Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10593


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANUO ILI. HUMERO 36

i; n
^&
K



.
Por qoartel pago dentro de iQ dias do \. mez ...::.. 5JQ00
dem depois dos i.04 tO dias do comecoe dentro do quartel.... 6J000
Porte ao correio por tres mezes ...,.,.,..,,:. 750
ENCARREGADOS DA SBSCRIPGAO NO NORTE)
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
ir. A. do Lomos Braga -, Cear, o Sr. J. Jos de
QJiveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4
Fillios-, Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPGAO NO SUL.
AUgoa*. O Sr. Claudio Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Marlins Alvs; Rio de Janeiro, oSr. Jos'
Ribeiro Gasparinho. '
TERCA FEIRA 14 DE FEVEREIRO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 lias do 1. mez ,,,.,.. 19J000
Porte ao correio por om anno............, 3J000
PARTIDA DOS E>TAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarassti e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, BomCon-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgneiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhem, BioFormoso, Tamandar, Una, Barre-
ros, Agua Preta ePimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as veres que para alsahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h., 48 ra. e 58 s. dat.
10 La chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Qaarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 La nova as 5 h., 43 m. e 22 s. da t.
AUDIENCIA DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do Commercio: segnndas e quintas.
Relago: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juzo do commercio: segundases 11 horas.
Dito de orpbaos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbados a 1
bora da larde.
DIAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Gregorio p.; S. Benigno b.
14. Terga. S. Valentim m.; S. Auxencio m.
15. Quarla. Ss, Faustino e Jovita mm.
16. Quinta. S. Raymundode Penafort c.
17. Sexta. S. Pulycarpo b.; S. Rmulo m.
18. Sabbado. S. Simeo b, m.; S. Prepedigna v.
19. S. Conrado f.; S. Gabino m.; S. Alvaro f.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 hora e 54 m. da manha.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 o 22 de cada mez; para Fernn
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Rccife, na livrarla da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueira de
Faria & Filbo.
PARTE OFFICIAL
MINISTERIO DA .11 STI< A.
DECAETO N. 3,381 DE 21 de JANEIRO DR 1865.
Chama a servir de cor pos destacados na provin-
cia de iatto rosso tres mil guardas nacionaes
de S. Paulo.
Hei por bem.'em virtude do arl. 1, 117 e 118 da
le n. 602 de 19 de setembro do 1850, decretar o
guinte :
Art i. A proviucia de S. Paulo fornecer 3,000
guardas nacionaes para o servigo de corpos desta-
cados na provincia de Matto-Grosso.
Esse servigo durar por espago de ura anno, se
antes deste prazo nao poderum ser despeosados.
Art. 2." As pragas mencionadas sero organisa-
das etn batalhoes, secgoes de batalhoes e cumpa-
nhias avulsas, Coma fr mais conveniente.
Art, 3 O presidente da proviocia designar os
officiaes que houverem de servir nos dnos corpos,
ou escolhendo-os d'enlre os da guarda nadional,
ainda que nao pertencaro aos mesmos corpos, que
-tiverem de dar os contingentes, ou dos do exercito,
quando o governo os nao tiver designado.
Arl. 4. Na designago dos guardas nacionaes
para a eomposlgo dos referidos corpos destacados,
ob-ervar-se-ho as disposiges do capitulo 2, tit.
i6. da lei de 19 de setembro de 1850.
Arl. 5.' Em cada batalho haver um conselho
administrativo conforme a organisagiio estabelecida
para os corpos do exercito.
Francisco Jos Furlado, do meu conselho, presi-
dente do conselho de ministros, minisiro e secreta-
rio de estado dos negocios da justiga, assim o leona
entendido e faga exccutar.
Palacio di Rio de Janeiro, em 21 de Janeiro de
1863, 4 da independencia e do imperio.Cora a
rubrica de S. M. o Imperador. Francisco Jos
Furlado.
DECRKTO N. 3,382 DE 21 DE JANEIRO DE 1865
Chama ao servtco de corpos destacados na provin-
cia de Matobrosso 6,000'guardas nacionaes da
de Minat-Geraes.
Hei pjr bem, em virtude do art. 1., 117 e 118
da le n. 602 de 19 de setembro de 1850, decretar
o seguinte :
ArL 1. A provincia do Minas-Geraes fornecer
6,000 guardas nacionaes para o servigo de co rpos
destacados na provincia de Mato-Grosso.
Esse servigo durar por espago de um anno, se
antes deste prazo nao poderem ser dispensados.
Art 2. As pragas mencionadas sero organisa-
das em batalhoes, secges de batalhoes e compa-
nhias avulsas. o un' fr mais conveniente.
Art. 3.a O pre-fdente da provincia designara' os
ofBciaes que houverem de servir nos ditos corpns,
on escolhendo-os d'entre os da gnarda nacioual,
ainda que nao perteneam aos mosmos corpos que
tiverem de dar os contingentes, ou dos do exercito,
quando o governo os nao liver designado.
Art. 4." Na designago dos guardas nacionaes
para a compo*igo dos referidos corpos destaca-
dos, observar-s-ho as disposiges do capitulo 2
tit. 6. da lei de 19 de setembro de 1850.
Art. 5. Em cada batalho haver um conselho
administrativo, conforme a orgaoisagao estabeleci-
da para os corpos do exercito.
Francisco Jos Furlado, do meu conselho, presi-
dente do conselho de ministros, minisiro e secreta-
rio de estado dos negocios da justiga. assim o tenha
entendido e faga oxecuiar.
Palacio da Rio de Janeiro, em 21 de Janeiro de
1865, 44." da ndependenca e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Imperador. Francisco Jos
Furlado. t,
Decreto n. 3,383 de 21 de mnkibo de 1865.
Manda destacar 14,796 guardas nacionaes dos dif-
fereutes corpos, nao s para defeza das pragas,
fronteiras e corpos do imperio, como para o ser-
vigo de guerra nos estados de Uruguay e Para-
guay.
Hei por bem, em virtude dos artigos 1, 117 e
118 da le* n. 602 de 19 de setembro de 1850, de-
cretar o seguinte :
Artigo i. Sao chamagosa servigo de corpos des-
tacados 14,796 guardas xacionaes, nao s para de--
feza das pi a-as. fronteiras e costas do imperio, co-
mo para o servigo de guerra nos estados do Uru-
guay e Paraguay.
Art. 2." A corte e provincias do imperio fjrne-
cero o numero de guardas nacionaes proporcio-
nal a forga de cada urna dellas, segundo a relago
que com este baixa, assigoada por Francisco Jos
Fui lado, do meu conselho, presidente do conselho
de ministros, minisiro e secretario de estado dos
negocios da justiga.
Ail. 3." Na designago dos guardas nacionaes
para composigao dos corpos destacados sero ob-
servadas as disposiges do capitulo 2o titulo 6 da
citada iei de 19 de setembro de-1850.
as provincias fronteiras a designago ser feita
de conformidade com o artigo 15 do decreto nume-
ro 2,029 de 18 de novembro de 1857.
Ait. 4. As pragas mencionadas sero organisa-
das gm batalhoes, secges de batalho e cumpa-
nhias avulsas, como or mais conveniente.
Art. 5. Os presidente as provincias designa-
ro os officiaes que houverem de servir nos ditos
corpos, ou escolhendo-os de entre os da guarda
nacional, anda que nao pertengam aos corpos que
tiverem de dar os contingentes, ou dos do exerci-
to, quando o governo os nao tiver designado.
Art. ti.' Em cada batalho haver um conselho
administrativo, conforme a organisacao estabele-
cida para os corpos do exercito.
Art. 7. Os guardas naciouaes chamados a ser-
vigo de destacamento em cumprimeoto deste de-
creto sero dispensados no llm de um anno, con-
tado do dia em que entraren] em elTectivo servigo,
seno puderem ser antes deste prazo.
Francisco Jos Furlado, do meu conselho, pre-
sidente do conselho de ministros, ministro e secre-
tario de estado dos negocios da justiga, assim o
tenha entendido e faga executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 21 de Janeiro
de 1865, 44.* da independencia do imperio.Cora
a rubrica de S. M. o Imperadsr.Francisco Jos
Furtado.
Relago do numero de guardas nacionaes que tm
de fornecer a corte e provincias abaixo designa-
das para defeza das pragas, fronteiras e costas
do imperio, lia conformidade do decreto n. 3,383
da dala desta.
Corle................................ 300
Provincia do Rio de Janeiro........... 1,384
da Babia.................... 2,440
> de Pernambuco............... 2,424
< do Maranho.................. 1,060
de Sergipe...........<........ 644
do Piauhv----- ............... 1,160
> da Parahyba.................. 624
doCear ..................... 1,060
do Rio Grande do Norte...... 624
dasAlagas................... 484
do Espirito Santo............. 208
do Para....................... 1,040
do Amazonas............... 230
do Paran..................'.. 416
i de Goyat..................... 490
> de Santa Camarina.......... 208
14J96
Palacio do Rio de Janeiro, em 21 de Janeiro de
1865.Francisco Jos Furtado.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 10 de fevereiro de 1865.
OUlcio ao coronel commandaote das armas.
Sirva-se V. S. de informar acerca do que expe o
commandante do corpo de polica nos. dous inclu-
sos offlcios que me sero devolvidos, relativamente
a indemnisago do fardamento, que fleam a dever
ao mesmo corpo os guardas da secgao urbana Ma-
noel Ferrcira da Silva e Firmino Jos Tavarcs que
se alistaram como voluutario o primeire no 4." ba-
talho de artilharia a p, e o segundo no corpo de
voluntarles da patria.
Dito ao mesmo. Fago apresentar a V. S. Vasco
Fernandos Gama e Jos Eustaquio Fernandes Ga-
ma que se olTereceram para servir no corpo de vo-
luntarios da patria, para que. os faga alistar devi-,
dameule se orem julgados aptos para isso.
Dito ao mesmo.A V. S. se apresentar o cida-
do Vicente Ferreira da Franga Camino que se
offereceu para servir no corpo de voluntarios da
patria, afim de que mande abrir-lhe assentamento
de praga na qualidade em queja servio no exerci-
to como consta do documento junto.
Dito ao inspector da tnesouraria de fazenda. -
Respondeodo ac officio de 8 do corrente, sob n.
102, em que V. S. me partielpou baverem Theo-
doro Rampck e Jos Augusto de Araujo, contrata-
do com o inspector da alfandega desta capital e sob
as condigoes constantes da copia que vcio annexa
ao seu citado officio, o primeiro os concertos de que
precisa o edificio em que funeciona aquella repar-
ligo com o abate de 6 por cento na quanlia do
8.07352 reis, em que foram orgados; e o segun-
do o assentamento d.os trilhos de ferro, o arneci-
mento dos respectivos vehculos etc. lamben cem
o abate de 13 por cento na de9:432000, em que
se acham ergadas as obras do_seu contralo, tenho
a dizer em resposta que approvo taes contratos,
prestndoos empreiteiros nanga idnea como V. S.
indica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.To-
mando em considerago o que expoz o professor de
instruego elementar da povoago de Verlentes,
tregen* de Taquarilinga, Manoel Joaquim Xavier
Ribeiro e tendo em vista o que a esse respeito in-
formou o director geral da instruego publica, em
officio de 8 do correte, sob n 38, recommendo a
V. S. que mande pagar ao supplicante a quanlia a
qup tiver direilo, correspondente ao expediente de
sua aula, a conlar de 18 de julho do anno proiimo
passado, em diante, e a razo do 1JKI25 mensaes.
Dito ao director geral da instruego publica. -
De_conformidade com o disposto no aviso da repar-
tl5f,o '"W'ode 10 de dezembro ultimo, remeti
a \. S. 28 exemplares do compedio orgaaisado por
ordem do governo imperio pelo conselheiro de es-
lado Candido Baplista de Oliveira para o ensino do
systema mtrico, alim de que o faga adoptar como
ensaio as escolas de instruego primaria em o
presente anno lectivo, informando os respectivos
professores no fim delle sobre os resultados que
colherem edefeitos que notarem na doutrina eme-
thodo constantes do referido compendio.
Dito ao mesmo. De conformidade com a sua
luformaco do 9 do corrente, sob n. 40, mande V.
s. admittir no Gymnasio Provincial "ha primeira
vaga que houver de alumnos externos gratuitos,
visto acharem-se actualmente preenehidos esses
lugares o menor Felippe Bezerra de Aibuqnerque
Machado, lilho de Jos Ilenrique Machado, a que se
refere e requerimenlo incluso que.devolvo.
Dito ao director du arsenal de guerra.Respon-
do ao seu officio n. 179 desta data, declarando-lhe
que acabo de designar o fetor conferente Francis-
co de Paula Gongalves da Silva para exercer as
funegoes de secretrelario do conselho de compras
desse arsenal : o que Vmc. Ihe far constar.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
Para cumprimento do disposto no aviso da repar-
tigo da agricultura, commercio e obras publicas
da 16 de Janeiro ultimo, constante da copia inclusa
organise Vmc. de accordo com a companhia da es-
trada de ferro, e me aprsente o orgamento para
construego de um novo armazem na eslacodas
Cinco-Puntas da mesma estrada para deposito de
mercadorias, tendo em vista a recommendago fei-
| ta no [nal do citado officio. -Ociou-se neste sen-
tido ao superintendente da eslrada de ferro.
Portara. O presidente da provincia, allenden-
do ao que reqnereu o professor publico de instrue-
go primaria, da povoago do Abreu, Manoel Mari
nho Cavalcanti de Albuquerque, e tendo em vista
a informago do director geral da instruego publi-
ca de 8 do corren, sob n. 39, resol ve, de confor
midade com o artigo 23 da lei n. 598, de 13 de
maio do anno passado, remover o mesmo professor
d'aquella cadeira para a doBom-Jardim. -Fizerara-
se as necessarias commumeagoes.
Dita. -O presidente da provincia, altendendo ao
que requereu Alvaro Augu.-to de Almeida, segun-
do lente de artilharia da guarda nacional do mu-
nicipio do Recife e aggregado ao corpo de reserva,
resolve conceder-lhe 6 mezes de licenca para ir a
Europa.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Luiz do Carmo, resolve conceder-lhe
licenga para ir ao presidio de Fernando no primei-
ro navio que para ali seguir, levando comsgo os
geaeros constantes da relago junta assignada pplo
secretario do governo, nao podendo porm effec-
tuar o desembarque dos referido genero?, semque
por parte do commandante do mesmo presidio se
proceda a exame, afim de se verificar se ha agur-
denle ou outra qualquer bebida espirituosa.
Despachos do dia 9 de fevereiro de 1866.
Itequcrimentos.
Antonio Jovino da Fonceca. Concendo a des-
pensa pedida.
Antonio da Costa e S.Vi lte ao Sr. inspector
da thesouraria de fazenda para expor o mais que
lhe occorrer.
Antonio da Silva Ferreira Jnior.Coovenho no
arrendamenlo da casa de sobrado que trata o sup-
plicante, urna vez que sugeite se a pagar de renda
annual 7805Q00 reis, e a satisfazer as condigoes
propostas pelos mordomo da Santa Casa da Mise-
ricordia no parecer por copia incluso.
Anna Mara da Conceigo.Informe o Sr. capi-
to do porto.
Carlos Jos Dias da Silva. Concedo a despensa
pedida.
D. Clara Olympia de Lona Freir.Remedido ao
Sr. Dr. director geral da instruego publica, para
atlender a supplicante de conformidade com a sua
informarn de 7 do corrente.
Carlos Jos Dias da Silva.Deferido com o des-
pacho desta data.
Joo Landelino Dornellas Cmara.Concedo a
licenga pedida.
Joaquim Francisco- Borges tchoa.Concedo a
licenga para o fim que requer.
Dr. Joio Paulo Monteiro de Andrade. Passe
portara concedendo 2 mezos de licenga ao sup-
plicante com ordenado.
JooTelephoro da Silva Fragozo.Informe o Sr.
director geral da instruego publica
Joo Nepomnceno Ferreira.Apresente-se aoSr.
coronel commandante das armas.
Joaquim Jos Alves.Decl re qual a isengo.
Padre Juvencic Virisslmo dos Anjos.Informe
o Sr. director geral da Instruego publica.
Luz do Carmo.Como requer.
Manoel Uaogalves Nuaes Machado.Informe o
Sr. engenheiro ebefe da reparjigo das obras pu-
blicas.
O mesmo.dem, idem.
D. Mana Venancia de Abreu Lima Bastos.In-
forme o Sr. inspector da thesouraria provincia!.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PERNAJHDVCO.
i.o\nni;s.
23 de Janeiro, de ISC'i
A mala do Brasil, vinda pelo ultimo paquete de
Brdeos, trouxe-nos noticias do imperio muilo Im-
portantes. A guerra esta declarada entre o Brasil
de um lado e as repblicas de Montevideo e do
Paraguay d'outro, e j o sangue correu aas mar-
geos do Uruguay I .
A imprensa ingleza apresenton duas versos dos
successos de Paysandu, urna que nos inleiramen-
te favoravel e essa -verdadera, e outra adversa
I que e sem duvida forjada pelos Ingleses rosidenies
cesso para a desejada reconciliare entre os
netes do Rio de Janeiro e de S. James ? Parec-me
que nenhuraa influencia exercer essa circunstan-
cia para a siugo da crise existente, porquanto
tratando-se de dous paizes constituclenaes nao ser
a simples boa vontade desses personaeens que ha
de resolver om estado de cousas, at hoje em sus-
penso pela insistencia com que o governo britan-
nico lem maolido seus actos anenlatorios conlraa
soberana do Brasil, s a desistencia desta polti-
ca aggressiva podor pv&duzir a desejada rec.onci-
liagao ; se bem que a visit- imperial a esta corle
lera por etlelto despertar anda mais em favor do eis a lgica desse estadista na questao do Florida !
Brasil as svrapathias da nago ingleza. Mas ainda assim esse secretario d'estado declina
suas altezas a prmceza imperial do Brasil e o a responsabilidade do governo federal pela perda
conde d Eu sao esperadas no principio de fevereiro
I prximo no castello JeXIermonl, residencia da fa-
milia de OrJeans. Peno dessa real morada, em
Ham-Common, a duqueza de Charlres, filha da
pnpceza de Joinville e sobrtnha de sua magestade
o imperador, acaba de dar luz ltimamente urna
priRceza ; a augusta mai foi em extremo feliz no
seu primeiro successo, acha-se n'cm estado satis-
factorio.
Anda com relago a familia d'Orleans e agora
com relago tambera familia imperial do Brasil,
direi que as folhasde Madrid acabam de publicar
o decreto pelo qual a rainha Isabel II concedeu a
sua alteza real o conde d'Eu a demisso que pedio
do posto de capito de cavallaria no exercito hes-
alli, cujos ioteresses se achara n"e"dos"em w SuL^a'rH^nsnnhrr/nnT.eM%PrlDnpe ^"^ 3
sequencia daquella situago anormal. Um corres-; 8nS" rnfrH 1 r, Maocos
pondente de Buenos-Avres escrevendo sem dnvida ; Usllll08s e e[n Tetuao sua alteza distin-
em nome destes ltimos 'd.f que a casT ingle gU,'Se Pr S6,Malor' mereceodo *>r condecorado
Williara & Cse apresen ava cora" reclamante con- COmh UtT mc?lh no-campo de ^a,alha Pel ma"
ra o governo imperial pela^mma^sTmMhTs ^g&f^t!^*11 commanda em
de pesos, em consequencia do blonueio e bombar-' ex|)ea,Cao hospanhola.
dearaent daquella praga Esta pretcncaoTridi-'.- A'JPareceallc' etfeito apublicagode Mr.Chris-
ula, porque o tBrasil lem dJelo dS^proMui ,ie.-aiual alludi na minha ultima carta ; havendo
que lhe havia sido aponlado pela simples enuncia-
gao da nossa queixa, e com quanto chegasse em
resultado a acceder quasi tolaldade do nosso pe-
dido, l lo todava por urna doutrina que pouco
importava para regular a questo que elle discutia
com o representante do governo imperial : Mr. Se-
ward fez as concessoes alludidas, porque lhe cum-
pria castigar aquellas autoridades subalternas que
haviam actuado sem instruegoes, devendo por con-
sguinte saudar a bandeira brasileira e soltar os
prisioneiros do Florida para assim desfazer o que
haviam feito illegalmenle aquel les seus agentes;
na guerra, sem importar-se com os prejoizos dos
particulares, urna vez que lem observado as re-
gras prescriplas pelo Direitos das Gentes; o ainda
no caso desse mesmo bombardeamento se honve
com toda a moderago, concedendo armisticio
que lhe fra solliciado pelos commandantes dos
j tido resposta pela imprensa, como assim convi-
nha aos nossos interesses para nao se desvairar
a jui a opinio publica acerca dos grandes succes-
sos que inttressam altamente a historia da nossa
diplomacia.
Todos os atiaqoes contra o imperio foram victo-
riosamente desfeitos, ficando provado at a evi-
navios hespanhol, fraocez e inglez. Nao de ve ooi ',v"'\,,"" hs. jkmiw pfuvauo aie a evi-
existir receios de complicares enlre .este governo '"'*.l.oe so a ener8!s com .Qne Proceden o go-
e o do imperador por aquel.e motivo! se bem que; Z,
ao gabinete do Rio de Janeiro cumpra ser cante-'
loso as difflceis circunstancias era qne se acha ma(.op p ..,
enllocado, porque deve j contar com diffleuldades ?5J? ?J?i*J
creadas pelo governo briUnnico, altendendo !MdS
ciume que aqu reina contra nos em virtude da 1 ? ? alninist
supposta amblgo que se nos attribue sob o as re- 5 latCnle m ,|,,e ^acham as relagoes entre os
publicas do Prata i d"s Pi"s em queslao : a historiadas reprezalias
E' fra de duvida que o conde Rossell confir- X!5a,,adas^no porl do 1,io de Ja'leiro foi dt nov.
mou o reconhecimento do bloqueo brasile roafeito^ wS^Lcomo nm alternado internacional,
pela autoridade inSleza em Montevideo e Dortanto1, corften.Ie com. aIuella nova orlida, Mr. Chr.s-
o governo do imperador tem agora urna baESS' "- aDnaoc">u u U.mamente no Globe que a media-
......_____ii_ ____*' 8 u",rt lM,B el>u CIO nortliune?:! falharu or rnu iln irihinsla Ha
mperial devida a extiegao do trafico "no
que smente a m f do gabinete presidido
por lord Palmerston impedio o ajuste das recia-
om diffl/uld idos nia,c5es a que /! a ronvengo de 1858, e -
pelo "governo 'briunico altendendo ao D.a,,menle11Qe d devido exclusivamente ao carcter
' violento de>ta administragoo estado desagradavel
. D--------------....,^,.,uu, %CUI a8U,d uin.i uise segu- .r., nnrino f.ih^r, r.<,- ,,i ^ .i.nnin j, emu ui inunira. c eviaenie que esta mesma im-
ra para por ella regalar os sen. everes para com ^ ^X^i^iSS^nt lm\ Sw ra /P-wl'n relio que Ifrtff tem de re-
as Dolencias neutras n'i svni 'lue P,,ra assim aizer '.enna ama boa ra- ~ am,r n-i,..i., .. .. .......,.
as potencias neutras.
Sao esperadas nesla capital com anciedade pos-
teriores noticias do Rio da Prata, as quaes doTem
ja tnzer-nos alguma cousa acerca da posigo to-
mada contra nos pelo exercito do Paraguay, entre-
tanto acredita-se que vista da neutralldodo man
lida pela repblica Argentina, aquelle belligerante
nao poder estorvar a acgo do Brasil em Monte-
video, visto como, nao podendo lambem transpor-
tar por mar as suas tropas pelo receio
irar-se com a esquadra brasileira, ter
poltico em que se
governo federal pela perda
do navio capturado, allegando que isso succedera
por mero accidente independente da vontade c ac-
to das autoridades da Unio! Parece entretanto
que, havendo dado imputago aos actos dos seus
agentes para o fim de puni-los como assim declara
na citada nota em resposta do ministro brasilei-
ro, deveria tambera acceitar as'consequencias do
abuso commettido por essas mesmas autoridades,
responsabilisando-se por um accidente que poderia
smente correr por conta do verdadeiro dono da
propriedade perdida se houvesse Isso occorrido em
poder deste; esta ao menos a doutrina que o
direito aconselh, e em virtude da qual o governo
imperial ha de provavelmente protestar para rati-
ficar d'um modo completo o seu direito como po-
tencia neutra.
Aproveitando-se do ensejo, Mr. Seward recapi-
tulou as queixas do gabinete de Washington con-
tra o governo imperial, por haver este reconhecido
o direito de beligerantes em favor dos confedera-
dos, que sao meramente rebeldes contra a Unio
Americana como elle ali estabelece terminantemen-
te; e para langar a luva s grandes potencias ma-
litimas que reconhecem aquella doutrina contesta-
da pelo governo de Washington, aqoelle ministro
conclue por protestar contra essa vantagem conce-
dida Confederago do Sul.
A ola de Mr. Seward ficou sem resposta por
parle do nosso representante, e nao a ter prova-
velmente at que este haja recebido novas instrue-
goes do governo imperial ; entretanto como o ga-
binete de Washington allega proceder nesla ques-
tao por motivos que lhe sao exclusivos, de espe-
rar que as concessoes apontadas na nota de 26 de
dezembro sero immediatamenle postas em exe-
cugo.
A imprensa ingleza tem censurado altamente a
m vontade com que procedeu o presidente Lin-
coln na questao do Florida, sophismando urna po-
lmica lo clara em si mesma ; e o azedume que a
opinio publica aqu tem assumido por esse moti-
vo, lambem fundado no espirito aggressivo indi-
recto que a mencionada nota respira contra o go-
verno britannico. E' evidente que esta mesma im
INTERIOR.
RIO DE JIVKIUO
2a de Janeiro de 186o.
Por decretos de 17 do corrente :
ro ncmeado Manoel Jos Alvares, segundo phar-
maceutico do corpo de sade da armada.
bo conferida ao 1 lente graduado da armada
Joao Ignacio dos Saotos, patro-mr do arsenal de
marrana da corte, a graduago do posto de capi-
lao^tenente, nos termos do art. 47 do decreto n.
2,;>8.l de 30 de abril de 1860.
Foi exonerado Antonio Pedro Machado de Arau-
jo do lugar de secretario da capitana do porto da
provincia do Sergipe,

Per carta imperial de 21 do corrente mez foi na-
tural.sado cidadao brasileiro o subdito portuguez
Antonio de Sa Vianna. 8
Por decretos da mesma data :
Foram condecorados: com a commenda da or-
P"!^S,,BeDlVde,A'i' obrigadeiro Jacintho
Pinto de Arauje Correa ; e com n habito da roes-
Cwrftu maJr refdrmado Manoel d0 Caroio
Tiveram a merc da medalha humanitaria da 2*
classe, pela dedicago que mostraram, salvando
com risco de vida a diversos individuos qne ha-
viam naufragado na altura de Meruhy, Manoel Gue-
aes da enseca, Florencio Martins dos Santos, Ma-
noel Alves (.oelho e Antonio Grego.
|ue para
zo, vNo que essa negociago nao esta termiuada
i apezar da pouca probabilidade que aprsenla um
, feliz resultado pelos motivos j frecuentemente
: ponderados por mira. Mas o autor desses atlaques
perde o seu tempo, porque aqu o conflicto anglo-
brasiltiro est julgado ha muito pela opinio pu-
blica deum modo lodo favoravel nago brasilei-
ra ; assim pois posso assegurar que aquelle opus-
nenn cu' de Mr' Christie, bem como tudo mais que elle
de dirinir ,em Publioado contra nos, nao tem ejercido in- sario que seria armado
a sua marcha contra um ponto'remoto danoeile fluSnc!a ?"* ? esp.irit0 pub',c" na.In8|aterra-. "<*
dando assim tempo s tropas braS VSS' STS ulim*T b7r,'anD,C0 ,es,a TU"
vera primeira parte do drama noKiiM J Ti 'amenle l,xada Para o da 7 do prximo futuro
acham agora empenhadas.
A narrago do incendio
aguas de Montevideo, causou
sago; sobreludo porque
vida a noventa e tres pessoas I Aquelle vaso do
guerra da marinha britanoica era o navio Almi
ante daestaco naval ingleza no porto do Bio de
Janeiro.
Este governo acaba de transferir Mr. Vareker,
o famoso cnsul que den origem ao conflicto an-
sell com o lim do allegar perante o parlamento
que fez mais esta concesso ao gabinete do Rio de
ament
mez.
Mr.Bright preparase para atacar o
i da nao '___as ; '",- ""6"' ^"ldid-sc para aiacar o governo ua
IlSc questao da reforma eleitoral, havendo j prooun-
e, um dSCUrS imPr,M,e ;-hrc esse assum"10
L, i,,,! L T. em Birn.ogham : oillustre orador tem todava en-
clamar o Florida ou o seu equivalente.
O governo dos Estados-Unidos, se nao vier a pa-
gar o prego daquella presa illegalmente feita, ter
conseguido orticamente urna vantagem embora a
prego de urna censura ollcial dada contra os fau-
tores daquelle acto criminoso; porquanlo assim
obler o desencargo de urna obrigago, que impor-
tando cucesso de meios pecuniarios ao Inimigo o
teria poste no risco de ver apparecer mais um cor-
com o pagamento do Fio-
Dentis o gabinete de Washington nao desejaria
por modo algum faxar reviver ainda que em pol-
mica urna rerlamago relativa a um corsario, que
tantos prejuizos causara marinha mercante da
Unao, pelo que al a cmara do commercio de
Nova York olterecera nm avultado prego aos que
houvessem de capturar esse navio.
Janeiro, o
Inciino-me
qual todava se -mostra intratavel ?l
a responder afflrmativamente, porque I
esse ministro desejar buscar algum pretexto para
justificar na prxima sesso das cmaras a conti-
uuagao do stalu quo entre o Brasil e a Gra-Bre-
tanha.
A opposigo, que agora se acha sem grande ca-
vado de batalha, hade provavelmente voltar a car-
ga contra o ministerio por motivo da questao bra-
sileira ; e o conde Russell comprehender,
a necessidade de acautelarse contra
contrado grande opposigo as folhas conservado
ras, que o alcunham de radical, e poisno lhe ser
fcil conseguir na cmara dos coramuns o iulento 1ue rospeita aos corsarios confederados, o
que leva em vista. i "m d0 Boverno federal acabar com el les por to-
As noticias do pacifico chegam at 5 de dezem- dos os meios ao sea alcance, afim de.obter con fa-
bro. A esquadra haspanhola dos Chinchas fra vor do commercio da niao a protecgo effectiva
) que cessara o receio de ser at- 1U(;lne lfm falla,lo ; j desappareceu o Alabama e
tacada pelo Per, mais lari,e Florida pelo modo sabido, e este re-
O congresso de Lima tentava ainda reconciliar multado o que convinha ao governo americano
o gabinete de Madrid com oda Repblica. O al- debaixo de qualquer ponto de vislat sendo que o
mirante Pinzn deixara e rommaudo da esquadra, sfu nm seria at certo ponto Iludido se por exem-
passando-o ao almirante Pareja. P' B0 CM0 do florida houvesse de responsabili-
Entre as noticias dos Estados-Unidos que desla s?r'5,! ainda nue nao fosse seno pelo prego deste.
vez tenho de communicar aos leitores, figura urna Instas circunstancias nao me parece que jamis o
de grande importancia poltica em relago ao Bra- coverno federal vira a satisfazer mais esse ponto
sil. Mr.. Seward, primeiro ministro do presidente da rerlamago brasileira, tanto mais que actual-
Llncoln. acaba de declarar por nota com dala de inenle pe acharia por esse motivo sob o peso desfa-
26 de dezembro prximo passado que o pavilho
brasiloiro ser saudado pela marinha militar dos
Estados-Unidos em desaggravo do insulto occorri-
Os jornaes de Moalevido forjaram a vil calum-
nia de que a praga de Paysandii foi lomada por
traigao, depois de concedida a capitulgo. ac-
crescentam que o general Leandro Gmez foi es-
pingardeado lendo na mo o offleio que a rall-
ona. Eis qual foi esse offleto, que prova exacta-
mente o coulrariodoqae oshomens de Montevideo
lhe attribuem :
t O general em chele do exercito libertador, o
vice-almiranle baro de Tamandar, e o marechal
de campo Joao Propicio Menea Brrelo, comman-
dante em chefe do exercito imperial. Paysandu',
2 de Janeiro.Ao Sr. general D. Leandro Gomes.
Depois da obstinada resistencia feita pela guar-
nigao do seu coramando, sem esperanga alguma de
salvagao, nao pode ter lugar a frefM que V. S. so-
licita em sua ola de houtem, qoa acabamoo de ro-
ceber, nao olistante os direitos da guerra que in-
voca.
t uentro das oito horas de tregua, que V. S. so-
licita, devemos estar de posse dessa praga : conce-
der semelhaute tregua seria coacorrer pela nossa
parte para o augmento das calamidades da guer-
ra ; e se V. 9. leseja qne se altenda aos feridos, e
se d sepultura aos morios, evitando ao mesmo
lempo a ruina da povoago e a efluso de sangue,
cuja responsabilidade pesa exclusivamente sobre
V. S., rendase com a guarnigo do seu comman-
do, na qualidade de prisioneiro de guerra, eondi-
go em que sero tratados com as considerages
devidas : nica propesigo que podemos fazer-lnes
Dos guarde a V. S. muitos annos.Venancio Flo-
res.Baro de Tamandar. Joo Propicio M.
Brrelo.
para a formago nesla praga de urna empresa que Sm!"? i
dev.a levar a elfeito o lira da associaco, se acha- np'.^mi,
5 finalmente que o cnsul americano na
demittido. Este resultado constitue
vam coroados quando infelizmente, pela'revogago fnrla,li=cff,'f "T vam,a8m 1"e r/solve na qoa.i
que a assembla provincial do Kecife fez acerca ro,.al"Iade a rerlamago do gabinete do Rio de Ja-
de urna das clausulas do contralo Cambrone leve De,r,0' t p,or ron, de dissolver-se a directora que tinha tomado a si Pon*o.'*l.*riampho da nossa diplomacia na recente
aquella empreza I Questao diplomtica que se suscitara entre o impe-
Em verdade a revogago d'uma clausula que r,? e a Un lo Americana : convem entretanto ex-
tornava obrigativa por parte dos moradores do Re- P''car, anda qae nao seja senao a bem da histo-
cife a aceitago do systema de limpeza designado r,'!'' a" c,rcuro*tancias que acoropanharam aquelle acuella polmica adoptada pelo gabinete de Was-1
voravpl da opinio publica na Unio, visto como a
cmara do commercio de Nova York votou final-
mente a somma qne havia sido promeltida em fa-
vor do captor do Florida I
O Brasil acha-se j porm n'uma posigo airosa
pelo facto das concessoes apontadas ; tanto mais
que o governo dos Estados-Unidos lem por habito
ser sempre incompleto no cumprimenlo dos seus
deveres inlernacionaes.
Anda recentemente no caso do S. Jacintho que
arrancou forga os comraissarios confederados de
bordo do Ti-enl, o gabinete de Washington cumprio
com altivez o dever que lhe corra e qne lhe foi
dictado pela Gra-Bretanha, sem que entretanto |
esta nago se imporlasse com o modo de resolver
no mencionado contrato, estabeecendo-se" ero desenlace> Priu,e el'as revelara lambem o carac-
substituigo a plena liberdadedo escolha, impor- F excepcional do governo americano, com quera
lava a desapparigo da base com que aqu se havia L'.?emM.de dlscu"r ,oma ,ao imPor,anle l^tao do
calculado acerca dos interesses dessa companhia, dire,t0 interoac.onal.
e por conseguinte a sua aniqailaco neste merca-1 E' sabido que s subsidiariamente o eabinele de
do : deste modo Qcar ainda deferida, para Dos sua magestade o Imperador se encarregra de de-
sabe quando a execugo desse importante melho- fender a causa da confederago do sul por occa-
mento que a lercera cidade do Brasil tanto recia- sio da reclainagac que tivera origem pela captura
ma I E' para lamentar f,ue o Sr. Netto nao conse- do Florida, seado o fim do governo imperial re-
guisse formar nesta praga essa companhia brasi- salvar o menoscabo com que fra tratada a sohera-
leira de tamanha vantagem para um contro de po- nia do Brasil por parte das autoridades federaes
pulacao to importante como o Kecife. implicadas n'aquelle attentado; e muito mais quo
O algodo de Pernambuco ficaem Liverpool pe-! ao gabinete do Rio de Janeiro nada importava o
los seguiotes pregos : 1.* qualidade 25 d. por li-i desacato era que encorreram aquellos agentes da
bra, e o de 2.* 2I 1|2 d. 24 d. por libra. Dito da Unio para cora o governo de Washington por
haverein actuado n'aquella desgranada emergencia
sem previa autorisago competente. O nico prin-
hington, visto que
desculpar o resto.
o conseguimento do fim fazia
Baha 1.* quahdade 24 d., e o de 2.* 23 d. por li
bra. Maranho 1.* dita 25 d.
Cacao do Brasil 45 s. por swt.
Pao Brasil 75 s. por tonelada.
Couros seceos do Rio 9 d. por libra.
Assucar branco de Pernambuco 21 s. 23 s. 6 d.
por cwt.
Consolidados inglezes 3 0|0 89 i|2 a 90. Fundos
cipio, em nome do qual o nosso representante nos
Estados-Unidos reclamou a salisfargo ampia que
nos era devida,' foi o direito que nos assistia de
reslabelecer o prestigio de nossa soberana violen-
tada, acto execrando quando mesmo houvesse sido
commettido por aquelles agentes do governo fede-
brasileiros 5 0|0 99 101 ; e ditos 4 ij2 0|0 a 83! ral com autorisago desle ; o nosso principio era
i|2. Portuguezes 3 0|0 47 Ii2. Hespaohoes 3 0|0 [ pois absoluto e sagrado, e para satisfaze-lo coTiple-
48 117. Italianos 5 0|0 64l|2. Buenes-Ayres 6 0|0 tamonto o gabioete de Washington nao careca
99. Consolidadjs turcos 6 0|0 50 1|4. E sardos 5' mais do que achar-se possuido d'um verdadeiro
0|0 de 79 a 81. jeentimento de justiga para cora o governo imperial,
O principe e a princeza de Galles partiram no que fra to gratuitamente otTcndldo na questao do
dia 20 do corrente para Osborne, ende se acham Florida.
em companhia de sua matrestade. Naquella resi- O minisiro do Brasil, reclamando em favor do
deocia real tem esta augusta senhora recebido va- nosso direito, iiluslrou a sua reclamago apontan-
rias visitas de personagens da corle, acabando de j do um caso anlogo em que a Unio Americana te
alli chegar o arcebispo de Canluaria. ve de exigir do governo francs a reparago do in-
Corre come certo que alli ou no castello de sulto feito soberana federal; de modo que a
Windsoressa soberana receber a {nossa princeza \ simples enunciago da nossa justiga pareca indi-
imperial, que esperada brevemente neste paiz;' car que o principio em nome do qual pugnavamos
havendo manifestado familia de Orleans seu intt- por urna reparago, sefia promptamente reconhe-
mo desejo de fazer o conhecimento daquella jovon cido por urna nago que sempre se (inha mostrado
princeza, que domis tem hoje parentesco por affl- zelosa dos seus direitos como potencia neutra. O
nidade com a casa soberana da Gra Brelanha. Se' gabinete de Washington apartou se porm neste
essa entrevista tiver logar, contribuir esse suc- particular do nnico caoaiaho que tlnna a seguir e
No nosso caso a honra militar do Brasil ficar
resalvada, e este resultado dever constituir para
nos o fim principal; al porque nao seria tal vez
muito nstifiravel arriscarmos as nossas boas rela-
goes com a Unio pela recusa desta quanto a um
ponto menos importante. O governo imperial ter
portanto boas razes. se em sua sabedoria tiver de
conientar-se com o expedie'nle que acaba de ter a
nossa questao diplomtica rom o eabinete de Was-
hington, salvo o protesto a que cima alludi.
Depois qne escrevi a minha nltima carta, confir-
raou-se a noticia da entrada do exercito federal sob j
o rommando do general Sherman em Savannah,!
capital da Georgia ; ma; essa vantagem nao foi al-
cangada por haver sido assaltada aquella praga,
sendo que o general Hardea tinha preferido eva-
cua-la.
Entretanto o exercito federal acha-se agora pos-
tado no corago da revolugo, e esta circumstancia
o habilita para preparar successos militares de
grande alcance. Os exercitos de Lee e Grant con-
servam-se era inactividad, servindo por assim di-
zer de corpos de reserva cem que esto sendo au-
xiliados Sherman e Hardee.
O general Thomas acha-se no Tenessee, depois
de haver perseguido valorosamente Hood que per-
den na sua desastrosa retirada milhares de
homens.
A expedigao Porter-Butler regressou de Wilmtng-
lon sem resultado favoravel; Butler foi demittido
e mandado para Lowell. O governo federal ta i
mandar nova expedicao contra aquelle ponto, que i
deseja tomar a todo cusi.
Os jornaes de Richmond advogam a emancipa-
gao o prompto armamento dos negros.
.0 ooro ficava em Nova.-York a 227.
Segundo os jornaes, tanto de Montevideo como
de Buenos- A y res, morreram das tropas orientaos
que defendiam i aysandu' os seguinteschefes : ge-
neraes D. Leandro Gmez e D. Lucas Pires ; coro-
neis e offlcaes superiores D. Tristao Azambuja.
JosM. Braga, Frederico Feroandes, Pedro Rivcro,
Raphael Fernandez, Lindoro Sierra, Pedro Sierra
e Felippe Argent. Morreu das leridas o coronel
Emilio Rana.
Nao do os nomes dos officiaes subalternos, mas
deve ter sido consideravel.
Foram prisioneiros : coronis DD. Thomaz G-
mez e Joo Garcia, tenentes-coroneis DD. Innocen-
cioBemtes, silvestre Fernandes, Frederico Albe-
rastury e Belisaro Estomba, msjores DD. Carlos
Larravide, Torquato Gongalez, Justo La-Madrid,
Pedro Rivos e Victorino Riveiro.
Segnem os nomes de 14 capitaes, 1 ajudante, 16
lenles e 20 alferes.
Ao lodo 62 officiaes prisoneiros, qu foram logo
poslos em uberdade.
26 -
Da ordem do dia n. 432 publicada em 23 do cor-
rente pela repartgo do ajudante general consta o
seguinte :
Nomeages dos Srs. : marechal de campo vts-
conde deCamamu', para commandante das armas
da provincia de Matto Grosso. Decreto de 16 do
corrente mez.
Brigadeiro Antonio Nunes de Aguar.paravogal
do conselho supremo militar, e commandante das
armas da provincia do Para.Decreto de 21 do
correarle mez.
Coronel de corpo de engenheiros Antonio Pedro
de Alenrastro. para exercer interinamente o lugar
de director geral da3* directora desta secretaria
de estado; devendo passar a exercer as funegoes
de 2 commandante da escola miliiar, dorante
o impedimento do mesmo Sr. coronel, o Sr. tenen-
te-coronel commandante do batalho de engenhei-
ros Francisco Gomes de Freitas.Avisos de 21 do
corrente mez.
Capito do corpode engenheiros Pedro Dias Paes
Leme, para continuar a servir na provincia de
Matto-Grosso, como requereu.
Doulores em medicina Jos Rufino de Noronha,
Serafim Luiz de Abreu e Joo Pedro de Aguiar.
para segundos cirurgies do corpo do saude do
exercito ; e Tobas Alves do Araaral, para phar-
maceulico alferes do dito corpo, todos na confor-
midade do arl. 156 do regulamentode 7 de margo
de 1857.-Decretos de 16 do corrente mez.
Capellao-alfores da repartigo ecclesiastica do
exercilo, padre Aiexandre Jacintho Mendes, para
servir no 7o batalho de lofantari?.Aviso de 19
do corrente mez.
Joaquim Jos de Figueredo Jnior e Luiz Jos
Pereira da Silva Jnior, para alumnos pensionistas
de medicina e cirurgia do hospital militar desta
corte Portaras de 14 do corrente mez.
Demisso do servido mi/ifar,-Por decreto de 16
do corrente mez foi concedida ao Sr. Io cirurgio
do corpo de saude do exercilo, Dr. LuizLopes Bap-
lista dos Anjos.
Exonerando.Dos Srs. : brigadeiro Antonio Nu-
nes de Aguiar, do lugar de director geral da 3* di-
rectora desa secretaria de estado. Decreto de 21
do corrente mus.
Coroael de Infamara Joaquim Jos Gongalves
Fonles, do commando das armas da provincia de
Pernambuco. Decreto da mesma data.
Dr. em medicina Jos Rufino de Noronha, do
lugar de alumno pensionista de medicina e cirur-
gia do hospital militar desla corte.Portara de 14
do corrente mez.
Transferencias.Dos Srs. : marechal de campo
Francisco Sergio de Oilveira, do commando das ar-
mas da provincia do Para para o da de Pernam-
buco, Decreto de 21 do corrente mez.
Capito do 8 batalho de infamara Francisco
Antonio de Carvalho, para a 5* companhia do 10
da mesma arma.Decreto de 16 do correle
mes.
Io cadete do 2o batalho de infantaria Joao do



W9MHMMB
m*

17
17
17
16
16
14
=?
Alarlo de leraambiteo Tfci-v e?. a 14 de Feveiciro de 85.
9
II
1 1
g V
i 23
7 15
7 11
5 8
Rege- barro?, para o 3* regiment de cavallaria^* Joao Caelano Lisboa...... .
lgctin, como pedio.Em 18 do corrente me*. yj* Domingos Manas de Farin-.
2 cadele 2 sargento do batalho do catadores 10 Joao Bociracio Gomes de. Si-
do Gotaz Jos Theodnro da Silva, par o 8 bata- queira.....................
Ibo d intentara.Em 16 do corrento mei. 11 FranciscaLourencode Freilas.
De cabo de esquadra do 1 balalhao de anubarra 12 Antonio Pranciscode Azevedo.
a p Francisco Borges, para o 4* batalho da mes- 13 Francisco Vieira da Costa___
ma arma, engajandose na frou da le, como re- 14 Bario de Loreoa........... 14
Reformo-.Por decreto de 16 do correle mez, 3 .
na cooformidade do i do art. 9 da lei n. 648 Por carta imperial do Io de feverelro foi natura-
de 18 de aposto do 152, fol concedida, por soffro- Usado cidado brasileiro o subdito inglez Eduardo
rom de molestias que os tornam incapazes do ser- Walker.
rijo, aos Srs. : Por decretos da mesma data: foi nomeado ci-
Capito do 3o regiment de cavallaria ligeira' valleiro da ordem de S. Bunio de Avlz, o capillo
Joao Teixeira de Brito. Joo da Silva Nazareth.
Tenente do 7o batalho de infamara Lupereio, Foram aceitase confirmadas as renuncias que
Gahageni.Chaniptuni. flzeram os padres Demetrio Joao Vieira Falco, da
Capello alfeies da reparlgo eccleslasltca do! gruja parochial de Sant'Anoa de llacurussi e Ve-
exereito padre Joaquim de Araujo Uaogei o Silva, j nancio Luiz Telles Barreto, da igreja parochial de
Exame.~Fv\ approvado plenamente no exame S. Joao Baplista do Arrozal, ambas da doceso do
que fez na esrola militar das materias pratrcas que! Ro de Jaueiro.
llie faltavam para completar o curso de sua arma | ----------wm*& mm
o Sr. interne do 13 batalho de infamara Alfonso Por decrelos do ,. io Ci>mme fonm nomPados.
de Lima e Silva. ... __. i O dezembargador da relaco da Babia Antonio
Desistencia de hcenca.-Apreseolou-se Para j0auuim da Silva Gomes, nara o luear de mam ""KS f **'" apreciar em seu i
servigo, deslindo da brenca de seis mezes que,; Z^^X^^J^^T^'Z^L "ade juizo quanto hade injusto
Mais fundamento parece ter a noticia de urna leirw, que a collocar-se a frente da admintslrago
partida flo 2,000 cavalieirus blancos para azer iu- daauetla provincia.
cundes no Rio Grande, islo ronbar e saquear O governa da Assumpco consideren con
povoacoesindefezas e casas soladas, lugir a p- pruioneiros de guerra, e trata com extrema seven-
proximacao de qualquer forga organisadju Nao dade passageiros quesimplesnieute transitavam
constava comtudo que esta horda j. tivessfl aira- pelas aguas da repblica, confiados no estado de
vessado a fronteira. paz em que se achavam os dous parces, privnndo-
Vindas de Paysand as torgas br.vsileiras reu- os de um direto incontestavel. Os tempos moder-
niram-se em Buenos-Aucs. Antes deltas segu- nos ao offerecein exemplo de alternado some-
rem para Montevideo dirigi o Sr. conselheiro Pa- Ihaniu.
nhos ao corpo diplomtico estrangeiro a seguinte O Moflido do Brasil com o governo de Monte-
circular : video; foi, como se v, um pretexto e urna occasiao
t Misso especial do Brasil.Buenos Ayres, 26 que a (averno paraguayo aproveitou para levar a
do Janeiro de 1885Oahaixo assignado, eaviado effeito seos projectos de guerra. Os feltos refer -
extraordinario e ministro plenipotenciario de S. M. dos pflam em toda a luz o plano de ha mu tu pre-
s Imperador do Brasil acrediiado em misso aspe- meditado por esse governo eofima que se dirige;
cial na Repblica argentina receben ordem para porm ha-ou ira pro va nao menos significativa de
dirigir aoSr. ministra.. .. de.....o-manilas- seu roalelteos-inionte*. Eoa prova a espedifao
lo que faz objecto da presente nota : a Mato-Grosso, contando com as vanlagens da sor-
O governo da Repblica do Paraguay, sor- preza naquella remota provincia brasileira, viciirna
prendendo a boa f e moderagao do Brasil, deca- a esta bora da devastagao e atrocidades que vo
para "tratar de sua saude, bblivera em ordem do
da n. 423, de 5 de dezumbro do anno pro*10
passade, o Sr. coronel do corpo de estado malor
de 1* classe Jos Joaqun) de Carvalho : sendo por
isso mandado elogiar pelo Exm. Sr. ministro da
guerra.
Manda tambem S. Exc. elogiar o Sr. alfcres
quarlel-mestre do 8 balalhao de infantaria Pedro
Pierre de Carvalho, que para marchar como seu
batalho, desisti da lcenea que teve b ordem do
da n. 430 para ir a provincia das Magdas.
Grao sctertttfico. Ao Sr. tenente do corpo de
esladomaiorda 1*classe MaBoel Cortea da Silva
oi conferido o grao de bacharel em "sciencia ma-
thematicas e physicas, na conformidade do art. 303
do regulaiueniu de 28 de abril de 1863.-Diploma
de 10 de dezembro do anno prximo lindo.
Condecorado.Cavalleiro da ordem da Bosa, o
Sr. capito do 8 balalhao de infantaria Joaquim
Cardoso da Cosa.Decreto do 2 de dezembro de
1858 e diploma de 29 de Janeiro de 1862.
Cavalleiro da ordem de S. Bento de Aviz, o mes-
mo S. capito.Decreto de 23 de margo de 1861
e diploma de 2 de abril do dito anno.
-27-.
Foram nomeados : offlcial da ordem da Rosa, o
Dr. Jos Vieira Couto de Magalhes, por ter pres-
tado, como presidente da provincia de Goyaz. rele-
vantes servicos, promovendo netaveis mejramen-
os materiats naquella provincia, especialmente a
exploragao do rio Araguaya ; e cavalleiro da mes-
ma ordem o eiigenheiro Ernesto Jos Carlos Val-
leu que coadjuvura os trabailios relativos mesma
exploragao.
28
Por decreto de 16 do crreme, foram nomeados
alferes alumnos do exenito os alumnos das aselas
militares : Antonio Jos Mana Pego Jnior, Heori-
que Chrisliano Benedicto Olton, Manoel Bezerra
de Albuquerque Jnior, Jos Thomaz Carneiro da
Cunha, Manoel Clementino Carneiro da Cimba
Aranha, Jos de aples Telles do Menezes, Joo
Pedro Xavier da Cmara, Feliciano Antonio Ben-
jamim, Bibiano Sergio Macedo Fontoura Costallat.
Antonio Norbertino da Costa e Alfonso Pires de
Carvalho Albuquerque.
Falleceu hontem, e sepultou-se hoje no ceroile-
r de S. Francisco de Paula, o Sr. censelheiro Lou-
renco Jos Ribeiro, desembargador da reiago da
corte e procurador do coroa, fazenda e soberana
nacional.
31
Falleceu hontem.com 90 annos de idade o Sr.
Antonio Jos Redemaker, amigo enearregado de
negocios do imperio nos Paizss Baixos, e cnsul
em Hamburgo.
O Sr. Ri dumaker era commendador de varias
ordens estrangeiras, e offlcial aposentado da se-
cretaria des negocios eslrangeiros.
__Una carta da Liguna datadade 16 docorrente,
dirigida nma peana desta corte.refere que o hri-
gue brasileiro Corumb naufragouno cabo de Santa
Marlha, pe rio da barra daquelle porto, salvndo-
se a tripolago com dfficuldade.
O C'orumt tiuha saludo deste porto no dio 6 do
crreme para o do Rio Grande do Sul.
1 de fevereiro
S. M. Imperial visitou hontem pelas 9 1|2 horas
da manha o arsenal de guerra, acompanhado dos
seus semanarios, tendo logo aps chegado o Sr.
ministro da guerra, percorreu todas as dependen-
cias do estabelecimento, e asisti ao preparo dos
projectis da artilharia a la Ilute e de oulro, e as
experiencias de transportes em animaes muars
dos abusos de montanba ltimamente concluidos
ne mesmo arsenal.
A's 11 horas apresentou-se o Sr. ajudanle-gene-
ral chegando em seguida o corpo policial da Ba-
bia, que linba de reeeber o armamento novo a Mi-
ni, acto a que S. M. assistio, retirando-se ao
meio da. S. M. Imperial foi depois visitar a re-
partido da commissao de melhoramentos do ma-
terial do exercilo, onde se demorou, e retirou-se
para S. Christovao a i hora da tarde.
No dia 26 do passado, o Sr. mordomo de S. A
o Sr coude d'Eu a;signou a e.-criptura de compra
do palacete do Sr. Jos Machado Coelho, silo na
ra Guauabara, as Larangeras.
O predio foi vendido cora vastos terrenos e rica
mobilia, sobresahiudo a da sala nobre, que toda
dourada e forrada da t xcellente seda da Lyon,
escarale com matiz. A da sala da refeigao feita
de madeira extica e lambem de alto prego.
Por cartas impeilaes de 28 do pascado foram
naturalizados cidataos brasilulros :
O subdilo francez Ernesto Jos Carlos Walle.
O sub>ntn allumao Joao David Haag
Os subditos portuguezes Jos Antonio dos San-
tos e Theodoro Jos Lopes.
Por caria da mesma dala foi nomeado vice-
presidente da provincia de Goyaz Evaristo de Arau-
jo Cinlra.
Por decretos do referide dia 28 Tora apresen-
lados :
O padre Manoel Ribeiro de Freilas, na Igreja
parochiai de Nossa Senhora da Penba da villa de
Jaragn, da diocese de Goyaz, e o padre Domingos
Leopuldlno da Cosa Espinosa, na igreja de Nesga
Senhora das Monianhas, da diocese de Reman-
buco.
Foi nomeado offlcial da ordem da Rosa, por
servicos prestados por occasiao da exposigfio nacio-
nal desta corte em 1861, Umbelino da Silva Tosa.
Tiveram merc do foro de fidalgo cavalleiro da
casa imperial o Dr. Procopio Pedroso Brrelo de
Albuquerque e Joao Pedroso Barreto de Albuquer-
que, nios legtimos do nado lenenle-coronel Ma-
noel Pedroso de Albuquerque.
2
Por cartas imperiaes de 30 de Janeiro prximo
findo foram naturalisados cidacaos brasileiros os
subditos portuguezes Joao AI ves de Arrojo Bogas
e Joao do Na.-cimento Caiado.
Por decretos da mesma data :
Foi nomeado o conselheiro Vicente Pires da
Motia director da faculdade de direito de S. Paulo.
Foi permitlido que o Dr. Francisco Mara de
Souza Furlado de Mendonga, lente da 3.a eadeira
do o. anno da faculdade de direito de S. Paulo,
ontinue no magisterio, na forma- do art. 28 dos
estatutos da mesma faculdade.
Em offlcio dirigido hontem pelo supremo tribu-
nal de justiga, ao governo imperial foi apresenta-
do o Sr. conselheiro Antonio Rodrigues Fernandes
Braga, como desembargador actualmente mais
antigo, para preeacher no mesmo tribunal o lugar
do fallecido mimstro o Sr. conselheiro bario de
Campo Grande.
O governo imperial, tendo de proceder a esco-
lha de um desembargador, exigi por aviso do
ministerio da jusliga que o supremo tribunal Ihe
enviasse a lista dos 15 juizes de direito mais anti
gos, d'entre os qaes deve-se tirar um que pre-
encha na relagao da Bahia a vaga deixada pelo
fallecido desembargador Jos Ricardo de S Reg.
A lisia, enviada hontem ao governo, compoe-
se dos senhores que peguera com snas respectivas
atuigujiJades m
Annos Mezes Dias
'" Henrique de Miranda. 30 8 3
1.' Antonia. Qidrigues Silva. 27 10 4
2." Jos Quirno .. "-o Dan-
:i. Francisco Elias do u. 28 1 29
us.........:.-........... -i e %
V Henrique Jorge Rebello..... o
; PantaleSo Jo> da Silva Ra-
22 i 21
<>.< Matheus Casado de Araujo
18 20 4
7 Alfonso Cordciro de N. Lo-
18 6 3
dor da cora, soberana e fazenda nacional da mes
ma reiago.
Bacharel Joaquim Pereirade Castro Colho, para
juiz municipal e de orphaos do termo de Sanio An-
tonio da Barra, na provincia da Baha.
Bacharel Joaquim Felicio de Almeida Castro,
para juiz municipal e de orphos dos termos de So-
bral e Santa Qulteria, no Cear.
Bacharel Francisco de Paula Marlns, para juiz
municipal e de orphaos do termo de Brotas, em S.
Paulo.
Bacharel Joao Carlos de Araujo Moreira,para juiz
municipal de orphos do termo de Formigas, em
Minas-Geraes.
Bacharel Joao Gongalves de Oliveira, para juiz
municipal e de orphaos do termo de Xiririca, em
S. Paulo.
Bacharel Francisco de Paula Ferreira a Costa,
para juiz municipal e de orpbos do termo de La-
vras, em Minas-Geraes.
roulhe guerra em allianga com o governo de Mon-
tevideo, ej levou suas armas as povoagaes quasi
indefezas da provincia de Mallo Grosso.
O governo imperial deseja que as potencias
amigas possam apreciar em seu imparcial e illus-
e inaudito nesse
pralicando seus invasores.
Era vista de tantos e taes actos de provocagao,
a responsabilidade da guerra entre o Brasil e a re-
pblica do Paraguay pesar exclusivamente sobre
o governo da Assumpco. O governo imponal re-
pellir pela forga a seu aggressor ; porm, salvan
temerario procedimentodo nm governo com o qual do com a digmdade do imperio seus legtimos di-
o Brasil se esforcava per cultivar as mais benevo- retos, nao confundir a nacao paraguaya com o
las relacSes de vizinhanga. governo qae assim a expdo nos azares de urna
c A Kepublica do Paraguay, Sr. ministro, viva guerra Injusta, e saber roanter se como bellige-
seqnestrada do commercio das outras nagoes, e rante dentro dos limites que lh marcara sua pro-
ameagada em sua existencia velo governador Ro- pra civilisago e seus compromisos ioterua-
sas, quando entre ella e o Brasil se estabeleceram cionaes.
as mais estreitas relagoes de amizade e reciproca < O abaixo asrigoado tem a honra de renovar a
vocag.5es ao Brazil, procurando contra este e con
tra.o governo argentino alliangas a apoto por to-
dae as parles: planos, Sr. ministro que esto hoje
patentes aos olhos de todo o mundo, tendo-se j
manifestado em actos da mais directa hostilidade
ao Brazil por parte da Repblica do Paraguay.
A historia e o direito das gentes nos ensiuam
que, quando as conlendas internacionaes chegam
a emergencia de um ultimtum, e a este se segu
o romplmento das negociagdes diplomticas e o
emprego recproco de represalias, a consequencia
immediata, prevista e inevitavel a guerra.
i Era a guerra, portanto, .o estado em qae se
achava o Brazil com a Repblica Oriental, ainda
que atenuada em seus effeitos legaes pela extre-
ma moderagao do governo imperial que s depois
de obrigado pelo procedimento, cada vez mais ag-
gravante,- da parte ofensora, recorrea a medi-
das de maior rigor, como o bloqueio dos porlos de
Salto e Paysand sobre a cosa do Uruguay e o
ataque desta ultima praga, designada para sur o
centro das hostilidades que se machinavam contra
o Imperio.
O governo de Montevideo allegou ignorar a
natureza e o alcance dos. seus proprios actos, mas
apenas vio realizada de fado a sua allianca com
o governo paraguaya, entregon-se- ao mais" fren-
tico enthusiasmo, iaogando-nos pela sua imprensa
offlcial as diairibes mais affrontosas, fechando seus
portos ao commercio pacifico dos dous paizes, e
marcha ; mas tendo a columna.brasileira alcanza-
do a cabecejias do arroto obamadu Paso Feo,
mandou dlzer o seu commandante que queria ver-
rae ; respond-llie qae escrevesse o que me quera
dizer.
A isto responden qae desejava fallarme sobre
minha entrada no t nicar-ra suas instruegoes a respeito ; a minha res-
posta foi que a entrevista seria intil, e que uniao
se entregasse demro de meia hora prisioneiro de
guerra, com toda a tropa de sen commando, e qne
Uo contraro seria perseguido com rigor ; porm.
nao tendo aceitado, dei orden de ataque, para o
qual, durante a troca de coBtnnicagoes, mande
abrir varias picadas, na sutiposigo de que defen-
derla o passo; porm as picatas foram inuteis,
porque ao primeiro tiro de canllSo na direegao em
que se ouvia a msica, abandonaram o passo, dis-
parando lros de carabina, dos quaes apenas al-
cangou urna bala que ferio no brago direito o al-
feres Camillo astello. Nesta occasiao passavaro
alguns esquadiSes de cavallaria que os persegui-
ram, mas debandando o niraigo na mais completa
desordem, fagindo em diversas direccoes, indo
apenas reunidos oous grupos, enr um dos quaes
ia o tenenle-coroael D. Antonio Dias da Silva,
commandante daquella forga, que foi perseguido
pelo lenle oidado Blas Ovando, que nao poda
alcanga-Io, porque, passando a ponte do arroio
Desbarrancado, a destruirn!, como previamente
olferecendo a civilisago moderna esse espectacu- a tinham preparado, gaahando entretanto muilo
lo repgname da queima dos autographos dos tra-
tados subsistentes enlre o Imperio e a Repblica,
c Na presenga de todos os fados e circurnstan-
cias que o abaixo assiguado acaba de recordar, o
conthnca. O interesse que o governo de S. M. to- S. Exc. o Sr*.. os protestos de sua mais alta con- estado de guerra entre o Brasil e Montevideo nao
moa pela Independencia do governo paraguayo fot sideraglo.Jos Ufara da Silva Paranhos.
reconheeido pelo proprio governo da Assumpgo, e Ao governo de Baenos-Ayres dirigi o mesmo
delle podem dar leslemunho varios gabinetes da Sr. Paranhos esta nota :
Europa o America.
t Em 1852 alllando-se o Brasil ao Estado-Orien-
tal do Uruguay, e a urna importaste fraego da Re-
pblica Argentina contra os seus oppressores e
inimtgos do imperio, os generaes Rosas e Oribe, o
governo imperial convidou^ logo ao do Paraguay
para essa cruzada
Mlssao especial do Brasil.-Buenos-Ayres, 19
de Janeiro de 1865.O aba xo assigaado, enviado
extraordinario e ministro plenipotenciario da S. M.
o Imperador do Brasil em misso especial na re-
publica Argentina, tem a honra de solicitar a seria
e benvola attengo de S. Exc. o Sr. D. Rufino de
Elizalde, ministro das relagoes exteriores, para a
a fazer-lhe em nomo e
da honra e de interesse com
Bacharel Francisco Ferreia correa, para iuzi mura- no l":la necess.'dade de sua.cooperago.mas communicago qne passa
municipal e de orphos de .guape e Canana, era 'i500 8antia do futuro reconheciment do sua por ordem do governo imperial.
.Paulo. independencia pela nagao argentina. O governo argentino conhece perfeiamente,
O governo paraguayo, nao obstante, obrigado em suas causas e origem, o conflicte, uue sobreveo
por ajustes preexistentes entre elle e o Brasil a to- enlre o governo do Brasil e o de Montevideo, as-
mar parte activa naquella eiplice alhaoga, apenas sim como a dissencao interna qne ha cerca de dou
Ihe prestou urna adhesao nominal; sublrahlo se a -
todos os onus, reservando-se sem embargo o direi-
tode participar dos beneficios que resultassem e ticularmenle ao'imperio por sua immediala vizl-
Paulo.
I-'oi reconduzdo o bacharel Gabriel Castao de
Guimares Alvim, no lugar de jaz municipal e de
orphos do termo de uliveira, em MiHas-Geraes.
Foram concedidas as demissoes que pedirum :
O desembargador da reiago da Bahia, Manoel
Libanio Perelra de Castro, do cargo de procurador
da cora, soberana, e fazenda naconar da mesma
reiago.
Bacharel Theophllo Tavares Paes, do lugar de |
juiz muoicipal ilo termo de S. Fidelis, na provin-
cia do Rio de Janeiro.
curtamente um fado novo c imprevisto, cuja su-
perveniencia exigase novas manifestagoes da par-
te do governo imperial ao da Repblica Argentina,
em cuja illustrago e amizade tanto confia. O ub-
jedo desta communicago, Sr. ministro, dufiuir a
nova posigao que os acontecim ntos crearan) ao
governo imperial relativamente Iota interna da
Repblica Oriental.
terreno, porque cessou a perseguico para nao fa-
tigar intilmente os ravalios.
i O oulro grupo, que havia tomado outra diree-
gao fui perseguido pelo alferes cidado Ignacio Ca-
brera com os de sua classe Jos Pedresa e Baptista
Ramires'com sesseuta e cinco do (ropa, e llies deu
alcance deixando no campo cncoenla e sete mor-
tcs e um ulBcial, tomando treze prisioneiros, trala
e um cavallos e oito muas, com perda de ura sol-
dado e dous ferldos de nos>a parte.
D'alli passe a acamp;ir-rae a legua e meia, e
proseguindo no dia .-eguiote acampei-me a quatro
leguas e meia. sobre o arroio Pequeo, aproveilan-
0 governo de S. M., como o abaixo assignado I do de tarde a agua e o bora pasto do logar,
j obse vuu, collando o seu juzo intimo sobre as [ "t Ao amanhecer do dia seganie levante! o cam-
causas que originaram urna nova guerra civil na- po, e, depois de tres leguas de marcha, passe o ar-
quelle estado limitrophe, e dominando as appre- rolo Ponte, e com duas leguas mais o arroto Nioac
honsoes que nao poda deixar de suscilar-lhe a se- ] a urna hora do dia.
rie de (amos alienta 'os impunemente perpetrados j Concluida apassagem, flz adiautar-se o capito
contra os residentes brasileiros, loha-se prescrip-! Rojas com dous esquadr5>-s para apossar-se da po-
to mais prudeuto nentralidade entre o general voago de Ntoac, onde nao enrontravam nuis qae
annos flagella a sockdader oriental, prejudicando Flores e o governo de Montevideo. Nao proceda I dous individuos,' um hespanhol e outro i
*.!.?fss?s ,e|imof. dejodos os neutros, e par- | assim porque Ihe fosse indiferente a pacifleaco! europea. Ea acampei-me em frente da povoago
da Repblica, mas por Adeudado s mximas da! e ordenei o reconhecimentq das casas de armamen-
tos, e demas cousas, porm na commandancia nao
se enconlraram mais do que seis carabinas de ca-
ffeetivamenle resultaram dos esforgos do imperio nhanga com aquelle estado. i sua poltica exterior," que nao adrailte as interven
e de seus alliados. As reclamagoes que o governo imperial apre-! goes, seno como casos caros e excepcionaes.
Aberjos os affluentes do Rio do Prata nave- sentou ao de Moutevido, como sabo o Sr. 1). Rufi- c Hoje, sem embargo, essa neutralid.vle nao ga e seis capadas de tropa depois s
gago dos ribeirinhos e de todo o mundo civilisado, no de Elizalde, versaram sobre fados notorios lo; j corupativel cora a seguranga e inleresses esscm os armamentos caixoes de balas plvora e papis
o governo paraguyo foi o primeiro a utilisar-se da graves, lo repetidos, de tal maneira ligados iras eiaes do Brasil, e cesiou defacto, como segura-
BacharelFrancisco Azarias de Queiroz Bolelho, I conceSao dos alliados, porm por sua parte conr aos outros, que nao s justiflearara o ultimo- ao- i mente o tera notado o governo argentino, desde os
do lugar de juiz municipal do termo de Lavras, era ; servlo Alto^Paraguyo fechado a todas as bandei- peltoHMa razo eji justiga do governo^ oriental, |successos quo se produziram em frente de Pay
Minas Geraes.
Foi removido o juiz municipal e de orphos Jor-
ge Augusto de Brito loglcz, dos termos daCachoei-
i a e Monsars para o de Muan, todos na provincia
do Para, por assim o ter pedido.
Foraui declarados vagos os ollicios de partidor e
contador do termo de Garanbuns, na provincia de
Pernambuco.
Foi declarado de nenbura effeito o decreto de 8
de mua de 186a, que noineou o bacharel Henrique conimuon privada da navegagao exterior como an- anda raais inste dos seKnmentos que tiveram
de Souza Lima para o lugar de juiz municipal e de [ tes estivera a repblica do Paraguay, nao j pelo lugar durante o dominio militar do general
orphos do termo de Formigas, na provincia de m'so peder do governador Rosas, mas pela von- Oribe.
Minas-Geraes. |laae arbitraria do governo da Assumpgao. Assim: Nao sao delictos ordinarios, contra os quaes
i permanecen aquella provincia desde 1852 at 1856, fosse inteiramenie impotente a poltica da leon-
quatro largos annos depois de franqueada a nave- blica, os aggravos de que se queixa o governo im
ras, at a do Brasil, da Repblica Argentina < do como tornaram bm patente a loogam'midade de! sand, onde as armas do Brasil se achavam nat-
Estado-Orinlal, as quaes nao permittia passaralre que usara o governoimperial'em presenga de tan-. ramente alliadas as do exercilo oriental, cominan
da A>umpgao. Esta denegago do Paraguay nao tos aggravos recebidos anda deaois da sua gene- I dade pelo general Flores.
era una falla de reclprocidade : era.a posterga- rosa allianca de 1852.
gao de principios estipulados enlre o Brasil e a Seria longo e superfino referir aqu todos os
Repblica por ura tratado solemne, o de 25 de de- factos de violencia e flagrante injustiga praticados
zerabro de 1850. as pessoas e propriedades de subditos brasileiros
t A provincia brasileira de Mato-Grosso, que residentes uo Eslado Oriental, desde a poca a que
encerra em si elementos de grande prosperidade, o abaixo assignado se limita,
Foi declarada de I* enlrancia comarca de Aca-
rac, creada na provincia do Cear.
Por decreto de 31 do mez prximo findo foi no-
meado Irino Paes de Almeida para o lagar de se-
cretario da capitana do porto da provincia de
Sergipe.
Da ordem do dia n. 433 expedida em 31 do pas-
sado pela reparlgo do ajudante general consta o
segrate:
Nemeacoes.Do Sr. alferes reformado do exer-
perial. A questo nasceu de urna snccssso de
factos e de ura concurso decircumstancias que dao
gagao do Prata e de seus afUuentes por todos os
outros ribeirinhos.
t To injusto o irritante procedimento do gover- carcter de nosllidade internacional e systema-
no paraguayo estove a pottto de provocar urna : tica aos vexames praticados contra os pacficos re-
guerra com o Brasil : entretanto a soube evitar por \ sidenies Brazileiros. frala-se de crimes em que
sua moderagao, nao obstante os dispendiosos pre- os proprios agentes da autoridade publica appare-
parativos que j havia feto para sustentar pelas | cem comproroeltidos como autores ou cmplices
armas o seu direito. Em 1856 foram assignadas de crimes que por urna notavel coincidencia se
na curte do Rio de Janeiro duas conveugdes que' tem reproduzido quando predominan) no ge verno
pozeram termo aquel le conflicto. ; da Repblica os sentimentos de um passado qne
Urna destas convengoes adlava a questao de no interesse de ambos os paizes, devera ser de lo-
cito e tenente-coronel tambem reformado -a goar- limites, causa principal da contenda, porque o go- do e para sempre esquecide.
da nacional, Antonio Teixeira de Carvalho, para j verno paraguayo j nao admitlia neuhuma das so- O governo imperial e a sua legagao
O governo imperial tem hoje o direito e o de-
ver de nao limilar-se a simples reparago dos seus
proprios aggravos na luta armada a que o provo-
cou o governo de Montevideo.
< Nao s a humaoidade, mas-tambern a saa pro-
omittndo o quadrojpria seguranga exigera que contribua ao mesme
lempo para o rcstabelecimenio da paz da rep-
blica.
O governo imperial tomar esta dupla misso,
precedendo de acord cera o general Flores, a
quera reconheee como belligerante legitimo e no-
brcmenie dedicado aos mais sagrados inleresses
da saa patria.
< Tal e a deliberago que o governo imperial
julgou convenien.e manifestar olcialraente ao go-
prestaudo assim homenagera do
enterrados no fundo do carral da comrn andancia,
e tambem aigum armamento e munigoes se encon-
lraram as casas qae cora effeito mandei visitar,
como V. Exe vera' pela minuta junta.
O archivo parece completamente destrogado^
e os papis lomados sao os que se encontraran) en-
terrados com os 26 caixSes de plvora encartucha-
da, e 11 de plvora sola. No mais, nao se acha-
ran) seno comesliveis e trates, que nao pnderam
levar na fuga.
O povoado consta de cento e trinta casas, sen-
do trala pnneipaes, tendo um oratorio e um espa-
goso quartel, que cahe ao oeste da praga sobre a
ra L -verger. A commaodancia cahe a leste da
mesma praca sobre a ra de Santa Rila, poaenda
aqanrtellar quinheotos horneas.
< Nomeei para commandante deste ponto ao te-
nente cidado Paschoal Rivas, Qcando as suas or-
dens os alferes cidadaos Alelxo Gomes e Waldo Ji-
munes.
No dia 5 proponhe-me a seguir minhas mar-
chas sobro a villa de Miranda a curtas jornadas,
recrutador da comarca do Rio Grande, na provin-
cia do Rio Grande do Sul.-Porlaria de 18 do cr-
renle mez.
verti argentino,
seu respeiio aos pactos existentes e as sentimen- j para nao fatigar as cavaadas com o excssive ca-
los de reciproca confianga e estima que tera en- lor.
contrado da parle, do mesmo governo argentino. < No correr da persegugao tomaram-se varios
' O abaixo assignado aproveita e.-ia opportuni- papis, e eulre ellos apparecera as communicagoes
dade para renovar a S. Exc. o Sr. D. Kulioo de: jumas.
Elizalde os protestos da sua perfeila eslima e alta Deus guarde a V. Exc. muitos annos. Nioac
cousiderago.Jos Mara da Silva Paranhos. Janefro 3 de 1865.Francisco Y. Resqmn.
S. Exc. o Sr. D. RuGno de Elizalde, ministro e se-1 Viva a Repblica do Uruguay. Sr. ministro,
em Mon- j cjreiario de estado das relagoes exteriores da Repu- Tenho a honra de participar a V. Exc. que se
lugos que antes propozera, nemoulra mais vanta- levido foram solcitos era protestar e reclamar j-blica Argentina, i I achara em nosso poder Albuquerque e Corumba'.
josa a repblica que ento Ihe offerecia o governo, contra taes abasos ; mas, animados sempre pelos I O govercr argentivo respondeu nestes termos : O pavilbfio nacional trmula rrusta ulima, des-
imperial. A segunda assegorava bandeira bra- mais benvolos [sentimentos, confiaran) as segu-1 i Buenos-Avres, 30 de Janeiro de 1865.O abai-' do 3 do crrente, dia de minha chegada.
Exoneracao.Do Sr. capilao reformado do exer- sileira o livre transito pelo rio commum com esta' rangas que Ibes foram dadas, dissimulando nao xo assignado, ministro e secretario de estado dos I A populacao brasileira e guarnigo destes pon-
cilo Camillo Pinto Rangel, do lugar de recruiador restriegao, a que o imperio accedeu por amor da poucas vezes aos eus proprios olhos a flagrante negocios eslrangeiros da Repblica Argentina, tem tos tiiiliaiu-se retirado antes da nossa chegada por
paz, que s os navios de guerra poderiam passar antlhesc dos factos ante as solemnes promessas do' a honra de responder a nota de 19 do correte que noticias irausmillidas oppertunamente pelo barao
pelas aguas da repblica para o territorio brasilei- governo da Repblica. Tama moderagao e heno- \ dirigi S. Exc. o Sr. conselheiro D. Jos Mara da; de Villa Mara, segundo declarages tomadas,
ro do alto Paraguay. : voluncia podiara ter o effeito de um estimulo in- Silva Paianhos, enviado extraordinario e ministro j E;
da comarca do Rio Grande, na provincia do Rie
Grande do Sul.Portara de 18 do crreme mez.
Transferencias.Des Srs. alferes do 3o batalho
de infantaria Prancisco Galdino Nepomuceno da
Silva, do lugar de quarlel-mestre, para a flleira, e
Antonio Jos Gandie Ferreira, da fileira para
aquello lugar, como requereram.
Do soldado do corpo de goaroicao do Maranho
Estanislao Mariano de Barros, para o 6o batalho
de infamara, como requereu.
Licenras concedidas.aos Srs. capello-capitao
da reparligao ecclesiastica do exercilo, conego Je-
ronymo Mximo Rodrigues Cardim, tres mezes
cora sold e etapa, para tratar de sua saude.
Apenas promulgado o referido amlgavel accor-( voluntario em reiago ao mal que linba em vista
do, o governo paraguayo annullou-o de fado, su-, evitar ; porm o geverno imperial nao desejav*
juitando a navegagao commnm regulamenios que! desvar-se do seu pacfico e amigavel proposito.
' esperando do tempo e da accao espontanea do go-
eram a negago do estipulado e tornavam impossl-
vel lodo o cummercio interior com a provincia de
Mato Grosso.
c E' fcil conjeclurar o efleto que devia prodn-
zir a nova provocagao. no animo do povo e do go-
verno brasileiro. A guerra tornou-se urna vez
mais mminente ; o Brasil foi obrigado a novos ar-
mamentos ; comiedo, nesta emergencia o Brasil
Alferes do 7o batalho de infamara Joao Baplis- prefeno a paz, e pude pela saa prudencia evitar
ta de Menezes, 13 das para tratar de sua saude.
Menagem.-E' concedida aos Srs.: tenente do
corpo de esiado-maior de classe Antonio Vuelta
de Castro Tavares e alferes do corpo de eslado-
maior de 2* classe Clemente Francilo Tavares, na
cidade do Recife, provincia de Pernambuco; e
pharmaeculico alferes do corpo de saude Ainyu-
thas Silvano de Brilo, na capital da provincia do
Rio Grande do Norte.
Dispenca do ercico para estudar.0$>r. len-
te do corpo de eslado maior. de 1" classe-Clao Au-
gusto dos Santos Roxo desisti da dispensa do ser-
viro que tinha para estudar, aOm de ir servir no
exercilo era operages no Sul.
decorosamente aquelle recurso extremo.
O governo imperial propoz e firraou com toda
verno oriental a lerminago de um eslado de cou-
sas que era prejudicial a ambos os paizes e cujas
serias consequencias nao podlam furtar-se mais
tranquilla prevsao.
Desgraciadamente, porm, a experiencia veio
demonstrar que a prudencia e as mtengoes ben-
volas do governo imperial nao erm correspondi-
das, nem ao menos justamente interpretadas.
Muito longe de attendur aos reileirados avisos e
protestos que lo amigavelmente Ihe eram dirigi-
a boa f o arcordo que se conlm na convengao! dos, preparava-se o governo oriental para legil-
fluvlal de 20 de fevereiro de 1858. Esla conven-, mar o procedimento dos seus criminosos agenls
gao nao foi para o Brasil urna tregua a cuja som-, com urna reconvengao ao Brazil que, ainda quando
bra podesse preparar-seboro mais vanlagens para se fundasso em factos todos verdadeiros e pro-
rompe-la assim que Ihe conviesse. i vados, nao pnderia reveslir o carcter primitivo
t Nao : o governo imperial com a conscienca que so revela nos alternados de que lem sido viu-
dos seus direitos, e certo do civismo do povo brasi-: timas os subditos brazileros no territorio oriental,
leiro, nunca quz ver nos excessivos armamentos Esla afflrmagao nao falsa, Sr. minislro ; a
paraguayos mais do que o triste resultado da poli- j ausencia de lodo o senlimento hostil para cora a
llca milieulosa desse governo e do rgimen anor- Repblica de Uruguay por parle de Brazil, e o
mal era que ainda permanece essa repblica. 'sincero desejo do governo de Sua Magesiade em
Esperou sinceramente que o tempo e as suas reprovar e reprimir, dentro dos limites da sua so-
Foi concedida, para matricularem-se na escola benvolas menges detenuluassem por fim a con- \ berania e juiisdicco, quaesquer oflensasjaos cida-
preparatria" desta corle, se satl.-Dzerein as condi- verso daquelle governo aos dictames da paz e da \ des oneniaes, ser disiincco de classes nem de
goes para es;e fim exigida?, ao Sr. 2o cadete do 7o justiga internacional. Nestas disposigoes conava \ partidos, nina verdade que se deduz ineontesta-
batalnao de infamara Claudino Marrano de Olivei- o governo imperial, quando Ihe sobreveo o conflie- i velraenle dos actos os mais significativos. Para
rae Cruz, e aos soldados : do 1" batalho de arli- to com o de Montevideo, e se vio com espanto no prova-lo ah eslao os servlgos que a Repblica re-
i p Jos Patricio de Sant'Anna; do bala- Ro da Prata apresentar-se o governo da Assunip- cebeu do governo imperial duranle o periodo a
so defensor da independencia, que o abaixo assignado se refere ; as ordens ler-
do Uruguay, que ninguem minantes expedidas as autoridades locaes a res-
batalho da mesma arma, Jos Al- seriamente poda julgar ameagada pelo Brasil, pulo peito de cada um dos factos denunciados pelos re-
Brasil que a defender contra o poder de Rosas e clamantes orientaes; finalmente, a iniciativa ou a
sem o concurso a que o governo paraguayo se aceitayao amigavel de varias conferencias diplo-
obrigranucitado pacto de 25de dezembro de 1830. maticas ledenles a previnir os conflictos proprios
c n
nana a |IB lu.-i, muniu ui aaill OWU uu Udld- niU UU I IM aprU.-UUl.l
Ihj de engenheros, Godofredo da Silva Pego ; do gao cono o mais zelosc
Io batalho de infamara, Alfredo Gongalves Ma- da lepublira oriental
stamos pos de posse destes pontos sera quei-
plenipolenciario de S. M. o Imperador do Brasil, i mar ura s cartucho, lendo sido a fuga do iuimigo
Depois que o governo de S. M. o Impera-1 to precipitada que deixou como em Coimbra, toda
dor do Brasil dignou-se fazer ao argentino as de- a artilharia, armamento geral, munigoes e apeirc-
claragoes mais sinceras e solemnes sobre sua po-; cbos de guerra.
Iitica no coufliclo (|ue desgragamente surgi com j A canhonbeira Anhambahy foi perseguida e
o goveruo de Montevideo, que asseguiavain a tiel tomada por abordagem no dia 6 do correnle no rio
observaueia dos tratados com a Repblica Argn-; s. Loureugo pelos vapores desta dviso.
tina que garaiitein a soberana e independencia da
Repblica Oriental do Uruguay, s Ihe restava
cniDprir com os deveres da mais restricta neutra-
lidade que se havia imposto nesta questo por al-
tas consideragoes, superiores as justas causas que
podiam utonsar.o abandono
neutra.idade. ,
i O quartel de Dorados se encontrou tambera
abandonado.
t Os vapores Ipoza e Apa que fizeram o reconhe-
cimento do Rio de S. Loureugo aprezaran o ja' ci-
tado vapor Anhambahy, cuja tripulage perecea
de sua poltica de em parte, escapando-se alguns, e prisioneiros ou-
tros, eompurtando-se bizarramente o 1 lenle de
Comprehendeu, porm, S. Exc,oSr. presiden-' marraba, cidado Andr Herreros, a quem havia
te da Repblica que mesmo dcniro dos limites des-! confiado esta inisso e commandava o Ipoza, que
sa neuiralidade, e apezar da posigo excepsional; deu abordagem.
era que aclos injustificavels do governo de Monle- t Os vapores Taquanj e Mrquez de OUnda es-
vido o iiiihain collocado, os maiores iateresses dos; luo no quartel dos Doiirados, onde lambem o im-
povos do Rio da Prata e de lodos osneutraes Ihe. migo abandonou um grande parque,
impunham o dever de nao prescindir de fazer o j O povoado de Corumba' cahio em nosso poder
possivel para alcangar urna solugo amigavel das com a maior parte de suas casas saqueadas pelos
quesioes que iara produzir rainensos males deba
tendo-se pelas armas. Proeurou por consequencia,
urna solugo que infelizmente nao logrn obter,
vendo raaliograrem-se as esperanzas mais legiti-
mas e os mais decididos esforcos.
Lesde enlo creou se urna stuago que o im-
pedio de propender para evitar as calamidades de
poucos habitantes que se encontraran), porm des-
do a chegada de nossas tropas pz-se termo a tal
desordera.
* t Informado qae inuitas familias fugindo deste
povoado se acham medidas pelas maltas, dispuz
que dous vapores e forga de turra as recolham e
devolvain as suas casas, e neste momento me avi-
uma guerra que deseja vivamente ver terminada, san que chega o Paraguay cora muilas familias, e
ves Teixeira.
4
Entrou houtem noite do Rio da Prala o paqae-1
le inglez ilersey cora daias de Buenos-Ayres at 281 c Depois de numerosos actos pelos quaes o go-
e Montevideo 29 do passado. verno imperial deu provas inequvocas do seu res-
As nicas noticias positivas que temos, se que peito independencia daquelle estad? Iimitrophe,
onze vapores da nossa esquadra fleavam na barra j quaqdo o governo argentino, que tem com o do Bra-
do Santa Luzia por ras do Serr a- curta distan- sil estlpulagoes especiaes a esse respeito, fazia jus
cia de Montevideo, desembarcando artilharia e in- liga s intengoes deste, a simples duvida por parle
fantaria, emquanto Flores lendo vindo por trra : do governo do Paraguay era por s s uraa offensa
cora a sua gente e a nossa cavallaria estava tara- i iminerecida ; porm esse governo foi mais longe.
bem j sobre aquella cidade. A eslas horas pois j Erigindo-se era arbitro supremo entre o governo
tero tal vez principiado as operages por ierra e imperial e a repblica Oriental, dirigi ao primeiro
agua contra o ultimo baluartedogovernicho blanco, una oollflcacao ameagadora, que nada menos im-
A forga sitiante calcula-se em 12,000 homens. porlava do qe coarelar ao Brasil urna parle dos
Apesar das represeolagoes do corpo diplomtico seus direitos de soberana no conflicto em que se
e dos subditos francezes e mglezas para que se nao achava com o governo de Montevideo,
saenficassem vidas e propriedades n'uma resisten-' t O abaixo assignado refere-se aqui ola para-
da inmil, o governo de Montevideo est ou affeda guaya que corre impressa com a data de 30 de
estar resol vido a combater at o ultimo hemem. agosto ultimo, pela qual pretendeu o presidente
Tendo-lhe o mesmo corpo diplomtico em res-1 daquella repblica ingerir-se na questao a que era
posta a uraa circular pe^mdo auxilio para o eaw de lado esiranho, sob pretexto de pergo para a In-
de um ataque por agoa, declarado que uo poderte dependencia do Estado Oriental.
Dispesto, entrelauto, a aproveitar lodo o euse-
jo de poder realisar os seus jiais ardentes desejos
com xito provavel, tem de agradecer a S. Exc. o
Sr. Paranhos a communicago que dignou-se dirigir
ao. abaixo assignado, e expressar a confianga que
uitre o governo argentino na justa e elevada poli-
tica de S. M. o imperador do Brasil, de que, suja
qual for o curso do conflicto era que se acha com
o governo de Montevideo, o resultado da guerra,
nenhuina diniinuigo solfrera a independencia ea
soberana da Repblica Oriental do Uruguay, ga-
rantida por tratados c declaraces solemnes que
mu salisfatorio ver reiterar de modo to positivo
quando as uver desembarcado voliara' ao mesmo
objecto.
< Ernquanlo dou a V. Exc. urna parte detalha-
da, aproveito o regresso do 2 tenente Godoy na
vapor inglez tanger, chegado hontem, para dar o-
V. Exc. esla primeira noticia.
c Deus guarde a V. Exc. por mulos annos.
Acampamento em Corumba', 10de Janeiro de 1865.
Vicente Barrios.
AS. Exc. o Sr. ministro da guerra e mari-
nha.
Viva a Repblica do Paraguay.Sr. minis-
tro.Esla manha uve a honra de escrever a V.
impedir a acgo do Brasil, mandou elle destruir os
caes do desembarque, entquauto a sua polica pesa
com mo de ferro sobre os habitantes e a sua ira-
prensa espalda as mais absurdas invenges, para
alentar a defeza. Nesias pairanhas nenhuma folha
leva as lampas Reforma Pacifica. Segundo ella
o presidente do Paraguay, depois de se ter apode-
rado de Mtto-Grosso e suas fortlflcagoes, langou os
seus bizarros esquadrues em numero de 20,000 ho-
0 governo da Assumpgao nao definia a natu
reza e alcance da suaameaga, envolveu-a em mys-
teriosa reserva e ternou-a dependenle de urna
clausula,a oceupago do Estado Oriental por for-
gas do Brasil,qae nao se verifleoo, e que o go-
verno imperial tinha declarado eslar lora do seu
tenlo de medidas coercitivas contra o governo de
Montevideo.
A raspaste a semelhante pretenco e ameaga
mens ao Rio Grande do Sul, rujo territorio pisaram nao podia ser outra seno a que deu a legagao im-
a Ib, oceupando a 19 S. Borja com 4,000 homens,' perial na Assumpgao, fazendo sentir ao governo
e devendo a 28 estar na Urnguayana. Em Monte- paraguayo que o Brasil exercla um direito inhe-
video lia dez mil infantes que podlam sabir offe- rente a todas as soberanas, e que nenhuma consi-
recer batalha campal aos brasileiros e aos traidores derago poderia dello no justo e honroso empenho
de Flores ; mas estando j em marcha as legioes de defender a sua dignidade e proteger as pessoas
do Paraguay e prestes a levanlar-se as provincias e propriedades dos numerosos subditos brasileiros
argentinas de Corrientes e Eolre-Rios, nao convm
jegar n'nm nico dado a serle da Repblica, o o
governo ascenso lmilar-se a defensiva emquan-
to nao chegam os alliados.
Tal a lnguagem das folhas pe Montevideo, que
residentes no Estado oriental.
c A entrada de um exercilo brasileiro no terri-
torio da repblica do Urugay, sera que praticasse
aclo algum de oceupago, servio, nao obstante, de
fundamento para que o presidente da repblica do
era pode engaar os mais crdulos. Se, porm, Paraguay roipesse as relagoes de paz com o Bra-
consultamos a imprensa de Buenos-Ayres, vemos sil. A ameaga de 30 de agosio ultimo foi allegada
que todos o movjtnento dos Paragnyos na direegao come previa e solemne declaragao de guerra, para
do sul se reduz a terem reforgado as suas guardas justificar um abaso ioqaaliBcavel da boa f inter-
no territorio que oceupam margem esquerda do nacional com que ease governo iniejoa suas hoslili-
Parana, territorio disputado pela Repblica Argn- dades de guerra conlra o Brasil.
tina, mas de longa data era poder delles.
Separa-os porra anda da nessa fronteira larga
na argent.7 que elles nao pdera atravessar sera
inco..""1" D0 sibelli P#, Pelo presidente Mitre.
Depois, comtClo, qae LopJ mostrea capaz de
qualquer acto de loucura, bom. h f-siarmos aperce-
bids para ludo:
blica.
t Apezar do espirito hostil ao Brazil, que pare-
ca dominar na poltica do governo da Repblica,
e das sympatbias que por este motivo se mani-
feslavam entro os residentes brazileros a favor
da revolugo, ogjverno de Sua Magestade nao
alentou aquelle pronundamento; pelo contrario,
proeurou reprfmi-lo e manter-se perfeitamente
neutral na [uto inierna dos partidos orientaes.
t A mssac extraordinaria conflada ao zelo e
illustrago do conselheiro Jos Antonio Saraiva
leve por fim principal este duplo pensamento:
assegurar a neutralidade do Imperio edar garan-
ta de seguranga a vida e propriedade dos sub-
ditos brazileros,nico meio de disslpar seus re-
ceios e de acalmar seus natoraes resent raen tos.
t Fcil era ou seguir o resultado proposio se o
governo de Montevideo otivesse querido. Sabe
eutretanto o Sr. D. Rufino de Elizalde como aquel-
le governo receben a misso de paz enviada pelo
Brazil, e S. Exc. pede tambera dar lestemunhos de
que os esforgos do enviado brazlero, tao genero-
samente auxiliados pelo governo argentino, de
combinaco com o representante de S. M. Britni-
ca nesta capital, leria resultado a paz interna da
Repblica Oriental, e o acord amigavel que pro-
curava o Brazil, seogovorno de Montevideo na)
tvesse sido e primeiro a descoohecer a gravidade
de sua sitoago e a imprudencia de suas injurio-
sas repulsas ao Brazil,
Esgotados os melos pacficos, j nao restava'
ao governo imperial senao o recurso extremo da
forga. O governo de Sua Magestade assim o de
buquerque, onde ebeguei na manha do dia do
correule depois de 13 horas de navegagao.
'mmeuiatamente Iratei do desembarque da
U Sr. ministro tem coBbecimento da captura ,
insidiosa do paquete brasilelrj) Marques di OUnda,, tempo reflexo desse governo lmitou ao princl
que naegava, como de cosame, pacificamente pelo
rio Paraguay com destino provincia de Mato-
Grosso, e da prfio afflictiva a que foram reduzi-
dos alguns dos inermes passageiros desse vapor,
enlre os quaes; ach yira alto funcelonario brasi-
de dous paizes vizinlio- e lo intimamente relacio-
nados como sao o Brazil e o Estado Oriental.
c Tudo, porm, foi intil; a situagao dos Brazi-
leros residentes na campanda do Estado Oriental,
se tornou cada dia mais effeciivo, o, como era na-
tural, empeorou consideravelmenie logo que ale categrico na nota a que responde o abaixo as- Exc. pelo vapor inglez Ranger, dando urna parto
guerra civil rdea de novo no seio daquelle Esta- signado. delalhadadas operages que rae Irouxeram a.este
do. Nos perigos desta coniunctura despertou-se | Fazendo o governo argentino os mais arden- ponto.
nelles o resenlimento de todas as offensas ante-1 les votos pela coneluso do conflicto que tantos Depois Ja oceupago da fortaleza de Coimbra
riores, alguns mostraran) sympathias pela causa j males causa, de sorte que se reduzam a menor pela forga'do meu commando, tomadas as poslgs
da revolugo, e as fronteiras da'provlncia de S.' somraa possivel, curapro o agradave| dever de re- mais necessarias para a conservado desie ponto,
Pedro do Rio Granae do Sul se sentio a reper- Iterar a S. Exc, o Sr. Paranhos os protestos da mi-, e do immenso parque all tomadopuz em mar-
curso do grande abalo porque passava a Repu-' nha mais alta e divnela consideragao e estima. cha as forgas de operago, dirigindo-as sobre AI-
' Rufino de Elizalde.A S. Exc. o Sr. conselheiro
D. Jos Mana da Silva Paranhos. >
!?e c fabulosa, segundo todas as probabilidades,
a iuvjso do Kio Grande pelos Paraguayos, em i tropa, e despache! o leaente-corooel cidado Fran
Matlo-Grosso teein elles continuado a sua carreira j cisco Gongalez a explorar o terreno e a povoago
de devastagao. Sorprendern) perlo do Miranda [ pelo centro e flancos, dando esta operago era re-
uma partida de 200 Brasileiros, e tomaram sem | sultado a noticia do completo abandono da povoa-
resistencia Nioac, Albuquerque e Corumb. Por, gao pelos seus moradores, nao e:icontrando-so all
toda a parle o povo iudefeso dianle dos selvagens ; nutro habitante senao um negro de 72 annos de
em Corumba', porm, cahio era poder delles a nos- {idade. Deu este a noticia de que a guarnigo e
sa canhoneir Anhambahy, que por falta d'agua' os moradores haviam comegudo sua retirada a 27
nao pode seguir mais re cima. : de dezembro ultimo.
A peuca genle que ainda eslava a bordo atirou-' O vapor Rio-Apa foi destinado a visitar a era-
se a agua, e foi quasi luda mona a tiro. Alguns pn- bocadura do rio Miranda propramente Mboteiey,
sioneiros foram mutilados, cortando-se-lhes as ore- de onde regressou ao amanhecer, sem naver ob-
Ihas.queo pora levou a Assumpgao cufiadas n'uma servado cousa alguma.
corda. Seguudoadescnpgofelia por rana testenra-1 Na primeira uoite foi aprisionado um indivi-
nha oceular, commellerara os Paiaguayos em ter- do pla guarnico de Albuqnerqne, o qual decla-
ratodos os aclos de requintada barbaridade de que a rou que mulos habitantes se baviam refugiado nos
selvajara llies suggerio. Roubarara qaanto acha- montes I inmediatos; por isso ordenei ao tenente
ram, violaran) raulheres, insultaran), feriram, ma- Jura que bales-e aquellas immeaiagoes para aquie-
taran), nada respeltaram, mesmo subditos estran- lar e aitrahir aquellas pessoas prendendo as que
geiros foram suas victimas. No porto apprehende-: fossem suspeilas.
rara quantas embarcagoes encontraran). As cinco e meia horas da tarde do da seguin-
Ainda assim diante de Coimbra e na curta re-, te depois de baver encarregado do ponto ao alfe-
sistencia que pede offerecer a Anhambahy, perde- res cidado Flix era e de baver ordenado o em-
ram os Paraguayos mais de 400 homens. barque, puz-me em marcha para Corumba', tendo-
Os despojos opimos foram enviados a Assump- me ames assegurado de qne Albuquerque possue
cao, acompanhados das seguiotes partes offlciaes suffi'cientes recursos para a manutengo da guar-
sobre estes brilbantes fetos de armas dignos de nigo, julguei prudente continuar por agua com a
quem os pralicou : j forga de meu cornmando, d cora quanto haja ura
Viva o Paraguay I Sr. minislro. O coronel caminho-por ierra, nao possnia recursos sufflclen-
commandante da columna de operages sobre o rio tes para esta operagj, nem dispunha de pessoa
clarou francamonte ao de Montovldo no sea ulti- Mbotetey.Tenho a honra de levar ao conbeci- alguma de bastante confianga para servir de gjia
tnalum de 4 dei agosto ultimo e para dar largo menlo de V. Exc, que, proseguindo a minha mar- t Pelas informagoes obtidas, sabia alm disto
cha da colonia de Miranda a tres leguas de dls- que a pouco menos de 2 leguas abaixo de Corura-
pjo as suas represalias a medidas coercitivas das
meno rigorosas que autonsa a pratlca das nages
civllisadas.
Eiretanto, o governo de Montevideo respon-
tancia, recebi aviso ue meu segundo, o capito b poda dispr de um ponto de desembarque.
Blas Rojas, que levava a vanguarda que se apre- { Na tarde do da segainle, 3 do correute, che-
senlava a vista de urna columna de cavallaria bra-, guei ao lugar citado, e ordenei que a tropa de des-
silelra de 2 a 3,000 homens : ento Ihe dei a or-' embarque saltasse em trra, operago que se fez
'fc







den a este proGedlrnento com irrlso e novas pro- dem de qq) a batessem, arcplerando ea a minha' com brevidade.
/
ll
i\ /i-i
T


' y Blfl de Pernambuio Teiv" ttlr14 c Vcyevcho de 1843.

t Pelo Meado observado cas habltagois situa-
das as immediagdes se via o abandono do lagar,
e donato a notte se iteram exploragdes que na
manha seguinte levaram o capito Freitas, com
as qualro* companhias de intantaria encarregadas
daqaelle servigo, al a mesma cidade, de que lo-
mo u posse, recebendo a ooticia de que as aou.ri-
dades civis militares baviam fgido com sua
uarnico para (".ovaba.
< Ao mesnio ti rapo observcn-se urna baodeira
branca entre a povovoagao e e rio Apa; fui expedi-
do um propro para saber o que importava aquel-
lo signal no rio, e encontrando ein cannoho urna
canoa, aoreseMaram-se-Ihe os negociantes estrau-
geiros D. Nicols Canaria, Manuel Gabaza e Juan
Vicaba que vinham pedir auxilio e protecgo a es-
ta diviso contra os saqueadores de casas que des-
truiam a cidade abandonada, c sondo trazidos a
minha resenga deram circunstanciadas noticias
sobre o acontecido ein Corumb.
< Assim que recebi esta noticia mande a com-
petente ordem ao capito Freilas, destinando o l-
ente Gorosliaga com suacompanbia para alli res-
tabelecer a ordem.
< Segundo os dados obtidos os vapores brasilei-
ros Anliambay e Jaur, e a galeota Jacobina ha-
viam sahido com tropas do porto de Corumb, s-
mente um da antes de nossa chegada. Com esta
noticia exped os vapores poza e Rio Apa, que por
sen calado poJiam subir o rio S. Lourengo, para
perseguir os navios brasileiros, bera como para re-
coohecer e explorar aquelle rio; porm por falta
barcagoes partir seuio no dia 4.
Coufiei o coramando desta expedgo e explo-
rado ao Io lente de marinha cidado Andrs
Herreras.
cO lenle Jarano encontrn habitantes e smen-
te gado, mas nao avalles, porm lenbo noticias de
que o baro de Villa ik Alaria Um cavallos e mu-
las.
c A fuga dos chafes brasileiros foi lo precipita-
da qne abandonaran! todos os seus poderosos re-
cursos, se nao seas proprios soldados em difieren-
tes direeeoes.
c A arlilbaria lomada aqu compSe-so de 23 pe-
Cas de brome, das quaes remello 17, Qeando cora
seis.
A commissao naval de perseguirn c explora-
rlo eneontrou a 6 leguas mais ou menos cima de
Cofumb a galeota Jacobina, abandonada o atraca-
da trra. O teuenle Herreras maodou-a tripolar
e navegar rio abarxo, para apresentar-se ao capi-
to Meza, chefe da frota.
Das averiguacSes eitas a lal respeito, resulta
que esta erabarcago de propriedade eslrangera,
a mesma em que tiuliam subido rio cima as tro-
pas de Corumb' razao porque conservan a para
os servicos ulteriores como erabarcagao lomada em
servigo JoJinimiSo.
a Partner noticias de Albuquerque c principal-
mente para ver se obtinha alguns cavallos, despa-
cbei no da 5 o 2a lente Manoel Delgado com 20
pracas, o qual regressou dando conta da ausencia
daquella guarnigo, do reconhecimenlo do paz, c
de que nao encontrara cavailug e apenas gado vac-
cum em abundancia.
Nao sendo de faeil vigilancia a embocadura
do rio Mboteley niandei postar alli a guarda con-
veniente.
Quando nossas forjas aqui chegaram, a maior
parte das casas estavam abenas e saqueadas, em
presenga disto lomarain-so medidas diversas esta-
beleceiido-se- urna polica que responda pela segu-
ranza e tranquilidade publica. Prenderam-se qua-
tro estrangeiros criminosos no acto de roubar ca-
sas e serao julgados segundo as leis militares
t Na larde do dia 6 chegaram um cabo e dous
soldados brasileiros que vinham de Miranda em
canoa, c que foram aprisionados, a corresponden-
cia oficial de que cram portadores, na qual appa-
recem tres pecas relativas a' tomada das colelas
de Miranda e Dourados pelas forjas paraguayas,
como vera' V. Exc
a Este corrcio foi despachado da villa de Miran-
da no dia Io, e encontrou-se com oulro que levava
a noticia da tomada de Coimbra e de Albuquerque.
Como no quartel de Dourados silo a poucas
leguas da embocadura do S. Lourenco e a cerca de
30 cima desle poni podriaw ter encontrado re-
sistencia no Ipnra, no rio Apa, no caso menos pro-
vavel de que nao livesse sido abandonado esle lu-
gar, qne se pode chamar o arsenal militar, orde-
nei que os vapores Taquari e Mrquez de Ontla
para all segaisfeKS alim de se apoderaren) delle.
t Das declaracoes investigadoras tomadas aos
estrangeiros e Brasileiros resulla que o tenenle-
corouel Porto Carreiro, commaudante de Coimbra,
no momento de chegar a Corumb' tinha silo pos
to em priso, e mandado na qualidade de reo a
Cuaba' a bordo do vapor Corumb pelo com man-
dante de armas Carlos Augusto de'Oiiveira.
t Os vapores Anambay e Jattr partiram de-te
ponto na vespera de nossa chegada transportando
familias e tropa3. Um palhabote brasiieiro, urna
galeota e urna chalana, de propriedade wtrangeira
serviram tambera para o transporta de plvora e
de mais de 3,000 horneas de tropa.
i Os eanhes, munigoes e domis petrechos do
guerra que estao aqu foram tra;.idos, segundo pa-
rece, recentemenie de Miranda por disposgo do
commandanie de armas.
Segundo a declaraeiio do cabo vinrio como cor-
roio de Miranda, aquello ponto, esta' guarnecido
pelo 14 de caladores, com 9 ofllciacs ao mando
do capito Motta, contando com duas pecas de ar-
tilharia.
t A guarnigo brasleira de Corumb' tinba fei:
to preparativos de defeza, collocando bateras no
barranco da frente da cidade, e a tres quarlos de
legua abaixo, estendendo cadas atravs de rio
para impedir o passo de nossos vapores.
Na larde do dia 8 ehegou aqui de volta o Ypo-
za Irazendo a noticia do encontr e tomada do va-
por inimigo Anhambay, que, sendo avistado na em-
bocadura do rio S. Lourenco, foi perseguido rio
cima em sua precipitada fuga pelo Ypoza, sendo
mais lenta a marcha do rio Apa que o Ypoza
t Nesta perseguigo, e durante seis leguas, a
Anltambay fez um fogo vivo sobre o Ypoza, que,
sem responder, procurava dar-lhe cafa, como ef-
fectivamente deu, tomando-o por abordagem com a
sua tripolacao e poucos infames ao mando do alfe-
res Pedro Caray.
t O ultimo tirotjue deu a Anhambay antes da
abordagem matou o 2' lenle de marinha cidadao
Gregorio Benilz, que guardava bern o seu posto,
sendo essa a nica perda que livemos.
c A maior parte da tripolacao da Anhambay foi
mora, atirando-se ao rio, de onde se salvaram al-,
guns, fazendose sete prrsioneiros, entre os quaes
se acha o immediato.
c Logo que o lente Herreras tomou a Anham-
bay arvorou no seu tope a bandeira nacional, e tri-
polandd a seguio em perseguigo dos outrus vapo-
res brasileiros, depols de ter despachado o Ypoza
a communicar-me a noticia do succeaso. os prisio-
neros tomados e o aviso do recente abaudono do
quartel dos Dourados com muitos artigos de
guerra.
i O Taquan e Olinda achara-se actualmente no
quartel de Dourados, d'oode tambem trouxe o al-
feres Fernandez, commaadante do Ypoza, 4 pegas
e lanchoes carrejados de plvora e outros arti-
gos bellicos.
O Rio Apa acompanha Anhambaye dentro de
poucos das espero noticias da oxplorago e perse-
guigo encarregada ao tenente Herreras.
Vochegaudo as familias que se procuram nos
desertos deslas mmediag ;s. A populago deste
lugar debandou-se pelos montes e pantanos, em
consequeoeia das aterradoras noticias que Ihe fo-
ram c.jinmunicaJas pelo baro de Santa Mara, e
confirmadas pelos fugitivos de Coimbra.
t Dos guardo V. Exc. muitos annos. Acam-
pamento de Columba, 10 de Janeiro de 1865. Vi-
cente Barrios.
Aguarde o Paraguay que nada perder por espe-
rar. A sua liora ha de chegar-lhe.
Da liepuhliea Argentina apenas podemos noli-
ciar alg urnas agitaces na provincia de Santa P
por causa das eleiges, agiuco que as folhas de
Montevideo procurara elevar a cathegoria de con-
tlagracao geral.
Nao recebemos a nossa correspondencia parti-
cular.
fas repdblcas do Pacifico havia noticias que al-
esneao do Pr at 17 de dezembro, e do Chile at
2 de Janeiro.
Segundo ellas a almjsphera cada vez se carrega-
va mais, e o Per acb -se Incapaz de fazer a guer-
ra, pareca prximo a urna grande humilhacao.
O mesmo Chiie se cepntava ameagado pela Hes-
pinha, e o coagresso americano nada resolva.
Tinham | chegado s Chinchas as fragatas hes-
,paubolas Bereuguela, Villa de Madrid e Blanca.
-3-
rPor decretos do i de corrente foram nomealos :
iCato da Cmara Darrellos, administrador das
capatazias da alfandega de rrugnay'aopa.
O 2' eicrnturario da dita alfandoga Francisco
Rabello de Cirvalho, 1 escrlpturario da mesma
( repart 550.
! O amanuense da rocebedoria de Pernambuco
Jos Baptista de Castro e Silva, 2U conferente da
i alfandoga da mesma provincia.
O chefe de sergo da thesoararia do Plauhy Can-
1 dldo Jo Pereira, 1 e^ripturario da alfandega
do Rio-Grande do sul.
O porteiro da thesoararia de farenda. u Ilio-
Grande do Norte, Joo Viconte Muroelly, para o
lugar de ihesoureir'o da thesoararia de fazenda do
Amazonas. .
1n f
Por decreto de 31 de janelro foram creadas mais
doas c Hiipanhias do corpo de imperiaes marinhei-
ros, e:n virtude da autorisago dada pelo arl. 1 g
3 da lei n. 1,264 de 13 de maio do anno passado.
----- i ni ib ----------
Pelo patacho Monteiro I, entrado hontom, rece
bemos folhas do Ro-Grande al 24 do corrente.
I \ nica noticia importante que encontramos a
i seguinte, sob o litlo Approximacao dos Mancos,
! que se l na Commercial da ultima data :
i Pelo vapor de guerra tu mnense soubemos
que orna forga blanqutlha entrara em Serr Lar-
go; o vapor Guarany confirma esta noticia, lendo
ahido da e meio depois do Fluminense. Com lu-
do, ha divergencia sobre o numero de nomens que
conipoem a furca e sobre seus chefes : uns querem
que seja de 2,00o horneas, otros de 1,200, com-
mandados pelo Langa Secca, Apparicio e Munhoz.
Jaguaro est previnido cora armamento e petre-
chis de guerra, e portanto livre de um golpe de
mo, embra hoovesse bastante susto logo que se
recebeu a noticia da entrada dos blancos em Serr
Largo. >
O Diario e o licho do Sul do a mesma noticia ;
para esta ultima folha, porra, parece carecer olla
de conlirmagao.
No Diario de 21 l-se :
< Hontem pelas 11 horas do dia, estando lavn-
dole as prisoes da cadeia civil, o preso Alexan-
dre Jos Coelho, soldado de linlia, chamou gra-
de onde se achava a um outro soldado tambem
! preso, Manuel Estanislao de Sanl'Aona, que esta-
1 va na rea da cadeia, porque nessa oecasio lava-
I va-se a sna prisio, e sem mais nem menos deu-
; Ihe urna lacada no peito, sobre o lado esquerdo, e
j jogou a faca fra.
O preso ferido foi conduzido para a Santa Ca-
sa e o aggressor meltido em ferros.
-6-
Por decreto* de 4 do corrente :
Permiltio-se que os padres Carlos Augusto Pei-
xolo de Alencar e Miguel Francisco da Frota, pa-
1 rochos collados, este na igreja parochial da cidade
1 do Ico e aquelle na de S. Jos de Riba-mar da c-
\ dade da Fortaleza, ambas da provincia e bispado
do Cear, permuten) eotre si as respectivas igre-
Jas- _______ ___
Por decretos de 3 do corrente foram nomeados :
O dezembargador da relacao do Rio de Janeiro
D. Francisco Balthazar da Silveira, para o lugar
i de procurador da cora, soberana e fazenda 11a-
| conal, na mesma rolacao.
O drzembargalor Jeronymo Martiniano Figueira
de Mello, memoro da commissao que teni de exa-
minar o projecto do cdigo civil do imperio.
O bacbarel Antonio de Souza Lima, juiz munici-
pal e de orphos dos termos reunidos de Carinlia-
nlia e Monte-Alio, na provincia da Ba*ha.
O capito Joo Victorino Ribeiro, tenente-coro-
nel chefe do estado-maior do commando superior
da guarda nacional do municipio de Chaves, na
provincia do Para.
Foi designada a comarca de Sean de 1' entran-
ca, na provincia da Parahyba, para nella ter exer-
ccio o juizde direilo da exlincta comarca da 'Vi-
cosa, na provincia do Cear, Fernando Maranhen-
se da Uinlia.
Foi marcado o ordenado animal da 6009000 ao
pron)olor publico da comarca do Acarac, ultima-
mente creada na proviucia do Cear.
Por portara do 1 do correnie foi nomeado ama-
nuense da 2* directora geral da secretaria de esta-
do dos negocios da guerra o soldado do 1 batallio
I de artilharia a p Gerahlino Gomes Pacheco.
Por portara da mesma data foi exonerado o te-
I nenie-coronel Gabriel de Araujo Costa, do lugar de
reerntador do 3" districto da provincia do Piauhy,
11. nomeado por outra portera de igual data para o
mesmo lugar o bacharel Jos Conolano de Souza
I Lima.
Por decretos de 3 do corrente concedeu-se refor-
I ma na confurmidade das disposigoes do % 1 do
arl. 9 da lei n. 648 de 18 de agosto de 1832, ao
I lente do 2 batalho de miutaria, Jos Caetano
j da Silva, vis'to suffrer molestias incuraves que o
.tornara incapaz do servico, e bem assim, e com o
respectivo sold por inteiro ao anspeoada do 4 ba-
talhao de arlilbaria a p, Jos Vicente Ferreira da
' Costa, na confurmidade das msposiedes do 3o do
'. plano que baixou cora o decreto de 11 de dezem-
! bro de 1813, vista achar-se impossibililado do ser-
: vigo em consequencia de ferimentos que recebe-
cm acgo do mesmo servico.
Por portaras de 3 do corrente foram nomeados:
I Manotl da Silva Belra, para o lugar de agente do
1 corr-io da villa do Poxim, na provincia das Ala-
gcas; Francisco Ferrer de Salles, para o de agen-
to do correio da freguezia d.< Tal.alinga, na do
Amazona*, e Raymnndo da Co>ta Mauris, para o
deajudmte do da villa de S. Raymnndo Nonato,
na provincia do Piauhy, vago por nao o ler queri
do aceitar Ravmundo da Silveira Bastos.
O mrafalro dos curtos lie Turn tambem expedlo' em iiegociagSes vantajosas com os estabeleeimea- A nomeagSo do general Kalergis para um alio car-
aos prelados das dloceses italianas urna circular, I Ios de crdito, negociagoes a que coocorreram mui- go da corte que Ihe d a maor influencia junto do
recordando que a encyclica e docomeoipsaaneO'to,caPjlal'slas estrangeiros. rei, levou a desintdligencia ao seio do gabinete,
esto sujeitos ao beneplcito regio, e que *_goveroo' As cidades italianas de Fiorenga, Bolonha. Bres-: que resolvau pedir a sua demissao.
se reserva decUrar no decreto de concessao do re-! ti e valenga, celebraran) nueliogs em que se vo-1 a Grecia lula com graves diffieoldades, os part-
gio beneplcito, qnaes as clausulas e restriegoes 'arara peticoes para reclamar do governo a aiwli- dos Irabalham incessuntemente, e agiiagao lava
com que a eneyelica pode *er publicada e execu- i ao das corporagdes religiosas, e a conversao das era todo o paz, cora grande prejuizo da ordem pu-
laila no reino e quaes as parles qae deem ser s propnedarJes de mo mona. Esta ultima queslo blica, e da seguranya particular em muitos pontos
excluida como contrarias s iostiltcoea as IcisiJ foi apresemada no paMametiio pelo deputado da do reino,
do estado. *or**- A sitoago fioanceia da Turqua nao satis-
A eneyelica foi publicada em alguns boletins A propos la foi enviada a commissao que deve I factora. O governo emprega todos os meios para
ecclesiasiieos de Hespanha por ordem dos trisos examinar o proyecto de lei acerca da suppresso 1 dar cumprimento aos seus encreos. Nomeou-.-e
para ser lida pelos parochos aos seus paroclnanos. | das corperagOes religiosas, asnumpto de que a ca- urna commissao para estudar o systeraa que se de-
O awebiepo de Valladahd, acompaimou a encyeM-1 roara tem brevemente de se oceupar. I ve seguir ua eobranga dos tributos, grande parte
ca de urna pastoral em qoe lembra aos seus dio I 'ein bavido tambem muiloi meeiiogs, pediado a. dos quaes nao tem entrado nos cofres publicos.J
cesan 3s o dever que tem de enmprir e acceitar ta- boligao de pena de morte; quando o parlamento' O governo prope-se realisar urna grande econo-
do quanto diz o santo paire. Este facto, segundo se oceupar deste assurapto, como as opinides sej mia no exercilo, j licenciando os soldados, coja
asseveram os jornaes hespaohoes, produzio grande acham inuilo divididas, alguns deputados tencio- instinegao militar se julgar sufDcienle, j suppri-
sensagao em Madrid, esperando-secomavidez a re- nani conciliar as opinides propondo que a abodgo mindo o recrutamento deste anuo,
solugao do governo sobre-este assumplo. O go- da pena de morte s tenha carcter execulivo de- i Ominstro da faaenda apresentou ao sultao oor-
verno nao recebeu noliflcagao offlcial da ancycli- pois do 1" de Janeiro de 1870. 1 carne tilo official, que longc de ser um quadro fiel
ca, mas em presenca do effeito prodiuido no paiz, O parlameuto prussiaoo abrlo-se a 14 de ja- do estado da fazenda do imperio offerece um exce-
deu cumprimento s leis sobre bullas e breves neiro. dente de quatro milhoes.
pontificios, e consullou o conseiho de estado. O rei Guilherme leu o seu discurso, em qne dia O sultao, que conhece o estado do paiz, nao se
O que se collige dos artigos publicados pela im- ao parlamento que a Austria e a Prussia se uniram deixou illndir, e ordenou ao ministro para entrar
prensa ministerial bespanhoia, qoe os actos do e eoulrabirain urna intima-allianga, cuja base est nos seus cofres particulares com a indicada som-
governo denotam, apesar da violentaopposigaoque cimentada nosseniimenios alleuies dos dous so- ma, dizendo que a quera apphcar construego
encontram nos partidos, as tendencias Irberaes que beranos; que a |iaz cbnslruida cora a Dinamarca de urna fragata blindada I
se Ihe attribniram quando foi chamado aos conse- cpm que a Aitemanlia recuperasse a sua fron- Publicou-se nm firman imperial sobre a impren-
Ihos da corda. i leira septentrional; que a sua tarefa era assegu- sa. Esta lei contm 2o artigos; os jornaes licam
Em Inglaterra tem toda a imprensa entrado nes- j rar essa conquista por raeio de inslituigSes e o seu sujeitos a urna autorisago previa, a advertencia e
la qoestocom seriedadee imparcialidade. O par- dever de honra era proteger a dita fr-uleira, per- a suspensao, como acontece coma liberdade da
tido tory porm, que sempre se havia opposlo miltindo aos ducados que erapreguera os seos re- imprensa francoza ; mas a suspensad nao exceder
emancpagao dos calholicos, que em consequencia cursos para o deseavoivimenlo tas forgas ierres- de um mez e s no caso de reincidencia poder a
da reforma tinham sido postos fra da lei, tira da tre e martimas da patria coramum; que deseja- condemnagao duplicar.
eneyelica os seus argumentos para conibaler a obra! a vivamente regular a desintelligencia que existe O jornal podera ser supprimido por ordem ad-
de Rroogham, Rupell e Peel. eB""t o governo e a cmara; e que eslava resolv- mioslrativa, quando ver sido condnmnado tres
Em geral o mapp.i da nago assiste indilTerenle do a respeilar os flireitos que a constilulgao oulor- vezes judicialmente. E-ta disposteao oxtrahida da
ao debate; e alguns jornaes. eentreelles o Dai/y-.B aos representantes do paiz,; mas que se a Prus- lei da imprensa franceza de 1832, mas que foi pos-
News vendo o conflicto entre o governo e o clero, sia finlia de sustentar a Independencia da sua ele- teriormente modificada, por se ler reconhecido os
francez, s exclue urna solugao na reparagao abso- va(la posigo entre as grandes potencias, o gover- inconvenientes que dt-lla resultaran),
lula dos dous poderes. no devia str forte, e que nao poda chegar a en- As oulras disposigoes da lei ollomana contm pe-
A imprensa hespanhola, analsando estes arti- tender-se com a representago nacional, como para as mu i lo ligeiras, parece que esta lei satisfaz os
gos nota que semelhantes arganientos sao tambera sustentar a organisago do exercilo. jornaes turros, armenios, gregos e bulgarios por
applicaveis igreja anglicana, com o estado de t A cmara oceupeu-se da verifleago dos poderes isso que as anteriores condigoes pesava subte a im-
Inglaterra, onde os dous poderes ainda esto mais annullando algumas eleiges por illcgaldade. A prensa,
confundidos, e onde o chefe da igreja o proprio amiga mesa da presidencia foi reeleita, e o presi- A insurreicao de Tunes recrudecen ultima-
DIARIO DE PER^AMRUCO
As cartas e jornaes da Europa, de que foi porta-
dor o vapor francez Beam, alcangam : de Ham-
burgo a 20, de Londres, Paris e Bruxellas 23, e de
Lisboa 30 do passado.
O episcopado francez declarou a guerra ao
governo e s leis imperiaes. Mais de 18 bispos e
arcebispos tem feito as catliedraes o leitura da
eneyelica, sem excepgo da parte que havia sido
prohibida, acompanhando este acto de palavras |
hostis ao governo era quera nao reconbecem o di-
reilo do voto.
Alguns prelados tem mesmo respondido ao mi-
nistra dos cultos, manifestando o seu sentimento '
pela ordem prohibitiva.
O governo em vista da attilude do clero reuni-
se em conselho, presidido pelo imperador, e tratou
desle assumplo. Depois desta reunio o negocio j
foi submrttido ao conselho de estado, peraote o
qual dt-vem responder alguns bispos por abuso de
auiondade.
As leis francezas permuten) qae os bispos per-
cam as suas inmunidades, tirando sujeitos acgo
dos tnbunaes, e impoem ao ministro dos cultos
penas severas seno cumprir os seus deveres para
com o estado.
O arcebspo de Besaogon chamado peranlo o
conselho de estado para responder pelo facto de j
haver feito a leitura da parte prohibida da eney-!
clica, sollicilou autorisago para responder pelos j
seus actos perante o congresso, mas segundo a
organisago do conselho de estado, seodo as sur.s
funecoes administrativas, parece que o pedido do
bispo nao ser allendido.
Assevera um jornal hespanhol, que corra a no-.
ticia de que a eneyelica sera lida no dia 2 de fe-
vereiro em todas as Igrejas catholicas de Pranga,
Blgica, Italia e Portugal, e que tendo o imperador .
Napoleo noticia deste facto expedir um despa-
cho ao seu erabaixador era Roma, para que Hzesse
constar ao cardeal Anlonelli, que se tal cousa
succedesse, nesse mesmo dia evacuaran) as tro-
pas francezas a cidade eterna.
Asscgura-se porra que o arcebspo de Paris est
de accordo com o governo para observar estricta-,
mente a concordata ;e se algum dos merabros do)
clero diocesano contrariar as suas disposig5es,
a autondade civil deixar ao arcebspo o cuidado
da represso.
O imperador Napoleo porm nao se mostra
mudo preoecopado com a attirade do episcopado
fnmcei; diz om correspoodenle de Londres que o
imperador estuda actualmente alguns documentos
qne se referen) s relages entre o estado e.a igre-
ja, inferindo-se d'aqui" que o discurso do throno,
a 1S de fevereiro, alludir extensamente aos ne-
gocios de Roma, e esperam-se algumas medidas
tendentes separagao completa da igreja do es-
tado.
Carlas de Roma afflrmam que. as relages. ot*e
a corte imperial e a corle de Roma nao tem sofri-
do alterago. J depois da putyicagfio da encycli-
ca, o cardeal Aotraelli assiio a um jamar dado ,
pelo representante da Pranga, e a urna festa que I
nouve na legago imperial- I
soberano, que o pontfice magno da igreja re
formada.
A Prussia e a Austria acham-se tambem obriga-
das a appellar para as estipolag5es das suas con-
cordatas com a corte de Roma.
Asseveram alguns jornaes ministeraes das duas
potencias que os seus governos, cujas autorisagoes
necessaro para a publicado da eneyelica, tra-
tara de se entenderem com os membros mais in-
fluentes do episcopado calholico da Austria e
Prussia.
Na Allemanha causou tambem sensacao a publi-
cagao da eneyelica, e no grao ducado de Badn era
que existe um conflicto com a Santa S, sobre a
reorganisago das escolas, julga-se que a parte da
eneyelica que trata das escolas, directamente
destinada a anathematisar aquelle conflicto. Ura
artigo publicado na folha offlcial d'aquelle ducado,
mostra evidentemente que tal o pensamenlo do
governo.
Cartas e despachos de Londres afflrmam que o
cardeal Andrea fra intimado a regressar inme-
diatamente e Roma, devendo adoplarem-se medi-
das disciplinares rauito severas, se deixar de cum-
prir esta ordem.
Diz-se que este cardeal trabalha activamenje em
Nopoles para facilitar um meio de coneiliago en-
tre a llalla c a Santa S. As demonstraces qne
tem tiavldo entre esto cardeal e o principe Hum-
berto, servem de iherna a todos estes boatos. A
imprtnsa tem alludido a conversas particulares do
cardeal Andrea no sentido mais liberal possivel,
mas tambera publicou urna carta que se Ihe allr-
bue em que este prelado, sem se affastar dos prin-
cipios lberaes, repellia certas ideas que Ihe erara
imputados e que elle julgava opporem se as dou-
trinas que devia professar romo membro do sacro
collegio. Unas e oniras asserces podem ser
destituidas de fundamento, e ainda que os malores
desejos deste prelado fossem nma conclliagao am-
pia da Italia com Roma, o cardeal Andrea nao goza
no sacro collegio a influencia necessaria paia fazer
vingar as suas ideas. *>
O Monileur francez reproduzio o relatorio
apresenlado ao imperador pelo ministro da fazenda
Mr. Fronld, expondo a situago actual do thesouro.
Nestedocumenloalfima Mr. Fronld que o orcamento
de 1863 deixara um dficit, inferior ao not*4tH
euquiaid milhoes de francos; que o de 186't
equilibrara provavelmonie a despeza coma recela;
que no orcarneiuo de I86'i, as despezas militares
havia de solfrer urna dinmitiigao de 21 milhoes no
ministerio da gaerr*, c 22 milhoes, no da marinha,
o i|ue forma um total de 44 milhoes de francos
aproximadamente as despezas do exercite e da
armada. Que no anno do 1866 espera conseguir
nina somnia de 18 milhoes de francos, procedente
das sobras do exercicio de 1863; que esta parcella
podera augmentar consideravelmeiilo n'uin prxi-
mo futuro, se, como de esperar, porm dimouin
do e dcsapparer.cn la as despezas extraordinarias
da guerra e da marinha, que anda figuran) no
rgameuto certificado de 186o, pela quautia de 63
milhoes de francos; que"estas quantias conslitui-
ro ama reserva eoadderavel do fundos.
Mr. l'ould allirma que os apuros monetarios de-
Sa|ipareceram, e que, os negocios parece dsverem
recobrar prximamente a sua habitual animago,
e que os rendiniintos nao podero deixar de aug-
mentar com aactividsde docomraercio e da indus-
tria; o ministro da fraude diz que estes resultados
sao devidos a contianga que o governo do Impera-
dor inspira, e a eonviceie que a Europa tem nos
senlinieiiios pacficos que animara o imperador Na-
poleo.
O parlamento est convocado para 13 de feve-
reiro.
No dia 7 do corrente devia abrir se o parla-
mento britanuico, e a ultima, lesead da actual le-
gislatura. Continoam a correr os boatos da abdi-
cago da rainha Victoria, que nao deixa a sua re-
sidencia do Osborn.
Diz-se que a rainha encarregara o principe de
Galles do assislir a sesso da abertura das cama-
ras, sendo esle faci apodado como om indicio da
resolucao da soberana, pois lera sempre lido pra-
lca em Iuglaterra, abrir-sc o parlamento por com-
missao precedida por ura dos merabros do gabine-
te, na ausencia da rainha.
Affirma-se que o gabinete est resolvido a dimi-
nuir as despezas militares; urna parle da impren-
sa nao approva a idea do desarmamcnlo.
O Globe eotre outros jornaes diz sobre este as-
sumplo que a Inglaterra nao pensa diretto em re-
nunciar a tomar parte as eemplicacoes externas
que alTectam os seus ioteresses; e que ha ura raeio
termo entre o systeraa da santa allianga e as dou-
trinas ultra-pacillcas dos Srs. Brighl e Cabden, e
que esse meio termo o que convera a poltica 111-
gleza, e que necessaro estar preparado para to-
das eventualidades.
O governo tenciona propr a cmara um aug-
mento na dblago do principe de Galles, cujo orga-' um desembarque no Bltico.
dente Mr. Grabon em um enrgico discurso, lern- mente. Os rabes da tribu do Ounfa, que no
brou .a c.am.ra as perseguices que se tem feito principio da insurreicao tinham morto o general
aos lberaes, aecusando o governo de querer aba- Jarhat, invadirn) com quatro mil cavallos o aeam-
far a opimo publica, e a vida constitucional por pamento das tropas do commando do general Ros-
meio de exploragoes militares. j ton. Sorprendidos os soldados do bey, resistirn)
Este discurso do presdeme causou grande sen- cora energa durante seis horas, e conseguirn)
sagao. : por em fuga os insurgentes que deixaram em |hj-
L'm dos membros do ministerio protestou em no- der do general Rosion muitos priaoneiros, e no
me do governo, contestando ao presidente da ca- campo da batalha grande numero de soldados mor-
mura o direilo de manifestar as suas opinides no los e leridos.
acto de entrar no exercicio do seu cargo presiden-' Esta batalha e a noticia da submisso das povo
cial. ; voag5es do littoral produzio em Tunes o melhor ef-
0 ministro iamentou que se livesse proferido um feito. Entretanto o herdeiro presumptivo do bey,
discurso que ha de prodnzir penosa impressao no frente de un.a columna de sete rail infantes e
rei, e no paiz, tornando difncil o accordo que todos dous mil cavallos cora a correspondente artilharia,
desejvam; mas que o governo nao renanciava s eslava era marcha para percorrer as provincias da
intengoes que tinha de promover esseaccerdo em regencia, cobrar as con'.ribuigSes e fazer rcspeitar
tudo quanto poder concilja-lo com o seu dever e as autoridades do soberauo.
com os direitos da cora. Este golpe dado na insurreicao deixava esperan-
A cmara parece disposta a nao responder por. gas de que a ordem se restablecera complta-
melo de urna mensagem ao discurseada coroa ; en- mente ; mas informagoes de quem conhece a mlo-
iretanlo ura deputao apresentou em nome da frac- le dos povos da regarcia, fazera suppor que os 111-
gao catholica ura projecto de mensagem em que. surgentes arao novas tentativas, nao s pelas for-
respondeudo as palavras roaos, relativas ao conllic- gas de que podem dispor, mas pela falla de recur-
to coustiiuciooai, diz nao haver accordo possivel sos da parte do governo do bey.
entre a cmara e o governo, sem que esle reconhega | A queslo da Hespanha rao Per conli-
os direitos conslilucionaes do parlamento ; direilo na no mesmo estado ; o almirante Peizon chegoo
que ha tres annos desatiende, governando cm or-! a Madrid,
gamentoregularmente volado. Coniiua a fallarse em crise ministerial em
Quauto a reorgamsagaodo exercilo pede que o Hespanha.
Aflrmava'se que o goreV.'10 porluguez Ihe nao da-
ra o exequtur. Parece qtl e tratava de renovar
na cmara dos deputados f**lti*a de um
projecto da legislatura transarla pari* a liberdade
de coitos.
N'um'a reuniao dos representanf^s a ft5S0 af-
fectos ao govenio, o presidente do conselic, duque
do Loul, declarou que dcsejavS c era preciso que
entre os amigos do governo reinasse a mesma har-
mona qne reinara entre os ministro?. Apezirde
Indo corrtinuava a fallarse em Lisboa n'nma re-
composicao ministeria', em que entrara o conde
de Torres-Novas.
u hrpler, da companhia de Liverpool, tlnha sahi-
do de Lisboa para os portos do Brasil e Rio da Pra-
ta a 27 de janelro.
O parlamento funreronava rcgalarraenle ja cons-
tituido em conformidade das disposigfies da carta.
No dia-28 principiara a disrnssao da resposta
falla do throno, onde a opposigo contava dar ba-
talha.
Fura distribuido o jirgamento pera! do estado,
acabando com todas af derrucedes qoe ainda se fa-
ziam aos funccionarios pobricos.
As empiezas, do Jornal do Commercio e da Cor-
respondencia de Portugal tinhara-se fundido.
A' ultima hora, diz-nto o nosso correspon-
dente de Lisboa :
/'. S.30 de Janeiro. Votoo-se ante-honiero
mesmo sem discuso o por unanimidade o proje'-to
de resposta falla do throno. A opposigo emen-
den que devia considera-lo como mero cnmprimeu-
to ao chefe do estado.
t Pallava-se hontem com mais insistencia na
sabida do Sr. Lobo d'Avila do ministerio da fa-
zenda.
Indlpitava-se para snbstitni-lo o Sr. Eugenio
d'Almcida, par do reino, noticia que merece reser-
va, pnis a verdad* que esle cavalleiro Indica-
do |ielo grupo regenerador para a pasta das finan-
gas, quando por ventara esse grupo torne ao po-
der.
O Herskell, que vpo do Brasil. Trouxe 526
pessoas de tripolacao da ho iogleza Btmbay, in-
cendiada em Montevideo.
Temos vista jornaes do RioeBabia, dos quaes
foi portador o vapor loglez Oneida, com datas do
pnmeiro al 8 da segunda at II do correrte.
As importantes noticias da corte e Rio da Prata
vo sob as rubricas Porf* oficial e nleriov \ el-
las apresenlamos o seguinte :
Rio de Janeiro.Do Io a 7 do corrente expedi-
rain-se para Soulhampton 172:2643400 em barras
o moedade-ouro, para Lisboa 1:6605 em dita,
para Montevideo 19:3005 em dita, e para Pernam-
buco 7:40em prata miuda 83:3005009 em
papel.
O cambio regalara : sobre Londres 23 26
l|8 d. ; sobre Paris 366 373 rs. ; sobre 8am-
burgo 693 rs.; e sobre Portugal 109 i 112 V
O assucar de. Pernambuco havia soffrido a
baila de 200 a 300 rs. em arroba. O algodao
vendia-se a 235 e 265.
Chegou no dia 16, de Pernambuco, com II
das, o brigue escuna Nao Sei.
Saluram para Pernambuco : I. o brigue
Trovador ; e 6, o brigue escuna Xo Sei.
Baha.Do Joma/transcrevemos o que segu :
t Illm. e Exra Sr. Seutindo o nu coraco
profundamente abalado pelos ltimos acuiiteci-
menlos, que bao tido lugar no sul do imperio, e
sentiudo renascer ern minha alma o santo fogo do
patriotismo, com a raesma vehemencia dos tem-
0 ministro da'fiznda Sr. Tamiia- l")S lia meraoravel guerra da Iodependenc.la, nao
governo ceda do" principio do servico "militar que lan insiste em querer lomar s a responsabilidade l'0*so por mais lempo conservar-me recolhido a
existe ha dous anuos. ; dos projectos quo dizem respeito a reiiartigao a viua domestica, e impellulo por urna forga sobre-
0 partido conservador tambem apresentou um seu cargo, e con) especialida le o que se refere s
projecio de mensagem approvando a poltica do go- antocipagocs. Os outros membros do gabinete en-
tendpm que o ministerio deve ser solidario e que
devoro acompanhar o Sr. Barzanallana se os seus
projectos forera regeitados pelas cmaras.
O governo apresentou no sonado um projecto de
lei, em }uc abolida a legisUcao especial que na
natural venho olTerecer-me ao governo para ir
combaler em prol da honra, iotegridade o sobera-
na do imperio, quo os graehos pretenden) insa-
namente macular.
Como eu, E\m. senhor, innmeros eidadaos
creoulos sentem-se dispostos a marchar para o
sul, pelo que, se a imaginago me nao cega, creio
actualidade rege a mpreiisa. "Os dehetos da ira-! (lllu to*w n* reunidos poderemos formar ura res-
prensa serao de fnlurollconsideradus como enmes i pwtavel corpo de voluntarios, que pelo seu dono-
ordinarios, e a imprensa licar sujeita ao re- do, coragem e amor a patria recordara mais urm
gimen do direilo commum I vez 0< "alorosos combatentes sob o commando do
Este, acto do ministerio pode congragar os part- c,,|ebrii Henrique Dias.
dos. O partido progressisu mostra-se disputo a Aprese.i.tome pois, para organisar aquelle
renunciar sna abetcncu, <>..i.-t.i* le discutir corpo, c, no caso de que elle se nao nossa eunsti-
dc futuro deve en- ,u" u""j <.whi--*"" p<--i mo^, n }. *&'"-
gada ao Io batalho de voluntarios que partir desta
provincia. Falla-rae s a alorisacao de V. Exc,
como delegado do governo imperial, e sendo-me
ella conceaida,-do mesmo modo porque tem sido a
outros conferida, espero era breve poder reunir
i briosa gente que quer quanto antes voar aos c.iin-
verno ; mas esta fraegao acha-se em minora.
A maioria queadopton o primeiro projecto pa-
rece lor decidido, ora vista da nbVxivcl rosolugo
do governo de uo fazer concessao alguma, nao
votam mensagem alguma em rasposta ao discurso
da coroa.
A Uazeta da Cruz orgo oflkial, aconselhava a
cmara dos deputados a nao rejeitar a mo que
Ihe eslendia o re, aiKiando-se s ideas do seu pre-
sidente, por que o fatal j tarde, tambem se ap-
piica aos parlamentos. Esla amoaca faz presentir
que o governo pensa em por termo ao conflicto,
por meio de ura golpe de estado, destrumdo a coas- si quaes as condicoes com que
iur'jr>. a-armrwy*-pobUa*. A Iberia desmente o boa-
O negocio dos ducados conserva-se no mesmo to de que os progressista t--ncioiiavam tentar um
estado. U accordo entre os gabinetes do Berln e [ movimento revolucionario na prxima primavera.
do Vieuna nao perfeito. A Austria vacilla diante i Tratase muito de um projecto de reforma do su
das pretengoes da Prussia, mas lera sustenido o nado. Segundo est* projecto, o senado sera div
direilo federa!, rejoitando toda a nressio Contra os dido em duas partes: urna, representada pelo
estado., secundarios. j episcopado, grandes do remo, magistraturas, ac-1 P<* da honra e da gloria.
Falla-se porra as compensacoes que a Prnssia demias e universidades, sendo cada urna destas
offereceria a Austria para ser realisado o seu plano.! classes eleitas pelos seus representantes : o resto
A Prette de Vienna diz que nao podendo o gabi- do senado ser eleito pelo paiz, d'.entre as cathego-
binte prussiano ceder parte do territorio saxonio rias polticas administrativas e ociaos. Esta as-
ou bavaro, a compensagos podena recahir n'uma sembla assim constituida resolver depois quae-
parte da sibera ; mas sera classillcar essa com- dos seus membros em numero determinado de-
pensagao, sustenta qae prefervel urna compon- vem ter o carcter vitalicio, sendo as vagaturas
sr.oao moral e poltica que consiBsse em dividir a destes snppridas por eleigoes.
Allemanha, de modo que a aotoridade prussiana O imperador do Mxico conheceti, na sna va-
influisM no norte e a austraca no sol. gem pelo novo imperio, que o partido libera! _o
A maneira por que os estados secundarios se tem mais poderoso e numeroso no pfrw. A_ nomeagao
conduzido diante das exigencias prussianas, parece dos novos ministros produzio scnsaeo no paiz
dei
g
A resposta de Mr. PfordreO, ministro da Baviera! O imperaJor na sua resposta ao nuncio n'uma
ao governo prussiano muito significativa : diz o audiencia, mostrou a neces.-dade de regular de
eommuip accordo, e do ura molo duradouro,os
negocios eclesisticos, que suscitara ao seu gover-
no graves dfficuldades.
O partido liberal reoceia as dfficuldades de um
accordo com a santa s, no momento em que o im-
perador quer dar garantas a opiniao liberal.
Affirma-se de .Nova-York que o general Bher-
man, depois da lomada do Savanlek, abandonada
pelos confederados, vai eraprehender nova campa-
de toda a coufede- nha na Carolina do Sul que o estado mais enthu-
; siasta da oonfederagao, c onde rebentou o grito da
:onuuziuo oame uas exigencias prussianas, parece uos uuvo mi......- \mnu amaiaii u i"i
leixar suppor que os planos prussiauos nao che- mas a opnio publica confia nos resultados da re-
anlo a realisar-se. I composicao do governo no sentido liberal
ministro que a Baviera d todo o apreco conser-
vag.o da confodonigo, nao por que olla Iho eflo-
rece mais vanlag^ns e seguranga do que se qual-
quer outro confederado, mas por quo julga do seu
dever conservar o lago poltico que une toda a na-
go allema ; e que nao est dispo>ta a permitlir
ijue seja atlacado o carcter da confederago como
assocago de estados, que todos i->m direitos iguaes
de modo que esse mesmo governo possa delerm
nar a medida de activdade
racao.
6s jornaes tem publicado alguns despachos con- independencia. As forgas confederadas neste paiz
fldenc.aes trocados entre os gabinetes d Berln o nao poderao oppor grande resistencia nova ten-
de Vienna, donde se v claramente os projectos an- tativa.
nexonislas de Mr. de Bsmark. O general Boauregard qae enmmanda Charles-
O governo austraco oflerceu urna recompensa town apenas podera dispor de 12 mil homens com
do mil florins a quem denunciar o autor da coramu- que sabio de Savanah, alm das milicias do paiz
nicagao imprensa dos despachos diplomticos que em geral prestara pouco auxilio. O general
conlidenciaes. 1 Sherinan. pelo que parece, tenciona ataca-lo por
l'm telegramma de Vennadzqueolmperadorda trra; mas nao se espera .que a resistencia seja
Austria nao acceita a mensagem do parlamento, mullo aturada, attendendo a facilidado com que o
por que nao quer admitlir manirestagao alguma genorai Boauregard defe.ndeu Savanah.
poltica a respeito dos negocios dos ducados. A retirada de general federal Buller defronle
- A'dimlnuico feta no orgamento do ministe- de Wilmington, que devia ser por elle atacado si-
ro da guerra na Russia foi de 14 milhoes e meio.' multaneamente com as forgas navaes do norte,
Oscamponezes de Corf reclamara a diviso das custou-lho ademisso de seu cargo, e respondeu a
trras. csnsolho de guerra.
O recrutamento na Polonia deve executar-se A esquadra federal tambem abandonara Wil-
este anno segundo se julga cora o maior rigor. O mington. As operages contra esta praca vao de
governo prussiano j augmeulou a sua guarnigo
militar na fronteira polaca, com receio de urna in-
surreicao na Liihuancia e Saraogicia, auxiliado por
ment particular segundo se allirma apresentar
um dficit.
Parece porm que os contribuinles nao sao mui-
to favoraveis a este augmento, por isso que geral-
rnenio se pede reduego de impostos.
O governo segundo se allirma apresenlara' a
questo da reforma eleiloral erabora a opinio pu-
blica se mostr actualmente mais inclinada aoceu-
par-se das quesles econoraicasdo qae dos assump-
tos polticos.
A commissao de inquerito nomeada pela c-
mara italiana, j deu o seu parecer sobre os acon-
tecimentos de Turin em setembro ultimo.
O relatorio nao censura os ministros por se qa-
verera aflaslado da legalidade, mas aecusa-os da
falta de unidade, de energa e de prevengo;
mostra que nao nouve provocago que possa des-
cepar on justificar a interveneao dos agentes da
forga publica, o que produzio os resudados sangui
A folha offlcial de Varsovia publica um decreto
novo ser emprehendidas. Urna columnado tropas
viuda de Vilvan atacar aquella posigo do lado
da esplanada. O forte Psber ser de novo inves-
tido, sendo agora atacado por mar e por Ierra.
O general confederado Ilood conseguio alrayes-
regulando tndo o que diz respeito a conservacao sar o Tennessee, eu quanto o general federal Tho
recoutro marcha na
maz, victorioso no primeiro
direegao de Branchville.
A sorle das armas vai favorecendo os exercitos
do norte.
O presidente Lincoln vai modificar a constitui-
gao. O antigo rgimen zeloso do poder executivo
nao prmittiu a nunhura dos seus membros a en-
trada no parlamento! Apresentou-se nessa assem
vigilancias de admiistrago dos convenios calho-
licos que se conservam no reino da Polonia, segun-
do o ukase do imperador. Este decreto causou nos
povos effeito desfavoravel.
Um telegramma de Moscow de 23 de Janeiro, diz
que a reunio dos nobres resolveu por 210 votos
conlra 30, apresentou ao Imperador urna petigo
requereodo o estabeleclmeoto de duas cmaras.
A guerra entre a Dinamarca e a Allemanha bla e foi-aceeito pela commissao um bil, que per-
qu de principio flzera reviver as aspftagoes scau- mitte aos ministros oceupar un lugar no rongres-
dinavas, parece ter modificado as opinides na Sne- so e tomar parte nos debutes,
cia. O governo dinamarquez tinha proposlo era E* a primeira vez que os governos dos Estados-
4881 ao gabinete sueco para que se concedesse aos Unidos se atrevem a tocar as condigoes orgnicas
nacionaes dos dous paizes os mesmos direitos, tan- daouelle paiz.
lo na Suecia como na Dinamarca. Em Portugal 1* eorrendo muito rigoroso o ia-
EsU-propasla foi renovada em novembro ultimo,' verno. q Mundego, o Tejo e o Douro j transbor-
mas o governo sueco, querendo esqu vai -se a qual- davam, e nao poueos prejuizos se oontavara das
nolnios, que todos lsllmain, e deixa as autorlda- quer denwnstracSd tendente a urna fusilo dos tres inundaeSes em Coimbra eRiba-Tejo,
des judiciaes apreciar aquellos factos e punir o' reinos 00 norl/) recosoB-se Hender as propostas! a esquadrlha portugueza para o Brasrl tinha
procedimeuto d'aquelles agentes, se fr necessa- foi tas pelo gabinete Dinamarquez. sahid do Tejo a ?* de Janeiro; era composta das
rio. A segunda caraara do rigoraad dinamarr^ez re' corvetas Barlhetome* Dm, Infante Ih JoC e Es-
Na discusso queriara uns nos artigos contrarios comecou a discusso da reforma constitucional. O '*/a!Ma' .
ao gabinete ver motivo para urna aecusago, outros! partido popular apresentou urna proposta para a! Carlas Nova-York dizem ter corrido n'a-
nos artigos "favoraveis ura bil de indertineidade. restauragao da anliga lei fundamental, qae se mo- quella cdarte que o Sea.Kmg tera armado na ilba
Mr- Ricasoli apresentou urna proposta concibi-!dflcou em 1813 em consequencia da eeasMuiBao da Madeira. Parece que havia, ura protesto peran-
ra, pedindo qus se votasse ao jnizo da opibio pu- geral da niouarebia. O governo dinamarquez nao te embalsada porlugueza n'aquella capital,
blica e da historia, a apreciaco dos successos tur-; segu esta opiniao.e por isso o seu projeeto de unu CoatiHoavam activarnente os preparativos da so-
bulentos de Torin; esta proposta que nem cence-' nova constituigo contem algumas disposigfies res- siedade do palacio de chrisM {no Porto) para a ex-
de a bil de indemneSade, nem condemna o mi- trietivas o'um sentido mais conservador. A opi- posigo internacional qi tem de realjsar-se era*
nsterio Minghelh Peruizi, foi approvada por 140 nio publica pede entretanto o restabelecimenlo da agosto prximo. E' coadjovada a sociedade pela
votos conlra 67. I conslitulco de 1849, sustentando qne reduzjda a dlreccao da associae.ao industrial portuense.
A situago nanceira da Italia tem melhorado.' monarch'a, o paiz deve entrar no pleno goso dos di-! Os direitos cobrados as alfandegas por desp
Desappajeceu a crise que em novembro se julgava i reitos c liberdades que- aquella constituigSo con-
imminenie; a antecipago dos impostos habilitou foro.
mais elevada estima, considerarlo e respeto.
t Dos guarde a V. Exc. Baha 26 de Janeiro
do 1863. Quirino Antonio do Espirito Santo.
1 Ainda a polica eslava oocupaaa em verificar
a existencia de urna letra cora firmas falsas, de
i o,'000 3 no Banco da Babia, e outra senwlhaute
de l:000>3 na Caixa Commercial, resollado dessa
deploravel desgraga, com (pie entrou o anno novo,
e j nova e maior desgraga pesava sobre a nossa
praca.
a O Sr. Ilermann retirou-se desta cidade, no
paquete frailen, com passaporte para Bordeaux,
deixaudo, soguudo corre, a Inste realidada de le-
tras com firmas falsas no valor de" 8^:0005, no
llanco da Baha, e 38-.0005no liuico Ingles, leudo
descontado na vespera, 110 Banco da Rabia, ama
de 30:0005.com a firma de Ctmber, e algumas
outras anteriormente com a firma do Sr. Mari-
uhe. Essa Hltima de 50:0005 fui por elle endos-
sada sobro o balcao do llanco, e com lano sangue
fro, que, depois de contaro dinheiro quiz resl-
luir aothesoureiro urna cdula de 3005 que sup-
punha haver de mais, e s depois de nova conta-
gem reconheceu quo nao era.
Dizem-nos que ludo descobrio-se ainda quo
j larde, por se saber que ele tinha comprado no
diado paquete libras esterlinas por preces exces-
sivos.
c O Sr. Marinlio procurou lo?o o guarda-mr
da alfandoga o qual, indo a bordo do paquete, nao
eneontrou l o fugitivo, e vollou com a proroessa
do commaadante, de que se o achasse a bordo, o
deixariaem Pernambuco.
Ao sabir do seu escriplorio para embarcar,
deixou Hermann urna carta de ordens em regia,
declarando ao caixa que 1a a Peroambuco, e vol-
taria ao primeiro patjueoe, e que para qiulquer
dclibrracao a respeito de sua casa, consultasse o
Sr. Marinho, com quera j se havia entendido. Ao
Sr, Marrano porm nada havia dito !
Deixou duas lilhinhas menores.
Calcnla-se era mais de duzentos contos de
res os prejuizos que deixa, tendo ha pouoos dias
comprado tambera orna grande partida, de bri-
Ibantes.
t O fugitivo pertencou extincla e fallida casa
de Wately Krabb & C.
Nesie mez a segunJj desgraga, que a uos-
sa pragt lamenta.
= Ocambio regulava : sobre Lmdres 26 1|4 :
sobre Paris 330 rs.; sobre Hamburgo 670 ; e so-
bre Portugal 97 a 98 V
PERNAMBUCO.
o governo para o pagamsnto dos juros, dos litlos
de divida Habana, cuja depreciago comegava a
manifestarse, ee'sta circumstancia proporciouoo a
Mr. Sella minisiro da fazenda a occasiao de en|rar
Nao satisfactoria a situacao poltica da Gre-
cia. menor incidente produz ali aima crise ;
principalmente em Alhenas as questes pessoaes
ptrecem dominar a$ tjuesiDes de inleessa geral.
cbo de tabacos coalinuavam 'a ubir a grandes
saramas. Tudo faiia. antever qoe o estado nao per-
dera em sua remta com o rgimen de liberdade,
encetado com anno de 186*5.
A eneyelica de sua santidade estiva send^ob-
jecto da dtscassSa da imprensa de todas as
es.
REVISTA DURH.
Damos em nossa 8a pagina leitura publica .a
ineusagem que ao congresso norte-americano diri-
gi o presidente Lincoln, para.ella convidamos a
attengo dos nossos asignantes.
N domingo teve lugar- a leslividade da Se-
nhora dos Remedios, era sua.capella do povoado
desta denomlnago.
Os actos religiosos forana, celebrados com toda a
pompa e dignid*de proprias- ao callo externo, e os
que cosiumara ser-lhes accessorios, participaran)
destas clrcumstancias.
Terrfinada a ladanha, foi cenduzda a bandeira
casa da nova jtiiza, a Exm.tSra. D. 'Candida Pe-
reira da Cunta Sodr da Molla, esposa do Sr. Can-
dido Alberto Sodri da Mola, qne fez urna brilhan-
le recepgo ao grande oacurso de senlwras e ca-
valleiros que (aziara trle do squito, a quem se
dignarain de offerecr*um profuso copo d'agua,
seguindo-se a isto um soiiwbastaitte animado pelas
maneiras cavalleirosas do ofTerente e pela satii-fa-
eo nue trausluzia dos obsequiados.
Depois de depositada assim a bandeira, comegoo
o foco de artillcio ; o qual foi satisfactorio era to-
das as suas pegas, reunindo belleza a qualidade
de claro. All mesmo o concurso immenso de povo
deu novas ao artista da|sua satisfaegao por taes
condigoes existentes em se* trabalho.
Segundo as uoticias trazadas do norte polo
Uimumguape, coestava que al o raez fiado nao
havia chovido anda 0.1 villa do S. Berojrdo. Mo
11 t **7\ #1


Diario de Fernaiubuco ... Terca letra 14 tic Feverero de 1S65.


tem dado lugar a solTrer em multo a eriacao de
gado, cuja perda grande.
O Persinungu tinha ehegado ao Coar no da 2.
A provinciano Rio Grande do Norte nao tem na-
da de novo que offereca noticia publica.
No sabbade ultimo deu a socedade recreia-
tiva Fraternidade das Familias a sua partida; a
qual deixou de ter a costumada concurrencia de
familias pelachuva prolongada que cabio precisa-
mente na hora da sabida daquellas. Sem embargo,
a reunio correu folgada e prazenteira e a respec-
tiva direeco nao poupou esorgos para obsequiar
aos seas convidados.
A msica marcial de 4 batalho de artillara
anouociava a chegada da* familias, cuja entrada
no salas era feita por entre harmoniosos sons; e
houve um servico de nevades e outro de cha.
Os salvados da barca franceza Lis Amts de
Saint ieande Luz tem produzidej 73:552*420.
Em Campia da Feira, 1 districto de Iguaras-
s, foi ferido pelo pardo Martinho Gomes Vidal o
pardo Joaqulm Francisco da Silva.
O delmquonle evadise, mas a polica cura de
segura-lo, ha vendo procedido a corpo de delicio no
offeodido para o respectivo processo.
Na latitude S. 29 16', long. O .43 21' foi en-
contrada a 13 de Janeiro a barca franceza Alma,
que de Brdeos ia para Buenos-Ayres ; e na lat. S.
20 14" e long. O 37 a 21 o brigue brasil-jiro Im-
perial Pedro, que da Babia seguia para o Re Gran-
de do Sul.
Hoje deve chegar o vapor Tocannliiis, dos
portos do sul.
As noticias que temos recebido do interior
da provincia sao satisfactorias a respeito do inver-
n, e a inchente que ataba de apreseuiar o rio Ca-
pibaribe demonstram a veracidede delle, porquan-
to sendo as chuvas que livemos na proximldade
desta cidade, regulares e estando as trras receca-
das, nao poda haver a referida enchent-j sem que
esse rio nao recebesse
com gneros ... 1.W0
-----1,251
Descarregam nodi.a 14defcvereir Escuna inglezaEtisabelk Barler mercaderas
Brigue francez -Louize Ralderdiversos gneros.
Patacho inglczW. M. Dodgediversos gneros.
Sumaca hespanliola Porlolas idem.
Barca fngleza Imperadoridem.
Britrue hanoverinnoHanselunefannba_de trigo.
U.iette ingtezMelinabacalho.
Brigue ingle Brooktngidm.
Brigue inglezMso/'-diversos gneros.
Patacho inglez-Pertlle cemente.
Brigue hamburguezfa/mo farinha e trigo.
Barca portuguezaaura dem.
Brigue prnssiano Komgsburgidem
Barca ingleza" Chanzaearvo.
Barca ingleza Ambleside idam.
Barca ingleza Williamdem.
Patacho inglez Monda idem.
Escuna hanoveriana Emmafarinha de trigo.
itecebedoria de rendas Inter-
nas geraes de Pernambnco.
Rendimiento dodia i a ii........ 11:8935142
dem Jo du 13................ 3:7805888
do
15:6745030
Consulado nrovlueial.
Rendimento do da 1 a 11...'---- 55:4045657
dem' do da 13............... 5.5635037
60:9675694
llanibargo, 21 de Janeiro de 1863.
Relatorio commercial.
O mercado contiouou transquillo tambem na
quinzena passada.
Caf. Enlraram desde a reabertura da navega-
muita agua durante o seu gao 31,547 saccas, das quaes 6,900 do Rio de Ja-
curso. Esta enchenle tornou-se sensive
res das nossas costas
REPARTIQAO DA POLICA :
Extracto das parles do das
reiro de 1865.
roram recolhidos casa de detengao ne da n
do correte : -
A' ordera do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Joao
Angel de Senna e Joaquim Manoel Miguel ou Pe-
reira, para recrutas Francisco, escravo de Fran-
cisco Botelho de Mendonga, como fgido.
A'ordem do subdelegado do Recife, John Ouetl,
James Don, e David, ioglczes, requiscao do res-
pectivo cousul.
A' ordem do.de Santo Antonio, Hermino Alexan-
drino Lins, para correccao.
A' ordem do da Boa-Vista, Mara Tuemotnea do
Paraizo, tambem para correegao.
12 -
A' ordem do subdelegado de Santo Aulonio. Ma-
noel Francisco dos Sanios, preso em flagrante, por
crian de resistencia, e Lourengo da Triuiade, pa
ra correcge.
A' urden do de S. Jos, Luiz Goncalo da Cuuha,
por embriaguez.
A' ordem do da C'apunga, Caetauo Ricardo da
Veiga, como indiciado ero crime de eslellionalo.
O chefe da segunda seceo,
J. G. de desquita.
Passageiros do vapor Bearn, viudo de Bor-
deaux e portos intermedios :
E. da Cmara, Wolf Bejamin, Frederico Augus-
to Wcgeln, Vou Johnston, Alphons Rozer, Char-
les Frank, Manoel Dias da Silva Santos, Manoel
Ignacio Rodrigues Praga, Francisco Jos Praga,
Antonio Jo Bastos de Azevedo.
Passageiros do vapor fraucez Bearn, saludo
para o Rio de Janeiro e Baha :
Antonio ue Paula Fernandes E'ras e nm criado,
Ma Magrin e Audrclina do Nascimento Lobo ir-
maas de caiidade, coronel Francisco Antonio Ra-
puzo e sua senhora e dous sobrinhos, Pedro A.
Denby, r. Joao Cardozo de Menezes e Souza e um
criado, Jlo Fernandes Eiras, Guillarme J. Hreis-
ler, sua senhora e duas criadas.
Passageiros do vapor ing'ez- Oneida, sahiJo
para Southamplon e portos intermedios:
Joaqun Ferreira IVixolo'.Ileiirique Broklehurst,
Theodore Chrislansen, Thtodoro de Carvalho Ca-
v aleante.
Casa de detencao.
Mov:meato da casa de deteiigo do da 10 de
Existan presos 371; entraram20; sahiraui 13 i
existem 379.
A saber : nacionaes 302; estrangeiros 20 ; mn
Hieres 6 ; estrangeiras 2 ; escravos 'io ; escravas 4.
Total 379.
Alimentados custa dos cofres provincias 159.
Te ve baixa para a casa de sauJe ao Dr. Ramos:
Vicente de Souza Ferreira Lima, varilas.
Para a enfermara :
Joaqun) lannno Falcao, bronchite.
Teve alia :
Miguel, escravo de Luiz Antonio Perc ira.
Passageires do vapor nacioual Mamanguape,
vndo do Cear e portos intermedios :
Joaquim Alvaro Garca e sua mana, D. Mara
Barbosa da Coneeico, Henriquo Rn kclhunl, Anto-
nio Francisco Colho e I criado, Malinas Leopoldi-
no d'Oliveira, Jjo Machado de Souza Piment
Jos Ferreira de Souza, Joaquim Lopes da Cruz,
Atiplo Luiz Pereira Silva, Joao Luiz Pereira Silva,
Joao Vicente* Lefio, Francisco Jos C. Sampaio, An-
tonio Pedro da Costa e 1 escravo, Jos Pedro da
Costa, Jos Pimenta Das Jnior, 2 escravos a en-
tregar.
Movimenio da casa de detengao 11 de feve-
i eiro de 185.
Existiam presos 379 ; entraram 12 ; sahiram 13
existem 378.
A saber : naeionaes 302; estrangeiros 19 ;mu-
Iheres 7 ; estrangeiras 2 ; escravos 44; escravas
4.Total 378.
Alimenlados a custa dos cofres pblicos 139.
Movimento da enfermara do da 13 de feverero
de 1865.
Teve baixa : Vicente do. Souza de Lima, febre.
as ma- neiro 7,300 de Santos e 4,634 do Cear. As tran-
' saegoes foram limitadas at agora, s temos de no-
lar a venda de 9,000 saccas de caf do Rio e de
12 e 13 de feve-1 Santos a 6, 7 3/4.
O caf regular ordinario do Rio colado a 6 1/2
raiUCACSU i PEDIDO
Pastilhas vermfugas de kcin.
Todos os mdicos que especialmente se leein
dedicado cura das molestias das changas, asse-
veram que as partilbas vermfugas de Kemp o
remedio o mais excellente e efflcaz que af hoje
tem sido conhucido. Acham-se ellas exclusiva-
mente preparadas com as substancias vpgetaes as
mais salutferas. O seu sabor delicioso, nao cau-
sam nauseas nem dores, etc. produzem seu effeito
completamente sem que seja preciso logo inme-
diatamente osar de nenbuma especie de purgan-
tes. Tanto as mais como os proprios llhinhos
nunca desesperam deltas, porque se as prmeiras
teem completa cooQanga as pastilhas, estes lti-
mos as tomam com o maior prazer pos.-iveL Des-
d que estas admiraveis e inromparaves pastilhas
foram descobertas, todos osdemais vermfugos as-
querosos teem sido quasi inteiramente abandona-
dos e desterrados por todos. As pastilhas verm-
fugas de Kemp se acham lindamente acondiciona-
das dentro de frasqm'nhos de xri.-lal, nao s para
sua boa exporlago como para sua canservagao
contra todas as vicissitudes dos tempos.
A' venda na loja de Bravo & C, e de Caors <$[
Barbosa.
OMMERGIO.
\ovo banco de Pernambuco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por cenlo ao aono at o prazo de seis mezes, e
una diuheiro a juros a praso nunca menor de
tres nwzes.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambnco.
A directora desta caixa saca sobre a caixa Ola
na Babia.
O guarda-Uvros,
Ignacio Nunes Correia.
6 3/4 sch.
Assucar. Em consequencia de relatorios estran-
geiros desfavorave*, o mercado esleve mui fraco,
o o pregos nao poderam susleniar-se Venderam-
se 60 caixas de assucar mascavado da Baha.
Algooo Augmentando o Stock em Liverpool, o
mercado tornou-se tranquillo ; nao temos de notar
vendas em algodao do Brasil.
Tabaco. Movimento regular; venderam-se 1,'79
bailas de tabaco S. Flix da Bahia chegar. Era
ser 700 b. da BTiia.
Cacao. Tranquillo, sem mudanga dos pregos.
Couros. S sao procurados os couros pesados.
Venderam-se seceos 8,000 do Rio Grande chegar
e 1,600 aqu na praga.
Navios entrados.
Orion, Mana Adcl.iide, Osear, Anna e dous Jea-
tutte, do Rio de Janeiro.
Da Baha, Island (Jileen.
De Santos, Flying Uiitchman e Socielt.
o Ro Grande do Sul, Caroline e Gesine.
Navios sahidos.
Para a Babia, Funomia e Hemrich.
fara o Rio de Janeiro, Imperiense.
Para Permbuco, Widiir.
Para o Rio Grande do Sul, Rikskina.
Navios carga.
Para a Bahia, W'isc.
Para Pernambuco, Anna.
Para o Rio de Janeiro, Palme, Orion e Osear.
Para o Para, Margaretlia.
Cambios.
Sobre Londres, 3 m. d. 13 marcos 1/2 sch. ban-
co por .
Prazo curso 13 marcos 3 sch banco por #.
Sobre Paris, 3 m. d. 192 1|2 fr. por lrjO marcos
banco.
Prazo curio 190 lf2 fr. por 100 marros banco.
Subre Lisboa, 3 m. d.' 43 I [4 sch. banco por
mil ris.
Descont 4 I|4 a 5 p c.
Caridade.
Ra da Coneeico, casa terrea n. 5....
Ra da Gloria, casa terrea n. 65 .
Ra da Alegria, casa Ierre i n. 7 .
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
Recife. 11 de fovereiro de 1865.
O esenvao,
F. A. Cavalcanli Cousseir.o
Arremtagdo
Finda a audiencia do da 17 do eorrente do jui
zo de orphios, Gulmares, a requerimento da jun
ta administrativa da Santa Casa da Misericordia
| Jectos cima descriptos, salvados da barca france- Obilhele nteiro n. 1045 da 3* parte da 1* I o abaixo assgnado indo a ;n-
475000 za nf.es Amis de Saint Jean do Luz e existentes lotera da anta Casa da Misericordia,
- Pprtence 4 co p0ntas para seguir viagem para Ipojaca na ma-
1445000' na aiandega, armazem n. 8, onde se elfectuar o Sra. D. Candida Emilia do Amor Divino 4 Pais Ir- nna e hooiem 9 do eorrente acontecen esque-
2645000 leilao, devendo ter coraego as 10 horas era ponto raaos, residente na provincia deSergipe,comprado cer\se na ccao de pagar biihete de um maro-
" do da cima dito.________________[________ par Theophilo Pedro do Rosario._____________Idesedulas qu conlinha 3605; e como toltasse-
Fugio no dia 10 do eorrente mez, do enge- logo depols e uo achasse o dinheiro no lugpr em
nho Sani'Anna, a escrava Simplicia, mulata, de que o deixou, roga s dnas nicas pessoas que
idade 30 annos, pouco mais ou menos, com os sig- janio se achavam nessa occasiao (cujos nemeii ig-
Leiiio de hlalas,
Quartafeira 15 do eorrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 20 caixas com balata's do 4 arro-
bas, 40 ditas com ditas oe 2 arrobas, 33 ditas com
ditas de 1 arroba desembarcadas ltimamente em
lotes a vontade : quarta-feira 15 do eorrente pe-
desta cidade, ser arrematado por venda urna par- las 10 horas da manha no armazem do Sr. Annes.
le do sobrado de um andar e solio, silo na ra de
Horlas o. 66, freguezia de Santo Antonio, avallada
dita parte em 6305329, dednzida esta da de 4:0005,
per quanto foi avahado o dito sobrado, a qual par-
te pertenceole a Anna Rosa das Mercs, por an-
tonomasia, Tempera, que se acha recolhida ao hos-
picio dos alienados, e ral a praga a referida parta
para satisfago das despesas de alimentos e ves-
tuario da mesma alienada.
O conselbe de compras para o arsenal de
guerra precisa comprar o segrate :
Para a companhia de eavallara.
75 mantas de algodao, 160 bragas de cordas de |
linho : as pessoas que qulzerem vender ditos ar-
tigos, apresentem suas propostas em carta fechada
na salado conselho.as 10 horas da manba do dia
15 do correte mez.
Sala das sesses do conselho de compras para o
arsenal de guerra 7 de feverero de 1865.p en-
carregado daescripturago,
Manoel Jes de Azevedo Santos.
Inspecco de arsenal de marinha.
Faz-sc publico que a comnvssao de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de feverero de
1834, o casco, maehina, caldeira, apparelho, ma-;
treagao, veame, amarras e aoeoras do vapor Pa-
rahibadi companhia Pernarabucana de navegagao
costeira, achou todos esses obfectos em regular
eslado.
naes seguintes: altura regular, cheia do corpo,
cabellos crespos, tendo as costas algumas marcas
de reino, e levou vestido de cambraia branca, cha-
le tranco cora barra azul, fulga-se andar nesta ci-
dade : pedeseas autoridades que.a peguera e lo-
| vem-na ao rnesroo engenho, ou a ra da Concor-
dia n. 37, que serao recompensados.__________
Leilao de ni >veis.
Quinta-feira 16 do corronte as 10 horas. Aluga se um sobrado de um andar e soto,
C*rdeiroSimoes far leilao dos objeclos abaixocom commodos para grande familia, tendo um bel-
mencionados por conta e risco de urna pessoa que! lo lerrago.e toda illumiDada a gaz, e com um pe-
se letira para Europa.
Como seja :
1 guarda roupa de mogno com espelho.
1 commoda de mogno com lampo de pedra.
1 aparador do dito.
1 sof de dilo.
1 candieiro a gaz.
1 rico porta licor de crystal com caixa de jaca-
randa : cujos objectas sero apregoados a ra da
Cruz do llecife n. 57._______________
Leilao de movis, cryslaes, escravos,
joias de ouroeprata.
Cordeiro far leilao de movis novos e usados
e entre elles um rico guarda roupa de mogno
cor espelho, diversos relogios de ouro e praia
com eorrente e ontros rauitos arligos que estao
patentes no dia do leilao.
Qunta-feira 16 do eorrente
s 11 horas ra da Cruz do Recife n. 37.
AVISOS DIVERSOS.
, queno quintal com cacimba, notndose que fdi ree
j diQcado todo de novo ha pouco teapo, no fin da
, ra Augusta com o oitao para o viveiro do Muniz:
;a tratar no principio da ra Imperial n. 49.
Declaro que negociei com o Sr. Jos Antonio
I Seraphico de Assis Carvalho urna letra da qaantia
I de 1:0225 de que me era devedor o Sr. JoliSo Pe-
1 reir Matoso, tendo eu recebido depois do venc-
ment da dita letra a quantia de 2005 por conta,
como ludo declare ao mencionado Sr. Assis Car-
valho, perante os Srs. Bernardo Jos da Cmara,
commendador Franca, e Flix Luthier, na occasiao
que negociei a respectiva letra. Cabo 11 de feve-
rero de 1863.Joao da Silva Salgado.
Auga-se o segundo e tercoiro andar da ra
do Lvramenlo n. 36, bem frescos, do lado da som-
bra : a tratar na loja.
Joo Fortunato Saredra, sbito portuguez, val
a Europa.
Fagio hontem 12 do eorrente a escrava de
nome Isabel, crioula, de 40 annos, pouco mais ou
menos, a qual o abaixo assgnado arremalou em
praga do juzo do eommercin desta cidade, por
execuco do bacharol Angelo Henriques da Silva
ora) que se por accaso apanharara dita quantia,
a manden entregar na ra do Queimado n. 18,
loja de M. R. de Carvalho.
____________Carlos Augusto de Oliveira.
Irmamdade das almas da matriz da
Boa -Vista.
Por aulorisagao da mesa regedera e despacho
do Illm. Sr. Dr. julz de capellas e residuos, con-
vido a todos os nossns irmaos aflm de que se dig-
nen comparecer terga-feira 14 do crrente, as 3
horas da larde, no consistorio da mesma irman-
dade, aflm de em mesa geral se proceder a ele-
gio de thesonreiro e procurador, como determina
o art. 30 do nosso compromisso que rege esta ir-
mandade, visto terem pedido desoneragao os func-
eionarios de ditos lugares,
Consistorio da irmandade das almas da nutrir
da Boa-Vista 9 de feverero de I85.
O cscrivle,
Manoel Domingoes da Silva Jnior.
C0MP1AS.
Compram-se escravos.
Silvno Guilherrae de Barros compra, vende t
troca escravos de ambos os sexos e de toda idade:
na ruad Imperador n. 79, rceiro andar.
Compra-se ouro e prala era obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilbetes da Praga da Inde-
pendencia n. 22.
;"" ,, n__. IMfiTITITTn ARt'HKAf nr.rrr c ppiiprv execugao do bacharol Angelo Henriques da Silva compra-se enecuvameni
Inspecco do arsenal de marinha de Pernamba 1NS11I tl A"'nv 4 iSk%X ^ ,'contra Manoel do Reg Barros, e como dita escra- .obras velhas, Pagando-se bem
11 de fevereirode 1865. PIULO PERNAMBUCANO. vatenha ddndn mi-srim Rarm* noe mor^d^r em Rosara n. 24. loia de ourives.
Sao
Sesso de eleices.
convidados os socios do
va tenha sido do mesmo Barros, que morador em
i Jaboatao, no engenho Carauna, pode muito bem
Instituto ,er ^ l'ara es,;c '"oar : pede-se a quem a pegar,
! leve estrada nova, casa do abaixo assignado, que
Compra-se efectivamente
onro e prata em
na ma larga do
taoafto
0 inspector,
II. A. Barbosa de Almeda.
Tribunal do commercio ac(aa
Pela secretara do tribunal de commercio de Per- ^. ; ser recompensado ; a escrava tem em urna das1 co do ,jue se pagano mato : na fabrica dara'ves-
nambuco se faz publico que nesia data flea regs- fiegei os uie iiuros cid no a 11 e5a auminis-, pernas veas levantadas, e o pe direito enxado pro-
trado o contrato de socedade celebrado em 30 de trattva, que lem de servir no anno social d veniente de urna pancada.
Janeiro ultimo per Jos Marcelino da Rosa e seus 18t>5ai86K. A e tcao ser feita no dia | ____________Bernardo de Tavares Coutinho.
nih.s Joao Chrisostomo Gongalves Rosa e^^Maree- 45 d(} correnle feverero, pelas 11 horas da
de 18(55.
lino Gongalves Rosa, Brasileros, eslabelecidos nes- cnnfni-miil
la cidade sob a Arma de Jos Marcelino da Rosa & maniiaa, em toiiiot mida
Filhos, da qual s usara o Io no que for tendente respectivo' estatutos,
ao passivo, e os dons ltimos no que fer relativo j Secr hria do Instituto, 12
ao activo, e na correspondencia ; devendo dita so-
cedade durar por lempo indeterminado, e cem o
capital de 84:4005, sendo fornecidos pelo socio'
i Jos M. da Rosa 80:0005 em dinheiro e mercado-
i ras existentes no estabelecimento social, 3:2005
em dinheiro pelo socio Juao Chrisostomo, e 1:2005
tambem em dinheiro pelo socio Marcelino Gongal-
ves Rosa. I
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 11 de feverero de 1865.
O ofOcial-raaor,
Julio Guimaraes.
art. 27 dos
'e frereiro
J. .*oare d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
MOVIMENTO W PORTO
.Xiiri< .s entrados no dia 12.
Oca a e portos intermedioso dias e 22 horas, va-
por nacional Mamanguupe. ppammimii. Ma-
noel Rodrigues dos Sanios Mouru, de 337 tone-
ladas, eqnipagem 20.
Trieste-OH dias, brigue ingle leddo, de 245 tone-
ladas, capilao A. Wilson, equpagem 10 carga
familia de trigo ; a Saunders Brothers & C.
Sahido no mesmo dia.
Valparaizo -barca ingleza terlie, capilao Bell,
carga assucar.
Sanos entrados no dia 13.
Bordeaux e portos intermedios 16 dias, vapor
fraucez Bearn, de 1,173 toneladas, coinrnandante
II. Euoul, equipagetn 115, carga fazendas e ou-
tros gneros.
Terra-Nova40 dias, brigue inglez Broohing,de
148 toneladas, capilao William Byrne, oquipa-
gem carga 2,20'J barricas con bacalho ; a
Tasso irmSos.
Rio de Janeiro e Babia-6 dias, vapor inglez Onei-
da, de 1,372 toneladas, commandante P. M"
Woolcott, equipageni 12G.
Liverpool43 dias, barca Ingleza Contad, de 328
tonelada*, capilao \V. M. Alexandre, equipagem
13, carga carvo de pedra ; a Saunders Brothers
&C
Terra-Nova 27 das, brigue inglez Helena, de 213
toneladas, capilao Eduard Connelly, equipagem
13, carga 3,UO barricas com bacalho ; a Jobns-
ton Pater Si C.
Terra-NovaS8 dias, escuna ingleza Margaren, de
134 toneladas, capilao Clemeni Pinel, equipagem
8, carga 1,943 barricas e 203 meias ditas com
bacalho ; a J.linston Pater & C.
Rio-Grande do Sul42 dias, brigue brasileiro Pra-
seres, de 302 toneladas, capito Jeronymo Jos
Tclles, eqiii|iagem II, carga 11,000 arrobas de
(ame secca; a Amoiim Irmios.
Terra-Nova-42 dias, patacho inglez Amazon, de
176 toneladas, capitao G.Brancombe, equipagem
8, carga 2,094 barricas com bacalho; a Johns-
ton Pater & C.
Hamo* sahidos no mesmo da.
Araraj por Maceirj- patacho brasileiro Agonio,
capito Joaquim Fernandes de Souza, carga
carne.
Valparaizobrigue dnamarquez Odetn, capito J.
Plum, carga assucar.
Rio de Janeiro e Bahiavapor francez Bearn, com-
mandante II. Enout.
Soulhampton e portos intermediosvapor inglez
Oneida, cummandante Woolcott.
Lisboa e Porlo-barca portugueza Coria, capitao
Rodrigo Joaquim Carneiro, carga assucar e
agurdente.
Liverpool por Maceibarca ingleza Town of Li-
verpool, capito W. Na h, em lastro.
Aos 6:0000U0.
Sahbado 18 do eorrente mez se extrahir
a terceira parte da primeira lotera da
Santa Casa da Misericordia para canalisa-
Co d'agua e gaz (6a) no consistorio da
Rosario da
Pela mesma secretara se faz igualmente publi
co que nesta data ica tambem registrado o contra- igreja de Nossa Senhora do
lo de socedade celebrado aos 2 de Janeiro^ ultimo freguezia de Santo Antonio,
por Antonis Lopes Braga, Francisco Jos Gomes e
Jos Joaquim da Costa Ferreira, Portuguezes, es-
labelecidos nesta cidade sob a firma de Antonio
Precisa-se de um raoleque, pagase 125000
mensaes, para conduzir urna taboleta com joias :
a tratar na rita do Cabug n. 2 B.
Aifjrif!WM>
Jos Joaquim de Novaes faz scenle ao respeila-
vel publico e a todos os sensores officiae; do exer-
cilo e da marinha, que contina a ter sua casa
sortda de fazendas c roupas fetas e por medida :
no largo do Livramento n. 34^_______________
C-A BNETE
POftTIJGUEZ HE LblUKi EM PER-
KAIIBK.O.
De ordem do Illm. Sr. presidente do conselho de-
liberativo couvoco os membros do mesmo conselho
para serenirem em sesso ordinaria qunta-fera
16 do correle, as 5 horas da tarde, na sala das
.8vuuv em carolo.
Compra-se qualquer quantidade por maior pre-
.o do que se paga no mato : na fab
sa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
Comprase um globo astronmico : na ra
do Livramento n. 19. _______________
Na ra do Bartholomeu (seguimento do Po-
I cinho casa de detengao) n. 45, comprase um
sellim inglez em bom uso,e pagase bem,confor-
meseu estado, embora seja s o casco.
Compra-se um escravo mogo, sendo bom co-
znheiro nao se duvida pagar bem : na ra da Ca-
deia n. 28.
Compram-se duas vaccas tourinas : na ra
do Bartnolomeu, travessa do Pocinho n. 69, sobra-
do defronte da cadeia.
Attencfio,
Na ra do Bartholomeu, travessa do Pocinho n.
69, sobrado defronte da cadeia, compram-se duas
vaccas teurinas.
Osbiluetes, meiose quartos estaca ven-re|Pecl'vassefsoes- ._ ,__ ,. A r K.Mt_
a nn -_--_*:-. ik J, .. l Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
da na respectiva thesonrana ra do portUouez de Leitura em Periambueo 13 de feve-
Lopes Braga A C.; devendo a mesma socedade Crespo D. i5.
durar por espago de tres annos, contados da data Qs premios de 6:000000 at 105000
do referido contrato, e rom o capital de ris...... J PYtrarcn
106:7485075, para o qual entra o socio^Braga com 8efao PgO urna aora aepots a= extraccao
a quantia de 91:1255259 existentes no estabeleci- ateas i horas da tarde, e OS OUlroS depois
ment social e constantes do balango a'que proce- da distriboico das listas.
deram, em dinheiro, gnerosm^^x^.^l As encommendas sero guardadas so-
Francisco Jos Gomes com a de t4.8io5lo de ... -.
saldo de seus ordenados como caixeiro e lucros menteate a noite da vespera da exlraccao
Itarticulares que tinha no estabelecimento, e o so_- Como de COStume.
O thesonreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
reiro de 1863.
A. A. dos Santos Porto
Io secretario.
co Jos Joaquim da Costa Ferreira com a de 8005
em dinheiro e gneros.
Secretaria 11 de feverero de 1865.
Julio Guimaraes,
Offleial-maior.
VEND1S.
ALMANAK.
Acaba de fallir dos pr-
los de nossa typograplria o
Almanak Administratiyo ,
No domingo 12 do eorrente, pelas 2 ou 3
horas da larde, ausenteu-ee de casa do abaixo as-
signado a sua escrava crioula de nome Rosa, com ,
os signaes seguintes: prela fula, idade de 16 a 18 i Mei*Cailtli e lndllStlial deSa
annos, altura regular, secca do corpo, rosto re-1 ni
dondo, olhosgrandes, narigrossa, bocea peque- m'OVJIlCia, COlTeCtO te O
na, beigos linos, etc., o um pouco
acanhado no,
talvez ha 18 mezes do
AflSS MARTIMOS.
BEOLAlUgOES.
iliaode^a
Rendimento do dia la 11.......
lien do dia 13...............
339.23059*2
18.614892
357.8735874
:iv(mcaio da alfantega
Volu/aesentrad^scoiiifazendas... 296
bv'O gneros... 714
------1,010
Yolanjes sabidos cora fazeu4 9'
Caixa filial lo bauco do Brasil
em Bei-natauiieo.
I'.ir neiro de 1865.
De orden da directora desta caixa, se convida
aoscredores de -ebastio Jos da Silva a viren
receber do thesourero da mesma caixa o que em
rateio Ibes toca da venda de urna das propieda-
des, que segundo a concordata, I lie foram entregues
para seren vendidas.*O gtiarda-lvro?,
Ignacio Nunes Correia.
Ue ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesourero est aulorsado a pagar o 22. di-
videndo de 105 por aego.
O guarda lvros,
Ignacio Nunes Correa.
Santa Casa da Misericordia do
liecife
A illm. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qne
no dia 16 do correnle, pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessSes, ir praga por lempo de um
a (res anees as rendas das casa abaixo declara-1
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Savega?o costeira por vapor.
Macei e escalas, Pcnedo e Aracaj.
O vapor Parahyba, comman-
dante Marlins, segu para os por-
tos indicados no da 14 do cor-
.rente as 3 horas da tarde. Rece-
'be carga al o dia 13 : encom-
men las, passageiros e dinheiro afrete at a< 2
horas da tarde do da da sabida : escriptorio no
Forte do Mallos n. L______________________
COMPANHIt PERNAMBCANA
DE
Xavegaeao costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Macio, Aracaly, Cear
e Acarac.
No dia 22 do eorrente s 5 ho-
ras da tarde segu para os portos
cima indicados o vapor Maman- \
guape, commandante Moura. Re-.
.ebe carga at o dia 21. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete al 2 horas
da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte :
do Maltos n. 1.
~OOMPANKIA BKASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte' espera-
do at o da 17 do eorrente o va-
por Paran, commandante o ca-
pito de Trgala Santa Barbara, o
'qual depois da demora do coslu-
me seguir para os portos do sul.
Desde jrecebem-se passageiros e engaja-sea1
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-,
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-,
ras: agencia, ra da Cruz n. i, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
aivez 1 escrava 'do
RQga->e 30 r, liacliord LCZariO Sr. os cavalcanti Barrete do engenho Jardun de
de -Izeicdo UZ municipal de Garan-Sernhem, durante esse lempa tem sido sem ore
'.. .'.... m ._ i do servico interno de casa do abaixo assignado,
I linos, queirn lirigiase prona da !n- !b5o sa! >udo nunca vez a|uiria a rua. SU(^oe-se
UHIUQCiar que se deve ella achar-se recolhida em alguma
casa, pelo que protesta-se desde j contra quem a
tenha o-cuita, gralilicando-se no entretanto a quem
della der noticia ou a quem a trouxer no largo do
Carino n. 1.
fallar, mas explica se bem, demonstra serdeida-.de aeZemblU 6 VeDO ge &
de, mui temerosa e obediente. Lssa esciava veiojn H .. n c\
1$; na lrvraria ns. 6 e o
da praca da Independencia
dependencia ns. 6 e S, ou
sua roerodn para ser procurado
xocOk
DE
Partidas dnbradas.
O bacharel Cypriano Fenelon Guedes A
colorado convida aos seus amigos para na
quarta-feira 13 do eorrente assistirem a
urna missa por alma de sua fallecida mu-
Iher D. Thereza de Siquera Aleoforado, a
quai ser dita s 7 horas da manhaa na
matriz da lioa-VUta.
Antonio de Almeda Oliveira agradece
cordialmentc a todas as pessoas que digna-
ramse acorapanbar para o ultimo jazigo o
cadver de seu nrimo Jesuino da Rocha
Oliveira Jnior, e roga as mesmas e a todos
o collegas e amigos do finado, queram
comparecer a matriz da Boa-Vis'a no dia
16 do coarente pelas 7 horas da manhaa,
aflm de assistirem a urna missa que preten-
de mandar celebrar pelo seu eterno re-
pouso.
Aos que prestarem esse favor desde j
promelle o mais vivo recoubeciment.
CASA DA FORTOM
Aos 6:000$000.
roR
Minoel FMseea de Medciros.
Acha-se a venda oas prlnclpaes llvrarias desla
cidade pelo prego de o5 o exemplar, rartonado.
Vende-se nina escrava com habilidades : a
ralar na rua da imperatrii n. 34, primeiro andar.
Pecttincha sm igual
Camisas que valen 3000 a 2S00.
Venlein-se camisas do liuho niuilo linas e de
Attencao.
Os abaixo assignados fazem scenle ao Kgado,
que nao canee as gambias abaixo e cima para os
seus comparcas e protegidos, Janjo LinguiQa e
Lul mala-sorano, ficarem com o estabelecimento
de grapa, porque costn dinheiro a sen dono, c
nem isso possivel por nao ser estabelecimento
de typos, e se nao quizer ver a terrivel crnica
nesie campo, r.-cue, grandecissimo marmanjo.- uons IPto8, pelo baratsimo preco de 2^800 cada
O cara do todos os birboj.Coellio peludo.Lul u,na 8 em duzia a 32*; vende-se por este dimi-
rarroceiro.D. voluntario queimado.-D. C. com- nu[o prero por seren arrematadas em
prador de relogios furtados. Broxa lestemunha
falsa. Viuva felicia minlia.Pjntainho sem crista,
etc. ele. etc.
Precisase alugar
Sebo n. 29.
urna escrava : na rua do
&*
g,r

''orlo.
Segu hrevemente a barca portugueza Sympa-
thia por ter seu carregamento completo : quem
quizer ir de passagem, para o que lem excellenles
commodos, entenda-secom Bailar & Oliveira, rua
da Cadeia n. 26.
Bilhetcs garantidos.
A' kua no Crespo n. 23 e casas do costi.me.
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetcs garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da matriz da Boa-Visla, os
seguintes premios :
Dous meios n. 2330 com a sorlo de 6:0"03000.
Um meio n. 3172 com a sorlc de 1:100*000.
Dous quarlos n. 1716 com a sorle de 5005000.
E nutras muilas sortes de 200*, 100*, 40* e
Para o Rio de Janeiro deve seguir com bre-; 20JOO0.
vidade por ter prompla a maior parle do carrega- j Qs pc-ssuidores podem vir receber seus respec-
monto, o brigue nacional Incensivel, recebe o res- (vos premios sem os descontos das leis na Casa
to da carga e escravos a frete: a tratar no escrip- ;,ja Fortuna rua do Crespo n. 23.
torio de Amorim Irmaos. rua da Cruz n. 3, ou! Acham-se a venda os da 3- parte da l
com o capito Antonio Albino de Souza, na praca beneficio da Santa Casa da Misericordia
do commercio.___________________, extrahir no dia 18 do eorrente.
n Porto i preco.
. i Bilhetes.
a bar-'
Ep abaixo asignado aviso ao respeitavel puldi-
co, que lendo urna 'procurarlo basl?jte de Joo
Tavares para tomar conta da sua parle que tem
na cocheira sita"na rua do Imperador n. 23, per-
tenceole a Bento Jos Cordeiro & C, que de boje
em diante tica nullo lodo c qualquer negocio ou
transiccjio que oSr. Bento Jos Cordeiro faca sem
o meu consentimento, pela parte que teuho sobre
: a dita procuracao do Sr. Joo Tavares, para o que
me assgno.Joo de Dos da Silveira.
Precisa-se lugar urna ama que siiba
bem cosinh r e fazer todo oservic i de urna
casa de famiii, e que de mai< disso seja
fele sem vicios. Prefere-se escrava. Diri-
gir-se rua Bella n. 37', sobrado de 2 an-
dares._________________________^
Aluga-.-e o segundo andar do sobido n. i20
silo na rua Direita : na rua de Aguas-Verdes nu-
mero 50.
Rlcflnatlor.
Precisase de um refinador que saiba pi-rfeita-
mente desempenhar este lugar : na reflnaco da
ruado Brum n, 42.
lotera
que se
salvados do navio francez : na rua do Livramen-
to n. 4, armazem de Joao Evangelista de S.
Vende-se a taberna sita no pateo do Terco
n. 21, sendo um dos melhores lugares para nego-
cio, tanlo para e praga como para o mato ; ven-
de-se em razo de um dos socios ter de se retirar
para a Europa : a tratar na mesma.__________
Vende-se urna escrava moca que cozuiha e
engomma com perieigo, e se vende com preciso:
na ruada Viracao n. 9 se dir quem vende.
Vende-se lagedo de Lisboa da melhor quali-
dado possivel para calcadas : na rua do (Jueima-
do n. 18, segunda loja.
Pcch india
Vendern se 13 vaccas que esto dando leile, as
quaes rendem 4* a 6* diarias, e esto bastante
gordas, por seu dono se retirar: para ver e tratar
no Salgadinho, sitio grande do Fuudo, t\ m Anto-
nio Rodrigues dos Santos Oliveira
Vende-se una boamobilia de pao d'leo, com
uso, e alguns vidros : na rua das Flores u. 25.
Pecliincha
Ama
Na rua Imperial n. 36 precisase de urna ama
que compre.cuziuhe e eiigoiiiine para casa de pou-
ca familia.
Lisboa
Pretende seguir com a maior brevidade
ca portugueza Laura, por ter parte da carga!
prompta, para o resto e passageiros tratase com '
o conslgnalario T. de Aquino Fonseca Jnior, tra-
vessa da Madre de Dos n. 5, primeiro andar ou
com o capito ua praca.
Para
Meios.
Quarlos.
7*000
3*500
1*'J00
Precisa-se
Nova n. a.
de urna ama de leile : na rua
Autonio Baptista Pires havendo oulro de
igual nome, de hojo cm dianie se assignar Anto-
nio Baptista Delbon. __________
Precisa-sede um caixeiro. prefere-se Portu-
*"ii&sas iM MHHM A* mOAOt I guez, que tenha pratica de taberna, e que saiba
as pesseas qHe eoroprarem de loo^ bem |er c c.crcv,,r. na Pna llo Sl,b0 n 7#
para rima*
LEILOES.
Bilhetes. . 6*500
Meios. . . 3*230
Quarlos. . 1*700
Manoel Marti.ns Fiuza.
. Precsa-se alugar unta pessoa ara. o
servico desta typographia: na livraria da
. praca da Independencia n. 6 e 8.
O Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cu-
nta Miranda continua a ter sen escrip-
torio de advogado na rua do Imperador
n. 42, primeiro andar.
das: os prciendeut*? deven comparecer acompa-
nhados de seus fiadores ou munidos de cartas
destes. .
Palrimonio de orpbos.
Rua da Senzala Velha, sobrado de dous
andares d. 132 .
Rua do Amorim, casa terrea n. 26 .
Rfi de S. encalo, casa jerrea p, 22..
Importante e ultimo leilao
De fazendas, miudezas, chapeos, objectos i
para s leiros e'2 grande; cspelhos lira-
pos c-cem toque de a varia.
A saber:
Pannos finos pretos e de cores, casemlras nao
s em pe<;as como em eortes, camisas, ceioulas,
chales e chapeos de sol.
Balaios, caivetes, tesoura?, pentes, bniocs e!
bengalas. Fugram duas escravas, urna de nome Maria, | Precisa-so de urna
Chapeos de palha. fellro e seda. j crioula, cor fula, representado annos de idade, es-; rua da Manguelra n. 7.
Conro de norco, sola, bezerros, pcadeira, es- tatura regular, chela do cirpo ; e outra de nome
Joo da Ponie Cordeiro, subdito portuguez,
retira-se para o Rio de Janeiro._______________
Precisa se du um raicetro com pralica de
tabern ; na ma do Aiecrim n. 2.____________
tj'bacharel Jos Paulino da Cmara, promo-
\ tor publico desta comarca, moduti a sua re cia para a rua da Conceii.o da Boa-Vista, sobrado
' numero 9.
-4 Jvl xliJR
Chegaram do Aracaly os afamados bicos da
trra sorlmento de todas as larguras e por 'prego
commodo : na rua da Cadeia do Recife n. 5i>.
lavadeira : na Boa-V:sta
poras e flvelas.
Quarta-feira (5 de feverero
,as 10 horas era ponto na alfandega armazem n 8. \ Lellosir3nel'- {inemas pegar pode levar a v.u-
0 agente Piulo far leilao com autorisaco do va dc F"S? Jjse AAo ReS- rua D,relta ^
coasulde Franca, com lce^a do inspector da al-11Q0.er !SBS3S^______________
450*000 fandefta em presenta Je um erpregado da mesma Offerece-se urna mulher para cozinhar para
80*000 repartilo, com assistencia do mesmo cnsul e por rasa de pouca familia : qum precisar dirija-se a
183*000 copia e ri-w de quem pwlencr de todos os ob-1 rua dos Martyrio? n. 8,
Aluga-so o segundo andar do sobrado da rua
: Thereza, parda, representa 43 annos de idade, al- Direita n;a coin y*m co,0(ios Bara fainilia
feffgS^.,a"'e^eSSJ,!:!,,5u^ tratar na padaria da na D.rela n 84.
Mobflfa
Alugam-sc raobilias : no pateo do Terco nume-
ro 42.____________ ______________^__
Augusto Ferreira do Carvalho retira se ues-
te primeiro vapor para o Rio de Janeiro.
Vende-se urna armaco de taberna desorganlsa-
da e em ponto pequeo, conten Jo alem dos (lienci-
llos dous depsitos para aguan/ente e um para
azeite de carrapato, e se informa urna cxcellente
casa para a collocar, caso o prelendente queira,
ao que se garanle a chave : a tratar na taberna
da rua do Principe n. 32.___________________
Feijo.
Vende-se urna porco do feijo mnlalinho muito
novo a i* a cuia, dito preto a 880 rs., dito rajado
do Porto a 520 rs. : na rua Direita n. 8.
Bazar commercial
RnaNova n. 61.
Novaes & Filho acaba de receber um lindo o
variado sorlimento de amendoasconfeiladas e con-
fetos cm frascos e caixinbas com o maior asseio
possivel, assim como um sorlimento de fruclas da
Europa crystalisadas, e chocolate emeaixinhas ri-
camente douiadss, assim como QUITOS muitos ob-
jeclos qne se deixam de publicar.
Grande llquidaco.
Rua da Imperatriz n. 00, loga de fazendas
d > Pav3o de Gama & Silva.
Acha se este estabelecimentocompletamente sor-
tido de fazendas inglezas. franceza?, alletnas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo vender se mai barato do que
cm outra qualquer parte, principalmente sondo em
porgo, e de todas as fazendas do se amastras,
ileixando flcar penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
Vestidos sout mbarque
Pelo ultimo vapor francez chegaram iqulssmos
vestidos a' soutambarque, os mais modernos que
nesle mercado lera apparecido, os quaes estao
promplos com sala, corpinho e seu competente
soutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo o
renda. Quem liver bom gosto dinja-se a' laja do
Pavo, na rua da Imperatriz n 60,
As lazlnhas do Pavo.
Vendem-se laazmlias de quadrlnhos transparen-
tes, boa fazeuda, pelo prpeo de 280 ris o covado,
ditas largas mwto fioas a 400 rtis, ditas estampa-
das, cor segura, padroes mludos e grandes a 320
ris o covado, ditas transparentes com palminhas
tudo para liquidar : na loja e armazem do Paro,
rua da Imperatriz n. 60.

^\

lX
[ii ff A>lT mm


la lo de Pernaisibueo Terfa fclra 14 Je Fevereia le 166a.
0 G1STELL0 DE GRASVILLE
Tradazide do fraaeez pr A. i. C. da Cmi.
Vende-se este bello romance em quatre
lomos pelo baratissimo prego de oOO:
na praca da Independencia, livraria ns.
6e8.
FOLUIVUAS
Para 186^
Aeham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, ele. a ICO rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais ama nova
Salve Rainha em versos, o Stabal Mater
em verso, devocao ae agonisante, coraco
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nes-
ga Senhora, trinta e tres chistosas anee-,
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesia), crescido numero de m-
ximas e pensainentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.
Vendes am engenbo d'agua, moenle e cor-
renta, com proporcSes para qolher-se grandes sa-
fras annualmenlc aliente a bondadee extencao de
seus terrenos ; est anda quasi todo era mala
virgem, e dista apenas meia legoa de una das es-
tacSes di via-ferrea : quem o pretender, dirija-se
ao Sr. najor Luiz Jos Pereira Si6es ra de
Livramento, sobrade n. 24, primeiro andar.
Atten#o.
Doce de goiaba flno em talas de 4 e 8 libras, por
preces commodos, qneijos de Minas a 1546, in-
gttas da America era salmora a 320 ris, queijos
de Al entejo a 2,5 : na ra Nova n. 8 loja do cha
COMPENDIO DOLOROSO
^ue coatm o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a Co-
ria, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmanJa nhora que se acba erecta na egneja de N.
S. da 1'enha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pemambuco,
approvado por S. M. I., que Deus guarde;
dado haz por devoc5o do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMissina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praoa da Independencia.
drogara!
31Raa 'larga da tossrie .'(4
Ikrtiiolemcu Francisco 4t Souza k C,
VCHlCM
Acido actico puro pira retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em Uta.
Alvaiade Vneta, fino, em pues.
i Vende-se urna esrrava mulata que enromraa,
compra e faz dece : quem a pretender, dirija-pe a
Tua da Aurora, terceiro andar, na loja de funi-
leiro.
SALSA PARRILU DE AYER.
Transchevemos aqui alguns
dos muitos altestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilla do Dr. Ayer.
RMicuinaMne.
DE J00 JOS DOS SANTOS.
Ouro Pre'to.
t Soffii rlicumatismo por mui-
tas vezes, e vendo annunciadn
em um jornal d'esta ridade a
Salsa parrillia de Dr. Ayer, re-
olvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivcl encommodc
que roubou-me tantas noites de somno.
Erupces, borbalhns piistula,
ulceras, e todas as Molestias
da pello.
DO SR. J00 PAILA DE ARREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro. Rio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
erupcao syphilitica em todo o corpo, mos-
trndole sempre cura mais violencia na ca-
ra, provei muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer : comecei a fazer oso d'ella e
nos primeiros dias a empeo aggravou-se,!
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamentede
todo o corpo.
D'fODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
DE
0a elementos que cempoem esta preparado,
ferro, o iode e a quina, a eoiloco no primeiro
grao das prepara^ocs ferruginosas. Basta altestar
scus resultados obiidos pelos Mdicos dos hospi-
laec, e os relatorie-s dos prcticos mais eminentes,
que conlirmrio sua poderosa effcacidade nu
seguintes affeecoes:
Mingo a us aangur.
FrstsjMM.
Anemia.
ClileroKP Ictericia.
tonaira*.
Affeccaca da alera.
Saaarcaadea da re-
graa c denardea na
railruara.
Alfccca ulaanir e
phlhlale.
MoleatUa dYaieaaaga.
Gastralgias;
Terda d'aaaatlte, etc.
VejSe se tt bullelins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1 S60; a Caseta
dos hotpitaes de 28 dejulho 4860, ele., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
- d'iodure duplo de
a 3 oilavas de relroz prc-to fino i
peso liso muito superior i
0 VIGILTE
Hua do Crespo u.
COnvalcaeenea de lan*
a;aa maleailaa.
MsIcallHN eacrafala-
aa.
Pape Ira.
Obalrueraa daa glan-
dalaa.
Humares frlaa.
Muinorra feraaaaa.
Kachltlanio,
Affeecoes rnnceroia*
a ayaallltleaa.
Fearea yahaldea.
Varales, esa-, ete.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profes- i^o "dequintaafo mesmo author parai
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nio ten
como o xarope d'tore de ferro, o inconveniente
A ttenco.
Vectie-se superior vinho do Porto em calas de
urna duzia : em casa de Johaston Pater A C. ra
do Vigor io n. 3.
SOR DE MEDICINA Y CIRUIUIA, SUBDELEGADO
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO D1S-,
tricto.Habana.
Certifico que he usado l Zarza parril-:
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en i
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, lia sido
muy eficaz en el tratamento de las enfermi-
dades que exsigeu el uso de los purgantes,
y no vacito en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 1860.
Dor. Jos V. IIersera.
Escrfula.
ATTESTADO DO ILLM. Sd. FRANCISCO Ff.RRAZ
dos Santos.Ouro Prto.
Me acho ha quasi dous annos affeclado
de alterar-se e de se nio poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de grata ero casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evitarem falsificagSes, extja t com-
prador em cada frasco de Pilulaa on Xarope a at-
sgnainra do inventor.
Deposito geral em Paria, iharmada Rebilloa,
4 iS, ru du Bac, e em todas as boas pharmatiaa
de Franca a dos puises estrangeiros, etc.
GRANULOS
BISM17TH
DECHEVRIER
Os granulos au bismulh de Chevrier bem
superiores a todas as oulras preparaedes de
bismulh empregadas antes com o maior sueaeaso
peles mdicos de todos os paise, para prevenir
carar as
Ma dla;ealaa.
GaxtrKea.
Dlarrkraa rhraalcas.
Tsaenlerlaa.
rea d>iitma(*.
Byspcaslas.
Os
Galiralslaa, ele.
primeiros sym>tomas d'essas forrmdaveia
de escrfulas, e tendo soffrido tanto q>..e al-
gumas vezes quasi que chego a desinimar
da vida e maldizer da m'mha infeliz sorte;
tenltO Sido tratado por muitOS mediros d'es- ffecces se manifestao ordinariamente por dittt-
tacidade, e nenlium pode vencer i tenaci- 1Jf***&.f*&*& fW*yarptt*, pmot
dade de minha molestia, estava txm espe-
rabas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da alza par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se boje
trinta e sete dias que comecei com este
'estmago depols de cada comida, caimbras tt-
tomacac*, e, muitas vzes, por espasmos nervosos
com vmitos.
_ Este estado mii>i Jo, se o descuido, trax ine-
vitavelmente, que seja:
sanie remedio,
tantas melhtras tenha
convieco de em breve
saude, perdida lia tanto
Molestias de ligada.
A lelerrla.
Talpltaro de coraco
Odres nos rlna.
-Oppressoea.
nares de caneca.
Irrliaces de besiga e
da nialrla, ele.
Faziiias baraiasr, a do'Passcio n. o, loja
do sobrado do-Sr, Maia.
Vendem-se chales de merino limpos a 25, pale-
tots morto finos de panno a 125 e 135, brim de 1-
nho cortes a 15280, paletots de bombazina fina a
5, madapoloes e chitas francezas mais barato do
que em outra qualquer parte, panno fino prelo a
15600, lencos de chita a ; duna.
Vcflde-se um piano de armario proprio para
se aprender, por preco eoniraodo : na ra da Im-
peralriz n. 28.
IVijo
Xa ra da Madre de Dos n. 9 vende-se feijao
mulatinbo, dito branco, e dito preto, mais barato
do que em outra qualquer parte, apprevoeni a
peehincha que a quaresma bate porta.
sentido que tenho
recobrar..a minha
tempo.
ypbilis c BnolesUasraerciirlacs.
Do Iuul Sr. Dr. Jackso;'.
Medico muito coiihecido ras provincias do
snl do Brasil.
Tenho receitado a Salsa panilha do
D: Ayer nos casos mais inveU rados de
Sypltilis constifacioiial c sempre com os
mais felizes resultados; o melhoi alteran-
te que conheco.
I.eneorrha e flores brancas. I Lstes ,co"le1,los Temos cartas em que nos conlam casos C,P' fU lla V">"1 cabtba juuio cora
inveterados que forarn radicalmente curados a a'J!al^ia P"3' ^onaosen n eslora -.ga.
coraum ou doofi frascos dteta Salta.por-1 ^'esfazem parar inmediatamente as mai
rji/.a r rebeldes gonoorheas, mesmo as que resisti-
os granulos Chevrier sio ordenado pelas
sommidades medkaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cu ral as quando sio tomado a
lempo.
0 preco de cada Irasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pnarmacias de Franca e dos paite
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
cqmCOPABAdeLABLONYE
Vende-se um cavallo feom andador, gordo
de estribara, anda bailo, meio e esquipa muito :
na Pas-agem junto a ponte pequera n. 49.
Casa nos Afo. dos.
Vende-se o sobradinho de um andar na ra Di-
reila dos Afolados n. >0, edificado era chaos pro-
:irios, com .quintal murado e portao ; rende 235
mensaes, e com al;um coneerto poderia render
405 : a tratar na Ponte dos Carval-ss com o Sr.
Flix Ramos Leutier, ou nadir:cloria das obra*
.publicas com o eapitao Raymundo da Silva Maia.
Vende-se a casa terrea n. 25 da ra de Ma-
ahias Ferreira da cidade de CMinda : quem a pre-
oiider dirjale a tratar nesta dade na ra Au-
giwU n. 58. ________
Vende-se o caf restaurante do commtrrio,
nadita do Trapiche Novo n. 22 : quem precisar,
pedirigir-sei dita casa, queaahar com quem
trata*.
escravo de idade 30 n-
na travesea do Carme
Vende-se em hom
Bos pra todo oservico :
numera 1.
Veadc-se uku bonita crenla de idade 20
annos, hj ledas a* habilidades : na .-travessa do
Carmo o. 1.
l^ado franeez da batra franceza
ia ra do Livraraento n. 21.
: de tres solas (NanlesJ 5000.
de dias solas 65000.
W rs.
V
$. Joao
;B irzop
iDilos d^
Ditos d
;SlFJlOS
VeWTc-se tagftloale Lisboa da mellior quali-
a. ^8, segunda toja.
Vende-se o sobradinho da ra nova de San
la fi;:. a. 44 : a tratar t* ra de Santa Rita nu
mero 2.
Veadam-se charutos da Rahiade varias qua.
lidades; em casa de Moubard & ('... ra do Tra-
piche n. 4*.
JXovidade
lloupies Ae icim de linho para senhora, pele
biirato pre^o de 35 cada um, (iazinhas econmi-
cas para vestidos a 360 o covado, chapos de pa-
Ihada Italia e apurado gosto a l'5 : na ruado
Queaiado n. <7, __________
Vende-se urna parte de am sobrado sito no
balrro do Recite : a tratar na travessa do Carmo
n. 1 sobraden___________________________
* Na Piranga de fronte ao sitio do Sr. Millet,
ende-se tiai beierro e urna bezerra de ra^a tou-
rna.
Farinlta de milho.
Yes/Jem-se barricas de farinha de milho arae/i-
cana ie 6 arrobas : na ra do Rangel n. 3.
ram a cubeba o a cnpahyba isolaiiamenle.
Deposito genal em l'ernarabuce ra da
Cruz u.2 em cssa de Caros & Rarboza.
ritVia.
O espaco nao nos permilte IriSCreveri
todos os atlestados que possuimos Jas vir-'
tudes d'este extracto composto ae Salsa
parrKha do Dr. Ayer. Hasta doctorar co
publico que lem sido empregado ha mais:
de viute anuos pels profissao med ,a tanto!
das Americas como da Europa, se.n nunca!
desmo^tir a sua alta repulaco. .liova Soja Ae 'azcndas e roupa
------ ffeia ozciaanl, ra da f au pe-
Para a cura radical d-3 escrfulas e ifTeccoee ratriz. loja de 1 portas a. 7 9.
escrofulos, sypbilis e moleelijs sypbi-! Gilas da loja n. 72.
lilicas, ulceras, feridas, Cliagas, Vendom-se cintas Snas a 240 e 288 o covado,
i>iuni-np cuianoij tn/ln a ditas francezas linas a 320. 360 e 400 rs. o covado,
ei upcoes cutneas a todo e ,.assa (rmcea fina a S20 ^0 e m n ccvado
qualquer incomiodo-que laziuhas para vestidos a 360, 400, 500 e 460
pro.vm d'ut estado covado, pecas de madapolao fino a 65, ,75, 8&e
impuro de sangue. 95, l'^as de algodaoa'35, 65 e 85 : ruasdalm-
TOMEal A peratriz n. 72
SALS^ABIIJLHA DE AJ-BR. I VenJeiQ.se S.s dfpanno'Sn'o a ,
A venda na ra D.re.la, ns. l 26 e 7fi; m% ,1|[0< sa(.s'os 65>8/e m (iilnsV-^e.nira
ra da Quitanda n. ol ; ,praca da Consti-, decores a 65, 85 405, ditos de brm de cores a
tuio, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na- -25300, 35 e 4S, calcas de casemira prelaedeco
priacipaes pharraacias e drogaras da im- S^O-'m^alSei 72Cores a *m
pmo.
Vende-ee em Pernaabuco:
k phariataeia franceza de
.MAURER & C.
Sootainl)ai:ijii- a 85.
5,Tende-se soutambarqup de liiasinha a 75*85,
ditos de alpaca branca a-85 e 105, ditos de gros
I dor.aple prelo a 205 e 255, ^apas pretas de gros-
. denuple linas a 20 e 25, panno Bno preto a i.
RA .NOVA N. (6.
Liquidando das faz o-
das da barca frun-
ce a
VIGTOlA
Venie-se na ra Nova n. 30, urna victoria 3lnda
om bom estado, feita por um dos melhores fabri-
cantes bom ettado
Veade-*e
nm exeelle'nte cavallo muito bom andador baixe a
meio, sellada e enfreiadj, por muito barato preco :
a tratar na Roa-Vista ra da MaDjueira n. 7, das
fi as 9 da manha e das 3 as 9 da nc.Ue.________
Vende se a taberna da ra da Coti'PiQao b.
11 defronte do rancho, com pouces fundos C cota
Commodos para familia : a tratar aa mesaa.
[ 3g, 5 c 35 o covado, casemira prela a 25. 255U0
ie $, rosdenaple preto para eeljdo a 15600, 25 e
25300 o covado : ra da Imperatriz n. 72.
Corle de la Haia fia a H),
Vendem-se corles de vestidos i Maria Pa a 105
145 e 465, cortes de cassa franceza a 35, cortes
de brim para ealr;a a 15000 e 25, ditos de -ease-
mira de.car a 35, ditos de dita prrta a 35300. 45,
Hoje pelas ieras da niiHliaa al as da tar- :$ f 65 : f,ua "nipcrartni. 72 Este novo es-
de principiar a frra sem*nal das seguintes fa. 1 ah*'n>!o vendo baralo para obter fregoezia :
zendas, parte das saes sao da barca franceza, a dajmpcratm, loja ./I______________
Vi ?^S^Siy^ha^al!,"*9!'i Simd de ivdntoa
*5,'5, 75500,85-).(X, 95 e 95;i0, tambeH tem ... ,
madapolao fraacez infestado superior com 20 |ar- Altendendo as circunstancias do lempo al oli-
das a 75 a peca, esla pachiucha espantosa, ai-1 Io avi?0' r^xo-me a veuder a ohra de Simao de
godio com 21 jardas superior a 55 e 65, e cutras antua pe o diaunuto preco de 800 rs. ada exem-
mareas a 75400 e 85 a pega, caminas a 15, eia-1 D'ar- A ,ra coiapMs, tem a segunda parlo das
les de merino a 15, '5500 e 25, estopa a 25 a ^ra? PM"". bem impresso, tem a estampa
jarda, chitas francezas escuras, helios p-.droes, a i encadernaco :
240, 300, 320 e 34, ditas de bellos padrees imi-1 *?nan S*1?/*** 9. lo, dcfroBte de *. Fran-
tando a seda a 360 o covado, ta muo finas ; e .
dSo-se amostras oom penhor : na loja da ra da
Madre de liaos n. 16 defronte da guarda da al-
fandega.
RAPE"
Duarle, Pereira & G.centinuam a vender e afa-
cisco, onde tamben, ai para venderse uaus pou-
cas de cal xas de papel do Diario vasias, e pelo
mesmo prego que vende a Diario.
Vende se eaixes >aziosproprio6
para idlinlciros efuaileirosa IJ7GH
mado e fresco rap Princeza de Petropoles em sen'rada nig; nesta IVBertipIli
grande armazemde louga e vidros : ra de'________________ r p r___'_____
Crespo a. IS.
Coke "o gaz.
Pttcli da gaz. '
AlcatrSo do gn/.
Cok, (melada ItjOOO.
Pitch, arroba 3560.
Alcatro, caada 500.
0 cok reconocidamente o carvao mais econ-
mico, tornase por isso recomniendvel, bem co-
mo pelo aceio que se nota as casinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatro, alera das applica-
coos diversas a que se prestao, cerno para calafe-
tar embareacoes, alcatroar madeiras, etc., lecm
estes a propriedade de preservar do cupim, tur.
migas, etc. entregue na fabrica do ga?, ou man-
dado per em qualquer ponto da cidsrfe, fPgundo a
vontade do comprador fl previo ajaste.
Vinlift da Madeira e do Torfe
Vende-seosuperior vinho da Madeiraedo Poi
to,>)rn caixas de urna u duas duzia : s na loj;
do Vigante.rua do Crespo n. 7.
Vendem-e h acli as | ara desear ?ai
a'godS com mo'eres para ai iu.aes: ra ra
da Sawzalla Nova n 42.
J. Kel er & C. ve dem su.erior vi-
bo lilil (1 B rdea \, Unto ep (u.rola
como cmcaixas de duz;a d>- garrafas.
ATTENCiO.
B:.rzegolns franeez da barca S. Jtaa Ja Luz, a
6,5000 Je Irilro e bozerro : ra do l/vramcnto
u. H.
0 gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
\ poso Ballsa, na sua ordem de da, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallecom seus
agudesespordesnuucaos effender, antes osagra-
ciar na mesma conformidade, para que o Baliza,
: passa marchar em frente, a Branca Aguia possa
' levantarseu voo,|levando no bicoas palinbas a seu
iiiuho, e o (Jallo licara em seu espacoso campo
dando de novo o seu canto annunciando a seus
boos freguezes e aorespeitavel publico
0 grande sortineile irobjeclos de maito justo que
acaba de receber.
Ricas caixiahas rom msica ricamente enfeita-
das para custura, proprio para um delicada me-
nino.
Riquissiraos cofresinbos cem cadeades de metal
para guardar joias.
Ricas canas com esteje, contende todos os per-
I lences parabomem.
Riquissimas rollas fingindo percla.
Ditas com lacinho de fila.
Ditas de lindas cores e preta, de tedas as gros-
suras.
Lidos aderecos con pedrinhes inginda bri-
Hiantes.
Ricas frelias paracinto.de todas as qualidades
e bem gest.
Ricos cintos do ultime gosto de Paris.
Grande sertimento de lindes enfeiies paracabe-
ja, sendo do ultimo gosto e de todos ospreeos.
Flores muito finas para nojvas.
Luvas enfeitadas e ninas de seda para noivas.
Touquinhas sapatinbos e meias de seda par,
baptisade.
Riqoissimas filas de todas as qualidades parala-
do, cintos e cinteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Riqusimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sorlimentoie gravatinhastanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarrilhasde bonitascres.
Trancinlias, galo e maravilhas para enfeiies.
Transelins de cabellos e de retrez parareloglos.
Papel amisade e de cairas qualidades.
Bolsas par viagem.
ntremelos e babadinhos delindos padres.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e con mtame de todas as
larguras.
Cnes mras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de saboaetes.
Lindos vasos com banha para offerecimentos.
Caixinhascom seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
frascos quadrados egarrafinhas.
Pomada fina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de todos os
nannos.
Sahaoinglez em paos grandes e pequeos.
Esc ivas 46 CaiJO (ie Iiuaroperoln, raarnm e de
osso, para dentes.
Pentes para desembarazar, com friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartiruga e de muitas oulras qualida-
des.
Penies de tartaruga par; senhora
Ligas de seda e de algodio, assira como nviites
outros ibjeclos de rosto que seria impossive! men-1
cinar.juo a vista far f, s uo Gallo Vigilante,,
ub do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas comcruzinhas'
lingiao brilhantes, assim corno cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 c 15200, as;
cruzes avuls asa 400 rs. s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Lcques.
Riquissimos leques de madiepcrola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato pre?o
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
- GRANDE KOVIDADE.
S no Vigilante.
Riquissimos enfeitesde todas as qualidades para
sck'.ioras e mtnnas,chegndos hojela alfandega.
MNt#
RHquissimossintOs de fita larga e estreita eom
fi velas grandes e pequeas, cora brilhantes falsos,
cosade muito gosto.
Albnng
Tambem chegaram os riquissimos albunspara
30 retratos, com capa de tartaruga e de marfim,
cousamuito^liiqne : s no Vigiiante,rua doCres-
po n. 7.
fi>lhhani
Riquissimas golinhas e manguito?, omelhor gos-
to possivol, a 25,25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeiies para smiiora.
Riquosissirn enfeiies eom laco e semiaco e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35: s no Vi-
gilante, ruado Crespn. 7.
Trancflins.
Lidos trancelins de cabello para relegie ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
Banadiohos enlrrnteios.'
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindo;
desanos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preee de 15200, 15300, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cistarrilbas.
Grande sortimento deeascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinbas pro-
prias para enfeiies; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de lilas de diversas larguras
e qualidades, por precos que adrairam aes com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pe vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra de Crespo
n. 7. 1
Filas de ISa.
Fitas de Iaa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos sprllios.
Riquissimos espedios cim moldura dourada]
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como eom
cfllumnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 35
e 65 ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e ligaras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhor gosto queaqui
em apparecide; s no Vigilante, ra do Crespo
1i 7.
t Para ais de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz
ousa de multo gosto a 15300 e 25, assim como
acotes s cora os pos a 320 rs. cada un; s no
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
RIVAL SEM SEGUNDO!
'.lua do yueimado as. i9 e 35, loja de miiideza!
de Jos de Azevcdo Maia est cunliimano i
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por todo preco a vista dos cobres.
Cartas de allluetes franeczes da melhor nualidadt
: a 80 rs.
GrosasJe peonas de 350 inglezas da melhor qu-
lidade a 640 rs.
Caixasdejolchetes francezes de superiores quab
^ dades a 40 rs.
Grosas de botos de madnpcrola muito Bnos a56(
e 640 ris.
Carreteis cora 4
640 rs.
.Resmas de papel de
250OO.
Grvalas da liga e de outris muitas uutlidades 1
300 rs. H
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botSes branco para casaveauesde senho
ra a 100 rs.
Pegas de fita de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a lera 800rs.
Ossegredos da nalareza para os meninos a pren-
der a ier a 15000.
Gartilhasla doutrina christaa, finase superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 15000,15200 e 15300.
res de l uvas de seda para hemens e senhoras a
^ 300 rs.
Golliithas para senhora o melhor que ha a 320 t
300 rs.
Frascos cora superiores banhas a 240, 320, 300 t
I5OOO.
Livrosque serve para assentarroupa, pelodimino-
lo preco de 160 rs.
Carrachos redondos muito tinosa 300 rs.
Cordaobranco para e?f>aMtlht muito superior.*
* vara a 20 rs.
(irritis com 130 jardas de liaba branca a fin
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha branca garant-
d> s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a 300 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
Ibas a 160 rs.
Pares de botes de punho, oh que pcchinrha 1
120 rs.
Tioteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes delouca prateados muito fino
160 rS- -IW,
Tesouras para costura superior qualidade a 000
ris. .
Escovas para limpardentes, superiores a 200 rs.
Caixascom superiores phosphoros de segurancaa
160 rs.
Caixascom 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris. -
Caixascom 20 quadernos de papel amizade.muiu
finoa600rs.
Quadernos de papel pequeo muito DDO l 20 rs
Grande liquidaC'fw) de fazen-
das finas, rita da Iuipe-
ratriz, foja fc armazem da A-
rara n. 56, de Lourenco P.
Mendes Guimarfies.
'.'j.-'niias para o carnaval.
Vende-se veibulina de todas as cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a 'ifc'Q^ covado, sarjvlim
do cores a 2fc0 o covado, al|f.r.-i de cores [repra
para vestuarios a 320 c 360 o covsdo,tafela dcs'da
de lodas as cores a 600 rs. o covado : ra da Irrpe-
i ratriz, leja da Arara n. 36.
Chitas baratas a 240 rs -'
Vendem-se chitas Gnr.s ?. 24fe e 280 c covado,
chitas francezas finas a 350, "CU d 4C0 i-. (fas
litas de cores a 320 e 400 rs. o covado, percatas
finas para vestido o 300 e 360 o covado : ra da
Imperalriz, loja da Arara n. 56.
Caries de cambrnias, a-Ama vrndc a 3$.
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas a
35500, 4J e 55, cortes de cassas francezas finas a
35, cortes de chita de 10 vados a 25400, ditas
finas a 35280 : na loja da Arara, ra da Impt-ia-
triz, n. 36.
dos a 3-3 e 3,5300 o covado, Rrodenarlc preM fino
a 15(500, 15800 e 25, dito superior a 25600, dito
com 5 palmos de brgura a 38 o covado, panno Fi-
no preto a 25, 25800. 35500 e 55 o covado, case-
mira preta fina a 25,25500 e 35 o covado, alpara
preta a 500, 600 e 800 rs. o covado : rua da Ira-
peratri?, loja da Arara n. 36.
Arara vende cortes de casemira pela a 3aG0.
Vrndem-se cortes de asentir preta a 35560,
45, 55e5, ditas de cores a 35, 5. 55 f 75. cor-
tes de brim e ganga para calca a 15 25 : rua da Imperalriz, loja da Arara n. 56.
Panno de liubo a 40 rs.
Vende-se panno de linho para leoces e (sainas
a 640 e ".O.hamlnirgo a 500 e 360, bramante de
10 palmos de largo 'a 35 e 2J300 : rua da Impe-
ralriz n. 56.
irara venta oshslcs a 3 e madaplao t \#.
Vendem-se balees americanos-a 35.3Cfl c 45,
ditos de musselina a 455C0, pegas de madapulo
cnfoflado a 'i5, dito de 24 jaras, largo, a G5CC0.
6JS0O, 75, j, 05, 105 c 155, fia tas a 55, 65, 75 e 85 rua a Imperelm, leja
da Arara n. 56.
Soiikimbaiiiuespretes a iii6
Vende-se sculanibar(|uepreto de grosderspie ;,
t>5 e 255, capas freas de grosdenaple Unas a
205, 255 c 305, seuUimbaique te laazitlia a '5 c
85, ditos de alpaca brancas a 85 e US,, lieos ves-
tidos Maria Io de novo gosto a 125, : .
165 e 05 : rua da Imperalriz, leja e armaiem a
Alara 11.56.
Ciraiudc coi siuruto de s-t&tpn
felta.
Vcndcm-so palctots de casemira de cores a 55,
! 65, 85 e K'5, ditos pretes de panno lino, si brtca-
sacas a 125, 14$, 165 e 235, paletots sacros preto:
de panno a 35, C5, ?5 e 105,
ti __^^ rvl-v-Irtr, de iianno a 35, C5, ?5 e 105, calcas t'e case mira
Frascos comgomma arbica |P>,a.-. 45. \e%, d.tos de casemira l Sil
45,65e 85, dllos de meia casi n ira a ,''5 c- .1. :Q,
ditos de brim e ganpa a 25 e S540, ditos de brin
branco a 35500 e 45, rlleles cV loras as qualida-
des, camisas francezas a 25 e 2500. ditas inglezas
de linho de pregas largas a ?5 e ;'55l0, ciiioIes
a 15280,15C00 e 25, palctots de Li im decir a S$
di
dissolvida e pincel.
Vendem-se na rua do Queimado n. 8, loja
aguia branca.
iV pos al bas.
A aguia brauca acaba de receber outra encom-
menda de bonitos e bern cncadernados all-nns de
capas de velludo, massa, tartaruga e marfim, al-
guns dos quaes com microscopio paia augmentar
o tamanho dos retratos, continuando a serem ven-
didos por precos commodos : na rua do Queimado
loja da aguia braman. 8.
Galanteras para fesas
A aguia branca nao cessa de encommendar do
quehade melhor e mais agradavel.e porissoaca-;
ba de receber diversas figuras e vasos de pede
pedracora fina banha, assim come bonitos frascos
de expelientes extractse lindascaixmhas de ma-
deira etivernisada com finas perfnmoriac. \a-
mu proprio ..ira presentes de festas etc.,ua\enuo
dinheirodirija-seo pretndeme a ruado Queima-
do n. 8, loja da aguia brauca.
Ail fino para engom*
mado
A aguia branca na rua do Queimade n. 8, rece-
beu glbulos de ail fino e frasquinhos cem es-
sencia de dito para engommados.
Outros enfeiies.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
dosenfeitcsdemoldesinteiramente novse de um
aparado gosto,assim poiscomparceam os preteii-
dentesraunidosdedinheroe com disposicao de
gastar: na loja da aguia branca rua do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A aguia brama na rua do Queimado n. 8, rece-
alpaca branca a 53r0, eJiles e'c iliaca de n rjfo
a 45, colarlnbos c'e linio a CO, ditos t |ajrla
640 a duzia : ama da imperalriz, loja i',- Arara
numero56. O propridariodaJoja e atrntzim !a
Arara declara que todas as 5uas faiendas c verde
em perfeito esladOj como os cempradeies pedeiil'*
examinar; a loja esi aberta at rs 0 i.oias c?
nr.iie : :na da Imperalriz, loja da Arara n. "C, ilc
Mendes Guimaracs.
nAtlKAStLPAUM
de trafcaaiar i*i |ia
FAIiHICADAS
Por Plant Brothers & 0.
tiibk'A
Estas machina!
podem desean
espeei
18 sera
estragar o fi9,
sendo bastante
,. duaspc-?S( .i.- para
o iraalho: poda
descaroearj una
arroba de algo-
do em earoeo
em 40 minutos,
au 18 arrobas
por da on 5 ar-
robas de
limpo.
\ ^^4
algodc
Assim como machinas para serem
movidas por
godc
por que pode
mencionadas ;
fazer
para
mover seis destas machinas
o que convida-se ao Srs.
agricultores a virom ver e cxamma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brothers k C.
X. II, naca do Corpo Sarco
RECIPE.
Os aicos agentes nesle paiz.
SEM SEGUNDO.
aviaria-! a'mac5> llue descarojam i8 arrobas de
ceben novafnenle esses pequeos pentes de lana ylwpo por dja
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,| 0s Intsmos tem paPa v bellissmio va
bonitos e bem feitos tantaestima tem merecido pa-
ra as senhoras si guiar o cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviam encommendado e a quem mais queira
aproveitar aoccasio de os comprar continuando
a sereinveuddos pelo mesmo preco de fcf cada
um.
Estando broncos ficom fritos
O bom resultado e o rapid- cffeito que produz
a tintura de ehromaeoma, e mesmo o facillimo
modo deapplicartem se tornado muiconhecido e
apreciada portodos que usam deila e por conse-
guinteaugmentadoa exlracao.pelo que a aguia
branca mandou vir mais o novo sortimento que'
acaba de receber constando elle de
Caixas com ehromaeoma para Ungir os cabellos.
Frascos com coloricoma para lusirar ditos.
Ditos com ny irocallethricbina para limpar ditos
Ditos cora -lychromantiua para limpar as unhas
Sabonetcs>rancos para lavar os cabellos.
Ponida .allieoraiphila para lar eheiro aos di;
tossemoiTender a preparaijofeita.
Sapatus de marroqaim
rado para bailes.
Esses sapatosdo grande lom vend j.-n-se nica-
mente na rua do Q -imado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Meias finas para senhoras
gordos
Vendem-se naruado Queimado loja da
branca n. 8.
Rua do Queimado ns. 49 e 55 loja do BarM. to
conhccidoj' como tal,, esl dispoudo da fazenr'a
por todo o preco para apurar dinliciro, qoem or-
zer venlia ver e traga o eobre, e ver o secoiDte
Barallios de cartas para voltarete muito c
finas a...........................
Miadas de linha froxa para bordar a___
Pares de sapatos de tranca de todos os
tamanhos e finos a......".............
Massos de superior granipos paia cabelles
30
i7a?- Duzias e patlos de gaz superiores a.....
riL i Libras de arca prela muito superior a. .
Frascos de superior Eisc';;: olee a___
I Ditos de dito perola a..............
Ditos de oleo de babosa omito finos o 320
I rs. e........................... ...
j Ditos de agua de colonia superior, gran-
tida..............................
I Ditos de banha muito fina a............
[Ditos de cheirosmuilo linos para-o'prrco
aguia : a ris...........................
Saboaetes de (odas as qualidades a 60 rs.
160,
Esponjas finas para rosto |xolXdeii'nhVccmVob7a'r'dVsV.V.".':
Vendem-se na rua do Queimado loja da aguia Carriteis de linha de cores com 20i jar-
branca n. 8.
M
son
5f*
400
B40
6uC
4eo
80
IQENCIi.
Da
AGEWG L0W-H001.
Rua da Seutalla aova n. 42.
Neste estabelecimento continrta a havw
ara completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vago?
e tachas de ferro batido e coado, de todos o;
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par;
lavar roupa: em casa e S. P. Johnston d C.
roa da Senzalla Nova n. 42.
das a.
Novellos de linha de gaz de lodas as c-
res a.............................
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores chelros, pequeos, a
Pares de Hgas muito superiores 6 bonitas
a ris._.......................... .,
Varas de'bcos francezes, superiores a...
; Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para denles, soperiar a
tudo a...........................
Pecas de tranca preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis deagulhas Victoria a
Varas de fita preta com cohetes a......
Libras de Iaa sortda de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de brelas de ma s=a muto novas a
Varas de franja .braaca e deirespara'
toalhasa.........
Predios ven/la
(BlH Iciliooil Ca particular) Frascos de oleo Philocompscupnor
Um sobrado dtrdousaBdares e^oliio em chaos l,os com superior tinta a320 e........
proorios, na raa d A morir n. 17. Caixas de linha de gaz eom 50 novellos a
Um dita de dous andares e sotao, em chaos pro-1 Infladores para espartilho ..........
Duzias de botos enrai-naaos para vest-
Grande sortimento de extraetos e banhas, poma- pr|a. na rua do Burgos b. 3
das, assim como, de lindos cojiqs on vasos cora dis-1 Urna casa terrea rom sala, em cliaos proprios, \
tiuctivos e oflerecimentes assinhasinnas des me-1 na rua das Burgos n. 5.
I boros e mais afamados autores de Paris einglater- Metade de urna casa teTrea. em chaos proprios,
6i
30
240
2W
ICO
40
15000
ifoeo
se
200
4 C5C0
160
40
8
600
:ro
800
200
ra, assim como os grandes ropos de banha japoneza
a.25 e a 15, assim como outros ohjeelos que nio e
pdssivcl por boje aanunciar, e a vista dos /regtie
zes se far todo negofio; na loja do Gallo Vigilante,
roa do Crespo o. 77
na rua da Senzala Vellia n. 8: a tratar com o
agente Simes aa ma da Cruz 57.
Bitas hamhurgue as.
Vende se na roa Nova n. 61.
...
Chafes de merino
, a 15,15300 e 95 ; vende-se por este prtco par
" '. ter-s arrematado na alfandega e Ir; nm deferln :
9 aa loja da rua da Madre de Dos n. 16, defronto
i pa guarda da sifandega.


i
Iaa ^m ^m. a.


MaH de Peraanfenco Tere: Iclra 14 de Feverelro de 1905.
s$ NO
ABBAIEI
yi UTBIttO VEXDB.
Neste estabelecimeato ha sempre um sortimento completo de roapa feita de
I todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
>S reates, para o que tem um dos methores professores, assim como tambem tem um
'* grande e variado sortimento de fazendus de todas as qualidades, para senhoras,
88 horneas e meninos.
ijk Casacas de panno preto, 350 e 30(51000 Ditos de setim preto. .
g Sobrecasacas dem, 300 e 250000 rjjtos de dHos e seda branco,
\ Paletos idem e de cores, 25^, |. 60 e '. .
200, 130 e......100000^ rjjtos .de gorgarao de seda
Ditos de casemira, 20, 150, pretos e de cores, 60, 55 e
425, i05 e...... 75000 Golletes de fustao e brim bran-
Ditos de alpaca, 50, 45 e 35500- co, 35500, 35 e .
Ditos ditos pretos, 95, 75, Seroulas de brim de Unte,
...... 3*80. 25490 e ......
ijinnn! Ditas de ate0*110' 1*600 e-
^Camisas de peitos de linho,
**> 45, 35 e......25300
Ditas de madapolo, 25500,
55000 25e........
Chapeos de massa, pretos fran-
75000 cezes, 105, 95 e. .
75000; Ditos defltro, 55, 45,35500 e
; Ditos de sol, de seda, 125,
45000: 115, 75 e......60Ofl9
Cllarinhos de linho fino, ulti-
45000 ma moda duzia. ... 65000
Sortimento completo de grava*
25500 tas. 5
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
e........65000
ores, 95 e ..... 7|0O0 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 55 Lences de bramante de linho.
4f e......* 35500 Cobertas de chita chineza.. .
*******mm*m ***************
AURORA BRILHAHTE
75,
45 e .'.....
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4#500, 45, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 65, 55 e
Ditas de merino preto de cor-
do, 105, 75 e.....
Calcas de casemira preta, 125,
100, 85e. .
Ditas de eres, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e. .
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordjo, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e-de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e de
25000
15400
15600
85500
25090
45000
35000
25500
DE
J. VIGNES.
x. &&. ba do imperador n. &.
Os pianos desia antiga fabrica sao hoje assaz r,onhecidos para que seja necessario insistir sobre
su* superioridade, vantauens e garantas que fferecem aos compradores, qualidades estos incjntesU-
vais que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tcm apparecido nestapraca ode-
.nndo um teclado e macinisino que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
gunea falhar, por serem fabricados de prepsito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importaB-
isslmo- para o clima deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
vei s aos ouvidos dos apreciadores. .
Patem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do br. Blondel, de l'aris,. socio
rraspondi-nte de J. Vigiles, ein cuja capital foram sempre premiados om todas as expesicoes.
nb !...... .,.Ui,.,K.^i....-.... < ha compm nm i-.xnlendidu e variado sortimento ae msicas do
ii'ilhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido or
roaos commodos e razoaveis.
CONSULTORIO BEDICO-ttlRfilCO
DO
BR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTERO 12 OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr-. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
horas da manlia, e das Ce meia s 8 horas na norte, excepto dos dias santificados
Pharmacia especial komeopatlca
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. \ 185000
de 30 tubos grandes. 245000
de 48 tubos grandes. 305000
' de 60 tubos grandes. 355000
- Prepara-sequalquercarleira conforme o pedido que se fiaer, e con os rema
que se pedir. .
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca l-?' 00.
Senda para cima de 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A mellior obra da homeopathia, o Manual de Medicina ,Homeopathico do Dr. Jahr..
j>:j groados voluniescom diccionario........... 200000
'Medicina domestica do Dr. Hering,............ 100000
Repertorio de Dr. Mello Moraes. .*.......... 60000
Diccionario de.termos de medicina ...,...,,.. 30000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
ladeiro ssucar d leite, notaveis pela sua boa conservado,-tintura dos mais acreditados
.Ubelecimentos europeos, a mais exacta e accurada preparaco, e portanto a maior ener-
va e certeza era seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lbe qualquer
soeraco, para o que o annunciantc julga-se suficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tantb na parte alimentar, como na medica, e
fraccionando a casa a mais de quatreannos, ha muitas pessoas de cujo concert se nao
pje duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi era diante 1/1500.
As operaces serijo previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos preces
noaveis que costuma pedir o annunciante.
". n| j^ y^i '^'^^l^v^s^s'^k)""^1*^'''' "'j'*'!m)^^^^^ (fa^$& $$
43
m
Ghales de renda preta e bournus de guipit preto^
A" loja da ra do Crespo u. 17,
DE
JOS COMES TILLAR
Vende a !8*, SOjl, 30, 405, 30 e W, capas e casacSes de gros pretos, chapeos ,
e chapelinas de palha e outras muitas fa7cndas proprias para a qaaresma. ^M
Jos Gomes Villar pretendendo ir a Europa tratar de sna saude espera qae seus
deredores tanto do mato como desta praea saldem ns dbitos quanto antes.

Vinho i9 Porto siterier
p.-n barris de itav* a derlm, rende Anttiio Lait
di Oliveira Azetede le C.: na en escri^torl* ro
da Croi\. 1_______^__________
" Rio a Keicalla Nova i. 42.
Pteste estabelecimentoJvendoiB-setachas de
ferro coado libra aJUO rs., idemde Lon
Moor libra a 120 rs.__________________
Venda-se por prego rsmnaodn um pian de
iniMA proprio para inem ^uirer aprender : a tra-
tar na raa di Santa Tairea U. .
J**M *&N*J*.
Fabrica Ooftceico
Babia.
Andrade & Rege, receben eenstante-
mente etem venda se sen arnazem n.
34 da ra do Imperador, alzedle d'aquel-
la fabrica, preprio para saceos da ssu-
car, embalar alfodo empluma etc., etc.,
pelo prec mais razoavel.
grandes m\mw
OE
MOLHADOS
Wm IR JK 33 Kt
Largo da San
>uz -s. 12 e 84;
[esquina da ra do]
VINHOS
E8PECIAE8
Larf o lia Santal
ruzns. 12eti,j
esquina da ra do|
]ebo.
O dono des ja uito acreditados armaaens de nsotbados denominades Aorora
Jriluaote, acaba 4e receber de sea propria encoromenda, moites turas delicados
jreprios da presente estacao, e tendo grande sertimento comprado aqui,alanca.quetodas
es seus gneros sao de I." qualidado.
A eguinte tabella servir a todas de base para ajaste de tontas aos por-
tadores. '
tfeabum armaiem vender mais barata, e njellwres gneros io fue a Aurara
Brilhante, j pele grande sortimento qae tem,-ji mesmo per sea eno e achar encem-
medade em ua ande e ler de vender um de seos armazensagora, e o ntre nn pr-
xima primavera, par isss deve-se apreveitar urna aadra iesUs para se comprar
barato.
Latas com 3 libras de oliuuricas muilo novas,
a 7-)90.
Bitas grandes com peiie em postas jnteiras,
mais de lt qualidades, a f JMOO, IfiiM t
VMMK
titas com ostras, -excellente petisce^ra fre-
ideira, a 720. ts.
litas cora ervilhas novas, ensopadas, a
70 rs.
Bitas com avas, a 6 i re.
Bitas com ameiras a 1^200,15800 e 3f509.
Ditas cen marraelada do.afamado fabrican
cante Abreu, a 880 rs.
Bitas de massa de tomate, a 500 rs.
Bitas cora tigos de comadre, noves, a 1500,
2J e 25300.
itas 'm bolachinha de soda muite novas, a
25000.
Ditas com biscoitinlios ingler.es de muitas
quilidades, a 15400.
Gbocelate.
Cliocolate superior muiti novo,. a libra a
15*90.
Hicarrao tolharim e alelria afharella.a libra
a i8 rs.
Dito dito dita branca, a libra-a 400 rs.
Cairas cora estrelinha.pevide e outras aus-
sas, a caisa 35o00.
Bitas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240rs.
Ervillias seccas, a libra a 160 rs.
Bitas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
oOOrs.
! Arroz do Haranhao, em saeca a arroba a
25100 e Alifara, a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
libra a fOO rs.
Toucintio de Lisboa a 95500 aarroha e a 320
ra. a libr.
Dito de Santos, a arroba 75000 e a libra a
269 rs.
Moltios com 123 sebolas grandes, a 15280.
Mostirda franceza caixa com 2 duzas a
83080.
Fcascos com mostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos cora conservas inglezas e francezas,
a CiOeSOO rs.
Ditos cera sal refinado Gao, a 640 g a 300
ris.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Ilollanda verdadeira,
13000.
Ditos de 1 garrafa de Ilollanda verdadeira,
a 6i0 rs.
Botijas cora dita propria para negocio, a
401 rs.
(Jarrafoes com 2 galoes com dita, a 65000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65000.
Vinho mscate! de teluba, 'a garrafa a
15W0.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
ea 15200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
Azeite refinado portnguez e francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75,85, 95 e 105 a caixa.
Bitas cora dito branco, a 75000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205-
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
185000.
Bitas com chamisco superior,a 145000.
Ditas com Porto velho e outras multas mar-
[ cas, a 125000.
i Vinho do Porto da pipa, a garraa a 640,
720 e 800 rs.
t Dito de Lisboa muito bem, a caada a
I 35200, 35500 e 45000, e a garrafa a 300
e 560 rs.
[ Dito da Firueira. das segnintes marca, (N.)
i (J. A. A.) (J. L. O.) (O. M.) a caada a
43300 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
t que j est ensrarrafado e lacrado com o
) rotlo do rraazem.
Bitosde marcas mais deseonhecidas, a cana-
t da a 35300 e 45000 e a garrafa a 480 e
i 520 rs.
Vinho branco fino, gan aa a 640 rs.
Diifi 4e :4 Mtfs superior, garrafa *
Vi alta verde uerw.
A-e*M*a-a 3*500MU a aomfn aAW
(anima.
Sacas JU-4 arrobas, a veriBeira^ea*
^ntemiwr, a. arreba a 35000 eaW>ra
LJOJp
S*it> maesa,alinea .a 200,240 W> rs-
fariamai
Saeeas graades/;om farinba deGoiauna mul-
lo nova, a 55000.
af.
Caf do Rio muito superior, a arreba a 85,
85500 e 05000. ^v
Cha.
Cha temos uestes gneros o memorpost**'
-bysson, a libra a 25600.
Bltoperola a 35009.
Bitouxima 257UO,
Dito hyssoa muito fino a 25800.
Dito redondo a 25300.
Dito preto de primeira qualidade a25300.
Dito mais baixo a 25000 e 1300.
Erva mate.
Exceliente ehmedicinal, a libraa 320 rs.
L'spermacete.
O masso com 6 vellas ie espermacete a600,
640e720rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 2$509.
Nozes.
Nozes, a libra-160 rs e arroba a 45000.
Alpista e pataco.
Alpistae pah.vo,a arroba45000 ea libra a
100 es.
Cartas.
Carlas finas para jogar, a duzia a 25500.
Caslauuas.
Castanhasnovas vindas neste vapor, arro-
ba 45000 e a libra 200 rs.
Aiei tenas.
Barris com azeitonas novas a 15500
Mantriga.
Manteiga flor, a libra a 13000.
Dita maisabaixo a 800 rs.
Dita menossuperioi a 640 r?.
Dita franceza nova,a libra a 720 rs.
Dita dita em barrise meios ditos, a libra a
660 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Queijos.
.ueijos novos vindos neste vapor a35200 e
35500.
Ditos londrinos muilo novos, a libra a
15000
Papel.
Papel almago pautado/a resma a 45800
Dito dito lizodelinlio, a resma a t#W
Dito de peso lizo e paulado, a resma
Dito deembrulho bom a 13 e 1520-
Vinho Hadeira.
Garrafascomo verdadeirovinhoXereze Ma-
deira a 15300 e 25-
Teraperos.
Felhasde louro,.pimenta doreino,
e cravo.a libra a 4t0 rs-
Velas e carnauba.
Massestfom 6 velas de carnauba rettnaaaa
480 rs.
Amendeas.
Amendeas com casca, a libra a 320 rs.
Deee. immm
CaitSesdedocede golaba, grandes a 1**
e pequeos a 646 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Dnzias de boioesde graxa n. 97 a 23600,--
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 pe'.
Charutos finos.
Charntos finos des melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
coniinho
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, ^ie deixam de an-
nunciar-se.
1 4 8 0 CORTE.
Pechinena em igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedaie de padres
pelo baratissimo prego de 4$ 0 corte: na loja das
columnas ra do Crespo n. 43, de Antonio Cor-
reia de Vasconcellos & C.
NEM COROAS NEM MITRAS
E

RA 0O IMFCRABOR W. 40
Julo ao sf brado en qae aera oSr. Osboroe,
Duarte Aluaelda A. C, receberam de sua propria eicemMn-
da o mais lindo c variado Morfimeuio de raolhades, proprloa
da p resecte estaeSo.
Manteiga ingleza Ma^as braicas
da safra aova vinda no ultimo vapor a 1,000) para sopa a melhor que se podo desejar.
rs. a libra e era barril a 800 rs.
Hauteiga fraaceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Ameiidoas
coufeitadas de lindissimas coros a WQ rs. a
libra.
Ameixas
om fraseos de vidro com 3 libras liquido a
26400, muito propios para mimos.
arttes
om bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
cem belacbinbas de soda de todas as qua-
lidaes a i3W.
Ohecolates
de todas as qualidades a I5O0 a libra.
Presuntts inglezes
dos melhores fabrieantes a 860rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamenges
chegades neste ultimo vapor 2^600.
lnelJo>s
chegados no ultimo vapor a 2#@60 cada um.
QUCijO
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de encellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteire e 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pdeesperar a 760 rs.
o frasca.
Figos
em libras e caixinhas ricamente deuradas,
proprias para mimos a 900 e 1^200.
% Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que ootro
qualquer nao pede vender por menos de
U a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysspn
o mais aromtico que tem vindo ao oosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarr5o, talbarim e aletria a
480rs. alibra.
COCUAC
o muito afamado cognacPal Brandy a i,800
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,Soo e 5,eoo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de exceliente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
; azul e pardo para embrulho de i,4oo a 2,2oo
! rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
i,4oo rs. alibra.
Vi&agre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebullas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,oo re.a molho.
Alpista o Iraiuco
o mais novo do mercado a 14o rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 cento na ra do Qoe:-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 30400a arroba e 140rs. a li-
bra na ra doQueimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
. QUEJO S.UISSO
muito fresco a too rs. a libra na ra do
Oueimadon. 7, ra do Imperador a. 40 e
largo do Carmo n. 0
macarra, talbarim e aleiria a 400 re. a
libra e 40500 a cjaisa.
Vinkd
Figueira J A Ae outras maitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garraa.
dem de Listos
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, o
2^800 a casada.
Idean do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Charaisso AFilho,
F. dr M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma qae
vendem a 20000 e 20400.
Nzes
as mais novas do mercado a 120r* .l bra.
Cervejas
des melhores fabrlcantes|e de todas as mar'
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis* e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 304i>O.
CAF
de 1.* e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 8050
o 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 V garrafas com vinagre a 10000 too)
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeirospalitos do gaz a 2,2oo a groza
e2ors. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6eo re. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
* VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arreba a 9,3oo e
caixa e 34o re. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas imite navas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frats eaa calda
chegadas ltimamente, pera, pecege, ginia e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Bsee da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas'a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoet-
raao ?>. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
om latas de defferentes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20860 na roa
do Queiraade n. 7, ruado Imperadorn.
40 e largo do Carmo n. 9.
fro,,*,!;* proPr,etarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
tinuSm !am,es e a Publico em geral, que para facilitar a comraodidade de todos es-
uputaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador 1, 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na roa do Imperador n. 40.
Potassa da Russia
IIAcaba de chegar amis nova o verdadeira po-
tassa da Russia, e vende-so a proco eomoodo : no
escritorio de MaBoel Ifnaeio de Oliveira & F'ho,
largo do Corpa Santa n. 11.
r Vendp.-se potassi em harria a comraodo prego o
na rna da Cruz i3, primeiro aadtr. eserintori:
de Aatonio de Almeida Goaea.
NOVIDADES.
Queijos do Alentejo, ditos das Ibas o mais.fresco que se pode dese-
jar a 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
redondas enfeitadas, proprias para mimo da festa peto barato prtco de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mkno fe 00 10500
cada urna. Vender nicamente no armazem Verdadeiro principal, ruado
Imperador n. 4.
ft
#
GAZ GAZ GAZ
Veade-se gaz 4a melhor qualidade a
i a lata : nos armazens da ruado Im-
perador a. 10 o ma do Trapiche Nove .
Na ra do Mondejo n. 9S, vndese grande
qoanlldade de oes de florea por barato oreo, isto
at o fin do mor,
Superior cal de Lisboa.
Tende-se superior cal li risica a mais nova
que ha 10 aereado, tanto en porcao eodio a rea-
tho, por barato ors^aflancando-se ao compra-
dore iiperior qnalidade: a tratar as seg-Biile
roas: Crespo b. 7, Imperador n. t8, Parte do ata-
t08,armazem de. Sr, AtRI, 4h*0Bte o trapicho
S algodo.



I


Diarlo de Peraaiibic* Terca (eir 14 de Feverelto de 185.
9

NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chafaran as madarnos vestidos de aatelle de seda cem barra, iiteiramenta notos
em gosto e qaalidade : loja das calamaas, aa ra do Crespo n, .13, de Antale Crrela
de Vascoacellos C, successores de Jote Mereira Lepes.
Fazendas de bom gosto
rara Tcstitlos deseihera
Superiores cortes de safe de cer, do moranle, de forguro e de sem imperial.
Bitas de blod, e e cawaria branca bordados.
Ditos da lia com barra e grande variedade en cores e padrees.
Vites de orgaadys com barra >r
Liadas sedas de cuadros escessVza e lidas.
Saaeriores laas lisas com grande variedade de cores.
lilas com salpico, cem llores a de anadroa.
Liadas panpalinas da aaadras 0 da Dores, fazenda inteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas eambraias ergandy
GrSde variedade de chita de cores, de percalia e oulras muirs fazendas derla.
Para hombros de seahora
Liadas capas e bonraoox de casemira de cor.
Ditas da lia. e de seda.
Graade variedade de soul'embarques de seda de I8 a 40$.
. Manteletes de seda.
Snperiores basquinas. ->
Superiores cbates de seda, de merino estampados finos, de cachimira com listrasde
seda e do fil preto.
Camiziohas modernas, zuaves broncos e de cores, eoetes de eambraia, lindas gol-
Uohas com punhos e outros Inultos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores" chapeos e chapellinas de pal ha de Italia enfeitados para senhora.
Ditos de feltre enfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeltes modernos de retroz, de froco, de cabello, e de flores,
para senhora.
NaHaja das columnas da roa do Crespo n. 13, da AntooloCerreia de Vasconcel-
os k C.
(-S:2MI, ItECOJOf EXHALO
AHENCiO
Os precos da seguate
tabella para tedas, -
dende asslm servir de fc*
se para o ajaste de castas
com as portadores.
lili DA CASNEIA DO REilFE IX. M.
(Logo passaada o are da Coneeicl)
Grande rednccSo de precos, equivalente a dea por cesto metros do que entro qualquer
annunciante.
Collcgas.Nao posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a i.ooors. a libra, bem assim o de outros
tHuitos objectos, etc., dando com islo ocasiSo a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo I! t Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com uto por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguiute tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhades Uni5e Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nSo ser o de Moe a i,6oo rs. a libra. Hoje perem, resentidas da reducco a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamado de precos., e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de tm estabelecimento desta ordem que o seu fim
t3o smente-obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidia, aos arranjos deste novo estabelecimento,. e ma que ludo aproraptidao e entei-
reza com que sero tratados, convida" a urna vizita ao mesrae, certos de que sem duvida me darao a proteccae e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, aiada que estes sejam pouco pratices, pois
ser5o (ao bem servidos como seviessem pessoalmente, navendo para com estes toda recommendagas,afim de que nao vo em outra parte
VATIVO
23Largo do Terco23.
Joaquim Siin. dos Santos, dono deste bem sortido armazem de melbados faz selente erag
reeooiiuenaacao aos seus amigos, freguezes e a lodos em geral, que esta resolvido a venderos seus
biin cjutieciilos gneros de primeira qualidade.por menos de 10 a 50 por cento, menos doque em-ou-
tra i|ualquer parte a dioheiro contado,e todo o comprador que comprar de 60 a 100 terao descon-
t de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; o por isso se faz annuncio de ilguns gneros
para com este melhor se certificareni.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4400 e 4)200.
Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o mago e a 2 a groza.
Azeile doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lo a 25800 c a caada a 4500.
[Ser veja das marcas mais acreditadas a 300 rs.a
garrafa e a duzia a 3,5800.
Figos de Comadre muito novos 1280 rs. a libra e
em barril ou caiza se far abatimento.
arroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 28fl0, 2e 25400.
Assim como ha um grande sortimento da charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bt\lachinhas de soda, conserva.choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eontro*; mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al-
guem duvidar venha ver.
M^sas para sopa macarrao, talharim e aletria a
210 rs. a libra e em caiza a 3.
oucintto de Lisboa alvo multo superior a 280rs.
a liora e 8^800 a arroba.
Saf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
'e 100 rs. a libra e a arroba eu sacco a 8'e
8*300.
Cnouncas as mais novas do mercado a 360 rs. a
libra e ero barril a 12.
Passas viadas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caiza a 85.
Batatas eragiges de 33a 40 libras por 2*400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cha hysson miudinho superior qualidade a 1*200,
2*000, 2*308 e 38 a libra.
Vinho de Pigueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
,- 300, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem proprio par negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2*400 e 2*700.
FRANCISCO J. GERMANN
91 RIJA IOVA Y. 1
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de mcir.oi qualida
de eueoutrarem urna relojoaria, taes como : chronometros martimos e de algibeira, relogios [de ouro
e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allenraes e americanos,
reguladores de compensacao, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol moudos com pecas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos tamanhos, caizas com msicas, igual sorti-
mento de oculos e lunetas de ouro e prala dourada e tartaruga, bfalo, ace, e varios metaes, oculos c
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que offrem de inflammacoes
nos olhos, tabricados segundo os preceilos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pernambuco, os quaes's se vendem por consulta dos mdicos, vidros de crystal branco e de cores,
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observacoes astronmicas, oitantes e sextantes,
binculos para thealro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros, calzas de instrumentos mathematicos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro, dou-
rados e Meadas, tudo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encomrnenda dos
objectos mencionados, e responsabilisa-se durante um auno por qualquer relogio vendido ou concert
eito, era seu estabelecimenlo; e veade por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechinclia s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudiuhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
variedade de padroes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baralissimo prego de
300 rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
& Uomp.
>v!? c'/.'s/\?/ ^#\|r*i
CHEGARAM OS KODEBNOS CHALES DE m
FIL PRETO.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meies a 5 rs.
Cha hysson de superior qualidade a2,6o*rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim o melhsr que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto bomeopalhice por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem bysson, buxim e perola mais proprio
para negocio o i,6oo, l,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao quese vende em outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8.
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se seren superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5eo 0 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos ebegados
neste ultime vapor a 2,2oors. edo vapor
passado a i,6 e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra,
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a *iGo rs. a libra, e a 5oe rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e bespanol a 9oo
l,ooo e l,2eo rs. a libra.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Kio a 26o e 28o rs. a libra, 7.8o
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28e rs. a libra, e 7,8eo a 8,ooe rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a leo rs. a libra, e 3,ooe
rs. a arroba.
dem da India muito alvo e fraudo a loo rs. a
'libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2ee rs.
a arroba.
ainco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate enj latas de 1 e 2 libras a
oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massastornam-serecomendavei9 as
pessoas doentes por serem propriament
feitas para esse m.
Estearinas a 56e rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Yinbo do Porto muito ino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5eo,
3,ooo e 3,8oq rs.
Vinho branco de Lisboa de excedente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de I duzia
a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fettoria "em caixa de 1 duzia de 9.ooo a
lo,ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o fs. a garrafa.
Fazendas pret/s para a qua-
resma
Ha loja o PavSo.
Acha-se este estabelecimentoromptetnmente sor-
tido de fazendas preas 'proprias para a quarettsa,
a saber :
Grosdenaples preto largo e muitissimo encorpa-
do, outros rnais etreiios t*mlo dos precos de
1*280,1*600, amo, ti, 2,8*00 e 3, raperior
moreaBiiijue preto a 3, -uperior sarja prcta hes-
panhola, superior setim preto maco, ricas cipas
pretas bordadas, soutembarques muito bein cufei-
tados, ricas vasiiuinas e cuacos dos mais modi r-
nos que tem vindo, superiores manteletes, cumisi-
ahas com manguftos proprias para luto e nro
chales pretos de rede, todo Isto se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte por ser a di-
nheira : na loja dfciPavao roa da Imperatriz u. fio
de Gama & Silva.
As rotipas do Pavo.
Acha-se nesle estabelecimentu un grande soi t-
menlo de roopas pitas para homem como ejam :
'uperiores paletcls sot'rerasacos de panno rt-tc
muito tino e forreos de seda a 224, 2o' e 'lji,
ditos forrsdos de alpaca a I 'Z. I('5 c !d, supe-
riores paletots de casemira tanto sacros tumo >-
brecasacos, ditos de meia casemira pretos e de co-
tes, ditos de hrimde todas as qualidade?, collrtes
de casemira pretps e d cores, ve'ludo, relias
etc., sendo todas stas obras cortadas por um dos
melhores mesln s| nacionaes, manda-se fazer qual
quer obra por medida : na loja do Pavao ra da
Imperatriz n.CO, pe Gama & Silva.
Lbilas em corles cor 10, 11 e 12 covadrs
Na loja do Pavio vrnde-se urna grande porfo
tecortts decliitaff'Ancezas sendo clara c -si-ti-
tas nulas de rdreit as com 10 rovados a 3f2C0,
com 11 rovados a 3t00 e com 12 covado.- a 4,
( pecliincba paraso apurar dinheiro : na luja do
I'avao, de Gama A Silva, ra da Imperatriz n. 60.
As cassas suiss s de urna c,* a 360 o
covado pn a 660 rs. a vara.
Acabam de char as mais modernas MMS
suissas de tima so cor com cordanzinho, tendo as
cors mais motlerps que tem vindo ao mercado
vende-se a 36 t*. o covado ou a 600 rs. a vara.
na loja do Pavo Irua da Imperatriz u. CO. de Ga-
ma & Silva.
Meias cacemirasa 1(5600.
Vendem-se suporiores meias casen iras prcprni.-
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
per 2,5ee; ditas doce em latas com e raes-
,, a a- ditas imnpriaM emlatas rara "'C3-"'11"" e raletots sendo raztndl nviu>
mo peso a 2,5e, attasmperiaesemiai* enrorfa{,a|ifScedo dr1nh(s e ,,.,,
de 3 libras per l,5eo rs.
Ameixas francezas emlatas de 1 e meia libra
por 1,2eo; ditas em caixinhas de deverse
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras ^ardinhas de Nantesem quartos e meias latas
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa- a 36o e 56o rs. cada urna,
rente e de superior qualidade, tambem tem Sardinhas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria para carro. preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
Superiores chuls de fil j.relo c' egados pelo uliimo vaper franrz, a ||j
loja dasioltifuns ra d l res o n. 13, de An'onio Correia de Vas o: cel- ^^
BVHNU8 DE REV-
da preta de liuho. na ra do
Inclinado u. 11.
chegado da Europa um bello e delicado sor-
timento de humus, o melnor que- tem vindo a este
mercado, proprios para a quaresma e tambera
para outra qualquer occasiao ; deseja-se vender
barato, e para esse flm convidase a todas as pes-
soas que qoeiram comprar, virera ver esta bella
fazenda muito pouco conhecida nesta praca ; as-
sim como um bello sortimento de grosnenaple pre-
to e moreantique de todas as qualidades e precos,
e tambem panno lino superior, casemira preta de
todas as qualidade^ehapeos pretos de seda para
homem, o mais moBno que fem vindo, chapeos
de sol ioglezes, ehapwinas ricas para senhora, ri-
cos chapeos tambem para senhora, malas para
viagem, de todos os tamanhos : na ra do Quel-
mado n. 18._____________________________
Vende-se a casa terrea da ra do Moloco-
lomb n. 39, as Afogados, tem 3 quartos, quin-
tal murad >, cacimba e estribara, e fei ha pouco
concertada : a tratar na ra do Imperador, ar-
mazem de molhados n. 81.
Feijo mulatinh.
Vende-se feijo mulalinho por preco muito com-
modo : no pateo do Terco n. 34.______________
12,000
Paletots sobrecasacados de panno preto fino,
vende-se na rna do Crespo h. 17.
Vende-se
ama armacao de taberna e os sens utencilios: na
ra de Joao Fernandes Vielra n. 61, Soledade.
TINTA PRETA COMMERCiAL.
Vende-se tiota coai esta denominacao prepara-
da por Jro Cancio Gomes da Silva, a roa daQaei-
mado n. 3*._____________________________
Farcllo siperier de Lisboa a 5/J saces.
Tem para vender A'itonie Luiz de Olivei-
ra Azevedo no s^ti escriptorio ra da Cruz
n.l._______________________ '
Milho aovo em saceos grandes : ao trapiche
it Cunha, a tratar com Tasso (rmaos.
.1101 ORES
pasa machinas de algodSo.
Acabam de chegar agora novos motores para
nm e dous cavallos para mover machinas para
descarocar algodo, cyliudros de padaria, e outras
quaesquer machinas para agricultura, os quaesse
vendem por preco muito em conta. Tambem se
vende um motor americano para 2 e 4 cavallos pa-
ra a mesmo lim, que trabalba muito bem; elles
se acham montados para o comprador ver o seu
trabaIho : na fabricada travessa da Carioca n. 2,
caes do Ramos.
Roa da Sen/alia d. 42.
Vende-se, emeasa de S. P. Johnston d- C,
sellins e silhesinglezes, eandieiros e cast-
caesbronzeados, lonas inglezas, fio de vela, i
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous carallos.-e relogios de
ouro patente i nglez.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salm5o, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,000 e 8,000 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1.000 rs. o trasqp, e
1 l,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes ico
boa a 6io rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinba de soda era latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Araendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
tamanhos com bonitas estampas na cixa
exteriora l,2oo, l,5e, e l,8eors.
Azeite dce refinado Peanol ou de Kempes
de Lisboa a 8o rs. a garrafa e 9,5oe a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito nevas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidr com
rolha do mesmo a 5eo rs.
Mestarda ingleza dos melhores fabricantes a
8o rs. o frasco.
MestaHia franceza em potes j preparada
a 4oe rs.
Lentilbas excellente legume para sepa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e ll.ooo a duzia-
Palites para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidre comrolba do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosdetodososfabricantes da Babiae daxs
mais acreditadas marcas conhecidas no
nsso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,oco,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesa6oors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 per libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a" 64o rs. a garraf
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cent ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oors.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
serven para capajs de senhoras evendfn-se peto
baratissimo preco de 1JS600 o covado on 3 o enr-
te de calca : na loja do Pavao ra da Impeatiiz
n. 60, de Gama & Silva.
Co ts de vestidos preto-.
Vendem-se ricos cortes de vestidos pretos bor-
dados a velludo pelo barato preco de 2C5 rs. cada-
um : na loja doPivo. ra da Imperatri n. 60. de
Gama & Silva.
I -
BOTICA E DROGARA
BartlioUnen Fraicssc 4e Snza C.
31Roa larfi do Rosan31
Vendem:
Plalas Holloway.
Plalas do Dr. Laville.
Plalas do Dr. Alian.
Plalas do Pobre-homem.
Plalas americanas.
Pilulas vegelaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de S alsaparri Iba de Ch AI er t.
Injeccao Feaugas.
Agua dentiffea de Desirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor a?omatic de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
Rob L'ArTecieur.
Jarope do Bosque.
Ungente Holloway.
?Q -i
a B
a a
Su
a *0
CJ
81--MUA DO IMPERA BOR-81
Segunda casa do lado direito indo do "pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restablecido de seus incommodes de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhades primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidades, efrancamente affiancas pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escropuloso, em summa, nao Ilude a pessoa alguma.
AosSrs. d engenho e lavradoresqueo queiram honrar como seu comitentelhes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para o quesejulga convenientemente habilitado pela longa pratica com-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente umprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociaulesqae Ibe merecam connanca, ta-
zendoum abate vantajoso aos quepagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se a
venda d qualquer geaero do paiz, mediante urna mdica commisso, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de generes em seu armazem,
prescindir da cemmissSe.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa proteccao, re-
qnenUndocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lbestributa offerece expon-
taneamente seus services. s
Julga desnecesariopublicar a tabella dos precos de seus gneros: sao seus recursos
garanta suficiente de poder accempanhar os menores preces de idnticos e mesmo de
maisapparatososestabelecimenlos, tendo somonte em vista o augmente de suas vendas
diarias.
Prevemos* neeessarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nege-
cio n mesma ra, jnlga prudente advertir qu s affirma e 3e respensabilisa pe que
tem declarado ne que disser respeito ao armazem.
PUDO l!MSI?t
81-RUA RO IMPBRAROR-81
Segunda cas* do lado direito ind* do pateo do Collegio'
c
a.
S
- -
9 2. a
a B B
ha8E
j Si __ %i c/>
c a
o
'j-
5
&;w
ir.
2 "5
2 s
"-1 O
es>
u> 2 w
Stag
o 50.
ce o; O
c o
o
3
o c 2. 0=
p."i 5j w
EL 5? "
SO'SSs:0" c*-' S" o o oe 5"
9. ai 5 S
!S*sl!
e
i-5
a
a>
c7gS
I
OOQ "
09 1J
09
"1
09
O
B*
B
o,
o.
<6
2
09
en
_ a o
ce 5 .
&s S
&55 3
u o
, 1 co O.
09 o
i
O
i
09
-i
s
o tf.
Ti
09 "
L
6
e
e
NOVA YORK.
DE COR CHE1R0 E SABOR AGRADAVE1S
Infioilametile mais cfficazes do que todos
os mais remedios perigosos e nsvseabundes
que exibUm para a expulso das lombrgas.
Nao cau-am cures e produzem sea effeito
sem precisar logo depois de pingante tn-
nhum e to incitantes em apprencia e deli-
ciosa em gosto, que ys cri;rcs estSo
promptas a lomar mais do que antea a re-
ceta.
Otis como tim excellenie meio de nier
remover as obstruccoes do ventre, ictttf.
no caso de naq existirtm verme alpum, ae
PASTILIIAS VKItllFlGAS DE KHIIPS flt) pitmf-
las e infalliveisna suaopera(5o e por ledos
os respeitos dignas de ctnfianra e approva-
cao de todos os paes de familias. Prepa-
radas unicametite por Lanman & d.
Nova York.
'Veodem-se nioRecife em casa de Caer? A
Barboza e Joao da C. Travo 0.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Cotto
Ra de Qieinad b. 19.
Vende-seo segnfnte:
Lenges de panno de liuho
pelo baratissirtio \wo de 2400.
Lences de bramarle de lud
de um s panno alSO.
Cobertalde chita da India,
pelo baratissimo preco de SHOO.
Lencos (le eambraia brancos
proprios para "algifc*ra, a 2 a duzia.
Pecas de breanlia de rolo cora 10 vaias
propria para saia, a 4.
Peras de eambraia de forro, a 26CO. -
Esleir da India
propria para forrar sallas, de 4, t e 6 palaios de lar
ura, por menos preco do que em outra qnateuer
parte.
Toalhas alcothoadas para mios
ii a duzia.
Lazinhas carmezim miudinbas
proprias para vestido Je menina, a 6C0 rcs o ce-
vado. 1
Lazinhas de cores finas
do melhor posto que ha\no mercado, a 56 ris o
covado, Deste armazem de fazendas se encrnirrr
um grande sortimento de rcopa feitae por medida
^ESCBATCS FGIDOS. ~
Poeto no dia 5 de fevereiro crreme n B-
lalo de 26 anoos, penco mais ou menos, baixo,
corpo regular, cabellos cachados, nariz e breca
regulares, tem falta de alauns dentes na frente,
poneos cabellinhos no queixo.vtem falta de rm
dedo em nm dus p>, alpttns talhinhos de chtecto
pelas costas, chama e Eleoteno : quem o pegar
leve ao engenho Rebingodcj, que ser bem pago.
Anda contina a estar fgido o cabriada de
nome Custodio, de idade de! 14 a lo anHos, setdo
secco do corpo, pernas Onas. ps sreres, rosto des-
carnado, queixo fino, as maraas do rosto um tav[o
altas, ten as duas unhas dos doos dedos grawtes
dos pes murchas, temdons calombinhos Das ra-
deiras, dilTerencaumdo outrede dous dedos, tem
, aos bracos marcas grandes de vaccira ; ctrjo ca-
tiva ao cabello. Composta ie plantas exticas^e DrDna fugio em 9danovembro prximo pawado
desabstairciasinotTeasiva, ella tem a propnedade \ do engento Ronca da freguia do Cabo : Borian-
^erestituir aos cabellos o pnneipWeoraate qia el-!^ r,,Ba.se as auteridades policiaes e captaes do
campo que o facam prender e crnduzi-lo ao seu
senher Bernardino de Sena Tcixera Cavalcanti
no referido engenho Ronca, ou no Recite," na ra
de Apollo n. 35, seguido andar, que generosa-
mente se gratificar. m
Fnaia no da 2 de jaatir a preta Romana,
de idade 58 annns, crUula, masra e fila, bem fal-
lante, e tem sido vista atl Manrainho : qnem a
pegar leve a a sea seatior, aa praca da Boa-Ylrta
n. fi. oo Campo Verde, roa aTraficae n. que
wr be reetmpensado.
A
va
o
P
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cr aatoral
dos cabellos.
A ago* florida Bao urna natura, fcto esseo-
nal a contestar, a mesma apua dando a er prim-
ate plantas exticas e
les tem perdido. D'uma saJobridade ineoatesta
vel,a Agoa Florida entretem alsate* da cabect
destroe as caspas impede os cabellos da cahir
Ole de Florida.
Cemposto de substanciasvegetaes exetteas, elle
constite poderoeam'* c#m a Agoa Ftoria, a
forca, a belleza e a conservaca dos eabalLs.
Eai Pars, casa da fuislaor b. 12, rna de Kicke-
liea, e 51, boolevard MoatBiarrr.
Todos es frascos, aas tena Intacto e erara,
timbre prateado da cas, ais reputados falsas.
epasito, ra i Imperador, pharmacia i. 31.

i


Diario de Fer Bambuco f crea elra 14 de Fcrcrclto de i 885
.LITTERATORA.
continuar cnireguo ao acaso-* sjjjeito a desperas (18,812:5185000 approximadamente), como J aci-
consideraveis um commercio de contrabando com ma disse.
outros partos fechados, se nao pela occupago mi- t Quanto as receitas actuaes o as desperas para
litar, ao menos por um hloqueo legal e real. o primeiro trimestre, e quanto ao receitas e aos sa-
Pela minhaparte, naodnvido deque no poder ques dos oulros tres trimestres doanno econmico
exe.cutivo, sob o imperio do dlreito das gentes, ha-' corrente,bem como para as particularidades das ope-
ja a forja e o direito de expedir os inlmigos da ra-' racoes geraes do thesouro, indico-vos o relatorio do
sentantes
O que vac pelo mundo.
Damos era seguida o principio da mensagem do
pre;dente dos Estados-Unidos:
Concdados do senado e da cmara dos repre-' ga human de'am asylo nos EsUdo-Un"dosrSe"o ministro da lazenda.
; congresso emende quo semelhantes actos enervam
t Aioda mais urna vez, os beneficios do urna a >otoriilade da le nn devem ser ulteriormente "a-
lente estago o de urna abundaute colheita nos "ulados Pr elle, recommendo que se adoptem pro-
Impe o dever de sermos profundamento recooho- V|dencias para impedir os negociantes de escravos
cidos ao Todo Poderoso,
Negocios estrangeiros.
A siluago dos nossos negocios externos ra-
cionalmente satisfactoria.
i Estou com elle plenamante conforme na op-
nio de que a proporgo dos fundos necessarios
para fazerem ti(o as ctaspezas da guerra, e prove-
, nientes dos impostos, que deve serainda augmenta-
de adqnirlrem domic 10 e facu darles nara esta rri.' j .
m__. .-_..___,. cn i da, e para esse ponto chamo eu toda a vossa alten-
gao, aflm de ser adoptada essa lei addiccional como
una necessidade, para corresponder as justas indi-
tos dos narios1 de ferro, das machinas e armamen- existem, pertencentes as dirersasordens religiosas,
tos dos nossos vasos de guerra, objeclos de que mencionareme- o antigo convento dos carmelitas*
eu j tinha fallado na minha ultima mensagem sltqado em nma das extremidades da cldade e tao
annual. I celebre nos annaes da nvasao bollandeza.
Sois eguaimente cenvldadqg a examinar com' E am vast0 edificio, boje Tira pouco arruinado,
attengao as ideas expostas no relatorio aprsenla-' attestando que a mo dos scalos tem por all corri
do ao congresso ha ultima sessao, que com o flm do, mas 1"e anda muitos servigos pode pres-
de se adoptar urna leglslagao acerca das presas lar'
feitas as aguas do nosso paiz.
A vida das religiosas ahi simples, como a des-
sas virgen dos primeiros tempos da egreja. Oc-
cupam-se em dirigir melodiosas preces ao Eterno
pela tranquilIdade da trra. Alera disto empre-
gam-se em onjectos primorosos d'arte em que sao
mm peritas.
Fazem com a mais delicada perfeigo flores, de
miosa ioduslria em o nosso paiz.
E" possivel que, se a questo fr discutida, as
potencias martimas, com as luzes que as ornam,
cacos daquelle ministro.
t Divida publtaa.
Em 1 de jnlho ultimo, conforme se v dos re"
gistes do thesouro, a divida publica eleva-se a___
1,740,690:480 dollars e 49 centos (approxlmada.
nao concedara os privilegios de belligerantes mari-
O Mxico continua a ser o theatro da guerra timos aos insurgentes dos Estados-Unidos, despro-
civil, eui quanto que as nossas relaeoes polticas vidos como esto e o tem sempre estado tanto de
com osse paiz em nada mudaram. Ao mesmo tem- navios como de portos o enseadas.
pe. observamos a oeulralidade de ontre os bellige- i ,, ,
rutilas. AIKns omissanos desleaes nao foram menos mente 1,740,690:4895000). Se a guerra durasse
A instancias dos estados de Costa Ricae Jbara- assiduos nem menos felizes o anno passado do que mais um anno, esta quantia augmentarla muito pro-
gua, mn engenheiro hbil foi autori os planos do rio S. hk> e i porto de S. Joao. E \emJavor desse privilegio, com o flm de envolve- parte pelo nosso proprio povo como um ramo subs-
pira mim assaz agradavel dizer-vos que as ditfl-1 rem nosso paiz fm guerras com estranhos. O de- tancial de propriedade nacional, posto que particu.
cuidados que por um momento tinha.n apprehen- | seJ e a deliberaCao dos governos dos estados ma- lar.mas esta propriedade se destnbuir com egual.
sdes polticas e dado motivo a que se fechasse a riliraos de desmascararem tal projecto sao to sin- dade entre todo o povo e mais ella vallera. Aflm
. via de transito inter-oceaoico terminaran) amiga- ceros Bao.sao mais V'TOS do que os nossos. Toda- de auxiliar essa disiribuigao geral, pnderia eu tal-
velmcnte e 6 de crer que essa va esteja dentro em ia' Previeran) conflictos imprevistos, sobreludo vez offerecer com bom xito e sem perigo, maiores
junco novaraento abena, com mais facilidade que no'' Prlos do Brasil e da Inglaterra o na fronleira vantagens aos cidadaos que nao sejam seno pos-
d'aules. Nao seria de cerlo oxageracao aflJangar a! nortel'os Estados-Unidos. Estes conflictos teem suidores de mediocres fortunas, para os resolver a
importancia eommercul ou poltica deste grande exi8'do o continuavam a exigir urna constante- vi- tomaren) eguaimente urna parte dessa propre-
melhoramento. 6llancia e um espirito equitativo e conciliador da dade.
Soria tambera praticar urna njustiga para com parle da na5es e dos seus governos. | Cm ^ in(0DtOj pergnntarei eu se nao seria
Foram nomeados commissarios, em virlude'do bom e ao mesmo tempo da competencia do congres-
tratado com a Inglaterra, para a liquidado dosjso dicdir que urna sorama limitada dequalquer
crditos das compauhias da baha de Hudson e dajommisso procedente deobrgages publicas possa
companhia denominadapuget sound agricultural ser possuida por lodo o comprador de boa f, com
no Orgon. listes commissarios procedem actual-jo privilegio de estar isempto de imposto e ao abri-
meole execugao do mandato que les foi con- 8 das capturas por dividas com toda- as reslric
um estado importante deixar de reconhecer a rec-
tido, a franqueza e a cordealidade com que os
Estados-Unidos da Colombia entraram em relaeoes
intimas com o nosso governo.
Estabeleceu-se ama convengo acerca das re-
ciamagoes (divida activa), para acabar o trabalho
incompleto com que se linlia fechado a sessao de
1891.
Tendo sido posta em vigor a nova constituido
gado.
Considerando a pouca seguranga da vida e da
propriedade da regio que loca na fronteira cana-
g<5es porm que se tornero necessarias para evitar
o abuso de um privilegio de lo alta importancia.
Urna tal disposigo permitliria a todas as pessoas
sensatas purera todos os annos de parte urna pe
quena renda sem terem que receiar que ella vies!
tucioualmente estipulado as convenc5es existen", indico tornariam a posse dessas obrigagoes, at
liberal de Granada", como asssentmento universal | diana, por causa das correras dos bandidos que
do povo, o governo regido por esta constiltugo foi ian'se lecra estabelecido, entendeu-se conveniente
reconhecido, e as rolacSes diplomticas com elle | "olilcar que no flm de seis mezos, periodo constl- j se^a fallar-lhes. Previlegios sim como o que eu
tomaram o carcter de nm espirito cordcal o ami-
gavel.
a Conc!uiram-se accordos mutuos quanto aos
pagamentos decretados pela antiga commissao col-
lectiva para a liquidacao das dividas activas entre
es Estados-Unidos c o Per.
L'maamisade viva e cordeal continua a existir
-jritre os dous paiz*s, e empregar-se-^ifio todos os es-
foryos possveis da minha parte aflm de evitar des-
tnielligencias e de conjurar urna guerra imminen
te entre o Per e a Hespanha.
As nossas relaeoes sao as mais intina? com o
Chili; a repblica Argentina, a Boiivia, Costa Ri-
ca, Paraguay. S. Salvador e Haiti. No anno passa-
do nenliu-n conflicto se levantou com estas repbli-
ca-, e por outra parte ellas sympathfsam com os
lisiados Uaidos a exprimen) constantemente a sua
afteleto o os seus bons d^sejos.
A divida activa provenionte do apresamente
da carregaciodo brigue Macelonian, em 18I, foi
paga inlegraliiiento pelo governo chileno.
Continua guerra civil na parte hesponhola de
S. Domingos, apparentemente sem esperanza de
urna prompla solucfio.
Apoio cordialmento a proposta para a nomea-
gao do novo posto do vice-almirantc da nos~a ma-
rinba.
E' tambera chamada a vossa alinelo para o
relatorio do director geral dos crrelos dando urna
conta minuciosa do movlmento e da situaco fl-
nanceira da reparligao doscorreios. As recritas
no anno Ando em 30 de junho de 1864 elevaram-
se a 12:438:253 dollars e 78 centos..... .......
(12:438:2535000 appn xiraadamente),e as despesas
a 12:644:785 dollars o 42 centos (12:644:78 000
approximadamenlc.) As indicacoes do director
geral dos correios para o governo fazer conces-
s5es especiaes a flm de auxiliar o estabelecimento
de urna nova linha de vapores trassantlanticos e
as recommendae5es que elle faz para desenvolvi-
menlo das relajdes commerciaes cora os paizes vi-
sinhos, merecen) ser examinadas com o maior cui-
dado pelo congresso.
Estados e territorios..
Fia um facto digno de mencao, que o aug-
mento Incessante da populacao os progressos de
paiz, as iustiluicoes governamenlaes em os pontos
agora desoecupados pelos Estados-Unidos pouco
teem sido paralysados, estorvados ou destruidos
pela nossa grande guerra civil, que a primeira
vista, parece que devia ler absorvidu toda a ener-
ga da nacao.
Levou-se a effeiio a erganisagao e a admissao
do estado de Nevada, conforme a lei, e d'est'arte o
vo.so excellente systema achar-se firmemente es-
tabelecido n'essas montanhas que, ouir*ora, se es-
lendiam como um deserto n e inhospitaleiro entre
es estados atlnticos e os que teem engrandecido
na costa do ocano Pacifico.
quaiquer qualidade, de peonas, de escamas, qu<
Em algum tempo fuuccionou em um dos seos di- enviara para a Europa e para c : cortara papis
versos salos, a assembla provincial, at que foi thesoura, c9m tanta perfeico e gosto, que dar-
removida para urna das salas da thesouraria geral, ce obra de um machinis.no apurado : e.sobretudo
onde permanecen at, se bom nos recordamos, o jo-se ao fab, das diversas e variadas especies
: de doces, que por ahi andam adornando as festas e
. os bailes.
anno de I8.">7 ou 1838.
O mosteiro dos benedictinos nao Iho inferior
em grandeza, bem que a egreja esteja em archi-
lectura e gosto, muiio quem da dos carmeli-
tas.
Os territorios da unio cham-se geralmente
n'uma condicao de prosperldade e do rpido flo-
rescimento. Idano e Montana, por causa da sua
grande distancia e da oterrupgo de communica-
coes, bem como por causa das hostilidades dos
indianos, nao foram organisados sen.io parcial-
mente. Mas essas diflculdades vao desafiporecer,
oque permlttir quelles -governos, assm como
aos dos outros, procederem regularmente.
(Conttnuar-se-hi.)
foram livremente trocadas correspondencias
oflieiaes com aLiberla, e por ellas podemos avallar ,
jubilosamente o progresso social e poltico daquel-
ia repblica que, deve confiar em que colhera no-
vo vigor da influencia americana, augmentada pe-
la rpida desapparicao da escravalura nosEjiados-
Unidos.
Peco a vossa autorisacao para forneccr a esta
repblica urna canhoneira, por mdico prego, que
sera reembolsado aos Estados-Unidos em diversas
prestacOes. Este navio m'cessario para defender
aquelle estado contra as ragas Indgenas africanas;
as raaos Librtanos poder elle melnor oppor-se
ao trafico dos negros do que urna esquadra em nos-
sas naos. A posse da menor (orea naval organisa-
da estimulara urna generosa ambiguo as repbli-
cas, e a conlianga que nos mostramos, fornecendo-.v
attralie para a colunia a indulgencia e o favor de
todas as nagoes civilisadas.
t O projecto da telegrapho entre a America e a
Europa, pelo estrello de B-hring o pela Ru'ssia
a>iatiea, apoado pelo congresso ua utlima sessao,
Uve a iniciativa, em circumstancias mu favora-
veis, de una assoeiacSo de cidadaos americanos,
secundada pela ba vontade e p^lo auxilio cordeal
do nosso governo e dos da Inglaterra e da Rnssia.
llecebeu-se da maior parte dos governos da Ame -
rica do sul a expressao do alte prego em que teem
este projecto edo seu empenho em cooperarem para
acou.-lrucgao de linhas tributarias desla via de
commnnlcagao t5o til a todo o mundo. Sei com
prazer que est de novo pendente, com inteira es-
peranga d se tornar realidade o projecto de urna
communlcagSo telegrapbica entre a costa oriental
da America o a Inglaterra. E' portante de esperar
que com o .re.stabelecimente da paz interna nos pos-
.-araos retomar com energa a nossa antiga carrei-
fa de commerciu e de civilisagao.
O nosso mijito popular e e*tlmavel represen-
tante no Egypto fallecen em abril passado. ma
deploravel pendeucia que suscitou entre o encar-
regado ad iiUerim e o governo do pacha, deu mo-
tivo suspensao de relaeoes. Foi promptamente
remediado o mal com a ehegada do successor no
consulado, o as nossas relaeoes com o Egypto e
com os estados da Barbera sao absolutamente sa-
tisfactorias.
tes com a Inglaterra, os Estadus-Unidos se julga- cerla quantia limitada, excesslvaraente desejave
rao dispensados de augmentar o seu armamento Para todos que nao dispSem seno de um pequeo
naval nos lagos, se o entenderem conveniente, e a caP',a' mas Qae podem economisar o sufflciente
condigao da fionteira ser necessariaraente exami-' Para entraren) nesta operagae. A grande vanta-
nada conjunctamente com a questo da canalisa- $em de ler os cidadaos como credores, do mesmo
gao ou da modifica gao dos direitos de transito do mdo flue como devedores no que respeita a divida
Canad pelos Estados-Unidos, assim como coma publica evidente. .
do regulamento das importares temporariamente' Comprehende-se fcilmente que urna divida
estabelecido pelo tratado de reciprocidade do dia' feita a si mesnio nao pode tornar-se um encargo
5 de junho de 1834. muito pesado.
. esejo porm que se comprehenda bem quan-' A,ada qQe'D0 ,# fle Jnl, l,irao' a divida pu-
do eu fago esta declaragao, que as autoridades co- bhca excedesse um Pouco a 1uanlia Provavel 1ue
loniaes do Canad nao devem ser reputadas inter- rain,stro da fazenda '"d'cara ao congresso, essa
nacionalmente injustas nem pouco amigas para 1uantia nao che8a ao calcul iue este funecionario
cornos Estados-Unidos, roas-pelo contrario ha to- fez'no mei de dezerabro precedente, quanto ao
das as razoes para crr que com a approvagao do saldo Provavel iir desperas no principio deste
governo real ellas adoptarao as disposicoes neces- *nno'
arias para evitar novas incursoes atravs da fron-' Ha urna dilTerenga de 399,509:731 d,.llars....
ttira. (399,509:7315000 aproximadamente). Este facto i30 de sele'nl,ro u'lim' foi de 4 221:3?2 acres. O
****. [jjj. de urna maneira concluden.e nue as opera- B(|SBBBoS BSJS**"
A proposta de lei approvada na ultima sessao- 6es do thesouro foram bem dirigidas e que a sita-
tendente a animar a emigracao, foi po.-ta em vigor 0a" delle boa.
logo que foi possivel. Este acto parece precisar > Banco nacionaes.
de ama substitugae que d aos offlciaes do gover- O syslema de bancos nacionaes promette ser
a faculdade de se opporem as fraudes empregadaS aceitavel para os capitalistas assim como para o
contra os emigrados, quer durante a viagem dedos- povo.
juer a sua ehegada aos portos, e de llics assegura, No dia 3 de novembro o ultimo, fundaram-se
rem ah a l.vre escolha de ocenpaedes e de estabe- 3i8 bancos nacionaes, e, entre esses bancos, um
'ecimento. ., ..
numero conf ideravel o tem sido em conseqnencla
A mor parte dos estados europeus maniestou de conversoes de bancos do estado-. A mudanga,
urna disposicao librrima para com essa grande po- este systema de bancos do estado em bancos naco-
litica nacional, e cm um dever para nos correspon- naeseffeclua-se rpidamente, e para desejar que
der-lbes concedendo aos emigrados proteegao ef- dentro em pouco nao haja nos Estados-Unidos ban-
leC"va; j co alijum de emissao nao autorisado pelo congresso
Eu considero os emigrados quo chegam ao e nem urna s nota naneara em circulacao que nao
uosso paiz como urna das pnncipaes onles que a tenha licenga do governo. Que o governo c o povo
Providencia destinou para repararen) os desastres auferem I.nmensas vantagens dessa revolugao no
da guerra interna, e os prejuizos que ella causa a' systema de bancos do nosso paiz, urna cousa que
forga e a saude nacionaes. O que necessario se nao pod duvidar. O systema nacional crear
assegurar o derramamento dessa fonte conservan- una influencia solida e permanente que ha de vir
do-lhe a sua actual abundancia, e com esse flm o em auxilio do exercito nacional, protegendo ao
governo provar" de lodos os modos possives, que mesmotempo opovo|contra asperdas|nouso do pape'
nao tem nem lencilo nem necessidade de impor o,moeda. Que urna nova legislacao sja desejavel
servigo militar quelles que vem de outros paizes ou n3 Para a suppressao dos bancos de emissao
de estado, isso urna questao que o congresso deve
decidir. ,
E' bem perfeitamente claro que o thesouro nao se-
r gerido satisfactoriamente, sem que o governo
Hensagemdopresldente Lincoln
INTERIOR.
Como objecto ligado com o engrandecimento ma-
terial do paiz, chamarei a attengao do congresso
para os preciosos esclarecimentos e para as impor-
tares indicagoes relativas aos terrenos pblicos,
aos negocios das Indias, ao caminho de ferro do
Pacifico e s descobertas de Minas do que falla o
relatarlo do respectivo ministro.
A quantidade de terrenos pblicos de que se dis-
por durante os cinco trimestres que lindaram em
(1019:4465000 approximadamente).
A grande empreza que se propSe a ligar o Atln-
tico aos estados do Pacifico por meio de linhas de
caminhos de ferro e de telegraphia, tem prosegui-
do com um vigor que garanieo bom xito, nao ob-
stante os embaragos que provm dos elevjdos pre-
gos dos matenaes e do trabalho. A estrada da li-
nha principal foi definitivamente establecida a 300
kilmetros a oeste do ponte de partida da cidade
Omaha, Nenraska, e fez-so um tragado preliminar
do caminho de ferro do Pacifico, da California, a
partij de Sacramento a leste do rio Turquee, na
.Nevada.
Numerosas descobertas de minas de ouro, de
prata e de cinabrio rieran juntar-se s preceden-
tes, e o paiz oceupado pela Sierra Nevada, pelas
montanhas Rocheuses e pelos terrenos inferiores
agora explorado por um trabalho ricamente pago.
Julga-se que o producto das minas de metaes pre-
ciaso* n'esta regio elevou-se no decurso do anno a
100.000:000, se que noexcedeu essa quantia.
A minha ultima mensagem recommendava que
se rec rganisasse o nosso systema de admlnistrag
indgena. O congresso, conforme ci.m essas re-
commendagoes, proveu reorganisago do syslema
na California, e de crer que um xito racional
presida a direcgo dos indgenas, quanto a este
ponto ; resta muito a fazer para chegara governai
convenientemente as povoagoes indianas, quanto
* A revolla que por tanto tempo assolou a China
foi por flm extracta, graeas aos bons ofllcios do nos-
so governo e dos outros estados commerciaes do
occidente. A organisaco judicial consular nestas
regioes tem sido mui diffiVil e onerosa, e ser pre-
cisa a aegSo legislativa para exlensao do nosso
commercio e de mais intimas relaeoes que tem es-
tado interrompidas rom o governo e-cora o povo
daquelle vasto imperio. A China parece aceitar de
bom grado as leis que regulam as relagoes com-
merciaes e sociaes entre as nagoes do occidente.
" Gragas situago toda particular do Japo e
forma anormal do seu governo, a aegao deste
imperio no cumprimeeto das eslipulagoes dos tra-
tados inconstante e caprichosa. No entanto, as
potencias occidenlaes sobrara com um ccordo
acertado e teem j conseguido muito. As nossas di-
vidas activas pecuniarias foram j reconhecidas ou
estao em via de liquidagao, e um mar interno foi
aberto ao commercio. Ha tambera razo para crr
que estes actos tera augmentado mais que dimi-
nuido a amisade do Japo para com os Estados-
Unidos.
Os portes do Norfolk, Feruandina e Pensacola
foram aberBs em virtude de um decrete. Creio
que os negociantes estrangeiros verao agora seno
mais seguro e mais vantajoso para elles e ao
mesmo lempo mais juste para com os Esto'dos-Uni-
dos vir a esses portes e a outros abertes do que
para assentarem residencia em o nosso.
Finanras.
A acgo fiscal do governo na parte relativa a
cobranga dos impostos correu neste anno o mais
satisfactoriamente possivel. A legislagao da uIli.: *eja autorisado a restringir a circulacao das notas teem morrido no ca/n^lZal.
ma sessao do congresso exerceu urna excellente !banear,as Dopa'Z-
influencia na receita, apezar de ainda nao ter.de- Gutrra e marmita.
corrido o lempo bastante para que se possa sentir 0 rclalorio i mini5(r0 da guerra e os docu_
i ZZTJt 3S i"*0 a CnheCer mnUCT -o ervig,
mente as operagoes dos exercitos em campanha que eleva a 22:767 o numero dos pensionarios fo-
no decurso desse anno as receitas de todas as depois da data da ultima mensagem annual, bem validos do exercito, e a de 712 o dos pensionarios
o oleno efleito de moilos actos do congresso tenden-
tes a estjbelecerem o augmente dos Impostos.
povoagoes indianas, quanto a
outros pontos, de maneira propria a proteger o co-
lono, provendo completamente ao bem-estar do in-
dgena. O congresso di;iiar-se-ha de prestar a sua
attengao a estas questees.
As disposigoes liberaes adoptadas pelo congres-
so, tendentes a serem pagas as pensoes aos solda-
dos e aos marlnheiros invlidos da repblica, as-
-im como a's viuvas, orphaos e maes daquelles que
eem morrido no campo d3 batallia ou que teem
fallecido de enTermidades contraliidas no servco
do seu paiz, teem sido cuidadosamente execuladas.
As listas das pensoes do anno lindo, no da 30 de
junho uliimo, accrescentaram-se os no'mes de 16:7701
soldados inhabilitados de ser-irem e de 271 man- e r_ivlllsaCao indgenas.
Parece-nos que muito em breve tornar-se-ha o
mosteiro de S. Benlo um dos edificios mais mona-
mentaes da America, logo que se houver terminado
o magestoso zimborio, ha alguns annos comegado,
c prestes a concluir-se, graeas aos esforgos do acti,
vo e Ilustrado ex-D. abbade geral Fr. Saturnino de
S. Clara Antunes.
A parte externa do zimborio acha-se lerminada-
dando muito realce ao mosteiro. Domina toda a
cidade e logo avistado, desde que se entra a bar-
ra, em razao da extrema altura, a que sublu.
A archilectura do mosteiro de mu gosto, e o
frontespicio da egreja nenhuma belleza apreseta,
acanhado e indicando ausencia completa d'arte, de
modo que a maior desharmonia possivel entre o
ziraborip, que se eleva elegante e de aperfeigoado
gosto, e e resto do edificio.
E' de esperar que as autoridades da ordem pro-
curem ir pouco a pouco corrigindo esses deleitas.
Nada mais feio do que a desharmonia entre as di-
versas partes qae compoem um edifiicio.
A convente dos franciscanos tal vez de todos os
conventos da Babia e de mais vastas accommoda-
g5es.
E', nm edificio immenso, mas bastantemente ar-
rumado em algumas parles.
A egreja um das mais bellas da Babja, e tai-
vez s inferior em archilectura ao collegio dos je-
zuitas.
E' admiravel a belleza das molduras, o gosto e a
arte que|ali|por toda a parte reraam; roas de las-
timar tambem o jiouco zelo e cuidado que empre-
gam na conservagao deesas preciosas reliqnias de
outras eras ; o dourado est quasi todo prelo, em
alguns lugares se teem desprendido partes das
molduras, sem que tenham sido cellocadas em seus
lugares respectivos e renovado o dourado.
O templo vastissimo, contorneado de altares,
aberto entre os vaos e encerrados em grade de ma-
deira de bem acabado lavor.
O interior do convenio lera diversos e espagosos
saloes, extensos corredores, urna grande quantida-
de de celias, alera de algumas varandas, que se
debrugam sobre um vasto claustro de pedra-mar
more.
Em urna das salas do convento funecicna a aula
de desenlio, addida ao lyceu di. provincia.
Alm destes Ires conventos nao deixaremos de
mencionar o dos capuchinhos, vulgarmente chama-
do da Piedade.
E' o menor dos tres indicados, sem deixar de
ser porm vasto e espacoso.
O templo bello e simple, cheio de columnas e
arcadas : no centro, para o lado do allar-mr, ele-
va-se um grande zimborio, cojas vidragas fazem
Eufleetir a luz no corpo da egreja.
Dizem que ella feita a imitago da Bazilica de
S. Pedro, em Roma.
Na sacrista v-se o retrato do fundador daqnel-
la casa religiosa.
Era um santo velho, que sem mais recursos que
a candado dos fiis, metteu mos a obra e corae-
gou a edificagao do templa
Nao se illudiu porm ; terminoa a obra sem
nunca haver sentido falla de numerario para a
conlinuagao delta. Em certo dia da semana diri-
gia-se ao commercio, e qaando voltava, trazia o
quantltativo sufflciente para as desperas e diarias
dos trabalbadores. Contam qne urna noute, mao
pesada bata cora forga a rarta do convento. O por-
leiro despena em sobresalto, abrea-a, julgandoque
era aiguem que, soliieitava os soccorros da reli-
giSo.
Um homem, ucompanhaado um animal que pa-
reca surcumhir ao peso que trazia, entrega-lbe
urna carta, para ser immediatamente entregue ao
prefeito, qu abrindo-a, leu apenas as seguintes
palavras : Para auxiliar as obras da egreja.
O homem havia desapparecido, e o animal car-
regava urna quantia de dinheiro.
A ordem dos capuchinhos tem prestado Impor-
tantes servigos a provincia da Babia, na caiechese
(1,394,796:0075000 approximadamente) e os des-
embolsos sobre a mesma base elevaram-se a.....
1,298,056:101 dollars e 89 centos (1,298,056:101,5
approximadamente), deixando no ihesouro um sal-
do de 96,739:903 dollars e 73 contos (96,739:903$ um nuadro claro e satisfactorio dos negocios desta
cional e para raanter o prover o effectivo
necessario.
O relatorio do ministro da marrana apresenta
idas especiaes para a delesa na- STw "xo^nci,^ dotno'SumeroZ
militar pensionarios revolucionarios eram de 4:480. Doze
s eram soldada, e alm disso morreram sete del-
les. O resto compoe-se dos que, em conformidade
com a lei, recebein pensoes era virtude do seu pa-
rentesco com pragas que tomaram parte na revo-
approximidamente),-conforme consta dos respecli- secretaria e do servigo martimo. E' verdadeira-1 ffij 'Z?'"''*0 ds ann- ""?" ?m 3? do Jurmo
vos documentos*, deduzndo-sc dessas sommas a | menle > rao,ivo de orgulho e de satisfagao bem SpS 4.o4P:6B161"deoflarsP e^oTconus (1.504:616Si
aprnximadamentf).
Solicito com empenho a confirmago da vossa
proteegao para as insttuigSes He beneficencia do
distrcto de Colombia, que at aqui teem sido fun-
dadas e manlidas pelo congresso, e recommendo-
vos respeilosamente, para vos illucidardes, que
consultis o relatorio do ministro concernente a
essas instituigdes relalivamente ao aquedueto de
Washington, ao capitolio e aos assumptos de inle-
resse local. -
A reparligao de agricultura, soba direcgo do
seu chefe actual, cheio de energa e de dedicagao,
recommenda-se logo por si mesma, pelo interess
importante e vital que o seu estabelecimento est
destinado a fazer prosperar. E' essa especial-
mente a reparligao do povo; desperla em geral o
interess mais directamente do que outra quai-
quer. Chamo para esse ponto a constante sollci-
tude do congresso.
(Continuar-se-ha.)
_ i i f m i
UM POUCS DE TUPO.
0 RKCOLHIMENTO DK S. RAVMINDO NA BAHA
Poucas cidades no vasto imperio americano pos-
snem tantas casas religiosas-como a Baha. Sem
contar es templos magnficos e magestosos, como
nao nos ha lo bellos |e pomposos em nBnhuma
das cidades da America, sem mencionar essas
egrejas monumentaes, que os jezuitas legaram a
bella cidade de S. Salvador, primando entre ellas
o magnilico templo de S. Igoacio, vulgarmento cha-
mado Collegio dos jezuilas, e que boje a catite-
dral metropolitana,apenas nosjdemoraremos um pou"
co as casas puramente religiosas ou conven-
tes.
Como diziamos, nehhuma cidade deste Imperio
talvez possa contar um numero tao grande deltas
do principal da divida publica amortisada c a tota- 8rade para os nossos concidios ter organisado
ldade de emissoes era snbsttulgao, as actuaes ope- nma marinha em tao vastas proporgoes n'um pe-
rages do thesouro foram : receitas dollars....... riodo fa0 curto, e de te-la elevado ao gran de per-
884,076:646 e 77 centos (approximadamente.'.... fe'5ao e de poder que a distingue. O qoadro ge-
884,076:6465000;; desembolgos dollars863,236:087 raI da nossa esquadra, comprendendo os navios
e 86 centos (approximadamente 863,236:0875000); em construegao, em 1 de dezembro de 1864, offe-
quedeixa um saldo no thesouro, em numerario,de receum total de 671 navios, com 4,610 pegase
dollars 18,842:558 e 71 centos (18,842:5585 appro- medindos ldos 5 8:936 toneladas, o que d um
ximadamente.) augmento para este anno, apesar de todas as per-
v .r>0. ., das causadas pelos naufragios e pela guerra, de
. as receitas 102 316:152 dollars e 99 cen.o 88 vasos, 167 pega, e 12:427 toneladas O nme-
(approxiraadamente 102,316:1325000); forara pro- ro ,0:al dos individuos actualmente empregados no
dundos pelas alfandegas 58,533 dollars e 29 cen-; servigo effectivo da armada, incluindo os offlciaes,
l7S/ aVu faS (aPProx,raadamente 588:3335000); aproximadamente de 51:0005324 navios forara to-
473 648 dollars e 96 centos (475:6485000 approxi- mados peIa esauadra no decurso do aQn e SQm
^y?J fg!f.l"!!gg*gi ^741154^ das presas feitas desdo o principio das hosti-
dollars elO ceios (109,741:1345 approxmada- ,dades de 1:374, entre ellas 267 vapores. O
mente) pelos rendimentos internos; 47,311:448 enorme producto da venda dos navios tomados e
dollars e 10 ceios (47,511:4485000 approxraada- condemnados a serem vendidos eleva-se a
mente) por diversas fontes, e 623,443:929 dollars e 14:3P6:-250 dollars 54 centos (ris approzi'mda-
13 centos r623,443:9295000 approximadamenle) mente 14:396:2305000). Ha anda agora urna
pelos empreslimos destinados a cobrrem as des-1 quantidade consideravel de propriedades tomadas,
peras actuaes, incluindo o primeiro saldo. Des- a cuja adjudicagao se vae proceder e cujo produc-
prendeu-se com o servigo civil 27,503:599 dollars ,0 coosegaintemente nao pode ser j calculado,
e 46 centos (27,.5O5:5995O0O approximadamente) 5 0 total das despesas de todo o genero na secreta-
com as pensoes e com os indianos dollars........ ra de marinha, incluindo as necessarias para a
7,517:930 e 9f centos (7,517:9305000 approxima- immfasi esquadra formada desde o dia 4 de mar-
damente); cora a secretara da guerra 60,791:814 co de 1860at i de novembro de 1864, eleva-se a
dollarse 97 centos (60,791:8415000 approxmada- 238:647:262 dollars 35 ceios (338:647:2625000
mente); com a marinha 85,733292 dollarse 77 approximadamente).
centos (approximadamente 85,733:2925000) com \ Correios.
os juros da divida pubfiea 53,62 : 421 dollars e 69 'A vossa attengao respeilosamente chamada
centos (83,685:4215000 approximadamente) o que sobre as diversas recommendagdes do ministro da
Arada nos recordamos da esplendida perfeico,
quo maravilhou a todos, de doces preparados em
um dos conventos de religiosas, para o baile que
a corporago do commercio da Baha oTereceu a
Suas Magestades Imperiaes.
Pareca que nao era possivel que a arte houves-
se chegado a tanto apuro de perfeico.
Apresentando este resumido esbogo das casas
religiosas da Bahia, vamos dizer algumas palavras
acerca do recolhi ment de S. Raymundo, objecto
especial deste pequeo artigo.
O ehristianismo lem realisado verdadeiros mila-
gres na sociedade.
Deixai que o philosophismo o envista de langa
em riste ; a verdade como a luz, brilha sempre,
a despelto dos esforgos da escuridao e das trevas.
Entre outros beneficios que trouxe humarada-
de adoutrina do Christo, brflha como um sol ruti-
lante a caridade, essa virtude immensa e sublime
que une o homem ao homem em doce e estreite
amplexo ; que consiste em estender'a mao quelle
que a desgraga atirou i bei.ra da estrada, em nun-
ca recusar ao qu soffre as consolasdes que fallara
lo suavemente em nm peilo dolorido pelos emba-
tes da sorte ; em nao recusar abrigo ao misero
viandante, que a noite assaltou nos desvos do ca-
minho.
E bastava que o cjrislianismo houvesse ensina-"
do esta doulrlna huraanidade, para que fosse urna
religio do co.
O Evangelho um lvro santo, escrlpto pelo pro-
prio dedo de Dos, por assm dizer. Entre as bel-
las historias que refere, tendo sempre em vista o
bera da humanidade, a anniqullago do vicio, e o
triumpho completo da virtude, quem ha ahi que
nao tenha lido cora emogo e sentimenlo a historia
da Magdalena ?
E' pouco mais o menos o seguinte :
Na Juda havia outr'ora urna mulher, bella co-
mo a rosa que sejabre ao acordar do sol. Pura
nao era porm a sua vida. Nascida no meio da
opulencia e dos brazeres, quiz continuar nessa
existencia de vertitem a que tanto se Ibe amoldava
a natureza.
Com um corago ardente e apalxonado deu-se
teda, corpo e alma, a essa voluptuosidade embria-
gadora, que tanto agrada aos seohdos,que tao bem
diz com eses temperamentos de ogo.
Essa mulher era a Magdalena.
Com a fronte coroada de grinaldas, aspirando o
perfume ennebrahte das essencas do Oriente, cora
os longos cabellos|espalhados por sbreos hombros
e o eolio n, e empunhando na mao a laga em que
fervia espumanteo vlnbo, cercada de adoradores,
que Ihe mormuraban) aos ouvidos essas notas de
ternura que vao direito ao coragao -T que embria-
gavam-na cora esses oteares, que a languidez da
paxo sabe tao bem expressar, passava a Magda-
lena essa vida de volapia, que corrompe a alma, es-
tragando o corpo.
Cm da, porrn, a Magdalena vio o Christo.
Oliiou-a elle com esse olhar poderoso e divino,
cora que quizera que dotasse-o o co, e exprima
esse olhar severamente doce, tanta censnra e tanta
compaixo, unta reprebenso e tanta boaade, qne
em um momento conheceu a misera toda a enor-
midade de seus crimes e a torpeza da vida licen-
ciosa que levava.
E arrependida langou fra as grinaldas, quebrou
a laya, arraneou os cabellos, cuspio os beijos, e ro-
bera de craza,1 regou com lagrimas amargas o p
da Ierra que [i&ava.
E em vez de gritos descempassados das orgias,
das cangSes estrepitosas, ao bater dos copos, ou-
via se os gemidos do arrepedimento, es solucos
suff.'cados de pungente angustia.
E' esla a historia da Magdalena.
E quantas Magdalenas nao ha por ahi, vivendo
na libertinagera e na crpula, s porque nao de-
paran) com um olhar severo e mege de amigo,
que as faga vqltar arrependidas do errado caminho
quo levam I
E muitas ba rrae continan) a escorregar na es-
trada tortuosa do vicios, s porque nao deparam
mao amiga que as sustente.
(Continuar-M-ka.)
---------1 i aii ------------ *
Um candidato a membro do congresso dos Esta-
dos-Unidos e^pediua sua circnlar eeitoral a lodos
os eleilores qujos suffragios elle solicava.
Para nao pe/der oseo tempo nem o seu dinhei-
ro, o candidato aproveitou a occasio da elreular
para especular com annuncios. De um. lado expoz
os senilmente patriticos que o animavam; de ou-
tro fez uns p
pucos de annuncios rja& loe renderam
bem bons dcUars.
Nao ser lao que se immitte este systema.
somma um tota[ de 863,234:087 dollars e 86 ceios
(865,234:0875000 aproximadamente) e deixa um
saldo ne thesouro de 18,842.558 dolares e 71 centos
guerra, especialmente no que respeita ao estabele-
cimento de nm arsenal martimo e de eslalleiros' corao Bamai
convenientes para a conslruccao e para os concer-' Sera que failemos as casas fllaes, que muitas do, porque nunca os visitamos.
Entre os seus membros teem fcavdo homens
muito notaveis por sua illustragao. De passagem
citaremos o nome de Fr. Archangelo, um #os mais
Ilustrados religiosos italianos que tem vindoas
nossas plagas, e o de Fr. Ludoveo, de q.uem ainda
eom saudades se reeorde a Bahia.
Muito llie devem os selvagens que povoam nos-
sas florestas. Foi elle que com a cruz em punho,
arraslando mil difeuldades, arriscndose a toda
serie de pergos, se internou por nossas brenhas
da Baha e levou a palavras do Evangelio e a
agua da regenerago a essas ordasantro-pophagas,
que anda infestara nossas malas.
E auxiliava-o sempre a Providencia : e novos
povoados se erguiam, e a capital da Babia tinha o
prazer de ver Fr. Luduvico vollar lodos os annos,
com o semblante loriado pelos ralos do sol, e com
os labios risonhos e a fronte serena, acompanhado
de urna grande quantidade do indgenas de diver-
sas tribas, que conseguir domesticar.
Depois as fadigas, os trbateos vergaram aquel-
le corpo tao forte, amolestia assaltou-o, e das de-
pois Fr. Luduvico descangava no seio do Eterno,
lamentado por todos.
Hoje parece que vae um pouco degenerada a or-
dem dos Capuchinhos na Bahia, nao apparecem
mais quelles grandes vultos de outr'ora, a cha
thecheze fazera-na sem mais aquelle ardor santo
que os animava, e as intrigas particulares e ri-
validades pequininas vieran) continuar a obra da
desorgansago.
Alm dessas casas que ah aponamos possue
mais a Bahia conventos de religiosa*, sob diversas
invocagoes; ha o da Soledade notavel nos fastos
da nossa independencia.
Talver contemos algum dia mudamente essa
historia aos leitores da Revista Popular.
E' um episodio de Vndalos ; o marlyrio das
virgens do Eterno pelas mos dos soldados do des-!
pollsmo. L pois oh virgen) oestes raes versinhoV,
Ha mais os convenios de Santa Clara do Dester- 0s Brmes V0l0S 1ue mtah'alraa lem,
ro, das Ursulinas, de Nossa Senhora das Mercer, Vl3 Quanto vales neste peto ardente
de Nossa Senhora da Lapa, alm dos recolhlmentos Qu'antes de vr-te nao amou ninguem !
dosPerd5es, doSantissIroo Coracao de Jess e de Sabe pprtento do poder que prendes
S. Raymundo. Qe a j^ pPoaTe condemnar mea ser-
Pouco ou melhor, nada podemos dizer a respeiio Sabe qu'eu Arme n'affeigo que juro
da archilectura e commodidades e exlensao destes S em teas bracos podere t ver.
edificios, a nao ser o recolhimento de S. Ravniun-
O Sr. S. tem dous meninos encanladores; um-ra-
pazinho de ti annos e urna menina de 4 annos,
mais espiritosa que se tivesse 15,, e formosa como
uei cherubim.
A mao, que mu piedosa, educou os dous me-
ninos no santo amor de Deas.*
Quemj Deus? pergunlava o menino mae.
E'onbsso melhor amigo, respondeu a se-
nhora.
Ha das d Sr. S. receben ama caria qae Ihe caa-
sou profunda magua, e bera a mostrava no rosto.
Porque est lo triste, pap ? disse o menino.
Perd o meu melhor amigot
O menino relirou-se e foi ter com a irmaa que
eslava multo atarefada, azende em pedagos una
guitarra para ver o que esteva dentro.
Nao sabes, raaua ? disse o menino, moren
Deus I j
DeVerasfl replcou a menina; tanto melhor;
poderemijis fazer quanto livermos vontade
E' do $r. J. J. F. A. esta poesa:
nma oliios, tbu riso, rae todo.
Teus olhos ternes de um asul sublime,
Que meigos, lindos um olhar me do,
Feliz me tornam, nos encantos d'alma.
Santo o arcano do meu coragao.
Teu riso brando que saave solas,
Me inspira n'alma delicioso amor;
Qual fogo ethereo na mansao dos anjos,
Qual doce balsamo que dissipa a dr.
Teu todo bello me captiva o peito,
N'um doce enleio de vi ver saudoso;
En logo escravo s respiroamores-
So me alimenta cante amoroso.



_
PERNAMBUCO.-TYP.-DE M. F. DEF.4 FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMJCCFS18_Q9REML INGEST_TIME 2013-08-27T23:41:51Z PACKAGE AA00011611_10593
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES