Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10578


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

w
ANUO ILI. ROMERO 21
Ftr furtel pago dentro de 10 das d l.6 mez
Idea deptts dos t. 10 das do comeco e deatro do quarlel. .
Porto ao correio por tres mezes.......,...,:
DIARIO
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqum Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Gcraido Antonio Alves &
Filho* i Amazonas, o Sr. Jerooymo da Costa.
ENCARHEGADOS DA SBSCRIPCO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudios Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinno.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo, Eseada e estafes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antio, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altioho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Boro Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, na3 tercas feiras.
Pao d'Alho, Narareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro eEx,nas quartas feiras.
QUiflTA F1RA 26 DE JANEIRO DE 1865.
fof anno pago dentro de 10 lias do 1. mez ,,,.?.. .9J000
Porte ao eorreio por un anno ."........, 3$000
serinhaem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMEBJDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as i h., 22 ra. e 52 s. da t.
11 Loa chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 16 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TBJBUNAEi DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quimas.
Relago: tercas e sabbados s l horas.
Fazenda. qjtfpfe s 10 horas. 1
Juizo do comraercio : segundas s 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas Ss 10 horas.
Priraeira vara do cive: tercas le sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
23. Segunda. S. Ildefonso are; S. Emerenciana m
24 Terca. S. Timelaeo b.; S. Marrolino m.
to. Qutrta. S. Ananias; S. Juv.-ntino m.
26. Quinta. S. Polycarpo b. m.;S.Theogenes m.
27. Sexta. S. Joo Chrysosthomo b.dout. daegr.
28. Sabbado. S. Gongalo de Amarante dominio.
29. Domingo. S. Adelelrno ab.; S. Martinha v. m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 hor.a e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 boras 6 e minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGXA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Maneel Figueira d
Faria & Filho.
PARTE 0FFICIAL
tiOVERISO DA PROVINCIA.
Espediente do da 23 de Janeiro de 1865.
Officio ao coronel commandinte das armas.
tiaja V. S. de informar sobre o que pede Manoel
do Nascimento Paiva no incloso requenmento.
Dito ao mesmo.Queira V. 5. mandar postar
em frente do convento do Carmo no dia 27 do
torrate 4 urna hora da tarde, urna guarda de
honra para assistir a testa do Instituto Archeolo-
gico e da restauragio de Pernambueo do dominio
dos Holiandezes.
Dito ao mesmo.-Expega V. S. as suas ordens
para que a fon-a de primeira linha esteja postada
em frente do palacio da presidencia no dia 25 do
corrente s 10.horas da manhaa, aflm de assistir
a posse do Extn. Sr. Dr. Antonio Borges Leal Cas-
tello-Branco presidente nomeado para esta provin-
cia por carta imperial de 19 de novembro ultimo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de dar as provi-
dencias que exigir o caso de que trata o subdele-
gado da freguezia de S. Frei Pedro Goncalvcs, no
offleio annexo ao do Dr. chefe de polica n. 121 de
SI deste mez, junto
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife.Tendo o Exm. Sr. Dr. An-
tonio Borges Leal Castello-Branco, presidente no-
meado para esta provincia, de tomar posse da ad-
minislraco da mesina, no dia 25 do corrente, con-
vido V. S. e os offlciaes desponiveis da guarda na-
cional sob seu commando superior, para assistirem
a esse acto, que ter lugar oeste palacio as 11 ho-
ras da manhaa do referido dia Fizeram-se os de-
mais convites.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Oiinda e Iguarass.Providenciando acerca
do que solicitoa o alferes porta-bandeira Ismael
Gaudencio Fuado de Mendonga, no requerimento
sobre que versain as informales desse commando
superior datadas de 26 de novembro e 11 de de-
zembro do anno passado, tenbo resolvido que seja
elle aggregado ao batalho n. 10 de infamara da
guarda nacional sob seu commando superior, se
apresentar-se fardado no prazo de 40 das cootados
do em que Ihe constar offlcialmente esta deciso :
o que communico a V. S. para a expedigo das
convenientes ordens.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo e Ipojuca.Pela leitura do seu oflicio
de 13 do corrente, Uquei inteirado do mo estado
em que V. S. achou a guarda nacional para que
foi nomeado commandante superior, e em resposta
por copia, relativamente a 2
soldados do quarto batalho de artilharia que all' tenho a declarar-lhe que deve dar todas as provi
estiveram de ronda no dia 19 do corrente. j dencias aulorisadas por iei, alin de que a mesraa
Dito ao mesmo.Queira V. S. declararme se guarda nacional tenha perfeila organsago e esse
estando a seguir para o sul o nono batalho de in-1 commando superior chegue ao posto a que deve
antaria, nao inconveniente desligar delle os sol-: elevar-se.
dados Manoel Flix do Nascimento de Alcntara e i Dito ao vice-provedor da Santa Casa de Miseri-
Jos Pedro do Nasctmento, que pretendem enga- cordla.Concedo a autorisacao que V. s. solicitou
jar-se para servir por dous anaos na colonia mili-, em seu oflicio de 20 do corrente, para exceder a
lar de Pimenteiras, coito declara o respectivo di
rector no offleio incloso.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar acerca
do que pode Jos Thom no incluso requeri-
mento.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede Mara Ignacia Ferreira no in-
cluso requermeato.
Ditl ao mesmo.Remetto incluso o requerimen-
to que me dirigi Mara Rodrigues de Miranda,
alim de qae V. S. se sirva de informar se exacto
o que ella allega acerca de seus fllhos Eneas Af-
onso Vianna e Zeaobio Alonso.
Dito ao mesmo..Queira V. S. mandar postar
m frente da matriz da Boa-Vista a forca que jul-
gar necessaria para fazer as honras funoores do
estylo, ao finado Dr. Jos Mamede Alves Ferreira,
que era condecorado com a veneza de offical da
ordem impeifal da Rosa, fleando V. S. certo'de
3ue o director do arsenal de guerra est autorisa-
o a fornecer o cartuxame que para isso r neces-
sario. Offlciou-se ao director do arsenal de guer-
ra para fornecer o predito cartuxame.
Dito ao mesmo.Concedo a autorisacao que V.
S. solicitou em seu offleio n. 158 de 22 do correo-
te, para mandar transferir da companhia de art-
fices para o nono batalho de infamara s onze
pragis mencionadas na relago que acompanhou o
ctlado offleio.Comraunicou-se ao director do ar-
senal de guerra.
Dito ao mesmo.Tend o Exm, Sr. Dr. Antonio
Borges Leal Castello Braaco de assumir o cargo de
presidente desta provincia, cabe-me o grato prazer
de agradecer V. s. a boa vontade e zelo com
qii'i coadjuvou a minha administragao durante o
pouco lempo em que estivo em exercicio como pri-
nieiro vic-presideote. Fizeram-se os demais
agradecimentos.
Dito ao Dr. ehefe de polica. Em resposta ao
seu offleio n. 118 de 21 do corrente, tenho a dizer-
Ihe, que procedeu V. S. com acert fazendo reco-
Iher ao Hospital Pedro II, por ser miseravel, o criou-
lo Jos dos Prazeres, que no lugar Pico do engenho
Suassuna quiz suicidar-se com urna navalha, ean-
do em perigo de vida.
Dito ao mesmo.Remetto V. S. para seu re-
nhecimeoto os offlcios em original que em 20 do
corrente recebi do juiz municipal supplente do
termo de Santo Aolo com referencia a Salvador
Antonio Rodrigues e Candido Jos Themoteo, os
quaes offlcios V. S. se servir de devolver-me logo
que nao forem precisos.
Dito ao mesmo. Remetto inclusa a caria que
me dirigi o carcereiro da cada da cidade da
Victoria em 20 do corrente, para que V. S. provi-
dencie como entender conveniente acerca do que
elle pondera.
Dito ao mesmo. Remetto V. S. incluso por
copia para seu conhecimento o aviso expedido pela
reparllgo de estrangeiros em 6 de dezerabro ulti-
mo, relativamente a priso e acorreotamento do
subdito portuguez Lourengo Fernandes Chaves no
quartel do destacamento da Capunga, em lempo
que era subdelegado daquelle districlo o bacharel
Nabor Carneiro Bezerra Cavalcanti.
Dito ao mesmo,Devolvendo V. S. o offleio do
subdelegado da freguezia de S. Jos que acompa-
nhou o seu officio n-113 de 19 do corrente, tenho
a dizer lheque muito me conformo com a deciso
que V. S. deu ao referido subdelegado sobre prlses
de guardas nacionaes.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Tendb o Exm. Sr. Dr. Antonio Borges Leal Castel-
lo-Branco de assumir o cargo de presidente desta
provincia, cabe-me o grato prazer de agradecer a
V. S. e aos chefes das repartidos que Ins sao su-
bordinadas, a boa vontade e zelo, com que coadju-
varam a minha administrago durante o pouco
tempo, em que estivo em exercicio como primeiro
vice-presidente.Igual ao inspector da thesoura-
ria provincial.
Dito ao mesmo.Em vista da inclusa relacao, e
nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar ao
delegado do termo de Ingazeira, ou a pessoa por
elle autorisada a quantia de 10080 rs. despendida
com o fornecimento dos recrutas Flix Rodrigues
dos Santos e Joo Pereira da Costa remettidos da-
quelle termo para esta capital, sendo que o pri-
meiro foi posto em liberdade por haver provado
isencao legal, e o segundo enviado ao coronel com-
mandante das armas para o servigo do exercito,
segundo constou de offleio da chefe de polica da-
tado de '21 do corrente, sob n. 119.
Dito ao mesmo.A'vista do incluso pedido, e de
conformidade com o offleio do coronel comman-
dante dos armas desta data, constante da copia in-
clusa, mande V. S. abonar ao commandante da
companhia de artfices, nao havendo inconvenien-
te, a quantia de 64*400 rs. para compra da palha
necessaria para encbmento dos enxergocs das
pracas da mesma companhia.Comraunicou-se
ao commandante das armas.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. a inclusa
conla em duplcala, alim de que nao havendo in-
conveniente, nem se offereeendo a menor duvida,
mande pagar a Manoel Figueira de Faria <& Filho
a quantia de 464830 rs. proveniente de annuncios
mandados publicar pelo conseibo administrativo
no harto de Peranmbuco durante os mezes d ou-
taDro a dezembro do anno prximo passado, se-
gundo consta de offleio do presidente do mesmo
conselho datado de hontem, e sob n. 4.
Dito ao presidente da cmara municipal do Re-
cife.Recommendo a V. S. que rena a cmara
municipal no dia 25 do corrente, aflm de as 10 1/2
horas da manhaa prestar o juramento do estylo o
Exm. Sr. Dr. Antonio Borges Leal Caelelle-Branco,
presidente nomeado para esta provincia, o qual
tem de tomar posse da admiaiitragao
dia.
coosignago votada pelo orcamenlo do corrente
anno econmico para as despezas judiciarias, viste
achar-se esgotada aquella verba, em consecuencia
de se ter despendido a quantia de 493420, com
as qnestdes movidas contra o brigadeiro Gaspar de
Menezes Vasconcellos de Drummond e o aabade de
S. Bento.
Dito ao director geral da instroeco publica.
Devolvendo a V. S. as provas escripias que acom-
panharam o seu offleio de 20 de dezembro ultimo,
sob n. 255, tenho a dizer que approvo a opiniao do
conselho director, dada acerca dos exames de ha-
bilitaco para o magisterio do sexo feminlno a que
se procedeu nos dias 5 e 6 daquelle mez, comprin-
do que se conQram os ttulos de capacidade s pes-
soas que se sujeitaram aos referidos exaraes.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Fico
sciente de haver V. S., como me communicou em
seu offleio n. 821 de 21 do corrente, mandado as-
sentar prega na companhia de aprendizes mari-
nheiros aos menores Antonio da Luz e Joo Fran-
cisco Regis das Neves.
Dito ao commandante do corpo de polica.Con-
cedo a autorisacao que Vine, solicitou em seu offl-
eio n. 43 de 21 do corrente, para excluir do corpo
sob seu commando, o 2 sargento Joo do Reg
Barros, visto ser de mo comportamenlo, como
consta dos documentos annexos ao seu citado
offleio.
Dito ao chefe interino da repartcao das obras
publicas.'Inteirado de quanto Vmc. expoz em seu
offleio de 18 do coarente, sob n. 15, lenbo a dizer
em resposta que approvo o projecto que incluso
devolvo e foi apresentado pelo empreiteiro Jos Ma-
mede Alves Ferreira com offleio de 18 de outubro
ultimo, relativamente a ponte de ferro do rio B e
bem assim que as obras da estrada do norte cor-
respondentes ao segundo contrato daquelle em-
preiteiro lomem a direcgo indicada na mesma
planta a que elle se refere no seu precitado offleio,
podendo Vmc. dar nesse sentido as convenientes
ordens.
Dito ao mesmo.-Recommendo a Vmc. que em
vista do que expe a cmara municipal da cidade
Victoria no offleio junto por copla datado de 18 do
corrente, mande um engenheiro dessa repartcao
aquella cidade, alim de que enten iendo-se com a
referida cmara examine o lugar e proceda o res-
pectivo oreamento das obras necessarias a canali-
saco d'agua potavel para a predita cidade.Com-
municou-se ao presidente da cmara municipal de
Santo Anto.
Dilo ao mesmo.Para que ea possa resolver
acerca do contrato celebrado por essa repartcao h
com Americo Coelho da Mlva para a factura dos
reparos deqoe precisa a pontesinha do Timbi na
estrada do Pao d'Alho e que por copia acompanhou
ao seu oflicio de 22 de dezembro, sob n. 354, faz-
se preciso que Vmc. me declaro se a execucao
dessa obra foi autorisada por empreitada se foi
abena a necessaria concurrencia c finalmente se
exigo-sc a competente Ganga.
Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
nicipal da cidade da Victoria.Declaro a Vmcs.
em resposta aos seus offlcios de 17 de dezembro
ultimo e 17 do corrente, que approvo pela quantia
nelles mencionada as arrematacoes das rendas dos
foros do patrimonio dessa municipalidade ua co-
marca do Bonito.
Dito ao Dr. juiz de orphos desta capital.Certo
de que Vmc. cumpre os deveres inherentes ao seu
cargo recommendo Ihe que era quanto nao decide
a pretenco de Ignez Mara da CnceUjo, provi-
dencie em ordem a que a menor filha desta seja
depositada era lugar que oflerega mais garanta a
sua booestidade do que na casa de urnas primas de
Jos Joaquim Noguelra, que reclama a mesma me-
nor.
Dito ao juiz municipal e delegado de Baj^ciros.
Ao seu offleio de 13 do corrente, em que Vmc.
diz que o preso n. 2 e os recrutas ns. e 5. tem
deixado de seguir para seu destino por falta de
forga que o* escolte, respondo di.zendo-lhe que re-
quisito ao respectivo commandante superior da
guarda nacional as pracas que para isso forem ne-
cessarias.
Dito ao delegado Jos da Costa Agr.Haja
Vmc. de informar com o que se ihe offerecer a res-
peito do que contra Vmc. representa Ignacio Cae-
tano de Alencar Rodovalbo no offleio incluso, o
qual vai instruido com 8 documentos.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetes vapor. -Podem Vmcs. fazer seguir para
os portos do sul o vapor Tocanttns hoje a hora in-
dicada em seu offleio de hontem.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Podo Vmcs. fazer seguir para os portos de seus
destinos os vapores Persmunga e Paralaba nos
dias e horas indicados em seu offleio de hoje da-
tado.
Portara.O vice-presidente da provincia atten-
dendo ao que requereu o promotor publico da co-
marca de Tacarat, bacharel Daniel Germano de
A guiar Montarroyos, resol ve conceder-I he dous
mezes de liceoca sera vencimentos para tratar de
sua saude.
Dita.Os senhores agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes, manden) dar transporte para a
corte por conta do ministerio da guerra no vapor
Tecatins as pracas do 2." e 7." batalho de infan-
taria mencionadas na relacao por copia inclusa.
Communicou-se ao coronel commandante das ar-
mas.
Dita.Os senhores agentes da companhia Brasi-
leras de paquetes, mandem dar transporte at a
Baha no vapor Tocanttns em lugar de proa desti-
naquelle nado a passage>ro de estado a Antonia Mara do
I Espirito Santo, que consta ser desvalida,
Despachos do dia 23 de Janeiro de 1865.
Requerimentos.
Antonio Rodrigues de Aibuquerque. Nao tem
lugar o que reqner vista da informaco
Bento Nones da Silva Oliveira.Seja o presente
remetlido ao Sr. commandante do corpo de poli-
ca, aflm de admitth* o snpplicante na 1.* vaga que
houver as companhias urbanas.
Domingos da Cunha e Silva. -Foi deferido, sen-
do o presente remettido ao governo imperial.
Bacharel Daniel Germano de Aguiar Monta-
royo.Concedo dons mezes de llcenca sem venci-
mentos.
Francisco Xavier de Aibuquerque. Concedo o
prazo que pedo aflm de provar a isencao legal,
sendo este despacho apresentado a quem competir
para seu devido conhecimento.
Flix Valois Correa.At agora no chegou
informaco.
Hypolito da Silva.Nao tem lugar.
Irmandade de Nossa Senhora do Amparo da ci-
dade de Goianna. Nao tem lugar vista da in-
formaco, urna vez que a lotera a que a supph-
cante se refere tem de correr no principio de
abril prximo vindouro.
Josepha Theodoria.-Informe o Sr. capito do
porto, visto como a snpplicante mostra com a cer-
tidao junta ter seu filho Manoel Quirino da Encar-
nacao 37 annos.
Dr. Joo Maduro da Fonseca. informe o Sr.
bario do Livramento vice provedor da santa Casa
da Misericordia.
Joio Nepomoceno Ferreira. Como requer, a
presentando se ao commandante das armas.
Dr. Joo Maduro da Fonseca.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Mariano de Barros Cavalcante. Sejam ad-
mitidos, quando hoiver vasa na companhia de
aprendizes menores do arsenal de guerra: sendo
este apresentado ao major director do mesmo ar-
senal.
Joo Antonio dos Santos. Sejam admettidos
quando houver naga na compadhia de aprendizes
menores do arsenal de guerra : sendo este apre-
sentado ao major director do mesmo arseirl.
Jos Antonio Seifret. Deferido nos termos da
informaco.
Jos Joaquim de Castro Monra.l Informe o Sr.
inspector da thesouraria.
Tenente-coronel Joo Visira de Mello Silva.
Nao tem lugar a vista da nformacSo.
Jos Marcellino da Costa.-Passe portara de re-
moro do supplicante para a eadeira de Itapis-
suma.
Tenente Lufz Jeronymo Ignacio dos Santos. -
Concedo a licenca requerida com os devldos venci-
mentos.
Maria Francisca de Figueiredo e Jos Mara de
Figueiredo.Informe o Sr. capitao director da co-
lonia militar de Pimeuteiras.
Cadete |Manoel de Carvalho Paes de Aadradi-.
Como rerjner vist* da informaco.
D. Maria enristras Cavalcanti Pessoa Cesar.
Nao tem lugar vista da informaco.
Marianna Rodrigues de Miranda.-Remettido aoi
Sr. Inspector do arsenal de marinha para dar bai-
xa na companhia respectiva ao menor Agnello Al-
fonso Vianna.
Art. 1." Sao creados extraordinariamente corpos
para o servico de guerra, composts de todos os c-
dados maiores de 18 e menores d 50 annos, que
voluntariamente se quizerem alistar, sob as condi
coes e MMagens aoaixo declarad
Art.i* Os joluntarios que nolforem guardas
nacionaes terac, a|nv do sold que percebem os
voluntarios do exercito, mgte 300/ r*. diarios e a
gratificacao de 3O0| Mando uVetri'baixa, o um
prazo de trras de 22J80O bracas Cuadradas as
colonias militares ou friclas.
Art. 3." Os guardas nacionaes, pilacas de pret,
que se apresentarem sero alistados na primeira
linha cora as mesraas vantagens do art. 2o, passan-
do nos poslos que tiverera nds corp is da .mesma
guarda a que pertencerem.
eadasto qoebrou-se. Haviamos j felizmente che-
gado bocea de um peqneno remanso e ahi dei-
xamos a canoa, subindo a p at parte superior
da cachoeira em quanto se reparava a avaria da
canda.
Essa vegetaco se reduz ainda apenas a certas es-
pecies de Psidium nos grupos de rochas que se
encontram aos lados e abaixo daquella cachoeira,
o na linha de pedras que acompaoha a margem
iaEsmap= siDir n5 t oi ra ^-i$^taH tV:cos'formando
. a fraqueza da nossa umea era ^ A m dlrej,a em majs
para vencer outras do que a esquerda. Urna linha d barreiras, cuja
ca; mas revelou
barcaco e a sua Incapacidade
muitas emais trabalhosas cachoeiras que deviamos
passar at a da Itabeca.
Regresso a Camet.Por outro lado o rio, se
gundo a expressao enrgica dos prticos, enchia
de monte a monte, e a violencia de suas correntes Jeror
maior altura nao toca seno de 10 a 12 bracas, es-
tende-se desde a ponta do Limo (abaixo de Baio)
al cachoeira das Guaribas, desadparecendo, po-
, rra, era um ou outro ponto da margem para o in-
Art. 41 O* voluntarios comprehendjdos nos art- mesmo nos lugares nao encachoeirados, Inutillsava
"r declarada i em grande parte a forca dos remos e varas. Este
e passagem conjuncto de embaragos e a enorme quantidade
nham de se de rochas emergidas esubmergdasque perturbara
o rio, nao erara obstculos que pudessemos vencej
ainda mesmo quando dispuzessemos de recursos
mais valentes. Assm, pois, declarando o piloto
que a nossa canda eslava incapaz de resistir a
gos anteriores tero baixa logo que
a paz, dando-se-lhes immediatamen1
para onde a solicitaren), no caso que
irausportarem por mar.
Art. 5." As baixas nao dependero
governo, ficaro os comraandantes d
corpos autorizados a d-las logo que
madas pelo? individuos que tiverera diteito;
Ari. 6.a Os voluntarios tero todas as regalas,
direitos e privilegios das pregas do eiercito, pare
serem reconhecidos cadetes
e ordem do
respectivos
rem recla-
0 morro de Arroyos que toca a altura de 33 bra-
gas o ponto mais elevado que se enconlra em to-
da esta seceo fluvial. O Tooanlins nao tora tribu-
tarios nolaveis; o Ipau, nico quo poderia entrar
nessa classe e que tem seu curso paralello ao Pa-
caj, divide as suas aguas em dous bracos, vindo
um destes lancar-se no mesmo Tocanlins por tres
boceas com os noraes de Ilacuru e Tupuioca, em
raffisr^si^sas SifiSSis? *btk srs
a seguir seno retroceder daquelle ponto, e o Que
fizemos.
ou particulares, sem
que por isso percam as vantagens do art. 2o e pos- Regressando, a forga da correnteza era tal que
sam ser promovidos a offlciaes quandb se distin-; nao obstante as demores quo liveraos era diversos
guirera. lugares, zemos em 2 dias commodamenle a via-
Os que tiverem direito a ser reconhecidos cade- gem da cachoeira das Guaribas a Baiao, distancia
tes ou particulares podero usar logo dos respecti-' que na subida nao vencemos seno cm 6 das, tra-
vos distinctivos at se proceder aos cinselhos de balnando os reraeiros desde as 6 horas da raanh
direccao e averiguarlo, quando o quarlel general al s 5 ou 6 da tarde.
o faculte; fleando dispensados da apresjentaco de O nosso regresso era ndispeosavel, aflm de se
escriptura de alimentos. [aproveilar ainda o tempe no cumpriment de ou-
A^rt. 7. Aquelles que desistirem da ba)xa depois tros pontos de nossas instrncgSes.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel Jo commando das armas de Peruambneo,
na cidade do Recife 21 de Janeiro de I8C.
Ordem do dia n. 28.
O coronel commandante das arrwas da publicida- j
de na presente ordem do da, era s ao offleio que I
na data de 20 recebou do Illm, e Exm. Sr. desem-
bargador vicepresidente da provincia, como ao de-
creto n. 3371 de 7 ludo do corrente mez, autorisan-
do a creago dos corpos denominadosvoluntarios i
da patriapara o servico de guerra.
De todos sao i;i sabidas as razdes que levaram o
governo de S. M. o Imperador a decretar essa me-
dida, i
Ellas assenlam na obrigaco em que est de
sustentar as fronteiras do sol, a honra, dignidade .
e integridade do imperio, conculcadas pelas repu- '<
blicas visinhas, Oriental e Paraguaya.
O coronel commandante das armas est convicto
de que quando o estrangeiro pollue o slo sagrado
da patria, os sacrificios de seus fllhos somente so
devem medir pela magnitude e santldade da causa
a que sao chamados a defender. I
Pernambueo, que as paginas de sua historia, v
com orgulho registrados os mais brilhantes feitos
d'arraas, e provas asss concludentes de abnega-
rlo e de sacrificios de toda a especie, quando em
eras remotas expellio de suas plagas as cohortes
batavas; Pernambueo que tomou activa parte nos
campos do Piraj para Armar como foi firmada, a
nossa emacipago poltica; Pernambueo que tem
visto correr o san.me de seus fllhos em defeza da
ordora publica e das instituigdes juradas na sua
mesma provincia, as do Para, Maranhao, Cear,
Baha e Rio Grande do Sul, por eerto que nao ser
indifferente da presento conjunclura ao reclamo
da patria.
E pois o coramandanto das armas, bazeado cm
tao honrorosos precedentes do brioso povo pernam-1
bucano, em nome do governo convida ios cidados I
a se alistaren) no corpo de voluntarios da patria,
que se vae crear nesta provincia, e pede aquelles
que quizerem prestar to valioso servigo, que se
apresenlem no quarlel do commando das armas
onde sero recebidos todos os dias das 9 da ma-
nhaa s 2 da tarde.
Mediante autorisacao superior, flea desde j o
Sr. capilo do stimo batalho de infantaria Anto-
nio Pedro Heitor encarregado do doposito dos vo-
luntarios da patria (estabelecido no Hospicio), que
se forem apresentande e assentarem praca.
Offleio.
1* secgo.Palacio do governo de Pernambueo,
20 de Janeiro de 1865.Illm. Sr. autoriso V. S. a
mandar assentar praga depois de inspeccionados e
considerados aptos para isso, nao s os cidados,
que se oQerecerem V. S. para servir no corpo de
voluntarios da patria, que se tem de organisar, de
conformidade com o decreto n. 3371 de 7 de Janei-
ro corrente, mas tambem aos guardas nacionaes,
que para semelhante lim, e j inspeccinanos Ihe
forem apresentados por parte do coronel comman-
dante superior deste municipio, indicando V. S.
opportunaraente os offlciaes que Ihe parecerem di-
gnos de eenlianca para commandar as companhias
do predito corpo. .
Deus'guarde V. S.O vice-presidente Anselmo
Francisco Peretti. sr.coronel commandante das
armas.
de feila a paz, e contlnuarem a servir or mais 3
annos, reeeberi alm das outras Yntateos 300,
sendo 100 nesse acto e o resto no flra de tres
annos.
Art. 8." Os voluntarios de que tratara ks arls. 2o
e 3* licarao isentos do servico do exercito e mari-
nha, assim como do servigo activo da guarda na-
cional, quando nao se queiram prestar voluntaria-
mente. Os do art. 3*, quando se prestem, tero
preferoncia na promogo aos poslos de offlciaes,
dada igualdade de circunstancias com outros.
Art. 9. Os voluntarios tero direito aos empre-
gos pblicos de preferencia, em igualdade de ua-
bilitacoes, a quaesquer outros individuos.,
Art. 10. As familias dos voluntarios qu* fallece-
rem no campo da batalha ou em eonseqolencia de
ferimentos recebidos nella terSo direito k pensSo
ou meio sido, conforme se acha estabeleqido para
os offlciaes e pregas do exercito. Os que flearem
inutilisados por ferimentos recebidos e n com-
bate, percebero durante sua vida sold lobrado
de voluntario.
Art. 11. Todos os voluntarlo de que t ata este
decreto, traro oobra^o esqaerdo urna c tapa de
metal amarello com a cora imperial, te ido por
baixo as segnintes palavras : Voluntario da pa-
tria, da qual podero usar mesmo d< pois da
baixa.
Art. 12. O governo conceder, em attengo aos
servicos relevantes prestados pelos ditos volunta-
rios, graduagoes de offlciaes honorarios di exer-
cito ; e solicitar do corno legislativo aute risaco
para conceder-lhe vitaliciamente o sold po intei-
ro ou em parte correspondente "aos seus po tos.
Art. 13. As pracas dos corpos pollciaes d limpe-'
rio, e os indivipus que j tiverem obtid< baixa-
desses corpos e dos de primeira linha, ter i todas
as vantagens concedidas aos voluntarios g lardas
nacionaes.
Art. 14. Gozaro de todas estas vantagens aquel-
les que na corte e provincia do Rio de Jan liro se
apresentarem dentro do prazo de 66 dias, n: s pro
vincias mais prximas no de tres, e as m; s re-
motas no de quatro mezes, contados da pub cago
deste decreto nas respectivas capilaes, os guardas
nacionaes aos commondantes ssperiores, e oade os
nao houver aos comraandantes dos corpos, eps ou-j
tros voluntarios aos commandantes que o governo
designar. '
Art. 15. Ficam provisoriamente revogad; s as
disposices em contrario.
Os meus ministros e secretarios de estai o dos
negocios das diversas reparligoes assim o te ham
entendido e fagam executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 7 de janeii o de
186o, 44 da independencia e do imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador.Fra icis-
co Jos Fuado.Jos Liberato- Barroso.(arlos
Carneiro de Campos,Joo Pedro Dias Vleira.
Hennque de Beaurejialre Rohan.Francisc
vier Pinto Lima.Jesuino Marcondes de OI
eS.
Assignado. Jos Joaquim Goncalves Fontc,
Conforme.O capito J. F. de Moraes e Va con
cellos, ajudante de ordens interino do corara; ndo.
kXa-
relra
PARA.
Decreto a. 3,331 de 9 de Janei-
ro de I86&.
Crea corpos para o servico de guerra em circumtan-
cas extraordinarias 'com a denominacao de
voluntarios da patria, estabetece as condicSes
e fixa as vantagens que kes ficam competindo.
Altendendo s graves e extraordinarias circuns-
tancias em que se aeha o paiz, e a urgente e inde-
clinavel necessidade de tomar na ausencia do cor-
po legislativo todas as providencias para a sosten-
tago no exterior da honra e integrdade. o impe-
n, e, tendo ouvido o meu conselho fle ministros,
hot por bem decretar:
mo-
nos
nte
Mor
da
ins
ma
dia
BEL.VrORIO DO SECRETAaiO DA PRESIDENCIA DA
VINCIA, RELATIVAMENTE NAVEGABILIDADE
BIOS DESSA E DA PROVINCIA DO AMAZONAS.
("ContinuacSo.J
Primeira parte.
De Camet s Cochoetras.
I
Auxilios. O subdelegado de polica Antonio
Das da Rocha hospedou-nos cavalheirosam
em sua casa, deunos 3 remeiros, e com o m
zelo e boa vontade facilitou-nos outros recursos,
de que tinhamos necessidade. Nao podendo ac >m
panhar-nos, mandou em seu lugar o sargentc
guarda nacional Lmz Jos, hornera resoluto. I? bo
rioso e pratico de toda a extenso fluvial que ia nos
percorrer, e expedio ordem ao inspector de qt ar
teiro de Maiacur para fornecer-nos mais alg
remeiros.
Esta ordem partlu n'uma montara na mea
hora em que largavamos do porto da villa, no
17 de dezembro.
O inspector de quarteiro mal recebeu no Mita-
cura o offleio do subdelegado, mandou apromntar
urna grande montara, convidou 9 pessoas piara
rema-la, enm ellas seguiu pelo furo da Cachoe ri-
nda e foi alcangar-nos na praia da liba Jauqu ira
defronte de igarap. Trucar no momento 3111
que principiavamos a almogar Apresontou-
todos os reraeiros, declarando que so precsavaj
um pare ajudar a voltar a'montarid ; tomamos
rm somente 3 por elle escollados pare compldtar
o numero 12 que a nossa canda exigia. Agrade-
cemos em nome do governo a este iuspeclo
promplido e zelo com que acudi necessidade
ser igo publico ; depois de almogarem todos,
paramo-nos, tomando cada canoa seu destino.
Subida da cachoeira. Em Patos contratei
hbil piloto, conhecldo por sua dextreza na na
gem das cachoeiras. Da ilha dos Santos paral
ma, Pedro, o piloto, tomou o lerae dirigindo
nossa caca por estreitos canaes, ora entre
labirinlho de rochas dispersas, oa margem fjo
entre saranzaes o peJras saUals.
ios
de
po-
a
do
se
am1
sa-
ft<
a
qmr
O engenheiro bacharel Jardim, meu companhei-
ro de viagem, encarregado do estudo das cachoei-
ras do Tocantins, j ter dado exacta cenia do re-
sultado dos seus trabalhos, acomp&nhados da sua
valiosa opiniao sobre este assumpto, de sua com-
petencia, sondo alias certo que a falta de instru-
mentos e a entrada do invern que, fazendo sair
o rio- do seu leito, impedia a execugo Je lodo o
trabalho, nao permttiam um exame mais com-
pleto das disposices hydrographicas e geolgicas
d'aquellas localidades.
Incompetente, como son nestas materias, mas
testemunha dos esforcos erapregados por aquello
engenheiro para bem executar sua comraisso,
nada me cabe fazer senao louvar-me em seu juizo
que deve estar consignado no relatorio por elle
apresentado.
G mesmo engenheiro ter tambem exposto com
devida franqueza os poderosos motivos, porque
nao passames do Tocantins ao Jacund, conforme
as instruccoes recommendavam.
Passo agora a algumas considerages sobre esta
interessante regio.
H
O baixo Tocantins.
Simmario.Duplo aspecto.Geographia da regio,
clima, embaragos uavegago ; tentativas para
desirui-los postos fiscacs e militares de Peder-
neiras, Alcobaga, Arroyos e Mur; colonia mili-
tar de Santa Thcreza.Restabelecimento dessa
colonia.Navegago a vapor; a vela; botes de
Goyaz.Populago actual: povoados extinctos;
ncleos de povoagoes.Indgenas: os Anambs,
sua historia e seu carcter.Causas da extinc-
gao los indgenas.
Para se ter urna idea exacta da regio do baixo
Tocantins nao basta ver urna vez as margens deste
rio ; preciso percorr las em diversas estagoes,
estudar as suas formas durante a endiente e du-
rante a secca e procurar conhecer e examinar as
iransformages por que passa esta regio nessas
duasquadras do anno. .Nenhum rio com effeito of-
ferece um aspecto mais diverso no vero e no in-
vern ; e essa dupla phisionomia que ha indusido
uns a enchergar nas margens do Tocantis um pa-
raizo e outros urna ierra inhspita.
Um dos mais dslinctos viajantes estrangeiros
Alfr- Wallaee que em agosto de 1848
da barra do Hatacur. O outro brego vai com va-
rios igaraps formar o rio Jacunda que tem sua
barre no fundo da haba das Boceas.
Deste osbogo geographico do Tocanlins se poderia
concluir que este no forma com os bragos de Ipa
e Jacund e com a baha das Boceas urna ilha
maior que a do Maraj; mas to simples e ac-
nhadas commuuicagojs nlerfluviaes nao podem
autorisar semelhante classiQcago, que, sera duvi-
da, caberia muito melhor s trras da Guayana,
separada, como se sabe, do resto do continente por
um canal de 500 leguas de extenso e de urna lar-
gura pouco menor do que a do Tocantins
Fallar do clima do Tocantins dizer o que sao
as estagoes, os dias e as horas nesta regio. K'
pessirao em todo o iaverno ; aprasivel e delicioso
nas manhas e noites de vero; mas nos ltimos
mezes desta estago o ard*r dos raios selares
afflctivo sobretudo nas cachoeiras; destas al per-
to ii Matacur nenhuma viracao nem ventos regu-
lares vera modificar essa estagao dora e incommoda
da atmosphera.
Quando, porra, o sel esconde-se no horisonte, a
temperatura baixa consideravelmente, o ar refres-
ca-so tornaodo-se suave, e, pela adiaotada noite,
condensa-se cahindo em orvalho.
Emquanto, porm, nao chega a tarde e com ella
esta frescura, o viajante Importunado por milhoes
de mosquitos que Ihe perlurbam por muito tempo
o somno. Durante o dia, e mormente antes de
chegar o sol ao zenilh, outra especie de insectos
as mutucas assaltara com furia a canoa, sacian-
do-so no sangue do pobre remeiro que, para tornar
menos insupportavel o calor, despe-se da cintura
para cima.
Alguns moradores das margeos, para escaparem
da importunagao destes Insectos, levantam sobre as
coras de areia que se formara no meio do rio urna
ligeira barraca ou rancho, e ahi passam tranquillos
a noite.
Cachoeiras.Os embaragos navegago come-
gara precisamenle no ponto em que, nessa quadra
do anno, anda sensivel a influencia da mar,
isto na pequea ilha dos Santos; d'ahi para cima
snrgem ento, vista uns de outros, os grupos de
rochas que era meia enchente occuliam-se sob as
aguas turvas, tornando-se assim mais perigosa a
navegago por embarcages de grande lotago.
Ahstenhorae de enlrar em pormenores sobre
este ponto por me parecer que sero sufflcienles
para s<:u maior esclarecimento as observages fetas
no relatorio do engenheiro Io lente Jeronymo Jar-
dn), que visitou o rio em poca de meia enchente.
e as do tenente-coronel Joo Roberto Ayres Carnei-
ro, chefe da expedigo enearregada do estabeleci-
ment da colonia de Santa Thereza, que em 1848
exaramou o mesmo rio, suas pedras e cachoeira?
em pleno vero, embora me parega que a descrip-
go feita por esto amigo offical pecca, s vezes,
pela sua pronunciada affegao ao bello horrivel que
subi este 0 leva naiuralmente a alguma exageraco.
rio ale a primeira cachoeira descreve-o como a Estas cachoeiras '
parte mais bella e mais feliz do mundo ; se a sua
viagem tivesse lugar em poca diversa, em qual-
quer dos mezes de Janeiro, fevereiro ou margo, a
sua descripgao sera to opposta que lemos,
quanto o invern difiere do esto.
Quando o general Jeronymo Coelho mandou fun-
dar a colonia de S. Thereza, urna idea semelhante
e igualmente falsa aconselhou os colonos e seu
chefe a estabelec-la no Hemaosao.
Estava-se enlao em outubro, poca em que o
Tocantins aprsenla o aspecto mais encantador c
aprasivel. A belleza das margens, a abundancia
da caga, de peixe e defructas, a altura e fertlida-
de do terreno, a excellencia das aguas, a situago
no centro das cachoeiras e o espectculo grandioso
das cataratas, ludo indicavaque aquelle lugar reu-
na ao feliz concurso dessas circumstancias a mais
perfeila salubridade.
Sbese qual foi o triste reultado dessa agrada-
vel perpectiva : com a entrada do invern, a illu-
so dissipou-se e a realldade appareceu terrivel. A
caga, peixe, a belleza, a salubridade tudo desappa-
receu : e a pesie e a miseria entrando na colonia
dispersou e afugentou d'alli os que a morte anda
havia poupado.
Em regies onde as estagoes exercem to pode-
rosa influencia ninguem se pode guiar pelas des-
cnpgfjes de viajantes estrangeiros que passam li-
geiros, sera um estudo profundo, e sobretudo sem
tomar pelo paiz esse interesse real e patritico que
s existe no corago dos nacionaes.
Geographia da regio do baixo Tocantins.O
Tocantins, desda a cachooira das Guaribas at
baha de Manij, onde recebe as agua> do Anap
eJPacaj, misturadas j com um pequeo contin-
gente do Amazonas, lera urna extenso de 150 mi-
Ihas, correndo o rumo geral de SSO o NNE.
A sua largura varia muito com a natureza e al-
tura das trras marginaes. Assim, quando estas sao
pedregosas, ou se elevam como barreiras, o no
coatrahe-se, ganhando em prnfundidade o que per-
de cm largura; pelo contrario, quando sao baixas
formara varzeas, o rio dispersa suas aguas div-
dinfo-se em bragos maisou menos volumosos.
Abaixo da villa de Baio que se acha em frente
de varias ilhas formadas assim pelos bragos do rio,
rene este todas as suas aguas, e passa por um es-
trello entre a pona da margem oriental e a bar-
reira das Maagabeiras, nica importante que em
toda esta secgo fluvial apparece na outra margem.
Passado o estreito, dividiudo-se de novo em va-
rios bragos, brese progressivameBte at entrar
na baha de Maraj, tendo em sua embocadura cer-
ca de 10 milhas de largura.
Entre a ilhas mais nota veis contase a do Juta-
hy, formada pelo furo Cacboeirinha que communi-
ca o Tocanlins com o Mataour, seu affluente, e a
do Bacury, formada por um brago do rio que passa
ao p da villa de Baio, comegando defronte da
barra do Matacur e terminando pouco cima do
estreito das Mans?.beiras; a ella ficam annexas
outras ilhas entro as quaes figura a do Uaymi.
Depois das ilhas do Jutahy e Bacury as mais ex-
tensas sao as de Sant'Anna, Juaba, Ing-pij, e
Tauar.
As pequeas ilhas de Guariba e do Boto no cen-
tro da cachoeira do primeiro destes nomes, as do
Passatno? a noute ao releoto na Praia Grandi ao Arapap, Pacas e Tauaiury abaixo dessa caohoei-
iom do rumor longtya.0. fascataraotas, dn Guar-'re, saequast que. wclasivamente formadas de
impem serios embaragos ao
desenvolvimiento da navegago e commercio entre
Goyaz e Para. Diversas tentativas infructferas
tem sido fetas para removelos, quer no seculo
passado, quer nos nossos dias.
Ninguem ignora que houve outr'ora no Tocan-
tins alguns povoados ou ncleos de povoagoes que
tinham estes nemes : Pederneiras, Alcobaga, Mur
e Arroyos,.os quaes com excepgo do ultimo que
teve mais longa duraco, nao tiverera seno urna
existencia ephemera.* ,
Estes tres povoados eram estagoes meio flseaes e
meio militares, protegidas por fortifleages ligeiras
e destinadas a facilitar a navegago do rio, oivilisar
ou domar os Indios que infestavam as margens,
impedir a fuga de escravos e desertores do Para
para Goyaz e cobrar os direitos doouro que descia
de Goyaz para o Para.
Para satisfazer a estes dos que foram estabe-
lecdos aquelles povoados, a saber :
S. Bernardo de Pederneiras pelo governador Jos
de aples Tello de Menezes em 1781, na margera
occidental entre a bocea do furo Cachoeirinha ou
Paran-miri e as eorredeires Tapa\ una-qura,
Atcobaca pelo mesmo governador em 1782, na
mesraa margem occidental, abaixo do rio Caraip
era terreno alto e frondoso.
Arroyos, pelo governador Francisco Mauricio de
Souza Coutinho em 1793, em um alto morro, que
domina a parte inferior da cachoeira das Guaribas,
em frente da Praia-Grande e da ilha Arapap. Para
assentar-se este forte ou registro demorse e ex-
tinguio-seode Alcobaga, com oqual se haviam des-
penado grandes sommas.
Este mesmo governador Souza Coutinho, de quem
se disse, tai vez, com injusiiga que oidenra a ex-
tinego de Alcobaga somente pare apagar a memo-
ria do lugar e do general que o fez construir, re-
conheceu logo seu erro, e quereado remedia-lo
mandou formar com Indios Arnans, arrancados da
villa de Chaves, outro lugar jnnto bocea do rio
Mur. Esta situago, porm, era muito inferior
de Alcobaga. Ambas cabiram.
Arroyos foi o nico desses povoados que, gragas
sua posigo interessante, resisti por alguns an-
nos at extragnir-se o destacamento militar que 1*
existia. Urna das casas eslava aiada em p cm
1850 ; mas essa mesmo. appareceu com o seu ulti-
mo morador, que era um velho pratico das ca-
choeiras. Arroyos hoje entre no numero dos. po-
voados totalmente, extinctos.
Santa Thereza.Em 1844 o governo imperial fez
partir para esta provincia um engenheiro que foi
encarregado de fazer urna explorago nas cachoei-
ras e indicar os meios de mehorar nellas a nave-
gago ; mas o engenheiro nao chegou a v-las, por-
que regressando doente de Baio a capital, obteve
exoneracSo da commissao.
Em 1849 o general Jeronymo u>ebo, qae ento
administrava o Para, foi pelo governo imperial in-
cumbido de empregar lodo o esforeo no sentido de
remover aquelles obstculos, impostas pela nature-
za livre navegago e commercio do Tocanlins. O
grande administrador preparan lego nina expedigo
enearregada de fundar urna colonia militar no cen-
tro das cachoeiras, a qual toria o nome de Santa
Thereza. Nao Ihe sendo possivel ir dirigir em pes-
soa este estahetecimeato. conflou a execugo de seu
plano ao toaeote-corosel reformado Ayres Carnet-


tmmmm^^m
wamm
)
ro, reputado como om dos militares paraenses de
niaior capacidade para desempeahar to importante
ommissio.
Este honrado'offlciaK perm, por falu de eonhe-
cimente das ?ondig$ies do rio, escolhendo o tocal
do RemansSo para asse'nto'da colonia, coflderanou,
sem o prever, o nascente cstabelecimento a urna
prxima destruieao.
J dtsse em outro logar quao desastroso ro o
xito desta expedigao. Essa tentativa, alias em-
prehendiJa com prudencia e vontade Bnne, e com
a qual o estado despenden largas sommas deixou
com seu resultado funesto to dolorosa impressao
nos nimos, que ate hoja moguom dqpovo pronun-
cia, sem temor, o nomo deRemansao.
Entretanto a impressao deste desastre nao tem
um fundamento mais racional do qtw a prevengo
que os remeiros do Guyaz guardam contra a capi-
tal do Para por causa do cuolera o febre amarella
que ha anoos passados aqui se desvolvern). E'
tempo de reslabelecer aquella colonia militar, nao
no mesmo lugar, potsqoe votes unnimes afflrraam
que a sua escotna nao podia deixar de ser a mais
inconveniente ^ mas em ontro ponto, abaixo das
Gnaribas, na costa junio liba dos Santos ou em-
fim oo exlineto lugar de Alcobaga;
Era qualquer deslas siluaooes o terreno e alto,
livre de imrandages, fertH, pedregoso e coberto
de florestas, em que dominam arvores preciosas,
como o castanheiro, massaranduba, piqui, itaiiba
o pao d'arco.
Deses pontos existiram ou existem anda com-
municaoses por trra sobre terrenos enchotos para
o rio Aratic, atravez dos espig5es dos montes da
Mucura, muito transitados e frequentados, ha 28
annos, pelos cabanos de Oelras. Elle partiodo
desta villa por alli ebegavam ao Tocantms, e en-
trando pelos rios Arateri e Mur, cojas cabeeeiras
se approximam dasdoMoj, communicavam-se em
3 dias com os seos comf arsas desta villa.
Do mesmo ponto rommunicam-se actualmente os
Indios Anambes existentes no Toranlis com os seus
compatriotas do Pacaje. Sobem pelo CaraijH em
montanas; chegara a aldea do Tau as rahere-
ras deste iguarap, o d'alli atravessam para o Cu-
ruruhy, que um confluente do Pacaj razendo a
jornada em 7 dias, isto cacando e pescando, se-
gundo o sen cosiume em vlagem, o que quer dizer
que se pode fazer a travessia em 2 ou 3 dias, do
Tocantins ao Pacaj.
Urna colonia collocada em qualquer daquelles
pontos chamara para ella grande numero de mo-
radores que vivem dispersos por aquellas margens,
e formarla assira urna populacho til naquelles de-
serios, a qual paderia prestar auxilios e recursos
navegado dos botes, e constituir om centro de
coramercio onde mais tarde os vapores rao achar
carregamento nao s dos productos que os mora-
dores rolhessem ou fabricassem, mas tambem dos
couros, coatros gneros que descessera nos botes de
Goyaz. .
Alli como em toda a extensao das margens do
Tocantins e em suas ilhas a natureza exhibe gran-
de abundancia de productos preciosos, nao exigin-
do do hornera seno o trabalho de colhelos e be-
neflcia-los.
Javegaco. O Tocantins oflVrece, em qualquer
estacao, uma navegagiio completamente livre desde
sua barra, na baha de Maraj, at a pequea ilha
dos Santos (prxima as corredeiras de Tapayuna-
quara) em extensao de cerca de 140 milhas.
A eavegacao actual neste rio consta de 2 viagens
mensaes a vapor entre a capital da provincia e a
cidade de Camela, de barcos e candas vela, e a
dos botes de Goyaz.
O vapor parte de 15 em 15 dias para Camet, on-
de se demora 36 horas, regressando para a "capital,
locando na ida e na volta em Abaet e na fazenda
deS. Domingos. O vapor nos dous primeiros annos
mas a falla de um porto naqueila villa e a incuria
de seus moradores d entao que nao se aoimavara a
trabalhar d modo a fornecerem sempre cargas ao
vapor, induzio a companhia a supprimir aquella
viagem.
O trauco do vapor entre Belm e Camet est
quasi icduzido ao transporte de passagelros, profe-
rindo os proprietarios fazer o transporte de seos
gneros em barcos proprios, ou a fretes em alheios.
O numero de embarcac5es a vela tem crescido
uestes 4 ltimos annos : nao menos de 30 esto em
gyro continuo desde o centro das cachoeiras e dos
igaraps at barra do Tocantins, tocando em todos
os sidos e fazendas, recebendo a granel o cacao, a
castanha, a borracha, e oulros gneros e vindo en-
trega-ios na capital aos respeclivos cous/guaia-
rios.
Os botes de Goyaz, que o povo chama canoas dos
minaros, sao as nicas embarcagoes que fazem o
trauco de commercio entre esta e aquella provincia
pelo rio Tocantins. Elles tem urna forma e cons-
trurgo especial adaptada s condg5es hydrogra-
phicas do rio, mormente a passagem das cachoei-
ras. Trazem entre seus apparelhos a haela grossa
que e ltimamente empregada nesta navegagiio se-
mibardara, mas quasi heroica; ao chegarem a
qualquer cachoeira perigosa, os remeiros tapara a
pressa a abertura da tolda de proa com a baeta que
trazem, de sorle qae o bote arrastado pela forga
das aguas, precipitase mergulhando a proa nogol-
pho das cataractas, mas surge a superficie no meio
das ondas espumantes sem penetrarlhe no interior
urna gota d agua.
O seguinie trecho do relatorlo da presidencia em
1862 da a mais perfeita noticia sobre a navegago
do Tocantins pelos botes.
A descida regular dos botes de Goyaz de 25
por anno. Cada bote accommoda de 10 a 24 re-
mos, conforme a lotacaoe trazem piloto. Nao usam
velas; toda a viagem na descida feita a remos,
e a raerc. da corrente e na subida a remos,
vara, sirga, ganchos, etc.
t O piloto ganha de 100,8 a 3C05 por viagem re-
donda ; o proeiro de 705 a 80 ; os remeiros 40j>
a 605 cada um. A carga na descida somente de
couros seceos e espichados, e na subida conduzem
sal, louca, ferragens, fazendas e lquidos.
A prevengao que domina o espirito dos remeiros
do alto Tocantins e Araguaya, a queja alludi, tor-
na difficil a descida dos botes; esses homens su-
birao fcilmente de S. Joao d'Araguya para Goyaz
al as fontes daquelles rios, trabalhando continua-
mente e por um Jornal de 500 ris; mas nao des-
ceo ao Para em qualquer estago por mecos de
;>5 por da.
Populagao.A populagao do baixo Tocantins ag-
glomerou-se principalmente na sna parte inferior, de
Baio at a sua barra. O municipio de Camet, no
qual se comprehendem as freguezias do Carmo de
Tocantins e de Mocajuba, nao conta menos de 27,000
habitantes; o de Baio, nao renta menos de 5,000
dando ambos um total de 32,000 habitantes.
A estatistica que se tem feito desdes 1848 da po-
pulacao dos municipios de Camela e Baio como
de toda a provincia, integramente arbitraria. Em
1862 a presidencia empregou todos os esforcos que
estav a seu alcance para obler algunsdados mais
seguros sobre esta materia. Nenhum auxilio ob-
teve para isso,e o resultado foi continuar se anda
no mesmo estado de falta de um conhecimenio ap-
proximado do Bumero de habitantes da provin-
cia.
Percorrendo quasi todos os povoados de Tocan-
los, nao estou todava habilitado para dar urna
-estatistica bastante approxinjada da exactidao. A
difflioldade de obter-se iaformacoes regulares, a
accumulacao de numerosos individuos pelo interior
dos igaraps e lagos, que muito se aflastam das
margens do rio, a osoillago da populacao uesses
lugares e mesmo nos povoados, ludo concorre para
se nio dar muila coofianca a resenta esiatisticas
que se tem publicado, tendo origem em ditos e opi-
nin de individuos e mesmo de autoridades que
para eecaparem do trabalho que este til servio
Ihes Icaria, preferem improvisar nm calculo irriso-
rio, faltando assim a verdade ao governo e ao
paiz.
Segundo se v do relatorio da presidencia em
1862, as jiopulacoes das freguezias do Tocantins
contavam, termo medio, para aquelle anno, a sa-,
ier *
Baio....... 2,794
Mocajuba----- 2^69
Carmo....... 2,948
Camela...... 19,140
-H
Blarlo de Feraambnco Quista felra t 4c Janeiro de | &.

^ovoacoes ex.Uuctas.~Ror nma fle^ao geograpni-
c, Parao-mirim, Pedernoiras, Mur, Alcobaca,
e Arroyos flguram anda as nossas cartas como
poToacoes existentes.
J dase quai fra a origem desses lujare e
que sao hoje.
Para so saber onde existi Alcobaca nio menos
preciso um pratieo do que para se navegar no
meio dos numerosos baixios e rochas submersas
ue a cada passo se encootram so teito do rio des-
e a ilha dos Surtos at cachoeira das Gaaribas.
roi com effeito um pratieo que depois de levar-
nos ao vasto estrado de rochas argilosas e volcni-
cas que formam a praia d'Alcobaca, guiou-nos no
meio de ama espessa floresta, 4 procura do lugar
que outr'ora leve este non.
Nao encontramos anda assim esse lugar; nem
um vestigio, nem mesmo urna pedra podemos en-
contrar que nos Indicasse sua sede. Em vez delie
encontramos no meio da mudez da matta um espa-
to de 3 bracas em nuadro, lendu ao lado urna cruz
tusca de pao afincada no cho, pendendo-lhes dos
bracos 3 rosarios de missangas e restos de urna
vela de cera qae ali derreteu-se. Ao pe dessa cruz
grosseira estavam S sepulturas, nma das quaes
ainda recente e coberta por urna esleir de laminas
de mirity.
Este cemiterio, onde nao penetrara jamis os
raios do sol, por serem interceptados pela rama-
gem cerrada da floresta mnito recente, e ao re-
corda a existencia de Alcobaca.. O pratieo, porra
a fflrmava que era por ali que "existi esta povoa-
cao.
No sito da barreira que reapparece ao S. da boc-
ea do rio Cachoeirinha formando urna pona salien-
te, houve em tempos idos, segundo as tradicSes do
lugar, um principio de povoacao a que se havia
dado o nome de Paran-miri. Esse lagar hoje
um deserto, onde se nao encomia vestigio algum
de ter havido habitaedes.
Os moradores vjsiuhos levantaram ha pouco ali
para servir de cemiterio, um rancho de esteios de
pan, coberto de paiha, e aberto de todos os lados.
A barreira tem a mesma altura da de Baio
assentase sobre rochas negras em grandes massas
que esto ali margem do rio.
A situaco das mais agradaveis e proprias pa-
ra assento de nma povoacao, e as trras offerecem
todas as vanlagens para a cultura do aigodo, ta-
baco, caf e canna de assucar. A vasia chapada
que prolongase para o interior rica de casta-
nheiros.
Ncleos de populacao.De Baio at S. Joao de
Araguaya cuja distancia se avalia de 50 a 60 le-
guas, nao se encorara povoacao alguma regular.
No espaco comprehendido entre aquella villa e
a ilha dos Santos abaixo da cachoeira dasGuari-
bas sempre qne reapparecem as barreiras na mar-
gem, sao estas coroadas de sitios e habitacoes mais
ou menos visinhas entre si.
Prximo ao igarap dos P ro e sitios que quasi constituem j um ncleo de
populacao; o mesmo se observa no Maiucur, pe-
queo rio, que ligndose ao da Cachoeirinha, for-
ma com o Tocantins a ilha Jutahy.
Nestcs dous lugares bstanle altos, como nos si-
tios das Barreiras, eulliva-so mandioca, paeovas,
milho, caf, aigodo e tabaco, ludo em quanlidade
bstanle para consuno dos moradores.
Pouco cima da ilha Tau avista-se na margem
occidenlal nm grupe de 4 ou 5 casas quasi conti-
guas chamado- Juquirapu; o perlo da ilha dos
Santos, na mesma margem, ha ainda outro sitio
junto do qual se acham estabelecidos os indios
Anambs.
Entra se ento n'uma regio totalmente deserta
ate S. Joao d Araguaya.
Indgenas.Nao Uve occasiao de ver no Tocan-
tins ootra familia de indgenas seno a dos Anam-
bs. De volta da cachoeira das Guaribas visita-
mos 2 ranchos destes Indios situados margem
occidental, na proximidade da ilha dos Santos.
Os Anambs sao de cor clara, altos, bem con-
formados, olhos hon'sontaes, nariz aquilino; o seu
aspecto indicando, como em todos os tn*ininr,
urna raga que tornpu-se taciturna e melanclica
pelos tongos soffnmenlos que os colonos europeos
itiesiDflingiram, revela ao mesmo tempo ena hu-
mildade magestosa que attrahe a aitenco ,-.is sim-
patnias de um observador sincero e drsoteres-
sado.
Os homens e suas mulheres sao generosos e ob-
sequiadores. Sabendo que csstumam colher cas-
tanhas, pedi-lhes que guardassem-nos algumas pa-
ra a volta. Dous dias se passaram. Cerca de
meia hora depois do nosso regresso aquella pouzo,
vimos approximar-se um delles com sua mulher
curvados ambos sob o peso de um paneiro de can-
tarillas, em ourico, que cada um trazia.
Elles es depositaram no chao dizendo que eram
para nos, e perguntando-lhes quaoio cusiava, res-
pondern) nesse tom melanclico que Ihes to
commum, menos na significacao desta voz .*Nao
e nada I
Esta expressao contundinos; pois que nao
suppondo encontrar indios no baixo Tocantms, nao
nos haviamos prevenido de presentes para mimo-
sea- os, como costume (ainda que infeliz costu-
me !) sendo certo que elles nao apreciam o dinhei-
ro, qualquer que seja a quaniia. OlTereci-lhes, to-
dava, um pouco de tabaco, agurdente e piraruc
que aceilaram alegres. Promeiti mandar-lhes de
Camela alguma cousa, e effectivamente d'ali Ihes
enviei um machado, urna navalha, missangas, brin-
cos, cadargo, fios de la, plvora e chumbo.
O Cheto destes indios no Tocantins um mance-
bo de tenues bigodos e de barbas em embrvao.
Falla muito bem o portuguez, intelligete, ac-
tivo, e, posso dize-lo sem escrpulo, cima de
Baiao foi um dos homens mais polidos que en-
contrei.
Eu aproveitei essas qualidades para celher delle
algumas informagSes sobre as suas aldeias e sua
residencia anual no Tocantins. Dessas iaformacoes
colhi o seguinte:
Os Anambs formavam urna tribu independente
"as cabeeeiras do Pacaj Grande. Besidiram alli
desde seculos, obedecendo a um chefe uraco que
linha vindo do occidente como um sabio eguerrei-
ro famoso por seus feitos: appareceram os euro-
peos Ihe fizeram guerra, e pouco depois os missio-
nanos jesutas que com elles estavam em paz co-
mecaram a separar as mulheres dos maridos e
a levar mutos para Portel, os homens para traba-
har as rocas e remar canoas e as mulheres para
lavagem de roupa e para a cozinha; o que desgos-
tou tanto a nacao que comecaram tribus separa-
das. Lina nacao antropophaga veiu do lado do sul
a taca-los, '
DIARIO DE PER WWRUCO
PernauabMce e Rio d *aelro.
Qer aconstituicao que as provincias hajam
presidentes qne as administren).
Mas nos temos adminutracao as provincias,
como do espirito do prestito constitucional f Por
certo que nao.
Administrar reger os negocios da publica eco-
notnia cora proveito da causa geral. E na verdade
isso nao succede as provincias com o svstema que
se pratlca.
Presidentes se succedem com tal rapidez, qae
ainda sa o canhio da posse de om qMdo j o
mesmo canbo tra aauuuciaudo a ehegada
outro.
O presidente, pois, que apenas entra na gerencia
dos negocios pblicos sem couhecimento peculiar
das cousas da provincia, e sera pratical alguma, nao
pode administrar.
Para administrar preciso aptidp, tempo e pe-
ricia **
A aptido est no individuo pelos notes da sua
Indiligencia ; o tempo, deve-lhe o governo dar ; e
a pericia se adquire com a ortica.
E' essencialmente dependente do governo a rea-
lisago dessas vanlagens, escolhendo omens ido-
neos, conceituados e dando permanencia aos car-' de costa. Sommem-se
que assim adqoeriria o amor do
masj o rei quiz tambem ouvir os coHsf Ihiros
eos. os quaes, levados da joventode, dis eram ao
novo re, que tal parecer ne seguisse, e confiando
9 si deelivasse ao povo, que o sen ded< mininto
*- maior do que os hombros de seu pai
Seguido o conselho do uilimos, oam pir isso o
monarcha foi bem sucflldido : o seu re nado foi
cbeio de perturbacSes.
hi elhice reside a prudencia e a sjabedoria,
(lina di e^jeriencia ; e reOecltado sobre use Tacto
histrico, vemos, quanto convra a mad reza dos
COMMW,
Os ocasos presidentes, faltos de conselhi > por par
te de ana corporacao respeitavel, pela id ide e sa.
ber, s aebam conselho de interesseiros facciona-
s assallos; Damos em seguida as respostas do chefes do
rao- traego e dj encarregado do lelegrapho do Recife,
squeixas que publicamos acerca da demora na
expedigo dos generes e aa entrega dos despachos
telegrapicos. Nao podemos deixar de agradecer ao
digno 8r. Dr. engeohei'ro fiscal a proraplidSo com
com que examina qualquer queixa dos interesa-
dos que publicamos, e a bondade com que se dig-
na enviar-nos o resultado dos exames, a que pro-
cede :
t Estrada de ferro do Recito S. Francisco.
Reparticao.Recite, 25 de Janeiro de 1865.-Se-
nhores redactara da Revista Diaria.Desejoso de
apre-
Pelos seos primeiros versos node-se bem
ciar do merecimetrto do seu tea : sao elles.
< Pelos ferros do crimes agrhoade,
' Jungida ao carro do Anjo dtos abysmos
c Do misserrimo Ado a trlsvprWe,
De males mil epilogo funesto,
c S6- ivisava' em derrefor d si
< Um eataclisma horrendo de Infortunios. >
Qnem escreve poesia eom'M suavidade de es-
tylo e decora de expressao to aproprlada ao as-
sumpto, parece ter felto estado sobre a materia, e
ter rauita natureza.
Por isto cora razo parece qae sem presumpejio,
lo rei, e ras nfrmaces acerca dos dous factos alli refe
nos, qne imitam os consefhelros mogos
assim-prrtnrbara as provincias.
Alm dos inconvenientes j apontado, que se
dio eom a instabillidade dos presidentes, outro ha,
que deve ser bem attendido ; porque res Ive-se em
disperdicio dos dinheiros pblicos.
tssa instabillidade dos presidentes n) traz s
desvantagens polticas e administrativas; ha tam- resposU, tenho a honra de transmitti-las V. S.,
bem um inconveniente flnanceiro, que surdina para que se digne publica-las ou leva-las a pre-
val laborando. Fallemos das ajadas de ci isto. senga dos Interessados.
Muito se falla entre nos em economa ; porm, o! Agradecendo V. S. o favor que faz de dar-me
ministro mais apregoador de parciraonia por va. sciencia de qualquer faci que por ventura parega
de regra, o mais esbanjador. irregular e que escapo a minha vigilancia, eu con-
torneado um presidente, ah vem logo a ajada j tlnuarei pela minha parle a prestar a maior alten-
Nem, por qne estas nSo sejam urna Diada en nma
8r. padre Aaaiieio
desta estrada de ferro, procurci colher as necessa-
ridos ltimamente em duas publicacoes diversa, t gme0 g ^ Q
as parcellas, que
gos de presidente. sahem do Ihesouro naciona, e "espantar lo
Acert na escoma, tempo para se fazer o bem; garismo.
eis as condiges qae o governo oeve Hrmar para J nao sao sement as ajudas de custo de 20 (
haver adtnlmslracao proficua. ; 30 contos de ris de urnas para outras praviacias : ,.
,.B?ysem.a ariual n.omeafi0?s de Oioqos sem tambem vimos ajudas de custo de 2 conl is de ris,' do publico.De V. S. amigo
repniacao Armada, ou de homens ja comeados por quando o presidente apenas passava de ima para -M. Buarque de Macedo
V^X^J^f' C toohSO?ei,,e pel -tmp .^" i 0USiVua da mesma Cldade- Cpia.-necife, 23 de' Janeiro de 1865.-Illm.
rl\ n,PS e enho de corarais oes pohti-; E bemeonhecido ocaso da nomeagio de ura Sr. Informando Vmc. ares pe to do que trata a
V ni,; S'.-.m. ( j presidente, a quem se destinoa urna pro iocia Ion- correspondencia acerca da estrada de ferro publi-
vinP,, n,r, um Prfldcnte promovido d.> ama pro- gmqua somente pela circumsUncia de s< lhe dar; cada no Diario de Pernambuco de 14 do corrente,
l n frn'nri S i? 5*lu,P"a* ^0T ^v-6 *%* .*IaUd* oblata tenho a diier-|ne W se se deu alguma irregulari-
obirnT^^rt\JaTL^ dos nos- dade e demora na expedigao das mercador.as e
I ?n ?^r-.?!lrg recru^e"se supplicante.. sos ministros, que nao se deliberara as vi zes dar despachos dos mesmos nao foi isso devido insaf-
deve vfvo? iranm,mn ^a%P^^aiC,d?Mx ^/ParoooBTM imporuntes, que por j flciencia de pessoal, nem a oulra qualquer causa
a ..'. er.tJranquil, na de ('ae a r^aha l9al falta delle se arruinara : no entretanto n.. afilhada- seno a falta de accomodacoes na estacao de Cinco
e urna realidade, e que nenhum' poderle superior
le.
Precisava-se de um hornera, qae nenhuma con-
siderado tivesse no exercicio do cargo! de presi-
dente para vencer difflculdades de eleica>; aquelle
pois qae havia reerntado despeito das iseugoes
legaes manife_stando cynico deserabaracn: na viola-
go da lei, mostrava-se capaz do encargo. Foi-lhe
dado.
Eis ahi por que nao ba administraco as pro-
vincias.
Caide o goverao de examinar o proceder dos pre-
sidentes.
Se para o lugar de juiz nao se noma p hornera
conhecido por actos de prevaricago, eomo par o
cargo d.- presidente nao se escruulisa era noraear'
por ah
ai-
Odyssea, deixar com effeito o
ara relativo aos transportes S^S^o^ Jf^o ZSSS". denuran'
v^eSSc^S^
qae me parece explicar de mane.ra satisfactoria os pZlao^r^^K^iXt^h^^ *
do essa poesa mundana e detestavel, que a politica
inspira, com todos os seus ardores, odios e raneo-
res, sempre mal recebida na lingna de Hondo oo
de Boileau, de Byron ou de Camoes, e que lhe ba
sido aqot attriboida, em grande parte, nesses mo-
melos de fervor dos partidos. O novo ArisUreho
pbssne ama Iraaginago viva, coeia de enleios e ar-
c5o tude que sob os auspicios dessa redaccao fr !., na* c
---------accomodagoes naestagao de Cinco
gem maitiarateiam assira a substancia de povo. Pontas e o diminuto numero de carros que temos,
fcm poltica, mais dilflcil reformar do i|ue crear; que nao est em proporgao a quanlidade de mer-
assim como e msis fcil aprender o que n^ sabe-' cadorias que nos sao apresnlados para transportar
mos du que desaprender o que sabemos. Todava nesta quadra.
esse axioma nao nos deve ser applicado io ponto, I Seelrera depassageirosno tem recebido agua
de que traumos ardente na astada de Ribeiro pela simples ra-
snos um povo novo : estaraos na in ancia ; o ao de haver um trem especial para a conduego
assim nao tratamos de referma, mas de stabelecer das mercadorias, s sendo o transporte destas fe-
o que a experiencia moslra conveniente, to por elle, na falta daquelle, ou quando as mer-
un estado, que nao bem administrad), nao p- cadorias, a pedido dos donos, sao despachadas pela
de. jamis aspirar grandes cousas. A a ministra- mesma tarifa que as bagagens de passageiros.
gao da-nos a ordem interna, que nos per nitte des-1 t Nao sel como possam haver demoras de tres
envolver os proprios recursos : e um estado ou qualro d as, como diz o communicante, na ex
grande, nao pelo territorio e popuiagao, -mas sim pedigo das mercadorias de Bibeiro a Una, visto
pelos recursos, de que dispSe. que as tergas, quartas e sabbados, a tarde ha um
Nos angos tempos, para apontar um s exem-, trem que conduz as mercadorias destinadas as es-
S nrevarfeaca^ t ?^d'-r'f, le' ?'P ^^T cJ0DSderar a ^ PaI* lioa. 1e la?5es> da *" ^ecco, isto de Gamelleira a Una, e
?,"." .PI ..$.:A .d. mr?cao1 de '' 1.ae cllegu a elevado grao de forga, porque soabe' -
maoter urna administrago sensata, que a fez
unto deve ser guardada pelos agentes do poder ju-
diciario, como do poder executivo.
Temos summa necessldade de rehabilitaras pre-
sidencias : necessidade tanto mais palpitante quan-
ta a importancia do cargo. Um presidente de
provincia, delegado do imperador, deve represen-
tar em flel transumpto a bondade do original.
Ja ura celebre escriptor dirigindo-se, nos nossos
tempos coloniaes, ao rei, acerca de um governa-
dor do Maranho, que por violento e arbitrario ex-
citou justos clamores, dizia : Sennorl llvre-nos
Deus, qne pela copia julguem os povos do ori-
ginal, i
Nos hoje tambera dizemos, qne livrem-nos os
cos de pensar dos intentos do imperador pelos ac-
tos dos seas delegados as provincias I
Se elle soubesse de ludo, cortamente melhor an-
dariam as coasas; convm dizer-lhe ludo para
que elle veja qaanto se desfigura o sea poder, e
os seas ardentes desejes de fazer o bem.
Todo o mal, que as provincias se sanie, proce-
dente da errada nomeago dos presidentes, fcil
de remediar pelo conhecimento, que o imperador
tenha do qae occorre as provincias, seguindo-se a
reflexo da escolhapor parte do governo imperial:
mas no estado das nossas cousas, ainda isso nao
basta para que as provincias tenhara admiras-
tragao.
Convm dar elementos administrago j e para
Isso indispensavel a crego de um corpo com
certo carcter de permanencia, que sirva de illus-
trar os presidentes, e conservar a tradiga dos ne-
gocios puramente administrativos, que jamis p-
dem ter a devida sequencia, quando ficam merc
da iostavel vontade de successivos administra-
dores.
Ura corpo tal sera urna fonle perenne de illus-
tragao, de conselhos e de pralica.
J ti vemos o que a lei da qreago dos presiden-
tes chamou conselhos do governo, os quaes depois
foram abolidos.
Esses cooselhos do governo tinham exaggeradas
atlnbuigoes, que obstruiam a marcha das presi-
dencias pela regala deliberativa, que se Ihes deu,
e que os aramou a erguer-se intentos polticos.
Nao isso o que julgamos til. A falla de exa-
me das causas reaes do mo xito da creago trou-
xe a sua aboligo, quando somente cumpria me-
Ihorar a instituigo.
E hoje to vulgarisada no paiz a opinio da
necessidade de una tal insliluigao, come mero au-
xiliar na parle administrativa, que todos a procla-
man) e desejam.
Ainda recenlemente o Sr. conselheiro Jos A
Sar.iva apresentou na cmara temporaria, um pro-
jecto que consigna a idea de conselhos preslden-
ciaes; e posto que esse projecto nao mcrega em
tudo o nosso assenso, todava concordamos com o
nobre conselheiro neste ponto.
Oxal que o governo imperial queira prestar toda
a attengoa esteobjecto, compenetrando-sede quan-
to convm por as provincias as convenientes con-
digoes de promover o seu bera-estar em concurso
com os poderes geraes, que nao pdem por si fa-
zer tudo.
A tentativa contraria superior ao esforgo ha-
mano.
Manler as provincias presas at para coasas in-
significantissimas, nao coosultar bem os interes-
ses da nossa unio, sem a qual nao poder este
grandioso imperio prosperar, e chegar ao grao de
forga e esplendor que, como brasileiro de sincero
corago, ardentemenie desejamos.
Vemos, por exemplo, que nomeagoes de empre-
la tez rica
e relativamente poderosa : e hoje vemos a Ingla-
terra, modelo de administrago, dominai o mundo,
acastellada em o limitado circuito de un a ilha.
O governo, que nao cuida da admiras trago do
paiz, nao sabe o que governar.
A boa administrago desenvolve a rlqieza, fonte
fecunda de todos o? bens sociaes : a boa adminis-
trago suppre as vezes grandes defeitos polticos,
dando pouco valor s formas ; porque o povo con-
leata-se com o governo, que consegue < desidera
tum social
A administrago a parte do govern
publicado era sua Revista "sobre os negocios* desta Zw^Z'mJrlo^ J?.P'nd*J*- k "*
estrada de ferro, fleando V. S. certo que tanto m SSSe sin LciSi ^r ZLl ^TiJ-'1'1'0, S(>
agentes do governo como os da companhia estaro, ^go^Sar^noT^J^l'^^"--
sempre promptos a attender s justas reclamages! Jm ,recto d ella P fc P qU'
affectuoso e obrigado. Goslo mQto"da3 poesi3 rae|an(.oKcas> inspira.
das pelas arvores annosas, pelo ruido das vagas,
pelo transante perfume das flores, polo ciciar
das auras, pelo coaxar montono das rans, em
< geladas noites de invern, pelo gemer prorondrv
t e ttrico das selvas, pela ausencia da patria, lon-
t ge do turbilhao de urna sociedade lumuhoosa.
E no silencio da solido que oa "cnos da vida
se despertam com mais estridor....
Ha aqu muita poesia, muito gosto e nao pouca
eloquencia. E' era occasioes semeihames une a
poesia da natureza se faz mais apreciavel, mais ale-
gante e uais profunda. A rima, e a medida sao
apenas formas.
E' bom dispensa-las em urna analyse desle ge-
nero para deixar a natureza expandir-se em seas
devaneios.
que est
nos oulros dias sao ellas conduzidas pelos treos de
passageiros.
E' tambem devido falta de carros e nao a
m vontade dos erapregados que algumas vezes se
do demoras na expedigao das ancoras e cascos
I vazios a cujo transporte sempre preferido o das
I mercadorias que pagam frete.Deas guarde V.
S.-Iilm. S. G. O. Mann, superintendente da com-
panhia. Augusto Duprat, superintendente do tra-
fego.
copia.23 de janeiro de 1865. Illm. Sr. G.
O. Mann. Communico V. S. que no da 14 do
corrente foi-me transmutlo da estago da Gamel-
leira ura telegramma para ser entregue na ruado
Znhr^nnt e|oT^ COatiCt Cm a **88*iTraPche ao Sr- Franisco de Assis "Brito. Rece-
raa.s sensivissao os bendoo dito telegramma s 3 horas e 50 minutos
I da tarde mandei entrgalo com urgencia. Ao
nisirativa,. voltar o correio deste eseriptorio dsse-rae nao ter
effeitos dessa mesma administrago.
E tal a importancia da ordem adm
sea rgimen administrativo. A Franda nos d
hodierno exen po.
Nenhuma outra explicago tem na historia
existencia de alguns imperadores rom; nos, e
varios governos da mela idade, que no parecem
ira!^q'e,ale.I?eQ,e-eUa ^m T m*overno I encontrapo o mesmo Sr. Bnto, que "se hav7re-
politico, que alias nao seria tolerado um da sem o1 -
de
absurdos polticos, porque mal aprecian os
interna dos povos antigos, pela falta
exactas desua admioistragao.
A creago de conselhos, que ajudemj
rado do armazem.
Deixci de mandar entregar o telegramma no
sitio daquelle senhor por nao ter o expeditor pago
a o^ respectivo transporte, como exigido. Alm
3, d'isso acontecen que o dia seguinte fosse domingo,
a vida
nogoes
os presi-
dentes urna instituigo que nos parece utilissima,
urna vez que a elles sejara chamados
notaveis por fortuna e talentos, que sao1
res iniAressados no bom andamento di s
provinclaes.
Filhos das provincias, e ahi residentes,
prosperidade dellas vero o seu bem
que ao seu slo se ligara pelos haveres
vnculos poderosissimos, que se nao
cilmente.
dia em que est fechado este eseriptorio telegr-
fico ; nao podia, pois, effectuar-se a entrega se
nao na segunda fera, o que se deu logo que che-
gue ao eseriptorio. Nao se demorou era meu
poder o dito lelegramraa ; parece-me, pois, que
nao ha culpa de minha parte. De V. S. attento
servo.-Joaquim Flix Machado, i
Na noute de 24 do corrente, pelas nove ho-
ras, pouco mais on raeao, Francisca Mara do Li-
vramento, ao dirigir-se, em companhia de sua mi
Josepha Theodora de Figueiredo, para a casa de
star; por- sua residencia, foi accommeitida pelo portuguez
da tortona,: Francisco Fortunato de tal, jardineiro do Cemiterio
-1 Pub'ico, que a espancou, (cando a mesma com o
os homens
os primei-
negocios
s na
Ainda fallando de lerceiro lugar da canelo O
ten olhar esteve excellente o novo Aristtrcbo,
revelando essa modestia que lhe inspira o sacerdo-
cio, recusando-se a analyse, e pintando alias a poe-
sa como toda ertica, inspirada pelo Dos ven-
dado, colorida com todos arrebiques creados pela
phantasia, rodeadas de todas as fiegoes do engejiho
e do estylo a altura das ideas qae se crear orna
imaginaao exaltada por essa especie de delirio em
qae se debate um canter de amores. >
Prosiga o Sr. padre Amane em estados deste
quilate que achara muita occasiao de fazer brilhar
sua intelligencia, o seu espirito, a paz de saa bella
e melodiosa harpa, que por sem duvida nao sera,
da que nos offerecem, desaunadas na verdade.
CURA
Espanta e idiniravel
DE UMA CHAGA
CANCROSA ROEDORA
ou
POMPO W NARIZ.
, corpa contundido, em diversas partes, como ros-
Nao e so sob as /ormas democrticas, que o self- t0 uracos ele
governement pode realisar--e Sob o injluxo da mo-, 'a mi dessa moga querendo livrar sua filha da
narchia elle ollerece ampio desenvolvnento aCga0 do instrumento deque se havia munido
Monarchias antigs ja o virara : ai modernas, Fortunato, soffreu urna pancada na orelha es-
porque o nao veraoY ; iierda
Cuidemos da nossa sorte ; e o goverjio da cons-1 As oifendidas apresentaram-se ao Dr. delegado,
tituigao se ar/aigara invensivelmente ^o paiz, cujo qao as raandou vestorar, para o lira de ser men-
nouve muitas mortes e guerras e retira- gos mui subalternos os presidentes nao pdem fa-
ram-se os nimigos.
No tempo da geragao passada appareceu no Pa-
caj Grande a tribu Jauont-tapuira, antropopha-
ga ; a qual comegou a fazer guerra aos Anambs,
e estes retiraratn-se ento para as cabeeeiras do
rio Cururuhy, que afluente do Pacaj Gran-
de, e formaran) alli a aldeia do Tau, onde ainda I
zer. Vemos, que despezas mnimas Ihes sao coar
ladas, pendo-os na dependencia das thesourarias
de fazenda: o que constite um contrasenso, e
moslra quanto o proprio governo imperial, quem
primeiro desconceilua os presidentes, seus dele-
gados.
A taes individuos nomeia, que nao Ihes confia o
hoje residen), e d onde descerara a tempos para se despendi de 100 e 2005, sem a vigilancia fiscal,
esiaoeiecerem no logar em que o director pafcial Entao autorisa os inspectores das thesourarias a
PJe.,emJeu. "?. 2 3 annos fundar urna aldeia; insurgir-se contra os presidentes de provincia, pon-
An?rneh aSSS ^novo. do-lhes o seu soberano : Veto. E' mo correctivo
0= Anambes do Tocantins, desgostosos do com- do erro das nomeaees.
portamento do capitao de indios Manoel Loiz,sepa- mal pensada a autorisago que teem os Ins-
raram-se do laua e foram formar as cabeeeiras pectores do fazenda, de nao cumprir as ordens dos
ao rio uaraipe urnai oulra aldeia, reconhecendo por presidentes relativas despezas, quando as iuleam
seu chefe o indio Jos Pacheco, a quero j rae re-1 illegaes. Isso debilita e como que rebaixa a auto-
, ridade presidencial, que a primeira da provincia.
s do que nenhuma | Se o governo acha homens que as tbesonranas
futuro se nos aprsenla grandioso corno a vasti-
do, que se abrange entre os dous ;collossos do
Amazonas e do Prata, nossos naturaes limites ao
norte e ao sul.
PERNAItfIRUCO;
RESISTA DIAIIA.
Tve hontem effectivaraente lugar, pelas i ho-
ras da manha, a enlrega da administrago da
provincia ao Exm. Sr. Dr. Antonio Borges Leal
CastelloBranco pelo Exm. Sr. desembargador Ab- ,
selmoi Francisco Perelti com as formalidades do' sendo maior premio 6:000^000.
tada a queixa contra dito portuguez, pela promo-
toria publica ; visto as mesraas nao poderem atis-
fazer as despezas de ura processo crirae.
O occorrido leve lagar na estrada do Pombal,
prximo ao porto do sitio do Exm. visconde de
Suassuna.
Quanto seja o crime sem importancia, quan-
to ao mal physico, denota no seu autor per-
versao de animo, pelo faci de ser a aggresso de-
rigida contra duas fracas e inermes senhoras, as
quaes nunca lhe passou pelo pensamento seriam
te brutalmente tratadas.
Hoje se extrahira segunda parte da decima
primeira lotera, da matriz da Boa-Vista (terceira;
estyloj depois de haver prestado S. Exc. o devido
juramento perante a cmara municipal. ,
Por occasiao de ascender ao poderio Exm. des-
mbargador Perulti, disseraos era algjumas consi-
No dia 20 do corrente foi arrombada a cadeia
de Barreiros, a 1 hora da manha, pelos presos
que nella se achavam evadindo-se os seguintes :
Manoel Jos dos^Santos, Manoel Rodrigues de Fi-1
deragos ento apreseutadas, que a provincia linha! eueircil0> Joao Ferrcira Villa-Nova, Joao Francisco
fomeeSede de justiga; hoje que elle idevolve esse I d? Nascimento, Francisco de Parias e Jos Fran-
poder ao, effectivo, depois deum espago curto de go- l lsco-
verno, em que lhe era materialmente impossivel
malar nd lodo a essa fome e sede, forga recorrer
ao Exm, Sr. Dr. Casto,lo Branco no sentido de so-
licitar suas vistas para esse estado.
S. Exc. proporcionando provincia commeltida
sua gesto esse beneficio, conseguir o que mais
deve ambicionar o administrador, isto as ben-
gos de seus administrados.
- Amanhaa celebra o Instituto I Arclieologico
e Geographico Pernambucano a sua Testa aniver-
saria, consagrando assira tambem a recordago das
glorias peroambucanas.
Na lat. N. 25 15' e long. O. 24 43' foi encon-
trada a 2 do corrente, a galera ingleza Margareth
Boak, que de Greenok segua para Bombay j com i
18 dias, e na lat. A. 2 e long. O. 24 urna outra
galera do nacionalidade ingleza, que de Glasgow
viajava para a China j cora 35 dias de viagem,
transportando grande numero de passageiros.
Os Anambs
outra tribu a proteceo da administrago. Sua phy-! de fazenda zelam osdlnheiros do estedo muito
sionomia, sua ndole, seu amor coito" -
as tendencias naluraes que os chamam
sionomia, sua ndole, seu amor cultora revelam mais achara para os zelar oas presidencias nuan-
a Aotodo...... 27,731 habitantes,
dos quaes 24,957 pertenciam ao municipio de Ca-
eta e o resto ao de Baio.
Persuado-me de qne este numero pode ser ele-
vado no total a 32,000, avaliando-se assim a popu-
iagao de cada urna das freguezias e lugares.
Camet...... 20,000
Carmo....... 3,000
Mocajuba.... 4,000
._. --------para a so-
ciedade e para a civilisagao.
A' excepgao dos Anambs nenhuma outra fami-
lia indgena se encorara no baixo Tocantins. A na-
g3o guerreira dos Tupinambs desappareceu na
lula to desegual como sanguinosa entre elles e os
conquistadores europeos ; os que a rnorte poupa-
ram nos combates vieram engrossar como escra-
vos o cabedal, do colono.
Egual sorle e deslino tiveram os Poqaigaaras.os
Amanajs, os Apinags e outras tribu* menos nu-
merosas que tambem se extinguirn) pela guerra,
pela escradao, e pela expalriaeo ou Iransporta-
gu de uns para oulros lugares.
A historia da conquistado Para nio pode deixar
de ser severa nesta parle para os eolonos e para
os cpiorasadores ; ella o ser igualmente para os
Baiao.
37,000
5,000
32,000
misionarios jesutas que, bradando sempre contra
escravido dos indios a exercitavam todava as
snas fazendas e aldeias.
A calhetjuese pelo spintoal e a civilisago pelo
temporal hoje urna combina gao mais indispensa-
vel do que nunca para chamar ao gremio da so-
ciedade tantos restos de tribus que escaparan) ao
exterminio.
O meios e modos de concillar e.reunir esses
dous elementos que muilas vezes se combaten,
nem ha aqui logar a discutir, nem, se onoavera,
rae julgaria habilitado para tanto. Ootros sabero
melhor faze-lo.
(Cntimiar-se-ka.)
do quizer escolher bem.
cuidando de semelhantes qaestdes, que o go-
verno dar desenvolvmento s forcas reaes do
paiz, para que vigore a monarchia, garanta real e
efflcaz da nacao, e nos unifiquemos pelos lagos do
interesse commum.
A undade em palavras, em decretos, nao lem
forca : a unidade de interesses indlssolavel. O
brasileiro digno desse nome nao ter ontro intento
nao trabalhar para outra cousa ; porque essa id
capital a base da nossa grandeza.
Os conselhos presidenciaes tero o grande al-
cance politicode prao servigo do paiz capacidades
que hoje vivem esquecidas, quando temos o tesie-
mnnho lastimoso de ver os presidentes cercados de
| camarilhas de mogos imprevidentes, ou parvos en
comiaslas, "
A noticia que demos de providencias tomadas i rec/UIador-
REPARTICAO DA POLICA
Exlracto das partes dos dias 25 de janeiro de
1865.
Foram recomidos casa de detengo no dia 24
do corrente :
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Francicco do Espirito Sanio, Lourengo Jos
Lauriudo, Manoel Vicente da Silva, Luiz Jos Es-
pindola, vndos de Cimbres, para recrutas, e An-
tonio, escravo de Luiz de Franga Cruz Ferreira,
por infraego de posturas.
A ordem do subdelegado do Recife, Antonio Joa-
quim hidro ou Izidoro, reqoisigo do capto do
porto.
> A ordem do de Santo Antonio, Ignacio Veridiano
Campello, por espancamento.
A ordem do de S Jos, Victoriano Antonio do
Sacramento ou Nascimento, Martinho de Jess, e
Auioni*Riarte, disposigo do lente coronel
para fazer cessar os atravessadores de farinha,
cumpre acrescenlar que a cmara municipal re-
solveu cassar as licengas concedidas a esses indi-
viduos para vender aquelle genero na ribeira; e
em cumprimento dessa ordem, o respectivo fiscal
f-los retirar d'ali encontinente, como deu se no
sabbado.
Por esta medida torna-se a nossa cmara credo-
ra de elegios, e o Sr. fiscal pondo-a sem detenga
em execugo comprehendeu perfeitamente os seus
A ordem do da Capnnga, Joao, escravo da viuva
de Luiz Gomes Ferreira, para corrego.
A ordem do de Ja boa to, Jos Antonio, por es-
pancamento.
O chefe da segunda secgao,
/. G. de Mesquita.
Obituario do da 24 de janeiro de 1865, no
cemiterio publico.
Adelaide, Pernambco, 3 mezes, Boa-Vista ; con-
vulgoes.
deveres; oque (oigamos de consignar aqi, espe-' Bernardino, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista;
rando que se nao arrefega o zelo da respeciiva
observancia.
Foi nomeado amanuense da secretaria do
governo o Sr. Joaquim Leocadio Vitgas.
Informan-nos o seguinte :
t As 7 horas da uoute de 23 do corrente, no
lugar Coqueire, meia legua da villa do Cabo, Pe-
dro Francisco Severino assassinou com urna pu-
nhalada no peito direito Francisco Jos de Santa
Anna.
O assassinado era casado, e pai de filhos, e o
assassino solteiro de idade de 18 annos. Este pou-
de ser preso hontem bem cedo nos cannaviaes do
comiaslas, qae tomam parte no governo com escan- engenho Barbalho por deligencia de Dr. delegado
dalo geral. oue tuci0 emoreeou Dar realisar toneita nrt
Pela nossa forma governatlva, assegura-se o go-
! verno das capacidades, e da honestidade ; mas
bem raro vermos reahsada essa promessa do'
: sysiema.
Em vez dos homens mais capazas, vemos que
estes se hio afogentado, sobre todo de algum lem-
po para c, s porque nm ministerio perjuro foi
preciso transtornar os negocios pblicos para obter
o atlentado eleitoral de 9 de agosto de 1861.
Boove om rei araige, que succedendo ao paf,
monarcha de grandes virtudes, pedio conselho aos
velhoa, qne aconselharam-lhe seguisse os diclames
da jostlca, a (ratsse os povos com brandara, por-
que
sao.
tudo empregou para realisar aquella pr-
t A causa do homicidio foi o ter o assassinado
espancado a futura sogra do assassino, mulher ri-
xosa o de mus precedentes.
Algumas pessoas se nos quenam, por anda-
rem os offlciaes da fazenda realisando notifica-
goes, para pagamento de impostos, agora que est
o foro om ferias.
Chamamos a alteugo de quem compete para
semelhante procedimenio.
O vapor Parahyba, enlrou ante-bontem
do Aracajd e Alagas, e nao do Aracaty; como
por engao sahio publicado.
anarzaca.
Manoel, lernambuco, 1 anno, Boa-Vista ; tubrcu-
los pulmonares.
Jos Mamede Alves Ferreira, Pernambuco, 44 an-
nos, casado, Boa-Vista ; cancro na lingua.
Bernardina de Sena Pinto, Pernambuco, 48 annos,
viuva, Pogo da Panella ; phtysica.
Jos Ferreira da Cunha, Pernambuco, 25 annos,
casado, Boa-Vista ; bexiga.
Severina Maria>e Brilo, 44, ennos, viuva, Re-
cife ; phtysica.
Urna creada de servir residente em Pernam-
buco e pertencente Ex"' SeBr*. Vibcondbs&a,
de Goianna, foi attacada Turna terrivel ch-
ga caneroaa e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesma involvia e tomara todo a parte In-
ferior do nariz, nmeacando j^ digtruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso; Come-
?ou primeiro por nppareceT sob o beico supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma c com tal rapidez, que em pouco anea-
cava transformar todo o rosto n'uma norme
charga viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos medicnaes
que em taes cazos se uzSo forao abundante-
mente empregados, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de to hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e esforcos
foro baldados, e no em tanto o mal creera eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando-
as couzas neste ponto, se experimentou pela
vez primeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente maravlllioso e sem igual; este grande
purificador do sanguc e dos humores do sys-
temn, immediatamente pz um termo mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atraves dos tecidos os mais
delicados do corpo, expellindo at ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
c dentro d'um curto espaco de tempo produzio-
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quHo admiravel resultado foi obtr
do apenas com o simples uso
Duina so unir Carrafa!
d'esteincomparavcl e inaprecteve! depuratorio,,
recommendamos portante todos os Doente
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Salaaparrilha de Bristol,
nicamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De 1VOVA VORK,
na certeza de que, todas as mais prepararse*
imitativaa nio valem pam couza alguBia.
Vende-se as boticas de Caors 4 Barbosa
e C. Bravo & C.
O pnblco desta cidade tem fisto a maneira de-
sabrida, por qne tenho sido tratado pelo Sr. Manoel
Jos Mondes Bastos e por alguns de seus amigos,
sob o calumnioso pretexto de haver tomado parte
no rapto da fllha daquelle 8r. Bastos pelo bacharel
Jos BubfTto da Canha Sales.
O requmenlo recheado de falsidades, dirigido
pelo dito Sr. Bastos ao Exm. e Bvm. Sr. vigario
capitular, deu em resoltado ser en derolttido do lu-
gar de coadjutor, e sospenso de todas as ordens
at que me defendesse. ImmedtatameMe qoe r
cebl as ordens de meu legitimo saperior, deaei
esU cidade, apresentei-me S. Ewj. Bvma.,ten*H>
a conviegao de que hei de defender-me cabalmente
das falsas irapatagSes com que fui demasiadamen-
te aggredido. Cont cora o espirito recia e jasli-
ceiro de S. Exc. Rvma.
Vendo, peroro, algum daquelles amigas da-Sr.
Bastos, que a minha defesa aeri plena, eivido cer-
COMUuTnCAIlflS.
Prestamos alguma attengio analyse critica fei-
ta pelo Sr. padre Amancio s Flores murchas do
Sr Filinto, que deseja imitar ao seo chara da ve-
Iha Ulyssa, e publicada ne Correio Ofpctal de 26
do mea ultimo. Folgamos de ver quando o talento
se esplana com vantagera pelo campo das letras, i tamente^'de'mo espirita, aapttwe'no DiaruTdl
i\em somos d aquelle que negara todo o mrito ao Pernambuco sob o pseudnimo de A//uero-pro-
adversarlo poltico.
Reconhechlamente o Sr. padre Manoel Amancio
das Dores Chaves tem geito e mnita habilidade
para a poesia. Possoimos a sna ode Santisstma
Virgem, que ama bella produccao lyrica.
curando prender o meu nome ao pelourinh da
difamagao^ qne a opimao se desvair, negndo-
me a Justiga a qae tenho direito.
Em taes cirenmstancias, por mais manso qne de-
va ser o mea carcter, como ministro do altar, nin-

.

X

A <

11 '
T
's.


Mario *e Fernamfcnco *hriefefra tfe anelro Je f S5



*



gueq me negar o relio, senio a brlgagao em
que me aehoT* patentear a m f de meus deja-
madores. Se repulag da qualquer horaem de-
ve ser considerada como objecto digno de respeito,
nlo meaos dwve se-lo a do sacerdote, encarregado^
de dar o exemplo das bas acces.
Toda a causa da ndigoaco, mame-lameote jus-
ta, do Sr. Mondes Bastos, (o o rapto de sua filha
pelo bacharel Jos Roberto da Cunba Sales. Nes&a.
pane tem razio de sobra o Sr. Bastos; mas o quo
tenlto eu que ver nesse rapto, nesse acto que dev-
ra unt magoar o Sr. Bastos ? Por mate que se me
queira emprestar coocurso directo ou indirecto pa-
ra elle, niuguem poder acreditar uisso, e a o re-
piti eom todas as torcas.
Se tinha ralagSes de amizade com o Sr. bacha-
ral Sales, assira cono com o Sr. Dr. jeiz munict-.
pal, ninguam est autorisado a deduzir d'ahi coa-
curso ou protecc miaba quelle procedimento re-
provado, do qual nenhnm proveito me poderia re-
sultar. Em negocios dessa ordem, que sao da al-
eada exclusiva das familias, estraubos nao tem que
ver; e se o casamento da flba do Sr. Bastos com |
o Sr. bacharel Sales era ou nao conveniente, s o
8r. Bastos estar autorisado parajulgar extrajudi-
ciaiaeote. *
Nao podem as relagoes amigaveis quejexisliam
entre mim os Srs. Drs. e Cesario de Azevedo
prestarse a argumento algum contra a sisndez do
meu cjaracler, porqopnto ninguem em Garanhuns
mais prfrava con f> Sr. Sales e esuva em maior
harmona con 0 Sr. Dr. Cesario de Awvede do
que o,pa>prio Sr Mondes Bastos.
T'ara qfuo S. TJxc. Rvraa. mande syndicar restric-
tamente mceuittcio que pesa tobre mm e aprecie
con a cara.cteriscaAmpaicialidadt os fundamen-
tos da minha defesa, nao sao de mister nem os
conseltaes, nem as tristes animages do Aljubeiro.
S. 8. Hvm. sabe qual o seu dever, assim co-
mo sabe dar o verdadeiro aprego publicagoes
anooymas, com que pretende ;n cob.rdesdefama-
dores offender a allioia reputaco e coja lioguagem
por demais licenciosa arraslra-os a dizer que os
meus desatinos demonslram a inopia de recursos
justificativos do tneu proceimenlo, de modo que,
esquecewlome da dttiudade da sacerdocio de que
sto* revestido, nao poupo meios por mais degra-
dantes, nem espresses por maxs vilipendiosas de
que nao use para com o infeliz Bastos e sua filha.
Se o Aljubeiro quer ser lestemunha contra mim,
o^melhor que se oflereca ao jnizo. competente ;
so assim lera o prazer de ver-se contestado devi
damente, S. Exc. Rvma. saber ento apreciar o
qutale do Aljubeiro, e at que ponto chega a mal-
dade de entes que se revean) as torturas dj ou-
tros.
Onde fo que este defamador vio-me affmar a
teractdade de fados horrendos contra a pureza e
castidade creados pelo meu genio desabrido e aira-
tiloso com o intento de fazer crer por linguagem
tstudaia ter colindo no confissionarto f jQual a ca-
sa e a ra, onde pratiquei o que me attribueo meu
desalmado defamador ? Pobre Bastos I zombara-
Ihe das magois que soffrera, e procuram crear
victimas como um meio de applaca-las I
Ein urna palavra, nao tema o Aljubeiro que a
consciencia do Exm. e Rvm Sr. vigario capitular
se desvair no apreeiamenio da verdade; se quer
informar a S. Eje. apresenle-se pessoalmente e of-
ferega o seu depoimento, para que eu o conteste
em face. Mas se quer fazer cruzaba contra mira
pela imprensa tomando por themao triste aconle-
cimenlo do rapto da filha do-Sr. Bastos illude-se ;
hei de defender a minha repulagao, cobardamente
atacada, e o publico ha de fazer ustiga aos Alju-
fceiros.
Recife, 23 de Janeiro de 1865.
" Padre Francisco Pereira Ferr az.
ladim, abandonado*M* Aepeellvos direitos por Capitana do BOriO de PernambUCO, 14
nm fardo da marca CS I r .*m ._, .,.
Saunders Brolhers 8 C. :
dumaste CSJ B 8, conlendo 8 pecas de estopa,
pesando liquido 1,082 libras, avahadas por 433*80.
E para eonstar. eu Joao dos Sanios Porto, 3*
escrtpturarlo, lam o presente.
4* seecao da alfandega de Pernambuco 21 de
Janeiro de 1865.O 3o escriturario,
Joao dos asios Porto.
Calva filial do banco lo Brasil
em Peruaiumuco,
14 de neiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
coni'iviiit
SSf.aiETlMlHiLfS
dt Janeiro Em vista das eireumstanelas melindrosas em que
so aoha o paiz, sendo oeeessarlo qne lodos os bra-
sileiros, concorram pora a ostentarlo Sos torHa e
dignidades nacionaeegcompromeilidos na guerra
coro as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Illm. Sr. capitao do porto, em viriude do que Ihe
foi determinado por S. Exc o Sr. ministro e seere-!
lario de estado dos negocios da marinha, convidar!
n3o s aos matriculado?, como a todos os cidados
que se queiram alistar na qualidade de voluntarios j
para armada, a se apresentarem nesta capitana
aos credores de >ebasliao Jos da Silva a virera nos das uteis das 9 s 3 l\t horas da tarde,
receber do tbesoureiro da mesma caixa o que em' Outro sim, sao tgualmenle convidados os indivi-
ratelo Ibes toca da venda de urna das proprieda- dos que tiveram baixa do servteo naval, a Usa-
des, que segundo a concordata,Ihe foram entregues rem se por um anno on mal?, |garanllndo-se-lhe
para serem vendidas.O guarda-livros, ino s as respectivas escusas, logo que terminem
Ignacio Nunes Correia. os seos contratos, mais ainda os premiosflxados na agencia roa do Trapiche u. 9.
_ le, para os que voluntariamente procurara o ser-
De ordem da directora desla mesma caixa se vico da armada, e bem assim uma gratifleacao
faz publico aos senhores accionistas qtie o respec-, mensal, igual a metade dos tivo thesouretro est autorisado a pagar o 22." di- na oecasiao em que obttveram baixa.
videndo de 10$ por accao. As antagens e condiceSes para o alistamento se-
0 guarda livros, rao as estabelecidas pelas instrucefles que baixa-
Ignacio Nunes Correa. ram com o decreto n. 1591 de 14 de abril de 1855
Caixa filial do banco do BtmU o? Io-k M: '.-
Art. 12. Dislinguir-se-hao seis classes de volun-
pra-se dos por-
tos do sol 0 '-
por francez
fynenm, com-
mandante H. de
Soeier, 9 qual
depois da demo-
ra do costme seguir para Bordeaox tocando em
S. Vicente e Lisboa
Em S. Vicente ha um vapor em corressonden-
eom Gore.
Leilito de o!iris de prala e mirois
h Pasangcm da Slagdalena pnra onile deve se-
iguirnmwnnibus.panindo s 10 horas .-in junto
No dia 30 do; da ra do Crespo.________________________
eorrente roei es-
Leilo de ei-cravts
Sendo :
Urna mulata de 23 annos, cose, engomma e co-
sinha, tend orna cra de 4 annos.
Um escravo crioulo idade 30 anoos e oulros que
estarao patentes no acto do leila.
Sexla-feira 27 do eorrente
s 11 horas no armazem ra.da Cruz n. 37.
Cordejro Simoes far Icllo dos escravos cima
mencionados.
Compariliia da <->(im DO
Recife a Silo Francisco.
ent Pernambuco. |
Siu novamente convidados os Srs. credores da
massa fallida de Joaquim Francisco de Mello San-
tos a apresentarem nesta caixa filial seus ttulos
de crditos para serem attendidos no dividendo que
se tem de fazer no Bm do eorrente mez.
O guarda livros
Ignacio Nunes Correa.
Consulado de Franca
O capitao Huland do navio france'z Tonkin em !
reparado deste porto precisa tomar a risco cerca
de 17:000^000 para pagar as diflereotes despezas j
que fez noste porto. O dito emprestimo, o qual
ser reembolsado em o Havre, lugar do destino do '
dito navio, ser garantido pelo mesmo navio, cas-
co, apparclhj, mcame, vidualhas e seu carrega-
menlo. As pessoas que pretenderem fazer este I
adiantamenlo. sao convidadas a comparecer sah-
bado 28 de corrento, ao meio dia em'ponto, no
tartos
1.* Dos individuos que quizerem servir na ma-
rohagem sem lempo determinado ;
2.* Dos que se quizerem contratar para servir
na marinhagem por lempo determinado ;
3.* Dos que se prestarem servir na marinha-
gem os prazos estauelericKs no artigo 3. do decre-
to n. 1466 de 2o de outubro de 185, e que escu-
sam o nacional do servico militar ;
4.* Dos que quizerem ter praca no corpo de im-
peraes raarinheiros.
3." Dos que se destinaren) para o batalho naval.
6.' Dos apreudizes marinheires.
Art. 13. Os voluntarios das di Itrenles classse
definidas no artigo antecedente devero ter os re
q nisitos seguidles :
1.* Class*.Os que se alistaren) para a marinha-
gem sem lempo determinado, devem ser fortes,
saos, acostumads a vida do mar, ou pelo menos
consulado de Franca, onde lera lugar a dita adju- capazes de servir na praca de grumete,
dicacao em presenca do Sr. cnsul, a quem por 2." Glasse.Os que se contrataren) por prazos de-
menos fizer. Pernambuco -26 de Janeiro de 1863. terminados, de um a tres annos, devem ser fortes
Pmwplhn
  • i>nnini>i nivaea s5o!!> e acostumads a vida do mar.
    Lousemo aecoatpi.is navaes 3. Clisse_0sque se con,ntarem para servir
    lendo o cooselho de promover no da 28 do na marinhagem o prazo de seis oa deoito anno?,
    eorrente mez a compra do< objectos do raalereal em conformidade do artigo 3." do decreto n. 1466
    da armada abaixo declarados, convida aos que de 23 de outubro, devem ter os requisitos dos da
    pretenderem vende-los a apresentarem suas pro
    Leilao sexta-foira 27 de Janeiro as 11
    Para fretes, condiccoes o passagens trata-se na .i... *______ ,.0
    ras a ra ua uadea armazem n. 53.
    "Pelo geme Euzebio.
    COMPANUA FERNAMBUCANA De om sobrado de.um andar, chao propro n.
    DB i 24, no largo do Terco, rendo 480$ por anne, foi
    Havegaco cosfelra por vapor. reparado na pouco-____________________
    Macei e escalas.
    Signe no dia 30 s 5 horas da 1
    tarde o vapor Parahyba, com-'
    mandante Martins. Recebe car-
    ga at o dia 29. Eocommendas,
    passageiros e diuheiro a frete
    al as 3 horas da trele : escriplorio no Forte do'vender em Iriio censlos, cadeiras avuhas re- ^
    Leile de trastes e oulros aitigos.
    Sexla-feira 27 as H horas.
    OLYMPIO
    Mallos n. I.
    logos de algibeira, solas e outros muitos arligos.
    Leilo de movis e oulros anigos
    Sexta-feira 27 do coi renle as 11 horas.
    No armazem a ra Ja Cruz 11. 57.
    Cordelro Simoes fara loilo de diversos movis
    novos e usadss, relugios de ouro e prata, crvstaes
    ras da manhaa segu o vapor Ala-; e outros muios artigos de gosio que se torna en-
    manguape, conimandante Moura. fadonho meiiciun? lo*, Indo ser veudo pelo
    Becebe carga al o da 27. En-! maior prego au correr do tuartello, alim de lachar
    coutas de venda.
    CQMPANIIl l FERNAMBUCANA
    M
    VavegacSo costeira por vapor.
    Aracaty em direitura.
    No dia 29 do corrale s -8 ho-
    AV1AO.
    Fesla de S.Sebaslio na villa do Cabo
    Demingo 29 de Janeiro de 1865.
    Era razao da grande concurrencia que costama
    haver lodos os annos na fesla de S. Sebaslio na
    villa do Cabo, neste dta alm dos tren ordinarios
    baver os sepninles especiaes quepartlro de
    Cioco Ponas ao meio dfa
    > e 3 horas da larde.
    E voltario do Cabo as 9 horas da nolle.
    e mera nole.
    Os precos das passagene Ae ida e volta sao os
    seguintes : .
    1.classe 3*300
    2. 25300
    3. 15700
    G. O. Maon,
    Engenheiro e superintendente interino.
    Q bastare
    |8| Antonio Joaquim Ayres rio Nascimento
    5J lem o sen escrip
    ffi
    f5 estrella do Rosario n. 8,
    prornrado das 9 horas da
    da tarde.
    iploriodeadvogaciana roa
    onde pode ser
    maiiha a.- 4
    icbmendas, passageires e dinheiro
    a frele at S dia 28 s 4 horas da tarde : escrip-
    torio no Forte do Mallos n. I.
    COMPANHIA BRASHEIRA
    DE
    PAQUETES A VAPOR.
    Dos portos do sul esperado ,
    at o dia 30 do correte o vapor meiro le,lao dos salvdos da referida barca, o
    Princeza de loiuville, comman- "0.s5na.ra. W?ei os ouJectos que deve ao s
    dante o primeiro tenente Araujo
    o qual depois da demora do cos-
    tme seguir para os portos do norte.
    Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
    SQMMERSIO.
    Cotacoes offlelaes.
    PA<;a DO RECiFE.
    2S de janelro de 1865.
    Ounbios sobre Londres90 div. 27 li8 d. por
    1*100.
    Acfdes do novo banco de Pernambuco-210.
    Oubourcq Jnior,presidente.
    u i maraessecretario.
    .\ovo banco de Pernambuco.
    O banco descoma na presente semana a 10 por
    -cento ao anno at ao prazo de qualro mezes e a 12
    por cento al o de seis mezes; toma dinheiro a ju-
    ros a prazo nunca menor de tres mezes, e saca
    sobre a praca da Babia.
    Alfandcga
    ,!..-ud 1 ment do dia 2 a 24........
    i lem do dia 23...............
    391:3084343
    30.732553
    622:0405901
    to vi ment da alf andega
    Volumes entrados com fazendas... 22G
    com gneros... 432
    ------638
    Volumes sabidos com fazendas... 196
    com gneros ... 501
    ------697
    Discarregam no dia 26 de janeirnde 1863.
    lirigue inglezIf//ow Varea loglezaImogeidem.
    Barca inglcza=Toman of Liverpool idem.
    Barca porlugueza Synipatlna diversos g-
    neros.
    Escuna dnamarqnezaDan -idem.
    Vrisue ioglezTalbotbacalho.
    Urigue ingiezJ'iHcbacalho.
    Barca InglezaIsabella Ridley-li\o\o$.
    Barca franceza-G//icrw Barca inglezaafw.t Brigue inglezChanceidem.
    Barca ingleza SfWfacarvo.
    Brigue inglez Otilioidem.
    Barca ingleza Ola"Honesta idem.
    Lugre inglez A)\thurdem.
    Patacho inglez \. E. Corming carvo e ferro.
    Brigue dinamarquezO/i'sal.
    Brigue nacionalCruzeiro do Sulferro,
    Barca portUb'uezaDespipue 11 ceblas e batatas
    Importaeao.
    Patacho.hespanhol Ricardo, entrado de Barcelo-
    na, consignado a N. 0. Bieber & C, manifestou o
    segninte :
    203 pipas, 4 meias, 114 quintos e 202 decimos
    do vinho tinto; a N. O, Bieber & C.
    Barca ingleza Chanza, entrada de Sunderland,
    enmignada a ordem, manifeslou o segulnte :
    630 toneladas de carvo de pedra ; a ordem.
    ilecebedorla de rendas nter
    as geraes de Pernambuco.
    hdodimento do dia 2 24........ .24:8.175951
    dem do da 25................ 586J455
    25:4845409
    Consulado provincial.
    f.endimento do dia 1 a 24........108:4295243
    Idem do dia 23............... 3:5905758
    112:0205001
    MOYIMEHTO DO PORTO
    Navios entrados na da 25.
    Cardiff26 das, barca ingleza Ploating Cloui, de
    296 toneladas, capillo Samuel Sawnders, equi-
    pagem 13, carga carvo; a Johnston Pater
    eSC.
    Londres44 das, patacho inglez Perilla, de 199
    toneladas, capitao Eduardo Graham, equipagem
    8, carga 400 barris com plvora e outros gene-
    ros ; a Joao Antonio de Araujo <& C.
    Navio saludo no mesmo dia.
    Liverpool Brigue inglez Maud, capitao Storn,
    -e#rga*lgedSe^ asuear.
    LiverpoolPalacho inglez Prt'a, capillo Daniel
    C Dawre, carga assucar e algodSo.
    rarahyba Patacho inglez Busy, capitao John Bow-
    den, em lastro.
    Observago. .
    Pundeou no lamara uma barca ingleza, mas nao
    teve communicagao cem a trra.
    "O; segunda classe, excepto a pralica da vida martima I raz. aue o vaoor noder cnndnrr a omJ Lvpr
    postas em cartas fechadas nesse mesmo da as 11 que podera ser despensada com a clausula que ^;e/X;JaPK
    horas da manhaa. ; adame ( artigo 16) se expressa.
    Obj*ectos.
    1 ancoreta de 4 quinta^ 1 dito de 6 ditos, 5 di-
    tos de 2 ditos, 4 arrobas d'agua-raz, 10 arrobas de
    alvaiade de zinco, 10 barris de breu, 100 bandei-
    jas ferradas, 200 canelas, 75 bragas de eorrente
    de ferode 5|8 de grossnra, 50 chapeos de oleado,
    110 colxoes de la, 100 camisolas de bnm, 145 co-
    vados de damasco de seda verde, 986 dobradicas
    de canteo, 548 dobradicas quadradas, 50 esgun-
    chos, 20 escovas inglesas, 50 fronhas de brira, 192
    fechos pedrezes, 16 arrobas de ferro em varoes de 1
    4|8, 40 arrobas de graxa do Rio Grande, 200 jen- j
    ces de brim, 20 laniernas de patente, 20 arrobas .
    de malhar branco, 100 ps de ferro, 180 pratos'
    iravessns de folha, 40 arrobas de pregos francezes,
    sonidos, 20 grozas de pennas de ac, 4 arrobas
    de pregos de cobre de costado do 4 pollegadas, 4
    resmas de papel hollandez, 42 quintaos de rebites
    de 3|4 de dimetro e 1 1|2,1 3|, 2, e 2 1|2 poln-1
    gadas de comprimenlo, 100 pecas de sondareza,
    290 saceos de condcelo, 80 meios de sola da tr-
    ra, 200 tubos de bronze para caldeiras de 7 pes de
    compnment e 2 3|4 |iollegadas de dimetro, 10
    dunas de taboas de assoaiho ne ouro de 27 a 30
    palmos de rompnmeulo, 10 duzias de taboas de
    assoaiho de amarello de 27 a 30 palmoi de im-
    prmenlo, 80 latas de tinta branca de zinco de 28
    libras cada lata, 1.400 vidios de 19 l\l pollegadas
    de altura por 19 i|2 de largo, e 500 vidros de 22
    1|2 pollegadas de altura por 13 1|4 de largo.
    Sala do conselho de compras navaes, 23 de Ja-
    neiro de 1865.
    O secretario,
    Alexandre Rodrigues dos Xnjos.
    Gouselho administrativo.
    0 conselho administrativo para foruccimento do
    arsenal de guerra tem de comprar os objeclos
    seguintes:
    Para o presidio de Fernando.
    2 duzias de agulhas de ac propras de cozer
    saceos de la.
    2 arrobas de rame de ferro, ou vergalhao de
    > polegada.
    1 pega de cabo de linlio de uma polegada.
    2 pecas de dilo de dito alcatroado com 2 'i po-
    legada!.
    400 caibros de mangue.
    1 tonelada de carvo de pedra.
    1 Diamante encastoado para corlar vidros.
    600 enchadas do Porlo.
    100 enchamels.
    2 arrobas de fio de vella inglez.
    4 quintaes de ferro sueco.
    6 duzias de dobradicas de cruz.
    4 duzias de ditas menores.
    2 duzias do leehaduras de broca para porta.
    4 duzias de ditas singelas para ditas.
    4 duzias de ferros pedrezes para ditas.
    2 duzias de ditos ditos de rabo ditas.
    2 lences de ferro para chapas de fechaduras.
    4.* Classe.Os alistados para o rorpo de impe-'
    ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
    das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
    riaes marinheiros devem ser cidados brasileiro %LV!&\W^krF*'An-
    de 18 35 annos de idade, ou at 40, sendo homens
    do mar; fortes, saos, e capazes de todo o servigo.
    5." Classe.Os alistados para o balalhao naval
    devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os on-
    tros requisitos da qnarta classe.
    Todava poder-se-ha admittir alguns estrangei-
    ros medanle previa autorisaco do governo.
    6.* Classe.Os aprendixes marinheiros devem
    ser cidados brasileiros, de 10 a 17 annos de ida-
    de, de consiiiuleo robusta, o apropriada vida do
    mar.
    Poder-se-ha tainbem admittir menores de 10 an-
    nos, que tenham sulBcienle desenvolvimenlo phy-
    sico para os exercicios do aprendisado.
    Art. li. Os voluntarios da primeira classe perce-
    bero os sidos concedidos pelo artigo 1 "do decre-
    to n. 1466 de 25 de outubro, mas nada recebero
    a titulo de premio ou gratilicaco.
    Ser-lhes-ha declarado, e expressado nos seus as-
    sentamentos, que noobtero guia de desembarque
    sem prevlnir ao commaodante respectivo dous
    mezes antes, salvo se nisso nao houver inconve-
    niente para o servigo. por que enlo sero imme-
    diatamenle attendidos.
    Urna resalva, que lites dever ser entregue com
    a guia de desembarque, declarar que a contar
    rdessa data os sobredilos voluntarios, se forem na-
    cionaes, fieam isentos do recrutamenlo por um au-
    no, ou por lempo igual ao-que tiverem servido nos
    navios do estado, se este prazo for menor ; salvo,
    porm, o caso de circunstancias extraordinarias
    durante s guaes lear suspensa a isenro.
    Art. 15. Os da segunda classe receberos os pre-
    mios seguinles :
    Se fiein i-.rumetes ; des. viuia dous, ou irinta
    e qualro mil reis, segundo se conlratarem por um,
    dous, ou tres annos.
    Se forem marinheiros : vintc, quarenta o cinco,
    ou setenta mil reis, segundo o prazo de seu contra-
    to for de um, dous, ou tres anuos.
    Alm do premio recebero mais os referidos vo-
    luntarias se diariamente se apre.-enlarem, a gra-
    tifieaco do ijuatro mil reis sendo uslrangeiros, e
    de cinco mil reis sendo nacionaes.
    Esta gratilicago, porm nao se abonar repeti-
    damente ao mesmo individuo por cada novo con-
    trato succes.-ivo que fizer, se este for de prazo me-
    Dor de tres annos.
    Art. 16. Os da terceira classe recebero mais
    uma quarla parte do maior premio que*poderiam
    obler contratando-se como os da segunda classe,
    na pnca de grumete ou de marinheiro, que Ihes
    ! competir, e a mesma gratilicaco apresentando-se
    ' directamente.
    Excepluam-se os que nao forem homens do mar,
    e tiverem mais de 10 annos de idade, os quaes po-
    dero alistar-se com as condiegoes dos da terceira
    classe, mas sem augmento de premio.
    Art. 17. O da quarla classe recebero como pre-
    3 duzias de limas tringulos de serralheiro de'mio cem mil reis, se forem marinheiros, e sessenta
    3, 5 e 7 polegadas. | m| res Se forem grumetes.
    8 duzias de limas chalas de 10, 12, 14 e 16 po
    60 linhas ou travs de 30 a 40 palmos.
    tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
    Para o Rio de laneiro.
    Pretende seguir em poneos dias o palacho Ca-
    pitn, tem parle de seu carregamento bordo, pa-
    ra o resto que Ihe falla e escravos a frete: trata-
    se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
    Oliveira Azevedo & C, no seu escriplorio roa da
    Cruz n. 1. ___________
    Porto por Lisboa.
    Pretende seguir com brevidade a muilo veleira I mingo 29 do eorrente, ao meio lia.
    Leilo dos salvados da barca francez 1
    Les amis de Saint Jean de Luz.
    Sexta-feira 27 de Janeiro.
    Por intervengo do agenle Pinto na alfandega
    armazem n. 8.
    Amanha 27 do corrate dever ter lugar o pri-
    040-
    serem
    expostos nesle dia.
    Leilo de 1 o aecesdo lVovo Banco de
    Pernambuco
    Sabbado 28 do correte.
    O agenle Pestaa por ordem do cohsul de S. M.
    i -- Aluga-se ( segundo andar e solio da
    : casa da ra ilas Agcas-Verdes n. 04, tem
    commod sp;ra grande familia ; a tratar no
    primeiro andar da mesma casa.
    O abaixo asignado tem i honra do declarar
    ao respeitavel corpo do commercio que lendo-se
    retirado o Sr. Joaquim Pereira dos Santos da so-
    ciedade que tinha com o abaixo assigoado na
    prensa de algodo sila ra da Madre de Dos n.
    4, a qual gyrava sob a firma Pires & Santos, de
    hora em diante pyrar sob a fu ma Pires (\ Pinto,
    sendo o Pinto o Sr. Jos Pinto Ribeiro, eslabele-
    cido com padaria as Cinco Ponas, sendo o ge-
    rente o abaixo asignado.
    Francisco Alves de M. Pires.
    Precisa-se de 1:0005 a premio por um anno
    Fidelissima vender'em leilo 15 aegoes do Novo com seguranga em urna esrrava que val 1:500$:
    Banco de Peraambuco, perlencenles ao espolio da
    finada subdita porluguuza Julia Mana de Vascon-
    celos : sabbado 28 do eorrente ao meio dia na
    porta da Associago > ominerciai.
    a traiar na ra do Nogueira 11. 1.
    AVISOS DIVERSOS.
    Assoeiaco Tvpograjibica Peniamlniraua.
    Ha ver sesso exlraoi diara do conselho,
    do-
    barca ponugueza Corea, por ter grande parle da
    carga engajada, paro o resto e passageiros aos
    qoaes offerece os melhores commodos: trata-se
    com o consignalario T. de Aquino tonseca Jnior
    na travessa da Madre de Dos n. 5, primeiro an-
    dar, ou com o caiulao na praga.
    Secrelaria, 23 de Janeiro de 1860.
    Jesuino.Fratici>co Kegis,
    1" secretario-
    Para a Baha
    Pretendeseguir com brevidade a sumacaHor-
    tencia, tem parte de seu carregamenio prompto
    parao resto que Ihe falta trata-se con) os seus
    consignatarios Antonio Luiz de
    & C, no seu escriploriorua
    Para a Baha prelende sabir em poucos dias!
    a veleira escuna Elisa, capitao Belmiro Baptista |
    Instituto Archcologico e Gcographico Pcr-
    naailtucano.
    Tendodereunir-su a Asamblea Oer.il do Insti-
    tuto para celebrar o seu 3. aniversario no dia
    27 docorrenle Janeiro, pela uma hora da larde, no
    salo da Biblotheea Publica Provincial, no con-
    vento do Caroso, sao pelo presente annuncio con-
    vidados lodos os Miembros do Instituto, quer ef-
    de Oliveira Azevedo.fectivos quer honorarios ou correspondentes a as-
    da Cruz n. 1._____[sislir sesso solemne desse da ootavel.
    Sao egual e rcspeitosanieute cuiivijadas Thes-
    Da-se a quanlia de 3005 sob hypoth.ca de
    uma esrrava que arha engommar e cosinhar e
    seja quitandeira, lieando os juros pelo servico da
    mesma : na ra da Palma n. 41, taberna.
    Antonio Francisco de Honorato e seu i-
    Iho o bacharel padre Manoel d Costa Hono-
    rato cordialmenlc agradecen) aos seus ami-
    gos, que Ihe lizeram o favor do assisiir e
    acompauhar ao enterro de sua seopre cho-
    rada esposa e mi D. K<>sa Eugenia Bene-
    dicta, e pedem-lhes o favor de comparecer,
    sexta feira 27 do crrente, s 6 horas da
    manilas, na mairiz da B >a-VLta, para ouvi-
    rem a missa que se tem de celebrar pelo
    seu eterno repouso.
    Pre
    paleo do
    Thereza.
    isa-se de urna ama de leile : a tratar no
    ;aruio, sobrado junio a igreja de Sania
    ma reuniao todas as Sociedades Iliterarias e
    scienliheas que teem a sua sede na eidade do Re-
    Aloga-se o segando andar da casa
    da (Jadeia do lenle n. 47 : a trana na
    fazendas do mesmo nnmero.
    de Souza, lem a maior parle da carga tralada, para' rj.
    o pouco que Ihe falla tratase com os consgnala-,
    rios Palmeira & Beltro, largo do Corpo Sanio n. 4,1 c* en*sI1^rIn,1,a^* ?S Assoeiaci>es *""
    primeiro andar *,sas, ou quaesquer convidados que pretenderen
    -------------~---------------------------------------- : ter algum trabalho seu, torao de cingir-se se-
    RlO de Janeiro ,guinie prescribi do Art. 27 dos Estatutos da
    O patacho Valenle a seguir em poneos dias, re- Casa, referindo-se a sesso do anniversario :
    cebe carga miuda e escravos a frele: trata-se >'e na sala exislem socios ou |bsuj.s mirn
    com os consignatarios Marques, Barros & C, largo que esejam lr algumas memorias intercssanles
    do Corpo Sanio n. 6. participam-no ao secretario perpetuo, para esle
    -------------------d~?T~a~s~--------------------' PrcveDr ''residente, o qual d a palavra aos su-
    1(18 brande do aul. lores das memorias, a leitura de cada uma das
    Segu no da 28 do eorrente o patacho nacional quaes nao pode esteoder-se alm de mcia hora.
    Salupendes,recebe carga afrete, a qual trata-se na Porm nenhuma memoria ou trabalho pode ser
    ra do Trapiche n. 4.________________________ apresentado e lido em sesso publica,, sem que
    Para o Rio Grande do Sul com escala pelo Mies seja submetlido a uma commiss de exame
    4
    nea
    >
    Rio de Janeiro, sahe at o fim do correte mez de
    Janeiro a barca brasileira Nova Carolina, recebe
    escravos a frete : a traiar com David F. Baltar
    ra do Brum n. 65.
    L EIL 0 EI.
    Leilo de escravos.
    iioji:
    Qninla-feira 26 as i i horas, no armazem
    da ra da Cadeia do Recife n 53.
    OLYMPIO
    Art. 18. Os da quinta classe recebero o premio
    de cento e cincoeuia mil res, se nao forem maiores
    de quarenta annos e o de cem mil reis, se tiverem
    mais daqnella Idade.
    Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
    tinados para as companhias de aprendizes mari-
    nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
    pais, tutores, ou quem suas vezes fizer :
    Art. 20. Os premios de que tratara os arigos an-
    tecedentes serao pagos pela maneira seguinte :
    l. Os dos voluntarios da segunda classe, se o Um mulato de 22 annos copeiro e sabe engom
    alistamento for por um anno, Ihes sero pagos in- mar.
    tegralmente no acto de assentarem praga ; se por Imanegra de 28 annos cozinhae engomraa cora
    dous ou tres annos, recebero era tres pre.tag5es perfeigo.
    iguaes, seodo primeira paga como no primeiro! I m preto de 30 annos bom cosinheiro, e oulros
    caso, segunda quando vencida metade do prazo | que cstaro patentes hoje quinia-feira 26, no ar
    do contrato, e a terceira (inda o dilo prazo.
    2." Os voluntarios da terceira classe recebe-!
    DECLlBigES.
    Pela inspectora de Pernambuco se faz pu
    b.leb, qne porta, no dia 28 do eorfenle, a 1 hora
    da tarde, se ha de arrematar, livre de direitos, o
    seguinte, vindo de Liverpool no tapor isglez Sa-
    2 rolos de panno de algodo proprio para ensa-
    car laa.
    25 picoes.
    25 picaretas.
    50 pegas poilas de embira.
    3 pranchoes de amarello vinhatico.
    3 ditos de louro.
    4 ditos de secupira.
    10,000 pregos caibraes.
    10,000 ditos ripaes.
    40 molhos ripas.
    2 arrobas tinta azul em massa.
    2 duzias taboas de amarello.
    100 covados tapete para igreja.
    8 libras de vermelho.
    1 caixa de vidros para caixilhos com 11 polega-
    das de comprimeulo e 8 dita* de largura.
    Quem quizer vendertaesartigos apresentem suas
    propostas em carta fechada na secretaria do conse-
    lho administrativo s 10 horas da manhaa do dia
    27 do eorrente.
    Sala das sessoes do conselho administrativo para
    fornecimeflto do arsenal de guerra, 20 de Janeiro
    de 1863.
    Antonio Pedro de S Barreto,
    Coronel presidente.
    Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
    Vogal secretario.
    Consulado provincial.
    Pela mesa do coosuado provincial se faz publi-
    co que no dia 10 do correte se principiam a con-
    tar os 30 dias uleis marcados para a cobranga
    bocea do cofre do anno fiuanceiro vigente dos ira-
    postos de 4 Oo'sobre casas em que se acharem
    esiaheleclmentos de commercio fura da eidade do
    Recife.preonsas de algodo, typographias, cochei-
    ras, boteqins, hoteis, casas de pasto, cavallarces,
    e fabricas, de 8 9|0sobre consultorios mdicos e
    clrurgicos, cartorios e escriptorios.de 20 0|0 sobre
    estabelecimenlos de commercio em grosso e are-
    talho, armazens de recolher, e os trapiches, de
    505 por casa de bilhar e modas, de 1005 por casa
    que vender roupa feita no estrangeiro, de compra
    e venda de escravos, de corretores commerciaes e
    agentes de leilo, de 1:0005 sobre casas de opera-
    goesbancariascom emisso e previlegios, de 6005
    pelas ditas come,missoc sem previlegios, de 4005
    pelas ditassem emissao, companhias anonymas e
    agencias, de 2005 pelas casar de cambio, de 305
    pelos escravos empregados no servigo de al varen-
    gas, ae 15 por tonelada de alvarenga e canoas
    abenas, de 205 por cada bote ou saveiro, de 305
    por cada balieira, de 105 por escravo ganhador ou
    I empregado em servico de transporte ou em arma-
    zens, de 105 por caballo de sella de alugoel, de D_-it_u larAn Araratv
    65 por cavalloparticular.de 5 0|0 pela venda de Parabvua, Natal, Macao, Ara
    capim e o imposto de carros, carrogas e mnibus, e Acaracu.
    e tarabem o 1 semestre do de 20 0[0 do consumo | 1 1 No da 26 do correte s 5 ho-
    de agurdente das freguezias desta eidade e dos l ^"<\ ras da lardc seue val,r f "'*''"
    Afogados, S. Lourengo, Santo Amaro de Jaboalo,; d |BJ^%. m^ct commaHdante Hales, para
    Muribeca e Varzea, Picando sujeitos a multa de 6 SmmaUga,s portos indicados. A carga sera
    0(0 sobre os seus dbitos depoi} de findo o dito ^BflBl HPacoinpanhadados'o da 25 ao meio
    praso. .1**. receida at respectivos eonhecimentos, en
    Mesa do consulado provincial de
    7 de Janeiro de 186S.
    vender em leilo os escravos segrales :
    Uma preta de 30 annos, cosinha e engomma
    com perfeigo.
    Uma preta de 23 annos, cosinha, engomma e
    cose com perfeigo.
    Uma preta de 13 annos com principios de habi-
    lidades.
    Uma mulata de 22 annos, cosinha e engomma da distribuifao das listas,
    perfeilamente e filha pequea. As encommendas serO
    para isso nomeada, a qual lem voto decisivo so-
    bre a conveniencia ou inconveniencia da leitura..
    Secretaria do Instituto, 24 de Janeiro de 1865.
    J. Soares d'Azevcdo,
    Secretario perpetuo.
    Aos 6:U000()0.
    Sabbado 4 de fevereiro do eorrente an-
    no, se extraliir a segunda parte da quarla
    i lotera (4'J a uencliciu do tlieatro de Santa
    I Isabel, no consistorio da igreja deNossa
    iSenhora do Rosario da freguezia de Santo
    Antonio.
    Os billietes, meios e quartos estao a ven-
    da na respectiva toesouraria ra do
    Crespo n. 15.
    Os premios de G:000000 at 000C
    serao pagos uma hora depois da extraccao
    I at s i horas da tarde, e os outros depois
    guardadas so-
    _! montalo a noite da vespera da extraccao
    como de costume.
    O thesoureiro,
    ______Antonio Jos Rodrigues deSonza.
    Precisase de um escravo cozinheiro : na
    ra da Madre de Dos n. 36, primeiro andar.
    Precisa-se de uraa ama para cozinhar : na
    ra da Cadeia do Recife n. 52, terceiro andar.
    . mazem da ra da Cadeia do Recife n. 53>
    to uma terga parte do premio respectivo logo que' Lein0 de urna mobilia de Jacaranda, 3gran- rua da Ca
    tenham assentado praga, outra lerga parle no fim A pcnplhns 1 i\in do primeiro auno de servigo, e o reslante findo o aes esPein0s. < tanaeaoro, casttcacs c BS@
    prazo de seu alistamenlo.
    | 3." Os premios dos imperiaes raarinheiros e os
    das pragas do batalho naval sero abonadas como
    os dos voluntarios da terceira classe.
    4. Os premios devidos pelo alistamento de
    menores paras as companhias de aprendizes mori-
    nheiros serao pagos integralmente, logo que se ve-
    rifique a entrega dos dilos menores.
    Arl. 21. As graticagoes que competera aos vo-
    luntarios que directamente se alistaren) no servigo
    da armada, sero pagas conjuntamente com a pri-
    meira prestagao do premio respectivo.
    O secretario da capitana.
    Decio de Aquino Fonceca.
    Crrelo geral.
    mangas, 2 redomas, 3 jarros finos, 2 es-
    carradeiras, l marqueza larga, i commo-
    da, 1 lavatorio, 4 estante, 2 diccionarios,
    de Moraes, 1 realejo, i marqueza, 2 con-j
    solos, 12 cadeiras de amarello, 1 mesa
    para jantar, 3 ditas menores, 14 quadros,
    2 aparelhos de louca para jantar, 1 dito
    para almoco, garrafas, copos, compotei-
    ras, bandeijas, 1 ocule, 1 mesa de pedra,
    1 selim e cabecadas, 40 garrafas de
    cognac e outros objectos.
    H(ME
    Quinta -feira 26 de Janeiro
    O Dr. Jeronymo Villeia de Castro Ta-
    vares advoga no crime e civel, commer-
    cio 6 ecelesiaslico. Pode ser procurado
    todos os dias uteis at 3 horas da tarde
    emseu escriplorio, rua do Crespo n....
    primeiro andar ef ron te da livrara eco-
    nmica.
    tt
    bIIm~
    ATTENQO.
    Precisa-se de um homem casado que lenha as
    habililagoes para ensinar com perfeigo primeiras
    letras e alguns preparatorios em um engenho per-
    to da estago de Timb-ass : a traiar na rua do
    ; Livramenio n. 24 com o major Luiz Jos Pereira
    Para um deposito de padaria na eidade de Goin-
    na se precisa de um caixeiro com as habililagoes
    precisas; trata-se na rua da Cruz n. 36, defronle
    do becco da Lingoela.
    O abaixo assignado declara ao respeitavel
    publico e especialmente ao corpo do commercio,
    que deixou de ser caixeiro de Euzebio Iaphael
    Rabello, desde o dia 21 do eorrente.
    Antonio Jos da Costa Araujo.
    Trecisa-se alugar uma ama para todo servigo
    de uma casa de pequeua familia : a traiar na rua
    do Cabug n. 4, loja de miudezas.
    Na rua estrena do Rosario n. 22, precisa-se
    de uma ama para casa de ponca familia.
    Hotel do Cabo.
    O proprielario desle eslabeleciuiento, avisa ao
    respeitavel publico, que achando-se perfeilamente
    collocado enlre a estago e a igreja, na qual tem
    de str celeLrada a fe.-ia do glorioso >. Sebastiao,
    lem evidadotudo quanto esta aoseu alcance, am
    de esperar a rapaziada com bom almogo e jamar,
    ludo por prego mu commodo, e para o que lem
    feilo preparar um graude barracan no qual baver
    iberdade ampiela. ___
    "Alga-se por" T0|00_
    cma pequea casa terrea na rua do Dique nos fun-
    dos da casa n. Sida rua das Cinco-Ponas : a. tra-
    tar na rua da Madre de Dos n. 16.
    Aluga-se.
    A casa da rua do Gazometro u... junto a. fabri-
    ea do gaz, com duas salas, dous quartos, quintal,
    cosinha e cacimba, prego de I iOOoo uma (lila no
    mesmo lugar com menos commodos por l2 men-
    saes : a tratar com o Sr. Valei^a.
    Quem annunciou precisar de 1.000;, dando
    uma casa na Roa-Vista por garanta, appareca u;.
    travessa do Veras n. 15, Io andar.
    Pela administrago do crrelo desta ddade se n0 terceiro sobrado depois da ponte grande oa Simoes.
    celTrat pXgovernos a&L%?i78S!iZ I ^^m lStt! S ^ Aeg= ^ I O Dr. Braz F.orenlino Henriques de Souza,
    rao expedidas malas para Europa no dia 30 do rua Jj0 reSp0.
    mnibus, devendo partir as 10 horas em ponto
    * tendo de reiirar-se para o Rio
    vai servir como membro da
    de
    crranle pelo vaper francez Guienne. As cartas \ '.u0 g pram far leilSo or conta do nmanes-I3'8erV'r.Cr m- rl comn".ssao revi
    sero recebidas 'al tres horas antes da que ^J^XL^&^ZSIZ'VS. treS VascaJl 2? t 'SSvSn S
    2^"!.,,,dt d Vapr' eosJrDaasa, jecto\acraa mencionados existentes no terceiro! Tnan^o fcft^
    Janeiro, onde
    revisora
    en
    un confiada
    qualro horas antes.
    Administrago do correio de Pernambuco 24 de
    Janeiro de 1865.O administrador,
    Domingos dos Passos Miranda.

    1YIS0S MARTIMOS.
    COMPANHIA PERiNAMBUCANA
    DE
    \avegaeo costeira a Tapor
    sobrado depois da ponte grande da passagem da
    Magdalena, para maior facilidade dos concorren-
    i tes dever para all partir um mnibus da rua do
    ; Crespo.
    Leilo h.ije
    De 60 caixas com conservas sortidas.
    O agenle Pestaa far leilo por coma e risco
    de quem pertencer de 50 caixas eom conservas
    cora um completo sortimenlo cada caixa desem-
    barcados ltimamente eserao vendidos enriles a
    vonlade ou em um s lote : hoje 26 do eorrente
    Amaranto, a quem podero
    sados.
    dirigirse os interss-
    Prcisa-se de uma ama para todo servico de
    uma casa de pouca familia : na rua larga do Ro-
    sario n. 31, primeiro andar.
    Joaquim Pereira dos Sanies, leudo do sepa-
    rar seda sociedad* da prensa de algodo com
    Francisco Alves de Moraes Pires, a qual gyra sob
    a (irnra Pires & Santos, tem a honra de participar
    ao corpo de ommercio que de hora muante
    preceder outra firma, sendo o abaixo assigoado
    liquidalariodas transaegoes at aquella data. Re-
    A pessoa que annunciou por este Diario pre-
    cisar de 1:000^ com hypotheca em urna casa ua
    freguezia da Roe-Vista, dinja-se ao Recife, travessa
    da Madre de Dos n. 18.____________________.
    Quem auuunciou precisar de l:0OQ polheca, entenda-se ua loja do sobrado n 10 da rua
    estreila do Rosario. ___________
    O bacharel Pergentino Saraiva de Araujo
    Galvo, advogado estabelecido com escriplorio ua
    villa de Pao d'Alho, tem abenas suas aulas de la-
    tan e francez, e recebe em sua casa os alumnos,
    cujos pas por morarem fura nao poderem te-Ios
    comsigo.
    Sages sobre Lisboa.
    Manoel Ignacio de Oliveira & Kilho, saccam so-
    bre Lisboa; largo do Corpo Samo escriplorio nu-
    mero 49. _______
    ~IT"a rua do Imperador n. 27, defronle da Or-
    dem Terceira de S Francisco, precisase de nm
    cosinheiro ou cosinheira de bons cosiumes, livreon
    eseFava.
    Cear pelas horas da manhaa no armazem do Sr. An- cMfe 4 de igaeiro de 1865.
    nes defronte da alfandega.
    Letl) de 53 saceos com caf
    de avaria-.
    Joaquim Pereira dos Sanies.
    com toque
    Roth & Bidoulac farao leilo por conta e risco
    de quem pertencer de 53 saceos com caf com to*
    Pernambuco comprendas, passageiros e dinheiro a frele al as que d'agua salgada em um ou mais lotes a vonta-
    12 horas do dia da sahida : escrirlcrio ao Forte de : qninla-feira 26 do corrento no largo da al
    Antonio Carnelro Machodo Rios. do Mattes n. 1.
    fandega junto ao armazem do Sr. Aunes.
    Precisase de 1:00.00 a premio com garan-
    tia: a traiar na rua de Santa Thereza n. 24.
    Precisa-se de uma criada forra ou escrawi
    para o servico de uma casa de familia : rua da
    Cadeia n. 55, segundo andar.
    iii. i,
    Alaga-so uma ama para engommar e eoil-
    nhar : na rua Augusta, loja n. 33, sendo casa de
    familia.
    Aluga-se a loja da casa n. 59 da rua Augus-
    ta ; quem pretender dinja-se a mesma casa cima
    que achara com quem tratar.
    Deposito geral de rap priwraa Gassc c Paulo
    Cordciro nesia provincia, ma da Cnu nume-
    re 18.
    Jos Joaquim Lima Bairo, recebedor do. rap
    princeza Gasse hao, -meio grosso e groso, Paulo
    Cordeiro, dilo meio. grosso e viajado, q,ualidades
    estas que tem nesta provincia obnd> grande cr-
    dito pela sua enclleme fabricago, e ntaieria pri-
    ma de que. omposlo ; islo o atiesta a innmera
    extraccao que elle lem lido, e a eoodecoraco que
    ohleve na exposigao nacional, cuja modalha vem
    gravada nos rtulos dos mesmos botes, teem elle
    de mais a vaolagem de nao terir o nariz. Tam-
    bera veode-se o rap denominado Amarillinho que
    na Babia goza do grande aeeaeo. O dejosito
    acha-ee serapre snpprido do lodas estas quh-
    dades.
    (|i3;uos,
    Queijos do ultimo vapor o melhor que ha
    neste genero a 20300, dilos mais antigos a 10600,
    vnhos do Porto, Figueira e Lisboa e todos os mais
    gneros da melhor qualidade e por menos prego
    do que em ouira qualquer parto : no amigo esta
    belecimento jnnto a esta typographia,






    J





    Diari* de rernal>uc + 4*uiaf icira te 4c Janeiro de **
    (JASA DA FORTUNA
    AOS 6:000.000
    Bllhetea garantidos
    i' na do Crespo n. 23 e casas do costme
    O abaixo assignado vendeu nos seas muito feli-
    zes bilhetesgarantidos da lotera, que seacabou
    de extrahir a beneficio da Santa Casa da Mise-
    ricordia, os seguimos premios:
    Um quartos n. 1902 com a sor te de 6:000*000
    Dous quarlo n. 916 com a sorte de 500u00. e
    E oulras multas sortes de 2005, 100p, 405 a
    20*000.
    Ospossaidorespodem vir receber seusrespec-
    ivos premios sem os descontos das leisna Casa
    da Fortuna ra do Crespo n. 23.
    Achaun-se venda os da segunda parte da
    decima priraeira lotera a beneficio da matriz
    da Bja-Vista, que fe extrahir no dia 26 do
    corrente.
    Preeos.
    Bilhetes mteiros ..... 7*000
    Meios......... 3*500
    Qaartos........ 1*900
    Paraas pessoas que comprarem
    de 100* para cima. ___
    Bilhetes....... 6*500
    Meios........ 3*250
    Qaartos.'....... 1*700
    Manoel Martins Fivta
    Salsa parrilha de Ayer
    PARA A CURA DA
    ESCROFUI A
    e todas as molestias
    provenientes dekla,
    todas as molestias da
    pelle
    ehcrysipellas, tumores, nlceras,
    sarnas,
    nascidas, empingens,
    REUMATISMO
    SYPII1LIS
    em todas as SHas formas, assim como todo
    o mal que provm do uso excessivo do
    MERCURIO
    Uiceraco do flgado
    e em summa todos os males que tem sua
    erigem na
    IMPUREZA DO SANGUE
    um alterante poderoso para a
    REOVAGAO D0 SANGUE
    e para dar nova torca e vigor ao corpo j
    enfraquecido pela doenr/a.
    Vende-se na ra Direita ns. 12 e 7G e
    Hospicio n. 40.
    Vende-se em Pernambueo:
    na pbarmacla f ranceza de
    pJauaER & c.
    __________RA NOVA N. 18.________
    Aluga-se a casa terrea cora sotao sita i ra
    da Alegra n. 46 : a tratar na ra de Aguas-Ver-
    des sobrado n. 64, primeiro andar.
    Na rna do Bertholomeu n. 43 precisa-se de
    urna ama para o servico de nma casa de pouca
    familia, paga se bem, e prefere-se a que for es-
    crava.
    A NACIONAL
    Companliia geral hespanhola de seguros mutuos
    sobr a vida
    AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 2i DE DEZEMBRO DE 1859
    ma flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
    ministraco da conipanhia.
    .Na fabrica de calcado do patoo da ribera de
    S. Jos, preclsa-se de artistas para obra de senho-
    ra e menina dando-se tudo prorapto, pagase a du-
    na para senhora a 1*800 e para menina a' 1*200,
    t> todo aquelle que quizer llevar sempospontarter
    mas 100 rs. em cada
    uizer levar se
    la duzi*.
    oyBTSalgai
    ado Jo trbun;
    O bacharel JeronyBI Salgado de Castro Ac-
    cioly, amigo advogado uo tribunal da relacao e
    mais auditorios desta cida le, mudou sen escrp-
    torio para a ra estrella d i Rosario n. 2, segundo
    andar, onde pode ser proc irado para os misteres
    de sua profissao.
    BANQUEIROS DA COMPANHIA
    O Banco de Hespanha
    DIRECCAO GERAL
    Madrid : Rna do Prado n. 110
    seguros
    mesmojpor morte do se-
    Aviso
    Os abaixo assignados participan) ao rcspcitavel
    publico, e cora especialidade ao corpo do commer-
    cio, que amigavelmente dissolveram a sociadade
    que tinliam na luja da ra Nova o. 47, que gira-
    va sob a firma de Bastos & Magal.'ics, fieando o
    activo e passivo da mesma firma cargo do socio
    Joio Bautista (Jo oca I ves -Bastos.
    Recife, o do Janeiro de 186o.
    Jlo Baplsia Goncalves Bastos.
    Antonio Jos de Magalhaes Bastos.
    M Kaqeiss sobre Portugal. 9|
    O abaixo assignado. autorisado pelo na
    l3S Banco Mercantil Portueuse, e na ausencia J
    I do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- jj
    jag fectivamente por todos o' paquetes sobre
    S as pracas de Lisboa e Por-o, e mais Inga-
    ?g res do reino, por qnalquer somma vis- g
    S la, e a praso; podendo, o fue tomarem m
    j saques a praso.receberem >ista,no mes- H
    I mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na |j
    loja de chapos da ra do Crupo n. 6, ou |
    na ra do Imperador n. 63, segundo an- gg
    Jj| dar.Jos Joaquim da Costa Miia.
    Aviso
    Os administradores da massa fallida de Rostron
    Rooker de C, lornam pela ultima vez a convidar
    aos credores da mesma massa, para no praso de
    oito das apreseutarcm os seus ttulos conforme o
    cdigo do comrnercio afim de serem verificados e
    poder organsar-se a clssiueacao das dividas e ter
    lugar o dividendo quando for deliberado pelo Illm.
    Sr. Ur. Juiz do Comrnercio sendo que findo o res-
    pectivo praso, nao se poder admiltr credor al-
    gum no dito dividendo.
    Recife, 21 de Janeiro de 1865.
    T. Tefferies.
    mmmmmmmmmmm
    Lino de Faria o nnico competente Jj
    para haver as dividas activas e ontros
    (|iiaesi|tier bens da extincla firma Faria
    para que nao paguem senao a elle ou
    pessoa por elle devidamente antorisada.
    Espera que os mesmos devedores serao
    pontuaes em salisfazerem seus dbitos,
    livrando-o assim de recorrer aos meios
    judiciae?. Elle mora na ra do Impera-
    dor n. 57, segundo andar.
    Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos
    sobre a vida.
    Nella pede se lazer a subscripcao de maneira que m nenbum caso
    gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
    Sao tao suprehendentes os resultados que produzew as sociedades da ndole deA NACIO-
    NAL, queain la mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidaedes,
    ecorabinaado-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os
    seus clculos e liquidares, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna mporsicao annu?l le 100*
    produz em effectivo metlico :
    No m de 5 annos.......1:119*300
    de 10 ........3:942*600
    de 15........11:208*200
    de 20 i.......30:256*000
    > de 25 .......80:331*000
    as idades menores de 3 annos o maiores de 30, os producios sao mais consideraveis.
    Prospectos e mais informales serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
    mo Joaquim Fuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe
    lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
    Attencao.
    Approxima-se o tempo para a procissao de cin-
    za, e tendo sido votado em mesa cota para esse
    fim, parece que nao se de ve esperdicar o.tempo
    para nomearem-se as coramissoes respectivas, pa-
    ra que nao se diga ao depois que por falta de tem-
    po nao se pode fazer a procissao : pede-se, por-
    tante, providencias neste sentido a quem competir.
    _______________O irmao previdente,______
    Na ra dos Coelhos n. 10 s? dir quem d
    algumas quantias com premio razoavel sobre boas
    garantas._______________
    O abaixo assignado faz publico que tem nes-
    ta data contratado a venda de seu estabeleciment
    de molhados n. 72 da ra Direita ao Sr. Francisco
    Jos Luiz Ribeiro, a praso : ficando este obrigado
    ao pagamento de suas dividas passivas, conforme
    as declaracoes feitas no sen contrato. Outro sim,
    o mesmo abaixo assignado roga a seos devedores
    que se dignem at fins de fevereiro vr saldar as
    suas contas, que at esla data o abaixo assignado
    far alguma convencao.
    ___________Jos Soares Pinto Correia.
    Aluga-se urna grande casa namatris da Var-
    zea, com 2 quartos ao lado que servem paraesla-
    beleclmento, relificada de novo com seu sitio que
    vai de estrada a estrada, tendo urna boa cacimba
    e varios arvoredos de fruetos, tendo tambem urna
    pequea ao p, com quintal correspondente a mes-
    ma que vai tambem estrada de detraz, sita na
    ra do Fogo, lamnem se vende : quem a preten-
    der dirija-se ao pateo do Carmo, sobrado que bota
    a frente para a ra de Mortas numero 2, primeiro
    andar____________ __________________
    O London & Brazillan Bank, saca por todos
    os paquetes, sobre
    Lisboa.
    Porto.
    Braga.
    Vanos.
    Guimares.
    Villa Real.
    Coimbra.
    Amarante.
    Por deliberacao da mesa regedora da irman-
    dade de Nossa Senhora da Cenceico dos Militares,
    em sessao de 24 do corrente, sao convidados todos
    os Srs. credores ds mesma irmandade, a apresen-
    tarem suas contas legalisadas que provem conve-
    nientemete a mesa regedora a su a validade, para
    a mesma tomar em consideracao na prxima reu-
    niao ; podendo os mesmos senhores entregaren!
    as ditas contas na ra do Raogel n. 24 primeiro
    andar, al o dia 30 do crreme.Manoel los Vi-
    torino de Borba. secretario._________________
    Precisa-se de um moco de 14 a 16 annos
    para cocheiro que soja portuguez, com preferencia
    aos ltimos chegodos : na ra do Raogel n. 9.
    bducaco primaria e secundaria
    Na iustiluigaa deJJeronynio Pereira
    Villar, na ra larga db Rosario n. 22, nao
    s seensinam as materias que ronsti-
    tuem o curso regular de primeiras letras,
    como as disciplinas p eparatorias para a
    Faculdade de Direito
    Ama
    Preeisa-se alugar urna escrava para ama de ca-
    ta : na ra Velha o. 17.
    -Aluga-se um sitie na ra do Cabral pa
    Para
    1865
    Aeham-se venda na li'vraria ns, 6 e 8 da
    ,;h7^T ai ?mw"u*lu* uo u,dl fa praca-da Independencia;
    ^aAeJi?.im^com;as?Urrea'com.c- A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
    e ecclesiastico, tabellas
    O Rmv. Sr. padre
    de Vasconcellos est
    de latim ; o Illm. Sr.
    jestre Flix Borreto
    mcarregado da aula
    Dr. Jos Soares de
    Azevedo acha-se ene rregado da aula de
    francei; e para as miras materias vao
    serigualmente cont atados mu distinc- |
    tos professores.
    Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
    todo servico interno e externo de urna casa de
    pouca familia : na ra larga
    gundo andar.
    O bacharel
    Francisco Augusto da Costa
    Aos senhores j
    O pdre Flix
    Roga-se ao Sr. Andr de S e Albuquerque,
    do engenho Santo Andr, que se digne dirigir-se
    ra Nova n. 14, quando vier ao Recife, afim de re-
    ceber urna carta que ah existe. __________
    Aluga-se a casa terrea da ra do Socego n.
    2, e o seguudo andar do sobrado ta ra do Rangel 9
    n. 7 : a tratar na taberna no mesmo sobrado. ||
    Do corredor do sobrado n. 9 da rua[
    da Imperatriz furtaram, na manha de 21
    do correne, tres vestidos brancos, sendo
    dous bordados com bicos e entremeios, e
    um com babado bordado: quem forem of-
    ferecidos ou delles souber, faca favor noti-
    ciar na casa cima, que alm de ser gratifi-
    cado mnito obrigado se Ocar.___________
    Declara-se que urna parto da casa n. 18,
    ra da Roda, acha-se hypothecada por escrplura
    em notas do tabellio Baptista de S.
    andar, contina
    de todas as classe
    pois das ferias,
    poste al abrir um
    ras leliras e de f|
    para cada urna d
    assim
    Prirutiro dividendo da massa fallida de
    Anuo im, IraiiOo, Santos k Q.
    Os admini-iradores co itinuam a pairar diarl-
    mente (at o dia 28 do cerrenta) o t dividendo de
    5 por cent* no escriptori) da ra do Vigario n.
    21, primeiro andar, e pidem aos Srs. credores
    que venharn Ioro receber o que Ihes pertence, vis-
    to como d'aquelle dia em dianto s faro paga-
    mentos nos sabbados.
    ais de fBii
    Barreto de Vas
    concellos, com aulb particular de la-
    tim na Irua do Imperador n. 85, 1."
    receber alumnos
    durante e de-
    Tambem est dis-
    curso de primei-
    ancez, logo que
    naja numero suflic iente de alumnos
    tambem a
    temos lguns men
    cacao c quizerem
    pagamentos serao!
    adiantaidos, e os p
    pessoaljmenle na o
    para a ientrada do
    estas materias, e m
    eceber como in- |
    nos,de cuja edu- %&
    encarregar. Os |
    por trimestres ||
    e^os declarados al
    tcasiao do ajuste
    alumno. ^t
    Jvro d) Povo.
    O livro do povo, obra or
    O Dr. Carolinc Francisco de Lima San-
    tos, contina a residir na ra do Impe-
    rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- \
    curado a qualquerboradodiae da ooite
    para o exercicio de suaprofissao de me-
    dico ; sendo que os chamados, depois de
    meio dia at 4 horas da tarde, devem ser ;
    deixados por escripto. O referido Dr.
    nao abandonando nunca o estodo das
    molestias do interior, prosegue, com o
    maior affinco, no das mais difliceise deli-
    cadas operarles, cortio sejamdos orgaos
    ourinarios,dos olhos, partos, etc.
    piar nfrente, botaos fundos para a estra-
    da emargem do rio Beberibe, com com-
    modos para familia, estribara para cavallo
    e capim para sustenta-los, arvoredos de
    fruetos, sem visinho defroDte nem pelo
    fundo.com ptimos passeios,sala e gabi-'
    nete na frente, muito propria para passar a
    festa,e tambem se alugarporanno : a fal-
    lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
    da Independencia, e em Olindanacasacon-
    tiguacom o capitSo Antonio Bernardo Fer-
    reira.
    Preisa-se de urna ama
    no becco do Padre n. 3.
    para urna pessoa
    O solicitador Pedro Aiexandri"
    uo da Costa Machado
    se encarrega ante o foro desta cidade de tudo qne
    for tendente a sua proQssao, aceita de partido an-
    imal as pendencias judicaes de qualquer casa
    commercial mediante razoavel ajuste. Contina
    a se encarregar de cobrancas nos termos do Cabo
    e Ipojuca aonde continua a trabalhar como d'an-
    tes, e encarrega-se de defezas perante o jury nos
    termos prximos a via frrea, offerecendo gratui-
    tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
    procu-ado lodos os das uteis das 9 horas da ma-
    nha as 3 da tarde na ra estreita do osario n.
    34, e fora dessas horas na ra Imperial n.36, ca-
    sa de sua residencia.
    Kalendario civil
    de feriados, de emolumentos dos tribu-
    naes do comrnercio, etc. a 160 rs.
    i FOLHINHA DE ALGIBFJRA contendo o
    mesmo que aquella c mais tima nova
    Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
    em verso, devocSo aa agonisanle, coraco
    de Jess, cntico em louvor do Santissi-
    mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
    sa Senhora, trinla e tres chistosas anc-
    dotas, um indito 'poema sobre as aven-
    turas de um cozinheiro, o cante de urna
    solteira (poesa), crescido numero de m-
    ximas e pensamentos, urna historia como
    muitas (romance), e vinte cinco novas e
    pilhericas charadas a 320 rs.
    0 bacharel Jorge ornellas ^
    continua a residir ra larga do Rosa- iaa
    rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser ^
    procurado para exercer a sua profissao: fK
    1 de advogado nosaudilorios desta ci- S
    dde;
    2o de mestre da lngua franceza, en- SR
    sinando-a tarde, e tambem noite a SjS
    pessoas cujas oceupagoes embaracem
    9 aprende-la durante o da. jfe
    mmmmm mmmmmmmm
    THESOURO DAS MAIS
    Providencia das crirteos.
    COLLARES KOVJEK
    Electromagnelicos.
    Loja de miudezas Anas
    16 -ra do Queimado16
    liafeites a Hara Pa.
    Recebeu-se pelo ultimo vapor francez o que ha
    de mais moderno e elegante emenfeites de cabeca
    a Mara Pa, tao variado o sortimento de cada
    qual o mais bonito, que o freguez munido de co-
    bres ficar satisfeito nao s na qualidade da fazen-
    da como no seu baratissimo preco, a 2J560, 3^,
    3&'0O, 4i, ai, 6 e 7.
    Lavas de lonvla.
    Acabam de chegar pelo vapor francez Guienne,
    as legitimas luvas de Joovm, preta?, brancas e de
    cores, para horaens e senhoras, a 2500 o par.
    Fitas.
    Riquisslmas Atas de grosdenaples lavndos com
    bonitos desenhos e efires para lacos e tintos, com
    3 X. 4 e 5 dedos de largnra, pelo baratissimo pre-
    co de 960,1 280 e 15600.
    Ditas ditas de sarja lisa, de todas as cores, de
    1 1/2, 2, 2 1/2,4 e 5 dedos de larcura, a 320, 480,
    640, 1*280 e 1,5600 a vara.
    Ditas ditas de gorgurSo preto e de cdrss, para
    : sintos, a 800 ris a vara.
    Bonitas fitas de todas as cores com 8 varas, mui-
    K **<*3r< j
    ixnnilanc nu nunrrir In t0 estrt.nhas para ^eter touqunhas de "cria-
    ANODINOS DE DENTIQAO cas, a 500 ris a peca.
    FIVELLAS E SINTOS.
    Riquissmas fivellas de larUruga mnito grandes
    para sintos, a 5$.
    Ditas ditas de um e dous bolSes com lindsimas
    pedriuhas Ongindo brilhntes, a 1500 e i&.
    Sintos de velludo preto, a 4.
    I uitos de seda mnito largos com fivellas mnito
    largas, a 3$ e 6.
    COLLARES
    Contra as convulsoes e para facilitara
    denlicae das criancas preparados e inventa-
    dos por Royer, pharmaceutico da esco-
    la superior do Pars, successor de Chereau,
    memoro da academia de medicina
    antiga casa de Uouillon-Lagrange, pharmaceutico
    do imperador
    chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
    pada com estampas,con-
    fivellas de pedrinhas, a
    A tten cao
    A pessoa que pa.rdeu um relogio de ouro no dia
    22 do corrente, em Beberibe, no lugar denomina-
    do Porta da Madeira, dirja-se a cidade de Olinda
    detraz do Amparo ao director da
    Ensino particular.
    O bacharel padre Manoel da Costa Honorato avi-
    sa aos pas de seus alumnos qne contina no exer-
    cicio de seu magisterio em casa de sua residencia
    na ra da Matriz da Boa-Vista n. 94.
    J. Keller & C, administradores da massa
    fallida de Martioho de Oliveira Borges, avisam aos
    respectivos credores que ainda nao receberam o
    ultimo dividendo, para que no prefixo praso de 15
    das, eontados de hoje, venharn receber o mesmo
    dividendo, sob pena de depositarem no deposito
    do Rosario n.31 se" I pub'ico, visto que os annuncantes querem pres-
    tar contas da administracao. Recife 24 de Janeiro
    ______________ I de 1865.
    tendo a vida fle Nosso Sen lor Jess Chrislo, e mui
    tos arligos utbis. Este li ro das familias recom-
    mendado eajpprovado pe os Exms. Srs. D. Luiz
    bispo do Maranho e D. Manoel arcebispo da Ba-
    bia, vende-se a 1500d cartoriado, na livraria de
    Jos Nogueira de Souza, ra do Crespo n. 2.
    Precisase de urna boa costureira e engom
    madeira, prefere-se que seja escrava : em casa do
    Sr. Cambron em Santo Amaro.
    mmm mmmm mm mm
    I Companhia fldelidade de
    seguros martimos e ter-
    restres estal lelcclda ao
    Rio de Janeii *o.
    AGENTES EM Pl PNAMBDCO
    Antonio Luiz de Olive ra Azevedo 4 C,
    competentemente auto -isados pela direc-
    tora da companhia di seguros Fidelida-
    de, tomam seguros di navios, mercado-
    ras e predios no seu e -criptorio ra da
    Cruz n i.
    lytechnica, director da escola de pharmacia de Ditos ditos de galao e
    Pars, e membro da academia imperial i 25000.
    de medicina. Casearrllhas.
    Estes collares venden1 se nicamente na loja do peCaS de cascarrlhas de la estrctnhas diver-
    Ga lio \ igilante ra do Crespo n. 7. | sas coreti a 300 riS-
    1..... ..... ni 1 1 I Ditas de ditas dita mais larga, a 15-
    Dilas de ditas de seda estrelnha a 960 rs.
    Ditas de ditas dita mais larga, a 15500 e 15800.
    Ditas de ditas dita em doas cores e de diversas
    cores, a 15500 e 1;800.
    Toitas a liarla Pia.
    Voltas pretas grandes a Maria Pia, a 15600.
    Ditas de aljofares de todas as cores, com cruz e
    COMPRAS.
    A ttengo*
    Procsase comprar urna escrava negra de 25 a
    30 annos de idade, que saiba engommar e cozi-
    nhar, ou trocase por outra : na ra da Aurora, passadorde 1, 2e 3 voltas, a 25, 45 e55.
    passando o Gymnasio, prmeira casa depois da
    pontesinha de ferro.
    Compram-se escravos.
    Silvino Guilherme de Barros compra, vende e
    Iroca escravos de ambos os sexos e de toda idade:
    na ra da Imperador n. 79, t;rceiro andar.
    de contas grandes de coral, a 45500 e
    Mobl
    Alugam-semobilias : no
    ro 42.
    lia.
    )ateo do Terco nume-
    Ditas
    65500.
    Pulseiras de aljofares de todas as cores, com pas-
    sador e borlotas, de 1, 2 e 3 voltas, a 15280, 15600.
    25 e 35.
    Ditas de contas grandes de coral, a 45 e 55.
    Bonitos brincos de aljofares de todas as cores a
    balo, a 640 res.
    tompra-se Bonitos alfineles de peitocom aljofares de cores,
    cobro, latao e chumbo : no armazem da bola ama-; a |* i$280 e 15600.
    relia no oitao da secretaria da policia._ Alonas.
    - Compra-se oaro e prata em obras velhas, pa-: Bonitos albnns de velludo" com guarnicoes
    ga-se bem na loja de bilhetes da Pra^a da Inde- metal para 50 retratos, a 35.
    pendencia n. 22.
    Manoel Pinto de Queiroz, subdito portuguez
    retira-se para Portugal.
    A higa-se
    m commodos para fa-
    quartos para felor e
    Harmona, que ser entregue,
    pela despeza do annuncio.
    Quem annuneou precisa de 1:0005 com by-
    sociedade Bella polheca em urna casa terrea na freguezia da Boa-
    ficando obrigado
    Attencao
    Pede-se a pessoa que tiver em sua companhia
    o menor Felismino, de 13 annos, cor macilenta,
    rosto com sardas, cabellos louros.se digne de o le-
    var a ra da Palma n. 17.
    Prccisa-se fallar ao Sr. Goncalo Ro-
    drigues de Almeida, na livraria n. rj e 8 da
    praca da Independencia.
    AMA.
    na ra
    O abaixo assignado na noite de 23 do cor-
    rentemez, perdeu da ra da Aurora at a roa do
    Aragao, urna carteira contendo diversos papis
    de pouca importancia e a quantia de 2545 sendo
    2005 em sedulas de 105 da caixa filial e "i-5 em
    libras sterlnas : a pessoa que achou a referida
    carleira qoerendo restlui-la, poder dirigir se ao
    abaixo assignado na ra da Florentina n. 42, onde
    receber em recompensa melade da mencionada
    quantia.
    Heraclio Vcspasiano Fiok Romans.
    Kscola central methodo Cas-
    tllbo.
    Est aberla desde 7 de Janeiro ensna as mate
    rias do 1 e 2o graos, recebe alumnos, pensionistas
    e meio pensionistas, por precos commodos ; nao
    excedendo elles a doze annos de idade : na ra da
    Ponte da Capunga, casa n. 9.
    ATTENCAO
    Traspassa-se nma hypetheca sobre um engenho
    110 valor de 4:8005, a vencer-se em principios de
    abril de 1866, descontando os juros de 2 0|0 ao
    mez : na ra da Aurora, depois do Gymnasio,
    passando a pontezinba de ferro, na segunda casa-
    Manoel Francisco da Silva Carrico ora
    rendente em Macei, julga nada dever nes-
    ta praca ou fora della, mas se alguem se
    julgar sea credor qaeira apresentar seu ti-
    tulo nestes 8 dias, qae depois de verificados
    ser immediatamenle pago por Francisco
    Ribeiro Pinto Guimares (para isso autori-
    sado) ra d'Apo'lo armazem n. 38. Reci-
    fe 23 de Janeiro de 1865._______________
    Precisa se do ofBciaes de entalhador ou de
    carapnas, que entenda da mesma, paaa a obra da
    igreja da Senhora da Paz, nos Afogados.______
    Offere-se para copeiro urna pessoa habilitada
    e tambem entende de cosinha; quem pretender
    procure ra do Imperador n. 41.
    Precisa-se de urna ama.para cozinhar
    larga do Rosario n. 12, segundo andar.
    O abaixo assignado faz sciente ao publico
    que nao faeam negocio com Osear Dostibeaux com
    a parte qae tem no sitio do Mutiiz pois est hypo-
    thecada e sugeita a letras que tenho vencida e em
    juizo. Recife, 21 de Janeiro de 1865.
    _______________Jos Bomingues Maia.
    AMA.
    Precisa-se de urna preta para todo o servico
    interno e oxterno : na ra do Queimado n. 16,
    loja de miudezas.
    Guartla-tivros,
    Um guanla-lvros bastante habilitado, tendo dis-
    poniveis algumas horas, deseja preeoche las, es-
    crituran lo em alguma casa : quem precisar de
    seu prestimo, dirjase a rna da Cadeia n. 28, ar-
    mazem que ser Informado.
    Precisa-se de um menino de 12 a 14 aun os
    para caixeiro, preferindo-se das ltimos chegados
    de'Portugal : na ra da Cruz n. 27, deposito.
    Precisare de um bora forneiro para ir para
    Limoeiro, e pagase bom ordenado : na ra larga
    do Rosario n. 44.
    Attencao
    i
    Fugo o negro Theodoro com os signaes segun-
    tes : alto, cor preta, beicos grossus, olhos apitora-
    bados, levou caira- de brira pardo, eamisas de al-
    godo riscado, idade 35 annos, pouco mais ou me-
    nos : quem o prender e o levar a seu senhor, no
    pateo do Terco n. 141, ser gratificado.
    JORNAL DAS FAMILIAS
    Pulilicarao Ilustrada, Iliteraria, artstica, recrea-
    tifi, etc.
    O Jornal das Familias sahe urna vez r!br mez, e
    forma no fim de cada anno um bello volumo de
    cerca de 400 paginas de impressao esmerada, or-
    nado de figurinos, viohetas, gravuras sebre ac,
    aquarelias, sepias, pecas do msica, desenhos de
    trabalhos sobre talagarca, de crochet, tricot, laa e
    bordados, moldes de vestidos, capas e em geral o
    que concernente a trabalhos de senhoras.
    Assignatara por anno 125.
    Assigna-se na livraria econmica ao p do arco
    de Santo Antonio, onde j existe o primeiro nume-
    ro do anno de 1865
    RELOGIOS,
    Vende-se em casa de Johnslon Pater dr
    C-, roa do Vigario, n. 3. um bello sorti-
    mento de relogios de ouco patente in-
    glez, de um dos mais afamados fabricantes
    de Liverpool, e tambem Urna variedade de
    bouiosttrancelins para os mesmoslt
    Vista,
    rado.
    annuncie sua morada para ser procu-
    uma casa acabada agora, ce
    uiilia, estribara, cocheira,
    escravos, com banho na poria, no lugar do Poco
    da Panella, ra do Rio : acatar com Tasso ir-
    maos, na ra do Amonm n.|35.
    Compra-sc efectivamente
    obras velhas, pagande-sa bem :
    Rosario n. 24, loja de'ourives.
    onro e prata em
    na ra larga do
    Precisase por alugu
    quitandetra : a tratar na ru
    de urna preta
    do Queimado n.
    Compra-se diarios para embrulho : no pateo
    do Terco n. 22, fabrica de cigarros.
    Jornacs para cinbmlho.
    Compra se na fabrica de cigarros antiga ra dos
    Quarles de Polica n. 21, paga-se bem.
    VENDAS.
    Aula particular.
    O abaixo assignado, professor particular, provi-
    sionado pela directora geral da instruccao publica
    para ensinar primeiras leltras, latim e francez,
    participa ao respeitavel publico e ignalmente aos
    senhores pas de seus discpulos que segunda-feira I
    9 do corrente tem de continuar no ensino das su-
    praditas materias, atlmiltindo matricula alumnos;
    externos, pensionistas e meo-pensonistas. A pra-,
    tica de 19 annos consecutivos no exercicio de seu i
    magisterio, sua inteira dedicacao e ua moralidade:
    sao garantas que offerece aos senhores pas de fa-
    milias, que desejam a sa e til educacao a seus:
    filno?.
    Quem portanto quizer confiar ao mesmo abaixo
    assignado a educacao de seus filhos, pode dirigir se
    a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
    do n. 58 da rna Nova, onde ha muito tempo est
    estabelecido.
    __________Jos Maria Machado de Figueiredo.
    OSr. morador da ra Nova que se Si
    ai'Ia a dever 6 quarteis de asignaturas des-1 !U
    te Diario, queiramanda-las pagagarpois;|
    assim como elle gosta de receber a paga de Jk
    Joao da Silva Ramos, uedico pela Uni
    versidade de Coimbra, l consultas em
    sua casa das 9 s i 1 hoi as da manhaa, e
    das 4 s 6 da tarde. V sita os doentes
    em suas casas regularmente as horas
    para isso designadas, salvo os casos ur-
    gentes, q e serao socconridos em qual-
    quer occiisio. D consultas aos pobres
    que o precurarem no hospital Pedro II,
    aonde encontrado diariamente das 6
    s 8 hora s da manha.
    Tem 814 casa de sad regularmento
    montada para receber qualquer doente,
    ainda masmo os alienados, para o que
    tem commodos apropriadqis e nelli pra-
    tca qualquer operacao ciijuxgica.
    Para a casa de s'ade.
    Prihieira classe 350Q0 diarios.
    Segiunda dita.... 2550 >
    Teiiceira dita.... 25(K)0
    Este estabelecimento j bem acredi-
    tado pelos bons servicos que tem pres-
    tado.
    O propKetario espera que elle conti-
    nu a merecer a confianca de que sem-
    pre tem gozado.
    Ditos dito de velludo para 100 ditos, a 85.
    Ditos de marroquim para 12 ditos, a 15600.
    Ditos dem melliores para 12 ditos, a 15800.
    Ditos idem para 20 ditos, a 15800.
    Ditos idem raelhores para 20 ditos, a 25.
    Ditos dem para 50 ditos, a 35-
    Ditos dem para 100 ditos, a 55.
    Ditos dem'de boaencadernaco para 100 ditos,
    a 125, 105 e 205. estes alhuns vendem-se por mui-
    to menos do seu valor por se ter recebido grande
    quantidade.
    Pcunas com bico Ce diamante.
    Elegantes pennas de prata com bico de diaman-
    te que durara toda a vida de urna pessoa, com ca-
    nelas de marfim e madreperola, sao as raelhores
    pennas que tem apparecido, vendem-se pelo di-
    minuto preco de 55 e 6-5-
    Caixinhas de pennas de langa frescas, a 640 rs.
    Ditas de ditas caligragraphicas, a l280e I560O.
    Caixinhas com 100 envelnpes, a 500 rs.
    Caixinhas de papel de tur, a 500 rs.
    Caixinhas de papel azul pautado, a 560 rs.
    Caixinhas de papei amizade braooo pautado, a
    640 rs.
    Pacotes de papel da beira donrada, a 700 e 80O>
    ris.
    RICOS DE SEDA PRETOS
    rio rlflwamlvt'n a -\rrmrla on o Idos mais bonitos 60Sl0S 1ue se Pode deseJar. desde
    U.e QeZemDrO, e VCnUe Se til dedo at 4 dedos de largura, vende-se pelo diml-
    \ fp > Hu. llYltiriOi S( O e O sendo este prego a meiadedo seu valor.
    da praca da Iadepeiidencia.j vara de bn^?2uSS 100,120, ieor
    200. 240 e 320 rs.
    ALMANAK.
    Acaba de sahir dos pr-
    los de nossa typographia o
    Alina aak Administrativo,
    Mercantil e Industrial desta
    provincia, correcto at 311
    a ra da Senzaia Ve
    seus servidos deve attender a dos ou-
    tros principalmente o do Diario queem,
    tmt>ihn I*,:,. ,\n un .^T. A uga-sapor preco commoflo urna casa ter-
    trabalham mais de 60 pessoas.___________I rea sita n| raJaz ftlnvgMip daBoa-Visu : a tra-
    Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim'lar Da rua do Livramnt0 n-39- _________
    de Aguiar, que a ssia assiguatura deste: Precisa-se alugar dous eslavos: quem os
    ,.n:n:^ ^ia ._ .__,i,.j u i tiver queira dirigir-se ao armazem de assucar na
    Diario esta por pagar desde outubro do rUade \poilon 12
    anno passado, e que o propietario da loja i------, i '<----------r-4-------------r
    deourives da rua larga do Rosario n. 40,! j ~ rs0alvador Rodr^ues da S|M.a vai aoRmde
    tem declarado que nao se responsabelisa,; _H!__l__i_______________L-----------------
    portanto S. S. queira mandar satisfazer nes- % 1WI A Ift B-1 I. |
    Na padaria da
    | de-so a bem conhecida bolachinha de leite
    I cada pelo proprio fabricante.________________I
    Vende se a casa terrea n. 25 da rua de Ma-1
    Ihias Ferreira da cidade de Olinda ; quem a pre-
    tender dinja-se a tratar nesta cidade na rua Aa-
    gusta n. 59. ______________________, I
    RAPE'
    Duarle, Pereira & C. continuara a vender o afa-
    mado e fresco rap Princeza de Petropoles em seu
    grande armazem de looca e vidros : rua do
    Crespo n. 16.
    ta typographia.
    Desappareceu no sabbado 21 do corrente,
    um moleque croulo, por norae Luiz com os sig-
    naes seginles alto, corpo regular, cor preta,
    falla grossa e muito regrista, tem urna pequea
    cicatriz por baixo de um olho, costuma andar sem-
    pre de sucia com outros moloques, levou vestido
    caiga de bnm pardo muito suja, camisa de algo-
    do branco, sem chapeo na cabeca ; por tanto ro-
    ga-se as autoridades policaes e capitaes do campo
    que o prendao e levem-no a seu senhor na rua do
    Rosario Estreila botequim da Aguia d onro, que
    ser recompengsdo generosamente.
    AMA I!'] LEITE
    Precisa-se de urna ama de leite, qne seja sadia
    e tenha bom leite para criar um menino de pou-
    eos dias : no becco dos Ferreiros, casa terrra de
    janellas de vidracas.___________I___________
    E. R. Rafcello faz publico que Antonio Jos
    \ da Costa Araujo deixou de ser seu caixeiro desde
    o dia 23 do corrente.
    t
    Educacao de meninas
    Francelina Maurina da Silva Albu-
    querque, professora particular de ins-
    trurco primaria scientifica a quem in-
    teressar qne continua a receber alumnas
    em sua casa de residencia, a rua estreita
    do Rosario n. 38, segundo andar.
    1
    A pessoaquetemdireitoa nmaporcaode palhas
    DENTISTA DE PARS
    19Ra Novt-19
    Frederico Gautier, cirargio dentist i
    faz todas as operacoes de sna arte, e ce 1-
    loca denles artiflciaes, tudo com supe-
    r cridade e perfeicao, que as pessoas en-
    tendidas lfie reconhecem.
    Tem agua e pos denuncio.
    I
    Vara de labvrinlos de chrox desde 3 dedos al
    elha n. 84, ven- \ Qm pa|mo de largura, a 240, 400, 640, 800 e 15.
    fabri- j Filas ccordes para cpartilhos. 60 e 120 rs.
    ____ i Grvalas de pomas bordadas para senhora, a 15-
    Ditas ditas de blondc matisadas, a 15600.
    Touqunhas de blondo enfeitadas, a 15500 e 25-
    Sapatnhos de merino bordados para baptisado, a
    15500 e 25.
    Sapatinhos de setin idem, a 25-
    Escovas para denles, 160, 320 e 480 rs.
    Ditas para calcado, a 200 e 240 rs.
    Ditas para roupa, 800 rs.
    Ditas para cabello, tii", 15 e 15400.
    Ditas para uuhas, a 640 rs.
    Vende-se a taberna da rua Imperial u. 205, i Varas de fita de velludo desde a mais estreiti-
    livree desembarazada de qualquer debito, e com nha at 4 dedos de largura, a 100, 160, 240, 320,
    poucos fundos, propria para um principiante : a 400,500, 640, 800 e 15.
    Bonitos chapeos enfeitados para enancas, a 45>
    Varas de fitas de laa para debrum, a 100 rs.
    Peras de litas branca para debrum, a 320 rs.
    Frascos de oleo de babosa, a 100 e 500 rs.
    Ditos de dito de mauzenha, a 500 rs.
    Ditos de agoa da colonia, a 400, 500 c 1>.
    Ditos de dito de mauzenha, a 400 rs.
    Garrafas grandes de dita, a 800 e 15600.
    Frasquinhos de essencia de sndalo, ls500.
    Ditos de extractos, a 320, 500, 800, Ift e 15500.
    Cestinhas com quatro frasquinhos de dito, a 15.
    Duzias de facas e garfos de batanea, de (3 a
    6J500.
    Duzias de ditas dita de sobremesa, a 55500.
    Duzias de colheres de meial do principe para
    cha e para sopa, a 15500 e 3#.
    Colheres de concha para sopa, a 2?.
    Faca e garfo trinchanles, a 15600.
    Consultorio uedico-cirurgiro na roa larga do
    Rosario n. 20.
    O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
    I casa, contina em o exercicio de sua profissao
    tratar na mesma.
    Vende-se urna morada de casa terrea com
    commodos, cozmha fora, cacimba, quintal bastan-
    te grande e lodo murado, terreno proprio, boa
    locadade, rua Direita n. 02, povoacao dos Afoga-
    dos, tambem se trocar por o tro de mais valor
    nesta cidade, vollando-se o que for razoavel: quem
    quizer v rua da camboa do Carino n. 8.
    Coke o gaz.
    Pltchdogaz.
    Alca!i-fu do gaz.
    Coke, tonelada 10:600.
    Pitch, tonelada 805000.
    Alcalro, caada 35000.
    O cok reconhecidamente o carvao mais econo-
    ' mico, lomase por isso recooimendavel, bem co-
    mo pelo aceio que se nota as casinhas aonde
    elle usado. Pitch e alcatrao, alera das applica-
    coes diversas a que se presto, como para calafe-
    tar embarcares, alcatroar madeiras, etc., teem
    1 estes a propriedade de preservar" do cupim, 1er-
    , migas, etc. entregue na fabrica do gaz, ou man-
    dado por em quaiquer ponto da cidade, segundo a
    vontade do comprador.
    Pixe,
    de coqueiro, que existe na casa n. 18 publico e 39; ^ 'S(j na par(e medica como tambem na cirur-
    particular, sita na rua das Boias, perlencente ao
    patrimonio dos orphios, que outr'ora esteve arren
    dado a Manoel Jos Soares, conhecido por lineo,
    qaeira tirar ditas palhas dentro de 24 horas, do
    contrario serao ellas laucadas ao mar.
    Timotho Pradre, subdito francez, val para o
    norte do Imperio.
    Aluga-se o lerceiro andar do sobrado n. 24
    do na da CatkJa do Recife, entrada pelo becco
    Laif o: a tratar .no armazem do mesmo sobrado.
    g'ca.________i__________________________
    Anna Mohteiro de Lima Reg Va lenca, pro-
    visionada pela directora geral da inttruccao pu-
    blica, participa aos paes de suas alumnas e ao
    publico em gerl que tem aberto a sua aula, onde ""Hf" u*
    continua a ensilar com perfeicao grammalica na- Vende-
    cional,-historia, arthmetica e calligraphia, diver- !
    sos trabalhos de agulha, costura cha, labynntho,
    marcar, bordar branco e de seda, crochet e tricot:
    na Passujem de Magdalena casa de sua moradia.
    pixe
    do melhor que tem vindo a ste mercado, do ver-
    dadeiro da Suecia, e o mais barato, vende-se no
    armazem da boja amarella no olto da secretaria
    da polica, era barril ou a retalho.
    CASA TERREA
    - Vende-se urna casa lerrea nova por qnatrocentos
    mil ris : na rua Augusta n. 51.
    se urna cxcellente escrava muala,
    idade 20 annos, &be bem coser e engommar e
    todo mais servico interno de ama casa, com urna
    cria de ura anno de idade : quem a pretender di-
    rja-se a roa do Hospicio n. 29.
    Attencio.
    Vende se urna taberna na cidade de Olinda, sita
    nos Quatro Cantos n. 4, com poucos fundos, boa
    para um principiante; vende se porque o dono re-
    tirarse tratar de sua saude.
    Noviddesno barateiro.
    Brim pardo liso fino a 800 rs. a vara, corles de
    la de flores com 15 covados por 55, gravatas de
    seda prela a 160, pod'e-se fazer duas, camisas bran-
    cas para hornera a 15, corles de cllete de seda
    preta a 15500, alparcas de cor a 300 e 400 rs. e
    preta a 480 rs. o covado, chitas nglezas escoras
    padroes miudos cores fitas muito tinas a 220 rs. o
    covado por ter um pequeo principio de mofo, ma-
    dapolo com 24 jardas 4 peca com defeito por 55,
    dito muito fino e largo por u5, algodo largo com
    24 jardas por oj por ter dcfeito, cassa lisa com de-
    feito a 400 rs. a vara ; das chitas dio-se amostras
    com penhor : na loja da rua da Madre de Dos n.
    16 defroote da guarda da alfandega.
    r


    ->


    HB1

    Diarlo d
    e l'ei'taiulmco Quinta felra t Je Janeiro de i&8&.
    __________i______________________ __________________________
    BOTICA DROGARA
    ^fthjlameii Francssco de Son C.
    3 iRa Urg di lUsarisi i
    Vendem:
    Pi lu us Holl
    Pilulis do Dr. Laville.
    Ptalas do Dr. Alian.
    _Pilulas do Pobre-homem.
    Pilulas americanas.
    Pflulas vegetaes.
    lulas vegetos assucaradas de Kemp.
    -salsa da Bristol.
    lemedios do Dr. Chablc.
    Slexir de Pepsina de Grimault.
    rTnho de Salsaparrilha de Ch Albert.
    Injeccn Feaugas.
    Agua denttflea de Desirabodo.
    . Papel chimico, para talhos.
    Xarope depurativo de Chablc.
    Licor aromtico de Raspad-
    Pos antiepilelicos de Brest.
    . RobL'AITecleor.
    Xarope do Bosque.
    Ungento Holloway.
    DIGESTIVAS
    DE PEPSINA I
    0 VIGILANTE
    Rna do Crespo n. 1.
    DE WASMAN
    As pastilhat digestivas com a pepsina de Wat-
    man, emprcgo se com successo h j alguna
    amios pelas celebridades medicaes de Pars,
    Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
    ades em as quaes a digestio difficil, penosa,
    imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
    remedio para curl as
    Dlnrrheaa e a eaaaM-
    pnrae arodnzldaa
    eliiN elabaraaea
    eli-frrlIIOHM do. all-
    ueataa.
    Gaatralalaa.
    rpala*.
    Kaabamr** gaafrlaaa.
    A gaslrlle.
    Aa affeeeoe* org-anl-
    eaa 4a mlomago.
    Em todas as molestias empregao-se a miade as
    aguas alcalinas, especialmente o agua de Vichy,
    e igualmente aspastilhas de Vichy. Esse meio i s
    efficaz qnando se trate de dispepsias de corta du-
    raclo, mas o prolongado uso das aguas e pastilhat
    ie Vichy, tem grandes inconvenientes, por quinto
    os alcalinos empobrecen) o sangue e isso de tal
    maneira que Ibes arreblhlo a parte vivificante,
    nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contraro,
    eomo ella urna substancia orgnica, albuminosa,
    Iransforma-se ao mesmo lempo que se effectua a
    transformacao dos alimentos assimilhando-se
    como elles e ajudo labcm como elles a nutricio
    Seral. Sua accio vivifica o sangue e os ergios
    e tal sorte que, alh as pessoas que semsoffrer as
    afeccSes gstricas cima mencionadas sao nica-
    mente fracas ou d'um temperamento um pouco
    dbil, necessilao substancial alimento para for-
    tificar se, achSo no emprgo das pastiihas pep-
    sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
    chegar.
    Aviso importante. 0 successo das pastilhat
    pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
    sificacSes e imitacoes d'esse producto que os
    mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
    boa preparaco a pepsina que n'ella entra, jaz
    alterada. Seremos ao abrigo (Teste inconveniente,
    exigendo os compradores que as pastilhat tenhao
    as iniciaes B. P. e saiao da pharmaciaGhevrier.
    Depsito geralem Pars, pharmacia Chevrier,
    SI, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
    pharmacias de Franca e dos paii.s eatrangeiros.
    S 2.5 3 o.
    '5'"

    i?gg8
    "2 5.S e
    S. <. i e. -
    (9
    i lilil
    GRANULOS e XAROPE
    D'HYDROCOTYLE ASITICA
    de J. LEPINE
    Resulta pelti experiencias feitas as Indias e ea
    Franca pelo Dais afamados mdicos que as gransj-
    LAS e O XAROPE d IIYDIIOCTYI.A ASITICA *
    J. LPINB sao o ptimo remedio contra todas as espa-
    cies de IMPIGENA OU HERPES e outras molestias da
    pella, Ui as mais inveteradas, assim como a lepra
    OU MORPHEA, a SIPRILIS, as MOLESTIAS ESCRO-
    FULOSAS, os rheumatismos chronieos, ete.
    Deposito geral em Parit, em casa de fournier
    LAbxwe. ra Botirbon-rilleneuee, i.
    Deposito geral em Pernambuce ra da
    Craz n. 22 em casa de Caros & Barbo.
    Vende se callees vaziosproprios
    para foahnleiros e fonileiros a 1 $760
    cada un: nesla lypographia.
    Venoe-se superior vinho do Porto em caixas de
    urea duzia : em casa de Johnston Pater & C. ra
    do Ate* **
    DROGARA.
    3iRa 'larga do Rosario 3i
    Bartliolomca Francisco de Sonza k {'..
    vendem:
    Acido actico puro p.'.ra retratistas.
    Esmaltes para ourives.
    Papel para forrar rasas.
    Guarnieres aelludadas.
    Tinta branca superior em lata.
    Alvaiade Vneta, fino, f m pues.____________
    Palha de carnauba.
    Vende-se execellente palha de carnauba do Ass :
    na ra da Moeda, venda defronte do trapicho do
    Cunta._________________________________
    ttencito
    Aos donos de obra e artistas.
    Vende-se para mais de 80 milheiros de mate-
    riaes, sendo tenas, iijollos de ladnlho, alvenana
    batida, quadrdos de 8 polegadas, ditos de 16 (de
    padarla) ditos de tapamento, ditos de cacimba,
    sendo estes matenaes construidos do melhor bair-
    ro amassado com agua d-ce e bem cozirfos e pelos
    baraiissimos precos declarados.
    Tenas a 305, ladrilho 2>4, alvenaria-halida 302
    quadrdos pequeos 304. ditos de pndaria 800
    ris. cada um tapamento {'>& o mheiro : quero
    pretender ditos mnteriaes dlrlja-'e rna dns Bar-
    reirs olaria n. 15, advirtindo que se vende por
    estes baratissimos pregos seDdo de um milheiro
    para cima a dinhelro av;sta.
    Attencao.
    Existe urna carta vinda da Serra do Hartins. no
    Campo Verde, ra do Soeepo, cm um portao en-
    costado a casa n. SO de Joviniano Xavier de Sou-
    za para oSr. Dr. Francisco Luiz Correia de An-
    drade.
    O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
    : poso Uallisa, na sir ordem do dia, e pela Branca
    I Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seas
    j agudos espor5es nunca os olTender, antes osagra-
    ciar na mesma conformidade, para que o Baliza,
    possa marchar em Trente, a Branca Aguia possa
    levantar seu vo,levando no bico as pallnhas seu
    ninho; e o Gallo flear em seu espacoso campo
    dando de novo o seu canto annunciando a seus
    bons freguezes e aorespeitavel publico
    0 grande sorliaienlo deobjeelos de nmilo gosloqne
    acaba de reeeber.
    Ricas calimbas com msica ricamente enfeita-
    das para estar, proprio para um delicado me-
    nino.
    Riquissimos cofresinhos com cadeados de metal
    para guardar joias.
    Ricas canas com estejo, contendo todos os per-
    lences para homem.
    lliquissimas voltas fingindo perola.
    Ditas com lacinhode lita.
    Ditas de lindas cores e preta, de todas as ros-
    suras.
    Lindos aderecos com pedrinhos Gngindo bri
    , lhantes.
    Ricas fivellas para cinto, de todas as qualidades
    e bom gesto.
    Ricos cintos do ultimo gostode Paris.
    Grande sortimento de lindos enfeites para cabo-
    ca, sendo do ultimo gosto e de todos osprefos.
    Flores muito Gnas para noivas.
    Luvas enfeitadas e meias de seda para noivas.
    Touquinhas sapatinhos e meias de seda pan
    baptisado.
    Riquissimas fitas de todas as qualidades parala-
    do, cintos e cinteiros.
    Camisinhas e gollnhas para senhora.
    Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
    i sala.
    Grande sortimento de gravatinbas tanto para se-
    i nhora como para homem.
    Luvas de pelica branca e decores.
    Cascarrilhasde bonitas cores.
    Trancinhas.galao e maravilhas para enfeites.
    Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
    Papel amisade e de outras qualidades.
    Bolsas para viagem.
    Entremeios e babadinhos de lindos padrSes.
    Lencinhos de linho bordados.
    Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
    nas.
    Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
    arguras.
    Tlicsouras e caivetes de todas as qualidades.
    Grande sortimento de sabonetes.
    Lindos vasos com banha para offerecimentos.
    Caixinhas com seis frasquinhos.
    Essencias de todas as qualidades.
    Agua verdadeira Florida.
    Agua da Colonia, em garrafas grandes, eem
    frascos quadrdos egarranhas.
    Pomada lina de todas as qualidades.
    Superior banha em frascos e copos de todos os
    tamaitos.
    Sabo inglez em paos grandes e pequeos.
    Escovas de cabo de madreperola, marfim e de
    osso, para dentes.
    Peotes para desembarazar, com friso de metal e
    sem elle.
    Ditos de tartaruga e de mnitas outras qualida-
    des.
    Pentes de tartaruga para senhora.
    Ligas de seda e de algo'dao, assim como mnitos
    outros objectos de gosto quesera impossivelmen-
    cinar, que a vista far f, s no Gallo Vigilante,
    ru do Crespo n. 7.
    Voltinhas.
    Lindas voltinhas de perolas falsas comcruzinias
    | fingindo brilhantes, assim como cruzinbasavuhas
    ,e voltinhas, pelo barato preco de i& e >200,as
    i cruzes avuls asa 400 rs.j-.s6 no Vigilante, ra do
    Crespo n. 7.
    tenues.
    Riquissimos leques d madreperola tanto para
    I senhoras como para meninas, pelo barato preco
    de 125 e 14$; s no Vigilante, ra do Crespo
    n. 7.
    GRANDE XOVIDABE.
    S no Vigilante.
    Riquissimos enfeites de todas as qualidades para
    sebhoras e meninas, chegados boje da alfandega.
    Slntos
    ! Riquissimos sintos de fila larga e estrella com
    lvelas grandes e pequeas, com brilhantes falsos,
    cousade muito gosto.
    Albuns
    Tambem chegarara 03 riquissimos albuns para
    50 retratos, com capa de tartaruga e de marfim,
    cousa muitochique : s no Vigilante, ra do Cres-
    po n. 7.
    Golinhas.
    Riquissimas golinhas c manguitos, omelhor gos-
    to possivel, a 1$, 2500 e 3$; s no Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    Enfeites para senhora.
    Riquosissim enfeites com laco e semlaco e de
    outros moitos gostos a 1$, l500 e 3: s no Vi-
    gilante, ra do Crespo n. 7.
    Traccclins.
    Lindos trancelins oe eabello para relegie ou lu-
    netas, pelo baratissimo preco de 1500, ditos de
    retroz a 200 rs.
    Babadinhos entremeios.
    Riquissimos babadinhos entremeios com lindoi
    dssenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
    preso de 1*200, 13500, 2$ e 34; s no Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    Casearrilbas.
    Grande sortimento de casearrilbas de diversas
    larguras, assim como galaozinho e trancinbas pro-
    prias para enfeites; so no Vigilante, ra do Cres-
    po u. 7.
    Fitas.
    Grande sortimento de fitas de diversas largaras
    e qualidades, per precos que admiram aos com-
    pradores, havendo filas largas proprias para cin-
    | teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
    I de 9 varas a t; s no Vigilante, ra do Crespo
    n. 7.
    Fitas de lia.
    Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
    ra debrum de Vestido a 700 rs. a pega; s no Vi
    guante, roa do Crespo n. 7
    Ricos fspflbos.
    Riqnisslmos espelhos com moldura dourada|
    sem ella de 8, 10,5, 12J e 144, assim como com
    cfllumnas de differentes tamanhos a 24,34,44, 54
    e 64; s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
    Lindos jarros e figuras.
    Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
    Arroz do Mar
    100 rs. a
    a arroba.
    Ameixas i*ran<|ezas em latas e
    Grande Liquidadlo,
    Ra da Ianperatrlz
    oja de fozendas do pavao de Gama & Silva
    Aclia-se este estabelecimento completamente
    unido de fazeudas inalezas, francezas, allemas e
    uissas, proprias tanteara a praca como para o
    .nato, prometiendo veuder-se mais barato do que
    em outra qualquer parte, principalmente sendo em
    twrco, e de todas as fazendas do-se amostras,
    Jeixando ficar penhor, ou mandam-sc levar em ca-
    sa, pelos caixeiros da luje do Pavao.
    Vestidos ir soulambarqDe.
    Pelo ultimo vapor francez chegaramriquissimos
    Testidos i soutatubarque, os mais modernos que
    neste mercado tem appareeido, os quaes esto
    promptos com saia, corpinho e sen competente
    Sdutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
    rnda. Quera tiyer bo gosto dirija-se loia do
    Pavao, na ra da Imperatrix n. CO.
    AOS TBES MIL VESTI-
    DOS.
    Na luja do Pavao, a 3. U
    e 70000.
    Vendemse Hndissimos cortes de vestidos india-
    nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
    brancas.proprios para casamento, pelo baratissi-
    mo preco de 34 cada corte por se lercomprado
    urna grande porcao, sendo fazenda que le 64,
    ditos Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
    para o corpo com os competentes enfeites para o
    mesmo, pelo baratissimo preco de 44 cada nm,
    ditos de todas as cores com as barras bordadas a
    crox, sendo cada um em sen cartao, tendo cada
    um todos os enfeites preciso?, pelo baratissimo
    pre^o de 74 cada um, ditos com babaos mnlto bo-
    nitos, mas sem ser m cartao, pelo diminuto pre-
    go de 34500 cada um; advertindo-se que os donos
    da loja do pavao vendem estes vettidos por tao di-
    minuto preco por tercm comprado orna grar.de
    qoanlidade e ronvir-lhe liquidarfm kpo, na fu
    loja, ra da Imreraim n. 60, de Gama & Silva
    Aos vinte mil covados de la
    .ramio pechincba, a 4
    e 3*o rs.
    Vendem-se as mais lonitas laazinhas transpa-
    rentes, sendo cem listras e quadrinhos miudinhos,
    e lisas, tendo de todas as cores, assim ctmo pretas
    e rxas para lulo, pelo Uratissimo preco de 240 o
    covado.ditas transparentes com palmichas de seda
    Maria Pia, tendo de todas as cores, e tambem
    algumas proprias para luto, pelo baralo prego de
    320 cadacovado, isto por baver urna grande por-
    cao : na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Latas e copos com banha fina.
    A aguia branca, na rna doQueimado n. 8, rece-
    beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso
    alemde outras em diversos frascos.
    As moderDissimas lnzinhas de nina sd
    cor, a imitaro de gorgoro, ven-
    de o pavao.
    Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
    modernas laazinhas de cordaozinho, as mais pro-
    prias e mais lindas que tem vindo nrnnr<; nara ~c ~ -"t,vl^uu a ""' ,0*
    vestidos,soutambarues, epa',e?, dTnf-se amo E" ?0/?. o frasco.
    CL IR lili
    RIJA OO UKOIAMO HH. 45.
    Passand o becco da Congregado segunda casa.
    Pen
    cial, onde o n
    quaes serao
    peso e Doa quandade dos gneros comprados neste armazem.
    tnhSo, India e Java a 60, 80 e
    >ra,e 10800, 20600 6 30000
    NOV1DADE
    ira Rocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 4J, um armazem de molhados denominado Clarim Cemmer-
    speitaxei publico encontrara sempre um completo sorlimerfto dos melhrres gneros que vem ao nosso mercado o
    "nidos^por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioerda; garante-se obom
    em frascos a
    ei<600, e em frascos grandes a
    10200
    24500.
    dem em cakirAas elegantemente enfeitadas
    c0"r.,cas e tambas no interior das caixas
    3 10200,^400, 10600 e 2.
    Amendoas con casca muito novas a 280 rs.
    a libra.
    Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
    Azeite doce francez mnito fino em garrafas
    grandes a j)60 rs. a garrafa,
    dem de Lisbt a a640 rs. a garrafa.
    Araruta verddeira demalarana a 320 rs. a
    libra.
    AvellSas muit grandes e novas a 180 rs. a
    libra.
    Biscoutos intlezes de diversas marcas a
    10300 rs.
    Bolacbinhas ce soda, latas grandes, a 20 rs.
    a late.
    dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
    quinba e a OO rs. a libra.
    Banba de poco refinada a 440 rs. a libra e
    em barril a 400 rs.
    Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
    205CO)20OOe3J>OOOalibra.
    dem pretom|iito superior a 20000 a libra.
    Cervejaprete|ebranca, dasmelhores marcas
    que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
    e 50800 afduzta.
    Cognac inglez; fino a 900 rs. a garrafa.
    Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
    Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
    Polvo secco muito novo a 400rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
    Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
    muito novo a 640 rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
    Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinbas
    dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
    dem londrino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
    tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissl
    mo preco de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
    ratriz n. 60, loja de Gama e Silva. v
    As laazlnbas do PstSo.
    Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
    tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado
    ditas largas multo finas a 400 rs., ditas estampa-
    das, cor segura, padrees mudos < grandes a 320
    rs. o covado duasiransparenles cm palminhas
    de seda a 400 rs., ditas esrocpyas a 60r ito tu-
    do para liquidar : na loja e aimazro do' Pavao
    ra da Imperatriz n. 60. '
    Os grosdenaples do Fa^o.
    dem, s de pepino, a 720 rs.
    Idem.s de zeitonas, a 750 rs.
    Charulos dos melhores fabricantes da Bahia
    e especialmente da fabrica imperial de
    Candido Forreira Jorge da Costa a 10800,
    20000, 20*00, 20500, 20800, 30000 e
    30500 a cjjixa. "
    Caf do Riojmuito superior a 280 e 320
    rs. a Iibra(e805OO a 80800 rs. a arroba.
    cartoes de bolinhos francezes muito novos e
    IeDjjuutfk erosdenaples pretos, fajendasupe- Chourifas e
    de Jos de Azevedo Mala est continuando af
    n. e, ioja oa vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
    da por todo prego a vista dos cobres.
    Cartas de alfinetes francezes da melhor qualidade
    .,.......... _. Pi aSSE- ra tssssjM.rs: tati'at0 inelms" ",bw *
    rior a 14600 rs. o covado, ditos largos r en-
    corpados a 24400, 24600, ?48C0 e 3CC0 ditos
    brancos, cor de rosa, azul e amarrlk- a 24000 r.s
    o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
    do Pavao, roa da Imperan i; r. CO.
    As ovas lias garibaldiras o 500 rs.,
    na 'oja do Tavo.
    Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
    dinas, fazcnd:iinleirampr,te nova no mercado, sen-
    do ludas com listras miudinhas, e transparentes,
    com lustro a mitagao das sedinbus, tendo varias
    cores, sendo aznl.cor de lirio, rarmrzim, cinzenta
    e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
    vender depres^a: na f '
    rador n. 60 de Gama
    Os mais modernos vestidos ;\ Mara Pia,
    na loja do Patio, a 16$
    Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com
    os corpinhos differentes, tendo todos os preparse
    rom o competento sinto : na ra da Imperatriz n.
    60, loja do Pavao.
    (amisioliasa i $000'
    Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
    muito bem enfeitadas. proprias para senhoras e
    meninas, pelo barato preco de dez tustoes cada
    urna : na loja do Pavao, ra da Imperafriz n. 60,
    de Gama & Silva.
    Vestidos para mcDinas.
    vendem-se os mais modernos vestidinhos para
    meninas, sendo muito bem eneitades Maria Pia,
    tendo de differentes tamanhos, pelo barato prego
    de 84 cada um : na loja do Pavae, ra da Impe-
    ratriz n. 60, de Gama & Silva.
    libra,
    nuiib enfeitados a 700 e 600 rs.
    paios muito novos a 800 rs
    vapor ai
    900 rs. a libra.
    Sal refinado em frascos de vidro a
    cada'um.
    Sardinhas de Nantes a 300 rs.
    Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra dem em garratoes de 3 e 5 gales a 50500
    Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
    Tijolos de limpar facas a 140 rs.
    Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
    dem stearinas muito superiores a 6( 0
    libra.
    Eigos em caixinhas emticamente lacradas
    a 10600.
    Vinho do Porto engarrafado o melhor que
    ha neste peero e de varias marcas, como
    sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
    Madeira. D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa*, |
    Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
    10000 a garrafa, e era caixa com urna du- dem francez muito nova a 640 rs.
    zia a 9000 e 100000.. | dem de tempero a 400 rs.
    dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
    480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 dem em lata a 640 rs.
    e 40 a caada, Marmelada imperial dos melhores conservei-
    Idem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
    Farinha do MararrhSo a ICO rs. a libra.
    600 rs | dem de irigo a 120 rs. ? libra.
    Genebra de Hollanda verdadeira marca VI>
    a 560 rs. o fraseo e 6-5200 a frasqiieira.
    e 705C cada um com o garrafo.
    Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
    Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
    dem, qualidade especial em garrafas muito
    grandes, a 1>800 a garrafa.
    dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
    dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
    vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
    nheiro.
    Manteiga ingleza perfeitamenle flor, defem-
    barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da-
    de segunda qualidade a 800 rs.
    a libra.
    a garrafa.
    dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
    e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
    a duzia.
    dem Morgauxe Chaleaulumini de i85i, a 40
    a garrafa,
    dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
    Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
    102OOrs. a caada.
    Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
    Alm dos gneros cima mencionados te-
    Marrasquinho de Zara, frascos grandes,
    800 rs.
    dem regular a 500 rs.
    Macas finas para sopa: estrellinha, pevid,
    rodinba e aletria a 000 rs. a libra e a 40
    a caixinhacom 12 libras.
    Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
    Peixt em latas preparado pela primeira arte
    de cozinha a 10 a lata,
    Paliios de dentes a 160 rs. o mago,
    dem de; dentes a 120 rs.
    Frascos
    mos grande porco de outros que debamos I dem de'flor a 200 rs.
    de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
    pe^as e carnadas, tanto em porcoes como Doce de goiaba em latas o melhor possivei i
    retelno- 20 e em caixiio a 640 rs.
    Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
    r o abate de 5 por cento. passas muito novas a 480 rs. a libra.
    disfolvida e pincel. i *du v*>^ 49 e 55, i dVmiudLs*MALIM$ IItf A i t[\ i
    . (ift Jl1Sfi tit> Aravorin lala .i __.:_____j. [ Jl j-__B._____. i __-_ ______
    Vendem-se na ra do Queimado
    a6uia branca.
    N\ vos albuns.
    Houpa feita barata.
    Vende-se um grande sortimento de roupa feita
    para homens, sendo caigas de bnm brance a de
    cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
    meia casemira, paletots saccos e sobrecasacos de
    casemira e panno preto fino, colletes de todas as
    qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
    n. 60, de Gama& Silva.
    Grosdenapledecor a 10600 o covado.
    Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
    to, pelo barato preco de 10600 o covado : na loja
    do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Panno de linho a 700 rs. o covado.
    Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
    para Iences, toalhas e ceroulas, pelo barato preco
    de 700 rs. a vara : na loja do Pavo, ra da Im-
    peratriz n. 66, de Gama & Silva.
    o tamanho dos retratos, continuando a serem ven-
    didos por prcos commodos : na ra do Queimado
    loja da agu;! brancan. 8.
    Galanteras para festas
    A aguia blanca nao ressa de encommendar do
    que ha de melhor e mais agradavel.e porissoaca-
    ha de recebr diversas figuras e vasos de p de
    pedra com una banha, assim como bonitos frascos
    de excellentiSs extractos e lindas caixinnas de ma-
    deira enverjiisada com finas perfumaras^ tudo
    muproprlo|para presentes de festas etc., havendo
    peso liso muilo superior a
    qualidades s
    para enfeite de sala, sendo o melhor gosto qveaqui
    tem appareeido; s no Vigilante, ra do Crespo
    n. 7.
    Para pos de arroz.
    Riquissimos vasos com bonecla para pos dearroz,
    cousa de multo gosto a 14500 e 24, assim como
    pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
    Vigilante, ra do Crespo n. 7.
    Pcrfnmarias.
    Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
    das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
    tinctivos e offerecimentos as sinhasinbas dos me-
    lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
    ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
    a 24 e a 14, assim como outros objectos qne nao e
    possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
    zes se far todo neirocio; na loja do Gallo Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    Economia do Pavo.
    Vende-se para acabar, orna perco de retalhos
    delas ecassas de todas as qualidades, e por pro-
    cos muito em coula; quem tem economia que
    pode apreciar : isto na lr> do Pavao, ra da Im-
    peratriz n. 60, de Gama & Silva,
    Hadapolao a 70000, s na loja do Pavo.
    Vende-se superior madapolo muilo encorpado,
    tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos de largu-
    ra pelo baratissimo preco de 70000 a peca, ditos
    muito finos a 84, 94 e 104000. E' pecbincha, na
    loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama*
    Silva.
    Cor les de ciss a 30000.
    Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
    7 varas cada corte, com desenhos mnito delicados
    pelo baratissimo prego de 34000 o corte; s na
    loja do Pavao, ruada Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Corles de chita franeeza.
    Vendem se finissimos cortes de chita fran-
    eeza, com 12 covados, tendo, padrfies escuros e
    aJTes de cores n"s pel baratissimo preco de
    10000 o corte; s na loja do Pavao ra da Impe-
    ratriz n. CO de Gama 4 Silva.
    Camhraias lisas, na loja do Pavas.
    Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
    tapada e transparente, pelo baratissimo preco de
    44000 if-ndo 8 1/2 varas cada peca, ditas muito fi-
    nas a "4, 84, e 94 a pega, ditas Victoria com 10
    varas pelo baratissimo preco de 74, 94 e 104, di-
    tas Garrazes fazenda muito encorpada. fazenda pro-
    pra para forro 360 rs. a vara on 24600 a peca ;
    isto na loja do Pavao, rna da Imperatriz n. 60,'de
    Gama & Silva.
    Cortes de lia a 40000.
    Vendem-se cortes de I3as garibaldlnas, matea-
    das e de quadrinhos, tendo 1-2 covados cada corte
    pelo baratissimo preco de 44000 o corte; Isto na
    loja de Pavo, ra da imperatriz n. 60 de Gama &
    Silva.
    dinheirodir ja-seo pretndeme a ruado Queima-
    do n. 8, loja da aguia branca.
    Ail fino para engom-
    mad(b
    A aguia Branca na ra do Queimade n. 8,rece-
    beu glbulos de ail fino e frasquinhos con es-
    sencia dedjto para engommados.
    Outros enfeites.
    A aguia branca acaba de reeeber por este ulti-
    mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
    dos en/eiteide moldesinteiramente novse d um
    apurado gasto, assim pois comparecam os pr^ten-
    dentes mugidos de dinheiroe com disposici de
    gastar: nai loja da aguia branca ra do Queima-
    do n. 8.
    Pequeos pentes de tar-
    taruga.
    A aguia, branca na ra doQueimado n. .8, rece-
    ceben novnmente esses pequeos pentes de tarta-
    ruga que bor suas qualidades de pequeos, lisos,
    bouitos e bem feitos lantaestima tem merecido pa-
    ra as senioras segurar o cabello quando atado ; a
    aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
    haviam epcommendado e a quem mais queira
    aproveitar aoccasio de os comprar continuando
    a serem yendidos pelo mesmo preco de 4$ cada
    um.
    Estando brancos ficam pretos
    O bom resultado e o rpido effeito que proquz
    a tinturado ebromacoma, e mesmo o facilllmo
    modo dejjpplicartem se tornado mui conhecidp e
    apreciada por todos ue usam della e por conse-
    guinteadgialentadoa fxlracao, pelo que a aguia
    branca epandouvir mais o novo sortimento cue
    acaba del reeeber constando elle de
    Caixas comchromacoma para lingir oscabelbs.
    Frasees com coloriconta para lustrar ditos.
    Ditos toni hydrocallethrichina para limpar di os
    Ditos om oryehromantina para limpar as unljas
    Sabonetes brancos para lavar os cabellos.
    Pomada callicomiphila para dar cheiro aos II-
    tos sem pffender a preparaco feita.
    Sapafos de marroquim dou-
    rado para bailes.
    Esses sapatos do grande lom vendom-se nica-
    mente ra ra do Queimado loja da aguia braia 1.
    8 a 64 upar.
    M ias finas para senhoras
    gordas
    . Vendfm-se na ra do Queimado loja da aguli
    Draca 1. 8.
    Esponjas finas para rosto
    Vendem-se na ra do Queimado loja da acui
    "ranea n. 8._________~______________________ I
    CyUaros para pada-
    ria.
    Na podara da rna Direitan. 84 ha para vender
    os conl ecidos e acreditados cvlindres
    para
    Grosasde botoesde madreperola muito finos ao6(
    e 640 ris.
    Carreteis com 4 a o oitavas de retroz preto fino a
    640 rs.
    Resmas de papel de
    24000.
    Grvalas da liga e de oulras multas
    500 rs.
    Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa i
    800 rs.
    Duzia de botes branco para casavenues de senho-
    ra a 100 rs.
    Pecas de lita de cs estreitas com 9 varas garan-
    tidas a 320 rs.
    O Expositor Porluguez para os meninos a prender
    a lera 800rs.
    Os segredos da natureza para os meninos a pren-
    der a ler a 10000.
    Cartilhasda doulnna christaa, finas e superiores a
    320 rs.
    Pentes finos de marfim a 10000, 10200 e 10500.
    Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
    500 rs.
    Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
    500 rs.
    Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
    14000.
    Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
    to preco de 160 rs.
    Capachos redondos muito finos a 500 rs.
    Cordao branco para espartilhes muito superior, 1
    vara a 20 rs.
    Carritis com 150 jardas de linba branca a 60
    ris.
    CartSes com 200 jardas de linba branca garant-
    di s a 60 rs.
    Grosas de pennas de ac superiores' a 500 rs.
    Varas de franja branca e de cores larga para toa-
    lhas a 160 rs.
    Pares de botoes de punho, oh que pechincba a
    120 rs. -
    Tnteiros de vidro com tinta a 160 rs.
    Ditos de barro cora superior tint a 100 rs.
    Grosas de botoes de lonca prateado muito fino s
    160 rs. .
    Tesouras para costura superior qualidade a 500
    Escovas para limpar dentes, snperiores a 200 rs.
    Caixas com superiores phosphoros de segnranca a
    160 rs- mu,
    Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a iw
    ris.
    Caixas com 20 quadernos de papel amizade, tann
    fino a 600 rs.
    Quadernos de papel pequeo muitf fino 9 20 r
    Vinho da Nadeira e do Porto
    Vende-seo superior vinho da Madeira e do Por-
    to, em caixas de urna e duas dnzias : s na loja
    do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
    " -- .. 1 1 1 ii '-
    Rna da Senzalla n. 42.
    Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
    sellins e silh?5es inglezes, candieiros e casti-
    caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
    chicotes para carros e montara, arreios para
    carros de um e dous cavallos, e relogios de
    ouro patente inglez.
    e trabalkar niao |iara
    dcscaro^ar aEgodao
    FABRICADAS
    Por Plont Brothers & C.
    0LBAI
    Estas machinas
    podem descarcijar
    qualquer especie
    de algodo sem
    estragar o fio,
    sendo bstanlo
    duas pessoas para
    ' o trabalho ; poda
    descarocar urna
    arroba de alro-
    dao cm earoco
    em 40 minutos,
    ou 18 arrobas
    por dia ou 5 ar-
    rotas de algodao
    limpo.
    Assim como machinas para serem movidas por
    3Limaes, que descarogam 18 arrobas de algodo
    limpo, por dia.
    Os mesmos tem pura vender um bellissimo va-
    por que rde fazer mover seis desias machinas
    mencionadas ; para o que convidase aos Srs.
    agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
    zem de algodao,-no largo da ponte nova n. 47.
    Saunders Brothers & C.
    X. II, pra^a do Corpo Sanfo-
    RECIFE.
    Os nicos agentes neste paix.
    RIVAL SEM SEGUNDO.
    Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
    conhecido j como tal, est dspondo da fazenda
    por lodo o preco para apurar dinheiro, quem qui-
    zer venha ver traga o cobre, e ver o sepilite :
    Barall.os de cartas para voltarete muito
    finas a............................. 200
    Miadas de linba froxa para bordar a____ 20
    Pares de sapatos de tranca de todos os
    tamanhos e Tinosa................... 14600
    Albuns
    para 20 at 200 retratos, mnito bons e por mono?
    preco que em outra qualquer parte: na ra do
    Crespo n. 4.
    Rna da Senzalla Nova n. te.
    Neste estabelecimento vendem-se: tachas df
    ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo
    Moor libra a 120 rs.________________
    Farelo superior de Lisboa a 5(5 e sstee.
    Massos de superior grampos para cabellos
    Duzias de palitos de paz superiores a. ..
    Libras de ara prcia milito superior a...
    Frascos de superior macaca oleo a ....
    Ditos de dito perola a..................
    Ditos de oleo de babosa mnito finos a 320
    rs. e...............................
    Ditos de agua de colonia superior, garan-
    tida..............................
    Ditos de banha mnito fina a............
    Ditos de cheros muilo finos para o preco
    a ris.............................
    Sabonetes de todas as qnalidades a 60 rs.
    160, e............................
    Novellos de linha com 400 jardas a......
    Carritis de linha de cores com 200 jar-
    das a.............................
    Novellos de linha de gaz de todas as co-
    res a.............................
    Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
    ra vestidos a.......................
    Frascos de snperiores cheiros.pequeos, a
    Pares de ligas muito superiores c bonitas
    a ris..............................
    Varas de bicos francezes, superiores a...
    Opiata para denles da melhor qne ha a.
    Frascos de agua para denles, superior a
    tudo a............................ Iv^OO
    30
    200
    100
    100
    200
    50P
    400
    640
    600
    40
    80
    60
    30
    540
    SCO
    400
    40
    14000
    Pecas de tranca preta liza muito fina a.. 60
    Caixas com 4 papis de apnlhas Victoria a .200
    Varas de fita preta rom colxetes a...... 40
    Libras de laa sorlida de todas as cres a 64500
    Bonecos de choro muito bonitos a...... 160
    Caixas de obreias de ma ssa mnto novas a 40
    Varas de franja .branca e deires para
    toalbasa............ ......... 8
    Frascos de oleo Philocomescur,e ir <... 600
    Ditos cora superior tinta a320 e........ 800
    Caixas de linha de gaz com 50 novellos a 8C0
    Enfiadores para espariilho ......... 200
    nhecidos e acreditados cylindres americanos Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze[ Duzias de botSes encarnaaos para vesti-
    tr ibalho de padarla ultiraamante chegados vedo & C. n,o seu escriptorio roa da Cruz n. 1. a..............................




    Diario de Peraaaaamco Quinta leira 911 de Janeiro de t 85

    AURORA BRILHAMTE
    GRANDES ARMAZGNS
    1E
    MOLHADOS
    l Largo da Santal
    [Cruz ns. 12 e 84 j
    [esquina da ra do]
    (Ccdo.
    VIMOS
    ESPECIAES
    Largo da Santa?
    ruzns. 42 e 84,|
    esquina da ra doj
    jgCebo.
    nmmmmm
    O dono dos j muito acreditados armazens de motilados denominados Aurora
    Briiliaue, acaba de receber de sua propria encomiueada, muitos gneros delicados
    preprios da presente esiacao, e teudo grande sorliinento comprado aqu,aflanca que toaos
    es seus gneros sao de I.* qualidade.
    A seguate tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
    tadores.
    Nenhura armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
    Brilhante, j pelo grande sorlimento que tem, j niesmo por sea dono se achar encom-
    nadado bu sua saude e ter de vender uoi de seus armazens agora, e o outro na pr-
    xima primavera, por isso deve-se aproveitar ama quadra deslas para se comprar
    jarato.
    Latas com 8 libras de chouricas muito novas,
    a 75391).
    Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
    mais do i 2 qualidades, a 1000, l280 e
    liOO.
    Ditas com ostras, excellente petisco para fre-
    gidsira, a 720 rs.
    Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a
    70 rs.
    Ditas com favas, a 640 rs.
    Ditas com ampias a i#200, 15800 o 35500.
    Ditas too) iiuimuI.i 1a do afamado fabrican-
    cante Abreu, a 880 rs.
    Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
    Ditas com fi^os de comadre, novos, a 15300,
    2 o 253J0.
    Ditas-om bolachinbade soda muito novas, a
    25000.
    Ditas com biscoitinhos nglezes de muitas
    qualidades, a 15430.
    Chocolate.
    Gosolate superior muito novo, a libra a
    15200.
    Micvro te'.harim e alelria amarella,a libra
    a m rs.
    Oito dito dita branca, a libra a 400 rs.
    Caitas com estrelinha, pevide e outras mas-
    sas, a Gaita .1-5-100.
    Ditas ditaem libras a 640 rs.
    Sa,.a libra a 360 rs.
    eradinha para sopa a Hura a 240 rs.
    Krvilhas mecas, a libra a 160 rs.
    Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
    Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
    Parlaba do aramia verdadeira, a libra a
    500 rs.
    Arroz do Maranhao, em sacca a arroba a
    25400 e a libra a 80 rs.
    Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
    libra a 100 rs.
    Toucinho de Lisboa a 05500 a arroba e a 320
    rs. a libra.
    Do de Santos, a arroba "5000 e a libra a
    250 rs.
    Moltioscom 123 sebolas grandes, a 15280.
    tostante franceza caixa com 2 duzas a
    85000.
    Frasees com mostarda preparada em vina-
    gre, a 400 rs.
    Ditos com conservas inglezas e francezas,
    a 649 c 809 rs.
    Ditos com sal refinado fino, a G40ea500
    ris.
    Ditos com a verdadeira genebra de laranja
    a 15200.
    Dito- de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
    I5J09. *
    Ditos de l garrafa de Hollanda verdadeira,
    a 610 rs.
    Botijas com dita propria para negocio, a
    400 rs.
    Garrafocs com 2 gal5es 'com dita, a C5000.
    Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, c a
    duzia a 65000.
    Vinlio mscate! de letuba, a garrafa a
    15J00.
    Marrasquinho verdadeiro, frascos a &00 rs.
    e a 15200.
    Champagne, a duzla 205000, e a garrafa a
    25900.
    Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
    rafa a 15000.
    Caixa de vinho Hordeaux muito superior, a
    75,83, 95 e 105 a caixa.
    Ditas com dito branco, a 75000 a caixa.
    Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
    ro, a 205- .
    Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
    185000.
    Ditas com chamisco superior, a 145000.
    Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
    cas, a 125000.
    Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 0*0,
    720 e 800 rs.
    Dito de Lisboa muito bom, a caada a
    35309, 35390 e 45OOO, e a garrafa a 500
    e SSO rs.
    Dito da Figueira, das seguales marca, m.)
    (J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
    45300 e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
    que j est engarrafado e lacrado com o
    rollo do armazem.
    Ditos de marcas mais desconhecidas. a rana-
    da a 35500 e 45000 e a garrafa a 480 e
    320 rs.
    Vinbo branco fino, a garrafa a 640 rs.
    Dito de caj muito superior, a garraa a
    800 rs.
    Vinho verde superior.
    A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
    (iemma.
    Sacca de 4 arrobas, a verdadeira de se
    engommar, a arroba a 35000 e a libra
    120 rs.
    Sabio massa, a liDra a 200, 240 e 280 rs.
    tartana.
    saccas grandes com farinha de Goianna mui-
    to nova, a 55000.
    Caf.
    Caf do Rio muito* superior, a arroba a
    85500 e 95OOO.
    Cha.
    Cha temos uestes gneros o melhor possivel,
    hysson, a libra a 25600.
    Dltoperola a 35000.
    Dito uxim a 25700,
    Dilo hysson muilo fino a 25800.
    Dito redondo a 25500.
    Dito preto de primeira qualidade a25o00.
    Bilo mais baixo a 25000 a 15600.
    lj-va mate.
    Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
    Espermacete.
    O masso com 0 vellas de espermacete a 600,
    640 e 720 rs.
    Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
    prlas para mimos a 45 e 2$5jo.
    Nezes.
    Xozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
    Alpista e painco.
    Alpista e pan.ro,a arroba45000 ca libra a
    160 rs.
    Carlas.
    Cartas linas para jogar, a duzia a 25300.
    Caslanhas.
    Castanhas novas viadas ueste vapor, a arro-
    ba 45OOO e a libra 200 rs.
    Azeilonas.
    Barns com azeilooas novas a 15500
    Manteija.
    Manteiga flor, a libra 15000.
    Dita mais abaixo a 800 rs.
    Dita menos superior a 640 rs.
    Dita franceza nova,a libra a 720 rs.
    Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
    G60 rs.
    Ditapara tempero a 400 rs.
    Queijos.
    Queijos novos viudos ueste vapor a 35200 e
    35500.
    Dilos londrinos muito novos, a libra a
    15OOO
    Papel.
    Papel almaco pautado, a resma a 458C0
    Dito dito lizo de linho, a resma a 45500
    Dito de peso lizo e paulado, a resma a
    25500
    Dito de embrulbo bom a 15 e 15200.
    Vinho Madeira.
    Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
    deira a 15300 e 25-
    Temperos.
    Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
    e cravo, a libra a 400 rs.
    Velas de carnauba.
    Massos com 6 velas de carnauba refinada a
    480 rs. -
    Amendoas.
    Amendoas com casca,a libra a 320 rs.
    Doce.
    Caixies de doce de goiaba, grandes a 15400
    e pequeos a 640 rs.
    lijlos de limpar.
    Tijalos de arear facas a 140 rs.
    Grasa.
    Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25600, e
    de latas a 15000, e os boiSes a 240 rs., ca-
    da um, e as latas a 100 rs.
    Charutos fines.
    Charutos finos dos melhores fabricantes da
    Bahia por diversos precos, caixas e meias
    caixas.
    E grande quantidade de gneros tendentes
    a estes estabelecimentos, que deixam de an-
    nunciar-se.
    Pechincha aem igual.
    Lindos cortes para vestido de percales de cores
    claras e escuras com grande variedade de padrees
    pelo baratissimo prego de A$ o corte: na loja das
    columnas a ra do Crespn, id, de Antonio Cor-
    rete de Vasconcellos A C.
    Vende-se urna das mais ricas armacSes para
    loja, tola de amarello, propria para negocio de
    molhados, mas que com urna pequea ttteraco
    serve para tazendas ; vende-se por menos da me-
    tade de seu costo : no armazem da ra da Cadeia
    numero 1.
    POTASSA -
    NEM COROAS NPI MITRAS
    E
    0 MMI10 PR11PALI ROPA FEITA
    .
    GRA1DE ARMAZEM
    RITA DO IMPERADOR W. 40
    Jauto ao scurado cm que mora e Sr. O&borae,
    Duarle Almeida A C. receberam de ana propria eMCowmrn-
    da o mala linde e variado aortlmento de molhados, proprlos
    da presente estaeSo.
    Manteiga ingleza Ma$as brancas
    da safra nova vinda no ultimo vapor a i,ooopira opa a melhor que se pode desejar
    M^mmmmlmMJmMMt WtWiKWkwwlm.
    NO
    1BHAZEH
    DE
    rs. a libra eem barril a 800 rs.
    Manteiga franceza
    da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
    a 560 rs.
    Amendoas
    confeitads de lindissimas cores a 800 rs. a
    libra.
    Ameixas '
    em frascos de vidro com 3 libras liquido a
    20100, muito propios para mimos,
    Cart5es
    com bolos francezes a 500 rs. cada um.
    Latas
    com bolachinhas de soda de todas as qua-
    lidades a 1300.
    Chocolates
    I de todas as qualidades a I 000 a libra.
    Presuntos inglezes
    dos melhores fabricantes a 800 rs., tambero.
    temos Telhos para 500 rs.
    Queijos flamengos
    ebegados neste ultimo vapor a 206oo.
    tueijos
    ebegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
    Queljo
    londrino o mais fresco que se pode esperar
    e de excellante maree a 800 rs.. a libra
    sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
    Conservas inglezas
    as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
    o frasco.
    Figos
    em libras e caixinhas ricimente douradas,
    proprias para mimos a 900 e 10200.
    Cha uxim
    o melhor que se pode desejar, que outro
    qualquer no pode vender por menos de
    30 a 2^600.
    dem pcrola
    especial qualidade a 25700 rs. a libra.
    dem Insson
    o mais aromtico que tem vindo ao nosso
    mercado a 20600.
    Massas amarellas
    para sopa, macarrao, talharim e aletria a
    480 rs. alibra.
    COGXAC
    o muito afamado cognac Pal Brandy a i,800
    rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
    des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
    COPO
    .lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
    duzia, e a 440 e 5oo rs. cada om.
    PAPEL
    almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
    lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
    lhor.
    Papel de botica
    de excellente qualidade a 20200 a resma,
    PAPEL
    azul e pardo para embrulbo de l,4oo a 2,2oo
    rs. a resma.
    Corinthias
    passas corinthias muito novas proprias para
    podim a 800 is.a libra.
    Fumo
    o verdadeiro fumo americano em chapa a
    l,4oo rs. alibra.
    Vinagre
    PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
    cada urna.
    Cebollas
    as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
    e l.ooo rs. o molho.
    Alpista o Painco
    o mais novo do mercado a 14w rs. a libra,
    e 40400 a arroba.
    CEBLAS
    muito novas a 10000 o cento na ra do Quel-
    mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
    go do Carmo n. 9
    GRAO DE BICO
    muito novo a 34400 a arroba e 140rs. a li-
    bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
    Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
    QUEIJO SUISSO
    muito fresco a 800 rs. a libra na ra do
    Queimadoa. 7, ra do Imperador n. 40 e
    largo do Carme n. 9
    macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
    libra e 40500 a caixa.
    Vinho
    Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
    ditadas a 500 rs. a garraa.
    dem de Lisboa
    e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
    20800 a caada.
    dem do Porto
    generosos engarrafado dos melhores fabri-
    cantes fia cidade do Porto a 10 e 10200
    a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
    cas sao asseguintes: Chamisso Filbo,
    F. de %., Nctar ou vinho dos Deuzes,
    lagrimas do Douro eoulros muiloi.
    Latas
    con 10 libras de banha a 40000.
    Bolachinha ingleza
    a 10800 a barrica da mesma que
    vendem a 20000 e 2^400.
    Nozes
    as mais novas do mercado a 120r* .di bra.
    Cervejas
    dos melhores fabricantesje de todas as mai
    cas de 40500 a 150500 a duzia.
    C-ARUTOS
    Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
    meias caixinhas a 10500.
    Arroz
    do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
    a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
    roba desses que vendem por 30400.
    CAF
    de 1.* e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805?
    e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
    Garrafes
    com 4 V* garrafas com vinagre a 10000ca
    o garrafio.
    GENEBRA DE LARANJA
    verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
    a caixa.
    DEM
    em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
    12 frascos.
    GENESRA
    de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
    rs. cada urna.
    PALITOS
    os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
    e2o rs. cada caixinha.
    LICORES
    finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
    com urna duzia e l,ooo a garrafa.
    Marmelada
    dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
    jam Abreu e outros muitos 600 rs. a
    libra. ^
    Pregunto
    o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
    a libra.
    ARROZ
    Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
    de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
    VELAS
    de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
    a libra e em caixa ter abatiraento.
    VELAS
    de carnauba em caixas do arroba a 9,3oo e
    caixa e 34o rs. a libra.
    Batatas novas
    em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
    a libra.
    Passas muito novas
    em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
    a caixa e 400 rs. a libra,
    Chocolate
    portuguez o mais especial que se pode de-
    sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
    Frutas em calda
    chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
    outros muitos a 640 rs. a lata.
    Dsce da casca da goiaba
    a 600 e 10 o caixe.
    GOMMA MUITO NOVA
    em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
    roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
    mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
    do Carmo n. 9
    BOLACHINHAS
    em latas de defferenles qualidades a 10200
    a lata
    QUEIJOS FLAMENGOS
    che^adosneste ultimo vapor a20800 na ra
    do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
    40 e largo do Carmo n. 9.
    Os proprietarios do grande armazem o' Verdadeiro Principal declaram aos seus
    freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
    tipularam os mesmos precos nos seguintes logares:
    0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
    FARELLO DE LISBOA
    Marca N verdadeiro era saccas novas e grandes a 40500: na ra do Imperador n. 40.
    t*___________,
    NOVIDADES.
    Queijos do Alentejo. ditos das ilhas o mais fresco que se pode dese-
    jar a 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abalimento, ricas caixinhas
    redondas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato preco de 40
    cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 10500
    cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
    Imperador n. 4.
    ; %W^$ % *\fl&%o
    LKTKXinO VEBX.
    Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roopa feita de
    todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
    rentes, para o que tem um dos melhores professeres, assim como tambem tem um'
    grande e variado sortimento de fazendas de toda* as qualidades, para enhoras,
    bomens e meninos.
    300000
    250000
    Casacas de panno preto, 350 e
    Sobrecasacas idem, 300 e .
    Paletos idem e de cores, 250,
    200, 150 e......100000
    Ditos de casemira, 200, 150,
    120, 100 e...... 70000
    Ditos de alpaca, 50, 40 e .
    Ditos ditos pretos, 90, 70,
    50, 40 e......
    Ditos de brim e ganga de co-
    res, 40500, 40, 30500 e. .
    Ditos branco de linho, 60,50 e
    Ditos de merino preto de cor-
    dao, 100, 70 e.....
    Calcas de casemira preta, 120,
    160, 80e......
    Ditas de cores, 90, 80 e. .
    Ditas de meia casemira de co-
    res, 50000 e.....
    Ditas de princeza e merino pre-
    to de cordo, 40500 e. ,
    Ditas de brim branco e de co-
    res, 50, 40500, 40 e .
    Ditas de ganga de cores, 30 e
    Colletes de velludo preto e de
    Ditos de setim preto. .
    Ditos de ditos e seda branco,
    W e.......
    Ditos de gorguro de seda
    pretos e de cores, 60, 50 e
    Colletes de fustSo e brim bran-
    co, 30500,30 e .
    Seroulas de brim de linho,
    20400 e ......
    Ditas de algodSo, 10600 e. .
    Camisas de peitos de linho,
    40, 30 e......
    Ditas de madapolSo, 20500,
    20e........
    Chapeos de massa, pretos fran-
    cezes, 100, 90 e. .
    Ditos defltro, 50, 40,30500 e
    Ditos de sol, de seda, 120,
    0,70e......
    , Collarinhos de linho fino, ulti-
    40000 j. ma moda duzia. .
    ! Sortimento completo de grava-
    20500 tas.
    205001 Toalhas para rosto, auzia, 110,
    30500
    30500
    30000
    40000
    50000
    70000
    70000
    I
    40000
    20500
    20000'
    10400,
    20500
    10600
    80500
    20000
    60000
    60000
    60000
    e........
    cores, 90 e......70000, Chapeos deso, de alpaca, pre-
    Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores.....40000
    Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho. 30000
    40 e........30500 Cobertas de ehita chineza.. 20500
    DE
    J. VIGNES.
    N. 55. RIJA DO IMPERADOR N. 55.
    Os pianos desla antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre t
    sua superioridade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas ineontesta-
    veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesia praca ; odo-
    suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
    nunra falhar, por seren fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
    tissimot para o clima deste paiz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito grada-
    veis aos ouvidos dos apreciadores.
    Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
    correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicSes.
    Ne mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento musicae dos
    melhores aulores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide por
    preces commodos e razoaveis.
    CONSULTORIO UMIRURGICO
    DO
    DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
    MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
    3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
    O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
    horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
    Pharmacia especial komeopathica
    No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
    tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisages e pelos preces seguintes
    Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
    de 24 tubos grandes. 180000
    de 36 tubos grandes. 240000
    , de 48 tubos grandes. 300000
    > de 60 tubos grandes. 350000
    Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os reai;ii
    que se pedir. \
    Um tubo avulso ou1 frasco de tfntura de meia onra 10rOO.
    Sende para cima de 12, custaro os precos estabelecdos para as carteiras.
    Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
    LITROS.
    A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
    dons grandes volumes com diccionario............ 200000
    Medicina domestica do Dr. Hering,........... 100000
    Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 60000
    Diccionario de termos de medicina......., 30000
    Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
    to de serem novamente recommendados aspessoas que qoizerem osar de remedios ver-
    dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
    dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditados
    estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener-
    ga e certeza em seus effitos.
    Casa de sade para escravos.
    Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
    operaco, para o que o annunciantejulga-se suficientemente habilitado.
    O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
    funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
    pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
    doentes.
    Paga-se 20000 por dia durante 60 dias edah emdiante 10500.
    As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
    azoaveis que costuraa pedir o annunciante.
    Vendem-se charutos da Bahia de varias qoa>
    lidades : era casa de Monhard & C, ra do Tra-
    piche n. 48.
    Fabrica Coneei$o da
    Bahia.
    Andrade A Reg, recebem constante-
    mente e tem venda no seu armazem n.
    34 da ruado Imperador, algodao 'aquel-
    la fabrica, proprio para saceos de assu-
    i ear, embalar aigodao em pluma etc., etc.,
    i pelo preco mais razoavel. i
    Vide-M potasa om barris a comnwdo pre?o o
    na mi da Cruz n. 23, primeiro anir, eseripton:
    de Antoiio de Almeida Gomes.
    GAZ GAZ GAZ
    Vende-se gaz da melhor qualidade a
    Ii0 a lata : nos armazens da ra do Im-
    perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. $
    "Bixas de Hmburgo
    Vendem-se na ra Nova n. 61.
    Superior cal de Lisboa.
    Vende-se soperior cal ii Jsfc a mais nova
    que ha ne raercdo, Unto em porc5o co-no a reta-
    Ibo Dor barato jryi. afiancando-se aos compra-
    dore aperior qnalidado: a tratar aas segniites
    ras: Crespo n. 7, Imperador n. 88, Forte do Ma-
    los, armazem do Sr. Avilla, defronte trapicha
    i algodo.
    A' loja do Porte
    Na espina da ra da ladre de Dees n> 45
    Chegou pelo ultimo vapor francei nm completo
    sortimento de calgados, sendo de Nantes para ho-
    rnera, e diversas qualidades para senhoras e me-
    ninas, ha tambem um completo sortimento de fa-
    zendas e roopas feltas, tudo muito barato.______
    Vende-se um caiao grande de deposito, pro-
    prio para rena^ao ou padaria : na ra Imperial
    n. 45. ______________________
    Pichincha, a 3?OO
    Peca de madapolio com om toqne de avaria
    para forro, por 3# : na ru do Lr?rusento o.
    AGENCIA
    AGENCIA L0W-M001.
    Ra da Semalla eva n. 42.
    Neste estabelecimento contina a have
    nm completo sortimento de moendas e meias
    | moendas para engenho, machinas de vapor
    ; e tachas de ferro batido e coado, de todos os
    lmannos para ditos.
    Arados~americanos e machinas para
    lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C,
    ra da Senzalla Nova n. 42.
    Vende-se machina para descansar algodio
    com motores* para animaes : na roa da Senzali
    Nova n. 42.
    MGICAS.
    Na ra da Imperatriz n. 63 acha-se venda nm
    pequeo gabinete completo de physica, ou instru-
    mentos para mosteas, que pode servir para algum
    curioso dar represeniac5es pelos arrakaldes, pola
    comp5e-se de moitas e variada* aortas.
    Feij&Q
    Vendem se saceos com 22 enias de fejo rajado
    do Porto por 11#, em cutes a 810 : m roa Dlrei-
    ta n. 8.
    l.-r



    DiarU de Peraaaabneo Qaintn leln de Jauelr* de 1 S4.
    I
    \
    $
    r

    >
    .
    i i
    I *
    m
    # NOTOS VESTIDOS DE PHANTASIA
    rhiOT"1 odetuo* vestidos de deutelle de seda com barra, nteiramenu notos
    em gosto qaalidade : loja das columnas, na raa do Crespo t. 13, de Antonio Crrela
    de Vascoocellos & C, successores de Jos Horeira Lepes.
    Fazendas de bom gosto
    Para vestidos de senhora
    Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorgorito e de selim imperial.
    Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
    Ditos de lia com barra e grande variedade em cores e padrdes.
    Ditos de organdys com barra
    Liadas sedas de quadros escosseza e miudas.
    Superiores lias lisas com grande variedade de cores.
    Ditas com salpicos, com flores e de quadros.
    Liadas pampolmas de quadros e de Dores, fazenda integramente nova.
    Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandys.
    Grande variedade de cbita.de cores, de percalia eoutras multas fazendas de gosto.
    Para hombros de sentara
    Liadas capas e bournoux de casemira de cor.
    Ditas de lia t de seda.
    Grande variedade de sout'embarqnes de seda de 185 a 405.
    Manteletes de seda.
    Superiores basquinas.
    Superiores chales de seda, de merino estampados Anos, de cachimira com listras de
    seda e de fil preto. f
    Camizinhas modernas, zuavos braneos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
    linhas com punlios e outros muitos artigos.
    Para cabeca de senhora e menino
    Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
    Ditos de feltro enfeitades para senhora.
    Ditos de palha enfeitados para menino.
    Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
    para senhora.
    Na loja das columnas da rna do Crespo o. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
    os A C.
    GERAIi RECOMMENDA^I
    AO PUBLICO
    em o menor constran-
    glmento se entregar o
    Importe do genero que
    So agradar.
    ATTENQ0
    Os precos da seguate
    tabella para todos, po-
    de ndo asslm servir de ba
    se para o ajaste de coalas
    eom os portadores.
    A LESiTIMA
    M1M CONSERVATIVO
    23Largo do Terco23.
    Joaqnim Sim-o dos Santos, dono deste bem sonido armazem de melbados faz sciente erag
    recommendaco aos seas amigos, freguezes e a todos em geral, que est resolvido a vender os seas
    bem coahci Jos gneros de primeira quaiidade,por menos de 10 a 20 por cento, menos do que em ou-
    tra qualquer parte a dinheiro contado.e todo o comprador que comprar de 505 a 100$ tera o descon-
    t de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; e por isso se faz annnncio de- algnns gneros,
    para com este meibor se certificaren].
    ARMAZEM UNIAO ME
    RA Al CAWEIA BO RECIPE M. 53.
    (Loge patuidi a arce da Cenceic)
    Grande redaceio de precos, equivalente a dez por cento meaos do que ouro qualquer
    aoouuciaate.
    Collegas.N5o posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim e de outros
    amitos objectos, etc., dando com isto ocasiSo a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em'
    alta voz, que podem vender pel preco que eu vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo'
    systhema que vim encontrar, dels se vender com umpor cento carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris!
    pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura de momoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
    se sabia de outro preco de manteiga ingleza a n3o ser o de Moe a 1,600 rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que'
    estao obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamado de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
    al informado deste novo estabelecimenlo. para lbe vender goneres nao proprios de um estabeecimenlo desta ordem que o seu fim
    to smente obter a coDCorrencia de sens freguezes.
    Para bem de todos.
    Senhores e Senhoras i aceto que presidid, aos arranjos deste novo estabelecimenlo, e mais que ludo apromplido e entei-
    reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida .tas darlo a proteccao e preferencia na compra
    dos gneros que precisarem, e guando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, a infla que estes sejam penco praticos, pois
    serao to bem servidos como sef iessem pessoalmente, haveodo para com estes toda recommendagao, afim de que nao vo em oulra par te
    Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
    Maesas para sopa maearro, tatbarim e aletria a
    2U rs. a libra e em caixa a o.
    foacinho de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
    a libra e 85800 a arroba.
    Saf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
    e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8}e
    8J500.
    Gboricas as mais novas do mercado a 580 rs. a
    libra e em barril a 125- *
    Passas iadas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
    e a caixa a 8.
    Batatas emgi'gos de 35 a 49 libras por 25400 a ar.
    roba e a 80 rs. a libra.
    Cha hysson mindinho superior qaalidade a i200,
    2*000, 24500 e 3 a libra.
    Vinho de Pigueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
    500, 400 e 640 rs. a garrafa,
    dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
    e a caada a 24400 e 24700.
    Milbo alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
    bra e a arroba a 44400 e 4}200.
    Phosphros do gaz vindos por coma propria a 180
    rs. o maco e a 24 a groia.
    Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
    lio a 24800 e a caada a 44500.
    Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs. a
    garrafa e a duzia a 54800.
    Figos de Comadre maito novos a 280 rs. a libra e
    em barril ou caixa se far abatimento.
    arroz do Maranhio e Java a 100 e 80 rs. a libra
    e a arroba a 24860, 24 e 24400.
    Assim como ba um grande sortimento de charu-
    tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
    em botijas, bolachinhas de soda, conservas,choco-
    late, marmelada, vinho engarrafado e outros mal-
    tos gneros qae enfadonho menciona-los, e se al-
    guem duvidar venba ver.
    JOS CUMIES VILLAR
    Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
    Pretendendo Ir muito breve a Europa tralar de sua saude, pede aos seas devedores
    tanto do mato como desta praca que saldem seus dbitos quaoto antes, e
    Protejam Excellenti sumas senhoras a tsse impor-
    tante estabelecimento.
    Fazendas mtuto proprias para a quaresma, grs preto, moreantiques. cortes de se-
    das pretas, capas pretas, casacoes, soutembarques, chapeos de palha, chapelinas de palha.
    Buwnus preto* de renda
    o que de mais bello e mais imprtame para os hombros de urna Excellentissima senho-
    ra, assim como chales de renda de apurados gostos, camisinhas bordadas.


    F. J. Germann, a ra Nova n. 21.
    Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objectos que de mCi't
    de encontrar em urna relojoaria, taes como : ebronometros martimos e de algibeira, relopios de ouro
    e prata, dourados e foliados, ditos para mesa e de parede, francezes, suissos, allemaes e americanos
    reguladores de compeosacao, relogios grandes cora msica e sem ella, dito de sol montados com pecas
    para disparar em certas horas, despertadores de diversos taannos, caixas com msicas, igual sorti-
    mento de oculos e lunetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, ac, e varios metaes, oculos o
    lunetas especiaes para senhoras, de ultimo gosto, ditos proprios para os que foffrem de infla'mmaroes
    nos olhos, tabricados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
    Pernambuco, os quaes s se vendem por consulta dos mdicos, vidros de cryslal branco e de cores
    oculos de alcance para o mar e outros proprios para observacoes astronmicas, oitantes e sextantes'
    binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros ter-
    mmetros, caixas de instrumentos mathematicos, correles e chaves, sioeles e trancelins de ouro 'dou-
    rados e fuleadas, ludo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qualquer concert e encommend'a dos
    objectos roencionados,_ o responsabilisa-se durante um auno por qualquer relogio vendido ou concert
    feito, em seu estabelecimenlo; e veade por menos que pode fazer outro qualquer.
    escomida a 8oe rs. a libra, un barril se
    faz abatimento.
    dem franceza a mais nova que lem vindo ao
    mercado a 56o rs. a libra, e meios a 5oo rs. -
    Cha hysson de superior qualidadu a2,6oe rs.
    a libra,
    dem perela o mais superior do mercado a
    2,8oo rs.
    dem huxim o melhor que se pode desejar
    neste genero 2,6oo rs.
    dem preto homeopatliico por ser de superior
    qualidade a 2,ooo rs. a libra.
    dem hysson, huxim e perola mais proprio
    para negocio o 1,600, i,800 a2,ooo rs. a
    libra, garante-se ser muito regular, igual
    ao quese vende emoura paqe por 2,4oo
    e 2,6oo rs.
    Linguicas, cbooricas e paios em latas de 8
    libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
    garante-se serem superiores aos que vem
    em barris.
    Chouricas e paios em barris de meia e urna
    arroba a 8,000 rs. e I,5oo e 6o rs. a libra.
    Queijos flamengos muito freseqs chegados
    neste ultimo vapor a 2,2oo rs. je do vapor
    passado a 1,600 e 1,800 rs.
    rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
    mento.
    Gaf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
    e 8,5oo rs. a arroba,
    dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
    a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
    dem do Cear de superior qualidade a 24o
    e 28o rs. a libra, e 7,8o a 8,000 rs. a
    arroba.
    Arroz do Maranhio a loo rs. a libra, e 3,ooo
    rs. a arroba,
    dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
    libra, e 3,000 rs. a arroba,
    dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
    a arroba.
    Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
    rs. a arroba.
    Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
    600 rs. e de barril muito superior a 5oo
    rs. a libra.
    Aletria, maearro e talharim a 4oo rs. a li-
    bra, e 9,ooo rs. a caixa.
    dem e talberim branco a 32o rs. a libra,
    estas massas tornam-se recomendaveis as
    pessoas doentes por serem propriamente
    feitas para esse fina.
    Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
    25 libras a 52o rs.
    dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino exceileote qua-
    vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
    ro se faz abatimento.
    dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
    dem do Alentejo o que se pode desejar de
    fresco e superior a 800 rs. a lifera, a elles
    antes que se acabem.
    Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
    paradas a 64o rs.
    Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
    bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
    Prezunto do reino vindos de casa, particular
    a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. iriteiro.
    dem inglezas para (tambre chegado neste
    vapor 72o rs. a libra.
    Copos lapidados para a gua a 5,oo e 5,5oo a
    duzia,
    Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
    I.oooe I,2oo rs. a libra.
    Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
    por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
    rente e de superior qualidade, tambem tem
    de 12 por libra propria para ca|rro.
    Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
    da, salm"o, ostras e chernee, vezugo era Bo
    lidade proprio para engarrafar em ancore-
    tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
    Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
    4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
    3,ooo e 3,8oo rs.
    Vinho branco de Lisboa de escolente quali-
    dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
    a 3,ooo e 3,5oo rs.
    Vinho branco para missa em caixa de i duzia
    a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
    Vinho do Porto das melhores marcas, que
    vem ao mercado como sejam Lagrimas do
    Douro, Duque do Porto, DuqueGenuioo,
    D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
    Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,000 a
    lo.ooo rs. ea9oo e i,000 a garrafa.
    Vinho Colares o mais superior que tem
    vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
    Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
    a 36o e 56o rs. cada urna.
    Sardinhas portuguezas em latas grandes
    preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
    boa a 64o rs.
    Cassas para vestidos.
    Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
    Superiores cassas franceas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de ramagens, com grande
    variedade de padroes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baratissimo preco de
    300 rs. q covado :' na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
    & uomp.
    Versos ao Divino
    Achara-se a venda na ra do Imperador n. lo
    defronte de S. Francisco por preco de 160 rs. ca-
    da um exemplar em brochura, versos ao Divino,
    proprios para se cantarera depois ou antes de
    qualquer solemnidad1, testa, novena eu mesmo
    em casas particulares.
    Testamentos.
    Acham se a venda os seguintes testamentos,
    obras proprias para entreter em horas vagas na
    ra do Imperador n. 15, defrente de S.Francisco :
    da gallinha, gallo, per, leao, onga, tigre, caxorro,
    vigario, porco, pelleja entre urna alma, S. Miguel
    e o diabo a 160 rs. cada um exemplar.
    Milbo aovo em sacoes grandes : no trapiche
    do Cnnha, a tratar com Tasso Irmaos._________
    Tapioca e gomma.
    Vende-se superior tapioca e gorama do Mara-
    nbo, em panelros : naEscadmha, armazem doSr.
    Annes.______ _______
    Presuntas.
    Vendem-se presamos de carneiro muito gordos
    e bem preparados : na ra da Cruz n. 19.______
    Vende-se um sobrado de um andar, chaos
    proprios, sendo no largo do Terco : qcem pretn-
    delo dirija-se a travessa da Madre de Dos n. 7
    Vende-fe nm boi bastante gordo e novo para
    carroca, assim como um canda aberta bem cons-
    truida com ponco nzo : a tratar na rna da Con-
    cordia n. 4, das qnatro horas s seis da tarde.
    Vende-se 75 jardas de oliado 'matlsado pro-
    Bfio para forro de sala, na roa do Queimado o. 34)
    Vinho do Prt snpemr
    em barris de lavo e dcimo, venda Antonio Lnw
    de Oliveira Aievedo 4 C.: no sen eseriptorio roa
    da Obi m. 1
    Vendem-se 100 saceos de maito boa farinha
    da Santa Catharina ; do armazem n. 19 da ra no-
    aa de Santa Bita, nfceira do peixe.
    COMPENDIO DOLOROSO
    que contm o officio de Nossa Senhora das
    Dores; o modo de resar e offerecer a co-
    rea, um setenario e mais outros exerci-
    cios de piedade e devoco; ordenado pe-
    la irmandade dosservos da mesma Se-
    nhora que se acha erecta na egreja de N.
    S. da Peoha do imperial hospicio dos re-
    verendos padres missionarios apostlicos
    capuchinhos italianos de Pernambuco,
    approvado por S. M. I, que Deus guarde;
    dado luz por devocSo do muito reve-
    rendo padre Fr. Placido de Minina.
    Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
    da pra^a da Independencia.
    latas grandes a 800 e 1,000 rs. cada urna.
    Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
    das que tem vindo ao nosso mercado a
    6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa> garante-
    se ser de qualidade superior, que outro
    qualquer nao pode vender por este preco.
    Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
    5,7oo rs. a frasqueira.
    dem de laranja verdadeira de Atona em
    frascos grandes a 1.000 rs. o irasco, e
    l \ ,00o rs. a duzia.
    dem de Hollanda em botijas grandes 4oo
    achinhas inglezas as mais novas do mer-
    cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
    libra.
    Bolachinha de soda em latas com diversas
    qualidades a I,3oo rs.
    Bolo francez em caixinhas muito proprias
    para mimo a 64o rs.
    Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
    libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
    Figos de comadre a 24o rs. a libra e
    l,8oo rs. a caixa cem 8 libras.
    Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
    Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
    Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
    por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes'
    mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
    de 3 libras por l,5oo rs.
    Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
    por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
    tamanbos com" bonitas estampas na caixa
    exteriora l,2oo, l,5eo, e i,800rs.
    Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
    de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
    caixa com urna duzia.
    Batatas muito novas a 5o rs. a kbra e 2,ooo a
    caixa com 2 arrobas.
    Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
    8,5oo a duzia.
    Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
    Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
    Molho inglez em garrafa de vidro com
    rolha do mesmo a 5oo rs.
    Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
    800 rs. o frasco.
    Mostarda franceza em potes ja, preparada
    a 4oo rs.
    Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
    rs. a libra.
    Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
    grandes a i,000 rs. e U.ooo a duzia-
    Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
    Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
    mesmo a 5oo rs.
    Cerveja branca e preta das marcas mais a-
    creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
    ' 5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
    Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
    Sevadinha d Franca maito nova a2oors.
    Charutos de todos os fabricantes da Bahia e das
    mais acreditadas marcas conhecidas no
    nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
    3,5oo e 3,8oo a 'caixa de loo charutos.
    Cognac inglez das melhores marcas a
    1,090 rs. a garrafa.
    Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
    bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
    cada um.
    Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
    libra.
    Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
    32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
    Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
    e 4,8oo a caada.
    Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
    e 36o rs. fem barril. '
    Capil de diversas frutas muito frescas a
    64o rs. a garrafa. '____
    Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
    Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
    32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
    LAmeixas francezas em latas de 3 libras por
    2,ooo. rs.
    Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
    molhos com cento etantas por l,2oo rs.
    atte excellente cha para os navegantes a
    a 2oo rs. libras.
    PREPARADA UICAMEliTE POR
    LAN1AN k KEHP,
    NOVA YOEK.
    Composta de substancias, gozando de
    propriedades eminentemente depurativas:
    approvada pelas juntas c academias de me-
    dicina ; usada nos principaes hospilaes, ci-
    vis. militares e da marinha as Antilhas e
    no continente americano ; receitada pelos
    facultativos os mais distinctos do imperio do
    Brasil e da America liespanliola
    CURA RADICALMENTE
    escrophulas, rheumalismo, escorbuto, en-
    fermidades venreas e mercuriaes. chagas
    antigs, morphea e todas as molestias pro-
    venientes d'um estado vicioso do sangue.
    Emquanto existem varias imilaces e
    falsificacos, preciso a maior cautela para
    evitar os engaos,
    A legitima salsa de Bristol vende-se por
    CAORS & RARBOZA
    JOO DA C. BRAVO & C.
    Vendem-se no Recife em casa de Caors
    Barboza e Joao da C. Bravo & C.
    I
    Caz liquido, candieii-os e seus
    perenecs.
    No deposite do mesmo, na ra da Croi n. 35,
    vende-se gaz o mais apurado, em latas de 5, l e
    1 galao, assim como em garrafas; tem tambem
    venda candieiros para o dito de diversas qualida-
    des, e pertences para os mesmos, avolsos, das mais
    pequeas s maiores dimensbes, tndo por precos
    commodos.
    Eeijao.
    9- Rea 4a Madre de Deos-9
    Vende se fejao mnlatinho novo, saceos de 22
    cnias, o mais novo qne se pode desejar, e mais
    baralo do que em outra qualquer parte.
    Vendem-se alg-nldares vibrados e quartinbae
    era porco e a retalho por preijo muito barato s
    na rea da Senaala Velha n. 120. __________
    -* Vende-se e alnga-se em porclo e a retalho
    bichas de Hambnrgo de snperfor qaalidade por
    menos do que em outra qualquer parle.: na raa
    do Vigarie ns. Se i5.
    Ifwiiiem de siiolttado
    81 -MUA DO IMPERADOR--81
    Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
    Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
    publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
    com um bello e bem sordo armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
    como sempre caprichou tenias melhores qualidades, efrancamente affiancas pessoas que
    se dignarem comprar em seu estabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
    te serao mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
    sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao illude a pessou alguma.
    Aos Srs. de engenhp e lavradores que o queiram honrar como iseu comitente Ibes
    assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
    do desta praca, para o que se j ulga convenientemente habilitado pela longa pratica com-
    mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
    rem Belmente umprido as suas ordens.
    Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantesque lhe merecam confianca, fa-
    zendoum abate vantajoso aos qaepagarem a vista suas mercadoriasJ e encarrega-sa da
    venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commissiSo, entregando de
    promplo seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
    prescindir da commissao.
    Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annuncianle sua va iosa proteccio, fre*
    qoentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhes tril uta offerece expon-
    taneamente seus serviros.
    Jolga desBeeesariopublicar a tabella dos precos de seus gneros s5o seus recursos
    garanta suficiente de poder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
    mais apparatosos estabelecimenlos, tendo somente em vista o augm mto de suas vendas
    diarias
    I"reY-o<5o necessarla.
    Teudo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o m
    ci ni mesma roa, julga prudente advertir que s affirma e se re:
    tem declarado no qae disser respeito ao armazem.
    S P BDSBCAfBTOtL
    81-RUA DO IMPERA
    e ramo de nego-
    nsabilisa pelo que
    Segunda casa do lado direito indo do palci do Collegxo,
    l-8f
    C/30 rt <
    cHf
    es B
    _ c
    es
    - ^ 3
    2 8 &-*
    8" i
    la
    c* e o
    o
    es
    &&9
    es
    CJ
    T3 as
    es> c*
    O O OQ
    s-gss 3
    ~1 S TI' -"
    09 GA Qa
    S3
    o a. c
    t M O -r
    s
    5
    C O O -^ rr"-i b O O
    os 10 S.IB
    " o. .^a 3 K -,
    9='OB" &
    -"*
    2- S S?
    U ls?
    '1J5 go
    . o r*
    3^
    3
    Hg
    f
    O. 03
    a> *
    s
    o a,
    . E'
    es
    &I-r^
    8 S"
    2 v
    c
    o
    e
    =5 ?
    o
    s
    o.
    es
    CA
    0>
    s
    3
    g
    c
    Agua Florida.
    Para restabeleeer e conservar a cOr natural
    dos cabellos.
    A agua florida nao ama tintura, fcto esseo-
    cial a contestar, a mesma agua dando a car primi-
    tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
    de substancias inoflensivas, ella tem a propriedade
    de restituir aos cabellos principio corante qne et-
    ica tana perdido. D'nma salobridade incontesta-
    vel, a Agua Florida entreten) a limpeza da cabera
    destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
    Oleo de Florida,
    Composto de substancias vegetaes exeticas, elle
    constrie poderosamtr**, eom a Agna Florida, a
    (torca, a belleza e a eonsefracio toe eabej:.
    Em Paria, casa de Quislaur n. 12, roa de Ricbe-
    llen, e II, boulevard Montrnarle,
    Todos os frascos, lio tende intacto e claro, e
    timbre prateade da casa, sao reputado falsos.
    Deposite, rna do Imperador, phannacia n. 38.
    o armazem de fazendas ba-
    ratas de Santos & Colho
    Roa do Qocimadu n. 19.
    Tende-se o segnlne:
    Lences de panno de linho
    pelo baratsimo preco de 2#400.
    Lences de bramarte de linho
    de nm s panno a .'ioOO.
    Coberta de chita da India,
    pelo baratissimo prego de 24500.
    Lencos de cambraia braneos
    proprios para algibeira, a > ,1 duzia.
    Peras de breanha de rolo com 10 varas
    propria para saia,a 4.
    Pecas de cambraia de forro, a 2S600.
    Esteira da India
    propria para forrar salas, de 4, 5 e 6 palmos de lar-
    gura, por menos preco do que em outra qnalquei
    parte.
    Toalhas alcochoadas para mos
    a 3,5 a duzia.
    Laazinhas carmezim miudinhas
    proprias para vestido de menina, a G00 ris o co-
    vado.
    Laazinhas de cores finas
    do meibor g>to que ha no mercado, a 560 ris o
    covado, neste armazem de fazendas se encontrar
    um grande sortimento de roupa feitae per medida
    Livros baratos.
    Vende-se pelo cusi da Europa f.s seguintes
    obras: Demolombe, conrs du rod Jaiolcon 19
    volumes, encadernado em couro 76^, TrorJIong 6
    vois. ene. em gr. 8 fr. 485, diccionnaire de la con-
    versaron ourepertoire de toutes les connaissanecs
    necessaires dans la vie sociale, ct .relalives mu
    sciences aux letres et anx arls, l'histoire, Geo-
    graphie, Droit, etc., 26 vols. ene. com grav 75,8,
    Barn de Locr, legislation civile, ecmmerciale e
    criminelle de la france ou commenlaire de rinq
    rodes franjis, vol. ene. 505, Rcgrtn les codcs
    francais expliques 2 gr. a 4 18$, Pardessus
    droit commercial 4 vol. ene. 12,5, Le Juif Errant
    3 vols, 105, e outro muitos livros, que enfado-
    nho mencionar : na ra da lrr peratriz n. 53.
    Assocar crystalisado da fabrica
    2 de Julho
    Na Bahia.
    Noa/mazetE da rna da Madre de Dos n. 28,
    ha venda o mallo superior assucar en stalisadt-,
    em saceos e 2 arrobas, ao proco de 55 cada sr-
    rjb
    ESCBAYOS FIBS.
    30$G00
    de gratificacao a quem apprehender a molata de
    nome Luiza, que acha-se ausente desde o dia 14 do
    crreme, com um moleque de nome Alfredo, amo-
    lata tem os signaes seguintes: i ade 16 a 18 annos,
    haixa com urna pequea ciealriz no cogote, cabel-
    los curtos e bastante carapinhos,eomoleque com ida-
    de de 10 annos pouco mais ou menos, tem marca
    de bexigas, bastante disfarcado, lem orellias fun-
    das, levou caiga e camisa de azulo, sahiram am-
    bos a vender, cada um com sua bandeija de man-
    ga e ovas do sertao ; pede-so a qualquer pessoa
    que delle souber que os leve ao sitio do apauo a-
    sigoado na travessa de Joao Fernandes Vieira n. 0,
    que receber a graiiOcarao cima.
    Guilherme Joaquim da Silva Braga.
    D-se 505 de graiifiraco a quem agarrar o
    cabra Caetano,qae contina a estar fgido e acui-
    tado nesta praja, pois j lem sido visto por diffe-
    renles pessoas e por diversas vezes.o qual de es-
    tatura mediana, cabellos crespos e j pintados,
    nariz grande e arrebitado, espadando, perras finas
    e um pouco tortas, ps apalhetados, fallando-lhe
    algumas unhas, andar um pouco corcovado, est
    com o rosto um punco plido e enxado, pode ter
    de idade 25 a 30 annos, bastante ladino e velha-
    co presnme-se que esteja engajado em alguma
    coebeira ou sitio a pretexta de pagar semana, pois
    nao lia quem o conheea por forro : na rna nova
    de Santa Rita n. 7 aos Srs. Siqueiras & Santos cu
    no engonhoPar, se dar a mesma gratificacao a
    quem aMi o entregar.
    Fogio no dia 16 do corrente desta po*oa{ao
    dos Afogados, a preta Antonia, de nacjlo, baixa e
    que representa ter 70 annos de idade pouco mais
    ou menos, levando saia e chales preto, a qual
    pertencente ao espolio do finado Manuel Jos Frei-
    r de Andrade; cujo depositario abaixo assignado
    roga as autoridades policiaes a captara da sobre-
    dita preta ou a qualquer pessoa, que delta souber
    que ser gratificado.
    Camillo Lins Chaves.
    Auscntou-se em 29 de dezembro passado de
    eugenho inga de eima, no Cabe, a mnlatinha
    Jonna, de 14 annos provaTeis, comprada a 26 dias,
    no Recife, a Jos Firmino de Medefros por procu-
    rado de sua av Josepha Mara dos Prazeres, mo-
    radores ambos no Brejo da Madre de Dos, tea* es
    signaes seguintes : cor alvacenta, manchas no
    rosto, cabello caraplnbo e meo, com orna cicatriz
    na testa, corno regular, com todos os dentes, sem
    peitos, as pomas finas, vestigios antigos de chirote
    nocorpo, padece de bobzs as partes ocrnlta?, a
    falla as vezes viciosa : roga-se s autoridades a
    sua captara, e a qualquer particular, pedeado ser
    remettido para o referido eBgenbo, oo a Jeae Jos
    de Carvalhe Moraes Filho, ma do Queimado n. 13,
    que serSe gratificados. ________
    Frigio no da 22 do corrente, do engenho Peco
    freguezia de Agna-Preta, a escrava Mara, idade 20
    annos, cor preta, nariz chato, ps e mos delicados,
    bracos finos, bastante ladina, de suppor que ti-
    vesse tomado adireccao desta praca ; por tanto pe-
    de-se as autoridades policiaes e aos senhores ebe-
    fes das estacSes a prisao de dita escrava : quem a
    pegar leve a rna de S. Goncallo n. 36.
    -



    Mario de rernambco --- Unala lelra te de Janeiro de t S5
    As coatas do Brasil.
    (Cmic/ms5o.)
    t Logo ao S. desle recife, e Da mestna direcgo
    (Jo SSE) segu para o S. um oatro, tambem com
    pedras solas para o lado da costa chamado Recife
    da Lixa, e para o S. do Recife da Lixa seguo na
    mcsma directo um outro chamado do Susle ou
    de Sebastio Gomes, derivando o norae de Sueste
    em consequencia do esnal que ha cm urna que
    brada delle, e que, com esse rumo de SE, cstan-
    do-se na aitura da barra de Caravellas, dizem os
    naturaes do lugar, passa se perfeilamonte por ahi,
    indo ler ao S. das ilhas dos Abrolhos.
    i Este recife de Sebastio Gomes, oa da SE, vae
    terminar um poueo ao N. da barra do rio Mucury,
    em distancia de cinco a seis inilhas da respecti-
    va costa. Nesle recife, e defronle da villa de Vi-
    rosa, que est ao S. de Caravellas e ao N. do Mu-
    cury, est assentada urna coroa de ara vermelha
    chamada Cora Vermelha da Virosa. Esta coroa
    baixa, e tem u m pequeo arvoredo em um dos
    seas extremos.
    Na pagina 33 de nosso roteiro l-se anda : Ca-
    nal de Alcobaca. Consta que, estando-seEO com
    a villa propriameuto dita de Alcobaca, e haven-
    Quem tiver, como nos, aberto diante de si o
    mappa do Sr. Mouchez, do canal de Caravellas e
    Ihas dos Abrolhos, ver que a Coroa Vermelha
    de Vigosa demora a respeito da barra de Vicosa
    (oPontal do Norle) pelos 68 SE. verdadeiro, em
    distancia de 7 milhas. E na pag. 33 do nosso ro-
    teiro l-se o seguinte :
    Posicao da Corda Vermelha de Vigosa. -Quan-
    do se marca o, Pontal do Norte da barra de Vicosa
    por 0. i,1.; NO, a Cora Vermelha demora ao SE
    4X E, dula da costa, peuco mais oa menos, 5 mi-
    lhas, e 2 apenas do navio. *
    Ora, o rumo de O. 4> NO. egual a 73
    8' NO., o qual, correcto da variaco da agulha,
    d o rumo verdadeiro de 78 33', e o ramo de SE.
    b)i E. egual a 61 45', que, sendo correcto de
    egual variago, d o rumo verdadeiro de 67 15;
    e, pois, marcando na carta do Sr. Mouchez a Corda
    Vermelha da Vicosa por 67, marcar-se-ha tamben
    o Pontal do Norte da barra Vigosa precisamente
    por 78, que o rumo de O. f/j NO. correcto da
    variaco; e, por conseguinte, a posigo desta co-
    roa assignalada por nos to exacta quanto a do
    Sr. Mouchez, apesar de nao termos nossa disposi-
    go os bello instrumentos de que S. S. fazia uso,
    navegando nos como offlcial em um navio de vela,
    e S. S. cm um bello vapor, do qual era o com-
    mandante.
    Ilhas dos Abrolhos.
    40 do nosso roteiro
    l-se o se-
    do vento de feigo, pdese sabir deste lugar com ; Na pagina
    proa de Leste, navegando-sesom abatimento algum guate :
    e por um canal peritamente limpo com fundos ; .^ dos Aorollm._Eslo de nh
    de 8, 9 e 10 bragas d agua. Este canal e formado m mmero de cinco, tres grandes e duas peque-
    Recife Secco ao S., na5, acha-se' situado era 18 de latitude Sul e em
    Abnndo 38 31'de longitude de OGW.
    pelo Recife Timbebas ao N. e o
    e vae ter ao N. das ilbas dos Abrolhos.
    pois, a carta dos Abrolhos, levantada pelo Sr. Mou.
    chez, v-se que existem nella os mesmos reeies
    de que cima fallamos, e)us'.amento as direc-
    ges que Ihes marcamos, e quanto ao canal de
    Alcobaca eis o que elle diz na pagina 144 do seu
    roteiro : t O terceiro recife (a contar do S.) o
    Recife de Arca (us chamamo-lo Recife Secco), que
    descobre na baixa-mar e aprsenla em sua super-
    ficie alguns pequeos comoros de rea, que Ihe do
    o nome ; este tem l|2 millia de extenso e forma
    o extremo S. do canal de Itanhem (qoe o de Al-
    cobaca), cujo Lulo do N. formado pelo perigoso
    Recifedas Timbebis. Este canal tem 7 milhas de
    largura, a ahi encontra-se fuios de 14 a 20 me-
    tros de agua (G a 9 bragas), lama. E' o caminho
    mais frequentado e o mais faeil a seguir pelos ca-
    boteros que navego por esta costa. O meio do
    canal est exactamente situado no paralello de "TT""r,'
    ga da do SE.
    Sao estas
    Destas ilhas maior a de Santa Barbara e a
    outra a do Sueste, para o Sul, da qual ha urna
    restinga de pedras que se estende um peuco "fra.
    e todas ellas sao accessiveis pela parle de Oeste,
    isto o grupo aellas.
    Pela parte de l'Eeste destas ilhas, assim como
    ao SE. dellas, ha chapeiroes (pedras solas de
    natureza calcrea e profundadas), que tornam
    todo esse espago de mar intransitavel e muilo pe-
    rigoso at distancia estimada de 10 milhas, oa
    quando ellas eslo meio oceultas as aguas.
    Pelo lado de Oeste ha um canal mui fundo e
    largo de 4 a 8 leguas, pelo qual podem passar os
    maiores navios.
    Ao Norte destas ilhas ludo limpo, assim
    como ao Sul, dando-se resguardo, porm, restin-
    as observagoes que flzemos quando
    Alcobaga. Alm disso, o fundo de lama mai ca-
    racterstico que ahi se encontra, e que vae at 8 a
    10 milhas a l'Este, d toda a faclidade para co-!ani estivemos urna vez fundeade, e, se dizemos que
    nhecer-se o caminho, mesmo sera qualquer outra 3 cnaPeir0es nao avangara mais de 10 milhas a
    observagao e vista de trra. > | l'Eit des,as ilnas> porque essa a opinio de
    n i i i-i'odos os pescadores destes lugares, aos auaes con-
    Portanto, arada a respe.to.do que levamos dito, anl!tmJ canAn MaM .J57 _?!
    combinara as duas descripgoes.
    sultamos, sendo
    elles accordes em 'dizer qae
    quando as praias das ilhas esto oceultas (distancia
    Descrevendo a navegago dentro do canal de de 6 a 8 milhas), j nao ha mais chapeiroes a
    Caravellas, dizemos nos o seguinte no Snal da pa- l'Este, e o mesmo dizem acerca do limpo e largo
    giaa 30 Jo nosso roteiro : At que fundo se pode canal de 4 a 5 leguas a Oeste das mencionadas
    ir no bordo do mar.Para junto das coras (as de i Ihas.
    Caravellas) vae o fundo rpidamente diminuindo,
    ao passo que para o lado do mar vae augmentando: j Em todas ellas ha uma 6rande abundancia de
    mas, nesle caso, nao deve nunca passar se para '.STeS a9ualieas- '
    fundo maior de 8 bracas, e virar de bordo ou ar- \ Quando escreviamos o que fica dito (1860), ain.
    ribar, logo qut se encontre^sta sonda. Em geral da 6verno imperial nao tinha resolvido mandar
    a navegago dentro de todo o canal de Caravellas collocar P"aro1 lie hoje existe na iiha de Santa
    deve ser feita entre 5 e 6 bracas d'agua, e sto Barbara, motivo esse pelo qual nj tratamos dessa
    luz to
    gens.
    til aos navegadores daqueltas para-
    Vejamos agora o que diz acerca deslas ilhas o
    roteiro do Sr. Mouchez na pag. 133 do seu bello
    livro.
    desde o Prado at o Mucury.
    Vejamos agora o que l-se na pagina 14o do ro-
    teiro francez : *Canal entre as Paredes e a Costa.
    No canal formado entre as Paredes e os bancos,
    de ara de Caravellas, ou a cosa, acham-se fundos
    que a partir da trra augmentara mui regularraeu-1 t Desuipco das ilhotas Abrolhos. -Estas ilho-
    te at proxiraidado ingieme das Paredes, de us, em numero de cinco, estao situadas a 30 mi-
    sorte que para evitarse os chapeiro es que bordao ihas da costa, fra da vista de trra; ellas sao
    os recifes pelo lado de dentro, basta nao navegar-se andas, elevadas uns 40 metros cima do nivel do
    por fundos superiores}* 10 ou 12 metros (4.5 a 5.5 mar e cobertas de urna vegetago enfesada.
    bragas), que se encontram
    a meio canal.
    Combinando-so, pois, descripgao com
    Servem de refugio a bandos de passaros do
    a outra, mar de diversas especies, pelrellos, fragatas, etc.,
    ve-se logo que ellas concordara admiravelmente. etc., que abundara ali o vivera muito sua vonta-
    "Sobre a barra de Caravellas, l-se na pagina 30 de em boa intelligencia em uma grande quantida-
    do nosso roteiro : Pona da BaU'a. De Alcoba- de ralos 8rdo3 e 'argatixas.
    V, por conseguinte o Sr. Mouchez que foi de-
    masiadamente injusto, quando ao escrever o sea
    bello livro deixoa a penna correr to uvremente,
    irrogando ama censara to mal cabida. E' ver-
    dade, porm, que S. S. receben por esse sea traba-
    Iho um posto de accesso qae Ibe foi dado palo sea
    governo e pelo do Brasil o offlcialato da ordem da
    Rosa, o o meo trabalho tinha o grande defeito de
    ser e-cripto na lingua pirtugaeza, e por um joven
    offlcial desconhecido, razo esta porque nem teve
    elle um elogio para ser consignado em sua f de
    offlcio, nem se quer ao menos fez-se nella a meo-
    gao de hiver este offlcial confeccionado o referido
    roteiro-!... E querem que um offlcial se dediqne
    aes trabalhos verdaderamente proflsskraaes I Te-
    mos, porm, uma como f que adeja e nos diz que
    o labor, o suor e a tarefa, apezar de guerreados,
    sao litlos qae algum dia encontram o devido pre-
    mio, por isso qne nao somos, felizmente, do nume-
    ro daquelles de quem falla o Corsario deByron
    whose soul woul slcken over the heaving wave.
    daquelles cujo vigor decahe sobre as ondas empo-
    ladas.
    O 1 lente,
    Collatino Marques de Soiza.
    (Correto Mercantil do Rio)
    y
    Se analysamos altrname He as mais pequeas Chegando ao conhecimento do distincto poeta
    coasas da religiao, descobrin os bellezas e sublimi- dramtico hespanhol o Sr. Diana qae o rei da Ba-
    dades nao menos admira veis do que as bellezas da viera se tinha encar regido de (raduzir a sua to
    natureza, e exclamamos en io diante de urnas e festejada comedia Receita contra as sogras-,
    outras : : dlrigiu ao dito raonarcha a seguinte carta:
    - So Deas podia fazer seminantes maravilhas.' f MaUo a,, e mai, P0""080 rei Lu" l ie Ba-
    V-se aqui o dedo de Deus I Tiera :
    Tomemos para ex-raiplo o 'signal da cruz, esta AlSuns P^ico* dsta capital (Madrid) pa-
    pequea prat.ca da religiao, t o um versal,-to fre- l*c,rwn a DOlicia' muito arad*vel Para m'm> de
    queme no decurso de nossos, lias. ^ Vossa Ma!e?lade so tinna dinado ,raduzir>
    Tvin* t.___ i j P>ra ser representada em ura dos thcatros de Mu-
    loaos nos razemos o signal da cruz, o quantos ... ,
    ii'nm,. a. i _. nich, uma das minlias humildes produeguesHe-
    ele eScera t ^ "^ ^ ""*"" ^ iceita contra as Mr"
    E' assim que o boi o cavall i, ele, rem as mi-: f A salisfa5ao que todo o autor experimenta ao
    mosas flores escondidas por ei tre a re va dos pra- ver lraduzlda qnalquer de suas produeges, reco-
    des, sem conhecerem seus ene ratos. j *"* eu conl outra de raaior valia e bastante rara
    E'por falta de reflexo que nos nao ligamos ao na rePubllca das letras qual foi a de ter sido
    ga para o S. a Pona da Balea a pnmeira que se
    distingue e a costa corro cnto dessa ponta para
    a barra do rio de Caravellas aos rumos magnti-
    cos de ENE.-OSO., em distancia de 3 milhas,
    pouco mais ou menos. O Pontal do Sul desta
    barra corre com o do Norte ao rumo de N.S. ap-
    proximadamcnte. e distilo entre si 1 milha. Entre
    a Pona da Balea, ao Norte e o pontal do Sal da
    barra de Caravellas, lodo o espago de mar oceu-
    paJ-j por muilas canoas que avangam para l'Este
    da barra 7 a 8 milhas, e se estendera um pouco
    Rha Santa Barbara.Posigiio do pharol:
    Latitude 17 57' 51', longitude do Rio 4 27'
    44", longitude de Paris 40 59' 16".
    Variaco da agulha=5 7' NO.
    Eslabeiecimenlo do porto=3 h. 30 m.
    'A mais ao Norle e maior deslas ilhas cha-
    ma-se Santa Barbara; ella tem 1,500 metros de
    coinprimento E -O, e 300 de largura NS.
    Hita Redonda.A' 400 metros a Oeste da pon-
    para o s do Pontal do Sul da barra, deixando entre (a occidental de Santa Barbara est situada a lino-
    tanto um canal mui fundo por ahi e pelo longo da ta Redonda etc.
    respectiva costa. Mfl do SuesU_k quarta i|hotaj aque,|a do g
    t Ha tres canaes para demandar-se esta barra j no tem seno 1|3 de milha de comprimento. E-
    (Caravellas), a saber : o do Norte pela Ponta da O sobre 150 metros de largura NS.
    Bair-a ; o do Sul pelo Po ntal do Sul da barra (o I g guarnecda em suas extremidades de alguns
    de que ha pouco fallamos), e o de l'Este pelo recjfes qae descobrem.
    meio mesmo das corea?, e que abalisado. Os'
    dous primeiros apenas servem para navios de pe-; IUi0,a Gu<""'<--Exisle ainda uma quinta ilho-
    queno calado d"agua, de 10 a 12 palmos, princi- u> Jue deve anles ser considerada como um ro
    plmente o do Pontal do Sul, que somente repu- ic,,edo destacado ; est situada ao N. do pharol,
    tado como tal quando a mar est chela, por ficar, dBas amarras da ilha Sama Barbara.
    na altura desse pontal com 3 a 4 palmos d'sgua na j Na pagina 149 l-se o seguinte : Derrotas dos
    baixa-mar. O de l'Este porm, o mais fraaco e navios que nao param nos Abrolhos. Quando se
    d passagem a navios do 18 a 20 palmos d'agua. enfia pelo canal, ainda se tem o beneficio de maior
    Vejamos agora o que diz sobre esta barra o ro- se&uran5a> pois que, passando-se perto das Ilhas a
    teiro francez, pag. 157 : 2 ou 3 milhas de distancia pelo lado de TJeste, nao
    . se tem preoecupago alguma acerca dos recifes-
    t Barra de Caravellas.Lu. do mastro do Pon- Sabe-se, com eOeiio, que as Paredes eslo a 11 ou
    tal do sul 17 44' 36", long. 3 58' 32" a E. de Rio, 12 milhas pelo lado de Oeste, e que os recifes des
    e 41 28' 28" a O. de Paris.
    A entrada do rio de Caravellas formada
    Abrolhos esto l'Este das ilhas, ao passo que os
    navios qae passam por fra d o grupo, teniendo
    ao S. por uma pona de ara esireita, dirigida para' commeter algum erro sobre a estima da distancia
    e NE., chamada Pontal do Sol, e ao N. pela costa as ,lhas' "a levadoS a exaerar des. 'azen-
    que corre egualmente para o NE. f* uma derrota mD, mais longa, ainda conser-
    j vam alguma apprehenso, priucipalmente de noiie.
    L-se ainda na pagina 150 do mesmo roteiro li-
    nha 21 : Derrota por fra do canal dos Abro-
    lhos.
    Nos jdissemos que o recife no se estendea
    mais de 4 milhas E. e ao NE. das ilhas, e a 6 mi-
    lhas ao SSE., etc., etc.
    f Um grande banco de ara fina de 4 milhas de
    largura E.O. e de 7 milhas de comprimento
    N.S. obstrue teda a embocadura deste rio, dei-
    xando smente tres canaes mui estreilos e sinuo.
    sos, situados, um pelo longo da costa do norte,
    chamado Barra do Norte, o eutro no centro, cha-
    mado Barra de fEste e o terceiro pelo longo da
    cosla do sul, chamado Barra do Sul.
    O canal do centro o mais fundo e mais
    requemado.
    < E' balisado por meio de varas compndas ali
    conservadas com muito cuidado pelo pairo da
    barra, que as muda de lugar sempre que se produ-
    zem mudangas na direcgo do canal. >
    Coma se v, ainda concordo em todo as duas
    descripgoes.
    Anles, porm, de concluirmos a confrontagao
    dos dous trabalhos nos pontos principaes do impor-
    tante canal de Caravellas, confrontemos o qae nos
    dizemos sobre a Cora Vermelha da Vigosa com o
    qae diz o Sr. Mouchez, confrontago esta assaz
    necessaria, porque essa corda a marca mais
    segara, e unca; para aquel les qae pretendam
    penetrar no canal de Caravellas, vindo do
    Sol.
    Peloexposlo v-se que a nossa descripgao, posto
    qae muito mais resumida do que a feita pelo Sr.
    Mouchez, combina perleramente nos pontos prin-
    cipaes e atis ao navegador que lenha de passar
    por aquellas paragens, acautelando-o de iodo o
    risco.
    Temos, pois, feito a confrontago dos pontos
    mais difflceis desta costa ; e por ter sido ella um
    pouco longa, nao podemos fazer o mesmo sobre ou-
    tros pontos tamben notaveis, e qae no haviam si-
    do descriptos por ninguem antes do nosso traba-
    lho, taes como o rio Doce, S. Matheus, Capitana
    do Espirito Sanio, etc. Mas podemos assegurar ho-
    je, qae temos vista toda a rica collecgSo das car-
    tas martimas do distincto capito de fragata Er-
    nesto Mouchez, qae a nossa doscripgSo est em to-
    dos os pontos summamente exacta, o que fcil
    a qaalqoer verificar, fazendo a confrontago.
    Ul P0UC6 DE TUOO.
    L-se na Estrella do Norte o segrate :
    SANTO DBSEJO DE UMA MENINA PEI.A SAGRADA COM-
    MUNHO.
    Em uma parochia dodistncto de Drompout, exis-
    te uma virtuosa familia, cujo ebefe morreu mui-
    tos annos.
    A me, depois da morte de sea esposo, conti-
    nuoa a educar seus filhos no temor e amor de
    Deus.
    Uma filha chamada Mara, tendo dez annos de
    edade, aproveitou de sua parte as boas ligoes e os
    bons exemplos de sua virtuosa me : todas as suas
    amigas de escola olhavam-na, com razo, como
    um anjo de piedade e virtude.
    Um dia sua religiosa mestra, fazendo recitar o
    calhecismo a suas discipalas, explicoa os boas ef-
    feitos de ama boa communbo*
    Emqaanto ella fallava, seos elhos se langaram
    sobre a candida Mara : observa que a menina des-
    mata, sea rosto perde as lindas cores qae retra-
    tara sua innocencia, ella cahe sem sentidos.
    A boa religiosa toma-a em seas bracos e lhe pre-
    di gal iza todos os cuidados de ternura e amor, co-
    mo uma verdadeira me. Bem depressa ella tor-
    na a si.
    A religiosa pergunta-lhe a causa do seu mal, e
    a menina suspirando Ihe diz :
    Minha irma, ea vos. pego, no fallis mais
    diante de mim da felicidade da commanho; por-
    que como sabis, apenas tendo dez annos, no pos-
    so gozar essa feheidade, e esta idea me afflige e
    torna-me doente.
    Alguns das depois esta menina adoeceu perigo-
    samente. Ella pede um confessor, e a pnmeira per-
    gunta que fez elle foi:
    Meu padre, poderei antes de morrer receber
    o meu bom Jess ?
    Sim minha Qlha, vos o recebereis, Ihe res-
    ponde o padre, que fra chamado para ouvi-la.
    Enio sua feheidade e alegra Ibe fazem esque-
    cer a molestia.
    Ella coofessa-se e prepara-se com respeito para
    receber a Deus em seu corago.
    A sua primeira coafisso fot feita em seu leito
    cora senlimentos de piedade e amor, que se com-
    prehendem, mas no se podem descrever.
    Mas o cu invejava trra este anjo de bengo.
    Em pouco lempo a molestia fez rpidos pro-
    gressos.
    A me conbeceu que o bom Deus, senhor abso-
    luto da morte, arrebatara bem cedo sua chara
    filha.
    Este pensamento, magoando seu coragaode me,
    Ihe fazia derramar lagrimas amargas em presenga
    de sua filha, que ia no ver mais. A menina, ven-
    do sua me chorar Ibe disse :
    Minha me, porqu choraos ? Eu voa morrer,
    verdade ; mas, morrendo, vou para o cu estar
    com o bom Deus. O' minha me, eu vos pego, no
    choris mais I
    Forana estas as suas ultimas palavras.
    Um doce calor do amor divino separou sua bel-
    la alma do corpo, do mesmo modo qae o fructo j
    maduro se despega da arvore e cahe com o mais
    leve abalo.
    UMA ACQAO GENEROSA.
    Ha pouco tempo apresentou-se em ama eidade
    de Franca, um offlcial de jusliga em casa de P...
    operario, tecelo, que habltava em uma das mas
    das proximidades da praga Bellecour, munido de
    uma sentenga, que o expulsava do sen domicilio e
    puniia era venda todos os seus movis, seno pa-
    gasse uma somma de 60 francos;
    Este infeliz no eslava em circunstancias de pa-
    gar e.-ia somma, e por isso o offlcial de jusliga viu-
    se obrigado a desarmar o teiar, que era o nico
    recurso, e potreo mais oa menos a nica mobilia
    que possuia o operario
    Como esle na sua desesperago tentasse resistir,
    mandn o offlcial de jusliga ama de suas lestemu-
    nbas chamar o comroissario de polica.
    Logo que este magistrado enlrou naqaella casa
    ficou impressionado com a horrivel miseria que ali
    viu ; ama familia composta de cinco pessoas, o
    marido, sea irmo, ainda mogo, sua mulher, dons
    filhos, um de dous annos de edade, e outro ainda
    de peito, nuasi todos as, macilentos, extenuados
    pelo trabalho e pelas privagSes, movis nenhum;
    por leito ama pouca de palha, nem cobertores, nem
    lenges, tal foi o espectculo qae se offerecea aos
    olhos do magistrado.
    O offlcial porm teimava em cumprir o sea
    mandado e a pobre familia ia ser langade na roa.
    O commissario de polica, visivelmente commo-
    vido, sabia precipuamente, mas era para logo
    voltar.
    Um qnarlo de hora depois entregava elle a mu-
    lher de P..., na escada, 60 francos, dizendo-lhe :
    Pagae ao offlcial de jusliga e no fallis disto
    a ninguem.
    i
    Transcrevemos o que seguo :
    O SIGNAL DA CHUZ.
    Todas as obras de Deas teem um canho de gran-
    deza.
    A mais pequenina flor, o mais pequenino grao de
    areia, se examinardes cuidadosamente cada uma
    de suas partes, revelara, assim como o cu os es-
    plendores do firmamento, a omnipotencia, a sabe-
    doria, a grandeza infiaita de sea Creador.
    Assim a religiao enristaa; ella sabiu das mos
    de Deas, como a natureza ; oa, para melhor dizer,
    a mauifestago, a revelacao qae Deas fez de si
    mesmo a seres racionaes, qae se dignoa crear.
    signal da cruz a importancia ue elle merece.
    Altengo, pois, charos leito es : vamos hoje di-
    zer-vos alguraas palavras so ir este importante
    assumpto.
    O signal da cruz ura sigua exterior, um movi-
    este trabalho feito por um soberano, que junta
    altura de seu bergo Ilustre o mais esclarecido
    talento.
    c Taes considerages impellem-me a dirigir a
    Vossa Magestade a mais sincera expresso da m-
    menlo que os christos azem lobre si mesmos or- Dba gra,lda0' S0,ICIl,ndo' ao mesmo ,empo' a du-
    dinariamente cora a mo direia, e que se faz Ira- : pla gra5a de reCeber das augQSlas raaos de Vossa
    gando a figura de uma cruz so )re o peilo sobre a M**estade um emplar impresso da referida
    testa, ou sobre a bocea, ou sotrequalquer objeclo obra'e saber Vxit0 qne ella alcaDC0U nesse
    exterior.
    O signal da cruz o signal ojo chrsto, isto o
    signal exterior que distingue o
    bomens.
    Forara os apostlos que o
    elles que, revestidos da auloridi
    to.ensioarara aos primeiros discpulos do Evange-1
    Iho esta pratica religiosa.
    chrislo dos outros
    instituirn), foram
    de de Jess Chris-
    thealro.
    Entretanto, tem a honra de offerecer-se a Vos-
    sa Mageslade, com a mais protunda considerago
    e respeito Manoel Joo Diana.
    O re de Baviera respondeu ao Sr. Diana do se-
    guinte modo :
    Senhor. Causou-me prazer a sua caria, e,
    satisfazendo aos seus desejos, remeti a minha tra-
    duego em allemao da sua comedia tieceita con-
    tra as sogras.
    Esta to bonita produego obteve um brilhan
    Porque razo escolheram elle; este signal de pre.
    ferencia a outro quahjuer ?
    ^_Como e porque este signal o signal do chris-' le xito. Antes de "partir'hoje para Roma, quiz
    ! commuoicar-lh'o.
    l Porque lembra quelle quc o faz, e aos que o Desejo-lhe longa vida,
    veem fazer, que Jess Chrsto |o Deus dos chris-
    tos, o senhor nico de sua alma.
    Porque lembra que Deus, to rande e to bom,
    nos amou tanto que se entregou por nos ao suppli-
    cio da cruz, e que devemos ama-lo cora toda a
    nossa alma.
    Seu affectuosissimo. Luiz I.
    Munich, 3 de novembro de 1864.
    I SQSH
    Mlle. Ernesliue casou haver ura anno, e pou-
    cos dias depois Mme. V.... conlrabiu segundas
    nupcias.
    A me e a fiftu acharam-se ambas ao mesmo
    De quarenta e um annos de edade, e dotada do
    uma formosura notavel, Mme. V......, viuva,
    O signal da cruz pe-nos sempre dianle dos olhos residenle na rua Saint-Honor, em Paris, tinha
    de Jess Christo crucificado, nosso modelo, cujas ajustado segundas nupcias; esperava, porm, que
    virtudes devemos imitar, se quizerraos ser salvos sua fillia< Mlle- Ernesiine, de vinte e dous annos
    nelle e por elle. de edado casasse primeiro.
    Jess crucificado a regra viva de todos os seus
    discpulos, e a sua cruz o cdigo da sua moral ;
    o signal da cruz de Jess Christo resume porianto
    toda a moral christa, e recorda quelle que o faz
    com altengo, a obrigago em que est de imitar, tempo em um estado interessante, e no mesmo dia
    no seu viver de cada dia, a penitencia, a mortifi- \ deram luz dous meninos.
    cacao, a humauidade, a docura, a paciencia, o! r- i ,
    \\ ... ? ,' ""-'cul'1',> u Nao se tinha previsto esta coincidencia, portanto
    desapego, a castidade, a obediencia de seu mestre, ... ,
    .. ._____.,.n i ... so havia em casa um bergo, onde a parteira ac-
    seu amor para com o, Pae celeste, para com a Mae .. v .
    a*mimmum,_______- -____w a. commodou como pode e provisoriamente as duas
    santissima, para cora todos os homens, sua misen- .... recem-nascidas
    cordia paraos inimigos e o seu amor pelosoflri- ""4" recem naseidas.
    ment.
    2* O signal da cruz ainda o signal proprio do
    christo, porque Ihe faz terabrar a eterna bema-
    venturanga.
    Jess resusciloa depois de sua paixo e morte, e
    foi por sua cruz que entrou em sua gloria. Assim
    succeder com seus discpulos. A sua gloria no
    Paraso deve ser o fructo de sua vida crucificada
    e semelhante a vida de seu salvador.
    A parteira sahiu.
    Poucos momentos depois uma das duas mes
    quiz ver o seu filho.
    No bergo havia dous meninos, mas qual delles
    seria ?
    Foi chamada a parteira para a classificago das
    creangas.
    Confessou com franqueza que tinha andado com
    tanta precipilago, que se no podia lembrar
    qual dos dous recem-nascidos pertencia me ou
    a filha.
    Este mysterio talvez nunca se esclarega.
    E' por isso que ene nos declara no Evangelho
    que quando vier, no fira do mundo, para julgar
    todos os homens apparecer cora o signal sagrado
    de sua cruz, para servir de reconhec ment a seus
    escolhidos, e de condemnago aos reprobos ; reco-
    nhecer smente como seus os discpulos da cruz,
    os imitadores de sua vida crucificada, isto os
    verdadeiros christos.
    3 A terceira razo pela qual o signal da cruz
    o signal distinctivo do christo, porque elle faz
    lembrar os pontos mais importantes da religiao
    christa.
    1 recorda o mysterio da santa e indvisivel trln-
    dade ; pois que, a/faze-lo, se diz : a Era nome do
    Padre, doFilho e do Espirito Santo, i.tres pessoas;
    o Pae, o Filho e o Espirito Santo; mas um s
    Deus : em nome e no em nomes.
    2* O mysterio da Iacarnago e da Eucharistia,
    isto o Filho de Deas descendo do cu Ierra I
    por nos, no seio da Virgera Maria, e sobre nossos j
    aliares. Porquanto, ao dizer; em nome do Filho,
    que se desee a mo da testa ao peilo, vivaiimagem
    do aniquilamento do Filho de Deus, que repousa
    no corago de seus fiis como oulr'ora as castas i
    entranhas de Maria.
    i' O mysterio da redempgo, isto Jess Chris-
    to Filho de Deus feito homem, morrendo n'uma
    cruz para apagar os nossos peccados, para nos fa-
    zer merecer o perdo e a salvago eterna, c abrir-
    nos as portas de cu fechadas pelo peccado.
    3J1 o mysterio da egreja, isto da sociedade,
    mi, santa e catholica dos discpulos de Jess Chrs-1
    to, dos filhos da cruz.
    Sendo o signal da cruz o mesmo para todos, o
    signal de sua unian em ura s corpo, o signal ex-
    terior de sua sociedade.
    Ei portanto o signal da egreja, e recorda admi-
    ravclmenle :
    1 Por sua nnidade, que a egreja uma, for-
    mando um s corpo, fra do qual no se est com
    Jess Christo.
    2* Por sua uoiversalidade, que a egreja catho-
    lica (pa universal) estendendo-se a todos os paizes,
    a todps os povos, e cnamando-os a todos luz da Id AvJrossan> 1ue encontrou. a 9 do passado, pelas
    7 horas da tarde, aos 55 grus de latitude norte e
    adeus i
    E' noute repastado de amargura,
    Parou meu corago agonisante;
    Ai! o anjo fatal da desventura,
    Riu-se da minha vida n'esse instante l
    Quanto solfeo por ella ss calado
    E vendo a primavera me sorrir I
    Meu pobre corago despedagado
    Breve n'ura mausoleo ir dormir.
    Triste estrella luziu-me ao nascimeuto
    No pude olhar o sol da mocidade.
    To cedo me gelou o soffrimento...
    E murcho aos vinte annos de saudade.
    Ella partiu I.. eu vi-a foi to triste 1..
    O deslino quiz d'ella separarme
    A' tanta Ctc meu peilo nao resiste,
    A ausencia lentamente vae matar-me.
    Ah I eu bem sinlo a vida evaporar-se,
    Ao sora de uma harmona suspirosa.
    Vejo tanta saudade desfolhar-se,
    Aparta-se minha alma to saudosa I
    Sim mentiram meus sonlios de innocencia,
    To cedo minha Ironie desfallece !
    E eu scismei tanto amor para existencia,
    Tanta vida p'ra o peito que emurchece.
    Da febre d'este amor nos desvarios,
    Do sonho criminoso que sonhei I..
    Meu seio respirei nos calafrios,
    1 Pelas noutes tardas que velei I
    E ella partiu I.. gelaram-se meus das,
    Esqueci do futuro os sonhos meus?
    Passam-rae n'alma lentas agonas,
    Anjo fatal da minha vida, adeusl-----
    Os peridicos inglezes contam os terriveis scffri-
    mentos da tripulagao de um navio perdido.
    O vapor Caledonia chegou de Nov-York a Tail
    Bank cora tres marinheiros do brigue Ayrshirehass
    verdade.
    3 Que ella santa, tendo por chefe e por mode-
    lo o Santo dos Santos, Jess crucificado, cuja mi-
    lago o caminho nico c mais seguro da verda-
    deira sanlidade.
    4 Que a egreja apostlica, isto fundada
    pelos apoolos (instituidores do signal da cruz) os
    quaes a governam -empre por seos legtimos suc-
    cessores, os pastores da egreja catholica.
    8 Finalmente, o signal da cruz recorda aos
    christos qae a verdadeira e nica egreja de Jess
    Christo a egreja romana, isto a egreja gover-
    nada polo Papa, vigario de Deas e successor de S.
    Pedro, principe dos apostlos, o qual soffreu por
    Jess Christo, em Roma, o martyrio dacruz.
    J vedes, charos leitores, que o signal da cruz
    resume tudo o que ha de grande e de mais funda-
    mental no dogma e na moral do christianismo. '
    E', pois, com toda a razo que os apostlos no lo
    deram como nosso signal distinctivo.
    E' lambem a razo porque a egreja o emprega na
    administrago das cousas sanias, nos Sacramentos,
    as bengos, no principio e no fin de todas as
    suas oragoes.
    Fagamos de hoje em diante com respeito e com
    a devida attengio este signal to venera ve I.
    Fagamo-lo, no por habito, e com as ponas dos
    dedos como quem sacode o pe to, mas com reli-
    giao, pausada e lentamente, do fundo do errago.
    Fagame-lo frequemes vezes, principalmente em! cheia de ara e a agua invadir a maior parte da
    nossas tentages e amargaras, antes e depois da embarcacao.
    proviso, matamos o cao, e vivemos do seu cada-
    ver durante dez dias.
    Em 9 deste mez, s duas horas da tarde, j nao
    havia mais do que os ossos. Eram passados deze-
    sete dias, depois qoe trabamos naufragado, e no
    linhamos nada que comer.
    Foi enlo que o Oaledonia nos salvou.
    No sabbado ultimo, tiramos da cmara o cad-
    ver do capio James Gran! e o do marinheiro An-
    drew Hansen, e os langamos ao mar. O corpo do
    outro tinha desapparecido.
    A FAMILIA DO KMIGBADO.
    Em 1792 foi madarae de Saint Frosper obrigada
    a deixar a Franca, sua patria, e a seguir o cami-
    nho do desterro, aonde a esperavam j seus paes
    e marido para escaparem ao cutello do carrasco.
    Partiu levando em sua companbia os seus cinco
    filhos, com inteogo de ir ter com os membros de
    sua familia, refugiada em Genova; porm no mo-
    mete em que chegou a esta eidade, soube que seu
    marido e seu pae lindara sahido d'ali havia qoinze
    dias, e no pode saber cora certeza para onde ha-
    viam partido.
    Teutou, segando as indicages qae pode colher,
    seguir-lhe os passos, e percorreu intilmente todos
    os canles da Suissa.
    Tendo perdido a esperanga de os encontrar, e
    havendo-se-lhe acabado o dinhero, estabeleceu-se
    em uma pequea eidade, e comegou a dar ligoes
    de msica para se alimentar, e a seus pobres filhos.
    Jorge, o mais velho, e que apenas contava dez
    annos de edade, era quem Jcava a guardar a ca-
    sa, em quanto sua mae andava por fra ; era um
    bom rapaz, amadurecido prematuramente pela des-
    grana, tinha um grande cuidado em seus irraos e
    vigiava-os muito com receio de que Ihes aconteces-
    cesse algum mal, e finalmente fazia por elles ludo
    quanto podia.
    Este estado de cousas durou deste modo seis me-
    zes completos; madame de Saint Prosper tinha um
    grande numero de discpulos; mas os desgostos
    iam-lbe dirainulndo iaseosivelinente a vida, porque
    no tinha noticias de seu marido.
    Via-se muitas vezes na necessidade de cantar
    arias alegres, quando sua alma eslava afogada em
    tristezas.
    Tantas fadigas e tantas amarguras na podiam
    deixar de Ihe arruinar a sade; tinha necessidade
    de algum descanco, mas a miseria tinh-se-lhe sen-
    tado porta para devorar seus filhos, e a pobre
    me no teve. remedio seno continuar a dar li-
    goes.
    Extenuada pelo cansago e pela debilidade, cahiu
    to doente que foi obrigada a ficar de cama ; des
    de ento no vos cuidados, negras apprehenses Ihg
    'omam o espirito.
    Se estou muito tempo sem poder Irabalhar,
    dizia ella comsigo, quem ha de dar de comer
    meus filhos; e se morro, o que ser delles T
    Estas terriveis appreheoses aggravaram muito
    seus padeciraentos, e bem depressa chegou a estar
    em perigo de vida.
    Jorge, com o corago cheo de tristeza, no se t-
    rava de ao p da cama de sua me, e no deixava
    que seus irmaos fizessem o menor baralho dentro
    do quarlo, e em suas orages dizia Dea* Nosso
    Senhor:
    Pae nosso, que eslaes no cu, conservae-nos
    a nossa me.
    Uma noute que madame de Saiot-Prosper estava
    peior, disse a enfermeira Jorge que fosse mnito
    depressa chamar um medico, e o pobre rapaz poz-
    se a cwrer com todas as suas forgas at que foi
    parar porta do medico da trra, que nao estava
    era casa-, tioha ido a uma aldeia visinha fazer uma
    operago, e s o esperavam no dia segrate.
    Jorge, debulhado em lagrimas, exclamou enlo :
    Oh I meu Deus, meu Deus I o que ser de mi-
    nha pobre me ?
    Uma senhora de edade que assislia naquella ca-
    a, vende a afflicgo do pequeo, disse-lhe que li-
    nha chegado havia poucos das ura medico estro-
    geiro; que, se elle o quizesse, ella o conduzria
    casa delle.
    Tomara en, Ihe disse Jorge.
    O medico, vendo a ternura que Jorge tinha por
    sua me, comegoa a interessar-se pof elles, e ira-
    mediatamenie o seguiu : apenas enlrou no quarto
    da doente e a viu, deu nm grito de sorpresa.
    Era, nem mais, nem menos que o pae de ma-
    dame de Saint Prosper, medico muilo distincto.
    Mandou logo em seguida chamar seu genro que
    morava com elle.
    A alogria mais ni"''' i --, > >, soccorros da arle
    reslabeleceram a f.aj- u ;.iarae de Saint Pros-
    per ; e na maior feucidade comegou a abragar ora
    ao marido, ora ao pae e aos filhos, e depois disse-
    Ihes :
    Por um efleito da bondade divina o aconteci-
    menlo que pareca dever fazer chegar ao seu auge
    os meus males converteu-os em alegra, tornndo-
    se a causa de nos juntarmos outra vez.
    Tenhamos sempre confianca na Providencia ; o
    Deus que d de comer aos aos passarinhos, ieixar
    sem soccorro quelle que confia em sua infinita
    bondade ?
    graus
    13 de longitude oeste, e que tinha arvorado a ban-
    deira de soccorro.
    Uma chalupa foi mandada immediatamente pelo
    Caledonia ao brigue quasi cheio de agua.
    Tres homens da tripulagao tinham sobrevivido
    ao naufragio, mas as suas forgas haviam-se es-
    gotado rpidamente, quando o Caledonia os soc-
    correu.
    Um dos homens salvos conta assim o acon-
    tecido :
    Sahmos de Miraraichi, em 26 de setembto, com
    uma carregago de mercadorias diversas para
    Ardrossan. Al manha do domingo 23 de on-
    tubro corra a nossa viagem sob os mais felizes
    auspicios, quando, aos 50 graos e 30 minutos de
    latitude norte e 11 grius e 20 minutos de longitu-
    de oeste, violenta rajada de vento assaltou o nosso
    navio por eslibordo e o deitou do lado.
    O capito e dous homens da tripulagao dormiam
    ento na cmara e Acara m afogados. Havia j
    meia hora que e navio estava de lado quando con-
    seguimos cortar os estaes do mastro de gvea, o
    que facilitou a sua queda ; quando elle cahiu, que-
    brou o mastro de mezena raso pelo convez e o na-
    vio pode enlo levantar-se.
    O mar tinha varriio das cobertas tudo que ali
    se acluva e as nossas prvisdes de carne e agua
    perderam-se como tudo o mais. A cmara eslava
    mesa, e ao faze-lo tenhamos cuidado de nos lem-
    brar das santas coasas que elle encerra e das obri-
    gaedes que nos impde o nosso ltalo to grande de
    christo.
    No da seguinte conseguimos tirar da cmara
    um pequeo sacco de biscouto diluido em agua,
    porque havia 28 beras que estava molhado.
    Na segunda-feira seguinte, estando esgotada esto
    L-se no Coi reio Paultslano:
    Ha singularidades taes nos nomes e appelhdos
    do nosso povo que s mesmo quera anda muito
    desprevenido deixa de fazer reparo no muito que
    ha para apreciar em semelhante materia.
    Temos, por exemplo, nm individuo chamado
    Ventura que assevera ser cousa que nunca co-
    nheceu.
    Uma Felicidade que tem vivido sempre na des-
    graga.
    Um Bravo qoe o homem mais pacifico deste
    mundo.
    Um Prudente que vive de brigas.
    Um Monra que homem, quando o nome tem
    a terraiuago feminm.'.
    Um Severo que aunca empregou o rigor.
    L'm Espirito Santo que um perfeito demo-
    nio.
    Um Candido perverso.
    Uma Anglica terrestre.
    Um Franco muito mesquinho.
    Um Generoso so vina.
    Um Galhardo cmbela.
    Um Clemente impiedoso.
    Uma Barbara benigna.
    Um Salgado insonso.
    Um Paz guerreiro.
    Um Guerreiro iuoflensivo.
    uma Branca negra.
    Ura Carneiro sem ia.
    Um Gordo magro.
    Um Magro gordo.
    Um Segurado que no est seguro.
    Um Terra -- estril.
    Um Luz que faz sombra.
    Um Ribero secco.
    Um Valente poltrao.
    Um Hera sem cooves.
    Um Pimenta adocicado.
    Um Cuoha sem serventa.
    Um Machado de carne.
    Um Gentil corcunda.
    Um Perfeito aleijado.
    Um Modesto orgulhoso.
    Um Leite que no liga com caf.
    Um Rosa paludo.
    Um Pereira, um liveira, um Carvalho, e tantas
    outras arvores infructferas.
    Um Porto, um Lisboa, um Gnimares e Untas
    outras povoagdes sem habitantes.
    Um Falcao, um Gaviao, e outras aves que no
    tem azas.
    Uma Paca, um Leo, um Lobo, um -Cocino, uma
    Cobra e outros de que a historia natural no falla.
    EmOm, leitores, a lista destas celebridades lio
    extensa qoe serla enfadonho leva-la ao caber, o de-
    mandava este trabalho rauilos annos de esiudo.
    Paramos aqui, prometiendo mais tarde voltar a
    esta euipreza, um Unto avantajada mais de muito
    PERNAMBCO,-TYP.~DE M. F. DEF.4 FILHO
    ti
    '
    -


    ii i-^Mwr-i


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID ECCGGK32D_MQ5O0S INGEST_TIME 2013-08-28T01:33:22Z PACKAGE AA00011611_10578
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES