa historia, que mil fejtos tem I!
Embora o sangue d'entre nos goteje,
A morte gloria se com honra vem.
Nao fiquem nossos brios aviltados,
Santos brios dos filhos do Brasil II
Quando a patria reclama nossas vidas,
Quem surdo se mostrar, torpe, vil I!
Porm nao; q'um grito ingente
De victoria, j se ouviu,
Essa horda de sicarios
O castigo j sentiu I
O eolio vil altaneiro
De Leandroaveniuroiro
Ao nosso canho certeiro,
Por trra morto cahiu !!
Inda temos, patria, patria,
- Mil laureis conquistar; /
Em nossos peitos ha sanane.
Muito sangue a derramar!!
Que Gque na patria historia
De nossos feitos, a gloria;
Esses hymnos de victoria,
Que o porvir ha de entoar I
Quem como leao combate.
Nao pode a morte temer !
O sangue das nossas veias
E' de bravos, a ferver I!
Nosso peilo urna muralha,
O pendao urna raortalha.
Que crivado de melralha,
Mtsrao assim ha de vencer II
Avante povo gigante,
Eia, avante a guerra a guerra !!
Que o sangue desses bandidos,
llumedeca a propria trra '
Que o Brasil cheio de louros,
Legue a historia, aos seus vindouros,
De Irophos esses ihesouros,
Essa bravura, que aterra I!
copio.
Na ceuversaco bebdomaria do Morning Star, o
Flancur annuncia que a rainba Victoria (endona
dar o Ululo de barao a M. Tennyson.
Se esta noticia se confirma, a litteralura moder-
na ingleza ser representada na aristocracia nobi"
liara por duas illustracoes populares, o poeta Ten-
nyson, e o llluslre romancista poltico Sir Eduardo vida,
Bulwer Lytlon, que durante alguns roezes foi secie- acaba de sneenrobir egualmente era consequencia
laiio de estado das colonias, no gabinete de lord, das privacoes e agonas que araarguravarn o sea
Derby, em 1838-1859. viver de exilado.
Alfredo Tennyson, independente pela fortuna,
vive longe do mundo, em urna casa de campo nos
arrebaldes de Londres, ou na liba de Wight.
Tem 35 annos.
E' anlor da Ode sobre os funeraes de Wellington,
No dia 1 do corrente as 6 horas da noute foi as-
sassinada em Valhadolid urna joven hespanhola
do poema de Maud c de alguns volumes de poesas cemada -**Pha Rero.
lyricas e elogias.
O carcter moral e religioso das seas poesas
tem contribuid) muito para a sua popular dado.
raBScrevemos da Sfntotio alustrada o que
>n:
MISS LPEZ. "
Ninguem ignora qae o dictador do Paraguay
O seu cadver nSo offerecia nenhum signal de
feriJa, a nao ser urna gota de sangue que Ihe sa-
bia do seio direito.
Ura medico declarou que o assassinatofdra com-
metlido por mcio de ura dos alinetes compridos,
que as hespanbeias azam para prender os vus na
eabeca.
Ignora-se qual foi o roo ve I do cria*
Foi preventivamente presa orna visloM, Ramona
L-se na Semana Ilustrada o seguinte:
NOVIDADES DA SEMANA.
Paraguayos 1 Paraguayos!
Nao ha na carta ootra cousa. Uos querem Para-
guayos fritos, outros, ensopados, outros, assados.
Mas todos s querem Paraguayos. A gana
grande.
E buf que as cousas vo endiretando.
No Estado Oriental ja' as armas brasileiras se
exallaram cora um triurapho.
Paysanau, a soberba, a praca forte dos blancos,
o Malakoff do Leandro Gmez, Lucas Pires e mais
uns quantos assassinos acocorados nesse antro,
cabio finalmente ante o arrojo dos nossos bra-
vos soldados, ficando morios entre as suas ruinas
todos os caudilhos Ilustres do lluslrissimo Sr.
Aguirre.
Resta Montevideo, que a esta hora deve estar
tambem oceupado pelo nosso exercilo.
Ora ainda bem que o Brasil se vae acreditando
no Rio da Prata.
Depois de tantos annos de humilhacoes c insul-
tos, chegeu Analmente a nossa mar de carvoeiro.
Falta-nos Humaita'. La' chegareraos.
No meio de tudo isto engracadssiraa a missae
especial de que partirn) incumbidos os Srs. Jua-
nics, viajantes muilo Ilustres que nao se digna-
ro dar-nos ura ar da sua graga, saltando em
trra. Os diplmalas orienlaes, no seu odio pro-
fundo ao Brasil nem quizerara pisar ierra brasilei-
ra e de um paquete passaram uo outro, sera nos
dizerera adeus.
Boa vagem. O Diario do Rio e o Jornal do Com-
nwiioja' os recommendaram para a Europa e
provavel qae SS. Exc. obtenham os obsequios que
vo pedir ao imperador dos francezes.
Ectretanlo vae o enthusiasmo nacional em ad-
miravel crescendo. De todos os, pontos do imperio
chegam manifestages patriticas que fazem honra
a? espirito dos brasileiros.
Os alistamentos de voluntarios vo-se fazendo
com rapidez; toda a guarda nacional se offerece
para marchar; donativos patriticos sao diariamen-
te levados ao coohecimento do governo; e os ci-
dados de todas as classes exforgam-se por cercar
o governo de lodos os auxilios necessarios para
levar a guerra a bom termo.
Ora, sim senhor, gosto disto. Guerreiro por n-
dole o Dr. Semana applande todo esse movimento
edeseja que elle nao tenha remisso.
Nada de esfriar a siena. Avante e a victoria.
A tomada de Paysand foi dignamente celebra-
da ntsta corte e na provincia. IlluminagSes, pas-
seios patriticos, bandas de msica, vivas e regosi-
jo publico, tal foi o espectculo presenciado.
Como era do dever, flzeram-se tambem e ainda
se vo fazer varios offlcios fnebres sufragando a
alma dos bravos, que honrada e heroicamente pe-
recern? nessajornada.
As reunioes vo llcando em Moda. No theatro
lyrico celebraram-so duas muito concorridas. A
convite do Sr. Dr. Dias da Molla varios cidados
ahi se juntaran) e electrisdos pela palavra elo-
quente do Ilustre advogado, sahiram de la' dispos-
tos a derramar o seu sangue em defeza da patria.
Como bello o espectculo de um povo que se
levanta unido e forte para repeliir urna atiranta
feita aos seus brios e dignidade I
Como bello ver urna nago assim uniformisada
n'um s sentmento erguendo-se altiva para sus-
tentar o symbolo da sua soberana e magestade I
Nao ha que recuar era transigir I Avante I
Brasileiros I
E' preciso que o Brasil se faga respetar se quer
manter os seus foros de paz livre e independente.
Avante I e nao termine a lucia antes qne arra-
zada a fortaleza de Humaita' possamos franquear
a nossa propria bandeira o curso livro do Para-
guay.
Avante at que possamos revelar ao mundo a
nossa unidade e a nossa forga.
Avante at que o Paraguay libertado e o Estado
Oriental desaffrootado dos seus tyrannos possam
ser para nos visinhos amigos.
aes sao pelo menos os votos e os desejos.
pode estar ao alcance de todas as fortunas, por se
tirar os mesmos lucros propordonaes com os pe-
queos e grandes. Por consecuencia ser fcil
adptalo mesmo as mais pequeas fazendasou
meias-cnftaMiTJa, ou sete hectares de terreno. Fi-
nalmente que a d'recgao desses apparelhos ser
extremamente simples, pois nao exigem machinis-
tas especiaes ; sendo a economa do combustivel
a famosa praca de guerra du tyrannisada repbli-
ca oriental do Uruguay.
Baluarte inexpugnavel, na qpinlo dos ferozes
triunviros Aguirre, Carrera o Barra, cahiu diante
do herosmo de algumas centenas de bravos brasi-
leiros e de valentes colorados, como cania Jerich
ao som da trombeta do anjo do exterminio.
Nem Ihe valeram a gabada pericia de Lucas Pi-
res e a tenacidade de Leandro Gmez, proclamado incalculavel, o "que "producir a vanlagem de ler
Bayard pela imprensa blanca. sempre em todas as occasies urna grande quanl-
Aubos esto dando conlas a Deus das malfeilo- dade de bagaco dispomvel como estrume, e mais
ras, das atrocidades de sua vida de ambiciosa cau- consideraval do que a aueiraada.
Anda assim, paz eterna para elles, que se te- l,ecUr te,,) so braas P<* lado pouco mais
riam ennobreeido se a coragem de seus ltimos ou ,nenos"
dias podesse honrar a causa da selvageria, que de- Roynoso termina o artigo declarando a sua
fenderam. descoberta destinada a fazer urna revolago na in-
Consumatum est por esse lado da campanha dustria assucarelra : e a resolver alguns dos pro-
oriental. bleraas sociaes, que sem ella teriara de esperar aln-
Honra e galardao aos que vencern) e deram da por muito tempo solugao.
inequvocas pravas de denodo, assotoerbando o Concebe-so fcilmente que o interesse, a cu-
cruzar das balas, a saraiva de melralha, o iroar j "osidade publica foram excitadas em mximo grao
dos canhoes, as nuvens de fumaca, tudo de envolta Pr es,e annunclo de um sabio estimado; e as pro.
com os arrancos dos moribundos ea mulilago dos
mortos. Gloria immarcescivel a esses
Homens numens do trov5o senhores.
Nenias do profundo condoiraento, thronos de
saudades aos heroicos pelejadores pelo desultraje
do paiz, que morreram matando, que expiraran)
coroados de louros, ouvindo os cnticos da victoria
entre as bengos da patria agradecida.
Gloria I gloria I e sempre gloria ao exercito e
armada nacionaes, em cuja historia de brilhantcs
feitos vae luzir com fulgor indelevel a anniqulla-
go da arrogante Paysand.
As^indgnidades, os insultos, a nsoloncia, os
desprezos langados contra o Brasil pela horda dos
estranguladores orienlaes, j esto em parte vin-
gadas.
A queda de Montevideo, refugio dos principaes
degoladores, ser o complemento da reparago in-
dispensavel, vilmente negada, mas nobremenie
pleiteada no campo da balalha.
Quem sabe se a esta hora a Troya dos degene-
rados filhos do Cid el campeador, nao tem baquea-
do ante a bravura dos guerreiros que a ciogem de
ferro e fogo ? Quem sabe ?
O Dr. Semana, c com elle milhares de almas ge-
nerosas e de corag5es ardenles de patriotismo, an-
ceam este desenlace e formam constantes votos
para que nao se demore, visto como ainda ha
muito trabalho a emprehender e muila gloria a
conquistar.
Anniquillados na jaula os tigres, que ensanguen-
tam e amedrontam a pequea Paris de origen)
hespanhola, tud) era relago ao Uruguay flear
concluido.
Mas, nada de repouss, nada de descango. E'
cedo.
Montevideo nao Capua, nem os brasileiros sao
carlhaginezes.
Refractarios ao ocio, irapossiveis de afeminagito,
os bravos do imperio da Cruz comprehendem que
a honra os chama a novas Delejas, o dever a novas
dosaUranias, a coragem a novos e mais significati-
vos triumphos.
Brenno bate s portas de Roma...
Brenno?... engao: essegaulez era barbara,
mas o administrador da fazenda Paraguay ainda
mais barbar e muito mais prfido.
Lpez bate s portas de Cuyab, invadi Mallo-
Grosso.
Seis mil dos seus caes de fila, alrelados em oito
vapores e alguns lanchoes, seis mil dos Seus rafei
ros marcados com as coleras dosenhorio de Fran-
cia, ladraram diaate do decrepito forie de Cotm-
bra, macrobio que Jescangava beira do rio, mal
cuidoso de to apparalosa visita.
as pessoas de seus humildes escravos Lpez
recebeu tremenda ligio. O velho forte, embebido
novaroente de sangae de raga hespanhola, ainda
lucrouftcou com as honras de Theruopylas bra-
sileras e o sea vleme commandante com o glo-
rioso appellido de Lenidas.
Esta aggresso, unida s demais de inqaalilica-
vel denominago e desatino, falla alto e to alto que
ha de echoar por todo o Brasil.
A conaliluigo poltica do imperio art. 145, cha-
ma s armas a lodos os cidados no caso de iuva-
sao do territorio nacional.
Nosso territorio foi invadido. Urna rodilha da
cozinha de Lop< ?. a que se da o nome de bandei-
ra do Paraguay, tluclua as araas do forte de
Coimbra. '
Que mais preciso para que os bravos de Pay-
sand se reunam quarenta mil bravos das provin-
cias do imperio ? Que mais preciso para que vo
a Humaita e a escravisada Assumpgao tomar se-
rias contas a Lpez 2o traidor, fllho de traidor,
amamentado com o leite da traigo em Ierra da in
famia e do servilismo sem rival.
Brasileiros I Unamo-nos.levantemos nos como um
s hamem. Vinguemos estrondosamente as offen-
sas torpes, jogadas face de nos todos I Fagamos
de Humana e da Assumpgao oijue fizemos de
Paysand.
Uelenda Paraguay.
Guiados pela nossa bandeira, dedicados ao nos-
so Imperador, como nos offt-ndido por esse aduar
de escravos, municiados pelo nosso governo, que
vela em nossa seguranga, seremos vencedores e
nunca vencidos.
Ainda urna vez e sempre Delenda Paraguay I
No Diario do Uto l-se o seguinte :
AGRICULTURA.
J urna outra folha diaria deu noticia do nevo
processo descoberlo pelo Sr. Reynoso para a ex-
traego do assucar.
E' assumpto de alta importancia para os nossos
lavradores de canna.
Nao s por isso, como tambem pela amizada que
nos liga ao Sr. Reynoso, de quem tivemos a honra
de ser corapanheiro de estudos, praz-nos transcre-
ver a caria que abaixo se l, dirigida pelo illustre
Ramn de la Sagra a um dos redactores do Jornal
dos Fabricantes de Assucar, a rospeito da desco-
berta de que se trata.
t Livry (Seine-et-Oise.) 13dejulho de 1864.
Meu estimavel amigo.
t Visto queda tanto aprego s ioforraaces que
dei a respeitodos md hora rae o tos. que preoecupam
neste memento os fazendeiros de assucar de Cuba,
julgo til transcrever algumas noticias dadas pe-
los jornaes de Ha vana, e que .me foram confirma-
das por cartas.
i A 17 de abril nltimo o professor de chimica
Reynoso, cujos trabalhos conbece, publicou ura ar-
tigo no Diario de la Marina, em qae depois de re-
messas nao podiam deixar de inspirar connaoca.
Assim apezar de todas as duvidas apresentadas por
alguns jornaes sobre a probabilidade dos resolta-
dos do Sr. Reynoso, ricos lavradores, qae pelo seu
patriotismo, zelo e generosidade em prol de toda a
empreza til, formam a nata da sociedade de cuba,
resolverara-se a fornecer ao sabio professor os
meios de realisar suas promessas, o de poder dolar
a illia. de Cuba em particular o a industria assuca-
rera em geral, com um processo simples e eco-
nmico para s obter todo o assucar contido na
canna.
O mesmo jornal da marraba no seu numero de
9 dejunho ultimo, contera a lista dos 61 proprieta-
iio que subscreveram e pozeram s ordens do Sr.
Reynoso a somma de 23,000 piastras ou 130:000a
para que elle possa vir Europa dirigir a cons-
trueco do appareJho e inslalla-lo o mais breve pos-
sivel na ilha de Cuba.
c O Sr. Reynoso partu da Havaua pelo ultimo
paquete inglez e chegou a Paris, onde se oceupa em
obter o seu privilegio.
t Communicando-lhe esle facto interessante,
julgo dever-lhe transmitlir a noticia publica-
da pelos jornaes da Havana, de um outro ap-
parelho que funeciona por meio do vapor e ao ar
livre, inventado por Francisco Snchez, e que se
pretende-pode obter os mesmos resultados que
promette o Sr. Reynoso com o seu.
t O artigo do jornal El Tiempo, que dava esta
nova, do mesmo dia 17 de abril, como o do Sr-
Reynoso no jornal da marioba : porm apezar
disso nao vi reclamagao alguma a respeito de prio"
riade.
t Parece-me, pois, qne os dous processos nada
tem de commum.
t Em um artigo de 2 de junho, antes da partida
do Sr. Reynoso, diz-se que o processo Snchez of-
ferece vaniagens inapreciaveis porque com um s
apparelho pde-se fabricar, em 20 semanas, 20,000
caixas ou 3,680,000 kilogrammas de assucar bran-
co, secco, sem ter necessidade de purgar. Diz-se
tambem que a evaporago do caldo se obtem quasi
instantneamente.
t O Sr. Snchez comegou seus ensaios ha j 20
annos, nao os podendo transformar em processo
industrial por falla de meios pecuniarios. Agora,
pelos anouncios inseridos as ultimas paginas dos
jornaes, parece que os apparelhos Snchez estao j
construidos, e acbam-se venda : certificando--?
a vantagem de pxtrahir com elles todo o assucar
contido na canna, bronco secco, qutnze minutos de
pois que esta ticer sido moida, de maneira a pde-
lo guardar as canas sem o menor trac.o de niela-
co. Emflm, nestes annuncios sustenta-se que o in-
ventor Snchez demonstran que a parte colorante
do caldo provm da casca da canoa, de que pre-
ciso separa-Io anles de cozinhar ; porque esta ope-
ragao faz adherir por tal forma a parte colorante
ao assucar, que todos os meios sao insufflcientes.
O grande segredo est porlanto evaporar instant-
neamente depois da clariflcago do caldo.
Apezar de todos os elogios dos apparelhos e
processo Snchez nao lenho encontrado noticia de
sua inslallaco e resultados em qualquer dos esta-
belecimcntos assucareiros de Cuba ; e seria extra-
ordinario que possuindo o meio de obter todo o as-
sucar da canna em 15 minutos lodo o producto de
urna mmensa colheia, secco -e acondicionado em
20 semanas, se fizesse na Havana urna subseripgao
para enviar Europa o chimico Reynoso, cujo ap-
parelho nao poderia dar resultados mais satisfac-
torios. O certo que o simples annuncio deste ins-
pirou mais confianga aos inlelligentes propietarios
de Cuba, do que as asseveragoes do Sr. Snchez.
c Pareceu-me, entretanto, conveniente faze-lo
sciente disso, para que os numerosos leitores de seu
estimavel jornal continen) a estar bem informados
do movimento activo que existe em Cuba, e que
nao se limita smente s ultimas applicag5es das
sciencias agrcolas e ndustnaes relativas aos ra-
mos uteis ao paiz, mas que se opera nos principios
ou bases fuudamenlaes de todos os melhoramentos.
Cito-lhe para prava disto um oulro esforco, que o
palriotismo esclarecido dos proprietarios de diver-
sos lugares da ilha fizeram envianio sua custa
para a escola imperial de agricultura de Grignon
estudanis que voltaram depois para espalhar os
conbecimeulos agrcolas e melhoramentos mais re-
centes.
c Vinte e oito habitantes da Havana subscreve-
ram a somraa de 12,800 piastras ou 22:850 para
sustentar quatro estudantes, qne esio j insufla-
dos na escola preparatoria Neauphile-le-Chateau,
e tres outros foram enviados pelas localidades do
interior.
Sinto nao poder dar esclarecimentos mais pre-
cisos sobre o processo Reynoso, o qual achando-se
em Pars naturalmente os dar.
< Cont sempre com a boa vontadu do seu cor-
dial amigo,
Ramou de a Sacra. >
No Brasil ha seis ou oito mocos que esludaram
agricultura na Europa, mas que depois foram obri-
gados a seguir carreira iflerente para nao morre-
rem de tome.
Exceptuaremos apenas um dentre elles, que a
Ilustrada provincia do Maranbao collocou frente
da sua escola agrcola.
Outro desses lera sido victima de systematica
perseguicao.
Entretanto o Instituto de Agricultura paga, se-
gundo dizem, avultada somma a um individuo para
estragar o jardim botannico.
Estamos a bracos com urna guerra eslrangeira ;
temos de supportar enormes sacrificios se quere-
mos continuar a sei nago. Cumpre mais'do que
nunca olhar para as fontes naturaes da nossa ri-
queza e preparar o futuro.
E' na agricultura que est esse futuro. A misso
da gerago presente destruir a ratina e fazer lar-
ga e intelligente applicaga das descocerlas da
sciencia no que tem de pratico e immedulamente
proveileso.
Para isso toda a divulgagao das ideas, dos ira-
tAVSANDli, MONTEVIDEO E PARAGUAY.
Consummatum est. Jaz por Ierra feita pedagos,
era cada um dos quaes flucta o pendao auri-verde,
coiton
sumir todos os defeitos da fabricago actual do as
sucar de canua, apezar da riqueza e slmplicidade bahos dos sabios europeas" til e altamente co-
do sueco (caldo) e os inconvenientes, que apreses- veniente.
Um os apparelhos mais recenlemente aperfeicoa- f im eiLnff2 ^"S' -.
._ r "^ Delles s despende a sua propria sorle
dos ; annuncia um de sua mvengo, o qual nio comsigo nicamente.
mudando era cousa alguma a natureza do liquido, No da em que se convenceren) disso o progres-
permitie extrahir todo o assucar comido, em um M sera "Pido.
estado de pureza perfeita, de ama s qualidade______________________________
sem trago de melago. Alm disto este apparelho PERNAMBUCO.TYP.DE M, F. DEF.&FtHjD
i
i

-1
f/

<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKDOGESX3_R4CARF INGEST_TIME 2013-08-27T22:10:05Z PACKAGE AA00011611_10601
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES