Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10594


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AHHO ILL NUMERO 37.


-
4f"
Ptr fnrtel pag |eotrt de 10 das do 1. mez ...;:.
dem depis dos l.0110 das % ceuieco e dentro do qaartcl. .
Porte ao eorreio por tres nezes............:
.** 9h
5J000
6S000
780
DIARIO DE
OOARTA FEIRA 15 D FEVEREIRO DE Un.
Per anno pago dentro de 10 lias do 1. mez ,,,.,.. 491000
Porte ao correio por om anno ,........... 3J0D0
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Letnos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivara; Maranho, o Sr. Joaqaim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, or. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPGAO NO SL.
Alagoas, o Sr. Claudios Falcao Das; Babia, o
Sr. Jos Mantas Alves; Rio de Janeiro, oSf. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estages da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Ailo, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinbo, Garanhuns, Buique, S. Bento, BomCon-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgneiro e Ex.nas quartas feiras.
seriohaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agoa Preta e Pimenteiras, as quintas feiras
liba de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as iO h., 48 m. o 58 s. dat.
10 Loa chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 La nova as 5 h., 43 m. e 22 s. da t.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas *u/10 horas.
Juizo do commercio: segundases 11 horas.
Dito de orphSos: tercas e senas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Gregorio p.; S. Benigno b.
14. Terca. S. Valentim m.; S. Auxencio m.
15. Quarta. Ss, Faustino e Jovita mm.
16. Quinta. S. Raymundode Penafortc.
17. Sexta. S. Pulycarpo b.; S. Bmulo m.
18. SaMiado. S. Si mean b, m.; S. Prepedigna v.
19. S. Conrado f.; S. Gabino m.; S. Alvaro f.
PREAMAR DE IKIJE.
Primeira as 7 hora e 42 m. da manbaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sui at Alagoas aji e 30-, para o norte
.at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, marco, maio,
julbo, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 c 8, dos propietarios Manee! Figueira de
Faria A Filho.
PARTE OFFICIAL
MINISTERIO I0 IMPERIO
5." secgao.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
ocios do Imperio, em 21 de Janeiro de 1865.
film, e Exm. Sr.Foi ouvida a scelo dos negocios
do imperio do conselho de estado sobre a questlo.
suscitada por essa presidencia em olicio de 9 de
janeiro do anno passado, < se as saciedades maco-
nicas estao comprehendidas na disposigao do art.
27 do regnlamento n. 2,711 de 19 de dezembro de
1860.
E Sua Magestade o Imperador, tendo-se confor-
mado, por sua inmediata resoluglo de 14 do cr-
lenle mez, com o parecer da mesma secgao, exa-
rado em consulta de 26 de novembro ultimo, man-
da declarar a V. Exc. que as sociedades magonicas
Dio estao comprehendidas na disposigao do citado
art. 27 do regulamento n. 2,711, porque, assentan
do esta dlsposicSo no art. 2. da le n. 1,080 de 22
de agosto de 1860, v se das expressoes < compa-
nlnas e sociedades assimcivis, como mercantis >,
escripias neste artigo, que a lei nao tem por fim
regular as sociedades polticas e religiosas, pri-
meira classe das quaes perteneem as magonicas,
embra tenham igualmente por fim soccorrer seus
membros.
Accresce que, se as sociedades maconicas, como
sociedades polticas e religiosas, tivessem de ser
reguladas por lei, competira isto s assemblas
provinclaes, em virtode da disposigao do 10 do
art. 10 do acto addicional.
Finalmente, conservando as sociedades masni-
cas o carcter de sociedades secretas, nos arts. 282
a 284 do cdigo penal estao as regras que lhes de-
vem ser applicadas, sem ser exigida a publicidade
de seus actos : ora, sendo sujeitas oisposigao do
art. 27 do citado regulamento, se converteriam em
sociedades publicas, o qne nao parece ter sido in-
tenrao do legislador.
Dos guarde a V. Exc Jos Liberato Barroso.
Sr. presidente da provincia do Maranho.
MINISTERIO DA FAZENDA.
Rio de Janeiro.Ministerio dos negocios da fa-
zenda, m 13 de Janeiro de 1865.Carlos Carneiro
de Campos, presidente do tribunal do thesouro na-
cional, transmiti aos Srs. inspectores das thesou
ranas de fazenda, para o devido conhecimenio e
execuQor.e aviso do ministerio de estrngeros de
23 de dezembro prximo passado, junio por copia,
declarando, em solucao a duvidas suscitadas do
thesouro, que os cnsules eslraogeiros em caso
nenhum sao competentes para nomearem- tutores.
Carlos Carneiro de Campos.
Aviso a que se refere o o/ficto supra.
3* seccao.Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 18 do Janeiro de 1865.-Illm. e
Exm. Sr.Respondendo o seu offlcio de 23 de de-
zembro ultimo declaro a V. Exc. que o delegado de
polica do 1 districtu dassa capital chamando es-
enves das subdelegadas para servirem perante
elle, visto que os desinados por le nao podiam fa-
zcr esse servico em virtude de trabalhos, de que"
se achavam accumulados, proceden bem e de eon-
formidade com e aviso n. 180 de 16 de oulubro d
1854, como ja este ministerio decidi em dala de
24 do mez prximo passado urna questao seme-
Ihante, proposta pelo presidente da provincia de
S. Paulo; expediente este de que os delegados s-
mente devera langar mao na falta absoluta ou im-1
possibilidade dos escrives dos juizes muoicipaes.
Deus guarde a' V. ExcFraucisco los Fnrtado.
Sr presidente da provincia de Pernambnco.
Cumpra-se. Palacio do geverno de Pernambuco,
11 de fevereiro de 1865 A. B. C. Bronco.
Dito ao inspector da thesourana de fazenda.
Communicando-me o coronel commandante das ar-
mas em offlcio do 9 do correte sob n. 282, que
Manoel Pereira Camello Pessoa, tendo fioalisado
a licenga que obtivera desta presidencia para tra-
tar de sua sade, reassumio naquella data o exer-
para que possam com auxilio mutuo adquerir o
prestigio e consideragio, que facilitam o cumpli-
mento de tolos os deveres e que necessariamerfte
perdem se nao se respeitam, se aclntosamente se
contrariara, se privam com homens desconsidera-
dos por enmes e vicios, ou dominados de frenes
polrttco, se os seus actos reflecten) palxSes pro-
prlas,' ou alheias, se sao-inconsiderados, ou previa-
mente annunclados por aquelles a quem possam
ioteressar.
Recommendo, portanto, muito instantemente
V.... baja de tomar por norma de sua conduela es
tes principios salulares, cerliflcando-o de que, pro-
cedendo assim encontrara todo o apoio nesla pre-
sidencia, que sustentar os sens actos, dar-lhes-ha
toda a torga moral eos recommendarcom prazer
ao governo imperial, cujo malor empeho ter
runecionarios circumspeclos e conscienciosos, e ver
dominar a lei e o dever sobre todas as considera-
res.
Espero que esta recoromendaglo, genrica para
todas as autoridades, nao seja attribuida descon-
fianza ; mas smente ao zelo pelo servico publico,
ao desejo de imprimir todas s molas da admi-
nistrado urna di recelo justa e uniforme, a neces-
sidade de fazer conhecer o meu pensamento, a es-
peranza qne tonho de ser por todos auxiliado, e a
cicio das funceoes de ajudante d porteiro e flel da conflanca que me inspiram muitos caracteres no
arrecadacao, sendo conseguintemente exonerado bres e respeitaveis, que honrara o palz nos cargos,
Ernesto Odilon Maciel Monteiro que exercia inte-. que oceupam na provincia,
rinamente aquelles empregos; assim o declaro Ult0 a directora do theatro de Santa Isabel.
Commnmco a directora do theatro de Santa Isabel
para o (im conveniente que em vista de sua infor-
maglo de 9 do corrente, dada com referencia ao
V. S. para seu conhecimento e direecao.
Dito ao raesmo.Estando em termos o pret es-
Joaquim Aotono da Rocha.Nao tendo o sup-
pilcante obrado em virtude da lei ou de qualque r
outra autorisacao, como se v de sua petiglo, nao
tem lugar o que pretende.
Baeharel Joaouim Ferreira Chaves.Passe por-
tarla cooceieao 3 mezes de licenga sem venci-
mentos.
Jesino Archanjo de Albuquerque Pimentel.
Informe o Sr. juir. rannicipal de Nazareth.
Jos Francisco Lias.Informe oSr. Dr. juiz mu-
nicipal da primeira vara.
Manoel Joaquim Xavier Ribeiro. Dirija-sc a
ihesouraria provincial.
Manoel Marinho Cavalcaoti d'Albuquerque.
Passe portara concedendo a reraogo pedida.
Maooel Carneiro de Souza Lacerda.txpedio-se
ordem no sentido que requer.
D. JUaria Magdalena de Almelda Catanho.
Requeira ao tribunal da relaglo a quera na hypo-
these sugeita, compete a deciso do conflictos de
jurisdicgao conforme os artigos 61 e 9 9 do de-
creto de 3 de Janeiro de 1833.
Rosa Mara das Virgens. Dirija-se ao Sr. de-
sembargador provedor da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Rosa Mara da Silva Picard.Ficara expedidas
as convenientes ordens para a entrega do filho da
supplicante.
Virgilio Vieira da Costa Piolo. Informe o Sr.
director geral da instruegao publica.
pecial junto era duplcala, rae me foi enviado pe- requerimento de Miguel Candido de Medeiros Pin-
lo coronel commandante das armas com offlcio de il de,- seRu'nle despacho.Tomando era cons-
9 do corrente sob n. 278, mand V. S. pagar os' deracao a informaoao da directora do theatro' de
vencimentos relativos a 2- quinzena deste mez a San,a ***M, concedo ao supplicante a autonsagao
que tiver direito os recrutas era deposito no quar- 1ue ^f P*r dar bai es mascarados durante o
tel do 4 batalhao de rlilharia a p.-Commuoi- carnaval desle anno n amelle theatro Picando o
cou-se ao coronel commandante das armas. mesmo saPP!'cane obrigado a fazer todos os repa-
ros necessanos era ordem a entregar o edificio no
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
mesmo estado em que o receber e que deve cons-
Constando de "offlcio do chufe interino" da repart- tar de ura termo deexame, quenelle farao o direc-
gao das obras publicas, datado de 9 do corrente, lr das obras publicas e o administrador do thea-
sob n. 32, haver o arrematante da conservagao do. tr>lermo Q"8 tarabem assiguar o supplirtnte e
3 termo da estrada do sol cumprido com as con- umseu fiador que o garanta.-Igual commumea-
dgoes do seu contrato durante o mez de dezembro ao> se fez ao adminislradordotheatro de Santa Isa-
ultimo ; assim o communico a' V. S. para seu co-! "*' e ao cneft interino da repartiglo da obras pu-
nhecimento, e afim de que era vista do competen- j blicas.
te certificado, mande paear ao referido arrematan-
to a quantia de 304950 a que tem direito.Com-
municou-.se ao chefe interino da repartigao das
obras publicas.
(OVERIO DO RISPADO DE
PERNAMBUCO
SEE VACAMTE
Expediente do dia 8 de fevereiro.
Circular aos vigarios do bispado.Existindo as
mesmas razoes pelas quaes o Exm. bispo fallecido
costumava dispensar o uso do peixe no lempo qua-
resmal, contina em vigor a mesma dispensa, sen-
do permiltido o nso da carne urna s vez por da,
exceptuando a quarta feira de craza, a quarta (eir
de tmporas (no dia 8 de margo), todas as sextas e
sabbados, e toda a semana sania; nos quaes das
se deve observar rigorosamenle o preceto da abs-
tinencia, sendo todava permittido o uso dos lacti-
cinios, e permaoecendo em todo o vigor o preceto
do jejum em todos os dias da* quaresma, excepto
nos domingos.
V. Rvma. ter o cuidado de fazer notoria aos
Dito ao mesmo.Hecommendo a' V. S. que em
vtsta do competente certificado mande pagar ao
empraiteirp dos reparos da parte do edificio deno-
minadoCollepio raria a importancia da primeira
Dito ao director do arsenal de guerra.Para se ,
rem remettidos ao delegado do Goanna, como so- seus parochianos esta dispensa e as circumstancias
licitou, mande Vrac fornecer a repartigao da poli- que a acompanham, publicando-a em tres domn-
ela 6 pares de alg<*raas com cadeados, apresentan- go" consecutivos na occasiao da missa conventual
do-me a respectiva conta.Communicou-so ae Dr.! Dita ao vigario de Itamarac. Constando-me
chefe de polica. | que existe nessa fregueza urna capella com o titu-
[ lo do Sr. Bora Jess Menino, a qul se acha em
Dito ao Dr. Pedro de Alhahyde Lobo Moscoso. completa ruina, e sem paramentos, nem alfaas
Recebi o ofileio que Vrac. me dirigi era data de capazes para se celebrar o santo sacrificio da mis-
, *l! .,.foa q2e|hontem,onerecendo-se para prestar seus servigos 5a, cumpre-mc que V. Rvma. se entenda com o
tem d.re.to por haver fe.to mais da terca parte do no hospila. militar como medico e operador, sem pwpretario ou encarregado dessa capital, afim de
remuueragao alguma pecuniaria, vso terem de pecsuadilo a cuidar na reparayao do edificio e re-
seguir para a corle, na forma das ordens imperiaes. forma das respectivas alfaias.
os cirurgioes do corno de saude do exerclo, oa Aguardo a resposta que V. Rvma. deve remet-
teza com que. acudindo a voz do sen pastor, se tencejustificarse das aecusagoes feitas pelos par-
apressaram a trabalhar a seu modo na vmha do ciaes de alguos dos seu collegas no ministerio.
be!."or- .. .. .. D Fallaraim ja' sobre este assumplo os Srs. Luciano
Deixode louvar o zelo e acliv.dade que V. Rvma. de Casiro Vieira, Casal Ribeiro, Teixeira de Vas-
empregou no desempenho da commissao de que o concelldis e Fontes Pereira do Mello
entarreguei no meu offlcio de 19 de agosto do an- a priposta lem muila novidade e talvez na-
no prximo irado, .porque tudo quanto eu dissesse nhuns [recedentes as tradigoes constitucionaes.
(icaria muito aquem da sa.'isfacao e alegra rali- Sendo 4 ministerio solidario, parece evidente que
ma que V. Rvma, sent por ver os seus esfergos 0 inqueijio aos aclos do ei-ministro da marioha e
coroados cora tao feliz xito. coloniasiabraogera a todo o pessoal do gabinete.
Espero que, a medida que se forern terminando o minislro da fazenda declarou por parle do over-
os irabalhn* das diversas capella.s, V Rvma. me no que pao tema um severo exame dos sens ac-
reraetta urna descnpgao circunstanciada dos repa- ios.
ros que se fizeram, e das atraas que possue cada j a proposta nao foi approvada
umdesses templos, o estado dellas etc. Realisou se a fuso do Jornal do Commercio de
Dito ao Sr. alferes Manoel Das Ferrara. Ha- Lisboa com a empreza da Correspondenca de Por-
vendo eu recommendado ao Rvd. vigario da vara ugal, falha que se publica de quinze em quinze
da comarca do Penedo, que em meu nome se din- das, e estecialmeote destinada aos leitores do Bra-
gisse aquellas pessoas que pelos seus senlimentos sil, para onde remettida pelos paquetes transa-
rehgioses, e pela sua boa vontade se prestassem a nuticos, i
reparar as ruinas das diversas capel las, que pelo \ Sao directores geraes os Srs. Filippe de Carva-
seu deploravel estado tinham de ser fechadas ou lho e Luiz de Almeida Albuuuerque
talvez demolidas, e tendo V. S. se prestado, junla-1 a Correspondencia de Portugal vai augmentar de
mente com o Sr. Jos Cyriaco de Barros, e ootras formato, para o que espera machinas de malores
pessoas, a reparar a capella de Nossa Senhora dos, dimeuSeiL
Prazeres na freguezia do Colleeio, corre-me o ri-
goroso dever de, em nome da religiao e dos povos,
agradecer a' V. S. o relevante servigo que presta
a' casa de Dos e ao cnlto publico; ticando cerlo
V. S. e todos os que o coadjuvaram nessa pa em-
preza, que Aquelle que nao deixa sem recompen-
sa um copo d'agua dado em seu nome, ha de galar-
doar exuberantemente a todos q na utos trabalham
para reparar a casa do Senhor, e proporcionar aos
fiis os lugares de oragao.
Espero que V. S. tara' constar a todas as pes-
soas que por qnalquer modo coadjuvarem nesse
trabalho o voto de louvor e de aniraago que aqu
lhes dirijo.
Igual ao Sr. Jos Cyriaco de Barros.
Iguaes offlcios, mutatis mutaniis.
Ao Sr. Manoel Joaquim Ferreira que est re-
conslrumdo a capella de S. Jos;
Ao Sr. tenenle Alexandre Falconery da Silva
que, com outras pessoas, esta' reparando a capella
de S. Joiio da Igreja nova;
Aos Srs. Manoel Bezerra de Godoes e Manoel
Agostinho Bezerra, que eslao cooslruindo a capella
de Nossa Senhora da Conceigo de Marimba ;
Aos Srs. alferes Jos Antonio de Vasconcellos e
Manoel Gongalves Piraenta, que com outras pes-
soas estao cuidando em reconstruir a capella de S.
Jos de Pi ranga.
E aos Srs. capillo Jlo Ferreira, e seu filho Ma-
noel Serlorio Ferreira Ferro, que esto concertan-
do com todo o esmero a capella de S. Joo da Ga-
meleira.
A' presidencia do Amazonas.Ministerio dos'ne-1 ,,,
Socios da fazenda, em 19 de Janeiro de 1865.-, !f^n^S ^riio-^ I.^m9' d-S"-0 ^"
Film, e Exm. Sr.-No tendo sido exeet4a a dr-' ?^ T iC?J -S?S ? d"
cular de 2 de novembro prximo passado, nos ter- VA ".S/, "-3VCTmUn'?'??'Se a
nos em que foi conceb.da, e com o necessario de-;chefe in,ermo da reParll5ao das obras publicas. jstentes na guarnigao desta provincia. I ter-me cora brevidade.
senvolvimento por parte de alguraas presidencias,' Dito ao commandante superior interino da guar-' Louvando o pairiotico olfereciment de Vmc. vou 9
convem que as informagSes qne V. Exc. tem de da nacional do Reare.-Ao offlcio de 7 do corren- leva-'0 ao conhecimento do governo imperial, allm Offlcio ao Sr. Andr Avelino Santa Rosa, em Ala-
remetter sejam enumeradas todas as verbas de re- te esobn. 29 com que V. S. trouxe ao meu conhe-: de ser tomado na consideraglo, de que merece-,gasRecebi o offlcio de V. S. datado de 29 do
ceita provincial com indicacao em face a cada urna cimenio o requerimento em que o tenente-coronel dor> no entreanlo offlcio nesta data ae coronel j prximo passado que respondo.
dellas da legislagao que Ihe peculiar, na forma commandante do .'! batalhao de reserva da guarda commandante das armas, que est autorisado a; Qnando emprebendi fazer que se publicasse o
do modelo junto. Cumpre outro sim que apresen- nacional deste mura ipio Joao Valentim Villela,' contratar os mdicos civis, qoe devem substituir; peridico religioso intitulado Oito de Dezembro,
te as causas de seu augmento e dimrauigo : o que coso como sempre se tem mostrado pelos bros na- os militares para que atienda aos bons desejos de bem quizera eu poder espalha-lo por toda a pupu-
cionaes, e no intuito de coadjuvar o governo na Vmc. quaodo houvcr de tomar aquella prov- |aglo da diocese; mas nao me era possivel, alienta
emergencia em que se acha, offereceu-se para ser-, dem?a ~''ual .em ,,,,e0,r e data, mutatis mutandis. a falta de meirs e a difflculdade que ha de se im-
vir na forga activa da guarnigao desta capital du-
rante o terapo que fdr preciso, independente de
qualquer remnneraglo a que tiver direito como \ raas-
destacado, tenho a dizer que deve V. S. aceitar tao
patritico offerecimento logo que se d occasilo.
EXTERIOR.
tudo muito se recommenda a V. Exc, e confia o
governo que esses esclarecmntos Ihe sejam for-
necidos com toda a brevidade e a lempo de pode-
rem em maio do corrente ser submettidos consi-
deragao das cmaras legislativas.
Iseos guarde a V. ExcCarlos Carneiro de Cam-
pos Semelhante s demais presidencias, excep-
tuando as de S. Paulo, Bahja, Santa Catharina, Es-
pirito Santo e Matto-Grosso.
ao Dr. Alexandre de Souza Pereira do Carmo. -
1 Communicou-se ao coronel commandante das ar-

Dito ao director geral da instrncglo publica
Respondo ao seu offlcio de 10 do crreme, sob n.
41, dizendo que designo o professor do Gymnasio
Provincial Porfirio da Cunha Moreira Alves para
substituir o professor do mesmo eslabeleclment
padre Ignacio Francisco dos Santos nos exames
das materias preparatorias do Curso Commcr-
applicacao aos ojficiaes que fazem parte da guar- Cii\
nicao dos navios da armada. D"lt0 ao inspector do arsenal de marinha. Em
2- secrao.-Minisierto dos negocios da marinha. visU da sua jnforinacrio de 8 do corrente, sob n.
-Rio de Janeiro, em 3 de fevereiro de 86o.-De 807, dada com referencia ao requerimento de Rosa
accordo cora o parecer do conselho naval enuncia- Mara da Silva Ricard, autoriso V. S. a mandar
MINISTERIO DA MARINHA
- AVISO DR 3 DE FEVEREIRO DE 1865.
Declara que o aviso de 25 de julho de 1862 so tem
do em consulla n. 931, acerca do requerimento do
commissario de 3.* classe do corpo de fazenda da
armada, Domingos Antonio de Souza Viegas, so-
bre que V. S. tambera informara em data de 21 de
novembro do anno passado, pedindo que nlo seja
descontada a importancia dos seus vencimentos,
recebi Ja na provincia do Rio-Grande do Sul, du-
rante o lempo era que all permanecer depositado
no quartel da companhia de aprendizes marinhei-
ros, declaro a V. S. para seu conhecimento e exe-
cugao, que o aviso de 25 de julho de 1862, deven-
entregar supplicante o seu filho Luiz Bapiista da
Silva Ricard, eliminando o da companhia de apren-
dizes artfices, visto solrer de ataques epilpticos,
como declara V. S. em sua citada inforroacao.
Dito ao mesmo.Mande V. alistar.se estver as
condigoe legaes, na companhia de aprendizes ma-
rinlieiros desse arsenal, o menor Jaeob, que a essa
repar;igo mandel apresentar. Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Em vista do que informa o
inspector da sade publica em offlcio de 8 do cor-
do ser restrictamente entendido, s tem applicagao ren,e, nenhum inconveniente ha em que sejam
aos offlciaes que fazem parte da guarnigao dos na- desmanchadas as divisoes que se fizeram na sala
do risco desse arsenal para servir de enfermara
vios da armada.
Dos guarde a V. S.F/ancisco Xavier Pinto
Lima.-Sr. contador da marinha.
M-fl5V--.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia i i de fevereiro de SC5.
de cholencos : o que declaro V. S. em resposta
3.0 seu offlcio de 3 deste mez, sob n. 829.
Dito ao director das obras militares. Recom-
mendo V. S. que entendendo-se com o gerente da
companhia do gaz, trate de providenciar em ordem
a fazer desapparecer o inconveniente que se di na
illumnagao do qnartel da Soledade, onde outr'ora
Offleio ao desembargador prevedor da Santa Ca- \ se alojara o 9 batalhao de infaniaria, e que allude o
sa de Misericordia.Era vista de suas ioformag5es offlcio do coroBel commandante das armas de 9 do
de 10 do corrente sob n. 55'e 60, autoriso V. Exc. corrente, sob n. 265, junto por copia,
a mandar entregar a Francisca das Chagas Mendes
e Rosa Mara das Virgens os educandos do collegio Circular a todas as autoridades da provine a.
dos orphos de nomes Francisco das Chagas Men- Por causas especiaes e antigs e pelas nimias e
des Sobrinho da 1 e Joao Baptista Coutinho Lobo reiteradas lulas polticas e partidarias, de que tem
neto da 2*. f 'do theatro esta provincia, e muito natural que
Dito ao mesmo.Pelo offlcio de V. Exc. de 10 ne'la existam resentiraentos, rivalidades e desgos-
do corrente fiquei inteirado dos mordomos que se 'os, que cream a descrenga e disconfianga, e man
acham servlndo no corrente mez nos diversos esta- 'em um exeiamento e susceptibilidade, s boas re
belecimentos a cargo dessa santa casa. laC9s dos homens e aos c
Dito ao coronel commandante das armas.Sir-soc'edade.
va-se V. S. de Informar acerca do que pede no in-1
ctuso requerimento o alferes reformado Antonio
de Albuquerque Maranho.
primirem muitos exemplares era um prelo fcragal;
e por isso s pude conseguir que se tirassem dous
mil exemplares de cada numero, o- quaes apenas
Dito ao administrador do correio. -Communico chegam para a distribmgao que se faz as raatrizes
a Vmc. parasen conhecimento, que segundo cons-je conventos do Itecife, c na cathedral de Olinda.
tou de offlcio da secretaria de estado dos negocios i Se Dos me ajudar, pretendo obter urna maquina
da agricultura, commercioe obras publicas de 21 'que possa imprimir uns cinco ou seis rail exon-
de Janeiro uliimo, foi nomeado nessa data Gustavo i Piares em pouco lempo, para entlo distribuir al-
Lustosa Quinaquina, para o lugar do ajudante da guns pelas outras provincias do bispado. Porra
agsncia do correio do Ex cora o vencimento doia' essa occasiao s posso limitar a distribmgao as
agente quando fizer as suas vezes.-Communicon- duas cidades do Itecife e Olin-ia.
se ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dito a cmara municipal do Recife.-Commu-
nico a cmara municipal do Recife para sua in-
telligencia, que nesta data levo ao conhecimento do
governo .imperial, para resolver como entender
mais acertado o offleio que me dirigi a mesma c-
mara em data do Io do correte, sob n. 7.
Dito ao juiz de paz mais votado do primerodis-
tricto do actual quadriennio da fregueza de Inga-
zeira. Nao tendo o juiz de paz mais votado do
quadrienaio lindo dessa freguezia, como Vmc me
declarou em seu offlcio do 9 de Janeiro ultimo, fei-
to a convocagao de que trata o artigo quarto da lei
de 19 de agosto de 1846, afim de ter lugar na ter-
ceira dominga d'aquelle raez, a reuniao da respec-
tiva junta revisora de qualilcagle, recommendo a
Vmc. em vista do que determinara os avisos de 18 j
de Janeiro de 1834 e 31 de maio de 1861, que guar-
dado o prazo o mais formalidades da le proceda a
referida cunvocaglo e rena a junta revisora no
dia 23 de abril prximo vindouro, que para isso fi-
ca designado, e prosiga no processo da revisao ten-
do em vista o decreto n. 2865 de 21 de dezembro
Tenho recebido varias reclamacoes e pedidos no
sentido em que V. S. me escreve; mas o que hci
de cu fazer? V. S., conhecendo pois os motivos,
que me obrlfcaran a fallar ao seu pedido, ha de
desculpar-me, attendendo boa vontade que me as-
siste.
Dilo ao vigario de Cimbres. Respondendo ao
seu offlcio de 25 do prximo passado, tenho a di-
zer-lhe que, nlo podeodo verifirar-se que a Gene-
rosa Maria, cuja certidao de bito V. Rvma. me re-
melle, seja a mesma Generosa Mana da Gloria,
casada com Lourenco Monteiro Cavalcante, e isto
nao s por faltar no langamento da primeira um
sobrenome, como por nao se declarar em dito as-
senlo com quem era casada a mesma Generosa,
cumpre que V. Rvma., chamando duas ou tres das
pessoas dessa freguezia, que affirmam ter visto
morta a mulher de Lourengo Monteiro, proceda
competente justificaclo de bito, para o que Ihe
concedo a necessaria autonsagao mesmo para dar
asentenga final, alienta a distancia em que se
acha essa freguezia. Urna vez veri cada a morte
da mulher de Lourengo Monteiro, pode V. Rvma.
revalidar o casamento deste cora Candida Mara da
de 1861 e mais disposges em vigor.Offlciou-se Conceigo, o qnal esta' nullo por haver sido cov-
ao juiz de paz mais votado do quadriennio (indo da
mesma freguezia de Ingazeira, para que infoime,
porque nao organlsou a referida junta no prazo
marcado por lei.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao que requeren o desembargador da relacao des-
ta provincia, Alvaro Barbalho l'clioa Cavalcanti,
resol ve conceder-lhe 30 dias de licenga sem venci-
mentos, para tratar de sua sade.
-iSi-a-C
Despachos dos dias 10 e 11
1S65.
de fevereiro de
Dito ao mesmo.A' V. S. fago apresentar o ci-
dadlo Francisco Augusto Pires que se offereceu
para servir no corpo de voluntario da patria, afim
de que mande alista-lo se estiver as condiges
lgaos.
Dito ao Dr. chefe de polica.Respondendo ao
offlcio de V. S. de 31 de Janeiro ultimo sob n. 61
tenho a dizer que em 10 do corrente communicou-
me o desembargador provedor da Santa Casa da
Misericordia a quem ouvi acerca da materia do
seu citado offlcio que nao obstante achar-se consi-
deravelmente augmentado o numero dos alienados
qne actualmente existe no respectivo hospicio ex-
pedir as convenientes ordens ao regente no sen-
tido de ser recebda no referido hospicio a aliena-
da Alexandrina da Gloria logo que Ihe fosse apo-
sentada por parte de V. S.
' Dito ao mesmo.Remetto V. S., para seu co-
nhecimento e execugo e afim de qne o faga cons-
tar a quem mais convier copia do aviso do minis-
terio da jnstiga em sotuglo a materia do sen offlcio
n. 1577 de 90 de dezembro ultimo com referencia
a eutro em que o delegado do 1 distrlclo desle ter-
mo, communieando ter chamado para servir pe-
rante elle escrives dasubdelegaclas por impos-
fibilidade dos escrivios do jnixo municipal.
E', pois o primeiro dever da autoridade, e de
todos os cidados, fazer quanto em si couber para
modificar esse estado anormal em um novo de n-
dole naturalmente pacifica, de tendencias todas ge-
nerosas ; e que sem duvida nenburaa suspira por
urna ordem de cousas, mais consentanea com sua
felicidade.
Essa tarefa, difflcil no calor da luta, nao o ser
quand esta lida e quando naquella seempunham
tantos homens prestigiosos de todas as parcialida-
des, que certamente serlo logo secundados por ou-
Iros, aos quaes, motivos talvez mais graves, con-
servan), mao grado seu, estraehos a obra lio meri-
toria.
Praz-me acreditar qne V...., como cidado e como
autoridade ser um dos mais dedicados empreza
tao louvavel; e confio que, mediante seus esforgos,
muilo se conseguir.
A presidencia emende que o meio efflcaz pa-
ra obter-se semelhante fim : mostrar-se a au-
toridade sempre justa e imparcial, inaccessivel
todas as suggestSes o entasde paix5es partidarias
ou de qualquer outra natureza, que tendam a des-
via-la de sens deveres, da urbamdade e benevolen-
cia; que deve manter no seu trato e relagoes para
com todos, da tolerancia, harmona e boa intelli-
Bequermentos.
Andr de Abreu Porto Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da repartigao das obras publicas.
Antonio Ferreira da Silva.Informe o Sr. cora-
mandante do corpo de polica.
Amancia Maria de Araujo. Informe o S Dr.
juiz municipal da primeira vara.
Alexandrina de Paula Borges Ucha.Indeferl-
do por nao ter o filtro da supplicante a idade de 7
annos, exigida pelo artigo 36 do -regulamento de
28 de Janeiro de 1861, como se v da certldlo que
juntou.
Eduardo Frederico Baocks. Informe o Sr. di-
rector geral da instruegao publica.
Feliciano Francisco das Chagas.Informe o Sr.
capillo do porto.
Francisco das Chagas. Mendes.Dirija-se ao Sr.
desembargador provedor da Santa Casa da Mise-
ricordia.
Jos Pedro Emiliano. Concedo o prazo de|8
dias para o fim que declara.
Jos Marlanno de Barros Cavalcant.Informe
o Sr. inspector do arsenal de marinha.
Joo Gomes de Mello.Indeferido por ser o sup*
pilcante de avangada idade, conforme a informa-
gao do desembargador provedor da Santa Casa de
Misericordia.
Dr. Joo Pedro Maduro da Fonceca. Jqnte o
gencia, que devem reinar entre os orgaos da lei,' supplicante a certidao de baptismo do orphao.
trahido em vida da primeira mulher do nubnte,
como V. Rvma. declara em seu offlcio.
Remetto iaclusa a certidao de bito que veio
junia ao seu citado offlcio.
Dito ao Sr. Antonio Ramos.-Constando-me que
o Rvm.Jos Antonio dos Santos Lessa, na exposi-
gao que flzera aos seus credores, hontem por elle
reunidos, declarara que por transacg5es commer-
ciaes havia elle passado para as nilos de V. S. a
quantia de tres contns de ris (3:000000) que o
Exm. prelado diocesano, de gloriosa memoria, dei-
xou para, por soa morte, serena distribuidos, sendo
um cont de rls para os pobres da cidado do Re-
cife, outro cont de ris para as obras da nova ma-
triz de S, Jos, e o ultimo cont de ris para ser
entregue a' igreja do Divino E>pirilo Santo, rogo a'
V. S. que me declare se existe na sua mo essa
quantia, afim de se Ihe dar a conveniente applica-
glo, conforme as pas disposges do Exm. bispo
fallecido.
- 10
Offlcio ao vigario da vara de Penedo. Tenho
presente o seo offlcio de 20 do prximo passado, o
qual me encheu de regosijo por ver que todas as
capellas que ha pouco V. Rvma. me dizia estare.m
era deploravel estado, a ponto de ja se nao pode-
rera celebrar nellas os offlcios divinos, agora snr-
gem das suas ruinas e se ostentan) qnal mais gar-
bosas e mais ornadas, como para attestarem aos
pevos os sentiraentos religiosos que tanto distin-
guen) essa provincia. Estou certo que esse zelo
pela cansa da religiao, longe de arrefecer, cada
vez se ha de augmentar mais para gloria de Dos
e esplendor do culto publico.
A cada um dos cidados prestrnosos qoe V.
Rvma. me apunta no sen offlcio, como os princi-
paes que promovern) a reconstruccao das diver-
sas capellas, agradego eu agora por meio dos offl-
cios que remetto inclusos, e que V. Rvma. far che-
gar ao seu destino com a possivel brevidade. Sei
que mallas outras pessoas nao de ter tomado parle
em obra tao meritoria sem que eu possa agrade-
cer-lhes directamente per nio saber os seus no-
mes : V. Rvma. porcm remediara' esta falta, sigol
ficando a cada nm o meu fooieotamento pela pres
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PERNAMRUCO.
LISBOA.
28 de Janeiro
Tem proseguido na cmara dos depulados, j
constituida, os trabalhos de elcigo e forroago de
commissoes, em que se revelam os pequeninos des-
peitos e rivalidades do costume.
O Sr. Dr. Cesario, que fura presidente desse ra-
mo parlamentar na ultima legi.-latura foi agora re-
conduzido.
O governo tem influido para que as commissoes
sejam compostas quasi exclusivamente de amigos
dedicados e parciaes pronunciadsimos.
Urna recente reuniao da maioria as salas da se-
cretaria do reino foi destinada a combinar-se quem
deveria ser considerado leader ou chefe parlamen-
tar da mesma maioria.
Decidirn) que fosse o Sr. Anselmo Jos Braan-
camp 3x-ministro do reino. Este cavalheiro mul-
lo surdo e pouco ou quasi nada falla no parla-
mento.
A opposigao tirou jovial partido de tao inespera-
da escola, e a sua imprensa recordou em chistosos
paralellos as pocas em que o basti do comman-
do parlamentar era dado a Jos Estevlo, a Rodri-
go da Fonceca Magalhes, a Passos Manoel, emfim
aquelles que, verdadeiros oradores, verdadeiros
chfes de partido tic-harn conquistado pelo tlenlo a
primasia da tribuna e a supenondade inseparavel
dos caracteres que os partidos elevam era seus
estados por merecmentos indispniaveis.
Foi lido j na cmara dos deputados o projec-
lo de resposta ao discurso da coroa.
Eis o extracto :
Que os representantes da nagao acolhiam sem-
pre cem satisfago a presenga do augusto chefe do
estado, quando no austero cumprimento da lei fun-
damental ia ao seu gremio abrir as sessoes do cor-
po legislativo.
Que a cmara se felicitava pela ba amisade em
que nos estamos relacionados com as outras na-
goes, por ser um penhor da paz, consequenteraen-
te da prosperdade para os povos pelo desenvolvi-
menlo do commercio, agricultura e industria, e es-
pecialmente via com agrado ter sido aceita a me-
diagao do nosso monarcha na pendencia suscitada
entre o Brasil, nosso prente, e a Inglaterra russa
constante alliada. Referiu-se tambem ao tratado
da demarcagao de limites entre Portugal e Hespa-
nha
Que a cmara se lisonjeara da ampia liberdade
eloitoral, a que os seus membros deviam es diplo-
mas, em virtude dos quaes liuham assento no cor-
po legislativo.
Que a cmara via com satisfaglo, que Ihe ara
ser apresentadas propostas para a reforma da le-
gislarlo civil e penal, e eslabelecimento do syste-
ma penitenciario, e refeno-se ainda a outras refor-
mas.
Que se congratulavara pela manutenglo do cr-
dito, e por verem que o rendimento dos ltimos
seis mezes da arremataglo do contrato do tabaco,
e da melhor arrecadaglo dos irapostos habilitaran)
o governo a costear as despezas do estado sem re-
correr aos emprstanos autorisados.
Que se conlirmou com o pensamento que presi-
dio a reforma das alfandegas e casa da moeda
Que esperava o orgamento de estado para reali-
sar a proposta que poe termo as deduegoes nos
vencimentos dos empregados; e que examinar o
uso feito pelo governo das autorisagdes que rece-
beu, esperando que elle erapregue os raeios para
fundar o banco hypolhecario, roelhoraraenlos de
viagao publica ordinaria e accelerada, e das ins-
trueges da marinha.
Rcferio-se as questoe-, dos vinhos do Dooro e
cereaes, as reformas de administraglo. e Instruegao
publiea.
Esperase que a discussao da resposta a falla do
Ihroao seja o campo de batalha em que hajam de
descrlminar-se as parcialidades semi-affectas eu
abertamente hostis ao governo.
O ex ministro da marinha, o Sr. J. da S. Mendes
Leal, fez urna proposta a cmara electiva (a que
pertence) para que a mesma cmara nomeie ama
comaaisso' encarregnda de examinar todos os ac-
tos da sua administragao como ministro da mari-
nha oltramar.
A opposigao vio n'esta singular proposta mais
i nm documento de divergencia entre os partidarios
da siluagady pois ao que parece, o ex-miniro-per-
Foi publicado na folha offlcial o relatoro do
orgamento geral do estado e propostas de lei de
receita e despeza para o exercicio d 1865 a 1866.
Vem all devidamente proposto o acabamenlo de
lodas as dduges com que eram ainda onerados
os ordenados dos funeelonarios pblicos.
Do respectivo relatorio se colbe a confirmago de
que se uao contradir o emprestimo autorisado pe-
la lei do orgamento do anno passado.
as circumstancias melindrosas da crise mone-
taria, entendeu o governo conveniente sobre-estar,
n'esse emprestimo, provendo as necessidades
mais urgentes com os recursos qne podeese reali-
sar.
Tratou por isso de habllitar-se com ttulos de
divida.
Os supprlmentos levantados sobre elles foram
na quaolial de i55:0O0aO00, e o producto dos ven-
didos foi de 687:292812 rs.
Foram reclamados ao governo em consequencia
daquella crise, emprestiraos no total de 922:300*.
No mesmo periodo recebeu o thesouro suppnmen-
los de 2O4:30O. Houve portanto o maior desem-
bolso de 718:0OO. Era imprelerivel o pagamen-
to desta somma. Foi por tanto indispensavel ao
governo servii-se das indicadas inscripgSes para
satisfazer esta necessidade, e assim, cora a venda
de inscripgoes que produzio es referidos.........
687:292*812, pagou quasi a lotalidade os empres-
timos reclamados.
Esta applicago que as circumstancias do mo-
mento exigiram, pode considerarse temporaria,
porque cessando a crise monetaria, o equilibrio dos
emprestimos devora' restabelecer-se; e este eflei-
to comegou ja' a sentir-se em dezembro com as
aovas entradas dos prestamistas.
Afflrma.se que o governo vae propr a proroga-
go at 30 de junho de 1866, do prazo para o giro
das an ligas moedas de praia, decretando-se que se
cunhem mais duzentos contos das modernas.
O minislro da fazenda apresenteu ha poucos dias
na cmara popular a proposta eslendendo a desa-
mortisaglo aos bens das cmaras municipaes, con-
frarias e misericordias.
O das obras publicas ja' ajresentou urna propos-
ta para ser approvada a parte que canee de sane-
gao legislativa do contrato celebrado para a nave-
gagao d'Africa, por meio de barcos a vapor.
A encyclica de Sua Santidade produzio neste
paz sensago profunda, como em toda a parte.
Nao para urna simples correspondencia a analy-
se dos diversos fommentanos de que lem sido oh-
jecto aquelle documento pontificio.
A questlo sobre o que far tambem o gover-
no portuguez. vista da attitude que tem tomado
outras nagoes calholicas neste assumplo sobre ludo
o imperio francez.
Conceder-lhe-ha o exequtur ? Se Ih'o conceder
considerar-se-ha coherente com os principios libe-
raes que professa e que alli se coodemnam entre
outras proposicoes fulminadas pelo vaticano ? Uns
dizem que o exequtur ser recusado, escolheudo-
se todava um subterfugio dos muitos em que
abunda a diplomacia para que no facto da recusa
se evite qualquer manifeslago menos respeitosa
pessoa do papa.
O certo amigos redactores, que a questao ma-
goa as consciencias de uns, excita a vivacidade de
outros e deve dar aqui um resultado, naturlmente,
como j tenho ouvido a possoas bem informadas,
que se renov a iniciativa parlamentar de um pro-
jeclo que na ultima sessao da pretrita legislatura
alli foi levado para a concessao da liberdade de
cultos. Afflrma-so at que o governo ser levado
pela maioria a dar o seu assentimento. Algunas
conferencias, se diz que tem havido acerca de tao
momentoso objecto.
A imprensa diaria principiou tambem, sem
grande acrimonia, a discutir a eneyelica, a qual
fora publicada por varias folhas na sua integra.
Pensam muitos que nesta questao reside o maior
de todos os embaragos governativos actualmente
pois o governo deste paz ou teria de renegar o
seu credo poltico, ou de aconselhar a cora a dar
o seu beneplcito a este nolavel documento.
Sabio hontem o Kepler da companhia de Li-
verpool depois de ter tocado neste porto, segurado
para o Rio de Janeiro e Rio da Prata. Como nlo
tocava em Pernambuco, reservei-me para esta ma-
la. A Italia, segundo se le em varias folhas es-
trangeiras, deliberou levar a sua bandeira aos ma-
res da China e do Japlo. A corveta Dandulo a
destinada a desempenhar esta commissao deveodo
i comegar por visitar o Mxico onde estacionar al-
guos mezes, depois do que costear o Brasil o os
Estados do Prata, dobrar o caboUom para chegar
ao seu destino onde tralava de eniabolar relagoes
commerciaes. Estar ausente da Europa tres
annos. Aventase a idea de mandar um vapor da
nossa armada com a corveta Dandulo, e parece
que por essa occasiao se tratar da ralificago do
tratado de commercio celebrado entre a China e
Portugal.
Pela ultima mala creio ter-lhes dado conta de
telegramma acerca das salisfagoes que o governo
de Washington deu au embaixador do Brasil, a
proposito do attentado comraeltido contra o Flo-
rida. .Ymu jornal de Pars que tenho a vista.
Ieera-. tanto essas noticias. O jornal francez diz:
< Telegrammas americanos annunciarara que
o gabinete de Washintgon tinha dado satisfaglo ao
governo brasiieiro acerca do Florida, censurando
o capillo do Wachusscts fazendo-o comparecer pe -
rant nm conselho de guerra e demlttindo. o cn-
sul americano.
Mas esta inforraagao summaha acerca da res-
posta de Mr. Seward ao ministro brasiieiro, in-
sufftciente. Nao nos d a conhecer completamente
a attitude tomada nestas circumstancias pelo ga-
binete de Washington.
t Temos pelas folhas inginas o texto da carta
de Mr. Seward, e encontramos n'ella obervag5es
qne inieressam s potencias europeas. Diz-se nes-
te documento, por exemplo, que o consol america-
no e o capillo do Wachossets sao censurados nlo
porque tenham coramettido um acto julgado por
todo o mondo contrario ao direito internacional,
mas porqae obraran sem consentimento do go-

'O




I
-**
Piarlo de Peraambnco Quarta lelra 14 de Fevcrelro de &.
verno, e pratcarom un acto de auloridade sem vicotplegraphco das emprezas, pelo seo contrato
ordem du poder executivo. '"poaem rranstiRr despachos particulares, e orno-
Diz mais (singular pretegao) que o governo do de ser Bcallsado esse servico.
brasilero tem de dar satisfagie ao. goverw de Serio punidos, nos termos dos aitigosiSS e 481
Washington por ler recebido nos seus pertos e inclusivamente, de cdigo penal, o gerentes das
considerado como'navio d urna" potencia bellige- emprezas, seus engenheiros e empreitiros, por
rante naval legitima o Florida, que era apaas quaesquer prejoizos, resalanles dos trabalhos que
um pirata que nao pertencia a nenliutna nago ou o governo nao tenha autorizado,
beligerante legitimo. Igualmente nesta hypothese serio ponidos os
t Mr. Seward termina etnfim declarando qtre a mesroos individuos rom as penas de homicidio, fe-
equipagem i*o Florida ser porta em liberdade, rimemos e outras offensas corporaes, quando qual-
porque foi llegalmeote presa, mas que a perda do quer destes factos, por qualquer modo, resulte da-
navio nao acarreta nenhuma responsabi4idade ao quelles trabalhos.
governo americano, porque fot accidental Para conhecitnenlo do commercio pobllcon a
t Assim a doutrina do governo americano, flha oIBcial os segulntes paragraphos de urna re-:
que o reconhecimcnto dos confederados como bel- solucao do conselho do imperio da Russa :
ligereles, constitoe urna oflensa, que todo acio Todos os navios do commercio, qner sejam de
consummado por via deste recohhecimento carece, mastros e alto bordo, quer de navegago costei
na oeeasio necessaria, d'uma reparagae, e erufim e sem mastros, que chegarem ao porto de Crons-
que lodo o governo em relacoes regulares com o tadl, deverao pagar um direito especial de limpeza
gabinete de Washington, nao recebe senao piratas que reverter em favor da manicipalidade da ines-
qe nao perlencem a, nenhuma naco quando re- ma cidade a saber, por cada viagem, os navios de
cebe nos seus portos abandeira coufederada. alto porte, com mastros, 30 capecks por cada mas-
A carta de Mr. Teward, contina o jornal el- tro; e os sem mastro e de navegago costeira 10
lado, est causando em Londres urna viva impres- capecks cada um.
sao. Commenla-se all a Koguagem do minstroj As disposigSes relativas liropea e exlracgo de
americano, que prete querer flagellar no Braiil immundicias dos muros assim como percepcao
a Franca e a Inglaterra, e diz-se que esta lingua- do direito respectivo, sao da competencia da muni-
gem deve dar causa a um pedido de expllcages' cipalidade de Cronstadt, quer aquello servido seja
demias duas potencias ao gabinete de Washing- feito precedendo arrematago em hasta publica,
ton. > quer por adraiaistragao (reg).
Julguei que os sens fetores deveriam achar in-1 Era virtude das leis vigentes, e commettida ao
teressaule o trecho transcripto, e por isso inter- governador militar de Cronstadt^ na qualidade de
romp com elle as noticias de Portugal. chefe immediato da cidade a ciecucao do presente
Volante pors a estas, cumpre-me dizer-lhes ] rcgulamento.
que n'uma das ultimas reuoioes da maioria o no-! A drreccao da associago industrial portuense
Ere duque de Loul, presidente do conselho, disse' nomeou urna commissao para auxiliar a da socie-
solemnemente, que desejava e que era preciso que dade do palacio de erystal, promoveado entre os
entre os amigos do governo reinasse a mesma har- industnaes a sua concurrencia nossa exposigo
monia que reioava entre os merabros do gabinete.' internacional.
Entretanto contina a asseverar-se qoe nao tarda-1 Esta commissao, que ficon sendo central,'e ha
ra urna recomposicao ministerial sendo e Sr. conde | de escolber commissoes liliaes, para a coadjovarem
Je Torres-Novas, que est a chegar da ludia onde, onde o julgar conveniente,
exerceu des annos o eminente cargo de governa- Deve haver brevemente nova reuniao da direc-
dor eral, ministro da marinha e ultra-mar : cao e dos presidentes das diversas associacoes ope-
provaveimente o Sr. lavares Almeida (que fol go- rarias, onde ser presente o governador civil do
vernador de Mozambique) ministro da guerra, em dislricto, para combinarem m todos os meios ten-
suusliluigao do general Passos, cuja saliida do ga- denles a dar todo o brilho a exposicao pela maior
bnelo se antev. Para completar a recomposi- concurrencia possivel de productos,
cao wdigitam-se tambem os nomes dos Srs. Ma- E'uma prova de interesse qoe acaba de dar pe-
thias de Carvlho, e Torres de Almeida, ambos de- putados e da intimidade poltica do presidente do' exposiges, urna das quaes, a de 1861, aberta pelo
conselho de ministros. : sempre chorado monarcha D. f edro V, fol aconte-
Corre que ha poucos dias o centro magonco cimento memoravel.
O Sr. Pereda offereceo um cont e tantos mi! l atlntica, acompanhnda de sen augusto esposo o
m l7ji'Vr0 s nesPanhcs- qua esli avallados. radVd'liu, eso duvidoso se suas altezas imje-
n ',* rie* seguiro para ioglatern, ou se demorarlo
u outros cencurrentes propowram a compra alguns das nesta capital.
de um certo numero de obras, e nao tentaran, ce-1 Nesta bypothese ultima rao hospedar-se para o
rao e natural, por nao serem livreto, comprar palacio das Necessidades, e dizem que haver baile
td.i atm no Paco da Ajuda, era honra dos reaes hospedes,
e Parts e de Londres vieram outras proposus no di 5 oo 6 de feverero.
au-
nara a compra de obras determinadas.
Verificoa-se portante no da 17 o leilo dos
mencionados livros.
OSr. Antonio Mara de Mascarenhas, subdi-
to portnguez residente no Rio de Janeiro, escreveu
a redaccSo do Jornal do Commercio, em data de
28 de dezembro ultimo, o seguinte :
Sr. redactor.-Venia na Correspondencia de
Portugal qoe vai haver no palacio de erystal do
ra Porto, exposicao de rnanufaclun*, desejaodo
eu, apezar das duas mil legaas de distancia, como
bom portuguez, concorrer para essa exposicao com
as minhas manufacturas, moiivo este, que me tem
feito parar com todos os mens trabalhos para aca-
bar um grande apparelho de luz elctrica, de um
invento que deve fazer parte-ila exposicao, e no
da da abertura da exposiglHera' experimentado,
Iluminando a frenieuo palacio de erystal, o que
deve fazer um lindo effeito pela forca de sua lm,
propna para Iluminar uma prega, queimado car-
vSes da grossurade nm dedo ; este apparelho,'qne
deve flear prompto por estes das, vai aqu ser ex-
perimentado em presenca de urna commissao de'
dous lentes de physica e um de chimica, que fo-
ram nomeados por esta academia central a meo
pedido.
Alm deste apparelho acorapanhara' outro para
Incendiar differentes metaes, como cobre, ac,
zinco e nichol dando lindas cores.
Como estes apparelhos devem funocionar era ral-
nha presenga e mootados por mim, tenclono acom-
que era presidido pelo Sr. conde de Paraty e o de
que era grao-mestre o Sr. conde de Peniche se reu-
nirn! i'utrando tambem na fuso o oriente do rito
escossez, formando assim um s gremio.
A confederacao maconica progressista de Portu-
gal amia tem vago o grandemalhete. Indigita-se
actualmente o nome do Sr. Vicente Kerrer Neto de
Paiva para oceupar o grao mostrado, sendo tambem
lerabrado; e tal vez com mais probabilidades, o no-
me nao menos respeilado no partido liberal da Ce-
sar de Vasconcellos (conde de Torres Novas.)
A X.in'w de antes de bontem publicoo urna
carta de clrigos de Braga mostrando a sua adini-
raco e submisso s doutrinas da eneyelica.
O Diario fez hontem urna declaraca omYial de
jue nao iinha fundamento o boato de dar indemni-
sacaoaos amigos contratadores dotabace.
Ha dias foram cobrados na alfandega grande
mais de 23 contos de res fortes de direitos de ta-
baco e charutos, s para a fabrica de Xabregas;
dos aotigos contratadores.
Contina a inverneira. Os campos de Valla-
da estao innuodados. A clieia do Mondego tem j
causado no bairro baixo de Coimbra grandes pre-
juizos. O Douro vai tambem pavoroso. E' um dos
invernos mais speros e rigorosos de que ha me-
moria.
Por telegrammas do observatorio meteorolgico
do Paris ao nosso, constou antes de hontem que um
novo cyclone visitara estas paragens. Elfecti va-
mente expediram-se a capitana do porto, praca do
commercio e mais esla$oes publicas os avisos ne-
cessarios.
O vento tem soprado rigissimo com grandes
aguajeiros, mas, anda nao se sentio um furaco
igual ao do dia 13 do mez passado.
Publcou-se o decreto que regula os direitos
e obrigacoes do estado e da adminislracao publica
relativamente construego dos caminhos de
ferro.
O governo far das linhas frreas as divisoes
convenientes para o effeito da fiscalisacao. Em ca-
da divisao haver um engenheiro iscal, e subordi-
nados a este os engenheiros conductores, agentes
coramerciaes agentes da polica e auxiliares e su-
balternos que forera indispensaveis.
Os empregados no servico da fiscalisacao que
pertencerem ao cerpo de engenharia serlo retribui-
dos corno determina o decreto de 3 de oulubro de
1861. E aquelles que nao pertencerem ao mesmo
corpo tero o vencimento mensal:
Agentes comoic-ciaeS de i* classe 303.
Ditos de 2a dita 4U>.
Ditos de polica de dita 40J.
Ditos de ditos de 2' dita 30.
O vencimento de agentes subalternos nac
maior de 303 nem menor de 203 mensaes.
Os agentes commerciaes podem ao mesmo tempo
ser agentes de polica, sem accumulaco de venci-
mento.
As eroprezas exploradoras sao civilmente respon-
saveis nos termos de direito, por ledas as perdas e
damnos causados ao estado ou a particulares, quer
esses damnos resultem de algum faci da explora-
do, quer do pessoal nella empreado.
As emprezas teem a livre escolha.e a ioteira res-
ponsabilidade do pessoal nomeado para os differen-
tes servicos da exploraco.
Se este pessoal fr insufficienle, inhbil ou de-
leixado, o governo obrigar as emprezas a augmen-
tado ou a subsiilui-lo.
As emprezas no que respeita ao transporte de
bagagens, mercadorias ou outros quaesquer objec-
tos sao considerados commissarios de transporte ou
recoveiros,_ e especialmente olingados no disposlo
nos arls. 172 e 197 do cdigo commercial.
A responsablidade das emprezas comeca nomo-
mente de receberem os objectos, ou seja as esta-
jees ou em vapores, barcos, mnibus, carroagens
ou carros que a transportarem para as eslacoes.
iNo caso de accidentes de que resulte morte, fe-
rimentos ou contusoes, sero punidos nos termos
do cdigo penal, segundo a respectiva culpabili-
E' mais urna garanta de que ser efectivamen-
te grandiosa a civilisadora festa qne vamos ter.
O Diario publicou um decreto que regula a
polica da viacao publica.
Este deerrto contm tres ttulos, tres secc/Ses e
sessenta e dous'artigos.
Dizea tambera que est Oxade o da 26 do mes-
mo mei para o baile de mascaras que S. M. ten-
cona dar.
Por cartas de Bombain datadas do 13 de de-
zembro pretrito sbese que chegoo all o novo
governador da India, o Sr. Jos Ferreire Pestaa, e
que espema partir para Ga no dia 19, sendo re-
cebido naqnella cidade por muitos cavalleiros por-
tugueses e pela commissao nomeada pela janu da
razendadeoa,olforoeeBU)-lhe o Sr. lUaKlonee
o seo vapor prra a conduzir a Ga.
~ 0Sr- Jos Victorino Pinto de Carvlho acaba de mais not'avel
de dar a lux urna obra com e titulo de.Qua-
oros Historeos. E' um volumeznho onde se acham
encerrados todos os artigos qoe o aothor lioha pu-
blicado em folhelns e ornaes Iliterarios, e alguns
inditos.
O mesmo Sr. Pinto de Carvlho tem no prelo um
romance iniiulado Do Porto a Lamego,
Assevera-se que o conde de Lavradie, nosso
representante na corte de Londres, acha-se grave-
mente enfermo.
Consta igualmente que S. M. el-rei D. Luir
nomeou seu ajudanle de campo o general Taborda,
e que esta noineacao Ihe fra communicada pelo
Sr. D. Luiz I, na oeeasio da ultima vtsila que S.
M. se dignou fazer ao general enfermo no hospital
militar.
Foram declaradas abertas no tribunal do
commercio do Porto, desde 10 do crrente as fa-
lencias dos commerciantes desla praca, os Srs.
de Loul cartas de Nova-York, donde se dedos
que, efectivamente corria naquella cidade qoe o
Seo King bavia sido armado na Madeira. Paliara-
se do protesto perante a enbaixada portuguesa
naquella capital.
Os navios -portugueses qne d'alll estavara em-
bargados j foram desembarazados para navega-
ren], vislo que tinba constado of&cialmente que o
governo portugus p*gou aqu a indemnisaco
ao americano Potter (dentista) pelo embargo qne a
alfandega grande fizera a um navio seu qne se
ria a seus olhos ama falta grave e nde/colpavel.
O esforfM d goro njerl eonseguiram que
a grande maioria dos residentes brasileiros nao to-
mwgrpart, nem dlrert nem Indirectamente, na
queslo internada sociedade oriental, a qoe eram
e deverlo conserrar-se estranhos.
Assim precedendo, era dirertee dever do gover-
no imperial exigir ao mesmo lempo do governo da
repblica medidas qoe tranquillisassem os Brasi-
leiros domiciliados no Estado Oriental, reparando
os danmos j offridos e daodo-lhes
encontrava no Tejo, como Ihe contei na minha ul- seVuVa^ paraTfuti ,e aanai"ies aranIias de
A tnissao diplomtica coDflada ao consummado
criterio doconseJheiro Jas Aotonio Saraiva tlnha
marquezes de Vfanna, antes de bontem, foi sump- {^hffidAftnf D'a.T?t de1man'er avn,eu-
tuoso i iraimaue ae Krasil na contenda civil da Bepublica,
Os-eonvidae^passavamdeSGed'entreoquea iVi/Vom"^^'".^'.?*? 0S SUb.d,0 brasi'
5 sobresaltados e profundamenle
(ma
O carnaval em Lisboa corre animado. O club
lisbonense comecoa os seus bailes; o baile dos Srs.
panha-los ate o Porto, e acbar-me bei la' nessa oc- Jos. Duarte Colho da Silva e Mendes\ Olivera,
ruv .i. ka i a- ; nomeados desde 17 do correte, curadores flseaes
icA* n Janeiro.. 2o de dezembro de: do pnmeiro os Srs. Joaquina Lourenco Alves e Do-
186.-0 portugus ^n/ono Marta de Mascare- \ mingos Jos Monteiro e dos segundos os Srs. Ao-
'n1Wm,,inH.nJ tomoLuIz da ->ilva Jnior e F. M. van der Nie-
u governe attendendo as representagoes que' port.
para isso Ihe tem sido dirigida, trata de reformar
o estado das bellas arles, no sentido de melhorar
as condices dos que vio estodar ao estraogeiro,
augmentando as suas dotagoes de formar urna
galena nacional que nao temos, dos quadros his-
toreos dos factos mais notaveis da nossa historia,
de promover com methodo a escavaco do nosso
solo, em muilos pontos do qual se acredita que
existem objectos histricos, arcTieologicos, e arts-
ticos ; de reparar e conservar os nossos raonu
Depois das tres horas da tarde do dia 17 sa-
ino da barra de Lisboa a divisao naval, cora desli-
no para os portos do Brasil e Rio da Prata.
Componha-se esta divisao toda de barcos da sys-
tema mixto, que sao a corveta Bartholomeu Das,
navio chefe, sob o commando do consellieiro capi-
lao de mar e guerra, Antonio Sergio deSouza, aj.u
dsnte de S. M. el-re o Sr. D. Luz I; a corveta
Estephama ao commando do capto-teneule, o Sr,
Alvaro Andrea ; a corveta Infante D. Joae, com-
aristocracia, ^ a scwacu e a poiiuca lem resentidos de seus "irMtow amini mttiamnil
sistio todo o corpo diploma-, npwrjpiiilammi. graves sonnmenios.
tico. ,h "esravaaamenie, essa missao de par, mal aco-
OSr.conde de Farrobo est recoostruindo com SAe^IZVtn^lTJ^ 8Verno At, Mofl-
a prim.liva ou maior grandeza, o seu bello theatro J '^^-2?* 1!?&1 S S eusI"rorCM-
as quinus das larangeiras, o qual fura devorado Li "! 5oes Drasiletras fom repellidas com
pela Caramas ha dous Iodos? Cfc^I^A^^^^^^* ^^.^^
pblicos sao muito concurridos. I fJ. p/.e,!l!?!es do .Bras,l da ReP|>lwa Argen-
ueR^i.^?a' mafoto ao magn'nco d.flcio mandada pelo s-V. Joaquim Viegas do O.
A primera
No titulo III e artigo 33 diz que nos projectos Parts alguns documentos que "habiTi'rem' a
da Batalha, a igreja da SanU Cruz do Coimbra, e
a aiguns outros, mas nao a muitos outros que
possuimos de grande valor artstico e histrico.
Dizemqueo governo vai tambem pedir para
iris alguns documentos que o habilirem a eqoi-
que se fizerem para a execucao do plano dos me- parar aquelle estado qnauto fr possivel ao das
Ihoramenios da capital, plano a que, segundo o nagoes que mais cultivam este genero
artigo 31. o governo mandara proceder inmediata-1 No dia 10 do corrente houve reuniao no tri-
roenie, alera das indispensaveis condigoes de luz,; bunal do commercio dos credores da massa fallida
ventilagao e abastecimenlo dagoa, se altendera ao do Sr. Thomaz Maria Bessone.
Se?Uointe ii Do que l se passou diz a Gazela o seguinte:
l.Ao melhor systema de deposito, desinfec- ntreos credores presentes achavam-se os
gao esgolo, despejo ou renovagao de lquidos e representes dos bancos Commeraal, Uniao e Mer-
solidos. cantil da cidade do Porto, o banaueiro Carlos
2. A arenagern do solo, quando Jer palodoso ou Kruz, o Sr. J. Vaoceller, dous socios da firma Fer-
carregado de sobstancias orgnicas. reir A Irmaos. os Srs. Borges de Soma, Martins
3. Ae systema de esgolo geni, encanamento & Filho, Sebastio Jos de Abreu, Nano o* Pe-
d agua e tubagera de liluinmagao da cidade,
4o. A largura das novas ras, que nao deve ser
inferior a dez metros, nem a sua declividade supe-
rior a 7 por cenlo.
3. os encanamentos ioteriores que cooduzem
aos canos de esgolo as anuas dos teihados.
6. Ao chanfrado dos ngulos ou esquinas.
7. A' altura das edificaces determinada pela
largura das rua, observando as seguintes re-
gras :
1*. Quande a largura das ras for menor de
7 metros, a altura des edificios nao ser superior
a 82 metros.
2'. Quande a largura fr de 7 a 10 metros ex-
clusivamente, a ailura nao ser snperior a 2 me-
tros.
3*. Quando a largura fr de 10 a 18 motros, a
altura nao ser superior a 16 metros.
4". Quando a largura fr maior de 18 metros, a
altura nao exceder a 19 metros.
5". Quando os edificios -tiverem fachadas sobre
duas ras, que se crozem, cora differentes largu-
ras, a altura ser determinada pela maior altura.
6'. Quande os edificios tiverem fachadas sobre
duas ras abertas prximamente na mesma di-
rei-co. mas coro grande differenga de nivel, a a
tura ser determinada por decises
governo.
7\ Qnando os edificios forera construidos fra
do aliohamento das ras publicas era pateos ou
jardins interiores, a sua altura nao exceder a 13
metros, excepto se o governo autorisar maior ele-
vagao.
Esta dispos-gao nao se applica aos templos, aos
edificios destinados para servigo publico, nem aos
monumentos, quer sejam construidos pelo governo
quer pela cmara municipal.
Todos os proprleuros que pretenderem cons-
truir edificios novos em Lisboa eu reconstruir os
amigos, ficam obrigados a observar as dispos-
ges deste decreto e seu regulamento.
E' prohibido accrescentar novos andares as
reir Basto e outros.
O Banco de Portugal foi representado pelo Sr.
Pinto Colho.
Esveram tambem presentes com procurages
de diversos interessados, os Srs. Drs. Fernandos da
Silva Ferrao Silva Holtreraan, Abranches e Jos
Mana Gongalves.
m dos objectos a tratar fol se convinha ou nao
a contmuagao de seguros de vidas do Sr. Francis-
co Teixeira Bastos, feito a favor do Sr. Bessone.
Este negocio grave, por que a continuagao do
seguro importa n'utn encargo de cerca de treze
contos de ris annuaos, mas a desistencia fas des-'
apparecer o direito a.importante somma de duzen-'
tos e sessenta contos.
O Sr. Pinto Colho, por parte do Banco de Por-1
tugal, combateu n'um longo discurso a continua-
cao do seguro.
la
zendo
deslas embarcagocs voltar assim
qoe haja visitado os portes do Brasil e Rio da Pra-
a segunda conservar-se-ha no imperio, satisfa-
assim aos desejes repelidos e vehementes
manifestados pelos nossos compatriotas all resi-
dentes ; a terceira, depois da commissao seguir
para o porto de Loanda a render a corveta S da
Bandetra, que se acha na estaco naval de An-
gola.
Quando a divisao passou no local era que se
avistava ao krage o paco da Ajuda deu a salva de
-1 tiros.
Faz parte da officialidade da Bartholomeu Das
S. A. o duque de Penlbivre.
No dia 9 do corrente, verificoo-se na fabri-
ca das sedas, no Rato, a distribucao dos premios
ganhos pelos operarios que no anuo fiado apresen-
taram mclhores trabalhos.
E' esta urna boa pratica estabelecda na fabrica
pertencenle aos Srs. Cordero & Irmao.
Os artistas premiados foram Joo da Silva, Pau-
lo Antonio, Frenase Antonio e Francisco.
Falleceu no dia 19 do corrente, repentina-
mente,* o Sr. Maneel Jos Carneiro, professor de
architectura da academia portuense de bellas
artes.
Pouco tempo gozou a efTeclividade dessa cadei-
ra, de que por muitos annos desde 3 de dezembro
de 1836, islo desde a fundago da academia fra
substituto, e a cuja propriedade passara pela vaca-
tura que deixou o falleclmento do Sr. Joaquim da
Costa Lima.
A 22 do corrente fallecen em Coimbra o Sr.
Manoel Freir de Andrade, abastade proprietario,
OSr Fpi-,ro do firvsihn n^o -.!..I 1ua' em lempo tinha servido no exercito brasi-
rc.; \2? 1.CaTvalh0' cora3 representante I ieiro com 0 pos[0 de corone, Inslu0 por seus
sen,idEorlcaongtrario, $S&f2ESl StE.? TT "* S",tt, ^ S .""Sl
havia-na contiouacao do seguro e propoz qm^os t* daqUe"c "??? e Wr. 'estameote.ra a mesa
curadores fiscaes^fossem SSriianSS fcKS?SSS,^5i Desta heranga tem de ser
ICffSSWBS.T utrera! i ,t ^ "^ ^ -S'ffl^^E com data do
O tneatro lyrico e o normal tem tido eachentes.
Os de 2a ordera, nao tem mos a medir. Doos
prestidigitadores, Velle e Peyres, trabalham ao de-
safio no circo price.
Platuni, domesticador e mestre de caes e maca-
cos sabios diverte o povo miudo no campo de San-
.t'Anna.
P. S.Chegou a Lisboa o lerecliel da carreira
do Brasil. Traz cartas e jornaes do Rio at 28 de
dezembro. Alcanga portanto mais 4 dias que as
noticias do Extremadure vindo no meio do mez.
A Sra. marqueza de Paranagu participou no
Diario de hontem as pessoas da sua amisade, ter
fallecido o seu irmo o Sr. Jos Fortunato de Car-
vlho no dia 26.
O governo pelo ministerio da marinha j
mandou soccorros para os innundaaos de Vallada.
A cheia nos campos de Coimbra, e de Santarera a
margem po Douro continua assustadoura. O gado
tern fome, principalmente o cavallar e os bois bra-
vos que nao vao aos palheiros.
A cidade baixa em Coimbra prxima ao ro es-
tava innundada. Alguns barcos percerriara as ras
em soccorro dos habitantes e dcslribuindo esraolas
aos raais pobres.
S. M. el-rei o Sr. D. Lmz e sua augusta espo-
sa retirarara-se antes de hontem de Cintra para o
palacio d'Ajuda.
S. M. a rainha acha-se no seu estado interessan-
te. S. A. o principe real D. Carlos vai bem. Toda
a familia real passa sem novidade era suas impor-
tantes saudes.
Falla-se a ultima hora om qoe o Sr. visconde
de Soares Franco ser eucarrecado da pasta da ma-
rinha.
A receita geral do estado, segundo o orca-
raento que acabo de receber, e foi distribuido as
cmaras, vera calculada na seguinte importan-
cia :
Impostos directos...... 4,978:687378o
Impostos indirectos .... 10,200:4913069
Bens nacionaes e diversos rend-
ment s ..... 2,115:7813499
Deducges na lista civil. 60:0003000
Soramas por cobrar, provenien-
tes de exercicios lindos 289:1233610
Somma.
17,611:0863903
da seguinte ma-
A despeza ordinaria orgada
neira :
Junta do crdito publico, encar-
gos da divida externa e ex-
ema........5,815:6233274
Encargos geraes, indurado a lis-
ta civil, cortes, classes inacti-
vas e encargos de varios era-
prestimos ......2,251:3313436
tina e da Inglaterra a bem do restabelecimento da
paz interna da Repblica no'teve melhor xito.
Era, porm, obvio qne s cessagio da guerra ci-
vil tena acalmado lodos os nimos e dado lugar ao
ajuste amlgavel das differengas do governo orien-
tal com os do Brasil e da Repblica Argentina, go-
vernns visinhos e garantes da independencia e in-
tegridade daquelle estado intermediario.
O governo de Montevideo, tomado das mais de>
ploraveis hallucinages de partido, desattendeu a
lodos os conselhos da razo, nao delxando ao go-
verno imperial outro recurso honroso se nao o da
torga para resalvar a sua dignidade e assegorar
proteccao no presente e no futoro aos subditos bra-
silriros.
Esta resolugao extrema, mas ndeclinavel, foi an-
nunciada aquclle governo, que a reecbeu cora a
mesma obslinagao, e, mal interpretando a repug-
nancia com qne o Brasil langava mo das medidas
coercitativas, provocou-o a proceder com mais ener-
ga, e por Um levou o conflicto s suas mais graves,
consequencias.
Pretextando intentos qne nao existlam, nem po-
dem existir da parle do Brasil contra a indepen-
dencia da Repblica do Uruguay, excitou os mais-
sedigos e vulgares preconceitos contra o imperio,
alliou-se ao governo do Paraguay e proenrou, no
interesse de suas paixoes exaltadas, acender o es-
pirito de discordia entre a familia argentina. 0>
seu delirio chegou ao ponto de esrandalisar civi-
lisagao do boso seculo com as scenas inauditas do
um auto de f a que foram condemnados os aoto-
graptio? dos tratados subsistentes entre o imperio
a repblica.
Ministerio da fazenda.
do remo .
dajustiga .
da guerra.. .
> da marinha .
> dos estrangeiros .
> das obras publicas
Somma.
1,267:8133733
1,588:4383293
531:5043029
3,273:9723983
1,283:5113121
211:8303238
1,370:0213053
17,614:0863903
especiaes do' algumas alteragoes de redaegao.
dade
1* Aquelles que por nhabilidade, Imprudencia
desaitenges, negligencia ou ioexecugao das leis e
involuntariamente forem causa do
capitaes j existentes pertencentes a massa podes
sem sf r produzdos, pois que andam por perto de
100:0003-
Esta proposta -foi approvada por unanimdade,
bem como as outras do mesmo Sr. Tambem foi
approvada a proposta para que os curadores Gs-
caes fizessem effectiva a responsablidade do Ban-
co de Portugal era concorrer, como devia, para pa-
gamento dos premios do seguro.
Divia ser no da 20 o lelao dos vapores da
extincta companhia Uniao Mercantil. Parece que
vieram algn individous de Inglaterra concorrer
ao leilo.
, existentes ousob, XtSmi^S I UoloTl}r,S, TIS^jOSd fr
outra construego, quando desse fado resulte fiear ^ Zaire, Estephaia, D. Luizc Trio
o ediiicio com altura superior fixada as regras o leilo foi addiado
JSSSSn allS ama f,tad% m s \ Va crearse uma nova associacao denomina-
rr^aR da secao 2 d0 ,l,u,, 3. desle de" da Associagao lypographica e Misteres Correlat,-
LSiSr^n^ f .Vemrn,H niandara HPr0C,ed,er vos d0 Pur,0>lend0 Pr fira acorrer os associa-
igualmente ao plano dos melhoramentos da cidade dos com subsidio pecuniario, botica e facu'tativo
do Porto, sendo para issonome.da uma commissao ,Juando enfermos, dar trabalho se possivel f "aos"
composta de um engenheiro ou architecto propos- que se desempreguom por raotWos suptriores 'ua
n S r,adpra ***** d de'egad de S3Ude! "on-tade' adianlar 'l^uUas por raS jlros? ins
truir por meio de biblio'.heca e palestras concer-
nentes aos assumptos de diversos misteres, sendo
para isso dividida em caixa de soccorros, monte-
po e monte de piedade.
O governo nomeou ha lempos urna commissao
para tratar com a companhia do caminho de ferro
do sueste sobre a fixagao do termo do prolnga-
melo da linba frrea de Beja al um ponto do li-
toral do Algarve, e direegao intermediaria do mes-
mo caminho.
A cidade do Santo Nome de Dos de Macu tinha'
fl Sr Fpiiniw'dn Parvait.n ~n.wu i^k______I sido visitada em 19 de outubro por uma forca de !
I u'i^^^!!l!^^^ 1u?os voluntarios da vrsinha colonia de Hong-Kong, sen-
do cordialmente recebidos. Houve em Macu, por'
esta occasiao, dous jaotares, a um dos quaes assis-1
tirara mais de 300 pessoas ; fogos d'artificios e I-
A despeza
Importancia
Ministerio da fazenda. .
da justiga. .
da guerra .
> da marinha .
das obras pblicos
extraordinaria orgada na seguinte
333:0003000
3:0003000
3.00030.0
442:0003000
2,594:3983300
3,377:3983500
Somma.
Na verba desla despeza extraordinaria, porten
uessa cidade.
As disposicoes que menciona o artigo 35 deste
decreto, e que sao as cima mencionadas sao ex-
tensivas a cidade do Porto
A commissao para os bustos de Garren e
Epiphanio fez publico estar aberto concurso para
os ditos monumentas entre os artistas nacionaes
e estrangeiros at odia i de marco do corrente
ann, data at a qual deverao im'preterivelmente
ser entregues os desenhos dos monumentos e os
modelos dos bustos, em barro ou gesso,
O dficit tetal, segundo o orgamento reduz-sea
importancia da despesa extraordinaria, e o governo
pede aiiiorisagao para contrahir o emprestimo pela
quantia de rs. 3,377:3933500.
..vres de i a commissao composta dos Srs Manriorhi p Sp.
todasasdesnezasparaa commissao, no theatro bastio do Canto, concluio j oTsfusSalhos e
est reduzido a escriptura publica o aecrdo a esto
regulameotos
accidente.
2" Aquelles que voluntariamente, por qualquer
facto e de qualquer modo, forem causa de acciden-
te; se dos accidentes n3o resultarem contusoes
nem ferimentos nem morte, a pena ser no ca*o do
numero i deste artigo, de 53 a 503 de multa, e
dez a sessenta das da prisao; e no caso do nume-
ro 2 ser a pena de tentativa de homicidio.
Quando houver retardamento na partida e che-
gada dos eomboyos, as empresas pagaro segundo
o tempo de demora, uma mnlta de 253 a 2003 im-
posta pelo governador civil do distriito onde fr a
sede da companhia, em vista do auto que Ihe deve
enviar o fiscal do governo. Da decso daquelle
magistrado haver recurso para o ministro das
obras publicas, qne o decidir em reuniao geral do
conselho das obras publica* e minas.
Os gerentes das emprezas bem como os empre-
gados, sao respoosavels pelas consecuencias de nao
terem machinase wagons de soccorro, ou deas
nao mandarem Hnmediataraeote no lugar do acci-
dente.
As emprezas sao obrigadas a organisar o servico
medico, divdiodo o caminho de ferro em clrcoms-
cripooVs, por modo que os saceos promptamente
6e mioistrem nos passageiros, operarios, emprega-
dose mais'pessoas quedellescarecerem.
As emprezas sao obrigadas a fornecer ao gover- .
to os seus esclarecimenos e infbrmages estatisti- STstS^iST
eas que elle exigir pelo modo e nos prasos que o' Scneur")g.
regulamento rixar; e faltando a esta ebrigago no
pnso marcado pagaro a multa de 503, e de cada
demora de 13 dias mais 253.
Nenhum individuo estranha ao servigo dos ca-
minhos de ferro, assim durante a construego co-
mo durante a sploragao, pode transitar pelo ca-
minho, demorar-se nelle ou atravessa-io, nao ha-
vendo rassageus de nivel, ou estando estas fecha-
das. Aquelle que praticar qua'quer destes fact&e
ser immediameoteexpulso da linha, antoado e
entregue autoridad* competente para ser correc-
conalmente punido com a mulla de 33 a 303.
Ser punido com pena de 6 mezes a dous annos
de prisao, o ffiacbinista, guarda-freios ou agulheira
que abandonar o seu pasto durante o servico que
de D. Maria II.
O local destinado para o monumento do viscon-
de de Almeida Garret o vestbulo do theatro nor-
mal, e para e de Epiphanio o salao nobre do mes-
mo theatro.
Os bustos e pedestaes devem ser de marmore
devendo os desenhos ou modelos indicar a qualida-
de e as creselos marmores escolhidos.
As dimenses do monumento de Garrett sero
as seguintes : busto 0,90 metros, peanha 0,13. pe-
destal 1,30; altura do monumento 2,35 metros.
O busto de Epiphanio deve tr 63 centmetros
do altura, e o pedestal a altura correspondente.
Antes da escolha far-se-ha ama exposicao pu-
blica de todos os modelos e desenbos.
A commissao subministrara desde j retratos e
todos os esclarecimentos a qualquer concurrenet
que os deteje.
Cada concurrente inscrever no seu desenho ou
modelo um moto ou signal, que dever ser repe-
respeilo ultimado entre ella e o engenheiro civil,
representante da companhia Charles Fitzwiliam'
Wlit.
O terreno do prolongaraento da linha na cida-
de e porto de Faro, e o tragado dever ser o se-
guinte :
Segu de Beja e Gamo at a Ribeira de Ode-
mira,- que travessada junto da povoagao de san-
ta Liara de Saboia ; dirige-se Serra do Algarve;
passa prximo ao Collo de S. Bartholomeu de Mes-
sinos, e d'ahi vai al Faro.
O ministro das obras publicas foi inspeccio-
nar o edificio da academia das bellas artes e biblio-
theca nacional.
Do resultado da inspeegao, resolvera-se demolir
as ruinas que eslavam sobre a porta da entrada
do edificio, e que se nomearia uma commissao para
dar o seu parecer sobre o local, onde deva esta-
beleeer-se a academia, sobre a construego de uma
laminacoes.
forgados visitantes compunha-se de uns 100 cente ao ministerio das obras publicas, incluera-se
homens, sendo om peloto de infantaria, e uma 1,400 contos de res para estradas,
batera d'artilharia com 4 pegas e dous obuzes.
Por cartas de Batavia, at 24 de novembro
do anuo passado, consta o seguinte :
O governador de Ti mor, o Sr. Costa Moura, fez
uma reclamago ao governador geral das Indias
neerlandesas, para que esto pagasse junta da fa-
zenda publica 50,000 rupias (16:0003) pelos gastos,
perdas e damnos que occasionara o haver sido
obrgada a commissao portugueza, que fra man-
dada a Java para fazer o emprestimo e as com-
pras para o estado, a desembarcar repentinamente
do vapor de guerra hollandez Duque Bernardo,
que o mencionado governador geral havia espon-
tneamente oOereiido referida commissae, para
a transportar para Dilly, e no carregamento do es-
tado, que muito soffre, pelo modo por que rpida-
mente foi descarregado de bordo do dito vapor.
Aquella reclamago foi baseada na vislona, a
que o presidente da commissao portugueza, o Sr.
Francisco Travassos Valdez, mandou proceder im-
mediatamonte que o pozeram era trra e aos seus
collegas, em Surabaya ; e igualmente baseada no
protesto que o dito presidente fez ao governador
geral das Indias neerlandezas, exigindo, nao s-
raeute urna satisfagao, mas tambem uma indemni-
sagao pelos estragos causados,
cas que resultassem.
Nao haduvida me aonolta bnettkwMin iwirtn.:a_nonra ae.dingir-se aoSr.... ministro de
MI DE JANEIBO
1 de fevereiro de 186o.
n.Some,e nje recebemos a correspondencia do
Rio da Prata que nos era particularmente dirigida.
Nella encontramos mais alguns documentos que em
seguida offerecemos aos leitores, com outros que
pela hora adiantada a que enlrou o paquete nao
puderaos traduzir para a folha desta manhaa. A
carta do nosso correspondente ser amanha pu-
blicada. r
Missao especial do Brasil.Buenos-Avres, em 19
' de Janeiro de 1863.-0 abaixo assignad'o, enviado
extraordinario e ministro plenipotenciario de sua
"' magestade o imperador do Brasil, acreditado em
missao especial junto Repblica Argentina, tem
a honra de dirisir-se -
guez honra nago pelo modo
i que aquelle funecionario portu-; -irTmaifaZS h "'
o uelo modo r.or mo. se L.vp P?" ma'festar.|he, era nome _e de
ordera do go-
SS3&"S5KSSi5StSa*l^,a
jornaes que o governador geral hollaodes julgou
decoroso e conveniente dirigir-lhe um attencioso
ofllcio, era resposta ao
Uma numerosa populaco brasileira habita, como
,a iS-r- minislro' a campan ha do Estado Orien-
crcurastancf'de ^terWsrafor- !nLnipmrn,?,Uay' nde exerce a indaslria pasto'rn,"e
gado a lacear mo do vapor Duque Bernardo, para 1 s pT'h ^.procamente utl com a
transportar tropas a toda a pressa para Borneo, PZaJ.!t !v uHl (aode do Sul'terr|-
onde os indgenas hav.am massacrado" os Hollar; du trio?ot Ti.fl? rphe' ?Sses p,aciQcS e in"
deses em Sintang, no rio Ponlianak : accrescen- ulri0>.0!L"ailantes forara victimas da raais cruel
lando o mesmo governador geral, que o governo g,Urn0, T periodo Ia? durou a famosa
das Indias neerlandezas entenda ser do seu deve? ni"6* "ff"1'50 "*< o general
tido no exterior de um subscripto lavrado, dentro nova sala <1p ipinra n
do qual o autor designara'o se nome e o prego l bibliolheca no pateo do
.. I T ^"l^a-se a noticia de que o duque de Sal-
exce- danha devia dar no dia 15, um baile de despedida
ao corpo diplomtico e alta sociedade de Roma
pagar todas
haver retirado
portugueza.
Oribe e seu alliado o governador Rosas.-
Libertada
^o^'^^J^Sl^^^^^ d" Uruguay da mo de
i rerro que sobre ella pesara por tantos annos, e oiie-
porque executa cada um dos monumentos.
O costo dos dous monumentos nao deve
der de 1: ~
partir para a sua nova erabaixada de
No dia 16 do corrente comegou o lell3o dos
livros latinos e hespaohes dos depsitos das li-
vraras dos extractos conventos, na bibliotheca na-
cional.
Compareceram bastantes licitantes.
De Paris rieram Mrs. Demischelles, Dorand re-
presentado pelo Sr. Silva, Rey e Bellote ; de Lvo
Mr. Seneuring, livreiros abastados ; tambem se
apresenlou um licitante inglez, e o Sr. Pereda, li-
vreiro hespaohol ; alera destes, compareceram
igualmente os Srs. marqnez de Vallada, Bartholo-
meu dos Martyres, Dr. Aguillar e Antonio Rodri-
gues.
Mr. Seheorig propoz comprar todos o? 8,300
volumes de que consta o cathalogo dos livros lati-
nos pelo prego colado, que de 7:2003, e alm
dlsso escolher das obras duplicadas, qoe sao mais .
10,700, as que Ihe agradassem pelo mesmo prego lm, o Conde e o Damo.
doi?a,h-alB- ... A Companhia Luzlaeia vai agora fazer carreira
Mr. uemichellls, e o Sr. Silva representante de dos seus vapores para o Havre de Grace sahindo
"Jj .ur.aDd* Propozeram qne o leilo fosse adiado de Lisboa no dia do eorrente para aquelle porto
e voltamlo no fim do mez.
antes de
Londres.
O conde de Lavradio vai para Roma no carcter
de embaixador, e diz-se com avultados venci-
uieoios.
Consta que fra agraciado por S. M. o impe-
rador dos francezes, com a ordem da legio de
honra, o Sr. Joae Antonio Tavares, dUtinclo oIB-
cial general do exercito, pelos servicos prestados
aquelle imperio na carreira das armas".
No principio deste mes chegaram a Lisboa
dous magnficos cavallos rabes, om alaso, outre
castanho escuro, mandados por el-rei Vctor Ma-
noel a el-rei D. Luiz I.
Diz-se que el-rei D. Luis, em troca enviara a el-
rei Vctor Maneel, os dous soberbos cavallos da
raga de Aller, que esliverera na exposigao de Be-
Tambem consta pelas mesmas noticias de Bata-I"n f^n a^1nt!?a?,ent0 medianle ,eneroso
va, que foram postas disposigo da junta da fa-' ro^Pnranir.^i ra do esPerar.1lle os Brasilei-
zenda de Timor, mais 16,000 rupias (ris 5:1203)' icoih?mnm hna,err,"?r"l onmM' se Do
que cora as devidas segurangas, a commissao por- S a 2 f iZl"- 'e defeus DalUraes d,s-
tugueza enviada a Java, havia estipulado que se- ?|fp a ^ ?*-meT' pe, meD0S a Pro,ec-
riam pagas aquella junta caso at o dia 7 de ou- S,11lar!a h" M0 po* ser recusa,la- KO-
tobro do anno findo, nao sahisse de Java para DU-! deXZTr'mf"a,tacred,to0. "esla conlianga
ly.artilhada e approvada por uma commissao na- fggagJM!!'^ al "ue uma ^ s-
val, uma escun que a commissao portugueza ha- [llri. Sni imP01^ vera convncelo do con-
via contratado para o servigo de Timor, e qual o SS Proposito hostil da parte das
Sr. Vallez pedir se dsse o nome de Mende Leal P n Si h des a "acional.dade brasileira.
emtestemunho de considerago por este ministro imn^JlZ^n ma8eslad imperador nao
d, marinha ministro ,rapU,a> 0 que fora IDSensal0 as an,0|.jdades da Re.
Haviam passado em Java, a caminho para Dilly E^VSS^SPi!?* de t0dS OTdelict0S P""
o Juiz de direito de Timor, o Dr. Barros e sua es E > uU,m? annos conlra os SDbdil0S
posa; bem como o delegado da comarca 0. J^*^1^ arm^ "*' *.
Tavora. -i. senos rundamentos para queixar-se e reclamar
Tinha chegado a Balavia, a barca-transporte do %&^^9\^^ S
estado Martinho de Helio, conduzndo seu bordo dos, -~~ ------ -
sus-
! Estes factos, por sua successao e
consumera om estado de cousas inquietador par;
a populagao brasileira de um e outro lado da fron-
leira comraun, e assuroem um carcter ainda mais
ine ror marcado no reg lamento, sem prejuizo das
penas mais graves em qoe incorrer se este aban-
dono fr causa do algom incidente.
O governo regular por decreto especial o ser*
por 24 horas, para poderem ver os bilhetes das
obras elomarem conhecimeoto dos livros exis-
tentes.
O conselho da bibliotheca aceitou esta proposta
por Mr. Demichelles chegar no dia antecedente a
Lisboa, assim como tambem nesse dia Mr. Durand
encarregou o Sr. Silva de o representar no ieilio
Est gravemente enfermo o bispo de Vixeu
D. Antonio Alves Martins. Parece que S. Exc. fra
accommettido de dous ataques apoplticos.
Sabe-se com toda a certeza qoe a sereniss-
ma princesa imperial do Brasil devia embarcar no
dia 8 deste mei no paquete ingles da carreira trans-
.9pracasdeprete30offlciaes (entrando noT iioTS> CmP'Ce?' U ^ "^
mero destes o inajor Santos), para Timor, para i Estes factos, por sua successao e envidarte
onde deveriam partir no paquete hollandez. ..-. ~~ .VT.j. "" "'
Do arsenal de Sarabala, j se bavia remeltdo
para Dilly, o magnifico trem de artilharia de mon-
ODeoS%re^ araeagador quando corabiaaoscm7s'aco7do'g7
ODjecios para a cavat aria do Timor, que a com- verno supremo da Repblica, oue Darecem ter sido
governador, e Sr. Costa Moura, restabelegam com-
pletamente a ordem, principalmente se lne ehega-
rera reforgos de tropa da conffanga.
Consta que foram apreseniadas ao Sr. dur,ue
que Ihes tragava o procediraento do governo ir
nal e prestassem seu apoio revolugo.
Ogovernodesua magestade procurou prevenir
06se desvio de sua nentraiidade, que, posto devido
a uma preocopagao infelizmente asss fundada, se-
Como bem comprehende o Sr.... o Brasil nao poda
deixar de proseguir na guerra a que o provocou o
governo de Montevideo, nem raanter a sua poli tica
de neutradade, quanto ao conflicto interno da Re-
pblica. Esta neutradade tornou-se incompati-
ve!, nao s com o fim que o governo de sua ma-
gestade se tinha preposto em suas justas reclama-
goes, mas at cora a seguranea do imperio, boje-
ameagado por dous inmigos qoe se alliarara para
fen-lo em sua dignidade e desconhecer os seus di-
reitos. '
O governo imperial, por tanto, contina em guer-
ra com o governo de Montevideo, e tem resol vido
concorrer tambem com as suas armas e com os
seus conselhos para a pacifleagaointerna da Repbli-
ca, precedendo de accordo com o general Flores, a
quem considera como legitimo bellgerante, e er
possuido da mais nebre dedicagao soa patria
O governo de sua magestade espera que,, nesta
conjunctura como em outras anlogas, poder con-
seguir o seu legitimo e benvolo empenho, por ma-
neira que merega as syrapaUias de todos os gover-
nos amigos, objecto que tem sempre em vista nos
mais importantes actos de soa vida interna e ex-
terna.
O abaixo assgnado tem a hom d% offtrecer ao-
Sr----as expressoes do sen alto apreeo, e roga ao
Sr. ministro se digne dar eonftecimento da pre-
sente nota legago de-----era Montevideo.Jos
Maria da Silva Pannbos.
Sobre a tomada de Paysandir publica o general
em chefe do nosso exercito a seguinte ordem do
di :
Quartel general do commando em chefe do exer-
cito do Rw urande do Sol, junto a cidade de Pay-
sand, 7 de Janeiro de 1865.
Ordem do dia n. 17.
O exercito e armada imperial, de cembinago
com as torgas ao mando do distincto general D. Ve-
nancio Flores, triumpharam valorosamente no dia
2 do corrente mes, sobre os maros de Paysand.
Mortfera foi a luta ; 52 horas consecutivas ba-
talharam unidos os soldados da liberdade, que,
mulos na bravura, procuraram na peleja conservar
illeza a honra da nossa naco, e a bem merecida
reputagao do chefe cojo nome ennobrece a Ierra
oriental.
Foi em Paysand que ns agentes do governo de
Montevideo infligram infamante castigo a um,
Brasileiro.
Na pessoa do nosso conterrneo* pretenderam
esses tresloucados insultar a nago I
Nossas justas e continuadas reclamagoes foram
sempre desattendidas com as mais offensivas repul-
sas ; todos os recurso? pacficos e honrosos foram
esgotados improficuamente. Em taes circumstan-
cias s [um meio reslava ao governo imperial o
appello s armas-passo extremo, verdade, mas
necessario e digno.
Muitos daqoelles qne nos menospresaram j nao
existem ; Paysandd attestar a todo o tempo at
que ponto chegou a imprudencia e cegoeira dos
que atearam a guerra civil em soa patria, e pro-
vocaram o Brasil a ver armado a um paiz visinho
o amigo.
Carregue o governo de Montevideo com as tris-
tes consequencias Uo seo inqualiflcavel proceder.
O combat, coinegando s 4 horas e 20 minulos-
do dia 31 de dezeiflbro de 1864, e terminado glo-
riosamente no dia B de Janeiro de 1865, ba de fi-
gurar na nossa historia como o primeiro feito de
armas do exercito brasileiro.
Setecentos prisioneiros, inclusive 97 offlciaes
muitos morios e teridos, dous mil e tantos fuzis f
pegas de artilharia.flrande qnantidade de munig
bandeiras e petrecHos bellicos, cahiram em nosso
poder; mas sendo qomo a [nossa missao toda do
honra, prlsonelros,| pegas, muniges e pelrechos
existem com o valete chefe da cruzada liberta-
dora.
A singular victoria do da 2 de Janeiro custoo
ao exercito imperial i a perda de 4 offlciaes e 75
pragas de prel, r,orlds no campo da batalha, alm
de umitas cujos ferimentos foram mais ou menos
graves.
Sinto-me orgulhoso per me ver collocado fren-
te de Untos e tao valentes companheiros, e, fazen-
dollies justiga, menciono o nomo daqoelles que
mais se distinguram.assegurando-lhes qne os seus
esforgos sero levados alte presenca de S. M o
Imperador.
0 Sr. lente coronel do 3o regiment de cavalla-
ria ligeira Antonio Peixoto de Azevedo, deplado
do ajudante general juto a este commando, foi in-
cansavel no curaprraenio de seus deveres, levando-
pessoalmente as minhas ordens aos lugares ondo
mais encarmgada andava a luta.
O Sr. major do corpo de cavalUria de Matto-
Grosso Joo Sabino de Sampaio Mena Barrete, de-
putado interino do quarlel-mestre general, cumprio-
satisfactoriamente ,as obrigagoes a seu cargo de-
vendo-se a seu zelo e actividade o nao ter falado-
aos combatentes nem munigao de guerra, nem de
bocea.
O Sr. capillo do 3 Regiment do cavallaria li-
geira Manoel Antonio da Cruz Brilhante, secreta-
rio militar, oSr. captao do estado-maior de 1*clas-
se Carlos Resin Filho, assistente da repartigo do
quartel-mestre general, e os mais offlciaes do mea
quartel genenl, cumpriram o seo dever.
O Sr. tenente-corooel graduado Emilio Lols Mal-
let, commaodaote das bateras de artilharia, e in-
cumbido da sua collocagao, desempenbon este ser-
vigo com actividade e zetc. Durante o combate
mostrou sempre coragem e sangoe fro.
Todos os offlciaes desta arma, os Srs. capitae*
Manoel de Almeida Gama Lobo d'Eca e Antonio
Carlos de Magalhes, i- tenontes Joio Nepomuce-
no de Medeiros Mallet e Ernesto Augusto da Co-
nha Maltes, -" tenentes'Justino da Silvelra, Jos*
Maria de Moraes, Jos Maneel Teixeira Riot., Fran-
cisco Carlos Perelra Caldas Ignacio de Souta Goo-*
vea Jnior, Jos Thomaz Theodoro Gongalves e o
alteres addido Onofre Jos Antonio do* Santos (do
3* batalbao de infantaria), se poriarara com dis-
lioccao : inclusive o Sr. capito Herraes Ernesto
da Fonseca, que achando-se preso e em conseibo
de guerra, offereceu-se para tomar parte na accao;
sendo, nao obstante, mais digno de menso o SrTl
lente Cunba Mallos, que, aln dos servicos pres-
tados as bateflas, loi deslacado com duas pegas

- /';'"



Mar! de Pernaibncf -* OOrta Wn ** de Feverelri de f *tft.
para colloca-ias as ras da dada dirigir os
eo fofos, jo servico ftranenhou com pericia
e rauna bravnra. Os Sps. batees armada im-
par! portos tnian ditpokeio pete En Sr. *?
ce-Alnuranle baro de lamandar, para o Mi-
mando das pegas desembarcadas da escuadra, por-
taram-seeom prociencra e denoto.
Os offleiaes do coro* de sflde do ttereito, Srs.
Drs. : eirurga-mr de brigada Joo Pires b'arl-
nlu, 1" cirurgots Jus Monn Uirdeiro Gitahy,
Manoel los de Oliveira, Julio Cesar da Silva eSil-
verio de Andradea &lva : 2" cirurtilias Javme
de almeida Couta, Arcibiade de Arevedo PWIra,
Os Sr*. lente Manoel Jos de Magalhaes Leal:
nouve-se com muila bravura, c foLtefaligavel du-
rante a acgo, oceupaado e sustentando a posigao
que I he'rol determinada.
Dito Caetano da Costa Araujo e Mello : aeodo '
ajudante do commando da 5." brigada, porteo-se
pilca 3 valor, eontai oom o desvello e dedicado de
vo?so gener.il e amigo.
Viva a nacjio Brajilelra I
Viva o Imperador do Brasil!
Viva a nagao Ofienlal I
Vlvam osexercitos alijados! -Joao Propicio Men
-?-
com dignidad*, valor e sangus Irlo. na Brrelo, marcenar O Sr. tenente JoSo de Arroda Moreira : sonbe ProctamacMo.
cumprir seu dever no commando'da i.1 rom- Orlentaes I approxima-se o termo da nossa afa-
pauhia, achando se sempre a Trente dola com "osa campanha pela liberdade da patria.
pangue fri. O inimi|o implacavel concentrase nu seu u I ti
Dito Pellcio Domingoes : honve-se com muilo mo reducto, e d'ahl contina atirar-nos os seus
valor o bizarra, insultos e calumnias, ameagando escandalisar d
Manoel Carnoso da Cosa Lobo, ios Nunes da Sil-' k.0 Sr. alferes Antonio Pedro da Silva, sempre na mondo civilisado com novas seeoas de terror,
va e Antonio Pereira da Silva Guimaries ; e os da Trente nos momentos mais critWbs, preslou rel- Avante, pois, e um novo esforgo libertar a cl-
- vamissimos servigos com o maior denodo e sangue dade de nossas glorias, Montevideo, dolo de nos-
repa/iigao ecclesiastica, padres Sera5m Gongalves
Silva Passos Miranda, Ludgero Braulio do Reg
Monleiroe Joao da Casia Pereira, que serviram no
hospital de sangue, desempenharam as suas res-
pectivas funegoes com humanidade, zelo, dedica-
gao e caridade.
Bastante mo coadjuvaram, desde o comego da
aegao, o Exm. Sr. brjgieiro Jos Luiz Menna Bar-
reto, e os commandantes superiores Jos Alves Va-
lenga e Jos Gomes Portinho, tendo este ultimo o
cavallo morto pornma bala de fuzil, quando desem-
penhava urna commissao as linhas de combate.
O Sr. coronel Victorino Jos Carneiro Monteiro,
commandante do 3 regiment de oavallaria ligeira,
encarregado com o seu regiment e os corpos pro-
visorios da guarda nacional 2o e 4o, de que sao
commandantes os Srs. tenentes-coroneis Gamillo
Mercio Pereira e Astrogiido Pereira da Costa, da
defeza externa da cidade, do norte para o oeste,
mostrou nesto servfeo alo, dedicagao e activi-
dade.
fri, prestando tambem em todas as occasioes que
exigiam as circnmslancias a mais voluntaria coad-
juvagao, j abrindo seteiras, ja condnzndo enfer-
mos aira ves das balas de um inimigo tenaz e em
aosiges dominadoras de grandes distancias; foi
um dos offleiaes de que mais vezes se langou mo
a bem das exigencias d arglo, e finalmente fol o
mesmo qne acompanhou o capito Joaquim Correa
de Faria na colloeago do nosfo estandarte na so-
lea, levando a effeito a idea daquelle capio, que
nao pode completa-la por causa do feri ment que
recebeu.
sas reeordagSes, das mos fratricidas que hoje a
opprimem, aesses homens que, cegados pela sede,
de vinganga, preferem o seu predominio absoluto
felicidade de todos os urientaes.
Companheiros de armas I Se eramos invenci-
veis quando lutavamos sos contra um inimigo que
dispunha a seu talento de todos os elementos offl-
eiaes, boje nao pode a victoria deixar de ser promp-
ta e certa com o generoso concurso da nagao
brasileira, cojos leaes soldados duplicam nossas
forgas.
Compatriotas e companheiros do armas I Sois
No momento da approxiraar-se aquella disparou
5 tiros deranho, des quaes 3 foram empregados
e i pwdhlos.
< Aehando-se oeornnutvlantenaimpossibilidade
de resistir, assim eomo de retirarse, resoiveo fa-
zer desembarcar todos s passageiros ; e tendo-se
alguns oestes e (fa iripolagao precipitado ao rio,
foram cmtawnte monos
T
O Sr. alferes Antonio Rodrigues Portugal dis- j testemonhas da minha abnegago, e que meu pei-
tinguio-se por sua bravura, dedicago e prudencia, lo nao abriga idea de vinganga ; e os meus an-
nas occasioes mais necessarias. | tecedentes garantem que sacrilicarei a minha indi-
Dito Manoel Martins Vianna de Paiva : sonbe: vidualidade pela liberdade e gloria de nossa querl-
cumprir o seu dever, encontrando-se nelle sempre da patria.
Marchemos com a mesma f e a mesma abne-
gago. e os manes das martyres sublimes da lber-
dade contemplaio o aniquilamentode nossos san-
com lira- guinarios inimigos e abrirao as portas da cidade
1 heroica que foi testemunh de suas fagaohas.
Avante, compatriotas
Dos protege a causa
dos justos: combatamos
melhor vontade as commissoes de que fei encar-
I regado.
Dito Colatino Teixeira de zevedo : ferido no eo-
0 Sr. tenante-coronel AstrogiMo Pereira da Cos-. meco do combate, conservou-se sempre
ta, de qnem aceitei o offerecimenio que me fez de i vura no seu posto at tarde do dia 31, em que
tomar parte no combate, prestou durante elle rel-, foi mandado retirar do batalbo, para ser recolhi-
vantlssimos servigos;incumbido por mim de coad- Ido o hospital de sangue.
juvar o Sr. tenente-eoronel Andr Alves Lelte de I Dito Cypnano Augusto dos Anjos : portou-se at vencer, e depois da victoria proclamai com o
O iveira BeHo, den no desempenho dessa commis- \ sempre com brio distfocto, e esteve presente em j vosso general e amigo, honrosa gratido aos nos-
sao exuberantes provas de intrepidez, deveodo-se todas as occasioes e lugares mais apurados. nos ajilados e sacrificio de todas as nossas paixdes
sna coragevn eacttvidade a destruigao de um dos O Sr. alferes quartel-mestre Jos Francisco Ave-' individuaes no altar da patria libertada,
mais fortes baluartes do inimigo. lino Xavier; tambera digno -de attengo pelo! Viva a independencia e tfberdade da repblica
O Sr. coronel Antonio de Sampaio, commandan- bem qne se houve no commando de umaforga que Oriental,
te da 5* brigada, portou-se cora a bravura que Ihe Ihe foi confiada.
peculiar, tomando todas as disposigoes que a arte \ O Sr. alferes secretario Jos Thomaz Ferreira
ensina para o bom xito dos ataques de lugares' Neves : portou-se cem dignidade as emergencias
fortificados. Na parte que me elle dirigi diz o se- do combate.
O Sr. alferes Antonio Braz Soares da Cmara :
idem.
Dito Tude Soares Neiva ; idem.
1* sargento Raymundo Pedro da Conceigao ;
te e enrgico portou-se no commando do seu bala-'1 deu provas de bastante valor e at mesrao de te-
lhao. | meridade.
12 batalho de infantaria. \ Furriel Procopio Antonio Rodrigues ; fol um
guinte dos ofliciaes que serviram sob seu com-
mando :
6o batalhao de infantaria.
O Sr. major Antonio da Silv Prannos
*
Viva a nagao Brasileira I
Vivam os exercitos alltadosl Venancio Flo-
res. Acampamento em marcha, em 12 de Janeiro
de 1865.
A Naco Argentina publica a seguinte interes-
sante relacao escripta pelo Brasileiro Zozimo Fer-
reira Gomes, passageiro do vaper inglez Rangerj
sobre qoanto se lera passado na invasao dos Para-
guayos desde o ataque de coimbra.
Esta relacao, observa a citada folha, vm res-
tablece a verdade asss desfigurada as panes
O Sr. teneate-coronel Luiz Antonio Ferr.iz : este bravo durante todo o combale, e sempre escolhido ofliciaes paraguayas, e contm interesantes deta-
faravo veterano juntou mais um louro aos demais j para os postos mais arriscados.
colhidos na sua longa carreira militar ; portou-se Dito Carlos Augusto de Oliveira Bueno Parrte,
com mdito valor, sangue fro e coragem no com- '
mando do sea batalhao.
2o regenlo de cavallaria ligeira.
O Sr. major Jos Antonio Correa da Cmara :
Intrpido e calmo, valente soldado, prestou pti-
mos servigos no commando de urna forga do Io ba- distingulo-se por sua bra-vura.
talhao de infamara e de fnzileires navaes. Msico Ismael da Silva Araujo
tornou-se anda mais digno de estima de seus su-
periores.
Dito Francisco Xavier da Cruz Sampaio ; idem
idem.
Cabo de esquadra Joo Henriques de Barcellos,
Ihes em que se manifestara a atrocidade e capaci-
dade dos Paraquayos
A relagao como segu:
A 8 do crreme chegamos a ('.cimbra sobre cu-
jos muros j vimos tremular a bandeira para-
guaya.
O assalto e tomoda deste forte refere-se de diffe-
rentes modos, o que torna difflcil illocidar a ques-
tao, podendo-se smente dar crdito narrago
recommendou-
0 Sr. tenente-coronel Carlos Resin, commandan- se coosideragao dos superiores pelo modo volun- que fazem os coramerciantes estrangeiros de Cu-
ne da 2" brigada, ferido no comego da aegao, torna-1 tario, com que, munido de urna es|iingarda, prati- rumba e tambem alguns oflii-iaes da expedigo pa-
se digno, por sua bravura, das atlengSes do gover- cava proezas de bravura, depondo-a smento nos
do imperial. i momentos era que concoma msica para fazer
O Sr. tenente-coronel Andr Alves Leite de Ol- ouvir o hymno nacional.
veira Bello, a quera mandei assumir o commando I
interino desta bridada, na parte que me deu, men-
cionou os Bornes dos Srs. majores Jos Antonio da
.Silva Lopes e Joaquim Joo de Menezes Doria,'
commandantes interinos dos batalhoes 3 e 13 de
infantaria, acompanhando-os de honrosos elegios.
O Sr. teoeute-coronel Salustiano Jeronymo dos
Reis, commandante interino do 4 batamo de in-
fantaria, que se achava de prolfecgo s bateras
de artilharia conservou sempre o seu batalhao em
ordem, tomando providencias em relagao s duas
i2 btilalliao de infantaria.
O Sr. capito Gabriel de Souza Guedes
ton nobremenle o seo posto.
Dito Antonio Pedro de Oliveira, idem.
Dito Joaquim Nery da Fonceca, idem.
O Sr. tenente Pedro Alves de Alencar, dem.
Dito Manoel Verissimo da Silva, idem.
Dito secretario Jos
idem.
Dito Antonio Auguro Sarment e Mello, sendo
assistente do deputado do quartel-mestre general,
companhias do mesmo comproraettidas"no ataque, junto do commando da 5 brigada, mostrou muila
O Sr.'capito do 3" regiment de cavallaria li- dignidade, valor e sangue fro, havendo, alem dis-
geira Isidoro Fernandes de Oliveira, e o Sr. alferes so, comraandado mn ponto onde se portea com
do mesmo regiment Joaquim PantaleaoTelles de energa
Queiroz, prestaram durante o combate assignala-
dos servigos, levando aos combatentes os soccorros
raguaya com os quaes all fallamos.
Eis-aqui como se passaram as cousas:
No dia 27 de dezembro o coronel Barrios envin
ao coramandaotc de Coimbra urna nota exigiudo a
susien- entrega do forte.
O commandante Parto Carreiro respondeu que
seno renderia seno a forga.
Em seguida deu-se o ataque nesta oruem :
A tres milnas do referido forte, sobre a mar-
gem direita do rio, os Paraguayos desembarcaram
Joaquim Cesar de Mello, 3,000 homens de infantaria, e a distancia conve-
niente puzeram quatro lanchas pequeas armadas
com urna pega de 32 o tripuladas com 12 homens
cada urna.
Serviram estas lanclias para bombardear o in-
terior da praga sem que a artilharia do forte pu-
desse responder ao rogo por causa da vantajosa
posigao que ellas oceuuavam. Os vapores da ex
a queima-roupa, -exrepgao dsete individuos, in-
clusive o immedialo do navio e o priraeir mnchi-
nista Foster, que ficou torno segundo ao servigo
dos Paraguayos no mesmo vp'or.
As familias e oais individuos qoe desceran)
Ierra feram victimas en grande parte, uns afola-
dos e oulros submergidos no terreno lodoso, onde
cuidavara poder salvarse.
Jjm?!u,nb acna-se am bataltiao paraguay de
1/Jflu notnens sob commando do capito Coros-
tiaga, que tambem commandante militar do
ponto.
Aquelle povoago, que recentemente comegava a
produzrzr ofructo datamos sacrificios aos seus
aboriojos habitantes, Brasilelcos e estrangeiros,
foi victima do mais infame saqae.
Os individuos gue all permanecern) sao ses-
senta e *e!s estrangaros de diversas nacionalida-
des e algumas pobre^ molheres, que sao a* teste-
munhas oculares do escandalosos feitos que anda
se pratteam naquella praga.
O commandante nomeado para esse pomo orde-
dou aos seus soldados um saque geral.
Todas as casas foram arrumbadas, e tudo qnan-
to aellas exista foi levada para o quartal, onde, n.i
presenga do dito chefe, parte se reparti entre os
offleiaes e a tropa, e a pane de maior valor fol car-
regada em urna escuna para a Assumpcao.
Os soldados, ego6^or urna desmedida amtigo,
nem respeitaram os trat>fem>s, nao obstante te-
rcio elles as bandeiras das suas nagoes as res-
pectivas casas, continoaram a sua vandlica tarefa
sem o mais leve signal de pudor.
Foram presas dtsles msaciaveis bandidos a casa
do cidado-francez Julio Amardeil, e a do portu-
guez conhecido no lugar por Mauoel-Porluguez.
Quando penetraram os soldados em casa de
Amardeil encontraram-o na cama soffrendo de en-
fermidade grave, e desattendendo aos seus rogos,
ievaram a effeito o seu projeclo de roubo.
Ao cidado italiano Manoel Bianchi, por negar-
se a entregar os gneros que tinlia em sua casa de
negocio, ameagarara tirar-lhe a vida, e certamenle
o teriam feito se elle nao se livesse evadido pelos
Lindes da casa, refugiaudo-se dos montes, onde
conservou-se dous das.
U Norte-americano Carlos Clarke, estando em
sua casa, foi esta invadida por um grupo de sol-
dados ; e como nao encontrassern dinbeiro, toma-
ram-lhe toda a roupa.
As casas perlencentes a Brasileiros foram todas
litteralmente saqueadas, e esto marcadas com
um B.
A escuna Jacobina, de nacionalidade argentina
propriedade do Italiano Santiago de Lucchi, patro
da mesma, estando carrfgada com 2,000 couros
seceos, foram estes lancados ao rio, e o navio de-
clarado presa por O'dem do commandante da ex-
pedigao; deram por muilo favor a liberdade tri-
polago, menos a quatro homens cujo deslino se
ignora.
No dia 10 do correte queimava-se toda a ma-
derra que existia em uorumh, depositada para a
construego da alfandega, e malava-se todo o gado
encontrado no povoado e soas immediagSes : os
caes e os porcos estavam condernnados a mesma
sorte.
Diasantes ha va chegado a noticia da tomada de
Miranda e Nroac por 7,000 homens de cavallaria,
que marcharan) por trra.
Os estrangeiros residentes em Corumb estavam
entregues aos seas proprios recursos, e sem ga-
ranta de qualidade alguma.
A sensagao que se experimenta ao ouvir relatar
acto1) de tanto vandalismo, e a desolago debucha-
da as feigoos daquelles infelizes, a maior prova
da veracidade dos feitos que all se tem praticado.
O vapor ftanger portador de um representa
le alimentes e munigoes, e. voltands pom os feri
dos, que buscavam as Dolas do fago.
Das outras divena pariecipagoes recebidas
consta o que se segu :
3.* regiment de cavallaria ligeira.
O Sr. 2." cadete Fructuoso Saturnino de Abreu,
tendo-se offerecido voluntariamente para assistir a
acgo, combaten no 6." batalhao de infantaria com
dedicago e valor.
4." regiment de cavailaria ligeira.
Dito Antonio de Campos Mello : tendo recebido pedigo llcaram de observagao fra do alcance da
no principio do combate dous fenmontos leves, fci \ artilharia brasileira.
anda gravemente ferido, teutaodo pela sua cora-
gem e dedicago salvar urna praga que catii ren-
da exposta ao fogo inimigo.
Dito ajudante Francisco Vctor de Mello e Albu-
querque : tornou-se recoramendavel pela activida-
de, zelo e valor que mostrou.
Dito Francisco Jos Rodrigues : idem idem.
U Sr. alferes Jos Roberto de Carvalho : idem
idem.
Dito Justino Pesssa de Andradc : occnpou e
cefra franciscana resolver nd fezer a prort5o 400 ditos milho, 100 ditos fafello, M I barricas bo-
t^TnXJT\m^'T M.l PodelBM '""ha, 120 fardos estopa, 1 machina varor, X
2r?J&?arrH,eT*frediar-- ZL ^'^T volumes contoado 14 inVh.au para algadao, 4H
pre nao acredila-lo, porque e-daver estabelec.de volumes canteado 8 predas ,ra algoda., 6 mT-
r^^WJS'n-?" ^ffm hWT k8W Pf" Clli0as ^ d"- *<0 ixVs irai l.qn.lo, Hit com
e alem disto entendemos que nenhuma or- 6mMf t (JlIa obJef|0i ^ Mh;8j w dj
tintas para pintura e 2 cadeira.t } aos meamos.
Brigue baiinoveriano Htiztlemnt, entrado de
Trieste, consignado a N. O. Bleber C, oanifes-
tou o seguinte ; \
2,170. barricas farlnha de trigo a 7 1>( leneladas
de pedra. \
Hiate nacional Sobraletue, entrado do Acamo,
oooignade a C. (1 da Cotia Moreira, manifesfao
seguinte :
14S1 meios de sola ; a Joao Jos de Carvamo
Moraes. \
1 coaro salgado, 4,402 metes de sola e 6' saceos
gorama; a ordem,
2,$>2 meios de sola ; a Jos de S Le tro Jnior.
500 meios de sola -r a Viuva Manoel Gonealves
da Silva. A
1,008 meios de sota ; a Jos Rodrigues Fer-
reira. \
Vapor nacional tamanguape, entrado dos porto
do norte, mauifestou o seguinte :
Do Araaaty. \
32 saceos com 180 arrobas- e 28- hbras de algo-
do ; a Bernardino Jos Monteiro & C T
93 saceos com 377 arroba de algodo, 67 sac-
eos com 437 arrobas e 22 libran de aigodan : a
Luiz A. Squeira. \
107 saceos com 403 arrobas e (^libras de algo
do, 126 caixas velas de carnauba' e 1 raiso
na* oe ema a Jos da Sa Lotto Jnior.
?O saceos com oj arrobas e nras de alg
do: Francisco Gomes de Mallos Jnior.
29 saceos com 191 arolias e 9 libras de algo-
dio,; a Parete Vianna & C.
Do Rio Grande do Norte. *
20 saceos cura 118 arroba-a 4 libras-de alto-
do; a Tisset freres.
Do Ceara.
30 barril azeite doce ; a ordem.
Patacho nacioual Pluto, entrado do R Grande
do Sul, consignado a Amorim Irmaos, rnanifestaa
o seguinte :
7,6*7 arrobas de xarque, 132 ditas de grasa em
bexigas, 21 barricas sebe, 4 caixoes carne, lf>bar-
ns hBguas, 700 reste de cbelas, e 60 cooros
vaceum seceos ; a ordem.
Brigue prussiano Konigsberg, entrado de Naw-
\ork, consignado a Sapnders Brothers A C, raa-
uifestou o seguate :
2,127 barucas farinbade trigo ; aos mesmos.
Escuna hannovenaoa Ema, entrada de New-
York, consignada a J. Fater & ti, mauifestou c-
seguinte :
2,18o barricas tarinhade trigo; aos mesmos.
Brigue iDglez Brooking, entrado de Terra No-
va, onsignado a Tasso Irmaos, inanfestou o se-
guinte :
2,200 barrifa bacalho; aos mesmos.
Vapor nacional Tocanlins, entrado do Rio de Ja-
neiro, mauifestou o seguinte :
Gneros estrangeiros.
1 caixa fazendas, 1 dita roupa ; a ordem.
Gneros nacionaes.
1 caixa imnressos ; o Jos. N". de Souza.
1 dito charutos ; a Jos L. Bourgard.
-assislio voluntariamente ao combate, addido ao ba-
talhao 13 de infantaria, e portou-se com muita bra-1
vura e sangue fri.
Os Srs. alferes Pedro Flix de Medeiros Mallet,
e Antonio Julio de Medeiros Mallet, que se me offe-
reeeram para, juntos a seu pai o Sr. tenente-coro-
nel Mallet, assistirem a acgo as bateras de art- j
da lula.
Io sargonto Aureliano Viegas de Oliveira :
digno de attengo pela actividade, zelo e valor que
mosirou.
2 dito Joo Ribeiro de Carvalho : digno do
mengao pelo seu comportamento.
Furriel Herculano Joaquim Correa : distinguio-
ga ao ministro italiano Sr. liarbolani, residente
em Monteeido, na qual os habitantes estrangeiros
de Corumb expe a sua situagao, reclamando s-
Principiou o fogo cora tenacidade de parte a par- ria o prompla reparago.
te, perdendo os sitiadores logo no primeiro assalto A expedigo que se apoderou de Coimbra, Al-
300 homens. buquerque, Corumb e Dourados, conta 4,000 lio- j
Os Paraguayos depois que desembarcaram mar- mens de infantera e artilharia, e all consta que
charnin em differentes columnas costeando a fral-jessa forga pretende fazer-se senlir e apoderar-sa
da da moiilanha e a "base da fortaleza. Assim, ao de Villa Mara e Cuyab, que a capital da pro-
approximarem-se fizerara um cerco formal pondo, vincia doMatto-Grosso.
os sitiados debaixo de vivissimo fogo de lodosos! Qua.oto a primeira, nao ser deestranhar, por-1
lados. que urna povoagozmha beira do rio, sem ira- '
Quarenla horas durou o ataque sem que os si- portancia e sem a mnima defeza: pelo que res
cissao ; a alm disto entendemos que nenhuma or-
dem religiosa pode deixar de pratcar os actos do
pelo fbHriarJoTfra|etrtto dltln qoe Ihe incombem como primeiros
devere.
Recommeodamos a attengo da policia um
cantor (baixo rasgado) que, aos domingos pela
madninada, chama a concurrencia dos freguezes
para os guindos de sua bodega com gritos, qoe
acordara a vizinhanca da ra das Crazas. Seria
prudente manda-lo aalarolar algum diano palacio
do caes do Capibarfbe, para ver se melboraxa a
voz.
Hoje 15 dever effeeloar-se o MB> dos sal-
vados da barca franceza Les amis de S. Jean de
L*z, na alfandega, armazem b. 8, e por imerven-
?o do agente Pinto.
RKPAirrrgAo da polica :
Extracte das partes do dia 14 de fevereiro de
1860,
rorara raeolhidos casa de detenco na dia 43
correte :
A' ordem do subdelegado do Recife, Pedro Ar-
nolt, Allernao, e Antonio, escravo de Jos Antonid
de Vascooeellos, ambos para correde/o.
A' ordem do deS. Jos, Antonio dos Santos Mar-
cellino, para correegao.
O Chefe da segunda secgo,
/. G. de Mesquita.
Passageiros do vapor brasileiro Tocan/mi, en-
trado do portos do sul :
Tenente Antonio F. Duarte e sua senhora, Dr.
Joo da Cunta B. de Araujo Pereira, Carlos A. Ri-
beiro, sua senhora. 3- filtras e 1 criada, padre Lou-
rengo de A. Loyolia, Francisca de Mello Calheiros,
Dr. Joaquim R. de Oliveira, Henrique Jos de Sal-
les, Fabriciano N. do riego Barros, Antonio Kenock
dos Reis, Antonio Luiz C. da Silva, Francisco de
Paula Araujo e Almeida, Antonio P. Valladares, J
Gomos Ferreira, Isabel Maria, Joao Jos do Souza
Menezes e 1 eseravo, Francisco Floreo Leal, padre
Manoel C de Souza Lima, Jos M. Curio, Caliste A.
de Souza, Amonio O. Costa, Jos Vaz da F. Lordel-
lo, Francisco A. de Castro L.ureiro, Silverio da S.
Gallo, sua senhora e 1 escrava, Manoel R. Dantav
AJexandrino Thomaz de Aquino, Jos Vieira de A.
Peixoto e 1 escravo, Antonio F. Leite, sua senhora
e 1 escravo, Joo F. Taboca, Jos D. Ribeiro, Fir-
mino L. de Lima, Guilherme de Souza Bastos, An-
tonio T. Peixoio Abreu e Lima, Manoel P. Ponies
Grillo, Antonio F. de Viveiro Sabugo, Clementiuo
J.M. de Albuquerque, padre Alexandre Jos Gran-
geiro, Jos B. do Araujo, Joo de S. Ferrao, Augus-
to C. de Barros, Melchiades S. Muniz, Eugenio M.
da Silva Lessa, Antonio Alves Pereira, Jatntho F.
de Oliveira, Francisco D. da Silva, Manoel Muniz
Tavares, Domingos do Souza Barros, Jos Maria B.
Cornelio, Luiz Jos N'ogueira, Joo Nunes Triguei-
ro, Dr. Joaquim Jos G. de Souza, Joaquim de S.
Ferreira, Joo R. Barbosa, Alexandre Jos Ribeiro,
Jos Marcellino, Joo Gomes da Cruz, Conslant
Duvoisin, Pailet Nicolao, Pietro Barlholomeu, tfas-
quale Massia, Francisco Scandizo, Angelo de Som-
ma, Rosario Bianco, Ernesto Rolil e Carolina En-
tris, Vilerule Carmine, Julio, Benedicto, 2 ex-pra-
gas, 1 praga, 1 desertor, 1 preso escoltado por 1
policial.
Seguem para o norte :
Ignacio Jos Alves de -ouza, Jos J. do Sacra-
mento, Lehman Meis e 1 criado, Francisco M. do
Sacramento, Dr. Francisco Acacio Corroa e 1 es-
cravo, Dr. Joao Maria de Moraes Jnior e 1 escra-
vo, Augusto Carlos de A. Garca, Dr. Antonio Joa-
quim do O. Campos, Vicente Pontes de Oliveira,
sua senhora, 2 escravos e I criada, 1 ex-praga, 2
presos escollados e 2 escravos entregar.
Casa de DBrmfglo.
Movimenlo da casa de detenco do dia 12 de
fovereiro de 1865.
Existan presos 378; entraran) '; saturara 6;
falleceu 1; existem 37o.
A saber : nacionaes 302; estrangeiros 20 ; mu-
Iheres 4 ; estrangeiras 2 ; escravos 13 ; escravas 4.
Total 375.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 157
Movimenlo da casa de detengao 13 de feve-
reiro de 1865.
caixas rap, 1 vteme .cigarros, 1 lata fumo,
O Sr. tenante Placido Fialho de Oliveira Ramos sustentou o posto que Ihe foi ordenado, at o flm liados perdessem um s hornera dos 120 que com-! peita, porcm, capital, fazemos votos para que os
iharia, portaram-se bem. se pela actividade, zelo e valor que mostrou.
OSr. i." cadete 2." sargento Antonio Adolpho da 13 batalhao de infantaria.
Fontoura Menna Barreto, tendo-se offerecido para : Os Srs. capito Joao Nepomuceno da Silva : ser-
servir no batalhao 13 de infantaria, portou-se eran viudo de as.-istente do deputado do ajudante-gene-
mulla bravura e valor. ral, junto a 2* brigada, desempeohou as obngagoes
3. batalho de infantaria do seu posto cora reconhecido valor, inlelligencia
Os Srs. capio Francisco Raimundo de Souza, e dedicago.
tenente Sebastio Machado da Silveira, dito Fran- Dito Augusto Cesar da Silva : portou-se com
klin Luiz de Vasconcellos Ferreira, alferes Fran- mnito valor e sangue fri.
mnham a guarnigao. Algumas horas aoles de vndalos paraguayos tentem a empreza de ataca
abandonar esta posigo o fogo era mais pausado la, porque estamos certos que alli acharo a sua
por terse acabado o cartucharne. Nesta occasio perdigo.
as mulhrres de alguns ofliciaes principiaram a No dia II o vapor Ranger encontrou o vapor
fazer cartuchos, servindo-se para sso das proprlas Paraguayo na altura do forto O.yrapo conduzindo ,
saias por nao haver papel. gado a vveres para o< expedicionarios. .
A canhoneira Anliambahy, commandada pelo A 14 cliegou o Ypora a Assumpgo, e por elle !
tenente Ferreira de Aguiar, armada cora dous ro-' soubese que no ataque de S. Lourenco contra o '
Etisiiam presos 375; entraram 7 ; sahiram 4
exislera 378.
A saber : nacionaei 303 ; estrangeiros 22 ; mu-
lher*s 4 ; estrangeiras 2 ; escravos 43 ; escravas
4.Total 378.
Alimentados a custa dos cofres puhlicos 15G.
Movimenlo da enfermara do dia 15 de fevereiro
J-' 1865.
Tevebaixa : Maria Francisca do Nascimenlo
diarrha.
200 saceos farinha de mandioca ; a ordem.
1 caixote linos iinpreesos ; a Guirnares & Oli-
[ veira.
Da Baha.
Gneros estrangeiros.
5 fardos e 2 caixas fazendas ; a S.>uthall Mel-
lors & C.
Gneros nacionaes.
1 raixao charutos; a J. J. Gongalves Belchior.
1 dito ditos; a W. C. Willo.
6d.los ditos ; a ordem.
Patacho portuguez Jorco, entrado do Rio Gran-
de do Sul, consignado a Marques Barros & C, ma-
uifesiou o seguinte :
7,476 arrobas de carne de charque, 60 couros
vaceuns seceos ; a ordem.
Brigue nacional Prazeret, entrado do Rio Grande
ds Sul, consignado a Amorim tV Irmaos, manifes-
ou o seguinte :
U,700 arrobas de charque, 1,000 linguas seccas
e 55 arrobas de sebo era rama.
Recebedorla de rend;ts Infer-
na* geraesde Pernanshiieo.
Rendimento do dia 1 a 13........ 15:674,5030
Idem do da 14................ 1:499659
PBLI0150ES 1 PEDIDO
cisco Galdrao Nepoinuceuo da Silva, dito Joo Ma-
ri nhO Falco, tornarain-se recoramendaveis por se
terera- conservado de guarnigo ultima posigao
tomada.
O Sr. teneate-ajudaute Frederico Chrlstiano
Buys digno de menguo pelo seu constante des-
-embarago na peleja, qur recebendo, qur trns-
mittindo ordens.
O Sr. tenente Domingos Alves Barreto Leile
digno de attengo pelos mesmos motivos, e por
Dito Francisco Manoel de Oliveira : idem idem.
Dito Jos Augusto Cardse da Gama : portou-se
com dignidade e valor.
O Sr. tenente Scrafim Flix de Paiva : portou-
se com muita dignidade e valor al a occasio em
que foi gravemente ferido.
Dito Alfonso Jos de Almeida Curte-Real : por-
tou-se com muila dignidade e valor.
Os Srs. alferes quartel-mestre Pedro de Alcntara
da Silva Mondare : olfereceu-se para acompanhar
conservar sangue fri e boa disposigo ante os o batalhao, e portou se cora dignidade.
maiores perigos. Dito secretario Francisco Carlas da Costa Aguiar
Os Srs. capito Francisco FreJerico Figueira de portou-se rom dignidade e sangue fri.
Mello, lenles Antonio Joaquim Uacellar e Joo Dito Jos Francisco da Silva : portou-se
Baplista Brrelo Leite, alferes Raphael Fernandes cora muita bravura e sangue fri durante o cora-
Lima, Luiz dos Reis Falco e Jos Machado de bate, sahinde em urna sortida que foi desalojar o
Souza, por se haverem moito e forjado na ultima inimigo.
noite do ataque.
0 1 sargento Augusto Zeidler, e furriel Vale-
riano Gomes Meirelles ,distinguiram-se de seus
companheiros.
O soldada Jacob Jos dos Santos collocou com o
maior denodo o estandarte brasileiro em ama das
soleas tomadas ao inimigo.
Dito Manoel Lopes Ribeiro : no ultimo liro aue
deu, deitou por trra morto o coronel inimigo
Azarabuya.
Dito Fortunato Machado da Rosa : portou-se com
muila dignidade, comraandando 20 pracas que fo-
ram atacar o inimigo que se achava alojado em
urna sota.
1" sargento Quinlino Vieira da Silva : portou-se
com muilo valore bravura.
1 cadete 1 sargento Anacl.Ho Ramos de Abreu
Carvalho Contreiras : portou-se com inulta digni-
dade, e na qualdade de porta bandeira, mostrando
ter tambem samrue fri.
4. batalhao di infantaria. 1 sargento Jos Correa Telles : portou-so com
O Srs. tenente Joao Antonio de Oliveira Val- muito valor e bravura,
porto : tornou-se digno de honrosa menguo, como 2 cadete- Luiz Borges Monteiro : portou-se com
um dos offleiaes que mais se distinguiram ni vic- muita dignidade durante a acgo.
loria que obteve o exerclo. I 4 corpo provisorio de guardas nacionaes.
Dito Joao Gongalves Pimenta : porton-se cora f\ O Sr. tenente Jos Aparicio Nunes : portou-se
coragem no posto que Ih? foi ordenado sustentar, com muita bravura, coadjuvando o Sr. teneote-co-
Dito Jos Antonio de Lima Jnior : tornou-se ronel Astrogildo Pereira da Costa na tomada do
digno de especial mengo no commando dos atira- forte.Lucas Piriz -e anteriormenta.
dores collecados na frente da artilharia, portando-1 5 corpo provisorio de guardas nacionaes.
se com valor. O Sr. tenente Salvador Jos de Leo : voluata-
Dito Joao Antonio de Magalhaes Leal : portou- riamente concorreu ao combate, prestando bons
se com coragem e sangue fri. servigos junto ao 3 batalhao infantaria.
Dito quartel-mestre Ludgero Braulio da Cruz : Finalmente, sendo o Exm. Sr. brigadeiro Ma-
tornou-se recommendavel, por ter-se portado com noel Luiz Ozono, commandante da 1' divisao, o
coragem e feito da sua parte o possivel para olTen- oais graduado dos offleiaes que se acham sob o
dtr o inimigo. meu commando, ficou S. Eac. frente das bnga-
Alferes Manoel Alvares de Azevedo Macedo : das de cavallaria que estavam acompanhadas jun-
iPortoa-se com c*ragem ao ponto que Ihe foi or Je- to ao arroio de S. Francisco, a legua e meia da
nado sustentar. | cidade de Paysand.'Joo Propicio Menna Barre-
Dito Frederico Carlos Cesar Burlaraaque : por- to, marechal de campo,
touse com valor. I Quartel-general do commando em chefe doexer-
Dito Fortunato Melchiades Ferreira Lobo : tor- ] cito do Rio Grande do Sul, na fazenda de S. Xa-
nou-se digno de mengo, por ter-se portado cora vier sobre a costa do Paraguay, 1^5 de Janeiro
.coragem a felto da sua parte o possivel para offen- de 1S65.
der oiaimigo. Proclamardo.Brasileiros A patria e a hu-
Sargento ajudante Jlo Severiano Maciel da manidade nos chamara a um outro ponto do Esta-
Costa : portou-se com valor.
2.* sargento Trislo Manoel de Freilas : idem.
fUo TrUtao Florencio dos Santos : idem.
6.* batalhao de infantaria.
Os Srs. caprtao Jo* da-Cunha Moreira Alves :
-sendo assistente do deputado do ajudante general
do Oriental.
Nossos inimiiros nao sao a briosa nagao orien-
tal Vos sabis que a grande materia desta est
comnosco.
Nossos inimigos sao esses que orTendem a dig-
nteade de nossa patria, e negam jostigi aos seus e
sa Tincando a parxoes
deste povo vizioho e
junto a 5* brigada, portou-se cora muita dignida- aos nossos compatriotas,
de, valor a pangue fri. j bastardas a paz e unio
Dito Joaqun) Correa de Faria : coube-ltte o mais amigo,
bello e nvejayel feito de. armas. Depois de ser um Brasileiros J Vamos combater pero Brasil e
daquelles que mais se adiantarara em accomroet- pela Repblica Oriental, ao lado do exercito qne
ter o inimigo, foi ferido no brago esquerdo no mo-1 commanda o distincto general Flores, cojos bravos
iinuio em qur, eulhusiasraado, dava vivas a S. M. j misturaram o.seu sangne com o nosso, ante as
o imperador, ao exercito e ao 6. batalhao ; e su- trincheiras do Paysand.
!indo a sota a peito descooerto, substitua a bau-
O Sr. capio Jos Antonio Alves : digno de
louvor por sua bravura e ponlualidade em todas
as circomstancias criticas por que passou o ba-
talhao.
Dito Felizard) Antonio Cabra) : idem idem.
Valente esforgo contra o inimigo que nos fere,
' generosidade para com os vencidos respeito a to-
| dos os neutros e a to4as as propriedades. Zelai
com escrpulo os vossos brazoes de soldado brasi-
leiro, nao vos deixeis arrastar pelo exemplo de
vossos inimigos em seus excessos.
Exernto brasileiro! Cont com a vossa disci-
dizios de 32 e tripulada por 36 homens, collocou-se
cima do forte sustentando sem inierrupgo um
fogo bem nutrido que causou grandes estragos en-
tre as ii\-ras dos sitiadores. O commandante
daquelle navio nao poupou sacrificio algum para o
bom resultado da defeza.
Infelizmente achando-se a guarnicao do forte
exhausta de recursos bellicos e sem probabilidade
de poder sustentar se n'aqnella posigao vista da
extraordinaria desigualdade de forgas, resolvea o
commandante abandonar o ponto t-oin toda a guar-
nigo e habitantes do lugar, contando para isto
com os importantes servigos do commandante da
Anhambahy e do Jaur all estacionados.
Electivamenle na nonte de 28 para 29 prevale-
cendo-se da suspenso do fogo do inimigo, embar-
oaram-se lodos nos referidos vapores com direcgo
a Corumb.
Ao amanhecer os sitiadores approxjmaram-se
da fortaleza e encontrando-a abandonada metteram-
so de posse della. Na revista interior a que pro-
cederara encontraran) no hospital um soldado doen-
te que alli ficara por nao ter podido ser conduzido
para bordo.
A artilharia, sua munigo e oulros muilos objec-
tos foram immediatamente embarcados e conduzi-
dos para a Assumpgo pelo Salto de Guayr.
A tomada desta fortaleza inexpugnavel para os
Paraguayos, custounos nao pequeos sacrificios e
cerca de 400 homens postos fra de combate, sen-
do certo que se em Coimbra tivesse havido 500
Iiomens, a expedigo nao estaria hoje na posigao
ameagadora em que se acha.
Sem pretender menoscabar o merec mente dos
soldados paragu?yos, completamente baldos de es-
pirito, de disciplina e pouco destros no manejo das
armas, principalmente na occasio de assa'lar um
ponto fortificado, diremos como provaram a sua
impericia no combate de Coimbra, onde, ao appro-
xiraar-se em columna cerrada para escalar o forte,
executaram primeira a manobra deempunhar com
nm brago a espingarda ou a espada, e por o outro
diante dos alnos, e julgandose assim defendidos,
subiam esses para os navio-, sacrificando por este
modo grande numero de vidas.
As guardas paraguayas postadas ao largo do rio
desde Assumpgo al Corumb lera sido muito re-
forjadas.
No lugar denominado Ludario, a nove milhas de
Corumb, se acha a esquadra paraguaya estacio-
nada. No mesmo lugar, sobre a rlbanceira est o
acampamento do exercito.
Comp5e-se a esquadra dos seguintes vapores :
Igurey, Paraquary, Y pora, Rio Apa, Taquary e
arguez de Ulinda, assim como a golela Jaco-
bina.
Em Corumb achava-se urna galeota carregada,
que sahio poucas horas depois da chegada do
Ranger.
Nos Dourados estavam ltimamente os vapores
Taquary t Mrquez de Olinda.
Sobre o Rosario S. Lourengo o vapor Rio Apa
guardando o Anhambahy.
Esta embarcago, carregada com grande nume-
ro de familias e habitantes de Corumb, sahira
deste pouto em direcgo a Guiaba, afim de reunir-
se com outros vapores e cnibarcagoes que tambera
conduziara passageiros.
Ao approximar-se a esqaadra paraguaya a ("o-
rumb, liveram noticia desla operago, e o com-
inan lano da expedigo mandou inmediatamente
os vapores Ypora e Rio Apa para perseguir e apre-
sar o Anhambahy, que infelizmente na entrada de
S. Lourengo pude ser alcangado.
Neste momento travou-se a Iota, batendo-sc a
tripolagao da ambarcajo brasileira contra o mi-
migo, superior em numero o forga.
Assim percorreu a distancia da 19 milhas res-
pondendo sempre que se approximava o inimigo
dos seus continuados tiros de fuzilaria.
Sendo o Ypora de maior torga o marcha adian-
tou o Rio Apa e tentou tomar o Anhambahy por
abordagem.
Agua Florida re lurrav e Lanman.
nhambahy, o vapor paraguayo perdeu o cano e' Nao difilcultoso distinguir-se a senhora de de-
soffreu grandes avarias as caixas das rodas, per- "cado e refinado gosto, pela qualdade dos perfi-
dende de mais o segunde em coratnando no acto mes de qne geralmente usa. Tanto as senhoras da
d abordagem. moda romo as senhoritas da America Central e do
A iripolagao do Yponi ao chegar em Assumpgo' sol, do urna indisputavel preferencia Agua Flo-
repartio grande quantldade de gneros, roupa e "da de Murray e Lanman, em lugar de qualqutr
muitos outros objectos, producto dos seus roubos um outro perfume para o lenco; e teem-se aferra-
em Corumb. do ao mesmo para mais de vinle annos esta par-
0 commandantejiesse vapor, Andrs Herreros,! te, custa do inteiro e completo abandono do ex-
tern era seu poder urfia caixa de madeira cheia d. tracto de Lnhin, assim como de muitos outros per-
achados de todas as especies, e consume sua deli-, fumes e essencias europeas, man ou menos agra-
cada fortuna adquirida pampa. Idaveis mas em nenhum caso to aromticos e de
A bordo deste mesmo vaso est vista do pu-; propriedades to suaveis e refrigerantes. As nos-
blico urna corda conlendo grande quantidadede sas proprias beldades, sao hoje as primeiras jus
orelhas humanas postas a seccar, as quaes per
tencem infeliz Iripolagao do Anhambaliy.
Cora a noticia do triumpho das armas paraguayas
em Matto Grosso tem hivido era Assumpgo gran-
des festas populares, bailes e toda a casta de rigo-
sijos.
Quando o Ranger devia partir de Assumpgo
para Corumb, o governo daquella repblica, sob
pretexto de communlcrgoes ofliciaes e garanta ao
vapor, mandou como passageiros o subtenenle Ju-
lin Godoy e um assistente para a expedigo.
Este ofueral foi recebido a bordo como era de-
vido, notndose que a sua bagagem se compunha
de urna mala pequea e nm sacro com officios.
Durante a viagem, apezar da dissimulago, dei-
xava perceber era conversas que tinha com os of-
fleiaes e iripolagao o lira da sua misso, que era
espiar tudo quaoto devia passar se a bordo da re-
ferida embarcago.
Chegou o vapor a Corumb, e quando regressa-
mos a Assumpgo tivemos que receber o mesmo
passageiro, com dillerenga que na volta a sua equi-
pagem era extraordinaria, compondo-se de tres
malas carregadas de sapalos, gneros, chapeos e
outros artigos de louga e cryslal, e alm disto dous
ou tres saceos cujo coatedo nao foi possivel des-
cubrir-so.
O roube feito em Corumb' chegou al a Igroja,
cujos sinos se acham hoje na Assumpgo.
Como se parecem os Paraguayos com os homens
te Moolevido*!
PERNAMRUCO,
REVISTA DIANA.
O Instituto Arclieologico e Geograpluco Pernam-
bur.ano reune-se hoje em sessao ordinaria para ele-
ger a nova mesa, que tem de funecionar no anno
social de 18C5 1866.
Hada adiantou o vapor Tocimtins, s noticias
que hontem publicamos, trazidas pelo Oneida.
-oh as rubricas Parte O/ficial e Interior vai pu-
blicado o complemento das noticias do sul. -
Em Alagas nada oceorreu, que raerega mengo.
Por erro de paginago sahio, era nosso nu-
mero de hontem, um trecho destacado da mcosa-
gem do presrdente dos Estados Unidas. Em vista
disso repetidlo lo hoje, era nossa o lava pagina, no
lugar competente.
A sociodade recreativa (on/oriniwa d a sua
partida de corrate mez no dia 26.
Ha as seguintes pardcipftgdes martimas :
Que o Cupid, do Para para Liverpool, arnbou a
Scilly ara 20 de Janeiro, londo soltrido algumas
a varias.
Que a Hendiika eslava era Trieste em 7 de Ja-
neiro a sahir para este porte ;
Qoe o brigue lngarnma, oue ia d'aqul para Li-
verpool, arnbou S. Thomaz em 15 de dezembro,
tendo perdido o raasiro do traquele. Descarregou
parte da carga, e estava reparando ;
Que o Glaucus d aqoi para Liverpool, arribou a
Scilly era 17 de Janeiro a reboque do vapor Ara-
xes, tendo aquelle softrido avarias na mastreacao.
Acabara de informar-nos que a ordem ter-
tiflear a ajulzada sentenca passada pelo publico da
America do Sul, em favor desta requissima essen-
cia floral, a qual vegeta e se propaga pelo mundo
inteiro altiva e sem rival, adquirin^o continuada-
mente novos triumphos.(Para que ninguem seja
engaado na escolha e aquisigo deste inestlmavel
perfume ; bom ser exarainar-se e ver que os oo-
mes de Murray e Lanman se acham inscriptos e
gravados sob cada envoltorio, letreiro, e garrafa,
e na falta dos mesmos, fcil soppor a falsidade
da mesma.)
I'MMEBCIO.
Xovo banco de Pernambuco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cento ao anno al o prazo de seis raezes, e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor de
tres mezes.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobre a caixa filia
na Baha.
O guarda-u'vros,
Ignacio Nunes Correa.
*~ Alfandega
Rendimento do dia 1 a 13.........357:87587i
Uemdodia 14................ 26.548779
384:424|6o3
tf ovliuentoda alfandega
Volamos entrados com fazendas.
com gneros.
Volnmes sabidos com fazendas.
com gneros
84
463
-----547
.11
1,217
-----1,268
Descarregam no dia 14defevereirodel865.
Brigue francez L0MK' diversos gneros.
Brigue inglezAzof -diversos gneros.
Barca portuguezalaura idem.
Barca ingleza fmparnrforidem.
Brisue hanoveriano-aaasWoaefarinha de trigo
Brigue inglezledo idem.
Barca hamburguezaMarirtta^idem,
Brigue prnssianoKomgsburgidem.
Patacho inglozW. M. DoAift diversos gneros-
Escuna, inglezafi/isir/ic/A fktrtir mercaderas.
.Escuna hanoverianafmiaofarinha de trigo.
Brigue ingleBrooking bacalho.
Barca ingiera -C/trHizacarvSo.
Barca ngleza -Amblestde dem.,
Barca i ngleza Willtamdem.
Pa'aeho- inglez Mondaidem.
Brigue inglezFlorisleidem.
Brigne inglezElenabacalho.
Patacho inglezAmazonidem. ~
Importacao.
Patacho inglez William Dodge, entrado de New-
York, consignado a Henry Forster & C, manifes-
lou o seguinte :-
500 barricas farinha de trigo, 100 saceos avea,
17:173689
Consulado nroTlncial.
Rendimento do da 1 a tt....... 60:9685490
IderoJ do dia 14............... 4.90l8Ci
65:870554
MOYIMENTO BO POSTO
Navtos entrados no dia 14.
Rio de Janeiro 29 das, galera portugueza Nova
Fama, de 843 toneladas, e.ipito Manoel Fran-
cisco dos Santos, equpagem 27, carga differen-
te* gneros; a Marques Barros & C.
Rio Grande do Sul30 das,brigue nacional Mafra,
de 270 toneladas, capito Joaquim dos Santos
Souza, equpagem 12, carga 9239 arrobas de
carne ; a Amorim Irmo.
Rio Grande d Sul 45 dias. patacho portuguez
Jareo, de 146 toneladas, capito Eernando Pe-
reira, equpagem 8, carga 6V464.arrobas de car-
ne ; a Marques Barros A C.
Portos do sul=6 das e meio, sendo 11 horas do
ultimo porto, vapor brasileiro Tocantins, de 700
toneladas, commandante PeJro Hypolito-Duarte,
equpagem 51.
Sabido no mesmo dia.
Aracaj e portos intermediosVapor nacional Pa-
rahyba, commandante !. J. Martins.
Rio Grande do Norte bote brasileiro a vapor
Olinda, capito Jos Francisco Borges, em lastro.
SDIT1ES.
A cmara municipal da cidade de OlinJa
manda publicar para que ebegue ao conheci ment
de todos os seus municipes a portara da presiden-
cia da provincia, datada de 7 do corrente mez, pela
qual fora approvado provisoriamente o seguinte
artigo de postura addictonal :
4* secgo. Palacio do governo de Pernambuco 7
de fevereiro de I85.
O presidente da provincia atlendendo ao qne re-
presentou a cmara municipal da cidade de (Muida
em offleio de 28 de Janeiro ultimo resolve appro-
Vir provisoriamente o arligo de postura abaixo
transcripto addicinnal anart.23 das posturas cons-
tantes da lei n. 5.17 de 19 de jnnho de 1861.
as mesmas penas incorrero os vendedores de
taes limas, as quaes, ou outras preparagoes para
taes divertimenros, sendo ellas inutlisadas.Anto-
nio Borges Leal Castillo Branco.Conforme An-
tonio Leite de Pinho.
Pago da cmara municipal de Olinda em sesso
ordinaria de 13 de fevereiro de 1865.
Joaquim Cavaleaot de Albuquerque
Presidente.
Marcelino Dias de Araujo
Secretario.
O Dr. Tristao de Alenear Araripe,. offlcial da i*>-
perlal ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife, capital-da,
provincia de Pernambuco e seo termo por Sua
Magestade imperial e eonstltnciooal o Sr. Di Pe-
dro B, a quem Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital viram, e
delle noticia tverero, que peraute esle juizo e car-
lorio do esrnvo qne este suhscreveii corre uraa
execugo de senlenga por mandado execulivo, en-
tre partes como exequente Manoel Fraacisco do
Paula, e como execulado Augusto Er^W.e tendo
dita execugo proseguido era seus devidos termos,
procedeu-se penhora nao s em bens, eomo em
dinheiro pertenrente ao mesmo execulado, pelo qne
em audiencia publica do da S8jle novembro do
anno prximo passado, pelo sollicilador Frederico
Chaves procurador dio exaqueirte fura feito o re-
querimento do lhor segrale :
A k 28 de novembro de 1864, nesia cidade do
Recife de Pernambuco em publica audiencia que
aos feilos e parles fazia o Dr. juiz de direito espe-
cial do coflimerc, Trisio de Alencar Araiipe,
nella pelo sollirltador Frederico Chaves procurador
do exequente Manoel Francisco de PaulaA fra ac-
cusada a penhora teila nao s era toos, como na
qiantia de 19351)00 em dinbeiro, pertencento ao
eiecuiado Augusto Erald, cuja quanlia se acha em
J





DiarU de rcraaiubuco .-. tsarta felra L* Ae Fe vertir de i 8 5.
poder de Francisco Ferreira de Mello, requerendo'to engajado : para o resta qae Ibe falta tratase
que nao so ficassem assigoados os seis das da le' com os seus consignatarios Antonio Luit de Ol-
a penhora, como os dez das aos credores incerlos
relativamente a penhora em dmheiro, e para cujo
flm se Ihe dsse os editaes do estylo : o que ouvido
pelo jarz assim o deferio. Extrahi o presente do
protocolo de audiencias, e junto e mandado e termo
de penhora.
Eu Faustino Jos da Fonceea escrevente jura-
mentado o escrevi.
Eu Manoel de Camino Paes de Andrade escrl-
vao o subsertvi. -
Segnindo o que assim se continha em dito reque-
rmenlo de audiencia depois do qual, o respectivo
escrivo Manoel de Carvalho Paes de Andrade, qne
este subscreveu e fez passar o presente, pelo qual e
seu theor Chamo, cito e hei por citados a todos os
credores incertos do referido executado Augusto
Erald, para que dentro do dito prazo de dez dias
corr.-parec.am ante este juizo allegando e provando
o que for a bem de seus diroitos e jusjtoa, sob pena
de se preceder suas revelias.
E para que chegue ao cenhecimento de todos,
mandei azer o presente edital, que ser afiliado
nos lugares do costume, e publicado pela im prensa.
Dado e passado nesia cidade do Recife de Per-
Bambuco, aos 10de feveiro de 1865.
Eu Manoel de Carvalbo Paes de Andrade, escri-
vao o subeserevi.
Tristao de Alencar Araripe.
veira Azevedo
Cruz n. i
& C, no seu escriptorio ra da
PiSr
DECLAB1C0ES.
Caixa filial do bauco do Brasil
em Pernanapaeo,
Hdt netrode 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de *ebastio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ihes toca da venda de urna das propieda-
des, que segundo a concordata,Ihe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22. di-
videndo de 10 por aeco.
0 guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Sania Casa da Misericordia do
HIA BRASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at odia 17 do correnle o va-
por Paran, coinmandanlo o ca-
llao de fragata Santa Barbara, o
ual depois da demora do costu-
me seguir para os portes do sil.
Desdej recebem-se passageiros e engaja-sea
carga qne o vapor poder cenduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. encommea-
das e dinheiro a frete ateo dia da saluda as 1 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Lniz de Oliveira Azevedo & C._________
COMPANHM PERNAMBUGANA
pi
Navegado costeira por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac.
No dia 22 do correte s 5 no
ras da tarde segu para os portos
cima indicados o vapor Maman-
guape, rommandante Moura. Re-
cebe carga at o dia 21. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at 2 horas
da tarde do dia da sahida : escriptorio oo Forte
do Mattos n. 1.
ttecij
e
A lllm. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do ilecife manda fazer publico que
no dia 16 do correte, pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessoes, ir praga por lempo de um
a tres annos as rendas das casas abaixo declara-
das : os pretendentes devera comparecer acompa-
nhados de seus fiadores ou munidos de cartas
destes.
Patrimonio de orphaos.
Ra da Senzala Veiba, sobrado de dous
andares n. 132 ..--.. .
Ra do Amorim, casa terrea n. 26 .
Ra de S. Curalo, casa lerrea n. 22..
Caridade.
Ra da Conceigao, osa terrea n. 5....
Ra da Gloria, casa terrea n. 65 .
Ra da Alegra, casa terre n. 7 .
4,"05000
805000
1835000
2475000
1i5000
2645000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife. 11 de fovereire de 1865^
O esenvae,
F. A. Cavalcanli Cousseir o
Constando-me que a receb -doria, firmada no
art. 55 das instruegoes n. 531 de 17 de margo de
1S60. alterara a praxe estabelecida de dar as par-
tes um conhecimento provando que ellas haviam
realisadc seus debites, e que em lugar desse co-
nhecimento somenle d urna guia que d'm/es era
remettida secgao do contencioso para dar se bai-
xa execucao, e notando que alguns devedores
nao teem apresentado a guia qae Ihes entregue.
nem na secgao do contencioso, nem no cartorio
dos feitos, ecomo Ihes seja prejudicial, porque
nao constando em jmzo'que o pagamento foi efec-
tuado, prosegue se na execucao, e elles scr.lo so-
brecarregados de rustas, para evitar esse inconve-
niente, fago-lhe- constar que a gula que se Ihes
d, deve ser levada ao cartorio para se dar baixa
na execucao.
."'ecgao'do contencioso da thesouraria de fazenda
de Pernamhuco 11 de fevereiro de 1865.
O procurador fiscal edos feitos
II. do Reg Rarros.
De ordem do lllm. Sr. inspector se faz pu-
blico que no dia 18 de correnle mez, a i hora da
tarde, estar em hasta publica, perante a mesma
thesouraria, para ser arrematado a quem por me-
nos fizer o fornecimento d'agua potavel fortaleza
do buraco e do laboratorio de fogos : as peosoas a
quem eeavier o sobredilo fornecirrento devero
comparecer na sobredita thesouraria hora indi-
carla. Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambnco em II de fevereiro de 1865.Servio-
do de official-maior,
Manoel Jos Pinto.
Crrelo geral.
Pela administragSo docorreio desta cidade se
faz puhlico que em virtude da convengao postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rao expedidas malas para Europa no dia 15 do cor-
renle pelo vapor ingiez Oueida. As cartas sero
recebidas al tres horas antes da que for marcada
para a sahida do vapor, e os jornaes at qaatro
horas antes.
Adminislrag do correio de Pernambuco 10 de
fevereiro de 1865.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Pela subdelegada do Peres foi mandado re-
colher casa de detengao o preto crioulo, que diz
chamarse Luiz e ser escravo de Rofiniano Sergio
de Mello, morador em Timbauba da comarca do
Goianna, ne sitio denominado Theuma, e que sa-
nio frgido do casa de seu senhor no principio do
mez de Janeiro passado : quem se julgar com di.
reito ao mesmo preto, enmparega, que provando
seu dominio Ihe ser entregtfe.
Subdelegada do Peres 14 de reverelro de 1865.
O subdelegado,
Alexandrino Martins Correia Barros.
Correie geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico que as malas que lem _
vapor Tocantins para os portos do norte, sero fe-
chadas hoje (15) as 3 horas da lardn ; os jornaes
al meio dia, e as cartas adraettidas seguro al
2 horas da tarde.
Correio jera!
Relar.1 das cartas segaras rindas do sul pelos
vapores ingiez e brasileiro para os seubires
abaixo declaradas :
D. AdelaUe Emilia de Miranda Henriques.
Conselhelro Antonio Coelho de S Albuquer-
que (3).
Antonio de Farlas Brando Cordeiro,
Coronel Antonio Gomes Leal.
Antonio Jos Rodrigues de Souza (2).
Claudioa d-i Hollanda Cavalcanli.
Carlos Miguel Isaacson.
Carlos Mariano Albuquerque Cavalcaati.
Francisco Antonio de Albuquerque Mello.
Francisco Lucio de Casiro.
Dr. Francisco de Paula Penoa.
Joaquim de Peotes Marraho.
Joaquim d Souza e Silva Cunha.
J >ao de Freitas Barbosa.
. Jos Antonio dos Saatos Lessa.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Jos Mnreira da Silva.
Dr. Jos Sergio Ferreira.
Jos da Silva Ley & C
Marques, Barros A C.
M.inuel Antunes Correia Gomes.
Manoel Pirmino Ferreira.
Manoel Mximo dos Santos Torres.
M. de S Uarreto Sampaio.
Pedro Muller.
Dr. Silvio Tarquinio Vilas Boas.
Aos 6:000*000.
Sahbado 18 do correntemezse extrahir
a terceira parte da primeira lotera da
Santa Casa da Misericordia para canalisa-
(3o d'agua e gaz (6a) no consistorio da
igreja do Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Osbbetes, meios e quartosestoa ven-
da na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000)91000 at 100000
serao pagos urna hora depois da extraccSo
ateas 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicSo das listas.
As encommendas serlo guardadas so-
menteat a noite da vespera da extraccSo
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Porto.
Segu brevemente a barca portugueza Sympa-
thia por ter seu carregamento completo : quem
quizer ir de passagem, para o que tem excellentes
commodos, eateoda-secom Oaltar & Oliveira, ra
da Cadeia n. 26.
LEIL6ES.
Importante e ultimo leilo
De fazendas, miudezas, chapeos, objectos
para s leiros e 2 grandes espelhos lim-
pos e cem toque de arara.
A saber :
Pannos finos pretos e de cores, casimiras nao
s em pegas como em cortes, camisas, ceroulas,
chales e chapeos de sol.
Balaios, caivetes, tesouras, pentes, butoes e
bengalas.
Chapeos de palha. feltro e seda.
Couro de porco, sola, bezerres, picadeiras, es-
poras e fivelas.
HOJE.
as 10 horas em ponto na alfandega armazem n. 8.
O agente Pinto far leilo cum autorisago do
cnsul de Franca, com licenga do inspector da al-
faodegaem presenga de um empregado da mesma
repartigo, com assistencia do mesmo cnsul e por
conta e risco de quem pertencer de todos os ob-
jectos cima descriptos, salvados da barca france-
za Les Amis de Saint Jean de Luzt e existentes
na alfandega, armazem n. 8, onde se effectuar o
leilo, devendo ter comego as 10 horas em ponto
do dia cima dito.
Leilo de batatas,
ho.ii:.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 20 caixas com batatas do 4 arro-
bas, 40 ditas com ditas oe 2 arrobas, 33 ditas com
ditas de 1 arroba desembarcadas ltimamente em
lotes a vontade : quarta-feira 15 do correnle pe-
las 10 horas da manhano armazem do Sr. Annes.
Leil5o dos sobr cellentes da barca franceza
tLes Amis de Saint Jean de Luz cons-
tando d>-
2 barns e meio com raanteiga.
63 garrafas fiado vermulh.
10 ditas bitter.
12 ditas com Bordeaux.
Hoje 16 de fevereiro a I hora da larde.
Na alfandega armazem n. 8.
O ieilo das fazendas, iniudezas, calcados e ob-
jectos para se leiros, annunciada para o mesmo
dia dever ter comego as 9 1|2 horas em ponto.
R'ga-te ao Sr, hacha re lezario
de Azevedo juiz municipal de Garan-
hoBS, qoeira dirigase praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, a anunciar
sua raeroda para ser procurado.
CASA DA FORTOM
Aos 6:000#000.
Bilhetes garantidos.
A' ba no Crespo n. 23 t casas do costchk.
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabon
de extrahlr a beneficio da matriz da Boa-Vista, os
segulnles premios :
Dous meios n. 2550 com a sorte de 6:0005000.
Um meio n. 3172 com a sorte de 1:4005000.
Dous quartos n. 1716 com a sorte de 5005000.
E outras muitas sorles de 2005, 1005, 405 e
20*000.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3* parte da 1* lotera a
beneficio da Santa Casa da Misericordia, que se
extrahir no dia 18 do correnle.
PRECO.
Bilhetes. .... 75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pesseas que comprarrm de I00.->000
para cima*
Bilhetes.....65500
Meios......35250
Quartos.....15700
_______________Manoel Martins Filza.
Prec sa-se alugar urna pessoa | ara o
-ervico desta typographia: na livraria da
praca da Independencia n. 6 e 8.
O Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cu-
nha Miranda continua a ter seu escrip-
torio de advogado na ra do Imperador
n. 42, pnmeiro andar.
THESOURO .JAS MAIS
Providencia das enancas.
COLLARES ROYER
Electro- -magieticos.
chamados
COLLARES ANODINOS DE DENTIQO
Contra as convulsSes e para facilitara
dentige das criangas preparados einventa-
dospor Royer, pharmaceutico da esco-
la superior do Pars, sceessor de Chereau,
memoro da academia de medicina
antiga casa de Bouillon-Lagraoge, pharmaceutico
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e raemhro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Ao pnblleo.
Emilio Aulonio Gongalves Lima faz ver ao res-
peitavel publico que julga que sua casa sita as
areas do Giquj acha-se llvre e desembaragada ;
porm se alguem se julgar com dlreiloa lia por
divida oh qualquer titulo, haja de apresenta-lo no
praso de 8 dias, na ra do Fogo a. 12, ou annun-
ciepor este jornal.
m Maques obre Portugal. 9
M O abaixo assignado. autorisado pelo S
Banco Mercantil PortueL.se. e na ausencia 1
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca e(- I
5 feetivamente por lodos paquetes sobre
II as p ragas de Lisboa e Por .o, e mais luga- I
| res 4o reino, por qualquei semina i vis-1
la, e a praso; podeodo, o que temaren
saques a praso.rect-lertm % ista.no roes-
I mo Banco, descontando 4 0|0 aoanno: na
Mioja de chapos da ra do Crupo d.6, en
na ra do Imperador n. 63, segundo aa-
m dar.Jos Joaquim da Costa MVia.
Esl para alugar-se urna casa terrea na ra
da Gloria n. 14, um Io e 2" andar de um sobrado
na ra do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Sania Cruz, e urna mei agua na estrada de Joo
de Barros, cem arvoredos, agua de beber, e portSo
para o becco do Fombal : quem pretender falle
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, das 9 horas da
manha al ae meio dia.
s
Casa.
Aluga-se o terceiro andar da casa da ra Direita
n. 36, com mullos commodos para familia, e lera
cano de esgoto : trata-se na ra- da Cadeia do Re-
cife n. 3.
Augusto Ferreira de Carvalho tendo de re-
tirarse para o Rio de Janeiro, declara ane se al-
guem se julgar seu credor aprsente suas contas
no praso de 5 dias, a contar de hoje, na ra larga
do Rosario n. 35.
Aula particular de instruceo primaria na ra da
Cenceirio n. 6.
O abaixo assigBado acha-se no exercicio do seu
magisterio, e contina a receber alumnos exter-
nos e internos de pouca idade, pelos precos
guiles :
- Internos .... 305000 mensaes.
Externos. 55000
F. Deodato Lins.
se-
O bacharel 91
Fraicisco Augusto da Costa J
ADV6GAD0 ^
Ra do Imperador numero 69.
m mmmm mmmmm
a hga-se
urna casa acabada agora, cora commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
escravos.combanho na porta, no lugar do Pogo
da Panella, ra do Ro : a tratar com Tasso ir-
mos, na ra do Amorim n. 35.
Aluga-se a casa n. 36 na ra da Matriz da
Boa-vista, o pnmeiro andar do sobrado n. 9 na i
ra Direita, e a loja do lado da ra da Penha : a i
tratar no segundo andar.
Quem tiver e quizer vender urna cscrava'
que saiba cortar e coser vestidos ou outra qual-
quer costura, dirija-se a ra do Brum n. 84, que
se dir quem precisa.
Offerece-se urna mulher para cozinhar para
casa de pouca familia : quem precisar dirija-se a
ra dos Marlvriosn. 8.
Compaohla Odelldade d
seguros martimos e ter-
restres estabeleelda ao
Rio de Janeiro.
AGENTES EU PEPNAHBCCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevede & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Leilo de m veis.
Qunta-ftira 16 do crrante as 10 horas.
CerdeiroSimoes far leilo dos objectos abaixo
mencionados por conta e risco de urna pessoa que
se retira para Europa.
Como seja :
1 guarda roupa de mogno com espelho.
1 commnda de mogno cora tarapo de pedra.
1 aparador.de dito.
1 sof de dito.
1 candielro a gaz.
1 rico porta licor de crystal com caixa de Jaca-
randa : cojos objectos serao apregoados a ra da
Cruz do Recife-ii. 57._______
Leilo de movis, cryslaes, escravos,
joias tie oiiioo pi't.i.
Cordeiro far leilo de movis novos e usados
e entre elles um rico guarda roupa de mogno
com espelho, diversos relogios de ouro e prata
com corrente e outros muitos arlgos que estarao
patentes no dia do leilo.
Qunta-feira 16 do correnle
s 11 horas ra da Cruz do Recife n. 57.
Leilo le 100 caixascom cervrja.
Quinta-feira 15 de correnle
O agent8 Pestaa far leilo por conia e risco
de quem pertencer de 100 caixas com excellente
cerveja Best Indir com 4 duzias cada caixa eser
vendida em um ou mais lotes : quinta-feira 15
do corrente pelas 10 1|2 horas da manha oo ar-
mazem de Annes.
O bilhele inteiro n. 1045 da 3* parte da !
loteiiada-anta Casada Misericordia, pertence
Sra. D. Caodida Emilia do Amor Divino 4 Paislr-
maos, residente na provincia de Sergipe, comprado
por Theophilo Pedro do Rosario.
Jos Joaquim de Novaes faz scente ao respeila-
velpublico e a todos os sehores officiaes do exer-
cito e da marinha, que contina a ter sua casa
sortda de fazendas e ronpas fetas e por medida :
no largo do Livramento n. 34.
"gabinete
PORTIGUEZ lB LfcHTIU Eli PER-
XA BUCO.
De ordem do lllm. Sr. presidente do conselho de-
liberativo coovoco os membros do mesmo conselho
para sereunirem era sesso ordinaria quinta-feira
16 do corrente, as .'i horas da tarde, oa sala das
respectivas sessoes.
Secretaria do cooselho deliberativo do Gabinete
PortHguez de Leilura em Peraarabuco 13 de feve-
reiro de 186o.
A. A. dos Santos Porto
Io secretario.
V:
Precsa-se
Sebo n. 29.
alugar urna escrava oa roa do
Leilo a 16 do renle,
Phipps Brothers & C faro leilo por interven-
gao do agente Oliveira, de ptimo sortimento de
fazendas inglczas as mais propriasdeste mercado,
Quinta-feira 16 do corrente
de conduzir o as 10 horas da manha, em seu armazem da ra
do Vigario b. 10, no Recife.
Leilo sexla-fn'ra 17 de fevereiro ps \\ horas a
ra da Cadeia armazem n. 3.
Pelo agente Euzebio.
De nm casa terrea n. 20sita a ra da Alegra,
ser veadda pelo maior prego que se acbar : os
pretendentes desdeja podero examinar.
Leilo de escravo* (para paga-
mento).
COMO SEJA :
1 escrava de nome Bcnta, crioula, de idade 35
annos.
1 dito de nome Vicente,
annes
1 dito de nome Lucinda
annos
1 dito de nome Themazio, crieulo, de
annos.
1 dito de nome Venceslao, crioulo, de idade
annos.
Cordeiro Simoes far leilo dos escravos cima
mencionados com habilidades e sem ellas.
Sexia-feira 17 do corrente as 10 1|2 horas
Precisa-se alugar urna ama que saiba
bem cosinh -r e fazer todooservicj de urna
casa de ramiia, e que de mah disso seja
fiel c sem vicios. Prefere-se escrava. Diri-
gM--se roa Bella n. 37, sobrado de 2 an-
dares.
_ Aluga-se o segundo andar do sobido n. 120
sito na ra Direila : na ra de Aguas-Verdes nu-
raero j'O. _____________
Refinador.
Preclsa-se de um refinador que saiba perfeila-
mente desempenhar.esle lugar : na refinago da
roa do Brum n, 42.
A pessoa que por este jornal procurou saber do
Sr. Soares, redactor da Crise (jornal), oude podia
pagar as subsbripgoes que elle havia recebido da-
quelle jornal, julga conveniente scienlificar queja
foi pelo mesmo Sr. Soares pago da subscripgo
que procurava.
Ama de leite.
Xa ra de Apollo o. 34, segundo andar, sobra-
do da esquina, offerece-se urna ama sem fllho.
Aluga-se o sobrado n. 33 da ra da Matriz,
onde morou o despachan/e Franco, tem commo-
dos para grande familia, grande quintal com ar-
vores de fructo, e 2 cacimbas : a tratar com o
Sr. Antonio Joaquim Ferreira Porto, ou na ra da
Cadeia com Miguel Joaquim da Costa.
QUBIJOS
de superior qualidade 25000 cada um, eom cai-
xa de 12 i 15800 : no anti?o e a creditado esta-
belecimento junto a esta offleina.
Em virlude de ter ido para o sul o Sr. capi-
llo Borges Lima, esl de novo para ser alugada a
casa assobradada da ra do Progresso o. 14 :
quem a pretender dirija-se a ra da Praia arma-
zem n. 34, de carne seca junto a nbeira do peixe
AMA.
Aluga-se urna ana para casa de pouca familia,
que cosinhe, e lave e engomme: tratar na
Iravessa do Chafariz, em Fra de Portas n. 2.
O abaixo assignado relira-se para o Porto a
tratar de sua sade, e deixa por seus bastantes
procuradores, e com lodos os poderes necessaros
aos Srs. Rosas & Irmo, Justino da Silva Boa-Vista
e Jos Antonio Ferro de Figueiredo.
Francisco Jos F. Pires.
Desappareceu no da 6 do crrente, pelama
nha, um menino, mulatnho, cabellos crespos, de
nome Pedro Pinho, de sete annos mais ou menos,
da casa da ra de Santo Amaro o. 6, o qual, indo
ao armazem da Liga na ra Nova comprar algumas
cousas para o almogo da familia, em cuja compa-
nhia se achava, nao vollou; sendo infructferas as
Indagagoes e procura das pessoas da familia. Ro-
ga-se s autoridades policiaes que empreguem os
meios a seu aloance para a descoberta do mesmo
menino.
Caixeiro.
OlTerece-s* um caixeiro para cobranga, loja ou
armazem, dando (langa a sua conduela quem
preeisar anouncie por esta folha, ou dirija-se a ra do n. 49.
da Lingoeta n. 4.
Para todos.
O abaixo assignado faz scienle ao respeitavel
publico que mudou a sua offleina de palhinha da
ra do Imperador n. 24 para a ra das Cruzes n.
23, igualmente tem para vender palha e junco
mais barato que em outra qual jner parte.
Manoel da Costa Azevedo Napoleao.
ADVOCACIA
0 Dr. Manoel do Maseimento Hachad*
Porlella
[Bacharel Joaquim Pires Hachado PorlellaJ
l
! continuara [a advogar no civel, crime,
( commerclal, ecclesiastico e adminislrati- |
i vo, e podem ser procurados em seu es-
! criplorio na ra do Imperador o. 83, pri-
\ meiro andar.
Napragada Independencia loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e praiae pedras
preciosas, assim cemo se faz qualquer obra de
encommenda e todo e qualquer concerlo.
mt.3
M


| O Dr. Carolino Francisco de Lima San- *J
\ tos,contina a residir na ra do Impe- g|
rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- >j
curado a qualquerhoradodiae da noite ffl
para o exercicio de suaprofisso de me- H
dico ; sendo que os chamados, depois de &(
meio dia at 4 b.eras da tarde, devem ser S
deixados por escripto. O referido Dr. M
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior afflnco, no das-mais difliceise deli-
cadas operagoes. como sejarrdos orgos
ourinarios.dosolhos, partos,etc.
Alugam-se dous grandes sobrados com com-
modos para oumerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira, estribara e outras comrao-
didades, na Iravessa de Joiio Fernandes Vieira : a
tralar na ra da Senzala Nova n. 42.
CLUB PEB!\ Alfil CANO
A rouniio familiar do mez de fevereiro
ter lugar no dia 29. A directora scien'i-
fica que ter5o igualmente ingresso os Srs.
socios que vierem mascarados sendo pre-
samente reconhecidos por urna comm'sso.
Jso Francisco Maneel subdito franoez vae
a Europa.
O solicitador Pedro Atexandri-
- no da Costa Hachado
se encarrega ante o foro desta cidade de todo a,ci
fortendeiteasuaprofissao.acela departido a-
nalas pendencia jadrciaes de qnalquer casa
commerclal mediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobraHgas nos termos do Cab
e Ipojucaaonde continua a trabaIhar como d'an-
tes,e encarrega-se de defezas perante o jurv nos
termos prximos a va frrea, offerecendo gratui-
tamente seui servicos aos desnudos, pede ser
procu-ado todos os dias uteis das 9 horas da ma-
nl.a as.'i datarde na ruaestreita do Rosario D.
34, e fora dessas horas na ra Imperial n.36, ca-
sa de sna reideacia.
Depesite geral de rape princesa Gasse e Panle
Cordeiro nesia provincia, ra da Cruz nume-
ro 18.
Jos Joaquim Lima Bairo, reeebedor do rap
princeza Gasse fino, meio grosso e gros-o, Paulo
Cordeiro, dito meio grosso e viajado, qnalidades
estas que tem nesta provincia obtido grande cr-
dito pela sua excellente fabricago, e materia pri-
ma de que composto -, iste o atiesta a innomera
exiraeco que elle tem tido, e a condeeorago qoe
obteve na exposigo nacional, cuja medalba vem
gravada nos rtulos des mesmos botes, leem elle
de mais a vaotagem de nao lerir o nariz. Tam-
ben) vende-se o rape denominado Amarillinho que
na Baha goza de grande aceitago. O deposito
acha-se sempre supprido de todas estas qosli-
dades._________
O London 4 Brazillan Bank, saca por todos
os paquetes, sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Gn maraes. *
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante._________
Casas para alugar.
Alugam-se dnas mei-aguas a 105000 cada urna,
sendo praia do Forte n. 6, roa Nascente n. 14 : a
tratar com Azevedo & Irmo, ra do Qneiraado
numero 32.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 24
do ra da Cadeia do Recife, entrada pelo becco
Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado,
m
Q bacharel
Antonio Joaquim Ayres do Nascimento
tem o seu escriptorio de advogacia na ra
estrena do Rosario n. 8, onde pode ser
procurado das 9 boras da manba as 4
da tarde.
a
AMA.
Precisa-se de urna ama para casa de familia :
na praga do Corpo Santo n. 17.
Saca-se sobre Lisboa, Porto e Ilha de
S. Migue1, na ra do Apollo ri. 20, escrip-
torio de CarvalhoeNogue ra. /
Aluga-se um sobrado de um andar e soto,
sito no paleo da Paz, na povoagao dos Afogados :
a tratar no paleo do Terge n. 44.
Preclsa-se alugar no bairro de Santo Anto-
nio urna c.asaterreajio muito grande, com boni
quintal, paga-se bem : na ra do Queimado a. 46,
loja de Guimares & Bastos.
Alugam-se barato urnas mei-aguas na entra-
da dos porloes da iravessa das Barreiras, bairro da
Boa-Vista: a tratar na ra do Cotovello n. 2o.
Joo Francisco Pardehas, agradece a todas as
peisoas que Ihe fizeram o obsequio de acompanhar
os rt-slos morlaes de sua presadsima mi D. Anna
Joaquina da Cruz, e de novo roga o caridoso obse-
quio de assistirem a missa do stimo dia que ter
lugar segunda-leira 13 do correnle as 4 horas da
maoha, na igreja do Pilar, de cujo acto sou eter-
namente grato.
O Sr. Manoel Pereira de Andrade que era-
pregado no arsenal de marinha, queira vir pa-
daria da ra Direita n. 84, a negocio, que nao ig-
nora.
Precisase alugar urna
Sebo n. 29.
escrava : na ra do
Quem precisar de urna criada portugueza
para ir na companhia de alguma familia que le-
nha de se retirar para Portugal, pagando-lbe a
passagem, pode ser procurada na ra do Queima-
Precisa-se de urna ama que compre, cozmhe
e engomme alguma cou'a, para casa de pequea
ar- indar* : "^ '"* d Queimad D- ,7> segundo
Escola particular.
tlcular de primeiras letras, provisionada pela di- i
Ama
Na ra Imperial n. 36 precisase de urna ama
que compre,eozinhe e engomme para casa de pou-
ca familia.
AISOS MARTIMOS.
Lisboa e porto
Pretende seguir com a maior brevidade a bar-
ca portugueza Laura, por ter parle da carga
prompla, para o resto e passageiros tratase com
o consignatario T. de Aquino Fonseca Jnior, tra-
vesa da Madre de Dos q. ?, primeiro andar ou
com o capillo na praga.
Para o Rio de Janeiro-
pretende seguir com mulla brevjdade o brigue es-
cuna Joven AriAwr, tem para ia seu carregamon-
crioule, de idade 30
crioula, de idade 15
idade 12
11
AVISOS DIVERSOS.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRA-
PHICO PERNAMBCANO.
Sesso de eleifdes.
Sao convidados os socios do Instituto
que actualmente se acham no Re ife ;> vir
eleger os membros da no a h esa adminis-
trativa, que tem de servir no anno social d.-
1835 a 1866, A el icio ser feita no dia
15 d manba.em conformidade do art. 27 dos
respectivo; estatutos.
Secr taria do Instituto, 12 de- fevereiro
de 1865.
J. '"oares d'Azevedo,
Sec' etario perpetuo.
Precisa-se
Nova n. S.
de urna ama de leite : na ra
rectora eral da instruege publica, tem aberto a
sua aula na ra Direita n. 60, segundo andar.
Ama de leite
Quem preeisar de urna ama de leite, dirija-se a
ra da Unio n. 40.____________________
Precisase de urna ama para cozinhar e para
o servigo de ra : ua ra da Imperatriz n. 34,
primeiro andar._______________________
Urna parda que tem servido j
offerece para servigo interno de casa
solteirooude pouca familia : na ra
numero 31.
Precisa-se alugar urna preta para lodo o ser-
vigo de urna casa de familia : na ra do Trapiche
numero 4.
Aluga-se um sitio com muitos arvoredos de
fructo, boa casa de vivenda, estribara e cacimba,
na estrada de Joo de Barros, prximo Soledade:
a tratar na rna larga do Rosario, loja n. 32.
Consultorio mcdico-cirurgico na ra larga do
Resane l. 20.
de ama se O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
de homem casa, contina em o exercicio de sua profisso
da Gloria nao s na parte medica como tambera na cirur-
gica.
Antonio Baptista Pires havendo outro de
igual nome, de hoje em dianle se assignar Anto-
nio Baplista Delboo. __________________
Precisa-se de um caixeire. prefere-se Porlu-
guez, que tenha pratic.a de taberna, e que saiba
bem ler e escrever : na ra do Sebo n. 27.
Joo da Ponte Cordeiro, subdito portuguez,
retirase para o Rio de Janeiro.________
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
taberna ; na ra do Alecrim o. 2.
O bacharel Jos Paulino da Cmara, promo-
tor publico desta comarca, mudo a sua residen-
cia para a ra da Cooceigo da Boa-Vista, sobrado
numero 9.
O abaixo assignado declara que deixou de
sor calxeiro do Sr. major Belarmino do Reg Bar-
ros,'desde o dia 14 do correnle, ficaodo de contas
jus'as com o mesmo senhor at esta dala.
___________Trajano Cezar Ad'lhuqoerqoe.
Aluga-se o segundo andar e soio da casa n.
37 da ra da Crdz do Recife, com commodos pro-
prios para familia, por prego commodo : a tratar
na mesma casa com Joaquim Fernandes da Costa.
Precisa se de urna ama para cozinhar e en-
gemmar : na ra do Hospicio n. 62.
Precisa-se de um caixeire com pratica de pada-,
ra, que seja activo : na ra e^lreita do Rosario i
numero k
Quem for dono de um peso de duas arrobas,
que se tomou a um preto que o andava vendendo,
dando os signaes do mesmo e pagando a despeza
deste annuncio se ihe entregar : na roa Direita
numero SO.
- O abaixo assignado deixou de ser caixeiro
da casa commercial dos Srs. Phipps Brothers & C.
desde o 1 do correntej
Joaquim da Rocha Carvalho Jnior.
Sitio.
Aluga-se o sitio n. 2 junto a rapclla do Rosari-
nho, com muitos arvoredos de fructo, casa com
muitos commodos, cocheira para animaes c carros
e baixa de capim : a chave est no sitio defronte,
Aluga-se o primeiro andar da ra do Crespa n. doSr. Fialho, e tratase na ra Noa n. 55 ou no
Recife, ra da Cadeia n. 3.
Para escriptorio
23 : a tratar na loja.
elouche avisa ao respeitavel publico que
comprou o estaheleciraeuto de banhos, silo no pa-
teo do Carino, que contina a dar banhos como de
I coslume, declarando que os cartoes assignados pe-
lo Sr. Caucanas terao vigor para tomar banhos s
| al o dia 28 de fevereiro de 1865. O mesmo convi-
l da o respectivo publico que comparega no mesmo
estabelecimento, que verao executado com todo o
i esmero o systeraa e asseio que deve ter tal eslabe-
i lecimento.
Prego dos banhos.
Banho fri on quente, tomando 10 car-
| toes, pelo prego de......400G
I Um baoho avulso ou s
MI
Precisase de um trom copajro para casa de
urna familia estrangeira ; trata-so p roa do Vi.
gario o. 2,
57Ra da Cruz do Recife57
Registro Harilimo Brasileiro.
Esta' elecido no Rio de Janei o, na Praga
do Comrnercio escripior o n. 3.
Achando-sedefinitivamenie fundado o Registro
Martimo Brasileiro, sao convidados todos os ne-
gociantes amadores a registrar os seus navios,
afim de se realisar com a possivel brevidade
publicago do registre annual.
.-te livro serao incluidos todos os navios
mercantes brasileiros de que honver noticia; mas
500 apparecerao com a desgDagao de classe, divi-
so e durage, o que houverem sido vistoriades
pelos peritos do Registro, precedendo pedid* do
armador ou capiulo.
, O Registro Harilimo Brasileiro fundado a imita-
gao dos Lloyds de quisi lodas as nages martimas
da Europa contera as inorimgoes mais precisas
sobro o estado dos navios e propoe-se a realisar
um grande mH hora ment ha muilo reclamado
pelo comrnercio martimo brasileiro.
O regulamenlo para as elascifleagoes dos navios
coniendo tambera as ioMrucgdes para as novas
conslrucgoes e para os peritos, acha-se j im-
presso.
' E' escusado insistir Ra conveniencia de serem
es peritos chamados, conforme determina re-
glamelo para assistirem as conslrucgoes ou
conceitos reparos que se Qzerera oos naviosaim
jde se poder determinar com exscgo a classe a
que o navio pertence.
Chegaramdo Araca.y os afamados bicos d^gi
,e lera .odas s habi.ilagoes: quem ^^T&Sf&'Xto* nV5 ^ SlSttSSSV. Trl[Z
irisar annuncie ou dirija-se a ra da Guia n. | c<"nmogo na nia q;i '-aaela o Hecire n. 59..___ 0 signaes que ella adoptou.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra O abano assignado
Aluga-se a loja da casa n. 59 da ra Augus-
ta i quem pretender dirija-se a mesma casa cima
que achara com quem tratar.
Aluga-se um sitio na ra do Cabial da
cidade de Olinda, com casa terrea.com co-
piar nfrente, bota os fundos para a estra-
da e margem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim ;iara sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo,coin ptimos passeios,sala e gabi-
nete na frente, muito propria para passar a
festa,e tambem se alugarporanno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6e8 da praga
da Independencia, e em Olindanacasacon-
tigua ;om o capito Antonio Bernardo Fer-
reira.
Aluga-se o segundo e terceiro andar com-
bom soto da ca a n. 16 da travessa da Madre de
Dos junto a alfandega: a tratar com Barros &
Silva no primeiro andar da mesma casa.
O Sr. Manoel Jos d;' Souza Panga,
que t ve loja na ra do Queinad, lem un a
narta na livraria n. 6 e 8 da | raga da Inde-
pendencia^______
0 Sr. Aun liano C. da Rocha Wander-
ley, queira mandar buscar urna carta na
livraria n. 6 e 8 da praga da Independen-
cia. ______
Precisa-se {alugar ou comprar um escravo
sem habilidades: na ra da Madre de Dos n. 36,.
primeiro andar.
Offerece-se um rapaz para trabalhar em refl-
M Procurado fia'.
jH Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon- |g
8 ce de Len, como solicitador, se encarre- x|
ga das causas crimes, civeis, commer- RB
4j|g ciaes e ecclesiaslic.as. Elle anda recebe w
J algumas cau'as de pariido, mediante a *^
S um ajuste razoavel. Pode ser procura- |C
gg do as salas das audiencias ou na ra 3
$ Imperial sobrado n. 64.
mwmmmm mmmm mm mm
Na ra Direita h. 22 se dir quem d 2004
ou 400,5 a juros cora seguraoga.
ACTiSKBA
pr
40, loja.
Precisa-se de
Direila n. 2, com bons commodos para familia
tratar na padarla da ra Direila n. 84.
Ho billa
2:0005 sob hypotheca na me-
tade de um ->tio no valor de 4:000,5, cuja metade
se achij hypothecada por 6005, porm se aba-
leado esia quanlia se entrega livre e desembara-
gada, e pagase i 0/0 : quem lirer annuncie.
Domingos lt Gongalves, BObMp perlugue,! Augusto Ferreira de Carvalho retira se nes
I relira-se para o Rio de Janeiro, te primeiro vapor para o Rio de Janeiro.
acha-se eacarregado pela
admiBistrage do Registro Martimo, para(oa con-
formidade de um regulamenlo) vlstonar os navios
Biercanles nacioBaes e estrangeiros que quizerem
,scr classilicados. O pedido para as vestoras de-
Alugara-se mob.lias : no pateo do Tergo nume- ver2o $er dirigidos i ra do Imperador n. 71, -
' gundo andar.
O pooto,
Jos Joaquim Dias dos Prazeres.
Aula particular.
O abaixe assignado, professor particular, provi-
sionado peladirectoriageralda mstrucfSo publica
para ensinar primeiras lettras, latim e franeez,
participa ao respeilavel publico e igualmente aos
senhores pas de seus discpulos que segonda-feira
9 do corrente tem de continuar no eosino das su-
praditas materias, admiiiindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meie-pensionistas. A pra-
tica de 19 annos consecutivos no exercicio de sen
niagisterio, sua inteiradedicagao e sua moralldade
sao garantas que offerece aos senhores pas de fa-
milias, que desejam a sa e til educagio a seas
fimos.
Qoem portanlo qnizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educago de seusfilhos, pode dirigir se-
a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
do n. 53 da ra Nova, onde ha muito lempo est
estabelecido.
Jote Maria.Machado de Figueiredo. ,
Awm
O Sr. Torquate Mondes Vianna. qu ira
mandar a ra da Cadeia escriptoro n. 47,
para s r-lhe entregue urna e com.: en da
vinda de Lisboa-
Tlieodoro Chrisliansen partindo tem-
porariamente para Europa no vapor ingiez
Onelda, e nSo podendo despedirle de
seus amigos pe-soah ente pela rapidez de
sua sah da, o faz pelo pres nle offerecendo
os seus servidos em qualquer parte ondo se
achar.









Diatjio de E'cruaubuco Quaria felra 15 Je Fcvei'elro de 1SG5.
ser
Ifemlergo
OarC*ln5H4
Madrid
Cadis
Sevilha
Valencia
Antonia-LnizeOlivcira Azovedo 4C
Agentes de baoce Uni3o do Porto.
Gompelenlemeile aatorisados sacam por todos
" o#aqet8.*obre o mesmo banco para o forte e
Lisboa e para as seguintes agencias :
u>nd?e|* sobre Bank of London.
> Frdric S. Ballin & C.
> Joao Gabe & Pilho.
> Francisco Rbala & Ballesta.
i Jaime Merie.
> Crdito Commercial.
Gmalo Segon a.
a M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira.
Gaminha.
Castello Branco.
Chaves.
Cambra.
Covilho.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhai.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nora
Portimao.
de
Figoefra.
Guarda.
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
Laaego.
Leiria.
*L
Mongao.
Moneorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
te 11 o.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Amarantes.
Arcos de Val de
Ves.
Aveiro.
Barcellos. i
Bastos.
Beja.
Braga.
Bragada.
Faro
Oliveira d'Aze-
meis.
Peona liel.
TTira.
Villa do Coide.
Villa Real de Viten.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
Babia. Maranbe.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
raejoio Banco a razio de 4 por cento ao anno a
ratar na ra da Cruz n. 1.__________________
Aluga se um sobrado de ura andar e solao,
com commodos para grande familia, tendo um bel-
lo lerraeo, e toda Iluminada a gaz, e com um pe-
queo quintal com cacimba, notando-se que (ei ree-
dificado lodo de novo ha pouco lempo, no tim da
ra Augusta com o oitio para o viveiro do Muniz:
a tratar no principio da ra Imperial n. 49.
Declaro que negoriei com o Sr. Jos Antonio
Seraphico de Assis Carvalho urna letra da quantia
de 1:0ii$ de que me era devedor o Sr. Juliao Pe-
reira Hulloso, tendo eu recebido depois do venci-
raento da dita letra a quantia de 2005 por conta,
como ludo declarei ao mencionado Sr. Assis Car-
valho, perante os Srs. Bernardo Jos da Cmara,
comraendador Franca, e Flix Lulhier, na occasio
que negoctei a respectiva letra. Cabo 11 de feve-
reiro de 1865.^Joao da Silva Salgado.________
Aluga-se o segundo e tercoiro andar da ra
do Livramento n. 36, bem frescos, do lado da som-
bra : a tratar na loja._____________________
Joao Fortunato Saredra, sbito portuguez, vai
a Europa.
Precisa-se de um raolequo, paga-se 125008
mensaes, para conduzir urna taboleta com joias :
a tratar na ra do Cabug n. 2 B.
Eu abjixo assignado aviso ao respeitavel publi-
co, que tendo urna procurado bastante de Juao
Tarares, para tomar conta da sua paria que tera
na corbeira sita ua ra do Imperador n. 23, per-
tencente a Bento Jos Cordeiro & C, que de hoje
em diante fica nullo todo e qualquer negocio ou
transaccSo que o Sr. Bunio Jos Cordeiro Caca sem
o meu coosentimento, pela parte que tenho sobre
a dita procuracao do Sr. Joao Tavarcs, para o que
me assigno.
Joao da Dos da Silveira.
Comp rase ouro e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilhetes da Praga da Inde-
pendencia n. 22.
Compra-se effeclivamente
obras velhas, pagando-se bem :
Rosara n. 24, loja de urives.
euro e prata em
na ra larga do
fi
Algod&o em caroctf.
Compra-se qualqaer quantidade por maior pro-
co do que se paga no mato : na fabrica da traves-
sa de Carioca n. 2, caes do Ramos.____________
Comprase um globo astronmico: na ra
do Livramento n. 19.
Campra-se ura escravo mogo, sendo bom co-. .
zinheiro nao se duvida pagar bem : na ra da Ca- A
deia n. 28.
Coipram-sa duas vaccas tourinas : na ra
do Bartnolomeu, travessa do-Pocinho n. 69, sobra-
do defronte da cadeia. .
Attengao.
Na ra do Bartholomeu, travessa do Pocinbo n.
69, sobrado defronte da cadeia, comprara-se duas
vaccas leurioas.
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo ,
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
DI
Partidas dobradag.
roR
Hanoel Fonseca de Medeiros.
Acha-se a venda as principaes livrarias deta
cidade pelo prego de 55 o exemplar, cartonado.
Camas de ferro proprias para
collegio.
Acha-se a venda grande sortimento destas ea-
mas, assim como de utras : a ra Nova n. 33.
Vende-se oo alaga-so um bom sitio na Ca-
bunga Velha, com urna ba casa para familia com
trss salas c seis quartos, cozinha fra, casa para
escravos, dita para feiter, coeheira, estribatia, tan-
que para banho, dito para lavar r-rapa, duas ca-
cimbas com boa agua de beber, viveiro cora peixe,
e no, terreno proprio e muitas fruteiras de fructas
de diversas qualidades, quera pretender dirija-se
na Capunga Nova, no entrar da mesma ao lado es-
querpo passando o primeiro portao ; a tratar com
a vinva do finado Joao Evangelisia da Costa e
Silva,
0 GASTffLO DE GRASYILLE
Traduzido do francez par A. J. C. da Criz.
Vende-se este bello romance em quatro
lomos pelo baratissimo preco de 20500 :
na praca-'da Independencia, livraria ns.
6 e 8. %
FOLfllVHAS
Para 1865
Aeham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e eclesistico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Raioha em versos, o Stabat-Mater
em verso, devocJo ae agonisanle, coracao
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de ama
solteira (poesa), crescido numero dema-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs. i
?\Vu.Mfi
IM(l)lll|;DBlBl]IIUfi]

de FERROeQUININA
PILULAS; VEGETAES
DO-
DR. AYER.
N5o ha necesshlade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, efficaz
e digno de toda a conGanfa.
As pilulas que ora offerece-
mos ao publico preenchem estas
condicoes ; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais fracas
sem perigo algum, nao tendo em
sua coraposiejio mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante .**TlTL ?^E2JE2K22
orR;nn>.. c ferro, o ioae e a quina, a collocfio no primeiro
eiucientes e activas para punficar OS COrpOS grao das preparaces ferruginosas. Basta attestar
maiS robustos. | seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
Estas Diluas exploram e purifica m toda! ".eoyelatorios dos prcticos mais eminentes,
que confirrarao saa poderosa efeacidade as
segointes affecces:
a extensSo do cana alimenticio, e dao vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua aegao viciada o fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel contra dar de
cabeca nervosa, enxaqueca, prisao do te-
ir, hemorrhoidas, moleitias do figado, fe-
bre gastto-hepatica, e todas as molestias
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
AttGnQuO. I ment do figado que causa a escassez da
Doce de goiaba fino em tatas de 4 e 8 libras.por, D''S na inflammacae d'este orgao que pro-
presos commodos, qneijos de Minas a 4M, lin-, duz derramamento da bilis no estomago ou
n&iTCiinaiT.'ars zrdesarranj0 geral dos or8Sos diges-
A ictericia
produzida pela absorpgo da bilis no
Dores; o modo de resar e offerecer a co-!saDgue' danc, 9 Pelle e aos olhos urna cor
rea, um setenario e mais outros exerci-.ainarellenta ; nao smente dolorosa por
cios de piedade e devoco; ordenado pe- Sl' Poremconduz aos mais serios soffrimen-
la irmanade dos servos da mesma Se- to
nhora que se acha erecta na egreia de N. I. Fara cura-,a toma-se de I 5 pillas to-
S. da Penha do imperial hospici* dos re-1das as manbaas, isto bastante para mover-
rerendos padres missionarios apostlicos .venire soraente ^ que se recupere a ac-
capuchinhos italianos de Pernambuco, '
approvado por S. M. I., que Deusguarde;
Mlngoa no angue.
Fraquesa.
Aamla.
Chloraae Irlrrlrla.
Menatruo.
Afecrbc do utrro.
Snpprcaaoea das re-
(traa e deaorde na
meaatruarBO.
Alfeccao pulmonar e
palalale.
Maleadaa d'catoaaa(;o.
Saatraliclaa.
rerUu d uppe(l(<-, ete.
COnvalraeeaca de lon-
Roa uioleallaa.
Moleallaa rarrarulo-
aaa.
Pnpc-ira.
Uhulrufci* daa gln-
dula*.
Hmnorea frin.
Iliiuiorra branco*.
Ilarlilllanio.
Affeccoca caaecroaai
e ayphllltlraa.
Fchrca lypboldca.
Vnrlolca, etc., e(e.
COMPENDIO D0L0E0S0
que coatm o oficio de Nossa Senhora das
O Dr. Antonio de Vasconci-llos
Drdmmond, antigo advogado neste foro, contina
no exeretcio de sua proflss), na ra do Impera-
dor n. 43, primeiro andar, todos os das uteis, das
10 hnras da manhaa as 4 da tarde.
Vende-se urna parto do sitio dos Aflictos, que
pertence ao finado Dr. Joao Domiogues da Silva :.
, ( a tratar na rua do Queimado n. 26 primeiro aadar
Menezus de das 9 horas da manhaa as 3 da tardo.
A ttengo,
Vendem-se excellentes enfeites para os masca-
ras a 15, s as fitas valem 2,5 ou 3$, nao se fal-
Fcljo
Na rua da Madre de Dos d. 9 vende-se feijao
mulatinho, dito branco, e dito preto, mais barato
do que em outra qualquer parte, approveitem a
pee hincha que a quaresma bate porta.
Vende-se a casa terrea n. 25 da rua de Ma-
thias Ferreira da cidade de Olinda : qoem a pre-
tender dirija-se a tratar nesta cidade na rna Au-
gusta n. 89. _______
do commercio,
qoem precisar,
de Franca a dos puixes estrangeiros, etc.
GRANULOS
DECHEITRIER
Chevrier bem
preparacoes de
Arreuda-sc a excellente propriedade, deno
minada Barra de Serinhaem, na freguezia do mes-1 lando das bellas flores que tem, assim como anda
rao nonie, com grande eoqueiral e muitos foros a existem algumas gangas amarellas com toque de
cobrar annualmente : a tratar na rua do Impera- avaria a 210 rs., e brins oenros proprios para fa-
dor n. 43, primeiro andar, das 10 horas dama- bricas de engenho tambera a 2i0 o covado : na
nniia as 4 da tarde.
Joaquim Pereira Arantes tem encarregado a
cobranga da sua loja a seu Olho Adolpho Pereira
Arantes.
rua do Imperador n. 20, loja.
Aviso
Feijo.
Vende-se feijao mulatinho muito novo a 285 o
alqueire, e a 900 rs. a cuia, dito um pouco mais
. trigueiro a 245 o alquelre e a 70 a cuia : no pa-
teo do Terco n. 34.
a?s c apila es de campo c a polica.
Desappareceu em pjincipio do mez de outuhro
do ann passade, de bordo do palhabote nacional
Araujo Malo, dous e;cravos de nomes Huberto
(por apellido Macei), e Miguel; o Io de idade 45
airaos, pouco mais ou menos, maulo, cor fula,
estatura baixa
pernas, e com
barba como na
sem barba e falla grossa, representa ter de
30 annos, cujos escravos desconfiase andarem pe-
los arrabaldes desta cidade : quem os apprehen-
der qaeiram levar a roa do Trapiche n. 4, que
ser genersament gratificado. _________
0 local convida.
Vendem-e 12 quartos servidos
em boa rua : quem os pretender
Direita n. 22, refiuacao.
por um portao,
dirija-se a rua
lll.li:. UU IUCUV3, 4-IIUUi", >l IUP.,1
, barba serrada, um pouco torio das Os mais !QdcrilQS VCSlIdosu HaPa Pin
alguna cabellos branco?, tanto na i ... '
i cabeca ; o 2-alto, cheio do corno, ua l0J 00 INOaO, ato.
cjo saa do systema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,\ ""bepsito geral em Park, pharmaciaRebillon,
dado luz por devocao" do mnito'rew-1 *,,rr*M biliosa> digesto, a netralgiat *, me du Bac, e em todas as bou pharmaci-i
rendo padre Fr. Placido de Mi'sina I Uc douleure^. sao todas molestias que
Vend-8 a320rs. na livraria ns. 6 e8:t.em,seu come n'um desarranjo da bilis.'
da praca da Independencia. A o^rvagao dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula depoisi -.--^ TTfcilVinrTTil-
em todo o corpo e causa estragos desas-i
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incmtnodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer C, rua Nova n. (8.
AGENCIA CENTRAL
15 Rua Direita 15
RIO DE JANEIRO.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.NIAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
Vende-se o caf restaurante
na rua do Trapicho Novo n. 22 :
pode dirigir-so dita casa, que achara com quem
tratar.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S.Jodo la Luz, na rua do Livramento n. 21.
Borzoguins de lustre (Nantes) 65000.
Ditos de bezerro de tres solas (Nantes) 65000.
Ditos de bezerro de duas solas 65000.
Sapatos de tapete 640 rs.
Vndese um engenho d'agua, moente e cor-
rente, com proporgoes para colher-se grandes sa-
fras annualmente atiento a bondade e extencao de
seus terrenos ; est ainda quasi todo era mata
virgem, e dista apenas meia legoa de urna das es-
tacoes da via-ferrea : quem o pretender, dirija-se
aoSr. major Luiz Jos Pereira Simoes rua do
Livramento, sobrado n. 24, primeiro andar.
Kovul.de
Roupoes de surim de linho para senhora, pelo
barato preco de 95 cada um, laazinhas economi-
?s 5ara Vt"s,,dos a 36 covado, chapos de pa-
ma da Italia de apurado gosto a 145 : na rua do
Queimado n. 17,
Vende-se urna parte de um sobrado
balrro do Recife : a tratar na travesa do
n. 1 sobrado.
Na Piranga difronle ao sitio do Sr. Miliet,
vende-se nm bezerro e urna bezerra de raca tou-
rma.
Os granulos au J/ismulh de
superiores a todas as outras
bismuth empregadas antes com o'maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
Mam ill;cHifi
Goalrllea.
Gallralglaa, ele.
sito no
Carmo
roi
2o a
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com
os corpiohos differentes, tendo todos os preparos
e com o competente tinto : na rna da Iraperatriz
n. bO, loja do Pavao
\ Horas las saribaldinas a
AGUA FLORIDA
Dlarrheua ebronlcaa.
Dyanculcrlaa.
Ddrca 1'eKtdiuago.
Dyspepalaa.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affeccoes se tnanifesto ordinariamente por digts-
USes laboriosas, azidumes, falta d'appetite, pesos
"estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomafaet, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidio, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Holealioa de Osado.
A Ictericia.
Fulplluro de cornean
Ddrea noa rlna.
Opprcaaoea.
Ddrea de rnbrra.
Irrilacoca de brzlga e
da niatrls, ete.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias c cural as quando sSo tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
XXE2
MURRAY & LAHMAN
Furto.
Hontem pelas 9 horas d manhaa deMBpareeeajdus,uzeada inleirarncnte* rwvMn^8(to'sI-
garibaldlinas
5 rs., na loja do Pavao.
Vendera-se as mais modernas laazinhas garibal-
nm preto que eonduzia um caixo contendo livros, do todas com listras miudlnua? e IrausDareotes
folhetos e vidros de remedios para a casa do Dr. com lustro a Imitacaodas sed.ns, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carrezim, cinzenta
e cor de havana, etc. ; isto a 500 rs o covado
para vender depressa : na loja do Pavao, rua da
Iraperatriz n CO, de Gama & Silva.
Camisinhas a i JJ.
Vendem-se caraisinhas cora manguitos, sende
auito bem enfeitadas. proprias para senhoras a
Sabino O. L. Pinho, sendo o caixao marcado com
as iniciaes S. O. L. P. O mesmo prelo trazia no
braco 4 calcas de brim branco, das quaes eram 3
uovas e i usada, e mais 3 calcas novas de brim
pardo. O caixo contraa :
7 oxemplares do thesouro homeopathico.
29 folhetos para tratamento do cholera-raorbus.
21 vidros de tintura de sulfur.
25 ditos de espirito de camphora. meninas, pelo barato pre{> de dez tustSes cada
Quera apprehender esses objectos receber do I "ma_,: Da Wja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60,
mesmo Dr. Sabino a gratilicaQo de 505 : na rua c c,ama o &'Ta
Nova n. 43.
-eilor.
Oferece-se um horaera casado para feitor do al-
fsoi sitio : informase na ru do Queimado n.
32, loja.
Offercee-se una triada portunueza para o
servieo .nterno de uina casa, inclusivamente en-
gomiiia lo : a tratar na rua da Cruz n. 18, ar-
mazem.
Ves idos para meninas.
Vendem-se os mais modernos vestid'inhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados i Maria Pia,
leudo de dilTereutes lamaobos, pelo barato preco'
de 85 cada um : na loja do Pavao, rua da Imoe-
1 ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Rtopa feila barata.
Vende-se um grande sortimento de ronpa feila
para horaens, sendo calcas de brim branco o de
cor, ditas de caseraira preta e de cores, ditas de
Precisase de uina pessoa de idade, fiel, e de raea casemira, paletots saceos o sobrecasacos de
boa conducta, para torarr conta da casa de una casemira e paoao preto fino, colletes de todas as
familia estrangeira : tratase na rua do Vigario ; qualidades : na loja do Pavao, rua da Imoeratriz
numero f. | n. 60, de Gama & Silva. ^
Grosdenaple de cor a 1600 o r ovado.
Vende-se grosdenaple de cor azul,branco e pre-
to, pelo barato prego de 1*600 o covado : na loja
Oo Pavao, rua da luiperairiz n. 60, de Gama &
oIiY3.
A
Precisa-se de urna ama para tratar de urna
enanca desmamada : na rua do Hospicio n. 66.
- Aluga-se ama escrava para comprar e cozi'
pliar, sendo ou para casa de pequea familia ou
para mocos solteiros; quena precisar dirija-se a
f aa Nova n. 19. guarto andar. ______
De or 'em do Illm. Sr. Dr, presidente
fajo scente aos Srs. socios, q:e a artida
desto mez t r I gar no dia 26.
Secretaria da sociedade reoreiativa Cory-
bantiid, 14 de feverein ie 1865.
0 1 secretario,
Faustino Jos da Fonseca.
Livro do Povo.
O livro do povo, obraornada com eslampas,con-
tendo a vida deNosso Senhor JessGhristo, e mui-
tos artigos uteis. lije livro das familias recom-
mendado e approvado pelos Exms. srs. D. Luis
bipo do Maranho e D. Manoel arcebi.?po da Ba- ,
Jto. vade-so a 15000 cartoriado, na livraria de i Pvai*r,,l!-"mo f'rHe5,de 3*^.0 o corte : s
Jos Nozueira deSouza. rua do Crespn. 2. lWjoP"a0' rua da Iraperatriz n. 60, de G;
Panna de linuo a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lencoes, toalhas e ceroulas, pelo barato pre-
go de 700 rs a vara : na loja do PavSo, roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavao.
Vende-se para acabar urna porgo de retaihos
de Lias e cassas de todas as qualidades, e por pro-
gos muito em conta; quera tem economa que
pode apreciar : isto na loja do Pavao, rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao a 70, s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolao muito encorpado,
tende fu varas cada pega.com 4 palmos de largu-
ra pela baratissimo prego do 75#ft0 a pega ditos
muito finos a 8, 95 e 105000. E' pechincha, na
loja de Pavao, rua da Imperatriz 60, de Gama
4 Silva.
C rtes de cassa a 3$.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corto, com desenbos muito delicados
-ama*
Corles de Vendem-se finissimos corles de chita franceza
rom 12 covados, tendo padres esenros e alegres
de cores fixas pelo baratissimo prego de 45 o cor-
le : > na loja do P*v5o rua da Imperatriz n 60
de Gama & Silva
Cambr.ias lisas, na loja da Pavas.
Vendem-se pegas de eambraia lisa muito fina,
Compra-se um bilhar novo ou osado : ns ru i 'aP"da e transparente, pelo baratissimo orego de
do Rosario estreita, travessa do Gueimado n. li 45 tendo 8112 varas cada pega, ditas muito finas
oja de miudeza9_______________________ 75, 85 e 95 a pega, ditas Victoria com 10 va-
rnmo.ram-< Prrava------------'-as pe, ^ral'Simo Predo 7. W i, dius
liOUipiam-bt! L>Llt>os. Garrazes fazenda mu to encorpada fazenda pro-
Silvino Guilherme de Barro6 compra, vende o pria para forro a 360 rs. a vara ou 25600 a pe-
J. Kel'er AC. ve.dera superior vi-
nho int" d'Brdeax, tanto enquT'ola
cono emcaixas de duz'a d-.' garrafas.
eOHPBIS.
troca escravos de ambos os sexos e d teda idade:
na rua d Imperador o, 79, urceiro andar.
Farnka de milho. A aga< florila dc Mrrav 4 La
,, j ?"se burrias do firinha de niilh0 araer|- olhada como um migo de erfume ru
cana de 6 arrobas: na rua do .tange, n. 3. ', tem.podido ser igualada pila? ^acS!
n..i. d nRAPE.' ,as mais cnstosas: conserva scu aroma,como
Duartn, Pereira A C. continuara a vender o afa-'se formasse narto da nrpml-. a mm iu ,.
raadoe fresco rap Princeza de Petropoles !-'Siffir^5ES-SP ~ l 3 S8
grande arraazemde lonca vidms h n a. apPca. ba ellicacta e
Crespo n. 16.
rua do T '""*' "ua olu"w to delicada, como
i elegantes sao seus multiplicados usos, quer
HTTruoln----------------,seja empregada como arligo de toucador,
Al I til LA U. quer no uso dobanao, ou como suavisador
Bnrzeguins francez da Jarea S. Joao da Luz, a ^a Pe,"ft> depois que se telilla feito a barba ;
65000 dc lustro e bezerro : rua do Livramento j para limpar as gengivas ou aro'mat'sar o
as._____________________________hlito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
,compleicoes, depois de se haver lavado; al-
Vene-se na rua Nova n. 50, urna victoria ainda ,jvia a 'rntaco de erupcoes ordinarias ; faz
em bom estado; feita por um dos melhores fabri- desapparecer o desagradavel aspecto dos
bom" !do*rS" S arre'S lambeSe acham em ipannos't,as sardas do rost0' rugas e toda a
-----.-----.------_ ----------------------casta de cbulicGes, e d vigor e frescura a
i ,,en e"?e ,, Pai'te onde quer que se applique. Sua effl-
um excellente cavallo muito bom andador ba xo a ciencia p plpffinr-ia in
m.eJ:.seliade e.nfreiadJ. Pr.muit0 ?"ato prego: \ velnos casofem
^ASSA E XAROPE
\ERTHE
COM CODEINA
Preconizados por lodos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as IrritafSe
do peito.
AVISO
Falsificacoes reprchonsiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Massa de Bcrln,
nos obrigao a recordar que esses productos
tao justamente
nomeados nao se
enlrcgao senao em
bocetas e em fras-
cos com a asigna-
tura aqui indicada. ranMani tiai w lnUfimmM
431, ru Saint-Uonor, :u pharmacia
t.uviiE, c cm todas as pharmacias.
no
Deposito geral em Pernambuce rua da
Cruz n.22 em casa de Caros Rarboza.
a tratar na 8oa-Vista rua da Mangueira n. 7,
6 as 9 da manhaa e das 3 as 9 da noite.
das
igualmente infalli-
que seja preciso appli-
:ca-lacomo estimulante e antisptico, nos
Vende-se a taberna da roa da Conceigao n., concursos e assemblas numerosas, as lo-
11 defronte do rancho, com pouces fundos o cora Calidades infeccionadas, na alcova de um
: enfermo, assim como um antidoto excel-
eansa-
co ou suffocacao. Preparada nicamente
por Lanman Kemp, No va-York, e a venda
Camisas que valem 5000 a 25800. porCao.'S 4 Barbosa.
- VenJe-se urna escrava com habilidades : a, lente para OS desmaios causados por"
ratar na rua da Iraperatriz n. 34, primeiro andar '
Pechincha snn igual
Vendem-se camisas de linho muito Unas e de
bons gostos, pelo baratissimo prego de 25800 cada
urna e em duzia a 325 ; vende-se por este dimi-
nuto prego por serem arrematadas em leilao dos
salvados do navio francez : na rua do Livramen-
to n. 4, armazera de Joao Evangelista de S.
Vende-se a taberna sita no pateo do Terco
n. 21, sendo um dos melhores lugares para nego-
cio, tanto para e praga como para o mato ; ven-
de-se em razao de um dos socios ter de se retirar
para a Europa : a tratar na mesma.
Pechincha
Yendem se 13 vaccas que esto dando leile, as
quaes rendem 45 a 65 diarios, e estao bastante
gordas, por seu dono se retirar : para ver e tratar
no Salgadinho, sitio grande do Fundo, cera Anto-
nio Rodrigues dos Santos Oliveira
Vende-se ama boamobilia de pao d'oleo, cora
uso, e alguns vidros : na rua das Flores n. 25.
Pechincha
Vendc-so urna armago de taberna desorganlsa-
da eem ponto pequeo, contendo alera dos.utenci-
lios dous depsitos para agurdente e um para
azeite de carrapato, e se informa urna exceilente
casa para a colloear, caso o pretndeme queira,
ao que se garante a chave : a tratar na taberna
da rua do Principe n. 32.
Felpo. ~
Vende-se urna porgo de feijao mulatinho mnito
novo a 15 a cuia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 520 rs.: na rua Direita n. 8.
Bazar commercial
Roa Nova n. 61.
Novaes & Fho acaba de receber ura lindo c
variado sortimento de ampndoas confeltadas e con-
feitos em frascos e cai'xinhas eom o maior asseio
Joao da Carava & C.
Liquidando das f'azen-
das da barca fran-
ee a
Hoje pelas 8 horas da raaahaa at as 6 da tar-
de principiar a feira semanal das segulntes fa-
zendas, parle das quaes sao da barca franceza, a
saber : madapolao com 24 jardas, finse largos, a
C5, 75, 75500, 85500, 95 e 95500, lambem tem e *&> grosdenaple preto para vestido a 15600"15 e
neao
9
Nova loja de fazendas c roupa
felta nacional, rua da Impe-
ratriz, loja de 4 portas n. 79.
Chitas da loja n. 72.
Vendem-se chitas linas a 240 e 281o ovado,
ditas francezas linas a 320, 300 e 400 rs. o covado,
cassa franceza fina a 320. 360 e 400 rs. o covado,
laazinhas para vestidos a 360, 400, 500 e 360 o
covado, pegas de madapolao fino a 65, 75, 85e
95, pegas de algodo a 55, 65 e 85 : rua da Im-
peratriz n. 72.
Ronpa frita narionsl x.
VcnJera-se paletots de ^anno lino a 145, 165 e
185, ditos saesps a 03,85 o 105, ditos decaseraira
decores a 65, 85 105, ditos de brim de cores a
25300, 35 e 4J, caigas de casemira preta e de co-
res, colletes o caigas de brim decores a 25000e
25300 : rua da Iraperatriz o. 72.
Sootambarque a SS.
Vende-se sootambarque de laasinha a 75 c 85
ditos de slpaca branca a 85 o 105, ditos de gros-
denaple preto a 205 e 255, capas pretasde gros-
denaple finas a 205 e 255, panno fino preto a 25.
35, 45 e 55 ocoivado, casemira preta a 25, "
possivel, assim como um sortimento de fructas da
Europa crystalisadas, e chocolate era eaixinhas ri-
: ca: isto na loja do Pavjjo rua da ImpojatruD o, camente douradas, assim como )Ulros raultof ob-
. de draa Silva. i ectos e se deuam
25500 o covado : rua da Imperatriz n. 72.J
Corle!) de la Maria Pia a 105
Vejaiem-se cortes de vestidos Maria Pa a 105
145 e 165, cortes de cassa franceza a 3l, cortes
de brim para caiga a 15C0O e 25, ditos de case-
mira do cor a 35, ditos de dita preta a 33500 45
55 e 65 : rua da Imperatriz n. 72. Este novo es-
abelecimento vende barato para obler frrgnezia
na rna da Imperatriz, loja n. 72.
madapolao francez infestado superior com 20 jar-
das a 75 a peca, esta pechiucha espantosa, al-
godo com 21 jardas superior a 55 e *5, e cutras
marcas a 75400 e 85 a pega, camisas a 15, cha-
jes de merino a 15, '5300 e 25, estopa a 25 a
arda, chitas franeezas escuras, bellos pidrSes a
240, 300, 320 e 340, ditas de bellos padr6es imi-
tando a seda a 360 o covado, sao muito finas; O'
dao-se amostras com penhor : na loja da rua da
Madre de Dos n. 16 defronte da guarda da al-
fandega. "t
Coke f!o gaz.
Pltch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke, tonelada 10;00O.
Pitch, arroba 35000.
Alcatro, caada 500.
O cok reconheci lamente carvao mais econ-
mico, torna-so por isso recommendavel, bem co- ...
rao pelo aceio qne se nota as rasinhas aonde,i. "s "a elle usado. Pitch e alcatraz, alora s aidlmpape-1 mcimo pre qne vende Dl,r,-
g5es diversas a que se preslao, corao paracalafa
tar BrabarcagOes, alcatroar madeiras, etc., teec-
estes a propriedade de preservar do cupira, for-
miga?, etc. b entregue na fabrica do gaz, ou man-
dado por em qualquer ponto da cidade, segundo a
vontade do comprador e previo ajuste.
i jecio e se deuam qude publicar.
Vende ;.-e hji hipas para descirncar
a'god3 co n mo'ores para^inae?: na rua
da Sr zalla Nova n. 42.
Simcio de Mantua.
Altendendo as circunstancias do tempo at ou-
tro aviso, resolvo-roe a vender obra de Simo d*
Nanlua pelo diminuto prego de 800 rs. cada exem-
plar. A obra completa, tem a segunda parle das
bras posihm.is, e bem impresso, tem a estampa
de Siman de Nantua, o de meia encadernacao :
na rua do Imperador n. 13, defronte de S. Fran-
cisco, onde tambera ha para venderse urnas pou-
cas de ralxas de papel do Diario vasias, e pelo
Vende se caixes vaziosproprios
para 'lalmleiros e t'nnileirosa I 760
cada ara; nesta tyiographia.
VejSg se os bulletins di therapeutiea medica
e cirvrgica de 30 de novembre 1S60; a Caz-eta
dos hospitaes de 28 dejulho 1S60, etc., etc.
Alm das pilulas de iodurelo duplo de ferro e de
ouinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
farro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
da allerar-se c de se n3o poder conservar.
Peca-se o folheto que se da de greca cm casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evilarem falsificacSes, exija o com-
prador era cada frasco de Pilulas on Xarope a aa-
signatar do inventor.
Vinlie da Madeira e do Porto
Vende seosuperlorvinhoda Madeiraedo Por-
to,ura caixas de urna o duas duiias : s na loja
do Vigilante.rua do Crespo n. 7.
0 VIGILiNTB
Rna do Crespo n.
0 gallo vigilante tendo sidoagraciade pcloccm-
poso Ballisa, na sua ordem do da, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo r< m seus
agudesespores nuncaos effendera, inles o;agra-
ciara na mesma conformidade, paia que o Baliza,
possa marchar era frente, a Branca Aguia possa
lovantarseu v6o,levando no bico as palinhas seu
uinho;e o (jallo Acara em seu espagoo campo
lando de novo o sen canto annunciaodo a seus
bons reguezes o ao respeitavel publico
0 grande sortimenlo de objectos dc muito goslnqts
acaba de reecbrr.
Ricas caixiuhas com msica ricamente enfeiU"
das para eostura, proprio para um delicado me-
nino.
Rijaissiraoscofresinhos cora cadeadosde metal
para guardar joias.
Iticascaixas cora estejo, contendo todos os per-
tences para hornera.
Riquissiraas voltas fiogindo peroli.
Ditas coro lacinhode lila.
Ditas de lindas cures o preta, de todas as gros-
suras.
Lindosaderegos com pedrinhos Inginde. bri-
1 liantes.
Ricas livellas para cinto, de todas as qualidades
e bom gasto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Paris.
Grande sortimento de lindes anfeites fara cabe-
ca, sendo do ultimo gosl e de todos os flttof.
Flores muito finas para noivas.
Luvas eufeitadas e metas de seda para noivas.
Tonquinhas sapatinhos e meias de seda [ira
baptisado.
Riquissimas filas de todas as qualidades para la-
go, cintos e cinteiros.
Camisinhas e goiinbas para senhora.
Iliquissimosjarros e figuras para ornamento de
sa la-. ,
Grande sortimento de gravatinhas tanto para se-
nhora como para liomem.
Luvas de pelica bracea e decores.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancinhas,gal5o e maravilhas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para rcl< glos.
Papel amisade e de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadlnhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com r/atame de tedas as
larguras.
Thsouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para oderecimentos.
Gaixinhas com seis frasquinhos.
Essrncias de todas as qualidades.
Agua verddeira Florida.
Agua da Colonia, em (jarraras grande?, e em
frascos qnadrados egarrafinlias.
Pomada fina de tortas as qualidades.
Superior baaha em frascos e copos de tot'oy 03
lmannos.
Sabaolnglex em paos grandes e pequeo*.
Escovas 4c cabo de niadreperola, maifirr. e da
osso, para dentes. -f
Pontos para desembaracar, com fns/5 de r clat e
sera elle
Ditos de tartaruga e de muitas outras qualida-
d es.
Pentes de lariarug?. para senhora
Ligas d soda e de afcodao, assim cemo n.-i;es
outros objectos de gosto quesera impossivelmen-
cinar.que a vista far f, s no Gallo Vigilaste,
uc do Crespo n. 7.
Volliubas.
Lindas voltinhas de petlas falsas comciuzinliss
dngiado brilhantes, assim como cruzitbas avuls
e voltinhas, pelo barato prego de 15el(0,as
erases a vals asa 4C0 rs. s to Vigilan!, tus do
Crespo n. 7.
Leques.
Rlijuissimos leques de rr.adieperoia tan'.t f em
senlioras como para rrecinas, pelo t*iat( |if(0
le 125 e 145; s no Vigilarte, rua d( Cmio
n. 7.
GRANDE NOVIDADE.
S r.o Vigilante.
Riqaissimos enfeites de edas as qualidadf *) ara
sohoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
SfaltOfl
Riquissiraossintos de fita larga e estreita com
(ivelas grandes e pequeas, com bn'Jhantes falsos,
cousade muito gesto.
Albuns
Tambem chegaram os riquissimos allur.f p?r
30 retratos, com capa de tartaruga e de itifm,
cousamuitoehijue : s no Vigilante,rua do Cres-
po n. 7.
Golinhas.
Ri juissiraas golinhas e manguitos, rmelhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquosissira enfeites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35: s do Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancrlins.
Lindos tr.incelins de cabello para relepie ou iu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
liabadinbos mreme es.
Riquissimos babadinhps entrerreios rom lirrToj
lesenhos tapadas e transparentes, pelo baratissin o
prego de 15200, 15300, 25 e 35; s no YjgUanie,
rua do Crespo n. 7.
Casrarrilh.
Grande sortimento de rascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e tranrinbas rro-
urias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de fitas de diversas largura?
i qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, bavendo fitas largas proprias para cid-
teiroa que se pone vender a 300 rs. a vara, e pega
ie 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as finalidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n, 7
Rifes spelbos.
Riquissimos espelhos n m rroMnra dcnt;-dT
*em ella de 8>, 105, 125 e 145, MsSb rorro ctm
columnas de differentes tamaitos a ?5, 35,45, 65
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e fiflnras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqni
tem apparecido; s no'Vigilante, rna do Crespo
n. 7.
Pan ios if arroi.
Riquissimos vasos com I oneca para pos de am*
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim remo
pacotes s cora os pos a 320 rs. cada um; s co
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, pera-
JKs, assim como de lindos copos on vasos rom dis-
tinctivos e oflerecimentos as sinbasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de l'aris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha jar.oneza
a 25 e a 15, assrm como outros objectos que nao o
possivel por hoje annnnciar, e vista dos 'recue-
les se far todo neeocio; na loja do Gallo Vigilante,
rna de Crespa a. 7.
1

i
I



'TOW


_

Diarlo de Per.ambuco marta felra 15 de Ferereira de t 805
ROPA FEITA
DE
Wlft %i ^Wa>*
UETSUBIHO VSKBE.
>4 Neste estabalecimento ha sempre uro. sortimento completo de roapa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor- 2
rentas, para o que tem um dos me Ib ores professores, assim como tambem tem um 8
grande' e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, I
horneas e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 300000 Ditos de setim preo. 50000]
250000
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARHAZENS
IIE
MOLHADOS
30000
40000
50000
20000
10400
Sobrecasacas idem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
I 200, 150 e......100000
! Ditas de casemira, 200, 150,
i 120, 100 e...... "0000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
90, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de c6-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco^ de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
10, 80e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
j Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas'de ganga de cores, 30 e
Golletes de velludo preto e de 0 ....... 0000
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, dealpaca, pro-
Ditos de casemira preta, 50 e 400001 tos e de ocres.....40000
Ditos de ditas de cores 50 Lencoes*de bramante de linho. 30000
40 e........30500 Cobertas de chita chineza.. 20500
Ditos de ditos e seda braceo,
0 o
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fasta e brim bran-
co, 30500, 30 e ....
Seroulas de brim de linho,
20400 e ......
Ditas de algodo, 10600 e. .
Camisas de peitos de linho,
40, 30 ......
Ditas de madapolio, 20500,
20e........
Chapeos de massa, pretos fran-
700001 cezes, 100, 90 e. .
70000 i Ditos defltro, 50, 40,30500 6
Ditos -de A, de seda, 120,
40000 110, 70 e...... 60O<*&
Cllariuhos delmho ino, ul-
40000 mamodaduzia. 60000
I Sortneato-completo de grm-
205001 tas. |
20500 Toalhas parroste, duzia, 110,
80500 I
20000
IE
DE
DE
J. VIGNES.
X. 55. RITA DO IMPERADOR .V 55.
Os pianos desta autiga fabrica sao hoje assaz condecidos para que seja necessario insistir sobra t
saa saperioridade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
iois que ellus tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; oefe-
sumdo ura teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
nunca falLar, por serera fabricados de proposito, e ter-se feito nllimamentemelhoramentos importan-
tts>imos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por sto milito agrada-
.-.,, aos ouvidos dos apreciadores. .
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, dePans, socio
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de musios dos
i)*l ores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
presea commodos e razoaveis.
CONSULTORIO 1HEDIC0-CIRIRI1IC0
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
HEDHCO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
horas da manhaa, e das 0 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos# dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguimos
Carteiras de 12 tubos grandes. .. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
, de 3G tubos grandes. 240000
> de 48 tuhos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-sequalquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remsii
que se pedir. ..
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 10' 00.
Sendo para cima de 12, costarn os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
\ melhor obra da horaeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr;
chas grandes volumescom diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes.............' 60000
Diccionario de termos de medicina......., 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados aspessoas que qoizerem osar de remedios ver-
dideiros enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
iidero ssucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditados
e-itabeleciraentos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener-
va e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escraws.
Recebe-seescraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
ooeracSo, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, a
funeciottando a casa a mais de quatra annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pe duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Paea-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi era diante 10500.
As operaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sajeitar-aos procos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.
m
l3SBMBHnHHi
Chales de renda preta e bournus de guip pretojf
A' loja da ra do Crespo n. i 7,
DE
JOS UOOTES TILLAR
Vende a 150, 500, 300, 400, 50 e 600, tapas e casacoes de pros pretos, ebapos
e chapelinas de pslha o nutras muitas fazendas proprias para a quaresma.
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de soa saude espera que seus
devedores tanto do mato como desta praca saldem sens dbitos qnanto antes.
!
li.fe^.-M5 is&
-A\\
Vinho do Porto npcrtot *
t n barris de oitavo e dcimo, rende Antonio Lnii
de OHveira Arevedo 4 C.: no sen escritorio roa
da Croi d. i______________
Raa da Senzalla Nova 4.
Naste estabelecimento!vendem-setachas d
ferro coado libra aj 10 rs., idem de Lo~
Moor libra a!20 rg._______ t
"Veadem-se charutos da Bahiade varias qna
lidades: em nasa de Honhard C. roa do Tra-
piche n. 48.
mmmmmmjmmmmm
: Fabrica Oonceico da
I Baliia.
8
Andrde Reg, recebem constante-
mente e tetn vendano sen armazem n.
34 da ruado Imperador,algodo d'aqael-
la fabrica, proprio sara saceos de ssu-
car, embalar atjrodao empla'ma etc., etc.,
pelo preco mais raioarel.
mmm
Largo da Santa
Craz bs. 12 e 84,
esquina da roa do
.Cebo.
YINHOS
NEH COROAS.NEM MITRAS
GR AMOB ARHAZEM
DE
NA
RA DO IMPERADOR IV, 40
Jinto ao sebrado em qae mora oSr. Oftborne,
Dnarte Almelda de C, receberam de sua proprla encommca-
da o mala linde e variado sortimento de molhados, proprloa
da presente estaeSo.
Manteiga ingleza Macas braacas
da safra novavinda no ultimo vapor a l.ooojpara sopa a melhor que se pode desejar,
i ESPECULES
1
Largo da Santal
JGrueas. 12e8*,j
Sesquiia da ra doj
[Cebo.
O doao dos j multo acreditados rmateos de molhados denominados Aurora
Brilhante, acaba de receber de saa propria encommenda, muitos geerbs delicailos
preprios da presente eslacSo, e tendo grande sortimento comprado aqui,atianga que todos
s seas gneros sao de 1.' qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de eontas aos por-
taderes.
Xenhnra armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por s doao se achar encom-
modada em ua saude e ter de feidr nm de seus armaiens agora, e o oatro na pr-
xima prim-Tera, por isse deve-se apreTeitar urna quadra destas para se comprar
barato.
Latas com 8 libras de cbourieas multo oras,
70500.
Ditas grandes com peiie em postas inleiras,
mais de i2 qualidades,.a 10000, i80
t04OO.
Bitas com ostras, excedente petisce para fre-
gideira, a "Ors.
Bitas com ervilhas aovas, ensopadas, a
720 rs.
Bitas com faras, a 640 r.
Bitas com atneixas a 1^300,1,9800 o 3^300.
Bitas cein marmelada do afamado fabrica_-
caate Abreu, a 880 rs.
Bitas de massa de tomate, a 500 rs.
Bitas com figos de comadre, botos, a l5'O0,
2$ e fiSOO.
Bitas"om bolachinhade soda muits novas, a
3*000.
Ditas com biscoitinhes luglozes de muitas
qualidades, a 1*400.
Chocolate.
Chocolate superior muito aovo, a libra a
1*200.
MacarrAo lelharim e aletrla amar,a libia
a i80 r.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinfea, pevide e outras mas-
sa s, a caisa 3*500.
Bitas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para s>a a libra a 240 rs.
Brvilhas seccas, a libra a 160 rs.
Bitas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapisca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araren verdadeira, a liara a
900 rs.
Arroz do Maranbao, em saeca a arrebaa
S*400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 3*200 e- a
libra a 100 rs.
Toucinho de Ltebea a 9*500 a arroba e a 320
rs. a lim-a.
Dito de Santos, a arroba 7*000 e a libra a
280 rs.
Melhoscom 125 sebolas grandes, a 1*280.
Mostarda. franeeza caixa com 2 duzas a
8$00.
Frasees com mostarda preparada era vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas inglesas e francezas,
a 640 e 800 rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500
ris.
Ditos com a verdadeira gonebra de laraoja
a 1*200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
1*000.
Ditos de t garrafa de Hollanda verdadeira,
a 640 rs. *
Botijas com dita propria para negocio, a
409 rs.
(Jarrares com 2 galSes com dita, a 650O0.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 6*000.
Vinhe miscalel de tetuba, a garrafa a
1*000.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
e a 1*200.
Champagne, a duzia 20*000, e a garrafa a
2*000.
Azeite refinado portugueze francez, a gar-
rafa a 1*000.
Caixa de vinho Bordeanx muito superior, a
7*, 8*. 9* e 10* a caita.
Ditas com dito branco, a 7*000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 20*.
DHas com duque do Porto verdadeiro, a
185000.
Ditas com chamisco superior,a 14*000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 12*000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 646,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
3*300,3*500 e 4*000, e a garrafa a 300
e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
4*300 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos de marcas mais deseonhecidas, a cana-
da a 3*500 e 4*000 e a garrafa a 480 e
520 rs.
Yhbo branco fino, a gnala a 040 rs.
Dita de caj muito superior, a garran a
800 js.
ViuUo verde superier.
A eaiada a 3*500 e a garrafa a 480 rs.
Gamma.
Saeeas de 4 arrobas, 6 a verdadeira de se
engommar, a arreba a 3*000 e a libra
1J0 re-
Sabio massa, a linra a 200,240 e 280 rs.
Farinha.
Saeeas grandes cem farinha deGeianna mui-
to nova, a 55000.
Caf.
Caf do Rio- muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Ca.
Ch* temos nestes gneros o elaer possivel,
hysson, a libra a 2*600.
Bltoperola a 3*000.
Bitouxima 2*700,
Bile hysson muito fino a 2*800.
Ditoredondoa 25500. KftA
Ditopretede primeira qualidade a2*500.
Bite mais baixo a 2*000 a 1*600.
Erva mate.
Excellenle eh medicinal, a libra a 320 rs.
Bspermaeete.
O masso coa 6 vellas de espermacete a 600,
640e72Ors.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 4* e 2g50O.
Notes.
Notes, a libra 160 rs e arroba a4*000.
Alpisia e paiaeo.
Alpistae paipco,a arroba4*000 ea libra a
160 rs.
Garlas.
Cartas Unas para jogar, a duzia a 25500.
Csl.has.
Castanhas novas vindas neste vapor, a*rr-
ba 4*000 e a libra 200 rs.
Azei tesas.
Barris com azeitonas novas a 1*500
Manteifa.
Manteiga Ber, a libra a 1*00.
Bita niaisabaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Di (a francesa nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos,
660 rs.
Ditapara tempero a400rs.
Queijos.
Queijos noves viudos neste vapor a35200 e
3*300.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
1*000
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800
Dito dito lizo de linho, a resma a **o"
Dito de peso lizo e pautado, a resm*
Dito deembrolho bom a 15 e 1*200.
Vinho Maeira.
Garrafascomo verdadeiro vinhoXerete
deira a 15500 e 2*.
Temperos.
Foihasde louro, pimenta do reino,
e cravo.a libra a 400 rs.
rotea de carnauba.
Massoscom 6 velas de carnauba Tettnauaa
480 rs.
Amendeas.
Amendoas com casca, a libra a 330 rs.
CaixBes de doce de golaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos dearear facas a 140 rs.
firaxa.
Duzias de boi5? de graxa o. 97 a **W
de latas.a 1*000, e os boi5es a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Chantes fines.
Charutos Bnos dos melhores fabricante? da
Bahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
rs. a libra eem barril a 8oo rs
Manteiga franeeza
I da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
1 Ameadoas
^afeitadas de lindsimas coros a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, maite propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada nm.
Latas
com bolacbinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 alibra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2?6oo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 20600 cada u.
Qneljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
o de excellante marte a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 700 rs.
o frasco.
Figos
a libra a
em libras e caixinbas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COfiV4t
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de ootras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COI*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lbor.
Papel de botica
I de excellenle qualidade a 2200 a resma,
PAPEL
; a*ul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2o
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
eom'mtao
Fumo
/
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, |ue deixam de an-
nunciar-se.
wKRH/P cm illil
A 4 80 CORTE.
Pechincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedad de padrees
pelo baratissimo prego de 4$ o corte : na loja das
columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
re* de Vasconcellos A C,
Potassaoda Eussia
'*?Acaba de chegar a mais nova a verdadeira po-
tassa da Russia, e vende-se a preco cemraodo : no
escriptorio de Manoel fgnaeio de Oliveira & Fi'ho.
largo do Corpo Santo o. 19.
P0T4SS4
Yeode-se petasss em arrie a commodo preco o
na ra da Cruz n. 3. primeira andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo ?s.
cada urna.
Cebollas
as mais aovas da mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,oo rs. o molho.
Alpista e Paiueo
o mais novo do mercado a 14o rs. a libra,
e 404OQ a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 ocento na ra do Gor-
mado n. 7, roa do Imperador n. 41 elar-
go do Carmo n. 9
CRO DE BICO
mmto novo a 30400 a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra doQueimrdo B. 7, rna 0.
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
. QUEIJO SUISSO
muiio fresco a 800 rs. a libra na ra do
Quetmadon. 7, ra da Imperador n. 40 e
largo da Carm n. 9 ..6 uu oai 1IH} B. ,.
Os propnetarios do grande armazem o Verdadeiro Principal deehiram aos seus
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos os-
upuiaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal raa do Imperador b. 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saeeas novas e grandes a 40500: na roa do imperador n. 46.
NOVIDADES.
Queijos do Uentejo, ditos das ilhas o mais fresco que so pede dese-
jar a 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixipbas
Jjffi) redoadas enfeitadas,.proprias para mimo da.fesU pelo,barato|rrco d'e0
^ cada ama,ricas caixas de figos tambem praprias para mimo-de 800 1500
cadauaa. Vende-se nicamente na armazem Verdadeiro principal, ruado
Imperador n. 4.
macarrao, talharim" e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinto
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400.rs.. a garrafa, e
20800 a cana da.
dem do Porlo
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade da Porto a 40 e 10MO
a garrafa e de 100 a 120a caixa, asmar
cas sao as seguintes: Chamisss AFilhe,
F. dt M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outroo muito*.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r' .al fera,
Cerrejas
dos melhores fabricantes|e de todas as ms
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outres em
meias xaixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a Kara, e da India
80 rs. a libra, e 2050 a 30000 a ar-
roba desses que vender por 30400.
CAF
de 1.* e 2. sorte do Bio de Janeiro a 803#
e 80600 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafe
com 4 V* garrafas com vinagra- a 10000 coa
o garrafao.
GENEBRA DE LARA3M
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
IDEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBBA
de Hollanda verdadeira em frasqaeira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2eo agroza
e 2o rs. cada caixinha,
LICOBES
finos de todas as qualidades, a lo,oso a caixa
com urna duzia o a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, eomo se-
jam- Abroa e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra:
ABBOZ
Maranhao, Java e India, a loe rs. a- libra o
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 58o rs.
a libra e em caixa ter abatimeato.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo o
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito otras
em quartos eieteiros a 20 o quarto 2 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 80 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas uitimamente, pera, pecoge, ginia e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Bsee 4a casca da geialu
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
mado ?>. 7, ra do Imperador a. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
m latas de defferenles qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegadosneste ultimo vapor a 2080 na rna
do Queimado n. y, roaft Imperador n.
40 e largo do Carmo b. 9.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
| a lata : nos armazens da ruada Im-
perador a. 16 e rna do Trapiche Novo a.-^
Naru do Mnde rmantidade de ps da Nares par barato proge, Visto
at o fim de raer.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal ii ..isrc* a mais nova
quena nc aereado,tanto em porcia- remo a reta-
lho, por barato yrA^J.aflaticaode-se aos compra-
dores aperior analidado: a tratar as sepnir.es
roas : Crespo b. 7, Imperador *. W, Perte de Ma-
tes,armazem do Sr. Avilli, defronte o trapicha
> algodo.


Diarlo de Pe rao tabuco %narto lelra 15 de Fe ver el i de 184.
1
i-
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Cb.egaram ei modernos vestidos de dentelle de seda com barra, iteirarnente notos
em eos qnalfdade : a loja das celaraaas, na roa do Cfespe n. 13, de Antonio Corris
de Vaseoneerlos 4 C, successores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos desenliara
Superiores cortes de seda de eor, de morante, de gorguro e de setim imperial
Diiesde Wond, e de cambrra branca bardados.
Ditos de ia com barra grande variedade em cores e padrees.
Bitos de organdys com barra
Lindas sedas de qnadros escesseza e miadas.
Saperieres lias lisas com grande variedade de cores.
Bitas cora salpico?, cem flores e de qnadros.
Lindas, pampalinas de qnadros e de flores, fazenda inteiraraente nova
Superiores cassas de cores, e lindas earabraias ergandy
Grande variedade de chita de cores, de percalia eoutras muitas fazendas de/ja-
Pira hombros de senhora
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Bitas de 19* e de seda.
Grande variedade de sout'embarqaes de seda de 18 a 40A.
Manteletes de seda.
Superiores basquina?.
sedaSeadeerfllSprS?oeS *'S6da' mer,n es,amPados finos>de cachlmira com listrasde
Camizinhas modernas, zaavos brancos o de cores, colletes de cambraia. lindas rol-
liabas com pnnhos e oatros mnitos artigos. & g0J
Para cabeca de senhora e menina
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora
Ditos de feltro enfeitados para senhera. uuor.
Ditos de palha enfeitados para menino.
r. k8orlimenU> de enfeiles modernos de retroz> de froeo, de cabello e de flores,
para sennora. *
los ftV01* daS lainnas da rna d0 Gresptf n-13> de Antonio Correia de Vasconcel-
ftEilAli RECOMJffENDA^Ao
AO PUBLICO
Sena o menor constran-
gimento se entregar*
Importe do genero que
So agradar.
ARMAZEM
attenco
Os precos da segalntc
Fazendas pretos para a qua-
resma
Xa loja do Pavo.
Acha-se este eslabelecimentocompletamente sor-
bido de fazendas pretas propriaspara a quaresma,
tabella para todos, po-. saber:
Grusdenaples preto largo e mnitissimo encorpa-
dendO asslm serTlr de fea ". outros mais estrenos tendo dos precos de
1*280,1*600,1800,2, 2*400 e 3*, superior
e para O ajuste de eentas moreaniique preto a :\&, superior sarja preta hes-
panbola, superior setim preto maco, ricas capas
com OS portadores. pretas bordadas, soutembarqoes muito bem rDfei-
RVA 111 CADE1A 1BB RECIFfi I*. 53.
(Logs pausando o are* da Coneeico)
Oraude redaceSo de precos, equivalente a dez por cento menos do que entro qualqner
annuneiante.
tads, rica vasiiumas e casacos dos mais moder-/
nos que lem vindo, superiores manteletes, camisi-
ahas com manguitos proprias para Julo e ricos
chales pretos de rede, tudo isto se vende mais ba-
rato do que em oOtra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja do Pavao ra da Imperalriz n. 60
de Gama & Silva.
As roupas do Pav3o.
Acha-se neste estabelecimento uin glande sorli-
ment de roupas feitas para hornera como seam
superiores paletots sobrecasacos de panno preto
muito fino e forrados de seda a 22, 23* e 3o*
ditos forridos de alpaca a li, 1C* e 20*. supe-
riores palrtots de casemira tanto saceos tomo so-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
ree, ditos de bnm de todas as qualidades, colletes
| de casemira pretos e de cores, ve'ludos, telinf
(i e'x., sendo todas estas obras cortadas por
amitos objectos, etc., dando cora isto ocasia a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaron em l ZSZSZJTlPZ ??Zmae$: !*an()a->e fi,z
] qUC POdMn V6n?er Pf preco 5 eu vend0''' 0ra' eu offeDdido com eslas oscuridades e receloso em adoptar o mesmo SSSr K.M %.' K& P**'
2rS5 5ue,vimIfBCOnt.rar' deso se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduccao de precos, como veris Uiil.s em cries com 10 U e 12 c pea segrate tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, al a abertura do momoravel armazem de molhados Uni5o Mercantil nao Na loja do Pavao t-end-se uma grande poreo
se sama de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a 1,600 rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que fce"" decblUsf^neeas sendo ciaras e ewo-
esto obngados encarando todos os das de seus fregnezes reclamado de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores Ti'coaiJHfa SaaTt10 f<*vados m^'
oSSS h?? D0V estabe,?cenl- Para lhe vender 8neros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim^t^^^^LiS^S^M^
to somente obter a concorrencia de sens freguezes. H Pavao, de Gama &IL, ra da Cpna.rizT co-
para bem de todos As cassassuiss s de uma s c,- a 360 o
a k rara oem ne toaos. ^ado a. a 600 rs. a vara.
&ennores e benhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromplido e entei- Araham de '""fiar as mais modernas casias
reza com que serao tratados, convida a uma vizita ao mesmo, cerras de que sem duvida rae darlo a prolecco e prefereucia na compra; Srts'mau"^/.^ T cord5"D,lo> ,endo "
?i??- i" qe P^c,sarem'e qPand0 Pcam virpoderao mandar seus portadores, anda que estes ej ara pouco pratices, pois iP'u&'4*w v-ndo ao mercado
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, hateado para com estes toda recommendacro, afim de que nao vao em outra parte "
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricasde 4 duzias se faz abat-1
_, i -".... (..v1U) e ae cores, .
rl?." fi* aoposso por mais tempo sustentar oprego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outrosi^cv1,s.^dii.Iod.a:e^as.0,:'ras cortadas por um d->s
"iier qual
ra da
A8MAZEM CONSERVATIVO
23-Largo do Terco23.
_j___"555 S"B, d0s Sanlos' dono deste be sorlido >rmazem de melbados faz selPtii *
reeommeadacao aos seus am.gos, freguezes e a todos em geral.que estaresolvido a vendar. n\
bem Mohecido geoeros de primsira qualidade,por menos de 10 a 20 por STlSmSSS
,Vr4df?'fm Lv'8 anfd'Dh,e'r C0Dtad0>e todo comprador que comprar de fio* J icol feTo deTcon-'
Massas para sopa macarro, talharim e aletria a
tiO rs. a libra e em caita a 5.
Toacioa* de Lisboa alvo muito superior a 280rs
a libra e 8J800 a arroba.
Daf do Rio de primoira e segunda sorte a 260,280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8a e
8*300.
Chooricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 12-
Passas vindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 8$.
Batatas emgigos de 35 a 40 libras por 2*400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cha hysson miadinho superior qualidade a 1*200,
2*000, 2*o00 e 3* a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem propris pan nwrocie a 320 e 360 a garrafaltos gneros qoe nfadonho mendona-los"e se"ai-
e a caada a 2*400 e 2*700. Ignem dovidar venha ver.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs a li-
bra e a arroba a 4*400 e 4#200.
Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 2* a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o c-
lao a 2*800 e a caada a 4*500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs a
garrafa e a duzia a 5*800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abalimento.
irrez do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 2*80, 2*e 2*400.
Asslm como ha tim grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas.choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
escolbida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 5o rs. a libra, e era barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6o rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathco por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser moito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,6oors.
Linguifas, cbouricas e paios era latas d 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouri'cas e paios em barris de meia e uma
arroba a 8,000 rs. e !,5eo e6oo rs. a libra.
Qoeijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6eo e l,8o rs.
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, 7.8o
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rsv a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2ee rs.
a arroba.
Painco e alpista a I4o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serera propiamente
feitas para esse era.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa cora
25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
FRANCISCO J. GERMANN
.... : i 21 RA WOVA W* 91
Acaba de receber um magnitlco e completo sortimento dos objectos que de melhoi qnalida
de encontrar era uma relojoaria, taes como : chrouometros martimos e de algibeira relogios fde ouro
e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allemaes e americano
reguladores de cornpeosacao, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol montados com ecas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos taraanhos, caixas com msicas. eual sorU.
ment de ocolos e lonetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, ace, e varios metaes oculos o
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que folTrem de inflammaedes
nos olhos, tabricados segund os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pemambuco, os quaes s se vendem por consulla dos mdicos, vidros de crystal branco e de cores
oculos de alcance para o mar e ontros proprios para observares astronmicas, oitantes e sextante''
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros ter-
mmetros, caltas de instrumentos maihematicos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro'dou-
rados e foleadas, todo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualqner concert e encommend'a dos
objectos mencionados, e responsabilisa-se durante um anno por qualquer relogio vendido ou concert
eito, em seu estabelecimento; e veade por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores raiudinhas, de qnadros, lisas, ederamagens, cora grande
variedade de padroes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baratissimo preco de
JOO rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcelos
a Lomp.
ARAMOS MOMOS CHALES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil (reto cliegados pelo uliimo vaper
loja das rolunum ra de C'resj o n. 13,' de Anionio Coneia de
los & C.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Coelho
Rna do Que i mado n. 19.
Vende-se o seguiste:
Lences de panno de linho
pelo baratissimo preco de 2400.
Lences de bramaLte de linho
de nm s panno a 3&>00.
Coberta de chita da India.
pelo baratissimo preco de 25000.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a ti a duzia.
Pecas de brelanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 4.
Pecas de cambraia de forro, a 20600.
Esleir da India
propria para forrar salas, de i, 8 e 6 palmos de lar-
gura, por menos preco do que em ontra qualquer
parte.
Toalhas alcochoadas para mitos
'S a duzia.
Laazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 res o'co-
vado.
Laazinhas de cores finas
do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris
covado, neste armazem de fazendas se encontrar
ora grande sortimento de roopa feitae por medida
TINTA PRETA COMMERCIAL.
Yende-se tinta com esta denominacao prepara-
da por J0S0 Cancio Gomes da Silva, a roa do Qaei-
raado n. 32. ________________________
Parell superior de Lisboa a SjJ e sacco.
Tem para vender A^tonie Luiz de Olivei-
ra Azevedo no seu escrintorio ra da Cruz
n. \.
Milho novo em saceos grandes : no trapiche
de Cnnha, a tratar com Tasso Irmaos.
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em Iatasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a Boe rs. inteiro.
dem inglezas para Hambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe,em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salm5o, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada uma.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,090 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de Iaranja verdadeira de A'tona era
frascos grandes, a I.ooors. o Irasco, e
H.ooo rs. a duzia.
lidade proprio para engarrafar era ancore-
tas com 9 caadas por 48,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo eoeo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,000 e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa era caixa de I duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, qued
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fertoria em caixa de 1 duzia de 9,000 a
lo,ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinh Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada uma.
Sardinhas porluguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa cem 8 libras-.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,5oo; ditas doce era latas com o mes-
mo peso a 2,ooo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas dele meia libra
por 1,2eo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriera l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce renado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com uma duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa cora 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito nevas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sepa a 2oo
rs. a libra.
dem de Hollanda era botijas grandes a 4oo Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquineo verdadeiro de Zara em garrafa
grandes a l,ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs, o maco-
Sal refinado em frasco de vidre com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
CharutosdetodososfabricantesdaBahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,000,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs.
cada um.
Farinlia de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banlia de porco refiwraa a 4oo rs. a libra
e 36o rs. "em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rsv
Matte excellente cha para os navegantes a*
a 2oo rs. libras.
ende-se a 360 r. o covado ou a COO rs. a vara.
na loja do Pavao ua da Imr-eratriz n. CO, de Ga-
ma & Silva.
Meias oaernirasa 1(5600.
Vendcm->e superiores meias casermras proprias
para caiga, collelds e paletols sendo fazinda muito
encorpada lisas e de quadrinhos e que tambmi
servem para capas de senhoras c vend m-sc pelo
baratissimo preco; de 1,3660 o covado 011 3,8 o cor-
te de calca : na Irija do Pavao ra da Imperalriz
n. 60, de Gama Silva.
Co tes de vestidos pretos.
Vendem-se ricos cortes de vestidos pretos bor-
dados a vefldOjbelo barato pri^o de 255 rs. cada
um : pa loja dofavao, ra da Imperalriz n. 60, de
Gama Silva.
Cirajbde liquldacio.
Ba da Impefati iz n. 60, loga de fazendas
do Pavao de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente sor-
tido de fazendas inglezas. francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo venderse mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sondo em
porSo,ede todas as fazendas dao-se amastras,
deixando flcarpenhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixoiros da loja do Pavao.
Vertidos sout mbarque
Pelo ultima vapor francez chegaram riquissimos
vestidos a' soutambarque, os mais modernos qne
neste mercado tem apparecido, os quaes esto
promptos cqin saia, corpmlio e seu competente
soutambarqute, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Queta) tiver bom gosto dinja-se a' loja do
Pavao, na ra da Imneralriz n 60,
-Vs laazinhas do Pavo.
Vendem-sjb laazinhas de quadrinhos transparen
tes, boa fazehda, pelo prego de 280 ris o covado,
ditas largasfmuito finas a 400 ris, ditas estampa-
das, cor sepira, padroes miudos e grandes a 320
ris o covado, ditas transparentes com palminhas
de seda a 400 ris, ditas escocezas a 560 ris, isto
tudo para I quidar: na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperalriz n. 60. __________________
DUOGARIA.
34Ra larga d Rosario 34
BarlholRieuFrancisc deSouza A C,
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmalte! para ourives.
Papel pi ra forrar casas.
Guarnigoes avelludadas.
Tinta bjanea superior em lata.
Alvaiadp Veneza, fino, em paes.
A ttenco
Vende-ie superior vinho do Potto em canas de
uma dnzia : em casa de Johnston Pater & C. ra
do Vigarib n. 3.

ESCRAYCS FGIDOS.
Fugio no dia-10 do correte mez, do enge-
r.ho S.'ini'Anna, a escrava Simplicia, mulata, de
idade 30 annos, ponco mais ou menos, com os sig-
naes seg) dotes : altura regular, cheia do corpo,
cabellos crespos, tendo as costas algumas marcas
de relho.e levou vestido de cambraia branca, cha-
le brance com barra azul, julga-se andar nesta ci-
dade : pdese as autoridades que a peguem e le-
vem-na ao mesmo engenho, ou a ra da Concor-
dia n. 37, que serao recompensados.
Fo.jtio hontem 12 do corrente a escrava de
MOTORES
para machinas de algodo.
Acabam de chegar agora novos motores para
um e dous cavallos para mover machinas para
descansar algodo, cylindros de padaria, e outras
quaesquer machinas para agricultura, os quaes se
vendem por prego muito em -conta. Tambera se
vende um motor americano para 2 e 4 cavallos pa-
ra o mesmo fim, que trabalha muito bem ; elles
se acham montados para o comprador ver o seo
trabalho : oa fabricada travessa do Carioca n. 2
caes do Ramos.
0
11
111 zeni de motilad
i>
Vende-se a casa terrea da ra do Motoco-
lorab n. 39, nos Afogadas, lera 3 quartos, quin-
tal murad cacimba e estribara, e foi ha pouco
concertada : a tratar na ra do Imperador, ar-
nazem de molhados n. 81.
Rna da Senzalla n. 42.
Vende-se, emeasa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoesinglezes, candieiros e cast-
caesbronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos,|o relogios de
ouro patente inglez.
BOTICA E DROGARA
BaHholomen Fraacssco de Soaza C.
35Roa larga do Rosario34
Vendem:
PilnlusHolloway.
Pillas do Dr. Laville.
Pillas do Dr. Allao.
Pillas do Pobre-homem.
Punas americanas.
Plulas vegetaes.
Pilulasvegetaes assuearadas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grfmanlt.
Vinho de Salsaparrilha deCh Alberi.'
Injeccao Feaugas.
Agua dentiOca de Gesirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope deporativo de Chable.
Licor aromtico de Raspad.
Pos anti-epiletlcos de Bresf.
Rob L'Affecteor.
Xarope do Bosqoe.
Ungento Holloway.
81-RUA DO IMPERADOR $1
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfacSo de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidades, efrancamente affiancas pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annuneiante foi escropuloso, emsumma, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo queiram honrar como seu comitentelhes
assegura que o producto deseu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta prac/i para o que se julga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente sumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantesque lhe meregam confianca, fa-
zendo timbatevantajoso aos quepagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero dopaiz, mediante uma mdica commissao, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commissao.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annuneiante sua valiosa protecc3o, fre-
qoentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhestributa offerece espon-
tneamente seus servicos.
Julga dgsriecesario publicar a tabellados precos de seus gneros: s3o seus recursos
garanta suficiente depoder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estabelecinaenlos, tendo somente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Preveneo necessarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nege-
cio ni mesma raa, julga prudente advertir que s aflfirma e se respensabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ae armazem.
mm mmmm
81-RUA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio'
ja
ce P
CBo-wnscoel -.< 8? o
& I
CD
ss*!**-8 s fifis rl
-oS.DOeio'"2,fc(tC.?0 ^
o"e&2sr"He-E=?0f g*r*
e
9
nome I
menos, a
praca d
execugq
contra Manoel do-llego Barros, e como dita estira-
bel, crioula, de 40 annos, pouco mais ou
qual o abaixo assignado arrematou un
juizo do conimercio dc-ta ciuae, por
do bacharel Angelo Henriques da Silva
o. o
c o
O. = S
| ~ S S 2. a 5
2 -.-.g a.3
3
cFo
io O
O O *3 *
O ta US
ca -r1 a
- o
as
lev! a
, 5 5 g-
B
o
o
CD
s*
M 2 "1
< 8
o "O "O o
5 u o ce
m o
.

o
s
g | S
o S?.
os >i
rg
3 w
5 o
e
9
e
e
se
s
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acor natural
dos cabellos.
A agua florida nao uma tintura, facto esseo-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inofensivas, ella tem a propriedade
derestituir aos cabellos e principio corante croe el-
les tem perdido. D'nma sal u brida de incoBtesta-
vel, a Agua Florida entreten a I ira pe da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de oakir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constitu poderosame*''', con a Agua Florida, a
forca, a belleza e a conservacao oseaba!!..
Em Pars, casa.de Qnislaor n. 12, roa de Ricfce-
lieu, e l, boulevard Montm2i're, y
Todos os frascos, nao tende intacto e clare,
timbre prateado da rasa, s5o repetades falsos.
Deposite, rna do Imperador, pharmacia n. 38.
va tenha sido do mesmo Barros, que morador em
Jaboatae. no engenbo Carauna, pode maito bem
ter ido pira csse lugar : pede-se a quem a pegar,
leve estrada nova, casa do abaixo assignado, que
ser recompensado ; a escrafa tem em uma das
pernas veas levantadas, e o p direito enxado pro-
veniente de uma pancada.
Bernardo de Tavares Coutinbo.
No domingo 12 do corrente, pelas 2Tu 3
horas da'iarde, ausenteu-ee de casa do abaixo as-
signado a sua escrava crioula de nome Rosa, com
os signaes seguintes : preta fula, idade de 16 a 18
annos, aliura regular, secca do corpo, rosto re-
dondo, cilios grandes, nariz grosso, bocea peque-
a, bei?o > finos, etc., nm pouco acanhado no
fallar, m s explicase bem, demonstra ser de ida-
de, mui temerosa e obediente. Essa eserava veio
talvez ha. 18 mezes do interior, e foi escrava do
Sr. Jos Cavalcanti Brrelo do engenbo Jardim de
Serinhae n, durante esse tempe tem sido empre
do servic,3 interno de casa do abaixo assignado.
nao sahir. do nunca vez alguma ra ; suppoe-se
que se deve ella achar-se recolhida em alguma
casa, pele que protesta-se desde j contra quem a
tenha occ lita, pratilicando-se no entretanto a qnem
del la der noticia ou a quem a treuxer no largo do
Carmo n. 1.
rugi no dia5 de fevereiro corrente um mu-
lato de 2)6 annos, pouco mais ou menos, baixo,
corpo regular, cabellos cachados, nariz e bocea
regulares, tem falla de alguns dentes na frente,
poucos cabellinhos no queixo, tem falta de un
dedo em um dos ps, alguns lalhinhos de chicote
pelas costas, chama se Eleuteno : quem o pegar
leve ao engenho Rebingudo, que ser bem pago.
Anda contina a estar fgido o cabrisha de
nome Ctmedio, de idade de ti a 1,1 annos, sendo
secco do oorpo, pernas finas, ps seceos, rosto,des-
carnado, queixo fino, as macas do rosto um tanto
altas, tem as duas unhas dos dous dedos grandes
dos ps murenas, temdons calombinhos as ra-
deiras, differenca v.m do ontro de doos dedos, tem
eos bracos marcas grandes de vaccina ; cojo ca-
brinna f'ugio em 9denovembro prximo passado
do engenho Ronca da freguis do Cabo : portan-
te roga-se as autoridades policiaes e capitaes de
eampp que o fagam prender e rpndnzi-lo ao sen
senhor Beifnardino de Sena Teixeira Cavalcanti
no referido engenho Ronca, ou no Recife, na ra
de Apollo n. 38, segundo andar, que generosa-
mente se gratificar.______________________
Fogio no dia i de janeiro a prea Romana,
de idade 28 anne, crioula, mapra e (ala, bem fal-
lante, e tem sido vista pele Mangninho : qnem a
pegar leve-a a sen senhor, a praca da Boa-Vista
n. 22. ou Campo Verde, roa do Trapiche n. t, qne
ser bem recompensado.

-v


IPVBI. ;

LITTER ATORA.
mos membros, e sem por em duvida a illustrage
ou o patriotismo dos cavalhelros que esiavam na
opposigo, ouso recoaimendar que na prsenle ses-
sao se lome a tomar em considerado, essa pro-
posta.
E' escasado dizer-vos que a questao em si
mesmo nao mudou era" cousa alguraa, mas urna
cleicao que sobreviu aprsente quasi a certeza de
E'
O que vae pelo mundo.
Damos m concluso a mensagem do presidente
dos Estados-Unidos:
Interior.
Comoobjecto ligada com o engrandecimento ma- !qUe 0 pr0xmo congresso approvar a emenda,
tonal do paiz, cliamarei a altenco do congresso s urna questao de lempo saber quando a substi.
para os preciosos esclarecimentos o para as impor- \ migao proposta sera dirigida aos estados para que
tan'es indicagoes rclaiivas aos terrenos pblicos,^ ponham em vigor, e como isse nao pode deixar
aoa negocios das Indias, ao caminho de ferro do i| succeder, nao devemos nos duer que o mais
Pacifico e as descobertas de Minas de que falla o. cedo ser o mellior ? Nao se pretende afflrmar que
relatarlo do respectivo ministro. a leigo imptzaos representantes o dever de mu-
A quantidade de terrenos pblicos de que se dis- dar de Pinia <* approvarem, nao Ihes com-
pon durante os cinco trimestres que findaram em pete senao examinar um novo elemento da ques-
30 de setembro ultimo toi de 4 221:32 acres. O *> O seu voto pode resentir-se disso. Eavoz
producto das vendan e locarocs foi de 1.019.446 do P <|ue>nJe pela primeira vez.se faz ouv.r a
<]oilards (1.019:4465000 aproximadamente). # | ros*,e,, des,a ****>
A grane empreza que se propoe a ligar o Alian- s'uma grande crise nacional como esta,
tico aos estados do Pacifico por nieio de linhas de muilo desejavel o quasi iudispensavel a unauimi-
camuhos de ferro e de telegraphia, lem prosegu-, dade de accao entre aquelles que buscam o llm
do com un vigor que garanie o bom exilo, nao ob- coinmum, e todava nao se obier essa unanlmi-
Etante os embarazos que provm dos elevados pre- dade se nao houver alguma deferencia com a von-
{03 dos matenaes e do trabalho. A estrada da li- tade da maioria, e isto siraplesraentc porque a
jiha principal foi definitivamente estabelccida a 300 vontade da maioria.
desejam a paz e a reanilo. O sea numero pode
anda vir a ser grande. Elles podem, n'um mo-
mento dado, ter a paz multo simplesmente, depondo
as armas e submettendo-se a auloridade nacional
consagrada pela constituigio.
i Depois, o governo nao poderla, qaando o qui-
zesse, continuar a guerra apezar delles. A popa
malheres mocas brancas e christias velbas, que menha branca, este se apertar ao pescoco com um
havendo declinado o caminho da honestidade, poa- clchete e descera pouco abaixo do joelho.
eos passos, se converterem verdadeiramenle sem c Na cabeca nao traro as recolhidas mais cora-
flogimenlo a Deas Nosso Senhor, e quizerem viver posturas, qua a de ama toca lisa sem crespos, ajus-
nelle em santos exercicios de penitencia, oraeflo e tada ao rosto, e por cima da dita tdca traro sua
mais actos do servigo do mesmo Senhor, e bem de toalha lisa, que passe poaco abaixo dos hom-
snas almas, com a obrigaclo de urna missa quoti- bros.
to singelo o sea desprendimenio de honraras
lacao fiel Bao o apoiaria nem o consentira no po- diana por minha alma, e duas vezes a Salve Rai-
der.
t Se liouvesse questots anda Bao resolvidas,
nos as decidiramos ao abrigo da legislago, e pelas
vias pacificas de conferencias dos seus trlbunaes,
do suffragio, de votaedes, appellando para lodos os
kilmetros a oeste do ponte do partida da cdade
O.iuha, Nebraska, e fez-se um tragado preliminar
do caminho de ferro do Pacfico, da California, a
partir de Sacramento a leste do rio Turquee, na
Nevada.
Numerosas descobertas de minas de ouro, de
Necessidade de sustentar a uniao.
< Aqu, a manutengo da uniao ofim commum
c entre os meios de couseguir esta vonlade nacio-
nal, que foram expressados na ultima eleicao,
avulia mu dislioclamente o apoio dado aquella
'. emenda constitucional. O indicio mais manifest
pulares. A julgar pelas recentes discussoes elei-
loraes, o voto do povo nos estados lcaes para que
a uno seja mantida na sua integridade, nunca
.j se as eleiges po-
tos, e o paiz oceupado pela Sierra Nevada, pelas
monianhas Rocheuses e pelos terrenos inferiores
agora explorado por um trabalho ricamente pago.
Julga-se que o producto das minas de nielaes pre-
ciases n'estaregloelevou-se no decurso do anno a fo> mais enrgico nem mais unnime do qae ao
100.000:000, se que nao excedeu essa quanlia. presente.
... ___i, A extraordinaria tranquilizadoe aordemeom-
A minha u tima mensagem recommeodava que "
. ,,..- pela com que milhSes de volantes acorreram
se re:raauisasse o nosso syslema de admlnistragao
. ,. compactos ao escrutinio sao penhor Incontestavel
indgena. O congresso, conforme com essas re- __ r_ _
^m.mdacSes, proven reorganisago do syslema dessa expontanea e declarada vontade Nao so os
na California, e i de crer que um ex.lo racional que querem o que se charaa a uniao Tcket, mas
,i a --. t i-____ ,., tambem urna grande maioria do partido da oppo-
resida a direecao das indgenas, quanto a este r '
.. ,._____" '. sicao podem allegar com razao quo proseguem no
ponto ; resta minio a lazer para chegar a governar r.
convenientemente as povoagoes indianas, quanto a' *
outros ponlos, de maneira propra a proteger o co- E' um argumento invencivel que prova que
Jjiio, provendo eomplelatpoute ao bemestar do in- nenrrum candidato com um poslo ou empregado
digena. O congrego dignir-se-ha do prestar a sua qualquer, humilde ou elevado, nao osou colligir
E' do Sr. Pinheiro Chagas este folhelira :
rflia, rezada em voz alta no coro de manha pelas Entre os alcantis penhascosos da serras aninha-
almas dos sobreditos meas paos, e do tarde pela se a nascente dos grandes ros. ,
mntfa ; cujas obrgagoes principiaro no oitavo Sombreiam os robles montanhezes o myslerioso
dia depois de entrarra as primeiras recolhidas. eremitorio, d'onde ha de sahir o flo d'agua, cuja
t 8.a Declaro que para essa fundago e estabe cor"reute impetuosa ha de assoberbar as planicies.
meios constituconaes e legaes. Ha certas questoes lecimento, alm das mais propriedades que posso, Um corlinado de vapores como que esconde a
d'onde poderiam surgir ouiras que nao fosse licito comprei urna sorle de trras, com casas e seus f- visU dos profanos 0 uerg0 ,jos ie5eS das aguas, que
ao poder ejecutivo resolver, por exemplo, a admis- ros na ra das Mercas, e para a obra tenho tara-' h5e A( rugjr depos Q0S p,anos que atravessarera.
sao de represenUntes no congresso e a queslo de bem algunj matenaes de pedra, calbroe madelraSi | ApeQas por enlro essfl vu nebaIoso 0 caminhante
emprego de dnheiro. O poder executivo bavia de o que ludo com o liquido de todos os meus bei > v de loQge SU(.gir 0 vu)[0 anslero de um carvalho,
minorar consideravelmenie quando houvesse ter- depois de satisfeilas as mais dsposigoes deste tes-
minado a guerra actual. Seriam porm anda da lamento, applico, e deixo para a mesma fundaco,
sua competencia as amnistas e os perdoes. O pas- tanl Para a creagSo do principal lango do dito re-
sado pode dar ama jasta idea do espirito e do modo colhlmento, capella ou ermida, que ter a invoca.
porque esse poder bavia de ser exercido. 15^ de S. Ilaymundo Nonato e Santa Mara Magda-
Ha um anno foi olerecida a todos, salvo algn- lena' como ^ara a sustenlago das recolhidas, tudo
mas classes especificadas, urna amnislia geral. Ao debaixo da regencia e drecgo de S. Exc. Rvma.,
mesmo lempo fazia-se saber^qne as classes excep- e seus successores, por caja ordem meus testamen-
luadas poderiam anda recorrer a clemencia espe- ,e,ros ra fazendo os pagamentos dos materiaes e
cial. No decurso do anuo minia gente se valeu dos jornaes dos mestres e offlciaes da obra do dte
desta dsposicao geral. Mullos outros o lerlam fei- Pr^eiro lango ou ermida.
to, se certas provas de m fe em alguns casos nao 9. E acabado o tal primeiro quarto ou lango
lvessem dado motivo a adopgao de precaugdes, e acabada tambem a capella, ou ermida, tudo quanl
tendentes a tornar os effeitos da intriga menos fa- l0 ficar e parar em ^^ de meus teslamenteiros,
ceis e menos certos. 0 entregaro estes ao Exm. e Rvm. Sr. arcebispo.
No mesmo perodo concederam-se perdoes es-'ou seus successores, para comprar propriedades
pecaes a Individuos das classes exceptuadas, e ne- ] adosas, ou como entender, estabelecer rditos
nbuma petigao voluntarla foi Indeerida. Assm,' Para as ^colhidas ; o mais se depois poder ser, se
no espago de um anno, estove aberta a porla a to- Mroduiirem logo algumas, e se dar principio a ha-
dos exceoto aos qae o5o esiavam aptos a fazer urna ***& dellas no dilu recolhimento, para o que la-
livre escolha, isto aos individuos presos. Es,a do meus testamenteiros asslgnaro quaesquor es-
ainda aberta a todos; mas poder vir um lempo cripturas, de fundago, instituigao, doagao, ou se-
e ha de vir provavelmente, em qae o dever publico melhantes, qae o Exm. e Rvm. Sr. arcebispo ou
exija que se feche, mais rigorosamente do qnc no seus successores disserem ser necessarias, para o
passado. Que Ibes don todos os poderes, geraes e especiaes,
. Offerecendo a depesigo das armas a authori-' especialmente quanto por d.rello possa e for neces-
dade nacional, por parte dos rebeldes, como a un- \ sar,0> Pr ,odas as vias sorlir elTti' andlta
ca condigo iudispensavel para o Bm da guerra fr i fa""^ fMrtMlM^,_|M> urtflgO d
parte do governo, em nada retrato o queja tenba
cuja ramaria frondosa docel sufflciente para a pe-
quenna fonle.
Idntico mystero, idntica grandiosldade envol-
vem o bergo das nagSes.
A tradigao encarrega-se de poetsar as nnvens da
aurora dos povo?, como o sol nascente tinge de
rosea cor os matutinos vapores.
A ndole dos povos reflecte-se maravlosamenle
as leudas que aformoseiam a narragao de saa in-
fancia.
aUengao a estas quesees.
As dsposigoes liberaes adoptadas pelo congres-
so, tendentes a serem pagas as pens5es aos solda-
dos e aos marnheros invlidos da repblica, as-
votos declarando que rennnclava nniao.
t Houve mutas divergencias quanto aos melho-
res meios ou mais favoraveis causa da uniao.
Mas, no embate desses modos de ver, para saber
sira como a's viuvas, orphaos e miles daquelles qae j se haver uaio ou nao uniao, os homens polticos
team morrido no campo da baialha ou que teera deram provas de que sabiam a fundo que nao ha
fallecido de enfermidades conlraliidas no servigo j a mnima diversidade de opini5es entre o povo.
do seu paiz, teem sido cuidadosamente execotadas. ] Dando ao povo a occasiao de mostrar ao mundo
As listas das pensoes do anno fiado, no da 30 de, essa firmeza, essa unnime vontade, a eleigSofoi
j'jnlioulino.accrescenlaram-seosnomesde 16:770 de urna immensa imp)rtanca para a causa na-
soldados inliabililados de serirem e de 271 man- cioual.
ohoiros q e nao podtain continuar no servigo, o Recursos dos Estados-Unidos.
que eleva a 12:767 o numero dos pensionarios in- i A eleigao manifestou um oulro facto, que nao
validos do esercito, eadi 712 o dos pensionarios menos digno de se conhecer : que estamos
invlidos da mannlia.
as lisias das pensoes d exercito teem sido ins-
criptos 22:198 viuvas, orphaos e maes, o 248 as
da morinha. O numero actual das penoes desta
cjlliegoria c de2o:43o e o das pensoes da mari-
flha de 793. No principio do auao, o numero dos j
pensionarios revolucionarios eram de 4:480. Doze
s eram soldados, e alm disso mirreram sote del-
los. O resto compoe-se dos .que, em confonnidade
cora a lei, recebem pensoes e;n virtu le do seu pa-
rentesco com pracas que tomaram parte na rovo-
lugo. No decurso da anno lindo, em 30 de junho
da 1854, pagoa-se aos peasionaffos do todas as clas-
ses 4.501:616 dollars e 92 coalas (.1.504:6165006
aproximadamente).
Solicito com erapenho a confirmacao da vossa
prolecgao para as instituigoes ele beneficencia do
districto de Colombia, que at aqu teem sido fun-
dadas e raanlidas pelo congresso, e recommendo-
vos respeilosamenle, para vos llui:idardes, que
consultis o relatorio do ministro oncernente a
essas inslituigoes relativamente ao aqueducto de
Washington, ao capitolio e aos assumptos de intc-
resse local.
A repartgao de agricultura, sob a direcgo do
seu chefe actual, cheio de energa e de dedicagao,
recommenda-se logo por si mesma, pelo inleresse
Imprtente e vital que o seu estabelecimento osla
longe da cxleauagas no mais precioso ramo dos
recursos nacionaes, o dos homen > vivos.
t Se triste pensar, que a guerra enchen mui-
tas sepulturas, causou tanto lulo as familias, sen-
le-se ama certa consolagao, que em comparagao
com os sobrevivenles, os que teem morrido sao em
pequeo numero. Se ha corpos, dvisoes, briga-
das e regimenlos, que teem desapparecido apoz
tantos combates, urna grande maioria dos homens
que as compunham esto ainda vivos. Assim acon-
tece na raarinha. Os votos eleiloraes sao urna pro-
va disso. Nao poderia de outro modo haver tantos
votantes.
dito.
Quanto a escravalura, repito a declaracao fei-
Nosso Senhor, que me inspira fazer esta obra pa,
em descont de minhas culpas... >
O recolhimento de S. Raymundo hoje ama ve-
la no anno passado: emquanlo euoceupar a minha: Iba casa, que est cahindo em ruinas. Habitada
posigo actual, nunca pensareiem retratar nem em por urnas dezoito vinte recolhidas, o mesquinho
e poderes, qae chega a nao se reparar nelle.
Os mesmos seus compatriotas, extasiando-se pe-
raote o vulto do fundador da soa Uherdade, nem
pensam em por era relevo esta feigo do sea Ca-
rcter.
Como os athenienses d5o mpunham pena ao
1 parricidio, porque julgavara 0 crime impossivel,
assim es suissos nao do louvores a desambigo,
porque nio suspeiiam que passa haver alguem as
suas montanhas, que tenha ideas ambiciosas.
I' fcil de ver iue a poesa nao poda deixar na
sombra este vulto, qae eleva a imaginagao pela
varonil singelesa, como o acre perfume das flores
monteznas encama o viajante, como o exlasia a
arrojada paizagem da Helvecia, como o robustece
e aliaga a vivida aragem das alturas.
Schiller, o grande poeta allemo, tomn para
prologonisia de um dos seus dramas o austero li-
bertador dos tres cantSes.
Sabem os meus lei lores, que anda estao en-
tusiasmado cora I o admiravel desempenho do
Guilherme TeU, qual a scena dramtica qae a
lenda saneciona, que serviu de base ao entrecbo
da pega de Schiilar.
A scena c a celebrrima scena da magi.
Oh I nao possoj pronunciar esta palavra sem
sentir o remorso djlacerar-rae.
You confiar aos leitores o crime que me pesa na
cousciencia. 1
O anno passado suba scena tambem o Gui-
lherme TeU.
Ja eslava no meujposto de folhelinista, apresso-
me por conseguate, em dar noticia aos meus lei-
tores de en to da opera de Rossn.
Inflammadoem indignaco, que eu imagnava
Roma, ninbo das aguias, bergo de insaciaveig justificada, fulmineum anatheraa centra asma-
conquistadores, phantasia no robusto vulto de Ro-
mulo, e dos bandidos seus companheiros, a perso-
nalisago das suas constantes tendencias guerrei-
ras, do seu inextinguivel dasejo de ngrandecerem,
e opulentarem a rainha do Tibre eom os despojos
do mando inteiro.
modificar a proclamagao da eramancipago, e nao
condemnarei a escravido individuo algum que fi-
que livre em virlude desta lei ou de qualquer outra
do congresso. Se o povo, por qualquer modo, vios-
se a impor ao poder executivo o dever de snjeilar
esses individuos a escravatura, um outro, e nio
eu, bavia de tomar a iniciativa de ama tal pro-
posta.
c Ennnnciande ama s condigo di paz, quero
simplesmente dizer qae a guerra acabar por parte
do governo qaando terminar da parle daquelles
que a principiaran).Abrahao Lincoln.
UM POUCO DE TUDO.
O RECOLHIMENTO DE S. RAYMUNDO NA BAHA
(Concluso.)
E' urna pobre moga ; educada sombra da reli-
gio, em seu peilo se aninha a virlude e a candidez
da innocencia.
g5es agora e ha qua tro annos, isto a Caiferna,
o Connectcut, o Delaware, o Illinez, o Indiana, o
Iowa, o Kentueky, o Mame, e Maryland, o Massa-
rhuselts, o Michigan, New Ilampshere, New-Jer-
sey, New-York, Ohio, o Oregon,a Pensilvania, Rho-
de Island, Vermont, Ouest-Tirginiae o Wsconsin,
deram 3,982:017 votos agora, conlra 3,982:011 na
poca anterior, o que forma por agora um total de
3,942:011, ao qual se devem juntar 83:762 votos
dados era os novos estados de Kaosas e de Nevada
que nao volaram em 1860, o que somma assm um
total goral de 4,065:773 : augmento lquido du-
rante os tres annos e meio da guerra 145:751
votos.
destinado a fazer prosperar. E'^cssa especial-, a isto deve accrescentar-se o numero de t-
mente a repartgao do povo; disperta em geral o dQS os soldados que se acham na campanha de
inleresse mais directamente do que outra qual-! Massachasetts, Rhode, Island, New-Jersey.Delawa-
re, Indiana, Illinez e California, que n )s termos das
leis desles estados, nao podem votar longe dos seus
domicilios, e seu numero nao pode ser inferior a
1 A guerra continua. Depois da ultima mensa- 100:000. Ainda nao tudo ; o numero desles ter-
gem annnal, todas as linhas e posigoes importan- Vitoria organizados o trplice actualmente do
Ms um dia se v sera pae, sem irrao, sem me,
sem nenhum desses protectores que o cea cooeede
fragilidade de seu sexo.
E a pobrozinha trabalha noute e dia para alimen-
tar o corpo e procurar-lhe as vestes de que ca-
rece.
Mas o tentador lhe segreda ao ouvldo : t E's
Os estados que fizerara regularmente as elei-J^,^ bea como 0 lyrio das campioas. nao Vadll
quer. Chamo para esse ponto a constante solici
tude do congresso.
Situacao militar.
tes que as nossas torgas ealao oceupavam teem si-
do conservadas, e os nossos exercltos leem cons-
tantemente avangado libertando assim os paizes
que deixam aps si, a poni de o Missuri, o Ken-
tucky o Tennessee e cerlos pontos de outros ota-
dos produzirem colhelas abundantes.
t O fado mais saliente das operagoes militares
do anno e a tentativa que fez o general Sherman
avingando direclameute al 550 kilmetros no
paiz insurgente.
Esse passo deixa-nos prever um grande aug-
mento da nossa forga relativa, pois que o nosso
general era chefe se sent em estado de oppor ao
inmgo para o atacar e conservar em respeito todas
as suas torgas activas, destacando um exercito
consideravel, bem equipado, para operar n'uma
tal expedigao. Como o resultado nao ainda sa-
bido, nao licito ao governo entregar-se a con-
jeturas.
i Reorganisacao da uniao.
Pozeram-se era pratica, no decurso deste an-
no, grandes esforgos para concluir a fusao da
uno. Apezar de nao se terem realisado comple-
tamente esses desejos, j muito quo doze mil ci-
dadaos.ein cada um dos estados de Aikansas e da
Luziana, tenham organlsado leaes governos de es-
tado com constituyes livrcs, e se esforcem seria-
mente em os manicr. Nao deixar de nolar-se o
tnovimento que se opera nesse mesmo sentido no
Missuri, no Keclucky e no Tennessee, onde elle
mais efikaz, poslo que menos pronunciados. Mas
o Maryland offerece o exemplo de um xito com'
.pleto.
O Maryland iea d'ora avaute ligado lberda-
de e a uniao. O genio da rebellio nao affeclar
mais o Maryland. Qual oulro espirito diablico, po-
der elle, depois de expulso, tentar desvia-lo do
bom caminno ; mas ter por fim, que deixar-se de
o solicitar e de o seduzir.
Abolicao da escravido
Na uitima sesso do congresso, urna emenda
que se propozera na consiituigao que lendia a
abolir a escravatura em todos os Estados-Unidos,
foi approvada no senado, mas nao sortiu effeilo
porque nao obleve os doos tergos da volagao exigi-
da para a cmara dos representantes. Posto que
ainda seja boje o mesmo congresso e quasi os mes-
que era ha qualro annos.
Mas, ponco importa apenlar os motivos de tal
augmento ou demonstrar que elle seria ainda
maior sem a guerra, o que provavelmente'ver-
dadelro.
O faci importante e que se acha averiguado,
e que nos temos essencialmente mais homens, que
nao tinhamos no principio da guerra ; que nao es-
tamos de forma alguma enflaquecidos nem em ca-
minho de enfraquecimento, que nos ganhamos em
torga e qae poderemos, se preciso fr, continuar a
1 luda indefinidamente.
t Eis pelo que respeia a homens.
c Os recursos materiaes sao mais completos e
mais abundantes que nunca ; conseguinleraente os
recursos nacionaes nao esto esgolados ; ainda
mais, sao inexgotareis.
c A vonlade publica de restabelecer e de manter
a auloridade nacional, nao tem mudado, e assm
o eremos, nao pode mudar.
t Resta a escolher o modo de conlinuago dos
esforgos.
c Continnacao da uta.
t Examinando cuidadosamente todas as provas
patentes, vejo que nenhuma tentativa fle negocia-
goes com o chefe insurgente altingiria o mnimo
bem.
t Elle nao acceita outra cousa seno o desmm-
brameos da uno isto precisamente o que nos
nao podemos e nao queremos conceder. As suas
declarages neste sentido sao claras, e teem sido
repelidas muitas vaies. Nao emprega sophismas,
nem asa de evasivas para que laboremos em erro.
Nao pode voluntariamente aceeilar agora a uniao,
e nos nao podemos, a nosso ver, ceder nesse
ponto.
Entre elle e nos, a disiincgo simples, inexo-
asslm o ospelho ? Porque estragas a sade e des-
botas essa cor que te aformosa as faces; porque
enlagueces ao peso de tanto trabalhar? Far-te-hia
rica e feliz, e em cambio s quero um sorriso de
leus olhos, um bejo de teus labios.
E a mesquinha cede : o anjo da innocencia des-
dobra gemendo ao asas c6r de nev, langa lhe um
ultimo olhar de compaixo, e soltando um gemido
ergue o vo para o cu.
No dia segrale, a doozella cheia de candidez e
de innocencia, levantase do leito, transformada na
mulher perdida.
E o seductor abandona-a tambem, mas outro vem
substituir-lhe o lugar. E ento comega essa vida
de devassidao e de prazer, de volupluosdade e de
orgias, de que tantos exemplos por ahi se paten-
team.
Mas um da vem a reflexao, vem o aborrecimen-
to, vem o tedio, vem o desgosto; a mulher perdida,
que vende os beijos ao primeiro que Ih'os offerece
comprar, lembra-se de seus das lo puros e to
santos, de suas noutos to tranquillas, dos conse-
Ibos do sua me, que a v do cu qe lhe puranta
a vida iiberlina quo leva, e quer emendar-se, e
quer adiar um refugio, um abrigo, onde v chorar
os erros, e solicitar o perdo.
Repelle-a porm o mundo; o mondo que illodiu-
a, que perverleu-a, que semeoulhe de flores o ca-
minho do vicio, que anlmou-a na insolente liberti-
nagem da vida, agora que a v arrependida, agora
que a v bumilhada, lhe da as eosias e lhe cospe
no rosto; e a desgragada vae denovocontinuar
a vida que por um instante deixra, at que v
descangar um dia na enxerga de um hospital.
Pois bem; e quando todos repellem-na, a ella, a
Magdalena arrependida, e quando todos lhe voltam
as costas e lhe cospem injurias, a religio, que ella
despresra, recebe-a em seus bracos, acceita-lhe o
arrependimento, santiflca-lhe as lagrimas, e fran-
quea-lhe um asylo em que v chorar seus erros e
prantear suas culpas.
Novas Magdalenas laneam fra as grinaldas da
reodimento de suas propriedades, reduzidas a apo-
lices, apenas chega para o sustento diario. E as-
sim mesmo to reduzdo, to limitado que
elle I
Se bem nos recordamos adiarla dessas pobres
mulheres, nao excede de duzentos e quarenta
ris II...
E como se podero sustentar neste tompo de Ca-
resta e de pobreza? Aquellas que ainda conser-
vara o rigor e as torcas trabalhara e conseguem al-
gum lucro, e obteera algum numerario, com que
se vestem e comem ; mas as outras, pobres velhas,
gastas pela edada e pelas enfermidades, carecendo
desses commodos, sera os quaes panoso veihice
o passar, como viverem cora a to minguada diaria
de duzentos e quarenta ris ?
E comtudo conseguem fazer verdadeiros prodi-
gios essas infelizes, que se enlodaran) no charco do
mundo, e que agora se purificara sombra do
sanctuaro. Auxiliadas pelo digno admini.-trador
o Sr. conego Jos Joaquim da Fonceca Lima, do
pouco que percebera, do resto de seus lucros, obt-
dos pelo trabalhar constante, dia e noole, concor-
rem com as despezas necessarias para o as?eio da
capella de S. Ray nundo, que como o recolhimento'
est a desabar, e promovera e realisam quasi sem-
pre, singellas, porm decentes festas, alguns san-
tos de sua particular devoco.
Muitas outras Madaienas arrependidas teem ido
procurar o asylo e a iranquillidade daquelle reco-
lhimento, porm apezar de todos os boos desejos
do digno administrador, v-se obngado a fechar-
lhes as portas pela escacez dos recursos, de que
dispoe aquella casa.
E porque nao langa o governo os olhos para t0
pa e saudavel Instituigo? Porque nao anima-a
com seu iufluxo, porque lbe nao concede essa pro
tecgo e apoio de que credora?
Convm animar, mais do que se pensa, o arre-
pendimenlo dos erro* passados, convm dar a mo
aquellas que procurara |a tranquillidade da casa do
Senhor, cangadas das orgias do mundo, e que cal-
cara aos ps as grinaldas impuras que lhe aformo-
searam a fronte; seno, sem recursos, sem espe-
raDgas, levantam a fronte, que arrependidas tinhara
por um momento cuvado, e erguem-se Messalinas
das pragas e vendendo a alma e o corpo, vo ter-
minar a vida licenciosa, a carreira impura, que le-
varam, na cama do hospital, enchendo d* asco o de
horror aquelles que di-llas se approxiraaai.
Nao porm somente este o fim do recolhiraen"
o; tem ainda outra misso, tal vez ma> Bobre, mais
humanitaria, se possvel.
Abrindo suas portas ao arrependisnento que as
procura tambem nao as fecha aquellas que sem ar.
rimo e sem proteeco, receiara desgarrarse na tor-
tuosa senda da vida. E a donzella pura e inno-
cenle, anda nao batojada pelo hlito impuro do vi-
Como os bower-birds da Australia, que vagueiam
por todos os pontos daquelle inmenso continente
para colherera os obyectos brilhantes que se lhes
deparara, e cora que vem depois enfeitar os mar"
vlhosos palacios dos seus ninhos, assim os Roma-
nos vagueavam pelo mundo conhecido, para cefa.
rera as riquezas, que vinham depois depOr no rega.
go da me patria.
Comegaram por arrebatar as Sabinas, afim de
que nao faltassem cdade eterna as flores da for-
mosura, terminaram por transportar da Grecia as
lellras e as arles, para que a torra de Quirino po-
desse respirar o enebriante perfume dessas flores
do espirito.
E no intervallo espalharam com profuso em
Roma o ouro das llespanhas, coroaram as frontes
desornadas das suas damas cora as louras madei-
xas das virgens germnicas, sustentaran! o seu
povo com os trigos da Sicilia, divertiram-no com o
espectculo feroz dos lees e dos tigres da Numida,
arrojaram-lhc aes ps os thesouros dos persas, e as
riquezas dos Egypcios.
Portugal, patria dos Ingenuos navegadores e
guerreros que se nao esquecia,m de invocar Deus,
quando queriam matar os Mouros, mas, afora isso,
intrpido?, zeladores dos seas foros e da sna na-
cionalidade, indomaveis a jugo estrangeiro, nao po-
da deixar de symbolisar isso tudo na lenda de
Campo d'Ourque, e na tradigao das corles de La-
mego.
A Suissa tambem, paiz onde a liberdade se liga
com a simplicidade dos coslumes, Arcadia moder.
na, como Lamartine a chama, que leve oseuTheo-
crilo-Gessner, paiz, cujos habitantes leem a des-
pretenciosa bravura que nao procura o perigo era
o evila, a robustez, a degura e a tranquillidade do
elephante, que se nao inflammam cora a gloria das
armas, mas que affronlam serenamente a morle
quando se trata da defenso da sua independencia,
da sua familia e da sua patria, e que mostrara a
mesma indifferenga, qnando, para fugirem da to-
me que se abriga nos nevosos picos dos seus Alpes,
vo alugar os seus bracos aos soberanos estrangei-
ros, assemelhando-se ainda neste psnto aos ele-
phantes, rroffenslvos habitnalraente, roas terriveis
quando defendem os pequeo?, e conscienciosos no
cumpriraento dos seus deveres, quando os povos da
antigutdade reclaraava o seu auxilio as guer-
ras que travavam, a Suissa devia tambem t^r.
na infancia da sua nacionalidade, urna tradigao que
syrabolisasse a singclla ndole dos seus coslumes,
e a modesta firmeza da sua valenta.
Essa tradigao existe; a de Guilherme TeU.
Guilherme Tell nao um destemido- e intelli-
gente bandido cuino Romulo, nao uoi principe
fino, irrequieto, amDieioso, intrpido como Affonso
Henriques; se o fosse, nao seria o sen nome to
venerado na Suissa ; como hio de os homens ve-
nerar aqulio que nopercebem ?
Como havam de esses cagadores de camnrgas,
esses pastores de cabras seguir um homem que
lhes fallasse em gloria, em conquistas, em podero,
e em dominio?
Nao.
Goilheiine Tell um pobre eamponez, destro
carador, hbil barqueiro, sincero e singello, te-
mente a Deus, respeitador das leis.
Haja a abundancia na sua ehoupana; possa elle
respirar alegremente oar puro da manha, encon-
trar cabritos selvagens nos pmcaros, por onde va-
gueia com a sua bsia ao hombro, e a aua aljava
aojado, possa elle ouvir ao voltar, quando esmo-
rece o da, quando a purpura em que se envol-
cio, e que deseja conservar essa flor delicada e mi- wm as noves dos galeiros dos Alpes, se comoca a
mo.-a da candidez d'alma, tambera para ahi vae, esvair as sombras do crepsculo, possa elle ouvir
o ranz das vaccas, tomar a frugal refeigo, e dor-
mir a noute nteira n'um sorano bem levado,
acordar no dia segrate-, fazer a sua resa, e reto-
mar, depois de ter abracado os fillios, o caminho
dos alcantis ; deixera lhe fazer tudo isto, este sa-
Usfelo o bom do Guilherme Tell.
gas, que eu julgava feo de uns poucos de crimes,
sendo o primeiro a expulso dosnissos paes do
Paraiso.
Imaginera como ed ficaria, quando, percorrendo
o Itinerario da India por trra de Fr. Gaspar de
S. Bernardino, me salta o bom do frade cora um
periodo erudissrao, 6m quo, flrraando-se as opi-
niSes de Santo Agostipho, Moyss Berzephe, bispo
da Syria, Historia Eclesistica, Philigono Mabar-
gense, Nicephoro Callisto, Santo Ambrosio, e todos
os rabbinos, prova triumphanleraenle, o de modo
a encovar os ignoranlSes, como os encovoa o Gil-
vez da B. Branca, queja maga do Paraiso nao era
maga, mas sim um figo de figueira da India, a
qual se chama por isso Pomum Paradysi.
Rehabilitou-se a maga, mas a especie humana
ficou numlhada 1
Um figo ser o fructo do bem e do mal I
Urna ligueira ser a arvore da sciencia I
Segue-se daqui que os pardaes sao nossos com-
petidores, e que a actual geracao d'esses passaros
damninhos deve estar muito mais civilisada do
que nos I
E esta ; porque conbecem ha muito lempo a na-
vegago aerea, e nos ainda estamos espera de
invengo de leme que possa guiar os nossos navios
earostaticos 1
De forma que o pardal contemporneo de Ado
e Eva foi o primeiro que peccou, eos infelizes des-
cendentes desse passaro paradisico pagaram a ga-
la do seo antepassado.
Esta descoberla do deulo Fr. Gaspar de S. Ber-
nardino langa vivida laz em muitas cousas, que es-
lavara obscuras.
A maga realmente nao eta digna do papel que
desempenhava, era um fnieto inoffensivo; o figo,
nao senhor 1
O figo indigesto, comoi completa a um fructo
scientilico, fructo... nao ; se me nao engao, os
botnicos dizem que o figo Cor.
Assim deve ser 1
Como poderla urna seniora tentar-se com a pro-
sa da gulodice por um fructo, se esse fructo nao
tivesse uns longes da poesa de flores ?
Mais ainda I
O que motivara a execrago, que a humanidade
votou aos pardaes, se nao fosse um vago lastrado
de que elles entraram por alguma cousa na nossa
perdigo I
Sao uns passaros malditos f
Nao foram remedios do: neceado original, e por
isso coui o juste castigo a humanidade come-os com
arroz.
Mas agora lembrou-me um raciocinio, que vae
encovar o illustre frade franciscano.
Se o fructo prohibido fbi um figo, como que os
homens lem na garganta o, n d'Adio, que lodos
sabem ser aquello pedago central e mais duro na
mar, com que o remorso engasgou o nosso pri-
meiro pae ?
Agora iriumphei cu.
Presle-se a devida justga ao-nosso adversario.
Os segrales periodos ilo Ilenerario reduzem-me
ao silencio.
Fr. Antonio Soares,
religioso de S. Bernardo,
tambem enconlra um asylo, seguro, entre as pare-
des do recolhimento.
No Directorio porque se rege aquella casa encon
tramos as seguinles dsposigoes, que sao fiel e ple-
namente cumpridas:
I i." Tambera poder ser admiitida ao reco-
lhimento a mulher moga donzella e honesta, a qual
antevendo na sna pobreza e desamparo o eminente
perigo de sua perdigo. procure acautelar sua rui-
devassido, quebrara as lagas das orgias, arrancara I na no ^y'0 do recolbimenio, porm neste caso ser
os cabellos, cospem o beijos, e cobertas de clnia1 a dita mulher, nao s moga na edade, roas tambem
regam com lagnraas amargas o p da trra que pobre eorphade pae e me, por serem quahdades
pisara.
A Babia tem tambem urna destas casas, consa-
gradas ao arrependimonto dessas infelizes cresta-
das pelo batojo impuro da devasside e do vicio.
E ahi se vo abrigar, eahi arrependidas, passam
o resto dos annos na orago e na penilencia, as la-
grimas e no remorso.
E' o recolbimcnto de S. Raymundo.
Animado do espirito de caridade, e desejando dar
a mo c oflerecor um abrigo a tantas mulheres
ransviadas, mas arrependidas, lembroa-se o sar-
genlo-mr Raymundo Maciel Soares, natural de
Yuuna, o residente na cdade da Baha, de dar-lhes
urna casa, em que podessem estar salvo das se-
dceos do mundo, e em seu lestamento, datado de
ravel : urna questao que nao pode ser resoltida 17 de outubro de 1752, deixoo paraeffectuar-se se-
seuo pela guerra, e decidida s pela victoria. Se t melhante Idea alguns legados,
cedermos, nio somos balidos; se o povo do sul lhe
faltar, elle suecumbe.
1 De ama e de outra parte a victoria e a derrota
sero a consequencia da guerra. Todava, o que
verdade quanto aquelle que dirige a cansa rebelde,
nao necesariamente verdadeiro quanto aos seus
partidarios; anda que ello nao possa aceitar agora
a uniao, elles podem. Sabemos que alguns delles
Ah os damos era sua integra, e taes quaes se
acham no original, que examinamos, os que di-
zem respeito essa instituigo.
7.* Declaro que as obras pas por minha alma
em que se ha de gastar o dnheiro que ficar liquido,
depois de pagas e sailsfeitas as mais dsposigoes
deste lestamento, se coraprehendem todas na fun-
dago e estabelecimento de ora reoolhlmemo de
que se declarara pelo fundador na escriplura da
sua doagao, onded lugar a poderem entrar no re-
colhimento mocas honestas, sendo pobres e or-
p-.as.
Como se v, regera-se as recolhidas por um Di-
rectorio, que traz a data de 5 de margo de 1761, e
onde sao prescriptas todas as minuciosidades da
vida que devem levar.
Formando urna casa religiosa, e com as compe
tentes aulorisages, usam as recolhidas de hbitos
regulares, como as freirs.
~ Tal e o typo de Guilherme Tell, como a tradi
O habito, de qae ho ae asar as recolhidas se ?. conservou, tal 10 typo simblico da Suissa.
.. ,7 1 paiz, onde nao ha ambigoes, repblica de seculos,
l no cap. 2 do directorio, convm que seja hamil- onde aiuda no appareceu uma minia;ura de Ce-
de, honesto e uniforme, este ser de estamenha sar, de Cromw-ll, ou de Bonaparte.
parda () ajustado no pescogo, as mangas sero es- O typo do Guilherme Tell tem principalmente
ireilas e ter aformatura de urna opa fechada, que J ft'a0 notavel> a da "genuidade da abnega-
chegue a cobrir os ps; na cintura se ajustar uma pja America Washington proclama, defende a
correa, e traro uma forma de escapulario da mes- liberdade da sua patria, e, depois de a ter con
ma estamenha parda, qae chegue al os joelhos
Mas ha de ser livre, livre como o ar que oro-
deia, livre como o passaro que peisa cantando nos
ramos do pinhal. Se alguem lhe fer exigir preito
e jvassalagem, est arriscado a dar ama folga
aos cabritos nionlezes, e a beber pelo corago as
sellas vibradas por aquella mo certeira.
Se os seus amigos lhe vierera dixer : Temos
um tyranno que nos opprime Guilherme bom
visinho, acompanha-os, e da mesma forma que te-
ra ido dar caga a um lobo que andasse devorando
as rezes dos rebanhos, vae dar caca ao despola ;
qaando Hvroo os visinhos, quando se livrou a s
proprio do malfazejo animal, volta para as suas
oceupagoos, e certo arrebenlava de riso, se alguem
lhe dissesse : Guilherme lodos te veneram, todos
re-peilain o leu nome, todos apreciam a la pe-
ricia, gosas eniliin de grande pepnlaridade, apro-
veito-a, homem, faze-te r<-, imperador, presidente
da repblica, protector, ou dictadon, ria-se I na
a bom rir, que vol digo cu.
trouxe de Jerusalem oni go desles, o qual lem
por maravlha o real cdnvento de Afcobaga, em
um cofre de reliquias, no tbesouro da sachristia,
onde m raostraram. fste parecer, julgo por mui
provavel, porque, alm do fruclo ser excellenlo (o
tnagano do frade goslou ; soube-llu bem ; disse
comsigo,preso por um, ireso por um etnto ; e sa-
boreou o fruclo defesocim todo o regalo) basiam
duas folhas desta arvoiJs para cobrirem uma pes-
soa da cabega aos ps Je isto o que diz o Gene-
sis ; ajuntaram folhas /de figueira a cobriram-se
com ellas. 1
Desde o momento e/r/quc-Rr. Gaspar de S. Ber-
nardino assevera(\w viu o vemum pnrailysi'na sa-
christia dos mongos d'Alcobaga, ja nao digo cousa
algum.
A tradigao sempre narroaqoe os- dignos Bernar-
dos cravavam os denles no. fructo prohibido, que
era uma delicia.
Agora est isso explicado -r se elles o tinham na
sacrista, e com tal devogao que o mettiam no the-
souro I
Oh I quantas vezes, petes horas mortaes da nou-
te, nao vira algum novico fazer a tela a"armas
diaole desse figo, syrobolo de lodos os deleites
muadanos ; como elle lambera ardorosamente o&
beigos, vendo passar por diante dos olhos allucina-
dos as imagens tentadoras, quelhearia brotar nc
monte a vista da devia reliquia f
Depois o frade achou bom, mais um indicio ; a,
final a prova fulminante das folhas.
Ksta maga rehabilitada.
Vejo que o meu acto de conlricgo, e o mea de-
sejo do rehabililar quera aecusei injustamente,.at
depois de ter passado um anno, me afastaram. do
assurpto do folhetim.
Tambem a que lhes bavia de en dzer T. Est
ainda to frvido o enuiusiasmo suscitado peto ad-
ra ira ve l tercetto
Giuriamo, gturiamo
Tet nostri danni
Tei nali nostn
Tti nestri affanni,
Al Dio dei regi
dfi pastan,
Morrir a"Elvezia
Sustemlori.
que tudo quanto eu dissesse serte lachado de
fro.
Querem qne lhes falle no admiravel desempenho.
de Mongini ? Em imad. Volpini, magnifica na par-
te graciosa do seu papel, frouxa na parle enrgi-
ca ? no baixo-profundo Junca, que chegou ?
Prefiro fallar Ibes de mim, que von partir.
Vou, por ordem superior; retemperar a iraagt-
nago pangada nals aguas do Dooro. E digam ain-
da que o ministerio oo protege as leu as.
Vou deixar ainclyta Ulissea e visitar a cidade
invicta I Nao se aftijam leitores 1 Suspeaftam as
lagrimas, leitores porque eu
fallo de metot,
Bem qne chno de virtude
Lhes mandarei nos crrelos
Novas da minha saude.
Diz um telegramma de Londres, que no ban-
paz, onde nao ha ambigoes, repblica de seculos, qaele catholico, que se celebrou em Dublin to-
maram-se por unanimidad as seguinles reso-
lutos :
Trabalhar para a destruioao do protestantismo
na Irlanda. ,
por cima da opa as occaMes de confisso, com-
munhio e de oolros actos, que necessitem de maior
compostura, tero as recolhidas seu manto de esla-
() l|oie usarade lila prelatalvez pela ditfl--
cuidad de obterero a estamenha.
Formar ama vaste associagao com e ltalo de
quistado, vae poisa'r a sua espada aos ps do con- Associaco Nacional da li landa.
greso republicano, e relira-se para Monnt Ver-, ola' o telegramma que, apesar da immensa gen-
non.
Mas, por
dos Estados Unidos, ha sempre um tal ou qual 8uraa
maior que seja a boa t do general t> eni f0Usa al"
. e um tal ou qual 8uma se *Ueroa ordera PoWica.
apparalo n'esta abnegago ruidosa ; involunla- j

_

' .

;
i

rianiente Washington pos* dlante da posteridade- j ________
Era Guilherme Tell nao ha nern sombras disso PERNAMBUCO.TYP.DE M. F. DE F.& FILUQ
V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9AHXPVXO_9289LU INGEST_TIME 2013-08-27T23:39:15Z PACKAGE AA00011611_10594
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES