Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10597


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
T
amo iu jomo 40
Por qnarlel pago dentro de 10 das do i. mez : f
dem deptis dos i.os 10 dias do comeco e dentro do qoartel. .
Porte ao eorreio por tres mezes .*....., ,
55000
6S000
750
DIARIO DE
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO NO NORTE
Parahyba, oSr. Antonio Alexandrino de Lima ;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaqulm Marques 15o-
dngues; Par*, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Ftlhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SOL.
Alagoas, o Sr. Claudin Falco Dias; Bahia, o!
Sr. Jos Murlins Alvs; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gaspariulio.
PARTIDA DOS EsTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e eslagSes da via frrea at
Agua Prcta, folios os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, BomCon-
selho, Aguas Bellas eTacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhaem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei
ros, Agua Preta ePimenteiras, as quintas feiras
IIlia de Fernando todas as vezes que para aHsahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h-, 48 m. e 38 s. dat.
10 La chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto myu. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 La nova as 5 h., 43 m. e 22 s. da t.
SABBADO 18 DE FEVEREIRO DE 1865.
For anno pago dentro de 10 lias do 1. mez
Porte ao eorreio por nm anno ..,.,.,
19|000
3$000
AUDIENCIA DOS TRIBIJNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao mcio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbadcs a 1
bora da tarde.
DAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Gregorio p.; S. Benigno b.
14. Terga. S. Valentim m.; S. Auxencio m.
15. Qnarta. Ss, Faustino e Jovila mm.
16. Quinta. S. Raymundode Penafort c.
17. Sexta. S. Polycarpo b.; S. Kmulo m.
18. Sabbado. S. Simeao b, ni.; S. Prepedigna v.
19. S. Conrado f.; S. Gabino m.; S. Alvaro f.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 hora e 6 m. da manhaa.
Segunda as 1 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30 para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novombro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livrarla da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Maneel Figueira de
Faria & Filho.

PARTE QFFIGIAL
fiOVUM DA NUWNCIA.
Expediente de dia lo de fevereiro de 186>.
Offlcio ao Exm. Dr. vigario capitular. Commu
niro a V. Exc para seu conhecimento que segundo
constou da offlcio da secretaria de e.-tado dos nego-
cosdo imperio de 31 de Janeiro ulinn >, fui por de-
creto de 28 apresenlado o padre Domingos Leopol-
dino da Costa Espinosa ni igreja parochial de N.
Senhora das Mootanhas de Cimbres, desta provin-
cia.
Dito ao coronel commandante das armas. Sr-
v.i-sl' V S. de expedir as convenientes ordens alim
de que toda a torga do 4o balalhode artilharia a
pp, existente nesta capital, esteja prompta para se-
guir para a corte no primeiro vapsr que se espera
do norte.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para os fins
convenientes as inclusas relacoes de alteragoes oc-
corridas com os militares da guarnigo desta pro-
vincia que se acham fra delta, constantes da nota
Junta por capia.
Dito ao mesmo. Nao podendo o voluntario da
patria Salostiano Gomes de Andrade, ser reconhe-
cido 2* cadete, em vista do aviso de H de outubro
de 1860, poder todava seta como soldado parti-
cular, na contormidade do decreto de U de tove-
reiro de 1820, e neste sentido deve V. S. expedir
as suas ordens, ficando assim deferido o rejueri-
mento do rr.esmo voluntario, sobre que versa a in-
formaco de V. S. de hootem datada, sob nume-
ro 304.
Dito ao mesmo.Nao podendo ser admittida pe
presidencia a substituico pessoal em tempe de
f tierra das pragas do exercito em face do artigo
14 do regu'amento annexo ao decreto n. 2478 de
28 de setembro de 1839, nao pode ser deferida a
preteugo que devolvo do cabo da companhia de
artfices Theotonio Cear de Almeida, e a que al-
lude o officiodeV. S. de II docorrente, sob n. 292,
comprimi que o supplicante requeira ao governo
imperial a quem compete resolver.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar so-
bre o que pede Luiz Ramos da Silva no incluso re-
querimento.
Dito ao mesmo.Nesta data offlcio ao capitao do
porto para mandar apresentar V. S. aflm de ser
alistado no exercito o reernta Feliciano Francisco
das Chagas, o qual foi inspeccionado e considerado
apto para isso.Neste sentido officiou se ao capitao
do porto.
Dito ao mesmo. Em vista do que representa o
juiz e orphos deste termo no offlcio constante da
copia inclusa, sirva-se V. S. de verificar se o me-
nor de que se trata nao deseja alistar-seno corpo
de voluntarios da patria e exclui-lo de tal alista-
memo. Communcou-se ao juiz de orphos deste
termo.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em vista dos inclusos documentos e nao havendo
inconveniente mande V. S. pagar os vencimentos
relativo ao mez de Janeiro ultimo, dos offlciaes de
1* linha, tambores, cornetas e clarins, empregados
nos corposda guarda nacional desta capital.Com-
mumcou-se ao commandante superior da guarda
nacional do Recife.
Dito ao mesmo.Ao coronel Joaquim Jos Gon-
ealves Fontes, que acaba de ser exonerado do rom-
mando das armas desta provincia, e tem de se re-
colher a corte, mando V. S. abonar a ajuda de dis-
to a que liver direito c passar-lhe a competente
guia de sorcorrimento, especificando os vencimeo-
tos que tem o mesmo coronel no rorrele mez, para
serem pagos naquea corte.Expediose ordera a
agencia para a passagem do mesmo coronel.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo V. S. que em vista das duas inclu-
sas coutas, e nao havendo inconveniente, mande
pagar a Manoel Jos da Silva Oliveira, conforme
solicitou o chefe de polica em offlcio de lio me ni,
sob n. 211, a quantia de 1065400, despendida com
o sustento dos presos pobres da cadeia do termo da
Escada durante os mezes de outubro e novembro
do anno prximo passado, e para esse lim trans-
milto-lhe as relages de taes presos relativas quel-
ies mezes.Communicou-se ao Dr. ebefe de po-
lica.
Dito ao mesmo.Ex pega V. S. as suas ordens
para que dos vencimentos do laogador do consula-
do provincial, Joo Pedro de Jess da Malta, sejam
arrecadados mensalmente e remedidos thesoura-
ria de fazenda ID por cento, que elle offereceu para
as despezas da guerra com Montevideo c Paraguay,
contar do Gm deste mez al ullimar-se a mesma
guerra.
Dito ao commandante fuperior da guarda nacio-
nal de Olinda.Expeca V. S. suas ordens com ur-
gencia para que o destacamento do corpo de polica
esistente na cidade de Olinda seja substituido por
outro da guarda nacional sob seu commando supe-
rior, composto de 12 pragas e um inferior, e com-
munique-me o dia em que cnlrar elle em effectivo
servigo.Offlciou-se aos commandantes superiores
da guarda nacional de Goianna, Cabo, Garanhuns,
Flores, Ro-Formoso, Palmares, Limoeiro, Bonito,
Iirejo e Santo Anto, para mandarem substituir por
guardas nacionaes os destacamentos do corpo de
polica existentes naquellas localidades.
JJito ao director geral da instruego publica.
De contormidade com a sua informago de II do
correntc, sob n. 42, mande V. S. admitir no Gym-
nasio Provincial como alumnos externos gratuitos,
a proporgo que apparecer vaga o menor Jos Luiz
de Oliveira Braga, filho de Francisco de Oliveira
Braga, e o e neme Joo Teesphoro da Silva Fragoso a que se
referem os inclusos requerimentos.
Dito ao commandante do corpo de polica. I
Transmiti V. S. para seu conhecimento e para
o fazer constar ao corpe sob seu commando, copia
do aviso do ministerio da guerra de 19 de Janeiro
ultimo, autonsando esta presidencia a acceitar os
servics do mesmo corpo as circumstancias ex-
traordinarias em que se acha o paiz, no caso pro-1
vavel de serem elles afferecidos, a exemplo dos
corpos policiaes de algumas provincias.
Dito ao mesmo._ Expega V. S. suas ordens
para que se recolliao a esta capital todos os des-
(acmenlos da secgo volante do corpo sob sen
commando com os offlciaes, subalternos, ou in-;
tortores que os commandam, logo que forem subs-
tituidos por outros da guarda nacional como nes-
ta data determino.
Dito ao mesmo.-Ao guarda da secgo urbana
do corpo sob sea commando, Joo da Costa Reg
Lima que foi julgado incapaz do servig >, como
consta do attestado junto ao seu offlcio n. 94 de
14 do crreme, podeJV. S. mandar dar a baixa que
pedio.
Dito ae inspector do arsenal de marinha. De-
terminando o Exm. Sr. ministro ta marinha no
aviso de 31 de Janeiro ultimo que o torro das salas
da casa que se est edificando nesse arsenal para
residencia do respecto inspector seja feito de ma-
deir* por ser mais conveniente e econmico ; as-
sim o commuoico a V. S. em solugo ao seu offl-
cio de 28 de novembro do anno prximo passado
sob n. 781.
Dito ao mesmo. Em observancia do que re-
comineada o Exm. Sr. ministro da marinha em
aviso de 13 de Janeiro ultimo, expega V. S. as suas
ordens para que os Irabalhos do melhoramento do
pono desta provincia se restrinjam s obras in-
''ispensaves a conservaco do que j bouver sido
feito.Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Com este offlcio ser apresen-
tado V. S. Joo Jos de Aleaotara, aflm de ser
alistado na companhia de aprendizes marnheiros,
se estiver as condg5es do respectivo regulamen-
to.Communfcou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito a sociedade Unio dos Mestres de Architec-
tura Naval.O governo imperial a quem foi pre-
sente o offerecimento da sociedade Unio dos Mes-
tres de Architectura Naval desta cidade para coad-
juvar gratuitamente a construegao ou fabrico de
qnalquer embarcago que so tenha de fazer nesta
provincia para ser empregada na guerra em que
se acha empenhado com as repblicas do Uru-
guay e Paraguay, manda louvar os bons desejose
patriotismo da mesma sociedade, e agradecer to
generoso offerecimento, que opportunamcnie ac-
ceilar : o que declaro a referida sociedade para
seu conhecimento.
Dito ao Dr. Joao da Siva Ramos.Recebi o offl-
cio que Vmc. mo dirigi em data de 13 do cor-
rente offerecendo-se para prestar gratuitamente
os seus servgos mdicos na enfermara dos meno-
res do arsenal de guerra.
Leuvando to patritico offerecimento vou leva-
lio ao conhecimento do governo imperial, alim de
i ser lomado na consideragao de que merecedor,
! no entretanto offlcio ne-la dala ao coronel com
mandante das armas, que est autorisado a con-
tratar os mdicos civis, que devem substituir os
militares, para que atienda aos bons desejos de
Vmc. quando houver de tomar aquella providencia..
- Offlcou-se ao coronel commandante das armas
Dito ao conselho de compras navaes.Em virtu-
de do aviso do ministerio da marinha de 29 de Ja-
neiro ultimo que recommenda a paralysago das
obras a cargo daquelle ministerio, infrmeme o
conselho de compras navaes quaes os objeclos cons-
tantes do seu offlcio de 13 deste mez, podem ser
comprados sem infraegio do mesmo aviso, e como
indispensaveis a algum servigo nello nao compre-
hendido.
Dito ao Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pelo offlcio que Vmc. me dirigi hootem, fiqnei in-
teirado de haver assumido a presidencia da caixa
filial do banco do Brasil nesta capital por ter se-
quido para a corte o Dr. Joo Cardoso de Mederos
e Souza.
ilo ao director do arsenal de guerra.Em
cumprimento do aviso do ministerio da guerra de
I do correle, mande Vmc. tornecer ao deposito de
anigos bellicos da provincia das Alagoas para os I
recrulas que tem de ser remettidos para a corte no J
2o semestre do correte anno, as pegas de farda-
oiento constantes da nota inclusa por copia.Com-
municou se ao Exm. presidente da provincia das
Alagoas.
Dilo ao administrador do eorreio.Constando de
aviso da repartigo da agricultura, commercio e
obras publicas de 30 de Janeiro ultimo, ter sido in-
deferido o requerimento em que o agente do eor-
reio de Olinda Joaquim Jeronymo de Serpa pedio
augmento de gralificagao : assim o commuoico !
Vmc. para seu conhecimento e aflm do o fazer
constar ao referido agente.
Dito ao lente Joo Pedro de Jess da Malta. !
Acceto e louvo como um acto de seu patriotismo:
o offerecimento que Vmc. fez de 10 por cento de'
seus vencimentos mensaes como langador do con-'
su'ado provincial para as despezas com a guerra!
actual com Montevideo e Paraguay, e nesta data i
. expego ordem a thesouraria provincial para que '.
proceda ao devido descomo de taes vencimentos.'
DUo ao engenheiro Jos Tiburcio Pereira de Ma-!
galhaesRecommendo Vmc que entendendo-se !
com o Exm vigario capitular desia diocese proce-'
da o orgamento da? obras de que ainda necesslla!
o seminario de Olinda.Cunmunicou-se ao Exm.;
vigario capitular.
Dito ao Dr. juiz de drelo da 2a vara desla cda-
I de.Informe Vmc. sobre o perdo que ao governo
i imperial pede no incluso requerimento o alferes
do exercito Jeronymo Ignacio dos Santos da pena'
| que llie foi imposta pelo jury desta cidade mandan-!
, do instruir o mesmo requerimento nos termos do
! decreto n. 2,366 de 28 de margo de 1860.
Portara.O presidente da provincia, tendo em
j vista o que requereu o barao do Livramento, em-
! preiteiro da obra da caes do Hospicio, e bem as-
sim o que a este respeito intormou o chefe interino
da repartigo das obras publicas em offlcio de 13
do correte, sob n. 33, resolve conceder ao referi-
do empretoiro 60 dias de prorogago pora a con-
clusao daquelia obra, a contar da data ero que so
flndou o prazo marcado para esse lim no seu con-
trato. Fizeram-se as necessarias commuuica-
g5es.
Dita.O presidenlo da provincia, attendendo ao
que requereu Liberato Tiburlin-> de Miranda Ma-
ciel, professor publico de instruccao primaria da !
freguezia de S. Jos desta cidade, tendo em vala
a informago do director geral da instruccao pu-;
blica de 11 do correte, sob n. 44, ouvido o conse- j
Iho director, resolve na contormidade da primeira
parte do artigo 28 da lei n. 269 de 14 de maio de
1833, combinado com o artigo 27 da lei n. 598 de
13 de maio do anno passado, conceder-lhe a grali-
ficagao correspondente a quinta parte dos seus
vencimentos, vi-toter-se distinguido no enslno por
mais de 13 annos. Communicou-se ao director
geral da in-truego publica.
Dila. Os senhores agentes da companhia brasl-
leira de paquetes a vapor mandem dar transporte
para a corle no vapdr que seeperado norte a 14
pragas do exercito, sendo 1 lente, i cabos e 18
soldados do segundo batalho de infantarla, 1 sar-
gento, 1 cabo, 3 soldados e 1 tambor do stimo, i
primeiro sargento, 1 furriel, 1 msico e 10 solda-
dos do oilavo lodos da mesma arma, bem como a
30 soldados recrulas.Communicou-se ao comman-
dante das armas.
Eipedieule do secretario de govern do dia lo de
fevereire de 1865.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Esc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mettir a V. S. a inclusa orflera do thesouro nacio-
nal, ob n. 8.
Passe portara concedendo ao supplicante um
mez de licenga sem vencimentos.
Joanna Mana do Rosario.Indeferido por ser o
marido da supplicante militar e nao poder por Isso
ser transferido para aprso que requer.
Joao da Costa Reg Lima. Dirija-se ao seu com-
maniante.
escravo Melchiades, que no dia 8 de dezembro de
1864 litera um ferimento grave, e lograra evadir-
se ; a apprehenso de 8 saccas de algodao, rouba-
das da estagao da via-ferrea as Cinco-Ponas, e a
captura dos indiciados neste roubo.
SALUBRIDADE PUBLICA.
O estado da salubridade publica to mu satisfac-
iese Peiioto da Silva.Informe oSr. director torio, granas a Providencia,' durante o curto perto-
geral da instruccao publica. j do da minha adraini*trago.
Tenente Jos de Mello Albuqaerqne Montenegro.' SESSES* DO Jl'RY.
Informe o Sr. commandante superior do municipio Dos papis existentes na secretaria consta que a
do Recife. j segunda sessao do jury do lermo do Bonito foi aber-
Liberato Tiburtino da Miranda Maciel.Passe ta a 5 e encerrada a 10 de dezembro ultimo,
portara na torma requerida. i Por offlcio de 23 do mesmo mez soubc a pre--
Tenente Manoel Joaquim das Trevas Marinho. dencia ter funeconado o jury no termo de Ipojuca,
Informe o Sr. commandante superior da guarda nao havendo declaragao ao dia em que principiou]
nacional do municipio de Santo Antao. e daquelle em que flndou all esse tribuoal as suas
Pisllem da Costa Doria.Em visla da informa- sessoes: igual falta so nota quanto a segunda ses-
gao do coronel commandante das armas nao pode sao do jury do termo de Santo Antao, nao tendo o
ter lugar o alislamento do supplicante no corpo de Dr. juiz de "direito respectivo communicada em seu
voluntarios. offloiode 11 do correte quando princioiou, e nem
Salustiane Gomes de Andrade.Nao pode o sup- quando acabou esta sesso.
plicante ser alistado como 2a cadete em vista de
aviso de 11 de outubro de 1866 a que se refere o
despacho do Sr. coronel commandante das armas,
poder todava t-Io como soldado particular de
contormidade com o decreto de 11 de fevereiro de
1820, para o que flcam expedidas as convenientes
ordens.
Relatorlo com que o Exm. Mr.
desembargador Anselmo Fran-
cisco Perettl entregou a pre-
sidencia desta provincia ao
Exm Sr. Dr. Antonio Borges
Leal Castello-Branco.
Illm. e Exm. Sr.Tendo V. Exc. tomado posse
da presideocia desla provincia, para a qual fra
Domado por decreto de 19 de novembro de
Estas Iicengas toram concedidas aos menciona-1 ailp 6P ,..,. om .
dos promotores por motivo de molestia, ou o toram Jemnf'"5'a^nem ao m,Pnos oi semelhanle ra-
sera vencimentos, tendo sido ouvidos os juizes de 7i x,,?l(la' 1uar"to es moradores pela
direito das respoclivas comarcas, sempre que isso *X!!E'ETnm sobre rlsco' 1ue Rci-
toi possivel. n, PSf na sua vmnhanCa Paiol>
Por portara de 16 do correte designe! as subs- Teie^la h^;\P^Iam' q?e s,e sobreestivesse
tituigoes dos juizes de direito petos juizes manici- ljn Irabalhos a tal edificagao condu-
paes no presente anno.
Devo declarar V. Exc, que seguram para a H^e 6 cer' que nao convm na meu fraco
corle os requerimentos dos prelendcntes aos officios modo de Pensar que o forte do Buraco, tao proxi-
vagos de appellagss, aggravos e protestos de letras! mo a es,a capital e cidade de Olinda, continu
no tribunal do commercto e labello e annexos do ser deposito de tao avultada porgao de plvora,
termo de Nazareth. co"io a '|ue nelle existe, pois de um mappa da al
Releva ainda participar V. Exc, que tendo va- tondega, que me foi ministrado pela thesouraria
gado por morte do servenluario Francisco de Pau- Va f*ena,,coiBta que baria ltimamente era dito
la Norberto de Andrade o offlcio de escrivo de
orphos e Ausentes do termo de Goianna, foi posto
em concurso dito offlcio, e nelle prvido interina-
mente Manoel Vaicaccr Camello de Andrade, con-
forme consta do oflkio do juiz municipal daquelle
termo com data de 20 de d-'zembro ultimo.
Acham-se de novo em concurso os dous officios
de partidor do termo de Cabrob, creados pela le
provincial n. 504 do 9 de maio de 1861, devendo
um delles accumular as funeges de contador.
Nao deixarei este trecho do presente relatorio
sem declarar, que o Dr. Manoel Galdino da Cruz,
promotor da comarca do Brejo, o qual por doente
deixra o exercicio do seu emprego em 28 de no-
vembro prximo passado so o reassumio a 13 de
No sobredito mez de. dezembro reunise a sexta
sessao do jury nesta cidade.
Pode ser qu outras sessSes se tenham verifica-
do no espago de tempo decorrdodo de dezembro
de. 1864 a 24 do corrente vespera da posse de V.
Exc.; mas nao constam das participages recebidas
na secretaria.
DIVISO JDICARIA E POLICIAL.
A dviso judiciaria a mesma designada no re- dezembro secuinte : i a<>ra da estribara, que ha no quartel da compa-
lalorindo Exm. raen antecessor, sendo que no ter- OBRAS PUBLICAS GERAES E PROVINCIAES, "h>a de cavallaria, reparos estes ltimamente or-
mo do Ex o decreto n. 3,338 de 10 dezembro do CADEIAS, ETC. Cados em 3003000 re., e que nao poderam ser
anno prximo passado creou o cargo de juiz mu Autorisei em 9 de dezembro ultimo a thesoura- ejecutados, porque a thesouraria da fazenda de-
nicipal accumulando as funecoes de juiz de or- ra provincial por em hasta publica es reparos, 5'.aron> 1ue nem para semelhante obra havia cre-
Phao?- I de que precisa a rampa do caes do Ramo', oreados dlo, e nem a despeza a fazer com ella era daquel-
Nenhuma mudanca houve na dviso policial do ; em 1:3805 rs. 'as, que podem ser determinadas pela presidencia
1" de dezembro ultimo a 24 do corrente, sendo ella I Em 20 do dito mez recomraendei mesma the- 50D sua responsabilidade.
a mesma que a mencionada no indicado rea-! souraria, que mandasse por novamente em praga Dizendo isto nao considero certamente o digno
a obra da varanda da ponte de Sanio Amaro com inspector da thesouraria da fazenda como causa
forte 2,203 barrs smente de particulares, e algn-
mas vezes sobe a muilo mais o numero dessesbar-
ns nao estando toda esta plvora debaixo de abo-
bada, mas em parle apenas abrigada por simples
tediados.
At deixar eu a presidencia cstavam por pagar
as obras militares, a que referise o Exm. meu
antecessor em seu relatorio do de dezembro, e
isto por falla de crdito. As reclamagoes das par-
tes ficaram sem sslucao no meu tempo, como na
administraco, que precedeu minha.
E o mais que esta falla de crditos impede s
vezes, que se emprehenda algtima obra indispen-
savel, e at das mais insignificantes, como succe-
deu com a obra dos reparos precisos na mange-
; dora da estribara,
lUtt' Conlin,?a a ser chefe de polica da provincia o Dr. o augment, de 20 por ceulo no valor do respectivo dos embaragos, com que lula apresidVnrta por
a-n Jos l>ereira Ja Silva Moraes, que bem servio du- orgamento, visto nao terem apparecido licitantes !falla de crditos, antes reconhego, que esto empre-
5enJirdrmargmo ^M^.oo.S??iifustrad. 2? ,W,p'em ^a as funegoes d, prsi- ^.aW "I* de elevada'calhegoria s deseja cumprir as
alinelo de V Exc aZfhformLJL' S den,e' ao passo 1ue os delegados e subdelegados sao I A1 pedido do Inspector da thesouraria provincial ordens supernres, como sempre e em toda a parte
dos diversos ramos do wrvl^ 1"e serviram na admistra- autorisei o cheto interino da repartigo das obras' o tem feito, com o roaior zelo e intellipencia. com
VlSS^/S^^^'aTlS^' ?a9, EXT- meu anlec*sso>-. "" a differenga de publicas, Dr. Antonio Vicente do Xascimento Feito-: aP"dao e probidade, que ninguem 6 licito Pr
'".,leI i deleitado ii de nm snhdHUoarfn mi, f,.nm n.r i n Filho. mi dia :; >l,> ^rrpni u m^n^r r Mm em duvida.
E j que fallo neste empregado to merecida-
mente conceilnado, seja-me permillido locar de
passagem nos chefes de duas repartigoes a elle
subordinadas; i saber, o digno inspector da al-
fandega e o administrador da recebedoria das ren-
das internas geraes, MaBoel Carneiro de Souza La-
cerda, to conhecido pela sua probidade, intelii-
gencia e nunca desmentida exaego no cumpri-
mento de seus deveres.
Despaches de dia 15 de fevereire de 1865.
Requerimentos.
Antonio da Costa e S.Sim pagos os direilos
nacionaes
Abaxo assignado|membrosdas|confrarhs irman-
dades e ordens religiosos desta cidade. Re-
queiraroas supplicantes a cmara municipal a que
pertencem as rendas du cemiterin, pelas quaes de-
ve ser feiio o empedramento da estrada a que al-
inde e qae j pela mesma cmara foi mandado
construir, conforme a informago do inspector da
thesouraria provincial.
Tenente Atolondre Bezerra de|Albuquerque Bar-
ros.Informe o Sr. commandante superior da guar-
da nacional de Santo Anto.
Henrique Jorge.Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
linaria Vicencla do Rosario. Concedo o praso
de 15 dias.
Dr. Jos Sergio Ferreira.Informe o Sr.eapito
do porto.
Bacbarel Joao Carlos Augusto Cavaleanle Vellez.
direcgi
Antes de principiar o relatorio, que tenho de fa-
zer, devo communicar V. Exc. que S. A. a sere-
nissima prioceza Imperial a Sra. D. Isabel e seu
augusto esposo, o Sr. conde d'Eu, seguindo para a
Europa no paquete nglez Magdalena, e tencionando
demorarse nesta cidade durante o tempo que U-
vesse de estada esse vapor neste porto, desembar-
caran] na rampa do campo das Princezas em fren-
te ao palacio da presidencia na larde do dia 16 do
correnle, passaram a noite cm dito palacio, e se
embarcaram no dia 17, tendo S. A. a Sra. D. Isabel
e o seu augusto consorte sido recebidos no seo
desembarque e acompanhado*, quando embarcaram
por diversas senhoras, por titulares, pelo comman-
dante das armas, offlcialidade de linha, da guarda
nacional e corpo policial, clero secular e regalar,
desembargadores, juizes de direito e municipaes,
depntados geraes e provinciaes, lentes da Faculda-
de de Direito, chetos de repariigoes e seus subordi-
nados, cnsules, advogados, mdicos, hachareis,
commerciantes e muilas pessoas gradas no meio
de um grande concurso de poyo, que saudava os
augustos viajantes com enthusa?ticos e repetidos
vivas, dando inequvocas provas de cordial satisfa-
go : o que ludo V. Exc poder ver mais circuns-
tanciadamente exposto no offlcio. que sobre lal as-
sumplo Uve deencaminhar ao Exm. Sr. Dr. Fran-
cisco Jos Furlado, mioistro da jusliga e presiden-
te do conselho, em resposta aos avisos de 22 e 24
de dezembro prximo passado, em que S. Exc. ser-
virase parlicipar-rae, que SS. AA. leriam de pas-
sar por esta cidade.
TRANQUILLIDADE PUBLICA.
Nenhuma alteragao suffreu o socego publico. O
estado, porm, das comarcas do alto sertao. e prin-
cipalmente da comarca de Flores continua ne
ser lisongeiro : sobre esle objecto tive a honra de
fallar largamente no da 24 deste mez com V. Exc.
que alias poder colher todos os esclarecimentos,
que julgar proposito, j na correspondencia, que
a este respeito tive com as autoridades daquella co-
marca, e j na que enviei para a corte desde que
tomei conta da presidencia, na qualidade de Io vi-
ce-presidente da provincia.
SEGUR ANCA INDIVIDUAL E DE PROPR1E-
DADE.
Do Io de dezembro do anno prximo lindo at
24 do corrente toram presos os trinta e seis crimi-
nosos mencionados na relago, que ao presente re-
latorio acompanha, a qual foi organisada na secre-
taria da polica.
Da Indicada relagoconla que no mesmo periodo
de lempo forara capturados dezesete desertores ; a
sacer, 16 do exercito e 1 da armada.
E finalmente consta da sobredila relago, que no
espago de lempo referido commetteram-se 22 de-
udos, de que tem sciencia a repartigo da policia ;
a saber : 5 homicidios, 3 resistencias, 2 ronbos, 1
ameaga, 8 ferimentos, 2 offensas phy.-icas e 1 es-
tupro, sendo este perpetrado em trras do engenho
Ribciro do termo de Serinhaem na menor de 3
annos de nome Josepha por Manoel Garca, o qual
foi logo preso, e esl designado na citada relago
sob o n. 36.
Nao com a priso de um ou outro delinqoente,
que a segnranga individual e de propriedide ha de
melhorar de urna maneira sensive, e ha de conso-
lidarle : isto s lem de acontecer, prendendo se
os farinorosos bem conhecidos, que confiados na
prolecgao de amigos e prenles ejearnecem da lei
e de seus exeeutores, e contam com a impunidade,
e devassando-se as fazendas e engenhos, em que se
acoitam criminosos e desertores, e cujos propriela-
rios infelizmente, em vez de serem o alvo do des-
prezo geral, tem adquirido influencia, posigSo e al
postos e condecoragoes.
Mas para serem varejados esses valhacotos, e
conseguir-se a priso dos grandes criminosos pro-
tectores e protegidos era necessarlo, que a presi-1
dencia e os chefes de polica encontrassem no cen-
tro autoridades subalternas censcias de seus deve-
res, dedicadas ao bere publico,queja tivessem im-
portancia antes de exercerem o cargo, que nao te-
messem os homens perversos, que houvessem de
perseguir, e que tivessem a intelligencia e a prati-
ca precisas, alim de que, instaurados os competen-
tes processos, provassem bem os crimes, e bem es-
tabelecessem os seus autores em ordem tirarem
lodo o pretexto ao jury para as suas escandalosas
absolvigSes.
Mas desgragadamente sao mui poucas as autori-
dades com esses predicados, quasi todas as do in-
terior esto em condigdes differentes, alm de terem
poucos recursos sua disposigo ; e portanto ain-
da para admirar, que prendam algum criminoso,
e organisem softrivelmente algum summarlo : de-
vendo a primeira antoridade da provincia e o chefe
de policia envidar todos os esforgos, fazer as mais
instantes recommeodagaes, para que de lodo nao
desapparega, e antes se mantenha e augmente a
pequea dse de boa vontade e zelo, que algumas
dellas moslram no exercicio de soas obrigagSes.
Durante a minha administragao o delegado desta
cidade procedeu com tino e actividade diversas
JUSTICA. I obra com o abate de 10 por ceulo na quantia de
Ainda presidente da relago o conselhelro Fir-! rs. 9025000, em que foi orgada.
mino Antonio de Souza, como no tempo do Exm. Na mesma data autorisei thesouraria provin-
meu antecessor, e nesto superior tribunal funccio- cial effectuar por 1:2005 rs. a compra da casa,
nam os mesmos desembargadores, que estavara em que serve d,e cadeia na cidade do Rio Formoso, ca-
sa esta perlencente a Lourengo Jos da Silva.
exercicio, quando tomei conta da presidencia.
Emquanlo estivo na adminislrago da provincia
fui substituido na presidencia do tribuoal do com-
mercio pelo desembargador Alexandr Bernardino
dos Res-e Silva, o adjunto mais amigo, sendo os
desembargadores Custodio Manoel da Silva Guima-
res e Jos Ignacio Accioli do Vasconcellos os ou-
tros dons adjuntos, e esle ultimo o fiscal.
No da 7 de dezembro, toram eleilos Jos Anto-
nio Bastos e Antonio Gomes de Miranda Leal de-
pillados commerciantes em lugardos do precedente
biennio commendador Joo Piulo de Lomos o Joo
Ignacio de Mederos Reg. E' actualmente secre-
tario do tribunal do
Tambem autorisei ao referido Dr. Fetoza Filho a
mandar executar como julgasse mais couveniente
aos Interesaos da fazenda provincial os novos re-
paros, de que anda careca a cadeia da villa de
Serinhaem na importancia de 7705000, em contor-
midade de um orgamento supplementar.
No da 9 do correnle offlciei ao empretero do
calgamento da cidade, e ao cheto interino da re-
partigo das obras publicas, Dr. Feitoza Filho,
lembrando-lhes a necessidade de cudar-se com
promptido do calgamento da ra Nova, ltenlo o
pessl.no eslado em que se acha, e chamei a alten-
(Continuar ie-ha.)
^ngi r w --------
DE
CiOVERXO DO BISPADO
i'i:tt\ unc cO
SEDE VAU\TE
eras dispensas ranlrimoniaes.
Fago publico que o Exm. e Rvm. Sr. internuncio
novamenle concedeu licenga em data de 23 de ja-
I neiro prximo passado. para serem dispensados do
commercio o deputad com-
merciante Jos Marcelino da Rosa. j da ra Direita e de oulra
Esto no exercicio de seus cargos todos os juizes Por portara de 23 de dezembro de 186i e em
de direito da provincia, inclusive os das comarcas vista de informagoes favoraveis da repartigo das
de Nazareth.Rio Formoso e Palmares, que no relato-' obras publicas o da thesouraria provincial conce-
rtado Exm. meu antecessor sao uados como ausen- di ao arrematante dos reparos e embarreamenlo
tes dos lugares de sua jurisdiego, e o da comarca j do segundo c terceiro leos da estrada do sul en-
de Santo Anto, Dr.Jos Felippede Souza Leo, que: treos marcos de 4,000 a S.000bragas, Antonio Eu-
reassurnio o exercicio d- suas funrgoes, depois de genio Paz, dous ~
gao do ultimo para a deleriorago do calgamento "1pe1d,me^hde aPm?a1de l,ci,a e'" '""""T rao
iras mais g a lateral>bem cowo do impedimento
ter gosado um mez de licenga.
S parece me no estar na respectiva comarca de
Tacaral o Dr. Vicente Aurelio d* Cunta Govea,
sem duvida por nao ler-se acabado a licenga, que
obteve no lempo da adminstrago do mu ante-
cessor.
Esto pre?ncliidos os dous lujares de juizes mu-
Bicir-aes, quotinham vagado, quando o Exm. meu
antecessor deuou a presidencia, a saber, o do ler-
mezes e meio de prorogago, para
a conclusao das obras de seus contratos contar
do dia em que havia lindado o prazo, que para isso
fra marcado.
| Em cumprimento da ordem do 1 de outubro de
1861 foi anuunciada para 3 do crreme com tres
j mezes de prazo, segundo o arl. 50 do regulamento
das obras publicas, a obra do raio da detengo,
que est por fazer. Devendo por tanto esta obra
arrematarse naquelle dia 3, foi essa arrematago
mo de Cimbres e o do lermo de Santo Antao, leudo adiada para o da 19, por haver um s pretenden-
uo primeiro sido reconduzido o Dr. Joaquim Tlieo- te habilitado, e apparecer mais oulro requerendo
Ionio Soares de Avallar, e havendo sido nomeado tal adiamento, alim de tambero babililar-se. Nesse
para o do segundo por decreto de 6 do dezembro dia 19 mais um licitante apresentou-se pedindo no-
ultimo o Dr. Virginio Carneiro da Cunha c Albu- vo aJiamento para conseguir a sua hablitago, e
querque, oqualj prestou juramento, mas nao fez por isso ticou a arrematago para o da Io do pro-
opportunamente constar, que enlrou em exer- ximj futuro mez de fevereiro.
etota- No tempo da minha admiastrago pagou-se na
Por decreto, tambem de 6 de dezembro ultimo thesouraria provincial a quantia de 47:5985300
declarou-se sem elToito o de 30 de maio anteceden- rs., importancia de 781 bragas quadradas de cal-
te, que havia nomeado juiz municipal para o term$ gamento de pedras facadas, al bragas de passeios
i ao Dr. Arminio Coriolano Tavares da de lages, e de 424 bracas correnles de esgolo de 1",
Silva, lendo sido nomeado por decreto da mesma
data de 6 do dezembro juiz municip.il daquelle ter-
mo de Olinda o Dr. Eduardo Augusto Pinto de Oli-
veira, que depois de ter sido juramentado enlrou
em exercicio desde o da 10 docorrente.
O juiz municipal do termo de Cimbres, Dr. Soa-
res d'Avellar, leve dous mezes de licenga em 11 do
corrente, mas nio participou at o dia haver en-
trado no goso della. O juiz municipal do termo do
Pao d'Alho, Dr. Maximiano Francisco Duarte, leve
um mez de licenga em 23 de dezembro prximo
passaio, e nessa mesma dala enlrou no goso da li-
cenga que obtivera.
e 3* classes.
Occorre-me participar i V. Exc, que j toram
terminados os esludos Becessanos para a conve-
niente collocago da ponte de ferro, que tem de ser
langada sobre o rio B em direcgo estrada, que
o vai encontrar.
Nenhum contrato Uve de rescindir durante a
minha adminstrago.
Interinamente nomeei por portara de 9 de de-
zembro prximo Iludo e em vista do resultado do
concurso havido ao tenente Julio Pompu de Bar-
ros Lima para conductor, Joaquim Jos Moreirae
Rodopiano Florencio de Carvalho Calumb para
diligencias: sobresahinda entre ellas a priso da Souia Lima, promotor da coma/ra do Limoeiro.
Dos lugares de promotor s existe vago o da co- escreventes da repartigo das obras pubiicas, or-
marca de Santo Anto ou da cidade da Victoria, denando por offlcio da mesma dala, que tossem ex-
que era exercido pelo Dr. Vrgioo Carneiro, que'claidos os pralieantes Manoel Olympio de Carva-
eomo cima se vio, passou a ser juiz municipal do' Iho Mondonga e Manoel Joaquim Alves do* Santos,
termo do mesmo nome. O lugar v?go, a que me 1 visto nao terem obtido approvago no mencionado
refiro, foi requerido por alguns dezoito hachareis, j concurso.
cujas peugoes toram remetiidas ao Dr. juiz de di-' Para aquelle lugar de conductor havia pelo Dr.
reito da comarca respectiva, afim de informar acer- cheto interino da repartigo das obras publicas si-
ca de suas pretenges, cabendo me dizer, que esse I do proposlo Feliciano Rodrigues da Silva: mas
juiz nomeou o advogado Tiburtino Pinto de Almei-1 aisto nao concordei por motivos, que constam da
da para servir interinamenle o cargo de promotor, secretaria, porm ignorados do referido chefe, e
de que se trata, conforme participou a presidencia to ento que leve lugar a nomeago do tenente Ju-
por ter o mencionado Dr. Virginio deixado de oc-
capa-lo, sem cornudo declarar em que da assim
aconleceu.
J seguiram para os seus destinos os Drs. Can-
didos Manas le Almeida e Joo Alves Mergulho,
aquelle pelo Exm. meu antecessor nomeado pro-
motor da comarca do Bonito, e este da de Flores.
No dia 10 de dezembro prximo pretrito coace-
di 15 dias de licenga ao Dr. Mendo de S Brrelo
Sampaio, promotor da comarca d Palmares, o
qual, expirada a sua licenga, voltea para o seu
lugar.
O Dr. Bartolomeu Torquato de Souza e Silva te-
ve em 16 de dezembro ultimo 30 das de licenga,
dos quaes gozoo, e em 19 do corrente declaroo que
por doente deixava de seguir para a comarca de
Pao d'Alho, onde promotor.
No dia 24 de dezembro do anno passado enlrou
no gozo de urna licenga de trinta das o Dr. Jos
Paulino da Cmara, promotor desta comarca, mas
| o vi por occasio da posse de V. Exc, e por isso
inclinme pensar, qae ao dia 24 do corrente elle
reassnmio o exercicio das funeges de seu era-
prego.
Enlrou o Dr. Jos Antonio Iftrreia da Silva, pro-
motor da comarca de Goianna em 16 do correnle
do gozo de urna licenga de dous mezes, que lite foi
concedida no dia 11 do mesmo mez.
No dia 23 do corrente o Dr. Daniel Germano de
Aguiar Montarroyos, promotor da comarca de Ta-
caratn, obteve dous mezes de licenga : e no dia 24
alcangon 1S dias de licenga o Dr. Jos Joaquim. de
lio, que alias no resaltado do concurso tora collo-
cado no primeiro lugar.
Procedeu sempre regularmente o engenheiro
chefe interino da repartigo das obras publicas,
emquauto presid a provincia, mostrando elle zelo,
inteligencia e boa vontade no desempenho de suas
obrigages.
Tratando agora das obras geraes, tenho a dizer,
que por indicaco do engenheiro Domingos Jos
Rodrigues andou em praga para arrematarse um
pequeo iaogo de caes da ponte do Recito do lado
de Sanio Antonio ao caes do Passeio, orgada em
14:6405000 rs.
O inspector do arsenal tendo sciencia desta obra
offlciou-me, pedindo providencias afim de que fos-
se ella sustentada por ser prejudicial ao porto :
vista do que mandei ouvir aquelle engenheiro Do-
mingos Rodrigues, fazendo tenge de exigir ao de-
pois tal respeito informagoes ao Dr. Gervasio Ro-
drigues Campello.
Exm. senbur, tenho por argente a construegao
do paiol de plvora no lugar denominadoIbuia
oa em outro qualquer, que para isso otorecer van-
josas condic5es, sem esperar-se que os habitan-
tos do lugar da Torre se resolvam pagar como
indemnisago a quantia de 2:0008000 rs., que a
fazenda deu por um terreno escolhtdo nesse lugar
para a construegao do paiol projeclado, como pare-
cea ao Exm. mea antecessor em seu relatorio do
i* de dezembro de 1864, que elles o deviam fazer ;
porqoanto nem esses habitantes tem colpa, de qae
se houvesse effeituado a compra desse terreno em
local to poQco azado para ama obra, como a de
de consanguinidade em segundo grao attingenle ao
primeiro da linha lateral, os oradores constantes
da relago abaxo transcriptas.
Quem, pois, liver de procurar algum destes re-
querimentos, pode dirigir-se, em Olinda, a secreta-
ria do bispado. no seminario episcopal ; e no Rcci
fe casa do Illm. Sr. conego da capella imperial
Francisco Jos Tavares Gama, na ra da Cruz n.
56, junto a matriz de Corpo Sanio.
Cidade de Olinda, 15 de fevereiro de 1865.Co-
nego Joaquim Ferreira dos Santos, secretario do
bispado.
Oradores que se acham lujados no impedimento de
affimdade licita em primeiro freo igual da li-
nha lateral, dos quaes trata a tteclara$o cima.
Manonel Geraldo de Oliveira e Francolina Mara
da Conceigo.
Manoel Gomes Ferreira e Thereza Maria da Con-
ceigo.
Jos Bernardo da Silva e Thereza Maria da Con-
ceigo.
Jos Nicacio Lefia e Joanna Maria da Conceigo.
Antonio e Joanna, escravos.
Manoel Patricio de Ponles e Joaquina Maria de
Jess. Tambem se acham ligados no impedimento
de consanguinidade nos graos iguaes segundo ao
terceiro.
Manoel Jeaquim da Silva e Antonia Maria de
Jess.
Francisco Xavier de Mana e Guilhermina Maria
de Jess. Tambem se acham ligados no impedi-
mento de consanguinidade, no segundo grao sim-
ples, e no quarto attingenle ao terceiro duplicado.
Joo Francisco de Lima e Mana dos Santos do
Sacramento. Ligados tambem no parentesco espi-
ritual.
Oradores, que se acham lujados no impedimento de
consangui/iidade, em segundo qro mixto ao 1'
da linha lateral.
Manoel Ribeiro doNascimento o Bellarmina Ma
ra da Silva.
Severrao Quaresma de Araujo e Maria Jos dc
Jesus.
Manoel Ribeiro d) Nascimento e Joaquina Maria
da Conceigo.
Alexandre Ferreira Sctte e Anna Bernarda Lias
do Carmo.
Manoel Alexandre da Silva e Maria da Silva.
Achara-se ligados no mesmo impedimento, no
quarto grao attingenle ao segundo.
Joaquim Jos dos Reis e Antonio Jovina da So-
ledade.
Silvestre Jos da Silva e Agostinha dos Anjos.
Acham-se igualmente ligados no primeiro grao de
affinfdade illicia.
Antonio Ferreira e Umbelina Maria da Concei-
go. Acham-se ligados no mesmo impedimento no
terceiro grao attingenle as primeiro.
Ignacio e Francelina, escravos.
Joo Gomes Honorio de Mello e Maria Gomes da
Sil-a.
C0HMAND6 DAS ARIAS.
Qaartel da eommando das armas it Peraamboco
na cidade do Recife. 16 de Fevereiro de 18S.
Ordem do dia n. 33.
S. M. o imperador houve por bem, por decreto de
21 de Janeiro prximo fiado, exooerar-me do cargo
de commandante das armas desla provincia, e no-
mear para substituirme o Exm. Sr. marechal de
campo Francisco Sergio de Oliveira; como foi de-
clarado em ordem do dia do exercito n. 432, data-
do de 23 do mesmo me:.
Nao estando presente o meu successor e tendo
em obediencia ao citado decreto de retirarme para
a corte no vapor qae se espera do norte, devolv
nesta data o commando ao Illm. Sr. coronel do cor-
po de estado-raaior de 2* classe Jos Maria Idelfon-
so Jacome da Velga Pessoa de Mello a quem por
lei competa.
Na pessoa do distmeta e veterano general qoe li-
ra mencionado, eneoniraro os militares desta
guaroico, um chefe jusliceiro e probo, que por sua
Ilustrado sabera preencher as lacuoas que por

'



p^-
M
Diario de VruaailHMO ... Kubbudo 19 de Federe ir o de 1864.
ventura possa eu ter deixado no co.nmando de que
a destituido.
Ao rerar-uie desta provincia, sinlo-rae penbora-
do para cora os seus habitante* que tao bem me
acolheram, e para cora os senhores commandantes
de corpos de exerito; coramaiidaotes d guarda
nacional seus respectivos ofnciae* e pracas inclusi-
ve o Sr. raajor commandante da ala esquerda do 2"
batalho de infantana aquartelado, capitao encar-
regado do deposito de voluntarios da patria, com-
mandantes das. fortalezas e chefes das estacos mi-
litares pela efflcaz coadjavago que uo prestaram
e a qaal minio se deve o bum e regular andamento
do servigo: soelles, assim como em geral os se-
nhores ofBciaes da guarnigo, merecedores dos
nieus elogios e agradecimentos.
Pelo mesmo nmtivo teem a esses agradecimentos
direito, os Srs. lenle coronel director do hospital
de marinha, tenerte-coronel commandante do pre-
sidio de Ternando, cirurgio-mr de brigada, dele-
gado do cirurgio-mr do exercito, e offlciaes de
saude, major director do arsenal de guerra e seu
ajudnte.
O importante servido que prestou o Sr. auditor
de guerra Or. Manoel Jos da Silva Neiva, dando
promplo andamento aos processos militares, e des-
embargando por este modo as pracas que devianJ
seguir con os seus corpos para a corte, merecen-
me particular considerago e consigno aqu aesse
digno fuaccionario um voto de gratido.
O Interesse, telo o inlelligencia BMP que servi-
rn) perante mim, os Srs. tenente-coronel secreta-
rio militar Francisco Camillo Pessoa de Lacerda e
capitu ajudnte. de ordaas nterin Tiburcio Hila-
rio da Silva Tavares, os tornara merecedores de
meus encomios e agradecimentos.
Concluo despedindo-me dos mens companheiros
d armas, assegurando Ihes os servigos do bom e fiel
amigo em qualquer parte onde me achar.
Asignado. Joaquim Jos Goncalves Fontes.
Conforme. Tiburcio Hilario da Silva Tavares,
capitao ajndanle de ordeus interino.
Ordem do dta 36.
Havendo-me o Illm. e Exm. Sr coronel Joaquim
Jos Gongalves Fontes, na ausencia do seu anteces-
sor o Exm. Sr. marrchal de campo Francisco Ser-
gio de Oliveira, entregue e commando das armas
interino desta provincia, por ter de retirar-se para
a curte no vapor que se espera do norte ; assim o
fago ronslar a guarnicao para os fins conve-
nientes.
Cont com a eoadjuvagao que necessito dos srs.
comnundantes de corpos, de fortalezas, e chefes de
estacoes militares e espero que m'a prestaro no
interesse de qae o servigo se faga regularmente e
com a devida pootualidade, mxime as eircuras-
tneas em jue nos adiamos.
Continuam era vigor tedas as ordens tendentes
ao servico expedidas pelo raeu digno antecessor,
de quera me confesso grato pelas maneiras atlen-
cosas com que sempre me tralou.
O Sr. 2 tenente ajudnte do forte do Buraco
Jos Francisco dos Santos, assumir nesta dala o
commando interino do mesmo forte, emquanto du-
rar o meu impedimenta
(Assignado )Jos Maa Udefouso Jacome da
Veiga fessoa.
(Conforme)Tiburcio Hilario da silva Tavares,
capitao ajudnte de ordens interino.
Ordem do da addicional a de n. .36.
Havendo a presidencia approvado por offlcio de
hontem datado, a nomeacao que hontem fizera o
meu antecessor ao Sr. majar do corpo do estado-
maior de. 2' classe Sebastio Antonio do llego Bar-
ros, para commaudar interinamente a fortaleza do
Brum, por ter o Sr. majar do mesmo corpo Anto-
nio Francisco de Souza Magalhaes, de responder a
conselho de guerra, conjonctamente o Sr. capitao
do 4 batalho de artrlharia a pe Joo Paes Brrelo
de Mello, pelo faci occorrido entre estes senhores
e o -ri' tenenle reformado Epiphanio Borges de
Menezes Doria, assim o fago publico para conheci-
menlo da guarnicao, devendo u Sr. major Barros,
entrar quanto antes no exercicia do commando para
que fora nomeado, recebendo-o com todas as for-
malnlades que sao de estylo.
(Assignado.)-Jos Mana Ildefonso .acorn da
Vciga Pessoa.
(Conforme.) -Tiburcio Hilario da Silva Tavares,
capitao ajudnte de ordens interino.
EXTERIOR.
BltMIS ATRES.
28 de Janeiro de 186o.
Depois da tomada de- Pay>andu, o general Flores
organisou a admioistraco civil e militar desse im-
portante departamento com a aclividade con que
costuma obrar, e iraraediaiameote fez marchar um
exercito sobre Montevideo, precedido por nossa ea-
vallaria, que, sob o commando do general Netto
forma a un vanguarda.
Entretauo veio a Fray Bentos, onde teve urna
entrevista com o Ilustrado Sr. conselheiro Para-
nhos e o distiucto Sr. barao de Tamandare ; con-
cluida a qual, toda a nossa infamada e artilhana
embarcou ah e no Arroio Negro nos vapores Cru-
zeiro do Sul, Oyapock, Amazonas, Beberibe, Jequi-
tinhonha, Parnahyba, lielmonle, e Aragualty, para
desembarcar na praia de Santa Luzia, distante da-
que|la capital cinco leguas.
O nossu diplmala e almirante voltaram a este
porto depois daquella entrevista. O primeiro diri-
gi poucos dias depois ao ministro de estrangeiros
da Confederago Argentina um importante mani-
fest, em que justifica o procadimento do governo
imperial em fazer a guerra ao governo de Monte-
video. Ao mesmo lempo recebeu o corpo diplom-
tico acreditado junto ao mesmo governo um do-
cumento idntico.
Eslas pecas offlciaes, redigidas com muila cla-
re/a c diguidade, completara a rollecco de docu-
mentos da qnesto oriental, e poem era evidencia
o nosso direito, assim como a nossa sinceridade e
desejo de evitar o extremo a que chegaraos.
O goveno argeiitiuo respondeu logo com igual
franqueza, deixando perceber a inlenco de inter-
vir offlciosamente para ponpar a Montevideo os hor-
rores de um ataque, a que ser una loucuraexpr
e.-ta cidade, que nao esta no caso de oppr urna se-
ria e fructfera resistencia.
O corpo diplomtico all residente aproveitou es-
ta dispo>icao, e influiopara que o dito governo ten-
tasse alguma cousa nesle sentido.
A imprensa de Buenos-Ayres, favoravel revo-
lucao, alannou-se com estas teutativas de convenio,
quando o triumpho do general Flores infallivel,
e considerou as como orna manobra do general
Mitre para affasur da presidencia provisoria da
repblica vizinha o arrojado e feliz chefe da glorio-
sa cruzada contra os algozes de Qinteros.
Diz-se mesmo que o seu candidato era D. Andr
Lamas, que hegou a escrever urna carta ao presi-
dente A, uirre, ponderando-llie a conveniencia de
nao fazer urna intil resistencia.
Accrescentou-se anda que o hbil presidente
Mitre assim proceda receioso que a influencia do
Brasil no estado visinho se fizesse sentir com mais
vigor do que coovrn a poltica argentina, assumin-
do a suprema administrago aquelle general.
Tudu isto ouvi referir, e muitas oulras cousas
curiosas, que davam a entender que com effeito
se queria fazer um pastel, que seria lio prejudicial
ao partido colorado como a nos. Notava-se j aesse
partido um descontentamente grande, e um prin-
cipio de scisao bem deploravel na presente occa-
sio.
A Providencia, porm, que quer que se cum-
pram seus designios, cegou ainda desta vez aos
horneas a quem estes planos aproveitavam, qu sa
os blancos, e os fez repellir a mediaeo do gover-
no argentino e dos diplmalas europeos.
Aguirre, depois de ter ouvido o conselho de es-
tado e o conselho de ministros declarou que nao
transiga, e que Montevideo resistira al que todos
os seus defensores licassem sepultados sob suas
ruinas, e Carreras chegou a declarar a um dos
ministros estrangeiros que faria antes voar a cida-
de do que render-se.
Por lauto, se oestes projectos, em que julgo que
s havia um designio de ponpar sangne e desgra-
nas, se occoltava algom pemamento hostil ao Bra-
sil, seos autores devem estar boje bem ponco satis-
fetos, porque com elles servirlo melhor aos nos-
sos interesses e aos do partido colorado, revelando
a todo o mundo o qne o partido blanco, que an-
da em sua agona s respira vroganea e se mostra
intransigente.
A propria Nacin Argentina, orgao offlcial do
governo, se encarregou de levantar o panno da
scena em que se passavaro estes fartos, qne o pu-
blico farejava, e com severidade profliga os malva-
dos que dominam ero Montevideo, os quaes, certos
de achar um asylo as legagSes ou nos navios es-
trangeiros surtos no porto na occasio de aparo,
impeliem os crdulos guardas nar.ionaas a urna
morte certa as trinchen-as, e exprJem aquella bel-
la cidade a ama ruina completa.
Quanto tena do heroica, esta resistencia se se
tratasse de salvar a independencia do paiz, quanto
tem de criminosa limilando-se, como se limita, a
urna qnesto de partidos, e nao haveodo a mais
frgil esperanza de que ella aproveite a eausa qne
jura sustenta-la.
Os estrangeiros em massa nao esto satisfeltos
com esta resolucao do governo. Temem nao s se-
ren victimas cem suas familias no caso de um
bombardeamento, como recetara o saque que os de-
fensores da praga pretenden) effeetnar. Os residen-
tes ingieres ja apresentaram urna exposicao ao
propno presidente Agnirre, em que dizem textual-
mente que:
Considerando a prolongado da guerra desdo
abril de 1863 e seas actuaes resultados, como sao,
a intervenco armada de urna potencia estrangeira;
a limitacao do peder executtvo vizinhanca da ca-
pital, e a certeza de que sero impostos a ella um
sitio e bloqueio, aos quaes as autaridades existen-
tes s podero oppor urna valente, porm desespe-
rada e infructuosa resisten ia;
Considerando a perda de vidas, a destruirlo
de propiedades, a ruina e desolacao a qne elles
mesmos licam expostos em coramum com os outros
habitantes desta cidade commercial, com fazer es-
torcos esteris contra urna torga irresislivel;
t Os abaixo assignados, em nome do verdadeiro
patriotismo e da homanidade, e invocando a pro-
tecgo devida aos interesses materiaes da commu-
mdade em geral, instara a V. Exc. o ao superior
governo para que tornern promptas e efflcazes me-
didas para obter o restabelecimento da paz e a
retirada por consegrante das toreas estrangeiras.
Os residentes francezes fizeram urna representa-
' gao tambem quasi no mesmo sentido ; os italianos
; dirigiram-se ao seu ministro pedindo-lhe providen-
cias ; os Hespanhoes procederam da mesma raanei-
; ra. Toda a populacao estrangeira, portanlo, se le-
; vanta venladeiramente assusiada com a loucura
1 que observa no governo de Montevideo, e consta-
I me que se tem armado de punhaes e revolvers, dis-
1 posta a faz-lo ceder da occasio opporluna de seus
disparatados intentos.
Aguirre, para provar que coherente com o
que respondeu aos mediadores, acaba de publicar
urna proclamacao, na qual, na posigo de com-
mandante em ebefe que assumio, propoe vencer
ou morrer.
E' preciso explicar que elle tomou este encargo
I para desvanecer os escrpulos dos chefes e offl-
ciaes, que se recusavara servir son as ordens do
general Sa, o famigerado Langa-Secca.
Nao obstante, ha urna profunda divergencia
entre elles, o que enfraquece sensivelmente a
defeza.
Como prova disto basta observar que, na con-
junctura em que s urna cabega devia assurair a
direegao dos negocios pblicos, e tomar e respon-
I suhilidade das medidas extraordinarias que a situa-
I cao ha de reclamar, foi justamente quando a adrai-
; nistrago se debllitou creando um comit de salea-
: gao publica e um conselho de estado com voto de-
| tiberatiw), devendo este conselho coulrabalangar a
influencia daquelle que pretende ser omnipo-
tente.
A defeza de Montevideo, segundo a ultima de-
liberago do governo, se compor de cinco bri-
gadas e urna reserva.
Aquellas serao commandadas pelos brigadeiros
generaes D. Servando Gmez, D. Juan Sa, D. Dio
go Lamas, D. Anacleto Medina e D. Ignacio Oribe,
e esta pelo presidente Aguirre, que mals urna vez
revela ser hornera prudente.
As foriificages lera sido augmentadas; mas nao
sao um obstculo para embargar o passo s nossas
tropas.
E' conviegao geral que, se houver lata, a praga
ser tomada cm un dia de fogo, ainda que cora
perdas sensiveis.
O bello theatro de Solis est destinado a hospital
de sangue.
A plvora foi transferida Analmente das aboba-
das para as barracas de ibilis, que fleam mar-
gen) do porto, e prximas goarda. Qnando se
transportavam algumas granadas para este deposi-
to em um carro, urna della cahio e arrebentou,
matando dous soldados, e ferindo algumas pessoas
que por acaso estavam perto.
Desde o dia 23 que as partidas avangadas do ge-
neral Flores se fizeram sentir pelas immediaces
das Piedras, a duas leguas de Montevideo.
Devem recorlar-se os leilores do Jornal do Com-
mercio que o general Lucas Moreno foi destituido
do commanao do exercito blanco de operaepes, e
chamado para justitlcar-se em um conselho de
guerra, que nunca chegon a reunirse, porque o
governo teve raedo das revelages que este general
ia fazer, que compromettiam seriamente altos func-
cionarios do Estado.
Agora, porm, que as cousas se apurara, o doudo
do ministro da guerra teve a disparatada idea de
chmalo ao servigo, assim como a um capitao
Oliveira, declarando no offlcie em que os convida-
va, que, desejoso de que os chefes e offlciaes da
repblica que se acham sujeitos a conselho de
guerra por duvidas sobre a rectido de sua con-
ducta militar possam aproveitar opportunidade de
faze-la desapparecer, dando dias de gloria pa-
tria, resolveu chama-Ios para oceupar seus postos
no dito exercito.
O general respondeu com energa, dizendo que
semellianle convite era urna nota offensa que se llie
fazia, e que prefera a morte a acceitar um indulto
ignominioso para si e para seus fllhos.
Accrescentou que o nico desejo que tmha que
os generaes dessem sua sentenca, visto que o pro-
cesso tmha chegado concluso, para lavar-se da
nota de traidor, que o presidente da repblica ihe
tinha posto, desde que, em offlcio de 7 de agosto,
que o poz disposigao do fiscal militar, classicou
seu plano de operages como tendente a destruir o
exercito e dar triumpho a anarchta.
O outro offlcial respondeu quasi nos mesmos
termos. A fgida do Dr. Candido Juanic para a
Europa a titulo de urna missSo, depois de ter tido
urna grande parte na poltica exaltada e intransi-
gente que conduzio sua patria situago triste em
que hoje se acha, tem sido severamente condem-
nada como merece, porque ella foi aggravada com
a circumstancia de receber elle 40:0005000, como
ajuda de custo, em urna occasio em que o verda-
deiro partidario, attendendo penuria do thesouro,
devia fazer at o sacrificio de sua fortuna alm do
da sua pessoa.
Mas nao s este passaro que trata de salvar a
sua preciosa individualldade. O Dr. Doroteo Gar-
ca, blanco exaltado, j aqu se acha com toda a
sua familia, tendo aproveitado a occasio de man-
dar o filho naqnella missao como secretarlo. Ou-
tros muitos tra chegado nestes ltimos dias inclu-
sive parentes de Estrasnlas, Nin Res, etc.
A emigrago^de familias e jovens extraordi-
naria.
Todos os dias os vapores chegam cheios de gen-
te. Muitos guardas nacioaaes tm conseguido es-
caparle fugindo para os navios de guerra estran-
geiros. Calcula-se que quando estiver posto o sitio
e o bloqueio a desergo ainda seja maior.
As nossas tres cantioneiras que estavam prezas
no Salto por falta d'agua j sahiram, e esto neste
porto recebendo carvo para irera para Montevi-
deo rcunir-se esqnadra bloqueadora, que no dia
27 estava em Santa Lucia desembarcando a nossa
infantaria e artilharia.
O Sr. barao de Tamandare s pode sahir deste
porto na raanha do dia 26, por nao haver agua
no taboteiro fra do porto para passar a corveta
Nitherohy, a qual acompanharam os vapores de
gnerra Paraense e Maracan. Consta que na
manha do da 27 j estavam em Santa Luzia estes
tres navios.
Tem acompanhado sempre ao nosso distincto
almirante desde o principio desta qnesto, logo que
elle foi incumbido da missao internacional e mili-
tar, o hbil l.' tenente da armada Eusebio Jos An-
tunes, secretario do ebefe da 2.* diviso.
As noticias publicadas peles jornaes ltimos de
| Montevideo, de que Muoz e Apparlcio jaentraram
i na provincia do Rio-Grande, onde fizeram um
grande saque e liraram mil escra vos, destituida
; de fundtinento.
Estas bandidos ainanaotem tempode haverebe-
{gado nossa provincia, e sao perseguidos j de
1 mu prximo por Fidelis e Moyano com duas fortes
divlses, compilssionadas pelo general Fiares para
este fim oxclosrvo.
Taes noticias, assim como a da passagem dos
Paraguayos ao territorio oriental, sao espacia-
das no proposito de reanimar a defeza da pra-
ga e de retemperar os nimos que esto mui abati-
dos.
A ordem do da do commandante em chefe do
exercito causn muitos desgostos pelas injostigas
que contem, segundo dizera varios offlciaes de
crdito a quera tenho ouvido, que julgam que es-
ta importante documento foi mais dictado pelo
mal fadado espirito da poltica do que por outra
cousa.
Ha alguns offlciaes que se distingniram, dos
quaes nao se faz mengSo. Sobretodo o tenente-co-
ronel Bello, commandante do terceiro que fez ac-
tos de um valor singular, e que flcou esqueci-
do....
Este offlcial superior, a frente de seu batalho,
dea sempre o mais nobre exemplo; apoderou-se
de um machado e abri brechas para por ellas
passar com seus soldados; teve a gloria de plan-
tar com suas proprias raaos a baudeira nacional
em urna das posiges que tomn ao inimigo, e en-1
tretanto parece qne nada fez, que se portou mal
pela redaegio da ordem do dia, que, para lan-
gar o ridiculo sobre outro offlcial, e general Oso-
rio, cuja bravura e to conhecida, cita o seu no-
me no lira para dizer apenas que seeonservoa com
a cavallaria a legua e meia de Paysand, sem du-
vida no ponto que Ihe foi designado I
Quem chegaria mais perto do que elle, se Ihe fos-
se permiltido tomar parte na aegao T
Se com effeito as omisses que honve, e estas
apreciarles injustas, forarn devidas a espirito de
partido, com effeito lamento sinceramente que nem
ao menos no campo da batalha elle ceda o lugar a
senlimentos mais generosos e rnais dignos do ver-
dadeiro militar.
Ningue ti se preoecupa com os negocios internos
deste paiz, que nao teem o interesse das questoes
que nos cercara.
Todas as vistas eslao Gxas no Brasil, Estado 0-
riental e Paraguay.
Quer se \r agora quaes sao os grandes recursos
do imperio, e, se o nosso governo tiver a felicidade
de apresentar no Rio da Prata um exercito de qua-
renta mil homens uestes qualromezes e urna es-
qnadra encouragada de quatro ou cinco navios, po-
de contar com certeza com um triumpho moral
na opinio publica, que muito influir para resol-
ver com facilidade todas as questoes futuras. P'
de-se aflangar que, se se der este facto, o Brasil ha
de ser respeltado e estimado por todos os seus vi-
sinhos romo urna potencia ciosa de sua diguidade
e de seus bros.
Nao ha sacrificio, por mais penoso que seja, que
nao deva ser feito para se alcancar to magnilico
I resultado.
Urna vez que se desprezaram as advertencias
que ha perto de dous annos tenho feito nestas co-
lumnas, chamando a altengo para os armamentos
extraordinarios do Paraguay e para o estado inde-
! feso da provincia de Mattn-Grosso; urna vez que
nao se preparou o paiz, como se devia, para a guer-
: ra com 'que o ameagava aquella repblica, tire-se
agora, a torga de vontade, desta mesma posigo
desvantajosa, o maior effeito til.
Opere-se um prodigio que fique registrado na
historia do Brasil, nao s como urna prova incon-
testavel do seu adiantamento, como de seu palrio-
, lismo.
Mostremos, emflm, ao mundo a grandeza de nos-
i sos recursos e a actividade de nossa raga, tao mal
| compreheudida e calumniada.
As barbaridades commellidas pelos Paraguayos,
que j linham tomado Corumb, e que seguiam pa-
! ra Cuiab, excedem a tudo quanto a bumanidade
; tem registrado com indignacao as paginas da lus-
', loria.
Deixo a um passageiro do vapor inglez Ranger,
', que acaba de chegar daquella infeliz povoago bra-
: sileira, a tarefa de descrever estas scenas de hor-
ror as linhas que se seguem.
Como se v, a vinganga deve ser estrondosa. E'
preciso que o Brasil todo se levante em massa. Es-
: lou firme as ideas quetenhomamfestado. Marchem
de Minas, S. Paulo e Goyaz, as numerosas e valen-
\ les legioes que podera levantar, e deseer at o Pa-
raguay, emquanto que quarenta mil homens das
proviucias martimas o pela va fluvial.
Incumb-se a imprensa, a tribuna sagrada, os
meetings, de impellir o povo para esta cruzada sa-
grada, onde atacara vae revelar-so mais urna vez o
uosso patriotismo.
Colloquem-se os deputados a frente deste movi-
mento, usem de sua influencia bem merecida em
seus distrelos, para formar um grande exercito
de voluntarlos.
Nossos iruios captivos, assassinados, roubados,
nossas mulheres violadas, nossos campos destrui-
dos, esto clamando vinganga, e vinganga prorap-
ta. E' preciso marchar.
Chegaram 40 pragas da guarnicao do Mrquez
de Ulinda, postas em liberdade. O presidente Car-
neiro de Campos, e os offlciaes de marinha seus
companheiros de captiveiro toram internados.
As eleiges na provincia de Santa Fe e no Rosa-
rio forara ensanguentadas, como se esperava, a
vista dos preparativos dos dous partidos que as
disputa vara. O governo da provincia tinha tomado
algumas providencias enrgicas, em que se coufla-
va que restabelecessem a calma e a ordem.
Continua a colerina a fazer seus estragos nesta
cidade.
As noticias mais modernas que temos do Per
dao todas as esperancas de um convenio honroso
cora a Hespanha como desvanecido.
O ministro de S. M. Catholica Llrenle tinha cir-
culado com data de 15 de outubro um despacho a
todos os ministros da rainba as cortes estrangei-
ras, declarando que aceitava a poltica de seus pre-
decessores.
Assegura que o gabinete exigir do governo de
Per ampias satisfagoes pelos aggravos que rece-
beu, e que, se elle nao altender ao ullimulum que
o almirante vae apresentar-lhe, tem este ordem pa-
ra romper as hostilidades, erapregando a torga pa-
ra obter o desagravo que busca. Entretanto as
illias permanecero oceupadas para com o seu pro-
ducto indinnisar-se as despezas da expedigo.
(^orna/ do Commercio.J
mastreagao, na altura das llhas Baleares, e por isso
e por ter aberto agua, ia concertar depois de des-
ea rregad o.
Que o Brasilie Packet que ia do Rio de Janeiro
para Falmouth perdeu-se era 13 de Janeiro prxi-
mo, em Land's End (Cabo Cornwall), segundo coi.i-
municam de Penzance e Bristol. A tnpolagao foi
salva pelo Mercurio, que ia para S. Miguel. Levava existen) 370.
briaguez; e Mara, cscrava de Domingos Virissi-
mo, por correacao.
0 chefe da segunda secgo,
/. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detengo do dia 16 de
fevereiro de 1865.
Existiam presos 369; entraram 13; sahiram 12;
um carregamento de couros dos quaes ja se salva-
raro 300, esperando-se que se salvaro muitos
mais, que se esto lavando em trra.
Que-o Anes C. James, que z de Newport para o
Ro de Janeiro, arribou a Cardiff em 17 de janeiru
com agua aberta, tendo soffrido outras avarias e
alijado.parte da carga.
Hoja lera lugar a extraegao da 3a parte da 1* i
lotera do hospital Pedro II.
Repetimos hoje, no lugar competente, as co-!
A saber : nacionaes 294; estrangeiros 20; mu-
lheres 4 ; estrangeiras 3 ; escravos 44 ; escravas o.
Total 370.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 157
OBITUARIO DO DIA 15 DE KEVF.VElIl DE 1865,
NO CES11TEBIO PUBLICO 1
Bernardina, Pernambuco, 18 mezes. Recito ; diar-
rha.
Octavio, Pernambuco, 3 mezes, Recito; convul-
g5es.
tagnes offlciaes do dia 16, em consequencia de erro Elias, escravo, Pernambuco, 10 mezes, Santo Anto-
essencial. nio; intente.
Consta-nos que o Sr. subdelegado da Boa-Vista Anna Francisca do Canto, Pernambuco, 80 annos,
Decio de Aquino Fonseca se dirigir ao Exm. vi- solteira, *. Jos; gastro hepalite.
gario geral no sentido de providenciar, S. Exc. Manoel Flix dos Santos, Pernambuco, 4o annos,
Rvma., afira de fazer ce*sar a profanago que va viuvo, S. Jos; erysipela.
na capellinha do Chora-menino. Manoel Antonio loares, Pernambuco, 40 annos,
O desrespeito que se nota naquelle templo care- casado, S. Jos; estupor,
ce por certo de providencias, pois a casa de Deus Zacaria dos Santos, Pernambuco, 40 annos, casa-
acha-se convertida ou applicada m.teres to de-' do, S. Jos; hepatite.
gradantes, que a peana furta-se a descrjeye-los; e Manoel Sabino da Silva, Sergipe, 25 annos, soltei-
assim S. Exc. Rvma. nao tardar em vir com o ; ro, Boa-Vista; tubrculo pulmonar,
remedio que se faz preciso no casolera sua solici- Mana, Pernambuco, 8 horas, S. Jos; eongeslo
tude pelo bem da igreja que admitRlra, e pelo de- cerebral,
coro da religiao que todos prolessamos. Anna, escrava, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista
O Exm. Sr. presidente concedeuao Sr. Miguel j convulges-.
Candido de Medeiros Pinto a faculdade de dar bailes ---------^---------
de mascaras co theatro de Santa Isabel, durante o
carnaval ; e usando desta faculdade, o mesmo se-
nhor ter aberto os sales desse treatro nos dias;
25, 26, 27 e 28 do corrente concurrencia publi-
ca, proporcionando a populago desta cidade um
entretenimento agradavel.
Segando partecipaco do juiz municipal de
Caruar consta ter desertado o cabo Luiz Lopes
AGGBAV0 INTBRFOSTO DO JU110 ESPECIAL DO
COMMEC10.
Aggravante, Joaquim Coelho Cintra ; aggravado,
Benjamn Franklin da Canha Torreo.
O Exm, Sr. presidente dea provimento.
DISTRIBUICES.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Recrreme, Francisco Teixeira Guimaraes ; re-
corridos, Teixeira Leite, Companhia & Sobrinho.
Nada mais havendo a tratar o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao s duas horas da tarde.
CIIROMCA JUDICIAttl.4
tribunal o co.n JIEIU'IO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 16 DE
FEVEREIRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
Fraso, que conduzia, desta cidade para aquella
localidade, o importe do sold do destacamento e
diversas outras quanliasde particulares.
Consta que por occasio de tomar posse a
nova cmara da Escada, fra demitiMo o respec-
tivo secretario Franco Cavalcanti de Albuquerque,
casado e onerado de familia, e a quem a gente da
actualidade, que passaram a compor a nova cma-
ra, reconhece as quaiidades de proho e honrado, e
com quem sempre entreteve as melhores relagoes
de amizade.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.Inteiramente estranho as lides
da imprensa, sem habito algum de escrever para o
publico, sinlo me verdadeira e seriamente eroba-
racaao em exlremo aranhado ao sahir de minha
obscuridade para vlr figurar as columnas de seu
muito conceituado jornal ; mas um acenlecimento
de grande impoi laucia, um imperioso dever de
amizade obrigam-me a tamanho esforco.
Appareceu, segundo sou informado, as colum-
nas do Jornal do Recife transcripta urna denuncia
contra o integerrimo e probo joiz de direito desta
comarca Dr. Dellino Augusto Cavalcante de Albu-
querque.
Uro facto se den, em urna das sessoes do jury
do anno passado, e pelo qual, at hoje, ninguer
fez delle um crirae a esse digno magistrado, por
! estarera todos que o sabera asss compeLelrados e
i convencidos de que Ihe deu causa, um mero equi-
| voco facilimo de succeder a qualquer que se achas-
se as condigoes em que elle se achou. e do qual
i portanlo nao Ihe pode provir dezar algum a sua
j reputago de honradez, inteireza e inteligencia.
Passou-se pelo modo porque passo a narrar o
facto dito. Manoel Francisco do Nascimenlo Puga,
.tendo soffrido varias offensas physicas causadas por
I tres individuos moradores na freguezia da Luz, co-
| nhecidos vulgarmente pelo nome dePaciencias
ALSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs. i contra elles queixou-se conseguindo ve-Ios pronun-
depulados Rosa, C. Aleoforado, Basto e Leal, e | ciados coma^ncursos no art. 205 do cdigo, e fu
presente o Sr. desembargador fiscal, o Eam. Sr.
presidente declarou aberta a sesso.
Lida, foi a pprovada a acta da sesso antece-
dente.
Compareceu o Sr. deputado supplente Antonio
Jos Leal Rei?, e prestou juramento.
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. Sr. ministro da justiga, de
Entretanto a nica razao que se d dessa de- 31 do mez prximo passado, approvando a despeza
missao ser o Sr. Franco Cavalcanti de poltica <]ue ** com a acquisigao de urna escnvan.nha
adversa! N" urna poca era que do alto se reora- ae i. a#. .. ..,.,,_______
meoda a uaio de todos os bras.leiros, e o esque- 0ufro *'Exm. Sr. ministro da agr cultura, com-
cimento de mesquinhas vingangas, nao parece este ">io e ohras **?*. de 6 &?*"* ,ar?.C""
acto de prudente refloxo pelo contrario parece sando em 1,,e Ex,T1- Sr- Presidente deste tr.bu-
ler por (im o animar a discordia.
nal Ihe comraunicou ter reassumido o seu cargo.
Outro da directora geral da secretaria da justi-
ga, de 6 do corrente, aecusando tambem o recebi-
inento do em que o Exm. Sr. presidente deste tri-
bunal communicou ao Exm. Sr. ministro daquella
reparticu ter reassun.ido o sen cargo.
Outro do secretario do tribunal do coramercio
da Bahia, de 3 do corrente, aecusando a recepgo
do que Ihe foi dirigido em 5 do referido mez, cora-
muuicando ? matricula de commerciantes no mez
O demillido foi substituido pelo Dr. Sergio Diniz
de Moura Mattos.
Consta-nos que hoje pelas 7 horas da noute
sahir da casa da respectiva juiza no Mondego a
bandeira de Nossa Seuliora das Fronteiras, sendo
condnzida por seohoras que otoaro no trajelo i
os cnticos especialmente escriptos, acompanhadoi |
por urna banda de msica militar.
Despiar o prestito pala ra Real al a imperial raa"'"'nao a ma
capella da Estancia, onde ser asteada a referida ^ dezerabro ul
bandeira.
Em seguiraento a este acto sero cantadas as
vesperas solemnes amanha (19) que ter lugar a
fesla, pregando no Evangelho o Revd. padre Jos
Esleves Vianna.
Diversos e vanados bales, urna banda de msi-
ca militar e a da soiedade particular Unido Per-
manente, que obsequiosamente se presta a abri-
Ihantar a feslividade, faro o divertimento em hon-
ra da mesma Senhora.
Havera TeDeum a noute, pregando o Revd. pa-
dre Leonardo Joo Grego, Ando o qual ser a ban-
deira reconduzida casa da nova juiza, e finalisan-
do a feslividade por um recommendado fogo de
vista.
Da comarca do Brejo escrevem o seguinle :
t Joo Manoel da Costa Pinheiro morador no
sitio Frexeiras, contiguo a outro sitio denominado
Orno d'Agna, pertencente a Francisco Clemente
de Souza, o qual assistindo em urna fazenda que
lem na ribeira de Capibaribe, conserva no dito si-
tio um escravo e urna escrava. Um preto de Joo
Manoel costuraava dar seu passeio por all, coi-
te, lalvez allrahido pela escrava. Em um dos dias
do mez de maio do anno passado apparece o men-
cionado preto doente, sem dizer a seu senhor a .
causa do seu padecimento; foi o mal se aggravan- d;".do.I0erf,gl,rSctrs0e de Qma Procuracao Iue apresen-
e'.eDaefpois dltapra.ardroe,re quando passados alguns t**" da,Si,va SttfSSJSSSS
dias, to. circulando o boato de que o Jscravo de I admimdo a assignar terrao de flel depositario como
Francisco Clemente que havia sido o autor da administrador dos armazens ns. 1 Je 5 dotrapt-
DESPACHOS.
No requerimento de Tnomaz Jefferies, cidado
inglez, de 30 annos de idade, eslabelecido nesta
cidade cora casa de commercio de fazendas em
grosso, pedindo ser admittido a matricula :Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
No de Francisco Ferreira Baltar, socio da Arma
de Baltar cenido quantos navios tem sido admittido a re-
gistro como propriedade da mesma firma :Certi-
lique.
N'outro do mesmo, pedindo o registro da no-
meago de seu caixeiro Francisco Ferreira Baltar
Jnior :Recistre-se.
eu o encarregado de accusa-los perante o jury, on-
de effectjvamente aeeusando-os toram ellescondem-
nados nao as penas daquelle artigo pedidas pelo
libello ; mas do art. 201 do referido cdigo.
O Dr. Delfino, que presidia o jury tendo-me vis-
to durante teda a sesso na cadeira da promotona
publica e aecusando nessu carcter at a ve-pera
do dia em que teve lugar esse iulgamento, suppon-
do ainda o promotor do dia antecedente, como me
confessou,e nao o aecusador particular, julgou a
aecusago perempta e publicou sua senlenga. Nada
reclamei por nao estar presente ; mas sei que o
doulor logo que conheceu o eDgano sentio-se bas-
tante, e suppondo qne eu, que manifestara desejos
de appellar daquella sentenga, por attengao a elle
nao o flzesse, instou comigo para que appellasse,
dizendo-me que nao sacrificaste o direito de meus
constituintes a consideragoes particulares. Deixei
todava de appellar contra sua vontade, porque
acommodando-se meus constituintes, nao qniz usar
desse direito.
O acto foi era si to innocente qne o meu colle-
ga e amigo Dr. Maximiano Francisco Uarte, co-
nheceu que naquelle acto nao bouverama f, nem
vontade criminosa, que tomndome de parte, dis-
se-me estas palavras.que o supponho incapaz de ne-
gar : Venho do iurj e advirto-le que o Dellino com-
metteu um erro, o qual pode ser emendado ainda :
julgou perempta a aecusago contra os Paciencias.
Tens mais intimidado com elle, faz-Ihe ver isto,
elle que risque e emende aquella sentenga. Jul-
gando essa emenda quasi Impossivel, cheguei com
muito escrpulo a tocar-lhe nisso ; mas o honrado
magistrado respondeu-me, que apesar de estar con-
vencido de seu erro, filho s daquelle equivoco,
soffreria resignado as consequenclas qne delle Ihe
podessem provir ; mas estava j publicado e elle
nao o emeodava.
Foi este portanlo assim passado o facto que deu
No de Henrique Bernardes de Oliveira, pedindo i lugar a essa denuncia, cujo autor melhor que ou-
iro qualquer sabe-o perfetamente.
Queiram, Srs. redactores, em homenagem a ver-
dade e em abono da reputago minada de um dig-
no membro de nossa magistratura, que assim se
o registro da nomeagao de seu caixeiro Miguel Jo-
s da Molla :Registre-se.
No de Godfrey O. Maun, Jsuperintendente interi-
no da estrada de ferro, pedindo o registro de um
papel de dislrato de locago de servigos que apre- pretende marear, publicar estas toscas linhas, cam
senta :Vista ao Sr. desembargador fiscal. o que muito penboraro ao que de VV. SS. cons-
No de Joo Francisco Otero e Joo Ignacio de
Nazareth, pedindo o registro do seu contrato de so-
ciedade que apresentam :Vista ao Sr. desembar-
gador fiscal.
No de Adriano Augusto de Almeida Jordo, pe-
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Hontem pelas 2 horas e meia da tarde, 33 me-
nores do arsenal de marinha, aprendizes artfices,
precedidos da banda de msica dos mesmos me-
nores, apresentaram-se em palacio ao Exm. Sr.
presidente da provincia, offerecendo-se para irem
como voluntarios da patria, prestar seus servigos
no Rio da Prata.
Este offerecimento patritico foi aceito por S.
Exc, que dirigi aos mesmos menores palavras de
animagao e de reconhecimento, depois do que um
delles deu vivas S. M. o Imperador, a familia
imperial, ao presidente da provincia, aos volunta-
rios da patria e aos Pernambucancs : tocando a
msica o hymno nacional.
Anteiontem assumio o commando dasarmas
o Sr. coronel Jos Mara Ildefonso Jacome da Vei-
ga Pessoa, por ter de seguir para o sul o Sr. coro-
nel Jeaquim Jos Goncalves da Fonte.
Os salvados da barca franceza Les Amis de
Saint Jean de Luz tem produzido 103:371 083.
Ainda faltam ser vendidos o veame e parle da
mastreagao.
A sabscripgao para a bandeira dos volunta-
rios da patria eleva-so a 8925.
Corra, no Rio de Janeiro, que o governo ha-
via comprado o bello vapor americano Cotopaxi,
que esteve ha dous mezes em nosso porto, e fazia-
Ihe os ltimos preparos para mudar-lite auaciona-
lidade e converte-lo em vaso de guerra.
A' semelhante respeito diz o Correio Mercantil:
O vapor americano Cotopaxi deu um passeio
de experiencia. Partindo 1 hora da larde do lu-
gar onde se achava ancorado (entre as ilhas das
Enchadas e das Cobras), deitou na ida 9 ; milhas
por hora a na volta 12, tendo gasto da fortaleza de
Santa Cruz armago 19 minuto?.
t O Cotopaxi um vapor novo de conslrucgao
elegante e pode transportar com facilidade, e bem
accommodadas, 2,000 pessoas.
t A's 3 horas da tarde foi servido a bordo um
bello lunch, a que estiveram presentes os Srs. ge-
neral Webb, Washburn, ministro americano no
Paraguay, chefe de esquadra Lamego e Parker,
Braconnot, Level e muitas outras pessoas.
t Fizeram-se algnns brindes, entre os quaes um
do commandante do Cotopaxi a S. M. o Imperador;
do Sr. general Webb a felicidade das duas gran-
des potencias da America; do Sr. Lamego ao pre-
sidente Llncol; do capillo a armada imperial, ele
As dimensoes do Cotopaxi sao as seguintes :
Comprimenlo...... 200 ps
Bocea............. 35 c
Fontal........... 20
< Callado........... 14
Porga............ 200 cavallos.
c Toneladas.........1,250 >
Consta-nos qne o Sr. major do corpo de po-
lica Aiexandre de Barros Albuquerque, tem en-
trado para o cofre do batalho, cora as quantias de
fardaraento que devem as pragas qae se tem ido
alistar no corpo de voluntarios da patria.
E' digno de iouvor semelhante prova de civismo
do Sr. Barros.
Temos as seguintes par'cipages martimas:
Que o Franciseopolis vindo do Rio de Janeiro, e
chegado a Marselba em & de Janeiro, soffreu, em
consequencia do mo lempo, grande damas na
que
morte do de Joo Manoel da Costa, por Ihe ha-
ver dado bastantes bor lalas, em razao da descon-
fianza que nutria acerca das visitas do parceiro.
Ora, anda assim nao quiz o Cosa dar passo al-
gum ; porm a vista, das informages, que com o
tempo, foi obtendo, assentou de dirigirse ao Cle-
mente, e fazer-lhe ver o qae a tal respeito se dlzia. O
Clemente, como natural, nao gostou da historia ;
mas aflnal disse ao Costa que em tal dia se haviam
de achar em casa do vigario, para all concorda-
rem no que justo toss. No dia aprazado corapa-
receram ambos, e perante o mesmo vigario entra-
ram em contas ; e avista da exi>osigo de um e
outro, o vigario, com a maior imparcialidade edes-
inleresse, acon.-elhou a Francisco Clemente que
pagasse o escravo, para evitar as ms consequen-
cias que daquelle acontecimento Ihe poderiam re-
sultar. Coucordou o Clemente em pagar, e isto
che Alfandega Velha, cujo alfandegamento reque-
reu ao governo imperial :Como requer, de con-
tormidade com o art. 87 do cdigo commercial.
No de Ges, Bastos & C, pedindo a entrega do
seu contrato de sociedade, que se acha junto aos
autos de habilitago de Julio da Costa Ribeiro, dei-
xando certldo em subsiituigao do mesmo contra-
to :Como requer.
No de Bastos & Magalhaes, apresentando o dis-
trato de sua sociedade para ser registrado :Vista
ao Sr. desembargador.
No de Thomaz Teixeira Bastos, cidado brasilei-
ro, de 36 annos de idade, eslabelecido nesta cidade
com casa de commercio de mercadorias era grosso,
pedindo ser admittido a matricula :Vista ao Sr.
desembargador fiscal.
No de Andrade & Maia, pedindo que sfja regis-
trado o seu contrato de sociedade, visto pelo Sr.
senTo menor constrogimento. PeVgumou o^Cos" desembargador fiscal :-Registre-se.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso a onze hora da manha.
ta quanto queria pelo escravo ; respondeu-lhe
qne um cont de ris. Disse ento o vigario, qu*
nao tendo o Clemente culpa daquelle sinistro.o
[ Costa devia contentar-se com 5005, ao que annuio.
; eu-se o Clemente por satlsfeito, e dentro em pou-
> ce fez o pagamento.
Decorrido quasi um mez, recebe Antonio da
Silva Albuquerque, sogro do Costa, o offlcio abaixo
transcripto:
Subdelegacia de polica do Io districto do Bre-
jo, 18 de.
le, deve Vra
residencia, as 2 horas da tarde, quando nao possa
chegar antes, pois assim o exige o servico publico.
Outro sim, a ordem desta subdelegacia notifique o
Sr. Joo Manoel da Costa Pinheiro para que tam-
bem comparec as mesmas horas.
c Deus guarde felizmente.Illm. Sr. Antonio da
Silva Albuquerque, inspector do quarteiro da
Piaca.O subdelegado, Rogerio Lucio da Silva
Mergolho.
< Chegados que fossem os dous notificados tive-
ram voz de priso, e toram deudos at as 9 horas da
tarde, quando o subdelegado intimou ao Costa de
SESSAO JUD1CIARIA EM 16 DE FEVEREIRO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr.
presidente abri a sesso, estando reunidos os se-
iuUwde*lHr-lNsrM.wrlVdo corren- nhores desemnargadores Res e Silva, Silva Guiraa-
fa, achar-se em Taboca, casa de minha raes> Alfonso Arthur de Almeida e Albuquer-
que, e Acciali, e os senhores deputados Rosa, Can-
dido Aleoforado, Basto e Leal.
Lida, foi approvada a acta da esso antece-
dente.
Assignaram-se or, accordos proferidos na ultima
sesso entre parles :
Appellante, Joaquim Gongalves Ferreira; appel-
lado, Pedro Cavalcanti de Albuquerque Ucha.
Appell. nte. Jos Moreira da Silva ; appellado,
Joaquim d* Silva Lopes.
IULGAMENTOS.
Appellante, Jos Gongalves Malveira, represen-
ass.gnar u.na letra a Francisco Clemente de igual 'a,do Por ons herdeiros e outros; appellados James
quantia a que delle havia recebido ; visto que era j AS n\ees de <> a 13 do corrente
um roubo, e por consequencia sujeito as penas im- Adiada as sessoes de e 1J do corrale,
postas ao criine de eslellionato, etc., etc.; que ou f' confirmada a senlenga appellada.
assignava a letra e um termo se n mais conten- AApPellate'' ? administradores da massa fallida
der com o Francisco Clemente, ou Ira para a ^ A'no^' *gr S C'; PP '
cadea. O Costa ainda resisti om pouco a aquella n
taute leilor.
Pergenttno Saratva de Araujo Galvao.
Pao d'Alho, 11 de fevereiro de 1865.
Adiado na ultima sesso
Foi confirmada a senlenga appellada.
Appellantes, Guimaraes & Oliveira ; appellados,
o presidente e directores da cixa filial do banco
do Brasil nesta cidade.
Adiado na precedente sesso
ordem estavam reservados para1 0 Desprezaram-se os embargos como voto do Exm.
ide e do progresso I Sr presidente.
Appellantes, Tasso & Irmao ; appellados, Irn-
cisco Luiz Salgado e Manoel Luiz Salgado.
Adiado na sesso anterior
Receberara-se os embargos.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Bastos 4 Lemos ; appellados, Bozano Irmos.
Passou urna diligencia mdependenle da con-
digo proposta pelo ad yogado.
arbitrariedade ; mas o sogro atemonsado pelo ap-
parat que observou, pedio ao genro que assignasse
a letra a o termo, que coro o maior coustrangi-
mento o fez. Tiveram entao ordem de soltura, e
retiraram-se assombrados do que acabavam de
experimentar.
t Factos desta
o tempo da liberdade e do progresso
Passageiros do vapor brasileiro Persinunga,
vindo do Acarac e portos intermedios :
Antonio Claudino Camello, Antonio de Souza
Brito, Guilherme Defferein, Jos Mariins Ferreira,
Jos Cyriaco *oares, Jos da Silva Coelho, Manoel
Marques Camacho,Tnuraaz Antonio espinosa, Car-
los Aurelio Avelino Pires, padre Francisco Ayres
da Cuoha Henriques e 1 escravo, Jos do Carino
Ferreira Chaves, Bianc Assedo. Miguel Machi, Dr. Appellante Francisco Santiago Ramos ; appella-
Braz Camillo do Reg Barros, Jos Carneiro B. o Joaquim Elviro Alves da Silva.
Barros, Antonio Pacheco Mendes, Malaquias Maciel Adioujse o julgamento a requenmenjo de um
Pinheiro, Joe Manoel de Carvalho, Dr. Mathias M., dos, ""' deputados.
/
Bandeira de Mello, sua senhora e 5 escravos.
HEPARTigAO da polica :
Extracto das partes do dia 17 de fevereiro de
1865.
r oram recolhidos casa de detengo na dia 16
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Antonio Lucas, Joo Jos Ferreira, uionizio
Bezerra e Constantino Jos Goncalves Ferreira,
vindo de Pao d'Alho, para recrulas; e Jos Aie-
xandre de Souza, para correccao.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, An-
tonio Jos da silva, preso em flagrante, por crirae
de eslellionato.
A' ordem do de S. Jos. Benedicta da Costa,
Datnio Jos de Barros Prata, Damio de Paula
Jacques e Francisca Florencia do Sacramento, pre- Coelho.
sos em flagrantes, a i.- por briga, o 2.o por feri-1 Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
m'entos, o 3. por disturbios, e a ultima por era- gador Res e Silva.
/"
Appellantes, os curadores flseaes da massa falli-
da de Jos Marques dos Santos Agniar & C.; ap-
pellado, Ignacio Luiz de Brito Taborda.
Passou una diligencia.
DESIGNACAO DE DIA.
Appellante, Manoel Alves Ferreira ; appellado,
Francisco Santiago Ramos.
Primeiro dia ntil.
PASSAGBNS
Appellante, Ignacio Jos da Silva ; appelladas'
Mara Joaquina e Rita Mara, viuva e herdeira da
Manoel Antonio de Faria.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Silva Guimaraes.
Appellante, Antonio de Souza Reg; appellados,
os curadores da massa fallida de Joaquim Viera
PUBLICARES A PEDIDO
Ao povo pernambucaao.
Nossos irmos no sul do imperio soffrem os ri-
gores da mais barbara guerra em defeza da hon-
ra do paiz tantas vezes ultrajada pelos selvagens
das repblicas do Uruguay e Paraguay.
Valorosos como sao os brasileiros no campo da
batalha elles derramam no ardor do combate seu
sangue em honra da soberana e independencia
uacionaes, e fazem ver ao ousado inimigo que o
pendo auri-verde ha de permanecer sem maocha
em quanto houver um cidado no vasto impero da
Santa Cruz.
As paginas de nossa historia j to enrequeci-
das de feitos gloriosos lero de registrar mais esta
poca nao menos brilhante por actos de nobre co-
ragera, e inimitavel valor.
Era todas as cidadellas d'essas miseraveis re-
publicas ha de tremular triumphante o pendo
imperial.
Temos toda a superioridade sobre os nossos-
iniraigos, dispomos de maior exercito, e de mais
recursos bellicos; mas em compensago somos
um povo civilisado era luta com urna horda de
selvagens.
Os soldados inimigos ou morrem no campo da
batalha, ou quando prisioneiros sao postos em li-
terdade, que assim o ordenam, que se faga, as leis
da humanidade, e as mximas da civilisago. Os
valorosos brasileiros que tem a ventura de esca-
par das bailas, que parecen) respeitar sua Immeu-
sa corgem, sao mutilados brbaramente, e mesmo
decapitados em salisfago das perversas exigen-
cias do presidente d'essa tribu selvagem, que se
apraz de receber como tropho de gloria as cabe-
gas de aossos compatriotas espetadas em varas, ou
suas orelhas enriadas em curdas.
O exercito brasileiro combate cem taato denodo
e derrama seu sangue somenta porque assim o
exigem o honra e a independencia do paiz ; quan-
do entra em qnalquer cidade inimiga sabe respei-
tar a alheia propriedade, e mais qne tudo venera a
honra das familias: a guerra chegar a i eu terrao
sem que nenhuro acto de pilbagem, ou de selva-
geria manche os bros do exercito brasjleiro, que
s tem valor para.'combater pela liberdade, pela
patria e pela religiao.
Nossos inimigos arrebatados por seus iostinctos-
ferozes quando entrara em qualquer povoado no%-
sa desgracio aossos irmos, roubando-lhes seus
haveres, e levam a deshonra ao seio das familias,
ultrajando as nossas patricias cora actos imp-
dicos.
Nao ha peito brasileiro, qae nao transborde do
ndignago ao sabor das scenas de hjrror, porque
eslo passando nossos irmos n'essa guerra corn-
os selvagens do sul, e que nao anhele por se ver
frente a frente com o inimigo para o fazer parar
n'essa carreira assoladora com que elle tai inva-
d nJo o territorio imperial.
Todas as proviucias do imperio procuram a por-
fa mandar um contingente de seus fifhej um au-
xilio de nossos irmos, que se veeo bracos con
o inimigo em defesa da propria honra, dos brios-
nacionaes.
Pernambuco cujos feitos gloriosos enchem as
mais douradas paginas da historia do imperio da
Santa Cruz, nao ha de coosarvar-se indifferente aos
males e tormentos dos brasileiros'do sul : el
ir tambem com o seu retorco de voluntarios da
patria mostrar qae anda reina em sea peito a no-
bre coragem, que foi o legado honroso de seus an-
tepassados.
Essa apparenle indiflerenga bem contraria aos
nossos senlimentos patriolricos ha de em breve
desapparecer, e nossa provincia ha de oceupar
nos campos do Paraguay o posto de honra, que
por direito cabe a seos valorosos fllhos.
Nossos comprovincianos devem avahar qual
seria nossa indignacao para com os Albos d'aquel-
las provincias que vendo-nos em Iota com o ini-
migo estrangeiro, qae nos traila a de-graga e a
desonra, se conservassem impassiveis no meia da
nossos infortunio, sem vir em nosso auxilio.
A indiflerenga de Pernambuco no estada critico
ero qae actualmente se acha pan merecer a
reprovagao de todo o mundo, a aossos irmos que
soffrem os horrores de urna guerra cruenta leraa
o direito de nos amaldigoar ; e nossa provincia
ornada at boje de ama aureola brilhante tera d
a pastar a posieridade com nna aodoa indelevel,
que lbe servir de eterna vergonha.

'


'



V
IflHiB^HH^BHH
^
Blarl* de Ferfiflmbuc* Sableado 18 e Feverelre de 18 83.

Despertai pois meus briosos patricio: no cam-
po da batatha, aonde pugnamos pelas senllmentos
mais uobres, que podan animar os pekes huma-
nos, se oliste a morte, existe tambera a loria, e
o povo pernambucano nao tremeu jamis da mor-
te, qaando percbeu possibtlidade de augmentar a
gloria de seu nome.
Ao ouvir os gemidos dos nossos irmos, tu me
apressei em alistar-ma no nabre batalho de vo-
luntarios da patria : nao avaliei
decreto, que o fez erganisar ; que mais posso eu
aspirar que a honra de prestar coin o meu sangue
servicos a meu paiz, que se v ultrajado peio es-
trangeiro iniuiigo 1
Vinde tomar um lugar na lileira dos voluntarios
DEGLASAC5ES.
Caixa fllial do banco do Brasil
em Peroambnco,
14 V neroaV1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores da -ebastio Jos da Silva a vtrem
*iy*nlagen ? recebar do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio thes toca da venda de urna das propieda-
des, que segundo a concordata,Ihe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
hriM ft dignidad* dn imepi e assim honrar- ifaz PUD||C0 aos senhores accionistas que o respec-
O guarda
aniepassados.
Corramos animados ao campo da batalna dando
Tiras
A independencia nacional.
Ao povo brasileiro.
A S. M. o imperador.
Um voluntario da patria.
?^*"
Apa de Florida de Burrav 4. L tnrnaan
J la vai esse lempo em que por meio de bem ela-
borados e eagenhosos annuncios nos jornaes pbli-
cos, se alcancava o empalmarse eintrodutir-se um
artigo inferior aeeitacan publica. As essencias or-
dinarias e de urna emanaco acerba, fab cadas de
leos baratos, sao hoje em dia umversalmente re-,
jeitadas em despeito de todas as impressas certi-
does comparativas ; eraquanto que este admiravel
e riquissimo perfume e cosmetic, composto e ex-
trabido por urna respeitavel e responsavel firma,
da raras e delicadas flores e plantas naturaes, e
sobremaneira eslimado na America do Sul e M-
xico, de preferencia a todas a? mais perfumaras e
aguas cheiresas, vai grangeando e adqutrindo para
si de dia em dia, noca fama, novas triumphos, por
ivros,
Ignacio Nunes Correa.
Aviso
aos navegantes.
Pela capitana do porto de Pernambuco se faz
publico para conhecimento dos navegantes, que a
bola do extremo do sul do banco do iuglez que ha-
! via sido laucada praia por Ihe haver arrebenta-
' do aamarraco, foi novamente collocada, demar-
cando-lhe o pharol do pico ao O 1/2 N O, e a tor-
re do seminario de Olinda ao N 1/2 N O, ramos
magnticos, e em fundle 5 bracas, exactamente
node termina pelo sul o Recife qoe forma o banco
ngitez. Capitana do porto de Pernambuco 4 de
fevereiro de 1865.O secretario,
Decio de Aquino Fonseca.
Olllm. Sr. inspector da tliesouraria provin-
cial em rumprimenio da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 7 do crreme, manda fa-
xer publico que no di 23 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, vai nova-
mente a praca para ser arrematada a quem por
menos fizer, a obra da ponte de ferro de Motoco-
lomb, avaliada em 68:9304, servlndo de base
ment prompto : para o resto irala-se eom os seus
consignatarios Antonio Lulz de Oliveira Aevedo A
C, no sen escriptorio ruada Cruz n. 1. .
Para.o Rio de lanelro
pretende seguir com muila brevidade o brigne es-
cuna Joven Arihur, tem parle de seu carregamon-
to engajado : para o resto que Ihe falta trata se
com os seus consignatarios Antonio Luii de Oli-
veira Azevedo & C., no seu escriptorio ra da
Cruz o. 1
Para o Hio de Janeiro
Sahira com brevidade o patacho nacional Via-
mo>, recebe carga a frete commedo e escravos:
irata-se com Manuel Ignacio de Oliveira & Filho
no largo do Corpo Santo escriptorio n. 19 ou com
o capito a bordo.___________________________
Para
Segu uestes dias em direitura ao indicado por-
to o veleiro brigue escuna brasileiro Graciosa, ea-
pito Jacintho Nunes da Costa, por ter quasi prom- corno de COStumc.
pto o sea carregareenlo ; para o pouco que anda
pode admettir, trata-se com o seu consignatario
Antonio de Almeida Come, ra da Cruz n. 23,
primeiro andar__________________________
Jis, decretos, avisos e ordens conceroentes a mes-
ma guarda.
Ha nestas qattro formas, importantes decisSes do
governo, esplicando as duvidas, que tem appareci-
do na execuco da le da guarda nacional e seas
T /"" FT1 i ~D /i n**nai "^a naclenal.
M j W m m rij W^ M /m \ Aehara-se impressas quatro formas com 6i pa-
-m~^ ^-^ -* M-^t -M. j m gjpas em oitavo francez do segando volume do Ma-
A OS f)'O00O00 numl '* guarda nacional, ou collecco de todas as
Sabbado 25 do corrente mez se extrahi-
r 5a parte da 2a lotera do collegio dos
orphaos no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da regueia de Santo regaamenios, como tejara"""modo de se fazer as
Antonio. propostas para officiaes dos cerpos, quando estes
Os bilhete, meios e qtiartos estn a vr,n- i f10 organisados, ou em organi^co : ftmqtia
. _.___... .. ,.___. da junta medica : reforma dos olfrciaes e inferiores*.
da na respectiva thesouraria ra do Cres- solUo das duvidas a re^e^ da9 despensas do
po n. 15. servico activo :tempo dos oraciaes se acharem far-
Os premios de 6'OOOi5O0O at 10)8000 dados e data do juramento : se oflteial da imperial
sero pagos una bora denois da extracto I .rd Ros esta isflnto de prestar servico como
.-> i... a~ t.An n n n..i~r.,. ,!;, 6imple? guarda : se os inferiores dos curpos de-
ate as 4 horas da tarde, e os outros depois m Segnlr a ordem gradual do aceesso para ser
da distribuirn das listas. j promovidoofficial : quem substiloe o coramandan-
As encommondas sero guardadas SO-; te superior as suas faltas, ou imperfimentoi : qua'
itteneSo
O propietario do botequim Traviala, no Sertao-
zinho, rm Cacnang, foroeee almoco e janlar
com promptido e acelo, e por coromodo preco,
domingo Iff do corrente.
Aluga-sC ii primeiro
mente al a noite da vespera da extraeco
Para o Porto pela Ifta de S.
Miguel.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
De or !em do Illm. 'Sr. Dr, presidente
fafo scente aos Srs. socios, q :e a partida
deste mez t r 1 :gar no dia 26.
Secretaria da sociedade rerretativa Cory-
0 velleiro e bem conhecido brigae nacional A- baritina, 14 de feverein ie 1865.
meta pretende seguir com maita brevidade, tem j q Io secretario,
parte do seu carregamento engajado, para o resto Faustino Jos da Fonseca.
que Ihe falta e passageiros, para os quaes tem ex-
celleutes commodos : trala-se com os seus consig-
natarios A. Luiz de 0. Azevedo & C. no seu escrip-
torio na ra da Cruz n. 1._____________________
Hio de Janeiro.
A sumaca Aguia recebe carga miuda e escra-
vos a frete : tratase cun os consignatario* Mar-
ques, Barros & C, largo do Corpo Santo n. 1.
a
meio de todas as classes do mundo civllisado, sem es arrematado o abatimento de 7 0/0 offerecido
ontra recnmmcndacan m*s do nue a sua icon- Pelu licitante Jos Augusto de Aranjo. E para
SSrifiX^S^ tabora" a qua. constar se mandou publicar o presente pelo jornal.
naja espargido algamas gotas desta deliciosa es
sencia florida sobre o sea lenco, eu haja usado a
mesma n*um estado de deluicao, como um cosme-
tico ; por certo hesitar um s instante em perfei-!
lamente etincidir cora as senhoras e senhoritas da
Secreta.2 da thesouraria provincial de Pernara
baco 8 de rfevereirode 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annonciaco.
Faenldade de Dlrelto.
De ordem do Exm. Sr. director fago publico aos
America Hespanhola ; as quaes a tem usado para alumnos da Faculdade que, do da 16 do corrente
mais de 20 annos, mediante urna completa exclu- [ em dianle poderao realisar na estaco competente,
*o de todo e qualquer oulro perfume. o pagamento da taxa correspondente a prlmeira
(Aflm de se evitar a compra de urna preparago matricula, cuja abertura dever ter lugar no dia
falsa e viciada, dever se-tia examinar com o maior 2 de marco, prximo viodouro.
cuidado, se os nomes de Murray e Lanman se Secretaria da Faculdade de Direito do Recife 14
acham afflxados e inscriptos sob cada envoltorio, de fevereiro de 1863.
LEILOES.
letreiro e garrafa, pois que na faltados raesmos
nao resta a menor davida da sua apparencia falsl-
dade.)
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa o
J. C. Bravo & C.
Tribal ao mrito.
Nos abaixo asignados, voluntarios da patria,';
ncarregalos por nossos camaradas para agrade- '
.cermos ai I lin. Sr. capitn Antonio Pedro Menor
as maneiras uabanas o delicadas com que houve
de nos tratar como commindaote eocarregado do |
deposito, viemos por meio da iraprensa assegurar i
a osle distincto official os protestos de gratido e
estima de que digao por suas qualidades ; as-;
segurando tambera que ter em cada um de nos,
como superior, um camarada obediente, como par-'
ticular, um amigo sinesro, era qualijuer parle que
o destino eos reclamos da patria nos conduzir.
Aceite, pois, o Illm. Sr. capitao este protesto co-
mo prova rrefragavel da estima e considerado
que Ihe temos.
Antonio Joaquim de Ponles Marinbo.
Joso Mara Marques.
Januario Peroira Pinto
Salustiano Gomes de Andrade.
Heleedoro Avelino de Souza Montero
Gercino Martins de Oliveira e Cruz.
Lidio Gomes Porto.
Ssbastiao Antonio Rezende Leal.
Jos Lourenco Sauvar.
Adolpho A. de Mendonca Pereira.
Luiz Cardse da Silva.
Francisco Augusto Pires.
Antonio J. Henrique de Vasconcellos
Graciano da Cunha Machado Pedrosa
SebastioGualberto R. da Cimara.
Francisco das Cnagas R. Franca.
O secretarlo,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data flea ins-
cripto na matricula dos cwnmerciantes o Sr. Cari
Friedrich Tlieodor Chrislian^em, cidado nambur-
guez, de 32 aunos de idade, estabelecido nesta ci-
dade cora saa casa de commercio de grosso trato.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 14 de fevereiro de 186).
O offlcial-maior,
Julio Guimaraes.
Pela mesma secrelaria se laz igualmente publi-
co que nesta data Gc.a registrado o contrato de so-
ciedade de Jos Rodrigues da Silva Rocha e Anto-
nio Jos dos Reis, Portuguezes, estabelecidos nesta
cidade sob a lirma de Res & Silva; devendo dita
sociedade durar por espaga de tres annos, conta-
dos do Io de Janeiro do corrente, com o capital de
12:0005, para o qaal entra o socio Rocha com
7.000A, e o socio Reis com 5:0005. ja realisado.
Secretaria 10 de fevereiro de 1865.
Julio Guimaraes,
Oflicial-maior.
Letlo
De urna mobilia de Jacaranda, 1 espelho, 1 can-
delabro, 2 serpentinas, 2 pares de jarros, 1 com-
moda, 1 sof e cadeiras de amarello, 1 mesa de
janlar e outros objectos pertencentes a casa de
familia. ^^
O agente Pinta fari leilo por conta de urna
pessoa quemudou de residencia, de todos os ob-
jectos cima mencionados existentes no sobrado
do pateo da Ribeira n. 19, onde se effectuar o
leilo as 10 horas do dia cima dito.
Alugase um sobrado de um andar soto,
com commodos para grande familia, tendo um bel-
lo ii-rracn, e toda iliuminada a gaz, e com um pe-
| queno quintal eom cacimba, notndose que fei ree-
dificado lodo de novo ha pouco teinpo, no m di
; ra Augusta com o oilao para o viveiro do Mumz:
; a tratar no principio da ra Imperial n. 49.
Abilio Jos Tavares da Silva convida os
amigos do Dr. Cypriano Fenelon Guedes Al-
coforado para assistirem a urna missa por
alma da tinada senhora do mesmo no dia 18
do corrate as 8 horas da maoha, na igre-
ja do Mosteiro de S. Bento em Olinda.
Francisco de Araujo Barros convida os
amigos do finado Dr. Viriato Aurelio da Cu-
nha Gouveia para assistirem a missa, que
por alma do mesmo tem de ser resada no
da 18 do corrente. s 7 horas da manhaa,
na ordem terceira de S. Francisco desta ci-
dade.
Precisa-se arrendar um bom engenho d'agua
que seja perto da via frrea, e na freguezia da Es-
~7T-~z, i_ inniii.i cada ou do Cabo r a tratar no tim da ra estreita
Leilao da escuna argentina AngeMldJ d0 R()sario ao VUar 0 paleo d0 Ciirmo n 47
deve ser a pena imposta aos inferieres que nao se
apresentareni fardados no prazo que Ibes for mar-
cado : se os instrumentos importados da Europa
para as msicas dos corpos da guarda nacional, es-
to Isentos dos aireos da aifandega : quaes os
venclmentos dos officiaes e guardas era servico de
destacamento : se tem direilo continencia o com-
mandante superior, passando pela frente de urna
brigada de linha : se o empregado de fazenda des-
tacado como official da guarda nacional deve aecu-
mular o seu ordenado : se official da guarda nacio-
nal suspenso, por crime de responsabilidade do
cargo de delegado, ou de joiz de paz lica tambem
suspenso do exercicio da guarda nacional : que
honras compelem aos capitaes da guarda nacional'
designados majores dos mesinos corpos : se ha in-
cmnpatibilidade ua accumulacao do cargo de juiz
de paz e presidente da ju*ta de qualifiraco dos vo-
tantes, com o posto da guarda nacional : ha incom-
patibilidade na accumulaeo do posto da guarda
nacional com o do cargo oV juiz de paz : o official
que exerce interinamente o lugar de ajud=nte dos
corpos esta ou nao despensado de servir no conse-
Iho dequatiheacao : em que priso devem os offi-
ciaes da guarda nacional cumprir as penas, con-
demnado no foro commum : se os uuardas na-
cionaes eslao ou nao isentos do recrutamenlo : se
os vendedores de sello dos correos esto despensa-
dos de servir na guarda nacional: se os officiaes re-
i formados da guarda nacional nodem ser a;.'gregados
ao servico active : em que circumslancias podem
os com mandantes interinos dos corpos faltrera
prooosias para officiaes : etc., etc., etc., etc.
Quem anizer desde ja posuir estes esclareci-
mentos, medanle um diminuto estipendio antes de
se ultimar este segundo volume, dirija-se ao segun-
do andar do sobrado da ra do Livraracnto n. 31,
e ahi os encontrar em broxura, assim como enca-
dernad o primeiro volume do Manual do guarda
nacional.
travessa de S. Pedro
a. 11, segwido andar.
andar do
a tratar na roa
sobrado da
do Cabug
HOJ:
Sabbado 18 as 10 horas
no arruazem do barao do Llvramento no caes
d'Apollo.
Cozinha-se com perfeico e promptidao para
os senhores acadmicos : a tratar na ra Augusta
n. 38.
OLYMPIO
Compeienlemente aulorisado vender em leilo
no dia, hora e lugar cima a escuna argentina
cAngelita tal qnal se acha fundeada._________
I.ello
Dos mastros, velas, ancoras, correles, lancha e
botes da barca franceza cLes Amis de Saint Jean
de Luz.
Segunda-feira 20 de fevereiro
no .arraazem alfandegado do ha rao do Livramento j
caes d'Apollo.
Por intervencao do agente Pinto.___________
Leilo de 50 sccos com feijo surtido
Segunda-feira 20 do crreme.
O agente Pestaa fara leilo por conti e risco
... SE'^EZTi- r,,r,irt de quem pertencer de 50 saceos com feijo sorti-
- Pela sabde egac.a do distrtcto j?araUi do ceas e Wjo mu.to m.o des-mb.rca-
da Se se Uz publico que se acha em depoMe. um a ^ mmMlln 20 do cor-
cavallo pedrez, pequeo : quem for seu dono com-
pareca, que provaudo, Ihe ser entregue.
Subdelegada do 2* dUtrido do Curato da S de or- AUUC5-
Olinda 7 de fevereiro de 1865.O subdelegado, Leilo de 180 barricas com familia do trigo
Manoel Deonizo Gomes do Reg. e 02 saceos COIB milito (com avaria d'a-
O conselho de compras do arsenal de guerra
Delouche, relojoeiro, avisa ao respeita-
vel publico e a seus freguezes que roa-
dou a sua loja de reloji>eiro da ra Nova
para a mesma ra n. 50 esquina do uec-
co de Santo Amaro, continua a fazer io-
dis os roncertos pertencentes a sua arte
com inuita brevidade e prego commodo.
Na mesma casa acaba de receber mal-
los boos relogios re sua propria encom-
im-nda, de prata dourados e ouro patente, ||
lanibem relogios americaaos para cima '
de mesa e parede, tem lam, m instru-
mentos de msica, caudieiros para gaz e
muilos outros objectos todos por presos
muito commodos.
*tf,K!2E!9!>2tS!
aos Srs.
O Dr. Antonio oV Vasconcellos Menezes de
Dyummond, antigo advegad > neste foro, contina
no exercicio de su i profrsso, na ra do Impera-
dor n. 43, primeiro andar, todos os dias uteis, das
10 hora, da manhaa .? 4 da- tarde.
Arrenda *e a excellente propriedade deno-
minada Barra d Serinhaem, na fregnezia do mes-
mo nome, eom grande roqueita^e mnitos foros a
cobrar antiualmente : a tratar-na ra do Impera-
dor n. 43, prmteiro andar, das- 10 horas da ma-
nha as 4 da tarde._________________________
Madama Freir, modista
brasileira,
avisa ao respeilavet publico e aos seas freguezes,
que faz qualquer ebra pertencertte a so arte, por
menos preco do que em ontra qualquer pari6, as-
sim como sejm vestidos de casamento, bailes,
Iheatros, montaras, soutambarques, domines e
vesluaiios para o cama-val: ua ra da Penha nu-
mero 2.
Alnga-se nina mai-afiia na ra do Alecrim
entre as casas de ns.51 e-53 : a tratar na padaria
da ra Dimita n. 2i. ____________________
Tendo desapparecide da casa de seu senhor
um mulalinno claro, de nome Antonio, de idade
dft lo* 12 aonos, cabellos corridos e um pouco
loncos, olhos zoes, vestido cora calca e camisa de
riscadinho azul, cujo desapparecimeto deu-se na
neite do da 15 do corrente mez, e consta qoe an-
da pela Capnnsia : assim, pois, roga se a quem o
vir.queira lvalo E-tannE$ sitio ao lado da
igrea, aonde morava o Sr. Cardoso Ayres, ou no
escriptorio na ra da Cadeia n. 18, que ser re-
compensado ; assim como lanbtjm prolesta-se
contra alguein que por ventura o tenha occullo
em sua cas.
Escravo fud
Convida-se
presente
Preeisa-se de nm rapaz de 14 a 16 annos
para o Brejo da Madre da Dos: a tratar na ra
Nova n. 69.________________
O juiz interino da irmamlade de N. S. da Sole-
dade, em virtude do despacho do Illm. Sr. Dr. pro-
vedor de capellas, com dala de 14 do corrente,
convida a todos os irmftos da mesma irmandade
comparecerem no dia 19 do corrente. pelas 10 ho-
ras da manhaa, no respectivo consistorio, onde se
achara o mesmo Sr. De. luiz ii capellas, afim de
proceder-se a eteir;o ceral para a nova mesa re-
gedora, de conformidade com o comproms-o.
O Sr. Joo Deodato Bowman tenha 9 bondad"
de apparecer no armazem n 19 na ra nova de
Santa Rita, visto ignorar-se sua morada.
Precisa-se de um caixetro para ama padaria
na villa da tscada : a tratar na ra Imperial, la
berna n. 27^____________________________
Precisa-se alugar urna escrava que seja fiol
e de boa conducta para comprar e cozmhar, pya
casa de pouca familia : ni ra das Crozes n. II.
Na mesma ca*a compra se ama Degrioha de 1 a 6;
annos de Made.
De bordn do brigue nacional Oli'r.da fugiram em
12 do corrente dous escravos marojos, um de no-
me joaqaim) preto fulo, rosto oval, estatura haixa.
olhos pretos, nariz chato, algtima barita, natural
de Santo Anlo ; outro de nome Marcelino, preto
fulo, rosto coraprido, olhos prelos, nariz chalo,
pouca barba e statura baixa, natural de N'aza-
relh : quem os apprehender e levar casa de de.
tenco.ou a Bailar 4 Oliveira, ra da Cadeia do
Recife, ser recompensado ; e proiasta-se eonlra
quem os tiver aeoutado.
Charles Diunv.ne, alfaiaw francez, participa
ao respeitavel publico a a sous freguezes particu-
lares, que mudou a sua casa^quj tinhi na ra da
Cadeia n. II pira a mesan ra n. 26, esquinv do
becco Largo.
Paulo Ferreira da Silva vai a Europa tratar
da sua saude.
wmmwt mmmm mw&\3k-&i
Saques sobre fortugal.
O abaixo assignado. autorisado j elo
Banco Mercantil Portuev.se. e na ausencia j
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- j
fectivamente por todos o paquetes sobre 1
as pracas de Lisboa e Por .0, e mais luga- j
res do reino, por qualquei somma a vis- j
ta, e a praso; podendo, os que teirarcn 1
saques a praso.receterem asista,no mes- j
mo Banco, descontando4 0|0 aranno: na j
I loja de chapos da ra do Crespo n.6, ou j
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Miia.
C0MME1CI0.
Coae-es officiaes.
PRAGA 1)0 RECiFE.
15 de fevereiro de 1865.
Assucar mascavado Canal15750 por arroba.
Dito dito purgado 25050 por arroba.
Algodo primeira sorle195000 por arroba.
Descontos14 0(0 ao anno.
ubourcq Jniorpresidente.
Guimaraessecretario.
Xovo banco de Pernambuco.
O banco desconla letras na presente semana a
42 por cento ao anno at o prazo de seis mezes, e
toma dinheiro a jaros a praso nunca menor da
tres mezes.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobre a caixa filia
na Baha.
O guarda-lvros,
Ignacio Nuaes Correia.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 16.........447:57 '5778
Hem de dia 17................. 19.9005250
precisa comprar o segrate
Para o fardamento <\o voluntarias da patria.
Panno azul 1,000 covados
Para o deposito de artigos bellicos da provincia de
Alagoas.
Bonets 200.
Mantas de la 200.
Brim hranco varas 1,000.
Algodozinho varas 500.
Para o arsenal de guerra fornecer.
Marmitas ao 4o batalho de artilliaria a p.
Caixas com folhas da Handres de 16 a 20 po-
legadas de comprimenio e 11 a 14 ditas de largu-
ra, 6.
As pessoas que quizerem vender ditos artlgos
apresentem suas propestas era carta fechada ua
sala das ses>oes do conselho de compras, s lO
horas do dia 20 do corrente.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra 16 de fevereiro de 1865.
O encarregado da escnpturaco
Manoel Jos de Azevedo Sanios.
1." secc3o. Secretaria da polica dePernambu-
co, 1 de fevereiro de 1865.-0 Illm. Sr. Dr. chefe
de polica, manda renovar a publicacao da postura
addicional de 12 de fevereiro de 1863 abaixo trans-1
ente pelas 10 horas da manl.a no armazem do crodores do llvmd. padre D. Jos AtOIHO
dos Santos Lessa, a reunirem-se na loja da
ra do Imperador n. 37, no dia 21 do cor-
rente ao meio da, para tratar-se delicti-
vamente o que se deve fazer a bem da
niassa. _____
Fuilaiam hontem s o horas da tarde
da loja de siriguciro da Camboa do Carmo
467.4725028
Hovlmentoda alfandega
Volamesentradoscomfazendas...
com gneros... 467
Volumessauidoseum fazendas.
* t com gneros ..
467
78
966
-----1.044
Oescarregam no dia 18defevereirodel865.
Brigue inglezAzo/"-diversos gneros.
Rrigue francez -Louize falderdiversos gneros.
Escuna hanoverianaEmma farinha de trigo.
Brigue prnssianoKomgsburgidem.
Barca hamburgueza.M Patacho inglezAmazonbatalho.
Barca nglezaChanzacarvo.
Barca inglezaWilliamdem.
Pataeho inglezAfondaidem.
Patacho inglez Perille dem.
Escuna inglezaEltsabeth Barttr idem.
Barca portuguezaLaura louc,a.
ilecebedorla de rendas Inter-
na* geraeade Pernambuco.
Readimento dodia 1 a 16........ 18.44U904
. !dem lo tu 17................ 2:5215146
0:9665050
Consulado orovinelal.
Rendimento do da 1 a 16....... 76:7315990
idem do dia 17............... 2.033*387
78:7655377
gua salgada).
Segunda-feira, 20 de fevereiro de 1865.
s 10 horas em ponto.
Henry Forsler & G. faro leilo por intervencao
do agente Pinto, e por corita e risco de quem per-
tencer, de cerca de 180 barns en farinha de tngo esquina que volta para a ra dds r 101 es. um
e 202 saceos com miihe, descarregados do patacho einbrulho de papel contendo 8 covados de
inglez WiUim M. Dodgc, e existentes em seu ar- damasco de seda verde, suppe-se ter sido
^S^Jt^^^^A^l^V^O^ mangas de camisa^ue entrara
a's 10 horas do dia em ponto, cima dito. \ isto que
o mesmo agente devera' effectuar outro leilo a's
Fugo da padaria de Santo Amaro, o preto
Jos Crionlo, idade 24 annos, sem birba, estatura
hnlxa, tem faltada mai esquarda, ten lo sido cor-
Precisa-so de it'iiaa.na livre 011 escrava que t3(ja pe)a in_nnacJj beD aguardent'i c mnilo
mni*ft a .iAiiili^ .,.,'\ ,.!' (f.i iiii.iiioni familia* 9.1. ...l.-iT. a._J. -I
na occasio em que e pesava fio de ouro
roga-se a quem for offerecido ou souber
11 horas._______________________dirija-se a esta typogratdiia que se dar a
Leilo de 2 barris com vinho Bordeaux, y quantia de 40(i, valor maior que a do da-
ditos com farinha, 2 ditos com carne, *J imsco. | ____
gigOS garrafa- va/.ias, 1 caixa botija, f ^. j0SoBaptiza Gongalves e Augusto Ribeiro
escada, 1 virador, velas, mastros pecas Lima (fcehrea fazem ver ao publico ao corpo do
de lona, 2 mentes, 2 ancoras, 1 lote de commercio desta praga que, tendo-se J
compre e eozinhe, para can de pequea familia
na praga da Independencia n. 5.______________
Joainim Jo<6 da Silva, subdito pirtnguez,
tendo encontrado outro de Igoal nome, faz publico
que de MfS em dianle se assignar por Joaqun
Jos da Silva Oliveira, ____________
Tibnrcio Aniones de Oliveira manda seu fi
Iho Pedro Dias de Oliveira Europa._______
Francisco Maciel de Soasa, na qualidade de
tesiamenteiro doifinado Antonio Jos Pacheco e
Silva, faz publico"^ quem c.onvier. que o dito fina-
ido deixou em seu testamento 255 para cada um
de seus afiliados, com a condicao de apresentar
certidao de baptisme : poctanto, aquellas que se
julgarem coraprehendidos nessa deixa podem
apresentar-se a elle lestamenteiro munidos da
competeale certidao de baptismo nara receberem
dita quantia.__________^_^____________
~ Ao Sr. Bernardo Tavares
queappareca ra Direita n.
neucia de saa eseravo Isabel.
dissolvido
om-.k nPrtPnrp-5 lstrftarao arnigavelmente a seeie'dad'e que gyrava sob a firma
moitoes, e tnais pertences da masirejcao soc|a| de Guedes & Goocaives, cujo estabeieci-
da barca frenceza Les Amis de baint niml0 era na ruada Cadeiado Recife n. 7, orga
Jean de Luz, como sejam : urna lan- m'nram os mesmos abaixo mencionados uma o-
cha e dous botes vaociedade sob a firma social de Juao Baptista
.--eganda-feira 90 de fevereiro de 1865. G-ocalve ft C, cando a seu cargo todo o activo
n arente Pinto amori^ade oelo Sr cnsul de e Pasivo da extracta firma desde o 1 de Janeiro
cripta, alio..de que ningaem allegue ignorancia de L^^X iSaSSSap. So inspector da al doeorren.eaano. ttecife .7 def-ve.eiro de
suas disposi^oes. fandega, era presenga de um empregado da mesma
l '. V*lura-; ____. h.,_ I repanicao para o fira nomeado, com assistencia do :
Art. y Fica prohibido neste mun.c po obro. n Jconpsu| ou de 5eu deieado e por conta e <
qaedo de inlrudo cora agua por qnalqaer mane.ra, -^J d(, quem> per,encer> doseobjeclos acima raen.
cionados salvados da barca franceza Les Amis de
Saint Jean de Luz, c existeates do armazem do
; bairao do Livramento, caes do Apollo, onde se ef-
Leilo a 21 do correte.
Matheus Austin ft C, farao leilo, por interven-
que se empregue ; os infractores^ pagarao a multa
de lo$000 reis, e 8 dias de prisao.
Art. 2." Fica prohibida a venda de limas de chei-
Falco de Lacerda.
Arremataco
m
Finda a audiencia do dia 21 do correte do Jal-
lo de orphaos, escrivao Guimaraes. a requerimen-
to da junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia desta cidade, sera arrematada por venda
uma parle do sobrado de um andar e sulo, sito
na ra de Hortas n. 66, freguezia de Santo Anto-
nio, avahada dita parte em 6103*29, deduzida esta
de 4:0005 por quanto-foi avahado o dito sobrado,
a qual parle pertencente a Auna Rosa das Mer-
c?, por antonomasiaTempera, que se acha
recolhida ao hospicio dos alienados e vai praca
a referida parte do sobrado pela quantia de
504526, ja abatida a quinta parte de sen valor.
865.
Joo Baptista Goncalves.
Augusto Ribeiro Lina Chalaca.
Prerba-se de uma ama que cosinhe e en-
gomme para uma cr.sa de pequea familia : na
praca da Independencia ns. 23 e 25 ao p do fu-
uileiro_______________
-i- O Sr. Dr. Jo5o Neava tem ama carta yinda
da Europa no escriptorio de Manoel lunado de
Oliyeira 4 Filho, largo do Corpo Saato n. 10.
C mtinho se pede
54 para dar-se Ihe
L. Jaquinct vai a Europa.
Na ra da Imperalriz n. 41, primeiro andar,
tem uma mulher do mato que se offereee para ama
para cozlnhar e lavar._____________
ATTENQUO.
GRANDE BOTEQUIM NO CACHANG
defronte da igreja, de sorvete, caf, bebidas, e co-
midas de todas as qualidades e com Iodo o aceio,
nos dias 18, 10 e 20._____________
-^ Acha-s* ausente d asa de #u
cao do geme Oliveirae por conta e risco de quem i ^ Luj desde 0 da ,2 do correnle
; pertencer, dos seguinws ariigos avanados a bordo
' do navio tlmperador, na sua recente viagem de
Philadelphia para este perto, a saber :
Cerca de 600 barricas de farinha de trigo.
Porcao de barriquinhas de bolachinha.
Poni de saceos de farello.
Pao de resmas de papel de erabrulho.
Terca-feira 21 do corrente
as 11 horas da manhaa, era seu armazem, ruada
Senzala Nova, no Recite.
Leilo do grande predio, em que se acha
montada a grande fabrica de sabao da
MQMEBTO DO PORTO
Navios entrados no dia 17.
Acarac e portos intermedios8 dias, vapor bra-
sileiro Persinunga, de 422 toneladas, comraan-
dante Kalis, equipagem 25.
New-Zealand 120 dias, galera americana Tkres
Brothers, de 403 toneladas, capito C. Swaio,
qulpagera 18, carga 500 barris com azeite de
peiie; ao capito. Veio refrescar.
Sahidos no mesmo dia.
Ro-Grande do NorteBrigue inglez Milena, capi-
to Juhn S. Hall, em lastro.
ParahybaBrigue inglez Chance, capito Blamey,
em lastro.
HOJE-
Grande baile de mascaras e
sem mascaras,
NOS
Saldes do caes d'Apollo.
Ser cumprido o regulameutodo Illm. Sr. Dr.
chefe de polica.
ATOOS"MmMOS? ^
COMPANHU PERNAMBCANA
DI
Navegado cestelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Gear
e Acarac.
No da 22 do corrente s 5 ho-
ras da tarde segu para os portos
acima indicados o vapor Maman-
guape, commandante Moura. Re-
'cebe carga at o dia 21. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at 2 horas
da lardado dia da saaiia : escriptorio no FVmte
do Mattos n. 1.
senhor a
mee, le-
vott vestido veluo e panno novo da costa. Kgula
trr t i^iv df ?fa ?^ *?""".lam na mo direita
urnas ricatrizes e tem marcas de bexigas no ros-
to :roa-e tolas *s aotorWaties opliciaes e ca-
piws de campo-de aprehende-la e leva-la a ra
dos Pires q. 34, que generosamente serao recom-
pensados.
- 0*b*f.a#
pubji*!^,
ciou
da
S
,0 reseoiuvel
ao c-rpo do commer-
joiw de ser caixeiro
Srs. F O. Bleber & C.
Prfw desde 5j j eaeprovei-
ra Imperial, e juntamente os pertences \ taafo~*%6<', agradece ne s ao digno geren
na mpsma fahrira i te ciBMJUtodos-asseus ex-conipanheiros a confian-
Oufnu fefra 23 de fevereiro de 1865 ca SseSpre nellTdepositarara, e as maneiras
0 JSfSSiSS StST leilo charas e cavalheiras cera que^o trataram.
Porto
Segu hrevemente a barca porlugneza Sympa-
thia por ter seu carregamento completo : quem
quizer ir de passagem, para o qne tem exeellentes
commodos, eutenda-secora Bailar & Oliveira, ra
da Gadea n. 26.
requerimento dos administradores da massa fallida
de Rostron Rooker & C, e por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio .a fabrica de
sabo da ra Imperial e inclus vel o edificio e mais
objectos pertencentes a mesma massa, as 10 horas
eu ponto, do dia cima dito na referida fabrica.
LEILO
de um excellente sobrado de um andar c soto
com accommodac5es para granda familia, por j
ter soto, 4 salas, e 26 quartos no pavimento supe-1
rior e no terreo, alm das lojas, pateo, quintal com
arvoredos, jardim, coxeira, telheiro, poco e deposi-
to d'agua, na roa Imperial n. 67.
Uma casa terrea eom 2 salas, 4 quartos, quintal,
e cacimba, na mesma ra o. 66, junto ao sobrado
sopra.
Um sobrado de dous andares na roa do Livra-
mento n. 9, o qual se toma recommendado por ser
edificado em ama ra de grande commercio.
Duas terca* partes da casa de sobrado e sitio da
Passagem da Magdalena, ra do Bomflm n. 42, com
bastante terreno plantado al a margem do Capi-
baribe.
Sexta-feira 24 de fevereiro de 1865.
O agente Pinto fara iallo por autorjsacSo da.di-
rector ia da caixa filial -do banco do Brasil nesia ci-
dade, dos predios acima mencionados, s 11 horas
do dia acima dito, em eu escriptorio, roa da Cruz
A. T. Peixoto de Abreu Lima.
Aif.4.
Precisa se de uma ama para comprar e cozi-
nhar para uma pessoa s : na ra da Cruz n. 13,
primeiro andar._____________________________
Precisa-se de ama ama de leite, robusta, que
nao traga filho : na ra das Laraogeiras n. 10.
Ho engenho Pindobal sanio o preto Mauoel
Baca, de idade de 26 annos, estatura regular, sem
defeiloalgum nem no rosto e ne.m no corpo, boni-
ta figura: gosta de trazer o cabello alio na frente,
e todo pachola. Em 186* fez elle uma fgida, e
foi ter ao engenho Marianno, no sul, procurando o
Sr. Antonio Bandoira de Mello para o comprar,
de crer que elle tenha tomado o mesmo deslino.
Roga-se aos Srs. capitaes de campo que o captnrem
e o remetlam ao mesmo engenho Pindobal, que se-
e generosamente pagos je seu trabalho.
Precisa-se de um caixeiro e de um raoleque
para alugar : na ra das Larangeiras n. 10.
^m*
Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar e que
faga o servico interno e externo de ama casa de
pouca familia : a tratar na ra da Senzala Velba
n. 22, seguBdo andar.________________________
No beceo ao Padre n. 18, segundo andar,
precisa-se de uma ama para cpzinhar e comprar I
na ra : quem estiver nesta dreuinstancia pode I
dirigir-se a mesma casa a qualquer hora do dia.
"Ama de eite.
Ma ra do Brum n. 84, precisase de uma ama
de leite. trata-se e paga-se bem.__________
Fugio na noite de 15 de 15 do corrente a es
.crava $>or nome Marcellina, crioula da estatura re',
guiar, bochechuda, levando amatrouxa com roupa,
bem como deus chales differeotes, representa ter
O a 22 annos ponco mais ou menos : por tanto,
roga-se aos capitaes de campo ou as autondade po-
liciaes a apprehenso da dita, levaado-a ra do
Cabug n. 7, loja de jaias._________________
"~^- Quera annunciou precisar de 2:0005 a pre-
mio com hypetheca em uma casa na Boa-Vista, ou
qualquer outra pessoa que precisar da mesma
quantia ou mesmo maior ou menor, sendo com hy-
potheca.em predios : dirija ra do Imperador n.
42, carlorio, que se dir quem d.
~^~Perdeu-se na noite de 14 do cerrente uma
pulseira de ouro com esmalte verde no centro, des-
de o paleo de Carmo em direitura a ra do Cano,
porto da ra Nova at os bancos da ponte da Boa-
Vista, onde se deu por falta : a pessoa que tlver
achado fara favor levar ao pateo do Carmo no se-
gundo andar do sobrado n. 9, que se gratificar.
regristae dado a valeotao, tenli id comprado
ao inglez Eduardo Davis. da villa do Cabo : quem
o pegar leve-o a mesma padaria que pagara ge-
nerosamente, protesta-se contra quem o tiver
oceulto.____ _____________
Atteucio.
Quem achar um bot.io de punho com
uma chrisol ta grande cravada em ouro e o
quizer entregar na rm Formosa n. .">, se-
r I em gratificado.
Manoel do Couto Guedes e Joo Baptista
Goncalves fazem ver ao publico e ao corpo d*
commercio desta praca que arnigavelmente dis-
solverara no da 31 de dezembre do anno prexi-
rao passado, a sociedade que tinham no estabelo-
cimento de raiudcas e ferragens na ra da Ca-
deia do Recife n. 7, e que gyrava sob a firma de
Guedes A Goncalves, Picando o mesmo eslabele-
cimento do d corrente anno a careo dos Srs.
Joa-l Baptista Goncalves e Augusto Ribeiro Lima
Chalaca, que formaram uma sociedade sob a razo
de Joo Baptista Gongalves & C, constituindo-se
elles respensaveis pelo activa e passivo_ entao
existente. Recife, 17 de fevereiro de 1865.
Manoel do Cinto Guedes.
Joo Baptisia GouciWes
Joo da Silva" Ramos, medico pela Lni
versidade de Coimbra, d consultas era
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para iss designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Trm sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos boas servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
Precisa-se de um caixeiro para tomar conta
de uma padaria : quem se julgar cora habiliiacoes
appareca na ra da Senzala n. 96^_____________
^"Precisa-se alugar uma escrava para servico
de casa de familia: na ra do Arago n. 10.
-^"Bernardo Jos Goncalves, subdito portuguez,
vai para o Rio de Janeiro.____________________
- Precisa-se de nm pequeo de 13 a 14 annos,
n.-3S, onde uodero os prelendentes obterem desde *referrado-se que tenha alguma praiica de molha-
' _r .______ i-.^. .. .~ :.. f ._-*. i nn." v\n vi** tl<\ Vhih'i 'i V alna
OCferece-se uma mulher porlagueza para o
servijo interno de uma casa, inclusivamente en-
gomando : a tratar na roa da Cruz n. 18, ar-
mazem. _________
Precisa-se de uma ama para cozinhar e en-
gommar : na ra do Hospicio n. 62.
Precisa-se de um canoeiro forro ou captivo
para andar em ama canoa de carga, da camboa do
Araf, districlo dos Remedios, condozindo lijlo
para o Recife era todas as mares : na ra larga do
Rosario, padaria n. 16, acharo cora quem tratar.
Atten$io.
Na ma Imperial n. 36" precisase de orna ama
que compre, coziohe e engomme, para casa de pou-
ca familia. ^.
__Perderarase duas pequeas chaves presas
em uma aegota de Me : 0 proprietario do beteqnim volante denominado da-ias praca da Independencia ns. 24 e 28, que
Traviala, avisa aos amadores da festa do Cachan- ser recompensado,
, e em particular aos seus amigos, que nao ten-
do sido possivel achar casa no pateo da igreja, alu-
gou a casa dn Sr. Plelacido, deoomioada Sertaozi-
nho, e all offerece os seus gneros do seu bote-
quim com a maior prompiidao e aceio, e espera a
proteccao dos raesmos.________________________
Ama de leite
Para Lisboa.
Pretende seguir com muila brevidade a barca
portugueza Hennquela, tem parle de seu carrega-
ja qualquer
dios.
informa$u acerca dos raesmos pre-
AYISOS DIVERSOS.
* .i
Alaga-se ama sala do 1* andar da ra do
Queimado n, 41: a tratar na mesma.
dos : para informacoes,
0.18.
na ra da Senzala Velha
Precisase de nm moco de 14 a 18 annos,
para caixeiro : na ra do Rangel n. 9.________
Ama
Precisa-se de uma ama para cozinhar e com-
prar : aa roa da Cadeia Velba n. 45.
A pessoa que anronciau no Dtarto de hon-
tem (16) precisar de 0005 a premio sobre hype-
theca em uma casa terrea na Boa-Visla, dirija-se
a ra do Queimado, loja n. 44, onde se dir quem
se presta a satisfazer essa preetsao.
Precisase de urna ama da leite
numero 5.
na ra Nova
AMA
Precisa-se contratar urna criada para o ser-
vico de pequea familia, composta de tres pessoas
Traspassa-ae o ataguel de uma ocrava, a qual
sabe bem coimhar, engewnw e f.txer oenipras,
nao tem icios e bem parecida : qnem pretender,
dirija-se a ra da Cadeia nova n. 6i. _________
sobrado da
Acha-se contratado por vonda o
, ra do Padre Ftonano a. 21: haveado qnem se op-
que resMem junto a estacao de Ipojuoa : para me- aanuoce p0r este jornal uestes tres dias.
Ihores informacoes procurem o abaixo assignado,! p^'-----------*------___V.S^aTTZuT"!^^
^' Quem precisar de uma ama de leito forra,
dirija-se a roa Velha n 12.
abaixo
que mora na ra do Gazometro.
Lniz Manoel Rodrigues Valonea.

III l^feim #


Mario de rerumbucu .- MMnda 4.8 ele levcieir* de istia.
CLUB PER\4nBttUN0
A reuniSo familiar do mez de evereiro
ter lugar no dia 27. A directora scien i-
Gca que tero igualmente ingresso es Srs.
socios que vierem mascarados sendo pre-
viamente reconhecidos por urna cemm'ssSo.
Joao Francisco Maneel subdiio francez vae
a Europa.
|tga-*e at Sr, bacharel Cezario
de Azevedo juiz municipal de(iaran-
uhhs, qnera diriga se praca da ln-
depeideacia ns. 6 e 8, oa annunciar
sua moroda para ser procurada.
CASA DA F0RT0A4
Aos 6:000#000.
Bilhetes garantidos.
A' !ua do Crespo n. 23 f. casis do costume.
O abaixo assignado vendeu nos seus muilo feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de xtrahir a benetlcio da matriz da Boa-Vista, os
seguinles premios :
Oous meios n. 2550 com a serte de 6:0 Uoi meio o. 3172 com a sorle de 1:5003000.
Dous guarios n. 1716 com a sorle de 5003000.
E oulras omitas sones de 2003, 1003, 403 e
20j)000.
Os possudores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descomas das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3" parte da Ia lotera
beneficio da Santa Casa da Misericordia, que se
extrahir no dia 18 do crreme.
PRECO.
Bilhttes.....73000
Meios......33500
Quartos.....13900
Para as ptssoas *jie compraren* de IQOOOO
para rima-
Bilhetes.....63500
Meios......33250
Quartos.....13700
Manokl Martins Fiuza.
Jos Suares d'Azevedo, i ruf ssor i:e
lingua e literatura nacional no Gyi nasio
Provi cial do Recife. tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um curso especial
para cada urna das seguinles disciplinas:
LINGUA FRANCEZA,
GEOGRAPIHAE HISTORIA,
PHILOSOPH A RACIONAL E MORAL,
RHETORICA E POTICA.
Aspessoas quo d sejare i esludar qual-
querdestes preparatorios podem dirigir-se
indicada residedeia, de manhaa at s 8
horas e de tarde a qualqu r ltor\
O Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cu-
nlia Miranda continua a ter seu eserip-
torio de advogado na ra do Imperador
n. 42, primeiro andar.

,>*
Jos Joaquim de Novaes faz, scienle ao respeila-
vel'puhiico e atudos os senhores oflkiaus do exer-
rito e da marinha, que contina a ter sua casa
sorliiia de Taludas e roupas feitas e por medida :
no lareo do Livramento n. 34.
Precisa-se
Sebo n. 29.
alugar urna escrava : na ra do
Precisarse lugar urna ama que saiba
bem cosinh r e fazer todo o servir; i de urna
casa de fami ii, e que de mai; disso seja
liel c sem vicios. Prefere-se escrava. Diri-
gir-se roa Bella n. 37, sobrado de 2 an-
dares.
Joaquini Pereira Arantes tem encarregado a
cobranca da sua loja a sen filho Adolpho Pereira
Arantes.
a luyase
urna casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitor e
escravos,com banhe na porta, no lugar do Poco
da Panella, ruado Ro : a tratar cem Tasso ir-
maos, na ra do Amorim n. 35.
O abaixo assignado declara que deixon de
sor calxeiro do Sr. major Belarmino do Reg Bar-
ros, desde o dia 14 do crreme, ficando de contas
jus'as com o mesmo senhor at esta dala.
Trajano Cezar Ad'lbuquerque.
A luyase
aexcellente casa e sitio na estrada do< Afflictos,
onde morou o cnsul inglez : na ra do Queimado
n. 18. segunda loja.
O escrivo Silva Reg mudou sua residencia
da ra Velha para a da Florentina n. 20, ende pe-
de ser procurado, e contina com sen carlorio na
travessa do Ouvidor.
Dase dinheiro a juros sobre hypotheca em
casas, at a quanlia de 5003 : na ra do Aragao
n. 18 se dir.
Precisase de uro menino destes chegados do
Porto para caixeiro : na ra daSenzala Velha nu-
mero 48.
PAOAI*
Precisa-se de um caixeiro com pratica de pada-
ria, que seja activo : na ra estrella do Rosario
numero 5.
OfTerece-se am rapaz para trabalhar em refi-
naeao, para que tem todas as habilacoes: qum
precisar annuncie ou dirija-se a ra 4a Guia n.
40. loja.
Precisa-se de 2:0003 sob hypetheca na me-
tade de um sitio no valor de 4:0003, cuja metade
se acha ja hypothecada por 6003, porm se aba-
tendo esta quantia se entrega hvre e desembara-
zada, e pagase 2 0/0 : quem tver annuncie.
Domingos Jos Gongalves, subdito portuguez
retira-se para o Rio de Janeiro.
Joao da Ponte, subdito
para o Rio de Janeiro.
portuguez, retirase
Feilor.
Offerece-se um bomcm casado para feitor de al-
gum sitio : informase na rus do Queimado n.
32Joja.________________________________
Precisa-s de um caixeiro : na rna do Sebo
n. 27. Prefere-se Porluguez, e que tenha pratiea
de laberaa e que saiba bem ler e escrever.
Aluga-se a alguma familia urna mulata mo-
ca, lava, engomla, cozioha, e tem mais habilida-
des : quem o pretender dirija-se a ra da Aurora
n. 10, segundo andar.
Antonio Bezarra Cavalcaun lendo encontra-
do outro de igual nome, por isse flea d ora em
diante asiignando-se Antcnio Bezerra Cavalcanti
de Albuquerque.
Ama.
Precisa-se de orna ama para tratar de nma en-
anca desmamada : na rna do Hosplrio n. 36.
FABRICA M CMOS DE SOL
N. 18 Rna Nova quina da i anaboa do Carato e rna <-
Cabngft 8.
A directora desse estabelecimento o mais importante que existe neste geeero
as provincias do norte do imperio, querendo que o pablico dsla provincia goze das
vanlagens que proporciona a fabricaco em grande escala e directa relacao com as mais
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender anda mais barato
do que do costume como demonstra a seguirte tabella:
Descont em duzia.
Chapeos de sol de panno a 2<>000........(
arnuco de baleia a 24500 ...'.'
> t de seda ar-nacao de ac inglez de 20 pollegadas
4, de 24 54, de 26 5,5500 e de 28 U......
Chapeos de iol inglezes a balo 12 varetas, cabos muilo ricos e
seda supeiior de 24 pollegadas 8, de 26 9-$, e de 28 10.
dem dem a balao de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 11,5, de 2612,5, e de 28 130......
Alm de muitas oulras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linbo, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os taraanhos e feitios, os quaes sao 13o vantajosos como os annunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se '.gualraente em 'porco e a relalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim
litar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia serao considerados como
a retalbo.
20 10 % /a
15 %
15 7
15 o/o
Casa.
Aluga-se o terceiro andar da casa da ra Direita
n. 36,com inultos commodos para familia, e lera
cano de esgoto : tratase na ra da Cadeia do Re-
cife n. 3.
Aluga-se o segundo e lerceiro andar com
bem soto da caa n. 16 da travessa da Madre de
Dos junto a alfandega : a tratar com Barros A
Silva na primeiro andar da mesma casa.
O Sr. Aunliano C. da Rocha Wander-
ley, queira mandar buscar urna carta- na
livraria n. 6 e 8 da praca da Independen-
ca.
Aula particular de inslrucro primaria na rna da
Con re ir e n. 6.
O abaixo assignado acha-se no exercicio do seu
magisterio, e contina a receber alumnos exter-
nos internos de pouca dade, pelos precos se-
guintes :
Internos .... 303000 mensaes.
Externos. 53000 >
____________________F. Deodato Los.
Escola particular.
Clara Olympia de Luna Freir, professora par-
ticular de primeiras letras, provisionada pela di-
rectora geral da inslruccae publica, tem aberto a
de poder reta- 5U* aula na rua Dreita n. 60, segun andar.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna flanea em dinheiro, depositado is cofres do estado, garante a boa ad
ministraco da companhia.
ATO
O Sr. TorquaU Mtndes Vianna. queira
mandara rua da Cadeia escriplorio n, 47,
para s r-lhe entregue urna encomienda
viuda de Lisboa-
Na prara da Independencia loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e pratae pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qualqner concert.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECCO GERAL
Madrid : Rna do Prado n. it
Esta companhia liga pelo syslema mutuo todas as eombinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nolla pode se lazer a subscripelo de maneira que em nenbura caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACIO-
NAL,que anda mesmo diminuindo urna terrea parto do interesse produzido em recentes liquida-
res e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 a 19 annos, urna imporsiroannual
de 1003 produz ein effectivo metlico:
N fin de 5 annos.......1:1193300
de 10........3:9423600
de 15 .......11:2083200
de 20 .......30:2563000
de 25........80:3313000
as dades menores de 3 annes e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospect.-s e mais infirmarles serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia,
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, rua da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, estabele-
cimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmiio.
O Dr. Caroline Francisco de Lima San- gj
tos,contina a residir na rua do Impe- 2fc
rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- m
carado aqualquerhoradodiae da aaite ^
para o exercicio de sua profissao de me- jjj
dico ; sendo que os chamados, depois de r
meio da at 4 horas da tarde, devem ser S
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esludo das jS
; molestias do interior, prosegue, com o S
maior afflnrc, no das mais difflceise deli- m.
cadas operaroes. como sejarrdos orgaos 2fl
onrinarios,dosolhos, partos,etc.
W* 3V sTF >vr. > A JQK JW >v?X
..Alugam-se dous grandes sobrados com com-
: modos para numerosa familia, novos e aceiados,
, com j&rdim, cocheira, estribara e outras commo-
ddades, na travessa de Joo Fernandes Vieira : a
tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Dejoxii feral do rape primeza Gasse e PaaU
Cordeire aesia pmiieia, raa da Cr -
w 18. ;
JosJoaquim Lima Bairo, recebedor do rap
'princeza Gasse Uno, icia grosso e grosso, Paulo
Cordeiro, dito meio grosso e viajado, qualidades
estas que uta nesta provincia obtido grande ere-
diu pela sua excellenle fabricaco, e materia pri-
ma de que composto ; islt o atiesta a innmera
extraerlo que elle tem lid, e a condccoracao que
obteve na exposi(ao nacienal, cuja medalba vem
gravada nos rtulos des mesmos bolea, teem elle
ie mais a vautagem de nao ferir o nariz. Tam-
bem vende-se o rap denominado Amarillinho que
na Baha goza de grande aceitaco. O deposito
acha-se sempre supprido de lodas estas quali-
dades.
O solicitador Pedro 7%texaadrl-
uo da Costa Hachado
se encarrega ame o fre desta cidadede tudo que
for [endent a sua profissao, aceita departido an-
nualas pendencias judiciaes de qnalqner casa
eommercialmediante razoavtl ajuste. Contina
a seeacarregar de cebrancas sos termos do Cabo
elpojuca aondecontinua a trabalbar como d'an-
tes,e encarrega-se de defezas perante o jury nos
termos prximos a va frrea, offerecendo gratui-
tamente seus servicos aos desvalidos, pede ser
proen-ade todas as dias utes das 9 boras da ma-
nhaa as3 da tarde na ruaestreita do riosario n.
34, eforadessas horas na rua Imperial n.36, ca-
sa de sua reidencia.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 24
do rua da Cadeia do Recife, entrada pelo becco
Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado,
4S-
Q bacbarel
Antonio Joaquim Ayres do Nascimento
tem o seu escriptoriodeadvogaciana roa
estreita do Rosario n. 8, onde pode ser
procurado das 9 boras da manhaa as 4
da tarde.
3
XAROPE DEPURATIVO
JLE GrOUX
BR0M0-SULPH0-I0DURAD0
producto resultado de urna trplice combnaco de tres metalloides cujas proprie-
n conheeidas, o Bromo, o Euxofre t e Iodo, oceupa hoje a primeira ordem de
Este novo
dades sio mu
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais nolaveis dos hospitae's de Parii, os senhores Cazenave,
Puche, Bazm, Blaclic, Cuibout, Baroschet, Danet, Lcgroux, Vasse e Aubry, etc., demonstrarlo
sua poderosa efficacia as afeccoes seguiente :
DofDr de pell.
Dar lio. e liorbu Iham da toda a aafiacla,
Phiraa uuooms,
Obtlruciri 1' muhllcf,
Papel raa,
Kacrofalaa,
Abeeaaoa, pnalemaa,
Canerea,
Ulceraa,
TlBtaia,
Kaearbata,
Plan ou Boubaa (do Brtiil),
O Xarpo de Le Ooux, de nma fcil digestlo e dt gosto delicioso, se empreca Umbem
com mu.ta vantajem a aconaelhado pelo doutor Barthe, do hospiul dos meninos, para as
enancas deben, escrofulosas a rachiticaa oh sobre a influencia de um vicio hereditario e mui
jupenor neele amprego ao olao de ligado de bacalho e aos xarpe depuravos e anti-escor-
buticoi que se administravio at agora.
Beposiio geral, em Pars, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
raru, offictal da Legi&o ie Honra, e am toda as boticas da Franca e do paizes estrangeiro*.
Frauboeala,
liaaaorea frlea,
Racblllama,
opliihaliula eaarafailasa e hraslaa,
Tlalra r.rrofulo.a,
Atreceea TphilllUaa.
Eleahanllaala daa Greyaa,
E todo ii doeuis occuiootdu por an vicia do
tingue, e ji tratada em neubum luccatto aela
>r*piric8et vegttaM, iodadti e o olo da filado
da bacaltaia.
AMA.
Precisa-se de urna ama para casa de familia :
na praga do Corpo Santo n. 17.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e liba de
S. Migue1, na rua do Apollo n. 20, escrip-
lorio de CarvalhoeNoguera.
Aluga-se a loja da casa n. 59 da rua Augus-
ta ; quem pretender dirija-se a mesma casa cima
que achara com quem traiar.
Aluga-se um sitio narco do tiabral da
cidade de Olinda, com casa leFrea.coin co-
piar nfrente, botaos fundos para a estra-
da e margem do rio Ueberibe, com com-
modosparafamilia, estrbariapara cavalle
e capim ^ara sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
Precisa-se alugar urna prela para todo o ser- i fundo,com ptimos passeios,sala e ffabi-
8! nete na frente, multo propria para passar a
festa.e tambem se alugarporanno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6e8 daprar;a
da Independencia, e em Olindanacasacon-
tigua;om o capito AntonioBernardoFer-
reira.
Antonio -LuizceOIeira Aze>edo & C
Agentes do banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todet
os paquetes sobre o mesme banco para o Torta e
Lisboa e para as seguinles agencias :
Londres sobre Bank ofLondon.
numero 4.
Sitio.
Aluga-se o sitio n. i junto a capella do Rosari-
j nho, com nsitos arvoredos di fruclo, casa com
I mui tos commodos, cocheira para animaos e carros
i e baixa de capim : a chave est no sitio defrante,
I do Sr. Fialho, o trata-sa na rua Noca n. oo, ou no
Recife, rua da Cadeia n. 3.
Aula particular.
| O abaixe assignado, professor particular,provi-
sionado peladirectoriageralda inslruccopublica
para ensinar primeiras ledras, lalim e francez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos
senhorespais de seus discipulosque segunda-feira
9 do crreme tem da continuar noensino das su-
praditas materias, admiltindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meie-pensionistas. A pra-
tiea de 19 annos consecutivos no exercicio de seu
magisterio, sua inteiradedicacao e ; ua moralidade
sao garantas queoffereceaos senhores pais de fa-
milias, que desejam a saa e til educado a seus
filtios.
Quem prtanlo quizer confiar ao mesmo abaixo
assignadoa educacaode seusfilhos, pdedirigir-se
a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
do n. 08 da rua Nova, onde ha muito lempo est
estabelecido.
__________]osMaria\Machado de Figueiredo.
Paris Frdnc S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Cabe A Filho.
Barcellona Francisco Rbala & Ballesta.
Madrid i Jaime Merie.
Cadis Crdito Commercial.
Sevilha > Gonzalo Segoria.
Valencia M. Pereira y Hijos.
Em Portugal."
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdad* de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Of/itial da Legio de Honra,
Rua dea Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este tarop composto i mais de vinte anna pele sabio lente Boullay, consume a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com suoce*o em toda a doenca que tirio sua
engem de um erithismo nervoso, como sio a:
Euiaquera,
Nevralglaa,
Eapaaaiaa,
Attaqaea de arria,
Verllgcaa,
Sraeapea,
Calaihraa da aataataga,
Iadlaaataaa,
Caa.Tul.ora,
Aaeeaaaa ayaterlaaa e bypo-
aaadrlaeaa,
Calleas itDitu aa
aaa, haaatleaa aatalantaa,
Acaeaaaa da ata e da rtaeu-
aaallaaaa,
Caaaa da rntcDralcaarata,
ate., ate., eu.
Deposito geral, am ParU, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro da Academia
imperial de Medicina de rarxs, official da Legio de Honra, rua dea FoMs-Monnartre 17 e
em todas a botica* de Franca e dos paizet estrangairoi. '
Delouche avisa ao respeitavel publico que
comprou o estabelecimento de banhos, sito no pa-
tee do Carmo, que contina a dar banhos como de
costume, declarando que os cartSes assignados pe-
io Sr. Caucanas terao vigor para tomar banhos s
at o dia 28 de fevereiro de 1865. O mesmo convi-
da o respectivo publico que comprela no mesmo
estabelecimento, que verao executado com todo o
esmero o systema e asseio que deve ter tal estabe-
lecimento.
Preco dos banhos.
i Banho fri on quente, tomando 10 car-
tSes, pelo preco de......4000
Um banho avulso ou s
500
Piocuradoria.
Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ce de Len, como solicitader, se encarre-
ga das causas crimes, civeis, commer-
ciaes e ecclesiasticas. Elle anda recebe
algumas casas de partido, mediante a
um ajaste razoavel. Pode ser procura-
da as salas das audiencias ou na rua
Imperial sobrado n. 64.
Cf
OTIMM
Chegaram do Araeaty os afamados bicos da
i trra sortimento de todas as largaras e por preco
na rua da Cadeia dpxRecife n. 39.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio eficaz para cambattir estas molestia, acalmar am attaque d'aiau impedir a
vaha o Xarpe arematie de Succino (mbar aioarcllo) do Dr Danet. Oaaeoberta iaiairamaata
rcente, ette novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracia ao admiravai reul-
tado que tem sempre produzido.
Deposito garal, na botica Chauveaud, 5i, ra de Comercio, Paris-Grenelle, asa toda m
bdtica de Franca e do eatrangeiro.
commodo
Deposito geral emPemambuco rua da Cruz n. 22, em casa de Caros Barbosa.
Aloga-se a casa da roa do Calabougo n. :8 :
a tratar na rna do Sebo n. 36.
Precisa-se alugar nma canoa de mil a mil e
quinhentos tijojos : quem tiver e qnizer alagar di-
rija-se a rua larga do Rosario n. 16, padaria
A pessoa que precisa de 2:000*, re. hypoibe-
cando malade de ara sitio, appareea na roa do
Brum n. 70, 2' andar.______________________
Precisa-se da urna ama que emenda de co-
zioha e seja de meia idade : na rna Lima ao p da
fandicao, taberna da Jos Jaclntho de Carvalho.
Troea-so nm boro aserava por um escrava,
que sirva para eosinba, tambem troea-sa por di-
nhairo : na rna dos Pira* n. 54.
Houbo.
Furtaram hoje no caes 22 da Novembra eonrroa-
le a leja de Antonio Jos do Keis um rrvallo roda-
do apatacado, dina cortada at o meio, eabeea
apedrezada e rauda grande, ferrado, nos aarles,
inteiro, roncolho : pede-se as autoridades poli
eiats a apprthensao do meseao.
mmm mmmmwm mmwmm
i Companhia fldclidade de a
seguros marilimo e ter-
restres estabeleeld.
Rio de lanciro.
ACBKTBB aM PaTKAMBDC*
Aitooio Laii de Oliveira Azevee i C,
competentemente autorisados pela direc- S
toria da companhia de seguros Fidelida- |
de, tomam segares de navios, mercado- 1
ras e predios no eu escriptorio raa da S
CrniD.I.
Wawmwmmwmmmmmm
Est para alugar-snma casa tarrea na rua
da Gloria n. 14, nm a 2* andar de am sobrada
na rna do Rosario da Boa-Vista, qimi no pateo da
Santa Crai, e urna mei agaa na estrada de Jeio
de Barre*, cem arvoredos. acua de Beber,e porlao
para o ttere da fombal : quem preteeder faite
oa rua das Crnzcs, sobrado n. das 6 iteras da
manhaa at ae meio dia.
5
m
*
8
Furto.
Hontera pelas 9 horas d laanha, desappareeea
um prete que conduzia. uro caixo fulhelos e vidros de roinedioK para a rasa do Dr.
Sabino O. L. Pinbo, yendo o caixo marcado com
as ioiciaes S. O. L. P. O mesmo prelo trazia no
braco 4 calcas de Jirim (irasco, das quaes eram 3
novas e I usada, e mais 3 caleaa aovas de brim
pardo. O raixae>contiane>:
7 ejemplares 29 folbetos para tratamenio do ebolera-morbus.
21 vidros de tintura de sulfar.
25 ditos de espirito de campkora.
Quem apereaender esses objectos reeeber do
mesmo Dr. Sahiao a gratificado de '60 : na rua
Nava n. 43.
Para escriplorio
Aluga-se o primeiro andar da rua do Crespo n.
23 : a tratar na loja.
CoasaUorit medico-cirurgico ia raa larga ia
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sna
casa, contina em o exercicio da sua profissao
nao s na parte medica como tambem na cirur-
gica.
O London 4 Brazillaa Bank, saea por todos
os paquetes, sobre
L.boa.
Porto.
Braga.
Tianna.
Gaimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amerante.
lo SI I la
Alugam-e mofeilias : no palee do Terco nurae-
re2.__________________________^
Aluga-se o segando andar a soto da casa n.
37 da rua da Cruz do Recife, eom commodos pro-
pnos para familia, por preco commodo : a tratar
na mesma casa cera Joaquim Fernandes da Costa.
O bacharcl
franciseo Aigosto da Costa
ADVeOADO
sK Rua do Imperador numero
mmmmmmmmmmi
68.
: y
Para todos.
O abaixo assignado fax sciente ae respeitavel
[publico que mudou a so* efficina de palhiaha da
I raa do Imperador n. 24 para a roa das Cruzes n.
23, igualmente tem para vender palba e junco
mais barate qne em outra qnalqner parte.
Manoel da Costa Azevedo Na poleo.
THESR~BAS MAIS ""
Providencia das enancas,
COLLARES ROYER
Electro--- aufaeeei.
CHAMADOS
COLLAJIES ANODINOS DE DENTICd
Cunlraas convulses e para facilitara
denticie das criancas preparados e inventa-
dos por Rover, pharmaceolico da esco-
la superior do Paris, successor de Cherean,
membro da academia de medicina
amiga casado Bouillon Lagrange,pbarmaceutiee
do imperador
ehefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lyteehnica, director da escola de pharmaci de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja de
Gallo Vigilante rua do Crespo n. 7.
Precisase de um trabalhador para traiar de
tun sitie e alguma cc-'tsa de horia : em casa de
Sr CambroBe.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chave?.
Coimbra.
Covilhao.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porlo-alegre.
T homar.
Villa Nova
Poriimao.
de
Figueira.
Guarda.
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
Lanego.
Leiria.
Monco.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Viaiu a do
tallo.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Amarantes.
Arros de Val de
Vtz.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Bregan ca.
Faro
Oliveira d'Aze-
meis.
Peona liel. Thomar." Vianna do Cas-
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
Bahia. Maranhe.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podenda
logo os saques a prazo serem descontados na
mesmo Banco a razo de 4 por cento ao anno a
ratar na rua da Cruz n. 1.
Pede-se ao Sr. Joaquim Candido Bezerra de
Mello teuha a b-mdade dn dirigir-se ao esfri pforio
do Dr. Angela Benriqnas d* Silva, na rua do Quei-
mado o. 24, a fallar com o mesmo.
Jeronymo Jos da Costa, subdito portuguez,
retira-se para o Rio de Janeiro.
COMPEAS.
Compra-se urna cabra (bicho) parida de
pouco : no caes d > Rsmos n. 24.
Compra-se um piano de Jacaranda, em boro
estado : na rua do Brum n. 70, 2o andar.
Compram-se escravos.
Silvino Guilherme de Barros compra, vende
troca escravos de ambos os sexos e de toda idade
na ruad Imperador n. 79, t:rceiro andar.
Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praca da lude-
dendencia n. 22.___________________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagndose bem : na rua larga
Rosara n. 24, loja de ourives.
Algodo em carolo.
Compra-se qualquer quantidade por maior pre-
co do que se paga no mato : na fabrica da traves-
a do Carioca n. 2, caes do Ramos.
Compra-se um escravo moco, sendo bom co-
zinbeiro nao se duvida pagar bem: na raa da Ca-
deia n. 28.
Compra-se a collerco de novembro de 64
deste Uiano : na livraria da praca da Indepen-
dencia ns. 6 e 8.
0 GSTELLO DE GRASYILLE
Traduide de francez per A. J. C da Cris.
Vende-se este bello romance em qualro
tomos pelo barassimo preco de 2500 :
na prar;a da Independencia, livraria ns.
6 e8.
FOaLIIIi\DAS
f'ara lb65
Aeham-se venda na livraria ns, 6 o 8 da
praca da Independencia:
A FOLHLKHA DEPORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A F0LH1NHA DE ALG1BE1RA contendo
mesmo que aquella e mais orna nova
Salve Ilainha em versos, o Stabat Water
em verso, devoco ao agonisante, coracae
de Jess, cntico em louvr r do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nes-
sa Senbora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinbeiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero de ma-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas o
pilhericas charadas a 320 rs.
Agua de vlchy a 1*1 O.
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38
recebeu agua de Vichy a l00 a garrafa, a qnal
o nico remedio para moleetia de pedras as
ourinas, pois algumas passoas que offre da dita
molestia, e tem usado desta agua ten tirado per-
feiamente boas; e coja agua 4 applicada pelo
mdicos.
Vende.se a taberna da rna da Conceicao n.
II confronte ao rancho, coja tem commodos para
familia, e faz-se todo o negocie a dinheiro ou mes-
mo a praso. ___________
Attenco.
Doce de goiaba ti no em latas de 4 e 8 libras, per
precos commodos, qneijos de Minas a 1548, lin-
guas da America em salmora a 320 ris, queijos
de Alentejo a 2 : na rua Nova n. 8 loja do cha
COMPENDIO DOLOROSO
que contera o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rea, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmandade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capuchinltos italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que Deus guarde;
dado luz por devoc5o do muito reve-
rendo padre Fr. Placido de Minina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
l'Vijo "
Na rua da Madre de Dos n. 9 vende-se feijae
mulalinho, dito brance, e dito prelo, mais barato
do que em outra qualquer parte, approveitem a
peehincha que a quaresma bale porta.
Vende-se calcado francez da barra franceza
S. Joo da Luz, na rua do Loramente n. 21.
Borzoguins de lustre (Nantes) 6*000.
Ditos de hezerro de tres solas (ames) 6$CC0.
' Ditos de bezerro de duas solas 6*000.
Sapates de tapete 640 rs.
Novidade
Roupoes de sucim de linho para senbora, pelo
barato preco de 95 cada um, laazinbas econi mi-
cas para vestidos a 360 o covado, cbapocs de pa-
Iha da Italia de apurado gosto a 14* : na rua d
Queimado n. 17,
Mtencao,
Vendem-se excellenles enfeiles para os marra-
ras a I*, s as lilas valem 2* ou 3*, nao te fal-
lando das bellas flores que tem, assim como inda
existem algumas gangas amarellas rom loque de
avaria a 240 rs., e brins escuros proprios para fa-
bricas de engenhe tambem a 240 o covado : na
rna do Imperador a. 20, loja.
Via.o do 'orto superior
em harris de aitave e dcimo, vende Antonio Lniz
de Oliveira Azevedo & C. : no sen escriptorio roa
da Croi a. 1
Vendem-se charutos da Rahiade varias ana.
Ildades: em casa de Monhard C. rna de Tra-
piche n. 48.________
Vende-se a barraca Paraguesi, de lotariio de
20 rallas, quasi nova, bem confuida : a'iratar
na rua do Crespo n. 7 A, cuja barraca se acha.
fondeada defronte do trapiche do Sr. Machado.
Vende-se um terreno com S0~palmos do
frente e 280 de fundo, bem plantado de larangei-
ras novas e mais frncteiras, e cacimba, na Capun-
ga, estrada do Lacerre : a Iratar com o Sr. Joao
Simoes de Almeida, rua do Vigario.
Vende-se urna mobliia de Jacaranda, com
mesa e bancas com lampo de pedra em perfeilo es-
tado, e por commodo prego e mais alguns objectos f
na casa da rua do Imperador n. 79, 2* andar.
Ovas do seriad
Vendem-se ovas do serlao mnito frescaes, e por
prego commodo : na rua do Queimado n. 14.
A zee de carrapato
Vende-se por atacado ou a relalho, mais barato
do que venden) oa matulos as cargas : na fabri-
ca da travessa da Canora n. 2, raes do Ramos.
Gaza 110500 late.
Vende-se gaz liquido de primeira qnalidade, la-
tas de 26 garrafas por 11*500, em garrafa a 480:
na roa da Cruz n. 68.
Vende-se um escravo criaalo de 30 annos de
idade, robusto, sadie e sem vicio, sabe destilar
agurdenle e ferreiro: a fallar no escriptorio-
do agente Oliveira/rua da Cadeia do Recife nu-
mero 62.
VENDAS.
A lten cao
Yende-se superior vinho do Porlo em
nma duzia : cin casa de Johnston Pater
do Vigario n. 3.
caitas de
Je C. ros
ALMANAK.
Acaba de ahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almaiwk Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Veodese
machina para descarocar algede, cem motores
para animaes : na rua da Senzala Nova n. 42.
Lia para bordar
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38
recebeu um grande sortimento de laa para bor-
dar das meihores cores que lera ebegado, a qu.il
se vende barato, tanto em libra como a relalhn.
Fe ir* semanal das fazendas da barca
la lima em qnidacao.
Hoje pelas 9 horas da manhaa em ponto at as
6 da tarde principiar o pai da pobreza a sua tet-
ra semanal das seguinles fazendas parte das quaes
foram arrematadas na ultimo Jeilao havido na al-
fandega, a saber:
Chitas francezas escuras a 240 rs. o revado, pe-
cas de madapolae com 24 jardas Unos e largos a>
6*. 7*, 7*500, 8*600, 9* e 9*300, Umbem teto
francezes infestado com 4 palmos e meio de lar-
gura de 20 jardas a pega por 7*, esta acabndose,
algodao eom 20 jardas a pega a 5*, Sj, 7*500 o
8*. as superiores camisas a I*, chales de merino
a I*, chitas finas francezas escuras a 300, 320e
340 rs. o covado. ditas para eoberta bellos padroes
muito finos a 400 rs. o covado, sao francezas (6
rovados nma robera), cortes de lia com 15 co-
vados por 5*, grvalas a 100 rs., pecas de cam-
braia branca cem 10 varas por 5*500, cortes de
eolletes de seda prela a 1*500, das ehitas dao-se
amostras com penhor: na loja do primeiro bara-
teiro rua da Madre de Dos n. 16, defronte da
guarda da alfandega.
Estepa a 240 w.
a jarda: na rua da Madre de Dos o. 15, defronte
da guarda da alfandega.





DUrlo de Pernaiulbuco Sabbdo 18 le Fevereiro de l8.

\!-
y



PIULAS CATiARTICAS BE AVER.
Estas pilulas Tegetaes s2o a-
daptadas a todos os usos de um
.purgante as familias, pois a
"perfeitamente innocentes, e en
qnanlo milhares de pessoas co-
fessam coa gralidio que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ba
um so case em que baja suspei-
tas do mas leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso nota ve I de
PASTILHAS'r
ESTIYAS
DEPEPSiNAl
DE WASMAN
As pastilhas digestivas eem a pepsina de Was-
man, empregio se com successo ha j alguns
aanos pelas celebridades medicaes de Parts,
Londres, Vienna, etc., em todas as ineommodi-
dades em as quaes a digcstao difcil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eii o rnelhor
remedio para curl as
Diarrheaa e cobU-
pnra* raduldaa
prlo* elabarafiea
cl<-frclima do al-
enlo.
Alecrs chronic de fijado.
ILLM. SR.
Juiz de Fra, 17 ie fevereiro ie 1864.
Tendo feilo uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ba mais de doze annos en-
fermidades do fgado e baco, eom o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou i
bom, pois tendo desapparecido um grandai
engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regias do Ggado e costas, dores- (le
cabeca, inchacSo do ventre, nao podendo
deitar-me sen5o do lado direito, isso mes-
Imo procurando posico para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqui ainda as nao haja, eu eomo tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
) dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasio de experimentar;
em um ataque de guellas que teve urna
reta que com elle curei, faco uso d'elles
as tosses em minha familia scmpr em,
m resultado, e por isso que peco para
andar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
rulas pode montar a doze, 'porque tenhe
faito uso d'ellas para uso d familia e al-
glpmas pessoas, todas teem tirado grande
resultado; sou
^- De V. S. attento ebrigado,
\ Francisco Feiweiba Paes.
i Rhenmatismo e ataques hemorrhoidacs.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
zarricas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
qpe soffrendo eu dores pelo corpo, e que
ppunha ser rheumatismo, (molestia esta
ie j havia soffrido ha annosl e soffrendo
mbem de ataques hemorrboidaes, e de
im ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sullei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as fnalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrboi-
daes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obligado,
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feu de Carvauio.
Gaslrite.
Ouro-Preto, 29 de marro de 1864.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por ura amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liquei perfeitamente bom de urna gaslrite
que soffria e que privava-me de andar aper-
tado, boje felizmente nada sinto.
Augusto Gollatino de Mello.
Saatralglaa.
Blaaraalaa.
ambararon gatrleaa.
A gaatrltr.
Aa affeceea orgni-
ca lo ratania jo. .
Em todas as molestias emprego-se a miude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente as pastilhas de Vichy. Esse meio e a<5
efficaz quando se trate de dispepsias de corta u-
racao, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
ie Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
s alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal
maneira que lhes arreblhSo a parle vivificante,
Butriliva e reparatriz. Com a pepsina, a contraria,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se cffectua a
Fazendas pretas para agua-
resma.
Xa loja do Pavo.
Acha-se este etabelecimentocomplelamete sor-
ullo de fazendas preas proprias para a quaresma,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros mais estrenos tendo dos precos de
14280, 1600,14800, H, 2i0 e 34, superior
moreanlique preto a 34, superior sarja preta he-
panhola, superior setira preto maco, ricas capas
pretas bordadas, soutembarques muito bem enfei-
tadas, ricas vas.juiuas e casacos dos mais moder-
nos que tem vindo, superiores manteletes, camisi-
.has com manguitos proprias para luto e ricos
chales pretos de rede, ludo isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
uheira : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As ronpas do Pavo.
Acht-se nesie esUbelecimento um grande sorti-
mento de napas feitas para homem como sejam :
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito ano e forrados de seda a 324. *'4 e 304,
ditos forrados de alpaca a 114, 164 e 204, supe-
riores paletots de caseinira tanto saceos como so-
0 VIGILTE
Una do Crespo n.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Bailisa, na sua ordem do dia, e pela Branca
i RIVAL SEM SEGUNDCi
'.lui do (ueiinado ns. 49 e 65, loja de minucia;
:de Jos de Aievcdo Maia est tontinuaiico i
vender maito barato, pois seu genio dar a fazeir
da por todo prego a vista dos robres.
Cartas de aloetes rancezes da rnelhor qoilidadt
a 80 rs.
GrosasJe pennas de ac inglezas da rnelhor qua-
1 lidade a 010 r.
Caixas de clcheles fraucezes de superiores quab-
dades a 40 rs.
Grosas de botos de madrcperola muito linos a56l
e 640 ris.
Garreteis com 4 a 5 oitavas de retroz preto lino i
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior
24000.
Gravatas da liga e de oulras militas qualidades
500 rs.
Caivetes para peuna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de boldes branro para casavcoues de senbi-
ra a 100 rs.
Pecas de fita de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Porluguez para os meninos a prender
a lera 800 rs.
iX&s&irXl^BZ *JS2 Aguia, apesr de que, para estes o'Ga/ocom seu, agrado, da torea para os meninos a pren-
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de feoereiro de 1864.
Sendo eu affectado do figado ha muiloi
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Viehia.
Constiparn, dores de cabeca.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipaco que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri Iwrrivel-
mente por espaco de quatro das; entau
um amigo aeonselhou-me que tomasse pi-
huas catharticas do Dr. Ayer i com ellas C-
quei sao e completamente reslabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affeeladas de
constipaces.
Agostinho Jos da Silva, negociante de fa-
aendas. ________
lrrilace do estamago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excessiva irritacaa
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
to, dalla tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Ameno Hermogfnes Pereira Rosa.
Louibrigas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas) fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos, que
soffria de vermes inteslinaes, notando-se
que os symptomas que entilo apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Ratuundo Nonato de S. Thtago, pharma-
ceutico.
Nevraljia.
Uma carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete tirios que soffria dores
no hombro e as costas, tomei uma infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
te, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido; ha tres
dias que n5o sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e dregarias do imperio, e no
Rio de Janeiro, ra Diroita n. 15-
Vende-se em Pernambuce:
a pharatacla francesa de
P.IMURER i C.
RA NOVA N. 18.
Seral. Sua atcao vivifica o sangue e os ergios
e tal sortc que, ath as pessoas que sem soffrer as
affeccoes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente fracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, a necessilao substancial alimento para for-
tificar se, achao no emprgo das pastilhas pep-
sina de \Vasman, um poderoso meio para a isio
chafar.
Avise importante. 0 successo das pastilhat
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
sificaces e imitacSes d'esse producto que M
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
boa preparacio pepsina aue n'ella ealra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que as pastilhas tenhio
as iniciaos B. P. e saiio da pharmaciaChevriar.
Depsitogeralem Pars, pharmaciaChevriar,
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as bou
pharmacias de Franca e dos paisas estrangeirot.
e |.S3
*a 9 B ig
= n 2 ^i s o =
i o o 3
o
jo3 n0* g2
Is-l-*
s
B ~ 1 S 3 C5 -.5-3
iSlBai5fifi
SgES50
i
-"S-SS
-a ?"2
ai
i
1
S
s
m
a.
m
6
a
a
A
9
S
{
e
s
I
I
8-
E
**8
c
o
w
g-
W
3
c
r.
s
!5 9
K8
rsi
I la I
1315
e
S
3
o
-i
|
o
-I
a
o
8

-
I
m
&
o*
3.
O
s '
< a
5 2 3
&f la f 1 Ifl
-rgc b S g- S
8 !5
338
s-SgJ?

t
e 5 s a a ^ ^3
i 3|Sg.S-| s-g 1?: m
2 H
= 5
p 5 s a.
"Sil?* ?s
all t
a."
m
I si*
aja g
sg 8M

|}S
lis.
III
I "I
I i
XAROPE
deLABELONYE
Imprecado con invarinel successo desde 30 aDUOl
eUs Mdicos de todos 01 paizes contra as molestias
arganieat eu nao orgnicas do corsean, as diiersas hj-
dropisias a maior parta das molestias do peito e des
kronchios (pneumonas, cttarrhnt pulmonares, astkmt.
iajlaaimacdet nervosas dos lironcnios, caarrheiras.etc...)
O XAR6FK de LABELO.wu nao se vende sent em
garrafas com rotulas de cor e fechadas com uma chapa
lavando a firma da inventar.
Kaa I-ARM, ma naurhan-Vlllrm-Hir. 19.
Deposito ^eral em Pernambuce ra da
Cruz n. em casa de Caros & Barboza.
ogaz.
Cokc
Pltch dngaz.
Alcatro lo gaz.
Coke, tonelada iOjBOO.
Pitch, arroba .15000.
Alcatran.iranada 309.
O cok rocouliocidamenti; o carvao maisjocono-
mico, tomase por isso rcce-mmendavcl, bem co-
mo pelo aceio que se nota as casinlias aonde
elle usado. Piten a alcatrao, alem s aidlmpape
g5es diversas a que se prestito,, como para calaf a
lar emtoareaQoe. alcatroar madeiras, etc., teec-
estes a propriodade de prservar do cupiui, (or-
migas, etc. entregue na fabrica do gaz, ou man-
dado prem qualquer ponto da cidade, segundo a
vontadedo comprador e previo ajuste.
de'cfs''na IIZTTclX^ls"K '-mP"~ n""os offender., antes osagra-
etc!SS uSS^onrarSadas or odS c. na mesma conformidade, para que o Baliza,
transformado dos alimentos", Vssimi.hando^ tfiilmVs^SioS,S^J&S^SS- ^^l^^L\t^J&,^
eajudotaopet, como el.es a nutricio JZ&VtfSlt ^ ^ ^^ T^U
! r, m i mn Jnt ia,de M, se" canto annunciando aseus
LLlilas e.ri cines coi 10, 11 e 12 covados boQSfrtgueies e aorespeitave publico
ras todis de coros i xas com 10 corados a 3*200, aba de receker.
com il valos a3*600 e com 12 covados a 44, Ricas eaixinhas com msica ricamente enfeita-
peeliincha para se apurar dinheiro : na loja do das para costura, proprio para um delicado me-
Pavo, de G ima S Silva, ra da Imperatriz o. 60. niao.
As cassas suissas de uma s o): co ado ou a 600 rs. a vara. I Pa" guardar joias.
Acabam de chegar as mais modernas cassas "'""'"" com esleJ#> cnendo todos os per-
suissas de uma s cor com eordozinho, tendo as t"c,f*r0l"em-
cores mais modernas que tem v.ndo ao mercado 5!?.ai'$!m.af.T?,l., fHf.8*0 Pero1-
e veade-se a 360 rs. o covado ou a 600 rs. a vara:.
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Co las de vestidos preto.
Vendem-se ricos cortes de vestidos pretos bor-
r_ dados a velludo pelo barato preco de 405 rs. cada
?j'b7-3" = L""* I um : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
-------------' Gama & Silva.
Grande liquIdacSo.
Ra da Imperatriz n. 60, loga de fazendas
d > Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimeotocompletamente sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo render-se miis barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porc-io, ede todas as fazendas dao se amastras,
deixandoflcar penbor, oumandam-se levar em ca-
sa pelos caiieiros da loja do Pavo.
Camisinhas a \ $.
Vendem-.-e camisiahas com manguitos, sende
muito bem enfeiladas, proprias para senhoras a
menina?, pelo barato "preco de dez tustoes cada!
i* 5^2 o. a. : I uma : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,1
I 1 .1 "I s S|I ^^^^ deGama&S:lva
Grosdenaple de cor a 1600 o i'ovaio.
Yende-se grosdenaple de cor azul,branco e pre-
to, pelo barato prego de 1*600 o covado : na loja |
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Madapoltio a 7,->, s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolo muito eucorpado,
tendo 2 varas cada peca, com 4 palmos de largu-1
ra pelo baratissimo preco do 7*000 a pega, ditos
muito tinos a 8$, 9* c 10*000. E' pechinclia, na
loja de Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama'
d Silva.
C.rtes de cassa a 3$.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo fraDscosJaa,dr^os,eJ5arrafin,!1a1si^QC
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados g*jg fin ** loaas as qual,dade/^0 tnnQ ,
pelo baratsimo pio de 3*9(0 o carie :a nt' Superior banhaem fraseoae copos de lodosos
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama ca.n-".s- .nonM
Silva Sabaoinglez em paos grandes epequeos.
Cambraias^naUjadaPave. JgKBS "*"*"*' """*
V endem-se pecas de cambraia lisa muito fina,! Penles ara deserabaracar, com friso de metal e
tapada e transparente, pelo baratissimo oreco de sem e||e
Hlen2 8 W varas ca,da pe?ra' dU.as muit0.r?oas Ditos d tartaruga e de muitas outras qualida-
a 7*, 8* e 9* a pega, ditas Victoria com 10 va-1 es *
ras pelo baratissimo prego de 7*, 9* e 103, ditas, P(nte, rifl tar(ar,1Ca nara, senhora
Garrazes fazenda muito encorpada fazenda pro-'
pria para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a pe-
ga : isto na luja do Pavo ra da Impojatriz n. 60,
de Gama de Silva. /
Os lesdas do Pavo.
Grande pechincha a 3*300.
Vendem-se os mais bonitos vestidos de cambraia
transparente imitago de tarlatana cora muitos
delicados desenhos, mua proprios para partidas e
passeos pelo baratissimo prego ne 35309cada um,
sendo fazenda que sempre se vendeu a 7*, na loja
do Pava.i, ra da Imperatriz u. 60, de Gama Si
Silva.
Vestidos a j ca 7,->
Ditas com lacinhode fita.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
snras.
Lindos aderegos coa pedrinhes Qngindo bri-
lbantes.
Ricas fivellas para cinto, de todas as qaalidades
e boca gesto.
Ricos cintos de ultime gostode Pars.
Grande sertimento de lindes enfeites para cabe-
ga, sendo do ultimo gosto e de lodos ospregos.
Flores muito finas para noivas.
Luvas enfeitadas e meias de seda para noivas.
Touquinhas sapatinhos e meias de seda para
baptisade.
Riquissimas fitas de todas as qualldades parala-
re, ciise cinteiros.
Camisinhas e gollnhas parasenhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimenlode gravatinbastanto para se-
hora como para homem.
Luvas de pelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitasedres.
Trancinhas, gato e maravilhas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de oulras qualidades.
Bolsas para viagem.
ntremeles e babadinhos delindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Filas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Tnesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para ofierecimentos.
Caixinbas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
der a 1er a 1*000.
Cartilbasda doutrtna chrisla, finase superiores a
320 rs.
Pentesnos de marflm a 1*000,1*200 e 1*500.
res de I uvas de seda para hemens e senhoras a
300 rs.
Gollinhas para senhora o mclhor que ha a 320 e
50 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 300 t
1*000.
Livrosque servepara assentai roupa, pelodimino-
to prego de 160 rs.
Capachos redondosmuito tinosa 300rs.
Cordaobrancopara tspaiiilhtr muito superior.
vara a 20 rs.
Carritis com 130 jaldas de linha braora a 60
ris.
Candes com 200 jardas de linha branca garant-
d Grosas de pennas de ai,o superiom a 300 rs.
Varas de franja branca e de coie>larga para toa-
Ibas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincha a
120 rs.
Tinteirosde vidro com tinta a 160 rs.
Ditos debarro cora superior tinta a 100 rs.
Grosasdebetoes delouca prateados muito lino a
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas paTa limpardentes, superiores a 200 rs.
Caixascom superiores phosphoros de segurangas
}60rs. ...
Caixascom 100 envelopeso melhorque ha a 640
ris.
Caixascom 20 quadernos de papel amizade.muitc
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo
VICTORIA
Vea de-so ba ra Nova n. 30, uma victoria ainda
em bom estado, feila por um dos melhores fabri-
cantes de Parts. Os arreios tambera se acham em
bom estado.
Pechincha .vm igual
Camisas que valem 3*000 a 2*800.
Vendem-se camisas de linho muito linas e de
bons gosto?, pelo baratissimo prego de 2*800 cada
uma e em dur.ia a 32* ; vende-se por este dimi-
nuto prego por serem arrematadas em leilo dos
salvados do navio francez : na ra do Livramen-
10 n. 4, armazern de Joo Evangelista de S.
Vende-se a taberna sita no pateo do Tergo
n. 21, sendo um dos melhores lugares para nego-
cio, tanto para e praga esmo para o mato ; ven-
de-se em razo de um -dos socios ter de s retirar
para a Europa : a tratar na mesma.___________
Camas de ferro proprias para
io.
collegi
Achase a venda grande sortimento destas ca-
mas, assim como dr. outras : a ra Nova n. 33.
Farinha de milho,
Vendem-se barricas de farinha de milho ameri-
cana de 6 arrobas : na ra do Itancel n. 3.
Vende-se um engenho d'a>ua, moente e cor-
rete, cora proporgdcs para coiher-se grandes sa-
fras annualmenle attento a hondada e extengo de
seus terrenos ; est ainda quasi todo em mata
virgen, e dista apenas meia legoa de tima das es-
tagSes da via-ferrea : que o pretender, dirija-se
aoSr. major Luiz Jos Pereira Sundes ra de
Livramenio, sobrad n. 24, primeiro andar.
Bazar commercial
Ra Nova n. Cl.
Novaes & Filho acaba de receber um lindo e
variado sortimento de amendoas confeiladas e ron-
fritos em frascos e caixinbas com o maior asseio
possivel, assim como um sortimento de frurlas da
Europa crystalisadas, e chocolate un caixirvhas ri-
camente dburadss, assim como outros mullos ob
jeclos e se dcixam qude publicar.
V'ulio da Madeira t do Tarta
Vende-seo-uperiorvinhoda Madeirae do Por-
lo.'Mfi caixas de ama o duas duzias : s na loja
doVigilante.ma do Crespo n. 7._____________
Feljao.
Vende-se uma porgo de feijo molalinho muito
novo a I* a cuia, dito preto a 880 rs., dito rajado
dp Porto a 520 rs.: na roa Pirelfa n. 9-
Ligas de seda e de ajRodo, assim como muitos
outrosobjectos de gosto quesera impossivelmen-
cinar.que a vista far f, sno Gallo Vigilante,
u do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas comcruzinhas
tingindo brilhantes, assim como cruzinbas avnlsas
e voltinhas, pelo barato prego de 1* e 1*200, as
cruzes avuls asa 400 rs. s no Vigilante, ra do
i Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madieperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
Na loja do Pavo vendem-se ricos cortes de vesti-
dos Maria Pia, sondo bordados e com barras,
pelo barato prego de 4} e 7*, sendo fazenda que
val muito miis dinheiro, isto por haver grande
porgo, na loja do Pavo ruada Imperatriz n. 60,
do Gama & Silva.
Ricos soulaubarqaes do Pavo.
Acaba de chegar um rico sortimento de sou-
de 12* e 14*; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
GRANDE NOVIDADE.
S no Vigilante.
Riquissimos enfeites de todas as qualidades para
senhoras e meninas,chegades hojeda alfandega.
Hiatos
Riquissimos sintos de fita larga e estreita com
tambarques de grosdenaple preto muito bem 'fi velas grandes e pequeas, com brilhantes falsos,
enfeitados, que se vendem pelo harato prego de cousade muito gosto.
20*, 22*, 25*. 30*. Capas e casacos de glace pre-; AlbllDS
tos que se vendem muito em conta: na loja do Pa-' Tambem chegaram os riqusimos albunspara
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. 30 retratos, com capa de tartaruga e de raarfim,
Os enfeites do Pavie. cousamuitocluqae : s no Vigilante,ra doCres-
Vendem-se os maismodernos enfeites para cabega P n-7-
de senhora : na loja do Pavo, ra da Imperatriz I Galianas,
n. 6o, de Gama & Silva. | IUquissimis golinhase manguitos, omelhor gos-
la laiinhas transparentes a 400 ra. jto possivel, a 2*. 2*500 e 3*-, s no Vigilante,
Na loja do Pavo vendem-se as mais modernas ra do Crespo n. 7.
lazinhas transparentes, sendo de lisias miudiahas; Enfeites para senhora.
a imitago das sediohas, pelo barato prego de 400 Riquoeissim enfeites com lago e sem lago e de
r.. o covado ; ditas enfestadas de uma s cor e outros muitos gostos a 1*, 1*500 e 3*: s no Vi-
ditas de saJpiquinhos proprias para vestidos e rou- guante, ra do Crespo n. 7.
pas de mangas : na loja do Pavo ra da Impera-1 Trancelins.
triz n. 60. de Gama & Silva. Lindos trancelins ce eabello para relegio ou lu-
As cassas da Paria. : netas, pelo baratissimo prego de 1*500,ditos de
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas, de retroz a 200 rs.
padroes mludinhos e gralos, chegados pelo ulti- i Babadinhos ntremelos,
mo vapor, pelos baratos pregos de 300, 320 360 Riquissimos babadinhos ntremelos com liados
rs., por haver grande porgo : na loja do Pavao, aesenhos tapados e transparentes, pelo baratissime
ra da Imperatriz n. 60, de G.ma 4 Silva. pre50 de 14200 i300 2^ e 3*; s no Vigilante,
Casimiras eseossezas a 1,600 rs. rna'do Crespo n. 7.
Vende-se as mais modernas casimiras eseossezas | Cascarrinas,
proprias para calcas, colletes, paletots, roupas para j Grande sortimento de cascerrilhas de diversas
enancas : na loja do Pavo, ra da Imperatriz |argUras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po o. 7.
n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil cavadas de lia.
Grande pechincha a 240 e 320 ris.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas transparen-
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
tes, sendo com llstras e quadrinhos miudinhos, e e mitades, per precos qne admiram aes com-
lisas, lendo de todas as cores, assim com pretas | pra(joreS| havendo fitas largas proprias para cin-
e roxas para luto, pelo baratissimo prego de 240 leir0g que se p6(je Tender a 300 rs. a vara, e pega
rs. o covado ; ditas transparentes com palminhas
de soda Maria Pa, tendo de todas as cores, e
aliruuus proprias para luto, pelo barato prego de
320 rs. cada covado, isto por haver uma grande
porgo : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Veae se caiiie vaziaspretrios
para vlidleiros t fiaileirtsa 4$760
cada na; aesla typosraphia.
Vende-se a easa terrea era Olinda, no lugar
do Arrombado, com 4 quartos, quintal murado
e bastante glande : a tratar com Joaqulm Jos
Ferreira de Almeida, no lugar aciaaa indicado.
Misa
barrieas com gesso : nos armazens de Tasso Ir-
ruios.
O mea i rataano e de Portiand
nos armazens de Tasso Irmos.________________
"Farela
em saceos de mais de 100 libras
de Tasso Irmos.
nos armazens
Queijo suisso
No armazem de molbados, no patee do Carreo
esquina da ra de Horlas n. S, vende-se qneijo
saiiso msilo frasco a 00 rs. a libra.
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de lia.
Fitas de lia de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhes.
Riquissimos espelhos com moldura dourada'
sem ella de 8*. 10*, 12* e 14*, assim como eom
columnas de differentes lmannos a 2*, 3*,4*, 5*
e 6*; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e (auras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhor gosto queaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para s de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz
cousa de multo gosto a 1*500 e 2*, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos eom dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como es grandes copos de banha japoneza
a 2* e a 1*, assim como outros objectos qoe nao e
possivel por hoje annnnciar, e vista dos fregue-
zes se far lodo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rna do Graspo o. 7.
muito lino a 20 r.<'
Grande liquidacio de fazen-
das finas, ra da Impe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 56, de Lourenco P.
Mendes Guimares.
Fazendss para e carnaval.
Vende-se velbutina de lodas as cores a 800 rs. o
covado, ganga eiuaioada a "CO e covado, .arjtl;m
de cores a 280 o rovado, alpaca dr cotes iropria
para vestuarios a 320 c 3G0 o covado,lafet deuda
de todas as cores a 600 rs. o covado : tua da Inipe-
ratnz, loja da Arara n. 56.
(.hilas baratas a 240 rs ',
Vendem-se (hilas finas a 240 e 20 o covado,
chitas francezas Boas a 3S0, '10 t 4(0 ra., cafas
finas de cores a 326 e 400 rs. o covado, recalas
finas para vestidos o 500 e 560 o rovado : tua da
Iraperalriz4 loja da Arara u. 56.
Caries de cambraias, a Jrara vrade a 3.
Vendem-se cortes de cambraias finas trancas a
33500, 4* e 5*, cortes de cassas francezas finas a
3*, corles de chita de 10 covados a 2400, ditas
finas a 33200 : na loja da Arara, ra da Imptra-
triz, n. 56.
dos a 3* e 35500 o covado, grodenaple preto fino
a 1*660, 1*800 e 2*, dilo superior a 2*600, dito
com 5 palmos de largura a 3 o covado, panno ti-
no preto a 2*. 2*800, 3*500 e 5* o covado, case-
mira preta fina a 2*, 2*500 e 3 o covado, alpaca
preta a 500, 600 e 800 rs. o covado : ra da Im-
peratriz, loja da Arara n. 56.
Arara vende cortes de taso-mira preta a 3S0.
Vendem-se curtes de rasemira preta a 3*G0,
4*, 5*c 0*, dilas de cores a 3*, 4f, 5* e "*, for-
tes de brlm e ganga para ralea a l*i00, 1*8CU e
2* : ruada Imperatriz. loja da Arara n. 6.
Panno de linho a (10 rs.
Vende-se panno de linho para lenges e toalh?s
a 640 e 7^0, hamburgo ; 500 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 3* e 28500 : ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende os bales a 3S r madapelo a 4$.
Vendi'in-se baldes americanos a 3*. 3*500 o 4*,
ditos de iiuisselina a 4*500, pegas de n.atai < I;'.o
entestado a 4*, dito de 24 jardas, largo, a C*CC0,
6*500. 7*, 8*, 9*. 10* e 1?*, finos, algcdao je-
gas a 3*, C*, 7* e 8* : ra a Imperetriz, loja
da Arara n. 56.
Soulambarques prtles a 2
Vende-se coutambarque preto de grosdenaple a
20* e 23*, capas pretas de grosdenaple fu as a
20*, 23* e 30*, soulambarque de lazwha a 7* e
83, ditos de alpaca brances a 8* e 10*, ras ves-
tidos i Maria Pa de novo gosto a 8*. 12*. t ,
16* e 20* : ra da Imperatriz, loja e armanm da
Arara n. 56.
Grande sortimento de renpa
feita.
Vendem-se paletots de castmira de teres a '*,
6*, 8* e 10*, ditos pretos de panno fino, Ebrfca-
scas a 12*, 14?. 16* e 25*, paletots sacres | irle?
Frascos com gomma arbica
dissolvida e pincel.
Vendem-se na ra do Qucimado n. 8, loja da
aguia branca.
N- vos albvns.
A aguiabranca acaba de receber oulia encorn-
menda de bonitos c bem encadt ruados albuns de
capas de velludo, mase,tartaruga,-6 marlim, al-
guns dos quaes com microscopio para augmentar
o tamanho dos retratos, continuando a serem veti-
le patino a o*, 6*. 8* e 10*, caigas te caHffilta
reta a 4*. 6* e 8*, ditos de rasemira de cor a
'i*, 6* r 8*, dilos tc meia rasemira a 2* p 3; ICO,
utos de hiirr e ganga a 2* r 225(0, diles ce biin
raneo a 3*500 e 4*, rlleles de locas as qcalida-
'es, camisas francezas a 2* e 25C0. ditas Ingle??
le linho de pregas taigas a ?* e ?5(0, relilas
i 1*280,1*600 e 2*, paletots de tiim de ura *
2*, dito de alpaca preta a C* c cl'U,.C;:-.. i e
Jipara franca a 5*5(0, dilos ce j-.lj;ik ii fttC.ii.
i 43, cilarinhos de linio a CO, oiu~- e ||.cla
040 a dnzia : naiua da Injrratrir, leja i Aiaia
nomero 56. O propiietariooalja e .iit:;(in i'a
, Arara declara que tedas as sras rajendas se mtc
didos porlpregos commodos : na ra do ijueimauo ^ Ml0 es|ado> fpn0 M ftir,.rad(,,(.f r, der5ft
iojadaaguia braman. 8. xaminar; a loja est atera ati :s 9 hcias da
Galanteras paja [estas^n^^^gnuh,^ .M^n.^fc
A aguiabranca nao eessa de cncommend.ir do"
que ha de melhor e maisagradavcl.e ponssoaca-|
ba de receber diversas figuras e vasos de pede;
pedracom fina banha, assim como bonitos Irascos,
deexcellentesextractse lindascalxtnhas de ma-!
deira envernisada com finas pe fumariss, tudo
mui proprio para presentesde festas etc., havendo
4IINASflPATlM
de
I ; i *
dinheirodirija-seo pretndeme a ruadoQueima-
don. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para engom-
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8,rece-
beu glbulos de ail fino e frasquinhos com es-
sencia de dilo para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor um novo sortimento de bonitos e delic.v
dosenfeitode moldesinteiramente novos e de um
apurado gosto,assim poiscomparegam os pretcn-j
dentesmunidosdedinheroe eom disposicao de
gastar: na loja da aguiabranca rna do Queima-:
do n. 8.
^Pequeos penles de tar-
taruga
A aguia branca na ra doQueimado n. .8, rece-
ceben aovaaienleesses peijuenos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feilos tanlaestima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguiabranca porm avisa aquellaspessoas que os
haviam encommendado e a quem mais queira
aproveitar a iccasio de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo prego de 4& cada
um.
Estando brancas ficam pretos
O bom resultado e o rapidn elleilo que produz
atinluradechromacoma, c mesmo o facillimo
modo deapplicartem se tornado muiconhecido e
apreciada portodos que usamdella e por conse-
guinteaugmenladoa extragao.pelo que a aguia
branca mandouvir mais o novo sortimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromacoma para tingir os cabellos.
Frascos com coloricoma para lustrar dilos.
Ditos com hydrocallethricbina para limpar ditos
Ditos comoryehromaolina para limparas unhas
Sabonetesbrancos para lavar os cabellos.
Pomada eallicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem ofTender a preparagofeita.
Sapatos de marroquim dou-
rado para bailts.
Esses sapatos lo grande tom vendoa-se nica-
mente narua doQ-i .'nado loja da aguia braia n.
8 a 6* o par.
Meias finas para senhoras
gordas
Vendem-se narua do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra doQueimado loja da aguia
branca n. 8.___________ _____._______
AGENCIA
M
AGENCIA L0W-M00R.
Rna da Sen Jila aeva n. 42.
Neste estabelecimento contina a havet
am completo sortimento de moemlas e meiai
Btoendas para enpenho. machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, do todos 01
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roupa: em easa de S. P. Johnston C.
roa da Senzalla Nova n. 42.____________
Predios venda
(En lellSoon en particular)
Um sobrado de dous andares e solo em chaos
proorios, na roa do Amorim n. 17.
Um dito de dos andares e sote, em ehaos pro-
prias. na rna do Burgos n. 3.
Urna casa terrea com sote, em ehaos proprios,
na rna dos Burgos n. 6.
Metade de uma casa terrea, em ehaos proprios,
na ra da Senzala Yelha n. 8: a tratar eom o
agenle Simoes na roa da Cruz a. 57.
Bixas hanbuTgoeiag.
Vende-se na ra Nova n. 61.
Iralittlhtr mi
descarocar aigodo
FABB1CADS
Por Plant Brothers & C
0LDA1
Estas machines
l^.. pcdcmdesearcgar
. __^ 'iiiaiqK r ^^ eeio
""5 de algodao stm
estragar o lio,
sendo bastante
driaspessoas para
o traballio: do
descarogar" urr.s
arrola "de aigc-
dao em caroco
em 40 minuloi,
ou 18 arrobas
por dia cu $ ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machinas para serem movidas re
apiane, que deseaiogam 18 arrobas de slccdae
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellicanno va-
por que pode fazer mover seis deslas n.hf.lir:.s
mencionadas ; para o que convida-se aos Sis.
agricultores a vircm ver e examina-lo, no ;.tt.i-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Sacio
RECIPE.
Os nicos agentes neste paix.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Baraleiro
conhecidoj como tal, esl dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver c traga o robre, e ver o seguirte :
Baralhos de cartas para voltarete muito
finas a............................. 20P
Miadas de linha froxa para bordar a___ 20
Pares de sapatos de tranga de todos os
tamaitos e tinos a................... 1."00
Massos de superiorgramposjiara cabellos 30
Ouzias de palitos de gaz superiores a..... 200
Libras de a rea preta muio superior a... 100
Frascos de superior macaca oleo a .... 100
Ditos de dito perola a.................. 200
Ditos de oleo de babosa muito tinos a 320
rs-e............................... 500
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................. Xj
Ditos de banha muito fina a............ G4*;
Ditos de cheiros inuilo tinos para o prego
a ris............................. 600
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................ 400
Novellos de linha com 400 jardas a...... 80
Carritis de linha de cores com 200 jar-
das a............................. 60
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a............................. 30
Pegas de filas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a...................___ 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
aris............................ 400
Varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da rnelhor que ha a.. i000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................ liOOO
Pegas de.tranga preta liza muito fina a.. 60
Caixas cem 4 papis de agulbas Victoria a 20C
Varas de fila preta com rolletes a...... 10
Libras de laa sortida de todas as cres a 6J5?0
Bonecos de choro muito bonitos a...... 1(0
Canas de obreias de ma ssa muto nevas a 4ft
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a......................... 8*
Frascos de oleo Philocomeseupenor *... 600
Ditos com superior tima a320 e........ 50P
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a 80v
Bufiadores para espartilho ......... *0f
Duzias de botoes encrnanos para vesti-
Ria 4a Seazalla Nava i. 41.
Neste estabelecimenteWer.cVffi-setachas di
ierro coado libra a(U0 rs., ider de Lo*
Soor libra al 20 rs.

-----------------i
&
n


M
meWMMMMMMMMMNMWIItoNMt*
MI
1
Diarlo de Peraaaabueo Sabhado 18 de Feverelro de : 85
w flR KIK A HR 9t Wjm!S.WSWtim9t9K WB
*
8
ROUPA FEITA
1II1IEI
BE
%W^% I *%fl&%
URTXUUHO VERDE.
>fl
AURORA BRILHAHTE
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feiu de m
todas as qualidades, tambem se Blanda fazer por medida, a vontade dos concor- 3
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um S
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhuras,!
iomens e meninos.
Casacas de panno preto, 354 e 300000
| Sobrecasacas idem, 300 e 250000
Paletos idem e de cores, 250,
! 200, 15* e...... 100000
Dites de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e...... 30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40580, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60, 50 e 40000
Ditos de memo preto de cor-
do, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 40590 e. 40000
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e 2050
Ditos de ganga de cores, 30 e
Golletes de velludo preto e de
50000]
5^000)
44090;
20509
20000
10400
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorgurlo de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fustao e brim bran-
co, 30500,30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e ......
Ditos de algodao, 10600 e. .
Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......
Ditos de madapolo, 20500,
20e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
Ditos defltro, 50, 40,30500 e
'Ditos de sol, de seda, 120,
110, 70 e......60000
Cullarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
filANDES ARMAZENS
DE
MOLHADOS
0
NEM COROAS NEM MITRAS

GKM0E
DE
Largo da Santal
Jruz as. 12e84,j
esquina da ra do
Cebo. I
VIMOS
ESPECULES
I Largo da Sant
{Cruz as. 12 84,
esquina da ra do
sCeke.
RUA. DO IMPERADOR M. 46
Junto ao sebrado em qoe mora oSr. Osbarie,
Baarte Almelda t C, receberaaa de a proprla ca\coaamea-
da mais lindo variado sortimento de molhados, pronrloa
da p reaente estaeSo.
Manteiga ingleza Maeas brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a 1 ,ooo j para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 re.
80500
20090
60000
tos.
205001 Toalhas para rosto, duzia, 110,
i ........60000
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preto, 50 e 40000 tos e de cores.....40000 j
Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho. 30000
40 e........30500 Cobertos de chito chineza.. 20500
O dono dos ja uto acreditados armaxens de molhados denominados Aurora
Brillante acaba de recebar de sua propria encommenda, mitos nam delicados
pronos da presente eslacao, c tendo grande sortimento comprado aqui,alaBca que ledos
es seus gneros sao de t.'qualidade.
tadores* *8glliat tebeUa serT'r a tod8s de bae para ajaste de eentts aos per-
arin..ifB"am i*"M,? *>* mais barato, e melhores geaerosilo que a Aurora
Jrilhante, ja pelo grande sortimento que tem, ja mesno per seu dono se acnar eacom-
modado em sua saude e ter de vender ara de seas mazeos agora, e o oatro na pro-
baatoPr'raiVera' Pr 'se aPmeitar <" quadra destas para se comprar
superior muito novo, a libra a
DE
J. VIGNES-
V 5.. RA DO !Y&I*i:it tlftOR X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre t
sua superioridade, vanlagens e parantias que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
ais que elles tem definitivamente conquistado sobro todos os que tem apparecido nesta praca ; odo-
iai ido um teclado e machiniwno que obedecem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
nanca falhar, por serem fabricados de proposito, ejer-se feito ltimamente melhoramentos importan-
Uosintot para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabriea como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
i'i-r 'spondento de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicSes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas ruihores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
ir'ys coramodos e razoaveis.
CONSUMI raiCO-CIRURGICO
do
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
1IEDICO, PARTEIRO 12 OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
hars da manha, .e das 0 e meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial iiomeopathica
Ne mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes, 300000
> de60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 10' 00.
Sende para cima de 12, custoro os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A mlhor obra da homeopathia, o.Manual de Medicina,Homeopathicodo Dr. Jahr,
a; grandes yolumes com diccionario............ 2O0OQO
Medicina domestica do Dr. Heriog,........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 60OOO
Diccionario de termos de medicina ........... 30008
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara portan-
te de serem nevamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar di leite, notaveis pela sua boa conservacSo, tintura dos mais acreditados
eitabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portonto a maior ener-
.a e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lh qualquer
peraclo, para o que o annunciantejulga-se suficientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, t
uccionando a casa a mais de quatr#annos, ha omitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
dientes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi em diante 10500.
As operares serio previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos pracas
az>a?eis que costuma pedir o annunciante.
Chales de renda preta e bournus deguip pretog
A' loja da roa o Crespo n. \7,
DE
JOSK CILES VILLIR
Vende a 15$, t0, 305, 405, 503 e 605, capas e easaedes de rxos pretos, chapeos
e chapellnas de palhae outras militas fazendas proprias para a qnaresma.
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Ruropa tratar de sna saude espera que seus
devedores tanto do mato como de?ta praca saldem seus dbitos quanto antes.
Latas com 8 libras de chouricas muito oras.
a 75500.
Ditas grandes com peize em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 15000. 15280 e
i5iee.
Ditas com ostras, excellente petisce para fre-
i gidelra, a 720 rs.
1 Ditas com errilbas aovas, ensopadas a
720 U.
Ditas com faras, a fiiO rs.
Ditas com araeizas a 15200,15800 e 355M.
Ditas com marmolada do afamado fabrica
cante Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 560 rs. .
Ditas com figos de comadre, novas, a 15300.
25 e 25300. ^T7
Ditas '.ora bolachinhade oda muite oras, a
25000.
Ditas com biscoitinhos iiglezes de uitas
quiliJades, a 1540*.
Chocolate.
i Chocolate
15200.
Mtcarro telharim e aleiria amarella.alibra
1 a 480 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Gaixas com estrelinha.pevide e outras uus-
sas, a caixa 35500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
Srvilfus seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de ararata verdadeira, a libra a
500 rs.
I Arroz do Maranbao, em sacca a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
I libra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a95500 aarroba e a320
n. a libra.
Dita de Santos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
Molhoscom 125 soblas grandes, a 15*80.
; Mostarda franceza caixa com 2 dunas a
85090.
Frascos com mostarda preparada era vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas ingleza* e francezas,
a 640 e 800 rs.
Ditos com sal refinado lino., a 640 e a500
ris.
Ditos com a verdadeira geoebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
15000.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 640 rs.
Botijas cora dita propria para negocio, a
409 rs.
arrafes com 2 ga!5es com dita, a 65000.
Serveja boa, marca,a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65000.
Vinho mscate! de tetuba, a garrafa a
15')00.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
e a 15200.
Champagne,a duzia 205000, e a garrafa a
25090.
Azoite refinado portugueze francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75,85, 95 e 105 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205.
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
185000.
Ditas com charaisco superior,a 145000.
Ditas com Porto velho e outras maltas mar-
cas, a 125000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 649,
729e00rs.
Dito de Lisboa maito bem, a caada a
35200,35500 a 450OO, o a garrara a 500
e 560 rs.
Dito da Pigueira. das seguintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45300 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado cora o
rotlo do arraazem.
Ditos de marcas mais deseonhecidas. a rana-
da a 35500 e 45000 e a garrafa a 480 e
32 rs.
Vinho branco fino, a gartafa a 640 rs.
Dito de cajd muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vialio urde superior.
A caaada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
6o*aa.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 35090 e a libra
120 rs.
Sabo massa, aliora a 200, 240 280 rs
Farinha.
aceas grandes com farinha deGeianna mu-
lo aova, a 55000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 55,
85500 e 95000.
1 Cha.
Cha lemas nes les gneros o melhor possivel,
bysson, a libra a 25600.
Dltoperola a 35000.
Ditouxima 25700,
Dito hyssou muito fino a 25809.
Dito redondo a 25509.
Dito preto de primeira qualidade a2>09.
Dito mais baixo a 25009 a 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaceti.
O masso com 6 vellas de espermacele a 600,
640e720 rs.
Passas.
Caixas de 16 o 8 libra de passasnovas pro-
prias para mimos a 45 e 2$500.
Noxcs.
Nozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista e paiseo.
Alpistae paineo,a arroba45000 ea libra a
160 rs.
Carlas.
Cartas finas parajogar.a duzia a 25500.
Castaa as.
Castanhasnovas vindas neste vapor, aarro-
ba 45000 e a libra 200 rs.
Azeitonas.
Barriscomazeitonasnovasa 15300
Manteiga.
Manteiga fiar, a libra a 15099.
Dita maisabaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova,a libra a 720 rs.
Dita ditaem barrise raeios ditos, a abra a
669 rs.
Ditapara tempero a400rs.
Qneijes.
fueijos novos viudos neste vapor a35'09 e
35500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
15OOO
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800
Dito dito lizo de linho, a resma a 45w
Dito de peso lizo e pautado,
25500 ,,-_
Dito deerabrulho bom a 15 e 152W-
Vinho adeira.
Garrafascomo verdadeiro vinho Xereze
deira a 15500 e 25-
Temperos.
Folhasdelouro, pimenta do reino,
e cravo, a libra a 4 '0 rs.
Velas de carnauba.
Massoscom 6 volas de carnauba refinada a
480 rs.
Aoendoas.
Amendoas eom casca,a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoesdedocede golaba, grandes a P
e pequeos a 648 rs.
Tijolos de 1 impar.
Tijolos dearear facas a 140 rs.
Grata.
Duzias de boi5esde graxa n. 97 a 25600, e 1
de latas a 1500O, e os boiSes a 240 rs., ca-
da una, e as latas a (00 rs.
Charoles fines.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos pregos, caixas e raeias
caixas.
rs. aliara eem barril a 800 rs.
Maule i a: a franceza
da safra nova a 00o rs. alibra, e em barril
aflSW rs.
Amendoas
Mtfeitodas de lindissimas coras a 800 rs. a
libra.
Ameixas
sm frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolas franceses a 500 rs. cada um.
Latas
com balachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10386.
Chocolates
de todas as qualidades al 000 aliara.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 50 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
QnelJos
ebegados no ultime vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retamo.
Conservas inglezas
as mais novas que se pdeesperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
/qnalquer nao pode vender por menos de
U 20600.
dem pcrela
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hvsswi
o mais aromtico que tem vindo ao bosso
mercado a 2$600.
Massas amareltes
para sopa, macarrSo, talbarm e aletria a
480rs. alibra.
(or,\4C
o muito afamado cognacPal Brandy a 1,800
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs.a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4.5oe e 5,000 rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
liora q 40500 a caixa.
Vinh
Figueira j A A e outras muitas marcas acre,
ditodas a 590 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, 4
20800 a caada. J
idean do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade de Porto a 10 e S9&0
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as al-
cas sao as seguintes: Cnamisse dtFilhos
F. & M., Nctar ou vina dos Deuzes;
lagrimas do Douro eoutros amitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma qo /
vendem a 20060 e 20409.
Nozes i
!
a resma a
PAPEL.
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
jde exeallente qualidade a 20200 a resma,
! PAPEL
. azul e pardo para embrultio de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
cominho
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, |ne deixam de an-
nunciar-se.

CARNAVAL.
Grande sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, rame e papaleo e ex-
calantes luvas de pellica para homeni e senhoras do afamado fabricante Jouvin, vnde-
se em grosso a preco muito commodo para se fechar contas : no grande armazem di
Exposice de Londres roa da Cadeia do Recife n. 60.
A 4 8 0 CORTE
Pechincha aem igual.
Lindos cortes para vestido de percalas de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo prego de 4$ o corte : na loja das
columnas i ra do Crespn, id, de Antonio Cor-
rea de Vasconcellos Si C.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1.4oo rs. alibra.
Vinagre
PRRem aBcoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebullas
as mais novas do mercado a 7,000 rs. a caixa
e l.oeo rs. o molho.
Alpista e hunco
?? .vo d0 mercad0 a I n. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 ocento na ra do Qoe:-
mado n 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
taita novo a 30409a arroba e 140rs. a li-
bra na ra deQueimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo de Carran. 9.
QUEJO SUISSO
muito fresco a 00. rs. a libra na ra do
&L"2feB' 7'rua d aperador a. 40 e
largo de Carme a. 9
fp0a S prPrietarios do grande armazem a Verdadeiro Principal (Wlaram an n
Z i:n'z:" p"bii"em ga r?ara racim"j sSS fu&jz
upuianim os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa 4o Imperador n. 49
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na rua do Imperador n. 40.
as mais novas do mercado a 120r* hn.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros
metas caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30009 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1. e 2. sorte do Rio de Janeiro a 803f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a \\W
arrafdes
com 4 Vi garrafas com vinagre a 10000 toa
o garrafao.
GENBBRA DE LARANJA
verdadetra a 10000 o frasco, e de 110060
a caixa.
IBEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeirospalitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo aciixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loe rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a-caixa e 60 rs
a libra.
Passas mallo oras
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs, o pao
k a Fpnas calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginjae
outros muitos a 640 rs. a lata.
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em panetros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na roa do Qoei-
maoo.n. 7, rua do Imperador n. 40 e largo
do Carmo a. 9
BOLACHINHA S
em latos de defiferentes qualidades a 10209
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20899 na rua
do Queimado n. 1, rua de Imperadora.
40 e largo do Carmo n. 9.
NOVIDADES.
jar a
Queijos do ilenteje, dites das ilhas e mais fresco que so de dese-
10299 a libra, e sende inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
redoadas enfeadas, preprias para mino da fesia pelo barato prce de 40
cada ata, ricas caixas de figos tambem preprias para mime d 699 105GO
cada una. Vende-se nicamente ne armazem Verdadeiro principal, rua do
Imperador a. 4.
Potassa da Russia I
Araba de ehefar a mal* nova e rddeira o
tas? a da lUissia. o vende? a preco eomiaodo : ao
escriptorio de Manoel Ignacio de Ollveira de Fi'h,
largo do Corto Santo a, 19,
P0T4SS4
?and-se BotasS sm fcarri a commodo proco
na rna da Crnz XS, primairo andar, eseriptori:
de Aateaie de Almola Gomes.
GAZ GAZ GAZ
Veide-se gaz da melaer qnalidade a
1S0 a lata : aos armazens da raade Im-
perador a. 16 e rna de Trapiche Nova n.-t
' Vende-se urna boa mobilla de nao Coleo, eom
aso, o alguas vldros ; na roa das Flores n. 85.
Saperior cal de Lisboa.
Vende-se stperior cal is ^is-r* a nais nova
Ancha no mrcalo.tanto em p Iho. por barato pra^.alaaet^e-ac es eon-pra-
dores operlor (rnaliaOo a tratar as sepnilf
rtas : Crespo a. 7, Tn*7aT n. W, Forte do Ma-
tos,armazea do Sr. A\iila, defroate 6 trapieb
> algodao,
i

'


I^HBH^IBH
Diario Je Pernanannen abitado 18 de rcverelro de iM*.
y

NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
CHeraram at*deraos vestidos de eatelle de seda cea barra, iateirameau norn
en costo e qaalldae : loja das c*lamaas, ara4o Cresa* n. 13, de Antoaio Correia
ie Vasccos C, *aceess*r*s de Jos Mereira Upes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos desenliara
Superiores curtes d seda de cor, de meriaate, de gorguro e de setim ira penal.
Dites de hlead, e de eamaria branca berdades.
Ditas de la eom barra e grande variedade em eores e patries.
Ditos de organdys com barra
Liadas sedas de quadros escosseza e miadas.
Superiores lias lisas com grande variedad de cores.
Ritas con salpicos, com lores e de quadros.
Liadas pampolinas de quadros e da dores, fazenda inteiraraente ora.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergand v
Grande variedade de ebita de cores, de perealia eoutras militas rateadas defta.
Para hombros de senkora
Lindas eapas e bonrnoux de casemira de cor.
Bitas de lia e de seda.
(Irande variedad.- de sout'embarques de seda de I8 a 40J>.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados finos, de cachimira com lis tras de
seda e de fil preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, rolletes de cambraia, lindas gui-
llabas com punhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de pallia de Italia eneitades para senhora.
Ditos de feltroenfeitados para senhora.
Ditos de palha eaeitados para menino.
Grande sortimenio de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
ra loja das columnas da rna do Crespo n. 13, da Antonio Correia de Vasconcel-
os k C.
CKAI REiOMlIt^WA^iO
mwm CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
Joaquim Suaw dos Santos, dono deste bem sorlido armazem de melbades faz scleate erag
reeomrueadico aos seus amigos, (reguezes e a todos em geral, que est resolvido a Tenderos seus
bem coutieciJos gneros de primeira qualidade.por menos da 10 a SO por cento, menos duque em ou-
ti a qualquer parte a dinheiro contado.e lodo o comprador que comprar de b(J} a 10ti terso descon-
t de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; e per isso se faz annuncio de algans gneros,
para coa esto melhor se certificaren).
Maesas para sopa macarro, talliarim e alelria a
2if) rs. a libra e em caixa a S.
Toucinne de Lisboa alvo omito superior a 280rs.
a libra e 8800 a arroba.
Dat do Rio de primeira e segundasorte a 260.2S0
e 300 rs. a libra e a arroba ou saeco a 8a o
85300.
Chourieas as mais novas do mercado a 560 n. a
libra e em barril a 12,8.
Passas viudas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 85.
Batatas era trigos de 35a 40 libras por2J40*a ar.
roba e a 80 rs. a libra.
Cha hysson miudinho superior qualidade a 15206,
21000, 23309 e 39 a libra.
Vinho de Pigueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
509, 460 e 640 rs. a garrafa.
dem proprio para naeocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2,5409 e 25700.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 43400 e 4)200.
Paesphros do gaz vindos por con la propria a 180
rs. o maco e a IJ a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lio a 25800 e a caada a 43500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 55800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra a
em barril ou caixa se far al alimento.
Arroz do Maranhao a Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 25800, 25e 25400.
Assim como ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascoscomo
em botijas, bolachinhas de soda, conservas choco-
late, marmelada, vinho engarrafado e outros mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los, a se al-
guem duvidar venha ver.
FRANCISCO J. GERMANN
9t RA IOVA W SI
Acaba de reeeber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de melhor qualida
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronometros mariiimos e de algibeira, relogios rde ouro
e prata, douradose foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allemaes e americanos,
reguladores de compeosacio, relogios grandes cora msica e sem ella, dito de sol montados com pecas
para disparar era certas horas, despertadores de diversos lmannos, caixas com msicas, igual sorti-
mento de oculos e lunetas de ouro e prala dourada e tartaruga, blalo, ac, e varios metaes.. oculos e
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que offrem de inflammacoes
nos olhos, tabricados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pernambueo, os quaes s se vendem por consulla dos mdicos, vldros de crysial branco e de cores,
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observacSes astronmicas, oitantes e sextantes,
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros, caixas de instrumentos malhematicos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro, dou-
rados e foleadas, ludo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encomraenda dos
objectos mencionados, e responsabilisa-se durante um anno por qualquer relogio vendido ou concert
eito, em seu estabelecimenlo; e vende por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
variedade de padroes, fazenda que se ten sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baralissimo prego de
300 rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
& omp.

CIIEGARAM OS MODERNOS CHALES DE
FILO PRETO.
Superiores chuls de fil preto c'egados pelo ultimo vapor fr ncez, a
pj loja das columnas ra do l res o n. 13, deT Antonio Coneia de Vas o.cel-
a los&C.

Noannazemde fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Roa de Qneimado i. 19.
Vende-se o seguate:
Lences de panno de linho
pelo baratissiroo prego de 25400.
Lences de bramante de linho
de um s panno a 35500.
Coberta de chita da India.
pelo baralissimo prego de 25500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 25 a duzia.
Pegas de bretanha de rolo cora 10 varas
propria para saia, a 45-
Pecas de cambraia de forro, a 20600.
Esteira' da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-
gura, por menos prego do que em oulra qualquer
parte.
Toalbas alcochoadas para matos
5 a duzia.
Laazinhas carmezim mindinhas
proprias para vestido de menina, a 600 ris o co-
Lazinhas de cSres finas
do melhor gosto que- ba no mercado, a 560 ris a
covado, neslo arroaiem da fazendas se encontrara
um grande sortimento de roopa fetae por medida
TINTA PRETA COMMERC1AL.
Vende-se tinta eom esta denominacao prepara-
da por Joo Cancio Gomes da Silva, a roa do Qaei-
raado n. 31._______________
larello superior de Lisboa a 50 a aaeea.
Tero para veader A'ttonie Luiz de Olivei-
ra Azevedo no s?u escriptorio roa da Cruz
n.l.
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
da Cunta, a tratar com Tasso Irmaos.
RAPE'
Duarte, Perefra A Ccantinuam a veader a afa-
mado e fresco rap Princeza de Petropoles em sen
grande armazem da louea a vidros : fia da
Crespo a. 10.
MOTORES
para machinas de algodao.
Acabam de ctaegar agora novos motores para
um e dous cavallos para mover machinas para
desearocar algodao, cyllodros de padaria, e outras
quaesquer machinas para agricultura, os quaes se
vendem por prego maito em conta. Tambera se
vende um motor americano para 2 e 4 cavallos pa
ra o mesmo ftm, que trabalha muito bem ; elles
se acham moniados para o comprador ver o seu
trabalho : na fabricada travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, emeasa de S. P. Jehnston sellins e silhesinglezes, candieiros e casti-
caesbronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dons cavallos,' relogios de
onro patente inglez.
BOTICA E DROGARA
Bartholornen Francssca de Sonza & C.
34Rna larga da Rosara34
Vendern:
PilulnsHolloway.
Pillas do Dr. Laville.
Pilulas do Dr. Alian.
Pllulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pillas vegetaes.
Pilulas vegetaes assncaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilba deCh Alberi."
Injecgao Feaugas.
Agua dentilca da Besirabade.
Papel chimiro, para talho*.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
RobL'Afmetaur.
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway.
ATTEMQO
O precos da segnlnte
tabella para todas, po-
dendo assim servir de ba
ae para o ajaste de conta
com os portadores.
10 PUBLICO
Sem o menor eonstran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM
RIJA DA CADEIA DO RECIFE U. M.
(Logo passando o arca da Coneeic)
Grande redvceo de precos, equivalente a dea por eento menos do qae ontro qualquer
annunefauate.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasi5o a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaren) em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo! 11 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduccao de preces, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Untao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de I,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que
est5o obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamaco de precos, e quahdades, vmgam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estafeelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu nm
t5o smente obter a concorrencia de seos freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o-aceio que presid, aos arranjos deste nsvo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida rae dar3o a protecca e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podexo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao to bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afina de que nao vao em oulra parte
AGUA FLORIDA
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimente.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e era barril ou
meios a 5eo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6o rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim e meisor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopatbice por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o I,6oo, Mes e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em oulra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Lingucas, chourieas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se seren superiores aos que vem
em barris.
Chourieas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e I,5eo e 6o rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oors. edo vapor
passado a i,6o e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra,
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gHa a 5,oo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e 1,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,oee rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
Libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oe rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril- muito superior a Soo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a Li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse im.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa cora
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5eo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs.a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Doaro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz !.. Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. ea 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
,
renteedesuperiorqualidade,tambemtem|Sardinhas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria para carro
Peixe em posta sovel, corvina, gors, pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe I,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
Idcm de laranja verdadeira de A'tona era
frascos grandes a 1 .ooo rs. o basco, e
ll.ooors. a duzia.
preparadaspelo melhorconserveirode Lis-
boa a 64o rs.
Bo achinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs.a caixa cem 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de Hollanda em botijas grandes 4oo- Bolachinhasd'aguaemsal da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa era latas com 6 libra
por 2,5eo; ditas doce em latas cem o mes
rao peso a 2,5o; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriera l,2oo, l,5ee, e l8oo rs.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85e rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa cora 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito nevas a 16o rs. a libra.
Molhoxinglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes ja preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooo rs. e H.ooo a duzia-
Palitos para dentes a I4o e 16o rs. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. alibra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
CharutosdetodososfabricantesdaBahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e*3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l.ooo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 6oo rs.
cada um.
Farioha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. '
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra elo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a fibra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
MURRAY&LANMAN
A agu florida de Murray A Lanman,
olbada como um migo de perfume, ro
lem podido ser igualada pelas prepararais
as mais custosas: conserva seu aroma,romo
se formasse parte da prenda a que ella se
applica. Sua eficacia 6 to delicada, com'
elegantes sao *eus multiplicados usos, quer
seja empregada como artigo de tentador,
quer no uso do banho, ou como snavteadt i
da \'t\\c depois que se tenha feilo a r-aib* ;
j para limpar as gengivas eu ai n>at!sar t>
hlito.
Da suavidade, brilho e elaslicidade as
compleicoes, depois de se haver lavado: el-
livia a irritaciode erupeoes ordinarias; (i*
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas do rosto, rugas e toda a
casia de ebulices, e da vigor e frescura a
parle onde quer que se applique. Sua efli-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso appli-
ca-la como estimulante e antisptico, nes
concursos e asserublas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como um antidoto excel-
lente para os desmaios causados por cans;*-
co ou suflbcacao. Preparada nicamente
por Lanman Kemp, Nova-York, e a venda
por Cao;s d Barbosa.
Joo da C. Brava & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 6
Barboza e Joo da C. Bravo A C.
Vende-se a rasa terrea n. 25 da rna de Ma-
thias Ferreira da cidade de Olinda : quem a pre-
tender dlrija-se a tratar nesta cidade na ra Au-
gusta n. S9.____________^
ti
liCli
Xova loja de fazendas e renia
felta nacional, rna da impc-
ratriz, loja de 4 portas n. 99.
Chilas da loja a. 72.
Vendem-se chitas linas a 240 e 58 o covado..
ditas fraacezas finas a 32 rassa franceza fina a 320. 360 e 400 rs. o covado,
laazinhas para vestidos a 300, 400, Sf 0 e i'0 o
revado, pecas de madapolao no a G&, ", 8 c
9,5, pecas de algodao a 5$, 6 e 8& : ra da lm-
peratriz n. 72.
Roupa ffita nacional
Vendem-se paletott de panno Mno a 14, lf> e
18,5. ditos saesoa a 65,85 e 105, ditos de casemira
decores a 65, 85 105, ditos de brim de cores a
25500, 35 e 48, calcas de casemira prea e de co-
res, colletese calcas de brim de cores a 5#CC e
25500: ra da Imperatrlz n. 72.
Snnlandiaripie a K.
Vende-se soutambarque de laasiaha a 75 e ?5,
ditos de alpaca branca a 85 e 105, ditos de aro-
denaple arelo a 204 e 255, capas prelas de jrros-
denaple finas a 205 e 255, panno buo pretu a 55.
35, 45 e 55 occ-vado, casemira preta a 25, 2;(0
e ?5, grosdenaple preto para vestido a l6'0, ?5 e
25500 o covado : ra da Imperamz n. 72.
Corlea de la Hara Pia a 10
Vendem-se corles de vestidos 1 Maris Pa .1 iP5,
145 e 165, cortes de cassa franceza a ?5. rorlt-
de brim para cal^a a 15600 e ?5, ditrs de ee-
mira de cor a 35, ditos de dita preta a .'55T0. $,
5'5 e 65 ra da Imperalriz n. 72. Este nove rs
abelecimento vene barato para obler frrguezia :
na ra da Imperatriz. loia n. 72. _________
Na ruadoQueimado tu. 15, botica, vead-so
constantemente hosteas para nissas e coaamunhao
m
2fo5':=iCLBc p t5 > d
u*ac.cnwo5-c.=-<=.
ui
e MOlliiisl

?:

o ts o
81-RUA DO IMPERADOR-81 .
Segunda casa do lado direito iDdo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfizo de avisar aos seus freguezes e ao respettavel
publico que, estando restablecido de seus incommodes de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sonido armazem de seceos e molhados primorosamente escomios;
como sempre capriebou terdas melhores qualidades, efrancamente affiancas pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e preces, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de encenho e lavradoresqueo queiram honrar como seu comitente mes
assegura que o producto dseu laborioso trabalbo sr o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois dese-
en
58ag-pB*8 3
Ve.

* n o S" a
S98
eS-Bg-s
-*c
en
DSsBtg?Eg
s a. > =
i C e
la
abrica Concei^ao da
Bahia.
Aadrade Rega, recebem constante- ^
^ mente e tem venda ao seu armazem n. jjiS
Mg 34 da rna do Imperador, algadae d'aqael- Xl
B a fabrica, proprio para saceos de assu- B
i car, embalar algodao empluma etc., etc., \
*j pelo prec mais razoavel. jgg
Bnn Tlnbo verde.
Davym & Cavalcanli ruceberam o bom vinho do
Alto Douro,o qual esio vendendo a 45 a caada,
por garrafa a 5C0 rs. na tua da ( ruz 11. 68.
* DROGARA.
34Rsajlarga da Rosara34
Barlholoraeu Francisco deSoyza k ,
Vendem:
Acido acetieo puro pira retratistas.
Esmaltes Bar ourives.
Papel para forrar casas.
(JuarnieSes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino, em pes.
&5
s;- o ** o
o
"O M 2 ** -.=?
"i o 5?
0 -. L **
^2.!? 7
? ? ? s
B
o
!/J
-I
p. ce a
W CD-
2 "
O S, en
O 2 6S
S 5.
=.g
(K
o o
neimenie cumprieo as suas urueua. -- r,
Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negociantesqae lhe merecam conlianca, ia-
-____u_...._..:___ __ ^.r-orom a v rem fielmente eumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultoi ese 1
zendoum abate vantajoso aos quepagarem a vista suas mercaduras, e encarrega
venda de qualquer genero dopaiz, mediante urna mdica eommissSo, entregando ae
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commisso. ,
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa proteccao, tre-
qaentandocomo utr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhestnbuta offerece expon-
taneamente seus servicos.
Julga desnecesario publicar a tabella dos precos de seus generes: sao seus recursos
garanta sufficiente depoder accompanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
maisapparatososestabelecimentos, tendo somonte em visto o augmente de suas vendas
diarias.
PreveneSo neeessarla.
Tende sido o proprietario estabelecido muitos annos com e mesmo ramo de nego-
cio ni mesma ra, julga prudente advertir que s afbxma ese responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
81-nill Ra IMPERADOR-SI ,
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegto
BOM
. 1 W Q.
B> 1 O
s
o
8

o,-

tr
a
O.
ce
a
e
e
e
ESCBAV6S FGIDOS.
Aviso
aes capitcs decampo e a polica.
I)<->a|i|i- nceu em pjincipio do mez de cniul.ro
do anDt aassade, de bordo do palhabote nacional
Aravjo Malo, dous escravos de nemes Roberto
(por apellido Macei), e Miguel ; o Io de idade 44
annos, pouco mais eo mecas, crieulo, cor fula,
estatura baixa, barba serrada, um peueo torto das
pernas, e com alguns cabellos brancos, tanto na
barba como na cabega ; o 2 alto, cheio do corpo,
sem barba e falla grossa, representa ter de 25 a
30 annos, cujos escravos desconfla-se andaren pe-
los arrabaldes desta cidade : qoem os apprehen-
der queiram levar a ra do Trapiche o. 4, que
ser generosamente gratificado. __________
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a clr natural
des cabellos.
A agua florida alo urna tiatura, faeto essen-
eial acautesur, a mesma agua daado a cr priau-
ti va ao cabella. Composta de plaitas exticas t
desabstancias inoffensivas, ella tem a propriedade
derestituir aas cabellos o principio coraste qae el-
les tem perdido. D'nma sarobrldade incontesia-
vel, a Agna Florida entreten a limpeza da cabeca
destroe as caspa* e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
Composte de substancias vegeaes exticas, elle
constite poderesamer' can a Agna Florida, a
(orea, a belleza e a renservacao dos cab*";i.
Em Parla, casa de ftnielanr a. IJ.roa de Riche-
He, If, banleTard MBtmar*re,
Todos as frawa*, ala toada lataete clara.*
timbre ratead* da r*f, aao reavtaOa* Mees.
Deposit*, ra do Imperador, aharnacia a. 34.
Pugio no dia5 de tevereiro correle um mu-
lato de 26 annos, pouco mais ou menos, baix*,
corpo regular, cabellos cachados, nariz e bocea
regulares, tem falta de alguns denles na frente,
poucos cabellinhos no qu*ixo, tem falta de na
dedo em om dos ps, alguns talhinhos de chicote
pelas costas, chama se Eicuteno : qoem pegar
leve ao engenho Rebingudo, que ser bem pago.
Fugionodia 5 de jaaeira a preta II ornan a,
de idade 28 annes, crioula, magra e fila, beaa fal-
lante, e tem sido vista pal* Vangainho : qacm a
pegar leve-a a sea seahor, aa praca da Boa-Vista
n. 22, ou Campo Verde, ra da Traa.ce* a. 2, que
ser bem recompensado. ___________
ATTENCAO.
No dia 24 de dezembro prximo passado fbgio
o preto Brai cora o signaes segaintes : baixo, re-
gular do corpo, sera baraa, cara larga, com mul-
las verrugas em cima do olho direito, levou. ca-
misa de algodaozinho e calca de azulo e outra de
haeta verde, chapeo de pama, o qnal tslvez j te-
nba mudado, eostuma andar muito de vagar a
puxa pela perna esqwrda por causa de seffrer
de dores rheumalicas, fol escravo do Dr. Olinda
Campello : quera o pegar sirva se leva-Io rna
das.Oates.il. 31, padaria, que ser Vem recom-
pensado.

1
m



Mario de Pernambuco --- fltabbado 19 de FeYerelro de iSfiS
JURISPRUDENCIA
O Forum.
Qualquer homem sensato nota hoje na iraprensa
de- paiz urna lacuna lamenlavel. Em quanto o mo-
vimento e as intrigas polticas absorvem constan-
temente todas as attenges; em quinto os folheti-
nietas oecuiiam as inargens das guatas de inais
crdito que sao espalhadas pelo imperio, propinan-
do certo veneno gente incauta, eis que retoa
i i>l-. ment na inais criminosa indifferenca um dos
interesses, ou antes o primeiro inte'resse da socio-
dado civil,a administrado da justica.
Agitam-se as causas mais importantes, fazem-se
Uijusucas clamorosas, perseguese o innocente,
i ouba-se a propriedade, delapidara-se os bens dos
orphos, insulta-se o crep da viuvez, praticam-se
as maiores iniquidades contra o direito divino e
Humano, atropellam-se as leis do processo... e os
prelos, os nossos prelos deixam de gemer sobre to-
dos esses horrores I
E porque ?
Porque mais fcil escrever um artigo romnti-
co, que eipor com severa critica urna questo
ila direito : porque cada qual o que deseja ven-
cer sua demanda, seja como fr : porque o venci-
do, exausto de ineios que as custas judiciaes Ihe
absorveram, vergado ao peso de urna seotenca, e
entrompado com os erapuxoes da lide. o misero
s almeja o repouso, apenas se v livro das garras
do foro, e muilas vezes de seus inexoraveis offl-
ciaes 5 Ilcando ludo assim terminado I
Entretanto todo esse grande apparato, que por
ah vemos, de governo e do forma-, de governo, to-
das essas cmaras altas e baixas, todas essas |con-
tribuieoes pagas pelos povos com Magua de palmo,
iodos esses sacrificios exigidos com imperio, nao
tem outro lira seno dar a cada um o que c seu.
f' deste fim que a autoridade publica deduz sua
legitimidade e sua torca obrigatoria. Fra delle
nao ha senao simulacros, papcloes, parsitas e op
pressores.
O valor real da toga do juiz, e o da coroa do roo-
narcha, nao se mede pelo custo da tela de que
.'cita a primeira, era do ouro de que fundida a
.egunda. Essas insignias valem smente tanto
quanto vale a justica recta que distribuem aquei-
les que com ellas se adornam. Ncnhum homem
tem direito de subordinar scu egual, a nao ser com
a condico impreterivel de Ihe fazer justica in-
leira.
E' pois um sacrilegio o adorrnecimento dos or-
gos da publicidade quanto aos negocios do foro.
i'orca que a imprensa, essa potencia dos seculos
modernos, se erga altura de sua mais nobre As*
sao como advogada popular de todos os que
uifreni, de todos que sao lesados.
tin um furo como o du Pernambuco, e especial"
mente no desla capital, onde se ventilara innme-
ras questees ; onde vemos magistrados respeita-
veis honraudo a cadeira curul, assim como au-
vogados habis, e alguns togados, se empenharera
as lulas das causas clebres; no foro do Recife,
dizemos, on,.e funeciona urna acreditada faculdade
de dueilo, imperdoavel a iodiflerenca i|ue lavra
om materia de julgar, entregndose smente
poeira dos cartorios as dautas seetenoas que se
proferera, os bous arrazoados jurdicos que se pro-
duzem. Nao ; isso nao pcssivel, nao mesrno
decoroso. Venha ludo ao lume da imprensa, e d-
se o laurel da victoria a quem pertencer. Os bons
ero conhecidos, os menos bons procuraro corri-
gir-se, ea sociedade ganhar sempre.
Sob este ponto de vista alguns amigos da juris-
prudencia concertaran! entre si tomaren, o penoso
encargo de escreverem o Forum, na intenco de
publicaren, nao sos julgamentose pecas mais no-
taveis do foro de Pernambuco, e algunas observa-
os analyiieas que o caso pedir ; mas tambem e
desenvolvimento de algumas questes jurdicas,
< urna noticia summaria dos nsos o costume?, da
regularidade ou irregularidade da prax? corrente
nos tribunaes tanto civis comoecclesiastjcos : mas
de modo qae nao fatigue muito a paciencia do lei-
tor benvolo.
Os redactores do Forum esperam associar sua
nobre e utilissiraa empreza todos os entendedores
que quizerem tomar sobre seus hombros a tarefa
patritica de realcar o foro pernambucano com o
registro serio e prudente de seus annaes, esconju-
rando todos os visos de parcialidade, de sarcas-
mos, e todo resaibo de despeito e invectivas odio-
sas, que nao devem jamis manchar a pureza de
luteneoes com que amigos do justo e do honesto se
propoem abrir um campo para os exercicios das
intelligeucias superiores e benficas.
O torum servir de abrigo a todos os litigantes
que quizerem expor ao publico as cirenmstancias!
de seu direito, e o deferimento que obliverern dos
juizes e tribunaes : com tanto que tragam seus
apontamentos sustentados era verdade, e concebi-
dos em termos decentes e comedidos, ainda que
vigorosos. A ningoem licito converter era libello
provocador a peticao que reclama e delucida um
direito contestado. Recommendamos muito o paii-
mm et bine preparalum, quando a importancia da
assurapto nao obrigar aum desenvolvimento mais
longo.
Os redactores do Forum ti veram intengao de es.
lampar o seo trabalho em urna ptela especial
mas alcaogando da inconlestavel generosidade do
grande decano da iraprensa do norte, o Diario de
Pernambuco, o especial favor de admiltir o Forum
em urna de suas columnas da oitava pagina, pre-
ferirn, este expediente como sendo q mais proprio
para a maior circulago das ideas, e ao mesmo
lempo offerecer um lestemunho da consideracao
e eslima que a nos o a todos os Pernambucano s
deve merecer o emprehendedor gigante que honra
a imprensa da nossa bella provincia cem um jor
nal ricamente impresso, e que, tenda sido susten-
tado nomeio dos maiores sacrificios, nunca soube
aproveitar-se das occasloes para fazer impostes
e accnmular lacros custa dos que procoram o
abrigo de seus typos, typos muilas vezes gratuitos,
e sempre baratos. Esta a verdade que convra
repetir-se, porque iritis ladala crescit.
Gomecaodo hoje a ser publicado o Forum, cbe-
nos o dever de saudar a todos os lidado res da im-
preusa. solicitando a sua indulgencia e valiosa
coadjuvacao : e concluimos o presente artigo fa-
zendo os mais ardentes votos para qne a nossa
missao seja abencoada pela benevolencia publica
OS ADVOCADOS.
A advocacia foi sempre reputada urna missao
nobre o diffleillma. Para o bora desempenbo della
nao se exigem smente o tlenlo, a illustrago e a
pratica. E' preciso que a estes requisitos se re-
nan) certo lino especial, rnuita dignidade, grande
forc.j de vontade para estudos serios, um zelo de-
cidido, e oulros predicados. Nao smente no
c-imraercio que o crdito, o verdadeiro crdito se
considera condico esseocial. Tambem no foro
elle inspira confian; e oflV-rece garanta ao clien-
te, e attraiie a attenco do joiz, qne v nos prece.
denles do advocado ama presumpeo de que elle
nao procura torcer a justica, nem defender tra-
paza. O bom conceilo, finalmente, impe certo res.
peito parte contraria, evitando esse jogo indecen-
te da recriminaces e doestos que entumecer o
ventre de tantos autos, em prejuizo do criterio e
gravidade que deve caracterisar a discusso judi-
ciaria.
Entre nos tem-se feito da advocacia urna indus-
tria mercantil, em que muitas vezes s se entra
com o simples capital de urna carta de bacharel*
Ha procurador que advoga sob a f da assignatnra
I-de jurisconsulto que presta simplesmente sua firma
por mdico honorario. Mocos hachareis quo nao
reunem todas as habilitaedes indispensaveis esta,
belecem banca nas capitaes que constituem, por
assim dizer, focos de capacidades. Nao querem
fazer seu tirocinio nos pontos do interior, onde
alias sente-se a falta mui senslvel de jurisperitos
Mas si I lies faltam os requisitos precisos para at.'
tralurera clientela espontanea, sobra-lhes aclivida-
de para alravessarem os pleitos.
E nao sao eiles s que assim procedem. Homens
provectos, que deviam manler-se n'uma attitude
grave, coHvertem n'uma especie de mercanca urna
das misses mais Importantes.
Comecam por dividir o seu tempo entre a assis-
tencia no escriptorto e as exploracoes peles lugares
onde pode haver colheita. Muilas vezes as ras,
as lojas e os cartorios sao lugares escolhidos para
se apanharem causas.
Um individuo vae entrar n'um pleito. Sabe
disto o advogado esperto, que lera seus espias. Si
elle eniretm relacoes de amizade com um dos
pleiteantes, l vae abrdalo pressunso, antes mes-
mo de entrar na apreciaco da justica da causa
que deseja defender. Esta circunstancia pouco
importa.
Si fallan as relacoes, contase con vantagens
do oulro'geuero. Urna carta de empenbo, qualquer
intervengan benfica de lerceiro pode dispor o
cliente desejado... Entre o advogado e o cliente
existe urna classe intermediaria de protectores.
Si o pleiteante ja tinha feito intencionalmente a
sua escolha, ha sempre algura meio de persuad-lo
a mudar de accordo... Pode vir at a maledicen-
cia contra o collega, que nao leve culpa de ser pre-
ferido na intenedo. Entre os recursos empregados
em to singular cabala, o pedinte allega a necessi'
dade que tem deproteceo, e a seguranca do tnum-
pho pelas inculcadas relacoes com magistrados.
Tambem costume alravessar as appellacoe8
vindas de fra...
O honorario, a parte pode Imp-lo se qnizer. Ha
sempre quem faca por menos. Si certas scenas
intimas viessem luz da iraprensa, offereceriam
episodios mais ridiculos do que a competencia dos
Clanns, das Auroras, e das Ligas acerca dos valo-
res e melhoria do seus gneros.
Nao ha cousa em que deva haver mais perfeita
espontaneidade do que na escolha de um advogado.
A confianca nao se imp5e...
Gomprehende-se que un individuo que poe sua
banca, avise os anigos para que se prevalecam de
seu presumo ou informem a quem delle possa ca-
recer. Mas que um jurisconsulto sisudo ande a
fazer instancias pela obtenco deste ou daquelle
patrocinio especial, arredando seus collegas, e in-
ventando intrigas, o que o bom senso e a digni-
dade nao podem relevar.
Reste seculo em que tudo se pretende converter
em instrumento de favores, ainda mesmo aquillo
qae cada qual pratica ou deve praticar por Inte-
resse proprio, a pane muitas vezes parece cuidar
menos em garantir o bom successo de sua deman-
da do que em fazer um obsequio.
E' tal ve/, isto urna das causas de se ver entre os
advogados, como entre os poltico?, elevaram-se re-
putaces que dao motivo a crer-se nas preferencias
caprichosas"da fortuna, symholisadana mytholo-
giapor urna mulher de olhos vendados.
Eram ontr'ora os advogados que substabeleclam
seus poderes nos procuradores. Hoje sao estes que
prolegem advogados, dando-lhes dinheiro a ganhar,
e o que mais aquilatando Ins comparativa
mente as aptides perante o freguez inexperiente, 8
usando do veto -contra algum jurisconsulto qne
na* dos predilectos.
Em relacao a muilos advogados destes ultinos
lempos era mais grave a figura que fazia amiga-
mente um rbula. Viam-no sentado sua banca,
cora certo ar do sufflcieocia e isenco, como quem
tinha consciencia do papel que ropresentava. A
gente mais grada ia cerca lo de allences, fazendo
instancias para telo por patrono.
E si o advogado era Mirado, anda tinha mais
valor.
Hoje I nao se v aquella independencia que era
o caracterstico do advogado, e urna das maiores
vantagens da prolissao. O jurisconsulto tem-se
feito dependente dos procuradores e das partes, que
julgam prestar grande favor confiando-lhe a guar-
da de seus direitos I Alguns advogados semelham
devotos acodados em receber resistos ou pes ben-
! nas festividades.
E tudo quanto vemos resulta, nao poucas vezes,
a perda de causas importantes.................
Tudo se perverte neste abengoado paiz 1
Em tudo quanto dea ponderado salvamos sem-
pre as honrosas excepcoes, que nao sao poucas ;
pois que felizmente, seja dito por honra da classe,
esobretodo por amor di verdade :ainda existem
no imperio advogados dignos deste nome.
F.J.
Recife, 18 de fevereiro de 1865.
LITTERATURA^
O qne vae pelo mundo.
Eis a circular dirigida pelo bispo de Beauvais
ao clero de sua diocese, poroccasiao da prohibicao
da leitura da eneyelica papal :
c Beauvais, 8 de Janeiro (festa de S. Luciano,
apostlo de Beauvais) 1K65.
t Senhores e caros cooperadores : (I)
c Apenas tinhamos recebido a eneyelica do nosso
santo padre o papa, e o resnmo das proposic^ps
conderanadas precedentemente por S. S. Pi IX nas
suas diversas allococoes, e ootros artos pontificios,
julgamos que era de nosso dever connunirar-vos
esses documentos, e juntar-lhe una circular diri-
gida aos membros do nosso clero. Tencionavanos
dlzer-vos que as decisoes da autoridade suprena
do vigario de Jess Chris'.o tinhan sido por nos
recebidas com a nais completa subnissao de espi-
rito, e de coracao, e accrescentarianos:
Quanle nais criticas sao as circunstancias,
nais diligencias se faz para nos separar de nosso
< augusto chefe, quer aecusando-o de pertinacia e
i de obstinacao, e represenlando-o como Inimlgo
das ideas modernas; quer fazendo reviver ques-
i loes antigs de gallicismo; quer aneacaodo
depois de tantas expoliaedes j consunmadas, os
restos do poder temporal; qoer parerendo ge-
mer, com um zelo hypocrita, sob % inteligencia
< de om pontfice, que poe em risco a religio, em
vez de a defooder; mas tamhem deve redobrar
a nossa dedicaeao sua pessoa sagrada, e a nossa
< submisso a nossa autoridade doutrinal.
Temos de vos coabecimento, caros cooperado-
res; entre os sentimenlos pessoaes do vosso
' bispo e os vossos, nao ha differenca. Votamo-nes
' santa egreja do fundo das nossos entranhas (S) e
nada ser capaz de nos separar della.
< Quando Roma tem fallado, nos dizemos, com
< Santo Agostinho : A causa Onda; quando tem
t condennado una proposico, nos a reprova-
< nos; quando se pretende estabelecer a f de
I < Pedro en opposicao deste ou daqneile iheolo-
j go, nais ou menos celebre, nao hesitamos, somos
II pelo papa, somos por aquelle a quem Jess
. Christo chsse : Ego autrem rogati, pro te, ul
non deficiat fedes la. (3)
Esta inabalavel adheso a todas as decisoes
da santa s ha de conciliar-se sempre entre vos,
muito amados cooperadores, cora a prudencia
< das palavras e com o respeito pela autoridade
temporal.
( Dando a Deas o qae de Deus, entregamos.
a Cesar o que de Cesar. (4) Nos seremos ver-
dadeiros catholicos, padres piedosos e zelosos
< formando era torno de nos verdadeiros catholi!
< eos para nosso ensino e para nosso exemplo;
entao contribuiremos poderosamente para a pros-
< peridade da egreja e da sociedade civil. >
t Esta circular, e os actos da autoridade ponti-
ficia iam ser-vos expedidos, quando recebemos a
carta do ministro dos cultos com data do 1 deste
mez.
Por motivo de prudencia, que julgamos legiti-
mo e fundado, nao demos seguimento immedialo
publlcacao da eneyelica e do resumo.
(I) Esta arralar ne destinada a ser llda no
pulpito, com quanto nao seja confidencial,
c Sabis tambem que esta publieaco particular
nao pecessaria de modo algum para tornar obn-
gateras as decisoes e prescripces emanadas da
santa s apostlica.
Segando a doutrina commum dos canonistas,
basta qae a publieaco seja feila em Roma, segun-
do as regras e usos, para que os catholicos que
leem della conhecimento sejam obrigados a adherir
e a conformar-se.
< Ora, conheceis os actos importantes de que se
trata.
Publicados solemnemente na cidado eterna
leem sido inpressos em todos os jornaes do nosso
paiz.
A publieaco que se nos nao permute, nao
augmentara a publicidad*; mostrara aauthenci"
dade, nas nao accrescentaria de certo cousa algu*
ma ao seu valor doutrinal.
< O nico sentimento que temos a manifestar na
circumstancia prsenle (e este sentimento penoso
e doloroso), que se recuse aos bispos a faculda-
de de fazer o qu? todos teem podido fazer impune-
mente, que lhes seja prohibido commentar perante
o clero e os fiis, qae urna imprensa hostil on hy-
pocrita desfigura diante de toda a Franca: que
os protestantes os jadeas, os incrdulos techara o
direito de tancar o ridiculo e o odioso no ensino
do chefe da egreja; que se trate de fechar a
bocea quelles que teem missao e qualidade para
indicar o verdadeiro senlido das palavras proferi-
das do throno pontificio.
O nosso dever era responder carta do minis-
tro. Escrevemos-llie em i de Janeiro, e julgamos
telo feito con respeilosa franqueza, e com a fir-
meza que convm a um bispo.
Nao dissimulamos a S. Exc quanto tinhamos
sido dolorosamente affectados quando lemos a sua
carta, e as prohibicoes que ella conlinha. Fize-
mos-lhe nolar at que ponto era difflcil conciliar a
execuco das ordens que se nos intiman com o
respeito dessa regra essencial, que quer que tudo
na egreja, bispos, padres e fiis, estejan senpre en
connunho de doutrinas c de f con o vigario
de Jess Christo; que as prohibicoes feilas eslo
en opposicao com o acto I da concordata, o qaa1
garante religio catholica apostlica e romana, o
seu hvre exercicio, islo ao menos a liberdade,
para a maioria dos francezes que professam essa
religio, de receber communicaco, por intermedio
dos bispos, das decisoes e iulgamentos pronun-
ciados em materia doutrinal, pelo chefe do catholi*
cismo.
O nosso direito publico, accrescentamos nos,
tolera tamas cousas I tolera os mais directos ata-
ques existencia de Deus e diviadade de seu
t Filho; tolera a impiedaJe e o materialismo. Nao
poderia elle supporlar um ensino, cujo grande
mal, naopiolo dos nos nossos adversarios, op-
por os antigos principios s opinioes novas ? Se
c perraillido em Franca ultrajar o papa, e despre-
zar as doutrinas de que elle orgo, porque se-
na prohibido apresentar os seus actos aos que
t crera, com o respeito e amor que sao devidos ao
primeiro representante de Deus na trra ?
Terminando a nossa carta ao ministro, de que
damos aqui apenas alguns fragmentos, exprimi-
mos a esperenca de que elle apreciar os senti-
menlos, que nos inspiraram, sentimentos tanto me-
nos suspeilos, quanto conhecida a nossa modera-
cao, e que em todas as circumstancias julgamos
ter dado provas nao equivocas de nossa fidelidade
ao governo do imperador.
Tem sido esta a nossa raaneira de proceder na
crise to grave qae atravossa a egreja. Nos vos
devianos esta exposico, .caros cooperadores; e
agora, se nos pergontardes que linha de conducta
deveis seguir, a nossa resposta sera fcil. Ha a
questo de principios e a questo de procedimenlo.
Pelo que respeita a' doutrina, adheso plena e com-
pleta de espirito, e coraco aos raandamentos, deci-
soes e condemnaces, que dimauam da santa egre-
jas romana, me e senhora de todas as egrejas ; pe
lo qae loca ao procedimenlo, prudencia e arcara-
speccae nas palavras. Sem jamis ceder aos prin-
cipios, nao excitar por meio de discissdes inoppor-
tunas, os espiritas desvairados e presumidos. Sai-
bamos esperar na tranqullidade e na orac > que
os clamores e as paixes se tranquillisera. Ho
de esolarecer-se as questdes que actualmente se
disculera sem se aproveilar o verdadeiro sentido,
ou mesmo com insigne ma f. Temos a intima eon-
flanea de que arinal se ha de comprebender que
a santa egreja, a grande civilisadora do mundo,
nunca foi, nem pode ser inimiea da verdadeira ci-
vilisacao e do legitimo progresa.
Nos vos lancamos a benco, caros cooperado,
res, do fundo do nesso coraco, e vos renovamos a
expressao dos nossos sentimentos dedicados e pa-
ternaes em Nosso 3enhor Jess Christo.
Jos Armando, bispo de Beauvais Noyoa e
Senlis. .
.*
O arcebispo de Tolosa dirigiu a segamie carta
ao ministro da justi -a do imperio da Franca:
Tolosa', 5 de Janeiro de 1885.Sr. ministro.
Recebi a carta de V. Exc. que prohibe aos bispos
a'publtcaco da ultima eneyelica do soberano pon-
tfice, porqne esta eontm propostas contrarias aos
pr'ncipids em que se fnnda a constituido do im-
perio.
Julgo-me obrigade Sr. ministro, a apreseotar-
vos a este respeito algumas consideracoes dicta-
(2) Bossuet, discursos sobre a unidade da
egreja.
(.:)) Lucas, XXII, 31.
(4) Miqeus, XXI, 31.
das por um coraco dedicado santa s, mas que
nas suas affeicdes nao separa a Franca da egreja
< Lamento que o estado persista em fazer uso
de ama legislaeo, que dos reporta a um passado.
doloroso, legislaeo cujo abandono momentneo fa-
zia ama das glorias do novo imperio, e cujo resta,
beleciraento, pouco necessario seguranca publica,
aotorisa interpretares e raquictacoes penosas.
Parece-me principalmente lamentavel, Sr. mi-
nistro, que no momento em que o governo, se diz,
trata de ampliar as liberdades publicas, restrinja a
mais sagrada do todasa da egreja catholica.
Entrando nesla senda, o governo abdica o di-
reito de impor raoderaco, de que ja n3o d exem-
plo ; semeia no meio de povos catholicos alarmas
explorados pela malevolencia publica, e pode susci-
tar perigos reaes para combater um perigo imagi-
nario. Emfim esta medida d em resultado satis-
fazer nicamente es homens que sao Immigos do
imperador, assim como da religio e da ordem da
nossa patria.
Termino, Sr. ministro com ama observacao
mais importante de que todas as precedentes; os
ltimos documentos dimanados da autoridade da
santa s apostlica, e que Y. Exc. nos prohibe de
levar ao conhecimento dos fiis, conlm urna ins-
truccao doutrinal, e em materia de doutrina, o vi-
gario de Jess Christo o primeiro e nico juiz.
Dignae-vos, etc. t
Resposta do bispo de Nevers ao ministro da jus-
tica d Franca :
Nevers, 10 de Janeiro de 186o. Sr. ministro.
Antes de responder carta que V. Exc. me fez
a honra de me dirigir no Io deste mez, tralei pri-
meiro de me reconciliar com Deus; e tendo aquel-
le despacho sido immediatamente reproduzdo por
todos os ecos da imprensa, tratei depois de conhe-
cer da impressao que produziu entre o meu clero.
t Agora, Sr. ministro, tenho o profundo senti-
mento de ser obrigado a dizer-lhe que estamos to
assustados, como afOictos. Nada tenemos pela
egreja; ella tem pronessas d'immortalidade ; mas
essas promessas sao s para a egreja.
Queira Deus, Sr. ministro, nao me pormitlir
que lira, nem ligeiramente, o principio da autori-
dade, que j est muito abalado, e que me Hvre
tambem de offender a' V. Exc. que, pela sua bene-
volencia a meu respeito, ten adquirido tantos ttu-
los ao meu reconhecinento! Mas a sua muita leal-
dade ba de reconhecer em que embaraeps nos
acharaos collocados, nos que somos os successores
dos apostlos, e que nao podemos esquecer que,
em circunstancias inleiramente semelhantes, o Es-
pirito Santo nao Ibes inspirou ouira resposta, era
Ibes tracou ouira linha de conducta seno esta :
Obedire oportel Deo tnagis quam homtnibus. Sou,
com respeito, etc.Agostinho, bispo de Nevers.
.%
Em seguida reproduzimos o discurso proferi-
do pelo general Lamarmora, na questo da attitude
que a Italia deve tomar em face da Austria :
O general Lamarmora.
O diacurso do honrado Fiuzi nao fez mais do
que confirmar em mim, a o pinio que manifestei,
ha algumas horas, ao honrado Bixio, a da opportu-
nidade de taes discusses.
O paiz tem pouco a ganhar com isto : a excita-
cao em que estava o honrado Fiuzl, quando pro-
nunciava o seu discurso, urna nova prova. Es-
tas criticas provera da idea que se suscitoo, de
que queremos desarmar era presenca da Austria
ameacadora.
Mas na verdade, permit'a-se-me dlzei-o, pondo
d< parle a modestia, serei eu um ministro capaz
de vir acenselhar-vos a ficar, sem meios de defeza
dianleda Austria? Poder acreditarse que um
ministerio que eu tenho a honra de presidir, quei-
ra quebrar ou por de parte a espada da Italia ?
Nao, ficae certo disto, O que queremos, conser-
val-a na bainha, mas bem aliada, e prompla para
a desembainhar de um momento para outro.
O honrado Fiuzi engaase, se julga quedimi
nulmos a forca do exercito. A forga do exercito
deve augmentar ainda por alguns anuos, at que
asclasses que tem de ser chamadas, estejam com-
pletas.
< Mas desde j temes, comprehendendo neste
numero os soldados, licenciados, 400,000 homens
e contando s os que este momento eslo cm ar-
mas, 250,000 horneas.
Em proporco a Austria, tem talvez menos do
que nos, depois das redceos que acaba de fazer.
Nao est absoluiameute no uosso pensaraenlo di-
minuir as nossa forcas. Mas repito, que conservar
sempre a espada na mo, e brandi-la a cada mo-
mento, urna cousa que fatiga. (Riso).
t O ministro da fazeoda sabe se o braco est fa-
tigado. Alm disso, permanecer s armado, quan-
do lodos desarman, bravata, ...
Urna voz.Um don quicholismo.
O general Lamarmora.Essa a expressao. O
essencial para nos ter o exercito prorapto para o
dia em que tivermos necessidade d'elle. Nao jul-
go que a Austria pense em nos atacar, como fez
em 1859. Se houve occasio em que poda faze-lo
foi em 1860. O honrado Fiuzi, que reside nas im-
mediac.5es de Mincio, sabe que forcas tinha a Aus-
tria entao, e quo poucas havia da nossa parte. Se
ella nao atravessoa o Mincio em 186, nao creio
que queira passa-lo agora.
Talvez que mude de opinio ; mas fique-se
bem persuadido que nos nao dormimos, e que
quando o olho nos uo fr snfflciente para a vigi-
lancia, paremos a luneta. (Riso). Comprehendo
que o honrado Fiuzi, que por muito tempo viveu
sob o dominio austraco, esteja preoccopado; isso
que Ihe faz dizer qae os austracos nao s nos
odeiam, mas que nos despresam. Desojara porra
que elle nao julgasse dos verdadeiros sentimentos
da Austria, pelo que dizem alguns jornaes d'alm
do Mincio.
O honrado Fiuzi, leu-os muito; reflicto que
os joroaHstas sao subditos assalanados, e neces-
sario nao fazer sempre muito caso do que elle es-
crevem.
Mas ea nao quero comarometter-me com os
nossos jornalistas, come ltimamente me compro-
met'! comes nessosadvogados. (Riso.) E'facto que
alguns jornalistas austracos se entregara a toda a
sorte de invectivas contra nos. O que prova ists ?
Qoe a Austria tambem tem os seus asaltados, os
seus declamadores. (Rw). .
c Ora, com esles sentimentos, nanea se faz nada
bom. (Muito bem). O que fr mais rasoavel que
atina! ba de ter razo. As declamacdes, as grandes
phrasos, as bravatas nao serven de cousa a'guma
No ponto a que chegamos, ouso afflrmar qae a Ita-
lia e desde j nais necessaria ao equilibrio euro-
pea, do qoe talvez a velha monrehia austraca.
(applasot).
t- Mas.dma o honrado Fiuzi, de um dia para o
euiro a Austria cae sobre vos, qoer retomar as
suas postesses perdidas, a sua antiga supremaca
na Italia; qner, em ama patarra destruir a Italia.
Nao creio. Pelo contrario, julgo que na Austria co-
mecam a modificar-se as deas, que ali havia a
respeito da Italia. Mas, suppoodQ qaa a Austria
projectasse effectivamente a nossa destruicao, seria
entao o caso de nma guerra tonga e enearnicaJa,
e leriamos tola a razo e todo o direito, antes de
nos deixarnios desnombrar, para empregar lodos
os nossos oxforcos, afn de conseguirnos des-
membrar, a monarchia austraca. (Signaes deoppo-
siedes.
t Ora Siinhores, cono se poderia tratar do urna
guerra tonga e mortfera, de tima guerra de des-
truicao, do dever dos homens de estado procu-
rar evita-la, allasta-li pdo menos, tanto quanh fr
possivel; c se depois disto, se nao podesse evitar,
se lodos os meios de conciliario se nialograssem o
hourado Fiuzi jmga que entao todos estaramos do
accordo, e que Ihe podiramos fazer faco resoluta-
mente.
No entretanto, nao julgo necessario repetir
! que so o governo est compenetrado do dever, de
1 se preparar para qualquer aconteciinento que pos-
sa surgir, cnteodo umbem que se deve ser o juiz
I das resoluces que se devem tomar, nao se deuan-
do arrastar seja por quem fr. (Signaes de appro-
1 racoo.)
------------i I 1'JlllH I i ------------
UM P0UC6 DE TUDO.
L-se no Commercio do Porto o segulnte sobre
paleontologa :
A duas legoas de Dinant, communa de Furfuoz
na Blgica, ha urna caverna conhecida helo nome
de huraco dos Nuldes. situada a quarenta metros
cima de Lesse, que corre no valle contiguo.
cima dessa caverna, na collina, havia ontr'ora
um campo romano enjos muros, recentemente
descoberlos, esto em perfeilo estado de conser-
vado.
Una tonda popular conta que os Nutdes eram
era outro tempo operarios invisveis, que se occa
pavam exclusivamente com certos trabaltios no
fundo da caverna em que viviam occullos.
Amolavara armas c utensilios.
Os habitantes do paiz punham a porta da caver-
na os instrumentos quo queriam retocados e junta-
mente um pao. No dia seguate ja l nao viam o
pao, roas achavam os utensilios perfeilamente con-
certados, e nao havia urna creatura viva que tives-
se visto algum dos mysteriosos habitadores da ca-
verna.
Ura dia era que quizeram impngir Ibes um pao
I mal fabricado, os Nutdes nao lornaram a appare-
! cer, e segundo a lenda deram entrada no inferno.
Eslcs Tactos leudarlos, transmitiidos de seculo a
seculopelas tradices, Hzeram impressao no pro-
| fessor Van Beueden, de universidado de Lovo,
membro da academia das sunelas da Blgica.
Van Beueden fez urna coramuuicaco a esta cor"
poracao, e propoz-lhe que se solicitasse ura subsi-
dio do governo para poder proceder a escavaces
na caverna. A academia apoioo a proposia, e o
governo coucedeu una quaulia que em verdade
era bstame mdica, mas sullicieute para comecar
os imbuiros.
A pedido de Van Beoeden, foi encarregado da
direcec das escavaces um douiore.ii philosoplua,
. e sao as primeiias descoberlas o que varaos des-
! crever em poucas palavras.
, Movida a primeira carnada de terreno, appare-
ceram algunas moedas da repblica franceza.
: Mais abalan foram achadas moedas da naviera,cu-
ja presenta se explica pela viziuliau(,-a da provincia
de Liege, donde muilos principes bispos foram du-
: ques da Baviera.
Em seguida descobriram-se moedas da idade
i media, cm urna carnada inferior, moedas romanas;
'depois otaria cltica; urna flecha com pona de
bronze e differenles objectos que fazem lembrar o
periodo dos Celias.
Esles objectos estavain enterrados em urna ierra
] denegrida.
Depois chegou-se Ierraargilosa, e emfim aquel-
' la carnada especial que os gelogos chaman dilu-
1 vium.
Vencidas as diffkuldades que a natureza desse
i terreno explica de sobejo, chegou-se por im s se-
Iguintes pegas ante-diluvianas.
Descobriu-se urna flauta feila de una tibia de
cabra, apresentando ainda as marcas do silex com
! que foi lalhada, algumas facas de silex, urna agu-
| Iha fcita de osso. carvao feito com ossos humanos,
ramos de arvou c alguns frucios, um ossuario hu-
mano composto de mais de mil pecas todas em po-
sicao horisonial, como o caladysmo das aguas de-
va naturalmente te-las deiado, e dous crneos hu-
manos, perfeilamente conservados, chotos de arela
e de fragmentos de pedras, como de cerlo os pre-
cipilou all o fluxo das aguas.
Nos seus caracteres geraes a configurado destes
crneos absolutamente egual a dos homens da
nossa poca.
Posto que milhares de annos tenham passado so-
bre elles, estabelecem admiravelmenle a unidade
da especie humana, e estas descoberlas destroem
completamente as supposicoes da escola materia-
lista moderna.
O ferro nao eraconhecido daquelles seres huma-
nos.
Tinham apenas o slex.
Sabiam produzir o fogo.
Era urna palavra, ple-se reconstruir urna gran-
de pane dos seus costumes e hbitos por meio dos
, objtdos que se eslo exlrahlodo daquellas covas.
O que conseguiu todo o poder do re de Babilo-
nia contra os tres mancebos israelitas que por
ordem foram toncados na fornalba ardente,
nao lerem, corajosos, obedecido ao decreto
manda va a lodo povo adorar a sua estatua ?
seguiu, sim, ver sahirem elles Ilesos das ardeites
chammas, dando cada vez mais louvores a
Deus nico e poderoso.
o que tem podido o inferno contra os defenso-
res da religio santa do crucificado, se nao v Ma
propagada por todo o mundo e cada vez mais c res-
cido o numero de raartyresque, corajosos, tni sel-
seu sangue a f qae confesso e i nsi-

sua
por
qae
Con-
?sse
nar
o se-
ISSOS
i tn-
lado com
nao t
Nos navegamos, emquanto vivos, em om
lempeslooso, quo o mondo : nm mar rodo
eheio de cachopos e de perigos sem conta ; pirm
a nossa concupiscencia que agita horrivelnjente
as ondas desle mar, o nosso orgulho r,oe
mea de quasi inevitaveis caen ipos; sao os I
odios, a nossa ambico, a nossa avareza quein le-
vanta nelle esse tufe, essa tempestado qu: nos
faz sossobrar, atira com a nossa alma n
fem I
Oh / como e pengosa a nossa viagem !... Jomo
inceria a nossa derrota ao porto de salva-
gao I...
Mas por ventura nos tem Deus abandonada en-
tre tantos perigos T Nao nos tem elle dado nma
bussola certa (a sua lei) para com seguran? nos
encaminharmos a esse porto, ultima aspiraci o das
almas Justas?...
Para amainarmos os ventos tempestuoso
Fallecen em Brandis, na Bohemia, onde viva
com seu cimbado, o grao-duque Leopoldo da Ta-
cana, a gra-duqueza Mara, (Iha do fallecido Ma-
ximiliano, principe da Saxonia, e viuva do gro-
duque da Toscana, Fernando III.
Tmha 68 annos de edade, pois nasceu a 27 de
abril de 1796.
~o>-
Deu se ltimamente no tneatro nacional de Cin-
cnnati um caso ootavel.
A dancarina Miss Francis, lando acabado de
dancar com muito, applartso foi ao ftyer, onde
bebu um copo d'agoa gelada.
I O publico chamou-a para a applaudir de novo, e
mal appareceu no palco, cania mora na presenca
dos espectadores qoe a victoriavam I
Assegura-se, diz um jornal francez, qoe o rei da
Prussi dirigiu a seu primo o re da Dimanarea
qma carta autographa concebida em termos os
mais sympalhicos.
Isto que se chama afagar a cara qae se arra-
nhoc I
Sobre o Evaogelho de S. Matheus cap. 8 v. 23 a
27Porqne lemestes, homens de pouca f ?escre-
ve o Cruzetro do Brasil : <
Quando Deus esliver comnosco, debalde se re-
voliar contra nos o mundo, os elementos e ainda
mesmo o inferno.
Os livros santos abundam em frequentes provas
para nos confirmar cada vez mais esta satisfactoria
verdade.
O qoe pode o ingrato re Sal contra o vencedor
de Goliat T
Entretanto este iaiqno e ingrato rei de Israel
empregava todo sen poder para o colher as mes
e lirar-lhe a vida, e aqoelle qoe, pela sua slmpli-
cidade e Innocencia de costumes, linha sido ungi-
do rei em seu lugar por determinacode Deas, que
o liana reprovado pela sua soberna,
oram
urna
suro-
a na
ateri-
da
fer-
cipu-
das
nossas paixes nao temos o infallivel recargo das
preces e boas obras ?...
E' este certamente o exemplo que nos ministra
o evangelho de hoio quando os apostlos
sorprehendidos no mar de Theberiades po
horrivel tempestado.
O qne fizeram elles seno recorrerem pre
sos a Jess Christo (que entretanto dorm
mesma barca), dlzendo.
Senhor I salvae-nos, seno perecemos
Porm a maior parte dos homens, quando
bulados pelas vicissitudes, s vezes horrive k
vida, em vez de recorrerem a Deus por ama
vorosa e humilde prece, como fizeram os di
los de Jess Christo nesta occasio, esqueetm-se
daquelle que sustenta as aves do cu e vesle >s ly-
rios do campo, daquelle que nosso creador, e de
seu filho Nosso Senhor Jess Christo, que n s re-
raiu com seu precioso sangue, e se entreg m
desesperado 1...
Porque temis, homens de pouca f ? disse o di-
vino nieslre quanto foi acordado por seus di. cipu-
los na occasio da tempesiade.
Porque desesperis, christos de pone i f ?
vos dizemos nos tambera agora...
Ishorais que Deus nos vi>ita nos trabalhc s nas
aflliccoes e perturbaces, para despertar-nos 'o le-
thargo da vida e encarar o precipicio em qoe < pec-
cado est prximo a despenhar a vossa al ia e
assim revoear-vos para si ?... Ignoris qne Dos
visita tambem aos mesmos >*stos nos trab Ihot,
nas aflliccoes e perturbaces da vida, para p ovar
a sua constancia e fidelidade no sea amor, para
maior ser tambem o merec ment de suas al n as na
gloria eterna I
Aquelle qde. attendendo supplica dos di cipa-
ios mandn ao mar que se quielasse e > mar
promptamente obedeceu, est tambem s mpre
prompto a ouvir e attender suplica de seo: filho
regenerados no calvario com o seu precios ssimo
sangue, desde que elles pedem o-|que mai Ihe-
convm para sua salvaco, e o pedem com lumil-
dade e fervorosa f.
Sob o titulo Passageiros entre Portugal d o Bra-
sil, em 1864, publica o Jornat do Comtm reto de
Lisboa a segrate curiosa eslalisliea
Entr.
2,859
68
De 1 de Janeiro at 30 de junho...
Julho......... JO-Kepler.......
13-Oneida......
l-Hearn.......
26-Galileo.......
29 Kstremadure .
29Magdalena___
Agosto........ 13-Paran.......
13-Navarre...... 248
13Kepler.......
29 -Oneida......
> 29-Guienne.....
Setembro...... 14Magdalena...
14 -Estremadore .
27Paran......
29Memnon.....
30-Bearn.......
Oulubro....... 14Oneida......
14Guienne.....
20-Galileo......
28-Herschel. ...
29Navarro.....
31Magdalena...
Novembro..... 13Paran......
n 13Bearn.......
20-Kepler.......
29-Ooeida......
29Galileo......
30 -E-lremadure.
Dezembro...... 16Navarro.....
16Magdalena...
24-Newlon......
29Guienne.....
29Paran...... 132
30Memnon..... 1
261
247
131
244
132
145
13
84
11S
11
89
90
Sah.
171
118
&
178
134
33
200
148
13
208
241
48
247
211
17
233
99
8
162
Total.... 4,924 i 065
O seguran hymno, composto pelo Sr. Dr. i.
de Araujo, foi cantado na Escola Central, em i do
corrente :
Brasileiros I guerra I guerra !
Desaggrave-se a nago I
Dos antros da escravido
Fez-se affrontas ao Brasil.
Gnerra I brada o Ypiranga.
A's armas o Brasil chama I
Ao som do clarim da fama
Vraganca jora o Brasil.
Brasileiros I guerra guerra I etc.
Erguido como o gigante
O Amazonas bradou :
Guerra a quem fero pisou
Nossas Ierras do Brasil I
guerra I ele.
Brasileiros 1 guerra
Como o anjo da victoria,
Nos guia Pedro Segundo ;
Mostremos a todo o mundo
O quanto pode o Brasil.
Brasileiros I guerra I guerra I etc.
Todo o povo a mo estende,
Do'a bandera aperta o laco,
Jurando n'um s abraco
Morrer por f edro e Brasil.
Brasileiros I gnerra 1 guerra I ele.
Mi
Do Correio Mercantil da Rio extrahimes o sef-
gointe acerca da corveta encouracada Brasil ;
A crvela encouracada Brasil, encommendada
ama companhia de Marselha (tocut nouvelle del
orges et chantiers de la Meiilerrane), deve sei
entregue aos agentes do governo brasleiro a 14 de
fevereiro p oximo, termo do respectivo contrata
racllficado em Pars. J lemos noticia de havet
sido toncada dos cstaleiros da Seyne. Na poca
fixada deve estar montada a artilharia e concluidos
os arranjos internas.
No decurso do mez de margo a corveta Brasil
salvar no porto do Rio de Janeiro. Montar qua-
tro pegas nuezas de 68, primeira classe, e quatro
de 70 Withworth, raiadas. O calado d-'agun me-
dio ser de 3,65 metros, ou cerca de 16 1J pal-
mos.
Sabe-se que o ro Paragaay offerece, mesmo ci-
ma de Humall e da Assumpgo, urna profundida-
de media superior.
O costo da corveta de 1,880,000fr. ou cercada
600:000|00l>, no qual' nao se comprehende o da
artilharia e munigoes de gnerra.

|U
2


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECTIA5FUT_7U3M8O INGEST_TIME 2013-08-27T21:17:38Z PACKAGE AA00011611_10597
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES