Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10576


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMIO ILI. ROMERO 19
Por qaartel pago dentro de 10 das do 1. mez \ .
dem depois dos l.05 10 dios do comecoc dentro do qaartel.
Porte ao correie por tres mezes
iJM

TERCA FEIRA 24 DE JANEIRO DE 1865.
Por anno pago dentro dedO lias do ..mez ,
Porte ao correio por um anno........... 3J000
qaartel pago dentro de 10 das do 1 mez ..:.. 5|Q0O U| mlWT '----------------------------------------------
depoisdosl."10dasdocome$oedentrodoqnartel. 6J000 Jfl Por anno pago dentro de 10 lias do 1. mez
, aocorreio por tres mezes........... 750 ^ t ^^ ^T Porte ao correio por um anno......
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCAHREGADOS DA SUBSCRIPQO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrioo de Lima ;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A- de Lemcs Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves <&
Filhos; Amazonas, o Sr. Jerooymo da Cosa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudia Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho. I
PARTIDA DOS EsTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agua Preta, lodos os das.
Iguarass e Goyanna as segandas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Baiqoe, S. Bento, BomCon-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Allio, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro eEx.nas quartas feiras.
Serinhem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimealeiras, as quintas feiras.
Illia de Fernando todas as vetes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas parlem ao meio dia,
EPEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 fe, 22 m. e 52 s. da t.
11 La chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 62 s. da m.
J7 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio : segundas s 11 horas.
Dito de orpbos : tercas e sextas s 10 horas.
Priraeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civol: quartas e sabbadcs a 1
hora da Urde.
DAS DA SEMANA.
23. Segunda. S. Ildefonso are; S. Emerenciana m
24 Terca. S. Timotheo b.; S. Marcolino m.
23. Quilla. S. Ananias;S. Juvenlinom.
26. Quinta. S. Polyrarpo b. m.;S.Theogenes m.
27. Sexta. S. loo Chrysoslhoino b. dout. da egr.
28. Safibado. S. Gonzalo de Amarante dominio.
29- Domingo. S. Adeleltno ab.; S. Martinha v. m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2Jiora e 6 m. da tarde. ^
Segunda as 2 horas 30 e minutos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio.
julho, selembro e nevembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livrarla da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarjos Manoel Figueira de
Faria & Filho.
PARTE QFFICIAL
M .. MiMM ii M i i i *
GOVERNO DA PROVINCIA. '
Impertiente do dia 20 de Janeiro de 186 o.
Offlcio ao Exm. Dr. vigario capitular desta dio-
cese.Para cumprimento do disposto no aviso da
repartico do imperio de 7 do corrente, queira V.
Exc. mandar orear as obras de que anda necessi-
ta o seminario de Olinda, bem como, informar
acerca da urgencia das mesmas obras.
Dito ao desembargador presidente interino do
tribunal do commercio.Remetto incluso o aviso
de 7 do corrente que me foi expedido na qualidade
de prndente desse tribunal, para que V. Exc. se
sirva de remoller ao governo imperial o ore-amento
da despeza a fazer-se eom a substituido nao s
das cortinas do docel que cobre o quadro cvm a
effigie de S. M. o Imperador collocado na sala das
sesses do mesmo tribunal, mas tambem do panno
que orla a mesa dos despachos.
Dito ao coronel commandante das armas.Au-
toriso V. S. a mandar as-sentar praga depols de
inspeccionados e considerados aptos para o servico
.nao s os cidadaos que se offerecerem a V. S.
para servir no corpo deVoluntarios da Patria
que se tem de orgaoisar de conformidade cora o
decreto n. 3,371 de 7 do corrente, mas tambem aos
guardas nacionaes que para semelhante flm e j
inspeccionados Ihe forem apresentados por parte
.do coronel commandante superior da guarda na-
cional deste municipio, indicando V. S. opportuna-
mente os officiaes que Ihe parecerem dignos de
eonfianca para commandar as companhias do pre-
dito corpo.
Dito ao mesmo.Queira V. S. mandar inspeccio-
nar c alistar no 4 batalhao deartilharia pe urna
vez que seja considerado apto para isso, o soldado
da seceo urbana do corpe policial, Manoel Ferrei-
ra da Silva, que se offereceu para servir no refe-
Tido batalhao, como se v do incluso requeri-
mento.
Dito ao mesmo.Ao offlcio que V. S. me dirigi
boje, sob n. 134, respondo, declaran do-I he que por
despacho desta data mandei passar o attestado e
ertides pedidos pelo alferes do corpo do esUdo-
maior de segunda classe Clemente Francilio lava-
res, nos reqnerimentos a que allude s citada
offlcio.
Dito ao Dr. chafe de polica.Respondendo o
offieio n. 83 de 13 do corrente, com aue V. *.
trouxe ao meu conhecimento por copia o do dele-
gado do 1- disiricto deste termo, da mesma dat,
lenho a dizer-lhe que em offlcio de hontem comrau-
nicou-meo coronel commandante das armas haver
expedido ordem no sentido de serem aposentadas
diariamente ao mesmo delegado para o servico de
rondas nocturnas, duas pracas da companhia de
cavallaria, nicas de que poda dispor.
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio que V. s-
me dirigi sob n. 89 de 14 do corrente, remetlen-
do-lhe por copia a informacao ministrada pelo com-
man lante das armas, acerca da forca destinada
para guarda da casa de detengo.
Dito ao mesmo. Respondo ao officio de V. S. n.
114, declarando-lhe que mandei alistar na compa-
nhia de aprendzes marinheiros o menor Antonio
Luiz que V. S. mandn apresentar com o citado of-
ficio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Conformndome com a sua informacao n. 78 de
31 de dezembro ultimo, devolvo ociosos os papis
da despeza feita pelo carcereiro da cadeia da cida-
de de Nazarelh, com o sustento do desertor doexer-
cito Honorato Tenorio de Albuquerque, para que
V. S. mande proceder acerca do respectivo paga-
mento nos termos da sua citada informacao.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. para o fim I
conveniente o incluso pret nominal em duplcala
senlar-se a V. S. para depois de inspeccionados se-
rem remedidos ao commandante das armas que
se acha autonsado assentr-lhes praca,
^ Dito ao mesmo.Julgo conveniente declarar
V. S. que, no caso de ser necessario augmentar a
forca da guarda nacional destacada nesta capital
por occasilo de embarcar o 9o batalhao de infanta-
ra para a corte, deve esse aogmento ser tirado do
batalhao a que pertencer aquella forca, e s por
falla de pragas nesie se podar litar algum contin-
gente de out/o corpo para completar o numero do
destacamento
Dito a inspector do arsenal de marinha.Fago
apresentar V. S. para ser alistado na companhia
de aprendzes marinheiros o menor Antonio Luiz,
depois que fr inspeccionado de saude.
Dito ao mesmo.Remeta V. S. com urgencia ao
capilo do pono das Alageas, como solicitou o
Exm. Sr. presidente daquella provincia em offlcio
de 23 de dezembro ultimo, a mangueira de sola
que se remetteu para aqui em virtude do aviso da
repartico da marinha de i2denovembro ultimo,
alim de servir de modelo para as que tem esse ar-
senal de fornecer.Communlcou-se ao Exm. Sr.
presidente das Alagoas.
Dito ao commandante interino do corpo de poli-
ca.Ordene Vmc. ao 1 sargenta do corpo sob
seu commando Jos Francisco de Paula Costa que
se aprsente no quartel do commando das armas,
aQm de ser inspeccionado o alistado no batalhao
o. 9 de infantria, como pedio no requerimenlo
sobre que Vmc. informou em seu offlcio desta da-
ta.Offlciou-se nesta sentido ao commandante das
armas.
Dito ao conselho de compras navaes.A vista
do que ponderou o conselho de compras navaes no
offlcio de dezembro ultimo com referencia ao de
19 daquelle mez, autoriso o mesmo conselho a com-
prar, nos termos do seu regulamento, os objectos
mencionados em ditos offleios, visto serem necessa-
rios para provimeuto do almoxarifado do arsenal
de marinha.
Dito ao director do arsenal de guerra.Recom-
mendo Vmc. que forneca com urgencia ao cora-
mandante do 2o batalhao de infantria da guarda
nacional deste municipio cem centuroes brancos
com patronas e igual numero de bandoleiras, bem
como que troque por armas em bom estado at ar-
ruinadas que Ihe apresentar o referido comman-
danteCommunicou-so ao commandante superior
interino da guarda nacional do Recife.
Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
nicipal do Recife.-Declaro Vmcs. em resposta
ao seu offlcio de 18 do corrente, sob n. 4, que a au-
torisaco de que trata o meu de 11 deste mez, pa-
ra f*zer-se a despeza precisa com a publicaco dos
edilaes dejuiz de paz da freguezia de S. Fr. Pedro
Goncalves para a convocacao dos eleitores e sup-
lentes, deve enlender-se tambem com as das de-
mais fregueziss pertencentes a este municipio.
pito ao juiz de paz mais votado do actual qua-
dneoBlo da freguezia de S. Pedro martyr de Olin-
da.Nao se tendo installado no da designado por
lei a junt revisora da qualifleaco dessa freguezia,
pelos motivos declarados no oftlcio que em lo' des-'
te mez me dirigi o juiz Je paz mais votado do
quadriennio Ando, recomiendo Vmc. em vista
do que determinam os avisos de 18 de Janeiro de
18o4 e 31 de maio de 1861, que guardados os pra-
zos e mais formalidades da lei convoque os respec-
tivos eleitores e supplentes, e rena no da 26 de
fevereiro vindouro, que para isso designo a referi-
da junta, que dever ser presidida por Vmc. nos
termos dos citados avisos.Communicou-se ao juiz
de paz mais votado do quadriennio lindo da fregue-
zia de S. Pedro martyr de Olinda.
Dito ao promotor p'ublico do Limoeiro.-Informe
Vmc. a razo porque nao denunciou do bacharel
Marcos Tulio dos Res Lima, ex-juiz municipal do
termo do Limoeiro, pelo facto de haver como pre-
sidente interino do jury desse termo
Joaquina Mara da Conceigo.-No tem lugar a I consecutivos os proclamas daquellas oessoas
St da informaran co nniiri.n. .,..
vi sta da informagSo.
Joo Ernesto Becker.Nao tem lugar vista da
informacao.
Jos Marianno de Barros Cavalcanti Informe o
Sr. major director do arsenal de guerra.
Joaquim Ignacio de Barros Lima.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Antonio Siflert. Informe o Sr. capilo do
porto.
Jos Delflno da Silva Camino.Indeferido em
vista da informacao. S
Tenente-coronel Joo Miria dos Santos Caval-
canti. Informe o Sr. commandante superior da
guarda nacional do Pao d'Albo.
Jos Ferreira de S e Auna Ferreira de S.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Libanio Lientbier de Souza.=Junte o documento
que boje pedio por certido eque mostraser iocu-
raveis os seus padecimentos.
Maria Chrislioa Cavalcanti Pessoa Cesar.In-
forme o Sr. director geral da instruccao publica.
Bacharel Maximianno Francisco Dua/te.-Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Maria Francisca de Assis.Informe o Sr. tenen-
te-coronel recrutador.
Bacharel Maximianno Francisco Duarte.Con-
cedo o prazo de 2 mezes.
Manoel Antonia Teixeira.Por ora nao tem lu-
gar o que requer o supplicante a vista da Informa-
gao.
Bacharel Maximianno Francisco Duarte.Nao
tem lugar vista da informacao.
Theotonio de Sant'Anna Pessoa.Informe o Sr.
administrador do consulado provincial.
Thomaz Lins Sonano.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Tiburcio Valeriano Baplista.Nao ba que defe-
rir a vista da inforrageao.
_ que
se quizessem casar.
Despacho.Tomarei na devida considerado o
que allega e pede o Rvm. supplicante quando m'o
requisitarem os Rvds. parochoe respectivos, que
sao os competentes para conheoerem as necesida-
des espirituaes dos seus paroobiaoos.
INTERIOR.
Ro di:ji\kiko
O parecer nnanime do consellio de estado pleno,
sobre as providencias extraordinarias exigidas pe-
la ultima cnse cotnmercial, foi o seguiul*; :
Senhor.-Maudou Vossa Magestade Imperial, por
portanto dentro do referido praze dar lugar fal-
lencia ou outro qualquer procedimento judicial
contra es respectivos responsaveis.
E Igualmente que o pagamento de ttulos
coramerciaes com o carcter de vales, recibos ou
movmento de contas correntes, nao possa ser ju-
dicialmente exigido dentro do mesmo prazo de 60
das supra mencionados.
Estas, senhor, bem como outras medidas auxi-
liares, que a sabedoria e o patriotismo de
Magestade Imperial hao de suggerir do certo, sao
as que o commercio desta praca, representado pe-
los abaixo assignados, jolga urgentes e indispensa-
lao imprevista calamidade, e para minoraco dos
deploraveis effeitus que della resultarao.
Satisfazendo-as, Vossa Magestade Imperial
prestar nao s um servico grande a naco, como
Isto, porm, cora relaco a gente desta capi-
tal e dos povoados, que se dizom civilisados; mas
nao quanto a outros pontos, em que ainda temos
gentos selvagens, que obstinadamente repelera to-
do o contacto da civilisaco, e at comem gente.
Ha pouco deu-se um tacto bem triste na freguezia
de Taupessassu, defronte da povoaco de Ayro,
distante d( sta cidade cousa de 20 leguas, na mar-
gem esquer.. i do rio Negro, era que tambem nos
vos>a achamos.
Um moco estimavel e capitao da guarda nacio-
nal, que comraetteu a Imprudencia de internar-se
so em um lago, pescar, foi assaltado pelos in-
veis para a tranquisaco dos nimos agitados por h0, aT'T'JJ'
lao imorevista calamidad o n,r, min.r,-.n L, I0S> $M o levaram para o matlo e o matararn.
ndo a familia e os amigos, desconliados pet
immediata resolucao tomada sobre parecer' das I aos abaixo assigado''
nf^tr "^*".^ Esperara receber nwc.-Rio de Janeiro, 1
0VERNO DO BISPADO DE
ri.iivvnii to
SEDEVxCANTE
Copia de algnns des despachos dados pela vigi-
raria capitular.
Requerimenlo d F.... queixando-se de que o
coadjuctor pro-parocho da freguezia de... se re-
cusara a declarar no assenlo de baplismo de J...
que esta era fllha do supplicante, e pedindo que a
vista da esenptura de perfllhaco e certido de
casamento subsequenle (visto ter enviuvado o sup-
plicante) se faca dita declaracao.
Despacho Nos assantos dos baptisados dos fl-
ihos illegitimose prohibido pelas coastituicoes dio-
cesanas mencionar a paternidade, ainda sendo de
que acerca de seu objecto fosse ouvido o mesmo
conselho reunido.
Realisada a reunio, sob a augusta presidencia
de Vossa Magestade Imperial, no dia de hontem,
desguado por aviso dessa data, estando presentes
os conseiheiros de estado marquez de branles,
visconde de Abaet, de Jequitinhonha, do Urugay,
de Itaboraby e do Sapucahy, Candido Baplista de
Oliveira, Jos Antonio pfmeoU Bueno e Bernardo
de Souza Franco, abaixo assignados, foi lido o re-
ferido parecer, cujo teor o.seguinte :
t Senhor.-Maudou Vossa Magestade Imperial
que as secedes de fazenda e de juslica do conse
Iho de estado consultem sobre a represeoco, que
os merabros das directoras dos bancos do Brasil
e do Rural e Hypoihecario, estabelecide nesta
corte din-iram ao govorno de Vossa Magestade
Imperial, a qual do seguiote :
o Senhor.-Os abaixo assignados, merabros das
directoras do banco do Brasil e do banco Rural e
Hypoihecario, estabecidos nesta corle, dolorosa-
mente impressionados pela calamidade que araea-
ca o commercio, a lavoura, as (mangas do paiz e
os graves otere-ses de estado, vendo expostos
perturbico'e ruina 03 mais geraes objeelo
de selembro de 1864.Dr. Manoel deOMveira Faus
lo. Manoel Ferreira de Faria. Jacintho Alves
Barbosa Jnior.Jos Viariato de Freitas. Joo
Antonio Ferreira Vianna Jnior.Jos Francisco
Alves Malveira.Bernardo Joaquim de Souza.
Joaquim Antonio Fernandes Pinheiro.Joo Nepo-
muceno de S.Petrocbochino.Ignacio Eugenio
1 Tavares.Jos Raphael de Azevedo.-Jos Macha-
do Coelho, director do banco do Brasil.Guilher-
me Pinto de Magilhes, director e presidente do
banco Rural.Dr. R iberio Jorge Haddock Lobo,
director e secretario -Antonio Joaquim Das Bra-
ga.Jos Peixoto de Faria Azevedo.Joio Gavi-
nho Vianna.Antonio da Silva Monteiro.Francis-
co Ignacio de Araujo Ferraz directores.
As secces, depois de examinarem e discutirem,
presididas pelo presidente do conselho e ministro
e secretario de estado dos negocios da justiga,
achando-se presentes os ministros e secretarios de
, estado do imperio, da fazenda, da guerra e da ma-
rinha :
Considerando a summa gravdade da crise com-
mercial. em que actualmente se acha a praca do
; Rio de Janeiro, em consequencia da su pagamento; da casa bancada de Antonio Jos Al-
hoje e
a ruina 03 mais geraes Ks......., ,,, ,li;rtl ia m nmm
sociaes, e medrado pelo alcance dos transtornos ves Souto C, no dia 10 do corrente
desles ltimos das o alcance futuro dos males que -
estao inminentes, vera respeilosaraenle implorar
da sabedoria, patriotismo e'dedlcaco de Vossa
Magestade Imperial providencias promptas e effl-
cazes que poqham termo ao progresso do mal qne
se augmenta a cada'bor, e que a nao ser enrgi-
camente atalhado, produzir com certeza urna rui-
na geral, a, o que a Providencia nc* permita, tai-
vez urna conflagrado nos espirilos.
Senhor t Se tomamos a liberdade de assim
nos exprimirmos, augmentando com a nossa ex-
psito a tristeza do animo de Vossa Magestade
Imperial perante os lamenlaveis successos que nos
i tem affligido, porquo profundamente convenci-
varias outras, as quaes, se nao sao da raesm im-
portancia, approxiraara-se della, amea?ando a que-
bra de muitas casas commerciaes;
Considerando nos mcalculaveis e perniciosissi-
mos resultados, que se podem seguir, nao s na
capital e de mais pragas do imperio, como no in-
terior, onde tem de repercutir o abalo pelo qual
passa actualmente o commercio e todas as cla>ses
productoras do paiz;
Considerando que na legislaco patria era im-
possivel ser prevista urna situago tao calamitosa,
e que por isso nao contm remedio applicavel
crise, e que a possa domar ;
Considerando que o governo de Vossa Magestade
Imperial nao pode, nem deve cruzar os bracos, e
ver impassivel a sociedade victima de tantos desas-
tres presentes e futuros, sem tomar medidas que,
amnistiando o passado, tranquillise os devedores de !
Portana.-O vice-presidente da provincia, tendo
em vista a informacao ministrada em offlcio de 16
do corrennte pelo vice-director da companhia de
Beberibe, resolve autonsar a mesma companhia a
construir um chafariz no paleo do Terco, depois de
collocados os 3 do bairro da Boa-Vista, designados
na portara de 21 de outubro do anuo prximo
/.i .i tumi JM.I-..I. iiiiHju \. o. pagar r-'..... uo uuiuuru uo aiiiu prximo
ngues de Almeida Pogas, conforme Pasado, sendo o referida chafariz contemplado no
: de polica, em offlcio de hontem, numero dos que trata o 6 do art. 2" da lei pro-
aantia de 68^200, despendida com v,ncial n- *6 de li de junho de 1837.Fizeram-se
- r----------------------r------ --t-.j---------.-. e em sessao
dos recrulas apurados nesta provincia e relativo a!ae *iU <*e outubro de 1863, condemnado a trez mil
priraeira quiflzena deste mez, o qual veio annexo 'acoutes reo Joaquim, escravo do major Manoel
ao officio do coronel commandante das armas data- Antonio Gayo.
do de hoje e sob n. 137.Communicou-se ao coro- D,t0 ao Mesoureiro das loteras.-Nao me sats-
nel commandante das armas. I fazendo o que Vmc. expz em seu officio de 17 do
Diloao mesmo.-Forao mandados promptiflear' crreme relativamente a extraejao da lotera da
70 lampeoes para a illuminacao de palacio por or- matriz de S. Jos desla cidade, a que se refere o
dem do meu antecessor, e lendo sido dados 30 por; raeu offlcio de li do corrente, convem que me de-
Ponta de todos os lampeoes encommendados, sirva-: clare era subslituigao de qual das loteras contera-
se informarme, se pode ser feita a despeza com os P'adas na respectiva tabella, deve correr o de que
70 lampeoes de que se traa, afim qne de isto me ac,ina se 'rala.
rva de governo. Dito ao delegado do priraeiro dislricto do terme
Dito ao inspector da thesouraria provincial. ; do Recife.Cora quanto esteja convencido do que
Expela V. S. as suas ordens para que nessa Ihe- Vme; expoe em sua informacao de 16 do corrente,
. souraria seja recebida erecolhida ao respectivo co-' relativa a pe i cao do portuguez Jos Pereira de
fre a quantia de 100000, que exisle em poder do Moura, nao me julgo todava dispensado de recora-
agente filial pagador da repartgo das obras pu- meudar-lhe a maior promptido no andamento do
binas proveniente das madeiras velhas da ponle processo de que trata a sobredita informacao.
provisuria,as quaes segundo const de oflicio do che-
fe interino daquella repartico, datado de 18 do
corrente e sob n. 14 foram arrematadas por Bento
Joaquim Gome-s.-Communicou-se ao chefe interi-
no da roparticao das obras publicas.
Dilo mesmo.Nao havendo inconveniente e es-
tando era termos a cont junta, mande V. S. pagar
a Antonio Domn
solicitou o chefe
sob n. 110, a quantia de 68^200, despendidacom
o sustento dos preses pobres da cadeia do termo de
Santo Anto, durante o mez de dezembro prxi-
mo lindo.
Por esta occasio transmiti V. S. para o lim
conveniente as duas inclusas relaces dos presos
recolhidos aquella cadeia no predito mez de de-
zembro e no de novembro, as quaes vieram anne-
xa* ao offlcio do respectivo delegado datada de 11
do corrente.
Dito ao mesmo. Acenso recabido o officio de
hontem, sob n. 27 em que V. S. me participou ha-
ver Francisco Botelho de Andrade, dando por fia-
dor Jos Dias da Silva Guiraares, arrematado a
obra dos reparos da rampa do caes do Ramos com
o abate de 23 por cento no preso do respectivo or-
camento, e em resposla tenho a dlzer que approvo
essa arremataco, visto dizer V. S. ser conveniente
aos interesses da fazenda provincial.
Dito ao Dr. Joaquim de Aquino Fonseca Rogo
a_V. S. qoe se entenda eom o director da instruc-
co publica, afim de inspeccionar o professor pu-
blico de instruccao primaria da freguezia de S. Vi-
cente, Virgilio Vieira da Coste Pinto, que pede l-
cenca por doente.-Communicou-se ao director ge-
ral da instruccao publica.
Dito ao director geral da instruccao publica.
Scieute de que V. S. ponderou em seu offlcio de 16
do correnti, sob n. 18 com referencia ao profes-
sor interino.de instrncejio primara da villa de Ca-
brob, Feliciano de Oliveira Dinlz, aguardo as in-
formacoes que o conselho director pedio do con e-
Iho do dislricto, as quaes como V. S. me declarou
no eu citado offlcio vo ser de novo exigidas do
delegado literario do dislricto de Cabrob.Neste
sentido offlciou-se ao juiz municipal Io supplente
do termo de Cabrob. j
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife.Recommendo a V. S. a
expedifo das convenientes ordens, para qoe for-
mando-so os batalhes da guarda nacional sob seu
cemmando superior as respectivas paradas, seja
I ido em frente delles o decreto n. 3,371 de 7 do cor-
rente, creando coros para o servico da guerra em
circumslancias extraordinarias com a denomina-
Cao deVoluntarlos da Patria,declarndose nes-
sa occasio que os guardas que pretenderem alis-
tarse nos termos do citado decreto devem apre-
S, mmn ^SZ^a"} **" ?? ; i d0? *? ? MpfflTMaNS immediato cora
n^h u m T* obron eoadjuctor pro-' o* individuos e os objectos feridos pela calamidade,
S' "as> arv!,Sta-d0S ^"entos juntos (es-1 que desejamos remover, prezumimos conhecer em
cnptura de perfllbacao e certido do casamento) o toda a sua exlenso a gravidade da crise por que
a .;.. j '" raca,no lancameoto da filha' passamos, eternos, como cidadaos e como com-
do supplicante de nome J... a declaracao da sua! merciantes, o duplo dever de fallar a verdade.
legitimidade por subsequenle matrimonio. t A inesperada ce^sajo de pagamentos por
ito instruido com documentos officiaes remet- parle da principa das casas bancanas desta praca
tido pelo juiz e membros da confraria do Saotissi- atacando de improviso a urna sorama de capitaes
mmandoaemerrarlC t ?*** *"! cos- uPerior a 60,000:000*, trouxe como consequen- ver "ronwftaT faSTl^MTSpaSh
da^SrisiK^SJ^L'STST sepu,llaras 'ia a CT5ao de Paaentos por parte de grande 1. Que por um decreto o g ,verno determine,
m^Sto^^in^PrWAem,tw,^ numero de outras casas, honradas e respeitaveis, emquanto o corpo legislativo nao reunir, o pro-
nromis*! t rt h rSft^'SSi0 Se.Q COm- a- 1uaesPor suas 'elages com o resto do imperio cesso especial da Ihju.dagao dos banqueiros e dos
wtiTiAJiZ *****'* .pel res- vaoaraftar na ^a queda a prosperidade agrcola bancos, actuaes sujeitando desde loto a esse pro-
pectivo paroeno, qne s quer que os enterros se e predial do paiz pela depreciaco de todos os va- cesso as referidas asas bancarias que tenhara
demora, o foram procurar,"s achaxam a carne
do cadver sobre um giro. Os ossos tinbam os
selvagens tirado e levado, por que dolhes multo
apreco, tanto para fazerem gaitas, como ponleiras
de flexas. Parece que esses nao sao antropopha-
gos: se o fossem leriara tambera levado a carne.
Ghegaodo a noticia do aconlecimento a esta ci-
dade, parti para ali no dia 14 o Piraj com um
destacamento de 15 pragas ao mando do alferes
Moraes, da corpo fixo, afim de garantir os habi-
tantes das circumvisinhan?as, que receiavam al -
guma excursao dos referidos indios, do que ha ali
exemplos em lempos passados.
Nesse mesmo vapor seguio o presidente acora-
panhado dos capitaes Coutinho e Mello Reg, lti-
mamente aqui chegado, a flm de fazerem um re-
conheeimento no rio at Barcellos, amiga capital
da comarca do Rio Negro, nos lempos coloniaes.
Deixada a forca e.u Ayro, seguio o Piraj ; mas
pouco alm da embocadura do rio Branco, ua altu-
ra da povoaco do Carvoeiro, teve de estacar, e
voltar. Ah o rio espraiase extraordinariamente,
seguado dizem, e todo semeado de coras e ilhas,
de tal modo, qoe nem canal seguro e certo tem.
Por isto, ou por que o pratico nao acerlasse com o
canal, voltou o Piraj.
E" verdade, dizem todos, que ha muitos annos
nao 5a xemplo de urna tao grande vasante nesse
rio, de Boassu para cima, como neste anno; e foi
precisamente por isso que o presidente esrolheu
esta poca para a explorago, a fim de conhecer
at que ponto se pode contar cora a navegaco a
vapor ali, durante a seca.
Na enchente, em que as aguas sobem trinla pal-
mos, a navegago franca at as caxoeiras de
Santa Izabel, distante desta cidade 140 leguas.
Apenas o Piraj voltou coraecarara as aguas a
erescer, e j estamos em principios do invern,
que entretanto chegou neste anno mais larde do
que cosiuma.
Em 1861, d'aqui por baixo, e pelo Amazonas, a
vasante foi urna das maiores que se lem condeci-
do, e o invern comecou em principios de novem-
bro. Mas l para cima as aguas no rio Negro des-
teram muilo menos do que nesle anno, e o inver-
n agora demoroii-je.
Respondam os sabios da escriptura
Que segredos sao estes da natura.
boa f, e por meio de urna liquidacSo, que salve o
mais possivcl do naufragio, tambem duninua o mais! Consta-me qoe o capitao Coutinho, de volla des-
possivel o terror de que se tem deixado aooderarsa vagem, dissera, que encontrara grande dife
os credores;
Nestes termos, entendem as secQoes do seu
de-
o que se acha na
commissarios por-
_. junho _.
as necessarias comraunieaes.
Dita.-O vice-presidente da provincia, atienden-
do ao que requeren o professor publico de instruc-
cao primaria da primeira cadeira da freguezia de
S. Jos desta cidade Liberato Tiburtiuo de Mirauda
Maciiel, e lendo em vista a informacao do director
geral da instruccao publica, resolve conceder ao
referido professor oito dias de licenca com venci-
mentos a contar do dia 16 do corrente. -Commu-
nicou-se ao director da instruego publica.
Dita.O vice-presidente da provincia, attenden-
do ao que requeren o bacharel Maximiano Fran-
cisco Duarte, resolve prorogar-lhe por doos mezes
o prazo que Ihe foi concedido para apresentar a
sua carta de juiz municipal e de orphos do termo
Pao d'Alho.
------i eee i ------
Despachos dos dias 19 e 20 de Janeiro de
1864.
Antonio Luiz Cavalcanti de Albuquerque e Theo-
tonio Flix de Mello. Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial.
AuMncliao Villarim. E' no Apa que o suppli-
cante tem de seguir para a corle.
Antonia Maria do Nascimento. Indeferido
vista da informacao.
Bacharel Bartholomeu Torquato de Souza e Sil-
va.- Informe o Sr. inspector da ihesouraria da fa-
zenda.
Claudio Dubeaux. Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial.
Alferes Clemente Francilio Tavares.Como re-
quer.
O mesmo.Pode attestar.
O mesmo. -Pode atteslar.
Francisco Gomes de Oliveira. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Dr. Francisco de Paula Ca/alcanli de Albuquer-
que. Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Isabel Francisca dos Santos.Informe o Sr. a-
rao do Livramento, vice-provedor da Santa Casa
da Misericordia.
facam na igreja.
Despacho.-A vista do cap. 11 do comproraisso
junto a esta por certido ; do costume e posse, era
que tem estado aWrmandade supplicante, e da falta
decemiterio publico, pode a mesma irmandade
continuar a sepultar os seus irmaos na sachristia,
salvos os diretos parochiaes.
Dito de Antonio Jos da t.osta, e outros fiis da
povoaco de Petrolina, comarca da Boa-Vista.quei-
xaHdosede que, pretendendo elles festejar a Vir-
gera Santissraa do Rosario, o parocho s? oppoo a
esta feslidade, por nao quererera os festeiros dar
a msica a quem elledeseja,
Despacho.Os Rvds. pardehos nao podem tolher
aos directores das festividades religio-as celebradas
na sua matriz ou as igrajas filiaes, a liberdade de
escolherem a msica e mesmo o pregador que Ihe
coovier; porque essa escilha pertence aos direc-
tores ou encarreeados da festividado : muito me-
nos podem por essa causa prohibir as referidas
feslidades, os quaes, pelo contrario, devem promo-
ver quanto nelles couber para maior gloria de
Deus e augmento do culto publico :com tanto
que se guarde a decencia devida e se respeitem os
diretos parochiaes. Se, pois, o Rvd. parocho nao
quer ou nao pode offlciar na festividade dos sup
plicantes, nao tem o direito de impedir que
sacerdote o substitua.
lores e pela esterilisaco das fontes da, riqueza
particular e publica. O funesto acontecimento a
que alludimos, repercutiudo-se sobre o crdito ge-
ral, trouxe tambera comsigo a desconfianza no seu
maior auge e com ella a retraccao dos capitaes.
E os portadores de ttulos de outras sesponsabill
_ Jei
to ou fizerem. ponto em seus pagamentos;
2." Que, na forma requerida, Vossa Magestade
Imperial haja de determinar igualmente por decre-
to que os protestos por falta de pagamento das le-
tras e ttulos commerciaes desde o da 9 do corren-
te mez, dentro do prazo de 30 a 0 dias, desta da-
II K- ta i ----------- a ------- f -..> ~ ....-, ........ uw uaues nao arnuido com acodamento a realiza ios. ta, nao possam produ/.ir dentro desse prazo outros
* A anciedadi1. rom nnp. rnnirnrrfirnm nn? lat-mn afTpitAc nmi nn catira r.n An .** a ii!^.
A anciedade com que cncorreram poz termo,
em breve tempo, aos recursos monetarios de va-
rias casas bancarias, que foram afinal forcadas a
fechar suas portas, deixando de satisfazer avulta-
do numero de compromissos, para os quaes de
certo nao podiam eslar preparadas vista da sor-
preza que as commelteu. Cada casa bancaria que
se fecha acarreta a parahsaco das iransaeces de
novas e importantes casas de commercio. Deste
modo a ruina se estende e se ramifica. A para-
usa tornase geral. E podem os Jabaixo assigna-
dos afflmar muilo respeitosamente a Vossa Mages-
tade Imperiajque limitadissimo ser o numero das
effeitos que nao sejam os de seguranza de diretos
contra os responsaveis por essas letras -e ttulos,
nao polendo, portanto dentro do referido prazo dar
lugar fallenciaou ontro qualquer procedimento
judicial contra os respectivos responsaveis; e ou-
tro sim, que o pagamento dos ttulos commerciaes
com o carcter de vales ou movmento de contas
correntes nao possa ser jndicialmenis exigido den-
tro do mesmo prazo dos 60 dias supramenciona-
dos;
3. Que por meio de regulimento e avisos, al-
ienta a urgencia das circumstaocias, e a quasi
impossibilidade de prever e acautelar tudo em
__-------... ..- *(>,w .......w *, uwa M|^.vn/iiiuoug UO|SIGCI C dUtlUlCiai IUUU Clll
que se salvarao deste caiaclysma commercial, que pouco tempo, sejam desde j dadas as providencias
ameaca ahvsmar nproilitn a a ri.ni,i7-i rlocti m- ii.... .. ..irt ,. .1. .. n.ni.. nnH*;n^ jn i:....:.!.-;.
araeaca abysmar o crdito e a riqueza desl ira-
portante praya. .
As fortunas particulares vo nniqular-se ; a
agricultura, fonte da nossa riqueza, vai ser inevi-
tavelmente esmagada, e o lavrador, oberado de
entro .dividas, privado dos recursos com que possa oc-
' correr s suas necessidados, abandonar as suas
Dito de Telamaco de Souza Wlho, que se acha Ierras,
estudando no seminario do Rio de Janeiro. I As reudas do estado, cujo abalo j sensivel,
Despaeho.--Junte a habilitado de vita et mott-1 flearao de certo reduzdas a mesquinhas propor-
bas do lugar de sua naturalidade, e da cidade do {des. a industria, os melhoramentos materiaes,
Recife, onde residi por algum tempo. I ludo lera do estacar ante as difficuldades que sur-
uiio oe luiz Ignacio de Moura, natural da pro- gem, abaixando assim o nivel da importancia po-
vincia da Parahyba, actualmente recolhido ao se- i litica do paiz.
mmario do Ro Grande do Sul, onde estuda para! Em taes circumstancias, senhor, e na previsao
nS-Sl ni Idt' males lao consideraveis, nao sao os meios ordi-
uespacnoeclare a quanto tempo sahio desla' narios, j conhecidos e proposios, os que podero
diocese, e se o fez com licenca, ou consentimento remediar esta deploravel situaco. O legislador
do Mu. prelado respectivo, a qual dever apre- j brasileiro nao podia prever estas circumslancias
ar- extraordinaria e excep^ionaes
------------------ i/n au cunegu joao t.nrysosior
Joaquim blias Maciei de Lira Albuquerque Rega. res, dizendo que havendo muitos
Barros.Saja inscripto o nome
competente relacSo.
do supplicante na
Dito do juiz e membros de diversas irraadandes
da cidade de Goyenna, tendente a precedencias
as procisses, e ao lugar que devem oceupar as
irmandades que go*am da faculdado de usar de
habito.
Despacho.Estando determinado por varios de-
cretos da sagrada congregarlo dos ritos que as ir-
mandades tem as procisses a precedencia segun-
do as suas antiguldades (excepto a irmandade do
Santissimo Sacramento, a qual prefere a todas lao
smente naquellasprodisses em que vai o Santis-
simo Sacramento) e o titulo de contrarias que to-
mam aquellas irmandades quo obtem do Exm. e quidacao dos banqueiros e dos bancos!
Hym; Sr. internuncio a perraisso de usar de ha- t sujeitar desde j a esse processo as casas ban-
necessarias sobre o modo pratico da liquidado.
O conselheiro Biptista de Oliveira disse que, re-
conhecendo cora os seus collegas a necessidade de
tomar-sc urna medida extralegal as graves cir-
cuinstaucias da praga, louva-so nj^que o governo
resolver a tal respeito.
Vossa Magestade Imperial, porm, resolver o
que fr mais acertado.
sala das conferencias das sesses, em 16 de se-
tembro de 1864. Visconde do Uruguay.Viscon-
de Jequitinhonha.-Visconde de Itaborahy.Jos
Antonio Pimenta Bueno. Marquez de branles.
Candido Baplista de Oliveira.
Sendo a materia devidamente examinada, os
conseiheiros membros das duas secces sustenta-
rara as opinioes enunciadas no parecer, fazendo o
conselheiro Candido Baplista de Olireira algumas
ponderaces, com o fim de explicar o seu voto. E,
depois de diversas observajos dos conseiheiros
Souza Franco, viscondes de Jequitinhonha e Itabo-
as concluses do
renca entre o que observara, e
carta desse rio levantada pelos
tuguezes em 1790.
O vapor Inca*, da carreira desta cidade para Ta-
batinga, chegou na noite de 22, lendo d'all trasldo
um importante carregamento, do qual fazem parte
muitos productos do Per, trasidos para aquella
estago po Pastaza, qie ainda ali ficou. S cha-
peos do Chile vieram 2o mil.
Isto faz com que a carga que agora leva o Ta-
pajoz para o Para rastoje, se nao exceder ao valor
de 250 contos.
Da politica pouco ou nada tenho a dizer-lhe.
Pelo vapor passado j ter sabido que a nossa as-
sembla provincial eacerrou os seos trabalho?.
mesmo antes do tempo devido, visto que nos lti-
mos das deixou de haver sessao, por falt de nu-
mero. Por isso a lei do ornamento provincial dei-
xou de ser remettMa a presidencia. Masado
municipal a tres outros actos que foram enviados
saneco deixaram de surtir effeito. A estes dei-
xou a presiden^ de sanecionar, e a aquella dei-
xou de publicar, motivando o seu procedimento.
como de le, as razes da nao sanefo.
Segundo me dizem havia em taes projectos cou-
sa spera e repugnante de tragar, a quem nao ti-
vesse muilo bom estomago. O Sr. Adolpho de
Barros nao esteve pelos autos, e varreu a estopa.
Os nossos legisladores evaquearam, como f-
cil de suppr; mas s para o anno que podem
dar geito ao caso. Esperemos, portanto, pelo fu-
turo para saber-se quem que lem razo. O que
sei que o Amazonas nos anmes de sua legislacao
escrever zero no anno de 1861, visto que um s
acto legislativo nao entrou para a colleco das lei
provinciaes.
C por mim acredito desde j, que o Sr. Dr.
Adolpho de Barros, mogo intelligenle, animado de
boas intencoes e muto dedicado aos interesses da
provincia, nao teria procedido como procedeu, se
naojlvesse irtuilo boas razes para isto...
Sao horas de missa : adeus.
PERNAMRUCO,
E o, por tanto, convieco dos abaixo assigna- rahy, e Pimenta Bueno, foram
dos que magnitude dos desastres occorridos c parecer approvadas por todos,
por occorrer devem corresponder medidas tam-
bem nao previstas, mas que nicas podem salvar a
situago.
Entre aquellas que a sabedoria de Vossa Mas
gestada Imperial inspirar de certo, ousam os
abaixo assignados propor algumas das que lhes
parecem indispensaveis e momentneas. Sao a-
s.-guales
E'. portanto, o parecer do conselho de estado,
por unanimidade de votos, o mesmo das secedes
reunidas de justica e fazenda, sujeito ao seu exa-
me.
Vossa Magestade Imperial, porm, resolver co-
mo houver por bem.
Sala das conferencias do conselho de estado no
paco da Boa-vista, 17 de setembro de 1864.Vis-
bito talar, nao dando a essas irmandades ou con-
frarias o direito de altorarem aordem da aotigui-
dade, ordeno ao Rvd. parocho da cidade de Goyan-
na, que de conformidade com o que esttuem os
decretos da sagrada eongregacao, e cora a praxo
inalteravelmente seguida na cidade do Recife, a
respeito das irmandades ou confrarias que usam
Regular provisoriamente, e em quanto o corpo conde de Sapucahy.Mrquez de branles.Vis-
legijlaiivo^se nao rene, o processo especial da li- conde de Abaet.-Visconde de Jequitinhonha.
Jos Antonio Pimenta Bueno.Visconde de Uru-
guay.Visconde de Itaborahy. -Candido Baplista
canas que liverem recebimentos em deposito, ou
simples caucoes, e cujo passivo exceder de......
10,000,0005000, e que lenham feilo ponto em seus
pagamentos.
< Ser a liquidaeao referida deliberada dentro dos
19 dias successivos cessaco dos pagamentos,
por nove dos princpaes credores existentes no lu
de Oliveira.Bernardo de Souza Franco.
de hbitos talaros, regule as precedencias das ir-1 gar, os quaes s por maioria de votos podero de-
s as procisses pela sua antiguidade, | termnala.
seja qual for a insignia ou habito de que usam
Dito de Joo Henrique Low, pedindo para abju-
rar a suaseita e recebero baplismo.
Despacho.Auloriso o Rvm. vlgrio da fregue-
zia de S. Pedro Goncalves para tomar ao supplican-
te a abjuragao da sua seita e a profisso da f ca-
tholica, e proceder depois administracao condi-
cional do Sacramento do Baplismo; passando neste
reqnerimento a competente certido, que deve 6ar
assignada pelo Rvm. parocho, pelo supplicante e
por duas testemunhas ; e depois de langada no li-
vro competente ser remetllda para a cmara enis-
copal e ah ficar archivada.
Dito ao conego Joo Chryso3toma de Paiva Tor-
------- casamentos as
occasies de misso, pede que conceda licenoa. aos
parochos para correrem em tres dia? na semana
ser a mesma liquidaeao, quando resolvida,
confiada a urna commisso de tres membros. Dous
nomeados pelos dous maiores credores presentes,
e oteroeiro, pelo chefe ou gerente da casa em li-
quidago, podendo essa commisso ser presidida
por um fiscal de nomeago do governo, cujos de-
veres sejam determinados em regulamento espe-
pecial ; nao importando nunca o processo especial
a alteragao das regras legaes que regem as que-
rORRENPO\l>EXClAS BO DIA
RIO 1E PERYAMItlHO.
\MA7,0>%S.
Manans, 24 de dezembro de 1864.
REVISTA DIARIA.
Tra7em-nos noticias que o Sr. Dr. delegado dera
a semana Onda urna assaltada aos atravessadores
de farinha, fazendo os tomar o veo dessa especnla-
go detrimentosa da pojiulago pobre. Bem haja
esta autondade, bem como o Exn. Sr. vice-presi-
dente, que em sua solicitude nao tardn emrecom-
mendar polica a expedigo de suas ordens para
evitar semelhante abuso, que por certo nao devera
ser tolerado nem pelo subdelegado local, era pela
autondade fiscal, a quem mais especialmente in-
cumbe tal atlribuigo, revelando por tal forma
ou conveniencia com esses especuladores, ou
culposa negligencia no cumprimento de seus de-
veres.
No enlamo forga, que nao fiquem ahi as pro-
videncias dadas : importa que as visitas da auto-
ridade superior se produzam no mercado com
frequencia, nao se permiitindo mesmo que ahi
venda farinha da trra senao ao productor ou ma-
tulo, a applicando-se aos taes zangos esse recruta-
ment com que elles afugentam aos matulos do
mercado, onde com essa ausencia impoem elles en-
No acredite que a interrupcao havida na nossa ,,ri0 Pre o genero,
correspondencia seja devida a preguiga, ou a es-. Seria al conveniente que os subdelegados dos.
quecimento do seu Uiatio. Lance semelhante fal- suburbios, por onde ha entradas daquelle genero
ta cont de muitas oceupages e molestias, com seinteressassem na exlincgo desses zanges ; por-
nilQ 'lllinc rl.illni> miii Afnnalnn aA> > .11! ~~
que me lenho visto atrapalhado.
Dito islo, reato o fio de minha teret hoje, ves-
pera do natal, quando d'aqui ha pouco tenho de ir
a missa do galo.
Em paz fica esta ierra, que sempre foi, o ha de
.:--------7 Z ------' --o -" -j~ **m lan
bras, mas nao podendq estas ser executdas seno ser de paz. As brigas que por c'apparcem nao
a requerimenlo da coinraissao liquidadora. sao cousa para cuidado : quando se do no vulga-
nS!ni?,{?f ^..q!f,.", prtit0S Pr hlia ^e 5 U'Vuia> Pr causa a8Qardenle ; quando na
ST?ne"l?as le|ff.Wnlocommercaes, desde boa gente que usa de gravita, moda dos repu-
9mZ5,"^ mwaie 0 das dessa data, nao pos- Uioanos doOttoni, por causa da poltica. Mas
ov! i tsse P"10 ulr.03 elT,;',0S oue l nao duram. muilo acompanham as aguas do no*.so
nao sejam os de seguranga dos diretos contra os; rio : onchem a vazam naturalmente um w.
responsaveis porosa ie?ras ralos, 05o pdelo I Sti damno sensivel mmlmn*> *m causa"
que alguns delles maisesperlos vo para all, agen-
ciam a farinha, e vestidos malulo vera n'a vender
aqui. como se fossem d'el la productor, on fossem-
n'a buscar nos mercados productores.
Sao cousas estas que so nao devem delxar i es-
peculago, mxime quando esta pode ser explorada
to vantajotamente pelos espertas ; a alimentago
publio. deve merecer seria attengio de quera go-
vor'ia, porque do desespero do novo nao ha a espe-
rar seno actos reprovados, verdade, mas autori-
sados por urna necessidade superior, que os inno-
cenia al perante a razio. Pelizmente, porm, nao
chegaremos a este ponto, porque temos autoridades






-*

.........
1>arto de r ernambiico fefta lelf f de Janeiro de 1865.
--.
que nao drscuram de obviar m suas providen-
cias acertadas a laes inconvenientes
4 paniticaco acaba de passar ncsla cidade
por un meltaeram-nlo real no estabelecimfente da
vluva Machado & Kilho, a ra Uireita, ns. 82 e 84,
onde o frabafno braljal foi suoslituldo pelo mecha-
nico. .- ...
Olrabalho geral deste esuAetecimeoto feio
por urh machinismo movido 4 vapor, desde o pn-
meiro preparo da massa al a perfeila promptinra-
cao do produelo esperado, de sorte que alm da
presteza, todo o trabalbo aeompanhado do maior
asseio iiosslvel ; o que tfantes se nao poda obter,
quando era elle furto a raio.
Assiro, pais, sao imnifestas as vantagens que re-
sultan aos consumidores do novo processo de 1ra-
balho de umcstabelecimento brasileiro, que oprl-
meiro nesse genero, e que quando nao offereca o
seu producto per menos, ofTerece-o melhor fabrica-
do, rom asseio indispuia*el o promplido no forne
cimento.
Este melhoramento, que para traduzr-se em
(acto uo cusiuu poucas fadigas, e careceu do em
prego de capital cresrido, subslitue por completo
asseto a limpia dnvidosa que d'arrtes ia na pani-
ficarlo ; e esta ercwoslanca bastante para esla-
belecer a sua supremaca, e conseguintemente at-
trahir-me a concurrencia publica, de que credor
nao s por isso, seoo tambera pela escoma da fa-
rinha que em prega.
As noticias ntidas pelo Ptnmunga, de Fer-
nando de Noronba sao boas, dando a ilha" com
grauda abundancia de farinha, e com ptima co-
Ihett do algodao arli plantado ltimamente.
A bordo de referido vapor viean. 44 pracas de
pret de 9 batatho, alm de I offlciaes e 8 inferio-
res. Vieram tambem 12 sentenciados e 24 nu-
fragos.
Na altura da Hia, pelas 8 horas do dra 7 de ne-
zembro prximo passado iacendiou-se a galez
americana Susana Hontand, que segnia de New-
York para S. Francisco, rarregada de diversos g-
neros, inclusive dous mil barris de plvora.
A Inpolacaoe passageiros lograram salvar-se na
ilba.
Com retaeio falta d'agua que ha na tamu-
ga, dingemnos a segrate nota, que submettemos
apreciacao esclarecida de S. Exc. :
A falta de nm chafartz na Capunga ha muito
lempo sentida pela ja numerosa populadlo dle
interessante arrebalde.
.. Semelliante faKa esUbeleceu all a necessida-
de de fazer-se oso paia todos os wysteres, ate
mesmo para beber, d'agua de cacimbas; as quaes
alero de pela maior parte produzremna de m
qualidade, tornam-se completamente seecas pela
^poca do vero, como presentemente, resultando
disto o maior vexaroe possivel para os habitantes
do lugar, que se veeni privados de um dos elemen-
tos neeessarios vida.
Assim, pois, muuo conveniente ser que S.
Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, em atten-
cae tao grande e urgente necessidade, deliberas-
te tfe roode a construirse neste arrcbalde sem per-
4a de tempo o chafariz j concedido, tanto mais
quanto muito pouco distante passa o encanamento
da companhia do Bebente ; o que muito facilita a
respectiva construeco.
Da Parahyba nos notician) o seguinte em data
de 12 do crreme :
< durante a administraco policial do Dr. Ger-
vasio Campello Pires Ferreira, nesta provincia, a
contar de 16 de agosto do anno passado, dia em
qne assumio o exerciclo, al hoje, teem sido pre-
sos 110 criminosos, que sao os seguintes :
< Do enme de morte :
t Vicente Gomes Ferreira ; Sabino JRicardo
Amancio, que tambem condemnado por furto de
cavallos e ferimentos graves ; Jesuino Bertoldo,
tambem criminoso de resistencia ; Valeriano Mar-
tms dos Santos; Severino Dantas de Araujo,
tambem de tentativa de morle ; Claudina Maria
da Conceico ; Joaquim Gomes Marrano; Manoel
de Lima; Marinha Joaquina da Conceicao; Fran-
cisco Antonio do Couto, tambem de resistencia^
ferimentos; Francisco Fernandes de Honra ; Joo
de Souza Francisco Xavier de Santa Anna ; Joo
Fernandes Santiago Manoel Ferreira Ronca ; An-
tonio Pereira ; Francisco Leite da Silva; Micaella ;
Antonio Machado ; Francisco Machado ; Themoleo
Jos de Sanl'Anna ; Casemiro Rodriaues dos San-
tos ; Joao Baplista de Araujo; Francisco, escravo.
i De tentativa de morte :
t Adelino Jos do Reg; Aleandre do Altar;
Joo Perora dos Santos; Flix Nery de Cantalice;
Antonio Fidells ; Vergollno, escravo.
De ferimentos graves :
t Joaquim Mathias ; Jos Bezerra Leite, lara-
bem de ferimentos leves; Francisco Monteiro Car-
ios ; Manoel Pereira ; Francisco nas ; Manoel da
Penba ; Maria Mauricia de Rosario; Luiz, escra-
vo ; Manoel Rodrigues Campos ; Joao Ignacio da
Luz ; Romo, escravo ; Joo Francisco da Silva ;
Antonio Manoel do Nascimento; Monoel Rayraun-
do, tambem de ferimentos leves : Jos Gomes
Jardim ; Antonio Jos da Silva.
De ferimentos leves :
i Antonio Francisco de Araujo ; Francisco Bor-
ges da Silva ; Jos Herculano de Barros; Fran-
cisco Correia de Mello; Cosraa Gerlrudes Moreira;
Paula Moreira da Conceicao ; Maria Joaquina da
Conceigo ; Guilhermino Jos Luiz Professor ; Jos
Antonio dos Santos; Ignacio, escravo ; Joo Cesa-
rlo Sabino ; Sabino Jos do Rosario ; Bartbolomeu
Jos Mana ; Antonio M;-ria da Conceicao.
t De furto de animaes :
< Manoel Jo.- do Nascimento, Joo Marlins de
Oliveira ; Antonio Gomes das Neves; Antonio Jos
de Souza ; Francisco Soares de Araujo ; Francisco
Jos Barbosa ; Luiz Goncalves Dantas ; Antonio
Alves dos Santos ; Jos Ferreira de Araujo Barre
to ; Juvenal Antonio Flix de Menezes, Avelino de
tal; Jos Wenceslao Alves Garaeleira ; Delmiro
Mendes de Queiroz ; Fausto Mendes de Queiroz ;
Manoel de tal ; Manoel Bezerr do Nascimente.
De oulros furtos :
Josepha Maria da Conceicao Jos Soares.
Roubo :
Manoel Bezerra da Paixo, e Herculano Fer
reir Lima.
c Estellionato :
Jos Domingues Correia, e Francisco de Fre-
tas.
< Resistencia:
Manoel Moreno da Silva ; Antonio Agostinho;
Joao Marlins de Oliveira.
t Reduzir a escravido pessoa livre :
c Miguel de tal; Rita,escrava ; Francisco Bar-
bosa.
Damno :
Bellarmiuo Maria de Brilo; Bellarmino Arpinia-
no de Oliveira ; Justino da Silveira Lima.
Fuga de" presos :
t Felinto Gomes da Rocha ; Galdino Fernandes
da Silva ; ManoefGalvao; Alexandre Francisco de
Oliveira; Manoel Ihomaz da Silva; Apolinario
Llborio; Francisco Marques da Silva.
< Rapto :
Sebastio, escravo :
t Injuria :
Gabriel Olaviano de Oliveira.'
c Diserlores do exercito e polica :
Herculano Jos do Nascimento ; Joaquim Ma-
riano ; Pedro Jos de Lyra ; Manoel Borges ; Jes
Theotonio de Oliveira ; Jos da Silva Moraes, Ma-
noel Luiz dos Santos i Tiburcio Jos de Farias
Jos Francisco da Silva, e Manoel Goncalves Pe-
reira.
No dia 1." do corrente, no lugar Praia dos Car-
neiros, da freguezia do Rio Formoso, quando se
celebrava all urna fesla, um foguete matou um
menino que brincava perla
Pelo delegado Ue Serinhem foi preso Luiz
Lopes de Oliveira, pronunciado em estellionato.
Perdeu se hontem, s 2 horas e meia da ina-
brogada, no arrecife defronte do ancuradouro da
descarga, a barca franceza Lee Annit Umt de
Saint Mun de Luz, que vinha do Havre para o aus-
so porto, com 31 dias de viagem.
Segundo declaracao do commaodaotc, deu lugar
ao siaistro a cerrai;o qne havia sobre a cidade
nao perniUir-lhe ver aonde eslava a distancia, e
s sim perlo da costa, quando elle, tentando fazer
virar, mentio o navio, e cahio, com o vento fresco
qne reinavo enio, sobre as pedras, abrindo logo
agua, ,
A guarda-mona da alfandega prestou logo todos
os soccorros, e contina a assistir ao trabalho da
descarga, que se est fazendo por conta dos con-
signatarios.
At hontem Urde tinha sido tirada parte do
earregamento, velante e mastreaco, viudo aquella
bastante avariada.
Fallecen huotem, aps longo padeejmento, o
St. Dr. Jos Mamede Alves Ferreira, engenbeiro
que foi das obras publicas, e ltimamente empre-
tetro da esnada do norte.. Dames os nossos psa-
mes sua incoosotavel familia.
Em additamento noticia que demos hon-
tem, relativamente sessao da Asuetofao Promo-I
Revlso do jury de. II de Ja-
neiro de 1865.
(Continuagao.)
Foram qnalifleados Jurados os cidados segua-
tova ihi Colonisaco Polaca, curtiprc referir que
pelo Sr. Dr. Sabino foi apreseniada urna caria do
Sr. Dr. Jos Joaquim dos Santos, da Bahia, pondo
dispoticao da AssoiSacfio terreno, qne possoe.
Foi receida com agrado a olera, mandndo-
se agradecer. .. I Jos Maria Machado de Figueiredo.
Hoje ao mel da em ponto, havera sessao da i ^ Joaquim Q-A(,UB0 Fonseca.
mesma assoeiacao, para discussao dos estatutos. > jos ^0 Ferreira.
Depojg da manha se extrahir a segunda Joo Marla d'A|ba,,uerque oliveira.
pane da -decim primelra loteria da matriz da1-
Boa-Vista (terceira) sendo o maior premio.......
6:000:000.
REMBTIQ.VO B.\ POLICA \
Extracto das partes dos das 22 e 23 de Janeiro
de 1865.
Foram recomidos casa de detenfio no dia 21
do corrale :
A' ordern do Illm. Sr. Dr. chele de polica, Anto-
nio e Bellarmino, esenm de Joao Carlos Caval-
canti de Albuquarque, para averiguaroes sobre a
verdadeira condicJo delles.
A' ordem do Dr. delegado da capitai, Elias Fer-
reira da Paz, por infraccao do regulamento da es-
trada de ferro, e Victoriano, de menor idade, por j^'^' cub7s^a're^ Onmiries?
vagabundo .,. l Joaquim Lopes Machado.
A ordem do subdelegado da Boa^Vista, Antonio Jos Joaquim da ^,3,3.
tes
Dr. Joo Francisco Teixeira.
Dr. Jos da Cunha Teixeira. ^
Joo Manoel de Castro.
Dr. Jos Pelix de Brilo Macdo.
Jos da Foaseea e Silva.
Jos Jeronymo de Sonsa Liraoeiro.
Jos Candido de Souza Castro.
Dr. Jo3o Ferreira da Silva.
Dr. Jeronymo Salgado de Castro Accktly.
Jos Elias de Olivejra.
Jos Luiz Pereira.
Dr. Joao Diniz Ribeiro da Cuaba.
Dr. Jos Roberto da Cunha Salles.
Jos Barboza de Miranda Santiago.
Sr. commcndnor Antonio Joaquim de Mello, e da
Memoria do Clero Peraambucano, pelo Rvm. Sr.
padre mesne Lino do Monte Carmello Luna, e de
mais algumai obras respeoj auoca poderam go-
zar dessa subida honra 7
Pelo menol!, sao contemporneos nossos alguns
eximios sacerdotes Pemambocanos, com iodos os
predicados ara bem desempenhar aquella alta
mlssio eomo] os finados padre mestre Miguel Joa-
quim deAbreida e Castro; Dr. Deao Bernardo Lou
Ferreira, o vigario Francisca Ferreira Brrelo,
padre Donaigos Germano Affbnso Regueira, bem
como os Iwiis. Srs. monsenhor Monis Tavares, Tl-
gano capitular desta diocese Dr. Deo Joaquim
Francisco d* Faria, Fr. Franeisoo Cardoso Ayras,
e oulros mallos que seria longo ennumerar, mas
que nao foram anda para Isso considerados dlg-
ao vendedor, cobrando o dlnheiro : tomar diobeir' estabelecimentos de coiamercio fra da cidade do
emprestado a urna sennq/a casada, por interven- ^ Hecife, prensas de algodao, typographias, cnchei-,
ci da sua, e deixando de o pagar quando a credo- i ras, bolequins, botis, casas de pasto, eavllarice
rao exigi, tere a infamia de dlser que esta nSoj efabricas,de 8 [0sobre consultorios mdicos e
Ihe tratasse de tal exigencia1, visto como aquelle clrurgieos, oartorios e ascripiorios.de 20 0|0 sobre
dinheiro nio lile' foi emprestado, e sim dado porle8[abelecimenlos de commercioem grosso e are-
certas considerbaos nessoaes, w,, etc_ deixaodo la||10 armazens de recolher, os trapiches, de
Manoel ou Alexandre Jos de Souza, por ser deser-
tor, e Joo dos Reis Gomes, para correccao.
Foram recolhidos mesma casa no dia 22.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Joaquim de Sanl'Anna, vindo da Parahyba, como
eondemnado 8 anuos de gales ; Prudencio da
Silva, vindo de Nazareth, como alienado ; Manoel
Baptista, Manoel Leite dos Santos, Joaquim Jos
Goncalves Venerando, Antonio de Oliveira, e Luiz
Lopes Rodrigues Pedregulho, viudos do presidio
de Fernando, como sentenciados.
A' ordem do subdelegado do Recife, Paulino Cor-
rea da Silva, por desobediencia.
A' ordem do de S. Jos, Francisco Xavier Viei-
ra e Rutina Maria da Encarnacao, por briga; e
Dr. Joao Goncalves da Silva Montarroyos.
Dr. Joaquim Jos de Campos.
Joo Baptista Cesar.
Dr. Jacintno Pereira do Reg.
Joaquim Antonio Carneiro.
Tenente coronel Jos Antonio Pinto.
Joo Xavier da Fonseca Capibaribe. \
Jos Xavier Faustino Ramos.
Jos Alfredo de Carvamo.
Tenente Jos Pedro da Silva.
Jos Antonio Pereira da Silva.
Jos Conegnndes da Siva.
Joaquim Jos de Sonza Serrano.
Joo Joaquim de Siqueira Varejao.
Jovino Eplphaoio da Cunha.
Joo Antonio da Silva Pereira.
Jo-e Franeisoo de Salles Bavi Joaquim Teixeira Peixoto.
Joao Soares da Fonseca Vcllozo.
Joaquim Cardozo Ayres.
Antonio, escravo de Luiz da Fonseca Macedo, por joauuim Pedro dos Sanlos Bezerra.
andar fgido.
A' ordem do da Capunga, Cosme, escravo de
Jos Matheus, por desordem e insultos.
O chefe da segunda seceo,
J. G. de Mesquila.
Movimenlo da casa de deienco do dia 20 de I Jos Pires Ferreira.
Janeiro d3 1865. I Januario Constancio Monteiro de Andrade.
Exisham presos 37o; entraram 10 ; saluram 12 ; jMqaim j^ deFaria Neves Jnior.
existem373. Joaquim Pedro Brrelo de Mello Reg.
A saber : nacionaes 39j ; estrangeiros 16 ; Jos Thomaf. de Aguiar.
mulheres 3 ; estrangeiras 2 : escravos 51 ; escra- Joaquira Jos de Miranda.
vas 6-Total 373. Jos Ribeiro Guimares.
Alimentados a custa dos cofres provinciaes lo. ^ e garros Correa Sette.
Movmento da enfermara do dia 22 de Janeiro Dr J5o Honorio Bezerra de Menezes.
de 1863. i Dr j^0 Capristano Bandeira de Mello Filho.
Teve baixa., __'Dr. Julio Augusto da Cnnha Guimares.
Belarmino Baptista Alves de Carvalho, rheuma- Ur Joaqoim da Cosla Dourado.
tismo.
Teve alia :
Raymundo, escravo de Antonio Ferreira.
Movmento do dia 21 de Janeiro de 186o.
Existiam373 presos ; entraram 6 ; sahiram 12;
exislem 367.
A saber : nacionaes 293 ; estrangeiros 14 ; mu-
lheres 3 ; estraogeiras 2 ; escravos 48 ; escra-
vas 3.-Total 367.
Alimentados custa dos cofres pblicos 167.
Movimenlo da enfermarla do dia 22 de Janeiro
de 1863
de pagar urna letra que passon de 2104000. Quem
em Pedras de Fogo cantarolava, dando altos bar-
ros, tocando ao mesmo- tempo piano, quando o
Rvm. prefeito da Penlia, Frei Seraphim da Catania,
pregava o santo Evangelho aos Seis : quem teve o
desatino de fallar (no Dispertado/' Parahybam)
ddeste mesmo virtuoso religioso, persuadindo a mu-
tas pessoas daqnelle povoiJo a nao eonduzirem
materiaes para a edifleacao da magestosa capella
que este incansavel ministro do Sennor esl edifl-
nos ? O/zwfero por ventara para o episcopado de cando : quem sendo juiz municipal da villa de
Pernambucd homens perfeitosT Seria isso urna
louca preterjeo, porque Dos para demonstrar a
sua Omnipotencia Justica na orgaaisacao de
todos os seres, adrede n'eltes procurou remover
toda a perfeicao, e estatuir alguma compensacao.
E' anda digno de observaco, que d'entre os 18
Souza, fez em poucos mezes lanas gentilezas, que
nao so animou mais a voltar e exercer as fuoccoes
do seu emprego, sugeitando-se por isso a ser pro-
motor da villa do Pilar, da Parahyba do Norte :
quera em Pedras de Fogo, rediglo por despeito e
mesquiaha vinganca e pela mdica paga de 104000
bispos nomaados prra esta diocese desde sua ins-; urna correspondencia toda calumniosa contra um
tituicao, 13 eram nascidos em Portugal, e apenas. honesto e probo aucio, empreslando-lhe ludo quan-
5 no Brasil, a saber ; dous em Minas Geraes D. to de direito pertence ao sea redactor, prevales-
Fr. Francisco da Assumpco Britoam 1772, e D. cendo-se da inepcia e loucura de nm pobre diabo,
Fr. iogo de Jess Jardim om 1786 ;dous no Rio | como elle Bfaraador e luuatico para asslgna-la
de Janeiro, D. Fr. Jos Joaquim da Cunha Azeve-
do CoutinM* em 1796, e D. Fr. Antonio de S. Jos
Bastos em 1310 ; e um na Bahia D. Fr. Tnomaz da
Encarnacao! Cosla Lima em 1774, ao passa que
nenhum era Peroambucano I
Entretanp cinco Peraambucanos foram julga-
quem nao entregando dinheiro algura ao mu pro-
bo cidado (da cidade da Parahyba) Joo Pinto
Monteiro da Silva, sustentou que o tinha dado, sen-
do isso falso e como tal provado : saiba-se final-
mente se aquetles dous cidados cima menciona-
dos que nao tem pralicado os fados j expostos,
dos aptos para o episcopado de ootras dioce'ses", a tem pratwado oulros que o degradem c o tornera
saber, Fr. Manoel de Santa Catharlna, bispo de indigno da reputaco que tem sempre sabido me-
Aagola ; I). Fr. Bartbolomeu de Nossa Senhora, | nacer.
bispo de Millapor; Padre Mestre Manoel do Monte, Boga-Ibes, senbores redactores, a insereno deslas
s d
Rodrigues jda Araujo, bispo do Rio de Janeiro; D.
linbas
O inimtgo dos calumniadores.
PUBLIGISOES 1 PEDIDO.
Teve baixa :
Manoel Jos do Nascimento, sarnas.
Manoel Riacho Moror, sarnas.
Jos Francisco de Moura, sezoes.
.Movimenlo do da 22 do Janeiro do 1865.
Existiam 367 presos; entraran! 2i; sahiram 3 ;
existem 388.
A saber : nacionaes 314; estrangeiros 15 ; mu-
lheres 3; estrangeiros 2 ; escravos 49 ; eseravas o;
Total 388.
Alimentados custa dos cofres pblicos 152.
Movimenlo da enfermarla do dia 23 de Janeiro
de 1865.
Teve baixa :
Manoel Miguel dos Aojos, sarnas.
Teve alta :
Verissimo, escravo de Joo Jernimo Com rano.
3 1 S- 3
E?l
--- * 1 r- \ 0 % Masculino. > 0 r 5 a > 00 e 0 r
i I SI -1 i c* Feminino. CIO -a 9
1 i 1 >*- 1 .| 1 s Masculino. H 5 -J 9 5 j. Z S M
* . 1 * m Feminino. a. m
w . a > Masculino. , H B O 01 0 a.
-^ M Feminino. \ 10 t*9
X . - 1* 00 Masculino. I : 0 > 09 s
0 . - I Feminino. co 1 -1 0 a.
1 . . ^ Masculino, j 75 0 i QO ts m
s m . a Feminino. & 1
1 -0 TOTAL.
ADVERTENCIA.
Na tolalidade dos doentes existem 132, sendo
73 homens e 57 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 6 1|2,6 li2, 6 lr2, 6 IjS, 6
1|2, 6 1|2,6 1i2.
Pelo Dr. Sarment s 9 3|4,8 3|4, 8 3|4, 8 3|4,8
3|4, 11.
Falleceu :
Joanna Maria da Conceigo ; bronchite chronca.
Passageiros do vapor brasileiro Toconiins. sa-
hido para os portos do sul :
Padre Lourenco de Albuquerque Loyolla, Fran-
cisco de Asss Pereira Freir, 2. cadete de caval-
larla Israel dos Santos Vieira, Manoel Gomes da
Cnnha, Umbelraa Rosa de Jess, Francolino Fene-
lon de Loyolla, Dr. Criolano Augusto de Loyolla,
Antonio Jos Rernardes, capito Manoel Ferreira
da Fonceca Lyra, 4 offlciaes e 43 pracas de prel,
1 escrava de Joaquim Pereira Arantes, 2 escravos
de Palmeira 4 Beltro, D. Marla E. Carneiro Gui-
mares,-2 filhos e 3 escravos, 1 esvrava e 1 filho de
Jos de S Leto Jnior, 8 recrulas de marinha,
engenheiro Joaquim Pires Carneiro Monteiro, sua
senhora, 2 filhos e 1 criada, Antonia Maria do Es-
pirito Santo, D. Maria Anglica Barbosa e Silva,
Dr. Braz Florentino Henrique de Souza e 1 filho, 2
soldados de policas, Jos Antonio de Alraeida Gui-
mares, Eduard H. Wujatt, Manoel Pereira Ca-
mello, D. Alejandrina Francisca de Magalhes, 32
pracas da companhia de aprendiz de marinha, Ma-
ria Eugenia da Conceicao, alferes Fraucisco da
Fonceca Figueiredo, Margarea M. Counell, Joa-
quim Jos Gomes de Souza, Dr. Francisco Rodri
goes Pessoa de Mello, Domingos Ferreira Maia,
Eduard Mauri Priedrick, Bulw Christ, Hinhofles,
Imulber, Heyw IlraholT Grist, Wennt Juliam Du-
dride.
Passageiros da barca porlogueza S. Manoel
U, entrado do Porto :
Bernardo Marlins da Silva e Manoel de Oliveira
Maia.
Passageiros da barca portugnea Sympatkia,
entrada do Porto :
Antonio Joaquim Peixoto, J >s de Macedo Mo-
reira Campos, Gaspar Jos da Silva, Jos Dias da
Costa Cardeal, Jos Maria da Silva, Manoel Jos
Carneiro, Antonio Joaquim, Damio Jos Ennes
Braga,Francisco Thomaz, Luiz-da Silva Cid, Jacun-
dio Ribeiro"de Carvalho, Justo Jos Gomes Tei-
xeira, Jos Joaquim Pereira, Joaquim Fernandes
de Almeida.
Dr. Jos Zaeharias de Carvalho.
Joo Valentim Vildla.
Jos de Va seo nce 11 os.
Jos Affonso dos Sanlos Bastos.
Joo Athanazio Botelho.
Joo Baptista de Castro e Silva.
joo dos Santos Porto.
Joio Hermenegildo Borges Diniz.
Dr. Jos dos Anjos Vieira do Amorlm.
Dr. Joaqoim Jos da Fonseea.
Dr. Jorge Dornellas Pessoa.
Dr. Joaquim de Oliveira e Souza.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Joaquim da Costa Rlbefro.
Joo Pinto de Lemos Jnior.
Dr. Joo Vicente da Silva Costa.
Joaquira Franco de Souza.
Jos Mana Freir Gmeiro.
Juvencio Augusto de Athayde.
Joaquim de Gusmo Cocino.
Jos Cavalcanti de Albuquerque.
Joaquim Juvencio da Silva.
Joo da Silveira Borges Tavora.
Dr. Joaqoim Jos de Mirauda.
Dr. Jos Sergio Ferreira.
Dr. Jos Honorio Beserra de Menezes.
Joaquim de Albuquerque Mello.
Joo da Silva Farias.
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miranda.
Ajudante Joo Bernardino de Vasconeellos,
Joo Pedro de Jesns da Molla.
Joo Gregorio dos Santos.
Jos Henriques da Silva.
Jos Henriques Machado.
Dr. Jos Ladislao Pereira da Silva.
Dr. Jo5o Man* SeVe. I
Dr. Jos Mana Carneiro de Albuquerque Lacerda.
Joaquim Jos Silveira.
Teoente-corooel Jos Lucas Soares Raposo da C-
mara.
Dr. Joaquim de Souza Beis.
Dr. Joo Juvencio Ferreira de Aguiar.
Joo Tibnreo da Silva Guimares.
Dr. Jeronymo Vilella de Caslro Tavares.
Jos Marcelino Alves da Fonseca.
Joaquim Jos Alves de Albuquerque.
Jos Vellozo Soares.
Jos Francisco do Reg Barros.
Joo de S Leito.
Dr. Jos Roberto de Moraes e Silva.
Jesuino Rodrigues Cardozo.
Dr. Joo Jos Pinto.
I Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
Joo Paulo Ferreira.
' Jos Goncalves Porciuncula.
! Joo Cesar Cavalcanli de Albuquerque.
Joo Chrysostomo de Albuquerque.
Jos Francisco Pires.
Joo Francisco do Reg Maia.
Jorge Vctor Ferreira Lopes.
Jos Theodoro de Sena.
Jesuino Ferreira da Silva.
Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado.
Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoorado Jnior.
Jos Cesario de Mello.
Joo Vctor Leulier.
Joaquim Pires Carneiro Monteiro.
Joaquim Francisco de Albuquerque Santiago.
Dr. Joaquim Francisco de Miranda.
Jos Camella do Reg Barros.
Dr. Jos Mamede Alves Ferreira.
Jos Domingues Codeceira.
Dr. Jos Rodrigues do Passo.
Jos Antonio de Brito Bastos.
Jos Antonio de Oliveira e Silva.
Joaquim d'Assumpro Queiroz.
Joaquim Correa de Araujo.
Joo Antonio Carlos da Silva.
Joo Francisco do Re^o Maricela.
(Conclue.J
COMMTOICADOS.
O bispado de Pernambuco.
Srs. Redactores. Como o seu mui conceituado
Diario tem por timbre propugnar pelos inleresses
da nossa cara provincia, tomei a delberaco de
offerecer-lhe as seguintes consideraeoes, que me
foram suggeridas por occasio de rever agora (que
estamos em ferias) os meus papis velbos relati-
vos historia patria.
Com efieito, Srs. Redactores, desde que Pernam-
buco pasbu de prelazia bispado suffraganeo do
arcebispado da Babia, pela bolla Ronmn Pontifl-1
cit Pastoralis Solliatudo de 15 de novembro de [
1676 al 18 de ootabro de 1829, em que foi no-
meado o dcimo oilavo, e ultimo bispo para esta
diocese, o finado D. Joo da Purilicaco marques
Perdigo, nunca merecen ter ella nm s Femara-
bucano oceupando essa alta posicao I
Quem sabe se os padres desta trra nao podero
aspirar o episcopado da respectiva diocese, vindo
assim- a verificar-se respeito delles a mesma re-
quisicao, formal acerca dos Brasileiros, que fez
o commandanle militar porioguez Vicente Antonio
de Oliveira em urna representacao ao rei de Portu-
gal, depois da revolocao de 1817, como refere Ar-
mitage na sua Historia do Brazil pag. 14, isto ,
que aos Brazileiros nao se concedesse mais alto
posto que o de capitao ; exigencia esta, que parece
nao haver sido desattendida, tanto assim que as
altas patentes d'ahi em diante foram conferidas por
El-Rei Nosso Senhor quasi exclusivamente aos Srs.
Portuguezes, nossos distinctos amos Y...
Quem sane tambem, se nao ha no presente se-
clo clrigo algum natural de Pernambuco, que
idneo seja por ana illustrago e virtudes para oc-
cupar o bispado desta diocese, como alias haviaml
nos seculos XVII e XVII a saber Fr. Roberto de
Jesos, benedictino ; Fr. Luiz Botelbo do Rosario o
Fr. Manoel de Macedo, carmelitas ; Fr. Joio da
Puriflcaco Campelli, franciscano; Pr. Peliciano da
Mello; Pr. Manoel de Santa Catharina, Padre
Mestre Dr. Manoel Rodrigues Correia de Lacerda
e outros muilos Pernarabucanos, mas que des
peilo de terem-se distinguido na Hespanna, e lia
lia (o qne consta da bibliotheca Luztana do ab-
Fr. Carlos do S. Jos, bispo do Mar n lia o ; D. Fr.
Pedro de Sania Marianna, bispo titular de Chryso-
polis.
E pois ajcpnsequencia lgica que para bispo
de Pernambuco, nao se tem qnerido nnmear cl-
rigo algum dahi natural por mais apto e digno
que se mostrp, como ontr'ora se praticava acerca
dos hacharais para os cargos juizes de fra.
Que terrivel preconceito I
Agora mesmo tem-se propalado, que ha ponco
desstin-seIda idea de nomear-so bispo para urna
das dloceses vagas do imperio, um religioso mui
dstinelo, natural de Pernambuco, sob o nico pre-
texto de a* Ultramontano. Que desgraca MI J so confe(0 u, pr0IHpt0 e |nfa||1Vel na sua ope-
nao lhe tastava eontra a sna nomeacSe-carta de ra^0> na0 causando nauseas nem encommodos de
recommerdaco que traba1 de ser Pernambocano 1 qua,iaade aiguina produzlndo sempre o seu effel-
DeusporAn .Ilumine melhor quem compete aser ?0 Q.uma meira'tuave e cort>|,leta, uo carecen-
tes nomaooes, para prover a actual vaga, de bispo do d s a as$istencia de qua|quer um ootro pur-
desta dioflese, era algom sacerdote d.stincto por t uli, ^o um excellente meio de fazer re-
sua illoslfacao, e virtudes embora seja natural de ,nover as obstruceoes do ventre. mesmo no caso
Pernambhco, que por certo nao deve ser neceado de na0 8xistrem Vermes alguns e finalmente tor-
moru e rrem.ssivel, e nao em algum Gailicano.; ammM el)as djgnas ^r todos M respeUo8 da c,,,.
a le protesuntisar o nosso au, coja rel-1 fianca eapprova5ao de todos os pajs de famiKas, os
304 por casa de buhar e modas, de 1004 por casa
que vender roupa feita no eslraigeiro, de compra
e venda de escravos, da corretores commerciaes e
agentes de leilo, de 1:0604, sobre casas de opera-
coesbancariascom emisso a paovilegios, de 6004
pelas ditas com emissoe sem previlegios, de 4004
pelas ditas sem emisso, compaginas anonymas e
agencias, de 2004 petas casas de cambio, de 304
petos escravos empregados se servico de al varen-
gas, ae 14 por tonelada de alvarenga e canoas
abertas, de 204 por cada bote ou saveiro, de 304
por cada balieira, de 104 por escravo ganbador ou
empregado era servico de transporte ou em arma-
zens, de 104 por cavallo de sella de alt'guel, de
64 por cavallo particular, de S 0|0 pela venda de
capim e o imposto de carros, carrocas e mnibus,
e tambem o Io semestre do de 20 0|0 do consumo
de agurdente das freguezias desta cidade e dos
Afogados, S. Lourenco, Santo Amaro de Jaboato,
Muriteoa e Varzea, ficando sajeiios a molla de 6
0|0 sobre os seus dbitos depois de findo o dito
praso.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
7 de Janeiro de 1865.
Antonio Carneiro Machodo Rios.
Cal xa filial do banco do Brasil
em Pe manitico.
14 de neiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de vebaslio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ihes loca da venda de nma das propieda-
des, que segundo a concordata,lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
Pastilhas vermfugas de Kcrap.
Chamamos a altenco de todas as mais para o
remedio mais agradavel e til que se conhece para
fazer expellir as lombrigas: as pastilhas vermfu-
gas de Kemp. Em vez de todos esses immundos
e perigosos remedios vermfugos eompostos de to-
da a casia de mineraes appresentamos um delicio-
glo do-Estado felizmente 6 cathollca.e apostlica
romana. Assim anhela excorde, com todo desin-1
teresse, c sem sermo encoramendado.
O secular Pernambucano.
(D-D-O-S-S)
Recifej, 20 de Janeiro de 1865.
P. S Para melhor esdarerimento de qne nao ca-
lumniamos amiga Metropole Portugueza acerca
do alroutoso exclusivismo dos empregos pblicos
que ella sugeltava os naturaes do Brazilna
sna prouria patria ; douinna, qne parece querer
adoptarla nossa corte costra os filhos de Pernam-
buco a respeito de certos cargos, ou oflicios em'
sua provincia, abaixo traascrevemos duas pecas
muito importantes d'aquella poca nesse sentido.
O Ilustrado leitor com as devidas distncces
mutatis mutanditpoder fcilmente tirar a cabl-
vel mdralidade, e a necessaria applica^o para a
acluah
D-^)-0S-S
Represntacao, ou captulo, que o procurador da
Bahia s corta celebradas no anno de 1668 of-
feredeu por conkecer o disgosto de que se ocha-
vamlpossuidos muilos naturaes do Brazil por
serei preteridos nos empregos pblicos.
t O raz, em quarenta annos de guerra conti-
nuada badeceu muito, e seus moradores sofferam in-
finitas niserias e hostilidades, na defensa daqnelle
Estado onde a maior parte d'elles se assignalaram
era mcitas occasioes, com singular valor, e despe-
za das snas fazendas ; com que este respeito de-
ve V. l, ser servido mandar, nua nos postos de
milicias, que vagarem no dito Estado, sejams-
mente prvidos os que nelle tem servido a V. A.,
e da n esma maneira nos ditos moradoras os of-
cios 1 le justica e fazenda, como tambem em sem
filhos i s igrejas, conezias e dignidades, pois jus-
to que despendendo seus pais e seus avs as fa-
zenda! derramando sea sangue, e perdendo mu-
tos ajvida, sejam os postos, cargos e honras do
dito Estado concedidas a estes sujeltos, em quem
coneorrem as partes e qoalidades necessarias.
Repreientacao da cmara ia cidade da Bahia pa-
ra evogaro da resolngao, que prohibiu aos na-
turaes do Brazil oceupar os lagares de dezem-
bar ailores na sua patria.
SethorPor noticia que lemos, nos consta que
V, A. fot servido mandar pomar um decreto, para
que n mhum filho do Brazil oceupe, da dala delle
em diante,o cargo de dezembargador ateste Estalo,
giran*) os que de present o sao nao devem nada a
nfnAm dos mais : parece, Senhor, que urna of-
fensai que V. A. faz aos filhos d'este Estado, e
pjinr/ipalmedte sos da Babia, a quem V. A. por
seusjservigos concedeu os privilegios de infances
e ou ras muitas mercs, de que eslo de posse ;
quaes, acharo estas pastilhas elegantemente acon-
dicionadas dentro de frasquinhos de crystal e a
venda as boticas de Caors & Barboza e de Joo
da C. Bravo & C.
CQMMEieO.
Xovo banco de Pernambuco.
O banco descoma na presante semana a 10 por
cento ao anno at ao prazo de quatro mezes e a 12
por cento al o de seis mezes; toma dinheiro a ju-
ros a prazo nunca menor de tres mezes, e saca
sobre a praca da Bahia.
Alfantlcga
Renunmentododia 2a 21.........499:9334397
dem do dia 2................ 41:3514732
541:2854129
fvi metilo da alfandega
Velumes entrados com fazendas... 188
com gneros... 231
Volumes sabidos com fazendas... 123
1 com gneros ... 536
419
pois, Senhor, se elles sao capazes do posto e dos
da g ierra, em que V. A. os tem prvido, e todos
serv do a V. A. com as vidas e fazendas, que ra-
zio I aver, que os prrVe de servirem a V. A. na
paira, quando os dessa corte o exercem na sua ?
-----659
Descarregarn no dia 24 de ia neiro de 1865.
Barca franceza-Gmlherme Telmercadorias.
Barca ingiotaTmogeidem.
Brigue inglezChanceidem.
Brigue inglezTalbotbacalho. ,
Brigue inglezJanebacalho.
Barca inglezaIsabella Ridley -bacalho e tijolo.
Barca inglezaMimosacarvo de pedra.
Barca ingleza-Se/racarvo.
Barca ingleza Otd'Honesty- idem.
Patacho inglezM. E. Corming carvo.
Brigue inglezOlclloidem.
i Lugre inglezArthurdem.
ImportaeSo.
I Vapor nacional Tocanlins, entrado dos portos
do norte, mamfestouo seguinte :
Do Maranhao.
Mercadoria e trangelra
20 barris e 10 caixas banha de porco ; ordem
Mercadoria nacional.
20 panneiros encapados com quarenta arrobas
de farinha de tapioca ; a Duarte Do Para
Mercadoria estrangera.
15 caixas queijos flamengos ; a ordem.
Mercadoria importada do Per'.
3 caixas, 8 fardos e 3 surroes com 5,021 cha-
peos do Cbily ; ordem.
18 rollos com 8 arrobas de salsa ; ordem.
Recebedorla de rendas Inter-
nas geraes de Pernambuco.
Sejaj V. A. servido mandar reparar um damno tao
afirfmtoso para os filhos do Brazil,'e conceder-lhe Rendimento dodia 2 21........ 12:8704530
" He Idem do du 23................ 11:3704339
o ejercicio, pois sem elle nao havera filho delle
qut! continu os esludos ; porque se por elles nao
hqdeser premiados, e ler a esperanza de servir
V A. na patria, como fazem os das outras, ees-
sari o esludo, quando por muitas vezes temos
pe ido V. A. que conceda aos filhos d'este
Esjado os privilegios, que tem e gozam os da ci-
dade de Evora, e que possam os religiosos da
Cobpanhia de Jess, que os ensinam, dar-lhes o
mesmo grau qno naouella cidade se d aos della
pois os senhores Res de fortugal os crearam pa-
raugmento dos seus vassallos. Da grandeza de
VJ A. esperamos nos conceda uma|e outra merr, I
pois todas se dirigem ao servico de V. A. que Deus
guarde para, augmento de seus vassallos. Cama-;
rn da Bahia 14 de agoste de 1671. O juiz Manoel
d Rocha, o vereador Thom Pereira Falcao, Fran-
21:2404889
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 21........ 98:2283681
Idem do dia 23............... 6:1604072
104:3884753
movmento ao porto
seo Sulitil de
Vatios Aranha.
Siqueira, o proeurador Joo de
CORRESPONDENCIAS
Senhores redactores. Quem ler oanalysaraj
correspondencia impressa no Diarir de Pernambu-
o n. 284 de 12 de dezembro n. 284 de 12 (te de-
mbr o prximo passado, dirigida ao Sr. A mir Ca-
alcanti de Albuquerque, fcilmente conhecer o' ,
edantismo a calumnia, m educaco primitiva, '
miseria e a Infamia de seu autor, justificadas pelo.
Navios entrados no dia 22.
Liverpool29 dias, brigue inglez Cliance, de 144
toneladas, capito J. W. Blumey, equipagem 9,
carga fazendas; a Millo Lalhan <\ C
Liverpool-45 dias, barra ingleza Town of Liver-
pool, de 336 toneladas, capito VV. Nash, equipa-
gem 14, carga razendas; a Sawnders Brothers
&C
Rarasgate31 dias, barca ingleza Chanza, de 352
toneladas, capito R. B. Finlay, equipagem 13,
carga carvo; a ordem.
Ilha de Fernando48 horas, vapor nacional Persi-
nunga, de 444 toneladas, commandanle Rates.
23
dias, brigue dinamarquez Odin, de
156 toneladas, capito I. Blume, equipagem 8,
stylo e phrase costumaria de ribeira, acougue, e
o moleqne de ra : assim como conhecer a na-
nifesta contradico do invisivel e cobarde detrac
I or, por ser esle o priraeiro a confessar que o Sr.
. ilboquerque sempre gozou de repuiagao publica,
II qne nio queira perder a que at hoje tem me-
ecldo. Mas o que de entao para c tem feilo o
calumniado que o possa desacreditar ? Deixou de
render urna casa a certo individuo, por nao apre-
sentar este recibo de laudemio : e por ser o com-
prador nimiamente ignorante, alm de aluado e
maniaco, assignon, ou por accesso de loucura, ou
por calumniador proflssional, a predita correspon-
dencia, redgida por um inimigo declarado do Sr.
Albuquerque.
Mas cessem theorias e apparecam fados, pelos
quaes melhor poder o respeitavel publico julgar
do redactor e assignanle daqnella infame cami-
nara.
Saiba quem quizer das pessoas mais gradas e
fidedignas da cidade de Goianna, Pedras de Fogo,
cidade da Parahyba, villa de Souza e Pilar desta j
provincia, quem sao os senhores Andr Cavalcan-1
ti de Albuquerque e Antonio Bernardino dos San-
tos 'unior (bacharel por excepeo d.e regra) e per-'
gunte qual destes senhores costuma pedir dinheiro
emprestado o o nao pagar : jogar quanto dinheiro
1 lbe entra, per faz ou per nefas, as slgibeiras : re-
I ceber dinheiros que os collectores enviara s res-
pectivas thesoarariag, e as nao entregar : comprar
! cavados, promettendo dar o dinheiro depois de
poneos dias, e assim nao cumprir, vendo depois
carga sal; a Rothe Bedoulac.
Hamburgo-40 dias, escuna dinamarqueza D. A.
I. A'., de 102 toneladas, capito N. L. Norby, equi-
pagem 6, carga fazendas e outros gneros; a
Rabe Schonelace & C
Porto22 dias, barca portugueza Sympathia, de
261 toneladas, capito Paulino Antonio Cardoso,
equipagem 16, carga vinlio e oulros gneros; a
Bailar & Oliveira.
Bio-Grsnde do Sul28dias,hate brasileiro Alber-
to, de 138 toneladas, capio Joo Augusto de P.
Victoria, equipagem 11, carga 7,000 arrobas de
carne; a Jos da Costa Araujo.
Navios saludos no mesmo dta.
MaceiBrigue inglez Henrieta, capito Marshall
em lastro.
Portos do sulVapor nacional Tocanlins, com-
mandante o 1 tenente P. H. Duarte.
MarseilleBarca franceza Vergele, capito Dragn,
. carga assucar.
PortoBarga portugueza S. AfanoJ //, capito
Pedro Jos da Rosa, carga assucar.

DECLlRigES.
Consulado provincial.
Pela mesa do censuado provincial se faz publi-
co que no dia 10 do corrate se principian) a con-
tar os 30 dias uteis marcados
para a cobranza a
_ bocea do cofre do anno fiuanceiro vigente dos im-
bade Dlogo Barbora Machado, das biograpbias pe*' peste Diario e no Jornal d\i Parahyba, annoneios postos de 4 0|Qsobre casas em que se acbarem
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores acaionislas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22. di-
videndo de 104 por aego.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Cala filial do banco do Brasil
en Pernambuco.
Sao novamente convidados os Srs. credores da
raassa fallida de Joaquim Francisco de Mello San-
tos a apresentarem nesta caixa filial seos ttulos
de crditos para serem attendidos no dividendo que
se tem de fazer no Um do corrente mez.
O guarda livros
Ignacio Nunes Correa.
Delegacia de policia do primeiro districto oV>
termo da cidade do Recife, 21 de Janeiro de 1865.
Fei encontrado a vagar pela povoacao do Cachan-
g, na manha de hontem o menor Victoriano, edr
preta, que diz ser livre, nao ter pais e luver de-
samparado a companhia de certo individuo noAr-
raial, por cansados mos tratos que recebia; qnem
se joigar com direito a dito menor, compare ca nes-
ta delegacia para ser-lhe o mesmo entregue, prova-
do quanto baste.
O delegado,
l. A. Martins Pereira.
Consolado de Franca.
O capito Hnland do navio francz Tonkin ea
reparaco neste porto precisa tomar a risco cerca
de dezesete con tos de ris (17:0004000) para pa-
Lgar as diTerentes despezas que fez neste porto. O
dito empreslime, o qual sera reembolsado em o
Havre, lugar do destino do dito navio, ser garan-
tido pelo mesmo navio, casco apparelhos, mcame,
victualbas e seu earregamento. As pessoas que
pretenderem fazer este adiaatamento, sao convida-
das a comparecer terca feira 24 do corrente, ao
mel dia em ponto no consulado de Franca, onde
lera lugar a dita adjudicaco em presenca do Sr.
cnsul a qnem por menos fizer.
Pernambuco, 21 de janeiro de 1865.
Coosellio administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para o presidio de Fernando.
2 dnzias de agulhas de ac proprias de cozer
saceos de la.
2 arrobas de rame de ferro, ou vergalhao de
} polegada.
1 peca de cabo de linho de urna polegada.
2 pe^as de dito de dito alcatroado.com 2 '* po-
legadas.
400 calbros de mangue.
1 tonelada de carvo de pedra.
1 Diamante encastoado para cortar vidros.
600 enchadas do Porto.
100 enchameis.
2 arrobas de fio de vella inglez.
i qnintaes de ferro sueco.
6 dnzias de dobradlcas de croz. -
4 duzias de ditas menores.
2 dnzias de (echaduras de broca para porta.
4 duzias de ditas singelas para ditas.
4 duzias de ferros pedrezes para ditas.
2 duzias de ditos ditos de rabo ditas.
2 lences de ferro para chapas de fecbaduras.
3 dnzias de limas tringulos de serralheiro de
3, 5 e 7 polegadas. .
8 duzias de limas chatas de 10, 12, 14 e 16 po-
60 linhas ou travs de 30 a 10 palmos.
2 rolos de panno de algodo proprio para ensa-
car laa.
25 picSes.
25 picaretas.
50 pecas poitas de embira.
3 pranches de amarello vinhatico.
3 ditos de louro.
4 ditos de secupira.
10,000 pregos caibraes.
10,000 ditos ripaes.
40 molhos ripas.
2 arrobas tinta azul em raassa.
2 duzias taboas de amarello.
100 covados lapete para igreja.
8 libras de vermemo.
1 caixa de vidros para caixilhos com H polega-
das de comprmenloe 8 }i ditas de largura.
Quem quizer vendertaesartigos apresentem suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
lho administrativo s 10 horas da manha do da
27 do corrente.
Sala das sesses do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 20 de Janeiro
de 1865.
Antonio Pedro de Sa Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Capitana do uoi-to de Pernambuco, 14
de Janeiro de 1865.
Era vista das circunstancias melindrosas em que
se acha o paiz, sendo necessarlo que todos os bra-
sileiros, concorram para a suslentacao dos bros c
dignidades nacionaes, comprmeitidos na guerra
com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Illm. Sr. capito do pono, em virlude do que lhe
foi determinado por S. Exc o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marinha, convidar
nao s aos matriculados, como a todos os cidados
que se queiram alistar na qualidade de voluntarios
para armada, a se apresentarem nesta capitana
nos das uteis das 9 s 3 1|2 horas da Urde.
Outro sim, sao igualmente convidados os indivi-
duos que tiverara baixa do servico naval, a alista-
rem-se por um anno on mais, tgarantindo-se-lhe
nao s as respectivas escusas, logo que terminen)
os seus contratos, mais anda os premios Osados na
le, para os que voluntariamente procurara o ser-
vico da armada, e bem assim urna gralificacao
mensal, ignal a metade dos sidos, que percebiam
na occasio era que obtiveram baixa.
As vantagens e condicedes para o alistamento se-
rn as estabelecidas pelas instruccoes que baixa-
rara com o decreto u. 1591 de 14 d abril de 1855
que sao as seguintes :
Art. 12. Distinguir-se-ho seis olasses de volun-
tarios :
1.' Dos individuos que quizerem servir na ma-
rrahagera sem tempo determinado ;
2.* Dos que se quizerem contratar para servir
na mannhagem por tempo determinado ;
3.* Dos que se prestaren) servir na marinh-
gem os prazos estabelecidas no artigo 3. do decre-
to n. 1166 de 25 de outubro de 1854, e que escu-
sara o nacional do servico militar ;
4.* Dos que quizerem ter praca no corno de im-
prtaos marinbeiros.
5.' Dos qne se destinaren) para batalho naval.
6.a Dos aprendizes marinbeiros.
Art. 13. Os voluntarios das differentes classse



'

-
--------------
'.-------------------'--------~~-------------~


niaf-lo de reva&mhnca --'- fclfya Mr* 14 de Janeiro de f SttS.
9
definlas bo M-iigo antecdante dewrfc ter os re
yin-nos sfgaintes :
1.' Class.Os que se alistaren) para a marmita-
Para a Bahia
Pretende seguir cora brevidade a sumaca Hor-
pm tem lempo determinado, devem ser fortes, tencia, ten parle de seu earregamenlo prompto
saos, acostumados a f ida do mar, ou pelo menos para o resto ano Ih* falta tratase oom os seus
capazes de servir a praca de grumete. | casignatarios Antonio Luu de Olveira Arevedo
t Jmn,H ?'Z Ue.Se C0DtraUrem porprazos de- & C, no seu escriptorio ra da Cf ua n. 1.
terminados, de um a tres annos, deven ser fortes! ----------------~----------------------------------
saos, acostumados a Tida do mar. i Para a Bahia pretende sahir em poucos das
3.' Classe.O que se contrataron p ira serv
na marinhagem o praze de seis ou de oito auno?,
em conronnfdade do artigo 3. do decreto n. 1466
de 23 de outuero, devem ter os requisitos dos da
sefunda classe, excepto a pratica da vite mariiima
que podera ser despensada eom a clausula qne
adame ( artigo 16) se expressa.
4. Classe.Os alistados para o corpo de impe-
riaes marinheiros devem ser cidadaos brasileiros
de 18 a 35 annos de idade, on at 40, sendo bomens
do mar; fortes, saos, e capaies de todo o servico.
5.' Classe.Os alistados para o batalbo naval
devem ter 18 at 43 annos annos de Idade, e os on-
tros requisitos da quarta elasse.
Todava poder-se-ba admittir alguns estrangei-
ros mediante previa autorisac,o do governo.
6.* Classe.Os aprendizes marinheiros devem
ser cidadaos brasileiros, de 10 a 17 annos de ida-
de, de constituijo robusta, e apropriada vida do
mar.
Poder-se-ha tambem admittir menores de 10 an-
nos, qne tenham sufflcientc desenrolvlmento phy-
sico para os exarcios do aprendisado.
Art. 11. Os voluntarios da priraeira classe peree-
a veleira esenna Elisa, capitao Belmro Baptisia
de Souza, tem a maior parle da carga tratada, para
o pouco qnn Ihe falta trata-se eom os consignata-
rios Palmeira & Beltrao, largo de Corpo Santo n. 4,
priiaeiro andar.____________
Rio de Janeiro
O patacho ValenU a segnir em poucos dias, re-
cebe carga miuda e escravos a frete : trata-se
Leilao de movis.
Martins fara leilao de urna rica mobilia de Ja-
caranda constando de 18 oadeiras de guarnilo, 4
i ditas de bracos, 1 sof, 2 consolos e urna mesa de
berao os sidos concedidos pelo artigo Iodo decre- meio de sala, I excellente piano novo, 1 cama
to n. 1 6 de 25 de outubro, mas nada receberao francezade Jacaranda eom cortinados, 1 toncador
Leilao de um sobrado de dous andares da
ra do Padre Flonaoo n. 24. edificado
em chaos proprios, o goal rende 5040
annaaes.
Quarta-feira 2o de janeira
Por iotervencSe do agente Pinto, as 11 1|2 ho-
ras do dia cima dito em seu escriptorio ra da
Cruz n. 38.____________________________^_
Leito de 1,100 saceos para assaear
(eom avaria.)
Quarta-feira K de Janeiro.
O agente Pinto fr leilao por conta e risco de
quem pertencerde um fardo AB o. 4, eom 1,000
saceos de grossaria proprios para assucar avada-
do a bordo do brigue inglez Hnrmston, capilao W,
eom os consignatarios Marques, Barros & C, largo Starking, s 11 do dia cima dito em seu escrip-
ia Cnrnn Sanln n f toriO TUa da CrUZ O, 38.
do Corpo Santo n. 6.
Re Grande do Snl.
Segne no dia 28 do corrente o patacho nacional
Salupendes, recebe carga a (rete, a qual trata-se na
ra do Trapiche n. 4.
LIILOES.
a titulo de premio on gratificado.
Ser-lhes-ha declarado, e expressado nos seus as-
de $to, 1 lavatorio de dito eom jarro e baca de
porcelana, 2 guarda vestidos deamarello novos, 1
sentamentos, que noobterao guia de desembarque guarda roupa de mogno, 12 cadeiras de amarello
sem previnir ao commandante respectivo dous i sof de dito, i guarda louca de dito, um apra-
meles antes, salvo se nisso nao houver inconve- dor de dito, 2 commodas do dito, 1 quartlnheira
mente para o servico, por que ento sero imme- de amarello, ricos jarros de porcelana, i candela-
diatnmente altendidos.
Urna resalva," que Ins dever ser entregue eom
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa data os sobredito* voluntarios, se forem na-
cionaes, ficam isentos do recrutamento por um au-
no, ou por lempo igual ao que tiverem servido nos
navios do estado, se este prazo for menor ; salvo,
porm, o caso de circunstancias extraordinarias
durante s quaes ficar suspensa a isenco.
Art. lo. Os da segunda classe receberos os pre-
mios seguales :
- Se forem grumetes ; dez, vinte e dons, ou trinta
quairo mil res, segundo se contratareis por um,
dous, ou tres annos.
Se forem marinheiros : vinte, qoarenta e cinco,
ou setenta mil res, segando o prazo de seu contra-
Beil5o de urna mobilia de Jacaranda, agran-
des espelhos, 1 candelabro, 8 castices e
mangas, 2 redomas, 3 jarros Unos, 2 es-
carradeiras, 4 marqueza larga, i commo-
da, i lavatorio, 1 estante, 2 diccionario$
de Moraes, i realejo, i marqueza, 2 con-
solos, 12 cadoi ras de amarello, i mesa
para jantar, 3 ditas menores, 14 quadros,
2 aparelhos de louca para jantar, 1 dito
para almoco, garrafas, copos, compotei-
ras, bandeijas, \ oculo, i mesa de podra,
i selim e cabecadas, 40 garrafas de
cognac e oulros objectos.
Quintafeira 26 de Janeiro
no terceiro sobrado depois da ponte graode ua
passagem da Magdalena, para onde seguir un
mnibus, devendo partir as 10 horas em ponto da
ra do Crespo.
O agente Pinto far leilao por conta de urna pes-
soa que retirase desta provincia de todos os ob-
no terceiro
immmwmmmMmMi
Q Dr-tarolino Francisco de limaWi
ItflUcoIn* a residir na ra do Impe.i
rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro-
arado a quak,uerbora dodiae da noite
para o exercicio de sua profisso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 beras da tarde, devem ser
! delxades por seripto. O referido Dr.
j nao abandonando nanea o estudo das
i molestias do interior, prosegoe, eom a
maior afflnco, no das mais diffleoise deli-
cadas operacees. romo sejamdos orgaos
onrinario8,dosoHios, partos, etc.
bro, 2 sorpentinas, diversos enfeites para touca-
dor, 1 apparelho de porcelana para jantar, 1 dito
de ditopara almoco, talheres', garrafas, copos ejeetos cima mencionados existentes .
outros vidros de gosto,diversas pecas de prata no- 'sobrado depois da ponte grande da passagem da
vas e usadas, 1 machina de costura tina e outra Magdalena, para maior facilidade dos concorren-
que serve para coser obras grossas. tes dever para all partir um mnibus da ra do
Na mesma oceasiao vender Crespo,
urna casa terrea dividida em 2 que rende 220
mensaes na ra Imperial n. 260, e o partes de
outra casa na ra da Roda n. 18.
HOJE.
^a rna do Qoeimado n. 6, segundo andar.
Leilao de SO barr eom ouci-
uho de Lisboa.
IIO JE
O agente Pestaa vender em leilao por conta e
AVISOS DIVERSOS.
ssoriacio Tjpograpbira Pernanburana.
Haver sesso extraordinaria do conselho, do-
mingo 29 do corrente, ao meio dia.
Secretaria, 23 de Janeiro de 186o.
Jesuino Francisco Regis,
! secretario.
Aos 6:000000.
Corre depola d anaaaha.
Quinta-feira 2 do corrente mez, se ex-
| trahir a segunda parte da decima primeira
to for de um, dous, ou tres annos.
Alm do premio receberilo Tnais os referidos vo-:
luntarios se directamente se apresentarem, a gra- risco de quem pertencer de 20 barris cora tooc
tificao de quatro mil res sendo estrangeiros, e nho de Lisboa em lotes a vontade dos comprado-
de cinco mil res sendo naconaes. res : terca-feira 24 do corrente pelas 10 horas da
Esta gratificacao, porm nao se abonar repeti- manbaa no armazem do Aunes defronte da al-
damente ao mesmo individuo por cada novo con- (andega.
rato successivo que flzer, se este for de prazo me- > eII3o~de mai1pii*a------------
or de tres annos. J mjc-
Art. 16. Os da terceira classe receberao mais; MOJ1S
urna quarta parte do maior premio que poderiara O agente Pestaa vender por conta e risco de
obter contraiando-se como os da segunda classe, > Qliem pertencer porco de madeira tendo algumas: lntria (Z*\ a hpnpfirin fia matri7 ra Rna.
na praca de grumete ou de marinheiro, que Ihes I rayes, tudo no estado em qne se aoha, no largo l^? rinSS\Vi^!,l A NnJtl
competir, e a mesma gralilicaco apreseutando-se!do Por'e do Mattos: terga-feira 2i do corrente pe- i Vlsia' no consistorio aa igreja ae iNOSSa
directamente. [ las 12 horas da manhaa. ________________Senliora do Rosario da freguezia de Santo
Exceptuam-se os que nao forem homeus do mar, Leilao de 300 calas COm vid ros' Antonio.
iio.ii: Os bilbetes, meios e quartos estoa ven-
0 agente Pestaa vender po] conta e risco de da na respectiva thesouraria ra do
quem pertencer200 caixas eom vidros no estado Crespo n. 15.
feTra^xrdVcornr^rad^rd'e0^ S 38 de 6:000^000 at 10^000
no trapiche do barao do Llvramento no Forte do 8erao Pa80S uma QOra depois da extraCCHO
Mattos. ____________ j at s 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
e tiverem mais de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alista r-se eom as condiegoes dos da terceira
olasse, mas sem augmento de premio.
Art. 17. Osda quarta classe receberao como pre-
mio cera mil res, se furem marinheiros, e sessenta
mil reis se forem grumetes.
Art. 18. Os da quinta classe receberao o premio
de cento e cincoenla mil res, se nao forem maiores
de quarenta annos e o de cen mil res, st tiverem
mais daquella Idade.
Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as companhias de aprendizes mari-
nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pas, tutores, ou quem suas vezes fizer :
Art. 20. Os premios de qne tratam os arligos an-
tecedentes sero pagos pela maneira seguate :
1." Os dos voluntarios da segunda classe, se o
alistamento for por um auno, ihes serio pagos in-
tegralmente no acto de assentarem praga ; se por
dous ou tres annos, receberao era tres prestacSes
iguaes, sendo pnmeira paga como no primoiro
vaso, segunda quando vencida metade do prazo
-2. Os volunlaros da terceira classe recebe-
rao urna terga parte do premio respectis'o logo que
tenham assentado praca, outra terca parte no Ora
do primeiro anno do servido, e o restante lindo o
prazo de seu alistamento.
3." Os premios dos imperiaes marinheiros e os
das pragas do batalho naval serio abonadas como
os dos voluntarios da terceira classe.
4." Os premios dtvidos pelo alistamento de
menores paras as companhias de aprendizes mari-
nheiros sero pagos integralmente, logo que se ve-
rillque a entrega dos ditos menores.
Art. 21. As gralificagoes que competen) aos yo-
1 untarios que directamente se alistarem no servigo
da armada, serio pagas conjuntamente eom a pri-
meira prestagao do premio respectivo.
O secretario da capitana.
Uecio de Aquino Fonceca.
Crrelo geral.
Pela administrago do correio desta cidade se
faz publico, quo em virtude da convengio postal
celebrada pelos governos bra^ileiro e francez, se-
rio espedidas malas para Europa no dia 30 do
Leilao de escravos.
Quarta-feira 2i as H horas.
OLYMPIO
As encommendas sero guardadas so-
! mente at a noite da vespera da extraeco
como de costume.
O thesoureiro,
Ensin pare&lar.
O bacharel padre Manoel da Costa Honorato avi-
sa aos pas de seas alumnos que contina no exer-
cicio de seu magisterio em casa de sua residencia
na ra da Matriz da Boa-Vista n. 26. _______
- J. Keller & C, administradores da massa
fallida de Martinho de Ohvelra Borges, avisam aos
respectivos credores que anda nao receberam o
ultimo dividendo, para que noprefixo praso de IS
dias, contados de hoje, venhara receber o mesmo
dividendo, sob pena de depositarem no deposito
publico, visto que os annunciantes querem pres-
tar comas da adminstragao. Recife 2i de Janeiro
de 1865.
Manoel Pinto de Queiroz, subdito pertujuez.
retira-se para Portugal. ______
Precisase de olBciaes de eutalludor ou de
carapina^, que cuIcu da malln, paai a obra s
igreja da_Senbora da Paz, um Afufados._______
Dtaappareceu no Babeado 21 do corre me,
un moleque crioalo, por norae Loiz eom os sig-
late seguintes ; alto, corpo regular, cor preta,
falla grossa e rauilo regrisu, tem urna poqoena
cicatriz por baixo de uin olho, costuma anaar seus-
pre de sucia eom outros moloques, leveu vesiido
caiga de bnm pardo muilo suja, camisa de algo- i
dao branco, sem chapeo na cabega ; por tanto ro-
ga-^e as autoridades policiaes e capites do campo I
que o prendi e levem-no a seu senhor na ra do
Rosario Eslreita botequim da Aguia d'ooro, que '
sera recompengado generosamente.
PUBLICADO RELIGIOSA.
Agora que a lmpiedade parece querer algaro:
eolio orgulhosa e audaz, e que os malvados, para!
consegurseos nefandos fins, se tem valido de
quantesimpressos ha, at mesmo da sagrada bi-i
blia,ja falsificando-a edistribuiudo-a assimalsi-'
licada.j vondendo-a, j conservando a em sen
poder, e fornecendo a sua leitura a pessoas inex-
perientes ou ignorantes, e-ja finalmente dando-a
mesmo gratis, nio posso nem devo eu, que, gra-
gas a Dees, disponho, litrede dividas, d urna ty-
P|r>puia_e de urna encadernago, deixar de,:
abnndo mao de urna parte do que Dos me deu,
acompanhar o meu Exm. e Rvm. vi gario capitu-
lar em seus constantes esforgos para o engrande- \
cimento da nossa santa religjo, e de concorrer!
cora o meu fraeo, mas muilo sincero contingente j
paraesse tio elevado lita. Keste intuito, enten-'
dendo que presto Jjgujn servico causa dista|
mesma religiSo, eom a reimpressao da viaqrtn de
um peregrino Jerusitlem, e visita que fez aos lu-
gares santos em 1817 Fr.loo de Jess Chrtito,
invicto fitho de Seraphico, patriarcha S. Francisco,
tenho reeoltdep6r no preloesta obra, e pretendo
fazera reimpressio da maneira seguinte : Reim-'
prianirei, 3,000 exemplares, estes serao destina-
dos 1,000 para todas as pessoas de nra e outro se-
xo, parochosse me apresentarem, e a cada urna das
quaes entregare! /ra/ um exemplar em brochu-
; 2,000 serio reimpressos mediante assignatu-
a
ras, para as quaes desde j convido a poplago
dosfieis, e de todos solicito e espero o valioso con-
curso, na.razio de 15 cada exemplar. Naoposso
prescindir, porm, de rogar o pagamento adianta-
Rn/trttno< rlp ^01173 do e *a(,a assignatura, s-m o que nao me ser
vender em leilao diversos escravos ; sendo Antonio JQSC Rodrigues 06 &onza. permittido effectuar essa reimpressao e conseguir
Lma preta de 30 annos, cosinha e engomma: Pelo presente se avisa a Iodos os irmaos da ^presentar ao publico nma edigao, j em si mes-
com perteigao. irmandade de N. S. da Soledade da freiruezia da ">a grande e dispendiosa. Paia os que nio assg-
uma preta de 2o annos, cosinha, engomma e Boa-Vista para comparecerem no dia 29 do cor-! narem, o prego de cada exemplar venda ser
cose eom P^neigao. j rentei pe|as 10 horas da manhaa, no consistorio \ determinado na oceasiao.
a pre annos cora principios de habi-' da respectiva igreja. para se proceder a eleigio da : Nao sei qual ser o resultado dos toeus esfor-
: nova mesa regedora do corrente anno ; certos de i ?0:. mas seja qual for, de Dos espero a recom-
cosinha e engomma que esse acto se realisai rom o numero de irmios pensa.
que comparecerem, de conformirtade eom a deri-
sao do Sr. Dr. juiz de capellas. Recife 23 de Ja-
neiro ae stio.
Manoel Ferreira Ramos
Escrivio interino.
Leilao (luarta-feir-t 25 do'correnlc as
11 horas.
Cordeiro Simoes 'far leilao de um excellente
microscopio composto eom 3 lentes achrmnaticas
que augmentan) os objectos de 20 a 180 vezes,
proprio para analise de chimica orgnica etc.,
eom este microscopio pdese nao so ver todos os
corrente pelo vap^r francez Guienne. As cartas | insectos ordinarios, mais tambem as lavras aquati-
sero receliidas al tres horas antes da que for \ cas, e fazer todas as esperiencias microscpicas
lidades.
l'ma mulata de 22 annos.
perfeilamente e una Bina de 1 annos.
Tin mulato de 21 annos. copeiro e bolieiro
Un mulato de 32 annos copeiro e sabe engom-
mar.
Urna negra de 20 annos para "qnalquer servigo.
E outros muitos escravos que estaro patentes
no dia do leilao.
Leilao de dividas.
Quarta-felra 25 de Janeiro.
O agente Pinto levar novamente a leilao as di-
vidas activas da extincta firma de viuva Vieira &
C, na importancia de l:68722g rs., servindo de
Precisase de urna ama secca que fa^a todo
o servigo de nma casa de pouca familia : na ra
dos Pires n. 3t se dir quem precisa.__________
- Acha-se ausente da casa de eu senhor a
preta Luiza, de idade de 24 a 23 annos, tem duas
cicatrizes no brago direito, desconfia-se que a mes-
ma ande aqni na praca ou em seus arrabaldes :
base o maior prego obtido no leilao anterior, isto pede-se a todas as autoridades ou capities de cam-
po do apprehende-la e levar a ra dos Pires n. 3i,
que generosamente serio recompensados.______
Alu<*a-se por prego commodo
a< 10 lloras do dia cima dito, em seu escriptorio
ruada Cruz n 38.
marcada para a sahida do vapor, e os jornaes at
quairo horas antes.
Alministragio do correio de Pernambuco 24 de
Janeiro de 1865.0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Correio geral.
Pela administragSo do correio desta cidade se
mais curiosas: na rna da Cruz n. 57.
Leilao de movis, escravos, pianos e
oulros arligos de gosto.
Quarta-feira 25 do corrente as 11 horas.
Cordeiro Simoes far leilao de trastes novos e
usados e outros artigos de gosto como seja : guar- -
faz publico, quo hoje 23 d corrente, pelas 3 no- ;daroupas, commodas, lavatorios de pedra, secre- o
ras da tarde em ponto fecharse-bao as malas que | tanas, relogios de parode e de algibeira, quarti- "
o vapor Tocantint tem deconduzir para os portos nheiras, cadeiras, mosas, pianos e urna mobilia de
amarello, escravos de ambos os sexos, caadieiros
da larde, e as cartas admetlidas seguro at duas
horas.
AVISOS M1MTIMQS.
COMPANIHA PER.NAMBUGANA
DE
!avegaco coste!ra a vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
e Acarac.
No da 20 do corrente s 5 ho-
ras da larde segu o vapor Per si-
imi/i^v nttnya commaRdaote Rates, para
^*os portos iudicados. A carga sera
Pacorapanhada dos o dia 23 ao meio
commendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas do dia da sahida : escriptorio no Forte
do Maltes n. 1.
COMFANHIA BH ASILE IRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente o vapor
Princeza de Joinville, comman-
dante o primeiro tenente Aran jo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o rapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete al o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, rna da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C-
~Para o Rio de Janeiro.
Pretende sejruir-em poneos dias o patacho Ca-
pnan, tem parte de en earregamenlo bordo, pa-
ra o resto que Ihe falta e eseravos a frete : trata-
** eom os seu consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Aietedn 4 C., no sen eseriptorio rna da
Cruzo. L
Porto por Lisboa.
Pretende seguir eom brevidade a mnito veleira
barca portogueza Corea, por ter grande parte da
carga engajada, paro' o resto e passageiros aos
quaes ufferece os melbores commodos: trata-se
eom o consignatario T. de Aquino fonseca Jnior
n traressa da Madre de Dos n. 5, primeiro an-
dar, ou cora o capitao na praga.
urna casa ter'
rea sita na ra da Mangjieira da Boa-Vista : a Ira'
lar na ra do Livramento n. 39.
Precisa-se alujar dous escravos : quem os
liver queira dirig.r-se ao armazem de assucar na
ra de Apollo n. 12.
Salvador Rodrigues da Silva vai ao Rio de
Janeiro.
AMA IIH LITE
Precisa-se de urna ama de lette que seja sadia
e tenha bom lelte para criar um menino de pou-
cos dias: no hecco do3 Ferreiros, casa terrra de
janellas de vidragas. ____________
E. EL Rabello faz publico que Antonio Jos
da Costa Araujo deixou de ser seu caixeiro desde
dia 23 do corrente._________________________
Consulado de tranca
O erapresmo annunciado neste Diario para
pagar as reparagoes feitas neste perlo pela galera
franceza Tonkin; se fario novos annuncios que
indicara o de novo o dia em que lera lugar.
O bacharel Pergentino Saraiva de Araujo
a gaz etc., etc, cujo leilao ser effectuado a ra
da Cruz n. 57.
Vender na mesma oceasiao um santuario e
trocar as imagens competentes.
Leilao de uma casa terrea nova, edificada f.aJv5.' a,'?vo?.ad1'i.f!s!aifle!.d? cora etcr,iJ)lor1io ,na
em chaos foreiros na ruado Socego n...,
eom 2 salas, 2 quartos, cosinha fora, ca-
cimba e quintal murado, a qual rende
20 mensaes.
Quarta-feira 2o de Janeiro.
Por intervencio do agente Pinto, s 11 horas do
dia cima dito, em seu escriptorio ra da Cruz
numero 38.
Leilao de uma casa de taipa na povoaco de
S. Lourenco da Matta e dous quartos.
Quarta-feira 23 de Janeiro.
O agente Pinto far leilao a requerimento do
testamenteiro do finado Salnstiano Ferreira Couti-
nho, e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de or-
phaos, de uma casa de Taipa nova eom utencilios
de uma pequea taberna, e dous quartos ; as
10 1|2 horas do dia cima dito, em seu escriptorio
ra da Cruz n. 38.
Leilao de urna taberna.
Sem limites.
Quarta-feira 2o do corrente.
O agente Pestaa vender em leilao por conta
de quem pertencer os gneros, armagio, gaz, pe-
sos e medidas existentes na taberna sita na ra
do Padre Floriano n 5, em lotes a|vontade e pelo
maior prego oferecido : quarta-felra 25 do cor-
rente a meio dia em ponto.
Leilao ae sola e coaros miudos.
Quarta-feira 25 do corrente.
0 agente Pestaa vender por conta e risco de
quera pertencer 50 meios de sola avariada e 2,000
couros miudos em lotes, no estado em que se
achara : quarta-feira 23 do corrente sJO horas
da manhaa no armazem do Sr. Avila no Forte do
Mallos._____________'__________"
Leilao de escravos.
Quarla-feira 25 is 11 heras.
Cordeiro Simoes vender em leilao diversos es-
cravos sendo:
1 preto de 25 annos, bom cosinheiro.
1 preto de meia idade sem habilidades.
1 preta de meia idade eom habilidades.
1 preto de 25 anuos eom dita.
1 cabrinha de 11 annos dita.
villa de Pao d'Alho, tem abortas suas aulas de la-
lim e franee;, e recebe era sua casa os alumnos,
cujos pas por morarem fra nao poderem te-Ios
comsgo.
Aviso
Assigna-se nicamente por hora na ra do Im-
perador n. 15, defronle de S. Francisco.
g........ <-..n., j.ei.^e silva.
Escola central uiethodo Cas-
tilho.
Est aberta desde 7 de Janeiro ; ensina as mate
ras do le 2o jrs, recebe alnmnos, pensionistas
e meio pensionistas, por pregos commodos ; nio :
exi-edenUo lies a dor.e annos de idade : na ra da
Ponte ua Capunga, casa n. 9.
Traspassa-se uma hypotheca aubre um engento
no valor de 4:800, a vencer-se em principios de i
abril de tSCfj, descontando os juros de 1 0|0 ao !
mez : na ra da Aurora, depois do Gymnasio, !
passando a pontezinba de ferro, na segunda rasa-
0 professor de piano
fiffi Coclho da S. Araujo, contina a lee- BK
gi cionar, mora na ra do Livrammto n. S
SI 24, segundo andar. (0
i!n|!i5f!':lEB&tist HUft '5tlHs!SBfsB
liaifeutsji^t^^ imtm SatSaialflKDBBi
Manoel Francisco da Silva Carrieo ora
feesidente em Macei, julga ruda dever nes-
ta praca ou fora del la, mas se algujm se
julgar seu credor qaeira apresentar seu ti-
tulo nestes 8 dias, que depois de verificados
ser inmediatamente pago por Francisco
Ribeiro Pinto Guimare*-(para isso autori-
sado) ra d'ApoIlo armazem n. 38. Reci-
fe 23 de Janeiro de 1805.
mwzmmm mmmm m mm
Edudicao de meninas ^ g|
jg3 Francelina Maurina da Silva Albu- jB|
S querque, professora particular de ins- SS
I tnKgao primaria srientiflca a quem in- 9m
teressar que continua a receber alumnas BK
em sua casa de residencia, a ra estreila S
do Rosario n. 38, segundo andar. J
K'tKSoaoraB aetacn
Os abaixo assignados participam ao respeitavel O abaixo assignado na noite de 23 do co\r-
publico, e cora especialidade ao corpo do commer- rente mez, perdeu da ra da Aurora al a ra do
ci, que amigavelmente dissolveram a sociadade Aragao, uma carleira contendo diversos papis
que tinham na loja da ra Nova n. 47, que gira-
va sob a firma de Bastos de Magalhaes, ficando o
activo e passivo da mesma Urina cargo do socio
Joio Baptista Gongalves Bastos.
Recife, o de Janeiro de 1863.
Joio Baptisia Gongalves Bastos.
Antonio Jos de Magalhaes Bastos.
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado. autorisado pelo
Banco Mercantil PortueL.~e. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos o < paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Por .o, e mais luga-
res do reino, por qnalquer somma vis-
ta, e a praso; podendo, ot que tomaren
saques a praso.receberem -isla, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
leja de chapos da rna do Crupo n. 6, on
na ra do imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa MVia.
de pouca importancia e a quantia de 254$ sendo
200* em sedulas de 10* da caixa filial e 31* em
libras sterlinas : a pessoa que achou a referida
carleira querendo reslitui-la, poder dirigir se ao
abaixo assignado na ra da Florentina n. 42, onde
receber em recompensa metade da mencionada
quantia.
Heraclio Vespasiano Fiok Romans.
Lino de Faria o nico competente
para ha ver as dividas activas e outros
quaesquer bens da extincta firma Faria
& C. Elle pohs avisa a todos os devedores
para que nao paguem senao a elle ou
pessoa por elle devidamente autorisada.
Espera que os mesmos devedores sero
ponluaes era satisfazerem seus dbitos,
livrando-o assim de recorrer aos meios
judician*. Elle mora na roa do Impera-
dor n. 57, segundo andar.
Aviso
Os administradores da massa fallida de Rostron
Rooker & C, toinam pela ultima vez a convidar
aos credores da mesma massa, para no prasp de
oito dias apresentarem os seus ttulos conforme o
cdigo do comrnercio afim de serem verificados e
poder organisar-sea clssitlcagio das dividas e ter
lugar o dividendo quando for deliberado pelo Illm.
Sr. Dr. Juiz do Comrnercio sendo que nudo o res-
pectivo praso, nao se poder admittir eredor al-
gum no dito dividendo.
Recife, 21 de Janeiro de 1865.
T. Tefferles.
Precisa-so de 1:000*000 a premio, dando-se
E outros muitos que estarao patentes no acto do por garanta uma casa terrea, cita na freguezia da
.tl-iit riIn liilft Cfir fiTanr i.i A a nvi ilt 'r-,.^ t) ,,x \",,-in mr\n (* Cn_.- k.I _._.. __._._.>.
leilao cujo leilao ser eiTectuado
n. 57.
a ra da Cruz Boa-Vista, quem quizer fazer tal negocio anuuncie
i para ser procurdo.
Euganoa-se o Sr. Hipolicano.
Os abiixo assignados declarara aos pretenden-
dentes das partes das casas da ra da Roda n. 18,
que as cinco partes que vao a leilao no dia 24 do
corrente pelo agente Martins, esto livres e de-
sembaraoadas e^ne nada tem oom essa que est
hypotliecada cujo hypothecario s leve por Bm
con) tal annuncio querer arredar os compradores
a arreinstacio. Francisco Teixeira Barbosa.
Idelfonso Jos dos Santos. Joaquina Alves re
Castro.Por procuragSo de Francisco Alves da
VeifaDomingos Jos da Cunha Lages.
Offerece-se uma ama de leile parida ha pou-
co : na ra da Biquiaha de S. Pedro n. 44, de-
fronte do portao de ferro. _______
Precisase de 1:000* a premio eom gam-
lia: a tratar na rna de Santa Tuereza n. 24.
INJECTION BROU
PERFUMARA MEDICA HYGINICA
De J.-P. LAROZE, qumico, pharmaceutico de la Escola espacial de Paria.
Estes productor lis o resultada da aplicio das Uis da hygiene a oerfimiaria, que se'ergna
tanate pbamaeia da bttkza, encarrafada de prever i hyeice da pele, dos cabellos, dos deaiei,
rfias tio importantes; cutio evita destrsw as causas das doeacM fue sua iraan mais velba,
i harmaeia propriameate chamada, tem que curar.
UDOaX IIIII1W para eurr imediuenunie as
taras ou ratvas de denles; e vidre 1 fr. 25
a>M DuamraMio* coa ou aoa* eora base de
Magnesia para branqoear a conservar os dantas;
e Tidro...........1 fr. *
OPIATO BBlfTiriueBO para forllcar as gengiraa
a evitar as nevralgias dentarias; e pal t fr. 50
ewRATrve affHin para tratar os denles
cariado* aatas do chumbanunto, e evitar es ab-
cessos e dores ; e vidro eom o instruaaento a fr.
asga LXDCODBRMIHA, para conservar a frescura
a as fanceOes da pelle; e vidre S fr.
BSPirirra bb ahiz BBCTaTlOABS, ceniplemento
de aeeio da becea deapoit de comer; a vidro 1 fr. 25
aVABAO LUITIVO) MXDICUfAL, de violeU, amendoa
amarga, bouquet, e pSo.......2 fr.
nana bb babAo lemtivo meqicihal de
Cenas de ovos, para evitar as feadas, frieiras e
i
ou oa atol a yseiruatABO par* remediar al
durexa dea cabellos e a sua atocia, o vidro. 2 fr. ]
VINAGBB BB TOILBTTB BUPBBIOR pela III I
soavidade e sua ueclo refrescante, e vidro. 1 fr. I
OOLO CRBAM gBPEAIOB para conservor a peHe
ciara, fresca, a dtaphane, e evitar es mies efTeitas I
do ase das coree, e pete......i fr. M |
AGUA BB 60LOOBA StTPBBlOB, eom eu sem I
mbar; permanencia de sea pevluuio o faz bascar
para e tocador, banhos geraes e lotees, o vidro 1 fr, I
PASTB.BAS OIUEBTABS do Dr. Paul Ciernen,
Eara tirar o chaire do tabaco e para modificar es |
alisto* fortes; 1 e 2 fr. a caixa.
agua BB f-LOua BB ALTAEBMA, eoametiao I
buscado para tirar as comioheea, fortificar e re-1
frasear cartea orgfios, e vidro.....1 Ir. 26 I
aarniTO db bortblam avpBRrnio. Ello 4 o
aperfeieoamento indispensavel do aceio da bocea
depoie de comer, o vidro..... 1 fr. 35 |
roMMADA COKSBStVADORA de quinina pura]
para iactitcar oa caballas, ee eesbeUezar arribar
e encaaeermeato prematura, a pote.. S fr. j
cas de pea, do violeta, de bouquet; o po 2 fr.
ama oa sabao lebitivo mediciral em
ps. Ella especial para a barba, o acaie das
soaaeras das criancas, e vidro. 2 fr.
AOIJA LDSTRAL para conservar e embellezar os
eaksDoe, fortificar asas raices, o vidro. S fr.
Depsitos em cada cidade, *m caa dos pharmaccueos, perfumistas, cabellcireiros, negociantea do
todas de fuendu. Varcjo: Puarhacu Labozc, ru Neuve-des-Petiu-Cliirrip, M.
ExnetsQfl; offltaiafi J.-f.JjkaoiB, ras des Lioas-Saint-Paul, a't, nParis.
H'ia dii liii|ii'r;ii|(ir n 18. Iiolicj friiiitui'.'i.
XAROPE
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
MaaaACSBTico da escola scrsaioa bb riis.
Este xarope, re^ularisando as funecoes do estomago intestinos, destroe essaa
wdjsposicoes proleiformes, e faz abonar as molestias de qae sao indicios precurso-
res. Mdicos e doentes tem reconhecido que restabeleee as iadigestees, fczendo
desapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, caimbras,
que sio resultado de dlgestoes penosas. Seu gosto agradavel e a facilidade eom que
se suporta, o tem feito adoptar como especifico infallivel das doencas nervosas,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago e de entranhas, palpitacOes, dores de
coraco, vmitos nervosos; sua accSo sobre as funecoes assimiladoras tal, que es
mdicos mais illastres o tem adoptado por reseipiente real dos dous primeiro
agentes therapeulicos: o hdureto ie Potassa e o Proto-Iodurelo de (erro, tendo
observado que dcbaixo de sua influencia, o primeiro perde sua accio irritante, e o
segunde seu cffeito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO
Oe cascas de laranjas amargas eom Ia-
dureto de potassa.
O isdureto de potassa, administrado em
solucio oa debaixo da forma solida, cansa ao
doeote um graudo repugoaatia, ou deterraina
acidenlcs que o latvio i renunciar a esta
medicicio effiesz.
Unido porm ao Xarope de cascas de laran-
jis, elle ne causa nem gastralgias, nem per-
liirbae&o do estomago e iatestinos, grecas a
este salvaguarda, os tratamentos depuratrvos
sao continuados sem interrupcio, as aftec-
cOes escrofulosat, (ubcrcufoios, cancerosas *
nos secundarias t terciarias, mesmo reuma-
Ihismaes, as quaes elle o mais seguro espe-
cifico. A dose esti definida de tal maneira
qae o medico pode varial-a a sua vontade:
O truco: 4 fr. 50 c.
XAROPE FERRUGINOSO
Ds cascas de laranjas amargas eom
proto-iodnreto de farro.
A associacio do sal ferro ao Xarope ds cas-
cas de laranjas tanto mais racional quanto
que este xarope, empregado s, para estimu-
lar o apetite, activa a secre?o do sueco g-
strico, e por fim regularisa as hiac;Ses abdo-
minaes, neutraliza os mios effeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (peso de cabera, pri
sao do ventre, dores epigstricas) em quanto
que facilita sua absorpcio. Dissolvido ao
Xarope, elle se toma e se supporta fcilmente,
por achar-se no estado puro mais assimilavel;
e assim pode coatinuar-se a cura da paUidsz,
corrimeatos brancos, anemia, alfec0es escro-
fulosas e racbitismo:
0 frasco: 4 fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE esta sempre em fraseos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). Expedic,5es: em casa
J.-P. LAROZE, ru des Lions-Saint-Paul, 2, Pars.
Hu.i Mu tuipKrailor ii. 38. Iiutica iraiiceza.
II 0 es
o ?
8.8 Oa a C/i es
fes B*
p> n
-
B! = S2


o ?- o

st'i ca
tt *
H -t
" s s

D oa
i
| ~
o o
* 1
* O
a*i es
1 U1
i-=
aa^
.mmtmn
< afyaffi-HB.s
s
55
w
c
Cu
a
rji
eo
'Hfr^fP" alisal' 2-"Illfl 5
rra*n>
= =. = B'E WC
zfa.5 =
o = r,o
et
-
i|e8*B&a
S FeSS- i-g"! I c.
fj- Y -l8| 8 lall!lBfela
p-.- se =- Pao = i... K s S
" gtii
6 Bs"Z 2-
SE
-n
W W
!aB!!g|l&

,.- o s- a s "
larfsil
< 2 rL = 5<3 O
Vt||f JL*S
E-, n c>e bj,EBKJ
52' ntiS_
1|||3*|?
i a> srm o
D
O
I
>
a

CaO
ET ci S
= oS3S
?
<
M
SO
3
o
ir1
H
S
O
Ventle-sc na rna do Imperador botica franceza n. 38.



Approvada por varia Academias t alias
lunmidatUt medicas.
O queoccasiona em gral as molestias abaixo
designadas a i'siaj,na<,ao do sangu em certas
partes do corpo, a qualproduxida pelos rcsfrla-
mentos e inuias unirs catiras, eiitao dcclarao-sc
OS Rlieumatitmos, Col", Paralysia, Fraqutm
dos membrot, ('dhslipaciet, Ettukantiai ou
Pernos liichadus, et Uore flerroins.
O t|se da escota ilectromacne
TICA lera successo ccrlo para a cura de lodas
estas molestias, sem recorrer se a aeHhuma oulra
medicafie. Ella trin uma forma mui manejavel
e produz, a ven inde de quem d'ella usa, seos mais
teis c felizes resultados. Seo emprego preserva
das molestias cima. Para maisinforaiaccscen-
sul-te-se a noticia que accosapaoka cada Estova.
Deposito Ouux
Bouteatt du Printt Eugtne, 18, l'arii.
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
DENTISTA DE PARS i
19Rna Noa-4
Frederico Gautiur, cirurgiao dentisti
faz todas as operacoes de su arte, e ce I-
locu denles artiQciaes, tudo eom supe-
rioridade e perfeican, que as pessoas en-
tendidas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
5.1*1 a w ^gHi-
Consultorio imtliro-rirurijifo na ra larga do
Rosario u. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regresando sua
c.i.-a, contina em o exercicio de sua profisso
nao so na paite medica como tambem ca cirur-
gics.
Anna Monteiro de Lima Reg Valen^a, pro-
visionuda pela directora ceral da in>lruccao. pa-
blica, participa aos paes de suas alumuas' e ao
publico em geral que lem aberto a sua aula, onde
continua a ensinar eom porfeicao gramroatica na-
cional, historia, arithmetica o calligrapnaa, diver-
sos trabamos de asnih.i. itostnre chaa^ labvnntho.
marrar, bordar brarwo e de seda, crochet e' tricot:
na Passagem da Magdalena casa de sua raoradia.
Antonio Francisco de Honorato c seu li-
lil u haelurel padre Manuel da Co-ta liuno-
rato cordialraente a(?radecein aos seus ami-
gos, que Ib.; tizeram o favor de assistir e
acoinpanhai ao enterre, de sua sempre cho-
rada esposa e mai IX Hasa Eugenia Bene-
dicta, o pedem-lhes o favor de eompacecer,
sexta, feira 17 do corrente. s 6 horas da
manhaa, ua tnairiz da Kia-Vista, para ouvi-
rem a musa que se loui de celot>rar pelo
se eterno reuousrx
Preeisa-si de uma ama de leile : a tratar no
noten do Carino, sobrad} junio a igi aja de Santa
Tliereta.________________________________
Aluga-se o secundo auJar da ca-a la ra
da Cartela do Recife n. 47 : a irataj na loja da
fazendas do mesmo numero.
RELOIS,
Vende-se em casa de Johnslon Pater V
C, raa do Vigario, n. 3, um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
lez, de um dos mais afamados fabricantes
e Liverpool, e tambem uma variedade da
boniosurancelins para os mesmoslt
Tu r-s+Tx # i







-
Diario de reraunbuco .-- rerca elra 14e Janeiro de iS.
s
mi A FORTUNA
AOS G'.OOO.OOO
fliihetes garantidos
1' na i Crespa i. 23 a eaua doeostume
6 abaixo assignado vendeu nossens muitoeli-
tes billetes garantidos da lotera, que se acabon
de extrahir a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia, os seguintes premios: >
Uoa quartos n. 1902com a sorte de 6:000*000
Daos guari n. 916 cera a son de 80O*u00. e
E otras umitas sones de 200*, 100, 40* a
26JU0.
Os stossuidores podem vir receber seusrespec-
ivos premios sera os descontos das leis na Casa
da Fonema ra do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da
decitta primeira loteria a beneficio da matriz
da u>a-Vtsta, que se extrahir no dia 26 do
correte.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 7*600
Meios......... 3*500
Quartos........ 1*900
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes....... 6*500
Meios...... 3#0
Qaartos......, 1*700
Manat Martins Fiuza
SALSA PAKRILHA DE AYER.
Tra.nscrkvk.mos aqui alguns
dos muitos altestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Klirum.-Uitino.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
t Soflri rheumatismo por mul-
tas vezes, e vendo annunciado
em ura jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Ernpcdes, boi-bulhas, pstulas,
uleeras, e todas as molestias
da pelle.
DO SR. JOO PAULA DE ABR.EU E SOl'ZA.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
< Solivia mais de dous annos de una
erupcao syphilitica em todo o corpo, mos-
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e eslava quasi desanimado
quaodo vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nba o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profes-
sor de medicina y c1rurjia, subdelegado
em jubas as facultades del sesto dis-
tricto.Habana.
Certifico que be usado l Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, lia sido
muy eficaz en el tratamento de las enfermi-
dades que exsigeu el uso de los purgantes,
y no vacilo en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 800.
Don. Jos V. Herrera.
Escrfula.
attestado do Illm. Sr. Francisco Ferra*
dos Santos.Ouro Prto.
Me ado ha quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto q..e al-
gumas vezes quasi que diego a desrnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mediros d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da 'salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completan-se boje
trinta e sete dias que comecei com este
santo remedio, c tantas meltu-ras tenho
sentido que tenho convicio de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
tempo,
Syphllls e molestias nien uriaes.
Do Illm. Sr. Dr. Jackso;'.
Medico mnito conhecido as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados ; o melhov alteran-
te que conheco.
Lencorrha e flores brancas.
Temos cartas em que nos cont im casos
inveterados que forana radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta St Isa par-
rilha.
O espaco nao nos permitte transcrever
todos os atlestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composto ae Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela profissao med a tanto
das Amerkas como da Europa, sao nunca
desmentir a sua alta reputacao.
Para a cura radical de escrfulas e iffecces
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erapces cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMKM a
* A I,* A PARRILHA RE AYER.
A' venda na ra Direita, ns. 12.26 e 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuigo, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias c drogaras do ims
ferio.
Veede-se em Pernambueo:
a pharnacla frauceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. B.
Aluga-se a casa terrea com soto sita rna
da Alegra n. 46 a tratar na ra de Aguas-Ver-
des sobrado n. 64, primeiro andar.___________
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
'y sobre a vida
ATORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE, 1859
lima flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministra cao da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANflIA I DIRECCAO GERAL
O Rauco de Hcspaulia Madrid: Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripeo de maneira que em nenbum caso mesmojpor marte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to soprehendentes os resultados que prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,queainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidares,
e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareienx qne e adoptada pela companhia para os
seusclculos e liquidaces, em segurados da idade de 3 a 19 annos, nma imporsico annasl le 100*
produz em effectivo metlico :
No flm de 5 annos.......1:1195300
de 10 ........ 3:942*600
delS .......11:2083200
. do 20 Lp...... 30:2563000
de 25 i.......80:3313000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectas e mais nformagoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
mo Joaquim Finia de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe
lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite A Irmao.
' Ao commercio.
Os abaixo assignados declaram ao publico e es-
pecialmente ao corpo do commercio, que desde o
da 31 de deiembfo prximo passado : se acha
dissolvida amigavelmente, a sociedade que' tinhara
na casa de molbados cita ra Nova desta cidade,
que girava sob a razao de Andrade & Mello; li-
neando a cargo d'aquelie, a liquidaco do activo e
passivo da mesma firma, continuando as transac-
cSes d'aquella data por diante, em nome de Ange-
lino Jos dos Santos Aodrade.
Recife, 21 de Janeiro de 1865.
Anselmo Jos dos Santos Andrade.
Antonio Pedro de Mello.
Ama
Preei sa-se alagar urna escrava para ama de ca-
sa : na ra Vellia n. 17.
Aluga-se um sitie na ra do Cabral pa
cidade de Olinda, com casa terrea, com co-
piar nfrente, botaos fundos para a estra-
da e margena do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
ecapimpara sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo.com ptimos passeios, sala e gabi-
nete na frente, muito propria para passara
Na fabrica de calcado do patoo da ribeira de
S. Jos, preclsa-se de artistas para obra de senho- ,
ra e menina dando-se todopromptp, pagase a du- festae tambero, se alugara por anno a iai-
zia para senhora a 13800 e para menina a 13200, lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
etodo aquello que qnizer levar sempospontarter
mais 100 rs. em cada dnzla.
O bacharel Jeronymo Salgado de Castro Ac-
cioly, antigo advogado do tribunal da relacao e
mais auditorios desta cidade, mudou sea escrip-
torio para a ra estreita de Rosario n. i, segundo
andar, onde pode ser procurado para os misteres
de sun proflsso.
5
XAROPE DEPURATIVO
JLE GrOUX
BROMO-SUtPHO-IODURADO
Este novo producto resultado de urna trplice combinacSo de tres metalloides cujas propie-
dades sao mui conhecidas, o Bromo, o Euxofre e o lodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais notaveis dos hospiUes de Paris, os senhores Cazenave,
Puche, Bazin, Blache, Guihout, Baroschet, Danet, Legroux, Vasse e Aubry, etc., demonstrarn
sua poderosa efficacia as affeccoes seguientes :
fcducaco primaria e secundaria
Na istituico de Jeronymo Pereira
Villar, na rna larga do Rosario n. 22, nao
s se ensinam as materias que consli-
tuem o curso regular de primeiras letras,
eomo as disciplinas preparatorias para a'
Faculdade de Direilo.
O Rmv. Sr. padre mestre Flix Brrelo
de Vasconcellos est encarregado da aula
de latim ; o Illm. Sr. Dr. Jos Soares do
Azevedo cha-se encarregado da aula de
francez; e para as nutras materias vao
ser igualmente contralados mui distinc-
tos professores.
Homo de pelle,
Dartroa e horbulliu* de (oda a expeclc,
Placan mucosas,
Obatruceca l>iiiphnllcos,
Papelraa,
EHcrafalaa,
Akrrimi, poslcuiiis,
Cancro*,
Ulceras,
Halia,
Escorbuto,
Plan ou uoubas (do Brasil),
O Xarpe de Le Gonx, de nma fcil digestao e de gosto delicioso, se emprega tambem
com muita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
enancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mui
superior neste emprego ao oleo de ligado de bacalho e aos xarpes depurativos e anti-escor-
buticos que se administravo at agora.
Beposito geral, em Paris, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
Paris, offictal da Legio de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paizes eslrangeiros.
Franinoeala,
Humare frioa,
Ilaihlllxnio,
0|ih(halmla c-scrofulosn e chranlca,
Tlalea escrofulosa,
Atrcccoea ayplilllUeaa,
Elepbanllaala dos (rejas,
E todas as doeucas occasionadas por um vicio do
sangue, e j tratad sem neuhum successo pelas
preparares vegetacs, iodidas e o oleo de figado
de bacalho.
Primeiro dividendo da massa fallida de
Ainorim, Fragozo, Santos & C-
Os adminiiradores continuam a pagar diari-
1 mente (ate o dia 28 do corrent-1) o l dividendo de
S por cente no escriptorio da roa do Vigario n.
21, primeiro andar, e pedem aos Srs. credores
' que venham logo receber o que Ihes pertence, vis-
to como d'aquelie dia era diante 9 faro paga-
] melos nos sabbados.
O Dr. Jeronymo Villeia de Castro la-
vares advoga o crime e civel, commer-
cio e ecclesiastico. Pode ser procurado
todisosdias uteis al 3 horas da tarde
emseuescriptorio, ra do Crespo n...
primeiro andar defronte da livraria eco-
nmica.
Sereoscopos
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tiguacom o capito Antonio Bernardo Fer-
reira.
A HA.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na ra
larga do Rosario n. 12, segondo andar.
O solicitador Pedro Atexautlri-
no da Costa nacbado
se encarrega ante o foro desta cidade de tudo que
for tendente a sua profissao, aceita de partido an-
nnal as pendencias judiciaes de qualquer casa
commercial mediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobranzas nos termos do Cabo
e Ipojuca aonde continua a trabalhar como eran-
tes, e encarrega-se de defezas perante o yry nos
termos prximos a via frrea, offerecendo gratui-
tamente seus servidos aos desvalidos, pode ser
procu-ado todos os dias uteis das 9 horas da ma-
nhaa as 3 da lar Je na ra estreita do osario n.
34, e fora dessas-horas na ra Imperial n.36, ca-
sa de sua residencia.
mmmmmmmmmmwmmm
|g 0 bacharel Jurge lioroellas
? continua a residir ra larga do Rosa-
2 rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser
I procurado para exercer a sua profissao:
Io de advogado nos auditorios desta ci-
dade ;
2o de mestre da lingua franceza, en-
sinando-a tarde, e tambem noile a
pessoas cujas oceupacoes erabaracem
^ aprende-la durante o dia.
mmmmm mmmm mmmm
THESOURO DAS MAIS
Providencia das enancas.
COLLARES ROYER
Electromagnticos.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTIQO
Contra as convulsoes e para facilitara
dentige das mancas preparados e inventa-
dos por Rover, pharmaceutico da esco-
la superior do Paris, successor de Chereau,
Pequeos stereoscopes cpm 12 lindas vistas ca-1 membro da academia de medicina
da um pelo diminuto preco do 5: na ra do an"*a casa de Bo^illmi-Lagrange, pharmaceutico
Crespn. 4.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legiao de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este xarpe composto mais de vinte annes pelo sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com suocesso em todas as doenfas que tirio sua
origem de um erithismo nervoso, como sao as:
Eiixunueca,
Vciriilsius,
K*linsitio*,
Attaquca de nrvea,
Verdgcns,
Sincopes,
Calmaros de estomago,
Indigestocs,
Conviilaoca,
Aceeasos liyaterlcea e hypo-
eonarincoa,
Clicas ventosaa ou nerva-
aas, hepticas flatnlvntaa,
Aeeessaa de seta e ale rheu-
IllUliSIltO,
cosos de envenenleniento,
etc., etc., etc.
Deposito geral, em Paris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro du Academia
imperial de Medicina de Paris, official da LegiSo de Honra, ra des Fosscs-Montmartrc, 17, c
em todas as boticas de Franca e dos paizes eurangsiros.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio cl'ficaz para combattir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino {mbar amarello) do Dr Danet. Descoberla inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
blicas de Franca e do estrangeiro. *
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
i Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.__________
OSr. morador da ra Nova que se
acha a dever 6 quarteisde asignaturas des-
te Diario, queiramanda-las pagagarpois
assim como elle gosta de receber a paga de
seus servicos deve attender a dos ou-
tros principalmente o do tDiario queem
Irabalham mais de 00 pessoas.
Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim
de Agolar, que a sua assignatura deste
Diario esl por pagar desde oulubro do
anno passado, e que o propnetario da loja
de ourives da ra larga do Rosario n. 40,
tem declarado que nao se responsabelisa,
portanto S. S. queira mandar satisfazer nes-
ta typographia._______________.___
Aula particular.
O abaixo assignado, professor p.irticnlar, provi-
sionado pela directora geral da instrucraopeblica
para ensinar primeiras lettras, lalim e francez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos
molas sao os Srs. cap.tao Jos Mariano de Albu- seDhores pais de seus discpulos que segunda-feira
querque, Antonio Joaquim Pereira de Olivara, te- 9 do correKnte ,(,m de ,.onlSuar ^0 cn.mo das su-
Aos senhores pais de familia, f
O padre Flix Barreto de Vas- i
concellos, com aula particular de la-1
tim na ra do Imperador n. 35, 1. 2
andar, contina a receber alumnos |
de todas as classes, durante e de-
pois das ferias. Tambem est dis-
poste a abrir um curso de primei-
ras lettras e de francez, logo que
liaja numero sufliciente de alumnos
para cada urna destas materias, e
assim tambem a receber como in-
ternos alguns meninos,de cuja edu-
ca?o o quizerem encarregar. Os
pagamentos sero por trimestres
adiantados, e os precos declarados
pessoalmente na occasio do ajuste
para a entrada do alumno. j
'immmmMkscl
A festa da Senhora dos Remedios deve ler
lugar no dia 10 de fevereiro do correle anno. A
commissao endarregada paraarrecadarem as es-
nhores s acuelles que orem com salva, autorisa-
dos pela commissao, o poderao fazer.
Deposito geral em Pernarabuco ra da Cruz n. 22, em casa de Caros & Barbosa.
MUDANZA.
Manoel Perreira Pinto Malheiro mudou a sua
loja de ourives da ra das Larangeiras para a ra
Lniz Pereira de Mello, proprietario do holcl em do Cabug n. i U, onde espera continuar a mere-
Jaboatiio, avisa todas as pessoas que o honravain cer a confianza de seus amigo, e do publico em
com as suas hospdameos, que de hoje em diante : geral
acaba com o dito estabelecimenio.
Creme.
Sorvete de eraote hoje ao meio dia
Trapiche n. 18.
na ra do
Na rna do Beriholomeu n. 45 precisase de
ama ama para o .^errieo de ama casa de pouca
familia, paga e bem, e prefere-se a que for es-
crava.
Declarase que urna parto da casa n. 18,
ra da Roda, acha se hypothecada por escriptura
em notas dilabi'lliao Raptisla.de S.
Os abaixo asignados declaram ao corpo do
commercio,-que n'esla data flzeram sociodade em
nome collectivo na loja de fazenda da ra da Ca-
deia do Recife n. 47, ruja firma social girar na
razao de Azevedo & Flores, dcando esta responso
vel, pela liquidaco do passivo de Pinto ^ Flo-
res.
Recife, 13 de Janeiro de 1865.
Antonio de Sonta Leal Flore.
Manoel Martins d-0 d'Azevedo.
O abaixo assignado faz scienle ao publico
que nao 1'arani negocio com Osear Desti iba com a
parte que tem no sitio do Muniz, pois esl hypo-
thecado, e sujeita a letras que tenho veocida e em
juizo.
Recife, 21 de Janeiro de 1863.
Jos nmingos Maia.
A. Schaffter & C. mudaram o seu escriptorio
da ra do Trapiche n. 17, para a mesma ra
n. 3 A._________________________________
Precisase de tuna preta de idade que seja
escrava e saina cozinhar o diario de urna casa : na
Praqa da Roa-Vista n. 9.
Deseja-se fallar com o Sr. Venceslao Macha-
do Freir Pereira da Silva a negocio de seu inte-
resa : na ra da Prala n. i7, andar.
A Via va de Jacinlho Jos Caetano, com casa
de comidas para assigoantes e particulares, e ao
mesmo tempo mo de vacca nos domingos e dias
santos : na ra da Crnz, por delraz do Corpo San-
to beceo do Abren o. 1.
Livro do Povo.
O livro do povo, obra(ornada com estampas, con-
tendo a vida de Xosso Senhor Jess Chrislo, e mui-
tos artigas uteis. Este livro das familias recom-
mendado eapprovado pelos Exms. Srs. D. Luiz
bispo do Maranho e D. Manoel arcebijpo da Ba-
ha, vende-se a 1000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogaeira de Souza, ra do Crespo n. S.
gg Companhia. fldelldade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
magisterio, sua inteira dedicado e : ua moralidade
sao garantas queofferece aos senhores pais de fa-
milias, que desejam a sa c til educaco a seus
filnos. ,
Quem portanto qnizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educarn de seus filhos, pode dirigir se
a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
do n. 06 da ra Nova, onde ha muito tempo esl
estabelecido.
Jos Maria Machado de Figvtireio.
COMPRAS.
O bacharel
Francisco Augusto da Costa
1
Hobllia.
Alugam-se mobilias : no pateo do Terc,o nume-
ro 42.
Comprase um bah grande para viagem, de
7 para 8 palmos de comprimento : na cfficina des-
ta typographia.____________
A tencao.
AoveaAoo
Ra do Imperador numero 69.
Roga-se ao Sr. Andr de S e Albuquerque,
do engenho Santo Andr, que se digne dirigirse
PrOrisase comprar una esciava negra de 2oa
30 annos de idade, que saiba engommar e cozi-
nhar, ou troca-se por oulra : na ra da Aurora,
urna casa acabada agora, com commodos para fa- passando o Gymnasio, primeira casa depois da
milia, estribara, cocheira, quartos para feitore ponlestnha de ferro.___________
d luga-se
escravos, com banho na porta, no lugar do Poqo
da Panella, ra do Rio : a tratar com Tasso ir-
mos, na ra do Amonm n. 3o.
(omirai-so escravos.
Silvino Guilherme de Barros compra, vende e
troca escravos de ambos os sexos e de toda idade:
mi Vnvi n II nnanrfn vior un lWifu aflm Ao ro. H-----------------------!-------7~^----------------------1 "UL" esuiavu ueainuus US sexos e Uti lOUa
nm, ;,P,;qn hi fid ; Z V.*-** Pr alu8uel ,*? V* ? na ra da Imperador n. 79, lirceiro andar.
ceber urna carta que ahi existe.
Aluga-sn a casa terrea da ra do Socego n.
2, e o segiiudo andar do sobrado da ra do Rangel
n. 7 : a tratar na taberna no mesmo sobrado.
Pqrtarara honlem, 19 do crreme, da fren-
te da taberna do Sr. Alves, na ra Nova, nm ca-
vallo com os signaes seguintes : rodado licando
pedrez, pequeo e muito gordo, anda a passo e
est ferido no joelho do lado direito : quem o pe-
gar leve ao deposito geral que ser gratificado por
Jos Pedro Gomes de Sena.
quitandeira : a tratar na ra do Queimado n. 17. -
Os abaixo asignados estabeleridos com
loja de ferragens na ra do Queimado
n. 12, sobre a razo social de Fonseea &
Rocha, declaram que dita sociedade se
acha amigavelmente extincta desde 31 de
dezembr prximo passado, licando a
cargo do socio Rocha a liquidaco da mes-
ma. Recife, 21 de Janeiro de 1865.
Antonio da Fonseea e Silva.
Jos Rodrigues da Silva Rocha.

Antonio Jos Ribeiro Rraga, faz scienle ao
publica, especialmente ao corno do commercio, que
dissolveu a sociedade que tinha na Villa do Pilar
de Alagas, com Bathazar Jos de Magalhes Bas-
tos, e qne girav sob a firma de Ba
Meando todo o activo e passivo, a cargo
Bastos, nio tendo o abaixo assignado mis respen-1
sablidade alguma pelas transacoes da antiga Ar-
ma, nem dos artuaes negocios do referido Bastos.
Recife, 19 de jaaerode 1865.
Antonio Jos Ribeiro Rraga
Aviso commercial.
O abaixo assignado vendo um nnunclo publi-
cado no Diarto de Pernambuco de 21 do correle
pelo Sr. Antonio Jos Ribeiro Braga, em que de-
clara ler apartado a sociedade que lindamos em
nma casa de commercio na villa do Pilar das Ala-
gas, c ficar eu responsavel pelo activo e passivo
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sim casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
U ainda mesmo os alienados, para o que
Nk tem commodos apropriados e neila
tica qualquer operaeao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3(000 diarios.
Segunda dita.... 2,2500
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conanca de que sem-
pre tem gozado.
Compra-se
cobro, lato e chumbo : no armazem da bola ama-
rella no oilo da secretaria da polica.
Comprase ouru e prala em obras velhas, pa-
ga-se bem : na lojs de bilhetes da Prac,a da Inde-
I pendencia n. 22.__________________________
Compra-se elfectivamenle ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra. larga do
Rosara n. 24, loja do ourives.
TENSAS.
pra-
BfcTHP
Aluga-se um sitio na
Fernandes Vieira, cooi urna boa casa de vivenda
ALMANAK.
Acaba de sabir dos pre-
cios de nossa typograpbia o
i Almauak Administrativo,
Mercantil e Iudustrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
l^j na livraria ns. 6 e8
soTeoS^fd?j2 da" praca da Independencia.
Vende-se doce de caj seeco lino, em latas a
da mesma sociedade, declara que de tal annuncio ?sso>radada, reedificada de novo, rodeada toda de
nao leve scienria, e jue com quanto a sociedade Jallas, com grandes commodos para familia nu- J?"",erao C0"
na frente e col- a"Ul"
se um caixo grande de deposito, pro<
refinaco ou padaria : na ra Imperial
agalhaes Bas-1 esteja dsso|vda, ainda se nao conclulo a escripia Perosa' lcn,, um grande copiar na frenle e col-1 J"".r:
stos Braga, > nem fecnamos oonla!!( ete-j e ^ ss0 aij;da' locadas nelle ires grandes mesasde pedra marmo-1 Veude
rgoi ao mesmo, D5ose se m0 convra ficar ou nao Obroado ao re> fluart0 fora Para Prel0!' grande cocheira para prio para reH
obrigado ao
activo e aassivo da mesma casa. carros, e grande eslnbaria.e em frente a casa um o. 4o.
Recife, 23 de Janeiro de 1865. .grande telheiro para jogo da bola com todos o
Balthazar Jos M. Bastos. senspertence?, Iluminado a gaz, assim como a ca-
sa de vivenda : a tratar no caes do Ramos o. 2.
t OLIIIMIAS
rara 1865
Aeham-se venda na livraria ns, 6 e 8 da
praca da Independencia:
A F0LH1NHA DE PORTA, abrangendo o
Kalendario civil e ecclesiastico, tabellas
de feriados, de emolumentos dos tribu-
naes do commercio, etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALG1BFJRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em versos, o Stabat Mater
em verso, devocao ae agonisanie, coraco
de Jess, canuco ent louvor do Santsi-
mo Rosario, cntico a Virgem Maria Nos-
sa Senhora, trinta e tres chistosas anc-
dotas, um indito poema sobre as aven-
turas de um cozinheiro, o canto de urna
solteira (poesia), crescido numero de m-
ximas e pensamentos, urna historia como
muitas (romance), e vinte cinco novas e
pilhericas charadas a 320 rs.
Novo rival.
Loja de miudezas flnas
16 -ra do Oueimado16
Enfeices a Hara Pa.
Recebeu-se pelo ultimo vapor francez o que ha
de mais moderno e elegante era enfeites de caneca
a Maria Pia, to variado o sortimento de cada
iual mais bonito, que o freguez munido de co-
bres Iicara satisfeito nao s na qualidade da fazen-
da como no seu baralissimo preco, a 21500, 31,
35300, ,8*6*6 7*
I.iivas de lourin.
Acabam de chegar pelo vapor francez Guimne,
as legitimas luvas de Jouvio, prelas, brancas e de
cores, para homens e senhoras, a 2*500 o par.
Fitas.
Riquisslmas filas de grosdenaples lavndos com
bonitos desenhos e cores para lacos e sintos, com
3 ;, 4 e 5 dedos de largura, pelo baralissimo pre-
co de 960,1*280 e 1*600.
Ditas dilas de sarja lisa, de todas as rdres, de
1 1/2, 2, 2 1/2,4 e 5 dedos de largara, a 320, 480,
640, 1*280 e 1*600 a vara.
Ditas ditas de gorguro preto e de cores, para
sintos, a 800 ris a vara.
Bonitas fitas de todas as cores com 8 varas, mui-
to estreiiinbas para enfeiUr toaqunhas de crian-
tas, a 500 ris a peca.
FIVELLAS E SINTOS.
Riquissimas fivellas de tarUruga muito grandes
para sintos, a o*. .
Dilas dilas de um e dous botoes com lindsimas
pedrinhas fingindo'brilhantes, a 1*500 e 2*.
Sintos d velludo preto, a 4*.
Ditos de seda muito largos com fivellas muito
largas, a 5* e 6*.
Ditos ditos de galo e fivellas de pedrinhas, a
2*000.
Cascarrllhas.
Pecas de cascarrilhas de la estreilinhas diver-
sas cores, a 500 ris.
Ditas de ditas dita mais larga, a 1*.
Dilas de dilas de seda eslreitinha a 960 rs.
Dilas de dilas dilamais larga, a 1*500 e 1*800.
Ditas de dilas dita em doas cores e de diversas
cores, a 1*300 e 1J800.
Volt as a Maria Pia.
Vollas prelas grandes a Mara Pia, a 1*600.
Ditas de aljofares de todas as cores, com cruz e
passador de 1, 2 e 3 vollas, a 2* 4* e 5*.
Ditas de contas grandes de coral, a 5*500 e
6*500.
Pulseiras de aljofares de todas as cores, com pas-
sador e borllas, de 1, 2 e 3 vollas, a 1*280, *600.
2* e 3*.
Ditas de contas grandes de coral, a 4* e 5*.
Bonitos brincos de aljofares de todas as cores a
balo, a 640 ris.
Bonitas alfineles depeitocom aljofares de crrs,
a 1* 1*280 e 1*600.
AlllllDS.
Bonitos albuns de velludo com guarnicoes de
melal para 50 retratos, a 5*.
Ditos dito de velludo para 100 ditos, a 8*.
Ditos de inarrcquiiu para 12 ditos, a 15600.
Dilos dem melhores para 12 ditos, a 1*800.
Ditos dem para 20 ditos, a 1*800.
Ditos dem melhores para 20 ditos, a -.
Dilos dem para 50 ditos, a 3*
Ditos idem para 100 ditos, a 5*.
Ditos idem de toa cncadernaejio para 100 ditos,
a 12*. 16* e 2*, estes albuns vendem-sc por mui-
to menos do seu vtlor por se ler recebido grande
quanlidade.
Peuiias com bico de diamante.
Elegante*- peonas de prata com bico de diaman-
te que duram toda a vida de urna pessoa,. cun ca-
etas de marfim e madreperola, sao as melhores
peanas que tem apparecido, vendem-se polo di-
minuto preco de o* c 6*.
Caixinhas de pinnas de langa frescas, a 610 rs.
Dilas de ditas caligragrapbicas, a H280e i600.
Caixinhas com 100 envelopes, a 500 rs.
Caixinhas de papel de cor, a 500 rs.
Caixinhas de papel azul pautado, a 360 rs.
Caixinhas de papei amizade branuo paulado, a
640 rs.
Pacoles de papel da beira dourada, a 700 e 800
ris.
RICOS DE SEOA PRETOS
dos mais bonitos gostos que se pode desojar, desde
1 dedo al 4 dedos de largura, vndese pelo dimi-
nuto proco de 120, ISO, 240,400 c 600 rs. a vara,
sendo este preco a motado do seu valor.
VARIOS OBJECTOS.
Vara de bico preto de hubo, a 100, 120, 160,
200 240 e 320 rs.
Vara de labvrintos de chrox desde 3 dedos a
um palmo de largura, a 210, 400, 640, 800 e I*.
Fitas e conloes para opartilhos. 60 e 120 rs.
Grvalas de ponas bordadas para senhora, a 1*.
Ditas ditas de blonde matisadas, a 1*600.
Tooquinhas de blondo enfeltadas, a 1*500 e 2*.
Sapatinhos de merino bordados parabaptisado,a
1*300 e'S*
Sapaliohos de setin idem, a 2*.
E>covas para denles, 160, 320 e 480 rs. '
Ditas para calcado, a 200 e 240 rs.
Ditas para roupa, a 800 rs.
Ditas para cabello, 64c, I* e 1*400.
Ditas para unbas, a 640 rs.
Varas de fita de velludo desde a mais eslreiti-
nha al 4 dedos de largura, a 100, 160, 240, 320,
O, 300, 640, 800 e 1*
Bonitos chapeos enfeitados para enancas, a 4*.
Varas de Utas de la para debrum, a 100 rs.
Pecas de fitas branca para debrum, a 320 rs.
Frascos de oleo de babosa, a 400 e 500 rs.
Ditos de dito de mauzenha, a 500 rs.
Ditos de agoa da colonia, a 400, 500 e 1#.
Hitos de dito de mauzenha, a 400 rs.
Garrafas grandes de dita, a 800 e 1*600.
Frasquinhos de essencia de sndalo, l;5O0.
Ditos de extractos, a 320, 500, 800, l e 1*500.
Ceslinhas com quatro frasquinhos de dito, a I*
Duzias de facas e garios de balanca, de 6> a
6:500.
Duzias de ditas dita de sobremesa, a 53300.
Duzias de colheres de metal, do principe pura
cha e para sopa, a I&500 e 39.'
Colheres de concha para sopa, a i?.
Faca e garfo trinchantes, a 1*600.
1)0 corredor do sobrado n. 9 da ra _"trecisa-se de umaaraa forra ou cscrava'r.ue
A' loja do Porto
Na esquina da ra da Madre de Dos n. 25
Chegou pelo ultimo vapor francez um completo
- Precisare de urna boa costureira e engom- da -Imperalriz fuitaram, na manh5a de 21 compre ecozinhe para urna casa de pouca familia, sortimento de calcados, sendo de Nanles para no-
madera, prelere se que seja escrava : em casa do ,j0 corren/e, tres vestidos brancos, sendo conforme o ajusto, pode despensar-se as tardes : a mem, e diversas qualidades para senhoras eme-
Sr. Cawbrone em Santo Amaro.
r*---------1-----------------:------j. .. : dous bordados com bieos e ntremelos, e
^js^szsSrT zt ,/mS2; r cr babad, bordadoja quem fwm of-
dor n. 32, que Me ser entregue. | lerecidos OU delles souber, faca favor noti-
tr:tar na ra nova de Santa Rita n 43.
LAVADEIRA.
Na ra da Cruz n. 33, precisa-se d'uma lavadei
ninas, ha tambem um completo sortimento de fa-
zendas e roupas feilas, tudo muito barato.
Vende-se e aluga-se em.porcao.e a retalho
-_^----------------a---------------------- :, n ... .;,- __ raba, e que seja ligeira'no sen-ico. E'para casa bichas de Hamburgo de superior qualidade por
.Vi ra cwa n. 63, segundo andar, precisa-se IUdl i-asa dciuid, que aitm ue ser gratn- 0 tosante familia, e agradando ter bda fre- menos do que em ootra qualquer parte: na ra
de um criado 13.
.Ittenco
Aos dono\ dt obras e artistas.
Vende-se para mais de 80 miljieiros de mate-
riaes, sendo temas, njollos de ladrilho, alvenana
batida, quadrdos de 8 polegadas, ditos de 16 (de
padaria) ditos de tapamento, ditos de cacimba,
sendo estes matenaes construidos do melhor bair-
ro amassado com agua doce e bem cozidos e pelos
baralissimos precos declarados.
Telhas a 30*, iadrilho 25* alvenana batida 301
quadrdos pequeos 30*, ditos de padaria 800
ris. cada um tapamento 15* lo milheiro ; quem
pretender ditos materiaes dirjale ra das Bar-
raras olaria o. 15, advrtindo que se vende por
estes baralissimos precos sendo de um milheiro
para cima a dinheiro av;sia._____________
Peehineha, a 3fOOO
Pecas de madapolo com um toque de av.iria
para forro, por 31 : na ra do Livramenlo n. 3.
Atteiic&o.
Vende se urna taberna na cidade drOtinda, sita
nos Quatro Cantos n. 4, cora poneos fundos, boa
para um prinrpiante-, vende se porque o dono re-
tira-se tratar de sua saude.
!



L
J




Diario de Pernaiubuco Ter$a felra 94 Je Jaucu-o de 1
. m >
'
-.
*



BOTICA E DROGARA
BarUiolomen Francssco de Seaza
31Rut larft -* ResaneM
Vendem:
Pilalus-Holloway.
Pilulas do Dr. Liville.
Pilulas do Dr. Alian.
Plalas do Pobre homem.
Pilulas americanas.
Plalas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Hristol.
Remedios do Dr. Ghable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert.
Injecgao Feaugas.
Agua dentiflca de Desirabode.
Papel chimico, para talho*-
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anli-epileticos de Brest.
, Rob L'AlIecleur.
Xarope do Bosque.
Unguenio Holioway.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA

Os elementos que eompoem esta preparado, o
ferro, o iode e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
seas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos raais eminentes,
que confirmara sua poderosa efficacidtde as
seguintes affecces:
Con vtlcirrnc de lan-
gas molestias.
Molestias eseratala*
Pnpclra.
ObMtruccao das clan-
dulas.
Humores fros.
Humores hraneo.
nachltlsmo.
Affeeeocs eancerosas
e vplillltlrss.
Febres lypholde.
Variles, ele., ele.
0 VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Ballisa, na sua ordem do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com sens
agudas esporoes nunca os offender, Antes os agra-
ciar na mesma conformidade, para que o Baliza,
' possa marchar era frente, a Branca Aguia possa
levantar sea vo,(levando no bico as palinbas sen
| ninho; e o Gallo ficar em seu espagoso campo
dando de novo o sea canto annunciando a seus
i bousjreguezes o aorespeitavel publico
0 grande sor lmenlo de objectos de mu lo gesto que
acaba de receber.
! Ricas caixinhas com msica ricamente enfeita-
das para costura, proprio para um delicado me-
:nino.
Riquissimos cofresinhos com cdeados de metal
para guardar joias.
Ricas canas com estejo, contendo' todos os per-
tences para homem.
Riquissimas voltas Dngindo perola.
Ditas com lacinhode fita.
j Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
, saras.
Lindos aderecos com pedrinhos fingindo bri-
llantes.
Ricas fivellas para cinto, de todas as qualiuades
: e bora gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Pars.
Grande sortimento de lindos enfeites para cabo-
ga, sendo do ultimo gostoe de todos o?precos.
Flores multo Gnas para noivas.
Luvas enfeitadas e meias de seda para noivas.
Touquinhas sapatinhos e meias de seda par,
baptisado.
Riquissimas fitas de todas as qualidades parala-
i co, cintos e cinteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
; sala.
Grande sortimentode graratinhas tanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarrilhasde bonitas cores.
Trancinhas, galao e maravilhasparaenfeit.es.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de oulras qualidades.
Bolsas para viagem.
ntremelos e babadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de velado lisas e com mtame de todas as
larguras.
Tbesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sorlimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para offerecimentos.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
j Agua verdadeira Florida.
i Agua da Colonia, em carrafas grandes, e em
frascos quadrados egarralinhas.
Pomada lina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de todos os
tatnanhos.
Sabio inglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, marfim e de
osso, para dentes.
Pentes para desembaracar, cora friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnilas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de alodo, assim como muitos
oatros objectos de gosto que seria impossivelmen-
cioar, que a vista far f, so uo Gallo Vigilante,
ru do Crespo n. 7.
Vollinbas.
Lindas voltinfias de perolas falsas comcruziu' | fingindo brilhantes, assim como cruzinbas avulsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
r.ruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilanle, ra do
Crespo n. 7.
Leqttes.
Riquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
a. 7.
GRANDE NOV1DADE.
S no Vigilante.
Rhjuissimos eufeites de todas as qualidades para
senhoras e meninas, chegados boje da alfandega.
Simes
Riquissimos sntos de fita larga e estreita com
'velas grandes e pequeas, com brilhaotes falsos,
cousa de muito gosto.
Alfeang
Tambera chegararo es riquissimos albuns para
Estes confeitos que tem por base o prin- \^^rZrSZ'$Z
cipio activo da primeva cubeba juulo com po n. 7.
Mingos no sangue-
Fraquesa.
Anemia.
Calorse Ictericia.
Menstruo.
Affeeedeo do alero.
Suapressoes das re-
irs e deaordes na
menstriiurao.
Affeccao pulmonar e
Blhlsle.
Molestias d'cstmns;o.
Gastralgias.
Ferda d'appetlte, ele.
VejSo se es bullelins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 4860; a Ctela
ios hospitaes de 28 dejulko 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de {erro e de
quinina de ilebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d iodure duplo de
ierro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao goslo de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pe?a-se o folheto que se di de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evitarem falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Deposito geral em Pars, pharmaciaRebiUon,
1i2, ree du Bac, e em todas as boas pharmaciai
de Fran?a a dos punes estrangeiros, etc.
GRANULOS
MUTH
)E CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacoes de
bismuth empreadas antes com o maior suocesso
pelos mdicos de lodosos paites, para prevenir e
-curar as
Mus dlgestocs.
Gastrlles.
tialtralgtas, ele.
Dlarrliras chronlcas.
Dyssenlcrlos.
Dores d'cstdmase.
Dj-spepslas.
Os primeiros symplomas d'essas formidaveis
affeccoes se manifestad ordinariamente por diges-
toes laboriosas, midumes, falta d'appetite, pesos
a" estmago depos de cada comida, caimbras es-
lomafaes, c, inuitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidad, traz inc-
vitavelmente,que seja:
Oppressea.
Dores de rnbeea.
Irrllacves de beslga e
da matriz, ele.
05 granuUt Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias c cural as quando sao tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco^ de 4 francos.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias tle Franca e dos paizes
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
Molestias de ligado.
A Ictericia.
Pal pl laio de roraes
Dures nos rlns.
Grande liquidadlo.
Ra da Imperatriz n. .
oja de fazendas do pavao de Gama & Silva
Acliasso este estabelecimento completamente
nido de fazeadas inglezas, francezas, allemas e
-uissas, proprias tanto para a praga como para o
nato, promettendo veniler-se roais barato do que
em oulra qualquer parte, principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixando ficar penbor, ou mandam-so levar em ca-
sa pelos caixeiros da loje do Pavao.
Vestidos soutambarqne.
CPelo ultimo vapor francez chegatam riquissimos
vestaos sonlambarqne, os mals modernos qne
ueste mercado tem apparecido, os qnaes estao
promptos com saia, corpioho e seu competente
soutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem tiver bos> gosto dirija-se i loja do
Pavao, na ra da Imperatriz b. 60.
AOS TRES MIL VESTI-
DOS.
:Na loja do Pavao, a 3$. U
e 7#000.-
Vendem-se lindisslmos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
brancas,proprios para casamento, pelo baralissi-
mo preco de 3 cada corte por se ter comprado
urna grande porcao, sendo fazenda que vale 65,
ditos Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo preco de 45 cada uro,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada um em seu carto, tendo cada
ura todos os enfeites precisos, pelo baratissimo
preco de 75 cada um, ditos com babados muito bo-
nitos, mas sem ser em rartao, pelo diminuto pre-
50 de 35500 cada um; adverlindo-se qne os donos
da loja do pavao vendem estes venidos "or tao di-
minuto preco ror terem comprado orna graede
qnantidade e convirlhe liquidaren! lepo, na sua
loja, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
Aos vinte mil colados de la
Grande pechlncha, a t40
e 32 rs.
Veadem-se as mais bonitas laazinbas transpa-
rentes, sendo com listras e quadrinhosmiudinhos,
e-Jisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e rxas para lulo, pelo baratissimo preco de 240 o
covado, di tas transparentes com palminhas de seda
Mara Pia, tendo de todas as cores, e tambem
algumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 cada covado, isto por baver urna grande por-
cao : na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Latas e copos com banha fina.
A aguia branca, na roa do Queimado u. 8, rece-
beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
smoderoissimas lazinhas de urna s
cor, a imitaco de gorguro, ven-
de o p*vo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo preco de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ralriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
Vejdem-sc laazinhas de quadi nhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado,
ditas largas mullo finas a 400 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padrees miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes rrm palminhas
de seda a 400 rs., dilas escomas a 560 rs., isto to-
do para liquidar : na loja e arroazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
Os grosdenaplrs do Parle.
CL4RI1I
COMME
>$mm
RA IIO QiEIMADO tf. 4&.
Passand o becco da Congregarlo segunda casa.
NOVIBABE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molbados denoniinado Clarim Corrir.er-
cial, onde o respeilave] publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melfcores gneros que vem ao nosso mercado es
quaes ser3o vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se nlom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, India e Java a 60, 80 e Prasseccas muito novas a 6G0 rs. alibra.jCevadinha de Franca muito superior a O
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra. -
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
100 rs. a libra, e 1)51800, 20600 e 3#000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
i^f ei06oo> e em frascos grandes a
zooO.
dem em caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, !6G0e2. '
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
muito novo a 640 rs.
dem seccas muito novas a 200 rs. a iir.ra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixir.i :*
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a
cada-um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
vapor a
600 rs
libra
Ararula verdadeira dematarana a 320 rs. a I Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6( 0
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamenle lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
libra.
Aveliaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Belachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinba e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, buchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Ceneja preta ebranca, dasmelhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
Idem,s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e8#500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
de oilo libras c canastrinhas de 1 arrota a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do 51aranlIio a ICO rs. a libra.
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca \l>
a 560 rs. o frasco e 60200.a frasq\:eia.
dem em garraoes de 3 e 5 gales a 510Q
e 705CO cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata c 10100.a duzia.
Licores muito finos a/OOrs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas rr.uito
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e roftas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto, Manteiga ingleza perfeitamenle flor, desen>
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa, barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e | de segunda quaiidade a 8( 0 rs.
10000a garrafa, e era caixa com urna du- dem francez muito nova a C40 rs. a libra.
zia a 9000 e 100000. dem de tempero a 400 rs.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 dem em lata a G40 rs.
e 40 a caada, Marmelada imperial dos melhores conserve;-
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
JeDde^e.8rosdena5lesJ,prfto,:' f"""' supe-(Chouricas e paios muito novos a 800 rs
a cMpahyba pura, nao nausen o estomaga.
Elles fazem parar immediatamenCe asmis
Gelmbas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
rebeldes gonorrbas, mesmo as que ressti-jtopossivel, a 2J>, 2500 e 3$; s oo Vigilante,
rana a cubeba o a cupabyba isoladamente.
Deposito geral em Pernambuc* ra da
"Cruz n. 22 em -casa de Caros & Barboza.
Vende se eaitoes vazios proprios
para tiafinleiros funileiros a 1 $760
cada uu; nesta typographia.
MI
Veooe-se superior vinho do Porto em ckixas de
nma duzia ; era casa de Johoston Palera C, roa
do .v'^rio n. 3.
55--Rna da Inipenitriz-oS
Fabrica de carros.
Acha-se sempre gelozias de lodosos lmannos a
oda da Europa por preco razoavel e concertara-
e as mesraas.
35Ra da Imperatriz55
Fabrica da carros de
Francisco Poder.
Veade-se um carro de arregar gneros da al-
fandega em boro ertado e por preco -ommodo.
DROGARA.
3 Roa larga do Rosario 31
Barlbelomeu Francisco de Souza & G.
Vendem:
Acido actico puro pira retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnicdes avelludadas.
finia branca superior em latt.
Alvaiade Vneta, fino, em pie.
Palha de carnanba.
Vende-seexeeellente plha de carnauba do Ass :
na ra da Moeda, venda defronte do trapicho do
Cunha.
,\Ta padaria da roa da Seniala Velha n. 84, ven-
de-so a bem conhecida bolaohlnha de leite fabri-
cada pelo prop-io fabricante.___________^^^^
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel coatra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito r a co-
ica francez, roa da Cruz n. 2? pre-
co U
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquosissira enfeites com Jaco e semlaco e de
outros muitos gostos a l, 1,5500 e 3*V s no Vi-
gilante, roa do Crespo n. 7.
Trance tras.
Liados traacelins de cabello para relegie ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 1oOO, ditos de
relroi a 200 rs.
Babadinhos enlrrmeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindo;
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 15200, I500, e 3-, s no Vigilante,
ra do Crespo o. 7.
Cascarrilbas.
Grande sorlimento de cascarrilbas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sorlimento de fitas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filis de la.
Pitas de lia de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espedios.
Riquissimos espelhos ctm moldura deuradaf
sem ella de 8, 103, 12 e 144, assim como com
eelumnas de differentes lamanhos a 2, 3,4, 5
e 6; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo bmelbor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arret.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de multo gosto a 1,5800 e ?, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. rada um; s no
Vigilante, ra do Crespo d. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos on vasos cora dis-
tintivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 1J, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annuncar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do. Gallo Vigilante,
roa do Crespo n. 7,
rior a 15600 rs. o covado, ditos largos muito en-
corpados a 25400, 25600, 258C0 e 3f 00. ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25C00r.s
o covado na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperan iz n. 0.
As nevas las faribaldinas a 500 rs.,
na 'oja do Pa>.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inleiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imitaco das sedinhas, ttndo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
ecor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender dopres^a : na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60 de Gama & Silva.
Oa mais mudemos vestidos lariaPia,
ua loja doPaie, a 1G$
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pa com
t os corpinhos differentes, tendo todos os preparse
< com o competente smto :*na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavao.
i aniisinlias a I $000'
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
muito bera enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato prego de de tustoes cada
urna : na loja do Pavao, ra da Imperafriz n. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
vendem-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Maria Pia,
tendo de differentes lamanbos, pelo barato preco
de 85 cada um : na loja do Pave, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Roupa feita barata.
Vende-se um grande sortimenlo de roupa feita
para homens, sendo calcas de bnm brance e de
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, colletes de todas as
qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenaple de cor a 1^600 o ce vado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato preco de 15600 o covado : na loja
do Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linho a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno do linho proprio
para lences, toalhas e ceroulas, pelo barato preco
de 700 rs. a vara : na loja do Pavao, ra da Im
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
libra.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeChateauluminide i85i, a 10
a garrafa,
dem musca te-1 a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 rs. a caada.
Marrasquinbo de Zara, frascos grandes,
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellinlia, pe\ide.
rodinha e aletria a C00 rs. a libra e a 44
a caixinhacom 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixt em latas preparado pela primeira arte
decozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-j dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por' Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
pecas e carnadas, tanto em porges como Doce de goiaba em latas o melbor possivel a
retalho- 20 e em caixo a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. Passas muito novas a 480 rs. libra.
Frascos comgomma arbica RIVAL SEM SEGUNDO ^ACHINAS UEFAUV
(LlSSOiVldd 6 1UC6 Ra do ueimadi ns. 49 e ; i* ,io n.md.! l!IrV4I
Vcndem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
Ni vos albuns.
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de niiudezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando s
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por todo preco a vista dos cobres.
Cartas de allinetes francezes da melhor quaiidade
a 80 rs.
A aguia branca acaba de receber oitra encom- Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
menoa de bonitos e bem encadernados albuns de lidade a 640 rs.
capas de velludo, niassa, tartaruga e marfim, al- Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de botoes de madreperola muito finos ao6<
e 640 ris.
Carreleis com 4 a 5 oilavas de retroz ordo tino >
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior a
25000.
Grvalas da liga e do oulras maltas qualidades
com 3 folbas fazenda boa i
Ecoomia de Pavo.
Vender para acabar, urna percao do retalhos
delaas ecassas de todas as qualidades, e por pre-
cos muito era couta; quem tem economa qne
pode apreciar: isto na leja do Pavao, rna da Im-
peratriz n. 0, de Gair& & Silva,
Madapoln a 70000, s na loja do Pavio.
Vende-se superior madapolo muito oncorpado,
tendo 20 va.ras eada pera, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo prego de 75000 a pega, ditos
muito finos a 85, 95 e 105000. E' pechincha, na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gania&
Silva.
Cortes de cassaa 30000.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 vltras cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratissinro prego de 35000 o corte; s na
loja do Pavao, ruada Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Corles de ebita franeeza.
Vendem-se flhissimos cortes de chita fran-
eeza, com 12covados, tendo, padrfles escuros e
alegres de cores fixas pelo baratissimo preco de
45000 o corte; s na loja do Pav5o roa da Impe-
ratriz n. 60 de Gama <& Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
lapada e transparente, pelo baratissimo prego de
45000 tendo 8 1/2 varas cada pega, ditas multo fi-
nas a "5, 85, e 95 a pega, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego de 75, 95 e 105, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada. fazenda pro-
pria para forroa 360 rs. a vara ou 5600 a peca ;
isto na loia doPavIo, roa da Imperatriz n. 60," de
Gama & Silva.
Cortes de Ua a 10000.
Vendem-se cortes de las jraribaldlnas, matisa-
das e de quadrinhos, tendo 12 covados cada corte
pelo baratissimo prego de 45000 o corte; isto na
loja do PavaSTfaa da impera.tri? n. 60 de Gam"&
Silva.
guns dos quaes com microscopio para augmentar
i o tamanho dos retratos, continuando a serem ven-
didos por pregos commodos : na ra do Queimado
loja da aguia bracean. 8.
Galanteras para fes tas
A aguia branca nao cessa de encommendar do
que ha de melhor e mais agradavel.e por issoaca-
ba de receber diversas figuras e vasos de p de 500 rs.
pedra com lina banha, assim como bonitos frascos Caivetes para penna
de excellentes extractos e lindas caixinnas de ma- 800 rs.
deira envernisada com finas perfumaras, tudo Duzia de botoes branco para casavequt.- de senbt-
moi proprio para presentes de festas etc., havendo ra a 100 rs.
dinheirodirija-seo prelendente a ruado Queima- Pegas de lita de cs cstreitas com 9 varas garan-
do n. 8, loja da aguia branca. tidas a 320 rs.
4 494 / J?-m/i nava rtiAATO. Expositor Portuguez para os meninos a prender
mil flHO pttra CnqOmm\ aleraSOOrs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cartilhasda doutrma christaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 15000, 15200 e 150OO.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320
500 rs.
Frascos tora superiores banhas a 240, 320, 500
15000. .
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para espartilhes muito superior,
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha bracea a 60
res.
Cartes com 200 jardas de linha branca garant-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a SCO rs.
Varas de franja branca c de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincha a
120 rs.
Tlnteirosde vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louga prateados muito uno a
160 rs. .jfl,,
Tesouras para costura superior quaiidade a sw
ris
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranga a
160 rs. fi.n
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a o
Caixas com 20 quadernos.de papel amizade, mnite
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito lino a -'
I
ra
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
beu glbulos de ail fino e frasquinhos com es-
sencia de dito para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
dos enfeites de moldes inteiramente novos e de um
apurado gosto, assim pois coroparegam os preten-
dentes munidos dedinheiroe com disposigao de
gastar: na loja da aguia branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A agola branca na ruado Queimado n. 8, rece-
ceben novamente esses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tantaestimalem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
baviara encomraendado e a quem mais queira
aproveitar aoccasio de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo preco de i& cada
um.
Estando brancos ficam pretos
O bom resultado e o rpido efieito que prodoz
a tintura de chromacoma, e mesmo o facillimo
modo de applicariera se tornado muiconhecido e
apreciada por todos sjue usam della e por conse-
grante augmentado a extragao, pelo que a aguia
branca mandouvir mais o novo sortimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromacoma para tingir os cabellos.
Frascos cora coloricoma para lustrar ditos.
Ditos com hydrocallelhricbina para limpar ditos
Ditos com oryehromantina para limpar as unhas
Sabonetes brancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphilapara dar cheiro aos di-
tos sem otTender a preparagao feita.
Sapatos de marroquim dou-
rado para bailes.
Esses sapatos do grande tom vendem-se nica-
mente na ra do Queimado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Metas finas para senhoras
gordas,
, Vendem-se na ra do Queimado Iota da aguia
tranca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
franca n. 8.
Cylindros para pada*
ria.
Na padaria da ma Direita n. 84 ha para vender
os conbecidos e acreditados cylindros americanos
para trahalho de padafia ultimamante chegados.
Vinlio da Madcira e do Torio
Vende-seo superior vinho da Madelra e do Por-
to, em caixas de urna duas dnzias : s na loja
do Vigilanle, ra do Crespo n. 7. ________
Roa da Sen/alia n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Jobnston & C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e cast-
gaes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de ura e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Albuns
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
prego qne em oulra qualquer parle: na roa do
Crespo n.'4.
tral>a!nar :i mo |>
descaro^ar aEgod
FABRICADAS
Por Plnnt Brothers & 6.
OlllAM
Estas machinas
I \ Jtflifg'.'lfcif. podem descantear
' qualquer especia
de algodao sem
estragar o rio.
sendo bas!:ri'-
duas pessoas
o trabalbo; pode
descarogar Dita
arroba de algo-
dao em earoc?
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas dn al;: t::c
limpo.
Assim como matbinas para senm movlfla; rr
animaes, que desoarogaai 18 ariolrs de a'goei
limpo, por dia.
Os mesmos tem pira vender um Lellissirr o va-
por que pode fazer mover seis dtsias nal .ras
mencionadas ; para o que convidase ros t'is.
agricultores a virem ver e examma-lo, co srtra-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Saundcrs Brolhers & C.
IV. II, pra^a do Corpo Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUDOT
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barleur
conhecido j como tal, est dispondo da fazer da
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver traga o cobre, e ver o seguale :
Baralhos de cartas para voltarete muito
Guasa......................... .. 2flt>
Miadas de linha froxa para bordar a 20
Pares de sapatos de tranga de todos os
lamanhos e finos a....... ........... 15300
Ra da Seozalla Nova i. 42. .
Neste estabelecimento vendem-se: tachas t
ferro coado libra a 410 rs., idemde Lo*
Voor libra al20rs._________________
Farelo superior de Lisboa a 55 o sarco.
Tena para vender Antonio Luiz de Oliveir Aze
vedo & C. n,o seo escriptorio rna da Cruz ni.
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara prea muito superior a...
Frascos de superior macag oleo a-----
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs.e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.......... ...................
Ditos de banha muito Gna a............
Ditos de cheiros muio finos para o prego
a ris..............;..............
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha cera 400 jardas a-------
Carritis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a .............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito.superiores e bonitas
a ris.............................
Varas de biros francezes. superiores a...
Opiata para dentes da melbor qne ha 8...
Frascos de aguo para dentes, superior a
tudo a.............................
Pegas de tranca preta i?.a muim fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de laa sortida de lodas as cores a
Bonecos de choro mullo bonitos a......
Caixas de ohreias de roa ssamnto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a............ .........
Frascos de oleo Pnilocomescui e:; ir....
Ditos com superior tinta a320 e........
Caixas de linha de gaz rom 50 novellos a
Enfiadores para espartilho ........
Duzias de riotSes encariaoos para vesti-
os a.......... .....................
30
500
100
If
200
500
un
640
600
80
60
3P
!i?
20F
40f

15000
MCOO
60
uo
40
65S0P
160
40
P
600
500
800
200




DM,1. < Per-... ***. I.lr, M J. .ir. < *
AURORA BRILHARTE
GRANDES ARNAZEN8
DE
MOLHADOS
iR Largo da Santa
jCraz ds. lie 84,
[esquina da ra do
iCebo.
VIMIOS
i ESPECULES
Largo da Santa
Cruz ns. 12 e 84, j
esquina da rea doj
Cebo.
O dono dos j multo acreditados arm'azens de molhados denominados Aurora
Brillante, acaba de receber de sua propria encomraenda, maitos gneros delicados
proerios da presente esucao, e tendo grande sortimento comprado aqui.aflanca que todos
es seus gneros sao de 1 qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores.
Nenhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do qne a Aurora
Brilaaute, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por sea dono se ackar encom-
modado em sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outre na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para se comprar
barato.
Latas com 8 libras de chouricas muito novas,
a 73c)0.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de \i qualidades, a 1>000, fiiSO e
1i00.
Ditas com ostras, escolente petisco para fre-
gideira, a 7i0 rs.
Bitas com ervilhas novas, ensopadas, a
7t) rs.
Ditas com tavas, a 640 rs.
Ditas com ameixas a i00. t800 o 30300.
Ditas com marmelada do afamado fabrican-
cante Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas cem figos de comadre, novos, a 1500,
e -i&oOO.
Ditasi-om bolacbinhade soda muito novas, a
23000.
Ditas com biseoitiohos inglezes de muitas
qualidades, a i5400.
Chocolate.
Chocolate superior muito novo, a libra a
:-3200.
Mi urlo telharim e alelria araarella.a libra
a 480 rs.
Orto dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide e outras raas-
sas, a caixa 30500.
Ditas ditaem libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
Ervtlhas sebeas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 300 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinlia de aratuta verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranhao, em sacca a arroba a
2g'i00 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
libra f 100 rs.
Toucinho de Lisboa, a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Di(o de Santos, a arroba 75000 e a libra a
2G0 rs.
Molaos com 125 sedlas grandes, a 15280.
MosMrda (rauceza caixa com 2 duzas a
85000.
Frascos com mostarda preparada em vina-
gre, a 100 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas,
aGiOoSOOrs.
Ditos com sal refinado Tino, a 640 e a 500
ris.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Ilollanda verdadeira,
15000.
Ditos de 1 garrafa de Ilollanda verdadeira,
a CO rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 gal5es com dita, a 65000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65000.
Vinho mascatel de tetuba, a garrafa a
15000.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
e a 15200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixa de vinho Bordeanx muito superior, a
75,83, 93 e 105 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 203- A A .
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
185000.
Ditas com chamisco superior, a 1*5000.
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12*000.
Tinho do Porto da pipa, a garrafa a oiu,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
33200, 35500 e 43000, e a garrafa a 500
e 560 rs. _.
Dito da Figueira. das seguintes marca, (V)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
43500 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas. a cana-
da a 33500 e 45000 e a garrafa a 480 e
! 520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3*500 e a garrafa a 480 rs.
Gemina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommax, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a Hora a 200, 240 e 180 rs.
Cariaba.
Saccas grandes com farinha deGoianna mui-
to nova, a 5*000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Cha.
Cha temos nestes gneros o melhor possrvel,
hvsson, a libra a 23600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 2*700,
Dito hvsson muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*500.
Dito mais baixo a 2*000 e 1*000.
Erva mate.
Excellcnte cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O masso rom 6 vellas do espermacete a 600,
610 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
pria s para mimos a 4* e 25500.
Neies.
Notos, a hbra 160 rs e arroba a 4*000.
Alpista e painro.
Alpista e painco.a arroba4*000 ea libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jo^ar, a duzia a 2*500.
C asan has.
Castanhas novas viadas ueste vapor, a arro-
ba 4*000 e a libra 200 rs.
Azeitonas.
Barns com azeitonas novas a 1*500
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 1*000.
Dita maisabaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova,a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
660 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos viudos neste vapor a 3*200 e
3*500.
Ditos londrinos muilo novos, a libra a
1*000
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800
Dito dito lizo de linho, a resma a 4*500
Dito de peso lizo e paulado, a resma a
2*500
Dito de embrulho bom a 1* e 1*200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 1*500 e 2*.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amecdoas.
Amendoas com casca,a libra a 320 rs.
Doee.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de (impar.
Tijalos de arear facas a 140 rs.
Grasa.
Duzias de boi5es de grata n. 97 a 2*600, e
de latas a 1*000, e os boioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caitas e meias
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes J
a estes estabelecimentos, qne deixam de an-
nnneiar-se.
A 4 8 0 CORTE
Pechinclia sem iguL
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo prego de k% o corte: na loja das
columnasra do Crespn, id, de Antonio Cor-
reia de Vasconcellos C.
Vende-se urna das mais rifas arao5#s para
loja. toda de amarello, propria para negocio de
molhados, mas que com ama peqoeoa alteracao
serve para lazendas ; vende-se por menos da me-
tade de sen casto : no armazem da roa da Ladea
numero 1.
P0T4SS4
NEM CORO AS NEM MITRAS
0 MDAI
. ,t GRAIUE A*MAKBM
.::-::::-
RA DO IMPERADOR N. IO
Juto m irado em qne mora Sr. Osborae,
Duartfe Almeida t C, receberan de ana propria eneomnen-
da o mais Hade e variado sortimento de molhados, proprlos
da p regente estacSo.
Manteiga ingleza Ma$as brancas
da safra nova viada no ultimo vapor a 1,000'para sopa a melhor que se pode desejar, '
rs. a libra eem barril a 800 rs.
Maotelga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confortadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
25400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs^cada am.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1*300.
Chocolates
de todas as qualidades a I 0000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melbores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamencos
ebegados neste altimo vapor a 206oo.
lucijos
ebegados do ultimo vapor a 20000 cada um.
tueijo .
londrio 0 mais fresco que se pode esperar
de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a- 900 rs, a retalho.
Conseryas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ric.imente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n3o pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysso
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e afetria a
480rs. alibra.
COGV4C
o muito afamado cof?nacPal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
('OPON
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 000 rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 is.a libra.
Fumo
o verdadeiro fumu americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista o tain^o
o mais novo do mercado a 1 io rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
moito novas a 10000 o cento na ra do Que!-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BIC0
muito novo a 30400 a arroba e 140rs. a li-
macarrlo, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueir J A A e outras muitas marcas acre- 7
Litadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de oulras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. lagrimas do Douro e outros mu i los.
Latas
com 10 libras de hanaa a 40000.
Bolachinha mgleza
a 10800 a barrica damesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* .4 bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinnas a 10500.
Arroz
do Maranh5o a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
com 4 V garrafas com vinagre a 10000 tan
ogarrafao. #
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueras de Ilollanda a 50800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verfladeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2|>rs. cada caixinha.
LICORES
finos pe todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a 1,000 a garrafa.
Marmelada
dos raVlhores fabricantes de Lisboa, como se-
Abreu e outros muitos a 600 rs. a
ROPA FEITA
NO
ARHAZES
LSTREXXO VBRBX.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de ronpa feita de
todas ai qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melbores professores, aaaMMmw tambem tem um
grande e variado sortimento de lazendas de todas u mmmihuv para tmboras,
homens e meninos.
Ditos de setim preto. .
300000
250000
Casacas de panno preto, 350 e
Sobrecasacas idem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200,150 e......100000
Ditos de casemira, 260, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60,50 e 40000 J
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....50000
Calcas de casemira preta, 120,
M, 80e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40e........
70000
70000
40000
40000
20500
20500
70000
40000
30500
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Dito de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fasto e brim bran-
co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linho,
2|400 e ......
Ditas de algodo, 10600 e. .
Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......
Ditas de madapolao, 20500,
20e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
Ditos defltro, 50,40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
H Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grva-
las.
Toalhas parroste, duzia, 110,
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores..... 40000
Lences de bramante de linho. 30000
Cobertas de chita chineza.. 20500
20500
20000
10400
20500
10600
80500
20000
60000
#
60000
s
DE
DE
J. VIGNES.
M. 55. RA DO IMPERADOR IV. 5.
Os pianos desta amiga fabrica sao boje as.saz cuuhecidos para que seja aecossario insistir sobre c
sna superiordade, varita gen s e garantas quo offereceaa aoa compradores, qualidades estas ineooteeta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem pperecido nesia praca ; odo-
snindo um teclado e machinismo que obedecer todas as vuiitades e caprichos das pianistas, sem-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente rnelhoramentos importan-
tissimo* para o clima deste paiz; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto moito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eneommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de i. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiedes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmonioos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
preces commodos e razoaveis.
jan\
lib
o verjdadeirq prezunto de Lamego a 52o rs.
al
a 1
a.
Pregunto
bra.
Vende-se -potas' 8ro barris a commedo preco o
a ra da Cruz n. 3, prlmeiro andir, serlplori:
de Antoato de Almeida Gomes.
ARROZ
Maranhao, Java e Iridia, a loo rs. a libra e
3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
bra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Ratatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito nayas
em qdartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400 rs. a libra,
Chocolate
portugjuez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frats em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em panjeiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
robaie 140 rs. alibra na ra do Qoei-
madon. 7, ruadolmperadorn. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
bra na ra doQueimrdo n. 7, ra do- em latas de defferentes qualidades a 1^200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ru? do
Queimadon. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
.
a lata>
chegada
doQ
40 e
QUEIJOS FLAMENGOS
sneste ultimo vapor a 20800 na roa
leimado n. 7, ra do Imperador n.
argo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaran aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lagares:
0 Verdadeiro Principal rna do Imperador n. 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 405JX): na ra do Imperador n. 40.
NOVIDADES.
Queijos do Alentejo, ditos das ilhas o mais fresco que so pode dese-
jar a 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
redondas enfeitadas, proprias p>ra mimo da testa pelo barato preco de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprfes para mimo de 800 10500
cada urna. Vende-se nicamente no armazem yerdadeiro principal, ra do
Imperador n. 4.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marcaRainha de Portngala 18*000
a caixa, e marca Pedro Va 16*; em porco
far-se-ha om abate razoavel : no armazem de Fer-
relra & Matheus, junto ao arco da Conceicao n.
66. No mesmo armazem ha tambem excellente
vinho do Porto em ancoretas de 32 garrafas a 30*
cada urna, e em porcSo por menos alguma cousa
GAZ GAZ GAZ
"Vende-se gaz da melhor qualidade a
1L0 a lata : nos arnuieas da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. '8
Bixas de Hmburgo
Vendentse na roa Nova n. 61,
uptritr cal de Lisboa.
Vende-se superior cal ii JsfcV* a mais nova
aue ba no-faarcado, Unto era porcao como a reta-
mo oor barato psji, afiansando-se aos compra-
dore* Bperior qualidade: a tratar as segmites
ruis Crespo n. 7, Imperador n. 18, Porte do Ma-
tos, armaiem do Sr. Avilla, defrote o trapiche.
algodo
CONSULTORIO MEMG0-C1RLRG1G0
DO
BB. PEBBO BE ATTAHYBE LOBO MOSCOSO,
MEBICO, PARTE1RO E OPERADOR.
3 Eua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manbaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepgo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. .. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de60 tubos grandes. .' 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que s fizer, e com os reanii
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10OO.
Sendo para cima de 12, custarao os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LI VRO.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes voluntes com diccionario............. 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina . ." 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeas, a mais exacta e aecurada preparacao, e portante a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medicav
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo coaceito se nlo
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
" Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacSes serSo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitaraos pregot
azoaveis que costuma pedir o annunciante. ___________.
AGENCIi.
>
Vendem-se charutos da Bahia de varias qua-
lidades : era casa de Monhard & C, ra do Tra-
mmwuMmm mmm mmmmm
i Fabrica umceic&o da
Bahia. E
Andrade Reg, recebem constante- ^
m mente e tem venda no sen armazem n.
me 34 da ra do Imperador, algodo d'aqael-
2 la fabrica, proprio para saceos de assu-
V car, embalar algodio empluma etc., etc.,
>mc pelo preco mais razoavel.
Viaha do Porta siperitr
em barris de oitavo e dcimo, vende Antonio"Lola
de Olivelra Atevedo & C.: no sen ejerlptorto roa
da Croi n. \
AGENCIA L0W-M00B.
Roa da Seualla bot n. 42.
Neste estabelecimento continua a haver
am completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos oa
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar ronpa: em casa de S. P. Johnston & C,
roa da Senzata Nova n. 42.
Vende-se machina para descarocar algodio
com motores para animaes : na ra da Seuala
Nova n. 41.
MGICAS.
Na ra da Imperairli a. 93 acha-se venda um
pequeo gabinete completo de physica, ou instru-
mentos para msicas, que pode servir para algum
curioso dar repreeeniacdes pelos arrakaldes, pois
compoe-se de multas e variadas sortos.
_________________________________
- '
Feijo.
Vendem se saceos com 21 cnias do fejlo rajado
do Porto por 11*, em cuta a 8M : na roa Birei-
tan.8.

.



'




\
I
I
BJbyrlft e FcmintaM Ver^a felra 4 de Janeiro de ts&.
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASI
Chegara ee moderaos vestidos de dentella de seda com barra, inteiramenu novos
em gosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo 13, de Antonio Correia
de Vascoucellos Je C, successores da Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de senhora
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorgnrao e de selim imperial.
Ditos de blond, e de cambria branea bordados.
Ditos de lia con barra e grande variedade em cores e padrees.
Ditos de organdys com barra
Liadas sedas de quadros escoeseza miudas.
Superiores laas lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpicos, com flores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda mteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias ergandys.
Grande variedade de chita de cores, de percaiia e ontras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de lia e de seda.
Grande variedade de soul'embarques de seda de 185 a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados finos, de cachimira com listras de-
seda e de fil preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, colleles de cambraia, lindas gol-
hnhas com punhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhera e menino
Superiores chapeos e ehapellinas do palha, de Italia eneitades para senhora.
Ditos da feltro enfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, do froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
os & C.
i i:itAI. RECOJIJIEXDA^iO
AO PUBLICO
Seat Menor cenrtran-
glmento se entregar o
importe do genero que
nio agradar.
ATTENCO
a nreeea da seguate
tabella para todoa, po-
dendo assim servir de na
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
PASTIUMS
VERMFUGAS
ARMAZEM CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
ARMAZEM
BIJA DA CAUEIA DO RECIFE W. 53.
(Logo passando o arce da Coneeieo)
Grande redneeSo de precos, equivalente a dea por cento menos do que outro qnalqner
annnnelante.
Collegas.NIoposso por mais tempo sustentar o prego damanteiga ngleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
muitos objeetos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabaren! por bora preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta toz, que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu offenido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo i
systbema que vim encontrar, de s se Tender com um por cent a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo met bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a n5o ser o de i.,4oe a l,6oo rs. a libra Hoje porem, resentidos da reduccSo a que
esto obligados, encarando todos os dias de seus frjeguezes reclamado de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado (Jaste novo estabelecimenlo. para lhe vender gneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
to smente obter a concorrencia de seus fregoejtes.
Para bem de todos.
Senhores e Senboras o aceio que presidik aos arranjos deste novo estabelecimenlo, e mais que ludo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita as mesmo, certos de que sem duvida me darlo a proteccao e preferencia na compra1
dos gneros que precisarem, e quando nao poeam jir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois
sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendafao, afim de que nao yfa em oulra par te
DE KEMP
!
Joaquim Simio des Santos, dono deste bem sortido armazem de melbados faz selente erag
recommendacao aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que est resolvido a vender os seus
bem conhecidos gneros de primeira qualidade,por menos de 10 a 20 por cento, menos do qne em ou-
tra qnalqner parte a dinheiro contado.e todo o comprador que comprar de 05 a 11)05 lera o descon-
t de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; e por isso se faz annnncio de Iguns gneros,
para com este melhor se certiflearem.
Massas para sopa macarro, talharim e aletria a
210 rs. a libra e em caixa a 55-
Toucinho de Lisboa alvo muito superior a 280 rs,
a libra e 8*800 a arroba.
gaf doRio de primeira e segundasorte a 260,280]
o 300 rs. a libra e a arroba on sacco a 8$ e
8*500.
Chouricas as mais novas do meroado a 360 rs. a
libra e em barril a 12*.
Passas rindas pel ultimo vapor a 400 rs. a libra
o a eaixa a 8*.
Batatas era pisos de 33a M libras por 2*400 a ar.
roba e a 80 rs. a libra.
Cha hvson miudinho superior qualidade a 1*200,
2*000, 2*500 e 3? a libra.
Vinho de Pigaeira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
300, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2*400 e 2*700. -
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4*400 e 49200.
Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 2* a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
io a 2*800 e a caada a 4*500.
Ser veja das marcas mais acreditadas a 500 rs. ai
garrafa e a duzia a 5*800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
era barril ou caixa se far abatimento.
arroz do Maranhio e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 2*800, 2*e 2*400.
Assim como ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas,choco-
late, mar melada, vinho engarrafado e outros mui-
tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al-
guem duvidar venha ver.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Chhysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
' dem buxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,600 rs.
dem preto hornepalhicoporser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem bysson, huxim e perola mais proprio
rs. em barricasde i duzias se faz abat-'
ment.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,3oo; ditas doce em latas com o mes"
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7,8 mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
e 8.fioo rs. a arroba,
dem avado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,00o rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e ",80o a 8,000 rs. a
arriba.
Arroz do Maranh2o a loo rs. a libra.- e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito a!vo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,000 rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
para negocio o l,6oo, ,8oo e 2,ooo rs. a Paincc e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
libra, garante-se ser muito regular, igual) rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
ao que se vende em oulra parte por 2,4oo
e2,6eo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5o rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barrs.
Chouricas e paios em barrs de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,800 e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oors. edo vapor
passado a i<5oo e l,8oo rs.
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletri, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem > talherim branco a 32o rs. a libra,
estas raassas tornam-se recomendaveis as
pe&ioas doentes por serem propriamente
feitas para esse fim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25
JOS GOMES TILLAR
Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendeodo ir muito breve a Europa tratar de sua saude, pede aos seus devedores
tanto do mato como desta praga que saldem seus dbitos quanto antes, assim como
Est liquidando
o seu importante estabelecimento de fazenda?, vendendo tudo por precos que na realida-
de admiram; aproveitem Excellentissiroas senhoras
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos \
As fazendas de apurados gostos
E por preco? qae admiram
E por precos que admiram.
F. J. Germann, a ra Nova n. 21.
Acaba de receber um magnifico e completo sortimento dos objeetos que de melhor qualidade se n
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chronometros maritimos e de algibeira, relogios de ouro
e prata, dourados e follados, ditos para mesa e de parede, rrancezes, suissos, allemaes e americano?
reguladores de compensago, relogios grandes com msica e sem ella, dito de sol montados com ecas
para disparar em certas horas, despertadores de diversos tamanhos, caixas com msicas igual sorti-
mento de ocnlos e lunetas de ouro e prata dourada e tartaruga, bfalo, ac, e varios met'aes oculos o
lonetas especiaes para senhoras, de ultimo costo, ditos proprios para os que .offrem de inflammacoes
nos olhos, labricados segundo os preceitos dos mais acreditados mdicos da Europa e igualmente os de
Pernambuco, os quaes s se vendem por consulta dos mdicos, vidros de cryslal branco e de cores
oculos de alcance para o mar e outros proprios para observacoes astronmicas, oitantes e sextantes'
binculos para theatro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetro* ter'
mometros, caixas de instrumentos mathematicos, correntes e chaves, sinetes e trancelins de ouro dou
rados e Meadas, tudo dos melhores fabricantes. Eocarregase de qualquer concert e encommend'a do^
objeetos mencionados, e responsabilisa-se durante um anno por qualquer relogio vendido ou concert
eito, era seu estabelecimento; e veade por menos que pode fazer outro qualquer.
Cassas para vestidos.
Tal pechincha s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudinhas, de qnadros, lisas, ede ramagens, com grande
variedade de padroes, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo baralissimo preco de
JOO rs. o covado : na loja das columnas da ra do Crespo a. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos
& UOBip.
dem londrinos os mais superiores qae tem Vinho
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
I.ooo e i,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambemtem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e 3,000 rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooe e 8,oeo rs. a caixa, garnte-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1.000 rs. o irasco, e
i l,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a loo
Versos ao Divino
Achara-se a venda na ra do Imperador n. 15
defronte de 8. Francisco por preco de 160 rs. ca-
da um exemplar era brochura, versos ao Divino,
proprios para se cantarem depois ou antes de
qualquer solemnidad?, festa, novena eu mesmo
em casas particulares.
Testamentos.
Acham se a venda os seguintes testamentos,
obras proprias para entreter em horas vagas na
ra do Imperador n. 15, defrente de S. Francisco :
da gallinha, gallo, per, leao, onca, tigre, caxorro,
vigario, porco, pelleja entre urna alma, S. Miguel
e o diabo a IfiQrs.eada um exemplar.
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
de Caoba, a tratar com Tasso Irmaos.
Tapioca e gomnia.
Vende-se superior tapioca e gomma do Mara-
nbo, em paneiros : naEscadinha, armazem doSr.
Annes. ______
Prestalas.
Vendem-se presuntos de earnetro mallo gordos
e bem preparados : na roa da Cruz n. 19._______
Vende-se um sobrado de um andar, citaos
"proprios, sendo no largo do Terco : qoem pretn-
delo dirija-se a travessa da Madre de Dos n. 7
Vende-se nm boi bastante gordo enovo para
carroca, assim como um canoa aberta bem cons-
frnida com pone uto : a tratar na ra da Con-
cordia n. 4, das qnatro horas s seis da tarde. .
COMPENDIO DOLOROSO
que coatm o officio de Nossa Senbora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
re a, m setenario e mais outros elogi-
os de piedade e devocao; ordenado pe-
la irmandade dos servos da mesma Se-
nhora que se acha erecta na egreja de N.
S. da Penha do imperial hospicio dos re-
verendos padres missionaros apostlicos
capuchinhos italianos de Pernambuco,
approvado por S. M. I., que Deusguarde;
dado luz por devoro do muito reve-
rendo padre Fr. Placido deMhsina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Gaz liquido, candieiros e seus
pertenees.
No deposito do mesmo, na ra da Cruz n. 35,
vende-se gaz o mais apurado, (m latas de 5, 2 e
1 galio, assim como em garrafas j tem tamhem
venda candieiros para o dito de diversas qualida-
des, e pertenees para os mesmos, avnlso?, das mais
pequeas s maiores dimens5es, tudo por precos
eommodos.
libras a 52o rs.
do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas bom 9 caadas por 43,000 rs.
Vinhodepipa-Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5eo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
-dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,000 e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinhcl do Porto das melhores marcas, que
veip ao mercado como sejam Lagrimas do
Doro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. ILuz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
loiooo rs. ea 9oo e i,ooo'a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a i,3oo rs.
Bolcj francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas mito novas de carnada a 4oo rs. a
>ra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Fig^s de comadre a 24o rs. a libra e
,80o rs. a caixa com 8 libras.
AnJendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolchinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por t,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5eo, e I,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. q fraseo e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a I6o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolh do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza era potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a i.ooors. e 14,000 a duzia-
Palitos para denles a 14o e 160 rs. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahia e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,ooo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,000; dito em caixoes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. 'em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa. ___
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas sol tas a I,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por i ,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
NOTA YORK.
1
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efJDcazes do que todos
os mais remedios perigosos e nauseabundos
I que existem para a expulsiio das iombrigas.
Nao causam dores e produzem seu effeito,
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e to incitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as craancas esfo
promptas a tomar mais do que marca a 1 e-
ceita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrueces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algum. as -
PAST1L11AS VERMFUGAS DE KEMPS SO piOUty-
tas e infalliveis na sua operagao e por todos
os respeitos dignas de confianga e upprova-
g5o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & Keuip.
Nova York.
Vendem-se no Recife em casa de Caors A
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
O
Vende-se dous fiteiros envidracados, umacar-
ietra para escriptas e deK eaxilbos para janellas :
a tratarla ra do Livramento n. 38, t andar.
Vende-se nma taberna multo afreguezada
para a ierra e matto, com poneos fondos, e a casa
tem proporcoes para moradia na fregoezia de
Santo Antonio; a tratar na ra das Cruzes
n. 48._____________________
Vende-se um moieqne de 14 anuos : na ra
de Horta* n. i, primeiro andar.
Eeijfto.
9- Roa 4a Madre de Deos-9
Vende-se fejao mulatinho novo, saceos de 22
cuias, o mais novo que se pode desejar, e mais
barato do que em ontra qualquer parte.
Vende-se nma burra grande, muito boa d
sella, propria para carro ou eabriolet : na ra do
Jasroim p. U.
Vendem-se alguldares vldrados e quartinhae
em porcao e a retalho por preco muito barato s
na ra da Senzala Velha n. 120.
Armaiem d molhado
SI-RA. DO IMPERDOR-Sl
Segunda casa do lado direitof indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfaejo ds avisar aos seus freguezes ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus lincommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou ter das melhores qualidades, e francamente afliangas pessoas que
se dignarem comprar em seuestabelecimentolque all de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e pregos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresque p qaeiram honrar como seu comitente lhes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praga, para o quesejulga convenio itemente habilitado pela longa pratica com-
mercial que tem exercido, sendo seus portadtores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente umprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores^ negociantesque lhe meregam confianga, fa-
zendo um abate vantajoso aos quepagarem la vista suas mercadorias, e enearrega-se da
venda de qualquer genero do paz, medante urna mdica commissao, entregando de
prompto seu producto, e sendo este appIicdo compra de gneros ea seu armazem,
prescindir da commisso.
Dos seus antigos e benignos freguezes esf era o annunciante sua valiosa proteegao, fre-
qaentandocomooutr'orasTja casa, e pelo re Ibnhecimento que lhes tributa offerece expon-
tneamente seus servigos.
Julga desaecesario publicar a tabella do 1 precos de seus gneros: sao seus recursos
garanta sufficiente de poder accempanhar os menores pregos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estabelecimenlo?, tendo so mente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Prevenga neeessarla.
Tendo sido o proprietario estabelecdoj muitos annos com o mesmo ramo de nefo-
cio ni mesma ra, julga prudente advertir que s afirma e se responsabilisa pete que
tem declarado no qae dsser respeito ao airmarzem.
o mm wmmv
81 -RA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado dirito indo do pateo do Collegio,
2p"";cooi *-i "o o
f-oS.S
1
< .63 C TJ g-'O -
\P a o cu o
o c
o
g-S^TJ
9
o
o sr 2 ET.
. S.PD 6 d '" 2.Sj g.
So?lft2S"pS'f!n0
H2
&>
O
c--
2.
e
B cl sr -
o M o 9
Soc2'
ca K
5
.a>
rs
CIO
su
2
w
Q> a> 3 _
a> SS
"
R:q
&
o w < a
d o
-i
O
-a g
so -i
S1
3B
O o.
-'
g
Di
O
O
3
w
B"
cr
09
Has.
o o -
3
i
I
"8
e
nV
e
s
e
s
Agua Florida,
Para restabelecer e conservar a cor natura)
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintara, fcto essen-
eial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plastas exticas e
de substancias inoensivas, ella tea a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salobridade incontesta-
vel, a Agna Florida entretem a limpera da cabe ea
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida,
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constitne poderesam?rt, com a Agna Florida, a
forja, a belleza e a eonserrtcao des caba'.^.
Em Pars, casa de Qwslanr 1. il, roa de Hiobe-
lien, e Si, bonlevard MontmarTf.
Todos os frascos, nao tende intacto e claro, e
timbre prateafe da easa, tae reevudee falsas.
Deposito, ra do Imperador, pharmacia b. 38.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos & Coiho
Ra do Qneimndo n. 19.
Vende-se o segninte:
Lences de panno de liuho
pelo baratissimo preco de 24O0.
Lenges de bramante de linlio
de nm s panno a 35500.
Coberta de chita da India.
pelo baratissimo preco de 250.
Lencos d cambraia brancos
proprios para algibeira, a If a duzia.
Pegas de brelanha de rolo com 10 varas
propria para saia, a 4.
Pegas de cambraia de forro, a 2-5600.
Esleir da India
propria para forrar salas, de 4, 5 r- 6 palmos de lar-
gura, por menos preco do que em oulra qualquer
parte.
Toalhas alcochoadas para maos
a !>& a duzia.
Laazinhas carmezim miudinhas
proprias para vestido de menina, a 600 res o co-
vado. "
Laazinhas de cores Dnas
do melhor gosto que ha no mercado, a 360 ris o
covado, neste armazem de fazendas se encontrara
nm pranile soriimr-nto de ronpa frita e por medid*
LiTros baratos.
Vende-se pelo rusto da Europa as segnntes
obras : Demolombe, cours du code Napolen '.l.<
volumes, encadernado em conro 705, TroploDg (>
vois. ene. em gr. 8 fr. 48#, diccionnaire de la con-
versation ou repertoire de toutes les connaissances
necessaires dans la vie soeale, et relalives aux
sciences aux letres et aux arts, l'liistoire, Geo-
grapbie, Droit, etc., 26 vols. ene. com grav "ifi.
Barn de Locr, legislation civile, n>mmerciale t
criminelle de la france ou commenlaire de rinq
codes franjis, vol. ene. SOJl, Rogron les codes
frangais expliques 2 gr. b 4i 185, Pardcssus
droit commercial 4 vol. ene. 125, Lp Jnif Errant
3 vols, 105, e onlro muitos livros, qne enfado-
nho mencionar : na ra da lmperalriz n. 53.
Vende-se urna parte da propriedade denomi-
nada Serra da Cochoeira, sita na freguezia de ta-
qnaritinga, comarca de Limoeiro, cuja parte ao
sul da mesma propriedado, cem toda a exteircSo
da mesma, do nascente ao poente, a qual parte
divide pelo sul com os possos do Cachoeira e Cou-
tendas, coraprehendendo Capoeira, de Estevaoda
Cruz e Salvador ; terreno frtil de produccao ce
toda a qualidade de legumes, com especialidade
para cultura de algodao e criar gado : a tratar na
villa de Pao d'Alho com Joao Anastacio Camello
Pessoa, e nesta cidade do Recife com o apttao
DelOm Lins Cavalcanti Pessoa em seu sitio no?
Remedios.______________________________
Attencao.
Existe urna carta vinda da Serra do Martins. no
Campo Verde, ra do Socego, em um portao en-
costado a casa n. 20 de Joviniano Xavier de Su-
za para o Sr. Dr. Francisco Luiz Correia de An-
drade._________________________^____
Vende-se 75 jardas de oliadomalisado pro-
prio para forre de sala, na roa do Queimado n.Jii
Assucar mslalisado da fabrica
2 de Julho
Na Bahia.
Noa/mazerx da rnada Madre de Dos n. 28,
ha venda o mallo superior assucar crystalisadt,
em saceos e 2 arrobas, ac preco de 55 cada ar-
r>b.
ESCBAVOS FTOIDOS,
D-se 505 de gratiGcacao a quem agarrar o
cabra Caetano, que contina a estar fgido e acui-
tado nesta praga, pois j tem sido visto por diffe-
rentes pessoas e por diversas vezes.o qual de es-
tatura mediana, cabellos crespos e j pintados,
nariz grandee arrebitado, espadado, peina.- linas
e um pouco tortas, ps apalbelados, faltando-Ihc
algumas nnbas, andar nm pouco corcovado, e.-ta
com o rosto nm pouco plido e enxado, pode ier
de idade 25 a 30 annos, bastante ladino e vellia-
co. presnme-se qne esteja engajado em alguma
coebeira ou sitio a pretexte de pagar semana, pois
uao ba quem o cochee por forro : sa ra nova
de Santa Rita n. 7 aos Srs. Siqueiras & Santos ou
no engenho Para, se dar a mesma gratificara^ a
qnem alli o entregar.______________________
No da 9 de dezembro de 1864 Inpio de asa
deseasenhore escravo Herculano, pardo escure,
com 35 annos, alto, cabellos carapiobos, olbos e
orelbas pequeas, tem apenas bigode e pera, per-
itas e andar de quebra-mangoe, tendo o p esquer-
do torto e sahido para fura como pata de sen, e
or isso pxa alguma consa pela perna quando
anda, levou vestido caiga branca remendada e ca-
misa branca, levando chapeo da palha, condinrio
igualmente toda roupa que possue, supp8e-se an-
dar aqni mesmo pela cidade: qnem o pegar leve-e
a ra DireUa n. 54, qne ser generosamente re-
compensado._______ i
Auscntu-se ora 29 de dezembro passado do
eugenbo Utinga de cima, ne Cabo, a moDitinha
Jonna, de 14 annos provaveis, comprada a 26 dias.
ne Recife, a Jos Firmino de Medeiros por procu-
raco de sua a Jsepha Mara dosPrazeres, Do-
radores ambos no Brejo da Madre de Dos, tea os
signaes seguintes: cor alvacenta, manchas no
rosto, cabello carapinho e rnco, com urna cicatriz
a test, eorpo regnlar, eom todos os dentes. &w
peitos, as pernas Anas, vestigios antigos de chicote
no carpo, padece de bebas as artes oceultas, a
falla as vezes viciosa : roga-se s autoridades a
sua captara, e a qnalqner particular, podendo ser
remettido para o referida eBgenho, oa a Jeao Jes*
de Carvalbe Menea Filho, ra de Qoetoado n. #3,
que serie gratificado?.



8
Diario de Fersambiico
fefm 14 de Janeiro de i SUS.
LlTTEEATffRA.
As costas do Brasil.
Sob o titulo cima Les costes tlu brsil, temos
vola uin grosso volumej'n folio, dando descripgo
o inslruccoos nuticas para navegar-so na costa di
Urasil comprehuulida entre a Bahia de Tolos os
.'. mos e o Rio de Janeiro, publicado recentemesto
Pars pelo capillo de fragata Ernesto Mouchez,
.malandante da canhoireira D' Enlrecastaux o ac-
tualmente da La Molte Piquet, empregada em tra-
balhos hydrographcos na costa do sul, dos quaes
est o predto oficial incumbido pelo seu go
verso.
Fazendo desde j o merecido elogio pela perfec.
libilidade dos bellos planos hydrographicos da-
ijuella costa e do roteiro que os acompanha, dos
quaes todos j flzemos acquisigo, mandando bus-
ca-Ios Europa, somos todava forjado, bem a nos-
o pezar, a vir imprensa protestar, nao dizemos
ja coolra a offensa feila pelo distincto commandan-(
te Moochez aos ofliciaes da marinha brasileira, po-
rm sm coutra a notavcl injuslica com que, no
prefacio daquelle seu bello livre, em o qoal diz
- mo hater encontrado trabalho algum capaz de Ihe
merecer attenrao, se exprime do modo seguinte no
tina] da pag. 8 :t Quanto parle puramente
nutica, exceprao do Piloto do Brasil (Roteiro
de Roussin), que nao tinha alm disso quasi nada
a me fornecer, cu nao achei em parte alguma ne-
tihum trabalho completo que merecesse ser consul-
tado, principalmente para esta segunda secgo da
H ihia ao Rio de Janeiro, que anda era quasi com-
pletamente deseoHhecida em seus detalhes. Os
portos do Morro deS. Paulo, de Camama, de Santa
Cruz ou Cabial, dos Abrolhos, de Caraiellas, etc.
ele, nao linbam anda sido descriptos, nem levan-
ta Jos por pessoa alguma. Eu nao tive, pois, a me
soccorrer seno das minhas notas.
Nao podemos, portanlo, detxarpassar puridade
urna tal censura, que lem tanto de acrimoniosa
quanto de infundada ; e lastimamos sq que, no,
caso vertente, seja um trabalho nosso que tenha-
mos de antepor agora aquella sua injusta censura -
ljis que, se fura de outrem, mais contente toma-
ramos parte neste certamen litterario e profissio-
nal; porm, embora mande a modestia calarmoi
ios, manda tambem a justiga que se nao dexe fa.
eer impunemente taraanha offensa, visto como
insiamente da cosu que s. S. tinha de levantar
que havia o nico trabalho sebre ella irapresso at
por ordem do governo brasileiro.
Para mostrar desde j a sem razo daquella cen"
suri, compre dizer que, na poca em que o Sr.
Mouchez encelara os sens trabalhos (1862). j es-
lava publicado em 1860, na typographia nacional,
e por ordt-m do ministro da marinha, o finado con-
ielheiro Paes Brrelo, o Roteiro da costa do Brasil,
oomprehendida entre a Baha de Todos os Santos e
. a capitana do Espirito-Santo, organlsado pelo Io
tinento da armada Collatno Marques de souza, ro-
teiro esse que moreeeu do conselho naval a con-
sulta n. 288, abaixo transcripta :
t O conselho naval consultado, por aviso de 3
do julho de 1860, sobre um roteiro organisado pelo
1 lente Collatno Marques de Souza, da parte da
costa do imperio comprehondida entre a Baha de
fjdos os Santos e os Abrolhos, que lcam j na
provincia do Espirito-Santo.
O quartel-general da marinha informa que
este trabalho nao pode ser tirado dos roteiros exis-
tentes, qaer de Pimentel e Lof)B da Costa e Al-
tncid.i, quer do Roussin, ou mesmo de Laurie, o
Oais moderno coohecido e publicado debaixo das
vistas do almirantado nglez, porque laes roteiros
nao descera s minuciosas particularidades que traz
o do l lente "Collatino, nao sendo feitos para a
uavegago de cabolagem.
Trabalhos semelhantes merecem prolecgo da
parte do governo imperial para despertar a vonta-
de de se emprehenderem outros, e estabelecer en-
tro os nossos offlciaes o gosto pelo estndo e pratica
da profissao, vendo que sao considerados aquelles
que a isto se dedicam.
O conselho naval de parecer :
f 1. Que se mande imprimir, para ter toda a
publicidade, o roteiro da costa do imperio compre-
hendida enire a Baha de Todos os Santos e a ca-
. {titania do Espirito-Santo, pelo 1 lente da arma-
da Collatno Marques de Souza.
2. Que se ordene aos nossos offlciaes que na-
vegarem por aquellas paragens informem sobre a
exactido do dito roteiro, am de que, sendo esta
protissionalmenle reconhecida, possa elle fazer
liarte do roteiro geral da costa do Brasil, tao in-
correctamente situada em todas as cartas at hoje
publicadas.
(Asslgnados).JoaqwmJos Ignacio.Joaquim
Manoel de. Oliveira Figueiredo.Raphael Hiendes de
Sloraes e Valle.Joao Mara Pereira de Lacerda.
(Relator, o Sr. Olivera Figueiredo.)
t Resolvida no sentido da consulta em lo de ou-
lubro de .860.
No prefacio do roleiro dizemos nos : t Tendo
feito repetidos cruzeiros nos mares desla provin-
cia, e sendo um dos Gns da creacao das estages
navaes fazer conhecda dos offlcia'es de marinha a
costa do Brasil, procuramos corresponder, quanto
em nos coubesse, s vistas patriticas do governo
imperial; e por isso accumulamo3 emnossascom-
inisses, feitas entao na qualidade de simples 2
enlo, um grao numero de olas e observages
que flzemos, as quaes nos permiltiram organisar
com fldelidade o presente roteiro desta importante
porgao de costa, que abrange urna extenso de
mais de 140 leguas.
i Nao um trabalho completo, verdade ; mas
pode servir para excitar em algum camarada ge-
neroso o desejo de aperfeicoa-lo, on de fazer um
melhor ; tanto mais quando os nicos roteiros que
existem sobre a nossa costa sao os de Roussin (Le
Pilote du Brsil) e Pimentel, e estes, alm de in-
completos, sao mui obscuros e nao offerecem mui-
ta exactido.-
Que este trabalho, pos, possa ser til aos nos-
sos camaradas e todos os navegadores em geral
a maior satistagio que poder ter o autor.Baha,
12 dejunhode 1860.
Neste trabalho, inteiramente proBssional, cuja
exactido somente se conhece no oatavento, com os
pannos largos, e a ugulha nutica ao Jado.descreve-
i.'.os com toda a minudencia os portos seguintes:
Baha, Morro de S. Paulo, Camamu', Rio de Con'
tas, titeos, Villa de Santa Cruz ou Baha Cabralia'
Porto Seguro, o Canal de Coronelas, o Mucury, Rio
Doce, Aldea Velha ou Villa de Santa Cruz, a Villa
de Nova Almeida, de Carahype, a capitana do Es-
pirito Santo e finalmente flzemos urna descrpcio
tiel das Jlhas dos Abrolhos e seus mares adja-
centes.
Entretanto, S. S. quando escreveu aquella censa-
ra feila a offlcialidade da marinha brasileira nao
se lembroa anda de que, por occasio de sua es-
tada em Pernambuco, quando regressava para sen
paiz, tendo concluido os seus trabalhos hydrogra- e as arvores fructferas com urna solucao di sul-
phlcos, nos estivetnos com S. S. a bordo do navio' phato de ferro, se obtem oitraordinarios resulta"
de seu commando e loe oflVrecemos por esta ocea- dos.
siao um exemplar do nosso trabalho.
E to convencidos estamos 'nos da fldelidade do
que escreviamqs sobre a navegagfona Importante j
cosa levantada por S S. que o nosso trabalho en-
centra o seu melhor elogio sobre a sna grande
exactido as carias
Os legumes engrossam quasi 60 por eenlo, tor-
nam-se mais goslosos. |
Entre os fructos, o que aproveita mais desta pro-
cesso a pera. i
E', pois, de grande ntilldade, nao desperdigan) a
levantadas por S. S., como v' F""' u" ""J.""'"",;-" m'*"
.. j : ferrugem ; por que dissolvida n agua, serve
ii digno de nota que o nosso! \. .,
provaremos; sendo bem digno de nota que
roteiro foi escripto com os apontamentos que toma-: r
mos quando fomos 2 tenente, e na qualidade de!
oara a
ega dos arbustos, conforme o processo indicado.
simples oficial fizemos um grande numero de cru-
zeiros naquella costa, nao tendo a nossa dlsposcao
senao a nossa boa vontade de ser til aos navega-
dores, entretanto que S. S. commandava- um bello
navio a vapor, tinha excellenles auxiliares ntreos
offlciaes do seu navio, e de mais a mais urna ea-
nhoneira brasileira, que sempre Ihe coadjuvou aj-
guma cousa.
Entremos, porm, em materia, e confrontemos o
nosso trabalho com o do Sr. Mouchez. Fazer a con-
fronlagao de todo elle seria por demais enfadonho
e, j)ois, limtamo-nos apenas ao que dissemos sobre
Caoavieiras, a Babia Cabralia e ao intrincado Ca-
j nal de Caravellas com as ilhas dos Abrolhos e seus
i mares adjacentes.
A hippophagia oceupa um lado importante na
alimentado da Prussia.
Do.Io de outubro de 1863 ao de outubro de
1861; inataram-se 1,652 cavallos, cuja carne fo
empregada no consamo.
Cada meio kilogramma foi vendido de 25j a 30
centesimos.

Escrevem de Roma as Novidades, referin o-lhe
a existencia do um hornera que parece desuado a
fazer revi ver a poca dos milagres.
Eis o que diz a carta:
Entre as muitas noticias a dar, merece attingo
a de se acharaqui um hornera, proveniente niu se
De toda a costa esta ultima porgo a mais m- saDe d'onde, anda que alguns o julgam fraaciiz.
I portante e desconhecida, e por isso lomamo-la para
' fazer a confronlaco.
Diz o Sr. Mouchez na pagina 91 do seu roteiro,
i quando trata da barra de Canaveiras: < Um ban-
co de ara obstrue em parle esta embocadura de
rio, na qual se pode, cora a mar cheia, penetrar
por tres canaes differentes, um ao N., o outro ao
S., e o terceiro no meio mesmo do banco (poderia,
accrescentamos nos, dizer a leste, que o que ex-
prime to meio mesmo do banco) ; este ultimo
que o mais fundo, onde se acha as grandes ma-
res 4m 60 4m 90 (20 a 22 palmos) de agua ; este
ponto muilo frequentado pelos caboteiros, e um
patro da barra est sempre a disposigo daquelles
que ali se apresentam.
Vejamos agora o que escrevernos nos na pag. 21
do nosso roteiro. Barra do Rio de Canavieiras.*
Quando se marca ao NO o ultimo morro (a parte
superior) da serra de Comandatuba, se est na al-
tura da barra do Rio de Canavieiras, o qual tem um
banco de ara na barra que dificulta a entrada
Ha entretanto tres canaes sobre este banco, um do
N., outro de leste, e o outro do SE. No de leste
ha 22 palmos d'agua nasoccasioes de mares cheias
e ha tambem um patro da barra, que dirige a na-
vegago em cima do barco.
Vejamos agora o que diz o Sr. Mancbez sobre a
Baha Cabralia na pagina 98 de seu bello livro '
Recife das Alagadas. A pona S. das Alagadas de-
mora aos 88 NE. da egreja de Santa Cruz e forma
a parte do norte do grande canal.
Baixnha da corle Vermeiha. A i milhas e 1/3
ao S.O. 4* S. das Alagadas se v urna boia de ferro
que ndica a posicao de urna pedra profundada, e
sobre a qual raras vezes o mar arrbenla. Esta
pedra forma o limite S. do grande canal, e demora
aos 43 SE. da egreja de Santa Cruz. Sobre esta
pedra, que nao tem mais de 40 a 50 metros de ex-
tenso, nao se encontra senao 3 a 4 metros d'agua
(13 1/2 a 18 palmos, isto 1 1/2 braga pouco mais
ou menos) na baixa-mar, porm escarpada ; ao
redor desta pedra encontra-se 12 a 18 metros (5
1/1 a 6 1/2 bragas) em todas as direccoes.
Agora a confrontago com o que se acha escrip-
to na pagina 23 do nosso roteiro :
o Baxa das Alagadas.Ao mar, e 3 milhas pou-
co mais ou menos distante da costa, est situada
Veste orna tnica de varias cores, e tao ex< uisl-
tas que mal parecem de arte humana.
Anda continuamente descaigo ; adorna-lhe a ca-
bega um penacho vermelho ; nunca o viram na
cama, nem mesmo para dormir, nao come clrne>
nem bebe vlnbo on licores; sustenla-se em quanto
no povoado de pao e agua, e no campo de raizes e
hervas; nao aspira a honras, nao aprecia havires,
nem anda o viram rlr ou chorar ; pois que sem-
pre de inalleravel parecer ; o rapazio persegie-o
as vezes, e, anda que parece irrtar-se, nao Ihe i di-
rige improperios.
Nao monta a cavallo, mas caiga sempre esp iras,
e por mais que se pe-gante por que as usa, nem
por signaes responde ; tem barba longa, aindi que
nao parece v!ho ; tem sido escutado, noite yelha,
invocando o co, e como prognosticando cousas oc-
cullas e por vir, e ha quem julgue que por nspl-
racao superior ; diz-se mesmo que o vigario de
Christo derramou abundantes lagrimas escutando o
fturante o reinado de Luiz, o Gordo, em Franca,
procuraram asylo no seu territorio cinco pontfices,
Foram estes Urbano II, Paschoal II, Golasio II,
Calisto II e lunocencio II.
O primeiro e o ultimo foram alojados no palacio
da justiga, e considerados como grandes dignata-
rios da cora de Franca.
-^&* Traduzimos do Evening Transcript o seguinte
sobre a
CAPTURA DO FLORIDA.
A captura do Florida, ancorado no porto neutro
ja RUiia, sob a garanta dos navios de guerra o
fortalezas brasileiras, nao pode de sorte alguma ser
Justificada vista do que at agora sabemos
Sem embargo de ter o Florida por algum tempo
perrorrido as costas do Brasil na sua devastadora
misso de pirata; sem embargoainda de haver elle
talvez capturado navios da Unio e queimado as
suas presas as aguas brasileiras, como nos diz e
allega o coramandaote Collins, mesmo assim, desde
que largou ferro no ancoradouro da Baha, e mili-
to especialmente depois que as autoridades brasilei-
ras tiveram conbecimenlo de se haver abrigado
sob a protecgo territorial do paiz em que se
urna grande lage profundada, que diz pelos 86 achava> devia ser considerado tao seguro como se
NE. magntico a respeito da matriz de Santa Cruz.
Esta pedra denominada Alagadas, em suas abas
se pruma em 4, 3"e 2 1/2 bragas, e em 1 a 1 1/2
em seus mais culminante poato; nem sempre o
mar sobre ella arrebenta.
Baixa da Cora Vermeiha ou Baixnha.Aos
34 SE. magntico da mesma matriz est situada
urna pedra mais profundada que as Alagadas, e
tambera mais pequea do que ella, chamada A Bai-
estivera nos Jocas de Londres, ou sob as fortifica
cues de Uierburgo, salvo se o capitao Collins qui-
zesse chamar sobre o Wachusset o fogo das esqua-
dras tnglezas e francezas, ou envolver o seu paiz
em grave questo com estas duas grandes poten-
cias, e por isso devia abster-se com cgual escrpulo
de offender a soberana brasileira.
Pela noticia trazida pelo Kearsage v-se que o
commandante das forcas brasileiras, quando o Fio-
xinha da Coroa Vermeiha, por ficar prxima da ia cne|wa a Bana> 0 raandou ancorar ,0 dos
coroa de ara vermeiha que fecha a enseada ca- ^ ^.^ mimos |s|0 nao M com
braba pelo lado doS. Sobre esta pedra so arre-;, ao de ,he melhor agasalho no port0)
benia o mar quando ameaga temporal, e sobre el a !,_ ,, ,. ,,._ CK ,. .-.. ..
.,.., mas sim Para '-'o melhor sob as vista$ e imped,
se encontra 1 1/2 a 2 bracas d agua. ;. ... ,
, v 6 i0 de poicar mesmo all algum dos stus attenta-
Ora. dando o Sr. Mouchez todos os rumos como dos> 0 Fto,id(lj |endo.se prestado a lta requ|si.
verdadeiros, (isto correctos da vanago da agu-1 cao> e havendose collocado junto aos navios de
Iba que calculou em 5 30'_ NO.) segue-se qae as gaerra e fortalezas brasileiras, torna ainda mais re-
Alagadas, pelo roteiro francez, demoram aos 87, voltante a vlolago da soberana da Brasil pelo ac-
SE. entretanto que pelo nosso roleiro demoram pe- t0 do Wachusset, que tentou metter a pique aquello
los 86 NE.; sendo, porlanto, a differengade 7 00' navo, apezar do logar em que elle se aihava, e por
o que nao apreciavel, porque nos marcamos o flm conseguio cortar-lhe as amarras e (urebata-lo.
ponto mais culminante, e S. S. marcou o extremo K', pois, dever do nosso governo, segundo pen-
snt, e aconieceu ser essa dtferenga de 7*. porque samos, offerecer desde j ao Brasil a indis plena e
a variagao da agulhacom que'entramos em calculo completa satisfagao por semelhante factp.
foi de 3 NO. Esta differenca. prm, desapparece
quando ao demandar-se esta barra nos mandamos -JUlgam0S. tambem que [m^riior
que se marque a egreja a 04 NO, estando o navio, \nao 'sl,raem 1uerer 1e *eJa slita
portante, a E4 SE, isto por 11 1F ao S. della, *** Flonda e par,e de sa tnpolacao
qdtr dizer, aos 78 W SE. da- corao Ponto ecessar.o de
ago.
E agora vem pregar aos Estados-Unidos sobre o
dever sagrado de respeitar os portos neutros!
Esqueceu-se certa mente de queja apresionou as
aguas pacficas de Valparaso, e sob 8 protecgo
da neotralidade chilena, o navio do bravo capito
Porter, a galera Essex, dorante a gaerra de
1812.
Esqueceu-se tambem de que fez fogo ao corsario
americano General Armstrong. apresionando-o no
porto neutro de Fayal, pessessio portugueza, e Isto
tambem durante a mesma guerra.
Este ultimo facto no entanto devia estar bem
fresco na sua memoria, visto que se lerminou em
1850, quande Luiz Napoleo, era presidente da re-
publica franceza, e a cujo arbitrio os Estados-Uni-
dos e Portugal haviam submettido a deciso deste
pleito.
Esqueceu-se egualmente da tentativa que fez
para apresionar o ministro francez Fouchey, em
New-Port, no aono de 1795, quando nos eramos
neutro e elle brgava com a Franga, facto do qua|
nunca deu satisfagao, e que o devia ter feilo corar,
quando, prevalecendo-se do nosso estado de cousas,
o trouxe lembranga por occasio da discusso do
negocio do Trent, afim de obrigar-nos a entregar
emissarios rebeldes, que nao eram ministros, os
Srs. Mazon e Slidell, apresionados legalmente em
alio mar, como contrabando de guerra.
Esqueceu-se finalmente tambem que as autori-
dades do Canad vierara, em 1837, tirar das praias
americanas do Nigara, com forga armada, commet-
tendo assassinatos.e incendiando o vapor Carolina,
facto pelo qoal tambem nunca deu satisfagao, di-
zendo lord Ashburlon ao Sr. Websler, 5 anuos
depois, que ella j nao poda ter lugar, visto nao
ter sido dadi em tempo.
O Brasil bem como os Estados-Unidos, tem intei-
ra experiencia da mneira porque a Inglaterra
sabe observar os direitos neutros, e o Times e o
Moratng Herald faro melhor guardando os seus
sermoes at que achem ouvioles que os aprecien),
e flquem certos que duas nagoes amigas o ameri-
canas, como o Brasil e os Estados-Unidos, nao se
deshavero por causa de negocio tao insignificante
como o do Florida, porque nao ha nada que o Bra-
sil possa pedir a respeito, que nos nao estejamos
promptos a fazer; entretanto, e para que o saibam,
nada concederamos Inglaterra, se a Bahia fosse
porto seu, ou se a injuria feila pelo capito Collins
fosse sentida por ella em lugar de se-io pelo
Brasil.
Ne congresso ophlalmelogico de Heidelberg,
ultinamente celebrado, o Sr. Java! de Pars leu
urna nteressante memoria.
O seu objecto foi demonstrar um methodo em-
pregado com xito para curar o estrabismo sem
operago.
Consiste em collocar duas obreias en distancia
vanavel, urna em cada lado do diafragma de
stereoscopo, e acoslumar gradualmente o enfermo
a exercitar a sua visao binocular, fazendo unir as
duas imagem.
Pelo roleiro francez demora a Baixnha da Cora
Vermeiha pelos 43 SE., e pelo nosso roteiro pelos
34 SE., os quaes correctos da mesma, variagao
Acara em 39 30', que difirela daquelle outro ru-
mo verdadeiro em 3 30', a mesma differenca que
no primeiro caso, a qual nao apreciavel, nem
mesmo em urna carta, quamo mais em um ro-
teiro.
(Conlinuar-seha)
do Brasil
do o pro-
apresiona-
seraelhante sats-
UM POUCO DE TUDO.
No Jornal de Lisboa l-se o seguinte sobre a
HOMEOPATHIA NA HESPANHA.
A nova medicina que ba j bem annos, disputa
preferencia a aopathia, consegue de dia para da
novos triumphos.
Em Hespanha havia, ha 6 annos, apenas alguns
mdicos Aliados na medicina de Hahneman, quan-
do o Dr. Nancz se propoz a generalisala nesse
paiz.
Exercem-n'a hoje mas de 700 mdicos.
Existe desde 186 ama sociedade horaeopathica
legalmente estabelecida, cujo fim o cultivo e pro-
pagago da nova doutrina medica. Publica ella
um jornal que conta ao presente 17 volumes; tem
urna consulta gratuita para pobres, qual concor- trabalho por causa do um pirata que ni
Se este acontecimento se houvesse pausado com
a Inglaterra, certamente que ella, segundo os seus
precedentes, nao annuiria cousa alguma, em quan-
to o pirata, e seus tripolantes nao fossenp restitui-
dos sua devastadoura missao ; e haja vista a m-
neira por que proceden nos negocios do Trent e
Chesapeacke porm o Brasil nao a Inglaterra, e
actualmente o seu imperador nao troca palavra
com o John Bull.
O Brasil deve ter intero conhecmenjto do modo
por que a neutral Inglaterra ajudon a navegar o
Florida e da carreira anti-civilisadora que tem tido
o corsario anglo-confederado; desde entao, e pro.
vavelmente talvez tenha contas que ajustar com
elle pela violago da neutralidade dos seas mares,
facto que allega o capito Collins. J o Alabama
havia aberto contas no imperio, que tero certa-
mente de ser pagas pelo governo confederado, e
qne Ihe haviam acarretado ordem do governo im-
perial para elle nao entrar mais em nenhum dos
portos do imperio, como bem sabem os leitores.
E' fra de duvida para nos que, quando os pa-
pis do Florida forem convenientemen e examina-
dos em Washington, sero patentes m itos factos,
dos quaes as incontestaveis raz5es farie tambem
com que o governo brasileiro nao se
reram em cada um dos tres ltimos annos 6,000
enfermos.
Crearam-se em 1850, por ama portara, nma ca-
dera e clnica homeopticas, que nao tiveram ef-
feito por difficuldades sobrevindas, mas qae tem
anda por si a le, visto que a portara ainda nao foi
derrogada.
Existem mdicos hemeopathas em algamas das
academias reaes de medicina, as faculdades, na
corporagao de mdicos de banhos, e a nenhum
d'elles prohibido emillir livremente as suas opi-
nioes, ou exercera sna therapeulica.

Vios ltimamente que, regando-se os legumes
com a sua neutralidade a menor aliene; o.
Notamos pelas noticias telegraphlcas que o Times
e Morning Herald de Londres mostraram-se em
grande estado d&raiva por causa da n aria feila
honra do Brasil.
Admira o atrevimento coro que John Bull erapre-
hende dar liges aos americanos sobijo o respeito
devido s potencias neutras, e mais ai na a mane i
ra porque elle offerece conselhos ao 1 irasil, como
deve reparar o ultraje feito sna hoi ira, e isto a
ama potencia a quem elle levon, ainda sao ba mui-
lo, aos extremos de urna guerra peh imposicao
arbitrarla dos seus actos, e qae ret -ou de sua
corte o sea erabaxador, por nao querer ter rea
cues com semelhante potentado.
d a muito
o leve parai
Foi encontrado recentemente, em Pompea, em
urna escavago perlo da porta de Isis, um almnak
do lempo dos romanos.
E' um pedago quadrado de marmore branco, em
cada lado do qual esto tragadas inscripgSes relati-
vas aos mezes do anno, grupadas tres a tres e dis-
postas em columnas verticaes.
No topo de cada columna est representado o
signo do zodiaco a que o mez corresponde. Este
almanak contera curiosas Indicagoes acerca da
agricultura e da religio des romanos.
No cimo de cada columna, debaixo do signo do
zodiaco, est o nome do mez e o nome de
das.
Veem depois as nonas, que dorante oito mezes
do anno cahem ao quinto dia, e por tal motivo se
chamam quintana; desigoam-se nos outros quatro
mezes, porque comegam ao selimo dia.
As idus nao sao indicadas, porque regularmente
ha sete dias de intervallo entre elles e as
nonas.
O numero de horas do da e da noute est
tambem marcado, sendo os nmeros inteiros re-
presentados em conta romana ordinaria, e as frac-
g5es por um s, significando semi, ou por pequeas
.nhas horisontaes para os quartos.
V-so tambem indicado o signo do zodiaco que o
sol percorre, com os das dos eqninoxios e do
solsticio de vero.
No solsticio de invern, l-se estas palavaras :
Hiemis initium, comego do invern.
Segu dopois o capitulo da agricultura, onde se
recorda aos fazendeiros as prncipaes operagoes
de cada mez.
O almanak termina pela parte religiosa.
Diz o Deus que preside a cada mez, d a relago
das festas religiosas para cada mez e adverte o
agricultor, se quizer ver prosperar os seus traba-
lhos, de que nao despreze o culto destas divinda-
des protectoras.
Na parte inferior do marmore, v-se representa-
do Apollo guiando o carro do sol; e na parte
inferiror, Ceres celfando um campo.
Por todo este conjuncto de indicacoes v-se bem
que este amanak era parlicularmente destinado
aos cultivadores.
Est actualmente no mnseu de aples.
O jogo foi este anno causa de sete suicidios em
Wlesbaden, de trese em Hombourg, de tres em
Nauein e de dous em Wilhemslad.
Estes foram immediatos s perdas no jogo., Os
que seriam consequencia menos immediata nao
foram Inscriptos nesta estatislica.
Alguns jornaes francezes, alludiodo ao orgamen-
to que Mr. Fould apresentar para o anno de 1856,
aseguram que o hbil ministro far urna reduc-
go na despeza de 25,00055000 de francos........
(8,750:000*000) e que, segundo as suas previsoes
haver nm saldo de 1,000*000 de francos
(350:000*000.)
L-se no Cruzeiro do Brasil o seguinte :
O PBOTESTANT1SMO JULGADO POR UM PROTESTANTE.
Nosso correspondente de Londres transmita-
nos noticias cheias de interesse, sobre um membro
zeloso da egreja protestante, Mr. Hllyard, -que,
com o nome de padre IgnacioFather Ignatios
emprehendeu restabelecer a ordem de S. Benlo en-
tre os seas correligionarios, e fundou em Nurwich
um convento, onde a regra benedictina se observa
risca, tanto quanto dado ao erro aproximar-se
verdade.
Os novos benedictinos celebram as festas da
egreja catholica, observara dozeotos das de jejum,
do asylo a homens e mulheres, pregara msses
as cidades e do, com o sea modelo de viver, os
mais edificantes exeraplos..
*
Muitos dcstes apostlos, nao tendo outra misso
senao a da propria conscieacia, tem recolhido os
fructos de sea zelo, abragando a religio catholica.
Entretanto, 23 ministros da egreja estabelecida
em Inglaterra aecusaram acremente o padre Igna-
cio de ter alterado a doutrina e a disciplina. O
padre Ignacio acaba de responder-lhes por um elo-
quente desafio sobro o terrena dos principios. Este
desalo, que os calholicos nao deixarao de admi-
rar, sob as reservas supremas da f, acha se pu-
blicado no jornal protestante irChurc-Times, de.23
de julho ultimo.
Publicamos a traducc/io.
E' intituladodesafio defi(A. Chalenge) e est
assignado Ignacio, monge da ordem de S. Bento,
superior.
< Estaes muito anciosos de arrancar o argueiro
do meu olho; mas acautelai-vos, meus carissimos
irmos, que os outros argueiros nao offusquem a
vossa propria vista, impedmdo-vos de arrancardes
o mea. Permitii que vos proponha algumas ques-
tes.
t Nao verdade que cada urna de vossas paro"
chas prima sobretodo pelo maior numero de pes-
soas que abandonara a egreja Inglaterra.
Einpregaes todos os vossos esforcos para con-
duzirdes a egreja aquelles que nao fazem mais par-
le della, ou nao vos couteutaes de tolerar tranquil-
lamente a diviso e o scisma junto de vos ? Pro-
curaos aos vossos parochinanos as iramunidades
espirluaes de cada dia, prescriptas pela egreja in.
gleza, a saber : a prece quotidiana de manba e
de tarde?
< Consideraes a santa communho como a eera-
memorago estabelecida por Deus da morte de
Christo ? Se assim, quantas vezes celebraos esla
commemorago? A egreja de Inglaterra at esta-
beleceesta celebrago para cada dia; a maior par-
le da chislandade celebra diariamente a ceia do
Salvador?
f O bispo, quando vos ordenou, vos disse : to-
dos os peccados que perdoardes sero perdoados
A egreja da Inglaterra nao recoramenda aos seas
padres o convidar os enfermos a fazerem urna con-
fisso especial e auricular, afim de que possam re-
ceber a absolvigo, sob urna forma to completa e
mesmo mais completa do que a estabelecida pela
egreja romana? Se isto assim, tendes por coslu-
me nduzir essas pessoas a utliisarem-se deste re-
medio, a conlisso auricular ?
c A egreja de Inglaterra nao determina o uso
dos mesmos ornamentos, tanto para os templos co-
mo para os ministros, que estavam em uso no d-
cimo segundo anno do reinado de Eduardo VI?
Se assim, tendes usado ?
A egreja de Inglaterra, [em seu Prayer Book,
nao se encommoda de que as penitencias publicas
e outras tenham cabido em desaso, e nao lem ma
nifestado o desejo de as ver restabelecidas ? Se as-
sim vos, seus Olhos dedicados, fazeis tudo quan-
to podis para prover e preencher os desejes da
egreja, ou antes nao vos desviaos do vosso cami-
nliu, enfraquocendo cada vez mais esta regra to
expressamente ordenada pelas rubricas ? Recas-
tes alguma vez as rezas dos mortos sobre o cada-
ver de urna pessoa nao baptisada en excommunga-
da, voluntariamente ?
< Annunciaes em cada domingo, depois do Cre
do de Nica, como a egreja o prescreve, as festas
e os jejuns de obrigago durante a semana que co-
raeca ?
a Observaos estas festas e estes jejuns, prescri-
tos da maneira a mais positiva pelo Prayer Book ?
No uso do baptismo, depois.de derramardes
agna na cabega da crianga, dizeis Deus Ns
vos agradecemos sinceramente, misericordiosissimo
Pae, o terdes regeoerado este menino no Espirito
Srnto ? Se assim ensinaes francamente da cade"
ra parochial a regenerago baptismal, on antes al'
gaos J'entre vos nao do um desmentido formal a
estas palavras, negando-as ?
O Christo nao disse, fallando do pao sacramen-
tal : Este o meu corpo ? Se assim estaes
prompto a afirmar da mesma maneira, sem quall-
ficago alguma do vosso proprio?
A egreja da4nglaterra nao afirma que o cor
po e o sanguc do Jess Christo sao verdadeira e
realmente rccebidos e tomados pelos fiis na ceia ?
Nao sao ests mesmas as palavras que a egreja
ingleza ensina aos seus Albos, sem Ihes dar outros
documentos da presenga de Christo, e sem Ihes
dar por provas os a'rtigos das rubricas no servieo
da communho? Porm o sentido destas palavras
de tal sorte claro, que possa ser recebido por um
caluolico romano ?
Tendes mais cuidado da casa de Deas e de
seu ornato, que de vossa propria casa ?
< Tendes o cuidado de vos levantar meia nou-
te _para agradecer a Dens seus justos juizo?, ou
anda, de vos refugiar cm eusjpela orago antes
de amanhecer ?
< Tendes o cuidado de fazer com que os diffe~
rentes legados feitos s vossas egrejas tenham ex-
clusivamente os seus destinos ?
Offereceis o incens Deus, como o prescreve
a egreja todos os sen ministros ? Vede Mala-
chas, 1, 6 ; Caones apastolicos, 3 ; a palavra in-
cens no lugar citado foi sempre explicada na
egreja de um modo litteral, como o podis ver
consultando as Iithurgias da primitiva egreja.
E a egreja ingleza nos ordena a ioterpretago das
Escriptuas, nicamente como os bispos catholicos
e os amigos Persas as interpretaran). Vede Cao-
nes, 1571.
A egreja ingleza nao cita com todo o acala-
mento e como autoridades em materia de doutri-
na, homens como S. Jeronymo, Santo Agostinho e
S. Chrysostomo ?
c Se assim, dizei-me se esses homens eram ou
nao monges ?
t A egreja da Inglaterra, como egreja condem.
nou jamis a vida religiosa ?
< Alguns dos nossos dontores, os mais antorisa-
dos depois da reforma, como Montagne, Therndike,
Cosin, etc., nao lamentaram a suppresso dos mos-
teiros ?
t Quem abola a vida religiosa na egreja in-
gleza ? Foi a egreja de Inglaterra ou Heorique
8.?
< A egreja universal, em seus concilios geraes,
especialmente no de Calcedonia, nao den lels e re-
glamentos aos monges o aos religiosos ?
Se [verdes a bondade de responder a estas
perguntas publicamente, nao s de urna maneira
compreheosivel, mas ingenuamente, terei outras a
vos fazer por meio da imprensa. Eu serei por
minha vez muito feliz em responder a tudo quan-
to quizerdes pergantar-me, e deixare com todo o
prazer arrancar de mea olho o argueiro d'in-
fldelidade, com tanto qae nao fiqueis oegos com
um argueiro da mesma natureza ou maior. >
Depois M. Hllyard responde a exprobraces de
nao obedecer ao bispo duendo : que a este ai-
timo nao considera como fazendo parle do seu cle-
ro, e que nanea delle recebera ordens formaes.
Declara Analmente, qae est prompto a obedecer,
com tanto que elle nao Ihe prescreva senao aquillo
qae for determinado pela egreja estabelecida, e se
incumbe de mostrar o que o bispo mesmo deve
erer:
1. A presenga real de Jess Christo no sacrifi-
cio damlssa;
2 A conlisso auricular;
3. Preces pelos mortos;
4. A observancia solemne de mais de duzentas
festas e jejuns annuaes;
5. A santa regra da penitencia;
6. u uso do incens e luzes durante o oficio di-
vino;
7.a A regenerago do baptismo;
8. A successodos aposlolos; porque, diz elle,
se o bispo nao er estas cousas, ficariamos redn-
zidos a medonba e irreverente alternativa -de pen-
sar que elle coBserva-se em urna egreja que fas
approva claramente, nao acreditando elle, e que se
ainda demora-se nesta egreja, sraente para con-
servar o titulo e os rendlmentos d'am bispo e d'am
abbade benedictino.
Porm se o bispo er, que rae d sua approva-
cao; acceitarei d'amanhaa em diante o santo mi-
nisterio de que me quizer encarregar. Prometto
a mais completa obediencia, e nao ensinarel senao
o que os bispos catholicos e os antlgos padres en-
slnaram. Vede os Caones da egreja ingleza,
1571.
Emquanto a nos, resta-nos mostrar ao Revd. Dr.
Hllyard o odmiravel exemplo do Dr. Newman, e
rogar aos calholicos de dirigir a Deus as mais fer-
vorosas preces, afim de alcangar a volta ao selo da
verdadeira egreja de urna alma to extraordinaria-
mente preparada.
Da Estrella do Norte transcrevemos o se-
guinte :
BISPADO DO RIO i.MANDE.
Consta que o venerando bispe desta diocese, o
Sr. D. Sebastioo Das Larangeira, escrevera ao
Ilustre Sr. conselheiro Autran, e na sua pessoa
todos os dstinctos escrplores Pernambocanos
que tomaram a defeza do calholicismo contra as
estovadas declamagoes, impas e racionalistasjdo-
deputado Pedro Luiz.
A carta do venerando prelado, ao mesmo tem-
po que foi am premio dedicago catholica dos
Ilustres seculares, que nao se envergonham de
arrostar com os preconcetos racionalistas, foi
tambem um acto de justiga, porque aos nossos pre-
lados assiste o dever de encorajar a f, alias tao
entibiada em nossos dias.
Os Ilustres escrplores Pernambucanos, que ds-
tinctamente profligaran) as (res loucadas invecti-
vas do. Sr. Pedro Luiz, as sensabonas do Sr. Ma-
cedo, e os apoiados indiscretos e revoltanles de
um sacerdote, deputado pelo Cear, foram os 9rs.
cooselbeiro Autran, Drs. suriano, Sarment, Drum-
mond, Aprigio, e Guennes; e na cmara tempo-
raria o sr. Dr. Figueiredo suffocou com a sua pa-
lavra eloquente e autonsada o brado sinistro da
mpiedade.
Mil bengos do cu sobre os dedicados escrp-
lores ; e mil louvores e applausos aos dignos pre-
lados, que, do alto de suas cadeiras episcopaes, ma-
nifestaran) a sua apitrovago dedicagdes boje
pouco vulgares.
Conta-nos mais, qne o venerando prelado do
Ro Grande se v forgado a nao abrir para o anno
o sea seminario, visto o governo ter negado o sup-
prlmento que era dado aos reitor o vice-rei-
lor; e nao ter o digno prelado meios de os grati-
ficar.
E disse o Sr. marqnez d'Olinda, que o sea estar-
dio decreto para a aniforraisago dos seminarios
era todo favoravel aos bispos I
Bem haja o Sr. D. Sebastio Dias Larangeira,
que at hoje nao aceitn, e nao aceitar a doutrina
corapressora do decreto.
Seno tiver meios de continuar com o seminan^
Deus providebit; mas um bispo calholico, nao pode
sem gravar a sua consciencia, contemporisar eorn
as indevidas exigencias do governo.
Os principios sao lado; e os homens pouco, os
nada, quando nao representan) ou professam os
principios.
Deas experimentar, mas de certo nlo abando-
nar o venerando bispo do Rio Grande.
Em nma reunio que ltimamente honre em
Keswig, am ecclesiastco tratou da inflaencia das
bebidas nos assumplos polticos, e especialmente
as eleicoes inglezas.
E' escarranchado em um barril de cerveja, disse
elle, que cada um dos membros dos communs
levado ao parlamento.
Recommendou, portanto, a necessidade de urna
petigo dirigida cmara dos communs, para que
faga fechar todas as tabernas no Reino-Unido, du-
rante a semana que precede, e a que segu s elei-
goes na Graa-Bretanha.
Apparece em Roma, com grande descontentamen-
te do papa, nma questo de duello.
O joven principe Rnspoli, guarda nohre de sua
santidade, teve com o joven principe Orsini urna
altercago, que acabou por bofetadas no Corso.
O guarda nobre que receben as bofetadas bater-
se-ha ?
Os seus camaradas dizem que o corpo ficar des-
honrado se elle se nao bale, porm o papa declara
que mais depressa dissolver a guarda nobre que
permittir o duello.
Est nsto a questo qne muito provavelmente se
decidir a vontade do santo padre.
E' agora moda em Pars pintar, e, nao s pintar,
dourar os caes.
Um jornal francez d a este respeito a seguinte
noticia :
Tinge se o pello dos caes e" at se doura.
Todos se lembram de um homem, cuja rpida
fortuna deu mnito qne fallar ha quinze annos, e
qne tinha a mania de nao ter em casa senao objec-
tos dourados.
A mania levou-o at tentar a donradara de nm
cozinho, que certo dia appareeeu na sala com as
longas sedas esplndidamente donradas.
Esta moda de pintar os caes parece ser-Ibes fa-
voravel sande, porque insecticida ; maso mais
carioso ter-se observado qae a edr da pintara
influe sobre a ndole dos animaes pintados.
Tornam-se medrosos, birrentos, intelligentes,
mansos, estpido, segundo a edr de qne sao pin-
tados.
Quando o cao cima citado apparecen dourade,
era riso velo mostrar-se orgnlhoso para todos, e
s voltar ao sea instincto soclavel e acariciador
quando a douradura desappareceu.
A pintara de encarnado torna os caes de ama
ndole feroz.
O verde e a cor de rosa alegram-os ; a cder
chocolate enlristece-os e o azul desespera-os.
Esta deve de ser a cor dos caes moraes, e bom
fra pinta-Ios de cor de rosa.
PERNMBUCO.-TTp,-PE M. F. DEF.ct FILHQ



I

(


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEGTIFG5X_77ZATB INGEST_TIME 2013-08-28T02:39:54Z PACKAGE AA00011611_10576
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES