Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10574


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>-
AMO XLI. NUMERO 17.
.
Por quartel pag dentro e 10 das do 1. mez ...:.. 5|000
dem deiis dos l.os 10 das do cofliccoc dentro do quartel. 6J000
Porte ao eorreio oor tres meres ,".....,.,.,:. 750
SABBADO 21 D JANEIRO 4E 1865.
Por anno pago dentro de 10 lias do 1. mez ,.....191000
Porte ao eorreio per nm anno.............. 3JO00 j
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO NO NORTE
Paraliyba, o Sr. Antonio Alexandrioo de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Ohveira; Maranho, o .Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Fithos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudine Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos M.irtins AIv'S; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho. I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agua Prcta, todos os dias.
Iguarass e Guyanna as segundaste sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuar.
AlUnbo, Garanhuns, Buique, S. Bento, BoraCon-
seho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazarelb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgoeiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhem, RioFormoso, Tamandarc, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 22 m. e 52 s. da t.
11 La chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
87 La nova as 7 h., 16 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comuicrcio: segundas e quintas.
Relago: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commerrio : segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sexlas s 10 horas.
Primeira vara do civel: torcas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda. Ss. Berardo, Acardo e Othon.
17. Terga. S. Agalho ab.; S. Antao ab.
18. Quilla. S. Frita v. m.;; Leobaldo b.
19. Quinta. S. Canuto rei m.; S. Ponciano m.
20. Sexta. Ss. Fabio e Sebaslio mm.
21. Sabbado. S. Ignez v m.; S.Patrcolo m.
22. Domingo. Ss. Vicente e Anastacio mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 hora e 42 m. da manhaa.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 11 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueir&a de
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL
G0VERN0 DA PROVINCIA.
Expediente de dia 18 de Janeiro de 186o.
Offldo ao Exm. presidente da provincia das
Alagoas.Fico scicnte de quanto V. Exc. me com-
municou em seu officio de 9 do corrente.aquevelo
annexo copia do aviso de 27 de dezerabro ultimo,
do qual consta ter sido exonerado do lugor de re-
crutador geral dessa provincia o alferes reforma-
do do exercito e coronel da guarda nacional Fran-
cisco Joaquim Pereira Lobo, que j se apresentoa
nesta provincia.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Mara-
nho. Passo s maos de V. Exc. o incluso offlcio
(echado que para ter esse deslino me foi traosmil-
tido pelo Exm. Sr. ministro dajusliga e presidente
do conselho de ministros, sendo portador o vapor
inglez Magdalena.
Ditoao mesrao.Transmiti V. Exc. a inclusa
arla, que para ter este destino me fol remettida
pelo Exm. Sr. ministro dos negocios eslrangeiros.
Dito ao coronel commandante das armas.Sir-
va-so V. S. de informar sobre o objecto do incluso
offlcio, que rae ser devolvido; do Dr. juiz de di-
reito da comarca de Flores, datado de 7 de dezera-
bro prximo findo.
Dito ao raesmo.-Convenho em que seja trans-
ferido para o nono batalho de infantaria, como
V. s. propoz eai seu oQlcio n. 97 de 16 do corren-
te, o soldado da companhia de artfices Antonio
Fausiino, aura de ir servir na provincia de S. Pe-
dro do Sul; e neste sentido pode V. S. expedir
as suas ordens.
Diio ao mesmo.Haja V. S. de informar sobre o
que pede Anaa Mara da Conceigo no incluso re
querimeulo.
Dito ao mesmo.Queira V. S. declarar-me com
a possivd brevidade se foram alistados nos corpos
em guarnigo nesta provincia, e d^sde quando, os
Individuos indicados na relago junta, mencionan-1
do V. S. os corpos a que elles esiejam pertencendo. j
Dito ao mesmo.Queira V. S. infirmar acerca
do que pede Joanna Mara do Rosario no incluso I
requenmenlo.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de providenciar |
envenientemente para que, de conformidade com
a recommendago especial de Sua Alteza Imperial
a Si a. D. Isabel e de seu Augusto Esposo o Sr.
conde d'Eu, seja posto em liberdade, dando-se-lhe
baixa se j esliver com praga, o reeruta Luiz Flix
da Rosa, depois que tiver 'casado cora Joauua
Mara.
Dito ao mesmo. = Transmiti V. S. para seu
conhecimento copla do offlcio n. 89 de 14 do cr-
rante, era que o Dr. chfe de polica faz sentir que
jasufflciente o numero de 15 pragas a que na-
quella data fui reduzida, a guarda da casa de de-
tengo.Cemmunicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao Dr. chefe de polica. Recommendo
V. S. que trate quanto ante de impedir pelos
meios que estiverem a seu alcance, a especulago
a que se esto dando algumas pessoas de atravessar
a trinha que vem ao mercado, aQm de a vende-
rem por subido prego.
Dito ao mesmo.Mande V. S. para a casa dos
expostos a menor abandonada, de que (rala o seu
offlcio datado de hontem sob n. 100, com referen-
cia ao do Dr. delegado de polica desla cidade, e
que por copia veio annexo.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Inteirado de quanto V. s. expuz em sua inform- |
cao de 16 do corrente, sob B. 45, dada acerca do '
requenmenlo em que o promotor publico da cu-'
marca de Pao d'Alho bacharel Barlholomeu Tor-
quaio de Souza e Silva pedia nova licenga, lenho a
dizer-ihe para seu conhecimento, que neguei essa i
licenga, e quanlo que foi concedida por portara i
de 16 de dezembro do anno prximo passado, deve
ser considerada sera ordenado, urna vez que nao o \
pd' elle receber em visla das razoes constantes!
de sua diada informago, licando V. S. na iotelli-!
gencia de que (al licenga foi dada com venc memos, j
porque na secretaria nao me lizeram ver que o
mencionado bacharel j hivaobtido outras.
Dito ao mesmo.Recebi o seu offlcio n. 40 de
16 do crreme, e era resposta tenho a declarar-
Ihe, que approvo a deraisso dada pelo inspector
, da alfandega ao guarda Felino Dusiano Ferreira
Coelho, pelos motivos constantes da parte do guar-
da-mr datada de 9 desle mez.
Dilo ao mesmo.A'vista do pret incluso em du-
plcala, mande V. S. ndemnisar o nono baialho
de infantaria de 20J>50 rs. em que imporlam as
ragOes de etape obonadas aos recrutas que esiive-1
rain depositados no quartel do mesmo batalho
desdi o 1." al 9 do nex correle.Communicou
se ao coronel commandante das armas.
Dilo ao mesmo. Remello Incluso o requeri-
mento que me enderegou o tenente do nono bata-
lho d< infantaria Herculano Geraldo de Souza !
Magalhe para que V. S. mande abonar em os :
elle pretende deixar do respectivo sold nesia pro-
vincia, para sor entregue a seu procurador Fran-
cisco Guilherme Austribisto Machado. -Communi-
cou-se ao coronel commandante das armas.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. ajuslar coates
at o fim do mez corrente, c passar guia do soc-
corrimenlo ao alferes do stimo batalho de infan-
taria Bernardino Vieira Rabello, que tem de seguir.
para a corte no vapor que se espera do norte.!
Communicou-se ao coronel commandante das |
armas.
Dito ao mesmo. A'vista da sua inormacu n.
41, de 14 do corrente, autoriso V. S. a mandar
creditar o ministerio da guerra e debitar o da jus-
tiga pela quantia de 274J em que, segundo as duas
contas juntas imporlam os artigos de armamento e
cartnxame fornecidos pelo arsenal de guerra para
o ser/ico da guarda nacional do municipio do Recife
no mez de dezembro ultimo.
Dito ao mesmo.Em vista da relago junta em
i duplcala, e nao havando inconveniente, mande
V. S. pagar a Antonio Domingues de Almeida Po-
cas conforme solicitou o commandaate superior
interino da comarca de Santo Antao, em offlcio de
lo do crreme, a quantia de 95100 rs em que
importam os vencimento* de 4 guardas nacionaes
que vleram d'aquella comarca escoltando 2 deser-
tores at esta capital.Communicou-se ao comman-
dante superior interino da guarda nacional de San-
to Antao.
Dilo ao inspeelor da thesouraria provincial.
De conformidade com o que solicitou o chefe de
polica em offlcio de hontem, sob n. 98, e nao ha-
vendo inconveniente, mande V. *. pagar a Manoel
Jos Pereira Borges, a quantia de 365000 rs. pro-
veniente do alugnel, a contir de julho a dezembro
do anno prximo passado, da casa que servio de
quartel ao destacamento do termo de Santo Antao,
como se v dos recibos juntos em duplcate, dsven-
do essa despeza correr pela verbaeventaaesdo
corrente exercicio. Communicou-se ao Dr. chefe
de polica.
Dito ao mesrao. -Era vista da relago junta em
duplcala, e nao havendo inconveniente, mande
V. S. pagar a Antonio Domngue- de Almeida Po-
gis, conforme solicitou o commandante superior
mlerno da comarca de Santo Antao, em offlcio de
15 do corrente, a quantia de 385500 rs. em que
imporlam os veacimentos de urna escolla de guar-
das nacionaes que veio d'aquella comarca, con-
duzindo 8 criminosos para esta capital.
Dito ao mesmo. Ficando iolelrado pelo offlcio
que V. S. me dirigi em 16 do corrente, sob n. 2o,
de haver sido espagado para o dia 20 desle raez, o
concurso que deveria ter lugar, nessa thesouraria,
para preenchimenlo da vaga de 2." escripturario
nella existente, tenho a dizer em resposta que a
falla de comparecimento do Dr. Francisco de Pau-
la Sales, examinador nomeado para esse concurso,
foi occasion&da por estar se esperando no mencio-
nado dia 16 pela chegada de Sua Alteza Imperial
a Senhora D. Isabel.
Dito ao bario do Livramento, desembargador
Jos Pereira da Costa Molla, e r. Joaquim d'Aqui-
no Fonseca.Testeruunha ocular da maneira sa-
tisfactoria porque Vv. Ss. desempenharara a com-
misso que Ihes incumb de prepararen o palacio
da presidencia para comraodos de Sua Alteza Im
perial a Sr." D. Isabel, e seu Auguslo espeso, o Sr.
conde d'Eu, durante o lempo que eslveram nesta
capital, muito agradego Vv. Ss. o servigo que
presiaram com tanla solicitude e a melhor boa
vonlade.Igual aos raembros da comraisso de
marinha agradecendo o bora desempenho de sua
misso.
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife.-Haja V. S. de dar as ne-
Vmc. me informe o motivo porque deixou de adiar-
se na matriz para o fim, a que cima alludo.
Dito ao juiz de paz mais volado da freguezia de
Sanio Antonio desla cidade.Nao se temi osci-
lado no dia 15 do corrente a junta revisora da qua-
lificago dessa freguezia pelos motivos declarados
em offlcio daquella data que me dirigirn os res-
pectivos eleilores e supplentes, recommendo a Vmc.
em visla do que determinara os avisos de 18 de
Janeiro de 1854, e 31 de maio de 1861, que guar-
dados os prazos e mals formalidades da le, coovo-
que os eleilores e supplentes e rena no dia 19 de
fevereiro prximo vindouro a respectiva junta que
dever ser presidida por Vmc. nos termos dos cita-
dos avisos.Communicou-se aos eleitorcs e sup-:
penles da freguezia de Santo Antonio do Recife.
Dito ao juiz de paz mais votado do quadriennio
findo da freguezia de Sanio Antonio do Recife.
Informe Vmc. em que se funda para julgar-se in-
competente de presidir a junta revisora da qualifl-
cago dessa freguezia no correte anno, como me
representaran no officio junio por copia, os res-
pectivos eleilores e supplentes.
Dito ao juiz de paz mais volado do 1 districlo
da freguezia do Cabo. -Tendo deixado de ser ins-
tallada na terceira dominga do correle ajuma re-
visora da qualificago dessa freguezia, pelas razSes
declaradas no offlcio do juiz de paz mais votado
Dilo ao vigario de Porto-Real.Receb o seu of-
flcio de 3 do eonente, no qual diz que, quando Ihe
lo em Cepeda e Pavn, e habilissimo poltico na
governanga civil, que pacifica e prudentemente vai
chegou a noticia de que eu ordenara que as justifl- levando ao seu termo legal de seis annos.
eaeoas de baplismo simplesmenle para casamento i A educagao dos povos llvres nao se completa em
fossem tomadas de graga e sem forma alguma de um dia, e a liberdade tem seus defetos eexcessos,
processo, j V. Rvma. havla recebdo a quantia de assim como o despotismo tem sua razo de ser o
ZMfOOOde d'versas justificagoes que havia toma-' seu merilo especial, que a presso e a forga e a
do segundo as ordens do Rvd. ex-visitador dessa cegueira e a ignorancia proruram elernisar e exal-
proyiocia Camilo de Menionga Furtado. j tam como urna emanagao do dreito divino. A Re-
No foi innovagao minha a ordem que dei para publica Argentina esti agora no primeiro periodo
se nao receber cousa alguma pelas jusiificagSes de da sua vida constitucional, e este para ella o que
baptfcmo para casamento; o mesmo Exm. fallecido para todas as nagoes, periodo critico e de multas
prelado, querendo, de conformidade com as leis hallucinagSes.
ecclasiasticas que os parochos se certificassem de As eleigoes para merabros da cmara municipal
que squelles que procuravam o Sacramento do ma- de Buenos-Ayres foram muito agitadas, bem como
trimonio, erara baplisados, nao aulorisou qae se as dos deputdos ao congresso, mas venceu o par-
cessarias providencias sobre os factos comidos nos do quadriennio findo, datado de 15 do crreme,!
officios do Dr. chefe de polica e do delegado do recommendo a Vmc. em vista do que determinam
1." distrelo do termo desla capital, de 14 deste
mez, junios por copia. Communicou-se ao Dr.
chele de polica.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Santo Antao e Escada. Mande V. S.
postar em frente da matriz da freguezia de Sanio
Antonio no dia 29 do corrente, a hora do costume
urna guarda de bonra tirada do batalho n. 23 de
infantaria, afiui de assislir aos actos da fesla do
mesmo Santo.
os avisos de 18 de Janeiro de 1854 e 31 de maio
de 1861, que guardados os prazos e mais formali-
dades da lei, convoque os respectivos eleilores e
supplentes e rena no dia 26 de fevereiro prximo
vindouro, que para isso designo, a referida juma
que dever ser presidida por Vmc. nos termos dos
citados avisos.
Dito ao juiz de paz presidente da junta revisora
da qualificago da freguezia de S. Lourengo da Mat-
ta.A consulla que fez Vmc. em officio de 16 do
^ Dilo ao inspector do arsenal de marinha.-Pode corrente, respondo dizendo, que era vista do dis-1
V. S. remetier para a corle, no 1." vapor que pas- posto no art, 2o do decreto n. 1,801, de 7 de agos !
- lo de 1856, explicando pelos avisos n. 418 de 23 '
de novombro de 1857 e 248 de 6 de junho de 1860,
devera ser qualiicados e exercer o direilo eleltoral j
nessa freguezia os cidados moradores no territo-
rio que pela le n. 603 de 13 de maio do anno pas-
sado, fol desmembrado dessa freguezia e annexado
de Iguarass.
Portara.O Srs. gerentes da companhia Brasl-
leira de paquetes a vapor mandera transportar
para a corte no vapor que se espera do norte e por
coma do ministerio da guerra, ao capito do exer-
cto Manoel Ferreira Lyra.
Dita.Os Srs. agentes da companhia.Brasileira
de paquetes a vapor mandera dar transporte para
a corle, por conta do ministerio da goerra, no va-
por que se espera do norte, aos offlciacs e pragas
de pret de diferentes corpos do exercito mencio-
nadas na relago por copia inclusa.Communi-
cou-se ao coronel commandante das armas.
sar do norte, para o que ficam expedidas as con-
venientes ordens, as 32 pragas da companhia de
aprendizes marinheiros, de que trata o seu offlcio n.
817, de 16 do corrente, apresentandome cora ante-
cedencia urna relago da qual conste os nomes del-
les.Expedirara-se as necessarias ordens a este
respeito.
Dito ao mesmo. Em vita do que ponderou
V. S. em sua^informacao n. 816, de 14 do corrente,
indeferi nesta dala o requerimemo em que Joanna
Mara da Conceigo, pedio baixa para seu filho
Candi io Cabral de Mendonga, praga da companhia
de aprendizes marinheiros; o que Ihe declaro para
seu conhecimenlo.
Dito ao mesmo.Ae offlcio que V. S. me dirigi
nesta data, e sob n. 818, respondo declarando-I he
que a demora na aulorisago para a compra dos
objectos, inclusive o bren de que V. S. trata men-
cionados no offlcio do conselho de compras navaes,
de 19 de dezembro ultimo, nao devida a mira, e
sobrecarregassem os paros com novas despezas.
Espero pois que V. Rvma. proceda agora com o
desinteresse o abuegago propria do seu ministerio,
o que eu repelidas vezes tenho recommendado aos
revereados parochos desla diocese.
Recebi a mencionada, quantia que V. Rvma. re-
mellen, qual j z. recolher caixa pia.
9 -
Circalar aos vigarios das freguezias da cidade
do Recie.Uonvindp que recepgao de sua alteza
imperial a Sra. D. Isabel Christina e de seu augus-
to esposo o Sr. conde d'Eu, os quaes tem de pas-
sar por esta provincia na sua viagem a Europa, av
sisla todo o clero da capital, convido a V. S. para
comparecer a esse acto com os reverendos sacer-
dotes da sua freguezia. v
Circular aos superiores dos conventos da cidade
do Recif*.Convindo que recepgao de sua alteza
imperial a Sra. D. Isabel ChJislina e de seu augus-
to esposo, o Sr conde d'Eu, os quaes tem de pas-
sar por esta provincia na sua viagem Europa as-
sista todo o clero secular e regular, convido a vossa
paternidade reverendissima para comparecer nesse i
aclo com os reverendos religiosos do seu convento.
10
Offlcio ao vigario da Luz.Interne V. Rvma.
com a posslvel brevidade acerca da representaco
ido que sustenta a poltica do general Mitre, sendo
derrotado o que se mostra infenso reconstruego
nacional da repblica, por isto denominado partido
separatista.
Em Cordova leve lugar urna revolucao contra o
governo da provincia, que foi suffocada com auxi-
lio das forgas naciouaes.
Em Santa F anda agora os partidos se dispu-
tam com virulencia e perigosa agitago a prepon-
derancia provincial.
As sesso do congresso foram abenas no dia 12
de maio com todas os formalidades do estylo, e por
esta occasiaj o presidente Mitre pronuncou um
discurso uotavel, assim nos seus pensamentos de
poltica interna, como na parte relativa ao Brasil e
ao Estado Occidental.
A provincia de Entre Ros, sujeilanio-se lei
constitucional commum, muliude governador e
collocou-se a par d^ suas irmas, deixando o gene-
ral Urquiza, depois de mais de vinte annos, de ser
o governador legal daquella provincia, posto que
anda o seja de faci.
Organisou-se urna empreza para a construego
do camiuho de ferro do Rosario Cordova, subs-
crevendo o governo nacional por duas mil acedes.
Foi inauguradaco n solemne pompa a va terrea do
sul de Buenos-Ayres, a terceira que se dirige para
sim a thesouraria de fazenda, que ainda nao mi
nistrou a inforraago exigida por despacho de 2 do EipedieBle do secretario do governo do dia 18
corrente : oque attribuo a mulliplicidade de occu- ,je janeiro de 1865
tSv >JE&&'i ?qUe"a- reparli5 Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.-
pre,ta cora brevidade as suas informagoe^ s Exc 0 Sr vicepresidente da provincia manda
Dito ao director das obras m.htares Para que, ,raDsmiIlir v. S. as duas ordens do Ihesouro na-
eu nossa resolver acerca do que V S. solida em : ciona| daladas 9 do C0Trente>
seu offlcio n. 20, de 30 de dezembro ultimo, faz-; Djl0' ao fc| d d g d
se necessario que V. S. me declare com a possivel
brevidade por quanlo andar a despeza com os
pequeos reparos que julga poder fazer-se na man-
jadoura do quartel da compauhia de cavallara,
alim de poder servir por mais algum lempo.
Dilo ao capito do porto. Em virtude de re
comraendago especial de Sua Alteza Imperial a
Sr.a D Isabel o seu Auuslo es#oso, o Sr. conde
d'Eu, mande Vmc. por em liberdade os recruias
de marinha Francisco das Chagas e Joo Tbemo-
teo Manguinho.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmc. recolher aos armazens desse arsenal os ar-
tigos de armamento a Mini, munigao c utensilios
mencionados na relago inclusa, os quaes eslive-
ram a cargo do 9." batalho de infantaria.
Communicou-se ao coronel commandante das ar-
mas.
Dito ao mesmo.Remello incluso a relago dos
artigos de armamento, equiparaenlo, insignias rc-
gimentaes, instrumentos bellicos e utensilios que
eslavam a cargo do 9. batalho de infamara e
foram dados em consumo como me declareu o
commandante das armas, em offlcio desla dala,
para que Vmc. faga recolher semelhaotes objectos
aes armazens desse arsenal, afim de terem a con-
veniente applicago.Communicou-se ao comman-
dante das armas.
Dilo ao mesrao.Foroega Vmc. ao Dr. chefe de
polica, afim de serem rcraettidos ao delegado do
terme de Sanio Anlo, 4 pares de algemas, 2 ditos
de machos e 1 corrente com cadeado para o ser-
vigo da cadeio do mesmo termo.
Dilo ao contador do thesouraria provincia!.Fi-
que inteirado, pelo seu offlrto de 16 do corrente,
sob n. 23, de achar-se Vmc no exercieio de ins-
pector dessa thetouraria, por eslar anojado o res-
pectivo proprietano.
Dilo ao tenente Gamillo Augusto Ferreira da Sil-
va.Nao podendo eu aceitar o olferecmeuto que
faz Vmc. de marchar como voluntario para o Rio
da Prata sob a condigo de Ihe ser concedida no
exercito a patente de lenle, que Vmc. tem na
guarda nacional, e de serem recolhios nos colle-
gios dos orphaos seus tres lilhos, cabe-me dizer-
Ihe que, louvaodo os seus bous desejos de servir o
paiz, nesia data levo ao conhecimenlo do governo
imperial, como Vmc. solicita, o seu patritico of-
ferecimentj.
Dilo ao juiz municipal da 1' vara desta cidade.
Remello a Vmc. para ter o conveniente destino, a
guia do sentenciado de justiga Laurenlino Corroa
de Barros Araujo, passada pelo juiz municipal sup-
plente do lermo de Santo Anto, em 13 do cr-
reme.
Dilo ao vigario da freguezia de Tracunhaem.
Cumpre que Vmc. me remeta com toda a urgen
Penha.-Devolvendo o incluso offlcio dojulzde
paz, Galdiuo Alves Barbosa, que V. Rvma. deixou
de annexar ao que dirigi ao Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia, em 6 do corrente, por querer
envia-lo ao Rvd. padre prefelto frei Seraphim, afim
de melhor conhecer o seu objecto, cabe-me dizer
que, nao tendo V. Rvma. feito esla declaragao, pa-
receu esta secretara, que s por esquicimenlo
nao tiuha acompanhado o de V. Rvma. o offlcio al-
ludide, que alera disto era necessario para se po-
der responder ao supradito juiz de paz.
r
EDITAL.
2". secgo secretaria do governo de Peroambuco
20 de Janeiro de 1865.
Pela secretaria do governo, se convida os Srs.
abaixo declarados a virem ou mandarem pagar
hoje os portes dos requerimentos em que pedem
ao governo imperial officio de labelio e escrivo
do termo de Nazareth, afim de poderem seguir pa-
ra seu destino no vapor que se espera do uorte.
Marcelino Antonio Pereira.
Adolpho Libralo Pereira de Oliveira.
Orlando Mequiliuo de Almeida.
Manoel lleraclilo de Albuquerque.
Jos Genuino Ferreira.
Alvaro Paula Nblalo.
Joo Isidoro de In igosa Varejo.
Antonio Leite de Pioho.
.^>-^^l-* <.a>va:ii\i> do biipado dg
Bt:itviuaii io
SEDE VICAIIE
Janeiro de ISiI
Expediente do dia 3.
Offlcio ao Exm. Sr. presidente das Alagoas.
Tomando na devida considerago o que V. Exc. de
iiiiui solicita em seu offlcio de 19 de dezembre do
anuo prximo passado a favor de dous pobres in-
dios de urna das aldeas dessa provincia, que se ha-
viam casado nullamente, por nao terem sido dis-
pensados do impedimento de consaguindade, que
entre ellos havia, tenho a honra de passar as mos
de V. Exc. as competentes dispensas; as quaes V.
Exc. enviar ao Rvd. parodio respectivo, afim de
que esto proceda icvabdagj dos respectivos ca-
samentes.
Offlcio ao vigario de Quebrangulo.Sciente pelo
seu offlcio firmado em 28 de dezembro prximo
passado, de que nao convm que o actual sacristo
dessa matriz continu a exercer o lugar que oceu-
que por copia llie remello. j a sua campanha.
11 A emigrago europea lem tomado grande desen-
Offlcio ao vigario da Vara de Penedo. Acenso volvimento principalmente na capital ja repblica,
recebdo o seu offlcio de 19 do prximo passado, onde ha urna comraisso encarregada deste servi-
no qual rae pergunta se pode conceder licenga para go, bem como differentes emprezas iodustriaes de
a exposigo do Sanissimo Sacramento as novenas navegago e caminhos ae ferro. O governo nacio-
solemnsalas noite,como sempre foi costume. | nal lem, ouirosim, tratado de cumprir os seuscom-
Sendo necessario que haja todo o acatamento e promissos relativa nenie aoscredores cujas dividas
reverencia ao Sanissimo Sacramento, nao convem foram reconhecdas.
que se exponha as noveuas, seja qual for o uso | Por occasio de votar-se o orgamento no con-
ahi estabelecido, o que declaro a V. Rvma. afim de gresso argentino, reconheceu-se a existencia de um
que na conceda laes licengas. | dficit, que suppoe-se ser coberto pelo augmento
Foram recolhidos a caixa pia os dezeseis mil reis de renda.
( 165000 ) que o portador do offlcio aqu entrogou Tambem votou o mesmo congresso urna lei esta-
por parte de V. Rvma. belecendo a lelegrapnia submarina entre Monte-
14 video e Buenos-A y re >, e nm caminho de ferro que
Offlcio ao Exm. Sr. vice-presidente da provincia, deve unir Entre-Ros a Corrientes pela margem do
Tenho pronta o offlcio de V. Exc. datado de 11 Uruguay, afim de facilitar a communicago entre o
do correnle, e s hoje recebdo, pelo qual V. Exc. baixo e o alio Uruguay.
me recommenda que convide os reverendos sacer- O trabalho das mias de ouro e prala das pro-
dotes que, nao sendo empregados pblicos, por isso, vincias do interior, principalmente em S. Joo,
anda nao f-iram convidados para assistirem re- promette larga eaclivaexplorago.
cepgo que nesta provincia se lem de fazer a sua No encerramento da sesso annua do congresso,
alteza imperial a Sra. D. Isabel, e a seu augusto es- pronuneiou o presidente da repblica um discurso
poso o Sr. conde d'Eu. nao menos importante que o anterior. Ah maoifes-
Em resposta cumpreme declarar a V. Exc. que' tou qual a altitude que assumiria, e de fado assu-
j em dala de 9 do corrente, por meio de urna mo, em presenga dos acontecimenios do Estado
circular dirigida aos Rvs. vigarios da cidade do Oriental do Uruguay, e daqulles que possam so-
Recife, e superiores dos conventos da mesma cida- brevir e compliqu>>m essa situago. A sua poliii-
de, convidei ao Rv. clero secular e regular para ca nesta parte resume-se em duas palavras nada
assislir a esse acto de recepgao. ; fazer que possa comproinelter seriamente a paz de
16 i que est desfrutando o seu paiz. Juslifica-se esta
Offlcio ao vigario da villa de Pao dos For- poltica com a mxima de Napoleo III a inercia
ros.Accuso recebdo o seu offlcio de 19 do prYi- sabedoria.
mo passado, no qual me diz que, eostumando era Nao eremos, porm, que o carcter argentino e
duas capellas filiaes dessa freguezia trausferir-se ,suas relagoes intimas com o Estado Oriental, ao
as feslividades dos oragos das mesraas (que sao mesmo lempo que seus antagonismos profundos e
Sanl'Anna i; S. Miguel), e fieando com esta trans-. aggravos gravsimos pelo que toca ao Paraguay
ferencia prejudicada a solemnidaie de Nossa Se- aconselhem e lolerem por muito tempo urna politi-
nhora da Conceigo, orago dessa freguezia, visto ca de paz a todo custo. O segredo dessa poltica
como os seus paruchianos nao concorrem para est sem duvida na altitude que tomou o Brasil, a
ella, desculpando-se com terem de subsidiar a cuja conta o governo argentino quer langar todo o
feslvidade do orago da capella que Ihe fica mais principal trabalho e as cusas da causa, que alias
prxima, est V. Rvma. determinado a prohibir commum, assim na banda oriental, como na co-
que taes festejos sejam transferidos para outro va da fra Paraguaya. i
tempo, permiitindo lio somonte que se fagara nos Admirar-nos ha que o general Mitre hesite por
das proprios. muilo tempo em colher a gloria e todas as vanta-
Em resposta cabe-me dirigr-lhe que nao pode gens que ao seu paiz promelte urna perfeila e el-
V. Rvma. prohibir que se transfira qualquer so- fectiva allianga com o Brasil.
nEPUBUCA DO Uni'GL'AY
A revolugo que rebentou em 1862 dura ainda e
, durara por muito lempo, se nao fra a iutervengo
do Brasil.
O general Flores levanlou o primeiro sitio poste
a Montevideo para encontrarse com o seu adver-
sario general Servando Gmez; entretanto teve lu-
Convm portante que os fiis lenham toda a lber-; gar urna mudanga de governo na cidade, expiran
dade de concorrer para aquella festvidade que for do o lermo da presidencia de Berro, que foi poltico
mais da sua devogo"; cumprindo to smente a imprevidento e exclusivista, mas administrador
V. Rvma. excitar nos seus parochianos a devogo honrado.
Conceigo Immaculada de Nossa -enhora, pois | Urna fraego do mesrao partido blanco conseguio
empregado V. Rvma. o zelo e a dedicago que o por urna manobra hbil reunir-se e organisar um
caraeterisam, os seus parochianos necessariamen-': novo goveruo que tem apparencias de legal e pnn-
te ho de adherir aos seus desejos. e auxilalo no cipiou a funccionar no mez de mirgo.
Esie governo provisorio e anormal moslrou a
; principio tendencias para um arranjo cora o gene-
ral Flores, e para terminar pacificamente as
complicagoes que ento existan com Buenos-
Ayres.
O general Flores oceupou os deparlamentos de
Minas e Maldonado, e logrou a derrota de Po Co-
ronel, e das forgas do governo em Serr Largo, fi-
cando desta sorte somenle os povos do Sallo e
Paysand sujeitos s autoridades de Montevideo, ao
jiole do Rio-Negro.
Ao terminar o primeiro anno da revolugo acha-
va-se esse geueral, seu incansavel e seu invenclvel
campeo, frente de 4,000 homens, pelo que pre-
sumi se que elle poderia entrar na cidade de Mon-
tevideo.
A presenga de urna misso especial brasileira em
Montevideo, provocada pela exeitago que a falal
emndade com o simples pretexto de que' os fiis
nao concorrem para a festividade do orago da
matriz.
O tempo da festividade de Sanl'Anna tempo
chuvoso, e por isso natural que, ou por este ou
por qualquer oulro motivo, se transfira esta festi-
vidade para lempo mais secco.
seu empenho de festejar a excelsa Padoroeira
dessa parochia, que tambem o de todo o Imperio
do Brasilcro.
RIO -: I.4XEIRO
Retrospeclo poltico do auno de 1861.
PARTE EXTERIOR.
III
AMERICA MERIDIONAL.
Repblica Argentina.
pa, approvo a cscolha que V. Rvma. faz do cdado
ca o mappa dos bitos havidos nessa freguezia no] Manoel Adelo do Espirito Sanio, a quera pode
anno de 1863, como Ihe foi exigido em circular de ; noraear para o lugar do exonerado.
6 de dezembro ultimo.Igual aos vigarios das fre-
guezias de Itamb, S. Pedro Marlyr de Olinda, Mi-
ranguape, Santo Anto, Una, Quipap, Papacaga,
Cimbres, Ingazeira, Igreja Nova e Alagda de Baixo.
Dito ao presidente e veteadores da cmara mu-
nicipal de Caruar. -Pelo offlcio de Vmcs. do 9
- 7-
Offlcio ao vigario da cidade de S. Js de Mipibii.
Tenho prseme o seu offlcio de 30 de dezembro
prximo passado, em que me diz que, havendo nes-
sa freguezia diversos sacerdotes munidos de auio-
risagao para celebrar o Santo Sacrificio da Missa
do corrente, fico sciente de se acharem empossados em casas particulares, e sendo isto opposto as leis
os novos vercadores desse municipio, e aguardo a da igreja, julga do seu dever fazer chegar ao meu
deciso do governo imperial acerca das oceurren-1 conhecimento o qno se d a tal respeito, afim de
cias liavidas na eleigo de que se orgiuou essa ca- que eu decida como convem.
Os acontecimentos que ora se desenvolved! as
margens do Prata edos seas'afluentes prendera "Jj",^' ^ wacMVx^lSo" maiTmVm pro
por tal sorte a attengao dos que esludam a marcha ^ocam contra os Brasileros, tornou mais critica a
daquelles povos, que pouco diremos sobre os fac- | sltuaCao daquelie governo, que todava nao preslou
tos ordinarios occorridos no periodo que abrange ; desdev logo a^-ao qu Ihe devia merecer este
este retrospeclo. O anno foi de paz, e a paz nae fact0
d lugar ao inesperado e maravilboso, em paizes
que apenas encelara a carreira de seus grandes Depois de trocadas intilmente as primeiras no-
melhoramentos pacficos. (tas sobre asreclaraag5es brasileiras, repentinamen-
A Repblica Argentina entrou em nova, /a des- .te o ]j*Clroo argentino procurou envolver-se na
de a batalha de Pavn, em que firmou-se b triura- ] questo com a Iniciativa de um plano de paz inter-
inara.
Dilo ao juiz de paz mais votado do actual qua-
driennio da freguezia do Recite.Em visla do que
coramunica-me Vmc. em seu offlcio de 15 do cor
Em resposta cabe-me dizer-lhe que mu bem fun-
dado o seu empenho, e que V. Rvma. nao poda
nem devia presenciar silencioso esse abuso, vis-
to como os sagrados caones e constituigSes dio-
rente, recoramendo-lhe que guardado o prazo e cesanas prohibem as raissas em casas particulares.
__;.. f^aiH*!! Jkilnn J A I .. -., i -* l-i n iiii\i'mihiii\a I nllUfl Hiiil lirii-' n ion inL' (Mi I li 11 "nilivnA nn.i nm mnn
mais formalidades da lei, proceda a convocago
dos eleilores e sapplenles, que devem concorrer
para a organisago da junta de reviso dessa fre-
guezia, a qual dever Vmc. reunir no dia 5 de
margo futuro, que para isso tenho designado.
Dito ao 1" juiz de paz da freguezia do Recite do
quadriennio findo. -Declarndome o 1 juiz de paz
do actual quadriennio dessa freguezia nao ler-se
apresentado Vmc. no dia marcado pela le para
proceder a organisago da respectiva juma reviso-
ra, dando lugar a que se retirassem os eleilores e
supplentes, qae (miara comparecido, enmpre que
Louvandopois,o seu zelo.eu Ihe ordeno que em meu
nome exija desses sacerdotes as autorisagdes que
dzem ter; e nao as apresentando, ou apresentando
alguma aulorisago que noseja passada pelo ordina-
rio, prohiba-lhes a conlinuaco dessa faculdade, o
dme parte circunstanciada tanto das aulorisa-
g.5es assignadas pelo ordinario, camo das qae fo-
rem passadas por qualquer outra autoridade eccle-
siaslica mencionando o tempo em qno foram con-
cedidas-ele.
tunero que V, Rvma. assim o secutar com a.
brevidade poivel. .
pho do partido unitario, representante da memora-
vel allianga de 18>l,que acabou com o dominio de
Rosas. Aos Brasleiros, cuja bandeira fluctuou bu-
llante nos.campos do Cerrito o Caseros, deve ser
grata a recordago desse aclo, bem como as conse-
quenclas nalnraes e lgicas que delle vo ema-
nando.
A batalha de Pavn elevou o general Mitre ca-
deirade presidente da Repblica Argentina, eclip-
sando seno extinguindo a influencia do general
Urquiza, e lavrou o ultimo annel da cadeia de oa-
na e externa, para o qual facilitou o concurso do
plenipotenciario do Brasil, o Sr. conselheiro Sarai-
va, e do ministro inglez residente em Buenos-Ay-
res, o Sr.vThornton, que ambos se prestaram ao
pensamento louvavel do governo do general Mitre.
Assim reunidos em Montevideo os rs. Elizalde,
Thornlon e Saraiva, trataram de nm accordo entre
os dous beligerantes, accordo a que infelizmente
nao se chegou, porque o governo oriental nao quiz
de forma alguma admittir a condigo de nm mi-
nisterio mixto ; quera o predominio do seu circulo
ro argentina, incorporando a provincia de Buenos-! exaltado, quando a revolucao ameagava o seria
Ayrus s suas treze irmas, das quaes desde 1852 i mente e o paiz soffria profundamente,
vivera separada. Vollaram os ministros mediadores a Buenos-Ay-
Buenos-Ayres era mais que um simples membro res, e d'ahi ivgressando o Sr. 'aralva a Montevideo
do corpo social argentino, era a cabega e o corago aprsente", nm ultimtum que o governo de Aguir-
desse grande corpo, que de outro modo vlveria, re repellio an linune, para lancar-se depois a car-
como se vio at ao aconleomento que cima rom-
memoramos, vida artiltoial, precaria o estril.
O general Mitre, condecido antes como Iliterato,
jornallstt e militar bravo, mgs{rou-se haWl capi-
reira do desatinos que desde entao tem percorrido,
sacrificando interesses vitaes do sea paiz sob o pre-
texte de, defender urna, independencia que, nmguem
aiaca.
O general Flores, retirando-se de Montevideo,
apoderouse da Florida e Durasno,e tornou Mon-
tevideo.
\ O ministro italiano reatou entretanto as negocia-
goes de paz, mas tambem sem resultado algum, e
i a guerra conlinuou seu curso falal.
Urna nova tentativa de paz felta pelo general Ur-
quiza, em seu carcter particular, teve a mesma
sorte por causa da obstinagao do governo de Mon-
tevideo.
Nestas circumstancias o almirante brasllero en-
tendeu que devia obrar mais efflcazmente, e escre-
veu urna nota confidencial aos agentes diplomticos
em Montevideo a respeito do transporte de muni-
goes de guerra que se fazia pela bandeira mer-
cante de suas nagoes, no intuito de nao se verobri-
gado a medidas de mais rigor conlra o obslinado
governo de Montevideo. Este pedido foi respondi-
do por modo que bem revela a parcialidade dos di-
tos agentes, que assim animavam a resistencia
e levavam a lula s suas ultimas consequen-
cas.
Foram bloqueados os portes de Paysand e do
Salto, no Uruguay, pela esquadra brasileira. Urna
brigada do nosso exercito entrou no Estado Orien-
tal e sua presenga fugo a guarnigo do Serr
Largo, ficando mais este departamento sob o domi-
nio de Flores, que voitra a sitiar Montevideo sera
resultado algum.
Ao bloqueo de Paysand e Salto uccedeu logo
a temada deste ultimo ponto pelo general Flores, e
o ataque da primeira praga pelas forgas de Flores
e da nossa esquadra. Os sitiadores eram poneos
em relago aos sitiados e suas forlificagoes, mas
houveram-se com admlravel denodj; a resistencia,
animada pela parcialidade delguusdos agentes di-
plomticos a que j uos referimos, o pela lonca
corabinago do circulo exaltado de Montevideo, fi-
cou reduzida defensiva material, esperando a lo-
do o momento auxilios de Montevideo, do Paraguay
e de Entre-Ros.
O auxilio de Montevideo appareceu afinal, mas
j encoutrou pelo seu coslado o exercito brasileiro,
que a marchas toreadas avangava >obre Paysand.
Recuaram, e, ao que se diz, tentara agora a guerra
de recursos, confiada a Sa e Servando Gmez :
preparam-se para resistir em Montevideo com o au-
xilio diplomtico dos representantes dos inleresses
neutros.
Nao se lembraro estes que ainda ha pouco a
Franca e a loglaterra aproximaran! os seus ca-
nhoes da costado Montevideo paraoblerem o reco-
nhec mente das reclamagSes de seus nacionaes, que
soflreram muito mems do que leem soffrido os
Brasleiros ?
O exercilo brasileiro em Paysand qner dixer a
prompta tomada pelafergaou a rendigo desla pra-
ga, e o levanlamenlo do bloqueio all, como se pra-
licou no Salto. Depois o theatro das operagoes se-
r Montevideo, onde o governo agomsante de
Aguirre expirar para dar lugar paz do seu paiz
e ao respeito que se deve a urna nagao pacifica e
generosa como o Brasil.
REPBLICA DO PARAGUAT,
A repblica do Paraguay, dizeinos mal, o vaido-
so e ignorante tyrannetc desse bom povo sabio da
chrysalide, como dzem os Portenhos.
Proclamouse par droit de conqule el de nai>-
sanee o protector (quem lal o creria !) da indepen-
dencia oriental; declarou guerra ao Brasil; fechou
o rio Paraguay nossa bandeira (e s outras, nao?
que miscravel astucia!); e falsa f apri-iooou u
paquete brasileiro Mrquez de Olinda, capturando
os seus passageiros, entre os quaes se acha o Sr.
Frederico Carneiro de Campos, nomeado presiden
te da provincia de Malo-Grosso e depulado a as-
sembla geral do Brasil.
Nao ha duvida que o soi disanl general Lpez
prometteu enviar suas hostes ao Estado Oriental
para darera rabo de Flores e do Brasil; mas tam-
bem pode ser que elle nao lenha feito seno Ilu-
dir o seu alliado Aguirre, para que este entrelenha
o exercilo biasileiro quem do Uruguay e d lem-
po fera para melhor guardar-se no seu covil e
d'ahi investir de vez em quando conlra a pacifica
provincia brasileira, que ha lano tempo soffre pe-
lo atrazo e crueldade do governo da Assumpgao.
Parece que Lpez conta va com a liga de Corrien-
tes e Enlre-Rios. Mover algumas tropas para Cor-
rientes nao Ihe era cousa difflcll, physica e moral-
mente fallando. Manda-las lo longe, para urna
guerra de invaso, s a loucura o lngara nesse
despenhadeiro. Quem Deus vult perder prias
amenlat, o que se est verificando cora esse mo-
go pretencioso, que herdou os defeitos sem as qua-
lidades boas de seu pai.
O presurapgoso general Lpez ficou muilo cheio
dos elogios que elle mesrao tem encommendado por
tod? a America e Europa, acredilou-se cerlamenlc
o successor de Pedro o Grande no Novo Mundo, e
ei-Io no caminho da sua perdigo. O Paraguay, que
lauto deve ao Brasil, que at instructores di arli-
Iharia e marinha Ihe dra era outro lempo, qnando
Rosas ameagava absorver a infeliz repblica, o Pa-
raguay insulta ealfronla o Brasil, punge-nos o co-
rago, condemnando ao marlyn'o da sua barbarida-
de, Brasleiros inermes que pacificamente Iransitj-
vara pelas aguas communs, na f de urna nago
culta, que se julga va ora paz cora esse traigoeiro
vizinho.
Que resta ao Brasil ? Apaohar a luva, nao o di-
remos, porque esta phrase se applica aorompiraea-
lo entre cavalleiros ; responder ao Paraguay : Lu-
pum auribus tenes, e ir dar lgo severa a esse te-
merario e odioso provocador. Essa caricatura da
China deve desapparecer, resultando da guerra a
que somos emliin forgados a regenerago do povo
paraguayo, sem o que seremos outra vez accom-
meitidos de improviso pela fera que se abriga den-
tro dos muros da Assumpgao. E' urna guerra jus-
ta santa essa a que o Sr. Solano Lpez nos ol.n
ga. a civilisago e a digoidada humana estaro
comnosco.
PARTE INTERIOR.
O anno oe 1864 foi para lodo o mundo um pe-
riodo de angustiosos contrastes. O Brasil nao u-
capou a esla lei do deslino.
Sofieinos durante elle urna crise rommercial
como nunca se vira entre nos, e estamos hoje em-
penhados em duas guerras ao sul do imperio, com
o obstinado governo de Montevideo e cora o estul-
to e arrogante Lpez do Paraguay.
Ha vemos de vencer, porque a nossa rau-a jus-
ta, e sobram-nos patriotismo e elementos de guer-
ra, mas um longo e dispendioso desvio causado
aos nossos trabalhos pacficos.
O mundo, porm, est regido por mo de infal-
livel sabedoria, Dos nunca abandona a sua obra e
os seus fiis.
A par dos infortunios tivemos aconlecimentoa fe-
lizes, que afflangara o nosso, futuro e attestam o
nosso progressivo desenvojvimento.
Dons jovens e esperanzosos principes europeos
entroncaram-se na familia.imperial do Brasil, oran-
do a sua sorte das graciosas princezas, to esme-
radamente educadas por seus augustos e extremo-
sos pas, O Brasil inteiro applaudia a cscolha e
feslejou os consorcios dos Srs. conde d'Eu e duque
de Saxe com as Serensimas princezas D. Isabel a
D. Leopoldina.
O primeiro casamento celekrou-se a 15 de oulu-
bro, e o segundo no mesmo, da do mez de dezem-
bro, /
O tronco de nossa futura rede de caminhos da
ferro, de que por ora sao merabros dispersos &


Diario de Fernambuco -- Sabbado ti de Janeiro de i 8..
vas frreas de Pcmambuco c da Bahia, j4 se es-
tende at barra do Pirahy, na ctenlo demuiUs
leguas. A sua {trolongacao at s Tres Barras, nos
limites da provincia de Minas-Geraes- com a o
Rio de Janeiro, obra ha.mv^ilo. comejada, cojo
termo portante nao est longe. -
A populago brasiltlra iio foi este atino accom-
'oanna Maria da Conceico, Parahiba, 20 annos>
solteira, Boa-Vista ; hronchite chrouica.
Alexandrina Maria da Silva, Pernambuco, 23
amos, solteira, Snnto Antonio; apoplexia ful-
minante.
Anria, Pernambuco, H metes, S. Jos ; bexigas.
Maria, Pernambuco, 2 mezss, S. Jos ; ophlas.
tnetiida por epidemia algn. As nossas colheitas Joanna Baptista Gomes Lima, Pernambnco, 90 an
__ .. ____ .... ,_1 n. J,.,, ilmn iilliniilC nnc Clllulrt l.vi \*. 1 ...unir ,.
sao nolavelmenle superiores s dos dous ltimos
annos. A emigragao europea d escassa, mas o
lempo e nossa prosperidade ha de provar aos bra-
cos que definham por Taita de emprego em sua pa-
tria natal, que nenhum pait da America Ities offe-
; apoplexia.
metes, Boa-Vista
va-
nos, solteira, Boa-Vista
Manoel, Pernambuco, 6
rilas.
Marinha, Pernambuco, f anno, Recife ; interit.e
19 -
rece mais atractivos do que o Brasil, onde a po- \ Gertrudes, escrava, frica, 51 annos, solteira, Boa-
breea europea tantas veres tem encontrado o bem | Vista ; congestao celebrar,
estar e a opulencia cora poucos annos de paciencia i Manoel, escravo, frica, 60 annos, solteiro, Recl-
e trabalho. | fe; ttano.
Ha aqui climas para todos os temperamentos, Manoel, Pernambuco, 14 mezes, Santo Antonio;
urna nalureza por toda a parte frtil eemgramlel convulcoes. Dr. Francisco Cordeiro da Rocha Campello.
parte por explorar, instituicSes livres, povo hospi- Joo Leal de Moura, Pernambuco, 80 annos, viu- Francisco Jes da Silva,
taleiro e pacifico, sesuranga de vida ede proprie-i vo, Boa-Vista pulmonile. I Francisco Antonio Pontual.
arte i Catharina, frica, 60 annos, solteira, S. Jos;; Francisco de Paula Correa d'Araujo.
O Brasil es passando por urna grande iransigo! tero. Firmino dos Santos Vieira.
na sua vida econmica. O trabalho escravo cede Joaquina, oscrava, Pernambuco, 40 annos, soltei-! Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
lucar todos os lias ao trabalho Iivre. ra,^. Jos; gastrite. | Francisco Xavier Carneiro Lins.
^-anclsc
Francisco de Barros Falcao de Lacerda Cavalcanle
de Albuquerquc.
Francisco Augusto de Oliveira Barros.
Francisco Antonio Cavalcante Couceiro.
Francisco de Paula Goncalves da Silva.
Frederico Lopes Guimaraes.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Francisco Sergio de M.lios.
Francisco Augusto d'Araujo.
Dr. Francisco Leonardo de Souza Miranda Cont.
victorias alcanzadas contra os orgulhosos batavos aquelle-que obtido mediante a deslillacao de fres-
e a corda de louro de Guararapes ; mas essa indi- cas e odorferas Aeres, se apnra e aperfeiga |peio
cacao annuncia-vos altamente que esses louros em-
murcherao, qoe essas batalbas sero riscadas da
memoria dos vindouro, si, no Prata, nao Ihes ac-
crescentardes o numero, nao colherdes novos
louros.
Em 1852, os numerosos triumphos obtides na
campanka dos oitenta das, desde o Paran e Rio
Negro at o Colorado e Cerro; em 1852, as victo
Lins.
A nova lei de hypolhccas e de crdito territorial, Francisca Gomes Ferrar, Pernambnco, 4o annos, i Francisco da Silva Miranda.
que o acto mais importante
da ultima sessao le
gislativa do Brasil, promelte grande beneficio
no.-sa agricultura, que nao vira rpidamente, mas
que a ajudar gradual o successlvamente a recons-
truirse sobre as novas bases que a civilisagao Ihe
assignala.
O futuro deste imperio nao pode deixar de ser
grandioso. E sombra de suas magestosas monta-
nhas, ao ruido de scus caudalosos nos, em meio
de todos os encantos de urna vegetagao privilegia-
da, o homem industrioso encontrar aqui saude,
elvilisacao e riqueza. O Brasil isla na vanguarda
do progresso sul-americano.
(Jornal do Commtrcio.)
solteira, Santo Antonio cancro. Dr. Fernando.de Sa e Albuquerque.
Francisco de Mello Lins, Pernambuco, 32 an- Dr. Francisco do Reg Barros Barrete
nos, solteiro, Affogados; apoplexia pulmonar.
PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA.
A Caixa Filial paga o seu vigsimo-segundo di-
videndo na razo de 105 por aeco.
E?to designados os das 30 e 31 do correte
para exames dos preparatorios preliminares do
Curso Commercial Pomambucano.
A vista do seguinte facto, que nos communi-
ram, parece que nao vai muito regular o servieo
do telegrapho-eleclnco, sendo no entretanto de alta
conveniencia que se nao reproduza o facto a que
alludimes.
No dia 14 do correnle foi expedido da estagao
da Garaelleira nm despacho telegraphico, antes das
3 horas da tarde, para ser communicado a un ar-
mazem da ra do Trapiche, e isto s leve lugar,
porm, as 10 horas d'amanhaa do dia seguinte.
Ora, assim nao lucrar o commercio cousa al-
guma com esse meio de transmisso de suas noti-
cias ; e no facto que relato, aconteccu at que o
contedo do despacho foi sabido prime'uo por via
de pessoa vinda no trem ordinario, que pelo refe-
rido despacho, sera embargo da proximidade da cs-
taco leleg:aph!ca, e do armazem a que era expe-
dido o aviso, ler estado aberlo lodo o dia.
a Qucira, |>os, consignar este facto em sua Re-
vista, afim de alertar a adminislrago daquelle ser-
viro, de modo a evitar a contiouagao dessa oceur-
rencia ; viste que, se no facto alludido, a delonga
nao iroportou um prejuizo por ser a noticia de na-
tureza a nao admitti-lo, em muitosoutros casos nao
acontecer assim, licando ao contrario comprme!-
tidos interesses muito significativos.
Hoje fnneciona a sociedade Promotora da Colo-
nisacao Polaca do Brasil, ao meio-dia em ponto.
Coniecou lionteni o concurso para segundo
escripturario da thesouraria provincial, seudo dada
a prova de grammatica.
Eram tres os concurrentes, mas um reti-
rou-se.
Remettem-nos o seguinte, pedindo sua publi-
cage : i
Senhores redactores da Revista Diaria.Como
parece que estamos em poca apropriada para re-
tiordagao das atrazados da cossa chara patria, quei-
ram publicar na sua Revista os seguintes aponla-
mentos mu authenlicos, e agora assaz aprovoita-
veis ; o que Ihes gradecerei, eme animar a con-
tinuar em idnticas remessas. O Pernambucano.
t Segundo o relatono do ministro da fazenda,
em 1839, as provincias concorrem para o cofre
geral do seguinte modo :
Porcento.
l'.io de Janeiro e municipio
neutro............... 33,26
Bahia................... 13,33
Pernambuco............. 12,96
Minas-Geraes............. 9,10
Rio Grande
S.Paulo..
Para.....,
Maranho.
Paran..
doSul.
9,10
7,88
3,12
2,70
1,34
Cear........-........... 1,05
CIIKOMCA JIMCIAM
Dr. Francisco de Paula Cavalcante de Albuquer- ras de Tonelero, Rio das Conchas, Campo de Al-
que. vares, e Chcara de Cazeros, e o sangue de nossos
Francisco de Panla do Reg Barros. irmos derramado naquelles lempos e nesses Inga-
Francisco Antonio da Silva Cavalcante. ros, tudo flear perdido, si vos nu lembrardes que
Francisco Accioli de Goveia Lins. no campo do combate ha um dever sagrado a eum-
Dr. Francisco Amyntas de Carvalho Moura. prir, mais importante do que todos os deveres do
Dr. Francisco Gomes Velloso de Albuquerque lar domestico.
Pernambucanos, a vossa propria reputacao c os
! grandes destinos, que aguardara o nosse paiz, vos
I impde o dever de tomar parte activa na presente
guerra,de irdizer noscamposdoParaguay e Monte
video: ao Brasil, que Pernambuco a mai dos cem
Graccos, a viuva dos oitenta hroes, tem tantos
Graccos e hroes, quanlos filhos; a America e ao
mundo inteiro quena paz, o Brasileiro cordeiro,
o mais pacifico dos homeus, na-guerra leo, o
bravo dos bravos e na victoria generoso para com
o vencido.
Que silencio, que indiffereHtismo esse, quando
os nossos denodados irmos do Rio Grande do
Sul, Rio de Janeiro e Rahia partem espontanea
TRIBUNAL UN COMMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 19 DE
JANEIRO DE 1865.
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM. SR. DESEMBARGADO!!
. ALEXANDRE BERNARD1NO DOS RES E SU.VA.
As 10 horas da manliaa, estando reunidos os Srs. I Dr. Gervasio Pires Campello.
Francisco Antonio Pereira da Silva.
FrasceH no Carneiro de Lacerda.
Francisco Cavalcante. de Souza Leao.
Felippn Benicio Cavalcante de Albuquerque.
Dr. Francisco Ferreira Martins Rlbeiro.
Gedeao Forjas de Lacerda.
Goncalo Jos Affonso.
Genuino Jos Tavares.
Dr. Galdino Ferreira Gomes.
Gustavo Jos do Reg.
Geminiano Joaquim de Miranda.
contacto do ar, e por conseguidlo a sua duracao
de maior espaco de tempo.
Eis por isso que a agua Florida de ilurray e
I.tnman, formando urna concentrada producto
das mais raras flores do sol, apanhadas durante o
tenith da sua florescencia e maior fragrancia, nao
s possue a fresquido de um fresco ramalhete.
mas tambem c indeslructlvel einextinguivel, a nao
ser a excepto de lavagem do lenco anteriormente
humedicido na mesma.
Vndese as pharmacias de Caors & Barbosa e
J. da C. Bravo & U
CQ11ERGI0.
Colares offlclaes.
PIUCA DO RECiFE.
20 de Janeiro de 1865.
Algodo primara surte24500 por arroba.
Cambios sobre Londres90 d(v. 27 e 27 1|4 d.
por 1000.
Dubourcq Jnior,presidente.
Guimaraessecretario.
Novo banco de Pernambuco.
O banco descoma na presente semana a 10 por
mente para o theatro da guerra I Temis a fraca Mnt a? an,no a'e o Prazode qualro mezes e a 12
,. J o nnr ponh. il.t A fU. tu.: m.iTaj (Ail Ainhoirn o m.
por cento at o de seis mezes; toma dinheiro a ju-
ros a prazo nunca menor de tres mezes, e saca
sobre a praca da Bahia.
Capiao de mar e guerra Hermenegildo Antonio
Barbosa d'Almeida.
Hypolito Jos Roberto.
Henrique Jos Alves Ferreira.
Hermino Ferreira da Silva.
Heliodoro Fernandes na Cruz. .
Herculano Deodato dos Santos.
Dr. Hermillo Duperron.
Henrique Stepple.
Horacio de Gusmo Colho.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Leal, e
presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
presidente declarou aberta a sessao.
Lida, foi a pprovada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um ofBcio do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, de 14 do correte, communicando que, por
decreto n. 3,338 de 10 de dezerabro prximo lindo,
Im creado no termo do Ex da comarca de Cabro- __
b, um lugar dejuiz municipal, que accumular as Dr. Henrique do Ri-go Rarros.
funecoes de juiz de orphos.-Accuse-se a recepgo, Dr. Horacio Walfredo Peregrino da Silva
e archive-se. Hercalaao Alves da Silva.
Outro do mesmo Exm. Sr., de 10 do referido Hypolilo Casciano d'Albuquerqoe Maranho.
niez, transmittindo copias do aviso circular de 20, Dr. Herminio Francisco do Espirito-Santo,
de dezembro ultimo, e da nota a que nelle se allu-: Herculano Duarte de Miranda Henriques.
de, dirigida pelo Exm. Sr. ministro de eslrangeiros Henrique de Miranda Henriqaes.
lega^o de Sua Magestade ridelissima, sustentan- Ismael Cesar Duarte Ribeiro.
do o direito que pela legislarlo do Brasil teem os Ignacio Benlo de Loyolla.
juizes de orphaos do noraear curadores aos nter- i Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
ditos subditos eslrangeiros.Accuse-se a recepgo Dr. Ignacio Firmo Xavier,
e archive-se. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Outro do Exm. Sr. conselheiro presidente do Ismael Araavel Gomes da Silva,
tribunal do commercio da capital do imperio, de | Ignacio Francisco Cabral Canlanil.
29 de dezembro prximo (indo, aecusando o rece- j Tenente Joo de Siqueira Campello.
bimento do em que o Exm. Sr. desembargador; Joaquim Dativo Telles de Souza.
Res e Silva Ihe communicou ter assumido a presi- Jos Pedro das Neves.
dencia desle tribunal, em razao de ter o Exm. Sr. \ Jos de Si Leilao Jnior,
desembargador A. F. Peretti tomado posse da pre-, Jos Goncalves Torres,
sidencia da provincia na qualidade de primeiro vi- Jos Paulo da Fonseca.
ce-presidente.Mandou-se archivar. Jos Baptisla da Fonseca Jnior.
Ouiro do Dr. juiz de direito especial do com-; Dr. Jos Joaquim de Souza.
mercio, de 14 do corrente, remetiendo as relagSes! Jos Isidoro Pereira dos Reis.
que Ihe forara solicitadas em 2 do referido mez. Jos Francisco de S Leilao.
Archive-se. Jos Pereira Vianna.
Ioram presentes os mappas dos trapiches Tasso,' Joao Bernardino Botolho.
(Jouba e Avila, relativos ao semestre Ando.Man- Dr. Joo Pedro Maduro da Fonseca.
daram-se archivar. Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment.
Duliberou que se convocasse o collegio eleitoral Jos dos dantos Neves Jnior,
afim de reunir-se no dia 7 de fevereiro prximo Joaquim dos Santos Neves.
futuro, na salada Associacao Commercial, para I Jos Hvgino de Souza Galvo.
proceder a eleicao de um supplente que deve subs- Justino' Pereira de Fana.
lituir o Sr. Jos Antonio Basto que foi eleilo depu-. Jos Pereira Teixeira.
,ai0- Joao de Freilas Barbosa.
Sendo presentes pelo offlcial-maior da secretaria Dr. Joaquim Pires Machado Portella.
certidoes negativas dos trapiches e armazens de; Dr. Jos Soares de Azevedo.
deposito alfandegados que nao apresentaram os Joaquim d'Almeida Pinto,
mappas relativos ao semestre Ando, a que sao obri- Jos Candido Vlegas.
gados em virtodejdo disposlo no artigo oitenta e no- Joo Ferreira Vilella.
ve do cdigo do commercio. O tribnnal mandou
que o mesmo offlcial-maior autoasse as certidoes
relativas aos trapiches Barbosa, Machado, Forte do
Mallos, Baro do Livramento, Companhia, Pelouri-
nho, Companhia Pernambucana e Ramos, e arma-
zens n. 13 do trapiche Baro do Livramento, e n. 7
do trapiche Alfandega Velha ; e desse vista ao Sr.
desembargador fiscal
Distribuiramsc pelos senhores deputados, afim
de serem rubricados, os livros copiadores das ca- 6ow, fez-se hontem circular as paginas d estejor
sas commerciaes de Tasso Irmos e Prenle Vian-1nai u,n exlen5 c.om.mu?|cad. I, invocando este
(Contuuar-se-ka.)
COMMUNICADOS.
A' proposito da ultima exoneraco que soffri
do cargo de recrutador geral da provincia de Ala-
na & C, e os diarios das de Joao da Malta Beltro,
Ges & Bastos, e o de entradas e sahidas dos ar-
mazens de Luiz Jos da Silva Guimaraes.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio de Souza Leal Flo-
res e Frederico Alves Pereira Pinto, pedindo o re-
gistro do distrato de sua sociedade :Vista ao Sr.
desembargador fiscal.
No de Joao da Silva Faria, pediodo que soja re-
gistrada a nomoaco que aprsenla de seu calxeiro
Trajano Carneiro Leal :Como requer.
No de Theodoro Christianspn, pedindo que so re-
gistre a procurarlo que aprsenla : Begistrc-se.
No do Jos de Mello Cosa Oliveira e Mathias
Jorge da Silva, pedindo que seja registrado o seu
contrato de sociedade, que foi visto pelo Sr. des-
embargador fiscal :Registrc-se e publique-se.
No de Ma:a & Espirito Santo, pedindo carta de
registro para seu navio Adolpho : Salisfacam o
parecer -fiscal.
Nos de Jos Jacome Tasso (2), pedindo certidoes
da carta de registro do patacho denominado Anna:
D-se-ibe.
Janeiro
onerado do termo de responsabilidade que preslou
como propnetario do navio Santa Barbara, que foi
condemnado por incapaz de navegar : Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
No de Julio da Costa Ribeiro, pedindo sua reha-
bilitaco : Autoado pelo amanuense Chacn, a
quom se nomeia escrivo, desse vista ao Sr. des-'
embargador fiscal.
_ Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a ses-
sao seodo meia hora da larde.
Parahyba................ 1,04
Alagos................. 1,27
Sergipe.................. 0.94
Matto-Grosso.............. 0,79
Piauhy.................. 0,73
Santa Catharina........... 0,62
Rio Grande do Norte...... 0,49
Goyaz.................... o,40
Amazonas............... 0,38
Espirito Santo............ oj-28
Segundo o relatorio da commisso da atTande-
ga da corte, e o discurso proferido na sessao da
cmara dos senhores deputados aos 31 de maio de
lb34.
* Exlstiam no imperio 8,800 empregados civis
com ttulos do governo geral.
i O thesouro e as thesourarias de fazenda oceu-
pam 731 pessoas.
As secretarias oceupam 210 pessoas.
O conselho de estado 12 pessoas.
Outro sim existiam 3,037 pensionistas, aposen-
tadoe e empregados de reparticoes extinctas, seodo
2,H5mulheres equasi todas da corte I I 1
Dusa condi{o, ditosa gente.
BEPARTICAO DA POLICA
Extracto das partes do dia 20 de
de 1865.
Forain recolnidos casa de detenco no dia 19
do corrente :
A ordem do Illra. Sr. Dr. chefe de polica, An-
tonio Francisco de Barros e Francisco Antonio
Aleixo, para recrutas ; Firmino, escravo de Abreu
& Veras, apprehendido pelo oflicial de vizila do
porto cooa passaporie falsificado.
A" ordem do Dr. delegado da capital, Antonio
Carneiro Wanderley, ou Tertuliano Leite de Me-
nezes, cooio pronunciado era crime de tentativa
de morie em Caruar.
A' ordem do subdelegado do Becire, Carlos
Goncalo, hespaoftoJ, requL-io do respectivo
cnsul; e Raymundo, escravo de Antonio Joaquim
Fernandes, por brjga.
A' ordem do de S. Jos, Besedicla Maria dos
Prazeres, Paulo da Costa, Florencia Maria da An-
nucciago, e Esperanga, escrava de Raphael de
Araujo por disturbios.
A'ordem do da Capnnga, Manoel Joaquim do
Espirito Santo, por insulto e desordera.
O chefe da segunda secgo,
J. G. de Mosquita.
Movimenlo da casa de deiengo do dia 19 de
i*neiro,.d8,1863- mmm I Francisco (eraldo Moreira Temporal.
ExisUamTpresos390;>Dtraram Id ; sabiram 26 ;' Francisco Anlonio de Brito.
exislem 37. Francisco Jos Cyrillo Leal.
A saber : nacionaes 395 ; eslrangeiros 21 ;! Firmino Jos de Oliveira.
mulheres 4 ; estrangeiras i ; escravos 47 ; escra-1 Flix Francisco de Souza Magalhes.
vas (5-Total 373. Francisco da Costa Ribeiro.
Alimentados a cusa dos cofres provinciaes 152. Florencio Doraingues da Silva.
. *9,v,inienl0 da enfermara do dia 20 de Janeiro j Francisco Borges Leal,
de 1805. FranCSC0 Lucio de Castro.
leve MOI, I or. Francisco Lucas de Souza Ransel.
Raymundo, escravo de Anlonio Fernandes ; Francisca Antonio Pereira de Brito.
CODluoes- ,Q I Francisco Jos Raposo.
Obituario do da 18 de janeiro de 1865, no Dr. Francisco de Carvalho Soares Brandio
u^Tl KaM- o Dr Fracsco Pires Machado Portella.
Maooel, Pernambnco, 8 das, Recife ; convulcoes. Dr. Francisco Leopoldino de Gusmo Lobo
francisca Alexandrina Guimaraes, .Pernambuco, Dr. Francelino Bernardo Quinteiro
58 annos, viuva, Boa-Vista; affeccao cancerosa Francisco Antonio das Chagas.
no otero. Francisco da Silva Reg.
Mana, Pernambuco, 21 annos, solteira, Afogados ; Flix Paz da Silva Pereira.
lebre maligna. Francisco Canuto da Bda-Viagem.
Esperanga, escrava, frica, 60 annos, solteira, Francisco de Oliveira Mello e Silva
Boa-Vista ; tobercnlos pulmonar. Frederico Augusto de Lemos.
Anna Joaquina do Reg Machado, Pernambuco, Conselheiro Francisco de Paula Baptista
44 annos, solteira, Afogados jascite. Francisco de Ltmos Duarte.
Leopoldina Barbosa, Pernambuco, 16 mezes, Boa- Firmino Herculano Baptista Ribeiro
Vista ; varilas. i Dr. Francisco Pinto Pessoa.
Manoel, Pernambnco, 1 anno, Santo Anlonio ; Dr. Francisco Goncalves de Moraes.
convulcoes. Francisco AnUnio Pontual Jnior.
Carlos Diogo da Costa, frica, 60 asnos, solteiro, Francelino Aueusto de Hollanda Chacn.
Recife ; repentinamente. Fauslino Jos dos Sonlos.
No de Amorim Irmos, procuradores de Jos Ro- i e"\ ca,,a dil 8idaao seu honrado successor,
drigues Sacavem, pedindo que o mesmo sea des- m:,.lmente reconheceu, altnbuindo o seu a
__.r...i. j .___: j. *...,. f>\-i Revlsodo jury de n de Ja-
neiro de 1865.
SContinttacao.)
Foram qualificados jurados os cidados seguin-
Emilio Xavier Sobreira de Mello.
Dr. Egidio Francisco das Chagas.
Dr. Eduardo de Barros Falcad de Lacerda
Eduardo Firmino da Silva.
Ernesto Ignacio Cardim.
Estevio Jos Paes Brrelo.
Francisco Ferreira Borges.
Francisco Mamede d'Almeida.
Francisco Joaquim Tavares de Mello.
Francisco Jos de Oliveira.
Francisco Marrano de Miranda Castro.
Felisberto Ignacio de Oliveira.
Francisco de Salles d'Andrada Lima.
Dr. Franci:co Teixeira de S.
Dr. Felippe Nery Collago.
Fortnalo da Silva Neves.
Francisco Joaquim Pereira Lobo.
.XSJt
acto como o resudado da exigencia de urna sup-
posla influencia polilica, deixa escapar sinceras
palavras de de^contenlamento para com o governo
imperial, encerrndose por algumas refl?xoesem
que iransparece o receio de urna provavel violagao
deinlegridade do imperio.
Protestando que nenhoma parle tive nessa pu-
blicagao, cujo autor nao applaudio a minha nomea-
go para o cargo de recrutador dos municipios do
Recife elinda por julga-la contraria economa
de estdo, corre-me o dever de declarar que, em-
bora as tanta. injusticias de que tenho sido victima
e alguma d*ellas preparada pelo mais infame e pr-
fido ardil de um administrador irresponsavel, nao
compartilho os senlimentos do communicante quan-
do insina que, se as cousas levarem o caminho
que vao, a separacao operar-se-ha cedo ou tarde.
O ministro que, era attengo um ofllcio confi-
dencial d'esse Sr. Domingos de Souza Leo, de to
iiigloria recordacao em nossos aunaes administra-
tivos, julgou conveniente exonerarme do cargo
que exercia n'este municipio e no de Olinda, tanto
se convenceu da inju.-tiga do seu proceder que,
for-
ado a
exigencias menos razoavets do sempre lembrado
ex-presidente de Pernambuco. Algum da farei
correr a publica forma d'essa valiossima decla-
raco, que honrando a memoria do integerrimo con-
selheiro Jos Mariano de Mallos, contera o mais in-
suspeito juizo sobre essa infeliz e ominosa admi-
nistracao de que tantos males promanaram para
esta provincia.
De novo exonerado do cargo para que fui no-
meado, impon ho-me reserva sobre esse acto do go-
verno imperial, observando apenas qoe, em quioze
das de exercico, jolgo nao me haver desusado da
linha dos meus devere<.
Beclfe, 19 de janeira de 1865.
Francisco Joaquim Pereira Lobo.
PUBLICARES A PEDIDO.
Confite patritico.
Parecer lalvez grande ousadia nossa dirigir a
palavra a todos os Pernambucanos, porm o amor
da patria tem urna torga irresistivel sobre nossas
aegoes, domnanos completamente : pedimos hu-
mildemente licenga para dzer-lhes :
O ingrato e perverso governo de Montevideo
manda assassnar nossos concidados, all residen-
tes, violar-lhes a honra c roubar-lhes a proprieda-
de ; e acaba de fazer-nos o maior dos ultrages, pra-
ticando tambera o acto mais revoltante e indigno
de um governo civihsadoem um banquete de de-
lirios, em um festim de selvageria e de ferocidade,
langa ao fogo os tratados, em que tiohamos prodi-
alisado quelle anarchico estado os maiores Sene-
cios.
Esquecendo-se de que, quando no faustissimo e
prodigioso dia 3 de fevereiro de 1852 o paviiho
aurl-verde victorioso fluctuou era Monte-Cazeros
anniqnillou-se o tyrannico poder do Caligula Ame-
ricano e coro elle a iniqudade devastadora dos
leaes e bons Argentinos, e vencendo o Brasil trium-
phou a cailsa da paz e liberdade dos povos do Pra-
ta, o prfido Paraguay, desconhecido aos nossos
immensos favores, ousa ameagar-nos com urna in-
vasao, audazmente marcha sobre nossas fronteiras.
Quando, pois, a honra e dignldade da patria sao
assim ultrajadas e no exterior abalada a integrida-
de do Imperio, chegado o momento para o Bra-
sileiro de pagar o tributo de sangue devido pa-
tria e deve paga-Io as campias do Prato, sera que
Iti'o peca o chefe do estado.
Pernambucanos, este nome que revela o heros-
mo, ser vo, nada exprimir, se nao fordes imme-
diamente ajoniar o brilhode vossas armas brl-
Jhantez das armas dos valerosos de Paysand.
os tmulos dos hroes de Pernambuco abrem-se
e o dedo de todos el les aponta-vos as numerosa
()Por se haver dadohontemumengano,confun-
dindo-se ara communicado doSr. coronel Lobo com
outro que procede de fonle diversa e traa difi-
reme assumpto, damos espago publlcago daquel-
le senlior que aeim o julgou cobveniente aos seus
inleresseg.
(A redaccao.J
langa do gancho, tendo a'nossa frente o maior dos
mqnarchas ? I Temeris por ventura perder a
existencia ? A um Brasileiro, principalmente ao
fillio do Norte, apraz ouvir o ruido das armas,
nao treme dianle da morle, quando combate pela
patria. Recejareis talvez pelo futuro de voseas fami-
lias ? O decreto de 7 do corrente mez, o. 3371, ga-
ranten.
O pranto, pois, de vossas esposas e as lagrimas
de vossos filhos devem ser considerados por vos
proprios como presagios de immortal renome.
Qual d'entre vs Craquear no momento de vin-1 Volamesentradoscomfazendas..
gar os bros nacionaes calcados aos ps pelo
Alfandega
Rendimentododia 1 a 19.........410:4835759
Wemdodii. 20................ 37:513*813
447:9973572
. pu-
zilanirae gaucho e de por potente freio aos liorri-
veis assassinatos e rapias exercidos por alguns
bandos de salteadores, creados e alimentados pelo
governo de Montevideo ? Nenhum por certo : lo-
dos anhelara levar muio longe a gloria da Naco
Brasileira e dictar urna paz gloriosa.
A geragao presente, adnnrando-vos, pedir as
bengaosdoco sobre vossas cabegase a posteri-
dade ser daquelle, sobre cujo brago estiver o dis-
tico Voluntario da pabia ; ser daquelle que, ou
morreu no conflicto, ou voltando para a cidade,
villa ou aldei de sua residencia, cheio de nobre
orgulho, pode dizer :eu tambem servi no exer-
cito, que fez>as immortaes companhas de Montevi-
deo e Paraguay.
Recife, 19 de Janeiro de 1865.
O major Bornardo Luiz Ferreira Celar Mureiro.
Movlmcnto da alfandega
236
com gneros... 241
Volumes sahidos com fazeedas.
com gneros .
477
Urna lagrima sobre a campa
do iIIih. sr. tenente Anto-
nio jEgldlo da Silva.
Km macula enim sunt
ante thronum Dei.
APOCAL.
Se certo que a expressao nos falta quan-
do queremos exprimir cousas fortemente
sentidas; se anda verdade que os mais do-
lorosos seutimentos sao os mais difflceis de
se verter em a linguagem; como poderei eu
encontrar phrases para exprimir as Instes
emogoes de que o meu corago se acha re-
pleto, pelo lamentavel passamento do lllm.
Sr. tenente Antonio Egidio da Silva ? Nao
posso Todas as nimbas phrases se es-
pedaeam e quebrara de encostro energa
de meus sentimeutosl...
Um pai carinhoso, typo de esposos, excel-
lenle prente e amigo," puro em seus aire-
los, humano,-caridoso, robustamenle orino-
doxo, de carcter complceme e allavel,
digno preceptor da mocidade, um cidado
verdadeiramente prestante; es o homem
que acaba de trauspor os umbraes da eter-
nidad!-, na uoite de 15 do correnle I
Durante a sua existencia de I janeiros, o
tcneute Antonio Egidio da Silva caminhou
sempre na estrada da honra, respeitado e
querido por todos que couheciam os braz5es
de suas preciosas virtudes
Morieu como um verdadeiro chnsto:
cercado de sua desvelada esposa, das vir-
tuosas Alhasrdos- charo.! Alhos, do dedicado
genro, o lllm. Sr. lenlo Antonio Egidio da
bilva rierebeu com a mais viva contriego
todos efe soccorros da igreja : as suas pala-
vras, o^ seus gestos, e a paciencia com que
soffreu' sempre os elTeitos da enfermidade
que Ih arrancava a vida, tudo foi urna pro-
va bem.patente da piedade de seu coraci
e das ilinumeraveis boas qualidades de que
era dotado 1
espjdrado-se ue todas aquellas pessoas
que Iheleram mais queridas, anciando, com
os olhoi j bagos, j quas cadver, inmerso
na dor Ja molestia e na de deixar sua nu-
merosa familia; alinal expirou e a sua can-
dida alma voou para o co, como o su.-piro
quena rago vai, para Dos.... E assim
despreodeu-se a sua alma da materia para
mais bella fulgurar no Paraizo, porque sendo
ella agradavel ao Creador, Elle se apressou
do meio das iniquidades deste
124
1,143
----- 1,267
Descarregam no dia 21 de janeirode 18C3.
Barca franceza Guilherme Telmercadorias.
Brigue ingiez-Olellodem.
Patacho ingiezM. E. Corming carvao.
Barca inglezaMimosadem.
Lugre ingiezArr/urcarvao de pedra.
Importaco.
Brigue ingiez Jane, entrado de Terra-Nova, con-
signado a Jobnston Poter & C.; manifeslou o se-
guinte :
3,370 barricas baealhao, aos niesmos.
Bregue ngleza Talbot entrado de Terra-Nova,
consignado a Jobnslon Paler & C. ; manifeslou o
seguinte :
2,470 barricas de bacalho ; aos mesmos.
Barca ingleza Mimoza, entrado de Liverpool,
consignado a Saunders Broihers & C.; manifeslou
o seguinte :
18 caixas e 3 barricas tijollos, 1,000 caixas sa-
bo, 71 ditas gaz e 333 toneladas de carvao de pe-
dra ; aos niesmos.
itecebedoria de rendas Inter-
nas geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 19.........11:472,5132
dem do da 20................. 895892
12:3683024
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 19........ 83:2543237
dem do dia 20............... 5:9813935
89:2363192
JKQVIMENTG DO POETO
iVatuo entrado no da 20.
Carden", 33 das, barca ingleza Ucean Belle, de 530
toneladas, capiao Pater Jarres, equipagem 18,
carga carvao : a Jolinston Pater & C.
Xavios entrados no mesmo dia.
New-York, por Barbados, barca ingleza Waralet,
capito Osborne, em lastro.
Marseille, brigue austraco Anastasio, capitao D.
Freandine, carga assucar.

EDITIS.
a tira-
inundo.
Eis a
perangajs
gustias,
i
vida oque : n'uma hora risos, es-
, venturas e prazer; de chofre, an-
pezares, lagrimas, saudades, era
sumraajmateria, podrido e p I.... E as-
sim morir o rico, morre o pobre, morre o
fidalgo, [morre o plebeu I Triste lldar da
misera humnnidade!___ A' Antonio Egi-
dio tinha chegado o marco da vida que Ihe
dera o Omnipotente.... Forgoso era que a
deixass para gozar a felicidade eterna como
preroio de suas obras sempre to merito-
rias.... Morreu? Sim, mas elle aceita nos-
so extrt mo adeos, e se nao o vemos mais
cora os ilhos phislcos, que s curta dis-
tancia dislinguem os objeclos ; resta-nos a
sua me noria e vemo-lo com os olhos d'al-
ma, nara os quaes nao ha looges....
E v, esposa e filhos, chorai, que o pranlo
as feri las d'alma o balsamo mais efilcaz
qoe nos enva o Supremo, e quando as la-
grimas ne sahem pelos olhos, reAuem o co-
rago, ( innundam-n'o....
ChorAi, mas comochristos e sem descrr
com f profunda na virtode, que foi o pha-
nal de vos esposo e pai, que fervoroso,
nunca sbandonou a Cruz.
Bom esposo e pai como era, en mesmo
presenciei que, anda os ltimos pensamen-
tos que esvoagaram na sua fronte moribun-
da, foram todos dirigidos ao futuro de sua
idolatrada esposa, de seus queridos Alhos e
llhas, i quera a sua derradeira bengao, por
certo, fpl o santelmo benfico, que ha de il-
luminar essa dlfflcil ernzada da vida que el-
les tee de perrorrer..'
Vossi esposo e pai deixoa pobreza de
bens, n as legou-vos um nome cheio de hon-
ras e brios.... Dos vos proteger, porque
as nossas crengas ensinam-nos que nao ha
vereda occullas oade a Omnipotencia Celes-
te nao dhegue...
Confjrtai-voscom a nossa Santa Religio e
com a rontade do Rei do Universo....
E \as, Antonio Egidio, l judio de Dos,
aceitai [estes gemidos tristes e lamentosos,
estas lagrimas de gratido e amizade que
orvalham os suspiros e as saudades tilo fun-
dos qui broiam no corago d'aquelles que
amave
Reci 18 de Janeiro de 1865.
C. L.
Agua :Florida de Hurray *!k Lan
man.
A verddeira prova da genuidade e pureza de
qualquer jira perfume extrahido das fiores consiste
na sua duradoura existencia quando exposto in-
fluencia do ir, O aroma derivado de leos chimi-
cos desvanece em breve e deixa aps de si um
cheiro por certo mui pouco agradave!, porm
Tribunal do commercio.
O tribunal do commercio da provincia de Per-
nambuco convida aos Srs. negociantes nacionaes
matriculados e residentes neste districto, eompa-
recercm no dia 7 de fevereiro prximo futuro, s
9 horas da manhaa, na sala da Associagao Com-
mercial ReneAceul, para proceder eleigo de um
supplente que tem de substituir ae Sr. Jos Anto-
nio Basto que fui elflo deputado para o quadrien-
no corrente, devendo o substituto servir at o fim
do anno de 1860, lempo que faltava ao substituido,
na forma do titulo nico do cdigo criminal e de-
creto de 3 de setembra de 1830.
para constar mandou o sobredito tribunal fa-
zer esle, .jue assignado pelo seu secretario, ser
publicado no Diario de Pernambuco e Jornal do
Recife, e anixado na praga do commercio com a
lista de que trata o arl. 5 do citado decreto.
Secreiaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco 19 de Janeiro de 1863.
Eu Jos Marcelino da Rosa, secretario o subs-
crevi.
Jos Jeronymo Monteiro.
Luiz Antonio Siqueira.
Manoel Ignacio de Oliveira.
Antonio Jo? Leal Reis.
Jos Marcelino da Rosa.
Joo gnacio de Medeiros Reg.
Elias Baptista da Silva.
Jos Baptista da Fonseca Jnior.
Antonio Jos de Castro.
Jos Francisco de S Leilao.
Luiz Jos Rodrigues de Souza.
Joo da Silva Faris.
Gabriel Antonio
Manoel Duarte Rodrigues.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
Joaquim Jos da Costa Fajozes.
Jos Rodrigues Pereira.
Jos Candido de Barros.
Antonio Luiz dos Santos.
Jos Pereira da Cunha.
Aureliano Augusto de Oliveira.
Pedro Joaquim Vianna de Lima.
Jos Joaquim Das Fernandes.
Jos Velloso Soares.
Maooel Joaquim llamos e Silva.
Vicente Mendes Wanderley.
Joo Cardoso Ayres. *
Antonio Valentn) da Silva Barroca.
Francisco Acioli de Gouva Lins.
Jos Nuoes de Paula.
Antonio da Silva Ferreira Jnior.
Jos dos Santos Neves.
Aoiooio Alves Barbosa.
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Joaquim da Silva Lopes.
Joo Pinto de Lemos.
Vicente Jos de Brito.
Barlholomeu Francisco de Souza.
Jos Pires Ferreira.
Joo Pinto de Lemos Jnior.
Caetano Cyriaco da Costa Moreira.
Joo Jos de Carvalho Moraes.
Lourengo Luiz das Neves.
Miguel Jos de Abren.
Candido C. Gnedes Alcoforado.
Jos Anlonio Basto.
Antonio de Moura Rolm.
Antonio Ignacio do Reg Medeiros.
Felisberto Ignacio de Oliveira.
Joaquim Francisco do Espirito Santo.
Augusto Frederico de Oliveira.
Jos Francisco Lavra Pena.
Herminio Egydio de Figueiredo.
Manoel Jos da Silva Guimaraes.
Domingos Alves Mathons.
Bernardino Jos Monleiro.
Silvino Guilherme de Barros.
Thomaz de Aqiiino Fonseca.
Feliciano Jos Gomes.
Francisco Antonio da Rosa.
Joaquim Maoncio Goocalves Rosa.
Aotonio de Souza Pavoiide.
Jos Gomes Leal.
Antonio Gomes Miranda Leal.
Henrique Bernandes de Oliveira.
Francisco Ferreira Bailar.
Joo da Cunha Magalhes.
Thomaz Francisco Salles Rosa.
Olymplo Gongalves Rosa.
Luiz Jos da Silva Guimaraes.
Jos Moreira da Silva.
Jos Pereira Vianna.
Jos Pereira da Cunha Jnior.
Jos Augusto de Araujo.
Joao Baptista Gomes Pena.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco, 19 de Janeiro de 1865.
Est conforme.O oATcial-maior, Julio Augusto
da Cunha Guimaraes,
O capito Luiz Osario do Reg, juiz de paz mais
votado da freguezia doSastiatimo Sacramentado
bairro de Sanio Anlonio da cidade do Recita de
Pernambuco, em virtude da lei, etc.
Fago saber, que, por nao se haver instalado no
dia 15 do correnta (3a dominga) a organisaco da
junta ravisora que tem de rever a qualificago do
anno antecedente, dos cidados que teem direito
de votar as eleigoes de eleilores, juizes de paz e
vereadores, convoco os elei.tores e supplentes abai-
xo declarados, para que imprelerivelmeme com-
paregam no corpo da igreja matriz desla freguezia
s 9 horas da manhaa do dia 19 de fevereiro pr-
ximo vindouro, sob pena de soffren m a multa de
403 60 i*-, ou leudo comparecido deixarem de
assignar a respectiva acia ; coja convocaco foco
em virtude do ofBcio da presidencia, que o se-
guinte :
4a secgo. Palacio do f overno de Pernambuco,
18 de Janeiro de 1865.Nao se tendo insultado no
dia 15 do correte a juola revisora de qualtAraeao
dessa freguezia pelos motivos declarados em officio
daquclla data, que me dirigirn) os respectivas elei-
lores e supplenles, reconimendo Vine, ero vista
do que determina os avisos de 18 de Janeiro d.-
1854 e 31 de maio de 1861, que guardados os pra-
zos e mais formalidades da lei, convoque o eleilo-
res e pupplentes, e rena no dia 19 de ftvereiro
preximo vindouro a respectiva junta, qoe dever
ser presidida por Vine, nos termos dos citados ati-
s.
Deus guarde VracAnselmo Francisco Peret-
ti.Sr. juiz de paz mais rotado da freguezia de
Santo Antonio desta cidade.
Eleilores.
Os Srs.: Deodoro l'lpiano Coelho Catanho, Joa-
quim d'Aqumo Fonseca, Francisco de Araujo Bar-
ros, Antonio Augosio da Fonseca, Francisco de
Paula e Silva, Manoel Antonio Viegas, Jos Pran-
cisco Carneiro, Francisco Xavier Pereira de Brito
Luiz Jos Pereira SimSes, Caetano Pinto de Veras,
Manoel Antonio de Jess Jnior, Inoocencio Rodri-
gues de Miranda, Antonio Rangel de Torres Ban-
deira, Manoel Antonio Pereira, Jos Joaquim de
Moraes "Sarment, Silvino Guilherme de Barros,
Antonio Jos Alves Ferreira, Severiano Jos de
Moura, Francisco de Souza Reg Monteiro. Flix
Antonio Alves Mascarenhas, Jos Francisco de Pau-
la, Jos da Fonseca e Silva, Jos Flix de Brito
Macedo, Flix Francisco de Souza Magalhes, Ciau-
dino do Reg Lima, Joo da Cunha Soares Guima-
raes, Jos Francisco do Reg, Caeano Silverio da
Silva, Luiz de Franga Sonto, Miguel Candido de
Medeiros Pinto, Antonio Epaminondes de Mello,
Justino IVreira de Faria.
Supplenles.
Os Srs. : Joao Francisco Teixeira, Luiz Cesario
do llego, Angelo Henriques da Silva, Antonio Jos
da Costa Ribeiro, Manoel Camello Pessoa, Francis-
co Antonio de Brito, Francisco Antonio Pereira de
Brito, Jos Maria de Alencar, Luiz Clementino Car-
neiro de Lyra, Joaquim Gregorio dos Reis, Ladis-
lao Jos Ferreira, Manoel Antonio de Alcntara,
Joo Baptista da Silva Prxedes, Manoel Thomaz
de Parias, Casemiro dos Reis Gomes e Silva, Joo
Luiz de Carvalho, Joaquim Olinto Basto?, Florencio
Baptista de Oliveira, Joaquim da Silva Reg, Flix
Venancio de Cantalicio, Jos da Cunha Teixeira,
Claudino Benicio Machado, Jos Luiz Pereira, Er-
nesto de Aquino Fonseca, Jacinlho Antonio de
Mello, Miguel Jos de Almeida Pernamboro, Joa-
quim Pires Machado Poitella, Manoel Jos da Sil-
va Neiva, Ignacio Nery da Fonseca, Francisco Do-
mragues da Silva, Firmino Francisco de BrilJ, Al-
bino do Reg Machado.
E para constar mandei fazer o presente edital,
allixa-lo na porta da matriz dusla freguezia e pobli-
ca-lo pela imprensa.
Recife, 19 de Janeiro de 1865. En, Joaquim da
Silva Reg, esenvao que o escrevi. Lhiz Cesario
do Reg, juiz de paz presidente da junta.
DECLAligES.
i'.ixa flilal do banco do JB.asil
eni Pernambuco,
14 de aneiro del9tS.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de ^ebastio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ihes toca da venda de urna das proprieda-
des, que segundo a concordata.lhe foram entregues
para serem vendidas.O guarda-livros,
:gnaeio Nunes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22." di-
videndo de lOji por aegao.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
Tribunal do commeito.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Peroambuco se faz publico qoe nesta dala fica re-
gistrado o coolrato de sociedade feilo por Jos An-
lonio Pereira Vinhas e Emygdio Jos Gongalves
Serra, porluguezes, elabelido nesta cidade b a
firma Ferreira & Gongalves ; devendo a mesma
sociedade dunr por espaco de 2 annos, contados
de 5 de jnlho do prximo' passado, com o capital
de 2:867,5314 existentes nos fundos do esiabeleci-
mento. entrando o socio Vinhas com a quantia de
2:2885018; e o socio Serra com a de 579J296, li-
quido dos seus ordenados vencidos como caixeiro.
Secretaria, 14 de Janeiro de 1865.
O ollicial-maier,
Julio Guimaraes
Pela mesma secretarla se faz publico que
nesta data fica registrado o contrato de sociedade
celebrado entre Olympio Gongalves Rosa, brasilei-
ro, e Antonio Ferreira da Cuoha, portuguez, esta-
belecidos nesta cidade, sob a Arma de Rosa & Cu-
nha, cujo uso compele ao socio Rosa ; devendo a
mesma sociedade durar por lempo do 3 anuos,
contados do 1 do correnle mez, com o capital de
11:0004, em diuheiro realisado ale o Am do pri-
meiro mez do contrata, entrando o socio Rosa com
a quantia de 10:000$ e o socio Cunha com a de
1:000,11.
Secretaria, 14 de jaceiro de 1865.
O offleirl-maior,
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria se faz igualmente pu-
blico que nesta data Ac registrado o contrato eito
por Jos Herminio de S e Souza e Trajano Eva-
risto Ferrao Castalio Branco, brasileiros e estabe-
lecidos na povoago de Pedras de Fogo da comarca
de Goianna desta provincia, sob a firma de Souza
& Branco, da qual usar o socio Branco ; devendo
dita sociedade durar por tempo de 3 annos, conta-
dos do 1 de dezembro ultimo, com o capilal de
1:0O0, fornecido pelo socio Souza, em dinheiro.
Secretaria, 13 de Janeiro de 1865.
O ofljcialmaior,
Julio Guimaraes.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambnco se faz publico que nesta data tica re-
gistrado um papel de sociedade feito entre Antonio
Domingos Pinto e Jos Antonio Teixeira, por tem-
po indeterminado, cujo Am comprar algodo no
centro da provincia, descarogar e enfardar, nao
s o de sua propriedade, como por coota de tercei-
ro, na machina que para esse fim tem em Capoei-
ras, e isto com o capital de 4:000,1, fornecido pelo
socio Pioto, em dinheiro, sob a Arma do qual gi-
rar dita sociedade, e a quem compele exclusiva-
mente o uso.
Secretaria, 30 de dezembro de 1864.
O offlcial-maior,
Julio Guimaraes.
Consulado provincial.
Pela mesa do consoado provincial se faz publi-
co que no da 10 do corrente se principian) a con-
tar os 30 das uteis marcados para a cobranga
bocea do cofre do anno fioanceiro vigente dos im-
postes de 4 0(osobre casas em que se acbarem
estabelecimentos de commercio fra da cidade do
Recife, prensas de algodo, typographias, cochei-,
ras, boteqolns, notis, casas de pasta, cavallarices
e fabricas, de 8 0|O sobre consultorios medicse
clrurgleos, cartorios e escriptorios.de 20 0|0 sobre
estabelecimentos de commercio em grosso e a re-
'. i


I
t e

\

-

talho, armazens de recolher, e os trapiches, de
50J por casa de bilhar e modas, de 1005 por casa
que vender roupa feita po estraogeiro, de compra
e venda de escravos, de correlores commerciaes e
agentes de leilao, de 1:0005 sobre casas de opcra-
qdes bancarias com eraisso e previlegios, de 6005
pelas ditas coraemissaoe sem previlegios, de 4005
pelas ditas sem emisso, companlnas anonymas e
agencias, de 2005 pelas casas de cambio, de 305
LlI-tOlS.
LEILAO
DK
Erna taberna na na do Padre Floriano n. >.
HOJE.
O agente Pestaa legalmenle autorisado, far
pelos escravos empregados no servico de alvaren-! leilao por conta e risco de quem pertencer, da ar-
gas, uei5 por tonelada de aivarenga e canoas magao, gaz, gneros e raais utencilios'existentes,
abertas, de 305 por cada bote ou saveiro, de 305 na taberna sita na roa do Padre Floriano n. 5, em
por cada balieira, da 105 por escravo ganbador ou um oumais lotes, sabbado 21 do correte, pelas
empregado em servico de transporte ou em arma-i10 horas da raanha, na mesma taberna._______
seos, de 105 por cavallo de sella de aluguel, de |ft;ijiA a* ..k;-. ,m i M,M1,
fiA nnr eavalln mrlirular rt X 0.0 nela venda de LWW UUld COltieira C0B1 4 CaiTOS
65 por cavallo particular, de 5 0|0 pela venda de
capim e o imposto de carros, carrocas e mnibus,
e tambem o Io semestre do de 20 0|0 do consumo
de agurdente das freguezias desta cidade e dos
Afogados, S. Lourenco, Santo Amaro de Jaboatao,
Muribeca e Varzea, ricando sujeitos a multa de 6
6)0 sobre os seus dbitos depois de Ando o dito
praso.
Mes do consulado provincial de Pernambuco
7 de Janeiro de 1865.
ABtonio Cavneiro Machodo Ros.
Consulado de Franca
O capito Hulaud do navio francez Tonkin em
reparacao nesle porto precisa tomar a risco cerca
de dezesete contos de ris (17:0005000) para pa-
gar as diferentes despezas que fez neste porto. O
dito emprestime, o qual sera reembolsado em o
Havre, lugar do destino do dito navio, ser garan-
tido pelo mesuio navio, casco apnarelbos, mcame,
victualhas e seu carregamento. As pessoas que
pretenderen fazer este adiantamenio, sao convida-
das a comparecer terca fetra 54 do corrente, ao
mel dia em ponto no consulado de Franca, onde
tera lagar a dita adjudicarlo em presenca do Sr.
onsul a quem por menos Qzer.
Pernambuco, 21 de janeiro de 1865.
Leilao
De urna magnifica victoria que conduz 2, 3 on
4 pessoas, para um ou dous cavallos, arreos para
os mesinoseuma escolente parelha de cavallos
alazSes muito gordos e nevos.
Segunda-feira 23 do corrente.
Pelo agente Pestaa, na ra do Vigano n. 9, as
11 horas da manhaa.______________________
Leilao de mobllia e escravos
Segnnda-feira 23 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado por
- DeM^Mrr,iSeX da thesou- Pessoa que se ret.rou para a Europa vender toda
raria de f^zendi des anrovinc? se faz mibl cnue sua mobi,,a coas,ando d moi'ia de Jacaranda,
2 horas da tarde.para ser arrematada a quem por :SS^rSsd flormeWalc^itt2o
de4 redas, 1 berlimla, 20 cavallos,
arreiose seis perlences.
Seguoda-feira 23 de Janeiro.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente autonsacao, da cocheira da roa do Impera-
dor n. 23, com. 4 carros de 4 rodas em bom esta-
do, 1 berlind quasi nova, JO-cavallos de servico,
arreios, estiva, mangedora e mais pertences da
raesma cocheira, as 11 horas do dia cima dito, na
referida cocheira,onde poderao os pretendentes
examinaren) desde ji os objectos supra mencio-
nadas.
condicocs seria mostrados na mesma tnesouraria
aos urelendenies : as pessoas a quem eonvier a
sobreiita arremataco, devero comparecer na
mesma ihesmraria o dia e hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco em 18 de Janeiro de 1865. Servindo de
j:U.- il-in u u\ Manoel Jos Pinto.
Pela tnesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco da obra da concluso do raio
central da casa de detencao, fu transferida para o
da Io de fevereiro prximo vindonro.
Secretaria da tnesouraria provincial de Pernam-
buco 19 de Janeiro de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Conseibo adiniuistrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
segrales:
Para o presidio de Fernando.
2 duzias de agulhas de ac proprias de cozer
saceos de lia.
2 arrobas de rame de ferro, ou vergalho de
% polegada.
1 peca de cabo de linlio de urna polegada.
2 pe-cas de dito de dito alcatroado cora i 'i po-
legadas.
400 caibros de mangue.
1 tonelada de earvo de pedra.
1 Diamante encastoado para cortar vidros.
ttOO enchadas do Porto.
100 enchamels,
2 arrobas de fie de ve I la ioglez.
4 qnintacs de ferro sueco.
6 duzias de dotyradicas de cruz.
4 duzias de ditas me'nores
2 duzias de (echaduras de broca para porta.
4 duzias de ditas siogelas para ditas.
4 duzias de ferros pedrezes para ditas.
2 duzias de dito? ditos de rabo ditas.
2 lences de ferro para chapas de/echaduras.
3 duzias de limps tringulos de serralheiro do
"J, 5 e 7 polegadas.l
8 duzias de limis chatas de 10, 12, 14 e 16 po-
60 lialias ou trate* de 30 a 40 palmos.
2 rolos de panno de algodo proprio para ensa-
car laa.
25 pieoes.
25 picaretas.
50 pegas poitas de embira.
3pranchos da amarello vinhatico.
3 ditos de louro.
4 ditos de secupira.
10,000 pregos caibracs.
10,000 ditos ripaes.
40 molbos ripas.
2 arrobas tinta azul em mass a.
2 duzias taboas de amarello.
100 covados tapete para igreji.
8 libras de vermejho.
1 caixa de vidros para raixilhos com 11 polega-
<1s le comprimenloe 8 Quem quizer vender taesartigos apresentem suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
! ii administrativo as 10 horas da manhaa do dia
27 do corrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 20 de Janeiro
do 186.->
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebasliao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
artigas.
A eserava crioula Eugenia, idade 30 aunes, bda
figura, com urna cria de 4 annos, disposta para to-
do o servico, lava, cosioha e engomma bem. NI-
cacia crioula, id.ide 25 annos e i cria de 6 annos,
engomma, oosinha, cose, faz labyrintho, marca lu-
do com perfeicao e lambom corta seu vestido, 1
eserava idade 30 annos com 1 cria de 1 anno, co-
sioha e lava. Todas escravas de boas conductas
proprias para quam quizer ficar bem servido.
O leilao ter lugar segunda-feira 23 do corrente
pelas 10 horas da manhaa na ra do Vigario n. 9,
segundo andar._________________________
Leilao de urna taberna a rna do
Sebo o 1(5.
Segunda feir\ 21 do corrente s 10 1(2 horas.
Cordeiro Simos far leilao por conla e risco de
I quem pertencer da taberna cima mencionada, em
um ou mais lotes a vonlade dos compradores.
AYiSOS M1RITIM0S.
OOMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portes do norte espera-
do at o da 21 do corrente o va-
por locantins, commandante Pe-
ndro Hypoliio Uuarle, o qual de-
'pois da demora do coslume segui-
r para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
rnendas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERN'AMBUCANA
DE
\*;vegaeo eosteira a vapor.
l'arahyba, Natal, Macio, Aracaty, Cear
e Acarac.
No dia 26 do corrente s 5 ho-
ras da tarde segu um dos vapo-
res para os portos iudicados. A
'carga ser recebida at o dia 25
Pao meio dia, acompanhada dos
respectivos coahecimentos, encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete al as 2 horas do dia da
-jahida : escriptorio no Forte do Maltes- n. 1.
Para a Bahia
Pretende seguir com brevidade a sumacaf/or-
tencia, tem parte de seu carregamento promplo
para o resto que lh falta trata-se com os seus
ooKignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
,& C, no sea escriptoriorua da Cruz n. 1.
Para a Bahia pretende sabir em pouros das
ayreleira escuna Elis<, capito Belmiro Baptista
ddt Souza, tem a maior parte da carga tratada, para
o cuco que Ihe falta trata-se com os consignata-
rioii Pajmeira Si Beltro, largo do CorpoSanto n. 4,
prln\eiro andar.
, Porto por Lisboa.
Pretenda seguir com brevidade a muilo veleira
tarca poniigueza Corea, por ter grande parle da
irga engajada, paro" o resto e passageiros aos
quaes offereceos melhores commodos: trata-se
enm o consignatario T. de Aquino fonseca Jnior
n* travessa da Madre de Dos n. 5, primeiro an-
dar, ou com o capito na prap.a.
Rio de Janeiro
O patacho Valente a seguir em poucos dias, re-
cebe carga raiuda e escravos a frete : tratase
do Corpo Santo n. 6.
C4& 04 F0K(JiY4
AOS 61000.000
Xliibetes garantidos
1' rea de Cresp n. 23 e casas do eostone
O abaixo issigiiado voudeu nosseus mnitofeli*
zes bilhetes;araatidos da lotera, que seaoabou
de extrahir a beneflcio da Santa Casa da Mise-
ricordia, os seguintes premios:
Um quanos n. 1903com a sorte de 0:0005000
Dous quarto n. 916 com a sorte de 5O05i,OO. e
K outras muitas sorles de 2005, 100, 405 a
205000.
Ospossuidorespodera vir receber seusrespec-
ivos premios sem os desconlos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespn. 23.
Acham-so venda os da segunda parte da
decima primeira lotera a beneficio da matriz
da Bja-Visla, que se extrahir no dia"26 do
corrente.
P re eos.
Bilhetes inteiros..... 7500C
Mnios......... 35500
Quartos........ 15900
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes....... 65500
Meios........ 35250
Quartos......, 15700
Manoel Martins Fiuza
. i.1
pjteus4MMMMV M mu.
Estas pilulas Tegetaes sao a-
daptadas a todos os usos de ara
purgante as familias, pois .we
^perfeilamente imiocentes, e en
quanto aifhares de pessoas con-
fessara com gratidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nSo ha
um so caso em que haja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu algttns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ultimameate.
Um caso nota ve I de
XAROPE DEPURATIVO"!
IjE GOIJX
BOMO-SULPHOlODfjRADQ
ta
MDANCA.
Manoel Ferreira Pinto Malheiro mndou a sua
loja de ourives da ra das Larangeiras para a ra
do Cabug n. 2 B, onde espera continuar a mere-
cer a confianza de seus amigos, e do publico eir
geraL___________________________________
Precisa sn de urna ama para cozinhar e conr
prar : na ra das Cruzes n. 9, segundo andar.
Joaquim Reso e sua sendera subditos ingle-
zes, levando em sua companhia um criado subdi-
to francez, vao para a Europa no vapor ioglez
Magdalena.
Affecfo chronica do ligad.
li-i.iu. Sr-
Juiz e Fofo, 17 ie fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas;
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-!
do ; padecendo ha mais de doze annos en-;
fermidades do figado e baco, coaj o uso
das pilulas posso lbe assejjurar que estou
bom, pois ten io desapparecido um randa
engoritarrtento que soffria, muitas dores
sobre a fcgiac do figado e costas, dores de
cabeca, ihchacao do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posico para ler socego, lio- j
je me acho livre d'esse padecimenlo ; como:
por aqui ainda as nao haja, eu como tenho |
este propijio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me aliguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como-do charope de i
Este novo producto resultado do urna trplice combinacao de tres metalloides cujas proprie-
dades sao mu conhecjdas, o Bromo, o Euxofra e o lodo, oceupa boje a primeira ordern de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais nolaveis dos hospiues de Paris, os senhores Cazenave
Puche, Bazin, Blacbe, Guibout, Baroschet, Danet, Lcgroux, Vasse e Aubrj-, etc., demonstrara
sua poderosa efbeacia as afecedes seguientes:
Dornrn do pelle,
Darlros e hoibnlbiiM de toda capele,
Piaras imicofiii,
(Ibsli urcoi lyinpbatleos,
Papelraa,
Eaerofalaa,
Abceasoa, postema <,
Can croa,
Uleeraa,
Tinha.
Eaeorbola,
Plan ou Doabaa (do Brazil),
O Xarpe de Le Gonx, de urna fcil digestao c de gosto delicioso, se empreca tambem
com muita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
enancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre, a influencia de um vicio hereditario, e mu
superior neste emprego ao oleo de figado de bacalho e aos xarpes depurativos e anti-escor-
bucos que se administravSo at" agora.
Beposiio geral, em Pars, na botiea BouUay, membro da Academia imperial de Medicina de
Paru, official da Legio de Honra, e em todas as boticas de Franca c dos paizes cstrangeiros.
Franiboesla,
Humores rloa,
llu. liliUino
Ophlhalnila caerofnloaa e rhrauira,
Tislrn rurrofnlo,
Afficiie.H sypblllllraa,
Elcpkanllaala do Greyoa,
E todas as (lenlas occasionidas por un vicio do
saujuc, e j tratadas sem nenlium saccesso pelas
prepara?6es xegeUes, iodadas e o oleo de ligado
de bacalho.
Desappareceu ua lerca-feira 17 do correntej cereja, que Uve OCCasi5o de experimetilar ;,
as 10 horas dodia, da ruaireita n. 6, um papa- em um a|taque de guellas que leve urna
preta qttelcom elle curei, foco uso d'elles1
as tosse em minha familia sempre era
bom resujtado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pod montar a doze, [porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, todas tecm tirado grande
resultado i sou
De V. S. atiento abrigado,
Francisco Ferreira Paes.
gaio : quem o apauhou leve referida easa, que
se recompensar com 35200.________________
Precisa-se de um armazem pequeo para-
recolher fazendas : na ra da Cadeia do Recife
n. 18.
I-ello de movis.
Marlins fara leilao de urna rica mobilia de Ja-
caranda constando de 18 cadeiras de guarnir,io, 4
ditas de bracos, t sof, 2 consolos e urna mesa de
meio de sala, 1 escolente piano novo, 1 cama
francezade Jacaranda com cortinados, 1 toucador
de dito, 1 lavatorio de dito com jarro e bacia de
porcelana, 2 guarda vestidos deimarello novo?, 1
guarda roupa de mogno, 12 cadeiras do amarello,
1 sof de dito, 1 guarda louca de dito, um apara-
dor de dilo, 2 commodas de dilo, 1 quarlinheira
de amarello,ricos jarros de porcelana, l candela-
bro, 2 sorpentinas, diversos enfeites para touca-
dor, 1 apparelho de porcelana para jantar, 1 dito I
de ditopara almoco, talheres, garrafas, copos e
outros vidros de gosto, diversas pecas de pra'ta no-
vas e usadas, 1 machina de costura lina e ouira
que serve para coser obras grossas.
Na mesma occasio vender
urna casa terrea dividida em 2 que rende 225 i
raensaes na ra Imperial n. 260, e 5 partes de
outra rasa na ra da Roda n. 18.
Terea-feira 2i de torrente
Na ra do Queimado n. 5, primeiro andar.
Leilao le 35 barrls com ouci
uho Terea-feira 24 do corrente.
O agenle Pestaa vender em leilao por conla e
risco de quem pertencer de 20 barris com totici
nhode I,i>hoa em lotos a vontade dos comprado-
res : terca-feira 24 do corrente pelas 10 horas da
manhaa no armazem do Aunes defronle da al-
fandega. ___________
Leilao de niadeira.
Terca-feira 24 do corrente.
O agenle Pestaa vender por conta e risco de
quera pertencer porgao de madeira tendo algumas
Iraves, ludo no estado em que se acha, no largo
do Forte do Mallos: terca-feira 24 do corrente pe-
las 12 horas da manhaa.
Leilao de 290 cai&as com vidros
Terga-feira 24 do corrente.
O agenle Pestaa vender poj coma e risco de
quem pertencer 200 caixas com vidros no estado
em que se achara em um ou mais lotes : terga-
feira 2 do corrento 1 -hora da larde em pjuto
no trapiche do baro do Lfvram?nto no Forte do
Mallos.
No dia terca-feira 17 do corrente, a 1 hora
da tarde, em Santo Amaro furtaram um cavallo
qu andava pastando peado na campia do hospi-
tal dos Lazaros, e nessa occasio eslava no oilao
doquartelque foi de cavallaria, tem os seguintes
signaes : rodado novo, intelro, ps e mos caiga-
dos, e este com mal de besta, dina e cauda rega-
lares, carrega baito, carpudo, nos peilos marca de
ferida do peitoral per ser de carroca, no quarto
esquerdo o seguinle ferro SAP: roga-sc aos Srs.
donos de coxeira a quem for offerecido de o
apprehender o quem delle souber dirija su ao hos-
pital dos Lazaros a fallar com o regente do mesmo
que ser recompensado.
V
Militana Correia da Silva, o bacharel Jos
Antonio Correia da Silva e oalferes Francis-
co Antonio de S Oarrelo Junior, esposa.fi-
Iho egenro do finado Antonio Egidio da Sil-
va, agradecendo a aquellas pessoas que se
dignaram assistir as exequias do mesmo fi-
nados acompanharam o corpo al o ivmte-
rio, rogam-lhes e aos seus prenles e ami-
gos o obsequio de asslstirem os suffragios
do stimo dia que terao lugar no convento do
Carma, no dia '21 do corrente mez de Ja-
neiro, pelas 6 1|2 horas da manhaa, por cu-
jo acto anda se confessaro grato?.
iaar mrT ifavr-ei a *a^jbaae-sjSi3Si.
Precisa-se fallar cora o Sr. capital Aurelio
Joaquim Pinto a negocio de seu interese, como
XAROPE D'ETHER
DE BOLLAY
outor da Faculdadede Sciencjas, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legio de Honra,
n
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Pars.
Este xarpe composio mais de vinte aunes pelo sabio lente Boullay, constitue a me'bor
maneira de administrar o Etlier. He empregado com suocesso em todas as doencas que tirio sua
origcm de um erithismo nervoso, como sao as:
Enxaqueea,
Nciralclna,
E*|iaamo,
Aunque de nfrion
Verileen,
Syncopca,
culmino de eatomago,
liiill^ci6c'->,
Convtilaca,
Ari'c coudrlaroa,
Oollraa veuloaaa OU nrno-
, brpallraa nulnli-nlan.
AceeMBoa de a>ola c de rheu-
niallaaae,
Caaoa de emcnenlcniento,
ele, ele, ele.
Deposiio geral, em Puris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro d.i Academia
imperial de Medicina de Pars, official da Legio de Honra, ra des Fosscs-Montmarlrc, 17, e
em todas as boticas de Franca e dos paizes cstrangeiros.
Piliciim, (isme e ataques hemorrhoidaes.
Ii.i.m. Sr.
OuroiPreto, 30 de marco de 1864.
Posso rJertificar-ie que as pilulas ca-
tharticas d|) Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soflrerldo eu dores pelo corpo, e que
suppunlia ger rheumatismo, (molestia esta
que j liavja solrido ha annos") e soifreno
tambera d| ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido" pois que al j pouco ouvia, e
acompanhauo de urna dr no queixo, con-
sullei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que (evia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu ) almanack do mesmo doutor,
comprei en sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as inalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
! ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : porl mto sao para mim as taes pilu-
i las as mell ores que tenho experimentado ;
: isto em abe no da verdade. Sou
MISOS DIVERSOS.
Aos G-.OUUaUUO.
Quinta-feira 2ti do corrente mez, se ex-
trahir a segunda parte da decima primeira
lotera (3a) a benecio da mal iz da Boa-
Vista, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
se ignora sua residencia, por isso roga-se-lbe o
favor dirigir-se ao largo do Paraizo n. 10.
Alugam-se duas casas com bons commodos
o preco baralo na estrada de Olinda : a tratar na
ra da Maogneira n. 20.
abaixo assiguado declara ao publico e ao
corpo do commercio, que deixou de ser caixeiro
do Sr. Jos Fortunato dos Santos Porto, desde hoje
e aproveila o ensejo para agradecer ao mesmo se-
nhore sua Exraa. familia, as maneira> urbanas e
delicadas que lbe proigalisarain no periodo de 4
annos e i mazes de estada em sua casa. Recife
18 de Janeiro de 18C3.
ManeelMarlins de Oliveira Azevedo.
Aluga-se urna ama de leite parida a um mez
tendo bom leito : quem precisar dirija-se a cidade
de Olinda no Imcco de S. Pedro n. 41, defroute de
ura porto de Ierro.
Precisa-se alugar urna cozinheira forra ou
eserava, e que saiba comprar: em Sanio Amaro
u nto a funuico do Sr. Slarr.
Ouro-
Precisa-so de nma ama
para casa de pouca familia :
112, sobrado.
para eugommado,
na ra Uireita n.
por um an
Bquei perfi
que solTria
De V. S.
Amigo cjerto, venerador e obrigado,
O brigadeiro
JO-O PiODIUGlES FSO DE CaBVALHO.
(iaslrilo.
*>reto. 2 de marro de 1864.
Altesto que tendo feito uso, aconselhado
igo, das pilulas do Dr. Ayer,
lamente bom de urna gastrite
. jue privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinlo.
Augusto Gouati.no dk Mello.
Francisco Augusto da Costa
Falla de apetite.
Ouro-Pieto, t\ de fevzreiro de 1804.
Sendo e afleetado do (gado ha muilos
annos, e ltimamente solri falla de apetite,
hoje dou |fragas a Deus por acliar-nie sao
e perfeito com o uso das pilulas caluarlicas
do Dr. Ayor.
Amonio Bknto Vieiiia.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SFFOCgAO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio cl'licaz para combayir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromatice do Succino (mbar amarello) do I)r Danet. Dcscoberla inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que lem sempre produzdo.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 5i, ra do Comercio, Paris-Grencllc, e em todas as
blicas de Franca e do eslrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22. em casa de Caros d-Barbosa.
F. J. Germann, a ra Nova u. 21.
Acaba de receber um magnifico c completo sortimenlo dos objectos que de melhor qualidade se p
de encontrar em urna relojoaria, taes como : chrouoinetros martimos e de algibeira. relo?io-; de ouro
e prala, dourado* e filiados, ditos para .mesa e de parede, fraucezes, suissos, allemos e americanos,
reguladores de cumpensacao, relogios grandes com msica e sem ella, dilo de sol montados com pecas
para disparar em cerlas horas, despertadores de diversos tamaitos, caixas com msicas, igual sorti-
menlo de oculos e lunclas de ouro e prala dourada e tartaruga, bulalo, acc, e varios metaes, ocolos o
lunetas especiaes para senboras, de uliinio gosto, ditos proprios para os que .'offrem de inflammacoes
nos cilios, labricados sigundo os preceilos dos mais acreditados mdicos da Euro|ia e igiialinenle os de
Pernambuco, os quaes s se vendem por consulta dos mdicos, vidros de crysial brancb e de cores,
oculos de alcance para o mar e oulros proprios pora ohservacoes astronmicas, oitantes e sextantes,
binculos para tkratro, para mar e para campo, microscopios e meridiano universal, barmetros, ter-
mmetros, caixas de in>lrumentos mathematicos, correntes e chaves, dueles e tranc lins du ouro, dou-
rados e Meadas, ludo dos melhores fabricantes. Encarrega-se de qoalqner coucerlo e encomiueinla dos
objectos mencionados, e responsabilisa-se durante um anuo por qualqucr relogio vendido ou coucerlo
feito, cm seu estabetecimento; e veade por menos que pode fazer oulro qualqucr.
fc!V
i.
H
dos.
Tal pecliinclia s a dinheiro se pode vender.
Superiores cassas francezas de cores miudinhas, de quadros, lisas, e de rama:ens, com grande
variedade de nadrOcs, fazenda que se tem sempre vendido a 800 rs. a vara, pelo uaralisi-imo preco de
3C0 rs. o covaJo : ua loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Corroa de Vaseoncellos
& uomp.
NOVO SY
Que pechincia
l'm sobrado de um andar por 235 na ra Im-
perial n. 116, pintado e forrada a sala de novo : a
bates T\e'in n lArtnspstnavon fatar na ra Direila u. 127, taberna, ou Cinco!
es D a0 a ven" Ponas n. 23, primeiro andar, das 0 as 8 horas, e
Ceaslipaciio, dores de cabrea.
O/tro-Prclo, 28 de mareo de 18G4.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte const pago que trouxe-me dores por
todo o cojrpo e na cabeca, soffri horrivel-
menle por espagn de qualro dias; entu
aconselhou-me que tomasse pi
lulas atharlticos do Dr. Ayer: com ellas fli
quei sao e completamente reslabellecido em
tres dias, de sorle que estou no ffirme pro
psito de conselhar o uso das ditas pilulas
todas as pessoas que forein affectadas de
.nstipag ;s.
Agostlmio Jos a Silva, negociante de fa
zondas.
Precisa-se de um caixeiro para taberna : na i
ra Direita n. 6.
Jos Ferreira Alves Carioca, leudo de ir Ira-. Retratos em porcelana
tar de sua saude, vende a -ua taberna n\ ra do Retratos em porcelana
Amonm u. 1 A, mailo boa por licar defroote da ( Reiralos em porcelana
G"U
rampa do embarque.
Na ra Nova n. 6J-, segundo andar, precisa-se
de um criado de boa conduela.
da na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 45.
Os premios de 6:000^5000 at 100000
sero pagos urna hora depois da extraegao
at s 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuig3o das listas.
As encommendas ser3o guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraego
como de costume.
O thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Atten$io.
O abaixo assignado tenlo-se despedido do esta-
belecimento do Sr. Julio Cesar Pinto de Oliveira,
agradece cordialmente as boas maneiras com que
foi tratado e a confianca que nelle depositon du-
rante a presenca e ausencia do mesmo na Europa,
ficando saldo de cootas at hoje com o mesmo se-
nhor. Recife 18 de janeiro de 1865.
Bazilie da Rocha Oliveira.
Os abaixo assignados declaram ao corpo dj
commercio que dissolveram amigavelmente a so-
ciedade que tinham na loja de fazendas da ra da
Cadeia do Recife n. 47, que gyrava sob a Arma
social de Pinto & Plores, ficando o activo e passi-
vo a cargo do socio Antonio de Soaza Leal Flores.
Recife 12 de janeiro de 1864.
Antonio de Souza Leal Flores.
Frederico A. P. Pinto.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos
de idade para caixeiro de um armazera de sal :
na ra Imperial n. 221.
dai. 4 em diante.
Deseja-se fallar com os Srs. Joao Chrisoslo-1 ^urt
mo de Albuquerque, de Pedras de Pogo, Jos Joa-! AttestO
quim Correia da Luz, do engenho Cajueiro, ou frendo ha
com quem flzer suas vezes nesta praca : no es-; ,1^ ,,nmnjrn nrn np)tp p a i:,.
criptoriode Manoel Ignacio de Oliveira & Fllho. ,, ,? ,0' K_ apetite e aiiucii aies-
largo do Corpo Santo n. 19. tao, dell
melhoras
No Forte do Mallos n. 20 ha para alugar
orna eserava que faz todo servico de urna easa.
Narua do Qneimado loja n. 20, precisase
de urna ama que saiba bem cosinhar, ^referc-se
eserava.
awi
Precisa-se de um bom cosinheiro na ra da
Roda o. 6, prefere-se nacional.
Joao da Silva Ramos, medico pela i
versidade de Coimbra, da consultas era
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente Has horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da"-manhaa.
Tem sea cata de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualqucr operacao cirurgica.
Para "a casa de sai.de.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 25006
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
O propietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
eram de n
Raymu.ndo
ceutico
lrrilario do estomago.
-Preto, 29 de marco de 1864.
juro, se necessario fr, que. sof-
muito teinpo excessiva irritagiw
tenho experimeniado sensiveis
jlepois que tenho feito uso das pi-
lulas calhs nicas do Dr Ayer.
Amo o Hermogenes Pereira Rosa.
Lombrias.
Onri-Preto, 28 de marro de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empiegadas com grande vantagem jor
mim em
soffria del
urna menina de dez aunos, que
vermes intestinaes, notando-se
que os s^mptomas que entao apresenlava
lolestia bstanle perigosa.
Nonato S. de Tihago, pharma-
Aluga-se a casada ra do Calabouco n.
a tratar na ra do Sebo n. 36.
Por esqoecimento ficou no Wagn da 3" classe,
na estaco das Cinco Pontas, segunda-feira 16 do
corrente, um lenco encarnado com um sapatao
de bezerro e um saquinho com differenles papis'
que s ulilisam ao annunciante : por isso pede o "a rua da C1'3 do Recife n. 50 pr*cisa-se de
especial obsequio a quem achou de mandar entro- urna ama para cozinhar, preferindo-s captiva.
gar na rua do Rangel n. 54, laberna, que se agr- f AInga-se a casa da rua do Palacio do Bispo
decer ou gratiflea-se. i n. 12 : a tratar na praca da Bo*-Yisu n. S. '
Nwalgia.
Urna crta do Illm. Sr. Francisco Aiva-
renga de \zevedo.
Ua maii de sete annos que soffria dores
no hombr) e as costas, tomet urna infini-
dade de 'emedios sem achar alivio algum.
i Dr, angustia, tormento sao palavras for-
! tes, i>orm nao expriraem o que tenho sof-
fr'no: ltimamente lomei as pilulas ca-
tharticas i lo Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou comr. ietamente restabelecido ; ba tres
dias que ao smto a mais leve dr no hom-
| bro nem las costas.
** j Estas pjululas acham-se venda n3s ^rin-
cipaes bol cas e drogaras do Imperio, e m
Rio de Janeiro, rua Direita n. 45.
< yehde-se em Pernambuco:
ua pbarmacia francesa de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
O padre Tranqnillino Cahral de Vaseon-
cellos, regedor interino do Gymnasio, tendo
de celebrar urna niissa de stimo dia pelo
repouso eterno do professor de mathemati-
-cas, o lente Antonio Egydto da Sila, con-
vida aos Srs. professores o emp-egadoe desse
estabelecimento, assim como aos amigos do
finado, a asslstirem esse acto de raridade e
religio, na capella do mesmo Gymnasio, no
dia 21 do corrente, pelas 8 horas da ma-
nhaa.
LAVADORA.
Na rua da Cruz n. 33, precisa-se diurna lavadei-
ra boa, e que seja ligeira no servico. E' para casa-
do bastante familia, e agradando ter boa fre-
guezia.
bducaco priBaria e secundaria
Na insrituigao de Jeronymo Pereira
Villar, na rua larga do Rosario n. 22, nao
fp s se ensinam as materias que consti-
M tuem o curso regular de primeiras letras,
jjg romo as disciplinas preparatorias para a
ff Faculdade de Direilo.
O Rmv. Sr. padre mestre Flix Bopneto
de Vaseoncellos est encarregado da aula
I de latim ; o Illm. Sr. Dr. Jo* Soares de
ra Azevedo acha-se encarregado da aula a
^ francez ; e para as outras materias vo
I ser igualmente contratados mu disiinc- jjg
B tos professores.
mmmm mm mm mmmmwm
Srs. Redactores. Inde Joao Francisco de Souza
Xavier minha casa trocar cen mil ris de notas
por prala, .pedindo patacoes brasileiros, accedi e
fui a em quarte, onde tintia 500*000 e delle come-
cei a e-colber os iiataces, (toado em montes de
10, na razio de 15000 cada um por engao. Passa-
do algum tempo, indo eu ao sacco, dei com a falla
de cem mil ris, e procurando o referido Xavier,
elle confcssou ser verdadeiro o engao, por sua
extrema miseria e necessidade. Aps Isse, tenho
de balde procurado sor pago da quantia, porque
elle nega, ps juntos, tola receido, esquecendo
sua anterior ronfisso. Esse homem, em qaanlo
esteve de sarhrisio na matriz de Santo Antonio,
com o ordenado de 6005000, alin das pechinchas,
nunca possuio nada, agora, porm queapouta-
dor do arsenal de guerra, com o diminuto venci-
meulo de 800 rs. diarios, j comprou casa. Ava-
lle o publico semelhanle procedimento e julgue o
hornera. Recife, 20 de janeiro de 864.
Joe da Silva iMvreiro.
Retratos em porcelana
Retralos em porcelana
S conhecido na America
S conhecido na America,
S sonhecido na America
S conhecido na America
S conhecido na America
i Est promplo e ensaiado
Est promptoe ensaiado
Est promplo e ensaiado
E-t promptoe ensaiado
i Est prompto e ensaiado
Para servir ao respeilavel publico
Para servir ao respeilavel publico
Para servir ao respeilavel publico
Para servir ao respeilavel pul Uro
Para servir ao respeilavel pubco
caina rua do imperador.
Aluga-se um sitio na rua de Joao Fernandes
Vieira, com una boa casa de vivenda assobrada-
da, reedificada de novo, rodeada teda de janellas,
com grandes commodos para familia numerosa,
tendo um grande copiar na frente e collocadas
nelle tres grandes mesas de pe Ira marm >ee, quar-
to fra para preos, grande cocheira para carros,
e grande estribara, e em frente a casa um gran-
de telheiro para jugo di bola com todos os seu*
perlences, Iluminado a ga?, assim como a casa d#
vivenda : a tratar no eaes do R irnos n. 2.
Precisa-se do ama ama forra ou eserava i_:n-
compre ecozinhe para nma casa de pouca familia,
conforme o ajuste, pode despensar-se as tardes : a
tratar Ba rua nova de Sania Rita n 43.
Aluga-se a rasa tarrea da rua do Soreg n.
2, e oseguudo andar do sobrado d.i rua do Rangel
n. 7 : a tratar na taeerna.no mesmo sobrado.
Furtaram honlem, 19 do corrente, dft fren-
te da.taberna do Sr. Alves, na rua Nova, nm ca-
vallo com os signaes seguintes : rodado cando
pedrez, peqaeno e muito gordo, anda a passo e
est f-'rido no joelho do lado direito : quam o pe-
gar leve ao deposito geral que sera gratificado por
Jos Pedrofiomes de Sena.
precisa se de uina boa costureira e engoiu-
madeira, prefere-se que seja eserava : em casa do
Sr. Carabrone em Santo Amaro.
Antonio Jos Ribeiro Brapa, faz sciente ao
pubHce, especialmente ao corpo do commercio, que
dissolveu asociedade que linlia na Villa do Pilar
da Alagas, cqm Rathazar Jos de Magalhes Bas-
les, e quegirav sob a firma de Oslos & Braga.
Hcando todo o activo e passivo, a cargo do nu'smu
Ba-tos, nao tendo o abaixo assigm.do mis rospon-
sabilidade algnma pelas (ransacoes da aoga fir-
ma, nem dos actuaos negocias do eferido Bastos.
Reci'e, 19 de janeirodo 1863.
Antonio Jos Riteiio Braga
Ivro do Povo.
O livro do povo, obra ornada cora estampas,cen-
tendo a vida de.osso Senbor Jess Ch/islo, e raui-
tos artigos uteis. Este livro das familias recom-
mondado eapprovado pelos Exms. srs. D. Luiz
hispo do Maranhn e D. Manoel arceb3po da Ba-
hia, vene-se a 15000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira de Souza, roa do Crespo n. i.



- s ... "
.
> ^
Diarlo de rerMMbnco -- Sabbado 81 ale sciro de 18.
JOSK GOMES VILLA
Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendendo Ir muito breve a Europa tratar de sua saude, pede aos seus devedores
tanto do mato como desta pra;a que saldem seus de Lites quanto ame-, assim como
Est liquidando
o seu importante esUbelecimento de fazendas, vendando tudo por precos que na realida-
de admirara; aproveitem Exeellentissima senhoras
As fazendas de apurados goslos
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos
E por precos que admirara
E por precos que admiram.
Iml.Bt AL KEOUML\A^iO
PUBLICAgAO RELIGIOSA.
Agora que a Impiodade parece querer alfar o
eolio orgulhosae audaz, e que os malvados, para
consegurseos nefaadus Ons, se tem valido de
quautes impressos ha, at mesmo da sagrada bi-
blia, ji falsificando-a edistribuindo-a assim falsi-
ficada, j vcadendo-a, j conservando-a em seu
i poder, e forneceudo a sua leitura a pessoas inex-
perientes cu ignorantes, e j finalmente dando-a
WM CONSERVAD
23-Largo do Terco23.
Joaquim Simio dos Santos, dono deste bera sortido armazem de molhados faz sciente erag
reeommendaco aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que est resolvido a vender os seus
bem conhecidos gneros de primeira qualidade.por menos de 10 a 20 por cento, menos do que em ou-
tra qualquer parte a dioheiro contado,e todo o comprador que comprar de 50,5 a 100,5 tera o descon-
t de o a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; e por isso se faz annuncio de ilguns gneros,
para com este melhor se certificaren).
assas para sopa macarrao, talharim e aletria a
210 rs. a libra e em caixa a 5>.
Toacinho de Lisboa alvo muito superior a 280 rs.
a libra e 8 J800 a arroba.
_af do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
300 rs. a libra e a arroba ou sacco a
8*500.
Ghoaricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 12$.
Passas viudas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 83-
Batatas em trigos de 35a 40 libras por 2400a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Gb hysson miudinho .superior qualidade a 15200,
25000, 23500 e 39 a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
500, 400 e 640 rs. a garrafa.
Milho alpista e pataco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4,5400 e 4)200.
Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 2 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lo a 2^800 e a caada a 4500.
Serveja das marras mais acrediladas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 55800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
era barril ou caixa se far abatimento.
Arroz do Maranhan e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 25800, 25 e 25400.
Assim como ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascoscomo
em botijas, bolachinhas de soda, conservas,choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
Idem proprio para neeocio a 320 e 360 a garrafajtos gneros que enfadonho menciona-los, e se al-
e a caada a 25400 e 25700. 'guem duvidar venha ver.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORIS.VDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna flanea em diaheir,), depositado nos cofres do estado, garante a boa ad'
ministr.-icao da companhia.
Ama
Prcfeisa-se alugar urna escrava para ama de ca-
na ra Vciha n. 17.
Aluga-se um sitie na ra do Cabral da
cidajie de Olinda, com casa terrea, coin co-
piar! na frente, bota os fundos para a estra-
da emargem do rio Beberibe, com com-
mesmo gratis,nao posso nem devo eu, que, gra- modos narafnmilia psfrirnria nara cavallo
cas a Dees, dispooho, livre de dividas, de urna ty- "J0!s Para mi lia, esiriBana para cavauo
pographia e de urna encadernaco, deixar de, e Cpim para sustenta-los, arvoredos de
abnndo mao de urna parte do que Dos me deu, '
acompanhar o meu Exm. e Rvm. vigarlo capitu-
lar em seus constantes esforcos para o engrande-
cimento da nossa santa religiao, e de concorrer
com o meu fraco, mas muito sincero contingente
para esse to elevado lim. Nesle intuito, enten-
dendo que presto algum servico causa desta
mesma religiao, com a reimpresso da viaqemde
um peregrino Jerusalem, e visita que fez aos lu-
gares santos em 1817 Fr, Joao de Jess Chrtsto,
invicto filho de Seraphico, patriarcha S. Francisco,
tenho resolvide por do preloesta obra, e pretendo
fazer a reimpresso da maneira seguinte : Reim-
primir!, 3,000 exemplares, destes sero destina-
dos 1,008 para todas as pessoas de um e outro se-
xo, que com documento legal dos seus reverendos
parochos se me apresentarem, e a cada urna das
quaes entregarei gratis um exemplar em brochu-
ra; 2,000 sero reimpressos mediante asignatu-
ras, para as quaes desde j convido a populaco
dos fiis, e de todos solicito e espero o valioso con-
curso, na razao de 15 cada exemplar. Noposso
prescindir, porm, de rogar o pagamento adianta-
do de cada assignatura, sm o que nao me ser
permittido effectuar essa reimpresso e conseguir
apresentar ao publico urna edicao, j em si mes-
ma grande e dispendiosa. Pata os que nao assig-
narem, o preco de rada exemplar venda ser
determinado na occasiao.
Nao sei qual ser o resultado dos meos esfor-
cos, mas seja qual for, de Dos espero a recom-
pensa.
Assigna-se nicamente por hora na ra do Im-
perador n. 15, defronle de S. Francisco.
Francisco Coelho de Siaoes Silva.
fruj;tos, sem visinho defronte nem pelo
fuido,com ptimos passeios, sala e gabi-
netena frente, muito propria para passara
fes ;a,e tambera se alugar por anno : a fal-
lar no Recife, na livrarian. 6 e8 da praca
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tiguacom o capito Antonio Bernardo Fer-
rara._______
J Aluga-se ama grande e fresca estribara que
admitte bem 5 a 6 bois, com bom quarto que ser-
v para morad ia e fica bem defronte da estacao :
atratar as Cinco Pontas n. 116.
Prime ir divi^eBdjoda massa fallida de C&Vallo.
AlllOI ilil, FragOZO, SantOS & I Vende-se por prego commodo nm cavallo russo
Os admioi iradores continuara a pasar dlari- om boas carnes, bom andador baixo e muito man-
uiente (al o dia 28 do corrente) o 1 dividendo de so, sem vicio algum : no Hospicio sitio n. 8, casa
5 por cent no escriptorio da ra do Vigario n. terrea com porto de madeira.
21, primeiro andar, e pedem aos Srs crotore | ~ Vende-se ama rica esleir propria para
que venham logo receber o que ihe' pertneevis- forro de ama f v p
to como d aquello da em dame s farao paga- ,9 de, (
mentos nos sabbado?.
Precisa se da uraa ama para comprar e
sinhar para urna casa de pouea familia : na
das Cruzes, segundo andar n. 36.
co-
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespataha
DIRECgO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinagoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripto de maneira que em nenhum caso raesmopor morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL, que ata Ja mesmo dimlnuindo urna terca parle do interesse produzido em recentes liquidacoes,
e conliinanJo o com a mortalidade da tabella de Depareienx que e adoptada pela companhia para os
seus clcalos e liquidares, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna imporsioao annu?l le 1005
proiuz em effectivo metlico :
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10........3:9425600
de 13 ....... 11:2085200
de 20 .......30:2365000
de 25 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informales serao prestadas pelo sub-director nesla provincia o Sr. Jerony
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, na da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe
lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
mmm
m PIANOS
PE
W RA MOVA-ift
Tendo Henriqne Vogeley Picado om a acreditada casa de pianos do Sr. Joao Pedro Vogeley
sita na ra Nova n. 25, tem a honra de annuriciar ao respe! ta ve I publico que continua a dita casa
cun o mesmo fim esperando o aununcia He que merecer a mesma eonlianca que Uvera seu ante-
cessor.
Neste estabelecimento enconirar
O propeietario responsabilizase
o respeitavcl publico um grande sortimento de pianos fran-
cezes e allemaes dos rnelhoresfabrican s da Europa, cscjlhidos especialmente para este clima pelo
pnprietario deslo deposito entre os me"
uuivrsal em Londres.
Os amadores deste instrumento s
admirar a sua excedente conslruc^ao u
ores e mais acreditados que esliveram na ultima exposigao
o rogados a virem apreciar as bell?.s vozes destes pianos
ico nesla cidade.
No mesmo estabelecimenlo 'conti ua-se aalugar, afinar e concertar os pianos, tanto na cidade
como nos arrabaldes.
tela sua excedente qualidade.
..."
n' ^af >' Xt' -" V
Aos senhores pais de f;>mi
O jiadre Flix Barreto de
concellos, com aula particular de la-
tim na ra do Imperador n. '. 1.'
lia.
Vas-
de-
dis-
mei-
que
andar, contina a receber alumnos
m de todas as classes, durante
^ pois das ferias. Tambem est
*j& Poste a a')F'r um curso Je pr
S ras leltras e de francez, log<
H haja numero sufficiente de alumnos
}% para cada urna destas materi is, e_
assim tambem a receber comi in- ^
am temos algttns meninos,de cujajedu- y
* cafo o quizerem encarregarj Os
W pagamentos sero por trimestres g
3 adiantados, e os precos declamados
H pessoalmente na occasiao do ajjuste ^
mk para a entrada do alumno.
.0 hacharel
9Si Jos dos Anjos Vieira de Amorim conti-
|^ na a advogar em seu antigo escriptorio
'.' % lla Pra?a m

mmm
Couipaahla fldelldade d
seguros nlarllaios c ter-
restres cstabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES Eli PEPNAMBL'CO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & i
competentemente autorisados pela dik-ec-
i--| loria da companhia' de seguros Fidelida-
~ de, tomam seguros de navios, mercado- 2
rias e predios no seu escriptorio rual da
Cruz n .1.
gio, como se rhamou cm outro tenipo :
^ ahi pode ser procurado das 9 horas da
v^ manhaa as 3 da tarde, e as horas di-
M versas destas,na casado sua residencia
^ sobrado n. 33 da ra do Hospicio.
wmmmmiWsmw}
Alirgam-se na cidade de Olinda dous sobra-
dos cun bastante? rommodos, na ra de S. Bento,
defronte da ladeira d j Varadouro ns. 29 e 30, com
quintal e sabida para casa de hanhos salgados : a
fallar em Olinda com o Sr. Monieiro, rua de Ma-
lillas Ferreira, e no Poqo da Panella, em casa do
subdelegado Joao Paulo Ferreira.
A festa da Senhora dos Remedios ueve ter
lugar no (lia 10 de fevereiro do corrente anno. A
j commissao endarregada paraarrecadarem as es-
molas sao os Srs. capito Jos Mariano de Albu-
querque, Antonio Joaquim Per eir de Oliveira, te
nenie Jos Pereira da Cunha, tmente Jeronymo
Emiliano de Miranda Castro, Lucio Mariano de
Albuquerque e Samuel Halidury ; alem destes se-
nhores s a"]tiel!es que forem com salva, autorisa
dos pela commissao, o podero fazer.
- Precisase de um caixeiro que tenhajpratica
de taberna, de li a tG annos de idade, eique d
ti 11 ir a sua conducta : a tratar na rua dos Pires
numero 31.
Moh F
Alugam-se mobilias : no paleo do Tergo nume-
ro 42. _______
AVIO
aos terceiros de S. Francisco.
Chegou a rerdadeira estameoha para hbitos, a
qual se vendo mailo barato : na rua do Queima-
do n. 39, loja de 1 porta?.
a luga-se
urna casa acabada agora, com commodos para fa-
milia, estribara, cocheira,. quartos para feitore
escravos, com banho na porta, no lugar do Poco
da PaneMa, rua do Rio : a tratar com Tasso ir-
maos, na rua do Amorim n. 33.
(yninasio Provincial.
Do dia 16 de Janeiro em diante, estaro aber-
tas as matriculas das seguintes aulas do Gymnasio
Provincial: primeiras letras, latim, francez, in-
glez, grego allemo, mathemalica, geographia e
historia, eloquencia e potica, philosophia, lingua
e litteratura nacional, sciencias naturaes cnusica.
Nesse esiadelecimento mediante a mdica quan-
tia de 15 diarios, tem os alumnos internes rntipa
lavada e engommada, medico, botica, barbeiro,
inz, penna, papel, tintae creados para o servico.
Os meios-pensionistas pagam metade dessa quan-
lia e os externos 155 por trimestre, podendo fre
quentaras aulas que quizerem.
O secretario, Cabral.
Escola central naetbodo Cas-
tilho.
Est aberta desde 7 de Janeiro ; ensina as mate
rias do 1 e 2o graos, recebe alumnos, pensionista!
e meio pensionistas, por precos commodos; n(\
excedendo elles a doze annos de idade : na rua d
Ponte da Capunga, casa n. 9.
Precisa-se de tima ama idosa para o servic^i
interno e externo de casa de homem solteiro : n
rua Direita u. lOi.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua pros-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
i molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalbo. pelos
doentes de olbos.
Dar consultas todos os das d s
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos. s|
Praticar toda e qualquer opera- S
cao que julgar conveniente para o |
prompto restabelecimento dos seus a
doentes. |0
smii^! mmmmwm
Pre;isa-se de urna ama para cozinhar : na rua
larga do Rosario n. 12, segundo andar.
O solicitador Pedro Alejandri-
no da Costa Hachado
se encarrepa ante o foro desta cidade de tudo que
for tendente a sua profisso, aceita departido an-
imal as pendencias judiciaes de qualquer casa
commercial mediante razoavel ajuste. Contina
'DrVJeronymo Villela de Castro la-
vares advoga o crime e civel, commer-
cio e ecelesiaslico. Pode ser procurado
tod js os dias uteis al 3 horas da tarde
em seu escriptorio, rua do Crespo n....
primeiro andar defronte da livraria eco-
nmica.
Vende-se um sobrado de um andar, chaos
rna ProPrios' sendo no largo do Terco : qcero pr.-ten-
; de-lo dirija-se a travessa da Madre de Dos n. 7.
I Vendem-se 28 travs de qualidade, conten-
do 36 a 40 palmes de comprimento : a iralar na
taberna de Amonio F. Marlins de Miranda, na rua
nova de Santa Rila n. i.
Vcmlem-se
10 cadeiras de balanco com assento e encost de
palhinha. ltimamente chegadas da America : no
escriptorio de Matheus Auslin & C. oa do Trapi-
che n. 36.
Vende-se bom lijlo a 9fi descarregado : na
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
Hara Jos Amalia de Miranda scien- olaria do engenho da Torre.
tfica aos Illms. Srs. pais de suas alumnas
ea todas as pessoas que se dignarem con- da Cunha, a tratar com Tasso Irmaos.
liar-i he suas lbas, que segunda-feira 23 do
corrente Janeiro, pretende abrir a sua aula
na rua larga do Rosario sobrado de 2 anda-
res n. i ao entrar do largo do Paraizo. Ahi
se achara prompta a receber meninas pen-
sionistas, meio-pensionistas e externas.
:>;>--hua da lmperatriz-55
Fabrica de carros.
Acha-se sempre gelozias de lodosos lamanhos a
moda da Europa por preco razoavel e concertara-
se as mesmas.
55Rq* da Imperatriz5o
Fabrica de carros de
Francisco Porler.
Vende-se um carro de carregar gneros da al-
fandega em bom estado e por preco commodo.
DROGARA.
34Roa {larga do Rosario 31
Dartlioloniea Francisco de Seaza & C.
V r ndciu:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em pes.
Saude dada a todo o mundo.
Pelos preciosos medicamentos dos Srs. Grimault k
C, pharmaeentieos de S. A. I. o principe Na-
poleo, rua de la Feuillade 7 em Pars.
Porque es Srs. mdicos e o publico usam de pre-
; ferencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
Procisa-se comprar urna escrava negra de 2oa mault 4C.pharmaceuticos emParis.com os quaes
30 annos de idade, que saiba engommar e cozi- elles tem sempre obtido as curas as mais exiraor-
nhar, ou trocase por oulra : na rua da Aurora,|diaras ?
Julio Cesar Pinio de Oliveira dcclara
que a Sr. Bazilio da Rocha Oliveira, nao
mais seu caixeiro. Recife 18 de Janeiro de
1865._________________,____________
Stereoscopos
Pequeos stereoscopes com 12 lindas vistas ca-
da um pelo diminuto prego do 55: na rua do
Crespn. 4._______________________
Precisa-se alugar um sitio sendo nos Afflitos,
Manguind, Soledade, Sanl'Anna, Passagem ou
outro lugar, que tenha prompta conduccao:'quem
tiver para alugar dirija-se a rua de Hortas n. 68,
que achara com quem tratar.
C0MPR1S.
kttencao*
passando o Gymnasio, primeira casa depois da
ponlcsinha de ferro.______________________
('ompram-se escravos.
a se encarregar de cobrancas nos termos do Cabo a ruado Imperador n. 79, nrceiro andar.
elpojuca aonde continua a trabalhar como d'an- Compra-se
tes, o encarregase de defezas perante o jury nos cobro, latao e chumbo : no armazem da bola ama-
1." Porque esta casa sendo sem contradita a
mais importante de Par's, honrada com aclientella
de urna parte da corte, patenteada por S. A. I. o
principe Napoleao s vende productos de urna t-IIi-
Silvino Guilherme de Barros compra, vende e aca reconheclda
troca escravos de ambos os sexos e de toda idade: Porf|ue e?se mPdicam(,nt0S representa^ as
^ili
O proTcssor de piauo
J. Coelho da S. Araujo, contina a lec-
cionar, mora na. rua do Livramento n.
\, segundo andar.
termos prximos a via frrea, offerecendo grato
tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
procu-ado todos os dias uteis das 9 horas da ma-
nhaa as 3 da tarde na ruaestreita do Kosario n.
3i, c fora dessas horas na rna Imperial n.36, ca-
sa de sua residencia.
M-_ \>*Mi || 0 bacliarel Jorge Hornellas ti
&. continua a residir rua larga do Rosa- \B
^ rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser 5
{3} procurado para exercer a sua profisso:
l_ Io de advogado nosauditorios desta ci- ^S
yg^ M_j
M 2 de mestre da lingua franceza, en- SUR!
2 sinando-a tarde, e tambem noite a 'jtf
^ pessoas cujas oceupacoes embaracem ^5
S aprende-la durante o dia.
relia no oitao da secretaria da polica.
Compra-se um escravo de meia idade: quem
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
nitia.
3." Porque tem todos nm gosto agradavel, sats-
fazem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
rico, tanlo as criancas cerno s pessoas adultas.
4." Porque elles differem inleiramente desses re-
t ver para vender, dirija-se a casa do Sr. Arantes medios ini(,zcs e american0S) preparado5 por in_
na_rua do Livramento.____________________I dustries eslranho?, tanto a medicina como a phar-
Na pra^a da Independencia, loja de ourives macia, dos quaes nao tem nem a scincia nem os
n. 33, compram-se obras de euro e prala e pedras ttulos,
preciosas^_______________________________ o. Porque estes medicamentos s se.applicam a
- Compra-se urna taberna bem afrrguezada e i ,un? _ero 'imitado de doeBcas, e nao as curara
.Aula particular.
O abaixe assignado, professor particular, provi-
sionado pela directora geral da instruc^ao publica
para ensinar primeiras leltras, latim e francez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos
senheres pais de seus discpulos que segunda-feira
9 do corrente tem de continuar no encino das su-
praditas materias, admittindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meio-pensionistas. A pra-
tcade 19 annos consecutivos no exercicio de sen cam sobre o Rio de Janeiro, avista ou a praso.
magisterio, sua inteira dedicacao e mamoralidade i Desappareceu do largo "da Assembla, nm
sao garantas que offereee aos senbores pais de fa- cavallo easlanho com os signaes seguintes : tem
milias, que desejam a saa e til educac3o a seus 0 p esqoerdo branco do '
que tenha commodos para moradia junio
tar rua de Santa Therza n. i.
Compra-se una fabrica de velas com todos
os seus pertences : na rua dos Guararapes n. 9.
VENDAS.
Wilsous A Hett, rua do Trapiche n. 14, sa-
a lra I todas, como os remedios de que acabamos de fal-
lar ; emfim cada producto tem sua applicacao par-
ticular.
Por isso pensamos prestar nm servico a todo o
mundo, indicando aqui as importantes propieda-
des dos princpaos medicamentos dos fin. Gri-
mault & C.
Xarope -e raifort lodado.
Empregado com successo certo em lugar do oleo
de (gado de baralbo, o desagradavel, to difll-
cll a digerir. 15' o especifico o mais certo contra
as escrophulas, o lymphatismo, a moleza das car-
nes, os humores das cnancas,_a papeira, os rhen-
as
ALMENAR.
Acaba de sabir dos pr-
los de nossa typographia o|5__K?B?1,,k as"aTer^s da pel"'
piador para o casco, Alrn OTtalr A ilTllinistT'^tivn Todos os mdicos de Paris o empregam como o
fi'nns. passeiro, de meio, com clloa preta, e grossura na -*-llu iXUlllJUtiSLI tlll \ U ? depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
Quem portanto quizer confiar ao mesmo abaixo jarneia, levando cangalha coberla de panno de MAromi+il O Trrlucfriol /Jacta Itodo?os casos 'iue precisa-se corrigir a acrim
assignado a educagao de seus filhos, pode dirigir se algodao com cord: s e arrasto; quem o pegar iU-0_L a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra- ou der noticia em Cruangy ao Sr. Francisco das nvATrfina PC\VTO>t(\ of 01 perdn, seja pelos excessos, pelas affecres I
do n. 58 da rua Nova, onde ha muito tempo est Chagas Pimenlel, e no Recife ao Sr. Jordo Jos |vVJltt/Ioj LU i CLLU ttlC O, phalicas, escrophulosas, e venreas.
mioma
oue
eslabelecido.
mm
Jos Marta Machado de Figueiredo.
f* "^" ^tTia- _^_i'__
ttSSS.d0Vigar0'sera8eDerosamente de dezembro, e vndese a**** de
-j?
TBESODBO DAS MAIS
Providencia das criancas.
COIIARES ROYER
Elcclromagnticos.
PGNEDIO PROFICUO^
S _*! a cura das escrfulas, B
ihvalDln piif-ii-l-iilis in- MKl chamados apaaanaaa ma aa senzata ve
s,..nuuidSeuitlidU.iS,tU ^ J^ COLLARES ANODINOS DE DENTICAO de-so a bem conhecida bolaohinha
K mores eSCIOfulOSOS e affeCCOeSj^ Contra as conyulsoes e para facilitara cada pelo proprio fabricante.
eec genero.
O abaixo assignado entre as plantas
dnticao das criancas preparados e inventa
dos por Rover, pharmacenteo da esco-
la superior do Paris, successor de Chercau,
membro da academia de medicina
amiga casa de Bonillon Lagrange, pharmaceutico
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de phnrmacia de
Paris, c membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante rua do Crespo n. 7.
Vende-se um moleque i
dn mullo bonita ligara, cozinl
goniinador : a iralar e ver ni
2, sobrado do um andar.
m
submeltidas ao seu exame botnico de 3<
J_ que a muito se ha entregado, desde que ^gjg
aglinalisou seu tirocinio em dita scincia js*
H pelo exmelo curso do anligo jardim b Jj^
H tnico de Olinda, e averiguando certas |H
u propriedades medicinaes que Ihes trans- w
2 mittiram de alcomas plantas, verificuu M
^ qoe a vimia anliserofula ora um especi- M
Mfico contra as molestias cima denomina- eg*
das (na linguagem vulgar) alporcas. Re- *
5j solveu-se portanto a expor ao publico es-
te inleressanle medicamento em tintura, Jlacha<
1 dHnlS^tante'S'^r um e M* diario, queiramanda-las pagngar pois nc, ZbSiSth
__ crofuloso e fica muito remedio.
na rcrnielha fer-
-, IlOSO.
\ lia IlVraria 11S. O eo 0u assoclavo dos dous poderosos rimedios da
d, T -. I materia medica que fo : o ferro um dos princl-
a praca da Independencia. pm Cementos de hossosangaa B a^^a que o
____i-----------------------------_____________. tnico e o fehrifugo por exeeileocia.
,N''" ;' 1) ^ste (,e'' Napadaria da roa da Seiifala Velha n. 81, ven! a visla- 1,em r'"i"ltado admirare! as fiores
de leite f-ibri- brancas, dores de e.-tomago, falta de apptUte, po-
:brcza de sangue. Elle sobretudo ntil as senho-
. --------- I ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re
Vende-se ou aluga-se o sitio dos Duritis on- i gularisar a men>truac;io e suspender os cfleiios
de tem o inachioismo da lavag-"
em de roupa, e lam-
bem se vende o machinismo s : quem o preten-
der dirija-se a rua do llangel
n. 4.
OSr. morador da rua" Nova que se yolumos, encadeanado em coi ro 705, Troplo
, ,, ... j vois. ene. em gr. 8 fr. 4S,3. dlicinanaire de la
:ha a dever 6 quarteis de i,signalnras des- Vf.r?a,i0n ou repetir* de too es les connaissi
^K Com os vidros arcnijianham um im- ^
presso, qoe explica a maneira da appli- |B
'&* cacao e mais circumstancias. jag
S* Vende-se as boticas dos Srs. Jos Pe- 3R
|H reir Jacintho Jnior. Recife rua Direita ^
gg n. 133, e nadoSr. Joao Soares Rapozo, >sjjt
^ Olinda rua dos Quatro Cantos. Pre?o de ^j
fgt cada vidrinho 23.
H
H assim como elle gosla de receber a paga de sciences aux letras et aux ai s
deve altender a d js ou- E__,^DJ___lfeJ?1
vols
perniciosos das flores brancas, que >o a causa de
tantas doencas. Elle c soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
Itf aunos de idade,; ''as torcas e da saude para os doentes tnfraqneci-
eiro, boleeiro e en- dos pelo trabalho, os excessos, as aflec(9es escro-
pateo do Terjo n. | phulosas ou venreas.
As mais de familia acharao nesle xarope um me-
dicamento sem igual, para fortificar e desenvolver
o systema osseo das crianzas t os preservar das
as.
Litros liara
Vende-se pelo cu>to da Europa ns seguintes Iaf-V^os escrophuTosas!
nemolombe, cours dn coda Napoleni 191 E||_r (|igestlfO de pepsina.
' con-1 De''c'oso "cor que ocenpa o primeiro lugar en-
Ire as novas conquisas da scincia, a pepsina pos*
sue com eAfeito a proprledade imporianle de fazer
digerir os alimentos quasi st-m soccorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrite*, gastral-
anees
ct relaiives aux
\ l'liistoire, Geo-
nc. com erav 733,
seus servicos .leve altender a a ou- ^^^^r^f^t^^minT &lSJST^_fJ_*f_|_J(_ S__la
tros principalmente o do Diario queem orimioelle de la franco oa 4>meniaire de ria *_2S^__?J,_!*!SL___JSf_ $%??'
,.,alhnm mais de 00 pessoas._______ fgSSTSUt rt WlE J^WSAUSS^SS^^
- Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim ^ mm S i iifenc'.fcfc tfJtS\'mg^SS^rSX^S^
de Agolar, que a sua asignatura deste 3 voMW, e oatre m..ii. lilros, que ^o-^^^^^lrV^ 1 trooSa
Diario esl por pagar desde OUlubro do nho mencionar : na rua da Imperatriz n. 33. ^1,'","?t;^g ^tjSa.eos "eU.'s e c"fnva
Jos Eetrio Carneiro da Cunha. SS auno passado, e que 0 propr etario da loja Vende-se urna parte da propriedade denomi-, lucenteujj Una saude e o reparador de
v_,%P, j de ourives da rua larga do Rosario n. 40, nada Serra da Coehoeira, sita na freguezia de ta-
\^Mmmmm&&MMmfkm tem declarado que nao se responsabelisa, 1""tinga, comarca de Lunoeiro, cuja larte ao
u....i i-....;.. ,1 c-i... <- f> i. 1 : e sul da mesma propriedado, -- Miinoel rancisco da Silva Carneo ora portanto S. S. queira mandar satisfazer nes- da mpfmai do jascente ao pnente, a qual parto
divide pelo sul com os possos do Cachoeirae Coti-
tendas, cnmpreliendendo Capoeira, de E-levaoda
Cruz e Salvador ; terreno frtil de produecau de
toda a qualidade de legumes, com especialidade
para cuMura de algodao e criar gado : a tratar na
villa de. Pao d'Alho cora J0S0 Anastacio Camello
Pessoa, e nesta cidade do Recife com o capito
residente em Macei, julga nada dever ta typographia.
nesta praca au fora della, mas se algucm se: "^TMidime Cais, subdita francesa, rotiTTsTpa-
jttlgar seu credor queira apresemar seu titu- ra Europa.___________________________
lo nestes 8 dias, que depois de verificado >>, .ia k
ser immediatamenle pago por Francisco '\_^ t!^ v^i
Ribeiro Pinto Giiimaros (para isso autori- xt i 1 ^ 1 1.
*iiii\h r,n d'AmlIn -irmnvnm n 1 \\a,\ Na loja de fazendas b. S da rua da Impcralru Dellim Lius Cavalcanli Pessoa cm seu sitinos
sadol fe 7 de Janeiro c 1865.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel.
- Na fabrica de calcado do patoo da ribeira de publico que deixou de ser seu caixeiro o hespa-
S. Jos, precisa-se de artistas para obra de senho- nhol Jo Antonio da Silva desde o dia 13 do cor- i
Attencao.
Existo urna carta vinda da Serra do Martins, no
ra e menina dando-se lodo prompto, paga-se a du- rente me;, por ter desapparecido sem prestar con- Campo Verde, rua do Soreg, em um portao en-
zia para senhora a 138OO e para menina a 13200, tas do qoe ilnba a sen cargo, deixando as chaves rn?[ado a casa n. 20 de Jovinlano Xavier de Sou-
t todo aquelle que quizer levar sem pospontarler do establecimento a nm pelo captivo quo nelle za para 0 gr or Fr0ciseo Luiz Crrela de An-
ma's 100 rs. em cada duzia. Urabalhava, e como prezora graves suspeitas sobre drade
- Precisa seTde dous irabliiTdVreTpaFaTada I dil Antonil *"wjrogo-Hw que compa-1 y-,- .- --L^gj^
riaqneentendam perfeamente do trafico? Ml^XSSS^^t^^^ P-pria para carro ou cabriola
bunal competente. lUcife 19 de Janeiro de 1863.
rua larga do Rosario n. 16.
na rna do
Jastnim 11. 21.
Altiga-sc
nm pretopara o servico de casa : na rua da Ca-
deia n. 20.
Francisco Hotellu de Mendonca.
em a
Precisa-se por aluguel de urna preta boa
quitandeira : a tratar na rua do Queimado n. 17.
JORNAL DAS FAMILIAS ^
Publicaee Ilustrada, litteraria, artisca, recrea-
tiva, etc.
O Jornal das Familias sahe urna vez por mez, e
forma no fim de cada anno um bello vota me de S Estoves, livr
cerca de 400 paginas de impresso esmerada, or-
nado de (igorino, vnhetas, gravuras sebre a?o,
aquarellas, sepias, pe?as de msica, desenhos de
trabalhos sobre lalagarca, de crochet, tricot, laa e
bordados, moldes de vestidos, capas e em geral o
que concernenie a trabalhos de senhoras.
Assignatura por anno 123.
Assigna-se na livraria econmica ao p do arco
de Santo Antonio, onde j existe o primeiro nume-
ro do anno de 1863
O bacliarel Jeronymo Salgado de Castro Ac-! gueza, mas tambem o latim, francez e inglez, e
cioly. antigo adVogalo do tribunal da relacao e noedVs geraes de rbetoriea, polo informar-se na
mais auditorios desia cidade, mudou sen escrip-1 rua do imperador n. 81, primeiro andar,
torio para a rua estrella do Rosario n. 2, segundo Prensa-se de um caixeiro portoguez com
praUca de taberna, que seja agradavel e desem-
barazado, dando conhecimento de sua conducta :
na rua das Cruzes n. 21, taberna.____________
Alugam-se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e acetados,
com jardim, cocheira, estribara o outrascommo-
didades, na trave?sa de Joao Fernande Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
- Vendem-se alguMares vidrados e quartinhas
Quem pa-u-ader urna pessoa habilitada para i m P'W n rotalhi Pr ni-eco muito barato:
aum engenho ensinar nao s a lingo porta-1 "*___ da Senzala Yelha n.j _>;__________
Vende-se um moleque de !i annos
de Horlas n. 2V, primeiro andar.
^'^^ff^eM 5Wpre>(5m urna boa digesto sempre
se gosa*de nos saude.
Jarope peioral de N. foi'jjo.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamenln para curar a tosse. deflnxo,
c itarrho, grippa, irritacao do peito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa|ete.
Este delicioso xaropu popular em toda a Franca
foi descoberlo pelos monges da abhadia de S. Jor-\
ge, no Anjou, c actnalmenie prepralo pelos Srs.
Grimault C, uniros proprietario"
segundo
andar, onde podo ser procurado para os mlsleres
de sua profisso. __ _________
Alugam-se baratas urnas mei-agjjas na entra-
da dos portoes (travessa das Barreiras) bairro da
Boa-Vista : gratar na rua do Cotovello n. 25.
Francisco Pereira de Msirelles tem just e
contrat ido comprar a taberna n. 13 da rua dos
Pescadores, pertencente ao Sr. Jos Simplicio de
de qualquer onns : no entrelan-
to quem se julgar com direita mesma, dirija-se
nestes tres dias ao pateo do Terco n. 21.
da verdadeira
receila. Recomcnendt-se aos doentes que usem ao
mesmo lempo das deliciosas pasttllias peitoracs ao
sueco de alface de loureiro-cereja dos Srs. Gri-
mault & C, este exrellente remedio 6 composlo
com as iluas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais noffensiv3s da materia me-
dica, e nao contm opio.
Injcceo e capsulas matieo.
lisies dous producios que constitnein a mais re-
cente e a mais importante mediacao para curar os
corrimentos e as n ileslias veneraes do homem o
da mulher, sao exclusivamente vegetaes n.o con-
tm mercurio, e sao preparados com as folhas do
matieo arvore do l'erou. Nao ha molestia conta-
giosa anliga ou rcenle que resisla ao uso desses
dous meios. Sua rapidez de acc,o superior a
na rua tudo quanlo se tem feito al hoje. As capsulas
_____\ irinca cansam o estomago nem os Intestinos como
' as capsulas de copahyha, cubeba e ouiras; a in-
jpcejio nunca produz o esireitamento como accnte-
l'rrsuat 9. !
Vendcm-so presuntos do carneiro muito gordos |co~com"as InlMcfles com base" metlica acoseiha-
bem preparados: na rua da Lrtiz n. 19. jaf ai hoje.
e bem
Vende-se em casa de Jounslon Pater
C rua do Vigario, n. 3, um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de u.ti dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
.boniositrance'ins para os mesmoslt
Tapioca e soturna. Todos estes productos vendem-se as principies
Vende-se superior tapioca e gomma do Mar-! pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
nho.em paneiros : naEscadmlia, armazem doSr. _ado T R,01d!!Ja1neiro- E Chevoler, em Pernam-
^nne!! I buco, Caors Barbosa, na rua da Cruz n. 28, na
---------------------------------------------------- Baha, Lima & Irmaos 1 em todas as/boas pliar-
Pallia lecaroauba. macias do Brasil. '
Vende-se execellente palha de carnauba do Ass : Deve-se exigir sempre 1 assignalijira Grimault &
Aluga-se a casa terrea com sotao sita rua na rua da Moeda, venda defronle do trapicho do f_, por (jue ha fattificae&N perigoas.
da Alegra n. 46 : a tratar na rua 4le Aguas-Ver- Cunha. Vende-se na botica fm aceza rua do Imperador
des sobrado n. 64, primeiro andar. Vende-se 75'jardas de oado matisado pro- n- 38-
Traspassa-se urna hypoihcca sobre um engenho
prio para forro de sala, na rna do Queimado n. 34.
FnPTrn nnra f-ihi-ip ir nhrPincs' DVJECCAO, BROW.
ronild. pard IdDI 10.11 OOreiab.: Remedio infallivcl contra as noirl
no valor de 4:800, a vencerse em principios de Vende se urna encllente forma de ferro para a-1 antipan p rerentes nnicn looncliA nhn.
abril de 1866, descontando os joros de 2 0|0 ao bricar obreas do massa, com pouco uso o em born | *}>"*>** llchius, nico aeBOSiio r a do-
niez : na rua da Aurora, depois do Gymnasio, estado ; a lrlar na rna das Aguas Verdes, o. 46, ,,ca jranceza, rua lia Cruz n. z- pre-
pas&andt} a pontezinha de ferro, na egunda casa. I i* andar. f o 3$

11 r-^%T\ #
I


Diaria de Pernambuco Sabbado ti Je Jautno de Aa.


.-"


Grande armazeiu de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22
O armazem de timas um grande deposito de
productos chimicos e utensis os mais empregados
e usados na pharmacia, pintara, nbotOfjraphia, tin-
turara, pyrotechinia (fogos de artificie) eera ontras
industrias.
Montado em grande escala, e suppnndo-se di-
rectamente as principaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Haraburgo, Anvers e Lisboa, pode offerecer
productos de plena confianca e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retaluo, por precos
razoavels.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldo qualqusr pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qoalidade e pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encostran) no mercado era latas fechadas.
Tem grande colleccao de vidros de differentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidade 5 de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios ; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e ontros 5 de papis dourados e pra-
leadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cures
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feito de papel albnminado e Bristol,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para qnadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleo graxo, oleo seccativo, oleo do linha?a
clarificado, oleo de oielet, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, uro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegetaes, inolTensi-
vas proprias para confesarlas; la de cores,
olhos de vidros para imagens tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
rolv, jasmicn, bergamota, aspire, palchouly, mbar,
boquet, limo, alcaraiva, melissa, orlela pimenta,
louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anilla Russia, canda, cravo e omites outrosob-
jeclos que s com a vista poderao ser mo-irados.
loao Pedro das Neves,
Gerente.
Vende-se a taberna da ra dos Pescadores
d. 43fj: a tratar na mesnu.___________________
"BOTICA E DROGARA
Bartliolomeu Fraucssce de Souza & G.
34Ra larga do Rosario31
Vendem:
Pilulus Holloway
Ptalas do r. Laville.
Plalas do Dr. Alian.
Plalas do Pobre-hornera.
Plalas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Hrislol.
Remedios do Dr. Chablc.
Elcxir de Pepena de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha de Ch Albert.
Injeccao Feaugas.
Agua'denlifica de Desirabode.
Papel cliimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
Roo L'Affecteur.
Xarope do Bosque.
Ungento Holloway.
XAROPE
deLABELONYE
Kmpregado com inraruyel successo desde 30 anuo
j>tli Mdicos de todos os paites contra as molestias
orgnicas ou nao orgnicas do eorace, as diversas hj-
dropisias e a mainr parle das molestias do peito e dos
Ironchios (pneumonas, catarrhot pulmonar*, uthmu.
s'ytanmacdei n$rvotat dot.bronekioi, caiarrk*ira,ete...)
O xa no i-e de labelonye nio se rende seneo em
! amias com rotulas de cor e fechadas com urna chapa
erando a firma do inventor.
Eiu PAniS, ra BonrUon-vlUcneoTC, JO.
Deposito geral en Pernambuce ra da
Cruz u. -11 em casa de Caros A Barboza.
Feij
To.
9- Ra -'a Madre, de Dcos-9
Vende se fejao mulatinho novo, saceos de 22
cuias, o mais nuvo que se pode desejar, e mais
barato do que em outra qualquer parte.
Venae-se superior vinho do Porto em c&ixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do .\igario n. '<_____________________________
" Verses ao Biviao
Achara-se a venda na ra do Imperador n. lo
defronte de S. Francisco por prero de 160 rs. ca-
da um cxemplar cm brochara, versos- ao Divino,
proprtos para se caritar.ru- dopois cu antes do
qualquer solemnidad?, festa. novena cu mesmo
em casas particulares.
1Testa mei tos.
Acharase a venda os seguales testamentos,
obras proprias para er.treter era horas vagas na
ra do Imperador n. l.", defrentr- de S.Francisco :
da gallinha, gallo, per, leSo, onca, tigre, caxorro,
vigario, porco, pelleja entre urna alma, S. Miguel
e o dfabo a 1G0 rs. cada um exemplar.________
Vende se eaixocs vaziosprouiies
para iialinleiros e fnnileiros a i $760
cada ora; tiesta tvposraphia.
AGUA FUNNDA
'
..., ..:;-.
MURRAY & LANMAN
A agu florida i!c Harray Lanman,
olhaita como um i rtgo de perfume, nao
teiu podiJo ser igualada pelas prepararles
as mais c. stusas: conserva seu aroma,como
se formaje parte-da prenda a que ella se
applica. Sua eficacia to delicada, como
elegantes sao seus multiplicados usos, quer
seja etnpregada como artigo de toucador,
quer no uso dobotibo, ou como suavisador
da pelle, tlepoisque se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivus ou aromatisar o
hlito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleicocs, depois de se baver lavado; al-
livia a irritacao de erupcoes ordinarias; ki
desapparecer o desagradare! aspecto dos
pannos, das sardas do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, c d vigor e frescura a
parte onde quer que se appque. Sua etfl-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso appli-
ca-la como estimulante e antisptico, nos
concursos e asscniblas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como um antidoto excel-
ientepara os desmaios causados por cansa-
co ou suffocacao. Preparada tnicamente
por Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda
por Cao rs & Barbosa.
Jo3o da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors A
Barboza e Joo da C. Bravo & C.
0 VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Ballisa, na sua ordem do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seus
agudos esporSes nunca os offender, Antes osagra-
ciara ua iiiesuia conformidade, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantar seu vo, ninho; e o Gallo ficara em seu espacioso campo
dande de novo o seo canto annunciando a seus
boos freguezes e aorespeitavel publico
0 grande sor lmenlo de cujelos de milito gosto que
acaba de receber.
Ricas caxnhas com msica ricamente enfeita-
das para costura, proprio para um delicado me-
nino.
Riquissimos cofresinbos com cadeadosde metal
para guardar joias.
Ricas canas com estejo, contendo todos os per-
lences para homem.
Riquissimas voltas fiogindo perola.
Ditas com lacinhode fita.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
suras.
Lindos aderecos com pedrinhos fingindo bri-
lhantes.
Ricas ivellas para cinto, de todas as qualidades
e bora gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Paris.
Grande sortimento de lindos enfeites para cabo-
ja, sendo do ultimo gosto e de todos os precos.
Flores muito linas para noivas.
Luvas eufeitadas e metas de seda para noivas.
Chaposinhos, sapalinhos e meias de seda pan
baptisado.
Riquissimas filas de todas as qualidades parala-
do, ciise cinteiros.
Camisinhas e goilnhas para senhora.
Riquissimos jarros e liguras para ornamento de
sala.
Grande sortimento de gravatinhas tanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarrlhasde bonitascres.
Trancinhas, galao e maravilhas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para offerecimeutos.
Gaixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
frascos quadrados cgarralinhas.
Pomada fina de (odas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de todos os
tannos.
Saho inglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de raadreperola, marfim c de
osso, para denles.
Peales para desembarazar, com friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de algodao, assim como amitos
outros objectos de gosto que seria impossivel men-
cinar, que a vista far fe, s no Gallo Vigilante,
ru do Crespo n. 7.
Vultinbas.
Lindas voltinhas de perolas falsas comcruzin' lingindo brilhantes, assim como cruzinbas avnlsas
e voltinhas, pelo barato preco de t e 15200, as
eruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Loques.
Riquissimos loques de madreperoia tanto para
senhoras como-para meninas, pelo barato preco
de '.>$ e l&; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
GRANDE XOV1DAE.
S no Vigilante.
Riquissimos enfeites de todas as qualidades para
senhoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
Sintos
Riquissimos sintos de fita larga e estreita com
fivelas grandes e pequeas, com brilhantes falsos,
cousa de muito gosto.
Albuns
Tambem chegaram 03 riquissimos albuns para
50 retratos.com rapa de tartaruga e de marfim,
cousa mtutOChiqae : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Golinhss.
Riquissimas golinhas o mangoitos, omelhor gos-
to possivel, a 23, 25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senliora.
Riquosissira enfeites com lago e sem lago e de
outros muilos gostos a 15, 15500 e 35: s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
francelins.
Lindos trancelins ne eabello para relegio ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos enlrrirpios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindo;
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 13200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascan Ibas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
leiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 23; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de lila.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos foto moldura dourada'
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 53
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo o. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhor gosto queaqui
em apparecido; s no Vigilante, rna do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
coosa de muito gosfo a 1550Q e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
da, assim como de lindos copos on vasos com dis-
tinctivos e offerecimenlos as sinhasinhas dos me-
Ihores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 13, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Grande Hqnidaco.
Ra da Inperatriz n. O.
oja de fazendas do pavao de Gama & Silva
Aclia-se este estabelecimento completamente
orudo de fazendas inglezas, francezas, allemas e
uissas, proprias tanto para a praca como para o
nato, prometiendo vender-so mais barato do que
;m outra qualquer parte, principalmente sendo em
orgo, e de todas as fazendas do-se amostras,
ixando licar penhor. ou mandam-so levar em ca-
sa pelos caixeiros da luje do Pavo.
Vestidos soutambarqne.
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soutambarque, os mais modernos qoe
neste mercado tem apparecido, os quaes estao
promptos com saia, corpinho e seu competente
soutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem tiver bo gosto dirija-se loja do
Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
AOS IBES MIL VESTI-
DOS,
Na loja do Pavao, a 3#. 4$
e 7$000.
Vendem-se lindissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
brancas.proprios para casamento, pelo baratissi-
mo prego de 35 cada corte por se ler comprado
urna grande porcao, sendo fazenda que vale 65,
ditos Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo prego de 45 cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada um em seu carlao, tendo cada
um todos os enfeites precisos, pelo basatissimo
prego de 75 cada um, ditos com babados muito bo-
nitos, mas sem ser em cartao, pelo diminuto pre-
go de 35500 cada um; advertindo-se que os donos
da loja do pavao vendem estes vestidos por tao di-
minuto prego for terem comprado urna grande
quantidade e convir Ibe liqnidarrm logo, na sua
loja, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
Aos vinte mil covados de la
Grande peehlncba, a 2 JO
e 3tO rs.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transpa-
rentes, sendo com listras e quadrinhos miudinhos,
e lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e rxas para luto, pelo baratissimo prego de 240 o
covado, ditas transparentes com palminbasde seda
Hara Pa, tendo de todas as cores, e tambem
algumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 cada covado, islo por haver urna grandepor-
cao: aa ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Latas e copos com banha Dna.
A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
As modernissimas laazinhas i'e una s
cor, a imitaco de gorgoro, ven-
de o Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soiitambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
ditas largas multo finas a "400 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padroes miudos o grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes rom palminhas
de seda a 400 rs., dilas esrocezas a 560rs., isto tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 13600 rs. o covado, ditos largos muito en-
corpados a 25400, 25600, 25800 e 3000. ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperaniz n. 60.
As novas ias sr-ribaldinas a iOO
Riii
RA DO QUEIMADO N. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
NOV1BADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molbados derjcniinailo Clarm C&ncr-
cial, onde orespeilavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melbores gneros que Tem ao nosso mercado quaes ser3o vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencionfda; garrnte-se cbcci
peso eboa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranh5o, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e ,0800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2500. 8
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 106OOe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira dematarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinbas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 abarri-
quinba e a 200 rs. a libra.
Hanba de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 3&000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta ebranca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, so de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
!Caf do Rio muito superior a 280 e 320
I rs. a libra e805OO a 80800 rs. a arroba.
Cartees de bolinhos francezes muito novos e
I bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chounras e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. I Cevadinha de Franca muito superior a 290
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de \*lro a 600 rs
cada'um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem slearinas muito superiores a 6< 0
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caistas
de oito libras e canastrinbss de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libia.
Farinha do Maranliao a ICO rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a librar
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frnsco e 05200 a frasqr.eira.
dem em garrafes de 3 e 5 galoes a o.'C0
e 705CO cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10IOO a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, quaiidade especial em garrafas milite
grandes, a 15800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a ECO rs.
dem, cm garrafa forma de pera e roll.as de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto, Manleiga ingleza perfeitamenie Hr, dcstm-
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa, I barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
Bocage Cbamisso e outros a 800, 900 e' de segunda quaiidade a 800 rs.
10000 a garrafa, e era caixa com urna du- dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
zia a 90000 e 100000. | dem de tempero a 400 rs.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 500 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho
800 rs.
de Zara, frascos grandes.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. i dem regular a 500 rs.
a duzia.
dem Morgaux e Chaleauluraini de i85i, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
102OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-;dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivel i
retalho- 20 e em caixo a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a grdza.
r o abate de o por cento. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
i Magas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aletria a 000 rs. a libra e a i
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixc em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
1 Paliios de dentes a 160 rs. o mago.
rs..
na 'oja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inleiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imitarao das scdinbas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depres-a: na loja do Pavao, ra du Impe-
rador n. 60 de Gama & Silva.
Os mais mudemos vestidos Mara Pia,
na loja ilu Pa>o, a 1(5$
Vendem-se finissimos vestidos Mara Pia com
os corpinhos different'S, tendo todos os preparse
com o competento smto : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavao.
(amisinliasa 1$000'
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
muito bem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato preco de dez lustoes cada
urna : na loja do Pavao, ra da Imperafriz n.60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
Vendem-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Mara Pia,
tendo de diffen-ntes tamanhos, pelo barato preco
de 85 cada um : na loja do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Roupa fcita darala.
Vende-se um grande sortimento de roupa feita
para homens, sendo calcas de bnm branco o du
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, colletcs de todas as
qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
rosdcnaplede cor a 10GOO o covado.
Vende-segrosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato preco de 15600 o covado : na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linho a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno do linho proprio
para lenres, toalhas e ceroulas, pelo barato preco
do 700 rs. a vara : na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar, urna pcrefio do rctalhos
delas ecassas de todas as qurdidades, e por pre-
cos muito em muta; quem tem economa 6 que
pode apreciar : istona lo> do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gairc & Silva,
Hadapolo a 70000, s na loja do Pavo.
Vcude-se superior madapolo mnilo encorpado.
tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo preco. de 75000 a peca, ditos
muito finos a 85, 95 e 105000. E' pechinrha, na
loja do Pavao, ra da imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de cassaa ;000.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corte, com esenhns muito delicados
pelo baratissimo preco de 35000 o corte; s na
loja do Pavo, ruada fmpeatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de chita francezi.
Vendem-se finissimos cortes de chita fran-
ceza, cora 12 covados, tendo, padroes oscuros e
alegres de cores fixas pelo baratissimo preco de
45000 o corte; s na loja do Pavao ra da Impe-
ratriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo preco de
45000 tondo 8 1/2 varas cada peca, ditas muito li-
nas a "5, 85, o 95 a peca, ditas Victoria com 10
varas peto baratissimo preco de 75 95 e 105, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada, fazenda pro-
pra para forroa 160 rs. a vara ou 25600 a peca ;
islo na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama i Silva.
Cortes de 13a a 10000.
Vendem-se cortes de lilas garibaldinas, mitiga-
das e de quadrinhos, tendo 12 covados cada corte
pelo baratissimo prero de 45000 o corte : isto na
loja do Pavo, roa da imperatriz n. 60 "e Gama A
lilva.
Frascos comgomma arbica
dissolvida e pincel.
I Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
yV< vos albuns.
A aguia branca acaba de receber oulra encom-
menda de bonitos e bem encadernados albuns de
capas de velludo, massa, tartaruga e marfim, al-
guns dos quaes com microscopio para augmentar
o tamanbo dos retratos, continuando a serem ven-
didos por precos commodos: na ra do Queimado
loja da aguia braman. 8.
Galanteras para fes tas
A aguia branca nao cessa de encommendar do
que ha de melhor e mais agradavel, e por issoaca-
ba de receber diversas figuras e vasos de pede
pedra com fina banba, assim como bonitos frascos
deexcellentesextractse lindascaixinnas de ma-
deira envernisada com finas perfumaras, tudo
mut-proprio para presentes de festas etc., havendo
dinheiro dirija-se o pretndeme a ra do Queima-
do n. 8, loja da aguia branca.
A nil fino para engom-
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
ben glbulos de ail lino e frasquinho? com es-
sencia de dito para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
dos enfeites de moldes inleiramente novos e de um
apurado gosto, assim pois comparecam os preten-
derles munidos de dinheiro e com disposico de
gastar : na loja da aguia branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de t" r-
taruga
A aguia branca ama do Queimado n. 8, rece-
ceben novanienleesses pequeos i-entes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tantaeslima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviam encommendado e a quem mais queira
aproveitar aocoasiio de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo preco de 19 cada
um.
Estando brancos ficam pretos
O bora resultado e o rpido effeito que produz
a tintura de chromacoma, e mesmo o facillimo
modo de applicartem se tornado mui conhecido e
apreciada por todosfue usam della e por conse-
grante augmentado a extraco, pelo que a aguia
branca mandouvir mais o novo sorlimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromacoma para tingir os cabellos.
Frascos com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos cora liyiirocallelhrichina para limpar ditos
Ditos cora oryehromantina para limpar as unhas
Sabonetes brancos para favar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a preparacao feita.
Sapatos de marroquim dou-
rado para bailes.
Esses sapatos do grande lora vendem-se nica-
mente na rna do Queimado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Meias finas para senhoras
qordas
Vcmlem-se amado Queimado loja da aguia
Drar>ra n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.____________________^__
Cylindros para pada
ra.
Xa padaria da ma Direilan. 84 ha para vender
os conhecido? e acreditados cylindros americanos
para trabalho de padaria oltmamante chegados.
RIVAL SEM SEGUNDO MACHINAS EPAUiv
tna. rio. HiiHimarli. ns. 49 p KK l.,io Aa mnd.. i lllnUJIIil U VMJ flM^l
lina do Queimado ns. 49 e 55', loja de miudezas
do Jos de Azevedo Maia est continuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por todo preco a vista dos cobres.
Cartas de alfinetes francezes da melbor quaiidade
a 80 rs.
Grosasde pennas de ac inglezas da melhor qua-
iidade a 640 rs.
Caixas decolchetes francezes de superiores qual-
^ dad es a 40 rs.
Grosasde botesde madreperoia muito finos a56(
e 640 ris.
Carreleis com 4 a S oilavas de retroz pelo fino a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muo superior a
25000.
Grvalas da liga e de oulras militas qTialidadess
30O rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveqnes de senho-
ra a WO rs.
Pecas de lita de cs estreilas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a SCO rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cariilhas da doutnna ebrista, finas e superiores a
320 rs.
Pentes linos de marfim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
Gollinrias para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000. .
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to prec,o de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordo branco para espartilhes muito superior,
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de iinha branca a bO
ris. ,.
Cartoes com 200 jardas de Iinha branca garant-
d's a 60 rs.
Grosas de pennas de aro superiores a MI rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, ohMue peennena a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louca prateados muito lino a
160 rs- ,.* j tnfi
Tesouras para costura superior quaiidade a ow
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranca
160 rs. fifl
Caixas com 100 envelopes o melhor que na a "
ris
Caixas com 20 quadernos de papel amizade.muitc
fino a 600 rs. ; ,_
Quadernos de papel pequeo mnito lino a ''
Vlnlia da Madeira e do Porto t
Vende-seosuperior vinho da Madeira c do Por-
to, em caixas de. urna u duas dnzias : s na loja
do Vigi'ante, ra do Crespo n. 7.
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Jolmstan & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e cast-
?aes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e. dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Roa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac df
ferro coado libra a 110 rs., idemd eLo*
Moor libra a 120 rs._________________
Farelo superior de Lisboa a fc')5 o sfreo.
Tem para vender Anlono Luiz Ce Cliuirn
vedo & C. n,o seu escriptorio roa da Crnz n. 1.
Albuns
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
preco que em oulra qualquer parle: na ra do]
Crespo d.'.4.
de tralirJbsr ico para
descarocar algod&o
FABRICADAS
For Plant Brothers & C.
OLDAM
ftir?, -
Estas mai ninas
podando?;
qcalqai r i pecto
de algedao sem
estragar o lio,
sendo l asanle
duas pessoas para
o trabalho ; [ oda
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earoc/3
em 40 minutos,
ou 18 arrotas
per dia ou 5 ar-
robas de al
limpo.
Assim come maiht.as para serrn movidfj pe
animaes, que descarceam 18 arrobes Ce i
limpo, por dia.
Os mesmos tem ira vender um IcilifS'iro va-
por que |de fazer mover seis ('estes mscfcicas
mencionadas ; para o que convidase ios Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no ria-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Sauntlers BroUiei s k G.
M. II, praca de Corpo Vai io
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
rpiiiinfi
blsUltLH?,
Ra do Queimado ns. 19 e 55 loja do Bar a le re
conhecido j cuno la!, est disrondo da fazei a
por lodo o preco para aturar dinheiro, qnem i
zer venha ver i' traga o col re, o ver o si gHi e :
Baralhos de callas para voltaretc moito
Dnasa............................ :|
Miada- de Iinha froxa para bordar a
Pares de sapatos v tranca de ledos es
lmannos e linos a................... !'
Massos de superior grampos para cabellos
Dulas de palitos de gaz superiores a. .. SCO
Libras de ara preta muito superior a... HO
Frascos de superior macc oleo a----- 100
Ditos de dito perola a.................. 200
Ditos de oleo de babosa mnilo finos a 310
rs. e............................... 500
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................. *00
Ditos de bsnha mnito fina a............ 640
Ditos de cheiros muito finos para o preco
a ris............................. fiW
Sabonetes de tedas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
No vellos de Iinha com 400 jardas a------- SO
Carritis de Iinha de cores com 200 jar-
das a............................. 60
Novellos de Iinha de gaz de todas as co-
res a ............................. 30
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a....................... *:>'\
Frascos de superiores cheiros. peqt-enos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris...........................
Varas de bicos francezes. superiores a... 4<
Opiata para dentes da melhor que ha a.. 15000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a
I5TP0
m
*o
tuuu *,,...................---
Pecas de tranca preta iza mnito fina a. -
Caixas eona 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fita preta rom colxetes a......
Libras de lia sorlida de lodas as cures a 6.
Bonecos de choro muito bonitos a...... to
Caixas de obreias de ma ssa mulo novas a ifl
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a...................... M
Frascos de oleo Phjtaeflff&cui < gg
Ditos com snagagMp|y320 e........
Caixas de iiaM| W**0 20nove!** a >i
EnfiadorcaM prtilho *XJ
Dnzias de^piBencaruaaus para vest- }
v>a a........ ....................

T


Diario -

AURORA BRUJANTE
GRANDES ARMAZENS
DE
MOLHADOS
mwmm
$% Largo da Santa
|Cruz oa. 12 e 84,<
[esquina da ra do
[Cebo.
Vil Afl 8R Largo da Santa?
VIMlUS UCruz ns. 12 e 84J
^gesquina da ra do]
ESPECULES gcebo. I
O dono dos j muilo acredhados armazens de molhados denominados Aurora
Brilhante, acaba de receber de sua propria eocommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente estacao, e teudo grande sortimenlo comprado aqui,aflanea que todos
os seus gneros sito do 1.a qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de comas aos por-
tadores. m
Nenhnm armazetn vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono se achar encora-
modado ein sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outre na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar ama aoadra deslas para se comprar
barato.
Latas com 8 libras de cbouricas muito novas,
a 75390.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 1000, 1,8280 e
I 408.
Ditas com ostras, excellente petisco para Ir-
1 giJeira, a 720TS.
Ditas cora ervilhas novas, ensopadas, a
7J rs.
Ditas com favas, a G40 rs.
Ditas com ameuas a i 1200, 1^800 o 35500.
Ditas com marmehda do afamado fabrican-
inte Abroa, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas com figos de comadre, novos, a USOO.
2-5 e 2*500.
Ditasi^om bolachinhade soda muito novas, a
25000.
Ditas com biscoitinlios iuglczes de muitas
quididades, a 15400.
Chocolate.
Gbosolate superior muito novo, a libra a
1*200.
i* ^l'1'''"" telliarim e aletria amarella.a libra
ovS a iS) rs.
Ggfj Oito dito dita branca, a libra a 400 rs.
uD Caixas com estrelinha, pevide e outras mas-
nJ& sas, a caixa 35-500.
" Ditas ditaem libras a 640 rs.
'(p Sajrtt, a libra a 360 rs.
Sflg 5e radiaba para sopa a libra a 240 rs.
tp Rrviihis seeeas, a libra a 160 rs.
P Ditas descalas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Parlaba de araruta verdadeira, a libra a
-'O 500 rs.
\ Arnz do Maranhao, em sacca a arroba a
V 2*400 e a libra a 80 rs.
-fQ Diro da ladia e Java, a arroba a 35200 e a
'f libra a 100 rs.
".jjr Tj iciolto de Lisboa a 95300 a arroba e a 320
fi rs. a libra.
-.- Dita de vintos, a arroba 75000 e a libra a
P '0 rs.
(fv\ M)lhoscom 125 s bolas grandes, a 15280.
;n M istarda fraaceza caixa com 2 duzas a
P 85000.
'f\r Frascos com mostarda preparada em vina-
% gre, a 400 rs.
. P Ditos com conservas inglezas e francezas,
t. i a 6'iOe. 800'rs.
S Ditos com sal refina io fino, a 640 e a 500
' ris.
.', Ditjs c:im a vordaJeira genebra de laranja
:-r a 15200.
. -> Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
,'-. 15000.
>Mh Ditas le 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
<.;/ a 640 rs.
.\. Botijas coai dita propria para negocio, a
M 40J rs.
p larrafes com 2 aloes com dita, a 65000.
JSL Sorreja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
M duzi.t a 6.3000.
Viniio scate! de tetuba, a garrafa a
fu 1500.
'-sjK Marrasquinho verdaleiro, frascos a 800 rs.
J e a 15200.
, Coanipigne.a duzla 205000, e a garrafa a
25030.
fc Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
, \ rafa a 15000.
' '. Caixa de vinho Hordeaux muito superior, a
- p 75,8-5, 95 e 105 a caixa.
,''..' Ditas com dito branco, a 75000 a caixa.
' R Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
i p ro, a 205.
r Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
t, 185000.
gSp Ditas com chamisco suDerior, a 145000.
-f Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
r\B. cas, a 125000.
-jM Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
2?" 720 e 800 rs.
nH Dito de Lisboa muito bom, a caada a
";3 35200, 35300 e 45000, e a garrafa a 500
JT 560 rs.
\,'fl Dito da Figueira, das seguintes marca, (X.)
cif> {* A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
J?" 45300 c a garrafa a 560 e 640 rs., deste
'fC que j est engarrafado e lacrado com o
'<'') rotlo do armazem.
Ditos d mareas'mais desconhecidas, a rana-
CtL da a 35300 e 45000 e a garrafa a 480 e
, H 520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35300 e a garrafa a 480 rs.
u'emina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a liora a 200, 240 e 280 rs.
tariaba.
t accas grandes com farinha de Uoianna mui-
to nova, a 35000.
Caf.
Caf do Rio muio superior, a arroba a 85,
85500 e 95000.
Cha.
Cha temos nesles gneros o melhor possivel,
Ufasen, a libra a 25000.
Dfto perola a 35000.
Dito uxi 111 a 25700,
Dito hvsson muito fino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excedente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
pria s para mimos a 45 e 250 1.
Nazes.
Nozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista e painro.
Alpi-la e painco,a arroba -4*000 ea libra a
160 rs.
Carlas.
Cartas Baas parajogar,aduzia a 25500.
Caslaahas.
Castanhas novas viudas neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra 200 rs.
Azeilonas.
Barns com azeilonas novas a 15500
Hanteiga.
Manteiga fior, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris c mcios ditos, a libra a
600 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 35200 e
35500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
15000
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800
Dito dito li?.u de linho, a resma a 45500
Dito de peso tizo e paulado, a resma a
25300
Dito de embramo bom a 15 e 15200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com > verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 25-
Temperos.
Folliasde louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca,a libra a 320 rs.
Dece.
Caixoes de doce de golaba, grandes a 15400
e pequeos a 646 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arcar facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25600, e J
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs., ca- <
da ura, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Kahia por diversos precos, caixas e meias
caixas. a
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
a
nnnciar-se.
48 OC
Pechinclia aem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras & escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimoprego de k$'o corte: na loja das
clumnasrua do Crespn. 13, de Antonio Cor-
reia de Vaseonceos A C.
%jr<* -
Farelo de Iisboa.
Vende-se superior farelo em saceos grande?, e
aor preco commodo, vindo pelo nltimo navio : ba
r ja do Amorim, armazem n. 50.
P6TASSA
NEM COROAS NEM MITRAS

ROPA FEITA
GrRAUTJME.
M
iisaizEi
RIJA DO OIPERiDOR M. 40
Jinto ao sebrado em qne mora e Sr. Osborne,
Duarte Almelda A C, receberam de sua propria eocumnei-
da o mala lindo e variado sorttraento de molhados, proprios
da presente estacSo.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a 1,000 para sopa a naelhor que se pode desejar,
Vende-se potasa em barris a commodo prego o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
rs. a libra eem barril a 800 rs.
Manteiga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800' rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
24400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Litas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1^000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
ebegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 2^600 cada um.
Uueijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalbo.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos '
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e i02OO.
Cha uxim
o melhor que se pode desejr, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3# a 24600.
dem perola
especial qualidade a 25700 rs. a libra.
dem hvssoo
V
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, ralbarim e aletria a
480 rs. a libra.
fOCVAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL,
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 2&200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podira a 800 rs.a libra.
Fume
o verdadeiro fumu americano em chapa a
l,4oo rs. alibra.
Viaagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado 7,ooo rs. a caixa
e 1,000 rs. o molho.
Alpista o tainco
o mais novo do mercado a 1 io -s. a libra
e 44400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 14000 o cento na ra do Que-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carino n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 34400 a arroba e 140rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
macarro, talbarim e aleiria a 400 rst a
libra e 44500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 14 e 14200
a garrafa e de 104 a 124 a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Charaisso Filh,
F. t M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de baalia a 44000.
Bolackinha ingleza
a 14800 a barrica damesma que
vendem a 24000 e 24400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c? M bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 44500 a 64500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 14500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 24500 a 34000 a ar-
roba desses que vendem por 34400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 8$5f
e 84800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 V garrafas com vinagre a 14000 iw
o garrafio.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 14000 o frasco, e de 110OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 54800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatiment.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Mtalas novas
em caixas de 2 arrobas a 54 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 24 o quarto e 64500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frotas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
1 Dscc ila casca da gaiaba
a 600 e 14 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 34500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo 2. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 14200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegadosneste ultimo vapor a 2#800 na ra
do Queimado n. 7, ruado Imperadorn.
40 e largo do Carmo n. 9.
UBTRKIK VXBOK.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda facer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
bomens e meninos.
304000
25400O
Casacas de panno preto, 354 e
Sobrecasacas idem, 304 e
Paletos idem e de cores, 254,
204, 154 e......1O4O00
Ditas de casemira, 204, 154,
124, 104 e...... 74000
Ditos de alpaca, 54, 44 e 34500
Ditos ditos pretos, 94, 74,
54, 44 e......34300
Ditos de brim e ganga de co-
res, 44500, 44, 34500 e. .
Ditos branco de linho, 64,54 e
Ditos de meriR preto de cor-
dao, 104, 74 e.....
Calcas de casemira preta, 124,
104, 84 e......74000
34000
44000
54000
Ditas de cores, 94, 84 e.
Ditas de meia casemira de co-
res, 54000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 44500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 54, 44500, 44 e .
Ditas de ganga de cores, 34 e
Cohetes de velludo preto e de
cores, 94 e......
Ditos de casemira preta, 54 e
Ditos de ditas de cores 54
74000
44000
44000
24500
54000!
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
64 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de eflres, 64, 54 e
Cohetes de fastSo e brim bran-
co, 34500,34 e .
Seroulas de brim de linho,
24400 e ......
Ditas de algodio, 14600 e. .
Camisas de peitos de linho,
44, 34 e......24500
Ditas de madapoISo, 24500,
24e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 104, 94 e. .
Ditos defltro, 54, 44,34500 e
Ditos de sol, de seda, 124,
H4, 74 e......640OO
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
tas.
24500 j Toalhas para rosto, duzia, 114,
e........
74000 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
440OOI tos e de cores.....44000
Lences de bramante de linho. 34000
54000j
44000!
24500
24000
14400
14600
84500
24000
64000
64000
44 e........30500 Cobertas de chita chineza.
J. VIGNES.
M.. 55. RA DO IMPPltAlHHt !. 5.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre e
sua supenoridade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas iacotpta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem appaxecido oesla praca ; odo-
suindo ura teclado e machinismo que obedecem todas as voatades e caprichos das piajslas sem-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos imprlan-
tissimos para o clima deste paiz; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito ajjrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes.em cuja capital foram sempre premiados em todas as expsic5es.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimenlo de musioas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
CONSULTORIO MED1C0-CIRUBGIC0
DO
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
FARELLO DE LISBOA j
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 44500: na ra do Imperador n.. 40.
_________
NOVIDADES.
Queijos do Uentejo. ditos das ilhas o mais fresco que so pode dese-
jar a 14200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimeoto, ricas caixinhas
redondas enfeitadas, proprias para mimo da fesia pelo barato preco de 44
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 14500
cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperador n. 4.
DR. PEDRO CE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
HEDICO, P.IKTEIRO K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, Gasa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s l
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como "tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 124000
de 24 tubos grandes. 184000
de 36 tubos grandes. 244000
de 48 tubos grandes. 304000
de 60 tubos grandes. 354000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os rj:nili
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 14' 00.
Sendo para cima de 12, custarao os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes com diccionario.......'..... 20<3000
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 104000
Repertorio-do r. Mello Moraes............. 64000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,,. 34000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duraderos: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparac3o, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, eomo na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes. (
Paga-se 24000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 14500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujear aos precos
azoavets que costuma pedir o annunciante.
S
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de 12 garra-
fa, sendo marcaRainha de Portngala 18^000
a caixa, e marca Pedro Va 1G>; em porc^o
far-se-ha um abate razoavel: no armaiem deFer-
relra & Matheus, junto ao arco da Conceicaon.
06. No mesmo armazem ha tambem excellente
vinho do Porto em aurrelas de 32 garrafas a 304
cada ama, e em por;o por menos alguna eousa
Vendem-se charutos da Baha de varias qua-
lidades : em casa de Monhard 4 C, ra do Tra-
piche n. 48.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
l.4 a lata : nos armazens. da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 61
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal ti ^istJa a mais nova
que ha nc aereado, tanto eni porcao como a reta-
loo, por barato &&, afiancando-se aos compra-
dore* operior mialidade : a tratar as segnities
ras : Cfespo n. 7, Imperador n. 58, Forte do Ma-
tos, armazem do Sr. Avilla, defronte o trapicha
n algodio.
Fabrica Concedi da
Babia.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armaien n.
34 da ra do Imperador, algodo d'aquel-
,'a fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
AGENCIA
AGENCIA L0W-M00R.
Roa da Senxalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiaa
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o*
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas pan
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vndese machina para descansar algodo
com motores para animaes : na ra da Senzala
Nova n. 4z.
; MGICA. ~~
Na ra da Imperatriz n. 53 aoha-se venda um
pequeo gabinete completo de physira, ou instru-
mentos para musca, que pode servir para algum
curioso dar representares pelos arrabaldes, pois
compoe-se de muitas e variadas cortas.
Ovas do serio.
Na travesa de Joao Fernandes Vieira n. 6, ha
para vender ovas do sertao, tanto atacado como a
retalho.
Feijdo.

/
-
Vendem se saceos com 22 cuias de fejio rajado
do Porto por 11$, em cuias a 520 : aa ra Direi-
ta n. 8.
}
/


I

k
Diarlo de P
Sabbade 91 de Janeiro de 1 6.
.
MAGNIFICO SORTIMENTO
DE
-
MOLHADOS
NO
QRAIDE ARMAZEItt
DA
LIGA.
GO RA HOVA OO
Casa da esquina jualo a ponte da Boa Vista.
MUITA ATTENQA.
Parece que o respeitavel publico se achara bastantemente convencido de que a
AO PUBLICO
Sem o menor conslran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nSo agradar.
MAZEM
ATTENCAO
Os preeos da seguirte
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba
se para o ajaste de eontas
com os portadores.
Assacar cry&lalisado da fab ca
2 de Julho
Na Babia.
Noa/maiec da roa da Madre de Dees n. 28,
ha a venda o rr.uilo superior asscear crvsialisade]
em saceos e 2 arrobas, ao preco de 55" rada ar-
jO'-
Vende se p"r precisao a arni; calcado toda envidraca da ra da Imporatnz na
Boa-Vista n. 13, o aluguel razoavel ea casa tem
no interior bastante espaco para moradia : a tra-
tar na mesma luja cora a viuva de Juo Jo.- lleu-
des da Silva.
Vldros para espelho.
Vende-se na ra Nova n. 26.
RIJA DA CAHEIA DO RECIFE ]. 53.
(logo passando o arce da Conceieao)
brande rednccSo de preeos, equivalente a dez por cento menos do que ontro qualqucr
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outi
Vende-se tima das mais ricas armacV* i ara
loja, toda de arnarello, propria para ne"g< ci i'e
molhados, mas qne cora urna pequrna alterarn
serve para lazendas ; vendle por menos da n,e-
tade de seu cu>to : no annazem da ra da Cadcia
numero 1.
Ciaz liquido, c.tndieirus c acs
pertences.
No deposit do mesmo, na ra da Cruz n. .'5,
vende-se gaz o mais apurado, tm I a I;..- (!c 6, 2 c
1 galao, assim como em garrafas; le ni lamb m a
venda candieiros para o dito
de diveoas i|tialii 1mmSa dpstp i nnortanto ostahplrrimpnln ipto iln spmnrp r-arrteriqt"> nnin m,m _:i.J *ur~."~97~' "" r""~. f iwj yv u mameiga ingina LS^cSiraS^am^a^TJJS ^SSS^SSlS& ^Z T S bjeCl VlC" da,ndo co,m ,sl ocas,5 a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, egritaremem Plenas as maiores dimensoes,' ludo ,r prec*
gosto e capricno, nao so com relacao ao asseio superioridade das mercadonas, como alta voz, quepodem vender pelo preco que eu vendo!! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso emadornar omesmo commodns-
na s.ncendade do trato e manetras aUenc.osas dos empregados da casa para com todas systbema que vira encontrar, de s seVnder com um por cento a carola, resolv fazer esde^redcelo de pS lo~ Vinho do Porto superio.
Tfi.L;,.,. *{* ?..,,____ a r a p l?8!nte tabella, pos como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados niao Mercantil nao "
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que
estao obrigados encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao somente obter a concorrencia de seus freguezes.
aquellas pessoas que se dignam
Muitas senhoras pernambucanas e estrangeiras, cujo trato ameno e delicado nao
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelecimento da ordem
da Liga tem vindo possoalmente refazer as suas despensas nesta casa e voltado asss
satisfeitas.
E' preciso fazer desapparecer desta importante capital estas nojenlas tascas cheias
sempre de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
O importante e magnifico armazem da Liga se acba felizmente muito fura
dessas condieces. E' necessario v-lo para bem se prestar crdito a nossas palavras.
A mercadoria nunca ser bem comprada se ella nao fr de boa qualidade.
sobre este ponto que chamamos a atlenco das pessoas que nos quizerem honrar com
a sua freguezia; porque o nosso grande estabelecimento se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parte foram comprados a dinheiro
vista, e recebidos directamente de Londres, Paris e Lisboa.
Ninguem se acha entre nos com mais proporcoes para vender barato.
As pessoas que compram para negociar, fariam muito bem te quizessem se cer-
tificar de quanto liavemos expendido procurando afreguezarse cora nosco.
Nao duridamos vender a crdito a quem nosder conhecimento de sua probidade.
iem barris de oitavo e dcimo, vende Antonio Luiz
' de Ohveira Azevedo & C.: no seu escriptorio roa
da Cruz d. 1,
Para bem de todos.
Amendoas confeitadas em ti asa s de vidro, ditas com casca mole
e duraAmeixas francezas em frasees de vidro, ditas em latas,
ditas em cartoes, ditas a varejo =Alpiste e milho miudo.As-
sucar refinado fino, dito baixo.Azeite doce em barril, dito
em boioes, dito engarrafado, dito francez e portuguez refinado.
Arroz do Maranhao, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto. Banha de porco embarril
dita em latas, dita refinada em barril e latas. Batatas emgigos,
dita era caixas, ditas a varejo. Bolaxinhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, dita para lanche, ditas americanas.
Biscoites ioglezes, .Mixede, Medum, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel, oval Thim Capitam e outras mais, ditas de leite de
Edimburgh, etc. Caf do Bio de 1.a, 2. e 3.a qualidade, dito
miudo.Cha, o que ha de melhor existe em nessos armazens,
uxim, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.a e 4.a qualidades, dito
preto horaeopathico, dito commum.-Charutos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regala imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
ditos Napelees, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei*
ros, ditos imperiaes de diversos fabricantes. Cliouricas mcu-
riscas deLhboa, ditas em latas.Chocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Ceneja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenenle, dita H, dita XXX, dila em barril
branca e preta.Conservas inglezas, dittas francezas, dittas ali-
menticias.Cevadinha de franca. Chanpanha superior de di-
versas marcas.Cognac inglez, ditto francez. Cbelas de Lis-
boa em molhos, ditas em restias.Copos lapidades para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des, ginja, alperch, pera, pecego, doce de goiaba, em latas ditos em
caixoes ditos em frasco de calda de assucar, ditos de cognack.Ervi-
lhas em latas, ditas em casca, ditas sem casca.Espetmcete de 5e 6 o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libras lindamente enfeitadas, ditos em
caixas grandes e pequeas em barril. Farinha de trigo de diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maranhao, dita do Aracaty.Fumo
do Bio em latas, dito em rolos, dito em lata (do Para) para cigarros.
Genebra ingleza marca gato, dila dita em froscos, dita de H llanda em
frascos, dita dita em botijas, dita de Hamburgo em frascos, dita em bo-
tijas, dita em garrafoes.Graxa em latas.Limonada de diversas fruc-
tns.Licor inglez, dito francez, dito allemao. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dita de 4.a, dita franceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas para sopa, macanao, talharim ealetria,
dita estrellinha e revide branca earaarella.- Marrasquino de zara de 1.a
qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Mai melada muito fina.Molho
inglez, dito francez.Moslarda ingleza, dita franceza. Presuntos in-
gleses para fian.bre, ditos americanos, ditos do Poito^para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinlhias para podim.
Pomada do P< rto.Pimenta do reino. Peixes em latas, favel, curvi-
na, pargo, espada, congro, chermy preparado pelas melhores artes -de
eosinha.Papel greve branco, dit paulado, dito alm?co, dito de peso,
dito arnarello.Palitos lixados para dentes, tirios dilos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.Queijos inglez elondrino, dito flamengo. dito
pralo, dito suisso.Bap Meuron, dito francez Sakme em latas de ^
libra o melhor que aqui tem vindo. Sardinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sabo nacionol, dito massa e nao massa, dito inglez. Sa
nacional, dito inglez a varejo, dito em vidros. Toucinho de Lisboa e
Porto, dito de Santos.Tijolospara limparfacas Vinhos, nesle gene-
ro os nossos armazens tem <>melhor sortimento que se pode imaginar,
duque do Porto, lagrimas do Douro, Cames, Bocage, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, tudo engarrrfrdo.
Prevenimos ao publico de que no armazem da liga s tem vinhos engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Porto, Lisboa, Figueira e de Sete,
dito em barril de todos os paizes, dito em ancoras, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em barrilinhos com ISO garrafas por
preco a satisfazer o mais exigente comprador emquanto a qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por prego
baretissimo, dito branco para missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrafoes. Vassouras do Porto, ditas americanas.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra
dosgeneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recomraendaco,afimde que nao vao em oulra parte
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 dtizias se faz abat-' Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
ESCRAVOS FGIDOS.
escomida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,Goo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o I,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em oulra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermelicamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra ente'.-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra,
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a G4o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra,
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
I,ooo e I,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem .transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
ment.
Caf do Bio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Aftoz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
fe i tas para esse fim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 4o,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,oo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellene quali-
dade a 4*oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a C8o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria era caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs: e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colaes o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas delNantesem, quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
i Sardinhas pprtuguezas em latas grandes
preparadaspelo melhor conserveiro de Lis-
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes"
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas dele meia libra
por 1,2oo; ditas era caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora *,2oo, I,5oe, e !,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
D-se 50 de gratifleaco a quem aparrai o
cabra Caetano.ijue tontina a estar fgido e acon-
tado nesta praca, pois j tem sido visto por dife-
rentes pessoas e por diversas *etee,oqoal rt< es-
tatura mediana, cabellos crespos e ja pintados,
nariz grande e airebitado, espailudu, perna tinas
e um pouco tortas, ps apalhelados, fatUodo-llie
algumas unhas, andar um pouco corrovadu. tsia
com o rosto um pouco plido e enxado, pode ler
de idade 25 a 30 annos, bastante ladino e v* Ilia-
co, presume-se que esteja engajado em ilgoma
cqcheira ou sitio a pretexto de papar semana, pois
nao ha quem o conheca por forro: r.a la tiuva
de Santa Rila n. 7 aos Srs. Siqueiras v Santos a
no engenhoPara, sedar a mesma gratilicacio a
quem alli o entregar.
Ne da 14 do crreme fogio a escrava cabra
bnixa de nonie Feliciana, que representa K0 an-
nos, falta de dentes, magra, cabellos gran l<
quando anda meia impenada, levou vestido es-
curo com pintas brancas, levando urna bandrija e
urna toalha fina : roga-se as autoridades polica s
e capites de campo a captura da moma escrava
e levarem a ra das Trlneheiras n. 26, ah se '
quem o seu senhor.
tura
Fugio pela manbaa do dia i^ (!o ci rn ble o
escravodenomePaulino.com os signaes-secoiE--
tes : cabra, cara picada de texiuas. ti* i.lt.- lifla-
Molho inglez em garrafa de vidro com dos, cabello carapnho,estaiura repulir, riti t.-,
rolha do mesmo a 5oo rs. ] corpo, muilo conhecido f or andar vi idlico fa-
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a, rendas com um caixeiroda casa dos Srs. Wai.eii-
8oors. O frasco. | no C. : roga-se a quem o pegar, de o leva -a
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
sera
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca- i boa a 64o rs.
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em j Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
* NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Ghegaram os modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiraraenta novos
em gosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Coma
de Vasconcellos A C, successores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom
latas grandes a 8ooe J,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1 .ooo rs. o basco, e
H,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
2,8
cado a
libra.
Bolachinha
qualidades
Bolo francez
para mimo
Passas muito
libra e
Figos de
l,8oo rs.
Amendoas dei
>ors. a barrica, e 2io rs. a
de soda em latas com diversas
a l,3oo rs.
em caixinhas muito proprias
a 64o rs.
novas de carnada a 4oo rs. a
6,obo rs. a caixa com 28 libras,
comadre a 24o rs. a libra e
(a caixa com 8 libras,
casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H.ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
.ooo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. 'em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a'arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
i*V. a 5 f 9i B-B S D-o o a
motilad
gosto
Para vestidos de senhora
imperial.
,v
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de gorgurao e de setim
Ditos de bioo4, e de camliria branca bordados.
Ditos de la com barra e grande variedade em cores e padrees.
Ditos de orgaodys com barra
Lindas sedas de quadros escosseza e miadas.
Superiores lias lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpico*, com llores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiramenle nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias organdys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia e ontras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bonrnonx de casemira de cor.
Ditas de lia e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 185 a &0.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados finos, de cachimira com listras de
seda e de fil preto.
Camiziobas modernas, zuavos braneos e de cores, colletes de carobraia, lindas gol-
linhas com pnnhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltro enfeitades para senhora.
Dites de palba enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antoni Correia de Vasconcel-
los C.
8I-RUA DO IMPERilOR 81
Segunda casa do lado direito indo d pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodosl de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e moltaajos primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidades, efrancamente affiangas pessoas que
se dignarem comprar em seu estabelecimento,que alli de referencia outra qualquer par-
te ser5o mais bem servidos, em qualidade e preeos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escropnloso, em summa, nao illide a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo queiram henrar como seu comitente lhes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para oquesejulga convenientemente hab litado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despach dos com presteza, depois de se-
rem fielmente umprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que lhe merecam confianca, fa-
zendo umabate vantajoso aos quepagarem a vista suas tnercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna modjica commisso, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commissSo.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa protecc5o, fre
quentandocomo outr'ora sua casa, e pelo reconhecimento que lhes tributa offerece expon-
taneamente seus servicos.
Julga desnecesario publicar a tabella dos preeos de seus gneros: sao seus recursos
garanta sufficiente de poder accempanhar os menores f recos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estabelecimenlos, tendo somente em
diarias.
c/v
X)
cz
lili
s S"g
ui o
CA .
a. -,
o p. m
w 2
.. P
5-3
ogsr3
S- 2 w =
sta o augmento de suas vendas
I*reveu?So nccessarla.
Tendo sido o propietario estabelecido muitos annosj com o mesmo ramo de nego-
cio nt mesma ra, julga prudente advertir que s affirma e se responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
i na mBGABnri.
81-RUJl DO IMPERADOR-81
Segunda casa do lado direito indo lo pateo do Coi^toJ^S6^
o
ce '
a*
"O u -
o
O OOQ
ce ce g-
lia
S p c
ce >
o c:a
w a, o
B -
cus
SI
" 2. o
^g=c*>
~ isj -I
c -a -
a o a-2 S a
M o S
Cl ce C5
&3 4TT C*
ere
t:
J3
OC*"
g-s-g-gS.
60 ce -i <
ftp" 8
M
?'g-aS;
-A8f
O. ce
ce
. ce
fifi
i O ce
o _E'
cr
v.
c
p. = ? o. S
5
9
casados mesmos na rna do Crespo n. que
generosamente recompensado.
Na noite do dia 16 do corrente, (lrsapparereu
do poder do abaixo assignado, o moiatinho de ri-
me Ubaldo que a semana passado foi annunciado
pelo Diario do Renfe, nos das II, 12, 13 e l, para
se alugar, e seus signaes sao os stcuintes : esta-
tura alta, bem alvo e bonito, seco do rorpo, hrjfi .<
e pernas compridas, dedos finos e prandes, sendo
os dous mnimos dos ps bastante curios e finos,
tem 18 annos de idade, cabellos corridos e pretos,
levando elles rentes que bem se v do lado esqncr-
do da cabecauma pelladura que mostram tpr sido
de sarnas, maos e ps bem feos e cavados, olhos
grandes e bonitos, sombrancelhas prc tas e grossas,
nao buca e tem afina! na perna esqoerda do lado
interior dous grandes signaes arnxcados de duar.
gommas, e mais outro menor, bem superior a ra-
bera do osso do tornezello da dirrila, leveu cnlja
de brim branco j nsada, e camisa de dula rom
flores rochas. Este oseravo pertence an convento
do Carmo de Olinda, que foi reivindicado em ag s-
to de 1863 do poder de D. Marcolina Cflho da
Silva Leite, filha do finado Jos (laudino Leite, *m
cujo poder tinha o Dome de Pedro. Este cscravo
filho naturaljo engenho Camassari rm Jabcatn.
onde la tem rniti e mais pai entes, por isso que c do
suppr ter elle procurado para alli, ou para casa
de onde foi lirado, per isso que rega-se as autori-
dades policiaes e aos capites de ramio sua ca tu-
ra, e logo que fr entregue ou no Carmo fe ou na ra Direila n. 27, ser bim recompen-
sada Rerife, 17 de Janeiro de 186o. Fr. Joao do
Amor Divino Mascarenhas, prior do Carmo em -
Olinda.
. cu
ce
3. ce o.
-i
ce
I Si
n
ce
en
ci
ce
B
B
o.
ce
ere C
, ES 00 Bi
09 O
s
o
rs
H
O
~
Q-
O
a
tu
"
I
O
Hit?
1
O
s
o_
tu
B
a-
tu
I
e
e
9
AMSO.
Dosnpi an-fi u Ja ra-a do abaixo assignade, a
ra Au?u;ta n. 96, a escrava Benedicta, de itia-
de de 50 annos pouco mais ou menos, ct m os sig-
naes sciuinte.;: estatura regular, alguma cousa
barriguda, pernas um pouco arqueadas, orelbas
grandes como que acabaadas, ollios en>raj ufa-
dos, nariz chato, bochechas peuduradas. bt-iijo in-
ferior grossoe um tanto cnido, denles do queun
superior eda frente quasi rentes, com falla de um
deum lado, tem no braco direito una marca co-
mo de fogo formando como que um c, falla babo-
sa, cuja escrava estava depositada em casa t'o
abaixo assignado, por execuco que move Fr, i-
cisco Candido Piz a CandidoAlves Lima, decon-
lia-se que dila escrava lera buscado para a paite
de Iguarass onde j morou e tem por l senso-
res que foram da dita escrava : o baixo assigna-
do roga a qualquer capitao de campo e mesmo a
autondade poiirial por onde ella possa appareccr
a facam apprehender que porlqualquer dt-fpeza se
obriga..
___________Joao Jos de Albuquerqne.______
Fugio na tarde de 17 do correrte o cabra
Candido, de 21 annos, rosto comprido. nariz chalo,
sem barba, estalura alia, com a perna direila tor-
ta para dentro, Isvou vestido camisa e caiga de.
algodao azul, chapeo de palha, occupac.au mai li-
ma : pede-se s autoridades policiaes, que no caso
de encontrar, prende-lo ; e aos capiles de cam-
po e procurar e prender, levando-o a bordo do
brigue D. Aonso, defronte do caes do trapiche
Bario do Livramento, on no largo do Corpo Santo
n. 21, primeiro andar, que ser recompensado.
No da 9 de dezembro de 1864 -fugio de casa
de sen senhor o escravo Herculano, pardo rscure,
com 35 annos, alto, cabellos carapinhos, olhos e
orelhas pequeas, tem apenas bigode e pera, per-
nas e andar de quebra-mangue, tendo o p esquer-
do torto e sahido para fra como pata de sen, e
por isso pnxa alguma consa pela perna quando
anda, levou vestido caira branca remendada e ea-
misa branca, levando chapeo de palha, ccndnzie
igualmente toda roupa que possue, suppoe-se an-
dar aqui mesmo pela cidade:' quem o pegar leve-o
a rna Direita n. 54, qne ser generosamente re-
compensado.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao nma tintara, fcto esen-
cial a contestar, a mesma agua dando a edr primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inoffensi vas ella tem a proprredade
de restituir aos cabellos o principio corante qne el-
les tem perdido. D'nma salnbridade incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabrea
destroe as aspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida,
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constite poderosarotet, om a Agoa Florida, a
torca, a belleza e a conservago des cabella.
En Paris, casa de Quislaur n. 12, rna de Ricbe-
lien, e SI, bonlevard Montmarre,
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, e
Ansentou-se era 29 de dezembro passado do
eugenho Utinga de cima, no Cabo, a mulatinha
Jonna, de 14 annos provaveis, comprada a 26 rlir.~,
ne Recife, a Jos Firroino de Medeiros por prreu-
racao de sua ave Josepha Mara dos Prazeres, mo-
radores ambos no Brejo da Madre de Dos, Km es
signaes segnintes : cor alvacenta, manchas no
rosto, cabelle carapinho e rugo, com nma cicatriz
na testa, corpo regular, com todos os dentes, sera
peitos, as pernas finas, vestigios antigos de chicote
no corpo, padece de bobas as partes ermitas, a
falla as vezes viciosa : rega-se s autoridades a
soa captura, e a qualquer particular, pedende ser
remettido para o referido eugenho, ou a Joao Jes
de Carvalho Moraes Filho, rna do Queimado n. 3,
que serao irratiflcadoj_____________________
ATTENCAO.
Fugio no da 12 do corrente a escrava de neme
Conceieao, levando eom sigo urna cria, e lia rre-
snmpcio que foi sedazida pelo menor Pedro Pal-
lo de Albuqoerque, que tambera sahio de casa por
ter tachado soa mi e padrasjo dos nemes mafc
injurioses : quem quirer saber prerore inrestifW
o procedimento da tal menor, e quai a razao dcite
procedimento.
lana Thtophila de Albvqrieriptf.

Tu
i\/r-i


TTEB1TRA.
O QUE VAE PELO HUNDO
As corrrspondencias do Schlesvfig-Holstein
transcrevem a proclamaco de S. A. R. o principe
Carlos da Prussia, ctmraandante em chefe do exer-
rito alijado.
t-Quartel general de Rendsburgo, 16 de novem-
liro.
< Camaradas do cxercito alliado.
A paz est concluida, e a segunda guerra di-
namarqueza terminada. Fez-se urna paz gloriosa
depois de u na guerra gloriosa O exercito allia
do separa-se, e o meu commaado cessa. Vej-
me na necessidade de agradecer aos generaos
commandantes, aos goneraes, aos commandantes,
offlciaes e soldados a confianza e o zelo que eu
nao menos feliz do que o meu predecessor, o felti-
mareclial conde Wraogel, enconlrei em toda a
parte e sempre. Esta contianga garantiu os bons
ositos que se alcangaram. E effectivamente, sem-
pre, e em todas as occasioes, as nossas gloriosas
lundeiras ficaram victoriosas, c conseguistes ven-
cer todas as difflculdades que se apresentaram,
E' por isso, e attendendo a outrascircumstancias.
que a campaulia de 1864,'ha de ficar memoravcl
para vos e para a poslerdade.
f No espago de cincuenta annos, a Austria e a
Prussia combateram aiuda oulra vez, urna a par
da outra, e pela mesraa causa. Como nossos so-
beranos se achara unidos, lamben) vos eslivestes
mutuamente ligados, camaradas austracos e prus-
ianos I Nao houve desordens. Nenhuma des-
intelligencia alterou a boa harmona.
a Em memoria d"essa uniao, podereraos consi-
derar-nos felizes de trazer pendente mesma fita
inedalha que os nossos soberanos se dignaram
conceder em honra desta campanha.
As cores d'esta fita Iembram-nos que devemos
continuar a ser bons camaradas, como hoje somos;
lio de recordar-nos tambem que a Austria e a
Prussia unidas sao forte's e poderosas, e, se Deus
quizer, invencivois !
O commandante em chele do exercito al-
liado.
Fiedertco Carlos, general de cavallarla.
. e
Os jornaes francezes publicaram a seguint
ola dirigida aos principaes governos da Europa,
pelos agentes dos estados confederados, cora data
(io 11 de povembro de 1864.
Senhor.Os abixoassignados, commissarios
los estados confederados da Amrica, teem hon-
ra, na conformidade das lnstrucges do seu gover-
no, do vos apresentar urna copia do manifest pu-
blicado pelo congresso dos ditos estados, com a
approvaco do presidente, que foi coavidado a fa-
E9T transmittir copias aos seus commissarios no
r-strangeiro, para que elles podessem communica-
las aos governos estrangeiros. Os abaixo assigna-
*:- couimuuicam ao mesmo lempo urna copia do
prembulo e das resoluedes do congresso, juntas
ao dito manifest.
Ai disposigoes, > principios, e as Ideas que
n piraram e inspirara anda os estados confedra-
nos, esto expones neste documento cora toda a
autoridade devida as solemnes declaragoes dos
ramos legislativos e execulivos do seu governo, c
cora una clareza que nao d lugar a com menta-
rlos nem a xplicaces. Declara-se ali em poucas
pbraaes, que tudo quanlo pedem, e que nao haja a
nenor ingerencia na sua paz e na sua prosperjda-
de interna, e que os deixem gsar pacificamente
de seus inallenaveis direitos de vida ede liberda-
de, assiu como os de trabalhar para sua felicidade.
>ao os direitos que os seus communs antepassados
leclararam ser egualmente heranga de todas as
parles interessadas no pacto social.
i Cessem de nos atacar e a guerra estar aca-
badas I Se existem questes que podemjser regu-
lada por meio de negociares, sempre estiverara
dispostas, e ainda esto, a entrar em commuoica-
p5o com os seus adversarios om espirito d'equi-
dade, e de nobre franqueza, a subraetter a sua
causa ao julgamento esclarecido, assira como a ar-
tiilragcm solemne do cu.
Os abaixo assignados, solicitam mui respeto-
samente a atieogo do governo de__para esta
ranca e completa explicado da atlilude e das
ideas dos estados confederados, faro tambem
simplesmento observar que desde a pablicacao
deste manifest, os nossos inimigos continuaran) a
azer a guerra, augmentando de ferocidade, e com
o mais noiavel despreso de todas as leis da guerra
dos palies civilisados, violando mais audaciosa-
mente as obrigacoes do direito Internacional.
Depois de ter cumprido deste modo as instruc-
(oes do seu governo, os abaixo assigoadoe oflere
cem-vos a expressao dos seus sentimentos de dis-
tincta considerago. (Assignados) Jonn Stidell,
J. M. Masn, A Dudley Mann.
ii 11 i peiiji i i. i
O Jornal Oficial de Varsoiia publica, nos
seguintes termos, o ukase imperial :
Nos, Alexandre I, pela grca de Deus, impe-
rador e autcrata de todas as Itussias, etc.
< Conservando as iradieges dos nossos augustos
antepassados, e seguindo o movimeoto sincero do
meu coragao, temos sempre concedido a nossa
prolecgo aus direitos legtimos e inviolaveis das
religioes professadas pelos nossos subditos. Nesta
maneira de proceder, eramos guiados pelas regras
immuta veis da tolerancia, que constituem urna
das principaes bases da legislago do nosso paiz,
e qne esto intimamente ligadas com as tradic-
$5es histricas da egreja ortodoxa russa e da nacao
russa.
c Assim como, no reino da Polonia, onde a maio-
ria dos habitantes pertence 4 egreja catholica ro-
mana, temos tido o particular cuidado da boa con-
dieco dea egreja, conservando-lhe todas as suas
nstltuigoes, taes como espontneamente se forma-
ram nos tempos passados ; tanto maior foi a nossa
tristeza quando vimos, por occasiao das ultimas
desordens do reino, que urna parte do clero catho-
Leo nao era fiel aos seus deveres pastoraes, nem
aos seus deveres de subditos. Os religiosos, es-
quecendo os preceitos do evangelho e os seus pro-
prios votos monsticos, impeliam (uta sanguino-
lenta, provocavam ao assassino, profanavam os
muros dos conventos, recebendo nelles juramentos
sacrilegos, lancando-se alguns delles as fileiras
dos rebeldes, e tingindo as suas mos no sangue
innocente.
A dura experiencia dos das apenas decerri-
dos, forga-nes a tomar medidas efflcazes para ga-
rantir a sociedade contra a repeligo de semelhan-
tes acontecimentos. Estamos convencidos da im-
possibilidade de conservar de futuro os conventos
na siiuacao que at agora Ihes dava a longanimi-
dade singular do governo.
i Tende examinado o relatorio da commissao
creada ai ho.-. que nos foi apresentdo pelo nosso
logar-tenente no reino da Polonia, temos decretado
e decretamos :
Arl. I.* Os conventos catholicos do sexo mas-
culino e feminino no reino, que nao contarem o
numero de membros fizado pelas regras canni-
cas especialmente aquellos que tlverem menos de
oito religiosos ou religiosas, sero immediatamen-
te SHpprimidos, por nao torca meios sufflcientes
para a conservado da ordem e da disciplina entre
os seus membros.
a Art. Sero tambem immediatamente fe-
chados todos os conventos catholicos do reino,
que se provar tomarera parte as ultimas desor-
dens.
Art. 3. Os religiosos que pertencem aos con-
ventos supprimidosou fechados, podero escolher,
ou continuar a vida monstica, segundo as regras
da sua ordem, nos conventos do reino, que ficam
exisiindo, ou relirarern-se para sempre para o es-
trangelro, gosando de urna penso annual e o pa-
gamento das despezas de viagem.
t Art. 4.* Sao excluidos deste favor, os religio-
sos que se conhecer estao culpados de terem toma-
do parte na insurreigo. Com os que estiverem
comprehendidos nesta disposico, dever proce-
der-se com o rigor das leis o regulamentos exis-
tentes.
Art. 11. Todas as escolas dos conventos, sem
excepgo, passam inmediatamente para a admi-
nistrado da commissao de instruego publica, e
ser-lhes-hao strictamente applicadas todas as pres-
cripges dos ukases de 11 de selembro, sobre a
organiso escolar.
Art. lo. Os conventos, que continuaren) a sub-
sistir no reino, depois desta suppresso, e encer-
ramentos dos indicados nos arligos Io e 2', sero
divididos em conventos do estado, ou conventos
nao do estado-
Os ltimos ficarao sujeitos successivamente
suppresso, medida que o numero des seus mem-
bros se reduzir a menos de oito.
Art. 16. Todos os conventos do rein sero
de futuro sujeito autoridade geral diocesana ;
sua dependencia dos provinciaes e geraes de or-
dens religiosas Oca abolida pelo presente, e pro-
hibida qualquer relaco com estes ltimos. Fi-
cam egualmente abolidos os captulos dos con-
ventos.
Art. 17. Urna commissao especial preparar
os p rojee tos relativos aos fundos necessatios para
a manutengan por parte do governo, dos coaven-
tos quo se conservara, e dos regulamentos relati-
vos sua nova organisago. Os projectos e re-
gulamentos, depois de lerom sido examinados pea
commissao constituinte, sero apresentados a nos-
sa sanego.
t Art. 18 e 19. Para que o clero monstico en-
tre nos seus verdadeiros deveres e para garantir
de urna maneira duradoura e uniforme a existen-
cia dos conventos que bao de futuro subsistir no
reino, todos os bens immoveis dos conventos tanto
do sexo masculino como femenino, assim sappn-
midos e fechados como os que se conservara, as-
sim como os capitaes pertencerifcjs a uns e outros,
passaro immediatamente para o tbesouro publi-
co, e sero postos disposico completa da com-
missao das nanlas, e em parte da commissao do
Interior, as quaes lero a sua admlnlstragao.
c Art. 21. Os rendimenlos assim adquiridos pe-
lo tbesouro sero empregados, abatendo 10 rj|0 pa-
ra a adtnloislracao dos bens, na eonservacao dos
conventos conservados, no tralamento, pensos,
despezas de viagem dos religiosos dos conventos
supprimidos, na manulengo das escolas e dos es-
tabelecimentos de beneficencia, pertencentes aos
conventos supprimido?, etc.
< Art. 23. A execugo immediata do presente
ukase confiado ao logar lente do imperador no
reino. A' commissao constilumte ficam reserva-
das, asoluco de todas as difflculdades que possara
apresentar-se no decurso da execuco, e o desen-
volvmento ukase por meio de instruccoes espe-
ciacs.
Para execnco do ukase supra baixou o se-
grate regulamento :
Art. 8." O numero dos conventos do estade
fica flxado, para o reino da Polonia, da maneira se-
gninle :
Haver 25 conventos do sexo masculino, e 10
conventos do sexo feminino.
Art. 9 Reatos 35 conventos o numero dos
membros tica determinado de urna maneira esta-
vel. Haver 360 frades, sendo 24 no convento dos
Paulistasem Czenslochon e 14 emeada umdos ou-
tros. llavera 140 freirs divididas por 14 era ca-
da convento.
t Art. 17. Os religiosos dos conventos suppnmi-
dos quemanifestarem o desejode se retiraren! para
o/strangeiro gosaro ali de una penso de 150 ru-
blos, que Ibes ser paga pelas legacoes russas, em
quanto se nao associarem a qualquer acto ou in-
tencao hostil e prejudicial ao governo russo.
< Arl. 13. Todos os demais religiosos dos con-
ventos supprimidos sero transferidos para os con.
ventos da mesma ordem, que ficam existindo ; se
,.or alguma razo fr impossivcF colloca-los n'um
convento da sua ordem, sero transferidos para
um convento de ordem difireme.
Art. 32. As medidas necessarias para o en-
cerramenlo e suppresso dos conventos ficam con-
fiadas ao general da polica do reino, que as far
executar pelos cheles militares locaes, que Ihes
sao subordinados, podendo, se o julgar convenien-
te, eppellar para a cooperado dos empregados da
ordem civil.
Alexandria.Tsarkoe-Selo, em 8 de novembro
de 186*.
UM P0UC6 DE TUDO.
Trancrevemos o seguinte romncelo do Jornal
das Familias :
CASADA E V1UVA.
I
No dia em que Jos de Menezes recebeu por sua
mulhor EulaliaMartins, diante do altar-mr da ina-
trizdo Sacramento,na presentadas respetivas fami
lias, augraentou-se com mais um a lista dos casaes
felizes.
Era impossivel araar-se mais do que se amavara
aquelles dous. Nem me atrevo a descreve-lo. Ima-
giae-se a fuso do quatro paixoes amorosas das
que a fbula e a historia nos do conta o ter-se-ha
a medida do amor de Jos de Menezes por Eulalia
o de Eulalia por Jos de Menezes.
As mulheres tinham inveja mulher feliz, e os
homens riam dos sentimentos, um tanto piegas, do
apaixonado marido. Mas os dous pbilosophos do
amor reievaram humanidade as suas fraquezas e
resolveren protestar contra ellas amando-sc ainda
mais.
Mal conlava um mez de casado, senlio Jos de
Menezes, em seu euoismo de noivo feliz, que devia
fugir companhia e ao rumor da cidade. Foi pro-
curar urna chcara na Tijuca, e l se encafuou
com Eulalia.
Ali viam correr os dias no. mais perfeito descui-
do, respirando as auras puras da montanha, sem
inveja dos maiores potentados da trra.
Um ou outro escolbido consegua s vezes pene-
Ir."' no sanctuario em que os dous viviam, ede
< vez que de i sahia vinha com a convieco
...: profunda de que a felicidade nao poda estar
em oatra parte senao no amor.
Aconteca, pois, que, se as mulheres invejavam sivelmente. Guardaram o mnito que ainda havia
Eulalia e so os homens rlara de Jos de Menezes,
as mes, as mes previdentes, a especie santa, no
dizer de E. Augier, nem riam nem se deixvam
dominar pelo sexto peccado mortal : pediam sim-
plesmente a Deus que Ihes deparasse as filhas um
marido da estofa e da capacidade de Jos do Me-
nezes.
Mas cu mi re dizer, para inspirar amor a mari-
dos taes como Jos de Menezes, era preciso mulhe-
res laes como Eulalia Martins. Eulalia em alma e
a dizer para os! oulros dias e recolheram-se.
Conhecia > Jos de Menezes T perguntou No-
gueira a Chris.iana ao retirar-se para os seus apo-
sentos. I
Conheciaj de casa de meu p>e. Elle la l ha
f
oito annos.
E' urna lia alma I
E Eulalia I
Ambos !
ambos I E' m casal feliz I
Como ni'.s, accrescentou Cliristiana abragan-
corpo ora o que ba do mais pura unido ao que lia do o marido.
mais de bollo. No dia segulinle, foram os dous maridos para a
Tantoera um milagro do belleza carnal, como era cidade, e ficark
um prodigio de dogura, de elevacao o de sinceri- sens coragoes
dade de sentimentos. E, sejamos francos, tanta De volta, disse Nogneira ter encontrado casa ;
cousa junta nao se encontra a cada passo. mas era preciso arranja-la, e foi marcado para os
Nenhuma nuvem sombreava o cu azul d exis- arranjos o prazo de oito dias.
tencia do e, sal Menezes. Minio; de vez em quan- \ Os eis prijneros dias d'esle prazo correram na
do, urna vez por semana apenas, e isto s depois maior alegra, na mais perfeila inlimidade. Che-,
do cinco mezes de casados, Eulalia derramava al-
gumas lagrimas de Impaciencia por se demorar
gon-se a aventar a idea de (carera os quatro hab-
lando junios. Foi Menezes o autor da idea. Mas
mais do que costumava o amante Jos de Menezes. j Noguera allegou ter necessidade de casa proprla e
Mas nao passava isso de urna ebuva de primave- especial, visto) como esperava alguns prenles do
ra, que, mal assomava o sol porta, cessava para
deixar apparecer as flores do sorriso e a verdura
do amor. A explicaco do marido j vinha sobre
norte.
Emfim, no stimo dia, isto na vesperaade se
dous casaes, eslava Christiana" pas
separaren) os
posse : mas elle nao deixava de da-la ajrczar dos seando no jarilim, a tardinha, em companhia de
protestos de Eulalia : era sempre excesso de tra- Jos de Meneies, que lhe dava o braco. Depois de
balho que pedio a presenca d'elle na cidade at
urna parte da noute.
Anno e meio viveram assira os dous, ignorados
do resto do mundo, ebrios da felicidade e da so-
lido.
A familia tinlia augmentado com ama filba no
in de dez mezes. Todos que sao paes sabem
que esta felicidade suprema. Aquelles quasi en-
looqueceram. A cranga era um mimo de graga
anglica. Menezes via n'ella o riso de Eulalia,
Eulaliaachava que os olhos cram os de Menezes-
E nisto combate de galanteios passavam as horas
e os dias.
Ora, urna noute, como oiuar estivesse claro e a
noute fresquissima, os dous, marido e mulher, dei-
xaram a casa, onde a pequea flcara adormecida,
e foram conversar junto ao porlo, sentados em ca-
deiras de ferro e debaixo de ama vgosa lutada,
sub tegmine fagi.
Meia hora havia que ali estavam, lembrando o
passado, saboreando o presente e construindo o fu-
turo, quando parou um carro na estrada.
Voltarara os olhos e virara descer duas pessoas,
um bomem e urna mulher.
Ha de ser aqui, disse o homem olhando para
a chcara de Menezes. *
Neste momento o luar deu em cheio no rosto da
mulber.
Eulalia exclamou :
E' Cbristiana I
E correu para a recem-cnegada.
Os dous novos personagens eram o capilo
Noguera e Christiana Noguera mulher do ca-
pilo.
O encontr foi mais cordial do mundo. Nogue-
ra era J amigo de Jos de Menezes, cujo pae fra
collega d'elle na escola militar, andando ambos a
estudar eogenharia. Isto quer dizer que Noguera
era j homem dos seas quarenla e seis annos.
Christiana era urna moga de vinle e cinco annos,
rabusla, corada, urna d'essas bellezas da trra,
multo apreciaveis, mesmo para quem gosa ama
das bellezas do co, como aconteca a Jos de Me-
oezes.
Vinham de Minas, onde se haviam casado.
Nogneira, cinco mezes antes, sahra.para aquel-
la provincia a servico do estado e ali encontrou
Cbristiana, por quem seapaixooou e a quem sou-
be inspirar-urna estima respeitosa. Se eu disses-
se amor, raenlia, e eu (enho por timbre contar as
cousas como as cousas sao.
Christiana, orpha de pae e me, viva na com-
panhia de um tio, homem velho e impertimente,
achacado de duas molestiasgravissimas : am rheu-
matismo chronico e urna sandade do rgimen colo-
nial. Devo explicar esta ultima enfermidade ; elle
nao senta que o Brasil se tivesse feilo indepenen-
te ; senta que, fazendo-se independente, nao ti-
tease conservado a forma de governo absoluto.
Gorou o ovo, di/ia elle, logo depois de adoptada a
constlluigo. E protestando interiormente contra
o que se fizera, retirou-se para Mnas-Geraes d'on-
do nunca mais sahio. A esta ligeira noticia do tio
de Christiana acerescsntarei que era rico como
um Polosi e avarento como Harpagon.
Entrando na fazenda do do de Christiana e sen-
lndo-se influido pela belleza d'esta, Noguera apro-
veitou-se da doenga poltica do fazendeiro para 11-
songea-la com urnas fomontagoes de louvor do pas-
sado e indignago pelo presente. Em um servi-
dor do estado actual das cousas, achou o fazendei-
ro que era aquillo urna pro va de rara independen-
cia, e o eslratgema do capilo sorllo duas vania-
gens : o fazendeiro deu-lhe a sobrinha e mais um
bom par de contos de ris. Nogueir, que s vi-
savaa primeira, achou se felicissimo por ter alean-
gado ambas. Ora, certo que, sem as opinioes
forjadas no momento pelo capilo, o velho fazen-
deiro nao tirara sua fortuna um ceitil que fosse.
Quanto a Christiana, se nao senta pelo capitao
um amor egual ou mesmo inferior ao que lhe ins
pirava, volava-lhe urna eslima respeitosa. E o ha-
bito, desde Aristteles todos reconhecem isto, e o
habito, augmentando a eslima de Christiana, dava
vida domestica do capilo Noguera urna paz,
urna tranquillidade, um goso brando, digno de tan-
ta inveja como era o amor sampre violento do ca-
sal Menezes.
Voliando corte. Christiana esperava urna vida
mais propria aos seus annos de moga do que a pas-
sada na fazenda mmera na companhia fastidiosa
do rheumatico legitimista-. Pouco quo pudessem
alcancar as suas illusoes era j muito em compara,
gao cora o passado.
Dadas todas estas expllcagoes, continuo a minha
historia.
II
Deixo ao espirito do leitor ajaizar como seria o
encontr de amigos que se nao vem ha muto.
Christiana e Eulalia tinham muito que contar
urna outra, e, em sala parte, ao p do berge
em que dormia a filha de Jos de Menezes, deram
largas memoria, ao espirito e ao coracao, Quan-
to a Nogueir e Jos de Menezes, depois de narra-
da a historia do respectivo casamento e suas espe-
rangas de esposos, entraram, nm na exposigao das
suas impressoes de viagem, o oulro na das impres-
s5es que dereria ter em] ama viagem que projec-
tava.
Passaram-se d'esle modo as horas at que o cha
reuni a todos quatro roda da mesa de familia-
Esquecia-me dizer que Nogneira e Christiana de-
clararan) d"sde o principio que, tendo chegado
ponco havia, tenclonavam demorar-se nns dias em
casa de Menezes al que pudessem arranjar na ci-
dade ou nos arrabaldes urna casa conveniente.
Menezes e Eulalia ouviram isto, pde-se dizer,
que de edrago alegre. Foi decretada a installago
dos dous viajantes. Tarde se levantaran) da mesa,
onde o prazer de se verem juntos os prenda asen-
trocaren) mui:as palavras sobre cousas totalmente
indifferenle nossa historia, Jos de Menezes flxou
o olhar na sai interlocutora e aventurou estas pa-
lavras :
Nao lem saudade do passado, Christiana ?
A moga es remeceu, abaixou os olhos e nao res-
ponden.
Jos de M> nezes insisti.' A resposta de Chris-
tiana foi :
Nao sei; deixe-me I
E forcejn por tirar o brago do de Jos de Me-
nezes ; mas este reteve-a.
Que sa lo pueril I Onde quer ir ? Metto-
lhe medo ?
N'isto pana ao porto nm moleque com duas
cartas para J >s de Menezes. Os dous passavam
n'este momento em frente do porlo. O moleque
fez entrega d;is cartas e retirou-se sem exigir res-
posta.
Menezes fe o segrate raciocinio :Lelas im-
mediatamente
evadsse para
tas de grande
E de tudo i
nha mais nec
era dar lugar a que Christiana se
o interior da casa ; nao sendo as car-
urgencia, visto quo o portador nao
exigir respo: ta, nao havia grande necessidade de
l-las immediatamenle. Por tanto guardou as car-
tas cuidadosamente para l-las depois.
to conclue o leitor que Menezes tl-
issdade de fallar a Christiana do que
cnriosidade di i ler as cartas.
AccrescenUjrei, para nao dar azo aos esmerilba-
dores de inveosimilhangas, que Menezes conhecia
muito bem o portador e sabia ou presuma saber
de que tratav. m as cartas em questo.
Guardadas as cartas, e sem tirar o brago a Chris-
tiana, Menezes contiauou o passeio e a conversa-
gao.
Chrhliana sstava coufuza e trmula. Durante
alguns passos nao trocaran) urna palavra.
Finalmente Menezes rompeu o silencio pergun-
lando a Christiana:
Ento, que me responde ?
Nada, rrjurmurou a moga.
Nadal jxclamou Menezes. Nadal Era ento
esse o amor ijue me tinba?
Christiana levantou os olhos espantados para Me
nezes. Depois procurando de novo tirar o brago do
de Menezes, nurmurou:
Perdo,
Menezes re
devo recolher-me.
eve-a do novo.
Ouga-rat! primeiro, disse. Nao lhe quero fa-
zer mal algn i. Se rae nao ama, pode dize-lo, nao
me zangarei; receberei essa confisso como o cas
[igo do passo que dei, casando raiab'alma que se
nao achava sslteira.
Queestianha linguagem essa? disse a mo-
ga. A que vem essa recordagao de urna curta pha-
se da nossa vida, de um puro brinco da adolescen-
cia ?
Falla de coragao?
Pois, codo seria?
Ah I ni me faga crer que um perjurio
. Perjurk I...
A moga sorno-se com desdem. Depois conti-
nuou :
Perjurio isto que faz. Perjurio Irazer en-
gaada a na s casta e a mais digna das mulheres,
a mais dignja, ouve? Mais digna do que eu, que
ainda ougo e lhe respondo.
E duendo isto Christiana tentou fugir.
Onde ae ? perguntou Menezes. Nao v que
est agitada? Pedera fazer nascer snspeitas. He-
ais, poucoj tenho a dizer-lhe. E' urna despedida.
Nada mais, lem nenhuma oceaso, ouvir de mi-
nha bocea. Snppunha que atravs dos tempos e
das adversidades tlvesse conservado para e inteira
a lembranga de um passado quo nos fez felizes.
Vejo que ne enganei. Nenhum dos caracteres su-
periores que eu enxergava em seu coragao linha
existencia real. Eram simples creagoes do meu
espirito demasiado crdulo. Hoje que se desfaz o
encanto e que eu posso ver toda a cnormidade da
fraqueza 1 amana, deixe-me dizer-lhe, perdeu um
coragao 11 ama existencia que nao mereca. Salo-
me com h rara de um combate em que nao havia
egualdadf de fargas. Saio puro. E se no meio
do desgosto em que me fica a alma, -me licito
trate-la lembranga ser como nm sonho esvaeci-
do, sem bjecio real na ierra.
Estas palavras foram ditas em um tom sentimen-
tal e comi que estudado para a oceaso.
Christiana eslava aturdida, Lembrava-se que
em vida de seu pae, tinha ella qninze annos, hou-
vera enl e ella e Jos de Menezes um desses na-
moros d i crianga, sem consequencia, em que o co-
ragao eripenhasse menos gue a phanlasia.
Com que direito vinha hoje Menezes revindicar
um passado cuja lembranga, e alguma havia, era
indilTenjute e sem alcance?
Estas reflexdes pesaram no espirito de Christia-
na. A moga cxp-las era algumas palavras corla-
das poli agitago era que se achava, e pelas nter-
rupgoe: -dramticas de Menezes.
Depo s, como apparecesse Eulalia a porta da ca-
sa, a conversa foi interrompida.
A pn senga de Eulalia foi um allivo para o es-
pirito de Christiana. Mal a viu, correu para ella,
e conv dou-a a passear pelo jardim, antes queanou-
tecesse.
Se Eulalia pudesse nunca suspeitar da fi del dade
de seu marido, veria na agitago de Christiana um
molivofpara indagagoes e attribuigoes. Mas a al-
ma da moga era lmpida e confiante, dessa confian-
ga e limpidez que s d o verdadeiro amor.
Der; m as duas o brago, e dirigirn) se para urna
almed 1 de Casuarmas, situada na parte oppost
aquella em que ficra passeiando Jos de Menezes.
Est, peffeitamente senbor de si, continuou a
passear como que entregue a suas reflexSes. Seus
passo;, em apparencia vagos e dstrahidos, procu-
ravan a direego da alameda em que andavam as
duas.
Depois de poucos minuto; enco atraram-se como
que por acaso.
Menezes, que ia de cabega ba xa, simulou um
ligeiro espanto e parou.
As duas para rara egualmente.
Christiana tinha a cara voltada para o lado. Eu-
lalia, com um divino serriso, perguntou :
Em que pensas,meu amor?
Em nada.
Nao possivel, retorquiu Eulalia.
Pens em ludo.
Oque ludo?
ludo? E' o teu amor.
Deveras?
E voltando-se para Christiaca, Eulalia aceres-
centn :
Olha, Christiana, j viste nm marido assim?
E' o re dos maridos. Traz sempre na bocea urna
palavra amavel para sua mulher. E' assira que
deve ser. Nao esqueca nunca estes bons costumes,
ouviu ?
Eslas palavras alegres e descuidosas foram ou-
vidas distradamente por Christiana. Menezes li-
nha os olhos cravados na pobre moga.
Eulalia, disse elle, parece que D. Christiana
est triste. Christiana estremeceu.
Eulalia voltou-so para a amiga e disse :
Triste I J assim me pareceu. E'verdde
Christiana ? Estars iriste?
Que idea I Triste porque ?
Ora, pela conversa que^ha pouco ti vemos,
respondeu Menezes.
Christiana fitou os olhos era Menezes. Nao po-
da comprehend-lo e nao advinhava aonde quera
ir o marido de Eulalia.
Menezes, com o maior saague-frio, acudiu in
terrogago muda que as duas pareclam fazer.
Eu contei D. Christiana o assumpto da ni-
ca novella que li era minha vida. Era nm livro
interessantissirao. O assumpto simples, mas com-
movente. E' urna serie de torturas moraes por que
passa urna moga a quem esqueceu juramentos fei-
tos na mocdade. Na vida real este fado urna
cousa mais que commur; mas, tratado pelo ro-
mancista, toma um tal carcter, que chega a as-
sustar o espirito mais refractario as impressOes. A
analyse das atrbulagoes da ingrata feita por
mo de mestre. O lira do romaneo mais fraco.
Ha urna situaro forgada.... ama carta que appa-
rece.... urnas cousas.... emfim, o melhor o esludo
profundo e demorado da alma da formosa perjura.
D. Christiana muito impressivel....
Oh 1 meu Deus I exclamou Eulalia. S por
isto?
Christiana eslava offegante. Eulalia, assustada
por v-la em tal estado, convidou-a a recolher-se.
Menezes aprossou-se a dar-lhe o brago e dirigiram-
se os tres para casa. Eulalia entrou antes dos dous-
Antes de por p no primeiro degru da escada de
pedra que dava aecesso casa, Christiana disse
Menezes, em voz baixa e concentrada :
E' um brbaro I
Entraram todos Era j noute. Cbristiana repa-
rn que a siluago era falsa e tratou de desfazer os
cuidados, ou por ventura as ms impressoes que
uvessem Ocado Eulalia depois do desconchavo
de Menezes. Foi a ella, com o sorriso nos labios :
Pois, de veras, disse ella, acreditaste que ea
ficasse magoada com a historia ? Foi urna impres-
so que passoi.
Eulalia nao respondeu.
Este silencio nao agradou nem a Christiana, nem
a Menezes. Menezes conlava com a boa f de Eu-
lalia, nica explicaco de ter adiantado aquella his-
toria lo fra do proposito. Mas o silencio de Eu-
lalia teria a significago que lhe deram os dous ?
Pareca ter, mas nao tinha. Eulalia achou estra.
nhas a historia e a commogao de Christiana; mas,
entre todas as explicagoes que lhe occorressem, a
nfidelidado de Menezes seria a ultima, e ella nem
passou da primeira. Snela simpheilas!
A conversa continuou fra e indifferente at a
ichegada de Nogueir. Seriam entao nove horas*
Serviu-se o cha, depois do que todos se recolhe-
ram. Na raanha seguinte, como disse cima, de-
viam partir Nogueir e Christiana.
A despedida foi, eomo sempre, a despedida
de pessoas que se cstimam. Christiana fez os es-
forgos maiores para que no espirito de Eulalia nao
surgisse o menor desgosto; e Eulalia, que nao
usara mal, mal nao cuidou na historia da noute
anterior. r
Despediram-se Iodos com a promessa jurada de
se visilarem a miudo.
(Continuarse ha.)
L-so no Diario do Rio o seguinte :
Publicou-se o n. 21-2 da Semana Ilustrada or-
nada de curiosos desenhos e interessantes artigo*.
Acompanha este numero urna folhinha Ilustra-
da, para o anno de 1865. A Illustraco represen-
ta o Brasil dentro de um carro triumphal, puxado
pelas figuras mais proemlnents de ambos os par-
tidos.
E' nm excellenle trabalho que honra sobrema-
nera a delicadeza e a originaldade do lapis do
desenhista.
O suppleraento folhinha traz a seguinte legenda:
Que valem campos diversos ?
Ura s campo, um s, feliz,
E' o campo em que se Iota
Pela gloria do paiz.
Que urna idea os dous separe,
Outra idea os nne j :
K' que dos louros colhidos
A patria se augmentar.
Os caminhos sao diversos,
Mas todos a um ponto vo,
A patria, qne os v, transforma
Os dous penddes n'um pendao.
Assim, de pontos oppostes,
Dous roscorremassim,
O mesmo mar os recebe,
Que elles vao ao mesmo fim.
Desde o Amazonas ao Prata
Um s espirito luz;
Quero crescer, crescer ainda
A trra de Sania Crnz.
Ella v no seu passado
As mais bellas tradiges :
Ella tem no seu futuro
* Robustas asplragdes.
Do futuro e do passado*
Soes a cada gentil
Qne rene, aperta e casa
Toda a historia do Brasil.
Liberaos, ? Que importa e nome ?
Conservadores ? Que sao 1
Todos vos soes Brasileiros,
A rossa forg a uniao!
! i m i pi iinu.
Do bazar Voljnte transcrevemos o que segu :
AO BAZAR VOLANTE
Occasiao opportuna
PRESENTES PARA A FESTA
42 Praga da Liga 42
Esfuma dobecco ios Vermelhos.
Esle importante estabelecimento tem sempre a
disposigo do respeilavel publico urna grande
quantidade de objectos, que vende a dinheiro
vista e a prazo, constando do seguinte :
Boa nebreza de Carapetoni a 45 o covado. (Me-
diten elucrariio.i
Corles de eonsciencia j nm ponco ga-ta (parece
nova) a i.
O verdadeiro oleo de bacalho de Fr. Martinho
de Ceblas (sem liga nem mistura) a 800 ris o
vidro. (Vale U-)
Pastas de ministres algum tanto manchadas a
105. (Aproveitera emquanto tempo.)
Lulas esfolladas em conserva (preparadas na
Europa) a 25 a lata.
Sapatiohos de entrada baixa sem taces a 15 o
par. (Tem (ido ltimamente muita exlracgo.)
lia resto do palitos de duas vistas proprios para
a poca a 35- foi fazenda muito procurada.
Ligas a 100 rs. o par. (Eslo um pouco desbota-
das, mas valem 200 rs. a olbos fechados.)
Carapugas de todos os tamanhos a 500 rs.
Exccllentes capachos aiuda em bom estado, a
55000.
Finetas do tempo crystalisadas a 25 a lata.
Exccllentes mascaras para o carnaval de 1865 a
400 rs. a duzia.
Peanas de 3 biccos a 15 a groza. (Sao muito
commodas.)
Sabao de tirar nodoas a 200 rs. o pao.
Paos de dous biccos (muito facis a manejar)
500 rs.
Urna pelle de gato capado para casa cstrangeira
a 35-
Pelle de gato capado para casa estrangetra a 35-
Urna cabelleira branca la renaissance para
carnaval 15
Ura couro de bezerro anda em em bom estado.
25-
i ma oarrica de boas nnguas ^&.
Pelle de peixe boi para quebraduras e rotura
Rolhas a 200 rs. a duzia.
Ovos de Tartaruga do Para.
Sabonetes superiores a 200 rs.
Urna grande quantidade dequadros, mobilaj
usada, msicas, obras raras etc. etc. tudo por pre-
gos commodos e rasoaveis.
N.B.Bale-sena porla. /

Costou, mas emfim ebegou a poca de milita-
risar-se o Rio de Janeiro I O recrutamento para
a guarda nacional, vulgo patamalice, atiiogia as
mais vantajosas proporgdes para dentro em pouco
haver em cada casa, em cada cubculo um cabido
de farda. Os condes de Lippe multiplco-se ; en-
grossam as fllelras dos malsins; est salva a
patria I
Tal batalho, disse ha dias um snjeito quo
vive da, pela e para a gnarda nacional, tem j mil
e ti*&sentos homens, e al ao fim do anno contar
ponco menos de dons mil I
E' impossivel, retorquiu-lhe ura papa-para-
das ; na ultima formatura marchou apenas com
cento e quarenla e tres filas___
Nao ha duvida ; porm cerca de quinheulos
guardas pagam para a msica, oulros tantos au-
xiliam a caixa do fardamenlo, e alguns sao dis-
pensados por quem pode, quer e manda.
Isso agora oulra consa ; e, como quera nao
tem padrinho morre pagao, aperiem-se os pobres
operarios c artistas, que ou hc de ser filas ou fi-
lados.
#
Um secretario de embaixada, menino pretencio-
so, altivo e parlador, como todo o papagaio alagoa-
no, gastou mais de hora era aborrecer a sociedade
era que se achava, sondo o seu thema provar que
das provincias do imperio nenhuma mais Ilus-
trada do que aquella da qual Fr. Bernardo de Sou-
z foi corrido al meller-se a bordo do hate Ca-
cado):
Depois de muito mastigar sobre a inconvenien-
cia de conservarem-se na carta poltica do estado
certos lugarejos, onde ainda nao chegou a civi'.isa-
go, e por conseqnencia a noticia da existencia das
repblicas do Prata, volta-se para um amigo dipl-
mala, que compadecia-se de tanta leviandade, e
pergunta-ihe airando os ocnlos :
Nao lhe parece, Exm., que discorro como um
livro ?
Sem duvida alguma, meu menino ; o que lhe
falta ser encadernado em marroqnim amarello !
do Sr. Aureliano Jos Lessa a seguinte poesa :
EU
{No lbum de um amigo).
Naquella ermida derrocada agora
Nao nao sa do sino a voz garrida
Pela cnpola nua ;
Nos erraos nichos alta noute chora
O mocho, e pela abobada fendida
Entra um raie da la...
Eis minha historia, amigo : os que hej amado
Desceram para os tmulos, e eu s vivo
De crueis lembrangas;
Qual estatua de nm templo derrabado,
Cerca-rae este esnedacolo'afflictivo,
Cinzas sem esperanzas...
Em vo na doce lyra dos amores
Por nm anjo clamei, qae nngisse as minas
Do coracao quebrado;
Que me fadasse nm co, langando flores
No meu camiuho, e abrindo-me as cortinas
De nm futuro delirado.
CoTo serei feliz ?... que anjo clemente
Ha de orvalhar-me coas rogantes azas
Do estril coragio ?...
Sedenta de emoeSes, minh'alma ardente
Incendioo-se, e o coragao em brasas
Nao sent urna emocSo...
Hoje odelo o prazer, desprzo as dores,
Caminho sobre rosas, sobre espinhos.
Sem olhar para o mundo.
Morte I en qnero sagrar-te os meas amores,
Qnero gozar tjj leus fataes carinos
N'um esquife bem fundo !
PERNAMBUCO.-TYP.DE M. F. DEF.4 FlLHO
i
/




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVD1ZW3D7_ZIHN4B INGEST_TIME 2013-08-28T00:15:06Z PACKAGE AA00011611_10574
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES