Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10585


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLI. HUMERO 28
.*>a ?f
' .;


----
.
Por q Mrtel pago dentro de i0 das do 1. mez
Iden eiois dos 1.' 10 das do caneco e dentro do quartel.
Porte atcarrei por trsneles ...,..,.,...
J000
6S000
750
SBBADO 4 DE FEVEREIRG DE 1865.

Por nno pago dentro de 10 lias do 1. mez ,,,.,.. 19|000
Porte ao correio por um anoo.........., 3J000
ENCARREGADOS PA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva-, Araoaty, o
Sr. .A. de Lemos Braga 5 Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Heraldo Antonio Al ves &
Fillios; Amaonas, o 8f. Je ronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudins Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinbo. '
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agua l'rela, todos os dias.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. liento, BomCon-
selho, Agna6 Bellas e Tacarat, as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoefro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira. Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhem, RioFormoso, Taraandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta ePi mente i ras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE FEVEREIRO.
2 Quarto cresc. as 10 h., 48 m. e 58 s. dat.
10 Lna chela as 2 h. 7 m. e 16 s. da t.
18 Quarto ming. as 7 h., 18 m. e 4 s. da t.
25 Laa nova as 5 h., 43 m. e 22 s. da t.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAS DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 hopas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juio do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos : larcas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda Vara dodvel: quartas e sabbad hora da tarde. .,,
DIAS DA SEMANA.
30. Segunda. S. Adelelmoab.; S. Martinha v.m.
31. Terca. S. Pedro Nolasco; S. Cyro m.
1. Quarta. S. Ignacio b. m.; S. Peonio presb.
2. Quinta, cga A Panraco de N. Senhora.
3. Sexta. S. Titob.;S. Braz b.
4. Sabbado. S. Andr Corslno b. c.
5. Domingo. S. gueda v. m.; S. Albino b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 hora e 54 m. da manhaa.
Segunda as 11 horas e 18 minutos da tarde'.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livrarla da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Maneel Figuera de
Faria & Filho.
T^
PARTE 0FFICIAL
fiOVRRNO DA PROYOCIA.
Expediente do dia il de Janeiro de 186S.
Ofcio ao Exm. desembargador prevedor da San-
ta Casa de Misericordia. Expeca V. Exc. as suas
ordens para que seja admetiido no hospicio dos
alienados Elias Jos dos Santos, como solicitou a
mi deste Isabel Francisca dos Santos.
Dito ao coronel commndame das armas.
Haja V. S. de Informar sobre a. que pede no in-
cluso requerimento o soldado da companhia de
arikes Antonio Pedro Dionisio.
concurso aos referidos offlcios e remeta copia do
edital para ser aqu reproduzdo.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetes a vapor.Pdem Vmcs. fazer seguir para
os partos do norte o vapor Paran amanbaa a hora
indicada em seu officio de boje-
Portarla.Os Srs. agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes mandem dar transporte para a
capital.da Bahia por coma do ministerio da guer-
ra no vapoi Apa ao tenente do batalho de caca-
dores daijuella provincia Estevo Jos Ferreira,
sua mulher e tres filhos menores.Officiouse a
thesouraria de fazenda para mandar ajustar contas
ao tenente de que se trata.
tituicao de folha etc., claro t que flcaria de ne-
nhum efleito esta medida se os livros tossem rubri-
cados por aquel le mesmo que vai escrever nelles,
e que carece d que us seus lancamentos tenham
f publica.
Quanto falta de meios, me parece qae o rend-
ment dessa freguezia nao tao diminuto que nao
d para a rubrica de livros; e quanto i distancia
ea remedeio esse inconveniente autorisando o vi- de novembro de 1884.
gario da freguezia do Altinho o Rvd. Agoslinh A* S. toe. o honrado Sr. D. Jos Berges,
Godoy de Vasconcellos para rubricar os seus nistro dasTelacoetexterlsres:
livros. Senhor.Tenho a honra de accusar recebida a
Dito ao vigario do Altinho.Autoriso V: Rvma,! nota de V Exc. de 16 do corrente e partillio mui
para por esta vez numerar e rubricar e fazer o? sinceramente,a esperanca nella exprssada de que
competentes termos de abertura e encerrament] seja brevemente removida a prohibicao de sahir
r satlsfeilo os dejos de V. Exc.
o aproveita a occasio para reno-
da sua alta consideracao e es-
Jos Berges.
t A S. Etc. oSr. Carlos A. Washburn, ministro
residente dos Estallos-Unidos da America
t Legacio dos. Estados-Unidos. Assumpcao, 21
mi-
Dito ao mesmo. Remello por copia V. S..
para ter a devida execucao na parte que lhe toca, tratar de sua saude fra da capital.
Dita.O presidente da provincia attendendo ao,
que requereu o capito da 4' companhia do corpo nos livros que tem de servir para o oso da fregm-^ oeste porto, intimada a todos os navios mercantes,
de polica, Jos Pereira Teixeira, resolve conce- zia do Bonito. '! e quo S. Exc. o Sr. ministro brasileiro possa bre-
der-lhe um mez de licenca com veneimentos para Dito ao vigario do Poyo da Paoella.Continan- veniente tomar passagem pelo no at onde lhe se-,
tratar de sua saude fra da capital. do a soffrer a administracao dessa freguezia'com a ja conveniente ir.
o aviso de 9 do crreme, em que o xm. Sr. mi-; Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira desintelligencia que existe entre V. Rvma. eo, Elle desojo que V. Exc. manifesta de que era
nistro da guerra nao s determina que os cirnr-. de paquetes, facam transportar no vapor Apa por coadjutor, desintelligencia proveniente de benezes breve poden elle aproveltar-se desso meio de par-
gioes do corpo de sade do exercito existentes coma do ministerio da guerra os recrutas que o co- entre ambos, e nao devendo eu consentir que con- tida esta conforme com o accordo a que live a non-
, ra o ca-
so de assim o permitlirem m interesses do estado
e as segorancas offerecidas pelo Sr. Vianna de Li-
ma, que s hontem foram recebidas, com data do
dia anterior. Nao ha pois motivo para a censura
que V. Exc. dirige ao governo paraguayo, com a
pirase : as facilidades da partida, ruito lempo
demoradas.
O abaixo assignado nao devia esperar essa
nculpaco por parte de V. Exc. que Untas facili-
dades oncontrou ne seu governo para o xito da
ofBciosa solicitude de que se fez cargo, em favor
do Sr. Vianna de Lima.
c O abaixo assignado aproveita esta occasio
para reteirar a V. Exc. a seguranza de sua alta
consideracao.
Jos Berges.
cesta provincia, se recolham a corte a propor$o .tonel commandante das armas remetler relaclo- tinue esse estado de cousas, cumpre que V. Rvma.
que a torca de liona se fr d'aqai retirando, mas
tambem autorlsa-me a contratar os mdicos que
forem indispensaveis para o servico da goaroi-
cao.Comraunicou-se ao inspector da thesouraria
de-fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar so-
bre o que pede Joaquim Martinbo da Cruz Correia
no incluso requerimento.
Dito ao mesmo. Queira V. S. informar acerca
nados para bordo do
corte.
mesmo vapor com destino a
Expedieite do secretario do governo do dia 31
de Janeiro de lSGo.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-
V, S. a 1- e 2' via da
/iw 1 uicaiiiu. uucu< v. luiuiiuar una zoiltir a V. S. a 1" u 2* via da ordem do tbesouro
do incluso officio em que o capito com exercico nacional'datada de 21 do corrente.
de raajor do -i. batalho de infamara da guarda
nacional deste municipio Jos Ignacio Pereira da
Rocha, se oflerece para servir na luta em que est
o governo empenaadu contra algumas das rep-
blicas do sul do imperio.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar so-
bre o que pede o Dr. Joo Pedro Maduro da Fon-
seca no incluso requer memo.
Dito ao mesmo.Mrva-se V. ". de informar so-
bre o que pede no incluso requerimento D. Bellar-
mina de Moraes da Silva.
Dito ao mesmo.- Queira V. S. informar sobre
o que pede o recruia Antonio de Barros Cabral, no
incluso requer ment.
Dito ao mesmo.Queira V. S. mandar pr em
liberdade como solicita o commandante superior
da guarda nacional do Recife, em officios de 27 e
30 deste mez, o guarda Rosendo Adrio do Mon-
te, que foi recrutado para o exerciio. Communi-
cou-se ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.
Dito ao Dr. chefe de polica. Remelto V. S.
p.passe solicitado em seu offlcio n. 163, desta data
para o lente Joo Eduardo Pereira Borges.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. s. com urgencia ajustar contas ao 9.
batalho de infamara, at o fim do cadente mez e
passar-lhe guia de soccorrmento, visto 'ter de se-
guir para a corte ne vapor Apa.
Dito ao meW.-Logo que o director da colonia
militar de Pimenteiras, recolha ao cofre dessa
thesouraria o saldo de 1:7615-60 rs., que tem em
seu peder segundo V. S. infurmou era officio de
27 do cadente mez, pertencente ao exercico de
1863-a 1864, mande V. S. adianlar-lhe 2:000,5000,
para com a quaotia de 221419 rs. salde das des-
pezas do ultimo trimestre do aono pssdo, poder
occorrer as do trimestre que se tem de lindar em
margo prximo vindouro.
Dito ao mesmo Avista do incluso requerimento
mande V. S. abonar ao procurador do alferes do
9 batalho de infamara Thomaz Pouipeu Theodo-
no prazo improrogavel de mez e meio, me apr-
sente um sacerdote para coadjnctor desf fregu
zia, e provoja de livros a matriz : sendo que ter-
minado este prazo, fpassaret a nomear parodio in-
terino e providenciar respeito da' falla de livros.
EXTERIOR.
COVERNODO BISPADO DE
PERXAMBI'CO
SEDE VACASTE
Janeiro de 186o
Expediente do dia 23.
Offlcio'ao vigario da villa da Boa-Vista. Tenho
presente o seu offlcio do 1 do corrente pelo qual
me participa que encontrando em urna das gavetas
da commoda da sacrista uro, quaderno com 177
asseotamentos de baptisados, 41 de casamentos, e
5 de bitos, todo do anno de 1859 ; feitos pelo pa-
dre Joo Jos de Araujo quaodo parochiou essa
freguezia ; e nao sabendo determinar-se a respeito
desses lan^amentos me pergunta se deve cu nao
lanca-los nos livros que actualmente servem nessa
matriz.
Sendo muito para lamentarse a incuria e o des-
leixo de alguns Rvds. sacerdotes, que nao calcu-
lan) o mal que causam s suas ovelhas com essa
falta constante de lanifamentos, ordeno-lhe que re-
gistre nos livros dessa matriz todos os lancamentos
de que falla, e me participe logo que o houver
feto.
Dito ao vigario de Paos dos Ferros.Informe V.
Rxm. se a capella de Santo Antonio que se est
conslruindo no sitio Passagem, dessa freguezia de
Paos dos Ferros tem patrimonio legal. No caso af-
irmativo pode V. Rvm. proceder a benco solem-
ne da mesma capella.
Fica assim respondido o seu officio de 3 do cor-
rente.
24
Offlcio ao vigario do Murlci. Fico sciente do
que V. Rvma. me relata no seu officio de 9 do cor-
rente a respeito do seu estado de molestia, e ratifi-
cando e approvando a nomeago que fez do Rvd.
Fr. Francisco de Santa Guilhermina para reger a
parochia durante a sua ausencia, nesta data me d-
ro de >ouza a consignagao mensal de 15,8 que este rji0 ao mesmo Rvd. Fr. Francisco, sgnificando-lhe
qoer deixar do respectivo sold nesia provincia a > a minha approvaco.
contar de fevereiro prximo vindouro em diante. I Dita ao Rvd. Fr. Francisco de Santa Gulherm-
Dito ao mesmo rO Juiz de direito da comarca Da. Tendo o Rvd. parocho dessa freguezia me
de Goianna participou que por ter o tacharel J.s i participado que encarregra V. Rvma. da regen-
Antonio Gorra da s>ilva entrado em 16 deste mez Cia da parochia cmquanto durar o ncommodo dei-
no gosoda licencade 2 mezes que obteve, nomeou | |e. apressome a ratificar a nomeaco que elle fez
paraexercer interinamrnte all o cargo de promo- ,je y. Rvma. para administrar o pasto espiritual aos
tor publico o bacharel Joao Flonpes Dias Brrelo, parochanos do Murici, emquanto lhe durar a en-
que eutrou em exercico no da 18 do mesmo mez: fermidade, e espero que V. Rvma. desempenhar
o que a V. S. communico para seu conhecimento. essa commissao com o zelo e dedicaco que a san-
Dito ao mesmo.-Em 26 do correte entrou o ,a jgreja recoramenda, e o bem espiritual dos liis
juiz municipal e de orphaos do termo de Gara- exige.
ahuns bacharel Francisco Antonio Cesarlo de Aze-; Dito ao vigario do Sirid. A quantia que um
vedo no goso da licenca de dous mezes que lhe foi devoto entregou para a Senhora Santa Anua, em
concedida : o que commumco a VJ5, para seu fvirtude de urna promessa que baria feto mesma
coniiecimemo. 1 santa, deve ser empregada em alguma alfaia para
Dito ao mesmo.Avista da sua tafortnacSp n. 0 aliar da Santa, ou recolhido ao cofre da respecti-
vo, Armada em 27 do cadente mez, autoriso V. S. Va irmandade.
Fica assim respondido o seu offlcio de 10 do cor-
rente.
25
Officio ao vigario de S. Louren^o da Matta.
Para eu poder responder ao seu offlcio de 18 do
correte, cumpre que V. Rvma. informe se as pro-
piedades Utinga e Pitanga, de que falla o seu ci-
tado offlcio ficam dentro da linha trabada por le
provincial n. 603 do anno prximo passado, que
annexou freguezia de Iguarass diversos enge-
nhos e propriedades anteriormente pertencentes a
essa freguezia.
26
Offlcio ao Dr. juiz de direito da 1* vara. Em
resposta ao offlcio de V. S. Armado em 24 do cr-
reme, cumpre-me declarar que ja dei licenca ao
Rvd. parocho da freguezia dos Affogados Antonio
Francisco Gon^alves Guimares para depor no pro-
cesso mandado instaurar pelo superior tribunal da
relacao contra o 1 supplente da subdelegada dos
PARAGUAY.
Os nossos leilores teem conbecimenlo damaneira .
cavalhelresca e altamente am.gavel por qw se tem ,r0|)as oa nav,(? brasileiros que todos os outros
comportado, em relacao ao Brasil, digno repro- mos- MQM aha,,n Hn Hnms,,, "'"" -
ra de cnegar em urna conferencia pessoal com S.
Exc. o Sr. presidente da tepubllcaa 16 do corrente.
c Pelo accordo emo proposto julgava-se que
emquaalo o Sr. Vianna de Lima e sua comitiva sa-
hissem pela va lluvial com pooca ou nenhuma de-
mora, os interesses do Paraguay nao podlam sof-
frer damno ou detrimento algnm. Ficou entendido
que se o ministro brasiloro dsse segorancas, pela
honra e pela f do nosso governo, de que nao se
tirarla nenhuma vantagero, por torcas terrestres ou
navaes do governo brasiidiro, da BOtieia levada pe-
lo navio que fosse conduzl-lo para fra do paiz, e i
promettesse que o vapor que o cdnduzisse em seu
regresse nao seria impedido de modo algum por >
navios, aguas abaixo de Humarla, pertencentes ao
Paraguay, on carregados para este paiz, estariam
lo seguros de nao serem embarazados ou imped-
dos, com cuja violacode promessa haveria quubra
de honra nacional, nao smenle para coro o Para-
; guay como para com os Estados-Unidos, tirando o
I Brasil vantagens da informacao levada pelo dito
sentante dos Estados-Unidos da America no Para
guay.
Sabem tambem que foi a extorco* seus que o mi-
nistro do Brasil na Assumpcao o Sr. Vianna de Li-
ma obteve transporte para si, sua familia e comiti-
va, depois qtie o governo paraguayo lhe concedeu _
os passapsrtes reclamados por occasio do aprisio-! Bav'I">*'e os succcssos occorndes no Paraguay ;
jiamento do Mrquez de-Olinda. em tal.^so o ministro braslleiro e sua comitiva
Ser-lhe-ha, pois, agradvel apreciar a correspon- criara promptamente prvidos de conduccao.
dencia diplomtica trocada entre o governo para- v' E""e ?'"adiv*l informar a V. Exc. que q Sr.
guayo e o digno Sr. Carlos A. Washburn que lo yiann* nobre e corajosamente se constituio o desafTron- das *? 8eufan5as necessanas.
tador da moral universal e do direito das gentes. A offerla que V. Exc. faz de prover a segu-
protegendo to efflcazmente a legacao do Brasil que **" s"a v'a8m por erra e anda de auxilia-
grave risco forren no meio de um povo to selva-!l0 D0 lriasit0 ^P"1"* eil 1.ne nM seJa
gem e ante nm governo mals selvagem anda :
Legaso dos Estados-Unidos.Assumpcao, 17
de Novembro de 1864.
AS. Exc. o honrado Sr. D. Jos Berges, minis-
tro dos negocios estrangeiros.
Senhor, neste momento acabo de receber urna
nota (coja copia tenho a honra de enviar-lhe) de S.
Exc. o honrado Sr. Vianna de Lima, ministro bra-
S hV.aSf?dlHC^s Sfitf-^ que to-; signado s considerado como possivel pa
das as seguranzas foram dadas pelo Sr. Vianna de Sf,V am nMrn.iiim -, .CT-J: a,
Lima em nome do seu governo, conAo que as faci-
lidades da partida ha muito retardadas sejam im-
medialameole concedidas.
Aproveilo a opporlundade para expressar a
minha distincla considbrago.
Carlos A. Washburn.
Assumpgo, 23 de novembro de 1864.Sr.
ministro.Em resposta nota que V. Exc. servio-
se dirigir-me com data de hoje. tenho a honra de
certiAcar-lhe que concordo inleirameste com as de-
clarares fetas por V. Exc. ao governo da rep-
blica do Paraguay no interesse de estahelecer urna
base para que eu tenha meios de transporte para
fra desia repblica por via fluvial.
Referlndo-me s ditas reclamacoes comidas
w^Tii.2,?,,-0rr0Dle a EV- JS A 8- Exr- Sr Carlos Washburn, ministro re-
Kerges de toda a seguranza era nome do governo siJente dos Estados-Unidos..
OtESJ*! pil,0 'mperrador ,du Brasi!' qe se, i Leacao d^ Estados-unidos. Assumpcao, 26
governo do Paraguay me Gzer transportar quanto e novembro de 1864
mis^m anh? amIU' secreUr,0> Jt"* e.c-1 AS. Exc. o honrado. D. Jos Berges, ministro
mitiva em um dos seus vapores, ou para Comen- das relacoes exteriores.
J1S ,UfP,ara B"enosAvre>. nenhuma yantagera tira-, Senhor.-Tenho a honra de accusar o recbi-
*M1 m d Tr e,Ierra, do Brasi1 an"c|Pa": ment da nota que V. Exc. ez-me a honra dirigir
5ao das noticias levadas pelo vapor ^ roe con-; Com dala de hornera em resposta minha de 23
ouzo, para nostilisar o commercio e navios para- do cerrente
guayos; que o dito vapor nao soffrer impedimento f Com sorpresa e com pezar que observei o
t^B,^rm sfra,moi?,s,adf> queru na.,lJa qw. ua i -naniresto desgosio nesta nota de hontem, pela ma-
volia por pane das ditas torcas brasileiras, e que, Deira porque tem sido condazida por mim a cor-
quanlo aos navios pertencentes ao Paraguay, com respondencia relativa partida de S. Exc. o minis-
carga para a mencionaba repblica e que se achem tro brasileiro. V. Exc. sabe que, como membro
em \iagem tambera nenhomavantagera tirano as decano do corpo diplomtico esta capital, era do
torcas brasileiras da anticipado das noticias fican- meu dever.quando assim supplicado neloSr. Van-
do por tanto esses^ navios hvresde impedimento, na de Lima, dar-lhe a assstencia que esiivesse a
segundo as condicoes constantes da presente nota. me alcance para arranjar-lhe os meios do partir.
Declaro mais a V. Exc que este compromlsso Procurei cumprir este dever e esperei que depois
sera pontualmento observado pelos commandantes de minha longa residencia como ministro nesta
das forjas unperiaes, e que a falla de execucao capital livesse obtdo a conanca do governo que
acarretara para o ineupai! a quebrada sua honra deviaoltiar favoravelmente os meus estorcos de
lanto para com o governo dos Eslados-Umidos, servir ao meu collega e evitar qualquer irrigo em
comoipara cora o desta repblica. | prejuzo a interesses paraguayos.
Benovo a V. Exc. as expressoes da minha alia y. Exc. manifesta a sua extranheza de que as
estima e considerado. segurancas didas pelo Sr. Vianna de Lima nao le-
' nliiim sido endonadas pjr miro com a garanta dos
a mandar suspender do Io deste mez em diante
como solicitou o Exm. presidente da provincia do
Amazonas em officio de 23 de dezerabro ultimo o
abono da consignaco de 40$ mensaes qae estabe-
lectu do respectivo sold o capito Mathias Veira
de Aguiar, remetiendo V. S. a thesouraria de fa-
zenda daijuella provincia urna guia ou cerlido em
vista da qual possam ser pagos regularmente os
veiiciinepios daquelle official.Commoncoa-se ao
Exm. presidente da provincia do Amazonas.
Dito ao mesmo.Faca V. S. cessar do Io do mez
de fevereiro prximo vindouro em dame como so-
licitou o Exm. presidente do Marauho em officio
de 1 do cadente mez o abono da consignaco
mensal de 20 que eslabeleceu do respectivo sol-
do nesta provincia o tenente quarlel-mestre do o"
batalho de infamara Felippe Guilherme de Mi-
randa Lisb a, remetiendo V. S. a thesouraria de
fazenda d^quella provincia orna guia ou certido
em vista da qual possam ser all pagos com regu-
lardade os vencimemos desse offlcial.-Commu- Afogados Manoel Jos da Silva Grillo,
nicou-se ao Exm. presidente daquella provincia. Aproveilo a occasio para sgniAcar V. S. os
Dito ao director geral da instrucco publica.-' mens protestos de estima o consideracao.
Era resposta ao seu offlcio de 27 do corrente, sob Dito ao vigario da freguezia da Boa Vista da c-
n.26, tenho a dizer que designo os professores Jos^ade do Recife.-Tenho prsenle o seu offlcio data-
Soares de Azevedo e Dr. Augusto Carneiro Mon-' do de i>4 do correte, no qual me diz que, nao po-
teiro da Silva Santos para examioarem os alumnos deudo at hoje celebrarse na sua matriz 14 missas
pelo descancb da alma da mulher de Custodio Ma-
noel Goncalves, as quaes per minha ordem estive-
ram expostas nessa matriz desde o dia 21 de no-
vembro passado, para que tossem celebradas quan-
to antes, me remelle os viole e oilo mil res (28j
que lhe enve! para csmola dessas quatorze missas.
Simo, na verdade, que em urna freguezia to po-
pulosa como essa nao se podessem celebrar qua-
torze missas, mormente sendo essas missas para
nha Re sun",'aflar a alma de urna sua parochana, e para
aueK desencarregar consciencia de nm nosso irmo sa-
" | cerdole, e tambera seu parochiano.
do Curso Commercial Pernambucano.
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife. Expeca V. S. as suas or-
dens para que o 4 batalho de infamara desta ci-
dade d orna guarda de honra no dia 2 e outra no
dia S de fevereiro prximo vindouro, am de as-
sistirem as festas de Nossa Senhora da Saude e do
Senhor Bom Jess dos Passos, que teem de ser ce-
lebradas na igreja matriz do Poco da Panella.
Dito ao inspector do arsenal de man
commendo a V. S. que faca apressar como
inglrz e ao de Olinda, mandando tornecer as cor- %Hraas ^ardTo do rZvenm de S Francisco
rente, ^f ancoras qo. torera precisas par.! a co"-! da cdade S^Sh^-'^SX V. ParniS
cacao das referidas botaS.-Commumcou-se ao ca- Kvma de mandar ce,ebrar M .Rreja do seu C0Q.
pitao ao pono. .-,. Dmm._ j vento pelos Rvds. sacerdotes seculares e regulares
Dito ao> eonielbo f^mmistrativo^-J^ommendo nmpwceretn quatorze missas pela alma
ao conseibo adm.n.strat vo que compre para as | ^ u J de ^ CQm p de doUR
dietas dos doenles da enferaaria militar do prasi- mi| ris cada' 0 |to inclusa
dio de Fernando os gneros e mals oJfto men- |ja d vjn,e 0 ^ (m) E ,
donados ao meloso pedido.-Fizeram-se as neces- ^ najam ce,ebra(Jo diUs ^Tv. Paternidade
sanas commumeacoes. Rvma me reineUera a competente certido.
Dito ao mesmo.Retnmetto ao conselho adml- 30
nistrativo do arsenal de guerra para seu cenheci- Offlcio ao vigario do Benito. Tenho presente o
ment rpia do termo de exaroe e entrega dos me- seu offlcio de 14 do corrente pelo qual me pede 11-
dicamentos e mas ebjectos que vendeu o Dr. Joao! cenca para rubricar os livros tia sua matriz, atlen-
Pedro Maduro da Konseca para foruecimento da dendo distancia e nimia pobreza dessa fregue-
pharmacia do hospi tal militar. xa-
Dito ao Juiz municipal de Cabrob.Tendo-se I Tenho constantemente declarado que nao haver
terminado o praso legal para o concurso dos (offl-' nzo nenhuma que me faga conceder licenca a
cios de partidores desse termo, sem que appare- um vigario para rubricar os proprios livros: pois
cesse concurrentes,como consta de sua eommunl- sendo a rubrica, abertura e encerrament dos li-
mis neces-
iaria. Cora sua grande familia nesta esteco do
anno, com lempo lo calmoso, e ros e arroyos to
crescidos que lornam as estradas quasi intrasila-
veis, a viagem teria de ser longa, fastidiosa e al
arriscada para a saude dos que o segussem.
< A fim, pois, de se lhe evitar urna viagem to
desagravel e penosa, eslou certo de que S. Exc. o
Sr. presidenta far ludo o que esteja em sen po-
sileiro, informando-me, como decano do corpo di-! der' sfm eoiopromelllmenlo ou perigo de interesses
plomalico, nesta capital, que, vendo-se por motivo in9fn'm de seu PJft para facilitar ao Sr. Vian-
do apnsionamento do paquete brasileiro Mrquez Da de^ima a sua retirada. Pela forma cima ex-
de OtiAda pelo governo paraguayo, na impossbili-! P*la' P*rece Que arabos os Bus podera ser alcan-
dade de partir to depressa como deseja, por qual- cados > aae ministro brasileiro ache prompto.
quer outro navio de vela ou a vapor, acha-se sera '^port e que nao se arrisque nenhum interesse.
meios de condcelo para si e para sua comitiva Paraguay,
para sahir da repblica do Paraguay. I. \ Acerascentare que o Sr. Vianna de Lima con-
A' vista disso dirigi me essa nota solicitando ,enIa-se com "" aPeoas ate Corneutes em um vapor j
os meus bons offleiw para arranjar-lhe os meios de Parauayo, se fosse roais conveniente deixa-lo nes-
condoecio : e licarei muilo agradecido V. Exc. se Pnl do aue se*uir ate Buenos-Ayres.
por quaesquer explcales ou suggesles que ten- Aproveito a occasio pan renovar, ele.
dem a facilitar a partida do Sr. Vianna de Lima e ,-,-, ,?* A washburn.
da sua comitiva Ministerio U" estado das relacoes exteriores.
Aprovetto a occasio para assegurar-lhe a mi- -Assumpcao, 22 de novembro de 1861.
nha alia consideracao ahaixo assignado. ministro e secretario de
' Carlos A. Washburn. fudo d?* rt!a5os exteriores, recebeu a nota que
. C Sr. ministro : de 1P do mesmo mez.
Estando prompto para partir, em consequen- Pe,,a manifesta V. Exc. comparlilhar sincera-
ca dos acontec mentos que V. Exc. conhece, vejo- mente a esperanca de ver em breve revogad.i a
me privado dos meios para eflVctnar a minha ret-' Probibicuo de sahir desle porto qualquer navio ; e
rada, por achar-se at agora detido pelo governo qu,e Sr- Y'anna de Lima possa lomar passagem
paragu.iyo o paquete brasileiro Mrquez de Olinda, \ Pe,' ri0.a'c Por.'0 que. raais, ln convenha; que
e por haver sido prohibida a sahida desle porto a este ra,e.10 de Parllda es,a conforme com o accordo
todo e qualquer navio mercante. a ? V" n teve a honra de cne|!ar no dia 10 com
Em taes circumstancias diriio-rae V. Exc, ? Exc- Sl' Ps'dente da repblica em urna con
como decano do corpo diplomtico, pedindo-lhe pa- fereucia pessoal, fleando o arranjo proposto eolao
ra que se digne alcancar-me os meios de effectuar Para a Pai"l'da do Sr. Luna e da sua comitiva, nos
mhlia partida desta repblica e transportar-me a ,ermo,s Indicados na nota a que respondo.
Buenes-Avres com minha familia, o secretario da ." ada iluais er,. Sr; n'""1". de qe o de-
legacaoe"minha comitiva. sejo de S. Exc. o Sr. presidente da repblica, de
Aproveilo a occasio para renovar V. Exc. que PeiSoal da 'egaco brasileira nada soffra das
os protestos da minha particular eslima e dstmeta consequencias de. urna situacao creada por seu pro-
consideracao Pno governo, e V. Exc. que j teve occasio de
Cezar Sauvan Vianna de Lima. assim cnhec lo lera tido evidentes provas e pode
A S. Exc. Sr. Carlos A. Washburn, ministro dar testemunho de quao disposlo encontrou a S.
dos Estados-Unidos da America Ec- *r Pres'deote a fazer conduzir para fra do
P. S. Tendo-se-meapreseniado neste momento Palz, em transporte nacional, a essa legacao, toda
o Sr. Antonio Mara Pereira Leite, subdito brasi- vez nue 3 all9s interesses compromettidos por essa
leiro, passagelro do paquete Mrquez de Olinda a mesi"a mmao, assim o permittam.
quera o governo paraguayo permitto desembarcar, L,om t,ud0 quando o Sr. presidente manifes-
e que pretende regressar ao Ro de Janeiro, desejo ,ava a Exr- esses 00res e cavalheirescos senti-
leva-lo em minha comitiva. iraenlos na entrevista de 16 do corrente, e desejava,
C S Vianna de Lima > da saa Parle' fac'"lar ludo, nao entendeu conven-
. Ministerio de estado das relacoes exteriores, iciODar com v- EC- estipulagoes nem arranjos e
Assumpcao, 19 de novembro de 1864. meuos anda tracar planos sobre o assumpto.
O abaixo assignado ministro e secretario de i y> taes anlecedentes e nos termos da refe-
estado das relacoes exteriores, teve a honra de re-; renc,a de .* fcxc-a entre'ista que teve com S. Exc.
ceber a nota que V. Exc. lhe dirigi a 17 do cor- Sr- presidente, bem como o favoravel acolhimen-
rente juntando rpia da que, na qualidade de de- \l0 que obleve. leria ido mais .faci1 e mas expedito,
cano do corpo diplomtico desla capital, recebeu de i pan conseguir o seu intento, ista, a prompta par-
S. Exc. o Sr. Cesar Sauvan Vianna de Lima, onde,l,da 3do sr- vtanna de Lima, tazer desde logo men-
denunciando a detencc do Mrquez de Olinda c a isao dessa entrevista na sua nota de 17 e offerecer
prohibicao de sahir deste porto qualquer navio raer- as segurancas necessarias por parle do ministro
cante, pede V. Exc. lhe obtenha os meios de ef- i brasileiro robuslecende-as V. Exc. por sua parle
fectuar sua retirada desta repblica transportando- icom a garanta dos Estados-Unidos da America,
se a Buenos-Ayres cora sua familia, o secretario i aDa,X0 ass|gnado nao pretendeu prover a se-
da legacao e mais comitiva : e em consequencia guranca do Sr. Vianna de Lima, caso resolvesse a
deseja V. Exc. receber explicaeSes ou snggestes; v'alar Pr |e[ra do modo P0"" que V. Exc. parece
que tendam a facilitar a partida do Sr. Vianna de ,-' entendido, por que essa seguranca esta plena-
jma. | mente garantida pelas leisda repblica e pela mo-
t V. Exc. conhece os* aconteciraentos quederam : ralidade de seus habitantes, como V. Exc. lera lido
lugar s medidas tomadas pelo governo do abaixo I occasio de apreciar em suas frequenles viageos ao
assignado, como se v da nota do Sr. Vianna de mierior da repblica.
Lima As allegacoes relativas a estacao do anno, ao
Elle receben, pois, seus passaportes, e o g-falor.aos arroyos crescidos e s estradas quasi in
verno da repblica er ter preenchido o seu devtr transiuwis, a longa, difficil, fastidiosa e arriscada
concedendo-lh'os logo que os pedio, e fleando desde viagem, nao pdein ja ser lomadas em considera-
esse momento o Sr. Lima na plena liberdade de'cao,desde que V.Exc. affirma que o Sr. Vianna de
procurar os meios de eftoctuar a sua sahida da re-1Lima accede de Dom osl0 dar ,odas as segurancas
publica. i necessanas.
A'prohibicao da sabida deste porto a lodosos! Sem entrar na aprecaco do plano que V.
navios mercantes urna medida para a adopeo da Exc- delinea, o abaixo assignado deve limitar-se a
qual espera o abaixo assignado que seja reconhe-, esPerar essas. segurancas. para em consequencia
cido o direito do seu governo, sendo ella como foi! passara salisfazer os desejos de V. Exc. confiando
dictada "em salvaguarda de seus interesses e da que ellas serao tao solemnes, ampiase preciosas,
sua propna seguranca. i coin" se 'az mister a situacao especial que as mo-
Sendo prohibida a sahida deste porto, s como 1,iva- t ,
urna medida provisoria, de esperar-se que dentro | .* abaixo assignado aproveita a occasio para
de pouco lempo possa o Sr. Lima aproveitar-se da j reiterar a V. Exc, etc.
via fluvial para effectuar a sua viagem, se assim Jose Berges.
lhe convier, mas se a urgencia que desde principio | AS. Exc. Sr. Carlos A. Washburn, ministro
manifesta de tal natureza que nao lhe permita' residente dos dos Estedos-Uaidos da America,
esperar, V. Exc. pode assegurar-lhe que nada obs-1 < Legacao dos Estados-Unidos.Assumpcao, 23
la para qne elle se retire do paiz com toda a segu-' de novembro de 1864.A S. Exc. o honrado D.
ran$a e at com auxilio por qualquer das vias ter- Jos Berges ministro das relacoes exteriores.Se-
de novembro de 1864. A. S Exc. o honrado D.idade que me conferio o meu governo. Tendo o
Jos Berges ramislro das relacoes exteriores. Se- i ministro brasileiro empenbado solemnemente o seu
nhor.-Declara-me o ministro brasileiro que ora governoao dos Estados-Unidos de que certas condi-
cavalheiro enviado pelo seu governo como portar coeseslpuladasseriamobservadas.seestascondicoes
dor de despachos para elle, e que veio pelo pa-1 nao tossem respeitadas (o que considero quasi ro-
quete Paraguan, chegado ltimamente, acha-se possivel) enlo caberia ao meu governo pedir as
delidoja bordo desse navio. Lomo portador de salistacoes que essa violacao to flagrante de fe e
despachos tem direito a todas as inmunidades, di-! de honra requeresse
reilose,privilegios da legacao do mesmo modo que a sorpreza qV V. Exc. manifesta acerca da
o ministro presumo que essa detencao e feita minha ohservaco na nota de 3 do corrente relati-
sera conhecimento de V. Exc. e que so tenho de va as facilidades retar'adas ,para a partida do Sr.
chamar a sua attencao para o tacto aflra-de as-; Vianna de Lima, nao excede a minha pela inlerpre-
segurar a sua plena liberdade. laco dada a essa exprssso. O Sr. Vianna de Li-
Aproveilo esta occasio para renovar as mi- ma recebeu os seus passaportes a 14 do corrente, e
nhas expressoes de alta consideracao. at o dia 23 nao pode achar os mens convenientes
..... Carios W _ Ministerio das relacoes exteriores.Assump- tardanca, e eslava mui longe de attribui-la nessa
Cao. 24 de novembro de 18b. A's 8 desta ma- nota a nenhum acto do governo. Fallel della sim-
nbaa, ti ve a honra de receber a nota que V. Exc. plesmeote como um fado de ter havido demora :
me dirigi com dala de hontem, avlsiodo-me de nao atlnibui a culpa a ninguem, nao sei como se
achar-se intorraado pelo Sr. Vianaa de Lima, que possa ver na minha phrase urna censura ao go-
um cavalheiro recentemente chegado pelo Para-1 verno do Paraguay.
yuari, como parlador de despachos do seu governo *&, ,,osso coosluir essa nota sem urna exprs-
acha-se detido a bordo daquelle vapor, e que pre-, ^o de reconhecimento ao ser informado da inten-
summdo V. Exc. que esta delengao era feita sem s0 do seu governo de despachar um vapor era que
meu cunheciinento so charaava a minha atlencao 0 Sr. Vianna de Lima e sua familia podera iarlir.
pan o fado afini de assegurar a promptaliberda-. pr este aelo de liberalidade e conanca desejo ex-
dedo individuo. I pressar os meus sinceros agradecimenlos.
Anda que V. Exc. nao houve por bem dizer-. Aproveilo a occasio para reiterar os meus
me o motivo quo o havia impellido a mandar-me protestos de alta consideracao.
a nota, pela simples informacao do Sr. Vianna de Carlos A. Washburn.
Lima, apressei-me a lomar os esclarecimientos ne- Ministerio das relacoes exteriores.-Assump-
cessarios, c resulta que havendo chegado houtem cao, 26 de" novembro de 1864.
tarde o paquete que V.Exc. nomeou a capitana o abaixo assignado tem'a honra de avisar a
do porto nao permitto o desembarque dos seus. y. Exc. queem virtude de resoluco do seu go*er-
passageros nem da lrp,olaco e que esta mauhaa Do coramunlcada em nota de hontem, dirigise ao
cedo saliaram para trra os primeiros, inclusive departamento da guerra e marinha solicitando a
um ofllcialda marinha de guerra do Brasil, que se designaco do vapor que deve conduiir a Bueno-
dizia portador de despachos para o Sr. Vianna de Ayres o Sr. Vianna de Lima c*m saa familia eco-
Lima, i mitiva.
Nao tendo vindo no dilo paquete outro parla- Era resposta avisa o Sr. ministro da gnerra
dor de despachos devo crer que a elle que V.; ter resolvido que o vapor Paran faca a viagem m-
Exc. alludio na nota de hontem, o mesmo que j dicada, e que estar promplo para saliir do porto
havia livermeme desembarcado antes de recebida no dia 29 do cerrente, o que o abaixo assignado le-
restres.
i Quanto ao mais V. Exc. permittir que o abai-
xo assignado prescinda de tomar em consideracao
o P. S. da nota do Sr. Vianna de Lima relativa-
mente ao sea desejo de levar com sua comitiva ao
subdito brasileiro Antonio Mara Pereira Leite,
desembarcado do Mtrquez de Olinda, em eujo bor-
cajo de 7 desle mez, mande Vmc. abrir novo Tros um meio de obstar qualquer falsiflcaco, stbs-1 do se achava como passagelro.
nhor.Tenho a honra de accusar o recebimeoto
da nota de V. Exc. datada de hontem relativa
partida do Ministro brasileiro, era resposta mi-
nha do dia anterior; urna copia desta nota a V.
Exc. foi dada ao Sr. Vianna de Lima, a quem sob-
metto igualmente a sua nota de boje, e elle respon-
deu-me com urna nota qne eu tenho a honra de
I enviar a V. Exc. com esta. Acreditando qne foram
a nota de V. Exc.
Aproveilo esta occasio para reiteirar a V.
Exc. a expresso de toda a minha consideracao.
o Jos Berges.'
A S. Exc. o Sr. Carlos Washburn, ministro re-
sidente dos Estados Cuidos. >
Assumpcao 5 de novembro de 1864.
O abaixo assignado, secretario de estado das
relacoes exteriores, leve a honra de receber hon-
tem a nota que V. Exc. lhe dirigi a 23 do corren-
te em resposta deste ministerio do dia anterior,
relativa a partida do Sr. Vianna de Lima cora sua
familia e pessoal da legacao do Brasil.
Junto a essa nota recebeu tambem copia aoto-
risada da nota que o Sr. Vianna de Lima dirigi
a V. Exc. na mesma data de 23 do corrente, offe-
recendo era nome do governo de S. M. o Impera-
dor do Brasil as segurancas de que, se o governo
do Paraguay o fizesse transpsrtarcora sua familia,
secretario e comitiva, em um dos seus vapores,
quer para Corrientes, quer para Buenos-Ayres,
este navio nao seria de modo algum molestado na
ida ou na viuda pelas torcas brasileiras, do mesmo
modo que qualquer embarcco nacional ou outras
com carga para a repblica, enlendeodo-se taes
embarcaces livres de todo impedimento, e que
este compromisso seria puntualmente observado
pelos commandantes das torcas hrasileiras.
O abaixo assignado desejava urna declarac/io
mais precisa de lempos e lugares, e emende que
as segurancas offerecidas pelo Sr. Vianna de Lima
deviam ser corroboradas por V. Exc. cora a garan-
ta dos Estados-Unidos, porm, posto que V. Exc.
nao t-ve por conveniente responder explcitamente
a esta parte da nota de 22 do corrente tanto como
0 Sr. Vianna de Lima manifesta o desejo de salis-
fazer as condenes necessarias ; depositando o go-
verno do abaixo assignado f na honra de S. M. o
Imperador do Brasil, econsequente com o seu pro-
posito de facilitar ao pessoal da legacao brasileira,
antes de que acredita-lo junto de si, os meios de
sahir quanto ames do paiz, ordenou que seja con-
duzido o Sr. Vianna de Lima e sua comitiva por
um dos vapores nacionaes at o porto de Buenos-
Ayres.
, Em consequencia, nesta me.-ma data, pede o
' abaixo assignado aoseu collega da guerra e mari-
nha, se sirva designar o navio que deve conduzir
o -Sr. Vianna de Lima, e o dia em que estar
prompto, para qae chegue opportunamente ao co-
nheciraento do Sr. Vianna de Lima.
O abaixo assignado nao fechar esta nota, sem |
exprimir a V. Exc. toda a sorpreza que soutio ao
ver consignada na nota de V. Exc. a declaracao de
que ronfiava que as facilidades da patria ha muilo
demoradas, seriam immediatamente concedidas.
Urna asserco de tal natureza, nao pode sub-
sistir, quando nada autorisava V. Exc. a emprega-
la, desde que, longe de importar urna onrigaco
para o governo, preclsao dos meios precisamente
fluviaes, com desistencia de qnalquer outro, a con-
cesso delles era de pura condescendencia e eor-
1 tesia, nanea promettido pelo governo do abaixo as-
va ao conheciraento de V. Exc.
< O abaixo assignado renova a V. Exc. as segu-
rancas de sua alta consideracao.
Jos Berqes.
AS. Exc. o Sr. Carlos A. Washburn, ministro
residente dos Estados-Unidos.
Legacao dos Estados-Unidos.Assumpcao, 27
de novembro de 1864.
Ao Sr. D. Jos Berges, ministro das relacoes
exteriores.
Seuhor.Tenho a honra de accusar o recebi-
meuto da nota de V. Exc. em que me informa da
determioaco liberal e generosa desse governo, de
despachar o vapir Paran para conduzir o Sr. Vi-
anna de Lima e sua comitiva. Como ha agora nes-
sa comitiva um membro addido aos qua acompa-
nham no tempo em que os passaportes foram dados
a saber : o Sr. Luiz Barbalho Muniz Fiuza, que
veio como portador de despachos para essa legacao,
pede-me o Sr. Vianna de Lima, como decano do
corpo diplomtico, para obler de V. Exc. o passa-
porte que o habilitar a partir cora o resto da le
gaco.
Muitos e repelidos agradecimenlos por este
acto de bondade e liberalidade da parte do go-
verno.
Pre val eco-me da occasio pan renovar as se-
gurancas de minha alta estima e consideracao.
Carlos A. Washburn.
Ministerio das relacoes exteriores.Assump-
cao, 28 de novembro de 1h64.
O abaixo-assignado tem a honra de accusar o
recebimeoto da nota que, com data de 26, lhe diri-
gi V. Exc. respondendo a sua anterior de 25.
< Se sorprehendente e doloroso foi para V. Exc.
o desgosto observado nesta nota pela maneira cora
que foi conduzida por V. Exc. a correspondencia
relativa a partida do Sr. Vianca de Lima, nao me-
pos ha sido penosa para o abaixo assignado a ne-
cessidade em que se acha de entrar com V. Exc.
em rectifleaces e observares que sinceramente
dssejara evitar em um assumpto lo alheio aos in-
teresses inmediatos que V. Exc. representa ; j
porque nunca cesson de merecer a conanca'do
governo, j porque no fundo da causa exista o ac-
cordo de ambas as parles.
Cabe a V. Exc. medir al onde a sna qualida-
de de decano do corpo diplomtico lhe impunha
obrigacoes de iotervir a favor do Sr. Vianna de
Lima, e respeitando o jolzo de V. Exc. que o
abaixo assigaado nao quiz pronunciar-se na mate-
ria ; porm se V. Exc. acha incompativel com os
direitos do decano, nesta occasio, a garanta do
seu governo acerca da efleclividade das segurancas
offerecidas pelo Sr. Viannw de Lima, e acreditou
do seu governo limitar-se a simples raisso dessas
declaraces, j houvera agradecido a V. Exc esta
Arme manifesiacao ao responder a nota de 22, em
que categricamente expressava V. Kxc. a espe-
ranca dessa garanta.
Ante o silencio que V. Exc. guardou sobra es-
so tpico, na nota de 23 do corrente, cesson essa
/




T
ii
i\ /r-i


*m
' '
mwmv
mmhvbvv
HMVMHHl

" r

esperanza no raimo (Jo abatxo asignado, e reiun*
ciando a olla o seu governo, 'tTifflTOU-stra OH ri~-
geira allusao na resposta a V. Etc.
t O abaixo aesignadp deve -a V. Exc, a ectara-
cao Jo que oenhuma promes-a formal de garanta
foi feifa ror na part?, porm lenge de er-la -
<:ompalivel com a ingerencia de qae o decano do
corpo diplomtico so fez carga em favor da legado
es sfd
ii-

Diario de 7 cmambuco sabbado 4 de Fevereiro de | SO&.
J
brasileira, fulgou subentendida essa garanta na Moeda correte......
solicilode de V. Exc. 3''..............
Oabaixo assignado eonsidera-se dispensado Aogoes..............
cidas pelo Sr. Viaona de Urna empenhando a dig-
cidade e a honra do governo de >ua Magestade o
Imperador do Brasil, qoaado sobre esse empento
uviar um dos sea vapores, levando at Buenos-
Ayres o pessoal da legacao brasileira. Vc-se por
isto que o governo fiaraguayo considera de todo o
fSJnftam os seguimos v.Idcs as riiff.>rentescaixas
OTnrqnrjog a mma TUesouraria em sea movi-
menio :
1864a:fttt&>
Moeda correte...............
CalcaatMto..................
Amortisacao de apolices.......
Depsitos.
116:1435237
60731
4:949*899
24:554*963
322:751*940
32:033*800
3*9:3405703
Hoje se extrahir a segunda parte da quarta
lotera do theatro.
UEPA8Tig\0 DA POLICA !
Extracto das partes do dias2e3 de fevereiro de
1865.
rorara recelhidos casa de detencao no dia Io
ponto' impossivel que aquellas condiges nao sejam do frrenle :
respeiladas, inde assim mai-longe qoe V. Exc. | A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe do polica; Joao
O abaixo asignado sent nao ter podido dar francisco de Franca e Joao Mart.ns de Santa An-
outra inlelligeocia que a que deu a eonfianga ma- na, ymdos de l'o d'Alho, para recrutas.
nifestada por V. Exc. de que, offerecidss as segu- A ordem do subdelegado do Recife, Carolina Ma- comarca, nao podia, pendente a accao neste juizo, confundir o libertino,
raneas de Sr. Vianna de Lima, seriam inimediata-, na da Concelco para correego. | dar segunda queixa conjuntamente e ae mesmo rento,
mente dadas as facilidades da parto do governo I A ordem do de Santo Antonio, Joaquina There- terapo peranle outra aoioridade pelo mesmo facto;
longo tempe demoradas. jza ^unes, a disposijao do tenente coronel recru- attendendo mals que o facto allgalo contra o pro-
relinto, tanta consciencia lioha- da monslraos-
dade desse facto de sua cachola "ferlU sempre eu
praticaf actos desla ordem, que, seguramente, fa-
xem o padro de gloria do seu junado neste infe-
liz Baturit, aonde elle anda nao utda de inda-
gar se ha leis pelas quaes nos devemorregar.
Foi por esse mel que o Sr. Dr. Felinto encon-
trn um calumniadtr, naquelle qae, camprindo
Agurdente de cana..... caada
Ldtun resillada, oa do reino
B*m caxaea. ........
Han genebra.......
Mem alcool ou espirito de agua-
ardente....:,...
Algodao em caroco..... arroba
dem em rama ou em lia.
tTtdi, (trida, lomando impossivel a passagem;
sofera is qae euega o Rvm. missiouario, falla ao
Rvo. lembra-Ibe os milagres de Mara.....of
exalta-se, invesie por entre as lavaredas.. -.
ftano espesso faz desapparecer sse povo de bra-
, toe i vista do espectador pareca ter sido de-
vorado pela ehammas I porm o- povo qual outra
carca passou inclume.....
com osseusdeveres denunciava as suas prevwl- ,flqaelocamos nesse facto, permitu-so-noa nar- Arroz comease*. .
cagdes. T*r an*flagre dado publicamente em Pedras de dem descascado ou pilado
Aasim jalgamos ter dad ao venerando tribunal *^|o, m occasio que se amarravam as torres de Assucar mascavado. .
da relaco os esclarec me otos nneisos, para bem ni un a outra com um vergalbo de ferro da dem branco......
apraciar-se e docamenio do Sr. Dr. Folilo, ac- peso 4X quintaes, em virtude desse peso eaar-
creseaniand* qae o proeesso ao juix de que falla- me parHt-se o travessao do andaime de ama das
mos, tendoparalysado no lempo d*dmnistracao torres, ah que cai am pedreiro,eaps elle nm oa-
do Sr. Vicente Alve, foi mandado continuar agora tro e aps ambos as tabeas do andaime; quo nao
pelo Sr. Dr. Lata yeito : foi espantoso ver o pedreiro sustentado involuota-
Eis a reforma da senleaca : riameate pelo braco bo travess* do segundo an-
Vistos aecuradamente estes autos, e de novo dalme; o outro agarrou-se no primeiro, e as ta-
examinadas as provas, docmmeotos, allegacSes do boas desviaram-se de ambos e cairam espatifadas
recorrente e recorrido etc., e attendendo que o: em baixo, e elles Gcaram Ilesos e suspeasos pa-
mesmo recorrido leudo dado qaeixa peranle o de-; tonteando o milagre de Maria! Mara quiz paten-
J legado de polica wnlra o promotor publico desla; tear^o seo poder, para gloria dos que a amam, para
e arrependimento do ava-
|U 11.IULIV \,IHUI uuimi
O sentido genrico da phrase, a actualidade aaor.
Este milagre nao admitte a menor dovtda ; abl
esto os moradores de Pedra de Fogo, que o attes-
, motor publico, longe de ser ora crime, nao mais tam; ah esto esses devotos de Maria Santissima,
A ordem do da Doa-Vista, Jacintha Mara da do qae o exerclcio de suas funccSes, portanto nao' que de longinquos lugares vem trabalhar na fabri-
Conceico, por desordem. ] podia dar lugar ama queixa e proeesso criminal, I ca, que o derramam de bocea em Uocca I
totes de verificado o facto denunciado ; As 2 horas da tarde chegmos ao Quatv, urna
sendo que mesmo no caso de m legua antes de Pedras de Fogo, ah se achava um
provada asta, -smente poda
,1'
do emprego, e at a circumstaocia de nao ter-se
motivado a demora, induziram o abaixo assignade
a iutelligeocia que Ihe deu, e em consequencia ia 2 do mesmo mez
acredito" de seu dever levanta-la, mas desde que B A ordem do sttbdelegade do Recie, Antonio de \ pelo promotor, .
V Exc declara agora que estava longe do seu ani- oouza Machado raganca, por insultos, Mana Lu- f da parte deste,
moaltribuir aquella demora a nenhum acto ou da Conceicao e Jos Fraucisco dos Aojos, para j sojeita lo a um |
colpa do abaixo assignado,este cumpre o grato de- correccao.
ver de expressar a V. Exc. o seu mais sincero A ordem do de S. Jos
veira, por fenmentos.
A' ordem do da Boa-Vista, Joao Estevao Carnei-
ro de Souza, per insultes.
chefe da segunda seccao,
J. G. dt desquita.
Casa de detexoao. *
Movimeuto do dia 1 de fevereiro de 1865.
Exisliam 3W presos ; entraran) 5; sahlram 14 ;
existem 37*.
agradecimento.
O abaixo assignado, sensivel expressao de gra-
tidao que V. Exc. Ihe dirige pela ronflanca e li-
beralidade cen que o sea governo se proproe a U-
zer sahia do paiz o Sr. Vianna de Lima, prevale-
cer desta occasio para reteirar aiy. Exc. as se-
gurancias da sua mais distincta consiileracao.
< Jos terges.
A S. Exc. o Sr. Carlos A. Washburn, minis-
M residente dos Esiados-Unidos.
Ministerio das relacoes exteriores Assurapcao,
29denovembrodel864.-Sr. miuislro. Tenhu a ~ A,al y- .... ....
honra de enviar V. Exc. o passaporle que pedio Aluneulados a custa dos cofres pblicos 152.
em data de 27 do correte para o Sr. Luiz Barba- Movimento da casa de detencao do da 2
Iho Muniz Fiuza, portador dos despachos legacao fevereiro da 1865.
torasileira. Existiam presos376; entraram6
Com "tal motivo me grato renovar V. Exc. existem 382.
as segurancas de estima e consideraco. A saber : nacionaes 304 ; estrangeiros
Jos Berges. o mulheres G ; estrangeiras 2 ; escravos 46 ;
A S. Exc. o Sr. Carlos A. Washburn, ministra yas o -Total 382.
e _
proeesso de responsabildde e
nunca esse Ilegal e tumultuario am que foram
Manoel Francisco d'Olt- atropelladas as formas exigidas pelas leis do pro-
eesso, que devem ser religiosamente guardadas a
bem dos direitos dos cidadaos e boa direccao da
justica publica ; attendendo liaalmente que o pro-
eesso foi instaurado por pessoa sem carcter judi-
ciario, pois tal n3o podia ter.o segund substituto
do juiz municipal estando o primeiro emexercicio:
por tudo Isto e do mais qoe dos autos consta e
foi allegado pelo recorrente, reformo o despacho
de pronuncia a ff. e mando se d baixa na colpa ;
A saber : nacionaes 300; estrangeiros 18 ; ma-' o escrivo passe alvar de soltura a favor do re-
I; estrangeiros 2 escravos 46 ; escravas 5. corrente, e pague o recorrido as cusas em que o
condemno. Cidade de Baturit, 16 de fevereiro
de 1864.
de
sahiram 0;
19;
escra-
residente dos Estados-Unjdos.
( Diarw do Rio.)
PERNAMRUCO.
KEYISTi DIARIA.
o dia 9 do corrente para exames
Alimentados costa dos cofres provinciaes 151.
Movmento da enfermara do dia 4 de fevereiro
de 1865.
Teve baixa :
Antonio Francisco da Silva, ephtalmia.
emonsiraco do movunenlo do hospital de
Alienados na Misericordia de Olinda, do 1 ao ul-
timo de Janeiro de 1860.
Exisliam 11 homeos e 29 mulheres ; entraram
4 homens.Total dos que existem 44.
Existem 8 empregados nesle estabelecimento, 6
Jos Pacifico da Costa Carnea.
Est marcado
de preparatorios do Curso Commercial Pernambu- hom"i^ e 2 mniheres, sendo : medico, porleiro,
conociendo elles lugar na secretaria gera! da ins- sacristo, enfermeiro, cozlnheiro, baibeiro, enfer-
truegao pnblira. ... ineira e rodeira ; 3 serventes, sendo 1 homem e
Acharase abertas as aulas de nstruccao se- 3 mulheres.
candara. p0 visitado o mesmo estabelecimento pelo res-
- Na qainia-feira i do corrente inaugurou-se a ^^ meieo n09 dias ,0 13. 19 s6 28 e 3( s
bandeira da fest.vidade religiosa da Senhora dos 10 horas ,0 2 e ,2 da Inannia.
Remedios em sua capella do arrabalde desta deno-
mlnaco.
O acto, sobre guardar a dignidade propria do
caito externo, esteve pomposo e solemne, devido
aos esforcos da direccao e i concurrencia dos fiis,
coja pledade e zelo religioso anda o mesmo a
despette da laxidao da poca.
A bandeira foi conduzida da casa darjuizatm
um andor, em forma de painel, em qne era repre-
sentada a Virgein Santissima em p, toda circula-
da de luzes, que Ihe formavam urna aureola br-
Ihante.
Carrrgavam o andor quatro senhoras, e era elle
tirado por duas filas parallelas de meninas unifor-
memente (rajadas de branco, e seguido de um coro
de senhoras igualmente veslidas, que em todo o
Migftes en Pedras de Fogo. O
de Janeiro de 1865.
Quodaudivimus, quodvidimus
ocxtlu nostris, quod perspeximus
et manus riostras conlre clave-
rutt, et tidimus lestamur, et
anuntiamus vobis.
fEp. i S. Joao.)
0 mordomo o mez, A- J. Gomes do Correto.-O \ Tendo-nos a mnito votado ao silencio, tao conve-
regentr, Lniz do Reg Barros. niente era ama poca de osteotacSo como a era que
Fassageiros do vapor Arta, sahido para o Rio nos achamos, nos vemos toreado a fazer abstenrao
de Janeiro e pnrtos intermedios: deste silencio a presenca do macestoso quadro, qo
Joao Carlos de Albuquerque, Jos de C. Coelho atlrahe as vistas, e de dfa em dia se torna maravl-
Cintra, D. rsula Candida C. Ramalho e seu Glho, Ihosa era Pedras de Fogo, a ponto"de acndlr lagri-
. Rita de Catato C. Barbosa Lima, 4 lhos meno- mas aos olhos do observador I B'stjni se conhece o
res, 1 eserava com 1 lilha e I ama, Narcisa Marta quanto poderosa a nossa religiao ; o libertiBO que-
rendo desfarcar a emofao d'alma nao pode, fica es-
magado, e o sen?o intimo o arrastra cren$a da
nica religiao verdadeira.
De feito, foi o dfa de anno bom para Pedras de
Fogo nm dia immorredouro I dia em que o.Rvm.
padre prefeito Fr. Seraphim da Catania, benzeu a
Francisca, Joao R. de Azevedo Campos, D. Sever-
na Soares de Fgueiredo e sua eserava, tenente Es-
tevao Jos Ferraz, Cari de Soza Pinto; Joan Gar-
gel Valente, Richard Holdem, D. Felippa (MMlll*
tina Cavalcante, Joaquina do Prado Araujn Lefle,
Maria Joo Baptista, D. Josephin* dos Sanio* Mero, .
D. Heuriqueta de Souza Gome* e z filho-, lente cruz do frontespiio do respeitoso templo, que esse
1 Jos C. da Silva, Antonio Joaquim de Baria, te.uen- cecen da religiao capuchinha tem feito construir :
trajecto enchwm o espago de louvores a Senhora dos ie Joaquim Antonio de M., P. Barlholomeu. I,>ao Ri- foi por certo bastante apparatosa essa ceremonia
Hemedios com o acompanhamenio da musici mar- |ieiro lape* capito Narciso, capitao Nicacio Alvaro religiosa, qual concorreram as pessoas mais gra-
' de Souza, Amonio Perelra Valladares, Silverio da das do logar e seus suburbios ; mais de tres mil
Silva Gallo, voluntarios Venancio Flix, Jos Ro- pessoas foram.testemunhas desse acto ; foi nesse
drigues e Manoel Joaquim de Sanl'Anna, Jos Joa- da qoe pelas 5 horas da tarde se vio hastear o es-
quim de OH veira, Jos Pereira de Souza, 9o bata- tandarte dn nossa redempcao I Honra ao humilde
Ihao de infamara 'composto de 391 pracas. missionario, que com a palavra e o cajado tem sa-
Passageiros do vapor brasileiro Parahfba, bido espancar o indifferentisrao religioso, que al-
cntrado de Macei e portos intermedios : gava o eolio em Pedras de Fogo.
Sandra H. Welmeer, Manoel Moniz, Raymundo Em segnida fez um discurso anlogo, qae cada
Antonio Machado, Antonio Jos de Fgueiredo, Jos vez mais arregou nos nimos de seus onvintes o
Mases Lins, Amaro Jo* da Costa, Jos Manoel de amor a nossa santa religiao; nesta mesma occasio
Araujn, James Plumb, J. Fernandes, Dr- Francisco
Pinto Pessoa, Francisco Paes Brrelo L. Lins e i
criado, Joaquim de Souza Silva Cunta.
1865 NO
cial do primeiro batalho da guarda nacional, com-
pondo-se o prestito no seu todo de grande numero
de homens e de cerca de oitenta senhoras; as
quites trajavam da mesma forma que aquellas ou-
tras, tendo tiracolo urna fila de cdr.
Alm disto, preceda ao andor, carregado por
varios mocos escolhidos daquellas paragens, o mas-
tro em que devera ser basteada a bandeira, o qual
era ladeado por linhas de senhoras com lanternas
de cores vanegadas.
Desfilando nesta ordi'm e organisaco, o prestito
chegou a capella onde foi o andor collocado, sendo
ento a bandeira elevada por entre gyrandolas de
fugeles, que salvavam
numero extraordinario de povo, onde nos espera-
vam as pessoas mais gradas; era bello esse lugar:
arcos de palmeira intermediados de flores naturaes
davam um aspecto de jardim pelo matiz dessas bel-
las flores naturaes, qne se ostentavam garbosas no
meio da verde folbagem. O enlbusiasmo ahi foi
extraordinario, tocou a meta 1 as grullas, os valles,
as monlaohas, ficaram desertos, jamis se tem vis-
to urna reunio lio grande muito mais de 6000
pessoas entraram em Pedras de Fogo, levando ra-
mos verdes as roaos era signal de victoria ; Pe-
dras de Fogo convertea-se em ama grande ala-
meda.
O Rvm. Fr. Seraphim, esse missionario ncanca-
vel, nao obstante o grande enfado da viagem, diri-
gi a palavra ao povo, fez ver a grandeza da Mi
de Dos, poz exposico essa portentosa imagen?
a mais formosa, que os nossos olhos tem visto,
um primor artstico, no qual o hbil escultor escul-
pi os formosos traeos da casto nina de Sio.
A imagem de S Pedro respeilosa, a magestade
do principe dos apstoles se v perfeilamenle ; a
de S. Paulo digna de admiracao, n'ella se v o
inspirado do Senhor; a de S. Francisco por cer-
to edificante, ahi se v o typo real do serfico de
Assz; a imagem do frontispicio extraordinaria !
podemos afiancar qne todas as imagens sao de oito
a dez palmos de altura; sao collossaes e dignas do
Vaticano; a de S. Seraphim bella.
So Maria Santissima poderia conduzir o Rvm.
Fr. Seraphim a Pedras de Fogo, esse genio em-
prehendedor, incancarel, a quem Pedras de Fogo
deve tanto ; a sua gloria ser immorredora, e
^quando os homens a esquecam, ah est esse tem-
plo ma gastoso attesiando a sna gloria.
W.
PUBLICARES A PEDIDO.
Agtia de Florida d e Xurray e
Lanman
Alm d sna avantajada superioridad e como um
perfume sobre as mais valiosas composiroes es-
trangeiras ; esta deliciosa quo deleitavel essencia
floral, forma ama agradavel lavagem para os den-
tes e gengivas, servindo d conservativo para os"
mesmos, e como applicaco suave e modificante
para a pelle do rosto depois de se haver feito a bar-
ba, diluida em agua. Um lenco molhado com al-
gumas gotas d mesma e applicado testa a (un-
tes, promptamente disspa e faz desapparecer as
dores da cabeca as mais violentas; e s senhoras,
qbe presam sobre tudo urna compleico clara e
transparente, acompanhada d'uma pelle macia e
avelludada, acharo que ella extremamente otil,
em remover ebuligSes, espinhas, sardas, sapinhos,
mculas, assim como todas as mais erupcoea ex-
ternas e discolordos que militam contra a pureza,
transparencia e flexibilidade da pelle. (fenha se a
a necessaria camella de se examinar e ver que os
nomes de Mvrray e Lanman se achem transcrip-
tos sob cada envoltorio, letreiro e at mesmo gra-
vado no vidro das proprias garrafas, e na falta dos
mesmos, fcil se torna o descobrir a alsidade das
mais.)
a sua ascensao, e ao som Obituario do da 31 de jankiuo de
da msica e dos canucos, que se casa vara ern har- \ CEsnTEni0 pDBUca
moma ; e a isto segnm-se a subida de um balao Francisco, Pernambuco, 7 anno?, Boa-vista, infla-
que fendeu garboso o espaco e por elle se interuou macao ****
como se fora o nuncio jubiloso das oblacoes da ter-1 nonoralo' Jos Texera, Pernambuco, 37 annos, hmeus%trarara''empvidVos' poresli cap'iiaqoe
"v,0 ^j a mrTO ^, ., ks. h casado, Boa-Vista, tubrculos pulmonar. os admira, e os v espantosamente sahir vergados
le do mesmo da elertuou-se a bencao da I Ann, Frani5lsca do Rosar0i Pernambuco, 40 annos, *ob o peso de grandes caixoes que rangiam as
o virtuoso missionario convidou ao povo para no
dia 10 ir ao Recife buscar seis imagens viudas da
Europa.
Chegado que fosse o dia 10, o povo corre de tro-
pel por essas estradas cheio de alegra.
Que espectculo maravilhoso deu esse povo, dig-
no sempre de mil louvores 1 Mais de quinhenlos
referida, bande.ra, bem como do novo sino, cuja j solIe s_ Jo? tBbercn0 pH|monar.
acqu,s,cao deve-se a commissao directora da fesla, | Manoel FjrmJno i,onleJr0i PePraambuc0i 28 annos,
. solleiro, Boa-Vista, tubrculo pulmonar.
incansavel no desempenho de sua
que ha sido
misso.
_ Serviram de paranympMos do sino os Srs. capi-
lio Joaquim de Albuquerque Mello e negociante
Jorge Tasso ; e a este acto assisliram varas pes-|
soas gradas, tocando no correr delle a msica sn-
pra-notada, e annunciando a sua terminacao dille-
rentes gyrandolas de foguetes que subiro ao ar.
Pelo ministerio da fazenda expedio se o aviso
segointfl :
d?S29>r.ri,meraReCt.3'i""-l,nS,ei?' annos- viuva- Boa-Visla, phtysica pulmonar.
&X Ia SS^L 7.S2 S *SM toMC-rroMJ Inglaterra, 46 an'nos, viuva, Boa-Vis-
Um prvulo, achado na porta da igreja de S. Jos,
3 dias, Jos.
Maurino, Pernambuco, 3 mezes, Boa Vis ta, con-
vulsoes.
Manoel, Pernambuco, 75 dias, S. Jos, eclampsia.
1." de fevereiro.
Belmro Carlos Pessoa, Pernambuco, 14 annos,
solleiro, Sanio Antonio, inflamaco de ligado.
Iguaria Mana Firmina da Luz. Pernambuco, 28
la, interile.
de dezemnrj de 1864. Carlos Carneiro de Cam-
pos, presidente do tribunal do ihesoaro nacional,
declara aos senhores inspectores das ihesouranas
de fazenda, para sua intelligencia eexeeuco, eem
conformidade da ordem expedida a 10 do presente
mez que, vista do disposlo as ordens de 5 de
Janeiro de 1847, 23 de abril de 1849, 17 de marco i
de 1852 < 15 de fevereiro de 1858, nao admissi-! Michaela
vel a exigencia de certidoes de vida de credores
de divida de exercicios lindos que as mandara re-
ceber por seus procuradores devidamente consti-
tuaos.
As certidoes de vida dos credores so devem ser
exigidas dos procuradores quando estes tem de re-
ceber vencimentos Brrenles de ordenados, pebsoes,
etc., e isto nes prazos marcados no artigo 23 do re-
gulamenio n. 225 de 20 de junho de 1840, no aviso
o. 319 de 4 de outubro de 1841.Carlos Carneiro
de Campos.
Foi expedida a circular seguinte pelo minis-
terio da guerra :
Pnmeira directora geral. Pnmeira seccao.
Rio de Janeiro.Ministerio dos negocios da guer-
ra, em 16 de dezembro de 1864.Illm. e Exm. Sr.
Cnmprindo simplificar o irabalho do expediente
diminuir a sua despeza
com a muKiplicidade
- 2 -
grades pelo enorme peso de 40 arrobas, afim de se
rem transportados nos hombros dessa gente para
Pedras de Fogo, 21 leguas distante dessa ca-
pital I
Quanto foi bello o nosso itinerario I
Eram 3 horas da Urde quando deixaraos o Re-
cito, onde os habitantes boque-abertos nos contem-
plavam, assim como todos os lugares por onde ra-
ziamos o nosso trajecto.
Ao chegarmos a Olinda tomos victoriados por
grande numero de seus habitantes, que tomaram
parte na nossa peregrinaco al Maricota.
Mea legua antes de Iguarass achava-se o Sr.
subdelegado Raposo acompanhado de muitas
pessoas distlnctas, urna banda de msica, e muito
povo, que nos receberam com enthusiasmo, solan-
G0MME1CI0.
de Pernambnco.
na presente semana a 10 por
Maria do Rosario, frica, 30 annos, soltelra, Boa do muitas gyrandolas de fogo ao som de urna bella
Vista, tubrculo pulmonar. banda de msica e repiques de sinos, entramos em
Maria, Pernambuco, 2 dias, Boa-Vista, espasmo. Iguarass a 1 hora da noile e ahi pernoitamos.
Poledora Maria da Conceico, 22 annos, solteira, O Sr. subdelegado Raposo convidou ao Rvm. Fr.
S. Jos tubrculo pulmonar. Seraphim para sua residencia, onde o tralou com
Monleiro de Barros, Pernambuco, 85 aquella delicadeza, que caracterisa to nobre ca-
annos, viuva, S. Jos, diarrhea. 1 valleiro, nao sendo essa a primeira vez que d pro-
Mara eserava, Africa,oO annos, solteira, Bea-Vista, v de sua polidez ; o mais povo foi pernoitar no
hydropesia. ] convento de S. Francisco, onde o Exm. Sr. baro
I de Vera-Cruz tinha mandado preparar ama reslau-
' i rante ccia para a gente a p, que expontaneamente
1 se dignoa liberalisar a essa gente, que cordialmen-
j te agradece S. Exc. tanta bondade.
Ao despontar da aurora os bronzes dos campa-
arios da heroica villa de Iguarass em tora festivo
nnunciavam a hora da partida; s 4 horas cele-
broa o Rvm. missionario, e logo depois prosegui-
mos acorapanhados e ajudados pelos moradores de
. Ignaras to dignos de nossas gratas recordacSes.
Consta-nos que o Sr. Dr. Felinto respondendo j As 10 horas da manhaa eis que chegmos Pas-
a que contra elle foi dada pelo ex-pro-. mado, Onde appareceu o Illm. Sr. Manoel Vleira,
em vez de justificar-se proprietario do engenho Caga-Fogo, qne, com as
de que era aecusado, maneiras as mais urbanas, convidou o Rvm. pre-
\ovo banco
O banco desconta
canto ao anno al ao prazo de quatro mezes e a" 12
por cento al o de seis mezes; toma dinheire a ju-
ros a prazo nunca menor de tres mezes, e saca
sobre a praca da Baha.
Calxa filial do banco do Brasil
em Pernambnco.
A directora desta caixa saca sobre a caixa filial
na Baha.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
Alfandega
rtendimentodo dia I.........,
dem do dia 3................
40:817*391
42:878*555
83:695*946
dem refinado.......
Azeite de amendoim 00 mendo-
bim......... casada
dem de coco....... 1
dem de mamona..... 1
Batatas alimenticias..... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque .......
dem fina........ 1
Caf bom........ *
dem cscolha ou restolbo... 1
dem torrado....... libra
Caibros......... um
Cal......m..... arroba
dem branca ..... >
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ um
Carvo vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .... nma
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas .... >
Cha.......... >
Charutos........ cento
Cevados (porcos)...... um
Cocos (seceos)....... cento
Colla......... libra
Cauros de boi, salgados ... c
dem idem seceos espichados.
dem idem verdes.....
dem idem cabra curtidos. um
dem idem de onca..... *
Doces seceos....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda...... >
Espanadores grandes um
dem pequeos....... 1
Esleirs para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional...... arroba
Farinha de de mandioca. alqueire
dem de araruta..... arroba
Feijao de qualquer qudlidade.
Frechaes........ nm
Fumo em tolha, bom .... arroba
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bem...... 1
dem ordinario ou restolho >
Gallinhas........ urna
Colunia......... arroba
Ipecacuanha (raiz)......
Lenha em achas...... cento
Toros......" 1
Linhas e esteios....... um
Mel ou melaco. ....... caada
Milho.......... arroba
Papagaios........ um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada. um
Pedras de amolar..... urna
dem de filtrar......
dem de rebolo......
Piassava......... molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos........ canto
Pranchoes de amarello de dous
costados :....... um
dem de louro. ...... >
Rap......, libra
Sabo..........
Sal.......... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama...... 1
dem em velas. ...... >
Sola em vaqueta...... urna
Taboas de amarello..... duzia
dem diversas. ...... >
Tapiocas......... arroba
Tatajuba..........quintal
Travs........ ama
Unhas de boi....... Cento
Vassouras de piassava. ... >
Ditas de timb.......
Ditas de carnauba..... >
Vinagre......... caada
m
900
5*875
23450C
1*500
2*600
1*950
3*200
5*120
2*000
1*600
1*000
1*200
3*000
7*000
7*400
6*000
440
360
280
SQQ
3*200
4*000
1*000
8*000
300
300
15500
2*500
15*000
6*009
600
150
240
105
350
10*000
1*000
32
500
4*000
2*000
15*000
1*600
2*500
4*000
2*800
5*000
145000
8*000
28 de
Alfandega de Pernambuco, 28 de Janeiro de
1865.
(Assignados):
O 1." cenferente, Manoel Caldas Brrelo.
O 2." conferente, Jos Miguel da Silva.
Approvo. Alfandega de Pernamuco,
Janeiro de 1865.A. Eulalto.
Conforme.O 3." escriplurario, Joao dos Santos]
Porto.
Recebcdorlal de rendas inter-
na* geraesde Pernambnco.
Rendimento de dial........... 651*810
dem do du 3................ o6o*29a
1:217*105
Consulado nrovlncial.
Renimentodo dial........... 6:827*800
dem "do dia 31............... 4:511*934
11:339*734
MOVMENTO 10 PORTO
.tlovlmento da alfandega
Velamos entrados com fazendas... 247
k com gneros... 689
Volumes sabidos com 'azeedas.. 65
com generes ... 516
936
581
COMMMCADOS.
Para o Eim. Sr. presidente e j
mals desembargadores da re-
laco de Pernambnco verein. I
motor publico de Baturit,
dos actos de prevaricacao
L ..i ? P C0DJleul0U-se en? mitrar que aquelle um calum- feito Fr. Seraphim e os caalleros, que o acorhpa-
ae signaturas, a que sao mador, e para isso apreseniou como prova um c- nhararo a tomar um refresco: foram tao delicadas
diariamente obrigados o ministerio e os directores tebre proeesso que elle mesmo Felinto fez Instan,!m^M^^^SX^^^^S.
tZ^St' >m,Y- Exc" Prevenido deque os ; rar a 19 de Janeiro de 1864. Nao convindo queo.^ qnTO
!ET h B,r0S PKape'S d,ng,d0,Sr S es,a-se- sett* dignos juizes sejam Iludidos, nos nos encarre- rio e os demais avalleiros ; ao chegarmo" so en-
Z 2 -Jf m' e -br os qua!s V" Exc- -tlver gamos f dar7lhes os esclarecimentos necessarios, [ genho, achraos urna mesa prvida de excellentes
.fi 1 m'- 11 s7ao ora em d,anle env,ad08 v4Sto nada aia,s ,er aduntado sobre o mesmo pro- refrescos, e ura conforlavel jantar; mesmo ao po-
sod capa ouitiat, mdependeotemente de qualquer cesso j e depois vejamos se quem cumpre com os; vo a p foi dado nm jantar cora profuso, cora o
aviso ae remessa, eapenas cama seguinti indicaco seus deveres calumnia, e qual e proveilo que de' que recobraran! as torcas
filri^?nnmian,f,^i!iPag,na~Era M }**. F** aa^ ?' *%k,u V00* tituo Sr. Dr. Felinto. So por millgre daquella mesma Senhora, que o
i.nmf ni n Ia gDferra a Presidencia da P- > Sr- Fb,,d101 deve a,oda eslar lembrado qae,' povo carregava em seus macerados hombros, po-
STVSrV^JP? 'formar, -Esta indicado, sendo denunciado pelo promotor ao presidente da. dia o povo ser conduzido as trevas da noite por
3ifp, T reglslres desla repartigao provincia, e este ordenando que respondesse sobre caminhos aperlados, passando por maltas medo-
T,ni f Tr! ? -*ul5av v a denuncia, teve elle a habilidade de mandar tirar nhas, snbindo e descendo ingremes ladeiras, sem
hiit rfJ* orma^e*il de V- c. como as que desu urna publica forma, e queixar-se ao delega- que se tivesse de lamentar o menor incidente: pa-
oouver de outras autoridades, em virtude de des- do, antes mesmo de responder, da proraotoria por re que aquella columna luminosa, qne presidia o
5rffe0S .Se" M,Prei,.ae huver esPaS0. f crime de calumnia ; admire-se esse rasgo de ja-' povo ebrea em demanda da ierra da premissao
enormemente as ordeas estabelecidasJaneadas risprudeocia 1 mas sendo que o delegado, cida- essa mesma guiava a esse povo. que cora todo
nurcem dos ditos papis, e estes devolvidos, sem do respeitovel, de quem o Sr. Felinto deve inve-' afn chegoo em Goyanoa a-1 hora da manhaa I
IrL :Leiss?' .a,R^r^aria da gatrra' oura" jar a honra e din'd*de, julgaria de conformidade. S a nossa religtao santo pode inspirar tanto he-
f, m^ em identidadede cireqosUncias, adop com a justica, teve anda a habilidade de espalhar roismo 1 S ella pode adocar os nossos soffrimen-
ridad^ 1-Trt.nS11*/ 1S relaoe Deus ^a?de ="- ~''- e-r'?' i ?" Pr uma portana rco-Par luar de il mo-! d" "* eltos senao irmSos.
re
Descarregjam no dia 3 de fevereirode 1865.
Barca francesaJean Buptistemercadorias.
Iirigue ingle?Chanceidem.
Escuna ingle a Elisabeth Barter idem.
Barca portag ezaDespipue //diversos gneros.
Brigue ingleF/arisf<-diversos gneros.
Patacho ingltz-Pertlle idem.
Barca ioglezi =Towon of Liverpooliem.
Patacho inglesCarmelile farinha de trigo.
Brigue dian arquezOf/i-sal.
Barca portugueza Laura farinha de trige.
Barca inglezMimosa carvo.
Barca inglezaS/rfacarvo.
Barca inpleza Ola"Honesta-itlein.
Barca ingleza Chanzaidera.
Barca inglezaAmbleside idem.
Barca inglezji Williamdem.
Patacho ingliz M. E. Corming idem.
Patacho inglz-Mandaidem.
Brigue inglez(///owflfer ferr.
ImportacSo.
Patacho inclez Carmelita, vindo de New-York,
consignado a Phipps Brothers & C, manitostou o
seguinte: \
2,336 bar cas farinha de trigo, 200 meias ditos;
aos mesmos.
Hiate nacional Sergipano, entrado de Penedo,
consignado a Francisco Goncalves Torres, capito
do mesmo, nianifesloa o segaijte :
178 raeios de sola e 191 1[2 alqueires de milbo
agranel; ao consignatario
10 saccas com algodao; a Pelmeira & Beltrao.
100 saceos milho
Navios entrados no dia 2a
Penedo 13 dias, biate brasileiro Sergipano, de 54
toneladas, capizo Julio Gomes da Silva, equipa-
gera 7, carga, milho, algodao e outros gneros;
a Henrique Jos Vieira da Silva.
New-York 44 dias, ratacho inglez Camehta, de
273 toneladas, capito Thomaz Barrelt,-equlpa-
gem carga 2336 barricas com farinha de tri-
go ; a Phipps Brothers & C.
Navios lahtdos no mesmo dia.
Rio de Janeiro e portos intermediosVapor brasi-
leiro Apa, commandante Carlos Gomes.
Navios entrados no dia 3.
New-Yerk 40 das, brigue hamburgnez Palma,
de 200 toneladas, capitao C T. Kollm, equipagem
9, carga 1300 barricas farinha de trigo e outros
gneros; a Johnston Pater & C.
Macei e portos intermedios24 horas, vapor bra-
sileiro Parahyba, de 104 toneladas, commandan-
te 1.1. Marlins.
Sahidos no mesmo da.
Grenock Brigue inglez Othelo,; capito J. Glas,
carga assucar.
Liverpool por Lisboa Vapor inglez Galilo, com-
mandante Russell, carga algodao e outros g-
neros.
' ro Pereira dos Res, Antonio Jos Pestaa, An-
Snsto FernaMes da Srtn Mama, Constancio da
Uva Nevos, Louieoco de-Albufluerqn Mello, Jo-
s- da Silva'Neves*, Antonio Gomes de' Figneiredo,
Joao Jaouarlo Piolo de gv*o<;telonio Pereira
Dias, Launano Jos da Costa, Diniz Antonio Fer-
reira Marques, Caetano Cifiaavda (kisto Moreira,
Estevao Jos da Motto, Antonio Joaquim dos San-
tos, Esievo Jorge Baatistax Manoel Francisco
Marques, Manoel Estanislao da Costa, Antonio
Henriqnes Maffra.
E para constar manda passar o presente edital
e afflxa-lo no lugar do easlunMu e sendo tambera
publicado pela impreaav
Fregnezla dn S. Fre Pedro calves do Recife,
3 de fevereiro da 1865.
Eu Ionocencie da Cunha Golanna, escrivo o es-
crevi.
Luiz Antonio Goncalves Peona.
O Dr. Tristao de Alencar Aranpe, ofBcial da im-
perial ordem- da llosa, e jaiz de direito especial
do commercio, nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco, por Sna Magestads
Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II,
quem Deas guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virera e
delle noticia tiverem qne no dia 13 de fevereiro do
anno prximo vindouro, se Ha de arrematar par
venda a quem mais der em praca publica deste
jaiso o escravo seguinte:
Amaro, crionlo, representa ter 14 16 annos do
idade, sem defeito algnm, avallado por nm.cont
e quinhenlos muris, o qual fra penhorado por
execucao de Joaqnim Elviro da Silva, contra o te-
nente-ceronel Francisco Santiago Ranos.
E nao havendo lancador que cubra o prego da
avaliaeao, arrematacfo ser feila pelo prego da
adjndicacao na forma da lei.
E para qno chegne ao conheelmento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afnxado no lugar do cottume.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambnco, aes 19 de dezembro do anno do nasci-
mento de Nosso Senhor Jesns Christo de 1864.
Eu Manoel Bfaria Rodrigues do ascimento, es-
crivo o snbserevi.
TristSo de Alencar Araripe,
O Dr. TrislSo de Atencar Araripe, odcial da iml
perial ordem da Rosa, jmz de dreiro. especia-
do commercio, da cidade do Recife e seu termol
por Sna Megestade Imperial e Comtiraciona,,
o Sr. D. Pedro II, qnem Dos guarde etc.
Faco saber aos qae o presente edital viran,
e delle noticia tiverem que a reqnerlmento de P.
J. Foulkes fra rescendido a concerdata de Cami-
nha & Filhos pela sentenca do theor segnmte :
Vista a materia da petipo de folhas919, na qual
expoe o snpplicante Pedro Jo5o Foufkes que os
snpplicados Vicente Ferreira dos Santos Caminha,
Manoel Ferreira dos Santos Caminha e Alejandre-
Ferreira des-Santos Caminha, socios da firma fal-
lida Caminha & Filhos nao enmpriram a concorda-
la que Ihes foi concedida por seus credores na for-
ma do antodefolhas 696, e mostrando-se pelo do-
cumento a folhas 929, que com effeito a concorda-
ta nao foi cumprida. deixando o snpplicante de ser
pago.na forma convencionada com falta de boa f
e preinizo do mesmo snpplicante ; jolgo rescindi-
do a concordata, e mando qne sejam os credores
convocados nos termos do art. 139 do regnlamento
n. 738 para se tratar da formaco do contrato de
unio ou de nova concordata, deyende a reuniao-
ter lagar no dia 18 de outubro do corrente anno-
pelas H horas da manhaa na sala dos auditorios
para o que se expedirlo edltaes conforme o art.
135 do rilado regulamento. Os caradores fiscaes
j nomeados reassnmiro as snas fnnegos re-
querendo o que entenderem bem da massa fal-
lida, que pagar as casias.
Recife, 23 dejnnho de 1864.Trisflo de Alen-
car Araripe.
Ewais se nao continha em dita sentenca ; mas
nao tendo os curadores fiscaes reassnraido os seos
cargos por se haverem recusado, asslro como on-
tros credores qne foram nomeados, flcou a mes-
ma curadora afecta ao Dr. promotor publico, que
prestou o devido juramento, e devendo-se proceder
a nomeaco de depositario da referida massa,, sao
pelo presente convocados os respectivos credores
a comparecerem n& sala dos auditorios no dia 19
do corrente mez s 11 horas da manhaa, e para
que tenha lugar as diligencias prescriptas no arL
139 do regulamento n. 738, cima indicadas, sac-
os mesmos credores convocados peto presente a
comparecerem no mesmo lugar no dia 20 de feve-
reiro do anno prximo futuro pelas ditas horas ;
adrertindo, porm, que nenhum credor ser ad-
mittido por procurador se este nao tiver poderes
especiaes para o acto, e que a procorajo nao 00-
der ser dada a pessoa que seja dovedora aos fal-
lidos, nem um mesmo procarador representar por
dous diversos credores; oulrosim que sero unido
aos votos da rnaioria dos credores presentes, os dos
credores quc'que deixarem de comparecer.
K para que chegue ao conhecimento de todos
ser o presente publicado pela imprensa e afxado
na forma da lei.
Cidade do Recife de Pernambuco, aos ldo
outubro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, escri-
vo o subscrevi.
Tnslao de Alencar Araripe.
O Dr. TristSo de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recito de Pernambu*
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II a quem Dos
guarde ele.
Fago saber aos que o presente edital virem 9
delle noticia tiverem que no dia 6 do mez de feve-
reiro, do anno prximo vindouro se ha de arrema-
tar por venda a quera mais dr, em praca publica
deste juizo, depois da audiencia respectiva, duas
pipas com vioho Figueira,avahadas em 250 cada
ma", as quaes sao pertencentes a Jos Ribeiro da
i>uoha Guimares, e ve a praca por execucao do
Campiano ACordeiro. E na falto de licitantes ser,
a arrematado feta pelo preco da adjndicacao com
o a batimento respectivo da l'ei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer c presente edital que ser aflixado
nos lugares do coslume e publicados pela im-
prensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife de Per-
nambuco aos 12 de dezembro de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade,"escri-
vio o escrevi.
Tristao'de Alencar Araripe.
55000
600
25500
255000
25OOO
115000
85000
240
900
35000
55000
55OOO
800
45000
15000
120
35500
205000
IO5OOO
15000
120
400
255000
55OOO
75000
%&800
1405000
875000
35000
25OOO
65000
200
105000
85000
65000
500
EBIT1ES.
DECUBIyUES.
Luiz Antonio Goncalves Penna jolz de paz e sub-
delegado da fregnezia de S. Frei Pedro Goncal-
ves da cidade do Recife ele.
Faco saber aes Srs. eleilores e supplentes, que
nao se tendo nesta fregnezia instalado no dia 15
de Janeiro do corrente anno a junta revsora qae
tem de rever a qualificaco passada, dos cidadaos
que esto no caso de votar e serem volados, con-
voco aos mesmos Srs. eleitores e supplentes abaixo
declarados para o dia 5 de margo do presente an-
no compareeerem no corpo da matriz d'esta fre-
1 guezia as 9 horas di manhaa, afim de se organisar
desapparecer* ora allemo chamado Hermn, que
achava-se enearregado da casa de Hermn, Jones
1 C, depois de ter se apossado da quantia de cer-
ca de 150:0005000, qne lirou do London and Bra-
silian Bank e do Banco da Baha, serviodo-se de
xa pelo mesmo facto a seu prenle, admire-sc
esse outro rasgo de jurisprudencia I Charaou
para testemunhas, sele individuos tambera pri-
mos de sua mulher, e com um escrivo lio legiti-
mo desla, concluio-se o proecKo no dia 19, tendo
o nosso destino com ama imraensidade de povo.de
arabos os sexos, qoe ha dous dias estavam em
Goyanna espera das imagens
Ao chegarmos Carc, achmos aquelle lugar
embandeirado. uma porgao de carros dispostos
ro
...v a C. C. da Costa Moreira.
22 saccas1 algodao e 250 pecas,de louca de bar- a JU,nla rev|S,ora.. ", pena de serem multados
; a orden conforme determina a lei, aqaelles qoe deixarem
Vaoor nadional Parahyba, entrado dos portos decomparecer_no referido dia cima dito: sendo
do sul, manHfestou o segninte i I *5ta cnvocagao feito em vlrinde do offlcio do
De Macei Exm- Sr- "ce presidente datado de 18 de Janeiro
1 caixao bjectos para carro1 e 1 embrulho com Proxlmo passado.
100 encerados; a J. M. S. A. I ^ Elettores.
Genero nacional. c..Dr-/anoe pne, Telxeira Antodio Jos
20 saccasicom 99 arrobase23 libras de algo- .!*_d.".rasL'_' Mai!oel da Sllva N.ees. Antonio
do; a Jos
Gongalves.Torres.'
Gomes Miranda Leal, raajor Alexandre Augusto de
2 cxos de amarello'; a GuilnarSes Augusto Ri- Ffias 2!5 Jo3 F"BC,SC0 de Si Leito, Bene
_j. n co JnSR-Iliiarnt> 1 .prinm Iota flnmoc H ni;..,.:
Galtleu ordng para ser preso ao saltar em Bor- juiz Ilegal e inoompetete, que linha" feito parte
e*ax- d'uma farca to ridicula, e a sentenga foi reforma-
segundo o balanco procedido no ultimo di) da em recurso, conforme vai abaixo transcripta e
janeJro prximo passado na ihesouraria provincial, dessa reforma nem ao menos recorrea o Sr. Dr.
cardo.
Exporta cjo.
Brigue inglez Othello, carr gou para o-Canal:
3,500 saceos com 17,500 irrobas de assucar
mascavado.
__^
AIaNDEGA DE PERNAMBUCO,
ATA DOS PRBC0 DOS ONEBOS SIBIT09 A D1BE1T0BB
EXPORTACO.SEMANA DB 30 DE JAZEMBRO A 4 DO
MEZ DE FtlVEHEIRO DB 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
carregar a imagem de Mana Santissima.
Quando esse poyo marebava embriagado no
amor de Maria, se vio (oreado a parar, em virtnde
de nm grande fogo, que se ateoo em ambos os la- Abanos. cento 15500 Ignacio Cardim, Andr Xa
dicto Jos-Duarde Cedrlm, Joo Gomes de'Olivei-
ra, Armio Pessoa de Albuquerque, Alexandre
Rodrigues dos Anjos, Octaviano de Souza Franca,
Jos Pedro das Neves, Manoel da Silva Mendonga
Vianna, Antonio Theodoro dos Santos Lima, Inno-
cenco Xavier Vianna, Cosme Jos dos Santos Cal-
lado, capillo de fragata Hermenegildo Antonio
Barbosa de Almeida, Luiz Francisco de Paula Ra-
mos, Joao Baptista da silva, Antonio Telxeira
Pexoio.
Supplentes
Joveniano Fernandes da. Silva Manta, Ernesto
ter Vianna, Jos tsido-
San't'i Casa da Misericordia do
Recife
O Illm. Sr. thesonreiro da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recito manda fazer publico qne no dia
7 de fevereiro prximo vindouro, pelas i0 horas
da manhaa, no salo da casa dos expostos, far pa-
gamento das raensalidades vencidas at o ultimo
de dezembro do anno passado, todas as amas qne
se apresentarem, acompanhadas das erlaDcas que
Ihe foram confiadas.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do
Recife. 31 dejaneirede 1865."
O escrivo,
F. A. Cavalcanli Coasseiro.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernaiunuco,
14 de miro de 1865.
De ordem da directora desla caixa, se convida
aos credores de ^ebastlo Jos da Silva a virera
receber do thesoureiro da mesma caixa o qoe em
rateio Ihes toca da venda de uma das proprieda-
des, que segundo a concorda la,Ihe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-iivros,
Ignacio Nanas Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa sn
faz publico aos senhores accionistas qne o respec-
tivo thesoureiro est antorisado a pagar o 22.a di-
videndo de 105 por accao.
' O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
qae a arrematadlo da obra da ponte de Motocolom-
b foi transferida para o dia 9 de fevereiro prxi-
mo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de Janeiro de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciagao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
qae a arrematagSo da obra da concluslo do ralo
senir.il da casa de detnglo foi transferida para o
dia 9 do crreme.
Secretaria da thesouraria nrovincial de Pernim-
buco l* de fevereiro de 1863.O secretario,
A. F. d'Annunciagao.






V


.
Gtaitakia reraarabneana
De ordena do eonselhe de direccaoe ein virtude
da art. 24atas ttiawn sao convidadosos Srs. ac-
ctoistat i*QQinm-M na assenfelea garal no
seguida, andar 4a casa da eraea do Conpo Santo
.-, pelas libaras do da de fevereiro pr-
ximo. \
Pernsmbaco, 30 de Janeiro de 1865.
d gerente, F. F. Bornes.
i.* seedto-ISecreMHa da polica dePernambu-
eo, 1 de fevereiro da 1863.-0 Illm. Sr. J)r. chefe
de pollera, manda renovar a publicaco da postara
addteirJnat de 12 de fevereiro de 1865 abati trans-
cripta, aflm de que nfngoem allegue ignorancia de
snas disposfgoes. I
Vastaras.
Art t? Pica prohibido neste municipio o brm-
quedo de inlrudo eom agua por qualquer maneira
3ue se erapregae f os infractores pagaro a multa
e 159000 reis, e 8 dias de priso.
Afl !. Pica prohibida a venda de limas de chai-
ro ; os miradores alm de as perderera, pagarao
4000 de moka.O secretario, Eduardo de Barres
Falco e Lacerda.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arreoatacuo da obra da conclusao da casa
4a cmara e cadeia da villa do Bonito fol transfe-
rida para o dia 9 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
baco i de fetereirode t885. O ecrettno,
A. F. tTAnnunciacao.
Capitana do porto de Pernaaibuco, 14
de Janeiro delSG
Em vista das circumstancias melindrosas em que
se acha o pata, sendo necessario que todos os bra-
sileros, concorram para a sustentado dos bros e
dignidades nacionaes, ompromettidos na guerra
cara as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Ukn. Sr. oapitao do porto, em virtude do que Ihe
foi determinado por S. Exe o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marrana, convidar
nao s aes matriculados, como a todos os cidados
que se queira alistar na qnalidada de voluntarios
para armada, a se apresentarem nesta capitana
nos das utels das 9 s 3 i\2 horas da tarde.
Outro sim, sao igualmente convidados os indivi-
duos que tiveram baixa do servido naval, a alista-
re ra se por uia auno ou luais, 'garaniindo-se-lhe
nao s as resyeciivas escusas, logo que terminein
os seus contratos, mais anda os premios diados na
le, para os que voluntariamente procurara o ser-
vico da armada, e bera assim urna gratifleacao
mensa!, igual a metade dos sidos, que percebiam
na occasiie em que obtiveram baixa.
As vauugens e condiccSes para o alistamento se-
ro as estaSeleoidas pelas iostrucrSes qne baa-
rara com o decreto n. 1591 de 14 de abril de 1853
que sao as seguales :
Art. l. Distinguir-se-hao seis classes de volun-
tarios :
1.' Dos individuos que quizerem servir na ma-
rinhagem sera terapo determinado ;
t* Dos que se quizerem contratar para servir
na marinhagem por lempo determinado ;
3. Do* que se prestarem servir na marinha-
gem os praios estabeteeidxs no artigo 3. do decre-
to n. 1408 de 85 de outubro de 1834, e que escu-
sam o nacional do servirn militar ;
i." Dos que quizerem ter praca no corpo de im-
periaes raarinheiros.
5.* Dos quo se destioarem para o batalho naval.
6." Dos aprendizes marinheiros.
Art. 13. Os voluntarios das differentes classse
defluidas no artigo antecedente deverao ler os re
qnisitos seguinles :
!.* Class.Osauese alstarem para a marinha-
SetH sem lempo determinado, devem ser fortes,
saos, acosturaados a vida do mar, on pelo menos
capases de servir na praca de grumete.
1* Classe.Os que se contratarem por prazos de-
terminados, de um a tres asnos, devem ser fortes
saos, e acostumados a vida do mar.
3.' Classe.Os que se contratarem para servir
na marinhagem o praza de seis ou de oito anno.
em conformldade do artigo 3. do decreto n. 1466
de 25 de outubro, devem ter os requisitos dos da
segunda classe, excepto a pratca da vida martima
que poder ser despensada com a clausula que
atliarne ( artigo 16) se expressa.
4.* Classe.Os alistados para o rorpo de impe-
raes marinheiros devem ser cidados brasileiros
de 18 35 annos de idade, ou at 40, sendo homens
do mar; fortes, sJos, e capazes de todo o servico.
5." Classe.Os alistados para o batalho naval
devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os on-
tros requisitos da quarta classe.
Todava poder-se-ha admittir alguns estrangei-
ros mediante previa aulorisaco do governo.
6.' Classe.Os aprendizes marinheiros devem
ser cidados brasileiros, de 10 a 17 annos de ida-
de, de constituidlo robusta, c apropriada vida do
mar.
l'oder-se-ha tarabem admittir menores de 10 an-
noi, que tenham suficiente desenvolvimento phy-
Bteo para os oxercicios do aprendsado.
Conselho administrativo
0 conselho administrativo para fornecimonto
do arsenal de guerra precisa -comprar os oajec.os
seguintes:
Para o presidio de Fernando.
ti arrobas de assucar braneo.
2 ditas de arroz.
i dita de cha da India.
[ 5 ditas caf de caroca
10 barricas de farinba de trigo.
5 resmas de papel paulado.
4 arrobas de velas de carnauba.
8 arrobas de sabo (massa).
Qaem qaer vender taes artigos aprsente suas
Jiropostas em carta fechada na secretaria do conse-
llo administrativo, s 10 horas da manhaa do da
6 do corrente.
Sala das sessdesdo conselho administrativo para
forneciraento do arsenal de guerra 3 de fevereiro
de 1865.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel-presidente.
Sebastwo A*4onio do Rego-Barros,
Yoga! secretario interino.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objeetos
seguintes:
Para o arsenal de guerra.
50 resmas de papel alraaco.
60 ditas de ditopautado.
50 garrafas, de tima preta.
3 arrobas de eslanbo em verguinhas.
4 enchams com 25 palmos de o.n>ri n **,U
6 pollegadas em quadro, sendo d* madeira de qua-
lidade.
9 ditos de 2o palmos de comprimento e 5 polle-
gadas em quadro."
8 feixes de ripas.
Para a enfermara dos menores do arsenal de
guerra.
1 livro de 200 folbas para o receituario da raes-
ma enfermara, com 10 pollegadas de largura e 15
de comprimento.
1 dilo de 200 folhas para o registro pe entradas
e sahidas dos doentes, com 19 1/2 pollegadas de
largura e 15 de comprimento. .
2 ditos de 200 folhas cada ura. para os offlcios
recebidos e dirigidos.
Quem qnizer vender taes artigos aprsente snas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
lho administrativo, s 10 horas da manhaa do da
10 do corrente.
Sala da sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 3 de fevereiro
de 1865 n .
Antonio Pedro de Sa Barreto,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
1..-J-
avisos Dirasos.
Aos S:G000ee.
Sahbaio 11 do corrente mez se extrJiir
a terceira parta a decima pritaaira late-
ra (5*) a beneficio da matriz da BoavVis-
1a, no consistorio da igreja de Flossa
Senhora da Rasario da fref uezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria roa do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000*000 at 10#000
ser3o pagos urna "hora depois da extraccSe
at s 4 horas da tarde, e os ontroa depoii
da distribuirlo das listas.
As encommendas serio guardada eo-
menteat a noite da vespera da extraerlo
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues deSouza.
nm DA Rfl)\4
AOS 6:090.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas docostnnf
O abaixoassignado vendeu nosseus mnitofeli-
zes bilhetesgarantidos da lotera, que seacabou
de extrabir a beneficio
8$iide dada a todo onwndo.
edicameutas dos Srs. Grimaulti
Ule %. f. I. frhKiiirNa-
psleat, ra de la fenillide 7 ra Pars.
Porque es Srs. mdicos e o publico usar de pre-1
fereteta dos ledieamentes especia do* Sts. Gri-1
mantt drC, pUarmaccnticos em Pars, rom es quaes
lies tem sempre obtldo as coras as mais xtraer-
dinarias T
!. Porquejesu casa sendo sem contradJta a
mais importante de Pars, honrada cem a clientella
de nroa parte a corte, patenteada por S. A. I. o
principe Napoleio s vende productos de nma effl-
cacia recenheclda.
a^'Ptrfue esses medicamentos representa as
mais rcenles conquistas da medicina da chi-
mlca.
3.* Porq em todos om gosto agradatel, satis-
fazem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
rico, tanto s enancas cerno s pessoas adultas.
4. Porque lles differem inieh-araente desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por In-
dustriaes estranhos, tamo a medicina como a phar-
M4.il dju minn^. .ri. mam 'c*IAnffi nam n< '
ifiSOS MiEITIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
!VaTeg9?lo costelra por Tapor.
Parahyba, Natal.-Maclo, Aracaty, Cear
e Acarac.
O vapor laguaribe, comman-
dante Lobato, segu no da 7 do
corrente as 5 horas da tarde. Re-
cebe carga at o da 6, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a
frele at o da da sabida as 2 hars: escriptorio
no Forte do Mattos n. I._____________________
COMPANHIA PERNAMBUCA I J
DE
Xavega^o cesteira a vapor.
Macei em direitura.
Expede-se o vapor Parahyba,
no dia 6 do corrente as 6 horas da
tarde. A carga deve ser posta a
hordo at o dia 4 : encommendas,
passageiros e dinheiro a frete se
recebar at 2 horas da tarde do dia da sabida :
escriptorio no Forte do tfattos n. 1.____________
Rio"
da matriz da Boa-Vista,
os seguintes premios:
Djus quinosn. 3059 com a sorte de 1:400*000
Dms do* n. 1990 cora a sorte de 50*u00.
E mitras muitas sortes de 200*, 100, 40* e
205000.
Os possuidorespodem vif receber seusrespec-
ivos premios sem os descontos das leis na Casa
daFortuna ra do Crespn. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da
quarta lotera a beneficio do theatro de Santa
Isabel, que se extrahir no dia 4 de fevereiro.
Precos.
Bilhetes inteiros .' 7*000
Meios......... 3*50t
Quartes........ 1*909
Paris pessoas que compraren,
de 100* para cima.
Bilhetes....... *<>
Meios........ 3*250
Quartos........ 1*700
____________afanonf flartins Fivza
Precisa-se alugar urna escrava para cas do
pouca familia : na ra dos Pires n. 24.
macia, dos quaes nao tem nem a'silencia nem os
ttulos.
o." Porque estes medicamentos s se appliram a
di ncUiero limitado de doenr^as, e nao as curam |
todas,eomo os remedios de que acabamos de /al-
iar ; emlim cada producto tem sua applicae par-
ticolar.
Per isso pealamos prestar nm servifo a lodo o j
mundo, indicando aqui as importantes proprieda- j
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault k C.
Xarepc de ralfort lodado.
Empregado tora successo certo ep lupar do oleo
de Igado de bacatho, to desagradavel, to diffl-
cll a digerir. E'o especifico o mais certo contra j
as escrophulas, o lymphalismo, a moleza das car-,
ntl rogada
da fiar
de Janeiro.
Sogue nestes das o patacho nacional
cebe carga a frete
numero 4.
Fcsta de S. Braz,
ganta.
Sexta-feira 3 de fevereiro lera lagar ia igreja
de N. S. do Terco, pelas 7 horas da manhaa, mis-
sa cantada e a noite ladainha. Onda a qnal se ben-
zer a garganta, e estar a milagrosa imagen)
veneracao dos fl>is por oito dias._______________
Club Pernambncano.
A dir'ct ra tendo en consderafo f|U'
grande muera difa:nlias de seus nssecia-
do' se achavam fra da cidade, rsolven
Vansf rir a r.'un; > familiar do mez d j t-
n iro prximo pasando para o dia 9d> cor-
rente._________________________
AMA.
Precisa-se de urna ama para todo servico:
ua rna dasLarangeiras n. 5 segundo andar.'
Na ra dos Coelhos n. 10 se dir
qu'in d alguma* quantia^, com prsiirio
razoavel, sobre boas garantas.
nes, os humorfs das enancas, a papeira, os rheu-
matismos, o escorbuto, as aneccos da pelle, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o rjiais poderoso, e o recmmendam em
todos os casos que precisn-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lbe todos os principios viiaes qne
perdeu, seja pelos excessos, pelas affecc5es lym-
phticas, escrdphulosas, e venreas.
Xaropc de qnBna vermelha fer-
roglnoso.
Ou associaco dos dous poderoso? remedios da
materia medica que sao : o fen-t um dos princi-
paes elemento* de osso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excellencia. .
Este delicioso medicamento agradavel ao paladar
e a vista, tum ora resultado admiravel as flores
brancas, dores de estomago, falta de appetite, po-
breza de sangae. Elle sobretudo til as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re |
guiarisar a dienslruagao e suspender os effeitos j
perniciosos dais flores brancas, que sSo a causa de
tantas doencas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das torcas e da saude- para os doentes enfraqueci-
dos pelo trabalho, os excessos, as an*ecc,5es escro-,
phulosas ou Venreas.
As mais de familia acharao neste xarope nm me-
dicamento sem igual, para fortificar e: desenvolver:
o syslema osseo das crangas e os preservar das |
affecgoes escrbphulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso tlor que oceuna o primeiro lugar en- j
tre as novas conquistas da scienria, a pepsina pos-
sne com effeiio a propriedade importante de fazer
digerir os alimentos quasi sem soccotro do esto-
mago, o re ledio soberano das gastrites, gastral-
gias, das infl mniacScs do estomago, (jos ligados e
dos intestinos Elle supprime os gazes, as nauseas,
as pituites, o de#gosto dos alimentos, e presta prin-
cipalmente un immenso servido as sennoras n'uma
poslgao interfessanle da qual snpprim* os vomilo.
As pessoas qne padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, Tero sua vida prolongada
pelo uso do flixir de pepsina, e os vethos e cenva-
a tratar na ra do
Tupa, re-
Trapiche
Porto.
Segu hrevemente a barca portuguesa Sympa-
thia por ter seu carregamento completo : quem
quizer ir de passagem, para o que tem excellentes
rommodos, entenda-secom Bailar & Ollveira, ra
da Cadeia n. 26.
Art. 14. Os voluntarios da primeira classe perce-
bero os sidos concedidos pelo artigo 1 "do decre-
to n. 1466 de 25 de outubro, mas nada recebero
a titulo de premio ou gratificacao.
Ser-lhes-ha declarado, e expressado nos seus as-
sentamentos, que noobtero guia de desembarque
sem previnir ao commandante respectivo dous
mezes antes, salvo se nisso nao honver inconve-
niente para o servico, por que ento sero imme-
diatamente attendidos.
Urna resalva, que Ihes dever ser entregue com
41 gnia de desembarque, declarar que a contar
dessa data os sobreditos voluntarios, se forera na-
cionaes, llcam isentos do reerntamento por um an-
uo, ou por lempo igual ao que livercm servido nos
navios do fttado, se este prazo for menor ; salvo,
f.orm, o caso de circumstancias extraordinarias
durante s quaes ficar suspensa a isencao.
Art. 15. Os da segunda classe receberos os pre-
mios seguintes :
Se ferem grumetes; dez, vinte e dous, ou trinta
- quatro mil reis, segundo se contratarem por um,
dous, ou tres annos.
Se forem marinheiros : vinte, quarenta c cinco,
ou setenta mil reis, segundo o prazo de seu contra-
to for de um, dous, ou Ires annos.
Alm do premio receberSo mais os referidos vo-
luntarios se directamente se apresentarem, a gra-
tiiieaeio de quatro mil reis sendo eslrangeiros, e
de cinco mil reis sendo nacionaes.
Esta gratificarlo, porm nao se abonar repeti-
damente ao mesmo individuo por cada novo con-
trato saccessivo que flzer, se este for de prazo me-
nor de tres annos.
Art. 10. Os da terceira classe recebero mais
uraa quarta parle do maior premio que poderiam
na praca de grumete ou de marinhelro, que Ihes
competir, e a mesma gratificacao apresentando-se
directamente.
Exeeptaam-se os que nao forem hemens do mar,'
e tiverem mais de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alistar-se com as cdndic$oes dos da terceira
classe, mas sera augmento de premio.
Art. 17. Os da qnarta classe recebero como pre-
mio cem mil reis, se forem marinheiros, e sessenta
mil reis se fertm grumetes.
Art. 18. Os da quinta classe recebero o premio
de cento e cincoenta mil res, se nao forera maiores
de quarenta annos e o de cem mil res, se tiverem
mais daquella idade.
Art.19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as companhias de aprendizes mari-
nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pas, tutores, ou quem snas vezes fizer :
Art. 20. O* premios de que tratam os artigos an-
tecedentes serSo pagos pela maneira segnlete :
t Os des'voluntarios da segunda classe, se o
alistamento for por um antto, Ihes sero pagos in-
tegralmente no acto de assentarera praca-, se por
doui on tres annos, recebero em tre prestacoes
iguaes, sendo primeira paga como no primeiro
caso, a segunda qnando vencida metade do prazo
do contrato, e a terceira findav) dito praro.
i Os volinnufes da terceira classe recebe-
ro uisKUenja pnrie iopresnio mpectsto logo que
tenham issentdo praca, ostra terca parte no fim
4o prmeiro nao de serviejo, e o restante Ando o
(K-azo. de seu alistamento.
5 3.*- Os premios dos imperaes marinheiros e os
os dos voluntarios da terceira classe.
('4.* Os premios dfvidos pelo alistamento de
menores paras as companhias de aprendizes mari-
nheiros serlo pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos ditos menores.
Aru 21- As graliucajoes que competem aos vo-
luntarlos que directamente se alstarem no servico
da armada, serio pagas conjuntamente com a prt*
cira prestaco do premie respectivo.
O secretarlo da capitana.
Ueuo te Aquino Fonceca
Para o Rio de Janeiro devo seguir com bre-
vidade por ter prompta a maior parte do carrega-
monto, o brigue.nacional Invensivet, recebe o res-
to da carga e escravos a frete: a tratar no escrip-
torio de Amorm Irmos, ra da Cruz n. 3, ou
com o captao Antonio Albino de Souza, na praa
do commercio.
o 3 5.
m O crt
B
a
i
B
-. te
o w
o
c
o
S B
3 S
T5
-i
O
9
H
5.
o
o.
B
r
i
g
o
c-
a.
re
B S- a? S
t> -i 2
l3 i s
i I
lis
t? 111
H
q
<
c
-t
o
1?
B
o
Rio de Janeiro.
O brigue Belizario, segu breve para aquelle
porto, anda recebe alguma carga e escravos a fre-
te : a tratar com Marques Barros & C, largo do
Corpo Santo n. 6, segundo andar.______________
Pira o Rio de Janeiro.
Pretende seguir em poucos dias o patacho Ca-
pitn, tora parte de seu carregamento bordo, pa-
ra o resto que Ihe falta e escravos a frete : trata-
se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo 4 C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.__________________________________
Para a Bahia
Pretendeseguir com brevidade a sumacafior-
tencia,tem parle de seu carregamento prerapto
parao resto que lh falta trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luizde Oliveira Azevedo
& C, no seu escriploriorna da Cruz n. 1.
LEUDES.
Alia [articular.
O abaixe assignado, professor particular, provi-
sionado pela directora geral da instruccaopablica
para ensinar primeiras lettras, latim e francez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos
senheres pais de seus discpulos que seguada-feira
9 do corrente tem de continuar no ensino das su-
praditas materias, admittindo a matrcula alumnos
externos, pensionistas e meid-peusionistas. A pra-
tca de 19 annos consecutivos no exercicio de sen
magisterio, sua intera dedicagao e ;ua moralidade
sao garantas queofferece aos sensores pais de fa-
milias, que desejam a sa e til educarao a seus
ti I nos.
Quem portanto quizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educaodesens fllhos, pode dirigirse
a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
do n. 58 da rna Nova, onde ha muito tempo est
estabelecido.
__________Jos Mara Machado de Figueiredo.
OSr. morador da ra Nova que se
acha a dever 6 quarteisde asignaturas des-
te Diario, queiramanda-las pagagarpois
assim como elle gosta de receber a paga de
seus servicos deve attender a ds ou-
tros principalmente o do Diario queem
irabalham mais de 60 pessoas.
penlo de sua saude e o Teparador de
porque com urna boa'digestao sempre
se (tosa de b a saude.
Xarope peitoral deH. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
camentn para curar a tsse, deflnxo,
ppa, irritaco do peito, anginas, dores
coqnelnxa, etc.
oso xarope popular em toda a Franca
lecenteso su
snas forras;
melhor med
catarrho, gr
de garganta
Este delic .
foi descober o pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Aujoi, e actualmente preparado pelos Srs.
Grimaull & C, nicos proprictai ios da verdadeira
receita. He cammenda-se aos doentesque nsem ao
mesniu tem|io das deliciosas pastMai peitoraes ao
sueco de al, ace de loureiro-cereja dps Srs. Gri-
maull & C, este excellente remediq composto
cora as dua: substancias as mais calmantes e ao
mesmo tem io as mais inoflensivas da; materia me-
dica, e nao rontm opio.
Injecco e capsulas na tico.
Estes doi s productos que constituem a mais re-
cente e a mais importante mediaeso para curar os
corrmento! e as molestias veneraes do homem e
da mulher, sfw exclusivamente vegetaes nao con-
ten mercui io, e sao pieparados com as folhas do
matico arve re do Pern. Nao ha molestia conta-
giosa anligi ou recente que resista ao uso desses
dous meios Sua rapidez de ac^io superior a
todo quant i se tem feito al boje. As capsulas
nunca camam o estomago nem os intestinos como
a* capsulas
Leilo em eontinoaco
De (azoadas, diversas miudezas e objeetos para se-
leiro, Udo avariado.
Na alfandega arraazera n. 8.
Segunda-feira 6 de fevereiro.
O agente Pinto far leilao com autorlsacSo do
cnsul de Franca, cim licenga do inspector da al-
fandega em presenta de um empregado da mesma
repartigo, com assistencia do delegado do dte
consol e por cenia e risco de quem pertencer de
todos es objeetos cima mencionados, parte dos
salvados da barca franceza Les Amis de Saint
Jian de Luz, no dia e lugar cima mencionados.
Principiar as 10 horas.____________________
Lei!3o~de 1,000 saceos vazios com avaria.
Segunda-feira 6 de fevereiro era frente
a alfandega.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
qaem pertencer e sera reserva de prego de 1,000
saceos com avaria d'agua salgada, as 9 1|2 horas
em ponto do dia cima dito em frente a alfandega.
JLello de qnieljos suissos.
Segunda-feira 6 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
qnem pertencer 30 queijos suissos em um ou mais
lotes a voniade : segunda-feira 6 do corrente pe-
las 10 horas da manhaa no arraazem do Sr. Annos
defronte da alfandega._________________.^_
L'ilJo de 3 casas terreas sitas no aterre
do Giqui.
Martins competentemente autorisado far leilo
de 3 casas terreas de ns. 138,140 e 141, tendo as
de ns. 138 e 140, 2 satas, 2 quartos e cosinha fora,
e a de 144,2 salas, 1 quarto e cosinha tambera
foca e rendem 6 mensaes cada nma (terreno fo
reiro.i
Tercafeira 7 do corrente
Em sen escriptorio ra da Cadeia do Recife n.
9, as 11 horas do dia, os prctendentes podem obter
qualquer Informaco ao mesmo Martins.________
Q hachare.
Antonio Joaquim Ayres do Nascimento
tem o seu escriptorio de advogaciaaa ra
estrei la de Rosario n. 8, onde pode ser
procurado das 9 horas da manhaa as 4
da tarde.
Leilo de 30 barr* cum manteiga ia-
glfza.
Quarta-fera 8 de corrente.
O agente Pesian* vender per conta e risco de
quem pertencer 30 barris cem excellente nianlei-
ga ingiera, a qnal ser vendida em lotes a voota-
de dos compradores para o que convido os Pro
gressos e ProgressiBlas roens camaradas : no ar-
mazem de Sr. Antes, quarta-feira 8 do corrento
pelas 10 horas da manhaa.
J5
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 24
do ra da Cadeia do Recife, entrada pelo becco
Largo : a tratar no arraazera do mesmo sobrado,
Atten$o.
Vende-se urna parte de nm sobrado site no
bairro do Recife : a tratar na travessa do Carino
m. i, sobrado.______ ._______________*-.*.
O professor de latim da freguezia de S.-Jose
desta cidade, abaixo assignado, faz sciente ao pu-
blica que se acha aberta a matricula de sua aula,
e qoe o exercicio da mesma comecar no dia 3 de
fevereiro prximo futuro : quem se quizer matri-
cular, dirija-se ao sobrado n. 5, silo no largo da
ribeira.Manoel Francisco Coelho.__________
IsMtrneco primaria
O abaixo assignado, professor publico da tercei-
ra eadeira de instrurejio primaria da freguezia de
Santo Antonio desta cidade, faz constar que sua
aula acha-se abena e funecionando desde o da 7
do corrente no primeiro andar do sobrado n. 46,
rna de Agnas-Verdes.
Seraphim Pereira-da Silva Monleiro.
4*1 V.
Precsase de nma ama para casa de pouca fa-
milia : a tratar na praca do Corpa Santo luja nu-
mero 17._________________________________
Antonio Joaquim Vinhas Maia faz publico
quo desde o dia 28 de Janeiro do corrente aaoo
ntregoa amigavelraente a ge.encii das .casas de
negocio do Sr. A-. Casemro de Gouvea ao Sr. Ma-
thias L. da Costa Maia, curader do mesmo Sr.
Gouvea. Recife 3 dp fevereiro de 1865.
de copatiyba, cubeba e outras ; a m-
joceo nun:a profluz o estretamonto como aconte-
ce com as njeccoes com base metlica aconseja-
das at hoj .
Todos esles productos vendem-se as princpaes
pharmaciai do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pernam-
huco, Caor i & Barbosa, na ra da Cruz n. 28, na
Bahia, Lima & Irmaos i em todas as boas pbar-
macias do Brasil.
Deve-se xigir sempre i assignalura Grimault &
C, por qui ha falsifica^oes perigosas.
Vende-sf na botica franceza ra do Imperador
n. 38.
Prec sa-se de um escrava cozinheiro : na
ra da Madre de Dos n. 36, primeiro andar.
Precisa-se alugar um |moleque de 12 a 16
annos ou tma negrioha da mesma idade : na ra
do Impera lor n. 46, primeiro andar.____________j
O tinlureiro da ra Direita n. 116,
avisa a seas freguezes que continua a tingir
de todas as cores e o mais ba ato posMvel,
.ssim cono pede a lodos que lem obrzs
de as vir ;m tirar ne prazo de oito dias, do
centra io sero vendidas | ara pagamento.
Aasentotf-se de casa no dia 31 de Janeiro pr-
ximo passi do, a negra Victoria, de idade 44 au-
nas pouco nais on menos, tem um earoco no la-
bio superior, falla una e estacada, baixa e corpo
regular, ba noticia qne anda em Santo Amaro das
Salinas, inttula-se por forra e costnma mudar o
nome : por auto roga-se a quem a pegar de traze-
la a padaria n. 146, as Cinco Pentas, de Menezes
A Silva.
Acha
e na ra da Fraia n. 10,
um numero
de chaves qae forara achadas : quenvder os sig-
naes certos Ihe sero entregues pagando-se a des-
peza do am rancio
ha-i
sab-
Para todos.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitaval
publico que mudou a sua offleina de palMnha da
rna do Imperador n. 24 para a rna das Crines n.
23, igualmente tem para vender palhae junco
mais barato que em oatra qual iuer parle.
Manoel da Cesta,.Azevedo Napoleao.
Cosinheir
Precisa-sede umeosinheiro : no hotel Trovador
ra larga dqRosnon. 44, pagase bejn.________
Srvete Ba casa de billiares dedomiDa-
a Travats roa larga do Itsario
noiDero 37.
Do dii 4 do corrente continuar haer sorvete
coa toda perfeicao a 240 rs. copos grandes,
ver caf, cha, habidas e mo de vaeca os
hados,_________________
frecisa-gfl de urna criada para o servico fn-
lerno de urna easa, saneado coser a cbsiahar coro j
perfeicao : a tratar aa roa do Apollo! n. 36, pri-
rociro andar.______ !
Precisa-se alugar dous escravosi, sendo um
cotinheIro e outro para o servico de cjtsa : na ra
da Cadeia n. 27, nrimelr andar. |
Joo Amonto Gencalves 9erran e Jos Ma-
ria Vasqnes vendem a sna taberna na ra do Ce-
doTBii n. 7, para a iranferirem para o largo da
i Assembla a. 14, Jos Pinto da Cunha i C.
Precisa-sede urna ama para
INJECTION BRO
XAROPE
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
MAkvactVTiee aa ncou scriaio aa vaais.
" Esta xarope, ragnlarsando as fnnccOes do estomago e intestinos, dastroe essts
indisposicocs proteiformes, e faz abonar as molestias de qae sao indicios precurso-
res. Mdicos e doentes tem reconhecido que restabelece as indgestees, fazenda
desapparecer os pesos de estomago, qae calma as enxaquecas, espasmos, e eairabru,
que sao resultado de digesldes penosas. Seu gosto agradavel e a facilidade com qae
se suporta, o tem feito adoptar como especifico infallivel das doencas nervosa*,
fastritis, astralgias, clicas de estomago e i tnlranhas, palpitares, deres i*
coracSo, vmitos nervosos; sua aeco sobre as funccSes asimiladoras tal, qae es
mdicos mais Ilustres o tem adoptada por reseipientc real dos dous primeiros
agentes therapeuticos: o tdureto de Potassa c o Proto-lodurett ie (erro, tendo
observado qne debaixo de sua influencia, a primeiro perde sua acflo irritante, e o
segando sen effeito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO
De easeas de laranjas amargas com Is-
dareto de potassa.
O iedureto de pntassa, administrad ro
toluf So ea debaiio 4a forma solida, cansa o
docnt nma grando repugnancia, ou determina
accidentes qne o forqlo renunciar a esta
edicteto effieaz.
Unido porta ao Xarope d* casca* de laran-
jas, elle naS cansa nem gastralgias, nem per-
turbante do estomago e intestinos, e gracaa a
este salvaguarda, o* tatmenles depurativos
ala oitiaaados sem interrupcio, as afftc-
(6as escrofulosas, UtUrculostt, cancerosas i
nos ucunmriat e terciarias, wuimo rcutna-
tkitmtts, mas quaes elle o rnsts seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
qe e medica pode vtrial-a a sua vonade:
O irasco: 4 fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estn sempre em frascos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). ExpedicSes: em casa
J.-P. LAROZE, ron den Ldons-Saint-Paul, a, Paria.
Hita 'lii liupira'jor ii. ^t.s Utilna n ncezd.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjas amargas eom
prsto-iadarcto da farra.
A asseciae&o de sal ferr ao Xarope a* cas-
cas de laranjas Unto mais racional quant
que este xarope, empregado s, para estima-
lar o apetite, activa a seereeio de sueca g-
strico, a per Sm regularisa aa fuiccdes abde-
miaaes, neutraliza os mios elTeitos dos ferru-
ginosos e dos ieduretoe (paso de cabecs, pri-
so da veitrSt dores epigstricas) em cuanto
que facilita saa absoaacio. Dissolviaa io
Xarope, ella aa toma a aa supporta fcilmente,
por aebar-se no estada pura mais assantlavel;
e assim pode continuar-se a cura da aallidez,
corrimentos brancos, anemia, atfec(5es escro-
fulosas e rackitismo:
0 trusa: 4fr. 50e.
PERFUMARA MEDICA HYGIENICA
De .-P. LAROZE, qumica, pharmaceutico de la Escola especial de Pars.
Estas reducto* sie e resultado da aplicado das leis da hjgiene pertutaaria, que se ergue e
tenue pharaaeia da bellea, encarrtgada de prorer i hygiene da pt-lle, dos cabellos, dos deutes,
ergios tio importantes; ento e*ita e destroe as causas das doencas que sua irwan mais elha,
i pharmaeia propriamente chamada, tem que curar.
BUtn aaaTintiaio par curar imediaumtnta OUEO DB AVBXA raRPUMADO par* remediar a
are* aa raivai de ituxn; o viro 1 fr. 2J dureza <1m ciksUas e a >idn>. .
roa li i Ilumina COR DE rosa eom base de
MagBMia, para branqucir e conservar 01 denles;
* Tldro...........1 fr.
OHATO) aanTIFRioio para tertlllcar as gengivaa
e evitar as naTralgias dentarias ; o polo 1 fr. 50
KATTVO aCMTARIO para tratar es riles
cariadas antea do chumhamanto, e evitar os ab-
ceiaoi e dores; e rlro com o Instrumento a fr.
AOVA LBUCOBBlumiA, para conservar a frescura
* u fuoccot da palle ; vidra .... S Ir.
BfiriRiTO db abie ncTiriaADa, complemento
do sele da bocea despois da comer; e vidro 1 [r. 25
SABO tBBmvaimDIcniAL, de violeta, amendoa
amarga, bouquet, o po.......2 fr.
eaaata aa sabo lbuitivo mbdicimal de
Icmas da evos, para avilar as fondas, friciras e
dcacas da palla, do vilala, de benquat; po 2 fr.
tUKB DB SAAO UBRTTa medicisal ea
M. HU oapoelat pan a barba, acola das
senioras e das enancas, o vidro.....2 fr.
Bajea lanrcSVAS, pan conservar e embellexar os
aokotlaa, farirSear aeas ralias, o vidre. S fr. |
Depositas am caa etdade, em cata dos pharmaceutieos, perfumistas, eabelleireiros, uegociantea ie
andn a fuitnliir. Varejo: Pbajuiasu Laroii, ru Neuve-des-Pettls-Cnamp, ts..
ispedicoes: am caa de J.-P. Lasse, rae des Lious-Saint-Paul, em Pars/
Ron rio ltnnTi'inr n 8S Imttru fniu-iva.
OINAORB M TOILBI-TB SOPUUOB pal* M
auavidado a sua acole retrotcaale, o \nJro. 1 fr.
OOLD CRSAM SUTERIOR para conserv.-r a parle
dar, fraaca, a diaptaan*, evitar s moa atTeitas
do aso das cores, o poie......1 fr. 5*
ASDA DB eOLOOMA SUPERIOR, com su sem,
mbar; permanencia de seu perfume o fax bascar
paraolocador.banfcosgeraeselocaes.ovidro 1 fr.
rasTiLUAS orientaos do Dr. Paul Clenwnt,
Sara lirar o chairo do tabaco e para modiflear aa
allilos tartas; 1 e 2 fr. a cala.
AQWA DB PLOBBS DB ALTA2XMA, cosmtico I
bascado para lirar as comieboes, forliOcar a ro-
frescar certos orgias, e vidro.....1 fr. S
espirito db hortblab bwbrfiho. Blle i o
aperlei;oamento indispensavel de aceto da bocea
depois do comer, o vidro......t fr. 25 ,
POMMADA OOHOBSXTAjaORA d* ninina para I
para fortilcar es cabellos, os emaellezar e evitar
o encuoeimaalo praaMtars, pota.. J fr.
KLEll'lTl&ssa! li.ilB--5.Is
3=.= ^?"
*Efl
<>-* o-- g-s-
sTwaS-8 < 1
Ripia
a
-*
n_UM
g a -ai 3 3 *
g? ;3b
M
!3S
o
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.


Wx
ELE.CTRO
MAGNTICA
fproiada por taas Academias e altas
. suatmidadet meditas.
O aseoecasJaaa em goral as molestias abis.
designadas i a cslaj.naiao do sangue em certas-
partes do eorpo, a qual produaida pelos resfria-
mentos e moias onlras cauzas, entao declaro-aa
os Rheumatismo, Cota, Paralysia, Fraqttm
dos memkres, Constiparon, Ktcphantiusis o
Pernas incitadas, el Dores Nervosas.
O uso da estova ELECTRO-MAGN-
TICA lea saceraso certa para a cura de toda*
estas molestias, scui recorrer sr. a aenhuaaa. outr
medicac. Ella lem urna forma mui manejavet
e produ, a ven udc de quera d'ella usa, seos mate
utets < feliies resultados. Seo emprtfpreserva
da molestias cima. Para maisinrorasaceseea-
aul-te-se a noticia que accompaoha cada Escota.
DEPOSITO GERAL
Memievri du Prime Evgejie, Paria. ,
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
! a. W. Osborn*, tendo le retirar-se fiara o
Norte da Amerita, para tratar de sna saude, fin
sciente ao publico que de arcordo e em perfeita.
harnvoaia com a Kxm.' Sr.' f>. Jbseiili.i Mara do*
PraMertjs e rav liant.-im o tea casal, frz venda-
do sea ejubetecimeat') aa 8r. Ma dos Santos ?-
Nata, tie*ndo o lirismo aasasaf pnM do eoolr.T-
to por este oeleliravde mo V iwmr Kxoi." sealso-
ra e mais berdeiros res|eio .primeiro andar do
se edificio sita) na ruado Imperador n. 38 Ao
.mesBM lempo aproveita tao- favoraval oceasiao
para agradecer a Esm.' *r.* k> i*>fha e todo-^
os mais herdeiros as manehras delicadas porque-
sempre o trataram ; bera coaso ao publico era ge-
ral pelas bondades que Ihe prodigalisaram duranr-
te a sna estada nesta capital.
Ama
toda o servieo
de orna pessoa : quera quizer tlrrlja-se a roa do
Caldeireiro n. 70. 1-
0 abaixo assienado filga nada dtter nesta pra-
ra smiri tura delta, mas se alfuem se Julgar sen
creor queira apres<*tar sen titulo oestes 8 dias
qae depois de .verificado ser immediaumente pa-
po su na da Iraivratrii n. 33.
Fraheisc Maciet dn Soaia.
Precisa-se de urna aiaa para cosinhar : na. ua
da imperairii n. 46, reaa?ao. _______
AMA.
Preeisa-se de urna ama que saiba engomcaar pa-
ra pouca ramilla; aa ra Nova de Santa Rita nu-
mero 17.
I DEHTISTA DE PARS i
i 9Ba Nova-19 g*
Fredwieo Gautier, cirurgiio dentist i _
m faz todas as operaejoes de sua arte, e c( I- ffff
m loca denlas artitciaes, rncra en sope- g
1* rioridade e perfeicao, rroe aspessoas en- g
tteBdids* Wte- reeonbecera.
Tm agua e pos deJntilleio.
Livro do Povo.
O livro do novo, obra ornad com estampas, con-
tando I vida de NasM Sanhor JesusChrislo, e mni.
osartUsuteis. Ele livro das faraiHasrecom-
menTa'do eTpprovado pelos Exra^ Srs. D^ Lm,
bisDO da Maranhao e D. Manoel arcebipo da Ua-
SiaPvend-se a tJOOO irtorMo, nalivrar.ada
Jos Ncnjntir de Som, rna do Crspo o. l\



Diario de Per


-

19. RA NOVA I9c
FREDERICO GAUTIER, CIRCRGIAO DENTISTA, de voita de sua viagem a Europa, atadetomou co-
oheciowpto das mais rcenles descobertat e ltimos aperfeicoamentos que se tem feRo aaarte don-
tari alm de comprar *o segredo |de diversas preparagoes empregadas com multa* yntateos, tem
a hoara de participar ao respeitavel pablico etn geral eaos saos numerosos (clientes em particular,
qnesaaeha o> novo prompto ao seu dispdr para todos os misteres da sua profisiao, ad vert ndo quo
,roaf* um inmenso sortimeoto de denles artificiaos, caoatebou vulcanisada, ouro, platina, raassas
diversas multo aperfeicoadas, para chumbar, instrumentos novos, ferrainenla moderna, cadeira de
operaefies, etc., etc., dos mais acreditados fabricantes de Pars, Londres e N'ew-York, e por isso
estando mak do que nunca no caso de servir do modo o mais atisfcctorio, portanto espera con-
tinuar a merecer toda a coofiaoca.
Acha-se sempre no seu gabinete das 8 horas da manhaa at ao meio-dia com cerlexa e at as 4
horas da tarde quando nao tiver de irem casas particulares.
CHEGARAMOSMODEIINOS CHALES DE
FILO PRETO.
Sea
Superiores chales de fil |reto c' egados pelo tl imo vapor
loja dasioluuns ra do( resjo n. 13, de An'onio- Coneia de
los &C.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISA.DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Inia flanea em , depositado ros cofres do estado, garante a boa ad-
niinistraco da companhia.
THESOURO BA3 MAIS y
Providencia das criancas.
COILARESROIER
. ElectroMagnticos.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICAO
Contra as coavulsSes e para facilitara
denticae das criancas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceutico da esco-
la superior do -Pars, successor de Cherean,
rnembro da academia de medicina
antiga casa de Rouillon-Lagraage, pharinaceutico
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da asela po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
ATTENQlO.
Jos Joaquim da Costa Ferreira, faz
sciente ao publico e com especialidade ao
corpo do commercio, que tem traspassado
o seu armazem de molbados da ra do Im-
perador n. 14, aos Srs. Ferreira & Almei-
da, ficando o activo e passivo a cargo da
referida firma.
Urna senhora com as habiltacdes precisas
e licenciada pela directora da instruccao publica
para o magisterio do ensino de primeiras letras,
reunindo outras habilllacoes, como bordar de to-
das as qoahdades, costuras, etc., offerece se para
ensioar ditas materias em ajgum .engenho perto
da praca, on em eutre qualquer Ingar : os pre-
tendentes que quzerem servir-se de seus presti-
mos, podem se dirigir ae Sr. colector Amerim, em
01 inda, ra do Varadouro.
ao da silva Hamos, medico pela Uni"
versidade de Coimera, di consallas em
sua casa das 9 as H horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os detentes
em suas casas regularmente as | horas
para isse designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serao soccorridos em] qnal-
quer occasio. Da consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sta casa de sade regularmente
montada para receber qtialquer aoentej
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nolla pra-
tica qualquer operadlo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3^000 diarios
Segunda dita.... 24500
Terceira dita.... 54000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
0 proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confian$a de que sem-
pre tem gozado.
! O r. Carolina Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da neite
para o exercicio de sua prfJssao de me-
dico ; sendo que es chamados, depois de
meio da at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
K nao abandonando nunca o estado das
5 molestias de interior, prosegne, com e
| maior afflnco, no das mais diffleeise deli-
jg cadas operacoes. como sejamdos orgos
3 ourinarios, dos olhos, partos, etc.
mMmm mmmm mmmmm
Mobllla
Alugam-se mobilias : no pateo do Terco nume-
Precisa-se de un ama orra ou captiva que
cozinhe e engomme alguma cousa: na ra do
Cabup, loja d'agpla d'cnro p. 1 B.
AulonioLniz re Olhtir Afe\e ~C:
Agentes do banco Uni3g do Porto.
Competentemente sutori.'ados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo banco para o Forlo e
Lisboa e para as seguinles agencias :
Londres sobre Bank o Lpodon.
ro42.
Consultorio medico-eirurgico na roa larga do
Rosara n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua profisso
nao so na parte medica como tambem na cirur-
gica.
Precisase de dous trabajadores :
nacao da ra nova de Santa Rita n. 33.
na refi-
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespaoha
DIRECQO GERAL
Madrid : Roa do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos secaros
sobre a vida.
Nella pode se tazer asubscrpcao de maneira que em nenhum caso raesraojpor morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to saprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL, queainda mesmo dminuindo ama terca parte do interessc produzdo em recentes liquidares,
e combinandoo com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os
sens clculos e liquidares, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna iinporsicoannui le 1004
O Sr. Elias Cordeiro Cintra quera vir pa
O solicitador Pedro Aiexandrt- dana da "ia Direita n. 84, a negocio que nio g-
no da Costa Machado nora
se encarrega ame o foro desla cidade de tudo que J0&8M8*W WWb Sil
O BACHAREL
JooGoHcalves da Silva
tanoyos
Advogado
Ra estreita do Rosario n.
Mon-
17.
Precisa se de urna ama de leite que nao tenha
flllios : na ra Nova a. 47.
Aloga-se o primeiro andar e sotao na ra i
Imperial n. 27 : a tratar na travessa da Madre de
Dos n. SI.
for tendente a sua proflssao, aceita de partido an-
nual as pendencias judciacs de qualquer casa
commerciai mediante azoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobranfas nos termoi do Cabo
e Ipojuca aonde continua a trabalhar como d'an-,
tes, e encarrega-se de defezas perante o [jury nos
termos prximos a via frrea, offerecendb gratui-
Umenteseus servicos aos desvalidos, pode ser.
procu-ado todos os das atis das 9 horas da ma-1 Na Drafa t indPMnd*nrlZ<7~*~~"~m?m"
resiaencia. _____________l_ encommenda e todo e qualqner concert.
n7n< n??mn;,Sd0nS /aDdeS sobrados tom.com- Tendooaba.xoassignado
osos para numerosa familia, nnvox p. acetados, i sr
com jardim, cocheira, estribara
diaades, na travessa de Joao Fi
tratar n ra da Seniala Nova n. 42.
modos para numerosa "familia, Vovos encelado I Sr. A W Osboro SSSSbSSS&S Illm
com jardim, cocheira, estribar a e outra crmmo- Seo com todos os seusKS^^T'"
| M^, na_ travessa de Joao Fernandes Veira : a; JSSJSi SSS^Si ^^
Precisa-se de urna criada para o servco de
casa : na ra Augusta n. S.
annos.
produz em effectivo metlico :
No fim de 5
i de 10
de 15
i de 20
> de 25
as dades menores de 3 annos c maiores de 30
t:H93300
3:9423600
11:208,6200
30:256000
80:331*000
os productos sao mais eonsideraveis.
mo
leci
Prospectos e mais informacSes serao prestadas pelo snb-director nesta provincia o Sr Jeronv
Joaquim Huza de Olivera, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12 eslabe
ment dos Srs. Ilaymundo, Carlos, Leite 4 Irmo.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFF0C?A0 NERVOSA E 0PPRESS0
mco remedio efficaz para combattir estas molesas, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar amarello) do D' Danet. Deecoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
Dlicas de Franca e do estrangeiro.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Douior da Faculdadede Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina.
Official da Legio de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Pars.
Este xaidpe composto mais de vinte annes pelo sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de admin.strar o Elher. He empregado com suocesso em todas as doencas qse tirio sua
ongem de um enthismo nervoso, como sao as: M
Enxaqueea,
N'rvmleliiK,
E->ptiiio,
Aitniiii<-H ilp ervos,
VcrilgetiM,
Sjnrepca,
Calmbro* de eatomago,
Iailisenlea,
Canvulaca, 4
AcecHuoa lijaterleaa e hypo-
condrlacaa,
Calleas vcnloaaa ou irrio-
aaa, hepatleaa Hatulcntaa,
Arranos de sata de rheu-
madsnio.
Casos de rnirnrnlrmrnto,
te, etc., etc.
J*E&Kft** P.ar/' na ^ de Boullay, deutor em Sciencias, membro da Academia
omZtt hn, h *% Pan$' "P1* L<9* de Ronra, ra des Fosss-Monlmartrc, 17, c
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
u
Alugam-se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
dom jardim, cocheira,estribarla e outras commo-
cidades, na travessa de Joao Fernande Viera :
atratar"fu da SenzalaNova n. 41
Aten^o
Em um desies das prximos passados reeebeu,
o meu socio um eaxo com cerveja, marca victo- j
na, per engao : a pessoa que se julgar ser dono
do dito, apparega com o prelo a quein o entregou, I
na taberna na ra de Hortas n. 39; e por isso pu-!
blico ueste jornal para o que poder resultar ao dito 1
oojecto nos nao sermos responsaveis.
Precisa-se de ama mulher 'capaz para cozi-
nnar o diarlo de urna casa de poca familia : a
tratar na roa do Aragao n. 27.
Aloga-se a casa terrea n... a ra do Gazo-
metro com commodos para pequea familia preco
de_ll| :_a tratar com o Sr. Valeoga.
Francisco do Reg Brando retira-se para o
Rio de Janeiro.
Precisa-se de urna ama de leite
umacrianca.e paga-se bem : na ra
sobrado n. 51.
j O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2* andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
s5o medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2 de peito :
3 dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d sj
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
nua a trabalhar em todas os sys-
temas conhecidos e pelo melhor gosto possvel.
O estabehcimento continuar a marchar com toda
a regulandade no aceio e promptdao do trabalhe
para o que o seu novo proprietario dispoe de todos
os precisos a poder servir ao publico satisfactoria-
mente. Ao mesmo lempo faz publico que por es-
tes dous ou tres dias um sortimento variadsimo
em gosto moderno, de objectos exclusivamente
mandados vir empressamente para este estabeleci-
mento.
u favoravel ensejo deste annuncio, ordena ao
mesmo Sr. a agradecer publicamente a Illma.
Lxma. Sra. u. Josepha Mara dos Prazeres, e a to-
dos os mais herdeiros do sea 'casal, as delicadas
maneiras eattenedes que para com elle tveram no
traspasse do referido estabelecimento.
Julio d$s Santos Perrtra.
Na ra Imperial n. 36, precisa-se de urna ama
que compre, cozinhe e engomme, para casa de
pouca familia.
para criar
da Praia,
Precisa-se de urna ama
ra larga do Rosario n. 46.
para cozinhar : na
Desappareceu no sabbado pelas 8 horas da
noute da porta da teberna da travessa da ra das
Cruzes n. 16, um cavallo rudado, tendo nma ma-
lla na anca esquerda, cujo cavallo se achava car-
regado com carne, levando tambera ura sacco com
; peias de ferro e mais trens, suppoe-se ter sido
| roubado ; portanto roga-se a pessoa que delle no-
i licia tver, dnja-se a leferida taberna que ser
! recompensado pelos abalxo assignado.
Recie, 2 de fevereiro de 1865.
|____________________Mariins & Lebre._______
O portuguez Albino Baptista da
Rocha, relojoeire e dourador, na
praca da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogio e
dourado por preco mais commodo
do que outro qualquer e responsa-
blisa-se pelo seu trabalho e espera
seus compatriotas.
Deposito geral do rap princeza Gasse e Paulo
Cordeiro nesia provincia, na da Cruz nume-
ro 18.
Jos Joaquim Lima Bairao, recebedor do rap
princeza Gasse fino, meio grosso e grosso, Paulo
Cordeiro, dito meio grosso e viajado, qualdades
. Aluga-se um sitio na Soledade, ra de Jo
Fernandes Viera, com urna boa casa de vivenda
assobradada, reedificada de novo, rodeada toda de
janeflas, com grandes commodos para familia nu-
merosa, tendo um grande copiar na frente e col-
locadas nelle tres grandes mesas de pedra mar-
more, quarlo fra para pretos, grande cocheira
para carros, e grande estribara, e em frente a
casa um grande lelheiro para jogo da bola com
touos os seus perteoces, Iluminado a gaz, assiffl
como a casa de vivenda : a tratar no caes do Ra-
mos n. 2.
Pars >
Hambargo
Barcellona
Madrid >
Cadis ,
Sen I ha >
Valencia r
Amarantes. Angra Terceira.
Arcos de Val de Caminha.
Vez. Caslellu Branco.
Aveiro. Chaves.
Barcellos. Colmbra.
Bastos. Covilho.
Beja. El vas.
Braga. Extremos.
Braganca. Evora.
Faro Fafe.
Oliveira d'Aie- Pinna!.
meis. Porto-alegre.
Peona fiel. Thomar.
Tavira. Villa Nova de
Villa do Conde. Pormo.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo on a visia, podendo
logo os saques a prazo serem descontados no
memo Banco a razao de 4 por cento ao snno a
tratar na ra da Cruz n. 1.
Frdrc S. Balln 4 C-
Joao Gbe & Filho.
Francisco Rbala i Ballesta.
Jaimo Merie.
Crdito Commerciai.
Gonzalo 8egona.
M, Pereira y Hijos.
Em Portugal.
Fgucira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
(.anego.
l.tria.
Moneao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianiia do
tello.
Villa Real.
Madeira.
8. Mignel.
Cas-
eoMPiis.
A ten^ao.
Procisa-se comprar orna escrava negra de 28 a
50 annos de idade, que saiba engoramar e cozi-
nhar, oa trocase por oolra : na ra da Aurora
passando o Gymnasio, primeira casa depois da
ponlesinha de ferro.
Jomes para embraho
rt.Sr.f.'MVf- f?bric.de c'8arro8 ">> raa dos
Quartets de Polica n. 21, paga-se bem.
Gompram-se cscravos.
Silvino Guilherme de Barros compra, vende e
troca escravos de ambos os sexos e de toda idade:
na ruada Imperadora. 79, tirceiro andar.
Compra-se onro e prata era obras velhas, pa-
ga-se bem : na loja de bilbetes da Praca da Inde-
pendencian. 22.
Compra-se effectivaroente ouro e prau en>
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se um preto cozinfceiio, moco e de
bonita figura : na ra do Pilar n. 140.
VENDAS.
Prectsa-se de una
- ama para cozinhar para
estas que tem nesta provincia obtido grande ere- dous^homens solteiros : na ra da Praia n. 10.
dito pela sua excellente fabricacao, e materia prl- Joaquim Texeira Peixoto, cidadao I raMle-
ma de que composto isto o atiesta a innmera re, vai Europa. w
extraeco que elle tem tido, e a condecoracao que -------jr------------________^_^___
obteve na exposigo nacional, coja raedalha vem ~ Domingos Rodrigues de Andrade saca sobre
gravada nos rtulos dos mesmos botes, teem elle a P^C^do Rio de Janeiro : na ra da Cruz nu-
de mais a vantagem de nao lerr o nariz. Tam-
bera vende-se o rap denominado Amarillinho que
oa Baha goza de grande aceitacao. O Heposito
acha-se sempre snpprido de todas estas, qu:li-
dades.
Precisase de urna ama para cozinhar:
ra da Cadeia do Recife o. 52, terceiro anflar.
mero 33.
AMA
na
precisa-se de
XAROPE DEPURATIVO
SjE goux
BROMO-SULPHO-IODURADO
Este novo produelo resultado de urna trplice combinadlo c
des ato mu conhecidas, o Bromo, o Euxofre c o odT
Btfi todos os depurativos dos quaes o mais poderoso
HrTeT^^^T^^SSt
Na raa Velha da Coa-Vista n. 43 loja, hauma-
escrava para alugar-se.
fim '--ino de Faria o ooico competente %&
para haver as dividas activas e ootros *}
quaesquer bens da extiucU firma Faria ^R
o C. Elle pois avisa a todos os devedores >*
para que nao paguem senao a elle ou s
pessoa por elle devldamente autorisada. ^J(
Espgiwt|ue os mesmos devedores serao JM
pontuaes em satsfazerem seas dbitos, *
livrando-o ssim de recorrer aos meios ^
judicaes. Elle mora na ra do Impera- Sj
dor n. 57, segundo andar.
O Dr. Jeronymo Villeia de Castro la-
vares advoga no crme e cvel, commer-
cio 6 ecclesiaslco. Pode ser procurado
todos os dias uteis at 3 horas da tai-de
era seu escriptorio, ra do Crespo n... i
primeiro andar defronte di livraria eco-
nomica.
Na roa da Cadeia do Recife n. 50
urna ama para cozinhar e comprar.
Da-se 30U5 ou 400,5 com hvpotheca em uma
escrava que aiba cosinhar e engommar, ficaod0
os servicos pelos juros por 4 ou 6 mezes como se
convencionar : a tratar
Nova n. 4.
na refioaco da Senzala
1 Noel Eyrand, subdito francez,
o Pil ar das Alagoas.
retira-se para
5T?1
saca por todos
i
os senhores Cazenave,
Aubry, etc., demonslraro
Fraiuboeala,
Humores fi loa,
Rarblcl.mo,
P*VnT ?S ^K0S mais nolaveis ds hospitaea de Pars,
Puche Baain, Blache, Guibout, Baroschet, D.nel, Legroux, Vasse e Au
sua poderosa efficaca as affeccoes seguientes
Daeneas de pella,
nariros e hoi nulhaa ale toda a espeele,
Tiaras mucosas,
ohairuccoea lymphatleM,
Papelras,
Eserafalaa,
Abeessaa, paatesaaa,
Cancroa,
Oleeraa,
Tla*a,
Eserkta Pian ou (toabas (de Braiil),
O Xarpe de Le Oonx, de um. fcil digestSo e e gosto delicioso, se emprega tambem
Ophlbalmla escrofulaa* rkraolra,
Tialea eaerofuloaa,
ATrceoes syphllltleaa,
F.lephautlasls dos Greyoa.
E todas as doentas occasienadis por um vicia do
n|ue, e ji tratadas tem neuhum svcceiio pelas
5rTrafi?* TegtUM' iod,dM e ol de ifido
- Carlos Raguer Rebacho vai a Portugal tra-
tar de sua saude.
Precisa-se de uma ama de leite que nao tra-
ga menino : na ra das Larangeras n. 10, casa de
pasto. '
Aluea-se uma excellente casa na povoaco
de Beberibe, com 6 quartos, 2 gnodes salas, co-
piar, cosinha e dous quintaes murados, tendo no
primeiro boa estribara e no segundo uma planta-
cao de bananeirs com fructas e excellente ba-
nhelro : a tratar na roa da Imperatriz n. 38, se-
gundo andar.
Joao Venere, subdito italiano, retira-se
Baha.
para

Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22, em c.isa de Caros" A Barbosa.
(ralifica-sc bem
fl joem achou uma azeiteira de carro da
sebo at a do Imperador e leva-la a dita
xeira n. 23.
ra do
ra co-
Ka ra Nova o. 66, segundo andar, precisa-
se de um oscravo para carregar agua e que se
sngeite a todo o ervicu baixo da casa.
Precisase alugar
heiro para ura hotel :
n limero 10.
ura raoleque.e ora cozi-
na ra das Larangeras
Tan escripdrie.
Aluga-se o primeiro andar da roa de Crespo a.
23 : a tratar na loja.
Precisa-so de um pequeo para caixejro que
tenha alguma pratica de taberna : oa ra do Ran-
gel n. 75.
O advogado Joao Francisco Texeira cobI-
na com o seu escriptorio de advogacia na ra do
Queimado, sobrado n. 29, onde pode ser procara-
do nos dias uteis, das 9 horas da maohaa as 3 da
tarde, e dah por diante na casa de sua residencia,
najnesma ra n. 12, terceiro andar.
-^ Precisa-se de nnjforneiro"
na ra do Rao
Aluga-se a casa terrea da ra da Esperance
o.6l, (camioho novo): a tratar na mesma ra
numero 59.
INJECCAO BROW.
Remedie nfallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, anico deposito rabo-eel n. 9.
ea franceza, ra da Cruz n. 22 are-
Noviddesno barateiro.
Brimi pardo liso ftao a 800 rs. a vara, cortee de
laa de floree com 18 ovados por 54, grvalas de
seda prela a 160, pode-se .'azer duas, camisas bran-
cas para homem alicortes de collete de seda
prela a 14500, alparcas de cor a 300 e 400 rs e -
prta a 480 rs. o covado, chitas inglezas escaras'GttrU)r'0 P3*' Ir.-ve sa do Ouvidor n... em
padroes miudoc cores flxas rait finas a 220 rs. o uma das loj S r>T bailo do sobado onde
ovado por ter um pequeo prneipio de mofo, ma- :mora n go'icitador O >>. Joaaum dp Alh-i-
apolaocom 24 jardas a peca com Weiio por Sf, 'auerane e M-llo aqn,m Ge A,D '
4t(o muito fino e largo por 94, algoso largo com I q q "eU0-
7*.ja .Lpor ** Vr ter defeito, cassa lisa com de- ~ Auuslo Korcar suDdito franrez val a Ma-
feto a 400 rs. a vara ; das chitas dao-se amoeiras cef-
COm penhor: na loja da ra da Madre de Dees D,
tf defronuj da goard da alandega.
ADVOCA CA
i 0 Dr. Manoel do Naseimente Machad*
Porlella
E O
|BacbareI Joaquim Pires Hachado Porlella
j.-continuam a advo?ar no cvel, crime,
I commerciai, ecclesiastiro e administrati-
vo, e podem ser procurados ero sen es-
I criptorlo na ra do Imperador o. 83, pri-
t meiro andar.
s
s
O London & Brazillan Bank,
os paquetes, sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vaona.
Guimarcs.
Villa Real.
Coimbra.
___________Amarante.___________
Aluga-se a loja da casa n. 59 da ra. Augus-
ta ; quem pretender dirija-se a mesma casa cima r^-^S!&fij!J S^f^fiSI 86f^!if*?i^
que achara cora qnem tratar._______ -->-.>eut*j wfcuL-ila H^lSs5t>
Jos Ferreira Alves Carioca, tendo (je r tFa-: T~ Maaoel Francisco da Silva Carrico ora
ur de sua saude, vende a soa taberoa, muito boa i residente em Macei, julga nada dever nes-
por estar defronte da rampa do desembarque : na ta praca Ou fora della, mas se aleuem se
roa do Amor.mn.i-A, Forte do Manos. :_____ julgar seo credor qaeira apresentar seu ti-
Precisa se de uma boa engommadeira, e nao tulo nestes 8 dias, que depois de verificados
importa que seja livre ou escrava : na ra Velha '
gi&ig3 lllji
baques sobre Portugal.
O abalxo assignado autorisado pelo
Banco Mercantil Portueuse. e na ausencia I
do Sr. Joaqaim da Silva Castro, saca ef- j
fectivamente por todos o! paquetes sobre
as pracas,de Lisboa e Por .o, e mais luga- 1
res do reino, por qualquer somma vis- j
ta, e a praso; podendo, os que tomarem i
saques a praso.receberem asista,no mes- !
mo Banco, descontando 4 0|0 aoanno: na j
loja de chapos da ra do Cn.;po n.6, oa j
na ra do Imperador n. 63, segundo an- I
dar.Jos Joaquim da Costa Miia.
ALMANAK.
Acaba ^e sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo ,
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
U; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
0 CASTELLO DE GRASYILLE
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se esle bello romance em quatro-
tomos pelo baratissimo preco de 2500:
na praca da Independencia, livraria
6 e8.
ns.
n. 22, segundo andar.
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
A Semana mostrada
que se publica oo Rio de Janeiro todos os domin-
gos, assigni-se, na ra do Crespo n. 4. Preco da
foSSura',rime,lre 6*. iraestre IIJ, um anno
Precisa-se de ama engommadeira : na ma
do Imperador n. 14, primeira andar.
Offerece-se uma ama seca que faz o servico
de nma casa de familia : na roa dos Pires a. 34.
se dir.
Tendo um preto ganhador, ha cerca de oito
das ido levar duas pegas de baeta para a loja do
Sr. Joaquim Upes da Costa Maia, e nao sendo re-
cibidas ditas fazeadas pelo mesmo Sr. Maia, roga-
se encarecidamente aes senhores lojistas qne par
acaso as lenham recebidas ou visto entregar, o
especial favor' de dar parte ao abaixo assignado
do /jue sooberem a respeito.
Theod Christiansen.
ser immedialamenle pago por Francisco
Ribeiro Pinto Guimaraes (para isso autori-
sado) ra d'Apoilo armazem n. 38. Reci-
fe 23 de Janeiro de 1865._______
Na ra dos Coelhos n. 10 sQ dir quem d
productos cliimicos utensis e os mais empregados algumas quaotias com premio razoavel sobre boas
e usados na pharmacia, pintura, photograpbia. tin- garantas.
tarara, pyrotechinia(fogosdearliflcio) cera outras------------------------__________________________
industrias. Att.AHPA
Montado em grande escala, e supprindo-se di-! ., -autuiiViiVs,
rectamente as principaes drogaras de Paris.Lon- J0"e Juaquim da Cosa Ferreira faz cenle ao
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer PHtlllc0 e c"> especialidade ao corpo do commcr-
producios de plena confianca e salisfazer qoalqner Vo' ^ue tem lraspassado o seu armazem de molha-
encommenda a grosso trato e aretalno, por preeos os. .Da r"a d Imperador n. 14 aos Srs. Ferreira
razoaveis. o Almeida, ficando o activo e passivo cargo da
Prvidos de machinas appropriadas satisfar re,da
com promptdao qualqusr pedido de tintas muidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus agredan-:
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazercora aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collercao de vidros de diferentes
formatos, desde uma oilava at dezeseis ongas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamaotes
para corta-Ios; de pioceis para fingir madeira com
propredade e outros; de papis dourados e pra-
teadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas crts
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feto; de papel albamioedo e Bristol,
verdadeiro saxe para photographa e para filtrar,'
e outros ; vernzes de essencia para qnadros, de'
ma.
Para 1865
Acbam-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A FOLIIINHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiaslco, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINIIA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainba em versos, o Stabat Mater
em verso, devocao ao agonisane, coracao
de Jess, cntico em louvor do Santissi-
mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de uma
solteira (poesa), crescido numero de m-
ximas e pensamentos, uma historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs. .
No arco de N. S. da Conceicao, loja de on-
fives, tem copos com as competentes salvas e ta
Iheres, tudo de prata, proprio para as meninas le-
va remparaoscollegios; J restam poneos.
AlbnnM
para 20 at 200 retratos.muito boas e por meno
preco que em outra qualquer parte: na roa do-
Crespo n.;4.
O bacharel
Francisco Augusto da Costa
ADV6GADO
Ra do Imperador numero 69.
A htga-se
O escriv5o S Iva Reg u udou
Antonio
O seu
Aluga-se um sitio na ra do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea.com co-
piar nfrente, bota os fundos para a estra-
da e margera do rio Beberibo, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para ustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo,com ptimos passeios,sala e gabi-
nete na frente, muito proaria para passar a
festa, e tambem se singar poranno : a fal-
lar no Recife, na livraria o. 6 e 8 da praca
da Independencia, e em Oliodauacasacon-
ir-
oma casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
espirito para madeira copal para o interior e : | SSaCoa^doW? TVVr comVaJf
tenor ; oleograxo, oleo seccalivo, oleo de linhacai maos na ra do Amorira n rs
olanficado, oleode oielet, secativo de Harlim, ouro | Amr"n n' 3
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inolTensi-
vas proprias para confeitarias ; laa de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas era tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aqoarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmira,bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet.lmao, alcaraiva, melissa, ortela'pimenta,
looro, cereja, alfazema, Poriogal, lima, Junpero,
ans da Russia, canella, cravo e multos ootros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joa~o Pedto das fieves,
terenie.
Vende-se ura cavallo muito bom andador de-
baixo a meio, e esqulpador, tudo brando e natu?
ral, esta bastante gordo, novo, capaz de uma se-
nhora montar por ser muito manso e bonito, nao.
tem defeto nem achaque : a tratar na cidade da
Olinda, ra do Amparo n. 40, com Jos Figueira
Curado. O mesmo senhor vende urna enerara de
28 annos, e tambem troca por um escravo ou mo-
leque.
Na travessa da estrada de Joae de Barros,
perto do Recife, vende se ou arronda-so por al-
gom lempo, um grande sitio com casa de sobrado
para numerosa familia, o sitio est todo plantado
de arvoredos de frocias, balsas para capim
com dous vveirosde peixe : quem pretender'di-
rija-se ao meste sitio com portao de farro.
1W|
I
Ao publico.
Desencaminbou-se uma letra da quantia de rs.
6764420 sacada por Patn Nash los Srs. Francisco Pereira de Mendonca data de 30 de maio de 1804, e vencida em 30 de
freir ,bd.to po"riot r* |W. JflUPm O capitSO AutOftid BpniToFtr- Laeiro ^ eornm C0ja |etr> j# m w.
.m us provincia. /reir. I pelos aceitantes, Boa sem valar algum.
Companhia fldellda
seguros marklmos e ter-
restres estabelecida
Rio de Janeiro.
AGENTES Eli PBPKAMBDCO
Antonio Luir de Oliveira ixevedo 4 (L,
competentemente autorisados pela direc- i
tona da companhia de seguros Fdelida- I
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da 9
Cruz n. 1.
MftHMBwnm
Aluga-se a excellente casa terrea da roa da
Florentina n. 50, que tem raaitos commodos para
graade familia, grand quintal com parrdral e
ptima agua para o gasto : qnem pretender, en-
tenda-sacomoSr.Gurjao, na fWtra ro, com
, Pfflcjns de carros. '
Vende-se um bota escravo de 30 annos por
700 : na travessa doCarmo n. 1.
Vendem-se ps de craveires, rosearas, sapo-
tis, larangeras, alecrim, murta, alfazema, inhei-
ras, adaiias, parreiras te.: na ra da Soledad
n. 72.____________
Vende-se um bom engenho que disla da pra-
ca 4 leguas, mocte e corrente, para iofermacoes
na travessa do Carmo n. 1.
PARA 0 CAKMVAL
No grande araaem
Da Exfjotico de Londres.
60Ra da Cadeia do Recife60
Vendem-se as afamadas luvas de pellica de Joa-
vin e bem assim om completo sortimeoto de mas-
caras de velludo, setim, cera, rame e papellao,
que se veode multo barato para fechar contas.
Vende-se um ptimo cavallo para ca-
briola ou cairo : a tratar na roa larga do
Rosario n. 46, segundo andar, das 2 as 6
da tarde.



_




Diario de Pei-uaiubueo abbado 4 Je Feverelro de JL&fl*.
Grande liquidadlo de fazen-
das finas, m da Impe-
ratriz, loja e armazem da A-
rtra n. 56, deLourengo P.
Mendes Guimarfles.

Fazendas para o carnaval.
Vende-se velbutina de (odas ai cores a 800 rs. o
covado, ganga encarnada a "360 o covado, sarjelim
de cores a 180 o covado, alpaca de cores propria
para resnanos a 320 e 360 o covado, tafet de seda
de todas as cores a 600 rs. o corado: rna da Impe-
ratrit, loja da Arara n. 56.
Chitas baratas a 240 rs
Vendem-se caitas Onas a S48 e 280 o corado,
chitas francezas Unas a 320, 360 e 400 rs., cassas
finas de cores a 3M e 400 rs. o corado, perealas
Boas para vestido!, o 500 e 360 o covado : ra da
laperainz, loja da Arara u. 56,
Caries de eambraias, a irara vende a 3$.
Vendem-se cortes de eambraias Anas brancas a
34500, \& e 53, corte de cassas francezas Anas a
33, corles de chita de 10 covados a 24400, ditas
finas a 33100 : na loja da Arara, ra da Iinpera-
trls,n.56.
Fazendas pretas, mnriantiqne.
Vende-se muriantique preto lavrado para vesti-
dos a 33 e 33500 o covado, grodenaple preto tino
a 13600, 13800 e 33, dito superior a 23600, dito
con) 5 palmos de largura i ;ij o covado, panno fi-
no preto a 23, 23800, 33500 e 54 o covado, case-
mira preta fina a 23,23500-e 33 o covado, alpaca
preta a 00, 600 eSOO rs. o covado : ra da Im-
perairiz, loja da Arara n. 56.
Arara vende cortes de asentir preta a 36500.
Vendem-se cortes de casemira preta a 33500,
43, 53e 63, ditas de cores a 33,43, 53 73, cor-
tes de brim e canga para caiga a 13600, 13800 e
23 : ruada Imperatriz, loja da Arara n *6.
Panno de liaho a 640 rs.
Vende-se panno de linho para lenges e toalbas
a 640 e 720, hamburgo a 500 e 560, bramante de
10 palmos de largo a 33 e 2&500 : rna da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende os balrs a 30 c mtaselas a 4$.
Vendem-se bales americanos a 33. 33500 e 43,
ditos de musselioa a 43500, pegas de madapolo
enfestado a 43, dito de 34 jardas, largo, a 63000,
3500, 73, 83, 93,103 e 123, fiaos, algumas pe-
as a 53, 63, 73 e 83 : ra da Imperetnz, loja
a Arara n. 56.
Saulanibarqncs pretes a 20#
Vende-se soutarabarque preto de grosdenaple a
20$ e 2.3, capas pretas de grosdenaple finas a
203, 253 e 303, souumbarque de lazinha a 73 e
83, ditos de alpaca brancas a 83 e 103, ricos ves-
tidos a Mara Pa de novo gostoa83, 123, 143,
163 e 203 : ra da Tmperatrit, leja e armazem da
Arara n. 56.
t. i-aude sortizueuto de roupa
feita.
Vendem-se paletots de casemira de cores a 53,
'", 83 e 103, ditos pretos de panno fino,
PILULiS CATHARTICAS DE AYER.
Estas pilulas vegelaes slo a-
daptadas a todos os usos de un
purgante as familias, pois sao
perfeilamente innocentes, e en
quanlo milhares de pessoas coa-
fessam cora gralidao que foram
curadas por ellas de molestia
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que haja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rise por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Affcceao chroniea do ligado.
iLLM. SR.
Juiz de Fra, 17 4e feoereiro de 4864.
Tendo feit uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
aro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
ormidades do ligado e baco, coai o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tenio desapparecido um granda
engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regia do figado e costas, dores de
cabera, inenacao do ventre, nao podendo
deitar-me senao do lado direito, isso mes-
mo procurando posco para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; come
por aqui anda as nao haja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como Jo charope de
cereja, qne Uve occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, foco uso d'elles
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, ."porque tenhe
feilo uso d'ellas para so da familia e al-
gumas pessoas, todas teem tirado grande
resaltado; sou
De V. s. atiento ebrigado,
Francisco Fkrreira Paes.
ieumasiuo e alagues hernorrheidacs.
Ii.i.m. Sr.
Ouro-Preto, 30 de margo de 1864.
Posso certiOcar-me que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
, sobreca- qae soffrendo eu dores pelo corpo, e que
preta a 43. 63 e 83, ditos de casemira de cor a SW5.ja haY'a sorr|do ha annos) e soffrendo
43,63 e 83, ditos de meia casemira a 33 e 35500, ta ditos de brim e gansa a 23 23590, ditos de brim UBI OUvido, pois que at j POUCO ouvia e
branco a 33500 e 43, eolletes de todas as qualida- acomnanhado de urna rlr nn huata rL
des, camisas francezas a 23 e23500, ditas inglezas SJZ1 J!! ? r Q .'
de linho de pregas largas a 83 a 33500, ceroula* lCl a um, dos nossos "ldlCOS, e este me
a 15280,13600 e 23, paletots de brim de cor a 23 a,sse Que devia fater uso la salsa ; porm
e 33, ditos de alpaca preta a 33 e 33500, ditos de lendo eu o alraanack do mesmo doutor
iffJs^VAfTAXtsss: sos xxsi a*t2^
640 a duzia: narua da Imperatriz, loja da'Arara mas *lulas e PGr rainna conta principie! _
numero 56. o proprietarie da loja e armazem da toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
Arara declara que todas as suas fazendas se vende dores pelo COrpO ; e Sem sentir sarei do
emperfe.to estado, como os compradores poderi* ouvido, e mesmo dos ataques h'emorrhoi-
examinar; a loja est aberta at as 9 horas da
aoite : ra da Imperatriz, leja da Arara n. 56, de
Mondes Guimares.
A tenco
.\va loja de fazendas e roupa
fcita auelonal, rna da Impe-
ratriz, loja de -t portas u. 9 9.
Chitas da loja n. 72.
Vendem-se chitas finas a 340 e 280 o covado,
cassa franceza fina a 320. 360 e 400 rs. o covado.
laazinhas para vestidos a 360, 400, 500 e 560 o
covado, pegas de madapolo fino a
daes: portanto sao para raim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
*sto em abono da verdade. Sou
D V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feo de Carva y&, pegas da algodo a 53, 63 e 83 : ra da Im-
peratriz n. 72.
Roupa feita nacional
Vendem-se paletots de panno fino a 145, 165 e !
1'83, ditos saesos a 65,83 o 103, ditos de casemira r
?.!.'?es i 6& *& ,0& dilos de brim de cores a !
Gastrife.
Ouro-Preto, 29 de margo de 1864.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhade
por m amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
tiquei perfeilamente bom de urna gastrite
que soffria e que privava-me de andar aper-
64,nl\W e t*do, hoje felizmente nada, sinlo.
Augusto Gollati.no de Mello.
Frascos com gomma arbica
dissolvida e pincel.
Vendem-su na ra do Queimado n. 8, loja da
aguja branca.
Nuvos lbum.
A agsiabranca acaba de receber ouira encom-
raenda de bonitos e bem oncadernadosalbuns de
capas de velludo, massa, tartaruga e marflqi, al-
guns dos quaas com microscopio para augmentar
o tamaoho dos retratos, contiuuando a serem ven-
didos por procos commodos: na ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8.
Galanteras para festas
A aguia branca nao cessa de encommendar do
que ha de melhor e maisagradavel.e porissoaca-
ba de receber diversas figuras e vasos de p de
pedra com flaa banha, assim como bonitos frascos
de excellentes extractse lindas caixinhas de ma-
deira envernisada com finas perfumaras, tuda
mu proprio para presentes le festas etc., havendo
dinheirodirija-seo pretndeme a ruadoQueima
ao n. 8, joja da aguia branca.
Ail fino para engom
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8,rece-
beu glbulos de antl fino e frasquinhos cam es-
sencia de dito para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor Dn aovo sortimento de bonitose delica-
dos enfeitesJa moldes tnteiramente novos e de um
aparadogosio,assim poiscomparegam os preten-
aentes munidos dedinhelro a coa disposigao de
gastar: na toja da aguia branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tur-
taruga.
A aes,a Dran,,a narua doQueimado n. 8, rece-
ceDen aovamenle esses peqoenos pentes de tarU-
hn ?.qUe J?or suas oonreos e bem feitos tanastima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando aUdo ; a
agu.a branca porra avisa aquellas pessoas que os
na<-iam encommendado e a quera mais queira
aproveitar aoccaswo dees comprar continuando
a^erem vendidos pele-aesmoarego de 4)> cada
Estando brancos ficam pretos
a t?nrm esn,tad0 e raPido efreilo que produz
*"?'"radeenrornaconia, e mesmo o farllimo
modo de aplicar tara se tornado muiconhecido e
apreciada portodos que usara della por conse-
Sr n?Ugm?,ItadoaexIra55o.Pelo que a aguia
tha(?ndKUVrn!*8 ono' >r imemio qae
acaba de receber constando elle de
P^LCm cllr(!macoma Parat*ngrr os cabellos.
Krseos co^ coloncoma para lustrar ditos,
n S= Zm hydr1J5a"eihrichna oara Impar ditos
shLl,Z *rychT9mantina Para iararas unhas
PoS AraBB0* a.ra ,avar os SSSa.
tOS^mn^nH m,Ph,laPar-a(lar Ch*r "a0S dl"
tos sem oiendera.pieparagaofeita.
Sapatos (k marroqmmd oli-
vado para baiks.
Esses sapatos 1o grande tom vena3m-se
mente amado Queimado loja
8 a 63 o par.
lUL SEM SEGUNDO
9ua do Queimado nsTifl e 55, loja do miudeau
ae Jos de Azevedo Maia est continoando a
pender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por todo prego a vista dos cobres,
tartas do ailinetes franeezes -da melhor qualidada
a 80 rs.
Grosasde pennas de ac inclezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Gaixas decolchetes francezes de superiores qaali-
dades a 40 rs.
Grasas de botSes de madreperola muito finos a 560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de retroz preto fino a
640 rs.
Re230oVe Papel dC l>eso,iso muil SPerior'
Gra^,,Bd l'gede outras muitas qualidades
CiS'}lelea Para PeDna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duaia de botes branco para casaveques de senho-
raalOOrs.
Pe^as de fita de eos estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Porluguez para os meninos a prender
a lera 800rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 13000.
Cartilbasda doutnna ehristaa, finas e superiores a
Pe320 rs.
Paules finos de-raarfim a 13O00,15200 a 13300.
res de I uvas de seda para homens e senhoras a
806 rs. .
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 t
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320,500
15000.
Livros qae serve para assentar roupa, pelcd minu-
te prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Corda branco para espartilb** nwito superior, i
vara a 20 rs.
Carrieis com 150 jardas de inha branca a 60
ris.
Carvoes com 200 jardas de taha branca garanti-
dos a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de oreslarga para toa-
lbas a 160 rs.
Pares de botSes de punbo, oh que pechincha a
120 rs.
Tlnteiros de vidTo cora thrta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groaas de botes de lonca prateados muito fino a
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpardentes, superiores a HH)ts.
Caixascoas superiores phosphoros desegwancaa
160 rs. ^
Caixascm 100 envelopeso melhor qtreta a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amwede, muito
fino a 00 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs
Grande liqHida$o.
Rna da Imperatriz n. O.
Loja de fazendas do pavo de Gama & Silva
Aclia-e este cslaboiecimcuto completamente
sonido de fazeadasingiezaS)francczas,allemas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-sc ruis barato do que
em ouira qualquer parte, principalmente sendo cm
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixando ficar penhor, ou :nandain-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loje do Pavao.
Vestidos soulainbarqrje.
Pelo ultimo vapor francez chegaramriquisslmos
vestidos soutambarque, os mais modernos que
nesle mercado tem apparecido, os quacs esto
promptes com saia, corpnho e seu compeUnte
soutambarque, tudo guarnecido deseda, voludo c
renda. Quem tiver bom gosto dlrija-se loja do
ravao.na ra da Imperatriz n. 60.
AOS TIES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavao, a 30. 4
e 7,51000.
Vendem-se liodtssimos cortea de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
brancas.proprios para casamento, pelo bar^lissi-
mo pre^o de 33 cada corte por se ler comprado
uma grande porcao, sendo fazenda que vale 03,
mos a Mana Pa, tendo qualro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
?? ?' baratissiJ>o prego de 43 cada um,
unos oe todas as cores com as barras bordadas a
iim <*/ cada um cm seu cartao, tendo cada
S'01,05,;8 enfeites precisos, pelo baralissimo
nnc cada um> dao* com babados mullo bo-
ro d-' -nfm 1er m car,5- Pel diinDQtoPre-
da Ir0 cada um advertindo-se que os donos
ua loja do pavao vendem estes vestidos por lao di-
m!U.iP.reco por iL'rem comprado uma grande
qu.otidadc e convir lhe liquidarem logo, na sua
ioja, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
Aos vmte mil covados de la
0 VIGILANTE
Rna do Crespo
nn2>giall.uvigllante tend0 sid0 af raciado pelo pc-
posoUaillsa, na sua ordem do da, e pela Brari
Aguia, apesar de que, para estes o'Galio'cm 's
Mudesesporoes nuncaos olfender, ames oacra-
ciara na mesmaconforroidade, para que c.Baliza
ninio e n 9?d B0 bieo as !>'****
uiuiio, e o bailo hcara em
dando de novo o seu
bonsfregueze? e aoresi
rande peehlncba, a 40
unica-
dfi aguia braia a.
machinas wmm
k trablhar no para
descarro^ar algodio
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
Meias finas para smhoras
gordas
da aguia
Vendem-se na ra do Queimado loi
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto.
Vendem-se na ra do Queimado loja da
branca n. 8.
aguia
AGUA FLORIDA

Falla de apctile.
Ouro-Preto, 2i de fecereiro de 18C.
Sendo eu alfectado do ligado ha muilos
T&^iJiStlr^l^ TS*A***** soffr f^.de apetite,
23000 e hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
, e perfeito com o uso das pilulas catharticas
' do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieiiia.
hti tos e oara tas
13500: ra da Imperatriz n. 72.
Sniitaiuliarque a 8$.
Vende-se soutambarque de ISasinha a 73 e 5,
ditos de alpaca branca a 83 c i0, ditos de gros-
denaple prelo a 203 e 23, capas pretas do gros-
denapie finas a 203 o 23, panno fino preto a 23, Censtipacaa, dores de cabera
33, 43 e o3 o covado, ca-emira preta a 23. 33500 nrrt pr], a 1 j a.
e **, grosdenaple preto para vestido a 1*600,S e .,y"tr-p' el> 28 de marco de 1864.
23*00 o covado : ra da imperatriz n. 72. | Attesto que acnando-me atacado de uma
Caries de 1.1a JIaria Pa a40 forte constipado que trouxe-mc dores por
4AYtarte*dt vestidos Mariapia a 105, todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
ue1;im?a\atf5ada%Sfr2T^.aos3^ -Pr ^ ^ q^tro clias ento
mira de cor a 33, ditos de dita prta a 33500 45 um anligO aconselllOU-me que tomasse pi -
.'3 e 63: raa da Imperatriz n. 72. Este novo es' lulas catrticas do Dr. Ayer: fiom ellas 0-
tabeleeirnenta vende barato para obler freguezia :' quei sao e completamente restablecido em
.naruadalmP;ir.nz,loJan./._____________ tres ^ je Jg que eslou no JJ
uaega para lodos, psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
Pentes d ali constipages.
; Agostinho o% da Silva, negocame de fa-
zendas.
Nova preparacao para malar ratos e baratas-------------------
*i*ba de chegar d-e LUrerpool pelo navio Toan o'f irrilacia do estomaao.
ZiKipoot. A verdadeira massa phosphoriea nova Ouro-Preo 29 de marco de Iftfil
fassca evidente para este nm. Nao havendo ha *# maico ae irj*.
tac no mercado senio ja muito veiha Zi > Aites^ e juro, se necessano fr, que. sof-
Dechum ffeito produzia, por isso recommenda-se rrendo na muito tempo excessiva irritacj
xodsqu<: sequeiram *er livres de tantos ani- de estomago, poueo apetite e difficil ditw-
?^f insectos que ufe^am as casas arraazeas, lao, d'ella tenho experimentado sensives
ESrft artr^fD^Tartfot | mf "'0raSh JE* ^ ^S feito u^dT?
que aebarao a excellente massa em boioes a preg lu,as catnartlCas do Or Ayer.
de640r. cada uro, e era dazla a 63. Antonio Hermogenes Pereira Rosa.
Lambrigas.
. Ouro-Prelo, 28 de mareo de 1864.
As plalas do Dr. Ayer (eatharticas) fo-
i ram empregadas com grande vantagem por
- vende-se ata carro novo de meia volia pro-, mim em urna menina de dez annos aup
as?gg a ggaf..g g- sMa k Mesim^ *&
-------wt--------------------- o u. o, taoerna.___ que os Symptomas que ento aoresentava
,.r.!sirrzma arssif?s rm de mist' b>*"! p^
precq eqmaiodo : a triar aa mesma uberru, na KAYMND0 Nonato DE S. Thiago, parma-
. Estas machina'
podemdescaroea:
inalquer especif
le algodao seo-
estragar o fio
sendo bastank
deas pessoas para
o irabalho; pa>
descarocar ams
arroba de alg
dao em earoe<
em 40 minutos
ou 18 arroba;
-por dia ou 5 ar-
cabas de algodio
tirapo.
Assira comorniachinas para serem movidas pur
ranimaes, que descarotam 18 arrobas de algodit
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender m bellissimo *a
por que pode azer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Sis.
agricultores a vircm ver e exatnina-lo, no arma-
.zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
SaDBders Brothers k C.
-V. II, pra<,-a do Corpo Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
e 30 r. I
veBdem-se as mais bonitas laazTnhas transpa-
rentes, sendo com listras e quadrinhosmiudinhos,
e usas, tendo de todas as cores, assim como pretas
r0 P.ara lulo, pelol,aratissimo preco de 240 o
covaoo.ditas transpareniescom palminhasde seda
a Mana Pa, tendo de todas as cores, e tambem
aigumas proprias para luto, pelo barato preco de
-0 ada covado, isto por baver uma grande por-
SUva Da rUa da ImPeraIriz n- 6. de Gama S
Laas e copos com banha fina.
A aguia branca, na rna do Queimado o. 8, rece-
D60 esta estimada banha fina em latas e copos, isso
alemde outras em diversos frascos.
As modernissimas laazinhas de ama s
cor, a iiaitaco de gorgaro, ven-
de o Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
raodernaslaazinhasdecordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem viudo, proprias para
vestidos,soutarabarques, capas,etc., darn-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baralissi-
mo prego de 360 rs. o covado : narua da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
\ endem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
ditas largas multo finas a 400 rs., ditas estampa-
OU, cor segura, padroes miudos e grandes a 320
n. o covado, ditas transparentes com palminhas
ae seda a 400 rs., ditas escocezas a 560rs., isto lu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
Os gresdenaplesdo Pavae.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda sup'e-
1 13600 rs. o covado, ditos largos muito en-'
seu esparci eampo
cinto aniiunciando a seus
------, eiiavrl publico
0 grande sortimenlo deebjrcloa CMlfeatK,,
acaba de recelar.
daS.,?1'1!"1'55 com "a,fka 'mente nfeita
datara costra, propria para um delicada"it
tSSESSSZes,e"' "&,tDd0 ,cdC "tr-
Riqu.>simaSvoliasf,ngiBdoperela.
{Jilas com lacinho de Bit
surs35 d 'DdaSC6res e 're,a> de Pe-
Lindos aderegos com
litantes.
pedrinbes fingindo bri
as qnalidadts
Ricas fivellas para cinto, de toda
e bom gasto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Pari
brande sortimento de lindos enfeite^'nara ral*
ca sendo do ultime gosIO e de todos is Pn c
Flores muito linas para noiva S
baSdo bS f3m'Dhos e n,fia> de W r8r.s
SlSitLli" p p0,lnha! Para ""hora.
saBiqnissiinosjarrea e Jiguras para omamenio do
SDleJ!0r,inicnt0de ravatinhasla
nhora como para homei.
tuto para te-
Luvas de pelica branca e de core*
Uscarnlhasdebonitascrcs.
Tn^Nna<%gal50Kenmaravilhas Para **<<**
iranselins de cabellos e de retroz para relele
Papel amisadee de outras qnalldadtf. 8
Bolsas para viagem.
Enlreme|0s e babadinhos de lindos padrit<
Uncinbos de linho bordados FWC"
Meias para homem
as.
larFgurasdf>VelUd0!SaSeCpmma,i'n:e
senhoras, meninos e meai-
de ii t'as ib
san
MURRAY & LANMAN
& Lanman, i
. tal, esl dispoBdo da fazenda
lem podido ser igualada pelas preparares P* "xio o prego para apurar dinheiro, quem qui-
as mais cnstosas: conserva seu aroma.como venna vr e trt*a cobre, e ver o seguinte:
se formasse parte da prenda a que ella se .^ de cartas para vol,are,e mo
applica Sua efficacia tao delicada, como Miadas de i'n'h'afrMa'pra bordar'a.*.'.'."
elegantes sao seus multiplicado} usos, quer Paresdesapatos.de trangade lodosos
seja empregajia como artigo de toucador, laman.nos e flnos a................... *&M
20r.
90
corpados a 23400, 23600, 23800 e 35000, ditos
brancos.cor de rosa, azul e amarello a 23000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, rna da Imperatriz o. 60.
As navas las garibaldinas a 500 rs.,
na laja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda integramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imltagao das sedinhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 300 rs. o covado para
vender depres*a : na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60 de Gama 4 Silva.
Thesouras e caivetes de todas as aoalidadf
piula sortimento de saboneic
riT?nh?S0S com banha P"a oiferefiDiMto?.
t-aixinhas com seis frasquinhos.
lissencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
rra^o*ndn!ra' em Prrafas gandes, e en
d ""adrados egarrafinlias.
laSi1oSOrhaDhaen,frasC0se"P0S di lOlCS OS
Pentes r
sem elle.
d Ditos de tartaruga
niarlf c <).i
aracar.com friso den:etilo
de mnis outras qoalila-
Os mais moderos vestidos Mara Pia,!e *, rdo barato nr
na loja do Pavi., a 168 | SSJ? iC0 "*'*
A 23000 a duzia de caminos para carles
com retratos: na praca da Independencia n. 22.
Vendeos um escravo perfeiio cozinbeiro>
VakTi pintor, eaiador e maginario, afianga-se as
tafelidades : ao pateo de N. S. do Tergn n- 141.
quer no uso Hobariao, ou como uavisado^n,a^f=%df Iu,p,lriTsramposparacabelios
dapel.e depoisque,e tenhafeito a^ba; SffiSlT^SiXpi^r
ja para limpar as gengtvas ou aromalisar O Frascos de superior macaca oleo a___
balito. Ditos dedito perola a.....'.............
D suavidade, brilho e elasticidade as D? ede oleo de babasa mni, finos a 3JM
compleicoes, depois de se hayer Jatado; aI-;DitoSde^VdeVoloniasperio'r, un
livia a irntacaodeerapees ordinarias; fae! tida................... .......
desapparecer o desagradavel aspecta dos Rlos i9 bajina muil fina a............
pannos, das sardas do rosto, rugas etoda a Tr ebros muil flnos Para Preco
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura a Sabonetes'dVwds"as'q'utidade'a66'r*s
parle oede quer que#se applique. Sua efli-! 160. ............................
ciencia e elegancia sao igualmente infai- NveHo8de liaba cora 400ardasa......
veis nos casos em que seja preciso wK-nS* dec6r6S0,n *" jar"
ca-Iacome estimulante e antisptico, nos Novellos'de'lina'de*az"detodas' m
concursos e assemblas numerosas, as lo-'
res a.
30
200
100
100
200
500
490
6U
600
490
80
80
SO
calidades infeccionadas, na aloova de um iPecas de ?tas e,astieas com 10 varas pa-
enfermo, assaei como um antidoto exrel-; *ILl?&& .-..............
!,' j,. -wiuuk) excei-, Frascos de svjperioresctielros, pequeos, a
lente para os aesmaios causados por cansa- Pares de ligas muito superiores e bonitas
co ou sulfocac5o. Preparada nicamente' a r6is.............................
por Lanman & Kemp, Nova-York, e a *enda Xara.B de bic.os fran,feze8. uperiores a...
or Can Rarhnsa 10p,a,a Para dentes da melhor que ha a..
porcao sdr Barbosa. ; Frascos de agua para dentes, superior a
Joao daC. Bravo & C. tudoa.....................;...... jooo
Vendem-se no Reeife em casa de Caors & \ Pe5as de tranca preu liza muito fina'a.'.
Barboza e Joo da C. Bravo & C i Caixas,c<>n papei de agallas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de laa sortida de todas
240
2#*
400
M
13003
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com
os corpinhos dTeremes, tendo todos os preparse i
com o competento sinlo : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
Camisinhas a ISOflO"
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
muito bem enfeita.das. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
uma: na loja do Pavao, ra da lmperafriz n.60,
de Gama Silva.
Vestidos parn meninas.
Vendem-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Maria Pia,
tendo de difiranles lamanhos, pelo barato prego
de 83 cada um : na loja do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
wsys^j^^^w ""Muios
cinar,o a vis.,?^-VDe ser,a taposrtw I ,r fn-
tSSNSSS tr'"f*kM ftm"'-r^s
:slm como crosiebas aviiifas
prego de Uel^zCO.as
s no Vigianle, ra do
, Legues.
JSTSSSS me6nEreP1r0,f IaD P*M
it meninas, pelo harai, rn,n
l*Z; so no Vigilante,
de 123
n. 7.
ra
Barato.
ra do Sebo n. 16.
LABAKHAQUE
Gemina agua de labarraque, a 13 a garrafa -
n* praga da Independencia a. f.
Veodem-.-e n.achinai para desear car
a!god5o com motores para animaes: na ra
da Sa zalla Nova n. 42.
ceutico.'
Nevralgia.
Uma carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
|renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que solTria dores
. no bombro e as costas, tomei uma infini-
Farella superior de Usboa a 53 o a^co | dado de remedios sem achar alivio algum.
TemparavenderAi.tonieLuizdeOl.m-iDr, angustia, tormento sao palavras for-
ra Azevedo no seu escritorio ra da Cn.zj tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
"-1-____________________ jfrido: ltimamente tomei as pilulas ca*
J. Kel;er G. ve dem su.ierior vi-1 tharticas do Dr. Ayer. S faz oito das, e es-
as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de ohreias de ma ssamuto novas a
Varas de franja branca e deires para
toalhas a............ .,..........
Vende-se um excellente sitio na Capunga Velha,
cora uma excedente casa de pedra e cal para fa-
milia, concertada de novo e e-ti eaiada e pialada Fraseos de oleo Philocomescuparior >...
tambara de novo, coolm 3 salai, e uma deltas Ditos eom superior tinta a3O e........
propria para partilas, e 6 quartos, cozinha fra; Caixas de lnha de gaz com 50noveIlos
*
60
200
U
3KW
160
40
81
6o:>
6*9
809
tao
nho lint) d: Birdeauz, tanto em qutrila
como em caixas de duzia de garrafas.
Vende se um engenho d'agua, moenie e cor-
rente, cora proporcSes para colher-se grandes sa-
frai annualmente atiento a bondade e extencio de
seus terrenos ; est airida quaj to(Jo m maIa
'TmA e d-,sf apw" meia '? das ei-
lagoes da v,a frrea : qaem o pretender, dirija-\-
ao Sr. major LuU Jas Pereira Simda roa lo
Uvramenlo, sobrado n. 84, phmeiro andar
Na ra Nora n. 63, segundo andar, nreclia-
se|de ama ama idosa e de boa eonducta P
tou completamente restabelecido; ha tres
das que nao smto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e dragaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, ra Diroita n. 15.
Veode-se em Pernarobneo:
na pbarmala franceza de
P.MIURER 4 C.
RUA NOVA N. 8,
fra; caixas ae nnna ae gaz com su novenos a
casa para escravos, dita para feilor, cocheira, es-, Enfladores para espartilho ..........
tribaria, tanque para banho, dito para lavar rou-1 Duaias de botes aacaruaaos para /esti-
pa, terreno preprh, vivelro com peixe, e rio, bai-1 >> a..........|..............'.....;
xa de capim e duas cacimbas com excellente aaua' ------nr._4- .:s---------------
de beber, esli concertadas e limpas de novo a -----Vende-8 CaiXOCg V3Z10S propPOg
2S?-Sac,rncite?.iSupi de'ara"eeis'de parabahnleros e fnnileiros a i 760
diversas qualidades, gapotis. goiabeiras, abacates 1-4-__..___t l
mangueiras,jaqueiras,coqueiros,aragazeiros, par- *aM BlH 068ia tVpORraptlia,
reir, cmflm que se acha livre e desembaragado
convida-w aos pretendentes queiram dirigir-se
aquello lugar par examinar o dte sitio, qae est
&3S& saa.t tsz ,t i ssr. sei't ^t r]- TmT '" "i
visla ficaro satisfeilos : a tratar na Capunga No- ^6S brotizeados, lonas inglezas, fio de vela,
va, no entrar da mosma ao lado esquerdo, passan- i chicotes para carros e montara, arreios para
SeXXrestenegocio,egUnd0' "^ "*'* Cm '?A? t 0QS CaVallS' e re,Sios *
Roa da Senzalla n. 42
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
DROGAHIA.
31Raa larga da Rosario31
Bartholomcu Francisco deSaoza
aa Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para oarivas.
Papel para forrar casas.
Guarnig5es avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Al valide Vaneza, fino, em paos.
.ouro patente inglez.
Vendem-se charolo? da Haba de varas qna-
AC.
Ildades: era casa
piche a. 48.
de afonbard & C, roa da Tra-
Vmh da Madeira e da Parto
. Vendo se o superior vlnhoda Madelrae do Por-
. to, em caixas de uma a duas dazias: s na loja
do Vigllante.raa do Crespo n. 7.
I 4- Vende-.se saperior farinha de mandioca a
bordo do patacho BratU, atracado qo caes Barao
id) Liyraraento.
Roupa feita barata.
Vende-se um grande sortimento de roupa feita
para homens, sendo calcas de brim branco e de
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
meia casemira, paletots saceos c sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, eolletes de todas as
qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenaple de cor a 13600 o covado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e.pre-
to, pelo barato prego de 13600 o covado : na loja
do Pavae, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Paaao de linho a 700 rs. a eovada.
Vende-sao verdadeiro panno de linho proprio
para tengis, toalhas e ceroulas, pelo barato prego
de 700 rsr a vara : na loja do Pavao, ra da lm-
peratrif n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar uma porgo do retalhos
delaas e cassas de todas as qualidades, e por pre-
gos muito em couta; quem tem economa que
pode apreciar : isto na leja do Pavao, rna da Im-
peratriz n. 60, de Garra & Silva,
Madapolo a 73000, si aa laja do Pavo.
Vende-se saperior madapolo muito encorpado,
lendo 0 varas cada pega, com 4 palmos de largu-
ra pelo baralissimo prego de 7*000 a pega, ditos
ranito finos a 83, 9 e 10,5000. E" pechincha, na
Ub do Pavao, ra da Imperalriz.n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de cassaa 3000.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corte, com osenhos muito delicados
pelo baratlssimo prego de 35000 o corte; s na
loja do Pavao, ruada Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de ebita francaza.
Vea*dem-se finissimos corles de chita fran-
ceza, com I i covados, tendo, padres escuros e
alegres de cores lixas pelo baralissimo prego de
43000 o corle; s na loja do Pavao roa da Impe-
ratriz a. 60 de Gama <& Silva.
Cambraias lisas, na laja do Pavo.
Yendem-se pegas de cambraia lisa muito Una,
tapada etransparente, pelo baratlssimo prego de
44000 tendo 8 1/J varas cada pega, ditas multo fi-
nas a 7J, Si, e 9* a pega, ditas Victoria com 10
varas pelo baralissimo prego de 7#, 94 a 104, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada, fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara on 24600 a peca;
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60,'de
Gama Silva.

Raa 4a Senzalla Non i. 42.
Neste estabelecimentovendem-setachas t
ferro coado libra alt JO rs., dem de Lo*
Moor libra ai20ri.
do Crespo
GRANDE -VOVIDADE.
fiveKS0esSe?o:efi,al3rpa f M:a m
oousad'e mano go';rna'S rm bri"ian,es falf('s>
_ ltalos
OreTra^/com^1" ?"*IB,S"W altor.* para
fioljnhas.
lo5SKP?&2SS *&**<*, omalhor le*
Enfeites para smhara.
oaamSS? e"fpl,es c'om '$ e emJaco e de
Se rW08 ,5' i* e 34: s no Vi
guante, ra do Crespo n. 7.
.. 'franrrlins.
Srozaoor "S,m Pref0 *""
Babdinhos enlremeias.
KKo?Cr1-poVt00' U C 3; n ^"*
Cascirrilhas.
hSfV0-1'"1'"'0 d"scarrilhas de ivarsas
nr as n,;, '^M,",mo P^P* e tranclnhas P,"
prias p^ra enfeites so no Vigilante, ra do Cns-
_ a Filas.
nrSldhf' pr^-recos 1e idmlram mej
pradores, havendo lilas largas proprias para cd-
9OSv2rUasSarSe V"!**** vara> mS
oe varas a 24; s no Vigilante, rna aClwpa
Filas de la.
nas de laa de todas as qualidades, proprias ra-
ra debraro de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespn. 7 n' "
Dices espelhes.
Riquissimos espelhos com moldura dfurndsi
celumnas de differenies tamanhos a 24, 34,44, >A
e 64; so no Vigilante, roa do Crespn. 7?
Lindas jarros a figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto qneaqu
tem apparecido; f no Vigilante, ma do Crespo
Para pos da arriz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de *mi,
cousa de multo goslo a I4SO0 e ?4, assim cerro
pacotes s com os pos a 3S0 r.. rada um; s a
Vigilante, ra do Crespo o. 7.
Perfsnarias.
Grande sortimemo de extractos e banhas, perna-
das, assim como de lindos copos ou vasos rom dls-
tinctivos e offerecimentes as slnhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores le Taris e Inglater-
ra assim como os grandes copos de banha japoneza.
a 1$ e a 14, assim como outros ohjectes qne nao e
possivel por hoje annunciar, a visla dos fregue-
zes se ara todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
L




T
Diarlo de penaalio *al>bade 4 de Fererelro de f 85
I
ROUPA FEITA
NO
1BB1Z1I
DE
5,9(6061
3LETREXRO VKBJM.
S Neste estabelecimento ha sempre um sortimento eompleto de ronpa feita de
todas as qualidades, tambem se inaada fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tein um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
Wl homens e meninos.
Jgg Casacas de panno preto, 35* 30(50001 Ditos de setim preto. j .
t Sobrecasacas idem, 30* e. 25*0001 r^g Paletos idem e de cores, 25*, e.......
205, 155 e......40^000 Dftos e gorgurao de seda
I Ditos do-casemira, 20*, 155, pretos e de cores, 65, 55 e
m 125,105 e...... 75000
g Ditos de alpaca, 5*, 45 e 35500
M* Ditos ditos pretos, 95, 75,
3? 55, 40 o......35500
Ss Ditos de brim e ganga de c-
91 res, 45500, 45, 35500 e. 35000
Ditos branco de linho, 65,55 e 45000
Ditos de merina preto de cor-
do, 105, 75 e..... 55000
Calcas de casemira preta, 125,
. 75000
AURORA BRILHAHTE
550O0J
450oo]
25506
400O
m
105, 85e
Djtas de cores, 9*. 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e: .
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e 25500
Golletes de velludo preto e de
cores, 95 e......750O0
Ditos de casemira preta, 55 e 45000
Ditos de ditas de cores 55
45 e........35500
Golletes de fustao e brim bran-
co, 35500, 35 e .
Seroulas de brim de linho,
5400 e ......
Ditas de algodao, 15600 e. .
Camisas de peitos de linho,
45, 35 e......
Ditas de madapolSo, 25500,
25e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
755001 Ditos de fltro, 55,45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
45000 115, 75 e......65*00
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
25500! tas.
25000
15400
25500
15600
GRANDES ARMAZENS
DE
MOLHADOS
Largo da Santa1
>uz ns. 12 e 84,;
esquita da ra do
[Cebo.
Largo da Santa
Cruzns. 12e84,
esquiua da rna do
ESPECULES #<*<>
8|500
2*000
65000
Toalhas para rosto, duzia, 115,
e........ 65000
Chapeos de sol, de alpaca, pre-
tos e de cores..... 45000
Lences de bramante de linho. 35000
Cobertas de chita chineza.. 25500
DE
J. VIGNES.
X. 55. Rl'A IMPIRADOR J. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao.hoje asaaz coahecidos para que seja neressario insistir sobre t
aS superioridade, vanlagens c garantas que efferccem aos compradores, qualidades estas incontesU-
v que elles tem definitvameute conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca; odo-
guindo um teclado e machinismo que obedeci-m todas as voatades e caprichos das pianstas,en-
nuaca falhar, por serem fabricados de proposito, e tcr-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tsimos para o clima deste paiz; quanto is votes sao melodiosas e flautadas, e per isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadoras.
Fazem-se conforme as encomnieadas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as eipssicoes.
Na mesmo estabeleci meato se acha sempre um expleudido e variado sortiment9 de msicas doi
melhores autores da Europa, assim como armnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
a cominodos e razoaveis.
01110 HEDHMIRIRG1C0
DO
BR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundfto 3
O Dr. Lobo HOSCOSO d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 1
bons da mantia, e das 6 e meia as 8 horas da noite, excepco dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de.varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. 185000
de 36 tubos grandes. .. 245000
de 48 tubos grandes. 305000
de 60 tubos grandes. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com o c,al\
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 15' 00.
Sendo para cima de 12, custaro os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVJ&OS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dUS grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering,............ 105000
Repertorio de Dr. Melle Moraes............. 65000
Diccionario de termos de medicina......., 35000
Os remedies deste estabelecimento sao por deraais conhecidos e dispensara portan-
to de serem flavamente recommendados as pessoas que quizerem osar de remedios ver-
da eiros,enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desojar, globos de ver-
dadero ssucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e acourada preparaco, e portanto a maior ener-
ga o certeza em seos effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-ffie qualquer
ooeraco, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar como na medica,
funecionando a casa a mais de quatre annns, ha muitas pessoas de. cujo conceito se i5o
pe duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seas
Paga-se 2*000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operacoes ser5o previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precot
azoavels que costoma pedir o annunciante.
O doao dos ja muito acreditados armazens de molhados denominados Aurora
Brilhante, acaba de recebar e sai propria encommenda, muitos gneros delicados
praerios da presente estaco, e tendo grande sortimento comprado aqui,aBana que toaos
os seus genero sao de i." qualidade. .
, A seguinte tabella servir a todos de base para ajaste de contas aos por-
tadores. i .
NenhiM arraazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Auror*
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, ja mesmo por seu dono se achar encom-
wedade em sua saude e ter de veader um de seus armazens agora, e e odtre na pr-
xima primavera, per isso deve-se aproveitar ama quadra destas para se comprar
barato.
Latas com 8 libras de chourlcas mullo aovas,
a 7*300.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 1*000, 1*280 e
1*4t0.
Ditas com ostras, encllente petisce para fre-
gdeira, a 720 rs.
Bitas com ervilbas novas, ensopadas, a
720 rs.
Ditas cjia favas, a 6i0 rs.
Ditas ceinameixas a 1*200,1*800 e 3*300.
Ditas com marmelada do afamado fabrican-
cante Abren, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 300 rs.
Ditas com figos de comadre, novos, a 1*500,
2* e 2*300.
Ditas om bolachinhade soda muite aovas, a
2*000.
Bitas com biscoitinhos inglezes de muitas
qualidades, a 1*490.
Cbtcalate.
Chocolate superior muito aovo, a libra a
t*20.
Macarrao telharim e aletria araareila, a libra
a 180 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide e outras mas-
sas, a caixa 35300.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha. para sopa a libra a 240 rs.
Ervilhas soecas, a libra a 160 rs.
Bitas descascadas, a libra, a 200 rs.
Tapisca muito nova, a libra a 280 t. .
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
SM rs.
Arrez 4o Haranhao, em sacca a arroba a
2*400 e a libra a 80 rs.
Dita da India e Java, a arroba a 3*200 e a
libra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 9*300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de Santos, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs.
Malhos com 125 sebola* grandes, a 1*280.
Mostarda franceza caixa com 2 dnzias a
8*800.
Frasees com mostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas,
a 640 e 800 rs.
Ditos com sal refinado Ono, a 640 e a 500
ris.
Ditos cora a verdadeira genebra de laranja
a 1*200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
1*000.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 640 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 galSes com dita, a 6*000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 6*000.
Vinbo mscate! de tetuba, a garrafa a
1*000.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
e a 1*200.
Champagne, a duzia 20*000, e a garrafa a
Azeite refinado portnguez e francez, a gar-
rafa a 1*000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
7*, 8*, 9* e 10* a caixa.
Bitas cora dito branco, a 7*000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
re, a 20*.
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
18*000.
Ditas com charaisco superior, a 14*000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 12*000.
Vinho do Porto da pipa, a garrara a 640,
72 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bora, a caada a
3*200,33500 e 4*000, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Fteueira, das seguintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a canana a
4*500 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditas da marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 3*300 e 4*000 e a garrafa a 480 e
i 529 rs.
Vinho branco Ano, a garrafa a 40 rs.
Dito de cajii muito superior,' a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A casada a 3*500 e a garrafa a 430 rs.
lieiuma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engemmar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200,240 o 280 rs.
Farinha.
Saccas grandes com farinha de lio i an na mui-
to nova, a 5*000.
Caf. I
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Cha.
Cha temos uestes gneros o melhor possivel,
hvssoa, a libra a 2*600.
Blto perola a 3*000.
Bito uxim a 2*700,
Dito hyssoa muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*500.
Bite mais baixo a 2*000 e 1*600.
Erra mate.
Exoellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O raasso com 6 vella? de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas. j
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 4* e 2J500.
Nezet.
Nozes, a hbra 160 rs e arroba a 4*000.
Alpista e painro.
Alplsta e pain5o,a arroba 4*000 ea libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas parajogar.adnzjaa 2*500.
Caslaahas. ,
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
ba 4*000 e a libra 200 rs.!
Azeitonas. .
Barrts com azeitonas novas a 1*500
lanteifa. i
Manteiga flor, a libra a 1*000.
Dita raaisabaixo a 800 rs.
Dita meaos superior a 640 rs..
Dita franceza nova,a libra a ^20 rs.
Dita ditaem barris c meios ditos, a libra a
660 rs.
Ditapara tempero a 400 rs. i
Qneijos. i
Queias novos viudos Deste vapor a.3*200 e
3*880.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
1*000
Papel. 1
Papel almajo pautado, a resma a 4*800
Dito dito lizo de linho, a resma i 4*;>0
Dito de peso lizo e paulado,
2*500 ,
Dito de embrulho bom alie 1J
Vinhe ladeira. I
Garrafas como verdadeiro vinhoXejjeze Ma-
deira a 1*500 e 2*.
Temperos.
Folhasde louro, pimenta dorelnb, commho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendeas.
Amendoas com casca, a libra a 360 rs.
CaixSesdedocede golaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijlos de linpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grix.
Ddzfas de bofSes de graxa a. 97 a 2*600, e
de latas a 1*000, e os boiSes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charatas finos.
Charoles finos des melhores fabricantes d
Baha por diversos pregos, caixas e meias
caixas.
a resma a
200.
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nuneiar-se.
g Fabrica Conceicao da g
Babia. I
2 Andrade k Reg, recebem constante- 2
fSt mente e tem venda no seu armazem n. <
me 34 da ruado Imperador, algedo d'aqael- 2K
3 !a fabrica, proprio para saceos de assu- 2
01 ear, embalar algodao em pluma etc., etc., 91
Mjt pelo prego mais razoavel. }M
A'loja do Porto*
Ni esqviM aa mi da Ye de Ores n. 15
Chcirou pelo ultimo vapor francez ora completo
sm-fimentado ealcadns. m*> d<> Xantcs pava ho-
nn-ni R 4ivrsas qualidades para senhoras e me-
ninas, ha lamben umeomplem srirtimento de fa-
zendas a roupas feitas, tudo muito barato.
Fi'ijaa
VendetB-se saceos com 22 cata de fejSo rajado
do Porto por 11*, em eafas a 520 : na rna Direi-
n. 8tfl
ViIib do PbHo snperior
em barris de eitavo e dcimo, vende Antwrio VtH
de Oliveira Azevedo & C.: no seu escriptorio rn
da Cruz d. 1
GENCIi.
AGENGIi L0W-H00L
Roa da SeaiaHa ion i. 42.
Neste estabelecimento contina a have
am completo sortimento de moendas e meiai
moeadas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coade, de todos ot
lamanhos para ditos. ___________
Arados americanos e machinas pan
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston de C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

GRAIDE ARMAZEM

HU DOHMPERAUOR 40
JhU ae sebrado em qne mora oSr. Osbtrne,
Duartc Almeida 4t C, receberam de sua propria cbi
da o mala lindo e variado sortimento de ni!hados,
da p reseate estacao.
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alifara, e em barril
i a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2400, muito propios para mimes,
Cartoes
com bolos francezes:a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1*300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1*000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Qneijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2*6oo.
Qneijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um
Queijo
Ma$as brancas
para sopa a melhor que se pide desfijar,
macarra, talharim e aleiria a 400 re. a
libra e 4*500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras militas BMrcas acre-
ditadas a 590 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de oatras marcas a 460 rs. a garrafa, e
2*800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des Bwlaores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e i #900
a garrafa e de 10* a 12* a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Charaisso Filho,
F. d- M., Nctar ou vinho des Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitot.
Latas
com 10 libras dehaaba a 4*000.
Bolachinka ingleza
a 1*800 a barrica da mesma que
vendem a 2*000 e 2*400.
Nozes .
as mais novas do mercado a 120r* .al bra.
Cervejas
dos melhores fabrcantes|e de todas as mar
cas de 4*500 a 6*500 a duzia.
CHARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar Carutos xhom pto,. Reis e outros em
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
ATfBSSC
A 4 8 0 CORTE.
Pechincaa sem igual.
i
Liada* cortes para vestido de percals de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo prego de A$ o corte: na loja das
columnas a ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
meias caixinhas.a 1*500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2*500 a 3*000 a ar-
roba desses que vendem por 34400.
CAF
de l.1 e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 8*51
e 8*S0Q a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 1*000 toa
o garraflo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 1*000 o frasco, e de 11*000
a caixa.
IDEM
em frasqueiras de Hollanda a 5*800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Coo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a 1,000 a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5* a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muiio aovas
em quartos e inteiros a 2* o quarto e 6*500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em ealda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 1* o caixae.
G0MMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 3*500 a ar-
roba e 140rs. a libra na ra do Qoei-
raado 9. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
em latas de deffrenles qualidades a 1*200
a lata
QEIJOS FLAMENCOS
muito fresco a tOO rs. a libra na ra do chegados neste ultimo vapor a 2*800 ia ra
Queimadon. 7, ra do Imperador a. 40 e! do Queimado n. 7, ra da Imperador n.
largo de Carmo a. 9 I 40 e largo do Carme n. 0.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal dedaram aos seus
freguezes e-amigos e ae publice em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmosprecos nos seguintes lugares:
0 Verdadeira PrtaciiaL roa da Imperador q. 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 4*500: na roa do Imperador n. 40.
Conservas inglezas
as mais novas que se pdeesperar a 760*rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1*200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3* a 2*600.
Ideraa perola
especial qualidade a 2*700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2*600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. a libra.
(Ofi\l
0 muito afamadp cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPN
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 c.5oo rs. casia um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excelleote qualidade a 2*200 a resma,
PAPEL
1 azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. a libra.
Vinagre
PRRem ancorlas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebullas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,oeo rs. o molho.
Alpista o Hinco
o mais novo do mercado a 14u rs. a libra,
e 4*400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 1*000 o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 3*400 a arroba e 140rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SISSO
Vene-se suerfor vinho do Pene em caixas de
una tela : en casa de Johnston Patera C, ni
do A'g3*-'0 n- 3-___________
VewJe-ee e* terrea n. 5 da rna de Ma-
thias Ferrara lendcr dirija-se a tiatar nesta eidade na ra Aa
gusta B. W-_______________________^ .
Vendem-se por 200J duas casas de laipa,
bfm construidas, sitas na Cabanga, qae reodem
44000 raensaes cada urna, oa faz-w outro m>
quer negocio : a tratar aa rna Imperial n. 166.
re* de Tasconcellos A C


Algodao em caroo. I P0T4SS4
a do Carioca n 9, caes do Ramos. I de Aitoaia da Almeiia Gamw.
NOVLDADES.
Queijos do Uentejo. ditos das libas o mais fresco que so poda dese-
jar a 1*20 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
redundas eneitarras, proprias para mimo da festa pelo barato pMs d4*
cada urna, ricas caixas d figos tambem proprias para mfeno de too 1#800
cada ama. Vende-se nicamente no armatem Verdadeiro principal, ra do
Imperadora. 4.
GAZ GAZ GAZ
VeiuVsa^iaB*! mafcec uadaon a
li* a lata : aos rMtotna da raad* Im-
perador j^WejrualjoJltii^
~~Bixas de Hmburgo
Veadem-e aa roa Nova n. 61.
SoBNriar al de Li&aaa.
Veude-ee sajerior eal i* Jsica a ais aova
qae na no bmm**, Unto m pareio a rea-
lbe,prarat Bnsaalao5ade-sft aos cempra-
doreT herlor aualidade: a tratar aaa seamte
roas Crespo n. 7, Imperador 18, Forte do Mr-
tes.armaiem do Sr. Avilla, defroate o trapicha
5 alf odo.
*\

>
1






NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
9tiefaran m modaraos vestios de deatelle de seda com barra, inteiramenta botos
ero gosto e qualidade : laja das columnas, ia roa do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de VueonceUM C, snccessarcs da Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para Yestidos de senhora
Superraraa ana tea de seda de car, de morante, de gorgorito e de selim imperial.
Diies de blond, c de cambria branca bordadas.
Ditos de lia cen barra grande variedade era cores e padrees.
Ditos do organdys com barra
Liadas sanas de qoadros escesseza miadas.
Snperiores las lisas com grande variedade de cores.
bitas com salpicos, com flores e de qnadros.
Liadas pampolinas de quadros e de Dores, fazenda inteiramenle nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandy<
Grande variedade de cbita de cores, de percalia e oatras mitas fazendas deaa-
Para hombros de senhora
Liadas canas e bournoox de easemira de eor.
Ditas de la e de seda.
Grande variedade de sout'enibarques de seda de 180 a 400.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores cbales de seda, de merino estampados Gaos, de cachimira com listras de
seda e de fil preto.
Camizinhas moderaas, zuavos brancos e de cores, colletes de carabraia, lindas gol-
liabas com ponhos e outros maitos artigo.
Para cabeca de senliora t menino
Superiores chapeos e ehapellinas de palba de Italia enfeitades para senhora.
Ditas de fe I tro enfeitados para senhora.
Ditas de palha enfeitados para menino.
Graade sortimeato de enfeites modernos de retroc, de froco, de cabello e de flores
para senhora. '
Na laja das columnas da roa do Crespa o. 13, de Antonio Cerreia de Vasconcel-
le* A G.
nrEKAL REC O HHL VI) A M PUBLICO
Sem inenor eonstran-
gl mente se entregar* 0
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENCftO
,Os preeos da segninte
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de h>a
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
ARMAZEM UNIO
RA A CAIEIA 1IO RECIPE tf. 53.
Grande reduecio de preeos,
(loga pastando o arca da Cancoicia)
equivalente a dez por cento menos do que ontro qualquer
annnneiante.
Collegas.NSo posso por mais tenpo sustentar o prego da maoteiga ingleza a l,ooors\ a libra, bem assim o de outros
tnuitos objectos, etc., dando cora isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por hom preco a manteiga de tempero, e gritarera em
alta voz, que podem vender pelo preco- croe eu vendo 1! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vina encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducce de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoraveL armazem de molhados Uniao Mercantil nao
i se sabia de outro preco de manteiga ingleza a n3o ser o de i,4oe a 1,6o rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redcelo a que
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes rechimac2o de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem qoe o seu fim
t5o smente obter a concorrencia de seas freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio qoe presidio, aos arranjos desta novo estabelecimento, e mais que tudo aproraptidSo e entei-
reza com que ser tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certemle que sem duvida me daro a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando no pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam penco praticos, pois
sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vao era ouira par te
MAZEM CONSERVA!!
23Largo do Ter Joaquina .Sinwn dos Santos, dono deste bem sonido armazem de molhados faz setenta o
reummtwUgao aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esta resolvido a venderos Sna
bem couhecidos gneros de prunaira qualidade.por menos de 10 a 20 por cento, menos doaonera nn
ira qualquer parte a diaheiro contado.e todo o comprador que comprar de 801 a 100,8 terao desrnn
to de 5 a lOpor cento pelo seu prompto pagamento; e per Isso se faz annuncio de Iguns Veneros
para com este nelhor se certificaren!. 0Sj
alassas para sopa raacarrio, talharim e aletria a
240 rs. a libra e em caita a 5.
Toucinho de Lisboa alvo muito superior a 280rs
a libra e 8*800 a arroba.
Daf de Rio de primalra e segunda sorte a 260,280
e 300 fs\ a libra e a arroba ou saceo a 8j
8*509.
Cbonrigas as mais novas do mercado a 560 rs.
libra e era barril a 12*.
Passas viudas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a eaixa a '
Batatas em ((ros de 35a 40 libras por 2*400 a ar.
roba e a 80 rs. a libra.
Cha hysson miudinho superior qualidade a 1*200,
2*000, 2*30 e 3s a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
500, 460 e 640 rs. a garra ra.
dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2*400 e 2*700.
Milbo alpista e painco mnito llmpo a 146 rs a li-
bra e a arroba a 4*400 e 4)200.
Phaspbros de gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 2* a groza.
Aieite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o c-
lao a 2*800 e a caada a 4*500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs.a
garrafa e a duzia a 5*800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
irraz do MaranfcSo e Java a 160 e 80 rs. a libra
e a arroba a 2*866, 2*e 2*400.
Assim como ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas.choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eontros mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al-
guem duvidar venha ver.
JOS CUMIES VILLAR
Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendcndo ir muito breve a Europa tratar de sua saude, pede aos seus devedores
tanto do mato como desta praca que saldem seus debito quanlo antes, e
Protejam Excellentissimas senhoras a esse impor-
tante estabelecimento.
Fazendas muito proprias para a quaresma, grs preto, moreantiques, cortes de se-
das pretas, capas pretas, casacSes, soutembarques, chapeos de palha, chapeliaas de palha.
Bourus yretos de renda
o que de mais bello e mais importante para os hombros de urna Excellenlissima senho-
ra, assim como chales de renda de apurados gostos, camisinhas bordadas.
FRANCISCO J. GERMANN
I RA WOVA N SI
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de melhor qualida
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronometros martimos e de algibeira relogios fde ouro
e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, rancezes, suissos, allemaes e americano'!
reguladores de compensaco, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol montados com ecas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos tamanhos, caixas com mu=icas iual orti
ment de ocolos e lunetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, ac, e varios metae* oculos c
lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que offrem de infla'mmacSes
nos olhos, tabrieados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pernambuco, os quaes s se vendem por consulta dos mdicos, vldros de cryslal branco e de cores
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observarles astronmicas, oitantes e sextantes!
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros ter-
mmetros, caltas de instrumentos mathematieos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro'dou-
rados e foleadas, todo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encomraend'a dos
objectos mencionados, a responsabilisa-se durante um anno por qualquer relogio vendido ou concerlo
eilo, em seu estabelecimento; e veade por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
,-v.t S^Ptore "ssa,s fra?cezas de cores miudinhas, de qoadros, lisas, e de ramagens, com grande
variedade de padroes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baralissimo preco de
JW rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcelos
& uomp.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escomida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimente.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e era barrH ou
meies a 5co rs.
Cha hysson de superior qnalidade a 2,6oe rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8eo rs.
dem huxim o melhor qoe se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
| dem preto bomeepatbico por ser de superior
qualidade a 2,oee rs. a libra.
dem hysson.. huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,600, 1,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ae que se vende emoutra parte por 2,4oo
e 2,600 rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a o.oe rs.
garante-se serem superiores aos que vera-
era barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oe e Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a I,6eo e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
ErviIhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 5(e rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a guaa 5,oooe 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e espaol a 9oo
l,ooo e I,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinbas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, lambemtem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sov'el, corvina, gors. pesca-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7,8o
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9.ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do MaraahSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2o rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas da 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito. superior a 5oo
ns. a libra.
Aletria, raacarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talberim branco a 32o rs. a libra,
estas raassas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse m.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8eo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ico e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,iioo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Donro, Duque do Porto, DuqueGenuioo,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
I o,ooo rs. e a 9oo e 1 ,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a- garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
da, salmao, ostras echernee, vezugo em. Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
BOTICA E DROGARA
Bartliolomen Fraacssco de Soaza C.
34Raa Itrjft do Rosario34
Vendem:
Plalas Holloway.
Plalas do Dr. Laville.
Plalas do Dr. Alian.
Plalas do Pobre-hornera.
Plalas americanas.
Plalas vegetaes.
Plalas vegetaes assucaradas de Ketnp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Cbablc.
Elaxir de Pepsina de Grimanlt.
Vinho de Salsaparrilba de Ch Albert. u
Injeccao Peaugas.
Agua dentiAca de Desirabode.
Papel chimico, para tainos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticas de Brest.
Rob L'Affecterfr.
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway.
Goke do gaz.
l I teta do gaz.
AleatrSo do gaz.
Coke, tonelada 10*600.
Pitch, arroba 35000.
Alcatro, caada 500,
O cok reeonhecidamenta o carvao mais econ-
mico, toma-se por isso recommendvel, bem co-
mo pelo aceio que se nota as casinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatro, alem das apaliea-
coes diversas a que se prestao, como para calafe-
tar embarcares, aleatroar madeiras, etc., teem
estes a proprledade a preservar cnplm, tar-
ragas, etc. E entregue na fabrica da gaz, ou man-
dado pdr em qualquer ponto da cidade, segando a
vontade do comprador e previo ajuste.
Mlho novo am saceos grandes : no trapiche
da Cunba, a tratar com Tasso Irmaos.
COMPENDIO DOLOROSO
que contm o ofiicio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e oferecer a co-
rea, um setenario e mais outros exerci-
cios de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmandade dosservos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionarios apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que Deus guarde;
dado luz por devocao do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMsina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
latas grandes a 8ooe I,ooo re. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garnte-
se ser de qualidade superior, que outro
qualque Aio pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a l.ooo rs. o irasco, e
H.ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes 4oo
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinka de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa cem 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em'sal da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes"
mo peso a 2,5oo; ditasimperiaes emlatas
de 3 libras por !,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5eo, e l,8oors.
Azeite dece refinado Penanol ou do Kempes
dS Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5o a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com t arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5ee a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidre com
rolha do mesmo a Seo rs.
Moatarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sepa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquinoo,verdadeiro de Zaraem garrafas
grandes a l.ooors. e H,eoo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooe e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca mnito nova a2oers.
Charutos de todos os fabricantes dalahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nasso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l.ooo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixSes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. fem barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alv* a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a I,4oo o cento ; ditas em
molhos cora cento etantas porl,2oors.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Colho
|ua do (inclinado n. 19.
* ende-se o seguiste :
Lences de panno de linho
pelo bmtissiroo preco de 2400.
Lences de bramarle de linho
de um s panno a 3509.
Coberta de chita da india.
pelo baratissimo preco de ?4500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibeira, a 2 a duria.
Pecas de breanha de rolo com 10 varas
propria para saia,a 4j.
Pecas de cambraia de forro, a 2(5600.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmes de lar-
pura, por menos preco do qne em oulra qualquer
parte.
Toallias alcochoadas para mios
aSja dnzia.
Lazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 ris o co-
vado.
Lazinhas de cores finas
do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris o
covado, neste armaiem de fazendas se encontrara
uui grande sortimento de roupa feitae por medida
XAROPE
deLABELONYE
Kmpregado com manird successo desde 30 anno
atlas Mdicos da todos os paizes contra as molestias
orgnicas ou nao orgnicas do corabas, as ditersas hy-
ropisias e a mainr parta das molestias do peito e dos
kronchios (pneumoiuot, catarrkot pulmonares, aithmtt.
in/lammafiet ntrtotasdot,bronchiei, cttarrHeiras.etc.i
O XAR6PE de LABELONYB nao se Tende senfto eu
!;arrafas com rotulas de eor e fechadas com urna chapa
eiando a firma da innator.
Km PAIIIS, ra* Bunrbon-vllli-m uvo. 1 O.
O
O?ORES
para machinas de algodSo.
Acabam de chegar agora novos motores para
nm e dous cavallos para mover machinas para
descarocar algodao, cylindros de padaria, e outras
quaesquer machinas para agricultura, os quaes se
vendem por preco malto em conta. Tambera se
vende nm motor americano para 8 e 4 cavallos pa-
ra o mesmo flm, que trabalha muito bem ; elles
se acham montados para o comprador ver o seu
trabalho : na rabriea da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.
Pechincha
Grosdeoaple a variado com 4 palmos de largura
de superior qualidade a 1J200 o covado, easemira
prcta fina, fazenda de 184 o corte a 5f, paletots
de brim branco de cor a 34, paletots de easemira
fina de coi a 5^ : na roa do Qoecudo n. 44.
Vendem-M pacas de panno de llnho tino de
boa larcura a 800 rs. a vara: na roa da Cruz na-
mero 33.
Mieni de molliado
81-HUA DO IMPERADOR 81
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfac5o de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidades, e francamente aflianca s pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e preeos, como em pesos e medidas., no que
sempreo annunciante foi escropnloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo qaeiram Jionrar como seu comitente Ibes
assegura que o producto desea laborioso trabalbo ser o mais bem reputado lo merca-
do desla praca, para o qne se jnlga convenientemente habilitado pela longa pratica com-
mercial que tem exercido, sendo seas portadores despachados com presteza, depois de se-
rem Belmente eumprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantesque lhe merecam confianca, fa-
zendo timbatevantajoso aos qoe'pagarem a vista suas raercadorias, e encarrega-so da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commissio, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em sea armazem,
prescindir da commissao.
Dossens antigos e benignos freguezes espera o annunciante sna valiosa proteceSo, fre-
qoentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lb.es tributa offerece expon-
taneamente seus servicos.
Julga desnecesario publicar a tabellados preeos de seus gneros: sao seas recursos
garanta sufficiente de poder accempanhar os menores preeos e idnticos mesmo de
mais apparatosos estabelecimenlos, teddo somente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Ireveiij5o accessaria.
Tendo sido o propretario estabelecido muitos annos cem o mesmo ramo de nego-
cio ni mesma rua> jolga prudente advertir que s arBrma ese respensabilisa pelo que
tem declarado no qoe disser respeito ao armazem.
i ni raimi
Sf-RITA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do] pateo do Collegio-
^^""BOOl V.- S1 o o e
glf g fiifl.f Tirl a
i|fl8,il8lnK
h'l|lt"n
&5 8 3
O 5T
, N
X g.a
S S" 5** o _,
o na a> a>
5fS*
ce a w w
o OTO
<
fi.
2 g
* si o
o- a
S8
o
m
a
en "^H
i
S
m
B
1*
no

>

<%.
"So
O O
S
3
o
ii
6, 03
5
CL
a
u
0<5

?
e
e
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor latnral
dos cabellos.
A af na florida nao urna tintara, fcta essen-
cial a contestar, a mesma agua daide a er primi-
tiva ao cabello. Comaesta de plastas exticas e
de substancias inoffensivas, ella tem a prapriedade
de restituir aas cabelles o principia coraste ^te el-
les tem perdido. D'ama salubridade incaatcsta-
val, a Agua Florida entreten a limpez 4a cabera
detroe as caspas e impede os cabelles de caair
Oleo de Florida.
Compasta de substancias vegetaes exaticas, elle
constite poderasarr,, con a igna Flarida, a
torea, a belleza e a canservaca ara* cabej-.
Em Paris, casa de Qaislaar a. 11, raa de Kicbe-
lieu, a 81, bonlevar MaatBarrt
Todos os frascos, lio teade atacto e clare, c
timara srateada da casa, sla reputadas falsas.
Deposito, ra da Imperador, pharmacia a. 31.
GRAGEAS
.DE
GELISE CONT
ApprovatSas pela Academia de Medicina de Parle.
Resulta pelas dous reltanos, adoptados pola dita
Academia em 1840 e em 1858, que as grageas da
Glis a CONT sao o melhor e mais efficaz remedio
ferruginoso para curara chlorosis (alias fluor-albo), os
laxos brancas, a fraqueza de couiplciiie nos dous
aazos, a tambem para ajudar a menstruscao das mocas.
Eatas Grageas nSo sao vendidas senio em caixinbas
em vidros cobertos com rotulo e fechados com urna tira
levando a firma do depositario geral: labei.o\V6,
jharmaceulico, ru BourbonrViluntuve, 19. Paris-
Deposite! geral em Pernambuco ra da
Cruz n. 22 em casa de Caros A Barboza.
Qneijos frseos 2sOO,
manteiga ingleza muito boa a 800 rs., franceza
G40, cha miudo aromtico a 2G0, caf 1* sorte
a 280 e 240, arroz alvo a 100 rs., toucinho a 280,
viDho do Porto lagrimas do douro a 15, da Fi-
gueira a 3200 a caada 440 rs. a garrafa, de
Lisboa a 25600, e 360 rs. a garrafa : no armazem
da Estrella, largo do Paraizo a. 14.
. Bicos ra trra
Vendem-se bicos da trra ; na ra da Cadtia
n. 59, loja..____________________
Liquiducao das fazendas do uaufirsio
da liar ca fiarxfza.
Chales de merm de diversas rorts padrP?
lisos de franjas de seda a 2$. paletots de patea
padroes escuros a IjSOO, rhrguim a esta Ef'n'ii-
ravel pechincha, visto que as referidas faxendas
acham-sc ainda unidas, que lavando ran< per-
feitas : na loja da ra da jfadre de Dees n. 16
defrente da guarda da alfandfga.
RAPE'
Duarte, Pereira & C. continuam a vender o afa-
mado e fresco rap Princeza de Pelropoles em seu
grande armazem de louca e vidros: ra do
Crespo n. 16.
ESCRITOS F6IE0S.
Desappareceu no dia 26 de Janeiro do hole
Aguia o'Ouro da ra estrella do Ro^alio. um mo-
leque crioulo por nome Luiz, de idade poncu mais
ou menos de 18 para 19 anm.s, de boni'a figura,
muito ladino, bem fkllaDte, alto, secco do coft^o,
sem baiba, tem unas pequeas marcas tor baixo
de um olho parece de ventosas e urna marca do
fogo em nm dos bracos, cor bem preta, muito re-
grista, levou vestido ralea de brim pardo ? i.ja e
camisa de algodao branca, consta que anda aqu
na cidade e descoefia-se que estja occulto, por-
tante o annunciante declara qne desde ja protesta
centra quem o tenha dccutadoelle capaz de se
intitular por forro, pois o dito molaque muito
conhecido esta cidade : porlanto r toridades policiaes e capites de campo que o
prendam e levem a seu senlior uo dito estabele-
cimento que ser recompensado generosamente.
So dia 24 de dezembro prximo passado fu-
gio o preto Braz com os signaes seguintes : altu-
ra baixa, regular do corno, sem barta, cara larga,
com muitas verrugas em cima do olho direito. le-
vou vestido camisa de algodozinho e calca de
azulao e oulra de baeta verde, chapeo de palha, e
este lalvu j tenha mudado, costuma andar muito
de vagar e puxa pela perna esquerda por causa
de soffrer de dores rheumaticas, foi escravo do
Dr. Olinda Campell,: quem o pegar sirva se le-
va-lc ra das Crnzes n. 32, padaria, que sera
bem recompensado.
.No dia 27 de Janeiro ausentou-se de casa de
seus senhores a preta Anna, crioula, de 30 annos,
alta e boa figura, rusto redondo, com urna cicatriz
amiga por baixo da orelha; esta preta foi cscrava
do Sr. Teixeira Bastos, e de tarde venda po-de-l
pela Ponte de Ucha e Soledade : roga-se, pois, s
autoridades policiaes a sua apprebenso e de a ea-
tregar na Soledade, padaria do Sr. Joaquim Jorge
da Silva, defronte da igreja._______________
Fugio do engenho Cavalleiro, freguezia do
Afogados, no dia 1" de Janeiro deste anno, o escra-
vo Theodoro, crioalo, de 24 annos de idade pouco
mais ou menos, o qual costuma mudar de nome
quando se ausenta, e teai os signaes seguintes :
estatura regular, cr preta, cabellos carapinhos,
olhos nm pouco vermelhos, nariz chato, tem falta
de dous dentes na frente, boca grande, ps apalhe-
tados, deve ter cicatrizes de chicote as costas,
gago, gosta de cantar e de estar em sambas, me-
tido a glozador, levou vestido palitot de alpaca pre-
ta, camisa branca, calca de brim com listas azues,
e mais roupa de ser vico e chapeo de couro novo,
j foi encontrado na capital e seus arrebaldes como
ganhador e depois em Cruangy com um surrao s
costas inculcando de correio : roga-se portanto as
autoridides policiae e a qualquer particular a ap-
prehenso de dito escravo, levando ao seu senhor
Francisco Casado da Fonseca no referido engenho
que generosamente se recompensar o appreben-
sor.
Escravo fgido
Arba-se ausente de casa de sua senhora, desde o
da 12 do corrente o preto Joo, que foi escravo
da fallecida D. Leonor Jorge; baixo, ebeio do
corpo, e o rosto todo picado de bexigas, confia
que anda ao Recife e a Boa-Vista : qaem o pe-
gar leve prata da Independencia as. 37 e 39, que
ser gratificada.
No dia 9 de dezembro de 1864 fugia de casa
de seu senhor o escravo Herculano, pardo escoro,
com 35 annos, alto, cabellos caraplnhas, olhos e
orelbas pequeas, tem apaas bigoda c pera, per-
na e andar de quebra-mangue, leuda o pe esanar-
do (orto e sahido para fra caata pala de seri, a
por isso pucha alguma cousa pela perna quando
anda, levou vestido calca branca raaendada e ca-
misa branca, levando na cabeca chapeo de palha,
conduzio igualmente teda a roupa que possue, sop-
pde-se andar aqu mesmo pela cidade : quem o
pegar leve-o a ra Direita n. SI, que seri genere-
samente recompensada.
~Fngio no dia 2 de janeiro a preta Romana,
de idade 28 annos, crioula, magra e fula, bem fal-
lante, e tem sido vista pelo Mangainbo : qnem a
pegar leve-a a sea senhor, na praca da Boa-Vista
n. 22, on Campo Verde, roa do Trapiche n. 2, qna
ser beta recampensado.




-
8
Alarlo e Pernanhuco Sabbade 4 de Fe-rere! r o de 18415.
LITTERiTRl



No aunmrsario da restauracio de Peraambueo
(tm WiS), f da instairfi de Instituto Ai-
clieologoo e Geographico Peraarobtieano.
I
Era n'ora dia immenso :
N'ura resplendento vea
Sabia o sol purpureo
Tela amplidae do cu :
Formosos chammejavam
Os patrios horisontes,
a luz se diQuodia
Nos valles e dos montes.
Pomposa magestade
Vestia a natureza,
Que s'esraaliava em scen&s
De vivida belleza :
Que perspectiva augusta 1
j A vasta creacao
Refloreca em reimos
De maga inspiraco.
Era um feliz presagio
De immorredoora gloria,
Addudco llsongeiro
. De esplendida victoria :
Era solemne festa
D'amor, de f licidade,
Um piologo s delicias
Da nossa liberdade.
Deprcssa o viram todos :
N'um cerro verdejante
Ao longe retumbara
Um grito triumpliante :
Em pugna fervente
O Batavo arrojado
Ento cahiu sem lino,
Confuso^ envergonhado.
Foi uesse diaA paliia,
Com singular valor,
O jugo sacudir
Do improbo oppressor:
Ninguem a que se opponha
A's leis da Providencia :
S Dens nos preparara
Dltosa independencia.
Quisra caprichoso
O rispido lyranno
Calcar no captiveiro
Um pove soberano:
Vaidoso pretender
Murchar nossos padr5es,
Sumir no vil opprobrio
Famosas tradicoes.
Embora! a Pernambuco"
Jamis faltam hroes:
Salvaram-nos da infamia
Os inclytos avs:
EntAo, n'um s momento,
O lbaro vistoso
Reergue se nos ares
Ovante, glorioso.
Do sao patriotismo
A rpida centellia
Em lances de bravura
Magnifica s'espelha :
N'aquelle mesmo dia
Dem.-ravilha lana,
Snccumbe o altivo Belga,
A patria se levanla.
Qne perennal moimenlo
Alcaram nossos paes 1
As hostes do estrangeiro
Nao voltaro jamis 1
All, nos Guararapes,
Se l sublime historia :
Nenhum poder na trra
Oflusca-lbe a memoria.
Heraoca de dois scalos,
To nobre, to querida,
Avulla sempre a mesma,
Benfica, florida:
Legado precioso
Das velhas geracoes,
Conserva-nos da honra
Os principaes brazoes.
To peucos, mas tao grandes,
Os nossos defensores
Da gloria nos deixaram
To immortaes penhores:
Onde jamis brllhara
To frvido herosmo ?
Onde maiores provas
De liberal civismo ?
Se alzuem por taes prodigios
Nao s'embevece ufano,
Esse, quem qner que seja,
Nao pernambucano:
A' raca nao pertence
Dos homens d'outras eras,
De to raras virtudes,
De crencas to sinceras.
Embora volve o mando
Material pendor
No plaino do egosmo,
Perrenho, corruptor:
Embora I esta legenda,
Que s'inscrevcra eolo,
E' o eloquente brado
Da patria redempeo.
11
Hoje de novo surge
De nossa vida a imagem :
Saudamo -l'a nos todos
fim candida horoenagem :
O dia que alvorece
' Recordamos forrooso
De nossos paes os feitos,
O mrito assombroso.
Fiis commemoramos,
Em rito festival,
Da patria liberdade
O drama principal :
Recordacao honrosa,
Grati.-sima lembranca,
Perenne se despena
Nesta elevada heranca.
Ootr'ora debellmos
l'in ioimigo atroz :
To sublimado exemplo
Esqueceremos nos ?
Ha de o visinbo ingrato,
O Impo traicoeiro,
Ameagar Impone
O povo brasileiro ?
Ha de nina raga imbelle
De miseros bandidos
Affoula arrebalar-nos
Os loiros j eolhidre?
Acaso aterrar pode
Esse latir de cao
O valoroso, o forte,
Impvido leo ?
Ousa urna borda infrene
De novos cannibaes
Tentar medir eomnosco
Os bros marciacs T
E recejamos boj
A lanea do selvagem
Nos (Juo outr'ora impozemos
A Belga a vassallagem ?
Jamis 1 daquelleouteiro,
To bello e tao vicoso,
Um echo estruge ao longe,
Um brado magestoso :
Aquelles altos feitos
Dos inclytos avs
Agora mais que nunca
Nao esquejamos nos. -
Agora mais que nunca I
O bro des Horacios
Nao se acobarda sanha
Dos fros Curiacios :
All temos patente,
Em verdadeira historia,
Inspiraco fecunda
Do perduravel gloria.
Mostremos que anda somos*
Legtimos herdeiros
Dos Camares, dos Dias,
Veiras o Negreiros:
Demos licao proficua
Ao rude Oriental,
K ao fatuo Paraguayo,
To brbaro e brutal.
III
E vos, soldados do imperio,
Brasileiros esforcados,
Mirae-vos oestes exeroplos
Dos vossos anlepassados:
Cada qual um baluarte
Seja do povo e da le :
Ide, correl pressurosos,
Pela patria combalei.
J em Caseros mostrastes
Que os brazoes nao desments
Daquelles qne vos legaram
Urna heranca to feliz :
De Casa-forte e Tabocas
Renovae a tradigo :
Correi a vingar intrpidos
Os direitos da naco.
Este dia que s'eleva
Nos aponta urna victoria;
A gloria pernambucana,
Dos brasileiros a gloria :
Eia, pois, avante, bravos I
lnsplrae-vos neste dia:
Eis a legenda da patria :
Liberdade e monarchia!
27 de Janeiro de 186o.
A. R. de Torres Bandeira.
quera arvorar o lbaro da duvida e da impledade; A desgratada nao podia conter as lagrimas, e la- precisos meios, e como a saa familia lh'os nSo pro.
na trra da Craz, ediles enome do Christo ven-. mentando a saa infeliz serte, amaldicoava o dia porcionasse leve de se resignar a viver ali.
ceram i que a vio nascer. Que fazer em to aportad a con-! Helena era uraafraoiriga mallo bem educada,
Alguns dlziam que nao, quaii lodos diziam tal- jonetnra? Que destino poderla agora tomar ? de maneiras mullo agriidaveis de multo espirito-
vez, s elles disseram sim, desde o principio at o Qnem a qnera receb?r ? A sua conversacao era muito mteressante e anima-
flm i Havia em Thoraar naquelle lempo um convento da com lembranfas chistosas e engracads. Asslm
Vieira ajoelhava com as suas hostes antes de dar de freirs, da erdem de Santa Clara, c njas ruinas: fcil Ihe fo o grangear as sympatias da
..___.* av__' ah l-nr-"A^ ftmJn Knia o/v iiA.vm n minl fnn. filia r*r\nHn A1 C l\l 1*11'
o assalto decisivo i cidadedo Reeife, salvava Per-
nambuco do jugo infamante do hollandez, e entre-
gava submisso as chaves da cldade a Brrelo :
Dens, a liberdade e o rei.
Vidal aspira va a ultima aora do trrampho, sor-
ria ao esplendido arrebol da liberdade, e parta,
paraem seu nome, nd de Vieira, Carnario, Dias,
e quantos hroes teve essa lula sem par nos fastos
brasilicos, implorar ao rei o perdo da desobe-
diencia : Deus, a liberdade e o rei.
Qne patriotas esees, e de lempos chamados es-
curos I Como sabiam fazer allianja entre a reli-
gio, a liberdade e a monarchia, sempre dignos de
si, e dignos da posterldade I,...................
Londres tem dobrada populacao de Paris, e quin-
tupla de Berlim, Mienna ou S. Petersburgo, e, sem
embargo, nestas eapitaes a mortahdade mtito
matar que em Londres I
Poucas sao as regios onde se nao achem iugle-
zes eslabelecidos.
Contam-se 28,884 em Franea ; 7,386 em Alle-
on transforroaces anda hoje se vem,o qual fun-1que condoidas da sua desdita Ihe preslavam toda a mant,a 5457 em ^[3 ; 2,224,7,43 nos Estados
dar Mecia de Queroz, no annode 1420, justamen- i sorte de obsequio.
tono sitioondo a tradicSo indiava ter existido o No entanto apezar do bora acolhimenlo qae re-
convento, em que Santa Iria vivera, o no qual sof- cebia das freirs era frequenlemente atacada de
Ifera o martyrio. violentissiraos ccessos de melancola, e a magreza
Helena tinha ali conhecidas e amigas, e conflan" em quo ia cahindo dava a entender que a sua sao-
do na caridade e amisade das religiosas para la di-' de se deteriorava de dia para dia.
rigiu os passs. O seu desejo era entreter a iinaginacao, para af-
Batteu, e a portara abnu-se sendo logo recebida fastar della as ideas que constantemente a pun-
nos bracos da porleira com as mais vivas demens- giam.
traedes de afleclo, Ocando comtudo pasmada de a rjm dia perguntou a sua amiga Angelina se aca-
ver ali aquella hora, e acempanhada por dous sol- so leria algum romance qae Ihe emprestasse.
dados. A freir respondeu-lhe : lenho dous, um aquel-
Unidos ; 4,092 na Blgica, etc.; na Blgica e na
Franca ha mais inglezas que inglezes.
instituto Arqueolgico e eo-
grapklco Pernanabueaoo.
Discurso lulo pelo Di: Aprigio Justimano da Sil-
va Guimaraes, na sessao solemne de 27 de Janei-
ro de 1865.
Meus senhores.Apenas urna recordacao hist-
rica.
Pesava-me|nada ha ver dado ao Instituto.
Tenue ser este, como todos os feudos Iliterarios
que sou obrgado a pagar.
Corra anno de 1646.
Vieira e Vidal tiaviam soltado o brado ingente
de patriotismo, que devia marcar a poca porven-
tura mais assignaladada historiado Brasil. Sim !
porventura a mais assignalada... Nao vae n'isto
mal entendido orgulho de pernambucano : s Deus
sabe, quaes teriaro sido os futuros destinos do Bra-
sil, se o Hollandez tivesse pedido naturalisar-se na
trra de Pernambuco.
Corra o anno de 1646, e adiantada ia a conten-
da, quandode Lisboa chegaram ordens.para que os
insurgentes deixassem livre ao batavo a posse de
Pernambuco. Na velha corte portugneza como que
comecava-se a duvidar dos prodigios do patritis-
Sus I Peroambnc* I
Nao ha muito o brelo, com asigne cobardi a,
acordou os echos das nossas selvas, santifleadas
pelas tradic3es gloriosas dos sccnlos passados, e
recuou I E' verdade, que Ievou a presa ; mas, fo
espavorido, como a ave de rapia quando sent en-
copadas as garras.
E agora mesmo o microscpico paraguayo tem o
arrojo de pretender medir com as nossas as armas
de escravos...
Sos I Pernambuco I
Porventura quebroa-se a cadela de nossas glo-
rias? Qoe entorpecimento.qne Indifferenga, qaan-
do todas as las irmas tm os olhos voltados para
ti, apontando para os montes Goara*;apes I...
Seja como fr, nos Pernambacanos dd coraclo
havemos de protestar pelas nossas glorias futuras,
que temos fiador as glorias passadas e inexcedi-
veis.
Os directores do povo fazem o povo, segando as
lettras sagiadas. E pols, mal hajam aquelles, que
se tomaram de medo pelos assommos patriticos de
Pernambuco l Mal hajam aquelles, qae trabalha-
ram por quebrar-nos os brios 1 Mal hajam aquel-
les, que tiveram a habilidade de constituir com a
palavra liberdade um labo para a trra, em qae
esto os montes Guararapes, era qua respiraram o
fumo das mais sagradas batalhas Vieira, Vidal,
Dias e Camaro I.............................
Perdoai-me, senhores, se me ia perdendo no ca-
minho. Eu o Juro : largas e patriticas eram as
minhas vistas, e eslava longe de fazer epigrammas,
que fossem ferir determinadamente aqu ou ali a
poltica tacanha, qae nos devasta.
O Instituto celebra a restaurado de Pernambu-
co, o islo por si s bastara para sna gloria.
Intentei ama recordago hisloriea, para esbocar
o qae, no mea conceito, deve fazer o verdadelro
pedestal da gloria dos hroes dessa restanracao :
a inspirada desobediencia aorei emnome da re-
ligio e da liberdade.
Realisei o roen intento, como as clrcomstancias
me permittram.
Sado com vosco, senhores, os inclytos hroes da
restauraco de Pernambuco -, e na pessoa desses
hroes sado a religio e a liderdade, nicas bases
razoaveis da monarchia.
Helena lahsou-se ao pescoco da freir, banhada
le que est ali sobro a mesa, apontando para o
L-se no Irurac-Bat:
Mad. Salvi, a audaciosa danzarina u> corda, qae
no ineatro do Bilbao deu umitas representares,
toi ltimamente victima de um terrivel accidente
no tkeairo de Burgos.
Um jornal daquella cidade d a seguinte noticia
desle deploravel acontec ment:
A segunda parte do espectculo tinha sido re-
servada para os exercicios de Mad. Salvi. Segan-
breviario, mas tu nao o emendes, e o oulr est' do o programma, a famosa equilibrista devia exe-
era lagrimas, confessou-lhe que eslava desgranada, e ^ abrnd um pequeQ0 arQ)arJOi t,roQ cutar sobre a corda teza o aamiravef trabalho que
e pedm-lhe que a nao desamparasse. ^ um UfM velumoso que lne deposllou nas Ihe valeu urna fama europea.
O rumor do sbito apparecimento do Helena lo- -QS Mad. Salvi execotava o exercicio chamado as
go se espalhon pelo convento, como aconlecimento Da|as extraordinario ; as freirs acudiram todas, fazen- Helena immedialamenie o abriu, exclamou : ah, da ^ cQm uma bala de^.anho amarrada a cada
do-lhe um milhao ide pergunlas, s qoaes Helena a biblia. Eis aqui um livro qae eu nunca vi, e perQa> e depo5 d(j ^ com feliciaade atraTessado o
mal podia responder por se achar excessivameote que mutos desejos tinha realmente de ver. I espa(;0 a primeira vei) pordeu o equilibrio, qaan-
prostrada. Nunca vistes a biblia, replicn a freir? Pois ao vo|lava ao ponto de partida, e cania de orna
As freirs absortas contemplavam o mysterio isso possivel ?
sem o poderem declfcar ; e movidas da curiosida- (Contmuar-seha.
dequenellas to commum, ora cochichavam en-1 "1'""
tre si, ora imporlonavam a infeliz de :al modo, qoe [ UBI POUC0 DE JUDO,
a madre porteira tendo d da pobre rapariga de-! Narra o Braz Tizana o seguinte :
clarou madre abbadessa qae Helena pedir aga- \ Tentou-se recentemente em Nantes fafer o se
salho, que entenda qoe se Ihe nao deveria negar. [ v?o das locomotivas sem o emprego dos rails.
80 artesa proporcionar qoanto antes, era vista do | Eis alguns proraenores acerca de ama experien-
seu estado de obalimente. c,^.: .. t j 1-
Na qainta-felra, 31 deoutubro^o prefeilo de L01-
A abbadessa achou prudente o fazela conduzir re inferior, qulz conhecer os resaltados qae d a
para a celia de ama freir moca, por nome Ange- locomotiva doSr. Lotz, de Nantes, e pediu ao hbil
lina, que se dizia amiga de Helena, e por quem, constructor que a puzesse sua disposico.
altura de mais de 30 oes.
Felizmente que o peso das balas a fez cahir di-
reila, porm um dos ps foi bater na balaustrada
da orchestra, e, por um movimento do carpo, a ar-
tista foi cahir no meio das estantes e Instrumentos
recebendo duas graves contuses na cabeea.
A'sduas horas o motor conluziodo um char-a-
baes o um mnibus, entres no pateo da prefeilura,
onde deu a volta com exlraordinaria facilidade.
Depois de lerera tomado lugar os Srs. Lacomb-
Merciere mais dous ou tres convidados, o machi-
(Episodios da guerra civil)
^Cenfinuafao.>
Eslavamos na primavera do anno de 1834 ; o
duque da Terceira havia partido para o Porto, e,
depois de tomar o commando das tropas que ha-
vam descercado aquella cidade, balia os miguelis-
tas em toda a parte e vinha trazendo diante de i
os esfarrapados restos do exercito que D. Miguel
tinha em o norte do reino, que se reonlram todos
em Thomar.
O dia 14 de maio deste anno fot aquelle em que
esta villa pode em fim, depois de seis annos, sac-
cudir o insupportavel jugo do governo mignehsla
e ter a salisfacao de ver dentro em saos moros as
depois da morte della, fomos informados das parti-
cularidades da sua vida, dos seas amores, de qoe
entre ambas se passara no convento, bem como
dos saccesses qne occorreram ate aos nltimos mo-
mentos da sua existencia.
E' escasado referirmos as impertinentes recorh-
mendacoesque de todas as freirs receben a madre
Angelina, para que indagassse de Helena, quaes'das ras de Nantes.
haviam sido as causas que a tioham feito abando-' 0 andamento era o de um cavallo a pequeo
nar sua casa e a saa familia. trole. mas ,jUando deixou o caminho caljado, cor-
A freir nao foi comtudo imprudente : ao quiz reu com a velocidade de dezesels kilmetros por
aggravar feridas, cuja existencia presenta, e Irm- hora.
loa-se a arranjar ama excellente cama para a sua O que se pode sobretudo averignar n'esta expe-
hospeda, qoe mal se vio tratada com tanto carinlio, rienda, foi a extraordinaria mobitrdade da machi-
Diz o noticiador que a celebre equilibrista nao
corra risco de vida, e que o perigo a qae escapoa
longe de a assustar Ihe inspirara vonlade de o
affrontar novamente.
J se v que quer morrer no offleio I
Um abbade de uma pequea cidade devia rece-
ber em sua casa o sen cnefe espiritual, que andava
a fazer a sua visita pastoral.
Preparra-se um grande jantar no presbyterio,
para o qual foram convidados os parocbos de doze
beijou-a com pbrenesl, chorando copiosamente.
Angelina nao poapou diligencias para a fazer so-
cegar, o que por fim conseguiu; porm Helena pas-
sou toda a noule em terriveis sobresaltos.
Rompa apenas a manha do seguinte dia, e j o
sino do convento dava signal de que se approxma-
va a hora do coro, Angelina vestiu-se, e dirigiu-se
para la com o seo breviario na mo, sem poder por
nista deu, cora um sil vo agudo o signal de partida, i reguezias da diocese, mas o abbade omitlio nos
e a Ucomotiva seguu caminho de Paris, atravs j seus convites o pobre pastor de ama aldea bumil.
de, que gastara com as suas o velhas em obras de
caridade o dinheiro cora que poderia comprar ama
balina nova, com que casse digno de figurar no
jantar.
Quando eslavam todos a mesa, o pobre cura que
nao era esperado, appareceu 4 porta da sala ; foi
cumprimenlar o bispo e apresentar-lhe m suas
homenagens.
Feito isto, assentou-se em um canto sen dizer
mais urna palavra emqoanto os outros comiaw.
Havia nesles om certo constrangimento peto pre-
senta inesperada do humilde sacerdote. Foi 0- bis-
po o primeiro que Ihe faHou para' quebrar eraba"
raros.
Eniao, Sr. cora, qne vae de novo pela fregu*
zia ?
- Nada, salvo am faeto qoe bastante extraor-
dinario. A porca do to Cladio alliviou-se.
mo, e certo que nao se levava em conla o mgico' tropas da rainha.
effeito das viraces purificadas pelas florestas ame-1 Scriam 11 horas da manha quando principia-
ricanas. Razoes de estado, das quaes se conclua ram a apparecer as avancadas da divisao do du-
como qoasi Impossivel e certamente improficuo o
triumpho dos insurgentes, negociaces pendentes
1 com o reino de Hollanda, exigencias da siluago
de Portugal perante as suas possessoes africanas,
tudo concorreu, para que o rei, vencidas mil hesi-
tacoes, oxpedisse taes ordens.
Beuntram-se os mestres de campo : Marlim Soa-
res obedeceo ; Vieira e Vidal resislirara. Foi o
grande exemplo, que a historia registrn, da deso-
bediencia ao rei para melhor servir o rei.
Succederam se os acontecimentos, e chegoa
T.isba a nova da primeira batalha dos Guararapes,
justamente qaaodo a perplexidade dos conselhos
do rei estava em sea auge, quando negociagoes
com a Hollanda erani depostas n'uma concha da
balau$a, e na.outrao facto consummado da resis-
tencia de Vieira c de seus companheiros de gloria,
o que collocava Portugal em aperlada situaco pa-
ra um caso de abandono de Pernambuco, que im-
portara om caso de deshonra.
Nova serie de consultas e pareceres ; mas, en-
to a primeira batalha dos Guararapes havia alar-
gado os horisontes aos olhos dos estadistas ponu-
guezes, e a idea d'uma restanracao j se nao po-
dia dizer abertamente uma utopia.
Entretanto, anda perplexos eram os pareceres.
Se nenhum conclua francamente pelo abandono,
nenbum conclua francamente pela adopeo da
causa dos insurgentes. Era o mesmo ocano de
duvidas, um poued menos ancapellado apenas. At
a agudissima vista do grande padre Antonio Viei-
ra empanon-se ; e entre onlras cousas dizia :
que desarrazoado fura fazer-se a guerra por amor
dos Pernambucanos; que Pernambuco nao era
mais do que um raerabro de Portugal; e que seria
impio e cruel por todo o corpo era risce, por nao
cortar orna parte pequea, e essa tao corrupta, e
tao difcil de conservarse 11
Anda mais : a Antonio Vieira pareca impossi-
vel o triumpho dos Pernambucanos.
Cruzaram-se em Lisboa as hesitacoes e os conse-
na, que, condozado duas carruagens, d a volta
em uma circumferencia de 10 metros.
A pouco commum facilidade com qne o machi-
nista para ou faz andar a machina, adwnrou prin-
cipalmente os espectadores.
m-na n 1 c 11
Era Paris vendeu-ss em leilo uma poltrona de
KSt-ylo gothico, ricamente decorada, mas un pouco
ento dar informagoes s suas companheiras, que I '(,y,s. e cuJa historia muito singular,
se nao descuidavam de as pedir. im poltrona artstica foi, na sua macitfade of-
No entanto a derrota das forQas miguelistas tinha lucida a Mara Thereza e Ogurou na sua ca-
sido, na tarde do dia antecedente, o objecto de to-', ojar-a.
das as cooversacoes. Depeis da morte da imperatriz da Austria e por
O faci a lodos enchia de jubito e salisfacao por disposico desta, a poltrona foi enviada a ratona
vorem por este modo termiuada a guerra civil; e Mario Antonietta, de Franca, sua filha, e fez mais
mais intenso era anda o prazer quando se conside- tarde parte da mobilia que serviu a Luiz XVB do-
rava na iodeciso em qoe estava a batalha. ranta a sua prislo na torre-do Templo
Qry, criado particular do re, depois do firotra-
A' nonte se espamou tambera a noticia da fuga gico ^ seu am8) (, 0 pOS9uldor da poltrn e a
de Helena, do encontr que Uvera eom os prisio-; tran9portoa para Inglaterra, onde passou a ser pso-
neiros, e finalmente que cahira sem sentidos ao sa- prieaide do prCpe regente e depois do duque de
ber que Adolpho havia fleado no campo atravessa- Curoberland.
do por uma bala. Esle ieVou-a para Berln- e l mandou-a concer-
O leitor tem assim a explieaco do am facto cu- tar a um eslofador, que coaflou o trabalho a um
jas causas desejava ver acebradas, e cuja noticia j j0s seu operarios.
j as horas em que terminara o coro, penetrava o O operario achou no interior da poltrona um al-
sagrado recinto do convento, dando lagar a mil finete rom um bnlhante, un retrato de menino,
commentartos. um lapts e um certo numero de folhas de papel,
A madre Angelina dirigiu-se entao a sna celia, o com uma escriptura muito cerrada,
sentando-se junto do leito de Helena, disse-Ihe : | O in*el operario apropriou-se d'esles objectoe,
c rainha filha, j sei tudo, e agora conheco as cau- i vendeu o annel, e deu o retrato e os papis a um
sas que deram lugar ao teu inrortnmo, para o qual relojoeiro seu amigo.
contribou a toa pouca edade e a la falta de pru- j Anda que os papis estavam escriptos em ran-
dencia: observo que o leu estado realmente pre- cez, o relojoeiro chegou a descobrir que formavam
que.
A divisao miguelista poz-se em movimento, dei-
xando om corpo de observaco sobre as eminen-
cias (icam ao sul da villa. O general fot o ultimo
qoe retirou.
Pelas 3 horas da tarde fez ento a sna entrada a
divisao do duque ao som do repiques de sinos e
saudado com enthusiasticos vivas rainha e car-
ta. A cavallaria carregou a retaguarda dos mi-
guelista ; mas a sua cavallaria, que era numerosa,
a fez recuar.
A divisao, no dia seguinte, 15 descancou em
Thomar, e no dia 16 marchou sobre e inimigo, de
qoe se seguiu a batalha que j descrevemos.
E' aqui que cumpre atarmos o lio da nossa his-
toria, longamente interrompida pelo grande nume-
ro e variedade de acontecimentos, que nos foi for-
zoso descreyer.
A dama qae apparecra na freote da columna
dos prisioneiros eslava, como dissemos, estendida
no chao, sem sentidos ; e tanto officiaes como sol-
dados estavam espantados com este aconlecimento
mysterloso.
O commandante da columna perguntoo ao volun-
tario com qnem a dama havia tido aquella breve
allocuco, so acaso a conheca, e se sabia qoaes
fossem as cao sas, qae podessem ter dado aquelle
resollado.
O voluntario responden qne a conheca perfeita-
mente, e que o seo nome era Helena de......que
a-sua familia era orna das principaes da prxima
villa de Thoraar, e que por certo flcaria muito pe-
nhorada cora qoalquer trataraenlo qne S. S. qui-
zesse fazer-lhe prestar, bem como os auxilios de
qoe careca naquelle momento ; mas qoanto ul-
tima parte, balbucioa, soltando apenas algomas
pabvras, cujo alcance o offlclal perfeitamente com-
prehendeo.
Dous soldados levantaran) Helena do chao ; po-
rm nao dava aecordo: tal fura a impresso .que
havia recebido.
Era necessario transporta-la para soa casa, e fe-
cario -, mas conta-me como foi isto, e diz-mo que ra-
zoes te ubrigaram a sabir de casa.
Escusado ser explicar a desagradavel sensaco
que taes pabvras produziram, e a maaeira porque
foram escotadas por Heieoa, do quem a freir ha-
via tocado a parte mais sensivel.
Helena choroa excessivamente por arguns minu-
tos, e depois voltando-se para a sua a*Tga, respon-
deu-lhe por esta forma:
< Minha querida Angelina, tu deves saber o ex-
tremo com que eo amava o meu querido Adolpho,
e ha quantos annos taes amores tiveram princi-
pio: e deves tambem saber de que maneira elle
me corresponda, e quaes deveriam ser os nossos
desejos, que eram sinceros e puros, e que a de-
mora dellesserem satisfeitos era devida sespeca-
lissimas circumstancas em qoe om e oalro nos
achavamos.
Havia elle marchado com o sen batalhao, de-
pois do se despedir de mim, e depois do termos
combinado a maneira como nos tornaramos a ver,
bem como o modo pelo qual deveriamos procurar
realisar a nossa uoio.
t Imaginamos que a retirada seria para Cama-
rera, qae haverb ali alguraa convenci, e que nao
so disparara mais um tiro, em aitenco a que a
causa de D. Miguel se julgava perdida e seria in-
til o derramar mais sangue.
t Hootera porm constoo-me que a divisao ha-
via feito alto na Asseiceira, ao que dei pouco ere-
uma serie de Instruccoes secretas dirigidas por
Luiz XVI ao Ddlphiin.
O retraso era deste ultimo.
Algoas annos mais tarde, o relojoeiro, que se
chama va "Naundorff, enculcou-se como sendo Loiz
XVII, apoiando a sua preteocao cora os papis e o
retralOv
Depois de ter produzido algum barulho em Fran-
ca e depois na Blgica, onde Ihe morreo seo lilho,
aqoem chamava duque de Normandia, partiu em
1863 para a ilha de Java, onde morrea.
O operario allemao que tinha achado os papis
na poltrona gaardou, no sea proprio interesse, se-
gredo sobre as circumstancas pelas quaes Naun-
dorff os tinha em seu poder; porm, estando para
morrer, revelou tudo a soa familia.
Esta, sabendo que a poltrona tinha Meado em
Berln, comprou-a, veodendo-a depois a um viajan-
te que parta para Frasca.
Por fim a histrica poltrona pertencia a orna ve-
Ib a que* ltimamente fallecen no hospital.
Estarao acabadas as suas perigrinacoes?
Ihos duvidosos, e os patriotas de Pernambuco, con- |Zmente passaram ali duas macas que lam buscar
Dados em Dens e no proprio valor, nao arripiaram! feridos.
Na obra de Coke sobre estatstica, l-se o que
segu :
A populacao actual de Inglaterra de 30 milhoes
de habitantes.
Exceptuando a Blgica, oo ha naco na Euro-
pa que esteja mais povoada, comparativamente com
a oxtenso do seu territorio.
Cada dous minutos vera ao mundo tres inglezes
nm de seos
Olhos.
Dos emigrantes llvres de Inglaterra, ha cinco ir-
landezes por cada om ingloz, e tres irlandezes por
cada escossez.
Ha em Inglaterra 500,000 muflieres mais que
a carreira incetada em nome da religio e da li-
berdade : prosegniam deseodosos dos conselhes
de Portugal, eporventura to filos no sen alvo, que
julgavam a causa pernambucana orna cansa exclu-
sivamente soa.
Viram es de Lisboa, qoe lees nao retrocede-
riam da partida, e orna companhia desfareada en-
tre o iutuilo da guerra e o intuito commercial fez
cnegar algons navios s aguas pernambncanas.
Den-se a segunda batalha dos Goararapes -, e
depois do conseqoente sitio, receben Joo Fernan-
des Vieira as chaves da cidade do Reeife na era,
que aoie commemora o Instituto.
Qae lato homrica, senhores I Qae patriotas es-
ses t O batavo quera partir em dous o gigante
americano, leram elle no futnro, e feriram a con-
tenda I Que Albos do Calvario esses 1 O batavo
O official fez deitar Helena em uma dellas, e con-
duzir porqoatro homens, acompanhada por dons
volontarios de Thomar, a quem deu ordem de a
feslituirem sua familia com toda a pressa pos-
sivel.
Era qeasi nonte qnando chegaram villa. Os
dons voluntarios fizeram como Ihes fra ordenado,
e
dito.
c Pouco depois do meio dia comecei a sentir es- c
rondo que me pareca d'artilhena; appliquei o ou-
vido e fiquei fra de duvida.
c Era certo haver orna batalba e ser o meo A-
dolpbo orna das victimas.
Podes pensar qual seria o meu cuidado e in
qnietaco. Ninguem imagina o que realmente eu homens ; o que equivale a dizer que ba 105 ma-
soffri durante mais de duas horas, at que desespe- Iheres per cada 100 homens.
rada cora o presentimente que me affligia, proco- O exemplo mais notavel do aogmento continao
rei sahir de casa clandestinamente, e caminhei na da popolagao ingleza, acha-se em Brikenhead, que
direceo do lugar da accao, com o fim de me des j em 1801 era uma aldeia de 101 habitantes, e hoje
pedir delle, ou de loe prestar os soccorros de que uma cidade de 51,539 alma?,
necessitasse. A populacao actual de Londres, smente, repre-
< Por vezes cancei, porque a minha affcgSo senta, com toda a exactido, a cifra da populacao
predozia esse mesmo resoltado, e mal me podia; total de Inglaterra no seclo XIV.
j arrastar, quando encontr! os prisioneiros, e ti-
Isso nao tem nada de extraordinario ; uma,
cousa que se v todos os dias, disse o abbade que
dava o jani.r.
Perdo, 9r. abbade, ter non o cora ; a porca
teve treze fiibos, e, como sabe, nao pode amamen-
tar mais que doze ao mesmo tempo.
Com efleMo, observou o Mspo, om' facto ex-
traordinario, por que emqnaolo doze filhos se alei-
tarero, que ba de fazer o ootre ?
O que ba de fazer !
Sim.
E' muito simples. Pode fazer o que eu faco
agora, que ver como os outros- se alimentan).
O bispo rio muito com esta resposta, e convidou
o cora a asseular se ao seo lado-para participar do
jantar. t
L-se n'om jornal francez :
Um director de theatro, M. Luiz Kramer, mor-
reu ltimamente, na Suissa, de um modo ao mes-
mo tempo trgico e singubr.
Representado o Ba Lear, de Shakspeare, enlhu-
siasmou-seao ponto de engutr uraa parte da sua
barba postica.
Este accidente produzio-lhe- uraa denoa, a que.
por fim, soecumbiu.
A Nafta pblica o seguinte :
Eo tenho sompre dsponirel e s ordens dos
meus amigos, ons quinhentos mil ris, dizia a um.
seu amigo um agiota.
Estimo bem saber isso, replicoo o amigo
empresta-m'os c; preciso de pagar araanha cera,
libras e nao sabia como as havia de arranjar.
O agiota responden que me era impossivel em-
prestar seraelhante qoaatia.
Mas tu acabas de roe dizer que tens sempro
s ordens dos teus amigos ons quinhentos mi' ris
eu peco te s quatro ceatos e ciacoenta, e tu
nao ?...
Meu caro, se t*os emprestasse flcaria sem
elles ; deixaria ento de os ter s ordens des meas
amigos.

Jugarnos curiosa a descripeo desta machiaa de
guerra, qua por terriveis resultados tem manifes-
tado o seu poder na guerra dos Estades-Uaidos e
que serve de terrivel defeza s cldades martimas'.
O torpedo ; ama caixa de estanbo do feilio de
uma grande cafeleira da capacidade de 45 a 50
litros ; dividida em duas partes por meto de orna
separarlo transversal, a parte inferior serve de
cmara ao ar, a superior ou a mais estrella recebe
a carga ; um tubo de ferro em contacto com a pl-
vora est coroado por nma capsula fulminante e
o martelo destinado a rebenta-la esto fixo no exte-
rior da caixa de estanho e atravessado por nma
mola em aspiral qne o poem em movimento.
Quando o torpedo est submorgklo levantase 0
martelo e se sustenta nesta posicao por meio d
nma pequea cavelha.
Logo que om navio toca na corda oo na boto, a
cavilha cae e o martelo livro do obstculo bate so-
bre a capsula e arrebeMa, tendo logar a exptosio
qoe mais ou menos damnifica o navio abatxo da
linha de fluctuaco e o mette a pique immediata-
mente.
ve por elles a fatal noticia de que Adolpho ja nao
existia I c
Acabada esta narracao, Helena choron tanto e
bateram i porta da casa de Hekma, quejaa este' **** JJ *,M lh f reve'a nu,ra accesso fe"
tempo havia readqoirido os sentidos. ibrl'. Urdf se 00UI violenl-
1 Chamado o facultativo declarou qoe o seu esta-
Custoso ser o acredilar-se o qoe entao serpas-, ^ era melindroso; porm que o nao julgava de
sou, e qae naquella, familia houveue tanta falla de perg0i
caridade ; o que prova que a nabresa de sangue
nao e a verdadeira nebresa.
Helena foi repellida ctm tamgttocao t
Barbaros I... J ninguem exilie daquella fa
milla.,,.
Por seis dias foi no entanto accooimeltlda de for-
tes ccessos, qoe afina! foram dimmnndo, e ao ca-
bo de quioze dias tinha largado a cama.
Em Londres, cada seis minutos ha um nasci-
mento, e cada oto minutos um fallecimento.
Se Londres continua augmentando na mesma
proporco, antes de flnallsar o presente seclo lera
dobrado o numero de seus habitantes, e em 1963
sua populacao ser de ma de almas.
Dorante o decenio ultimo, uma metade dos ha-
bitantes de Londres se ha mudado de casa.
Raro o londrs qoe morre na mesma casa em
qae nasceo.
Londres tem boje uns tres milhoes de habitantes,
Qnando se achou restabeleclda, a soa primeira populacao egual soraraa das populcoes das sete
idea foi mudar do con vento mas para isso eram' cidades principaes do reino.
A guerra da America tem dado motivo a mohos
exemplos de herosmo feminino.
Madama Clayton, que actualmente reside no
Estado de Mame, alistou-se no exercito de S. Pau-
lo (Minnesota), em 1861.
Servia com sea com marido e combaten a sea
lado at batalha de Stone River, onde elle foi
morto.
Madame Clayton assistia a oito batalhas, roi tres
vezes ferida, e ama prlsioneira.
uepois da marte de sen marida raveloo ao gene-
ral o seo verdadeiro sexo, o tova immediatamente
a sna baixa.
PEftNAMBUCO.-TXP.-DE M. F. DEF.4 FUJ1Q
- ti
^



i-
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUEH05RIN_38E5LG INGEST_TIME 2013-08-27T20:36:20Z PACKAGE AA00011611_10585
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES