Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10600


This item is only available as the following downloads:


Full Text
%
AMO ILI. HOMERO 43
fiartel jwfi dwitr de 10 das do 1. mei
i depois dos l.0110 dias do comecoe dentro i
Por
dem
Porte ao cerreio por tres mezes
comeco e dentro do quartel.
DIARIO
Por anno pago dentro de 10 lias do 4. mez
Porte ao correio por uoi anno.......
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
fiNCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrlno de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lomos Braga 5 Cear, o Sr. J. Jos del. "
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques R0- 'farass e Goyanna as segundas e sextaseiras.
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves & Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caroar
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. I u n *.__. '
Altmbo, Garanhuns, Buique, S. liento, Rom Con
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tergas reiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex.nas quartasfeiras.
OOAKTA FEIRA 22 DE FEVEREIRO DE 1865.
191000
3&000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudios Falcao Diast Baha, o
Sr. Jos Martins AIvps; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barre!-
ros, Agua Preta ePimenteiras, nasquintasfeiras.
IIlia de Fernando todas as vezes que para alisabir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
I Qaarto cresc. as 10 h., 48 m. e 58 s. dat.
fO La chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25* La nova as 5 h., 43 m. e 22 s. da t.
PARTE QFFICIAL
COTURNO DA PROVINCIA.
expediente < di *8 de fetereiro de 1865.
Offlcio ao Exm. conseiheiro presidente da rela-
jo. Tejbo presente o offlcio de V. Exc. de 7 do
correle, e a elle respondendo cabe-me dizer que
em vista da aforra aco ministrada pelo inspector
da (hesouraria de fazenda em 13 do mesrao mez,
nao pode ser paga a despeza feita com 13 tbesou-
ras para cortar onhas, nica que a mesma thesou-
rria impugna, por nao serem e nunca terem sido
as mesmas thesouras consideradas objectos neces-
sarios expediente.
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia.Em vista da Informaco do
mordomo dessa Santa Casa a que se refere V. Exc.
era sen offlcio de 17 do correte, sob n. 80, auto-
riso V. Exc. a mandar admittir no respectivo colle-
gio a orpha de nome Homualda Jacintba Pereira,
cujo reqnerimento incluso devolvo.
Dito ao coronel commandante das armas interi-
no.Sirva-se V. S. de mandar Inspeccionar o pa'-
sano Francisco Mendes de Almeida, conforme pede
Romualdo Antonio do Sacramento no incluso re-
quernnenio, que me ser devolvido, informndo-
me V. S. nessa oceasio acerca do mais qne sollici-
ta o supplicanie.
Dito ao mesrao.Concedo a aulerisaco que V.
S. pedio em offlcio de hontera, seb n. 327, para dar
baixa ao voluntario da patria, Antonio Jos dos
Santos e Silva, que se acha louco e furioso, depois
do que, mandar apresenta-loao provedor da Santa
Casa de Misericordia, afim de ser recolhidono hos-
picio dos alienados em Olinda.Neste sentido offi-
ciou-se ao Exm. provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia
Dito ao Dr. chefe de polica.Sciente pelo seu
eflicio o. 199 de 10 do correte, de ter sido captu-
rado esforcos do subdelegado do Bom-Conselho e
achar-se recolhido casa de detengo o criminoso
Jos Moreno, tenho a dizer-lne em resposta que
louve ao referido subdelegado pelo importante ser-
vico que presin sigoicando-lhe que esta presi-
dencia espera que continuar a prestar-se zeloso
no cumprimento de seus deveres, sendo seropre
justo e moderado.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Rerommendo V. S. que mande indemnisar o cor-
po de polica do que Ihe Gcaram a dever as pravas
do mesmo corpo que se tenham offerecido como
Voluntarios, procedendo-se descont nos venci-
tnentos destes para indemnisago da quantia que
foi paga por essa ibeseuraria, e disto acabo de dar
sciencia ao respectivo commandante com quero V.
S. so entender* a esse respeito.-Offlciou-se ao
commandante do corpo de polica.
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu-
mentos que me foram remeltidos pelo commandan-
te superior deste municipio com offlcio de homem,
sob n. 40, o nao havendo inconveniente, mande V.
S. pagar a quantia de 1895400 despendida com o
transporte do armamento e utencis da forra aquar-
tellada da ala esquerda do 1 batalho de infama-
ra da guarda nacional desta capital, do arsenal de
guerra para o quartel de polica e d'ah para o do
Hospicio, e bem assim com o fornecimento de agua
e luz para as compaohias e casa da guarda duran-
te os dous mezes de aquartellamento, como se v
de taes documento.-.Corarauoicou-se ao predito
commandante superior.
Dito ao mesmo.Offerecendo o tenente reforma-
do e ajudante do recrutador Francisco de Paula S
Peixolo 10 por cento dos seus vencmentos, para
auxilio das despezas extraordinarias da situacao, a
contar do Io do crreme at finalisarse a guerra
4o Rio da Prata ; assim o eommunico V. S. para
que expeca suas ordens no sentido de se proceder
a devida arrecadago de semelhante offerta.Com-
municon-se ao referido tenente.
Dito ao mesmo.Expeca V. S., sob mioha res-
poasabilidade, suas ordens, para que as respectivas
collectorias, em vista dos competentes prets, pague '
nos devidos lempos os vencmentos dos offlciaes,
nferiores e pracasque mandei destacar em diffe-
rentes pontos da provincia, como a V. S commu-
niquei em data de 15 do corrente.Communicou-
se aos respectivos commandantes superiores da
guarda nacional.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Havendo presentemenle na provincia do Cear
grande ralla de farinha de mandioca, como me de-
clarou o Exm. presidente daquella provincia em
offlcio de 10 do corrente, informe V. S. qual a
quaniidade desse genero que pode ser para all ex-
portada sem prejuizo da indispensavel para o abas-
tecimiento desse presidio, e porque prego.
Dito ao mesmo.Em resposta ao offlcio de V. S.
de 4 de Janeiro ultimo, sob n. 163, tenho a dlzer-
Ihe que em circumstaocias menos criticas para o
paiz se fornecer a roobilia e objectos reclamados
em dito offlcio para ornato da sala da casa de resi-
dencia desse commando.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Rio-Formoso.Tendo esta presidencia or-
denado V. S. em 21 de Janeiro prximo Ando, que
deferase juramento ao roajor do esquadro de ca-
vallara da guarda nacional do municipio do Rio-
Formoso, Presciano de Barros Accioli Lins, embo-
ra se apresentasse elle por procurador para esse
flm, haja de Informar-me se aquella ordem foi cum-
prida, declarando, no caso contrario, as razSesjus-
tificaiivas de semelhante procedimento.Commu-
nlcou-se ao predito major.
Dilo ao commandante do corpo de polica.D
V. S. a suas ordens para qne seja posla disposi-
So do tenente ajudante do recrotador, urna praga
a companhia urbana para servir-lhe de ordenan-
za. Communicou-se ao tenente-coronel recru-
tador.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. apresentar ao
commandante das armas os soldados Manoel Be-
zerra da Silva e Adelmo Pereira da Silva, excluin-
do-os do corpo sob sen commando, depois de juina-
dos aptos para servirero no corpo de Voluntarios
da Patria, como se offereceram.Offlciou-se neste
sentido ao coronel commandante das armas inte-
rino.
Dito ao coaselho de compras do arsenal de guer-
ra.Recommendo ao conseibo de compras do ar-
senal de guerra qne promova a compra dos artigos
mencionados nos pedidos inclusos, sob ns. 10 e 13,
os quaes sao precisos para provimento do almoxa-
rifado daquelle estabeleciment.Communicou-se
thesonrana de fazenda.
Dilo ao superintendente da estrada de ferro.
Qoeira o Sr. superintendente da estrada de ferro
expedir as ordens neeessarias ao chefe da estaco
de Timbass para dar passagem al esta cidade,
por conta do ministerio da guerra, aos recrutas
que d'alli vierem e as escoltas qne os condnzirem,
em visia da guia do delegado do termo de Ipojuca.
Commnnlcou-se aoDr. chefe de polica.
Dito ao joiz municipal da primeira vara desta
cidade.Vendo de sua Informaco de 13 do cor-
sete, que nenhum inconveniente ha em que o
sentenciado Luciano Gomes da Costa v acabar de
cumprlr sentenca na provincia da Parahiba, haja
Vmc. de mandar pas-ar-lbe a competente goia e a
remella a esta presidencia para ter e conveniente
destino, pondo o referido sentenciado disposicu
do Dr. chefe de polica, a qnem expeco ordem para
o fazer transportar.Fez-se
diente.
o necessario expe-
AUDIENCIA DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do ctvel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segnnda vara do civel: quartas e sabbadas a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. Ss. Eleulerio e Nilo bb.
21. Terca. Ss. Ma'ximiano e Fortunato bb.
22. Quarta. Ss. Papias, Abio e Pascacio bb.
23. Quinta. S. Margarida de Corlona f.
24. Sexta. S. Matheus ap.; S. Pretxtalo b.
25. Sabbado. Ss. Cesaro e Dionisio mm.
26. Domingo. S. Pedro Damio b. c. e dout.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 hora e 18 n. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
Dito ao julz municipal da seguuda vara.De o
conveniente destino a carta precatoria expedida
por esse juizo a requerinento do Dr. Jos Bento da
Cuoha e Figueiredo, testamenteiro do fallecido his-
po D. Thomaz de Noronha, para ser citado no rei-
no de Portugal o herdeiro Francisco Goncalves da
Silva, de que trata o offlcio de Vmc. de 17 do cr-
reme.
Dilo ao amanuense da thesouraria provincial,
Joo Cesar Cavalcanti de Albuquerque.Aceitando
o offereciraento que faz Vmc. de 7 % do seu orde-
nado, como amanuense da thesouraria provincial
para auxiliar as despezas do estado as circums-
taocias acluaes do paiz, emquanto durar a guerra
do Rio da Prata, agradeco essa prova de patriotis-
mo, e recommendo nesta dala ao inspector da mes-
ma thesouraria, que proceda mensalmente a arre-
cadacao da importancia de semelhante offerta, e a
remella a thesouraria de fazenda para ter a con-
veniente applicaco.Offlciou-se neste sentido a
thesouraria provincial.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Pode Vmc. fazer seguir para os porlos do norte o
vapor Mamanguape, no dia e hora indicado em seu
offlcio de hontem.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o capello alferes da repartco
| ecclesiaslica do exercito, padre Antonio de Mello
Albuquerque, e tendo em vista o parecer da junta
militar de sade, resolve conceder-lhe 45 das de
licenca de conformidad; com o art. 106 de regu-
lamenlo de 29 de outubro de 1860.
Despachos de dia 18 de fevereiro de 1863.
Requerimentos,
Antonio de Farias Brando Cordeiro. Informe
o Sr. ebefe interino da reparHco das obras pu-
blicas.
Automo Augusto de Lima.-Informe o Sr. capi-
lo do porto.
Andr de Abren Porto.=0 supplicanle segundo
informa a thesouraria provincial tem tempo para
habililar-se a concorrer a arremataco de que se
trata.
Apolonia Maria de Mello.Informe o Sr. -direc-
tor geral da iostrm*cao publica.
Antonio Franscisco de Menezes. Concedo o pra-
zo de 20 dias.
Anna Mara da Conceigao. Indeferido por nao
ter o supplicanle adduzido prova alguma de isen-
gao legal, e nao ser tal a certido de flliacao a
que al lude.
| Alexandrina Maria da Conceigao. Informe o
Sr. Dr. chefe de policia.
Bellarmfno Goncalves de Medeiros. Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Candido Rosa de Lima. Assignado volle que-
rendo.
Francisco Casimiro de Moraes.- Informe o Sr.
director geral da instruccSo publica.
Francisco Sebasiio de Barros. Declare a isen-
cao que tem para alegar.
Graciano da Cunha Machado Passe.
Hermillo de Oliveira Mello.Nao pode ser at-
tendjda a peticaodo supplicanto em vista da infor-
mago do commandante do corpo de policia.
Joo Carlos Baptista dos Santos.Passe portara
concedendo a licenga requerida.
Joo Henrique de Albuquerque Mello. Informe
o Sr. chefe interino da repartco das obras publi-
cas.
Junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia do Reclfe.Informe o Sr inspector da the-
souraria de fazenda.
Alferes Joo Apolinio Cavalcante. Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
Cabo.
Joo Francisco da Cruz.Requera o supplicanle
ao governo imperial a quem compete conceder a
substituigo pessoal das pracas do exercito em
tempo de guerra, conforme dispoe o art. 14 do re-
glamento de 28 de selembro de 1859.
Joo Baptista do Amara!.Informe o Sr. direc-
tor geral da instruccao publica.
Luciano Gomes da Costa.Expedio-se ordem no
sentido que requer.
Manoel Ramos da Silva.Nao tem lugar o que
requer o supplicanle.
INTERIOR.
BAHA.
S. Salvador, 10 de ferereiro de 1865.
Encelo boje a missao de correspondente para es-
sa folha, urna das mais amigas, e que maior nu-
mero de assgnantes conta no imperio. Devo, pois,
apresentar as miohas credenciaes, para que se fi-
que sabendo o carcter era que apparego.
Pela verdade, soberana em todo tempo, sou en-
viado em missao extraordinaria perante a impren-
sa de Pernambuco, a llm de noticiar o que do mais
importante occorrer na provincia da Bahia. D'aqul
se concine que nao estou nomeado ministro resi-
dente ; pelo que poderei retirar-me, sem ser cen-1
surado, logo que emenda nao se tornar necessaria
a minha preseoga.
Dado este cavaco preliminar, sem mais delonga I
von j coraecando a exercer as miohas attribuices.
Podem crer em mira, jurar at em minhas pala-
vras todos que me lerem. Nao tero motivos para
arrependimenlos e sobresaltos de consciencla. Pre-!
sumo com razo conhecer-me demasiado para as-
sim exprimr-me.
Preceda a ludo que eu possa dizer aquillo que,
na aclualidade principalmente, nao encontra quem j
Ihe dispute preferencia de interesse para todo Bra-
sil-i ro amante do seu paiz : fallemos da honra e
dignidade do Brasil, ultrajados por urna horda de
ingratos, covardes e traidores, como sao recenhe-
cidamente os nossos visinhos das pretenciosas re
publquetas do Rio da Prata e Paraguay.
Soffrer um insulto anda nao desairou a nin-
guem. O que desaira, porro, se o deixar ira-
pune, e nao sentlremse os brios estimulados para
desalTronta-lo.
Que o Brasil nao desbroso bradaro todas as
civilizadas nacoes do mundo; e sO Justina ir em
tal apreciacao.
As armas brasileiras ja lavraram para si um ai-
testado glorioso encima das trincheiras inimigas fe
Paysandi. Montevideo, merc de Dos, dentro
em pouco ver fluctuar triumphantemente sobre
os seus bastioes a bandeira da trra do Cruzeiro.
Amanha ser o Paraguay punido da sua ousadia
para comnosco. Esperemos confiados no bellicoso
ardor dos nossos compatriotas. Anda nao des-
meniram seus foros de invenciveis qnando lm de
repellir. affrontas. A Bahia, por sua parte, se tem
mostrado animada dos mais nobrn< sentimentos de
patriotismo. Os exemplos pulluiam diariamente.
Alm dos batalndes qne j d'aqul seguiram, entre
elles o corpo de polica com os seus offlciaes e sol-!
dados convertidos era voluntarios da patria, diver-
sos batalhoes de voluntarios se estao organizando.
O primelro j conta qnasi 400 pracas, e breveraen- i
te marchar ao campo do combate. Os outros es-1
to vendo tambero engrossar as suas fileiras, quer
nesta capital, quer as cdades, villas e povoacoes
de fra. Um lugar nao ha desta provincia, por
mais obscuro qne seja, d'onde nao tenham partido
as mais significativas manifestares de interesse
pela sorte das armas do imperio. Quem nao se
olTerece para lutr peito a peito com o inimigo,
por circumstancias alheias sua vontade, poe des-
de logo disposico do governo, para as despezas
da guerra, urna quantia que mais ou menos
avullada conforme os teres de cada um.
Sob a denominacao de Zuavos bahianos um
brioso crioulo veterano da independencia, em vir-
lude de offerecimento que fez em seu nome e de
outros muilos seus iguaes em cor, est organisan-
do urna companhia de voluntarlos, que espera-se
possa em poueo tempo contar um numeroso alista-
meato.
A par do enthusiasrao que se apodera quotdia-
namente da populacao, e que se vai desenvolven-
do cada dia cora mais fervor, nm nome ha que s
por si basta para symbolisa-lo em toda a sua plem-
tude : o do Exm. Sr. dezembargador Luiz Anto-
nio Barboza de Almeida, o maito caro e Ilustre
administrador desta provincia.
Ao seu nunca desmentido liberalismo, ao seu
prestigio pessoal, s suas acertadas e vigorosas
providencias, combinadas sempre com o que se
deve aos sentimentos do humanidade; sua devo-
tacao pela causa publica, actividade e solicitude
com que se empenha, se como Brasileiro pela vic-
toria das nossas armas sobre as dos iniraigos do
paiz, se como administrador e filho da Bahia pela
prospendade da provincia que Ihe confiara o go-
verno imperial; a tudo quanto enumerado fica em
abono do seu proceder devido em grande parte
o ardor que se desafoga dos coracSes dos bahianos
no intento de ser quanto antes escripia a ultima
pagina da nossa gloriosa lula no livro dos destinos
da naci. /
E' S. Exc. o centro, a vida, a animagao de tu-
do quo se move, se levanta, se offerece para to
nobre fim. Tanta a homogeneidade dos princi-
pios de patriotismo aqu professados pelo povo e
por quem o est governando, que dfflcil, impossi-
vel antes, discrimina-los para saber-se onde
raaiqr somma existe ; se no administrador da pro-
vincia, se nos sens comprovincianos e governados.
Tarefa intil fra a de quem pretendesse verificar
se e o Sr. Barboza de Almeida quem segunda a
vontade e o enthusiasmo popular, ou se o povo
quem, pela confianga que nelle deposita, se agrupa
em torno de S. Exc. para segundar a sua vontade.
A illagj a tirar-se, imposta pela Inconcussa lgica
dos fados, que na cadeira presidencial est sen-
lado o hornero applaudido pelas sympathias da tr-
ra que o vio oascer.
E pois que nos referimos a sympathias, nao per-
camos o ensejo de declarar que j se recolbeu ta-
citurna s suas tendas de guerra a opposigao que
nos reductos da mprensa entrlncheirou-se para!
aggremr o -r. Barboza de Almeida logo que o vio
ajusiar em suas habis maos as redeas da adminis- j
tracao da provincia. Que digo eu ? I que se reco-
iheu taciturna ? Perdo, qne Do disse bem 1 As-
sim ter-se-hia a opposigao recolhido, se as colum-
nas das publicag5es diversas do nico orgam con-
servador que tai papel s por sua conta desempe-
nhou, a reveiia de reunlr-se para deliberar o con-
gresso das summidades conservadoras; se ne Jor-
nal da Bahia em fim nao se livessem estampado
os mais subidos elogios, pouco tempo depois,
pessoa de S. Exc, quer na qualidade de magistra-
do, quer na de admioistrador da Baha I e como
se tal procedimento nao fosse anda sufflciente pa-
ra ser condemnada essa aprensa pelos seus pro-
prios correligionarios, tem recebdo o Sr. Barboza
de Almeida as mais preciosas cartas de muitos dos
seus adversarios polticos, as quaes nao se nota
mmgua de expressoes lisongeiras marcha de sua
administrago!
E' quanto basta para a toda a evidencia ficar de-
monstrado o que de mil e grandioso tem realisado
o seu governo, e dispensar-nos de noticiar deta-
lladamente os seus j to numerosos actos era um
curto espago de tempo, todos elles inspirados as
mais urgentes e indeclinaveis necessdades do ser-
vigo publico, no intuito igualmente de promove-
rem, como tm promovido, o aproveitamento dos
recursos e das fontes de riqueza da provincia.
Interrogai a instrucgSo, a saude publica, os
melhoramentos materiaes, as pretengoes razoa-
veis, a verdade do suflragio popular, as cohortes
de voluntarios da palria que se esto organisan -
do, as familias doo que se partiram d'aqui sau-
dosos a cumprirem um dever de honra militar
para com a ncao ; interrogai e cidado honesto
e pobro, o poltico de crengas puras e liberaes,
a justica no exercicio a das suas altrbuigoes, a
mai que representa em solugos e lagrimas pela
mesquinha sorte de seu filho, os estabelecimenios
pos, de crdito e de caridade ; e ouvlreis um
coro de applau.-os de tudo isso ao nome do Sr.
Barbosa de Almeida ; e tereis chegado ao conhe-
cimenio de que tudo issotem merecido a sua mais !
sera attengao, dado motivo a muitos actos seus !
E porque me nao torne enfauonho, fago aqui
ponto final prometiendo na primeira oceasio
exemplificar o quedeixo referido, e noticiar oc-
urrencias que se lenham dado fra da esphera
propriaraente potilica, para interesse de lodos que
se dignarem de passar os olhs pelo que escrevo
em nome da verdade.
As noticias vindas pelo ulfimo vapor do sul de-
nuncia que os Paraguayos esto no proposito de
nos fazerem quanta picarda imaginam em sua
barbarez. Que fagam ; porque elles mesmo se
ojieixaro depois de si mesinos, que nao de nos.
Nao posso resistir ao impulso de apraseniar
para em seguid > ser transcripto, o seguinte aviso
expedido pelo ministerio da guerra a presiden-
cia desta provincia, acerca do batalho de caga-
dores e do corpo policial, que d'aqul seguiram pa-
ra o sul. Em menos expressoes nao se poda di-
zer mais em favor e honra dos bravos da patria I
Leia-se com attengao o referido aviso, qu Im-
plcitamente o maior attestado que de suas gloras
na administrago comega d*sde j a receber o Sr.
desembargador Barbosa de Almeida, aceitando o
olTereciment e facilitaudo e embarque daquelle
corpo de policia, o qual sem sua acquiescencia
nao marchara,pois oda provincia, assim como
tambem o di cagadores.
- 1* directora geral.Rio de Janeiro. Ministerio
dos negocios da guerra, em 7 de fevereiro de
1863.Illro. e Exm. Sr. tendo o governo impe-
rial tido a satisfagao de ver o garbo e disciplina
militar com que se apresenlaram o batalho de
cagadores e o corpo policial dessa provincia, que
d'ah vieram ltimamente para marcharem para o
sul, e dando-lhes o povo desta capital as mais vi-
vas demonstragSes de aprego e syrapathia, cabendo
ao commandante do corpo policial a honra de re-
ceber das augustas maos de S. M. o Imperador,
que se dignou abraga-lo e dirigir-lhe palavra sa-
tisfactorias, urna bandeira nova para o mesmo
corpo na oceasio de seu embarque para aqnelle
destino : assim o eommunico a V. Exc. para seu
conbecimento e para fazer constar nessa provin-
cia, que foram devidaraonte apreciados es servgos,
e adedicago de tao distinctos Bahianos.
Deus guarde etc. etc.
Paragnay-Hatto-Grosso.
Navegagode Corrientes a confluencia do Paraguay
e Paran.Curso destes ros.Fortes militares
de observago.O rio Vermelho, seu estudo, o
capitao Lavarello.-0 Pilcomayo.Continuago
da viagem e discripgao de Nhembuc, Villa-
branca e Assumpgo.-Nova Brdeos.
A sele legoas ao orte da cidade de Corrientes
opera-se a confluencia dos rios Paran e Paraguay.
O priraeiro, como j o disse, varia seu curso para
esto ; o segundo desee pelo rumo primitivo e apre-
senta a sua bocea, por onde entraremos para con-
tinuar a viagem. k
i mvA f.lroada d0 ri0 Paraguay fica na latitude de
27, 17 Sul e longilude 61, 9' Oeste, meridiano de
. Pars. Esto rio, apesar da sua insignificancia com-
parativa^ de muilo mais curso que o Paran. Sua
, navegagao se faz sempre enlre a costa Paraguay e
I o Grao Chaco.
A' entrada eocontra-se a primeira guarda de ob-
servago sobre a costa do Chaco. Estas guardas
povoadores francezes que dentro em pouco, foram
expulsados pelo governo e substituidos por nacio-
naes. A posigo em que se acha bella : .o porto
seguro, o terreno feracissi no.
II
Summario.Villa da Com eigao.Fecho dos mor-
ros.O pao de assucar Combate tradieelonal
de urna guarnigo brasi eir de 25 homens con-
tra 200 Paraguayos.-Heroica retirada.Protec-
gao dos Guaycurs.D capitao de papel.A
tribu guaycur. Seu c iracter, seu typo, seus
costumes. O forte Olmyp >, ultima possesso para-
guaya.Ataque tradicebnal dos Guaycurs aos
Paraguayos e tomada do porte.-Precaug5es adop-
tadas.Odio profundo dessa tribu bellicesa ao
Paraguay.
Na latitude 23 15' esl situada a villa da Con-
ceigao sobre a costa do Paraguay, pevoaco de
pouca importancia commercial e quasi toda milita-
risada, liaste ponto foram confinados os habitantes
europeus pelo dictador Francia; originando-se
d ah urna bellssim rag que se destaca de todas
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30 para o norte
al a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
julho, selembro e nevembro.
ASSIGNA-SE
ao Recife, na livrarla da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprletarios Maneel Figueira de
Faria & Filho.
sciiayau sume cosa uotnaco. fisias guardas -" w>wwbm ioy* que se uesiaca oe todas
mais ou menos numerosas e collocadas a certas!as outras do Paraguay Em seguida encontrase na
rlicl'in'i'.w n!r,.iif>,....i,., i i ...a. -i- ___ mtNmi fnefa o riM.ino .11.;., .1 o o^i^_a__ .
distancias, clreumvalam toda a cosa do territorio
paraguayo. A segunda guarda est situada na cos-
ta do Paraguay, cinco milhas cima da primeira.
Na latitude 37 30" e longilude 61 2' Oeste esta
situada a fortaleza de Humait, a Sebastopol, a
Cronstad, a Gibraltar dos Para^uyos. Muito se
tem fallado desta fortaleza, a proposito das ques-
les polticas que o governo do Paraguay tem sus-
tentado com diversas potencias. Eu reservo mi-
mesraa costa a pequea aldeia de S. Salvador e na
lititude sul 21 55' e longilude oeste 60 13' apr-
senla se a bocea do braco denominado Nhcurut,
formado por urna grande ilha. A navegagao faz-se
por este brago para evitar a extensa volta que faz
o no. Na latitude sul 21 26' e longilude oeste 60
18 enconlra-se o celebre Fecho dos Morros quo
com elfeito parece fechar o rio. Esle canal, nao
i largo, tem no centro urna ilha formada toda
nhas observagdes sobre ste"ponto, "bem como o- de Pedra calcrea, de cuja materia sao tambem
formadas ambas as margens do rio nesta altura,
trs, relativos a esta repblica, para um trabalho
especial qne tenho em mos.
Aos 26 53' latitude Sul e 60 56' longilude Oes-
te desemboca o ro Vermelbo, que tira o nome da
cor das suas aguas. Na embocadura ha um banco
movedlgo, formado por suas propnas correntes ;
pelo que a sua entrada offerece pouca agoa. I *""""? ",UI "lusu cerro ao rao ao Assucar, me-
0 rio Vermelho, que por meio dos seus affluen-! moravel por um feto de armas muito honroso pa-
i communica cora o territorio de Oran no norte ra os so'dados do Brasil e que merece ser comme-
Geralmente vive esta tribu as margens dos ros
Li?^!',egaren"eeJDa Pesca" Qaando esta escas-
sea ou falla, muda de domicilio. Suas malocas ou
acampamentos sao devididos em ras direitas. Os
ranchos improvisados sao baixos e os tectos co-
bertos de frageis esleirs. Gostam muito dos lico-
res espirituosos e preparara urna beberagem de
mel e agua, ferraeotacao bastante vigorosa e em-
briagadora.
Cn?^fe, a ?Sta d0 Chaco> na latitude sol 21 t' e
b 15 longitude oeste, acha-se o forte Olympo, oc-
cupado por um guarnigo paraguaya, ultima guar-
da dessa repblica no territorio de sua jurisdigo.
ste orte foi construido pelos hespanhes. Os
guaycurs atacaram-no por diversas vezes e o to-
raaram aos paraguayos, que actualmente, por pre-
caugao, conservara tundeado um navio de guerra
para nelle refugiarse a guarnigo, no caso de um
novo contralempo. Sob a jursdige hespanhola de-
nomlnava-se o forte-Bourbon. Neste ponto fn-
dela o vapor para preencher certas formalidades.
A demora de poucas momentos.
O homem culto que chega a esta paragera nao
pode impedir ao pensamento que ve para onde re-
sidem os paizes longiquos da Enropa, onde se ag-
glomeram populagoes superabundantes e necess-
tadas, onde escasseam os elementos da vida e do
irabalho, emquanto que aqui, sob um co benigno,
existe desaproveitada urna immensa e frtil zona.
A costa do Paraguay, desde a Assumpco, nao
aprsenla a vista seno duas ou tres aldeias insig-
nificanies, em urna extenso de 150 leguas ; e a
costa do Chaco, em mais de 200, apenas alguns in-
produzmdo-se urna especie de cada ou successo 2 ""Mes. Todas estas costas sao altas e Isentas
de varios morros. Nestas immediages acha-se o e lDUBda5,>es; os terrenos fertilissunos, os campos
rio Apa que d'onde comega o dominio brasileiro rormosos' e alguns dispostos de modo que s ne
a^h... ~..----:._... cessilam receber a sement
sobre a costa oriental.
Aos 21 25' de latitude e 60 14'de longilude le-
vanla-se o formoso cerro do Pao do Assucar, me-'
.......- para produzir tudo
quanto queira o homem pedir a este solo feraz.
tes
da repblica argentina, esta' destinado a ser u ca
nal, por onde as provincias Je Salto e Pucumao
se commuoiquera fcilmente com o littoral, cir-
cumstancias de nao remota praticabilidade e que
ho de produzir urna revolugo favoravel na situa-
go commercial o industrial desses paizes, pelo
concurso que necessariamente deve trazer-lhe o
commercio da repblica da Bolivia, para o qual se
abre um novo horsonte no porvir dessa navegagao.
Sobre o curso e natureza do no Vermelho, de-
voraos Interessantos noticias ao mea perseverante
amigo o capiio Lavarello ; que esta' prximo a
publicar o resaltado das suas fatigantes explora-
c5es. O rio Vermelho parece destinado a servir
de barreira defensiva, por meio de um systema de
fortes ou de pequeas colonias, a urna considera-
vel porgo de territorio do Grao-Chaco, que liberte
do flagllo das tribus a fronteira de muitas provin-
cias. O servigo que presla o capitao Lavarello
desses que perpetuam a memoria do homem no
correr dos seculos.
Em frente a embocadura do rio Vermelho ha urna
guarda paraguaya. Continuando a
las tortuosidades i
do Pilar, situada a r
ca e banhada ao norte pelo rio" Nhembuc, na a-
titude 26 52' Sul e 60 37' longilude Oeste. O Pi-
lar a primeira povoago que se encontra, bas-
tante povoada e muito commercial era relago ao
paiz.
O rio Paraguay at all, como na maior parto do
seu curso, bellisslmo e apresenta imagioaco
espectculos encantadores. Suas ilhas e costas
sao coberlas de bosques, trepadeiras e flores sil-
vestres que locam com sua ramagem os navios
3ue passara. Abundam consideravelmente aves
e mil cores, attrahidas por um clima propicio, e
especialmente frangos montezes. Seu perfume al-
raiscarado embalsama o ar, s vezes demasiada-
mente, emanagao dos bosques combinada com as
morado.
No Pao de Assucar foi atacada por 200 Para-
guayos urna guarda brasileir de 25 homens. O
combate foi reabido apezar da desproporgo de
numero.
A pequea guarda resisti at queimar o seu ul-
timo cartucho ; e, antes que renderse, preferio re-
tirar-so e ganhar os bosques e os desertos.
Urna vez internados pelos bosques foram perse-
guidos esses poucos bravos pelos indios Guaycurs
tribu mui guerrera e audaz que habita nessas pa-
ragens. Os barbares resolveram matar todos os
prisioneiros; mas um dos Indios oppoz-se ao san-
grento designio de seus oompapheiros, tratando de
persuadi-los que nao s eslavam obrigados a con-
servar-lhes as vidas como a conceder-lhes a sua
proteego. O orador selvagem conseguio convnce-
los e transformando em piedado a fereza de seus
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Chamamos a attengao dos leitores para a
iranscripgao dos artigos Paraguay -Matlo-Grosso,
que vao sob a rubrica Interior.
Acerca delles diz o Correio Mercantil, d'onde os
extrahimos o seguinte :
Hoje que a attengao publica volta-se para o Pa-
raguay e para a provincia de Matlo-Grosso, ser
agradavel aos leitores ter noticias e discripgoes
dessas paragens, para nos quasi tao desconhecidas
como o interior da frica.
Neste paiz singular e sob e-ta forma de go-
verno mais singular anda, onde se ha liberdade
para se aconselhar o bem e para se censurar o
mal, como que nao ha liberdada
_..i H ivu !-.. ....u.. > nin,i uc stiu i"i, uuiuu que n.iolia lberdado para praticar
irmaos, ro unnimemente decidido que os prisio-! aquelle e para evitar este ; onde o rgimen de pu-
neiros seriam conduzdos atravez dos bosques e de-' blicidade, que o rgimen da illusiraco e o la-
senos al a cidade Cuyab. Depois de penosissi- i bito da franqueza, que o habido da da si'nccrida-
i mos trabalhos e quando j os reputavam morus, \ de, ho ido substituidos pelo mysterio quo a
t Continuando a navegaco pe- i aPPareceram as choradas victimas rodeadas pelos ignorancia, e pela dissraulago que a mentira, os
do rio Paraguay, chega-se'a villa ,ndl0S> escolta singular que Ihes mitigara o soffri- cidados, baldos de informagSes particulares que
i pouca elevago sobre a barran- menl a for?a de cuidados. O governo brasileiro, os illu?trera, intilmente esperaro pelas ioforma-
orte pelo lio Nhembuc. na la- PromP10 sempre para recompensar as aegoes gene- goes offlciaes, porque de o/ficial temos apenas o ap-
rosas, prodigalisou aos indios muitos obsequios e paralo e os cortejos I
fez-lhes muitos presentes, concedendo o titulo e | Na defflcencia, pbis, de dados positivos e cer-
posto de capitao ao generoso iniciador da louvavel los, contentemo-nos com as noticias dos viajantes.
exhalagoes de jacar que abunda prodigiosamen- > dos an.nos fazem sa3s campanhas contra as tri-
te era toda a costa. i J|us V|sinhas, especialmente contra os coroados ou
te em toda a costa.
Na latitude 26 19' Sul e 60 37' longilude Oes-
te, demora Villa Franca, segunda povoago do
Paraguay c na latitude Sul 25 22' e 59 59' lon-
gilude Oeste apresenta-se a primeira bocea e Pil-
comayo que parlindo do Sul da Bolivia e.corrende
pelo territorio do Grao Chaco, vem precipitar-se
por duas boceas, no Rio Paraguay. A segunda
bocea fica na laiitude Sul 25 19' e aos 60 longi-
lude Oesle, no espago intermedio de ambas as v
acgo, a quedeveram a vida os seus subditos.
Desde ento ficou o indio condecorado conhecido
por capitao de papel, titulo que com burlesca iro-
na Ihe do na sua tribu, na qual s corapalivel
essa honra para os de sangue nobre.
As tribus dos Guaycurs oicupam as margens
do Chaco em urna grande estenso^parte dellas oc-
cupa a margem oriental. Oeste-oodo urna vasta
zona, em ambas as costas cm-tiie. dominio seu.
As primeras Malocas ou ranchos* comegam peno
do Pao de Assucar e seguem rumo do norte. To
dos os annos fazem suas campanhas contra as tri
Guanas. Desta tribu sahem os escravos que elles
possuem. Captivam smente as raulheres mogas e
as criaacas. Estas adoptam fcilmente os hbitos
e a linguagem de seus senhores. E como estes os
tratam com affecto, nunca pensam em libertar-se.
Entre os Guaycurs ha urna notavel distinegao
de classes, que se dividem em nobres plebeus e es-
cravos. N'isto cifra-se o sen orgulho e a sua
Os Guaycurs sao de estatura mais que
regular e bem conformados. Sua musculatura
forte : seu olhar imponente. Comera muitas vezes
desembocaduras. Sobre a costa oriental eleva-se
o gracioso cerro Lambar. -r--------
A presenga do Pilcomayo e do Vermelho garan- a? J'a- A carne de jacar forma o seu mais apre- ram bellas pegas mais duas sociedades phil'harmo-
- ciado manjar. Nao seconhece ntreos Guaycurs nicas particulares, que all comparecern] com sa
Nao ha muilo noticiamos a publicago de um
livro interessante, de que autor o Sr. Banholo-
mea Bossi. Desse livro col hemos agora algumas
informages que podem satisfazer, em parte a cu-
rissidade publica. Para isso transportamos para
as nossas columnas algumas das suas paginas.
as maltas do engenho Jussral, do termo
de Serinhaem, foi enconirado enforcado o preto
Francisco, escravo de Cypriano Jos dos|3antos, ahi
morador, o qual andava fgido havia um mez.
Da cadeia do Bonito evadiram-se, no dia Io
do corrente, cinco criminosos, por ura arromba-
mento que pratlcaram n'uma das paredes lateraes.
Apezar das pesquizas da policia, ainda nao foram
capturados.
Ainda urna outra evaso da criminosos deu-
se, em 28 do passado, na cada de Garanhuns, de
onde lograram evadirse tres, ura dos quaescon-
demoado gales perpetuas, pelo jury de Buique.
No domingo ultimo realisou-se a feslividade
religiosa de Nossa Senhora das Fronteiras, havendo
grande concorrencia de fiis, e presidindo a todo o
acto religioso a pompa propria do culto externo.
Alera de urna banda de msica marcial, toca-
{Carta particular.)
te o porvir dessas regies silenciosas, cujas selvas
apenas sao inquietadas pela planta dos selvagens
e cujo mysterio apenas perturbado pelo rugido
das feras.
Sea repblica da Bolivia, em seus das de futu-
ro restabeleciraento, obedecer ao seu proprio des-
tino, ha de fazer florescer os seus ferteis territorios
do sul, onde est toda a sua vitalidade, em ger-
men, e ento o Pilcomayo ser a estrada venturosr
de ura alentado commercio. O nico obstculo
que at agora se oppoe a isso, nao est na nature-
za, mas as paixes polticas e na agilago cons-
tante desse Estado.
No dia era que ellas se sobordinem razo e ao
calculo, a Bolivia ha de comprehender que a sua
situago mediterrnea nao acondemnaco da sua
vida futura ; porque o destino Ihe d um lugar
brilhante nos mares que rodeiam a America; no
Pacifico, pelo seu rao porto de Cobija ; no Atln-
tico, pelos ros Vermelho e Pilcomayo.
Continuando sempre a navegagao ao norte pelo
re Paraguay, chega-se cidade da Assumpgao,
capital da repblica situada na latitude Sul 25 17'
e 59 55' longilude Oeste. Duas milhas antes pas-
sa-se pela batera Tucumb ou do telegrapho, que
tem pouca importancia : conservando-se no rio e
em frente a dita batera algumas obras de defeza,
que sao um estorvo para a navegagao e sem ob-
jecto real.
O vapor demora-se 48 horas na .issumpgo;
tempo sufflciente para visitar-se a cidade. Ella
de aspecto regular em sua delineago como todas
as povoages hespanholas ; mas as liabas dos edi-
ficios apresenum urna desagradavel desigualdade,
mlsturande-se ranchos amigos e pobres, com edi-
ficios altos e de gosto moderno, as raas sao feias
mas osen leite arenoso e commodo ao transito.
Possue varios quarleis, urna igreja matriz e uro
arsenal de marinha com um estaleiro, onde j se
ha construido alguns vapores pelo modelo do Ta-
quary, navio de construego franceza e j amiga.
Sua populacao orea por 20,000 almas, compre
hendidas as tropas da guarnigo. Os homens sao
todos soldados e por coasequencia subordinados a
um rgimen convencional. As mulheres sao felizes
mais do que em parte alguma, livres|como as aves,
seductoras, communlcativas, e realgara os seus do-
tes com a origimlidade do seu gracioso trajo. Os
homens sao reservados e apenas responden) por
monossylabos s interrogagoes dos visitantes. Es-
te carcter parece ser o resoltado dos seus hbitos
militares e do seu rgimen tradiccional. A lingua
dominante e o guarany.
A distancia de seis milhas ao norte Oca a ilha de
S. Francisco que divide o rio Paraguay em dous
canaes; o da costa do Chaco o mais profundo e
aos 25* 2' hiitude sul e 89* 50' longitude oeste, li
ca a colonia Nova Brdeos na costa do Chaco. Es-
a bexiga. Sao raras os defeituosos. Ha alguns c- ; tisfago de todos os crcurastantes.
gos por velhice : mas nao se encontra um calvo, j Ioformam-nos que o baro de Guararapes
eram os denles al o ultimo dia da vida. Pin- est organisando entre os Indios, de que director
t.. -.........- ,,_., ,..-, uu un,., uo- liu .-un it-iri ios,! picpuuuerauc
ta colonia foi estabelecida ha poucos annos com a. barbaria e ferocidade da tribu.
tam a cara e o corpo com utucum e genipapo, in-
troduzindo as tintas na epiderme ; e os desenhos,
com que se ornam, nao carecem de symetria.
As mulheres sao mais esmeradas neste adorno
Estas, em quanlo nao comegam aerear os fllhos,
conservam-se era corpo regular. Mas, quando se
approximam da velhice, tornaro-se disformes. A
raulher guaycur s quando aos 30 annos comega
a conservar os filhos. Antes disso procuram sem-
pre abonar e servem-se, para esse fim, dos meios
mais barbaros e cruels, fazendo-se estropear e ma-
chucar o venlre. S depois de 30 annos comegam
a preoccopar-se com a conservago da sua prole,
devendo nolar-se que dahi por diante tornam-se
mis de familias irreprehensiveis pelos cuidados e
carinhos que consagram aos filhos.
Bem que do geral as mulheres sejam gordas,
tem as mos e os ps pequeos. Commumente
envolvem-se em mantas de algodo. Seus adornos
sao fetosde conchas e canudos de prata quetrazem
ao pese ;go e as orelhas Usam mascar o fumo e
consrvalo triturado entre o labio inferior e a
gengiva, o que torna os denles negros, sendo Isso
para o indio um signo de belleza, bem como a au-
sencia de sobrancelhas, as quaes sao arrancadas
com muito esmero.
Os homens usam trazer o labio inferior furado,
por onde atravessam um pedage de madeira. Os
mais ricos trazem eniado urna barrasinha de pra-
ta. Cobrem parte do corpo com urna tanga, os que
nao preferem andar ns. Servem-so da flecha
para a caca e para a pesca, e tambero para a
guerra. Mas, para este fim, preferem a langa,
que a sua arma favorita. Quando partero para
as suas campanhas, levam comsigo todas as suas
armas, a langa, a flechi, a maga e o lago. Como
bons cavalleires que sao, esmeram-se na creago
dos cavallos, e na de outros gados. uas canoas
sao muito pequeas e mal construidas. Mas sao
dextros na navegaco. No carcter destes indios
predomina a soberha. Desdennam profundamen
te das outras tribus ; professam um odio entra
geral, um batalho de voluntarios, afim de marchar
para a campanha do sul.
A se confirmar semelhante informago, um
acto de louvavel patriotismo, que oobilila a essa
porgo de Pernarabucanos, que assim se arregi-
menta para vingar os brios nacionaes, sob a direc-
go do referido baro, cuja iniciativa Ihe muilo
honrosa.
A companhia Pernambucana de vapores eos-
leiros expede hoje, para os porlos do norte at o
Acarac, o seu vapor Mamanguape, e para o do
Natal, directamente, o Persmnnga.
Hoje, faz, o agente Pestaa, leilo de barris
com loucinho, no armazera do Anoes.
Era consequenca de se encontrar violado o
cofre, que conlinha as listas do sorteio, foi dlssol-
vida ante-hontera a sessao do jury, e convocada a
nova para 7 de margo vindouro.
Consla-nos que o Sr. Pinto nada tero poupa-
do, para o brilhantismo dos bailes, que pretende
dar no theatro de Sania Isabel.
RBPARTIQAO 0A POLICA :
Extracto das partes do dia 21 de fevereiro de
1865.
Foram recolhidos casa de deteaglo ne dia 20
do corrente:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonio
Francisco de Lima e Manoel Benedicto do Kspirito
Santo, o prmeiro por infraego de postura e o se-
gundo para correego.
A' ordem do subdelegado do Recife, Miguel, es-
cravo de Francisco Maraede de Almeida, por f-
gido.
A' ordem do de Santo Antonio, Izidoro, escravo
de Domingos Jos Ferreira Guimares, para cor-
reego.
A ordem do de S. Jos, Catharina e Francisco,
escravos, este de Fulano Campos e aquelle de Fu-
lano Bastos, por disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Salustlano Severino
do Espirito Santo, para correego ; Clemente e Vi-
cente, escravos, este de Joo Antonio Alves da Sil-
\ J------------- ...-, r.,v.... ..... .,,,,, ,,,,,, r.,, ,,,,, raiK ue ju.tu Amonio ai ve
nhado aos paraguayos e sSo mutto inclinados aos va e aquelle de Bento dos Sanies Ramos, ambos
evos. Contentam-se com a posse de urna s sem declarago do motivo e postos em liberdade
mulher : sendo admittido entre elles o divorcio.
Crm n'um Ente Creador mas nao Ihe readem cul-
to exlerno. Nao tem idea de recompensas ou cas-
tigos futuros. Smente afflrmam que a alma dos
capites transportam-se a urna manso de conti-
nuas delicias privilegio de qne tambem gosam os
adivinhos que ha entre elles com a denominacao de
unignitos, os quaes exercem tambem a medicina.
Estes seres privilegiados, especie de sacerdotes qne
se dizera interpretes do Ente Creador, servem se
da sua. mysteriosa preponderancia para "estimular
na mesma dala.
O chefe da segunda secgao,
/. G. de Mesqmta.
Casa de detenco.
Movimenio da casa de detengo 20 de feve-
reiro de 1865.
Exlstiara presos 379; entraram 13 ; sahiram 11
exstera 381.
A saber : nacionae > 302 ; estrangeiroi 20 ; mu-
lheres 2 ; estrangeiras 2 ; escravos 49 -, escravas
6.Total 381.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 155.
;


_^.
filarlo d ?ernaniluico Cuarta lelra tt de Fevereiro tle *85.
I
Movraento da enfermara do da 21 de tevereiro
de 1865.
Teve baixa :
Amonio, eseravo, sentenciado, anemia.
OBITUARIO DO DIA 20 DK FBVEVEIRO DE 1865,
NO CEM1TBWO PUBtlCO ".
Joo, Pernambuco, 1 anno, Recife, coovulsoes.
Thereza da Conceico, Pernambuco, 40 annos, sol-
teira, Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Jos Lopes dos Santos, Pernambuco, 25 annos, sol-
teira, Boa-Vista, enterite chronica.
Jos, ivrnarebuco, 5 mezes, Recife, espasmo.
Maria, Pernambuco, 10 meies, Santo Antonio, den-
licao.
Aleixo Bispo da Conceice, Pernambnco, 25 annos,
solteiro, SaatS Antonie, asphyxla.
Julio, Pernambuco, 5 meies, S. Jos, enterite.
Joanna Maria de Dos 3uimares, Pernambuco, 50
annos, viuva, Rea-Vista, cancro do ulero.
Mana Joaquina do 4avramento, Pernambuco. 12
anuos, solteira, Santo Antonio, convulsSes.
CURINICAJIIDICWRIA
TRIBUNAL IKI COMMEBCie
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 20 DE
FEVERE1RG DE 1865.
BESIDCNCIA DO EXM. R. DESEMBARCABOR
ALSELMO FRANCISCO PERETTI.
s 10 heras da manhaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Leal, e
presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
presidente declarou afeerla a sesso.
Lida, foi a pprovada a acta da sesso antece-
dente.
EXCEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da provincia,
acorapanhando copia do decreto n. 3,371 e instruc-
coes respectivas, ata de obter-se o maior numero
de Voluntarios da Patria :O tnbnnal ficou ratei-
rado. .
Outro do Dr. jufe do commercio, de i do corren-
te, aecusando o recebimento do em que o Etm. Sr.
presidente do tribunal Ibe communicou ter reassu-
mido o seu cargo.
Outro da junta dos corretores, remetiendo a co-
taco offlcial dos precos correnles da praca na se-
mana linda.Arcbive-se.
Distribuiram-se aos senhores deputados os livros
seguintes : Diario e Copiador do commerciante
Belarmino do Reg Barros, Diario e Copiador da
casa commercial de Magalhes Bastos & C-, e o
Diario de Luiz Jos da Costa Araonm -C
DESPACHOS.
No requeriraento de Ferreira & Matheus, que
pedim o registro da nomeacao junta, de seu cai-
xeiro Joo Duarte Coelho :Registre-se.
No de Antonio Leite de Magalhes Bastos e Joa-
quim Antero de Oliveira Luio, apresentaudo o seu
contrato de sociedade para ser registrado :Vista
ao Sr. desembargador fiscal. .
No de Marcelino Jerooymo de Azevedo e Gui-
Iherme da Silva Guimaraes, satisfazendo o despa-
cho de 13 do correte para ter lugar o distrato de
sna sociedade :Como requerem.
No de Wilson Witt, pedindo que se mande a
junta dos corretores altestar se frecuentemente se
tem praticado o costume de obterem os carregado-
res de gneros do palz, a asignatura dos capitaes
dos navios mercantes nos conhecimentos, sem que
a mercadoria esleja a bordo, afim de facilitar-sea
remessa dos mesmos conhecimentos aos scus cor-
respondentes na Europa, pelos paquetes, dando os
referidos carregadores-aos capitaes ouaos consig-
natarios urna carta pela qnal Ihes pedem a assig-
nalura stipradita, obrigando a embarcarem a mer-
cadoria em urna data convencionada :Como pe-
dem.
No de Julio da Costa Ribeiro, Francisco Antonio
de Assis Ges e Jos Joaquim Goncalves Bastos,
pedindo o registro do seu contrato de sociedade que
apresentam : Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Antonio Domingos Pinte, pedindo o regis-
tro da nomeacao de seu caixeiro Laurentino Anto-
nio Teixeira :Registre-se.
N'outro do mesmo, pedindo tambem o registro
da nomeago de seu aixeiro L'rclno Gervasio Car-
neiroPugeto :Regstrese.
i\o de Amaro Jos Lopes Coulinho, pedindo o re-
gistro da escriptura de hypotheca que aprsenla :
Regislre-se.
No de Cari Friedrich Theodor Christiansen, pe-
dindo o registro das nomeacees de seus caixeiros
Manoel Joaquim Seve Jnior e Domingos Joaquim
Seve :Registrem-se.
No de Jos de Azevedo Andrade, pedindo o re-
gistro de urna procuracao :Registre-se.
Com informacao do Sr. desembargador fiscal :
.No de Jos Luiz G. Ferreira, Joo Alves da Cruz
e Manoel Alves Goncalves Ferreira, pedindo o re-
gistro do disinti de sua sociedade, smente quan-
to ao segunde socio :Deferido nos termos do pa-
recer do Sr. desembargador fiscal.
No de Godfrey O. Mann, pedindo o registro do
distralo de locaco de servicos que apresenta :
Regisire-se.
No de Bastos & Magalhes, pedindo o registro do
seu contrato de sociedade : Registre-se e publi-
que-se.
Nc de Thomaz Jefferies, pedindo ser admittido
matricula dos commerciantes :Matricule-se.
No de Thomaz Teixeira Bastos, pedindo tambem
ser admittido matricula dos commerciantes :
Matricule-se.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso as onze horas e meia da
manhaa.
SESSAO JUDICIARIA EM 20 DE FEVEREIRO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. WSEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As onze horas e meia da manhaa o Exm. Sr.
presidente abri a sessao, estando reunidos os se-
nhores desembargadores Res e Silva, Silva Guima-
raes e Accioli, e os senhores depotados Rosa, Can-
dido Alcoforado, Basto e Leal.
Lida, foi approvada a acta da esso antece-
dente.
Assignarara-se os accordos proferidos na ultima
sessao entre partes :
Appellantes, Tasso & Irmo ; appellados, Fran-
cisco Luiz Salgado e Manoel Luiz Salgado.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados, Ja-
mes Crabtree & C
JULGAMBNTOS.
Appeliaote, Francisco Santiago Ramos ; appella
do, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Adiado na sesso anterior
Recrberam-se os embargos.
Appellante, Manoel Alves Ferreira ; appellado,
Francisco Santiago Ramos.
Adiou-se o julgamento a requerimemo de um
dos senhores deputados.
Appellante, Manoel del guila, por seu procura-
dor ; appellados, Aranaga Hijo & C
Adiou-se o julgamento a requerimento de um
doseuhores deputados.
Appellante, Francisco Antonio Pontual ; appel-
lado, Antonio Gomes da Cunta e Silva.
Adiou-se o julgameato a requerimento de um
dos senhores deputados.
Appellante, Ignacio ios da Silva ; appelladas
Maria Joaquina e Rila Maria, viuva e herdeira de
Manoel Antonio de Fana.
AdioB-se u julgamento a requerimento de um
dos sonhores deputados.
itNMM
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Silva Guimaraes:
Appellante, Jos Antonio Pereira e sua mulher;
appellados, a viuva e herdeiros de Joo Ferreira
dos Santos.
Do Sr. desembargador Silva desembargador Accioti:
Appellantes, Joao Antonio de Magalhes e JoSo
Luiz Vianna ; appellados, os administradores da
masa lallida de Jos Antonio da Silva Araujo.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva :
Appellante, Thomaz Teiiera Bastos ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Joa-
quim Jos Sllveira.
DISTRIBUYES.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes :
Appellante, o Dr. Prxedes Gome* de Souza Pa-
tanga ; appellados, os administradores da massa
fallida de Joaquim Jos Silveira.
AGGRAYO INTERPOSTO DO JU1O ESPECIAL DO
COMMBRCI0.
Aggravante, Manoel Joaquim Ferreira Esteves ;
aggravado, Henrique Jos Aires Ferreira.
O Exm. Sr presidente negou provimento.
Nada mais havendo a tratar o Exm, Sr. presi-
dente eneerrou a sessaO urna hora da farde.
TRIBCSALBV RELAJO.
SESSAO EM SI DE FEVEREIRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. M. OeNSELWRO
SOUZA.
As 10 oras da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Al-
meida e Albuquerque, Assis, Doria, Motu, Domin-
gues da Silva e Barros Vasconcelos, faltando os
Srs. desembargadores Caetano Santiago, Ueha Ca-
valcanti e Guerraj procurador da corea, abrio-se a
sesso.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAHENTOS
Appettacao civel.
Appellante, Gervasio Jos de MagaJhies; appel-
lado, Jos Soares de Azevede.
Despreraram-se es embargos.
DILIGENCIAS CIVEIS.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da
corOa
A appellaco civel.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Custodio
Pexolo Soares.
DESIGNACAO DE DIA.
AssignoB-se dia para julgamento dos seguales
feitos :
As appellacoes civeis.
rdenles do Sr. Vasconcellos, precedentes que. fal- N mesma columna, periodo 7.", linha 14.a, em
lam bem alto e nao podem jamis maucliar a so* 'lagar deMr. Ttieilleia-seM. Tlieil.
ropntaco. Ta mesma columna, periodo 8.*, linha I.", em
Separa o exercicie de qualquer aroprene se lunar de-dise S. Excleia-sedisse S. Exc.
procura a probidade e honradez do iadividuo, ne-j Na mesma columna e periodo, linha 20.", em la-
nhum melhor e mais honrado do qutx Sr. Vascos- gar deintende e vonlade da pessda, vontade so-
cellos, mas se esses predicados nao influir para a bre queoperam-leia-se-independente da vonta
conservaco do empregado e somento e patronato de e entendimento da pessda, sobre quem operam.
para com outros, oeste caso tudo vai mal e de Na-mes ni a columna, penltimo periodo, liona
modo algom podero taes servicos serem apre- 16*, em lugar defines e finioleia-se/?mi e
ciados.
Nao pretendodesconreitaar aocidadao que subs-
tituto ao Sr. VaseoDcellos, visto como delle tenho
conhecimeoto, quero simprovar que nao se deuuma
causa plausivel pela quai incorresse
grado da Ifhn. cmara, a nao ser,
haver consentido na continuaran da reparacae do
predio do Sr. Dr. Alexandre B. dos fiis e Sirva,
cituado na ra da Imperatriz. Se esta com effei-
to a culpa d'aquelle, nao justifica o acto da Illma.
cmara, por quanto o mesmo seohor mandara sus-
tar na continnaco da obra, e como lhe cumpria
du dsso sciencia a Iilma cmara trausacia, e es-
sa ordenou-lhe que porescripto deixassecontinuar
a referida obra por tanto bem claro que tal au-
torisacd parti de quem poda e a quem eile
' como subordinado se devta sujeitar, como de (acto
' se sujeitoa e pelo que nao poda ser punido.
A verdade do facto -tl como a referimos, e pe-
finie.
Na<* columna, periodo 1., linha 22.", em lugar
dem quem panes arbttrium ttt, et norma lo-
quendi leia-seUsus quem penes arbitrtum s, el
elle no desa- jus, etmmna loquendi.
como se diz, Na mesma columna, periodo !., linha 25.", em
lugar (Je-Srs. Dr.leia-seSrs. Drs.
a mesma columna, ultimo periodo, linha 1.*,
em lugar deque ] longa do que pretendalea-
seqne j vae mais longa do que pretenda.
Na mesma columna e periodo, penltima linha,
em lugar detorasileia-setomei.
Tributo ao mrito.
Dar a Deas o que de Dos,
Dar a Cesar o que de Cesar.
AppeHante, D. Joa'una Mara das Dores ; appel-' dimos^almaTVamara para'que refectindo com Lendo a obra intitulada, Diccionario Bibliogra-
lados, Jos Hygino de Souza Pene. J maior calma acerca desse ssumplo^e digne fazer Pnico portuguez,estudos de Innocencio Franeisco
Appellante, Jos Soares do Reg appellado, Jos a .ustca de reparar 0 mai ciusado ao Sr Vascon- da Silva. applicaveis a Portugal e ao Brasil, no lo-
Joaqotm de Oliveira. 'cellos.
ilondego, de 229 toneladas, capilo Antonio Pe-
reira Margues, equipagem 11, carga 11,000 ar-
robas de carne: a Maia A Espirito Santo.
JVowo taludo no mesmo iia.
Rio da Prata-Polaca hespanhola Viagero, capitn
Curell, carga assucar e agurdente.
Observa gao.
Suspendeu do lamaro para Sag Habowr a ga-
lera americana Tnr Brothers, capilo C. Swain,
carga a mesma que trouxe de New Zealand*
IDITASS.
Appellante, D. Jovna Simplicia das Neves ; ap-
pellado, Victorino Pereira Maia.
PASSMtENS.
DoSr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellaco civel.
Ao Peraambucaao na edrte.
mo 7o pg.'rHahi encontrei~o nome do lllm. Sr.
major Salvador Henriqup de Albuquerque, como
1 Iliterato brasilero ; e ento para que o publico
1 saiba o quanto digno e merecedor desta horaena-
| gem litteraria, o Sr. major Salvador, atrevo-rae a
publicar estas toscas linhas, afim de que conheca
a sociedade, o quanto sao valiosos os escriptos do
A propriedade, vida e honra de brasileiros com
Appellante, Joao Vasco Cabral; appellados, Tas- promettidas as frooteiras do sul: os sdvagens e referido Sr. Salvador.
so & Irmao. ingratos do Montevideo brutalmente queiraaRdo na X* verdade, o Sr. major Salvador Henrique de
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque praca publica os traudos que os ligavam ao impe- Albuquerque, nao .dehoje que se tem tornado til
A appellaco civel. rio ; o presidente de urna provincia brasileira trai- a sociedade ea patria elle tem oceupado diversos e
Appellante, Jos Narciso Camello appellados, coevamente retido no pono d'Assumpco, o ousado esplnhosos empregos, nos quaes o julgo ter dado
| tilho de Lpez, o tyrannele desses pygmeos escra- cumprimento a elles, e o governo brasileiro intel-
vos, ordenando as barbaras hordas do Paraguay
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerqne,
A appellaco civel.
Appellante, a fazenda ; appellada, Joaquina Vi-
cencia da Silva Cont.
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Ferreira,
eseravo
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
As appellacoes civeis.
Appellante, ojuizo ; appellado, Dr. Jas Joaquim
de Moraes Sarment.
Appellante, o juizo ; appellados, os lierdeiros de
Manobl Rodrigues de Oliveira.
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Slmao
da Silva.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
rado de sua illustrago, e de sua exactdo nos lu-
gares que oceupava, o collocou na lista dos con-
decorados.
Finalmente, possuimos um homem que, sendo
um honrado pai de familia, e nao teodo deixado de
cumprir com os deveres de cidado brasileiro, me-
rece toda a nossa considerago.
Eis o trecho da obra cima referida :
Salvador Henrique de Albuquerque, cavalleiro
da ordem imperial da Rosa, professor jubilado de
mstrucco elementar do segundo grao, lendo exer
As appellac5es civeis.
Appellante, Manoel Pereira Caldas ; appellado,
Francisco Jos Regalo Braga.
Appellante, Dr. Jos Lourenco Meira de Vascon-
celos ; appellado, Francisco Lins Caldas.
A appellaco crime.
que invadam o territorio sagrado da patria ; certo
sao sobejos motivos para fazer rugir o leo do
norte.
Filhos de gigantes, os descendentes dos hroes de
1651 hao em todos os lempos mostrado, que o va-
lor pernambucano nao degenera. Iniciadores da
patria independencia, seu sangue corren jorros
pela liberdade como outr'ora era Tabocas, Casa-
Forte e Guararapes.
Extremados defensores da integridade do impe-
rio, esses campos, onde hoje pelejam invenciveis os Cld o magisterio durante rinte e quatro annos na
bravos de nosso exercito e armada, testemunhasj cdade deOlinda ; secretario e membro substituto
foram do denodo de nossos batalhSes na campanha do conselho director da mstrucco publica na pro-
da Cisplatina, no primeiro reiDado. Mais urde, I 'ncia de Pernambuco, socio correspondente do
quando o grito republicano de Piratinim choou Instituto Histrico Geographico do Brasil, etc.
medonho, ameacando o principio monarchico, Per- Naseeu na Parahyba do Norte 27 de fevereiro de
nambuco correu valente a firmar a coroa na cabeca *813, e foi baptisado na freguexia de Nessa Se-
do fllho do fundador do imperio. S. Paulo e Minas, nbora das Neves da capital da mesma provin-
Bahia, Alagoas, Maranho e Para, que digam, se!ca.-E.
j urna vez se viram ameacadas, se | corrern) as Resumo de Historia do Brasil.Pernambuco,
armas cm defensa de um principio brasileiro, que typographia Imperial 1848. 8.- gr. de 398 paginas
nos nao devisassem nos postas avancados nos das segundo a iuormaco recebida.Este compendio,
i de combate. de que anda nao vi algum exemplar (como de to-
E leremos nos, que at hoje conservamos orgu- da* as obras do autor que menciono em seguida"
passa psr ser um dos melhores no seu enero.
Compendio de Grammatica Portugueza. Nova
Irosos os brasoes herdados, curvado a fronte lau-
Appellante, Antonio Duarle Repardo ; appellada, reada; esquecido o nosso passado, rasgado as pagi-
a justica. as brilhantes de nossa historia, tropho glorioso edico. Recife, typographia Universal 1858. 8. de
Do Sr. desembargador Dona ao Sr. desembar- que nos legaram os vencedores da pujante Hollan-i 43 paginas,
gador Molla aa f Nao, Pernambuco o jura. Compendio de Doutrna Christa. Segunda edi-
As appellac5es crimes. Poltica mesquinha: preferencias nerieosas; prin-'cao. Pernambuco, typographia de Santos ftC 1842.
Appellante, Antonio Haulino de Moura appella- cipos constitucionaes falseados ambicSes desor- i 8." de 163 paginas,
do, Manoel Luiz do Nascimento. denadas amparadas : centralisacc imprevidente ;! Resumo de Arithmelica para uso das escolas do
Appellante, Joaquim Manoel Borges Macaco ; ap- mstabilidade administrativa ; os altos cargos da! segundo grao. Pernambuco, typographia de M. F.
pellado, Joaquim da Cunha Freir. i provincia confiados soldados bsonhos, que vem! de Fara 1847. 8.' de 129 paginas.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-1 fazer SQas prlmeiras armas sob capitaes irrespon-' Epitome de Geomelria|praca. Segunda edico.
gador Guerra ... saveis, ou classicas nullidades por immoraes par- Ibi, na mesma typographia 1847. 8. de 52 pa-
.,_...._. rA,appe'ia?? F'*|"v, .- cialidades dirigidas; os assomos patriticos, o es-; gioas.
Appellantes D. Josepha Mana daConceifao eseas pir,0 mihiar da provincia suffocados por infunda-1 Nocoes de Arithmelica para uso das escolas do
tilhos ; appellado, Joao Ribeiro de Lemos. d0 temor: o imposto de sangue dereinando consUn- primeiro grao. Recife.'typographia Universal 1855.
Ao br. desembargador Gitirana temente a popnlacao; o governo faltando seus 8. de 15 paginas.
A appellagao civel. compromissos para com os recrulados ; a miseria, Noeoes de Geographia, para uso das escolas do
Appellante o juizo; appellado, Jos Francisco finalmente, proveniente da falta de bracos e de tres segundo grao. Ibi, na mesma typographia 1856,
iereiratla silva. ano:s escassos, taes as causas d'essa demora em 8." de 46 paginas.
Ao br. desembargador Dommgues da Silva i correr s armas. Cartas para aprender a lr (novas.) Pernambu-
As appellacoes civeis. A nvase de nossas fronteiras, o arrojo do sel- co, typographia de M. F. de Faria 1846. 8." de 16
Appel ante Luiz Jos da Costa Amorim ; appel- j vagem, pilhou-nos em meio de serios desgostos do- paginas,
lada, a tazenda. ...... I mesticos : Elles, porm, cederlo o passo ao pa- Dissertacao sobre as vantagens do ensino pri-
Appellante ojuizo ; appellado, Jos Maximiano motlsmo revollado. E Pernambuco mais urna vez mario, dado urna so vez no dia. Sabio no Diario
boares de Avellar. j mostrar que sabe esquecer o abandono nos dis de Pernambuco, n. 221 de 28 de setembro de 1859,
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao de provaco, que o sangue galopalhe indignado e na instrueco publica n. 3 de 2 do Janeiro de
Sr. desembargador BarrosVasconcellos nas vejas sempre que se trata de debellar o inimi- 1860.
As appel acoes civeis. gocommum. Bosquejo histrico da Parahyba do Norte. Sa-
Appellante, Manoel Jorge do Souza ; appellado,, q compatriota na corte fat-nos juslica. Os solu-' hio no jornal Iliterario Alva, publicado na Parahy-
brancisco de Assis Pereira Freir. cos serao abafados; o leo erguer fronte altiva ba, typographia de Jos Rodrigues da Costa 1850. |
As appellacoes crimes. e correr aos campos onde se peleja pela dignidade
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel do Reg nacional.
TrOS',i i. j ir m Um Pernambucano na provincia.
Appellante, o juizo; appellado, Virginio Bezerra
Wanderley. p^
Appellante, Benedicto Soares Pereira ; appella-!
da, ajustica.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaco civel.
Appellantes, Joo Gomes da Costa ; appellado,
Joaquim Jorge de Mello.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
desembargador Caetano Santiago
A appellaco civel.
Appellante, D. Themote'a Josepha Maciel da Sil-
va ; appellada, a fazenda.
A's 11 horas encer'ct m a sesso.
com as iniciaos do nome do autor.
J. J. Haymundo de Mendonca.
CORRESPONDENCIAS
CQMMUNICABOS.
Duas palavras de gratido ao lllm. e Exm. Sr.
coronel Joaquim Jos Goncalves Footes pela offi-
cialidade do 2, 4 e 6 batalho da guarda nacional
do municipio do Recife, por occasio de sua partida ,
para a corte.
Nao esquecldas pela officialidade do corpo de
contingentes da guarda nacional cm destacamento
oesta cldade, as maneiras urbanas e cavalhefrosas
com que o lllm. eExm. Sr. coronel Fontes, sempre
a traton, nao muito que renda um preito de gra-
tido a sua pessoa e lhe diga umadeusantes de
sua partida para a corte.
Grande sem duvida a distancia que existe
entre o general e o soldado, e por conseguinte nao
muito que este general levado pela sua alta posi-
co se destingua dos seus subordinados, e asslm
deve ser porque do contrario nao hatera desci-
plina.
O Exm. Sr. coronel Fontes porm sabendo com-
prehender perfeitamente jamis se deixou desres
Agua de Florida de Murray e
Lanman.
Todas as preparacoes chimicas envolvem em si
t, ... ...__. mitar-es grosseiras de essencias de flores extra-
0 subdolegado do Brfjo da Madre de Dos. : hidasvde muita casta de ingredientes de urna natu-
Srs. Redactores.ta. defesas que mais compro-' re acre e revoltante ; porm o refrigerante e de-
mettem do que justificama o aecusado. Neste caso leitavel aroma que dimana do natural incens das
! se acha a defesa que hoje sanio no seu conceitua- verdadeiras flores da natureza, quando, por assim
: do Diario em favor do Sr. Rogerio Mergujho, sub- dizer. ainda n'um estado v""'na' de adolescencia
delegado doBrejo: porquanto o seu defensor, re- sendo decemente embaladas pelas gentis brizas dos
conhecendo a m impressao, que havia causado no trpicos, jamis pode ser simulada. D'aqui provem
animo do publico a noticia, que publicou a Revis- e nasce toda a superiondade deste admiravel etao
ta Diaria, de ter elle forcado, por violencia e amado perfume, a concentrada essencia de flo-
ameaca a Joo Manoel da Costa Pinheiro a assig- res> colhidas por entre os enramados jardins da
nar urna letra de 500*000 a favor de Francisco F'orida, sobre todos os de mais perfumes existen-
Clemente de -ouza, sahio, nao a contestar o facto ; tes ; e finalmente d'ah nasce essa innata tenaci-
mas a pedir ao publico, que suspenda o seu juizo! dade com 1ae ella se apasa "
sobre tal imputacao, visto como o Sr. Rogerio
Mergulho iucapaz de praticar semelhante abuso
de poder. Que coarctada I
fois bem : o publico que suspenda o seu juizo
at que o Exm. presidente da provincie, incapaz
de transigir com prevaricaedes, e arbitrios crimi
nosos de seus subalternos, mande syndicar do facto,
e ento conhecer o mesmo publico se a noticia da
Revista Diaria ou nao verdadeira. Eu mesmo fl-
eo com o meu juizo suspenso, posto que eleja con-
vencidissimo da veracidade do facto. em vista da
informaco de pessoas insuspettas.
0 suspenso.
PUBLICARES A PEDIDO
ERRAT4S
peitar e todavia tratava a todos como seus irmos da correspondencia do padre Joaquim Graciano de
de armas. Tal foi sempre o seu modo de pensar,,
o que por certo muito engrandece o seu nome.
A officialidade do 2, 4 e 6 batalho da guarda
nacional compenetrada de seus deveres nao tem
em vista se nao dar ao amigo o que pertence ao
amigo, e assim praticando, pede ao Exm. Sr. teen :
te-coronel Fontes que se digne aceitar o adeus de
despedida desses seus companheiros, em enjos co-
r ac es ficou grvalo o sen nome em carateres inde-
levis como urna alta inscripeo em rijo mar-
more.
Quartcl do corpo de eontigentes de guardas
nacioaaes no Hospicio, 22 de fevereiro de
1865.
Joao Bernardlno de Vasconcellos, major eomman-
dante do 2.*
Pedro Tertuliano da Cunha, capito do 2.
Miguel Bernardo Quinteiro. capito do 2.
Araujo, publicada no
de 3 de fevereiro.
Diario de Pernambuco
!. columna, periodo 5., 1.' e 2. linhasde zao
leia-sede razio.
Na mesma columna e periodo,em lugar de obse<
cavaleia-seobcecava.
Na mesma columna e periodo, linha 15.*, em lu-
gar deemudeceuleaseemmudecea.
Na mesma columna, perodo 6., linha 4.', em
lugarde estemachou-se leia-seestomagou-se.
Na mesma columna, periodo 7., linhas *. e 5.',
em lugar de-coraparadsa s harpas, e s cadelas
de Jpiterleia-secomparadas s harpas, alias
cadelas de Jpiter.
Na mesma columna, periodo 8., linha 3.a, em
lugar degutlataeleia-seguttatae.
Na mesma columna e periodo, lineas 10, II e 12
Thomaz Francisco de Salles Rosas, capito do 2. em lugar deoi seau pint, cause de ses taches,
Ignacio Pinta des Santos Seuza, capillo do \ausi repulieres que si taint pintleia-se -oau
Joaquim Pereira de Mendonca Jnior, lente' pe*t,a cause de ses taches aussi rgulires que si
do 2.
Camillo Augusto Ferreira da Silva, tenente do 2.*
Juvino Epifanio da Cunha, tenente do 2.
jos Francisco Brando, tenente do 2
Eozebio Napoleo de Sequeira, tenente do 6.a
Jos Alfonso do Reg Barros, tenente do 4."
Francisco Ferreira dos Sanios, tlferes do 2."
Tristo Jacome d'Araujo, al fe es do 2."
Vicente Ferreira Pinto, alferes do 2.
Joaquim Silverio de Souza, alferes do 2.
Jos de Miranda da Silva Fragoso, alferes do 4.
Antonio Francisco Ignacio de Jess, alferes do 6.
^+<
Aindu a demisso de fiscal da Boa-Vista.
Nao a poltica qne falla, sim um brado que se
dispende em favor da innocencia opprimlda.
Bem quizera com a maior evidencia prevar qne
nunca existi da parte do Sr. Thomaz de Vascon-
cellos facte algum no exarcicio do seu emprego
pelo qual podesse ser despojado delle, a nao ser
por qualquer circunstancia que pouco agradara
aquellos que assignaram a sua demisso. O que
por nerto bem cruel.
Como disse no meu anterior communicado ahi
esiu os Boa-vstanos para attestarem os bons pre-
elles taient veintes.
Columna 2.*, periodo 6., linba 14.*, em lugar de
faivoleia-se faiso.
Na mesma columna, periodo 7., linha 5.*, em lu-
gar de facinerosos-leia-sefacinorosos.
Na mesma columna, periodo 8., liona 3.a, em
lugar deom Romaleia-seem Roma.
Na mesma columna, periodo 9.. linba 6V, em
lugar de litiludeleta-xe -latitude.
Na mesma columna e periodo, linha 8.a, em lu-
gar deampiadoleia-searripiado.
Na 3." columna, periodo 3., linba 5.a, em lugar
depordadorleia-sepodador.
Na mesma columna, periodo 5.a, linhas 10, em
lugarde subraetendo-seleia-se subentenden-
do-se.
Na colamna 4.a, periodo 1.a, ultima linha, em la-
gar dedescreveuleia-seescreveu.
Na columna &, periodo 1., linha 9.a, em lugar
decoonecer o epitbeto de solteiroleia-sedes-
connecer o epitheto de solteiro.
Na mesma colamna, periodo 5.* linha 35.a, em
lugar depoderla ser relorada-leia-sepoda ser
relevada.
Na mesma colamna e periodo, linha 56.a, em lu-
gar Pforam pxtrahidoleja-se|qrin extra-
faides,
tudo que toca sem
jamis variar ou desmerecer. Nao conhecemos pois
causa alguma neste genero que apenas de leve se
possa approximar ou comparar em delicadeza e
persistente durabilidade, excepeo dos extractos
mais fiaos de Ptis ; e no entanto a Agua de Flo-
rida de boamente preferida pelas senhoras da
America Cenral e do Sul, Mxico e Antilhas at
mesmo ao melhor delles, e para mais ajuda o seu
custo segundo nos consta, nao chega exceder a
metade daquelles outros. Como por ah existam
muilas imitaeoes contrafeitas e fraudulentas, bom
seria haver o cuidado de examinar e ver que os
nomes de Murray e Lanman se achem transcrip-
tos por sobre cada envoltorio e letreiro, e os mes-
mos achar-se-ho igualmente imbutidos no vidro
das proprlas garrafas, claro pois esta que na au-
sencia dos sobreditos nomes, todas as mais imita
edes sao falsas.
COMMEROIO.
Noto baneo de Pernambuco.
O banco desconla letras Da presente semana a
12 por cento ao anno at o prazo de seis mezes, e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor do
tres mezes.
Alfandega
Rendimentododia 1 a 20.........523:2110i9
dem do dia 21................. 23:302640
0 Dr. Edaardo Augusto Pinto de Oliveira, juiz mu-
nicipal e provedor do termo de Olinda, por Sua
Magestade Imperial e Constitucional, a quem
Dos guarde.
Faco sabrr aos que o presente virem, que, tendo
o finado Exm. bispo conde capello-mor, D Ma-
noel do Monte Rodrigues de Araujo, em tea testa-
menta, deixado a terca parte oe seus bens, sitos
neste termo, na importancia de 1:416^666, sujeita
ao sello nacional, para ser distribuido peas pes-
soas pobres, a quem a mi do mesmo testador eos-
turnara soccorrer nesta provincia, mandei passar
este, pelo que sao chamadas as pessoas, qne direilo
tiverem a dito legado, a se habilitaren! peranle este
juizo, e provarem sua idenlidade no prazo de tnn-
ta dias, por nao ter o mesmo testador declarado
os seus nomes, afim de qne possam receher o dito
legado, na conformidad^ do mesmo testamenta
visto ter sido deprecado o seu cumprimento nesta
parte a este juizo, pelo respectivo juizo da prove-
doria do Rio de Janeiro.
E para que ebegue noticia de todos, mandei
passar o presente, que ser afiliado no lugar pu-
blico deste termo, e publicado pela iraprensa.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, aos
dezele dias do mez de fevereiro de 1865.
Ea Francisco das Cliagas Cavalcante Pesssoa,
escrivo da provedoria, o subscrevi.
Eduardo Augusto Pinto de Oliveira.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em-cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 7 do crreme, manda fa-
zer publico que no dia 23 do mesmo peranle a
junta da fazenda da mesma thesouraria vai nova-
mente a praca para ser arrematado a quem mais
der o imposto do pedagio da barreira de Motoco-
lomb, avahado em 2:0154 annuaes.
A arrematado ser feta por tempo de |dous
anuos e quatro mezes a contar do 1* de marco do
correte anno ao ultimo de junho de 1867, "e de
cooformidade Com o art. 16 do regulamento de 3
de agosta de 1852.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de fevereiro de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 7 do corrente, manda fazer
publico que no dia 2 de marco prximo vindoaro,
perante a junta da fazenda da mesma tnesouraria,
se ha de arrematar a quem por menos fizer os re-
paros de que precisa o empedramento do lugar de-
nominado Areias do Giquina estrada da Vic-
toria entre os marcos de 3 a 4,000 bracas, avaha-
dos em 397500.
A arrematr$ao ser feta na forma da le provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparecam na saia das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de fevereiro de 1865.
O secretario,
A. F. dAnnunciarao.
Clausulas especiaes para a arrematco.
1*. Os reparos do empedramento da estrada da
Victoria, em diversos pontos entre os marcos de
3 a 4,000 bragas, sero executados de conformlda-
de com o respectivo orcamento na importancia de
3973500.
2a. O arrematante ser obrigado a dar principio
aos reparos, 15 das depois que assignar o contrato,
e a termina-lo 2 mezes dopois.
3a. O pagamento ser eflectuado em urna s pres-
taco, logo que pelo engenheiro for declarado que
os reparos foram concluidos.
4.a Para ludo o mais qae nestas clausulas nao
previne observar-se-ha o que dispoe a le n. 286.
Conforme,
Antonio Ferreira a"Annunctacao.
DECLlUvOES.
546:5133659
Tinento da alf andega
Volumeseniradoscomfazendas...
com gneros..
Voluntes sabidos com fazendas.
com gneros ..
37
37
86
684
-----779
Descarregam no dia 22de fevereirode 1865.
Brigoe inglezAzof diversas gneros.
Barca americana -Anacondadem.
Brigue dinamarquezCardinefarinha de trigo.
Brigue inglezIeddoidem.
Brigue inglezPAan/onhacalho.
Barca ingleza-CAanzacarvo.
Barca inglezaAmblestde-icai.
Barca ingleza Willtamdem.
Patacho inglez -Mondadem.
Patacho inglez -Perle idem.
Escuna inglezaEhsabeth Barter idem.
Recebedorla de rendas inter-
na* geraeade Pernambaeo.
Rendimento dodia 1 a 20........ 25:6443631
dem do da 21................ 9763894
26:6213525
MOYIMENTO DO PORTO
Navio entrado no dia 21.
Rio Grande do Su| r- 37 dias? brigue brasileiro
Calxa filial do banco do Brasil
em Pernambuco,
14 de neiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aoscredoros de ^ebasllo Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ihes loca da venda de urna das propieda-
des, que segundo a concordata,lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nansa Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo lliesoureiro est autorisado a pagar o 22. di-
videndo de 103 por ac^o.
0 guarda livros,
Ignacio Nones Correa.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que a
boia do extremo do sul do banco do iuglez que ha-
via sido langada praia por lhe haver arrebenta-
do aamarrago, foi novamente collocada, demar-
candolhe o pharol do pico ao O 1/2 N O, e a tor-
re do seminario de Olinda ao N 1/2 N O, rumos
magnticos, e em fundo de 5 bragas, exactamente
node termina pelo sul o Recife que forma o banco
ngilez. Capitana do porto de Pernambuco 4 de
fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 7 do corrente, manda fa-
zer publico qne no di 23 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, vai nova-
mente a prara para ser arrematada a quem por
menos fizer, a obra da poste de ferro de Motoco-
lomb, avahada em 68:9303, servlndo de base a
essa arrematco o abatimento de 7 0/0 offerecido
pelo licitante Jos Augusto de Araujo. E para
constar se mandou publicar o presente pelo jornal.
Secreta 2 da thesouraria provincial de Pernam-
buco 8 de rfevereirode 186o.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
1.a seceSo. Secretaria da polica dePernambu-
co, 1 de fevereiro de 1865.O lllm. Sr. Dr. cnefe
de polica, manda renovar a publicaco da postura
addiconal de 12 de fevereiro de 1863 abaixo trans-
cripta, aflm de que ninguem allegue ignorancia de
soas disposiedes.
Posturas.
Art. 1. Fica prohibido neste municipio o brin
quedo de intrndo com agua por qualquer maneira
que se erapregue ; os infractores pagarao a multa
de lojfOOO reis, e 8 dias de priso.
Art. 2. Fica prohibida a venda de limas dechei-
ro ; os infractores alm de as perderem, pagaro
4?000 de multa.O secretario, Eduardo de Barros
Falcao de Lacerda.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o corpo de voluntarios da patria-
1.100 covados de panno azul para capotes.
600 covados de baela verde.
As pessoas que quizerem vender taes artlgos
apresentem suas propostas em carta fechada as 10
horas da manhaa do da 24 do corrente, na sala
das sessoes do conselho.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra 21 de revereiro de 1865. O en-'
carregado da esr.riptnracao,
Manoel Jas de Azevedo Santos.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segointe :
Para es voluntarlos da patria.
2o ovados de casemjra verde.
25 ditos de dita ama/ella.
300 raras de tipa!ocUtn.
Para o arsenal de guerra.
50 meios de-sola garroteada.
6 arrobas de fio de velas.
6 duzias de pelles do lastre.
20 meios de sola de lustre.
As pessoas que quizerem vender taes artigo
apresentem soas propostas om carta fechada as 10
horas da manhaa do dia 24 do corrente, na sala
das sessoes de conselho-
Sala das sessoes do conseibo de compras do ar-
senal de guerra 20 de fevereiro de 1865.O encar-
regado da escripturacSo,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Avwa aos navegantes.
Tela capitaaiado porto de-Pernambueo se fa2
publico para conhecimento dos navegantes, que no
dia 18 do corrente foi novamente collocada, e na
mesma posico, a boia que marca o termo dos
baixos de Olinda ; e a qual havia sido arrojada
praia por lhe haver Tallado a amarra.
Capitana do porto de Pernambuco 18 de feve-
reiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
Carreio geral
Pela administraeao do crrelo desta cidade se
faz publico para fins convenientes que em virlude
do dl:.posto no art. 138 do regulamento geral dos
correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
decreto n. 785 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
do pertencentesao mez de fevereiro de 1864, no
dia 6 de marco prximo, as i i horas do dia, na
porta do mesmo correio, e a respectiva lista se
acha desde j exposta aosinteressados.
Administraeao do rorreio de Pernambuco 20 de
fevereiro de 1865.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Pea administraeao do correie' desta cidade se
faz publico que em virlude da cenvencao postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez sero
expedidas malas para Europa no dia 39 do corren-
te pelo vapor francez Bearn. As carias serio re-
ceidas at tres horas antes da qne for marcada
para a saluda dos vapores, e os jornaes at quatro
horas antes.
Administraeao do correio de Pernambuco 20 de
fevereirode 4865.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Capitana do porto de Pernambuco, 14
dejaneir de 18!m.
Era visladascirenmstancias melindrosas em que
se acha o paiz, sendo necessarlo que todos es bra-
sileiros, coacorram para a sustentacSo dos trios e
deidades nacionaes, comprometidos na guerra
com as repablicas do Uruguay e Paraguay, manda
o lllm. Sr. capito do porto, em virlude do que lhe
foi determinado por S. Bxc o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marraba, convidar
nao s aos matriculados; como a todos os cidados
que se queiram alistar na qualidade de voluntarios
para armada, a se apresentarem nesta capitana
nos das uteis das 9 s 3 1|2 horas da tarde.
Outro sim, sao igualmente convidados os indivi-
duos que tiveram tarxa do servico naval, a alista-
rem-se por um anno ou mals,garantindo-se-llM
nao s as respectivas escusas, lego que terminem
os seus contratos, mais anda os premios flxados na
le, para os que voluntariamente procurara o ser-
vico da armada, e bem assim ama gratificagao
mensal, igual a melado dos sidos, que percebiam
na occasio em que obtiveram baixa.
As vantagens e condiccCes para o alistamento se-
re as estabelecidas pelas instrnccSes que baixa-
ram com o decreto n. 1591 de 14 de abril de 1835
que sao as seguinles :
Art. 12. Distinguir-se-ho seis classes fle volun-
tarios :
1.a Dos individuos que quizerem servir na ma-
rinhagem sem tempo determinado ;
2.a Dos que se quizerem contratar para servir
na marmhagem por tempo determinado :
3. Dos qne se prestarem servir na marinha-
gem os prazos estabelecidus no artigo 3. do decre-
to n. 1466 de 25 de outubro de 1854, e que esen-
sam o nacional do servico militar ;
4.a Dos que quizerem ter praca no corpo de im-
periaes marinhelros.
5.a Dos que se destinaren para o batalho naval.
6.a Dos aprendizes marinheires.
Art. 13. Os voluntarios das differentes Jclassse
definidas no artigo antecedente deveT3o ter os re
qnisitos segninies :
1.* Classe.Os que se alistaren, para a marmha-
gem sem tempo determinado, devem ser fortes,
saos, acostumados a vida do mar, ou pelo menos
eapazes de servir na praca de grumete.
2.* Classe.Os qne se contrata rem por prazos de-
terminados, de um a tres annos, devem ser fortes
saos, e acostumados a vida do mar.
3.a Classe.Os que se contrataren) para servir
na marinhagem o praze de seis ou de oito annos,
em cooformidade do artigo 3." do decreto n. 1466
de 25 de outubro, devem ter os requisitas dos da
segunda classe, excepto a pratica da vida martima
que poder ser despensada com a clausula que
adiante ( artigo 16) se expressa.
4.a Classe.Os alistados para o corpo de impe-
riaes marioheiros devem ser cidados brasileiros
de 18 35 annos de idade, ou at 40, sendo homens
dojnar; fortes, saos, e eapazes de todo o servico.
5.a Classe.Os alistados para o batalho naval
devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os on-
tros requisitos da quarta classe.
Todava poder-se-ha admitlir alguns estrangei-
ros mediante previa aulorisaeo do governo.
6.a Classe.Os aprendizes marinheiros devem
ser cidados brasileiros, de 10 a 17 annos de ida-
de, de constituigo robusta, e apropriada vida do-
mar.
Poder-se-ha tambem admittir menores de 10 an-
nos, que tenham suficiente desenvolvimento phy-
sico para os exercicios do aprendisado.
Art. 14. Os voluntarios da primeira classe perce-
bero os sidos coucedidos pelo artigo 1 "do decre-
to n. 1466 de 25 de outubro, mas nada recebero
a titulo de premio on gratificado.
Ser-lhes-ha declarado, e expressado nos seus as-
sentamentos, que nao obtero guia de desembarque
sem previnir ao commandante respectivo dous
mezes antes, salvo se nlsso nao houver inconve-
niente para o servico, por que ento serao imrae-
diatamente attendidos.
Urna resalva, que Ihes dever ser entregue com
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa data os sobredi tos voluntarios, se forem na-
cionaes, fleam isentos do recrotamento por nm an-
n, ou por tempo igual ao que tiverem servido nos
navios do estado, se este prazo for menor ; salvo,
porm, o caso de circunstancias extraordinarias
durante s quaes ficar suspensa a isencao.
Art. 15. Os da segunda classe receberosos pre-
mios segnintes :
Se feremi grumetes; dez, vinte e dons, ou trinta
e quatro mil reis, segundo se contrataren) por um.
dous, ou tres annos.
Se forem marinheiros : vinte, qaarenta e cinco,
ou setenta mil reis, segundo o prazo de seu contra-
to for de um, dous, ou tres annos.
Alm do premio recebero mais os referidos vo-
luntarios se directamente se apresentarem a gra-
tificado de quatro mil reis sendo estrang'eiros >
de cinco mil res sendo nacionaes.
Esta gratificaco, porm nao se abonar repet-
damente ao mesmo individuo por cada novo con-
trato successivo que fizer, se este for de prazo me-
nor de tres annos.
Art. 16. Os da terceira classe recebero maia
urna quarta parte do maior premio que poderiant
obter contratando-se como os da segunda classso
na praca de grumete ou de marinhelro, qne Ibes
eompetir, e a mesma gratificaco apresentando-sa
directamente.
Excepluam-se os qae nao forem hmeos do mar,
e tiverem mais de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alstar-se com as condiccoes das da terceira
classe, mas sem augmento de premio.
Art. 17. Os da quarta classe recebero como pre-
mio cem mil res, se forem marioheiros, e sessenta
mil reis se forem grumetes.
Art. 18. O; da quinta classe recebero o premio
de cento e incenla mil res, se nao forera matares
de qaarenta annos e o de cem rail reis, se tiverem
mais daquella Idade.
Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as eompashlas de aprendizes mari-
nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pas, tutores, on quem soas vetes fizer :
Art. 20. Os premios d qne tratan*, OS artlgos an-
tecedentes serao pagos pela maneira seguate :
g 1 Os dos voluntarios da segunda classe, se o
alistamento for por nm anfto, Ihes serio pagos in-
tegralmente no acto de assentarera praca; se per
dous on tres annos, recebrlo em tres prestaeoes
iguaes, sendo primeira paga como no primeiro
fcaso, segunda qoando vencida metade do prato


-

i
Ido contrato, e a terceira fiada o dito prazo.
,,


Alarlo ftrmbut Qua ra Mm 2 de Feverefre de I8S.
| 2.* Os Totalitarios da terceira classe reccbe-
ro urna ter$a parte do premio respectivo logo que
tenham assentado praca, oatra terca parte no flm
de primeiro anno de servico, e o restante Ando o
prazo de sea alistamento.
| 3.a Os premios dos imperiaes marinheiros e os
das pracas do balaiho naval serio abonadas como
os dos voluntarios da terceira classe.
4." Os premios devMos- pelo alislamento de
menores paras as companhias de aprendizes mari-
nheires sero pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos ditos menores.
Arl. fli As gratificarles qoe competem aos vo-
luntarios que directamente se alistarem no servlco
da armada, sero pagas conjuntamente com a prl-
meira preslacio do premie respectivo.
O secretario da capitana.
eeio de Aquino Fonceca
"Leiiao de 21 barris com manteiga inglesa,
sem limites.
HOJE.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 24 barris com manteiga iogleza
sahida a semana passada da alaadega, a qual se-
ra vendida para fechar conta, sem limites pelo
maior preco : quarta-fera, 22 do corrente pelas 11 zesbilhetes garantidos da lotera que se acbou
lloras do niesmo no armazem do Sr. Annes, defroo- de exirabir a beneficio da Santa Casa de Miserlcor-
CASA DA FOiTiJi
Aos 6:000^000;
A' ***%. T*"*TcLm.
O abaixo assignado vendeu nos sens muito feli-1
Aos senfcores pas le familias.
tima prja capaz offtjreeVse* para Wcefonar f
francs e-prmelms letras por Casas partICdlates a
algumas seoras oa menina qne a isto se qael-
ram dedicar: na ra do Hospicio n. 28, ot> na roa
te da aifandega.
OPSCULO
DE
.on.tr, Religiosa
ron a*. nWmif Mus rsrrcrBA nxs esois be rife'
TBICIJAO PtRMARIA.
Esta obrinha que raereceu do conselho director
dVitfsfrneieao publica o padecer, qne'ffiante trans-
Os possuidores podem vir receber sens respec-; crevemos, acba-se avertda-pefs diminuto preco de
dir, os segulotes premios
Un qffarro n. 455 cora a sorte" 'e i'WfljOOu.
Um meio o. 409 com a sorte de 500,8000.
E outras maltas sortes de 200J, 100, 40* e
THE1TRO
DE
S. ISABEL
4-it \mi: iiaile
DE
Nos dias do carnaval
Sabbado 25, doiuiago 2G, segunda fei-
ra 27, iercafeira 28,
Miguel Candido ds Medeiros Pinto, tendo obtido
do Eim Sr. Dr. Amonio orges Leal Castello
Branco, dignissimo presidente da provincia, con-
cessao para dar bailes mascarados nos dias cima
mencionados, vera scieniificar ao reepeitavol pu-
blico, que tem envidado todes-seus esforcos, mes-
mo nao tem poupad despezas para abrilhantar o
tbeatro.
As 8 horas das noites dos dias indicados est
aberto o tbeatro, e as 9 em ponto principiar o
baile cora a exeoucio de urna das raelhores ouver-
turas, pela banda de msica do 1 baialho de in-
famara da guarda nacional do Recite sob a dire-
cto do insigo* professor o Sr. Theotonio Jos de
Souza.
Pr feos dos camarotes eco (rada geral.
A 2o e 3* ordem sero pelo preco da casa, fl-
cando alterado smente quanto as' entradas que
ter 2 para hemem e 4 para senhora.
A 1* e-4* ordem sero consideradas galeras pa-
ra as senboras qae nao dansarem, mediante a pa-
ga de 24 de entrada.
Entrada geral para cavalheiro 2,5 e as senboras
assim como os mascaras vestidos de senhora pa-
garo 2> por sua entrada.
O director dos bailes julga desneeessario dizer
ao respeitavel publico a ordem e moralidade,
vista de seu testemonho no anno prximo passado
o qual continuarla envidar seus esforcos- para que
con tiaue.
Serlo finalmente observados os regalamenies
Terminar ata horas em ponto.
AYISOS MARTIMOS.
Leiiao de 30 barris de 2 arrobas com touci-
nho de Lisboa.
RMB
O agente PeslaBa fara' ltto para Iiquldaco,
por conta e risco de quem pertencer, de 30 barris t'vos premios sem os descontos das leis na Casa WO-reteem broebnr*-e 409 reis eneardenadsi as
com touctnho de 2 arrobas cada urna, pelo maior da Fortuna ra de Crespo n. 23. I Hvrrta* dos Srs. Gaimraes-e Ollverra roa do' Im-
preco que der, para fechamento de factura : quar- Acbam-se'a venda os da 5* parte da 2 lotera parador n. e do Sr. Noauetra I unto ao arco" de
beneficio do patrimonio dos orphos qae se extra- Santo Antonio,
hir no da 25 do crreme.
PRODUCTOS 41 vlllAVEIS
00
ENSIGN CHIMICO
DO
U-feira 22 do corrente pelas 10 1[2 horas da" ma
nha no armazem do Sr. Annes.
Leiiao do grande predio, em que se acha
montada a grande fabrica de sab da
ra Imperial, e juntamente os pertences!
na mesma fabrica. :p,ra
Quinta-reir 23 de fevereiro de 1865
O agente Pinto levara' de novamente a leiiao !
requerimento dos administradores da massa fallida
de Rostron Rooker & C, e por mandado do Illnr.
Sr. Dr. jiz especial do commercio .a fabrica de
2 Ta*. '""""' indus,7el cdiflci)ne,raPa? Precisa-se de um copeiro e de um moleque
tt Pe'toto? a "J6,53 ma,ssai as,\? ,oras para alugar : na ra das Larangeiras n. 10.
em ponto, do da cima dito na referida fabrica. r------,-----------------~-~------
Alugase um sobrado de um andar sotao,
PREGO.
Bi I heles. .... 7000
Meios. ...... 3^500
Quartos. ....... 1*900
as pessoas qae compraren) de 10041000
par* el m*
Bilhetes.....63500
Meios......34250
Quartos.....1*700
Manoel Mahtins Piza.
ApproTaeSo do conselho director da insIroecJ
publica.
A comraissao encarregada de dar o seu parecer
acerca do Opn:cttlo de Moral Religiosa para le-
tur as eseolafe primarlaci por tif. Ambrosio
Renda, auftrrftdb'peio cnsfclh d' insirucgio' pu-
blica em Franca, e tradqzido em vulgar por ,
leu acuradamente est formoso Hvrinho, que tanto
tem de peiuebo como de interessante ; e qnando,
pela dootHna' o;**' efleerraj e pelo primoroso da
Versaoelle se nao flzesse desde logo rocommenda-
vel, bastara o nome do auto do Godiro Universita-
rio, e a respeitavel sabccSo da auioridade do ensi-
no em Franca, para que a comUPKsf o'1 propozesse
| aopcao do conselho. Mac, al difco, qnizera
Utk
RIO DE JANEIRO.
( hirmbador Ichl.
ou esmaKe branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples appiicaco para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeila-
nente efficaz. O chumbador Iehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
Cimento cblnez
para concertar com a maior perfeipao louca, prcellana, cryslaes,
vidros, marmore e quaiquer objecte precioso ...... i $500
(iincnlo de gntta> pereha
especialmente-preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna gaia............, .
/izi.
oSOOO 40000
181000
LeilSo de gneros de estiva.
;sn!5^Tt^.,,A'stls1s"
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
avegaco costelra por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac.
N dia 22'do corrente s 5 ho-
ras da tarde segu para os por tos
cima indicados o vapor Maman-
iipt, commandante Moura. Re-
__ 'cebe carga at o dia 21. Encom-
inendas, passageiros e dinheiro a frete at 2 horas
da tarde do dia da sahida : escriptorio no Forte
do Mallos n. 1.
ran^a, charutos de marcas conhecidas no mercado,!
balancas, pesos e diversos objectos pertencentes ao
mesmo, o qae tudo sera vendido sem reserva :
qninta-feira 23 do corrente pelas 10 horas da ma-1
nba em seu armazem na roa do Codorniz n. 12 *^este estabelcimento se eeontra sempre un
A-. completo e variado sorlimento d chapeos de sol
chapeos
Falque, ra d Crespo
n. 4.
r que nao s
primarias, I
masque se procure vulgari.-a-lo em todo o imperio.
Sala do conselho director" da instrurcao publica i
dp Pernambuco, 18 de setembro de *8B3. Jos
Sares de Azevedo.Dr. Apriglo Jostiano da Silva
Guimaraes.
LEILAO
de um excellente sobrado de um andar e sollo mmttC^frimT^AU^P^ht^re"m
Preeisjtse de urna engommadeira : oa rna
de seda, alpaca e pannos de todas as cores e qoa- do Imperador n. 14.
'idades, tanto para homeos como para senhoras e
rS0Lr4SSe,SrPari,grand3 fara"ia- P0F ourros^l^p^ehnT
ri^SV-^qQV^nop*vime-D?.SBpe* ^eberum esplendido sortimenio de sedas em
arvnrX iffi l,JX ^ PAle0' ^""J1 COm V*V.is melhores cores e qualldades para apromp-
nS "'.Cieir' lel^ir0' P5 e dep0S'" ur e cobrir os chapeos de sol a vontade dos fre-
imfi .LIS' "; \ 8Qezes> assim como a|Pa e pannos de todas as
*S^^2f!*^*i2!2^5? qualldades, tndo por precos razoaveis e perfeicao
e carimba, na mesma ra n. 66, junto ao sobrado no trabalno. Concerta-s toda e qualqueV quali-
dade de chapeos de sol com presteza e commodo
m sobrado de dous andares na ra do Livra-
mento n. 9, o qual se torna recommendado por ser
edificado era una ra de grande commercio.
Duas tergas partes da casa de sobrado e sitio da'
prego : na ra do Crespo n. 4.
A buns
J. Falque participa a seus numerosos freguezes
smsj^s^^
bacliarelJfts'BaplsUii Gitiranag
advoga nos termos do Ronito e Caruar. H
Pode ser procurado na villa do Bonito, 5
ra Direita n. 16, dfroMe da cadeia.
baribe.
Sexla-feira 24 de fevereiro de 1865.
O agente Pinto far lello por autorisacSo da di-1 p^TpTism TJfcrTr mmlo
ctoria da caixa filial do banco do Brasil nesta ci- "'',2Zi .?r'.T!";vL?2 u5
1 para retratos que se pode ver nesla cidde, vmdos
directamente de um dos melhores fabricantes de
menos
dade, dos predios cima mencionados, s 11 horas i BSniSPSSSi df'tk m i'b h".!
do dia cima dito, em sea escriptorio raa da Cruz:"2*lS^fTiIt/- iu* m* 605, hf
n: 38, onde poderoos pretenden.esobterem desde,SS?SL&WSS
j^qualquer informacao acerca Ir-^P^SJSlfS
------------------.---------------------------------- preco d 4^; reslam poucos, por i'sso devem-se
LcilO de dividas lia importancia de approvenar : na roa do Crespo n. 4.
5.368:442 rs-, sendo 5,084:532 rs ~ Ca,e,a1n0 pere,ra de Bril0- oiiciudor de cau-
.m i,' ..aoj.niii J ..1- ,sas no el vel,. commercio e ecclesiastico no foro
em letras e Zo,M P. era Vale!. desta cidade doRecife, tend> o-sea escriptorio na
Sexta-feira 24> de -fevereiro. ra da Praia no primeiro andar do soorado n. 4i,
O agente Pinto fara' leiiao a requerimento dos ah estar sempre das 6 horas as 10 da manhaa e-\
administiadores da massa fallida (de Antonio Pe- das 7 da tarde as 7 da noite. Eucarrega-e de
reirada Silva, e por mandado do Illm.Sr. Dr juz toda qualuuer causa que Ihe queiraoi confiar,
especial das dividas activas da referida massa, as obrigando-se a adiaolar todas as d*speMS,e mesmo
II horas do dia cima dito em seu escriptorio ra a assamir a responabilidde, qoando qnaiquer
da Cruz n. 38._______________________ parte nao ti ver aaimode propora, sua aeco,
Leilode urna casa terrean 33 na raa de prosegui-,a-
ou
GOMPANHA PERNAMBUCANA
DE
Navegaeo co.steira por vapor.
Nalal ea direilara.
Expedeseo vapor Persmunga, commandante
Bats, para Natal em direilura no dia 22 do cor-
rente s 8 horas da manhaa ; recebe carga at o
dia 21 s 11 horas da manhaa, encommendas, pas-
sageiros e dinheiro frete at s 4 horas da tarde.
Escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Porto
Segu hrevemente a barca portugueza Sympa-
thia por ter seu carregamenlo completo : quem
quizer ir de passagero, para o que tem excellenles
commodos, entenda-secom Bailar & Olveira, ra
da Cadeia n. 26.
Precisa-se de um menino de 13 14 anuos
Cia. ou um homert de 30 40 aanos que saiba ler :
Martins fara' leiiao competentemente autorsado tratar na ra da Concordia n. 38.
de urna casa terrea n. 33 na ra Velha freguezia
da Boa-Vista, e de construccao moderna, propria
para se levantar um sobrado" por terem as pare-
30.$0G0 de ratiHraco.
Furtaram do bordo do bngue hamburguez Pal-
ies capacidade para isso, a qiial faz esquina para ma< SHrt0 neMe porto, um bote de poueo mais ou
a travessa da Campia | menos 20 ps de comprimento, sem remos, pintado
Sexta-feira 3 de marco I dentro de cor de cauna e envernizado fra ; a pes-
a porta da associagfio Coraraercial, as 11 horas do sea que-o apprehender. levando-o a bordo do dilo
da. bngue recebera a gratificac.lo de 305000. Suppoe-
se ter sido levado este bote'por um preto america-
no, marrahjeiro do dito brgue, por ter desappare-
cido na mesma occasiao.
Leiiao da armaca, trastes, garrafas
com licores, p >>el, frascos com agaa
de colonia, ditos com extractos, gar-
rafas vazias e mais objectos perten-
centes a antiga deslilaco de Soares
& Irmo.
Sabbado s 10 horas em ponto.
O agente Pinto far leiiao requerimento de D.
Josepha Mara dos Prazeres e por despacho do
1il -r
tirt IjiSUOil. objectos cima mencionados existentes na toja do
Pretende seguir com maila brevdade a barca1 ^r^0.^.palaJaAoa-X,?a..n:J9 ^?"?!0^
O Sr. Dr. Joo Jos de MotiraMaga-
Ihaes queira vir ou mandar, livraria da
praca: da.Independefita'ns 6 e> 8-, buscix
urna carta da Bahia.
Pergunta se ao.Sr. professor da povoaQao da
Boa-Viagem.se pode funecionar e ter direito so
respectivo ordenado quelle professor que s entra
em sua aula tres meninos? que juizo se pode fa
llim. br. Ur. juiz municipal da primeira vara, dos zer de um professor que tendo. icoatad em sua
< AhiDnlnc a/tamo io^b/ia.,..,!.,. <-.<-: i ..n-..-. n I ti J_ I ,,-. ,*
aula 20 alumnos, hoje apenas contanr-se tres, ha-
portugueza Henriquela, tem parte de seu carrega-
rua do Aragao, aonde se elfectuar o leiiao no da
ment prompto : para o resto trata-se com os seus
e hora supra.
vendo no logargrande numero denwninos'?
O curioso.
asignatarios Antonio Lulz de Olivelra Azevedo &
G', uo seu escriptorio roa da Cruz n. 1.
Para o Rio de Vanelro
pretende seguir cora rauta brevdade o brigue es-
vana Jovm Anhur, tem parte de sea carregamon-
to engajado : para o resto qae Ihe falta trata se
com os seas consignatarios Antonio Luiz de Oli-
ve ira Azevedo & C., no seu escriptorio ra da
Craz n. 1
Para o Hio de Janeiro
Sahir com brevdade o patacho nacional Via-
mao, recebe carga a frele commedo e escravos:
iraia-se com Manoel Ignacio de Olveira 4 Filho
no largo do Corpo Santo escriptorio n. 19 oa com
o capiloa bordo.
Par
Segu nestes dias em direilura ao indicado por-
to o veleiro brigue escuna brasileiro Granosa, ca-
pito Jacintho Nunes da Costa, por ter qaasi prom-
pto o seu carregamenlo ; para o penco que anda
pode admetiir, trata-se com o sen consignatario
Antonio de Almeida Comes, ra da Cruz n. 23,
primeiro andar.____________________________
Para o Porto pela Ifta de S.
Miguel.
O vellero e bem conhecido bngue nacional A-
intha pretende seguir com muita brevdade, tem
parte do seu carregamenlo engajado, para o resto
que Ihe falta e passageiros, para os quaes tem ex-
ilenles commodos : IraU-se com os seus consig-
natarios A. Luiz de 0. Azevedo & C. no seu escrip-
torio na roa da Cruz u. 1.
Kio de Janeiro.
A sumaca Aguia recebe carga miada e escra-
vos a frete : trata-se com os consignatario Mar-
aes, Barros & C, largo do Corpo Santo n. 1;
Para Lisboa
pretende sabir em poucos dias o patacho portagaez
Jareo por ter a maior parte da carga tratada, e pa-
ra o pouco qae Ihe falta trata-se com os consigna-
tarios Palmeira & Beltrd, largo do Corpo Santo
u 4, primeiro andar.
P ira a i I lia de remando de Yoronha
.;_'a; improlerivelmente no da 25 do corrente o
bain conhecido hiate Sergipano : para carga a pas-
.- i|f.'iro-i trata-se com o capitd a bordo.________
Leiiao do palhabote Artista
nelladas.
Sabbado 25 de fevereiro 1 hora em ponto na
praca do Commercio.
O agente Pinto, far leiiao precedida a compe-1
tente autorisaco do palhaootc Artista, tal qual
se acha ancorado neste porto em frente ao trapi-
che do algodao o qual est prompto a seguir quai-
quer destino, 04 pretndanles podero desde j
examina-lo e comparecerem no dia e hora cima
ditos na pra^a do Commercio em frente a oasa dos
Srs. Palmeira & Bellro.
I O Sr. Sebastio Accioli Santiago -Ramos que
de 289 tf> ra vir a ra do Imperador n. 83, segundo andar
para concluir o negocio qua nao Ignora.
Par
Segu brevemente parado indicado porto o hiate
iLindo Paquete, rapilo Henriqne Antonio do-Ama-
ral, para alguna carga que pode anda receber
tratase como respectivo consignatario Antonio de
Almeida Gomes, roa da Cruz n. 23, primeiro
.andar.
AYISOS PITEMOS.
LOTERA
AOS 6:0000000.
Sabbado 25 do corrente mez se extrahi-
r a 5* parte da 2a lotera do collegio dos
orpbSos no consistorio da greja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos est3o a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 6-0000000 at 106000
serao pagos una hora depois da extracelo
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuic3o das listas.
As encommondas ser3o guardadas so-
mente al a noite da vespera da extracto
como decostume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
De onlem do Illrn. Sr. Dr, presidente
faco scente aos Srs. socios, que a partida
deste mez t r lugar no dia 26; na qual
permittido aos mesmos socios e aos mais
convidados apresentarem-se trajados de
phantasia, so!) a reserva de serena reconhe-
cidos pela cern etpnte commisso antes do
ingresso no -a\Zo-
Secretaria da sociedade recreiativa Gory-
bantina, 14 de fevereiro de 1865.
O 1" secretario,
Faustino Jos da Fbnseca.
O London & Braziliau Bank, saca por lodos
; Os paquetes, sobre
Lisboa.
Porto,
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Vi lia- Real.
Coimhra.
___________Amarante.
Manoel Jas Lopes Guimaraes participa ao
respeitavel corpo do commercio qne vendeu a sua
taberna sita na praetnha. do Livramento n. 1 ao
Sr. Jos A atunes Perera Braga, livre e desemba-
razada, e como se persuade nada de ver pessoa
algama, o que se considerar credor, poder apre-
senlar sea coala no praso da data do presente aanuncio, fiados os qnaes nao
allende r aconta algama que se Ihe apresenlir.
Recife 17 de fcvereiro de 1863.
Attenco
Pede-se pessoa qae achou da ra da Palma
al a ra d Paz um capote de grosdenaple preto
proprio para senhora, tenha a bondade de levar a
ra da Palma n. 41, taberna, que gratificase, ge-
Precisase de um criado para o servlco de
um bomanvsolteiro : na ra da Aurora n. 74j se-
gundo andar.
Precisase alagar urfta ama qae saiba cozi-
nh'are qrieiracomprar para urna casa dfi'das
pessoas : na ra da Imperatriz n D. 34, primeiro
andar.
Aluga-se um sobrado de dous andares e so-
to na ruada Perrlia n. 6 : a tratar na ra larga
do Rosarlo, arm zem de louca da porta larga.
Antonio Barbosa de Barros retirase para
Portugal a tratar de soa sande._______________
Hap'i-enda
O Julio est na na rte Santa Isabel n. 9 com ri-
cos e novos vestuarios, tanto a carcter como a
phantazia, vende e aluga por pouco dinheiro.
(osmctUo Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualq&er par-
te do corpo, ser dor e sem alterar a pelle. Ac urna gia. .
Ulexlr odontalgleo vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeifJes, e
que tambem proprio para a conservafio dos mesmos, o en-
durecimenlo das geagivas e a sdavidade da bocea. Acompaftlia
urna guia..................
lincrlvorc
para tirar a tinta do papel' e limpar a pennas de ai;o.....
Heltein
pedra austraca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellir, cangalha e outros arreios
dos burros e cavallos; ailoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno d 17W. AlBanga-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada, c que nao
exista mais inchaco. Acompanha urna guia.......
Lima eliimieas
exlraecao dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas- chimkas- de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. O par...........
.11 assa dentarla Samakol
esta m;is-o, pouco temp i depois de sua introdcelo na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentilicias. Acompa-
nha una guia................
llassa Instroaa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
magoes de lojd, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas-, Bcafido envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel- ebeirose
inflammavd, queimando sem bulha, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensafoes agtadaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem. ....
Mem.....
pomada Rondeicu
2->00O 18^000
:(;SG00 24,-OGO
2*000
500
hooo cfgm
3X)0 34.SOOO
34OOO 24O0O
1.5000 90000
Antonio Jos de FlgOeiredO/rratof al da comarca
deOoIanna, e aetual morador, lendo a Recaa Dia-
na desea conceitaado jornaf'de T^do- corrente,
deparercom o-nome de um passageiro do vapor
Parahiba que parta dista propnela para a de- :n, ? i
Aiagoas.cnjonomeiguaraUwu; avista do qae cnra piolhos e tendea ; aiancada sem mercurio
levdlt; resolvidotenho a mudado-, edehojeeml POS de prata
diante assjgnar-me-hei por Autonio Jos de Pgis. i para pratear instantaoeamenie o cobre, o latao, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigps pirateados, como faqgeiros, salvas.
castlcaes, apparelhos de cha e outros. objectos semelliautes, af-
fiaacados sem mercurio, para uso. dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas- de familia:
Vidros- de 2 oitavas. .
dem le urna onca. .
pos para limpar a prata laVrada
sao alancados infallveis. Acompanha urna guia, vidro .
pos purgativos
para curar, e prevenir a* molestias dos caes. Acomp. urna guia :
Carteira. .
dem .
Nabo oriental
500
1000
lrS5O0
4->0OO
7*008
IOAOOO
20000 20,50(I0<
Jaquim Jos de Azevedo, subdito portuguez, I
vai a Portugal, e dexa por seus bastantes procara-'
dores em 1" lugar o Sr. J js Correia Braga, em 2o.
Uomingos Jos de Amorim e em 3 Joo Custodio
da Silva.
Urna pesssa que entende perfeitamente de
cscripiuracao mercantil por partidas dobradas e
simples, se offere* aos senhores- commercianles
para encarrrgarse de algumas escripias por quai-
quer um dos sistemas : a tratar na ra da Impe-
ratriz n 39, terceiro andar.
14500
300; 0
12*000*
2890001
500 4|000
Ao llim. Sr. Ur. chele de polica.
Pela segunda vez .-c queixam os moradores da I
ra do Colovello do malvado procedimento de Ber-
dinba de Jess Texeira : ha mallo falla o mundo
qweeia uma insolente e furiosa douda, e pelos para tirar todas as nodbas simples ou composias sem aiterar os
actos que pratita bem oproya-, esta mumer o tecidos como sejam : nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
500
1S000
4*000
7AO0O
horror e a vergonha das familias, injuriando-as no
que ha de mais sogrado, pondo com -os seus ber-
ros prosliluico as senhoras casadas que sempre
souberam respitar o seu estado com honra e dig-
nidade. Vivem as familias cutio privadas de ap-
parecerem em porta, porque se o lizerenv hao de
presenciar la horrendo espectculo. Esperamos
que Y. S. conseieuciosameoie far jusl d condnzir ao lugar que Ihe compele para alivio
de tanto flagelo.Um pai de familia.
Precisa-se de urna ama livre que compre e
cozirrhe para casa de pouca familia : a tratar na
roa da Cadeia do Reciten. 47, toja do balao.
Precisa-se alugar um preto para r> servlco
desta typographi, ao qaal dar-se-ha sustento, e se
pagar por semana ou pt.r mez, segundo convenha
aosenhor : a tratar na praca da Independencia
ns.6e8.
000. 18*000
Preeisa-se de urna preta engommadeira e
ensaboadeira, esorava ou forra, que seja de boa
conducta : trata-se na rna da Aurora n. 60.
Alaga-se'um moleque com 12 annos de ida-
de, submisso e fiel : na roa do Nogueira n. 39, so-
brado.
nerosametrte.
Aluga-se um sitio oa estrada de Joo de Bar
ros, prximo ,. Soledade, com boa casa, estribara
i e bastantes arvoredos de fructo : a tratar na ra
larga do Rosario n. 32, ioja.
IEIL0ES.
Leiiao
Antonio Valentim da Silva Barroca faz leilode
fazendas inglezas de algodao.
Hoje pelas 11 horas da manhaa
cm sea armazem da roa da Cadeia n. 4.
O ba-harel Antonio Annes Jacome
i Pires reside na ra do Imperador |
S n. 81, segundo andar, onde pode !
5 ser procurado e advoga._____ J
wm mmmmmm mmmmmm
Precisa-e de nma perita, cozinheira escrava
on forra, sendo de boa conducta, e qae alem da
cozlnha se encarregue de algnm servico em ama
casa de pequea familia : trata-se na ra da Au-
rora n. 60.
Aluga-se ou vende-se ama grande casa na
Matriz da Varzea, a qual tem um guari que ser-
ve para quaiquer estabelcimento, com sitio e ca-
cimba ; tambera se alaga urna mais pequea ao
p, sita na ra do Pogo : quem a pretender diri
ja-se ao pateo do Carmo, sobrado que bota a fren-
t> para a ra de Hortas n. 2, primeiro andar.
Tendo o abaixo assignado de retirar-se para
Europa no primeiro >vapor qae se espera, afim de
tratar de sua sande, faz sciente ao publico que
deixa com procuracao bastante geral para tratar
de todos os seus negocios como se presente fora, a
sua senhora D. Mana Larsaboua Poech, e em se
gando lagar ao Sr. Tisset Irmo. Ao mesmo tem-1
po approveita o favoravel ensejo para despedirse'
ao todos os seus aminas e conhecido?, esperando i
em suas bondades qae continuarlo a frequeotar o
seu estabelcimento, como o tem feito at o pre-
sent, afiancandclhes que sempre encontrarao
tudo no melhor gosto possivet.
Luiz Puech._________
O Sr. Leopoldo Cadault tenlu a bondade de
vir a ra do Imperador n. 83, segundo andar, a
negocia qua nao ignora.
CH-EGARAM
os ferros de encrespar babadosde vestidos e roo-
pas de senhoras, de dfversoi tamanhos, assim co-
mo ferros de recortar de ditersos modelos.
4-Bli IW IRKMPO-4
Os Srs. lente Urito do balalliao o i- da guar-
da nacional deste municipio o o Sr, Jtts Gonyal-
ves dos Santos e Silva, tenham a bondade de com-
parecer na raa da Praia n. 60, armazem de carne
de charque, a negocio que ne igooram.________
Precisa-se de um caixeiro para taberna que
de fiador a sua conducta : na- roa Augusta d. 76,
ce dir onde ha de tratar.
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia............ 500 4AOOO
Tinta Azul Indelevei para marcar a ronpa
| azul, no escrevpj% een 24 horas na sombra ou menos de urna
hora no sol, torna-se preta e nunca ma s sahe do panno as la-
vagens. E' preciso eserever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Afllanca-se-o-ue nao ha melhor mrcorte emqualidade, *
VidrOide tres oncas lr>000 75000
dem de urna onca. 500 i&OO
Tinta enea nada iidelevel sugerflua
para marcar a rouja, em vidros. de meia onca........
remedio maravilboso.o nwiiQr at lteje conheciik contra ftidas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, fislulas, frieiras,.hemor-
roidas, lcenos, mordeduras, malas, pauarr^ss-, (jneinraduras,
reumattsmes, supunacOs putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio. iki. soliorai,. tumores e ulceras cm. quaiquer. parte:
Rolos. *00 30^000
dem..... 21000 17000
nico depiaiOf mu fiennambuco^ em grosso e a retalho
EM CUSA DE MANOEL & l
H Rll Oa MBK.V S
AMA
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
I na a residir na ra da Cruz n. 53,
(' 1* e 2' andar, onde pode ser proeu-
f rado para o exercicio de sua profis-
s5o medica, e com'especialidade
[ sobre o segumte
1* molestias de olhos;
2^ de-peite:
3*' b orgSos geBitl
urinarios.
Enseu escriptorio. os-doentes se-
rao examinados n* ordem de su
entradas comecando o trabaiho pelos
doentes de olhos.
Dar consult todos os dias d s
6 as 10 da mankaa, menos nos do-
mingos.
Fraliear toda, e quaiquer- opeua-
flo que julgar- conveniente para o
prompto restabeleciaento dos seus
doentes.
s
ll'PMl*!
Precisa-se de urna ama para cozinhar e eom-
| prar : na raa da Cadeia Velha n. 4o.___________|
Charles Daamerie, alfalate francez, participa ao
respeitavel publico e a seus freguezes em partiou-
lar, que mudoa a sua loja que tinha na ra da
Cadeia n. 14 para a mesma raa n. 2ft, esquina do
becco Largo.____________
Beaze Antonio Florenciano-e licbaele Nkxtie
de Biagio, subditos italianos, Heiirao-se para Er-
ropa,
Iirro do Povo.
O livro do novo, obraornada comestampas.con
tendo a vida deNosso Senhor JesusChrsto, e mu>
tos arligos uteis. Este livro das familias recom-
mendado eapprovado pelos Exms. ^rs. D. Luiz
hispo de Maranho e D. Manoel arcebispo da Ba-
bia, vende-se a 15000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira de Souza, ra do Crespo u. 2.
A
WWO ARMAZEM. DE M0,HAIX)S
-V llina do tabulab. 18.
Defi'diile da matriz de Sania. Anlonw,
be-
hwm ** L
0 proprietariodeste novoestaUelfeetraento avisa-ao respeitavel publico, que-aena-
se prvido de um completo sortimento-db mfjlUad&e. seceos, todos, novos e por precos.
commodos,.
O proprielarto- nunca quiz annunciar pelo, jornal a existencia de seu estabelci-
mento ; prm, como- tez-se- necessar a noticia ao*.senhores- de engenlio e agriculto' es.
que manda seus portadores di rede* a-esta ouquella asa* motivo pelo qual ospro-
protarios o fazera a^ira
A^roveitaiH occasiao para declarar aos-Srs. consumidores, que seu estabelci-
mento se achara sempre completo de um variado sorlimento de molhados. soceos e ou-
tros objectos pertencentes ao mesmo ramo de- negocio.
Seus p*e?os sero menos 5 por cento do que era oulra quaiquer parte, e para
este fita cbama-se a attenco de todos em geral'..
Os pesos e medidas, e quaiquer engao* dada na casa, serto garantidos rjelo dono
em favor do consumidor, em quaiquer occasiao que reclamar.
Os preprietarios deste novo estabelecimenio esperara dos seus. freguezess e do
publico em geral toda a proteceo, prometiendo os proprietarios da Ftr dos Pvogr's-
se* tirar t3o rnente um lucro razoavel do laborioso trabalho, com que possam dar
euaiprimento a esta ardua misso.
Achando desneeessaria a publicacao dos preces minuciosamente explicados de
seus gneros, com o que geralmente todos fogem, pelo motivo nao somentede ser enfa-
donbo, como tambem por nada valer, os proprietarios tem smente em vista entreter s
seus consumidores com gneros novos, e precos mais razoaveis do que em oulra quai-
quer parle, pois serao as garantas para a proteceo ao Na** Armazem de Molhados, .
FLOR DOS PROGRESOS. r
l*000
46000
'



fe


.... ... .-'. -
Diario de ferumbuco Osar la letra tt te rrTrraiffie A NACIONAL
Coinpanliia geral hespanhola de seguros mutuas
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna anca em ilinlieir>>, depositado nos cofres do estado, garante a boa a4
ministracao da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA DIRECCO GERAL
O Baaco de Hespanha | Madrid: Ruado Prado a. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcao de mam-ira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to supreheodentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL, que anda mesmo diminnindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
goes e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieuz que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna imporsicaoannual
de 100# produz em efTectivo metlico:
No lira de 5 annos.......1:1193300
de 10 .......3:942,8600
de 15 .......11:208,5200
> de 20 >.......30:256*000
de 23 .......80:331*000
Xas idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes sero prestadas pelo sub-direclor nesia provincia,
mo Joaqnim Fiuza de Olveira, ra daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatrz n. 12, eslabele-
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
A reuaiao familiar do mez fie fetreiro rya do Imperador n. 2i para a roa dasCrozesn
ter lugar no dia 27. A directora 9Cienli-23>.l8o*lu>ente tem para vender
Para todos. Na praca da Independencia leja de ourives Acha-se jnsto para compra com o Sr. Anto
O abaixo assignado faz sciente o respeilavel n- >* compram-se obras de ouro e pratae pedras nlo Barbosa de Barros,a casa terrea n. 2 do bec-
-' preciosas, assim como se faz qualqner obra de c* do Tocolomb oa Becco Tapado'na fregnezia do
encommenda e todo e qualquer concert.
BANCO (MO
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE,
A direceo do BANCO NIA'O tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisaco
para estabeleeer o seguro de vidas em rhutualidade, faz publico que desde j toma subs-
cripces annuaes por urna s vez, debaixo das seguintes condices:
Com perda de capital e lucros;
Dito de capital somenle;
Dito de lucros somente ;
devendo a primeira liquid^gao ter lagar no Io de Janeiro de 1869.
As vaolagens do emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao so-!
mente se collie o juro de quaulias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar ne-.'
nbum resultado; mas alm d'isso, este rendimenlo augmentade pelo capital ou lucros, i
ou ambas as cousas, conforme as condices da subscripcao, dos que fallecem. Tambem!
partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os socios morosos nos seus -paga-i
mentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que occorrerem
pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companbias bespanliulas, tutelar e outras ; e
pira se pjder fa-.er urna idea do que pude produ/.ir urna entrada annua de 10^000, pu-
blica-se a seguinte tabella bjsea-la sobre a experiencia di muitos anuos de companbias
desta natureza.
Em 5 annos
auno HO.-i
90
Sli
8G
86,3
86-?
86 i
865
90r)
As entradas por urna s vez dio resultados muite superiores s annuaes.
. Mnimo das entradas u#000.
Porto, 10 de agosto de 1863. Os directores do BANCO UNiA'O, Jos da Silva
Machado.F. M. van der Nicpoort
Agentes em Pernambuco: Antonio Luiz de Olveira Azevedo & C, ra da Cruz
numero i.
fica que terao igualmente ingreeso es Srs.
socios que vierem mascarados sendo pre-
viamente reconhecidos por urna c*mlss5o.
Roga-se ao Sr, bacharel Cezario
de Azevedo jniz municipal de Garan-
huas, qneira irigia-se i praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, no anuunciar
sua nioroda para ser procurada.
Jos Soares d'Azevedo, pruf ssor le
lingua elilteratura nacional no Gymnasio
Provi cial do Becife. tem aberto em saa
casa, ra Bella n. 37, um curso especial
para cada urna das seguintes disciplinas:
LINGUA FRANCEZA,
GEOGRAPHIA E HISTORIA,
PHILOSOPHIA RACIONAL E MORAL,
RHETORICA E POTICA.
palha e junco
mais barato qne em entra qualquer parle.
Manoel da Costa Azevedo Napoleao.
THESOURO DAS MAIS
Providencia das criancas
COLLARES ROYER
Electromagnetices.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTIQO
Contra as convulsSes e para facilitara
dentice das criangas preparados e inventa-
dos por Boyer, pharmaceulicu da esco-
i la superior do Pars, suocessor de Chereau,
membro da academia de medicina
antiga casa de Bouillon-Lagrange,pharmaceutico
do imperador
enere dos trabalhos cbimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Paris,e membro da academia imperial
de medicina.
I Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
tos, continua a residir na ra do Impe-
rador n. n,t' indar, onde pode ser pro-
curado aqualquerhoradodiae da noite
para o exercicio de suaproflsso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meiodiaat4 herasdatarde,devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
i nao abandonando nunca o estudo das
' molestias do interior, prosegue, com o
; maior a Hinco, no das mais diffieeise deli-
cadas operacSes. como sejandos orgaos
ourinarios,dosolhos, partos,etc.
As pessoas que d sejaren estudar qual- Aolon o-Luiz oe Oliveir Amfdi
querdestespreparatoriospodem dirigir-se ."';*"" "''IJ"? HvS*11
4 indicada rfisidprtria dp manhaa at s 8 r A8entes do banco Umao do Porto.
hnr,c .L. a i matiaa ale aS Competentemente autorisados sacam por todos
iioraseae tarde a qualqu r hora. os paquetes sobre o mesmo banco para o l'orto e
Jos Joaqnim de Novaes faz sciente ao respeita-
vel-publico e a todos os seahores ofllciaes do exer-
cito e da raarinha, que contina a ter sna casa
sortida de fazendas e roupas feias e por medida :
no largo do Livramento n. 34.______________
Aluga-se
urna casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos,com banho na porta, no lugar do Poco
da Parella, ra do Rio : a tratar com Tasso ir-
mos, na ra do Amorim n. 35.
Offerece-se urna mulherporlugueza para o
servico interno de urna casa, inclusivamente en-
gommado : a tratar na rna da Cruz n. 18, ar-,*?.1"0-.
mazem.
Lisboa e para as seguintes agencias
Londres sobre Bank ofLondon.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cadis
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
. Bastos.
i Beja.
Braga.
Braganca.
Por um menino de 1 dia a 1
K (( de 1 anno a 2
, de 2 a 3
de 3 C Por urna pessoa de 15 a 20
de 20 a 30
n de 30 a 40
'( de 40 a 50
10 annos lo annos 20 annos 25 annos
400,-> 9003 2:0003 4:7003
3003 7503 1:7003 3:7003
290/ 7203 1:6003 3:5003
2703 7103 1:3603 3:4003
2703 7003 1:5503 3:3503
2703 7003 1:5103 3:330,3
2703 7103 1:5603 3:4003
2703 7203 1:6003 3:7003
3033 7503 1:8003 5:0003
AMA.
Precisa-se de urna ama para casa de familia :
na praga do Gorpo Santo n. 17.________________
Madama Freir, modista
brasileira,
| avisa ao respeilavel publico e aos seus freguezes,
que faz qualquer ebra pertencente a sna arte, por
menos preco do que em outra qualquer parle, as-
sim como sejm vestidos de casamento, bailes,
theatros, montarlas, soutambarques, domines e
vestuarios para o carnaval: na ra da Penha nu-
mero 2.
Frdric S. Ballin & C.
Joao Gabe & Filho.
Francisco Rohala & Ballesta.
Jaime Merie.
Crdito Commercial.
Gonzalo Segona.
M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello'Branco.
Chaves.
Colmbra.
Covilho.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
T homar.
Villa Nova
Porlmao.
de
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lami'go.
Leiria.
Monco.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Viauoa do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Alugam-se dous grandes sobrados com com'
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim.cocbelra, estribara eontras comrao-
I didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira : a
tratar na ra daSenzala Nova n. 42.___________
Precisa-se alugar urna preta para todo o ser-
vico de uaa casa de familia : na ra do Trapiche
nomero 4.
Reclfe, o qus faz-se publico'para que no caso de
hiver algum Impedimenta ser anaunciado Dcstes
3 das.
COMPRAS.
Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loj& de blhetes da Praca da Inde-
dendencian. 22.
Compra-se elTectivamenie ouro e prata em
obras yelbas pagando-se bem : na ra larga
Rosara n. 24, loja de ourives.
AJgcdSo em caroca
Compra-se qualquer quantidade por maior pre-
co do que se paga bo mato : na fabrica da traves-
sa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
Compra-se um escravo mojo, sendo Lcm co-
zinheiro nao se duvida pagar bem : na ra da Ca-
deia n. 28.
Compra-se um esciavo de idade que
sin a para trabalho de s-itio : nesla Upo-
graphia se dir quem quer.
Compra-se urna escrava de meia idade
ra de santa Rita n. 13, primeiro andar.
YERBAS.
Aula particular.
O abaixe assignado, professor particu]ar,prov-
sionado peladirectoriageralda msiruccaopHblica
para ensinar primeiras lettras, latim e francez,
participa ao respeilavel publico e igualmente aos
senberespais de seus discpulos que seguuda-feira
9 do correntetem de continuar no ensino das su-1
praditas materias, admittindo a matricula alumnos:
externos, pensionistas e meie-pensionistas. A pra-j
tica de 19 annos consecutivos no exercicio de seu
magisterio, sua inteiradedicacao e sua moralldade SJ^JS? nem casa de Johns'on Pater &
sao garantas que offereceaos senhores pais de fa-
milias, que desejam a sa e til educacao a seus
filnos.
Quem pertanto quizer confiar ao mesmo abaixo
assignadoa educacao de seusfilhos, pode dirigir-se
na
Altenco
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
C. rua-
/N.
Cas-
XAROPE DEPURATIVO
de LiE GOUX
BROM0-SULPH0-I0DURADO
Este novo producto resultado de urna trplice combinacao de tres metalloides cujas proprie-
dades sio mu conhecidas, o Bromo, o Euxofre e o Iodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quacs o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais notaveis dos hospitaes de Paris, os senhores Cazenave,
Puche, Bazin, Blache, Guibout, Baroschet, Danet, Legroux, Vasse e Aubrv, etc., demonstrarlo
sua poderosa eflicacia as afiecces seguientes :
Borne de pello,
Dartroa c borbalhan de (da a especie.
Placas mucosas,
Obslrnccoes l Papelean,
Esc rola las,
Abeesass, poateuias,
Cameros,
Ulceras,
Tinfaa,
Escacboto,
ras ou Boubaa (do Brazil),
Framboesla,
Humores Irlos,
Racblllsmo,
Ophllialaila eserofulaaa c ehrsulea,
Tlalra escrofulosa,
Alfeceoes sypbllltleaa,
Elepbantlasls dos Greyoa,
E todas as dacncas occasionadas por un vicio do
sangut, e j tratadas tem nenhum succtsio pelas
preparares vegetaes, iodadas e o oleo dt firado
de bacalbio.
O Xarope de Le Goux, de nma fcil digestlo e de gosto delicioso, se emprega Umbem
com muita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospiul dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosa e rachiticas ou sobre, a influencia de um vicio hereditario, e mui
superior neste emprego ao oleo de figado de bacalho e aos xardpes depurativos e anti-escor-
bu ticos que se administra vio at agora.
Deposito geral, em Parw, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina dt
Pars, official da Legiio de Honra, e era todas as boticas dt Franca e dos paizes estrangeiros.
Oliveira d'Aze-
mes.
Peona fiel.
i Tavira.
i Villa do Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No imperio
Bahia. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
mejmo Banco a razao de 4 por cento ao anno a
rifar na roada Cruz n. 1.
O solicitador Pedro Aiexandri-
Haaiial do guarda nacional. L *f CA*f? "".1!!*?0 '
Acham-se impressfs qualro formas com 64 pa-: rS'." "te f"ro-des,a c;da,dede l^ 1ae
ginas era oitavo francez do segundo volume do Ma- 1,rat1e"derinleAsua Proflssao, aceita de partido an-
nua/ do guarda naciona!, ou colleccao de todas (as UAL^^denC-,as,judlf iaeS ,de- nual1er ,ca?a
leis, decretos, avisos e ordens concernentes ames- e"merei*l mediante raioavel ajuste. Continua
ma guarda a seencarregarde cobraBQas noslerroos doCabo
Ha nesta's qoatro formas, importantes decisoesdo ,cIPJuca aondecontinua a trabalhar como d'an-
governo, esplicando as duvidas, que tem appareci- tes,e encarrega-se de defezasperante o jury nos
ALMANAK.
Acaba de ^ahir dos pr&
t^Tllt^^l^S los de nossa typographia
^^joscUariamckadodeFigueircdo. Allaak AdmllStratVO
- Delouche avisa ao respeitvel publico qne|MerCailtl e IndUStlal deStB
comprou o estabelecimento de banhos, silo no pa-1 ,
leo do Carmo, que contina a dar banhos como de prOVJIlCia, COrieClO 8t O
de dezembro, e vende se a
1$ I na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Vende se caixesrazio pr| is
paranilinleit'os efanileirosa 1$760
cada nm; nesta typographia,
0 GASTELLO DE GEASVLLE
Traduzido do francez per A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em qualro
tomos pelo baratissimo preco de 2>00 :
na praga da Independencia, livfciiia ns.
6 e 8.
costume, declarando que os cartoes assignados pe-
io Sr. Caucanas terao vigor para tomar banhos s
at o dia 28 de fevereiro de 1865. O mesmo convi-
da o respectivo publico que compareca no mesmo
estabelecimento, que vero executado com todo o
esmero o systema e asseio que deve ter tal estabe-
lecimento.'
Preco dos banhos.
Ranho fri on quenle, tomando 10 car-
tes, pelo pre^o de......4>0O0
Um banho avulso on s..... 300
Chegaram do Araeaty os afamados bicos da
trra sortmento de todas as larguras e por preco
commodo : na ra da Cadela do Recife n. 59.
do na execuco da lei da guarda nacional e seus
regulamentos, como sejam : o modo de se fazer as
propostas para ofllciaes dos corpos, quando estes
esto organisados, ou em organisaco : formaco
da junta medica : reforma dos ofllciaes e inferiores:
soluco das duvidas respeito das despensas do
servico activo : ;tempo dos ofllciaes se acharem far-
termos prximos a via frrea, offerecendo gratui
tamenteseus servicos aos desvalidos, pode ser
procu-ado todos os dias uteis das 9 horas da ma-
nhaa as3 da tarde na ruaestreita do osario n.
34, eforadessas horas na ra Imperial n.36, ca-
se de saa reideacia.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e
dados e data do juramento : se offlcial da imperial o
ordem da Rosa est iseBto de prestar servico como ~ Ff00'' na rua do APoll 20'
simples guarda : se os inferiores dos corpos de- tono de Carvalho e Negu ra.
vem seguir a ordem gradual do
liba de
escrin-
accesso para ser
promovido offlcial : quem substilueo commandan-
te superior as suas faltas, ou impedimentos : quai
deve ser a pena imposta aos inferieres que nao se
apresentarem fardados no prazo que Ihes for mar-
cado : se os instrumentos importados da Europa
para as msicas dos corpos da guarda nacional, es-
tao isentos dos direitos da afandega : quaes os
vencimenlos dos ofllciaes e guardas em servico de
destacamento : se tem direito continencia e com-
mandante superior, passando pela frente de urna
brigada de linha : se o empregado de fazenda des-
tacado como olhVial da guarda nacional deve aecu-
mular o sen ordenado : se official da guarda nacio-
nal suspenso, por crime de responsabilidade do
cargo de delegado, ou de juiz de paz fica tambem
suspenso do exercicio da guarda nacional : que
honras competem aos capitaes da guarda nacional
designados majores dos mesmos corpos : se ha in-
compatibilidad.! na accumulacao do cargo de juiz
de paz e presidente da junta de qualificacio dos vo-
tantes, com o posto da guarda nacional: ha incom-
patibilidad.; na accumulacao do posto da guarda
nacional com o do cargo de juiz de paz : o official
que exerce interinamente o lugar de ajud^nte dos
Companbia fldelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de laneiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo L C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1. :
Para escriptorio
Aluga-se o primeiro andar da rua do Crespo n.
23 : a tratar na loja.
Consultorio medico-cirurgico na rua larga do
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua ^rofissao
nao s na parte medica como tambem na cirur-
gica._______________________________________
O Sr. Aunliano C. da Rocba Wander-i
ley, queira mandar buscar urna carta na
lhraria n. 6 e 8 da praca da Independen-
c'a. __________________^______
Troca-so um bum ccravo por urna escrava,
que sirva para cosinha,. tambem troca-se por di-
nlwiro : na rua dos Pires n. 54.
I**.
m
:-*r
O pachare
francisca Aupslc da Cosa
ADV6GAD0
--'
Est para alugar-se urna casa terrea na rua
da Gloria n. 14, um 1* e i' andar de nm sobrade
na rua do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agua de beber, e porto
para o becco do l'ombal : quem pretender falle
na rua das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manhaa at ao meio dia.
Rua do Imperador numero 69.
A tugase
a excellente casa e sitio na estrada dos Afllictos.
onde morou o cnsul inglez : na rua do Queimado
n. 18, segunda loja.
Aluga-se o lerceiro andar do sobrado n. 24
corpos esta ou nao despensado de servir no ronse- do rua da Cadela do Recife, entrada pelo becco
I Iho de qualificacao : em que prsao devem os ofll- Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado,
ciaes da guarda nacional cumplir as penas, con-
j demnado no foro commam : se os guardas na-
cionaes eslao ou nao isentos do recrutamento : se
' os vendedores de sello dos correios esto despensa-1
. dos de servir na guarda nacional: se os ofllciaes re-
formados da guarda nacional podem ser aggregados' '
ao servico aetivo : em que crcumstancias podem 12
os commandantes interinos dos corpos fazerem
lili
bacharel
ASTHME
ASTHIYIA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCCO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volu 6 o Xarpe arematxco de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Deecoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiravei resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, rua do Comercio, Paris-Grenelle, e ea todas as
boticas de Franca e do eslrangeiro.
propostas para ofllciaes : etc., etc., etc etc.
I Quem quizer desde j possuir estes esclareci-
; mentos, mediante um diminuto estipendio antes de
| se ultimar este segundo volume, dirija-se ao segun-
I do andar do sobrado da rua do Livramento n. 31,
| e ahi os encontrar em broxura, assim como enea-
Antonio Joaquim Ayres do Nascimento
tem o seu escriptoriodeadvogaciana rua
estreita do Rosario n. 8, onde pode ser
procurado das 9 horas da manhaa a3 4
da tarde.
mu
m
Aluga-se nm sitie na rua do Cabra
cidade de Olinda, com casaterrea.com co-
ni
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
boutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legiao de Honra,
Rua des Fosss-Montmartre, 17, Paria.
Este xarpe composio i mais de vintt annos pelo sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com suocesso em todas as doencas qne tirio sua
origem de um eritliismo nervoso, como sao as:
Eaxao.neea,
Nen-alaiaa,
EaaasBias,
Aitaqura de aicrvaa,
Vertieran,
Sjaropca,
Calmbras de estomago,
laaiceatoea,
Csnviilac-a,
Aeeessaa kyaterleaa e aypo-
coadrlacaa,
Calleas vealasaa OU aerva-
sas, hepticas Batalentas,
Aeeessaa de teta e de rheu-
niatlnaio.
Caaoa de rnveaealemento.
te, ate., etc.
Deposito geral, em Paris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro dn Academia
I imperial de Medicina de Paris, official da Legiao de Honra, rua dea Fosss-Montmartre, 17, e
II em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
dernado o primeiro volume do Manual do guarda j piar nfrente, bota os fundos para aestra-! j
i"5S---------------------------------------------_ daemargem do rio Beberibe, com com-j'
!aQ7,^rHCSfa'^,alugarumae/cr.ava -para .s5viv I modos para familia, estribara para cavallo|
de casa de familia : na rua do Araeao n. 10. "" i r
'ecapimpara sustenta-los, arvoredos de|
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo.com ptimos passeios,sala e gabi-
nete na frente, muito propria parapassara
festa.e tambem se alugarporanno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6 e8 da praca
da Independencia, e em Olindanacasacon-
tigua ;om o capito Antonio BernardoFer-
reira.
AVISO.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22, em casa de Caros & Barbosa.
m
Procuradoria.
Antonio Carlos Pereira de Borgos Pon-
de Len, como solicitador, se encarre-
das causas crimes, civeis, commer-
es e ecclesiasticas. Elle anda recebe
mas casas de partido, medante a
ajuste razoavel. Pode ser procra-
las salas das audiencias ou na rua
erial sobrado n. 64.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito rabo-
franceza, rua da Cruz n. 22 pre-
Precisa-se de um trabalhador
um sitio e alguma cousa de horta :
Sr. Cambrone.
para tratar de
em casa do
jJ L),'lonche, relojoeiro, avisa ao respeita-
B vel publico e a seus fregnezes que mu-
8R dou a sua loja de relojoeiro.da rua Nova
Wk para a mesma roa n. 50 esquina do bec-
Sg co de Santo Amare, continna a fazer to-
9R djs os conciertos pertencentes a sua arte
2k com muita brevidade e prego commodo.
B Na mesma casa acaba de receber mui-
HR tos boos relogios de sua propria encom-
Stf menda, de prata dourados e ouro patente,
gE tambem relogios americanos para cima
)Q$ de mesae parede, tem tambem instru-
yas mentos de msica, candieiros para gaz e
M muitos outros objeclos lodos por precos
W muito commodos.
mmwKmwmmmmm
Furtaram hontem s 5 horas da tarde
da loja de sirigueiro da Camboa do Carmo
esquina que volla para a rua das Flores, um
embrulho de papel contendo 8 covados de
damasco de seda verde, suppe-se ter sido
J um preto de mangas de camisa que entrara
naoccasio em que ae pesava fio de ouro:
j roga-se a quem fr offerecido ou souber
dirija-se a esta typographia que se dar a
quantia de 40(51, valor maior que a do da-
masco.
ce
ca
algu
um
do
Quem liver um menino empedldo para criar
ou mesmo nao sendo, qaerendo, dirija-se a rua do
Jasmim n. 17.
I Theodoslo do Lago e Joao do Lago Freitas e
Silva fazem publico que ODiram-se em sociedade
commercial em nm estabelecimento de molhados
na povoacao d. Beberibe, termo da cidade de 0-
'inda, sob a razao social de Theodosio do Lago &
Filho.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
I Banco Mercantil Portnei.se. e na ausencia
I do Sr. Joaqnim da Silva Castro, saca ef- |
fectivamente por todos o.' paquetes sobre
aspracas de Lisboa e Por .o, emais luga- M
| res do reino, por qualquer somma vis- ]
ta, e a praso; podendo, o que temarem m
saques a praso,receberem>ista,no mes-
| mo Banco, descontando 4 OO acanno: na gg
Mioja de chapos da rua do Crespo n.6, on a
_ na rna do Imperador n. 63, segundo an- *
B dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
^n mmmm mmwmm
O Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de
Druniraond, anligo advogado neste foro, contina
bo exercicio de su i prolisso, rua do Impera-
dor b. 43, primeiro andar, todos os dias uteis, das
10 horas da manhaa as 4 da tarde.
Joo da Silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas era
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D conjultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sr.a casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o qne
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3WW0 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 2OO0 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos qne tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conflanca de que sem-
pre tem gozado.
FOLHISBAS
Har 18(>5
Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
pra?a da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas-
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabal Water
em verso, devocao ao agonisanle, corafo
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero de m-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.
Aguade Vlehy a I$00.
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38
recebPU agua de Virhy a l200 a garrafa, a qual
o nico remedio para molestia do r edras as
ourinas, pois algnrnas pessoas que sofTre da dita
molestia, e tem usado desta agua tem firado per-
feitamente boas -, e cu.a agua .' applicada pelos
mdicos.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
travessa de S. Pedro : a tratar na rua do Cabug
n. 11, segundo andar._______________________
No becco ao Padre n. 18, segundo andar,
precisa-se de urna ama para cozinhar e comprar
na rua t quem estiver nesta rircomslanci pode
dirigirse a mesma rasa a qualquer
hora do dia.
Precisase de urna ama
zinhar para tres pessoas : na
segundo andar.
para comprar e co-
ma da Crnz n. 62,
Ce3(j
Na rua do Imperador n. 4o, primeiro andar
preeisa-se de urna ama para cozinhar,
Precisa-se de orna ama forra ou captiva para
i comprar e cozinhar, para casa a rapaz solteiro :
a tratar na rua do Queimado n. 7.
Precisa se do urna ama para cosinhr e cora-
prar : na rua <|o LivrameDto n. 14.
Arrenda se a excellente propriedade deno-
minada Barra deSerinhem, na fregnezia do mes-
------r,-----:-----nr-r-r5----------------... .-, I mo uome, com grande coqueiral e muitos foros a
.s^m/nE^52 ASTa> .a SS5 de' cobrar annualminte : a tratar rna do Impera-
testamenteiro do finado Antonio Jos Pacheco e dor 43, pnreeiro andar, das 10 horas dama-
Silva, faz publico a quem convier. que o dito fina-; nh5. a, wa tarde
do deixou em seu testamento 23 para cada um
de seus alunados, com a condicao de apresentar
certido de bapiismo : portanto, aquellos que se
julgarem comprehendidos nessa deixa podem
apresentar-se a elle testamenteiro munidos da
compleme certido de baptismo para receberem
dita quantia.
Tinturara
Na rua Direitan. 116 contnua-se a tlngir para
qualquer cor, e o mais barato possivcl.
O abaixo assignado agradece ao Illm. Sr. C.
de C. R. a entrega da (juantia que o abaixo assig-
nado tinha perdido na estaco das Cinco Ponas,
no dia 9 do correte.
Carlos Augusto de Oliveira.__
' Perdeu-se urna pulseira de coral engastada
em ouro, no domingo 19 do correte, pelas 7 no-
ras do dia, do collegio de Santa rsula, na rua da
Saudade : quem a tiver achado e quizer restituir,
dirija-se ao mesmo collegio, ou a caja n. 21 da
mesma rua da Saudade, que ser recompensado.
Desappareccu da povoacao do Cachang, na
noite de 19 do corrente, pelas 10 horas da noite,
um cavallo rodado, dinas e cauda brancas, sella-
do e enfreado : quem o apprehender queira lva-
lo a rua dos Pires n. 35, que ser generosamente
recompensado.
- PrecNa-s!
Rangel n. 9.
de um trabalhador : na rua do
Ra xa
Aluga-se urna casa na Passagem da Magda-
lena junto a ponte grande, com bastantes commo-
dos para grande familia, assim como um terceiro
andar na rua Direila, bastante fresco e com bons lima pessoa qae servio no exercito, tendo per-
commodos : as pessoas que pretenderen) dirijan)-: dido a sua baixa na noite de 18 do corrente, ropa
se a rua Direila n 3. ___^____________' encarecidamente pessoa que achar dita haxa,
Precisa-se alagar urna ama que cozinhe bem levea n P/imeiro andar do sobrado novo do Maia,
e faca lodo o servico de orna casa de pequea fa- na rua do lmPe>"ador, que sera gratificado.
Na rua do Livramento n. 19 ha para alugar
um excellente moleguinho.___________________
Precisa-se de urna ama para o servico de
urna casa, prefere-se escrava : a tratar na rua Im-
perial, lioc.ru do l.ima n. i.___________________
Furtaram no da iO do corrente, das 11 ho-
ras at as 2 da tarde, da rua Formosa n. 7, duas
calcas urna de brim branco, outra de casemra
preta, um collete com 3 botoes dourados, um
bahuzinho enfeitado com mariscos c conchas pela
parte externa, um lenco de seda e urna camisa de
pafos com bolees de punho dourados, supp5e-se
ser negro da costa o autor do roubo o ainda mais
que marcineiro : roga-se a quem forera offere-
cidos para comprar esses objectos ou a quem del-
les liver noticia coramunica-la ou apprehender os
objectos, qne entregando na casa cima se lhe re-
compensar.
Vndese um relogio de ouro patente suisso
novo e bom regulador : na rua da Imperatriz n'
38, loja de calcado.
Vende-sa um bonito cavallo gordo, alaso,
dos qualro p* calcado?, frente aberta, andador de
baixo al. meio, novo e sem aehaques, elegante
para um cabriole! : na rua do Cotovelo n. 25.
Vende-se caf restaurante do commercio
na rua do Trapiche Nove"n. 22 : quem precisar
pode dirigirse a dita casa, que achara com quera
tratar. ____ _____
Vende-se um pouco de doce de caj secco
por menos que em outra qualquer parte : no pa-
teo do Carmo n. 24, sobrado de um andar.
Novidade
Roupoes de sucim de linho para senhora, pelo
i barato preco de 9,5 cada um, lazinhas econmi-
cas para vestidos a 360 o covado, cbapoos de pa-
| Iba da Italia de apurado gosto a 14 : na rua do
Queimado n. 17,
Fardo
em saceos de raals de 100 libras : nos armazens
de Tasso Irmos.
Vende-se urna taberna com poneos fundos,
sita na rua Direila dos Afogados, e tambem duas
carrosas, urna de vender agua e oh ira dita de cai-
p xao : quera quizer dirija-se a padaria n. 66, que-
| avista do comprador se far todo o nepocio.
Vende-se unu vacca novae^orda para achon-
gue, e um quarlo para carga : em Santo Amaro,
sobrado junto do remiten.) publico.
Ziliro e cobre em folha, esladbo, azareo e alvaia-
de inglex.
Em casa de Rothed; Bidoulac, roa do Trapiche
n. 18, vendem-se os gneros cima por precos ra-
zoaves.
Sal do Assu'
A bordo do hiate brasileiro Lindo Paquete : tra-
ta-se na rua da Cruz n. 23, primeiro andar, escrip-
torio de Antonio de Almeida Gomes.
Vende-se
uiua boa mobilia de oleo com uso: na rua das
Flores n. 25.________________________________
Para o carnaval
Os dminos de nova invenco, a ingleza, falo
que alm de servir para o brinquedo do carnaval,
tambem proprio para trajar por casa a frascata,
pelo diminuto preco de 105 : s na rna do Qnei-
mado n. 17.______________________
Queijos frescos a 23, farello fino a 4J200 o
sacco : no armazem da Estrella largo do Paraizo
n. 14.
Dminos
Vendem-se muito bonitos dminos para os bai-
les e passeios pelo carnaval: na loja do Pavo rua
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.___________
Leja de modas francezas
Madama Buessard Millochau, recebou pelo ulti-
mo vapor Trancez borous, capas e chales de renda
prela. tudo de muito bom gosto. Assim eoino ,lu-
vas de pellica de 2 boles como se usa em Paris,
flores para cabera e um grande sortmento de cs-
partilhos hygienicos, tanto para senhora como pi-
ra meninas, cintos largo-, fivelas grandes para
mili : a tratar na rua do Cabug n. 4, loja de
ro/udezas. -
-Marcelino Jeronymo
porloguez va i a Europa.
Urna parda com bastante pratica de ama se
offerece para casa de hornera solteiro ou de pouca j dTts.Tnfeits "para cabSS! leliues'etc!
de Azevedo, subdito familia : na rua Imperial confronte a fabricado
I vinagre. I






Diario de Pe uambuco iguaria felra 9 Je Fevereiro de !&.
RIVAL
Sem segundo,
ilw tU Queimado, n. 49 e lio. E' para advirar.
Cairelis de liona com 150 jardas...... 60
Ditos cem 300 jardas de Alexandre de
i .60.............................. 120
Diio dito de 0 a 200.................. 100
Novellos de llnba grandes com 400 jar-
das ................................. 80
dem idem brancos e de cores de 100
' jardss............................... 30
Livros para assenio de roupa livada... 100
Cordo bramo para espartilho (vara) 20
Varas de franja branca larga.......... 160
Pares de botoes de punho todos do cores 120
Tinteiros de barro com tinta........... 100
Tesouras para costuras finase anhas 400
Ditas para costaras com toque d'avaria 200
Escovas para limpar denles muto finas
160,200e.............................. 320
Caitas com 100 envelopes das melbores
qualidades........................... 640
Ditas com 20 cadernos, rapel pautado e
liso..................... ..:......... 600
Cadernos de papel pequeo ( e a reta-
mo)........ .r............... 20
Meiadas de linha frouxa para bordar.. 20
Pares de sapalos de tranca e tapete... 500
Massos com superiores grampas para
senhora.............o............ 30
Frascos de macaca perola muito soerior 200
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................ 500
Ditos e garrafinhas de agua de Colonia
mailo fina....................... 400
Ditos de banha a Ganbaldi e da familia
imperial.............2........... 900
Pojas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade.................. 240
Pare de ligas para senhora as melho-
res.............................. 320
Petas de bicos francezes e re na as..... 320
Frascos de agua dentifrice muito supe-
rior.............................. 800
Caixas com 4 papis de azulhas a balo
eVietoria. .!7....... .......... 200
Libras de lia sendo de todas as cores.. 65000
Bonecos vestidos e tambero de choro. 160
Caixas com superiores obreias........ 40
Ditas de linha de gaz com 50 novellos.. 890
Eofiadeiras de fita para espartilhos..... 60
Carretis de linha de cores com 100 Jar-
das............................. 20
Pecas de cordo imperial............ 40
l'II.ILIN VJECKTAES
DO
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, efficaz
e digno de toda a confianfa.
As pi lulas que ora offerece-
mos ao publico preenchem estas
|condicoes ; pois pdera ser lo-
madas pelas pessoas mais fracas
sem perigo algum, nao tende em
sua compostco mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto do a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
efficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificara toda
a extensao do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes do organismo, corriginclo
sua accao viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade-
Um remedio inestimavel contra dr de
cabera nervosa, enxaqueca, prisao do vert-
ir, hemorrhoidas, molestias do figado, fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestias
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na oflammaco d'este orgo que pro-
duz derramamenlo da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgos diges-
tivos.
Grande liquidado de fazen-
das finas, ruadalmpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 56, de Louren^o P.
Mendes Guimares.
Fazendas para e carnaval.
Vende-se velbutina de todas as cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a 360 o covado, sarjelim
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria
para vestuarios a 320 e 360 o covado, tafeti de seda
de todas as cores a 600 rs. o covado: roa da Impe-
ratriz, leja da Arara n. 56.
Cuitas baratas a 240 rs
Veodem-se chitas finas a 240 e 280 o covado,
chitas franczas finas a 320, 360 e 400 rs., cassas
finas de cores a 320 e 400 rs. o covado, percalas
finas para vestidos o 500 e 360 o covado : ra da
Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Caries de canibraias, a Arara vende a 30.
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas a
35300, 4 e 55, cortes de cassas franczas finas a
35, cortes de chita de 10 covados a 2*400, ditas
finas a 35200 : na loja da Arara, ra da Impera-
triz, n. 56.
dos a 35 e 35500 o covado, grodenaple preto fino
a 15600, 15800 e 25, dito superior a 25600, dito
com 5 palmos de largura a 3$ o covado, panno fi-
no preto a 25, 25800, 35500 e 55 o covado, case-
mira preta fina a 25,25500 e 35 o covado, alpaca
preta a 500, 600 e 800 rs. o covado : ra da Im-
peratriz, loja da Arara n. 56.
Arara vende cortes de casemira preta a 3&00.
Venderase corles de casemira preta a 35500,
45, 55 e 65, ditas de cores a 35,45, 55 e 75, cor-
tes de brira e ganga para calca a 15600, 15800 e
25 : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Panno de Hube a 640 rs.
Vende-se panno de hnho para lences e toalhas
a 640 e 70, hamburgo a 500 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 35 e 2*500 : ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende os baloes a 3 e ntadapelo a lo.
Vendem-se balees americanos a 35,35500 e 45,
ditos de musselina a 45500, peras de madapolo
enfestado a 45. dito de 24 jardas, largo, a 65000,
65500, 75. 85, 95, 105 e 125, finos, algodao pe-
cas a 55, 65, 75 e 85 : ra da Imperetriz, loja
da Arara n. 56.
Sontambarques prctos a 20)$
Vende-se soutaiuharque preto de grosdenaple a
" e 235, capas pretas de grosdenaple finas a
, 255 e 305, soutambarque de lazinha a 75 e
85, ditos de alpaca brancas a 85 e 105, ricos ves-
tidos Mara Pa de novo posto a 85, 125, I''5,
165 e 205 : ra da Imperatriz, loja e armazem da
Arara n. 56.
Grande sortimento de roupa
feita.
Vendem-se paletots de casemira de cores a 55,
65, 85 e 105, ditos pretos de panno fino, sobreca-
sacas a 125, 14, 165 e 255, paletots saceos pretos
de panno a 55, 65, 85 e 105, calcas de-casemira
preta a 45. 65 e 85, ditos de casemira de cor a
45,65 e 85, ditos de meia casemira a 35 e 3500,
ditos de brim e ganga a 25 e 25560, ditos de brim
branco a 35500 e 45, colletes de todas as quahda-
des, camisas franczas a 25 e 25500, ditas Inglezas
de hnho de pregas largas a 35 e 35500, ceroulas
a 15280,15600 e 25, paletots de brim decora 25
e 35, ditos de alpaca preta a 35 e 35500, ditos de
alpaca branca a 45500, ditos de alpaca de cordo
a 45, colarinhos de linho a 640, ditos de papel a
640 a duzia : na ra da Imperatriz, loja da Arara
numero 56. O proprietarioda loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas se vende
em perfeito estado, como os compradores peder*
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da
noite : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56, de
Mendes Guimares.
Feljo.
Vende-se urna porgo de feijao mulatinho muito
novo a 15 a enia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 520 rs. : na rna Direita n. 8.
La para bordar
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38
receben um grande sortirremo de la para bor-
dar das meiliores cores que lem chegado, a qual;
se vende barato, tanto em libra como a retalh.
Fcim semana! das fazendas da barca
(Yanceza em liqaidaco.
D'JODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Camlttcnn ale Un-
molrallaa.
Molralla raer*tala-
aaa.
Poprlra.
Obnirurria daa Un-
dulan
lliimorra frloa.
Huaaorea braaean.
Rachlllamo.
Affeeera raaeeroaa*
yphlllllra.
Fckrea tTaholdra.
Vareles, ele., ele.
Os elementos que cempoem esla preparado, o
ferro, o iode e a quina, a colloco no primeiro
grio das prenaracocs ferruginosas. Basta atlestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
Ues, e os relatorios dos prcticos mais eminentes,
que confirrario sia poderosa efficacidade as
seguimos affecedes:
tfluRoa iii|ne.
r.aajurza.
Aaa*ia.
Chlaraae ou Ictericia.
Meaatrna.
Affeccoea alo tero.
Saapreaaea loa re-
graa e deaardea
aeaatrnaeaa.
Affecc&o pulmonar e
hUilale.
Holeotlaa "ratnaaga.
Gaalralglaa.
rerda a'apaetlte, et.
VejSo se et bulletins de therapeutica medie
e cirurgica de 30 de novembre 1860; o Gazeta
dos hotpitaes de 28 dejulho 1860, etc.. etc.
Alem das pilulas de iodureto duplo it ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
farro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nlo goslao de medicamentos sob fdr-
ma pilular e os meninos. Este xarope nio tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nio poder conservar.
Peca-te o folhelo que se di de greca em casa
dos pharmacealicos depositarios.
Para-se evitarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas on Xarope a aa-
signatnra do inventor.
Depsito geral em Pars, pliarmacia Rebillon,
US, ru du Bac, e em todas as boas pharmaciai
de Franca a dos pnizes estrangeiros, etc.
GRANULOS
BISMUTH J|
DE CHEVRIER
Os granulos au bismulh de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir e
curar as
Dlarrkteaa curonlraa. Sfo dlgeaivcs.
Dyoaenlrrlao. Gaatrltea.
Ddrea d'caloiuase- (alu-algiaa, etc.
Dyoaeaalao.
Os primeiros synoplomas d'essas formidaveis
affeccocs se manifestjan ordinariamente por diges-
toes laboriosas, atidumes, falla d'appetite, pesos
a"estmago depois de cada comida, caimbras es-
lomacaes, e, muilas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
, Este estado mrbido, se o descuido, tras ine-
vitavelmenle, que seja:
Oppreaadca.
Ddreo de cabrea.
Irrllaciea de bealfa e
da mnlrlr, ete.
A ictericia Hoje pelas 9 horas da manhaa em ponto at as
produzida pela absorp^o (la bilis no 6 da tarde principiar o pai da pobreza a sua fei-
sangue, dando S pelle e aos olhos uma Cr semanal das seguimos fazendas parte das quaes
amarellenta; rio smente dolorosa por Sga'aTabr-sn ul,lm0 lei,5 havido na al"
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-]
tos.
Chitas franczas escuras a 240 rs. o covado, pe-
cas de madapolo com 24 jardas finos e largos a
65, 75, 75500, 85500, 95 e 955G0, tambero tem
francezes infestado com 4 palmos e meio de lar-
gura de 20 jardas a pega por 75, est acabando-se,
al/jodao coro 20 jardas a pega a 55, 6j, 75500 e
85, as superiores camisas a 15, chales de merino
a 15, chitas finas franczas escuras a 300, 320 e
340 rs. o covado, ditas para coberta bellos padres
muito tinos a 400 rs. o covado, sio franczas (6
covados uma coberta), corles de la com 15 co-
seu comeco n'um desarranjo da bilis. vados por 55, grvalas a 160 rs., pecas de cam-
'colletes de seda preta a 15500, das chitas do-se
amostras com peobor: na loja do primeiro bara-
teiro ra da Madre de Dos n. 16, deronte da
guarda da alfandega.
Estopa a 240 rs.
a jarda : na ra da Madre de Dos n. 13, defronte
da guarda da alfandega.
Para cura-la toma-se de 1 o pilulas to-
das as manhas, tsto bastante para mover-
o ventre smenle al que se recupere a ac-
gao sa do sysiema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,
diHirhea biliosa, indigesto, a nevralgia
oh tic douleureux, sao todas molestias que
lem
A observaco
volver ao sangue, com qoe circula depois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz uma serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer-
irecces minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer 4 C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
I& Ra Direita 15
RIO DI. JANEIRO.
Vende-se em Peroambuco:
,ua pharmaeia fraaeeza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
esso
barricas com gesso : nos armazens de Tasso Ir-
inaos. _________________
Cimeale romano e de Portlau 1
nos armazeBs de Tasso Irmaos.
Farin/ta de mil fio.
Yendem-se barricas de farinha de milho ameri-
caaa de 6 arrobas: na ra do Rangel n. 3.
ke do gaz.
Piten da gaz.
AleatrSo do gaz.
Coke, tonelada IO96OO.
Pitch, arroba 35000.
Alcatro, caada 500.
O cok reconhecidamente o carvao maisjecono-
roico^ torna-se por isso reeommendvel, bem co-
mo polo aceio que se ola as casinhas aond
elle usado. Pitch e alcatro, alem s aidlmpape-
ees diversas a que se pre6tao, como para calaf a
ur embarcares, alcatroar madeiras, etc., teec-
estes a propriedade de preservar do cupim, ter-
nillas, etc. entregue na fabrica do gaz, ou man-
dado prem qualquer ponto da cidade, segundo a
vontade do comprador e previo ajuste.
Camas de ferro proprias para
collegio.
Acbase a venda grande sortimento destas ca-
mas, assim como de ulras : a ra .Nova d. 33.
~Potassa da Russia
Acaba de chegar a mais nova e verdadeira pe-
tas da Russia, e vende-se a prego cemnode: no
escrlptorio de Manoel Ignacio d<3 Oliveira & Fi'be,
largo 4 o Corp Santa n. 19. _________
Vende-se a barcaca Paragvast, de lotacao de
20 caixas, quasi nova, e bem construida : a'tratar
na raa do Crespo n. 7 A, cuja barcaca se acha
fundeada defronte do trapiche do Sr. Machada
Ovas do seriad
Vendem-se ovas doserto muito frescaes, e por
preco eommodo : na ra do Queimado n. 14.
Azeile de carrapato
Vende-se por atacado ou a retalho, mais barato
do que vendem os matutos as cargas : na fabri-
ca da travessa d Carioca 11. 2, caes do Ramos.
Gaza 11#500 a lata.
Vende-se gaz liquido de nrimeira qualidade, la-
tos de 26 garrafas por 115500, era garrafa a 480:
na ra da Crnz n. 68.
Vende-se um escravo maulo de 30 annos de
idade, robusto, sadio e sem vicio, sabe destilar
agurdente e ferreire: a fallar no escriptorio
do agente Oliveira, ra da C.deia do Kecife nu-
mero 62.
Moleatlaa de Astado.
A leterfela.
Pal p I laco de ro rumo
Ddrea aoa rlna.
Os granulos Chevrier s3o ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sSo tomados a
tempo.
0 preco de cada fraseo de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
iMSSA e xarope
BERTH
COM coni:i\A
Preconizados or todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as Irritaces
do peito.
AVISO
Filsificacoos reprcheneiveis excitadas pelos
Hicccssos do Xarope c da Massa de Berth,
nos obrigao a recordar que esses productos
lao justamente
nomeados no se
entrego senao cm
boeelas c em fras-
cos-com a assigna-
turz aqui indicada. f*~+.l~***rl*m
Frascos com gomma arbica
dissolvifi e pincel.
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
agoia branca.
N vos albuns.
Aagoiabranca acaba dereceber oulra encom-
menda de bonitos e bem encadernados albuns de
capa* de velludo, massa, tartaruga e mar6m, al-
guns dos quaes com microscopio para augmentar
o taraanho dos retratos, continuando a serem ven-
didos prjprecos commodos : na ra do Queimado
lojadaagula branca n. 8.
Galanterias para fes tas
A aguia branca nao cessa de cncommendar do
que ha de melhor e maisagradavel,". porissoaca-
ba dereceber diversas figuras e vasos de pede
peJra :om fina banha, assim como bonitos frascos
de excedentes extractse lindascatxinhas de ma-
deira eovernlsada com finas perfumaras, tudo
mui proprio para presentes de festasetc.,havendo
dinheirodirija-seo pretndeme a ra do Queima-
do n. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para engom-
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
ban glbulos de an] fino e frasquinhos cem es-
reacia de dito para engommados.
0 litros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor um novo sortimenlo de bonitos e delica-
dos enfeitesde moldesinteiramente novse de um
aparadogosto,assim peiscomparecam os preten-
demos manidos dedinheiroe com disposicio de
gastar: na loja la aguia branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A aguia branca na ra doQueimado n. |8, rece-
ceben novamente esses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tantaestima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia branca porra avisa aquellaspessoas que os
haviam encomraendado e a quem mais queira
aproveitar a iccasio de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo preco de 49 cada
um.
Estando brancos ficam pretos.
O bom resaltado e o rpido effeito que produz
a tintura de chromacoma, e mesmo o facillimo
modo deapplicartem se tornado maiconhecido e
apreciada por todos que usam della e per conse-
guinte augmentado a extraco,pelo que a aguia
branca mandou vir mais o novo sortimenlo que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromacoma para tingir os cabellos.
Frascos com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos com hydrocallethrichina para limpar ditos
Ditos comoryehromantina para limparas anhas
Sabonetesbrancos para lavar es cabellos.
Pomada callicomipbila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a preparacaofeita.
Sapatos de marroquim rfow-
rado para bailes.
Esses sapatosdo grande tom vendem-se nica-
mente naraadoQueima4o loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Meias finas para senhoras
gordfis
Vendem-se narualo Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra doQueimado loja da agoia
branca n. 8.
P0T4SS4
Veide-se potasa em barris a comraedo prego o
na na da Crnz 13, primeire andir, eaeriptori:
de Antonio de Alffleida Cernes.
No pateo do Paraizo confronte a igreja do
sobrado n. 29, segundo andar, alugam-se ricos
vestuarios para mascaras, ludo novo e de multo
bom gosto, dminos de seda e velludo, e outros
muitos vestuarios para liomens e meninos, pelo di-
minuto preco de 5 e 10.
COMPENDIO DOLOROSO
que coatm o oficio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rea, um setenario e mais oulres exerci-
cios de piedade e devoro; ordenado pe-
la irmandade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicia dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que Deusguarde;
dado luz por devocao do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da pra^a da Independencia.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S. Joao da Luz, na ra do Livramento n. 21.
Borzoguins de lustre (Xante?) 65000.
Ditos de bezerro de tres solas (Nantes) 65000.
Ditos de bezerro de duas solas 65000.
Sipatos de tapete 640 rs.
RAPE? "
Duarte, Pereira & C.conlinuam a vender o afa-
mado e fresco rap Princeza de Petropoles em seu
grande armazem de ouca e vidros : ru do
Crespo b. 16.
151, ru Saint-Honori, NA PHARMACIA no
luvre, e em todas as pharmacias.
Deposito geral em Pernambuce ra da
Cruz n.22 em casa de Caros de Barboza
Precos, que admira.
Sapalos de trauca superiores pelo barato preco
de 15 o par, e duzia 105 no vigilante, ra do
Crespo n.7
Bico adamascado de todas as larguras, a peca
com 10 varas, cada peca a 400, 480, 500 e 600
rs. : no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Colchetes em carto de uma e duas carreiras
perfeitas, pelo barato prego de 40 e 60 rs. cada
cartao, e duzia a 400 e 500 rs.
Pentes para atar cabello, a duzia a 15200, 1561X1,
25,35,45 e 55.
Balaios propriamente para costura e para fruc-
tas.epara menina trazer no braco a 15500,15600,
15800, 25 e 25500.
Perfumarla, macaca perola a 25, 25200, 35 e
45 a duzia, oleo de mozinha a 55 e 65 a duzia,
banna a 35, 45 e 55 a duzia. Estes objectos se
vendem por admira veis precos em conseqnencia
de serem arrematados dos salvados da barca fran-
ceza, pois affanca-se a pouca avaria e a boa qua-
lidade : so no galo vigilante, ra do Grespo n. 7.
de trabalbar nao para
desearocar algodo
FABRICAOAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machina;
podera descaroca-
lualquer espec
le algodao sen;
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoas para
o trabalho; pode
desearocar] uma
arroba de algo-
dao em caroce
em 40 minutos.
ou 18 arrobas
pordiaou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodc
limpo, por dia; e motores para mover uma, duas,
essas machinas.
Os mesmos lem para vender uro bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sauiders Brothers & C.
X. 11. praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.______________
AGENCIA
AGENCIA LOW-MQOB.
Ra da Senialla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a have
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para en'genho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C
ra da Senzalla Nova n. 42.
PEanNCBA Aliene*
Cheguem depressa porque se acaba.
Borzeguins gaspiados para senhora a 25500.
Ditos ditos para menina a 15500.
Ditos de duraque s para senhora a 15500.
Ditos de dito para menina a <5
Camisas franczas de cores a 15-
DiUs ditas brancas a 15600.
Chapeos de seda muito finos a 65-
Ditos de feltro Anos a 25-
Perfeitos e bonitos cortes de casemira a 65-
Pecas de algodozinho a .*>A.
Ru'a dos Quarteis, loja de sapatos n. 22.______
"TESTtlHENTflS.
Obra absolutamente propria para en-
treteaimeiito.
Acham-se venda, na ra do Imperador n. 15,
defrontede S. Francisco, os ?eguintes testamentos:
da Gallinha, do Gallo, do Cachorro, do Porco, do
Per, da Onca Tigre, do Y gario e do Leo ; a Pe-
I. ja da Alma, S. Miguel e o Diabo, 160 rs. cada
um ; aproveitem em quanlo tempo. Igualmente
ha venda cartas de A B C, taboadas, pautas, e
eulros objectos propnos para as escolas.
Fljao
Na ra da Madre de Dos n. 9 vende-se feijo
mulatinho, dito brance, e dito preto, mais barato
do que em outra qualquer parte, approveitem a
peehinchaque a quaresma bate porta._______
Vende-se
machina para desearocar algodo, com motores
1 para Dlmses ; na ra da Senzal? Nova n. 42,
Nova loja de fazendas e roupa
feita nacional, rna da Impe-
ratriz, loja de Aportas n. 9t.
Cbilas da loja n. 72.
Vendem-se chitas linas a 240 e 280 o covado,
ditas franczas finas a 320, 360 e 400 rs. o eovado,
cassa franceza fina a 320. 360 e 400 rs. o covado,
laziuhas para vestidos a 360, 400, 500 e 560 e
covado, pecas de madapolo fino a 65, 75, 85 e
95, pe?as de algodo a 55, 65 e 85 : rea da Im-
peratriz n. 72.
Roupa feita nacional
Vendem-se paletots de panno fino a 145,165 e
185. ditos saesos a 65,85 c 105, ditos d casemira
decores a 65, 85 105, ditos de brim de cores a
255OO, 35 e 4J, calcas de casemira preta e de co-
res, colletes e caifas de brim decores a 25000e
2550O: ra da Imperatriz n. 72.
Sontambarque a 88.
Vende-se soutambarque de laasinha a 75 c 85,
ditos de alpaca branca a 85 e 105, ditos de gros-
denaple preto a 205 e 255, capas pretas de gros-
denaple finas a 205 e 255, panno tino preto a 25,
35, 45 e 55 o cavado, casemira preta a 25, 25500
e 35, grosdenaple preto para vestido a 15600, 25 e
255OO o covado : ra da Imperatriz n. 72.
Corles de la i Mara Pia a 10;>
Vendem-se cortes de vestidos Maria Pa a 105,
145 e 165, corles de cassa franceza a 35, cortes
de brim para calca a 15600 e 25, ditos de case-
mira de cor a 35, ditos de dita preta a 35500, 45,
55 e 65 : ra da Imperatriz n. 72. Esle novo es-
abelecimento vendd barato para obler fregaezia :
na ra da imperatriz, loja n. 72.
Fazendas pretas para a qua-
resma.
Na loja do Pavo.
Acha-se esle eslabelecimcnlu completamente sor-
tido de fazendas pretas proprias para a quaresrea,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros mais estrenos tendo dos precos de
15280,1600,15800, 25, 2500 e 35, superior
moreautique preto a 35, superior sarja preta lies-
panhola, superior selun preto niaco, ricas capas
pretas bordadas, soutumbarques muito bem enlej-
iadas, ricas vasijuinas e casacos dos mais moder-
nos que lem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para luto c ricos
chales pretos de rede, ludo Isto se vende mais ba-
rato do que em oulra qualquer parle por ser a di-
nheira : na loja doPavao ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pavo.
Acha-se nesie estabelecimento um grande sorti-
mento de roupas fetas para hornero como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 225, 255 e 305,
ditos rorrdos de alpaca a 145,165 e 205, supe-
riores paletots de casemira tanto saceos como so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
res, ditos de brim de todas as qualidades, colletes
de casemira pretos e de cores, ve'ludos, selins
etc., sendo todas estas obras cortadas por um dos
melhores mestres nacionaes, manda-se fazer qual-
quer obra por medida : na loja do Pavo ra da
Imperatriz n.60, de Gama & Silva,
titilas em cjrtes con 10, lie 12 covados
Na loja do Pavo vende-se uma grande porcao
j de cortes de chitas/"ncezas sendo claras e escu-
[ ras todas de cores!1, vas com 10 covados a 35200,
, com 11 covados a 35600 e coro 12 covados a 45,
pechineha para se apurar dinheiro : na loja do
Pavo, de Gama Silva, ra da Imperatriz n. 60.
As cassas suissas de uma s c: a 3tt) o
co ado ou a (iO rs. a vara.
Acabam de chegar as mais modernas cassas
suissas de uma s cor com cordozinho, tendo as
cores mais modernas que tem vindo ao ni Breado
e vende-se a 360 rs. o covado ou a 600 rs. a vara:
na loja do Pavo. ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cortes de vestidos pretos.
Vendem-se ricos cortes de vestidos pretos bor-
dados a vefludo pelo barato precn de 405 rs. cada
um : na loja do Pavo, roa da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Grande liquidaco.
Ra da Imperatiiz n. CO, loga de fazendas
d > Pavo de Gama & Silva.
Acbase este estabelecimentocomplelamente sor-
tldo de fazendas inglezas. franczas, allemas e
suissas, proprias tanto para a pra?a como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parle, principalmente sondo em
porejio, e de todas as fazendas do-se amastras,
deisando flcar penhor, ou mandam-se levar ero ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
'Camisinhasalg.
Vendem-se caraisinhas com manguitos, sende
muito bem enfeitadas, proprias para senhoras a
meninas, pelo barato preco de dez tusioes cada i
uma : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & S:lva.
Grosdenaple de cor a iGO0 o covado.
Vndese grosdenaple de cor azul, branco e pre-
tO, pelo barato prego de 15600 o covado : na loja!
do Pavo, ra da Imperatriz n 60, de Gama &,
Silva.
Madapolo a 7#, s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolo muito encorpado,
tende 2o varas cada pega, com i palmos de largu-
ra pelo baratissimo prego do 75000 a pega, ditos
muito finos a 8, 95 e 105000. E' pechineha, na
loja de Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama I
6 Silva. ,
Cortes de cassa a 3.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenhos muito delicados I
pelo barali.-simo prego de 35'. (0 o corle : s na '
loja do Pavo. ra da Imperatriz n 60, do Gama'
& Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraa lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo nreco de
45 tendo 8 1|2 varas cada pega, ditas muito 'linas
a 75, 85 e 95 a pega, ditas Victoria com 10 va-
ras pelo baratissimo preco de 75, 95 e 10, ditas
Garrazes fazenda multo encorpada fazenda pro-
pria para forro a 360 r?. a vara ou 25600 a pe-
ca : isto na loja do Pavo ra da Iropoj;itriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo.
Grande pechineha a 35500.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de carobraia
transparente imitaco de tarlatana com muitos
delicados desenhos, muiio proprios para partidas e
passeios pelo baratissimo prego ne 35509cada um,
sendo fazenda que seropro se vendeu a 75, na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. I
Vestidos a > c a 7.">
Na loja do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sendo bordados e com barras,
pelo barato preco de 45 e 75, sendo fazenda que
val muito mais diniieiro, isto por haver grande
porco, na loja do Pavo ruada Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Ricos siHiiainliamifs do Pavo.
Acaba de chegar uro rico sortimenlo de ou-
tambarques de grosdenaple preto muito bem
enfeitados, que se vendem pelo barato prego de
205,225, 255, 305- Capas e casacos de glace pre-
tos que se vendem muito em centa: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os enfeites do Pavo.
Vendem-se os mai.-modernosenfeites para caneca
de senhora : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
is laziohas traospartnles a 400 rs.
_ Na loja do Pavo vendem se as mais modernas
laziohas transparentes, sendo de listas miudinhas
a imltago das sedinhas, pelo barato prego de 400
rs. o covado ; ditas entestadas de uma s cor e
ditas de salpiquinhos proprias para vestidos o rou-
pas de criangas : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60. de Gama & Silva.
As cassas do Pava).
Vendem-se as mais bonitas cassas franczas, de
padroes mludinbos e raudos, chegados pelo ulti-
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320, 360
rs., por haver grande porcao : na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casimiras escessezasa 1,600 r-\
Vende-se as mais modernas casimiras escossezas
proprias para caigas, colletes, paletots, roupas para
enancas : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
Aos vinte mil covados de la.
Grande pechineha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
tes, sendo com llstras e quadriohos miudinhos, e
lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e roxas para lulo, pelo baratissimo prego de 240
rs. o covado ; ditas transparentes cora palminhas
de soda Maria Pia, tendo de todas as cores, e
alKUiuas proprias para luto, pelo barato preco de
320 rs. cada covado, i.-lo por haver unu gram e
porgo : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos Maria pia,
(rande perbincha a I0000 rs.
Chegaram os mais bonitos cortes de la Maria
Pia com as barras primorosamente bordadas, tra-
zendo os competentes enfeites para o corpo, tendo
todos com as cores mais delicadas que lem vindo,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 105 o cor-
te, ditos de precala com lindas barras e enfeites,
com 19 cavados cada um a 10-5, ditos de cambraa
com barras bordadas acrox no ultimo gosto, pe-
lo barato prego de 65 : na loja do Pavo, rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas de linho a 360 rs.
Chegou esta nova fazenda, sendo cass> de linho
propria para vestidos e roupas para criangas, cora
muito delicadas cores, moderna, c vende-so pelo
barato preco de 366 rs. o covado : na loja-do Pa-
vio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Lazinha* lisas.
Vendem se as mais finas lazinhas do urna s
cor, tendo grande sortimento : na lqja do Pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
oj
de
0 VIGILTE
11 do Crespo n.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pele pom-
poso Ballisa, na sua ordero do da, e pela biai.ia
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo rcm nts
agudesesporesnuncaos oflender, antes os ag a-
ciar na mesma conformidade, para que c Balia,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantarseu voo,ilevaudo no bico as palinbas seu
ninho; e o Gallo Ocara em seu espagoso campo
dando de novo o seu canto annunciande seus
bonsfregnezes o aorespeitavel publico
0 grande sortimento de objectos de uiuilogomtitf
aeaba de receber.
Ricas caisinhas coro msica ricamente entena-
das para costura, proprio para um delicado n>-
nino.
Iti'ldissimos cofresinhos com cadeadosdt metal
para guardar joias.
Ricascaixas com estejo, cometido lodoso 10-
tences para hornero.
Riquissimas voltas fingindo perola.
Ditas coro lacinhode lita.
Ditas de lindas cores e preta, de todas pre-
suras.
Lindos a leregos cora pedrinhos fingind( 11-
Ibantes.
Ricasilvellas para cinto, de todas as qna:i.-iT
e bom gesto.
Ricos cintos do ultimo posto de Paris.
Grande sortimento de lindos enfeites par;.; 1 e-
ga, sendo do ultimogostoe detodos ospiecc.
Flores muito linas para noivas.
Lavas enfeitadas c meiasdesda para Delta:
Touquinhas sapatinhos e meias de seda par
baptisado.
Riquissimas fitas de todas as qualidades \;..<- li-
go, ciise cinteiros.
Camisinhas e gollnhas prs senhora.
Riquissiraos jarros e flgnras para orrasmu ce
sala.
Grande sortimento de gravatichas tanto par* se-
nhora como para homem.
Luvasde pelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancinhas.galo e maravilhaspara enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz parara pies.
Papel amisadee de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadinhos delindos padree;.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhora?. menino.1* iren.
as.
Fitas de vellido lisas e com rraiane de Hs-r as
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para offererinei ;.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
1 Agua da Colonia, em garrafas grande-. em
frascos quadrados e garrafinhas.
Pomadafina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de t(c<
tamaitos.
Sahoinglez em paos grandes e pequeo.'.
Escovas de cabo de madreperola. marfir 1
osso, para denles.
Penie? para desembaracar. com friso Ce r. r /1 e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de multas outra? qoalida-
des.
Peutes de tartaruga para stchora.
Ligas de seda e de algodao, assim como r ;i!
0ntrosobjectos de posto quesera impossive, 1: *i-
cinar.que a vista fara fe, s no Galle Vic 1 u.
ue do Crespo n. 7.
Vollinbas.
Lindas voltinhas de pcrolasfalsas con.citiu e
fingindo Minantes, assim como eroifr.hf twUtt
e voltinhas, pelo barato preco de 1 e !i(l i?
cruzes aris asa O rs. s no Vigilante, rus co
Crespo n. 7.
Leques.
Rlquissimos loques de madreperola tar-'.i ;;:;
senhoras como para menina?, pelo baratt 11111
de 125 e 115; s no Vigilante, ra d< i.r*ii
a. 7.
GRANDE NOVIDADE.
S no Vigilante.
Riqaissimos enfeites de todas as qualidade- jara
senhoras e meninas, chegados hojedaalfand-r.
Sintos
Riquissimossintos de fita larga e estreit;. fiveiasprandes e pequeas, com brilhante?;.
cousade muito gosto.
Albnns
Tambem chegaram os riqaissimos alLur-|ra
50 retratos, com capa de tartaruga e den?M:.
causammtoihique : s no Vigilante,ra d( Cres-
po n. 7.
Gelinhas.
Riquissimas golinhase manguitos, omelhor gof*
topossivel, a 25,25500 e35 s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquosissim enfeites com lago e sem lago e ae
outros muitosgostos a 15,15500 e 35: s ce Vi-
gilante, ra do Crespn. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins de cabello para relegie ce n<-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, dte de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindoj
desenlio? tapado? e transparentes, pelo baratis'ino
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversa
larguras, assim como galozinho e trancinha* rr<-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra de Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimenlo de filas de diversas largura?
e qualidades, por pregos que admiran) aos com-
pradores, havendo fitas largas propria? para cir-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peea
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de lia.
Fitas de la de todas as qualidades, propria? pi-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelbos.
Riquissimos espelhos com moldura dentada
sem ella de 85. 105, 125 e 145, assim como com
celumnas de differentes lmannos a 25, 35,45,
e 65 ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana f.r.s,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto QDeaoo)
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Croi-o
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com 1 oneca para pos de arroz
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim con:o
paootes s com os p? a 320 rs. cada um; se no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim orno de lindos copos ou vasos com tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris elnplatei-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como ontros objectos que nao e.
Vende-se uma mulatinha pega com todas a- possivel por hoje annunciar, e vista dos fregn*-
habilidadcs: na ra da Praia, primeiro andar us I zes se far todo neoocio; na loja do Gallo Vigilante,
mero 47. I rna do Crespo n. 7.


1
?
***
I I
1% #"-



BP^I

la> de Peroaaalmco Qnarla ledra 0 CORTE.
Pechincha stm igual.
Li/trios cortes para vestido de percales de cret
claras e escuras com grande variedade de padroes
pefo baratissimg prego de $ o corte : na loja das
columnasra do Crespn. 13, de Antonio Cor-
ris de Vasconcellos A C,
JECTION BROU

BBHB
XAROPE vfc
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
de J. P LAHOZfi, Chimico,
BAKACIBTICO DA ESCOLA SDFEIIOI DE PABia.
t Este xarope, rcjjtilarisando as fanccGes do estomago c intestinos,* desiroe esas
wdispoMfoos proteifoimes, e faz abonar as molestia* de que s5o n-licios precnr.-.u-
res. Mdicos e (lenles icm recoutjccido que resubeitiee as mdis-stdcs, duenda
desaparecer os peso de estomago, que calma as enxaqnecas, espasmos, o etimSr.
qiiu !>0 rebultado de digeslfes penosas. Seu gosto asnmvel e a fac 'fa.le com qiu
so s-.ipoita, o tem feito adoptar romo especifico infaivel das docnciu nervosa ,
gastrtUs, astrLgias, clicas de eUomngo e de cntranhas, palpitar'-!:, dores de
corafo, vmitos nervosos; sua accao sobre as ftmerdes assimilailoras tal, qiie os
mdicos mais Ilustres o tem atfOptad* par resripinnte real dos iloiis primein
n agentes therapctuicos: Murrto de Fotusm r o Prot$-loiareto de ferr, tendo
observado qac dcbaixo de sua itluenan, 0 prinuir perde sua aecao irritante, c o
segundo seu effeilo adslringcntc.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas de laranjas amaras eom Io-
dureto de potass.
O iodureto de aotasta, aitmimstrarie em
olui;au ou dbaixo da turma solida, causa ao
iloentc una grande repufnancia.ou dele-mina
accidentes que o forgio i rcnuuciar a ela
i::edicii;o efticaz.
unido porm ao Xarose de cascas it laraa-
jas, elle nao causa r,:m gastralgias, ncm atr-
lurhaco do estomago e intestinos, t grecas a
este salvaguarda, os tratameotos depurativos
sao continuados sem inlerrupcao, as iflec-
coes eicrofulasai, tuberculosas, cancerosas e
ai secundarias e terciaria!, mesmu reuma-
ihismies, as quaes elle o mais seguro espe-
cicu. A dose est definida de tal maneira
que o medico pode Tarial-a a su* xentade :
0 frasco: 4 fr. SO c.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjus aauryxs com
poto-io ureto da farro.
A a>s, itiyio sal trra ao Xarope da ca
eas de toraajltj i laalo uiais ragioual qtMiiKi
que este saraae, eniprc^ido so. ]iara esiimu-
lar o up'-lito, activa a txevtfa i- sueco ga-
S'.riro, f par Rm rcgularisa as funci; minar*, HHNaHsa aa mtm eflnini dn* ferru-
ginosos c dos iodureto* lunn ir. abafa, prt-
sao d rCRtre, dores ptjaCIua) mi laaiit.j
que facilita ana absorpclo. Dissolvida no
Aaropc. elle se toma e se sii|>porla anhitenl*,
por aelinr-se no estado puro maia asaunilivel;
e assim pode eorriuicntos brancas, anewin, al'leccOes escro-
fulosas e racliitistNo:
0 frasoo 4 fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estilo sempre em frascos especiaes
(uunca era meias garrafas neru em frascos redondos). Expedic -s: em casa
J.-P. LAROZE, ru dea Lions-Saint-Paul. 2. Paris.
Ra do Imperador n. 38, botica franceza.
2 3S
=b O
o j; p-o cmc
T!i:te3g-:s6|L?s|d|g;aj-8
rll
, 5
s f:
LUTtiSifMJ
c-rs i 'azSJaB
^ta
2
- c 2?. n ~ '* 9 W
a c c-o m
s-JBsli
. oaDa s-a s5*"Be- c -s--
Baft-"""-^ H^nroSs k a B B r* rft ai
e-5B'I.5=a-3 :l2ri
Sil
en
2.
5'
re
O!
t
>
m
*t.a>t|8|
3.r
o2.f
= 5

3.a?ffH"
o
m
o
K2
-"2
fltspi
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
m:j
3.cs-B.g5l:i
S3
S '
PAM 0 CARNAVAL.
Grao la ortaWlUj de miscaras Ai valkih, sotina, esf, noi e papellio e ex-
.3:it3s lu/i3 ij |j||;i para homiaj e sj t!i ira diafamid, fabricante Jouvin, vende-
.} ea,'->^> i pra;) nut) .nroiiih mrase fechir c%iias/: no grande armazem da
Exposica i de L'>ndr3 ra d^ Cadeia do Recife n. 60. ""
y$)4! m
m
m
m
CHEG4RUI OS ODE^OS CU,LES DE
FILO METO.
Superiores eludes de fil preto c':egados pel ulmo vapor francs, a
lojadas-oliiii-.n;isrua do Crespn. 13, de An'onio COrreia de Vas oncel-
AO CARNAVAL!
RA NOVA N. 37.
JOS RICARDO COELHO, acaba de reeeber de Pari*, pelo paquete fraileen Ifcarn, chejado
It do crrante, um rico variado sortmieatode vestuar^i todas a carcter e gosto moderno, qur
para hompns, qur para senhoras, proprios para os (ranote bailes dos Clubs jmmercial e Pernam-
liiicano, snciedade Coryhantina.o Analmente jara muilas recreacOes, que se preparara para os das
26, 27 e 8do andante; por tanto, chama a atlcncSo do respeitavel publico, para seu estabelecimento,
preparado o melhor po.^ivel para btm servir qualqucr freguer. Nao querendo o annunciante tornar-
se proliso, limita-se apenas a fazer menean de alguns eostnmes masques, de sua variada galera
saber Bretoa, Mult-tier, Pirrot, Lois XV. Vivandeira dos Zonaves,r.astnme Ilalien, Bfsayen, Chic 'des
^uics, Nav;irai, Principe Caucasien, Rigolblche, Nouvcaux Pailasse, Pierrot Loustlc, Pierrette, Megi-
ct.'nne, La Mecame, Prince d'Araucani. Tem ifrualmente o mais completo e abundante sortimento
de cahelleiras, meias dita* e barbas, qurpretas, brancas ou grisalhas e outras cores : ludo novo ao
carcter que se nucir.
Em seu estabeleciment, se encontrar o que existe na actnalidade em Pars e Allemanha de
melhor em mascaras, endo de rame com mola e sem ella, de cera, com cabellos e barbas, narir.es
mascaras a dortin; e Analmente de papelito de todas as qualidades. Tambem tem as mais frescas
e afamadas luvas de pellica de Jouvin, de todas as cores cliegadas pelo Beorn.
M
BALAO
DE
AZEVEDO i FLORES.
Rui da Cadeta da Recife a. 47, esquina fie aolta para a Madre de deas.
Attenglfc

jPaieoii dafustao sabr.
'Ditos de casitnira (saceos) 12, ti*,
n.i0*a.........8*008
Dilos de alpaca S e...... 4*000
Ditos de alpaca branca 3* e 4*300
Ditus de dita branca 3* a .... 4*300
Sobrecasacos de panno ao francez 22*000
Jaquetoes de brim pardo..... *
Calcas de brim pardo 22300,33, 3*300 43000
Ditas de brim branco 4*. 4*500 o 5*000
Ditas de casimira de cur 35, 7*. 8* e 10*000
Cortes de casimira preta foa 7* e 5*000
Chapos linos altos ...:.. 7*000
Chapeos de sol de seda 6* e 8*000
Dttos de fe l tro a Garibaldi
IVlos segalntes presos
3*500
3*000
Seroulas francezas Onas..... 1*600
Os donos da loja do BALAO encaxregaj-se de maadax (atar qualquer obra de brim
etc., para bomens e meninos, atada que a Cacaada nao seja coraprada u* dita loja, da
Golletes de casimira pretos e de cores
35300, 45........
Baldes de 20 e 40 arcos dos raelhores
qae tem vindo ao mareado .
Camisas francezas a 2*, 2*300, 3* e
Madapelffes franeete^ (peca) 13*, 14*,
CtiRas para coberta (covado) .
L5as risas de todas as eSres .
Vestidos de laa a Maria Pia multo Unos
Leos braneos muilo fiaos iduzia) .
Um compteto sortimoato de chitas lar-
gas de 300 a ........
Cambraias franceas (Govado) .
Cambraias lisas brancas muita fiaas
. (Pe?a)...........
Um variado e liado sortimente d# eha-
les de merino estampados de M a
BKH COROAS NEM MITRAS

GR4LMOE ARMA2KM
4*300
*
5*000
15*000
320
*
18*000.
2*800
960
360
RA DO IMPERADOR M. 40
Janto ao sebrade em que ora Sr. Os borne,
nuarte Almeida t c. reeafceram de *a propria eaic
da mais Hado e rarlade sortlHento de uaolhados, propr loa
da presente estaeSo.
Manteiga ingleza Ma$ts braicas
da safra nova vinda no ni timo vapor a 1,00o para sepa a melhor que se pode desejar,
DE
DE
J. YIGNES. .
9r. RUA ItlI'I'IlAUOCt X. 55.
O pianos desta antiga fabrica o boje assai coauacidua para que seja necessario inastlr sobje *
su nperioridade, vantagens garantas que efferecem aos compradores, qualiJades estas iacomesta-
-veis que elles tem detlnitivamente conquistado sobre todos as que temauparecido nesta praca ; o4e-
suindo um teclado e machinismo que obedecen! tedas as vostades caprichos das pianistas, seta-
nanea falhar, por serem fabricados do proposito, e ter-se fejto nltintamente melhoramentos importaa-
lissimos-para o oli4a este paiz; aguanto as voaes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos onvidos dos apreciadores.
Fazem-ee conforme as eneommandas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram serapre premiados em todas as exposicQes.
No mesmo estabelecimento so arha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
meihores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
procos commodos e raxoaveis.
mmmm nedico-gibrggo
DO
BR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO. PtKlllUO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fund&o 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s 1
loras da manliSa, e das 6 e meia s 8 horas da noi te, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial liomeopatliica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento e carteiras
tobos avulsos, assim como Unturas de varias dviunamisaces e pelos preces seguales
Carteiras deIS tubos grandes. 42000
de 24 tubos grandes. 185000
e 36 tubos grandes. 2400Q
de 48 tubos grandes. 300G0
de60 tubos grandes. 3fi))(000
Prepara-se qualqtier carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remeii
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 13< 00.
Sendo para cima de 12, custaro os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopattiico o Dr. Jahr,
ions grandes voluntes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering,........... I0J000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 6O00
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Haatelga franceza
a safra aova a 60o rs. alibra, e em barril
a]560 rs.
54000 \ Ameadoas
8*ooo ufeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
casiojira libra.
Ameixas
em frascos de vidro cem 3 libras liquido a
2*j!400, muito propies para mimos.
Cartees
cea boles francez es a 500 rs. cada um.
Latas
ceaa belachiabas de soda de tedas as qua-
lidades a 1309.
Chocolates
detodasasqnalidades a l!OO0 a libra.
Presuntos inglezes
dos meihores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamenges
chegados neste ultimo vapor a 2^600.
Queijos
chegades ne ultime vapor a 2#60O cada um.
Oneije
londrmo o mais fresco que se pede esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que so pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinbas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1(5200.
Cha uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qualquer n5o pode vender por menos de
U a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2,5700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sepa, macarr5o, talharim e aletria a
488rs. alibra.
COGV4C
o muito afamado cognacPal Brandy a 1,8001
rs. a garrafa e de outras moita's quaida-
desa l.eoo e 800 rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muilas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oe a resma de me-
lhor.
Papel de botica
Diccionario de termos de medicina ........... 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-1 exce"enle qualidade a 20200 a resma,
to de serem novamente recommendados aspessoas que quizerera usar de remedios ver-'. 1 PAPEL
dadeiros,enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-; P*ra Para embrulho de l,4oo a 2,2oo
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
rs. a resma.
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Ca*a de mude para escravos.
Recebe-seescravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
>peraco, para o que o annunciantejulga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fooccionando a casa a mais de quatre anuos, ha mu i tas pessoas de cujo concei to se nao
pie duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi em diante 10500.
As operacoes serSo previamente ajustadas, se nae se quizerem sujeitar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americane em chapa a
1.4oo rs. alibra.
Vinagre
PRRem aacoretas de 9 caadas a !5,-ooo rs.
cada urna.
Chales de renda preta e bournus de guip preto|
A* loja da roa do Crespo n. 17,
DE
JOS GOMES VILLAR
Vende a 15*. SO*, 30*, 40*, 50* e 60*, capas e casacSes de ros pretos, chapeos
e chapelinas de palhae outras moitas fatendas proprias para a qnaresma.
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de sna saude espera que seus
de ved ores tanto do mato como desta praca saldem seus dbitos qaanto antes.
FABRICA DE CHAPEOS DE SOL
JS. S Ra Mera esquina da Camboa do (armo e na do
Cabng n. 8.
A directora desse estabelecimento o mais importante que existe neste ger.ero
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goze das
vantagens que proporciona a fabricarlo em grande escala e directa relaco com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender ainda mais barato
do que do costume como demonstra a seguinte tabella:
Descont em duzia.
Chapeos de sol de panno a 20000........ 20
armaco de baleia a 20500 .... 10
de seda armado de ac inglez de 20 pollegadas
40, de 24 50, de 26 50500 e de 28 60...... 15 '
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de 24 pollegadas 80, de 26 90, e de 28 100. 15
dem idem a balao de 16 varetas palent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 130 ..... 15 o/0
- Alm de muitas outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os lamanhos e feitios, os quaes sao lo vantajosos como os annunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, entilara fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-se igualmente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre una descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serlo considerados como
a retalho.
as mais novas de mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista o laiuco
0 ma/LT d0 mercad a 14o rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
macarrao, talharim e aleiria a 460 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinh#
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa,
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des meihores fabri-
cantes da cidade de Portea 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as ma-
cas sao asseguintes: Chamisse Fiib.0,
F. M., Nctar ou vinke dos Deuzes,
lagrimas do Doure e eutros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha maleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nezes
as mais novas do mercado a 120r .4 bra.
Cervejas
des raelhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Einto,. Res e outres em
meias caixinbas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de !. e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 805(
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
arrafees
com 4 V garrafas com vinagre a 10000 o
ogarrafto.
GENEBRA DE LARANJA
verdadetra a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeiraem frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a 10,000 a ciixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos meihores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranh2o, Java e India, a loe rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de esperraacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento
VELAS
de carnauba em caxas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caxas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs
a libra.
Passas mait novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
; Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
. fruta em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ffinia e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce it casca da goiaba
a 600 e 10 o caixae.
"SKS .SSSttS -,$?" *00' -
%
7
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
maite nove a 30400a arroba e 140rs. a li-
bra aa ra doQueimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo de Carmo n. 9.
QUEO SUISSO
mujto fresco a 800 rs. a libra na roa do
Ouetmadon. 7, ra de Imperador a. 40 e
large de Carmo n. 9
libra na ra do Qoei-
raaaoD. 7, ra do Imperador n. 40 e la reo
do Carmo o. 9
BOLACHINHAS
m latas de defferentes qualidades a 10200
a lato
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
doQueimado n. 7, nw de Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
es-
fronM?0S.pr0Prielarios d0 ^ande armazem o Verdadeiro^PrnSMderJaram
Saram tZSZl" pnbIC9 em **. W* V facilitar a SodidadeT
upuiaram os raesmes precos nos seguintes lugares:
0 Vcrdaeiro Principal roa do Imperador i. 40
FARELLO DE LISBOA
arca N verdadero em saccas novas e grandes a 40500: na ra do Imperador n 40
NOVIDADESa $
Queijos de Alentejo, ditos das ilbas e mais fresco que se pude dse- flR
102*0 alibra, esendoiateire ter algum abatimento, ricas caixinlias ujf
jar a
redeadae eafeiladas-, preorias para mimo da festa pelo barato preco dei 40
cada ama, ricas caxas de Ages tambem proprias para mkno de 800 105GO
cada ama. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperador a. 4.
i
GAZ GAZ GAZ
Veade-se gaz da melher qualidade a
120 a lata: nos armazens da raade la*
perador a. 16 e ra de Trapiche Nevo a.'g
Vend?m-se charutos da Bahiade varias qoa
lldades: em casa de Manaard k C, rna do Tra-
piche n. 48.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior eal fi Jeto* a mais nova
qne ha n mercado,lano em percae romo a reta-
lho, por barato $*$}&, aBafl(aoda-s< aos rompra-
dore* aerior qualidade: a tratar as se guilles
mas : Crespo n. 7, Imperador n. la\ Forte do Ma-
tas.armazes do 8r, Avllla, deirtate o trapicte
> algedd.

J




Ufarte ie
m cuarta falra de Feverelra de !*&.

NO VOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chafan s aderaos vestidos da ealell* de seda cm barra, inteiramenu nevos
em gasto e qualidade : loja das columna?, na ra do Crespo B. 13, de Antonio Correia
de Vscocellos & C, successores de Jos Mareira Upes.
Fazendas de foom gosto
rara vestaos dcseaktra
Superiores corles de seda de cor, de morame, de gorgurao e de selim imaerial.
Diles de blond, e de carnbria branca bardados.
Ditos de laa com barra e grande variedade em cores e padries.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de qaadros escesseza e miudas.
Superiores lias lisas com grande variedado de cores.
Bitas com salpicos, con loros de uadros.
Lindas paraoolinas do qaadres o do flore?, fazenda inteirameDte ora.
Superiores cassas de cores, e lindas carabraias organd
Grande variedade de chita de cores, de perealia contras muitas fazendas defa.
Para hombres de seniora
Liadas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda.
('.rancie variedad* de seut'embarques de seda de 18 a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados flnos.de eachimira com listrasde
seda e do fil preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancas e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
liabas com ponhos e outros muitos artigos.
Para caneca de sentara e neiiae
Superiores chapeos e chapellinas de palba de Italia eafeitades para senhora.
Ditos de feltro enfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeilados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da roa do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascoaeel-
los 4 C.
EiSAtL RECOMMEVBA^AO
MAZEM CONSERVATI
23Largo do Terco23.
Joaquim Siin-o dos Santos, dono deste bem sortido armazem de melbados faz cente era*
reeoiainemUcao ios seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esta resolvido a venderos seus
bein cjnliecidos seeros de primeira quadade,por menos de 10 a 20 por cento, menos doque em ou'
tra qualquer parte a dinheiro contado.e todo o comprador que comprar de S0 a 100$ terao descon-
t de S a 10 por cento pelo seu prompto pagamento: e por lsso se faz annuncio de aleans eeneros>
para com esto melhor se certificaren!.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4$400 e 4j200.
Phesphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o mago e a 2$ a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o c-
lao a 2$800e a caada a 4500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs.a
garrafa e a dtizia a 5,5800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
era barril ou caiza se far abatimento.
arroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 28i0, 2e 2400.
Assim como ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas choco-
late, marmelada, vinho engarrafado e ontro*! mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los, o se al-
guem duvidar venha ver.
AO PUBLICO
se
(Intento
Importe do
io agradar.
constran-
entregar o
genero que
TTENCtO
AGUA FLORIDA
oreos da segnlnte
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
4*MM para sopa macarrao, talharim e aletria a
2iu rs. a libra e em caiza a i.
fouciaao de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
a libra e 80800 a arroba.
Safe do Rio de primeira e segunda sorte a 260.280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8}e
IfMft.
Chouricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 12$.
Passas vindas pelo ultime vapor a 400 rs. a libra
e a caiza a 8$.
Batatas era (jigos de 35 a 40 libras por2$409a ar.
rebae a 80 rs. a libra.
Cha hvsson miudieho superior qaalidade a 1$200,
2*000, 23300 e 3 a libra.
Vinho de Figueira, Porto Lisboa em pipa a 360,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem proprio para nueocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2$409 e 2$700.
FRANCISCO J. GERMANN
1 RA IOVA M *1
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de melhoi qualida
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronometros martimos e de algibeira, relogios de ouro
e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, snissos, allemaes e americanos,
reguladores de compensado, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol montados ccm pecas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos tamanhos, caizas cora msicas, igual sorti-
mento de oculos e lunetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, age, e varios metaos, oculos c
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que fofTrem de inflanimagoes
nos olhos, labricados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pernambuco, os quaes s se vender por consulta dos mdicos, vldros de erystal branco e de cores,
oculos de alcance para o mar e ontros proprios para observares astronmica.*, oitantes e sextantes,
binculos para tlieatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros, calzas de instrumentos malhematicos, corrcntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro, dou-
rados e foleadas, ludo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encommenda dos
objectos mencionados, e responsabilisa-se durante nm anno por qualquer relogio vendido ou concert
aeito, em sea estabelecimento; e vende por menos que pode fazer ontro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores raiudinhas, de qoadros, lisas, ederamagens, com grande
variedade de padroes, fazenda que se tem senipre vendido a 800 rs. a vara, pelo baratissimo preco de
300 rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
A uomp.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Ra do Queimado n. 19.
Vende-se o seguate:
Lences de panno de linho
pelo baratsimo preco de 2J.40G.
Lences de bramaote de linho
de nm s panno a 3,5500.
Coberta de chita da India,
pelo baralissimo preco de 2$500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 2$ a dnzia.
Pecas de brelanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 4$.
Pecas de cambraia de forro, a 2#600.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-
gura, por menos prego do que em ontra qualquer
parte.
Toallias alcachoadas para mos
5$ a duzia.
Lazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 ris o co-
vado.
Lazinhas de cores finas
do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris o
covado, neste armazem de fazendas se encontrar
um grande sortimento de roopa feitae por medida
Bou vinho verde.
Davym Catalcanii reeeberam o bom vinho do
Alio Doaro.o qual estao vendendo a 4$ a caada,
por garra fa a 560 rs. na roa da Cruza. 68.
" TINTA PRETA COMMERC1AL.
Vende-se tinta com esta denominaran prepara-
da por Joo Cancio Gomes da Silva, a roa do Qaei-
mado n. 32.
Farello superior > Ihfcw .
Tem para vender Antonie Luiz de Olivei-
ra Azevedo no san escritorio ra da Cria
ri.l.
Milho novo e saceos grandes: no trapiche
do Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.__________
Vina* da ladeira e do Porto
Vende-seosuperior vinho da Madeiraedo Por-
to, em raizas de urna e duas duzias: s na loja
do Vigilante,rna do Crespo n. 7._______________
OflOGABIA.
34Itaajlarga do RosarioM
Bartliolomea Francisco deSooza i C.
Vende:
Acido actico poro pura retratistas.
Esmaltes para onrives.
Papel para forrar casas.
Guarnicoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiado Veneza, fino, em pites.
i
para machinas de algodo.
Acabam de chegar agora novos motores para
um e dous cavallos para mover machinas para
descarocar algodao, cyiindros de padaria, eoutras
' qnaesquer machinas para agricultura, os quaes se
! vendeu por prego muito em conta. Tambem se
vende um motor americano para 2 e 4 cavallos pa-
ra o mesmo flro, que trabalha muito bem ; elles
i se acham montados para o comprador ver o seu
trabalho : na fabrica da travesa do Carioca n. 2,
i caes do Ramos.
Ra da Senzalla b. 42.
Yende-se, em casa de S. P. Jolinston & C,
sellins e silhoesinglezes, candieiros e casti-
caesbronzeados, lonas inglezas, fio de yela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos,e relogios de
ouro patente inglez.
BOTICA E DROGARA
Barlholomea Francisco de Soaza & .
34Mi larfa d Rosario34
Vendem:
PilnltuHolloway.
Plalas doDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulac americanas.
Punas vegetis.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kerap.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Cbable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrima eOi Albert."
Injeccao Feaugas.
Agua deatifica de Resirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspall.
Pos anti-epileticos de Brest.
RobL'Affecteor.
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway.
ARMAZEM UNIAO M
RIJA DI A1KIA IIO REilFE W. 5S.
(Logo assando arco da Conceif)
durando redaceio de procos, equivalente a dez por cento menos do que ontro qualquer
aauauneiante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a i.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com i&to ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo! 11 Ora, eu ofendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redueco de precos, como veris
pela se|[unte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do moxnoravel armarem de molhados Uni5e Mercantil nSo
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de 1,408 a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducco a que
estao obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros Bao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
t5o sement obter a concorrencia de seas freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arraujos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que serSo tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida rae daro a protecQao e preferencia na compra
dos gneros que precisaren), e quando nSo pocam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vio em ontra parte
rs. e em bawieasde 4 duzias se faz abali- Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escomida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5ee rs.
Cha bysson de superior qualidade a 2,600 rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,000 rs.
dem preto homeopatuico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem bysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o i,600, 4,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, 7,800
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo re. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, o 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a leo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,009 rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oe rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
ao quese vende emoutra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
e2,6oo rs.
Lingucas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serena superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e6oo rs.a libra.
Queijos Damengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do
passado a i,6eo e i,800 rs.
(dem londrinos os mais superiores que tem
viudo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a guaa 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
per 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao oosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona era
frascos grandes a l.ooo rs. o basco, c
H,ooo 1 s. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes i 4oo
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talberim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendareis as
pessoas doentes por serem propiamente
fe i tas para esse (im.
vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,800 rs.
Vinho branco de Lisboa^de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,000 a
lo,ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Naatesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'aguaem sal da fabrica do Beato
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5eo; ditasimperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de de versos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oo rs.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5o a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5e rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legme para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca epreta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova aloors.
Charutos detodos osfabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oe, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixesaeoors.
cada uih.
Familia de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento etantas pori,2oors.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
190B
MURRAY&LANMAN
A agu florida de Murray Lanman,
olhada como um artigo de perfume, nao
lem podido ser igualada pelas prepracoes
as mais custosas: conserva seu artima,cono
se formasse parle da prenda a que ella fe
applica. Sua efficacia to delicada, cerno
elegantes sao seus multiplicados usos, qner
Mga empregada como artigo de toucador,
quer no uso dobaitbo, ou como suavfcadoi
da pella, depois que se teuba feio a bai ba;
j para limpar as gengivas eu arcmaCtar o
hlito.
D suavidade, brilho e elasticitlade as
completeoes,depois de se haver lavado: ll-
uvia a irritacaode erupces ordinarias; la
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas do rosto, rugas e toda a
casia de ebulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua effi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veisnos casos em que seja preciso appli-
ca-la como estimulante e antisptico, nos
concursos e assemblas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como um antidoto excel-
lente para os desmaios causados por canaa-
co ou suffocacao. Preparada nicamente
porLanman & Kemp, Nova-York, o a venda
porCao/s & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Joao da C. Bravo A C. ______
BIVAL
SEM SEGUNDO
Na rna do Queimado n. 49 e 55 lojas de miudo-
zas de Jos & Azevedo Maia e Silva contina a
vender ludo por precos mais barato do que ;o
outra qualquer parte, quero quizer ver o que ha
bom e barato venha loja do Rival.
Latas com superiores banha...........
Frascos de vidro com superior banha..
Pares de luvas de seda muito lina.-___
Enfeites do melhor posto que tem vindo.
Garrafas d'agua de Floiida, verdadeira.
Pulceiras do melhor goslo e modernas.
Volta para pesroco do melhor gosto....
Baralhos para voltarete, unas a 200 e..
Varas de franja branca de iinha qne
tem muna serventa.................
Duzia de pennas d ac muito superiores
Frascos de oleo Bboza muito finos.....
Tal he res para meninos a melhor quali-
dade............................
Diversos livros, todos religiosos a 100,
200.................................
Duzia de colheres de metal muito finas
para sopa..........................
Duzia de colheres de metal rouito finas
para en........................
Grosas de botoes de osso para calca...
Grosas de botOes madreperula para ca-
rniza..............................
Grosas de botoes de louca prateados
muito Anos......................
Varas de babado do Porto sortido.....
Duzias de lapes differentes qualidade a
240..............................
Quadernos de papel de peso muito lino.
Resina do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo muito boas
Sabonete de espuma muito superior...
Capachos compridos e redondos muito
bons.............................
Ditos para sof......................
Pares de suspensorio muito bons e para
acabar...........................
Essencia oriental para tirar ntdoas de
roupa............................
Creiao para dezenho de tedas as qua-
lidades ...........................
Cartas de allineles francezes muito su-
periores ..........................
Caixas de eotebetes francezes a 40 ris
Dnzia............................
Carreteis de retros com qnalro cita vas..
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.............................
O
Fabrica Ooncei$o da
Bahia.
Andrade & Rege, recebem constante-
mente e fn venda no sen armazem a.
34 da ra do Imperador, algodao "aquel-
la fabrica, proprio para sacos de asn-
ear, embalar algodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
!
m
!
Vndese panno fino preto de boa qualidade
pelo diminuto preeo de K$ o covado : no caes d
22 de Novembro loja n. 7.
niiiem de molhado
SI-RA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado dimito indo do pateo do ColJf gio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfago de avisar aos seus freguezes e aorespeitavel
publico que, estando restablecido de seus incommodes de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidade, efrancamente affiancas pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escropnloso, em summa, nao Ilude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo qaeiram honrar como sea comttentelhes
assegura que o producto deseu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente cumprido as suas ordens.
Fornecerageaeros aos Srs. agricultorese negociautesque lhe merecam confiaba, ta-
zendo ura abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero dopaiz, mediante urna mdica commiss3o, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado a compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commisso.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa proteccao, fre-
quentandocomo utr'orasua casa, epelo reconhecimento que lhe?tributa offerece expon-
taneamente seus servieos.
J oiga desnecesario publicar a tabella dos precos de seus generes: s3o seus recursos
garanta suficiente depoder accempanhar os menores precos de idnticos e mesn de
maisapparatososestabelecimenlos, teudosomente em vasta o augmento de soasvendas
diarias.
Prevenco necessaria.
Tende sido o proprietario estabelecido muitos antros com o mesmo ramo d nego-
cio ni mesma ra, julga prudente advertir que s affirma ese responsabilisa pele que
tem declarado no que disser respeito ao armazem. ^_^
p ara
Sl-RUA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito ind* do -pateo do Qollegxo
H 1
B9
Ca
0>

5 Si = c "* sr*-' ST o o u st
"iiifS'fif rfilf i
_ _^mc.* -a.s;^<^E
BslJ|BlSfi* i Isiff
3 S.s e w m i s
CL.O
o _
sr B s jr
c o
en

eB
lie

a
-*|ff||
"O "5 S C5
a om "
"o = 13
o-5ft 3
3 B 5
o rs o*
0
5
o_
S
s
en
te
f
a
a.
?8S.
fia o
3
s
c 2 w
5 Q
IS1
- rw
03 -J
O
3
s5
a-
5
e
e
>
e
s
e
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar ac*r natural
des cabelles.
A agua florida nao nmatritura,fcto esserv
cial acontentar, a mesma agua dando a cr primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
desubstancias inoTfeBsivas, ella tem a prepriedade
de restituir aos cabellos o principio coraate qne el-
les tea perdido. B'mm salabridade incoa testa-
vel.a Agna Florida entretem alimpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabelles de cakir
Oleo de Florida.
Composto de substanciasvejretaes exticas, elle
constite poderosaairr*" com A(MFlorida, a
torca, a belleza e a eonservicao dos eaLa;;*.
Em Pars, casa de fnislanr n. 15, ra de Riche-
lien, e 21, boulevard MoBtaiar'rr,
Todos os frascos, Bao teido intacto o claro,o
timbre prateao la ea?a, sao reputados falsos.
Deposito, rna do Imperador, pharmacia i. 3.
2C0
240
;120
uoo
;280
coo
m
240
(O
060
2C0
2/.0
.-..(i
25400
1JS0O
2C0
500
2f0
(10
400
030
OOO
25CO
040.
800
l
soo
020
100
"60
SCO
SOO
Vende-se a casa terrea n. 55 da ra de Wa-
tbias Ferreira da cidadede Olincia : qutm a pie-
tender dirija-se a tratar nesta cidade na rna Au-
gusta n.59.
htten gao.
Vendem-se eicellenles enfeites jara os nafra-
ras a 15. s as fitas valem ? ou 2$, nao u ral-
lando das bellas flores que tf, assim etico ira
existem algumas gangas amarillas rcm toqui de
avariaa240 rs.. e brinsescuros proprios jaia fa-
bricas de engenlio lairtini a 240 o covado : ra
ra do Imperador b. 0, loja.
Vinho de Porto siierior
om barris deoitavo a dcimo, veade Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.: no sea escriptorio ra
da Cruz b. 1
Ra da Senzalla Nova 1. 42.
Neste estabelecimentorvendem-setachas do
ferro coado libra a[HO rs., dem de Lev
vioor libra ai20 rs.
F>i\is bmliiiriiie/as.
Vende-se na rna Nova n. 61.
ESCBAVOS FGIDOS.
Aviso
ees capites de campo e a pelicia.
Desappareceu em pjincipio do mez de onlohro
do anne passade, de bordo do palhabote nariocal
Araujo Malo, doos escravos de nomes RcbeHo
(por apellido Macei), e Mignel ; o de idade'48
anuos, pouco mais cu menos, crisolo, ror fula,
estatnra baixa, barba serrada, nm pouco torio das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tanto na
barba eomo na cabeca ; o 2 alto, ebeio do corpo,
sera barba e Calla grossa, representa ter de J5 a
30 annos, cojos escravos descon6a-se andarem pe-
los arrabaldes desta cidade : quem es apprehia-
der qneram levar a roa do Trapiche n. 4, que
ser generosamente gratificado.
ATTEKCAO.
No dia 24 de dezembro prximo passado fugio
o preto Braz com os sigues seguintes : baixo, re-
galar do corpo, sem ama, cara larga, com mni-
tas verrugas f m cima do olho direito, levou ca-
misa de algrdaozinho e calca de azulao e ontra de
baeta verde, chapeo de palba, o qual til vez j lo-
aba mudado, costuroa andar muito de vagar e
pnxa pela perna esqoerda por cansa de seffrer
de dores rheumatiras, fol escravo do Dr. Olinda
Campello : quem o pegar sirva se Wva-lo rr.a
das Cruzes n. 32, padaria, que ser Aem recom-
pensado. ________________________
Fagio da padaria de Santo Amaro, o preto
Jos Crioulo, idade 24 annos, sem barba, estatnra
balsa, tem falta da mSo esqnerda, tendo sido cor-
tada pela nranheea. bebe agurdente e nnito
regrista e dado a valentao, tendo sido comprado
ao inglez Eduardo Davit, da villa do -Cabe : qoem
o pegar leve-o a mesma padaria que pagar ge-
nerosamente, protesta-se costra qoem o tiver
oceulto.


Diarl de rernambnco Qaarfa felra 91 de Fcvcrrlro de 18s

LITTEBATRA.
Pernambuco. tremes?
01 i-'BRECIDA AOS GI'ARBAS NACIONAES K A TODO 0
POVO PERNAMB^CANO.
Pernambuco! onde eslao os
seus soldados e voluntarios?
embriagamse tal vez as deli-
cias de Capua!
O Dr. *
I
Onde os bravos gaerreiros valentes
Que souberarn vencer ao Hollandez I
Onde os bravos da heroica provincia
Que nao surgem de p, de urna vez,
A' Tingar as affrontas, que atiram
Os bandidos to vis de Lpez ?
II
Meus patricios, agora que a patria
Mais carece de vosso valor,
Porque nao vos ergneis de repente
Ao rnfar do mavorcio tambor ?
K ne ides fazer que Uruguayos,
Encontrando-vos, mudem de cor?
III
O' soldados da heroica provincia,
Nao deixeis em descanso os fuzis;
Elles coram por vr-se esquecidos,
Quando cereamnos tropas hostis I
Pernambuco I soldados da patria,
Quando a patria periga, dorms ?
IX
Onde os filhos d'aquelles valentes
Qae essa trra venceram por nos?
Dos valentes, qne oulr'ora souberarn,
Combatendo, morrer como hroes ?
Onde os filhos e netos d'aquelles
To oosados, guerreiros avs ?
V
Maldigo sobre aquelle que nunca
Palpitar o seu peito sentio
Pela causa to santa da patria!
Maldico sobre o que preferio
Ocio vil aos rigores da guerra,
Quando a patria em perigos se vio !
VI
Maldico sobre aquelle que fogel
Pernambuco, o que feito de ti?
Jazes morto? corrupto?disperta,
Leo do Norte potente, d'ahi I
Vai ao sul; leva aos campos contrarios
Mil terrores, gritando;eis-me aqu 1
VII
Quando outr'ora o inimigo encarou-te,
Mudo o gesto,-convulso tremen I
Vai de novo mostrar lhe teu brago,
Que esmagou, batalhou, que venceu I
Vai, guerreiral vai p lo em fagida
Lhe gritando smente :Son en I
VIII
Ob 1 maldigo os tyrannos sedeos
Que beberam-te o saogue de rei I
Que Ozeramte escravo; nos pulsos
Tearrocharam grilhSes; mas por lei I
Que cuspiram-te face os insultos,
Te humilharam I meu Deus I e qne sei I...
IX
Pernambuco, o teu grito de guerra
Sola, e a juba sacode, leo I
Oh I disperta do somno em que vives.
Mai de hroes, ergue a fronte do chao I
Vai cobrir-le de louros virentes,
Conquistar outro novo brasao 1
X
Eis o brado que solta a memoria
De Vieira, Vidal, Camarao;
Eis o quanto diz Henrques Dias
Fri, inerte, debaixo do chao.
Eis o que diz agora quem sent
Lhe bater varonil corceo I
XI
Mas os filhos do norte recuam
Descerados, cobardes, e vis I___
Oh I das tumbas erguei-vos, soldados,
D'esses tempes de outr'cra gentis,
Vinde, mortos, ver vossos filhos
Como fogem sem brios I... ouvis ?
XII
Nao ouvis como silvam nos ares
Os sibillos da bala veloz?
O' guerreiros do norte, o que tendes,
yue vos vejo sem cor e sem voz ?
Nao coraes fmatricidas cobardes,
Maldico! maldico sobre vos!
XIII
Pernambuco, onde os brios que tinhas ?
Onde a fama de heroica ?pasmai I
O' porvir IPernambuco recua___I
Qnem lhe incute pavor?-Paraguay 1
Brasileiros dos tempos futuros,
Tanta iufamia comigo chorai I
XIV
Pernambuco tremendo?-a guerreira?
A qne fez descorar o Hollandez?
Pernambucoa valente ? nao pode II!
E qnem fa-la tremer desta vez?...
Velha Europa, sorri-vos agora ...
Ella treme, meu Deus! de Lpez!....
XV
De Lpezo bndido, que enroupa
Vestes d'honra, s sendo traidor I
D'esse fofo pavo orgulhoso,
D'esse ganso to bom grasnador I
D'esse here, meu Deus I que eu nao troco
Pelo mais miseravel tambor I
XVI
E nao coras, rainha do norte ?
E nao sentes as faces te arder?
Pernambuco sem brios ? I... quera pode,
Oh! quem pode, men Deus nisto crer ?..
Elle dorme... porem se rugindo
O leo dispertar... que ha de haver ?
XVII ,
Talvez tremara, as bases, os montes
Dessa ierra que temos aos ps;
Oh I talvez I... masUremereujurot
Esse prfido, ousado Lpez I
Esse hroe, essa cousa que chefe
De bandidos sem honra e sem lei?!
XVIII
Que rnidos sinistros se esentam
Pelos plainos e montes de alm ?
Sao as tropas de um brbaro chefe
Qne talar-nos os campos j vem;
Sao cadelas-presentes que arrastam,
Aos brasilicos pulsos I... pols bem !
XIX
O' gaerreiros das tribus da norte,
Alegrai-vos, sorri-vos, folgai t
Eis que brilha o arrebol dos escravos...
Vossos pulsos ao ferro entregai!
Renni-vos; correi a encontra-lo
Dando cicas ao vil Paraguay !
XX
Vos qnereis ter senhores por forca,
Mas senhores sem honra e sera leis?
Hnmilbai-vos, beijai-lr.es as plantas
Ao Brelo... que senhores lereis I
Horneas traeos, lambe i- ja sera brios
Os ps negros do negro Lpez!
Slm, do negro Iperfidia negrura-
Negro n'alma, na crenga, na f I
Filho ingrato, bastardo da honra,
Elle oslenta-se, ao claro, qaem !
Mas, meu Deus! Pernambuco, t tremes?
cus! ergnei-vos, soldados, de p!
. XXII
Oh nao vedes aliponco longe
Verdes montes c'roados de luz ?
Os seus nomes? nao vedes?Tabocas!
Guararapes! e os sons do arcabuz
Nao ouvis dos guerreiros de outr'ora,
O' soldados que o norte produz ?
XXIII
Pernambuco, t tremes ? t dormes
Quando elevam-se as oulras do sal ?
Fraca irma, da miseria e do raedo
Te mergulhas no infame pal ?
Pois nao queres teu nome na historia
Vr dourado com ledras de azul ?
XXIV
Se o tambor, que hoje rufa, chamasse
Cada qual para a guerra civil,
On chamasse, p'ra em campo infamante
De elelgees, dar um voto servil
Correrlas depressa!... mas hoje
T recuas!... qnem chama ?-o Brasil!
XXV
Oh nao posso I nao devo I nao quero
No que vejo um momento s crer I
Os meus olhos me Iluden soldados,
Ide os louros p'ra's frontes colher !
Se morrerdes... dizet-me, nao doce
Pela patria com honra morrer?I
XXVI
Eu, por mim, vos declaro, que a honra
Mais subida, que posso alcangar,
E' nos campos da gloria, meu sangue
Gola gota no chao derramar !
E que eu possa dizermorro mogo,
Mas a patria ba de um dia folgar I
XXVII
Se sagrada de mai a amisade,
Se este amor sublime paxo,
Nao menos a sacra amisade
Que nos temos ao patrio torrlo!
Oh Imeu Deusminha miminha patria
Eis os motes do meu coracao !
XXVIII
Pernambuco, nao durmas, dio tremas;
T smente... t vales por mil I
Cada braco que tensum gigante!
Cada filho uro Titao de fuzil!
Cada espadaum lampejo, que esmaga I
Oh nao durmas, rival do Brasil I
7 de fevereiro de 1865.
Joaquim Vilella.
As*Im qne gosto delta.
Eu nunca fui poeta .Era louenra
Mostrar depois de velho pretencoes,
Quando as nao tive em horas de ventaras
De tam doces, mas breves, illusSes.
Ento era a minh'alma qae gema
No vago anceio donde nasce amor,
Mas-hoje sei que amor no rr.esmo dia
Nasce, esmorece, e raorre .como a flor.
Da meiga brisa o tepido bafejo
O perfume da rosa, o por do sol,
As nuvens d'ouro, esplendido cortejo.
Do astro rico, a voz do rouxinol;
Esse hymno immenso com que a trra exprime
Viva saudade da apagada luz
Se para mim eato era sutlime,
Ai I que j, por meu mal me nao seduz.
Quando contemplo agora o fim da tarde,
Quando ao mirar-se em christalino mar
O facho acceso, sobre as ondas arde,
E oas ondas depois vae mergulhar ;
Sabis vs no que pens em tal momento ?
Vede a qae prova vil isto chegon !...
Sabis vj no que pens ? o que lamento ?
Odia mais de-vida-que passou I!..
Da vida, sim, meus senhores,
Que nao ha pechincha egual,
S algum sarrafacal
Em horas de maus humores
Grunhir sombro e ronco
Que pelo seu fim anhela I
Eu c por mim acho ponco I
Morro de amores por ella !
A vida saboreada
Da maneira que en r sei,
Nem limpa botas, nem rei
Trazer gravata lavada,
Tendo a paz na consciencia,
Boas libras n'algibeira,
Urna sege, e por decenucia,
Um garoto na trazeira;
Cadeiras, todas de braco.
Fufas como o pao de l,
Nunca dar ponto sem n,
Nem por ponto em dar abracos,
Cagadas, fritas to prato,
E sobre a caga, caf,
Charutos... dos do contrato
Libera nos DomineI
Ora, se eu da va o cavaco,
Ou se quebrava o loutico
Por ser todo quebradizo
Neste mundo como um caco !
Em se quebrando, acabou-se
Ora adeus! fortes lamechas
Era bonito se fosse
Ficando tudo para mechas I
Amor de marrafa branca
Come o cao e a cadellinha,
Sempre fiel qne gracinha t
Ao cha por baixo da banca
Dando ternas pisadellas
Que as meias deixaro de luto,
Que fazem ver as estrellas
E provam qne o par bruto I
Ter sempre o mesmo barbelrq,
E sempre o mesmo topete
A mensa do voltarete
Defronte o mesmo parceiro,
O molle ser sempre molle,
Sempre o nesmo o serigaita.
Ni mesma gaita de olha
Soprar, qaem sopra tal gaita t
Quem pensa assim I oh I coitado,
Ou perdeu todo o jnizo,
Ou se tem dente do sizo
Pelo alveitar foi achado 1
Para mim qne son amante %
Do qne muda e do que meche,
Como bavia ser seccante,
O tal mundo de escabeche II..
Beijar nos pulsos a algema
Com qae amor nes maoietava,
Amanha manda-la a fava,
A belleza eis do systema
Ser hoje amigo do.. .Brito
Amanha se-lo dos Souzas !
Viajar boje no Egipto,
Ver amanha novas coasas !
Isto slm I qne prazer certo
E quem julgar que nao presta,
Diga adeus a esta Testa
Que o cemiterio est perto I
Pois pode baver tolerancia
Na China, aqui ou em Goa,
Com quem difende a constancia
Qne a massada em pessoa I
Aqui delire! I porque mente
Tda a humana geracao >
Grande petar ? Pois ento
Se mente, mente-lhe a gente I
Por mentira, mentirola,
Por esparrella, esparrella,
Assim vae esta charola,
Assim qae ea gosto della I
Dizem qne vida os assenta
Porque em tudo encontram moca,
Que o bem a todos nao toca,
Que a jusiica nao justa,
Eu por mim quero-a mais larga,
Que se acaso nm dia fdr
Parar-lhe as mos menos carga
Sobre os hombros me hade por.
E se o bem me nao tocar
Tambera nma vez smente
Ferro comigo no quente
E l coraeco a chorar.
Nao mu t Dou de conseibo
A quem quizer divertir-se
Que chore em frente do espelbo
E por forca acaba a rir-se.
Chorar bom I quem me dra
Nos tempos qae j l vo,
Quando moco o coracao
Ao romper da primavera
Sobresaltado trema I
E da trra toda em flor
Junta va doce harmona
Das lagrimas de amor !
Se vida nao achara geito,
Porque todos tem chorado,
C para mim vem barrado,
Quem lhe poe este defeito.
Elles qne foram pequeos
E contra as lagrimas chio,
Da lacrima christi ao menos
Um pingo nao quererlam ?
O' se queriam 1 nem pi,
O pello do mesmo cao
Cnra o mal diz o rifao
E anda ah mais de um to
Aes bordos sempre a prova-lo.
Nao ha magoa qne resista
guando se quebra um gargalo
e garrafa nossa vista.
Hosnam que as filbas nao fechara
A sete chaves a me,
Que a me namora tambera,
E mais que torna e que deixa...
Ih! Jesns que gritara !
Se a me tentasse feicha-las
Nenhuma as portas abria ;
Era preciso arromba-las !
E o canarim f E a polica ?
Tinha qne por senlinellas
as portas e as janellas t
O'! que famosa delicia !
Para andar tragas fazendo !
As pombas l no pombal
Por pombo c fora tendo
Um guarda municipal !
Cutarras I Se ha quem supponha
as polticas regioes
Que inda pode haver Catoes
Quando to rara a vergonha I
O galante que no jogo
Cada qual puxa o seu Irumpho,
Quando sem armas, nem fogo
Podem alcancar thumpho I
Qucixam-se os republicanos
Que Ihes tosqueiam as azas !
Pois vo l as suas casas
Fazer de criados manos.
Os onlros temem que os thronos
Se despedacem ? Demonio 1
Nao ihes restara anda (monos I)
Os thronos de Sant'Antonio ?
Tudo aqui se remedeia,
Tudo tem fcil sahida,
Se as honras dermos a vida
D um jantar ou d'uma ceia.
Quem lenta pola ao direito,
Perde o lempo e a raxo
Porque lutajpeilo peito
Com phanlastica visao !
Eu nnnea fui poeta. Agora vedes
Que menos do qne nunca aspiro a s-Io,
Se agarrar-me tentei pelas.'paredes
o teu parnaso, Apollo, vae-me ao pello.
Poe me n se conservo nesta facto
Algn restos de parvoas prelengdes
J que) o mundo, como o mundo ingrato,
Soube despirme as doces illnsdes.
Dormi.. sonhei I Do sonho hoje accordado
Na prosaica verdade emfim cahi,
Mas cmo tudo tem sempre nm bom lado
Ganbel fordura se iliusoes perdi I
Francisco Palha.
UM P0UC8 OE TUDO.
Transcrevemos o seguate do Jornal de Lisboa :
O typographo parece-se :
Com o alfaiate, por qae toma medidas e tira pro-
vas;
Com urna lampa, por qne est sempre preso a
caixa ;
Cora as mulheresde virlude, por que deita sones >
Com o gemetra, por qne trabalha cem linbas'
Com um cabellelreiro, por qne compile cabegas ;
Com um acrbata, por que d saltos ;
Com nm mogo de fretes, por qne faz mudangas;
Com um sapateiro de escada, por que faz re-
mendos ;
Cora ura soldado, por que faz piquetes ;
Com um condemnado no oratorio, por que espe.
ra a ultima hora ;
Com nm capito do mar, de outros tempos, por
qae tem ar-go em gales e galees;
Com um elstico, por que ajusta ;
Com ora general, por qae recorre as lionas;
E, finalmente, com nm confessor de freirs, por
que, em vez destas, sio os escriptorios quem Ibes
apura a paciencia.
E' a segninte a lista de operas novas que se es.
trearam na Italia durante o anno de 186'i;
Em Aiicona, Nicolo de Lapi, do maestro Rossi;
Em Bergamo, Marta del Griffi, de Petrali;
Em Gagliary, Cuor de Marmo, de Dessy;
Em Florenca I Batacia, da Sra. Tarbe;
Em Millo, La Estella di Toledo, de Bemvenuti,
Michelle Perrin, de Ccgnoni, CEredita cu Corsico;
de Heiglio, Idae Italiam de Tamburini, e Le Mer'
merie de Dtavolo, de Lozzi;
Em aples, I'Albergo dell'Allegri, de Lorabai-
dioi; U Bosco di Dafne, de Gova, e la Lucinda, de
Gnocchi;
Em Placencia, Rodertco r det Goli, de Ponchielle;
Em Teramo, Wenceslu, de Bicking ;
Em Tarn, // Rinnegato di Normandia, de Cor-
diali e Denina.
Nenbuma destas operas de diverso mereclmenlo
elevou o seu autor a condico de genio na arte,
anda que revelaran) talento.
Diznm jornal inglez qne o Sr. Wailace Tyfe vae
fundar um collegio ou instituto para a carreira de
imprensa. Anda nao existe nenhuma escola deste
genero.
Wallace Tyfe pedlu a coadjuvago de alguns
jornaes populares, nos quaes se podero exercilar
os seus discpulos, e em pouco lempo estar dispos-
to a receber os filhos de propretarios dos jornaes-
ou ontras pessoas, para serem educados em ludo
e que diga respeito ao jornalismo, commercio, po-
ltico, ou Iliterario.
Esta idea tem sido bem recebida por todos os da
proflsso ; e como Wallace Tyfe um dos vetera-
nos em assumptos de mprensa, espera-se que em
pouco lempo tome grande desenvolvimeoto to im-
portante institugo.
outro lugar do seu Evangelho, tque elles seccarao, Qae irajtorta da morte a fra aironia
$ que diro s monlanhas: Cahi sobre nos, co- cB n. rmrtna nm ,., ail 2 .
brinos, pondenos ao abrigo da cholera deste ^ os fruetos um da teus fllhos terlo ?
terrivel Juiz! ^ dignos vindouros sabendo a victoria,
Mas nada os podara subtrahir 4 divina Jusii- A' toa memoria mil palmas sarao ?
ca. O lempo das misericordias ter passado para
sempre; nao flear mais do qae a inflexivel, do Quem morre da patria co'as armas na mo
que a iramutavel Jastlga. Conquista nm padro, qne timis Andar
Se os homens soubessem o que sao os juizos cu nnmo ,. _
de Deus, d.zia n'outro lempo no seu leilo de morte, "Be.de to,clos no Pe,t0 estampado,
um piedoso solitario, que, durante doze annos con- uo loaos cavado mil bengos ter.
secutivos se tinha santificado meditando nelles r,.-.!. .
continuamente, se os hom6ns soubessem o qae sao ""P015- quinao o mundo mudando de manto
os juizos de Deus, nao poderiam nunca pee- Perder o encamo que a vida lhe deu,
car I Em coro celeste seu nome canudo
Porque nao pensamos nesla salutar verda- Ser premiado com os premios do'cu I
nao pensamos nesla
de?
Ella modificara infallivelmente
a nossa vida, e Avante do norte quem tem o luzelro
de negligentes que somos, ta vez mesmo ibertnos vri, _... ,s **""u>
e maus, nos faria slidamente christos, tornan-1 V*" e ue"eiro, tao che.o de luz,
do-nos homens de devar, de f e de conscien- Nao falta-lhe brio, nao corre do forte,
cia. E zomba da morte pela trra da cruz.
A's duas horas da madrugada de 12 para 13 do
correte, sahia de um baile de mascaras em Ma-
drid um hornera que leve a desgraga de se ma.-ca-
rar de mouro.
Todas as coleras christianssimas se revollaram
contra o subversivo raascarado !
Mala que mouro ; esfola cao damnado I foram |
as vozes que ouviu o filho interino do prophela.
Algumas vezes dizemes: iE'muito difflcil! Nao
posso I Mas poderemos habitar n'um fogo devo-
rador, e viver em ardores eternos ?.....
Oh! como veremos ento claramente que poda-
mos, e podamos fcilmente; que bastara simples-
mente am pouco de resolaco, de coragem, para
nos salvar I Mas nao ser'mals lempo.
Nao se morre senao urna vez, e ojuizo que se
segu morte sem appellagao.....
Nao lenho tempo de fazer as minhas orages,
diziaraos nos tambera. Nao lenho tempo para ir
confessar-me. Nao me atrevo apparecer santa
mesa diante de toda a gente.
Miseraveis mentiras, que nos lerao perdido.
Vos que lerdes estas liabas, leilor, mea caro
amigo, nao esperis, acreditae-me, nao esperis
para mudar de vida, para voltar a Deus, o abragar
a vida christa: aproveitae o tempo, talvez bem
curto, que vos separa do vosso julgamento.
Preparae-vos pela pratica fervorosa da orago,
pela frecuencia dos sacramentos, pela santificago
dos domingos, pelo zelo em procurar sempre o
cumprimento da vontade de Deas; preparae, repi-
to, o meio fcil de lerdes urna sentenga favoravel,
e ped ao nosso bom Deus, para que nem vos, nem
eu, nem nenhum dos leitores desta peqaenna
folha leoha de ouvr nm dia as terriveis palavras
qae foram estremecer o mundo.
Discedtte a me, maledicli, n ignem xter-
num. Retirae-vos de mira, malditos, ide para o
fogo eterno !
Avaote I quem preza o sea Pernambuco !
Com iras de turco, e vingar o brasao I
E tu, minha trra, v bem nao te esquejas,
Que nao desmerecas, dos bravos de Falco.
Um padeiro d'esla corte costuma a mandar o seu
pelor pao ao seu melhor amigo.
A cousa parece extranna, sobretudo em sea s-
calo e n'um paiz, onde todos estao convencidos
N'am momento fo levantado por milhares de i des,e proverbio:
bracos e arrastado para um chafarlz prximo, on- ~ Matheus, primero aos teus.
de o erabeberam em agua capaz de baptisar um
reino pago.
Repelir-se-biamasscenas de Torquemada, se nao
lnterviesse a polica.
Mas este proverbio nos deve ser lido como est
escripto; ha sea complemento mental, sua concta"
sao subentendida.
O proverbio deve ser lido assim :
Matheus, primero aos teus... tnteresses.
Voltemos ao padeiro.
Um ingenuo, cora o procediraento do padeiro,
perguntou-lne porque razo havia de mandar o
peor pao ao melhor amigo?
E' simples, respondeu o filho de Ceres; se
eu mandasse o peior pao a um estranho, perda a
freguezia; o que nao acontece mandado ao melhor
amigo ; porque esse amigo nao deve... etc. etc.
D'onde se cooclue pela millionesina vez, que a
amizade ura contrato tcito entre um tolo e um
esperto, em virtude do qual o esperto vive a custa
do tolo.
Quando ambos sao esperlos, devoram-se um ao
outro, como as duas cobras de que falla urna ane
docta popular.
A Estrella do Norte publica o seguate :
l'MA COUSA QK NAO FAZ RIR.
lodos nos desejamos com avidez conhecer o fu-
taro.
E' deste sentimento intimo que veiu o detestavel
abaso dos feiliceiros, dos que leem a buena-dicha
e outros cbarlates deste genero, qae escarnecen)
dos papalvos que os consultara, tomam-lhes o di-
nheiro, e nao Ihes dizem o que elles quereriam sa.
ber, pela razo muito simples de que elles sabem
tanto como aquelles que os consultam.
S Deus conhece o futuro; o qae ha de ser est
presente ao seu conhecimenio infinito, como o que
foi e o que ; e se nos sabemos alguma das coa-
sas futuras de urna maneira certa, nicamente
por que Deus se dignou instruir-nos antecipada-
mente.
Ora, quiz Nosso Senhor fazer-nos conhecer al-
gumas dess cousas futuras, nao por contentar a
nossa va enriosidade, mas para excitar-nos a fazer
bem, evitar o peccado, abragar generosa e constan-
temenle os sacrificios, multas vezes to penosos,
que impe a pratica da lei divina.
Enlre todas estas verdades do futuro, a mais te-
mivel, a que faz e deve fazer em nos impresso
mais profunda, indubilavelmente a predigo do
juizo final.
avernos de ser julgados; nada ha mais certo :
Deus mesmo, Jess Chrsto Nosso Senhor, Deus
feito hornera para salvar as nossas almas, quem
no-lo declarou formalmente; e nao se contentan
de nos dizer que haverla ura juizo, que este juizo
seria para todos, que sera terrivel e medonho, raas
dignou-se de dar-nos delle alguns pormenores para
ferir mais fortemente os nossos espritus. Foi
aquelle que disse :
O cu e a trra ho de passar, mas a minha
palacra nao passar: eu sou a verdade. Aquelle
que me seguir nao caminha em tretas, mas possue a
luz da vida.
Portanto, nao ba nada mais certo do que isso que
o Filho de Deus nos predisse sobre o juizo final.
No 23 capitulo do Evangelho de S. Matheus, Esta poesa offerecida ao Sr. Gustavo Antonio de
Nosso Senhor, depois de ter Indicado os sgnaes Brit0' dino cade'e voluntario da Patria, do Sr.
precursores do ultimo advento, as pestes, as guer- '< A- O-
ras, a perturbago dos elementos, e transtorno me-
Annuncase para 1875 e 1898 urnapassagem do
plaoeta Venus sobre o disco solar.
Sao as suas nicas passagens, que este planeta
far no presente seculo.
Mas pergunta-se:
D'aqui at l quantas vezes Venas e Phe-
bo nao trocarao o sculo do amor... aqui na
trra ?
Honra s damas brasileiras !
O convite feito nos jornaes de quarta-feira, por
cma dama annima, nao pode delxar de ser atten-
dido por todas as do mesmo sexo.
Costurar a roupa dos soldados, em quanto os
soldados vo morrer pela nlegrldade do sea paiz,
um acto de dever patritico que a Semana nao
pode deixar de applandir.
As damas argentinas deram seu exemplo digno
mandando flos para os feridos brasileiros.
As brasileiras nao podem conservarse era expec-
tacao, quando se trata dos seas.
Honra as damas!
donbo de toda a natureza, os estragos do anti-
christo, e as terriveis lutas da sua egreja contra os
mus, Nosso Senhor nos diz que repentinamente as
nuvens do cu se rasgaro, e que Elle mesmo appa-
recer em toda a gloria de sua magestade, para
julgar o mundo.
Todos os homens vivos ento morrero, e poucos
das depois ao som sobrenatural da trombeta do
AO FILHO DO NORTE.
Via a ierra da patria aggredida,
Ergueu alio seu alto pensar;
Pula o sangue, referve-lhe a vida,
Vinde ouvir o seu rnde cantar..
(Palheirtu.)
Do brbaro trato que aos nossos irmos.
To bons cidados fizeram soffrer 1
A's armas I A' guerra Briosa cohorte
Das trras do norle, porque te detens ?
Nao sabes que honra te langam a frisa,
Que a patria precisa dos bravos que tens?
anjo resnsciuro, assim como todas as geracoes v-
humanas qne tiverem passado sobre a Ierra, desde' s da aTronla 1ue aos nossos fizeram,
Ado e Eva at ao ultimo da. Da lei que mposeram de nao se render?
Todos resuscitaro em carne e osso; as almas
reunir-se-ho aos corpos que lioham n'outro
tempo animado.
A omnipotencia d'Aquelle que tirou tudo do nada Nao ferve-to o crneo com esses insultos
SS? K2K.r ^ ** Um D0 m' da O- HW indultos, e o bem que fizemos ?
Reunidos todos perante o tribunal do divino Juiz,! Com esses opprobrios, que pagam auxilios,
os homens onviro ento a sua eterna senten- Matando Brasilios no chao que Ihes demos?
ga; setenga de vida eterna, de ventara, de alegras L- .
eternas para os justos sentenga de desesperago:. Nao sabes que a terra fo1 1oasi ulada>
eterna, de maldigo sem remedio, de dores, de cas- E preza formada de bens do Brasil?
"^nTci^PH'V^f 00S...... I ~ T 1ueres a toga vestir do martyrio
A nm sigoal do Filho de Deus, os aojos revesl M j, .- .,
dos de formas sensiveis, separarao este ajuoUmen- i No loaco delino de um per t0 v f
to imraenso de creaturas em dons grandes corpos;' Nio sabes que bravos j patria perden
L-se no Angrense o seguinte sobre as foran-
gas :
No municipio de Vassouras se esl fazendo uso
de um novo processo,.que se proclama o mais effi'
caz para a extinego dos formgueiros, e com des-
pezas comparativamente mnimas.
Este nevo methodo consiste em fabricar ama
plvora mu grosseira, o em encher com ella nm
canudo de bamb ou laquaruss.
A plvora se compoe dos seguintes ingredientes :
salitre quatro partes, enxofre ama parle, carvo
de pedra duas partes.
Em falta de carvo, pode empregar-se carvo de
leoha misturado, em partes iguaes, cora farnha de
mandioca ou mesmo com serradura de madeira.
A fabricago desta plvora mui fcil.
Qs ingredientes sao pulverisados separada-
mente em pilo ou gral, e depois mistura-
dos to intimamente quanto for possivel, mo ou
com urna colber de pao, em urna baca ou ga-
mella.
Convra humedecer levemente com agua, afim da
facilitar a mistara.
Escolhera-se os mais grossos bambs e cortara.
se de maneira que em ama extremdade fique o n
intacio e da oulra a parte aberu do mesmo bamb-
Esses pedagos sao cheios com a plvora, socando-a
como se carrega um foguete. Procura-se ento a
entrada do formgueiro, e se introduz nelle o fo-
guete aceso, que se cobre immediatamente cora ter-
ra, melhor molhada do que secca, afim de evitarse
a perda dos gazes.
-Na acgo desses gazes eminentemente delctenos
que reside a efScacia do processo. Se no fim de
o a 10 minutos se abrir os forraigaeiros onde se
introduzo os productos da combusto dessa plvo-
ra grosseira, se encontrarn as formigas trabalha-
deiras e as larvas comidas as paetes reduzidas
massa com a consistencia e o aspecto da cera.-
Cada foguete cusa, conforme o calibre do bam-
b, de 120 a 200 rs.
O governo histrico j se recompoz quatro ve-
zes I
Tem tido 12 ministros em 3 annos! fez 3 for-
nadas de pares! adiou 3 cmaras electivas I ma-
tn 3 fe Ibas semi-offlciaes e despachou mais de
30 depuUdos corruptos qae se venderara s exi-
gencias ministeriaes !___
Referen) de Ga o seguinte uso dos gentos :
Durante o mez de novembro alguns gentos ac-
cendem, em todas as ooites, urna lanlerna eta de
papel, a qual elevada ao alio presa a um pao
compndo, que se enterra ao p de urna planta que
todos os gemios tem nasuahorta, e qnal do o
nome de turan.
O logar onde fica essa planta elles o tem em
profundo respeito, e ahi que prostrados fazera a
sua orago.
O acto de accender a lanterna nestaqnadra, des.
tinaaa para sso, traz comsigo indulgencias gran-
des.
L-se no Jornal do Havre ;
Pode dizer-se que qaanto mais ridicula urna
moda mais probabilidades tem de se generalisar.
E que o digam as crinolines.
As damas de Venna tingem agora es seus caes
de estimago de cor igual dos seas vestidos.
E' de crer que, para bem dos pobres animaes,
nao mudem de vestido muito a miudo.
Que balda de forgas fraguea-lhe o eolio,
am sera
Chisto, o
aoerda.
E ento o Rei eterno far ouvir esta dupla sen- E quas do slo pedago lhe cede ?
tenga: _
- Venite, benedicti Patris nui, possidete para- PorqQe nao ,e arrojas>torrente caudal'
(um robu regnum a conlitutione mundi. Vinde, Cm Dbre fanal de gloria que tens,
beroditosdemeu Pae, possni o reino que vos espera A' maga briosa, que busca vinganca.
desde a origem do mundo.
Nao pegas a langa, depressa nao vens ?
E os eleitos, a quera se dirigir este celeste convi-
te, entraro logo cora os santos anjos na alegra Escuta da palria la' sa o gemido,
juntamento buraano qae a sua esquerda esperar ~ Na0 ouves ecno ? E ,ens calaf"?
ajunlamento humano qae a sua esquerda esperar
egualraenta a sua sentenga :
- Recedite a me, ntalecti, n ignem ster- ,
num. Apartae-vos de mira malditos, para o fogo ALaD,e> Pa'ncios I O bons camaradas,
eterno. As vossas espadas llgeiro erapuohae !
E.estes, accrescenta o santo Evangelho, irao Sao cerUs as palmas; n'um pleito to justo
logo para o supplicio eterno.
Que raio nao ser esU paiavra para os miseros
a quem ferir!I!
O que Senhor, separados de vos? Separados
de vos, que sois a vida, o bem, a fellcidade I E
para onde iremos nos, Senhor! para onde hemos
de refugiar-nos?
ln ignem.
No fogo, e no fogo eterno.
In ignem mternum.
Nunca tari fim esta chamma Nunca! Nun-
ca I Que morada I Que prospectiva II!
T tremes de fro to junto ao calor 7
O medo e o susto para longe affastae t
Exemplo ta viste no bravo e leal
Do grao Portugal, que o poU cantn___
Porqae ta nao segues seu feito sublime,
Nao vingas o crime, que a horda causn I
Na nobre Polonia, na Franca exaluda,
Que em lettra dourada revive na historia ;
E inda mais perto, na nobre Babia,
Por isso o mesmo Senhor Jess nes disse n'am. Que os filhos enva sedentes de gloria.
Trau-se de fundar era Londres, por aeges, nma
sociedade para a exterminago dos tigres na In-
dia.
Mal se pode fazer idea na Europa das devasta-
ges que annualmente fazem estes animaes fe-
rozes.
Em Singapora, ha dous annos, os tigres, atra-
vessando o estreito, vioham em o grande nume-
ro, qne os habitantes os nao podlam combater.
Mulheres, criancas, trabalhadores, desappare"
ciam em pleno dia dos campos e das casas.
S n'um anno muitas centenas de pessoas foram
victimas desies animaes ferozes, sem que se tratas-
se de empregar medidas efflcazes para os extermi-
nar.
as ontras partes da India os indgenas fazem as
mesmas queixas e dizem que o numero de tigres
tem augmentado depois do desarmamento a que
deu caasa a sublevago dos cypaios.
Quando as armas foram restituidas algumas
povoages mais ameagadas, em tres mezes mau-
ram-se, s num distrcto, 10 gres, 28 leopardos
20 ursos, 9 byenas e 3 lobos.
J se v por isso qne a India tem cagadas Inte-
ressantes, com bons premios, pois qae por cada ti-
gre se do 5 libras esterlinas.
Assim urna sociedade por acedes, para a exter.
minaco dos tigres pode al dar dividendos I
, Nos tempos que cerrem, ha negocios moito mais
aventurlos e especulares mais chiraericas.
MgH-
A egreja catholica tem nos Estados Unidos da
America do norte 5i bispos, 2773 sacerdotes
4,109 seminaristas, 2,948 egrejas, 2579 capellas
oratorios provisorios, 93 conventos de religiosos e
26S de freirs, 12 universidades, 76 esubeleci-
menlos de edocago sera incluir as escolas que ha
em varios conventos e esUbelecimentos de bene-
ficencia.
Ha 60 annos havia ali ora hispo, 22 sacerdotes
e um convento.
PERNAMBUCO.-TTP.-DE M. F. DE F.& FILHO
-
i
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3KOA5EIK_T53RTF INGEST_TIME 2013-08-28T01:28:07Z PACKAGE AA00011611_10600
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES