Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10582


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>

<*
'*
AMO XLI, W&ERO 25

Pr qiartel pago dentro de 10 dias do i." mez ...?.:.
dem depis dos l.M Odias do comegoe dentro do qiartel. .
Porte ao correio por tres mezes.......,...,:
5J000
6J000
780
TERCA FEIRA 31 DE JANEIRO DE 1865.
Por ano pago dentro de 10 lias do t.mez ,,,.,.. 191000
Porte ao correio por uro anuo........_...... 3J00Q
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima ;
Natal, o Sr. Aalouio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lemcs Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraoho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Fillios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPGAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudine Falelo Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacScs da via ferr.ea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Ailo, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altioho, Garanhuns, Buique, S. Bento, BomCon-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoero, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Yilla Bella, Cabrob, Boa Vis-
te, Ouricury.Salgueiro eEx.nas qaartas feiras.
Serinhlem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao raeio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresa as i h., 22 m. e 52 s. da t.
11 La eheia as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da m.
AUOIENCIn DOS TRIBUNES DA CAPITAL.
:ommercio: segundas e quintas.
e sabbados s 10 horas,
ntas s 10 horas.
segundas s 11 horas.
^os: tergas e sextas s 10 horas,
do civel: tercas e sextas ao meio
tercas
com mcrcio
vara
PARTE 0FFICIAL
tiOVERKO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 27 de Janeiro de lSGli.
Cilicio ao coronel commandante das armas.
Defenndo o reqoerimento do 1. sargento do cor-
po de polica Jos Francisco de Paula Costa sobre
que versa a sua in{ormac,ao n. 186 de 26 do cr-
reme, autoriso V. S. a mandar alista-lo como vo-
luntario para o corpo que se ten de crear na for-
ma do decreto n. 3371 de 7 do eorrente; ficando
sem effeilo o offlcio de 20 do eorrente pelo qual
se tnandou alistar esse inferior no batalhlo n. 9 de
Infamara.Neste sentido offlciou-se ao comman-
dante do corpo de polica.
Dito ao mesmo.Queira V. S. ouvir o delegado
do cirurgio mor do exercito,acerca do incluso pe-
dido de medicamentos para a pharmacia da enfer-
mara do presidio de Fernando.
Dito ao mesmo. sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede Anna Mara da Concerni no
incluso requer memo.
vincial, abandonara os trabalhos em vrtude do
abate de 10 %, com que o meu antecessor approva-
ra em offlcio de 21 do correte o seu contrato e em
vista do qual, hava dado principio aos preditos re-
paros, tenho a dizer que fica de nenhum ffeito a
Ser-vos-ha apresentado o orcamento da receita e I Washington, i o governo amricano estranhando se-
despeza do estado e ura relatorio sobre, a situacao j melhanle indi Terenca, resolveu embargar a sahida
da fazenda publica. O progresso das receitas per- dos navios potuguezes surtos nos portos da Uuilo.
mitte felizmente, que, nao obstante o augmento das
despezas inherentes ao desenvolvimento dos servi-
condicao do abate, a que se a Ilude; cumprindo que' Cos, se acaben todas as deducoes aos empregados particulares. S a como drama oaestao me nao
o contratante nrns oa anta *nto= o <-nm tn>u > < \n acidar, h,,;.>, ..._ ,. s ,_.:= j.c.u ..___...:t "u ,UI>e UIua 4UBw huo h*40
Eis como
o contratante prosiga quanto antes e com toda a do estado, deixaodo esperar que nao haver dficit
presteza nos reparos, que nao podem ser demora-' no orcamento ordinario,
dos sem grande inconveniente para o servico da j Foi inispeosavel, empresenga de circumstan-
renrida thesourara provincial. cias imprevistas, para facilitar a definitiva e utilis-
Dito ao juiz municipal da 1* vara desta cidade. : sima instituidlo do banco nacional ultramarino, re-
Kemelto_ por copia a Vmc para seu conbecimento correr providencias extraordinarias, que vos se-
e direccao _o offlcio de 13 do eorrente .em que o rao devidamente presentes, bem como as demais
Exm. presidente da Parahyba communica ler sido adoptadas com relacjfo a diversas provincias do
absolvido por accordam da relaclo de 25 de outu-1 ultramar em virtude do art. 15 do acto addi-
imo o senteociado daquella provincia Ma-. cional.
noel Bispo Professor, que se acha no presidio de
Fernando.
Dito ao juiz municipal da Boa-Vista. -Declaran-
do Vmc. em seu offlcio de 4 do eorrente, que no
semestre decorrido de julho a dezembro do anno
prximo Ando dera somonte dez audiencias, j-e-
comraendo-lhe que no interesse da juslica e regu-
laridade de sua administracao, sejam mais fre-
quentes aquellas audiencias, tendo Vmc. em vista
as disposicoes
:3'; v fi as disposicoes dos arta 58 do cdigo do processo
YHtHZ2!t X: Si de 'n0rmar S0bre I01- e *& do regulamento n. 120 de 31 de janei
e pede Joao Baptiste no incluso requenraento. ro de 1812 *..uCJuci
que peae joao iiapnsta no incluso requerimento
Dito ao Dr. chefe de polica. Junto achara V.
S. o passe para -erem transportadas pela va fr-
rea at a villa do Cabo amauhia a larde e de vol-
ta para esta cidade na manha de 30 do eorrente,
as 8 pracas da scelo urbana de que V. S. trata
em seu offlcio n. 140 desta data.
Dito ao mesmo.Faga V. S. regressar a capital
ro de 1812.
Dito ao promotor desta capital.Accuso a re-
cepcao do offlcio de 24 do eorrente, em que Vmc.'
participou ler nesse mesmo dia reassamido o exer-
cicio do seu cargo.Communicou-se ao inspector
da thesourara de fazenda.
Dito a cmara municipal" do Buique.Pelo of-
flcio da cmara municipal da villa do Buique, de
?.a ?STff opportun.dade as pragas 7 do eorrente, fir-uei iuteirado de se acharem
SnLlIi^v113 P,rVi^ia 8scoltando ramentados os novos vereados desse municipio
criminoso desta Jos Venceslao Alves Gameleira e Dito a mesma cmara.-Declaro
a cmara mu-
Ann^T!fd0Hde 22u*"! JgaJnimde *** nictpal da villa do Buique, qoefic^m.e iado pelo
municuu-se ao Exm. presidente da provincia da
Parahyba.
Dito ao inspector da thesourara de fazenda.
Constando 'do offlcio do Dr. juiz de direito da co-
marca da Ri-Vista nao existir um agente liscal
para arrecadar os direitos da fazenda, o que causa I
grande embaraco administracao da justica e pre-
julzo ao direito das partes, recommendo a V. S.
as providencias, que estiverem ao seu alcance.
Dito ao mesmo.-O bacharel Maximiano Fran-
cisco Duarte, participou em data de 22 do corren-
te, que tendo terminado no dia antecedente a IL-
cenca de que gosava, deixou por molestia de reas-
sumir o exerccio do cargo de juiz municipal,
e de orphaos do termo do Pao d'Alho, o que fez no
dia 24, passando por molestia o raesmo exercicio
ao 1." supplente no dia 26 do correte : que
V. S. communico para seu conbecimento.
Dito ao mesmo.O bacharel Pedro de Alcntara
Peixoto de Miranda Veras deixou o exercicio do
.. pelos
quaes anda nao remelteu o orcamento de sna re-
ceita e despeza e transmitto-lhe os modelos que
solicitou no seu citado offlcio.
EXTERIOR.
COKKJESPOXIEXCIAS DO DIA
RIO VE PEBIAHBCCO.
Lisboa, 12 de Janeiro de 1865.
Verificou-se no dia 2 do eorrente a sessao solem-
ne da abertura das cortes geraes da nacao portu-
gueza.
A' urna hora da tarde chegaram sua raagegesla-
de e alteza ao palacio das cortes, onde esperavanf
as reaes pessoas a deputacao nomeada pelo pres-
| denle da cmara dos pares.
A entrada da sala da sessao real, o Sr. infante D.
carpo de juiz Rmnicipal e de orphaos do termo do i Augusto recebeu da mo do seu camarista de sor-
gasayjsg^g asas baaa-aagttSS88
a guia de 804 pares de esquerda os depulados.
os convenientes exames, a gula de 804
sapalos fabricados no presidio de Fernando e qne
forara remettidos ao arsenal de guerra, em 19 do
eorrente.
Dito ao mesmo. Promova V. S. a venda de
boa iotelligencia, que de da para dia estreilam
Em seguida el-rei fez a leitra do discurso do
throno, declarando aberta a presente sessao ordi-
naria das curtes. E' assim.
Dignos pares do. reiuo e senhores deputados da
cao portugueza.-Com verdadeira satisfazlo ve-
"^a^'T5 3' ^ ,h^rara : ^-^^rrSSa,^OnDoSera
rifado do mesmo presidio no vaoor ma...- ,ikj. -----...
Persinunga.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., nos termos da t
sua oformaco de 24 do eorrente, sob n. 64, dada Xeido se no Zlt Z uSP^mh^ o.ra
com referencia a da coniadoria dessa thesourara nJL'n*fr-s? R^Lt, h Y a entre
10 r,, a quetemd- n>men[e terraJnado esle conflicto entre duas na-1 rA presidencia da cmara electiva, segundo as in-
coes com qoem nos acharaos tao intimamente li- dicncoes da votacao, recahir, ao que parece, no
gados, oflereci minha mediacao, que foi aceita por *
ambas as corles, e havendo encarregado desta ne-
Teem continuado as construccSes navaes a me-
recer a alinelo do meu governo, por serem ellas
de reconhecida vantagem para o nosso desenvolvi-
mento colonial e martimo.
Eocetaram-se e continuare) os trabalhos. que teem
por objecto a revisao das convencSes postees e te-
legraphicas. Fundou-se o banco de crdito pre-
dial.
Contratou-se sobre novas bases a navegacl) de
vapor para frica, Acores e Algarve. Deu-se im-
pulso vlacao e aos estudos de caminho de ferro.
Usando das autorisacoes concedidas pelo poder
"gislativo, decretou-se a reorganisacao do ministe*
no das obras, e de varios servicos da sua depen-
dencia. Finalmente, pelo governo vos serlo o ppor-
lunainente apresntadas providencias relativas ao
commercio de vinhos e cereaes, e outras tendentes
ao maior desenvolvimento das estradas ordinarias
no prximo anno econmico, ao melhoramento da
insiruccao publica, e de diversos ramos de admi-
nistracao.
Assignalados por notaveis commettimentos e fe-
cunda actividade teem sido os ltimos periodos
parlamentares. Nao menos largo, nao menos acti-
vo, nao menos fecundo campo para grandes e pro-
ficuas providencias tem diante d* si o patriotismo
illustrado na nova legislatura, de que moito espera
a nacao, que eu com igual confianca sado, pedin-
do a Deus que a proteja e inspire, no seu alto e la-
borioso encargo.
Est aberta a sessao. >
Acabada a leilura S. M. e alteza foram acompa-
nhados al porta do palacio das curtes pela depu-
tacao que os havia recebido.
A pasta da marinha e colonias contina a ser
gerida interinamente pelo ministro das obras pu-
blicas, o Sr. Joao Chrysostomo de Abren e Souza.
Iodigtam-se tantos conselheiros anda para a effec-
tividade daquelle ministerio, que ocioso tornar a
enumera-los. E' de crer, porm, que, logo.depois
da constituiclo definitiva da cmara dos deputados,
seja pela cora escolhido o secretario de estado que
falla, effectuando-se por essa occasiio algumas ou-
tras alteracoes no pessoal do gabinete.
E' esperada pelos politicos de lodas
Tribunal do
Relacao:
Fazenda. q
Joizo do
Dito de orphi
Primoira
dia.
Segunda vaiia docivel: quartas e sabbades a 1
hora da
________
ta: de.
DIAS DA SEMANA.
30. Segunda. S. Adelelmoab.; S. Martinha v.m.
31. Terca. S. Pedro Nolasco; S. Cyro m.
1. Quarta. S. Ignacio b. m.; S. Peonio presb.
2. Quinta. c$> A Punfiracao de N. Senhora.
3. Sexta. S. Tilo b.; S. Braz b.
4. Sabbado. S. Audr Corslno b. c.
5. Domingo. S. gueda v. ro.; S. Albino b.
PRE A MAR DE HOJE.
Primera as 7 hora e 42 ro. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
al a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, roaio,
julho, setembre e novembro.
ASSIGNA-8E
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueira de
Faria conta o facto era que por era nada
consta offlciali nenie, pois tndo se refere a noticias
parece espinh isa, mas que se est nos termos era
que se diz, dei era ji ter causado alguns prejuizos
ao commercio.
No domingo' 8 do eorrente ei-rei o Sr. Dr. Loz I
seu augusto p i 0 Sr. D. Fernando, e S. A. o Sr.
infante i). Augisto, foram assistr ioauguraclo da
picola Acadei Uca na sna casa recem-construlda.
i propnetario e director deste bello estabeleci-
mento o Sr. Antonio Florencio dos Santos que a
fundou ha 17 annos no largo de Roque, em Lisboa.
A casa nova jna calcada do Duque, entre o mes-
mo largo e a p ac de D. Pedro.
El-rei dignoi se nesse acto distribuiros premios
aos alumnos di escola acadmica mais dstinctos.
razia a guarda da honra o regiment de infantera
n. 10. Esteva iresente o commissario dos estudos,
o director da e cola de medicina e varios lentes, o
da escola polytichnica, o da escola normal, muitos
dos proressores do lyceu nacional de Lisboa, o cor-
po cathedraticqda escola acadmica, e mais de tre-
zentas senhora da familia dos alumnos daquelle
collegio, e mu as pessoas illutsres.
engenueiros subalternos de primeira classe, o per-1 noVoar30
cebero os veocimentos correspondentes; e os aue *
a entrega ser feita por proprio ou pelo
SS2*J5*5?5 5^^|SoTo,5S i^-ioexpedidor; no primeiro
spondentes; e os que correio
dicaces da scien-
' feita com gran-
de pomares e
mais altos da
A conetruccio feita sob as in
ca; tem vastar acromodacoes e
deza e eleganc a. A casa e rodeada
alamedas, fleanio n'am dos pontos
capitel, o que lie proporciona ura bello panorama.
~>0s mimst,os expozeram em reunlo de maio-
na dos deputados eleitos, ha dias, as propostas que
tenclonavam a>resentar ao parlamento e que j
eslavam coorde lados.
| N'essas prope slas contam-se a da desamortisaco
dos bens das c isas religiosas, rmandades e con-
frarias que anda nao o estara: 4- o cdigo civil -
le dos cereaes- -liberdade do cqmmercio dos vi-
nhos reforma policial do paiz-reforma da ins-
iruccao poblKa e reforma do cdigo penal.
Todos estes iirojectos serlo apresentados logo
que as cortes seconstituam.
Sahio no Diario offlcial a reforma do servico
dos correios.
A sub-inspec( lo geral dos correios e portes do
reino substituida por urna direcelo geral.
O director geial dos correios e postos do reino
equiparado er i cathegoria e prerogativas aos ou-
tros directores geraes do ministerio da obras pu-
blicas.
A direccao ge al ser composta de duas reparti-
Coes, urna centr; I e outra de contabilidade.
Sao ereados d >us logares de offlcaes vsitado-
ro igualmente i graduado e venciraento dc"- 10 S" ZZZ'" *? m? ^^ PS?5a
genheiro chefe de primeira classe ^ receber o despicho; no segundo o expedidor
- Publicaram-se as reformas do ensino aeri- 1"'^a nKSeu d^spacho am es,amP'ln de 23 rs.,
cola, e do cnsioo industrial g ie 'LdesPachP era enviado como carta de offlcio.
Pela reforma fica dividido o ensno professional' VPS*"* d^clarar ? desPfho S au,er
de agricultura em dous grus; elementar e supe- t^^L VZJP-'0 0a-pel ?'0' e as pala-
rior. O elementar para habihucio dos operarios Z!rSadec,an,5ao serao con,adas Para a ,uxa
e regentes, agrcolas e florestaes, e o superior para Ont,^a;, n .
habilitado dos agromonos, engnbeiroTagricolas J"l\m?1? das tax.M e .a,s despezas mencio-
selvicultores e veterinarios ntoids,, 0,4,3 MTi fe|t0 por estampi|haS) l)em como pa.
O primeiro desles grus '-de ensno professado : 5?^mt'ItT'ilt "f u$eV*mm*,>de"
as quintas de ensno, e o segundo no instituto i Lt fPeddr,Para este fim declarar entre o
geral de agrcola ,eTt0 e a as?|gnatura -resposta paga -entrando
Para o ensno elementar haver qualro quintes TSSTSJSmT^i que- Se dTm ,aMr
reeionaes de ensno agrcola, e as mintas esne- 8v*" decretara em que epeca deve come-
ciaes que sejulgarem "SXiAa" ficando o go-! ffi ifS?ttf f2S d? es,amP,l,ha^ e
verno autorisado a adquerir terrenos necessarios ? 1 e3Se,..,eniP0 todos os pagamentos as eslacSes
V^isqMroq^rJio^^As^^^:^"^ com,nuarao a ser feitos em moeda
peciaes do eosino agrcola somente se crearlo, as
localidades em que as juntes geraes dos districtos
ou cmaras municipaes promptificarem os ierre
nos, ficando a cargo dogoverne as despezas do
pessoal e expo relo.
Os alumnos das quintas especiaes, serlo subsi-
diados pelas cmaras municipaes.
Alm destas quintas regiooaes e espicaes, ha-
O expedidor pede o direito Importancia das
estampilhas que liver empregado para pagar a res-
posta, se esta se nao realisar, ou s vier com me-
nos palavras que as pagas, nlo ser entregue sem
ser recebida tamben em estampilhas a importan-
cia correspondente a diferenea.
Em todas as estacSes haver um caminho espe-
ver urna florestalde eos"oo"elmelar K7m"oca' C'a.' ff* nulilisar- aPenas os despachos que derem
escolhido pelo governo e ser organiza por um tf^t^" as/s,amPilha| 9ue representera o
regulamento pagamento legal da sua expedicao.
as quintes regonaes e florestal crear-se-ha urna ,?, SXSSl hse resfnab,lisa Pe'a .Pon-
aula de ustroccio primaria accomodada aos lins ntrega dos desPacnos- despacho foi en-
desle* estabelecimentos accomoilaila a0s "BS trege, ou ao mesmo lempo ou depois do que cne-
Uma das quintas regiooaes reue flear situada fana uma Sato dir.'S'da pelo correio, ser restiiui-
mais convenientemente! ?eraJsiderada,prS Sg^BJ"" ,udo1aanto li'er W na **>
ro, como quinte de ensino elementar para os ope- ; tnu
ranos e regentes agrcolas ; segundo, como quinte
de ensiuo pratico para os alumnos do instituto ;
terceiro, como quinta experimental ; quarto, como
quiBta exemplar.
res encarr*gado! da fiscal sacio i do servico as ad-1 para os rstenles cursos tchateos e s'iec'ncias ore-
ministraroes cen raes e direc^S^s dos correios do!":--
reino e ilhas adj; cenes, bem como as estacSes
postees ambulan es dos caminhos de ferro.
m destes offl iaes visitadores ser adjunto
de 85U' rs., a
reito. por haver pprehendido o soldado desertor
-do 7. batalhlo de infamara Joao Antonio dos San-
tos, como se v do altestado, que devolvo em du-
plcala.Communicou-se ao coronel commandante
das armas.
Dito ao cnsul americano. Em additamento ao
meu ofljcio de hontem, communico ao Sr. Thomaz
Adamson cnsul dos Estados-Unidos que o capito
da galera norte americana Susan Houland tr'ouxe
as cores a
vinda do conde de ToiMems, evgovernador geraLJXeparticio cenirj e nutro
da India porlugueza, como o signal da modiflcaclo -
esperada. As macooarias, e os partidos libsraes
militantes preparam-lhe homenagens. Os minis-
tros, amigos pessoaes de Cesar de Vasconcellos (o
conde) esperam-no sem rivalidade. Entretanto os
pequeos boatos, as pequeas intrigas refervem
para dar como verdicos sonhados despeitos de to-
das as partes.
Traia-se, ao que parece, as sociedades secretas
progressistas, de reservar ao ex-vice-rei da India o
malhete do gr.io-mestrado, vago ha tempos.
Entrar o nobre conde para os negocios da guer-
ra ? Ser elle o novo ministro do ultramar?
E' tudo hypothetico, mas em tedas as funcc5es
encontrar elle cordiaes abracos, porque um ge-
neral Ilustre, e os partidos carecem de generaes, e
nomes tao respeitados como o delle nunca slo uma
superfluidade as parcialidades que se disputam o
I poder.
s laxas e despezas a que se refere este decreto
; podem ser alteradas, quando o governo julgar con-
l veniente.
Fallecen no dia 9 do correte o Sr. Pedro Va-
I SaSiSTf: o^3qu?ceS k
ueta honra de ser nomeado para commandar a
corveta Bartholomeu Das, quando este vaso da
nossa marinha de guerra, conduzio seu bordo a
Sra. D. Mana Pia para casar com el-rei o Sr. D.
Luiz.
No dia 6 felleceu em Lisboa o Sr. Jos Mana
Pereira d'Almeida, que fra governador de Timor,
e que se apresentava deputado eleito por aquella
provincia.
Esiao j promptostos estados de orna ponte
sobre o Tejo, que deve ligar o Roci d'Abrantes
cora a estrada de Castello Branco que vem a Abran-
tes ; e consta que o conselho das obras publicas
tambero j consnltou a favor desta obra, que ape-
zar de dispendiosa, omito importante, pois as re-
lai;v> entre aquelles dous pontos, na estecao in-
vernosa, ou sao pengosas ou impossiveis, por causa
dac oaohoDtoa.
poe-se de um director professor ; de um sub direc-
tor ; de um chefe de servico agrcola, encarrega-
do do ensino pratico de agricultura ; de um chefe
de servio pecuario, encarregado do ensino pratico
de zootechuia ; de um professor de nstrucclo pri-
maria, encarregado da contabilidade, e dos mais
empregados subalternos que as necessidades do
servigo exigirem.
O pessoal decente do instituto compe-se de 12
lentes ordinarios, on de primeira classe, a de seis
auxiliares, ou de segunda classe, seis ordinarios e
tres auxiliares para o curso veterinario e parte
das sciencias preparatorias e outros teios lentes
paratonas.' Haver tembem dous professores" de
desenho ; ura ordinario, oulro auxiliar, e um re-
petidor para as cadeiras de engeoharia agrcola.
Aim do pessoal decente haver mais: ura chefe
promofres dos entregados da directo geral dos slIviculSa?encaonado tambSm da direceao das ~ A "8**8. Pnmtolora de agrlenltnra portu-
correos e das dminis-rac5-is centraos!"at aos hortes.e jardins, eda*waseTSSSSS. gUMa- mandou Ja.f"er a raedalha_com que deve
lugares de officiais de primeira classe ioctusve,' tencentes a serglo agrcola I chefe de servico prem,ar exPs,tores; raa,s-se dlstingoirara
serao sempre felt* dentro dos rpspectivos quadros elinco, demoastrador da pa holosia e cloico-me- ^P05".'30 a8r,c,ola nlumameote feita em Belm.
pela superioridad e aptido Uprovada, e em d.ca; ncarregado dos gabinetes de aoatomiaM. O templar desta medalha emagn.ficaraente cu-
igoaldade de circ imslancias pela antiguidade. lliologica: 1 chefe df ?7,1 -1 T"2* nhado-. N ama das faces represente um camfo de
: ESidor IffltAfflMttSB6 KBitfte s-j? **ail
a ~.P"bl1iucarame as reformas da dreccogeral v
> trabalhos geographicos, estatislicos e de pesos j carregado do gabinete de cirurga de nr chefe
! de servico clnico, demonstrador de pharmacia, en-
carregado da direccio da botica ; de um offlcial
e
gocaco o meu ministro em Londres, nao tem
este afrouxado no seo zelo para conseguir um re-
sultado propicio sem quebra na mutua dignidade
das duas potencias divergentes.
Sua magestade o imperador do Mxico, partid-
pandme a sua exaltacaoao throno, heuve porbera
para este capital no vanor raiiawini'iii ilnmi """" ",lJ. ^"a fiaron, nouve por uem
balieiras quTpertenciaTa raesraa galera"como* ^^^"^0.da minha curte um.enviado extra-
participou o commandante do presidio de Fernan-
do, em offlcio de 20 deste mez.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meus protestos
de estima e consideracao. Igual communicacao
se fez ao inspector da thesourara de fazenda.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Sciente de quanto V. *. pondera em seu offlcio
n. 188 de 20 do eorrente, tenho a dizer-lhe em res-
posta que eslou disposto a nlo embaracar que
para esse presidio sigam pessoas a negociar cora
gneros de primeira necessidade, continuando po-
rm prohibido o embarque de plvora, mel de
furo, bebidas espentuosas e fermentadas.
Dito ao director das obras militares.Informe
V. S. que obras se achara actualmente em anda-
mento, declarando quaes as quo eslo encarrega-
das ao ajudante dessa directora, 1. lente ba-
charel Chryssolito Ferreira de Castro Chaves.
Di 10 ao director do arsenal de guerra.Commu-
nico a Vmc. que em offlcio do Io do eorrente par-
ticipou o commandante do presidio de Fernando,
que a remessa de calcado feita esta reprtalo
pelo hiate nacional Sergipano constou de 1,121 pa-
res de sapatSeg e nao 1,22! como por equivoco est
declarado na guia passsda pelo alraoxarife do
ordinario e ministro plenipotenciario. Aos senli-
menlos de amisade manifestados por aquelle sobe-
rano, procuro eu corresponder, ligando a maior
importancia as relac^es polticas e commerciaes
entre os dous paizes.
Ao yosso esclarecido exame e apreciaco sub-
emtter prximamente o meu governo o tratado de
limites conhecido era 29 de setembro ultimo eotre
Portugal e Hespanha.
No periodo decorrido desde a ultima sesslo do
anno lindo designou o suffragio popular o novos
membros da cmara electiva, exercendo pacifica-
mente os cidados um dos mais valiosos di-
reitos.
Nao progredindo os trabalhos preparatorios para
o definitivo arredondamento das parochias, base es-
sencial de uma juste e acertada dotacao do clero.
Cora essa base vos ser opportunamenle apresenla-
da a competente proposta de le.
A reforma da legislado civil ponto importan-
tissimo que o governo "nao tem descarado. Feliz-
mente a commisso revisora do projecto do cdigo
civil portuguez tem por tal modo adiantados os seus
trabalhos, que o mencionado projecto ha de ser com
brevidade submettido vossa approvaco.
mesmo presidio em lins de dezembro do anno pro- "*"?-1!- torna urgen,e a retoma do sysle-
ximo passado.-Comraunicou-se a thesourara de ftffSL^XffSS&S^S^J* "eC.eSS"
fazenda dade indeclinavel do estabelecer no paiz o systema
Diio o mesm. ForneCa Vmc. ao commaodan- jf ?1'ienc1!"'0' "me,U, c.ommissao espeten-
te do presidio de Fernando os signaes de que pre- t,i,sima pard,se 0CcuPf desse importante assumpto,
cisa o telegrapho do mesmo presidio, os quaes de- ^f/"VLXSTSl5 C vemseriguaes em cor e padro aos do telegrapho J8?"'?vdeJ"a,d ~?"ecimentos. Opportuna-
da torre do collegio.-Communicou-se ao comman- ZS2h?Ptt* J! PrPSla,S de If'
dante do presidio de Fernando. necessanas para re5olver tao momentoso ob-
Dtoao mesmo.Convenho em que sejam en-'' S^.-. j._ij____.. ._j ^.~, ,. .
viadas ao presidio de Fernando na corveta de : Se,reis dev'damen'e informadjjs das difflealdad.es
guerra Berenic, para o que expedre opportuna- 'ae leem. rf,ardado ? e"cuao da le hypothecaria;
mente as convenientes ordens, nao s as trila ar- 0^to*o**&um*o, e dentro de
robas de plvora compradas pelo coeselho admi- Puc? ,emp Paizlhseraefrect.vamente dotado com
nistralvo para o mesmo presidio, mas tembem as **^~l**de 15 arrobas que Vmc, segundo o seu offlcio n. 173 M"s2 res"ados-
de 26 do crreme, quer mandar para ser aprovei-! /endo-se posto successivamente em execuclo o
teda em salvas e exercicios, visto achar-se arru-; glan da SR8"^ militar approvado pela carta
na(]a. de le de -A de junho de 1864, o mea governo vos
I apresenter diversas propostas tendentes a melho-
Fica assim respondido o sea citado offlcio. rar anda alguns ramos de servico do exercito, tao
Commnoiroa-se ao commandante do presidio de digno da solicitude dos poderes pblicos.
Fernando. Passouse o grave periodo da crise monetaria e
Dito ao mesmo.Faca Vmc. recolher aos arma- commercial, qne vos bem notoria, snstentando-se
zens desse arsenal os 10 caixSes mencionados na o crdito dos nossos fundos. Co.-tearam-se lodas
relacao junta, nos quaes est acondicionado o ar-: as despezas publicas sem ser preciso recorrer ao
chivo do 9" batalhlo de infantera. i empresllmo autorisado, em razio do melhoramento
Dito ao mesmo.A' vista do mappa e relacao das cobrancas e da receita extraordinaria proce-
inclusa, remeta Vmc. ao commandante do presi- dente do preco da arrematarlo no ultimo semestre
dio de Fernando 242 calcas, 242 camisas e igual j do contrato do tabaco.
numero de esleirs que do ultimo semestre do an- Organison-se o servico das alfaodega?, havendo
no passado venceram 242 sentenciados militares todo o cuidado em conciliar com as commodidades
excluidos dos corpos a qne pertenciam e que se do commercio as necessidades flseaes, e tendo em
acham no mesmo presidio.Cnmroonicou-se ao particular alinelo as novas condic5es econmicas
commandante do presidio de Fernando. ^ de paiz, creadas pelas vias de communicacao, e
Dito ao chefe interino da reparliclc- das obras desenvolvimento industrial,
publicas.Declarando-me Vmc. em sea offlcio de Reformou-se tembem a casa da moeda,-segundo
hontem qae o conlratante dos concertos e reparos as indicaedes da sciencia, e os Das a qne este esta-
de edificio, em qne faneciona a thesonraria pro- belecimento deve satisfazer.
Dr. Cesario, lente da universidade e qae na ultima
ses>ao da pretrita legislatura foi presidente da-
quelle ramo do parlamento. E' pessoa respeitada
per sua boj educaclo, imparcialidade, lettras e
honradez.
Para intrigar e indispor, diziam as folhas adver-
sas situacao que so tralaria de collocar na presi-
dencia o general Francisco de Paala Lobo d'Avila.
Nunca se pensou em tal, creio ; nem seria pru-
dente [az-lo quando elle, ha mais de dous mezes
o alvo dos mais verrinosos a>ques da imprensa
opposicionistas.
O general prometten j pela imprensa chamar
e medidas j e a dos lelegraphos do reino.
A direccao geraj dos trabalhos geographlcos geo-
dsicos, chorograptiieos e hydrograhicos do reino,
a repartido de estilstica que actualmente per-
tencem direccio; geral do commercio e industria
e a repartilo de pesos e medidas, constituirlo
uma direccao gerhl denominada dos -trabalhos
geographicosfe esatisticos e de pesos e medidas.
Esta direccao cpmpoe-se de tres reparticoes ;
primeira, instituto! geographico ; segunda, es-
latislica ; ^- trceira, pesos e medidas.
O quadro permanente do instituto geographico
sera composto de dm director, que ser Inspector
do corpo de engenharia civil, ou um offlcial gene-
ral, ou superior ofl cial das armas scentifcas do
exercito ou da arre ada ; de um subdirector, en-
genheiro geograph) de primeira classe; de tres
aos tribunaes as folhas que o aecusam de mandan- trceira classe ; deiquairo aspirantes'agravadores;
te no assassinato de Soutulho. Mas ainda nao dous dcsenha4ores!de primeira classe; de dous de
cnamou. Esta demora anima os aecnsadores ; cada segunda classe ; de um pholographo de deste-
redactor hostil Ihe atira a sua pedra, rematando pador litographa db primeira classe, de um de se-
sempre com a alluslo I tenebrosa encrullhada de ganda classe ; de dpus aprendizes; de um escrivo
Mutulho, onde foi brbaramente assassinado o in-' pagador; de dous amanuenses, de um continuo, e
eliz advogado Agostinho Julio. de um fiel.
Na verilicacao de poderes em que se tem occa- j O director, da direccio dos trabalhos geographi-
pado a junta preparatoria, f i approvada a elei^ao eos esatisticos e de pesos e medidas de nomea-
(por Ovar) do general Francisco de Paula Lobo de pfc do soverno.
Avila. Novas recrlmlnac5es. Novos doestos que es-! Os offlciaes do ejercito e armada podem ser em-
tao dando uma deploravel e repugnante feico a! prega.los no instlalo geographicr, percebendo os
este systema de aggress5es. Chame o aecusado aqs; ordenados correpbndenles aos engenheiros civi*
tribunaes. os adversarios. Lave-se novamente das. segundo a graduarlo que Ihes for conferida como
insinuacoes que ja n'outra parte e n'oulro tempo addidos ao corpo Ele engenharia civil,
jurdicamente se lavou. Prove a sua Innocencia
outra vez; mas por Deas, acbese com Isto qae
uma vergonha como nunca se vio. Nlo s o ge-
neral Avila, nao seu irmo o ministro da fazen-
da, nao a situacao progressista que dirige os ne-
pharmaceutluco; de constructor do machinas e
instrumentos ruraes; de 1 mestre de ferrar e for-
jar, de 1 fiel dos armazens do hospital veterinario
recebedor de pensoes do mesmo hospital; de 1 en-
fermero e de 10 porteros, guardas, tratadores,
etc.
O pessoal do servico administrativo de 1 offl-
cial encarregado de toda a contabilidade do estabe-
leciraento e dirigir os alumnos nos exercicios de
contabilidade; de 1 secretario e 2 amanuenses,
sendo um especialmente encarregado da escrptu-
raclo do hospital; e de 1 thesourero. Estes em-
pregados serlo nomeados pelo governo, sob pro-
posta do director, ouvidg o conselho de instituto.
O collegio de alumnos veterinarios fica extracto,
engeuheiros geogra ihos de primeira classe, chefes O governo prestacionar com o subsidio mensal
aeseccao;de umjengenheiro hydrogrphco de de 12J000 dez alumnos para frequentarem, seis o
primeira classe, chofe de seccao; de dous engenhei- curso de veterinaria e qualro o de agrnomos, no
nh.rgegrap 0SJ( Primeira classei de seis eoge- instituto geral de agricultura, bem como poder
nneiros geographos de segunda classe ; de dois en- prestacionar dous individuos para virem freouen-
genneiros hydrogr seis topographos de! primera classe ; de seis ditos instituio.
de segunda classe; de dous grayadores de primeira Slo creados tambem quatro lugares, ura para
oi segunda classe ; de doas de inspectores para as florestas, oulro para punaria e
dous para a agricultura. Estes inspectores serlo
gocios pblicos, o paiz inteiro que se" affronta
com este episodio poltico ; a naci toda que se
alllige de uma polmica ensanguenlada onde se
prodigalisam os eplthetos insltenles, onde todos o
das se tezem dos jornaes calvarios em que negreja
solitaria a cruz de Soutulho. Isto eve pois ter um
lermo, por que nlo decente continuar assim.
Tem corrido desde hontem na praca, por cartas
particulares, haver o eoverno dos Estados-Unidos
da America mandado "reter os navios portuguezes
mercantes, que se achavam ancorados nos portos
daquella repblica. Esta noticia tem cansado gran-
de e muito desagravavefimprosslo na classe com-
mercial.
A questlo que levon o gsverno dos Estados Uni-
dos a proceder contra nos com tanta severidade,
parece qae muito simples, e nasce, segando se
diz, de um certo descuido da parte do nosso gover-1 quarenta de segunda classe, e de um numero de
no. iz-se que este a questlo. I telegraplu'stes subalternos de primeira classe, qae
o Americano Potter, dentista conhecido e resi- nlo exceder de 2, 10 e da segunda classe 3 10
dente em Lisboa, comprou em leilao, na praca do do numero total de telegraphistas esta cathegoria.
(Ammriril lf~VV\At> (!! >>nn*a_.____ 1 1 1 >
O qaadro da repartilo de estetistica comp5a-se
de um primeiro bfflcial, chefe de repartilo; de
um primeiro offlcial, chefe de seclo ; de doas se-
gundos offlciaes, qe seis amanuenses, todos cora as
attribuicSes, direitos e deVeres, as noraeaces ac-
cessos, aposentas Jes e vencimentos, que compe-
lera as demais dereccoes do ministerio das obras
puhlicas.
Os inspectores le pesos e medidas podem tam-
bem ser empregados n'esta repartilo como agen-
tes especiaes.
O qaadro da r^particlo de pesse medidas com-
pe-se de tres chefes de seclo, quatro, amanuen-
ses e um fiel, e "inte um inspectores para o servi-
00 de fiscalisaoa dos afllamentos dos pesos e me-
didas, incluindo p arqueamenlp de navios e o fi-
lamente dos contadores do gaz e agua e outros
anlogos, nos diitriclos administrativos do reino.
O pessoal da direccao dos telegraphos do reino
comp5ese de uqi inspector ; aito directores; cinco
offlciaes de primeira classe; diez do segunda classe;
vinte lelegraphfstas chefes de primeira clase;
commercio, por sna conta oa por conla de outrem,
um navio em mu estado. Concluidos alguns repa-
ros de que o navio careeia, resolveu que sahisse
do Tejo.
A alfandega grande oppoz-se a que o navio ame-
ricano, sahisse de Lisboa, por entender que este-
va innavegavel.
Ponderou.se aquella casa fiscal que sendo o na-
vio americano, com bandelra americana, nlo devia
embaracar a sua sahida do Tejo. A alfandega insis-
ta e o dentista Potter protestou por terdas e dai-
nos e apresentou a sua queixa ao representante da
sua nacao.
Apezar das reclamacoes, o governo s maito lar-
de mandoa pagar ao Americano dous contos e nove-
cenios mil res.
Diz-e lambem qaeogoverno apezar de ter man-
dado fazer este pagamento, nao participou qae o
flzera em devido tempo ao nosso representante em
Alem desle pessoal bavere mais boletinefros a
cavallo e boletiiieirof a p de primeira o segnnda
classe nunca superior a 1,10 do numero de
kilmetros de lionas construidas.
O pessoal da administracao central dos telegra-
phos cemposio de quatro chefes de repartilo,
chefes de seccii; trite telegraphistas fazendo as
vezes de escripfurarios ; um interprete ; um paga-
dor ; um fiel de armazens; um desenhador; um lito-
grapho ;| tres estampadores e serventes.
O director geral e de nomeacio do governo. Os
chefes de reparicoes serlo nomeados tembem pe-
lo governo, de nire os directores telegraphcos.
O vencimentoj do director geral do telegrapho,
seja qual for ajsua gradaacao as corporaces a
que perlencer ser Igual ao venoimenlo respectivo
ao de inspector do corpo de engenheiro evrl.
Os offlciaes d 1 corpo auxiliar telegraphico que
torera despchalos, directores, serlo gfadnado? e_ni
tirados d'entre os lentes, ou d'entre os engenheiros
da scelo agrcola das aguas florestas.
O governo Oca autorisado a manter e crear de-
posiios de anraaes productores e postos de cubri-
lo, e a fundar outros quaesquer -estabelecimentos
tendentes a aperfeicoar as racas pacuaras, etc.
O Dtario publicou tambem o decreto regu-
lando o systema da adraisso de despachos no tele-
grapho.
O governo poder contratar com qualquer em-
preza o estalielecimeiito de Iinhas telegraphicas
aereas ou subterrneas, para o servico geral do go-
verno e do publico, por tempo determinado.
Era quanio nao houver dous (ios exclusivamente
destinados, um ao servico offlcial do governo, outro
ao dos particulares, os despachos offlcaes preferi-
rlo aos particulares.
Os despachos particulares fleam sujeitos ao pa-
gamento de laxa de 300 rs., para todos os tele-
grammas de uma al vlnte palavras, isto dentro
do reino. De cada cinco palavras ou Trcelo de
cinco palavra, alera das vinte, pagarlo mais 30 rs.
Sao contados como uma s palavra para o paga-
mento da laxa os nmeros que tiverem cinco alga-
rismos, alera dos antecedentes; os nomescompos-
tos, e bem assim os appellidos de familia e os ttu-
los de nobreza que eontenham palavras nsepara-
veis.
Os nomes das ras, acorapanhados do numero
da habitaclo da casa e do andar, assim como os
nomes da hospedara, quinta, fabrica, qnartel, ou
ou outros quaesquer Indicativos de residencia ou
domicilio.
Os traeos de unilo e sgqaes de pontuacio nlo
se contam, mas lodos os outros signaes serlo laxa-
dos pelo numero de palavras que forem necessarias
para os traduzir.
A designadlo das esteedes da partida e da che-
gada dos despachos, os nomos das pessoas que os
enviam e a quem sao dirigidos, a data respectiva
e as assignaturas dos portadores, nao serlo laxa-
dos, salvo se vierem escripias no corpo dos mes-
raos despachos.
Os particulares poderlo exigir que a estecao da
chegada repita os seus despachos para a eslaclo
da partida, pagando previamente ama quantia igual
importancia do mesmo despacho, e querendo sa-
ber a hora qae o despacho chegoa residencia da
pessoa qae era dirigjda, pagarlo ama qoantia
equivalente do preco de um despacho simples
para aquelle ponto.
O despacho que foi destinado para mais de ama
pessoa pagar a laxa correspondente, e, alm dis-
so, 100 rs. para cada copia.
A entrega dos despaohos ser feita gratuitamen-
te no domicilio dos individuos a quem slo envia-
dos, qaando elles residirem na povoaoao em qne
estiver a estaoio da chegada.
Se 03 divdaos, porm, residirem f4ra dessa
nda no p, par-
te deitado, depois da seifa.
No centro, v-seo arado, como principal instru-
mento delavoura. Em volta ha uma cora de fruc-
tos e flores em bello relevo.
No reverso da medalha e em torno delia l-se a
inscripclo segralo : Real associacao central de
agricultura portuguezi. Dentro deste formase
uma cora de dous ramos, odadireita decarvalho,
o da esquerda de loiro ; no centro da cora l-se
medalha de honra.
Torneando a medalha em toda a sua grossura
deve ser posto o nome do expositor premiado.
Na sala da academia das sciencias que deve
verificarse a distribuicao desta medalha aos expo-
sitores, por S. M. el-rei neste mez de Janeiro.
A erapreza dos planos Inclinados e doka ao
sul do Tejopassou para a posse de uma corapanliia
de que fazem parle o Union Banck de Londres,
Fonseca, Santos e Vianna e outros capitalistas de
Lisboa o Porto.
A nova empreza vae dar todo o desenvolvimento
aos trabalhos e constituir urna grande ponte para
os vapores poderem atracar e receber carvo de
pedra.
Denominase este companhia The Lisbon Re-
pairing and Enyineerg Company.
O capital de 250,000 libras, dividido era dez
rail acodes de 2o libras cada uma.
Quatro quinto^ deste capital sao reservados para
Inglaterra e o quinto restante para Portugal.
Trata-se pela respectiva repartilo de assen-
tar com a maior brevidadeos dous fare.*, compra-
dos pelo governo, e destinados um para o Porto,
outro para a barra de Lisboa. Os fares slo de
quaria classe, e foi muito pequea a avaha que
sotfreram alguns volumes no dia do grande tempo-
ral do Tejo, na eccasilo em qne estavam paca des-
embarcar no caes da alfandega. ^
Conste tambem que ser apresentada s cortes
urna proposts para mel llorar o servico dos fares e
comprar novo material.
A vendado tabaco estrangeiro tem sido gran-
de mas em geral o genero, se nao caro, nao
muito saperiar. Houve ura estebelecimento na ra
do Ouro qae no primeiro dia vendeu retalbo
mais de um cont de ris de cigarros e charutos.
O raelbor Tabaco e mais em conta o d ans cha-
rutos suissos vendidos no escriptorio dos agentes
dos vapores de Nantes.
Est ngmeado secretario geral do governo d i
provincia de Cabo Verde o Sr. Eduardo Augusto
de Souza, 2o offlcial graduado da secretaria da ma-
rinha.
S. M. el-rei em demonstraolo do sentimento
pela morte do archiduque da Austria, Lulz Jos,
tomou luto por tempo de qninze dias.
A companhia de minas de ferro e carvao do
districto de Leiria vai era progressivo desenvolvi-
mento. J sahio de Inglaterra o navio inglet Rosa.
cora o primeiro carregamento de materiaes para
um aito forno, que se vai construir na Marinha
Grande, no que j se empregam ans ciecoeaia tra-
bajadores.
Na Batalha trabalha-se com a maior actividade
em sondagens, e exploradlo de miaas, tendo-se en-
contrado carvao de pedra e ferro magntico de
etcellente qnalldade.
E' actualmente superintendente da companhia o
Sr. Henrique Ooult, malte hbil engenheiro inglez
e cavallelro muito respeliavel, que flxou a sna re-
sidencia na Marinha Grande.
Os trabalhos na Batalha sao dirigidos pelo Sr.
Lmterd, engenheiro mineralgico ; e os da Mari-
nha Grande pelo constructor dos altos tornos, o
Sr. Gower.
A sala da cmara dos pares promelle Bear
muito vistosa e elegaote. O tecto ricamente pinte-
do cora figuras allegoricas, assenia sobre viole e
qaatro columnas de marmore nacional.
Ha duas portas Sobre a primeira deve flear um
medalhlo cora o basto de sua magestade a rainha
D. Mara II, sustentado sobre duas figuras allego-
ricas, representando a Maternidade e a Sabedoria ;
sobre a segunda o busto de S. M. D. Pedro IV, se-
guro por ootras duas ligaras allegoricas, represen-
tando* a Liberdade e o Valor.
A mesa da presidencia assenla sobre nm estra-

_-------------




Diario de Pernambneo
do, qnc tem prximamente 12 metros de comprldo
e 8 de largara. Algumas das pegas do estrado sao
raovedieas para se poderetn lirar no dia da sesso
real.
Atrai da cadeira da presidencia, o chanudo pa-
vilhao real composto de doas genios, represen-
tando a Justica e a Realera. Sustentam o retrato de
d'el-rei o senhor D. Lua. .
A sala um simi-dreoto, tem aproximada-
mente dezoito metros de comprimento. Anda esta
um pouco alrazada, e so pode flear prompU por
todo este mez de Janeiro.
Os corredores j esli condoleos. As paredes
sao pintadas de verde, os frisos delirados e as hom-
breras das portas, bem como os roda-ps. sao de
madeira de carvamo. Produzem ptimo effeilo. O
pateo da entrada est completamente transformado.
No meio do antigo claustro fet-se um tonque novo,
que hade ter m repucho ; as columnas foram to-
das niel horadas o as paredes e abobadas estucadas
c pintadas de diversas cres.
As obras continuara oem extraordinaria activi-
dade. Desde julho que trabalhara diariamente mais
de 400 operarios. Espera-se ficar prompta per to-
do este mez.
Inauguraram-se na sala da associaco dos
empregados no comnercio e industria, na ra dos
Douradores, os cursos livres de economa poltica
dados pelo Sr. Seraedello Jnior.
Concorreram ioeumeros membros da associago
e muitos individes a ella estranhos. A sala esla-
va cheia.
O discurso do Sr. Serzedello Jnior, fui princi-
palmente dedicado aos principios geraes da scen-
cia.
Diz-se que fui exonerado do cargo diplomti-
co que exercia em Londres o conde do Lavradio,
tirando em seu lugar o duque de Saldanha. O
certo que o duque vai dar um baile de despedida
em Roma e fazer leilo da mobilia.
Assevera-se que vai reaparecer o peridico
diario Progresso e Ordem, sendo redactores politi-
ces es >rs. Silva Ferro e baifto de Lages.
S. M. a rainha nao pude assistir a recepgo
real da abertura das cmaras em consequencia de
ter estado levemente constipada. O incommodo
foi muito leve, mas podia aggravar-se expondo-se
S. M. com o vestido decolado como proprio dos
actos de grande gala.
Chegaram dous cavallos rabes offerecidos
por el-rei da Italia, Vctor Emmanael, a el re, seu
genro, o Sr. D. Luiz I.
ao dous formosissimos animaos, como de
suppor em um presente de raonarcha para monar-
cba, e vem destinados para padrear as candela-
rias reaes.
O offlcial do exercito, D. Luiz da Cmara
Leme, acaba de publicar a S* e ultima parte dos
Elementos da Arte Militar que com justa razo
tanto noine lhe teem dado.
Esta parte tem por objeclo naeoes de pequea
guerra, estrategia, tctica, e direito internacio-
nal.
Publicou-se o annuncia do governador do
banco Ultramarino, declarando devisados do mes
mo banco os descidentes, e convidando-os a ir
receber o deposito dos 5 portento, assignando a
desistencia da aeco que poteram em juizo.
. O Sr. Elias Duarte Serro acaba de inventar
um engenhoso relogio elctrico, que vai apresentar
cmara municipal, para ver se ella adopta nos
passeios pblicos e as pravas.
Dizera que urna obra digna do auter.
Foi concedido previlegio de invencao por es-
paco de 1S annos a Soho Solsnon Benson e Edvin
Lander, por urna machina de fazer vasilhame.
Igual previlegio foi concedido ao Sr. Carlos Eu-
genio Lwedericb, por espac, o de 5 annds para um
aperfeigoamento feito nos relogios de algibeira,
com aparelho do dar corda na argola sem necessi-
de de chave. .
No dia 29 do mez paseado, foi recebido por
S. M. em primeira audi-ncia, ao palacio da Ajuda
oSr. Koudriafesky, enviado extraordinario e minis-
tro plenipotenciario de S. M. o imperador da
Rnsea.
No mesmo dia 29, sahiram para Mozambique
trinu e nove degradados, seguem viagem a bordo
do brigue N. S. da Conceirao, fretade pelo go-
verno.
L-se na Gazeta de Portugal o seguinte :
No dia 19 do rorrete, dizem-nos de Pars que
houve no Grande Hotel um banquete para cele-
brar o 43 anniversario da undago da sociedade
^de geographia de Parts.
A rouaio era muito brilhsnto As ceion.
cias, as artes, a poltica, a marinha. etc., esta-
vam ali dignamente representadas. Fizeram-se
diversas toast. Depois lia saude ao imperador,
que foi feita por S. Exc. o marquez de Chasseloup
Laubat, ministro da marinha e das colonias, Mr.
d'Avezac. presidente da commissao fidcllissima
el-rei de Portugal, nes seguintcs termos:
t Meus senhores. J em urna recente solemni-
dade, fazendo-vos conhecer as povas acquisicoes
com as quaes ha alguns mezes tem crescido a lis-
ta dos membros da sooiedade de geographia, o
presidente desta commissao central assignalou com
nonio s vossas respeitotfcs-sympathias. Um joven
soberano estrangeiro nao esqueceu o brilho immor-
tal, que as grandes deponerlas geographicas dos
seculos XV e XVI deram sua cora : quiz que
esta alta illustraco adquirida pelo seu povo, pelas
suas nobres proezas no caminho da sciencja ao
progresso da qual se tem consagrado a nossa livre
associago, fosse airosamente representada entre
nos; e para urna gloria to cara ao seu patriotis-
mo, nao julgou que fosse demais a nscripcao de
nm nome real no quadro dos nossos membres
abaixo do nome augusto, que acabamos de saudar
com as pessoas primearas acclamagoes. Saudemos
pois agora com um respeitoso toast o raonarcha
estrangeiro que se rtignou associar aos nossos
modestos trabalhos o preciso auxilio das snas sym-
patliias.
t A sua magestade fidelissima el-rei de Portu-
gal.
Este toast foi acolhido por unnimes acclama-
goes. Ninguem melhor de que Mr. Avezac poda
/aliar das glorias porlugoezas: elle queem muitas
das suas melhores obras traten e discuti estas
questoes com o talento, e erudieao e e respelto da
verdade que distingue o sabio presidente da
commissao central da sociedad* geographica de
Pars.
L.
A ultima inora.
A esquadrilha porrugueza sahh-i no sabbado 14
do corrente, para o Brasil.
DIARIO DE PERNaMRUCO
Hontem, s 5 horas e meia da tarde,undeou era
nosso porto o.vapor francez G mentir, sendo porta
dor de ntidas do Rio ate 24 e da Babia at 28 do
corrente.
Nao trazendo este vapor joroaes do Rio, trans-
crevemos do iornal da Baha todas as noticias do
sut :
Rio de Janeiro. Por decreto de 16 do corrente,
foi nomeado commandante das armas da provincia
de Matto-Grosso o marechal de campo viscoode de
Camama.
Ao coronel Frederco Carneiro de Campos foi
concedida exoaeraco dessa presdesela.
Por decreto de 21 .deste mez foi osmeade vogal
do conselho supremo militar e commandante Jas
armas da provincia .do Para o brigadeiro Anto-
nio de Aguiar.
Foi transferido do oomoiando das armas da pro-
vincia do Para para o da de Pemambueo o mace-
chai de campo Francisco Sergio de Oliveira.
Foi exonerado o coronel ioaquim Jos GoncaJ-
ves Footes do commando das armas da provincia
de Pemambueo.
Foi nameado Vicente Forreira de Assis para o
lugar de praticanle do porteiro da administrado
do crrete da provincia do Amazonas.
Por outra de 21, foi nomeado (Gustavo Lustosa
Quinaquina para e lugar de ajudante da agencia
. do crrelo da villa do Exu, na prowacia de Per-
namhueo.
Por carta imperial datada de boje 16) foi Bo-
rneado senador do imperio pela provincia do Piau-
hy o conseiheiro Joo Justosa da CunhaParana-
Por caru imperial de 14 foi, nalaraliaado ci-
dadao brasileiro subdito o portuguez HiJario Jos
Brue.
Foram nomeados :
Segundos clrurgldes teneates do corpo de saude
do exercito, os Drs. era medicina Jos Rufino de
Noronha, geraphm Luiz de Abreu e Joae Pedro
de Aguiar, a pharmaceutico alferes do dito corpo
Tobas Alves do Amaral, todos na conformidade do
art. 156 do regulamento de 7 de marco de 1857.
Foi transferido o capitfo do 8 batalhao da iafan-
'hna Francisco Antonio de Carvalho, para a 5"
companhia 3o TO* batalho da mesma arma.
Concedeu-sa reforma, na conformidade das dis-
posigoes do S 1- do art. 9 da leio.ti48,de 18 de
agosto de 1832, ao capillo do 3 batalho de caval-
huia ligelra, Joo Teixeira de Brilo, ao tenente do
7* batalho d&infanuria, Lupercio GahagemCbara-
ploni, e ao capeliao alferes da repartido eclesis-
tica do exercito, padre Joaquim de Araujo Rangei
e Silva, vi6to sofrerem molestias incurveis, que o
tornara incapazes de todo o servigo.
Concedeu se demissao do servido ao 1 drurgio
do corpo de saude Dr. Luiz Lopes Baplista dos
Anjos.
Por decreto de 2 do corrente foram nomeados
segundos cirurgioes do corpo de saude da arma os
Drs, Joaquim de Carvalho Beltamio, Manoel Si-
moes Daltroe Silva e Manoel Joaquim Saraiva.
Estao nomeados : ajudanto general interino
o Sr. brigadeiro Polydoro da Fonseca Quintanilba
Jordo, e engenheiros Antonio Pedro de Aleacastre.
Por cartas iraperiaes de 14 do corrente fo-
ram nomeados :
Digmtario da ordem da Rosa, o contra-almirante
Chaigaeau ; offlcial da mesma ordem o baro des
Micheis.
Per decreto da mesma data foi nomeado ca-
va I leiro da ordem de S. Bento de avz, o 1" tenen-
te da armada Antonio Benedicto Ozorio Xavier de
Azevedo.
Foi nomeado guarda e preparader das secjoes
de zoologa e botnica do musen nacional Manoel
Francisco Bordalho.
Foi apresen lado oconego Manoel Rodrigues Coe-
Iho das Noves na igreja parochial de Santa Chris-
tina do Pinhal, da diocese do Kio Grande do Sul.
Foram naturlisados cidadaos brasileros os sub-
ditos porluguezps : Antonio de Araujo Couto, An-
tonio Morelra da Silva, Jos do Reg Pontes, Joa
qnim Jos Machado Guimaraes, Joaquim Antonio
da Caoba, Manoel Ignacio de Oliveira e Joao da
Costa Soares e Silva ; os subditos italianos padre
Francisco Sabino Philo e Prospero Antonio Yorio
e o subdito francez Jos Adriano Marrey, e o sub-
dito portuguez Hilario Jos Bruno.
Por decretos de 9 do corrente foram nomeados :
Segundos officiaes da secretaria de estado dos
negocios da justiga, os amanuenses da mesma se-
cretaria Jos da Costa Carvalho, e Pedro Rodri-
gues Branco Vianna.
Foi removido :
O juiz de direito Lopes Villas-Boa?, da comarca
de Santo Amaro na provincia da Bahia, para a vara
dos felts da fazenda da capital da mesma provin-
cia.
Foram nomeados alumnos pensionistas de me-
dicina e cirurgia do hospital militar da corte, Joa-
quim Jos de Fgueiredo Jnior c Luiz Jos Pereira
da Silva unior.
Por decreto de 4 do corrente mez foi exonerado
do cargo de.presidente do imperial instituto baha*
no de agricultura, o desembargador Antonio Joa-
quim da Silva Gomes.
Por decreto de igual data foi nomeado presidente
desle instituto o desembargador Luiz Antonio Bar-
bosa de Almeida.
Foi aposentado, a seu pedido, o continuo da se-
cretaria de estado, Antonio Pinhero da Costa.
ro publicado o decreto n. 3,378 de 16 de Janeiro
de 186o, que assim concebido :
Tendo em considerado as duvidas que se tem
suscitado sobre os verdadeiros limites da provincia
do Paran com a de Santa Catharina, querendo por
termo aos conflictos de jursdc$ao que se tem da-
do entre as autoridades das provincias.hei por bem
ordenar que, em quanto a assemWa eral legisla-
tiva nao resolver definitivamente sobre este objec-
to, se observe o seguinte :
< Art. 1. Os limites entre as provincias do Pa-
ran e Santa Camarina sao provisoriamente usa-
dos pelo rio Sahignac, .serra do Mar, to Marom-
bas, desde sua vertnte at o das Canoas, e por
este at o rio Uruguay.
Art. 2. Ficam revogadas as disposieoes em
contraro.
b Jos Liberato Barroso, etc., etc. >
No da 21 houve conselho de estado plio.
O presidente da provincia do Rio de Ja iieiro pa-
gou 200:0003000 da divida que tinha com o Banco
Rural Hypolhecario.
Esta publicada toda a correspondencia diplom-
tica trocada entre o governo paraguayo e o dig-
no representante dos Kstados-l"nidos" Carlos A.
Wasburn e o nosso ministro respeito da sahda
d'este, quando lhe foram dados os passaportes.
0 Diario Offlcial deelarou que a convocaca ex-
traordinaria das cmaras nao estava no pensamien-
to do governo.
Foram publicados dous decretos, um creando um
balalho de infanlaria na freguezia de S. Goncalo
em Matto-Grosso, e oulro elevando a 8 compaahias
o balalho quo'havia de Cuyab.
Nopaiuete francez Gutenne chegaram em
missao'mexicana os Srs. D. Pedro EscaBdon, mi-
nistro, Antonio Prez Borrueros, secretario, e Pe-
dro ManeMouz, alim de participar a exaliaco do
imperador Maximiliano ao throno do Mexqp, e ob-
tir do nosso governo o reconheoimenlo do novo im-
perio.
Falleceram o barao de 'Campo Grande, mi-
nistro do supremo tribunal de justiga, e o Dr. Her-
menegildo Ribeiro da Cunha Feij, chefe de secQao
aposentado da secretaria da marinha.
Foi nomeado o primeiroteneate da armada, Jay-
naes Gomes de Argolo Ferrao, que se acha em
Franca para liscalisar a obra dos dous navios en-
couracados, cuja construccao foi contratada com a
companhia Sociel Noitcelle de forqes el chantiers
de Meditevrane por intermedio de seu agente na
corte.
A' raspelo do arsenal de marinha determnou
o ministerio que as canhoneiras Igualmy e ira-
guary sejam armadas cada urna com tres pegas de
68 de segunda classe e duas de 30 de quinta
classe.
Offertaa patriticas.O Sr. senador Jos de
Araujo Itibeiro offereceu ao governo imperial a
ptnsao aunual de reis 2:4o3z>333 que percebe como
enviado extraordinario s ministro plenipotenciario
aposentado, em quanto durar a guerra no Rio da
Prata.
A commissao encarregada da ubscripjo na
freguezia de S. Jos nesta corte para o armamento
nacional por occaso do conflicto inglez, offereceu
a quantia de 6:417-5732 que havia arrecadado,
para auxilio das de9pezas que tem o governo im-
perial de fazer, para reppellir a aggressao do
Paraguay.
Dizem as folhas de Campos que alguns guardas
nadonaes e officiaes iam alistar-se como voluntarios
para a campanha do sul.
G Dr. Joo Joaquim de S e Costa p6z a quana
de 3:0003, a disposicio de 10 voluntarios que se
qudram alistar para o exercito.
Voluntarios da patria.L-se no Jornal do
Commercio:
Hontem pela manhaa formou o batalbao de
fusileiros da guarda nacional da cidade de Nithe-
rohy oa praca do Quartel, tendo a frente o seu
commandante tenente-ceronel Augusto Fraaciscj
Caldas.
O cemmandante, tendo dirigido urna falla aos
seos camaradas, ordeno que dssera um passo a
frente os que estivessem promptos para marchar
em defeza dos bros do Braslvilipendios pelo Pa-
raguay.
a Todo o batalho dea om passo a frente.
. Este faeto ser levado ao conhecmento do
governo imperial pelo presidente da provincia.
t O tenente-eoronel Caldas marchar a frente
do seu batalho se o governo aceitar o patritico
offereciment deste.
Honras fnebres.Algnns eidados mandara
celebrar boje, s S^horas da maaha, na matriz
de Sant'Anna, urna missa pelo elerao repouso dos
valentes, que no asealto de Paysandi cahiram pela
patria, e outros fazera igual commemoracao piado-
sa no da 26 na matriz de 8. Joo Baptista de Ni-
tberoby.
O vigario da mesma freguezia de S. Joo Baplis-
la, e todos os mais parocbos da capital da provin-
cia de accordo cora alguns cidadaos resoiveram
celebrar na matriz no dia 27 do correte, s Hs
horas da manhaa, stimo dia da noticia do feito
d'armas de Paysandi, ama missa solemne por alma
dos que heroicamente pereeeram na defeza da
patria.
Aps este acto religioso, as pessoas presantes
acharam salvas em que sem limitaeo de quantia
poderam depositar o sea obulo, que arrecadado
pelo respectivo vigario era presenea def|uantos
quizerem assistir ao acto, ser remettido ao gover-1
no geral, para ser especialmente empregdo a
avor das familias dos soldados e pracas que hou-,
verem perecido no combate oa tiverem soflWdo i
niublacao de membros. >
Esta idea, acreditamos, imitada por todas as
cidades e villas do Imperio attestar ao mundo que
ha verdadeiro espirito nacional e religioso oo Bra-

4 8G5.
a Hitas zeram-se inmediatamente sob a salvaguarda das
tropas brasileras, que formaran) logo quadrado
mettendo-os jto centro.
Estes prisioneiros, entre os quaes muitos offl-
ciaea, cojos nomes vm publicados na Refarma,
qual segnio o
si I, e o seo resultado dar grande allivio
familias que ficaram sem arrimo. >
itanifestar.no patritica. Mais de duas mil
pessoas reunindo-se hontem s 61/ horas da tarde
na praca da Constitaicao a urna banda de mostea
particular, seguiram pela ra do Sacriraento e. foram postes era liberdade, e cada
voltando praca deram, ao som do hymno naci- {destino que preferio.
nal, repetidos e enthusiastiees vivas ?. S. M. o Im-
perador, augusta familia imperial, ao exercito
e marinha hrasileira aos bravos de Paysand, aos
hroes de Coimbra, ao Sr. barao de Tamaadar e
aos Voluntarios da Patria.
Mais numeroso seguio d'ali o grupo pelas ras
do Ouvidor e Direita, saudando nesse trajelo o
exercito, a armada, a imprensa e a na cao brasilei-
ra, e parando defroote do pace imperial soltou
calorosos vivas ao Imperador.
Possuido do mesmo enlhusiasmo voltou o povo
pelas ras Direita e de S. Pedro onde se des-
per sou.
S. Paulo.Falleceu o Dr. Hugolioo Ayres de
Freitas e Albuquerque, juiz de direito da Parahy-
buna.
Era crescido o alistamento de voluntarios.
Entre elles apresentou-se o Sr. Dr. Camillo Ga-
vio Peixoto.
A esse respeito diz o Correio Paulistano :
t O nosso distincto patricio Dr. Camillo Gamo
Peixoto, acaba de offerecer ao governo para mar-
I char ao theatro da guerra como Voluntario da
Patria, na qualdade de simples soldado 1 O Sr.
; Dr. Gavao tem um pergaminho scientifleo, mogo
(dalgo da casa imperial, socio do banco Gavio,
j Ribeiro & Gavio (um dos primeiros desta cidade)
senhor de grande fortuna, descendente de ama
: das princpacs familias casado e pai,
tudo.
quadra ou pouco mais da praca por este mesmo
lado do norte.
c Igualmente pelo sul dispara urna oatra ban-
deira brasileira em urna solea a pouco mais de
duas quadras da praga equasi em frente a um
canlo dos sitiados.
t Os collorados levantaran) sua banueira de
A maior parte embarcou para Montevideo. Sen- guerraa cruz na casa de Poncinf na ra Real,
do, porm, para notar-se qoe doas dos officiaes que e a urna quadra do forte canto Mau. Tem urna
foram pastos em liberdade e que no embarcaren)! pequea pega de artilharia e com ella batem a
deram vivas ao baro de Tamandar e agradece- trinebeira.
que a tomada de
ram o tratamenlo que havlara recebido, mal che-
garam a Montevideo forjaran) orna pacte offlcial ao
governo pregando mentiras indignas e assacaado-
nos infamias I
So-tanemiseraveisi
Dp qne nao resta duvida
Paysand, com as eircumstancias que a acompa-
nharam, constiiue um floro de gloria para as ar-
mas do imperio.
Se houve a lamentar-se o derramamento de tan-
to sangue precioso e o sacrificio de tantas vidas,
deve isto ser imputado a obstinagao e a furia do
chefe oriental, que repellio anda urna vez a pro-
posla que lhe foi feita para render-se ante forgas
su per or s.
Urna testemunha presencial desse glorioso feito
publicou era Buenos-Ayres a seguinte narrago,
em forma de boletlm:
t Capitana argentina. Dezembro 31 de 1864.
A' noute se circulou a praga de bateras desde a
Buena Vista at o cemitorio, a 6, 8 o 10 quadras
do torreao e de mais fortificagoes, que ao romper
do dia comegaram o fogo contra aquellas,
t A' tal provocaco inesperada os%itiadores res-
alen) de ; ponderaip com urna viveza atterradora, e de que
poucos exeraplos ha uestes paires.
|..................................................I 4 lioras e 40 minutos da manhaa.Va um
t O Sr. Dr. Camillo Gavio Peixoto, de quem paioljde plvora dos sitiados um pouco a leste do
fallamos cima, fez offerocimento ae governo, alm | torreao. A canhoneira Belmonie faz seis tiros
de sens esforgos pssoaes do auxilio pecuniario que ; praga. 1
possa precisar, e a que se possa prestar sua for- \ 4 %.-Marcha o coronel Soarez do porto com
tuna. a infanlaria colorada come a tomar as tres ras do
O povo paullsta assim ; na devotago chega Norte, que esto debaixo dos fogos do verdadeiro
: al ao sobre-humano. > | caslello brasileiro de Buena Vista, que a esta hora
Goyaz.Falleceu o tenente-eoronel reformado faz um fogo incessante e tao nutrido como se fosse
da guarda nacional e procurador fiscal aposentado fuzilaria. Urna columna de fumo envolve a bate-
: da fazenda geral Joaquim Gomes de Siquera. ria e a grossa columna que a sustenta.
Rio-Grande do Sul.No dia 10 vollra ao Rio- ] 5 horas.A B/mdRr-aJirja-ftombas com lar-
Grande no vapor de guerra Amelia, o Sr. general gos inlervallos.
Caldwell, e no me.-mo seguir a 11 para Pelotas. 5 ) horas.O torreao nao responde j; porm
Foram nomeados : commandante da guarnigo veem-se seus artilheiros como i oceupados em al-
de Porto-Alegre o coronel Joao Antonio Mendes guns trabalhos. A Parnahyba d tres tiros com
Totia, e major da praga e major Antonio Eduardo acert. Os sitiados rompern) o fogo as 4 horas, e
Martin1. at agora combaten) sem baadeira no torreao, com
Fallecer em Pelotas o Dr. Amaro Jos d'Avila' mandancia e igreja.
da Silveira, ex-deputado geral e provincial c 3o Algumas se veem sera embargo nosjeontornos.
vice-presidente da provincia. 5 horas e 40 minutos.A infaotaria colorada,
Tinham sido chamados destacamento para o que nenetrou nos arrabaldes norte e oeste da po-
survigo de campanha os corpos ns. 46 e 47 de ca-, voacao, com duas pegas volantes, faz alguns tiros
vallarla da guarda nacional que formando urna, s trincheiras da praga. O fogeda Delmonte e Par-
brigada marchariam para Bag sob as ordens do nahyba parece extinguir-se, entreunto que as ba-
coronel commandante superior da guarda nacional*! terias de trra o sustentam com viveza, porm nao
deS. Gabriel. jcomo principiarara.
Recebratarabem ordem de marchar o 7corpo; 6. horas.O torreao alira outra vez, e conti-
de guarda nacional do districto das Pedias Brancas, na um momento, calndose por flm diante do fo-
cin 403 [iracas sob o commando do tenenle-coro- ] go vivissimoe cerleiro da batera brasileira Buena
nel Maneel Carlos de Macedo Pires. Vista, que lhe arrebata com seus tiros at o pu de
No dia 9, por occaso de se descarregar para o banaeira do Sebastopol da praga.
deposito da plvora no Rio-Grande os artigos belli-1 6 Vi horas.Urna pequeoa bandeira oriental l-
eos, que conduzira do de Porto-Alegre, o hiate vantada na meia laranja da igreja cahe. Arreben-
Activo, desabra parte do respectivo trapiche, ca- ta o canho Bocea Negra de Suarez, e faz dozo vjc-
hindo ao mar nove rail e tantos cartuchos. timas. O fogo dos siadores vai lornando-se mais
Em Uroguayana fura apprehendido dentro da lento; desde meia hora que o torreao nao contesta,
villa um contrabando de 60 volumes de fazendas e E' pausado neste momento, e como cora tendencia
17 cavallos dos contrabandistas; e no Passo do a suspenderse completamente.
com 108 arrobas de herva
batalho de infanlaria
Baptista ama carreta
mate.
Era esperado alli o
para lazer a guarnigo.
Em S. Borja ficava o Sr. tenentc-coronel Jos
Luiz da Cunha, com ura corpo provisorio de 400
guardas nacionaes.
A forra total da guarda nacional da provincia
destacada subi a 12,005 borneas, distribuidos da
maneira seguinte:
Postas, guarnicoes e destacamentos....... 724
22 corpos provisorios da 423 pracas cada
um................................ 8463
2de271 pracas...................... 542
1 de 261.................... ....... 261
Os do Viamo, Taquary, Encruzilhada, Po-
dras e Jaguaro.....................
NOTICIAS DO RIODAPRATA.
Cabio finalmente Paysand
6 horas e 40 minutos.O fogo das bateras si-
tiadoras cessa completamente. A Belmonie con-
tina fazendo seus liros de quajto em quarto de
hora com o raro" acerio do costume.
< 6 horas e 50 minutos. Buea-Vista comer
com tiros compassados. Alguma infanlaria colo-
rada com duas pegas volantes faz seus tiros pau-
sados as trincheiras de oeste a duas ou tres qua-
dras delias apenas.
t 7 horas e 10 minutos. O Ifogo de Bueoa-Vis-
ta se loma um pouco mais viva sobre o centro da
praga e sobre os contornos mais prximos a ella.
A ParnaJiyba e Belmonie arrojam algumas balas
com nimia pausa, sendo as da primeira de 68.
7 1|2 horas. O fogo se torna mais leato, urna
; columna de infamara brasileira apparece ao nor-
2015 te da praga, porm fura do alcance de seus ca-
nhoes.
8 horas e 10 minutos. Igam na torre da
Depo^s de urna resistencia tenaz, vigorosa e des- igreja o grande galhardoia branco cora o dsiico
esperaos, emraram nelia victoriosas as armas do Viva o goveroo.E' o mesmoque se ostentou sem-
imperio e ae orientaes as mando do general Flores preali, e que boje parece ler sido esquecido com
no dia 2 do correnre. as outras bandeiras.
Esse brilhante feito d'armas honra sobremodo a, 8 horas e meia. A torre reslabeloce a ban-
hravnra, a bizarra e a humanidade dos soldados deira oriental, arrancada ou arriada antes,
brasileros, qner de mar, quer de ierra. | 8 horas e 45 minutos. Um batalho brasi-
Infelizmente, porm, temos a deplorar grande leiro penetra pelas primeras ras do norte, e se
perda de vidas. estaciona por alli, contestando ao fogo lento de
Das forgas brasileiras ficaram fora de combate alguns canicies,
entre mortos e feridos, 500 homens. E destes 20 9 oras.O general L'rdinarrain e D. Nicanor
officiaes briosos e valentes, que era seu arrojo e Elias, viudos de Eutre-Rios era commissao do ge-
pnndonor sacrticaramgallardamente as suas vidas neral Urquiza, tem'uma entrevista a esta hora com
em defeza da hoora de seu palz. : o general Flores, como objectoide mediar a-par-
Na ausencia de informagoes offlcias ou seguras, lamentar cora a praga, e conseguir do chefe sitia-
se podemos mencionar amorte honrosa dos bra- dor condigoes de capitulago. Ogeneral Flores as
vos officiaes Henriqae Jos Marlns0mmediato da offerece, porm para serem aceitas c postas im-
corvea itherohy, que commandava om Ierra urna mediatamente em execucoa liberdade e as lion-
bateria raiaoa, e a do tenente Jos Antonio de Lima ras de guerra para os chejes e officiaes = a cora-
Junior, que depois de um comportamento brilhante misso mediadora nao aceita e se relira,
veio a fallecer das graves feridas que recebera a 9 horas e 30 minutos.L'm batalho colorado
bordo da corveta Recife. Seu corpo foi sepultado penetra na povoago pelo O, e rompe o fogo
na ilha de Mariim Garca. com os canicies das casas de Sardy e Beraldo, tor-
As perdas das tropas do general Flores sobemj nando-se vivo at a ra Real,
segundo informagSes qne recebemos, a 68 feridos, 10 horas. Desde o cntalo Mau at a ra
que foram transportados para o Salto, e 300 ho- Real faz fogo um canho d;s sitiados, e se empenb3
mens que ficaram no earapo da batalha. vivamente com outros dos sitiadores a tres qua"
As do inimigo foram muito menores. O que fa- dras apenas- de distancia,
cimiento se explica pela posigo que oceupavam, O fogo da batera Buea-Vista cessou compie-
fortificados por detraz de feries irincheiras e acas- lamente, menos um ou oulro tiro das bateras de
lellados as sotas e varandas dos sobrados, d'onde leste, que nao estao nossa visla. Cahe outra vez a
a seu salvo, faziam fogo mortfero sobre oj assal- bandeirinha oriental d.. torre.
10 horas e 15 minutos.- torreao atira outra
vez, e em um momento seus fogos sao apagados e
calara-se todos.
1 horas.Contina de todo suspenso o fogo
tantos.
Caleula-se que morreram delles 200. Figuran)
entre estes os princpaes cabos de guerra da rep-
blica, taes como o general Leandro Gmez, com-
mandante da praga, e os coronis Lucas Pires, salvo um ou ontro tiro de pega dos sitiadores", e
Tristao Azambuja, Jos M. Braga, Frederco Fer- um lento tiroteio com os canicies do N. e O. Igno-
nandes, Lindoro Sierra, Pedro Sierra, Felippc Ar- ramos se ha fogo de mosqueUria por leste.
gento e Ranha. 11 horas e 8 minutos. Se dispara um tiro de
O celebrado general Sa nao se animou a-soc- pega do canto dos sitiados, casa de Sardy.
iros seus companheiros desde que soube da | 11 1|4 horas.-Outro batalho brasileiro pene-
approximago do exercito brasileiro.
Sobre a morte do general Leandro Gmez cor-
ren) varias versoes. Dizem uns que foi morlo em
ira pelo norte, e sedetra as primeras casas. Ura
canho dos sitiadores collocVo n casa de Bibora-
ti, a tres quadras da trincheira, faz alguns tiros
aegao; dizem outros que foi arcabuzado depois de : sobre esta.
ter sido apanhadp quando fugia de barba rateada e i H horas e 20 minutos.Apparece um incen-
divisas coloradas, em ultima exlreraidade. | dio de casa ao NO do povoado as primeiras posi-
Accusam como o mandante desse feito indigno, foes dos sitiados, que as vo abandonando ao en-
se verdadeiro, o chefe colorado Goyo Soares, que contrar-se sos em seas cantSes. O incendio se tor-
Ihe tinha odio particular, por haver Gmez insulta-1 na devorador, propagando se s outras casas im-
do atrozmente a raai daquelle, que foi arrastada! mediatas ao ferreiro Goyeneche. As bateras sitia-
pelos cabellos as mas de Paysand. Leandro doras fazera alguns tiros como em proteceo de
Gmez era inquestionavelmente um malvado, um sua infanlaria escondida as primeiras' ras
sanguinario. Suas ordens eram crueis. Nao dava do N.
quartel a prisioneiros. E aos poucos qne lhe cahi- i as ras Real e immediata ao norte se batem
ram as mos snese de que modo os iratou, tru- duas a duas, e a duas, e tres qoadras, as quatro pe-
eidando-os, martynsando-os em vida, esquartejan- gas volantes da sitiados e sitiadores nessas ras,
do-os depois de mortos. O fogo de fuzllaria mais dbil.
Com tudo sua morte, pelo modo porque a des- Os sitiados nao apparecera em seus cantoes
crevem, umerime que deshonra ao chefe que a nem os sitiadores avangam.
ordenou e aos soldados que a perpetraran). t 11 1|2 horas.Nao se ouve nem um tiro de
Praz-nos, porm, transcrever para nossas co- pega, salvo tres das ras Real e immediatas, no
lumnas a relagao desse acto feita pela follia blan- empenho uns de deraolir as trincheiras e os outros
quissima de Montevideo a Reforma Pacifica. Eis de impedi-lo.
em qae termos o faz :
Prisioneiro o general Leandro Gmez, um dos
chefes brasileros disse-lhe: c geueral, estaes de-
12 horas. Nem um tiro de pega; porm
principia oulro incendio immediato ao anterior,
era momentos que o vento refresca.
12 lj2 horas.Do caotao
S i^*.?*-.* ST: ...,.,__ sobre a infanlaria brasileira collocada as ras
Nesse intenm chegaram officiaes e soldados co-
lorados reclamando o prisioneiro e manifestando
irritaeo hostil.
Os Brasileros, contina a Reforma, contesta-
ran) dizeodo qne os prisioneiros de guerra eram
sagrados, que a vida do general Gmez estava es-
pecialmente recotnmondada pelo baro de Taman-
dar.
O priatoneiro, porm, foi reclamado em nome do
general Flores, a Refotma quem contina a di-
zer, e o general Gmez preferindo entregarse a
um adversario poltico, do qae a orna naglo inmi-
ga, desprenden-se das mos dos officiaes brasile-
ros e segnio os seus patricios.
< Fatal resoloco, exclama a Reforma, porque a
poucos passos foi ntroduzido na casa de D. Maxi-
miano Rivero e executado com tres de seas bravos
companheiros. >
Podemos, porm, assegarar que esse faeto, ver-
dadeiro ou nao, excitou a indlgnaco do baro de
Tamandar e do general Flores, qne declaran que
seria inexoravel para com o autor desse crime,
quem quer que elle fosse.
Da guarnigo da praga que era oreada em 1,300
homens, foram fcltos prisioneiros 700. Estei pa-
inmediatas, respondendo-lhes
batera Buena-Visla.
as ras
com poucos tiros a
12 3|4 horas.Outros Incendios qne, aggrega-
dos aos anteriores que continan), offerecem todos
nm fco de desolago ao NE. da povoago. O calor
e o fumo reflecto sobre os sitiadores immediatos,
qae tinham entrado desde pela raanha.
t 1 3| horas da tarde.As bateras Buena-Vis-
ta e Cemiterio azem pausados tiros igreja e aos
cantSes contiguos s trincheiras, da praga, ou se-
ment s musmas trincheiras, que parecen) offere-
cer seria resistencio demolico que intentan) os
sitiadores.
t 3 horas.At esta hora raros tiros de pega, das
duas ras do porto s trincheiraa, e algum fogo de
fuzilaria que se vai animando gradualmente. Vi-
sivelmento
c Na ruaimmediataao sul que corre de ste a
oeste tem os colorados outra bandeira collocada
na casa de D. Maxlmiano Rivera, e fazeado cruz a
ra por meio com o canto sitiado Gordon, a meia
quadra somente do canlo Polica, nm dos' mais
fortes da praga por seu edificio e guarnigo.
e Nao sabemos desde que horas tomaram estas
posigoes,pois o sol nos impedia ver bem e distin-
guir as bandeiras de que se acha a povoago co-
berta; e ignoramos completamente o que succede
por aquello lado, que nao visivel deperto. ere-
mos que avangam muito, e que esta a razio da
completa suspengo de todo tiro das bateras e pe-
gas volantes de leste.
6Jioras.Contmuava a -mosquetaria, anda
que nao nutrida, e nm ou outro tiro do pega as
trincheiras, e das ras da cidade em defeza das
de oeste que sao as duas-atacadas.
7 horas.Os sitiados abandonara o canlo da
casa de Beralde e o incendiara. E' um edificio
de solea e zinco de mais de 30 varas. Tornou se
um vulcao que parece prometler oarrasamonto do
quarteiro, adherindo-se aos anteriores mais ou
meaos immediatos ; porm ardendo anda com os
materiacs lateraes.
8 horas da noite Pouca fuzilaria, um ou
outro tiro de pega do canto colorado Paucin ao
canto inimiuo Mau.
t 8 1|2 horas da noite.Outro incendio voraz
pelo sul, inmediato ao hospital da praga. Os ou-.
tros continuara seus estragos ao N. e .O.
10 horas. O fogo de mosquetaria e canho
na ra" Real vai expirando, e os incendios pare-
cera que visvelmente perdera terreno.
t II horas.Silencio, apenas um ou outro tiro
de espingarda,
< Os Incendios se extinguen) completamente. >
A despeilo das invectivas atrozesque nos dirige
iJ&eforma, -nos grato ver consignado nessa folha
o empenho cora que os officiaes brasileros per
eorriam as ras para impedir raoriicinios inuteis e
vingangas selvagens, no que foram muito anxilia
dos^pelo almirante argentino Murature.
As fojhas de Buenos-Ayres tecem muitos elo-
gios braVararbuflianidade e disciplina das nos-
sas tropas.
Nao ha distinguir entre elles. Chefes. officiaes
e soldados todos tiverara no combate um compor-
tamento digno e exemplar.
A noticia da tomada de Paysand causou em
Montevideo um verdadeiro delirio. O povo amo-
tinou-se e elegeu urna junta salvadora para go-
vernar o governe. Aguirre nao leve remedio se
nao sacrificar os seus ministras impopulares, e
aceitar a Imposigo que lhe fizeram os membros
da junta salvadora.
E' completa a aoarcha que reina na cidade.
O general Sa que se recolheu a quarteis de sau-
de, acorapanhado de bem poucos, foi nomeado ge-
neral era chefe de exercito da capital.
O governo proceden recrulamento de olhos fe-
chados, O pnico das familias indescriplivei. Os
meninos de 14 annos para cima sao arrancados
dos lares paternos para irem para as trincheiras.
A emigracao extraordinaria. Sendo para notar-
se que os principaes promotores dessas medidas ti-
veram a cautela de caviar seus lilaos e parales
para Buenos-Ayres.
O governo nomltni alm disso ura conselho de
estado compeste de dex pessoas.
Na grande penuria em que se acha, expedio um
decreto impondo aos bancos estabelecldos em Mon-
tevideo o ir 11 mo de ura empresiimo toreado da 300
mil pesos, obrigando o curso das notas dos referi-
dos bancos.
Essa medida bem como a de ter elle estaoelecido
um formidavel deposito de plvora dentro da ci-
dade, provocou da parle dos estrangeiros vivas re-
clamadles e protestos.
Os portadores de ltalos dos differentes bancos
corrern) ao troco. E foi tal a provocago causada
por cssa defraudag), que o corpo diplomtico es-
trangeiro fez desembarcar varios contingentes das
esquadras para guardar os bancos. Apezar dessa
de fe a efllcacissima o banco brasileiro Mau & C.
accedeu promptaraento impstalo e emprestou
ao governo a sorama que d-sejava.
Esle procedimcnlo desperlou geral ndignaco. e
a Naaon Argentina em um brilhante artigo prolli-
gou-o devidaraente.
Pela nossa parte cobrimo-nos de vergonlia dian-
te desse faeto I
O correspondente do nosso collega do Jornal do
Commercio tratando delta exprime-se nes segra-
les termos :
c O banco Mau, principalmenie, tem sido mui-
to censurado. A respeito delle publicou a Naaon
Argentina do 13 um longo arligo que conten ver-
daderas apreciagoes. Ver um banco brasileiro dar
dinheiro para comprar munigoes de guerra que
tem de servir contra tropas brasileiras realmen-
te triste. Sinto infinito que o nobre baro de Mau
nao tenlia estado presente nesla difflcil circums-
tancia.
c Os amigos do gerente do banco o defendem
allegando a presso exercida pelo governo que nao
hesitara a apoderar-se forg'a dos valores em
caixa. Mas as estaoes estrangeirae conseniinam
nesse roubo, que interessava a lodos que tem de-
psitos neslas casas, e que possuem suas notas ?
Se houvesse alguma energa o governo blanco re-
cuarta desta nova infamia, que nos deve tambera
envergonhar pelaeomplieldade de urna to impor-
tante casa brasileira.
A collocago do deposito^ da plvora, a que nos
referimos, causou um estremeciraento entre o go-
verno oriental e o corpo diplomtico estrangeiro.
Todos os ministros estrangeiros protestaran) con-
tra isso. Os francezcsinglezes reumram-se emflMV-
tingt para invocar a protecgo dos seus nteresses.
O governo prohibi por ura decreto todaequalquer
reunio publica.
Todos receiam do ataque da cidade, e esforgam-
se por impr ao governo a capitulago ou a reti-
rada das tropas para combaterem fura dos muios
da cidade.
Espera-se que a approximago das forgas reben-
te urna revolugo na capital.
O Sr. conseiheiro Paranhos com o almirante
brasileiro parliram para Fray Benlos, onde devia
ter lugar urna conferencia com os generaos Menna
Barretto e Flores, para se combinar o ataque ci-
dade de Montevideo.
Com effelto o silio da capital est marcado para
o dia 25 do corrente.
Os vapores Oyapock e Cruzeiro do Sul l fica-
ram para conduzir as tropas ao porto marcado pa-
ra o desembarque.
Da Confederaco Argentina nao ha noticias im-
portantes. Falliram as propliecias dos praguen-
tos. Corrientes e Enlre-Bios conservam-se em
paz.
A sociedade porteoha creadora da nossa grati-
do pela maneira aitenciosa e cavalheiresca por
que nos tem obsequiado.
A mprensa contina a mostrar-se justa e ben-
vola para cora o Brasil.
Paraguay.Um vapor inglez chegsdo a Buenos-
Ayres de Corrientes troaxe noticias importantes do
Paraguay, com relago as primeiras operagoes da
guerra empprebendida pelo presidente Lpez con-
tra o Brasil.
Confirma-se a invaso da provincia de Matto-
Grosso per forgas paraguayas, cojo algansmo
elevado at oito mil homens.
A 26 de dezembro rhegou a expedigo em fren-
te ao nosso forte de Coimbra que foi bombardeado
por dous das (27 e 28), eeuja insignificante guar-
nigo, pelo numero dos bravos que a compunham,
resisti brilhantemente s tentativas do assalto por
parte das tropas paraguayas, a qaem causou gran-
de mortandade.
A 29 compreendendo a guarnigo, que nao po-
deria prolougar a resistencia, vista da sna infe-
rioridade numrica, resolveu abandona-lo, e jeco-
Ihendo-se a bordo do vapor Anhambay, sabio ci-
ma burlando completamente da esquadrilha e do
exercito paraguayo.
Cumprimos um grato dever, ao referir estes
factos, dizendo que unto a goarnicSo do forte de
Coimbra, leudo a sua frent" o teente-eeronel Por-
to Carrero, como a do vapor Anhambay. desempe-
aran) nobremento a sua missao fazendo jos a
avangam os sitiadores tomando duas
posigoes immediatamente primeira linba de can- [ gratido do paize do governo!
toes nimigos. A honra da bandeira nacional foi dignamente
4 horas.Contina a mosquetaria, e se.nota sustentada por esse ponbado de valentes que sem
agora que urna coropantua de voluntarios italianos contar o numero dos assaltantes, resistirn) h'eroi-
arvorou a bandeira de guerra de Garibaldi a urna camente at o ponto em que a prelongago desa
quadra da praga, casa nova de Picardo. A bandeira resistencia se tornarla ara sacrificio intil e nm
brasileira ondea tambera em oatra sota a urna erro militar.
De sea lado os soldados paragoayos, de quem
agora comega o mondo civilisado a onvir pronun-
ciar o nome, relatara bravuras e facanhas dignas
de figuraren) n'algum atmocreve.
E" engragadae original a seguinte parte offlcial
transmittida pelo commandante da expedigo a
presidente Lpez.
Viva a repblica do Paraguay I Viva o Exm.
Sr. presidente da repblica e general em chefe do
seu exercito I Viva adiviso deoperages do Nortel
Honra e gloria aos valentes defensores da patria 1
\iva a repblica do Paraguay 1
Sr. ministro.Tenho a honra de levar ao co-
nhecmento de V. Exc. o resoltado das operagoes
fetas pela forga sob meo commando, era cumpri-
mento da commissao qae me confioa o Sr. presi-
dente da repblica.
Aps urna rpida e feliz viagem randeou a ex-
pedigo em frente de Coimbra na noute de 26 do
corrente, e inmediatamente mandei desembarcar
parte da forga sob meu commando na margen) es-
querda do no Paraguay na disiancia de urna legua
abaixo do forte, d'abi mandei proceder ao reco-
nheciraento do terreno, oceupando as posigoes es-
trategicas.mais importantes, que deviara servir de
ponto de operagoes divisao expedicionaria, e en-
de poda bombardear cora vantagem, esperando
desalojar a guarnigo do forte.
< O vapor de guerra Anliambaby e oulro mais
pequeo que seguio no mesmo dia rio cima esta-
va em posigo, e collocando-se depois sob a pro-
teceo do forle, coutribuio poderosamente para sua
defeza.
t Effectuados lodos os preparativos necessarios,
despachei um offlcial parlamentario aflm de entre-
gar ao commandante do forle a intimago de ren-
der-se, que tenho a honra de enviar por copia
V. Exc. Esta intimago leve do dito commandante
a resposta cuja traduego tambem addito.
Depois da negativa do commandante do forte de
Coimbra, cumpria-me appellar para as armas, e
cora efeito perto das 11 horas do dia mandei rom-
pero fogo.No principio s as duas canhoneiras maio-
re< sustentaran) o combate contra as bateras ini-
migas, mas tomaram logo parte nelle as pecas vo-
lantes, cuja collocago na fralda do serr fronteiro
a Coimbra apresentava alguma diffiouldade, e que
bem assestadas flzeram algum effeito com os sens
tiros acertados na fortaleza e na guarnigo.
< Ao segundo dia do bombardeamento jolgnei
opportuno fazer urna tentativa de assalto, o qaal
effectuou-se as 2 horas da Urde do dia 28 do cor-
rente, com mais ardor do que a prudencia aconse-
Ihava. Parte da forga que oceupava a fralda do
serr de Coimbra, sob o commando do sargento-
mr cidadao Luiz Gonzlez, avangoo rpidamente
al as muralhas do forle por fendas diversas abor-
tas debaixo do mais decidido fogo de arlilharia do
mesmo forte, por todas as pecas que batem as fral-
das do serr. Ao approximarra-se da muralha, os
nossos soldados receberam urna torrente de balas,
melralhas e granadas, procedente tanto do forte
cmodo vaporinraifo. Mas os Paraguayos, con-
servando seinpre a sa screnidade, e com urna de
ciso e arrojo admiraveis, avangaram serapre,
mesmo por cima daquelles dos seus companheiros
de armas, que|priraeiro vertern) o seu sangue pa-
ra sustentar os direitos da patria. Muitos conse-
guirn) assim trepar as alus muralhas do forte,
sendo quasi nvariavelmente rechagados a ponta
de bayoneta, oa victimas das granadas qae cabiam
ao p da muralha.
< O assalto foi executado com toda a velocidade
que as ordenanzas recommendam, porm em visU
das grande difficuldades que lhe impediam o pas-
so, tanto por parle dos defensores do forte, como
pela natureza desvantajosa do terreno*, retiraram
os nossos dobraodo sobre a reserva, levande con-
sigo a maior parle dos feridos.
Nest? jornada distinguio-se o benemrito sub-
lvente da Ia classe da 8* companhia do batalho
a. 6, cidadao Joo Thomaz Rivaz, qne, dando nm
grande exemplo sua companhia, foi o primeiro
que, pisando sobre os cadveres dos seus compa-
nheiros, conseguio trepar cima da muralha por
duas vezes, sendo repellido na primeira e cahindo
ha segunda ferido per urna bala na cahega para
augmenur o numero dos que com os seos gloriosos
restos escalavam j a raz da muralha. Este digno
ollici.il da patria cahio heroicamente das alus mu-
ralhas de Coimbra, deixando ora assignalado exem-
plo aos seus companheiros pela sua decisao, sere-
nidade e bravura.
O sub-tenente segundo do balalho n. 7, eda-
do Lopes, nao cahio menos gloriosamente ferido
por um casco de bomba, conduzndo as muralhas
a companhia do seu cemmando, a coja frente mar-
chou at que lhe faluram as torgas.
Durante a seria ameaca do alferes Rivaz con-
seguirn) escalar e penetrar na praga pw om dos
flancos o sargento Lauriano Sanobna e sele pracas
da companhia que o batalho n. 7 tinha alli de
servigo, e pelejaram corpo a corpo al acareen te-
dos fra do combate, mortos oa feridos, excepgo
do soldado Pedro Castellano, a qaem ao descer da
muralha conseguirn) desarmar e aprisionar sem
ferimento.
Pelo que se v, a fortaleza era sostentavel ;
mas podendo emprehender-se com esperanga ootro
assalto com os conherimentos adqnerldos na pri-
meira tentativa, e o exemplo de ter podido assaiur
as muralhas o sargento Sanobna e os sens valen-
tes companheiros, tomei as medidas necessarias
para o dia seguinte, sendo urna delias fazer com
que as pegas de campanha postadas a esquerda do
rio as ordens do capilo Almirom, tomasem ama
posigo mais conveniente, para imposslbilitar os
fogos da Anliambahij, corundo-lhe a retirada para
que nao podesse escapar ; porm a guarnigo do
forte, dando por estes movimentos, e tremendo
ante a idea de um assalto mais raediudo com o co-
nhecmento que tinha adquerido da Intrepidez dos
nossos soldados, aproveitando-se da esenrido da
noite e ao abrigo das brenhas, fugio precipitada-
mente a amparar-se no vapor Anhambaky, para
escapar rio adma, levando o j citado Pedro Cas-
tellano, o deixando um ferido de soa nacao. Al
aqui o tenente-eoronel Porto Carrero tinha feito
boa defeza da inexpuguavcl fortaleza que comman-
dava.
t Depois da fuga da guarnigo, sem duvida re-
ceiosa dos auques projecUdos para o da seguinte,
a fortaleza foi oceupada pela guarnigo qne lhe fi-
cava mais prxima, e desde o dia de hontem a
bandeira nacional trmula as muralhas de Coim-
bra, que cahio era nosso poder com 37 pegas de
arlilharia, a sua bandeira e o estandarte da soa
guarnigo, e muitas centenas de armas portateis
de todas as classes, com ura parque- immenso, vi-
veres, roupa feiu e de uso, bem como oolros ob-
yectos, quaes sejam botica, servigo de oratorio, uni-
formes de officiaes, condecoradles, etc.
Nao possivel, Sr. ministro, dizer a V. Exc. o
numero nem classe dos mortos que o inimigo leve,
porquanto foram (aneados ao rio; porm, petos'
rastos de sangue encontrados e projectis qne fi-
zeram exploso, esse numero nao deve ser insigni-
ficante.
Pelo que diz respeito aos nossos, nao liveroos
na classe de officiaes maior perda do qne a dos va-
lentes queja nomeei, e as pracas consuntos da lis-
ta junta, cajo numero considero diminuto, levando
em conta que os nossos soldados combaliam contra
iininigos abrigados com completo vaaugem por
muralhas, e que a ma mosqueUria era invisivel
para os nossos soldados, fazendo fogo a eoberto
dos parapeitos.
Como V. Exc. observar pela lista de feridos
que tenho a honra de remetter, nesu classe se en-
contrara o sargento-rar, cidadao Luiz Goocalez e
sub. lenles segundos, cidadaos Manoel Nunex e
Placido Mndez, nao sendo at agora de carcter
grave as suas feridas. O major Gonzlez suslentou
bem o posto que lhe foi confiado.
c Deyo felicitar ao Exm. Sr. presidente da rep-
blica e patria pelo brilhante romporumento das
tropas do mea commando em Coimbra, porque a
resisteocia de urna fortaleza de seculos provou to
vaoUjosamente o bro dos soldados da patria.
a Amanha encelare! as minhas operagoes cas-
tra Albuquerque e Corumba, onde espero encos-
trar os fugitivos deste forte.
t Deus guarde a V. Exc. muitos annos. Forta-
leza de Coimbra, 30 de dezembra de 1864. Vi-
cente Barrios.
ConsUva tambem qae Miranda e Donrado ha-
viam cabido em poder das torgas paraguayas. Des-
se modo, como engragadamente se exprime o gene-
ral paraguayo, vio cahindo ao sen aspecto todas
as fortalezas seculares e inexpugnaveis o imperto
-situadas nessa regiio.
Em Itabua concenlrra-se um dos mohos exerd-
tos da repoblca. Faziam alguns sabir essa forca
ao algarismo de 7,000 homens. Mas por ora ne-
nham rnovimeoto se operen nae margeos do Para-
n, nem nenhnm soldado paraguayo tentn pisar
o solo argentino para ameacar, cono se pretenda
a fronteira da provinda do Ro-Grande do Sol. *
Do Marquez de Ohnda, a nica noticia qae ha



T*
Mhrto *e rcrnambnco *.?fefra ai de Jlmelr PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA..
Damos em nossa 8* pagina a encyclica de S.
S. Pi IX, caja lehura recommeodaraos aos deis.
Igualmente cometamos hoje a publicaco dos
discursos pronunciados na sesso anuiversaria do
Insittuto Archeologico e Geographico Pernambuca-
no, pelo do Exm. monsennor Muniz Tavares.
Remetiera-nos o seguale :
Srs. redactores.Ja se torna fastidioso os re-
clamos que qaasi diariamente se fazera por inter-
medio de sua coaceituada Revista Diana ; no en-
que, armado em guerra pelo governo paraguayo,
ra hoje parte da esquadra da repblica. Janeiro de iK
Dos^pssos prisioneros nSo lemoi noticias sega- Existiam petsos 394; entraram 13 : sahiram 10;
ras. Sabemos apenas que anda vivem. existem 397.
peste modo o equilibrista governo do Paraguay A sato : nackmaes 3; estrangeiros tfi ;
limita as su*s oper-cies a parte indefesa da nossa' mnlheres 8 ; estrangeiras 2 escravos 47 ; escra-
rronielra, e aeixaodo que seos amigos blancos la se' vas 6Tetai 397.
avenhara, concentra a aclividade bellicos* dos seus Alimentados custa dos cofres provinctaes 149
numerosos exerejtos as florestas deshabitadas de I Movimento da enfermara do dia 28 de ianeiro
Matto-Grosso^ djslrahe-se era roubar o quo JJie d e 1863.
passa ao alcance da mao, e que pode ter algum va- Tere *aixa : Casimiro Marino Falcao, consli-
paco.
Passageiros do vapor francez Gueme, vn-
oos dos portos do sal :
Ernesto Riesel, Jos Ferrelra Bstrefla. Vicente
Tinoco Loses e Benhi R. Gaspar.
Passageiros do vapor nacional Parahyba, sa-
maos para os portos do sul :
Jos Marques dos Santos C, Placida, africana li-
vre, Fr. David da atividaoVde Nossa Senhora,
Firmino Candido de Figueiredo, Francisco Candido
Pereira Lins a Francisco Perelra de Lyra.
Obituario do da 27 de janeiro de 186o no
cemiterio publico.
Eraerencia Maria da Penha, Pernambuco, 38 an-
nos, solteira, Boa-Vista, ptbsica pulmonar.
28
Matheus, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antonio,
pb fysica.
Movimago da casa de detencao do dia 27 de |*> eorrem a* aguas suja*. Ora se essas porus } Recito 20 de janeiro de 188.-o Francisco de
'apageos nao aproveillm a esses acoradores, para Barros Correia, escrivo que e escrevl
QUe U COnSCrvam na Imln iln rilmirn 9 Psra nnF Inn Ihrllinlnman r.nnlf.
que as conservam uo leito do ribeiro ? Para que j
estrilara o mesmo em taboas de om lado, e de oa- j
tro f Ve-to logo, qne existindo etsas aortas, aindaj
mesmo, que as aguas passem por baixo e por ci-
ma das porta por etas flcarem mais abatidlo ni-
vel d'agita, e mesmo-porqab o rrbriniWTi' setcado i
em alguns lugares, por causa do vero, que tudoj
irlo sao allegagoes para illudir.e de mais a questao
Joo Barthelomeu Gonealves da Silva
capillo Manoel Antonio Ribeiro, jntt de pat do
1* anno esta rregoezla de S. Jos do Recite em
virtud*-da lei etc.
Faoo sater em aditamento ao edftal i publica -
por este juizo, que as audiencias tero lnar
sdas do costurau, as lergas e sextas-feiras de
da semaan, em casa de roinha residencia, na
aao passar agua por baixo, ou por alma das por- ,fda das Cinco Ponta% segundo andar n. II
taS A filia OCllC azt^n KxntlK A aiiM nt nn IaA P R4M Aitrt HknAnn ..4t,i. A, *,*.-.-.
tas, e que estas estao abertas ; sim, que no eito
do renerido ribeiro, nao se pode ter tantas, e at-
pagens; as aguas devem correr livremente em to-
da largura do ribeiro : esta a questao principal.
D
tretanto despeito mesmo desse iodifferentismo,
iremos registrando a incuria ou deleixo daquellos, I Jeronyma Mana da Conceicao, Pr,3i annos, sol-
a quem incumbe velar na conservaoao e boa or-! teira' Boa-Vista, phljrsica pulmonar.
dam do bem publico. i Simihana da Visitaco de Santa Isabel Baha, SO
Ha bem poucos das esliveram entre nos SS. I ann05. *luva, Boa-Vista, delalacodo eraneo.
AA, II. de passagem para a Europa, a no pequeo Mana dos Prazeres, Pernambuco, 40 annos, soltei-
pertodo de tempo que aqni estiveram, percorreram I ra> Ra-Vista, apoplexia.
alguna arrabaldesda cidade e vixitaram alguna es- Antonio, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio, n-
tabelecimentos pblicos e entre mullas cousas nammaciio.
Miguel, Pernambuco, 1 hora, S. Jos, congeslao ce
Pastlibas venilfuga de Kemp.
Todos os mdicos que especialmente se teem
dedicado cura das molestias das enancas, asse-
veram que as pastilhas vermifugai de Kemp o
remedio o mais excedente e effleaz que at hoje
tem sido conherldo. Achanr-se elfos exclusivamen-
te preparadas cora as substancias vegetaeg as mais
salutferas. O sea sabor delicioso, nao eausam
E"pafa (Jote"enage a "noticia de todos mandei
passar o presente.
n fttfteata de S. Jos do Asara 30 do Janeiro- de
186o. Eu Jos GoacJvas de S, esenvio o es-
" Antonio Ribeiro. .
DECLAlAQuES.
Calxa Mfal do banca do Brasil
em Peraatnbueo,
. Vi de miro de 1863.
pa praca de grumete ou de marinbelro, qua lhes
competir, e a mesma graliflcaco apresenlando-se
directamente.
Exceptuam-se os qna nao forera hemens do mar,
tiverem raals de fl annos de idade, os qtiaes po-
rao alistar-se com as condlcc5es dos da tereeira
ciasse, mas sem augmento de premio.
e^Art. 17. Os da quarta ciasse reeebero como pre-
cio cem mil reis, se forem marlnheiros, e sessenta
mu res se orem grumetes.
_Art. 18. O da quinta ciasse receberao o premio
eento e craceenta mil res, se nao forem maiores
4 qnarenta annos e o de cem mil res, se tiverem
atis daquella idade.
Art.|19. O pr.emio do< voluntarios menores, des-
tinados para as companhias de aprendizes raari-
eiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos I se em poder do agenta : o reilo lera logar terca-
tutores, ou quem suas vezes ffxer : fe,ra do corrente pelas 10 horas a nunliaa no
armazem n. 8 da rna do Vigario ; ds mesma
occ.nsiao se venderlo alguns outros esera-vos com
habilidades e se ellas.
Lcilao de espolio
.*lT, T 0. con."ul de s" M- Fidelissima. o
agente Pealana fara le.lo de bahu com diversas
pecas de roupa pertencentes ao espolio da snbdi-
ta portugneza Julia Mana de Vasconcelos s terca-
fera \ do correnle pelaaJO horas da manba no
armazem n. 8_da ra do Vigario.
teil iio^i:.
O agente Pestaa iegalmenin aotorisado vende-
r em ieilao a negra erioola Rosa, idade 20 aBnos
pooco mais ou menos, perfeiia figura, fBgomma
bem, Q*ma ignalmenfe, cose eostura chaa, ar-
fianct-se bce sande quem a quizer esaminar a acha-
De ordem da directora desta caixa, se convida
nauseda era flores, etc., prodpzom seo effeito com- s credoros de >ebastlio Jos da Silva a virem
pletamente sem que seja preciso logo immedfata- recebar do Ihesoureiro da mesma caixa o que em
feias que SS. AA. Uuo visto torna-se notaveh a so-
berba montanha de iixo que abrange toda a frente
da ra dos Colhos, prolongando-se quasi al a
frente do grande hospital Pedro II; de sorte que
mesmo um trilho para os transentes a p, nao
rebral.
Gregorio, escravo, Pernambuco, 40 annos, soltei-
ro, Boa-Visia, ttano.
- 25-
ticao.
Maria, Pernambuco, 4 annos, S. Jos; escrophulas.
Um recem-nascido que foi encontrado a porta da
igreja do Pilar, Recite; sera mais declaraco.
COMMNICADOS.
xiste; e como se isto nao fosse bastante, estabe- Joao, Pernambuco, 11 mezes, Santo Antonio den
leceram pont > de despejo de materias fecaes, o can-
to do muro do amigo hospital.
t Na verdade, 4vergonhosa o quanto possivel,
semelhante porcara as itnmediacoes de um edifi-
cio publico, que frJeqaentemeQte visitado, al
por estrangeiras ; que seraduvida fara ama idea
pouco aprasivel da nossa civilisago.
Aprovaiuado a occasiao lembro tambem a
Vmcs.que, aopassoqueafariiiha vaiesnasseaado no
mercado publico, pelo tarror detundido aos mam-
tos, pelos alrawessadores, de que serao infalllvel-
raente recrulados; vito elles se enchendo a custa
ductos por preco muito inferior a aquelle que po-
deriam obter se entrassem para a cidade.
Agora porm, que esses agiotas tem encon-
trado algum embaraco era revender esses produc-
tos na nbaira, vo com ludo sempre comprando
e amontoando em deposito, aguardando melhor
poca : como exornlo cito a casa de um desses
atravessadores confronte a Gameleira (arvore) da '
Penha, que acha-se at ao tecto apilhada de sac-
cas de farinha, melho, feljo, etc., etc. e como
esses multos outros.
t So Vmcs.julgarem que essas refleiSes mere-
em algum apreso terao a bondade dar publici-
dade. >
Entrou hontem, de Liverpool, desarvorado do
mastaro de proa, o patacho inglez Monda, que vi-
nha daquflle porto para o nosso.
a barca ingleza Bertia, chegada com lo dias
do Rio de Janeiro, nao trouxe jornal algum, e as
cartas comraerciaesnenhuma noticia dao.
Algnmas patarras acerea da es-
trada de ferro.
^ fto Diario de Pernambuco de sabbado 28 do^cor-
rpte jaoeiro se l om annuncio assignado "pelo
Sf\ superintendente o concebido nos. seguintes ter-
mos:Domingo 29 do Janeiro do 1865.
Eai razao da glande concurrencia que costu-
ma haver todos os annos na festa de S. Sebastiao
na villa do Cabo, neste dia alm dos trens ordina-
rios haver os seguintes especiaes que partirao das
Cibco Ponas ao meio dia e tres horas da tarde e
voltario do Cubo s 9 horas o meia noute.
Raciocinemos um pouco a resuelto :
O ireni partindo das Cinco Ponas para a villa do
Cabo ao. meio dia e 3 horas da tarde devia ou nao
parar as estaques intermedias?
Pela redaccao do annuncio entendemos que de-
via parar logo qne nessas estacSes houverera pas-
sageiros, isto se deprehende sem duvida alguma do
mesmo annuncio porqae elle nada diz em contra-
rio; de mais sendo o motivo desses trens extraor-
dinariosa grande concurrencia que co-tuma ha-
ver todos os annos a festa de S. Sebastiao do Ca-
! boe fleando as estacoes intermedias perto de po-
cH iSET2 regressar da v, la do voados bastantemente concorridos, obvio que os
aSn !~ 7 "!' ,re? ** u lreQS extraordinarios tambem dev iam parar essas
passou por cima de um preto que dorma sobre os eslag5eS) aGn de receberem os passageiros que ah
a esiivessem; isto do enteresse da companhia e do
governo, um dos pontos de liscalisaco.
Se porra depois de clculos previos se conbe
cesse que a demora de 2 ou 3 minutos as esta
mente usar de neohuraa especie de purgantes.
Tanto as mais como os proprio filhinhos nunca de-
sesperara dellas, porqae se as primeiras teem com-
pleta conllan?a as pastilhas, estes ltimos as to-
raam cora o maior prazer possivul. Desde que
estas admiraveis e incomparaveis pastilhas foram
descobertas, todos os deraais vermfugos asquero-
sos teem sido quasi intoiramente abandonados o
desterrados pajctodos. As pasttlhas vermfugas
de Kemp se acbam lindamente acondicionadas,
dentro de frasquinnos de crystal, nao s para sua
boa exporlacao como para sua conservaoao con-
tra todas as vicissitndes dos tempos.
A' venda na loja de Bravo & C., e de Caor t
Barbosa.
GOMMESOIO.
Xovo banco de Pcrnambneo.
P banco desconta na presente semana a 10 por
cento ao anno aj ao prazo de quatro mezes e a 12
por cento at o de seis mezes; toma dinheiro a ju-
ros a prazo nunca menor de tres mezes, e saca
sobre a praca da Baha.
Alfandesa
Rendimentododia2a 28.......
Idemdodia 30...............
718:492JI6I
39.6985038
758:190^799
-llovlincntf o da alfaodega
Volumesentrados com fazendas... 298
V- om gneros... 467
rateio lhes (cada venda de urna das proprieda
des, que segundo a coucordata.lke foram entregues
para seren tendidas.O guardr-lrvros,
!jnacia .Nunes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tiva Ihesoureiro es autorisado a pagar o 22. di-
videndo de 105 por aceito.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Caixa filial do banco do Brasil
em Peraambnce.
So novamente convidados os Srs. credores da
massa fallida de Joaquim Francisco de Mello San-
tos a apresentarem nesta caixa filial sen*, ttulos
de crditos para seren attendidns no dividendo que
se tem de fazer no m do contente mei.
O guarda livros
Ignacio Nunes Correa.
' Pela theseuraria provincial se faz publico,
qte a arrematacao da obra da ponte de Motocolom-
bo foi transferida para o da 9 de fevereiro prxi-
mo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
mco 28 de Janeiro de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciacao.
lnspecco de arsenal de marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 d S de fevereiro de
!8i, o casco, machina, caldera, apparelho, mas-
taeagao, veame, amarras o ancoras do vapor fa-
manguape da companhia Pernambucana de nav'e-
ao costelra, achon todos esses objectos em re-
ar estado.
Art. 20. Os premios de que tratara os arllgos an-
iecedenles serao pagos pela maneira seguinte :
l. Os dos voluntarios da segunda ciasse, se o
allstamento fbr por um anno, lhes ser pagos in-
tegralmente no acto de assenlarera praca ; se por
dous ou tres annos, receberao era tres preslacoes
iguaes, sendo primeira paga como no primeiro
meo, segunda quando vencida metade do prazo
do contrato, e a tereeira rinda o dito prazo.
_ Os voluntarios da tereeira ciasse recebe-
rao urna terga parte do premio respectivo logo qne
Leilo de escravas de ambos es sexos
com habilMades e sem ellas,
Cordeiro Simoes Tender cm leilo, por conta
de una pessoa que se retira para fora da provin-
cia, de orna eserava de 30 a 35 annos de idade
comnm filho, sabejjd eosinhar. lavar e ourra
habilidades, 1
ea-
HOJE.
as 11 horas no armazem a raa da Cruz n. 57.
Leilo de hu eavallo para cabriole!.
Hoje as II horas a ra Ja Cruz n. 37.
Cordeiro SimoVs vender, ent leilo o eavallo
cima mencionado.
----r------ ,------ ,0 ,,v iiai/munucr, i preio cosmbtiro, 1 Uilo sea babili-
nnrimf,enUd0pJraa,oatra terca nar|e no ftm dades, 1 preta cosiobeira e engommaderra e
do pnmeiro anno de servico, e o restante lindo o tros escravos
prazo de seu alistamento.
g 3. Os premios dos imperiaes raarinheiros e os
das prajas do batalhao naval serio abonadas como
os dos voluntarios da tereeira ciasse.
S 4- Os premios devi4os pelo alistamento de
menores paras as companhias de aprendizes mnfi-
nheiros serio pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos ditos menores.
Art. 21. As gratifleacoes que eompetem ao3 vo-
luntarios que directamente se alistarem no servico
da armada, sero pagas conjuntamente com a pri-
meira prestado do premio respectivo.
O secretario da caniania.
eao de Aquino Fonceca.
Consulado proTlneial.
Pela mesa do consuado provincial se faz publi-
co que no da 10 do corrente se principjam a con-
tar os 30 dias Qteis marcados para a cobranza
Quarl-feira 1 de fevereiro far leilo n
aiient* Euzebio no seu armazem da roa da Cadeia
do Iterife n. 53, de urna mohilia dw jacaraed, no-
va, com lampos de marmore, rn|ui>smas almofa-
da3 dft la, camas, cadeiras avabae, e diversas
obras de amarello.
TrausfercDcia de lcilao
Foi transferido o leil.lo rio sobrado de um andar
sito no largo do Terc,o n. 2i, que rende 480 por
bWadoco7re~dTaio"na^^^^ auno, que se vender pelo maior preco que su
postos de 4 0|0-sobre casas em que se acharem a''ha> Pr* odiai|uaria-feira |-do fevereiro, no
estabelecimentos de commercio fra da cidade do a%rm"em do agente Euzebio, da ra da Cadeia do
Recire.prennsas de algodo, typographias. cocbei- *
ras, boteqins, hoteis, casas de pasto, cavallarices,
>ca
trilhos, rcsultando-lhe a morle
consequencia de fraclnrar-lhe a caber-a.
De Obnda remeitem-nos o seguinte:
Est se approximando o entrudo, e nos pre-
venimos as autoridades policiaes que tomem suas
medidas para evilarem este anno o escndalo que
se den no passado, nesta misera cidade de 01 inda;
por quanto lembrando-se alguns apaixonados deste
louco bnnquedo, renovaram as scenas vertigino-
sas das pocas passadas, com ludo quanto era de
brutal e ignobil, a ponto de agarrarem-s^ pessoas
pelas ras para se alirarem aos coixes d'agoa, e de
molharem-se at aos proprins mascaras I
Eotrelanto ahi no Recife nem os taboleiros de
limas se encontravam, e urna completa abolido de
tal maldito bnnquedo se apreciava.
J se vo vendo om Olinda as primicias, as ti-
minlias de cheiro pelas ras, ao psso que o art. I
23 das posturas da cmara desta cidado as prohibe
absolutamente.
I-to posto, pedimos as autoridades que sejam
fiis na observancia de taes disposic.oes, para evi- \
ar se o abuso apontado.
De urna carta de Po-d'Alho
.guite
coes eatermdios nao era conveniente a receita.jul
gamos que se deveria ter acrescentado ao referido
annuncioo trem nao para as estacos enterme-
dias-mas esse prejuizo que de modo algum o
poder demonstrar o Sr. engenheiro fiscal, estamos
certos.
Concluimos, pois, dizende que o rendiraento da
estrada de ferro proveniente da festa de S. Sebas-
tiao do Cabo, poda ser maior se os trens recebes-
sem passageiros as estaeSes entermedias.
Recife, 30 de Janeiro de 1865.
Jnior.
CORRESPONDENCIAS
Senhores redactores.Forcado por um aconteci-
enniamos n ha. puco' em cn--a^ ^ant a
1 Auna, de que sou rendeiro, no termo de Sennhaom,
Nicolao Rigueira Pinto de Souza, delegado d
Oliveira est provocando um rompimento da parte
do povo, em desespero, laes sao as flagellaces e
cruezas inauditas de sua policial
< Chama-se a attengao do Exm. Sr. presidente
da provincia para o procadimento desse delegado,
que manda fazer recrutamenlo por meio de. caes
de fila, que os inspectores langam s maltas na ca-
cada de recrulas, como se fossera animaes sil-
vestres.
Isto horroroso !
A pnpulacao de Po-d'Alho toea ao desespero
-se conlinuarem taes atrocidades, que s parecera
proprias de um paiz selvagem e brbaro I
<"Vejamos leitores o que diz urna carta d'alli,
de urna pessoa fidedigna
O portador desla irmao de um rapaz do no-
me Jos Tinoco de Sant'Anna, que foi preso pelo
Sr. delegado deste termo, Carlos Jos Gomes de
Oliveira. Este rapaz morador do engenho Cur
sahy, quer provar que doente de gotta ; mas o
Sr. delegado a nada attenden como ver das duas
peticoes despachadas por elle. Vmc. faga tudo
e poli
cia nesse termo, tem procurado aproveilar^e para
| me desabonar, venho hoje imprensa para esclare-
, cer esse acontecimenlo e mostrar ao publico o pro-
cedimento dessa autoridade.
l Depois de me adiar nesse engenho, ahi chegou
, Jos Francisco, desertado do servido do exercito,
procurando-me para que o guiasse aflm do obter
o indulto concedido pelo governo imperial aos reos
de desercae, e obter depois, pelos raeios legaes, sua
baixa.
Jos Francisco era plantador no mencionado en-
geuho, onde u'nha fundado plantajes talvez de va-
lor de 2:000J rs., e tendo sido Indigitado como ha-
vendo deflorado urna raener, foi recrulado por or-
dem do Sr. Dr. Manoel Nicolao, que entendeu de-
ver arvorar-se cm arbitro dos de.-tinos de Jos
Francisco, recrutando-o apezar de estar este dis-
posto a realisar seu casamento com dita menor,
cuja sorte poucaou nenhumaatteneao mereceu por
parte do Sr. Dr. Manoel Nicolao.
Emquanto tratava-se da apresentajao de Jos
Volumes sahidos com fazendas..
com gneros ...
51
1,020
-----1,071
Descarregam no dia 31 de janeirode 1865.
Brigue inglezU/Zoixitermercaderas.
Barca InglezaImogenedem.
Barca ingleza=7bu>o of Liverpool-idero.
Brigue inglezChanceidem.
Escuna dinamarquezaflan -diversos gneros.
Barca portu^'uezaDespipue II idero
Patacho inglezQuenbacalho.
Brigue dinaraarquezOt/m-sal.
Barca ingleza Jwomcarvio.
Barca ingleza-SeMacarvao.
Barca inglezaOld'Honesty-idem.
Barca ingleza-C/iinzaidem.
Barca ingleza -Amblesid -idem.
Barca inglezaWilliamdem.
Patacho inglez M. E. Corming idem.
Brigue inglezOlelloidem.
Barca francezalean Buptistemercadorias.
Patacho inglezPerille -serveja.
Importado.
Hiato nacional Nicolao I, entrado do Aracaty,
consignado a Prente Vianna i C, manifestou o
segrate :
76o j Jnspecco do arsenal de marinha de Pernrmbu-
co 27 de janeiro de 1865.-0 inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Companhia pernambucana
De ordem do conselho de direccao e em virtude
do art. 24 dos estatutos sao convidados os Srs. ac-
ciauistas reunirem-se era assembla goral uo
segunda andar da casa da praga do Corpo Santo
n.H, petas 12 horas do dia 9 de fevereiro pr-
ximo.
Pernambuco, 30 de janeiro de 1865.
O gerente, F. F. Borges.
Capitana do porte de Pernambuco, 14
de Janeiro de 1865
Era vista das circumstancias melindrosas em que
se acha o paiz, sendo ntcessario que todos os bra-
siieiras, concorram para a sustentago dos bros e
dignidades nacionaes, comprometidos na guerra
com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Illm. Sr. capitao do-porto, em virtude do que he
foi determinado por S. Exc o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marinha, convidar
uao s aos matriculados, como a todos es ridados
que se queiram alistar na qualidade de voluntarios
para armada,
a se apresentarem nesta capitana
nos das utes das 9 s 3 1|2 horas da tarde.
, i Cr *! '4 b!?S d,e P,e"naS de emma ;: 0u,ro sim. Sii0 Sualmente convidados os ind.vi-
ancisco Gomos de Mallos Jnior. ; dos que Hveram baixa do srvico naval, a alista-!
rem se por um anno ou mais, fgaranlindose-lhe '
219jneios de sola : a ordem.
30 libras do algodo,
de cera de caruauba aos consignatarios..
Ifiate nacional Santa Hita, entrado do Aracaty,
consignado; a Tasso Irmaos, raanifeslou -o se-
guinte :
55 meios de sola, 38 alqueires'de sal, 20 saceos
com 80 arrobas de cera de carnauba, 40 caixas
com 40 arrollas de velas de dita, 9 saceos com 4 e
meio alqueires de goinma, 171 saccas com 897 ar-
robas e 27 libras de algodo ; a ordem.
Hiato uacioual Dous Irmaos, entrado do fiio
Grande do Norte, consignado a Tasso Irmaos, ma-
nifestou o seguinte :
750 saceos cora 3,750 arrobas de assucar bruto ;
a Antonio L. de Oliveira Azevedo & C.
iteeebedorla de rends Inter-
na* geraesde Pernambneo.
Rendimento do da 2 28........ 27:228823
[dora, do da 3)................ 1.30SJ383
quanlo poder a bem desse rapaz por quem muito BrZ"\'""Tn"?~ "n VISS*"' uo2S
me mteresso. Se for preciso, como creio provar lr?ociiCO> afira de Kfar elle do 9Oo concedido
a isencao quelite asuste peca um praso para esso ^L^^.^r'81 er Prcurava"se ,rae'03 f"a
m v obtengo desuabaixa, afim de que, realisado tam-
' Eu nunca vi um recrutamenlo pela forma que ^ ?!vu c?sam!nt0. "}>" menor. vollasse sua
se est fazendo aqui, andam os inspectores com ca I lld|X^^tS^ P"e5, Pnr t
xorros pelas mallas a vaquejarem recrutas ; arada do-Sr>- Dr- Mallnoel ^,(!olao. W> de 'do edo
hontem chegaram dous a nossa casa estracalhados I s5ien,c,a e (Qe harendo concordado na aprosenta-
dos caxarros do inspector Manoel Hennnue / Ica0 do mosl20 iulgou Pra,,car um rde feto do
Estou vendo a hora era que o povo rompe om armas' mandando- VnoM no intuito de por esse
um acto de desespero I O Chnstovao, filho do com-' mei? exl,or-1!e a reprovacao publica. Felizmente
mandante superior, a linguagem que tem, quando ?Z^'\}>r-'l-COahect'io nesla cap"al e nes-se
alguem liie vai pedir por qualquer recruta qne' ler,mo de SoTia^eAm> Para que ra.nha reputacao
ha de acabar cora os vermelhos, que os vermellios f?, SS- \%e nao se soltara. Nao sei o que hei de fazer estou a, noei *i0 qUd na, a muilos aa0S fo'
ja com 16 homens que me procuraram ara os Ci I",, \ **"* suspensao do cargo
que me procuraram para os
abrigar e a quem sustento em raeu engenho ; nao
sei mais o que hei de r I E' bem poisivel que
aqui mesmo os venham arrancar. Dos me d
.paciencia e resignagao : o que pego.
Cordeiro e Simes far leilo hoje, 'de mo-
vis, crystaes, pianos, ejeravos, cavallos e outros
mitos artigos de gosto, s 11 boras em ponto.
Araanh se vender pelo agento Eusebio,
um sobrado novo estucado, Iluminado a gaz, ten
muitas commodidades, elle senhores capitalistas.
nKPABTIQAO DA POLICA !
Extracto das partes dos dias 29 e 30de janeiro de
4865.
Foram recolnidos casa de delengao no dia 28
i correnle :
A' ordem der Illm. Sr. Dr. chefe de polica, An-
tonio Camarina, escravo de Manoel Antonio de Si-
queira e Mello, como sentenciado ; manoel Anto-
nio da Silva, Henrijue Bodrigues dos Sentos eAn-
ir Lino de Souza do Espirito Santos, como re-
crot.
A' ordem do Sr.. delegado da eapilal, Jos dos
Santos Cumar Sksme losa Tawres, disposi-
^o do lonente-corenelflreerntador,
A' ordera do subdelegado de Santo Antonio, An-
tonio, escravo de Pawtao Ma tins de Barros, por
suspeito de estar fgido.
A' ordem do de S. Jes, Francisco de Salles,
dlsposigo do Dr. delegado da capital ; Vicente'
J-'erreira Gomes, para correegao ; Jos Francisco
dos Anjos, por brlga; e Antonio Francisco de Sal-
des por embriaguez.
A' ordem da Capunga, Boaendo Rodrigues da
PiOiha, sem d'daragao do motivo.
30
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Fran-
cisco Jas Ferrelra, para correegao ; a Jos Joa-
quim do Bom Pim, para reornta.
A' ordem .do sjjbjele^ado do Recife, Diogo Go-
mes da Cruz, por inseriros.
A'orden do do S. Jos, Thomaz Ricardo Sobi,
Amonio Paz de Almeida, por disturbios ; Antonio
do Espirito Santo, por embriaguez; Agosllnho Fer-
reira de S PeJMt, por briga ; e Antonio de Li-
ma, a dajMifae do capitao do pono.
O chefe da segmida seccao,
J. G. ie Mesqmta.
de subdelegado de Serinbem e mulla correspon-
dente melado do tempo, como consta de urna cer-
tido que lenho em meu poder por vver em har-
mona com individuos aecusados pelo facto de in-
troduegaoe roubo de Africanos lvres, dessa auto-
ridade to zeloza que consente que a cadeia desse
termo, para a qual dove applicar toda a atlengo
em cumplimento de seus deveres, fique reduzida a
tal estado de relaxamento, que para flns libidino-
sos nella pernoitavam mulheres casadas, como
sabido na villa deSerinhem.
Diversas pessoas desla capital, como os Ulnas.
Srs. conselheiro Panla Baptisla, Apriglo, Paula Sal-
les, coronel Jos Maria Idelfonso, e outras saliera
que eu tratava de fazer apresenlar Jos Francisco
e de obter sua baixa.
Fique, pois isso assentado para que o Sr. Dr. Ma-
noel Nicolao, que lautas vezes se lera esquecido do
cumprimenlo de seus deveres tenha certeza que
serao burlados seus intentos para desacreditar-
| me, pouco me importando que apezar de seus pre-
cedentes continu a exercer um cargo publico a
a n/aticar impunemente todo qoanto Ihe aprouv<;r.
gragas a prolecgo que lhe destribuem.
Voltara se julgar ser preciso.
Jos da Fonseca Silva.
Consnlado provincial.
itndimentododia 1 a 28----------- 129:395b31
dem do dia 30............... 4:127566
~ saos, acostumados
.vico Ida armada, e bom assim una graiincagao
mensal, ij;ual a metade dos soios, que percebara
na occasiao em que obtiveram baixa.
i As vantagens e condicgOes para o alistamento sc-
I rao as estabeleqidas pelas ioptruegoes que baixa-
, ram com o decreto u. 1591 de| 14 de abril de 1855
que sao as segu\ntes :
Art. 12. Distihgur-se-ho sjeis classes de volun-
tarios :
4.' Dos individuos que qoizerem servir na raa-
rinhagera sera tempo determinado ;
2.* Dos que se quizerem cpnlratar para servir
na mannhagem por tempo determinado ;
3.a Dos que se rirestarem servir na marinh-
gem os prazos eslabelecid^s no artigo 3." do decre-
to n. 1166 de 25 de outubro de 1854, e que escu-
sam o nacional do sdrvigo militar ;
4.* Dos que quizerem ter praga no corpo de im-
periaes marioheiros.
5.* Dos quo se deslinarem para o batalhao naval.
6.' Dos aprendizes marioheiros.
Art. 13. Os voluntarios das differentes- classse
definidas no artigo antecedente devero ter os re
qnisiios seguintes':
!. Class.Osquesa alistarem para a mannha-
gem sem tempo determinado,; devem ser fortes,
a vida do mar,
28:533*906
M0YIMEWT0 M PORTO
Navios entrados no dia 30.
Porto Alegre28 dias, patacho' brasileiro Brasil,
de 183 toneladas, capitao Manoel F. H. Rangel,
equipagem 10, carga 4,000 alqueires de farinha
de Mandioca : a Maia & Espirilo Sanio.
Liverpool56 dias, patacho inglez Monda, de 200
toneladas, capitao Fordyce, equipagem 8, carga
carvao ; a Johnston Pater.& C.
Rio de Janeiro15 dias, barca ingleza Berlta, de
363 toneladas, capitao Richard Bell, equipagem
15, em lastro ; a Amorira Irmo.
Rio de Jaoeiro -27 dias, brigue brasileiro Belua-
rio, de i-20 toneladas, capitao Manoel Candido
Ferreira equipagem 11, carga farinha de man-
dioca e outros gneros; a Marques Barros & C.
Rto de Janeiro e Bahia6 dias, vapor francez
Gueme, de 1,167 toneladas, commandanle H.
de Somer, equipagem 115, carga* differentes g-
neros. .
Navios sahidos no mesmo dia.
Barcelonasumaca hespanhola Prompta, capitao
Alexandre Oiiveira ; carga algodo.
Barcelona sumaca hespanhola Fidelio, capitao
Gerrado Mellet, carga algodo.
Portos do Sulvapor brasileiro Parahyba, com-
mandante J. J. Mantos.
New-Yorkpatacho brasileiro Palma, capitao Mi -
guel Archanjo Roque, carga assucar e algodo.
Rio Grande do Sulpatacho brasileiro Sulcepuedes.
capitao Manoel Jos Machado, carga assucar.
EDITIS.
PUBLICARES A PEDIDO.
Reqaereu-sea llustre'eamara municipal desta ci-
dade providencias, aflm de fafttor oessar o aboso de
algn* moradores dos sitios estrada do Arrayal ;
om cutos siiio passa um ribeiro, o no Jeito do
mesmo teem esses moradores portas, e tapagens,
privando a correnteza das aguas desse ribeiros ; e
por consequencia a serventa da outros moradores;
indo o requer ment informar aoSr. fiscal da
respectiva freguezia.
Consta-nos, que os moradores, quo leen essas,
portas allegam, qae as ditas portas nao chegam al
ao fundo do ribeiro, que as aguas passam por bai-
xo, e por cima das portas, qae por astas razos nao
prejndicam aos seos visnhos, e mesmo porque asi
portas estao abortas; essasallegacdeanaso exae-i rem esses dias an tuteados ou feriados sari 'a so-
tar, porqae abrera-se as portas s&raente em qan-1 dlehcia no di inmediata ?,aa
O capitao Luiz Cosario do Reg, jure de paz da fre-
gueza do Santissmo Sacramento do balrro de
Santo Antonio da cidade do Recife de Pernam-
buco, em virtude da lei, etc.
Fago saber a quem convier, que as audiencias
dosle juizo conlinuam a ser as tercas e sextas-
feiras as 2 horas da tarde, na sala publica da ra
do Imperador, salve quando ests dias forem san-
tificados ou feriados que enle sempre sero nos
dias anterioras.; bem como* que despacha em to-
dos os dias uteis na casa de sua residencia, se-
gundo andar n. 30, sito na ra do Queimado, ou
aonde for encontrado.
Recife 26 de janeiro de 1865.Eu Joaquim da
Silva Reg, escrivo que o eecrevi
Luiz Cesa no do Reg.
O alferes Joao Bariholomeu (ionealves da Silva,
juiz de paz do 9* dislrk-to da freguezia da Boa-
Vista, em virtude da lei, ote.
Paco sciente qne &\ aunleneias deste juizo te-
rio tufar as segundas e rolntas-teiras, as 4 ho-
ras da tarde, na ra do Sebo n. 4, e rjnnde fo-
II-"91*9-7 "mm'**"*' ma uv iUai, ou pelo menos
i->i..)-.$_o/ capaes de servir oa praga de grumete.
^ 2.* Ciasse.Os que se conlraiarem por prazos de-
terminados, de um a tres annojs, devem ser fortes
saos, e acostumados a vida do mar.
3.' Ciasse.Os que se contratarem para servir
na marinhagera o prazo de seis ou deoito annos,
em confonnidade do arligo 3. do decreto n. 1466
de 25 de outubro, devem ter as requisitos dos da
segunda elasse, excepto a pralica da vida martima
que poder ser despensada com a clausula que
adianie ( artigo 16) se expressa.
4.* Ciasse.Os alistados para o corpo de impe-
riaes marioheiros devem ser cdados brasileiros
de 18 35 annos de idade, oa at 40, sendo homens
do mar; fortes, saos, e capazes de todo o servigo.
5." Ciasse.Os alistados para! o batalhao naval
devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os oa-
tros requisitos da quarta elasse.
Todava poder-se-ha admittir alguns estrangei-
ros medanle previa autorisagao do governo.
6.a Ciasse.Os aprendizes marioheiros devem
ser chlnidos brasileiros, da 10 a 17 annos de ida-
de, de constituigo robusta, e apropriada vida do
mar.
Poder-se-ha tambem admittir menores de 10 an-
nos, que tenham suficiente desenvolvimento phy-
sico para os exerclcios do aprendisado.
Art. 14. Os voluntarios da prirneira elasse perce-
berao os sidos concedidos pelo artigo 1 "do decre-
to n. 1466 de 25 de outubro, mas nada receberao
a titulo de premio ou gratilkago.
Ser-lhes-ha declarado, e expressado nos seus as-
sejptamentos, que noobtero guia de desembarque
sem previnir ao commandanle respectivo dons
meces antes, salvo se nlsso nao liouver Inconve-
niente para o servico, por que ento sero inme-
diatamente attendidos.
Urna resal va, que lhes dever ser entregue com
a guia de desembarque, .declarar qae a contar
dessa data os sobreditos voluntarios, se forem na-
cionaes, ficam isentos do recrutamenlo por um an-
no, ou por tempo igual ao qua liverem servido nos
navios do estado, se esto prazo for menor ; salvo,
porm, o caso de circumstancias extraordinarias
durante as qoaes ficar suspensa a isencao.
Art. 15. Os da segunda elasse receberaos os pre-
mios segualas :
Se terem grumete; dez, vinte e dous, ou trinta
e quatro mil reis, segundo se contratarem por um,
dous, ou tres annos.
Se foram marinheiros : vinte, quarenla e cinco,
ou setenta mil reis, segundo o prazo de seo contra-
to for do om, deup, on tres aunes. ,
Alen opmmio reeeberJ Mais os refterides vo-
luntario* se directamente se apresentarem, a gra-
liflcaco de quatro mil res sondo esiraogelros, e.
do cmeo mil reis sendo nacionaes.
Esta grattflcagao, porm nio se abonar repeti-
damente ao mesmo Individuo por cada novo oa-
irato soccessive que-flier, se este for de prazo me-
nor de tres annos.
Art. 10. Os da leroeira elasse rocabera mMs
o** qaarta parte do matar prarnio quo noderiam
ebler coDtratando-se como os da segMda elasse,
e fabricas, de 8 0|0 sobre consultorios medicse
clrurgicos, cartorios e escriptorios.de 20 0|0 sobre
estabelecimentos de commercio em grosso e a re-
talho, armazens de recolher, e os trapiches, de
505 por casa de bilhar e modas, de 1005 por casa
que vender roupa feila no estrangeiro, de compra
e venda de escravos, de corretores commerriaes e
agentes de leilo, de 1:0003 sobre casas de opera-
gSesbancariascom emisso e previlegios, de 6005
pelas ditas comemissaoe sem previlegios, de 400 o
pelas ditassem emssao, companhias anonvmas e
agencias, de 2005 pelas casas de cambio, de 305
pelos escravos empregados uo servigo dealvaren-
gas, ue 15 por tonelada dealvarenga e canoas
abertas, de 205 por cada bote ou saveiro, de 305
por cada balieira,de 105por escravo ganhador ou
empregado em servigo de transporte ou em arma-
zens, de 105 por eavallo de sella de aluguel, de
65 por eavallo particular, de 5 0|0 pela venda de
capim e o imposto de carros, carrogas e ofhnibus,
e tambem o Io semestre do de 20 0|0 do consumo
de agurdenle das freguezias desta cidade e dos
Afogados, S. Loureogo, Santo Amaro de Jaboatao,
Muribeca e Varzea, ficando sujeitos a multa de 6
OlO sobre os seus dbitos depois de Dndo o dito
praso.;
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
7 de janeiro de 1865.
Antonio Ca' neiro Machodo Ros.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra precisa comprar o seguinte :
Para a presidio de Fernaudo.
8 libras de caparosa.
10 duzias de limas chatas de dez pollegadas. .
20 libras de linha par.da.
300 nietos de sola.
500 ditos de vaqueta.
2 arrobas depregos francezes de iresquartas de
pollegadas.
3 caixas de retragos de vidros.
4 arrobas de taixasde parmilhar cem cabega de
logo que terminem mas de quarlo de pollegada.
premios Qxados na | 5 arrobas do dita para cncostar.
procuran o ser- 2 ditas de dita nafa saltos.
Para a enfermara nos apreBdizes menores
do arsenal.
1 livro de 200 folhas para o reccltuario da mes-
ma enfermara com 10 pollegadas de largura e 15
de cumprimenlo.
1 dito de 200 folhas, para registro de entradas e
sahidas dos doentes, com 19 e meia pollegadas de
largura e 15 de cumprimenlo.
2 ditos de 200 folhas cada ura para os oficiaes
recebidos e dirigidos.
Para a fortaleza do Brum.
30 arrobas de plvora.
As pessoas que quizerem vender taes artigos
apresentem'suas propostas em carta fechada na se-
cretaria do conselho, s 10 horas da manha do
dia Io de fevereiro vinlouro.
Sala das sessoes do conselho administrativo pa-
ra fornecimento do arsenal de guerra, 26 de Janei-
ro de 1865.
Antonio Pedro de S Brrelo.
Coronel presidente.
Seba?lio Jos Basilio Pirrlio.
Vogl secretario.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematago da obra da concluso da casa
da cmara e cadeia da villa do Bsnito, foi trans-
ferida para o dia Io de fevereiro prximo vindou-
ro. Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco 16 de Janeiro de 1865.O secretario,
A. F. d'Annuaciacao.
pro-
Amos martimos.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPGR
E' esperado des portos do norte
at o da 2 de fevereiro o vapor
Apa, commandanle Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costurae seguir para
os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-sea
carga que o vapor poder cenduzir-, a qual dever
; ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
; horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
i Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo & C.
I Para o Rio Grande do Sul com escala pelo
Rio de Jaoeiro, sahe al ofim do corrente mez de
pneiroa barca brasjleira Nova Carolina, recebe
escravos a frete : a tratar com David F. Bailar
ron do Brnra n. 66.
Para o Rio de ianeiro.
Pretende seguir em poucos dias o patacho Ca-
putin, tem parte de seu carregamento bordo, pa-
ra o resto que lhe falta e escravos a frete : trata-
se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oiiveira Azevedo & C., no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Para a Bahia
Pretende seguir com brevidade a snmacaffor-
tencia, tem parte de seo carregamento prompto
parao resto que Ihn falta traa-se com o seos
consignatarios'Antonio Luizde Oiiveira Azevedo
& C, no sou escrptoriorua da Cruz n. t._____
Rio de faneiro
O patacho Tlente a seguir era poucos dias, re-
cebe carga miuda e escravos a frete: trata-se
com os consignatarios arques, Barros & C, larg
do Corpo Santo n. 6.
LEILES.
Lcilaa de movis, crystaes, pianos, e
ontrosuiitos objectos.
Terca-fWra 31?oo corrente as 11 horas.
No armazem roa da Cruz numero 57.
Cordeiro Siraoe tara leilo de diversos nmtu
de oasa noves e osados e de outros, mullos artigos
da gosto quo se torna enfadonho meoeiouar.
Leilo de predios.
Como seja :
f sobrado de 2 andares e solo em chaos
prios, a ra do Amorm n. 17, rende 5765,
1 dito de 2 andares e sotao em chaos proprios a
ra do Burgos n. 3, rende 360$.
1 casa terrea com sotao era chaos proprios a
ra do Burgos n. 5, rende 2885.
Metade'da casa terrea em chaos proprios a ra
da Senzala Telia n. 8.
Cordeiro Simoes
fara leilo dos predios cima mencionados, por
conta e ordera de urna pessoa que se. acha au-
sente. Os pretendemes desde j podero exami-
na lo e qualquer informagao o mesmo agente sa-
tisfar, cujo leilo ser effecluado.
Quarla-feira 1 de fevereiro
s 11 horas da manhaa no armazem a ra da
Cruz n. 57____________________
Leilo em conlinuaeo
Quarta feira l de fevereiro continuar o leilo
dos salvados da barca francezatLes Amis de Saint
Jean de Luz na alfendega armazem n. 8, o Dia-
rio do dia designar os objectos que sero expos-
tos naquelle dia a leilo.
Leao quilii-feia 1' de fevereiio is H
horas a ra da Cadeia armaz 'dj d. 53.
Agente Eoz?bio.
De um sobrado n. 25, eom frente de azulejo, na
ra do Rangel, chao proprio, as salas sao estuca-
das, e lodo Iluminado a gaz, novo e bem
construido por ser todo o material empregado de
boa qualidade, sao convidados os pretendemos ao
previo exame ; e ser vendido pelo maior prego
que se achar.
.Leilo
De urna nnbilia de Jacaranda com lampo de
pedra, 1 piano forte, 1 relogio, 1 rica secretaria,
2 guarda vestidos, 1 guarda roupa com espelho, 1
lavatorio de Jacaranda, 1 tocador de megno, 2
apparadores, 1 dito com armario, 1 sof e 12 ca-
deiras de amarello, 1$ ditas de Italia, 1 cama
riauuc.d. Ululas Oc jaspe c jan U3 do poi i-clail,
2 bancas de jogo, i mesa elstica, I quaninheira,
quadros, tapetes o outros muitos objectos de casa
de familia, existentes no
Hospicio casa n. 48.
SEXTA-FEIRA 3 DE FEVEREIRO.
O agente Pinto far leilo por conia de urna
pessoa que retirou-se desta provincia, de todos os
objectos cima mencionados existentes na casa da
ra do Hospicio n. 48; aonde se effectuar o lei-
lo as 10 horas em ponto.
AVISOS DIVERSOS.
Aos 6:0Oo<>O.
Sabbado 4 de fevereiro do corrente an-
no, se extrahir a segunda parte da quarla
lotera (4l) a beneficio do tlieatro de Santa
Isabel, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilbetes, meios e quartos estao a ven-
da na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de fcOOO^OOO at 10(5000
ser5o pagos urna hora depois da extraccro
at s 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuiclo das listas.
As encommendas sero guardadas so-
menteat a noite d'a vespera da extraeco
como de costumo,
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
O auaixo assignado deixou de ser caixeiro
do Sr. Antonio Casemiro de Convela desde o dia
28 do corrente e muito agradece ao mesmo senhor
e a sua Exm.* familia o bom tratamenio que leve
em todo o lempo que esteve em sua casa, e ofte-
rece o seuponco-presHmoero qualquer parte que
se ache.
Manoel Ferreira Barbosa.
C&SAUUKTIM.
AOS 61000.000
Hlhetcs garantidos
i' roa do Crespa a. 23 e casas do testara*
O abaiaeassignado vendeu nosseus rouitofeli-
es bilhetesgarantio6 da lotera, que sea^abou
de extrahir a benetteio da matriz da BoaVista,
os segiiotes premios:
Dous quartos n. 3069 coma sor la de !:406OCO
Doofr ditos a. 1990 com a sorte de SOOJfcOO.
K outras muitas sortes de WO$, 100, 40/ e
265000:
Oe-pos*uidoT*podem vir receber seesrespec-
vos premios son os descontos das lees na Casa
daPwtuBairtiado Crespn. 23.
Actaam-s* a venda os da segunda parle da
qearta lotera a beneficio do theatro de Sania
Isabel, que se^xtrahiri no dia 4 de fevereiro.
Presos.
Bhets inteiros..... 7J0OO
Meios.. '.~h. 3J500
Quartos. '...... 15900
Paraas pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilbetes....... 65600
Meios........ 3*z0
Qoartos. ....... 1*700
Maneel Mmrtim inz*____
Attencflo.
No Passeio PaMtoo, toja n. 11, ha para logar-
se bara algnm sitio on oulro qn!qoer servico que
nao seja mtrjta besado ntn eaeravo muito fiel de
vergonha.
"

-t



M

Diario de rernambueo ... Tera tdra SI e Janeiro de **.

Precisase de urna ama de leite que nao lenha
fiihos : na roa Nova n. 47.________'
Aluga-se a ezcelleote casa terrea da roa da
Florentina n. 20, que tem muitos commodos para
grande familia, grande quintal com parreiral, e
ptima agua para o gasto : quem pretender, en-
tenda-se com o Sr. Gurjo, na mesma roa, com
officina de carros. ___________
* Alagase o primeiro andar e solio na rua
Imperial n. 27 : a tratar na travessa da Madre de
Dos n. 21.
casa
____ *
Precisase de urna criada para o servico de
na rna Angosta n. S.
Precisa-se de urna ama para lavar e engom-
mar : na rna Velha n. 46.___________
_ Precisa-se de um trabalhador para padaria":
na roa larga do Rosario n. 16._______________
Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de rapai: na rna do Qoeimado n. 47.
Precisa-se de urna ama para todo o servico :
na rna Direita n. 60, primeiro andar.
Len Can, subdito francez, retira-se do im-
perio__________________________________
Precisa-se de um coziubeiro : na ra da
Cruz n. 11, casa de pasto.
Precisa-se de 1 00O a jaros, dando-se coma
garanta urna hypotheca em escravcs : na ra Im-
perial n. 62.
Alnga-se a casa terree d ra da Alegra n.
10 : qaem a pretender dirjase ao escriptorio da
Guilherme da Silva Guimares, rna da Cadeia nu-
mero 64.
Liqaidaco das fazcndas do naufragio
da barca francez*.
Chales de merm de diversas cores padroes
lisos de franjas de seda a 2J, paletots de ganga
padroes escaros a 13500, cheguem a esta admi-
ravel pechincha, visto que as referidas fazendas
acham-se ainda unidas, que lavando flcam per-
feitas : na loja da ra da Madre de Dos n. 16
defronte da guarda da alfandega.
Os biix) assig.ul: s cm padaria d*-
fio:iteilaisl^5i d:i va fj:ea n. 146 de-
claran) a rcsji.' tav.'l publico q e o Sr. Ma-
nuel Fra :ci>< o P.mds (l*ix -n de > c iix"iro
  • Re fe 28 de Janeiro de 1865.
    ______________Meueze>& S Iva._______
    instruccao primarla
    Oabaiio assignado, professor publico da tereci-
    ra cadeira de instruccao primaria da freguezia de
    Santo Antonio desla cidade, faz constar que sua
    aula achare aberla e funccionando desde o dia 7
    do correte no primeiro andar do sobrado n. 46,
    ra de Aguas-Verdes.
    Seraphim Pereira da Silva Monleiro.
    Phipps Irmaos & C. fazetu scienle que reti-
    rando-so para o Rio de Janeiro o Sr. Pedro Alber-
    to Demby, al agora procurador bastante seus
    nesta pra;a, tica d'ora em diante esta firma na ge-
    rencia do seu socio Charles Hcnrv Lowe. Rccifc
    28 de Janeiro de 1865.____________________
    Precisa-se de urna criada forra ou escrava
    para casa de familia : a tratar na ra da Cadeia
    u. 33, segundo andar.
    i'ergunta-se ao Sr. Dr. Cicero, se acaso o 1
    volume do novo metlioJ da lingua franceza flca
    no esquecimenlo como acontecen a academia po-
    pular ; islo deseja saber um dos
    Padecentes.
    Precisa-se de urna ama que saiba comprar e
    cozinhar: na ra Nova n 10.
    Joo Antonio Uongalves Serrano e Jos Ma-
    ra Vasques vendem a sua taberna na rna do Co-
    dorniz n. 7, para a tranferirem' para o largo da
    Assembla n. li, a Jos Pinio da Cunha & C.
    Pietro di Rrunove Bartholomei, subdito ita-
    liano, vai para fra da provincia.
    Jos Pereira Alves Carioca, tendo de ir tra-
    tar de sua saude, vende a sna taberna, muito boa
    por estar defronte da rampa do desembarque : na
    ra do Amorim n. 1-A. Forte do Mallos._______
    Precisa-se de um caixeiro para taberna, de
    14 a 18 annos : na ra dos Pires n. 56.
    ajames Bastes & C.
    avisam ao respeitavel publico e ao corpo do rom-
    mercio, que compraran a loja de fazendas n. 10
    da ra Nova do Antonio Somngues Pinto.______
    Na ra ao Barlholomeu (em seguimento ao
    Pocinho, casa de detengoj.n. 43, compra-se o se-
    guinte : o livro Consellieiro Fiel do Povo, a obra
    de Guilherme Tel ou o libertador da Sui>sa, um
    pilo grande, tudo em bom uso ; assim como lam-
    ben compra-se um cavallo novo, carnudo, para
    cangalha, e um sellim inglez em bom uso, e paga-
    se bem. Na mesma casa cima precisa-se alugar
    urna escrava para todo o servico de urna casa ter-
    rea e de mui pouco servico, e paga-se 205 > e se
    agradar a escrava e sea servico, nao se duvidar
    adiantar algans mezes de aluguel, se seu senhor
    ou senhora delles precisar.
    Alugase urna escrava para comprar e cuzi
    nhar, sendo ou para mogos sglteiros ou para casa
    de pequea familia : quem precisar dirjase a ra
    Nova, qnarlo andar n. 19.
    Precisa so de urna boa engommadeira, e nao
    importa que seja livre ou escrava : na ra Velha
    n. 22, segundo andar.
    Uraude armazem de tintas.
    RA DO IMPERADOR N. 22.
    O armazem de tintas um grande deposito de
    producios chimcos e ulensis os maisempregados
    e usados na pharmacia, pistura, photographia. tin-
    turara, pyrotechinia (fogos dearlificio) eeraoutras
    idustrias.
    Montado em grande escala, e supprindo-se di-
    rectamente as princlpaes drogaras de Pars, Lon-
    dres, Hamburgo, Anvors e Lisboa, pode olferecer
    productos de plena confianca e saiisfazer qualquer
    encommenda a grosso trato e a rctalho, por precos
    razoaveis.
    Prvidos de machinas appropriadas satisfar
    com promplido qualquer pedido de tintas moidas
    a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
    tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
    nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
    e que se encontram no mercado em latas fechadas.
    Tem grande colleccao de vidros de differentes
    formatos, desde urna oitava at dezeseisoncas de
    capacidade ; de vidros para vidracas ediamantes
    para corta-Ios ; de pinceis para Ungir madeira com
    propriedade e outros; de papis dourados e pra-
    leados e folha* de gelatina para ornamento; de
    papel grande e pequeo formato de varias cores
    para embrulbo, para forro de casa, para desenho
    com fundo j feito ; de papel albuminado e Bristol,
    verdadeiro saxe para photographla e para filtrar,
    e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
    espirito para madeira, copal para o interior e ex-
    terior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhara
    clarificado, oleo de oieiet, secativo de Harlim, ouro
    verdadeiro em p ; prata, oro, e estanto em fa-
    llas de varias cores ; tintas vegetaes, inoffensi-
    vas proprlas para eoofeitarias; lia de cores, e
    olhos de vidros para imagen?; lilas em tobos e
    telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
    ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
    roly, jasmim, bergamota, aspiee, patchouly, mbar,
    bouquet, lirao, aicaraiva, melissa, orila pimenla,
    louro, cereja, aifazema, Portugal, lima, jonipero,
    ans da Russia, eanella, cravo e muitos outros ob-
    jectos que s com a vista poderlo se/ mostrados.
    Joao Pedro das Nenes,
    Gerente.
    Io molestias
    *
    3"
    jmmwmmmmmmwm
    O Dr. Cosme de S Pereira conti-1
    na a residir na rna da Cruz n. 53,1
    Io e 2o andar, onde pode ser procu-
    rado para o exercicio de sua profis-
    so medica, e com especialidade
    sobre e seguinte
    de olhos;
    de peito :
    dos orgos geni ti
    urinarios.
    Em seu escriptorio os doentes se-
    ro examinados na ordem de suas
    entradas comecando o trabalho pelos
    doentes de olhos.
    Dar consultas todos os dias d si
    6 as 10 da manha, menos nos do-
    mingos.
    Praticar toda e qualquer opera-
    co que julgar conveniente para o
    prompto restabelecimento dos seus
    doentes.
    Precisa-se fallar ao Sr. Goncalo Ro-
    drigues de lmeida, na livraria n. 6 e 8 da
    praca da Independencia.________________
    Precsase de um moco de 14 a 16 annos
    para caixeiro que seja portuguez, com preferencia
    aos ltimos chegodos : na ra do Rarjgel n. 9.
    Precisa-se de um escravo cozinheiro : na
    ra da Madre de Dos n. 36, primeiro andar.
    Precisa-se de urna ama para cozinhar : na
    ra da Cadeia do Recite n. 32, lerceiro andar.
    i
    O r. Jeronymo Villeia de Castro la-
    vares advoga no crime e civel, comraer-
    cio 6 ecclesiastco. Pode ser procurado
    todos os dias atis al 3 horas da tarde
    emseu escriptorio, ra do Crespo n....
    primeiro andar defronledi livraria eco-
    nmica.
    ATTENgO.
    ATTEN9I0.
    Jos Joaquim da Cosa Ferreira, faz
    sciente ao publico e com especialidade ao
    corpo do commercio, que tem traspassado
    o seu armazem de molhados da ra do Im-
    perador n. li, aos Srs. Ferreira & lmei-
    da, (cando o activo e passivo a cargo da
    referida firma.
    D. Eugenia Angosta Alves da Rocha e Jos
    Mara Alves Cardoso. esposa e cunhado do falleci-
    do Jos Antonio Goncalves da Rocha, summamen-
    te penhorados, agradecem a todas as pessoas que
    se dignaram de conduzir ao ultimo jazigo os restos
    mortaes do mesmo Tinado, e roga-lhes mais o pie-
    doso obsequio de assstir a missa do selmo da,
    que pelo eterno repouso de sua alma se ha de ce-
    lebrar quarta-feira Io de fevereiro s 7 horas da
    manha, na igreja da Madre de Dos.
    Q bacharcl
    Antonio Joaquim Ayres do Nascimeoto
    tem o seu escriptorio da advogacia na ra
    estrella do Rosario n. 8, ende pode ser
    procurado das 9 horas da manha as 4
    da tarde.
    A NACIONAL
    Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
    sonpp \ vi ni
    Aluga-se o segundo andar e solJo da AUTOHISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
    casada ra das Aguas-Verdes n. 64, tem pM1 fosca m diubeiro, depositado aos cofres do estado, garaHle a boa ad-
    cotnmod s para grande familia ; 1 tratar no mulato*** rfa Mnnanhi.
    primeiro andar da mesma casa. i
    ministraco da companhia.
    Aluga-se.
    A casa da roa do Gazometro a... junto a fabri-
    ca do gaz, com duas salas, dous qnartos, quintal,
    cosinha e cacimba, prego de 14000 ; urna dita no
    mesmo lugar cora menos commodos por 12,5 men-
    saes : a tratar com o Sr. Valenca.________^^^
    Do corredor do sobrado n. 9 da ra
    da Impera iriz furtaram, na man lia a de 21
    do corren/e, tres vestidos trancos, sendo
    dous bordados com bicos e entremeios, e
    um com babado bordado : quem forem of-
    I ferecidos ou delles souber, faca favor noti-
    1 ciar na casa cima, que alm de ser gratifi-
    cado muito obligado se ficar.
    Atla particular.
    O abaixe assignado, professor particular, provi-
    sionado pela directora eral da instruccao publica
    para ensinar primeiras lettras, latim e francez,
    participa ao respeitavel publico e igualmente aos
    senheres pas de seus discpulos que segunda-feira
    9 do corrente tem de continuar no en.-ino das su-
    praditas materias, admillindo matricula alumnos
    externos, pensionistas e meio-pensionistas.* A pra-
    tica de 19 annos consecutivos no exercicio de seo
    magisterio, sua inteira dedicacao e tua moralidade
    sao garantas que offerece aos senhores pas de fa-
    milias, que desejam a sa e til educado a seus
    fiihos.
    Quem perianto quizer confiar ao mesmo abaixo
    assignado a educacao de seus fiihos, pode dirigir-se
    ; a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
    do n. 58 da roa Nova, onde ha muito lempo est
    eslabelecido.
    Jos Mara lachado de Figueiredo.
    Precisa-se de um homem casado que lenha as
    habilitac5es para ensinar rom perfeicau primeiras
    letras e alguns preparatorios em um engenho per-
    la da estaco de Timb-ass : a tratar na ra do
    Lvramenion. 24 com o major Luz Jos Pereira
    Simoes._________________________________
    O London & liraziliau Bank, saca por todos
    os paquetes, sobre
    Lisboa.
    Porto.
    Braga.
    Vanna.
    Guimares.
    Villa Real.
    Coimbra.
    Amarante. 1
    " Aluga-se a loja da casa n. 59 da ra Augus- <
    ta; qturn pretender dirija-se a mesma casa cima
    que achara com quem tratar._________ i
    THESORO AS MAIS |
    Providencia das crinneas.
    COLLARES ROYER
    Elcctro---magne(icos.
    CHAMADOS
    COLLARES ANODINOS DE DENTIQQ
    Coutraas convulsoes e para facilitara
    dentigae das crianzas preparados e inventa-
    dos por Royer, pharmaceutico da esco-
    la superior do Pars, successor de Chereau,
    membro da academia de medicina
    antiga casa de Bouillon-Lagrange, pharmaceutco
    do imperador
    chefe dos trabalhos chimcos da escola po-
    lytechnca, director da escola de pharmacia de
    Pars, c membro da academia imperial
    de medicina.
    Estes collares vendem-se nicamente na loja do
    Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
    Deposito geral do rap prinreza Gasse e Paulo
    i.'m-,li'i-n Mata provincia rin A t'.l'IIZ llllllie-
    ro 18.
    Jos Joaquim Lima Baro, recebedor do rap
    princeza Gasse lino, meio grosso e grosso, Paulo
    Cordeiro, dito meio grosso e viajado, qualidades
    estas que tem nesla provincia obttdo grande cr-
    dito pela sua excellenle fabricacao, e materia pri-
    ma de que composto ; isto o attesta a innmera
    exlraccao que elle tem tido, e a eondecoracao que
    obtuve na expuMciio nacional, cuja medalha vem
    gravada nos rtulos dos mesmos botes, teem elle
    de mais a vantagem de nao lerir o nariz. Tam-
    bero vende-se o rap denominado Amarillinho que
    na Baha goza de grande aceitac.ao. O deposito
    acha-se sempre supprido de todas estas quli-
    dades:
    No engenho Macauass duas legoas distante
    da estacao da Escada, precisa-se de urna senhora
    que esteja habilitada para ensinar com perfeicao
    primeiras letras e grammatica portngueza : a tra-
    tar na ra Nova n. 67, segundo andar, ou na ra
    da Senzala nova n. 38.
    BANQUEIROS DA COMPANHIA
    O Banco de Hespanha
    DIRECQAO GERAL
    Madrid: Rna do Prado n. 10
    seguros
    Esta companhia liga pelo systema matuo todas as combinacdes'de supervivencia dos
    sobre a vida.
    Nella pode se tazer asubscripcio de maneira que em nenhum caso mesmojpor morte do se-
    gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
    Sao to suprehendenles os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
    NAL,-queaoda mesmo dmlnuindo urna terca parte o interesse produzido em recentes liquidares,
    ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os
    seus clcalos e Iiqaidac5es, era segurados da idade de 3 a 19 annos, urna imporsicoannual le 100#
    produi em effectivo metlico :
    No fim de 5 annos.......1:119-3300
    de 10........3:9423600
    de 15........U:208i200
    de 20........30:2565000
    > de 25 1.......80:3315000
    as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos silo mais consderaveis.
    Prospectos e mais informales serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
    mo Joaquim Fiuza de Oliveira, roa da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatrz n. 12, estabe
    lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
    Saques sobre Lisboa.
    Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, saceam so-
    bre Lisboa; largo do Corpo Sabio escriptorio nu-
    raero 19._______________________________
    Oflrece-se um homem j de idade para cai-
    xeiro de armazem de molhados on ontra qualquer
    arramacao, sendo este emprego oceupado das 6
    horas da manha as 6 da tarde ; d fiadores a sna
    conducta : quem precisar anouncie.__________
    Existe um excellente criado para se alugar :
    a tratar na ra do Destino, casa n. 8._________
    Precisa-se de um menino para caixeiro dt
    ama taberna sita na rna do Secego n. i9, no Cam-
    po Verde, com pratica ou sem ella, que >aiba lar
    escrever.
    Aluga-se o segnndo andar do becco do Cara
    pello n. 1 : a tratar na loja do mesmo.
    (ili\\i)E DEPOSITO DE PIANOS
    DE
    ftMJA NOVA**
    Aos senhores pas de familia.
    0 padre Flix Rarreto de Vas-
    concellos,com aula particular 'de la-
    tim na ra do Imperador n.35, i."
    andar, contina areceber alumnos
    de todas as classes, durante e de-
    pois das ferias. Tambem esl dis-
    poste a abrir um curso de primei- f
    ras lettras e de francez, logo que
    naja numero sufficiente de alumnos
    para cada urna destas materias, e
    assim tambem a receber como in-
    ternos alguns meninos, de cuja edu-
    cado o quizerem encarregar. Os
    pagamentos sero por trimestres
    adiantados, e os precos declarados
    pessoalmente na occasio do ajuste
    para a entrada do alumno.
    Tendo Henrque Vogeley ficado com a acreditada casa de panos do Sr. Joao Pedro Vogeley-
    sita na ra Nova n. 25, tem a honra de annunciar ao respeitavel publico que continua a dita casa
    com o mesmo flm esperando o annunciante que merecer a mesma cqnanca que Uvera seu ante-
    cessor.
    Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um grande sortimento de pianos fran
    icezese allemes dos melhores fabricamos da Europa, escolhidos especialmente para este clima pelo
    proprietarodeste deposito entre os melhores e mais acreditados que pstiveram na ultima exposcao
    ; universal em Londres.
    Os amadores deste instrumento sao rogados a vrem apreciar as bellis vozes destes pianos e
    admirara sua excellente conslrucc,ao nico nesta cidade.
    No mesmo estabelecimento contiuua-se a alugar, afinar e concertar os pianos, tanto na cidade
    como nos arrabaldes.
    O propgetario responsabilisase pela sua excellenle qualdade.
    ----------_________________~________________________________________
    KS9H
    B
    Saques sobre Portugal.
    O abaixo assignado. autorisado pelo
    Banco Mercantil Portuei_.se. e na ausencia
    do Sr. Joaqaira da Silva Castro, saca ef-
    fectivamente por todos o. paquetes sobre
    as pracas de Lisboa e Poi.o, e mais luga-
    res do reino, por qualquer somma vis-
    ta, e a praso; podendo, o que tomarem
    saques a praso.receberem ^ ista.no mes-
    mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
    loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
    na ra do Imperador n. 63, segando an-
    dar.Jos Joaquim da Costa ma.
    OSr. morador da ra Nova que sc .-.
    achaadeverequarteisdps^^
    MSTaffShM aPaga0^ jugar seu credor qaeira apresentar seu ti-
    seus servicos deve attenaer a a*s ou- lulo neslcs 8 d d de verificados
    ros principalmente o do Diario queem er jmmediatamei!le pago por Francisco
    trahalham mais de 60 pessoas.___________ Ribeir0 Pinto Quimaraes (para isso autori-
    - Maaoel Jos de Albuquerque Mello, professor saiio\ rua J'Apollo armazem n. 38. Reci-
    particulsr de instruccao primaria, avisa ao res- f 90 ,i0 ~nop/. ,iQ arr
    peitavel publico e com especialidade aos pas de ie zo ue Jdlieiro ue ooo._______________
    seus alumnos, que a sua aula est aberta desde o. Na rua dos Coelhos n. 10 s. dir quem d
    da 9 do corrente, onde pode ser procurado; ad- algumas quanlias com premio razoavel sobre boas
    verte mais, que recebe em sua aula alumnos nter-! garantas,
    nos e por mdico preco : no pateo do Tenco 1
    141, segundo andar. '
    Lino de Faria o nico competente
    para haver as dividas activas e outros
    quaesquer bens da extincta firma Faria
    & C. Elle pois avisa a todos os devedores
    para que nao paguem seno a elle ou
    pessoa por elle devidamente aulorisada.
    Espera que os mesmos devedores serao
    pontuaes em satisfazerem seus dbitos,
    iivrando-o assim de recorrer aos meios
    judiciaes. Elle mora na rua do Impera-
    dor n. 57, segundo andar.
    bducaco primaria e secundaria
    Na nstituico de Jeronymo Pereira
    Villar, na rua larga do Rosario n. 12, nao
    s se ensinam as materias que consti-
    tuem o curso regular de primeiras letras,
    eomo as disciplinas preparatorias para a
    Faeuldade de Direito.
    O Rmv. Sr. padre mestre Flix Borreto
    de Vasconcellos est encarregado da aula
    de latim ; o Illm. Sr. Or. Jos Soares de
    Azevedo acha-se encarregado da aula de
    francez ; e para as oulras materias vo
    ser igualmente contratados mui distinc-
    tos professores.
    Joo da Silva Ramos, medico pela Uni
    versidade de Coimbra, d consultas em
    sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
    das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
    era suas casas regularmente as horas
    para isso designadas, salvo os casos ur-
    gentes, que sero soccorridos em qual-
    quer occasio. D consultas aos pobres
    que o procurarem no hospital Pedro II,
    aonde encontrado diariamente das 6
    s 8 horas da manha.
    Tem sua casa de sade regularmente
    montada para receber qualquer doente,
    ainda mesmo os alienados, para o que
    tem commodos apropriados e nella pra-
    tica qualquer operacao cirurgica.
    Para a casa de sade.
    Primcira classe 35000 diarios.
    Segunda dita.... 25300 >
    Tcrceira dita.... 25000
    Este estabelecimento j bem acredi-
    tado pelos bons servicos que tem pres-
    tado.
    O proprietario espera que elle conti-
    nu a merecer a confianca de que sem-
    pre tem gozado.
    wmmm mm m
    Aluga-se o lerceiro andar do sobrado n. 24
    do rua da Cadeia do Rccfe, entrada pelo becco
    Largo : a tratar no armazem do mesmo sobrado,
    Na fabrica de calcado do paloo da ribeira de
    S. Jos, precisa-se de artistas para obra de senho-
    ra e menina dando-se tudo prompto, paga-se a du-
    zia para senhora a 15800 e para menina a 15200,
    fctodo aquelle que quizer levar sempospontarter
    mais 100 rs. em cada duzia.
    asma* >Mte
    Precisa-se de urna ama forra ou captiva que
    cozinhe e engomme alguma cousa: na rua do
    Cabug, loja d'agoia d'ouro n. 1 B.
    Eu abaixo assignado declaro sem effeito a
    procuracao bastante, aulorisando ao Sr. Justino
    Martns de Almeida, para cobrar de alguns deve-
    dores, por ter sido chamado a prestar contas, e a
    isso se ter negado o dito senhor. Recife 27 de
    Janeiro de 186S.Jos Mereira da Silva._______
    Aluga-se urna casa terrea com dous quartos
    e duas salas, cosinha tora, na rua do Progressesa
    Soledade : a tratar na r"ua do Sebo n. 54, taberna.
    Antonio Luiz de Oliveira Azevedo kt.
    Agentes do banco Uni3o do Porto.
    Competentemente autorisados sacam por todos
    os paquetes sobre o mesmo banco para o i'orio e
    Lisboa e para as segninles agencias :
    Londres sobre Bank of London.
    Paris > Frdric S. Ballin & C.
    Hamburgo > Joo Gabe & Filho.
    Barcellona Francisco Rqhala 4 Ballesta.
    Madrid Jaime Merie.
    Cadis > Crdito Commercia!.
    Sevilla > Gonzalo Sagona.
    \alencia 1 M.Pereira y Hijos.
    Em Portugal.
    Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
    Arcos de Val de Caminba. Guarda.
    Vez. Castello Branco. Guimares.
    Aveiro. Chave?. . Lagoa.
    Barcellos. Coimbra. Lagos.
    Bastos. Covilho. Larrego.
    Beja. Elvas. Leira.
    Braga. Extremos. lionero.
    Braganca. Evora.
    Faro Fafe. Moneorva.
    Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
    meis. Porto-alegre. Setubal.
    Peona fiel. Thrmar. Viauna do Cas-
    Tavira. Villa Nova de tello.
    Villa do Conde. Portimo. Villa Real.
    Villa Real de Vizeu. Madeira.
    S. Antonio. Faial. S. Miguel.
    No imperio.
    Bahia. Maranho.
    Ro de Janeiro. Para.
    Qualquer somma a prazo ou a vista, podendo
    logo os saques a prazo seren descontados no
    mesmo Banco a razo de 4 por cento ao anno a
    tratar na rua da Cruz n. 1.
    Precisa-fe de um menino de lia 15 annos
    de dade com alguma pratica de taberna : na rua
    do Padre Floriano n. 11.
    Precisa se de um menino portuguez de 14 a
    16 annos para caixeiro de taberna: na rua das
    Cruzes n. 41.
    . Precisase de urna
    rua da Roda n. 42.
    ama para cosinhar : na
    Escola central methodo Cas-
    tllbo.
    Est aberla desde 7 de Janeiro -, ensina as mate
    rias do Io e 2o graos, recebe alumnos, pensionistas
    e meio pensionistas, por pregos commodos; nao
    I excedendo elles a doze annos de idade : na rua da
    i Ponte da Capunga, casa n. 9.____________
    Na rua do Imperador n. 27, defronte da Or-
    dem Terceira de S Francisco, precisa-se de um
    cosinheiro ou cosinheira de bons costumes, livre on
    escrava.
    Js,h;
    O ihesanreiro da irmandade de N. S. da Boa-
    Viagem faz sciente a lodos os inquilinosdas casas
    do patrimonio que, sob pretexto algum nao podem
    sublocar as casas que alugaram por lempo deter-
    minado para passarem a festa, salve se obliverem
    concento da mesa regedora e procederem a novo
    contrato.
    O solicitador Pedro Atexandrl
    no da Costa Hachado
    se encarrega ante o foro desta cidade de tudo que'
    . for tendente a sua profisso, aceita de partido an-
    ! nual as pendencias judiciaes de qualquer casa
    commercial mediante razoavel ajuste. Contina,
    a se encarregar de cobrancas nos termos do Cabo j
    elpojuca aonde continua a trabalhar como d'an-
    tes, e encarrega-se de defezas perante o jury nos
    termos prximos a va frrea, offerecendo gratui-
    tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
    I procu-ado todos os dias uteis das 9 horas da nia-
    ; nha as 3 da tarde na rua estrella do Rosario n.
    34, e tora dessas horas na rua Imperial n.36, ca- i
    sa de sna residencia.
    Lg Francisco Angosto da Costa J
    *DV60AD0
    Rua do Imperador numero 69.
    A luga-se
    Urna senhora com as habilitarles precisas
    e licenciada pela directora da instruccao publica
    para o magisterio do ensino de primeiraa letras,
    reunindo outras habilltacdes, como bordar de to-
    das as qualidades, costuras, etc., offerece se para
    ensinar ditas materias era algum engenho perto
    da praca, ou em outre qualquer lugar : os pre-
    tndenos que quizerem servir-se de seus presti-
    mos, podem se dirigir ae Sr. colector Amerim, em
    01 inda, rua do Varadouro.
    Livro do Povo.
    O livro do povo, obra ornada com estampas, con-
    testo a vida de Nosso Senhor Jess Christo, e mui-
    tos ariigos uteis. Esta livro das familias rarom-
    mendado e approvado pelos Exms. Srs. D. Luiz
    hispo do Maranho e D. Manoel arcebiapo da Ba-
    hia, veada.se a 15000 cartoriado, na livraria de
    Jos Nogue+ra de Souza, rua do Crespo a. 2.
    Alugam-sa dous grandes sobrados com com-
    modos para numerosa familia, novos e aceados,
    dora jardim, eoebeira, estribara 0 ontras commo-
    cidades, na travessa di Jlo Peru^nde* Vieira :
    g tratar na rua da Senzala Nova n. 42".
    Guilherme J. Kreisler e sua senhora, Hes-
    panhes, retiram-se para o Rio de Janeiro, levan-
    do em sua companhia urna criada harabnrgueza
    de nome Wilbelmine Kuchenmeisler e ama filha
    menor. v
    Os abaixo assignados tendo amigavelmente
    disfiolvido no dia 31 de dezembro prximo (indo
    por se ter ultimado o praso de seu contrato a s,o-
    ciedade que tinham na leja de fazendas n. 5 da
    rua de Crespo, sob a firma de Marcelino & C,
    sem que flcat>sem devendo quantia alguma nesta
    praca nem fra della. assim o fazem constar ao
    respeitavel corno do commercio desta cidade, e
    approvejtaado a occasio agradeeem a todos aquel-
    les que foraiu sens credores, bem como aos de-
    mal* com qaem ti vera m transac^oes, o bom eon-
    ccito que sempre Ihes merecen aquella firma, a
    qual lej substituida pela de Gregorio Paes do A-
    marai g c, {atando parte da mesma eomo socio
    commaoditano o qu fra da exlinct.i de Marceli-
    no & C Jlecife 30 de jaaeiro de 1860.
    Guilherme da Silva Guimares.
    Marcelino Jernnymo de. Azevedo.
    f- Precisa-se de dous trabalhadores : na refl-
    pagio da rua uora de Santa Rita n, 3.
    I 0 bacila re Jorge Doro ellas
    continua a residir rua larga do Rosa-
    rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser
    procurado para exercer asua profisso:
    1 de advogado nosauditorios desta ci-
    dade ;
    2 de mestre da. lingua franceza, en-
    sinando-a tarde, e tambem noite a
    pessoas cujas occupacOcs embaracem
    aprende-la dorante o dia.
    Alugam-se dous grandes sobrados com com-
    modos para numerosa familia, novos e aceiados,
    com jardim, cocheira, estribara e ontras commo-
    didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira : a
    tratar na rua daSenrala Nova o. 42.
    urna casa acabada agora, com commodos para fa-
    milia, estribara, cocheira, quartos para feitore
    escravos, com banho na porta, no Ingar do Poco
    da Panella, rua do Rio : a tratar com Tasso ir-
    maos, na rua'do Amorim n. 35.
    Precisase por aluguel de urna preta boa
    qutandeira : a tratar na rua do Queimado n. 17.
    mm mmmmmm mmmmm
    Jl Companhia Udelfdade de y
    seguros martimos e ter-
    S restres estabeleclda ato
    g Rio de Janeiro.
    AGKNTES KM PEPNAM8UC0
    B Antonio Lniz de Oliveira Azevedo t C,
    _, competentemente autorisados pela direc-
    tora da companhia de seguros Fidelida-
    de, toniam seguros de navios, mercado-
    rias e predios no seu escriptorio rua da
    Cruz n. 1.
    O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
    [ los, rominua a residir na rua do Impe-
    rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- j
    curado a qualquer hora do dia e da| noite i
    I para o exercicio de sua profisso de me- j
    dico ; sendo que os chamados, depois de j
    meio da at 4 horas da tarde, devem ser
    del zades por escrpto. 0 referido Dr. j
    nao abandonando nunca o estudo das j
    mojestas de interior, prosegue, com o
    malor afflncc, no das mais difficese deli- j
    cadas operares, como srjamdos orgos
    ourinarios.dos olhos, parios, etc. ]
    Hobla
    Alngam-se mobilias : no pateo do Terco nume-
    ro 42.
    i DENTISTA DE PARS
    M 19Rua Nova-19 a
    JS Frederico Gautier, cirurgio dentisti'M
    g| faz todas as operares de sua arte, e c*I- |
    Kloca dentes artificiaes, tudo com supe- ]
    rioridade e perfeicao, que as pessoas en- !
    31 tendidas lhe recenhecem.
    w Tem agua e pos dentificio.
    Consultorio iuedico-eirnrgko na rna larga do
    Rosario 11. 20.
    O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
    casa, contina em o exercicio de sua profisso
    nao s na parte medica como tambem na cirur-
    gica.
    1114.
    Precisa-se de urna ama captiva ou forra para
    comprar e cosinhar para urna s pessoa : na rua
    das Cruzes n. 5, casa terroa.
    Precisase de dous calafates para calafetar
    duas canoas de carga grandes : na rua larga do
    Rosario n. I (i.______________________^
    O Sr. Elias Cordeiro Cintra queira vir pa-
    daria da rua uircita n. 84, a negocio que nao ig-
    nora.
    3
    O juiz de paz da freguezia de S. Frei Pedro
    Goncalves do Recite faz sciente a qaem convirr
    qae d audiencia as tercas e sextas-feiras as 10
    horas da manha na casa de sua residencia na rua
    do Pilar n. 141, e sendo santificado ou feriado o
    dia da audiencia ser no immediato.
    Joaquim Ribeiro Rolo
    provincia. _________
    retira-se para fra da
    Burns de renda prelos.
    Rua do Queimado numero 11.
    A' loja de Augusto Porto chegaram os maio lin-
    dos e superiores boarns de renda preios para se-
    nlioras, chapeos e chaoelinas de palha da Italia
    para senhoras,, debicadamente enfeitados, moir
    preto para vestidos, ricos corles de seda preta com
    barras, pekin, bella fazenda preta de seda listra-
    da, grosdenapie, pannos, casemiras prelas e mes-
    ciadas, e oulras muilas fazendas. A mesma loja
    recebeu um bonito sortimento de malas inglesas
    para viagera, e grande qu ra forro de salas, que est vendeudo por menos
    que em outra qualquer parte.
    Aluga-se um sitie na rua do Cabral d
    cidade de Olinda, com casa terrea.com co-
    piar nfrente, bota os fundos para a estra-
    da e margem do rio Beberibe, com com-
    modos para familia, estribara para cavallo
    e capim para sustenta-los, arvoredos de
    fructos, sem visinho defronte nem pelo
    fundo,cora ptimos passeios,sala e gabi-
    nete na frente, muito propria parapassar a
    festa, e tambem se alugarporanno : a fal-
    lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
    da Independencia, e em Olinda na casa con-
    tiguacom o capitSo Antonio Bernardo Fer-
    reira._____________
    - O professor de I atim da freguezia de S. Jos
    desta cidade. abaxo assignado, faz sciente ao pu-
    blico que se ach a aberta a, matricula de sua aula,
    e que o exercicio da mesma comecar no dia 3 de
    fevereiro prximo futuro : quem.'so qnizer matri-
    cular, dirija-se ao sobrado n. o, sito, no largo da
    ribeira.Manoel Francisco Coelbo.___________
    Precisa-se de um caixeiro pequeo de 11 a
    r 12 annot: n Passagem n. 3.
    Jos Pinto da Cunha t C. compraram ao Sr
    Joo Antonio Goncalves Sarano e a Jos Mara
    Vasques a sua taberna sita na rua do Codorniz n.
    7, hvre e desembarazada.
    Precisa-se de urna ama de
    das Larangeiras n. 24.
    leite
    na rua
    Lavase roupae engomma-se com toda perfei-
    cao : quem quizer dirija-se a Boa-Vista rua de
    Tambi n. 14.
    8
    O BACHAREL
    Joao Goncalves da Silva Mon-
    ta rroyos
    Advogado
    Rua estreita do Rosario n. 17.
    Roga-se a pessoa que por engao le-
    vou bontem da sala em que funeciona o
    Instituto Archtlogico e GeOgraphico Per-
    nambucano um chapeo de sol e seda cor
    de vinho, cabo escuro, de madeira de car-
    nauba, deixando outro inteiramente igual,
    mas em peior estado, o obsequio de appa-
    recer na secretaria da polica ou na rua da
    Saudade n. 15, afimdedesfazer semelbante
    engao. _____________;
    Aluga-se o segundo andar na travessa do
    Caropello n. 1, por preco commodo : a tratar no
    deposito do mesmo sobrado.
    Na praca da Independencia loja de ourives
    n. 33, compram-se obras de euro e prata e pedras
    preciosas, assim como se faz qualquer obra do
    encommenda e todo e qualquer concert.
    G0MPR1S.
    \tten$ao<
    Procisa-se comprar urna escrava negra de 25 a
    30 annos de idade, que saiba engommar e cozi-
    nhar, eu troca-se por outra : na rua da Aurora,
    passando o Gymnasio, primeira casa depois da
    ponlesinha de ferro.
    Compram-so 2 escravas mocas e pa- jas
    * ga-se muito bem, sabende engommar e m
    cosinhar : a rua do Crespo loja n. 17.
    Jornaes para embrnlhi.
    Comprase na fabrica de-cigarros antiga rua dos
    Quarleis de Polica n. 21, paga-se bem._________
    Algodo em carolo,
    Compra-se qnalqaer quantidade por malor pre-
    co do que se paga ao mato : na fabrica da traves-
    a do Carioca n. % caes do' Ramos.
    QUEMOS.
    Queijos do ultimo vapor o melhor que ha
    neste genero a 2300, ditos mais antigos a 1,8600,
    vinlos do Porto, Figueira e Lisboa e todos es mais
    gneros da melhor qualidade e por menos preco
    do qne em outra qnalqaer parte : no amigo esta-
    belecimento junto a esta typographia.
    Aluga-se um preto que seja robusto d-se
    205 mensaes: no armazem da bola marella oito
    da secretaria da polica.
    Perfumara e sabonetes de
    Toilet
    da casa Violet, perfumista com privilegio,
    fornecedor das casas de S. M. impera-
    trz dos Francezes e da rainlia Isabel II
    de Hespanha.
    As flores as mais esquisitas, as plantas as mais
    ricas em aroma, os blsamos os mais odorficos,
    servem a composico dos producios exclusivos da
    rainha das Abelbas.
    Siilio real de induce.
    O tnico recommendado pelas celebridades me-
    dicas como hygienica da pelle.
    Balsamo de Violeta.
    Pomada fluidificada pelos oleo virgens para o
    servico dos cabeleireiros.
    Golas de Vilelas.
    Extracto da flor natural, perfume de S. M. a rai-
    nha Victoria.
    Salino de balsamo de Vilelas.
    Homenagcm a S. M. a mperatr:;.
    Agua da belleza de Sua Magestade a
    Imperatriz.
    " Lcjao benfica para o toilet das damas.
    Flor de arroz rosada.
    De S. M. a Imperatriz Eugenia.
    Perfume de nctar.
    Este p refrigerante preserva a pelle de todas s
    affeccoes dormaes.
    Rosado das abelbas.
    Loccao refrigerante para o toilete e os banhos.
    reme poupador.
    Da belleza da pelle.
    Para prevenir as rusgas e refrescar o rosto.
    Creme Sevigo.
    Composico especial, para lustrar e fizar os ban-
    dos (cabellos.)
    I'reme fri espumoso.
    Segredo da belleza.
    Para refrescar o lessido dermal.
    Perfumes das brisas de mn.o.
    Delicias dos lencos e saldes.
    Dicado a S. M. a Imperatriz da Russia.
    . Caixa de Juvenci.
    Cofre mysterioso.
    Encerrando talismans, segredo para raleza.
    Vermelho da China, preto indio e branco
    de Lys.
    Para passeios e soires.
    P horisonlal
    Pas as nnhas o bnlho de nacarregado.
    Perfumes liorisonlres.
    Para perfumar as cartas, toalhas e os quartos.
    Vende-se na rua do Imperador n. 38, botica
    -nrfceza.





    \
    .'

    i
    i



    Diario de Peruawbuco Teiea letra 31 Je laueii-o de 18.
    Compran-se escravos.
    SHvino Guilherme de Barros compra, vende e
    troca escravos deambos os sexos e da toda idadc:
    > ra do Imperador 79, urceiro andar.
    Compra-so tero e prata em obras velbas, pa-
    ga-se bem : na loja de bilhetos da Praca da Inde-
    pendencia n. 22.
    Compra-se efieclivamenle
    Abras velbas, pagando-so bem :
    Rosarie n. 24, loja de ourives.
    ouro e prata em
    na ra larga do
    '
    VENDAS.
    -.-
    ALMANAK.
    Acaba de sahir dos pr-
    los de nossa typographia o
    Almaaak Administrativo ,
    Mercantil e Industrial desta
    provincia, correcto at 31
    de dezembro, e vende se a
    1$; na livraria ns. 6 e 8
    da praga da Independencia.
    0 CASTELLO DE GRASYILLE
    Trouio do francez por A. J. C. da Cruz.
    Vende-se este bello romance em quatro
    tomos pelo baratissimo preco de 20500 :
    na praca da Independencia, livraria ns.
    6e8.
    FOLHlJtHAS
    Para 1865
    Acham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
    praca da Independencia:
    A )LHINHA DE PORTA, abrangendo o
    Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
    4e feriados, de emolumentos dos tribu-
    naes do commercio, etc. a 160 rs.
    A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
    mesmo que aquella e mais urna nova
    Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
    em verso, devocao ae agonisante, coracSo
    de Jess, cntico em louvor do Santissi-
    mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
    sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
    dotas, um indito poema sobro as aven-
    turas de um cozinheiro, o canto de uma
    solteira (poesia), crescido numero de m-
    ximas e pensamentos, urna historia como
    muitas (romance), e vinte cinco novas e
    pilhericas charadas a 320 rs._________
    SDbEEm VEtiET%ES
    DO
    DR. AYER.
    Nao ha necessidade mais ge-
    ral em lodos os paizes do que a
    -oja de miudezas Qnas
    16 -ra do Queimado6
    Enfeites a Mara Pia.
    Reeebeu-se pelo ullimo vapor francez o qne ha
    de mais moderno e elefante em enfeites de cabera
    a Maria Pia, tao variado o sorlimento de cada
    qual o mais bonito, que o freguez munido de co-
    bres Acara satisfeito nao s na qualidade da fazen-
    da como no seu baratissimo preco, a 23500, 35.
    35300, 45, 55, 65 e 75-
    .uvas de loicviu.
    Acabam de chegar pelo vapor francez Guienne,
    as legitimas luvas de Jouvin,.prelas, brancas e de
    cores, para homens e senhoras, a 25500 o par.
    Pitas.
    Riquissimas Olas de grosdenaples lavrzdos com
    bonitos desenhos e cores para lardos e sintos, com
    3 X. 4 e 5 dedos de largura, pelo baratissimo pro-
    co de 960,1*280 e 15600.
    Ditas ditas de sarja lisa, de todas as cores, de
    1 1/2, 2, 2 1/, 4 e 5 dedos de largura, a 320, 480,
    640, 1*280 e 15600 a vara.
    Ditas ditas de gorgurao preto e de crss, para
    sintos, a 800 ris a vara.
    Bonitas fitas de todas as cores com 8 varas, mui-
    to estreitinhas para enfeitar touquinbas de crian
    gas, a 300 ris a pega.
    FIVELLAS E SINTOS.
    Riquissimas fivellas de tartaruga multo grandes
    para sintos, a 55.
    Ditas ditas de um e dous boloes com lindissimas
    pedrinhas flngindo brilhantes, a 15500 e 25.
    Sintos de velludo -preto, a 45.
    Ditos de seda muito largos com fivellas omito
    largas, a 55 e 65-
    Ditos ditos de galao c fivellas de pedrinhas, a
    25000.
    Cascarrilhas.
    Pe?as de cascarrilhas de lila estreilinhas diver-
    sas cores, a 500 ris.
    Ditas de ditas dita mais larga, a 15-
    Dilas de ditas de seda estreitinha a 960 rs.
    Ditas de ditas dita mais larga, a 15300 e 15800.
    Ditas de ditas dita em doas cores e de diversas
    cores, a 15500 e 1J800.
    Voltas a Hara Pia.
    Voltas prelas grandes a Maria Pia, a 15600.
    Ditas de aljofares de todas as cores, com cruz e
    passador de 1, 2 c 3 voltas, a 25, 45 e55.
    Ditas de contas grandes de coral, a 45500 e
    65000.
    Pulseiras de aljofares de todas as cores, com pas-
    sador o borllas, de 1, 2 c 3 voltas, a 15280, 15600.
    25 e 35-
    Dias de contas grandes de coral, a 45 o 55-
    Rowtos brincos de aljofares de todas as cores a
    balao, a 640 ris.
    Bonitos alfinetes depeitocom aljofares de cores,
    a 15, 15280 e I5C00.
    AllHUS.
    Bonitos albuns de velludo com guarnieres
    metal para 50 retratos, a 35.
    Ditos dito de velludo para 100 ditos, a 85-
    Ditos de marroquini para 12 ditos, a 15600.
    Ditos idem melhores para 12 ditos, a 15800.
    Ritos idem para 20 ditos, a 15800.
    Ditos idem memores para 20 ditos, a 25.
    Ritos dem para SO ditos, a 35.
    Ditos idem para 400 ditos, a 55-
    Ditos idem de boa encadernaco para 100 dfces,
    a 125. '65 e 205, estes albuns vendem-se por mui-
    to menos do seu vtor por se ter recebido grande
    Frascos cqpi gomma arbica
    dissolvida e pincel.
    Vendem-se na ra do Queiinado n. 8, loja da
    aguja brauca.
    Ni vos albuns.
    A aguiabranca acaba de receber outra eneom-
    menda de bonitos e bem encadernados albuns de
    capas de velludo, massa, tartaruga o marfim, al-
    gunsdos quaes con microscopio para augmentar
    de
    RIVAL SEM SEGUNDO
    i f Jamado ns- e 55, loja de miudeza;
    ni0S e Azeved0 Maia est continuando a
    vender man* barato, pois seu genio dar a fazen-
    aa por lodo ireco a visla dos cobres,
    tartas do aliinetes franceres da meihor dualidad
    * 80r.
    GrostsdeipajDBas de ac nglezas da meihor qua-
    lidadea 40 rs.
    Caixas deco chetes francezes de superiores quali-
    dadet a 4) rs.
    o tamapho dos retratos, continuando a serem ven- Grasas de boioes de madreperola muito finos a 560
    fll!fK fiar nrunni itnmirnHnr *i mi rln (liiiim-idA a ftfi .Xl.
    e 640 ris
    Carreteis coi 11
    640 rs. r
    Resmas de japel
    250OO. r
    Grvala da iga e de
    500 rs.
    didos por precos commodos: na ra do Queimado
    loja da aguia brincan. 8.
    Galanteras para festas
    A aguia branca nao cessa de encommendar do
    que ha de meihor e maisagradavel.e por issoaca-
    ba de receber diversas figuras e vasos de p de
    pedracom fina banha, assim como bonitos frascos
    de excedentes extractse lindascaixinhas de ma-
    deira eovernisada com Qnas perfumaras, tudo
    mui proprio para presentes de festas etc., havendo
    dinheirodirija-seo pretndeme a ruado Queima-
    do n. 8, loja da agnia branca.
    Ail fino paraengom-
    mado
    A agnia branca na ra do Queimade n. 8,rece-
    beu glbulos de ail fino e frasquinhos com es-
    sencia de dito para engommados.
    Outros enfeites.
    A aguia branca acaba de receber por este ulti-
    mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
    dos enfeitesde moldesinteiramente novse de um
    apuradogosto.assim poiscomparecam os preten-
    dentes munidos dedinheiroe com disposicao de
    gastar: na loja da aguiabranca ra do Queima-
    do n. 8.
    Pequeos pentes de tur-
    tarvga.
    A aguia branca na ra do Queimado n. .8, rece-
    ceben novamenle esses pequeos pentes de tarta-
    ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
    bonitos e bem feitos tanta estima tem merecido pa-
    ra as senhoras segurar o cabillo quando atado; a j Pares de botjtes
    aguja branca porm avisa aquellas pessoas que os 120 rs.
    4a5oitavas de retroz preto fino a
    de peso liso muito superior a
    outras muitas qualidades a
    Caivetes pa -a penna com 3 folhas fazenda boa a
    800 rs.
    Duzia de bol es branco para casavfques de senho-
    ra a 100 r i.
    Pecas de Ots de cs estreitas com 9 varas garan-
    tidas a 32( rs.
    O Expositor Portugnez para os meninos a prender
    a lera 8011 rs.
    Os segredos la natureza para os meninos a pren-
    der a ler ; 15000.
    Camillas da iloutnna christa, finase superiores a
    Pe320 rs.
    Pantes finos de marfim a 15000,15200 e 15500.
    res de luv, ,s de seda para homens e senhoras a
    500 rs.
    Gollinhas paia senhora o meihor que ba a 320 e
    500 rs.
    Frascos com superiores banbas a 240,329, 5001
    15000.
    Livros qne :erve para assentar roupa, pelodiminu-
    to preco de 160 rs.
    Capachos redondos muito finos a 500 rs.
    Cordo brando para espariilhes muito superior, 1
    vara a 20 r 1.
    Carritis coi i 150 jardas de linha branca a 60
    ris.
    Candes com 200 jardas de linha branca garant
    drs a SOn.
    Grosas de pe mas de ac superiores a 500 rs.
    Varas de frai ja branca e de cores larga para toa
    Ibas a 160 rs.
    de punho, oh que pechincha a
    Grande liquidadlo.
    Una da Emperatriz n. O.
    Loja de fazendas do pavao de Gama a Silva
    Aclia-se este estaeiecimcnto completamente
    sonido de fazendas nglezas, franeczas, allemaas e
    suissas, prophas tanto para a pra^a como para o
    mato, prometiendo vender-se mais barato do que
    em outra qualquer parte, principalmente sendo em
    porcao, e do todas as fazeudas dao-se amostras,
    deixandoficarpenbor, ou mandam-so levar em ca-
    sa peloscaixeiros da loje do Paviio.
    Vestidos soulambarqne.
    Pelo ultimo vapor francez ehegaramriquisslmos
    vestidos a soutambarque, os mais modernos que
    neste mercado tem apparecido, os quaes estiiu
    promptes com saia, corpinlio e seu competente
    soutambarque, tudo guarnecido deseda, veludo e
    renda. Quem tiver bom gostodirija-sealoja do
    rano, na ra da Imperatriz n. 60.
    AOS TRES MIL VESTI-
    DOS.
    Na* loja do Pavao, a 30. 40
    mesmo lempo innocente, eicaz, quaatidade'
    digno de toda a conQanca. Peunas coni blco de diamante.
    As pillas que ora offerece- Elegantes pennas de prata com bico de diaman-
    IBOS ao publico preenchem estas te fle luram toda a vida de urna pessoa, com ca-
    n-Aii&Z, o nAAom on m :nelas de marfim e madreperola, sao as memores
    coaaicoes pois pooem ser to- peDnas que tem apparecido, vendem-se pelo-di-
    madas pelas pessoas mais iracas minuto preco de 55 62.
    em perigo algum, nao tendo em
    sua composicSo mercurio nem
    outro ingrediente nocivo sau-
    de, mas sendo composto de a-
    gentes vegetaes mu fortes, sito bastante)
    efficientes e activas par-a-purificar os corpos
    mais robustos.
    Estas pilulas exploram e purificam toda
    Ceixinhas de pennas de lanca frescas, a 640 rs.
    Ditas de ditas caligragraphicas, a 15280e 15600.
    Caixinhas com 100 envelopes, a 500 rs.
    Caixinhas de papel de cor, a 500 rs.
    Caixinhas de papel azul pautado, a 560 rs.
    Caixinhas de papel amizade uraojo paulado,a
    640 .rs.
    Pacotes de papel da beira dourada, a 700 e 800
    ris.
    BICOS BE SEOA PRETOS
    a extensao do canal alimenticio, e dio vigorKE.T22 g0Htef que se podS dcsejay' ies6f
    I dedo al 4 dedos de largura, vende-se pelo dimi-
    nuto preco de 120,1S, 240,400 e t00 rs. a vara,
    sendo este prego a metade do seu valor.
    VARIOS OBJECTOS.
    Vara-de bico prelo de linho, a 100, 120, 160,
    200, 240 e 320 rs.
    a todas as pantes do organismo, corrig'mdo
    sua accao vioiaua e fazeado recuperar sua
    vitalidad*.
    Um remedio ioestimavel contra dr de
    cabeca nervosa, tnxaqueca, priso do ven-
    tre, hemorrhoidus, molestias do ftgado, fe- um palmo de(T7a,^iW~m"W,miT^".
    bre gaslro-hepatka, e todas as molestias
    biliosas que teem sua origem no entorpeci-
    mento do figado que causa a escassez da
    bilis na inflaramace d'este haviam encommendado e a quem mais queira
    aproveitar aoccasiao de os comprar continuando
    a serem vendidos pelo mesmo preco de 4a cada
    um.
    Estando brancos ficom pretos
    O bom resultado e o rpido effeito que produz
    a tintura de chroraacoma, e mesmo o facilliroo
    modo deapplicartem se tornlo muiconhecido e
    apreciada por todos que usam della e por coase-
    guinteaagmentadoa extraco,pelo qne a aguia
    branca mandouvir mais o novo sortimento que
    acaba de receber constando elle de
    Caixas om chromacoma para tingir os cabellos.
    Frascos com coloricoma para lustrar ditos.
    Ditos com hydrocallethrichina para limpar ditos
    Ditos com orychromantna para I impar as nnhasj
    Saboneles brancos para lavar os cabellos.
    Pomada callicomiphila para dar cheiro 'aos di-
    tos sera offender a preparsgao feita.
    Sapatos de marroquim dou-
    rado para bailes.
    Esses sapatos do grande tom vendem-se nica-
    mente narua do Queimado loja da agnia braia n.
    8 a 65 o par.
    Meias finas para senhoras
    gordas
    Vendem-se na ra do Queimado Iota da acula
    branca n.. 6
    Esponjas finas para rosto.
    Vendem-se na ra do Queimado lora da acuia
    branca n.. e
    Tnteiros de \ idro com tinta a 160 rs.
    Ditos deban- > com superior tinta a 100 rs
    Grosas de bet5es de lonca prateados muito fino
    160 rs- KrtA
    Tesonras pai a costura superior qualidade a 500
    ris.
    Escovas para impar denles, superiores a 200 rs
    Caixascom se periores phosphoros de seguranca a
    160 rs.
    Caixascom 110 envelopes o meihor que ha a o4
    ris.
    Caixascom 2 ) quadernos de papel amizade, muito
    fino a 600 r i.
    Qnadernos de papel peqneno muito fino a 2(
    Vinhe da Nndeira e do Prto
    Vende-se o superior vinho da Madefrae do Por-
    to, em caixas de uma e efuas duzias: s na loja
    do Vigilanrf.rna do Crespo n. 7.
    Alhuns
    para 20 at 200 retratos.muilo bons e .por menos
    preco que em outra qualqaer parte: rra ra do
    Crespo n. 4.
    /Jarato.
    duz derramamento da bilis ao estomago ou
    em um desarranjo geral dos orgos -diges-
    tivos.
    A leerlcla
    produzida pela absorpcao da bis no
    sangue, dando pelJe e aos olhos uma cor
    .amarellenta ; nao smente dolorosa por
    si, jaorm conduz aos mais serios soffrirae-n
    los.
    Pat-a cura-la toma-se de i 5 pilulas to-
    das as manhas, isto bastante para mover
    o venLre smenle at que se recupere a ae-
    fo sSa do systema.
    Mal do figado, febre gastro-hepalioa,
    dUtrrkeai biliosa, indigstelo, a neuralgia
    ou tic iuleureux, sao todas molestias que
    tem seu comego n'um desarranjo da bilis.
    A obtertmeo dos duelos da bilis faz esta
    volver ao sangue, com que eircula depois
    em todo o corpo e causa estragos desas-
    trosos aude e produz uma serie innu-
    meravel de ales.
    Todos estes incominodos sao curados com
    as pilulas do Or. Ayer.
    Direccfes minuciosas acompanham cada
    /rasco.
    Vende-se na poarmacia fraaceza de Mau-
    iW & C, ra iNova n. 18.
    AGENCIA CENTRAL
    I& Kiia licita 15
    Ro di;j i\i:iro.
    Vende-se em Pernambuco:
    a pharmaela franeeza de
    P.MAURER & C.
    _________RA NOVA N. 18._______
    LABAKRAQUE.
    (emina agua de labarraque, a 15 a garrafa
    na praca da Independencia n. 22.
    esle oepocio.
    Vende se ihh excellente tWo na Capunga Velha,
    com uma esceVeale data do pedra e cal para fa-]
    Vara de labyrintos da chrox desde 3 dedos al 5 m''ia. concertada de novo, e esi caiada e juntada
    lambem de no-vu, conten 3 salas e 6 quartos, co-
    Fitas ecordoes para esparlllho's. 60 e 120 rs. j zinha fra, casa Grvalas de ponas bordadas para senhora, a 15.4 cocheira, estribara, tanque para banho, dito para
    Ditas duas de hiende alisadas, a 15600. li,var roupa, terreno proprio, viveiro com peixe
    Touqumhas de blonde enfeitadas, a 5500 e 25..1 e ri. baixa de capim e mitasructeiras, cem 250
    Sapatinkos de merino bordados para*aplisado,a l!,s de larangeiras de diversas qualidades, sapoli<
    15500e 25. goiabeiras, abacate, mangueiras, chaqueiras, co-
    Saparfinhes de selm idem, a 25. 1 -queiros, aracazelros, parreiras, e emfim qae se
    Escovas para denles, 10,320 e 480 re. \&c^ "vre e desemttaragada ; convidase aos pre-
    Dius .para calcado, a 20fl e 240 rs. tendentes qntirav dirisir-se (raelle lugar para
    DiU6 para roupa, a 800 re. I examinar o dito sitio, que s eom avista ficarao
    Ditas para <*abello, (4i>, 16 e 15400. sat Ditas para unhas, a 640 rs. 'da o^esma ao lado esqoerdo, passando o primeiro
    Varas defiu de velludo desde a mais estrniti- -portao, no segundo, q4ae achara cofa quem tratar
    nha al 4 dedos de largura, a 100, 160, 240, 320, '
    400, oOO, CO, 00 e 15.
    Bonitos chapeos enfeitados para criancae, a 45.
    Varas de fitas de lila para debrnm, a 100 rs.
    Pegas de fitas branca para debrum, a 320 rs.
    Frascos de oleo de babosa, a 400 e 500 rs.
    Ditos de dito de mauzenha, a 500 rs.
    Ditos de agoa da colonia, a 400, 500 e 1#.
    Ditos de dito de mauzenha, a 400 rs.
    Garrafas grandes de dita, a 800 e 15600.
    Frasquinhos de eesencia de sndalo, 1-;500.
    Ditos de extractos, a 320, 500, 800, Ifi e 15500.
    Cestinhas com quatro frasquinhos de dito, a 15.
    Dnzias de facas e garfos de balanca, de 68 a
    65500. **
    Dnzias de ditas dita de sobremesa, a 55500.
    Dnzias de coiheres de metal do principe para
    cha e para sopa, a 15300 e 3{j.
    Coiheres de concha para sopa, a 29.
    Faca c garfo trinchantes, a 15600.
    Goke do taz.
    Pltch do gaz.
    Alcatro do gaz.
    Coke, tonelada lOftOO.
    Pitch, arroba 35006.
    Alcatro, caada 560.
    O cok reconhecidamente o carvao mais econ-
    mico, tornase por isso recommendvel, bem co-
    mo pelo aceio que se nota as easinhas aonde
    elle nsado. Pitch e alcatro, alem das applica-
    coes diversas a que se prestito, como para calafe-
    tar embarcares, alcatroar madeiras, etc., teem
    estes a propriedade de preservar do cnpim, ler-
    migas.etc. E entregue na fabrica do gas, on man-
    dado por em qualquer ponto da cidade, segnndo a
    vonude do comprador e previo ajuste.
    Roa da Senzaila Nova 1. 48.
    Nc*te estabelecimentovendem-setachas de
    ferro coado libra a[ilO rs., idem de Lo
    Moor libra a!20rs.
    PASTILHAS
    VERMFUGAS
    MCHIMSUEP4TEM
    de trrbalhar mo para
    descarocar aigodSo
    FABRICADAS
    Por PJant Brothers & C.
    OLDAM
    Estas machina;
    podemdescarojar
    qualquer especie
    de algodao sea
    estragar o fio.
    sendo bastante
    duas pessoas para
    otrabalho; pode
    descarocar uma
    arroba de algo-
    dao em earoeo
    em 40 minntos,
    ou 18 arrobas
    por dia ou 5 ar-
    robas de algodao
    limpo.
    Assim con o machinas para ferem movidas por
    Mimaes, qo 1 descaroam 18 arrobas dealgodc
    limpo, por di a.
    Os rnesmos tem para vender um bellissimo va-
    por que ,pd fazer mover seis deslas machinas
    mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
    agricultores virem ver e examina-lo, no arma-
    zem de algodiq, no largo da ponte nova n. 47.
    SajRders firolhers &.
    l. II, praca do Corpo Santo
    RECIFE.
    Os nicos qgentes neste paii.
    RIVAL SEM SEGUNDO.
    Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateirc
    condecido jal como tal, est dispondo da fazenda
    por lodo o pieco para apurar dinheiro, quem qni-
    zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
    Baralhos de cartas para voltarete muito
    finas a.............................. 206
    Miadas de liha froxa para bordar a____ 20
    e 7$000.
    Vendem-se llndissimos cortes de vestidos india-
    nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
    brancas.proprios para casamento, pelo baratissi-
    mo preco de 35 cada corte por se ter comprado
    urna grande porcao, sendo razenda qne vale 63,
    anos a Mana Pa, tendo quatro pannos, fazenda
    para o corpo com os competentes enfeites para o
    mesmo, pelo baratissimo preco de 45 cada um,
    anos de todas as cores com as barras bordadas a
    fim WeDd0 cada um em seu "nao. lendo cada
    um todos os enfeites preciso?, pelo baratissimo
    prec.0 de 75 cada um, ditos com babados mullo bo-
    nll' m.a"n5>ern ;er em farl5. I'elo diminuto pre-
    50 de 3f500 cada um; advertindo-se que os donos
    aa loja do pavao vendem estes vestidos por tao di-
    minuto1 preco por lerem comprado uma grande
    quautidade econvirlhe liquidaren) logo, na sua
    loja, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
    Aos vmte mil covados de la
    Cirande pechincba, a 5 4o
    v e 3SO rs.
    Vendem-se as mais bonitas lazinhas transpa-
    rentes, sendo com listras e quadrinhos raiudinhos,
    e usas, lendo de todas as cores, assim como prelas
    e roxas para luto, pelo baratissimo preco de 240 o
    covado.ditas transparentes com palminhasde seda
    a Mana Pa, tendo de todas as cores, e tambem
    aigumas proprias para luto, pelo barato preco de
    J-u cada covado, isto por haver uma grande por-
    cao; na ra da Imperatriz n. 60, d Gama A
    Silva.
    Latas e copos cotu banha fina.
    A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
    Mtt esta estima la banha fina em latas e copos, isso
    alem de outras em diversos frascos.
    Asmodernissimas lazinhas de uma s
    cor, a imitacAo de gorgurao, veo-
    de o Pavao.
    Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
    modernaslaazinhasdecordaozinho, as mais pro-
    prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
    vestidos.soutambarques, capas,etc., dam-se amos-
    tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
    mo prego de 360 rs. o covado : na rna da Impe-
    ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
    _ A lazinhas do Pavo.
    Vendem-se lazinhas de quadrinhos transparen-
    tes, boa razenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
    ditas largas multo finas a 400 rs., ditas estampa-
    das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
    H,c0QHC0Vadn'l(lilasJ.Iran5Parentes com Palminhas
    de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560rs., isto tu-
    do para liquidar : na loja e armazem do Pavo,
    rna da Imperatriz n. 60.
    Os grosdenaples do Pavao.
    Vend.e.^ne C'sdenaples pretos, fazenda supe-
    rior a 15600 rs. o covado, ditos largos muito en-
    corpados a 25400, 25600, 25800 e 35000, ditos
    brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
    o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
    do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
    As novas las garibaldinas a 500 rs.,
    na loja do Pavo.
    Vendem-se as mais modernas lazinhas garibal-
    dinas, fazenda inteiramente nova no mercado, sen-
    do todas com listras miudinbas, e transparente-i
    com lustro a imltacao das sedinhas, 'endo varias
    cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenia
    e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para i
    vender depreca: na loja do Pavao, ra do Impe-'
    rador n. 60 de Gama 4 Silva.
    OVIu'ILAMfc
    Rna do Crespo n. 9.
    O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pem-
    poso allisa, na sua ordem do da, e pela brai.ca
    Aguia, apesar de que, para estes o Gallo cm. sena
    agudosesporoesnuncaos ofendera, antes osacra-
    eiara na mesnia conformidade, para que o Baliza,
    possa marchar em frente, a Branca Agnia rossa
    levantar seu voo; levando no bico as palmhas 't u>
    ninlio;e o Gallo litara em geu espacoMi c
    dando de novo o seu cinto annunciando
    bonsrreguezes e aorespeitavel publico
    0 grande sorlimenlo deobjeclos dr niDIogtstci}i:
    acaba de rccclcr.
    Ricas caixinhas rom msica ricamente tBieila-
    ninoPara Coslura' ,,rol'r: ',a,a UU1 Picado -
    Riquissimos cofreslnbos com cadeados de n t lal
    para guardar joias.
    Ricascaixas com estejo,contendo lodos <. itr-
    tenecs paraliomem.
    Riquisimas voltas fingiodoperola
    Ditas com lacinhode lila.
    e prcla, de todas as gio;-
    B-fia
    S'U5
    Ditas de lindas cores
    suras.
    Lindos aderecos
    lhantes.
    com pedrinhos flngindo tiri- -'
    Ricas fivellas para cinto, de todas as analid: de
    e bom gesto.
    Ricos cintos do ultimo gosto de Paris.
    Grande sortimento de lindes enfeites para catc-
    a, sendo do ultimo gosto e de lodos os precc.
    Mores muito linas para noivas.
    Luvas enfeitadas e nuias de seda para COITOS.
    Touqumhas sapatinhos e meias de sed*
    baptisario.
    r?rn
    Riquissimas fitas de todas as qualidades pa-ra n-
    qo, cintos e cinteirns.
    Camisinhas c gollnhas para senhora.
    tiquissimosjarros e figuras para ornamento de
    Grande sortimento de gravatinhas tanto para se-
    nhora como para homem.
    Luvas de pelica branca e decores.
    Cascarrilhasde bonitascores.
    Trancinhas,galao e maravilhaspara enhile*.
    1 ranselins de cabellos e de retroz para r*k i(.-
    I'apelamisadec de outras qualidades.
    Itolsas para viagem.
    ntremelos o babadinhos de lindos padref*
    Lencinhos de linho bordados.
    Meias para homem, senhoras, meninos e meo.-
    llaS.
    Fitas de veludo lisas e rom iralan e de ledas as
    lartrnras.
    Thesouras e caivetes de todas as qnalidad".
    Grande sortimento de saboneles.
    Lindos vasos com banha para offereeimentc*.
    Caixinhas com seis frasquinhos.
    Essencias de lodas as qualidades.
    Agua verd,dera Florida.
    Agua da Colonia, em garrafas crande= t em
    frascos quadrados cgarrafinhas.
    Pomada lina de todas as qualidades.
    Superior banha em frascos e conos' de lo< (t
    Sabaoinglez em paos grandes e peqneno--
    Escovas de cabo de madreperola, manir,
    osso, para dentes.
    semele Pa" deeiDba,'a5ar' ccm fnso vtlti V
    c do
    Ditos de tartaruga
    des.
    e de muitas outras qnalida-
    Pentes de tartaruga para senhora.
    Ligas de seda e de algodao, assim ce o r> -utos
    outros o.'.jectos de gosto que seria ropos.-ive: u .
    cinar.que a visla far t, s no Gallo Vi!an(
    ru do Ciespo n. 7. '
    Vollinhas.
    Lindas volinhas de perolas falsas ccm tnn
    flngindo brilhantes.
    Os mais iiiodernos vestidos aria Pia, i e yofn"hw p3ibaSrfcoPTiTiffeo*;',
    na loja do Pavo, a 16S -i **'*<> vigilante. t
    Pares de sa
    lamanhos
    tos de tranca de lodos os
    (eflnosa................... 155OO
    Massos de superior grampos para cabellos
    Duzias de palitos de gaz superiores a.....
    !a preta muito superior a...
    operior macaca oleo a ....
    perola a..................
    de babosa muito Anos a 320
    gua
    anjn;
    de colonia superior, garan-
    linha com 400 jardas a......
    linha de cores com 200 jar-
    linha de gaz de todas as c-
    30
    200
    100
    100
    200
    500
    400
    640
    600
    400
    80
    60
    30
    240
    200
    Vende-se uma taberna com poucos fundos e
    bons commodos para familia, a dinheiro ou a pra-
    bo, dando-se boa garanta : na ra dos Pires n. 36
    te dir quera vende.
    ~A 25000 a dnzia de caixilhos para carme*
    com retratos: na praca da Independencia n. 22.
    Vende-se nma casa terrea com sotao inde-
    pendente, reedificada de novo, rende 345000 men-
    saes, sita na ra da Praia do Caldeireiro n. 32 : a
    tratar na ra da Concordia n. 73.
    Vinho do Porto superior
    em barris deoitavo e dcimo, vende Antonio Lniz
    de Ollveira Azevedo 4 C.: no seu eseriptorio roa
    da Cruz o. 1
    NOVA YORK.
    DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
    Infinitamente mais eflicazes do que todos
    os mais remedios perigosos e nauseabundos
    que existem para a expuls5o das lombrigas.
    i Nao causam dores e produzem seu effeito,
    I sem precisar logo depois de purgante ne-
    ! nhum e tao incitantes em apparencia e deli-
    ciosas, em -gosto, que as crianga esto
    Presuntos.
    Vendem-se presuntos de carneiro muito gordos
    e bem preparados : na roa da Cruz n. 19.
    ------1-------------__---------^----------------- promptas a tomar mais do que marca a re-
    Vndese nma mobilia nova de amarello, gos- ceita
    to moderno : a tratar na botica n. -6 da praca da
    Vndese ou aluira-se nm escravo mnfato de
    bonita figura, boleeiro, cozinheiro e sapatelro : pa-
    ra ver e tratar, na rna do Queimado n. 13, pri-
    meiro andar. _______________________
    Vende-se superior farinha de mandioca, a
    bordo do patacho Brasil, atracado no caes Barao
    do Livrampnto. ___________________________
    Pechincha
    Grosdenaple avariado com 4 palmos de largura
    de superior qualidade a I5i00 o covado, casemira
    preta fina, fazenda de 125 o corte a 55, paletots
    de brira branco de cor a 35, paletots de casemira
    fina de coi a 55 na ra do Queimado n. 44.
    Burro manso
    Vende-se nm grande forte e en bom estado
    para trabalhar : na cocheira do r. Paulino, no
    Mondo Noto.
    Boa-Vista.
    Botinas do fabricante Joly para
    . senhora
    Uteis como um excellenle meio de fazer
    , remover as obstruccoes do ventre, mesmo
    l no caso de n5o existirem verme algum, as
    PASTILHAS VERMFUGAS DE KEMPS S30 promp-
    Vende-se na ra larga do Rosario n. 21 pelo ba- tas e infalliveis na sua operacSo e por todos
    m P* os respeitos dignas de onfianca e Papprova!
    MOTORES
    para machinas de algodao. .
    Acabam de chegar agora novos motores para
    nm e dous cavados para mover machinas para
    descarocar algodao, cyllndros de padaria, e outras
    quaesqner machinas para agricultura, os qnaes se
    vendem por preco muito em conta. Tambem se
    vende nm motor americano para 2 e 4 cavallos pa-
    ra o mesmo fim, que trabalha muito bom ; elles
    se acham montados para 0 comprador ver o sen
    trabalho : na fabrica da travesea do Carioca n. i,
    caes do Ramos.
    \ co de todos os paes de familias.
    . radas nicamente por Lanman &
    'Nova York.
    Ptepa-
    d,
    Libras de ar
    Frascos de
    Ditos de ditd
    Ditos deole
    rs. e.
    Ditos de ag
    tida
    Ditos de banha muito fina a
    Ditos de chairos muito Gnos para o preco
    a ris.............................
    Saboneles di 1 todas as qualidades a 60 rs.
    160, e...
    Novel los de
    Carritis de
    das a....
    Novellos de
    res a___
    Pecas de fit; s elsticas com 10 varas pa-
    ra vestidis a.......................
    Frascos de periores cheiros, pequeos, a
    Pares de litas mtto superiores e bonitas
    a ris...,.......................,.. 400
    Varas de bi :os francezes, superiores a... Vi
    Opiata paramentes da meihor qne ha a.. 1500C
    Frascos de agua para dentes, superior a
    tudo a............................ 15000
    Pecas de tranca prela liza muito fina a.. 60
    Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a 20C
    Varas de fija preta com colxetes a...'... 40
    Libras de la sortida de todas as cores a 6#flM
    Bonecos dej choro multo bonitos a...... 160
    Caixas de nbreias de ma ssamnto novas a 4%
    Varas de franja .brapra e deires para
    toalhasaL....................... 81
    Frascos de oleo Philocomescunenor >... 60T
    Ditos com (superior tinta a320 e......... 50C
    Caixas de linha de gaz com 50 novellos a 804
    Enliadores]para espartilho -......... 20f
    Dnzias de potSes encamados para vesti-
    .... a..J............................._____
    Asscar crvstalisado da fabrica
    2 de Julho
    Na Baha.
    Noa.mazerc da ra da Madre de Dos n. 28,
    ha venda o dallo superior assecar crystalisade,
    em saceos, e 2 arrobas, ao preco de 55 cada ar-
    nb.
    Vendem-se nissimos vestidos Maria Pia com
    os corpinhos diflerentes, tendo todos os preparse
    com o competento sinto : na ra da Imperatriz n.
    60, loja do Pavao.
    Camisinhas a iJOflO-
    Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
    muito bem enfeiladas. proprias para senhoras e
    meninas, polo barato preco de dez luidas cada
    uma: na loja do Pavao, ra da Imperafriz n.60,
    de Gama & Silva.
    Vestidos para meninas.
    Vendem-se s mais modernos vestidinhos para
    meninas, sendo muito bem enfeitados Maria Pia,
    tendo de difiranles lamanhos, pelo barato preco
    de 85 cada um : na loja do Pavae, ra da Impe-
    ratriz n. 60, de Gama & Silva.
    Roupa feita barata.
    Vende-se um grande sortimento de roupa feita
    para homens, sendo calcas de bnm branco e de
    cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
    meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos de
    casemira e panno prelo fino, colleles de todas as
    qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
    n. 60, de Gama & Silva.
    Grosdenaple de cor a 1#600 o covado.
    Vende-se grosdenaple de cor azul, branco c pre-
    to, pelo barato preco de 15600 o covado : na loja
    do Pavo, rna da Imperairiz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Panno de linho a 700 rs. o covado.
    Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
    para lences, toalhas e ceroulas, pelo barato preco
    de 700 rs. a vara : na loja do Pavao, ra da Im-
    peratriz n. 66, de Gama & Silva.
    Economa do Pavo.
    Vende-se para acabar, nma porcao do retalhos
    delaas ecassas de todas as qualidades, e por pre-
    cos rtaito em conta; quem tem economa que
    pode apreciar : isto na leja do Pavao, ra da Im-
    peratriz n. 60, de Gama & Silva,
    Hadapolie a "000, s na loja do Pavio.
    Vende-se superior madapolo muilo encorpado,
    Crespo n.
    Lequfs.
    Riquissimos leques de madreperola tanto rara
    senhoras como para meninas, pelo bara'lo preco
    de 125 el45 s no Vigilante, rna do Crfp
    7.
    GFANDE KOVIDADE.
    Srf
    Rl
    no Vipibnte.
    Iliquissimcs enfeiles de todas as qualidade--1 ara
    senhoras e meninas, ebegads hoje da alfandegs.
    Minios
    Riquissimos sintos de fila larca e estrea un
    nvelas grandes e pequeas, com brilhantes folios.
    cousa de muito gosto.
    Albuns
    Tambem chegaram os riquissimos albuns rara
    oO retratos, com capa de tartaruga e de rr?ifir;,
    cousa muuochiqne : s no Visiiante.rua do Of-
    po n.-7.
    Grillabas.
    Riquissimas golinhase manguitos, omelhcr <: -
    topossivel, 3 25,25500 e35;s no Vigllame.
    ra do Crespo n. 7.
    Enfeites para sethora.
    Riquosissim enfeites com Iaco e sem laco e de-
    outros muitos gostos a 15, l500 e 35: s no Vi-
    gilante, ra do Crespo n. 7.
    Tranrclins.
    Lindos trancelins ae cabello para relegie on M-
    nelas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
    retroz a 200 rs.
    Baliadinhos enlrmieies.
    Riquissimos babadinhos eniren-eios ccm lir.dej
    desenhos tapados e transparentes, pelo baralissin o
    preco de 15200, 15500, 25 e 35 ; s no Vinilacle,
    ra do Crespo n. 7.
    Cascarrilhas.
    Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
    larguras, assim como galaozinhoe trancinhas [ro-
    prias para enfeites; s no A'igilante, roa do Ces,
    po n. 7.
    Filas.
    Grande sortimento de filas de diversas largura?
    e qualidades, por precos que admiram aos ccm-
    tendo -JO varas cada peca,com 4 palmos de lun. 1 Praaore5l> havendo fitas largas proprias para cin
    Vendem-se no Recife em casa de Caors
    Barboza e Joao da C. Bravo A C.
    Vndese a casa terrea n. 2o da ra de Ma-
    linas. Ferrara da cidade de Olinda ; quem a pre-
    tender dinja-se a tratar nesla cidade na ra Aa
    gusta n. 59.
    Xarope vegetal De Penedo.
    n-Y5dese n* b0,ica da rw 4o Cabug n. li a
    3*500 9 Yidro.
    Viende-se caixcs vaziosproprios
    para ba'linleiros e funileiros a 1 $760
    rada um; nesta typographia.
    Rna da Senzaila n. 42.
    Vendjj-se, em casa de S. P. Johnston A C,
    sellins e| silhes inglezes, candieiros e cast-
    caes bronzeados, lonas nglezas, 60 de vela,
    chicotes para carros e montara, arreios para
    carros de nm e dous cavallos, e relogios de
    otuo pjitente inglez. ______
    Vendem-se charutos da Baha de varias qua
    lldades i em casa de MonMrd & C, ra do Tra-
    piche nJ W,
    ra pelo baratissimo preco de 75000 a peca, ditos
    muito finos a 85, 95 e 105000. E'pechincha, na
    loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Cortes de cassa a 3000.
    Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
    7 varas cada corle, com desenhos muito delicados
    pelo baratissimo prego de :1500o o corte; s na
    loja do Pavao, ruada Imperatrlzn.'60, de Gama &
    Silva.
    Corles de chita franeeza.
    Vendem-se llnissimos cortes de chita fran-
    eeza, com 12 covados, tendo, padroes escuros e
    alegres de cores fixas pelo baratissimo preco de
    450OO o corte ; s na lojfrdo Pavo roa da Impe-
    ratriz n. 60 de Gama Caabraias lisas, na loja do Pavio.
    Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
    tapada etransparente, pelo baratissimo preco de
    45000tendo 8 1/2 vara cada peca, ditas mullo fl-
    as a 75, 85, e 95 a peca, ditas Victoria com 10
    varas pelo baratissimo preco de 75,95 e 105, dl-
    las Garrazes fazenda muifo encornada.fazenda pro-
    pria para forro a 360 rs. a vara on a5600 a peca
    isto na loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60,'de
    Gama A Silva.
    Corles de Ia a 4000.
    Vendem-se corles de las garibaldinas, malisa-
    das e de quadrinhos, tendo l covados cada corle
    pelo baratissimo preco de 45000 o corte; isto na
    loja do Pavao, roa da Imperalrii o. 60 de Gama & I
    Silva.
    teiros que.se pode vender a 300 rs. a vara, e pecrv
    de 9 varas a 25; s no Vigilante, rna do Crespo
    n. 7.
    Filas de Ia.
    Fitas de la de lodas as qualidades, proprias pa-
    ra debrum de vestido a 700 rs. a peja; s no Vi-
    gilante, ra do Crespo n. 7
    Ricos espellios.
    Riquissimos espelhos ccm moldura dniraf*S
    sem ella de 85,105, 135 e 145, assim cono com
    celnmnas de differentes lamanhos a 25,35,45. 6
    e 65 s no Vigilante, ra do Crespp n. 7.
    Lindos jarros e figuras.
    Riquissimos jarros e figuras de porcelana fir.s,
    para enfeite de sala, sendo o meihor gosto que aqu
    tem apparecido; s no Vigilante, roa do Crespo
    n. 7.
    Para pos de arroz.
    Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
    cousa de multo gosto a 15500 e ?5, assim romo
    pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s do
    Vigilante, ra do Crespo n. 7.
    Perfumaras.
    Grande sortimento de extractos e banhas, perna-
    das, assim como de lindos copos ou vasos ccm dis-
    tintivos e offerecimentos as sinhasinhas dos roe-
    Ihores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
    ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
    a 25 e a 15, assim romo outros objerlos que nao e
    possivel por hoje annonciar, e vista des fregue-
    zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,

    ra do Crespo n. 7.


    Diario de Peraanfcaeo TercW *"* St'e Janeiro de 185
    GRANDES 4RN4ZEINS
    TOE
    MOLHADOS
    m
    Largo da Santafl
    jura/, ns. 12e 81,^
    [s juina da ra dol
    (Cabo. i
    ir
    Largo da Santa!
    Cruz ns. 12 e 84,j
    esquina da roa do]
    Cebo.
    Wt -IX \5< -S* -ii 5
    O dono dos j muilo acreditados armazens de molliados denominados Aurora
    Brilhante, acaba de rcceber de sua propria encommeDda, mitos gneros delicados
    proprios da presente estacao, e tendo grande sortimeuto comprado aqui.afianga que todos
    os seus eneros sao de K* qualidade.
    A seguate tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
    tadores.
    Jenhum armazem vender raais barato, e melhores gneros do que a Aurora
    Brilhante, j pelo grande sortimenlo que tera, j mesmo por sea dono se achar encom-
    mJalj ein sua saude e ter de vender um de seas armazens agora, e o oatr na pr-
    xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna qnadra destas para se comprar
    barato.
    Latas com 8 libras de chourigas muito novas,
    a 7j90.
    Ditas grandes com peixe cm postas inteiras,
    mais de 12 qualidades, a I-JOU, 1&280 e
    t5'i0.
    Ditas com ostras, excellente petisco para fre-
    gideira, a 70 rs.
    Ditas com ervilhas nova?, ensopadas, a
    70 rs.
    Ditas com favas, a CiO rs.
    Ditas com ameixas a i#200, ,5800 e 3*500.
    Ditas com marmelada do afamado fabrican-
    canto Abreu, a 880 rs.
    Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
    Ditascara figos de comadre, novos, a 1o00,
    2 e 3300.
    Ditas 'om bolachinhade soda muito novas, a
    230J0.
    litas com biscoitinhos inglezes de muitas
    qualidades, a l5i80.
    Chocolate.
    Chocolate superior muilo novo, a libra a
    13290.
    Xioarro telharim e alelria amarella.a libra
    a 180 rs.
    Oito dito dita branca, a libra a 409 rs.
    Cairas com estrelinha, pevide e outras mas-
    cas, a caixa 3$o00.
    Ditas ditaem libras a 640 rs.
    Sag, a libra a 360 rs.
    Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
    Ervillus seccas, a libra a 160 rs.
    Bitas descascadas, a libra a 200 rs.
    Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
    Pariiba de araruta vercadeira, a libra a
    300 rs.
    Arroz do Maranhao, em sacca a arroba a
    23400 e a libra a 80 rs.
    Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
    libra a 100 rs.
    Tojeinho de Lisboa a3500aarrobaea320
    rs. a libra.
    Dilo Je dantos, a arroba 73000 e a libra a
    209 rs.
    Molaos com 12o sebolas grandes, a (280.
    Kestarda franceza caixa com 2 duzas a
    8 5190.
    Frasees com mostarda preparada em vina-
    gre, a 400 rs.
    Pitos cim conservas inglezas e francezas,
    a 644 e 800 rs.
    Ditas com sal refinado fino, a 640 e a 300
    ris.
    Ditos com a verdadeira genebra de laranja
    a 15200.
    Ditas do 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
    15MJ.
    Ditos de 1 garrafa de Hjllaada verdadeira,
    aGidrs.
    Botijas com dita propria para negocio, a
    400 rs.
    Garrafes com 2 galoes com dita, a 65000.
    Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
    iozia a 65000.
    Vinho mascatel de tetuba, a garrafa a
    15000.
    Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
    e a 15200.
    Champagne, a duzla 205000, e a garrafa a
    2JOW.
    Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
    rafa a 15000.
    Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
    75,8-5, 05 e 105 a caixa.
    Ditas com dilo branco, a 73000 a caixa.
    Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
    ro, a 205- '
    Ditas cora duque do Porto verdadeiro, a
    Ditas comehamisco superior, a 145000.
    Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
    cas, a 125000.
    Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 6*0,
    720 e 800 rs.
    Dito de Lisboa muito bom, a caada a
    33200, 33300 e 43000, e a garraa a S00
    560 rs. /v .
    Dito da Figueira, das seguales marca, (M.)
    (J. A. A.) (I. L. G.) (O. M.) a caada a
    i 5'iOO e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
    que j est engarrafado e lacrado com o
    rotlo do armazem.
    'Ditos de marcas mais desconhecidas. a cana-
    da a 33500 e 45000 e a garrafa a 480 e
    520 rs.
    Vinho branco Uno, a garrafa a 640 rs.
    Dito do caj muito superior, a garrafa a
    800 rs.
    Vrnho verde superior.
    A caada a 33300 e a garrafa a 480 rs.
    Gomma.
    Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
    engommar, a arroba a 33080 e a libra
    120 rs.
    Sabo massa, a libra a 200, 240 o 280 rs.
    l'arinha.
    Saccas grandes com farinha deGoianna mui-
    to aova, a 53000.
    Caf.
    Caf do Rio moito superior, a arroba a 85,
    83500 e 95000.
    Cha.
    Cha temos nestes gneros o melhor possivel,
    hysson, a libra a 23000.
    Dito perola a 33000.
    Ditouxima 23700,
    Dilo hysson muito fino a 25800.
    Dito redondo a 25500.
    Dito preto de primeira qualidade a255O0.
    Bito mais baixo a 23000 e 13600.
    Erva mate.
    Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
    Espermaceti.
    O masso rom 6 vellas de esperrnacele a 600,
    640 e 720 rs.
    Passas.
    Caixas de 10 e 8 libra de passas novas pro-
    prlas para mimos a 43 e 25O0.
    Notes.
    Nozes, a libra 160 rs e arroba a 43000.
    Alpista e painrn.
    Alpista e painco.a arroba43000 ea libra a
    160 rs.
    Cartas.
    Carlas finas para jogar,a duzia a 23500.
    Caslauhas.
    Castanhas novas vindas nesie vapor, a arro-
    ba 45OOO e a libra 200 rs.
    Azeitonas.
    Barns com azeitonas novas a 15300
    Hanleiga.
    Manteiga flor. & libra a 13000.
    Dita mais abaixo a 800 rs.
    Dita menos superior a 640 rs.
    Dita franceza nova,a libra a 720 rs.
    Dita dila em barra e meios ditos, a libra a
    660 rs.
    Ditapara tempero a400rs.
    Queijos.
    Queijos novos vindos neste vapor a35200 e
    35500.
    Ditos londrinos multo novos, a libra a
    15000
    Papel.
    Papel almaco pautado, a resma a 45800
    Dito dito lito de linbo, a resma a 43500
    Dito de peso lizo e pautado, a resma a
    235OO
    Dito de embralho bom a 15 6 15200.
    Vinho Madeira.
    Garrafas com o verdadeiro vinho Xereze Ma-
    deira a 13500 e 23-
    Temperos.
    Folhasde loaro, pimenta do reino, cominho
    e cravo, a libra a 400 rs.
    Velas de carnauba.
    Massos com 6 velas de carnauba refinada a
    .488 rs.
    Aaendoas.
    Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
    Doce.
    CaixSes de doce de golaba, grandes a 13400
    e pequeos a 640 rs.
    lijlos de limpar.
    ljelos de arear facas a 140 rs.
    Grixa.
    Duzias de boioe9 de graxa n. 97 a 25600, e
    de latas a 10000, e os boloes a 240 rs., ca-
    da um, e as latas a 100 rs.
    Charutos finos.
    Charutos finos dos melhores fabricantes da
    Baha por diversos precos, caixas e meias
    caixas.
    E grande quantidade de gneros tendentes
    a estes estabelecimentos, que deixam de an-
    nunciar-se.

    Pechinclia sem igual.
    Lindos cortes para vestido de percales de cores
    claras e escuras com grande variedade de padres
    pelo baratissimo prego de A$ o corte: ta loja das
    columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor*
    rea de Vasconcellos & C.
    Pixe, pixe
    do melhor que tem vindo a osle mercado, do ver-
    dadeiro da Succia, e o mais barato, vende-se no
    armazem da bola amarella no oftao da secrelarja
    da polica, em barril oa a retalho.
    P0TASS4
    NEM COROAS NEM MITRAS
    [0
    G1U1DG ARMAZEM
    NA
    RIA DOHUPEKADOR \. 40
    Jinto ae sebrado ern qie ora o Sr. Osbarae,
    Duarte Almelda k C. rccejberam de ana propria encomnen-
    da o mala lindo e variado sortimenlo de molhados, proprlos
    da p rescate estaco.
    barril
    GOrs.
    Vende-se potasas am barris a commodo prego o
    na roa da Croa b. 23, primeiro aoiir, esenpton:
    de Antonio de Almeida Gomes.
    Manteiga ingleza
    da safra novavinda no ultimo vapor a l, rs. a libra eem barril a 800 rs.
    Manteiga franceza
    da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
    a 560 rs.
    . Amendoas
    confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
    . libra.
    Ameixas
    em frascos de vidro com 3 libras liquiao a
    24400, muito propios para mimos,
    Cartoes i
    com bolos francezes a 300 rs. cada um
    Latas
    com bolacbinhas de soda de todas as qua-
    lidades a 40300.
    Chocolates
    de todas as qualidades a 1(5000 alibra
    Presuntos inglezes
    dos melhores fabricantes a 800 rs., tamben:
    temos velaos para 500 rs.
    Queijos flamengos
    ebegados neste ultimo vapor a 206oo
    Queijos 1
    ebegados no ultimo vapor a 20690 cada um.
    ttueljo
    Iondrino o mais fresco que se pede ebperar
    e de excellante maree a 800 rs. t libra
    sendo inteiro e a 900 rs, a retalho
    Conservas inglezas
    as mais novas que se pode esperar a '
    o frasee.
    Figos
    em libras e caixinhas ricimente donradas,
    proprias para mimos a 900 e 0200.
    Cha uxim
    o melhor que se pode desejar, qu< outro
    qualquer nao pode vender por me ios de
    30 a 20600.
    dem perola
    especial qualidade a 20700 rs. a libra.
    dem hyssM
    o mais aromtico que tem vindo ao nosso
    mercado a 20600.
    Massas amarellas
    para sopa, macarrSo, talharia e alaria a
    480rs. alibra.
    COCiVlC
    0 muito afamado cognac Pal Brandy aj 4r8oo
    rs. a garrafa e de outras muitas q ualida-
    desa i,ooo e 800 rs. a garrafa.
    copo*
    lapidados para agua a 4,5oo e 5,oo> rs. a
    duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
    PAPEL
    almajo, greve, peso e de outras muitis qua-
    lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
    lhor.
    Papel de botica
    1 de excellente qualidade a 2#200 a re^ma,
    PAPEL
    I azul e pardo para embrulhode l,4oo a 2,2oo
    rs. a resma.
    Corinthias
    passas corinthias muito novas proprias para
    podim a 800 rs.a libra.
    Fumo
    o verdadeiro fumo americano em chapa a
    Moors. alibra.
    Vinagre
    PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
    cada urna.
    Cekllas
    as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
    e l.ooo rs. o molho.
    Alpista o tainco
    o raais novo do mercado a 1 lo rs, a libra,
    e 40400 a arroba.
    CEBLAS
    muito novas a 10000 ocento na ra do Quel-
    mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
    go do Garmo n. 9
    GRAO DE BICO
    muito novo a 30400 a arroba e 140rs. a li-
    bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
    Imperador n. 40 e largo do Carmo a. 9.
    QUEIJO SUISSO
    muito fresco a 800 rs. a libra na roa do
    Queimadon. 7, raa do Imperador n. 40 e
    largo do Garmo n. 9
    Ma$as brancas
    para sopa a melhor que se pode desejar,
    macarrlo, talharim ealeiria a 400.rs.a
    libra e 40500 a caixa.
    Vinho
    Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
    ditadas a 500 rs. a garrafa,
    dem de Lisboa
    e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
    20800 a caada.
    dem do Porto
    generosos engarrafado des melhores fabri-
    cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
    a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
    cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
    F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
    lagrimas do Douro e outros mu i tos.
    Latas
    com 10 libras de banha a 40000.
    Bolaehinha ingleza
    a 10800 a barrica da mesma que
    vendem a 20000 e 20400.
    Nozes
    as mais novas do mercado a 120r .d bra.
    Oervejas
    dos melhores fabricantesje de todas as mai
    cas de 40500 a 60500 a duzia.
    CHARUTOS
    Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
    meias caixinhas a 10500.
    Arroz
    do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
    a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
    roba desses que vendem por 30400.
    CAF
    de i.* e 2." sorte do Rio de Janeiro a 805f
    e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
    Oarrafes
    com 4 '/ garrafas com vinagre a 10OOOt
    ogarrafio.
    GENEBRA DE LARANJA
    verdadeira a 10000 o frasco, e de 110OOC
    a caixa.
    DEM
    em frasqueiras de Hollanda a 50800 edm
    12 frascos.
    GENEBRA
    de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6|oo
    rs. cada urna.
    PALITOS
    os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo agroza
    e2o rs. cada eaixinha.
    LICORES
    finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
    com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
    Marmelada
    dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
    jam Abreu e outros rnuitos a 600 rs. a
    libra.
    Pregunto
    o verdadeiro prezuno de Lamego a 52o rs.
    a libra.
    ARROZ
    Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
    de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
    VELAS
    de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
    a libra- e em caixa tera abatimento.
    VELAS
    de carnauba em caixas de arroba a 9,3ob e
    caixa e 34o rs. a libra.
    Batatas oras
    em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
    a libra.
    Passas muilo navas
    em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60300
    a caixa e 400 rs. a libra.
    Chocolate
    portuguez o mais especial que se pode de-
    sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
    Frotas em calda
    ebegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
    outros rnuitos a 640 rs. a lata.
    Dsee da csea da goiaba
    a 600 10 o eaixe.
    GOMMA MUITO NOVA
    em pantiros de 1 e2 arrobas a 30500 a ar-
    roba e 140 rs. alibra na ra do Qoei-
    mao.n. 7, ruadolmperadorn. 40 elargo
    do Carmo n. 9
    BOLACHINHAS
    em latas de defferentes qualidades a 1?200
    a lata
    QUEIJOS FLAMENGOS
    chegadosneste ultimo vapor a 20800 na roa
    do Qaeimado n. 7, ruadolmperadorn.
    40 e largo do Carmo n. 9.
    Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
    freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
    tipularan* os mesmosprecos nos seguintes lugares:
    0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
    FARELLO DE LISBOA
    Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na ra do Imperador n. 40.
    NOVIDADES.
    Queijos do Uentejo. ditos das Ibas o mais fresco que so pode dese-
    jar a 10200 a libra, e seBdo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
    redondas enfeiladas, proprias para mimo aafesta pelo barato prco de 40
    cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mkno de 800 10500
    cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
    Imperador n. 4.
    ROUPA FEITA
    NO
    ABHAZEB
    DE
    XJBTRKIRO VEKOE.
    Neste estabelecimento ha sempre um sertimento completo do roupa feita de
    todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-'
    rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
    grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,'
    homens e meninos.
    Casacas de panno preto, 350 e 300000
    Sobrecasacas idem, 300 e 250000
    Paletos idem e de cores, 250,
    200, 150 e......100000
    Ditos de casemira, 200, 150,
    120, 100 e...... 70000
    Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
    Ditos ditos pretos, 90, 70,
    50, 40 e......30500
    Ditos de brim e ganga de co-
    res, 40500, 40, 30500 e. 30000
    Ditos branco de linho, 60,50 e 4000
    Ditos de merino preto de cor-
    d5o, 100, 70 ..... 50000
    Calcas de casemira preta, 120,
    100, 80 e
    Ditas de cores, 90, 80 e. .
    Ditas de meia casemira de co-
    res, 50000 e.....
    Ditas de princeza e merino pre-
    to de cordo, 40500 e. ,
    Ditas de brim branco e de co-
    res, 50, 40500, 40 e .
    Ditas de ganga de cores, 30 e
    Colletes de velludo preto e de
    cores, 90 e......
    Ditos de casemira preta, 50 e
    Ditos de ditas de cores 50
    I 40 e........
    70000
    70000
    40000
    40000
    20500
    20500
    70000
    40000
    30500
    Ditos de setim preto. 50006]
    Ditos de ditos e seda branco,
    60 e.......50000]
    Ditos de gorguro de seda
    pretos e de cores, 60, 50 e 40000]
    Colletes de fustao e brim bran-
    co, 30500, 30 e 20500
    Seroulas de brim de linho,
    20400 e......20000
    Ditas de algodSo, 10600 e. 10400
    Camisas de peitos de linho,
    40, U e. ..... 2#6O0
    Ditas de madapolo, 20500,
    20 e........10600
    | Chapeos de massa, pretos fran-
    cezes, 100, 90 e. 80500
    Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
    Ditos de sol, de seda, 120,
    H0,70e......60 Collarinhos de linho fino, ulti-
    ma moda duzia. 60000
    Sortimento completo de grava-
    tas.
    Toalhas parroste, duzia, 110,
    e........60000
    Chapeos deso, de alpaca, pre-
    tos e de cores. .... 40000
    Lences de bramante de linbo. 30000
    Cobertas de chita chineza.. 20500
    DE
    DE
    J. VIGNES.
    \. 55. RA I>0 IMPERADOR IV. 55.
    Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para qne seja necessario insistir sobre t
    sua superioridad i1, vantagens e garantas qne ofJerecem aos compradores, qualidades estas iacentesta-
    veis qne ellos tem definitivamente conquistado sobre todos os qne tem apparecido nesta praca ; odo-
    snindo nm teclado e machinismo qne obedeeem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
    nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoTamentos importan-
    tissimos para o clima deste paiz; qnanto s Yozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
    veis aos onvidos dos apreciadores.
    Fazem-se conforme as eneommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Biondel, de Paris, socio
    correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicSes.
    No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de musioas dos
    melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tno vendido por
    preces eommodos e razoaveis.
    CONSULTORIO MEDIC0-CIRIR6IC0
    DO
    DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSGOSO,
    MEDICO. PARTE!IKO IS OPERADOR.
    3 Ra da Gloria casa do Fundao 3
    O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s 1
    horas da manbSa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados
    Pharmacia especial homeopathica
    o mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
    tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguimos
    Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
    de 24 tubos grandes. 180000
    > de 36 tubos grandes. 240000
    de 48 tubos grandes. 300000
    de 60 tubos grandes. 350000
    Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os re:njii
    que se pedir.
    Um tubo avulso.ou frasco de tfntura de meia onca 10HOO.
    Sende para cima de 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
    Ha tubos mais pequeos cada ura a 500 ris.
    LITROS.
    A melhor obra da homeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
    dons grandes volumes com diccionario............ 200000
    Medicina domestica do Dr. Ilering,........... 100000
    Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 60000
    Diccionario de termos de medicina ........... 30000
    Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
    to de serem novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
    dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
    dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservac3o, tintura dos mais acreditado
    estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e portanto a maior ener-
    ga e certeza em seus effeitos.
    Casa de sade para escravos.
    Recebe-seescraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Ibe qualquer
    operaco, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
    O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, corn^ na medica, e
    fraccionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se n3o
    pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
    doentes.
    Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ah emdiarte 10500.
    Asoperaces serio previamente ajustadas, se nao se quizerem ssjeiUr aos precos
    azoaveis que costuraa pedir o annunciante.______________________________------
    '.
    AGENCLL
    AGENCIA L0W-M001.
    Ra da Senialla nova n. Si.
    Neste estabelecimento continua a baver
    am completo sortimento de moendas e meiaa
    m
    s
    Fabrica Oonceic&o da
    Baha.
    Andrade & Reg, recebem constante-
    mente e tem venda ao sen armazem n.
    34 da ra do Imperador, algodJo d'aqnel-
    la fabrica, propno para saceos de assu-
    car, embalar algodao empluma etc., etc.,
    pelo preso mais razoavel.
    A' loja do Porto
    Na esquina da rna da Madre de Deas a. 55
    Chegou pelo ultimo vajor trance am completo
    sortimento de calgado, seio de Ninles para ho-
    mem, e diversas qualidad* para senhoras e me-
    ninas.jia tambam nm complelo gortimaato de fa-
    zendas e roupas feitas, tudo muito barato.
    moendas para engenbo, machinas d va
    a tachas de ferro bat
    lmannos para ditos.
    e uch de ferro batido e coado, de todo* oa

    GAZ GAZ GAZ
    Vende-se gaz da melhor qualidade
    per ador b. 16 e rna do Trapiche Nova n. $
    Bixas de mburg*
    Vendera-fe na raa Nova n. 61.
    Superior cal de Lisboa.
    Vende-se snperlor cal t: JtBa
    a mais nova
    como a reta<
    jeuuimw g -"'""*.'*'"".,_. one ha no mercado, tanto emporcao como a reta-
    U a lata : nos armazens da ruado Im- ^ por barat0 ^^.aflancando-se aos compra-
    sr- su?. rKiJ?K rscseiv^r <- *
    Ws,armazem de Sr. Avilla, defrQBte & trapica Porto por 110, em cuias 8W : u
    alfodio
    Vende-se a taberna da ra Imperial n. S03>
    hvree deswmbaracsda de qualquer debito, e com
    poneos fundos, propria para um principiante : a
    tratar na esnaa.
    T,
    ei)ao
    Vendem-se secos com t5 coias de fejao rajado
    Direi
    tan. 8.
    Arado americanos e machinas pan
    lavar roupa: em casa de S. P. Johnston d C,
    ra da Senzalla Nova n. 42.
    Vende-Be uwa morada de casa terrea con
    eommodos, cozmha fra, cacimba, quintal bastan-
    te grande e ledo murado, terreno proprie, boa
    localidad?, ra Direita n. 62, povoa?io dos Afola-
    dos, tambera se trocar por outro de mais valor
    nesta cidade, voltando-se oque for razoavel: quem
    quizer v ra da camboa do Carmo n. 8.
    AfW
    Vende-se superior vinho do Fort'ea ciias de
    ama duzia : em casa de Johnston Pater t _G.: ru
    do Aifiria n. 3,



    A
    Diarto *Je Peaasjibaco Ter?a lelra 31 de Janeiro de 1S*.
    NOVOS VESTIDOS DE PHAOTASIA
    Chegaram as modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramente hotos
    em festo e qnalidade : teja das columnas, a na do Graspo n. 3, do Antonio Correia
    de VascoBcelles & C, seecessores do Jos Moreira Lepes.
    Fazendas de bom gosto
    Para ustidos de seuhoia
    Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorgurao e de sclim imperial.
    Ditos de bload, e do cambria branca bordados.
    Dites do la com barra o grande variedade em cores o padrees. .
    Hitos de organdys com barra
    Lindas sedas de quadros-escosseza o miadas.
    Snperiores laas lisas com grande variedade de cores.
    Ditas com salpicos, com dores e de quadros.
    Lindas pampolinas de qaadros e de llores., faxenda inteiramente nova.
    Superiores cseas decoros, e lindas cambraias ergandy
    Grande variedade de chita de cores, de percalia o ontras muas fazendas de |aa.
    Para hombres de sentara
    Liadas capas o bournoui de easemira de cor.
    Bitas do laa o de seda.
    Grande variedade de sout'embarques de seda de 18$ a 40.
    Manteletes de seda.
    Superiores basqninas.
    Snperiores chales de seda, de merino estampados finos, de caehimira eom listras de
    seda e de fil prtto.
    Camiziohas modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
    linhas com pannos e outros muitos artigos.
    Para cabera de senhora e menino
    Superiores chapeos e chapellinas de palba de Italia, enfeiudes para senhora.
    Ditos de feltro enfeitados para senhora.
    Dites de pal ha enfeitados para menino.
    Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores
    para senhora. '
    Na leja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
    les A C.
    AO PUBLICO
    en Menor e*trt>-
    gimeato se entregar
    'porte do genero que
    nio agradar.
    ATTENQflO
    a precoa da seguale
    tabella para todos, po-
    dendo asslm servir de ba
    se para o ajaste de contris
    eom os portadores.
    ARMAZEM NIO M
    RA DA CADEU H IUBCIFE IX. 53.
    -. (Lof* sassande o are* di Ctieeieft)
    randa redueco de pceos, equivalente a daz por cen o menos do que ouro quaiquer
    annunciante.
    S!**,**^1^0 p0S8 Vr a* tempo sustentar o preco damanteiga fngleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
    D'IODURETO DUPLO
    de FERROeQUININA
    0
    0* elementos que compoem esta preparaeo, o
    ferro, o iode e a quina, a collocao no primeiro
    grao das preparacbes ferruginosas. Basta ttestar
    sens resultados oblidos pelos Mdicos dos hospi-
    laei, e os relatnos dos prcticos maiseminentes,
    que confirrarao sua poderosa efficacidade as
    seguintes affecedes:
    Convalrnrrnca de lon-
    ga* molcatiaK.
    Molpallaa onrrafulo-
    aa.
    Fnprira.
    Obslrucrao dea (Iaa
    dula
    mwm mm
    23Largo do Terco--23.
    VATIIO
    gerai recomueivda^Ao
    Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
    escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
    faz abatimento.
    dem franceza a mais ora que tem vindo ao
    mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
    meios a 5oo rs.
    I Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
    a libra.
    I dem perela o mais superior do mercado a
    Joaquim Simio dos Santos, dono deste bem sonido armazem de molhados faz seiente arsJ 2,8 rs-
    recommendacao m seus a.>gos, fregneies e a todos em geral, que esta resolvido a venderos seu* M huxim o melhor que se pode desejar
    , neste genero 2,6oo rs.
    dem proto hemoopathicoporserde superior
    -1 -j-t >". ov 'cnuu ivm uiu pvi vemu a idiuid, re&uivi iazer
    ? Lbif S121S5 COno,sabe-S 2 Pe, 5? bairr0i al a abertara d0 "vel armazem de molhados tinao Mercantil nao
    ?!i2?SZ ,f e'ga ,,Dg,e/a a nS? m de ,',*oe a l'flb0 re- a ,ibra- HJe Porm' resentidos da redcelo a que
    al intllt %!*, t^ S d,aS,dC seus,re2uezes reclamac-o de precos, e qnalkiades, vingam-se de um e outro portadores
    tL sSt nbt 9 ,I,n 1 ?e^' Prara Uie VCnder gODerOS pro>rios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
    lao somente obter a concurrencia de sens fregueses.
    Para bem de todos.
    reza com nucan iStffilSi ^ P"fW8j aS arr3DJ0S d(f* D0V0 eslab reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida rae darao a proieccSo e preferencia na compra
    . ------ --------- -vw***v.j v^ \y^j *y uuw oum uuuud .(qc udldU d UIJLKrtaf
    seifSrbemTeSTmn LS2S *?* ,vir poderf mandar seus Portadores' a"da ijue estes sejam pouco pratices, pois
    serao tao bem serwdos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacio, afim de que naS vao em outra par te
    rs^eem barricas de 4 duzas se faz abat- Antonio de Lisboa em latas cora 6 libra
    meato. p0r 2,500; ditas doce em latas esm o mes
    25* a 26 e Prs- hbra' e 7-8eo m Peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
    e 8,500 rs. a arroba. de 3 yDras por j 5oe ^
    dem lavado de pnmeira qualidade a 3oo rs.
    para rom este melhor se ceruHcarem.
    qualidade a 2,ooo rs. a libra.
    Jassas para sopa macarro, ulharim e aletria a Milho alpista e painco mnito limpo a 140 rs. a li- i ^OD, hoxim e perola mais prbprio
    a e a arroba a 4400 e 45200. para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,00 rs. a
    240 rs. a libra e em caixa a 5J>.
    foacinho de Lisboa alvo maito superior a 280 rs
    a libra e 80800 a arreta.
    Daf do Rio de primelra e segnndasorte a 0,80
    o -lOO rs. a libra o a arroba on sacco a 8 e
    8*300.
    Caouncas as mais novas do mercado a 360 rs.
    libra e em barril a 12.
    Passas vindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
    e a caixa a 80.
    Batatas emRigos de 35a 40 libras por 20400 a ar.
    roba e a 80 rs. a libra.
    Gb hysson miadinho superior qualidade a 40200,
    20000, 20300 e 3* a libra.
    Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
    900, 400 e 640 rs. agarrafa,
    dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
    e a caada a 20400 e 20700.
    'gera duvidarvenha ver.
    .lOS: OiHES VH.LJLR
    Com loja de fazendas a ra do Crespo n,
    Pretendendo Ir muito brove a Europa tratar de sua saude, pede aos seus devedores
    tanto do mato como desta praga que saldem seus dbitos quanto antes, e
    Protejam Excellentissimas senhoras a esse impor-
    tante estabelecimento.
    Fazendas muito proprias para a quaresma, grs preto, moreantiques, cortes de se-
    das pretas, capas pretas, casac5es, soutembarqties, chapeos de palba, chapelinas de palha.
    Bournus pretos de renda '
    o que de mais bello e mais importante para os hombros de urna Excellentissima senho-
    ra, assim como chales de renda de apurados gostos, camisinhas bordadas.
    FRANCISCO J. GERMANN
    . ; SI RA NOVA Ws *1
    Acaba de receber um magnmeo e completo sortimento dos objectos que de melhor aualida
    de encontrar era urna relojoana, taes como : chronomelros martimos e de algibeira, reloeios rde ouro
    e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allemaes e americano'
    !!^!!ll?P^!l2^?fa^/^,M.rJ'ndwJeo musica e sem ella' dt0 e sol montados com pecas
    tamanhos, caixas com msicas, igual soMi-
    ]los c
    Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180, libra, garante-se ser muito retrular. ieal
    rs o mago o a 20 a groza. | qatse vende em<)Qtra $
    Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa o o ga- e 2 6oo rs
    garrafa e a duzia a S08OO ,lbras' emticamente lacradas a 5,5oe rs.
    Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a l.bra e' 8'ara,Dte-se serem superiores aos que fom
    em barril ou caixa se far abatimento. | r, em b*rri8.
    irror do Maranhao e Java a too e 80 rs. a libra curicas e paios em barris de meia e ama
    e a arroba a 20880, 2e 20400. arrobaa 8,000 rs. e l,5oo e Goo rs. a libra.
    Assim como ha um grande sortimento de charu- Queijos flamengOS muito frescos chegados
    tos e genebra de Hollanda, tanto em frascoscomo neste ultimo vapor a 2,200 rs. e do vaoor
    em botijas, belachmhas de soda, conservas.choco- nassado a i aa a 4 Son r^
    late, marmelada, vi.ho engarrafado eontro- mnl-1 r*S ,jd0 6 V800 FST
    tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al- ,lem 'ODdrinos os mais superiores que tem
    vmdo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
    ro se faz abatimento.
    dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra,
    dem do Alentejo o que se pode desejar de
    fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
    antes que se acabem.
    Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
    paradas a 64o rs.
    Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
    bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
    Prezunto do reino vindos de casa particular
    a 56o rs. a libra, e a Soe rs. inteiro.
    dem ingieras para fiambre chegado neste
    vapor 72o rs. a libra.
    Copos lapidados para a guaa 5,oooe 5,5oo a
    duzia,
    Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
    l,ooo e l,2oo rs. a libra.
    Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
    por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
    rente e de superior qualidade, tambem tem
    de 12 por libra propria para carro.
    Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
    a libra, e ft,oos rs. a arroba,
    dem do Cear do saperior qualidade a 24o
    o 28o rs. a libra, o 7,8eo a 8,ooo rs. a
    arroba.
    Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,oeo
    rs. a arrobo,
    dem dalodia muito alvo egraudo a loo rs. a
    libra, e 3,ooo rs. a arroba,
    dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2o rs.
    a arroba.
    Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
    rs. a arroba.
    Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
    6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
    rs. a libra.
    Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
    bra, e 9,ooo rs. a caixa.
    dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
    estas massas tornam-se recomendaveis as
    pessoas doentes por serem propriamente
    feitas para esse fim.
    Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
    25 libras a 52o rs.
    Vinho do Porto muito fino excellente qua-
    lidade proprio para engarrafar em ancore-
    tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
    Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
    4oo eoeo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
    3,ooo e3,8oo rs.
    Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
    dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
    a 3,ooo e 3,5oo rs.
    Vinho branco para missa em caixa de i duzia
    a 8,000 e a 68o rs. a garrafa.
    Vinho do Porto das melhores marcas, que
    vera ao mercado como sejara Lagrimas do
    Doaro, DuqHe do Porto, DuqueGenuioe,
    D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
    Fetoria em caixa de 1 duzia do 9,ooo a
    to,ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
    Vinho Colares o mais superior que tem
    vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
    Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
    a 36o e 56o rs. cada urna.
    Sardinhas porluguezas era latas grandes
    preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
    boa a 64o rs.
    Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
    por l,2oo; ditas em caixiahas de deversos
    tamanhos com bonitas estampas na eaixa
    exteriora l,2oo, I,5oo, e l,8oo rs.
    Azeite doce renado Penanol ou do Kempes
    de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
    caixa com urna duzia.
    Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
    caixa com 2 arrobas.
    Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
    8,5oo a duzia,
    Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
    Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
    Molho inglez em garrafa de vidro com
    rolda do mesmo a 5oo rs.
    Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
    8o rs. o frasco. ;
    Mostarda franceza em potes j preparada
    a 4oo re.
    Lontilhas excellente legume para sopa a 2oo
    rs. a libra.
    Minicaa no augur.
    Fraquexa.
    Anemia.
    Chloroae ou Ictericia.
    Meastrno.
    Affccce ilo tero.
    Supprcaaoea tlaa re-
    jera e deaordea na Humores frloa.
    niCBatruaeao. Humores bruneoa.
    AITeecao pulmonar e nuchltlamo.
    phthlalr. [ AtTeceoea eaaeeraaaa
    Molestia d'eutomago. e Hypbilltleaa.
    Gaatralslaa. Febrea 11 : Perda d'nppetlte, e*e. I Varales, ee., ete.
    Vejao se es bulletins de therapeutica medica
    e cirurgica de 30 de novembre I &60; a Gazcta
    dos hospaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
    Alem das pilulas de iodureto duplo de ferro e de
    quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhao
    igualmente o Xarope d'iodure duplo do
    ferro e de quinina do mesmo author para as
    pessoas que nao gostSo de medicamentos sob for-
    ma pilular c os meninos. Este xarope nao tem
    como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
    de alterar-se e de se nao poder conservar.
    Peca-se o folheto que se da de graca em casa
    dos pharmaceuticos depositarios.
    Para-se evitarem falsificacoes, exija o com-
    prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
    signatura do inventor.
    Depsito geral cm Paris, pharmacia Rebillon,
    442, me du Bac,e em todas as boas pharmacias
    de Fran$a a dos pnizes eslrangeiros, etc.
    GRANULOS
    da, salmao, ostras e chernee, vezugo em i Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
    para disparar em certas horas, despertadores de diversos
    oes
    latas grandes a 8ooe i,ooo re. eada urna.
    Vinho Bordeatix das marcas mais acredita-
    cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
    libra.
    Pernambuco, os quaes so se vendern por consulta dos mdicos, vldros de crystaf braro e Mr?, ,
    oculos de alcance para o mar e outros proprios para observacSes astronmicas, oitantes e sextante*' i Genebra de Hollanda a 56o rs. 0 frasco
    binculos para theatre, para mar o para campo, microscopios e meridiano universal, barmetro? ter-' 5,700 rs. a frasaueira
    SlSaL^Jt?^^ e chaves.sinetes e trancelinsdeEME '"
    rados e foleadas, ludo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qulquer concert e en.
    objectos mencionados, e respoosabilisa-se durante um anno por quaiquer relogio vendido ou concert
    feto, em seu estabelecimento ; e veade por menos que pode fazer outro quaiquer. roncero
    Cassas para vesfidos.
    Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
    das que tem vindo ao uosso mercado a I Bolachinha de soda em latas com diversas
    6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante- qualidades a l,3oo rs.
    Bolo francez em caixinhas muito proprias
    para mimo a 64o re.
    Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
    libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
    Figos de comadre a 24o rs. a libra e
    i,8oo rs. a caixa cem 8 libras.
    Amendoas de casca mole a 32o re. a libra.
    se ser de qualidade superior, que outro
    quaiquer nao pode vender por este preco.
    e
    dem de laranja verdadeira de A'tona em
    frascos grandes a l .ooo rs. o frasco, e
    H.ooors. a duzia.
    dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo Bolacinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
    Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
    grandes a l,ooors. e 11,ooo a duzia-
    Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco.
    Sal refinado em frasco de vidre com rolha do
    mesmo a 5oo rs.
    Cerveja branca e preta das marcas mais a-
    creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
    5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
    Sag muito novo e alvo a 24o re. a libra.
    Sevadinha de Franca maito nova a2oors.
    Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
    mais acreditadas marcas conhecidas no
    nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
    3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
    Cognac ioglez das melhores marcas a
    l.ooo rs. a garrafa.
    Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
    bras por 2,ooo; dito em caixoes a 6oo rs.
    cada um.
    Farina de araruta verdadeira a 32o rs. a
    libra.
    Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
    32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
    Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
    o 4,8oo a caada.
    Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
    e 36o rs. [em barril.
    Capil de diversas frutas muito frescas a
    64o rs. a garrafa.
    Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
    Toucinho de Lisboa muito arto e alvo a
    32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
    Ameixas francezas em latas de 3 libras por
    2,ooo. rs.
    Cebollas solas a l,4oo ocento; ditas em
    molbos com cento etantas por l,2oo rs.
    Malte excellente cha para os navegantes a
    a 2oo rs. libras.
    BIS
    JffiCHEyRrER
    Os granulos au bismuth de Chevrier bem
    snperiores a todas as oulras preparacoes de
    bismuth empregadas antes com o maior successo
    pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
    corar as
    niarrheos cbronleaa. Ma dlgeatoea.
    DToaenterlaa. Gaatrltet*.
    Ddrea d'ealdmaso. Galtralglaa, ele.
    Dispepsias.
    Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
    affccccs se manifesto ordinariamente por diges-
    to es laboriosas, azidumes, falta d'uppete, pesos
    a"est6mago depois de cada comida, caimbras es-
    tomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
    eom vmitos.
    Este estado mrbido, se o descuido, traz in-
    vitavelmente, que seja:
    Molestias de ligado.
    A Ictericia.
    Palpltncao de eoraeao
    Ddrea nos rlua.
    Oppreaaoea.
    Ddrea de eabeea.
    irrltarors de Iteslga e
    da matriz, ete.
    & comp.
    Vasconcellos
    BOTICA E DROGARA
    Bartholonea Francssco de Souza .
    31Ra larga do Rosario3
    Vendem:
    Pillas Holloway.
    Plalas do Dr. Laville.
    Pilulas do Dr. Alian.
    Pilulas do Pobre-homem.
    Pilulas americanas.
    Pilulas vegetaes.
    Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
    Salsa de Bristol.
    Remedios do Dr. Gbable.
    Elexir de Pepsina de Grimflwtlt.
    Vinho de Salsaparrllha de Gh Albert. ,
    InjecgaO Feaugas.
    Agua denliflea de Dosirabode.
    Papel cliimico, para taino*.
    Xarope depurativo de Cbable.
    Licor aromtico de Raspad.
    Pos aoti-epileticos de Brest.
    Reb L Afltectoar.
    .Varope do Bosque.
    Ungento Holloway.
    DROGARA.
    31Roa 'larga do Rosario31
    Bartholomen Francisco de Souza i C,
    Aeido actico puro para retratistas.
    Esmaltes para ourlves.
    Papel para forrar casas.
    GuarnicSes areltudadas.
    Tinta branca superior em lata.
    Alvaiade Yenea, fino, em pes.
    RAPB'
    Dnarie, Pereira 4 C.coBtinuam Tender o ato-
    ntado e fresco rap Prineera de Petropole* em sen
    jtraade armaiemde louca e TMres : i raa do
    Crespo n. 16.
    MiH ovo em saceos grandei: no trapirt
    de Caoba, a tratar cora Tasso Irraaos. "**"*"
    O
    rinaiem de molliado
    81-RDA DO IMPERA DOR--S1
    begunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
    Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitvnl
    la rmandade dos servos da mesma Se-
    nhora que se acha erecta na egreja de N.
    S. da Penha do imperial hospicio dos re-
    verendos padres missionarios apostlicos
    capuchinlios italianos de Pernambuco,
    approvado por S. M. I., que Deus guarde;
    dado luz por devocao do muito reve-
    rendo padre Fr. Placido deMissiaa.
    Veode-se a 320 rs. na livraria ns. 6 8
    da praca da Independencia.
    az liquido, candlelros e mus
    pertences.
    No deposito do mesmo, na ra da Crn n. 35,
    yende-se gai o mais apurado, fm latas de 5,
    l galio, assim cmo em garrafas; tem tambem
    venda candieiros para o dito de diversas qualida-
    des, e pertences para os mesmo?, avulsos, das mais
    pequeas as maiores dimensBes, tudo por precos
    commodos. r "
    = g? c o o -i B" o ce pr
    - J (u aj C- D n- --- *^ ** *-
    O. [f U3 O
    ^3
    .. "-* tu" O O
    tt7lcSSB'l>B.DDO'PPK
    o SS'g.S.S,,0J- g sIbS g w i
    V

    H
    ce
    o
    g co ai w
    e> .. P S S?,
    a* 'j.
    v%
    O
    CA
    03 %:
    a> "i
    ^ ^
    q g T -q a
    o i fi S w
    o B S ^,
    3 Sa
    > o e
    e-s
    o
    s-
    *T
    c
    COMPENDIO DOLOEOSO
    que contm o officio de Nossa Senhora das
    Dores; o modo de resar e offerecer a co-: PUDllC0 estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
    rea, um setenario e mais outros exerci-lcom umbeI1 e Dem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
    cios de piedade e devocao; ordenado pe- com. semPre caprichou ter das melhores qualidades, efrancamente affiangas pessoas que
    se dignarem comprar em seuestabelecimento,que alli de preferencia outra quaiquer par-
    te sero mais bem servidos, em qualidade e preces, como em pesos e medidas, no que
    sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao illude a pessoa algnm*.
    Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo qHeiram honrar como seu comitentelhes
    assegura que o producto de seu laborioso Irabalno ser o mais bem reputado no merca-
    do desta praca, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa prafica com-
    mercial que tem exercido, sendoseus portadores despachados com presteza, depois dese-1
    rem fielmente umprido as suas ordens.
    Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantesque Ihe merecam confianca, fa-
    zendo um abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e ;encarrega-so da
    venda de quaiquer genero do paiz, mediante urna mdica commissa"o, entregando de
    prompto sen producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
    prescindir da commissJ.
    Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sna valiosa proteccao, fro-
    quentandocmo outr'ora sua casa, e pelo reconhecimento que lhes tributa offerece expon-
    taneamente sens servicos.
    Julga desnecesariopublicara tabella dos procos de sons gneros: s5o sens recursos J
    garanta sufficienfe de poder accempanhar os menores preeos de ideotiooso mesmo de
    mais apparatosos estabelecimentos, tendo somente em vista o augmento de suas vendas
    diarias.
    Freveifio necesMrla.
    Tendo sido o proprietario estabelecido muitos anuos eem o mesmo ramo d nego-
    wo m mesma raa, julga prudonte advertir qno s afirma o so respensablis* pelo que
    tem declarado no que disser respeito ao armazem.
    = Sffi o.~o- rt 2
    o
    c
    5." f
    eijio.
    9- Raa 4a Madre de Deos-9
    Vndese feijao mulatinho novo, saceos de 22
    cuias, o mais novo qne se pode desejar, e mais
    barato do que em outra quaiquer parte.
    Vendem-se algudares vldrados e quarnbae
    em porcao e a retalho por preo* muito barato s
    na ra da Somata v^ha n. 110.
    . .T Vende-ie e aloga-se em porclo e a retalho
    bwnas de Hambureo de snperior qualidade por
    menos do que em outra qnalauer Darte na rna
    do Vigarie ns. 8 e 13. J
    wsmsm.
    I-A DO IMPERADOR-81
    Segunda casa do lado direito indb do pateo do Collegio,
    . a, w ce
    in

    a, u
    O.
    Ul
    O!
    ||I
    oo a o

    t.
    f
    tn c S
    o os a>
    i "

    1
    o.
    a
    00
    S.
    a
    e*
    as
    s
    ?
    ------
    C-
    ^
    T
    a b-
    r

    e
    e
    e
    g
    e
    i
    Agua Florida.
    Para restabelecer e conservar a cor natural
    dos cabellos.
    A agua florida 'nfl umaUnttrra,ficto essen-
    eial acontestar, a mesma agua dando a elr primi-
    tiva ao cabelle. Composu de plantas exticas e
    de substancias inoffensivas, ella tem a propriedade
    de restituir aes cabellos o principio corante que el-
    le ten perdido. D'nma salubridade tncontesta-
    vel, a Agua Florida entreten ai iirapeza da cabec*
    destroe as caspas e impede os cabellos de canir
    Oleo de Florida.
    Compeste de substancias vegetaes exticas, elle
    flomtlte poderosa*, coa a Agua FJerida, a
    toro, a belleza e a conservaos des Wla.
    lien, e U, oulevard jonfiarr/i
    Todos es frascos, iSo tende Intacto e claro,
    ttafcfe arateade da casa, si reprtades falsos.
    Deposito, roa do Imeerader, pharmacia 3.
    Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
    sommidades medicaes para prevenir essas diver-
    sas molestias e cural as quando sao tomados a
    tempo.
    O preco de cada frasco de 4 francos.
    Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
    e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
    estrangeiros.
    GRAGEASdeCUBEBINA
    comCOPABAdeLABLONYE
    Estes confeitos que tem por liase o prin-
    cipio activo da primeva cttbelia juulo com
    a ciipahyba pora, nao nausen o eslom?.ga.
    Elles fazem parar inmediatamente asmis
    rebeldes gonorrhas, mesmo as que res sti-
    ram a cubeba o a cupabyba isoladamente.
    Deposito geral em Pernambuco ra da
    Cruz n. 22 em casa de Caros Barboza.
    No armazem de fazendas ba-
    ratas de Santos & (Mho
    Raa do Queiiuad n. 19.
    Vende-se o seguicte:
    Lences de panno de liiiho
    pelo baratissimo prpeo de 2400.
    Lences de bramarle de linho
    de um so panno a 3aOO.
    Coberta de chita da India,
    pelo baratissimo preco de 8'00.
    Lencos de cambraia brancos
    proprios para, algibeira, a 2,5 a duzia.
    Pegas de bretanha de rolo com 10.varas
    propria para saia, a 45-
    Pecas de cambraia de forro, a 25GOO.
    Esteira da India
    propria para forrar salas, de 4, S e 6 palmos de lar-
    gura, por menos prego do que em outra quaiquer
    parte.
    Toalhas alcochoadas para maos
    a 5,5 a duzia.
    Laazinhas carmezim miudinhas
    proprias para vestido de menina, a 00 ris o co-
    vado.
    Laazinhas de cores finas
    do melhor gosto que ha no mercado, a 560 ris o
    covado, neste armazem de fazendas se encontrar
    um pranile sortimento de ronpa feitae por medida
    Vende-se um alambique de cobre mus no-
    vo, que distila por rjia 80 a 100 caadas de agur-
    dente, com todos os vasas e majs accessorios para
    funecionar, inclusiv\50ancoras para condnecao
    de mel e agurdente. Ha mais am apparelho de
    cobre completo para distilar por dia 100 a 150 ca-
    Badas de arrool, sendo a serpentina de esUnho, as
    brides e parafusos de brome, tudo finalmente em
    perfeito estado e de solida construccao, vende-se
    por preco muito commodo : no largo do Carmo n.
    1, se dir qnem vende.
    ESCEAVOS FGIDOS.
    Escravo fgido
    Acha-se ausente de casa de sua senhora, desde o
    dia 12 do correte o preto Joao, que foi escravo
    da fallecida D. Leonor Jorge; baixo. cheio do
    corpo, e o rosto todo f icado de bexlgas, consta
    que anda no Recife e na Boa-Vista : qnem o pe-
    gar leve praoa da-Iadependeocia ns. 37 e 39, que
    sera gratificado.
    No dia 9 de dezembro de 1864 fugio de casa
    de seu senbor o escravo Herculano, pardo escuro,
    com 35 annos, alto, cabellos caraplnbes, olnos e
    oremas pequeas, tem apenas bigode e pera, per-
    na e andar de quebra-jnangoe, tendo o. pe esquer-
    ro torto e sahido para fra como pata de seo, e
    por isso pucha alguma cousa pela perna quando
    anda, levou vestido caiga branca remendada e ca-
    misa branca, levando na cabeca chapeo de palba.
    eooduzio igualmente toda a ronpa que possue, sup-
    po>-se andar aqot mesmo pela cidade : qnem o
    pegar leve-e a roa Direita n. 54, que ser genero-
    samente recompensado.________.. ., .
    Fugio oo dia S de janeir a preta Romana,
    de idade 28 anuos, crioula, magra e fula, bem' fal-
    lante, e tem sido vista pelo Manguinho : qnem a
    pegar leve-a a sen senbor, na pVaca da Boa^Rsta
    n. W, do Campo Verde, roa doTratiche n. *, que
    ser bem recompensado.



    9
    Mario e Pentambneo Ter^a tetra Jt de Janeiro de i**G5.
    1
    L1HEHIMA.
    publica, on d'oulra maneira, constitae a le su- palhando todas as ontas especies de doulrinas im-
    prema, independente de todo o direito divino, e hu-. pias. Tamben nao Ignoraes qoe, na nossa poca
    EuclfcUea pontificia de 8 de dezerabro passido.
    A lodos os nossos veneraveis irmios, os patriar-
    chas, os primazes, os arcebispos e bispos em
    graga, e em communho cora a s apostlica.
    Pi PP. IX. Veneraveis irmaos, stiie ebtmfio
    apostlica.
    mano ; e que na odem politica, os factos consam*
    mados, pelo facto de se. acharem .consummados,
    lem o valor do direito.
    ha pessoas, que instigadas e excitadas pelo espiri-
    to de Satauaz, teem chegado ao gru de iniquida-
    de de negar o dominador Jess Christo Nosso Se-
    nhor, e de nao tremer de atacar com a mais cri-
    minosa Impudencia a sua divindade.
    Nesse ponto nao podemos deixar de vos dar, ve-
    neraveis irmaos, os maiores e mais bem merecidos
    louvores pelo zelo, com qoe levantastes a vosaa
    voz episcopal con ama to grande impiedade.
    Por tal motivo, as presentes letras,nos enderes-
    samos aiuda urna vez a vos amorosamente, a vs>
    Mas quem nao v, quem nao percebe perfeita-
    mente, que qoem despreza as leis da religio, e da
    verdadeira justiga nao pode ter fim se nao de
    amontoar, e accoraolar riquezas, e d'oulra lei em
    todos os seos actos, se nao o desojo indomavel de
    Com que solicilude, e rom que vigilancia pasto- salsfazer s snas paxgeli e de pro<.urar prazeres.
    r\\ os. pontfices romanos nossos predecessores Eis-aqui por que os homens deste carcter perse.
    proencheram o cargo, e o dever., que Ibes foi con- gllem com ^^ rajva crue, as ordeQS re|gosaSj
    flado por Jess Christo pessoalmenlo na pessoa o sera ines importarem os immensos servicos presta- que chamades a tomar parte na nossa solicilude,
    Bemaveoturado Pedro, principe dos Apostlos, de d03 por ellas rehgiio, a sociedade, e s letras i j goe para n6S; no meio das nossas grandes dores
    apascentar os cordiros, e as oveltias de modo tal- porque fallara indiscretamente contra ellas, dizerf"' um objecto de' coosolacao, de alegra e de conforto
    que nunca deixaram de nutrir fielmente com pala do, que nao tem razo alguma legitima de existir; pe|a vossa religio, pela vossa piedade.e por aquel-
    vras da f e da doutrina da sal vaco o rebanho do fazem echo s calumnias dos hereges. Com cffeiW ie amor) por aquella f. por aquello respeilo ad-
    Senhor e de o affistar das pastagens envenenadas, com lanla verdade ensinava Pi VI, nosso prede- niiraveis, com que vo esforgaes para cumprir ci-
    todos o sabem, todos o vecm, e vos melhor do que cessor de feliz memoria : vj|) e cudadosamente o cargo tao pesado de vosso
    ninguem, veneraveis irmaos. E com elTeito os ( A abo|i?o das ordens reIgiosas fre 0 estad0) ministerio episcopal, em unlo intima e cordial
    nossos ditos predecessores, guardas, e vingadores 4 que fM profiss5o puD|ica de segar os conselhos comnoECo, e com a s apostlica. Efectivamente
    evanglicos ; fre om modo de vida recommen- esperamos do vosso excellente zelo pastoral, que,
    dado pela egreja por ser conforme doutrina empunhando a espada do espirito, que a palavra
    dos apostlos ; fre finalmente os Ilustres fun- de Deus, e fortificados com a graga de Nosso Se
    alcancar d'Elle. Pecamos tambem a intercesso
    do bemaventurado Pedro, principo dos apostlos, e
    de Paulo, sea coropanheiro no apostolado, e a de
    todos os santos do cea, esses amigos de Deus, que
    possuem o reino celestial, a cora e a palma e
    qoe j esto daqui por dlante seguros da sua im-
    mortalidade, para que tratem cora toda a solicitude
    da nossa salvaco.
    Emfim, pedindo a Deus de todo e nosso corago
    a abundancia de todos os dons celestes, damos do
    fundo do corago, e com amor,' como ura penhor
    de nosso particular affecto, a nossa beogao apost-
    lica a vos, veneraveis irmaos, o a todos os fiis,
    clrigos, e leigos confiados aos vossos cuidados.
    Dado em Roma junto a S. Pedro, a 8 de dezera-
    bro de 1864, dcimo anno depois da definlgo dog-
    mtica da Iramaculada Conceigo da Virgem Mara
    Me de Deas.
    E' de nosto pontificado, o dicimo nono.
    (Continuar-se-ha.)
    da augusta religio catholioa, da verdade e da jas
    tiga, cheios do solicitude pela sanelo das almas,
    nunca se interessaram por cousa alguma mais do
    lhar por meio dos vossos assiduos cuidados para
    que os fiis confiados vossa guarda t se abste-
    nham das ms hervas, que Jess Christo nao
    aun por descobrir e condemuar pelas suas letras e dadoras a qem veneramos sobre os altares, que nhor Jess Christo, tratis cada vez mais de traba-
    constituiges, monumentos de sabedorla, todas as
    heresias, e todos os erros, que contrarios nossa
    divina f, doutrina da egreja catholica, hones-
    tidade dos costumes, c salvado eterna dos ho-
    mens excitaran) muitas vezes violentas tempesta-
    des, c chamaran, sobre a egreja, e sobre a secie. as ^ ^^ para ^ empregarem nQ CB||0 .
    dade civil deploraveis calamidades. | vn0
    Eis-aqui porque com um vigor apostlico, se op- Tudo m ^.^ do ^ ^ fc ^
    poseram constantemente sculpavcsmaqumacoes^,^^ ^^^ em opposigo cora os
    dos maus, que, semelhan.os as ond.s do mar tarto-: prDCipios da verda(Jejra ^^
    so laucando escama das suas confu-oes, e promei- i
    :>ndo a liber'dade, nao obstante serem escravos da Nao contentes banirem a religio da sociedade,
    corrupcao, se teem extorcado com falsas mximas Querern exclui-la da familia. Ensinando, e profes-
    e escriptos perniciosos para arrancar os funda- o* o funesto erro do Communismo e do Socia-
    nenlos da religio catholica, e da ordem social, fa- j 'o, afflrmam que t a sociedade domestica ou a
    rer desapparecer do mundo tudo quanto virtude, Emilia deriva toda a sua razo de existencia do
    depravar todas as almas, sobtrahir regra dos direito puramente civil; e conseguinteraente, que
    costumes os imprudentes, e sobre tudo a mocidade <* le civil dimanara, e depender todos os direi.
    inexneriente, e corrompe-la miseravelmenle para '<* dos paes sobre os filhos, inclusivamente o di-
    a fazer cahir as redes do erro, e afinal arranca-la 'eitode instruegao, e deeducago.
    do gremio da egreja catholica.
    Logo que, como vos muito bem o sabis, vene-
    raveis irmaos, apenas por jastos jnizos da Provi-
    dencia, sera merecimento algum da nossa parte, ci.-0 da niocdade> para emporcalhar e depravar
    nos fomos elevados cadeira de Pedro, vendo com cora os erros os mais perniciosos, e com toda "
    o coracao atravessado de dr, a horrlvel tempesta-'- qualidade de vicios a alma tenra e Qexivel
    de excitada por tantas doutrinas perversas, assim gentes mogas,
    como os males immeosos, e soberanamente deplo-
    raveis descarregados sobre o povo christo por
    raeo de tantos erros, segurado o dever do nosso
    as estabeleceram por iospiragao divina.
    Ainda v5o raais adiante, e no meio da sua ira
    piedade, dizem ser necessario tirar aos cdados,
    e egreja a aculdadede dar esmola publicamen- colllva> Pr nao lerera Sld0 Planladas Pr sea
    te, t e abolir a le, que em certos dias prohibe "ae* *
    Nao deixeis portante de inculcar a estes mesmos
    Geis que toda a verdadeira felicidade dimana para
    os horneas da nossa augusta religio, da sua dou-
    trina, e da sua pralica, e qoe feliz aquelle povo
    de qoem Deus o Senhor.
    Ensinae que os reinos se apolam no funda-
    c ment da f catholica e que nada ha tao mortal
    i e que mais nos exponha a cahir, e a todos os
    < perigos, do que acreditar que nos basta o livre
    arbitrio, que recebemos nascenga, sem termos
    c qoe pedir a Deus outra cousa, isto que esque-
    cendo-nos do nosso autor, nos atrevamos a rene-
    c gar o sea poder para nos mostrar livres.
    Nao deixeis tambem de ensinar, < qoe u poder
    c real nao somente conferido para o governo
    i deste mando, mas sobre todo para proteger a
    egreja, e qae nada pode haver de mais vaotajo-
    joso, e mais glorioso para os chefes dos estados,
    o para os reis do que conformar-se com as pala-
    vras, que o nosso sapienlissimo, e corajossimo
    predecessor, S. Flix, escrevia ao imperador Ze-
    non, rsto que deixasse que a egreja catholica
    se governasse pelas suas preprias leis, e que nao
    permitisse a pessoa alguma por obstculos sua
    liberdade...
    E" effecti va mente cerlo ser do seu interesse,
    sempre qoe se trata das cousas de Dos, seguir
    cuidadosamente a ordem, que elle prescreveu, e
    subordinar, e n5o preferir a vontade real dos
    sacerdotes de Christo.
    Procedendo assim poderla esse pontfice passar
    por mo cosmographo, nunea por mal intencionado.
    Aquellas duas nacoes e.ram rivaes ; o pae com-
    naum dos fiis em sua sollcitode paternal procu-
    rava evitar maiores desavengas, quera previnir
    ulteriores guerras. A su* bulla promulgada a 4 de
    maio de liM um testemunho irrefragavel do
    sen espirito de conciliago : ah se lrtn as mais retoque.
    sabias instruegoes, que entao podlam ser dadas _
    abusou-se, de tudo se abusa por infelicidade nossa;
    Quando os primitivos colonos nao so do Brasil,
    como de quasi toda a America, para de algum mo"
    (lo altenuarem a inaulita crueza, com que trata-
    vam os miseros indgenas, impudentemente asseve-
    ravam que estes nao pertenciam a familia humana,
    quando 13o horrivel blasphemia era proferida pe-
    los interesseros, e suscitava duvidas entre as ra-
    z5es piedosas ; para dissipa-las roi tambem neces-
    sario recorrer a Santa S.
    O photograp bo
    Nao cousa para um acto, para cineo actos,
    que o autor dramtico poderia extrahir da fecun-
    da minado oollodio para todos.
    E' adianto do objectivodophotographo qae des-
    filan lodos os grotescos contemporneos.
    Entremos no atecr de ura desses pontfices do

    Dlim 1 dlim !
    J tocou a campainha.
    O sol, por excepgao de regra, veio atlrar com
    um boceado de primavera gemma do nosso in-
    vern, o a clienieila vai aproveitar este sol para
    affluir offldna, isto ao atelier.
    Dlim t dlim I
    La vae, l vae.
    Nada de impaciencia !
    E' um provinciano que deseja levar para a sua
    Para estes borneas da mentira, o fim principal
    das suas mximas impas, e das suas machinagoes
    I subtrahir completamente salutar doutrina, e
    influencia da egreja catholica a instruegao, e a edo- '
    a
    das
    Cora effeito, todos aquelles, que teem emprehen- j
    dido destruir a ordem religiosa, e a ordem social,
    e anniquillar todas as leis divinas, e humanas, tem
    ministerio apostlico, e os Ilustres exemplos de.| sempre feito conspirar os seus conselha?, a sua ac-
    nossos predecessores, nos levantamos a voz; e em lividade, e os seus esforgos para engaar, e depra-
    rouitas encyclicas, allocugoes pronunciadas em con-' yar, sobre tudo, a mocidade, como cima dissemos,
    sistono, e outras letras apostlicas, nos condemna- por que poe toda a sua esperanga na corrupgao das
    mos os erros principaes da nossa to triste poca. novas geragSes.
    Ao mesmo terapo excitamos nos a vossa admiravel Eis-aqu por que o clero regular o secular, ape.
    vigilancia episcopal; nos advertimos, e exhorta- sar dos mais Ilustres testemunhos, que a historia
    mos todos es filhos da egreja catholica, nossos que- aprsenla dos seus iramensos servicos na ordem re
    Mas se sempre nos devemos, veneraveis irmaos,
    enderessar com confianga ao throno da graga para
    d'ahi alcangarmos misericordia e soccorro em tem-
    ridos filhos para que tivessem em horror, e evitas- ligiosa, civil, e Iliteraria, para elles o objecto das po opportuno, sobre todo o devemos fazer no meio
    sem o contagio desta peste cruel. E particular-
    mente na nossa primelra eneyelica de O de novem-
    bro de 184G, eaderega-la a vos, e as duas allocn-
    goes, das quaes urna de 9 de dezembro de 18'ii, o
    a outra de 9 de junho de 1862, pronunciadas em
    consistorio, condemnamos nos os monstruosos er-
    ros, que dominam sobre tudo no di* d'hoje para
    grande desgraga das almas, e detrimento da mes-
    ma sociedade civil, e que sendo origem de quasi
    todas as outras, nao s sao a ruina da egreja ca-
    mais atrozes perseguigoes; e por que dizem que i o de to grandes calamidades da egreja, e da socie-
    < clero sendo inimigo das luzes, da civilisago, e do .dade civil, era preseoga de ama to vasta coaspi
    progresso, necessario tirar-lhe a instruegao, e I ragao dos inimigos, e de um to grande montao de
    < educago da mocidade. erros contra a sociedade catholica, e contra esta
    Ha outros, que renovam os erros funestos, e tan-1 ^ aP0SIlic*-
    tas vezes coodemnados dos novadores, elles tem a! Portanto nos jolgamos excitar a piedade de lo-
    insigne iupudencia dedizer que a suprema auto- dos os fiis, para que unindo-se comnosco e eora-
    ridade dada egreja, e a esta s apostlica por nosco nao drixem de invocar e snpplicar por meio
    Nosso Senhor Jess Christo est sugeita i autori- i de oragoes mais fervorosas e mais humildes ao
    dade civil; e de negar todos os direilos desta mes-' clemntissimo Pae das luzes, e das misericordias
    tliolica, de suas salutares doutrinas, e de seus sa-' ma egreja, e desta mesma s a respeilo da ordem j para que recorram sempre na plenilade da sua f
    lustituto Archeologlco e Ceo-
    graphleo Pcrnambucano.
    Discurso do Exm. Sr. monsenhor F. Mun\z Tatu-
    res, presidente effectico.
    Senhores.Quando varSes prestanlissimos, nos-
    sos dignos compatriotas, no louvavel dosejo de con-
    correrem para o progresso inlellectual, e moral
    desta provincia, installaram o Instituto Archeolo-
    gico Geographico, a confeccionaran) para regulari-
    dade do trabalho os respectivos estatutos, nao pre-
    viram talvez qne um dia viria, em qoe o artigo -28,
    all inserido, tornar-se-bia inexequivel, ou qnando
    muito Imperfetamente executado.
    Esse artigo imp5e ao presidente o rigoroso dever
    de pronunciar um discurso de abertura na solemne
    sesso do anniversario : e por ventura no desempe-
    nho deste preceito poder dizer alguma cousa, que
    atiraia a attengo de um auditorio Ilustrado, aqnel"
    |e que, como eu, pelo crescido peso dos annos j
    comega a curvar-se para a trra em busca de jazigo,
    nao algaado sem difflculdadss os olhos ao monte,
    d'onde vem todo o auxilio ? Nunca a indulgencia
    ez-se to indispnsavel, cumpre-nre implora-la.
    Os historiadores, que ho narrado os varios ca-
    sos succedidos na America, sao unadimes em refe-
    rir que no seu descobrimeoto ella chava-se assaz
    povoada, e que aioda um seculo nao havia passa"
    do, e j metade dessa populago tiuha desappare"
    cldo. O Brasil, e por consequencia^ Pernambuco-
    nao foi, oem poda ser isento desse eataclysraa gct
    ral. Plantava-se ah urna cruz : para os Uhr>slos
    esta o signal de redempgo, de pazj e de concor-
    dia, para os aventureiros era o atroz instrumento
    de exterminio.
    E foi para isso qae Christovo Colombo abri o
    passo aos Europeus ? Ah t Se elle podesse er.
    guer-se do tmulo, e contemplar o fructo da sua
    ousadia, de cerlo nao leria animo de queixar-se da
    (risle merc, qae recebera; antes no excesso da sua
    dor diria justamente merec os ferros, com que
    Bohadila eocadeon-rae. Mas o grande hornero
    conOou-se nos ingenuos sentmentos do seu cora-
    gao ; nanea penson qae augmentara o poder ao3
    malvados.
    Segundo as veihas rendas, os Pherricios e Cartha-
    ginezes, povos mercaderes, fuodaram colonias para
    extenderen) o seu commercio, e prem em segu-
    ranga as suas mercaderas; domavam os povos, que
    raes resistan), nao os exterminavam. Empren-
    dedores perspieazes, j entao conheciam que quanto
    maior o numero dos consumidores, mais extrae-
    gao tera os productos manufacturados. Os Gregos,
    que tambem foram cotonisadores, nao procedern)
    diversamente.
    Os clamores d'zqelles desventurados ebegaram trra bilhetes de visita com a sua cara photogra-
    aos es do throno pontificio, Paulo III entao reinan- phada na cidade.
    te nao-cerrou os ouvidos, avocou a si esta causa | J' S" ^,,rar fn relra^ .
    ... I Sim, senhor; mas desejo saber pnmeiro os
    ridicula em substancia, funestissima em seus ef- ,
    feilos. Uepois de maduro exame por theologos, e! PW Pr1ne aPwar de ser P>T.nc.ano, nao es-
    canonistas, elle decidi que os Indios eram homens
    como elle mesmo, fulminando a pena de excommu-
    nho maior contra os que pensassera djversameote-
    Hoje nao se prestara crenga a factos desta or-
    dem, se nofossem corrobarados pelas provas mais
    authenticas; a historia os tem registrado para cor
    reegao dos perversos. Ao menos n'aquelles cala"
    mitosos tempos tinha o despotismo essa barrelra.
    Senhores, ha urna Providencia, qoe vela incessante
    sobre o destino das nacSes. Recordando o extermi.
    nio brutal dos nossos aborigines, eu nao nve outro
    iotuto se nao proclamar um dos maiores prodigios
    desta mesma providencia em favor do Brasil.
    Percorra-se o interior das nossas provincias, e
    ver-se-ha com espanto que as ragas dos seus primi-
    ivos habitantes esto quasi extractas: se aproximar-
    mo-nos porm as nossas fronteiras ao norte e sol
    descobriremos que ah ainda abundara em numero
    consideravel. i
    Naqaelles dous pontos confinamos cora um po-
    vo, que deixando na Europaos patrios lares para
    se Gxarem na America, nao deixaram all o mal
    entendido espirito de rivalidade, que seas pas
    constantemente nutriram contra os Portugue-
    zes ; sempre nos bao inquietado, retribaindo des-
    t'arte os cootinaos beneficios que Ihes kavemos
    prestado.
    Ao norte, onde alm daquelle povo aviziuha-
    mo-oos a outras differentes nagSes, veremos qae
    ahi o numero 6 ainda mais avultadS'a despeito da
    horrivel caraiflcim dos desapiedados Maciel e
    Teixeira.
    grados direito, mas tao bem da lei eterna natural,
    gravada por Deus mesmo em todos os coragSes, e
    da recia razo.
    Entretanto apesar de nos nao termos deixado de
    muitas vezes proscrever e reprimir estes erros, a
    causa da egreja catholica, a salvaco das almas
    divinamente confiada nossa solicitude, mesmo o
    bem da sociedade humana pedem imperiosamente
    que nos excitemos de novo a vossa solicitude para
    condemnar outras opraioes, sahldas dos mesmos
    erros, como da sua orgera. Estas opinioes falsas,
    e perversas devem-se detestar tanto mais quanto
    que o seu Qm principal embaragar e desviar esta
    jorga salutar, de que a egreja catholica, em virtu-
    de da iustituigo e do preceito do seu divino fun-
    dador deve fazer uso al consummago dos secu-
    ios, nao menos a respeito dos particulares, do que
    a respeito das nagoes, dos povos e seus soberanos,
    e de destruir a mutua unio, e concordia do sa-
    cerdocio, e do imperjo, tanto salutar sempre e tan-
    lo egreja, como ao estado.
    De facto conhecels perfeitara'ente, veneraveis ir
    nios, que no dia d'hoje nao faltam homens, que |
    applicando a sociedale civil o impo e absurdo
    principio do naturalismo, como elles Ihe chamara, j ^
    se atrevera a ensinar que a perfeigo dos gover. |
    < nos e o progresso civil exigem imperiosamente i
    t que a sociedade humana seja constituida, e gp-
    t vernada, nao fazendo caso da religio, como se
    ella nao exislisse, ou pelo menos sem fazer dif-
    < ferenga alguma entre a verdadeira e as falsas. <
    Domis disso, em contradcgo cora a doutrina
    da Escriplura, da egreja, e dos santos padres nao
    temem afflrmar que o melhor governo aquelle^
    t em que nao se reconhece no poder a obrlgagao
    c de reprimir, por meio da sanego das penas, os
    violadores da religio catholica, a nao ser que a
    tranquillidade publica o exija. Em consequen.
    <:ia desta idea falsissima do governo social, nao
    hesitara favore cer esta opiniao errnea, e a mais
    fatal possivel para a egreja catholica, e para a sal-
    vago das almas, a que o nosso predecessor de le-
    iz memoria, Gregorio XVI, chamava um delirio, a
    saber, que t a liberdade de consciencia e dos col-
    tos um direito proprio de todos os homens,
    c que deve ser procla mado, e assegurado em todo*
    i os estados bem constituidos; e que os cidadao
    < teem direito plena li berdada de manifestar al-
    c ia e publicamente as suas opinioes, sejam quae
    t forera, por meio da imprensa, ou por qualquer
    i ouiro modo, sem que nem a autoridade eccle"
    * iastica, nem a civil a possam limitar.
    Ora sustentando estas afflrmagoes temerarias, nao
    pensam, nem considerara que pregam urna liberda-
    de de perdicao, e qoe, se sempre fr permitlido s
    opinioes humanas entrar era conflicto, nunca fal-
    taro bototos, que se atrevam a resistir verta.
    de, e pdr a sua 'Mmflanga na loquacidade da sabe-
    doria humana, vaidade muito prejudicial, que a f
    e a sabeduria christas devem eiviar cuidadosa-
    mente, conforme o mesmo Jess Christo Nosso Se-
    nhor o ensinou.
    E por isso qoe nos lugares onde a religio ba-
    nida da sociedade civil, e a autoridade da revela-
    gao divina rejeitada, a verdadeira uogo da justiga.
    e do direito humano se obscurece e se perde, e a
    torga material toma o lugar da Justiga, e do verda-
    erro direito, v-se claramente por qoe certos- ho-
    sens, sem fazerem caso algum dos principios da
    aa razio, se atrevam a publicar que a vontade d
    povo, manifestada pelo que elles chamara opiBio
    exterior. De facto nao se envegonhara de afflrmar a Nosso Senhor Jess Christo, qoe dos regatou para
    que < as leis da egroja oo obrigara em conscien-! Deus com o seu sangue, que pegam com instancia,
    t ca, se nao forem promulgadas pelo poder civil; e continuamente ao seu duleissimo corago, victi-
    c que os actos, e decretos dos pontfices romanos ma da sua rdeme caridade para corr. nosco, que
    t relativos religio. e egreja lem precisao da! tudo chame a si com lagos de amor, e para que to-
    c sanegao, e da approvagao, ou pelo menos, doldososhomens.ioflammados do seu saotissimo amor
    < consentimento do poder civil j que as constitu-' marchen) dignamente segundo o seu coragoagra-
    t goes apostlicas, que condemnam as sociedades j daveis a Deus em todas as eousas, e produzmdo
    secretas, ou nellas se exija ou nao guardar o se- : fructos em toda a qualidade de boas obras. Ora
    gredo, e que anathematisam os seus adeptos, e como as orag5es dos homens sao mais, agradaveis
    t os seus fautores, nio tem vigor algum nos pazes' a Deus, quando a elle se chegam com os coragoes
    em que o governo civil tolera laes congregares; purificados de toda a mmuodicia, nos resolvemos
    qoe a excomraunho fulminada pelo concilio de \ abrir aos fiis christos com urna liberalidade apos-
    Trento e pelos pontfices romanos contra os inva- tolica os thesouros celestes da egreja, confiados a
    sores, e os usurpadores dos direitos, e possess5es
    da egreja se funda n'uma confuso da ordem es-
    nossa dispensago para que- excitados mais viva,
    mente a verdadeira piedade, e purificados dos seus
    pritual, e da ordem civil e politica.e nao lera por; peccados pelo Sacramento da Penitencia, orem com
    Os anttgo Romanos, arrastados pela falsa gloria'
    levavaro por toda a parte as suas armas victoriosas
    s anhelavam cooquistas ; para firma-ias dexavam
    em varios pontos guamigoes fortes, que vinham a
    ser ncleos de colonias. Levavam para os barba-
    ros a civilisago, que possuiam, respeitavam os
    usos e costumes, que encontravam,adoptavam des-
    Derrotada e perseguida a maior, e nao menos
    valorosa das tribus do Brasil, os Topiaambs, que
    oceupavam a mor parte do noss j litoral, seus che-
    fes congregarn-se para deliberar, se seria mais
    conveniente abandonar urna trra, que-j- de tem*
    pos immemoriaes possuiam livremenle, oo entre-
    garse a discrigo- dos vencedores; om delles o
    venerando ancio Japi-ass falla dizendo : A trra
    vasta; encontraremos um ngulo, onde nao avis-
    taremos um europeonao era o hornera que falla-
    va, era, era minha opo, o espirito divine- que
    falLava nelle. O parecer foi adaptado ; dirigen se
    todos a linha equator!, e chegam ao grande Ama-
    zonas ; ahi estendenvse, flxam-se em varios
    pentos.
    Qual a razo que impelle esses pf ofugoe a tomar
    urna tal deliberacao-? Por que persisten) nalla, e
    oo vio oceupar outros desertas ? Por que nao
    abandonara aquelle immenso rio 1 Seria.o acaso
    quera os guiava f Nao, senhores. O vocabulo aca-
    so s pronunciado pelo impo, que diz ora sea
    coracao : nao ha Dos. Tudo proscripto e coor-
    denado pela sabedoria. infinita : permaneaeram e
    permanecen], por que a sua morada ahi era mais
    neeessaria do que em outra qualquer parte. Foi
    (estou convencido) )i para termos alli bragos for-
    es,coragoes dedicados que se a civilisago e dis-
    ciplina, de que tanto necescitam, um dia entre
    tes os que juigavam melhores, e at augmentavam elles penetrar, sero capaees de repellir qualquer
    a caterva dos seos deuses transportando para Roma
    os simulacros mais nolaveis. Ainda nao tinha ap-
    parecido a lei evanglica, as sagradas mximas
    d religio catholica nao estavam divulgadas. Na
    era do Redemptor procedeu-se de maneira inteira-
    meolo opposta para cora os Americanos.
    fim se nao os inleresses mundanos que a egre-
    ja nao deve decretar cousa alguma, que possa li-
    gar a consciencia dos fiis relativamente ao uso
    dos bens temporaes; que a egreja oo tem direi-
    to de reprimir por meio de penas temporaes os
    violadores das suas leis ; que conforme aos
    < principios da theologia e do direito publico con.
    ferir, e manier ao governo civil a propriedade
    dos bens possuidos pela egreja, pelas congrega-
    f goes religiosas, e pelos ontros lugares pios. >
    Nao teem vergonha de professar alta, e publica-
    mente os axiomas, e os principios dos hereges, ori-
    gem de milhares de erros,e de funestas mximas.
    De facto repelen), que o poder ecclesiastico nao
    < de direito divino, distiocto e independente do
    poder civil, e qoe esta distocgoe esta iodepen-
    dencia nao pode existir sem qoe a egrejainvada e
    uzurpe os direitos essenciaes do poder civil.
    To bem nio podemos passar em silencio a au-
    dacia dos que, nao supportando a sa doutrina,
    pretendem que, quanto aos juizos da s aposto-
    c lica, e aos seus decretos tendo por objecto o bem
    < geral da egreja, os seus direitos e disciplina,
    c quando nao se tratar dos dogmas da fe dos cos-
    - turnes, pode-se recazar o conformar-se, e sub-
    t meiter-se a elles sem peccado, e sem delnmen-
    t lo da profisso do catbolicsmo. >
    Quando urna tal preteogao contraria ao dogma
    catholico da plena autoridade divinamente dada por
    Nosso Senhor Jess Christo ao ponttee romano de
    apascentar, de reger, e da goveroar a egreja uni-
    versal, oo ba pessoa alguma, que o nao veja cla-
    ramente, e qae o nao perceba.
    Portanto, do meio desta perversidade de opinioes
    depravadas, nos penetrados do dever do nosso en-
    cargo apostlico, e cheio de solicitude pela nossa
    santa religio, pela sa doutrina, pala salvago das
    almas, que nos foi confiado l de cima, e at pelo
    bem da sociedade humana, jolgamos dever levan-
    tar de novo a nossa voz apostlica. Conseguint-
    mente todos, e cada urna daa ms opinioes e dou-
    trinas notadas circunstanciadamente as presen-
    tes letras, nos as reprovaroos pela nossa autorida-
    de apostlica, as proscrevemos, as condemnamos,
    e queremos e ordenamos a todos os filhos da egre-
    ja catholica qne as tenham como reprovadas, pros
    criptas e eondemoadas.
    Alm de tudo isto moto beor sabis, veneraveis
    irmaos, qae no dia de hoje os inimigos de loda a
    verdade, e de toda a justiga, e os inimigos ene-mi-
    gados da nossa santa religio, por meto de hvros
    envenenados, de brocharas, e de jornaes espanta-
    dos pelos qoatro cantos do mundo, esto engaan-
    do c povos, esto menlindo maliciosamente, a es-
    triis confianga na preseoga de Deas, e aleancera a
    sua graga, e a sua misericordia.
    Conseguintemente concedemos pelo theor das
    presentes letras em virtude da nova autoridade
    apostlica, a todos e a cada ura dos fiis de um e
    outro sexo do universo catholico, urna indulgencia
    plenaria em forma de jubileu, para se lucrar no
    espago de um mez, durante todo o venturoso anno
    de 1865, e nao alm delle, mez designado por vos,
    veneraveis irmaos, e pelos outros ordinarios legiti-
    mes, da mesma maneira e forma, que nos o conce-
    demos no principio do nosso ,'porHifieado por meio
    das nossas leltras apostlicas em Corma de breve de
    20 de novembro de 1846, enviadas a todos os bis-
    pos do universo, e coraegando por estas palavras :
    Arcano Div'mae Prividentiae coaci/io e com todos
    os mesmos poderes concedidos por nos naquollas
    leltras.
    Entretanto queremos que todas as prescpgoes,
    que se contera as sobrdalas leltras sejam- obser-
    vadas, e nao se derrogoe a nenhuma das excepces
    que li se fazem, nao obstante qualquer disposlgo
    em contrario mesmo quando fosse digna de urna
    mengo especial, e individual, assim como de urna
    derrogagao. E para tirar todas as duvidas, difficul-
    dades, ordenamos que se vos remettesse um exem-
    plar destas leltras.
    c Pegamos, veneraveis irmaos,pegamos do fundo
    < do corago, e com todas as forgas do nosso espi
    i rito a misericordia de Deus, porque elle mesmo;

    misericordia. Pegamos, e recebereroos, e se o
    O corago sangra meditando sobre tanta ruina :
    os mais indifferentes as vicissitudes humanas sao
    impelidos a indagar qual leria sido a causa motriz;
    Em regra quasi nunca apparece um facto, que
    ultrapassa a ordem natural, sem que concorram
    varias causas : o que se tem observado em todos
    os tempos, e verificado no caso presente. Espero
    porem que poupar-me-heis o doloroso sacrificio de
    enumera-los. Nao devo, era con vem renovar ma-
    goas; bastar tao smente declarar que nao foi ao
    ferro do inimigo era batalha campal com armas
    eguaes, que cahiram, e desapparecerara tantos mi-
    Ihes de homens; cahrara, e desapparecerara, por
    que ento para maior ultraje eram estes considera-
    dos como anima vilis- iu corpout-vui. Os que
    assim pensavara, eram eapazes dos mais enormes
    attentdes, das sevicias mais requintadas.
    Senhores, heuve orna poca, em q.u os res em
    seus estados nenhuma deliberacao ni portante to-
    mavam tanto em materia religiosa quanto civil, sem
    recorrerem ao santissimo padre, sucee sor do prin-
    cipe dos apostlos, e deste recebessen plena ap-
    provagao. A doutrina de (jregorio Vt, e a famosa
    bulla de BooiCacio VIII. que altribuia i o papa urna
    duplicada mooarchia universal, havia recebido na
    pratica sancoao autheetica ; todos cui vavam-se ao
    orculo de um vetho, que intitulava-s* como hoje
    servo dos servos de Dos. Na act lalidade sal-
    tou-se ao extremo opposto ; pretendes 9 al arran-
    car-Ihe o throno, onde a Misericordia Divina o col
    locou para tranquillidade da consciencia dos fiis,
    '.u e para que nunca apparecesse o mais tere Indicio
    de coaego em suas ?ecisdes, e desse pretexto aos
    aggresso do estrangeiro audaz, e defender cora
    denodo o slo, que ainda se lhes deixa poasuir.
    Quem sate se nos arcanos do futuro estera en-
    cerrado outro dia igual ao de 27 de jantiro de
    1654, que hoje com taoto- jubilo recordamos I Nin-
    guem ignora qmnio elles concorreram para esse
    faustissimo da: no momento do perigo, sabero
    ainda mostrar-se Brasileros.
    Desejava ajuntar a esta materia as refbxes de-
    vjdas : i ir pede-mo o r-eceio de abasar da vossa
    paciencia. Conoluirei cerlificando-vos que nin-
    guem mais da que eu toma parte as demonstra-
    goes de prazsr que suscita o dia de hoje. Exulte-
    mos no Senhor, e prosigamos em nossa. honrosa
    larefa.
    tou resolvido a sel" logrado.
    Aqu nao se pregam logros a ninguem.
    Nao digo Isso ; mas V. S. pode imaginar que
    por eu ser provinciano...
    Nao Imagino cousa nenhuma.
    Muito bem : qual o prego dos btlhetes de
    visita ?
    Cusa 25300 a primeira duza.
    Ah E a segunda 7
    A segunda qainze tosioes.
    Ora, pois, queira darme s a segunda. Pou-
    co me importa a primeira. V. S. imaginava talvez
    que por eu ser provinciano, cahia na tolice de le-
    var a primeira duzla por 2,5500. Ora essa I
    Dlim I dlim I....
    Scena segunda.
    E' um marido com sua esposa.
    O marido chama o pholographo parte e diz-lhe
    com ar convicto :
    Desejo que o meu retrato saia com ares de
    riso; mas para isso indispeusavei que V. S. im-
    pega a presenca de minha malher durante a ope-
    ragao.
    Estes exemplos sao da mais histrica aolbentici-
    dade, e qoem os apona um pbefegrapho obser-
    vador.
    E a primeira p-ota.
    Isso que urna mina inexgotavet.
    A primeira prova I que pedra de (oque da vai-
    dade humana I que primores de diplomacia ao
    tem de-combinar o pobre pbotographo por .cansa
    da primeira prova l
    Trata-se, por exemplo, de photograpiiar um in-
    dividuo barrigudo,perfeilamente frile aperfeieua-
    da ainda a sua fealda/e por um naris que tem nao
    sei o que de tromba elephantiua.
    O artista recorre a maravilhosos subterfugios, e
    poem-se deintelligaocfe eom a luz para que ea
    fugitivas perspectiva dissimnle as mperfeigoes-
    do modelo de Medusa.
    Satiiu bem, muito bem.
    Mas o hippopotamo pega na prova, vira-a para
    um lado, vira-apara eatro, carrega o- sobrolho,
    d estalos cora a lingo w> co da bocea, abana a
    cabega, e manifesta signes de nao equivoco des-
    contentamente.
    V. S. ro est satisfeKo ? pergoott timidamen^
    te o artista.
    SatisfeKo .. satisfeH...
    A -distribuigao da loa excellente, a modela-
    gao irreprehensivel...
    A modetagio 1 Ora essa Eu dispensara
    que me raodelassera urna barriga deste taraanbo.
    Mas...
    Eu nao me parego cora este mastodonte. Nao
    sou positivamente elegaate, mas tenho ftmas bu-
    manas.
    Mas, senhor...
    E' como este nariz. -.
    Ento aefta que o nariz...
    Eu acho, en aotic.....Oque eu acho ^ue o se-
    nhor nao capaz*, de sustentar que teoho as te per-
    fil de rhinoceronle.
    Meu caro-senhor, aphotographia nao arte
    que minia.
    Teqho oavido marte- d'isso. Um amigo meu
    foi photographar-se a casa de P... Aqnillo que
    . O meu amigo tem 56 annos, mas a prova nao
    acensa mais de 40j feso i o que ea chamo um re-
    trato parecido.
    dissidentes para impugnagao. Sira, qu r^se a un -
    accrescenlou: Bu nao apartare delles a minha ...... ...
    _-7-lLuLiJ- D, .k-~.___J dade da *'> par Qoo o pnmeiro m marcha en-
    tre os que reinam, seja humilde vassal lo do ex-rei
    de Sardenha. O dilirio acompanha a ambicio des-
    c effeito das nossas supplicas nao tiver logar por
    causa dos nossos graves peccados, batamos, poi-
    que se abrir a quem bater. se baterem a porta
    as oragoes, os gemidos, e as lagrimas, em que
    i regrada.
    Nio exlgiram tanto os LongobardasJ os Godos,
    1 devemos insistir, e perseverar, com tanto que a Hunos, e outras nagoes barbaras emsuis incursoes | phe,ograpnicai ^m as suasphotQgraphias um pon-
    t erago seja unnime.....; qae cada um pega a
    c Deu nao s por si, mais por todos os seus ir-
    < mos, do moda porqu o Senhor uos ensinou a
    "orar.
    E para que Deus ouga mais fcilmente as nossas
    supplicas e os mssos vptos, os vossos, a os de lodos
    os neis,lomemos cora toda a conftaaga por advoca-
    da, Junto a Elle, a Inmaculada e Santissima M3e
    de Deus a Virgera Maria, destruiu no mundo inte
    * ro tedas as heresias e qoe, Me amantisaima de to*-j
    UM P0UC6 DE TUDO.
    Um joraai de Londres escreve o segaiote :
    Os degradados para a Australia sao mais felizes
    do quesopensa.
    Ide a. Fremautle, e l veris o famoso Redpa),
    celebreladro que lo testamente destrogva os
    viajantes, e com tanta destreza rcubava os cofres
    fortes.
    Tem hoje o seu twkt of leave, e cemmercio de
    mercadorias, qae os seus amigos- de Inglaterra Ihe
    mandara.
    E* bem considerado em Fremantle, e quando
    passa, tiram-lhe o chapeo. E' collaborador do jor-
    nal da loealidade, merabro da Working Men's As-
    soeiatioa ; finalmente ama notabilidade do sitio.
    Em Fremantle acharis tambera um individuo
    chamado Rbson, que para se desfazer da raulher
    corlou Ihe o pescogo, sendo por isso mandado para
    a Australia. L fez-so desordero e j se desespera-
    va de o trazer a bom camoho, quando ama idea
    sbita Ihe velo cabega : (ez-se pholographo.
    O culto das bellas artes torna o corago sen.
    sivel.
    Robson esqueeeu os desgostes do primeiro ma-
    trimonio, e casou em segundas nupcias.
    A nova madama Robson nao se assustou com os
    precedentes malrimoniaes de seu esposo.
    Robsoa ganha muito dinheiro na sua officina
    devastadoras nesta mesma Italia. era ?o menos i
    os intitulados victoriosos desprezando o. que a relis
    gio e a poltica imperiosamente coran anda noste
    ponto, lembrara-se do conselho, que o I abuloso pae
    das luzes dava ao fllho esionteado iiter utrun- o"Jmnas ds jornaes de Perth.
    que bene, medio tutissmus o. -- Quer m tudo, ar-
    riscam-se a todo perder.
    Seguindo a doutrina j referida, o re feliz de
    Portugal o Sr. D. Manoel, recorreu a Sarnta S pe.
    dindo a investidura dos territorios, que ps seos vas.
    dos nos todasMve...,.echeailptstirieor-i|l<>bav'am descoberto, e houveseem dedesco-
    t dia.... qae se mstra accessivel a todas as,ora- brir : foi Ihe concedido. Fernando e Isabel de fles-
    c cfca.-que^temept^iri|M>a todos, (geab/a-'paoha nao lardaram em solicitar a mesma graga.
    gacom uraSrratso airfcto, e cora umC tona Para os contentar, Alexandre^Vlexcogitou unja linha
    f piedado todas as nossas necesadades. Na sua'divisoria, ou dedomarcagao, dando aos Hespanhes
    qualidede de Rainb,'m p a direlli de rnx anico jodos os paizes desconheeldos, qne estlvessem col-
    Filtio, Nosso Seahor Jeto Christo, vestida de ouro j 'ooados ao Occidente dessa linha, e aos Porlugueze
    e de prqHQS variados, cada ha que Ella njo posgj Qg que se achassem, ai? Oreole.
    Alm disto, o artista pbotographo fez-se poeta, e
    adorna com as suas locubracoes versificadas as
    Estas poesias um pouco apimentadas fazem as
    delicias do leitores.
    Seria para desgostar a geste de ser honrada e
    boa, se estes homens nio aeafttssem mal.
    *>
    Scena quarlfe
    Entra agora era jogo um orgnlho feminino.
    Isto nao o-meu retrato, senhor ; a mioria.
    caricatura.
    Oh minha senbora...
    Isto minha avt>, nao sou eu.
    Mas eu...
    Ora olhe estas rugas. Pois eu lecho rugaA 1
    E esta sombra debaixo do nariz 1
    Que sombra ?
    Prese que tenho bgodes f..
    E esta kulainha contina no mesaio tora aran-
    te urna hora, sem qne o torturado pilotograAc-pos-
    sa responder pela voz da verdade :
    Hioha senhora, V. Exc. tem.rugas; V. Exc.
    j passouo equinoxio dooulomoo-; esta veiha. Is-
    so a qne chama bigodes, sao cera elfeite bigodes,
    que reclamara a intervengo dobarbeiraou de al-
    gum liquido depillatorio.
    Decididamente a comedia photograpbica offere-
    ce immensos recursos comedia do palco.
    E isto sem fal'ar na escolba de posigo que < o
    necplus ultra do cmico contemporneo.
    Em photographia, a cabega qae o photograpaa-
    do quer ter, estraga .1 que a natureza Ihe deu.
    Todos es dias a experiencia d razao a urna sen-
    tenga que Srdou tragn ltimamente em ara
    albura.
    O lbum era urna miscellanea de prosa, versos,
    desenhos e bilhetes de visit* com photographias-
    A dona da casa, depois que Sardn o olheou
    todo, disse-lhe adoceadamente :
    1 i-
    Pego ao senhor Sardn o favor de ajuntar
    ura aulographo s miabas riqueaas.
    Pois nao, minha senhora I
    E pegando em urna peana, a aulhor dos intuitos
    escreveu :
    La photographte a t donne l'hommc povr
    dguiser sa figure.
    Sen tenga que poreroos em portuguez para conso-
    lago dos que nao sabem francez :
    A photographia foi dada ao hornera para des&>
    gorat-se.
    ------- > --------
    ERRATAS.
    O Sr. 3F pede-nos a segrate ractificaco em seu
    sonlio publicado, na parle Iliteraria do Diario, no
    sbado 28 do correte.
    l^a 2 columna, 8' pagina, 16a linba onde diz
    destingue-se-deve ler-se deslinguia-se ; no
    O pholographo I...
    O homem do seclo I
    E os dramaturgos a passarera indifferentes por: fim um theiouro destes I deve ler-se -tou rosto rosado ; na columaa,
    ... 16" linba, onde diz e que tao bem deve ler-se
    Pobres dramaturgos qne nanea reflectiram que _^ 'dlI ^ 0^ el\ qu,^ erros exisiem
    a proflssao rje phMographo encobre preciosas ob- porm sem importancia.
    servages, rodicalos apandados mesmo qo momas-, _________
    lo de flagrante delicio, PERNAMBC0,-rff,-P8 M. F. DE F.& FILHQ



  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EKHWISBUO_7GQLDH INGEST_TIME 2013-08-27T22:38:17Z PACKAGE AA00011611_10582
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES