Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10592


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ILI. NUMERO 35
--------
Por fitriel pago dentro de 10 das do 1." mez : :
Uta deiois dos i.0' 10 das do conieco t deitro do qoartel. .
PorleaocorreiooortresBiMes......., f
** 9lt yyitl>'\
5|000
6J000
750
SEGUNDA FEIRA 13 DE FEVEREIR0 DE 1865.
Por anao pago dentro de 10 lias do 1. mez
Porte ao correio por un anno ,
191000

DIARIO DE PERNA
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaqnlm Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPC.XO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudine Faleo Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e eslacdes da va frrea at
Agua Preta, todos os dias.
[gaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhons, Buique, S. Bento, BomCoo-
selho, Aguas Bellas eTacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preu e Pimenteiras, as quintas felrai.
I Iba de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio da.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h., 48 ra. e3>8s. dat.
10 La chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto ming, as 7 b., 18 m. e 4 s. da t.
95 La nova as 5 h., 43 m. e Si 8. da t.
AUDIENCIA DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juio do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Priraeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Gregorio p.; S. Benigno b.
14. Terca. S. Valentim m.; S. Auxencio ra.
15. Quarta. Ss, Faustino e Jovita ram.
16. Quinta. S. Raymundo de Penafort c.
17. Sexta. S. Polycarpo b.; S. Rmulo m.
18. Sabbado. S. Slmeo b, m.; S. Prepedigna v.
19. S. Conrado f.; S. Ga&ino m.; S. Alvaro f.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 hora e fi m. da manhaa.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manee! Figueira de
Faria & Fiiho.
PARTE OFFICIAL
G0VBMN0 DA PROVINCIA.
-Expediente do di a 9 de fevereiro de 1865.
Offlcio ao Exm cooselheiro presidente da rea-
^o.Remello incluso por copia o offlcio que me
dirKio o coronel commaudante das armas em 4 do
-correute, afim de que V. Exc. se sirva de tomar
m considerado o que elle solicita acerca da ap-
pellacao inlerposla para o tribunal da relacao pelo
soldado do stimo batalhao de iofanlaria Jos Fe-
lippe Bezerra, que foi condemnado a 4 annos e 8
mezes de priso pelo jury do termo do Cabo
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia.Convenho no arrendamen-
to que pretende fazer Antonio da Silva Ferreira
Jun or da casa de sobrado pertencenie ao patrimo-
nio da Santa Casa de Misericordia e de que trata o
oflicio de V. Exc. n. 51 de 8 do crreme, urna vez
que elle se obrigue a pagar de renda annual
7805000 e a satisfazer as condigoes propostas pe-
los mordemos da raesma Santa Casa, na informa-
cao que alinde o citado offlcio : o que declaro
V. Exc. para os devidos effeitos.
Dito ao coronel commaudante das armas.Sir-
va-se V. S. de informar acerca do que pede no in-
cluso requer ment o recrula Joaquim Thereza Nu-
nes.
Dito ao mesmo.Expeca V. S. snas ordens para
que se aprsente sem demora ao juiz municipal da
2" vara desta cidade nm soldado da companhia de
cavallana, alim de levar differentes lugares a
corresppondencia para reunio d jury desta ca-
pital Communicou-se ao juiz municipal da 2'
Tara.
Dito ao mesmo.Queira V. S. mandar alistar pa-
ra servir na corpo de Voluntarios da Patria, urna
vez que seja considerado apto, e soldado do corpo
de polica Joo Nepomuceno Ferreira que se offere-
ceu para servir n'aquelle corpo, com a cndilo
de seguir para a curte no primeiro vapor que
passar do norte.
Dito ao mesmo. O Dr. Symphronio Cesar Cou-
traho se offerece para medico do hospital militar
em subslituigo aos mdicos militares que tem de
seguir para a corte, em enraprimento das ordens
do governo imperial, offerecimento que submetto
V. S. para que o tome na devida consideracao.
Dito ao Dr. ehefe de polica. Por j terem sido
distribuido?, e nao haverem chegado para todas as
autoridades desta provincia es pouces ejemplares
impressos do mappa e aviso de (2 de Janeiro pr-
ximo Ondo, que V. S. allude em seo offlcio n 188
de 7 do corrate, deixo de satisfazsr a requisjco
uellfi comida.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em addiamenio ao meu offlcio de hontem trans-
miti V. S., para o tim conveoiente, o inclusa re-
quenmento documentado, em que Joaquim Fran-
cisco do Reg pede que se Ihe passe titulo dos ter-
renos de marrana ns. 25 A e o B, sitos na ra da
Florentina desta cidade.
Dito ao coramandante superior da guarda nacio-
nal do Brejo.Informe V. S. se Vitaliano Barbosa
dos Santos ou nao 2 sargento da 4' companhia
de algum dos batalhos de iofanlaria da guarda na-
cional do municipio de Cimbres.
de guerra pelo decreto de 14 de dezembro de 1852
sejam exeroidas cojunctamente pelo director do
mesmo arsenal e dous empregados de fazenda ser-
vindo de presidente dessa commisslo o referido
director.Fizeram-se as necessarias coraraunica-
goes.
Dita.O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o juiz de direito da comarca de Na
zaroth, bacharel Joo Paulo Monteiro de Andra-
de, resolve conceder-lhe dous mezes de licenga
com ordenado na forma da lei para tratar de sua
saude fora daquella comarca.
Expediente do secretario do governo do dia 9 de
fevereiro de 1865,
Offlcio ao director peral da instruirn publica
S. Exc. o Sr. presidente, da provincia manda
commuuicar a V. S. para seu conhecimento que
por despachos desta data concedeu a Carlos Jos
Dias da Silva, Joan Landelino Dornellas Cmara
e Joaquim Francisco Borges Uchoa a dispensa que
pediram nos requerimentos a que alindera as in-
formacoes de V. S. datadas de -2, 7 de Janeiro ul-
timo e 6 do correnle sob ns. 3, 8 e 34.
INTERIOR.
PABA.
RELATORIO OO SECRETARIO DA PRESIDENCIA DA PRO-
VINCIA, RELATIVAMENTE NAVEGABlLIDADE DOS
ROS DESSA E DA PROVINCIA DO AMAZONAS.
Appr ndlce.
A mulber ou amazia compra riscados para saias,
lencos para o pescoco, queijos e doces para mesa,
e brincos e bugiarias para as creancas.
Os rapazes comprara anzoes, e linhas, espingar-
da, plvora, chumbo e cachaca.
As filhas comprara annels de ouro, cortes de
cassa fina ou de seda para vestidos, rendas de
Malinas, chales de cachemira, lencos de cam-
braia. ...
Faz-se a conta : a borracha a moeda. O se-
Siro, certo; estas ilhas sao ricas de seringa
!fl ado moiu> einheiro i ms a qnem o tem
dado 7 Tem-no dado aos Ioglezes e Americanos ;
somente aos estrangeiros de quera somos caixiros
e serventes I
Conteu-me entao que ha mais de quarenta annos
que passava por aqueHas ilhas e que ha trintaao-;
nos ajuntava-se n'ellas um mundo de seringueiros, I
tondo sido elle tambem desse numero; mas, tendo
li perdido dous filhos, sem jamis conseguir fa-
nngueiro reclama contra o prego alio des gneros zcr fortuna, voltou lavoura e podo pagar" pouco
que comprou e contra o proco balxo offerecido pela l a pouco, quanlo Acara devendo, t E hoje ( disse
PEBNAMBUCO,
REVISTA DIARIA.
O engenheiro Joo Luiz Vctor Lieuthier foi no.
meado pela presidencia para servir o lugar d-
agnmensor as diligencias, a que tem de procedee
a thesouraria de fazenda, para as concessSes dr
terrenos de marrana.
Chamamos a attenco da autoridade superior
--------_,_ ., ,,. ..y uiidisuw^,!. o |luu..u, ijudinu ucara uevenoo. k noie ( disse- nra n ,i,..-,.. -"--*: j---------~ .-!.> *~uuU<.iu jsuju.
borracha ; mas anaal, nao havendo appello era me) gracas Dos, a lavoura me d com (rae oas- i uL? Procedimento de trazerem-se algee o anno anterior,
aggravo, paga entregando toda a borracha que t sar sem veame o resto dos meus dias u gardas nacionaes, a quem recrutam- A importancia
fabricou. O regatao retirase satisfeito do bom ac- Dizia-me tambera que ha 40 annos as ilhas esta-[ t\?HfL H a m?sm! ,e")0 fardados cm o uni- igualmente exced
Comparando a receita do anno que- findou com
m.n aD}eri'0'', veris que augmeotou ella na
impo. tanca de 10:8 0*911 ou 8.71 % ; e que a
2i-^7AS.nSCeu1iamem na importancia de ris
ZO.B57|09J3 OU 18 1/4 gj".
nnmpr0nnTmiOs?e.Car,va.0 aDementou tambem em
numero de 141 toneladas.
Explica-se esse augmento de despeza pelo eos
eiodeum 4 vapor e accrescimo de servico con-
izio igualmente mais 205 passageiros, que
---------------- que ha i anoos as ilhas esta-
> i ment qu8 encontrou, principalmente da parte, vam no mesmo euadode hoje, sem cultura, e sera
Ufllnu a qnem, em troco da deshonra- em que; urna habilaco regular ou permanente, com a dit-
as deixa, obsequiou com cortes de vestidos, cojo forenca porm de que, entao, havia por all muita
valor, porem, meUeu depois em conta ao pae. madelra, muitas fruclas muito cacao selvagem e
E verdade que os regatSes que observam tao hoje nada mais ha d'lsso I
escandalosa pratica, ho desagradado profunda-
mente aos seringueiros, alguos dos quaes recu-
sara-se a cora ellos negociar. E' tambem verda-
de que nesies ltimos lempos tem apparecido al-
gons regatoes que se distinguem por sua probida-
de, sendo por isso eslimados e esperados com fer-
vor nos seriogaes: a regra, porm, o carcter e a
conducta do regatao como cima descrevl.
Depois de supprido novameote dos gneros de
alimentaco que Ihe taita vam, o seringueiro trata
de fabricar urna quantidade possivel de borracha
que chegue para saldar seu debito, o oue raras ve-
zes consegu. O credor lera muitas vezes o cuida-
do de mandar receb-la no seringa!, adra de segu-
rar a divida e adiantar seu negocio.
Entretanto o invern chega, e o seringueiro, Im-
possibililado de continuar seu trabalho, regressa
(Continuaco.)
Effeitos da preparadlo da gomma elstica
Para complemento do que teoho dito dev< anda I ao povoado com o resto dos productos de sua in-
esboQar ligeiramente um quadro da vida e entu-
mes nos siriugaes e dos effeitos da extraccao e
fabrico da gomma elstica sobre as povoacoes do
interior.
O que vou dizer sobre o effeitos desta industria,
nao pode ser tomado em contradico com a impor-
tancia que Ihe dei descrevendo sua marcha e seus
progressos no nosso mundo commercial ; dar,
sim, testemunho da opinio dcsfavoravel em que a
tenho ; mas reoonhego que, sera fallar da navega-
do a vapor, a borracha o elemento principal da
riqueza publica da provincia, assim como reconhe-
co que as condicSes especiaos desta regio nao
perraittem acbar fcilmente um substituto para
este ramo de rendas.
Para representar um pouco mais coloridas as
causas da decadencia das povoagoes e as scenas
da vida nos senngaes, tomo por ponto de partida
urna destas povoacoes, -Gurupa, por exemplo, ou
Baio ; Oeiras ou Mucajuba ; Melgaco ou Faro ;
Alemquer, Mazagao ou Porto de Moz.
Desde que as i limas do invern desapparecem
e o rio recolhe-se a seu lelto, os moradores come-
cam a mover-se, retirando-se para tora da povoa-
co como a familii de Ne depois do deluvio.
Os lavradores levara suas familias para os sitios,
pois lempo de cuidar da lavoura.
dustria. Esse misero que de ordinario perde um
lilli'i no seringal, ou v urna filha deixar sua com-
paohia pela de um visinho que Uie agradara, uo
regresso, encorara sua cabana em ruinas e rodea-
da de matto, que all cresceu durante os seis me-
zes de sua ausencia ; torga pois reconstrui-la,
ou, pelo menos, cobri-la novaraenta de folhas de
palmeira para ter nm abrigo contra os rigore do
invern.
Este homem,que parti lo cheio de esperances,
regressa mais pobre e desvenlnroso do que d'an-
tes. Mas no anno seguiote, mal cometa o vero,
volla de novo ao seringal, guiado serapre pela Ilu-
soria esperanca de acbar a felicidade onde ella
nunca existi.
Tal a vida do misero seringueiro! tal o seu
destino, e, dira melbor, tal a fatalidade da sua
existencia I
A industria extractiva da borracha nao fatal
somente ao seringueiro ; seus effeitos perniciosos
no estado actual recahem sobre outros ramos de
industrias e sobre a riqueza c civilisacao no inte-
rior da provincia.. .
Fallase dos progressos da capital do Har; as-
sim sem duvida; e esse progresso lio noiavel
como rpido O commercio e a navegacao aqu
floresceni de dia .para dia; as rendas crescem de
Dito ao inspector do arsenal de mariaha.Em largarem da povoacao; deixam primeiro operar
rospdsta ao seu offlcio n. 806 de 8 do correte, te- essa pequea vazante humana aproveitando anda
nho a declarar-lhe que o menor Candido Cabral de a ultima hora de negocio e afioal partem quasi na
Mendonca que allude o meu offlcio de 7 do cor- comitiva dos derraaeros emigrantes, fechando
naSwffi 2 FkJ*f ferma' embarcando lnno para anno; a cidade acorapanha esse movi-
afllhaZ USA!^E^uSEJ"^'^! raenld de civihsaco ascendente ; orna-se de novos
S2r!SSJM^^5'JSf a'mhas, tudo em- edlicios, pova seos suburbio^ rasgam-se novas
nfi KrST Se abngaVa' UIVeZpr ruas e PraSas Prl enr.he.se de nlvos, as d-
n iZnA cas de canoas, as. ruas de gente, o caes de ociosos;
3 Lne*?c?anle sa os.ulmos a a i||UminaCo se faz por canalisaco ; as letras
mesmo tomara certo desenvolviment. Tudo, em-
iiui, denuncia progresso e prosperidade.
Mas, e o interior ? Todo o mundo sabe quam
I notavel a decadencia de suas povoacoes. Eu dei
rente o lilho de Joaquina Maria Ja Cooce.cao suas portas e transportando seus gneros "- Wimq nmaTftTffrrilJn irn tiE^^T^
Seus visinhos e conhecdos lizeram joutra tan-
to ; os amigos e freguezes desappareceram ; a po-
voagao tornase taciturna ; a ruas cobrem-se de
hervas ; a sociedade est mona I
Estas emigrarles seriam ainda assim pouco pre-
compa
nhia de aprendizes marinheiros cora o nome de
Antonio Jos da Silva.
Dito ao coramandante do corpo de polica.
Mande V. S. desligar do corpo sob seu commando o
furriel da seceo urbana Basiliano Bandeira de Mel-
lo Cesar Loureiro, e o soldado Firmino Jos Tava- judiciaes s povac5es, se o invern, reconduzindo
res, que se offereceram para servir, este no corpo os emigrados, compensasse as perdas que ellas
de Voluntarios da Patria, e aquelle no batalhao n. soffrem em seu pessoal nesse movimenlo annual
9 de intimara. dos habitantes; infelizmente raro que ao menos
Dito ao mesmo. Mande V. S. eliminar do corpo, 5 sobre 100 nao contiouera a permanecer fra das
que commanda, o soldado da 2* companhia da sec- povoacoes ; mais raro anda, que a mao da morte
cao volante Joo Nepomuceno Ferreira, que se of- nao Ihes rotibe 8 ou 10 por 0|0 dos que vo a ex-
fereceu para servir no corpo de Voluntarios da traeco da seringa.
Patria. j J refer que s nos quarteiroes dos Patos e Ma-
Dito ao capiao do porto. Em resposta ao seu tacur, no curto periodo do Janeiro a margo de
offlcio datado de 26 de Janeiro ultimo, tenho a de- 1861 ricaram sepultadas cerca de 400 pessoas, vic-
clarar-lhe que o gerente da companhia Vigilante timas da peste ou febre perniciosa,
de reboque assegurou-me, em seu offlcio de 31 Mas, singular fascnayo des*a industria malfa-
daquelle mez, haver expedido ordem, para o vapor dada I Se convidaes um seringueiro a ir habitar
Camaragibe conduzr at o ponto em que deve ser no Remanso com vencimentos certos e vantajosos
collocada a boia, de que trata o citado offlcio, logo a seu futuro, ve-lo-heis tremer de raedo daquella
que Vmc. assim o requisite. localidade, e nenhum dinheiro o far esquecer-se
Dito ao director do arsenal de guerra.Tendo da peste que all despovoou a colonia de Santa
nesta data designado os conferentes da alfandega Thereza ; entretanto que esse mesmo homem, co-
Antonlo Carlos de Pinho Borges e Francisco de mo quaesquer outros seringueiros, nao hesitam um
Paula Goncalves da Silva para fazerem parte do momento em partir com suas familias para o se-
conselho, que deve exercer as funecoes dos conse- ringal. Ahi a raesma pesto, as vezes com carcter
Inos administrativos, extractos pelo decreto n. 337o mais fatal, invade todas as barracas, e, sem ou-
de 11 de Janeiro u:timo, re/.omraendo a Vmc. que tros soccorros que nao os do c, urna pai te dos
rena quanlo antes o novo conselhe desse arsenal miseros seringueiros sacriheada morte.
para deliberar sobre a compra dos objectos neces- Mas, que faz a ouira parte ? toge ? fugir I T-
sanos ao fardamento dos Voluntarios da Patria. gir qnando lautos desappareceram para sempie,
Dilo ao Dr juiz de direit > da comarca da Boa- deixando-lhes o campo livre Nao : es que resiam
Vista. Em resposta ao offlcio que Vmc- dirigi a nao recuam um passo A nuvem da desgraca pas-
esta presidencia em 2 de dezembro ultimo, remet- sou sobre outras cabecas e abateu-as. E' preciso
to-lhe inclusas por copia as informacoes ministra- aproveitar o lempo e osjfavores da fortuna, que
das pela thesouraria de fazenda, as quaes se de- nao vem sempre. Os prenles e amigos dos fina-
clara que deve Vmc. recolher aquella repartico o dos fazem no seringal como todo o mundo as
saldo de 4165780, que existe em sou poder, per- grandes cidades :choram-lhes hoje a morte com
tencente fazenda. e all apresentar em duplcala um elogio sobre a sua vida passada ; mas, ama-
a dealaragio firmada por Joan Pereira de Maga- uhaa, cedo, calculara o valor dos poucos bens res-
inaos de haver recebido de Vmc. a quanlia com tantes, cuja posse desputam entre si cora um calor
que pagou o pret a que allade o citado offlcio. que falta va as lagrimas de hon'era...
Dito ao Dr. juiz de direito de Flores.Inteirado O mundo, porm, assim em todos os cantos
do conteudo do seu offlcio de 20 do mez, (indo te- deixemo-lo como elle e continuemos a estudar a
nho a dizer-lhe em resposta que traga ao conhe- vida e costumes no seringal.
cimento desta presidencia o resultada de suas in- O seringueiro, antes de partir, contrahe dividas
dagaces acerca do partidor e contador Jos 8al- cora o negociante, seu freguez, to:nando-lhe dinhei-
sabiuo Goncalves Lima. ; ro ou coraprando-lhe fazendas, coraesliveis e eu-
Dito do juiz municipal do Iguarass.Respon-; tros gneros,
dendo ao seu offlcio de 30 de Janeiro ultimo, em Chegando ao seringal com sua famiia que ordi-
que "
NM
racler,
renle
tor da sauae puonca para ir a essa vina auas ve-1 uurame esse lempo de servigo, os seringueiros ,o"""'nrd infalliveTle bbmms viA
es na semana medicar os doentes que forem vmnhos procurara sua barraca, e, juntos, ah, de' Z**lLge., iS'JLSJS i, ".tV
acommellidos daqoef le mal. noite, tocara, cantara, dancam e bebera a foliar. aos SL^SSf i|KL ?u !'.*,?. SS
Poraria.-0 presidente da provincia tende era | A. fl.has que tomara par.e'activa e do alma a fo-1 S^T?*t!Zf&SS^S-
do a origera dessa decadencia, achei-a quasi exclu
sivaraente na extraego da gomma elstica indus-
tria maldita para o iuterior e para os que delta se
oceupam ; industria que rouba quasi todos os Dra-
gos, quasi toda a forga vital da agricultura, des-
prestigia e desacoroga todas as empresas uteis,
despova as villas, dispersa o commercio e reduz
urna parte dos habitantes a nmades, sem residen-
cia cert^, ou antes, com residencia em ramios lu-
gares ao mesmo tempo, fazendo que fujara dos the-
souros da agricultura, porque o espectro do traba-
lho normal os assusla e que procurem a fortuna
onde os aguarda a desgraca, a miseria ou a morte I
Dcvo, antes de proseguir, fazer urna observago :
Durante a minha viagem, mais de urna vez ouvi
queixas contra a capital e suas principaes influen-
cias polticas, sem dislincgo de partidos.
< A capital (diziain) absorve tudo; gasta lodas
as rendas com ella
os
rior seno a obrigag.de pagar impostos sotre im-
postas I
Este clamor singular nao tinha outro funda-
mento seno o espectculo de decadencia e de iso-
laraenlo eu o,ue esta vam as povoagoes e nao se fa-
zia ouvir senao n'aquellas, cuja populajao era ou
mais ociosa ou mais aferrada extraccao da bor-
racha.
A capital absorve, sem duvida, grandes sommas
e se engrandece; nem pedia deixar de darse se-
melhante faci, desde que ahi esto as repariiges
publicas, a forga armada, o centro da administra-
gao provincial, o porto onde vem ter os navios
mercantes do exterior e os barcos do interior. Tu-
do isso que nao existo somente para a capital, mas
igualmente para o servlgo e garanta do interior,
Gusta grandes sommas, verdade; mas a maior
parte dessas sommas te ve sua orgem na capital e
nao no interior, assim como as principaes rendas
do Imperio tem sua origem mesmo na corte e nao
as provincias.
Este facto notavel, que fcilmente se pode veri-
ficar e commum a todos os seringaes, revela por
si s, a infecundidade da industria da borracha
para a prosperidade da provincia. Elle se refere
a urna regio que, corno se sabe, das menos insa-
lubres, das mais feriis e das mais apropriadas pa-
ra a cultura, mas que todava, cm referencia ao
interior, se pode ao mesmo tempo denominar o El-
dorado dos seringueiros e o cemiterio da civi-
safaot
Nao son do numero daquelles que odam a indus-
tria da borracha por nao enchergarem nella seno
urna mraensidade de males e nem um beneficie.
Conhego e coofesso os males que ella produz
as localidades do interior, se mesmo que sao
grandes; mas alm de que nao os considera irre-
mediaveis, nao comprehendo que se possa desco-
nhecer o beneficio que procede dessa industria,
como o desenvolviment que d ao commercio
e as rendas publicas pela sua alta importancia no
mundo industrial.
Os que rejeito d'om modo absoluto esta indus-
tria como um grande mal social, nao estadaram
sua e-rigem, nem sua marcha, nem o sea estado
actual.|
De quanlo fica escrfpto a seu respeito creio que
so pode concluir que ella urna industria viciosa;
e en ah toda a origera dos males que ella produz.
Destruir ss vicios e impurezas que a nodulo e.cor-
rempem, para que seus effeitos e fructos sejam os
mais salutares e proveilosos, eis o que cumpre fa-
zer, e que anda ninguem lenlou fazer.
O que actualmente a industria da borracha T
O mesmo que sempre foi : urna ocenpago irros-
seira, estupida mesmo, em que ha senhores que de
longe mandam e gozam (sao os exportadores), e
escravos que obedecem e trabaloo sem gozar (sao
os seringueiros).
Ninguem Ihe ha dado considerago alguma.nem
mesmo Ih'a querem dar; ou, para fallar com mais
precisao, encarada como nma industria vil I
O nome de seringuetro nao ha sido, alias, tantas
vezes erapregado como um epilhelo despresivel e
aflroLtosal
N*oma plavra : abandonada sempre a si mes-
ma, esto induslria nao deve civilisagao um aco-
rogoamento ; a sciencia e as artes nunca ihe de-
tara a mao ; e, singular coutradigo I no meio de
urna sociedade civiiisada, a industria mais rica, a
industria que a avvenla e Ihed os meiosde avan-
gar no carainho da felicidade e perfeigao, a que
os selvagens Omaguas e Cambebas inventaram e
nos ensinarara, ha 200 annos I Inventaram ; e
nos, povo cuilisado, o que fizemosT Conserva-
mola tal qual elles no-la ensinaram I A nossa ci-
vilisagao devia esta homeHagem Darbaria I
A preparacao da borracha porm, como disse
urna industria grosseira, ninguem o pode negar;
mas por ser grosseira ou estpida nao deixa de
ser um dos mananciaes mais fecundos da riqueza
publica e um fonte abundante de fuluros benefi-
cios que convm ser purificada e aproveitada para
produzi-los desde j.
O que ha de mais duro e iengoso do que a ex-
traego do ouro ? E entretanto (para nao citar
exemplos seno de casa) a esta induslria que a
provincia de juinas deve a sua rapila c lonsaco,
sua civilisagao, e a proemiDenciaque chegou a'ad-
quirir e aiuda conserva sobre as outras, era po-
pulago, em industria, em letras e mesmo era ri
queza.
A borracha como o ouro (e ouro o que ouro
vale); se ella no estado actual nao civilisa, nem
engrandece o interior, antes o tem empobrecido,
porque se nao tem al hoje procurado melhora-la
forme do respectivo batalhao.
R0.0'' da esca'a," seu valor sbio""a
nos sommade 986:147^200, calculado approximada-
va-
de dinheiro transportado foi
excedida em 339:649*633, e o valor
le esto as condigoes de serem recrutados, que ^WM SUb' Cifra de ris-
S,oTvpr=i^
forme da guarda cidadaa com os pulsos presosi differentes '
por um instrumento vil, tolerarel somente
grandes criminosos, e jamis n'aquelles quem I mente.
?'*!- daQa?'eaSUStenU1po?esTK5o'aanPnroSenUO ^^ dS
estradr^ft^ >/navios de que vos dei conla
23:6197o0, na de bagagera 3
mercadonas 33:1414530, e na
450^650; o que d de
Receita total............ .......
Abatida della a despeza total de...
Resta de saldo a favor da receita,
e que tem de diminuir a garan-
ta do governo nos juros que pa-
ga a companhia pelo capital em-
pregado.
rendas com ella e com seus meihoramentos, e e aperfeico-la pelos meios que as artes e a scien-
seus primeiros homens nao deixam para o inte- ca nao dexaro jamis de ensinar, desde que se
quizer tentar essa obra necessaria para a prospe-
ridade geral da provincia.
Deixando a homens competentes atarefa de indi-
car para esse fim os meios que a sciencia ou a ex
penencia aconselham, parece-me que nao serei
censurado, apiolando summariamenle os que jul-
go conveniente serem adoptados por quem com-
petir.
Sao os seguintes:
1.* Que se ensaie quanlo antes na preparago da
borracha o processo Strauss, cuja superioridade
sobre o aclual j foi recoohecida incontestavel por
homens competentes encarregados de examina-lo.
t. Que s nao permilte mais aos seringueiros
extrahir a borracha em Ierras nacionaes seno
sob as 2." condigoes seguintes : 1.* a de edificar
em certo praso uas proximidades do seringal on-
de houver termo enchuto, um predio regular para
1 sua residencia ; e 2* a de plantar em lugar apro-
0'lfiliu?Saf,er?S 1 u'a,0ri0 aD,eri0r send0 Jmaribf, Persinun-
.0*03410, na de ga Mamanguape e Parahyba, e cooclumdo-se em
de diversos.... Inglaterra o Ipojuca, por conla do qual ja se re-
i-wtnan S ItS* co** ^ respectivo titulo
00.2583340 no activo do balango.
28:8373668 Este vapor nao se acha j lunecionando entre
nos, por se ter verificado que, carregado deman-
dava ello mais agua avante do que a r, e por isso
; tora das condigoes do contrato, suscitndose essa
U4atM uv,da Que devia ser decidida por arbitros. Aguar-
K*a |,or Pm5 cmmissao, composta O Jaquaribe acha.se com caldeiras novas e ores-
receo i navenoo-se alterado os das d; s saludas para
A1 ordem do de S. Jos, Ananias Dias Principe,! AKXS^ docon?merdo> P." os'
ts? i bVir pc5dos prazeres'presos em & i Saats^t^ass
A'ordem do da Boa-V,s,a. Manoe. C.audino Re ^X^loSoe?gAS
| respondencia de Macei, rinda pelos vapores da
i companhia do Rio, que chegam igualmente na ves-
pera da sabida dos nossos.
mual da Silva, para correego.
A' ordem do da Capunga, Antonia Maria da
Conceigio, e Donata Maria da Conceigo, presos
em flagrante por disturbios.
A' ordem do da Varzea, Urbano, escravo de Fir-
mo Augusto Cavalcante, por fgido.
O chefe da segunda seceo,
1. G. de Mesqutta.
que a
ao das
Relaturio apresentado asserabla geral dos accio-
nistas na compauhia Perncmbucana de navega-
gao por vapor pelo gerente t. f. Borges em 9
de fevereiro de I8IM.
Senhores accionistas.Em obediencia ao que
determina o art. 19 dos estatutos, que roseta a
companhia Pernambucana de navegago costeira
por vapor, apresento-me nesta occasiao, para in-
struir-vos do estado dessa empreza, que como nao
vos estranho, ha lutado desde o seu comega com
innmeros embaracos, que tenho procurado sera-
pre remover, empregando os fracos recursos de
que dispooho, ajudado da raelhor voutade e do
vivo interesse que nutro de promover, quaoto em
mim cabe, o seu engranJeciraeuto em vosso bene-
ficio e do commercio.
Urna das principaes necessidades em emprezas'
desta ordem,a pontuahdade na
Foi esse um servigo bem importante
companhia prestou ao commercio desta e
provincias de Alagoas e Sergipe.
Principiei a expedir directamente ao Aracatv, e
em dias indeterminados, um dos vapores para
conduzir alguma carga que havia naquelle porto-
e estou disposto a continuar, nao s para aquelle,
como para qualquer oulra, em que a accumula,
gao de gneros exija urna viagem directa.
E' igualmente para commercio um beneficio
. bem salutar e estou resolvido a satisfazer os seus
i desejos, sempre que dahi resulte alguma vantagem
a companhia, que nao se poupa, nem deix de at-
lender as necessidades do publico.
Os contratos quer com o governo geral, quer cora
o das provincias tem sido fiel e restrictamente ob-
servados.
O corpo legislativo de Alagoas autorlsou o go-
verno a contratar com a companhia o servigo re-
gular de navegago ao porto de S. Miguel na mes-
ma provincia.
Esta cidade muito commercial e digna daquelle
beneficio.
Com autorisago da directora dirigi-me aquella
provincia em dias do mez de novembro, e depois
Os meihoramentos do porto, o caes da marlnha e priado e o mais prximo possivel do predio tantas
as docas sao talvez mais uteis ao commercio e na- seringueiras quantas forem as que tiver picado as
vegago do interior do que ao da capital.
Aquellcs que, procurando Iludir a si mesmos,
prelendem adiar a decadencia do interior na opu-
lencia da capital, se estudassem um pouco os usos
e costumes do interior, se comparassem a vida as
povoagoes e nos senngaes, se, abstrahindose de
prevengpes mal cabidas, encarassem pelo seu lado
verdadeiro as condigoes econmicas do interior em
vista o offlcio do director geral da instruego pu
blica datado de 7 do crreme, son n. 37, resolve
conceder a exouerago que pedio Feliciano do
Oliveira Diniz do cargo de professqr publico inte-
rino da cadeira de Cabrob. Fizeram-se as ne-
cessarias coramunicages.
Dita. O presidente da provincia resolve de
conformidado com o decreto n. 3375 de II de ja
lia sao seduzidas por estes convivas e entregam-seI "7^1, nik ia ^^1! T,. JT S k '
1 deshonra. Os flihn* <3n riutai rta n3Lu.. i ws voluntarias que se commette, mal sao conhe-
cldas, procura-se dar-se-lhes urna origem diversa.
deshonra. Os filhos sao atacados de molestias
provenientes das emanagdes paludaes, e quaedo
nao perdem a vida, perdem pelo menos a sade.
Mas nem por Isso cessa a tolganga no seringal.
Nesse viver e conviver desregrado, fcil ver
que os viveros nao tardam a faltar. Quando essa
falla se sent e a tome ameaga a familia, todos os
neiro ultimo designar os feilcres conferentes da olhos vollam-se para o porto, esperando ver a cada
alfandega Antonio Carlos de Pinho Borges e Fran
cisco de Paula Gongalves da Silva para servirem
de membros do onselho que deve exercer as at-
tribuiges do conselho administrativo extincle pelo
citado decreto. Fizeram-se as necessarias cora-
municages.
Oila.O presideale da provincia para cumprij
ment do dlsposto no decreto n. 3375 de 11 de Ja-
neiro ultimo resolve que as altributges eoncedi
momento as velas de um barco de regatao, desse
mscale amphibio que no vero percorre os rios,
comprando por 5 o que vale 20 e vendendo por 20
o que vale 5.
O regatao urna Providencia mercantil : tarda,
mas nao falta. Chega ao porto, e sua presenga faz
echoar gritos e vivas de alegra na familia que o
esperava anciosa ou faminta.
O velho seringueiro compra o peixe, a farinha,
ditas trras, e mais
de crf.
outros tantos ps de cacao e
3. Que o individuo qne picar seringueiras em
trras nacionaes sem ter satisfeito as condigoes an-
tecedentes, seja considerado incurso as penas do
artigo 257 do cdigo criminal.
4." Que o governo conceda gratuitamente aos
seringueiros, sem dependencia de medicoes, tantas
bragas de trras nacionaes para cultura, quantas
partida dos va- de acurado exame naquella barra e rio, transpor-
pores,continua a ser por mim allendida e posta lei-me aquelle porte no vapor Parahyba, qne en-
em execugo. trou e sahio a salvamento, conduzindo 'logo para
As raras vezes, que no decurso do anno, que Macei 226 saccas de algodo e varios passageiros.
findou, foram as saludas alteradas, foi isso por or-1 Reconheci pessoalmente que a barra nao se op-
dem superior ou torga maior, motivos esses intei- pe a navegago dos vapores ; carece tambem de
ramete alheios aos desejos desta gerencia, que alguns meloraraentos e marcas, que assigoalem os
continua no lirme proposito de manter a maior perigos.
regularidade. Os habitantes de S. Miguel mostraram se por de-
soigo annunciando-vos, que nenhum outro acn- mais satisfeitos, vendo pela primeira vez as aguas
teclmento se deu durable o anno, alm do enea-' do rio soleadas por esse elemento de civilisagao e
Ihe do vapor Parahyba na barra de Porto dePedras anciosos aguardam o comego de viagens regular"
na viagem de 5 de marg, era consequencia do O governo da provincia, porm, pelas circums-
que se Ihe fez costado fixo, como era indispen-; tancias pouco favoraveis dos cofres provincias, dei-
xou de effecluar o contrato, que deve talvez reali-
savel.
das ao xtincto conselho administrativo do arseoa-! carne secca, champagne e mauteiga ogleza.
Mas, concluamos : Que vantagens colhe ou pode
o interior colher da exlracgo e fabrico da gomma
elstica no estado actual desta industria? Para
responder a esta questo nao citarei seno um
facto :
Ha seis mezes, percorrendo urna parte do vasto promette, a preparacao da borrocha pod vfr "a ser
Estuario, tormado entre as aguas do Para e as do' nma induslria de too alta importancia que, enri-
Amazonas, Uve por companheiro de viagem, duran-; quecendo a capital, chamar para o interior tontos
te dous das, um homem, sexagenario, em cuja phy- beneficios e prosperidade qaantos sao os males e
sionomia scratillavam alguns raios de intelligencia miseria que pesam actualmente sobre as povoa-
adquirida pela longa experiencia dos annos. ges e sobre seus proprios hab'rtantes.
Eu disse-lhe que as ilhas por onde passavaraos E" urgente fazer-se nm extorco em favor desta
eram ricas; mas, admirando-se desla qualilicago, industria ; urgente protege-la e ennobrece-la
expliquei-ihe que me referia grande quantidade para se arranca-la da avMtagao em que a vemos e
de gomma elstica que ellas forneciam; ao que sobretodo, paratjue seos effeitos se nao resintaok
respondeu-me mais on menos por estas palavras : coma al hoje, da soa origem selragom.
Os vapores fizeram as escalas do costume : para sar-se logo que desappareg aquelle inconveniente,
o norte al Granja, e para o sul at Sergipe, com a J O governo do Cear acha-se igualmente autori-
precisa regularidade, indo Igualmente ilha de'sadopela asserabla provincial para contratara
Fernando de Noronha seis vezes, ludo de confor-' escala regular dos nossos vapores pelo porto do
midade com o contrato celebrado com o governo Mondahu, importante tambem pelo seu commercio
imperial em 25 e setembro de 1862. i e d'onde j tem vindo bastante algodo e passa-
Que a companhia continua a prestar os mais geiros.
importantes servigos ao commercio, provam exhu- A proximidade em que aquelle porto se acha da
berantemente os mappas annexos, para os quaes importante serra da Cruburetama, d lugar a que
chamo a vossa attengo. I os lavradores daquelle municipio, que alias sao em
No appenso n. 1, encontrareis o balango da com- grande numero, venham como j tem vindo ao nos-
panhia fechado era 31 de dezembro ultimo, acora- so mercado em 6 ou 7 dias, gracas s vantagens
forem a seringueiras que tiverem plantado,'e feite pa?,haf do e"racl da conta de lucrcs e Perdas. 1ue lhes proporcionara os nossos vapores,
vegetar, pertencendo-lhes perpetuamente o terreno !""ffiri T_, A ,. J Uemoram-se entre nos outros 7 dias, para levar
que sao obrigados a cultivar e que effectivamente "?*2ft SRSA&^S / 22 do a effel aVM ,ransa,5es d compra e venda, e
tiverem cultivado anno Passado de 22:83.>3807, ter compensado o em outros 7 acham-se de novo no centro de suas
seguro dos navios no valor de 16:8263666, e as plantagoes, tratando do seu e do engrandeeiraento
5." Que os individuos empregados na exlracgo demais despezas especificadas, inclusive a de ris do paiz.
da borracha, tendo plantado 3 mil ps de serlnguel- 45:0293122 que figura pelo deterioramento do ma- Esses 21 dias nao eram de mais para vir capi-
ras e mil de cacao ou de caf e feito roga de plan- 'erial, na razo de 10 %, de conformidade com o tal, e estarem de volla com urna penosa e cuitosa
tos alimenticias, tenham o direito de obter para si, "J",,. dos esla'utos, offerece um saldo contra de viagem por ierra.
seus filhos e 2 ou 3 aggrogados, a isengo d > re- 7:Z3*895: governo do Rio Grande do Norte, mandou j
crutamento, do servigo activo da guarda nacional'. Qd. siao a camara dissolvida era 1863, e ten- construir o armazera no rio Mossor e por offlcio
e do jury, durante o espago de 5 annos, J? ncado no anno passado pendente de tercetra que me dirigi, exige a entrada dos vapores ua-
n ; ,* discussao no senado 9 lei do orcamento, nao se quelle porto, na eonformidade do contrato celebra-
Prdteglda por medidas administrativas efavore- fez, nem se poda fazer, menco em nossos llvros do com aquella prov ncia e effecUvamente reafl.
cida pelos meihoramentos que o processo Strauss da subvengo, a que a companhia tem direite pelo sar-se-ho as viageus, logo que seachera collocadas
contrato j mencionado de setembro dj i862, ao as boias precisas na barra,
qual tem ella dado por sua parle plena execugo De todos esses negocios tenho de oceupar-me,
cora geral contentamente e approvago das locali- logo que conclua os trabalhos pendentes, e fazer os
,r>es' u o "^ contratos do que se trata, assim como regularisar
O mappa sob n. 3 mostra a receita e despeza as viagens a Mossor, cujo porto promette serias
aos vapores, mciuindo-se nesta ultima o carvio vantagens aos habitantes dos certes das provic-
consuraido, tambera especificado, com designago cias da farahyba, Rio Gran le e Cear, por se achar
dos portes em que foi tomado, os valores das elle col locado no centro eemposico de fcil trans-
mercadonas transportadas, o dinheiro do governo : porte, de todos aquellos lugares,
e de particulares, os passageiros das differentes Nao posso deixar de manifestar aqui o prazer de
classes etc. etc. | que me acho possnido, ao ver que todas as provin-




^^v
paMHMH
. i r
r~
12*100
Diario de r ernambneo Segunda felra 13 de Fevereiro de i 8S.
cis porfia dcsejam renovar seus contrato?, ara-
(ilun.io o numero de pollos 4* escara para os vos*'
sos vapores.
ETsem atilda essa a melbor pro va do-bem qa*
nao sido servidas e dos beneficios que bao fruido
da navjgacfo cargo, da- companhia, cuja gerencia
me est confiada.
Reconhecende a impossibilidide em que me acha-
ca de levantar em Inglaterra o capital prometlido,
por emissoes de novaa acgoos, atienta a alca do
jum do dinheiro em toda a Europa, impetrei e ob-
tive do governo impejjW por creto n. 3,861 de
28 de abril, a prorogaeio ae 2 annos para a emis-
sio de que trata o ai t. 7 ios estatuios.
As grandes quebras que liveram lugar depois,
affeclam anda aquelles mercados monetarios-, nu-
^ro porm bem fundadas esperancas de podor rea-
lisar os vossos desejos, logo qae cesse aqnelle esta-
do excepcional, e entre tudo nos seus devidos
ixos.
Eetao pederemos ter o material qae precisamos
|>ara levar a Afeite nossos projectos.
A le n. 1,232 de 0 de setembro ultimo, antori
son o governo a continuar a subvencao de 84:000*
a conipanha, pelos segundos dei aunes, em qae
ella rLfia de ser reduzda a 40:000*, e amplen.'a
sua durago por mata d annos.
O decreto n. 3,324 de 23 de outubro, regulos
materia de que s trata.
Pende anda da discusso do senado o artigo re
lalivo a remisso dos juros sobre o empreslimo do
governo geral,
Nao se tem pois realisado o pagamento dos jnros
vencidos, que no respectivo balanco vao lanzados
em suspenso.
A prestacao annual de 10:0005, para amortisa-
cao do empreslimo de que cima se traa, foi rea-
lisada na thesouraria de fazenda no respectivo ven-
ci me nto.
Tendo-se condnMo o biennio de que trata o de-
creto n. 1,113 de 31 de janeiro de 1833, ofllclei ao
goven geral c as presidencias, communicando
contiuuarem em vigor as tabellas de fretes a pas-
sagens do oiemito anterior.
Ficam em ser t,4f5 toneladas de carvad no va-
lor de 10:1683847, armazeoados em um deppsito
na ra de Brom.
Tendo-se eito acreditar que a companhia Per-
nambncaoa gozava de grandes favores do estado, e
vendo eu qn3o infundados eram taes boatos, pude
obter o resaltado que abaxo vos offerego, desde se
evidencia qua a menos favorecida.
A subvencao que ella percebe dos cofres geraes
d apenas 15925 por cada milha de navegago, ao
passo que outras companhias teem dos mesmos co
fres geraes cerca de 155 per igual espago.
N9 gosa de isengoes de direitos para os mate-
riaes que importa e de que necessita, como teem
outras companhias, e quando a algumas se dedu-
zem 3 %, descoma ella 20 /. da importancia das
passageus ou carga, que cndor por conta do go-
verno.
Cono todas as outras companhias, tem ella sob-
vencSes provinrraes que Ihe trazem seas encargos;
mas, raesmo nisso peior aqulnhoada, por que da
proprla provincia onde tem saa sede e d'onde de-
riva o nome, tem apenas 40:0003, quando a Babia
d a sua 76:0005, e assim as outras.
Tem ella cumpndo al o presente todas as obri-
gagoes do seus contratos.
Ainda mais, de todas as companhias ella a qae
em saa zona v produzirem-se gneros de maior
volme e menos valor, e qae por consequencia nao
podem comportar o frete qae goal volume de g-
neros muito mais valiosos, admilte com facilldade
na zona de outras.
Se flzermos a romparagao entre nm sacro de bor-
rua, caf ou cacao, e nm sacco de assucar brnto,
veremos qae ao passo que um daquelles vale 505
nm destes nao passa de 85 e moias vezes nao che-
ga a essa quantia, e por isso nao pdp com o frete,
qae aquelles nao pesado pagar.
Ts'pores......................-
Piupi ios dfversos...... .......
Barcaca?, alvarengas, canoas, etc.
Pranobas........... ...........
Deposito de carvo (141o toaeta,-
dasl '
Deposito de sobresaleotes........
Subvengis.......... ........
Londen and Brazhan Bank......
Remessas para Inglaterra........"
Companhias seguradoras do Igua-
rassd.........................
Agencias....................
Diversos devedores..............
Apolices........................
Movis.........................
Caixa...........................
Lucros e perdas.................
i
3
O <=>
CA
< (A
a
SI
i
o %
S*
o S
81
|9
V c
=L
=?
imwtW
= a 3 S" a. e <= w
- 1?__a _s t a
S a.- = 9 5
-!? s?g: r2 :
s9 a; o.
3 Z.
- r 2
.
3

B-
SS-
o-a
li:
i O ,
m 1
O
O
>
X
>

1 *
1 r "o
oOK-aeoao 05 0;<5 1
.oas.ocoo^-o l

i*vi-^i:-'MC-.J:i4y
2
s
oTleuto da alf andera
197
"409:?6f5I0O I parte na empreza da restauraco de Pwnambaee,
143.4745711 jurou nunca mais trazer ao peita acras d* or#onlft|omeietradosconjfazendas.
11:2115070 de Christo, com qae por oatros servia* halaarfo| B eom gneros,
galardoado o sea mrito, sem qae prfmeiramenie
tivesse levado ao cabe o designio ae seta conci-
7yo
fOrNA7
7:9525309
24:0005015
S5-.0005000
78-.5005000
70:00050
2:420554
17:9665*1*
35050
1:7955875
3:8675798
7:7255895
R. 911:1735231
PASS1VO.
Capital..........................
Governo geral...................
Juros em suspenso..............
Agencias.......................
Depsitos.....................
Diversos credores..............
600:0005000
2611:0005000
40:6725330
4375267
1:9635278
8:1005359
718
o
dadaos.
Facam o mesmo juramento os bravos que estSo
ahilados como Vateniarios da Patria ; e que lados
os mancebos, que pudem laucar mao das armas,
iwpirem-se nesses ra-go te saUicie abnegaco
neroismo, ponnatn-se en inania para os nossos
acampa meatos.
Seo estes es desejos e as mala Iisongeiras aspe-
raneas de leda a provincia.
mnicicES a psofw
Jt' 911:1735231
S. E. e O. ~
Pernanibuco. 16 de Janeiro de 1865.
Francisco Ferreira Borges.
i
e g-3
-o M
b 2:
B o
* 2 as

S =5 =
-r
o* "^
. W5 _
C6>

CB
9 Bf
gj
=r 9
O- =
e> a
Ss
n
as
Devendo a um amigo valioso a exposicao qae se
segu, com relacao companhia ingleza, que cursa
os nossos mares, peco-vos pcrmisso para aqu a
transcrever, e ella vos d urna idea da injastica-
com que tem sido argida a vossa companhia de
altamente favorecida.
Pelo contrato primitivo para a conduccao das
c malas para as Anliibas, a Rogul iail Stean l'a-
cliel Company ohteve do governo britanoico a sub-
vencas annual de S 240,000, t-ndo os paquetes
de navegar 684,816 millias, dando conseguinte'
mente o prego de 7 s. o d. 11/100 por milha.
Porm reconhecendo o guverno que a com-
1 aina nao podii desempenliar esse contrato sem
arruinar-se, modiflcou as condifoes, e embora
nao augmeulasse o quantum da subvencao, con-
servando as mesmas St 240,000, reduzido
1 viro, supprimindo algumas escalas e linh
c cumiaras, de surte que os paquetes ilnham de
navegar smcale 399-.8S8 militas dando o preco
de 12 s d. o 4/100 por milha.
O contrato assim alteradoexpirou em ns de
HR)PflA_J{JDIGIARIA
TRIBUAL DA BKLACAO.
SESSAO EM 11 DE FEVEBE1RO D 1865.
PBES1DRNCIA 00 EXM. SB. CONSBI.HE1HO
aovxa.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago Al-
meida e Albuquerque, Assis, Doria, lloUa,Guerra,
procurador da coroa, Uchoa Cavalcauli, Domin-
fues da Silva e Barros Vasconcelos, alundo o
Sr. desembargador Caelauo Santiago, abrio-se
a sessao.
Pascados os foi los e entregues os distribuidos,
deram-se os seguales
JULGAME.NTOS
AppfiUuces citis.
Appellaote, Uaooel Francisco de Lua ; appal-
lado, Alcxandre de Souza Roln.
Nullo o processo.
Appellante, Dr. Antonio de Vasconcellos Mene-
zes de Drammond ; appeliado, Francisco Antonio
Handeira de Mello.
XuIIo.q processo.
Appellacao aiwie.
Apperiante, JosLucio Monteiro da Franca ; ap-
pallauo, Francisco Jos da Silva Santos.
Improcedente.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago, a appellacao civel, era
que sao :
Appellante, Dr. Joao Jos Pinto; appeliado, Jos
da Cesta Ribeiro.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque i
a appeUago cjvel :
Appellante, Gervasio Jos de Magalbes ; appel-
iado, Jos Soares de Azevedo.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr. j
desembargador Almeida e Albuquerque, as appel-
laces civeis :
Appellante, Jos Antonio de Hedeiros Bittn-
court; appellada, D. Anua Felicia de Macedo e
outra.
Appellante, Urbano da Silva Costa Gondim;
appeliado, Tlioniaz Jos de Sena.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis,asappellac,oes criroes, em
qae sao :
Appellante, Aleixo Barbosa da Fonseca Tinoco;
appellada, a justiga.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. d.se*obar-
gador Motta, as appellagoes civeL, em que sao :
Appeilanles, Josepba Maria da Conceigao e seus
fillios ; appeliado, Joao Ribeiro de Lentos e sua
mulher.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Guerra, as apptllacoes civeis, em que
sao :
Appellante, Antonio Ferseira da Ponte; appelja-
do. Mauoel Ferreira da Ponte.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gad, r Domingues da Silva, as apptllacoes ci-
veis :
Appellante, Jos Soares do Reg ; appeliado, Jos
Joaquim de liveira.
Appeilanles, Joao Gomes da Costa ; appeliado,
Joaquim Jorge de Mello.
Appellante, Manoel Jorge de Souza; appeliado,
Francisco de Assis Pereira Freir.
Appellante, Vicente Mendes Wanderley ; appel-
lada, a parda Guilhermina.
DISTRIBUigOES.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago, a ap-
pellacao crime :
.Appellante, o juizo ; appeliado, Jos Ferreira.
escravQ do ten en te Jos Domingues Porto.
Ao meio-dia encerrou-se a sessaol
Fallida mors mquo pede pulsat
Paupervm tabernas regumque turres.
- Fax boje um anuo, que a mo nexoravel
da morte arrebatou-me o meu nunca esque-
eido irmao e amigo o Tigark) Jos Mathias
Ribeiro. Ah I qoe leoibranca fatal me vem
renovar a volta dwste da I Qae lgubre veo
cstende elle sobre a minha alma r Qae cha-
ga dolorida me vem rasgar no fondo do co-
raeoot
Sim, foi a um anuo, que, ne-te mesmo dia,
eu soffri o duro golpe de ver o mea muito
amado irmao, entre as vascas da morte, ex-
halar nos meus bracos o ultimo suspiro; foi
oeste mesmo dia, que eu Um cerre o olhos
e que disse ao seu corpo inanimado o adeus
derradeiro. Mas qoe 1 entao os meus
sentidos ao menos ainda podiam illudir-se
cora a sua existencia; eu o va, en o tocava;
mas hoje T... nem esta consolago me resta
mais.
Arrastado pela torga da saudade eu uVen-
cannho sua morada; mas all que ve-
jo?... apenas urna fra lapide, que m'inter-
cepta sua vista, m'encobre suas cinzas; e
s pelos orno da magin?go, que, atravez
d'ellas eu vejo e contemplo es seus restos
aniquilados Oh I qae momento de transe I
A dor me recresce no peito; dos olhos me
rebentam torrentes de lagrimas, que, cbo-
vendo sobre saa sepultura assim llie pagam
o tributo do meu affecto; e o nico allivio,
que acho, as pedosas preces, que, mur-
murando, aos co.s envi pelo repouso de sua
alma.
Recife, 13 de (evereiro de 1865.
Ltoanro Candido Rtbeiro,
:xr
CASO flOBRITEL
D'l'SA
CGMMNICABOS.
IV
O governo de Aguirre, odiado por tudo quanto
ha de nobre e grandioso no Estado Oriental, esta
hora deve ter suecumbido, e as nossas hostes trium-
phantes devem estar acampadas em Montevideo.
Ai I dos raudilhos, que o sastentavam, se anda
nao soou a hora extrema de sua ingloria existen-
cia ; porque mais estrepitosa ser a sua qoeda, e
mais digno de memoria o feito de nossas armas.
A praga do Ivahy, qne tresmalhada do exerclto
imperial, foi sorprendida, pilhada, martvnsada e
exposta em pedagos aos qualro ventos cardeaes, era
''"' desalio e escarneo aos nossos guerreiros, clama vin-
,*" ganga em nome da jostiga e dos direitos mais sa-
"' grados da humanidade.
A anarchia, qoe levanta as pragas de Montevi-
deo, o seu cflo altaneiro, deve ser substituida pelo
imperio da lei; e os Incendiarios, qne na hora da
de S 30,000
c 270,000, com o encargo da" liuha para o Brasil, j L
Este accressimo de servigo estendeu a navega-
gao dos paquetes a 549,153 militas, dando o pre-
c go de 9' s. 10 d. por milha.
Este segundo contrato tndou no anoo de 1863
> e foi anda innovado para a contiouagao das
c duas linhas.das Anlilhas, e do Brasil, reduziodo-
se a subvengao a S 206,414 e o servigo a
358,584 milbas de navegago, resultando d'ahi
o'prego de 11 s. 6 d. 15/100 por milba, igual a
5110. >
A mesma companhia ingleza transatlntica, cu-
jos recursos nao vossodesconhecidos, tem 55110,
quando nos, baldos de todos os muios que abun-
Pernambuco na quadra actual tem ama grande
nisso a cumprir.
as lutas em favor da liberdade cabe-lhe sempre'
um brilhante papel na commnnhao, em que vive.
Eslames certos, que os soldados pernambucanos,
que j se acham em campanba, devem ter mostra-
do qae slo os mais valentes campeSes das forgas
libertadoras, qoe teem medido as armas com as
idolatras do privilegio e do despotismo.
Esse punhado de benemritos, que convivem no
Hospicio, inscriptos como Voluntarlos da Patria,
ero breve Irao auxiliar os seusirmos d'armas, at-
teslando ao magnnimo chefe do estado, que o fogo
sagrado do patriotismo, em que se abrasa o seu
, nobre coragao, communica-se e lavra entre os ha-
w* hitantes desta provincia.
que
dam aquella, temos apenas 15925 paja cada mi
,ha*Sl?CiI!.a!eg2S!0.LK.- j-i a I nobre coragao, communica-se lavra
A vista do que acabaes de ler ja vedes, que efv-
A restauragao de Pernambuco do dominio hol-
eclivamente a vossa companhia tem feito tanto.'
i que pozeram em campo a InsurreigSo passa-
i ram primeiro pelas mais crueis prQvagoes ; mas,
se acha suspenso por ordem do governo.
os maiores f acrificios, os mllagres de dedicago e
desprendimento, os actos de bravura e herosmo
no quartel
, com que
tanto tem concorrido para o augmento das rendas devera coninuar r.non?e e lust,re ^ nossos ante-
do imperio. 6MJCUU. u*> leutMs passadoSi apreciado, bemquisto e venerado por
Coocluindo, senhores, devo pedir-vos desculpa lodos"
de qualquer falta, que torne incompleta esta expo-' Seus nomes, nobililados por saa dedlcacao, terao
sigao, amangando-vos que estou pronapto a minis- de passar s paginas brilbanies da historia da pro-
trar-vos qualquer esclarecimentos, que porveniure vincia, cercados dessa aureola de gloria, no meio
desejardes. da qual fulgurara os bustos grandiosos dos hroes
Tendo sempre recebido as mais dislinctas pro- da restauragao pernambucana e da independencia
vas do benevolencia e attengo, rendo aqu pnbli- brasileira.
co ag adecimenlo a todas as autoridades superio-! Siga a mocidade da provincia o tollo exeraplo
res ou subalternas, com quera a gerencia esteve daqueHa porgo de benemritos, e cont cora a
em contacto durante o anoo lindo.
Pernambuco, 9 de (evereiro de 1865.
Francisco Ferreira Borges.
M. I.
Resano do balance da cenpanbit Pernambnrano,
fm 31 de iezembro de 1861.
ACTIVO. i
Acedes dispon!veis.............86:4005!00
gralido da patria
O principe Ilustrado, que se acha afrente da
nago, entre as virtudes e eminentei qualidades,
que exaltam o seu nome, conta a de saber apreciar
e d.'-linguiro verdadeiro mrito.
Nao rdem haver mais vivos estmulos, aera oc-
casid mais propicia para aquelles que querem fa-
zer urna brilhante carreira as armas.
Henrlque Dias, ao receber o convite paro, tomar
Molestia Ulcerosa
Curada.
Todo* quelle8 que se achio uj^itos i sof-
frer molestias scrofalosas, ulcerosas, ou syph
liticas, anda meemo as reputadas de peior
natnreza, apenas necessltao de lr o seguinte
caso maraviliioso, pora qne se sinti inteira-
mente convencidos que a sna propria cura,
nao so meramente poesivel mas' sim absolu-
tamente certa.
Joao Jos FEnnEnu Babboza, residente
na Cidade de Maranhio, tinha todo o sea
corpo coberto de chapas ulcerosas, e durante
algunos annos se ochava debaixo do tratamente
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especia
de mndecinas que n taes casos empregoda
pela faculdade medica, pore'm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pois em toes apuros elle finalmente resolveu-
se, depois de repetidos e baldados esforcos
fiuer uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apenas chegou a tomar Cinco
Garrafas de Salsaparrilha e quatro frascos das
Puntas Vegetaet Amtcarada, e o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Scrs. Fkkheika & Cia., Droguistas de
Maranhao, forao quem supprirao oe medica-
mentos, e achSo-se perfeitomente oo focto
d'este caso, e os meamos Senhores, nao s ae
achSo promptos a confirmar o mesmo, como
tambero em fornecer o actual adresso do Ser.
Barboza, i toda e qualquer pesada que por
ventura se desoj informar da verdade.
Recommenda-se mu particularmente aos
Doentes que tenhio o maior cuidado na escolha
deste encllente remedio, nao usando outro
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Briatol,
a qual v eiclusivamente preparada por
LANMAN&KEMP,
De NOTA YORK,
pois que todos as mais slo incfficazes e de nen-
t um pmstimo
Vendc-se as boticas de Caors de Barbosa,
e C. Bravo 4 C.
COMMEBCIO.
Novo banco de Pernambuco.
O banco desconta letras na presente semana a
12 por canto ao anno al o prazo de seis metes, e
toma dinheiro a juros a praso nunca menor de
tres mezes.
caixa filial do banco do Brasil
en Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobre a caixa filia
na lialna.
0 guarda-livros,
Ignacio iN'unes Correia.
Alfandega
Rendimentododa la 10........
Idemdodu li...............
318:3034427
20;937,J5o5
foiomeasabidoseoin faiendas..
> com gneros ...
122
1,037 r
-----1159
Dflsearregara no dia l3defevereirodel86B.
Escuo* ingleza Eltsabetk BarUr mercaderas.
BrigotaTancezLouize Halderdiveose geoeros
tarcovtagleza Imperador id.
Patael inglez-Penf/e-idjun.
Barea eriuguezaLauraIdeo*.
SumoBanespanholaPorlollatr- lien.
Bricm-banoveriano-iJnWeo> farmha de tn|o.
Brigua llmburguezPa/matarinha da trigo.
Barca- francezaJean Ba'ptiste dem,
B, rtrne rngterStelina bai-alhu.
Barca ingleza.- S/W/acarvao.
Barca ingleza Cftanza-idem.
Barca- ingleza -Amfitesii- id ao.
Barca ingleza Willtamdem.
| Pataeho inglezMondaidem.
Patacho inglezW. J. Dodgediversos gneros.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO, .
ACTA DOS PREQO DOS-OKWEROS SBTIITOS A DIBmTODB
KXPORTACAO.SBHANA DI 13 A 18 DO MEZ DK FE-
VERBIRO DE 1865.
Mercadorias. unidades. Valores.
i Caf...........Tendease de 75200 a 8,5000 a
J arroba.
h.............
JltL Carne secca.....
eento
caada
arroba

eaoada

i
arroba
AbanoBi.......?
Agurdente de cana. ..
dem restilada ou do reino .
dem caxaca........
dem genebra. ......
dem alcool eu espirito o* agua-
ardente....., .
Algodao em earoco......
dem em rama ou em Iaa. .
Arcos OBacasca. ......
dem descascado ou filado .
Assucar moecavadot. ....
dem branco........
dem relinado.......
Azeite de araendoim ou rwnao
bina .........
dem de eoco _......
dem da mamona.....
Batatas alimenticias.....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem fina........ m
Caf bom ........ a
dem escolha ou restelha...
dem torrado.......libra
Caibros........
Col..........
dem branca.....
Cora secca (xa rqne) .. .
Carneiros ....._.
Canr vegetal .....
Cavernas de sicopira .
Cera de carnauba em bruto.
|dem idem em velos .
Cha.........
Charutos .......
Cevados (porcos)......um
Cocos (secces)w ...... cento
Colla. ... ......libra
Couros de boi, salgados ...
dem idein seceos espichadas.
dem idem verdes..... >
Idem idem cabra comidos. um
dem idem de osea.....
Doces seceos.......libra
dem em gela eu massa. a
dem em calda...... >
Estaadores grandes um
dem pequeos....... >
Esleirs para forro de esteras
de navio........cento
Estopa nacional ...... arroba
dem de 14700 a 9I00 a libra.
A do Ri-Graerte oo Sal vn-
deu-se de 4000 a 43200 por
'arroba, da nova, Qcando em de-
posito 7,0e0 arrobaste de 35000
tfSfSOO a verba, Qcando em depo
sil 48,300 arroba*; e a do Rio
da trata venden-se de ivt00 a
3JB0, ficando em deposiio
28,815 arrobas.
Carvao de pedrst Vendeu-se de liJOOO a IS^OOO
a tonelada.
Cerveja.........Vendeu-se a 6W00 a doria de
garrafas.
Farinha de trigo. A de Phitadelphia e Nvr-York
retHwe-se-de-195000* 904000-
por barrica, a de Trieste a 22#;
ficando em deposito 2,000 bar-
ricas da primeira, 9,000 da se-
gunda e 5,000 da terceira, inclu-
sive um carregameato de Tries-
te.
Louca... ......A ingleza ordinaria vendeu-se
com 330 por cento de premie so-
bre a factura, cambio ao par.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se a 760 rs.
a libra, e a franceza a 040 rs. a
dita.
1*500 i Massas.........Yenderam-se a 4*000 a eaixa.
goo, Passas..........dem a 4*000 a dita.
800 Queijos.........Os Oamengos variaram de prc-
406
80f>
900
So, conforme a qualdade, sendo
e 1*600 a 2*040.
Sabio..........0 inglez vendeu-se a 140rs. a
libra.
jija75 Toucinho.......Vendeu-se a 8j000 a arroba o
2i*5lH d?. Lisboa.
1*500! Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 100*
2*600 a 110* a pipa.
1*900 Vinbos.........Os de Lisboa venderam-se de
320A 200*000 a 210*000 a pipa, e os
5*120 de outros paizes de 1602 a 190*
a dita.
Dcscontos.......O rebate de lettras regulou de
12 a 15 por cento ao anno.
Fretes.........Para o Canal de 40 a 33 nomi-
nal, para Marselha 40, para Li-
i verpool de 126 a 15, da algo-
. dao para Liverpool de 5/ a 3/<
aor libra carregando era Macei
i e Parahyqa a 3/,.
24000
1*600
1*000
1*209
arroba
>
um
arroba
ama
libra
cento
7*000
7*400
0*000
440
3*0
280
500
:i*20
4*000
1*000
8*000
300
300
1*500
2*500
15*000
6*000
600
150
240
405
350
10*000
1*000
320
500
4AO00
2*000
15*000
1*000
arroba
i
nm
arroba
i
i
i
urna
339:290*082
Farinha de de mandioca,
dem de aramia .....
Feijaa de qualquer qudlidaae.
Freckaes.......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinaria ou restolha .
dem em rolo bom. ....
dem ordinario ou restolho .
Gallinlias.......
Gemina......... arroba
Ipecacuanba (raz)...... >
Lenha era achas...... eento
Toros.......... >
Linhas e esteios....... um
Mel ou moiaco....... casada
Milho.......... arroba
Papagaies........ um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada...... um
Podras de amolar..... urna
dem de filtrar...... t
dem de rebol......
Piassava. ........ molho
Pontas, oa chifres de vaccas on
novilhos........ cento
Pranchoes de amarello de dous
costados........ nm
dem de louro.......
Rap.......... libra
Sabio.......... i
Sal.......... alqueire
Salsa parrilha. ....".. arroba
Sebo em rama......
dem em velas.......
Sola em vaqueta...... urna
Taboas de amarello..... duzia
dem diversas.......
Tapiocas......... arroba
Tatajuba......... quintal
Travs......... Hma
Unhas de boi....... Cento
Vassouras de piassava. ... > .
Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
Vinagre......... caada
alqueire 2*500
4*000
2*000
5*000
14*000
8*000
8*000
5*000
000
2*500
25*000
2*000
11*000
8*000
240
900
3*000
5*000
5*000
800
4*000
1*000
120
3*500
20*000
10*000
1*000
120
400
25*000
5*000
7*000
2*800
140*000
S7HMI
3*000
2*000
6*000
200
10*000
8*000
G*000
500
Alfandega de Pernambuco, 11 de fevereiro de
1065.
Assignados):
i 1." conferente, Pedro Alea-andrino de Barros.
O 2." conferente, Jos Thotnaz de Campos Qua-
resma.
Approvo.-Alfandega de Pernamuco, 11 de fe-
vereiro de 1865.A. Eulalto.
Conforme.O 3." escriplHrario, Joao dos Santos
Porto.
Recebedorla de rendas inter-
nas geraes de Pernambaeo.
Rendimento dodia 1 a 10........ 11:103*062
dem do da 11................ 790J080
MOYIMERTO DO PORTO
Navios ent-udi no dia 11.
New-York36 dias, patacho inglez W. D. Dodge,
de 124 tonelada, capuo- Penny, equipagem 9,
carga 500 barricas com famarinhaaa trigo e ou-
tros gneros ; a Henrx Froster &
New-York45 dias, bngue prusstano Konesberg,
de 26b toneladas, capiiao C. Holl, equipagem 8
carsa 2,127 barricas com farinha de trigo: a
Saunders Brorhors k C.
New-York58 dias, puracho hanoverian Emma,
de 174 toneladas, eapitao Seehman, equipagem
8, carga 2185 barricas com farinba do-irigo ; a
Johnston Paiar & C
Marseille45 das, brigue inglez Azof, de 227 to-
nelada, capito Bramage, eqnuugera 9, carga vi-
nbo e outros gneros ; a Tasso t Irmao.
Rio Grande do Sul84 dias, patacho brasileiro
Piulo, de 176 toneladas, capiiao Joaquim Jos da
Motta, equipagem 10, carga 7000 arrobas de car-
ne ; a Amorm Irmao.
Navios saludos no mesmo da.
S. Maiheus, por Maceilliaie brasileira Dous li-
maos, capiiao J. Antonio Geacalves Santos, car-
ga deteremes gneros.
ParahybaBarca ingleza SteUa, capiiao M. Kenxy,
em lastra
LiverpoolBarca ingleza Elva, capiiao J. Bornes,
carga algodao.
Liverpool, por MaceiBarca ingleza Que, capi-
Uo Barley, em ltiro.
Observaeao.
Suspenden do lamaro para New-Bedford a ga-
lera americana Desdmuna capitao Demonock, com
a mesma carga qoe trouxe.
Navio entrado no dia 12.
Trieste85 dias, barca bamborgue Marteita. de
227 loneladas, capiiao Haos Peter Hansen, equi-
pagem 10, carga 2,042 barricas com farinha de
trigo; ordem.
Sonidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sulhate nacional Alberto, capi-
iao Joao A. de P. Victoria, carga assucar.
Rio da_ Pralaescuna dinamarqueza Frederick,
capiiao J. Vaspernen, caiga assucar.
SITIS.
11:893*140
Consulado provincial.
Rendimento do da i a 10....... 54:023*837
dem, do dia 11............... 1:380*820
II
55:404*657
PRAQA DO RECITE
DE FEVEREIRO DE 18R&.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio.......Saccou-se sobre Londres a 27 '/t
e 27 V a. por 1*, sobre Pars
a 350 rs. por fr. e sobre Lisboa
de 97 a 98 por cento de premio;
elevando-se os saques efectua-
dos durante a semana a S
60,000.
Algodao........O de Pernambuco venden-se de
21*500 a 22*500 por arroba, o
de Macei, posto a bordo, de
2:1*000 a 24*000, e o da Para-
hyba, tambem poslo a bord o,de
24* a 25*.
Assucar........O branco vendea-se de 3*400
a 3*800 por arroba, o somenos
de 2*800 a 2*900, o macavado
purgado de 2*180 a 2*350, eo
bruto de 1*800 a 1*950.
Aguardeite.....Vendeu-.se a 70*000 a pipa.
Couros.........Os seceos e salgados venderam-
se a 145 rs. Dor libra
Arroz.........0 pilado da India vendeu-se
a 2*500 por arroba, e o do Ma-
ranhao a 3*000.
Azeite doce.....Vendeu-se o de Lisboa a 2*400
o galn, e o doEslreito a 2*200.
Bacalno.......Retalhou-se a 15*000 por bar-
rica, ficando em deposito 10,000
barricas-
Batatas ........Venderam-se a 1*500 rs. a ar-
roba.
I Bolachinha......dem a 4J500 a barriquinha.
O cidado Antonio Augusto da Fonseca, cavalhel-
' roda imperial ordem da Rosa e juiz de paz se-
gundo volado dafreguezia do Santissimo Sacra
ment do bairro de Santo Antonio da cidade do
Recife etc.
Faco saber a quem interessar que ba vendo dado
parle de doente o juiz de paz primeiro votado des-
ta freguezia o eapitao Loiz Cesario do Rego,,en-
trouem exrcicio do mesmo cargo em quanto'du-
rar o seu impedimento, o segundo volado o ridado
Antonio Augusto da Fonseca, pelo que scientiflco
que as audiencias continan) a ser nos mesmos
dias, hora e lugar ja designados, e qne despacha
em a casa de sua residencia ra de S. Francisco
n. 44 ou aoude for encontrado.
Recife 9 de feveroiro de 1865.E eu Joaquim
da Silva Reg, esenvo que o escrevi.
Antonio Augusto da Fonseca.
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provin-
cial em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 7 do crreme, manda fa-
zer publico que no dia 23 do raesrao perante a
junta da fazenda da mesma ihesouraria vai nova-
mente a praca para ser arrematado a quem mais
der o imposto do pedagio da barreira de Motoco-
lomb, avahado em 2:015* annuaes.
A arremataeao ser feia por tempo de dous
annos e quatro mezes a contar do Io de margo do
corrente anno ao ultimo de junho do 1867, e de
conformidade com oart. 16 do regulamento de 3
de agosto de 1852.
As pessoas que se propezerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessSes da referida
junta no dia cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitado?.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de fevereiro de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciacao.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito especial
do commercio, nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco, por Sua Magestade
Impert e constitucional o Sr. D. Pedro II,
quem Dens guarde etc.
Fago saber aos que o presente adital virem e
delle noticia tiverem que no da 13 de fevereiro do
anno prximo vindouro, so ha de arrematar por
venda a quem mais der em praca publica deste
juiso o escravo seguinte :
Amaro, crioulo, representa ter 14 a 16 annos de
idade, sem defeito algum, avahado por um cont
e quinhentos muris, o qual fra penborado por
execucao de Joaquim Elvrq da Silva, contra o te-
nente-coronel Francisco Santiago Ramos.
E nao havendo laneador que cubra o prego da
avaliago, arremataeao ser feta pelo prego da
adjudicagao na forma da lei.
E para que chegue ao conheclmento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afllxado no lugar do coi turne.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 19 de dezembro do anno do nasci-
menio de Nosso Scnhor Jess Christo de 1864.
Eu Manoel Mara Rodrigues do .Na.cimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe,
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perla] ordem da Rosa e juiz de direilo especial
do commercio desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo por Sua
Magestade imperial e constitucional o Sr. D. Pe-
dro II, a quem Dos guarde, ele.
Fago saber aos que o presente edital virem, e
dello noticia tiverem, que perante este juizo e car-
torio do esenvao que este subscreveu corre urna
execugao de sentenga por mandado executivo, en-
tre partes como exequenle Manoel Francisco de
Paula, e como execulado Augusto Erld, e tendo
dita execugao proseguido em seus devidos termos,
procedeu-se penhora nao s em bens, como em
dinheiro pertencente ao mesmo execulado, pelo qne
eai audiencia putoiiea >daa> 8 de-Bovembro do
auno prximo passado, pelo sofiicitador Fredenco
Chaves procurador \> Loquen 10 feito o re-
querimenl da iaot tacarais : ,<*
Aos 2F de novembro de 1804; nesta cidade do
Recife de Peruamluca a. ablica audiencia que
aos fetos c partes fara o Be. juiz de direilo espe-
cial do commercio, Trisiiae Alencar Araripe,
nella pelo sollicitador Bredataoo Chaves procurador
do exequenle Manoel Frandjseo de Paula, fra ac-
ensada a penuoea feito nisso em bens, como na
quaniia do 193*000' em daeatiro, pertencente ao
execatado Augu-to Erald, aoja quaniia se acba em
poder de Francisco Ferretease Mello, requerendo-
que nao s ncas&em assgnaes os seis dias da lei
a penhora, romo os dez dias aos credores incertos
relativamente a penhora em "inbeiro, e para cojo
ut se loe dsse os editaes do estylo ; o que ouvido
pelo juiz assim o de ferio. Extrahi o present do
protocolo de audiencias, e junio a mandado e termo-
de penhora.
Eu Faustino Jos da Fonceca escrevente jura-
mentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade escri-
vSo o subscrtvi.
Seguindo o que assim se rooiinh em dito reqne-
rimenio de audiencia depuis do qual, o respectivo
escrivo Manoel de Carvalho Paes de Andrade, que
este subscreveu e fez passar o prsenle, pelo qual e
seo ttieor enano, cilo hei por citados lodos os
credores incertos do referido execulado Augusto
Erald, para que dentro do dito prazo de dez dias
comparecam ante n?te juizo alienando e pruvando
o que for a bem de seus direitos e jtislica, sob pena
de se proceder suas revelias.
E para que chegue ao cenhecimento de todos,
mandei fazer o prsenle edital, que ser a/uxado-
nos lugares do coslume, e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesia cfdae db Recife de Per-
nambuco, aos 10 de feveiro de 1865.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vado subescrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Ilermogones Scrates Tavaree de-Vascon-
00006110*, juiz municipal da preelra vara des-
ta cidade do Recife de Pernamtuteo, por Sua Ma-
gestade Imperial e Constitucional e Sr. D. Pedco
II, que Dos guarde, etc.
Fago saber aos que a presente carta Ss editas
virem e detta noticia tiverem, qoe a junta admi-
nistrativa da irraandarte da Santa Casa de Miseri-
cordia do Reerfe encaminha aeeao ordinaria contra
os herdeiros dos Aado Fraoeisco Antonio Duro
e sua mulher, e tendo sido offereeide o libe lio con-
tra os reos, e por parte de Jos Epiphanio Dnrao e
ouiros-i Aereada urna excepgo de lilis pendencia,
me foi peta mesma junta administrativa dirigida
por escripia a pericao do theor seguinle :
Illm. Sr. Dx. juiz municipal da primeira vara.
Diz a junta administrativa da Sania Casa de Mise-
ricordia do Recife, que tendo propostD por este
juizo (escrivo Baptista) urna acc^o ordinaria con-
tra Jos Epiphanio Duro, Francisca Antonio Du-
rao, Ignacio Eustaquio Durao, D. Henriqueta Ma-
tbilde Duro, D. Delphina Candida Duro e Fran-
cisco Antonio Durao, aquelles Oraos, e este neto
dos fallecidos Francisco Antonio Duro e sua raa-
Iher D. Joanna Maihilde da Xaiividade, para rei-
vindicar o sobrado de dous andares e sotao, hoje
n. 35, sito na ra da Cruz, freguezia de S. Fre Pe-
dro Gongalves desta cidade, com todos os seus ren-
diraentos, visto ter o fallecido Jos Benlo Fernan-
des deixado o mesmo sobrado ao hospital, enlo
dos pobres, hoje Pedro II, a cargo da supplicante,
como melhormente se se expressoa nessa acgao.la
qual sobrado do lado de leste, e limita_ao norte
com o sobrado n. 33 de Domingos Rodrigues de
Andrade, e ao sul, com o sobrado n. 57, pertencen-
te aos bens do mesmo fallecido Jos Bento Fer-
nandos agora depois da offerecido o respectivo
Ubello, consta supplicante, qne alan daquelles fi-
nios, e neto dos ditos fallecidos Francisco Antonio
Duro e sua mulher, ha outras a saber : Joao Jo-
nuario Duro, Thiago Delpbiao Durao, D. Josephi-
na AdeUide Durao e Luiz Eloy Durao, todos OIIios
dos mesmos fallecidos, estando o primeiro se-
gundo ausentes, em lugar oo sabido, como prova
o documento junto, a teaceira em juizo, represen-
tada por seus procuradores nos autos desta acgo,
e o quarto fallecido, sendo por isso tile representa-
do por sua mulher D. Maria Theodora Pereira Du-
ro- e seos Olhos, D. Hermelma Josenhina Carolina
Pereira Duro, casada com Joao Antonio Pchiro,
e Francisco Antonio Duro, j citado por editos
como ausente.
Assim requex a supplicante V. S. que se sir-
va mandar citar D, Maria Theodora Pereira Du-
ro, e Joao Antonio Pinheiro e sua mulher D. Her-
melina Joseptuna Carolina Pereira Duro, aquella
viuva e estes georo e filha do fallecido Loiz Eloy
Duro,para fallarem aos termos da referida acgo,
e contrariaren! o Ubello dentro da duas audiencias,
que Ihes sero assignadas na primeira deste juizo,
sob pena de revelia, ficando logo citados para os
demais termos da causa. Que se passe cartas de
ediles com o prazo de 60 dias para serem citados
os supplicados ausentes Joao Januario Duro e
Thiago Dclphino Duro, para o flm cima indicado,
e com o theor da presente.
Nestes termos pede V. S. assim Iba deflra.
Espera receber merc. Como procarador, Jos
Theodoro Gomes.
Citem-se. Recife, 9 de novembro de 1864.la-
vares de Vasconcellos.
Nada mais se conlinha em dita ptigo e meu
despacho, em cumprimenlo do qual o esenvo,
que esta subsereveu, fez passar a presente carta de
editos com o prazo de 60 das, pelo iheor da qual
chamo, cilo e hei por citados os rosaaseotes Joao
Januario Durao e Thiago Delphino Durao para res-
pondern peranle este juizo aos termos do libello
e sua execucao, constantes da petigao suara trans-
cripta.
Pelo que toda e qualquer pessoa, prenles, ami-
gos e conhecidos dos daos reos ausentes Joao Ja-
nuario Durao e Thiago Delphino Durad Ibes pode-
ro fazer scientes do qoe cima Oca eaoostc, para
que por si ou por seus procuradores se apreseotem
neste juizo dentro do referido [razo com a defeza
que tiverem, sob pena de se proceder em todos os
ulteriores lerraos as suas revelias.
E o porteiro do juizo publicar a presente no lu-
gar de costume e mais publico, depois de ha ver
transitado pela chancellara.
Dada e passaria nesta cidade do Recife de l'er-
nambuce, aos 28 de novembro de 1864.1
Eu Manoel Joaqnim Baptista, esenvo que a
subscrevi.Hermogenes Scrates Tavares de Vas-
concellos. 1
Vai pagar die sello 800 rs. Recife, 28 |e novem-
bro de 1861.Baptista.Armas rraperies.-No-
mero 299.Res 800.- Pagon 800 rs-flecife, 29
de novembro de 1864.Chaves.Sena, i
Vai pagar 250 rs. de direitos de chancellara.
Recife, 28 de novembro de 1864.Baptista.Nu-
mero 488.-Res 250.7-Pagou 250 rs. de! direitos
de chancellara.Recife, 20 do novemhro de 1864.
Chaves.Almeida.
Estava o sello das armas de chancellarla.Fir-
mino Antonio de Souza, presidente.
Transitou pela chancellara. Recife, 3 de de-
zembre de 1864.O esenvo, Francisco jos Res
Nunes (".ampollo Jnior.
Laucada a folhas 63 do competente livrcl n. 13.
Recife, 13 de dezembro de l864.-Campello
Jnior.
Nada mais se conlinha em dita carta de editos
aqu fielmente copiada da original, nal me re-
porto : esta vai sem cousa que duvida faga, con-
ferida e concertada, por mira subscripta ej assig-
nada nesta cidade do Recite de PeraarabotoL aos 5
de dezembro de 1864.
Em f de verdade.Manoal Joaquim Baptista.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official
perial ordem da Rosa, juiz de direilo.
do commercio, da cidade do Recife e ssu
por Sua Megestade Imperial e Constitu
o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guarde etc
Fago saber aos que o prsenle edital viren,
e delle noticia tiverem que a requer meato, de P.
J. Foulkes fra resceodido a concordata de Cami-
nha & Filhos pela senicnca do theor seguale :
Vista a materia da peucao de folhas 919, na qual
expde o supplicante Pedro Joao Foulkes que os
supplicados Vicente Ferreira dos Santos Caramba,
Manoel Ferreira dos Santos Caminha e Alejandre
Ferreira dos Santos Caminha, socios da firma fal-
lida Caminha 9 Filhos nao cumpriram a concrda-
la que loes foi concedida por seus oradores na for-
ma do auto de folhas 696, e mostraado-se pelo do-
cumento a folhas 929, que com efieilo a concorda-
la nao foi cujpprda, deixaodo o supplicante de ser
pago na fraWconvencionada com falta de boa f
e preiuizo do mesmo supplicante ; julgo rescindi-
do a concordata, e mando que sejam os credores
convocados nos termos do art. 139 do regulaanento
n. 738 para se tratar da formacao do contrate de
unio ou de nova concordata, devende a reunio
I





3
.
l


TtnsaMttS -**egtnd* ***** i3 de ftTerelre de i H .

i.
)
wlWM.ai8deejtpbo<.o carwnle ] CtoMla4o|woriMtal.
1l flwaft Tnarihaa na la do? auditorios* ptfa masa do coasolaeo provincial se faz pobH-
pano qM-M xyedifio tMttes c**for jaart; co que no da 13 Jo corrale tiudam-se 30 3ias
135 do citado ncnltinnln O* caradores Iicaes
ja Borneados rtaaaumirio as -toas fuucooas re-
tuerendo o que entenderem bem da massa fal-
lida, qoe pagar s castas.
- Reeife, 3 de jaaho de 6i.-Tristo flt Alea'
carAraripe.
leis marcados para acobranca a bocea do**Tre
4o anno Oaanceiro vigente dos imposlos de 40/0
sobre os estabelecimenlus de comraercio fra da
idade do Becire, prensas de algodo, cochelras,
i-. Cavallarices, botequins, holeis, casas de pasto, ly-
pographias e fabricas; de 8 0/D obre cnsultorios
E mais se nao conlintu em diU seotenca; mas oeflicos e cirurgicos, criptorios e carinos; de
Baoleaoo os curadares flscaes reassuiniVos. seus'W 0/0 sobre e*tabelecmeulos de eomnaerco en
oartjw por se Inrerem recusado, assf ra como ou- grosso e a retalho, armazens de recolher, depsitos
tros eredaw* qoe Tora* ornead*, ficou a 'mes- U trapiches.; ma curadora affecta ao Dr. promotor publico, que das ; de 1082 por casa de conpra e rend He
prestouo devido juramealo, e deveado-seprocede cravos, de vender roupa feita no eslrangeiro, de
a nomeacao de depositario da referida massa>iio correctores oommercraes e agentes de leilo; de
pelo primate convocados os respectivos credores 1:0005 sobre ss di qje-weoe bancanas com
a canyjarecewm nu sala dos auditorios as da ll emisso e pMtlaglot ? d $t& pete commisso e
do corrente mez s 11 horas da manhaa, para [sem prevrlegios; de 4004 sobre as companhias
que tenha lugar as diligencias proscriptas no art. aoonymas e agencias ; de 2004 pelas casas de
139 do regulamento n. 738, cima indicadas, sao cambio ; de 505 por caffa alqueire de sal; de 305
os msanos eredorn oonveeados pelo presente |pw escravompreijafclera'servico dealvafeogas;
oaipareoerem no me sai o lugar no dia 20 de hve- j <] 15 por loaellad* de alvaronga. lancha e canoas
eiro do anno prximo futuro pelas ditas horas ; abenas; de 300 por cada bote ou saveiro; de 305
advertindo.porm.Vp^ oerrnnmcredor ser ad-jpor cada balieira; de 105 por escravo ganhador
mittido por procurador se este nao ti ver poderes ou empregado em ser vico de transportes ou a
especiaes para o acto, e que a procoraclo nao po- armazens; de 105 por cada cavalio de sella de
dei ser dada a pessoa que seja dovedora aos fal- aluguel; de 65 por cada cavado do sella particu-
lidos. nem um mesmo procurador representar por lar ; de o 0/0 sobre a venda do capim e o de car-*
dous diversos credores; outrosim que serSo anido ros, carrocas e mnibus, c tamoem o Io semestre
aos votos da maioria credores presentes, os dos do de 20 0/0 do consumo do agurdenlo das fre-
credores que que deixarem d comparecer. guezias desta cidadn, dos Afogados, Narfbeoa, Sin-
E para que ebegue ao conhecimento do todos to Amaro de Jaboalo, S. Lourenco e Vanea, li-
sera o presente publicado pela imprensa e afiliado cando sujeitos a mulla de 6 0/0 sobre seus dbitos
na forma da lei. i todos os contrihulntes que pagarem depois daquel-
Cidade do Reeife de Pernambuco, aos 15 de le dia.
eulubro da 1864. Mesa do consulado provincial de Pernambuco
EuManoerMariaRodrigues do NascimentO.escri- 6 de feverelro de 18o.O administrador,
vo o subscrevi. Antonio Oarneiro Machada Ros.
Trtffao de Menear Araripe. 1. seccao.lSecrelaria da polica dePernambu-
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provin- co, 1 de fevereiro de 1865.O film. Sr. Dr. chefe
cialem cumprimento da brdem do Exm. Sr. presi- de polica, manda renovar a pubficacao da postura
dente da provincia 4a 7 do correte, manda fazer alJicioual de 12 de fevereiro de 1863 abaixo trans-
publico que no dia 2 de marco prximo vindouro, cripta, afm de que ninguem allegue ignorancia de
perante a junta da Xazcnda da mesma tnesouraria, suas disposigoes.
se ha de arrematar a quem por menos fizer os re- Posturas,
paros de que precisa o erapedramento do lugar de- Art. 1. Fica prohibido neste municipio o bnn-
nominadoAreias do Giquina estrada da Vjc- quedo de inlrudo com agua por qualquer maneira
oria entre os marcos de 3 a 4,000 bracas, avalia- que se empregue ; os Infractores pagarao a malta
des em 3975500.
A arrematrcio ser feita na torma da lei provin-
cial n. "343 de 15 de maio de 1834, e sob as clau-
salas especiaes aoaixo copiadas.
As pessoas qae se propozerem a essa arremata-
ba o coraparecam na sala das aessoes da referida
junta oo dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presento
peb jornaL
Secretaria da theeooraria provincia! de Pernam-
buco, 10 de fevereiro da 1865.
O secretario,
A. F. d"Annunciacao.
Clausulas especies para a arrematago.
1*. Os reparos do empedramiento da estrada da
Victoria, era diversos pontos entre os marcos de
4 a 4,000 bragas, serao executados de conformlda-
de eom o respectivo orcamento na importancia de
397*500.
2". O arrematante ser obrigado a dar principio
aos reparos, 13das depois que assignar o contrato,
a termnalo 2 mexes dopois.
i'. O pagamento ser* effectuado em ama s pres-
taco, logo que pelo engenheiro for declarado que
as reparos foram concluidos.
4.a Para ludo o mais quo nestas clausulas nao
previne observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
Anon/o Ferreira d'Aanunr.iaco.
de I09OOO reis, e 8 dias de prisao.
Art. 2. Fica prohiixtl* a venda de limas dechei-
ro ; os infractoras alera da as perderera, pagarao
43OOO de multa.0 secretario, Eduardo de Barros
Faico de Laccrda.
O consalho de compras para o arsenal de
guerra precisa comprar o segainte :
Para a companhia de cavallaria.
73 mantas dealgodao, 160 bracas de curdas de
linho : as pessoas que qulzerem vender ditos ar-
tigo?, apresentem suas propostas em carta fechada
na salado censeth,as 10 horas da manhaa do dia
15 do corrente mez.
Sala das sessoes do conselho de compras para o
arsenal d gaerra 7 de fevereiro de 1865.0 en-
carregado da escripturagao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Gorreit geral*
Pela adrainistrac'io do correio desla praca se faz
publico que de conformidade com o decreto n. 187
de 13 de maio de I8G1 e respectivas in>trucces,
leve lugar hoje o processo da abertura das cartas
atrasadas periencentes ao mez de Janeiro de 1864,
oondemnadas a oonsmno pelo art. 138 do regula-
i mente dos correios de 21 de dezembro de 1844, as-
sistndo a este processo o commerciante Manoel
Ribeiro de Carvalho. Desta abertura resultou
acbarem-se quatro carias cora documentos, que li
cam descriptas em livropara este tim destinado ;
sendo urna de Francisco Alves de Souza Carvalho
& Filho para Francisco Alves de Souza Carvalho
com urna letra de 1:0005, outra de Manoel de Oli-
veira Mara de Jess, do Porto, para Domingos An-
tunes Ferreira com urna certido de Baptismn, ou-
^t mi.i j -_____j ., tra de B. P de Andrade, do Porte, para Manoel de
alia filial dO banco do Brasil Azevef,0 de Andradecom um certificado, e outra
era PernaiUDiico. 1 finalmente de Mana Francisca Garcia, (de Ponta
14 de netro de 1865. I Delgada) para ManoerJoaqnim Botelho com uma
De ordem da directora desta caixa, se convida cerlido da baptUmo. Por ultimo procedeu-se ao
aos credores de >ebastio Jos da Silva a virem quema de todas as mais cartas, de que se lavrou
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em' o respectivo termo que se segu,
rateio Ihcs toca da venda de urna das proprieda- Correio de Pernambuco 4 d; fevereiro de 186i.
des, que segundo a concordata,Ihe foram entregues O administrador e thesoureiro
para serem vendidas.O guarda-livro?, Domingos dos Sassos Miranda.
Ignacio Nunes Corrcia. I Termo de consumo das cartas em ser do mez de
Janeiro de'1863.
De ordem da directora desta mesma caixa se Aos 4 dias do mez de fevereiro de 1865 na sala
>f*t publico aos senhores accionistas que o respec- da administraco, achando-se presentes os Srs. ad-

DECLalKSES.
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22.
videndo de 105 por accao.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
di-
45O5O0O
805000
1835000
2475000
1145000
25O00
Santa Casa da Misericordia do
Hecife
A Illm. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Reeife manda fazer publico que
no dia 16 do correte, pelas 4 horas da tardo, na
sala de suas sessoes, ir praga por tempo de um
a tres annos as renas das Basas abaixo declara-
das : os prelendentes devem comparecer acompa-
sados de seus fiadores ou munidos de cartas
estes.
Patrimonio de rphos.
Itua da Senzala Velha, sobrado de duus
andares n. 132 ......
Ra do Amorim, casa terrea n. 26 .
Hua de S. Coocalo. casa terrea n. 22..
Caridade.
Ra da Conceico, casa terrea n. 5....
Ra da Gloria, casa terrea n. 65 .
Roa da Alegra, casa terret n. 7 .
Secretaria da Santa Casa da
Reeife. 11 de fovereir- de 1865._
O esenvao,
F. A. Cavalcanti Consseir.o
Constando-me que a receb^doria, firmada no
art. 55 das instruccoes n. -2331 de 17 de margo de
1860; alterara a praxe estabelecida de dar s par-
tes um conhecimento provaodo que ellas haviam
realisado seus dbitos, e que em lugar desse co-
nhecimento somonte da urna guia que d'anfes era
remedida seccao do contencioso para dar se bai-
xa execuco, e notando que alguns devedores
irto teem apresentao a guia que lhes entregue,
n*m na seccao do contencioso, nem no cartorio
dos feitos, ecomo lhes seja prejudicial, porque
nao constando em jmzo que o pagamento foi effec-
tuado, proegue-se na execucSo, e ells serao so-
brecarregados de cusas, para evitar esse inconve-
niente, facolhe constar qae a gula qae se Ibes
da, deve ser levada ao cartorio para se dar baixa
na execuco.
Seccao do contencioso da thesonraria de fazeoda
de Peroamhueo 11 de fevereiro de 1865.
O procurador fiscal e dos feitos
H. do Reg Barros.
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz pu-
blico que no dia 18 da corrente mez, a 1 hora da
tarde, estar em basta publica, perante a mesma
thesouraria, para ser arrematado a quem por me-
nos fli9r o fornecimento d'agua potavel fortaleza
do buraco e do laboratorio de fogos : as peosoas a
quem eonvier o sobredito fornecimento devero
omparecer na sobredita thesouraria hora indi-
cada. Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambuco era II de fevereiro de 1863.Servin-
t!o de ofcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
ministrador e thesoureiro Domingos dos Passos
Miranda, c mais empregado?, procedeu se em vir-
tude do art. 138 do regulamento dos correios de 21
de dezembro de 1844 o consumo de 213 cartas e
12 jornaes, sendo 63 selladas e 150 e 12 jornaes
nao sellados, tudo na importancia de 195910 rs.
quo fica nesta data descarregada ao mesmo Sr.
administrador e thesoureiro.
E para constar se lavrou o presente termo em
que assignaram o referido Sr. administrador e
thesoureiro e empiegados abaixo declarados. E
eu Eduardo Firmino da Silva, ajudante contador
o escrevi.
O administoador e thesoureiro
Domingos dos Passos Miranda.
Offlciaes papelistas
l.iiiz de Franca de Olivelra Lima.
Ismael Amavel Gomes da Silva
Vicente Ferreira da Porciuncula.
Praticante
Agnellolleraclio de A. Pernambuco
Porteiro
Manoel Marinho de Souza Pimeolel
Coaselho aduiinistratlvo
O conselho alministralivo para fornecimento do
Misericordia do, arsenal de guerra precisa comprar o segaiote.
Para o presidio de Fernanda.
2 bandelra imperial de Hiele de seis panos.
2 ditas de hiele incarnado de 4 panos com 12 pal-
mos de cumprimento.
2 ditas de dita azul com as mesmas demensoes.
2 galhardetes de (lele encarnado de dois panos
com 30 palmos de cumprimento.
2 ditos dito aznl com as mesmo* demensoes.
2 dito dito de dois panos com 10 palmos de en-
carnada junto bastea e 20 ditos de azul na pona.
Para o 9 oatalho de iufantaria.
403 varas de brim. branco.
403 ditos algodosinho.
242 esteiras.
837 1|2 varas brim branco.
772 1|2 ditos algodosinhos.
Para corpo de voluntarios.
500 varas brim branco.
250 ditas algodosinho.
Para o 4* baulhe de artilharia ap.
12 malas forradas de couro.
6 caixas com folhas de (landres do 16 a 20 pole-
gadas decoraprido e II a 14 de largara para mar-
mita do mesmo batalhao.
As pessoas que quizerem vender taes artigos
apresenlera suas propostas em carta fechada na
secretaria do conselho s 10 horas do da 13 do
corrente.
Sala das sessSes do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 6 de fe-
vereiro de 1865.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel-presidente.
SebastiSo. Jost Basilio Pyrrho,
Vogal-secretario.
Vi praca no dia 14 do corrente a casa terrea
aos navegantes. n. 12darua'do Mahdeg9, fregaezia da Boa-Vista,
Pela capi(ania do porto de Pernambuco se faz; pelo juizo de erphaos, a requerimeoto de um dos
^inblico para conhecimento dos navegantes, que a coosenhores : quem pretender pode ir corre-la.
i> ta do extremo do sal do banco do iuglez que ha-
via sido laucada praia por Ihe haver arrebenta-
Aviso
As aatogeas coadleetos pafc O arfeftsMteM te-
rao as estabelecidas j^eJas insirnccdes fie baixa-
ram com o decreto a. 1391 de 14 de abril -da 183*
que sao as segrate* :
Art. 12. Dutiaguir-ee-ho eis classes de volun-
tarios : < f 1
1.a Dos Individuos que quizerem servir na ma-
rinhagem sea tempe determinado ;
2.* Dos que se quizerem contratar para servir
na marinhagem por tempo determinado ;
3.a Dosqusao prsataram a servir na marinhi-
gem os prazos astabelecidKS no ampo 3. do decre-
to n. 1166 de 25 de catabre de 1854, eque esca-
sam o nacional do servir'o militar ;
4.a Dos qat quizerem ter praca no orpo da tai
periaes marinhelros.
5.a Dos quo se destioarem para o batalhao naval.
6.a Dos aprendzes marinheiros.
Art. 13. Os voluntarios das differentss clasase
deliuidas no artigo antecedente devero ter os fe
qnisitos seguintes :
1.a Classe.Os que sa alistaron para a marinha-
gem sem lampo determinado, devem ser fortes,
saos, acostumadbs a vida do mar, ou pelo meses
capares de servir na praga de grumete.
2.a Classe.Os qua se conlralarem por pracos de-
terminadas, de um a tres annos, devem er fortas i
saos, e acostumados a vida do mar.
3.a Classe.Os que se ooatratarem para servir
na marinhagem o prazo de seis ou de oito
em confomldade do artigo 3.a do deoreto n. *66
de 25 de outubro, devem ter os requisitos dos da
segunda classe, excepta a pratica da vida martima
que poder ser despensada com a clausula qae
adame ( artigo 16) se expressa.
4* Classe.Os alistados para o corpa de inipe-
rlaes marinheiros devem ser cidados brasileros
de 18 35 annos de idade, ou at 40, senda borneas
do mar; fortes, saos, a capazes de todo o ser neo.
5.a Classe.Os alistados para o batalhio naval
devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os on-
tros requisitos da quarta classe.
Todava poder-se-ha admitiir signes estrangei-
ros medjante previa antorisaeo da governo.
6.a Classe.Os aprendzes marinheiros <
ser cidados brasileiros, de 10 a 17 anuos de Ida
de, de constituigo robusta, a aprapriada
mar.
companhia das Xeinsagerles
*^* Impr-rltll*,.
Ale a dia 14
do correla inez
espera-se da Eu-
ropa o vapor fran-
cez Bearn, oqual
Ues
qperior qualidade 25000 cada om, com aai
Si de 12 5800 : no amigo e a eraditado
;lecimento junto a esta oficina.
Iradfr#e Boa-Vis'H
^Se*2Xlr ^--isago da mesa
regadera desparto
oir cara Baha: |m' ^'r'JU de caPe,la e '"esiduo.-, 6oa-
e Rtb de Janeiro | **Q0 a lotiOS os a^sos irmos afin de qoe se dig-
WVa fM, roodicgiJes o passagens trata se p "enJ parecer terga-foira 14 do corrente, as 5
agencia fu do Trapiche a. *. 15"s da Ur,de' Df> consistorio da mesma irroan-
S-..i ir 1., ....--------1..................... Jiade, afim de em mesa geral se proceder a elei-
R0 d6 JilllCiPC. 10o de thesoureiro e procurador, como determina
Soga* aaetas dtas patacho naatoaal Tup re- iri ^ ao nos?0 compromisso qae rege esta ir
cebe carga a frete : a kalar na roa do Trapiche mandade, visto terem pedido desoneracao os func-
I nnn.ero 4. e>onarios de ditos lugares,
Consistorio da irmandade das almas
do aamarraco, fai oovamente collocada, demar-
cando Ihe o pliarul do pieao ao O 1/2 N O, e a tor-
re do seminario de Olinda ao N 1/2 N O, rumos
magnticos, e em fundo de S bragas, exactamente
noie termina pelo sal o Reeife que forma o banco'
les. Gapilania do porto de Pernambuco 4 de
fesereiro de 1S65.O secretario,
Deeio de Aquino Fonseca.
O Illm. 8r. Inspector da thesoararia provin-
cial era cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 7 do corrente, manda fa-
e'r publeo qae no di 23 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, vai nova-
'ente a praca para ser arrematada a quera por
1 i'nb, valiada em 68:9305, servlndo de basa a
COMPA1THIA BBASILEIRA
PAQETES^A VAPOR.
Dos porto do sul esperado
art o dia 14 do corrente um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costunie se-
guir para os portos do norte,
j recebem-sc passageiros e engaia-se a
*nifik *r*'a T16 TFr Pder coduzir, a oual dettr
aar embarcada no dia de sua chegada : eneoBi-
mendas e dinneiro a frete ateo diada sabidais 2
soras, agencia m fla Cfni n. 1, escriptorH de
Antonio Luiz de Ofiveira Azevedo & C.
forto.
SegOe brevemente a barca portoguexa Sympa-
lUa por ter seu oarregaifento completo : qnem
onizer ir do passagem, para o que tem excelfentes
commodos, entenda-se com Bailar & Oliveira, ra
da Cadela n. 26._______________ \___________
Para o Rio de Janeiro deve seguir com bre-
devem 'Wade por ter prompla a maior parte do carrega-
monto, o hrigae nacional tnvensivel, recebe o res-
vida do *** oarga e escravos a frote: a tratar no eserifJ-
torio de Amorim Irmos, ra da Cruz n. 3, ou
na praca
Poder-se-ha tamliem admitiir menores de 10 an- c0it capitao AnloniO Albino de Souza,
nos, que tenham sufficieate desenvolvroento phy- lercio.
sico para os exorcicios do aprendisado.
Art. 14. Os voluntarios da primeira elasse perce-
bero os sidos concedidos palo artigo 1 do deore-
to n. 1466 de 2o de outubro, mas nada recebero
a titulo de premio ou graiificacao.
andar ou
IEII0ES.
Annes.
Lcilo de30 baniscom manleiga
in-
Lislio;t e pttru
Pretende seguir com a maior brevidade a bar-
ra portugueza Laura-, por ter parle da carga
prompta. para o resto e passageiros tratase com
sTrTher-hrd'ecardVe'expressado nos seus as-! "*9g* 5 d" A1ai" Foo.seca Jmo7 ,ra
sentaments, que noobtero guia de desembarque! wssa da Madre de Dos n. S, primen* *
sem previnir ao commanante respectivo dous jcom PRao na praca.
mezes antes, salvo se nisso nao hoaver inconve-
niente para o servico, por que ento serao imme-
diatamente attendidos.
Urna resalva, que lhes dever ser entregue com
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa data os sobreditos voluntarios, se forera na-
cioaaes, ficam isentos do recrutamenlo por um an-
no, ou por tempo Igual ao que liverem servido nos
navios do estado, se este prazo for menor ; salvo,
porra, o caso de circumstancias extraordinarias
durante s quacs Mear suspensa a isencao.
Art. 13. Os da segunda classe receberos os pre-
mios seguintes :
Se f.rein grumetes; dez, vinte e dous, ou trinta
e quatro mil reis, segundo se contrataren por um,
dous, ou tres annos.
Se forem marinheiros : vinte, quarenta e cinco,
ou setenta mil reis, segundo o prazo de seu contra-
to for de um, dous, ou tres annos.
Alm do.prsmio receberSo mais os referidos vo-
luntarios se directamente so apresentarem, a gr.v
tifleacio de quatro mil reis sendo estraageiros, e
de cinco mil reis sendo nacionaes.
Esta gratificacao, porm nao se abonar repeti-
damente ao mesmo individuo por cada novo con-
trato snecessivo qae fizer, se este for de prazo me-
oor de tres annos. '
Art. 16. Os da lerceira classe recebero mais
una quarta parle do maior premio que podariam
obler contratndose como os da segunda c.Uss.-e
na praga de grumete ou de marinlieiro, que lhes
eompetir, c a mesma gratilicar apresentando-se
directamente.
Excepluara-se os que nao forem homens do mar,
e liverem mais de 40 annos de idade, os quaas po-
dero alistar-se com as eondkc5es dos da terceira
classe, mas sem augmento de premio.
Art. 17. Os da quarta classe receborlo como pre-i
da Boa-Vista 9 de fevereiro de 1865.
O cscrive,
__________Manoel Domiagues da Silva Jnior.
fiara* Nova n. 58, segundo andar, precisa-
se de um criado e de um preto para todo e ser-
vico. _________^^
D-se 1:0005 a premio com hypotheoa em
a**um predio : a tratar na roa do Imperador n.
42, gartorio. _____________
Precisa se de ama ama pira todo o servico
de orna casa : na ra da Concordia n. 65.
a [ktma
SALSAARRUHA
Aluga-e urna a* a para tm d pafra familia,
qae cosiohe, e lave e engomme: a *rtar na
tfavessa do Chafarjz, em Fore de Porlaf n. i.
O abaixe asaignado rdlira-nir para o fbrto a
tralar de sua sadq, e deixa piir seus%unles
pro^uraflores, e com ibflos os poilere< necetsarios
or Sts. Rosas* frmo, Jusiifto da Silva Uua-Vista
Jos Aaiotio 1'errole1,igriBlrt>do.
..._______fmnoitf Jote F. Pire^^
Dflsappareceaioo da 6 domrrBnte, pCnma-
oba, um menino, mulatintio, cabellos cref*, de
home Pedro Prh'ho,'e sele annos mais ou tafno.
la caa da fu de Sahfo Amaro h. o qifV wdo
ao arraazem da Liga na rna Nova comprar algumas
cotisas para 6 lmog 9a familia, em cuja compa-
da matriz finia se aetiava, nS vohou; s?ttoo infructferas a
tndagaeSes e procura da^ pessent da farrtTflia. Ro-
ga-K: s autoridades ptame* irne erupreguem os
mefos a seu aluanue para a deseoberu do mesia
menino.
------. .. ,
PREPARADA IICALENTE POR
UNAN k KEMP,
Lcilo de 30 barris com toncinhe. NOVA YORK.
. r. ,?0J?-. ,. Composta de substancias, gozando
uS^K&^mSS^l^ Propriedades eminentemcnle depurativas;
de arrobas cada um.em um oa mais lotes: ho-, approvada pelas juntas e academias de me-
je pelas 10 horas da manhaa no armazem do Sr. dicina ; Usada nos principaes hospitaes, ci-
vis. militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano; receitatla pelos
facultativos os mais distinclos do imperio do
Brasil e da America hespanliola
CURA RADICALMENTE
escroplmlas, rlieumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercariaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pra-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emqnanto existem varias imitacoes e
falsificarnos, 6 preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS A BARBOZA
JOO DA G. BRAVO A C.
Vendem-se no Reeife em casa de Caors 4
Barboza e Joao da G. Bravo & C.
gleza.
_ac
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer para fechar conta 30 barris com
manleiga ingleza sahida da alfandega a semana
Anda e sarao vendidos sem limites em um ou mais
lotes : boje as 10 i|i horas no armazem do Sr.
Annes defronte da alfandega. ____________
Importante t ultimo leilao
Defazendas, miudezas, chapos, objectos
pan s (iros e 2 grande- espelhos I ni-
pos- e cam toque de avaria,
A saber:
Pannos finos pretos e de oores, casemiras nao
s era pecas como em eorles, camisas, ceroula?,
chales e chapeos de sol.
Balaras, caivetes, tesouras, pentes, butes e
bengalas.
Chapeos de palha. feltro e seda.
Couro de porco, sola, beaorros, picadeiras, es-
poras e Ivelas.
Quarla-feira 15 de fevereiro
rc?^rr,l'' tSJS ina4'inhe,r'l tesenu I as 10 horasera ponto na alfaadega arraazem n 8
mil re,s se foem grumete,....... ....... O agente l'.nlb far leilao eom antorisaeo de
Art. 18. 0< da quinta classe recebero o premio
de canto e cincoenta mil res, se no forem maio res
de quarenta annos e o de cera mi reis, se liverem
mais daquella idade.
Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as companhias de aprendzes mari-
nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pais, tutores, ou quem suas veics fizer :
Art. 20. Os premios de que tratara os artigos an-
tecedentes serao pagos pela maneira segninte :
1." Os dos voluptarios da segunda classe, se o
allstamento for por um anuo, lhes serao pagos in-
tegralmente no acto de assentarem praga; se por
dous ou tres airaos, recebero era tres prestacoes
iguaes, sendo primeira paga como no primeiro
caso, segunda quando vencida inelade do prazo
do contrato, e a terceira Moda o dito prazo.
2." Os voluntarios da terceira classe recebe-
r5o urna terca parte do premio respectivo logo, que
tenham assentado praca, outra terca parte no fim
do primeiro anno de servico, e o restante lindo o
prazo de seu alistamento.
3." Os premios dos imperiaes marinheiros e os
das pracas do batalhao naval serao abonadas como
os dos voluntarios da lerceira classe.
4." Os premios devidos pelo alistamento de
menores paras as companhias de aprendizes mari-
nheiros serao pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos ditos menores.
Arl. 21. As gratificaeSes que competem aos vo-
luntarios que directamente se alistarem no servico
da armada, serio pagas conjuntamente com a pri-
meira prestacao do premio respectivo.
O secretario da capitana.
Dtcio de Aquino Fonceca
Atteneo.
Vai praca no da 11 do corrente a caa lerrea
n. 12 da ra do Mondego, fregaezia da Bn-Vista,
pelo juiz de orphSos, a requerimento de um dos
coosenhores, valiada por 3.00, como se pode
ver do edita! fixado nos auditorios oa em mao do
porteiro o escripto.
Crrelo geral..
fel administraco do correio desta r.dade se
faz publico que era virttidfl da convencao postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rao expedidas malas para Europa no dia 15 do cor-
rente pelo vapor inglez Oueida. As cartas serao
recebidas at tres horas ant.-s da que for marcada
para a sabida do vapor, e os jornaes at qaatro
horas antes.
Administraco do correio de Pernambuco 10 de
fevereiro de 1865.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Capitana do porto de Pernambuco, 44
dejaneir de 1865
Era vista das circumstancias melindrosas em que
se acha o palz, sendo necessarlo que todos os bra-
sileiros, concorram para a sustentarlo dos bros e
dignidades nacinnaes, compromettidos na guerra
cem es repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Illm. Sr. capito do parto, em virtude do que Ihe
foi determinado por S. Ese o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marraba, convidar
nao-s aos matriculados, como a todos os cidados
que se queiram alistar na qualidade de voluptarios
para armada, a so apresentarem nesta capitana
nos das uteis das 9 s 3 1|2 horas da tarde.
Outro sim, sao igualmente convidados os indivi-
duos qae tiveram baixa do servico naval, a alista-
rem-se por um anno ou mais, garanlindo-se-lhe
1TO0S MilITIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA.
DE
NaregacSo costelra por vapor
Maeei e escalas. Penis e Aracaj.
O vapor l'arakyba, commn-
dante Martins, segu para os por-
tos indicados no da 14 do cor-
rente as 5 horas da tarde. Rece-
_ be carga at 0 dia 13 : eucom-
mendas, passageiros e dinlieiro afrete at as 2
horas da tarda do da da sabida : 'escriptorio no
Forte do Mattos n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAF#R
agente Pinto far leilao cam antorisago do
cnsul de Franca, com lie-enea do inspector da al-
fandega em presenca de um empregado da mesma
repartilo, com asistencia do mesmo consol e por
conta e risco de quem pertencer de, todos os ob-
jectos cima descriptos, salvadas da barca france-
za Los Amis de Saint Jean de Luz> e existentes
na alfandega, armazem n. 8, onde se effectuar o
leilao, devondo ter conaeco as 10 horas era ponto
do dia cima dito.
Bente Correa de S, resolvendo-se a conti-
nuar em seus ostudos, deixon o Sr. Francisco da
Cnnha Marreiro na gerencia de seus aeg'icirs, no
Rio do Peixe, tendo-lhe conferido pelnos poderes
por precurace bastante.
O abaixo assignado indo a estacao das Cin-
co Pontas para seguir viagem.para Ipojuca na ma-
nhaa de hootem 9 do corrente, acontecen esque-
cer-se, na occasiao de pagar bilhete, de um maco
de sedulas qae conlnha 1603; e como voltasse
logo depois e uo achasse o draheiro no lugar em
que o deixou, roga s duas nicas pessoas que
junto se achavam nessa occasfio (cujos nomes ig-
nora) que se por accaso apanharam dita quanlia,
a manden, entregar na ra do Queimado n. 18,
loja de M. R. de Carvalho.
Carlos Augusto de Oliveira.
Augusto Ferreira de Carvalho retira se nes-
te primeiro vapor paran Rio de Janeiro._______
Augusto Ferreira de Carvalho tendo de re-
lirar-se para o Rio de Janeiro, declara aue se al-
guem se julg*r seu credor aprsente suas contas
no praso de 5 das, a contar de hoje, na ra larga
do Rosario n. 33.
Caivelro.
Offerece-se um caixeiro para cobranea, loja ou
armazem, dando nanga a precisar aonuacie por este folhttrot> ditija-se a rna
da Linyucta n. 4.
Escola particular.
Clara Olympia de Luna Frer?, professora par-
ticular de primetraa letras, proWstonada pela di-
rectora eral da instrucco publica, tara alborto a
sua aula na ra Dreila n. 60, segundo aodar.
leite
leite, &ri$a-se a
Ama de
Qaem precisar de ama ama de
ra da Unlio n. 10.
- Precisase de rtt* ama pira fotinhar e para
o servico de ra : na ra da Imperatrnt n. 34,
primeiro andar.___________________
lima parda que lem servido ja de aeaa so
ufferece para servido- interno de easa de Iwmein
solteiro ou de pouca familia : na ra da Gloria
numero 31. ____________
O abaixo assigoado deixou de ser caixeiro
da casa commercial dos Srs. Phlpps Brothers t C.
desda o 1 do correntf
Joaquim da Rocha Carvalho Junior-
Perganta.
Pergunta-se i anloridade a quem compets se e
incomparavel e nunca asss visto armazem da Liga
tem algum privilegio ou primasia aos outros esta-
belecimentos da sUa classe, para poder conservar
as portas ahertas at quasi s 10 horas da noite -r
pois tendo dito armazem O' mesin > que ha as no-
jentas lascas, como to cyniamente lhes chamoo-
o nosso tambor-mr, entendemos que deve ser
iu'ii il aos seus collegas no cumprimento da lei.
(^insta-nos qoe o mesmo famigerado t-ambor-mr
zaogando-se por ninguem querer ir vi-itar o sea
brlibante armazem e refazer suas despiusas dos
seus genuinos gene-os, deixou de provocar mais
o riso aos seus leitores, com os encomniendados
exordios com que encetava o sea annancio zlgue-
MgOO, e em cuja parlanda se louvava a si, e desa-
vergonhadamenie depremia aquelles em cojo nu-
mero entra urna quera esse altaviado deve as suas
arrogancias.
Tambem onvimosdizer qoe querem proliibir-lhe
3ue se aprseme mais ao publico eom as insignias
e tambor-mr, com o pretexto de o fazerem mar-
char frente q>) batalhao, e ir pelejar contra os
lyrannos no sul, alim do sexo frgil Ihe indemni-
zar algumas culpas que o decoro da honra nao per-
mute perdoar, sem que se torne digne pela sua bra-
vura.
Somos de opln'o disto : e para que elle nao di-
ga que a sua perspicacia nao Ihe fornece meio al-
guin de soltao o primeiro grito para chamar as ar-
mas os seus satellites que o engraadecem, aqui
Ihe ollertamos como distinclivo o segrate brado
mui gencal :
As armas I as armas, satellites !
Do Brasil, o> bros preciso defender t\
E por n'elle havermos, tantos males causado t..
Corramos, corramos, a por elle morrer I..
Cumpra isto, mon cher ami, e Ihe ma.-.darem o
fazer o que Pharo fez a Jos, Mino de Jacob.
O primeiro suvgento.
Precsase de urna criada ou criado para,
comprar e cozinhar : na rna da Cadeia Velha nu-
mero 45.
AVISOS MTfflSOS.
T.
s 6:000*000.
Sahbado 18 do corrente mez se extrahir
a terceira parte da primeira lotera da
Santa Casa da Misericordia para can alisa-
cao d'agua e gaz (6*) no consistorio da
igreja do Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, uieiose quartosestaoa ven-
da na respectiva thesouraria ra do -
r -.k | Aluga-se a casa n. 36 na ra da Matriz da
wwue u. io. a nnn**.. ,l ~.~~~ Boa-vista,o primeiro andar do sobrado n. 9 na
Os premios de 6:000^000 at (OflOOO ra Direita, e a loja do lado da ra da Penha : a
serSo pagos uma hora depois daextraccSO tratar no segundo andar.__________________
Aula particular dr instrurrao primaria na ra da
Conceirlo n. 6.
O abaixo assignado adiase no exercicio do seu
magisterio, e coniina a receber alumnos exter-
nos e internos de pouca idade, pelos precos se-
guintes :
Internos .... 305000 mensaes.
Externos. 5000
essa arremataco o abalimonta de 7 0/0 offerecido nao s as respectivas escusas, logo que termnem
jielo licitante Jos Angustn de Araujo. E para
oastar se mandn publicar o presente pelo jornal.
ttiflO 8 de fevereiro de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annnnciaco.
os seus contratos, mais ainda os premios Puados na
lei, para os qoe voluntariamente procurara o ser-
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam- vico da armada, e bem assim uma gratificacao
mensal, igual a metade dos solios, que percebiam
na occasio em qnc obtiveram baixa.
i>os portos do norte espera-
do at o da 17 do corrente o va-
por Paran, commandante o ca-
pito de fragata Santa Barbara, o
!qnal depois da demora do costu-
meseguiri para os portos do sal.
Desde j reeebem-se passageiros e cngaU-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qaal dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinhelro a frete at o dia da sahida as bo-
; ras: agencia, roa da Gruz n. 1, escriptorio de Aa-
' ionio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
ats 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As encommendas sero guardadas so-
menteal a noit da veapera da extraeco
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
K*$a-e ao Sr, hachare. Ozaiio
de Azevedo juiz municipal de (ai-an-
hBBs, qaeira diriga se praca da In-
dependeacia ns. 6 e 8, ou aniiunciar
sua naeroda para ser procurado.
CASA DA FORTOffA
Aos 6:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' t'A DO CnKSPO N. 83 E CASAS DO COSTMB.
O abaixo assignado vendeu nos sens muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaboa
de extrahir a beneficio da matriz da Boa-Vista, os
seguales premios :
Dous meios n. 2530 com a sorte de 6:0"0000.
Um meio n. 3162 com a sorte de 1:1005000.
Dofts roartos n. 171*5 com a sorte de 500tJ000.
E entras fnnitas sortes de S08$, 100*j, 405 e
20JOOO.
Os pessuidores podem vir receber seas respec-
tivos premios sem os desconlos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo a. 23.
Acham-se a venda os ds 3a parte da 1* lotera
beneficio da Santa Casa da Misericordia, que se
extrahir no dia lo" do corrente.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios.......35300
Ouartos.....15900
Para as pessoas que compraren! de fOOiJOO
para cima-
Bilhetes.....65300
. Meios......35230
Quarto?. .... 15700
II.... JffAKOEL MailTINS Fll'ZA.
Quera tiver e quizer vender uma escrava
qne saiba cortar e coser vestidos ou outra qual-
qoer costura, dirija-se a ra do Brum n. 84, que
ge dir quem precisa.____________.
A pessoa que por este jornal proeurou saber do
Sr. Soares, redactor da Crise (joroal), oude poda
pagar as subsbripcoes que elle havia recebido da-
iaelle jornal, julga conveniente scientifiear qi>e j
Di pelo mesmo Sr. Soares pago da subscripeo
que procurava.
Para escriptorio
Aluga-se o primeiro andar da ra do Crespo o.
23 .' a tratar na loja._________________________
O br.charel Jos Paulino da Cmara, promo-
tor publico desta comarca, mudou a sua residen-
cia para a ra da Coaceicao da Bja-Vista, sobrado
numero 9.
belouche avisa ao respeitavel publico que
comproa o estabeleclment de banhos, sito no pa-
teo do Carmo, que continua a dar banhos como de
costume, declarando que os cartoes asignados pc-
io ^r. Cancanas lerio vigor para tomar banhos s
at o dia 28 de fevereiro de 186.*i. O mesmo convi-
da o respectivo publico que compareca no mesmo
estabelecimento, que verao executado com todo o
esmero o systema e asseio que deve ter tal estabe-
lecimento.'
Preco dos banho-.
Banho fri on quente, tomando 10 car-
toes, pelo preco de ..'... IffOOQ
Um banho avulso ou s..... 500
Kugio no dia 3 de fevereiro corrente um mu-
lato de 26 annos, pouco mais ou menos, baixo,
corpo regular, cabellos cachados, nariz e bocea
regulares, tem falta de alguns denles na frente,
poucos cabellinhos no queixo, tem falta de um
dedo em um dos ps, alguns talhinhos de chicote,
pelas costas chama se Eleuteno : quem o pegar
leve ao engenho Rebingudo, que ser bem pao.g
Aluga-se o segundo andar do sobrado da roa
Direita n. 2, com bons commodos para familia : a
tratar na padaria da roa Direita n. 8*.
i
a
li
5 se1
1 I
i
i i
B
O 2.
a. b
la
o
s.
9
o
o) to
a e
a
ti
a.
o
s
m t a
l* t
II
*= >
Iivro do Povo.
Ama de leite.
Na roa de Apollo n. 34, segundo andar, obra-
do da esquina, offerece-se uma ama sem fllho.
Aluga-se o sdbrado n. 33 da ra da Matriz,
onde raorou o despachante Franco, tem commo-
dos para grande familia, grande quintal com ar-
vores de fracto, e 2 eacimhas : a tratar como O Iivro do povo, obraornada com estampas, con-
Sr. Antonio Joaqoim Ferreira Porto, ou na ra da tendo a vida de Nosso Senhor Jess Cbristo, e mni-
Cadeia eom Miguel Joaquim da Costa. tos artigos uteis. Este Iivro das familias recom-
mendado e approvado pelos Exms. srs. D-. Luis
bispo do Maranhao e l>. Manoel arcebiapo da Ba-
ha, vende-se a 1500O cartoriado, na livraria do
Jos Nogueira de Souza, ra do Crespn. 2.
OcoroOel Francisco Jos da Costa convi-
da aos seus pareles e amigos para terca-
feira 14 do corrente, assistirem a ama missa
por alma de sua fallecida mulher D. Ma-
rianna de Oliveira Costa, a qual ser dita
as 6 horas e meia da manhaa na matriz da
Boa-Vista.
Em virtude de ter ido para o sul o Sr. capi-
llo Borges Lima, est de novo para ser alugada a
casa assobradada da ra do Progresso n. 14:
quem a pretender dirija-se a ra da Praia arma
INJECCAO BROW.
Remedie infallivel costra as gnwrheas
antigs e recentes, nico deposito i a bo-
-ica franceza, ra 4a Crui 12 pre-
co 3*
Xlobllia
Alugatn-se raobilas : no pateo do Terco nume-
zei d. 34^ de carne seca junto a rlbeira do pixe. ro 42.

mm
Chegaram do Aracaty os afumados bieos da
Ierra sortimento de todas as larguras e ix>r preco
comraodo : na ra da Cadeia do Reeife a. 59.
Precisa-se de uma lavadeira
ra da Mangaetra n. 7.
na Boa-Vista
l|Chales de renda preta e bOumus de guip pret
A' loja da ra do Crespo o. \ 7,
DE
JOS GOMES VILLAR
Vende a 135, 205, 305, 405, 30-8 e 605, capas e casacAes do gros preto, chapeos
3) e ehapelinas de palha e outras muias faiendas proprias para a quaresma.
3 Jos Gonws ViU.tr preteodendo ir a Europa traUr de saa saude espera
devedores tanto do mato como desta praca saldis seus, dbitos quanlo antes.
que


-
Marte de rernambuco .-- egnada letra tS 4c Fevereiro de 1SOA.
A molestia ou i n fcelo pecu-
lal conhecida pelo nome de Es-
crfula e um dos maJes mais
prevaleoentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano: disse um cele-
bre escriptor da medicina que
mais de urna terca parle de
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao lo des-
tita, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysiea pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go t affeccdet d cerebro:Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetitt ; o semblante pal-
liio e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea; fraqueza e
molleza nos msculos: disgesta fraca e
appetite irregular, falta de energa, ventre
inchado e evacuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna
cor azula ia mostra-se em roda dos olfioi;
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados : o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabera, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupcoes na pelle
da cabera e outras partes do corpo, sao pre-
disposlas s affeccdet dos pulmSet, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e me-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de. pro-
tec$3o contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) estao exposlos tambem a soflrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysiea, ulceraces do figado, do es-
tomago e dos rins: erupcoes e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipel* ;
borbulhas, pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, .ulceras e cha gas, rheu-
mutismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimenlo e debilidade gcral.
Aos pulmoes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas ella produz inchncoes e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affecees cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllha de Ayer
composta dos antdotos-mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta m.lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecdas que tem
feito de tumores, erupcoes cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, r/ieuma, sarna, prelas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge-
ral :Indigesto, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do tero, a nevralgia e con-
vulgoes epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distrihue gratuitamente nos lugares onde
se venoem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composlo de diversas plantas, algumas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITORAL DE CEREJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysiea primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo peitobal de cereja do dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
a pharmacia franceza de
P.MaURER & C.
RA NOVA N. 18.
U9 SUM MUS MMMi
Maques sobre Portugal.
O abalxo assignado. autorisado peloS,
Banco Mercantil Portuei.se. e na ausencia 1
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- M
festivamente por lodoso.' paquetes sobre aas
as pracas de Lisboa e Poi.o, e mais luga- g
s
a
m
8
re* do reino, por qualqeei se roma vis-
ta, e. a praso; podendo, os qne temaran
saqaes a praso.reeetien m alista,no mes- j
moBanco, descontando 4 0|0 acanno: na
toja de chapos da ra do Crtspo n.6, oo
na ra do Imperador n. 63, segando an-
dar.Jos Joaquim da Costa M\\.
Est para alugar-se tima cara terrea na roa
da Gloria n. 14, um 1* e 2* andar de um sobrade
na roa do Rosario da Boa-Vista, quasi no pateo da
Santa Cruz, e ama mei agua na estrada de Joao
de Barros, com arvoredos, agua de beber, e portao
para o becco do Pombal : quem pretender faile
na ra das Cruzea, sobrado n. 9, das 9 horas da
manbia at a meio da.
****** m-MMmmmm
M O bacharel S
H Fraocisco Augusto da Cesta \
XSi ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69. 9|
mm mmmm mmmmm
A luga-se
urna casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, coebeira, quartos para feitore
escravos,com banho na porta, no lugar do Poco
da Panelia, roa do Rio : a tratar com Tasso tr-
aaos, na ra do Amortra n. 35.
Companhia Qdelldade de
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
ACKNTES EM PEPNAliBUCO
Antonio Luii de Oliveira Aievedo i C,
competentemente autorisados pela direc- 5
toria da companhia de seguros Fidelida-1
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da 2
Cruzn.l. (5
O solicitador Pedro Alexandrl- AotonioLuize Oliveira Azevedo & (J.
no da Costa Hachado
se encarrega ante o foro desta cidade de tudo que '
fortendenteasua profissaa,aceita departido an-
nualas pendencias judiciaes de qualquer casa
com mere ia I median te razoavel ajuste. Contina
a seencarregar de cobraaeas nos termos do Cabo
elpojoca aonde continua a trabalbar como d'an-
tts,e encarrega-se de defezas perante o Jury no
termos prximos a via frrea, offerecepdo gratui-
tamente seus serviros aos desvalido, pode ser
procurado todos os das uteis das 9 horas da ma-
nhaa as3 da tarde na ra estrella do osario n.
34, e fora deseas horas na ra Imperial n.36, ca-
sa de soa reidencia.
Agentes do banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados saeam' por todos
os paquetes sobre o mesmo banco para o Porto e
Lisboa e para as segulntes agencias :
Londres sobre Bank o( Loodod.
Pars
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cadis
Sevilha
Valencia
Iva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, da consultas em
sua casa das 9 s 1 i horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem siu casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira rlasse 3,8000 diarios.
Segunda dita.... 2,5500 >
Terceira dita.... 2,5000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servico que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianc de que sem-
pre tem gozado.
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
I Faro
: Oliveira d'Aze-
meis.
Penna fiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Frdric S. Balita & C.
Joo Gabe & FiMw.
Francisco Rotula & Ballesta.
> Jaime Merie.
Crdito Commercial.
> Gonzalo Scgona.
r M. Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira.iFigueira.
Caniinba. Guarda.
Castello Branco. Gulmaraes.
Precuradoria,
Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ce de Len, como solicitador, se encarre-
ga das causas crimes, civeif, commer-
ciaes e ecclesiasticas. Elle anda recebe
algumas cautas de partido, medante a
um araste razoavel. Pode ser procura-
do as salas das audiencias ou na ra
Imptrial sobrado n. 64.
"Ji
Chave?.
Coimbra.
Covilho.
El vas.
Extremos.
Evora.
Fae.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
de
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leiria.
Uonco.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Viatica do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Na ra Direita n. 3! se dir quem d 2004
ou 40o# a juros com seguranza.
COMPRAS.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no;
meimo Banco a razao de 4 por cento ao anno a
rstar na ra da Cruz n. i.
Compram-se escravos.
Silvino Guilnerme de Barros compra, vende e
troca escravos deambos os sexos e de toda idade:
n* ra de Imperador n. 79, tsreeiro andar.
Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de blhetes da Praca da Inde-
pendencian. a.___________
Compra-se efectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra largado
Rosara n. 24, loja de ourives.
Compra-se umaescrava de habilidades, bem
como urna negrinha de 9 annos : no pateo da ma-
triz de -anto Antonio n. 8.
AJg'odao
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
em carolo.
Compra-se qualquer quantidade por maior pre-
co do que se paga no mato : na fabrica da traves-
a do Carioca n. 2, raes do Ramos.
COMPENDIO DOLOItOSO
que contm o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rea, um setenario e mais outros ejerci-
cios de piedade e devoco; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S.da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlico
capuchmbos italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que Dcnsguarde;
dado a luz por devoco do muito reve-
rendo padre Fr. Placido de Msina
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e
da praca da Independencia.
DROGARA." "----------
34Ra 'larga do Rosario34
BartHolonieu Francisco deSaua k
\emdcm:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieses avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paes.
Vndese urna eserava mulata que engomraa,
compra e faz doce : qnem a pretender, dirija-se a
ra da Aurora, terceiro andar, na loja de funi-
leiro.
na ra
Deposito geral do rap prineeza Gasse e Paulo
Cordtiro oesia provincia, raa da Crnz name-
ro 18.
Jos Joaquim Lima llairao, recebedor do rap
prineeza Gasse fino," meio grosso e grosso, Paulo
| Cordeiro, dito meio grosso e viajado, qnalidades
i estas que tem nesta provincia obtido grande cre-
i dito pela sua excedente fabricaco, e materia pri-
i ma de que composto ; iste o atiesta a innmera
extrae cao que elle tem tido, e a condecorado que
Comprase uro globo astronmico
O armazem de tintas am grande deposito de.do Livrameato n. 19._____________^______
productos ehiraicos utensis e os mais empregados; Na ra do Bartholomeu (seguimento do Po-
e usados na pharmacia, pintura, photoraphia. tln- cinho casa de detencao) n. 45, comprase um
turara pyrotecbinia(fogos de artificie) eeui outras sellim inglez em bom uso, e pagase bem, confor-
10s a me sea est^o, embora seja s o casco.
Montado em grande escala, e supprindo-se d'
Yectaraentenas principaes drogaras de Pars, Lon- ,|nT.,r?n""^u escraT0 T^0' Sendo *
dres, Hamburgo, Anvirs e Lisboa, pode offereceer *"% pagar bem '' ** fUa da Ca"
productos de plena confiancae satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e aretalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropradas satisfar
com promptldSo qualquer pedido de Untas moidas
a oleo, cuja qaalidadee pureza de seus ingredien-
tes podar ser examinada pelo consumidor, o qne
VIUDAS.
Para todos.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que mudou a sua officna de palhinha da
ra do Imperador n. 24 para a ma das Cruzes n.
23, igualmente tem para vender palba e junco
mais barato que em outra qual jner parte.
Manoel da Costa Azevedo Napoleo.
Jos Soares d'Azevedo, jro' ssor de
lingua e litteratura nacional no Gyo nasio
Provi. cial do Recife. tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um curso especial
para cada urna das seguintes disciplinas:
LINGUA FRANCEZA,
GEOGRAPHIAE HISTORIA,
PHILOSOPHA RACIONAL E MORAL,
RHETORICA E POTICA.
As pessoas que d sejaren estudar qual
querdestes preparatorios podem dirigir-se
indicada resdedea, de manh5a at s 8
horas e de tarde a qualqu r hora.
ADVOCA CA
0 Dr. Manoel do Nascimento lachado i
Portilla
E O
(Rarharel Joaquim Pires Machado I'oilcllaj
! continuam a advogar no civel, crime, {
| commercial, ecclesiastico e administran- ]
I vo, e podem ser procurados em seu es- i
! criptorio na ra do Imperador n. 83, pri- I
I meiro andar. }
- Na praca da Independencia loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e prata e pedras
preciosas, assim cerno se faz qualquer obra tfe
encommenda e lodo e qualquer concert.
Wm mmmmm
m
0 portugnez Albino Baptista da
Rocha, relojoeiro e dourador, na
praca da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogio e
dourado por preco mais commodo
ido que outro qualquer e responsa-
bilisa-se pelo seu trabalho e espera
prateccao do seus compatriotas.
Precisase alugar urna eserava : na ra do
Sebo_n. ^__________________
No dia 9 voou um papagaio do sobrado da
roa da camboa do Carmo n. 8, buscando os telha-
dos dos sobrados approximados ponte, cujos fun-
dn deitam para a ra das Plores, e por sso roga-
se o favor de entregar o mesmo, do que se recom-
pessar,
Quem pede ne Diario 200, dando urna ca-
sa por garanta, pode procurar a dita quantia na
ra dos Pires, casa n. 39.
Alaga-so a loja da casa n. 9 da ra Augus-
ta; quAin pretender dirija-te a mesma casa cima
que achara eom quem tratar.
Preca-ce de urna aade leile, sem fiTbT:
na ra AugoeU n. 24.
Anda contina a estar fgido o cabnnha"de
nome Custodio, de idade de 14 a 15 annos, sendo
*ecco do corpo, pernas finas, ps eecos, rosto des-
carnado, queixo fino, as macas do rosto um unto
altas, tem as duae uahas dos dous dedos grandes
des ps murenas, era dons ealombinhos as ca-
dera*, difterenca Km do oei.ro de dous dedos, lem
nos torceos mareas grandes de vaccina ; cujo ca-
brintoa fogio em 9 do aovemi.ro prximo paspado
do engento Ronca da.freguzia do Cabo : porten-
to roga-se autoridades policiae* e capitaes de
campoqueo/acam prender e cenduzi-lo ao seu
senhor Beraardino de Sena Teixelra Cavalcauti
no reendo eogeaJio Ronca, ou no Recife, na ru
de Apollo n. 35, cegando andar, que generosa-
mente se gratificar.
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
tos,contina a residir na ra do Impe-j
rador n. 17,2o indar, onde pode ser pro-
corado aqualquerlioradodiae da noite
para o exercicio de suaprofisso de me-
tico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.'
nao abandonando nunca o esludo das,
molestias de interior, prosegue, com o .
maior afHnco, no das mais difficeise deli-
cadas operar 5es. romo sejandos orgaos |
ourinarios,dos olhos, partos, etc.
Vende-se um ptimo cavallo para ca-
obteve'na exposicao nacional, cuja medalha Vem Ino facil fazercom aquellas que sao impo'rtad'as, briol'I OU ca ro : a tratar na ra larga do
gravada nos rtulos dos mesmos boles, teem elle ie We se enconlram no mercado emlalas fechadas. Rosario n. 36, Segundo andar das 2 as 6
demaisa vantagem de no lerir o nariz. Tam-' lem grande colleccao de vidros de differentes a tardo
bem vende-se o rap denominado Araarillinho que! formatos desde urna oitava al dezeseis oncas de
na Baha goza do grande aeeitacao. O deposito capacidade de vidros para vidracas e diamantes
achase sempre supprido de todas estas qu?li- Para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
dades. propriedade e outros; de papis dourados e pra-
-- teados e folhas de gelatina para ornamento; de
por toaos pape| grail()e e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenhoj
O London 4 Brazllan Bank, saca
os paquetes, sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Gulmaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
O Dr. Jeronymo Villeia de Castr Ta-
vares advoga no crime e civel, commer-:
cioe ecclesiastico. Pode ser procurado
todos os das uteis at 3 horas da tarde I
emseu escriptorio, ra do Crespo n.... i
primero andar defronleda livraria eco- i
nomlca.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
SSS1 uliVSS^m^SSIAlmanak Administrativo ,
- Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
NORMES
Aluga-se um sitio na estrada de Joo de Bar
ros, com grande casa de vivenda, cocheira, estriba
ra, casas de banho e.de pretos, com arvoredos de
o outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
! teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
| clarificado, oleo de oielet, secativode Harlim,ouro
iverdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo-
I lhas de varias cores ; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; lintas em tubos e
telas para retratos ; lintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmira.bergamota, aspice.'patchouly,mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
ans da Russia, canda, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderaoser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea.com co-
fructos : a tratar na ra nova de Santa Rita, casa niar na frPntfl hnfa fnrlns nnra aostri
n. 5, ou na ra das Trncheiras, cartorio n. 19. Piar Mrenle, BOW OS iuoaos para a estra-
da e margem do rio Beberibe, com com-
modos parafamilia, estribara para cavallo
ecapimpara sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pele
DE
Partidas dobraat.
ron
Manoel Fonsfca de, Medeires.
Acha-se a venda as principaes livrarias
cidade pelo prego de 5 o exemplar, cartonado.
desta
Casas para alugar.
Alugam-se duas mei-aguas a 10&000 cada urna,
sendo praia do Forte n. 6, ra Nascente n. 14 : a
tratar com Azevedo Irmao, ra do Qneiraado
numero 32.
fundo,cora ptimos passeios,sala e gabi-jg e g
O GASTELLO DE GRSYILLE
Traduzido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatro
- pelo baratissimo preco de 26500:
da Independencia, livraria ns.
tomos
- Aluga-se o terceiro andar do sobrado n7J4 nete na frente, muito propria parapassaraj
do raa da Cadela do Rccie, entrada pelo becco!festa.e tambem se alugarporanno : a fal-i
Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado, lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia, e em Olindanacasacon-
tigua;om o capitSo Antonio BernardoFer-
reira.
S!R?Rsw;>!
Q bacbarel
Antonio Joaquim Ayres do Nascimento
tem o seu escriptoriodeadvogaciana ra 1M
estreita do Rosario n. 8, onde pode ser g
:- procurado das 9 horas da manhaa as 4*
i mmmmm mm mmmmmmm
AMA.
Precisa-sc de urna ama para casa de familia
na praca do Corpo Sanio n. 17.
FOJLHIHKAS
Para 18 (i 5
Acham-se ;i venda na livraria ns, C e 8 da
; piafa da Independencia:
Aluga-se o segundo e terceiro andar com A 1LHluN!,A l)E PORTA, abrangendo 0
;iiom soto daca.'a n. 16 da travessa da Madre de; Kalendano civil e ecclesiastico, tabellas
! Dos junto a alfandega : a tratar com Barros & de feriados, de emolumentos dos tribu-
' Silva no prime.ro andar da mesma casa. | naes do commercio, etc. a 160 rs.
O 3r. Manoel Jos d- Souza Pilanga, A FOLHINIIA DE ALGIIE1RA contendo o
Saca-se sobre Lisboa, Porto e Ilha de
i; S. Migue1, na ra do Apollo n. 20, escrip-
torio de Carvalhoe Negu ra.
Aluga-se um sobrado de um andar e soto,
1 sito no pateo da Paz, na povoaco dos Afogados :
a tratir no pateo do Terco n. 44.
Franca & Brasil.
mmmmm xsl
Alugam-se dous grandes sobrados com com-
modos para nun-erosa familia, novos e acciados, J. Mercier, alfaiate francez, precisa de bons offl-
coni jardim, cocheira, estribara e outras commo- caes e de boas costurelras : atraz do Corpo Santo
idades, na travessa de Joo Fernandes Vieira : a n. 27.
tratar na ra da Senzala Nova n. 45.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
nua a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2 i
3
Aluga-se urna ama boa engommadeira e ex-
cellente ensaboadeira para casa depouca familia :
I quem qnizer dirija-se a praca da Boa-Vista, esqai-
; na que_vra para a ra do Aragao, primeiro andar.
Preclsa-se alugar no bairro de SaolcTAnto-
9 nio ama rasa terrea no multo grande, com bom
: quintal, paga-se bem : na ra do Queimado b. 46,
que t ve loja na ra do Quemado, tem an a i
cata na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-J
pendencia.
O Sr. Aur liano C. da Rocha Wander-;
ley, queira mandar buscar urna carta na
Horaria n. 6 e 8 da praca da Independen-
c'a.________________________
Precisa-se alugar ou comprar um escravo
sem habilidades: na ra da Madre de Dos n. 36,
primeiro andar.
Aula particular.
O abaixo assignado, professor particular,provi-
sionado peladirectoriageralda instruccopublica
para ensinar primeiras lettras, lalim e francez,
tiquidaco das fazen-
das da barca fran-
ce a
Hoje pelas 8 horas da manhaa at as 6 da tar-
de principiara a feira semanal das segulntes fa-
zendas, parte das quaes sao da barea fraBceza
saber : madapolaoeom 24jardas, finse larao' a
6*. 7*. 73500, 8*500, 9* e 9*500, tambem te
madapolao fraucez infestado superior com 50 jar-
das a 1$ a peca, esta pechiucba espantosa, al-
godao rom 21 jardas superior a 5* e 65, e tutras
marcas a 75400 e 8* a peca, camisas a t cha-
les de merino a \&, i*500 e i*, estop* a 2* a
Jj.rda'ch'tas.francezas escuras, bellos pidres.
240 300, 320 e 34, ditas de bellos padr5es imi-
tando a seda a 360 o covado, sao muito finas : e
das-so amostras com penhor : na loja da ra da
Madre de Dos n. 16 defronte da guarda da al-
fandega.
Coke do gaz.
Plteh do gaz.
Alcalino do gaz.
Coke, tonelada 10600.
Pilcb, arroba 3*00*.
Alcatro, caada 500.
O cok reconhecidamente o carvo mais econ-
mico, lomase por isso recommondvel, bem co-
mo pelo aceio que se nota as casinhas aonde
elle usado. Piten e alcatro, alem das applica-
coes diversas a que se presto, como para calafe-
tar embarcaeoes, alcatroar madeiras, etc., leen
estes a propriedade de preservar do cnpim for-
migas, etc. B entregue na fabricado gaz, ou man-
dado por em qualquer ponto da cidade, segundo a
vontadedo comprador e previo ajuste.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
conhecidoja como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem aui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte
para voltarete muito
mesmo que aquella e m;iis urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabal Mater
em verso, deyocao ae agonisanie, coratao
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Mara Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesa), crescido numero dema-
ximas e pensamentos, urea historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.
' loja de Guimares & Bastos.
de olhos;
de peito :
dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rSo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus 1
doentes. 9
mmmmmmmmmmmmm
Quem precisar de urna criada portugueza
para ir na companhia de alguma familia que te-
nha de se retirar para Pcrtugal, pagando lhe a
passagem, pode ser procurada na ra do tueima-
do n. 49. ____________
Precisase de ama ama que compre, cozmhe
e engamme alguma cou'a, para casa de pequea
familia : na ra do Queimado n. 17, segundo
andar. _______
Procisa-se alugar urna prea para todo o ser-
vico de ucea casa de familia : na ra do Trapiche
n o mero 4._______________________
Casa.
Aluga-se o terceiro andar da casa da ra Direita
n. 36, com mullos commodos para familia, e tem
cano de esgoto : trata-se na ra da Cadeia do Re-
cife n. 3.
Alugam-se barato urnas mei-aguas na entra-
da dos portoes d travessa das Barreiras, bairro da
Boa-Vista: a tratar na ra do Cotovello n. 25.
' Aluga-se ama casa terrea na ra Augusta a.
90, com commodos para urna familia grande :
quera a pretender dirija-se a ra do Vigario nu-
mero 15.
Aluga-se um sitio eom muitos arvoredos de
fructo, boa casa de vivenda, estribara e cacimba,
na estrada de Joo de Barros, prximo i Soledade:'
a tratar na rna larga do Rosario, loja n. 32.
Aluga-se urna olaria nos Coelhos n. 5, a qual
se acha trabalhando, e tem canaes e barreiro, o lo-
dos os utencis em bom estado : a tratar na mes-
ma, das 8 as 4 horas do dia.
Quem preclssr de urna moca portugueza para
casa de pouca familia : na ra Augusta n. 76 se
dir onde.
Joo Francisco Pardelhas, agradece a todas as
pessoas que lhe flzeram o obsequio de acompanhar
os restos mortaes de sua presadsima mal D. Anna
Joaquina da Cruz, e de novo roga o caridoso obse-
quio de assistirem a missa do stimo dia qoe ter
lagar segunda-leira 13 do correle as 4 horas da
maoha, na igroja do Pilar, de cuja acto sou eter-
namente grato.
Casa para alagar
Aluga-se urna casa na ilha do Retiro eom 2 sa-
las, 6 quartos, 1 gabinete, cozinha, quintal mura-
do e banho : a tratar na ra da Matriz da Boa-
Vista n. 26, primeiro andar.
Vende-se o caf restaurante do commercio,
na ra do Trapiche Novo n. 22 : quem precisar,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos pode dirigir-se dita caja, que adiar com quem
senhorespaisde seus discpulos que segunda-feira tratar.
9 do crreme tem de continuar
no en.-ino das su-
praditas materias, admittindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meie-pensionislas. A pra-
ticade 19 annos consecutivos no exercicio de seu
magisterio, sua nteiradedicacao e sua moralidade
sao garantas que offereceaos senbores pais de fa-
milias, que desejam a sa e til edneaco a seus
ilnos.
Quem portanto quizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educaco de seusfilhos, pode dirigir-se
a qualquer hora do diaaoterceiro andar do sobra-
do n, 58 da ra Nova, onde ha muito lempo est
estabeloeido.
Jos itaria\Uachado de Figueiredo.
Vende-se um bom escravo de idade 30 aa-
aos para todo o servico: na Iravessa do Caraio
numero 1.
Vende-se urna bonita crioula de idade 20
annos, com todas as habilidades : na travessa do
Carmo n. 1.
Sitio.
Aluga-se o sitio n. 2 junto a capella do Rosari-
nho, com muitos arvoredos de fructo, casa com
muitos commodos, cocheira para ammaes e carros
e baixa de capim : a chave est no sitio defronte,
do Sr. Fialho, e trata-so na rna Nova n. 55, ou ao
Recife, raa da Cadeia n. 3. ,
Sttencao*
0- Precisase de orna Fortugueza para ama
na ra da Cadela n. 4, terceiro andar.
Consultorio aedieo-eirargico na raa larga do
Rosario n. 20.
O Dr. ioo Ferretra da Silva regressando sua'
casa, contina em o exercicio de sna profissao
no na parto medica eome tambem pa cirur-
gica.
Preeisa-se alugar um escravo para o servico
de olaria, pagndose l& diarlo : na olaria do
Fundi junto ao Dr. Moscoso._______^^
O Sr. Manoel Pereira de Andrade que em-
pregado no arsenal de marinha, queira vir pa-
itara da ra Direita n. 84, a negocio, que ao ig-
nora._____________________________________
O abaixo assignado manda para Europa o
seu neto Manoel Carlos Teixeira, menor de 10 an-
nos, para trzlar de sua saudo.
Jos Goncalves Torres.
O BACHAREL
Affonso de Mello
Advofado
do Livramento
Thomaz Jefferesfaz scien'e que At>
tonio Infante d' Albuquarque Mello, deixou
de ser caixeiro de sua casa d sda o dia 7
do correte. Recife 8 de fereroirode 1865.
R5
Urna senhora se propoem a ensinar msica,
pianno, violio e flauta, com perfeicao, as pessoas
que, de seu presumo se quizerem ulilisarem por
prego rasuavel, poderao dirigir-se a roa da Matriz
da Boa-Vista n. 54 que s e dir quem .
~ THESOURO DAS MAIS
Providencia das criancas
COLLARES KOVIl
Electronugaelicos.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTigO
Contra as convulsdes e para facilitara
denlico das criancas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceutico da esco-
la superior do Pars, successor de Chereau,
memhro da academia de medicina
amiga casa de Bouillon-Lagrange, pharmacenlico
do imperador
chefe dos irabalhos chimcos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmaria de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Ao publico.
Emilio Autonio Goncalves Lima faz ver ao res-
peitavel publico qne julga que sua casa sita as
areias do Giquja acha-se llvre o desembarazada ;
porm se algoem se julgar eom direito a ella por
divida ou qualquer titulo, luja de apresenta-lo no
praso de 8 dias, na ra do Fugo n. 12, ou anun-
cie por este jornal.
Vende-se calcado francez da barca franceza
S. Joao da Luz, na ra do Livramento n. 21.
Borzoguins de lustre (Nantes) 6000.
Diios de hezerro de Ires solas (Nantes) 6$000.
Dilos de hezerro de duas solas 6000.
Sapatos de tpele 6i0 rs.
Vende-se lagedo de Lisboa da melhor quali-
dade possivel para calcadas : na ra do Queimado
n. 18, seguoda loja.
Baralhos de cartas
finas a
Miadas de linha froxa para bordar a/.-.
Pares de sapatos de tranca de todos os
tamanhos e finos a...................
Massos de superior grampos para cabellos
Duzas de palitos de gaz snperiores a.....
Libras de ara prela muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa milito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito fina a...........'.
Ditos de cheiros muito finos para o preco
a ris..........................,_
Saboneles de todas as qualidades a 60 rs*.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a.....'.
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de paz de todas as re-
res a..............................
Pecas de litas elsticas cem 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, peque nos,
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris___... .....................
Varas de biroS franwes, superiores a...
Opiata para deptes da melhor que ha a..
Frascos de aguja, para denles, superior a
tudo a.....j.,.....................
Pecas de tranca preta liza muito fina a..
Caixas com 4 bapeis deapnlhas Victoria a
Varas de fija breta com colxetes a......
Libras de lia wtida de lodas as cores a
Bonecos de cliro muito bonitos a......
Caixasdobr!ias de ma ssa mulo novas a
Varas defraija .branca e deires para
toalhasa..L.....................
Frascos de ol^o Philocomescupenor >...
Ditos com superior tinta a320 e........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores p ra espartilho
Duzias de bo Ses encsnidaos para vest
m a
egninte
20
50
1*#
30
200
10
10
20
500
400
64
600
460
80
60
30
60
200
40
6J500
160
40
80
600
500
800
200
Vende- e um engento d'aaua, moenle e cor-
rente, com poporcoes para colher-se grandes sa-
fras annualn enlo atiento a bondade e exlenco de
seus terrenos ; est ainda quasi todo em mala
virgem, e dista apenas meia legoa do nma das es-
tacoes da viiferrea : qnem o pretender, dirija-se
ao Sr. majof Luiz Jos Pereira Simoes ra da
Livramenlo,
sobrado n. 24, primeiro andar.
A ttenco
Vende se o sibradiuho da roa nova de San
ta Rila n. 44 : a tratar na ra de Santa Rila nn
mero 3.
Vendem-se charutos da Bahiade varias qua-
lidades: em casa de Monbard & C. ra do Tra-
piche n. 48.
Novidude
Roupes de'sucim de linho para senhora, pelo
barato preco de 94 cada um, lazinhas econmi-
cas para vestidos a 360 o covado, cbapoos de pa-
Iha da Italia de apurado goslo a i4 : na ruado
Queimado n. 17,______^^^
Vende-se urna eserava enm habilidades : a
tratar na ra da Imperalriz n. 34, primeiro andar.
Vende-se urna parte de um sobrado sito no
bairro do Recife : a tratar na travessa do Carmo
n. 1 sobrado.
Na Piranga dtfrnnto ao sitio do Sr. Millet
vende-se nra bezerro e urna bezerra de raca tou'
ria._____________________________
Farinha de milito,
Vendem-so barricas de farinha de milho ameri-
cana de 6 arrobas : na roa do Rangel n. 3.
5, loja
Vende-se superior vioho do Porto em caixas de
urna duzia :em casa de Johnslon Pater & C. ra
do Vigario n. 3.
Faz< ndas para as na do Passeio n.
do sobrado do Sr, Maia.
Vendom-se chales de merino Uranos a S, pale-
lots muito finos de panno a 125 o 154, brim de li-
nho cortes a. 14280, paletols de bvjmbazina fina a
64, madapoldese chitas francezas mais barato do
que em outra qualquer parte, panno fino prelo a
14600, lencojs de chita a 14 a duzia.
Vende-se um piano de armario proprio par
se aprender) por prego commodo : na ra da Im-
peralriz n. 28.
Fljo
Na ra da Madre de Dos n. 9 vende-se feijo
mulatinho, dito branco, e dito prelo, mais barato
do que em outra qualquer parte, approveitem a
peehincha qjae a quaresma bateporta.
AttencHo.
Doce de poiaba fino em latas de 4 e 8 libras, por
precos coinmodos, qneijos de Minas a 14400, na-
guas da America em salmoraa 320 res, queijos
de Alentejoj a 24 : na ra Nova n. 8 loja do cha
VICTOMA
Vende-.;e na ra Nova n. 30, urna victoria ainda
em bom estado; feita por um dos melhoros fabri-
cantes de Pars. Os arraios tambera so acham em
bom estado.
Vende-se
nm expeliente cavallo muito bom andador baixo a
meio, sellado e enfreiadj, por muito barato prego :
a tratar na Boa-Vista ra da Mangueiran. 7, das
6 as 9 da manhaa e das 3 as 9 da noite.
Vende-se a taberna da ra da Conceicao n-
11 defronto do rancho, com poucos fundoi e com
commodos para familia : a tratar aa mesma.
ATTENQaO.
Borzegulns francez da barca S. Joo da Luz, a
64000 de lustro o bezerro : ra do Livramento
DJL_______I____________________________________
Vndense tira cavallo bom andador, gordo'
de estribara, anda baixo, meio o esquipa muito :
na Passagem junto a ponte pequea a. 19
Casi nos Afogados.
Vende-se o sobrdinho de am andar na ra Di-
reita dos Afogados n. 50, edificado em chaos pro-
prios, cora quintal murado o portao ; rende 254
mensaes, e com algum concert poderla render
404 : a tratar na Ponte dos Carvalhos com o Sr.
Flix Ramos Leutier, on nadirctoria das ot>rs
publicas com o capilo Raymundo da Silva Mala.
Vende-se a casa terrea n. 25 da ra de Ma-
thias Ferreira da cidade de Olioda : qnem a pre-
tender dirija-se a tratar nesta cidade na ra An-
guila n. 50.
\

240 20
400 40 14000
14000

j
.


Diario le Peruana) uco Seguuda lelra 18 Je I evereiro de !*.










"


NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Cberaram os modornos rostidos dt dentelle da seda coa barra, iateiramente noros
en totto e qualidade : i loja das colaaaaas, aa ra do Crespo n. 13. de Antonio Correia
de VaMoaeolles C, successeres de Jos Morelra Lepes.
Fazendas de bom gosto
Fara ustios desenlila
Superiores corles de seda de cor, de morante, de gorgorito e de setim imperial
Ditos de bload, e do cimbria branca tardados.
Ditos do la com barra o fraude variedade em cores o padrees.
Bitos de organdys com barra
Lindas sedas de qnadros escesseza e miadas.
Sapertro lias lisas cora grande variedade de cores.
Ditas com salpico;, com Dores o de qnadros.
Liadas pampelinas de qnadros e de Dores, fazenda inteiramente nova.
Soporiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandy*
Grande variedade de cbita de eores, de percal eontras muitas fazendas deiia.
Para hombros de sentara
Liadas capas e bonrnonx de easemira de cor.
Ditas do lia o do soda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 112 a 402
Manteletes do seda. v
Superiores basquinas.
sedando'flf'prt68 *'^ mern es,ampados flnos'de cachimira com listrasde
Camizinbas modernas, zuavos brancos e de cores, foleles de cambraia lindas rol-
liabas com panbos o outros maitos artigos. gO
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e ehapellinas de palba de Italia enfeitados para senhora
Ditos do leltro enfeitados para senhora. uuura.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Mr6tert!i.0r,I"e",a d Najoja das columnas da rna do .Crespo
los A C.
AO PUBLICO
l menor constran-
glmento se entregar o
Importe lo genero que
nao agradar.
MAZEM U
da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ha
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
NTIL
leudas
pretus para a qua-
resma
Xa loja do Pavao.
Arha-se este estabelerimenlocompletamente sor-
prelas propriaspara a quaresrea,
RA DA CA1IEIA DO RECIFE M. 53.
(Ufo aaasaade o arca da Canceie)
Grande redueeio de preeos, equivalente a dea por cento meaos do que outro qualqner
a anunciante.
ATTENQAO
fl ir
Os preeos _
tido de fazendas
a saber .
Grosdinaples prcloia'go e muilissimo encorpa-
do, outn.s mais -treitus t. ndo dos preeos do
1*280, GOO, 15800, U, 2,5400 e 32, superiw
moreaniiquc prtlo a :i5, superior sarja preta be.s-
panhola, superior setim pnio maro, ricas capas
pretas bordada*, sooteinl'arques tnuilo bera entoi-
tadas, ricas vasqulnas e ca nos que lem viudo, superiores manteletes, camisi-
alias com manguitos proprias para luto e ricos
diales pretus de rede, tudo ito te vende mais ba-
rato do que pm outra qualquer parle por ser adi-
nheira : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
As oupas do Pa\So.
Acha-se neste estabeleciinenlo um grande surt-
ment de roupas taitas para homem como sejam :
superiores paletols sobrecasacos de panno rreto
n ulto lino e forrados de feda a 22$. 252 e 302",
ditos forridos de alpaca a 142, 162 e 202, supe-
i riores paletots de easemira tanto sacres como so-
brecasacos, ditos de meia easemira p re tos e de co-
res, dilosde i.rini de todas as qualidades, colleles
de easemira nretos c de cores, ve'ludos,
n. 13, da Antonio Correia de Vasconcel-
ERAL 11U4 OV1HI \|14 4
Cv.
pretos c de cores, ve'Indos, setins
Collegas.Nao posso por mais tempe sustentar o preco da manteiga ingleza a l,ooo rs. a libra, bem assim o de outros elc?.send ,0CJa5 estas obras cortadas por om dos
muitos objectos, etc., dando cora isto ocasrao a todas as espeluncas acabarem por bora preco a manteiga de tempero, e gritarem em | SefXaTorM
a[t J02. que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo imperatriz u. go, de Gama & silva.
0, 11 e 12 covadts
una grande porcao
m sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a"l,_6oo7s. a libra/" Heje porem", resentidos aVredccao a que ^Si%e^fSt! torovad" *So
42^
do
__ ., ^uv Fuuvu< ivuun j>^u pi ^0 ijuc cu YCiiuu i i i ui a, eu uiieiiaiuw cuiu t'sias uuscui luciues c 1 eusiuau cui tuipiai u lucauu j impcrainz 11. uu, ae uama c\
systhema que vim encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fezer esta grande redcelo de preeos, como veris 1 Chitas em caries com t(
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do monoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao' N* 'Ja do Pav> vndese
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducto a que *gC^15S2 i^
est5o obngados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacio do procos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores mj| covadbs a 3% o cort "a "ovados a
al informado deste novo estabelecimenlo, para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu 6m pecfiincba para so apurar diniieiro : na luja
t5o sement obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Paviio, de Gama & Silva, la da Imperatriz d. CO.
As eassa* suiss s de una so co: a 360 o
colado o 1 a 600 rs. a vara.
Acabarn de cliepar as mais modernas rassas
suissas de urna s rr rom cordaozinho, ter.d as
cores mais modi'i 11; s ([iir tim vindo ao mercado
MAZEM COJVSERVATI
23Largo do Terco23.
Joaquim Siinio dos Santos, dono deste bem sonido armazem de melbados faz srint.
raeommondaao aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esta r.solvido a vende?ns
bem condecidos gneros de primeira qualidade.por menos de 10 a 20 por cento ens dom?/S
tra qaalquer parte a d.nheiro contado.e todo o comprador que comprar de 602 a S ter o de^con'
S m iifi? sPeelceriUficParrrmPl m^m > ^ &S '" t^SS
, talliarim e aletria a Milbo alpista e paingo muito limpo a 140 rs a li-
s*- bra e a arroba a 42400 e 4*200.
Maesas para sopa macarro,
iW rs. a libra o em caiza
foucinho de Lisboa alvo muito superior a 280rs
a libra o 82800 a arroba.
it do Rio de primeira e segunda sorte a 260.280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8
82506.
Chouricas as mais novas de mercado a 560 rs.
libra e em barril a 122-
Passas vindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caica a 82.
Batatas era gigos de 35 a 40 libras por 22409 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Ca hyssoa miadinho superior qaalidade a 12200,
22000, 22509 e 33 a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
500, 490 e 640 rs. a garrafa.
42400 e 4J200.
Phospferos do gaz viudos por conta propria a 180
rs. o maco e a 22 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o c-
lao a 22800 e a caada a 42300.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs a
garrafa e a duzia a 52800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra o
em barril ou caixa se far aLatimento.
Arrot do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 22800, 22e 22400.
Assim como ha um grande sortimenlo de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas.choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
Senhores e Senhoras o aceio que presidia, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida rae dar3o a proteceo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam peuco pratices, pois o vende-sc a 360 is. o covado ou a 600 rs. a ara.
sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afina de que nao vao em outra par te!na 1('ia do l'avi" nia Ca Impe/acdi n. co, de Ga-
'ma& Silva.
Meias ca-erairasa 1?)600.
dem nroprio P" neeocio a 320 e 360 a garrafaltos gneros que enfadooho menciona-los, e se al-
e a caada a 22409 e 22700. guem duvidar venha ver.
FRANCISCO J. GERMANN
1 RIJA
Acaba de receber um magnifico
IOTA W. *1
Acaba de receber um magnifico e completo sortimenlo dos objectos que de melhot oualida
de encontrar era urna relojoaria, taes como : chronometros martimos e de aleibeira rloeios de onro
e prau, douradose foliado, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allemaes e americano
reguladores de compensado, relogios grandes com msica e sem ella, dilo de sol montados com eras
para disparar era certas horas, despertadores de diversos lmannos, caixas com msicas igual sorti-
ment do ocuios e lonetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bufaio, aro, e varios mees oclo"o
lunetas espec.aes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que soffrem de inflammaces
nos olho^labricados segnndo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
i de cores,
i sellantes,
raornetrosc^ixas de instrumentos m'athematic^sVcorrentese"chaves!7in7tes^
l^Zt diS' lUd8 0S melhorts1fill>-icantes. Encarrega-se de qualquer concert e encomraend'a dos
objectos mencionados e responsabilisa-se durante um anuo por qualquer relogio vendido ou concert
eito, era seu estabelecimento; e veade por menos que podo fazer outro qualquer
Cassas
para ves
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
-.-..,^yfrtoriB? Sassas franeezas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
A ' ,,. j r --------1 r \ '" ""'"i l'ciu oaiaiissniiu preco oe
na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconccllos
CHEGARAH OS MODERNOS CH4LES DE
FILO PKETO.
Superiores clmles de fil prelo c' egados pelo ulimo vapor fran ez i
oja das.olu.i!n:.s ra de < res| o n. 13, de An'onio Coneia^de Vas o:cel-
los & C
BUHHUS DE RE-
da preta le linho. na rna do
Qnelmad n. 11.
E chegado da Europa um bello e delicado sor-
limento de bnrns, o melnor que tero vindo a este
mercado, proprios para a quaresma e tambum
para outra qualquer occasiao ; deseja-se vender
barato, e para esso Om convida-se a todas as pes-
soac que queiram comprar, virem ver esta bella
fajeada muito pouco conbecida nesta praca ; as-
sim como um bello sortimenlo de grosnenaple pre-
to moreantiqoe de todas as qualidades e preeos,
e tambem panno fino superior, easemira preta de
toda* ae qualidades, chapeos pretos do seda para
homem, o mais moderno que fem vindo, chapeos
de sol ioglezes, ehapelinas ricas para senhora, ri-
cos chapeos tambem para senhora, malas para
viagem, de todos os tamanhos : na ra do Qoet
mado n. 11.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escomida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abaiimento.
dem franceza a mais aova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meies a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melbor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem pretohomeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais pror..io
para negocio o l,6oo, 1,8o e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao quese veBde em outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chourips e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a o.ooe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e 1,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l.Goo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abaiimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
Iiem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior 9 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Przunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5o rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre ebegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Cpos lapidados para a gtiaa 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e bespanol a 9oo
^ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacele em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garanle-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salm3o, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe !,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,oeo rs. v caixa, garante-
se ser de qualidade superior, quo outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
fdem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1 .ooo rs. o fiasco, e
H,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda era botijas grandes 4oo
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
raento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, 7.8o
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,oo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do MaranhJo a leo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
Ubra. e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3o
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim braoco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse fia.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32e,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a '4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 8,Soo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das mehores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o.ooo rs. ea9oo e l,oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas era latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,500; ditas doce em latas com O mes-' Vendem-se superiores meias casem.ras proprias
L n#Qft f Kan. ditas imriAriafS emlaiaSi rara "alca, colleles e paletots sendo fzcnda muito
? ofS i'a?' S mp 6naesemuw*|encorpada lisas e de qnadrinhos c ano lamb m
de 3 libras por 1,500 rs. serven, para capas de senhoras e vendem-se pelo
Ameixas francezas era latas dele meia libra
por 1,2o; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l5oo, eI,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85 rs. a garrafa e 9,5oe a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Melho inglez em garrafa de vidro com
rolhado mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos mehores fabricantes a'
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza era potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooo rs. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro cora rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Cha rutos de todos os fabricantes da Bahi a e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das mehores marcas a
l.ooo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixesa6oors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
fibra e ^bollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas porl,2oors.
Matle excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Laratissiir.o preco de 1*>6(iO o covado oa 3 o cor-
te de calca : na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 00, de Gama & Silva.
Co tes de vestidos prcto.*.
Vendem-se ricos corles de vestidos pretos bor-
dados a vefludo pelo barato preco de 255 rs. r.-ida
nm : na loja do Pavao. ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os elementos que compoem esta preparado, o
ferr, o iode e a quina, a coUocao no primeiro
grao das preparacocs ferruginosas. Basta atlestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmadlo sua poderosa efficacidade as
seguintes affecces:
Mlngoa no Mingue.
Fruf|iirr.n.
Anemia.
Chloro-ic oa Ictericia.
Menstruo.
AfrpccocM do ulero.
Supiirenncfl <\iiti re-
Rrn* e deNOrdc* na
uienatruacao.
Afccro pulmonar e
pnthlMlc.
MolexUa. d'CHniago.
Gastralgia*.
Ferda d'apprtllc, ote.
Veje se os bullelins
Convalescenea de Ion-
fian molestias.
Molestias escrfula
sas.
Papelra.
O'-iit.-ucco das gln-
dulas.
Humores fros.
Humores brancon-
nnchltlsmo.
Affecces cancerosas
e syphlllllcaSf
Pebres typholdes.
Variles, etc./etc.
de teraputica medica
MOTORES
Tende-so a casa terrea da ra do Moloco-
lom n. 39, nos Afogados, tem 3 quartos, quin-
tal murad), cacimba e estribara, o foi ha pouco
concertada : a tratar na ra do Imperador, ar-
mazem de molhados n. 81.
, Feijo melalinlio.
Vonde-sa feijo mulatinho por preco muito com-
modo ; no "pateo do Terco n. 34.
12,000
Paletots sobrecasacados de panno preto lino,
vende-se na rna do Crespo n. 17.
para machinas de algodio.
Acabarn de chegar agora novos motores para
um e dous cavallos para mover machinas para
desearocar algodo, cylindros de padaria, e outras
quaesquer machinas para agricultura, os quaes se
vendem por preco muito em conta. Tambem se
vende um motor americano para 2 e 4 cavallos pa-
ra o mesmo Aro, que trabalha muito bom ; elles
se acham montados para o comprador ver o sea
trabalho : na fabrica da travessa do Carioca n 2
caes do Ramos. '
loa da Seazalla i. 42.
Vende-se, era casa de S. P. Johnston d C,
sellins e silhoesinglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas-inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos.Je relogios de
ouro patente inglez.
Vende-se
nrai armaeao de taberna e os seos ntencilios:
ra de Joio Pernaodes Vielra n. 64, Soledade.
na
TINTA PRETA C0MMERC1AL.
Vende-se tinta com esta denominarlo prepara-
da por Joo Cancio Gomes da Silva, a roa do Qaei-
mado n. 32J________________
Farello siperiar de Lisboa a 50 o saeea.
Tem para vender Antonio Luiz de Olivet-
ra Azevedo no sn escriptorio rna da Cruz
n.l.____________- ________________
Milbo novo om sacco grandes : no trapicho
do Caoba, a tratar com Tasto Iruos.
BOTICA E DROGARA
Bartiiolomeu Fraucssco de Sooza i C.
3-1Ra larga do Rosario34
Vendem:
Pllulus Hollow.iv.
Plalas do Dr. Laville.
Plalas do Dr. Alian.
Plalas do Pobre-homem.
Plalas americanas.
Pilulas vegetaes.
Plalas vegotaes assuearadas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina do Grimault.
Vinho de Salsaparrilba de Ch Alberf. ^
Injecco Feaugas.
Agua dentiUcade Desirabode.
Papel chimieo, para tainos.
Xarope depurativo de Cbable.
Lieor aromtico de Raspan.
Pos anti-epleticos de Brest.
Rob L'Affecler.
Jarope do Bosque.
Ungento Holloway.

0 BMDO MI(im
Arm^ieu de miiIk&ii
81-11UA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegic.
Francisco Jos Leile, tem a satisfago de avisar aos seus freguezes e ao respeilavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acba-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas mehores qualidades, efrancamente afDancas pessoas que
se dignarena comprar em seuestabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e preeos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao Ilude a pessoa algoma.
AosSrs. de engenho e lavradoresqueo qHeiram honrar como seu comitentelhes
assegura que o producto deseu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta prar;a, para o que se julg convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois do se-
rem fielmente umprido as suas ordens.
. Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negocianlefijue Ihe mere^am confianca, a-
zendo timbatevantajoso aos quepagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero dopaiz, mediante urna mdica commiss3o, entregandode
promplo seu producto, e sendo este applicado compra de gneros era seu armazem,
prescindir da commiss5o.
Dos seus antigose hengnos freguezes espera oannuncianle sua valiosa protecc2o, fre-
qoentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que Ibes tributa offerece expon-
taneamente seas srvicos.
Jolga desnecesario publicar a tabella dos preeos de seus gneros: sao seus recursos
garanta suficiente de poder ceempanhar os menores preeos de'idnticos mesmo de
mais apparatosos estabelecimenlos, tendosomente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
PrcvencSo necessarla.
Tendo sido o proprietarlo estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio n i mesma ra, jolga prudente advertir que s afirma e se responsabilisa pelo qoe
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
a B a? S? ? > > O &a ** -52
o
3-o a
w.
rt
B9 D
O- o
si'?*'
co
-a
O & n. 9
&9 ."-
g-E Btrg
g 2". & B'
rttSKOBi"'
EI.M'lllIn
e-s_ fc. -i O m'W TI? K-?
S0- c B n a
a -
o 9
u "1 es
ai o
o. 2 w 9 b < 9
"' sr co e o 5 o
SO
d o B a b J
**-2 Seo sr
3*2. S g aqgg
CS 9
Ji
S co
o s*
o e. r
o er
5
B
o
fi o.
* 2 5
a 8
Ski
o
S w
2
o
.- OS
ca o.

O
a
a-
a.
9
2
a
m
e
Be
>
z
9
V
e
i
e cirurgica de .'10 de novembre 1800; n Gaxeta
ios hospitaes de 28 dejullio 18G0, etc., etc.
Alem das pillas de iodurelo duplo de ferro e de
quinina de fcbillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
trro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nSo tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folbeto que se d de graca em casa
dos pharmaecuticos depositarios.
Para-se evitaran falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmaciaRebilion.
442, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
GRANULOS
t>e BISMUTH
JffiMHEVRIER
Os granulos au bismuh de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacoes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos 3e lodos os paizes, para prevenir e
curar as
Ms cllursles.
Gaslrllcs.
UultralRlas, ele.
Da;-i-boas fhronleas.
nysArntcrlus.
DO re d'rslmaaa.
D;speaslna.
. Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affecces se manifcslo ordinariamente por diges-
toes laboriosas, azidutnes, falta d'appete, pesos
es6tnago depois de cada comida, caimbras es-
tomacal*, c, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidJo, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Molestias de tinado.
A Ictericia.
Paluliacao de coraco
Dore as rlns.
Os granulos Chevrier sao ordenados petas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pliarrnacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
Opprcssoea.
Dres de eabeea.
Irrliaecs de bealfa e
da ai a t i-Is, etc.
ianm
81-IIUA DO IHPERlDOR-f
Segunda casa do lado dtreito indo do pateo do Coegio'
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar acr natural
dos cabelles.
A agua florida nao ama tintura, ficto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inoffensivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante qo el-
les tem perdido. B'uroasalubridade incontesu-
vel, a Agua Florida entreten) a limpeza da cabeca
detroe as caspas e impede os cabellos de caair
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constitu poderosam'*, com a Agua Florida, a
forca, a belleza e a conservacao dos cabelle.
Em Paris, casa de Quislaur n. U, roa do Bicke-
nen, e 51, bou levar Montrnirre,
Todos es frascos, nao tendo intacto aclaro,
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito,roa do Imperador, pharmacia i. 3S.
FIGAOOde bacalhau
&
em
Peo pnc- o de Cherrier, pharmacfatico
Paris, ra do Faubouig Montuiarle 2h
Este oleo de um cheiro agradavel, c de
um sabor assucarado o nico que nSo tem
nem o gosto, vem o cheiro do peixr. Oh-
jecto de numerosos relatorios scienlificos e
mdicos, este mdicamente que goza era
Franca de um successo t3o raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principis mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BACALUO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os maiores
successosnas molestias'em que se emprepa
o oleo quando sao acompanhadas de debli-
dade e atona.


^MttWte Fermamoaeo fteguna Ira i 3
lro de t
ROUPA
NO
ABI1KEI
DE
%W^% fc W*^a
i&4B AURORA BRILHANTE
'i'Obclfaq
KJGTREXRO VMSB.
*D
Neste estabelecimeato ha sempre uin soriimento completo de roapa feita de |
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, tontade dos onceo- g
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um 5
grande' s variado sortimeato de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, I
horaens e meninos.
GRANDES 41HZENS
HE
MOLHADOS
i Casacas de panno preto, 350 e 300000
Sobrecasacas idem, 30* e 25*000
Paletos dem e de cores, 250,
200, 1S0 e......10*000
Ditos de casemira, 20*, 15*,
12*, 10* e...... 7*C00
Ditos de alpaca, 5*, 4*e 3*800
Ditos ditos pretos, 9*, 70,
50,40e .....3*500
Ditos debrim e ganga de co-
res, 4*500, 4*. 3*500 e. 3*000
Ditos branco do linho, 6*, 5* e 4*000
Ditos de merino preto de cor-
dao, 10*, 7* e..... 5*000
Calcas de casemira preta, 12*.
1*, 8*e......7*000
Ditas de cores, 90, 8* e. 7*000
Ditas de meia casemira de co-
res, 5*00 e.....4*000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 4*500 e. 4*000
Ditas de brim branco e de co-
res, 5*, 4*500, 4* e 2*500
Ditas de ganga de cores, 3* e 2*500
Colletes de velludo preto e de
cores, 9* e......7*000
Ditos de casemira preta, 50 s 4*000
Ditos de ditas de ores 5*
4* e........3*500
Ditos de setim preto. 5*006]
Ditos de ditos e seda branco,
6* e.......W
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 6*, 5* e 4*0
Colletes de fustao e brim bran-
co, 3*500, 3* e 2*30
Seroulas de brim de linho,
2*400 6......2*000
Ditas de algodae, 1*600 e. 1*400
Camisas de peitos de linho,
4*, 3* e......2*50"
Ditas de madapolo, 2*500,
2*e........1*60
Chapos de massa, pretos fran-
cezes, 10*. 9* e 80500 Wt
Ditos de fltro, 5*, 4*. 3*500 e 20000 j
Ditos de sol, de seda, 12*,
110, 70 e......6*009
Collarinhos de linho fino, Ulti-
ma moda duzia. ... 6*000
Sortimento completo de grava-
tas. *
Toalhas parroste, duzia, 1'IS,
e......... 6*000:
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....4*000
Lencees de bramante de linho. 3*000'
Cobertas de chita chineza.. 2*500 j
Largo da Santa)
Cruz as. 12 e 84 j
esquina da ra do]
Cebo. i
," I .:!
NEM COROAS NEM MITRAS
GRilBE ARMA/iEM
DE
RA DO IMPERADOR *
Julo ao srbrado em qne mora Sr. Osberae,
Duarte Almelda A C. receberai de ana propria neo mi
da o mal* lindo ?arlad* sortimento de mol hados, propflt*
da presente estaco.
ir
ESPECULES
Largo da Santal
|Cruzs. 12 84,$
esquina fa roa do]
[Ccbt.
-mR W w ^R 'R ^K ^? wB
O dono des J milito acreditadas armaaens de raolhados denominado Aurora
Srilhante, acaba de receber de sua propria encoramenda, rauitos gneros deHeados
proprios da presenteHcSo, e tendo grande sortimento comprado aqui.aianpafMtedts
es seus gneros sao de 1.'qualidade.
A seguate tabella servir a todas de base para ajaste de contas aos por-
taderas.
Xenhurn armazem Tender mais barato, e melbores gneros de ane a Aurora
rilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesrao por sea dono se aehar encom-
Mdado em su saudee ter de veader um de seus armaiens aora, e o oatro na pro-
xima primavera, fiar sso ere-so aproveitar urna quadra estas para se comprar
barato.
>
DE
DE
J. VIGNEST
N. &&. RA DO IMPERADOR W. Oft.
Os pisaos desta amiga fabrica sao hoje assaz coHtiecidos para que seja necessario insistir sobren
:aa superioridade, vantagens e garantas quu fferecem aos compradores, qualidades estas inontesta*
res que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praca ; ouV
siindo um teclado e machinismo que obedecem todas as voalades e caprichos das pianistas, sera -
nunca falhar, per serem fabricados de proposito, e ter-se feo ltimamente >raelhoramentos importas-
issimoa para o clima deste paix; quauto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
v e 1 g aos ouvidos dos apreciadores. ,,....
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica romo na do Sr. Blondel, de Pars, socio
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
Na mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido -e variado sortimento de msicas doi
minores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
1) roces commodos e razoaveis.
ajiJS
IITOIHO MEDICO-RIRG.CO
DO
Dtt PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
da manbaa, e das 6 e meias 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial komeopa rica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avuisos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
> de 24 tubos grandes. 180000
> de 36 tubos grandes. 240000
> de 48 tubos grandes. 300000
deSO tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e con os rena ;
me se pedir. .
Um tubo avulso ou frasco de tfrrtura de meia onca 10' 00.
Sendo para cima de 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS
\ melhor obra da homeopathia, o Manual d Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
S)aj gVaades volumescom diccionario............ 20100^
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 105000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 61000
Diccionario de termos de medicina........,,.. 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais coahecidos e dispensara portan-
te le serem nevamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dideiros enrgicos e durdores: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro ssucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estibelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
v-^raco, para o que o annunciantejulga-se sufflcientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatreannos, ha muitas. pesaras de cojo conceito senJo
pie duvidar, que pde'm ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Paca-se 23000 por da durante 60 dias e rTahi em diante 10800. .
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
umeis que costuma pedir o annunciante.
Latas com 8 libras de chourigas muito aovas,
Ditas gran Jes com peixe era postas tateiras,
ais de \i qualidades, a liO0, I8 e
fm.
Bitas com ostras, exeellente petiscu para fre-
grdelra, a 7SB rs.
itas com ervilbas novas, ensopadas, a
7ao,rs.
Ditas com favas, a 610 rs.
itas comameixas a 1,5200, 1^800 t 3*500.
Ditas com marmelada do afamado fabricas
cante Abreu, a 880 rs.
itas de massa de tomate, a 300 rs.
.filias cora figos e comadre, aovos, a laftO,
2J e 5300.
Bitas om boUcbinbade soda multe novas, a
IfBfJO.
Bitas cora biscoitiohos inglezes de muitas
qu ilidades, a 1^400.
Chocolate.
i Ciiocolate s.iperior multo nove, a libra a
i*W.
Micarrao telharim e aletra amarella, a libra
a isa rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estr1iha,pevitie e outras mas-
ss, a-caixa 3*300.
Ditas .Jila em libra.-, a 6*0 rs.
Saii, a libra a 360 rs.
Sevadioha rara sopa a libra a 740 rs.
Srvilhas seccas, a libra-a'160 rs.
Ditas daicascadas,.a.libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra.a 280 rs.
'.Farinlia de ara ruta verdadeira, a libra.*'
300 rs.
-Arroz do Marsnblo,-era sacca^a arroba a
*400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, ,a arroba a 3*200 e a
libra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a9*508 aarreba e a 320
rs. a libra.
Dte de-9antos, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs. .
Moltioscom 125 sebolas grandes, a 1*280.
Uostarda franceza caixa cora 2 duzas a
8 3000.
Frascos com mostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas inglesas e franoezas,
a GiO e 8!)0 rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 300
ris.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 1*200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
t*000.
Ditos He 4 garrafa de Holanda verdadeira,
a 648 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
Garraffies com 2 galSes com dita, a 6*000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 6*000.
Vmho mjscatel de tetuba, a garrafa a
1*000.
Marrasquinho verdadeiro, fraseos a 800 rs.
e a 1*200.
Champagne, a duzia 20*000, e a garrafa a
2*000.
Azeite refinado portnguez e francez, a gar-
rafa a 1*000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
7*,8*, 9* e 10* a caixa.
Bitas com dito branco, a 7*000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 20*.
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
18*000.
itas com chamiseo snperlor.a 14*000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 12*000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 4B,
72 e 860 rs.
Dito de ti*oa mnlto bora, a o*n*a a
3*200,1*300 4*000, e a garrafa a 5B0
e 560 rs.
Dito da Figueira, das segnintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J..L. Gj) (O. M.) a caada a
4*50 e a garris* 360 e 649 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
|Ditesd marcas irais o>seohecidas, a cana-
da a 3*500 e
52B rs.
4*000 e a garrafa a 480 e
Viabo branco uno, a garufa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800-rs.
Vinho verde superior.
A eaaada a 30600 o a garrafa a 480 rs.
lifemna.
Sacras de 4 arrobas, a veriaieira de se
ngommar, A arroba a 3*0B e a libra
Sabo assa.aliDra a 200, 24 o 280 rs.
MfHMu
Saccas grandes com fariuha ieGoiannaui-
to aova, a 5*000.
Catt. i
Caf do Rio muito .superior, a arroba a 8*, 1
8*500 e 9*0*0.
cw.
Chitemos nestesgneros omelfcorpossrvel,
bysson, o libra a 2*600.
itoperola a 3*U0t. J
Bitouxima 2*700, j
Bito liyssoa muito fino a 2*80#.
Dito redondo a 2*50.
Dito^ireto deirrimeira qnalidade a2*560.
lio mais baixoa2*00e 1*660.
Erva mate.
ExceHeate cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaceti
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
64* e 720 rs.
Passis.
Caixas de 16 e 8 libra de passasnovas pro-
prias para mimos a 4* e 2500.
Nes.
Noies, a Hfera WOtb e wrroba a 4*0.
.11 pista e paBf*.
Alpistae pain50,a arroba4*000 ea libra a
160 m.
Cartas*
Cartas unas para jopar, a duzia a 2*500.
Caslaihas.
Castanhas novas vindas neste vapor, aarre-
ba 4*000 e a libra 290 rs.
Azeilons.
Barris com azeonas novas a 1*300
Manteifa.
Hanteiga Sor, a libra a l*9Bf.
Dita maisabauo a 800 rs.
Dita menossnperiora 640 rs.
Ditafranceza nova,a libra a 720 rs.
Dita dita era barrise meios ditos, a libra a
660
Ditapara tempero a 400 rs.
Qaeijos.
Queijos no vos vindos neste vapor a3*20B e
3*500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
1*000
Papel.
Papel almago nanti-'o, a resma a 4*800
Dito dito lizodelinho, a resma a 4*oUU
Dito de peso iizo e panudo, a resma
2*500
Dito deembmrho bom a 1* e 1*200.
Vinho Madura. _
Garrafascomo verdadeiro vinhoXereze m
deira a 1*500 e 2*.
Temperos.
Folhasde loarb, pimenta do reino,
e cravo, a libra a 400 rs.
felas 4e camaba.
Massoscom6velas de carnauba renaaa
480 rs.
Amendaas.
Amendoas com casca,a kkra a 320 rs.
Doe*- 4JIA.0
CaixSesdedocedc goiaba, grandes a >*^
e peqaeos a 696 rs.
Tajlos d Kp*r.
Tijolos e arcar facas a r4B rs.
6ma.
Dnzias de boioes de graxa n. 97 a *600, e
de Utas a 1*000, e os boi5es a 240 rs., ca-
da am-, e as latas a IOOts.
Ch,>rntos fines.
Charoles fiaos dos melhoresfabricantes da
Babia por divorsos preso?, caixas o mois
caixas. ,.
com"
mmmmmmmmmkmmw
Fabrica Ooacei^ao da
Bakia. ^
H Andrsde h Bego, recebo contante- ^
-4| m.inte e tem venda no sea trroaiev n. f
ja 34 da rua de imperador, algodao d'aqael- f
* '.a fabrie, proprio sara saceos do ase.
r|| car, embalar aiselao empraraa etc., etc., WS
j^j pelo proco mais razoavjl.
AGENCIi.
AGENCIA L0W-M00B.
l'.ua da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a havor
am completo sortimento de moenda* e meiai
aoendas para eogenho, machinas de vapor
e tachas do fem batido e coado, de todos 01
lamanhos para ditos.
Arados americanos o machinas para
lavar rottBa: em casa de S. P. Johnston i 6.,
roa da Senzalla Nova n. 42.
E grande quantidade de gneros tendentes <&
a estes estabelecimentos, que deixam de an- 5
nuneiar-se.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda no ultimo vapor a i ,000
rs. a libra eem barril a1Jo rs.
IHanteiga franceza
da afra nova a 60o rs. alibra, e em barril
">60 rs.
Amendoas
(Mifeitadas de liadissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos da vidro com 3 libras liquido a
2400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinlias de soda de todas as qua-
lidades a 1A3M.
Checolates
de todas as qualidades a l 5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 510 rs.
Queijos flainengos .
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Qaieijos
cbegadts no ultimo vapor a^60O cada um.
<|aelJo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinbas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1/1200.
Cha nxim
o melhor que se pode desejar, que ontro
qualquer nao pede vender por menos de
U a 2^00.
dem prrola
especial qualidade a 2/1709 rs. a libra.
dem livsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2/1600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, taHurim e aletria a
480rs. alibra.
COGITA C
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,oo e 800 rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
idSjPapel de botica
p : de escolente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
k azul l pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
5 rs. a resma.
Corinthias
passa* corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretas do 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caia
e l.ooo rs. o molho.
Alpista o hinco
o mais novo do mercado a 14o rs. a libra,
e 4^400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10009 oceBto na rua do Que!-
mado n. 7, rua do Imperador n. 40 e lar-
go do Carino n. 9
CRlO D BICO
muito nov a 30100 a arroba e 140 rs. a li-
bra na rea doQueimrdo n. 7, rua do-
Imperador n. 40 e largo do Carra n. 9.
QUEMO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na raa do
Queimadon. 7, rua do Imperador b. 40 e
largo do Carmo n. 9
Maeas brancas
para sopa a melhor qe se pode desojar,
macarrto, tarttefrm aterria a 400. a
libra e 4|509 a caixa.
Vmho
Figueira J A A e outras muitas Marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
Ideai do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade de Porto a 1# e 10180
\ garrafa e de 190 a 1U a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Chamissa Filhe,
F. 6 M., Nctar ou vinas dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banba a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaque
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* .l bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a G05OO a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res -e ostros em
meias caixinbas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da IwBa
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 803f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
(arralos

A 4 8 0 CORTE
Feijdo.
Vender so saceos com 5? coias de fejao rajado j
do Porto por li, en caas a 520 : na roa Direi-
n.8.u_________^____^_________
Vinho do Porto superior
c.-n barril de oitavo e dorimo, vende Aotoaic Luii
de OHveira Azevedo & C.; no sea escriptorio roa
da Cruz d. 1_______________________,
" Roa da Seoalla l'iova 4?.
N3ste estabelecimento!vendem-setachas de \
ferro coado libra aJUO rs., idem de Lov
Moor libra a!20 rs. ja j( 1,5500 e 20; vender por esto prco P3r
~ Vendo-se por preco commodo na piano d"o ; ter- arreraatao n alfaaoejra e ter aro defeilo :
me->a proprio para aoen ^uizer aprender : a Ira- | na toja da roa t Malro de Deo H. W, defroate
ur na raa de Santa Thereza a. 44. pa guarda da alfandefa.
* ATTENQAO.
Vonde-se por 8003 a qnarta parte de um sobra-
do de dons andares, sito na rua do Padre Floriann
fi. ii, edificada em ch3*s proprim : os pretenden-
(p rtiniam-se a roa ias Cinco Ponta> n. 79, quo
I hl eharSp ana anem Iraur.
Chales de merino
',
PeoMncna sem igual.
Lindos cortes para vestido de percates de cores
claras e escuras com grande variedade de padroes
pelo baratissimo prego de 4$ o corte: na leja das
columnas rua do Crespo n. 18, de Antonio Cor-
ret* de Vaseoncellos k C.
Potasa da:.&ussia
^Acalia de ctic^ar a mats nota o verdAdein po
tas** da Husnh. e vwide-so a proco comwodo: no
csrriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Fl'ho,
largo do forao Santo n, 10.
P0T\SSV
Vot>-sf potaott. tv harrjs
a rna da Crm n. W- rmtr
s a cemmad* proco o
n. i. r"nro andr, eserlptorir
de Antonio do Auaela Gonea.
com 4 V garrafas com vinagro ti 1 $000 ca
"ogarraflo.
GENEBRA DE LATIANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110060
a caixa.
IDEM
em frasqneiras de Hollanda a 50800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasquetra a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oe a groza
e2o rs. cada camnha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadoiro prezunlo de Lamego a 52e rs.
a libra.
ARROZ
Maraabo, Java e India, a lea rs. a libra o
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimeato.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo a
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quarog e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Choeolate
portugass o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frats em calda
chegadas ltimamente, pera, peeogo, ginja o
outr6 muitos a 640 rs. a lata.
Dsee da casca da giiaba
a 600 s 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 o 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el40rs. alibra na roa do Qosi-
matio.u. 7, roa do Imperador 0.40 e tarto
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
am latas de deferentes qualidades a 102G0
a lata
QUEWOS FLAMES'GOS
cargados neste ultimo vapor a 20806 na roa
do Que i mado n. 7, roa da Imperadora.
40 e largo do Carmo 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
freguezes e amigos a ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
trpularam os mesniss precos nos seguintes logares:
0 Verdadeiro Principal raa do Imperador a. 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40300: na roa do Imperador ft. 40.
NOVIDADES.
Qaeijos do Uentejo, ditos das ilbas o mais fresco que So pide dese-
jar a 15200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinbas
redondas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato preco de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 806 10500
cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, roa do ..
Imperador a. 4.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se taz da melhor qualidade a
10 a lata: nos rmaseos da ruado Im-
perador n. IR < rna <\r> trancha-Nova W. 'K,
? V mt di vtiiW-i i. !)'. vrfnd-*o eraiTi
f|^n'1a,,*' d r\h do floras por barata preijo, Isto
t o flm do mei.
Superior cal 4e Lisboa,
Vende-so soporta- cal ti ^ii*oa aimais novi
ene ha Mercado, tasto em porcao eo,mo a reta-
lho, por barato ve, afian<;aodo-se ao$ rompra-
doros- oariar oiiklidadp: a tratar B5 segm'Hea
roap : Creapo B. 7. imperador n. tt, Paite toHi-
toR.armaiooi de-8r. Avttra, dalronta % traoteU
> algodao.

rr


Mari de iMm Segunda Mr> A de I-vertir de Ins.
0 VIGILANTE
Roa do Crespo n.
0 gallo vigilante tendo sido agraciado pele pom-
poso Ballisa, na sua ordera do da, e pela branca
Agaia, apesar de que, para estes o (ai lo cora seas
agueosespores nuncaos olTender, anles osagra-
eiara na mesma confurmidade, para que o Balita,
possa marchar era Crale, Branca Aguia possa
levantarseu voo,|levando no bico as palinbas sau
toba; e o Sallo licara eco seu espacoso campo
dando do novo o sea canto annunciando a aeus
boas tregeles e ao respeilavel publico
0 grande sortimealo eobjeeiea ie mito f oslo ane
acaba de receber.
Ricas caiiihas rom msica ricamente engaita-
das para costura, proprlo para um delicado as-
nino.
Riquissimos eofresinhos com cadeados de metal
para guardar joias.
Ricas eajxaa com estejo, contendo lodos os per
lencas para homem.
Riquissimas voltas flngindo perola.
Ditas com laclnhode Ota.
DiUs dolindaatree e preta, de todas aa gros-
saras.
Liados aderemos com pedrlnhos flngindo bri
Ibantes.
Ricas livellas para cinto, de todas as qaalidades
e bom gasto.
Ricos cintos (fe nftimo gosto da Paris.
Grande sartionato de linees enreitas-paraeabe-
(a, sendo do ultime go&tu e de loaos ospreeos,
Flores muito finas para nonas.
Luvas enfeitadas e meras de seda para noivasu,
Touquiuhas sapatinbos e meias de seda pan
baptisad*.
Riquissimas fitas de todas as qualidades parala-
do, cintos e cinteiros.
Camisinhas e goltnftas para senhora.
Riquissimos jarros e Gguras para ornamento de
sala.
Grande sortimento de gravatinhas tanto para se-
nhora como para homem.
Lavas de pelica branca e decores.
Cascarrilhas de bonitas cores.
Trucinbas,gaIo e maravilhas para enfeites.
Tanselins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de ontras qualrdade?.
Bolsas para viagtm.
ntremelos e babadinhos delindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senheras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Tnesjuras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sor ti ment de saboaetes.
Liados vasos com bauha para ofTerecimentos.
Caixnhas com seis frasquiohos.
Esseneias de todas as qualidades.
Agua verdadeira- Florida.
Agua da Colonia, en garrafas grandes, e em
frascos quadrados e garrafinhas.
PoTiadarTna de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de lodos os
lmannos.
Sahoinglez em paos grandes e pequeos.
Escoras osso. para dentes.
Pentes para desembarazar, com friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas ontra^ qualida-
des.
Peales de tartaruga para senhora
Ligas de seda e de algodo, assim como muitos
oatros objectos do costo que seria impossivelmen-
cioar.que a vista far f, s no Gallo Vigilante,
ue do Crespo n. 7.
LUd*wW^L,^f,^eomcruaiaaaa|,rascos wnigwm araMca
uQgjado brilhantes, assim ccuio cruii_ulias_avulsas) (llSSOlviuA & PlPC6l.
e voltinhas, pelo barato prego de 1$ e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs. ad no Vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Leaues.
Rlquissimos loques de madreperola tanta para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
b. 7.
GRANDI NOaJIDADB.
S ho Vigilante.
Rlquissimos enfeites de todas as qualidades para
seahoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
Ninfos
Rlquissimos slntos de lita larga e estreita com
flvelasarandes epequenas.com bri (fiantes falsos,
cousa de muito gasto.
Albitas
Tambem chegaram os riquissimos albonspara
SO retratos, com capa de tartaruga e de marfim,
cousa muitochique : s no Vigilante,roa doCrea-
po n. 7.
Galinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 24,24500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para acabar.
Riquosissim enfeites com lago e sem laca e da
outros muitos gostos a 15, 15300 e 35: s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Traaealias.
Liados traacelins aa tabello para relegie oa lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos enlrfmrios.
Riquissimos babadinhos ntremelos com I indo i
desenhos tapados e transparentes,pelo baratissimo
prego de 15200, 155Q0, 24 e 34; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e traneinbas pre-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7. .
Filas.
Grande sortf ment de Atas de diversas larguras
e qualidades, por preces que admirara as com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2 j s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de lia.
Fitas de Laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espclfaos.
Riquissimos espelhos com moldura deurada
sem ella de 85, 104, 12* e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 24, 34,44, 54
e 64 i s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, senVomelhor gosto queaqui
tem apparecid; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pis de arree.
Riquissimos vasos combooecla para p9 de arroz
cousa de muito gosto a 14500 e 24, assim come
pacoies s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
"Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copot ou vasos com dis-
tinctivos e ofTerecimentos as sinhasinhas dos rae-
Ihores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 24 e a 14, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra de Crespo n. 7.
Veuem-s na ra dwQoeHHaa* n. loja aa
aguia branca.
N A aguia branca acaba de receber ontra encom-
menda de bonitos e bem encadernados albuns de
oapas de velludo, massa, tartaruga e marfim, ai-
guns dos quaes com microscopio paca augmentar
W& SU SEGUIDO.
9ua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudea
o Jbs de Azevedb- Bia est continuando a
vender maleo barato, po*s sen genio dar a faaea-
aa pos todo pingp.aviata dos cabra*.
Cartas dealiinetes francezas da elbor aualiade
a 80 rs. *^
Grosasde peanas efe ac InsTezas da melbor qua-
Irdadea 640 rs. ^
Caias deeotcaetes rraacerea de superiorea quali-
dades a 40 rs.
o tamanho dos retratos, catinuandea serem ven- Grosas de botSes de madreperola muito fiaos a56C
didos por pregos commodos : na ra do Queimado I e 640 ris.
loja da aguia branca n. 8. Carretescom 4 a 5 otarras fe retroz prete fino a
Iota da aguia branca n. 8.
Galanteras para festas
A aguia branca nao cessa da enoommendar da
44) ra.
Resmas de
24000.
papel de peso liso muito superior a
quenada melhor e maisagradavel.e porissoaca. Gravaras da liga e de outras muitas quatidade&a
ba de receber diversas figuras e vasos de p de I "Y" rs-
pedracom fina banha, assim como bonitos frascos | Lannetes Para Penna com 3 folnas aaenda boa t
de excellentes extractse lindas calimbas d ma-' 8V ". ,. .
deira eoveroisada com finas perfumaras, tudo Duna de'botoes branco para casavequesde senho-
ra, a 100 ra.
Pegas de fita de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a.320rs.
O Expositor Portugnez para os meninos a prender
a leraMOrs.
Ossegredoa da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 14000.
Gartilhasda doutnna christa, finase superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 14000,14200 e 14500.
res de I uvas de seda para hoinens a senhora a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melbor que ba a 320 c
500 rs.
banhas a 240, 320, 500 e
muipropriopara presenfcesde Cestas etc., havendo
dinheirodirija-seo pretndeme a ruado Queima-
do u. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para engom
mado
A agaia branca na ra do Qneimade n. 8,reee-
beu glbulos de ail iino e frasquinhos com es-
sencia de dito para engonrmados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapar um novo sortimento de bonitos e delica-
dos enfeitesde moldastnteiramente nevse de um
apurado gosto,assim poiscom^arecara os preten-
aentesmunidos dedinheiro e cora disposigo da
gastar: na loja da aguia branca rna do Queima-
do n. 8.
Grande liquidadlo de ftzen-
das finas, ra da Lnpe-
ratriz, loja e armazem da A-
rara n. 56, e Lonren^o P.
Mendes Guimai'aes.
Fazeudas para carnaval.
Vende-sa wlboiiade todas as cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a 360 o aovado, sarjelim
de cores a 280 o covado, alpaca de cores propria
para vestuarios a 320 e 360 o covado, tafet de seda
de todas as cores a 600 rs. o covado: roa da Impe-
ratnz, leja da Arara n. 56.
Chitas baratas a 240 rs f
Vendem-se chitas Boas a 540 e 280 o covado,
chitas francezas finas a 320, 360 e 400 rs., cassas
finas de cores a 320 e 400 rs. o covado, percalas
finas para vestido o 50& 560 o eevado : ra da
Imperalriz, loja da Arara n. 56.
Caries de cambraias, a irara vende a 3$.
Vendem-se cortes de cambraias finas brancas
f^vaV
A Uenco
Xova loja de fazendas e ronpa
telta nacional, ra da I tupe
ratrlz.
n. 92.
74, 84 e
ra a lm-
loja de 4 portas
Chitas da loja a. 72.
Vendem-se chitas finas a 240 e 288 o covado,
ditas francezas finas a 320, 360 e 400 rs. o covadt,
cassa raneeza fina a 320, 360 e 400 rs. o covado,
lazinhas para vestidos a 380, 400, SCO e 560 o
covado, pegas de madapolo fino a
94, pegas de algodo a 54, 64 e 8$
peratriz n. 72.
Iloupa fcita nacional
Vendem-se palelots de panno fino a 144. f'i
184, ditos saesos a 64,84 e 104, ditos de casen;u;'
de cores a 64, 84 104, ditos de brim de cores a
24500, 34 e 4$, caigas de casemira prela e de co-
res, collelese caigas de brim de cores a 2JC0O i
24.*i00: ra da Imperatrjz n. 72.
Siiiilailiarquc a 8)9.
Vende-se sontambarque d
Vende se caixes >azio proprios
para bahnleiros efuoileirosa 1 $700
cada nra; nosla tYpograpbia,
Viaho da Nadeira t do Porto
Vende-seosuperiorvinho da Madeiraedo Por-
to,em caixas de urna e duas duzias : s na loja
do Vgilante,rua do Crespo n. 7.
Vendem-se u ai hias [ara descarne
a'godao com mo'.eres para a iu aes: na uta
da Sanzalla Nova n. 42.
J. Kel er A C. veadem superior vi-
nho lint1') d Bordea<>x, tanto en qaarlola.
como emcaixasde duzia de garrafas.
Pequeos pentes de ta r-
taruga
A aguia branca.na ra do Queimado n. 8, rece-
ceben novamenle esses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tanta eslima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello guando atada ; a
aguia branca porm avisaaquellaspessoas que os
baviam encommendado e a quem mais queira
aproveitar a occasio de oa comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmopreco de 49 cada
um.
Estando brancas ficam pretos
O bom resoltado a o rapid effeito que' predas:
a tinturada chromacoma, e meemo a facillimo
modo de applicartem se tornado muicoanacido e
apreciada por todos que usam del la e por conse-
guinte augmentado a exrracao,pelo que a aguia
branca mandou vir mais o novo sortimento que
acaba de receber constando rile de
Caixas com chrsmapoma para liogir os cabellos.
Frasees com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos com rtydrocallethrichina para limpar ditca
Ditos convirvclrromantina para I i mparas unlias
Sabonetasbraneos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar ebeiro aos di-
tos sem offender a preparagaofeita.
Sapalus de marroquim don-
rada para baies.
Esses sapatosdo grande lom vwtrdsm-se nica-
mente narua do Queimado loja da aguia bratan.
8 a 64 o par.
Meias finas para senhoras
gordas.
Vendem-se narua da Queimado loja da agola
branca b. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado loja da agaia
branca n. 8.
atos e baratas
Frascos com superiores
14000.
Livrusque serve para assentarroupa, pelodiminn-
lo prego de 160 rs.
Capachos redondos muito tinosa 500 rs.
Cordio branco para espanllhepnraito superior,.
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha branca garanti-
dos a 00 ra.
Grosas de penis da ago superiores a SOO rs.
Varas de franja branca e de coFes larga para toa-
Ibas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, ob que pechincbaa
120 rs,
Tinteiros de vidro com ti ata a 160 rs.
Ditoa de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes delouga prateados muito fino a
160 rs. a,
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
EScovas para limpar dentes, superiores a 200 rs:
Caixascom superiores phospnoros de segurancaa
160 rs.
Caixascom 10Q anveloftesj*, melbor que ha a 640
ris.
Caixascom 20 quadernos de papel amizade.mnito
fino a 600" rs.
Quadernos de papel pequea muito fino a 20 rs
o armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
Raa do Queimado i. 19.
Vende-se o segolne:
LenQes de panno de linho
pelo baratissimo prego de 24*00.
Lences de bramar;te de lirrlio
de um s panno a 34560.
Coberta de cuita da India.
pelo baratissimo prega de t|500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibefra, a 24 a duzia.
Pegas de bretanha de rolo cora 10 varas
propria para sala, a 44-
Pecas de cambraia de forro, a 20600..
Esleir da India
I propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-
i gura, por menos prego do que em oulra qualquer
parte.
34500, 44 e 54, cortes d. cassas fracezas"Jnas a dil"Bjie^" ^XZY W'mt^,* l* fc **'
34, cortes de cmta de 10 covados a 24400, ditas ^'"Mf J'pa^a,b"n.ca 1* e ,(* ditos de gros-
fiuas a 34200 na loia da Arara rna da tmnpra te11*16 Prel W e 2o4, rapas pretas de gros-
trlz n 56 P deDaDle tnas a 20*e 24 PanD0 Prewl 24.
dos a 34 34500 o covado, crodenaple preto fino: 3*4* e co,vado> cas5mira P"la WOO
a 14600, 14800 e 24, dito superior Ti, d"o lih^Z^ ^l^0 'ff0, U *
com 5 palmos de largura a 3* o covado, panno fi- t*00 va(do r"a (!a>Pe,a,m J- 7?-
; no preto a 24, 248OO, 34500 e 54 o covado, case-1 Cor[ea de laa a ^ana Pia a *W
, mira preta fina a 24,24500 e 34 o covado, alpaca I Vendem-se cortes de vertidos Mana Pa a 10J.
I preta a 500, 600 B 800 rs. o covado : ra da Im- 14$ e ,65, cortes de cassi franeeza a 34, corle
i peratriz,loja da Arara n. 56. de brim para caiga a 14600 e 24; ditos de case-
| Arara vende corte de casemira preU a 3&00.1 'ra d cor a 34, ditos deldita preta 1 34806. 14,
Vendem-se corles de casemira preta a 34500, ? b* : rua a Imperatrfz n. 72. Bsle novo ^s-
Nova preparagao para matar ratos e baratas, ***** anchoadas para maos
acaba de chegar de Liverpool pelo navio Toa 0/ B**~*a:, ,. .
Liverpool. A verdadeira massa pbosphorica aova Lazinhas carmezim miudinnas
e fresca evidente para este fim. Kao havendoa propria* para vestido de menina, a 600 ris o ce-
tempos no mercado senao j muito velha, quasi vado.
nenhum effeita produzt, por isso recemmenda-se Lazinhas de Cres finas
a todos que saqueiram ver livres de tantos ani- do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris o
raaes e insectos que infestam as rasas, armazan, covado, neste armazem de fazendas se encontrar
navios, etc., dirigirem-se travessa da Madre da! um grande sortimento de roupa feitae por media
Dos n. 16, armazem de Doarte, Carvalho A C, ------------jf.-------r-----r---------------------------"
que acharao a escellente massa em boiSes a prega IIXS tiamBOrjC/flS.
de 640 rs. cada um, e em duaia a 64- I Veade-sena rua Nova n. 61.
.44, 54e64, ditas de cores a 34,44, 54 74, cor-
tes de brim e ganga para caiga a 14600, 14800 e
24 : roa da Imperalriz, loja da Arara u. 56.
Panno de linho a CO rs.
Vende-se panno de linho para lenges e toalhas
a 640 e 70, hamburgo a 500 e 360, bramante do
10 palmos de largo a 34 e 2500 : rua da Impe-
ralriz n. 06.
Arara vende os bales a 3 e madaotlaa a id.
Vendem-se baloes americanos a 34.34500 e 44.
ditos de musselina a 445OO, pegas de madapolo
enfestado a 44, dito de 24 jardas, largo, a 64000,
,64o00, 74, 84, 94 104 e 124, fino, algodiope-
Sas a 54, 64, 74 e 84 : rua da Imperotriz, loja
a Arara n. 56.
Soutambarqncs pretos a 20$
Vende-se soutambarque preto de grosdenaple a
264 e 254, capas pretas de grosdenaple finas a
204, 254 e 304, soulambarque de lazinha a 74 e
84, ditos de alpaca brancas a 84 e 104, ricos ves-
tidos Mara Pia de novo gosto a 84, 124, 114.
164 e 204 : rua da rmperatriz, loja e armazem da
Araran. 36.
Cirande sortimento de ronpa
feila.
Vendem-se palelots de casemira de cores a 34,
64, 84 e 104, ditos pretos de panno fino, sobrera-
sacas a 124,14*, 164 e 254. palelots saceos pretos
de panno a 54, 64, 84 e 104, caigas de casemira
preta a 44. 64 e 84, ditos de casemira de cor a
44,64 (^8$, ditos de meia casemira a 34 e 3500,
ditos de brim e ganga a 24 e 24340, ditos de brim
branco a 34500 e 44, clleles de todas as qualida-
des, camisas francezas a 24 o 24500, ditas inglezas
de linho de pregas largas a 34 e 34500, ceroulas
a 14280,14600 e 24, palelots de brim de cor a 24
e 34, ditoa de alpaca prela a 34 e 34500, ditos de
alpaca branca a 44500, ditos de alpaca, da cardao
a 44, colarinhos de linho a 040, ditos de papel a
640 a duzia : narua da Imperalriz, loja da Arara
numero 56. O proprietarioa loja e armazem da
Arara declara que todas as suas fazendas sa vende
em perfeito estado, como os compradores peder"
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da
noite : rua da Imperalriz, leja da Arara n. 56, de
Mendes Guimares.
Predios venda
(lm leilo ou em particular)
Um sobrado de dous andares e sotao em chaos
preorio, na rna da Amorim n. 17.
Um dita de dons andares e soto, em chaos pro-
prias, na rua do Burgos n. 3.
Urna casa terrea com soto, em chaos proprios,
na rua des Burgos n. 5.
Metade de urna casa terrea, em chaos proprios,
na rua da Senzala Velha n. 8 : a tratar com o
agule Simoes na rua da Cruz n. 57.
RAPE'
Duarle, Pereira & C. continuam a vender o afa-
mado e fresco rap Princeza de Pelropoles em seu
grande armazemde looga e vidros : rua da
Crespo n. 16.
iz n. 72.
abelecimento vende barato para obter frfgueiia
na rua da Imperalriz, loja rj. 72.
ao |ara
MAiiMASUEPAlENT
de trabalhar ni "o
descarocar algodo
FABRICADks
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
Estas maehin?*
podem descarocar
qualquer especia
de algodo sem
j estragar o fie.
sendo 'bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
desea roca r urna
arroba de algo-
do em earoeo
em 40 minutos.
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para sjerero movidas por
arrobas de. algodo
animaes, que descarogam 18
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender I um bellissimo va-
por que pode fazer mover sfeis destas machinas
mencionadas ; para o que onvida-se aos Src
agricultores a virem ver e exahuna-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Samiders Brothers k C.
1*. II, praea do Corno Santo
RECIFE. 1
Os nicos agentes neste paiz. I
Simo de Na\tua
Attendendo as circumstancias do tempo at mi-
tro aviso, resolvo-me a vender a obra de Simo da
Nantua pelo diminuto prego de 800 rs. cada eiem-
plar. A obra completa, tema segunda parle das
abras poslhmas, e bem impressb, tem a estampa
de Simo de Nantua, e de meia encadernaco :
na rua do Imperador n, 15, defrbnte de S. Fran-
cisco, onde tambem ha para venderse urnas pou-
cas de caixas de papel do Diario vasias, e pelo
mesmo prego que vende o Diario.
ESGBAV6S FGIDOS.
Fugio no dia 2 de janaire a prela Romana,
deidade28 annos, crioula, magra a fala, Lem fal-
lante, e tem sido vista palo Mangiiinho : qnem a
pegar leve a a sea seahor, na pragi da Boa-Vista
n. 22, ou Campo Verde, rua dt Trapiche n. 2, que
ser bem recompensado.
. PARTE DA II.
LISTA GERAL.
51
DOS PREMIOS DA ti. PARTE DA 11. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 402, A RENEFICI0 DA IGREJA MATRIZ DA BOA VISTA DESTA CIDADE, EXTRAHIDA EM M DE FEVEREIRO DE 1865.
/
NS. PHEMS. NS. I'IIEMS. .NS. PHEMS INS. PKEMS NS. PKEMS. NS. PKEMS. NS. PKEMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PKEMS. NS. PKEMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PKEMS. NS. PKEMS. NS. PKEMS.
3 64 185 264 328 65 504 ej 675 65 850 64 1007 64 1175 65 1349 6 1528 65 1693 1005 1847 65 2033 65 2199 65 2368 . 65 2539 65 2725 65 2923 65 3118 65 3291 65
S 86 64 31 7 77 51 8 76 53 29 95 65 48 34 2201 104 71 41 38 26 19 95
6 87 34 8 80 54 __ 13 _ 78 61 32 96 57 37 6 64 73 50 6:0005 47 _ 27 pg 20 __ 99 205
7 89 35 9 84 55 19 _ 80 65 105 42 1706 _ 61 38 105 10 75 56 64 49 __ 29 _ 28 3301 65
8 94 36 19 91 57 20 _ 90 70 65 43 8 62 40 65 15 76 57 34 _ 32 __ 31 6
14 93 105 39 104 30 93 .59 __ 24 204 95 73 48 9 65 43 16 104 79 65 58 33 __ 34 _ 10
18 96 64 47 204 41 . 104 702 _ 60 28 64 1200 75 52 11 68 47 17 64 81 6b 65 37 __ 36 18
19 97 48 205 43 46 3 61 __ 32 4 80 53 13 74 105 30 25 82 VI 68 40 1 38 __ 29
22 201 53 65 45 3 64 mm 39 5 81 59 16 5005 79 65 51 27 83 73 72 41 _ 47 30
24 104 2 58 51 8 66 mm 42 6 84 62 17 64 81 53 2fl 86 . 75 73 46 mB^ 48 __ 31
27 64 4 59 53 9 70 __ 43 104 8 90 64 18 "^fl* 53 204 34 92 81 76 49 _ 51 ~ 32
30 6 62 __ 54 13 77 _ 48 64 9 93 \ 63 23 84 64 64 35 94 84 84 50 _ 61 __ 39 -
31 _ 10 67 _ 66 19 78 __ 52 12 94 66 105 26 85 66 104 37 97 85 86 51 __ 62 105 40
33 aan- 11 68 - 67 21 82 __ 54 14 97 68 65 30 88 67 64 39 2404 M 87 89 M 52 _ 63 65 41
36 _ 16 71 73 22 84 __ 57 16 1483 - 72 32 404 90 68 - 42 7 ^B 88 91 _ 53 _ 66 42
41 _ 18 r 74 76 23 86 59 24 5 OM 76 33 64 91 72 43 14 __ 93 92 v 61 M 67 _ 47
47 __ u 80 mm 78 30 87 _ 60 26 11 __ 77 34 96 78 51 20 __ 97 96 __ 65 mmmr 70 50
48 _ 22 81 --- 79 32 88 62 30 12 --- 84 35 . 97 80 5o 24 n 99 1005 2801 _ 67 __ 72 1:4005 51 105
50 104 23 91 . . 88 33 96 68 37 17 86 36 99 81 59 27 205 2668 65 2 69 mmw 77 65 54 65
54 64 25 99 --- 92 _ M 99 75 46 18 104 87 39 1903 ^_ 82 6? 28 64 10 6 --- 73 80 57
55 26 402 --- 93 _ 36 900 77 47 24 65 95 42 _ 4 mm^ 83 104 63 _ 32 17 7 --- 73 _ 84 58
56 _ 27 4 95 38 1P" 2 ... 78 48 25 204 98 3 6 m- 87 4 65 mmmM 37 105 19 9 1004 76 104 89 61 -
59 104 33 7 --- 96 40 205 3 100 79 50 ~ 31 65 1606 47 7 88 70 _ 40 65 20 ~ 11 65 86 64 90 62
60 64 34 y 97 48 65 13 64 81 51 35 7 49 8 __ 90 204 74 44 21 ~ 13 88 92 65
61 3o 15 204 600 52 105 21 84 204 53 43 8 51 12 2103 64 77 _ 45 _ 22 15 90 mmm 99 76
63 _^. 36 16 64 3 __ 56 64 24 ^ 90 65 56 205 49 9 35 13 _ 7 82 _ 51 mmu 30 ~ 24 93 mmmm 3202 78
64 38 19 404 5 _ 38 104 26 .. , 92 58 65 52 10 58 20 _ 8 _ 92 _ 52 _ 43 -"* 33 98 _ 6 84
71 43 ti 65 7 __ 59 64 27 _ 95 60 54 U 59 21 10 __ 97 ,,, 54 44 " 34 99 , 9 92
75 a 50 20 11 __ 62 104 33 eri 96 64 55 12 Al 27 11 104 98 56 ^ 47 55 57 -~ 35 3001 __ 12 98
79 _ 51 24 13 _ 71 64 34 1101 ^_ 60 3 13 mm 105 30 12 404 99 _ 61 ""~ 37 2 __ 13 3405
90 ^ 33 2b 20 __ 76 _ 36 -^ 4 _ 67 57 16 y 71 65 36 13 64 2302 _ 65 105 39 4 __ 14 8
93 54 *t 31 24 __ 77 HH 38 1 3 68 - 58 17 74 46 __ 17 3 __ 67 58 65 41 8 , 19 12
93 ^ 56 39 28 M 84 40 _ 7 _ 71 OT 18 7 60 18 ^^ 8 _ 74 --- 61 104 46 15 ^m^ 32 19
96 ^. 58 40 29 _. 85 41 _ 12 ^_ 76 105 66 _ 19 104 65 81 62 19 ^_ 10 104 76 62 65 48 19 _ 41 24
97 104 59 41 31 _ 88 49 ajtj 14 _ 83 65 71 105 20 82 63 24 ^_ 14 65 77 64 * 49 32 _ 43 26
100 64 64 51 35 ^_ 89 ^_ 58 _ 24 ^^ 87 76 65 22 90 65 _ 29 17 79 65 50 38 _ 44 27
2 404 66 52 36 __ 92 _ 39 a* 25 _ 89 80 26 _ 94 69 30 105 20 mmK 80 9 52 39 __ 45 29
4 64 88 36 37 __ 99 ^_ 60 26 __ 94 81 27 _ 96 70 _ 38 104 25 _ 82 71 62 41 __ 46 36
16 70 57 38 802 ^^ 62 104 29 105 95 83 105 35 _^ 1801 74 40 64 26 a 87 73 64 47 47 37
33 __ 71 38 39 __ 4 ^^ 63 2005 32 65 96 84 65 37 ^_ 3 ^ 75 _ 46 28 ^^m 92 ~ 78 73 49 -- 49 38
3 104 74, 63 42 204 7 64 64 34 1302 _ 88 38 __ 6 __ 76 48 29 __ 97 80 82 50 50 39 405
46 04 73 68 46 64 9 104 68 . 36 __ 5 __ 89 42 _ 20 __ 88 50 104 30 w^ 2501 81 84 53 --- 52 41 65
52 Tm 77 70 30 _ 16 404 70 38 __ 6 105 90 49 ^^ 21 !B 90 53 64 34 ^ 5 82 205 85 55 -- 53 105 42
39 82 72 51 18 64 71 39 9 205 92 31 ... 24 _ 95 55 35 _ 12 --- 85 65 90 60 _ 56 405 44
60 8i 76 52 19 77 104 43 105 10 65 96 37 _ 27 __ 96 64 38 _ 16 8t 98 71 --- 59 65 53
61 88 77 55 23 80 64 47 65 12 1309 59 28 98 65 42 _ 19 404 89 2900 73 --- 60 55
67 w. 89 7 56 24 _ 83 31 24 _ 10 60 _ 32 2005 m^mg 67 43 _ 20 65 2701 3 86 62 105 58
68 94 80 58 27 87 53 25 H, 11 69 _. 33 8 105 68 46 __ 23 S ' 4 91 63 65 63
69 306 86 - 39 31 91 55 26 _ 12 72 __ 34 9 65 71 48 --- 24 6 105 6 92 64 69
70 7 94 404 61 34 93 1004 60 27 __ 14 78 _ 38 --- 11 72 33 27 11 65 8 94 65 75
71 --- 8 96 64 62 43 97 64 64 29 105 16 79 __ 39 --- U 78 56 28 12 11 97 67 79
75 10 99 63. m 44 _ 98 66 31 65 20 205 80 ^mm 40 --- 15 _ 79 _ 57 33 15 13 3105 68 105 84
80 13 501 6$ 46 99 68 37 23 65 84 42 17 105 82 *u M 35 16 15 13 69 65 85
81 14 2 69 105 47 1004 71 44 24 405 88 _ 43 _, 21 65 86 63 36 22 21 15 77 91
83 -- 22 3 71 69 49 6 74 205 46 27 SO* 91 46 26 93 66 37 24 _ 23 17 87 * 93 ~~

O scrivio, Jos Pedro das Neves.
Pern.-Typ. de M. F. Ae Faria 4 Filh-im.



8
Diario de Periambnco Segunda elra 13 de Fererelro de 18S5.

LITTER ATORA.
A diplomacia e o jornallsmo.
i
Diz-se : 'o jornalismo fcil, mas a diploma-
cia difflcl. E' fcil criticar a conrengo de 13 de
seterabro, formulando por coodicu principal da
evacuado de Roma a rnudanga da capital actual
de Italia pelas tropas francezas; fcil demonstrar
que a expedieao de 1810 e a de 85'9 so contra-
uiziam muluariHiito; fcil cstabelccer que o re-
conheeiraento pelo govorno francez do reino de Ita-
lia, encorporado pelas annexages do reino de a-
ples, dos ducados de Toscana, Modena e Parma, e
de urna grande parte dos estados pontificios, a ra-
dicago dos tratados de Villa-Franca e de Zurich.
pela mao que os assignara ; fcil, finalmente, cen-
surar tudo o que se tem feito ; mas as cousas sen-
do o que sao, e tomndoos no estado em que se
acliatn, e tendo em considera.ao todas as repetidas
declaragos do imperador Napoleao III, os despa-
chos e os discursos dos ministros com pasta ou
sera ella, que restava fazer em 1864, e collocados
na posiciio do ministro dos negocios eslrangeiros,
que tos tereis proposto fazer ?
A diplomacia, tomando por scu turno a offensiva^
colloca o jqrualismo a que portenceis em circums-
tancias do responder Que responda sem IIu
dir? >
II
A este desafio que se nos faz, eis-aqui, sem de-
longas nem rodeios, a nossa resposth que submet
temos a dupplicata critica da diplomacia o do jor-
ualismo I
Ligado como est o imperador pelo seu titulo de
lilho mais vclho da egreja, ligado pela escolha que
fez do papa Pi IX para padrinho do joven principe
imperial, ligado por um ornamento de cultos onde
o culto catholico avulta com 45,022:002 sobre
46,018:000 francos ligado pelas palarras solemnes
qne pronunciou, ligado pelas cartas authenticas
que assiguou, nao Ihe teriamos propostoquo se-
guisse a va indicada pelaJOpimao Nacional, Secuto
e Jornal dos Debales; nem to poueo a rereda tra-
gada pelo Constitucional e o Paiz, nem mesmoessa
designada peta Franga; nao loriamos proposto na-
da que podesse aecusar a sua marcha de indecisa,
tortuosa eambigua, ternmos proposto a escelha
entre dous procederes egualmente recto?, tendo um
ponto de partida commum difireme entre elles
menos pelo intuito, que todava nao est collocado
exactamente na mesma distancia, do que pelo em-
prego dos meios adoptados para c altingir.
O ponto de partida commnm dos dous planos de
proceder, que vamos expor um depois do outro.
teria consistido em isolar a questo de Roma, que
nao tem, em realidade, se nao urna mui pequea
importancia relativamente questo duravel da
unidade italiana, como o demonstraremos i quem
o contestar ; este ponto de partida commum, repe-
timos, para tornar mais precisas as objeccoes que
affronta, teria consistido em deixar a questo de
Roma pira as quesloes reservadas, cuja soluco
perlenco a um futuro que pode anda estar longo-
Este ponto de partida marcado, nao por boj, mas
pelos acontecmentos que se tem consnmmado ha
i'o anuos a esta parte, e no numero dos quaes inclui-
mos a falsa campanha diplomtica de 1863 que to
desastradamente affrouxou entre a Franca e a Rus-
sia os lagos, que desde 1835, tao felizmente pren-
dan) es dous imperios que representavam na Eu
ropa, um o Occidente, e outro o Oriente : falsa
campanha de que a anniquillagao da Polonia e o
desmembramenlo da Dinamarca foram as primei
ras consequencias, a linguagem que teriamos pro.
posto para com o governo italiano, teria sido em
ubstancia esta.
III
t Recenhecemos que a excessira desproporcao
entre a despeza do vosso exerc'to e a rossa receita
conslilua urna siluacao precaria, que nao poderla
durar muito tempo sem expor o reino de Italia, tal
ijual elle se compoe na actualidad?, a cahir por si
proprio na dlssoluco ; da vossa parle, reconhecei
quetambemern quanto as relagoes entre o estado
e a egreja forera o que sao na Franga, na Austria
na Baviera, na Hespanha e at na Italia, a questo
italiana e nacional urna queto de cidade, ficar
urna questo europea e catholica, urna questo de
papado : poohamo*, pois, completamente de parte
e sem pensamento reservado Roma, que, como ca-
pital, nao vos necessana : Roma que sob este ti-
tulo vale menos que aplos e nao vale mais que
Florenga, as duas cidades entre as quaes tendes de
escolher, se vos nao convem continuar em Turin
onde estaes; Roma finalmente que, as mos do'
papa e do seu exercilo nao poderia nunca ser um
perigo para um estado, que se compoe actualmente
de vinte e dous militos de habitantes.
O que necessarlo,o que importante, oque
urgente, que a Austria, que est acampada entre
Turin e Milo de um lado, e Florenca e Roma de
outro, que a Austria que vos araeaca as duas ex-
tremidades, norte sul e que a Austria, que corta o
reino italiano em duas partes ; e que a Austria a
que ser a solucao de continuidade da unidade ita-
liana e a sua negacao em quanto o governo aus-
traco conservar Veneza engaiolada pelas fortalezas
do quadrilatero; o que necessario, o que importa
o que urge, que, por um meio ou por outro a
Austria cesse de ser urna espada sempre suspensa
por cima da cabeca da Italia, espada que vos obr-
ga a vigiar constantemente com a arma no hom-
bro.
IV
Esta declaraco preria, clarrnoste feia ao go.
verno italiano, e a questo assim estreitamente res-
tricta nesses termos nao era j possirel nem Ilu-
dir nem adiar---- Foi preciso resolrer plena-
mente.
E' ento que oi apresentada esta outra questo:
Quaes sao os meios de reduzir a Austria a impo-
tencia de prejudicar a Italia, de a ameacar ede in-
quietar ?
Ha dous.
O primeiro meio, o mais radical, declarar alto
e francamente ao rencido de Solferino, que as es-
tipulacdes do tratado de Villa-Franca, que implica-
ran) a formacao e a existencia de urna confedera-
cao italiana, da qual Veneza faria parle e da qua'
o papa teria a presidencia, nao podendo execular-
se, Veneza e as suas fortalezas nao podem ficar
mais tempo entre s raaos de eslrangeiros e inimi-
gos; que em consequencia, o imperio da Austria
nao tem se nao preparar-pe a restituir Veneza
eomo resliluio-se a Lombardia, obrigada pela forca
das armas, logo que nao preflra evacuar a Italia,
mediante condiges pecuniarias, que sero disenti-
das, e de corapensaedes territoriaes, qne poderara
ser erentualmente estipuladas.
Este primeiro meio, a guerra da Franca e da
Italia, dispondo ellas ambas de um exerclto de
1,100,000 homens contra a Austria e a Confedera-
gao Germnica, que sua parte dispde de um ex-
ercilo pelo menos egual; mas tambem ultimo
acto e o desenlace da obra, e que a exportacao de
1859 e a restttnigo de MUSo foram os primeiros
actos.
O segundo meio, concluir entre a Italia de
urna parto, e a Franca e a Inglaterra da outra, um
tratado de a I Nanga offonsira que, garantindo Ita-
lia e a integridade das soas possess&es actuaos,
Itie permita em primeiro lugar reduzir considera-
velmenie o sea euectivo militar, e em seguida ap-
plicar sua uniQcago pela cooclusao de (odas as
linhas de caminho de ferro, e abertura de todas as
estradas que Ihe faltaro, todos os recursos do seu
crdito, desafronlados do peso dos dficits annuaes
que tinlia a arrostar... Este segundo meio, menos
radical que o primeiro, a paz europea prorogada;
mas nao c a unidde italiaia consumada porque
deixou Veneza as mos do ostrangeiro, em poder
da Austria.
Cada um desles meios tem pros e contras.
V
Urna guerra da Italia e da Franga contra es
Austracos, invocando estes em sen auxilio a con-
federago germnica, poderia ser a conflagracao da
Europa, mas poderia tambem ser a salrago por
| um congresso reunido, seja depois que a guerra
accesa tenha queimado o seu ultimo cartuxo, seja
i antes que declarar a guerra, se tenha disparado o
^primeiro tiro de canho... Conviria, pols, pesar bem
'todas as eventualidades, e medir lodas as conse-
quencias funesias ou farorareis.
VI
Urna obrigacao alta e publicamente, contrahida
pela Franga o a Inglaterra para com a Italia, de
defender aintegridade actual do seu territorio con-
tra qualquer aggresso da Austria, nao seria com
effeito, da parte dos dous estados protectores, se-
no urna obrigago puramente nominal; porque
basta langar os olhos sobre ura mappa da Europa
para flear certo de qoe jamis a Austria se expo-
rta a que a Inglaterra e a Franga desembarcassem
dous exereitos, ura em Trieste, marchando direito
sobre Vienna e o outro sobre Veneza, lomando de
rerez Mantua e Verona, sitiadas pelo exerclto ita-
liano, oppondo-se esle ao abastecimento destas pra-
gas pelo Tyrrtl, Cariraphia e a Carnela ; isio nao
seria anda o desarmamento europeu, tal como se
desojara que se effectuasse mais seria a paz fir-
mada talrez al o da em que a poltica ora, a
poltica econmica, a poltica de reprocidade, e a
poltica do comiuercio lirre se arantajar poltica
antiga e a territorial, poltica de riralidade,
poltica do falso equilibrio.
Vil
Consullando-se a revoiugo, pronunciar-se-ha
ella pela adopgo do primeiro meio ; mas se se
consultar a cirilisaco pronuncar-se-ha pela adop-
go do segundo, contra o qual nao ha seno urna
objeegao que temos dissimulado qne ella dei-
xa Veneza debaixo do jogo da Austria. Mas se esta
objeegao fosse suprema e decisira, onde que de-
ria parar a Franga T Nao se quexa a propria
Hungra tambem de estar debaixo do jugo da Aus-
tria ? Nao se quexa a Polonia de estar debaixo
do trplice jugo da Austria, Prussia e Russia ? Nao
se quexa igualmente a Irlanda de estar debaixo
do jugo da Inglaterra, etc.
Se, como emitarel e certo, a unidade europea
deve formarse urna para fazer contrapeso un.
dade americana, porque se ha de anlecipar isso 7
A cada seculo a sua msso.
Alm de que, no da em que a Austria disse
que a Italia menos Veneza- constitua um esta-
do to inexpugnarel, to compacto, to solido, to
prospero como a Franga e a Inglaterra, de crer
que a Austria nao mude por si mesmo de sent-
mentos e de poltica. E' de crer que a Austria,
nicamente por ponto de honra, porsislsse iBdefi.
indamente na oceupago, ruinosa para ella, do V-
neto, oceupago que Ihe faria representar o duplo
e miserarel papel de ficar oppresslva e desptica
em Veneza, em tanto qne se esforgaria por pare-
cer liberal e constitucional em Vienna oceupago
que dara constantemente um desmentido s pata-
rras ao parlamento de Vienna nos actos e prises
de Veneza.
O que fez a contumacia da Austria a instabili-
dade da Italia, o seu estado precario, tendo por
causa nica os dficits annuaes, aggrarados pela
exagerago do seu exercito.
Que cesse este estado precario da Italia e as il-
lsoes que a intretem e sustentam, e acuutumacia
da Austria uo lardar a desmoronar-se. A Fran-
ga e a Inglaterra, cujo coramercio adquire cada
auno maior desenrolrimento, tem "por rentura um
interesse real em que a Italia, que um brando
de incendio, nao dete o fogo da guerra aos qualro
cantos da Europa I Eridentemente sim.
Pois bem I que a Franga e a Iogtaierra concluam
com a Italia contra a Austria o tratad? eventual de
allianga offensiva e defensira de qne se acaba de
t.iilar, eesse tacho de incendio apagar-se-ha, e essa
causa de estabilidade que pesa to fortemente so-
bre todas as transaegoes da Europa ser desde lo-
go affastada... Eis aqu o que responde o jorna-
lismo, conrerlendose um momento em diplomacia
diplomacia que tantas rezes seconrertem era jor-
nalismo, e que denuncia que ella reralisa nao pou-
cas rezes em importancia com elle.
VIII
Nos respondemos.
Os nossos leitores que pronunciam entre o trata-
do que acabamos de esbogar e a convengo con-
cluida em 13 de setembro.
Emimo du Guian*.
(Da Presse.)
---------- i.j ii ifr-ocr -------------
Noticia sobre a comarca de Bra-
ganca na provincia do Para.
(Continnago.)
Caminando militar.
Reconhecende o presidente Soares de Andreas a
necessidade de enrgicas providencias para resta-
blecer e manler a ordetn alterada na provincia
pela cabanagm, divida a mesma provincia em
circuios convenientes, queentregou' direegao pu-
ra e absoluta de coraraandantes militares. Eram
6 os crculos. Ougamos as proprias patarras des.
se presidente, dando conta a assembla provincial
em 1838 de semelhante prorldencia, que bem se
caracteriza as seguintes expressoes :
< A instituigo dos juizes de paz com as imraen-
sas attribuigoes, que Ihes sao dadas, fazem de toda
a extenso da provincia um aggregado de peque
nos estados sem dependencia uns dos outros, e
quasi iodependentes de alguma outra autoridade.
As poucas luzes de todos elles, c as circunstancias
desta provincia me obrigaram a langar mao de al-
guns militares mais habis, e de Ihes entregar a
administrago de grandes destrctos, como delega-
dos do governo da provincia, e nao tem concorrido
pouco este methodo para o restabelecimento da or-
dem...Os commandantes militares esto sujeitos
d:recta e immediatamente ao governo da provincia
e regulam-se em geral pelas instrucgdes, qne Ihes
tr > dade.
i e1 v qtftl seria o resultado de tal systema,
sobre tudo no meio de ura poro Ignorante, e alm
! disso intimidado pelo recelo de ser capitulado de
cabano : espada de Damocles, que constantemente
' Ihe penda sobre a cabega. Calaram-se todas as
! autoridades, e todas as leis: s o commandante
militar apparecia; s este ditava ordens. Com-
1 pre todava reconhecer, como diz o presidente, que
' os comraandos militares prestaran grande auxilio
para o restabelecimento da ordem alterada, nao
obstante alguns abusos por semelhante pretexto
commett(dos.
Braganga, qoe, como muitos outros pontos da
provincia, foi dominada pelos cabanas, nome dado
a essa borda de selvagens, que devastaran) tantos
municipios, tere um commando militar, que alm
do sea municipio abrangia o de Ourem, e o de Tu-
riass.
Para este commando foi nomeado o entio major
Francisco Xavier Torres, que com tropa da pro-
vincia do Cear, mandada pelo presidente d'aquel-
la provincia o senador Jos Martiniano de Alencar,
, viera em soccorro do Para, e restituir os ditos 3
i municipios ao dominio do governo legal. O com-
mandante militar, que resida na villa de Bragan-
ga, estabeleceu commandos parciaes em Ourem e
no Turiass : All estere o lente do corno poli-
cial do Cear Xlderico Cicero d'Alencar Araripe,
que effectuou a priso do principal cabecilha da
deserdem em todos esses tres municipios, Agosti'
nbo Moreira, e no Turiass era commandante par-
cial Pedro Alexandrino.
Depois de passada a crise revolucionaria dimi-
nuto a autoridade dos commandantes militares, que
com o estabelecimento das autoridades policiaes em
1842 ficaram reduzides a acgo puramente militar.
Todava continuaran) os comraandos militares, que
tinham debaixo de suas ordens a guarda policial,
at que, orgaoisada a guarda nacional, ordenou o
presidente da provincia a exlincgo do commando
militar por portara de 8 de fevereiro de 1834.
Deste modo permaneceu a provincia do Para
por tantos anuos em estado excepcional, a despei-
to da constitoigo poltica do imperio, e das leis,
que deviam vigorar e cumprir-se em todo o paiz.
Indios.
No tempo do descobrimento do territorio desta
comarca, achou-se todo elle habitado por indge-
nas, que, como as difiranles partes do Brasil,
viriam margem dos ros mais abundantes de
pescado, e as matas mais ricas de caga.
"Deu-se ento aos indgenas habitadores desses
lugares o nome de Caites, denomnacao, que abran-
gia diversas tribus, ou malocas, que se compu-
nham na maior parte de 100 a 300 individuos.
Desses Indios derivou o rio. que baoha esta cidade,
o seu nome de Caite. Foi Pedro Tehxeira, manda-
do do Para ao Maranho em 1616 pelo capito-mr
Francisco Caldeira Castello-Branco, quera primei-
ro tratou de reduzir a amizade os Caites; mas
tendo entre elles pouca demora por ir de passa-
gem, pouco pode fazer.
Os jezuias estabeleceram varios aldeiamentos,
sendo os primeiros dous, que formaran) no Guru-
pi na distancia de 20 leguas um do ontro.
Hoje j nao sao numerosos os indgenas domes-
ticados, que vrem entre nos; misturando se com
as ragas branca e preta, poucos sao os legtimos
indgenas. Na parte superior do rio Gurupi ra-
gam anda em completa selvagena duas tribus,
que se denominara Guajajras, e Gamellas.
Tendo de executar-se' nesta prorincia o regula-
memo de 24 de julho de 1844, foi nomeado nesta
cqmarca um director parcial dos Indios, qual,
subindo o dito rio, tratou de aldear os Guajajras
em urna aldeia no lugar chamado Limondiua,
margem do Gurupi. Reuniu all 55 individuos;
porm deixando o gorerno de ministrar os neces-
saros auxilios, decabiu a aldeia, e nao foi possi'
rei ao dito director (Francisco Estacio de Queiroz)
renorar suas tentatiras para reuuir maior numero
de indgenas, e chamar os Gamellas, como tinha
principiado a fazer, inlroduzindo-se entre elles, e
agradando-os com dadiras, ludo a expensas suas.
Os Gamellas sao mais numerosos ; e das malocas
de que elle tere conhecimento, conloa para cima
de 809 indiriduos. Tudo isso consta de um offlcio
do mesmo director dirigido a cmara municipal de
Braganga em 4 de Janeiro de 1851.
Os Gamellas fu rain o beigo para metter urna ro-
della de pau; hoje denominam-se Tirabis, tendo
por injurioso o nome de Gamella, de que j uza.
rara.
Os Manajs sao alros, e barbados, de olhos
azues; habitam na parle superior do Gurupi, alera
dos Gamellas. Mantem guerra constante cora os
Indios do Piodar no Maranho.
Todos esses Indios rirem em malocas, ou tribus
governadas por um chee, a que charaam tuxua.
Falescendo o tuxua, succede Iho o filho, e na fal-
a desle o prente mais conjuncto.
Comraerciam com a gente branca, que sobe o
Gurupi a comprar cravo, oleo, e outros productos
naturaes.
s Vias de communicacao.
A difficuldade de communicacao desta comarca
com a capital e ontros pontos hoje o grande obs-
tculo, que retarda o seu adianlamento.
A communicago com a capital faz-se pelo mar,
e pelo rio Guarnan, viajaodo-se por trra at a vil-
la de Ourem. E' da primeira necessidale urna
estrada, que ra directamente desla cidade capi-
tal. Anda em tempos han atrazados, j o gorer-
no colonial tratou de abrir essa communicago por
trra; e tendo-se conseguido abrir urna estrada,
ladeando o rio Guarnan at Ourem e de Ourem at
Braganga, publicou o gorernador Francisco de
Souza Coulinho um edital em 31 de Janeiro de
1793 conridando a quem se quizesse estabelecer
as cabeceiras dos rios, que alraressam desde a
capital at Ourem, e d'allt at Braganga, e d'aquj
at o Turiass peta estrada, afira de ser esla con-
serrada, prometiendo aos que assim se estabele-
cessem < a sua interrengo e auxilio para a com-
pra de mais escravos, e anda preferencia a qual-
quer outros, ficando dispensados de toda a obri-
gago de coreos auxiliares, logo qne principien)
os eslabeleclmentos, e dando-se datas das trras,
que precizarem. >
Ura esse um objecto, de que cuidaran) os gorer-
nadores; e os ouridores em corregao sempre vi-
giaran), e anda em prorimento do ouvidor Fran-
cco Tavares d'Almeida de 4 de fevereiro de 1804
recomraenda elle a cmara de Braganga o maior
cuidado em que se conserven) em bom estado os
caminhos do sea districto, principalmente a estra-
da, que corre de Tentugal a esta villa, e delta a
Perla e Turiass, que por ordem do Exm. general
e deligencia minha fica reformada e prompta com
estivas, pontes e at marcos.
A estrada de Ourem capital j ne existe, e a
desla cidade a Ourem nio est boa por falta de
pontes e aterros as passagens de varios ribeiros
que formam atoleiros no invern: comtuJo subsis-
te. O presidente Jeronymo Coelho a mandou lim-
par em 1849, e por nella dous ou tres moradores
encarregados de a beneficiar.
Em Teologal ha ama casa conslroida pelo gover-
no que serve de pooso aos viandante*. Nao bs- varadeuros, desobstroinde-os e cortando-Ibes as
tonta rnAAnWnnnp.nn n v%nnneim\ArtA^ n atnn.4n <*lll ._!__ J___._ .......** ... .
tante reeonhecer-se a necessidade, e grande utlli
dade das vas terrestres sobretodo para esta comar-
ca, nao se tem al agora effectuado urna estrada
regolar entre esta cidade e a capital; o recelo de
veltas, de modo a permittirem franca passagem em
toda a mar. Os principaes, qoe reclamara ser
quanto antes beneficiados sao : 1" o furo da com-
municago entre os res Curuga e Cajetuba; 2* e
ivsjumi vui w vota uiuouu c a Laj/lim u l cuciu uc muuii.a^au cut O U3 I 109 UUl u^b v uajuiuu* V
grande despeza tem embargado esse grande bene- mais trabalhoso o furo do Pag na extenso proxi-
Dcio. O presidente Soares de Andrade, fallando de mmente de mil bragas, que communica o dito rio
semelhante materia, olzia assembla provincial Cajetuba com a bahia de Marapanim : 3 o da Ma-
em 1838......: c A primeira estrada que se racananlinga que communica o rio e bahia do Ma-
apresenta como necessaria a do Maranho. Nao rapanim cora a de Maracanara; o de Sernamb, que
j tem a provincia meios por eraquanlo de intentar communica a bahia de Maracanan com a de Sal-
obras perfetas nesle ramo; porque urna estrada" as e aqui que urgente se torna a abertura do
levada perfeigo, conhecida hoje mesmo sem ser' canal cima mencionado para evitar o risco emi-
estrada de ferro, nao importar em menos de 50 nenie de se rodear por fra da ilha do cemiterio, e
por cada braga de extenso, e esla s idea faz es-
I quecer um tal desejo; porm muto se pode fazer
erapregando os vadios e ragabnndos continuamen-
te na lirapeza e reparo das communicages que
existem, preferindo a todas as dirersas linhas que
I formarem a estrada do Maranho. >
O receio de excessira despeza parece ter sido a
I causa de se demorar at boje a realsago de to
; grande beneficio para esta comarca com a abertu-
ra de urna estrada para a capital. Nao duvidamos
que com effeilo para ama estrada de perfeita ria-
blidade se necessitzsse o despendi calculado
pelo presidente Soares de Andrea; mas bastara
por ora que se abrisse urna estrada que dsse
transito ao gado raecum e a carallos carrogados
com urna ou outra pequea ponte n'alguns ribei-
ros que a mesma estrada atraressasse ; e com isso
nao se faria tamanha despeza.
Km 1846 iratou-se de abrir esse tao ulii caminho,
e es o que expe o presidente Joo Mara de Mo-
raes no seu relatorio a assembla prorincial: O
commandante militar da comarca de Braganga, o
capilo Francisco Kiibeiro daSilra, leradodos boos
desejos de ser ulii a aquella comarca e da boa dis-
poslgo que achon em seus habitantes para coadju-
ra lo, erapreneudeu e elevou a effeito a abertura de
urna estrada, que parliu desde a villa de Braganga,
vae dar ao porto de Tentugal; fazende construir
na nova estrada urna casa para descango dos via-
jantes. E nao se limitando smente a isto, preten-
r .. --------- -----------, _
por cima de urna perigosa arrebenlago nos baixos
exteriores a ella. Toda a despeza dos mencionados
furos nao poder exceder a 3:000, inclusire a
abertura do canal.
E todaria, nao obstante a modicidade das despe-
zar, al boje nada se fezl...
Alm dos furos mencionados, temos antes de
sabir barra do Caite o do Para, que communica
este rio com a bahia de Manah, d'onde segu fia-
gen para a capital costa a costa, ou por furos de
bahia em bahia.
COMMERC10
Esla cidade mantera cora a capital todo o seu
conimercio, levando d'aqui os seus productos para
trazer os gneros de manufactura europea, como
fazendas, ferragens, plvora, espingardas etc.
Aqui ha oilo pequeas lojas: em Ourem 3, e ou-,
tras tantas em Vizeu. Em quasi todas ellas com
as fazendas e oulras mercaduras, vendera-se co-
raesliveis. O valor do giro annual de lodo* esses
pequeos estabelecimenlos anda regularmente por
80:000,5000. Nesta cidade ha urna padaria.
Os principaes gneros de produego do paiz, que
sao levados ao mercado da capital sao : farinha
de mandioca, feijo, algodo, laboado, curaar (se-
ment aromtica), gado vaceum, e gallinhas, alm
do oleo de copahiba, e cravo, que rem da parte
superior do Qurupl, aonde os indios trocara esses
gneros por vestuario e quinquilharas.
A comarca produz assucar, agurdente, e caf ;
' municipio de Braganga calculamos, qne dnrante
cada ura dos tres annos oltimos os productos ex-
portados foram, (alm do qoe no municipio consu-
mi ama populago de dez mil habitantes) os se-
guintes :
Farinha d'agua.. 7,000 alqueires.
Arroz.......... 40Q.
Fijo.......... ,*00
Caf........... 800 arrobas.
Algodo........ 2,100 t
Cravo;......... 200
Milho.......... 3,000 mos.
Oleo de copabiba 1,000 caadas.
O que dar urna importancia approximada de
19:480,8 annualmente, ou um valor de 48:4401000
durante os ditos tres ltimos annos.
O gado, qoe se cria na comarca, principalmen-
te vaceum ; o ovelbom, cabrura e saino assaz di-
minuto.
(Continuar-se-ha.)
de o mesmo commandante militar mandar fazer na raas essa produego apenas chega para o consumo
presente estago urna picada para a abertura de
outra estrada em ponto maior, que deve partir do
lio curral do meio na direegao O. S. E. al ganhar
altura das cachoeiras do rio Tentugal (Caite ?)
d'ahi tomando a direegao de 0. at a altura da
bahia do Sol e fazenda de Pernambnco, siga desle
lugar no rumo E. N. O. at esta cidade, e diz que
necessario lomar estas differentes direeges para
evitar os lugares alagadigos e pantanosos, e fazer
passar a estrada por um campo de 3 leguas de ex-
tenso, ha pouco descoberto na altura da freguezia
de Sao Miguel, aflm de facilitar a pastagem ao ga-
do que daquella comarca se quizer trazer para es-
ta cidade, alm da economa do trabalho e despe-
za da abertura da mesma estrada por* (oda sua ex-
tenso. Segundo informa o dito commandante esta
estrada lera 34 leguas de extenso, e pode ser le-
vada a effeito com a diminuta quanlia de 1:0003,
estando os habitantes da sobredita comarca dispos-
tos e resolvidos a coadjuvar quaesquer esforgos que
para esse lim se fizerem pelas vantagens que espe-
ran) colher da facilidade da communicago que
abre a dita estrada entre a villa de Braganga e es-
la capital, e que ora muito difflcultam os riscos da
viagera do mar.
A' risla do que eu nao davdo solicitar de vos
a consignarlo da mencionada quaotia de 1:0003
para se poder emprehender e concluir esta obra,
que sem duvda de muito interesse, especialmen-
te para attrabir o coramercio daquelles poros para
esta capital.
Com effeilo o referido commandante militar
abnu a picada; mas a doionga com que procede
s vezes as administragoes em materias to impor-
tantes fizerara cora que se frustrasse a realsago
da abertura da estrada. A assembla provincial vo-
tou a quanlia pedida ; raas quando se expedirn)
(se se chegaram a expedir) as ordens para a entre-
ga da qoaotia, j o commandante militar nao esla-
va em Braganga, e nem o governo cuidou de en-
earregar a obra a outra pessoa ou dar quaesquer
providencias.
Nesle p acha-se esta iBleressanlissima obra:
agora com louvavel zelo mandou o actual presiden-
te Sebasto do Reg um engenheiro que nesta vil-
la se acha, afn de ir verificar a picada para ser
levada a effeilo a abertura da estrada. Ser um re-
levanlissimo servigo prestado a estes povos.
Alm dessa estrada que communica esta cidade
com a villa de Ourem, exisliu outra que d'aqui la
at a povoago de Vizeu, e d'ahi at o Turiass.
Esta estrada hoje est de todo fechada, e intransi-
tavel por nao ser beneficiada desde 1819, quande a
mandou pela ultima vez limpar o gorernador con-
de de Villa-Flr, aflm de restabelecer por trra
correios regulares que fossem da capital do Para
al a capital do Maranho.
Afora as rantagens que colheria esta comarca
com a abertura de estradas que a pozessem em
contacto cora a capital da provincia e com o Ma
interno. A populagao, habituada ao uzo do caf'
omprega geralmente o mel; por isso a produego
do assucar insignificante, e nao excedeu no an-
no de' 1855 a 40 arrobas, fabricadas em tres pe-
queos engenhos, que existem.
O municipio de Ourem tem por'principal pre-
. duegao o tabaco, que rae ao mercado da capital
com alguma farinha de mandioca, e tapioca
Actualmente ha n'esta cidade 7 canoas grandes,
que fazem regularmente quatro e cinco riagens
cada urna por anne, e mantem ura commercio, que
araiiado em 40:000^000 ; e todo se faz dentro
da comarca.
A seguinte tabella mostra o prega actual dos
gneros de commercio na comarca.
Algodo em plutna arroba 43600
Arros............... 4$500
Assucar............ alqueire IfOOO
Boi................. um 20J000
Cal .............. arroba 4000
Cravo................ 3000
Cumar............ libra 320
Farinha d'guasecca. alqueire 1,5000
Farinha de tapioca. 2^000
Feijo............... 2,5000
Gailinha............ urna 640
Grude de peixe..... arroba 16*000
Oleo de copahiba... can. 7*000
Milho............... alqueire 800
Sal................ ;>6i0
Tabaco........... arroba 10*000
O commercio de cabotagem cora a capital, cora-
parado com o das demais comarcas da provincia
deu o seguite resultado em 1854 ( Re. presid. de
1853.)
Comarcas. N de embarcages. Tonelagera.
Capital... 393 9:8-25
Camela... 245 4:125
Santarem. 86 1125
Macap.. 100 2:400
Braganga. 15 300
Industria e agricultura.
Pouco importante a industria fabril, que limi-
ta-se aos artefactos de uzo domestico. Tecem-se
redes de fio de ai^dao, que sao bastante eslima-
da?, e fabrica-se louga grossa. Ha ama otaria
na qual se faz telha e tyjolo de arveoaria. A te-
Iha rende-se a 60*000 cada milhero e o lijlo a
16*600.
A industria de roinerago tere j algum impul-
so ; hoje est abandonada. No territorio do mu-
nicipio de Draganga existem minas aurferas eu-
tr'ora conhecidas em lugares prximos do rio
Caet, e Peria; mas essas minas acham-se com-
pletamente abandonadas, tendo aliis j dado im-
portante producto. N'ellas foram adiadas algumas
folhelas de notavel laraanho e peso.
Esto abandonadas essas minas pela dfflcnlda-
de da laborago : porque sendo mu baixos os ter-
ranho, seria de surama conveniencia para a cida-' renos'so invad'dos pela mar, as quaes na batxa
mar embarago o trabalho ; do que resulla nao
poder haver trabalhos seguidos, sendo o servigo
conslantemente interrumpido, e muilas rezes inu-
lilisadas as excaragoes, aonde se faz o bateia-
menlo.
Ha salinas. As mais favorareis existem nos
de de Belm semelhante estrada, por facilitar-lhe
a chegada de gado para seu consumo, nao s ido
dos campos desta comarca como dos de Santa He-
lena, e outros lugares do Maranho e Piauhy.
A communicago desta cidade com a capital, pe-
la ria martima, e actualmente essas, retardada e
mu incommoda para as pessoas, indo pelo Guarnan,
que a viagem ordinaria para as pessoas que vo
a capital, depois de se andar as 12 ou 14 leguas de
caminho at Ourem, tem de se descer pelo dito
Guarnan era canoas, que nem sempre se acham
com promptido, sendo preciso quasi sempre lerar
d'aqui os remadores pela constante difficuldade de
os achar em Ourem.
O commercio todo se faz pela costa em canoas
de sofflciente tamanho. Sahindo da embocadura
do no Caito, adiantam-se um pouco ao mar e na-
regam rea al a capital, fazendo o trajelo em
quatro ou cinco dias; na volta, porm, veem por
dentro de furos que communlcam urnas bahias com
outras, nao se arriscando os navegantes a vir con-
tra os ventos geraes de leste, que quasi sempre so-
pram nessas paragens. Como era varios desses fu-
ros s podem passar as mares grandos, vem-se
s vezes essas canoas obrigadas a estar paradas
por falta d'agua muitos dias; fazendo assim a sua
viagem em 15 ou 20 dias regularmente.
A respeilo desses furos leiamos o que assem-
bla provincial dse em 1849 o presidente Jerony-
mo F. Coelho: t O canal das salinas faz parte de
urna extensa linha de navegago interior que com-
munica desde o porto desta capital passando pelas
salinas at as villas de Braganga e Turiass. Esta
communicago na ida, se faz sem obstculos at a
pona do Taip, e desse ponto em diante segu a
navegacio pelo interior de rio em rio, ou de bahia
em bahia por multiplicadas communicages natu-
raes de furos, raradouros ou seceos, alguns dos
quaes por trancados, obstruidos e tortuosos, muito
difflcultam a naregagin, s pertnittiado a passagem
de candas as mares viras.
Muito conviria beneficiar lodos estes furos oo
------------ ------... v. ,. UAlotbUI 1IUJ IU-
gares denominados Salina, Ururaaj, Camarauas-
s, e Jasserica. D'ellas exirahem-se annualmen-
te para mais de 1,600 alqueros de sal sem oulro
processo mais de que fazerera-se pequeas tapa-
gens era lugares convenientes para deixar a agua
da mar exposta a evaporago pelo efleito dos raios
solares.
Outros mineraes nao tem sido al agora explo-
rados na comarca.
A Industria agrcola pouco dtanlada esi. Con-
siste na plantago de legumes communs no paiz,
na plantago da cana, caf, algodo e tabaco e na
creaco de gado.
E' de bstanle fertilidade o terreno desta comar-
ca ; mas a lavoura, que mais prospera, e que pro-
duz de urna maoeira verdaderamente admiravej
a mandioca. Pode planlar-se em todas as pocas
e estages, e ella d sempre bem : tem extraordi-
naria grandeza ; as raizes chegara a ter 6 e 8 pal-
mos de cumprimente.
Tambem produz bem o cat, cacao, e a canoa
de assucas, cuja produego por falta de industria e
bragos e por ora limitadissima. O tabaco ex-
citante, e faz o principal e quasi nico negocio do
municipio de Ourem.
Os legumes, como milho, feijo e arroz de bem
o produzem com facilidade ; e sendo o terreno
desta comarca de humos, composto dos detritos ve-
getaes, que ha sculos, cobren) a superficie do ter-
reno primitivo, nao pode deixar do ser apto para
qualquer genero de lavoura. Igaps, pantanos, e
paues initulisam hoje algnns terreos, qoe eom
qualquer industriase toroariamptimos terrenos
de plantago de canna de assucar.
Nao ha estabelecimento agrcola algum notavel,
que mereca menguo ; porquanto a plantago da
canna e do caf, que poderia alias avultar, e fazer
a riqueza deste paiz, censista era pequeas la-
vras, sendo a canoa convenida era caxaga, mel,
rapaduras, e algum assucar, que mal chega para
o consumo interno.
Nao temos mel por onde possamos com exacti-
do verificar a importancia dos productos dos dous
municipios da comarca. Com tudo emquanto ao
UM P0UC6 DE TUDO.
Da Gazeta de Portugal transerevemos e segointe
sobre a eleigo presidencial dos Estados-Uni-
dos :
Julgamos til dar aos nossos a'ssignantes alga-
mas noticias que encontramos em um jornal hes-
panhol acerca da eleigo do primeiro funecioaarto
da colossal repblica* americana.
A eleigo presidencial e subraettida a alguns ac-
tos preparatorios, uns instituidos pelo uso, outros
impostas pela conslituigo.
Alguns mezes antes dodia Atado para a eleigo*
os eleilores celebran), as cidades, aldeas ou dis -
trictos de cada estado, reunides preparatorias, onde
nomeiam delegados para urna conrengo de esiado.
Estes delegados elegem um numero de pessoas
egual ao numero de representantes e senadores
que o estado manda ao congresso de Washington e
os eleitos formam o que na America se chama tacket
eleitoral.
Elegem tambem delegados qoe juntos aos dons
outros estados, formam urna grande conrengo na-
cional.
A esta convengo pertence dirigir um program-
ma poltico, e designar dous candidatos, um para a
presidencia outro para a rice-prestdencia. ~
Ha tantas conrengoes em cada estado e tantas
conrengoes nacionaes, quantos sao os partidos po-
lticos differentes.
No presente anno honre tres conrengoes, a de
Clareland, a de Baltiraore e a de Chicago.
A primeira, composta de abolicionistas radieaes
elegeu para candidato o Sr. Gremont qoe renoncioa
em favor do Sr. Lincoln, para nao dividir os votos
do partido republicano.
segunda, composta de republicanos unionistas
e adversarios da escravatora, recommeodoo ao po-
vo a eleigo de Lincoln ; e a terceira, composta de
demcratas partidarios da escravide, prociaraou a
candidatura do general Mac Clellao. Todos estes
actos sao voluntarios e extra-legaes.
O primeiro acto legal na lerga-feira seguinte a
primeira segunda-feira de norembro.
As formalidades legaes esto consignadas nos se-
guintes artigos da conslituigo.
ARTIGO IISECQAO I.
c Primeira condico.O poder executivo ser
confiado a um presdeme dos Estados-Unidos. Exer-
cer o seu cargo por quatro anuos. Ser eleito do
modo seguale, assim como o vice-presideote qoe
ambem fuocciooar per qoatre annos.
Secunda condiaw.Cada estado eleger, pelo mo-
do prescripto na legislago, om numero de eleitores
egual ao dos senadores e representantes que o es-
tado enva ao congresso. Entretanto nao pode ser
nomeado eleitor algum que seja representante oa
senador, ou exerga qualquer cargo poltico.
Terceira condicao.Os eleitores reonir-se-ho no
seu estado respectivo, e votaro em escrutinio para
presidente e vicepresidente, um dos quaes pele
menos n derer habitar no estado a que perten-
cem os eleitores.
No escrutinio designaro a pessoa a quem do o
seu rolo para presideute, e em escrutinio difieren-
e, a que escolham para rice-presidente ; formaro
listas dillereotes de todas as pessoas que tirerem
oblido volos para a presdeocia, e de todas a que os
bajara recebido para a vice-presideocta, e com re.
lago s listas designaro a numero de votos que
obleve cada rotado; estas listas serao assignadas
pelos eleitores selladas e enviadas ao gorerno dos
Estados-Unidos, cora sob-escriplo ao presidente do
senado.
O presidente, em presenga do senado e da cma-
ra dos representantes, abrir todas as listas e coa"
tar-se-ho os rotos, a pessoa que ttrer reunido
maior numero de suffragios para a presidencia D.
cara eleita presidente, sempre que o numero
de votos qoe tiver reunido representar a maiona dos
eleitores; e se nenhum tiver alcangado tal maioria
formar-se-ha urna relago das pessoas (em'numero
da tres ou mais) que liverem mais votos, e d'entre
essas escolher a cmara dos representantes im-
mediataraente e por escrutinio om presidente.
S urna vez nao foi feita a eleigo pelos collegios
eleiloraes e usou a cmara da sua prerogalira fol
em 1824.
Os votos diviramse em quatro candidatos : Jak-
soo que leve 99, Adams 84, Crawfood 41, Clary
37. A cmara des representantes escolheo Adams"
Desde 1789 at 8 de norembro de 1864, tem ha.
rido 20 eleicoos e 14 presidentes, a saber:
Presidentes. Vice-presidentes.
1793 Washington......... John Adams.
1793 Washington......... John Adams.
1797 Joo Adams......... Jefferson.
1801 Jefferson........... Penckney.
1805 Jefferson [(reeleitu)... J. Cliulon.
109 Madson............ J. Clinton.
1813 Madson (reeleito)___ Gercy.
1817 Munroe............ Tempkins.
1821 Mooroe (reeleito)..... Tempkins.
1825 John Q. Adams...... Calnoun.
1829 Jakson............. Calnoun.
1833 Jakson (reeleito)..... Van-Buren.
1837 Van-Buren.......... R. M. Johnson.
1841 Harnson............ J. Tyler.
1845 Polk............... Daltas.
1849 Z. Taylor........... Fillmore.
l>53 Pierce.............. Kiog.
18.>7 Bucoaoam.......... Breckinridge.
1861 Liucoln............ Haralin.
O numero total de votos que figurara na actual
eleigo de 231, comprenendendo a Virginia occi-
dental, e excluiodo a Louisiana, o Arkaosos, e o
Teooessee, que apezar, de terem rollado a Unio
esto aiod prirados do direito de voto.
Estes 231 votes dividem-se do modo seguinte :
California..... 5
Gonnecticut... 6
Dalawre....... 3
Illinois....... 16
Indiana....... 13
Iowa......... 8
Kan-as........ 3
Kentucky..... 11
Maine........ 7
Mryland..... 7
Masuchussetts 12
Michigan----- 8
maioria necessaria
rotos.
Minnesota........ 4
Misori........... II
New Hampshire.. 5
New Jersei...... 7
New-York....... 33
Ohio............ 21
Oregon.......... 3
Pensiirania...... 27
Khode-Island..... 4
Vermont......... 5
Virginia occidental 5
Miscensin........ 8
para a eleigo de 116

1






PERNAMBUCO.TYP.DE M. F. DE F.4 FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIFB2JNSN_7J05TM INGEST_TIME 2013-08-27T23:15:42Z PACKAGE AA00011611_10592
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES