Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10573


This item is only available as the following downloads:


Full Text

--
AMO ILI. ROMERO 16
Por qnartel pago dentro de 10 das 4o 1. mez .... :
dem depois dos i.0910 diasdo coniecoe dentro do quartel. .
Porte ao correio por tres mezes......., ,

55000
6$000
750
SEXTA FEIRA 20 DE JANEIRO DE 1865. ,- i
Por anno pago dentro de 10 ias do 1. mez ,,,.,.. 191000
Porte ao correio por om anno.........., 3J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquira Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronytno da Cosa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudine Falcio Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da va frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvate, Bezerros, Bonito, Caroar,
Altinho/Garanhuns, Buique, S. Bento, BomCon-
selho, Aguas Bella e Tacarat, as tercas fefras.
Pao d'Alho, Nazareth, Lirnoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricury, Salgueiro e Ex, as quartas. feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Jterrei-
ros, Agua Preta e Piraenteiras, as quintas feiras.
liba de Fernando todas as vezes quo para ali sahlr
navio.
Todos os estafetas partera ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 22 ra. e 82 s. da t.
11 La chela as 8 h. 40 o. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 ni. e M s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da ra.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaeio: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda quintas s 10 horas.
Juizo 4o commercio : segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Priratfra vara do civel :*tergas e sextas ao mel
da.
Segunda vara do elvek quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda. Ss. Berardo, Acord e Olhon.
17. Terca. S. Agatbo ab.; S. Antao ab.
18. Quarta. S. Frisca v. m.;; *. Leobaldo b.
19. Quinta. S. Canuto rei m.; S. Ponciano m.
20. Sexta. Ss. Pabias e Sebastio mm.
21. Sabbado. S. Igoei v ra.; S.Patrcolo m.
21 Domingo. Ss. Vicente e Anastaclo mm.
PRBAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 hora e 54 m. da manhaa.
Segunda as 11 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de janeire, marco, maio,
julho, setembro e noverabro.
ASSK3NA-SE
no Recife, na llvraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueira de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 16 de Janeiro de 1865.
Offlcio ao Exm. cnnselheiro presidente da rea-
cao.Rogo V. Exc. se digne informar-me acerca
do que expoe o juiz de direito da comarca do Pao
d'Alho no incluso offlcio, que V. Exc. ter a bon-
dade de devolver-me.
Dito ao coronel commandante das armas. Re-
meti V. S. porSopia para seu conhecimento o
aviso de 29 de Jezembro ultimo, em que o Exm.
Sr. ministro da guerra, referindo-se a parte relati-
va aos excrcicios do corpo de guarnicao, feitos du-
rante o mez de agosto ultimo, recommenda a fiel
execugao das disposigoes da ordem do dia n. 260,
acerca dos exercicios dos corpos do exercito.
torrente.
Dito ao mesmo.Remello incluso o reqnerimen-
to do alteres do 9 batalbo de infamara Secundi-
no Ayres Velloso de Mello, que pretende consignar
do respectivo sold nesta provincia, a quantia de
2i?1 Mi rs. mensaes para alimentos de sua familia,
atim de que V. S. mande abonar era os devidos
tempos a referida quantia ao procurador do sup-
plicante. Communicou-se ao coronel commandan-
te das armas.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar em os de-
vidos lempos, a consignacao mensal de 40,5000 rs.
que, segundo o requerimento incluso, pretende
deixar do respectivo sold nesta provincia, e capi-
tiio do 9o batalbo de infaman? Temoleao Peres de
Albuquerque Maranho, para alimentago de sua
familia Communicou-se ao coronel commandan-
te das armas.
Dito ao mesmo. A' vista do incluso conheci-
mento, mande V. S. passar escusa como recom-
mendei em offlcio de 14 do corrente, ao recruta
Jos Ignacio Peres Quinto, que se eximio do servi-
co de conformidade com o artigo 3 3 da le n.
1,220 de 20 de Junho do anno passado.
Dito ao mesmo.- Sirva-se V. S. de informar so-
breo que pedo Manoel do Nascimento Paiva no in-
cluso requerimento.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Deferindo o incluso requerimento do juiz munici-
pal e de orphaos do termo do Lirnoeiro, hacharel
Eiuigdio Marques Santiago, acerca do qual infor-
mou Y. S. em offlcio n. 770 de 29 de dezembro
prximo lindo, autoriso-o a considerar como titulo
provisorio daquelle juiz o offlcio de commumea-
cao de sua remocao, em virtude do qual entrou elle
em exercicio e serve o seu cargo.
Dito ao mesmo. Remello V. S. para os fias
convenientes os mappas nominaes demonstrativos
do movimento bavldo no pessoal das enfermaras
do hospital militar na primeira quinzena do mez
Dito ao mesmo. Joo Silverio Marques Bacalho
participou-rae em data de 22 de dezembro prxi-
mo Hado, que se achava no exrcclo do cargo de
promotor publico da comarca de Pao d'Alho, des-
de 21 do mesmo mez, por tr sido interinamente
noraeado pelo respectivo juiz de direito, em conse-
quencia de estar de licenga o proprietario daquelle
nicipal do Recife.Tomando em considerago .o
que expoz a cmara municipal do Recife, em offl-
cios de 27 de julho e 21 de setembro do anno pr-
ximo passado, sob ns. 32 e 47, e tendo em vista o
que a este respeito informaran) a thesouraria de
fazenda em offlcio de 23 de dezembro ultimo, n.
754, e a repartilo das obras publicas em 31 de
agosto daquelle anno, e em 11 do corrente, conce-
do a mesma cmara a jautorisagao que pedio no
primeiro dos seus citados offlcios, para alterar de
conformidade com a planta que devolvo, a desta
cidade, na parle relativa a ra da Concordia, e
aue fca entre esta e a casa de detenco : o que
declaro a Vmcs. para seu cenheclmento, e atim
ifc que possam conceder as licencas pedidas por
Jos dos Santos Ramos de Oliveira e Jos Caetano
de Carvalho, para edificaren) na predita ra, os
quaes ficam obrigados a solicitar ttulos dos res-
pectivos terrenos, se aioda os nao tiverem.Com-
municou-se ao inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
nicipal de Olinda.Pelo offlcio que Vmcs. me diri-
girn) em 14 do corrente, (Ico inteirado de se acha-
ren) juramentados e impossados os novos vereado-
res desse municipio.
Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
nicipal de Ipojuca.Respondendo ao offlcio que me
dirigi a cmara municipal da villa de Ipojuca em
7 do corrente, tenho a dizer que approvo a arre-
malacao do imposto de 2S500 por cabeca de gado
vaceum pela quantia de 240$ mencionada no ter-
mo de contrato que por copia veio annexo ao seu
citado offlcio, mas nao o de passagens dos ros de
que trata o mesmo termo visto que sobre este nao
foi lancada quantia alguma sobre o valor porque
foi posto em praca, devendo, portanto, essa cma-
ra mandar p-lo novamente em hasta publica.
Dito ao presidente da cmara municipal de Na-
zareth.Respondendo ao offlcio que Vmc. me diri-
gi commnnicando a falta que se deu da convoca-
cao dos eleitores e supplentes que deviam organi-
zar a junta revisora da qualilicaco dessa fregu-
zia, no corrente anno, tenho a dizer-lhe que nesta
dala recommendo ao juiz de paz mais votado da-
quella freguezia que, em vista do que determinam
os avisos de 18 de Janeiro de 1854 e 31 de maio
de 1861, convoque guardados os prasos e mais for-
malidades da lei, os eleitores e supplentes e rena
a referida junta nodia 26 de fevereiro prximo
vindouro, que para isso designo, a qual dever ser
presidida por aquelle iuiz de paz nos termos dos
citados avisos.fflciou-se neste sentido ao juiz de
paz mais votado do qoadriennio actual da fregue-
zia de Nazareth.
Dito ao delegado do Salgueiro.Pelo seu offlcio
de 12 de dezembro ultimo fiquei sciente de ter
Vmc. prestado juramento e entrad no exercicio
do cargo de delegado desse termo.
Dito a Victorino Archins do Reg Faria.Pelo
seu offlcio de 28 de dezerrforo prximo Ando, fiquei
sciente de ter Vmc. no impedimento do respectivo
proprietario, e na qualidade de supplente, entrado
naquella data no exercicio do cargo de delegado do
termo do Lirnoeiro.
Igual remessa se fez ao vice presidente do institu-
to imperial da Agricultura.
Despachos dos dias 1 i e 16 de Janeiro de 1865.
Requerimientos.
Antonio Vieira de Fraga. -Seja o supplicante
posto em liberdade.
Abaixo assignado moradores da villa da Escada.
Informe o Sr. inspector da thesouraria provin-
cial.
Domingos Jos Gomes de Macado.Nao tem lu-
gar o que requer o supplicante em vista da infor-
raago.
Jos Goncalves da Silva.Concedo a permissao
pedida em vista da informadlo.
Joaquim Teixeira Peixoto.A' vista da informa-
cao, concedo 3 mezes de licenga.
Jos Francisco do Reg Barros.Nao lem lugar
a vista da informago.
Jos dos Santos Ramos de Oliveira.-Estao da-
das as providencias que o supplicante requer.
Jos Caetano de Carvalho.Foi deferido.
Jos Elias Machado Freir.Informe a cmara
municipal do termo do Reeife.
Jos Marcelino da Costa.S para Itapissuma
pode-se verificar a remocao do supplicante o qual
dir se esta Ihe convm.
Joao Luiz de Carvalho.Informe o Sr.J major
director do arsenal de guerra.
Jos Francisco Cleto. Nao ha presentemente
vaga na companhia de aprendizes menores do ar-
senal de guerra, e por tanto nao podera os ftlhos
do supplicante ser admittidos na referida' com-
panhia.
Laurentino Correa de Barros Araujo.Informe
o Sr. juiz municipal, declarando qnando remeden
a gula de que trata o presente requerimento.
Luiz Antonio, Ferrelra.Como requer vista da
informacao.
Liberato Tiburlino de Miranda Maciel.Passc
portara na forma requerida.
Manoel Alves Guerra.Concedo a autorisago
requerida vista da informacao.
Tertuliano Ernesto de Mello.Por ora nao tem
lugar.
Thomaz Jos de Melio.Nao tem lugar vista
da informacao.
Virgilio Vieira da Costa Pinto.-Informe o Sr.
Dr. director geral da instruccao publica.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO
Retrospecto poltico do anno de 1861.
PARTE EXTERIOR.
II -
AMERICA SEPTRMTRIONAL E OCCIDENTAL.
O norte, e especialmente o partido republicano,
tiveram esle ando de se verem sujenos a urna pro-
va diOcil e pertgosa : em 1864 devia eleger-se o
presidente da confederago, e os demcratas, quer
partidarios da paz, quer partidarios da guerra,
apoiados anda pelos agentes dos confederados, li-
garam-se todos aa convenci de Chicago e adopta-
ran) por candidato o Ilustre general Mac-Clellan
em opposicao a Lincoln, que era ao mesmo lempo
o candidato do partido republicano, e o symbolo da
guerra a todo o trance.
Mac-Clellan mostrava-se como urna esperanga
de pat; apresentando, porm, o seu programma
poltico, manteve com nobleza e patriotismo a re-
conutruccao da unan por base indeclinavel de
quaesquer eombinages panucas.
Anda mais que esla declaracao, os successos ob-
tidos pelo almirante Farragut em Mobile, e pelo
general Bherman na Georgia, e a posicao tirme e
ameaeadora de Grant diante,de Rchmond, fortale-
cern) a candidatura de Lincoln, e os republicanos
O marechal Rzame tomava as medidas necessa-:jadora da repblica peruana, e deixa assim em
ras para fazer rollar a Franca a tropas designa- exacerbacao o patriotismo do povo de urna das
das pelo respectivo ministrada guerra, e se este suas colonias que se agita irritado com tanto maior
facto nao indicasse bem claramente que o nascente raza0, qnanto cerro que o governo hespanbol ain-
mperio do Mxico nada lera que recelar na acta- da nao sedeliberou a reconhecer independencia
lidade, a viagem que faz plcidamente o impera
dor pelas provincias o asseguraria cora o mais so
lido fundamento.
A nova impeatriz toma parte as testas naci
naes da sua patria adoptiva, e lisongeando o civis
mo mexicano, no dia anniversarlo da independen
ca oessa amiga colonia hespanhola, lancou no aosTu'bdltorhespan'hoes!'
meio de enlhusiaslicas accIamagSes a primeira pe- Sob a influencia de um insulto a honra da na-
dra do monumento erigido em memoria desse gran- Qa0, soffredo as dores de urna ferida profonda, e
dioso acontecimiento. que ser to viva quanto durar a occupgo das
Esta, pois, definitivamente fundado o imperio do j||ias Chinchas, o povo peruano se exalta e reela-
?! j ... .... 'ma vinganca, creando at dfflculdades ao seu pro-
u imperador Maximiliano e um principe alustra- pr0 governo.
da n o se deliberan a reconhecer a
do Per'.
Erro grave commette essa potencia europea, que
deixa passar urn anno sem ostentar nem magna-
nimidade e nebreza, nem forca : tica desse modo
um ciume internacional que nao precisava desse
incentivo para ser demasiado forte e muito nocivo
do, hbil, e rico do dotes recommendaveis ; difflcil-
mente escolheriam os Mexicanos nm monarcha mais
digno de cingr a cora imperial no seu paiz; mas
conseguirn) fazer reeleger por grande maioria \ nem por isso menos se achara elle a bragos com os
para presidente dos Estados-Unidos da confedera- [ mais rudes obstculos, e com principios de opposi-
gAo Aiorte-Americana o seu velho Abrahao. gao e de adversidade.
Esta eleigao de urna eloquencia aterradora e. O throno imperial do principe Maximiliano tem
sanguinolenta ; um grito de guerra, guerra a (o- em urna de suas bases urna reeordagaoaniipailiica
do o trance, levantado pelo povo do norte. ao espirito nacional; foi principalmente levantado
A explicagao desta enraivada constancia sin)- por baionetas ; o patriotismo nao ama bastante a
pies : a guerra civil dos Estados-Unidos nao ati- firopria felicidade do paiz, quando essa felicidade
gada por motivos polticos; a nnguem dado con- BSa foi imposta por um exercito invasor, que veio
demna-la como frucio violento de paixoes de ambi- de Ierra estranha obriga-lo a seguir anda o melhor
ciosos qae sacrifican) o sangue e o dinheiro do es- caminho.
Por outro lado o povo mexicano est muito af-
feito a appellar para as armas em suas contundas
polticas : seus generaes e seus horaens de estado
sao demasiado ciumenlos e pouco escrupulosos na
escolha dos meios para combater seus adversarios
e assurair as altas pesigoes do governo ; e anda
mais: ha no Mxico um temivel elemento de des-
tado para conquistar o poder.
Nao lula de principios governamentaes quo po-
deriam chegar a harmonisar-se com mutuas con-
cessdes dos partidos; urna guerra social, que
nao admitte conclliagao de ideas, porque o seu mo-
tivo implacavel como o be not be de Shakespeare.
Escravidao. E' impossivel ceder em parto neste
caso : oti ludo ou nada; nao ha meio termo que ordem, a influencia, que chamaremos sacerdotal,
deixe de ser a victoria do norte ou a victoria do e que nao quer limitar-se exclusivamente s cousas
sul. | da igreja, elemento exigente, e que provoca sem-
Mas desde que aguerra tem de proseguir com o pre a opposigao mais decidida d partido mais nn-
mesmo vigor, parece que todos os espiritos se apo- meroso do Mxico; essa influencia quig tem i da-
deram de urna conviegao que toda contraria uos do horas menos suaves ao Imperador Maximiliano,
fundamentos em que os confederados assentam a e muito mais amarga- o far experimentar anda.
explicagao da su enrgica resistencia. Por ultime e para circumscrever-nos aos pontos
A guerra foi acendida pelo antagonismo do or- mais consideraveis, a visinhanga da confederago
te e do sul na questao social da escravidao ; este Norte Americana sera serapre ama ameaga viva
o verdadeiro ponto da discordia, e o be not be da para o imperio mexicano: actualmente a guerra
luta americana. i colossal que assalta os oslados do sul um escudo
Ora o proprio presidente do sul, Davis, jreco-, que defende o Mxico ; e se a idea da secgao sabir
nlieceu a necessidade de chamar s armas e de' triamphante da luta anda possivel que a nova
reunir s columnas confederadas nada menos do; confederago veja no Mxico um ponto de apoio
que 300,000 escravos, que ipio fado entrariam no para assistir a quaesquer tentativas hostis do nor-
goso da liberdade e dos direito civis. E' certo' te ; se este, porm, vencer, nem essa hypothese fa-
que semelhante providencia nao se tornou ainda ; voravel, embora, duvidosa, garantir a paz e a in-
uma realidade ; certo porm que se o norte,' tegridade do novo imperio,
como o assegnra a reeleicao de Linculn, insistir na' lndubitavelmente a confederago Norte-Ameri-
g uerra com a mesma actividade e cora igual vigor, cana nao vio com bons olhos a fundadlo do impe-
o sul, no desespero do sen capricho em nao con-' rio mexicano : a co'ossal repblica nao deseja to
fessar-se vencido, acabar por aceitar o alvilre pro-1 perto de si urna monarchia eslabelecida em paiz
posto por Davis, e o exercito confederado engros-' tao rico, to cheio de recursos e reunindo
. e o exercito confederado engros-1 lao rico, tao cheio de recursos e reunindo tantas
F.stnil:imos nn prcerienti rtico a sitnacio poli- sando-se regnlmente com escravos (ornados sol- eondiegoes de grandeza e do pujanca, e, terminada
tica do velho mundo : cumpre agora levar nossa dados livres, terminar pondo um termo aescra-a immensa guerra civil, quem sabe se se extingui-
Dito ao 2o supplente do subdelegado do dlstricto' attengao America septentrional e s repblicas vidao. i r to depressa o ardor bellicoso dos Americanos,
de Aripib, 2o da fregnezia da Escada.Pelo offl- d0 Pacifico. Dahi resaltar que a questao social desappare-' que nao Ihes venha o desejo do langarem-se logo
, ci que me dirigi" Vmc. era 11 do corrente, tico a America nao offerece como a Europa assump-' cera mais ou menos tarde, e que smente o odio em alguma oulra guerra, para a qual to fcil e
lugar : o que a V. S. communico para sua intelli- sciente dos motivos pelos quaes anda nao servio o tos de poltica geral, em quo se encontrera e dis- ; dos combalentes mudar por fim a natureza ou o appetitoso theatro Ihes offerece o Mxico, e tanto
lugar de 2o supplente da subdelegacia dessa fregu-1 putem a campo inlersses profundos de todos os fim da luta, limitando-a as aspiragoes de lguns mais que sao conhecidas as sinistras reservas cora
xia, e confio que Vmc, qnando fOr chamado para estados, nem entre estes consideraveis pontos d
gencia
Dito ao mesmo.O bacharel Luiz Antonio Pires,
participou que, por o juiz de direito da respectiva
comarca, ter entrado em exercicio, reassumio o
do cargo de juiz municipal e de orphaos do termo
da Escada, em 7 deste mez : o que a V. S. com-
munico para a sua Intelligencia.
Dito ao mesmo. O bacharel Christovao dos
Santos Cavalcant participou que em 23 de dezem-
bro prximo finio, e na qualidade de Io supplent?,
assumio o exercicio do cargo ae juiz municipal do
termo de Pao d'Alho, no impedimento do respectivo
proprietario bacharel Maxlmlano Franciscouarte:
o que a V. S. esmmunico para sua intelligencia.
Dito ao mesmo,Participando o bacharel Men-
Jo de S Barreto Sampaio, que por haver termi-
nado a licenga de lo dias que obteve, reassumio
em 31 de dezembro prximo lindo o exercicio do
cargo de promotor publico aa comarca de Palma-
res ; assim o commnnico a V. S. para sua intelli-
gencia.
Dito ao mesmo.O bacharel Felisbino de Mon-
donga e Vasconcellos participou-me em 4 do cor-
rente que, por ter o juiz de direito da comarca,
bacharel Joo Francisco daSilva Braga, re.*sumi-
do o exercicio de suas ;funcgo -s, tambem reassu-
mio elle naquella data o das de juiz municipal e
de orphaos do termo de"Barreiroi : o que a V. S.
communico para sua intelligencia.
Dito ao mesmo. Era 29 de dezembro prximo
exerce-lo, o far com todo o zelo e boa voatade,
que de esperar de seu patriotismo, e desejo que
mostra de servir o paiz.
Dito a Antonio Pinheiro de Mendonga.Fico
cente do que me communica Vmc. em seu olfl-
cio de 2 do corrente sobre os motivos pelos quaes
nao foram cumpridas a circulares desta presiden-
cia datadas de 1, 12, 14 e 16 de novembro, 1 e 5
de dezembro do anno prximo findo, e em vista
do que me declara no fiaal do citado offl -io, espero
que me participe o quo tiver occorrido depois disso
para meu governo.
Portara.O vice presidente da provincia, usan-
do da attribuigo que Ihe confere o 10 do artigo
211 do regulamaoto n. 120 dc 31 de janeiro de
1842, determina que as substituigoes dos juizes de
direito das comarcas da provincia se observe o se-
grate :
Artigo 1."
1. O juiz de direito da 1* vara da comarca da
1 capital, ser substituido : Io pelo juiz municipal da
| vara ; 2o pelo da 2* vara.
2 O juiz de direito da 2' vara ser substitui-
do : 1 pelo juiz municipal da 2* vara ; 2o pelo da
' | vara.
3." O mesmo juiz municipal ou supplente nao
poder accumular duas varas de direito e passar
a ultima que vagar aojuiz a quem tocar no seu
estados do sul.
que o governo de Washington tolerou a invaso
findo, entrou o bacharel Candido Marlins de Al-, impedimento, e emquanto este durar,
meida no exercicio do carao de promotor publico
da comarca do Bonito, para o qual foi nomeado
por meu antecessor : o que a V. S. communico
para sua intelligencia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Paraos convenienlos exames remello aV. S. copia
do offlcio do delegado do termo do Rio Formoso
de 7 deste mez, sob a. 2, do qual consta que na
cadeia da cidade daquelle nome s existe nm pre-
so pobre.
Dito ao mesmo,Autoriso V. S., nos termos de
sua informacao de 14 do corrente, sob n. 22, a
mandar pagar ao arrematante da conservagao do
terceiro termo da estrada do sul, em vista do
competente certificado, a quantia de 3045950, a
que tem direito o mesmo arrematante, por haver
cumprido com as condlgdes do seu contrato no
mez de novembro ultim, segundo consta de offl-
cio do chefe interino da repartigo das obras pu-
blicas, datado de 28 de dezembro do anno prxi-
mo passado, sob n. 337.Communicou-se ao chefe
interino da repartigo das obras publicas.
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional do Recife,Deferindo o requerimento
do guarda do 6a batalho de infamarla deste mu-
nicipio, Luiz Antonio Ferrelra, sobre que versa a
sua informacao n. 10 desta dala, autoriso V. S. a
mandar-lbe passar a gula de que trata o artigo
42 do decreto n. 1,130 di 12 de margo de 1853,
depois que elle fizer entrega do armaraanto e mais
objectos pertencentes a fazenda nacional.Com-
municou-se ao commandante superior de Olinda e
Iguarass.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Communico V. S. que, sejundo participou-
me o Dr. chefe de polica, em offlcio do 14 do cor-
rente, deixaram de seguir para esse presidio no
vapor Persimmga os sentenciados Antonio Valerio
dos Santos Onga, Vicente Ferreira e Jos Joaquim
de Santa Anna.
Dito ao director geral da instraegao publica.
Transmuto a V. S., para sen conhecimento, epia
divergencia que os tragam em cuidados ou sobre- | Como quer que soja, ludo indica que ainda cor- franceza e a fundagao do imperio.
salto com os receios de guerras que a todos com- rero longos mezes, antes que chegue a seu termo O futuro dir sua ultima palavra sobre o impe-
prometta. esta assombrosa guerra ; longos mezes ou a|guns rio do Mxico, que ao menos lem por s a garan-
Erabalde aspiragoes j por mais de urna vez pro-
nunciadas, anda nao ha urna poltica americana
que enlace mais ou men >s fortemente todos os go-
verno?, e faga cora que em certas circumstancias o
tiro disparado era um ponto seja respondido pelos
chos nos diversos paizes do novo mundo. Ha cer-
taraente s vezes manifestagSes americanas em op-
posigao a insultos ou a lotervengoes de potencias
europeas ; mas esse accordo fraternal nao perdu
anda
nome por
annos dure ella ainda, e a grande confederago.da ta de um chefe esclarecido e dislinclo, que,
America do Norte dar ao mundo o espectculo pao sendo o principe, tera no mundo um or
das mais medonhas ehorrives ruinas, ao menos justos titules illustre.
nos estados do sul que tm sido e promettem con-1 Os estados da America central tiveram era 1864
tinuar a ser o thealro desses combates onde bata- um anno afortunado ; a tranquillidade publica nao
Iba fratricidamente um povo de Alcides. | foi alli perturbada, e tanto bastou para que se des-
uure ainda mezes ou annos essa guerra fatal, e envolvesse o seu progresso material. Pena ser
acabada ella.tenha vencido o norte,ser difflcil dizer que experiencia tao lucida e feliz nao aproveite a
quem foi o vencedor quando se contemplar o es- essas repblicas, tantas vezes profundamente aba-
da informagao ministrada em 13 do corrente pelo
promotor publico interino desta comarca, acerca
professor adjunto a 1* cadeira do bairro da Boa-
Vista, Francisco Silverio da Fonseca Jnior.
Dito ao director do hospital militar.Respon-
dendo ao seu offldo n. 16 de 10 do corrente, te-
nho a dizer-lhe que em vista do parecer do coro-
nel commandante das armas, constante da copia
inclusa, com o qual muito me conformo, nao pode
ter lagar as obras qae V. S. jalga conveniente fa-
zer-se no comportamenlo mencionado em dito of-
flcio, afira de continuar a servir de sala fnebre.
Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
Art. 2. O juiz de direito da comarca de Olinda
ser substituido : 1 pelo juiz municipal do termo
de Olioda, 2 pelo do termo de Iguarass.
Art. 3." O juiz de direito da comarca do Rio
Formoso ser substituido : i" pelo juiz municipal
do termo do Rio Formoso ; 2o pelo de Serinhem.
Art. 4." O juiz de direito da comarca de Palma-
res, ser substituido : 1 pelo juiz municipal do
termo de Agua-Preta ; 2o pelo do termo de Bar-
reiros.
Art. 5. U juiz de direito da comarca de Santo
Anto ser substituido : 1 pelo juiz municipal do
termo de Santo Anto ; 2 pelo da Escada.
Art. 6." O juiz de direito da comarca do Bonito
ser sabstituido : i pelo juiz municipal do termo
do Bonilo, 2 pelo de Caruar.
Art. 7." O juiz de direite da comarca de Gara-
nhuns, ser substituido: 1 pelo juiz municipal do
termo de Garanhuns, 2 pelo de Buique.
Art. 8." O juiz de direito da comarca do Brejo,
ser substituido : 1 pelo juiz municipal do termo
do Brejo ; 2 pelo de Cimbres.
Art. 9. O juiz de direito da comarca de Flores,
ser substituido : 1 pelo juiz municipal do termo
de Flores; 2 pelo de logateira; 3 pelo de Villa-
Bella.
Art 10. O juiz de direito da comarca da Boa-
Vista ser substituido : Ia pelo juiz municipal do
fcrmo da Boa-Vista ; 2o pelo do Ouricury.
Art. 11. O jai', de direito da comarca de Cabro-
b ser substituido : 1* pelo juiz municipal do
termo do Cabrobo ; 2 pelo do Ex quando fr
creado o lugar por decreto.
Art. 12. Os juizes de direito das comarcas do
Cabo, Pao d'Alho, Nazareth, Goianna, Lirnoeiro e
Tacarat serlo substituidos pelos respectivos juizes
municipaes.
Art. 13. Os juizes de direito na falta dos juizes
municipaes serao substituidos pelos supplentes
destes, observndose nao so a ordem, em que os
ditos juizes municipaes se achara designados para
a substituigao, mas tambera aquella em que esto
os supplentes as listas de suas nomeagoes.
Eipedieate do secretario do goverao do dia 16
de Janeiro de 186.
Offlcio ao prefeito do hospicio da Penha.De
ordem de S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia rogo V. Rvm. se digne dvolver o offlcio do
juiz de paz do districto de Capoeiras Galdino Al-
ves Barbosa que aeompanhou o que o rotjsmo Exm.
Sr. dirigi V. livma, em 14 do corrente.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
De ordem de S. Exc. o Sr. viee-presidente da pro
ra, e ou acaba com a questao que o provocara, ou trago assolador do paiz, e se calcular a ruina das ladas por lulas inglorias, de ambigoes mesquinhas,
mesmo esfria antes do desenlace. finangas dessa confederago 13o rica. I que se ensoparam de sangue, e empobrecern) o
Entretanto nem por isso deixam de haver acn- A' parle estas consideracoes, o espirito america- paiz.
teciment'is graves dignos da reflexo dos polticos,' no lera anda muito que lamentar a luta enraivada Na antiga Colnrabia predomina ainda o terrivel
e sera duvida alguns delles mais interessantes do dos dissidenlesdaconfederagod'AmericadoNorte: Mosquera, o Monrawieff, neo-granadino, como o
que todas as contendas europeas para o Brasil, um porque nesse ca|aclysraa poltico encontrase a ex-' chamam seus inimigos polticos; persiste elle em
imperio americano que por sua posgao geographi- pllcagao da facilidade cora que algumas potencias seus planos dereconstruegoda unidade columbia-
ca, extensao e recursos deve exercer notavel in- da Europa v3o-se arrojando ltimamente a desen-' na, empregando as armas como meio para chegar
fluencia no mundo onde demora. : volver no novo mundo urna poltica de interven- j a esse lim ; erro lamentavel sem duvida, por qae
Visitemos, pois, e estudemos resumidamente gao inconveniente, quando nao mostram como a i nunca se estreitar urna uniao, cujos lagos forem
esses estados irmos. Hespanha pretengoes de oceupago permanente de i tecidos pela forga material.
Comegando pelo norte encontramos as grandes territorios a que nao tem direito algum. Movido por esse erapenho Mosquera preparava-
colonias nglezas oscupadas om um irabalho tran- A robustez I enrgica dignidade da confederago se para levar a guerra ao Equador, quando o ge-
quillo de emancipagao. A velha Inglaterra nao es-. Norte-Americana era o mais forte antemural op-
queceu a experiencia dolorosa das suas guerras da posto s mbii-oes das grandes naces da Europa.
Americano seculo passado; e, comprehendendo A guerra de ifmaos enfraqueceu a barreira que os
estranhos respeitavani.
Intil nos parece avivar a historia da ultima
campanha dos
limitaremos a
exagerado, a
do os faetos
bem que a oppresso colonial sempre um onus
pesadissimo para as metropoles, reconheceu a op-
portunidade de crear un estado amigo em suas co-1 campanha dos federaes e cenfedarados ; antes nos
lomas americanas, e dispoe a dar principio obra limitaremos a lizer que, apezar de quanto se tem
generosa e sabia, conferiodo-lhes instituig.Ses re- exagerado, a mua propicia dos confederados,
presentativas, que sero os elementos de urna fu- do os faetos testemunho evidentemente contra-
tura independencia completa, que se realisar sem rio ; porque dpsde o principio da lula nao pode-
guerras, e cora proveito da Graa-Bretanha, cujo no- rao elles ganhaj* um palmo de territorio aos-fe-
m ser desse modo amado e respetado por seus deraes, e de campanha em campanha vo es-'
amigos colonos. i tes reatando ao lago commum da umo al-
A confederago ^norte-americana conlinua a ser guns estados : iO Kenluki e o Teness foram
o theatro pavoroso das nelejas mais assombrosas e readqu,eridos por elles ; a Virginia Occiden i
formidaveis que at boje tem feito o horror da hu-
manidade.
Tres annos de urna luta desesperada e colossal,
tres annos de urna guerra civil de proporgoes to
gigantescas, a que nenhuraa das grandes potencias
neral Flores, presidente desta repblica o provenio,
avangando contra elle frente do exercito equato-
riano, cujos soldados novos e sem disciplina nao
podiam realmente com esperanga de bom resu lado
medir-se com a phalange de Mosquera, j habitua-
da aos combates. A batalha de Cuarpud foi fatal
ao general Flores y o Equador, porm, levantou no-
vo exercito, e apoz nm duplo armisticio Mosquera,
o vencedor, propoz um tratado de paz e amisade,
em que elle, o vencedor, consentio simflesmente na
aboligao dos direitos de alfandega entre Nova-Gra-
nada e o Equador.
Louvavel seria por certo o proceder do general
triumphanle, se o proprio accordo nao demonstras-
se que aquella guerra fratricida nao tinha razao
tal Ihes pertenc, como Ihes pertence a Nova-! justificativa, e neste caso a razao humana se revol-
Orleans e Wifcsburgo; irameasos territorios e' ta, vendo o capricho e ambigo sacrificar as aras
pontos essenciaek : dominara ainda em torno de do seu egosmo centenas de vidas que tao uteis po-
Charleston e de Mobile, e o exercito do Shermann I diam ser patria,
oceupando desde alguos mezes atrevida posgao na I Nao tambera inteiraraente fra de proposito
da Europa tera talvez podido resistir sem appellar Georgia, isto e, no coraeo dos estados confedera- mencionar que em Nova-Granada, cuja ultima ras-
para o auxilio estranho, nao poderam fatigar anda dos, avangando sprapre, e apodorando-se de posi-; lituicao aboli a pena de morlc. como ufanosamen-
i grande confederago. ges vitaes do inimigo, comprehende-se que nao se te foi coramuncado ao grande poeta Vctor Hugo,
Os Estados Unidos da America do Norte eram podera desconhetr as vastagens que tm alean- i ainda este anno bou ve cidado que fosse fuzilado
por certo reputados urna poderosa repblica ; mas gado as armas federaes. I por ordem da autoridade !
em verdade ninguem calcula que to alto hou-. Entretanto prolongada ter de ser ainda a guer- A repblica do Equador, que to felizmente vio
vessera j chegado a saa forga, a explorago e ra, se a sabedori e o patriotismo nao vierem acu-' terminar a guerra com Mosquera, acha no proprio
aproveitamento das fontes dos seus recursos, a ex- dir aos valenles llhos de Washington langando : seio elementos de ruina : as revolutas se repetem,
traordinaria intelligencia inventiva de seus filho?, o ramo de oliveira no meio dos seus exercitos. e o presidente Garca Moreno, apoiado pelo gene-
a energa, a constancia e o valor do sea povo. Aproveitando > desgragado erapenho bellicoso ral Flores, obrigado a empregar as armas para
Langada nessa guerra civil, a maior e mais tre- que exclusivaraet le ocoupa a confederago Norte-1 debellar a anarchia. Triste deslino dessas repu-
raenda de quea memoria nos annaes do mando: Americana,a Hesaanha insiste na sua empreza de blicas, ondeo espirito da desordem e do delirio
inteiro, federaes e confederado;, improvisan) exer-; dominagoem S. Domingos ; seus regimentos mi-1 poltico apaga todas as esperangas de socego e de
citos que se enumeran) por centenas de mil sida- litares seriam sufflcenlemenie valorosos para as- prosperidade.
dos, inventam fortifleages qne resisten) a todos os segurar-lhe perduradora victoria, se a febre malig- Em Venezuela, qne goiou dorante alguns me-
meios de deslruigo, inventan) navios que operam: na e terrivel nao os dislmase e sem piedade, fa- zes paz serena e benigna, dividio-se o partido fe-
urna revoldgo na marinha militar, fundem arti-! zendo provar aquella potencia europea todos os in-1 deralisla que triumphara era 1863, e um dos seus
Ibaria que tem na mpulsao das balas urna forja'. convenientes de urna guerra longioqua. | mais estimados cheles, o general Bruznal, foi reeo-
Infernai, espantara a humanidade pelo arrojo das! O Mxico entrn em urna nova situagao: depois lhido priso ; desde logo annunciou-se urna des-
aegoes mais pasmosas, contando por dezenas as | de algumas difflduldades vencidas na Europa, o sas lulas que acabam sempre pronunciando-se no
batalhas que tm feito correr horriveis rios de | principe Maximiliano aceiteu a corea imperial, e, i campo armado : j o estado de Guayana, tomando
A manlfestago geral e sympatbca de todas as
nagSes americanas da raga latina nao consola bas-
tante aos Peruanos a ponto de dar-Ibes paeiencia
para esperar qne se esgotem os mats iodispensa-
veis recursos diplomticos : elles querem, exigem
antes de ludo a guerra e a desaffronta, e nesse ere-
penho desamo o governo que nao se apress a to-
mar inmediatamente medidas bellicosas. Era seu
patritico desespero j sacrificaran) um ministerio,
cujqs membros querem ver responsabilisados, e
nem impossivel que rebente una revolugao, se
o governo nao acudir de prompto as suas exigen-
cias ardenles e vingalivas.
O Brasil, que ainda nao esqueceu urna atiranta
quasi igual, e que applaudio a energa e o patrio-
tismo do chefe do estado e dos seas ministros, coro-
prehende e desculpa essa efervescencia popular
Glha do mais nobre e respeilavel senlimento.
Entretanto o governo peruano dispoe e acedera
todos os meios para fazer a guerra, se a Hespanba
preferir ainda essa guerra longioqua e insustenta-
vel por muito tempo.
A multiplicidade e snecessao de insultos dessa
ordem irrogados s nagoes americanas por agen-
tes, diplomticos ou nao, de potencias da Europa
tem despertado as suspeitas e e resentimento da-
quellas ; e consequentemente a nm movimento es-
pontaneo e geral seguido de um convite da rep-
blica do Per', aecudiram de prompto os repre-
sentantes de quasi todos os estados americanos da
raga latina para um congresso, que talvez marque
urna poca nova nahistoia poltica da America.
E' para nos agradavel e ufanoso dizer que o nos-
so diplmala, o Sr. Warnaghem, representar nes-
se congresso o imperio do Brasil, e que em Bobres
palavras ja manifestou ao governo da repblica pe-
ruana os sentimentos sympathicos e americanos do
imperador e da nagao brasileira.
A aflroota soffrida do Per', e o resentiraemo
fraternal das nagoes americanas da raga latina
conlrbuiro cerlamente para adiar urna guerra ca-
lamitosa entre duas repblicas irmas.
Em 1863 deixamos o Chile e a Bolivia era la-
mentavel estremeeimento e em disposiges belli-
cosas ; mas ainda bem que a moderago dos dous
governos, a tmerveDgJo do Pera' o a infidencia alternado hespanhol, que demonstrou a necessida-
de da uniao americana, veio muito oportunamen-
te adiar cssas contendas que, gragas Providen-
cia, terminaran) sem o ruido das armas.
A Bolivi prosegue em va de prosperidade
agora, porm, vai a sna sabedoria ser experimen-
tada em urna seria provoca gao. Chegou a_ poca
da eleigao do presidente da repblica, e j nao me-
nos de oito generaes se apresentam candidatos ao
alto e ambicionado cargo. Tero os vencidos toda
prudencia necessara para se submetlerem digna-
mente ao voto dos seus concidados ? Praza ao co
que a escola dos soffrimentos e da adversidade te-
nha podido ensinar a resignago e a paciencia a
esses capites provavdmente todos muito dignos
do grao que ambicionan), e que anda mais digno
delle se podem mostrar dobrando-se submissos e
tranquillos escolha da nago.
O chile encerra esta rpida revista dos estados
americanos do norte e do occidente, dando um bel-
lo exeraplo da liberdade poltica, e do sempre cres-
cente progresso material por meio da paz do seu
povo, do respeito lei da parta do seu governo,
pela estabilidade das instituigoes, e pela prudencia
dos partidos que nao se desmandan), sahindo da
esphera legal.
Quando se compara a prosperidade do Chile cora
as dolorosas provagoes a que parecem condemna-
das as outras repblicas americo-hespanholas do
occidente, o patriotismo americano e a razao escla-
recida do philosopho nunca tero pragas bastante
fortes para langar sobre a anarchia, sobre o espi-
rito vertiginoso da desordem, e sobre esses ambi-
ciosos fataes, que fazem dos cadveres de seus ir-
mos degros ensanguemados para subir ao poder
qne bSo merecem.
Na America meridional ha felizmente duas na-
goes, dous grandes estados, quo caminham anima-
dos para um futuro grandioso e brilhanle.
Por mais altos que sejam os Andes, o Brasil e o
Chile podem estender por cima delles os seus bra-
cos, e .apertar as mos com orgulho fraternal.
PERNAMRUCO,
sangue, contemplando no pavoroso theatro cldades | atravessando o Attentico, foi sentar-se no throno do
destruidas, provincias on estados completamente novo Imperio.
devassados, redes de caminhos de ferro aniquila- As tropas francezas e imperiaes mexicanas com-
das, nmmilhao de horaens sacrificado, federaes e pletavam a ora djt submisso de todas as provin-
confederados acham-se promptos para continuar a eias : os generaes! republicanos, que at a pouco
combater, como estavam no primeiro sinistro da.! resistirn) cora patritico denodo invaso estran-
tntretanto, brados generosos pedindo o restabe-1 gelra, vo soccessSvamenle se submeilendo a Ma-
lecimento da paz entre esses guerreiros irmos se. ximilians : Zaloaga, amigo presidente da republi-
ouvem repetidos n estrangeiro, e no seio da pro- ca, La Garza, amigo governador de Taumallpas,
pria confederaco. onde exerce notavel influencia, Razadre, que fra
Ser possivel a paz ? com que condiges ? ajudanle de camp Lincoln em nome do norte a offerece sobre as ga adherir;-.m ao imperio, segundo informa o Abo-
bases da reconstraego da nBiao,e ainda mais sen- nitor de Franga, a at o general Doblado pedio
do abolida a escravidao ; Davis a aceita em n)me nm salvo, condutfto para apresentar-se na ca-
do sul sobre as bases da separago, e continuando ( pita!.
a escravidao. Jurez conserva-se ainda no noroeste; ], po-
E' impossivel entonderem-se : os dous chefes rm, deve ter desesperado da causa da repblica
REVISTA DIARIA.
Funccionou hornera em sassao ordinaria o Ins-
tituto Archeologico e Geographtco Pernambuco.no
sob a presidencia do Exm. monsenhor Muniz lava-
res e com assisteneia dos Srs. Drs. Joaquim Por-
tella, Aprigio Guimares, Feitosa, Witruvio Pinta
Bandeira, Soares d'Azevedo, Torres Bandeira >.
Rodrigues Campello, padre mestre Lino e majar
Salvador Henrique.
O Sr. secretario perpetuo d conla do seguate
expediente :
Um offlcio do socio sallador Coelho Drammond
de Albuquerque em resposta expresso de agra-
decimento do Instituto pelo seu concurso com-
misso que teve de examinar o lugar da inhuma-
gao de Fernandes Vieira. luleirado.
Outro do Dr. Gusmao Lobo communicando nao
poder comparecer por doente, assim como qae pro-
segua diligente em seos trabalbos a cemmisso
incumbida de agenciar a subscripgo para o monu-
mento a Gongalves Das.Iateirado.
Alguns nmeros do Brasil Hitluseo offeredikt.
pelo Sr. Dr. Figueirea. Recebido com agrado,
vo a archivar.
O Sr. Dr. Witruvio Pinto Bandeira relatan.* a
urna atlitude enrgica, enviou ao presidente da re-
pblica urna commisso que pedio e nao obteve a comraisso de admisso de socios, aprsenla ara
demisso do ministerio. Era outubro ultimo o pre- parecer em sentido de serem approvados socios
sidente da repnblica preparava-se para marchar eftectivos os Srs. Dr. Joaquim Jos de Campos e
frente de um exercito contra Ciudad-Bolvar.
Das repblicas do Pacifico o Per o qne na-
turalmente attrahe as attengoes e as sympathias
de toda a America, que v e lamenta naHe a vic-
tima de nm abuso de forga to violento como ines-
perado por parle de ura agente confidencial da
Hespanha e do almirante hespanhol Pinzn, que se
apoderaran) das Ibas Chinchas. Este tacto, qae
pertence aos acontecimentos de 1863, ainda at ao-
je preoccapa todos os espiritos americanos. A
Hespanha, inerte ou indecisa, em qualquer dos ca-
sos portanto justamente condemnavel, nen decla-
ra approvar o procedimentodoseu slmiranl^nem
vincia remeti V. S. um exerp.plar das collecgoes discordam na essencia ; a guerra |m de prose-1 Mexicana, e nao tardar muito que v refugiar-se o me seria mais digno della, se anima a cortar
das leis ediedes do goveroo do anno de 1835. -1 guir.



Francisco Teixeira de S, e correspondentes os
Srs. David Gengalves d'Araujo e Drs. Domingos
Lourengo Vascurado, e Joaquim Tavares de Mello
Barreto.Sendo approvado, flea sobre a mesa
para ser opportonamente votado.
E' submeliido a discusso o parecer adiado da
commisso de trabalhos archeologicos, relativo a
collocaco de urna lapide commemorativa na easa
em que residi Jlo Fernandes Vieira; e o Sr.
Dr. Feitosa tomando a palavra, faz algumas con-
slderagoes sobre a necessidade de se garantir por
um meio seguro a existencia permanente d'essa.
lapide; e assim offerece esta Inoicacao :
Em additanaento ao parecer da commisso,
no territorio da confederarlo Norte-americana, ? questao pela riz, CQoderanando a violwria ultra-1 indico que \ coHocago da lapide seja contratada
~-,,:-


mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmi^mmmmmn
>
1
re
-
>
Diarlo de rernambuco Sexta felra 2 O de Janeiro de ISttft.
flor escriptura publica com o proprietario da casa,
mediante condados quegarantam noToluro a con-
servagao da mesma lapide, e que a copia aulheuli-
ca seja depositada nos archivas pblicos.
Fetlosd.
Segnindo-se na paiavra o "Sr. major Salvador
Henhque, observa que quando Uvera idea de pro-
por semelhanle collocago, tnvhni actuado em seu
espirito as mesmas razoes 5 porffl entender nao
Dr. Angelo Henrique da Silva.
ttr. Augusto Cameiro Monteiro da Silva Santos.
Antonio Jos d'Oliveira.
AdrUoo Xavier Pereira de arito.
Augu Antonio Camello PessOa de Lacerda.
r. Antonio Rangel de Torres Bandeira.
Dr. Antonia Jos Aires Ferreira.
Dr. Antonio Anny Jacorae Pires.
^^,-....u j iui;oiiiao 1 atuvo y pwiww wilw. .-. uw .------- -- .~v ..uuj avwub A nvo
obslaBte nao serem assaz para vedar a propositara," Antonio Martins Seabra Lemos.
mesnio porque do proprietario da referida casa,
com quem se entender, obtivera as mais firmaes
promessas c que assim votara pela indiragao.
E' approvado o parecer com a indicaead, sendo
commettida a sua execugao a commissao respec-
tiva.
Entra em discossao outro parecer da mesma
commissao, sobre a autorisago para lithographar-
se o retrato ee Fernandes Vieira, afim de juntarse
ao numero da Revista.
O Sr. Dr. Fetosa achaodo incompleta a idea
pela excluso de Vidal de Negreiros, Camaro e
Henrique Oas, offerece o seguinto additivo :
< Em additamento ao parecer da eommissao,
proponhe que sejara igualmente lithographados os
retratos de Andr Vidal de Negreiros, D. Felippe
Carnario e Henrique Dias, que tiveram com Joao
Fernandes Vieira parte as glorias da restaurage
desta provincia, a proporco que o permittirem
as {acuidades da receitado instituto.
Feilosa.
O Sr. major Salvador Hearique, depois de ligei-
ras consideracoes sobre a precedencia dada, pre-
cedencia toda devida a attencao das torgas do eo
fre, votou pelo parecer e additivo,
casa-se com as suas.
Approvados o parecer e o additivo, ten igual
destino.
Entra finalmente emdiscussao outro parecer da
mesma commissao relativo ao levantameMo de es-
tatuas quelles quatro hroes da nossa historia, e
approvado sem debate.
O Exm. presidente designa a mesma commissao,
o respectivo autor e o *r. Or. Rodrigues Campello
de
Augusto Cesar da Cunha.
Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Alfonso Jos d'Oliveira.
Antonio Bernardo Quinteiro.
Dr. Antonio d'Assumpcao Cabra!.
Angelo Custodio dos Santos.
Dr. Antonio Joaqoim Ayres do Nasclmento.
Antonio de Moura Holini.
Andr Ferreira d'Almeida.
Dr. Americo Nelte de Mendonca.
Dr. Antonio Witruvio Pinte Bandeira Accioli
Vasconcellos.
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa J-
nior.
Antonio Goncalves Pereira Lima.
Antonio Joaquim d'Oliveira Uaduem.
Angelo Custodio Rodrigues Frailea.
Antonio Pires Ferreira.
Antonio Ignacio do Reg Mediros.
Antonio Augusto da Cmara Rodrigues Sette.
Antonio Cardase de Queiroz Fonceca.
Antonio Carlos de Pintio Borges.
Antonio Ferreira d'Annunciago.
Antonio Carneiro Machado Ros,
cujas ideas j Capito Antonio Jos de Souza Couceiro.
Antonio Lucianno de Moraes Mesquita Pimentel.
Dr. Augusto Frederico d'Oliveira.
Antonio Luiz do Amara! e Silva.
Dr. Antonio de Vasconcellos Meneres de Drum-
mond.
Affonso do Reg Barros.
Dr. Antonio Ferreira Martins Ribeiro.
Dr. Aprigio Justiniano da Silva Guimaraes.
Antonio Mara de Miranda Seve.
qoaes sao as pessoas qne faiem negocio coa esta
innocente industria.
Os irmos cassacos, que tantos furtos teetn eom-
mettido de parceria com Joaquim Ribeiro de Brito,
alferes do batalho do Sr. Lol de Caiar, e que
teem sido chamados presenca de S. S. por mera
formalidad, continuam no mesmo systema de fur-; Frederico Damaceno Lins.
lar aos pobres matotos. Jos Mondes Gomes.
A' vista destes factos nao ha ontro remedio senao 4* noile.
marmos a attencao do Sr. presidente para os Joao Evangelista Pereira Lima.
Manoel Pi da Luz.
Francisco de Salte.
Jos Ferreira da Craz.
3* noite.
flraacisco Paes Brrelo.
Joaquim Xavier da silva.
Francisco lverio de Faria Jnior.
Francisco de Araojo Pessoa.
Jos lavaras da Silva.
5* nolte.
Manoel Pedro da Silva.
Joao Antonio de Mello.
para incumbirem-se dos trabalhos preliminares Antonio Jos Leal Res.
neeessarios eiecuco deflnitiva da idea. j Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Em seguida, leado de fazer-se no da 27 do cor- Dr. Amaro Joaquim Fcnceca de Albuquerqae.
rente a festa anuiversaria do Instituto e comme- Alejandre Americo de Caldas Brando.
morativa das gloria* Pernambucanas, o Exm. pre- Aagusto Genuino de Figuardo.
sidente noroca os Srs. Drs. Feitosa, Witruvio Pin- Antonio Machado Gomes da Silva,
to Bandeira, Torres Bandeira, para comporem a Antonio Jos Ribeiro de Moraes.
commissao que deve convidar ao Etm. presidente Dr. Antonio Maria de Faria Neves.
da provincia para assistir a mesma festa. i Dr. Antera Manoel de Medeiros Furtado.
O Ctmb Gommtrcial d a sua partida deste' Anacleto Antonio de Moraes.
mez no dia 28 do correte. : Antonio Caldas da Silva.
O Sr. &r. Lourenco Jos de Figueiredo di- Antonio Gongalves de Moraes.
rige-nos a seguate carta', e causa-nos estranheza o Dr. Antonio Justino de souza.
seu contando .; pois nao Ihe suspendemos o Diario, Antonio Luiz dos Santos.
cuja remessa ao contrario tein ido feita com a Dr. Antonio Joaquim de Moraes e Silva,
costumada regularidad*. | Amaro Goncalves dos Santos.
E pote, solicitamos a neeessaria providencia no Antonio Pedro Cavalcanti d'Albuquerque.
sentido de nao continuar a falla notada pelo mes- Antonio Jos Uarte.
mo Dr. Aolonlo Goncalves da Silva.
Illms. Srs. Manoel Figueirade Faria 4 Filho. Andr de S e Alboquerque.
Nao tendo eo recebido os Danos da semana qoe Antonio dos Santos de Souza Leao.
acaba, tendo nao obstaute havido
tendo nao obstaute havido crrelo, que
trouxe folhas pertencentes a outros assignantes,
podendo suceder que tenham Vv. Ss. por lindo
as folbas da minha assignatura ; por isso me diri-
jo a Vv. Ss. observando-Ibes que o tempo da mi-
nha assignatura linda no mez de fevereiro prxi-
mo vindouro. o que poder ser verificado pelos
respectivos assentamentos da sua ca.-a.
Estimo que passen bem e sou de Vv. Ss. pa-
tricio atiento venerador e criado.
Bonito, 16 de Janeiro de 1865.
Lourenco Jos de Figueiredo.
Na lat. N. 3" 17' e long. O 26 19' fel eneon-
trada a tO do correte a galera ingleza James
Edward trazendo j 25 das de viagem de Liver-
pool. Segua para Calcuta.
O Maranguape trouxe do
cas de algedo.
Hoje na matriz d'esla fregoezia de Santo An-
tonio ha missa cantada em celebrago ao da do
niartyr S. Sebastio, e a noite ter ladainha, aps
a qual acara exposta veneraco dos fiis a ima-
gem do mesmo martyr por espaeo de tres das.
>
>
H K 1 -y- ffl m
a i s- 0 s.
a 3 . 1*1 5 9 3 i 3
,
.
, *
: : 1
. 1



-


Masculino.


Feminino.
Masculino.
Feminino.
Masculino.
Feminino.
Antonio Pereira da Cmara Lima.
Antonio Francisco Paes de Mello Barreto.
Coronel Antonio Pedro de S Barreto.
Bernardino de Sena Pontual.
Dr. Braz Florentino Henriques de Souza.
Dr. Bernardo Pereira do Carmo.
Bernardo Jos Martins Pereira.
Bernardino de Vasconcellos.
Bernardo Carneiro Monteiro da Silva Santos.
Bernardino de Sena da Silva Guimaraes.
Dr. Beato Jos da Costa.
Bernardo Luiz Ferreira Cezar Lonreiro.
Dr. Bento Serilano des Santos Ramos.
Haro do l.ivrainento.
Belarmino do Reg Barros.
j liarao de Mnribeca.
Aracaty 686 sac- Bernardino Zeferino de Miranda e Alboquerque.
I ur. Cosme de S Pereira.
Caelano Cyriaco da Cost Moreira.
Cosme Jos dos Santos Callado.
Candido Cassimiro Guedcs Alcoforado.
Clandiano d'Oliveira.
Carlos J0S0 de Souza Correia.
Caetano Silveira do Amaral.
Candido Autran da Mata e Albuquerque.
Candido Affonso Moreira.
Caetano Quinteiro Galhardo.
Cosme das Trevas Telxeira.
Caetano Pinto de Veras.
Ctaodtno Benicio Machado.
Dr. Carolino Francisco de Lima Santos.
Caetano Jos Mendes.
1 Dr. Cyrero Odn Peregrino da Silva.
OryMov5o Santiago d'Olireirn.
Candido de Souza Miranda Couto.
Dr. Cyprlano Fenelon Guedes Alcoforado.
i Camtllo Pinto de Lemos.
I Dr. Candido Jos Casado Lima.
Candido Emilio Pereira Lobo.
-Dr. Celso Tertuliano Fernandes Quintella.
Dr. Clemente Jos Ferreira da Costa.
Domingos Al 'es Matheus.
Domingos Affonso Nery Ferreira.
j r. Deodoro Ulpiano Coelho Calanho.
I Domingos Jos Rodrigues.
: Dr. Demosthenes da Silveira Lobo.
1 Domingos dos Passos Miranda.
Domingos Antones Villaca.
Decio d'Aquino Fonceca.
; Domingos das Neves Teixeira Bastos.
Demetrio de Gusmao Coelho.
Elias Francisco Mindello.
Dr. Estevo Cavalcanti d'Albuquerque.
2
E
o
>
H
os
n
en
-i
8 5
O
y.
ft
>
<
c
V
I
i

o
W
Ai
Masculino.
Feminino.
s.
y,
S 2
' a
Masculino.
. 12
Feminino.
I
M. I TOTAL.
MI

(Continuar -se-ha.)
COMMNiCADOS.
ADVERTENCIA.
O Sr. Domingos de Souza Leao esse flagello que
veio consummar a obra da iniquidade administra-
tiva a que deu comee o o Sr. Joao Silveira de Souza,
logo depois de haver tomado as redeas da presi-
dencia assenton de si para si, que nao tirana bem,
se deixasse de manifestar ao povo pernambucano e
especialmente aos parochianos de S. Lourenco da
Malta, os sentimentos de odio e de vinganca que
nutria para com os que ousaram ir de encontr a
Na totalidade dos doentes existen 133, sendo voolade de 8. Exc, no da em que se proceden a
77 bomens e 6 mulberes. I'eleiclo para senador, em substituirlo avagado
Foram visitadas as enfermaras estes dias : Ilustre e veneravel visconde de Albuquerque.
Pelo Dr. Ramos s 6 l|2i6 1|2, 6 1(4, 6 l|2,6i Encaixado S. Exc. na cadeira presidencial tra-
1 r2, 6 3i4, 6 1|4. I tou de fazer toda a serle de picardas aos qae nao
Pelo Dr. Sarment s 8 3(4,8 3|4, 7 Ij2, 9 1(4,8 quizeram imitar seu irmo e seu cunhado. En-
40, 9, 9 1|2. i to poz de banda aquella gravidade, to apreciada
Fallecen: pelos seus amigos de outr'ora, o principiou por
Themoteo Pires da Luz, infeceao purulenta. pedir aos independenles da assembla provincial,
REPAnngAO da POUQtA : que ageitassera a freguezia de S. Lourenco de modo
Extracto das partes do dia 19 de janeiro1 a Bear embom pede conquist; o quefoi da malor
de 1865. I facilidade deste mnndo, gracas a iniciativa que to-
Foram recolnidos casa de detenco no dia 18' mou o Sr. Ayres Gama, na apresentacao do cele-
do correte : I berrimo projeeto, que propunha a mudanca dos en-
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jlo Ole- genhos Camaragibe e Timbi para a freguezia da
gario da faz, o Manoel Barbosa do Nascimento,
por furto.
A' ordem do subdelegado do Recife, Pietre Ton-
da, Ron Kargasim, Vicos Poyza, Nocoli Gathi-
d, austracos, e Frederik Goal, inglez, a requisi-
cao dos respectivos consoles.
A' ordem do da Capunga, Manoel Joaquim da
Conceieao, por briga e insultos.
O cliefe da segunda seccao,
/. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detenco do da 18 de
Janeiro de ISti.
Bxistiam presos 384; entraran 14 ; sahiram 7 ;
existem 391.
A saber
mulheres 3 ; estrangeiras 2 ; escravos 49 ^ escra-
vaso-Totai 391.
Alimentados cusa dos cofres provinciaes 150.
Varzea, e a de outros engenhos^ qoe esto na ex
trema dessa freguezia com Igoarass, para esta
ultima.
Nao satisfeito com isto nomeon S. Exc. ao seu
digno irmo delegado, mandn per s suas ordens
um destacamento de trila pragas com mandadas
por um tal Albuquerque alferes de polica, que
passou i teoente pelos seus bons feitos; e acabou
por dar instruccde a 8r. Lul de aiar, acerca
do modo por que deveriam estes eos outros capan-
j gas de grvala lavada, completar a empalmacao
ue reaksaram na meraoravel tranquibernia de 7
e selembro.
E boje oSr. Domingos reponsa brandamente em
nacMoaes 5 It; .cstrangelros 20 ; | seus colxes de peonas, cercado de lowrot ganhos
com a discordia, que derramou no seio dos seus
comprovincianos, e al no de sua familia ; em
quanto que a pacifica freguezia de s. Lourenco da
Malta gerae sob o peso da neeessidade e do proce-
dimento criminoso do bacharH Augusto Leao, na
distrlboicao da justica.
O Constitucional Pernambucano, em noticias di-
versas, inleirou ao publico de alguns factos que
depdem altamente contra a aptido de 8. S. comq
delegado, que nao sabe ou nao quer dar cumpn-
mentp aos seus devores. E nos, agora, aprovei-
lamos a occasio paradarmos um beslicaozinbo em
S^s., com quanto nos pareca, qoe estar disposto a
nao acudir aos brados da imprensa ; como d-se
eom o seu sogro o Sr. Lula de Caiar, qoe se diz
o homein de S. Lourenfo, e que nao teme a impren-
sa por mais moralisada que seja.
O Sr. Augusto naod a mioima providencia para
que sejam presos os criminosos de morte, Manoel 1
Forro, Calpra, Vent, SerM, o outros o ouiros,
3uo passeiam impunemente por toda a parte, len-
0, alm disto, o primeiro desles jnonstros servido
de guarda-cosas 8. S. na eleicSo de 7 de se-
tembro.
Os urtoj de cavallos repelem-se frequentemente
pelos arredores dest freguezia, e al dentro della,
em que o Sr. Augusto dd signal de vida, sabendo
ltevlao do Jnry de II de Ja-
neiro de 1865.
Foram qualiQcados tarados os eidadios seguin-
tes:
Dr. Antonio dos Santos Sioueira CavalcanlL
Antonio de Moraes Gomes Ferreira.
Augusto Cesar Couceiro de Mallos.
Antonio Henrique de Miranda. -,
Alexandre Augusto de Fras Villar.
Antonio Jos da Silva do Brasil.
Antonio Gomes de Miranda Leal.
Antonio Jos Teixeira Bastos.
Antonio Goncalves Ferreira Cascad.
Alexandre Rodrigues dos Asios.
Antonio Rofino d'And/ade Lana.
Coronel Antonio Gomes Leal.
Antonio Machado Pereira Viauna.
Antonio Jos de Castro.
Alvaro Augusto d'Almeida.
Dr. Alfredo da Rocha Bastos.
Dr. Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
escndalos, que se dad s barbas do delegado, que
j nao duvida em consentir accommoacoes da or-
dem da que vamos referir.
Furtaram i dous matulos qoe pernoilaram no
rancho de Joaquim Ribeiro de Brito a quantia de
80JOOO, e deste furto foram ellos quetxar-ae ao
delegado, qoe anda nao tinha acabado de ouvi-los, Urbano Pereira da Silva.
quanda chegou sua. casa, isto casa de seu Emiliano da Cesta Barbalho.
sogro, o tal Brito desfzendo-se em desculpas e pro- 6* noite.
pondo restituir aos malulos 30*000. passaodoum Rufino Thomaz de Aqnino.
vale de 20*00, que seriam restituidos d'ahi tres Felippe S. Tiago Cavalcanti.
semanas. O delegado ouvio tudo e mandou que os Antonio Gomes da Luz.
pobres matutos retirassem-se, pois, dizia elle, de-' Jos Soares Cavalcanti de Albuquerque.
veriam estar satisfeilos com esta accommodacao. 7* noile.
Anda nao tudo. O patronato ao sea compadre Amaro Bernardino de Sena Portella.
Brito sobe a ponto de saber elle, que os taes cas- Joao Francisco Hemeterio Portella.
sacos vivem tunando quantos matutos pernoitam Manoel Gomes dos Santos,
no celebre rancho ; e fazem-o, ou por mel d'uma Enedino Alvos Gomes.
jogatina infernal, que esiabeleceram com esse pro-1 8* noite,
psito, ou levando esconder na propria casa de Antonio Fernandes Daltro.
Brito o que podem apanbar I j Manoel Malaquias Franco.
Nao ha muito tempo, que furtaram uns pobres Parisio Ribeiro de Souza.
sertanejos urna mala contendo fazendas e 153*000 Antonio da Molla e Silva,
em dlnhero. E l se foram para o sertao os po-1 9* noile.
bres horaens sera fazendas e sem dinhelro, porque Todas as mocas selteiras e rapaces solteiros da
freguezia e que estverem presentes.
encanto. quelles que padecen) de aslhma, e se
viram quasi que privados de guardar urna posico
norsontal durante anuos' rateiro, prncipiam res-
pirar com facilidad* e dormem traaqniUamente de-
pois de haverem tomado algumas dses deste deli-
cioso e admiravel xarope. A tosse angustiosa e
violent, as fortes conslipac5es, o sangue dos pul-
moes, a rouquidio e perda da voz. e todas as mo-
lestias do peilo e da trachea, qne tem ama tenden
cia phtysica, se curam prompt e radicalmente,
medante o uso deste remedio suavisador. Fortifi
ca e vigorsa os orgaos da resplragao, e os torna
invulneraveis s mudancas repentinas da tempera-
tura almospheria e como na ana elaborada com
posicao nao entra aem existe otra cousa mais do
que blsamos saudaveis, pde-se por isso mesmo
applicar com toda a seguranca it mesmo s mais
*earas e delicadas creaturas.
Acha-se de venda em easa de Caors & Barbosa e
J. da C. Bravo & C.
COMMEBCIO.
o delegado nao quiz fazer mal ao compadre
Brito, nem aos seus socios ou mandatarios, os taes
cassacos.
Foi a boa pega, que o Sr. Domingos nomeou de-
legado de S. Lourengo. E nao contente com isto,
tendo-lhe chegado a participago offlcial da sua de-
missao pelo vapor de tinte e nove de novembro, en- i
lendeu que nao deveria delxar a presidencia sem
demillir todos os supplentes de delegados e de sub-
delegados, como consta do expediente do governo
com data de trinta do mesmo mez.
Nao estar o Sr. Domingos ocurso no art. 140
do cdigo criminal ?
E para qoe commetteu o Sr. Domingos de Souza
esse acto de leviandade 7 Para satisfazer aos pe-
queninos caprichos do seu cunhado o Sr. Lul de
Caiar, que foi urna das victimas sacrificadas como
instrumento do odio e da vmganga de S. Exc.
A' proposito da ultima exonerago que soffri do
cargo de recrutador geral da provincia de Ala-
goas fez-se hontem circular as paginas d'este jor-
nal um extenso communicado que, invocando este
aclo como o resultado da exigencia de urna suppos-
ta influencia poltica, deixa escapar sinceras pala-
vras de descontentamente para com o governo im-
perial, encerrando-se por algumas refleides em
que transparece o receio de urna provavel violacao
de Integridade do imperio.
Protestando que neohuma parte tive n'essa pu-
bhcago, cujo autor nao applaudio a minha nomea-
gao para o cargo de recrutador dos municipios do
Recife e Olinda por julga-la contraria economa
do es'.ado, corre-me o dever de declarar que, em-
bora as tantas injusticias de que tenho sido victima
c alguma d'ellas preparada pelo mais infame e
prfido ardil de um administrador irrespensavel,
nao compartilho os sentimentos do communicante
quando Jnsioua qne, se as cousas levarem o ca-
mtnho que vao, a separago operar-se-ha cedo ou
larde.
0 ministro que, em attengo um offlcio confi-
dencial d'esse Sr. Domingos de Souza Leao de lio
ngloria recordagao em uossos annaes administra-
tivos, julgou coaveniente exonerar-me do cargo
que exercia u'est? municipio e no de Olinda, lano
se convenceu da injustiga do sea proceder que, na
caria dirigida ao seu honrado successor, formal-
mente o reconheceu, attribuindo o sea aclo exi-
gencias menos razoaveis do sempre lembrado ex-
presidente de Pernambuco. Agum dia farei correr
a publica formad'essa valiossima declarago, que
honrando a memoria do integerrimo conselheiro
Jos Mariano de Mallos, contem o mais insuspeilo
juizo sobre essa infeliz e ominosa administracao de
qne tantos males promanaram para esta provin-
cia.
De novo exonerado do cargo para que fui no-
meado, iraponho-me reserva sobro esse acto do go-
verno imperial, observando apenas que, em 13 dias
de exercicio, julgo nao rae haver desusado da li-
nha dos meus deveres.
Recife, 19 de janeiro de 1865.
1 Francisco Jaoquim Pereira Lobo.
Freguezia de Jaboato, 15 de Janeiro de 1865.
Movo banco de Pernambuco.
O turneo descont na presente semana a 10 por
cento ao anuo at ao prazo de quatro mezes e a 12
por cenlo at o do seis mezes; toma dinheiro a ju-
ros a prazo nunca menor de tres mezes, e saca
sobre a praca da Baha.
Alfaudega
Rendimentododia 1 a 18......... 368:830*617
dem do dia 19................. 41.653*142
410:483*759
Wovlmento da alfandeg a
Urna lagrima por ocrasiSe da prematura morte da! Velones entrados com fazendas... 3-26
Exma.Sra.D. *. F. S. Cavalcanti, desditosacon-
Wle de mea seudissiiuo lio J. F. de Si Caval-
eanti, oDereeida a sua chorosa lilba a Kxina. Sra.
D. Emilia Francclina de Si Cavalcanti.
PUBLICARES A PEDIDO.
HouiciiagciH ao mrito.
SONETO.
Oferecido ao virtuoso e phiiaolropico Illm. Sr. pa-
dre Augusto da Costa Lyra, digaissimo capello
da povoagao de Piles da Parahyba do Norte,
por seu admiradorP. E. O. B.
as lulas da moral sempre constante,
Alcangais a cora da victoria,
Elevando a virtude um co de gloria,
Aos ps calcis o vicio degradante :
Eia, zombai da vida triumphante
Dessa vida fallas, vida Ilusoria :
A vante, que o porvir vos niostra a historia,
Caminhai ao porvir : avante, avante.
Deus patria e liberdade eis a trindade
A' que corvis a fronte esclaricida,
Ornada dos laureis da Eternidade.
No altar de Dos- votis a f sabida,
No altar da patriaa propria liberdade,
No altar da liberdadea propria vida.
lilclco
dos juize8, procuradores, escrives, tbesoureiro e
mordemos que teem de festejar o glorise Sal-
to Amaro de Jaboato noanno de 1866.
joiz por eleigao.
O Sr. Ignacio Francisco Cabral Catanil.
Juiz por devogo.
O Sr. lente Jos Fernandes Monteiro.
Juiz protector.
O Sr. Dr. Jos Elias do Reg Dantas.
Escrivles.
Os Srs.:
Rvd. Flix Jos Moreira da Costa.
Jos Gomes dos Santos Pereira d Bastos.
Thesoureiro.
O Sr. Jos Manoel Gomes Torres.
.Procuradores.
Os Srs.:
Manoel Marinho do Nascimento Valois.
Theotonio Joao da Cunha.
Joaquim Pinto Pereira da Cost.
Joaquim Irino das Chagas Bezerra.
Procurador geral.
G Sr. major Antonio Francisco Paes de Mello Bar-
reto.
Mordomos.
Todos os lavradores e mais devotos desta freguezia.
Juiza por eleigao.
A Exma. sra. D. Maria Amelia de Souza Leao.
Juiza perdevoglo.
A Exma. Sra. D_Catharina Pereira de Moraes.
Juiza Protectora.
A exma. Sra. D. Thereza de Jesns Affonso Mo-
reira.
Escrivaas.
As Exmas. Sras. :
D. Maria tllha do Sr. Dr. Gabriel S. R. da C.
D. Antonia mnlher do Illm, Sr. Figueiredo.
Mordomas.
As Exmas. Sras. :
D. Auna da Silveira Daltro.
D. Fraocelioa Ferreira da Cruz.
D. Mariana da Rocha Bastos.
D. Luiza mulher do Sr. professor Valdio.
D. Felicidade Mana dos Prazeres, mulher do Sr.
Zeferino.
D. Rosa Maria Portella, mulher do Sr. Amaro Por-
tella.
D. Josepba Maria da Conceieao Daltro.
D. Luiza Prisciliana Magalhaes Pereira.
D. Arselina, mulher do Sr. Caetano Pereira de
Britto.
D. Anna, mulher do Sr. Ignacio Francisco Pereira
da Silva.
O vigario, Manoel Esperitao Mumz.
NOITEIBOS.
, 1* noite.
Francisco Xaviertdas Chagas.
r r, 2" noite.
Luiz de Franca Jorge.
Minha lyra, eia, chorosa
Geme, suspira roaviosa,
D9 tristeza solt accentos;
D-me triste
Tristes cantos,
Anclas, ais, carpidos prantos,
Modulem s leus concentos.
Calla a not dos prazeres,
Festivos, magos tancares
Nao desflras d'alegria ;
Lucio s
Lucios dlsfere,
S tristura, hoje tempere
A cordagem da agonia.
Pede ao vento o som gemido.
Da noute em raeio o sido,
Pede flauta o seu bemol;
Pede vlrgem
Seu desmalo,
Ao pudor pede o sosiaio,
Pede o gesto ao por do sol.
Pede a loa o porte, quando
A sombream navens ; brando
A' fontinha o seu gemer;
A' jaruti
Seus quetxumes,
E a saudade os dlros gomes,
Pede magoa o sea doer.
Ao c y preste a sombra escura,
D'essa funrea verdura
Tema, lyra, o sacro horror ;
Dodos threnos
Ao tmulo,
Seus mysierios ponham cumulo
Ao carpir de tua ddr.
Soluga, sim, lamentosa;
Pede a onda quebrangosa
Contra a rocha a sua queixa ;
E o cantar
Do sacerdote,
E a eangao, que o matalote,
Ao deixar a (erra endxa.
Tudo, ludo, que respira,
Lucto, d, queixosa lyra,
Seja agora o teu poema ;
Creps, rumos
Sao as galas,
Que ornamentan) negras salas,
Morte, dr, saudade o thema.
T nao vs alli cabida,
Contra o seio esmorecida,
Triste donzella de dr ? I...
NSo escutas
Seus gemidos,
Que manda aos reos, to carpidos,
A mu reliada, pobre flor? I...
NIo Ihe vs o quente pranto,
Que se debruga no emtanto
De seu rosto a desmaiar ? I...
Nao Ihe ouves
Nos deliquios, '
(Nao sei bem norae, que explique-os)
Mi... oh mi... balbuctaril...
Frouxa lyra porqu cangas?
Nao Ihe vs solas as trangas
Fluctuando? Dizera ddr;
Lyra, attende,
Oirve a coitada
Sua pena inconsolada,
Que a mai perdeu, seu amor.
Mas, onde alvejas, errante,
Na cordagem disonante,
Pobre lyra, nescia e vaa ?
Devaneas;
A linguagem
lema do co; a alagera
Sempre linda : sede christa.
Sim, nos cosmellifluos hymnos,
Harmonlsam-se divinos,
Quando um justo deixa a trra,
E da morte
O negro da,
Que enche a trra d'agonia,
La com Deus, o justo encerra.
Vossa mi, magoada virgem,
Que inda choras na vertujem
Da toriurosa affliegSo,
Era rica
Be virtude,
Caridade, mansuetude;
Foi p'ra os cos coosolacao.
Assim, pois, mais nao chores, que o pranto
Que as faces te vejo rolar,
Lb.es infiltra sen molle quebranto,
J descoras co'o fundo penar.
E pranteas; porque f Eu venero
Essa dr que leu paito soluga;
Mi nao tenhoso diz o sincero
Deplorar, que a tua alma carduga.
Mas, donzella, poe termo aos lamentos
Gemebundos, intensos da ddr;
Da feral querimonia os accentos
J repassam tua alma d'borror.
Cesse o pranto; nem sempre os arbustos
Sorem golpes de rijo tufad ;
Ab 1 nem sempre pallores augustos
Mostra a la dos cos na amplido.
Vossa mal, como a aurora, esvaio-se.
Da existencia na doce manlia ;
Mas que tem ? Se, qual flor, exhaurio-se
La nos cos, ante Deus, loucaa.
Est nos cos, esta seja a lembranga,
Lenitivo de vossa orphandade :
Nao rasgando o velamen do pejo,
Tende, embora, donzella, saudade.
Recife, 19 de Janeiro de 1865.
A. A. Affonso,
(Riograndense do Norte.)
Anacahiiita peitoral de Kemp.
Por meio da poderosa aceito deste remedio irre-
sistiyel, as enfermidades da garganta e dos pulmdes
se dissipam e se desvanecen! como por um mgico
com gneros.
Volumes sabidos com fazendas..
com gneros ...
1,567
133
298
1,891
431
Descarregam no dia 20 de janerode 1865.
Vapor inglezGladiator -mercaduras.
Barca franceza Guilherme ZWdem.
Patacho nacionalPa/mafarinha e mais generas
Patacho inglezBusybacalho.
Patacho inglezM. E. Corming carvo.
Barca inglezaMimosadem.
Barca inglezaIsabella J?id/ej/-bacalho.
Lugre iogtezArthurcarvao de pedra.
Importado.
Vapor francez Guienne, entrado de Bordeaux,
consignado a agencia Tissel freres; raanfestou o
seguinte:
2 caixas pnnd de lindo e chapeos; a A. C. de
Abreu.
1 cala enfeles, vestidos e bijouteria falsa; a
Antonio da Silva Ferreira Santos.
20 caixas sardinhas. 15 ditas qneljos e 1 dita
bijouteria; a Antonio d'Almeida Gomes.
2 caixas mercearia; a Alves Hamburger & C.
1 cala chapelaria. cj
&C.
15 caixas queijos; a E|
1 caixa livros; a Ba
1 caixa artigos de n|
Millachau.
2 caixa drogas, 2 d|
a Braudis.
que de Macedo.
odas e mercearia:
amostras; a Caores A B irbosa.
7 caixas chapeos, bon
e pentes; a Cbrislrani f
t caixa quinquillera
1 caia impressos; ao
leado, etc.; a A. Cambe!!
a B.
las sanguesugas e 1 dita
ts, prepares para chapos
eres.
a C. J. A. Gomes,
cnsul portuguez.
6 caixas chapeos, sedas, tecid'o de dita e la, e
de dita e seda, amostras, ele.; a Carneiro & No-
gueira.
1 caia amostras de calgado e dinheiro; a Ch
Leelere.
5 caixas queijos; a Duarte & C.
1 caia sedas e mercearia, 1 dita artigos de
ptica; a D. P. Wild.
20 barris raanteiga, II caixas ameias, 1 dita
fructas; a Denker Barroso.
1 caia roupa; a D. de Azevedo Leo.
285 saccas com 1,255 arrobas e 29 libras de al-
fodao a Prente Viaona- C.
21 saccas com 121 arrobas e 28 libras de dito;
a Manee! Rieeirede Carvorao.
16 saccas com 101 arrobas e 5 libras de dito ; a
Silva & Alves. '
1,250 meios de sola ; a Dosatagos Rodrigues de
Andrade.
90 saccas com 348 arrobas e 90 libras de algo
do -, a Francisco Gomes de Saltos Jnior.
113 saccas com 742arrobase 10 libras de algo-
do ; a L. A Siqoeira.
1 caixo com 88 1|2 libras de peonas de ema,
20 saceos gomma de auBdioca, 140 ditos com 688
arrobas e 29 libras de algodao; a Jos de S Lei-
to Jnior.
Palhabote nacional Artista, entrado do Aracaty,
consignado a Bartholomeu Lourengo, manifestou o
o seguinte :
5 saccas com 32 arrobas e 3 libras de algodao;
a Gustavo L. F. de Mendonga.
16 saccas com 106 arrobas e 8 libras de algo-
dao ; a Silva & Alves.
37 saccas com 237 arrobas e 13 libras de algo-
dao ; a Francisco Gomes de Mallos.
609 saccas com, 2,630 arrobas e 29 libras de al-
godao ; ordem.
301 saccas com 1,149 arrobas e 6 libras de al-
godao ; a Jos de Sa Leilo Jnior.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
AtITA DOS PREgO DOS GENEBOS SU1EITOS A D1RE1T0 DE
EXPORTAgAO.SEMANA DE 16 A 21 DO MEZ DE JA-
ZEMBRO DE 1864.
Mercadorias. Unidades. Valores.
10 caixas tecdo de la, calgado, modas, confec- dem de araruta .
Laport.
artigos
ges, etc.; a E. A. Burle C.
1 caixa tapeceria; a E. Bourgeois.
1 caixa papel, quadros, etc.; a E. Mauricio.
3 caixas e 1 pacote objoclos de sirgueiro, tecidos
de seda, confecgdes, tecidos, amostras; a F. Sauva-
ge& C.
2 caixas tecido de la, de seda, vestidos de dita,
e peonas de ac; a Ferreira Si Araujo.
1 caixa raiximbos e flores; a F. Mautraly.
9 caixas agoa da vida e licores; a F. Gautier.
2 caixas obras de serralbeiro, 1 dita louga lina;
a F. Dubarry.
2 caixas frnctas; a T. Gomes de Oliveira
Sobrinho.
3 caixas calgado, mercearia, e confeoges; a F.
dos Santos Porto.
1 caixa amostras; a Ferreira & Matheus.
5 caixas vestidos, mercearia, objectos de sirguei-
ro, sedas roupa feita; a Henrique & Azeve-
do. \
2 caixas mercearia, fazendas de llnho; a liman
Magnin.
2 caixas queijos, 86 ditas vinho; a Joao da Silva
Faria.
1 caixa livros; a Jos Suriano.
1 caixa amostras; a J. P. da Fonseca.
1 caixa livros: a Jos Joaquim de Lima.
1 caiva imagens, 1 dita sementes; a J. C. Bastos
de Oliveira.
40 caixas queijos; a Jos M. da Rosa.
1 caixa gumo de grazelha; e J. S Cahors.
3 canas mercearias, alfaias; a J. Q. Aguiar.
1 caixa sanguesugas; a J. A. Pinto Serodo.
1 caixa quioquilliaria ; a Jos Pereira Mouli-
nbo.
17 volumes tecidos de algodao, rendas de seda,
livros para escriptorlo, confeegoes de la, chales,
sedas, e presuntos; Joao Keller & C
1 caixa saceos ; a Joao da Silva.
1 caixa amostras diversas; a J. B. dos Reis.
8 caixas tecidos de algodao, de seda, mercearie,
luvas, tecidos de la, relogios, marcas, etc.; a
Leadin Wild & C.
5 caixas relogios e bijouteria; a Lehmam
freres.
1 caixa amostras e tecidos de algodao; aos
agentes.
i caixa pianno; a
2 caixas tabaco e
Siqueira.
1 caixa bijouteria falsa, e amostras
a L. Pereira Lima.
10 caixas calcados, i dita queijos; a Manoel
& C. ,
1 caixa sedas ; a Manoel freres.
170 caixas queijos a Tasso Ipmaos.
35 caixas vinhos, 1 dita amostras; a Thomaz
Jofferies.
i caixa fazenda de la e roupa feita; a Tissel
freres.
16 caixae vinho, 8 votamos chapos, mallas de
viagem ; a T. T. Bastos.
3 caixas machinas, tecido de algodao e amos-
tras ; a T. Christianin.
40 caixas bagias; a Thomaz de Aqnino Fon-
seca.
3 caixas chapos de sol, tecidos de seda ; a Tho-
maz A. Dammayer.
1 caixa mercearia; a Mello Lobo & C
3 caixas confeegoes e tecidos de la ; a Monbard
Si C
8 caixas chapos, sedas, chapeos de palha, ditos
de seda, bijouteria falsa, livros, rendas, confeegoes
etc.; a Monteiro Lopes & C.
65 canas queijos, 1 dita sedas; a N. O. Bieber
K
12 caixas vinho, 4 ditas livros, obras, de culele-
ria, malla de viagem; a OsmiB Laport.
1 caixa salcbixas e presuntos; a Sohafheitlim
ve C '
120 caixas queijos, 10 ditas tecidos, ditos de
seda, calcado, confecgdes; a ordem.
50 caixas queijos; a Palmeira & Beltrad.
1 caixa agua mineral; a Pereira Carneiro
& C
1 caixa figuras e rendas; a Prente Vianna
& C.
1 caixa drogas; a Maurer & C.
80 caixas vinho, 3 ditas sanguesugas; a Ramos
e Silva & Genros.
20 barris vinho tinto; a Sthaffter ck C
1 caixa dito, 3 ditas artigos de modas crvstal,
etc; a Vaz 4 Leal.
32 caixas queijos; a Vicente F. da Cost.
Barca ingleza IzabeUa Redly, entrada de Terra
Nova, consignada a Saunders Brothers & C; ma-
n festn o seguinte:
,980 barricas bacalho e 18 meias ditas dito;
aos mesmos.
Vapor nacional Mamianguape, estrado do Araca
ly, manifestou o-seguinte :
Abanos......... cento
Agurdente de cana..... caada
dem rcstilada ou do reino
dem caxaca.........
dem genebra........
dem alcool eu espirito de agua-
ardente.........
Algodao em carago..... arroba
dem em rama ou em la. *
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado.....
dem branco........ c
dem refinado. ......
Azeite de amendoim ou menda-
bim......... caada
dem de coco....... >
dem de mamona..... >
Batatas alimenticias..... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... >
dem fina........ >
Caf bom........
dem eseolha ou restolho ... >
dem torrado....... libra
Caibros......... nm
Ca'........... arroba
dem branca..... >
Carne secca (xarqne) ....
Carneiros ........ um
Carvao vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas .... >
Cha.......... ,
Charutos........ cento
Cevados fporcos)...... nm
Cocos (seceos)....... cento
Colla......... ubra
Ceuros de boi, salgados ... t
dem idem seceos espichados.
dem idem verdes..... >
dem idem cabra cor ti dos. um
dem idem de onga..... >
Doces seceos....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda...... >
Espanadores grandes nm
dem pequeos....... >
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional...... arroba
1500
800
800
400
800
900
55500
22,5000
15500
ifooe
15850
33100
55120
25000
'15600
800
I52OO
35OOO
73000
75*00
65000
440
360
280
500
:I3200
45OOO
13000
Farinha de de mandioca.
alqueire
arroba
c
um
arroba
1
urna
arroba
de moda; a L. A.
de tecidos;
Feijao de qualquer qudlidade.
Frechaes.......
Fumo em toiha, bom .
dem ordinario ou restolho .
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho .
Gallinhas.......
Gomma........
Ipccacuanha (raiz).....
Lenha em achas...... cento
Toros.......... ,
Linhas e esteios....... nm
Mel ou melago....... caada
Milho.......... arroba
Papagaios........ um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada...... nm
Pedras de amolar..... una
dem de filtrar......
dem de rebolo...... ,
Piassava......... molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos ......... cento
Pranchocs de amarello de dous
costados........ um
dem de louro....... >
?aP.......... libra
Sabao.......... ,
5a} .,: ;..... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama...... ,
dem em velas....... >
Sola em vaqueta...... urna
Taboas de amarello..... duzia
dem diversas....... ,
Tapiocas......... arroba
Tatajuba......... quintal
Travs......... gmj
Unhas de boi....... Cento
Vassouras de piassava. ... *
Ditas de timb......
Ditas de carnauba
300
30
13500
2550
135000
45000
600
150
240
10
350
105000
15000
320
500
45000
25OOO
155000
15600
25OOO
45OOO
25500
55OOO
145000
85000
85000
55000
600
2550O-
255000
2500O
115000
85000
240
900
35000
5500O
800
45000
I5OOO
120
35500
Vinagre..........caada
205000
105000
15000
120
400
255000
55OOO
75000
25800
1405000
875000
3500
25000
65000
200
IO5OOO
85000-
65000
500
Altandega de Pernambuco, H de janeiro de
1865.
(Assignado): ~
0 1. conferente, Antonio Carlos de Pinito Borges
O 2." conferente Jos Maria Cesar do AmaraL, '
Approvo. Alfandeg de Penabuco, 14de
dezembro de 1865.A. Eulalia.
Conforme.O 3. escriptarario, /00o dos Santos
Porto.
Recebederla de rendas Inter-
na! geraesde Pernambuco.
Rendimento do dia 1 18.........11:1185974
3535158
dem do da 19.
11:4725132
MOYIMElvrO DO POBTO
:-----------
Navios entrados no dia 19.
Terra-Nova-31 dias, brigue inglez Talbot de 19
toneladas, capito Damel Puti, equipagem 12
carga 2,470 barricas com bacaJhu; a Johnston
Pater & C
f erra-Nova-38 das, brigue inglez Jane, de 237
toneladas, capito Daniel M. Niel, equipagem 14
carga 3,370 barricas com bacalhu; a Johnston
Pater & C
Gla*glon-35 dias, brigue inglez OUIto, de 17J
toneladas capito J. Glas, equipagem 12, carga
carvao, Jehaston Pater AC. ^^
Sabido no mesmo dia.
Canal Brigue Inglez Lothian, capito Joba
Lewcock, carga assucar.
CanafPatacho bonovenano Jacobus, capito J. X
Wegner, carga couros.
ParahybaVapor brasileiro Conselheiro Parananu
coramandante Augusto Cesar de S Pereira.
Rio de Janeiro-Barca brasileira Rio de Janeiro
capito Luiz Gongalvee de Figueiredo, carga
assucar e 24 escravos a entregar.
Observacao.
Suspendeu do lamario para Maranbo a galera
portuguea Adamaster, capito Jos Viegas dos
Santos, eom o mesmo lastro que irouxe do Rio-
de Janeiro.
EDITAES.
Perante a cmara municipal desta eidad
estro novamenle em praca nos dias 21 e 28 do
crreme com o abate da quinta parte para serem
arrematados por tempo de nm anno, por qnem
matsofferecer, os impostes seguinies : dizimo do

;



HBBHHmhmbmhbhbi
wmBB*matamammmm0mmmmmmmm*H
Biari e rcrnsmhttt* ** Be%i* Mr to le #an*irtf de I (9 ta



capim de planta avahado por 800*800 rs., gado
suiuo por 5*600, a gado veibuin por 1*636: os
Salendantes podara comparecer nos mencionados
as eom seas fiadores habilitados na forma da le.
Paco da cmara municipal de Olinda 11 de Ja-
neiro de 1863.
Joaqun Caralcanti d Albuquerque
Presidente.
Marcolino Dias de Araujo
Secretario.
O Dr. Tristo de Alencar Aranpe, official da im-
perial ordena da Rosa, e juiz de direito especial
do comraercio, nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco, por Sua Magestade
Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro M,
quera Deas guarde etc.
Fago saber aos que o presente edltal virem e
delle noticia tiverera que no dia 13 de fevereiro do
anno prximo vindouro, se ha de arrematar por
renda quem roais der em praga publica deste
joiso o eseravo seguinle :
Amaro, crionto, representa ter 14 16 annos de
idade, sera defeilo algn?, avaliado por nm cont
o quinhentos mil ris, o qual lora penliorado por
execucao de Joaquim Elviro da Silva, contra o te-
nenie-coronel Francisco Santiago Ramos.
E nao havendo lanzador que cubra o prego da
avaliago, arrematagao ser feita pelo prego da
adjudicago na forma da le.
Secretaria da ttteeotrraria provincial de Pernam*
buco 19 de Janeiro de 1863.O secretario,
A'F. d Annonciago.
Delegacia de polica do primeiro districlo do termo
da cidade do Recife 18 de jneiro de 1863.
Quem tiver direito sobre o menor Manoel, r
preta, que diz ser Irvre, nao existirem seus pais e
haver deixado certa casa aa Boa-VL-ta, onde era
maltratado, comparega aesta delegacia para, pro-
vando quanto baste, ser-lhe restituido dito menor,
que foi encontrado a vagar pelas mas da fregu-
zia do S Fre Pedro oncalves, na noite dtf lion-
tem. O delegado,
L. A. Mamas Pereira.
Consulado prorhieial.
Pela mesa do consuado provincial se faz publi-
co que no dia 10 do corrate se principiara a con-
tar os 30 dias atis marcados para a cobranca
bocea do cofre do anno fraanceiro vigente do im-
postes de 4 Ojo'sobre casas em que se acharera
estabeleclmentos de cemmercio fra da cidade do
Recife, prensas de algodao, typographias, cochei-,
ras, botequtns, hoteis, casas de pasto, cavaltarices
e fabricas, de 8 0[0 sobre consultorios medicse
clrurgicos, cartorios a escriptorios.de 20 0|0 sobre
estabeleclmentos de commercio em grosso e a re-
tallio, armazeos de recolher, e os trapiches, de
30* por casa de bilhar e modas, de 100* por casa
que vender roupa feita no esiraageiro, de compra
*Vi<
caso, segunda qaandd Vencida metade do prazo dor n. 23, eom 4 carros de 4 rodas ein bom cst*
do contrato, e a terceira linda o dito prazo. do, 1 berlinda quasi nova, 20 cavados de servigo,
8 8. Os voluntarios da terceira elasse recebe*i arret, estiva, mangedora e mais pertences da
rao urna tersa parte do premio respectivo logo que! mesma coeheira, as fl hora do da cima dito, na
techara assentado praga, outra terga aarte no flm
do'primeiro anno de servico, e o restante fiado o
prazo de sea alistamento.
| 3.* Os premio dos imperiaes marinheiros e o
das pracas do batalhao naval se rao abonadas como
os dos voluntarios da terceira rlasso.
S 4.a Os premios devidos pelo alistamento de
menores paras as eompanhias de aprendlzes mari-
nheiros serlo pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos ditos menores.
Ari. 21. As gratifieagoes que competem aos vo-
luntarios que directamente se alistarem no servico
da armada, sero pagas conjuntamente eom a prl-
rneira prestacao do premio respectivo.
O secretarlo da capitana.
ecio de Aquino Fonceca.
h para que ebegne ao coobecimento de todos e venda de escravos, de corretores eommerciaes e
an_A,-?a.ssSL_0. Sresw!te. fl?6,sera publicado pela agentes de leilao, de 1:000* sobre casas de opera-
edesbaocariascom emisso e-previlegios, de 600*
pelas ditas eom emisso e sem previlegios, de 400*
: pelas ditas sem emisso, eompanhias anonymas e
agencias, de 200* pelas casas de cambio, de 30*
, pelos escravos empregados no servico de al vren-
las, ae i* por tonelada de alvarenga e canoas
abertas, de 20* por cada bote ou saveiro, de 30*
por cada balieira, de 10* por escravo ganbador ou
erapregado em servico de transporte ou em arma-
imprensa e afflxado no lugar do eos turne.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aes 19 de dezembro do anno do nasci-
mento de Nosso Senhor Jess Chnsto de 1864.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Naiqraento, es-
crivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe,
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da iml
perial ordem da Rosa, juiz de direito. especia
do commercio, da cidade do Recife e seu termol IenS( de m m cava(lo de seNa de a|L,gUe|, de
P0 s*e8e*ad.e I,0.P*,al e Constituciona, ^ por cavallo partcular, de o 0|0 pela venda de
o Sr. D. Pedro II, quem Dos guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem,
e delle noticia tivercm que a requerlmenlo de P.
J. Foulkes tora rescendido a concerdata de Cami-
nha & Filnos pela senlenga do theor seeumte :
Vista a materia da petico de folhas919, na qual
expoe o supplicanle Pedro Joo Foulkes que os
supplicados Vicente Ferreira dos Santos Caminha,
capim e o imposto de carros, carrocas e mnibus,
e tambem o Io semestre do de 20 0|0 do consumo
de agurdente das freguezias desta cidade e dos
Afogados, S. Lourenco, Santo Amaro de Jaboato,
Muribeca e Varzea, ucando sujeilos a multa de 6
0|0 sobre os seus dbitos depois de (indo o dito
, praso.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
Manoel Ferreira dos Santos Caminha e Alexandre 7 de ;anero de iggg
faa? Iida Caminha & Filhos nao cumpnram a concorda-1
ta que llies foi concedida por seas redores na fr- f mil.-uii.i iln nnrtn do Piwii'iniliui-a I \
na do aato de ralbas 600, e mostrndose pelo do- ^pildnia UO BOriO tte nOTIMMCt, 14
cumento a folhas 929,que eom effeito a concorda- de jaillM l'O (10 1000.
ta nao foi eumprida, deixando'osuppcante de ser Em vista das circunstancias melindrosas em que
pago na forma coovencionada eom falta de boa fe se acha o paiz, sendo necessario que todos os bra-
preaizo domesmo supplicaate ; julgo rescind-' sileiros, concorram para a sustentaco dos brios e
do a concordata, e mando que sejam os credores dignidades nacionaes. compromeitidos na guerra
convocados nos termos do art. 139 do regulamento cora as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
n. 738 para se tratar da formago do contrato de. o Illm. Sr. capito do porto, em virtude do que Ihe
uniae ou de nova concordata, devende a reunio j foi determinado por S. Exc o Sr. ministro e secre-
ter lugar no-dia 18 de outubro do corrente anno tario de estado dos negocios da marinba, convidar
pelas 11 horas da manhaa na sala dos auditorios! nao so aos matriculados, como a todos os cidadaos
para o que se expedirao editaes conforme o art. 1 que se queiram alistar na qualidade de voluntarios
135 do citado regulamento. O curadores fiscaes! para armada, a so apresentarem nesta capitana
j nomeados reassuroiro as suas funecoes re- nos das uteis das 9 as 3 1|2 horas da tarde,
querendo o que entenderem bem da massa fal- Outro sim, sao igualmente convidados os indivi-
Jida, que pagar as custas. dos que tiveram baixa do servico naval, a alista-
Recife, 23 de junho de 1861.Tristo de Alen- rem se por um anno ou mais, (garantndose-lhe
car Araripe. nao s as respectivas escusas, logo que terminem
E mais se nao continha em dita sentenca ; mas os seus contratos, mais anda os premios Gxados na
nao tendo os curadores fiscaes reassumido os seus lei, para os que voluntariamente procurara o ser-!
cargos pdr se haverem recusado, assim como ou- vigo da armada, e bem assim urna gratificagao \
Iros credores que foram nomeados, ficou a mes- mensal, igual a metade dos solos, que percebiam '
ma curadora affecta ao Dr. promotor publico, que na occasib era qoe obtiveram baixa.
prestou o devido juramento, e devendo-se proceder As vantagens e condiegdes para o alistamento se-
a nomeaco de depositario da referida massa,, sao rao as estabelecidas pelas inslrucgoes que baixa-
pelo prsenle convocados os respectivos credores rara eom o decreto n. 1591 de 14 de abril de 185o i
a comparecerem na sala dos auditorios no da 19 que sao as segulnles :
do corrente mez s 11 horas da manhaa, e para Art. 12. Distinguir-se-ho seis classes de volun-
que tenlia lugar as diligencias proscriptas no art. larios :
139 do regulamento n. 738, cima indicadas, sao, 1." Dos individuos que quizerem servir na raa-
os mesmos credores convocados pelo presente a rinhagem sem lempo determinado ;
romparecerera no mesura lugar no dia 20 de feve-! 2.' Dos que se quizerem contratar para servir
reiro do anno prximo futuro pelas ditas horas ; na marmliagera por tempo determinado ;
advertindo, porm, que nenhum credor ser ad- 3.* Dos que se prestarem servir na raarinlia-
mittido por procurador se este nao tiver poderes gem os prazos estabelecidus no artigo 3." do decre-
especiaes para o acto, e que a procurarao nao po- to n. 1166 de 2o de outubro de 1834, e que esc-
dela ser dada a pessoa que seja dovedora aos fal- sam o nacional do'servieo militar;
lidos. nem um mesmo procurador representar por 4." Dos que quizerem ter praca no corpo de im-
dous diversos credores; outrosim que serao unido' periaes marinheiros.
aos volo> da raaioria dos credores presentes, os dos 5." Dos quo se destinarem para o batalhao naval,
credores que que deixarem de comparecer. 6." Dos aprendizes marinheiros.
t para que chegoe ao conhec.imento de todos Art. 13. Os volunlarios das diflerentes classse
ser o presente publicado pela imprensa e alixado definidas no arligo antecedente deverao ter os re
na forma da lei.
Cidade do Recife de Pernambuco, aos 15 de
outubro de 1864.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIBA
DR
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at o da 21 do corrente o va-
por locanlins, commandante Pe-
ro Hypoliio Duarte, o qual de-
os da demora do costume segui-
r para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendase dinheiro a frete ateo diada saludis 9
horas, agencia ma da Cruz n. 1, escriptoro de
Antonio Luiz de Oljveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
Mavegaf So csstelra a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Gear
e Acarac.
No dia 26 do corrente s 3 ho-
ras da tarde segu um dos vapo-
res para os portos indicados. A
carga ser recebida at o dia 25
'ao meio dia, acompanhada dos
respectivos conhecimentos, encomraendas, passa-
re*4rida coeheira,onde poderlo os pretedentes
examinan desde j os objectos snpra raencio-
nados.
Leilao
. De urna magnifica victoria que conduz 2, 3 ou
4 pessoas, para ura ou dous cavallos, arreos para
os mesmos e ama excedente parelha de cavallos
alazSes moito gordos e nevos.
Segundarfelra 13. cto corrente.
Pelo agenta Pestaa, aa ra do Vigario n. 9, s
11 horas da manhaa.
LellSo de nobllla e escravos
Segunda-feira 23 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado por
pessoa que se retirou para a Europa vender toda
sua mobiha constando de mobllia de Jacaranda,
camas de armago e franceza, guarda roupa, com-
modas, cadeiras, toilette, jarros, castigaos, mangas
eom jarros de flores, mesa elstica, rico piano de
Jacaranda, algumas mugas eom apparelho para
cha muito rico, diversos objectos de porcelana, al-
catife e muitos outros artigos.
A escravacrionla Eugenia, idade 30 aooos, boa
flgura, cora nma cria de 4 annos, disposta para to-
do o servigo, lava, cosinha e eogomma bem. NI-
cacia crioula, idade 23 anuos e 1 cria de 6 annos,
engomma, cosinha, cose, faz labyrintho, marca tu-
do cora perfeico e tambera corta seu vestido, l
escrava idade 30 annos eom l criada l anno, co-
sinha a lava. Todas escravas de boas conductas
proprias para quem quizer flear bem servido.
O leilao ter lugar segunda-feira 3 do corrente
pelas 10 horas da manhaa na ra do Vigario n. 9,
segundo andar. _________^___
Lello de movis.
Martins fara leilao de urna rica mobilia de Ja-
caranda cooslando de 18 cadeiras da guarnico, 4
ditas de bragos, 1 sof, 2 consolos e urna mesa de
meio de sala, I excedente piano novo, 1 cama
franceza da Jacaranda eom cortinados, t toucador
de dito, 1 lavatorio de dito eom jarro e baca da
porcelana, 2 guarda vestidos deimarello novos, 1
guarda roupa de mogno, 12 cadeiras de amarello,
1 sola de dito, 1 guarda louca da dito, ura apara-
dor de dito, 2 coraraodas de' dito, i quartlnhetra
de amarello,ricos jarros de porcelana, i candela-
bro, 2 sorpeotinas, diversos enfeites para touca-
dor, 1 apparelho de porcelana para jantar, 1 dito
geiros e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da de ditopara almogo, ulheres, garrafas, copos e
sahida : escriptoro bo Forte do Maltes n. i.
P Pretende sahir oestes quatro dias o patacho hra-
sileiro D. Luiz : quera no mesmo quizer carregar
carne ou outro qualquer genero a frete commodo,
pode dirigir-se aos consignatarios Palmeira & Bel-
rlo, largo do Corpo Santo n. 4, prfmeiro andar.
Para a Baha
Pretendesegnir eom brevidade a sumacaHor-
tencia, tem parte de seu carregamento prompto
parao resto que lh falta trata-se eom os seos
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevede
& C, no seu escriptoriorua da Cruz n. 1.__
Para a Bahia pretende sahir em poucos dias
a veleira escuna Elisa, capito Belmiro Baptista
de Souza, tem a maior par'eda carga tratada, para
o pouco que Ihe falta trata-se cora os consignata-
rios Palmeira & Beltro, largo do Corpo Santo n.%,
primeiro andar.
Porto por Lisboa.
Pretende seguir eom brevidade a muito veleira
barca portugueza Corea, por ter grande parte da
carga engajada, paro o. resto e passageiros aos
quaes offerece os medrares commodos: trata-se
cora o consignatario T. de Aquino Konseea Jnior
na travessa da Madre de Dos n. a, primeiro an-
dar, ou eom o capito na praca.
Rio de Janeiro
O patacho Valente a seguir era poucos dias, re-
cebe carga miuda e escravos a frete : trata-se
eom os consignatarios saranes, Barros & C, largo
do Corpo Santo n. 6.
LEILOES.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimenlo, escri-
vao o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, efflcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
quisiios segrales :
1." Classe.Os que se alislarem para a marinba-
gem sem lempo determinado, devem ser fortes,
saos, acostumados a vida do mar, ou pelo menos
capaces de servir na praca de grumete.
2.* Classe.Os qqe se contrataren) por prazos de-
terminados, de um a tres annos, devem ser fortes,
saos, e acostumados a vida do mar.
3.* Classe.Os que se conlratarem para servir
na marinhagem o prazo de seis ou de oito anno?,
Leilao de urna e mi terrea nova e lili -
cada em chaos foreiros na ra do
Socego ii cu ni 2 salas, 2 qaartos,
outros vidros de gosto, diversas pegas de prata no-
vas e asadas, 1 machina de costura fina e outra
que serve para coser obras grossas.
Na mesma occasiao vender
urna rasa terrea dividida em 2 que rende 225
mensaes na ra Imperial n. 260, e 5 partes de
outra casa na ra da Roda n.f,l8.
ierra-fi'ira 2i de corrate
Na ra do Queiraado n. 6, segundo andar.
Leilao de 20 barris eom touci-
nho de Lisboa.
Terga-feira 24 do corrente.
O agente Pestaa vender em leilao por conla e
risco de quem pertencer de 20 barris eom touci !
nho de Lisboa era lotes a vontade dos comprado-
res : terga-feira 24 do corrente pelas 10 horas da
manhaa no arraazein do Annes defronle da al-
fandega.
Leilao de madeira.
Terga-feira 24 do corrente.
O agente Pestaa vender por eont e risco de
quem pertencer porcao de madeira tendo algumas
travs, tudo no estado era que se acha, n > largo
do Forte do Mallos: terga-feira 24 do corrente pe-
las 12 horas da raanha.
C4SA D4 FORTUNA
AOS 6:000,000
JUilheces garantidos
A' rit i Crespa a. 23 e casas Ae eostan
O abajxoud'gnado venden nos seas muitofeli
zes bilhelesgarantidos da lotera, que se acaban
de extranir a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia, os segulnles premios:
Um quartos n. 1992eom a sorte de 6:0003000
Dous quarto n. 916 eom a sorte Ae geojkiOO. e
E outras muitas sortes de' 200*, 100, 40*
205000.
Os possuidorespodem vlr receber sensrespec-
ivos premios sera os desconlos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespn. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da
decima primeira lotera a beneficio da mariz
da Bia-Vista, que se extrabir no dia 20 do
corrente.
Precos.
Bilbetes inteiros..... 73000
Meios......... 3*500
Quartos. .... IJOOO
Para as pessoas que comprarem
de 100A para cima.
Bilhetes....... 6*30*
Meios........ 3525
Qaartos. ..,..,. 15700
. itfq*o MUDANCA.
Manoel Ferreira Pinto Malheiro mudou a su
loja de ourives da rna das Larangeiras para a mar
do Cabug n. 2 B, onde espera continuar a mere-
cer a candanga de seus amigos, e do publico em
geral. ____
Precisa so de urna ama para cozinhar econr
prar : na ra das Cruzes n. 9, segundo andar._
Aluga-se a coeheira da ruada Roda n. 56 :
a tratar na ra larga do Rosario n. 34, botica.
Aluga-se a casa terrea da ra do Socego n.
Seo segundo andar do sobrado da roa do Rangel
n. 7j^a tratar na taberna no mesmo sobrado.
= Aluga-se duus grandes armazens no Forte
do Mato eom a frente para o caes e o fundo para
a ra da Moada: a fallar na ra da Cadeia Velba
armazem n. 66.
Joaquim Reso e sua asaban subditos ingle-
zes, levando em sua companhia um criado subdi-
to francez, vio para a Europa no vapor inglez
i Magdalena.
Desappareceu na terga-feira 17 do corrente1
as 10 horas do dia, da ra Uireita n. 6, um papa-
gaio : quem o apauhou leve referida casa, que
se recompensar eom 35200.
Ama
Por traz da matriz de Santo Antonio n. 28, se-
gundo andar, precisa-se de urna ama que cozinhe
e engomme.
Salsa parrilha de Ayer
para a cura da
ESCROFUIaA
e todas as molestias
provenientes dekla
\y
todas as molestias da
pello
ehensipcllas, tnmerrs, nleeraj,
sarnas,
naseieas, emuioaeas,
REUMATISMO
SVPHIIilS
em todas as suas formas, assim como- iodo
o mal que provm do uso exeeasivo do
MERCURIO
Llceraco do ligado
e em summa todos os males que lem sua
origem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVAgO DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j;i
enfraquecido pela doenga.
Vende-se na ra Direila ns. 12 e 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernamboeo:
na pnarmaela francesa de
P.T/IAU3ER & C.
RA NOVA N. 18.________
Precisa-se de urna ima para cozinhar : aa
ra do Imperador n. 37.
Preeisa-se alugar urua cozmheira forra ou
escrava, e que saiba comprar : em Santo Amaro
junto a undigao do >r. Starr.
Precisa-se de orna ama para enfiomiMdo,
para casa de pouca familia : na ra Direila n.
112, sobrado.
Precisase de urna ama de leite sem ilito :
a tratar na ra Augusta n. 24.
mi
O baeharel
Francisco Angasto da Cosa
kVTSBADO
AVISOS DIVERSOS.
O Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de
Druramond, antigo advogado neste foro, contina!
no exercicio de sua profisso, na ra do Impera-
dor n. 43. primeiro andar, OBde pode ser procura-
do todos os dias uteis, das 10 horas da manhaa as
4 da tarde.
O alferes do 7o batalhao de infamara de li-
nha Bernardino Vieira Rabello, leude de embar-
car no primeiro vapor para o sul, faz o presente
annuncio, scientilicandoao respeilavel publico JBjBBCI
Que peehinena
Ura sobrado de um andar por 255 na ra Im-
perial o. 116, pintado e forrada a sala de novo : *
tratar na ra Direila n. 127, taberna, ou Cinco
Postas n. 23, primeiro andar, das 6 as 8 horas, e
da-j 4 em diante.
Des^ja-se fallar cora os Srs. Joo Chrisosto-
mo de Albuquerque, de Pedras de Fogo, Jos Joa-
quim Correia da Luz, do engenho Cajueiro, ou
julga nada dever, porm se alguma pe=soa se jul-i cora quera fuer sua vezos nesia pnca : do es-
gar seu credor, pode dirigir-se ao quartel das Cin-! criptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
co Ponas, onde est assistindo.
Roga-se ao Illm. Sr. Domingos Jos Rodri.
guesqueira vira ra da Cruz n. 33 receber urna
encommenda que veio do Rio de Janeiro.
Constitucional o Senlior D. Pedro II a quem Dos #m conformidade do artigo 3." do decreto n. 1466
O abaixo assignado pelo presente previne aos
aceitantes das letras que vo adianle cleclacadas,
que as nao paguen), nem fagam qualquer outra
transaegao, visto ter o mesmo abaixo assignado
perdido a sua carleira de algibeira, quaudo indo
cobranca levo de passar da estago de Frexeiras
a da.- Cinco Ponas, tocando em algumas interme-
dias o tendo maior demora na da Boa-Viagem : 2
tetras aceitas pelo Sr. Antonio Peregrino Cavalcan-.
ti de Aibuiuerque, em 11 de abril de 1863, venci-
das no 1" de novembro do mesmo anno, sondo urna
de 8075527 e a outra de 625215 ; duas aceitas no
mesmo dia 11 de abril de 1863, pelo mesmo Sr.
. Antonio Peregrino e Francisca de Assis Oaval-
COSinha lora, CaClUla C qUIUlal mu- caon, sendo urna de 1:0005 vencida era 8 de de-
rado, a ual rende 2>' mensaes. zem'ir? dV 2fl 5 ,U'J? dhe 1:tl-759 vencida
' r^*. warV em de dezembro de 1864 ; bem como urna outra
IInF I'i aceita em 13 de marco de 1863 pelo Sr. Francisco
Por interveogao do aguate Pinto, na praca do Seraphlco de Assis Vasconcellos e vencida em 13
Comraercio em frente a casa dos Srs. Palmeira i de dezembro do mesmo anno, da quantia de tiO-5 ;
& Beltrao. Os pretedentes podero desde j exa-l sendo todas estas cinc" letras sacadas por Jos
Precisa-se de ura armazem pequeo para
recolher fazendas : na ra da Cadeia do Recife
n. 18.
guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem o
delle noticia tiverem que no dia 6 do mez de feve-
reiro, do anno prximo vindouro tar por venda a quem mais dr, em praga publica
deste juizo, depois da audiencia respectiva, duas
pipas eom vloho Figueira, avahadas em 2305 cada
ma, as quaes sao pertoncentes a Jos Ribeiro da
Cunha Guimaraes, e vaa a praga por exeeugao de
Campiano A Cordeiro. E na faifa de licitantes ser
de 23 de Outubro, devem ter os requisitos dos da
segunda classe, excepto a pralica da vida martima
que poder ser despensada eom a clausula que
adiante ( artigo'16) se expressa.
4.* Classe.Os alistados para o corpo de impe-
riaes marinheiros devem ser cidadaos brasileiros
de 18 33 annos de idade, ou at 40, sendo homens
dojnar; fortes, saos, e capazes de todo o servigo.
o." Classe.Os alistados para o batalhao naval
devem ler 18 at 43 annos annos de idade, e os on-
minarem a dita esa.
Leilao de iraportautes dividas.
Martins levar novamente a leilao as dividas
a arrematagao feita pelo prego da adjudicago eom tros requisitos da quarta classe.
o ahatimenlo respectivo a lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
madei fazer o presente edital que ser- afflxado
nos lugares do costume e publicados pela ira-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 12 de dezembro de 1864.
Todava poderse ha admillir alguns estrangei
ros mediante previa autorisago do governo.
6.* Classe.Os aprendizes marinheiros devera
ser cidadaos brasileiros, de 10 a 17 annos de ida-
de, de constituigo robusta, e apropriada vida do
mar.
Poder-se-ha tambem admittir menores de 10 an-
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri- nos, que tenham suficiente desenvolvimento phy-
vo o escrevi.
Trslao de Alencar Araripe.
DECLABAEOES.
'ilxa filial do banco do Brasil
em Pernam nuco,
14 de Janeiro de 1863.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de -ebaslio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rataio Ibes toca da venda de
es, que segundo a
para seren vendidas
Ignacio Nunes Correia.
De ordem da directora desta mesma caixa se
faz publico aos senhores accionistas que o respec-
tivo thesoureiro est autorisado a pagar o 22. di-
videndo de 105 por aego.
0 guarda lvros,
{Ignacio Mues Correa,
le ordem do Illm. Sr. inspector da tbesou-
e fazenda desta provincia se faz publica que
tica novaraente marcado o dia 2o do corrente, as
i lloras da larde, para ser arrematada a quem por
menos fuer, a obra de ura pequeo lango de caes
Reiiife ao caes do passeio publico ; o orcamento e
cimificOcs sero mostrados na mesma thesonraria
aos pretedentes : as pessoas a quem convier a
sbredita arrematagao, deverao conparecer na
111 -srna thesouraria no dia e hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
oambucoem 18 de Janeiro de 1865,-Srvlndo de
oiliial-maior, Manoel Jos Pinto.
Con seibo administrativo.
u conselfea administrativo-para fornecimento
do arsenal de guerra precisa comprar os ebjecos
seguintes :
Para o 9 batalhao de infamara.
8 cornetas eom boccal, pontos e voltas.
4 eordes para aa ditas.
32 ditas de loa para canudos de infartares.
10 jogos de malas de sola eom fechada.
(Juera quizer vender laes artigos aprsente suas
riropostas em carta fechada na secretaria do coose-
ilio administrativo, s 10 horas da manhaa do da
20 dn corrente.
Sala das sessoesdo conselho administrativo para
forneciraento do arsenal de guerra 16 de Janeiro
de 183.
Antonio Pedro de-S Brrelo,
coronel-presidente.
Srbastiao Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Pela toesoararia proviucial se fax publico,
que a arreraatagp da obra da conclusao do raio
sico para os exercicios do aprendisado.
Art. 14. Os voluntarios da primeira classe perce-
bero os sidos concedidos pelo arligo 1 "do decre-
, to n. 1466 de 23 de outubro, mas nada recbenlo
a titulo de premio ou gratificagao.
Ser-lhes-ha declarado, e xpressado nos seus as-
sentamentos, qu nao obtero guia de desembarque
sem previnir ao commandante respectivo dous
raezes antes, salvo se nisso nao houver inconve-
niente para o servigo, por que entao sero imme-
diatamenle attendidos.
Urna resalva, que Ibes de ver ser entregue eom
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa data os sobredilos voluntarios, se forem na-
venda de urna das propneda- cionaes, lleam isentos do recrutaaiento por um an-
concordata.lhe foram entregues Do, ou por terapo Igual ao que tiverem servido nos
nnim "un*" *Ma navios do estado, se este prazo for menor ; salvo,
porm, o caso de cirenmstancias extraordinarias
durante s quaes ficar suspensa a isencao.
Art. 13. Os da segunda classe recbenlos os pre-
mios segrales :
Se forera grumetes; dez, vinte e dous, ou trinta
e quatro mil reis, segundo se conlratarem por um,
dous, ou tres annos.
Se forem marinheiros : vinte, quarenta e cinco,
ou setenta mil reis, segundo o prazo de seu contra-
to fof de um, dous, on tres annos.
Alm do premio receberao mais os referidos vo-
luntarios se directamente se apresentareai, a gra-
tificagao de quatro mil reis sendo estrangeiros, e
de cinco mil reis sendo nacionaes.
Esta gratificagao, porm nao se abonar repeti-
damente ao mesmo individuo por cada novo con-
trato snecessivo qoe flzer, se este for de prazo me-
: or de tres annos.
Art. 16. Os da terceira classe receberao mais
nma quarta parte do maior premio que poderiam
ooter contratndose como os da segunda elasse,
na praea de grumete ou de marinheiro, que Ihes
competir, e a mesma gratifieaco apresentando-se
directamente.
Exceptuam-se os que nao forem bomens do mar,
e tiverem mais de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alislar-se eom as condiegoes dos da terceira
elasse, roas sem augmento de premio.
Art. 17. Os da quarta classe receberao como pre-
mio cera mil re($, se forem marinheiros,e sessenta
mil reis se forem grumetes.,
Art. 18. 05 da quinta classe receberao o premio
de cento e cincoenta mil res, se nao forera maiores
de quarenta annos e o de cem mit reis, se tiverem
' mais daquella Idade.
Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as eompanhias de aprendizes mari-
nheiros, ser de cen mil reis, e se abonar aos
' pais, tutores, ou quem suas veies flzer :
Art. 20. Os premios de que traumas artigos an-
tecedentes serao pagos pela maneira segulnte :
I t. Os dos voluntarios da segunda elasse, se o
I alistamento for por um anno, Ihes serio pagos in-
tegralmente no acto de assentarem praga; Be por
i activas da massa fallida de Joaquim Vieira Coelbo
I A C, na importancia de 81:6615324 rs.. sendo
30:3815963 em conta de livro e 3i:079533'J em
letras e servindo de base a ojlerta do ultimo leilao.
MOJE
Em seu escriptoro ra da Cadeia n. 9, ao meio
dia.
Leilao de nma casa de taipa na
povoaco de S. Loureuco da
nata e don quartos.
HOJE
Sexta-feira ?0 de Janeiro na praga do Commercio.
O agente ;Pinto far leilao requerimenlo do
I testamenteiro do finado Salusliano Ferreira C011-
jtiohoe por mandado do Illm. SivDt. juiz de or-
' phos, de urna casa de taipa nova edificada na po-
voagao de S. Lourengo da Matta, eom utencilios
{de urna pequea taberna e dous quartos, as 11
horas do dia cima dito na praga do Commercio
em frente do eseriptorio dos Srs. Palmeira &
Beltrao.
Leilao de orna victoria (de um dos me-
Ibores fabricantes de pars) em bom
est ,do, eom arreios para dous caval-
los e 1 carrora de 2 rodas grande e
mu forte, propria para boi.
BIOJE
Por intervengao do agente Pinto, na praga do
Commercio em frente a casa dos Srs. Palmeira &
Beltro.
Leilao de um sobrado de 9 an-
dares da rna do Padre Flor la-
o n. ai. edificado em chaos
proprios. o qual rende 504ff
aunual.
iioji:.
Por Intervengao do agente Pinto, na praga do
Commercio. Os pretedentes podera desde Ja exa-
minaren o dito sobrado.
LEILAO
Da loja de seleiro da ra Nova n. 28.
Martins competentemente autorisado, far leito
da loja de seleiro cima, constando da armago e
fazendas nella existentes no dia sexta-feira io do
corrente, s 11 oras.
central da casa de detengao, foi transferida parao dous ou tres annos, recebarlo ero tres prestagfies
da r de fevereiro prximo vinlouro. j iguaes, sendo i primeira paga como no primeiro
Leilao de fazendas.
Augusto C. de Abren continuar o sea leilao de
fazendas inglezas e francezas, por intervengao do
agente Pestaa: hoje 20 do corrente s 11 horas
da manhaa em seo armazem ra da Cadeia.
LBIUQ
Una taberna na ra da Padre Floriano a. .
Sabbado 21 do carrate.
. O agente Pestaa legalmente antorisado, far
leilao por conta e risco de quem pertencer, da ar-
mago, gaz, gneros e mais utencilios existentes,
na taberna sita na ra do Padre Floriano n. 3, era
um ou mais lotes, sabbado 21 do corrente, pelas
10 horas da manhaa, na mesma taberna.
Leilao de nma coeheira eom 4 carros
de 4 rodas, \ derlinia, 20 cavallos,
arreioseseus pertences.
Segunda-feira 23 de jarieiro.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente autorisago, da coeheira da roa do Impera-
Gongalves Malveira e nao estando nenhuma dellas
endossadas pelo dito sacador, esto alm disso ru-
bricadas pelo Illm. Sr. Dr. juiz de direito especial
do commercio, em consequencia de terem ellas si-
do mencionadas no inventario a que se proceden
por occasiao da fallencia da firma social de Jos
Marqu;s dos Santos Aguiar & C, a que perten-
ciam.
Outro sim, roga o rnesmo abaixo assignado
qualjuer pessoa, que achou ou achar dita carlei-
ra, de restitui-la, vislo nada mais conter alm des-
tas letras, se nao notas particulares e papis insig-
nificantes que nada aproveitando a estranhos, al-
gum transtorno causam quelle aqnempertencem;
podendo dirigir-se ra Velba n. 27 2o andar, ra
da Cadeia n. 4 ou a ra do Imperador n. 12, que
ser gratificado,
Recife, 17 de Janeiro de 1863.
Jos Marques dos Santos Aguiar.
No dia terga-feira 17 do corrente, a 1 hora
da tarde, era Santo Amaro furtaram um cavallo
queandava pastando peado na campia do hospi-
tal dos Lazaros, e nessa occasiao eslava no oilo
do quartel que foi de cavallaria, tem os seguintes
signaes : rodado novo, inteiro, ps e mos caiga-
dos, e este cora mal de besta, dina e cauda regu-
lares, carrega baiio, carnudo, no peilos marca de |
ferida do peitoral p^r ser de carroca, no quarto
esquerdo o segainte ferro SAP: roga-se aos Srs.
donos de coxeira a quera for offerecido de o
apprehender e quem delle souber dirija se ao hos-
pital dos Lazaros a fallar eom o regenta do mesmo
que ser recompensado."
largo do Corpo Santo n. 19.
'MJ?
Aos 6:000*000.
Quinta-feira 2(5 do corrente mea, se ex-
trair a segunda parle da dcima primeira
lotera (3') a benelicio da matriz da Boa-
Vista, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes, meios e qnartosestaoa ven-
da na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:0004000 at 10/KK)0
9er3o pagos urna hora depois da extracto
ats 4 horas da tarde, e os ootros depois
da distribuico das listas-
As encommeodas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracta
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soiraa>.
V
Militara Correia da Silva, o baeharel Jos
Antonio Correia da *ilva e o alferes Francis-
co Antonio de S DTretfl Jnior, esposa; fi-
lho e genro do finado Antonio Egidiu da Sil-
va, agradecendo a aquellas pessoas que se
dignaran! assislir as exequias do mesmo fi-
nado e acompanharam o corpo at o cemite-
rio, rogam-lhes e aos seos parentes e ami-
gos o obsequio da asslstrem os suffragios
do stimo dia que larao lugar no convento do
Carma, no dia 21 do corrente mez de Ja-
neiro, pelas 6 1|2 turas da manhaa, por cu-
jo acto anda se confessarao gratos.
^.anfif TUTsana iMmiiiniatiinw'Hii'm
Jlarlyr S. Sebasliao na matriz de San-
to Antonio
No dia 20 do corrente, dia do milagroso martyr
S. Sebasliao advogado da peste, haver missa can-
tada e a noite ladaicha, ficaodo a veneravel ima-
gem exposta por 3 dias, a veneragao dos fiis.
Precisa-se fallar coro o Sr. capito Aurelio
Joaquim Pinto a negocio de seu interesse, como
se ignora sua residencia, por isso roga-se-lhe o
favor dirigir-se ao largo do Paraizo n. 10.
No Forte do Matlos n. 20 ba para alugar
urna escrava que faz todo servigo de urna casa.
Precisa-se de um bom cosinheiro na ra da
Roda n. 6, prefere-se nacional.
Precisa-se de urna ama par compra e atajan
servigo de nasa, para duas peswas : na ra da
Ponte Velba n. 8.
Joo da Silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo c casos ur-
gentes, que sero soccorridos era qual-
quer occasiao. D consulla* aos pobres
que o prorurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das ti
s 8 horas da raanha.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella or-
tica qualquer operago cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 38000 diarios.
Segunda dita.... 2-5300
Terceira dita.... 2000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera qoe elle conti-
nu a merecer a confianga da que sem-
pre tem gozado.
Aluga-se a casa da ra do Calaboueo n.
tratar na ra do Sebo n. 36.
w&m
O padre Tranquilltno Cabral de Vasoon-
eellos, regedor interino do Gyuraas, tendo
de celebrar ama missa de stimo dia pelo
repouso eterno do pwtessor de mathemati-
cas, o lenle Antonio Egydlo da Silva, coa-
vida aos Srs. profassores o emp'egadoe desse
estabelecimento, assim como aos amigas do.
finado, a assistirem esse acto de caridad e
religio, na capelia do mesmo Symnasio, no
dia' 21 do corrate, pelas 8 horas da ma-
nha.
Os abaixo assiaoaios vem por meio deste
agradecer cordialmente aos sous parentes e
amigos, qne se prestara a assistir missa
do stimo dw. por occasiao dos ltimos suf-
. fi agios lei los por alma da saa prelada e
sempre chorada mi IX Joaquina Peres, fal-
lecida na Europa ao* 17 dias do mez de de-
zembro prximo passado. Recife, 20 de Ja-
neiro de 1863.
Manoel Carpintetro da Silva & trmo.
Alugam-se duas casas eom bons
e prego barato na estrada de Olinda : a tratar na
rea d Mangueira n. 10.____________________
O abaixo assignado declara ao publico c ao
eorpo do commercio, que deixou da ser caixeiro
do Sr. Jos Fortunato dos Santos Porto, desde boje
a aproveita o ensejo para agradecer ao mesmo se-
nhor e sua Exma. familia, as raanelras urbanas e
delicadas quelbe prodigalisarara no periodo de 4
annos e 2 mezes de estada em sua casa. Recife
18 da Janeiro de 1865.
Manee! Martins de Azevedo.
Aluga-se urna ama de leite parida a um mez
tendo bom leite : quew precisar dirija-se a cidade
de Olinda no becco de-S. Pedro n. 44, defronte de
um porto de (erro.
Attenco.
O abaixo assignado tenlo-se despedido do esta-
belecimento do Sr. Julio Cesar Pinto de Oliveira,
agradece cordialmente as boasmaneiras cora qoe
foi tratado e a confianza que nelle deposite do-
rante a presengae ausencia do mesmo na Riiropa,
fkando saldo de coatas at hoje eom o mesmo se-
nhor. Recife 10 de janeiro de 1863.
Bazilio da Rocha Oliveira.
Por esquecimento ficou uo Wagn da -i' clas.'.
na estaco das Cinco Ponas, seKuuda-ftHra 16 do
correte, ura lengo encarnado eom ura sapato
de bezerro e um saquinho cora diflerentes papis,
que s ulilisam ao annunciante-: por isso pede o
espeeial obsequio a quera achou de mandar entre-
gar na ra do Rangel n. 54, taberna, que se agra-
j decar ou gratifica-se._____________________
Traspassa-se nma hypotheca sobre um engenho
i no valor de 4:8004, a veneer-se em principios de
._^n,.. abril de 1866, descontando os juros de 2 0,Oao
mez : na roa da Aurora, depois do Cymnasio.
passando a pontezinba de fer/o, na secunda casa.
Aluga-se a casa da ra do Palaeio do Bispo
n. 12 : a tratar na praga da Boa-Vista n. 20.
Na ra da Cadeia do> Recife n. 30 precisa-se de
nma ama para cozinhar, prcferindu-se captiva.
Jos Ferreira Al ves f.rloea, tendo de ir tra-
tar de sua saude, vende a Amonm n. 1 A, ratiit>boa por ttcar defronte da-
rampa do embarque.___________
A pessoa que perdeu om retegio de prata
eom corrente de ditayqoeira appareeerna ra das.
Cruzes n. 22, que dando os signaos certos Ihe sar.
entregue, no praso de J^res dws>
O baeharel Jeronymo Salgado de (;astr:Ac-
cioly, amigo advogado do h-iaonal da relaoao e
mais auditorios desta cidade-. mndou seu eserip-
torio para a roa estreita da> Rosario n. 2, segando
andar, onde poda-ser procurado para os musieres
de sua profisso. ^_________________
Alugam-s baratas mas mei-aguas na eotra-
v 4a dos portaos, (travessa das Barreiras) hairro da
(1} Boa-Vista : a tratar n* ra do Cotovalio a. 25.
Franciseo Pereira do Meirellas tem justo e
contratado comprar a taberna n. 13: da rna des
j Pescadores, borleaceote ao Sr. Jos Simplicio de
S Esteves, livre d* (juabjuer onus : ao entretan-
to quem s julgar eom direito mosm, dirija-sr
.nesus tros dias ao pateo do Tere i^ li^
Precisa-se de um caixeiro para taberna : na
ra Direita n. 6.
Os abaixo assignaaos declaram ao eorpo
commercio que dissolveram amigavelmeate a so-
ciedade que tinham na loja da fazendas da roa da
Cadeia do Recife o. 47, que gyrava sob- a fkma
social de Pinto 4.Floras, ficaado o activo e pass-
vo a cargo do socio Aatonio de Soaz Leal Floros.
Recita 12. de Janeiro de 1864.
Mlonie de Soasa Ceak Flores.
___________Frederico A. P. Pinto. ] Os abaixo assignados, socios d flroia de
" 'ko d'ia 14 do corrente fugio a escrava cabra reir & Staatalro, aiem scinte& que teem dissol-
baixa de nomo Pelieiana, qa representa. 50 an- vldo asociedadeno da 12 do crreme, Orando a
nos, talla de dentes, magra, cabeHos grandes, cargo do socio Monteiro o activo epassivn^a mes-
quando aeda meia impenad, tovou ?estido es- ma seciedade.
con eom pintas brancas, levando, urna baodeija e
urna toalha fina: roga-se as autoridades polica** !____________
e oapitos de campo a captura da mesma escrava | __ Aluga-se a cas terrea *in 50t* s',a n,a
e levaren a rna das Trinchebras n. 26, ahise dir > da Alegra n. 46 : a tratar na roa de Aguas-Ver-
Recife 18 do Janeiro de 1068.
Eduardo da Silva Perretra.
Bernardino Jos Monteiro Jonior.
quem o seu senhor.
Preciia-se de um menino de 12 a 14 annos
de Idade para caixeiro de um armazem de sal :
na ra Imperial n. 191._____.
la ra do Qneimado loja
de ama ama qoe saiba, bem
escrava.
n. 20,
cosinhar,
precisa-se
iirefero-se
des sobrado n. 64, primeiro andar.
Aos pais de famiba-
A terceira cadeira de insirucclo primaria para
o sexo masculino, na fregnezla da Boa.Vista.
acha-se funecionando desdo o da 7 do crrante na
ra da Soledade n. 48.
J


8
Mario de rernambuco Sexta letra m Janeiro de lSttft
'

JOS OJIES VILLAR
Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendendo ir muito breve a Europa tratar de soa saode, pede aos seus devedores
tanto do mato como desta praca que saldem seus dbitos quanlo antes, assimcomo
Est liquidando
o sea importante estabeleeimento de fazendas, vendendo tudo por precos que narealida-
de admirara; aproveitem Ezcellentissimas senhoras
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos
E por precos que admirara
E por precos que admiram.
HitAL IiJEOUHfL\OA^O
PUBLICCaO RELIGIOSA.
Agora que a impiedade parece querer al?ar o
coito orguihosa e audaz, e que os malvados, para
conseguirsens nefandos fias, se tem valido de
quanles impressos ha, al mesmo da sagrada bi-
blia, ja falsiflcando-a edistribuindo-a assim falsi-
ficada, ja vondendo-a, j conservando-a em sea
poder, e fornecendo a sua leitura a pessoas inex-
perientes ou ignorantes, e j Analmente dando-a
mesmo gratis,nao posso nem devo eu, que, gra- m incnarafam,i pctrih-iriauara r-avall
jas a Dees, disponho, hvre de dividas, de nma ty- mU0.s para lam na, estrujara para cavaiio
pographia e de urna encademago, deixar de,.e capim para sustenta-los, arvoredos de
Ama
Precisa-se alugar urna escrava para ama de ca-
sa : na ra Vtlha n. 17.__________________
Aluga-se om sitie na ra do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea, com co-
piar nfrente, bota os fundos para a estra-
da e margem do rio Beberibe, com com-
Uim (MSERVATI
23-Largo do Terco-23.
Joaquim Sun-i dos Santos, dono deste bem sonido armazem de molbados faz scienie erag
reeommendaijo aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esia resolvido a vender os seus
bera conhecidos gneros de primeira qualidade,por menos de 10 a 0 por cento, menos doqueem ou-
tra qnalqaer parte a dinbeiro contado,e todo o comprador que comprar de 505 a 1005 tera o descon-
t de o a 10 por eento pelo seu prompto pagamento; e por isso se faz annuncio de algons gneros,
para com este melhor se certificaren).
tfassas para sopa macarro, talharira e aletria a
240 rs. a libra e em caixa a o>.
Toaeinho de Lisboa alvo muito superior a 280 rs.
a libra e 83800 a arroba,
^af do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8c e
83500.
Chouricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 123.
Passas viadas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 83-
Batatas eragigos de 35a 40 libras por 23400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cb hysson miudinho .upe.ior lualidade a 13200,
23000, 23506 e3la libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
500, 400 e 640 rs. a garrafa.
dem proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 23400 e 23700.
Millio alpista e paireo muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 43400 e 4;200.
Phosphros do gaz viudos por conta propria a 180
rs. o maro e a 23 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lao a 23800 e a caada a 43500.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 53800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
irroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 23800, 23 e 23400.
Assim como ha tira grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas,choco-
late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
tos gneros qae enfadouho menciona-los, e se al-
guem duvidar venha ver.
A NACIONAL .
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORIS.VDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna Llanca em dinheir depositado dos cofres do estado, garante a boa ad-
ministraco da companhia.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
s5o medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2
3o
abrindo mo de urna parte do qu'e Dos me dea,
acompanhar o meu Exm. e Rvm. vigario capitu-
lar em seus constantes esforcos para o engrande-
cimento da nossa sania religio, e de concorrer
com o meu fraco, mas muito sincero contingente
para esse to elevado tim. Neste intuito, enten-
dendo que presto lgum servico cansa desta
mesma religio, com a reimpresso da viaqem de
mm peregrino Jerusulem, e visita que fez aos lu-
gares santos em 1817 Fr,Joao de Jess Christo,
invicto filho de Seraphico, patriarcha S. Francisco,
tenho resolvido por no preloesta obra, e pretendo
fazer a reimpresso da maneira seguinte : Reim-
primir!, 3,000 exemplares, desles serao destina-
dos 1,000 para todas as pessoas de um e oulro se-
xo, que com documento legal dos seus reverendos
parochos se me apresentarem, e a cada urna das
quaes entregarei gratis um exemplar em brochu-
ra; 2,000 sero reimpressos mediante asignatu-
ras, para as quaes desde j convido a populaco
dos fiis, e de todos solicito e espero o valioso con-
curso, na razo de 13 cada exemplar. Nao posso
prescindir, porm, de rogar o pagamento adianta-
do de cada assigoatura, sm o que nao me ser
permittido efTectuar essa reimpresso e conseguir
apresentar ao publico nma edicao, j em si mes-
ma grande e dispendiosa. Para os que nao assig-
narem, o preco de cada exemplar venda ser
determinado na oecasiao.
Nao sei qual ser o resultado dos meus esfor-
cos, mas seja qual for, de Dos espero a recom-
pensa.
Assigna-se nicamente por hora na ra do Im-
perador n. 15, defronle de S. Francisco.
Francisco Coelho de SimSes Silva.
Primeiras lettras.
Mara Barthuleza da Conceigao partecipa aes
Illms. senhores pais de suas alumnas e a todas as
pessoas que lbe quizerem dar a honra de lbe
confiaren) suas meninas para lhes ensinar o
necessario s materias de primeiras lettras e
lingoa tranceza : far'todo o esforco para que
ellas oblenham o desejado aperfeicoamento afilan-
cando-lhe a boa leltra, e Ihe tirar qualquer vi-
cio na pronuncia, sen liverem. Sua escola estar .;jffM nBL
rberta de 9 de Janeiro em diante : defronte da i>resisa-se de urna ama para cozinliar :
matriz da Boa-Vista n. 84.__________________ larga do Rosario n. 12, segundo andar.
Gymnasio Provlneial. c solicitador Pedro Atexandrf-
Do dia 16 de Janeiro em diante, estaro aber- .i., cost'l Machado
KiS?'S* E;?'ta!' tST 'i*K ae tado qae
lavada e engommada, medico, botica, barbeiro, JfLU"0";!8* ? f** iSSS^J^S.
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo.com ptimos passeios, sjia e gabi-
nete na frente, muito propria para passar a
festa,e tambem se alugarporanno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tiguacom o capito Antonio Bernardo Fer-
reira.
Aluga-se ama grande e fresca estribara que
admitte bem 5 a 6 bois, com bom quarto que ser-
ve para moradia e fica bem defronte da estaco :
a tratar as Cinco Pqntas n. 116.
SOCIEDAD*;
Cavallo.
De ordem da presidencia da mesma sociedade
convido a todos os socios effeclivos comparece-
rem a sesso que ter lugar sextafeira 20 do cor-
rente as 6 112 horas da larde, na ra do Calabou-
eo, sobrado n. 10.
Sala das sessoes da sociedade Amor ae Prximo
em 19 de Janeiro de 1865.
Silva Mendes
i* secretario.
ATTENCAO.
Vende-se por preco commodo om cavallo russo
em boas carnes, bom andador baixo e muito man-
so, sem vicio algum : no Hospicio sillo b. 8, -casa
terrea com portao de madeira. __________
r Vende-se nma rica esleir propria para
forro de urna sala, com 20 palmos de compndo e
19 de largura : na ra do Cordoniz n. 8.
Vende-se um sobrado de um andar, chaos
proprios, sendo no largo do Terco : qcem prelen-
de-lo dirija-se a travessa da Madre de Dos n. 7.
Vendem-se 28 travs de qnalidade, cocien-
do 36 a 40 palmos de comprimento : a iraiar na
taberna de Antonio F. Marlins de Miranda, na roa
nova de Santa Rila n. i.
Vendem-se
10 cadeiras de bataneo com assento e encost de
palhinha, ltimamente chegadas da America : no
na do Trapi-
de olhos;
de peito :
dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d si
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Existe nma carta vinda da sorra do Marlins. no
Campo Verde, ra do Socego, em um portao en-
costado casa n. 20, de Joriniano Xavier de Souza
para o Sr. Dr. Francisco Luiz Correia de Andrade.
Pedimos encarecidamente a certa muliier
moradora na ra do Padre Floriano e soa filha
mal ensinada, abstenham-se de maltraiar a sua en-, escriptorio de Matheus Auslin & C.
liada, se continuar protestamos desde j a expr chen. 36.
lado por este Diario e conduzi-las i polica afim ; __ Vndese bom tboTT93~descarrezado : na
de provar quanto tem chegado as tres algozes. otaria do engenbo da Torre.
Precisase por aluguel de urna preta boa Milho novo em saceos grandes : no trapiche
quitandeira : a tratar na ra do Queimado n. 17. de Cunha, a tratar com Tasso Irmos.
55-u
JORNAL DAS FAMILIAS
Publicarao Ilustrada, litteraria, artstica, recrea-
tira, etc.
O Jornal das Familias sahe urna vez por mez, e
forma no fim de cada anno um bello volume de
cerca de 400 paginas de impresso esmerada, or-
nado de flgurinos, vinhetas, gravuras sebre ac,
aquarellas, sepias, pegas de msica, desenhos du
trabalhos sobre (alagarla, de crochet, iricot, la e
bordados, moldes de vestidos, capas e em geral o
que concernenle a trabalhos de senhoras.
Assignatura por anno 123-
Assigna-se na livraria econmica ao p do arco
da lmperatriz--o5
Fabrica de carros.
Acha-se sempre gelozias de lodos os lmannos a
moda da Europa por preco razoavel e concertam-
se as mesmas.
o5Ra da Imperalriz55
Fabrica de carros de
Francisco Porler.
Vndese um carro de r arregar genero da al-
fandega em bom estado e por prego commodo.
DROGARA.
34llua Uarga do Rosario31
lea^.A!li0?0vondejexisteopriraelronume' Bartholomen Francisco de Senza
Venden:
rodo anno de 1865
IVimtii' di vi -(Mido da matsa fallida de
Aiikii iiii, Fragozo, Santos & G-
C.
Os adminiiradores continuam a pasiar diari-
menle (ate o dia 28 do corrente) o \ dividendo de |
5 por cent* no escriptorio da ra do Vigario n.
21, primelro andar, e pedem aos Srs. credores
que venham logo receber o que lhes pertence, vis- fian/lo AaAa a \\\ a tyiutiHa
to como d'aquelle dia em diante s faro paga- Odll lalld d I i.
memos nos sabbados.
Acido actico paro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alyaiade Veneza, fino, em pes.
Precisa se de uina ama para comprar e co-
sinhar para urna casa de pouca familia : na ra
das Cruzes, segundo andar n. 36.
Peles preciosos medicamentos>os Srs. Griaanlti
C, pharmacentieos dt S. A. I. o principe Xa-
polee, ra de la Feuillade 7 em Pars.
Porque es Srs. mdicos e o publico usam de pre-
ferencia dos medicamentos especiaos dos Srs. Gri-
mault & C, pharmaceuticos em Pars, com os qoaes
elles tem sempre oblido as curas as mais exiraor-
dinarias 1
1." Porque esta casa sendo sem conlradita a
mais importante de Par>s, honrada com a rlmntella
de urna parte da corte, patenteada por S. A. I. o
principe Napoleao s vende productos de urna etti-
cacia reconhecida.
2. Porque esses medicamentos representan as
mais recentes conquistas da medicina e da cbt-
Mana Jos Amalia de Miranda scien- mjea. '
tfica aos Illms. Srs. pais de suas alumnas! 3. Porque tem todos um gosto agradavel, wtk\>
ux-DenMUMDel^ eratui-;ea todas as pessoas que se dignarem con- azem a visia, e pdera ser administrados sem pe-
^'!^^^^^S^^^^. lamente seus servaos aos desvalidos, pode ser|fiar.lhe suasFlaas> que segunda-feira 23 do "?,"10 s S^S cerao ?*
procu-ado todos os das uleis das 9 horas da ma-1 ""_","""" i," 4 "k:" 7 '..." 4: Porque ellos diderem inleiramenie desses re-
0 Dr. Jernymo Villeia de Castro Ta-
vares advoga no crime e civel, commer-
cio e ecclesiaslico. Pode ser procurado
todjs os das atis al 3 horas da tarde
em seu escriptorio, ra do Crespo n....
primeiro andar defronle da livraria eco-
nmica.
; Os meios-pensionistas pagam melade dessa quan
lia e os externos 153 Pr trimestre, podendo fre
quemar as aulas ^e quizerem fa fora dessag horas pa fua Imperjal 36 ca
L> secreiario, LaDrai. sa de sua residencia<
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Ilespanha
DIRECgAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. IB
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se tazer asubscripcao de maneira que em nenhum caso
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
ihaa as 3 da tarde na ruaeslreila do ttosario
Kscola central methodo Cas-
tuno.
Est aberta desde 7 de Janeiro -, ensina as mate
ras do 1 e 2 graos, recebe alumnos, pensionistas . e meio pensionistas, por precos commodos ; nao
excedendo elles a doze annos de idade : na ra da
Ponte da Capunga, casa n. 9.
Precisa-se de urna ama
interno e externo de casa de
ra Direita u. 104.
idosa para o servico
homem solteiro: na
\m
mesmo^por morte do se-
Precisa-se de urna ama que saiba comprar e
cozinhar para urna casa de pouca familia : na ra
NAL,queainJa mesuio diminuindo urna terca parte do interesse pfuduzido em recentes liquidaces,! de ^anla ttila n- *3-
e co nbinan lo o c im a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os B83S&(53 ^Gg
seus mlculos e liqaidaeioes, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna iinporsicao annual le 1003
prodaz em ctfectivo metlico :
No fim de 5 annos.......1:1193300
de 10........* 3:9423600
de 13 .......11:2083200
de 20 .......30:2563000
de 25 .......80:3313000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informacSes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, roa da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe
lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
0 professor de piano
J. Coelho da S. Araujo, continua a lec-
cionar, mora na ra do Livramento n.
21, segundo andar.
DEPOSITO iE PIANOS
DE
ftRIJA WVA25
lo Henrique Vogeley fleado com a acreditada casa de pianos do Sr. Joo Pedro Vogeley
Nova n. 23, tem a honra de annunciar ao rcspeitavel publico que continua a dita casa
confianza que Uvera seu ante-
Tendo H
sita na ra
com o mesmo fim esperando o annunciante que merecer a mesma
cessor.
Neste estabeleeimento encontrar o respeitavel publico um grande sortimento de pianos
cezes e allemes dos melhores fabricantes da Europa, escolhidos especialmente para este clim;
proprietario desle deposito entre os melhores e mais acreditados
universal em Londres.
Os amadores deste instrumento sao rogados a virem apreciar as bellj.s vozes destes pianos e
admirar a sua excellente conslruccao nico nesla cidade.
No mesmo estabelecimenlo continua-se a alugar, afinar e concertar os pianos, tamo na cidade
como nos arrabalds.
O propeieta/io responsabilisa-se pela sua excellente qoalidade.
fran-
ima pelo
exposicao
aula partieuar.
O abaixo assignado, professor particular, provi-
sionado pela directora (eral da mslruccao publica
para ensinar primeiras lettras, lalim e francez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos
senhores pais de seus discpulos que segunda-feira
9 do corrente tem de continuar no omino das su-
j praditas materias, admiltindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meiopensionistas. A pra-
tica de 19 annos consecutivos no exercicio de sea
I magisterio, sua inteira dedicado e tua moralidade
1 sao garantas que ofierece aos senhores pais de fa-
milias, que desejam a saa e til educa5o a seus
ltios.
Quem portanto quizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educagao de seas filhos, pode dirigir se
a qualquer hora do dia aoterceiro andar do sobra-
do n. 08 da ra Nova, onde ha muito lempo est
estabelccido.
Jos Mara Machado de Figueiredo.
0 hachare! Jorge Uornellas
continua a residir ra larga do Rosa- >
rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser ^g
procurado para exercer a sua profissao: gfe
1 de advogado nos auditorios desta ci- i
. dade' ^
,v, 2o de meslre da lingua franceza, en- Wk
2g| sinando-a tarde, e tambem noile a '.'
^g pessoas cojas oceupagoes embaracem ^
H aprende-la durante o dia.
Wilsous A Hett, ra do Trapiche n. 14, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro, avista ou a praso.
Desappareceu do largo da Assembla, um
cavallo caslanho com os signaes seguintes : tem
o p esquerdo branco do piador para o casco,
passeiro, de meio, com dina preta, e grossura na
sarneia, levando cangalha coberta de panno de
algodo com cord: s e arrasto; quem o pegar
ou der noticia em Cruangy ao Sr. Francisco das
Chagas Pimeotel, e no Recife ao Sr. Jordo Jos
de Oliveira na ra do Vigario, ser generosamente
recompensado.
. I corrente Janeiro, pretende abrir a sua aula medios inglezes e americanos, preparados por in-
na ra larga do Rosario sobrado de 2 anda-, dustriaes estranhos, tanto a medicina como a phar-
res n. I ao entrar do largo do Paraizo. Alli niacia, dos quaes nao tem nem a scincia nem os
a L '
se achara prompta a receber meninas pen-
sionistas, raeio-pensionistas e externas.
ttulos.
5. Poraue estes medicamentos s se applican a
doeacas, e nao as curara
Julio Cesar Pimo da Oliveira declara' odas,coaio os remedios de que acabamos de fal-
que a Sr. Bazilio da Rocha Oliveira, nao ^^emfim cada producto tem sua applicacao par-
Recife 18 de Janeiro de
mais seu caixeiro.
1865.
Stereoscopos
Pequeos stereoscopss com 12 lindas vistas ca-
da um pelo diminuto prego do 53 na ra do
Crespn. 4.
Precisa-se alugar um sitio sendo nos Afflitos,
ManguinJio, Soledade, Sant'Anna, Passagem ou
outro lugar, que tenha prompta conduccfio:|quem
liver para alugar dirija-se a ra de Horias n. 8,
que achara com quem tratar.
COMPRAS.
kttencao*
THESOURO DAS MAIS
Providencia das criancas.
COLLARES ROYER
Electromagnticos.
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTIQO
Contra as convulsoes e para facilitara
dentigo das criancas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceulico da esco-
la superior do Pars, successor de Chereau, Compra-se
membro da academia de medicina cobro, latao e chumbo : no armazem da bola ama-
aniiga casa de HouillonLagrange, pharmaceutco relia no oitao da secretaria da polica.
para a cara das escrfulas,
g'andnlas enfarladas, lu-
do imperador
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
OSr. morador da ra Nova que se
acha a dever G quarteis de asignaturas des-
B mores escrofulosos e aTeccoesj^ite Diario, queiramanda-las pagagarpois
SR Aos senhores pais de familia.
O padre! Flix Rarreto de Yas-
g concellos, (jom aula particular de la-
tim na ra do Imperador n. 35, 1.
jfi andar, coniinia a receber alumnos
^ de todas as classes, durante e de-
jE pois das ferias. Tambem est dis-
9 poste a abj-ir um curso de primei-
I ras leltrasi e de francez, logo que
:'f| baja numero sufficiente de alumnos
91 para cada urna destas materias, e
H assim tambem a receber como in-
m temos alguns meninos,de cuja edu-
< cacao o quizerem encarregar. Os
S pagamentos sero por trimestres
$$ adiantados, e os presos declarados
M pessoalmente na oecasiao do ajuste
yj para a entrada do alumno.
O hacharel
Jos dos Anjos Vieira de Amorim conti-
na a advogar em seu antigo escriptorio
da praca de Pedro II ou pateo do Colle-
gio, como se chamou em ontro lempo :
ahi pode ser procurade das 9 horas da
manha as 3 da tarde, e as horas di-
versas deslas, na casa de sua residencia
sobrade n. 33 da ra do Hospicio.
Mmmmmmmmmmmmm
Alugam-se na cidade de Olinda dous sobra-
dos com bastantes commodos, na ra de S. Bento,
defronte da ladeira do Varadouro ns. 29 e 30, com
quintal e sabida para casa de banhos salgados : a
fallar em Olinda com o Sr. Monteiro, roa de Ma-
tlas Ferreira, e no P050 da Panella, em casa do
subdelegado Joo Paulo Ferreira.
A festa da Senhora dos Remedios deve ler
lugar no da 10 de fevereiro do corrente anno. A
commisso endarregada paraarrecadarem as es-'
; molas sao os Srs. capito Jos Mariano de Albu-
; querque, Antonio Joaquim Pereira de Oliveira, te-
nente Jos Pereira da Cnnha, lenle Jernymo
Emiliano de Miranda Castro, Lacio Mariano de
Companhia fldelldadc de
segaros martimos e ter-
restres estabeleelda no
Alo de Janeiro.
.'.GENTES EM PBPNAMBUCO
^g Asionio Luii > Oiireira Aievedo k C,
*B comifitentemente aajorisados pela direc-
I tona Ja companhia ie gegnros Fidelida-
Sde, tomam seguros de navios, mercado- _
ras e predios no sea eserptorio roa da H
Cruz n X
mmm bu s smm
Preeisa-sa de nm caixeiro qae tenha pralica
i

dos pela commisso, o podero fazer. 'o nestes 8 das, que depois de verificado
ser immediatamente pago por Francisco
Rrbeiro Pinto GoimarSes (para isso autn-
oma casa acabada agora, com commodos para fa- Sado) ra d'Apollo armazem n. 38. Reci
milia, estribara, cocheira, qnartos para feitor e
escravos, com banho na porta, no logar do Poc,o
da Panella, roa do Rio : a tratar com Tasso ir-
mos, na ra do Amorim n. 33.
A Iwga-se
Veneza do norte.
Ra das Cruzes n. 39, confronte a tvpographia do
Diario de Pernambuee.
Acha-se de aovo nesta roa o botequim Veneza do
de taberna, de 14 a 16 annos de idade, e que d. Norte, o qual principiar a fornecer comedonas
nador a sua conducto: -a tralar na ra dos Pires 1 de qaarla-feira 11 de Janeiro em diante,
numero 34.
Nobilla.
Alogara-se mobilias : no pateo do Terco
ro 42._________ I w
AVISO
aos terceiros de S. Francisco.
Cliegoo verdadeira estamenha para hbitos, a
qual se vende mallo barat : na raa do Qqejma-
o n. 39, loja de ? portas.
deste genero.
i O abaixo assignado entre as plantas
i submettidas ao seu exame botnico de
l que a muito se ha entregado, desde que
; linalisou seu tirocinio em dita scicncia
i peloexlincto corso do amigo jardim b -
i tnico de Olinda, e averiguando certas
S propriedades medicinaes que lhes trans-
* mittiram de alenrras plantas, verificou :
I que a vimia anliscrofula era um especi- 1
j, lico contra as molestias cima denomina-
das (na linguagem vulgar) alporcas. Re-
g solveu-se porlanto a expor ao publico es-
* te interessante medicamento em tintura,
* em vidrinho de 1|2 onca, que um s vi-
| drinho bstanle para a cura de um es-
j crofuloso e Oca muito remedio.
Com os vidros acompanham um im-
presso, que explica a maneira da appli-
caclo e mais circumstancias.
Vende-se as boticas dos Srs. Jos Pe-
reira Jacintho Jnior. Recife ra Direita
n. 135, e na do Sr. Joao Soares Rapozo,
Olinda roa dos Quatro Cantos. Preco de
cada vidrinho 2.
Jos Eleuterio Carneiro da Cunha.
Por isso pensamos prestar nm servico a todo o
mundo, indicando aqu as imporiantes *pro(.r. da
des dos principaos medicamentos dos .-rs. Gri-
: mault & C.
Xarope de ralfort lodado.
Empregado com successo rerto em lugar do oleo
de ligado de bacalho, tao desagradavel, lo dil-
cil a digerir. E' o especifico o mais certo cuutra
as escrophulas, o lymphalismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rhen-
raatismos, o escorbuto, as affercoes da pelle, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Pars o empreg^m como o
depurativo o mais poderoso, e o reconimendaro em
todos os casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, c dar-lhe todos os principios viiaes que
perdeu, seja pelos excessos, pelas affecres lyrn-
phalicas, escrophulosas, e venreas.
Xarope de quina vcrmcla fer-
roginoso.
Ou associacao dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro um dos prinrl-
paes elementos de nosso sangue < a quina que i o
tnico e o febrifogo i>or excellencia.
1 Este delicioso me difmenlo ag adavel ao paladar
e a vista, tem um resultado adrniravel as flores
brancas, dores de estomago, falta de apprlite, po-
breza de sangue. Elle sobretodo til as seobo-
' ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re-
golarisar a' menstroagao e suspender os effeitos
perniciosos das flores brancas, qoe sao a causa de
i tantas doencas. Elle soberano depois das coo-
; valecencias de molestias graves, elle o reparador
das (breas e da saude para os doentes enfraqueci-
dos pel trabalho, os excessos, as aflercdes escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharao nesle xarope nm me-
dicamento sem igual, para fortificar e desenvolver
Comprase urna negrinha de idade de 9 a 10' 0 systema osseo das criancas e os preservar das
annos : ra ra da Palma n. 41 laberna.______afleccoes escrophulo>as.
Xa praca da Independencia, loja de ourives Elixir digestivo de pepsina.
n. 33, compiamse ebras de curo e prala e pedras j Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
preciosas. ________________________ tre as novas conquistas da scincia, a pepsina pos-
Comprase urna laberna bem afreguezada e! sue com efleito a propriedade importante de fazer
que tenha commodos para moradia dnlo : a ira-1 digerir os alunentos quasi sem soccorro do esto-
l mago, e o remedio soberano das gastrites. gastral-
I gias, das inflammacoes do estomago, dos ligados e
dos intestinos. Elle supprime os gazes. as nauseas,
i as piluites, o desgosto dos alimentos, e presta 1 nn-
cipalmente um immenso servico as senhoras n'nina
poslcao interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, vero saa vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e es velhos e cunva-
Procisa-se comprar urna escrava negra de 28a
30 annos de idade, que saiba engommar e cozi-
nhar, ou trocase por outra : na ra da Aurora,
1 passando o Gymnasio, primeira casa depois da
ponlesinha de ferro.______________________
Corapram-se cscravos.
Silvino Guilherme de Barros compra, vende e
troca escravos de ambos os sexos e de teda idade:
I na ra de Imperador n. 79, l;rceiro andar.
Compra-se um escravo de mcia dade: quem
tiver para vender, dirija-se a casa do Sr. Arantes
na ra do Livramento.
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de sair dos pr-
Manoel Francisco da Silva Carrico ora
residente em Macei, julga nada dever
nesta praca ou fora della, mas se alguem se
assim como elle gosta de receber a paga de lar a rua de SanIa Therza n. 24.
seus servicos deve attender a dos ou-;
tros principalmente o do Diario queem
trabalham mais de 60 pessoas.
Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim i
de Aguiar, que a sua assignatura deste j
Diario est por pagar desde oulubro do
anno passado, e que o proprietario da loja \
de ourives da rua larga do Rosario n. 40, Qg g nOSSa t\T)Ograplla 0
tem declarado que oTio se responsabelisa, 1 -1 k 1
portanto S. S. queira mandar satisfazer nes- Alm a 8 K AummiStratlVO ,
ta typographia.________________ Mercantil e Industrial desta
Da-se 50A de gratifleaco a quem agarrar o ni -
cabra Caetano, que contina a estar fgido e acou- prOVlCia, COneCtO ate 31 ^Wlteio^o o' anular e.
tado nesla praca, pois tem sido visto por dille- K ', E.SIe d*"5 ^ popular em toda a Franca
rentes pessoas e por diversas vezes,o qual de es- de deZembrO, e Vende SC A^^l^^Zw!bZ;%:
itatura mediana, cabellos crespos e ja pintados, n H ,. n ge, no aojou, e eaciaaimenie preparaJo pelos ^rs.
nariz grandee arrebitado, espadado, pernas finas JJ na llVrai'ia US. O e O ?.rimault-& C'unicos ProPne,anos da Terda,,eira
e um pouco torla?, pos apalhetados, faltando-lhe j T J J
algumas unhas,andar um pouco corcovado, est,4a PFflCil (la lnuepenClenCia.
com o rosto um pouco plido e enxado, pode ter r r
de idade 23 a 30 annos. bastante ladino e velha- ---------------------------------------------*------
co presume-se que esteja engajado em algomai llfSHiB1!)
cocheira ou sitio a pretexta de pagar semana, pois Na padaria da rua da Senzala Velha n. 84, ven-
nao na quem o conlleva por forro : na ma nova de-so a bem conhecida bolachnha de leite fabri-
de Santa Rila n. 7 aos Srs. Siqueiras & Santos, ou cada pelo proprio fabricante.
lcenles o sustento de saa saode e o reparador de
suas forcas; porque com urna boa digeslo sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de f. f orge.
Novo especifico, sem opio, reronhreido como o
melhor medicamento para curar a losse. defloxo,
catarrho, grijma, irrilacao do peito, anginas, dorts
-fe 7 de Janeiro de 1865.
Alugam-se dou* grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aciados,
com jardim, cocheira, estribara e ootras commo-
didades, na travessa. de Joo Fernando Vieira :
a tratar na ma da Senzala Nova n. 42.
Na fabrica de calcado do patoo da ribeira de
S. Josl, precisa-se de artistas para obra de senho-
no erigenhoPara, sedar a mesma gratifleaco a Vende-se
qnem alli o entregar.
MaJ.une. Cals, subdita franceza, retirase pa-
ra Europa.
ou aluga-se o sitio dos Burilis on-
de tem o machinismo da lavagem de roupa, e tam-
bem se vende o machinismo s : quem o preten-
der dirija-se a rua do Rangel n. 4. _________
*
Na loja de fazendas a. 28 da rua
se precisa de urna ama.___________________
0 abaixo assignado faz scienie ao respeitavel
Vende-se um moleque de 18 annos de dade,
de mnilo bonita figura, cozinheiro, boleeiro e en-
*) gommador : a tratar e ver no paleo do Terco n.
da Imperalriz J, sobrado de um andar.
Livros baratos.
Vende-se pelo cusi da Europa as seguintes
obras : Demolombe, cours du code Napolen 19
volumes, encadernado em couro 705, Troplong 6
vois. ene. em gr. 8 fr. 48& dlccionnaire de la con-
janeiro em diante, tanto
avnlsoeoraopor assignafuras, com promptidao e
. l^rltJTJL?** Ptra VeD.der um? gra^de Precisa se de dous trabajadores ~pan7rTada
aa- fSrn,n*i1ddr^da.sob'-e columnas torneadas ria ue entendam peritamente do trSfico: a
a rooderna, tudo de amarallo, envernisada, que .... an,a (I(1 nuarion l
- serve para qualquer esubebeimento. Na mesma''
precisa-se de um escravo para todo o servico ex-
terno da casa.
publico que deixou de ser seu caixeiro o hespa-
nhol Jos Antonio da Silva desde o dia 15 do cor-
rente mez por ter desapparecido sem prestar con-
i" VhaV[!!!!LlT,,%T:Je?^n nl^Iul vemtlon ou rpertoire de loutes les connaissances
doesabelecimeotoaumpreto captivo que nelle necessaires dans la vie sociale, el relatives aux
KS L?nrK^'?ZS.K a,e, sciences aux l h, Phistoire, Geo
o dito Jos Antonio da Silva, rogo-lhe que compa-' ra hje Droit elc ,6 en'r com r.
ra e menina dando-se todo promp^pag-seTdu- re5a u0 mf .V^^u^^Z^a^X Baron ae ^> le'gslation'civil, coramerciale e; Bahia
-esta forma, evitar ser chamado ao tn- criminelle de la france on comm^nlalre de cinq [ rnaRI
zia para senhora a 15800 e'para"menina a I20, 011"1.5' e dei!a
' banal competente. Ilt cife 19 de Janeiro de 1865.
receila. Recsmmenda-se aos doentes qoe osem ao
mesmo lempo das deliciosas jmsltlhas peitorats ao
soeco do alface de loureiro-cereja dos Srs. Gri-
mault & C, este excellente remedio composto
com as duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo lempo as mais inofensivas da materia me-
dica, e nao rontm opio.
Injeee&o e capsulas matieo.
Estes dous productos qoe conslitoem a mais re-
cente e a mais importante raediacao para curar os
corrimentos e as molestias veneraes do homem e
da mulher, sao exclusivamente vegetaes nao con-
ten mercurio, e sao pieparados com as ful has do
matieo arvore do Perou. Nao ha molestia conta-
giosa anliga ou recente que resista ao aso desses
doas meios. Saa rapidez de accao superior a
todo quanto se tem feito al boje. As capsulas
nunca cansam o estomago nem os Intestinos como
as capsulas de copahyba, cubeba e ouiras; a in-
jeegao nunca produz o eslreitamento cuno aconte-
ce com as injeccoes com base metlica aconselha-
das at boje.
Todos estes productos vendem-se as principara
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pemam-
huco, Caors & Barbosa, na ma da Cruz n. 28, na
Lima & Irmaos ; em todas as boas phar-
macias do Brasil.
t todo aquello que quizer levar sem pospontar ter
ma's IfJOrs. em rada duzia.
Precisa-se alugar urna ama escrava oa forra
para comprar' fi cozinhar para casa de homesi sol-
f'-iro : a tratar na rua do Queimado n. 53.
se
nm pretopara o servico de casa
deia n. 20.
na rua da Ca-
Na roa Nava n. 6 precisa-se de urna ama
para casa de penca familia.
codes francais, vol.
francais expliques 2 gr. ia 4
Qaem pretender orna pessoa habilitada para droit commercial 4 vol. ene. 125
Francisco Motel lio de Mendonca.
em algum engenbo ensinar nao s a lingoa porta
gueza, mas tambem o lalim, francez e inglez, e
noces geraes de rhetorica, podo informar-se na
roa do Imperador n. 81, primeiro andar.
Deve-se exigir sempre 1 assigBatara Griraauil 4
ou5,.Kogron le code c m qaQ ha fal8iflcac5c, perKosas.
, Le Juif Errant! Vonde-*e na bolica froee rna Imperador
3 vols, 105, e outro* muitos tivres, que enfado-
nho mencionar : na rua da Imperatriz n. 53.
MGICAS.
Na roa da Imperalriz n. 53 acha-se venda um
Prccisa-se de om caixeiro portaguez eom pequeo gabinete completo dephysica, ou in-'tru-
pratica de taberna, que seja agradavel e desem- manioc para msica*, que pode servir para algum
baracado, dando conhecimeoto de sna conducta : curioso dar represeuiacoes- pelos arrabales, pota
na ma das Crotes n, 24, taberna. compo>se de muitas e variadas sortes.
n. 38.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel coitra as gnofrhea
antigs e recentes, unics desosito rabo-
.ica fraDceza, rua da Cnw Br 22 pre-
co 36
1
i
f.


Diario de Peruaiubiico Sexto lelra tO Je Jaucno de ls85.
"! OS l.-l
*

Grande armazen de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
0 armazem de tintas ara grande deposito de
productos chimicos utensis os mais empregados
e asados na pharmacia, pintara, photograpbia, tln-
tarara, pyrotechinia (fogos de artificio) eera outras
industrias.
Montado era grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as princpaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Haraburgo, Anvers e Lisboa, pode ofTerecer
productos de plena contianca e salisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalbo, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
cora promplldo qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidade e pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o qne
nao fcil fazcr cora aquellas que sao importadas,
e que se encontrara no mercado em latas fechadas.
Tem grand9 colleccao de vidros de differentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis ongas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de papis donrados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulbo, para forro de casa, para desenho
com fundo ja feito ; de papel albuminado e Bristol,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para qnadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de oielet, seeativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanto em fo-
lhas do varias cores ; tintas vegetaes, iuoffensi-
vas proprias para confeitarias; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina,' de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet, limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro,cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
0 VIGILANTE
ilua do Crespo n. 9.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
posoBalitea, na saa ordera do da, e pela Branca
Aguia, apesar de qne, para estes o Gallo com seus
agudes espores nunca os olfender, antes os agra-
ciar na inesuia conformidade, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantarseu vo,|levando no bico as palinbas seu
ninho; e o Gallo Jicara em seu espacoso campo
dando de novo o sea canto annunciando a seus
boasfreguezes e aorespeitavel publico
- Vende-se-a taberna da
n. 43 : a tratar na mesma.
ra dos Pescadoies
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 61
^BOTfC~El)RGARlA"
Bartholonieu Fraocssce de Souza 4 C.
31Ra larga do Rosario31
Vendem:
Pilulus Holloway.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Uristol.
Remedios do Dr. Chable.
Eltxir de Pepena de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert.
Injeccao Feaugas.
Agua denlifica de Desirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Itaspail.
Pos aniiepiletieos de Brest.
Rob L*Affecleur.
.Yarope do Bosque.
Ungento Holloway.
GRAGEAS
GLISE CONT
AppromU pala Ac.dtmU da Medicina da Parla.
Resulta pelos dous relatnos, adoptados pela dita
Academia em 18*0 e em 1858, que as GRAGEAS de
Glis e CONT sao o melbor e mais efficaz remedio
ferruginoso para curar a chlorosis (alias fluor-albo), os
Huios brancos, a fraqueza de compleixie nos dous
sexos, e tamben) para ajudar a menstruar.o das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas seno em caixinhas
eu tidros cobertos com rotulo e fechados com urna tira
levando a firma do depositario geral : labei.ovve, t
jharmaci-mico, ra Bourbon-Villineuve, 19. Parit.
Deposito geral en Pernambuce ra da
Cruz o. 22 em casa de Caros A Rarboza.
"Feijao.
9- laa >'a Madre de Deos-9
, Vende se fejao mulatinho novo, saceos de 22
eias, o m3is novo que se pode tosejar, e mais
baralo do que em outra qualquer parle.
*
ISll
<^
Venoe-se superior vinho do Porto em ct.:xas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do AJgario n. 3.
Assuear crvstalisado da fabrica
2 de Julho
Na Babia.
.\T02.mazerx d. uada Madre de Dos n. 28,
ha venda o rr.ulto superior assucar rr\sialisadc,
em sacco* e 2 arrobas, ao prego de 35 cada ar-
rio
Vende-se p"r precisao, a armago da loja de
calcarlo toda envidraca da ra da Imperatriz na
Boa-Vista n. 13, o aluguel razoavel ea casa tem
no interior bstanle espago para moraoMa : a tra-
tar na mesma loja eom a vjuva de Joo Jos Men-
es da Silva.
vidro* para espelho.
Vende-se na roa Nova n. 26.
Vende-se urna das mais Ticas armacoes para
loja, toda de amarello, propria para negocio Ce
molhados, mas que com urna pequea alterago
serve para tazendas : veode-se por menos da me-
lado de seu custo : ,no armazem da ra da Cadeia
numero 1.
4fcaz liquido, candielros e seus
perteneea.
_4o deposito do mesmo, na ra da Cruz n. 3o,
verJe-se gaz o mais apurado, tm latas de 3, 2 e
I g&lo, assim como em garrafas; tem tambem
vewla candieiros parao dito de diversas finalida-
des,* pertences para os mesmos, avulsos, das mais
pequeas as maJures dimenses, tudo per preros
/ommodos.
Versos ao livlno
Acharase a venda na ra do Imperador n. 15
fefroDle de S. Francisco por prego de 160 rs. ca-
da um.exemplar em brochura, versos ao Divino,
proprios para se cantarem depois cu antes de
qualquer solemnidad*, festa, novena eu mesmo
em casas particulares.
Testamentos.
Anham se a venda os seguintes testamentos,
obras proprias para entre ter em horas vagas na
roa do Imperador n. 13, defrente de S.Francisco :
a gallinha, galio, peni, leo, onca, tigre, caxorro,
vgario, porro, pelleja entre nma alma, S. Miguel
e o diabo a 160 rs. cada um ejemplar.
O grande sorlimtnlo deobjeetos de niuilogostoqne
acaba de receber.
Ricas caixinhas rom msica ricamente enfeita-
das para costura, proprio para um delicado me-
nino.
Riquissimos cofresinhos com cadeadosde meta
para guardar joias.
Ricas caixas com estejo, contendo todos os per
tences para homem.
Riquissimas vollas fingindo perola.
Ditas com lacinho de lita.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
suras.
Lindos aderecos com pedrinhos fingindo bri-
Ihantes.
Ricas fivellas para cinto, de todas as qualidades
e bom gasto.
Ricos cintos do ultimo gostode Pars.
Grande sortimento de lindos enfeites para cabe-
ga, sendo do ultimo gosto e de todos os precos.
Flores muilo linas para noivas.
Luvas enfeitadas e meias de seda para noivas.
Chaposinhos, sapatinbos e meias de seda para,
baptisado.
Riquissimas lilas de todas as qualidades parala-
do, ciise cinteiros.
Camisinhas e golinhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimento de gravatinhas tanto para se-
nhora como para homem.
Lavas de pelica branca e de cores.
Cascarrilhasde bonitas cores.
Trancinhas.galao e maravilhas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
Eotremeios e babadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, seuhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Thesouras ecaBlvetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para olferecimentos.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
frascos qaadrados egarrafinhas.
Pomada lina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de lodos os
tamaitos.
Sabo inglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, marfim c de
osso, para denles.
Pentes para desembarazar, com friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de algodao, assim como muitos
ouiros objectos de gosto que seria impossivel inen-
cinar, que a vista far f, s no Gallo Vigilante,
ru do Crespo n. 7.
Yollinhas.
Lindas voltintias de perolas falsas eom cruzinhas
fingindo brilhaotcs, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato prego do 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos legues de madreperola tanlo para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 125 e 145; s no Vigilante, roa do Crespo
n. 7.
GRANDE NOVIDADE.
4>o no Vigilante.
Riquissimos enfeites de todas asq*alidades para
sehhoras e nmninas, chegados boje da alfandega.
Sintcs
Riquissimos eintss de fita larga e estreita com
fivelas grandes e pequeas, com brmantcs falsos,
eousa de mnito gosto.
Albuos
Tambem chegarawi os riquissimos alfcons para
30 retratos, com rapa de tartaruga -e de mai fim,
cotisa muitochique -. s no Vigilante, roa do Cres-
po n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golmhas e manguitos, omdhor gos-
to possivel, a 2, 2flS00 e3*;s do Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites ara senhora.
Riqoosissim enfeites com laco e se laco e de
outros mnitos gostos a i$, li500 e 3: s o Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Traooelins. *
Lindes trancelins oe eafcello para relegie wi lu-
netas, pelo baratissimo proco de 1300, ditos de
retroz a MO rs.
Babadinhos etilrrmrios.
Grande liquidaco.
Roa da Imperatrlz o. co.
-oja de fazeodas do pavo de Gama & Silva
Acha-se este eslabelecimento completamente
mido de fazeadas inglezas, franeczas, allemas e
iuissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo veoder-se mais barato do que
-n outra qualquer parte, principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixaado ficar penhor, ou mandam-sc levar em ca-
sa pelos caixeiros da oje do Pavao.
Vestidos soutambarqne.
JPelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos ^oulambarque, os mais modernos qne
oeste mercado tem apparecido, os quaes estao
promptes cora saia, corpinho e sen competente
soutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quera tiver bom gosto dirija-se loja do
Pavo, na ra da Imperalriz n. 60.
408 TRES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavo, a 3$. 4$
e 7^000.
Vendem-se llndissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
brancas.proprios para casamento, pelo baratissi-
mo preco de 3 cada corte por se ler comprado
urna grande porcao, sendo fazenda que vale 65,
ditos Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo prego de 4$ cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada um em seu cartao, tendo cada
um lodos os enfeites precisos, pelo baratissimo
preco de 7 cada um, ditos com babados mullo bo-
nitos, mas sem ser em cartao. pelo diminuto pre-
go de 3^500 cada nm; advertindo-se que os donos
da loja do pavao vendem estes vestidos por tao di-
minuto prego por terem comprado urna grande
quantidade e convirlhe liquidan-m logo, na sua
loja, ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva
Aos vinte mil covados de la
Grande pechincba, a 240
e 3SO rs.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transpa-
rentes, sendo com listras e quadrinhos miudinhos,
e lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e rxas para luto, pelo baratissimo prego do 240 o
covado.ditas transparentes com palminhas de seda
Maria Pia, tendo de todas as cores, e tambem
algumas proprias para luto, pelo baralo prego de
320 cada covado, islo por haver urna grande por-
cao : na ra da Imperalriz n. 60, de Gama &
Silva.
Latas e copos com banha una.
A aguia branca, na roa do Queimado u. 8, rece-
beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
Asniodcrnissimas laazinhas re amas
cor, a imitarn de gorgaro, ven-
de o Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho,
CL4RIM
COMMEEtC
RIJA DO QJLEIUJAIIO IV. 45*
Passand o becco da Congregado segunda casa.
NOVIDADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 4o um armazem de molhados denominado Clarim Conrmer-
ciai, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionrda; carante-se c-facm
peso e boa quandade dos gneros comprados neste armazem.
A""A do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e .800, 20600 e 30OOO
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
oSmn el|'600> e em frascos grandes a
zUO.
Idemem caixinhas elegantemente enfeitadas
cm "cas estambas no interior das caixas
a 10200,,400, .0600e2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira dematarana a 320 rs. a
libra.
Avelinas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20rs.j
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a200rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, buchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra, j Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e;Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a OO rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a
cadaum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 6( 0
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
vapor
600 rs
libra
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadree doDouro em caixinian
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
ir) 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a ICO rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VI
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 galoes a 5SC0
e 705CO cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 1100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial em garrafas multo
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
siaazmnasae coraaozmno, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para Conservaba720 im'havA
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amosd 22 J/n -
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratisstf ^em' so de pepmo. a 720 rs.
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe- dem, S de azeitonas, a 750 rs.
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado,
ditas largas multo finas a 400 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padroes miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes con palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560rs., isto tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperalriz n. 60.
Os grosdenaples do Pavao.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe- Chouricas e
rior a 15600 rs. o covado, ditos largos muito en- lihra
corpados a 2,5400, 20600, 20800 e 30000. ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 20000 r.s -----1---------
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
ao Pavao, ra da Imperalriz n. 60.
AsiioKislaas garibaldinas a 300 rs.,
na (ija do Patn.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inteiramente nova no mercado, sen-
do lodas com listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imilagao das sedinbas, tendo
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e805OO a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
paios muito novos a 800 rs a
Vinho do Porto engarrafado o melhor que vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
ha neste peero e de varias marcas, como nheiro.
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto, Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,! barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
Bocage Cbamisso e outros a 800, 900 e i de segunda qualidade a 800 rs.
10000 a garrafa, e era caixa com urna du- dem francez muito nova a G40 rs. a libra.
zia a 9?j000 e 100000. dem de tempero a 400 rs.
dem empipa, Porto, Lisboa e Figueira a Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
480, 500e ,560 rs. a garrafa e 30, 3500 dem em lata a 640 rs.
e 40 a caada, Marmelada imperial dos melhores conserven
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chaleaulumini de" i85i, a 10
a vgarrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
l02OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 108OOrs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes,
800 rs.
dem regular a 500 rs-.
Macas finas para sopa: estrellinha, pe\ide.
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixc em latas preparado pela primein arte
decozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos i dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por \ Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o mellior possivel a
retalho- 20 e em caixiio a 640 rs.
Quem comprar de 100?000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a grozn.
r o abate de 5 por canto. Passas muito novas a 480 rs. a liLra.
Frascos comgomma arbica
dissolvida e pincel.
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
guia branca.
RIVAL SEM SEGUNDO ^ACHINAS bEPAllrr
la do Uueimado ns. 49 e. iiri Ini. rio niint,0,||llI/ttlUlllllU VIO. ti 1 lun e
ltua do yueimado ns. 49 e 55, loja de miuaezas
06 Jos de Azevedo Maia est continuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo prego a vista dos cobres.
Cartas de allinetes francezes da melhor qualidade
a 80 rs.
N( vos albuns.
cun lusirua muagao aas seainnas, tendo varias imi.i,> ...u- j u u" 15-
cores, sendo azul,cor de lirio, carmezim, cinzenta n,.r??df ibr". k d receber outra encom- Grosasde pennas de ago inglezas da melhor qua
e cor de havana, etc.; *> a 500 rs. o covado rara 22!T ffS08 e bem ncadernadls albuns de lidade a 640 rs.
vender depreca: na loja do Pavio,^VoTdJlS tatTSS^SSiSEff1 e marflm' Caixas de clcheles francezes
rador n. O de Gama 4 Silva. ^ IW*0* A** com microscopio para augmentar
<.__:.. !____ .-i t m- n p tamanho dos retratos, continuando a seremveu-
S maiS modernos vestidos a Mana Pa, didos por precos commodos : na ra do Queimado
na loja do Pa>ae, a 16$ loja,da auia trancan. 8.
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com (wf l(lf,t9,V(R 11tt.V(l fp^tl^
os corpinhos differentes, tendo todos os preparse "*'**C/ lUd fJUt U /Cd Itld
com o oompetento sinto : na ra da Imperatriz n. a8ma Dranca ao cessa de encommendar do
60, loja do Pavao.
< amisiirhas a l$00O*
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
muito bem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
urna : na leja do Pavao, roa da Imperafriz h. 60,
de GamaA Silva.
Vestidos para meninas.
Vendem-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muilo bem enfeitades Maria Pia,
tendo de differentes lmannos, pelo barato prego
de 8$ cada um : na loja do Pavao, ra da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.
Roupa feta barata.
Vende-se um grande sortimento de roupa feita
para bomens, sendo caigas de bnm branca o de
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
raeia casemira, paletots saceos e sobrecaeacos de.
casemira e panno preto lino, colletes de todas as
qualidades : na toja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grosdeoaplede cor a I600 o covado.
Veode-se grosdenaple de eor azul, branco e pre-
to, pelo barato prego de IfO o covado : na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linho a 700 re. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lences, toalhas e eeroulas, pelo barato preco
Riqoisimos babadinhos otremeios com lindo* de 700 rs. a v.ara : na loja do Patio, ra da Im-
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Vende se eaiioes vazios proprios
para bahnleiros e funileiros a i760
rada oh; netta tyttgraphia.
Vinho do Porto superior
era barris do oitavo e dcimo, vende Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.: no sen escrlptorlo ra
da Croi o i
Feijdo
Vendem ce saceos com 22 coias de fejao rajado
do Porto por lt$, em cuias a 520 : na ra Direi-
ta-p. 8._________________________ ____
Vende-se urna parte da propriedade denomi-
nada Serra da Cochoeira, sita na freguezia de ta-
quaritlnga, comarca de I.imoeiro, cuja parle ao
sul da mesma prnpriedado, com toda a extenglo
da mesma, do nascente ao poente, a quai parte
divide pelo sul cora os possos do Cachoeira e Cou-
tanda-, coraprehendendo Capoeiro, de Estevo da
Cruz e Salvador; terreno frtil de produegao de
toda a qualidade de legumes, com especialldade
para cullura de algoao criar gado : a tnlar na
Villa de Pi d'Alho com Joo Anaslacio Camello
Pessoa, e nesta cidade do h-'ife com o capitao
DelQm Lias CaTalca.nti Pessoa ?m sen sitio nos
Remedios.
prego de !$200, 1,8500, i 3; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascirrilbas.
Grande sortimento de cascarxhas de diversas
larguras, assim como galozinhoe Irancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimenlo de filas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiran aes com-
pradores, havendo Otas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a il; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debruro de vestido a 700 rs.a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
'Ricos esperaos.
Riquissimos espelhos cem moldura dourada'
sera ella de 8, 10>, 12$ e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 2, 3,4, 5J
e 6; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Liados jarros e ligaras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melbor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com Lonecla para pos de arroz,
coosa de mullo gosto a 15500 e i$, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada un; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimenlo de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
linctivos e offerecimentes as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a H e a 1, assim como outros objectos qne nao e
possivel por boje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far lodo negocio; na loja o gaJto Vigilante,
m* d? Crespo n. 7. ,
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar, urna pergio do retalhos
delas ecasaas de lodas as qualidades, e por pre-
cs muito em couta; quem tem economa qne
pode apreciar : islo na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Garr& & Silva,
Madapolo a 7^000, s na leja do Pavio.
Vende-se'superiar madapolo muito eacorpado,
tendo 20 varas cada pega.com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo prego de 7i000 a pega, ditos
muilo fios a 85, 95 e 105000. E' pechituria, na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama&
Silva.
Cor tes de eaasa a 3O0O. .
Vendem-se omito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada eorle, com desenlies muilo delicados
pelo baratissimo prego de 35000 o corle; sna
loja do Pavo, ruda Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Corles de chita traneeza.
Vendem-se finissimos cortes de chita fran-
ceza.com I i covado?, tendo, padrSes eseuros e
alegres de cores fias.pelo baratissimo prego de
45OO o corte; s na loja do Pavo roa da Impe-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavio.
Vendem-se pegas de cambraia lisa molo fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
45000 tendo 8 1/2 varas cada pega, ditas muito fi-
nas a "5, 85, e 95 a pega, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego de "5, 95 e 105, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada. fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara on 25600 a peca ;
isto na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60,"de
Gama di Silva.
Cortes do la a 14000.
Vendem-se corles de las garibaldlnas, malsa-
das o de quadrinhos, tendo 1*2 covados cada norte
pelo baratissimo prego de 45000 o corte; isto na
loja do Pavo, rU3 (J Imperalriz n. 60 de Gama &
$>!?
que ha de melhor e mais agradare I, e porissoaca-
ba de receber diversas figuras e vasos de p de
pedra com fina banha, assim como bonitos frascos
de excellentes extractos e lindas caixinhas de ma-
deira envernisada com finas perfumaras, tudo
mu prpprlo para presentes de feslas etc., havendo
dinheirodirija-se o pretendente a ruado Queima-
do n. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para engom-
mado
A agpia branca na ra rio Qoeimade n. 8, rece-
beu glbulos de ail fino e frasquinhos com es-
sencia jlediio para engommados.
Outros enfeites.
A ag ia branca acaba (fe receber por este ulti-
mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
dos endites de moldes inteiramente novos e de um
apurad^ gosto, assim pois comparegam os pretn-
denos munidos de dinheiro e cora disposigo de
gastar: na loja da aguia branca ra do Queima-
do n. 8.1
Pequeos pentes de tur-
taruga.
A aguia branca na ra do Queimado n. 8, rece-
ceben nvamenle esses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos fe bem feitos tanlaestima tem merecido pa-
ra as sephoras segurar o cabello quando alado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviam ,encorraendado e a quem mais queira
aproveiter aoccasiao de os comprar continuando
a serein vendidos pelo mesmo preco de ijj cada
um.
Estaiido brancos ficam pretos
O bom resultado e o rpido effeito que produz
a tintura de chromacoma, e mesmo e facillimo
modo daapplicartem se tornado mu conhecido e
apreciada poi todos que usam della e por conse-
guir augmentado a extrago, pelo que a aguia
branca mandouvir mais o novo sortimento que
acaba do receber constando elle de
Caixai com chromacoma para tingir os cabellos.
Frasees com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos om hydrocallethrichina para limpar ditos
Ditos comorychromaniina para limpar as trahas
Sabonetes brancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a preparago feita.
Sapafos de marroquim dou-
I rado para bailes.
Esses kapatosdo grande tom vendem-se nica-
mente n*. ma do Queimado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Me\as finas para senhoras
gordas
. Vendem-se amado Queimado loja da acnla
braDca ni 8.
Esponjas finas para rpsto
Vendem-se na ra do Queimado loja da agria
branca ni. 8.
de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosasde boloesde madreperola muito finos aooT
_ e 640 ris.
Carreteis com 4 a o otavas de retroz preto lino a '
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito snperior a
_ 25OOO. l
Grvalas da liga e de oulras militas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de boles branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Pecas de lila de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Porluguez para os meninos a prender
a ler a SCO rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cariilhasda doulnna chrsta, finas e superiores a
320 rs.
Pentes tinos de niarlim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
300 rs.
Gollinhas para senhora o rnelhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para esparlillu-s muito superior, 1
vara a 20 rs.
Carrits com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
CartSes com 200 jardas de linha branca garant-
(]. > a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punbo, oh que pechincba a.
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de betes de longa prateados muito fino a
Tesouras para costura snperior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranga a
160 rs. M
Caixas com 100 envelopes o melhor qne ha a tm.
ris.
Caixas eom 20 quadernos de papel amizade, mu
fino a 600 rs.
Qnadernos de pape} pequeo muito fino a r'
de trabalhar mo para
.escarcear afigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLBAI
Estas ma< hias
podem deocaroga
qualqner especie
de algodao sera
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; poda
descarogar urna
arroba de algo-
dao em earogo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia oti 5 ar-
robas de a!t'fiio
limpo.
Assim cerno machinas r.aia seren movidas por
animaes, que descarogam 18 arioLas de algcdao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vtnder um bellissrro va-
por que pode fazer mover seis destas machlrss
mencionadas ; para o que convidase ;. .s Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Sannders Brolliers & C.
IV. II, praca do Corpo Sacio
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUKB.
iO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 oja do Raraleirr
conhecido j como tal, est dispendo da f.?er.r
por iodo o prego para apurar dinheiro, qnim qui-
zer venha ver e traga o cobre, e vera o secuir.le :
Baralhos de cartas para voltarete muito
finasa............................ 30f
Miadas de linha Irosa para bordar a___ o
Pares de sapatos de tranca de todos os
tamaitos e finos a................... -< '
Violie da Madeira e do Porto
Vende-seo superior vinho da Madeira e do Por*
to, em caixas de urna e dnas dnzias: s na lojt
do Vigilante, ma do Crespo ikI___________ .
Roa da Sen/alia n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston d C,
sellios e silhes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de velar
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dons cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Cylindros para pada*
ria.
Na padaria da roa Direitan. 84 ha para vender
os conheeidos a acreditados cylindros americanos
para trabalho de padaria tttraupte chefados.
Roa da Senzalla Nota n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac df
ferro coado libra a UO rs., dem d eLov
oor libra a 120 rs._________________
Prelo snperior de Lisboa a $$ o swo.
Tera para vender Antonio Luiz de OlivHra
vedo & C. n,o sea escrptorio ra da Cruz n. 1.
Albuns
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
preco qne em outra qualqner parle: na roa do
Crospo ..*,
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. .. 00
Libras de ara preta muito superior a... UO
Frascos de superior macag oleo a .... 100
Ditos de dito perola a.................. 200
Ditos de oleo de babosa mnito finos a 320
rs. e............................... 500
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida............#................ 400
Ditos de banha muito fina a............ 6i
Ditos de cheiros muito finos para o prego
a ris___.......................... 6C0
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................ 40
Novel los de Hnba com 400 jardas a...... 80
Carriteis de linha de eres com 200 jar-
das a............................. 60
Novellos de linba de gaz de todas as co-
res a ............................. 30
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a...................;... 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a res.............................. 400
Varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para denles da melhor que ha a.. 15000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................ 15000
Pegas de traoga preta liza mnito fina a.. 60
Caixas com 4 papis deagulhas Victoria a 200
Varas de fita preta com colxetes a...... 40
Libras de la sortida de todas as cores a 65500
Bonecos de choro muito bonitos a...... 160
Caixas de obreias de ma ssa molo novas a 40
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a...................... 80
Frascos do leo Phirocomescupen r >... 600
Ditos com superior tinta a320 e........ 500
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a 800
Enfiadores para espartilbo ......... 100
Duzias de botoes encadados para vest- |
\





Diario de Permaritaeo Sexta elra lo de Jaaelro de f 8&
L.
AURORA BRiLHANTE
GRANDES ARMAZENS
!E
MOLHADOS
Largo da Santa^
$S fCruz na. 12 e 84,^
^ jNmina da ra. doM
3ESaECIAES
Largo da Sant
(Cruz ns. 12 e 84,
Vesquida da roa do
sCebo.
O dono dos j muito acreditados armazens de raolhados denominados Aurora
Brilhaute, acaba de receber de sua propria eneommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente esiacfio, e tendo grande sortimento comprado aqui,aan(;a que todos
os seus gneros sao de 1/ qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
ladores%
Xenhum armazem veBder mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, ja pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono se actaar encono-
modado em sua saude e ter de vender um do seus armaiens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra deslas para se comprar
barato. ,
Latas com 8 libras de chouricas muito nova?,
a 703dl).
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de i qualidades, a 10000. 10280 e
i too.
Ditas cora ostras, excellente petisco para [re-
tjideira, a 7i0 rs.
Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a
7J rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
Ditas com araeixas a !1200, 10800 e 30500.
Ditas com marmelada do afamado fabrican-
e nite Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas com ligos de comadre, novos, a lo'OO,
23 e i-yW. '
Ditas.-om bolachinhade soda muito novas, a
'3000.
Ditas com biscoitinhos ingieres de omitas
qualidades, a 15400.
Chocolate.
superior muito novo,
a libra a
ibra
Co^olate
i,520J.
Jficarro tolharim e aleiria amarella.a
a 43.) rs.
Wte dito dita branca, a libra a 400 rs.
Cairas eom estrelinha, pevide e outras mas-
\a caixa 34500.
~ em libras a 640 rs.
[libra a 300 rs.
nha para sopa a libra a 240 rs.
Sis. soleas, a libra a 160 rs.
4;crealas, a libra a 200 rs.
Tauioca muito nova, a libra a 280 rs.
l'arinh i de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do MaranhiM. em sacca a arroba a
20400 e a libra a 80 rs.
Do da India e Java, a arroba a 30200 e a
| libra a 100 rs.
Todciuho de Lisboa a 93500 a arroba e a 320
rs. a libra.
1 Dr.o de dantos, a arroba 70000 e a libra a
1 200 rs.
M jlbos cora 125 sbolas grandes, a 10280.
i M istard fraac'zi caixa com 2 duzas a
80000.
Frascos com mostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com 'onservas inglezas e francezas,
a 640 o 800 rs.
Ditos com sal refinado fino., a 040 c a 500
res.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 10200.
Ditos d 1000).
Ditos de 1 garrafa de Hollauda verdadeira,
a 640 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 galdcs com dita, a 60000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 60000.
Vinho nuscatel de tetuba, a garrafa a
10 100.
Marras'iuinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
e a 10200.
Champagne, a duzia 200090, e a garrafa a
23000.
Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 13000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
70,85, 93 e 103 a caixa.
Ditas com dito branco, a 70000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 203-
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
183000.
Ditas com charaisco superior, a 140000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 120000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
30200, 30300 e 40000, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguimos marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
43300 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 33300 e 43000 e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de cajii muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 30500 e a garrafa a 480 rs.
Gamma.
Sacca de 4 arrobas, a verdadeira de so
engommar. a arroba a 30000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
larioha.
accas grandes com farinha de Goianna mui-
to nova, a 50000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 80,
80500 e 90000.
Cha.
Cha temos uestes gneros o melhor possivel,
liysson, a libra a 20600.
Dito perola a 30000.
Ditouxima 20700,
Dito hysson muito fino a 20800.
Dito redondo a 20500.
Dito preto de primeira qualidade a 20500.
Dito mais baixo a 20000 e 10600.
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Kspenuaeeto.
O masso rom 6 vellas de espermacete a 600,
Ci0e720rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 40 e 2500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs e arroba a 40000.
Alpisla e paineo.
Alpista e paineo, a arroba 40000 ea libra a
100 rs.
Cartas.
Cartas finas parajogar,aduzia a 20500.
Caslaahas.
Caslanhas novas viudas neste vapor, a arro-
ba 40000 e a libra 200 rs.
Azeilonas.
Barns com azeitonas novas a 10300
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 10000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris c meios ditos, a libra a
660 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 30200 e
30500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
10000
Papel.
Papel almaeo pautado, a resma a 40800
Dito dito lizode lindo, a resma a 40300
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
20500
Dito de embrulho bom a 10 e 10200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ua-
deira a 10500 e 20.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 10400
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijelos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa 97 a 20600, e
de latas a 10000, e os boioes a 240 rs., ca- I
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos inos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes g|
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
A 4 8 0 CORTE
Pechineha aem igual.
Lindos cortes para vestido'de percalas de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo prego de k% o corte: na loja das
c lumnasrua do Crespn. Id, de Antonio Cor-
reia de Vaseoncellos .
POTASSA
Farelo de Iisboa.
Vende-se superior farelo em saceos grandes, e
or preeo comraodo, viudo pelo ultimo navio : na
r aa do Ameri, armazem i. 50.
Vende-se potasa em barris a commedo preco o
na ra a Cruz a. 23, primeiro andar, estriptofi:
de Antonio de Almeida Gomes.
NEM COROAS NEM MITRAS
i
GRANDE ARMAZEM
RA DO IMPERADOR \. 40
Justo ae sebrado em que mora o Sr. Osborne,
D liarte Almeida da o mala lindo e variado sortimento de motilados, proprios
da presente estaco.
' ROPA FEITA
M
ABIAZR1
O*
Manteiga ingleza
da safra noyavinda noultimo vapor al,ooo.paifa sopa a melhor que se pode desejar,
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga francesa
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
i a560rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vrdro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
ebegados oeste ultimo vapor a 206oo.
Queijos -
ebegados do ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalbo.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n3o pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem Iiyssod
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarlo, talbarim e aletria a
480 rs. a libra.
COGNAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800
rs. a garrafa e de outras mu las qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
jde excellenle qualidade a 20200 a resma,
i PAPEL,
j azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podira a 800 rs.a libra.
Fumo
o verdadeiro fumu americano em chapa a
l,4oo"rs. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a" 7,ooo rs. a caixa |
e l,ooo rs. o molho.
Alpista o l&mo
o mais novo do mercado a 14g rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 1 ;>000 o cento na ra do Que:-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BIC0
muito novo a 30400 a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo ri. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na roa do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
Ma^as brancas
que
macarro, talbarim e aleiria a 400 rs. a
ibra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
geflerosos engarrafado des melhores fabri-
les da cidade do Porto a 10 e 10200
garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas slo as seguintes: Chamisso & Filhe,
K. 4 M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro eoutros muito.
Latas
10 libras de banda a 40000.
! Bolachinha ingleza
a 10&OO a barrica da mesma
vfndem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r? .l bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
ca* de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
1 Arroz
do Miranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 8(0 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 80f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafoes
'/i garrafas com vinagre a 10000 ta
ogajrrafao.
GEXEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a ca xa.
DEM
em fnsqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hol anda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verd
e2o
LICORES
unos de! todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com ima duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos mel ores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdat eiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libr i.
ARROZ
Maranbp, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,odo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espen ncete de diversas marcas a 56o rs.
a libr e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
XJETREXRO VEK30C.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professeres, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
300000
250000
Casacas de panno preto, 350 e
Sobrecasacas idem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......?00000
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60,50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
d5o, 100, 70 e.....50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de c-
Ditos de setim preto. 50000]
Ditos de ditos e seda branco,
.60 e.......50OOOJ
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40OOOJ
Colletes de fustao e brim bran-
co, 30500,30 e 20500
Seroulas de brim de bnho,
20400 e......20000
Ditas de algodao, 10600 e. 10400
Camisas de peitos de bnho,
40, 30 e......20500
Ditas de madapolo, 20500,
20 e........, {0600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90. 80500
700001 Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de seda, 120,
com 4
jdeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
rs. cada caixinha.
res 50000 e. .... 40OOO 110, 70 e. ....". 600^0
Ditas de pnnceza e merino pre- Collarinhos de linho fino, ulti-
40000 i ma moda duzia.
to de cord3o, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e do
I Sortimento completo de grava-
205OO tas. *
60000
i
60000
205001 Toalhas para rosto, duzia, 110,
e......
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, de alpaca, pr<
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tose de cores. 40000
Ditos de ditas de cores 50 | Lences debramante de linho. 30000
*# e........30500 Cobertas de chita chineza.. 20500
DE
DE
J. VIGNES.
M. 55. RA DO IMPERADOR N. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz coHhecidos para que seja necessario insistir sAre t
sua superiondade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incootc^ta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta prae* : odo-
suindoum teclado e machinismo que obedecem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem-
nunca lalhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos imprten-
tissimos para o clima deste paz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito a-rada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. c
Fazem-se conforme as encemmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes. '
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de musioas dos
melhores autores da Europa, assira como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide oor
precos commodos e razoaveis. r^
caixa e
34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas^ de 2 arrobas a 50 a can
a libra
Passas cmiio novas
em quarts e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a fibra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a SOOrs. a libra e 140rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ultimamente, pera, peceg, ginjae
outros mijitos a 640 rs. a lata.
Bsce da casca da goiaba
a 600 eU ocaixae.
(OMMA MUITO NOVA
em paneires de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 1 iOrs. alibra na ra do Qoei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo a. 9
BOLACHINHAS
em latas di defieren tes qualidades a 10200
a lata 1
QUEIJOS FLAMENGOS
chegadosndste ultimo vapor a 2^800 na ra
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
I 40 e largjo do Carmo n. 9.
us propnetanos do grande-armazem o Verdadeiro Principal declaran aos seus
'3 6 am,gos e ao Pnblico em eral> que Para facilitar a commodidade de todos es-
iipuiaram os mesmes precos nos seguintes logares:
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500 \ na ra do Imperador n. 40.
i ._______
NOVIDADES^
Queijos do .Uentejo, ditos das ilhas o mais fresco que so pode dese-
jar a 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas.eaixiohas
redondas enfeitadas, proprias para mimo da fes;a pelo barato prefo de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de S00 10500
cada uma. Vende-se nicamente no armazem Veidadeiro principal, ra do
Imperador n. 4.
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
ARTE I
Gloria, casa
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do indo 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manha, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnaraisacSes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. ,. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se Czer, e com os reauli
60 rs. ue se Pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meiaonca 10060.
Sende para cima de 12. custarao os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVKOS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dous grandes volumes com diccionario.......'..... 200000
Medicina domestica do Dr. Hering,......... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes..........'.'.'.' 60000
Diccionario de termos de medicina ...... t r .. 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecids e dispensara portan-
te de serem noyamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e accorada preparacao, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O tratameoto o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa a mais de quatreannos, ha muitas pessoas de cujo coaceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujaitar aos precos
azoaveis que costura pedir o annunciante.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
10 a lata : nos armazens da ra do Im-
peradpr n. 16 e. roa do Trapiche Novo n^'8
Vende-se abra nefrinha de 10 anno* bonita
pe?, propria par amo : uo ptieo da matriz da
Santo Antonio n. 8.
trior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal i i uisiv
, rcado, tanto em porf.ao
a mais nova
como a reta-
que ha ns ni
Iho, por barato p,-.v*,aflancando-se aos compra
dore ap >or qualidade: a tratar as segoiiles
roa : Creapo o. 7, Imperador n. 58. Porte do Ma-
los, armazen to Sr. Avilla, defronte j trapict
algodao.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marcaRainha de Portugala 18J000
a caixa, e marca Pedro Va 100; em porcSo
far-se-ha um abate razoavel : no armazem de Fer-
relra & Hatheus, junto ao arco da Conceicaon.
66. No mesmo armazem ha tambem excellente
tnlrodo Porto em ancoretas de agarrafas a 3G#
cada ama, e em porc/to por menos alguma cousa
Vendem-se charutos da Bahia de varias qua-
lidades : era casa de Monhard & C, ra do Tra-
piche o. 48.
Fabrica Conceicao da
g Bahia. .8
Andrade A Reg, receben) constante-
mente etem venda no sen armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aqael-
a fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao empluma etc^ etc..
pelo prego mais razoavel.
****** wmm men
Ovas io sertio.
Na travesa de loio Ferandes Vlelra n. 6, ha
para vender ovas do sertio, tanto tacjdo como a
retalho,
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-M001.
RnadaSmallaiOTa n. 4t
Neste estabeleomento conMa havar
nm completo sortimento de moendas emeia*
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coadp, de todos ot
lmannos para ditos.________'
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vende-se
m excellente carro americano com 4 ro-
das e arreios para um e dous cavados sen-
do muito maneiro e leve, o qual tendo si-
do todo reparado de novo se acha no me-
lhorestadode perfetejio "e asseio : a tratar
com Antonio Jos Rodrigues de Sonza na
ra do Crespo n, 15, das 40 horas do dia at
as 8 da terde.
Vende-se machina para desearocar algodao
oom motores para animaes : na ra da Senzala
Nova n. 41
II
i\ /r-i


Diarte de Peraaatfcae* Se&ta felra SO le Janeiro de IS
MAGNIFICO SORTIMENTO
DE
MOLHADOS
NO
<-ll V\lli: ARMAZElfl
DA
LIGA.
O RUI NOVA OO
C asa da esquina juato a ponte da Boa Vista.
MUITA ATTENQAO.
Parece que o respeitavel publico se achara bastantemente convencido de que a
AO PUBLICO
Seat o menor eonatran-
glmenio se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ATTECto
Os precos da segulnte
tabella para todos, po-
deodo asslm servir de ba
se para o ajuste de eontas
con os portadores.
ARMAZEM U
Rll DA CA1&EIA W* RECIPE IX. 53.
(Logo passando o arco da Coneeif)
Grande re clueca o de precos, equival
Irritado dospulmoes,
Angina, tosse,
Escarros de sangue,
Crupo ou garrotilho,
Catarrho, rouquidao.
e todas as innuraeraveis molestias que f-
fectam aos orgaos da respicacao
DESAPPARECM
mediante a accao da balsmica e irresisli-
vel
ANACAHU
nte a dez por cento menos do que ontro qualquer
annancftaate.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza -a 1,000 rs. a libra, bem assim o de outros
direcco deste "importante estabelecimento tem sido sempre caracterisada pelo maior amitos objectos, etc., dando cora islo ocasio a todas as espeluncas acabarem por bomprego a manteiga de tempero, e gritarem em
gosto e capricho, nao s com relacio ao asseio, superioridade das mercadorias, como alta voz, que podem vender pelo preco qu eu vendo! III Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
na sinceridade do trato e maneiras attenciosas dos empregados da casa para com todas systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reducgo de precos, como veris
aquellas pessoas que se dignara de frequenta-la.
Muitas senhoras pernambucanas e estrangeiras, cujo trato ameno e delicado nao
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelecimenlo da ordem
da Liga tem tinta possoalmente refazer as suas despensas nesta casa e voltado assas
satisfeitas.
E' preciso fazer desapparecer desta importante capital estas nojentas tascas cheias
sempre de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
0 importante e magnifico armazem da Liga se acha felizmente muito fura
dessas condiccoes. E' necessario v-lo para bem se prestar crdito a nossaspalavras.
A mercadoria nunca ser bem comprada se ella n5o fr de boa qualidade. E
sobre este ponto que chamamos a attencao das pessoas que nos quizerem honrar com
a sna fregoezia; porque o nosso grande estabelecimenlo se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parte foram comprados a dinheiro
vista, erecebidas directamente de Londres, Paris e Lisboa.
Ningoem se acha entre nos com mais proporces para vender barato.
As pessoas que comprara para negociar, fariam muito bem ?e quizessem se cer-
tificar do quanto havemos expendido procurando afreguezar-se cora nosco.
Nao duvidamos vender a crdito a quem nos der conhecimento de sua probidade.
Amendeas confortadas em frasees de vidrio, ditas com casca mole
e dura.Ameixas francezas em frasees de vidro, ditas era latas,
ditas em cartoes, ditas a varejo =Alpiste e milho raiudo.As-
sucar refinado fine, dito baixo. Azeile doce em barril, dito
em boies. dito engarrafado, dito francez e pertuguez refinada.
Arroz do Maranhao, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto.Banha de porco embarril
dita era latas, dita refinada em barril e latas. Batatas em gigos,
dila era eaixas, ditas a parejo. Bolaxinhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Bisceites inglezes, Mixede, Meduu, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel, oval Thim Capitam e ouiras mais, ditas de leite de
Edimburgb, etc.Gaf do Rio de 1.a, 2. e 3.a qualidade, dito
miudo.Cha, o que ha de melhor existe em nossos armazens,
uxim, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3* e 4.a qualidades, dito
preto homeopalhico, dito commum.Cbarulos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regaba imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
ditos Napeleoes, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de diversos fabricantes. Chouricas mou-
riscas deLitboa, ditas em latas.Chocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Cerveja-Basse, dita Victoria,
ditas Aleseps, dita tenente, dila II, dita XXX, dita em Larril
branca e preta.Conservas inglezas, diltas francezas, ditlas ali-
menticias.Cevadinha da Franca. Chanpanha superior de di-
versas marcas.Cognacinglez, ditto francez. Ceblas de Lis-
boa em molhos, ditas em restias.Copos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des, ginja, alpercb, pera, pecego, doce de goiaba, em latas ditos em
caixes ditos em frasco de ealda de assucar, ditos de cognagk.Ervi-
lhas em latas, ditas em casca, ditas sem casca.Espermacele de 5e 6 o
mago.Figos em latas de 4 e 8 libras lindamente enfeiladas, ditos em
eaixas grandes e pequeas em barril. Farinha de trigo de diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maranhao, dita do Aracaty.Fumo
do Rio em latas, dito em rolos, dito em lata (do Para) para cigarros.
Genebra ingleza marca gato, dita dita em froscos, dita de Ih llanda era
frascos, dita dita em botijas, dita de Ilamburgo em frascos, dita em bo-
tijas, dita em garrafoes.Graxa em latas.Limonada de diversas fruc-
tas.Licor inglez, dito francez, dito allemd. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dila de 4.a, dita franceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas para sopa, macarro, talharim e aletria,
dita estrellinha e pevide branca e amacolla.- Marrasquino d.e zara de 1.a
qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Mai melada muito fina. Molho
inglez, dito francez.Moslarda ingleza, dita franceza.Presuntosin-
glezes para fiambre, ditos americanos, ditos do Porto para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinlhias para podim.
Pomada do Pi rto.Pimenta do reino. Peixes em latas, iaVel, curvi-
na,. pargo, espada, congro, chermy preparado pelas melhores artes de
eosinha.Papel greve branco, dit paulado, dito almago, dito de peso,
dito amarello.Palitos lixados para dentes, ditos ditos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.Queijos inglez elondrino, dito flamengo. dito
prato, dito suisso.Rap Meuron, dito francez Salame em latas de 1
libra o melhor que aqui tem vindo. Sardinha deBasse, dito de A.
L'Auile.Sanad nacionol, dito massa e nao massa, dito inglez. Sa
nacional, dito inglea a varejo, dito em vidros. Toucinho de Lisboa e
Porto, dito de Santos.Tijolos para limpar facas Vinlios, neste gene-
ro os nossos armazens tem o melhor sortimento que se pode imaginar,
duqae do Porto, lagrimas do Douro, Cames, Bocagc, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, tudo engarrado.
Prevenimos ao publico de que no armazem da liga stemvinhos engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Porto, Lisboa, Figueira e de Sete,
dito em barril de todos os paizes, dito em ancoras, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em barrilinhos com 150 garrafas por
prego a satisfazer o mais exigente comprador em quanto a qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por prego
baretissimo, dito branco para missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrafcs. Vassouras do Porto, ditas americanas.
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairrol at a abertura do momoravel armazem de molbados Uniao Mercantil au
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
estilo obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamagao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimenlo. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fin
tio smente obter a concorrencia de seas freguezes.
-4
de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplido e entei-
reza com que serlo tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a-proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vao em oulra parte
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escomida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e era barril ou
meios a ooo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim e melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
dem pretohomeopatliicoporser de superior
qualidade a 2,ooe rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,600, 1,8o e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao quese vende em nutra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e patos em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se ser em superiores aos qne vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de raeia e urna
j arroba a 8,000 rs. e 1,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flaraengos rauito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e 1,800 rs.
rs.e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpista a i 4o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra.
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiamente
feitas para esse fina.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Cbegaram es modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inleiramenu novos
em gosto e qualidade : loja das columna*, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcellos & C, suceessores de Jos Moreira Lopes.
Eazendas de bom gosto
Para vestidos de senhora
Superiores eortes de seda de cor, de moranle, de gorguro e de setira imperial.
Ditos de bload, e de canbria branea bordados.
Ditos de la com barra o grande variedade em cores e padrees.
Ditos de organdys com barra
Lindas tedas de quadros escosseza e miadas.
Superiores las lisas coa grande variedade de cores.
Ditas com lpicos, com Dores de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas catnbraias ergamlys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia eoutras umitas (azoadas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bournoux de easemira de cor.
Ditas de lia o de seda.
Grande variedade de sont'embarques de seda de 18 a 40.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados unos, de eachimira com lutras de
seda e de fil preto.
Camiziabas modernas, zuavos brancas e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
lmhas com punes e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos ehapellinas de palba de Italia enfeitados para senhora.
Ditos do feltro enfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retro, de (roe, de cabello e do flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia do Vasconcel-
los A C.
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a enes
antes que se acabera.
Ervilhas e favas portuguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,i5oo a
duzia,
Choculate. francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e d,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinltas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e !,ooo rs. cada urna.
Yinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira deA'tona em
frascos grandes a i.ooors. o Irasco, e
H,ooo rs. a duzia.
dem de HollaDda em botijas grandes a 4oo
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 4S,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,000 e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa era caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Doaro, Duque do Porto, DuqueGenoino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetbria em caixa de 1 duzia de 9,000 a
lo,ooo rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinbas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bclachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da faferica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes"
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixas francezas era latas de 1 e meia libra
por-l,2oo; ditas em caixinhas de deverses
taraanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeile doce refinade Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooe a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,boo a duzia.
Vasasuras de escova para esfregar casaa 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Mollao inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Atestara franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidre com rolha do
mesmo a oo rs.
Gereja branca e preta das marcas mais a-
crediUdas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e'alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Cbarutosde todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. [em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,oo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com oento e tantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras^
PEITORAL de KEMP.
a imacal,/na mexicana, que da o nomo
especial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ba usado no Tampico para a cura das er:-
fermidades cima mencionadas. Foj larri-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim.
O peitoral de Kemp e um aarape. deli-
cioso inicuamente livre de opio, acido bj-
drocianico e outros ingredientes nocivo?.
A' venda as drogueras de Caors Bar-
bosa, Bravo & C. e todos os estabclecimen-
tos Dharmaceulicos do imperio.
Vendem-se no Becife em casa de Caors &
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
Attencao.
Existe urna carta vinda da Serra do Martn?, no
Campo Verde, ra do Socego, em um porto en-
costado a casa n. 20 de Jwiniano Xavier de S011-
za para o Sr. Dr. Francisco Lniz Correia de An-
drade.
ESCBAVOS FGIDOS.
Fugio pela manba do da i* do rirmie o
escravo de nome Paulino, com os siganca-scsoiB-
tes : cabra, cara picada de texicas, hilu.- liu-
dos, cabello carapinho, estatura repubr, chein do
corpo, muito conhecido ror .ndar vendendo fa-
zendascom um caixeiroda casa dos Srs. Mancli-
no di C. : roga-se a quem o pegar, de o levar a
casados mesmos na ra do Crespo n. ', que sera
generosamente recompensado.
uiolliao
81--RA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre capriebou lerdas melhores qualidades, efraacamente afliangas pessoas que
se dignarem comprar era seu estabeIecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no qne
sempreo annunciante foi escropaloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqqeo qaeiram honrar como seu comitente Ihes
assegura que o producto de seu laborioso trabalbo ser o mais bem reputado no merca-
de desta praca, para o quesejulga convenientemente habilitado pela longa pratiea com-
mercial que tem eaercklo, sendo seus portadores despachados cora presteza, depois da m-
rem elmente cumprido as suas ordena.
Fornecer genero* aos Srs. agricultorese negociantesque lhe merecam confianca, b-
zendo-um abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commiss5o, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de eneros em seu armazem,
prescindir da commissad.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sna valiosa proteceo, fre*
qnentandocomo outr'ora sua casa, e pelo reconhecimento que Ibes tributa offerece expon-
taneamente sens servicos.
Julga desaecesario publicar a tabella dos precos de seus gneros: sao seus recursos
garanta sufficiente de poder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos eslabelecimenlos, teodo somonte em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Prevenco necessarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio ni mesmarua, julga prudente advertir que s afirma e se respensabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem. ____
Sl-RUA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio,

a? g -
B t | _,
& .. g

co "O
ce
H
CD "O c "
3 o g-2'o'a
r O <" S "
CB
^ I
01
o
m
en
63 r-
i.ftS'Sg'B
b^SI? 21 11s>l
S o .3 sr a o. o q o g
3s?g S-*^;? S'?
3
a
-, S.3 ?5" e
00
U".
u
g
*^-
B, W t
fi M O
13
g'

i
*5 1
a> o
2 05 ft B
O
i
n
O
s
o -1
H
s
a
s
e
>'a noite do dia 16 do correnle, dcsappareceu
do poder do abaixo assignado, o nuilatinho de no-
me Ubaldo qne a semana passado foi annunciado
pelo Diario doRecifc, no~ <3ias 11, 12, 13 e 14, |-;;ra
sealugar, e seus signaes sao os seguiptes : esta-
tura alta, bem alvo e bonito, seco do corpo, bracos
e pernas compridas, dedos finos e grandes, tendo
os dous mnimos dos ps bstanle curtos c finos,
tem 18 annos de idade, cabellos corridos e pretos,
levando elles rentes que bem se v do lado esquer-
do da cabeca orna pelladnra que mostram ter sido
de sarnas, mos e ps bem feitos e cavados, oll.os
grandes e bonitos, sombrancelhas preUs e grossas,
nao buca e tem afinal na perna esquerda do lado
interior dous grandes signaes arroxeados de dnas
gommas, e mais outro menor, bem superior a ca-
beca do osso do lornezello dn direiln, lcvou calca
de brim branco ja usada, e camisa de chita com
flores rochas. Este escravo pertence ao convento
do Carmo de Olinda, que foi reivindicado em apos-
to de 1863 do poder de D. Marrolina G llio da
Silva Leite, filha do finado Jos (laudino Leite, un
cujo poder tinha o nome de Pedro. Este escravo
filho natural do engenho Cama:-saii em Jaboatao,
onde l tem mai e mais parentes, por isso que de
suppor ter elle procurado para all, ou ara casa
de onde foi tirado, por isso que rega-se as autori-
dades policiaes e aos capitaes de campo sua ca tu-
ra, e logo que fr entregue ou no Carmj do Recl-
fe ou na ra Direlta n. 27, ser bem recompen-
sado. Recife, 17 de Janeiro de 1865.Pr. Joao rio
Amor Divino Mascarenhas, prior do Carmo em
Olinda.
Agua Florida.
Pan resUbelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agu florida Bao urna tintura, fcto essen-
cial a contestar, a mesna agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inofensivas, ella ten a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante nao el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida entreten a limpeza da cabeca
destroe as caspas e i m pede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constite poderosara.*,, com a Agna Florida, a
torca, a belleza e a conservado dos cab1.!;;.
Em Paris, casa de QuisUur n. 12, rna do Riche-
lien, e SI, boolevar Moatttarrf,
Todos os frascos, nao tendo intacto o elare, o
timbre prateado da casa, sao repntades falso.
Deposite, roa do Imperador, pbarmacia n. 38.
Aviso.
Deapparecen da casa do abaixo asignado. ;i
ra Augusta n. 96, a escrava Benedicta, de ida-
de de SO annos pouco mais ou menos, com os sig-
naes segnintes: estatura regular, alguma cousa
barriguda, pernas um pouco arqueada, orelhas
grandes como que acabaadas, ol[ios empapuja-
dos, nariz chato, boehechas penduradas. beico in-
ferior grossoe um tanto cnido,dentes do qoeixo
superior eda frente quasi rentes, com falla de um
de um lado, tem no braco direito urna marca co-
mo de fogo formando como que um c, falla fanho-
sa, cuja escrava eslava depositada em casa do
abaixo assignado, por execuco que move Fran-
cisco Candido Piz a Candido Alves Lima, descon-
fia-se que dita escrava ter buscado para a parle
de Igoarass onde j morn e tem por l senho-
res que foram da dita escrava : o abaixo assigna-
do ruga a qualquer capitae de campo e mesmo a
autondade poiicial por onde ella possa appareccr
a facam apprebender que porjqualquer dispeza su
obriga.
___________Joao Jos de Albuquerque.______
Fugio na tarde de 17 do corrente o cabra
Candido, de 21 annos, rosto comprido. nariz chato,
sem barba, estatura alta, com a perna direita tor-
ta para dentro, levou vestido camisa e caifa de
algodo azul, chapeo de palha, oceupacao marti-
ma : pede-se s autoridades policiaes, que no caso
de encontrar, prende-lo ; e aos capitaes de cam-
po de procurar e prender, levando-o a bordo do
brigue D. Afonso, defronte do caes do trapicho
Bario do Livramento, ou do largo do Corpo Santo
n. 21, primeiro andar, qne sera recompensado.
No da 9 de dezembro de 1864 fugio de casa
de sen sechor o escraro Hercnlano, pardo escuro,
com 35 annos, alto, cabellos carapinhos, olhos e
orelhas pequeas, tem apenas bigode e pera, per-
nas e andar de quebra-mangne, tendo o p esquer-
do torto e san i do para fra como pata de sen, e
por isso puxa algnma cousa pela pemn qnando
anda, levou vestido calna branca remendada e ca-
misa branca, levando cnapo de palha, conduzio
igualmente toda roupa qne possne, snppoe-se an-
dar aqui mesmo pela cidde: quem o pegar leve-o
aniaDIreiU a. 54, que ser generosamente re-
compensado.
Auscntou-se cm 29 de dezembro passado do
eugenho liinga de cima, no Cabo, a mulatinha
Jonna, de 14 annos provaveis, comprada a 26 dias,
no Recife, a Jos Firmino de Medeiros por procu-
racio de sua av Josepha Maria dos Prazeres, mo-
radores ambos ao Brejo da Madre de Dos, tem os
signaes seguintes : cor alvacenta, manchas no
rosto, cabello carapinho e ruco, com orna cicatriz
na testa, corpo regalar, com lodos os denles, sem
peitos, as pernas finas, vestigios amigos de chirote
no corpo, padece de bobas as partes occulias, a
falla as vezes viciosa : roga-se s autoridades a
sua captnra, e a qnalqaer particular, podendo ser
remettldo para o referido engenho, oo a Jeao Jes*
de Carvalho Moraes Filbo, roa do Queimado n. 13,
que sero gratificados.__________^^^
ATTENCAO.
Fagio no da 12 do corrente a escrava de nome
Conceiclo, levando eom sigo urna cria, e ha pre-
sumpcao fne foi sedazida pelo menor Pedro Pal-
lo de Albnqnerque, qne umbem sahio de rasa por
ter tachado sua mai e padrasto dos nemes mais
injuriosas : quem quizer saber procure tntestliw
o procedimento do tal menor, e qoal a razac deste
procedlmento.
Mana Theophtla de Albuquerque.


8
Diarlo de Pernambneo -- Sexta letra tO de lae Ir o de 13.V
LITTERTRA.
0 QUE VAE PELO MUNDO
Eis o decreto pele qual o governo chileno
cor.siderou o carvo de pedra, como contrabando
de guerra :
c Santiago, 27 de setembro de 1864.
O presidente da repblica do Chili, conside-
rando :
t i. Que, em conformidade com os principios
o regras geralmente adoptados pelas nacSes civi-
usadas, o carvo de pedra destinado a uin navi0
de guerra de urna nago em estado de hostilidade
com outra, deve ser, e tom effeito considerado
como artigo de contrabando de guerra ;
f 2. Que, em vista dos actos o das declaracSes
dos dous geveroos do Per e de Hespanha, e em
Nagato a bordo do navio almirante inglez, pedindo
que cessassem as hostilidades. Todos os navios ica-
ram bandeira branca.
A esqoadra ancorou em frente da cidade de
Simonosaki.
< Ao meio dia chegou nma outra deputagio da*
qnelle principe, levando para cada um dos com-
mandantes das tres esquTdras, urna caria-de intel-
ra submissao.
PETROPOLIS.
O leilor nao desgostari de certo, fugindo ao ca-
lor da capital do imperio do Brasil, acompanhar-
nos ai Petropolis, e respirar comnosco o ar fresco
da serra, emquanto Ibe vamos narrando as impres-
s5e8 da viagem.
* Nesta carta o principe dizia que o estreito ti
nha sido fechado por ordem do Taikurn e do Mikir
do, e que tinha sido lambem porsua ordem qne no
anno anterior se havia atirado sobre os navios es-
trangelros qne queriam passar o estreito.
Como conllevo para poupar a cidade estabe-
lecea-se a entrega de 75 pecas de brome, de gran-
de valor, a abertura completa do estrello, e o paga.
ro, como o peregrino qne regressa de Jerosalem
com o pensamento embebido em pas e saudosas
reminiscencias, reparlindo pelos amigos as reli-
quias dos santos logares, e as gottas d'agua que*
transporto do Jordao.
Passaremos em claro a parte martima do Itine-
rario. Nem a mar contra, nem as aguas encrespa-
das affrouxaram a carreira do veloz argonauta,
que, segundo a expresso de um raarinbeiro inglez
leva o vento no purao. Deitando doze inilhas por
hora, ebegamos rpidamente a Man.
Emquanto a locomotiva se prepara, fagamos aqui
urna breve diversao.
O porto de Man um lugar solitario c agreste,
que nao lera outra importancia alm da que Hieda
a estac,5o da companhia, e por isso nao merece a
pena de consagrar-lhe umtrabalho mais minucioso;
no emiauto bom dizer que as chegadas e partidas
do vapor aprsenla um aspecto curioso, como to-
mento de urna somma de 2,000:000 dollars
presenja da recento lei promulgada no Chili e dos '(1,840:0005000.)
reforeos enviados esquadra. que oceupa as ilhas c O Metalen e o Amsterdam distinguiram-se pela ,
chinchas, devem reputarse os dous paizes em certeza dos tiros, que causaram grandes estragos dosf "fembarcadouros, pela variedade dos tra-
-luestao como achando-se em estado de guerra de-' aos fortes do nimigo. JOS,dos gantes, o transporte oe seus objectos e
clarada e em hostilidade de facto .... malas, Ocando ludo outra vez em um silencio des-
3. Que umdever da neutralidade impedir
que se faga contrabando de guerra, exportando-se
Jas costas do Chili carvo de pedra destinado aos
navios de guerra de um ou outro dos belige-
rantes.
t Decreta o seguinte :
Artigo. 1. O carvo de pedra destinado ao
abastecimento dos navios de um estado sendo ap-
plcade a actos de hostilidade contra um outro es-
tado, constitue contrabando de guerra.
i Art. 2. E' prohibido exportar das costas do
hili carvo de Pedra com semelhante destino.
i Art. 3. As autoridades da repblica do Chil
que Ihes diz respeito, tomaram todas as provi-
dencias nocossarias para que as prese ntes disposi
coe nao sejam nem violadas nem sophismadas.
t Os almirantes francez e Inglez, elogiando-me o animador depois que parlem para 0 seu deslino os
comportamento da esquadra neerlandeza, disseram- vehculos de condcelo.
me que havlam de fazer menso d'isto nos relato-
nos que dirigissem aos seus governos.
Durante as prximas oito semanas nao poderel
fazer voltar a esquadra a Java, pois que o almiran-
te inglez tenciona voltar a Yohokama pelo mar ia-
lerior e pelo canal Kino, e abrir assim para sem-
pre o commercio japonez para todas as nacoes.
t Tendo-se apoderado o inimigo de um escaler
da Medusa, onde nicamente se achava um mari-
nheiro, fez neste barco grandes estragos, que man-
dei logo reparar.
c O almirante inglez exigiu immediatamente a
restituido de um marinheiro da Amslerdam, bem
Soou o (errivel AU-right 1 Um silvo agudo se
despediu das entranhas do monstro gneo; reben-
tava-lhe das fauces columnas de fumo que se des-
faziam nos ares era negros turbilhoes; a hydra deu
o pnmeiro arranco, e voou impellida por urna for-
ja mals irresistivel que a da tempestado.
Emquanto as senhoras medrosas sentlam os pri-
meiros effeitos de urna commogao nervosa, os pro-
vincianos ruminavam urna descrpcao com queen-
reter os seres da familia, os velhos esfregavam as
mos e menea vam a cabeca, os mogos soltavam
gritos de enthusiasmo e de alegra, nos, pacifica e
tranquilamente sentados, saudavamos lambem, se-
eomo das snas armas e da bandeira qne abi se gundo a bella expresso do Sr. Salles Torres Ho-
OSK
achavam : julgo que os Japonezes tinham morlo es-
ite homem, porque at agora s restituirn) a ban-
Damos conseguido nm extracto do relalorio deira, armas e o vestuario do marinheiro.
do comraandaote da estago naval na Baha, diri-1 As esquadras reunidas apenas tiveram 12 mor.
gido ao ministro) da guerra veerlandez, acerca da tos e 33 feridos.
abertura do estreito de Simanosak no Japo : O relalorio termina manifestando a esperanca
A bordo do barco a vapor de sua magestade, de que o governo de sua magestade neerlandeza n-
Hel Metalen Kruis. Estreno de Simonosaki, 10 de
seembro de 4864.
t Apresso a transraittir V. Exc. a feliz noticia
da abertura do estreito de Simonosaki, em conse-
que satisfeito
quadra.
cora o comportamento daquella es-
=>-<8>--
. pelas esquadras reunidas da Inglaterra, da Franga
cdos Paizes-Baixos.
- O principe de Nagato apresentou a sua com-
-t-lola submissao.
Nao tendo anda podido reunir os relatnos
pareiaes dos offlciaes commandantes, limitar-me-
hei a mencionar alguns pontos principaes.
i Depois que o Taikun recusou ratificar a con-
mem, o carro do trimpbo da industria moderna.
O nagro que voava cora aquella celebre Guerra
de que rezam as Leudas e Narrativas do Sr. Ale-
jandre Herculano, nao transpnnha os brejos e os
vallados n'uma carreira mais vertiginosa, n'uma
mais diablica veiocidade I
Os morros, as collinas, os paes, as vaneas, as
pontes, as planuras, tudo gyrava, ennovelava-se,
fugia diante dos olhos deslumhrados como um so-
nho, urna loucura, um delirio de cerebro exaltado,
febricitante I...
E que fugir irresistivel, implacavel, quasi infer-
nal O espago nivelava-se, as distancias de sappa-
recam, e a locomotiva a correr, a correr.
('.llegamos finalmente ao Fragoso.
Aqu mais urna verdade cruel nos comprovou
A Gazcla da Cruz, publica a seguinte procla-
qu-.ncia do um combate, que durou tres dias, dado raago do rei da Prussia :
Ordem ao exercito.
A guerra gloriosa contra a Dinamarca est
concluida. Foi seguida de urna paz gloriosa.
Ha mais de meio secuto, que os exercitos da
Prussia, se teem conservado inactivos, a nao ser que a vida composta de eternos contrastes,
n'um curio intervalo, mas honroso. A forga que nos impellio at esta altura do ca-
Vos, soldados do meu exercito, que tivesles o minho mudou-se na mais irritante e impertinente
privilegio de dar cumprimento as aegoes da ultima lentido. Os carros de triumpho haviam sido sbs-
gao concluida pelos embaixadores japonezes, _erri haves renovado a giora das armas pras_ tmidos pelos carros da vergonha da industria rao-
i.i rranea, relativamente a abertura do mar in- sjanas : derna. Com as articulagSes deslocadas, afflictos e
ier.br, as esquadras que se achavam n'aquelles Qs ias de e e A|sen s5o consifDados suando em bagas, continuamos a ascencao da ser-
mar. foram, convidadas a abrir forga o estreito ,os e[ernos na hjsloria das ra ra resignados, at avistar a consoladora entrada de
de Simonosaki. ^ Jas ao vosso herosmo, -i*-*-
A esquadra neerlandeza deixou a 28 de agosto
a bahia de Yokoharaa, e no dia seguinte as esqua-
dras franceza e ingleza tambem d'ali partiram, se-
guindo pelo canal Bungo. Havia-se esiabelecido
como local da reucio a ilha Hima-Sima.
ra lempo magnfico favorecen esta viagem, e
e A minha esqoadra, ltimamente formada, jua-
tou-se dignamente as tropas de Ierra e nos seus
primeiros combates cao contou o numero dos na-
vios inimigo.
De accordo com as bravas tropas do meu au-
gusto adiado o imperador da Austria, leudes por
villa Thereza.
Emquanto o postllhab corlava as carnes dos ani-
maos com o desapiedado Iatego, langamos os olhos
para os ocanos de verdura que bordam os despe-
nhadeiros da estrada, e consolamo-nos ouvndo
murmurar os regates invisives, e sentindo rama-
lhar, ou antes vendo agitarera-se os ramos das ar-
vores e dos arbustos desta luxuriaute e eterna ve-
a } de seterabro, noute. achava-Se ali toda a es- toda a parte vencido o nimigo. A beogSo da Pro-
quadra, que se compunha de 9 vasos inglezes, 3 videncia cahiu sobre vos, p jrque tendo confianga! getaglo!
ancezes e 4 neerlandezes; neste porto achava-se era Deus, haveis sido fiis ao dever, obedientes e Qaanl0 mais se ganhim QS pjncaros da ^
mais se affundam de um e outro lado es abysmos
ondulosos das verdes cachoeiras de folhagem. Alm
I desdobrara-se as planicies, depois o mar, depois a
' cidade do Bio de Janeiro, os morros sobreposlos, e
fambem um barco a vapor mercante com a ban- bravos; mas as demais partes de que se compoe
deira americana. o exercito tambem tem adquirido a minha satisfa-
o No dia 4, em conseque ncia do signal do almi- gao.
rante inglez, a esquiara se aproximou dos fortes t Forgas consideraveis desse exercito protege
inimigos. Esta achava-se dividida em tres divi- ram, por meio de um servigo penoso, as frooteiras. fl
Mies ; a da uireila era formada r"',', <">'>- :-j--^ -i- ?.":"" -.!
era formada pela esquadra orientaes do estado contra a rebellio que as amea- (
neerlandeza, a do centro pela ingleza, e a da es- gava; os outros corpos, sustentaram, por um ser-
querda pela franceza. vgo infatigavel o norae que temos de nos achar-
O dia 4 era precisamente o annivorsario do moa sempre promptos para a guerra. Desle modo
rascimento do principe de Orange. Toda a es- a nova organisacao que dei ao exercito, oferece-
quadraigara no tope dos mastros o pavilho ne- nos urna prova notavel.
eriandez, e ao som dos hymnos nacionaes d"este Lango os olhos cora alegra e altivez para toda
raz, execntados nos navios almirantes, francez e a minha (briosa forga militar. Em meo nome e
nglez, largou toda a esquadra o ancoradouro de no da patria, eu vos manifest todo o meu reconhe- micos> Paegyrlco do desenvolvimento a que tem
Uigini-Sima. ciraenl0) e a rainna rea, graljda0. Queira Dens chesado n'es,a ,erra a ar,e culinaria, e a enumera-
Depois do meiodia do da 5 a corveta ingle-! no futaro abencoar tambem a Prussia. Sao das cemmedidades que os hospedes encontrara
ra Tartar, a corveta franceza Dupleix, o barco de: BerUnj 7 de noverabro de 1864.- Guilherme.' n'este estabelecimento semi-arstocratico. Fez-se
vapor neerlandez Matotenjrms, a corveta ingleza_________ ^ ________ | com o mals consciencioso respeito a honra s me
B'.utoso, o barco a vapor neerlandez Djambi, e o
barco a vapor inglez Lropard, receberam ordem
com o reOexo de seu diadema
magesioso.
Entramos gaalmente em Petropolis, onde encon-
tramos alguns amigos, em cuja companhia jant"
mos e passmos algumas horas de animada pales-
tra no hotel de Braganga.
Os leitores dispensem-nos os episodios gactrono-
H&-M
ores iguarias, e salisfeita assim a teimosa exi-
O Jornal de S. Pelersburgo publica o seguinte gencia da parte mriera| do nosso ser, passemos
de se postar em frente das bateras inimigas. Urna kse 'rgido pelo imperador ao senado acerca da ,Qm poQCO as doccs gQras do so, pos,o pe|os de,ej.
segunda divif.io, de que a Medusa fez parte, de reforma judiciana na Bussia. ^ I tosos va,|es que se espreguicam ]ant0 as abas das
via cobrir os.flancos.
Na nossa exaltago ao throno dos nossos an-
tepassados, um dos nossos primeiros desejos,pro-
piltorescas montanhas.
Desde o Itinerario de Pars a Jerusalem de Cha-
Oatmirante inglez deu ordem s qua.ro horas- clamados n0 nosso manifest de ^^^,J^TrmmmSa^S^
da manhaa para romper o fogo, a qne as bateras! 1854 tinha sido aue a ennidadee a clemencia rei- ir 7, T 1 i? amart.ne,
aponezes corresnonderam cora vuror. l''". i .T^T^6 Ida Correspondencia de M.chaud, e das brilhantes
aponezes correspondern! cora vigor.
- Metalen Kruis recebeu a primeira descarga,
morrendo 2 marmheiros, sendo ferit .s gravemen-
nem nos nossos tribunaes.
O sol declnava de sua carreira.magestosa, fran
jando de quro as orlas do horizonte. Os ramos des
arvoredos, cujos troncos enlacam festSes de varia-
das parsitas, debrugam-se convulsos sobre as
aguas do ro, gemeodo com ellas um cntico de
tristeza. A sombra desee das collwas, alastra o
valle, e estende o seu manto de silencio pelas nc
blinas do crepsculo, onde primeiro e noute sorr
antes de pousar na trra. A nalureza havia che-
gado a esse momento de conchego, melancola e
dogura em que as mes adormecem os fllhinhos,
apertando-os amorosamente contra o seio. .
Leitor, paremos um instante n'esta ponte de ma-
deira, e contemplemos esse lindo grupo de duas
mangas que brincam ao p daquellas pedras mus-
gosas.
E' um menino e urna menina. Ella est recli-
nada como um botao de rosa sobre a folhagem
elle de pe, como a imagem da forga e a asprago
de heroicidade I
As decantadas filhas de lady Londonderry nao
tinham, sob urna cntis mais fina, um azul mais
transparente as veas. Sao dus cabegas de an-
jo, dous senhos de Baphael I
Sao ambos extremamente parecidos. Os seus
cempridos cabellos annellados em cachos de ouro.
o azul celeste de seus olhos radiantes, a al va finu-
ra de sua cntls ligeiramente dourada pelos raios do
sol americano, tudo nos indica que sao dous des-
cendentes da patria da Germania, do Bheno e do
Goethe; nodesembarago de seus movmentos, na
resolugo firme de seu olbar, que serlo dous artis-
tas laboriosos, dous filhos do povo, martyres ou
triumphadores do trabalho.
rormosas criangas, eu me inclino diante de vos-
sa cor&a de innocencia, e respeitoso fago votos pela
felicidade de vosso destino 1
Eu tenbo um amor innato por todos os entes
fracos, e sinto no corago um natural impulso que
me leva para todos os que se acham nos dous ex-
tremos da existencia : a infancia e a velhfce !
O bergo e o tmulo sao as duas portas de entra-
da e sabida do mundo, onde aquelles que as trans.
poera desfallecem e clioram t
Por isso as creangas me interessam a ponto que
esquego mnitas vezes essa gravidade burlesca que
nos impoem as formulas convencionaes das conve-
niencias sociaes, para brincar com os infantes,
sentindo remogar, com esta desercao vida offi-
cial, ludo quanto existe de mais animador e risonho
dentro da minba alma 1
A innocencia da primeira edade um perfume
que nos embriaga o corago, e a cojo contacto a
nossa alma se sent expandir em generosos
affectos 1
As creangas sao os espiritos bons que nos dias
de trevas espalham a luz no lar desolado, e fallam
mente do cu e da imraortalidade, nessas horas
angustiosas da existencia era que tudo que nos
rodeia parece repetir com fnebre expresso : dr
desespero, maldigo, nada!
As creangas sao os mensageiros que Deus enva
Ierra, e a quom coofli o germen de todas as
promessas e de todas as esperangas do futuro !
E' por isso que eu amo as creangas, e me deleito
horas inteiras na sua intima e innocente conviven-
cia, e rae lerabro com saudade de seus brinquedos
e caricias 1
OhJ carao triste ver morrer urna creanga I Ga-
ir no umbral da vida antes de assislir s suas
festas e tristezas, as suas dores e alegras, se bem
que deva ser urna fortuna para o ente a quera Deus
paroce nSo querer demorar na trra, e chama de
novo para si, no em tanto um soffrment bem
pungente para aquelles a quem esses pequeninos
abandonara, e deixam atribulados sem a sua com-
panhia, que poucos annos, poucos mezes, poucos
dias bastam para tornar indispensavel, e constituir
em urna necessidade imperiosa da alma o do
corago 1
O poeta das Folhas cnidas, o immortal Garren,
J disse :
Ai! Nao sabe o que tormento,
Nao sabe o que padecer,
Quem o filho que ama
Nao vio ainda morrer I
O grupo das duas creancinhas de Petropolis, que
encontramos no carainho da Bhenania, produzi-
ram-nos urna grande impresso. Ainda ao trac'ar
estas iinhas parece-nos ver o seu grupo gracioso,
e o ultimo raio de sol dourar os cachos annelados
de sua cabelleira loura I
TBSSSrSffVtra, reformas exigidas!*+" deXa L' Mais,re 'P* "da
polas necessidades da nossa existencia nacional, te- do eu *Ioarto> nao na P""grno que nao escreva
te 1, e ligeiramente 2. As outras balas apneas Ibe mo-nos constantemente preoecupado dos meios por a hlstoria de_sua romaria, embora nao seja tao en.
ofendern o apparelho. | que se deve alcangar esse fim, para a melhor or- [,osa nera ta0 celebre cmo a destes Ilustres va-
Os japonezes durante trinta e cinco minutos ganisago da jusliga, e em consequencia, e em pre- anteS- Per_uoem-me, pois, se, acompanhando o
responderam calorosamente ao fogo das seis cor-j senga de grande numero de trabalhos preparatortfiiro de l_ fundes meslres, me aventuro a tra-
veta, logo depois affrouxaram, e dentro em pouco j rios da 2* secgo da nossa chancellara particular,
as snas bateras calaram-se. i sanecionamos a 29 de setembro de 1862, e orde-
Quando a dirsiio dos flancos se aproximou namos que se publicassem imraedatamenle, as ba-
ses da reforma judiciaria.
Os prietos de cdigo, elaborados segundo
estas bases por nma commisso especial que insti-
tuirn) para esse fim, foram discutidos detalhada-
as bateras, o; japenezes fugiram destas.
As corvetas inglozas Penseuse e Medusa forara
encarregadas deencravar a primeira batera.
t Na madrugada do da 6 os japonezes rompe-
rn) de novo o fogo de urna batera que ficaya por mente e emendados peloconselho do imperio,
detrat dos fortes, o que occasionou grandes estra.' DePois de ter examinado estes projeclos, Jin-
gos no Tartar e Dupletx, porm estes navios res- Bamos 1ue satisfazera completamente ao desejo que
ponderara enrgicamente quelle ataque. i,emos de estabelecer na Bussia urna adminislra-
Durante o combate tinbam desembarcado al-' 9 de justiga prompta, equitativa, clemente, e
g urnas tropas, e haviam avangado em linha de ali- e8ual P*ra ldos os nossos subditos : de restaurar
radores, parte para a montanha e parte ao longo i poder judicial: de Ihe dar a independencia in-
da praia na direcgo s bateras que de lempos a i dlsPensaTel> e era eeral de coater na nago o res-
lempos ainda atiravam, p oslo que fracamente. | P6'10 da lei> sem 1e Bao ha "Prospendade pu-
. A approximagao das tropas os Japonezes fug-;ttlca Pssive1' e 1ue deve ser movel COBS,anle
rara em urna verdadeira confuso. As tropas des- os aclos de odos e de cada um' desde We Ura
a mais elevada collocago at mais nfima.
Por consequencia, julgmos conveniente sanc-
embarcadas, apoiadas #elo fogo das chalupas ar
madas.approximarara-se das portas de Simonosaki,
tendo recebido alguns tiros de urna batera de cam.
panha que ali se achava collonada. O almirante
inglez, nao querendo a vanear mais, ordenou que as
tropas embarcassem.
t Em resultado do combate o fogo havia-se com-
municado a algumas casas.
cionar, Io o regulamento de organisacao judiciaria,
2o o cdigo de instruego criminal, 3 o cdigo do
processo civil, e 4o o cdigo das penas que se de-
vem applicar por parte dos jnizes de paz, elabora-
das e discutidas como cima es diz, e transmiltin-
do estas lels ao senado, ordenmos-lhe que tome
! as disposiedes necessanas para a sua promulga-
A 7 de setembro as corvetas Tartar, Dupleix, | ^ Indicaremos em- poac0( de uma maneira es.
Metalen e Djambi, que fermaVam a vanguarda, re-
ceberam ordem para passar o estreito a vapor, e
poslar-se em frente da cidade de Simonosaki.
c Emquanto esta cidade se nao mostrava hostil,
era preciso poupa-la.
< No dia 8 aquellas quairo corvetas subiram -
estreito e se approximaram das duas grandes bateo
ras que havia na ilha de Hiho-Sima, sobre qne fi-
zerara mulos tiros, a que estas nao responderam,
e ancoraran) ali.
c Depois das oqnipagens descancarem, desem-
barcaran! as tropas das tres esquadras, que igaram
os pavilhoe* respectivos, ao lado ons dos outros,
nos fortes, e acto continuo foram encravar as pecas
japonezas : as foriicagoes foram destruidas por
meio de fogo de minas.
c Nesse dia chegou ama deputaco de principe
pecial, a maneira de Ihe dar execoco.
c Appellando para a benglo do Todo Poderoso
sobre esta grande obra, appraz-nos esperar que os
nossos designios serSo cumpridos com a coopera-
cao zelosa dos nossos fiis subditos, tanto pelos es-
forgos individuaes de cada um, como pelo concur-
so das communidades, das corporagoes e das ins-
tituigSes provinciaes organizadas sobre as novas
bases pela nossa vontade.
tAlexanre.
car com mao incerta o esbogo de algumas palsa-
gens, a pintar-vos o effeito de algumas impressoes,
a relatar-vos n'esti paginas descoradas algumas
das semas naturaes e dos costuraes semi-europos
que do a Petropolis nma physlonomia tao diversa
da do Bio de Janeiro, e talvez mesmo de todas as
outras povoag5es do Brasil.
Seria estudo Interessante segnir passo a passo o
desenvolvimento de uma povoago que surgiu, co-
mo por encanto, da braveza das matlas e do seio
das penedias.
A mo da industria, a forga potente da civilisa-
go, e mais do que tudo o auxilio e a magnnima
generosidade de um monarcha animador do pro-
gresso e acorogoador do trabalho, deram a este n-
cleo colonial um impulso de vida, ama aetividade
de circulagao, de prosperidade e engrandecimiento
que admira e pasma.
Em 1821 a primeira sesmaria desle lerreno foi
concedida ao sargento-mr Bernardo Soares de
Proenca. Em 1830 foi vendida esta fazenda ao Sr.
D: Pedro I pela qnantia de 20:000*0001 Em 1848
nao havia ainda em Petropolis seno duas ou tres
casas I
Em dez annos levantouse uma cidade I
Cidade que junta araenidade do clima grandes
commodidades para a residencia tanto de naturaes,
como de estranhos, algumas das quaes nao se p-
dem encontrar com tanta facilidade na corte : agua
deliciosa, frescura das manhaas e das nontes, pas-
seios magnficos e de uma variedade sorprendedo-
ra, escolas, os melhores estabeleciraentos de educa,
cao e ensino do imperio, bellos botis llemaes-
cerveja nacional' mogas bonitas e abundancia de
flores, e, alm de tudo isto, mantelga fresca!
Nao quero encarregar-me de tragar aqui uma
descripgao de Petropolis. Tenciono apenas, como
Tsarsko Slo, 10 de novembro (2 de dezem-Ja disse, desenbar a largos tragos alguns dos sitios,
bro) de 1864.
UM PBUCe DE TUDO.
Do Jornal das Familias transcrevemos o seguin-
te do Sr. Stephen:
das paisagens, das curiosidades lcaos que me cau
saram mais impresso, visitar os pnneipaes esta-
belecimento?, percorrer algumas calmeas col-
niaes que lio poticamente se penduram cas ver-
tentes das montanhas, gozar do fresco e da som-
e bra, voltar tranqu lilamente para o Rio de Janel-
0 desalinho destes apontamentos de viagem talvez
nao agrade a muitos dos leitores; porm, se qui-
zessemos fazer-lhes a vontade, era-nos preciso
contrariar a correte de nossas ideas, afim de
apparentar com uma unldade falsa trabalhos que
sao por sua natureza soltos e desconnexos.
Preferimos continuar assim, embora nos nao
leiam aquelles que forem mais exigentes.
Petropolfs est hoje triste e montona, como
todas as povoacoes do interior a quem mais ou
menos teem tirado a aoimaco as calamidades que
bao affligido nestes ltimos tempos o paz; mas j
foi um centro de vida, uma estago de prazeres
ruidosos e do constantes divertimentos, para onde
aflluia todos os annos, no vero, grande numero
dos habitantes da capital, e os estrangeiros que
aprovam nossa trra. Foi nessa data que escre-
vemos estes apontamentos.
Cremos, porm, que o prestigio da cidade predi-
lecta do que ha de mais brilhante, rico e distinelo
na capital do imperio, ainda vira convidar novas
romarias sua agradavel residencia.
Esla encantadora cidade, qe com razao se deve
chamar a Veneza americana, tem nos seus annaes
paginas tao dignas do memoria, que nao devera
esqoecer-se, abandonando-a com ingratfdo. Espe-
ramos pois que, passados estes dias de aprovago,
ainda voltario lempos mais felizes para a formosa
colonia da monlaohosa serra dos pincaros azu-
lados.
------- f>"
O Sr. X. pede-nos a publcagao da seguinte poesa
humorstica:
MENINAS !
Querem ouvir o meu canto T
Pois bem, escotero, l vae,
Mas pego-Ibes no entanto
Q'o nao revelem ao papae.
Eu amo todas as mogas,
Que namoram...... por officio:
Curapro assim a lei d'amor,
Sem o menor sacrificio.
Amo a moga janelleira
Que bem sabe tijolar ;
Pois vale tudo neste mondo
Que se pode desejar.
Amo a que sacca letrinbas
Aos aceitantes janotas,
BasoOando ter thesouros,
Quando nem possuem as botas.
Amo a que se corresponde
Com qualquer biso careta,
E a que finge odiar?velhos,
Dando corda algum jarreta.
Amo a moca calculista
Que se esmera em armar lagos,
P'ra pilnar algum janota
Dos que Ihe seguem os passos
E que se nenhum dos janotas
Quer no lago o p pousar,
Agarra-se a algum dos belgas,
Que vivem a philosopbar.
Quando Bao a namorada
Passa p'ra lia; sem rendas,
Tudo nella fica estril___
Adeus minhas encommendas I
J euviram, pois, meo canto;
Pois bem comprehendem-no em fim ;
Agora tomo tabaco........
Ali.... ati.. atichim 1
Parece que no momento da tomada da cidade se
matarara multas mulheres para escaparen) a
crueldade e aos grosseiros oltrages dos Mand-
Chout.
Transcrevemos da Estrella do Sul:
A fOCA DA EGREJA CATHOLICA J PASSOU.
Resposta.Dezenove seculos est para fazer que
ella eziste ; e qaasi outros tantos ha que o mesmo
della se diz. Cada seculo, cada impio, cada inven-
tor de seita ou de heresia er ter emfim chegado
i a esse da famoso do enterro da egreja catholiea
cada um delles se er destinado "fc entoar o"D?
profundts do papado, do sacerdocio catholico, da
missa e de todas as antigs crengas da egreja....
e todava esse dia nao chega.
Assim no primeiro seculo do christianismo, um
procnsul do imperador Trajano Ihe escrevia :
t Em breve gragas perseguigao, esla seita ser
suffocada, e nao se ouvir mais fallar desse Deus-
crucificado. >
E Trajano morreo, e o Deus crucificado reina
sempre no mundo I
Assim, tres seculos mais tarde, Juliano o aposta-
ta se gabava de tpreparar o ataude de Galilea >.
isto de aniquilar sua religioe sna egreja...
E Juliano morreu, eo Galilea esua egreja vivem
ainda I
Assim, no seculo XVI, Lulhero, esse monge re
volucionario que fez da soberba e da revolta uma
religio, fallava do papado, como de urna antigua-
Iba que la ter seu fim : Oh 1 papa, dizia elle, oh
papa I durante minha vida eu era uma peste para
ti; depois de minha morte, serei tua destrui-
cao l...i
E Luthero morreu, e seu protestantismo por toda
a parte se desmorona I e o papado sempre perraa-
ce majs vivo, mais florente, mais venerado que
nunca I
E' ainda assim que Voltaire o inimigo pessoal
de Jess Chrislo, Voltaire, que assgnava suas car-
tas por Voltaire Christ moque (Voltaire chasquea
Christo), ou crasons f infame (esraaguemos o
infame) isto Jess Christo e sua egraja ; as-
sim, digo ea, que Voltaire escrevia um de seas
amigos : Estou cangado de ouvir dizer, que basta-
ran) doze homens para fundar a religo catholiea ;
e eu quero fazer ver que basta urna s para des-
lrui-la.tDaquivinte annos, escrevia elle a um
outro, feito do Galilea 1 >
E tinte annos depois, da por da, Voltaire mor-
ria em nm desespero de condemnado, chamando
por um padre, que seus amigos os philosophos es-
torva vam de chegar-se a elle...
E a egreja vive sempre atravessando as edades,
esmagando em sna pacifica passagem todos aquel-
les que a querem desmoronar.
O mesmo ha de acontecer com nossos grandes
systemas modernos philosophicos e sociaes, que
modestamente se erigem em reformadores da rel-
giode Jess Christo, era substitutos da egreja ca-
tholiea.
Menos temiveis ainda que seus antecessores, essa
pobre gente nem sequer desconfia de sua fraqueza !
Julgam apresentar novidade, e nao fazera seno
requentar o velho theraa das Voltaires, dos Calvi-
nos, dos Lutheros, dos Arios, etc.
Teem-se elles pois esquecido da palavra do Sal-
vador ao primeiro papa e aos primeiros bispos:
< Ide, ensinae a todos os povos ; eu propbio estou
comcosco todos os dias, at a consi-mmaqao dos
seculos?.
Esqueceram-se do que elle disse ao principe dos
apostlos : c Tu es Pedro, e sobre esta pedra edifi-
carei a minha egreja, e as potencias do infrrno
NAO PRETALECEIIAO CONTRA ELLA I >
O que Deus fundou julgam elles poder des-
truir T
Nao, a poca da egreja catholiea nlo passou, e s
passar quando tiver passado a do mundo.
A egreja nada teme ; conhece o principio divi-
no de sua forga e de sua vida. E ella ha de enter-
rar seus adversarios presentes, mais fcil, mais
pacificamente ainda do que o (ez a seus predeces-
sores.

EU QUERO 0 EVANGELIIO PURO, O CHRISTIANISMO
PRIMITIVO.
E eu tambem o quero, e nao quero outro; e o
possuo se sou bom catholico, e vos tambem o po-
dis possuir sob as mesmas condigoes.
Se sois bom catholico segus o Evangelho em
toda a sua pureza ; tebdes o mesmo christianismo.
as mesmas crengas, a mesma religio que os pri-
meiros chrslos. I
O leupo nao lera modificado o christianismo se
nao em algumas de suas formas exteriores ; o es-
sencial o mesmo, absolutamente o mesmo, desde
que elle existe.
Estas modiOcagdes, estes desenvolvimentos que
fazem crer s pessoas pouco refleclidas, que o
christianismo actual diferente do christianismo
primitivo, sao da mesma natureza das cousas, e se
encontram em todas as obras de Dos.
Assim, um ser diferente de si proprio o ho-
mem quando tem um anno, quando dez, quando
trinta ?
Nao evidentemente, o mesmo individuo, dcs-
envolvendo-se pouco a pouco, e adqoirindo a per-
feigo de seu ser.
O mesmo acerca das obras de Deus na ordem
sobrenatural.
A egreja catholiea, no lempo dos apostlos, esla-
va era seu germen -, nao se viam ainda todas as
suas riquezas, lodo o seu poder, toda a sua vida;
mas tudo isto exista para se desenvolver com os
seculos.
Quanto mais se estada a antiguidade christaa.
tanto mais se reconhece a verdade do que dizemos
aqu.
E este estudo consriencioso que tem recondu-
zido ao gremio da religo catholiea um grande
numero de sabios protestantes ou incrdulos, que
acharan) nos monumentos dos tres primeiros se-
clos da egreja os sorprendentes vestigios e o prin-
cipio de todas as nossas instituigoes catholicas ; en-
tre outras, a supremaca espiritual do bispo de Ro-
ma, successor de S. Pedro ; sua aatoridade doc-
trinal ; assim como a dos bispos, successores dos
apostlos ; a pompa do culto divino ; o sacrificio
da missa, com todas as ceremonias, que nos ainda
pralicamos, e a mor parle das quaes remontara ao
proprio seculo dos apostlos; o culto da Santa
Virgem Me de Deus ; o culto dos santos, da re-
liquias, das imagens ; os sete sacramentos, entre
outros a confisso feita ao sacerdote, etc., ele.
Tem-se descoberto recentemente nas catacumbas
de Roma, principalmente na de Santa Ignez, que
data do mno do segundo secuto, eapeHas inteiras
com muitos altares em que descancavam as reli-
quias dos mart> res, com pinturas, com imagens da
Sania Virgem,' com nma cadeira pontifical, com
pias, confessiofcaros, etc.
Grandemente se abusa pois da credulidad do
povo quando se Ihe prega qne o verdeiro christia-
nismo, o ehrstlanismo dos primeiros tempos, em
outra parle se aclia que nao na crenca e pratica da
religo catholiea.
Em todos os tempos, chrslos e catholico* teem
sido synonymos, e os bons catholicos de nosso lem-
po nao differem dos bons catholicos dos primeiros
seculos seno na vestimenta ; a f, o corago, as
obras sao as mesmas.
Todas as heresias teem tido esta pretencao qne
apregoam era nossos dias os pretendidos reforma-
dores da sociedade e da religo. Elles repetem o
que diziam, ha tres seculos, Luthero e Calvino, seus
antepassado.
t Nos vimos reformar 'christianismo, revcalo
! sua pureza primitiva. Vos, egreja catholiea, vos
sacerdotes calhelicos, nada disto entendis; lendes
As prisoes ainda esto cheias de prisioneiros, e corrompido a verdade, a religo, a doutrina de
todos os dias ha o espectculo de centenares de Jesus C","9*0-,, 08 s6,s Pp580"1". e a traremos
*wnpM Ia0 roundo Cad* I"*' P018 no* e*wlte : s nise-
ei.cvui.uco. riag hUraanas vao cessar; eis a nova era que vai
Soldados imperialistas arrancam as entranhas a principiar I I....
suppliciados que ainda respirara e as do a devo- Defxemo-los fallar, e nao os creamos primeira
rar'aos ces; outros jogam a bola com a cabera P*>,vr**
corlada de fresco, IPEBNAMBUCO.TYP.DE M. F. DE F.4 FILHO
Sobre o Evangelho de S. Matheus, capitulo IX v.
XVIII a XXVI Senhor minha filha acaba de mor-
rer, mas vlnde impor vossas raaos sobre ella e
tornar a vlrer escreve o Cruzeiro do Brasil o
seguinte :
Era impossvel que a frequente repetgao dos
admiraveis milagres, que Jesus Christo operava
entre os judeus em confirmago de sua doutrina-
nao produzisseentre elles verdadeiros crentes.ape-
zar do endurecimento do seu coraeo todo carnal I
Pela leitura dos evangelhos observamos o pro-
gresso que essa f, sempre combatida desde sua
origera, ia tazendo neltes; assim como observamos
que o odio da Sinagoga acompanhav-o nesse eres-
cimento.
Nao qualquer do povo que o Evangelho de
hojo menciona ter vindo prostrar-se aos ps de
Jesus Christo, considerado pela Sinagoga como
blasphemo, impostor, e ale corno tendo parte com
o diabo !
Hoje o proprio chefe da Sinagoga de Caphar-
naum que vem humildemente prostrar-se aos ps
de Jesus Chrislo, dizendo-lhe :
Senhor Minha filha acaba de morrer, mas,
vos que sois a misericordia e compaixo em pes-
soa, compadece-vos tambera de minha excessiva
dr, e vlnde impor sobre ella essas benefleentes
maos, e minha filha tornar a viver 1
Que mais era preciso para ser onvida esta pre-
ce cheia de humildade e confianga ? Nunca deixa
de ser honrado pela munificencia divina urna pre-
ce humilde feita com viva f.
Foi cerlamente por virtude dessa f tao viva,
unida profunda humildade, qae essa mulher,
soffredora de froxo por tantos annos, ficou em um
instante curada, s por tocar nas vestes do divino
Salvador, independente de ihe dizer vocalmente
qualquer supplica : porque, dizia ella comsigo
mesma :
E' tal a sua virtude, o seu poder tal, que
nada mais me preciso para ficar curada; seno
poder ter a grande felicidade de tocar-lhe na orla
de seus vestidos I...
E assim ihe foi feito !...
Ide, Ihe diz Jesus Christo : a tua f te
salvou.
A summa bondade de Jesus Christo nao deixa
de acodir a dr pungente, que dilacera o paternal
corago desle Lhefo da Sinagoga, segue-o sua
casa, e all entrando se 'dirige multdSo, e aos
msicos que j se acham reunidos para formar o
prestito do enterro, segundo o costume, e Ihes diz :
Podis vos retirar, porque esta filha dorme
sim, porm nao est morta.
Semelhante noticia produziu nos circumstantes
nao admirago, porem quasi zombaria ; mas bem
depressa seus coragSes vram o maior dos mila-
gres, porque Jesus Christo approxmando se do fe-
retro onde estava a defunta, toma-lhe as mos, e
ella se acha com vida I... Acontecimento este que
se divulga com a rapidez do raio para attrahir a
Jesus Christo malor numero de crentes, e ao mes-
mo tempo maior excitagao dos phariseus contra
sua divina pessoa I
Acabamos de ver como Deus allende s preces
cheias de humildade confianga, mas nao nos de-
ve escapar que elle sempre proporciona o gru de
gragas que nos concede pela altura de nossa f, e
frequenles so'os exemplos a este respeilo.
Ifoyss, que merecen ser denominado pelo pro-
prio Deuspor meu amigo Moyss,esse mesmo
teve de ferir a pedra duas vezes com a vara, quan-
do no deserto preeisou de agua para saciar a r-
deme sede do povo hebraico, por se Ihe enfraque-
ivr a f nessa occasio ; quanto mais a nos que
pelas nossas culpas estamos sempre affastados de
Deus, e por isso com a nossa f quasi morta.
Mas Deus exige pouco de nos, e elle mesmo nos
supprir essarncredulidade, de>de que recorrer-
mos a elle com o corago humilde e contricto.
Cheguemos pois elle cora confianga, que nossas
preces sero ou vidas.
De uma correspondencia da China ao peridico
francez Le Temps extrahimos algumas Iinhas que
dizem o que sao os sentimentos de humanidade no
vasto paiz governado pelo filho do cu.
E'escrlpta a correspondencia porum inglez, tes-
temunha ocular dos factos que refere, e que se
passam depois da tomada de Nankin, capital dos
rebeldes pelas tropas imperialistas.
Cm dos chefes da rebellio e um dos sens te-
nenies devam ser mandados para Pekn, mas, por
motivos ignorados, mudou-se de parecer e resol-
veu-se que se procedesse ao seu jusligamento mes-
mo ero Nankin.
Nao referirei todas os requintes de crueldades
reservados para os dous caudllhos pela barbarida-
de dos Mandchous.
Quando os condemnados chegaram ao lugar do
supplicio, as torturas que j se Ihes tinha feito sof-
frer e horrorosas mutilagoes j Ihes tiravara toda
a forma humana.
Mas a raiva dos seus algozes estava longe de ser
salisfeita.
Durante mais de qnatro horas, na presenga das
autoridades offlciaes e de muitos milhares de pes-
soas, foram engenhosos em inventar torturas no-
vas para os infelizes Taipings. Por m, depois de
Ihes terem tirado quasi toda a carne com escovas
de rame, arrancado os olhos e a lingua, reta-
lhado a carne que anda estava e quebrado todas
as articulages, coriaram-nos em pedagos, para
mandaren) s cidades do imperio esses tristes re-
lalhos do que foram corpos humanos.
Ainda que uma parte dos habitantes de Nankin
voltasse cidade, ainda ha mnitas ras sem gen-
te, e nao se do muitos passos sem se encontraren)
feasas incendiadas ou destruidas.
1
-



II PiCIV/ETI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBGE3MY6I_QXG1O8 INGEST_TIME 2013-08-28T00:51:03Z PACKAGE AA00011611_10573
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES