Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10571


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
ANMXLI. HUMERO 14
Por qnartel pago dentro de 10 das do 1." yez
dem desos dos l." 10 das do comee e dentro i* qnartel.
Porte ao comi por tres Betas ..,,,.....
5|000
68006
750
COARTA FEIKA 18 DE JAHEIRO DE 1865.
Por anno pago dentro delO lias do l.mez ,.....191000 *
Porte ao correio por nm anno-. ,......... 3J000

DE PERNAM
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Arataty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os'Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Filaos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Faleo Das; Babia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estaciJes da Ta frrea at
Agua Preta, todos os'dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sexta? feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinbo, Ganyihuns, Buique, S. Bent'o, BomCoo-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo.^esquera,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricurjr.Salgaeiro eEx.nas quartas feiras.
Serinhaem, RIoFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
Illia de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas parteo) ao meio-dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 22 m. e 52 s. da t.
11 Loa chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercip: segundas e quintas.
Relaco: tercas e satinados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio : segundas s 11 horas.
Dito de orph3os : tergas e sextas s 10 horas.
Priraeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
16. Segunda. Ss. Berardo, Acorcio e Olhon.
17 Terca. S. Agalhao ab.; S. Antao ab.
18. Quarta. S. Pristo v. m.;; *. Leobaldo b.
19. Quinta. S.. Canuto rei ni.; S. Ponciano m.
20. Sexta." Ss. Fabiao e Sebastio rnm.
21. Sabbado. S. Ignez v m.; SPatrcolo m.
22. Domingo. S?. Vicente e Anastacio mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 hora e 18 m. da manhaa.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30 para o norte
al a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio.
julho, selembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Maneel Figueira de
Faria & Filho.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO
Retrospecto poltico do sano de 1864.
PARTE EXTERIOR.
I
EUROPA.
O progresso e a civitisago formam om thesou-
ro commum da homaoidada, a obra monoraental
cujas proporgoes a nenhum nomem dado medir,
fiorque em sua maior grandeza, e em seus ltimos
imites eflas esto tragadas smente no espirito de
Deus. Para essa obra cada iatelligencia privile-
giada leva urna pedra, cada geracao levanta urna
columna, cada secutoadianta oo completa um tra-
balho ruis ou menos ingente.
As novas descobertas e invengo >s das sciencias
e das artes, o brilho das letras illaminadoras, o
florescimento das industrias enriquecedoras das
nagoes, do testeraunho dos triumphos de cada pe-
riodo, e medida que se ostenta o progresso que
urna lei divina,e quemis fulgura acivilisaco qne
oulro sol, cujos raios tarabem enchem de luz a
trra.
Os homens se elevam, ospovos se nobilitam, abu-
sos que pareciam direitos se desnudara e se corri-
gen), novos foros se recoabeeem, novas insttuigdes
se fundara sobre as ruiaas daquellas que vo ca-
hindo por anachronicas, e as nagoes se transfor-
mara, s vezes depois de crises violentas, e de aba-
Ios profundos, guando a ignorancia oo o egosmo
tentamoppor diques torrente impetuosa das ideas
radiantes adoptadas pelo espirito do seculo, s ve-
zes pouco e pouco e sem perigosas convalides da
sociedade, quando o genio da sabeJoria sabe des-
quitarle a lempo das doutrinas e dos fados qoe
a civilisago do passado para ligar-se
representara
s doutrinas e aos factos que-proclamam as sas e
legitimas exigencias da civilisago que se mostra nos excessos
vivificante.
Mas sm todas estas conquistas qoer se realisem
nos dominios das sciencias o das artes, quer se ef-
ectuem mesmo as regioes da industria, qnasi
ounca se ouve cantar victoria sem precederem cer-
tames porOados entre as nnovaedes que se pro-
poein oo se acclamam, e a rudeza da usanga tei-
mosa, o orgnlho dos sabios que se afferram esco-
la do passado, a descrenga de milito, os precon-
ceiios de oulros tantos, e- os interesses que devem
ser sacrificados. E' assim que bolombo vaga de
paiz em paiz procurando um governo que lhe em-
preste um navio para descobrir um mundo ; as-
sim que Galileo, porque acredita no movimento da
trra e o demonstra, soffre duros tormentos, e em-
bona murmure em voz bana e pur se muove, v-se
obrigado a abjurar em voz alta ; e assim que o. riam smente ver abatido of poder
duvidoso, anhelante, estremecido, descrendo da
paz, sonhando guerras e sempre impellido para a
resolugao de um problema tremendo, que se ada
todos os annos, e que torga que se resolva em
breve.
E a esterilidade dos governos europeos foi tal
que as considerag5es geraes que offerecemos no re-
trospecto poltico da Europa, no dia Io de Janeiro
de >864, podiam sera inconveniente e com inleiro
cabimento ser de novo repetidas no retrospecto
que fazemos agora.
A differenga nica seria a franca e incontesta*
vel deciaragao de que cada anno que passa em 1ra-
balho insano de expedientes, qoe aproveitam du-
rante aiguns dias apenas, augmenta, multiplica a
forga irresistivel das exigencias da poca, que nao
tolera no ora da segunda metade do XIX a Europa
de 1815.
A Europa de 1815 tornou-se um anachronismo
condemnado desde aiguns annos, um anachronis-
mo impossivel logo depois : o egosmos dos gover
do centro e do norte do mundo europeo especa o
velho edificio arruinado, a fleuma impetuosa da
civilisago que (.arte do occidente intenta e que
derriba-lo ; a questao esta : questo simples mas
positiva, efectiva, implacavel, e que torca que
se decida.
A ninguem mais dado disfargar a situagao cri-
tica da Europa. Todos conhecera a historia dos
ltimos setenta annos, e os factos fallara clara-
mente ao mundo. .
Resultado violento dos erros e dos abusos do
poder e de classes exageradamente privilegiadas,
fructo dos trabalhos dos philosopbos e da civilisa-
go mederna, a grande revolugo da Franga ferie >
profundamante as velhas monarchias, espalhou
pelo mundo ideas generosas, que eunobreceram as i
nagoes acendeu um pharol que dirige espirito de:
todos os povos.
Delirante depois da victoria, a revolugo enso-'
pou-se no sangue de milhares de victimas, man-!
chou-se nos cadafalsos que levantou, traasviou-se j
a qoe se arrojou, e foi preciso que!
ora genio .trrivel viesse conte-la comsuas mano-
plas de ferro.
O guerreiro admiravel que Remera a revolugo,
tirdu della o encanto da sua forea, e em nome del-
ta ou com 0 sea nfluxo fez brilh'ar vencedoras era
toda Europa as aguias francezas; mas esqtecendo
emlim a sua orgem, tornou-se oppressor dos povos
e substituio causa do progresso e da civilisago,
a causa egosta do seo nome. Faltou-Ihe enSo de-
baixo dos ps o terreno porque lhe faltaram as
sympathias dos povos. Napoleo cahio.
Os povos afastaram-se da Franga, porque langa-!
ram sobre ella as culpas da ambiguo do coaquista-
dor que araagava as nacionalidades. A coaliso eu-
ropea fra menos forte pela allianga dos res do
que pela allianga dos povos; estes, porm, (que-
do novo Nabu-
mundo inteiro, gritos qoe ameagaram a Europa
com urna guerra geral, mas que nao a produziram,
porque a guerra geral se reputa to provavel em
prazo mais ou menos breve, e todas as potencias se
teem preparado tanto para faz-la aue nao ha urna
s d'entre ellas que nao receie ser a primeira a to-
car as trombetas bellicosas.
anda um faci e urna manifestagao poltica, que
nao podem ser olvidados.
A guerra feita Dinamarca demonstrou que nos
negocios geraes da Eoropa a Austria e a Prussia
J* S9 ma's como dantes os orgos exclusivos da
Allemanha. A Confederaga Germnica, que se
" sua conslituigo defeituosa e em-
Nobre, mil vezes nobre Lzaro, que tantas vezes peeedora da acgo geral, provcou aquelle conflic-
s?J222S e saa,se.l??"u/a. ?< milro- to earano, e arrastou a Austria e a Prussia, habi-
MUh mSS!^* e d.aoiVbe'a.de^ ar ? orTa e i daS doraj'-'a. a urna conquista que nao hon-
infehz Polonia anda em 1864 cahio desfallecida no roo osirencedores; fez das duas Dolencias rvaes
m T tU?KU' 1dePis.de asombrar o mundo. duas liadas de aiguns mezes, t de xou ao mando
comas maracas do patriotismo dos seus filhos., lembranga de um facto que atiesta a existencia de
Lula desproporcionada e espantosa termmou este um antagonismo perigoso no seij dos estados alle-
anno completamente com a destrugo dos ltimos mes.
bandos armados que ainda ousavam resistir as nu-
merosas columnas do soldados do czar.
A Franga e a Inglaterra, que tinham soffrido o
. ^ manifestagao poltica, que convem flcar regis-
trada, a seguinte: em 1852 o principe de Schwar-
. zenoerg, fallando em nome da Austria ao "overnn
desar das repulsas do gabinete de S. Petersburgo, de Copenhague, reconhecida a connexao clnsUtli-
quando Ozeram ouvir aiguns protestos generosos a conal orgnica e hamogenea de todas as wrties da
favor da Polonia, assistiram immoves brutal monarchia dimmnrqueza, e aconsejando sobre o
proscnpgao dos martyres ; virara os patbulos go-isystema governamental; declarava que a Austria
tejando sangue, ouviram as descargas dos espin- temia por amor das pircocs allemaes d* monarchia
gardeamentos, lestemunharam a marcha dolorosa dmamarqueza e por amor da vroDiia Allmmnlia
dos innmeros desterrados para a Sibera, viram as' o amlagio do liberalismo de Copenhanue Guando
cadas que arrochavam os pulsos das matronas e em 1853 a Dinamarca preparava o seu orimeiro
flonzenas, dos velhos e dos meninos, presenciaram plano constitucional, os estados do Holstein nota-
cer de que tal tolerancia nao protege urna indus- wrv,,n rx,,aii. n... ..
tria, e ao contrario apadr.nha um abuso, que HT^LS ?L P mereeermos a honra de
punido ou coarctado era todas as partes l .1! .a *..
- Amanhaa funecona o InstUutoArcheologico ,5 ^^1??'^ TS C-m
e Geographiso Pernambucano em sesso ordinaria. fVeme g ** Cnce.gao
O prego de cada assignalura de 5j.
j Batir, 10 de dezembro de 1864.
Frei Antonio da V. Mahia Itaparica.
a condemnago e o martyrio de urna nacionalida-
de, e nao se moveram, nem prolestaram mais.
Decididas e fortes porm como sao as nossas
sympathias pela desgragada e heroica Polonia, nao
ram esta curiosa deciaragao, echo liel dos conselhos
do principe de Schwarzenberg.
Urna coexistencia vantajosa das diversas par-
tes do estado nao p Je sejr ontida s nao oelo res-
nos cegara ellas ao ponto de desconhecer a gravis- Ubelecimento de um goverao absoluto com assem-
sima rosponsabilidade que os gabinetes de Pars e blas consultivas em lodas as partes do EsJo
lnMmmin?*Jf:.Kr-.fcOCCOer P2'"ia' ASSm pOS-coni um rei absolut0 era Copenhague, ex.stem 387.
r?, X.Mm 8 ma guerra qne em breve adqu,ri- cora am rei 1ue ,ivesse arrancado aos Dinamar- A saber :
na proporg5es colossaes. qaent suas liberdades parlamentares, a obra da mulheres 6
uniao orgnica da monarchla ter-se-hia realisado, vas 5 -Total
sem opsosigio da. Allemanha.
BEPARTigAO DA POLICA
Extracto das parles do dia 17 de taneiro
de 1865.
Foram recolnidos casa de detengo no dia 16
oo correte :
A' ordem do subdelegado do Recife, ioo Niano
d.i Espirito Santo Marques, c Andr Avelino de
Mello, para correceo.
A' ordem do de Santo Anlonio, Florencio de
Barros Montero, porsuspeito em furto de caval-
lo ; e Andr Avelino da Costa, para correego.
A' ordem do de S. Jos, los Caetano Martins
Veira, Jus Francisco dos Res, Maria da Assuinp-
go dos 'razeres, para correego ; Francisca Fio
renda do Sacramento por briga ; o Aulonio Jos
Borges, por ferimenlos leves.
A' ordem do da Capunga, Joio Gomes de Olivei-
ra, Libanio Luthier de Souza, Francisco Cesario de
Oliveira, disposigo do tenente-coronel reernta-
dor; e Joao Jos de AzeveJo Santos, por desor-
dein e insultos.
A' ordem do do Pres, Joaquim, escravo de Ca-
thariua de til, por fgido.
O chefe da segundi secgao,
1. G. de Uesquita.
Movimento da casa de detengo do dia 16 de
Janeiro de 1865.
Existiam presos 383; entrarara 15 ; sahram 11;
As pessoas que quizerem fazer-nos o obsequio
de sobscrever os seus nomes, podero dirigir-se
ra da Aurora n. -ii, primeiro andar.
Amphilophio B Freir de Carvalho.
Manoel de Cerqueira tiendes.
Salvador Borges de Barros.
Apezar de todo o seu egosmo pacifico, a Graa-
Bretanha estimara poder fenr o hnmilhar a Rus-
sia, sua rival ameagadora no Oriente da Europa e
na Asia; mas a guerra da Polonia .seria principal-
mente continental, e a rainha dos mares teria ape-
Has auxilios relativamente racos para offerecer
sua alliada do Occidente. Luiz Napoleo compre-
hendeu certaraente que, alera da Italia, nenhuma
ouira potencia ligaria seus exercitos s aguias da
Franga, e por oulro lado a causa da Russia tara-
bem a causa da Prussia e da Austria, que entram
na famosa parlilha de urna nacionalidade destrui-
da e que disput, riam o passo aos exercilos soccor-
ridos da Polonia.
Questo adiadamorta nao, porque a Polonia
; estrangeiros 15 ;
escravos 50 ; escra-
A Dinamarca nao
se prestou a fazer o sacrificio da sua liberdade, e
esta resolugao nobre e generosa foi causa dos de-
sastres, que acaba de experimentar; mas tara-
bem um titulo glorioso que a recommenda s sym-
pathias do mundo civilsado.
O conde de Bisraark, to reaccionario como o
principe de Schwarzpnberg, se nao mais ainda,
soube castigar a constancia da Dinamarca liberal,
e para que a manifestagao poltica nao dexasse a
naconaes 309
estrangeiras 2
387.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 140.
Movimento da enfermara do da 18 de jaoeiro
de 1865.
Teve baxa :
Antonio, escravo de Raymundo Carlos Leite ;
bronchile.
Passageiros do vapor Tocaatins, saludo para
os porlos do norte :.
Marco Tulio dos Reis Lima, Anlonio A. Ferreira
da Silva. I. II Dreraucr, Conrado Grsberger, Ma-
menor uuvida nos espintos mais incrdulos, a al- noel Marques Camacho, Jos Alcaim, Antonio Vi-
anga das potencias do orle contra o contagio do cenle Magalhaes, 2 pragas de polica, Adolpho Eu-
iiDeransmo do occidente firmou-se ao som dos hym- genio Soares, Fructuoso do Amaral.
s dos destruidores da raonarchia di-1 Passageiro da barca ingleza Belle Poule, salu-
da para Liverpool : Leonhard Meilerkamp.
vapor inglez Magdalena, sahido
Passageiros do
para Southampton
o portos intermedios Au-
proprio Napoleo-o-grande, por prestar f a velha! codonosor, sem que por issorenegassem as doatri-
sciencia, desprezado seu throno s chamadas uto-' as sas da revolugo.
pas de Fulton, e aiguns annos depois v dos roche-' A Europa civilisada nao quera a repblica e
dos de Santa Heleua as maravilhas da navegagio menos um novo imperio do occidente com toda a
vapor que na joven America j em 1807 comegra | tremenda oppresso do despotismo; militar,
a ser urna eslrondosa realidade. Entretanto, vencedora a coaliso os soberanos
as reformas consideraveis, e anda mais as do norte da Eurooa. aiudados oelo mismo da -
profundas transforraagoes polticas das nagSes, na- glaterra, esqueceram os povos, repart rain entre si i
turalrente sao as lulas muito mais prolongadas,! os despojos da immensa balalha, Ozeram recuar os
tremendas e al arriscadas ; tudo com effeito con- j limites da Franga revolucionaria, improvisaran!
nao morre, e j o tem por vezes demonstrado -! namarqueza.
quesiao por ora decidida as ruinas e nos patibu- A Franga, abandonando a Inglaterra na oueto
toSwJKSSJSttJ ? o" d rama desta monarchla, deu forga ao par-, gusto Frederico de Oliveira, Jos PereiradeO.
S^^SSrSftl^tolGS^**-tmllE*&!h' fac''andolourosaomlnis- veira, Juliao Trriuhano Mo'nieiro e seo criado,
A ande e anla rnnS rLS2L i. ^ ^'sm,ark;e":e"'>u a allianga, embora tmpora- Joio Manoel da Veiga, sua mulher e 5 fllhos.
nTn^^^^i^Jl^S^; SJg? BS j*a Cusirla, acariciando os Obituario do di.v li de janeiuo de 1865, no
pequeos estados da Confederagao Germnica, e cemiterio fiblicq :
m0-??'-.* l[ocodasua poltica ou caprichosa Theraoteo Pires da Luz, Pernambuco, 26 annos,
PUBLICARES A PEDIDO.
Agaa de Floridt delarray Lanmai.
Mal sabem aquelles senhores que fazem fre-
quenie uso desses intitulados empricos Aformo-
scadores do da, que ellas esto lenta e seguramen-
te destruiodo e arreinando a sua sade, e mais
que tudo a sua delicada compleigo.
Desde o imraemoravel t*mpo das Baratos at o
presente dia, foi sempre perfectamente sabido pe-
los bem iniciados, que a pura essencia de fresca
e fragrants flores promotora da formosara. Na
laboriosa preparago e delicada co.ndosigo desta
afamada e deliciosa agua de chelro, nao se empre-
ga ou usa oulro algum composto mais, do qoe aro-
mticos boioes de ores e certas folhas d'uma na-
tureza altamenle saudaveis.
Em adigo pois sua excellencia, como nm
perfume primoroso, ella encerra em si a virtude
de purificar e alvejar a compleigo, remevendo da
pelle toda a especie de ebnlligSes, erupgoes ou m-
culas, tornando o rosto macio e mimoso, daodo-lhe
urna linda transparencia lustrosa e elasticidade na-
tural. (Vede que os Romes de Murrat e Lanman
se achem escriptos sob cada envoltorio, letreiro e
garrafa, pois que na falta dos mesmos nenhuma
verdadeira )
Vende-se as pharmacias de Caors A B. e de
J. C. Bravo & C.
C0MJIE1CI0.
cenes Dinamarca acabou este anao com um des-
fecho lamentavel e sinislro que annulleu direitos
reconhecidos pela Europa, contristou o espirito li-
beral do velho mundo.
Em resultado de ama guerra em que srasnte a
despreporgo das forgas decidi da victoria, a Di-
namarca perdeu os ducados Schleswie, Holstein <
Lauemburgo, e cou reduzida s mesquinhas pro
Este facto nao s ata immenso desastre para a
ou enigmtica nem proveilo, nem sympathias e
anda menos gloria.
Mas a Providencia, que dirige os destinos dos po-
vos, toroou este erro, ou este calculo ainda mal
solteiro, Boa-Vista; iofecgo pulmonar.
Antonio Pereira Mendes, Portugal, 47 anuos, sol-
teiro, Boa-Visia ; pulmona chmny beiiaiSi
rtsmi/na Pnrnwnbuw, uuo=> a- JOse oexigas.
--es de Barros, Pernambuco,
! ^Z^SSS^,^-' fteussaa i ^^^Woln
corre para issoos governos receiam sempre que no
seio das Ideas innovadoras esteja oceulta a paixo
de astutos ambiciosos, e que o espirito revolucio-
nario presida oceulto s propagandas dos reforma-
dores : por oulro lado, na pregago das transfor-
magoes das sociedades polticas reeonhecem todos
que tao fcil a missao dos dominadores, como
difflcil a obra de urna reconslrucgo prudente, re
um systema de equilibrio europeo, no qual foram
sacrilicads algumas nacionalidades em proven >
dos lees que presidiara parlilha, e estabelece-
ram assim em. 1815 urna geographia poltica da
Europa, qoe foi concebida com om duplo Ilm :
abater a Franga e sufocar as ideas liberaes da re-
volugo franceza.
Us archtectos de 1815 erraram : a Franga po
guiar e estavel; e Analmente, nunca se realisa i dia ser abatidaNapoleo langado fra do throno e
orna grande reforma social e poltica sem que se I condemnado a morrer em urna ilha iahospita : po-
sacriliquem notaveis interesses estabelecidos, im-, dem ser morios os homens, destruidas as nagoes;
portantes privilegios de classes ou de governos que mas a idea que filha legitima de urna civilisago
se erguem resentidos diante da ameaga e comba- j mineante e grandisosa resiste a toda a porsagui-
tcm forle ou desesperadamente pela conservago, gao, derriba todos os obstculos e acaba sempre
da heranga do passado. | por vencer.
Mais ou menos tarde otriumpho sempre da c- > A obra de 1815 nao chegou a durar meio seculo
vilisago e do progresso; se preciso s faz conse- [ em sua perfeila inlegridade : algumas potencias
gui-Io a prego de batalhas nos campos terriveis da, j tinham podido feri-la e desrespeila-la impene-
guerra, lamenta com razo a humanidade o sangue mente, e no lira de meio seculo, e por ultimo tam-
que se derrama, choram-se os martyres e as vcti- bem no anno de 1861, nao se ouvio na Europa um
mas, mas nem por isso se maldiz a victoria, nem irado um gemido, urna maldigSo sabidos dos cora-
se desama a causa qne vencen e que aproveila ao goes dos povos, nao se observaramjimportanles
mundo : se, porm, o certame se observa na are-; corabraagoes polticas, trabalhos para alliangas de
na do idealismo, as discussoes mais pertinazes, e governos, conspiragoes de povos, incessantes liJas
ainda mesmo s vezes avultadas pela violencia da diplomticas, que nao denunciassera a ruina do
palavra nos debates da tribuna e da imprensa, do monumento monstruosj e anachronico, e as enor-
jornal e do lvro, as disputas dos governos, das raes difflculdadesda sua subsiiluigo.
assemblas populares e da diplomacia, embora se ti em todas estas relagoes de povos e de gover-
demore o conseguimento de um immenso beneficio, nos encoolra-se o antagonismo e a mais viva ex-
os povos lucram por certo ; porque nao ha consi- poslgo de interesses, tornando impossivel a unio
deraveis innovages polticas que nao offeregam intima e perduradora de dous estados, semeando
inconvenientes era sua pralica immediata e rpida, e por toda a parte a desconfianga, creando apenas
a opposigo que os proeura, descobre e demonstra, alliangas de momento e para los especiaes entre
provoca o estudos e as combinages dos estadistas potencias que alias se hostiliso ou se observara
que chegam a prevenir de antemo as diffkulda-: suspeitosas em todos os outros ponlos de poltica
des futuras, preparara medidas salvadoras, e deste internacional, e por consequencia dando ao mes-
modo podem esperar que se opere urna verdadeira rao teinpo testemunho por um lado da situagao tal-
revolugo pacifica quando os povos j se achara sa e prigosissima da tiuropa,e por outro daquasi
disposios e promptos para recebe-la. impossibllidade de se chegar por ora a um accor-
D^mais, ha situages melindrosas que nao se do pacifico para resolugao do problema formidSvel
atacara de frente e de Improviso impunemente : i e exigente qu cada da mais ameagador se torna,
ha egosmos iuconfessaveis, que devem ser destru-1 Aqu a Inglaterra que ciumenta desconfia da
dos, mas que exigem contemporsagoes pela forga, Franga no occidente, que desama a Austria na
immensa de qoe elles dispoem em sua defeza e Italia, que se resente da Prussia na Allemanha,
manutengo : ba instituigoes que o espirito de; que hostilisa a Rassia no Oriente : a Prussia que
ama poca renega, e que entretanto nao pode de- i desconfiada observa a Franga no Rheoo, que com-
molir ln depressa como deseja. bate como inimiga a Austria sua irmaa na Coufe-
Quando a sociedade poltica em urna parte do derago Germnica, que aborrece a Italia no sul,
mundo se reconhece as circunstancias que no : que nao confia na Inglaterra, e que teme encantrnr
na Russia engrandecida urna soberana imponente
e irresistivel; a Franga que deseja e nao pode li
periodo precedente acabamos de determinar, ob
serva-se urna anciedade reveladora das duvidas
que pesam em tolos os nimos, ama conviegao' gar-se em lagos seguros'e permanentes com aRus-
geral e intima de todos os governos e .de todos os \ sia porque no Mar Negro como no Bltico ha coin-
povos, de que as nagoes se acham ausentadas em binagdes e clculos futuros que as separara ; que
um terreno falso, minado e prximo a abater, um ainda menos pode formar urna alianga intima com
grave receo de perigo imrainsnle, um reconheci- a Prussia, porque o Rheoo e om abysmo que as
ment das ruinas do que ha, e um temor explica- i afasia urna da outra, e a Italia om pomo de des-
vel do incgnito qoe ha de vir. O que ha, est cour i confianga que se mostra entre ellas : que em urna
demnado ; mantem-se, porm, porque cada gover- poltica tradicional, e em urna ameaga constante
no hesita oo estremece, nao podendo prever com
certeza o que ha de vir. O qae o edificio em rui-
nas que se especa para conservar em p ; porqoe
nao existe accordo enlre os architectos a respeito
do novo monumento qoe tem de ser levantado para
substituir o amigo.
Nestas breves palavras (ka, embora rudemente,
desenhada a physlonomia da Europa no anno de
1864, que hontem chegoa ao sea termo.
Se a historia raarcasse a vida das nagoes por
esses limites peridicos- do lempo, que servem para
marcar a vida dos bomens, e nao pela importancia
dos aconteoimentos, pela magnitudd dos feltos, qae
fazem a glora, ou lerabram as desgracas que as ce-
lebrisam, havia de registrar o anno de 1864 no
meio daquelles qae mais esteris tem corrido e
passado.
Na vertfade o pbllosopbo qoe acompanhando a
marcha da civilsago e estudande s conquistas
do progresso despreza os episodios sem importan-
cia para essa questo geral, nao toma onta de pe-
qaeoos detalhes da vida intima dVcada nago^e s
se occapa do movimento o- das relagoes de lodas
as nagoes no sentido do bem commum da humani-
dade e da acgo civilizadora des governos, reco-
nhece com mago que o mundo europeu entra no
anno de 1965 como entrara no oas precedentes,
laucada nos campos da Veneciatem sempre acesa
a flarama de suas divergencias com a Austria ; e
que no occidente traz os olhos filos .na Inglaterra
a inimiga que Deus collocou tao perto della,
como pensava Felippe de Cominos.
Antagonistas todas urnas dasoutras, agora v-se
a Austria e a Prussia marcharen) de braca dado, a
urna balalha, que devia quebrar pelo meio a tno-
narchia dinamarqueza : suas phalanges combatem
unidas; mas ninguem, e menos anda ellas, acre-
ditara no amplexo fraternal : vo unidas porque
cada ama quer impedir o triumpho solado da
outra ; caminham juntas para apeleja e voltam se-
paradas depois da victoria.
Quasi ao mesmo (empo a bem fundada suspei-
ta de urna allianga da Russia, Austria e Prussia
em opposjco ao occidente, qoe faz no occidente
aproxiraarem-sea Franga e a Inglaterra qoe agas-
ladas se haviam afastado.
' no meio dessas grandes evoluges polticas
que custam prodigios de clculos e de trabalhos
diplomacia, e nao produzem frnclo algum, morreo-
do ephemeras depois de terem servido apenas de
alimento s discussoes da imprensa, qoe ss esco-
tam es gritos pungentes de populages martyres,
e as maldigdes do patriotismo esmagado pela ty-
ranoia. Gritos enormes repetidos pelos chos do
Dinamarca, encerra tambem ligoes que nao se de- ve visitas e conferencias dos imperadores da Rus-
vera perder, e do idea do labyrintho poltico em sia e da Austria e do rei da Prussia e visitas e
qoe se acha mettido o muodo europeu. \ conferencias dos principaes ministros destes tres '
Eslava reconliecido qoe a inlegridade da mouar- soberanos: a imprensa ingleza desperlon logo em
cha dinamarqueza era um interesse de primeira sobresalto a Europa, denooclando a trplice allian-
ordem para o precooisado equilibrio geral. Em ga daquellas tres potencias, a allianga duplamente
1881 a Inglaterra, a Franga, a Russia com a Prus- hostil aos grandes estados occidentaes, e s deas
sia e a Austria tinham assigoado um tratado garan- liberaes do mundo.
lidor dessa inlegridade, e em 1861 a Inglaterra, a" A denuncia foi respondida com um desmentido
Franga e a Russia viram espedagada aquella mo- pelos interessadossuspeitos ; mas aconscienca pu
narchia, e sem que urna dellas arrancasse genero- blica europea adnittio como certa e incooteslavel
smente a espada em seu soccorro, consentiram a existencia de um tratado secreto de allianga das
todas que os ires ducados fossem arrancados ao potencias do norte,
lago commum que os unia Dioamarca. I O annuncio do perigo arrefeceu as lamentareis
A Inglaterra limtou a sua acgo sympathica, a divergencias da Franca e da Inglaterra, cuja har-
n apoio moral e a esteris intervenges diploma- monia ser sempre uin antemural poderoso levan-
,y.io. I Antoia Maria de Jesos, Pernambuco, 32 anuos
Aos desastres da Dinamarca seguiram-se em bre- viuva, Boa-Vista; bexigas.
Maria, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos ; dyarrhea.
Domingos, frica, 30 annos, solteiro, escravo, San-
to Antonio ; phtysica.
15-
Matheus Gomes da Silva Reg, Pernambuco, 29
annos, solteiro, Boa-Vista ; tubrculos pulmo-
nares.
Sinclelica, Pernambuco, 4 dias, escrava, Boa-Vis-
ta ; hemorrhagia.
Deniz Anlonio Ferreira Marques, Parahiba, 40 an-
nos, casado. Boa-Vista dyarrhea chronica.
Moto banco de Prrnxnbaro.
EM 4 DE JA.Ne.IRO DE 1865.
O banco descoma letras na presente semana a
10 0/0 ao anno at o praso de quatro mezes e a
12 0/0 at o de seis mezes j toma dinheiro a joros
a praso nunca menor de tres mezes. e saca sobre a
praca da Baha.
tATrrrvrrwTn
ticas, e experimenlou um revez doloroso para o
seu orgulho vendo inutilisados os seus estreos, e
envida apenas equasi com desdem a sua diploma-
cia.
A muitosafflgara-se que o outr'ora bellcoso Pal-
raerston cedendo ao irresistivel impulso da opimao
publica, adoptou receolemeote urna poltica de paz
a todo o custo, que enriquece o seu paiz, reduplica
a sua industria e o seu commercio, embora lhe di-
minua a gloria, e que por isso tolerou que a seus
olhos seconsummasse a ruina da Dinamarca an-
da com o maior desar para os brios da Gra-Bre-
tanha; parece, porm, que a pregago de seme-
Ihante poltica de paz a todo o custo foi antes urna
desculpado rjue a verdadeira causa da inaudita
paciencia da Inglaterra : sem urna allianga pode-
rosa que a acorogeasse a intervir na guerra trava-
da entre a Dinamarca e a Allemanha; achando
surda a Franga, e nao podendo contar com a Rus-
sia, a princeza do ocano comprehendeu que pouco
faria no continente, e que era preferivel resignar-
se a urna abstengo desairosa do que expr-se a
um commettimento que lhe poderia ser fatal.
A Franga. desta vez menos nobre. esqueceu a
sua poltica de proteegao dos estados fracos da Eu-
ropa, esqueceu qoe a Dinamarca pagou com a
Noruega em 1815 a sua fldeldade causa france-
za, esqueceu que a brava marrana dinamarquezi
a ajudra contra a Inglaterra na defeza do direilo
dos neutros e da liberdade dos mares, esqueceu
que o interesse franoez eslava sendo ferido as
margeos do Eider, esqueceu, emfira, que a sua as-
signatura dera ao tratado de 1852 urna forga e um
valor que deviam ser sustentados; tudo islo es-j
queceu, emfim, porque talvez lhe sornsse o prazer |
de dar em espectculo s nagoes a impotencia da
Inglaterra, qoaodo a Inglaterra se acha solada
em orna grande questo europea. Foi quig urna
desforra aconselhada pelo capricho, desforra cruel
que Luiz Napoleo qoiz tirar dessa orgolhosa Al-
bion, que pouco antes com to pouca cortezia re-
jeitrao seu convite para o congresso geral dos so-
beranos da Europa, ompleta foi a vinganga, por
certo; mas a poltica do capricho e sempre nociva
ao proprio que a emprega e desenvolve.
A Russia, que podia, como a Allemanha, ter pre-
lado diante dos planos reaccionarios das cortes do
norte.
Senhora dos mares, defendida por suas numero-
sas esquadrasj a Inglaterra oo pode receiar que a
langa de um cossaco venda ferir-lde o corago ; a
Franga, porm, lembra-se com o mais nobre resen-
timento das idvases dos exercilos colligades que
vieram dictarilhe a lei no seio da sua capital : a
Franga assentiida no continente acha-se muito mais
exposta aos azares a guerra e precisa tomar pre-
caugoes que lhe robustegam o poder.
Luiz Napoleo, o hornera dos grandes golpes im-
previstos, estadista profundamente dissimulado,
que desnorla,seus nvaes e inimigbs pelo Impro-
mezes, S. Jos: con-
Boa-Vista
; febre
annos,
21 an-
Joanna, Pernambuco,
vulsoes.
Manoel, Pernambuco, 9 annos,
perniciosa.
-16-|
Jos Miguel Archanlo, Pernambuco, 16
Santo Antonio ; hemorrhagia pulmonar.
Antonio Alves d'Amorim Sou, Portugal,
nos, solteiro, Boa-Vista ; gastro splenite.
Anglica, Pernamduco, 46 anuos, solleira, escrava,
Santo Antonio; cancro no estomago.
Augusto, Pernambuco, 4 mezes, escravo, Recife ;
enterile.
Margarida, Pernambuco, 40 ainos, solteira, escra-
va, Santo Antonio ; phtysica pulmonar.
Luiz, Pernambuco, 5 mezes, S. Jos ; losse con-
vulsa.
Antonio, frica, 45 annos, solteiro, escravo, S.
Jos; phtysica pulmonar.
CORRESPONDENCIAS
vis das medidas mais consideraveis e inesperadas, Um horaem que appareceu morto na ra da Ca-
deu a 15 de siitembro de 1864 em troco allianga deia, Recife, (sem mais deciaragao.)
do norte urna allianga do sul. ^^^_a
As victoriaside Magenta e Solferino tinham co-
megado apena a brilhante obra da manifestagao
da Italia, quaddo a paz da Villa Franca veio fazer
parar a_ marcha trimphal dos exercilos de Luiz \---------------------------------------------------------
Napoleo e del Vctor Manoel: o tratado de Zurich Srs. redactores.Os abaixo assignados pedera a
fra urna coo^radiego manifestada poltica da- Vmcs. a insereno das seguales linhas no seo
quelle que marcara os Alpes o a Venecia como os concetuado Diario, confessando-se desde ja sum-
pontos extremas da Italia. O reino de aples e mmente agradecidos por esse obsequio,
as provincias dos estados secoodarios o da igreja
qoe se fuodirm em um s corpo da nacional ida-
de italiana, eram em parte factos consummados;
mas ainda noj plena e solemnemente reconhecidos
de direito pelo! imperador dos Francezes.
(Conttnuar-se-ha.y
PERNAMRUCO.
tengSessobre a beranga da soberana dos ducados: dente da provincia e' vigario capitular, e'o Dr.
a itussia, que naturalmente nao devia desejar o Aquno Foncca que fei para islo convidado por
dominio de potencias allemaas em mares onde ella .ua Alteza o $r. conde d'Eu.
ujndia se lerobrra de crear estorvos sua mari- s*. AA. dejpois de torera, almogado pelas dez
i a Va !Tia ass,sl' de Ma?os cruzados ei-quasi horas, partiram do palacwda presidencia ao meio
ment da iraca monarchia da, muito satisfeitos pela enthusastica
Amphilophio Botelho freir de Carvalho.
Manoel de Cerqueira Mendes.
Salvador Borges de Barios.
Viemos annunciar ao respeitavel publico que se
acba aberla a subscripgo para a preciosa obra do
Rvm. frei Amonio da Virgem Mana Itaparica, es-
cripta em refutago aos perigosos erros dessimina-
dos polas biblias falsificadas, que entre nos correm
espalhadas pelos ernissarios da sociedade bblica e
outros operarios da propaganda protestante. Che-
gados de pouco, e qoasi desconhecidos nesta cilia-
do, difilcilmente podonamos angariar subscrip-
AA., partindo do palacio da presiden- goes para a obra do Rvm. fre Iia>arica, sem re-
correr imprensa : pelo que, e pela reconhecida
utilidade de obras taes, como exigua prova de gra-
tido, e recordagao saudosa das maneiras affaveis
do nosso mestre.desvenado amigo sincero, pedi-
mos ao Rvm. frei Iiaparica a devala venia para
publicar estas mal tragadas linhas o transcrever
abaixo a carta que porS. Rvm. no; foi dirigida.
E' cosiume preceder a represen taco" de urna
obra da nalureza desla, urna justa e esclarecida
apreciago da raesma, mas os leitorps poderlo fa-
ze-la melhor do que nos; que mis confessamos
REVISTA DIARIA.
II miera SS.
ca s 6 doras e-meia da manhaa, foram cidade de
Olinda, e ahi Visitarara a S, Misericordia, S. Ben-'
to e Santa Thereza, percorrendo "e examinando
com interesse o collegio de orplias ; o voltand>,
dirigirara-se ab Hospital Pedro II, reoolhendo-se ao
palacio s 9 horas e meia.
SS.'AA. leviram era sua companhia nao s as
pessoas de sua, comitiva, sno o Exm- vice-pres-
do norte; o receo daonio escandinava nao de-
termnou o seu proceder; porque a Allemanha nao
pensava em arrancar Dinamarca territorios da
antiga escandmavia, e portanio nao movia orna
guerra contraria a essa uniao poltica qae deve ser
mal receblda pelo-eolosso do norte. A abstengo
da Russia teve pois nm motivo secreto, e de sus-
peitar que o segredo tenha j transpirado das con-
ferencias que produziram, como se julga, a allian-
ga do czar com a Austria e a Prussia.
Abandonada pelas tres grandes potencias signa-
tarias do tratado de 1852, a Dinamarca nao teve
por si nem ao menos a Suecla, nem o amor frater-
nal da raga escandinavica, e succombio em com-
bale desigual, depois de escrever a historia da sua
derrota com o nobre sangue de seus fllhos qoe por
heroico valor se mmortalisaram no campo da b-'
lalha.
Mas nesta gravissiraa qaestao assipularara-se
recepgao
ue liveram e pela hbspedagem que receberam.
{. A. o Sr. con de d'Eu mostrou-se mu penhorado
por haver encontrado em seu aposento um pequeo
retrato de sua fallecida me a Sra. duqueza de Ne-
mours.
Chamantos a attengao dajpolicia para os atra-
vessadores da farinha, que ahi abundara cota de-
trimento .da populago.
E' preciso qjue urna medida seja lomada no sen-
tido de arredalos dessa pratica, devida toleran-
cia que por ani vai ; e actualmente ella tanto
mais censaravel quamo os taes alravessadores vo
incur oo animo dos matulos o receto do rgeruta-
mento, aflm de consegQirem os seus fins de locu-
pletag cusw da pobreza, que por tal modo vem
a pagar-lhe Ojque poderia economisar compTandij
dirsclamente
w produeloe.
As adtoridales competentes devera
! ^aw m ama i I
Vcio entrados no dia 17.
Liverpool Barca ingleza Mimosa, de 409 tonela-
das, capito George Pepprell, eqoipagem 1, car-
ga carvo ; a Saunders Brothers & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Ilha de S. MiguelEscuna porlugueza Erna, capi-
to Augusto Borges Cabra!, carga assucar e ou-
lro- genaros.
Liverpool Barca ingleza belle Poule, capitio J
Congdon, carga assucar e algodo.
Ncw-York Patacho nacional Jaboato, capitu
Adelino Carneiro da Costa, carga asucar.
Southampton e porlos intermedios Vapor inglez
Magdalena, commandante Woolward.
Passageiros da barca ingleza Mimosa, vinda
de Liverpool : M. Cohnel.
Passageira da escuna porlugueza Erna, sabi-
da para a ilha de S. Migue 1 Antonia Iguaria de
Jess.
EDITAES.
O tenente Decio de Aquno Fonseca, juiz de pac
presidente da junta revisora da freguezia da
Boa-Vista, em virtude da lei, etc.
Fago saber que tendo S. Exc. o Sr. vire-presi-
dente da provincia resolvido, que a qoalilicago dos
volaoles desta freguezia tenha logar oo dia 19 de
fevereiro futuro, visto como nao podo ler lugar na
terceira dominga do corrente mez, como por lei
determinado, convoco portanto aos elcitores e sup-
pleotes residentes nesta freguezia, que sao os que
abaixo se seguem, para que no indicado da, s 9
horas da manhaa, se reuoara no corpo da igreja
matriz, afim de poder ser organisada a junta res-
pectiva, scientes os mesmos eleilores e supplenles
que a falta de comparecmento sem motivo justifi-
cado ser punida com a pena marcada por lei.
Eleitores.
Teaente Deco de Aquino Fonseca, Dr. Silvio
Tarquinio Villas Boas, capito Joaquim Francisco
Franco, Dr. Joo Maria Seve, capito Jos Francis-
co Lavra, major Manoel dos Santos Nunes de Oli-
veira, Clorindo Ferreira Cato, Francisco Accioli
de Gouveia Lins, Joo Bartholomeu Goocalves da
Silva, Joo Pacheco de Queiroga, major Manoel do
Nascimeato da Costa Montero, Bernardo Jos Mar-
tios Pereira. Jos Joaquim Ramos e Silva, Dr. Lou-
reogo Trigo de Loureiro, Thomaz Garretl, Fran-
cisco Rufino Correia de Mello, Flaviu Ferreira Ca-
to, major Gustavo Jos do Reg, Vicente de Paula
Oliveira Villas-Boas, Dr. Aprigio Ju>tini.mo da Sil-
va Guiraares, Dr. Jos Mamede Alves Ferreira,
tenente-coronel Feliciano Joaquim dos Santos, te-
nente Joaquim Jorge de Mello, Joaquim Claudio
Montero Jnior, Dr. Joo Honorio Bezerra de Me-
oezes, Dr. Joaquim de Oliveira e Sonza, capito Ma-
noel Porfirio de Castro Araujo, tenepte Symphro-
mo Olympio de Queiroga, Thomaz de Carvalho
Soares Brando, tenente-coronel Antonio Carlos de
Picho Borges, capito Antonio Jos da Costa e Sil-
va, Francisco Antonio da Silva Cavalcanli, Joa-
quim Goocalves Ferreira, Jeronymo Jos Ferreira.
Manoel Antonio Teixeira de Albuquerqoe, Manoel
Francisco Honorato, Antonio Carneiro da Cunto.
Francisco Mendes Marlins, Dr. Henrique do R?go
Barros, Dr. Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
Antonio Jos de Castro, major Manoel Jos da Sil-
va Guiraares, Pedro Alexandrino de Barros Caval-
canli, Luiz da Costa Porto Carreiro. Lun Jos da
ineptos para antecipar juizo algum.
Todava, com ser urna grande illnstrago Bahia-
na o autor da obra, que annunciemos (como tal _
unnimemente reconhecido por aquelles qoe bem Silva Guimares, Dr. Eduardo de Barros Falro de
o podem fazer). diremos sempre que o marer en- Lacerda, capito Joo Atnanasio Botelho, Dr. Nabor
comi qne se pode tecer a sna obra, tornando-a
sobremaneira recommeodavel, o proprio nome
do autor, grande ornamento da ordem a que per-
tence.
Copia da carta a que nos referimos cima.
Tendo nos publicado urna brochara com o sim-
ples titulo dedrsoito epstolasoas quaes pro-
coramos combater as doutrinas protestantes, qoe
pela predica e divnlgagao de biblias falsificadas e
de differeot.es eseriptosioho's tem-se- por toda a
parte, aqu na Babia., ospalhado, cerlo de que nao
poupamos esforgos para-tratarmos as materias de
um modo adaptado qualqoer intelllgeocia (quan-
to o comportava a sua profundeza) e dar-lhes urna
tal ou qual agradabilidade.dirigimo-nos piulan-
tropia dos senhores que quoiram prestar, nao di-
se conven- iremos um servigo s letiras, mas qra tal on. qual
Caroeiro Bezerra Cavalcanli.
Supplentes.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Unto, Dr. Manoel
Joaquim Sil veira, Leopoldo Ferreira Martins Ribei-
ro, Manoel Theodoro Rodrigues Pinto, Dr. Manoel
Antonio da Silva Ros, Antonio da Silva Ferreira
Jnior, Antonio da Silva Guimares, Dr. Antonio
Ferreira Martins Rthelro, Antonio Carlos de Lemos
Duarte, Augusta Claudio Montero Clao, Antonio
Elsea Aatuoes Ferreira, Antonio Candido dos Gol-
maraes e Silva, Andr Alves Rica, Anlonio Joa-
quim de Barros Lima, Bento Francisco da Canha.
Antonio da Silva Afeveda, Dr. Jos dos Santos Nu-
nes de Oliveira, Manoel Luiz da Veiga, Manoel
Frmiao Montero, Carlos Augusto Lus de Souza,
Elpidio de Araojo Ferreira Jacobina, Eduardo Fu-
mino da Silva, Jos. Antonio Pinto de Medeirc
I



Diarlo de Pcrnamburo --- Qnarta felra 18 de Janeiro de i 865.

Thomaz Time$,~Tertoliano Sipiao da Fbflseea, Pe-
dro de Alcntara e Silva, Floretret Httdftfoes #
Mimada Kranco, Francisco Joaquim Ramos e Sil-
va, Francisco Jo* da silva Guimares, Francisco
Alfonso Ferreira, Dr. Joio Gengalves da Silva Mon-
trroyos, Francisco Antonle de Meueze, Joao d
Deus Qoiniella, Jos Clemente Pereira dos Santo?,
tenente-coronel Jos Thomai de Aguiar, Joao 11-
burcio da Silva Gulmaraes, Jos Mana Giraldes,
Joio Antonio dos Reis, Luiz Melanio Franco, Luiz
Jos Antunes, Fredenco Velloso Ko,p, Manoel Do-
micgos da Silva Jnior, Manoel Coelho da Silva,
Manoel Jos de Lemos Barros, capitao Manoel de
Mello e Albuquerque.
Para constar maudei lavrar o presente, que sera
publicado pela imprensa e afiliado nos lugares
mais pblicos da freguezia, sendo mais noli Orados
pelo diBeial do juizo os mesmos eleifores e snp-
plentes, o que.tndo conforme a lei e mais dispo-
sices em vigor.
Eu Francisco de Barro Correia, escrivao que o
subscrvi.
Docio de Aqninio Fooseca
ODr. Luiz (Je Albuquerque Martms Pereira, dele-
gado do 1 districto "desta cidade do Recife de
Pernambuco, etc.
Faco saber a quem interessar possa, que as au-
diencias desta delegacia lera lugar na ?ecrelana
de polica, duas vezes por semana, em os dias se-
gundas e quintas-feiras, as 10 horas da manba.
Cidade do Recife de Pernambuco J2 de Janeiro
de 1865.Eu Guilherme Augusto de Attabyde,
escrivao, o escrevi.
Luiz de Albuquergue Martms Pereira.
O ridadao Antonio Carnelro da Cunha. Juiz de paz
do 2 dlstriclo da freguezia da Boa-Vista, ero
virtud e da lei, etc.
Faco sciente que as audiencias deste jolzo terao
lugar as segundas e quinus-friras, as 9 horas da
manhaa, em a casa de sua residencia, ra dos
Coelhos n. 8 A, e quando forero esses das santiti-
cados ou feriado* ser a audiencia no da se-
guate. ,
Recite 13 de Janeiro de 1865.Eu Francisco de
Barros Correia, escrivao que o escrevi.
Antonio Carneiro da Cucha.
Art. 13. Os voluntarios das difTerentes rlassfs Rio de Janeiro.
doflnida no artigo antecedente devero ter os re-, o briguo nacional Cruzeiro do Sul, segu breve
quisitos seguintes : para aquello porto, anda recebe carga a frete : a
1.* Classe.Os que se alistaran para a arimia- tratar com os consignatarios Marques Barros &
gem sem tempo determinado, devera ser fortes, rj., largo do Corpo Santo n. 6.
sao*, acostBMtKtos a vida do mar, ou pelo menos _.
capazes de servir na praca de grumete.
i>* Classe.Os que se contrataren por prazos de-
terminados, de uro a tres annos, devem ser fortes,
saos, e acoaUimados a vida do mar.
3.* Classe Os que se contrataren! pira servir
na roarinhagem o prazs de seis ou de oito" annos
em confornidade do artigo 3." do deeselo n. 1466
de 25 de outubro, devem ter os requisitos-dos da
segunda classe, excepto a pratica da vida martima
que podar ser despensada com a clausula qne
adianto (artigo 16) se expressa.
LEIL5ES.
Leilao de una escrara de 3* an-
nos e nm ninlatlnho de
annos.
HOeJE.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
CordeiroSimres vender em leilo urna cnoula
4. Classe.Os alistados para o rorpo de impe- osinheira, engoramadam. e-eem entras- habttida-
riaes marinheiros .devem ser cidados brasileiros des e nm mu|alh0 de 9 annos proprio para pa-
de 18 35 annos de idade, ou at 40, sendo homens gem e apl0 para apren do mar; fortes, saos, e capazes de todo o servico. ,---------------------------------------------__,------
5- Classe.Os alistados para o batalho naval LeilO (k 1110>(HS, CalToCaS, pian OS t
devem ter 18 at 45 annos annos de idade, e os on-
tros requisitos da quarta classe.
Todava poder-se-ha admitlir alguns estrangei-
ros mediante previa aulorisac,o do goterno.
6.' Classe.Os aprendizes marinheiros devera
carracas, pianos
ou tros a rfeos de gosto.
bioji:.
Cordeiro Simoes far leilao de diversos moveC
novos e nsados, crystaes, pianos, secretarias, san
ser Ciladaos brasileiros de 10 a 17 annos de ida- de s ^ com raujl0s
de, de constituido robusta, e apropriada a vida uo
DECUB150ES.
Caixa filial do naneo do Biasll
em Peruana i. neo,
14 de Janeiro de I8t5.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de -ebastio Jos da Silva a virem
receber do thesoureiro da mesma caixa o que em
rateio Ihes toca da venda de urna das propieda-
des, que segundo a concordata, lhe foi entregue
para serem vendidas.O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
Consulado provincial.
Pela mesa do censuado provincial se faz publi-
co que no ia 10 do correte se principian) a con-
tar os 30 dias uteis marcados para a cobranga
bocea do cofre do anno linanceiro vigente dos irn-
postos de 4 Oto sobre casas em que se acharom
estabelecimentos de eommerciu ra da cidade do
Recife, prensas de algodo, typographias, cochei-,
ras, bolequins, hoteis, casas de pasto, cavallarices
e fabricas, de 8 0|0 sobre consultorios mdicos e
cirurgicos, carinos e escriplorios.de 20 0|0 sobre
estabelecimentos de commercioem grosso e are-
talho, armazens de recolher, e os trapiches, de
50 por casa de bilhar e modas, de 1005 por casa
que vender roupa feila no eslrangeiro, de compra
e venda de escravos, do correlores commerciaes e
agentes de leilo, de 1:0004 sobre casas de opera-
coesbaoeariaseorn emisso e previlegios, de 600*
pelas ditas comeoaiasaoe sem previlegios, de 400$
pelas ditas sem emissao, companhias anonymas e
agencias, de 20* pelas casas de cambio, de 30*
pelos escraros empregados no servico de alvaren-
gas, ue i* por tonelada de alvarenga e canoas
abertas, de 20* por cada bote ou saveiro, de 30*
por cada balieira, de 105 por escravo ganhador ou
empregado em servigo de transporte ou em arma-
zens, de 104 por cavallo de sella de aloguel, de
65 por cavallo particular, de 5 0|0 pela venda de
capim e o imposto de carros, carrogas e mnibus,
e lamben o 1* semestre do de 20 0|0 do consumo
de agurdente das freguezias desta cidade e dos
Afogados, S. Lourengo, Santo Amaro de Jaboatao,
Muribeca e Varzea, ticando sujeitos a multa de 6
0|0 sobre os seus dbitos depois de findo o dito
*>rHSD.
Mw-------- J^-______ ___1___x-----------"l------
7 de Janeiro de 1865.
Antonio Carneiro Machodo Rios.
Existe nesta subdelegada, e ser entregue a
quem provar pertencer-lbe, duas cabras (bichos)
urna com cria, duas garrafas de essencia de alfa-
zema e urna deamz, dous copos lapidados, tres pa-
res de ckioellase um chales de la.
Subdelegada de polica da freguezia da Boa-V6-
ta 16 de Janeiro de 1865.
Decio de Aquiao Fonsece.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para foroecimento
do arsenal de guerra precisa comprar os objecos
seguintes:
Para o 9o batalho de infantaria.
8 cornetas com boccal, pontos e voltas.
8 conloes para as ditas.
32 ditas de la para canudos de inferiores.
10 jogos de malas de sola com fechadura.
Quem qnizer vender taes artigos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
lho administrativo, s 10 horas da manhaa do da
20 do crreme.
Sala das sessoesdo conselhoadminislrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 16 de Janeiro
de 1805.
Antonio Pedro de S Barrito,
coronel-presidente.
Sebasttao Antonio do fego Barros,
yogal secretario interino.
Pelo presente se faz publico que no dia 16
do correte se cham abenas as matriculas do 1
e i" anno da escola normal. Assim como se de-
clara aos que nao fizeram exame do Io anno, tra-
tem d requerer para se Ihes marcar dia, justifi-
cando os motivos do seu nao comparecimento no
designado edital afflxado na porta do estabeleci-
mento.
Secretaria da escola normal de Pernambuco 14
de Janeiro de 1865.O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
Pela subdelegacia do Peres, toi preso e reco-
Ihido casa de detengo, o escravo que diz cha-
mar-se Joaquim e ser escravo da Sra. D. Cathanna
moradora no engenho Pocinho: quem fr seu dono
comprela, que provando seu dominio, lhe ser
entregue. Subdelegacia do Peres, 16 de Janeiro de
1865.O ubdelegado, Alexandrino Marlins Cor-
reia Barios.
Capitana do porto de Pernambuco, 14
d* Janeiro de, 1S*W>.
Em vista das circunstancias melindrosas em que
se arha o paiz, sendo necessarlo que todos os bra-
sileiros, concorram para a sustentago dos brios e
dignidades nacionaes, compromettidos na guerra
com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o lllni. Sr. capitao do porto, em virtude do que lhe
foi determinado por S. Exc o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marraba, convidar
nao s aos matriculados, como a rodoS os oidadaos
que se quelram alistar na qualidade de voluntarios
para armada, a so presentarem nesta capitana
nos dias otis das 9 s 3 I \t horas da tarde.
Ootro sira, sao ijrualmente convidados os indivi-
duos que tiveram baixa do servigo naval, a alista-
ren se por um ann ou mais, garanti.ndo-se-lhe
nao s as respectivas escusas, logo qne terminen
os seus eontrato.s mais ainda os premios flxados na
lei, para os que voluntariamente procuran) o ser
vico da armada, e bem assim ama gratifleagao
rnensal, igual a metade dos sidos, que percebiam
na occasio em que obtiveram baixa.
As vamapens e condiegdes para o alistamento se-
rlo as estabeteeidas pelas instroegoes que baixa-
raro com o decreto n. 1391 de 14 de abril de 1853
que sao as seguintes:
Art. 12. Dtstinguir-se-ho seis classes de volun-
tarios :
i* Do* individuos que qnizerem servir na ma-
rinhagem sem tempo determinado ;
> Dos que se qnizerem contratar para servir
na marmhagern por tempo determinado ;
3.* Dos que se prestaren servir na marinha-
gem o< prazos esiabelecidws no artigo 3.* do decre-
to n. 1466 de 25 de ontobro de J18S, e que esen-
sam o nacional do servigo militar ;
4. Dos que qnizerem ter praea no corpo de1 im-
prtaos marinlu-iros.
S.' Do quo se desiinarem para 6 batalho naval.
6." Dos aprendizes marinheiros.
mar.
Poder-se-ha tambera admitlir menores de'10 an-!
nos, que tenham sufflcienle desenvolvimento phy-
sico para os ercicios do aprendisado.
Art. li. Os voluntariosda primeira classe perce-1
bero os sidos concedidos pelo artigo 1 "do decre-j
lo n. 1466 de 26 de outobro, mas nada receberao
a titulo de premio on gratifleagao.
Ser-lhes-ha declarado, e expressado nos seus as-
sentamentos, que naoobtero guia de desembarque
sem previnir ao commandante respectivo dous
mezes antes, salvo se nisso nao houver inconve-
niente para o servigo, por qn ento sero irame-
diatamenle altendidos. .
Urna resalva, que Ihes dever ser entregue com
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa dala os sobreditos voluntarios, se forem na-
cionaes, fleam isrntos do recrutamento por um an-
no, ou por tempo igual ao que tiverem servido nos
navios do estado, se este prazo for menor ;
porm, o caso de circunstancias extraordinarias
durante s qoaes flcar, suspensa a tsengjio.
Art. 15. Os da segunda classe recebemos os pre-
mios seguintes :
Se forem grumetes ; dez, vinte e dous, ou trinta
e quatro mil reis, segundo se contrataren por um,
dous, ou tres annos.
Se forem marinheiros : vinte, qoarenta e cinco,
ou setenta mil reis, segando o prazo de seu contra-
to for de um, dous, ou (res annos.
Alm do premio receber3o mais os referidos vo-
luntarios se directamente se apresentarem, a gra-
lificago de quatro mil reis sendo estrangeiros, e
de cinco mil res sendo nacionaes.
sta gratificacao, porm nao se abonar repeti-
damente ao mesroo individuo por cada novo con-
trato successivo que flzer, se este for de prazo me-
nor de tres annos.
Art. 16. Os da terceira classe receberao mais
urna quarta parte do maior premio que poderiam
obter contraiando-se como os da segunda classe,
na praga de grumete ou de marinheiro, que Ihes
competir, e a mesma gratifleagao apresentando-se
directamente
Exceptam-se os que nao forem homens do mar,
e tiverem mais de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alistar-se com as condiegoes dos da terceira
elasse, mas sem augmento de premio.
Art. 17. Os da quarta classe receberao como pre-
mio cem mil res, se forem marinheiros, e sessenta
mil reis se forem grumetes.
Art. 18. Os da quinta classe receberao o premio
de cenio e cincoenta mil res, se nao forem maiores
de qoarenta annos e o de cem mil reis, se tiverem
mai6 daquella idade.
Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as companhias de aprendizes mari-
nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pais, tutores, ou quem suas vezes flzer:
Art. 20. Os premios de que tratan os artigos an-
tecedentes sero pagos pela maneira segulnle :
I." Os dos voluntarios da segunda classe, se o
alistamento for por um anno, Ihes sero pagos in-
tegralmente no acto de assentarem praga ; se por
dous ou tres annos, receberao em tres preslagoes
iguaes, sendo primeira paga como no primeiro
caso, segunda quando .vencida metade do prazo
do contrato, e a terceira linda o dito prazo.
raS rttar^'rS'AP0,?,da terceira classe recebe-
rao urna rerga parttfuo premio re>ycctT0 loco nue
tenham assentado pras, O0.. ..,;_ ,' 5 r
do primeiro anno de servigo, e o restante Ando o
prazo de seu alistamento.
3." Os premios dos imperiaes marinheiros e os
das pragas do batalho naval sero abonadas como
os dos voluntarios da terceira classe.
4." Os premios devidos pelo alistamento de
menores paras as companhias de aprendizes mari-
nheiros sero pagos integralmente, logo que se ve-
rifique a entrega dos ditos menores.
Art. 21. As gratificagoes que compelem aos vo-
luniarios que directamente se alistaren) no servigo
da armada, sero pagas conjuntamente com a pri-
meira preslagao do premio respectivo.
O secretario da capitana.
Uecw de Aquino Fonceca.
Perante a cmara municipal desta cidade
estaro novanenle em praga nos dias 21 e 28 do
correnle com o abate da quinta parte para screm
arrematados por tempo de um anno, por quem
mais offerener, os impostos seguintes : dizimo do
capim de planta avallado por 8005800 rs., gado
suino por 55600, e gado velhum por J5636: os
pretendentes poden comparecer nos mencionados
dias com seus fiadores habilitados na forma da lei.
Pago da cmara municipal de Olinda 14 de Ja-
neiro de 1865.
Joaquim Cavaleant de Albuquerque
Presidente.
Marcolino Das de Araujo
Secretario.
Crrelo geral.
Rdacio das cartas seguras vindas do sul pelo
. vapor inglex Magdalena para os senhores
abaixo declrales :
A. Schafter & C.
Belmiro Augusto Monleiro Salgado.
Barao do Livrameuto.
Francisco Antonio de Andrade Mello.
Ildefonso de Souza Reis.
Joo Carlos Augusto da Silva.
Joao Chrisoslomo de Medina.
Joao Nepomuceno AI ves Maciel.
D. Josepha Francisca Pinto Rigueira Ramos.
Manoel Mximo dos Santos Torres.
objectos de gosto.
No arnazem
a ra da Cruz u.. 7.
Leilo de 36 ealxas com masaos
de palitos de dentes.
HOJE
O agente Pinto far leilo por conta e risco d
quera pertencer de 36 caixas com massosde pali-
tos para dentes, ltimamente despachados, s 10
horas do dia cima ditono armazem do Sr. Au-
nes em frente a alfandega.__________________
Leilo de 13 barricas com castankas
do Para e 120 caixas oiu eb.aru.ios
da Babia.
---:
Por intervengo do agente Pinto, no armazem
do Sr. Annes.________^^__________^_
0 Leilo de 100 saceos com milho.
moj:
O,agente Pestaa vender por conta o risco da
quem pertencer 100 saceos com milho muio no-
vo em lotes a vonladc dos compradores, pelas 10
horas da manhaa no armazem do Annes.
i.cilo de 40 ealxas eom massas.
uoji:.
O agente Pesua vender por conta e risco de
ouem pertencer 40 caixas com massas sortidas em
lotes a vontade dos compradores : quarta-feira 18
do correte pelas 10 horas da manhaa no arma
zem do Annes.
Leilo de ervllhas, alpes, fel-
Jes verdes em latas e f nietas
sortidas em vldros.
O agente Pinto far leilo por conta e rlseo de
quem pertencer de urna porcao de latas e vidro
com os objectos cima mencionados, as 10 e meia
horas do dia cima dito, no armazem do Sr. Annes
em frente alfandega.
Leilao quinta-feira 19 do correte a ra da
Gadeia n. 53.
Pelo agente Enzebio.
De um sitio com casa de vivenda e portao de
ferro ao lado, a beira da estrada do Monteiro, jun-
to do do Sr. Passos, o chao proprio, e a casa
nova e feita a moderna, esl.bera edificada, tem
commodos para numerosa familia, alem de oulros
no sitio como casas para criado, cocheira, cacim-
ca, etc., sao convidados os pretendentes ao previo
exame, existe na casa pe^soa para abrir e mostrar
Leilo quinta-feira 19 do corrate.
De urna casa terrea n. 44 sita a ra da Soleda-
de, chao proprio, ser vendida em leilo pelo
agente Euzebio, naquelle dia as 1' horas : os pre-
tendentes sao convidados a ir examina-la, urna
casa em ponto alto, alm de duas salas tem 6
quartos, cosiaha fora, quintal grande e utras com-
modidades para familia numerosa.
Leilo de urna c sa terrea nova edifi-
cada em chaos foreros na roa do
Socego n, com 2 salas, 2 quartos,
cosinba fora, cacimba e quintal mu-
rado, a qual rende 2# uensacs.
Sabbado 22 do cerrante.
Por intervengo do agente Pinto, na praga do
Cominero em frente a casa das Srs. Palmeira
4 BeltrJb. Os pretendentes podarlo desde j eia-
minarem a dita esa.
Leilo e urna cocheira eom 4 carros
arreta e seus pcrlences.
Segunda-feira 23- de Janeiro.
O agente Pinto far leilo precedida a compe-
tente autonsagao, da cocheira da roa do Impera-
dora. 28, com 4 carros de 4 rodas em bom esta-
do, 1 berliada quasi nova, 20 cavados de servigo,
arreios, estiva, maogedora e mais perteBces da
mesma cocheira as 11 horas do da cima dito, na
referida cocheira, onde podero os pretendentes
examinaren desde j os objectos supra mencio-
nados.
WJ>"
Fe ira semanal
Trastes novos e usados, rdogios, escra-
vos, objectos de ouro e oulros muitos
artigo^
.Quinta-feira 19doeorrenle as 11 beras.
53Ra da Cadeia do Recife armazem53
OLYMPIO
vender em leiio|trastes, objectos de ouro, es-
cravos de ambos os sexos, relogios, correntes pa-
ra ditos, santuarios, candieiros agaz eoutros mu-
tos artigos que estaro patentes no dia do leiio.
LEILAO
DE
Unta na taberna na ra do Padre Floriano n. >.
Quinla-feira 19 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorsado, far
leilao por conta e risco de quem pertencer,da ar-
mago, gaz, gneros e mais utencilios existentes,
na taberna sita na ra do Padre Floriano n. 5, em
um ou mais lotes, quinta-feira 19 do corrente, pe-
las 10 horas da manhaa, na mesma taberna.
Leilo de 7 saceos eom cera
branca.
Quinta-feira 19 do corrente.
Cordeiro Simoes vender em leilo pelo maior
prego ao correr do martello 7 saceos com cera
branca para velas, sera effectuado o leilo as 11
horas no armazem a ra da Cruz n. 57.
AVISOS DIVERSOS.
O abaixo assignado pelo presente previne aos'
aceitantes das letras que vo adianto declaradas,
que as nao paguen), nem fagan qualquer outra
traosaego, visto ter o mesmo abaixo assignado
perdido a sin carteira de algibeira, quando indo
cobranga leve de passar da estaro de Frexeiras
a das Cinco Postas, tocando em algumas interme-
dias e tendo maior demora na da Boa-Viagem : 21
letras aceitas pelo Sr. Antonio Peregrino Cavalcan-
ti de Albu juerque, em H de abril de 1863, venci-1
das no Io de novembro do mesmo anno, sendo urna |
de 807527 e a outra de 62f215 ; duas aceitas uo
mesmo dia II de abril de 1863, peio mesmo Sr.
Antonio Peregrino e D. Francisca de Assis Caval-
eant, sendo unta de 1:000$ veueida em 8 de de-
zembrode 1863 e a outra de 1:412,5759 vencida
em 8 de dezembro de 1064 ; bcra como um outra
aceita em 13 de margo do 1863 pelo Sr. Francisco
Seraphlco de Apsis Vasconcellos e vencida em 13
de dezembro do mesmo anno, da quantia de o'i) ;
sendo todas estas cinc" letras sacadas por Jos
Gongalves Malveira e nao estando nenhuma deltas
endossadas pelo dito sacador, eslo alm disso ru-
bricadas pelo lilm. Sr. Dr. juiz de direito especial
do cemmercio, [em consequencia de terem ellas si-
do,mencionadas no inventario a que se procedeu
por occasio da failencia da Qrrna social de Jos
Marques dos antos Aguiar & C, a que perten-
ciam.
Outro sin, roga o mesmo abaixo assignado
qual (aer pessda, que achou ou adiar dita cartei-
ra, de restitu- a, visto nada mais conter alm des-
las letras, se nio notas particulares e papis insig-
nificantes que lada aproveitando a estranhos, al-
gn traustornii causan quelle aquempertencem;
podendo dingii -se ra Velha n. 27 2o andar, ra
da Cadeia n. 4 oo a ra do Imperador n. 12, que
sera gratificad,
Recife, 17 di janeiro de 1865.
Jos Marques dos Santos Aguiar-
Institua Arcieelegieo e CeographieoPer-
nanbueaDO.
Haver sessjra ordinaria quinta-feira 19 do cor-
rete, s 11 horas da manhaa.
OHDEM DO DIA.
*. Pareceris de commi.ssSes;
2. Dlscusso do programma para a festa do
anniversario.
Secretaria do Instituto, 17 de Janeiro de 1865.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo. ___
3U
m

Leilo de Importantes dividas.
Marlins levar nvamente a leilo. as dividas
activas da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho
& C. na importancia de 81:661^324 rs., sendo
50:581^965 em conta de livro e 31:079j359 em
letras e servindo de base aofferta do ultimo leilo.
Sexta/eira 20 do.corrente.
Em seu escriplorio ra da Cadeia n. 9, ao meio
dia.
Jos 6:000*01)0.
Quinta-feira 26 do corrente mez, se ex-
trabir a seg inda parte da dcima primeira
lotera (3*) a beneficio da matriz da Boa-
Vista, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Sato
Antonio.
Os bilbetes, meios e quartos estao a ven-
da aa respectiva tbesouraria ra do
Os premios de 6:000000 at 10(5000
serao pagos tima bora depois da extraccJo
at s 4 bera da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As encominendas sero guardadas so-
mente at a npite da vespera da extraccao
como de costme.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Na nono oo dia 16 do correnle, desappareceu
do poder do abaixo assignado, o raulatinho de Do-
me Uhaldo queja semana passado foi anounciado
pelo Diario do Recife, nos das 11, 12, 13 e 14, para
se alugar, e seas signaes sao os seguintes : esta-
tura alta, bem alvo e bonito, seco do corpo, dragos
e pernas comprjdas, dedos linos e grandes, sendo
os dous mnimos dos ps bastante curtos e Onos,
tem 18 annos de idade, cabellos corridos e pretos,
levando elles rejntes que bem se v do lado esquer-
do da cabega ulna pelladura que mostram ter sido
de sarnas, mos e ps bem feitos e cavados, olhos
grandes e bonitos, sombrancelhas pretas e grossas,
nao buga e tem alinal na perna esquerda do lado
interior dous glandes signaes arroxeados de duas
gomraas, e mais oulro menor, bem superior a ca-
bega do osso do lornezeHo da direita, levou caiga
de brim branca j usada, e camisa de chita com
flores rochas. Este escravo pertenre ao convento
do Carmo de Olijida, que foi reivindicado era agos-
to de 1863 do poder de D. Marcolina Coelho da
Silva Leite, illia do finado Jos < laudino Leite, em
cujo poder tinha o nome de Pedro. Este escravo
lillio natural qo engenho Camassari em Jaboatao,
onde l tem mal e mais pareles, por isso que de
suppr ter elle procurado para all, on para casa
de onde foi lirado, por isso que roga-se as autori-
dades policiaesie aos capites de campo sua captu-
ra, e logo que f|ir entregue ou no Carmo do Reci-
fe ou na ra Direita n..$Z, ser bem recompen-
sado. Recife, 17 de Janeiro de 1865.Fr. Joo do
Amor Divino Mascarcnhas, prior do Carmo em
Olinda.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portes do norte espera-
do at o da 21 do corrente o va-
por laeanlins, commandante Pe-
dro Hypoliio Ddarte, o qual de-
pois da demora do costume segui-
r para os por tos do sul.
Desd j recebem-s*e* passageiros e engaja-se a
carga que o vapor peder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete ateo diada sabida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
\utonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para a Bahia
Pretende seguir com brovidade a sumaca Hor-
tencia, tem parle de seu carrcgameolo prorapto
parao resto que Ih* falta trata-se com os seus
consignalarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu escriptorio roa da Cruz n. 1.
Para a Bahia pretende sahir em poucos dias
a veleira escuna Elisa, capitao Belmiro Baptlsia
de Souza, tem maior parte da carga tratada, para
o ponco que lhe falta trata-se' com os consignata-
rios Palmeira di Beltro, largo do Corpo Santo n. i,
primeiro andar.
Porto por Lisboa.
Pretende seguir com brevidade a muito- veleira
barca portugueza Corea, por ter grande parle da
arga engajada, paro" o resto e passageiros aos
qoaes offerece os melbores commodos: trata-s
com o consignatario T. de Aqnino Kpnseca Jnior
na travessa da Madre de Dos n. 5, primeiro an-
dar, o'u com o capitao na praga.
Leilo de urna casa de talpa na
povoacSo de S. Loureuco da
Malla e dons qiiartos.
Sexta-feira JO de Janeiro, na praga do Commerco.
O agente Pinto far leilo a' requerimenlo-do
lestamenteiro do finado Saltstiano Ferreira Cou-
tinho e por mandado do Illm.Sr. Dr. juiz de or-
illaos, de urna casa de laipa nova edificada na po-
voago de S. Lourengo da Matta, com utencilios
de urna pequea taberna e dous qnarios, as 11
horas do dia cima dito na praga do Commerco
em frente b eseriptorio dos Srs. Palmeira &
Beltro.
Leo de orna victoria (de Uio dos me-
lbores fi lrica o tos de pars) en boa
est -do, com arreios para dous caval-
Ios e 1 ramea de 2 rodas grande e
mui forte, prpna para tioi.
Sexta felra 20deJaneiro.
Poj- intervengo do agente Pinto, na praga do
Commerciq em frente a caja dos Srs. Palmeira &
Beltro. .
Leilao de um sobrado de 9 an-
dares da ra do Padre Floria-
no n. 91, edificado em chaos
proprios, o qnal rende 504M
annual.
Sexta-feira 20 dgjaneiro.
Por Intervengo do agente Pinto, na praga do
GommerHo. Os pretendentes podera desdeja exa-.
minaren o dito sobrado.
\ ttenco
Sabbado 14 do corrente sahio para vender fruc-
tas e ovas do serto, a mulata Luiza e um moleque
Alfredo, sendojquella de idade de 16 a 18 annos,
e este de 9 a 10 annos, os quaes san escravos do
abaixo assignado. e auppde-se estarem fgidos,
principalmente a mulata, e tem os signaes seguin-
tes : a muala baixinha, levou vestido de mosse-
lina branca com flores azues, chales de lia cor de
rosa j asado, e o moleque bastante preto e tem
urna orelha turada, costuma trazer urna roseta,
levou caiga e (camisa de azulo e foi em compa-
nhia da mulata, levando elle urna bandeja com as
ovas: portaotj) pede-se s autoridades policiaes e
capiles de campo a appreheuso da referida mu-
lata e juntamente o moleque, e leven ao sitio do
abaixo assignado, na travessa de Joao Femandes
Vlelra,p. 6JJuilherme Joaquim da Silva Rraga.
JLAO
da n
le;
Da Ioja de seleiro da ra Nova a. 28.
Marlins competentemente anlorisado, far leilo
da Ioja de seleiro arjina, constando" da arraago e
fazends nella existentes no dia sexta-fira 20 do
corrente, s li horas.
Atencio, attenvo.
No dia 10 d crrente mez,'sahio de casa de sda
mi o menor Pedro Paulo de Albuquerque, horro-
/Isado de si pelo faci reprorado da injuria que
commeileu com sua mi e padrasto : ignora-se on-
de tenha este menor adrado apoto, s sim deixa
aperceber estar abrigado em casarte psoa menos
considerada, por* que ao contrario nao o apoiaria
reconhecendonelleum fllho.familia.
Mara Theophila do Albuqaerqoe
Bogarse ao lllm Sr. Domingos. Jos~Rodn-
gues quelra vir ra da Cruz n. 33 receber urna
encornmenda qne veio do Rio de Janeiro.
Aoha-seausente da casa de-seuseohor a pre-
ta Luiza, idade de 24 a 25 aonos, lem duas cica-
trizes ne brago direito, descoofia-se que o mesmo
ande aqu na praga ou seus- airaba Idos : pede-se
todas as autoridades ou capites de campo de
apprehende-la e levar ra dos Pires n. 34, qne
generosamente serao recompensados.
INJECTION BROU
XAROPE
DE CASCAS DE L ARAN JAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
WAMACumco a iscoiA surtaioa m faiii.
" Esta xaropt, regularisaado as fimccSM do estomago inleino, dettroe cana
indisposicSes pxeteiformcs, e faz abonar as molestias de qne sao indicios pracarso-
rcs. Mdicos e doentes tem reeonhecido que reslabelece as indigeilde, fazendo
desappareccr os pesos de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, caimbraa,
que sao resaltado de digestdos penosas. Sen gosto agradavel e a faclidade com que
se suporta, o tem feilo adoptar como especifco iafallivel das doencas nervosas,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago t d tntnnhas, palpitafOes, dore* i
eoracao, vmitos nervosos; sua accae sebre as funcodes assimiladoras tal, qae es
mdicos mais Ilustres o tem adoptado por rescipiente real dos dous prmeiroe
agentes therapeuticos: o loureto de Potassa e o Proio-lodureto de forro, tendo
observado que debaixo de soa influencia, o primeiro perde sua accao irritante, e
segundo eu effeito adstringente.
XAROPE FERRUGINOSO
XAROPE DEPURATIVO
'De casca de laranjas amargas com Ie-
dureto de potassa.
O iodureto de poiassa, administrada tm
solu{o oh debaixo da forma solida, causa ao
docnte ama grande repugnancia, ou^datermina
accidentes que o fon,ao i renunciar a esu
inediciQao afficar.
Unido porm ao Xarope de csea* da laran-
jas, elle nad causa nem gastralgias, nem per-
turbaba do estomago e intestinos, e grarai a
este salvaguarda, os tralamenlos depurativos
(So continuados sem interrupgo, as affec-
cSes eicrofulosas, tuberculosas, canctrosas e
as secundarias e rerciarios, mesmo reuma-
thmtes, aas quaes elle o mais seguro espe-
cifico. A dota est definida da tal maneira
qie o medico poda varial-a a sua tonudo:
0 frasco: 4 fr. 50 c.
De caicas de laranjas amargas eom
proto-ioiurato da fsrro.
A asseclacto da sal farra ao Xarope da cas-
cas da laranjas e Unto mais racional qiante
que esta xarope, empregado aa, para essaa-
lar o apetite, activa a se creci i saces g-
strico, par Sm rtgulariss as faaecSes abda-
minaes, neutraliza os mias effeitM das farra-
ginosos e dos iodurets (peso da eabeea, pri-
sao da veatra, dores epigstricas) am quanto
Jue facilita soa absorpsao. Dissoltida ao
arope, alia se toma e sa supporu fcilmente,
por achar-se no astado pora mais ass:milaTsl;
a assim pode contiauar-ae s car da pallidei,
corrimantoa brancos, anemia, affeccSes aaers-
fulosas a rachitisao:
0 fraaoo: fr. 60 e.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estas sempre em frascos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). ExpedieSes: em casa
J.-P, LAROZE, ru des Liona-Saint-Pi, 3. Psnia.
Ilua iln lni|i-i;i'li)r n. ;jrt. Uuttca lidiiceza.
PERFUMARA MEDICA HYGIN1CA
De J.-P. LAROZE, qumico, phar maceutico da la Escola especial de Pars.
Estes productos sao o resultado da aplicarlo das leis da hygieua i sarfiasasria, qua aa argaia a
tornase pharmacia da belleza, encarregada t pro\ar a hygiane da p-Ue, doa caballos, dos dasus,
srgaos Uo importantes; ento ev na e destroa as causas das deeacas que sua irmaa mais vana,
i pharmacia propiamente chamada, tem qua curar.
"J^r BCirnrRiCIO para curar raediaumanteas
dars ou raivas de denles; o vidro 1 fr. 25
POS DBM l'iTHlClOS COR DB ROSA eem basa da
Magnesia, para branquaar e conservar oa denle*;
a vidre...........1 fr. Je
OPIATO OKNTIPRICIO para fartiflear as jenaiva
a evitar as nevralgias dentarias; o pota 1 Ir. 50
CSRATTVO dentario para tratar os daats
eariadaa antes do chumbamento, e evitar os ab-
cassaa e dores; o vidro oota instraraanto S fr.
AOOA LBDCODUUHUIA, para conservar a frescura
a as fuac^oes da pello o vidro S fr.
B8PIBJTO DE AHIZ RECTIFIOADO, cemplemeato
do aeaioda bocea despois do comer; a vidro 1 fr. 25
SABO MBUTIVO MEDICIH AL, de violeta, ame nda
amarga, bouquel, o pao.......2 fr.
asmen de sabao lemitivo mbdicihal de
ai de ovos, para evitar a faadaa, frieiraa a


amas *t ovos, para evitar as laaaai, ineiraa a
doencaa do pollo, da violeta, da kaufaai; a po 2 fr.
REME DE SABAO LENITIVO MEDICINAL OS)
pos. Ella especial para a barba, a aceia das
sesearas a das chancas, o vidro.....2 fr.
AOOA MJ8TRAL para conservar a eabeUeear os
caballos, a fortificar saas raizas, a vidro. S fr.
oleo A vela PERPTJHADO para remediar a
dureza des caballea a a saa aloma, a vidro. I Ir.
VIRAQRB DS TOILETTE SO FERIO R pela saa
tuavidade a sus aaclo rafreaeaale, a vidro. 1 fr.
COLD CRZAM SOPBRIO* para conservar a pefle
clara, frasca, a diapnaaa, a evitar oa mane offeUM
do asa das caras, o pota......t tr. SS
AOVA SOI eOLOOWA SOPSBSSOS1, eoee f m
mbar; pomaaaaeia de ase parfune o taz bascar
para a tsaadar, baabss genes e latan, o dre 1 ir.
PASTSLatAS osuasTTAasS da Dr. Paul Clemaat,
para tirar a chairo do tabaco a pan madiSnr aa
hanos (artes; 1 o 2 Ir. a caixa.
AOOA DE f-LORES DS ALTASSaSA, cosmtico
bascado para tirar as coaaichles, fortiScar a re-
frescar cartea orglos, a viere.....i fr. JS
ESPIRITO BBt eTOmTBXA* StTPSaiPTJfO. He 4 e
aperfeieaaeaecxo iodispaaaavol da aaaia da bocea
depois da comer, o vidas......1 fr. 2a
rOMMADA COSSCRVADOSA da quioina pan
para farlilcar oa caballea, aa ama alterar e evkar
e eacaaeeimeBis pramatara, a pota.. S fr.
Depsitos em cada cidade, em caza dos pharmaeentieoa, perfamistss, cabelleireiros, aegociantes da
modas a da (aicndas. Varejo: Paaitaur.u li>aras, ras Neave-des-Cstils-Chsmp, t*.
Kxpidleoss: em caza de J.-P. Lakoie, rae dss Lions-Saint-Paul, n11, em Pars.'
It .i ilo I tu t>j'r;i*l>i- ii :IK hwtsra fraeire*.


Vende-se na ra do Imperador botica tranceza n. 38.
A NACIONAL
Oompanliia geral hespanliola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 2i DE DEZEMBRO DE 1859
Urna Gaoca em dinbeir*), depositado nos cofres do estado, garaate a toa ai~
ministraco da companhia.
BANQl'EIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespanua
DIREC^O GERAL'
Madrid : lina do Prado n. 11
Esta compauhia liga polo systema mutuo todas as combinaijSes de supervivencia dos seguros
sobre a vida. -
Nella ude se tazor asubscripQo de maneira que em nenhum caso mesmo'por morte do se-
gurado se perca o capital ren os juros correspondentes a estes.
Sao to supreliendanles os resultados que produzem as sociedades da ndole rteA NACIO-
NAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parle do interesse produzido em recentes liquidarles,
ecombinandoo com a mortahdade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os
seus clculos e liquidagoes, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna mporsicao annu' fie lOOoJ
produz em effectivo metlico :
No lim de o annos...... 1:1195300
de 10 s.......3:9**|00
de 15 s.......11:808*200
. de 20 ....... 30:256*000
> de 25 >.......80:331*000 "
as idades menores di) 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considera veis.
Prospectos e mais informacoes serao prestadas pelo suh-dlnedlor nesta provincia o Sr". Jerony
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, oo a Boa-Vista ra da Imprratriz n. 12, eslabe
lecimento dos Srs. Raymundo, Carros, Leite & Irnio.
O alferes do 7o batalho de infantaria de li-
ona Rernardino Vieira Hallullo, tendo de embar-
car no primeiro vaprn-para o sul, faz o presente
, Ennuocio, scieotificamlnao respeitavel publico ne
julga nada dever, porm se alguma pessoa se jul-
gar seu rredor, pode dirigirse ao quartei das Cin-
co Ponas, onde est assisdndo.
a deleito.
Precisa-se d um ama do leite : na ra da Ca-
deia do Recife n. 58.
Ama. '
Por traz da matriz de Santo Antonio n. 28, se-
gundo 'andar, precisa-se de urna ama que coziohe
e engorumn.
O Dr. Antonio' de'Vasconeello* Henezes de
rnmmond, amigo advogado neste foro, contina
no ejercicio de sua protissan, na roa do Impera-
dor n. 43. primeiro andar, onde pode ser proenra-
do todos os dias uteis, das 10 horas da manhaa as
& da tarde.




B^^^BfcMt.

MaHo de ftMftifcw )n*riA ffdra t% de Janeiro de *#*.
AOS 61000.000
"- Bilhetes garantidos
i' ni i Crespa a. 23 e casa* da costme
O abano issiirnado vendeu nosseus muitofeli-
es bimetes 1 iranttdos da lotera, que se ar.abou
de extrahir a beneficio da Sania Casa da Mise-
ricordia, os sfluinies premios:
Dous quartos n. 1902com a sorte de 6:000000
Um \>ario u. 916 com a son de 0OU100.
E outras muitas surtes de 2003, 100, 40* e
29*009.
s possuiiores podem vir receber seus respec-
iros premios sem os descontos das leis oa Casa
da Fortuna rus do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da
d>ei-m (inraeira loteria a beneficio da matriz
da Brt-Vista, <|ue se extrahir no dia 26 do
corrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 7*000
Meios. ....... 3*500
Quartos........ 1*900
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes...... 6*500
- Meios........ 3*250
Quartos......, i*700
iinocl Martn* Fiuza
f "5 i. "5 g
i S i $
3 5 B "
H s
1 = s- 1
p I a o s
o H -I
p g K 5
ss 2 5
i
= T
'Aula particular -
'da rna d Cabag, 2' aadar, entrada na das La-
rangejras n. 5.
Maria Candida Bandeira Magalhes fat sciente
aos Illms. Srs. pais de suas alomnas, e bem assjra
ao raspeitavel publico, que uo da 19 deste mea
continuar a funccionar com a costumadi dedica-
cao no aperfoicoaroento das diseiplas.como j tem
dado as provas satisfactorias aos seuhores que tem
confiado suas meninas nesta mesma aula.
****** m-mmmmmm
O bacharcl
Francisco Augosto da Costa g
jS ADveoADO mt
M Ra do Imperador numero 69.
A luga-se
ama casa acabada agora, com coramodos para fa-
milia, estribara, cocheira, quartos para feitor e'
escravos, com banho na porta, no logar do Poco
da Panella, rna do Rio : a tratar com Tassp ir-
maos, na ra do Amonm n. 35._______________
Alu^a-se urna escrava para todo servico in-
terno de casa de pouca familia : qaem precisar,
dirija-se a ra da Imperatriz, fabrica de charutos
a. 77.
seguros martimos r ter- 5 SI As senhores pas de familia.
MUDANCA.
Manoel Ferreira Pinto Malheiro mudou a sua
loja de ourives da ra das Laranjfeiras para a ra
do Cabug n. 2 B, onde espera continuar a mere-
cer a confianza de seas amigas-, e do publico em
geral.
Precisa se de urna ama para cozlnhar econv
prar : na ra das Cruzes n. 9, segundo andar.
Instrnce 5a primarla.
Joanna Villar FVreira Pinto scienlifica nao s
aos Illms. Srs. pais de_suas alumnas, como ao res*
peiiavel publico, que sua aula se acha abena des-
de 9 do vigente, e que continuar com o mesmo
zelo e amisade a velar no progreeso de suas edu-
candas: ra larga do Rosario n. li, sobrado de
um andar.
Alnia-sea cocheira da ra da Roda n. 56 :
a tratar na ra larga do Rosario n. 34. botica.
Aluga-se a casa terreada ra do
O abaixo assignado residente nesla
capital ha 22 annos, onde commerciante
beta conhecido, para evitar duvidas declara
que nao o mesmo Antonio de Moura Ro-
bn, pardoado de crimes comiiicltidos na
provincia do Maranho, ,por decreto de 31
dede/.erobro prximo pissado. como se v
transcripto boje no Jornal doRecife e Dia-
rio de Pernambuco. Recife 17 de Janeiro
de 8C3,
Antonio de Moura Rolim.
!w
ELECTR
MAGWETl!
Approvada por MI tal Academias e atlas
summidades medicas.
O qse oecssion tm pral as molestias abati
designadas i a esta;, navio do sanguc ear corlas
parles do corpo, a qual c produzin pelos resIVi-
mrntos e muilas onlras cautas, entao declai So-se
os lilieumatismos, dol, Paralysia, Fraquem
dos mcmbres, Conslipaces, EUphantiasis ou
Peritas lachadas, el Uorts Nervosas.
O uso da escova ILECTnO-PIACSIE
TICA lem successo certo para a cura de (odas
esi* molestia?, sem recorrer sea nenliuma oulra
medicacin. Ella lem urna forma mu manejare)
e produz, a vmilade dequem d'ella usa, seos mais
litis e lelizes resultados. Seo emprego preserva
das molestias cima. Para niaisinformacrscon-
tul-le-sc a noticia que acconipaiihn cada Escora.
Deposito Geral
Bouiciart du Printt Eu$tn$, 1, Pai.
e o segundo andar jo sobrado da roa do Itangel
n. 7 : a tratar na taberna no mesmo sobrado.
S *go n.
No dia S do correte, furia rain, do sitio do
Mangtiinho, onde rfslde o brigadeiro Menezes
Drummond, duas burras, nma ruc* e ootra casta-
nha, ambas mancas e habituadas a andar em car-
ro ; tem as dinas feilas e estao bstanle gordas ;
quem dellas souber. ser gratificado, dando noticia
ou levando-as ao referido sitio.
; Procisa-se de urna ama para compra e algum
servico de casa, para duas pessoas : na ra da
Ponte Velha n. 8.
Vende-se na ra do
franceza n. 38.
Imperador botica
Precisa-.se de urna ama para coziohar : na ra
larga do Rosario n. 12. segundo andar._______
Que pechiiicia
Um sobrado de um andar por 25* na ra Im-
perial n. 1IG, pintado e f.irrada a sala de novo : a
tratar na ra Direila u. 127, (aberna, ou Cinco
Ponas n. 2:>, primeiro andar, das 6 as 8 horas, o
da:- 4 em dianle.
Desoja-se Tillar com os Srs. /oao Chrisosto-
mo de Albuquerque, de Pedras de Fogo, Jos Joa-
quim Correia da Luz, do enuenho Gajueiro, ou
com quem.flzer suas vezes nesta prsca : no es-
crlptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19._________________
No Forte do Mallos n. 20 ha para alugar
urna escrava que faz todo servigo de urna easa.
Preeisa-se da um b >m cxinlieiro na ra d
Roda n. 6. prefere-se nacioaal.
Offerece-se urna ama para cozanar e eagcvn-
tnar : na ra da Roda n. 47.
. n------..
Precisa-se alugar negras ou molers quitan-
deiras, querenao os senhores pode dormir em casa,
pascado 9 horas da noite, paga-se bem : dirija se
a roa da Peana n. 7. _
Precisa-se de urna ama do leite sem flfho :
a tralnr na ru de S. Fraacisco n. 18|
Precis.-se alugar um prelo para vender fa-
zendas na ra, paga-se bem : na ra Direila n.
71, luja.
mmmmm mmmm mmmmm
Saques sobre Portugal.
seguros.marUlmos e ter
restres esftabeleelda no
Ro de laoelro.
AGENTES KM PEPUAMBUCO
AdIob Laiz le Oliveira Azevcdo A C,
compeleutemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de aavios, mercadu-
ras e predios no seo eseriptorio ra da
Cruz n .1. ,
O abaixo assigoado autorisado pelo
Banco Mercantil PortueL.se. e na ausencia
do Sr. JoaqHim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos o paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Por.o, e mais luga-
res do reino, por qualquev somma vis-
ta, e a praso ; podendo, o; que temarem
saques a praso,receberem s ista, no mes-
mo Banco, descontando 4"0|0 aoanno: na
loja de chapos da ra do Crtpo n. 6, ou
na roa do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaqnim da Cosa Miia.

s
Precisa-se de um caueiro que tenha pratica
de taberna, de 14 a 16 annos de idade, e qno d
fiador a sua conducta : a tratar na ra dos Pires
numero 34.
Joaquim Reso e sua senliora subdito* ingle-
ze& levando em sua companhia um criado subdi-
to francez, v|a para a Europa no vapor inglez
Magdalena. ___________
Prerisa-se de um menino de 12 a 14 annos,
ou um homem de :0 a 40 annos, que saiba lcr :
a tratar na ra da Concordia, casa n. 38.
i- Quem pretender ama pessoa habilitada para
em algum engenho ensinar nao s a lingtia por-
lugueia, mas umbem o latn, frneez e inglez, e
tioeoes geraes de rhelorica, pode informar-so na
rna do Imperador n. 18, primeiro anar.
Aviso.
Di (aseada Meio-dia, na comarca do Rrejo da'
M4lre de Dio--, fafio do abaito a eseravo de neme Fiel, cojos szn.ie< >.io os seguin
Ce : crtoulo, cor fula, idade 23 annos, estatura
um tinto haixa, mberh, ps pequeos, nariz
grosso', olhos"pequeos, laltando-lhe alguna den
tes-itteix-iea da parte' superior do lado esqu<"rdo,
peloj]ne m>-ira ter defeituosa a bocea : assim pe
d'-<.'. a qiilqii'.r caoiio de campo, o mesmo a
qualflaer antoridada que em sen districtq aspare
c^r tf.to eseravo* o faca apprctvnder, quo por qual-
quef despeza me olirigo.
J i i Franci'po de Paula.
raiiiisco
avisa aos seus freguezes quejchegou o biquinho
de ouro, eslreito e largo.
Aluga-se a casa la ra .do Cala bongo n. 2 A:
a tratar na ra do Sebo n. 36.
A rna
Precisa-se alugar urna escrava para ama de ca-
r-a : na ra Velha n. 17.
8
Joo da Silva Ramos, medico pela Uni
/ersdade de Coimbra, d consultas em [
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e Ss
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes ta
em suas casas regularmente as horas a
|\ para sea designadas, salvo os *casos ur- j&
lifj gentes, que serlo soccorridos em qual- Tj
|SJ quer occasio. D consultas aos pobres H
?3 que o procurarem no hospital Pedro II, 9g
V5 aonde encontrado diariamente das 6 ^
ti s 8 horas da manhaa.
H Tem sc.a casa de sade regularmente Ifl
r^fj montada para receber qualquer doente,
j! ainda mesmo os alienados, para o que
lem commodss apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeara classe 33000diarios.
Segunda dita.... 2*300
Terceira dita.... 24000
Esle. estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera qne elle conti-
nu a merecer a confianza de que sm-
pre tem gozado.
Livro do Povo.
O livro do povo, obra ornada comestampas.eon-
tendo a vida de Nosso Senhor Jess Cnrisio, e mu-
tos artigos uteis. Este livro das familias recom-
mendado e approvado pelos Exms. ftrj. D. Luiz
ispo do Maranho e D. Manoel arcebispo da Ra-
bia, vende-se a 15000 cartoriado, nalivrariade
os .Nogueira de Souza, ra do Crespo n. 2.
Aluga-se ntn sitio na ra do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea, com co-
piar nfrente, bota.os fundos para a estra-
da emargem do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para es vallo
e capim para sustenta-los', arvoredos de
fructos, sem visinlio defronte nem pelo
fundo,rom ptimos passeios.sala e gabi-
nete na frente, muito propria fara passsr a
festa, e tambem se a.ljigarporanno : a fal-
j lar noRecife^ na livrarian. e 8 da praca
ida Independencia, e em 01 inda na casa con-
tigua com o capitao Antonio BernardoFer-
!reir.
Aluga-se nma grande e, fresca estribara que
' admttf bem 5 a 6 bnis. com bom quarto que ser-
ve para moradia e fica bem defronto da estacao :
a tratar as Cinco Pintas n. 116.___________
'- Nobllia^
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz b. 53,
e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para, o exercicio de sua -profis-
so medica, e com especiaUdada
sobre e seguinte
Io molestias
2o
3o
a
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados-na ordem de suas
entradas comecaudo o trabalbo pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d 8
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Prticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conreniente para o -
prompto restabelecimento dos seus M
doentes.
mmmmmmmmmmmmm
Alugam-se mobilias
ro42.
no paleo do Tergo nume-
Veneza do norte.
Ra das Cruzes n. 39, confronte a tjpotjraphia do
Diaria de Pernambiiee.
Acha-se de novo nesta ra o botequm Veneza do
Norle, o qual principiar a fornecer comodonas
de quarta-feira 11 de Janeiro em dianto, tanto
avuiso como par assignaturas, com proraptidao e
aceio. ^ Tem na mesma para vender urna grande
armacao envidracada, sobre columnas torneadas
a moderna, tuto' de amarillo, envernisada, que
serve para qualquer estabelecimento. Na mesma
precisa-se de um eseravo para todo o servico ex-
terno da casa. ________
PBLICACAl RELIGIOSA.
Agora que a impiedade parece querer alear o
eolio orgulhosae audaz, e que os malvados, para
consegurseos nefandos lins, se lem vlido de
quaoies impressos ha, al mesmo da sagrada bi-
blia, j falsificando-a edistribuindo-a assim falsi-
ficada, j vondeudo-a, j conservando-a em seu
poder, e furuecendo a sua leilura pessoas inex-
perientcs ou ignorantes, e ja finalmente dando-a
mesmo gratis, nao posso nem devo eu, que, gra-
cas a Dees, dispooho, hvre de dividas, de urna ty-
pographia e de urna encadernago, deixar de,
alinndo man de urna parte do que Dos me d?u,
acompanhar o mea Exm. e Rvm. viga/lo capitu-
lar em seusi constantes esforgos^wra o* engrande-
cimento da'nossa sania religio^% de concorrer
com o meu fraco, mas muilo sincero coulingente
para esse to elevado lim. Neste intuito, enten-
dendo que presto algum servico causa desta
mesma religio, com a reimpresso da viaqem de
um peregrino a Jerusulem, e visita que fez aos lu-
gares santos em 1817 Fr, Joao de Jess Chrtsto',
invicto filho de Seraphico, patriarcha S. Francisco,
tenho resolvide por no prelo esia obra, e pretendo
fazer a reimpresso da maneira seguinte : Reim-
prmirei, 3,000 exemplares, desles serao destina-
dos 1,000 para todas as pessoas de um e oulro se-
xo, que com documento legal dos seus reverendos
parochos se me.apresentarem, c a cada urna das
quaes entregarei gratis um exemplar em brochu-
ra; 2,000 sero reimpressos mediante assignalu-
ras, para as quaes desde j convido a populaco
dos fiis, e de lodos solicito e espero o valioso con-
curso, na razo de 15- cada exemplar. Nao posso
prescindir, porm, de rogar o pagamento adiania-
do de cada assignatura, sm o que nao me ser
permiitido effectuar e$sa reimpresso e conseguir
apresentar ao publico nma edlcao, j em si mes-
ma grande o dispendiosa. Para os que nao assig-
narem, o prego de carta exemplar venda ser
'lirprn>inain n, opnoris^
Nao sei qnal ser o resultado dos meus espr-
eos, mas seja qual for, de Dos espero a recom-
pensa. "
Assigna-se nicamente por hora na ra do Im-
perad or n. l, rlefroiHe de S. Francisco.
Francisco Coelho de Siioes Silva.
Precisa-se alugar urna ama muito capaz e que
d boas Informantes, para tomar conla da casa tle
um astrangetro, fazendo tod) o servico de portas
adentro: a quem convier, dirija-se a ra Nova
n. tO, primeiro audar.
Ad verte-se aoSr. Feliciano Joaquim
deAguiar, que a sua assignatura deste
Diario est por pagar desde ontubro do
annopassado, e queo proprietario da loja
deourives da ra larga do Rosario n. 40,
tem declarado qu nao se responsabilisa,
portantoS. S. qneira mandar satisfafcernes-
ta typograpbia. j
O solicitador Pedro Aiexandrl-
no da Costa Machado
se encarrega ante o foro desta idade de tudo qne
for tendente a sua prolisso, aceita dft parlido an-
s pendencias judiciaes de qualquer casa
pai
O padre Flix Barreto de Vas-
concelos, com aula particular de la-
tina na ra do Imperador n. 35, i.
andar, contina a receber alumnos
de todas as classes, durante e de-
pois das ferias. Tambem est dis-
poste a abrir un corso de primei-
ras lettras e de francez, logo que
baja numero sufllciente de alumnos
para cada urna destas materias, e
assim tambem a receber como in-
ternos alguns meninos,de cuja edu-1|3
ca<;3o o quizerem encarregar. Os *
pagamenfos sero por trimestres
adiantados, e os precos declarados
pessoalmente na occas5o do ajuste
para a entrada do alumno.
P i;i a Eslancia.
Pretende shr nestes quatro dasopaiacho bra-
sileiro D. Lutz : quem no mesmo quizer carregar
commercial mediante razovel ajuste. Conlina ^KriK }{ulfaar ^nero a frete commodo,
a se encarregar de cobrancas nos termos do Cabo lfne ^ZlV.rll ^TTm[m m'ir* Bel"
Ipojuea aoede fominua a trabalhar como d'an- Ti0> larf d0 UrP Sa"t0 n- pnmeiro andar,
tes, e encarrega-se do defezas perante o jury nos ola Jos da Silva Guimaraes A C, de Ma-
termos prximos a via frrea, offerecendo gratu- eei, avisam que o socio Sr. Antonio Denlo Darbo-
tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser sa deixou de fazer parte na sociedade qne tnha
procu-ado todos os das utes das 0 horas da ma- no estabelecimento de gneros de estiva dos refe-
njta as 3 4a tarae na ra estreita do osario n. r'dos senhori-s desde o l- de Janeiro da anno pro-
34, e fora desSas horas na ra Imperial n. 36, ca- ximo lindo, ficando, porm, a casa gyrando sob a
sa de sua residencia.
Arrendarse e talvez se venda um dos melho-
res sitios da estrada do Arraial : quem o preten-
der pdedirigjr-se ra larga do Rosario, oul'rora
ra dos Quarteis n. 22, sobrado do dous andares,
qne achara c<|m quem o informe do sitio, e com
quem se podo fazer negocio por qualquer forma.
&&! ttsmn
j Allencao.
f Ba-se (linheiro a juros, tratase com o
Sr. Gamefro na hotit-a.
firma'cima mencionada, "e o Sr Antonio Bento
Baroosa exonerado de toda a respoqsabilidade.
Jaragu 1 de Janeiro de 1863.
Joao Jos da Silva Guimaraes & C.
%S
Aluga-se oarmazem n. 3a da ra do Imoe
rador : a tratar na mesma ra, armazem de louca! lavada e
n. 41.
= Alu?a-se dous grandes armazens no Forte
do Mato com a frente para o caes e o fundo para
a ra da Moeda: a fallar na ra da Cadeia Velha
rmazem n. 66.
Umapessoa habilitadadeseja exercer o lugar
de caixeiro, ou entrar oomo socio em algum esta-
belecimento, como seja : padarla, armazem rrta-
Iho ou refina^o de assucar : quem pretender dei-
xe seu nome e habiaco para se tratar do negocio,
na rasma loja do Sr. Ftgueira.
Arrendase um grande sitio do fallecido Fer-
reira Chaves, com boas trras, capoeiras e .grande
casa de pedrae cal, no arraial de cima, precisando
a casa de concertos; os quaes podero ser feitos
pelo rendeiro, em descont da metade da renda
annual al que sejam pagos: faz-se bom negocio :
a tratar ra do Camaro n. 5.
Precisa-se de um caixeiro para tomar conla
de urna taberna nos arrabaldes desta sidade, e da-
se interesse : a qnem convier appareea na roa de
Apollo, armazem n. 43, para tratar.
Escola cairal uiciliodo Cas-
tllho.
Est abena desde 7 de Janeiro -, ensina as mate-
rias do 1" e 2 graos, recebe alumnos, pensionistas
e meio pensiouislas, por precos comenodos ; nao
excedendo altea a doze,annos de idade : na ra da
Ponte da Capunga, casa n. 9.
Piiineiras lettras.
Mara Barlhuleza da Concei^ao parlecipa acs
Illms. senhores pais de suas alumnas e a todas as
pessoas quo llio quizerem dar a honra de Ihe
C9HBMWD suas meninas para lhes ensinar o
necessario s materias de pruneiras lettras e
lingoa Iranceza : far lodo o esforco para que.
ellas obienham o desejado aperfeicoamentoafflan-
cando-lhe a boa leltra, e Ihe tirar qualquer vi-
cio na pronuncia, se o tlverem. Sua escola estar
rberla do 9 de Janeiro em dianle : defronte da
matriz da Boa-Visla n. 84.____________________
Ciiyiiinasio Provlucial.
Bo da 16 de Janeiro em diante, estarao ber-
tas as matriculas das seguintes aulas do Gymnaso
Provincial: prmeiras letras; latim, francez, "in-
glez, grego altemao, malhemalica, geographia e
historia, eloquencia e potica, philosophia, lingua
e ltteratura nacional, sciencas naturaes eiusica.
Nesse estadelecimento mediante a mdica quan-
tia de 1-5 diarios, tem os alumnos internos roupa
engommada, medico, botica, barbeiro,
luz, panna, papel, tintae creados para o servigo.
Os meios-pensonistas pagam metade dessa quan-
tia e os externos 15# por trimestre, podendo fre-
quentaras aulas que quizerem.
O secretario, Cabral.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo &
Agentes do Banco ilnio Competentemente autorisados sacara por todo
. paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, o para as segniotes agencias.
Londres sobre Banh of London.
O professor de latim da fregueza de S. Jos
desta cidade, abaixo assgnado, Taz sciente ao pu-
blico que se acha abertaa matricula de saa aula,
e que o exercicio da mesma ter paincipio bo dia
3 de feverairo prximo futuro : quem se quizer
matricular, dirjase ao sobrado n. o, sito no largo
da ribeira.Manoel Francisca Coelho.
Precisa-se de urna ama idosa para o seraco
interno e externo de casa de homem solteiro : na
roa Direila ti. 104.__________________________
Precisa-se de urna ama que saiba comprar e
coziohar para urna casa de pouca familia : na ra
de Santa Rila a. 43.
Frederic S. Balln & C.
Joao Gabe & Filho.
Francisco Ranoba & Ballista.
Jaime Meric
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y# Hijos.
Em Poutlqal.
Figueira
Precisa-se de urna ama secca qne faca tode
o servigo de urna casa de pouca familia : na ra
do Pires n.2'* se dir qaem precisa. ^^^
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
. Cdiz
Sevilba
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val Je
Vez.
Aveiro.
Barcelios.
Bastoa. .
Beja.
Brfea.
Braganca.
Paro.
Oliveira d'Aze-
mois.
Penafiel.
Tavira.
Villa do Cende.l PortltnSo.
Villa Real de Vireu.
S. Antonio. Faiar.
No IMPERIO.
Rahia. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Onalqner snmma nrazo ou vista,podendnloer
o saqnes A nraxo serem descoatados no mesmo
Banco a razo de 4 or cento ao anno : a tratar
na raa da-Crua a. 1.
i i i
i >
Angra Terceira.
Carainha.
Castello Branco.
Chaves. "
Coimbra.
Covilha.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova do
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leria.
Monco.
Moncojva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do-
tollo.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Consullerio raedico-chirurgico na ma larga do Ro:S
sari n. 20. ,
O Dr.Joao Ferrer da Silva regressando sua | ^
casa.contini em o exercicio de sua profissao,
bao s na par
gica.
o p'rimeiro andar do sobrado n. 9
eniraila pela ra da Penha, e a loja:
Aluga-
na-rua Direitl
a tratar no s<
O ha cha rel
Jos dos Anjos Vieira r?e Amorim conli- R
na a advogar em seu amigo esrriptorio SK
da praca de Pedro II ou pateo do Con-
gio, como se cbamoii em oulro tempo : 1
ah pode ser procurada das 9 horas da 3H
manhaa as 3 da tarde, e as horas di- B
versas desta. na casa de saa residencia 1
sobrade n. 33 da ra do Hospicio. p?
&%Wi?m WBCTBBrwHaWaWSlBaWaw
Alugam-se na cidade de Olinda dous sobra-
le medica como tambem na chirur- dos com bastanles (.ommodos, na ra de S. Bento,
defronie da ladeira do Varadouro ns. 29 e 30, com
quintal e saluda para caa de banhos salgados : a
fallar em Olinda com o Sr. Monteiro, ra de Ma-
linas Ferreira, e no Poco da Panella, em casa do
subdelegado Joao Paulo Ferreira.
gundo ailar.
O rfefcsstr tle iano
J. Coelhp da S. Araujo, contina
cionar, ora na ra do
21, segundo andar.
a lee-
Livramento n.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33,compj,am>seo4)ras de ourn e prala, e pedras
preciosas,!- sira-eomo s faz qualquer obra de en-
commenda,! todo e qualquer concert.
mMmmmmmmm
[REMEDIO PROFICtO
p ar^ a cara das escrfulas,
Bentu Barbosa & C, de Macci, dissolveram'
I amigavel e na melhor iulelligencia, a sociedade |
lque tinham em urna loja de blendas de Jaragn
I; desta cidade, ficaudo o activo e passivo do referi-
I de estabelecimento a cargo dos Srs. Manoel Ferrei-
| ra Guimaraes & C, desde o Io de Janeiro do anno
prximo lindo, e fura da supra-menctonada socie-
dade o socio Sr. Antonio Bento yBarbosa,- livre de
toda responsabilidade presente e futura.
Jacagua Io de Janeiro de 1865.
Bento Barbosa & C
rr'
ndalas cnfarladas, tu-
mores esc rafal sos e affecces|
aliai
W
SK& O abaixo assgnado entre as plantas
2 submtjliidas ao seu exnme botnico de
J&i que ajmuito se ha entregado, desde que Wfy
iij linalisnu seu tirocinio em dita sciencia "M
S pelo efxiincio rursodo amigo jardim b> *&
SS tnico de Olinda, e averiguando certas H
'rfTi propiedades mejcinaes que Ih.s trans- Si
2f mittjam de alenmas plaas, verillcou "*??
-^ que 3 virala auiiscrorula era um especi- M
4n|ri i.- r., .1, ., if
^ solvej-se porlanto a expor ao publico es- K
A festa da Senhora dos Remedios deve ler
lugar nodia 10 de fevereiro do corrente anuo. A
commissao emlarregada para arrecadarem as es-
3R molas sao os Srs. capitao Jos Mariano de Albu-
5| qtierque, Antonio Joaquim Pereira de Oliveira, te-
*231 nente Jos Pereira da Cunha, tenente Jeronymo
9RI Emiliano de Miranda Castro, Lucio Mariano' de
A'buqaerque e Samuel Halidory ; alem desies se-
nhores s ajuelles que forem com salva, autorisa-
dos pela commisso, o pdenlo fazer.
le in
fei drinl
>s crofi

m
m
Cu
m
eressante medicamento em Untura,
ein v drinho do l|2 onca, que um s vi-
o bstanle paral cura fle um es- j
loso e fica muilo remedio.
|m os vidros acompanliam um m- >J
jgl pres: o, que explica a maneira da appli-
jg caca) e mais circumstancias.
nde-se as boticas dos Srs. Jos IV
Jacinth Jnior, Rer.iferua Dre'ta ^
n. ljJ.a, e na do'Sr. Joao Soares Rapozo, j|
Olala na dos Quatro Cantos. Prego de 1
cada vidrnho 25.
Jos Eleuterio Garnero da Cunha. >a
Ali particular.
O alialxe assignado, professor particular, provi-
sonado ^*la directora geral da lustructo publica
para ensinar prmeiras lettras, lalim e francez,
parlicipji ao respcilavel publico e igualmente aos
senhure pais de seas discpulos que segunda-feira
9 do coireute tem de continuar no ensino das su
praditas materias, admillindo matricula alumnos
externo pensonislas e meio-pensionstas. A pra
tica d 19 annos consecutivos no exercicio de seu
magisle io, sua inteira dedcafo e >ua moralidade
sao garantas que offerece aos senhores pais de fa
milias, ne desejam a saa e til educacao a seus
filnos. f
Qnenj porlanto qnizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educacao de seus filhos, pode dirigir se
a qualquer horado dia ao terceira andar do sobra-
do n. 6'8 da raa Nova. onde, ha muilo tempo est
estabelecido.
Jos Maria Machado de Figueireio.
Iho
do
par
Candida IWSa Paes Barreto e seus fi-
mi e irmos do finado Augusto Candi-
'aes Barreto, rogam aos seus amigos e
lites o obsequio de assistirem a missa do
setijmo da, que ter logar no convente de
M N. >. do Cirmo, no dia 19 do corrente mez
9 de Janeiro, pelas 7 horas da manhaa. Os
" me irnos cima desde jagradecem a todos que
se hgnarem assistir to religioso acto de ca-
rid ule ; e bem assim as pessoas que acom-
uai harafo o corpo do mesmo finado.
O Dr. Carolinc Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 .indar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite.
Para ^Si,VuOc^maa0{)t^8?,d'e
0JCO i^cu- m^^ da urde devem ser
*eiiados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
moleslias do interior, prosegue, com o
maior aflinco, no das mais difllceise deli-
cadas operares. como sejamdos orgos
ourinarios.dos olhos, parios, etc.
m
m

AVIiO
aos lerceiros de S. Francisco.
Chegou a verdadera estamenha para hbitos, a
qual se vende muito barato : na uta do Quetma-
do n. 39, loja de i portas._____________________
Ralbtna Firmina da Silva Ro-a, professora
particular de instruccao primaria, avisa que abri
sua aula na ra do Amorim o. 12, pnmeiro andar;
assim, pois, rosja aos senhores pais de familias,
que so ditrnarcm hinra;la, confiando a educacao
de suas (linas, de dirigiretnse referida casa.
19Ra Kova-19
Frederico Gautter, cirurgio dentst i,
faz todas as operaces desua arte, e ct I-
loca dentes artiliciaes, tudo com supero-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas Ihe recnbecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
aa

s
Aluga-se
um pretopara o servico de casa :
eia o. 20.
na ra da Ca-
Precisa-se altieur urna ama escrava ou torra
para comprar o coilnhar para casa de homem sot-
teiro : a tratar na ra do Queimada n. 53.
A M A
Precisa-se de nma ama para casa de urna sol>
pessoa : no Decco do Padre n- 3.
Casa de educacao.
Jeronymo Pereira Villar transferro o seu esta-
belecimento de instruccao primaria e secundaria
parai ra larga do Rosario, sobrado de dous an-
dario.22 ; e participa nao s aos Illms. senho-
res, ais de seus alumnos, como ao respeitavel
publico, que as aulas estarao abertas nodia 8 de
Janeiro doanno vindouro de 1866.____________
4- Manoel Krancisco da Silva Carneo -ora
resuderite em Macei, jttlga nada dever
bcs a praca ou fora delta," mas se-alguem se
jlf ar seucredorqueira apresniar seu titu-r
lo restes 8 das, que depois d verificado
ser i inmediatamente pago por Francisco
RiMiro Pmto GtrimarSes (para isso aotori-
saao) ra d'Apollo armazem n. 38. Reci*
fe p de Janeiro de i865.______________
+ Alugam-se dous grandes sobrados com cra-
menos para numerosa familia, novos e acetados,
com jardim, cocheira, estribara o otMras commo-
ditiades, na travesea de Joao Fernande Vieira :
a tratar na roa da Senzala Nova n. 42.________
f- Na fabrica de calcado do satoo-da ribeira de
S. Jos, precisase de artistas para obra-de senfle-
ra e menina dndose tudo prompto, pagase a du-
su i para senhora a 1800 e para menina a i5!00,
lodo aquelle que qaer levar senj.pospoaiarlo'ra
m ils 100 rs. em cada duzia.
II
THESOURO HAS MAIS
Providencia' das enancas.
COLLARES ROVER
Eleclre--magBe"licos
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DNTigAO
Contra as convulses e para facilitar a
dentico das crianzas preparados e inventa-
dos por Uoyer.oharmaceutifoda esco-
la superior de .Pars, suceessor de Chereau,
inembro daacademia de medicina,'
amiga casa deltouillon-Lagrange, pharmaceutieo
do imperador,
chefe dostrablhos chimicos da escola po-
lytechnica,director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estesc.ollres vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra de Crespn. 7.
f mmmmm mmmmwmmm
0 bacliarel Jorge Uornollas
continua a residir- rna larga do Rosa-
^ rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser
I procurado para exercer asna profissao:
1* de* advogado nos auditorios desta ci-
2* dde-,
Ss 2 de mestre da lingua franceza, en-
M sinando-a tarde, e-tambem noile a ,
5 pessoas cujas oceupa{5es erabaracem
aprenaV-la durante o dia.
03r. morador da roa Nova qhc se
acha a dever Oquarteis de assignatnrasdes-
te Diario, qneira manda-las pagar pois'
assiaa como elle gesta de receber a pagado
seos servaos deve atteiwter a chas oa-
tros.principalmente o do Diario emque
trabalham mais de 60 pessoas.________
Todo -alteHco.
Tondo'se desencaminhad). um ca xa) com as
iniciaes B C. S. A. com diversas miudezas, embar-
cado neste porto para o -de Mossor na l.arcae
aiAlia dos Anjos, mestre Joao Vaz da Silva : pe-
de-se aos senhores annazenarios de diversos cor-
tos o qualquer pessoa que saiba aonde existe o
dito caixao, se dirijam a ra do Crespa a. 7, loja
de Custodio os Altes" Guimaraes, que serao gra-
tificado?.
A molestia o infecc5 pecec
ral conhecida pelo nome de Es-
crfula um dos males mai-e
prevalecentes e universal que
na era toda a extensa lista dac
enfermedades de que soffresse
genero humano : disse um no-
bre escriptor da medicina qoa
< mais de urna terca parte de
todos aqnelles que morrera antes
da velhice ao victiaaaa, ou direc-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la : por si ne tao des.
Hdiva, porm a principal causa de mui-
rs outras enfermidades que nao Ihe sao fe-
ralmente attriboidas.
E'urna causa directa da phyhisica pul-
monar, das moleslias do figado, h estoma-
go e a/fecedes de cerebro : Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de apprtilt ; o semblante pal-
alo e s-vezes inchado, tu vezes de urna
j mvura transparente e outras corado e a-
. laarellento ao redor da bocea ; fraqueza e
molleza nos msculos : dis/esto fiaca e
appetite irregular, falta de energa, venia
inchado e evacuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmes, urna
cor azulada moslra-se era roda dos olhos ;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados :-o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
leiras etc.
as pessoas de disposico escrofolosa ap-
parecem frequentemente erupcoes na pelle
da cabeca e oulras partes do corpo, sao pre-
dispostas as affecres dns pulniOes, do figa-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Porlanto, nao smente, aquellos
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que Di-cessitam de pro-
teccae contra os seus estragos; todos a-
queltes em cujo sangue existe o virus latfea-
te d'este terrivel flagello (e s Vezes heri-
ditario) esto expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ulceraedes do figado, do es-
tomago e dos rins: erupcoes e enfermida-
des eruptivas da culis ; rosa ou ny-ipela ;.
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rk-
cumacarbunculos. ulceras e chayas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraran interior, e m-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
tlo, enfraquecimehio e debilidade geral.
Aos pultnoes a escrfula proilu/. tubrcu-
los e finalmente consumpe-o pulmonar :
as glanulas ella prodnz inchaces c tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e aflecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma op>-
gem, carecen do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidag^ue, Ugi
pelas, borbulhas, -nascidas. chagas antigs,
ulceras, rhcnma, sarna, parchas, hydrope-
sia, tosse quando causjda por depsitos tu-
berculosos nos plmes. Debilidade ge-
ral :Indigesto,' Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das muine-
res, ulceracoes do ulero, a nevralgia e con-
vulcoes epilpticas e em sumtna, inda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendemos remedios.
Este remedio b frucio de longas c labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtudes: posto que offereeido
ao publico sol) o nome de Soba parrilha.
composlo de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITOILtL DE CUBA lE AYER.
Cura promptamenle a asthma, hronrhile,
tosse, defluxo,' angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Alrivia os etlicos declarados.
Todas as molestias, da garganta, do peito
e dos puknoes pdem ser curadas em pou.
co lempo, pelo peitoiial de ceiuma do dr-
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central d
Rio de Janeiro ra Direita n. ib.
Vende-se em Pernanibuco:
na pbarmaela fronceza de
P.MAURER i C.
_______ RA NOVA N. 18.
Wilsous iv Hett, ra do Traiuche n. 14, sa-
can sobre o Rio de Janeiro, avista ou a praso,
Na ma Nova n. 6 precsa-se de um* ama
para casa de pouca familia. '
Precisase de urna ama de leite sera filho :
a tratar na ra Augusta n. 24.
Vndese bom lijlo a 19,8 descarregado : na.
sJaria do engenho da Torre.
INJECCAO BROW-
Remedie inallivel costra as- gnoirhas
antigs e recentes, unice deposito i a bo-
jea franceza, ra a Cruz a. 22 pre-
mmmkwmBmmmsam^msBSsssssBsa
COMPRAS.
Compra-se orrro e prSta en obras velhas
dajia-se bem: sa teja de bilhetes da praca da Inda
pentaanrtan. t.
Compra-se eEfectivamente
ouroe prata em obras velhas pagando-se bem :
nagrua larga do Rosario m. 24, loja de ourives.
tlompram-s* pseraves.
Stlvino Gnilherme e Barros compra, vende e
troca escravos de amaos os sexos e de toda idade:
na ra de Imperador a. 79, ticeiro andar.
f o m para -se
cobTo, lato'e chombo : no armatem da bola ama-
relia no oitao da secretaria da polica. _______
Compra-se um eseravo de meia Idade : quem
tlver para ender, dirija-se a casa da Sr. Arante
na rna do Livramento^_______________________
Compra-se nma negrinha de idade d 9 a JO
annos : na rna da Palma n. 41, taberna,

I

l\a*|-|


Diarlo de rernambuM --- arta lelra 18 m Janeiro de lStta.
VENDAS.
ALMANAK.
Acaba de aanir dos pr-
los de nossa typographia o
Aimanak Administrativo,
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vndese a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praga da Independencia,
I O Lili MI A*
Har 1865 '
Acham-se venda na livraria ns. 0 e 8|
da praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
kalendario civile ecclesiastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a 160 rs. .
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA e.ontendo o
mesmo que aquella e
Salve Rainha em verso
verso, devoco ao agonisante.coraco de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem Maria Nossa
Senbora, trinta e tres chistosasanedoctas.
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinheiro, o canto de urna solteira
(poesia), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
(romancoj, e vinte e cinco novas e pi-
Ihericas charadas a 320 rs
MAGNIFICO SORTIMENTO
DE
MOLHADOS
NO
URAAIIE ARMAZEM
DA
AO PUBLICO
Sen o menor coustran-
Iraento ge entregar o
porte do genero que
nao agradar.
;
1GA.
ATTENC&0
Os preeos da seguate
tabella 6 para todos, po-
dendo asslna servir de ba
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
60
Hlll NOVA CO
Casa da esquina jnnto a ponte da Boa vista.
MUITA ATTENCAO.
Parece que o respeitavel publico se achara bastantemente>jrrfencido de que a
RA DA CAIIEIA DO RE.CIFE W. 53.
(L090 passando 0 are* 4a Cont-ficis)
Grande redneco de preeos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunclante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a i.ooors. a libra, bem assim o de outros
directo, deste importante cstabelccimenlo tem sido sempre caracterisada pelo maior mullos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
gosto e capricho, nao s com relaclo ao asseio, superioridade das mercadorias, como alta]voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora. eu -offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
o st hai MatPrpm na sinceritlade do lrato e nianeiras alenciosas dos empregadis/da casa para com todas sys ikfni* VrMP5n a^aellas. P^soas que se dignan de frequenta-la. ,,.,__ Pels* seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do.momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a i.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redcelo a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al'informado deste novo estabelecimento. para lhe vender gonerbs nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
156 sement obter a concorrencia de seus freguezes.
PASTILHAS K!'
DIGESTlVAsJffffHfflJJI
DE WASMAN
As pastilhas digestivas eem a pepsina de Was-
man, empregao se com successo b j alguns
an-nos pelas celebridades medicaes de l'aris,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quaes a digestao difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
rU|>c|)ioH.
Emba-uro -lrlcon
A Kil(rllc.
A afTcccoea orna ni-
ca* do cslimago.
Diarrheaa e a conaU-
pnra produzldaa
peina elnlioriter
dorcclaoaaa doa II-
ucntoa.
Em todas as molestias empregSo-se a miude as
aguas alcalinas, especialmente o agua de Vichy,
e igualmente aspaslilhasiie Yicliy. Esse meio i s
eflicaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racao, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
ie Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobrec 1 o sangue c isso de tal
maneira que Ibes arrcblho a parte vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella una substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
ansformacao dos alimentos assimilhando-se
como elles e ajudo tabcm como elles a nutricao
geral. Sua accSo vivifica o sangue c os rgaos
de tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer as
affeceftes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessito substancial alimento para for-
tificar se, acbao no emprgo das pastilhas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhas
ae["
icaces e imilaeoes d'esse producto que os
epsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
sili
mulos se quercm desfazer. Pois por falta 'd'uma
alterada. Seremos ao abrigo {Teste"inconveniente,
exigendo os compradoras que as pastilhas tenhao
as iniciaos B. P. e saio da pharmaciaChevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
8<, Faubourg-Montraartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizas estrangeiros.
B
o.-e-o-=S
gJW
.?T
n .- 5 <* o. <"
O
01 M
en
I|
= o a. o
fif-
i F-i
3 r a.
m o
2. <
"* & "S
n B
-a <* C-o
5* s 5


s *_ Z
i 13
n
r

o
I
l
o
a
a
8
s
D
ET

s.
O"
3.
o"
i
T3
O
s
2.
9 n 9
"3 "3 o
a-8-^ s< sn
B-S O.S g" a.<
.S n I. eS "S
5l|i|I-
g2 ?
o
3.
>
O 3 O a
M**1
&3
m n m
a -1 = a.
Q. B !T >
rii
Bff
SB^
S fi P a>
S-fS
.2 > *
aSA
H
S
3 X
* ti
MASSA E XAROPE
BERTH
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as Irritaces
do peito.
AVISO
Falsificaces reprehensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e 'da Massa de Berth,
nos obrigo a recordar que esses productos
to justamente
nomeados n5o se ^^ j
entrego seno em '
bocetas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqni indicada. ^mam,imr4mt*mu#tmm
151, ru Sainl-Honor, NA pharmacia no
luvrk, e em todas as pharmacias.
Deposito geral em Pernambucs ra di
Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbeta.
Ovas d si'iio.
Na travessa de Joao Fernandes Yieira n. 6, ba
para vender ovas do sertlo, tanto atacado como a
retalho.
Attencao.
Existe ama carta vinda da Serra do Martin?, no
Campo Ver-de, ra do Socqgo. em um portao en-
costado a casa n. SO de. Jviniano Xavier de Son-
za para o Sr. Dr. Francisco Luiz Crrela de An-
drade. _________________
/Veade-se uro sobrado de um andar, chaos
proprio, sendo no largo do Terco : quera prelen-
d-lo dirlja-sa a travessa da Madre de Dos n. 7.
Vende.se orna negrinha de iO aonos bonita
paca, propria para mimo ; uo pateo da matri* de
ganlo Antonio n. 8.
Muitas senhoras pernambucanas e eslrangeiras, cujo trato ameno e delicado nao
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelecimento da ordeni
da Liga tem vindo possoalmente refazer as suas despensas nesta casa e vollado assas
satisfeitas.
m E' preciso fazer desapparecer desta importante capital estas nojentas tascas cheias
sempre de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
O importante e magnifico armazem da Liga se acha felizmente muilo fra
dessas condieces. E' necessario v-lo para bem se prestar crdito a nossas palavras.
A mercadoria nunca ser bem comprada se ella nao fr de boa qualidade.
sobre este ponto que chamamos a attenco das pessoas que nos quizerem honrar com
asuafreguezia; porque o nosso grande estabelecimenlo se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parte foram comprados a dinheiro
vista, e recebidos directamente de Londres, Paris e Lisboa.
Ninguem se acha entre nos com mais proporcoes para vender barato. .
As pessoas que compran) para negociar, fariam.TOuilo hem te quizessem se cer-
tificar do quanto havemos expendido procurando afreguezarse com uosco.
Nao duvidamos vender a crdito a quem nos der conhecimento de sua pFobidade.
Amendoas confeitadas em hasets de vidro, ditas com casca mole
e dura.Ameixas francezas em frasees de vidro, ditas em latas,
ditas em cartoes, ditas a varejo =Alpiste emilho raiudo.As-
sucar refinado lino, dito patio. Azeile doce em barril, dito
em boies, dito engarrafado, dito francez e pertuguez refinado.
Arroz do Maranho, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto.Banba de porco em barril
dila em latas, dita refinada em barril e latas. Batatas em gigos,
dita em caixas, ditas a varejo.Bolaxinhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Biscoites inglezes, Mixede, Medum, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel. oval Thim Capitn e outras mais, ditas de leite de
.Edimburgo, etc.Caf do Rio de 1.a, 2.a e 3.a qualidade, dilo
miudo.Cha, o que ha de melhor existe era nessos armazens.,
uxim, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.a e 4.a qualidades, dilo
preto homeopalhico, dito commum.Charutos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regala imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
ditos NapoleSes, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de diversos fabricantes. Chouricas mou-
riscas deLboa, ditas em latas.-rChocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Ceneja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenenle, dita H, dila XXX, dila em barril
branca e preta.Conservas inglezas, dittas francezas, dittas ali-
menticias.Cevadinha de Franca. Chanpanha superior de di-
versas marcas.Cognac inglez, ditto francez. -Ceblas de Lis-
boa em molhos, ditas-em reslras.Copos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des.jnnja, algerch, pera, pecego, doce de goiaba, em latas ditos em
"has em taS. #$!utel4a^^l.os t^^hr^l .
maco.Figos em latas/de 4 e 8 libras lindamente enfeiladas, ditos em
caixas grandes e pequeas em barril. Farinha de trigo de diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maranhao, dita do Aracaty Fumo
do Rio em latas dito em rolos, dito em lata (do ara) para cigarros.
Genebra ingleza marca gato, dita dita em froscos, dita de H llanda em
frascos, dita dita.em botijas, dita de Hamburgo tm frascos, dita em bo-
tijas, diu em garrafoes.Graxs em latasLimonada de diversas fruc-
taB.Licor inglez, dito francez, dito allem5o. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dita de 4.a, dita fianceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas para sopa, macarrao, talharim e aletria,
dita estrellinha e [ evide branca e amarclla.- Marrasquino de zara de 1.a
v qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Maj melada ttuitofina.Melbo
inglez-, dito fr,ancez.Moslari-a ingleza, dita franceza.Presuntos in-
glezes para fianibre, ditos americanos, ditos do Porto para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corintbias para podim.
Pomada do P. rto.Pimenta do reino. Peixes em latas, savel, curvi-
na, pargo, espada, congre, chermy preparzdo pelas melhores artes de
eosinha.Papel greve branco, dit paulado, dito almaco, dito de peso,
dito amarello.Palitos Visados para dentes, ditos ditos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.Queijos inglez e londrinb, dito flamengo dito
pr.ato, dito sdisso.Rap Meuron, dito francez Sal*me em latas de 1
libra o melhor que aqui tem vindo. Sardinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sabo nacionol, dito massa e nao massa, dito inglez. Sa
nacidhal, dito inglez a varejo, dito em vidros. Toucinho de Lis.boa e
Porto,' dito de Santos.Tijoos para limpar facas Vinhos, neste gene-
ro os nossos armazens tem o melhor soitimento que se pode imaginar,
duque do Porto, lagrimas do Dburo, Carnees, Bocage, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, tudo engarrrfVdo.
Prevenimos ao publico de que no armazem da liga s tem vinhos engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Porto, Lisboa, Figueira e de Sele,
dito em barril de todos os paizes, dito em ancoras, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em banilinhos com ISO garrafas por-
preco a satisfazer o mais exigente comprador eirquanto a qualid?de
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por preco
baretissimo, dito branco para missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrafoes. Vassouras do Porto, ditas americanas.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras .0 aceio que presidia, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proleccao e preferencia na compra
dos_gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam peuco pratices, pois
serao to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendac5o, afim de que nao v5o em oulra par te
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento. /
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
rs. e em barricas de 4 duzas se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba,
para negocio o I,6oo/l,8oo e 2,oe rs. aPain'co e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
libra, gararjjavse ser muito regular, igual rs. a arroba,
ao quese vende emoutra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de l e 2 libras a
e 2,6oo rs. 600 rs. e de barril muito superior a 5oo
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8 rs. a libra,
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs. Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
garante-se serem superiores aos que vem | bra, e 9,oo rs. a caixa.
em barris. dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
Chouricas e paios em barris de meia e urna j estas massas tornam-se recomendaveis as
arroba a 8,000 rs. e I,5oo e 600 rs. a libra. pessoas doentes por serem propramente
Queijos flamengos muito frescos chegados' feitas para esse fim.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a l,6oo e 1,800 rs. | 25 fibras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
nrnmeiaua imperial uos nidia bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,00.0 e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra pcopria para carro.
Peixe em posta sorel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 800 e -1,00o rs. cada orna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem .vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,000 e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
ll.ooors. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo^
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada svadinha de Franca muito nova a2oo rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes"
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deverses
lmannos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oo rs.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Melho inglez em garrafa de vidro com
rolha'do mesmo a 5po rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooors. e H.ooo a duzia.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
a 3,ooo e 3,5oo rs.
"Vlnliu bi anco pcua mi.vo ona caixa de i duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Donro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesera quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas' em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.-
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
ljbra.
Bolachinha d soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo*rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Charutosdetodos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,000,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs.
" cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 40o rs. a libra
e 36o rs. em barril. _
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs* a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o .rs. a libra e 8,5oo a arroba. .
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo r.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
O
JVOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA .
Chegaram os modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramen'. novos
em gosto e-qualidade : aloja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcellos & C, secessores de Jos Moreira Lopes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de senhora
. Superiores cortes de seda de cor, de morante, de g<>rgaro e de setim imperial.
' Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de la com barra e grande variedade era cores e padrees.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de cuadros escosseza e miodas.
Superiores las lisas' com grande variedade de cores.. .
- Ditas com salpicos, com Sopes e de quadros. .
Lindas pampolinas de quadros e ie dores, fazeoda inteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas carabraias ergandys.
Grande variedade de chita da cores, de percalia e ontras maltas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
'Lindas capas e bonrnoox de easemira de.cor.
Ditas de laa e de seda. ,
Grande variedade de sont'embarqoes de seda de 185 a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados finos, de caehimira coa hstras de
seda e d Al preto.
Caraizinhas modernas, zuavos braneos e de cores, eolletes de cambraia, lindas gol-
linhas com punbos e outros muitos artigo?.

' Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e ehapellinas de palba de Italia enfeiudes para senhora.
Ditos da feltroenfeitados para senhora.
Ditas de palh enfeifados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos daretroz, de rroco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columna; da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los C. .
zein ie motilado
SI-RA Da IMPERADOR-81
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando reslabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou terdas melhores qualidades, e francamente affiahcas pessoas que
se dignare comprar em seu estabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e preeos, como em pesos e medidas, no que
sempreo. annunciante foi escropnloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradores que o qHeiram honrar como seu comitente lhes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
de desta prafa, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa pratica com1
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente umprjdo as suas ordens.
Fornecer geperos aos Srs. agricultores e negociantes que lhe merecam confianca, fa-
zendo um abate vantajoso aos quepagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica comnssao, entregando de
prompto seu producto, e sendo este ppUcado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commiss5o.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa proteceo, fre-
qnentandocomo outr'orasua casa, e pelo reconhecimento que-lhes tributa qfferece expon-
taneamente sens servicos.
Julga desaecesario publicar a tabella dos preeos de seus gneros: sSo seus recursos
garanta sufficiente de poder accempanhar os menores preeos de idnticos e mesmo de
mais apparalosos estabelecimenlos, tendo somente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Prevnco necesitarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio ni mesmarua, julga prudente advertir que s affirma e s respensabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
9 mim wmmm
SI-RITA UO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegxo,

pt
SJ
a m E T3
3- < *
8s|S'g8|
- 9 O -1 n
<9
B &1b-
5T 5T as
CJ

CT
X 5 ? o
s 9 g-0.5 a s. S a
03885. a-SI
ojo -3. r-foC-cS

"O B
a 2
O O OQ
O M >

rr.
a
t.
n 9
3
o a.
ti 9
03
-I
CO
a>"
tj,
i
5
o
c

M
i
O- co
O. 52o
O, CD SO
tu
O
s
1 2 2 r 5T
O fia ^^^
g-8
09 -1 .
SJ
?
"I
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natura)
-dos cabellos.
A' agua florida nao urna tintura, ficto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composla de plantas exticas e
de substancias inoffensivas;ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante due el-
les tem perdido. D'uma salhridade ineonlesta-
ve), a Agua Florida eniretem a limpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
* Oleo de Florida,
Composto de substancias vegetaes exticas, elte
constite poderosamr?'*. com a Agua Florida, i
fprca, a belleza e a conservacao dos cabe^.
Ero Paris, casa de Qnishur n. 12, rna de Riche-
lien, e Jl, bonlevard Montmsrrf.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro,
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador, pbarmacia n. 38.
/
I



f
\
i
\J*a\ ir-1


Diario de l'eiuambuco guara IcJUra 18 Je Janeiro de 1 85.
v



COXSELHO
DE
Depai que os Hunos da civilisacao vos preguem
economapara os ps 1! Esta. parle do corpo
humano por certb aquella que, ueste clima ne-
eessita de raaior aasalbo: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
estas a perda da saude e da vida A 11 Fra com as
botinas e sapatos velbos; reforma-Ios
45-Rua Dereite-45
Borze guras rancezes para homem 55000
Ditos inglezes idera a 85, 1> e 65000
Ditos para senhora 45800
Ditos para menina 24000
Sapates esmaga cobra 55000
Ditos de Nantes de duas solas 54000
Ditos dito de sola e vira 4400
Sapatos de borracha para senhoras 14400
Ditos de dita para meninos 15000
Ditos de tapete para homens e se-
nhoras a 800 e 14000
Sapatos de lustre para senhora a 14000
Ditos para casa 60t/
Chinelas rasas do Porto 14600
Bixas de Hmbnrgo
Vendem-se na ra Nova n. 61
Nova liquidara de fazenoas al o fim
4o mei, para fechar facturas vende-s imite
fcarate, por ser o altimo mez de fesU, que os
freguezes deven aproveitar : ualoja e armazem
da Arara, rn da imperatrir n.lio, de Lonren-
ro Pe rer a Mendes (mimar >s.
Fazeddas espeeiaes para senhora.
Vendes* ricos cortes de vestido de lia aMaria
Pia para seahora de bonitas barrasa 84,104,134,
144 e 164 o corte : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
i "Arara vende a 20400
aCor*e*s de chita de cores fizas com 10 covados
a 4W0 e 34200 ; cassas de cores a 320, 360
u* ra da Imperatriz n. 56,
400 rs. o covado
loja da Arara.
Cortes de canbraia de salpieosa 20400.
YS2dS"2e corles de cambraia de salpicos a
34*00, 34 e a 44000 a pega, ditos de cambraia
tiza e lina a 34390,44500,54500 e 64, tiras bor-
dadas para enfeilar vestidos e entremeios a 14 e
a 14200 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Suu(embarques a 7, 8, e a 160.
Vende-se soulembarque de laazinhas de cores
para senhoras a 74, 84 e a 104, dito de grosdena-
ple preto muito entestado a 204, 254 e 304 : ricas
capas de grosdenaple a 204, 234, 304 e 354, para
qmdar : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara. '
A Arara vende de eoresa lpakapara vestido.
\ea*e-se alpaka decores para vestidos a 360
rs. o ce vado, challes de laazinhas a 14600 e 14280
dito de merm a 44500, ditos finos a 44500, 74 e
85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara/
Casiasda Arara a 280, 320. e 400 res o ovado.
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
covado, lencos de seda a 800 e 14 na na da
Imperatriz u. 56, loja da Arara. '
Laazinhas a Mafia Pia a S08 rs.
Vende-se laazinhas a Maria Pia para vestidos,
com palmas de seda a 800 rs, o covado, ditas de
ceres a 320, 400 e 500 rs ditas liza* de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado, casemiras
.para capas de senhora a 14800, 24300 e 34 : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara-vende chitas a 240, 280 e 320 rs
Vende-se chitas de cores Oas a 240, e 280 rs.
o covado, ditas francezas a 320, 360, 440 e 500 rs.
s covado, percallas para vestidos dos a500 e 560
V* f -I0' caisuHbas Para senhora a 14,15600
lfne *f,?00'*I?lllQhas Para senhoras meninas a
d n,nrS-2,?,fertes para cabeca aMaria
Pa a 15,14406 e 25, para liquidar : a ra da
Imperatriz n. 36.
Balees amerkaaes para senhora.
Vende-se balSes americanas, os melhores que
aeAa"d2 a0o,.n^ade de 20> 25> 30 e 35 arcos a
25-jOJ, )5 o 35aOO e 45, ditos de brilhantina e
na ra da Imperatriz n. 56,
mussetina a 45500:
oja da Arara.
Fazendas para linm
y.a??'sl?0Tles de "'Cas de brim para homem
al * 45^00 < 05 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara. '
Koupa feita para heme de todas as qualidades.
Veu le-se palitots de brim de eoresa 25, 25500 e
35, ditos brinco a 25500, dito delinho fino a 55
ditos de alpaka de cores e brancos a 55, ditos de
meta casemira a 45500 e55, ditos de casemira a
65, 85, 105, 105, 165 e 204, ditos de panno fino
preto a 85, 105, 145, 165,205 e 305, ealsas de
brim de cor a 25 e 25300, dita de dilo tranco a
25 ditas dedito deliuho a-35500 e 45, oelletes de
cores a 14, de brim a .25300, de casemiras de
cores e protas a 35300 e 45, ealsas de casemira a
55, 65 e 85, de meia caemira a 35 e 35500 ca-
misas francezas a 25 e 25S&0, de linho inglezas e
pregas largas a 33 e 35500, grvalas de lodas a
qualidades de 500, 800, 15 e 15400, coliarinho
de tolos os tamanhos e muito bem feitos, para li-
quidar por sertempo de feata : na ra da Iwpera-
triz n. 56, loja da Arara.
Colchas para cana a 20.
Vende-se colchas de chita para cama a 2#, ditas
de damasco a 45. ditas de fusto a 5#, chitas para
cobertas a 320, 360, 400 e 300 rs. e covado : aa
ra da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arara vende niadapolo enfeslada a 40.
Vende-fe pegas de madapolo entestada a 45 a
peca, ditcinglez de 24 jardas de n. 30, a 65, del
a 55300, n. 250 a 65500' e 75500, n. 5 85500,
m* (J500a, R. n. P. 105, ZZZ H5, o. 20, dito
.fI a pega ; algodaozinho marcas a 55560, dito
carae vacca a 75, dito dsmestico a 75500, dito
oau ierre a 84, dito SL9 a 105, dito T a 104 e 124
dito sicupira a 85500, para liquidar, na ra da'
-Imperatrie n. 6, leja da Arara.
Palilots de alpaka.
Veade-?e paWcots de alpaka preta de 35 e 35500,
ditos iaos de cordao, lizas e branca* a 45 : ra
da fiuperatriz n. 56, loja da Arara:
le baroteirada na da Imperatriz o. M.
Venie-se seroulas a 15280, ditas trancezas a
15600o 25 e outra* muilo boas fazeodas que o
freguez encontrar aa loja da Arara, ra da im-
peratriz o. 56. _______________
Lavas de Jonvin,
brancas, pretas e de core*, para homens e onho-
ras, com gargantillas e borllas; chegaram pelo
fiaquete fraocez Gueme : tendem-se na loja de
lindezas da ra do Queimado n. 16.
b'eijo
Veadem se sarco? com 22 cuias de fejao rajado
do Porto por 115, em cuias a 5:0 : na ra Direi-
ta n. *.
0 VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Balllsa, na sua ordem do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seus
agudes espores nunca os offender, antes os agra-
ciar na mesma conformidade, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levaBtarseu vo.'levando no bico as palinbas sen
ninha; o o Gallo ficar em scu espacoso campo
dando de novo o sen canto annunciando a seus
bons freguezes e ao respeitavel publico
0 grande sorlimenlo dcobjeetos de nimio gnsloque
acaba de receber.
Ricas caixinhas com msica ricamente enfeita-
das para costura, proprio para um delicado me-
nino.
Riquissiraos cofreeinhos com cadeados de metal
para guardar jotas.
Ricas caixas com estejo, contendo todos os per-
tences para homem.
Riquissimas vollas fingindo perola.
Ditas com lacinho de Uta.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
suras.
Lindos aderegos com pedrinhos fingindo bri-
1 liantes.
Ricas fivellas para cinto, de todas as qualidades
e boro gesto.
Ricos cintos do ultimo Rosto de Pars.
Grande sortimento de lindos enfeiies para cabe-
ea, sendo do ultimo gostoe de todos os precos.
Flores muito finas para noivas.
Luvas eofeitadas e meias de seda para noivas.
Chaposinhos, sapatinhos e meias de seda pan.
baptisado.
Riquissimas filas de todas as qualidades para la-
go, cintos ecinteiros.
Camisinhas e goilnhas para senhora.
Riquissiraos jarros- e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimento de gravatinhas tanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e decores.
Cascarriltiasde bonitas cores.
Trancinhas,galo e maravilhasparaenfeites.
Transellns de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de ontras quatidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e babadinhos de liados padrees.
Lencinhos de finlio bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de lodas as
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para offerecimentos.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, eetn
frascos quadrados egarrafinhas.
Pomadabna de totias as qualidades.
Superior baohaem frasese-copos de lodosos
tamanhos.
Saboinglez em paos grandes e pequeos.
Escovas ie osso, para dontes.
Pentesparadesembaracar, com friso de metal e,
sem elle.
Ditos de tartaruga e de orarlas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de aluodao.assim como muitos
outros objectos de gosto que seria impossivel inen-
cinar.que a vista far f-, so no Gallo Vigilante,
ru do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de pcrolas falsas comcruzin'dos
fingindo brilhaates, a>sim comocruzinhasavulsas
e vollinhas, peto tralo prego de 15 e 15200, as
eruzes avols.au 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
. Leques.
Riquissiraos loques de madreperola tanto para
senhoras como [.ara meninas, >elo barato prego
de 124 e 144; s no Vigilante, ra do Crespo
o. 7.
GRANDE NOViPADE.
. S no Vigilante.
Riquissimos enfeites de todas as/jualidades para
sehcras e meninas, chegados hoje da alfandega.
Sintes
Riquissimos sintos de fila larga e eslreila com
flvelas grandes e po^uenas, com brhanies falsos,
cousade muito gosto.
.ibUDK
_^ Tambem chegaram os riquissimos albons para
50 retratos, com rapa de tartaruga e de marfim,
cousa mutocluque : s no Vigilante,ra do Cres-
po n. 7.
Golloras.
Grande [qi*ida$io.
lina da Imperatriz u. 60.
Loja de fazendas do pavo de Gama & Silva
Aclia-se esto eslabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
cm outra qualquer parte, principalmente sendo em
porgo, o de todas as fazendas do-se amostras,
deixando^carpenhor, oumandam-so levar em ca-
sa pelos caixeiros da oje do Pavo.
Vestidos soutambarqoe.
UPelo ultimo vapor francez chegaram r-iquissimos
vestidos soulambarqne, os mais modernos que
neste mercado tem apparecido, os quaes eslo
promptos com saia, corpinho e seu competente
soutambarqoe, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem tiver bom gosto dinija-se loja do
Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
408 TRES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavao, a 3$. 4$
e 7$000.
Vendcm-se lindissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados o de listras de cores e
brancas,proprios para casamento, pelo baratsi-
mo prego de 34 cada corte por se ter comprado
orna grande porgo, sendo fazenda que vale 64,
ditos Maria Pa, tendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo prego de 44 cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada um em seu carto, tendo cada
um todos os enfeites precisos, pelo baratissimo
prego de 74 cada um, ditos com babados multo bo-
nitos, mas sem ser em rartao, pelo diminuto pre-
go de 34600 cada um; advertindo-se que os donos
da loja do pavo vendem estes vestidos por to di-
minuto prego por terem comprado urna grande
quanlidade e convir-lhe liquidaren! logo, na sua
loja, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
Aos vinte mil covados de la
Grande pechlncha, a 40
e SSO. rs.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transpa-
rentes, sendo com llstfas e quadrinhos miudinhos,
e lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e rxas para luto, pelo baratissimo prego de 240 o
covado,ditas transparentes com palminhas de seda
Maria Pia, tendo de todas as cores, e tambem
alpumas proprias para luto, pelo barato prego de
320 cada covado, isto por haver uma grande por-
go: na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Latas e copos com banha Ana.
A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
As modernissimas laazinhas de urna s
cor, a imitar o de gorgoro, ven-
de o Pavo.
Chegaram pelo ultimo va^W francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho, as mais pro-
CL4RIM
COMME
RA DO QUEIMADO US. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
mmm i
NOV1SADE
l
Pereira Rocha &C. acabam de abrir na ra do Queimadr) n. 45 um armazem de molliados denominado Clarini Ccnmer-
o mercado es
garanle-se c-bcm
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melbores gneros que vem ao ness
quaes sero vendidos poeprecos muiio resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo rnencioneda; gai
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
AlTnAdo Maranh5o, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
An^nAfrancezas em latas e em frascos a
kaa e*06oo> e em frascos grandes a
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estarabas no interior das caixas
3 10200,10400, 106OOe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira demalarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030o rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas murto novas a 30000 a barri-
quinbaea200rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 3000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Ceneja preta ebranca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a carrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inslez fino a 900 rs. a garrafa..
Peras seccas muito nova? a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra, i rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite eErvilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. i dem seccas muito novas-a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastiinhas de 1 arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. Farinha do MaranhSo a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos tle vidro a 600 rs
cada'um. -
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
Idem^tearinas muito superiores a 6 0
libra.
Eig'os em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado- o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 galScs a 50SOG
e 705CO cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas muite
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pra.e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro".
pnas e mais lindas que tem -viudo, proprias para fnnPrvae., van ,,,
vestidos, soutambarques, capas, etc., danV-se amos-! Jfif?** 720.rs- asco-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissl-!Iaem SO de pepino, a 320 rs.
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe- dem, S de azeitnas, a 750 rs.
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhits transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
ditas largas mullo finas a 400 rs., dilas estampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., dilas escocezas a 560 rs., isto tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
Os grosienapesdo PavSo.
rnye,ndiJ5ie,g.rosde,,a5le&a-f)Ve,0.s' fazenda supe- Chouricas e Paios muito novos a 800 rs a
or a I#6O0 rs. o covado, ditos largos muilo en-1 libra
corpados a 2400, 25600, 2*800 e 35000. ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s -----------~------------------------------------------
o covado : na loja de Gama* Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
As novas ias garihaldinas a 5fl0 rs.,
na loja do Pavo.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 108OO,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e805OO a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeados a 700 e 600 rs.
sejam : Velho de 18^5, Duque do Porto, Maleiga ingleza perfeitamente flor, desem-
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa, I barcada de pouco a 900 rs. a libra, e aa
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e de segunda quaiidade a 800 rs.
10000 a garrafa, e ero caixa com uma du- dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
zia a 90000 e 100000. dem de tempero a 400 rs.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a Ma^a de tomates embarrila 480 rs. a libra.
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 dem em lata a 640 rs.
e 40 a caada. Marmelada imperial dos melhores conservei-
Idem raneo de Lisboa muito fino a 500 rs. ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
a garrafa. Marrasquinho de Zara, frascos granees.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Juen a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000a 70500rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. | Macas finas para sopa: estrellinlia, pevids,
dem Morgauxe Chateaulumini de i85i, a 10 rodinha aletria a 600 rs. a libra e a 40
a garrafa. j a caixinha com 12 libras,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa. Nezes muito novas a 160 ns. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixc em latas preparado pela prmeira arte
102OOrs. a caada. j de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. Paliios de dentes a 160 rs. o mago.
Alm dos gneros cima mencionados te-(dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos [ dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libr'a.
pecas e carnadas, tanto em porces como i Doee de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 20 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te-; Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. ] Passas muilo novas a 480 rs. a libra.
Frascos comgomina arabica; RIVAL SEM SEGUNDO 'MACHINAS DEPAtl
dlSSOlvida e piUCel. | ft d0 *"*> 49 e 55, loja de milita l
Vendem-se as mais w^mM*^\Jg~m'm***S *' 8' da &Lt&j&UtA
dinas, fazendainteiramente nova no mercado, seo- *r da por todo prego a vista dos cobres.
Aa ir.Hie A.. - 80 rs.
do todas com istras miudinlias, e transparentes,
com lustroa imitacao das sedinhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, rarmezim, cinzeota
e cor de havana., ele.; isto a 500 rs. o covado para
vender depresfa : na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60 de.Gama & Silva.
i vos albuns.
de
iWMtgM
Vende-se superior vinho do Porto em eaxas de
uma duzia : em easa de Johnston Pater & C, rna
do A'fario B- 3. -_________________________'
Assncar cryslalisado da fabrica
2 de Julho
Na Baha.'
Xoa.'mazeBD da ruada Madre de Dos n. 28,
ha a venda o mallo superior asscear crystalisadb,
em saecos e arrobas, ao preco de S cada ar-
T30
Fejjfto.
9- Raa da Madre de Deos-9
Vndese fejo mulatinho novo, saceos de 22 .
cuias, o mais novo que se pode desejar, e mais vigilante, ra do Crespo n. 7.
barato do que em outra qualquer parte.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a U. 25500 3; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeili-s para senhora.
fiiquosissvra enfeites com laco e semlaco e de
outros muitos goslos a 1$, 1$300 e 3#: s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
francelins.
Lindos trancelis ae cabello para relegio oa lu-
netas, pelo baratissimo preco de i30O, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos enlrrmeio*.
Riquissimos babaiohos entremeioe com lindo<
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 1*900, 1,5300, 2 e 3; s do Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Casearrilhas.
Grande sortimento de eascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
lilas. .
Grande sorlimenlo de filas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admirara aos com-
pradores, havendo filas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a l|; s no Vigilante, raa do Crespo
n. 7. .
Filas de lia.
Fitas de 13a de todas as qualidades, proprias pa-
ra, debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
{lieos fspellios.
Riquissimos espelhos com moldara deuradat
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
celumnas de difieren tes tamanhos a 25,35,45, 55
e 65 i s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
s Lindos jarros e fignras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s* no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
_ de
capas de velludo, raassa, tartaruga e marfim, al-
guns dos quaes com microscopio para augmentar
a .'.-M..*;., n; 1.tJaman*"> dos retratos,continuando a serem veu-
US maiS Hhsfiei DOS \eslM0S a 3Iaria na, didos por precos commodos : na ra do Queimado
na toja do Pavo, a 16$ ; 'Ja da ua brancan. 8.
Vendem-se fmissimos vestidos Maria Piacom (wli i1f,tPt"fl VflV'fl fXlffiQ
os corpinhos diflerenles, tendo todos os preparse ltt'tlC' eMi> IJU,r U fC9iUd
com o compelento sinto : na ra da Imperatriz n.! ag-uia branca naocessa de encommendar do
60, loja do Pavao. *Ie a de melhor e mais agradavel, e por isso.aca-
I m< i.aaroiDWlB a 1 JUOU pedra com fina banha, assim como bonitos frascos
Veadem-se camisinhas com manguitos, sendo deexcellentes extractse lindascaixmnas de ma-
mullo bem enfeitadas. proprias para senhoras e deira envernisada com finas perfumaras, tudo
meninas, pelo barato preco de dez tustoes cada mui proprio para prsenles de feslas etc., havendo
uma: na loja do Pavao, ra da Imperafriz n.60, dinheiro dirija-seo pretendente a ruado Queima-
Vestidos para meninas.
vendem-se s mais. modernos vestidinhos para
maninas, sendo muilo liem enfeitades Maria Pia,
tecdo de differsntes tamanhos, pelo barato preco
de $ cada nm : na loja do Pava, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
m^rta?Ha.bran.eaaCubaderecJeberoulra encom- Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
menaae bonitos o bem encadernados albuns *- "--
de superiores quaii-
Casa terrea.
Vende-se urna casa terrea sita na rna Imperial
n. 166 : a tratar na rna do Qneimado n. 39, loja-
Vinho do Parto superior
em barris de oitavo e dcimo, vende Antonio Luiz
de Albuqnerque Azeve'do & C : do sea escriptorio
roa Cruz d. 1
Perfumarias.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tlnctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos deJ>anha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros quedos que nao e
possivel por hoje annunciar, e alista dos fregu- pelo baratissimo preco de 45000 o corte; isto na
zes se far todo negocio; na loje do Gallo Vigilante, loja da Pavao, roa da Imperatriz. n. 60 de Gama &
ro do Crespo n. 7. I Silva."
Itoupa le la liarala.
Veede-se um grande sortimento de roupa feita
para bomens, sendo calcas de brim brance c de
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
raoia .casemira, paletots saceos e sobr.ecasacos de
casemira e panno preto fino, colletes'de todas as
qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama* Silva.
fcosdenapledeeor a 10600 o covado.
Vende-segrosdenaplc de cor azul, branco e pre-
to, pelo taraco preco de 15600 o covado : na loja
do Pav-io, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. N
Panno de linho a 700 rs. o covado.
Vende-se o werdadeiro panno de linho proprio
para lences, toaihas e ceroulas, pelo barato preco
de 700 rs. a vara : na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 66, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar, uma perco de retalhos
de Ias e cassas de todas as qualidades, eTior pre-
cos muito em cauta; quem tem economa que
pode apreciar : isto na leja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gam & Silva,
Madapolo a 70000, s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolo muilo encorpado,
tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo preco de 75000 a pega, dilos
muito fiaos a 85, 95 e 105000. E' pechincha, na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva. r
' Cortes de eassa a 30000.
- Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratissimo preco de 35000 o corte; s na
loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Suva.
Corles de chita franceza.
Vendem-se flnissimos cortes de chita fran-
ceza, com 12covades, tendo, padres escuros e
alegres de cores lizas pelo baratissimo preco de
45000 o corte; s na loja do PavSo ra da Impe-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo preco de
45000 tendo 8 1/2 varas cada peca, ditas muito fi-
nas a 75, 85, e 95 a peca, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo preco de 75,95 e 105, di-
tas Garraz.es fazenda muito encorpada. fazenda pro-
p'ria para forroa 360 rs. a vara on 25600 a peca ;
isto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,'de
Gama 4 Silva.
Cortes de lia a 40000.
Vendem-se cortes de Ias garinaldinas, matea-
das, e de quadrinhos, tendo 12 covados cada corte
A ni fino para engom-
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
beu glbulos de ail fino e frasquinhos com es-
sencia de dilo para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor ura novo sortimento de bonitos e delica-
dos enfeites de moldes inteiramente novos e de um
apurado gosto, assim pois comparecam os preten-
dentes munidos de dinheiro e com disposico de
gastar: na loja da aguia branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A aguia branca na ra do Queimado n. 8, rece-
cebennovamenleesses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem'feitos tanta estima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabell quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviam encommendado e a quem mais queira
aproveitar aoccasio de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo preco" de 4# cada
nm.
Estando brancos ficam pretos
O bom resultado e o rpido effoito que produz
a tintura de ebromacoma, e mesmo e facillimo
modo de applicar tem se tornado mni conhecido
apreciada por todos que usam delta e por conse-
guiule augmentado a exiraca, pelo que a aj?uia
branca mandouvir mais o novo sortimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas comchromacoma para tingir-os cabellos.
Frascos com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos com hydrocaltethrichina para limpar ditos
Ditoo com oryehromantina para limpar as unhas
Sabonetes brancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a preparaco feita.
Sapatos de marroquim dou-
rado para bailes.
Esses sapatos do grande tom vendem-se nica-
mente na rna do Queimado loja da aguia brai n.
8 a 65 o par.
Meias finas para senhoras
gordas
Vendem-se amado Queimado loja da agnla
branca b. 8.
Esponjas finas para .rosto
Vendom-se na ra do Queimado loja da agnia
branca n. 8.
Cylindros para pada*
ria.
Na padaria da ra Direila n. 84 ha para vender
os conhecidos e acreditados cylindros americanos
para trabalho de padaria ultimamante chegados.
lidade a 640 rs.
Caixas de corchetes francezes
dades a 40 rs.
Grosasde botesde madreperola'niuito finos a56t
e 640 res.
Carreteis com 4 a o chavas de retroz preto fino a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior a
25000.
Grvalas da liga e de oulras muitas quaiidade; a
300 rs.
Caivetes para peona com 3 folhas fazenda boa
800 rs.
Duzia de botoes branco para rasaveques de senh(-
ra a 100 rs.
Pegas de lita de cs estreitas com 9 varas garac-
lidasa 320rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cartilhasda doutnna christaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes fir/os de marfim a 15000, 15200 e 15o00.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinbas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a -240, 320, 500 e
15000. .
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para espartilhes muito superior, i
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartes com 200 jardas de linlia branca garaD-
d> s a 60 rs.
Grosas de pennas de aro superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
llas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincba a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a. 100 rs.
Grosas de betoes de louca prateado muito fino a
160 rs.
Tesouras para costura superior quaiidade a 500
ris.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de segurancaa
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor.-que ha a 64
ris. -,
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muitc
fino a 600 rs.
Qnademos de papel pequeo mnito fino a 20 n
Vinho da Madeira o do Porto
Vende-se o superior vinho da Madeira e do Por-
te, em caixas de uma e duas dnzias: s na loja
do Vigilante, ra do Crespo n. 7. ^^__^_
Ruada Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.. Johnston 4 C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e cast-
faesbronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes'para carros e montara, arreio¶
carros de um e dons cavallos, e relogios de
ouro patente iDglez.
trabalhar nco [.ara
descaro^ar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH f
- '. .... -. /
Raa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estbelecimento vendem-se: tac de
ferro coado libra a 110 rs., idemd eLow
Moor libra a 120 rs._________________
Farelo superior de Ltea a 55 o-sarro.
Tem para vender Antonio Luiz de Olivetra
vedo & C. n,o sen escriptorio roa da Cruz n. 1.
Albnas*
Eslas machinas
gfeteg podem descarocar
j i|i:alquer sj.ecie
1 de algodau sera
estragar o o,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descarocar orna
arroba de algo-
do em caroco
em 40 miuutoi,
on 18 arrobas
por dia ou > ar-
robas de aig' do
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que. descarocam 18 arrobas de algedao
limpo, |.or dia. ""*
Os reesmos-tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis desias machinas
mencionadas ; para o que convidase aos Sis.
agricultores a tiren ver e examina-lo, no ?rma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Sannders Brothers k C.
.V II, pra^a do Corpo Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO:
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Baraleiro
conhecido j como tal, esl dspondo ca fzenda
por todo o preco para apurar dinheiro. quem qjji-
zer venha ver e iraga o cobre, e ver o segninle :
Raralbos de cartas para voltarete mni!<
finas'a......'.................. ... S06
Miadas de Jinlia froxa para bordar a___ .20
Pares de. sapatos de tranca de todos os
tamanhos e finos a................... 15500
Massos de superior grampos para cabellos 30
Duzias de palitos de gaz superiores a. .. 200
Libras de ara preta muilo superior a... 100
Frascos de superior macar oleo a___ 100
Dilos de dito perola a.................. 200
Ditos de oleo de babosa muilo finos a 320 *
rs.e............................... 500
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................. 400
Ditos de banha muito fina a............ US
Ditos de ebeiros muito finos para o preco
a ris............................. 600
Sabonetes de lodas as qualidades a-60 rs.
160, e..............*.............. 40
Novellos de llnha com 400 jardas a...... 80
Carritis de linha de cores com 200 jar-
das ............................ 60
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a............................. 30
Pecas de litas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a-----.................. 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................. 400
Varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da melhor que ha -a.. 15000
Frascos de agua para'- denles, superior-a
tudo a............................ 15000
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
preco qne em outra qualquer parle: na roa do
Crespo n. 4.
Pecas de iranca preta liza mrjito fina a..
Caixas com 4 papis de apulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de la sortida de tedas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamuto novas a
Varas de franja branca e deires para
toalbas a............ .........
1 Frascos de oleo Philocomestijperi r >...
' Ditos com sopenor tinta a320 e........
: Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho ........
Duzias de botos encar&aaos para vegti-
1 oa..t..... ................
60
200
40
5U0
160
40
600
500
800
200
I


I
m
\
Diario de Peraambweo Ovarla Ierra 18 de Janeiro de I85
A
GRANDES 4RM4ZENS
IIK
MOLHADOS
I Largo da Santa
JCruz ns. 12 e 84,
esquina da ra do
jgCebo.
I
ESPECULES
Largo da Santa
Cruz ns. 12 e 84,\
esquina da ra Jojg$
Cebo.
NEM CORO AS NEM MITRAS
e
GRMUE ARMiZEM
RA DO IMPERADOR W. 46
Julo ao sebrado era qoe mura o Sr. Osberne,
I> liarte Almeida fc c, receberain.de ana propria enco
da o mala linde e variado sor I ficen da presente estaeo
Manteiga ingleza
Macas brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a I.ooo para sopa a melhor que s pode desejar,
O dono dos j multo acreditados armazens de molhados denominados Aurora
ruante, acaba de recober de sua propria. encommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente estacao, e tendo grande sortimento comprado aqui,aflanra que todos
os seus gneros sao. de i.* qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
tadores.
Neohum armazem veBder mais barato, e melhores, gneros do que a Aurora
BrilhatUe, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por sea dono se achar encoro-
rnsdado em sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para so comprar
barato.
Latas com 8 libras de chouricas muito novas,
a 73500.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 1000, 1280 e
tlOJ.
Ditas com ostras, excedente petisce parafre-
giduira, a 720 rs.
Ditas com emitas novas, ensopadas, a
7it) rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
Ditas com ameixas a i20, 1800 c 30500.
Ditas com marmeUda do afamado fabrican-
. cante Abreu, a 880 rs.
Ditas de mrssa de tomate, a 500 rs.
Ditas com figos de comadre, novos, a 15500,
t$ e t500.
Ditas'-om bolachinhade soda muito novas, a
23000.
Ditas com biseoltinhos inglezes de muitas
qualidades, a 13460.
Chocolate.
Chocolate superior multo novo, a libra a
13200.
Mnarro telharim e aletria araarella.a libra
a 480 rs.
'Vito dito dita branca, a libra a 406 rs.
Caixas com estrelinha, pevide e outras mas-
as, a caira 33500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sev,dinha para sopa a libra a 240 rs.
iiivilhis seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
I'arinha de araruta verdadira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranhao, em sacca a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a
libra a 100 rs.
To.icinho d8 Lisboa a 93500 a arroba c a 320
rs. a libra.
D110 de --antos, a arroba 73000 e a libra a
2G0.rs.
.Moihm com 125 soblas grandes, a 1280.
M-t-itarda franco caixa cora 2 duzas a
BJ900.
frascos com mostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas o francezas,
a 640 o 800 rs.
Ditos com sal refinado fino,, a 640 e a 300
res.
Ditos com a verdadira genebra de laranja
a 13200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadira,
13000.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadira,
a 640 rs.
ijlijas com dita propria para nejocto, a
400 rs.. .
(larrafoes com 2 galSes com dita, a 65000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 63000.
Vinho mscate! de leluba, a garrafa a
13')00.
Marrasquinhn verdadeiro, frascos a 800 rs.
e a 13200.
Champagne, a dzla 205000, ea garrafa a
2-3900.
Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 13000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
73,83, 93 e 103 a caixa.
Ditas com dito branco, a 73080 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205.
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
183000.
Ditas com chamisco superior, a 143000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 123000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
33200, 33300 e 45000, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Figueira, das segnintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
43300 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
qu j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armaeera.
Ditos de marcas mals deseonhecidas,a cana-
da a 35500 e 43000 e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
Gemmi.
Saceas de 4 arcobas, a verdadira de se
engommar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. '
Sabo massa, a libra-a 200, 240 e 280 rs.
f'arinba.
-accas grandes com farinha de Coianna mui-
to nova, a 5000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
85500 e 95000.
. Cha.
Cha temos nestes gneros o melhor possivel,
hysson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxini a 25700,
Dito hysson muito lino a 25800.
Dito redondo a 25300.
Dito pretodaprimeira qualidade a 25300.
Bita mais baixo a 25000 0 15600.
F.rva mate.
Excellente eh medicinal, a libra a 320 rs.
Esperncete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 45 e 2g500.
ftozes.
Noaes, a hbra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista e painrft.
Alpista e painco,a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas parajogar,a duzia a 25300.
QgBtaM.
astanhas novas.vindas neste vapor, a arro-
ba 43000 e a libra 200 rs.
Aieilonas. -
Barris com azcitonas novas a 15300
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs-
Dita ditajjm barris e meios ditos, a libra a
600 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Queijos.
Oueijos novos viudos neste vapor a 35200 e
35300.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
15000
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800
Dito dito Kzo de linlio, a resma a 43500
Dito do peso lizo e pautado, a resma a
23300
Dito de embruio bom a 15 e 15200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com n verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 25-
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a liiiraa 400 rs.
Velas.de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas. .
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400
o pequeos a 646 rs.
lijlos de limpar.
Tijalos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25600, e
de latas a 15000, eos boioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a'lOO rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da'
Rahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecinientos, que deixam de an-
nunciar-se.
A 48 0
.'Pechincha em igual.
lindos cortes para vestido de percalts de cor es-
dars e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo prego de A$ o corte: na loja das
clufnnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
reta- de Vasconcellos C.
Farelo de Lisboa.
Vende-so superior farelo em saceos grandes, e
por preco commodo, viodo pelo nltimo navio : na
roa do Amorto), armazem n. 50.
P0T4SS4
Vende-se potasa em'barris-a eommodo preco o
na rna da Cruz n. 23. primeiro andir, eseriptori:
de Antonio de Al me ida Gomes.
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 45300 a caixa. '
Vmlio
Figaeira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 1(5200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros amitos. -
Latas
com 10 libras de bana a 40000.
Bolaohinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a I20r* .41 bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 405OQ a 0500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a Ufctt, e 23500 a 35000 a ar-
roba desss^Ie vendem por 30400.
CAF
de l.*e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 '/* garrafas com vinagre a 10OOOeif
o garrafa.
GENEBRA DE LARANJA
verdadira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
.GENEBRA
de Hollanda verdadira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz 8*2,200 agreza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.oo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Presunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
dei3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Co rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3jao e
caixa e 3io rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a 1 bra.
Passas muito novas
em qi tartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a ciixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portufuez o mais especial que se pode de-
sear a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
' Frutas em calda
chegalas ltimamente, pera, pecego, ginjae
out -os muitos a 640 rs. a lata. .
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paieiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
mai o n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do'Oarmo ?.. 9
ROLACHINHAS
em la as de defforentes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
muito rresco a 800 rs. a libra na ra do chegatosneste ultimo vapor a 20800 na roa
ueimadon. 7, ra do Imperador n. 40 e do 'Jueimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 40 i largo do Carmo n. 9.
Os propnetarios do grande armazem o V-R-dadeiro Principal declaram aos seus
eguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os mesmos precos nos seguintes lugares:
rswa libra eem barril a 8oo rs.
Manteiga frauecza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
!' Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. aj
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Grtoes
com bolos franc/es a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 alibra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
.temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2*1600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e-a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que s pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricimente douradas,
. proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desojar, que outro
qoalquer n3o pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que. tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. a libra.
COGNAC
o muito afamado cognacPaie Brandy a l,8oo
rs. a Karrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua-a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, grave, peso e de outras muitas qua-
iidatles de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l.ioo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podira a 8oo is.a libra.
Fumo
o verdadeiro fumu americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRR era'ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista o Paiuco
o mais novo do mercado a 14o rs. a libra,
e.40400 a arroba.
GEROLAS
muito novas a 10000 o cento na ra do Que"-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE RICO- .
muito novo a 30400 a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
.QUEIJO SUISSO
' ROPA FEITA
AHSVZEI
M
f>
%\mm s wm*
-. UBTRKKKO VERDE.
>4D
Neste estabeleclmento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fuer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, ascua como tambem tem un
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 354 e.
Sobrecasacas dem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira, 200, 150,
120,lO0e.......
Ditos de alpaca, 50, 40 e .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho,'60, 50 e
Ditos de merino preto de cor-
d3o, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta,"120,
100, 80e......
Ditas de cores, 90, 80 .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Golletes de velludo preto e de
300000
250000
70OO
30500
30500
30000
40000
50000
70000
70000
4#)00
40000
20500
500003
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda braceo,
60 e.......50OOOJ
Ditos de gorguro de seda
pretos e de odres, 60, 50 e 40OOOJ
Colletes de fustao e brim bran-
co, 30500,30 e 20500
Seroulas de brisa de linho,
20400 e......20000
Ditos de algodao, 10600 e. 10400
Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......20500
Ditas de madapolo, 20500;
20 e........10600
Chapeos de massa, pretos fran
cezes, 100, 90 e. 80500
Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de seda, 120,
Hi, 70 e......60000
Collarinhos de linho fine, ulti-
ma moda duzia. ... .
Sortimento completo de grava-
tas.
20500 {Toa I has para rosto, duzia, 110,
e
cores, 90 e......70000 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
60000
i
60000
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditos de cores 50
Fe....;.. .
40000.
tos e de cores.....40000
I Lences de bramante de linho. 30000
30500 Cobertas de chito chineza.. 20500
DE
corr
0 Verdadeiro Principal na d Imperador n. 40
FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccae novas e grandes a 40500: na ra do Imperador n. 40.
NOVIDADES. .
Queijos do Uentejo. ditos das ilhas mais fresco que se pode dese-
jar 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricayeaixinhas
redondas enfeitodas, proprias para mimo da festa pelo barato preco de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 10500
cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperadora. 4.
Vinho do Porto especial.
O mals generoso e genuino vinbo do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de ISparra-
fas, sendo marcaRainha de Pertngala 18000
a caixa, e marca Pedro Va 16 ; em porco
far-se-ha om- abate raioavel : no armaiem de Fer-
relra & Matheus, jnnto ao arco'da Conreicaon.
46. No mesmo armazem ha tambem exceente
vinbo do Porto em aaroretas de 32 garrafas a 304
cada ama, e em porcao por menos alguma cousa
GAZ GAZ
da melhor qualidade
GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade i
10 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e roa do Trapiche Novo n. *$
VMtem-se latas com doce de caj secoo,
muito beta enfoindw da melhor qualidade : M
oledade defronte do palacio do bispo.
Superior cal de Lisboa.
Vendh-se superior cal i i uirtc* a mais nova
quefca C" aereado, tanto, era porcao como a reta-
lho, por barat p:v*. aBaocaodo-se aos compra-
dore aperior onalidado: a tratar as segnittes
roas: (raspo 7, Imperador n. 18, Forte do Ma-
los, armazem do Sr. Avilla, defronte u trapica
> algodao.
CONSULTORIO MEDICHIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HTICO. PARTE 1 liO li OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatliica
No mesmo consultorio ha sempre o inais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces 0 pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. .- 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 3G tubos grandes. 240000
de 48 tflbos grandes. 300000
: de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido quesefizer, e com osrennli
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10'00.
Sendo para cima de 12, custorao os precos estabelecdos paYa as carteiras..
Ha tubos mais pequeos cada urna 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes com diccionario.......'..... 200000
Medicina domestica do Dr. Hering, ... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes. '........ 60000
Diccionario de termos de medicina ...,-(...,...- 30000
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensara portan-
te de serem novamente recommendados aspessoas que quiierem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duradores: ha'tudo do melhor que se pode desejar, globos do ver-
dadein>assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada prepralo, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para scravos,
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatre annos, ha muitos pessoas de cojo coaceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitor aos precos
azoaveis que costuran pedir o annunciante.
Vendem-se charutos da Rahia de varias qua-
Hdades : em casa de Monkard & C, roa do Tra-
piche n. 48.
Fabrica Coneeicjo da !
3 Baha. m
S Andrade Reg, recebem constante- 9
mente e tem venda no sen armazem n. 9
34 da ra do Imperador, alpodao d'aquel- 28S
~ !a fabrica, proprio para saceos de assn- 3
Wk car, embalar aiffodao empluma etc., etc., f
mt peto preco mais raioavel.
ammyy^ mt^k^ itxiii
H Vendem-se SOOvaras > corraites flo lapes
de Lisboa, ptimas para construir passeios : a tra-
tar n roa do Qneiraado n. 18, laja deaiioel Ri-
beiro de Camino.
AGENCIA
AGENCIA L0W-H00L
Rna da Senialla Mva n. 42.
Neste estabelecimento. contina a fcaver
am complete sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferrobatiflo e coado, de todos oa
lmannos para dito.
Arados americanos e machinas para
lavar, roupa: ea asa -de S. P> John'ston i C.
ra da-Senzalla Nova n. 42. .
Vende-se
am excellente carro americano com 4 ro-
das e arreios para um e douscavalfos sea-
do muito maneiro eleve, o qtral tendo si-
do todo reparado de novo se acha no me-
lhor estado de pereieSa e asseio : a tratar
com Antonio Jos Rodrigues de Souza oa
ra doCrespo n, 15, das 10 horas de dia al
as 3 da terde.
Yende-se machi ea para enrocar atgodio
com motores-para aaimaes :'a ra da Seniala
Nova n. 41.
u.

DE
J. VIGNES.
N. 65. RA DO IMPERADOR IV. 55.
Os pianos desta antjga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre t
sua superioridade, vanlagens e garantas qne eflerecem aes compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; odo-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
jiunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimo para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
respndeme de J. Vigiles, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
Ne mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim come harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide por
precos commodos e razoaveis.


^
T
ii r^*iwi-i
T



DUrio V

r

i.i
i
JOS Cf6MES VIIiLIt
Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendendo Ir muito breve a Europa tratar de saa saade, pede sos seus Uevedores
tanto do mato come desta-^ra^a que saldem seos dbitos qaanto antes, assim como
Est liqi o seo importante estabelecimento de fazendas, veudendo tudo por procos que na reahda-
de admiran; aproveitem Excellentissinmsenhoras
As fazendas de aparados gostos
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos
E t>or presos que admiran
E por precos que admiram.
<;i:kai, recojjoiexda^jLo
23-Largo do Terco23.
Joaquim Siino des Santos, dono deste bem sonido armazem de ciliados faz sclente e
reeommendaco aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que esta resoivido a vender os seus
bem coabecidos gneros de primeira qualidade, por menos de 10 a 20 por cento, menos do que em ou-
iraqualquer parte a dioheiro contado, e todo o comprador que comprar de 500 a 1003 tera o descon-
t de o a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; epor Isso se faz annuncio de Iguns gneros,
para com estj melhr se certificaren).
AGUA FLORIDA

Massas para sopa macarro, talharim e aletria a
2iO rs. a libra e em caixa a 55-
Toucinno de Lisboa alvo muito superior a 280 rs.
a libra e 83800 a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 2.60,580
300 ra. a libra e a arroba ou sacco a 8# o
83300.
Choaricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 123.
Passas viadas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a eaixa a 83-
Batatas era iros de 35 a 40 libras por 23400 a ar.
robae a 80 rs. a.libra.
Cha hysson miudinho superior qualidade a 13200,
23000, 23500 e 3 a libra.
Viriho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 560,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem propns para negocio a 320 e 360 a garrafa.
e a caada a 24400 e 23700.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a ii-
bra.e a arroba a 43400 e 4?200.
Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 23 a groza.
Azeite doce d Lisboa a 600 rs. a garrafa e o c-
lao a 23800 e a caada a 43500.
Serveja das mareas mais acreditadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 53800:
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
Arroz do Maranhan e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 23800,23 e 23400.
Assim como ba nm grande sortimento de charo-
Ios e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinhas de soda, conservas, choco-
late, marmelada, vinho engarrafado e outros mui-
ros gneros que enfadonho menciona-los,-e se al-
guem duvidar venha ver.
BOTICA E DROGARA
Barthol ornen Francssco de Soaza C.
34Ra larga do Rosario34
Pitulas Holloway
Vendem:
minias do Dr. Lavillo.
Pilulas do Dr. Alian.
Pillas do Pobre-hornera.^
Plalas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulas vegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Brisiol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsioal de Grimanlt.
Vinho de Salsaparnlha de Che Albert.
Injeeeat Feaugas.
Agua dentifica de esirabode.
Papel chimico, para tainos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspad.
Pos anti epileticos de Brest.
Rob L'Affecleur.
Xarope do Bosque.
Ungento Hollowav.
DROGARA.
34Ra (larga do Rosario34
Bartholomea Francisco de Senza & C.
Vendem:
Acido actico puro pira retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Vneta, fino, em pies.
Vidros para espelho.
Vende-se na roa Nova n. 26.
No armazem defazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Raa do Qneimddo \. 19,
vende-se o seguate :
Attengaol I
Ricas lazinhas, fazenda a melhor que tem vio
do ao mercado,tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baratissimo precede 560 rs. o covado.
Ditas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 18 covados, pelo baralo preec
de 63.
Cobertas de chita da India a 23500 e 33.
Lences de panno delinho a 23 e 23500.
Pegas de cambraia de forro com 8 li2 varas a
33200.
Toalhas alcochoadas proprias para mSos a 53 a
duzia.
Ricos cortes de la com barra Hara Pia a
183.
Pe?as de platilhas de algodo com 10 varas,
proprias para saia a 43-
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 13100 rs. a vara.
Estelra da India, propria para forro de sala de
4,5, e 6 palmos de largura, por menos prego do
que em outa qualfjner parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrara
um grande sortimento de ronpas feitas, e por me-
did a
Vendem-se
10 cadeiras de bataneo com asiento e encost dftj
palhinha, ltimamente chegadas da America : no
escriptorio de Matheus Austin & C. ua do Trapi-
che n. 36.
MURRAY & LANMAN
A agu florida de Murray & Lanman,
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais cestosas: conserva seu aroma,como
se formasse parte da prenda a que ella se
applica. Sua efficacia Uo delicada, como
elegantes sao seus multipeadoiusos, quer
seja empregada como artigo de toucador,
quer no uso dobanho, ou como suavisador
da|pellp-, depois que se tenlia feito a barba;
j para I impar as gengiv Ou aromatisar o
hlito.
D suavidad e, brilbo e elasticidade as
compleicSes, depois de# s'e" ha\er lavado; al-
livia a irritaco de erupcSes ordinarias; hi
desapparecer o defagradavel aspecto dos
pannos, das sardas do rostQ, rugas e toda a
casta de ebulicSes, e da vigor e frescura a
parte onde quer que se appiique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veisnos casos em que seja preciso appli-
ca-la como estimulante e antisptico, nos
concursos e assemblas numerosas, as lo-
calidades infeccionadas, na alcova de um
enfermo, assim como um antidoto encl-
lente para os desmaios causados por cansa-
do ou suffocacao. Preparada nicamente
por Lanman < Kemp, Nova-York, e a venda
por Cao rs & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors d
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
"COMPENDIOTDOLOOSO
que contem b oflQcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a ce-
rda, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devocao; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres misslonarios^sjostdlicos capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia
Versos ao Divino "
Acbara-se a venda na ra do Imperador n. 15
defronte de 8. Francisco ror prego de 160 rs. ca-
da um exemplar em brochura, versos ao Divino,-
proprios para se cantarera depois ou antes de
qoalquer solemnidad*, festa, novena en mesmo
em casas particulares.
Testamentos.
Acham-se a venda os seguinles testamentos,
obras proprias para entr* ter em horas vagas na
ra do Imperador n. 15, defrenle de S.Francisco.:,
da gallinha, gallo, pert, leSo, onca, tigre, caxorro,
vigano, porco, pelleja entre una alma, S. Miguel
e o diabo a 160 rs. cada um exemplar.
. Vende-se o engonho Bom-Toro, pertencente
freguezia de Barreirns, dlanlo du embarque
legoa e meia, e alguns escravos e animae* perten-
centcs ao mesmo engenho ; tambem se troca por
algum sitio nos arrabaldes desla cidade : a tralar
na ra da Cacada n. 14.
LOJA l)E HUDfcZAS UVAS
ip-RA DO QCEIMADO-16
Salac hoje da alfandega.
Para alrecepcaode SS. AA.'fmperiaes.
Bnftites de cabera.
O dono deste estabelecimento sabendo com an-
lecedencia que SS. AA. Iraperiaes tinhtm do pu-|
sar nesta bella capital em sua viagem de recreio
a Europa, teve o cuidado de mandar vir, e despa-
cha hoje da alfandega os mais bonitos e elegantes'
enfeitesde abena Maria Pia e Princeza Impe-
rial, o mais elegante e novidade em cdfeiles de i
cabeca paral seobora, que tem vindo a esla praca.;
tao varlad|o o sortimento de cada qual mais lindo
que os regqezes ficare satisfeitos nao so no bom
gosto do sortimento como no sen barato preco, os
quaes se vetdem a 23, 33, 43. 53, 63,7* 83.93,
103, J'? o 1.23.
Vollas Maria Pia.
Sahe hoje j da alfandega o mais elegante sorti-
mento de voltas de perelas e aljofares eom ernzes
grandes c pequeas, brancas, pretas e de todas as
cores Marik Pa \, ofreguez ficar satisfeito nao
s6 no lindo e variado gosto, como nos seut dimi-
nutos precosl
I Palseiras Maria Pa.
Sahe hoje <|a alfandega o mais lindo e vanado
sortimento de puL-eiras de perolas e de aljofare
brancas, pre as e de todas as cores, as quaes se
vendem por p^reoo muito barato.
Brincos a balo.
Sabe hoje da alfandega um bonito e variado sor-
timento de brincos de perola e aljofares, peque-
nos, a balo : vende-se baratissimo.
I Allietfs de peito.
Sahe hoje daalfaodega um bello sortimento de
alfinetes de peito de um variado e apurado gosto,
tudo barato. I
i Finias para sintos.
Sahe hoje da alfandega o mais lindo e variado
sortimento de bvelas com pedrlnhas lingndo bri-
Ihantes que tem apparecido nesta praca, tal a
variedade que lo freguez licar satisfeito nao s no
gosto como no preco.
Fita.
Riqusimas fitas de grosdenaple lisas e lavra-
das para lacos e siBtos, e otras de gorguro para
sintos : vende-te tndo barato.
1 Cascarrilbas.
Bonitas cascarrilbas de seda de nma s cor, e
de duas cores epa todas as cores, diflerentes lar-
guras e precos baratissimos.________________
j Esperanca.
Luvas de pellica, brancas, pretas e de cores;
em as brancas ha esperialidade e nma forma in-
teiramente nova, cadeias de aro pollido efaeiadas,
veltas de con tas azues tnrquezas, brincos balao a
800 rs. o par, Prtlceiras de cabello a 5300. graixa
econr mica a 32d rs. a caixa, tinta commonicativa
qne depois de 8 jdias se pede tirar copia para esta
especialidade anda nao apparecen plagiarlo, en-
feites coro rifa de froco, a Esperanza teve pelo va-
por estes enfeitel nao constando qne alpuem roait
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um tirando deposito de
productos chimicos e ulensis os maisempregados
e usados na pharmacia, pistura, photo^raphia, tin-
turara, pyrotechinia (fogos de artificie) eemoutras
industrias.
Montado em grande escala, e suppnndo-se di-
rectamente as principaes drogaras de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offerecer
productos de plena confianza e satfsfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveia.
Prvidos de machinas apptopriadas satisfar
com promplldo qualquer pedido de tintas muidas
a oleo, cuja qualidade e pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collec^o de vidros de dlfferentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis on^as de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios ; depinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de papis acurados e pra-
teadose folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embruiho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feit ; de papel albun.inado e Brstol,
verdadeiro saxe para photograpnia e para filtrar,
e outros ; verni?e5 de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
leiior; oleo graso, oleo seccativo, oleo de linha^a
clarificadQ, oleo de oielet, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, onro, e estanho em fo-
Ihas de varias cores; tintas vegetaes, inoffensi-
vs proprias para confeitarias ; la de cures, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
tela* para retratos ; tintas em pastis e em pd pa-
ra aqunrella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchnuly, mbar,
boquet, limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenla,
lonro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
aoisda Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Vende-se urna das mais ricas armaces para
loja, toda de amarello, propria para negocio de
molhados, mas que com urna pequea alteracao
serve para lazendas ; vende-se por menos da me-
tade de seu custo : no armazem da ra da Cadeia
numero 1._______________________________|
Caz liquido, candieiros e seus
pertenees.
No deposito do mesmo, na ra da Cruz n. 35,
vende-se gaz o mais aperado, un latas de 5,2le'
1 galo, assim como em garrafas; tem tambem
venda candieiros para o dito de diversas qualida-
des, e pertenees para os mesmos, avulsos, das mais
pequeas s maiores dimenses, tudo per precos j
commodos.
Escravo ftigido. -
Fugio no da 2 de junho de 1864 o escravo loa-
quim, crloulo, de 20anoos de idade, com c* slg-
naes seguinles; alio, magro, cara meia redonda,
ccr fula, com urna queimadnra no rn.-io do lado
direito, rendido de urna verilha, meio gago ; pe-
de-se aos Illms.Srs. subdelegados da Passagetn da
Magdalena, Varzea, Peres e Afogados, lguarassn.
Maneota e mais freguezias, e aos Srs. capites de
campo que o apprehendam, qne serio gratificados
pelo abaixo assignado, em Fra de Portas, ra do
Pilar a. 23, primeiro andar.
Manoel da Silva Neves.
tivesse receido,
porm era per isso os vender
por mais de 3*000, mnilas especialidades qne um
podemos annunc
doQueimado n.
dinheiro.
ar por serdespendioso: vorno
33 A, qne se vender barato e i
Farinlia lavada.
9Ra dn Madre de Dos9
Vende-se farinha lavada a melnor qie tem vin-
do a este mercadoipor ser melher que a Muribeea,
pelo barato preco pe 63 a saeca, a granel, a bor-
do da lancha Riot J, defronte do Trapiche Bario
do Livramento. 00 ensaccada no armazem cima
indicado por 3500. Tambem tem de outra fari-
nha, a bordo do mesmo navio, mais grossa, de S.
Matheus, que se vsnde a granel a 53 a sacca, e
em trra a 535C0 : no armazem da ru da Madre
de Dos n. 9.
Vende-se p->
calcado toda envi
Boa-Vista n. 13, o
no interior bastan
tar na mesma lojaj
des da Silva.
preciso aarmaco da loja de
raca da ra da Imperatriz na
aluguel razoavel e a casa tem
e espaco para moradia : a tra-
com a viova de Joo Jos Men-
Vende-se a taberna da rna do Amorim n. 1
A, eom poucos fundos, muito boa por estar perto
do desembarque, eo dono vende por ter de ir tra-
tar de sua saude.
Vende-se a taberna da
n. 43 : a tratar na mesma.
ra dos Pescadores
Vende se caixesva/iosproprios
para bahnleiros e funileiros a i$760
cada nm; nesta typographia,
J. Keller & C.^endem superior vi-
nho tinto de Bordeaux, tanto em quartola
como em caixas de duzia de garrafas.
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
de Cunha, a tralar com Tasso trmos._________
RELOGIOS,
Vende-se em casa d Jolmston Pater dr
C, ra do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
boniositrancens para os mesmo.sU
Vendem-su (ons ps de jasmineiros, sendo
um maioreoutro nenor,.ambos plantados em ces-
tos, proprios paraje levarem e plantarem onde se
quizer : na ra d Imperador n. 15.
DOS PREMIOS DA 1. PARTE DA
i
i
LISTA GERAL.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio pela manhaa do da 28 do correnle
escravo de nome Paulino, com os signaes segnin-
tes : cabra, cara picada de texigas, dentes lima-
dos, cabello carapinho, estatura regular, ebeie de
corpo, muito conhecido por adar vendendo fa-
zendas com nm caixeiroda casa dos Srs. Marcel-
no A C. : roga-se a quem o pegar, de o levar
casados mesmos na ra do Crespo n. 5, que ser
generosamente recompensado.
Fugio dos abaiio assignados, no dia 8 do cor-
renle o seu escravo croulo de nomo Jos, coui os
signaes seguinles : cabra escuro, cabello cara-
pinho, estatura baixa, cheio do corpo, ps largos,
e fazum geito as pernas quando anda, amito
pouco barbado, e tem urna cicatriz bem vjsivel em
um lado do quexo, levou vestido calr;a de brini
meio branco de quadrinhos, camisa branca, cha-
peo do Chile de copa a Garibaldi, e mais urna tiou-
xa contendo calca de bnm escuro e outra de algo-
do riscado, nma camisa branca e outra de chita
ja velba e rasgada; cujo escravo comprimes jun-
io com cutro ao Sr. capitao Slvino Guilhi rme de
Barros, acerca de 20 das, e este senhxr os havia
comprado oSr. Joo Cabrai, morador em Naza-
reih. Consta-nos que este escravo anles de ser
propriedade do >r. Cabral, fra de um senhor n ;.-
jor no Brejo d'Areia, aonde o dito escravo casa-
do e tem tilhos, tendo-lhe ltimamente mor ido .1
mulher. Sabemos com certeza de ter r assado este
nossoescravo em Pao d'Alho, montado n'um ca-
vado em osso com direccao aquellos lugares: por-
tante rogamos a todas as autoridades policiaes a
sua captura, e a qualquer particular se gratificara
generosamente se o levarem a seus senhorss nesta
praga, ra da Imperatriz, refioaco n. 46.
__________ Luiz da Silva Furreira & C.
Escravo fgido
Da cidade da Victoria fugto um mnlatinho por
nome Matheus, com idade de, 16 annos pouco mais
ou menos, cujo mulatinho lem os slgaaes seguin-
les : muito ladino, bonita figura, ps bem feles,
cabellos corridos, vai vestido com urna camisa
de algoduzinho de lislras, cerouia de briin, cha-
peo decarnauba oleado de encarnado, qual o mula-
tBho desconha-se ter ido com tengoes de assentar
praca, fogio no dia 5 de janelro do correnle anuo,
e diz que forro : recommeoda-se as autoridades
policiaes, que pegando-o remella-o cidade da Vle-
toiia, que ser recompensado como annuncie tres
vezes. Consta-me andar com outra pesse-a, ou com-
boia para melhor livrar-se.
No da 9 de dezembrode 1864 fugio de rosa
deseosenhoro escravo Hercnlano, pardo escore,
com 35 annos, alto, cabellos carapinhos, olhos
orelhas pequeas, tem apenas bigode e' peraj per-
nas e andar de quebra-mangue, tendoo p esqner-
do lorio e sabido para fra como pata de sen, e
por isso pnxa alguma rousa pela perna qoard.
anda, levou vestido caiga branca remendada e es-
misa branca, levando chapeo de palha. condnzto
igualmente toda rcupa que possue, snppoe-se an-
dar aqu mesmo pela cidade: quem o pegar leve-o
a ra Dreita n. 54, que ser generosamenie re-
compensado.
Auscntou-se cm 29 de dpzembro pasado do
eugentio Utioga de cima, no Cabe, a molalinna
Joona, de 14 annos provaveis, comprada a 26 dias,
no Recife, a Jos Frmino de Medelros per prtcn-
rago de sua av Josepha Mara dosPrazeres, mo-
radores ambos no Brejo da Madre de Dos, tfm os
signaes seguinles : cor alvaornta, manchas bo
rosto, cabelle carapinho e rogo, com nma cicatriz
na testa, corpo regular, com todos os denles, :mn
pettos, as pernas finas, vestigios antigos de chimie
no corpo, padece de bobas as parte.orculias, a
falla as vezes viciosa : roga-se s autordadts a
sua captara, e a qualquer particular, podendo ser
remeltido para o referido engenho, ou a Joo Jos
de Carvalhe Mnraes Filho, ra do Queimado n. f3,
que sero gratificados.
ATTENCAO.
Fugio nn dia 12 do correte a escrava de noue
Conceico, levando eom sigo urna cria, e ba ire-
sumpgo que foi sedozida pelo m*nor Pedro Pan-
to de Albnquerque, que tambem sabio de casa per
ter lachado sua mi e padrasto dos nomes maJ6
injuriosas : quem quizer saber procure invesiigar
o procedimento do tal menor, e qual a razo deste
procedlmento.
Marta Thtophila de Albuquerifue.
i
LOTERA A BENEFICIO DA SANT\ CASA DA MISERICORDIA," CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537, DE 21 DE JUNHO DE 1862, PAHA PAGAMIENTO DE DESPEZAS JA FEITAS COM O
TRATAMENTO DE ENFERMOS POBRES REDETTIDOS PELA POLICA, EXTRAHIDA EM 17 DE JANEIRO DE 1865 AMtKI L DESPEZAS JA FUTAS COM O


S.
2
4
5
17
24
30
35
36
41
42
43
46
48
49
52
57
60
61
66
68
76
7
80
86
87
89
93
100
12
13
15
31
32
34
38
39
48
47
49
55
56
57
58
62
64
S
79'
84
88
19
91
94
9
260
PREMS.
63
103
63
5003
63
103
63
NS.
205
6
7
8
9
13
15
17
20
25
33
34
36
41
42
49
52
56
60
63
64
67
70
72
73
82
83
88
91
95
98
301
2
7
u
.14
20
24
25
28
30
31
32
33
35
36
37
40
42
- 43
46
53
54
59
72
PBEMS.
103
63
NS. PREMc
373 63
203
63
103
63
1003
63
75
85
87
92
93
94
96
400
4
6
10
16
18
21
23
25
37
39
44
48
54
60
62
65
66
67
69
70
78
76
84
91
95
500
2
T
9
11
14
19
20
21
24
25
26
32
34
tt
40
41 _
42 _
43 -
- 81 -
NS. PHEMS.
553 63
8|
61
65
71
72
74
75
77 103
78 63
82
84
86
89
91
92
94
95
96
97
600 403
9
15 103
18 63
20
22
24
26
32
38
37
50
55
37
62
64
67
68 63
74
83
87
92
95
* 98
700
3
9
H
12
14 203
19
22*
31
O eicrivao, -Jos* Pedro das Neves.
1003
63
103
63
203
6
'203
63
203
103
63
NS. PBEMS.
739
40
41
47
48
54
58
62
63
64
65
66
68
70
74
77
78
81
82
89
91
93
94
97
98
803
5
6
7
11
12
ft|
rS
21
22
28
34
36
39
40
41
48
46
50
53
,3
58,
62
63
64'
66
67

74.
103
63
103
103
63
403
63
103
NS. P1U
876
78
83
89
90
94
95
96
901-
7
14
15
16
21
22
26
32
33
36
39
42
45
46
47
48
52
62
67
72
73
76
78.
80
81
83
97
98
103
63
5003
63
103
63
403
63
63
403
.63
1000
4
7
10
11
12
17
21
24
25
28
36
42
43
46
48
50
31
NS. PBEMS.
1053 63
56
58
61
63
64
66
70
72
73
78
86
91
92
1100'
1
3
4
6
10
14
15
18
21
28
29
30
36 63
39 -
40 1:40003
41 63
103
1003
103
42
46 _
52
53
85
86
63 103
63 63
66 103
73 63
76
77
80
86 103
87 63
2
98
1200
1
3
6
10
-46
2i
NS.
1226
28
31
34
36
40
43
47
49
50
52
33
54
55
57
60
61
63
64
66
69
70
80
89
90
91
92
93
95
96"
98
1302
3
8
11
12
17
18
25
27
38
39
42
44
82
56
57
58
59
65
66
71
73
77
78
PBEMS.
63
03
65
103
63
103
63
103
63
1003
i6
NS. PBEMS.
1380
83
84
85
90
92
93
94
,95
98
1403
8
11
12
14
33
50
54
56
57
60
62
66
09
71
76
79
84
87
90
92
93
94
95
98
97
98
NS. PBEMS. NS.
103
63
403
63
63
1304
6
11
13
16
18
19
2t
22
27
33
30
40
42
.43
47
50
203
403
63
lool
54
55
56
57
61
68
69
70
71
72
76
77.
S5
90
92
93
94
1600
4
5
6 -
8
4*
21
22
25
26
27
34
35
36
41
46
. *8
49
52
53
54
86
37
62
64
69
70
73
76
92
93
95
97
98
1700
2
6
63
103
63
103
.63
103
63
103
203
63
1787
9
10
11
22
23
24
26
29
30
35
39
43
43
32
63
66
69
74
76
84
92
96
1801
4
8
6
8
14
17
. 39
40
43
51
82
85
59
60
bl
63
70
73
74
78
77
79
80
.82
84
91
95
96
97
1961

PREMS.
63
NS. 'BEMS.lNS. PBEMS. NS. PREMS.
103
63
103
63
103
63
6:0003
1903
13
17
18
24
23
31
32
41
46
47
49
59
60
61
63
71
74
75
76
80
87
89
90
92
93
96
2006
9
16
17
19
24
26
28
29
43
44
46
48
49
80
31
60
61
62
63
64
76

-'86!
87
88
91
95
632098
99
2103
8
10
24
25
28
31
37
38
40
43
44
48
50
57
59
61
63
68
71
72
84
88
90
93
95
97
99
209
12
14
16
1
20
22
24
26
29
36
37
39
40
41
48
85
68
73
74
75
7.
82
63
103
63
103
63
103
63
403
103
63
103
63
103
2287
89
93
97
99
2306
8
14
17
19
22
26
29
38
41
42
43
54
58
59
61
69
73
79
82
84
90
94
97
2402
3
*
5
7
10
16
20
21
24
27
30
36
40
U
43
64
86
89
62
64
73
78 '
80
82
84
203
103
63
403
63
NS. PREMS.
2192 63
93
96
98
99
2500
2
5
12
13
14
15
16
17
20
22
23
29
31
33
40
. 48
47
80
81
83
38
72
73
83
88
89
90
92 -
93 -
96 #-
98 -
2600
10
11
13
14
15
16
19
28
26
28
33
34
39
49
W
69
403
63
203
86
90
93
94
%
97
2700
7
9
10
13
17
19
21
24
23
26
27
28
30
37
44
48
49
32 '
55
203
63
203
63
2807
11
17
19
20
21
22
27
31
32
35
37
39
42
43
52
54
56
57
61
64
67
68
71
72
73
75
78
103
63
103
103
103
203
103
63
61
68
73
74
73
78
81
82
83
84
94
93
96
99
3802
- 6
203
103
63
Per.Typ. de
91
93
203 29D2
63 3*
8
9
10
H
12
31
32
34
37 -3105.
103 80 8
51 9
33 10
61 11
62 13
84 24
66 25
70 30
W 31
73 32
74 38
78 M
.84 46
Jf. /. de FUri* 4 JRFA0--I86S.
2985
94
96
3003
9
10
13
14
16
17
20
22
23
25
26
27
28
31
32
38
45
46
47
48
50 -
63,3152
55
NS. PREMS. NS. PREMS^NS. PREMS. NS.
2658
59
60
62
65
67
68
70
103
63
PREMS.
63
60
63
66
69
70
71
78
74
81
sa
84
89
93
203
63
1003
63
103
63
62
G8
75
77-
85
87
90
91
92
96
98
3209
10
14
19
20
22
2*
29
30
35
40
48
54
66
59
62
64
66
69
72
73
78
79
82
84
86
67
90
97
99
3308
7
103
63
NS. PREMS.
3335 63
39
43
40
63
103
63
lOrf
63
103
63
16
19
20
21
24
28
16
28
31
45
46
51
53
54
35
38
64
65
66
68
73
73
79
81
83
86
87
89
90
93
98
99
3400
5
6
10
17
18
24
28
2a
36
38
39
44
48
49
51
82
55
30
64
68
76
78
S2
90
9 --
98 ir
96 -



Diarlo de Pernnmlinco Qnarla felra 18
-
. LITTERATDRA.
insumi Histrico e Cieogra-
phico Brasilelro.
ni.ATOMO DO Io SECRETARIO DO INSTITUTO HISTRI-
CO E GK0GRAPU1C0 BRASILBIRO? O CONEGO DU. J. C.
KRRNANOES PINHEIRO, LIDO NA S15SSAO PUBLICA AN-
IVERSARIA DE 16 DE DEZBMBRO DE 186*.
(CoHimuaqo.)
Jor. 0 mundo inteiro boje a conhece e applaude : de 1854, eura -diccionario topographico, histori-
ainda assim ha quera se espante da sua perdura- co e descriptivo da contarca do Alto Amazonas,,no-
cao, rindo-se da sua inutilidade : ,um resto da tavel pelo importante esbozo histrico daquella co-
prosa cliilra e do positivismo raesquinho dopassa- marca hoje provincia do imperio, pelos esclareci-
do : um espanto filho de inveja impotente ou de mentos einformacoes era relago aos Indios, o poj
iguorancia que move compaixao. | grande copia de ideas e negoes que pelo menos se-
., .,.'rao raios de luz benfica, que esclarecero oca-
-u instituto Histrico e beographico do Brasil 6 minho que (verem de seguir oulros estudiosos ex-
urna grande realidade urna insl.tuigao nac onal ploradonj3 d a osa ^^ da a
por todos os ttulos nobre, cxplendida e patritica; hnwlhaTI,
e por issD mesmo que o ha de ser sempre por
nos honrada a memoria gloriosa dos seus funda-
tivera o berco na provincia da Baha. Capitao de Nesse mesmo anno entrn Lopes Gama para o
mar e guerra da armada nacional, cavalleiro da ministerio, e tomando a pasta dos negocios estran-
ordem de S. Bento de Aviz e da Imperial da Rosa, geiros, soube sustentar com vigorosa lgica os di-
e commendador da ordem de Christo em Porta- reitos do Brasil na questio do Oyapock. Em 1841
; gal, este digno Brasilelro nao se limitou a prestar foi por S. M. o Imperador agraciado com o offlca-
bons servigos na honrosa carreira que seguir; lato da imperial ordem da Rosa, e por decreto de 5
lovou-o alera o amor da patria, a quem legou.na de fevereiro de 1812 nomeado conselhelro de es-
litteratura amena-um romance histrico do Alto tado.
Amazonas intituladoLimaa Memoria sobre ama Dous annos epois parta Lopes Gama para pre.
marinhagem deguerra para guarnigo da arma- sdjr a pr0vincia das Alagas, que os bandos arma-
A patritica instituigao prosperou, gracas prin- da imperialimpressa no Rio de Janeiro era di-' dos, de Vicente de Paula, traziam em conflagragao:
cipalinente a.protecclo augusta do S. M. o Impera- versos nmeros do Jornal do Commerao no anno | dentro em pouco a ordem se restabeleceu e domi-
nou o imperio da le : e a 28 de fevereiro de 1845
o imperador premiava esse servgo extraordlnarm
dando ao nosso consocio a grande dignitaria da
Imperial ordem da Rosa. Compre nao esquecer
que, partindo para as Alagas, Lopes Goma rece,
bera por ordem do governo 20:0005000 que pode-
rla despender a seu arbitrio na obra da pacifica-
gao : de volta ao Rio de Janeiro o nosso digno com*
patriota fez entrar nos cofres pblicos essa quantia,
menos smente 5005 despendidos em urna diligen-
cia indispensavel.
Em 1847 o nosso consocio, chamado de novo ao
ministerio, occupou a pasta da justiga, a 2 de de-
zembro de 1854 foi por Sua mageslade o Impera"
dor agraciado com o titulo de visconde de Maran-
guape.
Duas vezes foi o nobre visconde chamado ainda
a alta administragao do estado; ministro dos neg,
oos estraogeiros no gabinete de 4 de maio de 1857
deixon lembrado e sen nome em notaveis tratados
e ajustes com a Repblica Oriental do Uruguay e
com a Coofederago Argentina, sendo negociador
desses actos o nosso prestante consocio o Sr. con-
selheiro Jos Mara da Silva Prannos, e nao menos
bem raereceu do paiz pela babilidade e firmeza com
que discuti a questo geral das successes com a
legagao fraaceza nesta corte.
Ministro da justiga do gabinete de 30 de maio de
1862, o visconde de Maraognape pode apenas acu-
dir a voz do imperador, que o honrava com a sua
coDfianga, na mesma hora em que o novo ministe-
rio apresentava o seu programma na careara tem-
poraria, o veterano da independencia, o velbo pa-
triota, o 4eal, honesto e infatigavel servidor do es.
tado, cania em urna das salas contiguas ao recinto
do parlamento atacado de nma apoplexia, como um
guerrero no campo da batalha. Tremendo fra o
golpe, es esforgos da sciencia e do amor da familia
puderam smente demorar o passamento do nobre
visconde.
de Janeiro de 18es.
Depois de ter sido, durante penco lempo, mlnis- cente imperio profunJmente coraraovido entre os
tro da guerra e n 18,35, continuou a desempenhar' recelos de aggress6"es ao liberalismo e de aggravos
importantes cor iraissoes, at que em 1840 foi no-' aos espirites do nacionaldlade; dods Ingentes sen-
meado commandante em chefe do exerclto do Rio timemos feridos o da liberdade, aspiragao de to
Grande do Sul,
algadoocollo a
brasilcira.
Tambem morrea este anno o nosso consocio o
conselheiro Dr. Manoel Joaquim do Amaral Gru-
dores, c entre elles a de Pedra de Alcntara Bel- ge|. efa um sacerdo|e jl|usirad0) que ^ .
legarde, urna das soas pedras angulares no lempo dendo que naQ ha sciencja ^ ^ para um
m que ninguem lia a historia do Brasil, em que nslro de DeuSj correu entre qs prjraejros a ma.
um litteraio inspirava compaixao, o artista erara o ,rcu|ar.se Ba academia jurdica de S.Paulo, o
galo do despreso, e o poeta um visionario sem pres- ne,|a obleDd0 0 grau de doator) passou bem de.
timo- pressa de aiscipulo a raestre, obtendo por concurso
Chegamos agora ao ultimo periodo da vida illus- urna das cadeiras de lente, e por muilo lempo foi
tro da nosso consocio fundador. Vamos encontra- um dos orgullios dessa flo/escente escola, da qual
lo em 1853 encarregado da pasta dos negocios da mereced emlim ser o director,
guerra ; conserva-se quasi dous annos no minis-
terio, e deixa assignalando a sua presenga no go-
verno do estado o batalhao de engenheiroscom que
,. ____ i questao do celibato clerical, declarando-se e escre-
lle completa a organisacao do quadro do exerc- ...
e v-gor contra esse principio
ramente reconheclda e que bastaria para perpe-1 >ue na0 um *** e 1ue ell *>"e *
tuar o nome do ministro que soube crea-la.
O nosso consocio, amigo intimo do Ilustre padre
Feij, e liberal como elle, fez-se notavel na famosa
Em 1863 e logo depois da dissolugo da cmara
temporaria Bellegarde outra vez chamado alta
administragao, e toma a pasta da agricultura, cora-
mcrcio e obras publicas ; era seguida o 4 distric-
io eleitoral do Rio de Janeiro o elege debutado
assembla geral legislativa; a nagao sauda o pres-
tante servidor do estado, que merecidamente vae
subindo a lo elevados grus seciaes, mas a mo-
destia do sabio nao naufragou nos cachnos das
ephemeras grandezas polticas, e o nosso Ilustrado
consocio desee tranquillo do ministerio de 15 de
Janeiro d 1864, e 28 dias depois desee ainda
tranquillo e resignado do mundo dos vivos para o
leto dos finados.
Pedro de Alcntara Bellegarde, marechal de
campo no qmadro do exercito, era do cooselbo de
Sua Magestade o Imperador, veadorde Sua Mages-
lade a Imperatriz, commendador da ordem de S.
Bcnto de Aviz, doutor em sciencias mathematcas,
lente jubilado da escola militar, vogal do conselho
supremo militar e de justiga, membro de umitas
sociedades scientiticas e Iliterarias, e sobre ludo
jsso era um homem de bem.
A Pedro de Alcntara Bellegarde seguiu em bre-
ve prazo para a morada dos morios Jos Ferreira
Sonto, natural da comarca da Jacobina, na provin-
cia da Baha, onde oasceu a 14 de fevereiro de
1808, seudo lilho legitimo do sargento-mr Amo-
nio Ferreira Sonto e de D. Maria Joaquina de S.
Jos.
Levado pelo justo eropenho de sens paes e pela
propria vocago lancou-se com ardor na carreira
das letras, e foi um dos primeros que bebeu o
leitc de Minerva nos seios da academia jurdica da
phenix Pernambucana : conseguindo ahi o pre-
mio de suas locubragSes no titulo de bacharel em
direito, estrcou na magistratura, sendo em 1833
nomeatiojuiz de direito da comarca de Sent S, na
provincia do seu nascimento. Magistrado intelli-
gente, zeloso e integro s afastou sua dextra da
balanga de Astra, quando a confianza do povo e
a do governo o cliamaram a desempenhar func-
ges legislativas e de alta administragao.
Na eomarca de Nazareth ainda como juiz de di-
reito, na segunda vara civel da cidade da Baha
desde 1810 at 1851 em que receben a noraeago
de desembargador da relago do Maranho, as
relagoes da Baha c do Rio de Janeiro para as
quaes foi, a seu pedido, successivamente removido
oos lugares nao menos importantes de chefe de po-
lica interino da provincia da Baliia, em 1848, e
de adjunto do tribunal do commercio da mesma
provincia, em 1855, o nosso eslimavel consocio
deixon um uome rico daquelle prestigio que nas-
ce da coiiiciencia publica, tribunal severo onde
se julgam os juizes, os ministros e os principes.
No anno de 1846 o distincto magistrado teve de
r demonstrar a sua capacidade e prudencia na
administragao da provincia de Sergipe, para pre-
sidente da qual Sua Magestade o Imperador hou-
vera por bem riomea-lo, e tao dignamente se hou
ve nesse elevado e espinhoso cargo, qne raereceu
logo no anno sguinle ser agraciado cora o offl-
cilialo da imperial ordem da Rosa, tendo j em
18II recebido a distinegao do habito da [ordem de
Christo.
O Ilustre Brasilelro cujo nome recordamos com
saudade, teve duas vezes assenio na cmara tem-
poraria, em 1842 eleilo pela provincia da Bahia,
era 1864 escolhido pela do Espirito Santo, onde
gozava geral estima, e dispunha de legtima in-
fluencia.
Esta ultima eleigo tinlia de encurtar-lhe os
das : esquecendo os graves soffrimentos de urna
affecgao pulmonar, o desembargador Couto depois
de porfiada Iota na arena das urnas, correu a de-
fender no parlamento a legalidade do seu diploma
atacada por habis adversarios : j proslrado no
leito, levantou-se para snstentar a sua cansa, que
era tambem a dos seus commttentes : dominon a
enfermidade, moslrou-se forte e valente campeo
uo combate parlamentar, coroou sua fronte com
os louros de urna nobre victoria, sorriu-se ao
triurapho que alcanzara : foi o seu ultimo sorrl-
so : suas forgas esgotaram se, o mal profundo que
Ibe ia apagando a vida extinguu emfira a dbil
flarama no dia 22 de fevereiro de 1864.
Jos Ferreira Sonto morrea nos bracos da espo-
sa muito amada, cercado de parentes e deanigos,
choradojtor quantos o conheceram e apreciaram
suas excellentes qnalidades.
Morreu este anno em Franga o nosso consocio
Carlos Reyband ; Iliterato e escriptor de mereci-
mento real, den testemnnho de vigor da sna ilel-
ligencia e da sua energa nos certames diarios da
imprensa poltica, e soube recommendar-se ao re-
conhecimento dos Brasileiros e consideracao do
nosso instituto, esereveudo lucidamente sobre as
cousas da America, e anda mais, a obra que pu-
blicou era 1856 sob o titulo Le Brtil, urna das pou-
eas em que o estodo serio e o amor da verdade
tem dirigido o pensamenio e os seotimentos dos es
cripiores europeos a respeito do nosso paiz.
A morte veiu ainda roubar-nos Um membro do
Instituto Histrico e Geographlco do Brasil e un
prestante servidor do estado era Lourengo da Sil-
va Aranjo e Amazonas, qne 9 de agosto de 1803
tinelo generaf nostron-se digno da alta confianza
qne merecer, d elxou as cidades o pontos fortifl
cados e avangoi pelos campos no encalgo das co-
lumnas rebelde;, tomou-lhes arlilharia, materiaes
de guerra e cavilhdas, rechapou-as at as fron-
teras, e, se nac foi o pacificador, foi o grande
preparador da picificago da heroica provincia do
Sul do Imperio.
Quatro annos depois registrava na provincia de
Minas Geraes a memoria de um governo justo,
brando e illustrido, e delle sahia para tomar as-
mis relevantes
1848, deseen d<
vida a dedicar-!
seu berco e ao
Examinando
onde tinha, desdo alguns annos,'. das as nagdes no scula XIX, o danacionalidade.
tivo a mais fatal rebelIiSo. vO dis- a alma dos povos em lJd*s os seculos do mundo.
(Chtinnar-seha.)
.MI POUCu DE TUDO.
E' do Sr. J. I. de Albuquerque Xavier esla
poesa.
FR. JOAQUIM DO ESPIRITO-SANTO.
Dminos dabit verbum
evangelizantibs, virtute
mulla.
(Psalmo 67, v. 12.)
i Na milicia do Christo ha-um soldado
Nao laso.
O valor do roubo de vinte contos de ris, e o
rcubado um soberano, porque o roobo foi com-
mettido no castello de Sibyllenort, propriedade do
daqne reinante de Brunswick.
Por meio de arrombamento- enlraram os ladroes
no deposito de baixela, e levarara quasi todos os
objectos de prata que l bavia, no valor de 30:000
tlalers.
Apesar das mais activas diligencias da polica,
ainda nao foi possivel descobrir os crimi-
nosos.
sent na cama a temporaria como deputado do : Vaienle e nobre e nrme e denodado,
Ro de Janeiro e para encarregar-se da pasta da' Deslumbrante de luz:
guerra no gabinete de 22 de maio de 1846, no Do alto da cadeira d verdade,
qu31 prestou < rganisagao do exercito os servigos Os sophismas da louca impiedade,
outra vez ministro da guerra em
poder no flm de quatro mezes ;
raasconiinnou empre e at o ultimo dia da sua
A' p, elle
E' um moderno Apo
reduz.
stolo das gentes,
Por muitas vezes eleito membro da assembla
provincial de S. Paulo, e tendo tido ainda a honra
do representar a sua provincia na assembla geral,
foi sempre nm palladim firme e decidido das ideas
'iberaes.
Os numerosos discpulos do conselheiro Amaral
Grugel, o nosso instituto e a provincia de S. Paulo
guardaro com o zelo da mais pura gratidao a no-
bre memoria do seu Ilustre nome.
Perdemos ainda em 1864 nm Brasileiro por mui-
tos ttulos distincto, o nosso consocio conselheiro
Dr. Francisco de Paula Candido : a sua vida offe-
rece urna bella historia de dedicagao, de honra, de
fructuoso labor scientifico, de amor humanidade
e de provado patriotismo : outra voz mais eloquenl
te que a minha, a voz de um dos nossos consocios
qae foi como eu discpulo do Or. Paula 'Candido,
far ouvir em urna das nessas sessdes do prximo
anno um estado que ser brilhante e completo so-
bre este benemorito cida^to.
No registro dos nossos consocios ltimamente fl"
nados ainda se acha eserpto o nome respeitavel e
sympathico de Caetane Maria Lopes Gama, viscon-
de de Marangnape; era nm dos ltimos palladlos
que nos restam da gloriosa phalange da indepen-
dencia ; o baque mortal de cada um desses nobres
representan les da poca heroica sempre repetido
em doloroso echo no coracao da patria agrade-
cida.
Caetano Maria Lopes Gama, filho legitimo do Dr.
Joao Lopes Cardoso Machado e de D. Anna do
Nascimento Gama, nascen najjrovncia de Per-
nambuco, e tendo ah estudado humanidades, atra-
vessou o Atlntico, matriculou se na unlversidade
de Coimbra e em 1819 voltou para a trra natal
^rraado em direito.
A 4 de abril de 1821 encetou a carreira da ma-
gistratura como jniz de fra da villa do Penedo^ na
provincia das Alagoas, e de enlao por diante con-
sagrou sna vida ao sen paiz, e durante 43 annos
pagou ao Brasil tributos incessantes de patriotismo
e dedieagao, servindo o na qualidade de magistra-
do, e na administragao e na poltica.
Onvidor da comarca das Alagas era 1822, des-
embargador da relagao de Pernambuco em 1828,
auditor geral da marinha no mesmo anno, desem-
bargador da relago da Bahia com exercicio na
casa da upplicagao em 1829, intendente geral da nem eDcan d patr?C j P a m
polica era 1830, e por isso recebendo a carta de namma do lalent0 e a tor?a daC0DSCienC11- As Dro"
conselho no anno seguinte ; ainda neste anno cor- "f0*3" rea."savamse nai>uel e "J* 6"^f
regedor do crime da corte e casa, juiz conservador Ide oppoS,?ao ; ncssa areDa 6,or,osa aLem 3 "*
dos Inglezes em 1833, Caetano Maria Lopes Gama
foi emfim ministro aposentado do supremo tribunal
e com patriotismo e zelo trra do
overno do Estado.
fabrica da plvora e propondo as
reformas convenientes; presidindo em 1849 a
commissao de pratica de artilharia ; desde 1850 a
de melhoramei tos- to material do exercito \ em
1852 a de exane do arsenal de guerra da corte
tomando parte i a commisslo revisora da legisla-
gao do supremo conselho militar, em muitos ou-
tros trabalhos einfm Joao Paulo dos Sanios Brre-
lo provou tanto i sua vasta capacidade como a sua
honradez.

A munificencia imperial, o voto do povo e o re-
conhecimento d;i repblica das letras derara-lhe
inequvocos testemunhos da mais elevada consi-
derago. Joo Piulo dos Santos Barreto, doutor em
sciencias matlie naticas e physicas, tinba o titulo
de conselho, e era fidalgo cavalleiro, marechal do
exercito, conselheiro de estado e de guerra, gra-
cruz da ordem
veador da casa
deraia militar,
deu-lhe por dua
Que com palavras ternas, convincentes,
Nos inocula a f;
Conquistador de alnas para Deus,-
0 brilhantismo dos Iriumphos seus
Dir quem elle 6.
E' neste mundo, patria do desterro,
Um sol, que as trevas lgubres do erro
Procura dissipar;
Tendo as mos o Evenlho aherto,
Nos aponta o caminho, que mais certo
Ha de ao cea nos levar.
Se descreve a feliz eternidade,
Julgamos prelibar a (Ticidade,
Que os justos vo gosar;
Se porm nos revela esses horrores,
Que os mus teem de soflrer, pungentes dores
Nos veem dilacerar.
Esse grande mortal, que pode tanto,
E's tu, Fr. Joaquim do Esp'rilo-Santo,
Eximio pregador:
's tn, dilecto filho de Francsoc,
Era cuja fronte luminoso diseo
TranlBz encantador.
Depois de ter subido ao mais alto gru de ma.
gistralura, depois de ter sido quatro vezes eleilo
depulado, qualro vezes chamado ao ministerio,
tres vezes ao governo de provincias, depois de ser
senador do imperio e conselheiro de estado, o vis"
conde de Maranguape morreu sem deixar um ini-
migo. Integro, severo no curoprimento dos deve.
res dos cargos e empregos que occupou, era boni,
ameno e cheio de benevolencia em suas relagoes
paticulares: nenhum amigo mais fiel, nenhum co-
ragao mais dedicado.
E ainda mais : depois de ter fruido todas essa-
grandezas sociass, depois de ter subido tanto quans
to pode subir um simples cidalo, o visconde de
Maranguape morreu pobre.
0 lengol da pobreza urnamortalha sublime quan-
do cobre o cadver do homem que foi um dos gran-
des do imperio. -
Em Joao Paulo dos Santos Barreto perdeu este
anuo o Brasil um filho benemrito, o exercito na-
cional um dos seus. habis 'e Ilustrados generaes,
e-o nosso instituto um sogo prestmoso e dis-
tincto.
Nsinral de Rio de Janeiro. Joo Paulo dos Santos
Barreto, que logo na iofancia deixara adiviobar a
bella intelligencia deque era dotado, fez os seus
esludos de humanidades as aulas que entao havia
na capital da grande colonia porlugueza da Ameri.
ca, e destinando-se a carreira das armas, assenlou
praga aos 19 annos de edade no regiment de arti-
lharia, recebendo logo o posto de sargento.
O joven soldado nao tnha por si nem o prestgi
de urna familia nobre, nem o condo das riquezas
de Aviz, offlcial da do Cruzeiro,
mperial e lente jubilado da aca-
A provincia do Rio de Janeiro
> vezes assento na sua assembla
provincial, e era 1845 urna cadeira na cmara
temporaria.
O nosso iostit no histrico e muilasoutras so-
ciedades scientiticas nacionaes e estrangeiras ufa-
naram-se de conjta-lo entre os seus raembros.
Joo Paulo do; Santos Brrelo era incontesta-
velmente urna das nossas illustragoes, e sumidade
no exercito por sua profundeza as materias pro- Que refulge mais lindo e altaneiro,
Dssonaes, era rico de conhecimentes variados, A aguia do Brasil;
orador fiuente e izrave, muilas vezes cheio de elo-' S5o luas oraoes mais perfumosas
quenca, na contagio ameno e em toda sua vi- Qae um rama|hete de fragrants rosas,
da, tanto particular como publica, um grande ex-, Colindas em abril.
Se pregas a pureza de Mana,
Qne abysmo de meffavel poesa
Sos vem submergr!
Resplendentes de xtasis profundo,
i Quizeramos poder, inteiro mundo
Junto ti reunir.
! Nao trepido em dizgr, qa'es o luzeiro
I recimento atirou-se elle com ardor, e, marchando
i de victoria em victoria, ganhou lodos os postos at
de justiga, havendoserapre gozado a raai, bera fun- *??*'' "Mg 2*l l^CsTe'
dada reputaeo de oh re?:o e o.egro. &enheros' em 18il Qmaj0r' do,u* anD! deP'Srl
, ..neme-coronel, em 1828 coronel do estado-maior.
ra, porm, tao reconhecida a bella intelligencia i
e o profundo civismo do nosso consocio, que nem o O sargunto de 1807 tinha subido depressa;
monarcha, nem o povo podiara deixar de aprovei- mnitos espantara tanta fortuna, eo coronel de 182g
tar esse Ilustre varo em altas funegoes polticas e' nao escapou aos botes da Inveja. A escala do me
administrativas. i recimento n5o. pode agradar quelles que, pouco
Em 1822 o ouvidor das Alagoas langou-se arro- em si confiando, preferem a escala material dos an-
jaJo na santa cruzada da independencia, e cora nos, quo premia a quem ha mais terapo vive e nao
a quem melhor tem servido. A medocridade, que
avanga rastejando se.o patronato nao Ihe empresta
azas de Icaro, um caracol que nao tolera os vos
emplo de honestidade.
O nosso Ilustrado e venerando consocio mor-
reu no dia primeiro de novembro de 1864, viven
76 annos, desses pertencerara 57 ao servigo da pa-
tria ; foi ura benemrito; honra pols sua me-
moria.
O rol fnebre infelizmente muito nomeroso
dos nossos consocios finados no anno de 1864 vae
ser agora fechado com os nomes dos dous poetas,
ufanas brilhantes da patria, flores magestosas
que ornamentaran) o templo das letras brazileiras,
e cajos perfumes embalsamaran! a historia da
nossa poca transpirando dot escriptos admraveis
Tjue elles nos*dexaram e que os seculos ho de
respeitar como indeleveis monumentos da intelli-
gencia humana.
Foram dous poetas que morreram; repito com
orgulho e em honra delles a nobre quaimcagao :]
aqu ninguem se lernhra de amesquinha-la : fallo
perante um Imperador qne hospeda em seu pala-
cio, preside e esforga urna sociedade litteraria,
que> paga a educago de artistas, que agracia es-
criptores nacionaes e estrangeiros^ que encoraja a
Quem me dra, podesse erguer-te um canto,
Transcedente, sublime, puro e santo,
Como a tua moral I
Bem sei que impossvel, mas comtudo,
Nao posso cousentir era ficar mudo :
O intento nao val ?
Tn disseste tima vez : do tenro arbusto.
Que seja egual ao cedro j robusW,
Nem Deus quer exigir;
A flor agreste, que viceja pobre.
Suave aroma, como a losa nobre,
Pode acaso expandir!
E os chibros do humilde passariaho,
Que debrugado beira de seu ninbo,
Sada e arrebol,
Podero imitar as cantilenas,
Quo em noutes de luar, doces, amenas,
Desprende o ronchlnol ?
Pois bera; permitte que, do fundo d'alma,
Vaticine os fulgores de nma palma,
Que te guarda o porvr :
l'm dia, Deus dir j bastante;
Comigo viveras.
tanto fervor se pronunciou que foi nomeado presi-
dente do governo provisorio da provincia, que era
seguida o elegeu deputado constltumte brasileira.
Os servigos do joven patriota receberara logo um
justo galardao. No dia da coroago do Imperador
foi Lopes Gama agraciado com o habito da impe-
rial ordem do Cruzeiro.
Dissolvida a constitunte, receben o nosso conso-
ci o decreto de 25 de novembro de 1823 noraean-
de-o presidente da provincia de Goyaz, /rente de
cujo governo permaneceu at 1827, em que teve de
vr tomar assento na cmara dos deputados como
nm dos eletos por Pernambuco.
Em Goyaz oceupra-se elle em trabalhos nota-
veis sobre a navegagao dos rios, e especialmente
do Tocantins, e sobre a catechese e civilisacao dos
Indios, ao mesmo tempo que regulava a adminis-
tragao e fundava o hospital de caridade de S. Pe-
dro de Alcntara, em nma de cujas salas foi, pela
pratidao mais 1 ou va vel, col locado o seu retrato logo
depois da sna morte.
O nome de Lopes Oama tornou-se tao caro a essa
provlnea que em 1829 se apressou ella a elege lo
seu depulado assembla geral, pelo que honve
elle de deixar a provincia do Rio-Grande do Sul,
de cuja presidencia se acbava entlo encarregado ;
e trinta e quatro annos mais tarde, ao chegar a
Goyaz a triste nova do passamento do Ilustre bra-
sileiro, foram geraes ador e o luto, e nao. faltaran)
honras fnebres quelle qne ha quasi sete lustros
deixra essa nobre provincia. Semelhantes factos
hooram aopovo de Goyaz e nao menos ao hbil ad-
ministrador, cujo talento e prudencia ninguem ja-
mis poz em duvlda, e que em verdade tiveram ali
todo paiz; porque, seja dito de passagem, per
da aguia.
Digara-lhe que o grande Conde foi aos 22 annos
general em chefe na batalha do Rocroy, e ella res"
pondera sorrindo : Foi porque era principe '
assegorem-lhe que aos 23 annos de edade foi Pit'
um notavel ministro na Inglaterra, e ella tornar
sorrindo ainda: Era 'filho de lord Chatam-t
lembrai-lhe que Mural foi um general admirave;
aos 30 annos, e ella replicar sorrindo sempre:
Era urna das espadas que se forjararn as lavas do
volco revolucionario da Franga; e, fiel a sua
nalureza mesquinha, a medocridade nanea reco-
nhecer sem violencia que Conde, Pitt e Mural fo-
ram homens de genio.
Joao Paulo dos Santos Barreto subir com effeito
depressa ; tinha, porm, merecido muito. Era en*
tre os seus contemporneos um dos primeiros na
applicagao, no trabalho c na vaslido e brilhantis-
mo di intelligencia. J era 1818 servir em Pe"
nambuco na phalange debelladora daTevolugo re.
publicana : no mesmo anno foi nomeado lente
substituto da academia militar; no seguinte arom-
panhou o general Stokler no estudo de umsystema
de fortiflcagoes para a provincia do Rio de Janeiro;
em 1821 leve de part'r para^i ilha Terceira afim
de examinar e reformar os esludos malhematicos
e militares da escola respectiva; d'ali fojr mandado
em commissao a Lisboa para Franga, incumbido
de estudos pralicos de engenharia e hydraulica :
mas em breve o brado ingente do Ypiranga sdou
alm do Atlntico no. coragao do Ilustre Brasileiro,
. .i. w j i Como etaste a missao: e nesse instante
sciencia, que applaude os tnumphos da intelllgeu- u,""^"c",- ...
cia, porque conhece em si proprio a forga, a no- Deixaras de existir. _
breza e a divina magestade da intelligencia ;.fallo Ento equilibrado em azas d'Anjos,
peraute principes illusirados, que sabem apreciar Ao som das harpas santas dos Archanjos,
a flamma sagrada que Deus acende na alma dos Para Deus voars;
seus escolhidos; fallo diante de urna assembla de Ougamolo: Vera c Meu caro filn
Iliteratos, eruditos e sabios, que comprehendem Sei bera, seguste do Evangelho o trilho,
que seelevam quando pagara tributos de admira-
dlo ao genio.
Mas l fra ha homens que se presumen) de al-
tas capacidades no positivismo e na pralica, espe-
cies de aguias, de ordinario exclusivamente poli-
ticas, que fingem desprezar o sol, porque nao po-
dem eucararcom elle; e no meio desses homens
que sao mais numerosos do que se cuida, aquello E 0 mund0 escrever em lellras d'ouro :
que faz mos versos, se excusa, se amnista, e o J _q Brasil foi privado de um thesouro,
poeta, o verdadeiro poeta, nao acha perdi, como \ Tjue nao na de olvidar:
diz Lamartine, um condemnado, um illota, e o e como Bossuet, quem a Franga
deve ser, porque tem urna faculdade de mais, a; iodelevel conserva na lembranga*
faculdade que o sol que as aguias do positivismo Tambem has de reinar,
e da pratica nao tem nos olhos forga para encarar
no meio desses homens a gloria dos poetas pr-
fida, porque, como diz Vctor Hugo, a gloria rece-
be o genio em seu templo para immola-lo nos seus
altares. A esses homens, pois, que nao conhecem
Deus por nao sabe-lo admirar as ma:s bellas das
suas obras, que nosabera amar a patria porque pequeas cousas,
procuram abater o que mais a sublima, a esses,
em quem a rndeza ou a inveja faz maldizer do ge-
nio, a esses digo eu :morreram duas grandezas
doBrazil; morreram dous poetas.
Um delles foi Manoel Odorico Mendes, tinha j a
cabega enbranquecida pelo invern da edade, con-
tava sessenta e cinco annos; mas nem por isso
era menos robusta a sua intelligencia, nem menos
Guerra ainda hoje ura dos mais clebres cau-
dilhos de salteadores das bellas trras de aples.
Todos os nomes dos bandidos deste paiz pare-
cen! significativos ; taes sao Fuoco (fogo), Pace
(paz) e Dobolezza (fraqueza), nao fallando mesmo
no famigerado Guerra qoe bem merece ser assig-
nalado em esenpto do mais tomo do que amas sin-
gelas e comesiobas noticias diversas >, como se
vae ver.
Guerra era, ha cinco annos, nm alio e bonito
rapaz de dezoilo annos, qne dansava com as rapa-
rigas de Migoano, sua ierra, l para as bandas da
fronielra romana.
O horror ao recrulamento polo em campanha
como elles dizem, os bandidos.
Ao principio, se verdade o que contara, por-
tou-se honradamente : Contenlava se com vi ver.
Quando os carvoeiros da duqoeza de Migoano se
preparavam para comer as florestas, apparecia
elle com os seus, jama va no lugar dos carvoeiros
e deixava-lhes generosamente o que nao quena.
A' guarda nacional, cujo commandante seu ini-
inigo pessoal, mandava bilhetes insolentes, como
por exemplo:
c Vinde ca, fracalhoes, eu estou aqu, a dous
passos de vos, prorapto para vos atirar abaixo dos
cavallos, sendo o major o primeiro.
Com estas amabilidades den os primeiros passos
na vida de bandido, e pensava todo o mondo (o
mundo de Mignano) que o negocio nao passaria de
alguns annos de priso. Mas o apetite vem quan-
do se romera a comer.
Guerra, n'uma bella raanhaa, matn a sua bel-
la apaixonada por suspeila de baver denunciado a
sua guarida.
Nao ha capitao de bandidos qne nao tenha a sua
companheira a que o Italiano chama druia.
Desde entao foi Guerra cahiodo de erime em
crime, e hojeo seu nome inspira horror.
Todos creem em Mignano qne foi elle qne, em
urna das suas frecuentes correras no territorio
pontifical, deu cabo a dous gendarmes franceses-
Fallemos agora do seu ca vallo.
E' urna carta de aples, com data de 6 do cor-
rete, que nos d as precisas iaformagoes : falla
o autor da carta :
c O cavado em qne montei, chegando ao castel-
lo de Mignano, tinha um sestro extraordinario, e
qoe merece ser referido como ama prova da intel-
ligencia dos animaos. Mal tinba dado alguns pas-
sos, voltou-se de repente para traz, e deiiou a cor-
rer a todo o galope, o qae fez nr o mais respeito'
smente possivel toda a creadagem qoe me segua
e que aecudu logo a ter mo no bicho.
Mas que tem estecavallo T perguntei eo.
Ai, senbor, cousa incrivel.
Sim ? ento que ?
E" aquelle soldado, senbor.
Que soldado?
Aquelle que l vera de Mignano.
Mas que tem aquelle soldado com este ca-
s-alio?
Tem islo, senhor: este cavallo perteoceo a
Guerra, que um bandido c da trra. Tomaran-
Ih'o em um combate e nos compramo lo em leilo.
Parece que o dono o tinha ensinado bem a fugir
quando visse fardas, porque mal v um soldado,
nao ha quem t- nna mo nelle qne nao deile a cor-
rer para traz. Vende urna farda preciso des-
montar logo e leva-lo redea, e ainda assim
muito difucil cont-lo.
Com effeito costn muito a sopear na etrada o
tal cavallo-bandido, quando o soldado se aproxi-
mou
Trema, agilava-se e
mos, como diz a Biblia
desfazia a Ierra com as
: sorbel lerram.
o tempo necessario para se demonstrar em prove-' qUe) tornando a patria, j nago independecte, logo
em 1821 mereceu ser nomeado secrelariodo conse-
mais forte que seja a vontade, por mais esclarecida. lho m|lUr privado do ilBperador.
que seja a intelligencia do cidadao encarregado do
governo de urna provincia, nem vontade forte, nem
intelligencia esclarecida podero deixar de ser es-
teris em administragdes ephemeras.
Alagas, Pernambuco e Goyaz tlnhara-se dispu-
tado a gloria de serera representadas por Lopes Ga-
ma na cmara dos deputados: em 1838 o Rio de
Janeiro oflereceu em urna lista trplice para sena-
dor o nome desse distincto varo, qne foi sentar-se
entre os apcioes da patria.
Em 1831 o exernito recebera o germen da in-
disciplina no campo da revclugao ; de elemento de
ordem tornara-se nm pango para a sociedade ; o
governo benemrito dessa poca teve de dissolve-
lo : o throno e as institnigSes receberam por gnar-
capital do imperio os officiaes de alguns dos ami-
gos corpos formaran) ora batalhao, cabendo a hon-
ra de ser seu commandante ao coronel Joao Paulo
dos Santos Barreto.
Cora o titulo de-O dedo, a mao e o braco
de Deus, publica o Commercio do Porto o se-
guinte :
Um homem de engeuho nao se atrapalha com
Sirva de prova a acertada eloquencia de um
bispo que teve a gloriosa ventura de abengoar
successivamente a inaugurago de tres governos
novos.
Ao primeiro disse elle :
Tu s o dedo de IJpus 1
Quando este poder cahio para dar lugar a outro,
elevado e firme o seu espirito : era como o simplo M Mostr prelado, de hyssope na mo, saudar o
novo sol, e disse-lhe :
coroado de nev e topetando com as nuvens.
Manoel Odorico Mendes nascen na cidade de
S. Luizdo Maranho a 24de Janeiro de 1799, filho
|egKmo de Francisco Raymnndo da Cunha ede
snajtiulher D. Maria Raymunda Correa de Faria,
tomou o apellido de seu lio, padrinho e pae adop-
tivo Manoel Mendes da Silva : concluindo em sua
provincia os primeiros estudos preparatorios, pas-
sou para Portugal com intengo de formar-se em
medicina : em Coimbra fez inteiro o corpo de phi-
losophia, applicou-se lingua grega, foi amigo e
companhero de Manoel Alves Branco e de Garret,
ambos poetas, e cada urna delles ura gloria de seu
paiz; acontecmentos inexperados o obrigaram a
interromper os seus estudos e no principio de 1824
chegou de volta ao Maranho.
As 25 annos Odorico Mendes sentiu seu nobre
coragao arder em dous fagos celestes que nunca
mais se extinguiram : no amor da liberdade e no
amor da poesa, lambem sua vida toda, sua vida
de 40 annos, dessa data em dame se pode resu-
mir era duas palavras liberal epoeta. Se nao
m'o levam a mal, aceito-as como synooymos.
Estudarei o poltico antes de applaudir o poeta.
Manoel Odorico Mendes tornara ao Maranho
em urna poca de ardentes, emogoe polticas : o
anne de 1823 antes de chegar aoseu termo abalara
o paiz com ura violento golpe de Estado : o grave
erro da dissolugao da conttituicte deixara e as-
Tu s a mo de Deus I
Mas eis que ao cabo de alguns annos a mo
de Deus suecumbio; terceiro poder se levantou
sobre as minas do precedente.
Por ventura 6 acto da bengao" atrapalhar desta
vez o prelado?
Qual historia I
Saudando o novo sol, o engenho inspirou-lhe a
vanante conveniente:
Tu s o braco de Deus!
Se nao tivesse chegado ao seu termo a era das
revoluges, ainda tinha muitos recursos de larga
nomenclatura, e muitos raembros poderiam figurar
na frmula da bengao.
Conla o Echo do Pacifico, que urna mulher
de Monterey tem dado luz trinta e seis tainos,
que ainda vivera, lodos no mesmo condado.
Os primeiros vinte foram
Os nossos ieitores j sabem qne est em Pars o
general Tom Pouce.
Ora, um jornalsia parisiense, qne j ganhou al-
guns francos com reclamos para o general ano,
foi vistalo logo que soube Ja sna ebegada, por-
que ha gente qne folga sempre de tornar a ver um
phenomeno que j lhe deu que fazer.
Depois de ter aperlado a mo do general, a de
sua esposa e a de sua cunhada, e de ter contem-
plado no seu bergo o herdeiro microscpico de lo
Ilustre personagem, o jornalsia, a quem parecen
qne se tinha inclinado menos do que em oatras
occasioes, para poder aperlar-lhe a mo, disse-
lhe :
Eu ia apostar que o general cresceo.
Est engaado ; o senhor qae se fez ma>
pequeo.
Terrivel dito applicado a um representante da
dscussao livre I
Os jornaes de Londres annunciam que M. Graig,
director da prtsoes-modelo de Pontoaville, fugiu,
deixando um dficit de 2,000 lib. st.
Se assim as yrtsoes-modelo, que ser as
outras ?
Na semana finda em 3 do correte foi mni im-
portante o movimiento dos melaes preciosos em
Inglaterra.
As importagcVis elevaram-se a perto de libras
sterlinas 809:970, das quaes foram recebidas-de
Nova-York. 172.0001 i oras pelo vapor Cilvof Bal-
timere, 30,000 libras pelo America 41,000 libras
pelo Pensylvama,
O vapor Aralo, procedente das Anlilbas e do
Pacifico trouie 448,999 libras ; o Onnda, an Bra-
sil, 52,142 libras ; o Sussex, da Australia, 27.000
libras. Do continente foram importadas 37,829
libras em prata.
As exportagoVs de Inglaterra foram de 75,800 li-
bras rara a Bombaim, pelo vapor fipon; 16,406
libras para as Antilhas, pelo Tasmanion ; e para
Franga por vias differentes foram exportadas per-
to de 685,500 libras.
As exportagbes apresentam nm total de 777,706
libras sterliuas.
O magnifico palacio da industria, em Amster-
daro, que tanto exritou a admirago dos estraogei-
ros por occasio do ultimo congresso das sciencias
sociaes, servir para nma exposico universal de
horticultura na primavera de 1865.
Um congresso internacional de botnicos e bor-
8 F (cultores coincidir com esla exnosigao.
tando-se de cada vez um rapaz e urna rapa-: s recompensas que consistirn) em medalhas
riga. de ouro e de prata, cujas matrizes serviram pa-
rt. j ra esla occasio, sero conferidas por nm jar} in-
Os outros dezeseis nasceram solitarios. ^Taiconil> e podero ser trocadasVpara qoeni, as-
No juntar desta familia come-se ama vitella de sim o qniser, pelo seu valor em dinheiro.
um anno e um sacco de feijoes!' i A rainha dos Palies Baixos, qne de veras apre-
_ cia tudo o que tende ao desenvolvimento das artos
'' e das sciencias, conceden a sua proteccao a esta
iihr< exposico, e e principe de Oraoge aceitn a presl-
as' dencia.honoraria.


Como muita gente chama soberanos s
tal vez pansera que vamos dar noticia de um roubo
de dinheiro no valor de 44500.
\
PERN4MJJUCO.-TYP.DE M. F. DEF. FILHO
II
t7f*i\/r*i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGSZ6S718_WWNX0G INGEST_TIME 2013-08-27T23:40:45Z PACKAGE AA00011611_10571
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES